Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Tópico iniciado por: acerlopes em 11 de Setembro de 2010, 20:55

Título: NO ATO DE JULGAR
Enviado por: acerlopes em 11 de Setembro de 2010, 20:55
NO  ATO  DE  JULGAR

            Não prescindas do amor que devemos a todas as cousas e a todas as criaturas para que não te falte luz ao entendimento.

            Analisando os desequilíbrios do mundo, reflete na Infinita Bondade que assegura a trajetória da Terra, no caminho dos astros, e reconhecerás que toda desarmonia é superficial e aparente.

            Observando os conflitos da Humanidade, relaciona os sacrifícios daqueles que te abriram o sulco luminoso do progresso aos próprios passos e, inventariando-lhes as lágrimas anônimas, aperfeiçoarás com teu esforço a estrada para  aqueles que te sucederão no futuro.

            Apreciando os erros de alguém, medita nos ideais e nas esperanças superiores que decerto lhe povoaram o coração, e compreenderás que outro comportamento  talvez lhe assinalasse a jornada, se possuísse oportunidades iguais às tuas.

            Diante daqueles que os tribunais humanos classificam à conta de delinqüentes, pensa nas comovedoras aspirações das mães que lhes afagaram o berço e compaixão imensa nascerá de tua alma, ensinando-te a auxiliar ao invés de ferir.

            Longo e alcantilado é o trilho da evolução!...

            Compadece-te de todos aqueles que voltaram à estaca de inicio, para recomeçar o caminho a pés sangrentos.

            No entanto, além da piedade, oferece-lhe braços compreensivos e diligentes, porque amanhã será talvez o teu dia de cansaço e tristeza, desencanto e desilusão, quando reclamarás igualmente o concurso de mãos fraternas a te refazerem as energias ou a te recomporem os membros desconjuntados.

            Sobretudo, não condenes, em amaldiçoes, em circunstância alguma, porque o Cristo de Deus ainda não desesperou de nossas fraquezas e hoje, tanto quanto ontem, procura com amor e paciência, libertar-nos a visão da trave do egoísmo e da crueldade, da indiferença e da ignorância, para que com Ele venhamos a cooperar na sustentação da segurança e da paz.

 

Do livro: Reconforto

Psicografia: Francisco Cândido Xavier Pelo espírito: Emmanuel

Paz e Luz

Título: Re: NO ATO DE JULGAR
Enviado por: filhodobino em 11 de Setembro de 2010, 21:17
Amado Irmão,
Belíssima página, cujas letras escondem um segredo, mas que não é secreto...
No ato de julgar, sempre exige-se duas partes...
o que julga e o julgado...
a causa e o efeito...
Todo julgamento exige conhecimento de causa...
A ninguém na carne foi dado o direito de conhecer o íntimo de outrem, somente pela suposição... haverá uma suposta causa... que poderá posto que é suposição, poderá ser falsa ou verdadeira, depende do ângulo de quem olha e do lado que olha...
então de duas uma...
ou o julgador está certo ou errado...
ou o julgado está certo ou errado...
ou a causa é verdadeira ou falsa...
Ou o efeito é verdadeiro ou falso...
meditemos....
Para que o que o julgador atente que está agindo com justiça ele estará julgando pelo conteúdo da própria mente e não com o conteúdo da mente do julgado...
Para que o julgado aceite a sentença, ele precisa entender que a causa é verdadeira, mas... se o julgado em sua mente entender que a causa é falsa, então o efeito será também falso... para si...
Ora, a todo momento precisamos estar julgando isso ou aquilo ou aquele outro... senão seremos máquinas, robôs, com programação definida...
Então o ato de julgar só tem validade ética para quem julga...
O que não é ético para o julgado é anti-ético... não tem valor...
Que importa o julgamento?
Importa a não submissão às regras anti-éticas... então para que se importar com o que não tem importância?
Daí o conhecimento de alteridade, que é simplesmente observar as diferenças entre as coisas, entre os fatos, entre as palavras, entre o que as mentes dizem e o que as mentes fazem, se o julgado se colocar no lugar do julgador verá que ele agiu sem conhecimento de causa, então ...
nesse momento não haverá reação e se não há reação, não ouve ação, e fica o dito pelo não dito, ....
Saúde e Paz!
Título: Re: NO ATO DE JULGAR
Enviado por: acerlopes em 11 de Setembro de 2010, 21:42
Ola meu irmão  filhodobino!!!

Voce complementou maravilhosamente!!!!

Sempre aprendendo é meu lema
Título: Re: NO ATO DE JULGAR
Enviado por: EmBuscaDaLuz em 12 de Setembro de 2010, 13:59
Puxa, vcs dois foram brilhantes...

Belas postagens, adorei!

Muita paz e luz sempre!