Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Meditação => Tópico iniciado por: Victor Passos em 20 de Outubro de 2009, 10:54

Título: Vê como Vives 20 / 10 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 20 de Outubro de 2009, 10:54
Ola bom dia e muita paz

Vê como Vives


Livro: Vinha de Luz
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

                "E chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas e disse-lhes: negociai até que eu venha." - Jesus. (LUCAS, 19:13.)

          Com a precisa madureza do raciocínio, compreenderá o homem que toda a sua existência é um grande conjunto de negócios espirituais e que a vida, em si, não passa de ato religioso permanente, com vistas aos deveres divinos que nos prendem a Deus.

          Por enquanto, o mundo apenas exige testemunhos de fé das pessoas indicadas por detentoras de mandato essencialmente religioso.

          Os católicos romanos rodeiam de exigências os sacerdotes, desvirtuando-lhes o apostolado. Os protestantes, na maioria, atribuem aos ministros evangélicos as obrigações mais completas do culto. Os espiritistas reclamam de doutrinadores e médiuns as supremas demonstrações de caridade e pureza, como se a luz e a verdade da Nova Revelação pudessem constituir exclusivo patrimônio de alguns cérebros falíveis.

          Urge considerar, porém, que o testemunho cristão, no campo transitório da luta humana, é dever de todos os homens, indistintamente.

          Cada criatura foi chamada pela Providência a determinado setor de trabalhos espirituais na Terra.

          O comerciante está em negócios de suprimento e de fraternidade.

          O administrador permanece em negócios de orientação, distribuição e responsabilidade.

          O servidor foi trazido a negócios de obediência e edificação.

          As mães e os pais terrestres foram convocados a negócios de renúncia, exemplificação e devotamento.

          O carpinteiro está fabricando colunas para o templo vivo do lar.

          O cientista vive fornecendo equações de progresso que melhorem o bem-estar do mundo.

          O cozinheiro trabalha para alimentar o operário e o sábio.

          Todos os homens vivem na Obra de Deus, valendo-se dela para alcançarem, um dia, a grandeza divina. Usufrutuários de patrimônios que pertencem ao Pai, encontram-se no campo das oportunidades presentes, negociando com os valores do Senhor.

          Em razão desta verdade, meu amigo, vê o que fazes e não te esqueças de subordinar teus desejos a Deus, nos negócios que por algum tempo te forem confiados no mundo.


 

Muita Paz
Título: Re: Vê como Vives 20 / 10 / 2009
Enviado por: Christian em 20 de Outubro de 2009, 14:28
Ola bom dia e muita paz

Vê como Vives


Livro: Vinha de Luz
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

                "E chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas e disse-lhes: negociai até que eu venha." - Jesus. (LUCAS, 19:13.)

          Com a precisa madureza do raciocínio, compreenderá o homem que toda a sua existência é um grande conjunto de negócios espirituais e que a vida, em si, não passa de ato religioso permanente, com vistas aos deveres divinos que nos prendem a Deus.

          Por enquanto, o mundo apenas exige testemunhos de fé das pessoas indicadas por detentoras de mandato essencialmente religioso.

          Os católicos romanos rodeiam de exigências os sacerdotes, desvirtuando-lhes o apostolado. Os protestantes, na maioria, atribuem aos ministros evangélicos as obrigações mais completas do culto. Os espiritistas reclamam de doutrinadores e médiuns as supremas demonstrações de caridade e pureza, como se a luz e a verdade da Nova Revelação pudessem constituir exclusivo patrimônio de alguns cérebros falíveis.

          Urge considerar, porém, que o testemunho cristão, no campo transitório da luta humana, é dever de todos os homens, indistintamente.

          Cada criatura foi chamada pela Providência a determinado setor de trabalhos espirituais na Terra.

          O comerciante está em negócios de suprimento e de fraternidade.

          O administrador permanece em negócios de orientação, distribuição e responsabilidade.

          O servidor foi trazido a negócios de obediência e edificação.

          As mães e os pais terrestres foram convocados a negócios de renúncia, exemplificação e devotamento.

          O carpinteiro está fabricando colunas para o templo vivo do lar.

          O cientista vive fornecendo equações de progresso que melhorem o bem-estar do mundo.

          O cozinheiro trabalha para alimentar o operário e o sábio.

          Todos os homens vivem na Obra de Deus, valendo-se dela para alcançarem, um dia, a grandeza divina. Usufrutuários de patrimônios que pertencem ao Pai, encontram-se no campo das oportunidades presentes, negociando com os valores do Senhor.

          Em razão desta verdade, meu amigo, vê o que fazes e não te esqueças de subordinar teus desejos a Deus, nos negócios que por algum tempo te forem confiados no mundo.


 

Muita Paz


Bela Citação Vitor!!!

Isso tudo demostra que não estamos aqui por obra do acaso e sim com uma grande missão na edificação de nos mesmos que so alcançaremos exercendo a caridade nas suas mais variadas situações...

Um grande abraço!!!

Christian Ferrreira
Título: Re: Vê como Vives 20 / 10 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 22 de Outubro de 2009, 10:41
Ola muita paz Amigo Christian

Pondera Sempre

Livro: Pão Nosso
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier


          Os discípulos do Evangelho, no Espiritismo cristão, muitas vezes evidenciam insofreável entusiasmo, ansiosos de entender a fé renovada, contagiosa e ardente.

          No entanto, semelhante movimentação mental exige grande cuidado, não só porque assombro e admiração não significam elevação interior, como também porque é indispensável conhecer a qualidade do terreno espiritual a que se vai transmitir o poder do conhecimento.

          Claro que não nos reportamos aqui ao ato de semeadura geral da verdade reveladora, nem a manifestação da bondade fraterna, que traduzem nossas obrigações naturais na ação do bem. Encarecemos, sim, a necessidade de cada irmão governar o patrimônio de dádivas espirituais recebidas do plano superior, a fim de não relegar valores celestes ao menosprezo da maldade e da ignorância.

          Distribuamos a luz do amor com os nossos companheiros de jornada: todavia, defendamos o nosso íntimo santuário contra as arremetidas das trevas.

          Lembremo-nos de que o próprio Mestre reservava lições diferentes para as massas populares e para a pequena comunidade dos aprendizes; não se fez acompanhar por todos os discípulos na transfiguração do Tabor; na última ceia, aguarda a ausência de Judas para comentar as angústias que sobreviriam.

          É necessário atentarmos para essas atitudes do Cristo,compreendendo que nem tudo está destinado a todos. Os espíritos enobrecidos que se comunicam na esfera carnal adotam sempre o critério seletivo, buscando criaturas idôneas e fiéis, habilitadas a ensinar aos outros. Se eles, que já podem identificar os problemas com a visão iluminada, agem com prudência, nesse sentido, como não deverá vigiar o discípulo que apenas dispõe dos olhos corporais? Trabalhemos em benefício de todos, estendamos os laços fraternais, compreendendo, porém, que cada criatura tem o seu degrau na infinita escala da vida.