Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Meditação => Tópico iniciado por: Marianna em 21 de Junho de 2011, 20:03

Título: Uma Linda História de Amor
Enviado por: Marianna em 21 de Junho de 2011, 20:03
 
















(http://img8.imageshack.us/img8/6839/soberanosnetospelegif.gif)


Amor na latinha de leite

(http://img832.imageshack.us/img832/2699/welcome0001.gif)  Existem momentos na vida em que alguém toca o seu coração sem perceber a profundidade daquela influência. Quando li este texto anônimo fui movido a AGIR com mais rapidez!!!

Espero que você goste também!

(http://img832.imageshack.us/img832/2699/welcome0001.gif)  Dois irmãozinhos maltrapilhos, provenientes da favela, um deles de cinco anos e o outro de dez, iam pedindo um pouco de comida pelas casas da rua que beira o morro.

Estavam famintos:
▬  Vai trabalhar e não amole, ouvia-se detrás da porta..
▬  Aqui não há nada moleque...', dizia outro...

(http://img832.imageshack.us/img832/2699/welcome0001.gif)  As múltiplas tentativas frustradas entristeciam as crianças...

Por fim, uma senhora muito atenta disse-lhes:
▬  Vou ver se tenho alguma coisa para vocês... coitadinhos!
E voltou com uma latinha de leite.

Que festa! Ambos se sentaram na calçada. O menorzinho disse para o de dez anos:
▬  Você é mais velho, tome primeiro...e olhava para ele com seus dentes brancos, a boca semi-aberta, mexendo a ponta da língu'.

Eu, como um tolo, contemplava a cena...

(http://img832.imageshack.us/img832/2699/welcome0001.gif)  Se vocês vissem; o mais velho olhando de lado para o pequenino...!
Leva a lata à boca e, fazendo gesto de beber, aperta fortemente os lábios para que por eles não penetre uma só gota de leite.

Depois, estendendo a lata, diz ao irmão:
Agora é sua vez. Só um pouco.

E o irmãozinho, dando um grande gole exclama:
Como está gostoso!

(http://img832.imageshack.us/img832/2699/welcome0001.gif)  Agora eu, diz o mais velho.
E levando a latinha, já meio vazia, à boca, não bebe nada.

▬  Agora você,
▬  Agora eu,
▬  Agora você,
▬  Agora eu...

E, depois de três, quatro, cinco ou seis goles, o menorzinho, de cabelo encaracolado, barrigudinho, com a camisa de fora, esgota o leite todo... ele sozinho.

(http://img832.imageshack.us/img832/2699/welcome0001.gif)  Esse 'agora você', 'agora eu' encheram-me os olhos de lágrimas...

E então, aconteceu algo que me pareceu extraordinário. O mais velho começou a cantar sorridente, a jogar futebol com a lata de leite. Estava radiante, o estômago vazio, mas o coração trasbordante de alegria.

(http://img832.imageshack.us/img832/2699/welcome0001.gif)  Pulava com a naturalidade de quem não fez nada de extraordinário, ou melhor, com a naturalidade de quem está habituado a fazer coisas extraordinárias sem dar-lhes maior importância.

Daquele moleque nós podemos aprender a grande lição, "quem dá é mais feliz do que quem recebe.

▬  É assim que nós temos de amar.

Sacrificando-nos:

(http://img808.imageshack.us/img808/2049/66389504.gif)  Com tal discrição,
(http://img808.imageshack.us/img808/2049/66389504.gif)  Com tal elegância,
(http://img808.imageshack.us/img808/2049/66389504.gif)  Com tal naturalidade,
(http://img808.imageshack.us/img808/2049/66389504.gif)  Que os outros nem sequer possam agradecer-nos o serviço que nós lhe prestamos."

▬  Como você poderia hoje encontrar um pouco desta "felicidade" fazendo a vida de alguém melhor, mais "gostosa de ser vivida"?

(http://img808.imageshack.us/img808/2049/66389504.gif)  Vamos lá, levante-se e faça o que for necessário!
(http://img808.imageshack.us/img808/2049/66389504.gif)  Ajude alguém, colabore!
(http://img808.imageshack.us/img808/2049/66389504.gif)  E você será mais feliz!






Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: macili em 22 de Junho de 2011, 04:21
Querida Amiga Marianna...

Que possamos sempre semear o amor em nossos corações.

Paz e luz a todos os nossos Irmãos.

(http://4.bp.blogspot.com/_w-ZcEDlrJFs/TE4hhhsFf7I/AAAAAAAAGIA/jwwXdRw6D1A/s400/casal-de-meia-idade.jpg)


Uma Linda História de Amor
(http://lh4.ggpht.com/_QFL-9aHGKOE/THvtFA0sL1I/AAAAAAAAGpE/9UzMwwi3zk8/flor2.gif) O amor tem dimensões ilimitadas. Tudo pode. Tudo realiza. Tudo empreende.

O verdadeiro amor é capaz dos maiores sacrifícios, para o bem estar do ser amado.

Num mundo em que se ouve falar muito em buscar a própria felicidade, em alcançar sonhos pessoais, sem pensar em mais ninguém, a história daquele casal idoso é exemplar.

Eles viviam felizes, há muito tempo. Não tinham filhos.

Certo dia, quando a senhora estava na cozinha, um acidente aconteceu e ela se viu envolta em chamas.

O marido atendeu aos seus gritos e, no intuito de a salvar, acabou por ser também atingido pelo fogo.

As chamas o envolveram, queimando-lhe os braços, mas permitindo-lhe libertá-la do fogo.

Quando os bombeiros chegaram, pouco restava da casa. A ambulância levou o casal ao hospital.

(http://lh4.ggpht.com/_QFL-9aHGKOE/THvtFA0sL1I/AAAAAAAAGpE/9UzMwwi3zk8/flor2.gif)Ambos, por seu estado grave, foram internados no Centro de Terapia Intensiva.

Quando o marido foi liberado, buscou o quarto da sua esposa. Ela estava deitada e logo que o viu, manifestou o seu desespero.

Não desejava mais viver, dizia. O fogo atingira todo o seu rosto e ela estava deformada.

Sou um monstro! Disse ao marido.

Ele se aproximou do leito e falou:

Minha amada, na tragédia que sofremos, meus olhos foram atingidos. Estou cego.

Por isso, não se preocupe. Para mim, você continuará linda, como sempre foi.

A imagem que tenho guardada em minha mente é a que terei na memória, para o resto dos meus dias.

Deus é muito bom. – completou ela – Você não precisará contemplar a minha deformidade.

Abraçaram-se. Choraram.


(http://lh4.ggpht.com/_QFL-9aHGKOE/THvtFA0sL1I/AAAAAAAAGpE/9UzMwwi3zk8/flor2.gif)Mais algum tempo e ei-los de retorno ao novo lar. Uma pequena e acolhedora casa.

Ela passou a ter para com o marido cuidados especiais, considerando a sua deficiência visual.

Era toda atenção, delicadeza. Uma nova seiva de vida parecia circular em suas veias. E todo dia, recebendo aquelas manifestações de amor, ele dizia:

Como eu te amo!

Ela reencontrara razão para continuar a viver e se sentir feliz.

Vinte anos depois, em uma madrugada, ela abandonou o corpo, rumo à Espiritualidade.

(http://lh4.ggpht.com/_QFL-9aHGKOE/THvtFA0sL1I/AAAAAAAAGpE/9UzMwwi3zk8/flor2.gif)Amigos solícitos auxiliaram nas tratativas para o sepultamento.

O marido compareceu sem os óculos escuros e sem sua bengala, andando firme.

Debruçou-se sobre o corpo da amada, com quem compartilhara os dias por tantos anos, beijou-a inda uma vez e tornou a expressar:

Como és linda. Como eu te amo!

Um amigo mais próximo manifestou a sua surpresa. O que acontecera: Algum milagre lhe devolvera a visão, naquele momento de dor?

Não, respondeu o homem. Nunca tive problema visual. Assim disse, para que pudéssemos continuar a viver, sem traumas para ela.

Acreditando que eu não podia enxergar as seqüelas do fogo em seu rosto, pudemos viver felizes por mais 20 anos.

Felizes e apaixonados, um ao outro servindo em significativos gestos de amor.


 

(http://lh4.ggpht.com/_QFL-9aHGKOE/THvuBYtTcII/AAAAAAAAGpk/DcTi7vfoQqA/flor_vaidosa.gif)

 

O amor é a mais poderosa expressão do sentimento. É de essência divina, por facultar a sublimação dos sentimentos.

Quando esplende no coração, se faz dínamo gerador de energias propiciadoras de vida, fertilizando os seres.

Não foi por outra razão que Jesus o transformou no mandamento maior, aquele de mais alto significado, que abrange todas as aspirações e ideais da criatura humana.


(http://lh4.ggpht.com/_BJo2sJZzI3g/SZXfZckRs5I/AAAAAAAADKM/SLvyZrz8yEM/s400/lacinho4.gif)


Redação do Momento Espírita, com base em história de autor desconhecido e no cap. 3 do livro Garimpo de amor, do Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
Em 28.01.2008.
Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: nnraguiar em 22 de Junho de 2011, 10:51
Meu Deus que Lindo, que mensagem fabulosa, que conteúdo o quão insignificantes são os nossos achaques perante tamanha manifestação de amor... Cumprimentos especiais de Portugal...
Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: macili em 22 de Junho de 2011, 15:32
Querido membro nnraguiar

É muito emocionante sentir a emoção do sentimento do amor.

A mensagem que agora coloco me deixou com os olhos marejados, porque me tocou no fundo de minha alma...

Que possamos nos envolver com esse sublime sentimento...

(http://2.bp.blogspot.com/-zYU1V6piI64/TfFJXOXCiNI/AAAAAAAARg0/ZnVbPfVtUw4/s400/grandparentsday2010.jpg)



Conta um jovem rapaz que seus avós já estavam casados há mais de cinquenta anos e continuavam jogando um jogo que haviam iniciado quando começaram a namorar.

A regra do jogo era simples: Um tinha que escrever a palavra Neoqeav num lugar inesperado para outro encontrar. Assim que alguém encontrasse a palavra, deveria escrevê-la em outro lugar e assim sucessivamente.

Eles se revezavam deixando Neoqeav escrita por toda a casa. Escreviam com os dedos, no açúcar, dentro do açucareiro ou no pote de farinha para que o próximo que fosse cozinhar encontrasse.


Por vezes, um dos dois se surpreendia com a palavra Neoqeav escrita na janela embaçada pelo sereno; escrita no vapor deixado no espelho depois de uma ducha quente. A palavra iria reaparecer para o próximo a tomar banho.

Uma vez, a vovó desenrolou um rolo inteiro de papel higiênico para deixar Neoqeav na última folha e enrolou tudo de novo.

Não havia limites para o local onde a palavra pudesse surgir. Pedacinhos de papel com Neoqeav apareciam grudados no volante do carro que eles dividiam.

Bilhetes eram enfiados dentro dos sapatos ou deixados debaixo dos travesseiros.

Neoqeav era escrita com os dedos, na poeira, sobre as prateleiras e nas cinzas da lareira. Essa misteriosa palavra tanto fazia parte da casa quanto da mobília.


Seu relacionamento era baseado em afeição apaixonada, como pouca gente tem a felicidade de experimentar.

O vovô e a vovó ficavam de mãos dadas sempre que podiam. Roubavam beijos um do outro cada vez que se esbarravam, naquela cozinha tão pequena.

Sua afinidade era tanta, que um era capaz de completar a frase inacabada do outro. Todos os dias resolviam, juntos, as palavras cruzadas do jornal.

Antes de cada refeição eles se reverenciavam, davam graças a Deus por terem uma família maravilhosa, rogando bênçãos para continuarem sempre unidos.


Mas uma nuvem escura surgiu na vida do casal: a avó tinha câncer de mama. A doença havia aparecido há dez anos.

Como sempre, o esposo estava com ela a cada momento. Ele a confortava quando precisava ficar de repouso em seu quarto amarelo, que ele havia pintado dessa cor para que parecesse a luz do sol.

O câncer debilitava cada vez mais o corpo da nobre matrona. Com a ajuda de uma bengala e a mão firme do companheiro, eles iam à igreja toda manhã.

A fraqueza chegou a tal ponto, que ela não podia mais sair de casa.

Por algum tempo, o avô ia à igreja sozinho, rogando a Deus para zelar por sua esposa.


Mas, um dia, o que todos temiam aconteceu: a vovó partiu.

Neoqeav foi gravada em amarelo nas fitas cor-de-rosa dos buquês de flores do seu funeral.

Quando os amigos se retiraram, as tias, tios, primos e outras pessoas da família se juntaram para agradecer a Deus a bênção de ter desfrutado da convivência de alguém tão nobre.

O esposo ficou bem junto do caixão e, após um suspiro demorado, começou a cantar para ela. Com os olhos marejados de lágrimas de profunda emoção, a música surgiu como uma canção de ninar, que brotava das profundezas da alma.

O neto conta que jamais irá esquecer daquele momento. Porque ele sabia que, mesmo sem poder entender completamente a profundeza daquele amor, tinha tido a ventura de testemunhar a sua grandeza.


(http://1.bp.blogspot.com/-j7CFgAygFpY/TgHeoIb5k5I/AAAAAAAAHp0/PkFxhHhF_XQ/s220/Image11.png)


A esta altura, você deve estar se perguntando: Mas o que significa Neoqeav?

Pois bem, Neoqeav é uma palavra composta pelas iniciais da frase: Nunca esqueça o quanto eu amo você.

E, certamente, onde que se encontre hoje, aquele casal continua a jogar esse jogo criativo. Um jogo que nem a morte nem a distância conseguem evitar.


(http://4.bp.blogspot.com/_w-ZcEDlrJFs/TOpqJxZko2I/AAAAAAAAG60/LNorG7pj3J4/S220/94.gif)



Redação do MomentoEspírita, baseado
 em texto de autoria ignorada.
Em 19.05.2009.
Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: reginia maria silva nunes em 23 de Junho de 2011, 00:55
Boa noite cada vez me apaixono mais pelas mensagens espiritas são maravilhosas desejo aos que escrevem e participam do forum espirita muitas benção a todos e aos seus meu abraço ,bom feriado e lindo fim de semana.
Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: macili em 23 de Junho de 2011, 06:08
Bons Amigos,

Agradecemos o convívio fraterno e o carinho nas palavras enviadas pela amiga Reginia Maria.

Muita paz e muita luz!!!


(http://3.bp.blogspot.com/-xc00xAU_99Q/TfjxLJbzDvI/AAAAAAAAFgg/P5tlMmtL1vg/s1600/Rmel978.jpg)


Uma história de amor


Um soldado se encontrava em uma frente de batalha, quando foi chamado pelo seu comandante, que lhe informou que seu pai estava para morrer.

Desta forma, ele seria rapidamente enviado de volta ao lar, para assistir os últimos momentos do seu genitor, desde que ele era o único familiar existente.

Com o coração em sobressalto, amargurado, o jovem soldado chegou à sua cidade e logo se dirigiu ao hospital.

Conduziram-no à Unidade de Terapia Intensiva e lhe indicaram um leito.

O rapaz se aproximou e observou o ancião, semiconsciente e cheio de tubos. Parecia estar sofrendo muito.

Ao aproximar-se um tanto mais e contemplar o rosto dorido do enfermo terminal, o soldado percebeu que alguém havia cometido um tremendo engano ao chamá-lo. Aquele homem não era o seu pai.

Aproximou-se do médico e perguntou: Quanto tempo lhe resta de vida?

Algumas horas, quando muito. Você chegou a tempo.

O soldado tornou a postar-se ao lado do leito. Pensou no filho daquele velho, que deveria estar lutando sabe Deus a quantos quilômetros dali.

Pensou que, possivelmente, aquele ancião estaria se aferrando à vida com a única esperança de ver o seu filho, uma última vez, antes de morrer.

Tomou então, uma decisão. Inclinou-se sobre o moribundo, tomou uma de suas mãos e lhe disse, suavemente:

Pai, estou aqui, voltei.

O ancião, agarrando com força aquela mão, abriu seus olhos sem vida, para lançar um último olhar à sua volta. Um sorriso de satisfação iluminou seu rosto e assim permaneceu até que, ao fim de quase uma hora, morreu pacificamente.


(http://4.bp.blogspot.com/-GvJ4-vPR5os/TaMGccK5JCI/AAAAAAAAHXg/bIiSKD2V34o/s220/barrinhas_12.gif)

Assim é o amor. É um sentimento que brota de forma espontânea.

Floresce através de ações benéficas, capazes de gerar bem-estar e alegria.

Manifesta-se como gesto de ternura, doando-se a quem necessita.

Em todos os tempos, a Humanidade registrou a abnegação de homens e mulheres notáveis, cujas vidas, iluminadas pelo amor, tornaram-se exemplos edificantes e inesquecíveis.

E todos os que experimentam o amor, nunca mais tornam a ser os mesmos, porque o amor é de essência Divina.

Na verdade, todos os seres, do primeiro ao último, têm, no fundo do coração, a centelha desse fogo sagrado.

Quando descobrirmos que o amor é a meta que devemos alcançar e nos entregarmos à sua realização, haveremos de felicitar nossas vidas e toda a Humanidade.

(http://4.bp.blogspot.com/-GvJ4-vPR5os/TaMGccK5JCI/AAAAAAAAHXg/bIiSKD2V34o/s220/barrinhas_12.gif)

O fruto do silêncio é a oração, o fruto da oração é a fé, o fruto da fé é o amor, e o fruto do amor é servir aos demais.

Assim, sintamos o que vamos dizer com carinho, digamos o que pensamos com esperança, pensemos o que fazemos com fé e façamos o que devemos, com amor.

(http://[url]http://1.bp.blogspot.com/-wHef3LRyBns/TgKMY7hBmCI/AAAAAAAAHqM/sRhTQVCH4ZI/s220/p617.png[/url])


Redação do Momento Espírita com base no cap. 16 do livro Momentos de
 iluminação,  pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de
Divaldo Pereira Franco, ed. Leal, no cap. XI, item 9 do livro
O evangelho segundo o espiritismo, de Allan Kardec, ed.
Feb e no cap. Um soldado, do livro Um presente
especial, de Roger Patrón Luján, ed. Aquariana.
Em 05.06.2009.
Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: Lourdilena em 26 de Junho de 2011, 20:05
Emocinante e bela narrativa!
Muito obrigada pela linda e profunda postagem!

Paz e Luz, Lourdilena.

Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: macili em 03 de Julho de 2011, 05:16
Meus amores...

Que Jesus nos abençoe e nos ampare...


(https://lh6.googleusercontent.com/-rYPjHIIQBzU/TW_p4GtqwBI/AAAAAAAAAHQ/KHeboxqUB8s/s320/Davi+rindo+047.jpg)


Visão de Adulto... Visão de Criança....

Éramos a única família no restaurante com uma criança.

Eu coloquei Daniel numa cadeira para crianças e notei que todos estavam tranqüilos,  comendo e conversando.

De repente, Daniel gritou animado, dizendo: 'Olá, amigo!', batendo na mesa com suas mãozinhas gordas.

Seus olhos estavam bem abertos pela admiração e sua boca  mostrava a falta de dentes.

Com muita satisfação, ele ria, se retorcendo.

Eu olhei em Volta e vi a razão de seu contentamento.

Era um homem andrajoso, com um casaco jogado nos ombros, sujo, engordurado e rasgado.

Suas calças eram trapos com as costuras abertas até a metade, e seus dedos apareciam através do que foram, um dia, os sapatos.

Sua camisa estava suja e seu cabelo não havia sido penteado por muito tempo.

Seu nariz tinha tantas veias que parecia um mapa.

Estávamos um pouco longe dele para sentir seu cheiro, mas asseguro que cheirava mal.

Suas mãos começaram a se mexer para saudar.

'Olá, neném. Como está você?', disse o homem a Daniel.

Minha esposa e eu nos olhamos:

'Que faremos?'.

Daniel continuou rindo e respondeu, 'Olá, olá,amigo'.

Todos no restaurante nos olharam e logo se viraram para o mendigo.

O velho sujo estava incomodando nosso lindo filho.

Trouxeram a comida e o homem começou a falar com o nosso filho como um bebê.

Ninguém acreditava que o que o homem estava fazendo era simpático.

Obviamente, ele estava bêbado.

Minha esposa e eu estávamos envergonhados.

Comemos em silêncio; menos Daniel que estava super inquieto e mostrando todo o seu repertório ao desconhecido, a quem conquistava com suas criancices.

Finalmente, terminamos de comer e nos dirigimos à porta.

Minha esposa foi pagar a conta e eu lhe disse que nos encontraríamos no estacionamento.

O velho se encontrava muito perto da porta de saída.

'Deus meu, ajuda-me a sair daqui antes que este louco fale com Daniel', disse orando, enquanto caminhava perto do homem.

Estufei um pouco o peito, tratando de sair sem respirar nem um pouco do ar que ele pudesse estar exalando.

Enquanto eu fazia isto, Daniel se voltou rapidamente na direção onde estava o velho e estendeu seus braços na posição de 'carrega-me'.

Antes que eu pudesse impedir, Daniel se jogou dos meus braços para os braços do homem.

Rapidamente, o velho fedorento e o menino consumaram sua relação de amor.

Daniel, num ato de total confiança, amor e submissão, recostou sua cabeça no ombro do desconhecido.

O homem fechou os olhos e pude ver lágrimas correndo por sua face.

Suas velhas e maltratadas mãos, cheias de cicatrizes, dor e trabalho duro, suave, muito suavemente, acariciavam as costas de Daniel.

Nunca dois seres havia se amado tão profundamente em tão pouco tempo.

Eu me detive aterrado. O velho homem, com Daniel em seus braços, por um momento abriu seus olhos e olhando diretamente nos meus, me disse com voz forte e segura:

'Cuide deste menino'.

De alguma maneira, com um imenso nó na garganta, eu respondi: 'Assim o farei'.

Ele afastou Daniel de seu peito, lentamente, como se sentisse uma dor.

Peguei meu filho e o velho homem me disse:

'Deus o abençoe, senhor. Você me deu um presente maravilhoso'.

Não pude dizer mais que um entrecortado 'obrigado'.

Com Daniel nos meus braços, caminhei rapidamente até o carro. Minha esposa perguntava por que eu estava chorando e segurando Daniel tão fortemente, e por que estava dizendo:

'Deus meu, Deus meu, me perdoe'.

Eu acabava de presenciar o amor de Cristo através DA inocência de um pequeno menino que não viu pecado, que não fez nenhum juízo; um menino que viu uma alma e uns adultos que viram um montão de roupa suja.

Eu fui um cristão cego  carregando  um menino que não o era.

Eu senti que Deus estava me perguntando:

'Estás disposto a dividir seu filho por um momento?', quando Ele compartilhou Seu Filho por toda a eternidade.

O velho andrajoso, inconscientemente, me recordou:

Eu asseguro que aquele que não aceite o reino de Deus como um Menino, não entrará nele.' (Lucas 18:17).


(http://2.bp.blogspot.com/_w-ZcEDlrJFs/TRJWsOfJRBI/AAAAAAAAHA0/dIOl32FzPKE/S220/23.gif)


Fonte: Grupo de Estudo Espírita Luz da Vida
Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: Santiago10 em 09 de Julho de 2011, 05:38
Lindo este casal dos avós com o neto!
Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: macili em 14 de Julho de 2011, 06:18
Queridos Amigos

Que Jesus os abençoe e os ampare com sua luz!!!


(http://4.bp.blogspot.com/_7U7wqOuGicg/SV91s7Rv8NI/AAAAAAAADEI/sH7SQMwqrXE/s320/maebebe.JPG)



História de uma vida


(http://c5.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/o6f042b6f/5585704_62Jar.gif)


Tudo começou quando um dia, em minha mãe, num local bem protegido chamado trompa, dois elementos se encontraram: um de minha mãe, o óvulo, e outro de meu pai, o espermatozoide. Como dois apaixonados se aproximaram e se abraçaram tornando-se uma pequenina gota d'água.

Esse foi o dia mais feliz de minha existência. Recomeçava para mim a oportunidade do retorno à carne, depois de passar um largo tempo no mundo espiritual.

Deram-me o nome de ovo. Eu era muito pequenino, muito menor do que um grão de areia. Iniciei então, uma longa viagem. Empurrado para diante por algo semelhante a cílios, que desenvolviam movimentos delicados como os do mar quando beija docemente a praia, indo e vindo, cheguei enfim a um lugar chamado útero.

Era um lugar macio, quentinho e logo notei não correr perigo. Sem muito esperar, fui me aninhando, agarrando-me firmemente em uma das paredes. Já contava com três dias de vida.

Aos poucos fui me cobrindo com uma membrana daquela mesma parede. Aos 9 dias de vida, minha forma era a de um disco e tinha meio milímetro de diâmetro. Fui crescendo e aos 12 dias de vida já tinha o dobro do tamanho: um milímetro.

Recebi o nome de embrião. Comodamente instalado, fui formando uma almofada que se chamava placenta, para que melhor me pudesse alimentar, retirando do organismo de minha mãe tudo o de que precisava.


(http://c5.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/o6f042b6f/5585704_62Jar.gif)

Já estava com quase um mês. A expectativa de minha existência era muito grande. A ansiedade de minha mãe se transformou em pura alegria quando os testes deram positivo. Agora era meu pai a querer saber se eu seria menino ou menina, louro ou morena, de olhos castanhos ou azuis.

Quando ele perguntou: Como será ele? -  fui logo respondendo: Tenho forma da letra C, e pareço com um cavalo-marinho. Tenho um centímetro de tamanho.

Não sei se me ouviram mas o que sei é que redobraram cuidados e recomendações.

Aos dois meses, meu corpinho estava mais reto, minha boca mais formada, meu nariz começava a aparecer, meus olhos estavam mais desenvolvidos. Meu tamanho? Quatro centímetros. Meu peso? Cinco gramas.

Aos três meses já tinha forma de gente... E o tempo foi passando.

Emoção mesmo foi no dia em que mamãe pôde ouvir o meu coraçãozinho bater. Sentia como se fosse uma mensagem para ela. E era mesmo. Era meu agradecimento por tudo o que ela fazia e pensava por mim.

Ela esperava, papai aguardava e eu também. Como seria o nosso reencontro?

Seis, sete, nove meses. O médico marcou o dia de minha chegada. O meu enxovalzinho estava pronto e meu bercinho me aguardando. Última semana de espera.

Hoje me apresentei para toda a família. Que alegria! Meu primeiro dia de vida, nos braços de minha mãe.



(http://c5.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/o6f042b6f/5585704_62Jar.gif)


Os filhos que nos chegam pelas vias da reencarnação são, quase sempre, personalidades amigas com as quais já vivemos em outras eras.

Chegam-nos, batendo à porta do coração, a solicitar entrada e quando lhes permitimos o ingresso no seio da família, se enchem de felicidade.

Podem ser comparados a aves pequenas que retornam ao ninho, após exaustivas andanças por outras terras, à procura de carinho, ternura e abrigo.

Fiquemos atentos e jamais fechemos as portas do nosso amor a esses pássaros implumes que nos buscam desejando oportunidade para retornar à vida física.

(http://c5.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/o6f042b6f/5585704_62Jar.gif)

Redação do Momento Espírita, com base em texto de
Apostila do Grupo de gestantes da União das
Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo, 1995.
Disponível no livro Momento Espírita vol 1, ed.Fep.
Em 17.06.2010.
Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: AnAa MariA em 20 de Julho de 2011, 00:53

Obrigada Marianna pelas mensagens maravilhosas
desejo a todos muita paz.
Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: Marianna em 01 de Agosto de 2011, 18:58


(http://byrosi.files.wordpress.com/2010/04/anjosmagia36.gif)


Continuo amando e acreditando em Deus,
mesmo quando os "milagres"
que imploro não acontecem.

(http://img839.imageshack.us/img839/2239/4875747zkdek.gif)

Pois os milagres que imploro e os pedidos que faço,
se baseiam em minha vontade.

(http://img839.imageshack.us/img839/2239/4875747zkdek.gif)
 
E Deus não está aqui pra me dar o que eu desejo.
Deus está aqui é pra me dar que eu preciso!

(http://img839.imageshack.us/img839/2239/4875747zkdek.gif)

Padre Fábio de Mello

Título: Re: Uma Linda História de Amor
Enviado por: macili em 10 de Agosto de 2011, 17:16
(http://1.bp.blogspot.com/-yZxYCpwCV74/Th13SZGwRbI/AAAAAAAAKw0/X8YPwmi4xLA/s400/cegonha+1.bmp)


Malena e Rodan, uma linda história de amor


Uma amada ferida pelos disparos de um malvado, um galã apaixonado que cruza meio planeta para visitá-la todos os anos, apesar de todas as dificuldades. A história parece mais um roteiro de filme de romance, mas é a realidade da vida de um casal de cegonhas na Croácia.

A cada primavera, o país se emociona com a chegada do macho Rodan, que volta da África ao país balcânico, para encontrar sua amada Malena, que não pode voar devido as seqüelas de um tiro do qual foi vítima há 18 anos.

O casal de aves oferece este ano um espetáculo de alegria, já que, em seu ninho, há quatro filhotes recém-nascidos, enquanto os demais estão por sair de seus ovos, segundo informou a imprensa local..

Malena foi encontrada ferida em 1993, em um campo perto de Slavonski Brod, uma cidade de 200 km a leste de Zagreb, com a asa ferida por tiros dados por um caçador.

Stipe Vokic, porteiro de uma escola primária, cuidou da ave, conseguiu curá-la e fez um ninho no telhado da escola para ela.

Faz nove anos que Rodan se apaixonou por Malena, que não pode acompanhar seu amado na viagem até à África, pois apresenta seqüelas do ferimento que a impedem  de voar para a rota migratória que fazem as aves de sua espécie todos os anos.

Durante o inverno, Vokic cuida e alimenta Malena, mas, todas as primaveras, quando Rodan regressa, ele mesmo trata de cuidar da companheira. Ele leva-lhe comida fresca, arruma o ninho e alimenta os filhotes.



(http://1.bp.blogspot.com/-kzXoAqOOHPs/Th13rbMb-pI/AAAAAAAAKw8/uEgTfZRNpXc/s400/cegonha+3.bmp)



"É uma relação terna da qual se pode fazer um filme de amor"
, comenta Vokic ao Jornal Vecernji list.

Em julho Rodan ensinará os seis filhotes a voar e, em meados de agosto, voarão juntos até a África.


"A cada ano, me parte o coração quando chega a hora de partirem. Rodan chama Malena para que vá com ele, mas ela não pode. Até hoje, já criaram 35 filhotes", diz Vokic.

Esta primavera a imprensa croata publicou a triste notícia de que Rodan não estava de volta e, certamente, alguma coisa ocorreu na África, mas, para alegria de todos, apareceu de repente, apesar de mais cansado do que nunca.

As cegonhas que fazem seus ninhos na Croácia todos os anos, realizam uma longa viagem de 13 mil quilômetros pelo Vale do Nilo até a África do Sul, caminho onde encontram muitos perigos e penúrias.



Fonte: Blog de Miuika.