Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Meditação => Tópico iniciado por: macili em 06 de Dezembro de 2013, 15:44

Título: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: macili em 06 de Dezembro de 2013, 15:44
(https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/1374045_526435757447438_1143175502_n.jpg)





Reflexões sobre o Apego





Apego é a não-aceitação da impermanência das coisas. Na Terra nada se perpetua, somente a alma é imortal.

O apego é a memória da “dor” ou do “prazer” passado, que carregamos para o futuro. Atrás de cada sofrimento existe um apego. Quando temos algo querido ou pensamos ter a posse da alguém que muito amamos, sofremos ao nos separarmos dele. O ciúme é o resultado do apego (medo de perder).

O desejo e o apego, privados de consciência reflexiva, estreitam nossa visão de felicidade, descartando novas possibilidades de uma vida pacífica e alegre.

A mente apegada a fatos, acontecimentos e pessoas é incapaz de perceber a sua essência. Aquele que está agarrado ao “ego” está vazio do “sagrado”; aquele que se liberta do “ego” descobre que sempre esteve repleto do “sagrado”.

O “desapego saudável” é uma vivência que leva ao crescimento íntimo e uma expansão da consciência, enquanto a experiência defensiva conduz a um bloqueio das sensações, fazendo com que as pessoas vivam numa aparente fuga social.

É preciso perceber a diferença entre o “amor real” e a “relação simbiótica”, ou mesmo o “apego familiar”. A realização espiritual não está em nos apegarmos egoisticamente aos entes queridos, e sim, nos interagirmos fraternalmente, uns com os outros.





Hammed
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Anton Kiudero em 06 de Dezembro de 2013, 18:19
Bom texto de Hammed,

O espirito encarna para desapegar-se de tudo e não há uma unica prova pela qual passamos que não seja uma prova de apegos.

Uns vivem provas de apegos materiais, seja pela abundancia ou pala ausencia de recursos. Curiosamente as provas são semelhantes e se não passarem pelos testes, repetirão as mesmas provas em posições opostas, até que superem o "é meu", o "eu tenho", o "eu quero" e outros sentimentos semelhantes...

Outros vivem provas de apegos sentimentais durante as quais acreditam "possuir" ou  desejam afastar-se de outras pessoas. Denominam isto de amor ou ódio, palavras vazias e sem sentido que apenas refletem a paixão passageira por um espirito encarnado ao inves do amor verdadeiro ao Pai. O tão cantado "amor de mãe", necessário ao crescimento material do ser, em muitos casos sufoca e com frequencia ainda maior cria problemas incoluveis com os futuros genros ou noras que são frequentemente vistos como "intrusos". ;)  Alguns afirma que o "amor" sumiu porque o parceiro fez isto e aquilo... Mas se o "amor" sumiu, não era amor mas apenas uma paixão pela posse, e isto é tão volatil como o perfume de uma flor...

Ainda outros vivem provas de apegos morais, as suas "verdades", as quais são para estes, valores absolutos, até que deixem de ser. E defendem-nos a ferro e fogo, até se darem conta da inutilidade deste proceder...

E para todas as provas, seja qual o seu aspecto exterior há apenas duas respostas, a certa que é amar a Deus acima de tudo e a errada que é amar a si mesmo acima de tudo... Todo o mais é criação da ilusão humana...





 
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Norizonte da Rosa em 06 de Dezembro de 2013, 21:21
A ideia de desapegar-se daquilo que é passageiro e passar a dar valor àquilo que realmente fica, o Espírito, ou o mundo Espiritual, não pode deixar de ser algo a ser buscado, um ideal.

O problema, a meu ver,  é como combinar a ideia do desapego com o resultado, que parece positivo, justamente dos apegos: não existiríamos se não fosse o apego (não teríamos nascido, ou teríamos desencarnado antes), não estaríamos aqui trocando ideias se não fosse o apego (não existiria a web), não teríamos os meios de locomoção que temos hoje, enfim, quanto dos conhecimentos que temos hoje e benefícios que destes surgem existiriam? Não parece algo contraditório o desapego e a evolução da humanidade?
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Anton Kiudero em 06 de Dezembro de 2013, 21:57
Norizonte,

Não há contradição alguma. O trabalho material sempre existiu e existirá e não é disto que trata o apego. Apego é a paixão que o ser humano cria pelas coisas, pessoas ou verdades.

"Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração."

Trabalhe, mas não se apegue ao objeto de seu trabalho para que não seja o seu tesouro. Constitua família, mas não se apegue a ela. Aquele que idolatra a mãe esta diferenciando-a de todas as demais mulheres, e este será o seu tesouro... O mesmo com os filhos... Estude, mas não se apegue às verdades que você armazenou, porque este será o seu tesouro. Pense, mas não se apegue aos seus pensamentos, porque este será o seu tesouro...

E todos os tesouros são da terra... E nada do que é da terra você leva da encarnação...

Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Claudemir dos Santos em 08 de Dezembro de 2013, 00:16
Como é gostoso de se ouvir dos irmãos espirituais nos trabalhos mediúnicos quando dizem que é tão fácil resgatar esses irmãos de rua quando desencarnam,pois basta pega-lo pela mão e leva-lo a um lugar designado a sua recuperação, eles estão livres e soltos pois não tiveram nada na terra para se agarrar. Abraços e muita paz.
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: lconforjr em 08 de Dezembro de 2013, 14:45
Ree: Reflexões sobre o apego

      Afinal, se todo efeito tem sua causa, qual é a causa de o espírito encarnado se apegar às coisas do mundo, se são elas que lhe atrasam a evolução e proporcionam terríveis sofrimentos?

      E qual é a causa dos sofrimentos que têm origem nos apegos se o desapegar-se não depende de nossa vontade? Cabe-nos responsabilidade ou culpa por possuirmos apegos e por não podermos deles nos desvincilhar?

      Sem dúvida, os apegos nascem, não de nossa vontade de tê-los, mas dos atrativos que, no cristianismo, são lembrados como a porta larga, atrativos que aos encarnados prometem êxtase, felicidade, alegria, aventuras, sexo, luxo, festas, fama, prestígio, poder, dinheiro, domínio sobre os demais e aos quais se inclinam os espíritos.
 
      Segundo a DE, as dificuldades de o espírito evoluir e grande parcela de seus sofrimentos vêm desses apegos que nada mais são do que obstáculos que a própria escola criada por Deus para nossa evolução, coloca em nosso caminho.

      Mas, aqui fica-nos uma dúvida, tantas vezes despertada neste estudo: se em face da justiça divina, só sofre quem merece sofrer, merecimento que só vem da transgressão às leis divinas, qual é a causa dos sofrimentos que resultam dos apegos que nos prendem à escola do bem e do mal?

      É muito fácil compreender os apegos ao mundo material pois, eqto os atrativos deste são colocados, pela escola da vida, bem à nossa frente, à vista de todos, acenando com promessas de felicidades sem conta, a porta estreita nada acena a ninguém, sempre nebulosa, oculta, só vagamente imaginada ou percebida nas palavras, nem sempre aceitas, de sacerdotes, mestres, instrutores.

      E continuamos a não saber, a não compreender a causa dos sofrimentos dos homens!!!

................
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Anton Kiudero em 08 de Dezembro de 2013, 16:57
      Afinal, se todo efeito tem sua causa, qual é a causa de o espírito encarnado se apegar às coisas do mundo, se são elas que lhe atrasam a evolução e proporcionam terríveis sofrimentos?

      E qual é a causa dos sofrimentos que têm origem nos apegos se o desapegar-se não depende de nossa vontade? Cabe-nos responsabilidade ou culpa por possuirmos apegos e por não podermos deles nos desvincilhar?

São as provas que cada um solicitou. Estas provas são a causa de tudo, sempre.... Voce pediu e voce passa pelas provas que voce acreditou ser possivel passar quando espirito.

Deus apenas as prove...

E vence-las é vencer o ego ou o individualismo, nada além disto.

Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: lconforjr em 08 de Dezembro de 2013, 23:46
Re: Reflexões sobre o Apego...

      Anton  « ref #6 em: 081213, às 16:57 »

      Conf (msg anterior): "Afinal, se todo efeito tem sua causa, qual é a causa de o espírito encarnado se apegar às coisas do mundo, se são elas que lhe atrasam a evolução e proporcionam terríveis sofrimentos?

      "E qual é a causa dos sofrimentos que têm origem nos apegos se o desapegar-se não depende de nossa vontade? Cabe-nos responsabilidade ou culpa por possuirmos apegos e por não podermos deles nos desvincilhar?"

      Anton respondeu: São as provas que cada um solicitou. Estas provas são a causa de tudo, sempre... Voce pediu e voce passa pelas provas que voce acreditou ser possivel passar quando espirito. Deus apenas as provê...

      Conf: olá, amigo Anton, me permita apresentar uma questão, baseada naquela verdade incontestável de que "todo efeito tem sua causa".

      Assim, considerando que todo efeito tem sua causa,   

      - qual é a causa de o espírito solicitar passar por provas?

      - Se as solicita devido a ter necessidade de por elas passar, qual é a causa que tem como efeito o espírito necessitar passar por elas?

      Anton: E vencê-las é vencer o ego ou o individualismo, nada além disto.

      Conf: e, aqui, qual é a causa que tem como efeito o fato de o espírito se tornar tão egoísta ao ponto de, para deixar de ser assim, ter de passar pelos terríveis e insuportáveis sofrimentos da vida?
.................
     
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Anton Kiudero em 09 de Dezembro de 2013, 01:07
Conf: olá, amigo Anton, me permita apresentar uma questão, baseada naquela verdade incontestável de que "todo efeito tem sua causa".

Assim, considerando que todo efeito tem sua causa,   

- qual é a causa de o espírito solicitar passar por provas?

- Se as solicita devido a ter necessidade de por elas passar, qual é a causa que tem como efeito o espírito necessitar passar por elas?

A causa é o espírito pedir e a consequencia é o espirito encarnar para passar pelo que pediu.

Exemplificando, se tres crianças no pre-primario, com a mesma "fessora" aprendem algo, uma vai gostar mais de desenhar com lapis de cera, outra vai preferir recortar aviãozinho de papel e a terceira vai adorar bater no bumbo.... E numa hipotetica prova, cada um faria uma prova diferente...  Mais tarde, farão provas mais complexas, mas no final das contas todos passam por quase as mesmas coisas em momentos diferentes.

A prova é sempre consequencia do estudo que o espirito fez na espiritualidade. E se debruçou-se sobre um tema em particular é por sentir que não se aperfeiçoou no tema...

Os terriveis sofrimentos da vida apenas existem para o ego. O espírito nada acha de terrivel nestes acontecimentos. Pos isto deve o espirito superar o ego...

Além disto, o mais é especulação que a nada leva.



Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 09 de Dezembro de 2013, 04:18

O espirito ................
................... humana.



920. Pode o homem gozar de completa felicidade na Terra?

“Não, por isso que a vida lhe foi dada como prova ou expiação. Dele, porém, depende a suavização de seus males e o ser tão feliz quanto possível na Terra".

921. Concebe-se que o homem será feliz na Terra, quando a Humanidade estiver transformada. Mas, enquanto isso se não verifica, poderá conseguir uma felicidade relativa?

“O homem é quase sempre o obreiro da sua própria infelicidade. Praticando a lei de Deus, a muitos males se forrará e proporcionará a si mesmo felicidade tão grande quanto o comporte a sua existência grosseira".

Aquele que se acha bem compenetrado de seu destino futuro não vê na vida corporal mais do que uma estação temporária, uma como parada momentânea em péssima hospedaria. Facilmente se consola de alguns aborrecimentos passageiros de uma viagem que o levará a tanto melhor posição, quanto melhor tenha cuidado dos preparativos para empreendê-la.
Já nesta vida somos punidos pela infrações, que cometemos, das leis que regem a existência corpórea, sofrendo os males consequentes dessas mesmas infrações e dos nossos próprios excessos. Se, gradativamente, remontarmos à origem do que chamamos as nossas desgraças terrenas, veremos que, na maioria dos casos, elas são a conseqüência de um primeiro afastamento nosso do caminho reto. Desviando-nos deste, enveredamos por outro, mau, e, de conseqüência em conseqüência, caímos na desgraça.

922. A felicidade terrestre é relativa à posição de cada um. O que basta para a felicidade de um, constitui a desgraça de outro. Haverá, contudo, alguma soma de felicidade comum a todos os homens?

“Com relação à vida material, é a posse do necessário. Com relação à vida moral, a consciência tranquila e a fé no futuro".

                                                                 O Livro dos Espíritos
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 09 de Dezembro de 2013, 04:30

Não.................
..................encarnação.



886. Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?

“Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas".

O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça. pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.
A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores. Ela nos prescreve a indulgência, porque da indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer. Apresente-se uma pessoa rica e todas as atenções e deferências lhe são dispensadas. Se for pobre, toda gente como que entende que não precisa preocupar-se com ela. No entanto, quanto mais lastimosa seja a sua posição, tanto maior cuidado devemos pôr em lhe não aumentarmos o infortúnio pela humilhação. O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa.

887. Jesus também disse: Amai mesmo os vossos inimigos. Ora, o amor aos inimigos não será contrário às nossas tendências naturais e a inimizade não provirá de uma falta de simpatia entre os Espíritos?

“Certo ninguém pode votar aos seus inimigos um amor terno e apaixonado. Não foi isso o que Jesus entendeu de dizer. Amar os inimigos é perdoar-lhes e lhes retribuir o mal com o bem. O que assim procede se torna superior aos seus inimigos, ao passo que abaixo deles se coloca , se procura tomar vingança".

888. Que se deve pensar da esmola?

“Condenando-se a pedir esmola, o homem se degrada física e moralmente: embrutece-se. Uma sociedade que se baseia na lei de Deus e na justiça deve prover à vida do fraco, sem que haja para ele humilhação. Deve assegurar a existência dos que não podem trabalhar, sem lhes deixar a vida à mercê do acaso e da boa-vontade de alguns".

a) - Dar-se-á reproveis a esmola?

“Não; o que merece reprovação não é a esmola, mas a maneira por que habitualmente é dada. O homem de bem, que compreende a caridade de acordo com Jesus, vai ao encontro do desgraçado, sem esperar que este lhe estenda a mão.
A verdadeira caridade é sempre bondosa e benévola; está tanto no ato, como na maneira por que é praticado. Duplo valor tem um serviço prestado com delicadeza. Se o for com altivez, pode ser que a necessidade obrigue quem o recebe a aceitá-lo, mas o seu coração pouco se comoverá.
Lembrai-vos também de que, aos olhos de Deus, a ostentação tira o mérito ao benefício. Disse Jesus: “Ignore a vossa mão esquerda o que a direita der". Por essa forma, ele vos ensinou a não tisnardes a caridade com o orgulho.
Deve-se distinguir a esmola, propriamente dita, da beneficência. Nem sempre o mais necessitado é o que pede. O temor de uma humilhação detém o verdadeiro pobre, que muita vez sofre sem se queixar. A esse é que o homem verdadeiramente humano sabe ir procurar, sem ostentação.
Amai-vos uns aos outros, eis toda a lei, lei divina, mediante a qual governa Deus os mundos. O amor é a lei de atração para os seres vivos e organizados. A atração é a lei de amor para a matéria inorgânica.
Não esqueçais nunca que o Espírito, qualquer que seja o grau de seu adiantamento, sua situação como encarnado, ou na erraticidade, está sempre colocado entre um superior, que o guia e aperfeiçoa, e um inferior, para com o qual tem que cumprir esses mesmos deveres. Sede, pois, caridosos, praticando, não só a caridade que vos faz dar friamente o óbolo que tirais do bolso ao que vo-lo ousa pedir, mas a que vos leve ao encontro das misérias ocultas. Sede indulgentes com os defeitos dos vossos semelhantes. Em vez de votardes desprezo à ignorância e ao vício, instruí os ignorantes e moralizai os viciados.
Sede brandos e benevolentes para com tudo o que vos seja inferior. Sede-o para com os seres mais ínfimos da criação e tereis obedecido à lei de Deus".

                                                              O Livro dos Espíritos


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: lconforjr em 09 de Dezembro de 2013, 14:52


      O estarmos apegados ou a vontade de nos desapegarmos não depende de nós, mas do que as experiencias/lições da vida fazem de nós.

................
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Anton Kiudero em 09 de Dezembro de 2013, 16:24

O estarmos apegados ou a vontade de nos desapegarmos não depende de nós, mas do que as experiencias/lições da vida fazem de nós.


Ao contrario do que o amigo pensa, o apego é a única coisa sobre a qual possuimos o absoluto livre arbitrio.

Apego significa a valorização e exaltação do ego ou individualismo enquanto o desapego significa a valorização de Deus ou o universalismo.

Todo aquele que possui apegos esta ainda afastado de Deus e da vida espiritual, vivendo o ego ou o egoismo da atual encarnação, ou em palavras bem simples "ame a Deus acima de todas as coisas ou a si mesmo acima de todas as coisas".  (não há coluna do meio...)

Este é todo livre arbitrio que cabe ao espirito enquanto vivencia uma encarnação...

Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 10 de Dezembro de 2013, 05:22

      O estarmos apegados ou a vontade de nos desapegarmos não depende de nós, mas do que as experiencias/lições da vida fazem de nós.



As experiências/lições da vida também somos nós que criamos pelo nosso Livre-Arbítrio.


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 10 de Dezembro de 2013, 05:36

a única coisa sobre a qual possuimos o absoluto livre arbitrio.



Tudo na vida do Espírito, seja encarnado ou errante, é consequência direta do exercício do seu Livre-Arbítrio!

871. Pois que Deus tudo sabe, não ignora se um homem sucumbirá ou não em determinada prova. Assim sendo, qual a necessidade dessa prova, uma vez que nada acrescentará ao que Deus já sabe a respeito desse homem?

“Isso equivale a perguntar por que não criou Deus o homem perfeito e acabado; por que passa o homem pela infância, antes de chegar à condição de adulto.

A prova não tem por fim dar a Deus esclarecimentos sobre o homem, pois que Deus sabe perfeitamente o que ele vale, mas dar ao homem toda a responsabilidade de sua ação, uma vez que tem a liberdade de fazer ou não fazer. Dotado da faculdade de escolher entre o bem e o mal, a prova tem por efeito pô-lo em luta com as tentações do mal e conferir-lhe todo o mérito da resistência. Ora, conquanto saiba de antemão se ele se sairá bem ou não, Deus não o pode, em Sua justiça, punir, nem recompensar, por um ato ainda não praticado".

"872. A questão do livre-arbítrio se pode resumir assim: O homem não é fatalmente levado ao mal; os atos que pratica não foram previamente determinados; os crimes que comete não resultam de uma sentença do destino. Ele pode, por prova e por expiação, escolher uma existência em que seja arrastado ao crime, quer pelo meio onde se ache colocado, quer pelas circunstâncias que sobrevenham, mas será sempre livre de agir ou não agir. Assim, o livre-arbítrio existe para ele, quando no estado de Espírito, ao fazer a escolha da existência e das provas e, como encarnado, na faculdade de ceder ou de resistir aos arrastamentos a que todos nos temos voluntariamente submetido".

                                                                    O Livro dos Espíritos


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: lconforjr em 10 de Dezembro de 2013, 18:57
Re: Reflexões sobre o Apego...

      Anton « ref #8 e #12, de 091213, às 01:07 »

      Conf (msg ant): olá, amigo Anton, com referência a sua msg anterior, me permita conversar considerando aquela verdade de que "todo efeito tem sua causa".

      Assim, se todo efeito tem sua causa,   

      - qual é a causa de o espírito solicitar passar por provas?

      - se as solicita devido a ter necessidade de por elas passar, qual é a causa que tem como efeito o espírito necessitar passar por elas?

      Anton: A causa é o espírito pedir e a conseqüência é o espirito encarnar para passar pelo que pediu.

      Conf: sim, mas vc concordará que não é essa a verdadeira causa, pois a verdadeira está por trás dessa; assim, aprofundando mais a busca da causa verdadeira: qual é a causa de o espírito pedir para passar por provas?

      Qto ao seu exemplo: qual é a causa de um preferir desenhar, outro recortar um aviãozinho, outro bater no bumbo?
      Qual é a causa dessa desigualdade entre os homens que, na vida na carne, resulta em gigantescas desigualdades, pois leva uns para o caminho do bem e para consequentes felicidades, ao passo que leva outros para o mal, as mais monstruosas imperfeições e para as mais extremas infelicidades?

      (Veja: Estou considerando o que a doutrina diz e que não sei se é o em que vc crê: que há uma criação, que no ato da criação somos todos perfeitamente iguais e que existe uma Perfeita Justiça).

      Anton: A prova é sempre conseqüência do estudo que o espírito fez na espiritualidade. E se debruçou-se sobre um tema em particular é por sentir que não se aperfeiçoou no tema...

      Conf: e qual é a causa de os espíritos que se debruçam nos estudos na espiritualidade, escolherem provas tão gigantescamente desiguais? 

      - qual é a causa de escolherem provas que implicam sofrimentos terríveis? Só se passa pelas provas sofrendo de modo torturante?

      (Perceba, Anton, que todas as minhas questões se prendem, no fundo, a uma única questão: a “qual é a causa dos sofrimentos dos homens?”. Tudo que coloco se refere a isso, que é o que mais perturba a vida de todos, humanos e não humanos, sem exceção de nenhum: os sofrimentos, do mais insignificante que seja, aos mais desesperadores como esses terríveis, torturantes e insuportáveis que vemos no mundo e que, segundo OLE, se originam das conseqüências da lei de causa e efeito, devido aos erros dos homens, e que sempre são aplicados com perfeita justiça).

      Anton: Os terríveis sofrimentos da vida apenas existem para o ego. O espírito nada acha de terrível nestes acontecimentos. Por isto deve o espírito superar o ego...

      Conf: Mas, quem é que sofre? Vc não sofre por uma simples dor-de-dente de seu ego? Se é o ego que sofre, vc, que é espírito, não sofre?! A sensação de dor de um câncer, de um membro esmigalhado num acidente, de ter um filhinho nascido sem membros ou de ele ter se tornado escravo das drogas faz seu ego sofrer, mas vc, nada sofre?!

      As dores e o que mais seja do ego não o atingem? Enquanto vc não supera o ego, eqto ele está ativo, de quem é o comando: seu ou do ego? 

      Conf (nova msg): O estarmos apegados ou a vontade de nos desapegarmos não depende de nós, mas do que as experiencias/lições da vida fazem de nós.

      Anton: Ao contrario do que o amigo pensa, o apego é a única coisa sobre a qual possuímos o absoluto livre arbitrio.

      Conf: sendo assim, se pelo livre-arbítrio podemos nos desapegar, qual é a causa de não estarmos desapegados? Qual é a causa de uns ainda estarem apegados ou de se desapegarem desta ou daquela ou de todas as coisas do mundo, e outros, não?

      Anton: Apego significa a valorização e exaltação do ego ou individualismo, enquanto o desapego significa a valorização de Deus ou o universalismo.

      Conf: sim, mas essa sua afirmação não explica qual é a causa de estarmos apegados ou de exaltarmos e valorizarmos o ego! Nem qual é a causa de uns serem mais desapegados do que outros, a causa de uns exaltarem o ego mais do que outros!

      E aquela pergunta, sempre repetida, continua sem resposta: qual é a causa dos sofrimentos dos homens?

............

Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Anton Kiudero em 10 de Dezembro de 2013, 23:19
      Conf: sim, mas essa sua afirmação não explica qual é a causa de estarmos apegados ou de exaltarmos e valorizarmos o ego! Nem qual é a causa de uns serem mais desapegados do que outros, a causa de uns exaltarem o ego mais do que outros!

      E aquela pergunta, sempre repetida, continua sem resposta: qual é a causa dos sofrimentos dos homens?

Vou resumir todos seus questionamentos em uma única frase. Aceite-a para a partir dai procurar o seu caminho ou rejeite-a e continue procurando as respostas em outros caminhos. A escolha é sua e não me cabe interferir nisto.

Para ser feliz, basta ser feliz e para sofrer, basta desejar sofrer....

Ai voce vai dizer que ninguem gosta de sofrer... Será que não? O que sofre sempre "acha" que algum outro lhe passa a mão na cabeça e diz "tadinho, ta sofrendo" e o ego procura esta atenção e sofre...

Para ser feliz, basta nem mesmo imaginar que voce possa sofrer e voce jamais sofrerá. O ego pode passar por situações de sofrimento, as quais voce dirá "e dai?" e continua a jornada... Mas para isto é preciso conhecer e interiorizar que Deus é a causa primeira de TUDO e que nada acontece sem que O queira e que portanto tudo o que lhe acontece será sempre para o seu (espirito) bem.

E isto significa colocar a Deus acima de tudo o que infelizmente poucos seres humanos conseguem, vitimas que são de suas ilusões...

Repetindo o que escrevi no post anterior, com outras palavras: Ame a Deus e seja feliz (bem aventurado) ou ame a voce mesmo e seja um sofredor....


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: lconforjr em 15 de Dezembro de 2013, 01:59


         Amigos,

         O homem, na Terra ou onde for, ou o espírito mais elevado que seja, nunca gozará de total felicidade.

..............
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 16 de Dezembro de 2013, 12:00

Perceba, Anton, que todas as minhas questões se prendem, no fundo, a uma única questão: a “qual é a causa dos sofrimentos dos homens?”.



A transgressão das Leis Divinas!


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 16 de Dezembro de 2013, 12:03

Para ser feliz, basta...............



Evoluir até ao estágio de Espírito Puro!


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 16 de Dezembro de 2013, 12:15


         Amigos,

         O homem, na Terra ou onde for, ou o espírito mais elevado que seja, nunca gozará de total felicidade.

..............


                                                  PRIMEIRA ORDEM. — ESPÍRITOS PUROS

112. CARACTERES GERAIS. — Nenhuma influência da matéria.

Superioridade intelectual e moral absoluta, com relação aos Espíritos das outras ordens.

113. Primeira classe. CLASSE ÚNICA. — Os Espíritos que a compõem percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria. Tendo alcançado a soma de perfeição de que é suscetível a criatura, não têm mais que sofrer provas, nem expiações. Não estando mais sujeitos à reencarnação em corpos perecíveis, realizam a vida eterna no seio de Deus.
Gozam de inalterável felicidade, porque não se acham submetidos às necessidades, nem às vicissitudes da vida material. Essa felicidade, porém, não é a de ociosidade monótona, a transcorrer em perpétua contemplação. Eles são os mensageiros e os ministros de Deus, cujas ordens executam para manutenção da harmonia universal. Comandam a todos os Espíritos que lhes são inferiores, auxiliam-nos na obra de seu aperfeiçoamento e lhes designam as suas missões. Assistir os homens nas suas aflições, concitá-los ao bem ou à expiação das faltas que os conservam distanciados da suprema felicidade, constitui para eles ocupação gratíssima. São designados às vezes pelos nomes de anjos, arcanjos ou serafins.

                                                                 O Livro dos Espíritos


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: lconforjr em 16 de Dezembro de 2013, 14:46
Re: Reflexões sobre o Apego...

      Brenno  « ref #20 em: 161213, às 12:15 »

      Conf (msg ant): O homem, na Terra ou onde for, ou o espírito mais elevado que seja, nunca gozará de total felicidade.
..............
     Discordando da afirmação acima, o amigo Brenno traz a visão da DE, em OLE, que diz que os espíritos mais elevados não mais sofrem devido a:
     - estarem livres de todas as influencias da matéria,
     - terem superioridade intelectual e moral absoluta, sobre os demais,
     - porq realizam a vida eterna no seio de Deus.

      Terá a doutrina se esquecido que, à medida que mais evolui o espírito, maior seu amor pelos demais? Por esses que sofrem exatamente porq não conquistaram a superioridade que ele já conquistou?

      Sem dúvida, não existe uma “felicidade inalterável”, como afirma o texto, não existe uma felicidade absoluta, a não ser se existir uma "insensibilidade inalterável".

      À medida que mais evolui, maior o seu amor pelos demais, pois percebe que esses estão se digladiando, numa batalha sem fim, uns pisando sobre os outros, arrancando o próprio sangue e dos demais, sofrendo tragédias, misérias e desgraças pois a vida de todos, sem exceção, é sofrimento.

      E ver os demais sofrerem, é sofrer.

................
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 24 de Dezembro de 2013, 03:03

      E ver os demais sofrerem, é sofrer.



Não quando se conhece a razão e a finalidade dos sofrimentos e se tem por missão auxiliar esses sofredores.


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Olé em 24 de Dezembro de 2013, 11:06

      E ver os demais sofrerem, é sofrer.

Não quando se conhece a razão e a finalidade dos sofrimentos e se tem por missão auxiliar esses sofredores.

O sofrimento não tem nenhuma finalidade... O sofrimento e o sofredor são uma coisa só; pensamento... Ver a humanidade presa nesta ignorância não causa sofrimento...

Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Anton Kiudero em 24 de Dezembro de 2013, 11:45
Não confundam "situações de sofrimento" com "sofrimento" porque são suas coisas completamente diferentes.

Situações de sofrimento são todas as situações nas quais o ego, o ser humano, é contrariado em seus desejos. Pode ser uma doença ou morte de alguém querido, uma perda financeira, uma catástrofe natural ou mesmo ler ou ouvir algo que vai contra os seus conceitos.

Sofrimento é uma opção do espirito, o ser universal, que se acreditar estar vivendo uma vida material vivenciará o sofrimento do ego e se estiver consciente de que apenas está vivenciando uma encarnação de provas nada sofrerá durante as situações de sofrimento.

O sofrimento ou dor é o oposto do prazer e apenas quem vive o dualismo humano, vivenciará estes dois sentimentos, um apos o outro, sempre se alternando sem  conhecer a felicidade.

A libertação deste dualismo e a consequente interiorização da unicidade do universo é que induz a felicidade incondicional do ser universal.

Por isto sofre quem deseja sofrer e é feliz quem é feliz...



Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Olé em 24 de Dezembro de 2013, 12:31
A verdade, mesmo verdadeira, é que apenas a consciência universal, energia, ou Deus, é... E esta não tem tempo, é atemporal, livre das ilusões conceituais e imaginadas do pensamento, que é tempo...

A dualidade é fictícia, tudo é energia e os seres humanos nada mais são que a forma externa dessa enegia, tal como a natureza e o universo inteiro...
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 24 de Dezembro de 2013, 17:43

O sofrimento não tem nenhuma finalidade... O sofrimento e o sofredor são uma coisa só; pensamento... Ver a humanidade presa nesta ignorância não causa sofrimento...



Processos obsessivos ilusionísticos!


 
Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 24 de Dezembro de 2013, 17:45

Não ...........
..................feliz.



Sempre a falta de lógica ilusionística!


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: lconforjr em 26 de Dezembro de 2013, 23:05
      Brenno  (ref #22, de 241213)

     
      Conf (msg ant): “E ver os demais sofrerem, é sofrer”.

      Brenno: Não quando se conhece a razão e a finalidade dos sofrimentos e se tem por missão auxiliar esses sofredores.

      Conf: o amigo deve ter cursado alguma escola, ou passado por uma experiência que o tornou absolutamente insensível.
     
      Seu filhinho, por mais que vc (ou Deus) o tenha avisado (pela voz dos mestres ou ensinamentos) gritado ou batido nele (já feito sofrer anteriormente pela lei de retribuição), para não fazer isso, o desobedeceu (desobedeceu as ordens de Deus) e colocou a mão naquela máquina trituradora e a teve esmigalhada.

      Mas vc, impassível, tranquilo, nada sofrerá com isso, pois que vc conhece a razão de ele ter a mão esmigalhada, que foi o desobedecer suas ordens (as ordens de Deus), e porq sabe que a finalidade de seus sofrimentos é auxiliá-lo a aprender a lhe obedecer (a obedecer as leis de Deus).

..................


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 27 de Dezembro de 2013, 01:48
      Brenno  (ref #22, de 241213)

     
      Conf (msg ant): “E ver os demais sofrerem, é sofrer”.

      Brenno: Não quando se conhece a razão e a finalidade dos sofrimentos e se tem por missão auxiliar esses sofredores.

      Conf: o amigo deve ter cursado alguma escola, ou passado por uma experiência que o tornou absolutamente insensível.
     
      Seu filhinho, por mais que vc (ou Deus) o tenha avisado (pela voz dos mestres ou ensinamentos) gritado ou batido nele (já feito sofrer anteriormente pela lei de retribuição), para não fazer isso, o desobedeceu (desobedeceu as ordens de Deus) e colocou a mão naquela máquina trituradora e a teve esmigalhada.

      Mas vc, impassível, tranquilo, nada sofrerá com isso, pois que vc conhece a razão de ele ter a mão esmigalhada, que foi o desobedecer suas ordens (as ordens de Deus), e porq sabe que a finalidade de seus sofrimentos é auxiliá-lo a aprender a lhe obedecer (a obedecer as leis de Deus).




O exemplo que o amigo dá não serve para comparação, pois que eu e meus filhos estamos num nível evolutivo muito próximo, vivendo todos num mesmo Mundo de provas e expiações.

O mesmo não se dá com os Espíritos Puros em relação a nós!


Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: lconforjr em 11 de Janeiro de 2014, 19:14
Re: Reflexões sobre o Apego...

      Brenno  « ref #29 em: 27 Dez 2013, 01:48 »
     
      Conf (msg ant): “E ver os demais sofrerem, é sofrer”.

      Brenno: Não quando se conhece a razão e a finalidade dos sofrimentos e se tem por missão auxiliar esses sofredores.

      Conf: o amigo deve ter cursado alguma escola, ou passado por uma experiência que o tornou absolutamente insensível.
     
      Brenno: O exemplo que o amigo dá não serve para comparação, pois que eu e meus filhos estamos num nível evolutivo muito próximo, vivendo todos num mesmo Mundo de provas e expiações.

      Conf: meu jovem, amplie um pouco mais sua visão; ponha-se no lugar dos outros ou ponha os outros em seu lugar. Onde me referi, apenas para a continuação do raciocínio, ao "ser humano Brenno e aos filhos do homem Brenno", coloque, em vez disso, "os demais seres humanos e os filhos dos demais seres humanos.

      Brenno: O mesmo não se dá com os Espíritos Puros em relação a nós!

      Conf: certamente não é essa a visão da doutrina: que os espíritos puros nada sofrem com os sofrimentos dos demais. Pois, porq teria, conforme diz a doutrina, o Criador enviado Jesus para a Terra senão para ensinar a amar, a perdoar, a evitar mais tantos sofrimentos?

      Porq tantos ensinamentos, que ele os divulgou até sua morte e que resultaram nela? Porq Jesus veio nos consolar e, como diz a doutrina, nos mandou o Consolador? Quem consola, consola o quê? Os que sofrem ou os que não sofrem? Consola devido a sofrimentos, ou devido a alegrias?
.............

Título: Re: Reflexões sobre o Apego...
Enviado por: Brenno Stoklos em 12 de Janeiro de 2014, 19:33

E ver ...............
........................alegrias?



A consolação está no conhecimento da Verdade!

Está em se conhecer a causa dos sofrimentos, da sua utilidade e de que não são eternos!