Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Meditação => Tópico iniciado por: macili em 24 de Maio de 2011, 03:57

Título: O maior desafio
Enviado por: macili em 24 de Maio de 2011, 03:57
Olá queridos Amigos, Amigas e Visitantes.


Que Deus os cubra com seu manto de amor e de luz!!!


(http://2.bp.blogspot.com/_oXhpP27YNzM/THvWRg5uKUI/AAAAAAAAFSc/uvS8n09W7Ms/s320/arosa.jpg)


O maior desafio


Cada um de nós tem desafios diferentes. A vida é feita de desafios diários.

Para quem não dispõe de movimentos nas pernas, transportar-se da cama para a cadeira de rodas, a cada manhã, é um desafio.

Para quem sofreu um acidente e está reaprendendo a andar, o desafio está em apoiar-se nas barras, na sala de reabilitação, e tentar mover um pé, depois o outro.

Para quem perdeu a visão, o grande desafio é adaptar-se à nova realidade, aprendendo a ouvir, a tatear, a movimentar-se entre os obstáculos sem esbarrar. É aprender um novo alfabeto, é ler com os dedos, é adquirir nova independência de movimentos e ação.

Para o analfabeto adulto, o maior desafio é dominar aqueles sinais que significam letras, que colocados uns ao lado dos outros formam palavras, que formam frases.

É conseguir tomar o lápis e escrever o próprio nome, em letras de forma. É conseguir ler o letreiro do ônibus, identificando aquele que deverá utilizar para chegar ao seu lar.

Cada qual, dentro de sua realidade, de sua vivência, apontará o que lhe constitui o maior desafio: dominar a técnica da pintura, da escultura, da música, da dança.

Ser um ás no esporte. Ser o primeiro da classe. Passar no vestibular. Ser aprovado no concurso que lhe garantirá um emprego. Ser aceito pela sociedade. Ser amado.

Para vencer um desafio é preciso ter disciplina, ser persistente, ser diplomático, saber perdoar-se e perdoar aos outros.

É ser otimista quando os demais estão pessimistas. Ser realista quando os demais estão com os pensamentos na lua. É saber sonhar e ir em frente.

É persistir, mesmo quando ninguém consiga nos imaginar como um prêmio Nobel de Química, um pai de família, um professor,  prefeito ou programador.

Acima de tudo, o maior desafio para deficientes, negros e brancos, japoneses e americanos, brasileiros e argentinos, para todo ser humano, é fazer.

Fazer o que promete. Dar o primeiro passo, o segundo e o terceiro. Ir em frente.

Com que frequência se escutam pessoas dizendo que vão fazer regime, que vão estudar mais, que vão fazer exercício todo dia, que vão ler mais, que vão assistir menos televisão, que vão...

Falar, reclamar ou criticar são os passatempos mais populares do mundo, perdendo só, talvez, para o passatempo de culpar os outros pelo que lhe acontece.

Então, o maior desafio é fazer. E não adianta você dizer que não deu certo o que pretendia porque é cego, ou porque é negro, ou porque é amarelo, ou porque você é brasileiro. Ou porque mora numa casa amarela. Ou porque não teve tempo.

Aprenda com seus erros. Quando algo não der certo, você pode tentar de maneira diferente. Agora você já sabe que daquele jeito não dá.

Você pode treinar mais. Você pode conseguir ajuda, pode estudar mais, pode se inspirar com sábios amigos. Ou com amigos dos seus amigos.

Pode tentar novas idéias. Pode dividir seu objetivo em várias etapas e tentar uma de cada vez, em vez de tentar tudo de uma vez só.

Você pode fazer o que quiser. Só não pode é sentir pena de si mesmo. Você não pode desistir de seus sonhos.


*   *   *


Problemas são desafios. Dificuldades são testes de promoção espiritual.

Insucesso é ocorrência perfeitamente natural, que acontece a toda e qualquer criatura.

Indispensável manter o bom ânimo em qualquer lugar e posição.

O pior que pode acontecer a alguém é se entregar ao desânimo, apagando a chama íntima da fé e caminhar em plena escuridão.

Assim, confia em Deus, e, com coragem, prossegue de espírito tranquilo.



Redação do Momento Espírita, a partir de carta assinada por Fernando Botelho e endereçada a um cego, de nome Juliano, residente em Curitiba, e do cap. 9 da obra Convites da vida, psicografia de Divaldo Pereira Franco, pelo Espírito Joanna de Ângelis, ed. Leal.
Título: Re: O maior desafio
Enviado por: AmandaTorres em 24 de Maio de 2011, 14:08
Muito linda essa mensagem.
Interessante, já é a segunda vez que essas palavras aparecem pra mim hoje...


Obrigada pelo texto.
Abraços
Título: Re: O maior desafio
Enviado por: macili em 25 de Maio de 2011, 03:42
Olá Amiga Amanda e demais Amigos e Visitantes.

É muito bom interagir com todos vocês através das mensagens compartilhadas.
Paz e luz em seus corações!!!


(http://1.bp.blogspot.com/_oXhpP27YNzM/TJRD3F5-eBI/AAAAAAAAFuo/Rsqt7OdgHUI/s400/0044d5ea899c4e3712cd04cd3bac3340.gif)



Desafios


Você sabia que a melhor maneira de se enfrentar um desafio é começar enfrentando-o?

Quantas vezes você se deteve a pensar nos problemas do mundo e os considerou insolúveis?

Uma negra americana, de nome Mary Jane Mac Leod Bethune, começou a educar crianças em um depósito de lixo.

A lei da segregação racial nos Estados Unidos era muito severa com os negros.

Ela era negra. Ganhara uma bolsa de estudos de uma costureira e, após se formar, não tinha alunos.

Quando foi nomeada, não tinha escola.

Sem pestanejar, ela conseguiu três caixotes de cebola, colocou-os debaixo de uma árvore em um depósito de lixo. Chamou três crianças, descendentes de escravos, e começou a ensiná-las a ler e escrever.

Quando Henry Ford foi a Osmond, uma praia da Califórnia, ela foi visitá-lo.

À porta foi barrada pelo mordomo, também negro, que lhe perguntou como ela ousava procurar Mr. Ford, sendo negra.

Sem titubear, ela falou bem alto: Tenho uma entrevista marcada com Mr. Ford. Marquei por telefone.

Ouvindo-a, Henry Ford pediu-lhe que entrasse. Ao vê-la, exclamou: Eu não sabia que a senhora era negra!

Não totalmente, respondeu Mary Jane. Duvido que o senhor conheça dentes mais alvos e olhos mais brancos do que os meus.

Ela lhe disse que precisava da ajuda dele para construir a sua escola, ampliá-la. Queria que ele fosse com ela conhecer o terreno e com ela construísse a escola dos seus sonhos.

Convencido por aquela mulher de caráter espontâneo e firme, desceu com ela pelo elevador e foi até ao local.

Quando chegaram ao depósito de lixo Mary Jane falou:

É aqui, senhor, que eu desejo construir a minha escola.

Mas, é um depósito de lixo. - falou ele.

Ora, disse Mary Jane, sempre esqueço dos detalhes. A minha escola de verdade está em minha cabeça. Eu preciso do seu dinheiro para tirá-la de minha mente e colocá-la ali.

Ele lhe deu vinte mil dólares.

Essa mulher tornou-se o símbolo da educadora mundial. Até o ano de 1969 havia educado milhares de negros americanos.

Assim, quando há um desafio é necessário começar. Ante tantos iletrados, podemos começar, agora, alfabetizando um que esteja próximo de nós.

Ante tantos sem medicação, podemos auxiliar alguém a conseguir a medicação, a consulta, o exame de que careça.

Perante os que padecem fome, podemos iniciar oferecendo um prato de sopa quente e nutritiva, o leite para um bebê, o pão a um velhinho enfermo e só.

Na seqüência, chamar um cooperador, mais um e outro, e formar um grupo. Então já seremos vários a lutar contra o que antes caracterizávamos como totalmente sem solução.

*   *   *


A célebre Universidade Mackenzie, em São Paulo, começou quando uma educadora americana notou, em São Paulo, na rua em que morava, um grupo de crianças vadias.

Ela atraiu os meninos, oferecendo-lhes broa de milho e lhes falou do Evangelho de Jesus.

Mais tarde, as crianças eram tantas, que ela abriu uma escola de alfabetização para elas.

O Mackenzie, que tem uma bela e longa história, foi visitado inclusive pelo imperador D. Pedro II, que lhe fez uma expressiva doação.


Redação do Momento Espírita, com base no item A história de Mary Jane, do livro
Palavras de luz, de diversos Espíritos, psicografia de Divaldo P. Franco, ed. Feb.
Em 05.01.2008.