Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Meditação => Tópico iniciado por: Victor Passos em 28 de Dezembro de 2009, 10:00

Título: O Homem Novo 28-12-2009
Enviado por: Victor Passos em 28 de Dezembro de 2009, 10:00
Bom dia muita paz e harrmonia companheiros (as)

O Homem Novo

          Para construir um mundo novo precisamos de um homem novo. O mundo está cheio de erros e injustiças porque é a soma dos erros e injustiças dos homens. Todos sabemos que temos de morrer, mas só nos preocupamos com o viver passageiro da Terra. Por isso, a humanidade desencarnada que nos rodeia é ainda mais sofredora e miserável que a encarnada a que pertencemos. "As filas de doentes que eu atendia na vida terrena - diz a mensagem de um espírito - continuam deste lado."

          Muita gente estranha que nas sessões espíritas se manifestem tantos espíritos sofredores. Seria de estranhar se apenas de manifestassem espíritos felizes. Basta olharmos ao nosso redor - e também para dentro de nós mesmos - para vermos de que barro é feita a criatura humana em nosso planeta.

          Fala-se muito de fraude e mistificação no Espiritismo, como se ambas não estivessem em toda parte, onde quer que exista uma criatura humana. Espíritos e médiuns que fraudam são nossos companheiros de plano evolutivo, nossas colegas de fraudes cotidianas.

          O Espiritismo está na Terra, em cumprimento à promessa evangélica de Consolador, para consolar os aflitos e oferecer a verdade aos que anseiam por ela. Sua missão é transformar o homem para que o mundo se transforme. Há muita gente querendo fazer o contrário: mudar o mundo para mudar o homem. O Espiritismo ensina que a transformação é conjunta e recíproca, mas tem que começar do homem. Enquanto o homem não melhora, o mundo não se transforma.

          Inútil, pois, apelar para modificações superficiais. Temos de insistir na mudança essencial de nós mesmos.

          O homem novo que nos dará um mundo novo é tão velho quanto os ensinos espirituais do mais remoto passado, renovados pelo Evangelho e revividos pelo Espiritismo. Sem amor não há justiça e sem verdade não escaparemos à fraude, à mistificação, à mentira, à traição. O trabalho espírita é a continuação natural e histórica do trabalho cristão que modificou o mundo antigo. Nossa luta é o bom combate do apóstolo Paulo: despertar as consciências e libertar o homem do egoísmo, da vaidade e da ganância.

          "Os anos não nos dão experiência nem sabedora - dizia o vagabundo de Knut Hamsun - mas nos deixam os cabelos horrorosamente grisalhos." É o que vemos no final desse poema bucólico da Noruega que é "Um Vagabundo Toca na Surdina". Knut Hamsun era individualista e sobretudo um lírico do individualismo. Mas o homem que se abre para o altruísmo sabe que as verdades do indivíduo são geralmente moedas falsas, de circulação restrita. A verdade maior - ou verdadeira - é a que nasce do contexto social, da usina das relações, onde o indivíduo se forma pelo contato com os outros.

          Os anos não trazem apenas os cabelos brancos - trazem também a experiência, mestra da vida, e com ela a sabedoria. É no dia a dia da existência que o homem vai modelando aos poucos a sua própria argila, o barro plástico de que Deus formou o seu corpo na Terra. Cada idade, afirmou Léon Denis, tem o seu próprio encanto, a sua própria beleza. É belo ser jovem e temerário, mas talvez seja mais belo ser velho e prudente, iluminado por uma visão da vida que não se fecha no círculo estreito das paixões ilusórias. O homem amadurece com o passar dos anos.

          A vida tem as suas estações, já diziam os romanos. À semelhança do ano, ela se divide nas quatro estações da existência que são: a primavera da infância e da adolescência, o verão da mocidade e outono da madureza e o inverno da velhice. Mas também à semelhança dos anos, as vidas se encadeiam no processo da existência, de maneira que as estações se renovam em cada encarnação.

          Viver, para o individualismo, é atravessar os anos de uma existência. Mas viver, para o altruísta, é atravessar as existências palingenésicas, as vidas sucessivas, em direção à sabedoria. O branquear dos cabelos não é mais do que o início das nevadas do inverno. Mas após cada inverno voltará de novo a primavera.

          A importância dos anos é, portanto, a mesma das léguas numa caminhada em direção ao futuro. Cada novo ano que surge é para nós, os caminheiros da evolução, uma nova oportunidade de progresso que se abre no horizonte. Entremos no ano novo com a decisão de aproveitá-lo em todos os seus recursos. Não desprezemos a riqueza dos seus minutos, das suas horas, dos seus dias, dos seus meses.

          Cada um desses fragmentos do ano constitui uma parte da herança de Deus que nos caberá no futuro.

 
Livro: O Homem Novo
J. Herculano Pires

Muita Paz
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Mensageiro da LUZ DIVINA em 12 de Janeiro de 2010, 11:29
***Bom dia Companheiro da luz.


PERDOA SEMPRE



Auxilia aos outros, sem a preocupação de receber o amparo alheio.


Tudo aquilo que fizermos agora, será aquilo que colheremos depois.


Consideremos, porém que a fim de sanar os desajustes na engrenagem de nosso

relacionamento recíproco, o Senhor nos concede a bênção da compaixão.


Se anotas a presença de amigos candidatos ao discemimento maior com as falhas naturais

pelas quais se identificam, compadece-te deles e ampara-os com as forças ao teu alcance.



Abraça o trabalho do bem aos outros com alegria.


Aprende a colocar com o bem do próximo, na convicção de que ninguém progride a sós.


Trabalha e serve constantemente.


E certifica-te de que, onde o pensamento positivo do bem prevaleça, ai brilha o caminho do

aperfeiçoamento de nossas almas para Deus, fortalecendo-nos para que estejamos na

realização do melhor.



Em qualquer situação difícil, aparentemente insolúvel, usa mais paciência, porque a

paciência é construção da alma sobre os alicerces da fé em Deus e, aplicando mais

paciência onde estiveres, em quaisquer tribulações que, porventura te apareçam,

claramente vencerás.



Livro: Caminho Iluminado “Francisco C. Xavier”
pelo espírito “Emmanuel”


Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 12 de Janeiro de 2010, 15:17
Ola Amiga Luz Divina
Muita paz



Antes porém ...

André Luiz  & Emmanuel

          Você pede melhoras da saúde.

          Antes, porém, socorra o enfermo em condições mais graves.

          Você pede em favor do seu filho.

          Antes, porém, proteja a criança alheia em necessidade maior.

          Você pede providência determinada.

          Antes, porém, alivie a preocupação de outra pessoa, em prova mais contundente que a sua.

          Você pede perdão pela falta cometida.

          Antes, porém, desculpe incondicionavelmente aqueles que lhe feriram o coração.

          Você pede felicidade.

          Antes, porém, semeie com algum gesto simples de amor a alegria do próximo.

          Você pede solução a esse ou aquele problema.

          Antes, porém, busque suprimir essa ou aquela pequenina dificuldade dos semelhantes.

          Você pede cooperação.

          Antes, porém, colabore.

          Toda solicitação, assemelha-se, de algum modo, à ordem de pagamento que, para ser atendida, reclama crédito.

          A casa não se equilibra sem alicerce. Uma fonte ampara a outra.

          Se queremos auxílio, aprendamos a auxiliar.

Muita Paz
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 13 de Janeiro de 2010, 10:30
*** Bom dia querido amigo.




É PRECISO NASCER DE NOVO

     


As dimensões tempo e espaço constituem limites para demarcar estágios e situações para a mente, nas faixas experimentais da evolução. À medida, porém, que o espírito progride, se lhe ampliam tais conceituações, e ele adquire incalculáveis percepções de infinito e eternidade, superando as linhas de que necessita para localizar e localizar-se.
     


Pelas imposições reencarnatórias, todo ultraje que se comete se há de resgatar, embora não necessariamente numa reencarnação imediata ou muito próxima, após o gravame cometido.
     


O atentado à Lei se insculpe no espírito, sensibilizando-lhe o perispírito, ou psicossoma, na direção da sede da alma, e dali repercutindo, através dos tecidos sutis da estrutura espiritual, no próprio corpo somático. Dia surge no qual irrompe, sob a forma de limitação orgânica ou deformidade teratogênica, distonia emocional ou paroxismo nervoso, ulceração maligna ou câncer traiçoeiro, ou então mediante estranhas constrições morais, amargas conjunturas ou restrições sociais, financeiras, sexuais ou familiares, pelas quais a iniludível justiça da vida alcança os seus defraudadores.
     


Com invulgar licitude asseverou Jesus a necessidade de “nascer de novo”, a fim de que se paguem as dívidas inteiras, moeda a moeda, até que, liberado, o devedor alcance o reino dos céus, que implantará, através da autopurificação, na própria consciência.
     


Pode dar-se o resgate reequilibrador na etapa seguinte, ou ocorrer em escalada futura, mas ninguém ludibriará a justiça.
     


Num avatar, o espírito, se erra, também pode descartar-se de mazelas outras, adquirindo valiosas experiências, que armazena para momento próprio, registrando-as em seu mapa evolutivo.
     


Numa encarnação adquire-se determinada expressão de vitória, não obstante os equívocos que se perpetre. Somadas as realizações dignificantes e subtraídas as dívidas, transfere-se o saldo, positivo ou não, das conquistas pessoais.
     


Transladam-se de uma para outra vida realizações e problemas, aquisições e perdas, que ressumam oportunamente, quando se fazem favoráveis as circunstâncias, do que decorre o adágio, segundo o qual “Deus não concede fardo superior às forças de quem o carrega”.
     


Como conseqüência, a qualidade da vida resulta das múltiplas operações que o ser se impõe, caindo agora, levantando-se depois, sobraçando sempre um saldo, que o favorece ou não com recursos para a final redenção.
     


Através de provações abençoadas e expiações libertadoras, a Divina Sabedoria nos conduz ao compromisso de ascender e progredir, nas dimensões da Imortalidade.



(Espírito de Victor Hugo – OBRA: Sublime Expiação – Médium: Divaldo Pereira Franco)

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 13 de Janeiro de 2010, 10:36
Ola muita paz Amiga Cravo do Poeta

Tormenta e Paz

Livro: Heranças de Amor
Eros & Divaldo P. Franco

          Tempestade! Os ventos fortes e as chuvas torrenciais se unem em espetáculo dantesco.

          Enxurrada e lamaçal destroem sementeiras e alagam propriedades.

          Os trovões lançam seus gritos, enquanto os relâmpagos bailam com faíscas de luz, pelos céus.

          Destruição e treva reinam por algum tempo. Depois, uma grande calmaria a tudo sucede.

          Os trombeteiros do medo e os gigantes do horror cessam a fúria.

          A terra se apresenta revolvida, as árvores arrancadas, os ninhos desfeitos.

          Os rios transbordantes e os dentes rilhados do sofrimento estão à mostra em toda parte, apresentando um quadro de aflição.

          No entanto, o ar está liberado de miasmas, de tensões, das altas cargas elétricas e magnéticas que aniquilam os homens, os animais e as plantas com lentidão.

          A pouco e pouco, as mãos da renovação trabalham os painéis destroçados e tudo retorna à normalidade. A natureza repousa para logo mais apresentar toda sua beleza outra vez.

          * * * * *

          Assim também é a vida. A tormenta das dores, a borrasca dos sofrimentos atinge as criaturas vez ou outra, mais duramente. É como se tudo se unisse e acontecesse ao mesmo tempo: a enfermidade no lar, o desemprego, desentendimentos familiares, o abandono de alguém amado, uma traição.

          As nuvens escuras do desalento toldam o céu dos sentimentos e a desesperança castiga a alma.

          Contudo, por mais rudes sejam os padecimentos, as dificuldades ou os problemas, eles passam. Tudo passa na vida, pois tudo é transitório.

          Por isso, lembremos as lições de Madre Teresa de Calcutá que, em bela página, assim se expressou: Tua força interior e tuas convicções não têm idade. Teu espírito é o espanador de qualquer teia de aranha.

          Continua, apesar de todos esperarem que abandones as lutas. Não deixes que se enferruje o ferro que há em ti.

          Age de forma que, em vez de compaixão, as criaturas te tenham respeito.

          E, se o peso das lutas e dos anos, te disser que não podes mais correr, prossegue andando.

          Diminui o ritmo, mas caminha sempre. Mesmo que tenhas que usar uma bengala, nunca te detenhas porque atrás de cada linha de chegada, há uma de partida.

          Atrás de cada triunfo, há outro desafio. E mesmo que a pele enrugue, o cabelo fique branco, os dias se convertam em anos, o mais importante em ti somente se torna melhor: o espírito imortal que és.

          ***

          A poesia de luz que supera a noite sombria, é convite à renovação.

          Mesmo que a noite das aflições teime em colocar trevas em tua alma e a dominar as tuas aspirações, segue o sol e permite-te bordar de dia o teu coração.

          A luz brilha fora de ti, na natureza que desperta, elevando um hino à vida.

          Faze a tua claridade interior e renasce.



Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 14 de Janeiro de 2010, 14:41
***Boa tarde amigos.




O HOMEM BOM




Conta-se que Jesus, apos narrar a Parábola do Bom Samaritano, foi novamente interpelado


pelo doutor da lei que, alegando não lhe haver compreendido integralmente a lição,


perguntou, sutil:


- Mestre, que farei para ser considerado homem bom?



Evidenciando paciência admirável, o Senhor respondeu:



Imagina-te vitimado por mudez que te iniba a manifestação do verbo escorreito e pensa quão grato te mostrarias ao companheiro que falasse por ti a palavra encarcerada na boca.


Imagina-te de olhos mortos pela enfermidade irremediável e lembra a alegria da caminhada, ante as mãos que te estendessem ao passo incerto, garantindo-te a segurança.


Imagina-te caído e desfalecente, na via pública, e preliba o teu consolo nos braços que te oferecessem amparo, sem qualquer desrespeito para com os teus sofrimentos.


Imagina-te tocado por moléstia contagiosa e reflete no contentamento que te iluminaria o coração, perante a visita do amigo que te fosse levar alguns minutos de solidariedade.


Imagina-te no cárcere, padecendo a incompreensão do mundo, e recorda como te edificaria o gesto de coragem do irmão que te buscasse testemunhar entendimento.


Imagina-te sem pão no lar, arrostando amargura e escassez, e raciocina sobre a felicidade que te apareceria de súbito no amparo daqueles que te levassem leve migalha de auxílio, sem perguntar por teu modo de crer e sem te exigir exames de consciência.


Imagina-te em erro, sob o sarcasmo de muitos, e mentaliza o bálsamo com que te acalmarias, diante da indulgência dos que te desculpassem a falta, alentando-te o recomeço.


Imagina-te fatigado e intemperante e observa quão reconhecido ficarias para com todos os que te ofertassem a oração do silêncio e a frase de simpatia.


Em seguida ao intervalo espontâneo, indagou-lhe o Divino Amigo:


- Em teu parecer, quais teriam sido os homens bons nessas circunstâncias?


- Os que usassem de compreensão e misericórdia para comigo - explicou o interlocutor.


- Então - repetiu Jesus com bondade-, segue adiante e faze também o mesmo.



* * *



Xavier, Francisco Candido. Da obra: Amor e Vida em Família.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.
Capivari, SP: EME, 1995.
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Mourarego em 14 de Janeiro de 2010, 14:52
Olá,

O mundo Terra está como está, porque o Ministro Espiritual responsável pela migração, está a permitir que imigrem para a Terra espíritos mais atrasados e por isso o ambiente na Terra está de cortar à faca.

EU: Caramba JT de ode você tirou esta idéia? é piada?

Os espíritos que cá andam, não são os mesmos que estavam há 2000 anos. Por isso, nada de tirar conclusões precipitadas.
EU: E quem te disse com tanta certeza que não são os mesmos?

Por outro lado, Jesus não encomendou ninguém a andar a falar com os mortos, antes pelo contrário. Ele tinha uma forma muito pouco católica de tratar com eles.

JT o próprio Jesus disse ainda sentado a mesa: "Se me amais e ao pai que está no céu, vos digo que quando com Ele eu estiver pedirei que vos mande outro consolador , O Espírito De Verdade, que vos irá falar tudo quanto já vos disse e muito mais que não vos disse até hoje por não terem chegado os tempos."
Lembra disso?

Bem, o melhor é mesmo eu ficar por aqui, senão ainda me expulsam do fórum.
EU: O Fórum tem ação democratica mano, e não é por uma postagem destoante que o amigo será banido...
Abraços,
Moura
Cumprimentos,

João Trigueiros
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 14 de Janeiro de 2010, 14:52
Ola muita paz e harmonia
amiga Cravo do poeta

O Espírita

Livro: Seara de Luz
Irmão José & Carlos Baccelli

          O espírita consciente de seus deveres não desanima ante as dificuldades naturais do caminho estreito.

          Sabe que a luta é difícil, mas confia na vitória da perseverança.

          Compreendendo a tarefa que lhe cabe desempenhar na construção de um mundo novo, trabalha sem esmorecimento na seara do bem, vivenciando a fé nas menores atitudes.

          Coopera com todos, sem exigir cooperação.

          Incentiva os companheiros de ideal, certo de que cada um faz o que está ao alcance de suas possibilidades.

          Entende as suas e as limitações alheias, porquanto o Espiritismo lhe esclarece que todos somos Espíritos em evolução, ainda presos ao passado de erros exigindo resgate no presente.

          O Espírita, embora seja um homem como qualquer outro, com os mesmos anseios e aspirações, é chamado a influenciar na espiritualização das criaturas a partir do próprio exemplo.

          Valorizando o tempo que muitos desprezam, renuncia aos prazeres e facilidades terrestres, aproveitando cada minuto que lhe é concedido pela reencarnação no sentido de melhorar-se.

          Convicto sobre a transitoriedade dos bens materiais exercita o desprendimento, retendo consigo apenas aquilo de que tenha absoluta necessidade.

          Adepto da Fé Raciocinada, o espírita busca fugir a extremismos de opinião, cônscio de que o fanatismo religioso é um dos maiores entraves ao progresso da Humanidade.

          No recinto doméstico, é o servidor que se sacrifica pela felicidade dos corações amados.

          Na via pública, é o amigo da caridade, sempre vigilante de forma a não perder a oportunidade de ser útil.

          No ambiente de trabalho, é o companheiro que se faz admirado pela gentileza e pela competência.

          O espírita na instituição a que se vincula, é o irmão que não se preocupa com a disputa de cargos, mas, sim, em cumprir com alegria os encargos que lhe dizem respeito, na certeza de que "o maior no Reino dos Céus é o que se fizer na Terra o servidor de todos".

          Não critica a ninguém.

          Não agasalha a vaidade.

          Não se julga privilegiado.

          Não participa de discussões estéreis.

          Não se faz instrumento da maledicência.

          A respeito dele, escreveu Allan Kardec: "Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que empreende para domar as suas más inclinações".

          Vejamos que não se trata de exibir atestado de santidade, mas de renovar-se a cada dia nos esforços de todo instante, levantando-se das possíveis quedas e seguindo adiante, com o fardo que sustenta aos próprios ombros.

 
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 14 de Janeiro de 2010, 15:16
***Boa tarde amigo Victor Passos.
Muita luz



Caridade do Pensamento




Sabemos todos que o pensamento é onda de vida criadora, emitindo forças e atraindo-as,

segundo a natureza que lhe é própria.


Fácil entender, à vista disso, que nos movemos todos num oceano de energia mental.


*

Cada um de nós é um centro de princípios atuantes ou de irradiações que liberamos,

consciente ou inconscientemente.


*


Sem dúvida, a palavra é o veículo natural que nos exprime as idéias e as intenções que nos

caracterizem, mas o pensamento, em si, conquanto a força mental seja neutra qual ocorre

à eletricidade, é o instrumento genuíno das vibrações benéficas ou negativas que lançamos

de nós, sem a apreciação imediata dos outros.


Meditemos nisso, afastemos do campo íntimo qualquer expressão de ressentimento, mágoa,

queixa ou ciúme, modalidades do ódio, sempre suscetível de carrear a destruição.
*


Se tens fé em Deus, já sabes que o amor é a presença da luz que dissolve as trevas.
*


Cultivemos a caridade do pensamento.
*


Dá o que possas, em auxílio aos outros, no entanto, envolve de simpatia e compreensão tudo aquilo que dês.




*



No exercício da compaixão, que é a beneficência da alma, revisa o que sentes, o que

desejas, o que acreditas e o que falas, efetuando a triagem dos propósitos mais ocultos

que te inspirem, a fim de que se traduzam em bondade e entendimento, porque mais dia

menos dia, as nossas manifestações mais íntimas se evidenciam ou se revelam,

inelutavelmente, de vez que tudo aquilo que colocarmos, no oceano da vida, para nós

voltará.
* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Paciência.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.
CEU, 1983.

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 14 de Janeiro de 2010, 15:22
***Boa tarde amigo Victor Passos.



Autoconscientização



Os dias atuais, caracterizados pelos conflitos psicológicos, em face do tumulto que domina o pensamento da sociedade e as ambições de cada indivíduo, exigem profundas reflexões, a fim de que a harmonia permaneça nos sentimentos humanos e na conduta pessoal em relação a si mesmo.


As admiráveis conquistas da Psicologia profunda, contribuindo para a solução dos muitos distúrbios que se apresentam perturbadores, convidam à meditação em torno da realidade que se é, para que sejam superados os condicionamentos em que se encontra, de forma a situar-se com equilíbrio ante os desafios e as injunções, não raro, penosos, que se apresentam em toda parte exigindo decisões inadiáveis.


Atordoando-se ante o volume das atividades que defronta, o indivíduo percebe-se desequipado de valores que lhe facultem uma boa administração das injunções em que se encontra, não sabendo o rumo que deve seguir.
Convidado, porém, à auto-reflexão, à autoconscientização mediante as quais poderá descobrir a sua realidade essencial, recusa-se por automatismo, receando penetrar-se em profundidade, em razão do atavismo castrador a que se submete.


A sombra que o condiciona ao aceito e determinado ameaça-o de sofrimento, caso busque iluminar o seu lado escuro, permitindo-lhe a autoidentificação que se encarregará de libertá-lo das aflições e conflitos de comportamento, que são heranças ancestrais nele prevalecentes.
Vitimado pelo jogo das paixões sensoriais, anula a própria alma que discerne, e procura não se deixar vencer pelos desejos infrenes que o arrastam ao jogo ilusório do prazer desmedido.


Apresentando-se incapaz, no entanto, de lutar pela libertação interior, permite-se arrastar mais facilmente pelo tumulto dos jogos da sensualidade, naufragando nas aspirações de enobrecimento e de cultura, de beleza e de espiritualidade, temendo perder a oportunidade que a todos é oferecida de desfrutar as facilidades e permissões morais que constituem a ordem do dia.


A estrutura psicológica do ser humano é trabalhada por mecanismos muito delicados, sofrendo os golpes violentos da ignorância, do prazer brutalizado, dos vícios inveterados.


Não suportando a alta carga de tensões que esses impositivos lhe exigem, libera conflitos e temores primitivos que estão adormecidos, desequilibrando as emoções, cujos equipamentos sutis geram distonias e depressões.


O desvario do sexo, que se tornou objeto de mercado, transformando homens e mulheres em coisas de fácil aquisição, é também instrumento de projeção social, de conquista econômica, de exaltação do ego, despertando nas mentes imaturas psicologicamente ânsias malcontidas de desejos absurdos, nele centralizando todas as aspirações, por considerá-lo indispensável ao triunfo no círculo em que se movimenta.


Incompleto, por não saber integrar os seus conteúdos psicológicos da anima à sua masculinidade e do animus à sua feminilidade, conseguindo a realização da obra-prima que lhe deve constituir meta, o ser humano deixa-se arrastar pelas imposições de um em detrimento do outro, afligindo-se sem saber por qual motivo.


Procura, então, agônico e insatisfeito, recuperação na variedade dos prazeres, identificando-se mais confuso, a um passo de transtorno sempre mais grave, qual ocorre a todo instante no organismo social e nos relacionamentos inter-pessoais.
A sombra governa-o, e ele se recusa à luz da libertação.


*
Continua...
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 14 de Janeiro de 2010, 15:27
Continuação.


O Apóstolo Paulo afirmou: Não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse eu

faço. (Romanos, 7-19.)





Nesse auto-reconhecimento, o nobre servidor do Evangelho de Jesus denunciava a

existência do seu lado escuro, impulsionando-o a atitudes que reprovava e não conseguia

impedir-se de praticar. Mediante, porém, esforço perseverante e autoconscientização da

própria fragilidade psicológica, o arauto da Era Nova conseguiu atingir a culminância do seu

apostolado, quando proclamou:


 (...) E vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim... (Gálatas, 2:20.)


Somente através da coragem para encontrar a consciência mediante uma análise tranqüila das possibilidades de que dispõe é que a criatura humana logrará liberar-se da situação conflitiva que a domina, facultando-se selecionar os valores reais daqueles ilusórios aos quais se atribui significados, mas que sempre deixam frustração e vazio existencial.



A experiência física tem objetivos bem delineados que se apresentam acima da vacuidade dos interesses imediatistas que dominam na moderna sociedade consumista. Esse seu consumismo exterior resulta dos obscuros conflitos internos que projetam para fora e para outrem sua imagem de inquietação, transferindo-a do eu profundo, como necessidade de agitação para fugir de si mesmo.



Sucede que, nessa ansiosa projeção, o ser se torna consumido pelos demais, e por sua vez, destituído dos sentimentos profundos de amor, procura consumir os outros, utilizando dos seus recursos e qualidades reais ou imaginárias para saciar a sede de prazer em que se aturde, e seguir adiante.



Não saciado, porque essas experiências somente mais afligem, surge a necessidade das extravagâncias, pelas libações alcoólicas, pelo uso de substâncias químicas alucinantes, pelas aberrações sexuais intituladas de variedades para o prazer, pela agressividade, pela violência, ou pela queda nos abismos da depressão, da loucura, do suicídio...



A única alternativa disponível, portanto, para o ser humano de hoje, qual ocorreu com o de ontem, é o mergulho interior, a autodescoberta, a conscientização da sua realidade de
Espírito imortal em viagem transitória pelo corpo, a fim de adquirir novas realizações, reparando males anteriores e conseguindo harmonia íntima, para que possa desfrutar de todas as concessões que se lhe encontram à disposição, premiando-o pelo esforço de autoconquista e autolibertação.




Naturalmente que, ao ser ativado o mecanismo de identificação do ser real, o hábito da fuga dos compromissos superiores induz à projeção, para poupar-se à dor, o que constitui um grande erro, porquanto o sofrimento se tornará ainda mais penoso.




É óbvio que somente a claridade vence as sombras, e a autoconscientização é o foco de luz direcionado à escuridão que predomina no comportamento psicológico do ser humano.




*



Jesus asseverou com propriedade ser a luz do mundo, porque a Humanidade se encontrava em profunda escuridão, qual ocorre nos dias presentes.



A Sua é a mensagem de responsabilidade pessoal perante a vida, e de serviço constante em favor de si mesmo e da coletividade.



Trazendo aos homens e mulheres o Seu exemplo de amor e de abnegação, não se propôs carregar o fardo do mundo, a fim de liberá-los de suas responsabilidades, mas ensinou a todos como conduzirem os seus problemas e angústias, solucionando-os com o amor a



Deus, a si mesmos e ao próximo, por ser esse sentimento de amor a perene luz de libertação de toda a sombra existente no mundo íntimo e na sociedade em geral.




*  *  *



Divaldo P. Franco.
Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis.
Página psicografada pelo médium Divaldo P. Franco, no dia 11 de julho de 2000, em Paramirim, Bahia. Extraído da Revista Reformador, Junho de 2001..




Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Mourarego em 15 de Janeiro de 2010, 14:10
Ola muita paz e harmonia
amiga Cravo do poeta

O Espírita

Livro: Seara de Luz
Irmão José & Carlos Baccelli

          O espírita consciente de seus deveres não desanima ante as dificuldades naturais do caminho estreito.

          Sabe que a luta é difícil, mas confia na vitória da perseverança.

          Compreendendo a tarefa que lhe cabe desempenhar na construção de um mundo novo, trabalha sem esmorecimento na seara do bem, vivenciando a fé nas menores atitudes.

          Coopera com todos, sem exigir cooperação.

          Incentiva os companheiros de ideal, certo de que cada um faz o que está ao alcance de suas possibilidades.

          Entende as suas e as limitações alheias, porquanto o Espiritismo lhe esclarece que todos somos Espíritos em evolução, ainda presos ao passado de erros exigindo resgate no presente.

          O Espírita, embora seja um homem como qualquer outro, com os mesmos anseios e aspirações, é chamado a influenciar na espiritualização das criaturas a partir do próprio exemplo.

          Valorizando o tempo que muitos desprezam, renuncia aos prazeres e facilidades terrestres, aproveitando cada minuto que lhe é concedido pela reencarnação no sentido de melhorar-se.

          Convicto sobre a transitoriedade dos bens materiais exercita o desprendimento, retendo consigo apenas aquilo de que tenha absoluta necessidade.

          Adepto da Fé Raciocinada, o espírita busca fugir a extremismos de opinião, cônscio de que o fanatismo religioso é um dos maiores entraves ao progresso da Humanidade.

          No recinto doméstico, é o servidor que se sacrifica pela felicidade dos corações amados.

          Na via pública, é o amigo da caridade, sempre vigilante de forma a não perder a oportunidade de ser útil.

          No ambiente de trabalho, é o companheiro que se faz admirado pela gentileza e pela competência.

          O espírita na instituição a que se vincula, é o irmão que não se preocupa com a disputa de cargos, mas, sim, em cumprir com alegria os encargos que lhe dizem respeito, na certeza de que "o maior no Reino dos Céus é o que se fizer na Terra o servidor de todos".

          Não critica a ninguém.

          Não agasalha a vaidade.

          Não se julga privilegiado.

          Não participa de discussões estéreis.

          Não se faz instrumento da maledicência.

          A respeito dele, escreveu Allan Kardec: "Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que empreende para domar as suas más inclinações".

          Vejamos que não se trata de exibir atestado de santidade, mas de renovar-se a cada dia nos esforços de todo instante, levantando-se das possíveis quedas e seguindo adiante, com o fardo que sustenta aos próprios ombros.

 
Pena que o próprio Baccelli se esqueceu dessa recomendação que ele mesmo psicografou...
Abraços,
Moura
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 17:25
***Boa tarde amigo Victor Passos.
Muita luz em seu coração e um otimo final de semana.***

Desejo que você seja luz no caminho das pessoas.



GRUPO EM CRISE



“Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito”. – Jesus. (João, 15:7).

           

Habitualmente, quando as tarefas de uma equipe consagrada ao serviço do bem parecem devidamente estabilizadas a crise explode.
           

Desequilibra-se o clima das boas obras e a tempestade ruge.
           

Desentendem-se irmãos na sombra da discórdia quando mais necessária se faz a luz da harmonia.
           

Edificações que se figuravam consolidadas apresentam brechas arrasadoras.
           

Todo o esquema das realizações em andamento se mostra superficialmente comprometido.
           

Afastam-se companheiros de posições importantes deixando claros difíceis de preencher.
           

Esses são os dias de exame, em que a ventania da crítica esbraveja em torno de nós, experimentando-nos a segurança da construção. E esses são, igualmente, os dias para a serenidade maior. Diante deles nada de irritação, nem desânimo.
           

Reunirmo-nos mais estreitamente uns aos outros na fidelidade ao trabalho, a fim de conjurar perigos maiores, é o nosso dever.
           

Urge consertar a máquina de ação, como pudermos, dentro de todos os recursos lícitos, à maneira dos ferroviários que restauram a locomotiva descarrilada e, depois de colocá-la em condições de serviços nos trilhos justos, seguir para frente.
           

Nem acusações, nem lamentos.
           

Trabalhar com mais ardor, esquecendo o mal e relembrando o bem.
           

Restabelecer a união e avançar adiante.
           

Compreender que as horas para a fé não são aquelas do Sol rutilando no firmamento azul, mas, precisamente, aquelas outras em que as nuvens despejam ameaças de algum lugar do céu.
           

Todos encontramos dificuldades no caminho em que transitamos.
           

Sempre que chamados a servir é forçoso recordar que estamos carregando encargos que a Divina Providência nos confiou, no bem de todos.


E, cuidando de satisfazer os Desígnios de Deus, sejam quais forem os riscos e tropeços com que sejamos defrontados, estejamos convencidos de que Deus cuidará de nós.



Francisco Cândido Xavier por Emmanuel.

In: Segue-me!...

texto recebido de Cristiano de Almeida




" O MUNDO PRECISA DE AMOR "
************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 17:38
***Boa tarde meu querido amigo Victor Passos.



Muita luz para ti.
************



Kardec e vida




Kardequização do sentimento :       equilíbrio

Kardequização do raciocínio :               visão

Kardequização da ciência :               humanidade

Kardequização da filosofia :               discernimento

Kardequização da fé :                       racionalidade

Kardequização da inteligência :       orientação

Kardequização do estudo :               esclarecimento

Kardequização do trabalho :               organização

Kardequização do serviço :               eficiência

Kardequização das relações :               sinceridade

Kardequização do progresso :               elevação

Kardequização da liberdade :               disciplina

Kardequização do lar :                       harmonia

Kardequização do debate :               proveito

Kardequização do sexo :               responsabilidade

Kardequização da personalidade :        autocrítica

Kardequização da corrigenda :       compreensão

Kardequização da existência :               caridade



Kardequizemos para evoluir com acerto à frente do Cristo de Deus.



 A Terra é nossa escola milenária e, em suas classes múltiplas, somos companheiros uns

dos outros.



Kardequizarmo-nos na carteira de obrigações a que estamos transitoriamente jungidos é a

fórmula ideal de ascensão.



Estudemos e trabalhemos sempre.


*  *  *

Bezerra de Menezes

[Página psicografada por Francisco Cândido Xavier]

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 17:55
***Boa tarde amigo Victor Passos


Lucas  6 



1 E sucedeu que, num dia de sábado, passava Jesus pelas searas; e seus discípulos iam colhendo espigas e, debulhando-as com as mãos, as comiam.


2 Alguns dos fariseus, porém, perguntaram; Por que estais fazendo o que não é lícito fazer nos sábados?


3 E Jesus, respondendo-lhes, disse: Nem ao menos tendes lido o que fez Davi quando teve fome, ele e seus companheiros?


4 Como entrou na casa de Deus, tomou os pães da proposição, dos quais não era lícito comer senão só aos sacerdotes, e deles comeu e deu também aos companheiros?


5 Também lhes disse: O Filho do homem é Senhor do sábado.


6 Ainda em outro sábado entrou na sinagoga, e pôs-se a ensinar. Estava ali um homem que tinha a mão direita atrofiada.


7 E os escribas e os fariseus observavam-no, para ver se curaria em dia de sábado, para acharem de que o acusar.


8 Mas ele, conhecendo-lhes os pensamentos, disse ao homem que tinha a mão atrofiada: Levanta-te, e fica em pé aqui no maio. E ele, levantando-se, ficou em pé.


9 Disse-lhes, então, Jesus: Eu vos pergunto: É lícito no sábado fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou tirá-la?


10 E olhando para todos em redor, disse ao homem: Estende a tua mão. Ele assim o fez, e a mão lhe foi restabelecida.


11 Mas eles se encheram de furor; e uns com os outros conferenciam sobre o que fariam a Jesus.


12 Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar; e passou a noite toda em oração a Deus.


13 Depois do amanhecer, chamou seus discípulos, e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos:


14 Simão, ao qual também chamou Pedro, e André, seu irmão; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu;


15 Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelote;


16 Judas, filho de Tiago; e Judas Iscariotes, que veio a ser o traidor.


17 E Jesus, descendo com eles, parou num lugar plano, onde havia não só grande número de seus discípulos, mas também grande multidão do povo, de toda a Judéia e Jerusalém, e do litoral de Tiro e de Sidom, que tinham vindo para ouvi-lo e serem curados das suas doenças;


18 e os que eram atormentados por espíritos imundos ficavam curados.


19 E toda a multidão procurava tocar-lhe; porque saía dele poder que curava a todos.


20 Então, levantando ele os olhos para os seus discípulos, dizia: Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus.


21 Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis fartos. Bem-aventurados vós, que agora chorais, porque haveis de rir.


22 Bem-aventurados sereis quando os homens vos odiarem, e quando vos expulsarem da sua companhia, e vos injuriarem, e rejeitarem o vosso nome como indigno, por causa do Filho do homem.


23 Regozijai-vos nesse dia e exultai, porque eis que é grande o vosso galardão no céu; pois assim faziam os seus pais aos profetas.


24 Mas ai de vós que sois ricos! porque já recebestes a vossa consolação.


25 Ai de vós, os que agora estais fartos! porque tereis fome. Ai de vós, os que agora rides! porque vos lamentareis e chorareis.



Continuação


Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 17:57
Continuação.

Lucas 6


26 Ai de vós, quando todos os homens vos louvarem! porque assim faziam os seus pais aos falsos profetas.

27 Mas a vós que ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam,

28 bendizei aos que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam.

29 Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, não lhe negues também a túnica.

30 Dá a todo o que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho reclames.

31 Assim como quereis que os homens vos façam, do mesmo modo lhes fazei vós também.

32 Se amardes aos que vos amam, que mérito há nisso? Pois também os pecadores amam aos que os amam.

33 E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que mérito há nisso? Também os pecadores fazem o mesmo.

34 E se emprestardes àqueles de quem esperais receber, que mérito há nisso? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para receberem outro tanto.

35 Amai, porém a vossos inimigos, fazei bem e emprestai, nunca desanimado; e grande será a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os integrantes e maus.

36 Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso.

37 Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados.

38 Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos deitarão no regaço; porque com a mesma medida com que medis, vos medirão a vós.

39 E propôs-lhes também uma parábola: Pode porventura um cego guiar outro cego? não cairão ambos no barranco?

40 Não é o discípulo mais do que o seu mestre; mas todo o que for bem instruído será como o seu mestre.

41 Por que vês o argueiro no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho?

42 Ou como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o argueiro que está no teu olho, não vendo tu mesmo a trave que está no teu? Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão.

43 Porque não há árvore boa que dê mau fruto nem tampouco árvore má que dê bom fruto.

44 Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois dos espinheiros não se colhem figos, nem dos abrolhos se vindimam uvas.

45 O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, do seu mau tesouro tira o mal; pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.

46 E por que me chamais: Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos digo?

47 Todo aquele que vem a mim, e ouve as minhas palavras, e as pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante:

48 É semelhante ao homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala, e pôs os alicerces sobre a rocha; e vindo a enchente, bateu com ímpeto a torrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque tinha sido bem edificada.

49 Mas o que ouve e não pratica é semelhante a um homem que edificou uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a torrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa.

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 18:07
***Boa tarde amigo Victor Passos.


Coração Afável


Livro: Florações Evangélicas


Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco


A complexidade da vida moderna parece conspirar contra a tua paz interior e,

maquinalmente conduzido pela multifária engrenagem, sentes verdadeira conjuração dos

fatores que conseguem, por fim, sulcar a tua face com os sinais da intranqüilidade, da

revolta, do azedume.



Não obstante o conforto que deriva das facilidades ao acesso de grande parte dos homens,

experimentas séries conjunturas afligentes que te molestam, solapando os alicerces da tua

estrutura emocional.



Todavia, se te permitires ligeira análise das possibilidades que fluem ao teu alcance,

modificarás as disposições negativas e te renovarás.



Enseja-te um coração afável!.


Experimenta aplicar esses valores desconsiderados que são a palavra gentil, o gesto

simpático, o sorriso delicado, a paciência generosa, e fortunas de verdadeira alegria

espalharão moedas de bem-estar através de ti, envolvendo-te, também num halo de

felicidade interior.



Francisco de Assis, embora enfermo e asceta, caminhando por sendas de cruas

dificuldades, conseguia cantar as belezas da "irmã natureza", dos "irmãos animais",

dos "irmãos pássaros"...



Helena Keller, conquanto limitada pela surdez, pela cegueira e pela mudez, pôde exaltar a

beleza das paisagens, a claridade das manhãs, a fragrância das flores, fazendo da

existência um hino de louvor à vida...



Gandhi, apesar de dispor de vastos recursos para o triunfo mundano, abraçou a causa da

"não-violência" e deu-se integralmente aos aflitos e necessitados em constantes

recitativos de amor à vida e abnegação pela vida.



Corações afáveis!


Continua...
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 18:45
Continuação.





Quantas oportunidades desperdiças de semear júbilos fora e dentro de ti mesmo, porque

insignificante problema toldou a luz do teu amanhecer, ou irritação por coisa de monta

insignificante produziu um mal-estar na execução do teu programa?! Lutaste para

conservar a mágoa, disputando a tarefa de parecer e ser infeliz, esquecendo as fartas

concessões que o teu coração, tornado afável, poderia conseguir!




Simplifica o teu roteiro de ação, dilata a visão do bem no panorama das tuas horas, e com o preço mínimo de um sorriso considera a coleta de júbilos que dele de deriva e que poderás colher.




Jesus, dilatando o seu coração afável, contou as mais belas hipérboles e hipérbatos,

parábolas e poema que o homem jamais escutou. Um grão de mostarda, uma moeda

insignificante, algumas varas, uma pérola luminosa, peixes e redes, talentos e sementes

receberam da sua afabilidade um toque especial de beleza que comoveram, a princípio

petulante e douto, um cobrador de impostos rejeitado, jovens homens da terra e velhos

marujos decididos, sensibilizando, depois, incontáveis corações para como eles inaugurar

um reino diferente de amor, que até hoje é a mais fascinante história da Humanidade.


Começa, desse modo, desde agora, a experiência de manter um coração afável, disseminando bênçãos.


"Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus". (Mateus: 5-8.)


"A pureza do coração é inseparável da simplicidade e da humildade. Exclui toda idéia de egoísmo e de orgulho". Evangelho segundo o Espiritismo - Cap.VIII - Item 3.


 


Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 18:52
***Boa tarde meu amigo Victor Passos.


Ajude Sempre


Diante da noite, não acuse as trevas. Aprenda a fazer lume.


*
Em vão condenará você o pântano. Ajude-o a purificar-se.


*
No caminho pedregoso, não atire calhaus nos outros. Transforme os calhaus em obras úteis.


*
Não amaldiçoe o vozerio alheio. Ensine alguma lição proveitosa, com o silêncio.


*
Não adote a incerteza, perante as situações difíceis. Enfrente-as com a consciência limpa.


*
Debalde censurará você o espinheiro. Remova-o com bondade.


*
Não critique o terreno sáfaro. Ao invés disso, dê-lhe adubo.


*
Não pronuncie más palavras contra o deserto. Auxilie a cavar um poço sob a areia escaldante.


*
Não é vantagem desaprovar onde todos desaprovaram. Ampare o seu irmão com a boa palavra.


*
É sempre fácil observar o mal e identificá-lo. Entretanto, o que o Cristo espera de nós outros é a descoberta e o cultivo do bem para que o Divino Amor seja glorificado.


* * *
Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Agenda Cristã.
Ditado pelo Espírito André Luiz.
Edição de Bolso. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 19:05
***Boa tarde meu amigo Victor Passos.



Jesus, O Incomparável



Vencendo os milênios que nos separam do Seu berço, ninguém que se Lhe equipare ou sequer apresente as características que O assinalaram.


Havendo nascido em um recinto modesto e quase desprezível, transformou-o num esplêndido reduto de luzes e de harmonias gloriosas.


Residindo mais tarde em uma aldeia desconhecida, tornou-a imortal na História, na literatura e na memória dos tempos.


Convivendo com as pessoas do Seu pequeno burgo, evitou destacar-se, mantendo-se simples e de relacionamento afável, de forma a não os perturbar ou provocar celeuma antes do momento.


Fiel servidor das Divinas Leis, trabalhou na pequena carpintaria do pai sem alarde ou demonstração inoportuna de superioridade.


Conhecendo a tarefa para a qual viera, não se precipitou, tampouco postergou a hora em que se deveria desvelar.


E o fez de maneira natural, sem alarde nem provocação, quando tomou do texto de Isaías, inserto no Testamento Antigo e, em plena sinagoga, interpretou-o com inusitada acuidade, deixando-se identificar como o Messias.


Compreendeu a reação de surpresa dos Seus coevos e familiares que, tomados de espanto e ira, atiraram-se contra Ele, ameaçando-O de morte.



1 continua...
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 19:12
Continuação...




Mas não reagiu, nem os agrediu com palavras ou ações que desmentissem o

Seu ministério de amor, quando predominavam as sombras da ignorância e

da perversidade. Sem qualquer acusação, deixou aqueles sítios e partiu para

a gentil Galiléia, onde as almas simples e desataviadas, sedentas de paz,

cansadas de sofrimentos e humilhações, anelavam pela oportunidade de

serem livres do jugo cruel da servidão e realmente felizes. Entre os pobres

e desafortunados, os sofredores e puros de coração, entoou o Seu hino de

amor à Vida como dantes jamais alguém o fizera, e depois nunca mais se

repetiria.





 A Sua canção de misericórdia e de ação temperada pela sabedoria

arrebatou as gentes de todos aqueles rincões, que abririam espaço para se

alargarem pelas terras do futuro, dando início à Era da fraternidade que,

embora ainda não vivida, já se encontra instalada desde aqueles

inesquecíveis momentos. A Sua revolução diferiu de todas as que a

precederam e a sucederiam, porquanto, tratava-se de lutas contínuas nas

paisagens do coração contra as más inclinações, as tendências primárias e

as heranças asselvajadas do período primitivo. Amando a todos sem

distinção, até mesmo àqueles que obstinadamente O perseguiam e tentavam

malsinar-Lhe as horas, Jesus permaneceu incomparável, ensinando

compaixão e ternura, trabalho e confança irrestrita em Deus. Ninguém

jamais se Lhe equipararia!



2
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 19:19
Continuação...





Os grandes gênios da fé que O precederam e os nobres missionários do


amor que O sucederam foram, respectivamente, Seus mensageiros que Lhe


deveriam preparar o advento e continuadores insistindo na preservação dos




Seus ensinamentos e atitudes.





Esse homem nascido em Belém e morador


em Nazaré, dividiu os fastos históricos, assinalando a Sua trajetória com os


incomparáveis testemunhos da Sua elevação. 





Quando provocado pelo


farisaísmo compreendia a fúria do despeito e da mesquinhez humana,


lamentando o atraso moral daqueles que se Lhe apresentavam como


adversários.



Admoestava-os e esclarecia-os, embora eles não desejassem


respostas honestas, porque os seus eram os objetivos perversos...





Visitado pelo sofrimento dos indivíduos e das massas, não obstante sabendo da


transitoriedade do corpo físico, renovava os enfermos e curava-lhes as


mazelas, advertindo-os quanto aos valores imperecíveis do Espírito.



3 continua...

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 19:27
Continuação...


Acusado de atitudes que se chocavam contra a Lei e os Profetas, informava

que não os veio combater, mas vitalizá-los e dar-lhes

cumprimento.


Tentado pela hipocrisia e envolvido nas malhas das

insensatas ciladas, destrinchava os fios envolventes e devolvia-os aos

sistemáticos perseguidores.



Jamais se escusou aos enfrentamentos promovidos pela perversidade dos pigmeus morais,

mesmo conhecendo-lhes as artimanhas e propósitos nefastos.



Também nunca se recusou a esclarecer qual era a Sua tarefa e quais as bases da Sua

revolução, estruturadas no amor a Deus, ao próximo e a si mesmo.   



Nunca desmentiu os postulados propostos nos Seus sermões, mediante uma conduta

dúbia ante as ameaças e malquerenças que se Lhe apresentavam a cada

momento.



Resistiu a todos os tipos de tentação na Sua humanidade, avançando

sempre no rumo do holocausto sem qualquer tipo de revolta ou de

insegurança quanto aos valores esposados e divulgados. Profundo

conhecedor da psicologia humana, jamais se utilizou desse recurso

incomum para humilhar ou submeter quem quer que fosse ao Seu

ministério.



4 continua...

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 15 de Janeiro de 2010, 19:34
Ola muiyta paz Amiga Cravo do poeta


Êxitos e Fracassos


Livro: Conviver e Melhorar - 27
Batuíra & Francisco do Espírito Santo Neto


                “Outrora ele te foi inútil mas doravante será muito útil a ti, como se tornou para mim.” (Filemon 11)

          O apóstolo Paulo sabia que, no futuro, se poderiam extrair coisas úteis de coisas aparentemente inúteis.

          O fracasso ajuda a gerar o êxito. Aceitemos nossas perdas e jamais desanimemos ante o serviço do bem.

          É imperioso valorizarmos tanto a escassez como a abundân­cia, tanto o erro como o acerto, pois sempre é possível aprender alguma coisa em qualquer situação.

          Quando doamos nossa boa von­tade e nossa melhor intenção e fracassamos, imediatamente deve­mos nos perguntar: o que a Divina Providência está me ensinando? O verdadeiro insucesso reside em não tirarmos o devido proveito dos fatos para nosso desenvolvimento espiritual.

          Êxito e derrota são duas bandejas que retêm matérias-primas diferentes, mas que nos conduzem ao mesmo legado sublime - o aprendizado. A humanidade precipitada, entretanto, identifica na primeira o manjar mavioso da vitória e na segunda experimenta o ali­mento insalubre da derrota. Erros têm muito a nos ensinar. Eles nos propiciam ocasiões marcantes para o crescimento interior.

          Todos aqueles que se encontram ajustados ao entendimento das leis divinas passarão a dar igual importância aos acertos e de­sacertos e usá-los em prol dos empreendimentos idealizados. O sábio aprendeu que o êxito do hoje muitas vezes foi a ruína do ontem, e onde vacilamos agora, amanhã deslancharemos.

          Em nossos compromissos com a administração do grupo espírita, não devemos sublinhar os fracassos dos outros e os nos­sos, mas avaliá-los como proveitosas experiências adquiridas. Certos projetos poderão não ter alcançado o resultado que gosta­ríamos que tivessem, contudo o revés indubitavelmente nos colo­cará um pouco mais perto do sucesso.

          Se criticarmos impiedosamente os colaboradores respon­sáveis por um fracasso em alguma empreitada de assistência ou de organização interna, esperemos duas prováveis conseqüências: a intensificação do sentimento de vergonha, frustração e embaraço; ou a hesitação, inibição e resistência em tentar algo novo, ou a continuidade da mesma tarefa.

          Ante as crises e desajustes da equipe, encorajemos os companheiros do labor espírita, exaltemos os aspectos positivos do esforço mal sucedido e incentivemos todos a avançar sem es­morecimento. Adicionemos mais trabalho às nossas já existentes incumbências, e Deus nos abrirá nova caminhada de acesso ao refazimento.

          Como dirigentes, podemos vir a ser classificados mais como críticos do que orientadores, mais como condenadores do que socorristas. Podemos vir a adotar uma postura que afastará as pes­soas, evitando que nos procurem para relatar seus desenganos e pedir-nos aconselhamento. Na tentativa de se protegerem contra nossas críticas, se fecharão completamente.

          Devemos dar todo o apoio e crédito aos que tentaram e não alcançaram êxito, pois a grande maioria nem ao menos lança as mãos no empreendimento, e tem medo só de tentar.

          Diante de quaisquer desafios ou reveses esbocemos um sorriso esperançoso e promissor, e sigamos avante contando com as bênçãos do mais Alto.

          Entendemos que o orientador não pode conduzir-se como um cego perante as coisas negativas, desviando constantemente os olhos dos fracassos e das atitudes errôneas. Quando tiver que lidar com o insucesso ou opinar sobre ele, deverá enfatizar ao grupo o lado positivo, ou seja, o ensinamento que se esconde por trás da­quela ocorrência infeliz.

          Portanto, a mensagem é: na presença de tempestades e aflições, de ventanias e fracassos, trabalhemos servindo sempre, porque em todo tempo ou em qualquer situação a atitude certa é a positividade.

          A destreza de extrair o bem do aparente mal vai gerar uma excelsa substância, à feição de tesouro valioso, que energizará os trabalhadores do Evangelho, conduzindo-os ao dever bem cum­prido e às excelências da edificação do reino dos céus na Terra.
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 19:40
Continuação...





Pelo contrário, dele se utilizava para identificar as causas transatas



geradoras dos sofrimentos que os aturdiam e para aplicar a terapêutica mais



conveniente em relação aos múltiplos distúrbios que os



afligiam. Perfeitamente identificado com Deus, não fingiu ser-Lhe igual e



jamais se Lhe equiparou, informando sempre ser o Filho, o Embaixador, o



Caminho para a Verdade e para a Vida... Confundido com os profetas que



O precederam, revelou a própria procedência, informando que aqueles que



vieram antes realizaram o seu mister com elevação, mas a Sua era a



confirmação de tudo quanto ensinaram no seu tempo. Incomparável, Jesus,



o Homem libertador de todos os homens e mulheres!




* * *




A humanidade sempre recebeu no transcurso da História guias admiráveis,


que vieram iluminar as sombras dominantes. Em cada povo e em todos os


tempos surgiram missionários incomuns, que demonstraram a vacuidade da


vida física e a perenidade do ser espiritual, convidando à reflexão e à


conquista da liberdade total. Alguns tiveram a existência assinalada por


muitos conflitos antes da revelação que os transformou; outros sentiram o


impulso interno e romperam com os preconceitos e condicionamentos


existentes, trazendo o conhecimento e a vivência do dever como essenciais,


à conquista da paz.   Diversos se imolaram em testemunho do que


ensinavam, mas só Jesus é o Modelo e Guia nunca ultrapassado ou sequer


igualado. 





Havendo chegado à Terra na condição de Espírito puro, por

haver realizado o Seu processo de evolução em outra dimensão, permanece

como o Homem incomparável para conduzir a humanidade na direção do

inefável amor de Deus.

   



Joanna de Ângelis –
 Nascente de Bênçãos


5 Fim


Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 19:51
***Boa tarde, meu querido amigo deixo uma pre para ti.



ORAÇÃO



Glorioso São Francisco, Santo da simplicidade, do amor e da alegria.

No céu contemplais as perfeições infinitas de Deus.

Lançai sobre nós o vosso olhar cheio de bondade.

Socorrei-nos em nossas necessidades espirituais e corporais.


Rogai ao nosso Pai e Criador que nos conceda as graças que pedimos por vossa

intercessão, vós que sempre fostes tão amigo dele.


E inflamai o nosso coração de amor sempre maior a Deus e aos nossos irmãos,

principalmente os mais necessitados.


São Francisco de Assis, rogai por nós. Amém.




ORAÇÃO DA PAZ -



Senhor! Fazei de mim um instrumento da vossa paz.

Onde houver ódio, que eu leve o amor.

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.

Onde houver discórdia, que eu leve a união.

Onde houver dúvidas, que eu leve a fé.

Onde houver erro, que eu leve a verdade.

Onde houver desespero, que eu leve a esperança.

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.

Onde houver trevas, que eu leve a luz.




Ó Mestre, fazei que eu procure mais:


consolar, que ser consolado;


compreender, que ser compreendido;


amar, que ser amado.


Pois é dando que se recebe.


É perdoando que se é perdoado.


E é morrendo que se vive para a vida eterna.


Amém.



 
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 19:59
***Boa tarde amigo Victor Passos.




A Bênção do Trabalho




É pela bênção do trabalho que podemos esquecer os pensamentos que nos perturbam,

olvidar os assuntos amargos, servindo ao próximo, no enriquecimento de nós mesmos.


Com o trabalho, melhoramos nossa casa e engrandecemos o trecho de terra onde a


Providência Divina nos situou.


Ocupando a mente, o coração e os braços nas tarefas do bem, exemplificamos a

verdadeira fraternidade e adquirimos o tesouro da simpatia, com o qual angariaremos o

respeito e a cooperação dos outros.


Quem não sabe ser útil não corresponde à Bondade do Céu, não atende aos seus justos

deveres para com a humanidade e nem retribui a dignidade da pátria amorosa que lhe serve

de mãe.

O trabalho é uma instituição de Deus.


SENDA DE PERFEIÇÃO


Quem move as mãos no serviço,

Foge à treva e à tentação.

Trabalho de cada dia

É senda de perfeição.


*  *  *


Meimei

(Mensagem do livro "Pai Nosso",

recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier -

 Edição FEB.)
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 15 de Janeiro de 2010, 20:03
***Boa tarde amigo Victor Passos.

Deixo mais uma prece para ti.



Prece de Cáritas


DEUS nosso Pai, vós que sois todo poder e bondade,


Dai a força àquele que passa pela provação,


Dai a luz àquele que procura a verdade,


Ponde no coração do homem a compaixão e a caridade.


DEUS, dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolação,

ao doente o repouso.


PAI, dai ao culpado o arrependimento,ao Espírito a verdade,

à criança o guia,ao orfão o pai.
SENHOR, que a Vossa bondade se estenda sobre tudo que criaste.


Piedade, Senhor, para aqueles que não vos conhecem,


Esperança para aqueles que sofrem.


Que a Vossa bondade permita aos Espíritos consoladores


Derramem por toda parte a paz, a esperança e a fé.


DEUS, um raio, uma faísca do vosso amor pode abrasar a Terra.


Deixa-nos beber nas fontes desta bondade fecunda e infinita

e todas as lágrimas secarão, todas as dores acalmar-se-ão.


Um só coração, um só pensamento subirá até Vós,


Como um grito de reconhecimento e de amor.


Como Moisés sobre a montanha, nós lhe esperamos com os braços abertos


Oh, bondade! Oh beleza! Oh perfeição!


E queremos de alguma sorte alcançar Vossa misericódia.


DEUS,


Dái-nos a força de ajudar o progresso a fim de subirmos até Vós.


Dái-nos a caridade pura.


Dái-nos a fé e a razão.


Dái-nos a simplicidade, que fará de nossas almas


Um espelho onde se reflitirá a Vossa santa e misericordiosa imagem.



Amém!

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 15 de Janeiro de 2010, 20:07
Ola muita paz Cravo do Poeta

O Bem que pode ser feito

Fonte: Amanhece
André Luiz & Francisco Cândido Xavier

          Anote quanto auxílio poderá você prestar ainda hoje.

          Em casa, pense no valor desse ou daquele gesto de cooperação e carinho.

          No relacionamento comum, faça a gentileza que alguém esteja aguardando conforme a sua palavra.

          No grupo de trabalho, ouça com bondade a frase menos feliz sem passá-la adiante.

          Ofereça apoio e compreensão ao colega em dificuldade.

          Estimule o serviço com expressões de louvor.

          Quando puder, procure resolver os problemas sem alardear seu esforço.

          Em qualquer lugar, pratique a boa influência.

          Desculpe falhas alheias, consciente de que você também pode errar.

          Observe quanto auxílio poderá você desenvolver ao trânsito, respeitando sinais.

          Acrescente paz e reconforto à dádiva que fizer.

          Evite gritar para não chocar a quem ouve.

          Pague a sua pequena prestação de serviço à comunidade, conservando a limpeza onde passe.

          Sobretudo mostre simpatia e reconhecerá que o seu sorriso, em favor dos outros, é sempre uma chave de luz para que você encontre novas bênçãos de Deus.

Muita Paz
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 16 de Janeiro de 2010, 14:12
***Boa tarde amigo.



QUEM LÊ, ATENDA



"Quem lê, atenda." - Jesus. (MATEUS, 24:15.)


Assim como as criaturas, em geral, converteram as produções sagradas da Terra
em objeto de perversão dos sentidos, movimento análogo se verifica no mundo, com
referência aos frutos do pensamento.


Freqüentemente as mais santas leituras são tomadas à conta de tempero emotivo,
destinado às sensações renovadas que condigam com o recreio pernicioso ou com a
indiferença pelas obrigações mais justas.


Raríssimos são os leitores que buscam a realidade da vida.


O próprio Evangelho tem sido para os imprevidentes e levianos vasto campo de
observações pouco dignas.


Quantos olhos passam por ele, apressados e inquietos, anotando deficiências da
letra ou catalogando possíveis equívocos, a fim de espalharem sensacionalismo e
perturbação?


Alinham, com avidez, as contradições aparentes e tocam a malbaratar, com
enorme desprezo pelo trabalho alheio, as plantas tenras e dadivosas da fé renovadora.


A recomendação de Jesus, no entanto, é infinitamente expressiva.


É razoável que a leitura do homem ignorante e animalizado represente conjunto de
ignominiosas brincadeiras, mas o espírito de religiosidade precisa penetrar a leitura séria,
com real atitude de elevação.


O problema do discípulo do Evangelho não é o de ler para alcançar novidades
emotivas ou conhecer a Escritura para transformá-la em arena de esgrima intelectual, mas,
o de ler para atender a Deus, cumprindo-lhe a Divina Vontade.



Livro: Vinha de Luz
Psicografado por Francisco Cândido Xavier
Ditado pelo espírito: Emmanuel



Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 18 de Janeiro de 2010, 09:50
ola muita paz Amiga

Aprender a Perdoar

Livro: Renovando Atitudes
Hammed & Francisco do Espírito Santo Neto

          O ser humano, muito das vezes, confunde o "ato de perdoar" com a negação dos próprios sentimentos, emoções e anseios, reprimindo mágoas e usando supostamente o "perdão" como desculpa para fugir da realidade que, se assumida, poderia como conseqüência alterar uma vida de relacionamento.

          Uma das ferramentas básicas para alcançar-nos o perdão real é mantermos a uma certa "distância psíquica" da pessoa-problema, ou das discussões, bem como dos diálogos mentais que giram de modo constante no nosso psiquismo, porque estamos engajados emocionalmente nesses envolvimentos neuróticos.

          Ao desprendermo-nos mentalmente, passamos a usar de modo construtivo os poderes do nosso pensamento, evitando os "deveria ter falado ou agido" e eliminando de nossa produção imaginativa os acontecimentos infelizes e destrutivos que ocorreram conosco.


       

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: JT em 18 de Janeiro de 2010, 11:27
Olá,

O mundo Terra está como está, porque o Ministro Espiritual responsável pela migração, está a permitir que imigrem para a Terra espíritos mais atrasados e por isso o ambiente na Terra está de cortar à faca.

EU: Caramba JT de ode você tirou esta idéia? é piada?

Os espíritos que cá andam, não são os mesmos que estavam há 2000 anos. Por isso, nada de tirar conclusões precipitadas.
EU: E quem te disse com tanta certeza que não são os mesmos?



João Trigueiros

Olha lá Moura, Há 2000 anos havia tanta gente encarnada como há hoje?

Cumprimentos
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 12:26
***Bom dia.


Silêncio Necessário


O silêncio faz grande falta na civilização contemporânea.


Fala-se em demasia, e, por conseguinte, fala-se do que se não deve, se não sabe, não convém, apenas pelo hábito de falar.


Na falta de um assunto edificante, ou com indiferença para com ele, utilizam-se de temas

negativos, prejudiciais ou sórdidos, envilecendo a própria alma, enxovalhando o próximo e

consumindo-se energias valiosas.


Há uma preocupação muito excessiva em falar, opinar, mesmo quando se desconhece a

questão.


Parece de bom-tom a postura de referir-se a tudo, de tudo estar a par.


Aumenta, assim, a maledicência, confundem-se as opiniões, entorpecem-se os conteúdos

morais das palavras.


Se cada pessoa falasse apenas o necessário e no momento oportuno, haveria um salutar silêncio na Terra.


*


Faze silêncio diante de observações pejorativas, de assuntos prejudiciais, matando, ao

surgir, a informação malsã.


Quando te tragam opiniões infelizes, reclamações, queixas que põem mal diante de ti o

ausente, seja ele quem for, não te deixes contaminar pelo morbo da palavra insensata.


Há pessoas que se autonomeiam fiscais do próximo e não se detêm a examinar a conduta,

deste modo, reprochável.


Raramente, falam bem, referem-se ao lado bom das pessoas e dos acontecimentos.


*


Porque não era visível a antiga face oculta da lua, isto dava margem às mais variadas

conjecturas, sempre exageradas, fantasistas.



Todas as pessoas possuem o seu lado oculto, certamente negativo em umas, quanto

admirável noutras.



A observação sob alta dose de má vontade, apenas vê o que quer e fala o de que gosta.


*


Não opines mal a respeito de ninguém, mesmo que o outro mereça.


Tampouco, te deixes emaranhar pelos que falam mal do próximo.


Eles terminarão por submeter-te à opinião que lhes apraz, armando-te contra aqueles com

quem não simpatizam.


continua.
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 12:28
Continuação




Falar bem ou mal é um hábito.



Quando as referências são acusadoras, levam a alma da vítima à morte, porém suicida-se



também, aquele que sempre aponta o erro.


*


Usa o silêncio necessário.



Não a mudez caprichosa, vingadora. Mas a discreta atitude de quietação e respeito.



O silêncio faz bem àquele que o conserva.



Jesus calou muito mais do que falou. Os Seus silêncios sábios são o atestado mais



expressivo do Seu amor pela humanidade.




Pensa nEle, quando chamado a falar intensamente e imita-O.




Franco, Divaldo Pereira.

Da obra: Momentos de Coragem.

Ditado pelo Espírito Joanna de

Ângelis. Salvador, BA: LEAL. 1988.



Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 12:38
***Bom dia amigo.




NO REINO INTERIOR




"Sigamos, pois, as coisas que contribuem para a paz e para a edificação de uns

para com os outros." - Paulo. (ROMANOS, 14:19.)


Não podemos esperar, por enquanto, que o Evangelho de Jesus obtenha vitória

imediata no espírito dos povos. A influência dele é manifesta no mundo, em todas as

coletividades; entretanto, em nos referindo às massas humanas, somos compelidos a

verificar que toda transformação é vagarosa e difícil.


Não acontece o mesmo, porém, na esfera particular do discípulo. Cada espírito

possui o seu reino de sentimentos e raciocínios, ações e reações, possibilidades e

tendências, pensamentos e criações.


Nesse plano, o ensino evangélico pode exteriorizar-se em obras imediatas.


Bastará que o aprendiz se afeiçoe ao Mestre.


Enquanto o trabalhador espia questões do mundo externo, o serviço estará

perturbado. De igual maneira, se o discípulo não atende às diretrizes que servem à paz

edificante, no lugar onde permanece, e se não aproveita os recursos em mão para

concretizar a verdadeira fraternidade, seu reino interno estará dividido e atormentado, sob

a tormenta forte.


Não nos entreguemos, portanto, ao desequilíbrio de forças em homenagens ao

mal, através de comentários alusivos à deficiência de muitos dos nossos irmãos, cujo

barco ainda não aportou à praia do justo entendimento.


O caminho é infinito e o Pai vela por todos.


Auxiliemos e edifiquemos.


Se és discípulo do Senhor, aproveita a oportunidade na construção do bem.


Semeando paz, colherás harmonia; santificando as horas com o Cristo,

jamais conhecerás o desamparo.



Livro: Vinha de Luz
Psicografado por Francisco Cândido Xavier
Ditado pelo espírito: Emmanuel

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 13:15
***Bom dia amigo.



FACCIOSISMO



"Mas se tendes amarga inveja e sentimento faccioso, em vosso coração, não vos

glorieis nem mintais contra a verdade." - (TIAGO, 3:14.)


Toda escola religiosa apresenta valores inconfundíveis ao homem de boa-vontade.


Não obstante os abusos do sacerdócio, a exploração inferior do elemento humano

e as fantasias do culto exterior, o coração sincero beneficiar-se-á amplamente, na fonte

da fé, iluminando-se para encontrar a Consciência Divina em si mesmo.


Mas, em todo instituto religioso, propriamente humano, há que evitar um perigo –

o sentimento faccioso, que adia, indefinidamente, as mais sublimes edificações

espirituais.


Católicos, protestantes, espiritistas, todos eles se movimentam, ameaçados pelo

monstro da separação, como se o pensamento religioso traduzisse fermento da

discórdia.


Infelizmente, é muito grande o número de orientadores encarnados que se deixam

dominar por suas garras perturbadoras. Espessos obstáculos impedem a visão da

maioria.


Querem todos que Deus lhes pertença, mas não cogitam de pertencer a Deus.


Que todo aprendiz do Cristo esteja preparado a resistir ao mal; é imprescindível,

porém, que compreenda a paternidade divina por sagrada herança de todas as criaturas,

reconhecendo que, na Casa do Pai, a única diferença entre os homens é a que se mede

pelo esforço nobre de cada um.



Livro: Vinha de Luz
Psicografado por Francisco Cândido Xavier
Ditado pelo espírito: Emmanuel


Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 13:20
***Bom dia amigo.


SABER COMO CONVÉM



"E se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber." -


Paulo. (I CORÍNTIOS, 8:2.)



A civilização sempre cuida saber excessivamente, mas, em tempo algum, soube

como convém saber.



É por isto que, ainda agora, o avião bombardeia, o rádio transmite a mentira e a

morte, e o combustível alimenta maquinaria de agressão.



Assim também, na esfera individual, o homem apenas cogita saber, esquecendo

que é indispensável saber como convém.



Em nossas atividades evangélicas, toda a atenção é necessária ao êxito na tarefa

que nos foi cometida.



Aprendizes do Evangelho existem que pretendem guardar toda a revelação do Céu,

para impô-la aos vizinhos; que se presumem de posse da humildade, para tiranizarem os

outros; que se declaram pacientes, irritando a quem os ouve; que se afirmam crentes,

confundindo a fé alheia; que exibem títulos de benemerência, olvidando comezinhas

obrigações domésticas.




Esses amigos, principalmente, são daqueles que cuidam saber sem saberem de

fato.



Os que conhecem espiritualmente as situações ajudam sem ofender, melhoram

sem ferir, esclarecem sem perturbar. Sabem como convém saber e aprenderam a ser

úteis.



Usam o silêncio e a palavra, localizam o bem e o mal, identificam a sombra e a luz e

distribuem com todos os dons do Cristo.



Informam-se quanto à Fonte da Eterna  Sabedoria e ligam-se a ela como lâmpadas

perfeitas ao centro da força.



Fracassos e triunfos, no plano das formas temporárias, não lhes modificam as energias.



Esses sabem porque sabem e utilizam os próprios conhecimentos como convém saber.


Livro: Vinha de Luz
Psicografado por Francisco Cândido Xavier
Ditado pelo espírito: Emmanuel
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 13:29
***Bom dia amigo.



VÊ, POIS



"Vê, pois, que a luz que há em ti não sejam trevas." - Jesus. (LUCAS, 11:35.)


Há ciência e há sabedoria, inteligência e conhecimento, intelectualidade e luz

espiritual.


Geralmente, todo homem de raciocínio fácil é interpretado à conta de mais sábio,

no entanto, há que distinguir.


O homem não possui ainda qualidades para registrar a verdadeira luz. Daí, a

necessidade de prudência e vigilância.


Em todos os lugares, há industriosos e entendidos, conhecedores e psicólogos.

Muitas vezes, porém, não passam de oportunistas prontos para o golpe do interesse

inferior.


Quantos escrevem livros abomináveis, espalhando veneno nos corações?


Quantos se aproveitam do rótulo da própria caridade visando extrair vantagens à

ambição?


Não bastam o engenho e a habilidade. Não satisfaz a simples visão psicológica. É

preciso luz divina.


Há homens que, num instante, apreendem toda a extensão dum campo, conhecemlhe

a terra, identificam-lhe o valor. Há, todavia, poucos homens que se apercebem de tudo

isso e se disponham a suar por ele, amando-o antes de explorá-lo, dando-lhe

compreensão antes da exigência.


Nem sempre a luz reside onde a opinião comum pretende observá-la.


Sagacidade não chega a ser elevação, e o poder expressivo apenas é respeitável e

sagrado quando se torna ação construtiva com a luz divina.


Raciocina, pois, sobre a própria vida.


Vê, com clareza, se a pretensa claridade que há em ti não é sombra de cegueira
espiritual.


Livro: Vinha de Luz
Psicografado por Francisco Cândido Xavier
Ditado pelo espírito: Emmanuel

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 13:32
***Bom dia amigo.




Obra de Arte




Quando você nasceu, Deus não rogou uma praga

para você ser tímido, distraído ou confuso.


Ele lhe proporcionou todas as ferramentas

para você completar Sua criação.


Perguntado sobre como era criar uma obra de arte,


Michelângelo respondeu:


- Dentro da pedra já existe uma obra de arte.


Eu apenas tiro o excesso de mármore!


Dentro de você já existe uma linda obra de arte,
a mais bela do universo.


Seu grande desafio é retirar o excesso de mármore e completá-la.


Nós somos os artistas da nossa criação!


A grande verdade é que você é a pessoa que escolhe ser.


Todos os dias você decide se continua do jeito que é ou muda.


A grande glória do ser humano é poder participar de sua autocriação.



O SUCESSO É SER FELIZ
Texto: Autor Roberto Shinyashiki       
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 19 de Janeiro de 2010, 20:00
Amiga Cravo do poeta
Muita paz

Nossos Roteiros


Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

          O caminho a percorrer é longo, às vezes assinalado pela urze ou entulhado pelos calhaus.

          Todavia, o roteiro é igual para todos, porque ninguém existe que seja considerado como exceção.

          Aqueles que encontram menos dificuldades, fazem jus às circunstâncias, em razão do seu comportamento em reencarnações passadas.

          Os mais atribulados, da mesma forma, procedem dos seus atos infelizes.

          Desse modo, ganha a distância evolutiva, passo a passo, e alegra-te com o destino feliz que te aguarda e que alcançarás.


       

Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: mecame em 19 de Janeiro de 2010, 21:44
Queridos irmãos, que a paz de Cristo esteja com cada um de vocês. O homem novo é você irmãozinho. O homem novo sou eu. O homem novo são todos os que estão aqui na  terra, porque não existe homem novo. Só existe um homem. Os que estão na terra, pois os que não estão aqui já deixaram a condição de homem. Somos homens quando estamos no corpo, mas fora dele somos espíritos. E toda vez que nasce um homem, nasce um novo homem, porque é uma nova possibilidade de crescimento. Assim é a  terra. Sempre foi um lugar de sangue e dores ao mesmo tempo que é um lugar de  amor e paz. Quando um homem se torna novo ele deixa de ser homem, pois não precisa mais nascer na terra a não ser que seja por missão. A paz
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 20 de Janeiro de 2010, 09:28
Ola muita paz
Amigo Mecane

Às voltas com Espíritos

Livro: Para Uso Diário
Joanes & José Raul Teixeira


          Não é necessário que alguém acredite na existência de entidades espirituais, para que elas atuem das formas mais diversas na vida das pessoas.

          Não se faz indispensável que alguém seja espiritualista, a fim de estar às voltas com as ações de desencarnados nos caminhos humanos.

          É importante lembrar que a humanidade terrena é composta por todos os espíritos que o Criador a ela destinou, em razão da lei de afinidades, e colocou sob a coordenação de Jesus, o Cristo. Daí, não será difícil compreender que num mundo com tantas potencialidades, com tantos recursos a serem explorados, como é a Terra, a grande massa dos espíritos a ele vinculados se acha desencarnada. Há mais espíritos na faixa da erraticidade do que espíritos reencarnados. Isto é o que explica por que o número dos mortais tenha crescido, através dos séculos.

          Vivendo essa realidade de um mundo considerado em dois níveis gerais, o nível dos que estão no corpo físico e o dos que se encontram fora dele, não é surpreendente a constatação de que ocorram recíprocas influências de um nível sobre o outro.

          Imensa é a leva de desencarnados que procura contatar os encarnados, seja para ajudar, em qualquer coisa, seja para participar de qualquer coisa, ou seja para perturbar, de qualquer forma.

          Enorme é a massa de encarnados que deseja contatar os desencarnados, seja para pedir uma ajuda banal, seja para vingar-se de desafetos ou seja para rogar um socorro direto em casos complexos.

          Há entidades espirituais que se comprazem somente em fazer o bem, em ajudar para o bem, em participar de qualquer esforço pelo bem. No entanto, outras há inteiramente voltadas para o contrário, dando vazão as suas inclinações inferiores, ainda não devidamente transformadas.

          Uma vez que você sabe disso, observe o tipo de sintonias, de contatos mentais que faz e que deseja fazer com os espíritos. Analise os conteúdos dos seus pedidos dirigidos ao além e o teor das suas expectativas diante da vida, mantendo a certeza de que, quaisquer que sejam suas buscas, alguma entidade espiritual a elas se associará.

          As suas decisões quanto ao seu estilo de vida, as suas relações de afeto ou desafeto, o rumo que dê as suas realizações na faixa da honestidade ou da desonestidade, tudo funcionará como tomadas ideais para a sua ligação com nobres mensageiros da luz ou com desafortunados agentes da sombra.

          Busque a Jesus e una-se a Ele em tudo o que faça. Viva com alegria interior, aprenda a enfrentar e superar problemas sem ódios, sem guardar mágoas de ninguém. Solte-se. Viva em clima de liberdade espiritual, por guardar o coração e a mente livres de vínculos com espíritos perturbadores.

          Busque a Jesus e a tudo o que se refira ao bem, e esteja certo de usufruir da melhor assistência invisível, atraída por suas felizes predisposições morais.

          * * *

          Meditação: Bons Espíritos que vos dignais de assistir-me, dai-me a força de resistir à influência dos Espíritos maus e as luzes de que necessito para não ser vítima de suas tramas.
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: mecame em 20 de Janeiro de 2010, 15:14
Exatamente, irmãozinho Victor Passos. Por esse motivo é que não há homem novo que não seja ancarnado, pois o espirito que desencarnou e ainda vive preso às más tendencias, pensamentos e atitudes nunca foi um novo homem quando esteve encarnado. Pois, se tivesse sido um novo homem estaria em outro estado e não no da erraticidade. O novo homem se faz todo dia. O que nós encarnados esperamos é que a humanidade possa receber a graça e os homens em grande número ser tornem novos homens. A paz de Cristo.
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 20 de Janeiro de 2010, 18:11
***Boa tarde.


ESCRITURA INDIVIDUAL



"Mas tudo isto aconteceu para que se cumpram as escrituras dos profetas. Então,

todos os discípulos, deixando-o, fugiram." - (MATEUS, 26:56.)



O desígnio a cumprir-se não constitui característica exclusiva para a missão de
Jesus.



Cada homem tem o mapa da ordem divina em sua existência, a ser executado com

a colaboração do livre-arbítrio, no grande plano da vida eterna.



Acima de tudo, nesse sentido, toda criatura pensante não ignora que será

compelida a restituir o corpo de carne à terra.



Os companheiros menos educados sabem, intuitivamente, que comparecerão a

exame de contas, que se lhes defrontarão paisagens novas, além do sepulcro, e que

colherão, sem mais nem menos, o fruto das ações que houverem semeado no seio da

coletividade terrestre.



Em geral, porém, ao homem comum esse contrato, entre o servo encarnado e o

Senhor Supremo, parece extremamente impreciso, e prossegue, experiência a fora, de

rebeldia em rebeldia.



Nem por isso, todavia, a escritura, principalmente nos parágrafos da morte, deixará

de cumprir-se. O momento, nesse particular, surge sempre, com múltiplos pretextos, para

que as determinações divinas se realizem. No minuto exato, familiares e amigos

excursionam em diferentes mundos de idéias, através das esferas da perplexidade, do

temor, da tristeza, da dúvida, da interrogação dolorosa e, apesar da presença tangível dos

afeiçoados, no quadro de testemunhos que lhe dizem respeito, o homem atende, sozinho,

no capitulo da morte, aos itens da escritura grafada por ele próprio, diante das Leis do


Eterno Pai, com seus atos, palavras e pensamentos de cada dia.


Livro: Vinha de Luz
Psicografado por Francisco Cândido Xavier
Ditado pelo espírito: Emmanuel


Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 23 de Janeiro de 2010, 17:41
Ola muita paz Amiga Cravo do Poeta

HOJE É O DIA
Emmanuel
 
Ainda que te encontres inteiramente penhorado à Justiça, à face dos débitos em que te
resvalaste até ontem, lembra-te de que o Amor Infinito do Pai Celestial te concede a
bênção do “hoje” para que possas solver e renovar.
 
*
O penitenciário na grade que o exclui do convívio doméstico pode, por seu
comportamento, gerar a compaixão e a simpatia daqueles que o observa, caminhando
com mais segurança no retorno à própria libertação.
 
*
O enfermo algemado ao catre do infortúnio, pelo respeito com que recebe os Desígnios
Divinos, pode amealhar preciosos valores em auxílio à cooperação, em favor da própria
tranqüilidade.
 
*
E ambos, o prisioneiro e o doente, no esforço de reconquistar-se, pela nobreza com
que se recolhem as dores das próprias culpas, estendem a outras almas os benefícios
que já entesouraram.
 
*
Recorda que o dia de melhorar é este mesmo em que nos achamos, uns à frente dos
outros, respirando o mesmo clima de regeneração e de luta.
 
*
Nem ontem, nem amanhã, mas agora...
 
*
Agora, é o momento de levantar os caídos e os tristes, e de amparar os que padecem
o frio da adversidade e a tortura da expiação...
 
*
Agora, é o instante de revelar paciência com os que se tresmalharam no erro, de
cultivar humildade à frente do orgulho e devotamento fraternal diante da insensatez...
 
*
Ainda que tudo te pareça na atualidade terrestre sombra e derrota, cadeia e desalento,
ergue a Deus o teu coração em forma de prece e roga-LHE forças para fazer luz e
confiança onde a treva e o desespero dominam, porque, se ontem foi o tempo de
nossa morte na queda, hoje é o dia de nossa abençoada ressurreição.
 
 
Da Obra “A VERDADE RESPONDE” – ESPÍRITOS: EMMANUEL e ANDRÉ LUIZ –
MÉDIUM: FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER
Digitado por: Lúcia Aydir
 
 
 
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 24 de Janeiro de 2010, 00:58
***Boa noite e muita luz em nossos corações.


A FELICIDADE


Não está no dinheiro, porquanto, a cada passo, surpreendemos irmãos nossos, investidos na posse do ouro, a se confessarem desorientados e infelizes; importa reconhecer, porém, que o dinheiro criteriosamente administrado, transfigura-se em poderosa alavanca do trabalho e da beneficência, resgatando lares e corações para a Vida Superior.


* * *


Não está na inteligência, visto que vemos, em toda parte, gênios transviados, utilizando fulgurações do pensamento em apoio das trevas; urge anotar, no entanto, que a inteligência aplicada na sustentação do bem de todos será sempre uma fonte de luz.


* * *


Não está na autoridade humana, de vez que habitualmente abraçamos criaturas, altamente revestidas de poder terrestre, carregando o peito esmagado de angústia; é necessário observar, todavia, que a influência pessoal em auxílio à comunidade é base de segurança e fator de harmonia.


* * *


Não está nos títulos acadêmicos, porque, em muitas ocasiões, encontramos numerosos amigos laureados com importantes certificados de competência, portando conflitos íntimos que os situam nos mais escuros distritos do sofrimento e da aflição; não será, contudo, razoável ignorar que um diploma universitário, colocado no amparo ao próximo, é uma lavoura preciosa de alegrias e bênçãos.


* * *


Não está no que possuis e sim no que dás e, ainda assim, não tanto no que dás como no modo como dás.
* * *


Não está no que sonhas e sim no que fazes e, sobretudo, na maneira como fazes.


* * *


Felicidade, na essência, é a nossa integração com Cristo de Deus, quando nos rendemos a Ele para que nos use como somos e no que temos, a benefício dos semelhantes.

Isso porque todo bem que venhamos a fazer é investimento em nosso favor, na Contabilidade Divina.

Em suma, felicidade colhida nasce e cresce da felicidade que se semeia, ou melhor, à medida que ajudamos aos outros, por intermédio dos outros, o Céu nos ajudará.


Emmanuel

De “Passos da Vida”, de Francisco Cândido Xavier – Espíritos Diversos
 
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Victor Passos em 24 de Janeiro de 2010, 12:41
Ola muita paz e harmonia Amiga

Felicidade Possível

Livro: Momentos Enriquecedores
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

          Acreditavas que a felicidade seria semelhante a uma ilha fantástica de prazer constante e paz permanente.

          Um lugar onde não houvesse preocupação, nem se apresentasse a dor; no qual os sorrisos brilhassem nos lábios, e a beleza engrinaldasse de festa as criaturas.

          Uma felicidade feita de fantasias parecia ser a tua busca.

          Planejastes a vida, objetivando encontrar esse reino encantado, onde, por fim, descansasses da fadiga, da aflição e fruísses a harmonia.

          Passam-se anos, e somas frustrações, anotando desencantos e amarguras, sem anelada conquista.

          Lentamente, entregas-te ao desânimo, e sentes que estás discriminado no mundo, quando vês as propagandas apresentadas pela mídia, nas quais desfilam os jovens, belos e jubilosos, desperdiçando saúde, robustez, corpos venusinos e apolíneos, usando cigarros e bebidas famosas, brincando em iates de luxo, ou exibindo-se em desportos da moda, invejáveis, triunfantes...

          Crês que eles são felizes...

          Não sabes quanto custa, em sacrifício e dor, alcançar o topo da fama e permanecer lá.

          Sob quase todos aqueles sorrisos, que são estudados, estão a face da amargura e as marcas do ressaibo, do arrependimento.

          Alguns envenenaram a alma dos charcos por onde andaram, antes de serem conhecidos e disputados.

          Muitos se entregaram a drogas perturbadoras, que lhes consomem a juventude, qual ocorreu com as multidões de outros, que os anteciparam e desapareceram.

          Esquecidos e enfermos, aqueles que foram pessoas-objeto, amargam hoje a miséria a que se acolheram ou foram atirados.

          Felicidade, porém, é conquista íntima.

          Todos os que se encontram na Terra, nascidos em berços de ouro ou de palha, homenageados ou desprezados, belos ou feios, são feitos do mesmo barro frágil de carne, e experimentam, de uma ou de outra forma, vicissitudes, decepções, doenças e desconforto.

          Ninguém, no mundo terreno, vive em regime especial. O que parece, não excede a imagem, a ilusão.

          Se desejas ser feliz, vive, cada momento, de forma integral, reunindo as cotas de alegria, de esperança, de sonho, de bênção, num painel plenificador.

          As ocorrências de dor são experiências para as de saúde e de paz.

          A felicidade não são coisas: é um estado interno, uma emoção.

          Abençoa os acidentes de percurso, que denominas como desdita, segue na direção das metas, e verás quantas concessões de felicidade pela frente, aguardando por ti.

          Quem avança monte acima, pisa pedregulhos que ferem os pés, mas também flores miúdas e verdejante relva, que teimam em nascer ali colocando beleza no chão.

          Reúne essas florezinhas em um ramalhete, toma das pedras pequeninas fazendo colares, e descobrirás que, para a criatura ser feliz, basta amar e saber discernir, nas coisas e nos sucessos da marcha, a vontade de Deus e as necessidades para a evolução.
Título: Re: O Homem Novo 28 / 12 / 2009
Enviado por: Cravo do Poeta em 24 de Janeiro de 2010, 22:31
***Boa noite

NA GLEBA DO MUNDO

"Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende.

Este frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um”.

- JESUS. (Mateus, 13:23.).

Efetivamente, a vida é comparável ao trato de solo que nos é concedido cultivar.

Ergue-te, cada dia, e ampara o teu campo de serviço, a fim de que te incumbes.

O terreno é o próximo que te propicia colheita.

Lavrar o talhão é dar de nós sem pensar em nós.

Basta plantes o bem para que o bem te responda. Para isso, no entanto, é imperioso agir e
perseverar no trabalho.

Nunca esmorecer.

Qual ocorre na lavoura comum, é preciso contar com aguaceiro e canícula, granizo e vento,
praga e detrito.

Não valem reclamações.

Remova a dificuldade e prossegue firme.

Acima de tudo, importa o rendimento da produção para o benefício de todos.

Se alguém te despreza, menoscabando a suposta singeleza do encargo que te coube,
esquece a incompreensão alheia e continua plantando para abastança geral.

Muita gente não se recorda de que o pão alvo sobe à mesa à custa do suor de quantos
mergulham as mãos no barro da gleba, a fim de que a semente possa frutificar.

Quando essa ou aquela pessoa te requisite a descanso, sem que a tua consciência acuse
fadiga, não acredites nessa ilusão.

A ferrugem do ócio consome o arado muito mais que a movimentação no serviço.

Trabalha e confia, na certeza de que o Senhor da Obra te observa e segue vigilante.

Não duvides, nem temas.

Dá o melhor de ti mesmo a Seara da vida, e o Divino Lavrador, sem que percebas,

pendurará nas frondes do teu ideal a floração da esperança e a messe do triunfo.



CEIFA DE LUZ
FRANCISCO CANDIDO XAVIER

( Pelo Espírito Emmanuel)