Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Meditação => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 21 de Dezembro de 2018, 16:59

Título: Natal e nós
Enviado por: dOM JORGE em 21 de Dezembro de 2018, 16:59
                                                               VIVA JESUS!




              Boa-tarde! queridos irmãos.




                     
Natal e nós




Nasceu o menino Jesus, em Belém. Chegou ao mundo em silêncio e humildade, crescendo em sabedoria e graça diante de Deus e dos homens. Pregou o amor e a fraternidade entre todos, dedicando-se à realização das esperanças do seu povo.

Embora perseguido e odiado, elegeu o amor como sendo a maior conquista do ser humano. Amou-nos de maneira tal, que não vacilou em oferecer-se, dando a própria vida para nos demonstrar que a existência física somente possui objetivo quando dominada pelo amor.

O divino Mestre andou entre nós e falou aos nossos ouvidos os versos escritos pelo Seu Imenso Amor. Trouxe luz às nossas vidas com Seus ensinamentos esclarecedores, nos explicou o que é a verdade e o bem e nos ensinou a descer sem decair, para então estender as mãos e socorrer, tornando a caminhada do nosso semelhante menos pesada.

Pleno em si mesmo, dedicava-se ao próximo como nenhum outro o fez e, na condição de peregrino do amor, demonstrou como é possível curar as feridas do mundo e dos seres humanos com a exteriorização do amor em forma de compaixão, de bondade, de carinho e de entendimento.

Sempre havia amor em Sua trajetória, iluminando as vidas e amparando as necessidades dos corpos, das mentes e das almas, compadecendo-se de todos. No entanto, mantinha a energia que educa, edifica, disciplina e salva.

Chorou sobre Jerusalém e deu a própria vida em holocausto de amor, pois era o amor que lhe norteava os passos, as palavras e os pensamentos.

Tornou-se símbolo do amor plenificado, e prossegue como tal através do tempo em favor da humanidade, à qual propicia um sentimento humano profundo e libertador.

Mestre dos Mestres! O Maior de todos os tempos! Maior nos exemplos de vida, de amor, de doação, de carinho, de desprendimento. Veio ao mundo sem ter onde reclinar Sua cabeça, enfrentando humilhações e sofrimentos sem desânimo, e nos espera ainda hoje, confiante, aguardando o nosso despertar.

Os séculos transcorrem, as exigências da humanidade se sucedem no caminho terrestre, e a Espiritualidade continua convidando-nos para as esferas mais altas.

Bendito, todo aquele que puder ouvir a voz do anjo que ainda se dirige aos simples de coração, sentindo entre as lutas da Terra que o Cristo nasceu hoje, como nasce todos os dias no país da sua alma.

Na exaltação do Natal do Senhor, acalentemos nossa fé em Jesus, sem nos esquecermos da fé que o Mestre deposita em nós.

Nos primeiros três séculos de Cristianismo, os discípulos que Lhe ouviram a celeste Revelação, levantaram-se e serviram-no com sangue e sofrimento, aflição e lágrimas.

Que nós estejamos agora dispostos a consagrar-Lhe igualmente as nossas vidas, considerando o crédito moral que a atitude Dele para conosco significa, aprendendo, trabalhando e servindo, até que um dia, qual aconteceu ao velho Simeão da Boa Nova, possamos exclamar ante a Presença divina: ”Agora Senhor, despede em paz o teu servo segundo a Tua palavra, porque, em verdade, meus olhos já viram a salvação”.

Natal! Boa Nova! Boa Vontade!

De Natal a Natal, perante todas as lutas e conflitos da humanidade, o Mundo se enche de esperança, ouvindo de novo o cântico inesquecível das tropas Celestiais: Glória a Deus nas alturas, paz na Terra e boa vontade para com os homens!

Estendamos a simpatia para com todos e comecemos a viver realmente com Jesus sob os esplendores de um novo dia!!!


Bibliografia:

XAVIER, Francisco C. O Evangelho por Emmanuel, comentários segundo Lucas do Evangelho – 1ª edição – Brasília – DF - FEB 2015 páginas: 35, 36, 40, 44.

FRANCO, Divaldo P. Refletindo a Alma – pelo Espírito Joanna de Ângelis - 1ª Edição – Editora Alvorada - Salvador – BA. 2011 – páginas: 414, 416, 417.

XAVIER, Francisco C. Religião dos Espíritos, pelo Espírito Emmanuel – 22ª Edição – FEB Editora – Brasília – DF - 2013 – página 259.

COELHO Rogério - Espíritos diversos - 1ª Edição - Mythos Editora – São Paulo – SP - 2013 – páginas: 11, 12, 15, 81.

        Temi Mary Faccio Simionato









                                                                                                      PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Natal e nós
Enviado por: dOM JORGE em 24 de Dezembro de 2018, 23:57
                                                              VIVA JESUS!




             Boa-noite! queridos irmãos.




                   
Cristo: o sol moral do mundo, ele não envelheceu


Uma emoção especial sustenta no ar a mensagem do amor e da fraternidade entre as criaturas, com a aproximação do nascimento do Cristo.

É uma corrente de pensamentos e ações no campo do bem que se espalha no coração das pessoas e pelas cidades.

Nessa estação, as pessoas desejam e se permitem manifestar o que há de melhor em seu íntimo, e ocorre uma transformação da psicosfera material e espiritual em torno da Terra, e todos almejam ser mais felizes e fazer as pazes.

É necessário que o Cristo nasça em nós, na vivência de nosso dia a dia, como luz que fazemos nos passos de nossos irmãos, como mãos que amparam os caídos, palavras que confortam os tristes e desesperados, e alianças de bondade com aqueles que se desviaram do caminho do bem.

Na vida, todos devem honrar a si mesmos, à sua família e à nossa sociedade, e o maior sucesso ocorre com a aliança da determinação e da fé; que podem nos dar a consciência tranquila de termos feito o melhor para nós e para nosso próximo, que nada nos faça arrepender-nos amanhã de nossas ações.

A data do nascimento do Cristo na Terra é muito expressiva para uma parcela de nossa humanidade, mas seus ensinamentos fazem parte da regra da lei áurea de todos os povos: “Fazer ao outro aquilo que desejamos nos façam”.

Ele não envelheceu na Terra e nem era preciso: “Sem violência de qualquer natureza, altera os padrões da moda moral em que a Terra vivia há numerosos milênios. Contra o uso da condenação metódica, oferece a prática do perdão. À tradição de raça opõe o fundamento da fraternidade legítima”. (1)

Porque nasce a paz cada vez que duas pessoas se perdoam, é Natal.

Porque nasce o amor cada vez que alguém auxilia uma outra pessoa, é Natal.

Porque nasce a alegria e a fé cada vez que uma pessoa abre um sorriso nos lábios e olha com os olhos do coração para seu semelhante, é Natal.

As dicas do Natal são drágeas de saúde para nossas vidas.

Para os semelhantes: estima, fraternidade e solidariedade.

Para os inimigos: o perdão e a prática do bem sem revide.

Para os amigos: a disposição, a confiança e o ombro amigo.

Para os filhos: o exemplo – o único modelo que edifica o caráter.

Para os pais: o respeito, com o retorno do bem por tudo que nos fizeram.

Para o país: o cumprimento do dever e a honestidade no agir.

Para o Criador: a proteção do nosso meio ambiente, a vivência de suas leis e a gratidão pela vida e pelo nosso livre-arbítrio.

Natal não pode ser por um dia, e sim por todos os dias de nossas vidas, quando deixamos a mensagem do Cristo iluminar nossos caminhos, nosso coração e nossa mente.

Muitas pessoas dizem que o dia mais importante de nosso mundo foi quando se encerrou a Segunda Guerra Mundial; outros, quando o homem aportou na lua; outros ainda esperam pela descoberta da cura para a Aids, câncer e a dependência química, e que esse dia poderá ser o mais importante para a humanidade. Entretanto, um homem simples, desapegado do poder e das riquezas, fez a diferença em nossas vidas, ele é nosso Mestre e irmão maior, é a figura mais importante de todas que chegaram até aqui: Jesus de Nazaré.

O Natal é para lembrarmo-nos do Cristo que deve fazer morada em nossas mentes e em nossos corações. E a data somente será completa se entendermos que existem dois nascimentos do Mestre, um que aconteceu na singela manjedoura, e este que deve acontecer, permanentemente, no dia a dia em nosso coração acolhedor e generoso com Jesus.

Sabiamente Jesus não nos impôs uma meta, ou exigiu coisas difíceis de se realizar; ainda junto aos seus discípulos, resumindo as leis divinas, disse que um novo ensinamento nos deixava: “Que nos amássemos uns aos outros, como ele nos amou”.

“Eis por que a Doutrina Espírita nos reconduz ao Evangelho em sua primitiva simplicidade, porquanto somente assim compreenderemos, ante a imensa evolução científica do homem terrestre, que o Cristo é o Sol Moral do mundo, a brilhar hoje, como brilhava ontem, para brilhar mais intensamente amanhã.” (2)

 

(1)  Emmanuel (Chico Xavier) – Pensamento e vida – FEB

(2)  Emmanuel (Chico Xavier) – Religião dos Espíritos – FEB

 

Arnaldo Divo Rodrigues de Camargo é editor da Editora EME.









                                                                                                      PAZ, MUITA PAZ!     
Título: Re: Natal e nós
Enviado por: dOM JORGE em 25 de Dezembro de 2018, 18:27
                                                              VIVA JESUS!




              Boa-tarde! queridos irmãos.




                     Alegria Do Natal




Agradeço, Jesus,
A bênção do Natal que nos renova e aquece
Em vibrações de paz aos júbilos da prece,
Que te louvam, dos Céus ao pó que forra o chão!...
Agradeço a mensagem que te exalta,
Reacendendo o Sol da Nova Era
Nos cânticos da fé viva e sincera
Que nos refaz e eleva o coração.

Agradeço as palavras em teu nome,
Naqueles que conheço ou desconheço,
Que me falam de ti com bondade sem preço,
Conservando-me em ti, seja em que verbo for,
E as afeições queridas que me trazem,
Por teu ensinamento que me alcança,
A sublime presença da esperança
Ante a força do amor.

Agradeço o conforto
De tudo o que recebo em forma de ternura,
Na mais singela flor que me procura
Ou na prece de alguém
E as generosas mãos que me auxiliam
A repartir migalhas de consolo,
Seja um simples lençol ou um simples bolo
Para a festa do bem.

Agradeço a saudade
Dos entes que deixei noutros campos do mundo,
Que me deram contigo o dom profundo
De aprender a servir, de entender e de orar,
Os afetos que o tempo me resguarda
Sob fulgurações que revejo à distância,
Induzindo-me a ver-te entre os brincos da infância
Nas promessas do lar!...

Por tudo em que o Natal se revela e se expande
A envolver-nos em notas de alegria
Que o teu devotamento nos envia
Em carícias de luz,
Pelo trabalho que nos ofereces,
Perante a fé maior que hoje nos invade,
Para a edificação da Nova Humanidade,
Sê louvado, Jesus!...


Autor
Maria Dolores









                                                                                                       PAZ, MUITA PAZ!