Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Meditação => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 23 de Janeiro de 2018, 08:21

Título: Inimigos Insidiosos
Enviado por: dOM JORGE em 23 de Janeiro de 2018, 08:21
                                                              VIVA JESUS!





              Bom-dia! queridos irmãos.




                     Inimigos Insidiosos



               Foste estigmatizado pela infâmia cavilosa, e porque te refugiaste na oração, conseguiste superá-la sem seqüelas.

Experimentaste o escárnio daqueles que te subestimam o valor, no entanto, persistindo nos ideais de enobrecimento venceste o desafio.

Suportaste a enfermidade desgastante, entretanto, mantendo o pensamento otimista e cuidando-te sem cessar, atravessaste o período de debilidade, recuperando a saúde.

Recebeste pedradas morais, promovidas por adversários invejosos que desejavam competir contigo, e porque não ambicionavas destaques no mundo ficaste incólume às agressões.

Foste visitado, diversas vezes, pela tentação da ira, da mágoa, da revolta, porém, reflexionando a respeito dos elevados objetivos da existência, não te detiveste nos desvios da inferioridade, avançando, alegremente.

Proclamaram a tua queda, a tua deserção do Bem, alguns companheiros precipitados, todavia, permanecendo imperturbável, eles odiaram-te, sem que isso te afetasse.

Fustigaram-te os sentimentos através de variados ardis, mas como te encontravas com a mente referta de idealismo e o sentimento rico de entusiasmo não foste alcançado pelo mal que te rondava.

Recebeste a ingratidão de comensais da tua afetividade, no entanto, despido dos interesses de compensação de qualquer tipo, seguiste adiante, sem lamentar-lhes o afastamento que te não fez falta.

Provaste solidão e foste impelido ao silêncio, por circunstâncias penosas, entrementes, sintonizando com as Esferas Superiores, ouviste as vozes dos Céus e sentiste a companhia dos Benfeitores espirituais, dando prosseguimento ao trabalho.

Tentaram arruinar-te o nome, objetivando dificultar o teu acesso aos corações, apesar disso, os teus testemunhos de dignidade superaram as informações descabidas e falsas, mais ampliando os teus horizontes de edificações morais.

Armaram redes de acusadores fixados em ti, perturbados pela monoidéia de impedir-te o avanço, assim mesmo, porque não cessaste de agir e de servir, esses inimigos da tua paz sofrem por ver-te impertérrito na desincumbência do compromisso assumido com Jesus.

Em todas as situações afligentes lograste manter a inteireza moral, superando-te a ti mesmo.

Porque o teu vínculo é com Jesus e não com as pessoas, tudo quanto te fizerem, certamente não te afetará, se porfiares, porque Ele te defende de todo mal que não esteja estabelecido pela lei de Causa e Efeito.

Na luta forjam-se os heróis e os santos, os mártires e os abnegados construtores da Humanidade feliz.

Nunca temas, nem te afadigues em defesas injustificáveis quão desnecessárias, porquanto estás fadado à conquista do Infinito...

***

A situação em que te vês agora é bem diversa, mais grave do que todas antes enfrentadas, porque sutil, quase despercebida.

Semelhante a cupim devorador e oculto no âmago da madeira, estás sendo carcomido interiormente, perdendo valiosas energias e vigor.

Insidioso, esse inimigo cruel tem-te rondado os passos, desde há muito tempo, sendo sempre repelido com tenacidade.

Agora, talvez porque te sintas cansado, como é natural, ei-lo tomando as províncias do teu sentimento e apoderando-se do teu entusiasmo.

Trata-se do desânimo, esse inimigo sibilino e torpe.

Tem cuidado e redobra a atenção a seu respeito.

Sob pretexto algum dá-lhe oportunidade de alojamento no teu mundo íntimo.

Ele tem sido responsável por muitas defecções de obreiros do progresso, que se sentiram desestimulados e desistiram de lutar.

A princípio, não se lhe percebe a façanha destrutiva, porque se apresenta como tédio, para logo transformar-se em indiferença, por fim converter-se em abatimento e fuga das responsabilidades.

Contrapõe-lhe a vontade férrea, a alegria de viver, o interesse para concluir o trabalho iniciado.

Se te escassearem energias, refaze-te na oração, mergulhando no oceano de forças benfazejas que envolve tudo.

De imediato, a seguir, busca a meditação, analisando a transitoriedade de todos os fenômenos e remontando-lhes às causas eternas, assim constatando que não vale a pena desperdiçar o tempo em questões de secundária importância.

Tem em mente que estes momentos também passarão, como se diluíram outros de alegrias e de tristezas, aguardando o porvir.

Se, por acaso, persistir o bafio pestilento, considera as aflições do teu próximo a quem podes ajudar, e sai da jaula asfixiante do desânimo para a liberdade de servir.

Respirarás, então, o oxigênio da caridade, logo sentindo-te renovado.

Ama, pois, e auxilia em qualquer situação que se te apresente.

Iniciar atividades é muito fácil, mantê-las é mais difícil e concluí-las é o desafio que a reencarnação propõe a todos.

***

Jesus assinalou com muita propriedade e sabedoria que tudo é possível àquele que crê, que se empenha e não cessa de lutar.

Investe mais nos teus objetivos abraçados e insiste durante os bons e os maus períodos.

A vitória somente pode ser celebrada quando concluída a luta, encerrada a tarefa.

Sob a inspiração de Jesus, persevera e crê nos resultados superiores dos investimentos da tua atual existência e conseguirás alcançar a meta.

Desanimar, porém, nunca!

Joanna de Ângelis

(Página psicografada pelo médium Divaldo P. Franco, na sessão mediúnica da noite de 05 de abril de 2004, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia









                                                                                                     PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Inimigos Insidiosos
Enviado por: dOM JORGE em 09 de Setembro de 2018, 23:01
                                                              VIVA JESUS!




             Boa-noite! queridos irmãos.




                   
Brechas morais




“Aquele que ouve as minhas palavras e não as pratica é comparado a um homem insensato...” Mateus, 7:26

           A tragédia, que você viu consumar-se, resulta de uma longa história pelo caminho por onde transitou.
            Pequenos acontecimentos infelizes se adensaram, culminando no crime hediondo e ultriz.

            A agressão odiosa que você viu explodir, inesperada, teve começo em dias do pretérito. Adicionadas diminutas revoltas a contínuas odiosidades, espocou em forma inditosa de destruição.

            A calúnia, que você viu conduzir à desonra uma vida honorável, não é acontecimento isolado. É a conseqüência das mentiras elaboradas com o fim de anularem outras mentiras menores que estimularam a infâmia nefasta.

            A delinquência, que você viu armar vidas precipitadas em ondas incessantes de crimes, não é ocasional. Decorre da conivência de pais e educadores descuidados, que não corrigiram em tempo hábil as imperfeições dos caracteres em formação, a eles confiados.
           
            A violência, que você viu fomentar o desespero e esparzir o horror, procede de mil nonadas da revolta bem acondicionada pela insensatez. Em momentos de ira se infiltraram na mente os tóxicos da perturbação que forçaram a delinquir.

            São as brechas morais que favorecem a eclosão das graves e lamentáveis ocorrências.
            O suicida, que se arrojou em infeliz situação, simplesmente consumou o que vinha acalentando, intimamente, através do tempo.
            O homicida, que roubou uma ou mais vidas, tão-somente concretizou o que agasalhava no imo, sempre que provocado, atitudes que não podia controlar.
            O usurpador dos bens alheios apenas assumiu a posição que se atribuía direitos, dilapidando o patrimônio de outrem graças à permissividade que se concedeu na própria incúria.
            A obsessão, que obliterou a razão, é ato culminativo das idéias infelizes agasalhadas, dos pensamentos inditosos aceitos, transformados em hipnose produzida por mentes desencarnadas impiedosas, que destroçam os implementos pelos quais se manifestam a lucidez intelectual, o discernimento.
           
            As brechas morais para os pequenos vícios sociais, as mentiras inocentes, as justificativas aos abusos abrem as portas para as nefárias realizações.
            Inocente e pequena fagulha pode produzir incêndios vorazes.
            Insignificante vazamento num dique pode levar à destruição da monumental construção da represa.
            Não se permita brechas morais negativas.

            O servidor do bem é íntegro, leal, atuante e nobre em todos os momentos, atestando sempre a excelência dos postulados que o elevam e sustentam.

Marco Prisco

 

FRANCO, Divaldo P. Momentos de Decisão. Pelo Espírito Marco Prisco.








                                                                                                     PAZ, MUITA PAZ!