Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Meditação => Tópico iniciado por: macili em 20 de Agosto de 2012, 20:06

Título: Depressão e Suicídio
Enviado por: macili em 20 de Agosto de 2012, 20:06
[attachimg=1  align=center  width=500]



Depressão e Suicídio
(Parte I)



A identificação da depressão por um médico:


Para afirmarmos que o paciente está deprimido temos que afirmar que ele sente-se triste a maior parte do dia quase todos os dias, não tem tanto prazer ou interesse pelas atividades que apreciava, não consegue ficar parado e pelo contrário movimenta-se mais lentamente que o habitual. Passa a ter sentimentos inapropriados de desesperança desprezando-se como pessoa e até mesmo se culpando pela doença ou pelo problema dos outros, sentindo-se um peso morto na família. Com isso, apesar de ser uma doença potencialmente fatal, surgem pensamentos de suicídio. Esse quadro deve durar pelo menos duas semanas para que possamos dizer que o paciente está deprimido.

A depressão pode ser conceituada como uma alteração do estado de humor, uma tristeza intensa, um abatimento profundo, com desinteresse pelas coisas. Tudo perde a graça, o mundo fica cinza, viver torna-se tarefa difícil, pesada, com idéias fixas e pessimistas.

Poderíamos considerá-la como uma emoção estragada. As emoções naturais devem ser passageiras, circularem normalmente, sem desequilibrar o ser. A tristeza por exemplo, é uma emoção natural, que nos leva a entrar em contato conosco, à introspecção e à reflexão sobre nossas atitudes. Agora, uma vez estagnada, prolongada, acompanhada de sentimento de culpa, nos leva a depressão.

André Luiz cita nas suas obras que os estados da mente são projetados sobre o corpo através dos bióforos que são unidades de força psicossomáticas, que se localizam nas mitocôndrias. A mente transmite seus estados felizes ou infelizes a todas as células do nosso organismo, através dos bióforos. Ela funciona ora como um sol irradiando calor e luz, equilibrando e harmonizando todas as células do nosso organismo, e ora como tempestades, gerando raios e faíscas destruidoras que desequilibram o ser. (Missionários da luz)

Segundo Emmanuel, a depressão interfere na mitose (divisão) celular, contribuindo para o aparecimento do câncer e de outras doenças imunológicas, sobretudo a deficiência imunitária facilitando às infecções. Na depressão existe uma perda de energia vital no organismo, num processo de desvitalização.

O indivíduo perde energia por dois mecanismos principais:

1º) Perde sintonia com a Fonte Divina de Energia Vital: o indivíduo não se armando como deve, com sentimento de auto-estima em baixa, afasta de si mesmo, da sua natureza divina, elo de ligação com a fonte inesgotável do Amor Divino. Além do mais, o indivíduo ao se fechar em seus problemas e suas mágoas, cria um ambiente vibracional negativo, que dificulta o acesso da espiritualidade Maior em seu benefício.

2º) Gasto Energético Improdutivo: o indivíduo ao invés de utilizar o seu potencial energético para desenvolver potencialidades evolutivas, vivendo intensamente as experiências e os desafios que a vida lhe apresenta, desperdiça energia nos sentimentos de auto-compaixão, tristeza e lamentações. Sofre e não evolui.

As principais causas, podem ser resumidas em culpa e tristeza que procria o remorso. Quando por algum motivo infringimos a lei natural, ao tomarmos consciência do erro cometido, temos dois caminhos a seguir:

1 - Erro  >  Consciência  >  Arrependimento  >  Tristeza   >  Reparação

2 - Erro  >  Consciência   >  Culpa/Remorso (Idéia Fixa)   >  Depressão

O primeiro caminho é meio natural de nosso aperfeiçoamento. Uma vez tomando consciência de nossas imperfeições e erros cometidos, empreendemos o processo de regeneração através de lições reparadoras.

De outra maneira, se ao invés de nos motivarmos a nos recuperarmos, nós nos abatermos, com sentimento de desvalia, de auto-punição, e permanecermos atrelados ao passado de erros, com idéias fixas e auto-obsessivas, nós estaremos caminhando para o estado de depressão, que é improdutivo no sentido de nossa evolução.

Não poderíamos deixar de citar esta passagem do Evangelho Segundo o Espiritismo:

François de Geneve  relata que uma das causas da tristeza que se apodera de nossos corações fazendo com que achemos a vida amarga é quando o Espírito aspira a liberdade e a felicidade da vida espiritual, mas, vendo-se preso ao corpo, se frustra, cai no desencorajamento e transmite para o corpo apatia e abatimento, se sentindo infeliz.

Para François Geneve então, a causa inicial é esta ânsia frustrada de felicidade, liberdade almejada pelo espírito encarnado, acrescido das atribulações da vida com suas dificuldades de relacionamento interpessoal, intensificada pelas influências negativas de espíritos encarnados e desencarnados. ((segue))





Por Fiorella Romana
Estudos realizados no Chat Espírita do Terra
Para lê-lo na íntegra clique em Sob a Ótica Espírita.


Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: Sérgio Azevedo em 20 de Agosto de 2012, 21:47
Muito inteligente este texto,

Mas eu tenho uma pequena dúvida,
Quando um sujeito que tenha conhecimento
sobre o vale dos suicidas e o espiritismo em geral
interrompe a vida terrestre bruscamente com um tiro
na cabeça ele irá sofrer os desprazeres como um suicida
qualquer ou não ?

Ele seria mais cobrado ainda pelo fato de ter esse conhecimento
ou seria indiferente ?

Obrigado.
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: Aimoré em 21 de Agosto de 2012, 00:37
Quanto mais conhecimento,mais responsabilidade temos.Se por acaso ele tomar essa decisão,sem dúvida sofrerá mais.No entanto, não lhe faltará assistência divina.
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: Mourarego em 21 de Agosto de 2012, 01:58
Sérgio, permita-me alertar-lhe, o tal Vale dos Suicidas não existe, meu amigo.
O texto doutrinário diz, mas responsabilidade terá o Espírito quanto mais conhecer.
Logo, se o cabra sabe das coisas e mesmo assim negligência, sofrerá mais.
abração,
Moura


Muito inteligente este texto,

Mas eu tenho uma pequena dúvida,
Quando um sujeito que tenha conhecimento
sobre o vale dos suicidas e o espiritismo em geral
interrompe a vida terrestre bruscamente com um tiro
na cabeça ele irá sofrer os desprazeres como um suicida
qualquer ou não ?

Ele seria mais cobrado ainda pelo fato de ter esse conhecimento
ou seria indiferente ?

Obrigado.
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: macili em 21 de Agosto de 2012, 02:46
Boa noite queridos Irmãos,


Agradeço os comentários de Sérgio, Aimoré e Mourarego.


Paz e luz!





[attachimg=1  align=center  width=500]




Depressão e Suicídio
(Parte II)



Outro fator que está determinando esta incidência alarmante de depressão nos nossos dias é o isolamento, a insegurança e o medo que estão acometendo as pessoas na sociedade contemporânea.

Absorvido pelos valores imperantes como o consumismo, a busca do prazer imediato, a competitividade, a necessidade de não perder, de ser o melhor, de não falhar, o homem está de afastando de si e de sua natureza. Neste ponto, temos o CVV que compartilha das mesmas idéias, quando refere-se ao porquê das pessoas pensarem em suicídio.

Adota então uma máscara (persona), que utiliza para representar um "papel" na sociedade. E, nesta vivência neurotizante, ele deixa de desenvolver sua potencialidades, não se abre, nem expõe suas emoções, pois estas demonstram que de fato ele é. Enclausurado, fechado nesta carapaça de orgulho e egoísmo, ele se isola e se sente sozinho. Solidão, não no sentido de estar só, mas de se sentir só. Mais do que se sentir só é a insatisfação da pessoa com a vida e consigo mesma. Estar em meio a uma centena de pessoas e, ainda assim, sentir-se só....aliás... a solidão... esta em todos os pontos do nosso planeta.

A solidão é conseqüência de sua insegurança, de sua imaturidade psicológica. Nos primeiros anos de vida, a criança enquanto frágil e insegura, é natural que tenha necessidade de que as pessoas vivam em função delas, dando-lhes atenção e proteção. É a fase do egocentrismo, predominantemente receptiva. Com o seu amadurecimento, começa a criar uma boa imagem de si, tornando-se mais seguro, e a partir de então, passa a se doar, a se envolver e a participar mais do mundo.

O que acontece é que certas pessoas, por algum motivo, têm dificuldades neste processo de amadurecimento afetivo, mantendo-se essencialmente receptivas e não participativas, exigindo carinho, respeito e atenção, sem se preocuparem da mesma forma com os outros. Fazem-se de vítimas, pobre coitados, sem as responsabilizarem por si.

Conseguem o seu equilíbrio às custas das conquistas exteriores. A primeira frustração que se deparam, não toleram, pois expõe suas fraquezas e isto motiva um quadro de depressão.

Um indivíduo quando perde a capacidade de se amar, quando a auto-estima está debilitada, passa a ter dificuldade de amar o semelhante, pois o sentimento de amor, de generosidade para com o próximo, é um sentir de dentro para fora. Este sentimento de amor ao próximo, nada mais é do que uma extensão do nosso amor, da nossa Sintonia com o Deus interior que nós temos em nós.

Sabemos que a depressão é uma doença, tendo causas neurológicas. A boa vontade, o domínio de si e o trabalho amoroso, são lenitivos de muita força, mas não os únicos a colaborarem com a cura da situação.

A pessoa que tem dificuldade nesta composição de amar a si e, por conseqüência, amar o próximo, deixa de receber o amor e a simpatia do outro, e não consegue entrar em sintonia com a fonte sublime inesgotável do Amor Divino. Nós limitamos aquilo que recebemos de Deus, na medida do quanto doamos ao próximo. Quem ama muito, muito recebe. Quem pouco ama, pouco recebe. Esse afastamento de si, e por conseguinte de Deus, gera a tristeza, o vazio, a depressão e a doença.

A depressão é um sintoma que nos diz que não estamos nos amando como deveríamos.

O caminho para sairmos dela é preencher este vazio com a recuperação da auto-estima e do amor em todos os sentidos. Primeiro, procurando nos conhecer e nos analisar, com o intuito de nos descobrirmos, sem nos julgarmos, sem nos punirmos ou nos culparmos.
E depois, nos aceitarmos como somos, com todas as nossas limitações, mas sabendo que temos toda potencialidade divina dentro de nós, esperando para desabrochar como sementes de luz. Isto nada mais é do que desenvolver a fé em si e no Criador, sentimento este que transforma e que nos liga diretamente a Deus.

Uma pessoa consciente de sua riqueza interior passa a ter segurança e fé nas suas potencialidades infinitas, começando a gostar e acreditar em si, amando-se e a partir de então, sentindo necessidade de expandir este sentimento a tudo e todos. Começa assim a se despertar para os verdadeiros valores da vida espiritual, se transformando numa pessoa feliz e sorridente, pois onde existe seriedade, há algo de errado; a seriedade está ligada ao ser doente. Sorria e seja feliz amando e servindo sempre.

A terapia contra a depressão se baseia no amar e no servir, se envolvendo em trabalhos úteis e no serviço do bem. Seja no trabalho profissional, no trabalho do lazer, ou no trabalho de servir ao próximo, o indivíduo se ocupa, exercita o amor, e deixa de se envolver com as lamentações, pois a infelicidade faz seu ninho no escuro dos sentimentos de cada um. Dificilmente conheceremos um deprimido, entre aqueles que trabalham a serviço do bem.

Ser acima de tudo generosos, que é a caridade com afeto. As pessoas estão com fome de amor, de calor humano, um ombro amigo, um abraço, um aconchego e uma palavra de carinho.

A chegada de Jesus, um ato de Benevolência de nosso Pai, mostra-nos muitas formas de amor, dentre elas:

Temos que ressuscitar e liberar a criança que está esquecida dentro de nós. Para resgatarmos esta criança que adormece em nós, é necessário que vejamos o mundo de forma positiva e otimista. A nossa criança interior, geralmente se encontra retraída e oprimida, porque a vida nos apresenta de forma desagradável; ainda não vivemos de forma natural, espontânea e isto gera ansiedade e sofrimento. Como a criança é movida pelo prazer, ela se recolhe e não se manifesta.

A criança não se julga, não se pune. Ela apenas vive o hoje, o agora, integrada perfeitamente a Deus e à natureza. "Deixai vir a mim as criancinhas porque o reino dos céus é de quem vos assemelham" - com estas palavras quis Jesus dizer que teremos que ser puros, autênticos, integrados com a nossa natureza divina, sem fugas ou máscaras, para alcançarmos a nossa evolução espiritual.

Ter atitudes simples, como lidar com animais, brincar com crianças, atividades criativas como a pintura, tocar um instrumento, fazer pequenas tarefas domésticas, cozinhar, manter uma conversa amena, contar um caso, ver um bom filme, escutar uma música, cantar, sorrir, ouvir com atenção, olhar com ternura, tocar as pessoas, abraçar, fazer um elogio sincero, curtir a natureza, admirar o por do sol, etc. Estas são tarefas que muito lhe ajudará a reencontrar o equilíbrio e a harmonia interior.

Manter sempre o bom humor. Aquele que tem no ideal de servir uma meta de vida, será sempre uma pessoa feliz. Na vida o que mais importa é o amor e o bem querer das pessoas, viver suas emoções; não se deixar afetar por coisas pequenas. Muitas vezes nos deixamos abater por problemas, que se olharmos com olhos de Espíritos Eternos em passagem pela Terra, não valorizaríamos.

Procurar praticar atividades físicas regulares, como a caminhada, um esporte, um lazer. A mente parada começa a criar pensamentos negativos, que se assemelham a lixos amontoados dentro de casa. Com estas atividades, você estará desviando sua mente destes pensamentos deletérios.

Tornar-se empreendedor, dinâmico, criando idéias novas e construtivas em benefício do semelhante, com motivação para implementá-las, junto ao grupo ou a comunidade que pertence. Não fique estagnado esperando que as coisas aconteçam em seu favor. Aja em favor do próximo e não se surpreenda se você for o mais beneficiado. Mais recebe aquele que dá.

A oração é um recurso indispensável no processo de recuperação. Através dela estabelecemos sintonia com a Espiritualidade Maior, facilitando o caminho para que nos inspirem e revigorem nossas energias.

Não nascemos para sofrer. A vontade de Deus é a nossa alegria e a nossa felicidade. Se sofremos é por nossa causa. Os nossos problemas e nossas dificuldades devem ser interpretadas como instrumentos para nossa evolução.

Puxa, lembremo-nos com carinho desta parte:
O que importa é sabermos que os problemas , que deparamos na vida só surgem quando já temos condições de solucioná-los. Como disse o Mestre Jesus: " O Pai não coloca fardos pesados em ombros fracos". Deste modo, ficamos mais fortes ao saber que temos todas as condições interiores, para enfrentar as dificuldades que a vida nos apresenta.

E que ....
Ter consciência, que acima de tudo, tem um Deus maior a zelar por nós e que nunca nos abandona. Confiar em Jesus e seguir seu exemplo de vida: "Eu sou o Bom Pastor; tende bom ânimo; não se turbe o vosso coração; vinde a mim vós que andais afatigados, cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei".

Higienize-se mentalmente, polarize o pensamento, confiar em Jesus/Deus, orar, amar sempre, encontre um Cento Espírita, ampare-se na família, tenha bons e estruturados amigos, trabalhe, vigie sempre, cultive alegria íntima, seja racional.

Devemos ter a vontade firme de eliminar o mal invasivo da depressão, e vários caminhos podem ser percorridos: tratamento medicamentoso (às vezes necessário), trabalho espiritual incluindo a desobsessão, água fluidificada, passes magnéticos, trabalho beneficente, mudança de atitude mental, etc. 

Após iniciado o processo de recuperação é necessário que nos tornemos vigilantes, pois é muito comum a melhora cíclica, com altos e baixos. "Vigiai e orai". É importante aproveitar os períodos de melhora para empreender trabalhos edificantes no bem, consolidando as conquistas efetuadas.




- Continua -

Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: macili em 21 de Agosto de 2012, 02:52
[attachimg=1  align=center  width=500]


Depressão e Suicídio
(Parte II)


- Continuação -



Falando um pouco de suicídio, que está intimamente ligado à depressão, temos:

Uma das causas de suicídio é o indivíduo se achar impotente e fraco para enfrentar suas dificuldades. Ele se julga inferior, incapaz, vítima da sociedade, desprezando a força que tem. Aí os problemas passam uma dimensão muito maior, e ele se vê impossibilitado para resolvê-los.

Segundo esta linha de raciocínio, não existe pessoa "fraca" a ponto de não suportar um problema, que ele julga, de certa forma, demasiado para si. O que de fato ocorre é que esta criatura não teve força de mobilizar a sua vontade própria para enfrentar aquele desafio. Preferiu fugir, acreditando poder se libertar daquela situação. Só que não irá conseguir, pois a morte é apenas uma mudança de estado. A pessoa continua sendo a mesma, com os mesmos sentimentos e os mesmos problemas.

O mais grave é que o suicida acarreta danos ao seu perispírito. Quando voltar a reencarnar, além de enfrentar os velhos problemas ainda não solucionados, terá acrescido a necessidade de reajustar a sua lesão perispiritual.

Sabemos que a Terra não é lugar só de alegrias, pois encontramos aflições e lágrimas por todos os cantos e, por causa disso, muitas vezes, um sentimento de pesar toma conta de nossos pensamentos, e nos deixamos envolver na atmosfera de iniqüidade que nos rodeia, pela violência sem sentido, pela falta de respeito com a vida. Todavia, quando esse sentimento se fizer sentir em nossos corações, lembremo-nos de Jesus. Lembremos que a cada um será dado conforme suas obras e que cabe a nós, a cada um de nós, a construção de um planeta melhor, com mais amor, com mais fraternidade e mais tolerância de uns para com os outros. Estaremos, certamente, espantando de nossas mentes essas imagens desequilibrantes que desarmonizam nossa alma e nos fazem valorizar o que precisa e deve ser combatido com fé e com amor, através de pensamentos construtivos no bem.

A paz na Terra, é a paz da bem-aventurança prometida por Jesus, em nome de Deus e que já está sendo vivida por aqueles que irradiam, ao seu redor, uma atmosfera de amor para com todos; daqueles que são capazes de praticar o bem sem nada pedirem em troca; daqueles que podem dizer, ao se prepararem para dormir: Obrigado Jesus por ter podido ser útil ao meu próximo neste dia.

Temos então, a chegada de Jesus....o Natal.....
Natal significa nascimento de Jesus em nosso coração. Significa o nascimento da esperança, a cada dia, quando conseguimos compreender a semeadura de luzes que Jesus veio realizar em nós. E, quando nos dermos conta de que temos, ao despertar em cada manhã, infinitas possibilidades de trabalho para nossa elevação, e que, na realização delas, encontramos as sementes luminosas do Mestre clareando nossa caminhada, entenderemos o que significa comemorar o Natal, a cada novo dia, porque o estaremos realizando em nossos próprios corações.

Cada movimento que fazemos para nos elevarmos acima dos sentimentos egoístas que ainda nos comandam a vida, nos aproxima do Mestre Jesus. Cada vez que abaixamos os olhos e conseguimos ver nosso irmão necessitado, principalmente em nossos lares, tendo a coragem de estender-lhe a mão, reerguendo-o para que caminhe ao nosso lado, estamos fazendo Jesus nascer dentro de nós.

E, justamente por não compreendermos bem onde está Jesus, ficamos aguardando, tanto no Natal como todos os dias, que o Divino Amigo venha nos abençoar e atender nossas rogativas. Ficamos esperando que Ele desça até nós atendendo aos nossos desejos, enquanto o Mestre querido, pacientemente, permanece aguardando que, através das luzes dos Seus ensinamentos, subamos até Ele.

Que possamos todos, principalmente neste Natal, renovar nossas disposições de atender ao chamamento de Jesus: Vinde a mim vós que estais aflitos que eu vos aliviarei.(por Leda Maria Flaborea ) ((Segue))




Sites para referências:
http://www.psicosite.com.br/tex/hum/depressao_t.htm
http://www.mentalhelp.com/depressao.htm
http://www.espiritnet.com.br/Abertura/Ano2000/obsdep.htm
http://www.novaera.org.br/bol74/bol6.htm




Por Fiorella Romana
Estudos realizados no Chat Espírita do Terra
Para lê-lo na íntegra clique em Sob a Ótica Espírita.


Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: demis em 21 de Agosto de 2012, 14:19
 Temos de ter em atenção certas pessoas que vivem na solidão. São desprezados pela sociedade,ninguém quer ser seu amigo,não consegue encontrar o amor,nenhuma mulher gosta dele,nunca namorou nem sabe o que isso é.
 Posto isto o suicidio é uma hipótese viável e tenha talvez bastantes atenuantes.
 Os Espiritos disseram a Kardec que TODOS necessitamos de nos relacionar com os outros,não acontecendo isso tem algo que não está bem.
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: Mourarego em 21 de Agosto de 2012, 15:34
Muda o disco mano Demis!!!
Abraços,
Moura
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: demis em 21 de Agosto de 2012, 15:44
Muda o disco mano Demis!!!
Abraços,
Moura
Mano Moura:

 Eu mudo o disco mas tudo fica igual. Neste momento estou vivendo sozinho,ainda que temporariamente mas, sinto uma solidão enorme e aí fico pensando que vou passar o resto desta existência carnal na solidão. Eui não suportarei,é mau demais. Todo o dia me aparecem pensamentos suicidas,em toda a hora.

 Abraços,

 Demis
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: Mourarego em 21 de Agosto de 2012, 15:56
Mano Demis, deixe eu te dar uma dica:
Sabe aquelas músicas que se impregnam em nossa mente?
Pois é assim mesmo meu mano, quando eu digo "muda o disco' quero dizer mesmo que tente encontrar uma nova música, ou seja uma maneira de viver longe desta que lhe faz assim sentir-se mal, logo, o "disco" do qual eu falo é mesmo você em seu interior.
Assim, se a música que se "colou" em sua cabeça for "Ai se eu te pego ai ai ", mude-a, nem que seja por outra do mesmo naipe,  tipo "Tche terere tche tche", sacou?
Não tenha medo de mudar, não espere convites, vá a luta mano, corra atrás.
Pode ser que leves muitos nãos, porém, um dia a coisa engrena e tudo se modifica.
É assim que a banda toca mano!
Abraços,
Moura
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: Aimoré em 21 de Agosto de 2012, 16:00
Caro Demis,se você possuir o livro "o céu e o inferno" de Allan Kardec,dê uma olhada no capítulo V.Pode ajudá-lo, e esclarecer muitas dúvidas.Abraços.
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: macili em 21 de Agosto de 2012, 19:22
Olá Irmãos,


 (http://momento.sobaoticaespirita.com/iestrelas.gif)   Demis, peço licença para expressar a minha opinião...

 Irmão, você tem que praticar a sua Auto-Estima, ou seja, se amar mais, ser mais positivo, ter a fé raciocinada, sorrir para a vida, para a natureza, sorrir para as pessoas.

Sei que deve ser difícil "mudar o disco" conforme te orientou o nosso mano Mourarego, mas é necessário por demais.

Deus nos criou por amor e nos quer ver felizes.  Mas depende de nós principalmente acreditar nisto e caminhar pela vida mais esperançosos, aquecer mais nossos corações, permanecer mais abertos às boas energias e insistir na transformação moral.

Quando temos pensamentos sombrios ficamos tristes, conectados com energias e irmãos afins.  Como diz o ditado popular,  Quem semeia vento, colhe tempestade... Quem semeia felicidade, colhe alegria.

Li uma vez uma frase que gosto muito, não sei de quem é a autoria mas pratico isto em  minha vida...

"Acendamos lanternas de amor no percurso de nossa estrada evolutiva".

Pratique isto e aí vem a pergunta. - De que forma?
Se doando, servindo ao próximo, fazendo trabalhos na caridade, não espere ajuda faça você a sua parte e ajude você a tantos irmãos que necessitam de nosso auxílio, qualquer ajuda é sempre bem-vinda... e quando nos doamos acredite o retorno vem em forma de felicidade e a nossa alma irradia paz, agradecida pelas graças e ajuda recebidas.

Paz e luz em seu coração!  (http://momento.sobaoticaespirita.com/iestrelas.gif)
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: macili em 21 de Agosto de 2012, 19:33
[attachimg=1  align=center  width=500]




Depressão e Suicídio
(Parte III)




A depressão, abordada pela ótica espírita, tem um pouco do auxílio médico.

Falemos, então, sobre o comportamento depressivo.

A depressão é um mal-estar muito presente na civilização, neste fim de século. Grave é aquele processo depressivo que afeta, de diferentes maneiras, o humor, o pensamento, as funções corporais e o comportamento de uma pessoa.
Na depressão, muitas vezes, o pensamento se torna negativo em relação a si mesmo, ao presente e ao futuro. As pessoas deprimidas podem ter dificuldades para se concentrar e memorizar e com freqüência têm problemas para tomar decisões. À medida em que a depressão vai se tornando mais grave, pode ocorrer o sentimento de menosprezo e desespero. As pessoas que pensam que a vida não vale mais a pena ser vivida apresentam com freqüência idéias suicidas.
Acredita-se que a depressão seja causada por um desequilíbrio entre substâncias químicas cerebrais (neurotransmissores). Outros fatores fisiológicos seriam algumas doenças, vários remédios e também o álcool e outras substâncias das quais as pessoas abusam.

Dr. Eustáquio Portela Nunes, nos dá sua opinião, dentro do contexto social:
"A depressão é, para este final de século o que a histeria foi para seu início. Esse fato se deve às vertiginosas transformações operadas no período. A depressão resulta da ausência da esperança, da incerteza em relação ao que está por vir. Entre os deprimidos é onde ocorre o maior número de suicídios. O homem paga um alto tributo por ser o único animal que se angustia, uma sensação essencialmente ligada ao medo do futuro. É o único ser vivo na natureza que sabe que vai morrer e chega um momento, geralmente na idade média da vida, em que o presente cobra do passado os sonhos irrealizados e é nessa fase que a depressão encontra terreno fértil para se instalar".

Outro aspecto da depressão, uma sensação de perda de pontos de apoio, é semelhante à experimentada com a morte de entes queridos. A perda está vinculada a idéias de diminuição, subtração, desvalorização, que produzem um sentimento de tristeza, desânimo e desinteresse pela vida", analisa Dr. Washington Loyello.

"O amplo espectro de sintomas da depressão compreende tristeza, diminuição da vontade, sentimento exagerado de culpa, perda de perspectiva, desejo de fuga da vida, redução da mobilidade e da capacidade cognitiva, além de insônia ou hiperssonia".

Esses aspectos são abordagens psicossociais que a comunidade médica apresenta dentro de seu campo de ação. E o aspecto espiritual, seria relevante, no caso da depressão?

Sem dúvida, e a Doutrina Espírita nos coloca alguns pontos que, refletidos, leva-nos a considerar não somente os aspectos psicofísicos e sociais.
O princípio doutrinário da reencarnação nos permite raciocinar sobre a imensa bagagem da qual o espírito imortal é portador. Ora, essa bagagem tem conteúdo positivo e negativo que foi acumulado ao longo das vidas sucessivas. O espírito registra todo o seu quadro comportamental através do perispírito, que o intermedeia ao corpo físico.

Muitas seqüelas graves que se apresentam como doença no corpo são resultados de distúrbios comportamentais que se apresentaram no passado remoto ou recente. A depressão pode ser um quadro desses, agravado pelos agentes externos. O corpo físico somatiza desequilíbrios do espírito.

Há, ainda, o assédio espiritual de outros seres, já desencarnados, que a Doutrina Espírita caracteriza como processo obsessivo, influenciando aquele que já se encontra predisposto às influenciações dessa natureza.

Ou seja, o processo depressivo indica um espírito angustiado, que ainda não conseguiu achar um denominador comum nas suas ações, um espírito que se debate nas suas emoções sobre as quais perdeu o controle.

Utilizamos Joana de Ângelis para traduzir o pensamento espírita:

"O Espiritismo vem conclamando o homem para o respeito a Deus, a si mesmo, ao próximo, a todas as expressões vivas ou no que lhe constituem o ambiente em que está localizado, para aprender e ser feliz, assim adquirindo a sua plenitude.

Considerando a problemática humana, existente no próprio indivíduo -- o desconhecimento de si mesmo e tendo em vista os urgentes fatores que desencadeiam o sofrimento, arrastando multidões à sandice, ao desalento, à alucinação, às fugas inglórias pelo suicídio e pelos vícios, propõe que o homem conheça a si próprio a fim de se trabalhar.

Quase sempre as terapias tradicionais removem os sintomas sem alcançarem as causas profundas das enfermidades. A cura sempre provém da força da própria vida, quando canalizada corretamente".

Adquirir uma consciência responsável é meta nossa, na presente encarnação, o que nos facilitaria a educação do pensamento e a disciplina dos hábitos. Educar o pensamento é direcioná-lo de forma positiva, edificante, firmando-o em propósitos saudáveis. Um processo de autocura inclui, segundo ainda Joanna de Ângelis na mesma obra:

1) Observar o pensamento para que irradie energias positivas: - desejar a saúde. - concentrar na saúde. - visualizar a saúde.
2) Manter sintonia mental com Deus, fonte do poder.
3) Cuidar do aspecto físico: descanso, dieta, higiene, ordem nas atividades.
4) Canalização dos pensamentos e das emoções para o amor, a compaixão, a justiça, a equanimidade e a paz.

A obsessão é estudada em profundidade pelo Espiritismo -- fatores causais -- e a Casa Espírita propõe métodos corretos para atender os que se acham envolvidos. A desobsessão é terapia especializada da Casa Espírita mas o processo implica em reforma moral do obsedado.

O deprimido precisa curar a alma, a fim de que se instale a alegria, a paz, a saúde integral. É uma luta longa, mas o esforço para levá-la a termo construirá bases morais sólidas, naquele que se dispõe a realizar. "Se os médicos são malsucedidos, tratando da maior parte das moléstias, é que tratam do corpo, sem tratarem da alma. Ora, não se achando o todo em bom estado, impossível é que uma parte dele passe bem". (Joanna de Ângelis)

"A depressão tem a sua gênese no Espírito,que reencarna com alta dose de culpa, quando renteando no processo da evolução sob fatores negativos que lhe assinalam a marcha e de que não se resolveu por liberar-se em definitivo. Com a consciência culpada, sofrendo os gravames que lhe dilaceram a alegria íntima, imprime nas células os elementos que as desconectam, propiciando, em largo prazo, o desencadeamento dessa psicose que domina uma centena de milhões de criaturas na atualidade. A depressão instala-se, a pouco e pouco, porque as correntes psíquicas desconexas que a desencadeiam, desarticulam, vagarosamente,o equilíbrio mental. "

E um conselho amoroso nos diz: "Abre-te ao amor e combaterás as ocorrências depressivas, movimentando-te em paz na área da afetividade com o pensamento em Deus.

Agradecendo a Deus a benção do renascimento na carne, conscientiza-te da sua utilidade e significação superior, combatendo os receios do passado espiritual, os mecanismos inconscientes de culpa,e produze com alegria. Recebendo ou não tratamento especializado sob a orientação de algum facultativo, aprofunda a terapia espiritual e reage, compreendendo que todos os males que infelicitam o homem procedem do Espírito que ele é, no qual se encontram estruturadas as conquistas e as quedas, no largo mecanismo da evolução inevitável. (Mensagem extraída da obra "Receitas de Paz")

Há outro aspecto muito interessante , abordado pelo Espírito François de Genève , no capítulo V , de "O Evangelho Segundo o Espiritismo":
"Sabeis porque , às vezes , uma vaga tristeza se apodera dos vossos corações e vos leva a considerar amarga a vida? É que o vosso Espírito , aspirando à felicidade e à liberdade , se esgota , jungido ao corpo que lhe serve de prisão , em vãos esforços para sair dele. Reconhecendo inúteis esses esforços , cai no desânimo e , como o corpo lhe sofre a influência , toma-vos a lassidão , o abatimento , uma espécie de apatia e vos julgais infelizes.

Crede-me , resisti com energia a essas impressões , que vos enfraquecem a vontade. Lembrai-vos de que , durante o vosso degredo na Terra , tendes que desempenhar uma missão de que não suspeitais , quer dedicando-vos à vossa família , quer cumprindo as diversas obrigações que Deus vos confiou . Se , no curso desse degredo-provação , exonerando-vos dos vossos encargos , sobre vós desabarem os cuidados , as inquietações e tribulações , sede fortes e corajosos para os suportar."

E como superar as variações de humor , mantendo a serenidade e a paz em todas as situações ? O apóstolo Paulo , orientando a comunidade cristã , em relação aos testemunhos necessários , ressalta bem isso , ao proclamar , na Epístola aos Felipenses (4:8 ): "Tudo o que é verdadeiro , tudo o que é respeitável , tudo o que é justo , tudo o que é puro , tudo o que é amável , tudo o que é de boa fama , se alguma virtude há e se algum louvor existe , seja isso o que ocupe o vosso pensamento".

Uffa......nem é preciso que se diga mais nada, muito embora o tema seja vastíssimo e impossível de ser abordado com tamanha rapidez! Gostaria que, assim que fosse possível e, do interesse dos presentes, que fosse acessada esta página:

http://www.sosdepressao.com.br/abordagem.htm#informe%203 .

Aqui, os irmãos em Cristo, encontrarão os textos acima e muito mais acerca da depressão, suas formas de atuação, cura e remissão. Acessem o site, pode não ser para si próprios, mas pode ser para algum próximo, mais próximo do que imaginas!!


 


Por Fiorella Romana
Estudos realizados no Chat Espírita do Terra
Para lê-lo na íntegra clique em Sob a Ótica Espírita.

 


Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: Bianca Perucia em 21 de Agosto de 2012, 19:53
Demis,
Vou contar uma coisa para vc:
Dos meus 16 aos quase 18 anos vivi uma enorme depressão. Passava semanas sem sair de casa, dormia durante o dia, passava as noites acordada, não queria ver ninguém, estar com ninguém, era uma excelente aluna, deixei de conseguir estudar direito, emagreci, caiu metade do meu cabelo! Tinha muitos pensamentos suicídas. Não era feia, já tinha tido namorado (e um bem cobiçado pelas meninas do colégio rsss), mas não conseguia ter vida social, amigos, sair. Me lembro de estar numa discoteca (danceteria)e pensar "quando chegar em casa vou me matar", graças a Deus estou aqui...

Fiz tratamento psicoterapeutico com um médico fantástico que entendeu que eu não tinha problemas psiquiátricos,mas sim algo espiritual... nunca tomei um único medicamento, apenas fiz análise durante dois anos.

Nunca mais tive depressão.

Eu sei o que vc sente, acredite que sei!

Consulte um psiquiátra, vá a um centro espírita, saia de casa! Arranje um cachorro e vá passear com ele! Comece fazendo coisas sózinho, mas fora de casa! Não se entregue! Os amigos vão aparecendo e quando vc menos esperar, pinta uma menina legal, mas não procure, não precise disso, não corra atrás!

Fique bem ;)
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: Cícero Benedito de Arruda em 22 de Agosto de 2012, 01:45
Temos de ter em atenção certas pessoas que vivem na solidão. São desprezados pela sociedade,ninguém quer ser seu amigo,não consegue encontrar o amor,nenhuma mulher gosta dele,nunca namorou nem sabe o que isso é.
 Posto isto o suicidio é uma hipótese viável e tenha talvez bastantes atenuantes.
 Os Espiritos disseram a Kardec que TODOS necessitamos de nos relacionar com os outros,não acontecendo isso tem algo que não está bem.

Caríssimo Irmão Demis, permite-me entrar, um minuto, em tua colocação sobre o suicídio, tá? Olha, senta-te num cantinho bem confortável e silencioso e imagina o seguinte: Penso que estou só, mas não estou: Deus está pertinho de mim, observando se faço uso de todas as minhas forças para ser dono de mim mesmo e conhecê-LO através do que eu chamo de solidão. E, então, ouvirás a voz do silêncio que, falando ao coração, te dirá que essa solidão só existe porque deixas que ela exista.  O fato de não teres contigo uma companheira não significa que estás só! Olha o nascer do sol e a luz que irradia toda a face da terra vista por ti. Olha o presente que Deus te dá, com o espetáculo da natureza que, em silêncio te diz o quanto te ama! Escuta a voz do vento cochichando em teu ouvido te dizendo que aí está para que tenhas o direito de respirar, gratuitamente, e o tempo que quiseres! Observa os piongos da chuva mostrando que, em conjunto, mesmo sem se tocarem, formam um todo que ,olha aterra dando-lhe forças para viscejar. Aí, Irmão, a felicidade está dentro de ti! Na luz do dia para o trabalho, no escuro da noite para o descanso,  na voz do vento para te acalentar, nas estrelas para enfeitar o teu pedacinho de firmamento, rico de luzes.
Lembra-te: Deus nunca nos abandona. Nós é que O abandonamos com as nossas fraquezas, desvarios e desânimos. Bastará um simples lampejo de teu pensamento em Sua grandeza, um grito forte vindo do fundo do teu coração e aí estará Ele provando que está mais perto de ti do que imaginas! Experimenta e verás! Não te esqueças: Nunca estás sozinho. Cuida de fortalecer esse corpo e essa vida que te foram dados por Deus e verás o bem que terás feito para ti e para todos os que te acompanham neste planeta! Que a Paz do nosso querido e Divino Mestre Jesus seja a força que te faça levantar e caminhar no sentido de viver até o último momento que te foi concedido pelo Criador!
Abraços fraternos,
Cícero. 
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: macili em 22 de Agosto de 2012, 03:59
Boa noite queridos Irmãos,


Agradeço a bênção enviada através de Sophiadaluz e de Cícero, que com todo o amor que transborda de seus corações, carinhosamente contribuiram com suas experiências aliadas a palavras de incentivo e de conforto aos necessitados.


Como é bom perceber essa União que une as almas que tanto necessitam de auxílio, de atenção, de companhia, de solidariedade, de amor.


Graças a Deus!




[attachimg=1  align=center  width=500]




Depressão e Suicídio
(Parte IV)




O suicídio, uma das conseqüências da depressão, será analisado pela sociedade.

Pela ótica da sociedade, fomos buscar as palavras de uma entidade que, desde 1962, buscar oferecer a Valorização á vida. Esta entidade, denomina-se CVV - Centro de Valorização á Vida e foi criado tomando-se como base 'Os Samaritanos', entidade criada em Londres lá pelos idos de 1935, através da figura de um Reverendo chamado Chad Varah.

O CVV, hoje, está espalhado por todo o Brasil e pode ser melhor conhecido através do site: http://cvv.com.br .

Vejamos o que a experiência deste grupo de quase meia década, pode nos ofertar:

1-As pessoas que nos procuram estão esgotadas emocionalmente pela falta de sentimentos, pela frieza, pela insensibilidade delas próprias e daqueles com os quais convivem.

2-Todos estão cansados de 'deixar o barco correr', de 'tirar o time de campo' para não serem esmagados pelos adversários, de 'manter a cabeça fria'.

3-Aprendemos a nos recolher dentro de nós próprios para fugir ao excesso de exigências da publicidade, da indústria, dos artigos fabricados em série e do nosso próximo.

4-Muitas vezes, só resta a violência contra os outros ou elas próprias como única forma de comunicar os sentimentos.

5-O principal problema do homem na atualidade é o vazio interior e a solidão. Eles surgem sempre quando estacionamos em nós mesmos, quando não caminhamos em direção a coisa alguma, quando não agimos positivamente para dar e receber do mundo o que nos é necessário.

6-A pessoa que pensa em suicídio é uma pessoa solitária. Ela pode estar no meio de uma grande multidão, ou de uma grande família, mas sente-se só, isolada. O suicídio pode ser classificado como um gesto de comunicação. O último gesto de comunicação de um indivíduo, gesto desesperado e violento(...)

7-Suicídio é auto-assassinato. É a agressividade, o ódio que nós sentimos contra os outros, voltado para nós mesmos. Contudo, embora à primeira vista se tenha a impressão que o gesto suicida surge repentinamente, isto não é correto. Meses e anos de sofrimento são necessários até que o desejo de morrer supere o forte impulso para a vida(...)

8-Existem sim, fatores desencadeantes para o gesto suicida. Isto é, a 'última gota' de um longo processo de auto-destruição. São fatores desencadeantes e não geradores do suicídio. Ou seja, o indivíduo que se mata após ter sido demitido, não está se matando pela demissão - esta apenas serviu como a última gota para o gesto tresloucado!!

9-Conhecemos alguns fatos e fábulas, a saber:

9a-Fábula: O Suicído está no Sangue. Fato: a ciência tem mostrado que quando várias pessoas se matam em uma mesma família isto não ocorre em razão da hereditariedade. Na verdade, aqueles que ficam, sentem-se culpados por não terem feito nada, não conseguem viver sem a outra pessoa e acabam repetindo o gesto, quando não encontram ajuda para superar esses sentimentos.

9b-Fábula: A pessoa que fala em Suicídio não se Mata. Fato: em cada 10 pessoas que se mataram, 8 disseram que o fariam.

9c- Fábula: O Suicídio ocorre sempre sem aviso. Fato: As pessoas que se matam dão sempre muitos avisos. Acontece que os demais não acreditam, não percebem ou não entendem estes avisos. Geralmente, são avisos indiretos.

9d- Fábula: Uma pessoa que já pensou em Suicídio, será sempre candidato a ele. Fato: Qualquer pessoa pode, em certas circunstâncias, pensar em suicídio. Superada a fase, ela será uma pessoa como outra qualquer.

9e- Fábula: A pessoa que se mata estava decidida a morrer. Fato: Ao lado do desejo de fugir da vida, existe sempre a poderosa força que impulsiona todos nós para ela. É o chamado instinto de conservação!

10-O suicídio não é apenas o enforcar-se ou jogar-se de uma janela. Existem pequenas formas de buscarmos o suicídio e que muitos não identificam como tal: dirigir em alta velocidade - beber compulsivamente - fumo ..... Quais outras formas de suicídio, gradativo, podemos enumerar?

11- Finalizando a parte de como o suicídio é visto pela sociedade, de uma maneira geral, as pessoas querem saber se o suicida é alguém que foi covarde ou corajoso. Grande perda de tempo.....o serzinho que se suicidou, foi, antes de tudo, alguém que tentou se expressar, tentou existir e subsistir em um mundo que para ele, era frio e insensível, e que não conseguiu forças para tanto.

Muito embora queiramos analisar apenas pela ótica da matéria, precisamos ressaltar aos irmãos em Cristo:

A ilusão do suicida é de que, com a extinção do corpo, cessam problemas e dores, mas a palavra de André Luiz, revestida da melhor essência doutrinária, informa que sai ele do sofrimento, para entrar na tortura...

Se pudessem os homens levantar uma nesga da Vida Espiritual e olhar, à distância, as cenas de torturante sofrimento a que são submetidos os suicidas, diminuiriam, por certo, as estatísticas, mesmo nos mais conturbados e infelizes continentes.

O Espiritismo, descortinando tais horizontes, dizendo aos homens que a vida é patrimônio de Deus, que lhes não cabe destruir, cumprirá na Terra sua augusta missão de acabar com os suicídios.



- Continua -
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: macili em 22 de Agosto de 2012, 04:11
[attachimg=1  align=center  width=500]


(Continuação)


Depressão e Suicídio
(Parte IV)



E todos irão me perguntar: mas como o espiritismo fará isso??? Eis que vem, nosso último tópico: a Benevolência Divina - a vinda de Jesus.

Emmanuel e Chico nos alertam:

Reflete na Benevolência Divina para que a tua passagem na Terra não se transforme em agressivo espinheiro de ironia e desilusão.

O Evangelho de Lucas, no capítulo 2, v.14, conta do aparecimento de um anjo aos pastores, enviado por Deus, anunciando a presença de Seu Filho, o Cristo, ungido por Ele, nosso Pai Celestial, com a missão de trazer a todos os homens a Sua paz.

Glória a Deus nas Alturas, paz na Terra e boa vontade para com os homens, nos disse o Emissário Celeste, conduzindo os pastores, que guardavam seus rebanhos durante a noite, a buscarem a luz da estrela que ficaria brilhando para sempre em nossos corações.
Na verdade, louvamos ao Pai nas Alturas Celestes por nos ter enviado o Messias, o Cristo. Mas, também é verdade que, ainda hoje, não conseguimos entender seus ensinamentos e por essa razão a mensagem do anjo não se concretiza. Não temos ainda condição de, através de Jesus, estabelecermos a paz na Terra porque não conseguimos ter boa vontade uns com os outros. Ou será que o anúncio da boa vontade a que o anjo se referiu é a boa vontade de Deus para com os homens ao nos enviar Jesus?

É importante refletirmos sobre isso para que não repitamos as palavras do anjo, apenas em cartões de Natal, que enviamos, às vezes, por simples obrigação, mas, sim, porque desejamos realmente compartilhar a alegria desse dia.

É necessário repensarmos nossos sentimentos nesta ocasião porque Natal significa nascimento e nascimento quer dizer renovação, recomeço ou, talvez, apenas começo. Começo de nova caminhada, de novos entendimentos, de nova compreensão do porquê estarmos aqui, de quais são nossas tarefas, de quais são nossas reais necessidades, de procurarmos descobrir com vontade firme e perseverança nossas capacidades interiores de sermos pessoas melhores, de aprendermos a ser mais tolerantes, mais misericordiosos, mais companheiros dos nossos companheiros de jornada, porque nunca caminhamos sozinhos.

De sermos também mais indulgentes com quem nos magoa, mais generosos conosco ao pararmos de nos sentir culpados por termos escolhido caminhos tortuosos que ignorávamos não deveriam ser percorridos.

Desconhecíamos, antes, a Lei Divina de que tudo que fizermos aos outros, a nós retorna. Porém, hoje, mais conscientes dos nossos deveres morais para com nossos companheiros de caminhada evolutiva, já não cometemos tantos equívocos. Apesar de ainda termos dificuldades para perdoar, de não conseguirmos nos desprender de preconceitos, de ainda sermos intolerantes para com aqueles que não atendem nossos desejos, de ainda nos julgarmos mais importantes que os outros, por razões que perante as Leis de Deus, não têm nenhuma importância, já somos capazes de pequenas renúncias em favor dos nossos filhos e de nossos entes amados.

Algumas vezes dizemos: Mas, falta tanto! É verdade, mas também é bom olharmos o quanto já caminhamos. Basta voltarmos nossos olhos para trás e, voltando no tempo, percebermos as grandes mudanças na nossa maneira de conduzir a vida.

Natal significa nascimento, nosso nascimento a cada dia que amanhece. Assim como a luz do Cristo brilhou para nós com Sua vinda, a cada manhã a luz da renovação brilha em nossos corações nos convidando ao aperfeiçoamento e à iluminação. E que renovação é essa a qual somos convidados a realizar cada dia? Que luz é essa que sentimos brilhar dentro de nós e que nos fortalece para que comecemos nossa jornada com ânimo e alegria?

A resposta a essas perguntas encontramos dentro de nós próprios, na certeza de que somos amparados, de que apesar das dificuldades de cada dia, colheremos o fruto da nossa sementeira de lutas. Mas, para que isso aconteça, é preciso que tenhamos fé. Não aquela fé de quem hoje crê - porque tudo está bem e está relativamente feliz e em paz - e amanhã não crê porque a dificuldade lhe bate à porta, chamando-o para a luta redentora. Estamos falando da fé de quem sabe que pela Bondade Divina temos Jesus ao nosso lado, nos sustentando através do Seu Evangelho de Luz e de Amor.

Sabemos que a Terra não é lugar só de alegrias, pois encontramos aflições e lágrimas por todos os cantos e, por causa disso, muitas vezes, um sentimento de pesar toma conta de nossos pensamentos, e nos deixamos envolver na atmosfera de iniqüidade que nos rodeia, pela violência sem sentido, pela falta de respeito com a vida. Todavia, quando esse sentimento se fizer sentir em nossos corações, lembremo-nos de Jesus. Lembremos que a cada um será dado conforme suas obras e que cabe a nós, a cada um de nós, a construção de um planeta melhor, com mais amor, com mais fraternidade e mais tolerância de uns para com os outros. Estaremos, certamente, espantando de nossas mentes essas imagens desequilibrantes que desarmonizam nossa alma e nos fazem valorizar o que precisa e deve ser combatido com fé e com amor, através de pensamentos construtivos no bem.

A paz na Terra, é a paz da bem-aventurança prometida por Jesus, em nome de Deus e que já está sendo vivida por aqueles que irradiam, ao seu redor, uma atmosfera de amor para com todos; daqueles que são capazes de praticar o bem sem nada pedirem em troca; daqueles que podem dizer, ao se prepararem para dormir: Obrigado Jesus por ter podido ser útil ao meu próximo neste dia.

Não nos esqueçamos de belos testemunhos, trazidos por Francisco Xavier:

Tomé nos diz que Jesus nasceu naquele dia inesquecível em que ele me pediu para tocar as suas chagas e me foi dado testemunhar que a morte não tinha poder sobre o filho de Deus. Só então compreendi o sentido de suas palavras: - Eu sou o caminho, a verdade e a vida.

Bezerra de Menezes sabe sobre o nascimento de Jesus: - Jesus nasceu no dia em que desci as escadas da Federação Espírita Brasileira e um homem se aproximou dizendo: - Vim devolver-lhe o abraço que me deste em nome de Maria, porque renovei minha fé e a confiança em Deus. Foi naquele instante que percebi a Sua misericórdia e o Seu imenso amor pelas criaturas.

Maria de Nazaré com seu generoso coração materno. nos diz que: -Jesus nasceu em Belém, sob as estrelas, que eram focos de luzes guiando os pastores e suas ovelhas ao berço de palha. Foi quando o segurei em meus braços pela primeira vez e senti se cumprir a promessa de um novo tempo através daquele Menino que Deus enviara ao mundo, para ensinar aos homens a lei maior do amor.

Portanto, meus amigos, Deus tem  feito presente em nossa vida a generosidade, a bondade, a benevolência e o amor!! Agora, pergunto-vos, para que respondas, lá no íntimo de vossa alma, quase que diariamente: - E para você, quando e onde nasceu Jesus? Ele, realmente, já nasceu? Se encontrastes a Luz a te guiar, com certeza Ele é nascido dentro de ti!! Esforcemos-nos para conquistar esta Luz a nos guiar!! É presente de Deus, aos homens de boa vontade!!




Referências para o Estudo:
1- O Evang. Segundo o Espiritismo -- Allan Kardec -- Introdução -- item XIX -- resumo da Doutrina de Sócrates e Platão-FEB).
2- Livro Receitas de Paz
3- Livro Uma Razão Para Viver
4- www.sosdepressao.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5zb3NkZXByZXNzYW8uY29tLmJy)
5- http://cvv.com.br
6- Mensagem psicografada por Chico Xavier - Viajor - Emmanuel
7- Evangelho Segundo o Espiritismo
8- Textos diversos sobre o Natal




Por Fiorella Romana
Estudos realizados no Chat Espírita do Terra
Para lê-lo na íntegra clique em Sob a Ótica Espírita.
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: Mariazinha C.Valenti em 22 de Agosto de 2012, 15:12
Caro amigo ;Demis.
Compreendo o teu problema do momento e sei que voce deve estar sofendo muito, porém temos que estar conscientes de que fomos criados por Deus para vencer e não para fracassar por isso, temos que lutar convictos de que temos força para vencer,  e vamos vencer. Ligue-se ao teu Anjo Guardião e lutem juntos.  E boa sorte               Um abraço amigo   -   Mariazinha
Título: Re: Depressão e Suicídio
Enviado por: macili em 23 de Agosto de 2012, 01:52
Boa noite queridos Irmãos e Irmãs...


A Irmã Mariazinha agradeço a mensagem aqui deixada, com palavras confortadoras e animadoras direcionadas ao nosso Irmão Demis.


Que Jesus nos cubra de amor e de luz!





[attachimg=1  align=center  width=500]



Gêneses de Suicídios
(Joanna de Ângelis)




A tristeza que agasalhas, levando-te à mortificação interior, de que não te consegues libertar, é fator destrutivo nos alicerces da tua personalidade.

A mágoa, que conservas como ácido que te corrói os tecidos do sentimento, constitui morbo que em breve terminará por vencer as tuas resistências.

A rebeldia sistemática, a que te agrilhoas, transformará as tuas aspirações duramente acalentadas em resíduos de infelicidade e tormento infindável.

Defrontas os problemas que se manifestam no teu dia-a-dia entre a irritação e o desespero, estabelecendo matrizes de aflições que te conduzirão ao auto-aniquilamento.

Suicida não é somente aquele que, acionado pelo desconcerto da emotividade se arroja no despenhadeiro da auto-destruição física.



Esta melancolia que te busca os painéis da mente, tecendo as malhas da depressão, é sinal de alarme que não podes desconsiderar.

Essa aflição que se agiganta, dominando-te o equipamento nervoso, convida-te a uma mudança de atitude, que não deves postergar.

Isto que te consome, desaparecendo e ressurgindo em roupagens de configuração nova, é desafio que deves enfrentar com estoicismo, para saires da desarmonia.

Mil pequenas injunções contra a tua saúde emocional e mental, que deves rechaçar antes que sejas colhido pelo infortúnio da desencarnação injustificável e precipitada.



Sejam quais forem os fatores afligentes ou depressivos que te cheguem, invitando-te ao cultivo do pessimismo ou da irritabilidade, não devem encontrar guarida nos teus painéis mentais.

Dor e saudade aferem a força do valor moral de cada um de nós.

Enfermidade e desencarnação constituem fenômeno natural no processo biológico em que te encontras situado.

Problemas e dificuldades representam prova com que crescemos na direção da vida.

Desse modo, realiza a assepsia mental pela preservação do otimismo e da irrestrita confiança em Deus.



Quando a vida te parecer sem objetivo e estiveres a ponto de cair, renova os teus conceitos e ora, buscando a divina inspiração, haurindo, então, a força que te propiciará sair do ocaso emocional e transformará os teus problemas em ação de benemerência para os teus irmãos, descobrindo, por fim, que a linguagem universal do bem é a terapia preventiva e curadora para o suicídio e a loucura.





pelo espírito Joanna de Ângelis
Livro: Alerta, psicografia de Divaldo Pereira Franco.