Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Livros Espíritas => Tópico iniciado por: Carmen.gbi em 24 de Outubro de 2009, 01:32

Título: Em busca da verdade – Joanna de Ângelis
Enviado por: Carmen.gbi em 24 de Outubro de 2009, 01:32
     Oi, Amigos

Vou postar aqui um trecho do livro 'Em Busca da Verdade" de Joanna de Ângelis/ Divaldo Franco.
Fazemos um estudo desse livro e muitas são as dúvidas que aparecem. Sei que muitos   de vocês já o leram e seria bom se compartilhassemos de nossas interpretações e dúvidas.



                                      Estrutura Bipolar do Ser Humano

          O objetivo essencial da existência humana , do ponto de vista psicológico, na visão Junguiana, é facultar ao indivíduo a aquisição da sua totalidade, o estado numinoso, que lhe faculta o perfeito equilíbrio dos polos opostos.
          Jung havia estabelecido que o ser humano é possuidor de uma estrutura bipolar , agindo entre esses dois diferentes estados da sua constituição psicológica, qual ocorre com os arquétipos anima e animus.
          Toda vez que lhe ocorre uma aspiração , o polo oposto insurge-se , levando –o  ao outro lado da questão.
          Qualquer comportamento de natureza unilateral logo desencadeia uma reação interna , inconsciente , em total oposição àquele interesse.
          Quando o indivíduo se exalta em qualquer forma de personalismo está mascarando a outra natureza que também lhe é inerente.
          Se se atribui virtudes relevantes , eles são defluentes de fantasias internas do que gostaria de ser, sem que o haja conseguido.
          Um eu opõe-se ao outro eu em intérmina luta interior. Um é consciente , vigilante; o outro é inconsciente , adormecido, que desperta acionado pelo seu oposto. Um se encontra na razão ; o outro, no sentimento  ou vice-versa. A não vigilãncia e não saudável administração desse opositor se apresenta como desvario , que impede o raciocínio lúdico, a presença da razão.
          Esse ser duplo é constituido, ora como resultado do conhecimento adquirido, de ex periência vivenciada, enquanto o outro é de total desconhecimento , permanecendo oculto sempre à espreita.
          O nobre Jung utiliza-se de imagem carregada de lógica moderna , quando esclarece: - o ser humano  vive como alguém cuja mão não sabe o que a outra faz , o que induz à recordação do pensamento de Jesus, quando se refere à excelsa ação da caridade: dai com a mâo direita , sem que a esquerda o saiba.
          Conhecia Jesus as duas polaridades psicológicas do ser humano e , por isso, incitava-o a amar tão profundamente que o seu gesto de afeição sublime e consciente estivesse em plena concordância com os seus arquivos inconscientes.
          Stevenson, o inspirado poeta inglês , bem traduziu esses dois polos na sua obra genial “o médico e o monstro” , quando o Dr. Jekil era vítima do Sr. Hide que coabitava com ele no seu mundo interior , expressando toda a inferioridade que o médico buscava superar no seu ministério sacerdotal.
          Na tradição religiosa , expressam-se como o bem e o mal, ou o anjo e o demônio , continuando na feição sociológica em conceituação do certo e do errado, da treva e da luz. do belo e do feio.
          Essa dicotomia psicológica permanece no ser humano em desenvolvimento emocional e espiritual.
          O esforço terapêutico a desenvolver , deve ser todo voltado para a integração do outro polo, o oposto , naquele que está consciente e é relevante produtivo, saudável, caminho seguro para a completude.
          O esforço consciente do indivíduo para autopenetrar-se, autoconhecer-se , como resultado das tensões dos polos ativados pelo interesse da integração , induz o indivíduo a um comportamento gentil, afável , compreensível das dificuldades e limitações do seu próximo.
          Enquanto , porém, permanece essa dissociação , essa fragmentação, esse desconhecimento da consciência , invariavelmente se tomba na cisão da personalidade, da qual inrompem os transtornos neuróticos que atormentam , aumentando a distância entre os atos conscientes e inconscientes.
          Jung sugere os símbolos como representação dos conflitos que se estabelecem nas oposições dos mesmos, encarregados de os unir e formar uma realidade , como se observa na cruz , cujos braços tem o seu ponto de segurança no centro em que se encontra a haste vertical com a horizontal, representando a segurança , a unidade daqueles contrários...
          Nesse  sentido , o emérito mestre suíço recorre ao comportamento do cristão na sua rendição à Divindade, sem esfacelar-se nela , mas tornando-se um eleito, capaz de conduzir o próprio  fardo a própria cruz.
         Pessoas inexperientes quando se dão conta dos opostos no seu mundo interior , afligem-se desnecessariamente , formulando conceitos indevidos e punitivos , como se as manifestações do inconsciente signifiquem inferioridade , promiscuidade , dando origem  a culpas injustificáveis pelo fato de existirem.
         Supõem, precipitadamente, que podem forçar a mudança , tornando-se puras , embora os conflitos , culminando em descobrimentos dolorosos de existências vazias.
         Esse s conflitos não devem ser combatidos como inimigos num campo de batalha , mas atendidos, orientados, esclarecidos, libertando-se deles pela sua conscientização , de forma que a autoconsciência experimente bem-estar pela conquista realizada interiormente.
         É comum a ocorrência de pensamentos infelizes no momento da oração , da meditação, o que não é habitual noutras ocasiões gerando inquietação e mal-estar.
         Ocorre que, estando arquivados  no inconsciente , quando esse é ativado pelo polo  edificante, logo o outro descerra a sua cortina e libera o adversário.
         A atitude a tomar com tranquilidade consiste em permanecer não reativo, insistindo no propósito ora em vivência até a unificação dos oponentes.
         A fragmentação leva ao desfalecimento,à perda do entusiasmo.
         Um eu em luta contra o outro eu deteriora o sentimento ou aturde a razão.

                                            Joanna de Ângelis/Divaldo Franco

     


   


   
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Gera em 29 de Outubro de 2009, 22:17
Companheira em tese qual é o mais desenvolvido o consciente ou o inconciente?
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: parajoao em 29 de Outubro de 2009, 22:38



                                      Estrutura Bipolar do Ser Humano
         A atitude a tomar com tranquilidade consiste em permanecer não reativo, insistindo no propósito ora em vivência até a unificação dos oponentes.
         A fragmentação leva ao desfalecimento,à perda do entusiasmo.
         Um eu em luta contra o outro eu deteriora o sentimento ou aturde a razão.

                                            Joanna de Ângelis/Divaldo Franco[/b][/color]
    


   
Nos leva a entender que devemos trabalhar esta bipolaridade de modo a não deteriorar o sentimento nem aturdir a razão.

 
João B. G. Mendonça
[/quote]
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: selma costa em 29 de Outubro de 2009, 22:57
Companheira em tese qual é o mais desenvolvido o consciente ou o inconciente?
..... au acho que e o inconciente, nâo tenho certesa estou aki tb para apreder.  abraços fraternos...selma
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 31 de Outubro de 2009, 14:41


Oi, amigos

Bom dia!

Gera, João e Selma , seguem aqui alguns trechos que achei interessantes,baseados em Carl Jung, sobre consciente e inconsciente, que poderão nos acrescentar algo mais no entendimento ao  livro de Joanna.


O inconsciente, Gera, ainda se divide em: inconsciente individual e inconsciente coletivo.
Vamos ver se conseguimos ver qual o mais desenvolvido, se é que há .






"A forma do mundo em que o homem nasceu já está dentro dele como imagem virtual". (Carl Jung)

Jung era um jovem psiquiatra de Zurique na época em que conheceu e ficou fascinado por Freud, na primeira metade do século passado. A admiração mútua durou pouco mais de uma década, tendo os dois rompido relações por incompatibilidades pessoais e intelectuais, principalmente pela rejeição de Jung ao pansexualismo de Freud. Para Jung, o comportamento humano é condicionado não somente pela sua história individual e racial (causalidade), mas também pelos seus alvos e aspirações (teologia). O passado como realidade, e o futuro como aspiração/potencialidade, dirigem o comportamento presente.

"O indivíduo vive para os alvos, assim como pelas causas". (Carl Jung)


EGO OU MENTE CONSCIENTE

É o responsável por nossos sentimentos de identidade e continuidade e, do ponto de vista da própria pessoa, é encarado como sendo o centro da personalidade. O budismo procura justamente aniquilar o ego, essa falsa percepção de identidade. O ego não foi produzido pela natureza para seguir ilimitadamente os seus próprios impulsos arbitrários, e sim para ajudar a realizar, verdadeiramente, a totalidade da psique (A estrutura mental ou psíquica de um indivíduo. Jung a considera equivalente ao self, que é a personalidade total). Se, por exemplo, possuo algum dom artístico de que meu ego não está consciente, este talento não se desenvolve e é como se fora inexistente. (Assim como uma semente é uma árvore em potencial, e se não houver uma força interna que faça essa semente germinar (dependendo de fatores externos, também), buscar com as raízes o solo macio, inclinar-se para o sol, etc. essa árvore não vai passar nunca de uma semente. Esta ação interna é o ego).
O ego é o boi, é a tração. Mas não confunda: o boi não guia, é guiado pelo cocheiro, mas na maioria das vezes deixamos o boi tomar o rumo que quer.



INCONSCIENTE INDIVIDUAL

Onde ficam as experiências que foram reprimidas, suprimidas, esquecidas ou ignoradas, e também experiências muito fracas para marcar a consciência do individuo. É aí que se encaixam os complexos, que são grupos organizados de sentimentos, percepções e memórias, que ficam no inconsciente, mas atuando de forma determinante no consciente, podendo atuar até mesmo como uma personalidade autônoma, usando a psique para seus próprios fins.



INCONSCIENTE COLETIVO

É o alicerce de toda a estrutura da personalidade. Sobre ele estão erigidos o ego, o inconsciente individual e todas as outras aquisições individuais. Jung vê a personalidade como um produto do passado ancestral, sendo o homem moderno concebido e moldado pelas experiências acumuladas de gerações passadas, recuando até as origens obscuras e desconhecidas da humanidade. Segundo ele, o homem nasceu com muitas predisposições (legado de seus ancestrais) que dirigem sua conduta e determinam, em parte, aquilo de que ele tomará consciência e a que responderá em seu próprio mundo de experiências. Ou seja, uma personalidade coletiva, que atua seletivamente no mundo da experiência e é modificada e elaborada pelas experiências que recebe (assim como o conceito de egrégora, só que no caso de Jung, mais determinante, e menos intuitiva). Uma personalidade individual, nesse caso, seria o resultado da interação de forças internas e externas. Mas ele deixa espaço para a individualidade, pois se assim não fosse, não haveria lugar para a variação e o desenvolvimento. O inconsciente coletivo, na verdade, é uma abordagem mais científica para a reencarnação (tema carregado de profundo significado religioso e Tabu até hoje para os cientistas) que Jung conhecia bem, mas preferiu deixar de fora de suas conclusões. Ele narrava que, nas suas viagens pela Europa, antes de chegar a determinado lugar, tinha a impressão nítida de que antes houvera estado ali. Conhecia detalhes, hábitos, cultura, e, ao chegar, para sua surpresa, verificava que aquela percepção era verdadeira. Naturalmente, sua abordagem foi psicanalítica.[/b]
                                

FONTE : http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=3396 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3NvbW9zdG9kb3N1bS5pZy5jb20uYnIvY29udGV1ZG8vY29udGV1ZG8uYXNwP2lkPTMzOTY=)



                                                        Carmen
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: parajoao em 31 de Outubro de 2009, 19:28
"O budismo procura justamente aniquilar o ego, essa falsa percepção de identidade. O ego não foi produzido pela natureza para seguir ilimitadamente os seus próprios impulsos arbitrários, e sim para ajudar a realizar, verdadeiramente, a totalidade da psique (A estrutura mental ou psíquica de um indivíduo."

Daí aniquilar o ego, não seria um intento acertado, não é mesmo?

INCONSCIENTE INDIVIDUAL   Estará aí inserido a mdeiunidade?

João
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Cleildo Oliveira em 01 de Novembro de 2009, 19:00
Olá, Carmem, como você sabe, este é um dos temas que mais me chama atenção!
Tenho minho minha opinião a respeito porém minha maior dificuldade é expressar meus pensamentos sobre minha concepção, mas tentarei, espero que consiga torna-la compreensível.
Na minha concepção, somos parto do TODO, (Deus) e assim sendo domos partes um do outro, ainda não consegui entender porque resolvemos entrar nesta jornada a qui na terra experenciando o desenvolvimento Animal (nós encarnados), por que digo isso? acredito que somos Espíritos (Anjos) assim como acredito que aqueles a quem muitos chamam de Anjos da guarda, Anjos Portetor, ou guia Espiritual, são aqueles que não tomaram partida nessa jornada mas que ficaram para nos orientar, (tentando sempre nos lembrar quem somos nós), porém sem interferirem em nossa decisões e a isso eu chamo de "EU" ou seja a via de comunicação com a "Fonte Maior".
Bom, uma vez nessa jornada citada por mim no início, (repito não, ainda me é muito confuso essa parte porque envolve outros assuntos que vai desde como tudo começou... mas que não vou abordar neste momento.), foi-nos dado condições para evolução nessa condição, que seria equilibrarmos os sentimentos do EGO ou seja, desenvolvermos virtudes oposta a cada sentimento do EGO (que Jesus resumio em o AMOR) e atigindo esse grau de equilíbrio estariamos em condições de saberbos nossas verdadeira identidade e consequentemente nossa libertação.

Portanto, entendo que Inconciente é o nosso estado Anterior a essa Jornada, e Conciente é a nossa condição atual (encarnados).
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 01 de Novembro de 2009, 22:21


Boa noite! amigos


Bem, não sei muito de Psicologia, mas vou postar algumas colocações aqui que poderemos discutir tranquilamente.

O EGO é o mediador entre o consciente e o inconsciente.

Olha , João, nos meu poucos conhecimentos , acredito que não é o caso de aniquilar o EGO. O que buscamos realmente é o SI-MESMO que seria a totalidade do homem, que no caso é o consciente , o inconsciente individual e o inconsciente coletivo.

O SI- MESMO seria o SELF.


Há sempre uma luta entre o EGO e o SELF e segundo Joanna de Ângelis:"


"(...)Invariavelmente , o indivíduo busca superar esse eu opositor frequente , adotando comportamento castrador , por intermédio do esforço consciente para suprimi-lo , o que redunda em grande fracasso , porque o polo que orienta o outro eu permanece vivo, embora disfarçado pela aparência que se adquire."
(...)A luta interna dos dois pólos faz-se cruel , embora o ego aparente ignorá-la , mantendo uma superficial consciência do valor que se atribui, do prazer que exterioriza, da condição com que se apresenta.
Nessa dissociação dos pólos, muitas vezes pode parecer que o indivíduo , a grande esforço conseguiu a integração , até o momento em que se surpreende com o terro da cisão inesperada que o leva a um transtorno profundo , especialmente se viveu em razão de um ideal que asfixiou o conflito , mas não o solucionou, despertando com sensação de inutilidade , de vazio existencial "
(...)A luta , portanto , existente entre o ego e o self é saudável, por significar atividade contínua no processo de crescimento , e não postura estática , amorfa, que representa uma quase morte psicológica do ser existencial."

(do livro - Em busca da verdade - Joanna de Ângelis/Divlado Franco)


Com relação a mediunidade:

Na verdade , essas informações adormecidas, que talvez seriam,frutos de experiências antes vivênciadas, provavelmente ajudam muito na mediunuidade, mas não seriam apenas no inconsciente individual, mas vamos pesquisar mais sobre isso. Ok?


Cleildo, também muito me agrada esse tema, apesar da dificuldade ,porque me falta o embasamento em Freud e Jung. Mas a gente tenta.


                                                    Carmen
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: dOM JORGE em 02 de Novembro de 2009, 09:31
                                                  VIVA  JESUS !

         Bom dia! querida irmã em Cristo.

                    A Joanna insiste em suas mensagens de forma peremptória a que venhamos

         aprofundar a sonda investigatória com o intuito de descobrirmos o deus que reside

         em nós, adormecido.

                    Não está fora da gente nossa solução, ao contrário, ela dorme e acorda to -

         dos os dias conosco, mas por incúria e desleixo, procuramos alhures nossa elevação.

                    Portanto, é de bom alvitre conhecermos esse fecundo manancial de informa-

         ções que a Joanna nos delega. Precisamos o mais breve possível, tornarmo-nos adul-

         tos espirituais.

                                                                       PAZ, MUITA PAZ !

                           
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Cleildo Oliveira em 02 de Novembro de 2009, 14:41
Olá Dom Jorge, muito bem! faço minhas suas palavras, quisera eu ter a facilidade e felicidade de poder expressar minha concepção, coisa que voce o faz com bastante simplicidade, meus parabéns, concordo com você em tudo que disse.

Sabe Carmem, cada pessoa tem seu limite de entendimento que depende muito da forma de procura que adotou ou a importância. Acho que está vinculado a um determinado programa ao qual nós nos decidimos cumprir.

Muita Paz e Luz a todos.
Cleildo


   
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Jorge em 02 de Novembro de 2009, 15:06
Olá amigos,

Eu também gostei bastante das ilações de Dom Jorge!  :)

Sábias palavras da nossa ilustre Amiga Joanna de Ângelis!

Abraços fraternos.
Jorge
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 02 de Novembro de 2009, 18:08


Oi, amigos

Boa tarde!

Cleildo,eu entendi o que você quis dizer com o seu texto. Percebi exatamente a mesma coisa com que nosso amigo dOM JORGE nos presenteou ,com as suas colocações sempre perfeitas, portanto amigo, obrigada por esmiuçar , ou melhor, tornar mais accessível o nosso texto de Joanna.

Ei, dOM JORGE, como sempre você nos faz ficar felizes por sabermos que existem pessoas como você ,que conseguem em poucas e bonitas palavras expressar tudo aquilo que se faz necessário, sem necessidade de muitos floreios.Perfeito. Obrigada.

Oi, Jorge, concordo em "número, grau e gênero" com vc, no que diz respeito as ilações de dOM JORGE, assim tbém com relação as sábias palavras de Joanna. Portanto, amigo, espero que esteja conosco sempre tentando difundir as mensagens com as quais ela sempre nos vem  orientando.

Bom, amigos ,obrigada pela participação no nosso post.


                                                  Carmen
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Jorge em 02 de Novembro de 2009, 18:15


Oi, amigos

Boa tarde!

Cleildo,eu entendi o que você quis dizer com o seu texto. Percebi exatamente a mesma coisa com que nosso amigo dOM JORGE nos presenteou ,com as suas colocações sempre perfeitas, portanto amigo, obrigada por esmiuçar , ou melhor, tornar mais accessível o nosso texto de Joanna.

Ei, dOM JORGE, como sempre você nos faz ficar felizes por sabermos que existem pessoas como você ,que conseguem em poucas e bonitas palavras expressar tudo aquilo que se faz necessário, sem necessidade de muitos floreios.Perfeito. Obrigada.

Oi, Jorge, concordo em "número, grau e gênero" com vc, no que diz respeito as ilações de dOM JORGE, assim tbém com relação as sábias palavras de Joanna. Portanto, amigo, espero que esteja conosco sempre tentando difundir as mensagens com as quais ela sempre nos vem  orientando.

Bom, amigos ,obrigada pela participação no nosso post.


                                                  Carmen


Olá amiga Carmen,

Desejo-lhe muitas felicidades na sua vida!

Abraços.
Jorge
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: dOM JORGE em 02 de Novembro de 2009, 18:41
                                                   VIVA  JESUS !

       Olá, querida irmã, Carmen.

             Boa-tarde!  Agradeço por suas palavras a mim dirigidas, mas sempre que me sinto

       um pouco capaz de contribuir, tento esforçar-me pra ser útil de alguma forma. Vou co-

       locar um trecho do livro da Joanna: " O Despertar do Espírito. " , que acho contribuir um

       pouco mais pra clarear o texto em pauta.

             " Herdeiro das próprias realizações armazenadas nas áreas abissais do inconsciente

       te individual como coletivo, não se pode evadir das fixações que lhe estão insculpidas ,

       em razão da anterioridade das existências por onde peregrinou."

               Assim ela nos diz que seremos importunados por esses registros, mas cabe-nos

       atenção com a nossa conduta no grupo social onde nos encontramos.
            


                                                                  PAZ, MUITA PAZ!

              





              

              


Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: hcancela em 02 de Novembro de 2009, 20:01
Olá amigos(as

Jesus: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8, 32).

À medida que progredimos, assimilamos novos conhecimentos que, rompendo as amarras da ignorância dos velhos e arraigados conceitos, nos tornarão livres.

“Não se coloca remendo novo em pano velho e nem vinho novo em odre velho” (Mateus 9, 16-17). Afirma Jesus a todos nós que buscamos a verdade como base para sustentar o nosso pensamento. Assim devemos agir na busca do verdadeiro espírito do Cristianismo, cuja origem e ponto de partida é o Mestre Jesus.

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 03 de Novembro de 2009, 00:27
 
Citar
"Herdeiro das próprias realizações armazenadas nas áreas abissais do inconsciente

  te individual como coletivo, não se pode evadir das fixações que lhe estão insculpidas ,

  em razão da anterioridade das existências por onde peregrinou."
       


Pois é, dOM JORGE , também no livro Em Busca da Verdade , Joanna nos fala do inconsciente coletivo, onde seriam arquivados toda a história da humanidade e os diferentes períodos vivenciados  e do inconsciente  individual  , que seriam os registros atuais. E  para que haja uma integração deles , faz-se necessário amar-se a si mesmo, que seria o autorrespeito, a autoconsideração, tentando dessa  forma , não combater as  imperfeições, mas ter consciencia da sua existência, porque assim já se estará dando um passo adiante para encontrar-se realmente.
A partir do autoconhecimento ,  é que poderemos ficar atentos a nossa conduta .


                                            Carmen
      
  
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Cleildo Oliveira em 01 de Dezembro de 2009, 00:00
Olá Carmem, peço sua permissão para anexar ao seu tema mas  sobre o assunto, no de cada artigo tem o site da fonte quem desejar visitá-lo, acredito que vão gostar, porém pode ser que alguns o ache um tanto polêmico, mas é assim mesmo precisamos do contraditório para firmamos nossas convicções.
Para não sobrecarregar postarei um por vez, são quatro artigos sobre o EGO.
Cleildo.


Do ego ao coração

Jeshua canalizado por Pamela Kribbe
 
QUATRO ESTÁGIOS NA TRANSFORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA
Nas mensagens anteriores, descrevemos a base histórica da jornada dos Trabalhadores da Luz, desde a consciência baseada no ego até a consciência baseada no coração. Esta parte será totalmente dedicada às características psicológicas desta transformação. Nós havíamos dividido este processo em quatro passos ou estágios, que vamos recapitular aqui, para maior clareza:
1.   Estar insatisfeito com o que a consciência baseada no ego tem para lhe oferecer, desejar “algo mais”: o começo do final.
2.   Começar a se conscientizar da sua dependência à consciência baseada no ego, reconhecendo e liberando as emoções e pensamentos que a acompanham: a metade do final.
3.   Permitir que as velhas energias baseadas no ego morram dentro de você, jogando fora o casulo, sendo seu novo ser: o final do final.
4.   O despertar de uma consciência baseada no coração, dentro de você, motivada por amor e liberdade; ajudar outros a fazerem a transição.
ESTÁGIO UM: O EGO JÁ NÃO SATISFAZ
A transição da consciência apoiada no ego para a apoiada no coração começa com a experiência de um vazio interno. Coisas que antes lhe chamavam a atenção ou situações que o perturbavam completamente, agora deixam-no vazio ou sem inspiração. De algum modo, as coisas parecem ter perdido seu significado e propósito usuais. Antes de experimentar esse vazio, a consciência está nas garras do medo e conseqüentemente precisa reafirmar-se constantemente, procurando validação externa, porque não está disposta a enfrentar o medo subjacente da rejeição e da solidão. Esse medo profundo e a necessidade de validação externa podem ficar muito tempo escondidos como o verdadeiro motivo de muitas de suas ações. Toda sua vida pode ser construída em cima disto, sem que você tenha consciência disso. Talvez você esteja consciente de uma vaga intranqüilidade ou tensão interior. Mas, freqüentemente, um acontecimento mais importante, como a ruptura de um relacionamento, o falecimento de um ser amado ou a perda de um emprego, convida-o a realmente examinar a natureza desta tensão ou intranqüilidade.
Quando o ego é o centro de seu ser, sua consciência e sua vida emocional estão em “estado de cãibra”. Você está encolhido de medo e por causa disso está constantemente na defensiva. Quando você está no estágio do ego, você sempre experimenta um estado de carência, uma necessidade de algo mais. A base de seus pensamentos, sentimentos e ações é um buraco negro, um vazio que nunca pode ser preenchido completamente. É um buraco de medo, um lugar coberto por sombras, já que você desvia a sua consciência daí. Nas sombras, há um vazio, do qual você é vagamente consciente, mas você não quer ir lá. Neste estagio, suas relações com Deus, ou Tudo O Que É, estão marcadas por sentimentos de separação. No mais profundo do seu ser, você se sente sozinho e abandonado. Você se sente como um fragmento quebrado, insignificante, sem propósito. E como você oculta o medo que você tem disto, você somente o experimenta indiretamente, como uma sombra.
As pessoas têm horror de enfrentar o vazio interno com plena consciência. Têm horror de encontrar sua escuridão interior e investigá-la. Entretanto, se você não a enfrentar, ela continuará ali e você precisará desenvolver “estratégias para lidar com ela”, para tornar sua vida suportável. A estratégia do ego sempre é tratar o problema na periferia, em lugar de fazê-lo no centro. O ego procura resolver o problema voltando a consciência para o exterior, para fora. Ele tenta aliviar a dor interna, alimentando você com energias externas. As energias das quais ele gosta mais são reconhecimento, admiração, poder, atenção, etc. Desse modo, o ego aparentemente cria uma resposta ao desejo profundo da alma por unidade, segurança e amor.
Este desejo, em si mesmo, é inteiramente válido e genuíno. É Deus chamando você. É a sua própria natureza chamando-o. Você é Deus! Deus é a energia da unidade, segurança e amor. Todos anseiam pelo amor incondicional e o abraço da Energia que vocês chamam Deus. Na essência, este anseio é o desejo de estar totalmente consciente do seu próprio Ser Divino e, portanto, ser um com Ele. Sua própria divindade é sua entrada para o amor incondicional. Você só pode encontrá-lo enfrentando o medo e a escuridão que o rodeia, e isso você faz voltando-se para o interior, em vez de para o exterior. Isso você faz empregando sua consciência como uma luz que afugenta as sombras. A consciência é luz. Portanto, ela não precisa lutar com a escuridão; sua simples presença a dissolve. Voltando sua consciência para o interior, os milagres realmente acontecerão para você.
O ego, entretanto, procede exatamente de modo contrário. Registra a necessidade de amor e segurança, mas visa responder a esta necessidade sem enfrentar a escuridão e o medo interiores. Para conseguir isto, ele usa um certo “truque”: transforma a necessidade de amor em necessidade de aprovação ou reconhecimento por parte de outras pessoas; transforma a necessidade de unidade e harmonia em necessidade de se sobressair e ser melhor do que os outros. Uma vez que você pense que ser amado é ser admirado por seus feitos, você não precisa mais ir ao seu interior em busca de amor; você simplesmente tem que trabalhar mais duro! Desse modo, o ego se esforça por manter a panela do medo tampada.
Seu desejo original por amor e ditosa unidade se apresenta, então, de forma distorcida, como o desejo por reconhecimento. E você está constantemente procurando validação externa, a qual lhe provê, temporariamente, um pouco de segurança. Sua consciência está totalmente focalizada no mundo externo. Você confia no julgamento de outras pessoas e vive muito preocupado com o que os outros pensam de você. Isto é muito importante para você, já que sua auto-estima depende disto. Na realidade, a sua auto-estima abaixa cada vez mais, já que você está entregando seu poder a forças externas, que o julgam por seus desempenhos externos e não por seu verdadeiro ser. Enquanto isso, o sentimento profundamente arraigado de abandono e solidão não é aliviado. Na realidade, ele piora, já que você se recusa a olhar para ele. Isso que você não quer olhar torna-se o seu “lado sombrio”. O medo, a irritação e a negatividade podem ronda-lo e influenciá-lo, intensificados pela sua recusa de ir para dentro de si.
O ego pode ser muito teimoso, quando se trata de suprimir certas dúvidas, suspeitas e sentimentos; ele não deixa o controle facilmente. O que você percebe como “mau” em seu mundo sempre é o resultado do apego ao poder pessoal. É a recusa a entregar o controle e aceitar o medo e a escuridão internos. O primeiro passo para a iluminação é render-se a “o que é”. Iluminação significa permitir que todos os aspectos de seu ser sejam levados à luz da sua consciência. Iluminação não significa que você é completamente consciente de tudo que há dentro de você, mas que você está desejando enfrentar cada aspecto conscientemente. Iluminação é igual a amor. Amor significa: aceite você mesmo tal como você é.
A escuridão interior – essa sensação de abandono no mais profundo de sua alma, que todos vocês temem tanto – é temporária. O estágio do ego é apenas um passo no longo desenvolvimento e desdobramento da consciência. Neste estágio, é dado o primeiro salto em direção a uma consciência divina individualizada. O nascimento de uma consciência individual, o seu nascimento como uma “alma separada”, caminha junto com a experiência de ser deixado sozinho, de estar separado de seu Pai/Mãe. É comparável ao trauma do nascimento em seu mundo físico. No útero, o bebê experimenta um sentimento oceânico de unidade com sua mãe. Quando nasce, ele se torna uma unidade em si mesmo.
Por causa desse trauma de nascimento – falando agora do nascimento da alma – a alma leva consigo um sentimento de ter sido despedaçada, pois ela teve que se desprender de tudo em que ela confiava. (Em um capítulo posterior, voltaremos à noção do nascimento da alma; só queremos chamar a atenção aqui para o fato de que também há um aspecto da alma que é eterno e atemporal, portanto não sujeito a nascimento e morte). A alma recém-nascida anseia por um retorno ao estado de semiconsciência de unidade, de onde ela vem e que ela considera o seu Lar. Como isto é impossível, ela experimenta grande temor e sentimentos de desolação e dúvida. Este temor interno e desorientação gradualmente formarão a terra fértil para a tomada de poder por parte do ego. A alma tem que lidar com o medo e a dor, e o ego promete providenciar uma solução. O ego exibe a perspectiva de poder e controle à consciência da alma. A alma, sentindo-se impotente e perdida, entrega-se e coloca o ego no comando.
O ego é essa parte da alma que está voltada para o material, para o mundo externo. Em essência, o ego é o instrumento da alma para se manifestar como um ser físico, dentro do tempo e do espaço. O ego provê a consciência com foco. Ele faz com que a consciência seja específica em vez de oceânica, “aqui e agora” em vez de “em todo lugar”. O ego traduz impulsos internos em formas materiais específicas. É essa parte de você que faz a ponte sobre o vazio entre a sua parte não física (espiritual) e a parte física.
Para a alma, como um ser espiritual não físico, é totalmente anti-natural estar fixada em tempo e espaço. A alma é essencialmente independente de qualquer forma (material). Quando você sonha que está voando por aí, você está contatando essa parte de você mesmo, que é independente e livre. O ego, por outro lado, prende e fixa. Ele o capacita a funcionar na realidade física. Como tal, o ego tem um papel muito valioso, que não tem nada que ver com “bom” ou “mau”. Quando funciona em uma situação equilibrada, ele é uma ferramenta neutra e indispensável para a alma que habita um corpo físico na Terra.
Entretanto, quando o ego começa a governar a consciência da alma, em lugar de funcionar como sua ferramenta, a alma se desequilibra. Quando o ego se impõe sobre a alma (característica típica da consciência baseada no ego), ele não traduz simplesmente os impulsos internos para a forma material, mas controla e suprime seletivamente esses impulsos. O ego então lhe apresenta uma imagem distorcida da realidade. O ego desequilibrado sempre está perseguindo o poder e o controle e, sob este prisma, interpreta todos os fatos como positivos ou negativos.
É bastante instrutivo descobrir suas próprias motivações baseadas em poder e controle, no seu dia a dia. Tente observar quão freqüentemente você quer que  as coisas ou as pessoas se dobrem à sua vontade, mesmo que seja por uma causa nobre. Quão freqüentemente você se chateia porque as coisas não caminham como você quer? É importante perceber que, sob a necessidade de controlar, sempre existe o medo de perder o controle. Portanto, pergunte a si mesmo: “Qual é o risco de liberar o controle, de deixar ir a necessidade da previsibilidade? Qual é o meu medo mais profundo?”
O preço que você está pagando agora por manter as coisas “sob controle” é que suas atitudes em relação à vida são tensas e reprimidas. Quando se atrever a viver sob a inspiração interna e só fizer o que lhe trouxer alegria, será criada uma ordem natural e verdadeira em sua vida. Você se sentirá relaxado e feliz, sem a necessidade de moldar o fluxo da vida. Isto é viver sem medo, é viver com plena confiança no que a vida lhe trará. Você pode fazer isso?
Para uma alma jovem, a armadilha da consciência baseada no ego é quase inevitável. O ego oferece uma saída para o problema (de medo e abandono); ele desvia sua atenção daquilo “que está no interior” para aquilo “que você pode obter do mundo externo”. Esta não é a solução real para o problema, mas parece trazer alívio por um tempo. Exercer poder e controle sobre as coisas ao seu redor pode lhe dar uma satisfação temporária ou “estímulo”. Há um breve sentimento de ser amado, admirado e respeitado. Alivia sua dor por um tempo. Mas isso dura pouco e você tem que se esforçar outra vez para se destacar, para ser melhor ainda, mais atraente ou mais útil. Por favor, observe que, sob a bandeira do ego, você pode ser tanto meigo quanto maldoso, tanto doador quanto recebedor, tanto dominador quanto servil. Muito daquilo que se dá aparentemente com generosidade é um chamado inconsciente de atenção, amor e reconhecimento em direção a quem recebe o presente. Quando você está sempre cuidando e doando aos outros, você está simplesmente se escondendo de si mesmo. Portanto, para entender o que significa a dominação do ego, você não tem necessariamente que pensar em tiranos cruéis, tais como Hitler ou Saddam Hussein. Simplifique: observe-se em sua vida diária.
A presença da dominação do ego pode ser reconhecida pela necessidade de controlar as coisas – querer que certa pessoa se comporte de um modo determinado, por exemplo. Para conseguir que isto aconteça, você exibe certos tipos de comportamento. É condescendente e meigo, por exemplo, e trata de jamais ferir os sentimentos de outra pessoa. Há uma necessidade de controle por trás deste comportamento. “Porque quero que você me ame, eu nunca estarei contra você”. Esta linha de pensamento é baseada no medo – o medo de depender de si mesmo, o medo de ser rejeitado ou abandonado. O que parece ser doçura e simpatia, na realidade é uma forma de auto-negação. Isto é o ego trabalhando.
Enquanto o ego governar sua alma, você precisará se alimentar da energia de outras pessoas, para se sentir bem. Sentirá como se tivesse que merecer a aceitação de outras pessoas, de uma autoridade exterior a você. Entretanto, o mundo que o rodeia não é fixo nem estável. Você nunca pode confiar na fidelidade permanente daquele em quem confia, seja ele o cônjuge, o chefe ou os pais. É por isto que você tem que “trabalhar” o tempo todo, estando sempre atento às “porções de aprovação” que vêm para você. Isto explica porque a mente de quem está no estágio do ego se encontra em permanente estado de tensão e nervosismo.
O ego não pode supri-lo com verdadeiro amor e auto-estima. A solução que ele oferece para o trauma do abandono é, na verdade, um poço sem fundo. A verdadeira missão da consciência da alma jovem é tornar-se os pais que ela perdeu. Por favor, observe que a estrutura da vida na Terra – considerando o processo de começar como um bebê desamparado e crescer até se transformar num adulto independente – freqüentemente o convida a fazer exatamente isso. Muito freqüentemente, a chave para a verdadeira felicidade em sua vida consiste nisto: que você transforme-se nos seus próprios pai e mãe e dê a si mesmo o amor e a compreensão que você perdeu e que está sentindo falta nos outros. No nível mais amplo e metafísico, no qual estamos falando, isto significa: entenda que você é Deus, não uma de suas pequenas ovelhas perdidas. Esta é a compreensão que o levará de volta ao lar. Esta é a compreensão que o levará ao âmago de quem você é – que é amor e poder divino.
O final do estágio do ego surge quando a alma se dá conta de que está sempre repetindo o mesmo ciclo de ações e pensamentos. O ego perde seu domínio quando a alma se sente esgotada e aborrecida por se esforçar o tempo todo por um tesouro eternamente fugaz. A alma começa então a suspeitar que as promessas do jogo do qual participa são falsas e que, na realidade, não há nada ali para ela ganhar. Quando a alma se cansa de tentar e de estar em cima disso o tempo todo, ela deixa ir um pouco o controle. Com menos energia sendo gasta no controle dos pensamentos e do comportamento, abre-se um espaço energético que permite experiências novas e diferentes.
No começo, quando você entra neste estágio, pode sentir-se muito cansado e vazio por dentro. As coisas que antes você considerava importantes, agora podem lhe parecer totalmente sem sentido. Inclusive, podem vir à tona medos que não tenham nenhuma causa clara ou imediata. Podem ser vagos temores de morrer ou de perder seus entes queridos. Também pode aflorar uma raiva, relacionada com situações em seu trabalhos ou em seu casamento. Tudo o que parecia ser óbvio, agora está sob dúvida.
Aquilo que a consciência apoiada no ego tentava prevenir, finalmente acontece. Gradualmente, a tampa da panela se levanta e todo tipo de emoções incontroláveis e medos aparecem e entram na sua consciência, semeando dúvida e confusão em sua vida. Até aquele momento, você estava funcionando quase sempre no piloto automático. Muitos padrões de pensamentos e de sentimentos dentro de você aconteciam automaticamente; você permitia que eles acontecessem sem questionar. Isto deu unidade e estabilidade à sua consciência. Entretanto, quando sua consciência cresce e se expande, sua personalidade se divide em duas. Uma parte de você quer manter-se nos velhos padrões, a outra parte questiona esses padrões, e você se confronta com sentimentos desagradáveis como raiva, medo e dúvida.
Por isso, a expansão da consciência que ocorre no final do estágio do ego é freqüentemente experimentada como um desmancha-prazeres, um intruso mal recebido, que estraga o jogo. Esta nova consciência desacomoda tudo o que antes parecia óbvio e desperta emoções dentro de você, com as quais você não sabe lidar. Quando você começa a duvidar dos padrões de pensamento e ação baseados no ego, uma nova parte de você penetra sua consciência. É a parte de você que ama a verdade ao invés do poder.
Viver de acordo com as imposições do ego é muito repressivo. Você está servindo a um pequeno – medroso – ditador, que aspira ao poder e ao controle, não só sobre o seu ambiente, mas especialmente sobre você. Seus fluxos espontâneos de sentimento e intuição são reprimidos por ele. O ego não gosta muito da espontaneidade. Ele o impede de expressar livremente seus sentimentos, já que os sentimentos e as emoções são incontroláveis e imprevisíveis, o que é perigoso para o ego.
O ego trabalha com máscaras. Se seu ego lhe ordenar: “seja doce e gentil, para ganhar a simpatia das pessoas”, você sistematicamente suprimirá os sentimentos de desagrado e raiva de dentro si. Se começar a duvidar da viabilidade desta ordem, as emoções suprimidas aparecerão imediatamente. Os sentimentos não se eliminam ao serem suprimidos. Eles continuam vivendo e ganham intensidade quanto mais são suprimidos.
Uma vez que a alma experimenta o vazio e a dúvida, tão característicos do final do estágio do ego, é possível encontrar e enfrentar todos os sentimentos e emoções que antes estavam escondidos na escuridão. Estes sentimentos e emoções contidos são a porta de entrada para o seu Eu Superior. Ao explorar o que você realmente sente, em vez daquilo que se supõe que deva sentir, você recupera sua espontaneidade e integridade, essa parte de você que freqüentemente é chamada de sua “criança interior”. Entrar em contato com seus verdadeiros sentimentos e emoções, faz com que você se coloque no caminho da liberação. E assim começa a transição para a consciência baseada no coração.

© Pamela Kribbe               
www.jeshua.net (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5qZXNodWEubmV0)
Tradução para o português: Vera Corrêa.




Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 01 de Dezembro de 2009, 10:05
Olá Carmem, peço sua permissão para anexar ao seu tema mas  sobre o assunto, no de cada artigo tem o site da fonte quem desejar visitá-lo, acredito que vão gostar, porém pode ser que alguns o ache um tanto polêmico, mas é assim mesmo precisamos do contraditório para firmamos nossas convicções.


Bom dia! Cleido

Sinta-se a vontade, amigo, e como o objetivo dos nossos posts é adquirir e transmitir conhecimentos, nada melhor para quem abre um , que o mesmo tenha muitas interações e diversidade de pensamentos.Além do quê, é nosso, portanto é pra mim o maior prazer encontrar aqui esse seu texto tão interessante.

Carmen
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 12 de Dezembro de 2009, 12:29
Olá , Cleildo


Bom dia!

Que texto interessante, perfeito, que nos esclarece de forma tão óbvia, tão clara, o que é o EGO. Muito bom, amigo. Saiba que  muito me acrescentou , pude me avaliar, me autoanalisar

(...) O ego oferece uma saída para o problema (de medo e abandono); ele desvia sua atenção daquilo “que está no interior” para aquilo “que você pode obter do mundo externo”. Esta não é a solução real para o problema, mas parece trazer alívio por um tempo. Exercer poder e controle sobre as coisas ao seu redor pode lhe dar uma satisfação temporária ou “estímulo”. Há um breve sentimento de ser amado, admirado e respeitado. Alivia sua dor por um tempo. Mas isso dura pouco e você tem que se esforçar outra vez para se destacar, para ser melhor ainda, mais atraente ou mais útil. Por favor, observe que, sob a bandeira do ego, você pode ser tanto meigo quanto maldoso, tanto doador quanto recebedor, tanto dominador quanto servil. Muito daquilo que se dá aparentemente com generosidade é um chamado inconsciente de atenção, amor e reconhecimento em direção a quem recebe o presente. Quando você está sempre cuidando e doando aos outros, você está simplesmente se escondendo de si mesmo. Portanto, para entender o que significa a dominação do ego, você não tem necessariamente que pensar em tiranos cruéis, tais como Hitler ou Saddam Hussein. Simplifique: observe-se em sua vida diária.
A presença da dominação do ego pode ser reconhecida pela necessidade de controlar as coisas – querer que certa pessoa se comporte de um modo determinado, por exemplo. Para conseguir que isto aconteça, você exibe certos tipos de comportamento. É condescendente e meigo, por exemplo, e trata de jamais ferir os sentimentos de outra pessoa. Há uma necessidade de controle por trás deste comportamento. “Porque quero que você me ame, eu nunca estarei contra você”. Esta linha de pensamento é baseada no medo – o medo de depender de si mesmo, o medo de ser rejeitado ou abandonado. O que parece ser doçura e simpatia, na realidade é uma forma de auto-negação. Isto é o ego trabalhando.

(...)Viver de acordo com as imposições do ego é muito repressivo. Você está servindo a um pequeno – medroso – ditador, que aspira ao poder e ao controle, não só sobre o seu ambiente, mas especialmente sobre você. Seus fluxos espontâneos de sentimento e intuição são reprimidos por ele. O ego não gosta muito da espontaneidade. Ele o impede de expressar livremente seus sentimentos, já que os sentimentos e as emoções são incontroláveis e imprevisíveis, o que é perigoso para o ego.

O ego trabalha com máscaras. Se seu ego lhe ordenar: “seja doce e gentil, para ganhar a simpatia das pessoas”, você sistematicamente suprimirá os sentimentos de desagrado e raiva de dentro si.




 Colocarei aqui uns trechos de Joana que vêm a reforçar a nossa necessidade da busca do "EU" , o "voltar para casa.


" A existência corporal é sempre um mecanismo de distrações da consciência profunda do si-mesmo , que embora superficial , exerce uma predominância na escolha dos comportamentos humanos.
(...) As mudanças arquétipicas do ego dão-se nas fases da infãncia para a juventude , dessa para a idade adulta , e dái para a senectude, quando o self amadurecido, deve comandar o conjunto eletrônico que é o ser humano.
isso , porém , somente acontece quando os indivíduos estão dispostos a despertar para a sua realidade , superando a sombra ao invés de cultivá-la.
Não serão essas fases , cada período , também um país longinquo do outro , que deve ser conquistado a esforço e tenacidade da vontade?
A vontade  é um impulso que nasce da razão e se transforma em força que deve ser direcionada de maneira adequada para resultados  relevantes de dignidade e de crescimento intelecto-moral no processamento dos valores da existência terrestre.
(...)A conquista do si-mesmo há de ser realizada em atitude interior para superar os impositivos da sombra egoísta  e perversa que seduz e ilude , dando imagens equivocadas da realidade e negando a possibilidade da libertação."
[/i]

( do livro  Em busca da verdade - Joanna de Ângelis/Divaldo Franco)



Agora, Cleildo, esperamos ansiosamente os outros textos.


                                         Carmen
[/b]
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Cleildo Oliveira em 12 de Dezembro de 2009, 14:51
Certamente Carmem, que terei o prazer de postar os testos restantes, porém antes gostaria de chamar sua atenção sobre o que Joanna fala e o texto em questão.
Dar-se para perceber, que ambos os textos querem nos transmitir a mesma coisa, a única diferença é que Joanna usa um linguajar mais sofisticado, talvêz para agradar as pessoas de nível mais intelctuais, muito embora uma pessoa leiga possa entender perfeitamente o sentido principal da mensagem.

Cleildo.

Conforme combinado, eis mais um texto o 2º


Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Cleildo Oliveira em 12 de Dezembro de 2009, 14:55
Olá, como o segundo artigo é muito longo sugiro que acessem ou carreguem o arquivo em anexo,
Cleildo Martins de Oliveira.
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 12 de Dezembro de 2009, 18:59
Oi, Cleildo


Boa tarde!


Então, Cleido, pois é isso mesmo . Também acho que querem transmitir a mesma mensagem, porque não só neste livro em questão, mas também em outros dela, Joanna  nos estimula sempre ao nosso encontro, a nos buscarmos, a nos autoconhecermos, mas sem medo, sabendo das nosssas imperfeições, dos nossos equivocos, aceitando-os,que não são de hoje , pertecem a um passado remoto, mas que ainda hoje estão inseridos em nós, mas ao mesmo tempo com tanta clareza , com tanto carinho, a Joanna nos mostra a necessidade da mudança , da busca da verdade  , verdade essa que está dentro de cada um de nós, é só olharmos pra dentro de nós mesmos..Ela ainda nos mostra que caminhamos para um final feliz, longinquo, é certo, mas com certeza, inevitável.


"Voltar pra casa é uma viagem rica de alegria , de formosas expectativas, de lembranças queridas, das raízes , de segurança do conhecido ante o bravio mundo desconhecido."


(do livro Em busca da verdade- Joanna de Ângelis/ Divaldo Franco)

       

                                    Carmen
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 12 de Dezembro de 2009, 19:33
Oi, Cleildo



É amigo, é difícil essa segunda parte, mas vou trazer os exercício prá cá, e quem quiser e puder pode ir fazendo .


EXERCÍCIO 1
- Que características psicológicas, que você considera como partes de você, causam a maioria dos problemas em sua vida? Cite duas dessas características.
- Focalize os opostos dessas características. Assim, se você escolheu “impaciência”, ou “insegurança”, focalize-se agora nas suas contrapartes: paciência e confiança em si mesmo. Sinta a energia destas características por um momento.
- Volte-se para o seu interior e procure estas energias dentro de si mesmo. Cite três exemplos da sua própria vida, nos quais você exibiu estas características positivas.
- Agora que você está em contato com estas características positivas, permita que as energias delas fluam através de você e sinta como elas o equilibram

EXERCÍCIO 2
- Relaxe e permita que a sua imaginação viaje para trás, até um momento no qual você se sentiu muito feliz. Pegue a primeira coisa que aparecer na sua mente. Sinta a felicidade novamente.
- Agora vá para um momento no qual você se sentiu extremamente infeliz. Sinta a essência do que sentiu naquele instante.
- Capte o que há de comum nas duas experiências. Sinta o que é igual nesses dois momentos.
Ambos os exercícios foram planejados para que você perceba a consciência subjacente, o “você” sempre presente em todas as suas experiências.


© Pamela Kribbe               
www.jeshua.net (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5qZXNodWEubmV0)



                                               
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Cleildo Oliveira em 12 de Dezembro de 2009, 20:29
Gostei da idéia de colocar os exercícios que estavam no final deste ultimo artigo, para serem exibidos como postagem.
Considero um bom desafio para todos nós, a prática desses esxercícios.

Carmem, assim como "Do ego ao Coração II" que por ser muito extenso (8 paginas) o III também o é, de forma que sua postagem será da mesma forma do II.
Espero que todos compreendam, e ceitem minha ignorância pois não estou sabendo como fazer melhor, mas que com um pouco de Paciencia, poderão abri-lo até salvá-lo em seus PC para futuras consultas.
Com muita Amor, desejo a todos muita Luz e Paz em seus corações.
Cleildo.
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Rope em 15 de Dezembro de 2009, 01:59
[    ;) Olá, sou estreante aqui neste fórum e gostaria de dizer que a fala de Joanna de Angelis através de Divaldo não é muito simples. É necessário que tenhamos algum conhecimento anterior de suas obras e do espiritismo para abordar assunto tão profundo como o comportamento humano sobre a Terra. No entanto, percebo que Joanna pontua a teoria Junguiana com passagens do Evangelho e a atitude do Mestre em relação à suas parábolas e analogias ao comportamento da personalidade humana. Isto é muitíssimo interessante, pois nos mostra que nas passagens do Evangelho há muito mais conhecimento a ser descoberto a medida que,avançamos também assimilando mais cultura e suporte para a comprensão dos relatos que nos chegam do Alto. Obrigada e até uma próxima oportunidade.Muita paz.
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: dOM JORGE em 15 de Dezembro de 2009, 15:54
                                                     VIVA  JESUS !

              Olá, querida irmã, Rope.

                    O Espírito  de Verdade nos concita a : " Espíritas: amai-vos. Espíritas, instrui-

              vos, educai-vos. "

                    Nessa indicação está contida uma orientação a nós outros, que elevemos nos

              sa vibração a fim de alçarmos vôo as alturas, pois essa é a proposta de nosso    /

              mestre Jesus, contida claramente em  seu Evangelho.

                                                                           
                                                                              PAZ, MUITA PAZ !
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Cleildo Oliveira em 17 de Dezembro de 2009, 18:03
Dando continuidade ao que me propuz, estou anexando ao tema os doi ultimos arquivo sobre "Do EGO ao Coração" de autoria de Jeshua canalizado por Pamela.

Fiquem na Paz.
Cleildo martins de Oliveira.


Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Cleildo Oliveira em 17 de Dezembro de 2009, 18:08
Dando sequencia, o ultimo artigo sobre o tema "Do EGO ao Coração".
Façam bom proveito da leitura que acredito ser um bom ensinamento.

Cleildo Martins de Oliveira.
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Cleildo Oliveira em 15 de Janeiro de 2010, 23:47
Olá Pessoal, mais uma vez aqui estou contribuindo para esse tema iniciado pela nossa querida irmã Carmem, tema esse que muito me chama atenção.
Em anexo, dessa vez, envio uma linda mensagem em PPS.
Cleildo.
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 16 de Janeiro de 2010, 15:02


Bom dia! Cleildo

Adorei o pps . Muito lindo e perfeito para o nosso post.


Carmen
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 24 de Janeiro de 2010, 19:05


Olá, amigos


Boa tarde!


     A  existência terrena é uma experiência de aprendizagem valiosa , através da qual o Self , em sua essência superior, penetra nos arquivos grandiosos do inconsciente coletivo e individual , para bem o assimilar, ampliando a sua capacidade de discernimento e de conquistas libertadoras.
     Desalgema-se , em consequência , das injunções  do passado , porque as compreende , elucidando os enígmas que lhe permanecem em latência , não mais gerando conflitos psicológicos, a abre-se à Essência Divina, o Arquétipo primordial , logrando a plenitude do numinoso.
(...)
     Cada experiência no carreiro orgãnico faculta-lhe conquistar mais conhecimentos e melhor capacidade para desenvolver os sentimentos , aumentando a habilidade para entender-se , para compreender as demais criaturas e amar-se , amando-as.
     Não fossem tais oportunidades , e não haveria como compreender-se as diferenças psicológicas , intelectivas e morais orgânicas , econômicas , de saúde, que caracterizam a mole humana.
     Reduzindo-se o ser a uma única existência corporal, ei-lo fadado a carregar o peso do acaso feliz ou desventurado, impondo-lhe um destino que não tem direito nem recurso para modificar , submetendo-se inerme, às injunçoes desgovernadoras da fátua ocorrência.
     Através das reencarnações , no entanto, o livre-arbítrio, faculta-lhe a eleição do bem ou do mal sofrer, da alegria ou da tristeza , da desgraça ou da ventura , porquanto a única fatalidade que existe, melhor dizendo , o determinismo que se lhe impõe é a plenitude , que cada qual adquire conforme o empenho e a luta a que se consagre.
     Assim sendo, a aprendizagem do bem-viver, do desfrutar da saúde integral é feita mediante erros e acertos , como tudo quanto diz respeito á existência em qualquer forma através da qual se expresse.
     O equivoco de agora enseja-lhe reparação posterior , o acerto de um momento abre-lhe espaço para novas conquistas, impulsionando-o irremediavelmente para a harmonia consigo mesmo e com o Cosmo.

(do livro: Em busca da verdade - Joanna de Ângelis/ Divaldo Franco , pag. 73  e 74)

    
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: arcam em 11 de Fevereiro de 2010, 11:56
        O ser interior, o Eu profundo, fica à margem dos acontecimentos, enquanto o ego assume funções para as quais não se encontra preparado psicológicamente... ( Joanna de Ângelis ). É a luta diária, Espírito e ego...Não parece? Arcam.
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 18 de Fevereiro de 2010, 08:23
Bom dia!

Oi, Arcam
`
Concordo com você. É a nossa luta diária. Mas temos que ter paciência e persistirmos. É uma luta de muito tempo já, mas que com certeza a  cada dia fazemos novas conquistas em busca do SELF.


Beijos

Carmen
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: dOM JORGE em 18 de Fevereiro de 2010, 11:17
                                                       VIVA  JESUS !

              Olá, minha doce confreira, Carmen.

                    Dentre todas as benesses concedidas a seus filhos pelo pai, Deus,

              sem dúvida alguma a Reencarnação figura dentre todas a de maior qui-

              late. Pense se não tivéssemos a oportunidade de reparar nossos equí -

              vocos, como seria doloroso pra nosso ser amargar a dor desse erro.   /

              Mas não, a misericórdia de Deus foi-nos tamanha que podemos rever  /

              nossos percalços, reavaliá-los e encetarmos um novo caminho a fim de

              reparar a falta cometida.

 
                                                            PAZ, MUITA PAZ !       
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 18 de Fevereiro de 2010, 16:35

Ei, dOM JORGE

Boa tarde!

Com certeza, dOM JORGE, que a reencarnação é uma grande benesse concedida a nós por Deus. Por isso mesmo precisamos aproveitá-la ao máximo, não deixar passar a oportunidade de nos melhorarmos porque mesmo sabendo que teremos outras e outras encarnações , casa uma delas é impar em nossa escala evolutiva . Além disso a reencarnação nos mostra o motivo das diferenças sociais, econômicas, intelectuais, etc , que tudo é uma conquista que depende de cada um de nós, confirmando assim a grande  Justiça Divina..
Acho que esse trecho abaixo nos esclarece perfeitamente e confirma o que o amigo dOM JORGE colocou em sua postagem.

Beijos

Carmen


Segue aqui um trecho do livro em pauta "Em busca da verdade"



"A existência terrena é uma experiência de aprendizagem valiosa , através da qual o self , em sua essência superior , penetra nos arquivos grandiosos do inconsciente coletivo e individual , para bem o assimilar , ampliando a sua capacidade de discernimento e de conquistas libertadoras.

[...]

Cada experiência no carreiro orgãnico faculta-lhe conquistar mais conhecimentos e melhor capacidade para desenvolver os sentimentos , aumentando a habilidade para entender-se , para compreender as demais criaturas e amar-se, amando-as.

[...]

Não fossem tais oportunidades , e não haveria como compreender -se as diferenças psicológicas, intelectivas, morais,orgãnicas, econõmicas , de saúde , que caracterizam a mole humana.

Reduzindo-se o ser a uma única existência corporal, ei-lo fadado a carregar o peso do acaso feliz ou desventurado, impondo-lhe um destino que não tem direito e nem recursos para modificar , submetendo-se inerme , às injunções desgovernadoras da fátua ocorrência.

Através das reencarnações , no entanto, o livre-arbítrio faculta-lhe a eleição do bem ou do mal sofrer, da alegria ou da tristeza , da desgraça ou da ventura , porquanto a única fatalidade que existe , melhor dizendo, o determinismo que se lhe impõe é a plenitude , que cada qual adquire conforme o empenho ou a luta a que se consagre."

( do livro Em busca da Verdade  , Joanna de Ângelis/Divaldo Franco , capítulo 4)


Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 06 de Março de 2010, 13:48
Bom dia!



Alma

"A vida não é uma mera sucessão de fatos e experiências, por mais úteis que muitos deles se possam revelar. Mas é uma busca da verdade, do bem e da beleza. É precisamente para tal fim que fazemos as nossas opções, exercemos a nossa liberdade e nisso mesmo, isto é, na verdade, no bem e na beleza, encontramos felicidade e alegria.” Bento XVI  






Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Carmen.gbi em 09 de Março de 2010, 01:00
Oi,amigos. Boa noite!

Não sei se vocês tiveram a oportunidade de ver Divaldo Franco descrever o quadro de Rembrandt , onde ele , Divaldo, nos mostra detalhe por detalhe a presença na figura paterna do ânimus e do ânima, e ainda no restante do quadro faz alusão ao EGO, SELF, etc. Ele descreve o quadro associando a visão da parábola do filho pródigo que é feita pelo livro EM busca da Verdade.
De qualquer forma, não me lembro de tudo, mas reparem nas mãos do pai, onde uma se parece com uma mão feminina e a outra se parece com uma mão masculina, representando a presença do ânima e do ânimus .


Obrigada
Título: Re: "EM BUSCA DA VERDADE" -Joanna de Ângelis/Divaldo Franco
Enviado por: Lucian@ em 30 de Agosto de 2013, 23:15


Fiquei muito contente com esse post . Estudo Jung e recentemente o espiritismo e achei o máximo.