Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Lei de Causa e Efeito => Tópico iniciado por: Paivao em 06 de Setembro de 2010, 21:17

Título: Morte
Enviado por: Paivao em 06 de Setembro de 2010, 21:17
 Se alguém morreria em condições normais, mas está sendo mantido por aparelhos que não vão curar a pessoa, somente mantê-la viva em condições aritificiais por um ano ou mais, é assassinato desligar esses aparelhos?

 E se a pessoa declarar que se ficasse em situação assim e pedisse para não ficar ligada a aparelhos, ela está cometendo um suicídio se desligarem, mesmo se tiver falado numa situação hipotética, embora provável em nossa época atual?

 Não creio que devemos deixar outros seres vivos sofrendo desnecessariamente, então entendo que as vezes é necessário sacrificar uma vida em alguns casos, como cachorros com problemas que levam a uma degeneração e sofrimento, pessoas, quando lutam em guerras a fim de melhorar as situações gerais - Martir Luther King é um exemplo - ou grupos, quando lutando em prol da justiça, mesmo sabendo que podem ser presos e mortos na prisão.

 Mas é a minha visão, gostaria que respeitosamente deixassem as suas.
Título: Re: Morte
Enviado por: Paivao em 06 de Setembro de 2010, 21:20
 Acrescento pedindo que não temais a morte, que nada mais é que uma parada, tal qual o nascimento, de um trem que roda muitas estações. O próprio viver implica em duas certezas, e o importante não é como nascer ou como morrer, mas como transitar entre um e outro. Há coisas mais importantes, muito mais importantes que o viver e o morrer, mas por vezes valorizamos demasiado estas duas coisas tão ordinárias (já que acontecem com todos, mas de maneira alguma desimportantes).
Título: Re: Morte
Enviado por: João Marcelo em 06 de Setembro de 2010, 23:53
Se nos foi permitido um avanço tecnológico tão grande(lembrando que somos cópia de um plano mais elevado, onde os avanços ocorrem primeiro) e se nos foi permitido criar aparelhos que podem manter nosso corpo funcionando artificialmente,isso então não tem uma razão de ser? E se positivo, por que desligaríamos os aparelhos, abreviando um caminho já traçado antes de reencarnarmos?
Título: Re: Morte
Enviado por: Mariazinha C.Valenti em 08 de Setembro de 2010, 11:39
Todo Ser Humano vem a Terra cumprindo uma programaçao,tem o direito de viver ate esgotar os proprios recursos fisicos .Por isso, a medissina tem por obrigaçao proporsionar-lhe alivio e condiçoes digna enquanto houver vida.Porem, ele tem o direito de morrer quando terminar seus recursos naturais,portanto prolongar a vida artificialmente sem os proprios recursos naturais sem esperança de volta e contra a naturesa e injustiça para com a vitima    Um abraço       Mariazinha
Título: Re: Morte
Enviado por: Dulcinha em 08 de Setembro de 2010, 12:08
Paz, irmão Paivao!

Encontramos uma resposta clara no Evangelho Segundo o Espiritismo,capV, item 28:
Um homem está agonizante, vitimado por sofrimentos cruéis. Sabe-se que seu estado é sem esperança. É permitido poupar-lhe alguns instantes de angústia, apressando seu fim?
Quem vos daria o direito de prejulgar os desígnios de Deus? Não pode Deus conduzir um homem à borda de um fosso para depois retirá-lo, a fim de fazer que esse homem retorne a si mesmo, e a fim de trazê-lo a outros pensamentos? Seja qual for o extremo em que esteja um moribundo, ninguém pode dizer com certeza que é chegada sua derradeira hora. A ciência nunca se enganou em suas previsões?
Há casos que se podem considerar, com razão, como desesperadores. Mas, se não há nenhuma esperança fundada de um retorno definitivo à vida e à saúde, não há inumeráveis exemplos em que, no momento de dar o último suspiro, o doente se reanima e recobra suas faculdades por alguns instantes? Pois bem: essa hora de graça que lhe é concedida pode ser, para ele, da maior importância- ignorais as reflexões que seu Espírito poderia ter feito nas convulsões da agonia, e quantos tormentos podem ser poupados por um relâmpago de arrependimento.
O materialista, que só vê o corpo e não se dá conta da alma, não pode compreender essas coisas. Mas o espírita, que sabe o que se passa além do túmulo, conhece o valor do derradeiro pensamento. Amenizai os últimos sofrimentos tanto quanto vos seja possível. Mas guardai-vos de abreviar a vida, mesmo que seja por um minuto, pois esse minuto pode poupar muitas lágrimas no futuro. (São Luís, Paris, 1860)
Fique com Deus!
Título: Re: Morte
Enviado por: florguerreira em 08 de Setembro de 2010, 13:01
sou contra a eutanasia! quem somos nos ?  so Deus sabe a hora cada uma de nos.
Título: Re: Morte
Enviado por: Mariazinha C.Valenti em 24 de Setembro de 2010, 16:40
A morte deve ser tao natural quanto o nscimento, por tanto,a eutansia e contra a Lei de Deus,por isso acreditamos que, da mesma forma, recorrer a artficios quando ja esgotados os recursos naturais e desumano. e importante entender que os recursos naturais esgotam-se sem que se pratique a eutanasia.

Um abraço fraterno

Mariazinha
Título: Re: Morte
Enviado por: Paivao em 26 de Dezembro de 2010, 14:40
 Meus irmãos, eu não me refiro à eutanásia, que é a morte provocada, mas à morte liberada. Deus não nos proveu com respiradores, e não creio que devemos usa-los quando já não há mais possibilidade da retomada de consciência.

 É dentro desses padrões que eu gostaria de saber se é possível liberar - ainda que ativamente, através de uma ação - a morte de um igual, dado que este em situações normais já teria desincorporado.

 Um fraterno abraço