Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Lei de Causa e Efeito => Tópico iniciado por: Eduardo Yoshida em 15 de Julho de 2015, 19:22

Título: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Eduardo Yoshida em 15 de Julho de 2015, 19:22
Muitas vezes me pego com dúvidas a respeito das questões da vida. Mas, como eu tenho o péssimo hábito de pensar demais, as questões vem e vão, e eu acabo me esquecendo o que foi que eu pensei. Eu acabei de me recordar de uma dessas dúvidas agora há pouco: O livre-arbítrio de uma pessoa pode atrapalhar o planejamento reencarnatório de outra? Por exemplo: está programado pra que uma mulher e um homem se casem e vivam sob o mesmo teto por muitos anos. Dois desafetos do passado que precisam se entender. Mas aí o homem vai e bate na mulher, se embriaga todo dia, é infiel com ela, enfim. Ele tanto faz que ela acaba se divorciando dele, porque não vê outra saída. Sozinha com os filhos, ela passa por todo tipo de necessidade afetiva e material. Mas o plano era os dois viverem juntos, até o final da presente encarnação, se ajudando um ao outro. A mulher fez a parte dela, mas o homem não fez a dele.Então eu me pergunto: a atitude dele não mudou os planos que a Espiritualidade tinha para toda essa  família?
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Kazaoka em 16 de Julho de 2015, 16:59
Boa tarde Yoshida.

O livre arbítrio gera uma causa, essa causa tem um efeito. Tudo que experimentamos é o resultado de uma ação que, por sua vez, é resultado de uma escolha, de uma opção. Isso é o livre arbítrio!
Tudo que advém destas ações e escolhas são efeitos, e o que ensina alguma coisa ao Espírito são os efeitos.
No exemplo citado por você, o fato do marido ter tomado uma postura contrária ao que haviam acordados no plano re-encarnatório não anula aquele plano e nem o livre arbítrio da esposa. O que pode acontecer é terem que passar por uma nova encarnação e repetirem a prova em que faliram. Porque o que tem peso nessa união, digamos, infeliz, são as escolhas e ações que ocorreram num passado que pode estar esquecido na memória do encarnado mas que não está na memória do Espírito. 
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Vitor Santos em 16 de Julho de 2015, 17:24
Amigo Eduardo

O que eu posso dizer é o que interpreto da Codificação compilada e organizada por Kardec.

Plano reencarnatório será o objectivo do espírito antes de encarnar, como sabemos. E para ele a experiência terá sucesso ou insucesso conforme consegue ou não consegue colocar esse plano em prática, no ato da vida. Da mesma forma que entre nós, um compromisso assumido pode não ser respeitado, um compromisso celebrado antes da encarnação pode não ser cumprido.

A intervenção da espiritualidade mais elevada, na minha óptica, apenas se limitará a escolher o corpo com melhores condições para a encarnação e a sugerir mentalmente, ao longo da vida,  que ele está ou não está a cumprir. O homem percebe a influência do espírito como um pensamento, de forma telepática, digamos assim, à falta de melhor. Mas o homem, em regra, não se apercebe se foi uma sugestão mental dele ou de outra entidade. Se entende por em prática essa sugestão ou não é uma decisão dele (dele encarnado...).

Já sendo os nossos Guardiões de uma ordem superior à nossa, não só são seres inteligentes como são mais inteligentes do que nós, imagino. Se existirem  obstáculos ao plano reencarnatório. serão sugeridas opções alternativas ao homem. Até pode suceder que, por alguma razão, o homem e a mulher nunca se encontrem enquanto encarnados na Terra, imagino que isso seja possível. Mas também pode suceder que o espírito não consiga por em prática o plano reencarnatório. 

Um plano reencarnatório pode ser conjunto, mas, na minha opinião, as pessoas não o escolhem com o objectivo de viverem juntas. Se os espiritos desejam encarnar de modo a viverem juntos, um com o outro espírito é porque isso é uma estratégia boa para cada um deles levar a cabo o seu plano individual. Mas pode não ser a única forma possível.
   
Sei que muitas pessoas imaginam que um casal que se ama, não só no sentido carnal, mas também no sentido afectivo, nesta encarnação, irá reencarnar novamente em conjunto, como um casal. É uma visão romântica, até com alguma beleza, essa das almas gémeas, mas é negada na Codificação. Tanto quanto sei apenas sobrevive o amor, no sentido de afecto, um afecto como entre dois irmãos terrestres que se amem.

Bem haja
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Diegas em 16 de Julho de 2015, 18:16
Olá, Eduardo


O planejamento reencarnatorio terá sempre por objetivo unir e provocar o amor familiar. Há sempre uma rota principal traçada, mas que sempre prevê os atalhos secundários (imprevistos que podem ocorrer em virtude do livre-arbítrio)

Sem saber os detalhes do planejamento reencarnatório fica impossível determinar quem falhou: A esposa por não suportar os vícios do marido (suponha que o planejamento dessa união foi medir a tolerância/capacidade limite dela perdoar); o esposo por não respeitar a companheira/em vencer os vícios (suponha que o planejamento foi medir a capacidade de amor/testá-lo em relação às paixões); ou se ambos falharam.

Enfim, são inúmeras as variáveis que envolvem as encarnações e que somente poderiam ser plenamente respondidas pelos responsáveis do Departamento reencarnatório.


Observando do lado de fora do planejamento poderíamos conjeturar milhares de possibilidades/hipóteses mas sem qualquer margem de confiança ou certeza.



Abç
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: EsoEstudos em 16 de Julho de 2015, 19:47

"Observando do lado de fora do planejamento poderíamos conjeturar milhares de possibilidades/hipóteses mas sem qualquer margem de confiança ou certeza."

Davero!!! Esse ponto traduz o velho entendimento: só conhece o barco quem com ele navega.
Ou, " em briga de marido e mulher ninguém mete a colher".
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Patricia S. Botelho em 17 de Julho de 2015, 01:24
Amigo Eduardo

Concordo com  o que os outros colegas falaram. Cada caso é um caso e no exemplo que citou havia desafeto do passado. Se havia, significa que ambos têm algo para corrigir em si em algum aspecto.
Não é porque houve divórcio que os planos ficarão impedidos de se realizarem. Como disse Diegas, nosso principal objetivo é união, amor, e perdão. Não necessariamente se fará dentro do casamento. Se não houve condições de continuarem juntos, podem alcançar essas mesmas metas em casas separadas. Há visitas aos filhos, etc. e se for dentro de convívio harmonioso e fraterno, nada estará perdido. A meta foi alcançada. O importante é a meta e não o casamento em si. Se estavam juntos, mas se desrespeitando, talvez ficasse até mais difícil de atingirem a meta, do que em casas separadas.
Seria realmente uma oportunidade para ambos crescerem. Ele, superando seus defeitos citados, e ela, desenvolvendo paciência e perdão. Só que neste caso em que citou, disse sobre violência física. Não se encaixa paciência onde existe violência física. Em casos de violência física é indiscutível a necessidade de separação do casal.
Um abraço
Patrícia
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: lconforjr em 17 de Julho de 2015, 17:35
Livre arbítrio e plano reencarnatório

      Ref msg inicial em: 15 07 15, 19:22 de Eduardo Yoshida

      Eduardo disse:...  O livre-arbítrio de uma pessoa pode atrapalhar o planejamento reencarnatório de outra?
 
      Conf: sem dúvida não! As criações daquele que é perfeito e infinitamente sábio, como o livre-arbítrio e o planejamento reencarnatório, são perfeitas e, portanto, têm de estar desde sempre e para sempre, perfeitamente ajustados, compatibilizados e neles nada pode existir que possa deixar que uns atrapalhem qualquer um outro, concorda?
.............
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Diaz em 20 de Julho de 2015, 15:59
Penso como o amigo lconforjr, as leis criadas pelo ser infinitamente perfeito não podem ser imperfeitas. Nossa limitada visão não pode compreender muitas coisas. Não temos visão de continuidade em relação as sucessivas reencarnações e por isso não temos condições de fazer julgamento a respeito do plano.
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Vitor Santos em 21 de Julho de 2015, 12:29
Olá amigo Iconforjr

Citar
Conf: sem dúvida não! As criações daquele que é perfeito e infinitamente sábio, como o livre-arbítrio e o planejamento reencarnatório, são perfeitas e, portanto, têm de estar desde sempre e para sempre, perfeitamente ajustados, compatibilizados e neles nada pode existir que possa deixar que uns atrapalhem qualquer um outro, concorda?

A lógica dos homens da Terra assenta sobre o que eles conhecem ou julgam conhecer. A lógica de Deus, segundo a DE é a lógica da Inteligência Suprema. Todo aquele que tenta limitar a lógica Divina à sua própria lógica não compreende o que significa "Inteligência Suprema", ou então julga-se Inteligente e com conhecimento ao mesmo nível de Deus, ou próximo.

O mais Inteligente e mais sábio pode caracterizar correctamente o menos inteligente e menos sábio, mas o oposto, segundo a minha lógica limitada, parece-me complicado. Mas, como se diz na minha terra: presunção e água benta cada um toma a que quer.

Bem haja
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: lconforjr em 22 de Julho de 2015, 19:15
Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório

      Ref resp #8 em: 210715, às 15:59, de Diaz

      Diaz disse: Penso como o amigo lconforjr, as leis criadas pelo ser infinitamente perfeito não podem ser imperfeitas. Nossa limitada visão não pode compreender muitas coisas. Não temos visão de continuidade em relação as sucessivas reencarnações e por isso não temos condições de fazer julgamento a respeito do plano.

      Conf: esse é o Diaz que já conhecemos? Se é, tenho satisfação em lhe dizer que sou feliz por termos nos encontrado novamente.

      Mas, vamos à resposta que estamos escrevendo: se, como diz a doutrina, e como vc lembrou, e como afirmam tantos estudiosos da doutrina, "nossa visão não pode entender muitas coisas", porq é que a doutrina recomenda que raciocinemos para entendê-la, para ter uma “fé raciocinada”? Vc terá alguma ideia a esse respeito?
...............
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: lconforjr em 22 de Julho de 2015, 21:29
Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório

      Ref resp #1 em: 16 de Julho de 2015, 16:59, de Kazaoka

      Kazaoka disse (ao Yoshida): O livre arbítrio gera uma causa, essa causa tem um efeito. Tudo que experimentamos é o resultado de uma ação que, por sua vez, é resultado de uma escolha, de uma opção. Isso é o livre arbítrio!

      Conf: meu querido amigo descendente de povos de além-mar; me permita fazer uma pergunta cuja resposta não sei encontrar: se todas as ações são resultados de escolhas que fazemos, porq tantas vezes tantos de nós escolhemos fazer ações más, se podemos escolher somente fazer ações boas?

      Porq escolhemos tantas vezes fazer ações más se a doutrina, os ensinamentos dos espíritos amigos, e do Mestre, sempre claramente estão nos ensinando a só escolher fazer ações boas?!     

      E sendo assim, se todo efeito tem uma causa, afirmação que é uma verdade inquestionável, qual é causa de os livres-arbítrios de espíritos criados perfeitamente iguais, terem se tornado tão gigantescamente desiguais?

      E, se tudo é efeito de causas anteriores, o livre-arbítrio, correto e o incorreto, são efeitos de qual causa? Porq uns usam seu livre-arbítrio para fazer escolhas corretas, eqto outros, propositadamente, o usam para escolher fazer escolhas totalmente erradas, gigantescamente incorretas e que resultarão em sofrimentos, que podem ser desesperadores para os outros e para si mesmos?!

      Kaza: Tudo que advém destas ações e escolhas são efeitos, e o que ensina alguma coisa ao Espírito são os efeitos.

      Conf: sem dúvida tudo é efeito de uma causa (exceto Deus). A vida de todos nós, sem exceção de ninguém, e de tudo que nela acontece, seja relativo ao bem ou ao mal, ou às mais gloriosas aquisições de felicidade, e às mais infelizes aquisições das mais extremas infelicidades, são nada mais que efeitos nessa sequência de causas e efeitos que se origina lá de nosso mais remoto passado, de coisas e seres que deram origem aos nossos mais afastados ancestrais, e se estendem deles até nós, no decorrer desses “zilhões” de séculos e milênios, pela herança genética, somados esses efeitos aos efeitos que nos são causados pelo aprendizado proporcionado pela vida atual. Concordam?

      Assim, somos, cada um, o efeito de causas provocadas pelos que vieram antes de nós, desde lá no início dessa sequência “sem fim”, de causas e efeitos, concordam?

      Mas, aqui, surge um sério problema que devemos solucionar se, realmente, estamos desejando ter uma “fé raciocinada”, se, sinceramente, estamos desejando entender a doutrina: se cada um de nós e cada coisa é o efeito exato de uma causa anterior, como podemos, pelo livre-arbítrio, nos modificar para melhor (ou para o que for?), se o nosso livre-arbítrio é, também o exato efeito de causas anteriores?

      Como podemos modificar nosso livre-arbítrio para sermos melhor do que somos, se nosso livre-arbítrio é efeito de causas que  já passaram, que não existem mais?! Somos exatamente o efeito daquela causa que se concretizou em nós! Como, então, podemos modificar o efeito que agora somos, gerado por uma causa anterior, se não podemos modificar essa causa anterior, já que é ela, a causa de sermos o que somos?!

      Sendo assim, só podemos modificar o efeito que agora somos, se pudermos modificar a causa do efeito que agora somos, para torná-lo uma causa que tivesse como efeito o sermos melhores, se a causa ocorreu antes do efeito que somos, se a causa já não mais existe?!
.....................
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: lconforjr em 23 de Julho de 2015, 02:35
Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório

      Ref resp #3 em: 16 de Julho de 2015, 18:16, de Diegas

      Diegas disse (ao Eduardo): O planejamento reencarnatório terá sempre por objetivo unir e provocar o amor familiar. Há sempre uma rota principal traçada, mas que sempre prevê os atalhos secundários (imprevistos que podem ocorrer em virtude do livre-arbítrio)

      Conf: olá, Diegas, como vc trouxe, a este tópico, o assunto “livre-arbítrio”, e como desejo entender a doutrina do mesmo modo que vc e os companheiros de estudo estão entendendo, tenho de fazer uma pergunta: éramos todos ao ser criados perfeitamente iguais, e logicamente também nossos livres-arbítrios eram perfeitamente iguais, certo? Sendo assim, o que foi que destruiu a perfeita igualdade de nossos livres-arbítrios?
.............
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Diaz em 23 de Julho de 2015, 13:11
Olá Conf, sou eu mesmo, satisfação em encontrá-lo novamente
Conf: Mas, vamos à resposta que estamos escrevendo: se, como diz a doutrina, e como vc lembrou, e como afirmam tantos estudiosos da doutrina, "nossa visão não pode entender muitas coisas", porq é que a doutrina recomenda que raciocinemos para entendê-la, para ter uma “fé raciocinada”? Vc terá alguma ideia a esse respeito?
Diaz: Creio que está claro que a recomendação refere-se ao raciocino delimitado à nossa capacidade de entendimento e interpretação inerentes à nossa condição humana.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/lei-de-causa-e-efeito/livre-arbitrio-e-plano-reencarnatorio/#ixzz3giOqzOgX
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: guns em 23 de Julho de 2015, 21:01
Se houve todo planejamento antes de ambos reencarnarem, com certeza terá um efeito e se não for resolvido nessa vida, será resolvido na outra, vou te contar um relato interessante de uma mulher que não aguentava mais a briga do filho e do marido, todos os dias os dois se estranhavam e ela não aguentava mais, até que ela fez regressão de vidas passadas, nessa regressão ela se viu casada, mas insatisfeita nesse casamento, apareceu um outro homem pelo qual ela se apaixonou, viveram as aventuras juntas até que ele propôs a ela que fugissem juntos, enfim ela muito apaixonada fugiu com o amante e abandonou o marido, e aí ela entendeu o porque da brigas da vida atual com o filho e o marido, o marido atual era o marido da vida passada que ela abandonou, o amante com que ela fugiu, hoje é o seu filho, por isso inconscientemente os dois sentem ódio um do outro, o filho tem ciúme do pai e o pai do filho, só pra você entender que toda causa tem um efeito, o carma foi gerado a partir do momento em que ela fugiu com o amante, na verdade estava programado esse encontro dela com o amante, porém era só um resgate e ele logo tinha que sair de cena, para ela continuar a sua encarnação junto com a do marido, ela e o amante usando o livre arbítrio deles, acabou mudando tudo. Com certeza quando a gente sai do caminho em que nós escolhemos antes de reencarnar, vamos sofrer as consequências, pode não ser nessa vida, mas na outra com certeza sofrerá.[/b][/b]
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 23 de Julho de 2015, 21:57
Muitas vezes me pego com dúvidas a respeito das questões da vida. Mas, como eu tenho o péssimo hábito de pensar demais, as questões vem e vão, e eu acabo me esquecendo o que foi que eu pensei. Eu acabei de me recordar de uma dessas dúvidas agora há pouco: O livre-arbítrio de uma pessoa pode atrapalhar o planejamento reencarnatório de outra? Por exemplo: está programado pra que uma mulher e um homem se casem e vivam sob o mesmo teto por muitos anos. Dois desafetos do passado que precisam se entender. Mas aí o homem vai e bate na mulher, se embriaga todo dia, é infiel com ela, enfim. Ele tanto faz que ela acaba se divorciando dele, porque não vê outra saída. Sozinha com os filhos, ela passa por todo tipo de necessidade afetiva e material. Mas o plano era os dois viverem juntos, até o final da presente encarnação, se ajudando um ao outro. A mulher fez a parte dela, mas o homem não fez a dele.Então eu me pergunto: a atitude dele não mudou os planos que a Espiritualidade tinha para toda essa  família?

Boa questão esta proposta
Acredito que não é uma questão do livre arbitre-o
prejudicar o outro
mas a de atitudes pelo direito a liberdade que lhe foi concedida

Ninguém é obrigado ao flagelo
pode até atrair grupo e ou pessoas devido as atitudes anteriores
pois que segundo a hipótese houve um planejamento
mas esta obrigação peremptória de estar juntos...ao meu ver, e agora pelas atitudes do outro mal educado,
se levado adiante visa somente o prejuízo de um e uma deliberação perpétua de outro


Mas aquele que quebra o contrato
responde pelos seus atos
e pelo senso...
libertando assim pela imprudência
aquele que por momento deveria ser companheiro de reerguimento

Bem na verdade temos que nos entender
com o próximo
mas este entendimento não poderá deliberar o próprio atraso e uma humilhação
...

Diz a DE
que por instinto não devemos esticar o nosso pescoço
somente por que o outro quer corta-lo

Cadê a justiça ?

Ao criminoso a herança
A cela
e não o viveiro


Venho entendendo assim
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Vitor Santos em 24 de Julho de 2015, 12:22
Olá amigo Moisés

Citar
Diz a DE
que por instinto não devemos esticar o nosso pescoço
somente por que o outro quer corta-lo

Cadê a justiça ?

Ao criminoso a herança
A cela
e não o viveiro

Se a palavra justiça se refere à justiça terrena, parecem-me correctas, do meu ponto de vista, as suas afirmações, desde que os objectivos sejam repor a justiça desrespeitada, forçando o criminoso a compensar, positivamente, o prejuizo que provocou e que as penas sejam um meio de prevenção, para evitar que o crime se chegue a realizar, e um meio de proteger as pessoas contra aqueles que, como animais selvagens, não se adaptam à vida em sociedade. Mas que as penas não sejam resultado de uma acusação e de uma condenação moral ou por parte de moralistas religiosos, e uma forma de retaliação, mas do estritamente necessário para aplicação da lei. Se a lei é moralmente correta isso é um assunto que cabe ao legislador e aos estudiosos de criminologia ou equivalente.

Se a palavra justiça for tomada num sentido espiritual, atendendo a que todos somos irmãos, no sentido de criações do mesmo Pai, ou de criações de Deus que resultam das leis da natureza que o Criador/ Pai concebeu, devemos olhar o criminoso como um irmão que amamos e não apenas como um inimigo, ou apenas como uma ameaça, com quem não temos nada a haver. Assim nos ensinou Jesus.

E devemos compreender que um espírito que ainda é um aprendiz, nos primórdios da imortalidade, não pode ter uma maturidade espiritual, uma sabedoria tal, que o possamos comparar a um espírito avançado e sábio. As decisões e os caminhos que ele toma, por muito prejuizo que possam causar, não são decisões sábias e conscientes como as dos espiritos avançados.

A insensibilidade moral mostra que ainda se está próximo do animal selvagem.

Então, qualquer desejo que possamos ter, ainda que não o confessemos a ninguém, por vezes nem a nós mesmos, de que sejam aplicadas penas espirituais, é uma demonstração de ressentimento. Um desejo encapotado de vingança da vitima. E Jesus ensinou que a vingança é um erro: "amai até os vossos inimigos". O nosso desejo deve ser a cura, pelo progresso espiritual, desse nosso irmão.

É normal que desejemos reparação positiva dos prejuízos que sofremos, mas sem esquecer que esse nosso pedido só tem legitimidade se nos propusermos a reparar também os prejuízos que causámos. Se queremos perdão, então temos de perdoar. Se queremos reparação, então também temos de reparar. Só há um peso e uma medida para todos os espiritos, se partirmos do principio de que Deus é Justo.

Então, o que eu espero que as leis da natureza que Deus concebeu prevejam, é que, quando um espírito ainda é atrasado e, por isso, faz o mal, é forçá-lo ao progresso espiritual, se não for a bem terá de ir à força. Mas como resultado de um acto de amor, da aplicação de um remédio doloroso por remédios mais suaves não resultarem.

Voltando ao tema:

Podemos, talvez, prejudicar o plano reencarnatório de outrem, no caso de homicídio, ou de ser violento para ele a ponto de o fazer perder o juízo, por dano cerebral. Não creio que a intervenção divina impeça isso, pois crimes violentos estão a suceder a toda a hora na Terra. E não posso crer que esses crimes sejam promovidos ou apoiados por Deus ou pelas Forças do Bem que actuam como representantes Dele, aqui na Terra, a titulo de penas por crimes. Todavia são permitidos pelo Todo Poderoso.     
       
Bem haja
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 24 de Julho de 2015, 12:43
Grande Vitor sempre ponderado

Sempre o tenho indicado
para conduzir um estudo mensal
mas compreendo a decisão do amigo

Parece-me que o tópico inicial
trás uma grave problema familiar
um desabafo
um apelo

Alguém que sofre por sua "genitora"
quem sabe sua irmã ?
Uma tia ?
Uma Amiga
será apenas uma suposição ?

Um entrave a fazer morada nos meandros do raciocínio somente
por que há uma simpatia pela Doutrina ?

Quem sabe um esperar em Deus?

Bom !

As vezes algumas mulheres sofrem gravemente nas questões conjugais...
O outro cônjuge.. com as qualidades acima mencionadas..além de tudo que fez...some

ai depois de um tempo
volta com a cara la,bida
e a anterior sofredora

se vê perdida
perde os filhos ou por uma sei lá de onde....intuição... pensa e pensa
e repensa...

Ai um "especialista" em problemas alheios
diz que já havia prometido a Deus esta união (antes de nascer)

E o tormento novamente se instala
O "Deus" Justo e o marido violento mas alquebrado...batem-lhe a porta

E ela com os filhos lá dentro de Casa (reconstruída mas com sérias cicatrizes)

! ! !

Bom !

não sou especialista em vidas alheias
mas

dei a minha opinião

Quando vamos a uma floresta, ou quem sabe a uma ponta de mato
e de lá arrancamos uma vegetação
para adornar o nosso lar

O que vejo é que para aquele vegetal
começa a contar novamente daquele ponto em diante
sua vida na natureza ficou para trás

Eu pensei assim...posso estar errado

Abraços
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: sandrocordeirosantos em 05 de Agosto de 2015, 12:49
Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório

      Ref resp #3 em: 16 de Julho de 2015, 18:16, de Diegas

 éramos todos ao ser criados perfeitamente iguais, e logicamente também nossos livres-arbítrios eram perfeitamente iguais, certo? Sendo assim, o que foi que destruiu a perfeita igualdade de nossos livres-arbítrios?
.............



Varias são os fatores e situações que podem levar espiritos a destruirem a perfeita igualdade de seus livres-arbítrios.....Planetas diferentes !!!!  Épocas diferentes  !!!!  Necessidades diferentes !!!


Imaginemos o inicio de tudo .....dois espíritos ....duas crianças,,,em determinada situação veem algo brilhar ,,quente ,,,,é uma chama , fogo ,,,,,sem nada entender ,,,depois de dias ,,,uma delas encosta na chama e se queima .....nesse momento ela adquiriu um conhecimento que será determinante para todo o seu futuro espiritual ,,,,e se considerar que as duas desencarnem juntas , minutos depois da experiencia ,,,,,e voltem a reencarnar ,,,ja terão experiencias e atitudes diferentes pro resto das vivencias , baseado unicamente numa experiencia de se queimar, de um dos espíritos .......nunca mais serão iguais ,,,,,nunca mais ....

Como dizem os espíritos superiores : não temos ainda condições de entender a maioria das coisas que nos rodeiam ,,,mas podemos supor muitas coisas ,,,,


Abraços

Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: lconforjr em 12 de Agosto de 2015, 18:39
Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório

      Ref resp #15 em: 24 07 15, 12:22, de Vitor

      Moisés (resp anterior): “Diz a DE que por instinto não devemos esticar o nosso pescoço somente por que o outro quer corta-lo...”. Cadê a justiça? Ao criminoso a herança, a cela e não o viveiro!

      Conf: o amigo Moisés, por favor, nos esclareça qto ao fato de uns serem criminosos e outros, não! Se aí vc disse o mesmo que a DE diz é porq concordou com ela, certo? Então nos esclareça: o que é que destrói aquela perfeita igualdade inicial?

      Vitor: Se a palavra justiça for tomada num sentido espiritual, atendendo a que todos somos irmãos, criações do mesmo Pai, devemos olhar o criminoso como um irmão que amamos e não apenas como um inimigo, ou apenas como uma ameaça, com quem não temos nada a haver. Assim nos ensinou Jesus.

      Conf: exato! Mas, vc já raciocinou profundamente sobre isso? Já sabe nos dizer, do ponto de vista espiritual, porq uns podem ser verdadeiras ameaças aos demais e outros, não?

      Vitor: E devemos compreender que um espírito que ainda é um aprendiz, nos primórdios da imortalidade, não pode ter uma maturidade espiritual, uma sabedoria tal, que o possamos comparar a um espírito avançado e sábio. As decisões e os caminhos que ele toma, por muito prejuízo que possam causar, não são decisões sábias e conscientes como as dos espíritos avançados.

      Conf: novamente, exato!

      Vitor: A insensibilidade moral mostra que ainda se está próximo do animal selvagem.

      Conf: e, consequentemente, ninguém deverá ser punido por cometer o mal devido a estar próximo do animal selvagem, concorda?

      Vitor: Então, qualquer desejo que possamos ter, ainda que não o confessemos a ninguém, de que sejam aplicadas penas espirituais, é uma demonstração de ressentimento, desejo de vingança da vitima. E Jesus ensinou que a vingança é um erro: "amai até os vossos inimigos". O nosso desejo deve ser a cura, pelo progresso espiritual, desse nosso irmão.

      Conf: novamente o amigo está certo; e ninguém poderá discordar qto a isso! 

      Vitor: É normal que desejemos reparação positiva dos prejuízos que sofremos, mas sem esquecer que esse nosso pedido só tem legitimidade se nos propusermos a reparar também os prejuízos que causamos. Se queremos perdão, então temos de perdoar.  Se queremos reparação, então também temos de reparar. Só há um peso e uma medida para todos os espíritos, se partirmos do principio de que Deus é Justo.

      Conf: mas, se perdoar deriva do amor que temos em nosso coração, como é que devemos fazer para q haja em nosso coração amor suficiente para q tenhamos o desejo de perdoar?!

      Vitor: Então, o que eu espero que as leis da natureza que Deus concebeu prevejam, é que, quando um espírito ainda é atrasado e, por isso, faz o mal, é forçá-lo ao progresso espiritual, se não for a bem terá de ir à força. Mas como resultado de um acto de amor, da aplicação de um remédio doloroso por remédios mais suaves não resultarem.

      Conf: mas se, como ensina a DE, todos somos criados iguais, porq nos tornamos tão seriamente desiguais, ao ponto de tantos terem de passar por esses remédios dolorosos, muitas vezes desesperadores e insuportáveis?!

      Vitor: Voltando ao tema: Podemos, talvez, prejudicar o plano reencarnatório de outrem, no caso de homicídio, ou de ser violento para ele a ponto de o fazer perder o juízo, por dano cerebral.

      Conf: não é esse o ensinamento da doutrina pois, conforme ela, não existe nem acaso, nem coincidência, e todas as penalidades aplicáveis ao homem são merecidas e justas e estão capituladas, de antemão, na lei de causa e efeito. Como diz a DE, o homem só e sempre será punido em tudo aquilo em que pecou e a intensidade de seus sofrimentos será proporcional ao que fez outros sofrerem.

      Vitor: Não creio que a intervenção divina impeça isso, pois crimes violentos estão a suceder a toda a hora na Terra. E não posso crer que esses crimes sejam promovidos ou apoiados por Deus ou pelas Forças do Bem que actuam como representantes Dele, aqui na Terra, a titulo de penas por crimes. Todavia são permitidos pelo Todo Poderoso. 

      Conf: esse é exatamente um ponto da doutrina que estranho profundamente: conforme a doutrina, Deus, infinito Amor e perfeita Justiça, permite todas as coisas que acontecem no mundo, mesmo que sejam exemplos das mais mais cruéis perversidades e perversões, das mais monstruosas imoralidades, que levem as vítimas aos mais desesperadores e intoleráveis sofrimentos como vemos no mundo!       

      Bem haja
.............
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: lconforjr em 22 de Agosto de 2015, 18:05
Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório

      Ref resp #17 em: 05 08 15, 12:49, de Sandro

      Citação de: lconforjr em 23 de Julho de 2015, 02:35: Somos todos criados perfeitamente iguais, e logicamente também nossos livres-arbítrios eram perfeitamente iguais, certo? Sendo assim, o que foi que destruiu a perfeita igualdade de nossos livres-arbítrios?
....
      Sandro: Varias são os fatores e situações que podem levar espíritos
a destruírem a perfeita igualdade de seus livres-arbítrios... Planetas diferentes!!!!  Épocas diferentes!!!!  Necessidades diferentes!!!

      Conf: mas, meu jovem, sendo assim, se é pelo fato de termos habitado "planetas diferentes", de passarmos forçosamente por “épocas diferentes”, que nós destruímos a perfeita igualdade de nossos livres-arbítrios, onde esta nisso a causas de nossos sofrimentos? Onde está aí a transgressão propositadamente feita às leis de Deus?

      Sandro: Imaginemos o inicio de tudo... dois espíritos... duas crianças... em determinada situação veem algo brilhar... quente... é uma chama , fogo... sem nada entender... uma delas encosta na chama e se queima... nesse momento ela adquiriu um conhecimento que será determinante para todo o seu futuro espiritual... e se considerar que as duas desencarnem juntas , minutos depois da experiência... e voltem a reencarnar... ja terão experiencias e atitudes diferentes pro resto das vivencias , baseado unicamente numa experiencia de se queimar, de um dos espíritos... nunca mais serão iguais... nunca mais ....

      Conf: mas suas experiências diferentes não vêm do fato de o mundo, ou a vida, as fazerem passar por experiências diferentes? E se a doutrina ensina que todos os sofrimentos derivam de, propositadamente, transgredirmos as leis de Deus, onde está no fato de a vida, esta escola do bem e do mal, nos fazer passar por experiências diferentes, a transgressão proposital contra as leis de Deus?

      Sandro: Como dizem os espíritos superiores: não temos ainda condições de entender a maioria das coisas que nos rodeiam... mas podemos supor muitas coisas...

      Conf: e, sem dúvida, é isso que fazemos o tempo todo: apenas suposições! Mas o que são suposições senão pontos de vista, crenças sem fundamentos que poderão resultar em desapontamentos e sofrimentos se, um dia, comprovarmos que não são a verdade que acreditávamos que fossem?!
 
      E se ainda não temos condições de entender a maioria das coisas que nos rodeiam, porq é que a doutrina nos recomenda ter uma "fé raciocinada" para que possamos entendê-la melhor, se ela mesmo não nós dá oportunidade de entendê-la pois, até hoje, depois de passados 150 anos de sua chagada ao mundo, não nos mostra o que é necessário para que possamos entendê-la? Por exemplo, o básico dos básicos: porq um é bom e outro, ao contrário, é mau?!

      Abraços
..........
Título: Re: Livre arbítrio e plano reencarnatório
Enviado por: Viana em 25 de Dezembro de 2015, 18:01
Vejam algo muito interessante:  ???

https://www.youtube.com/watch?v=7ELYVMqMy0I