Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Convívio => Tópico iniciado por: Eduardo Yoshida em 10 de Novembro de 2014, 20:01

Título: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Eduardo Yoshida em 10 de Novembro de 2014, 20:01
Olá. Há tempos venho procurando na literatura espírita algo sobre a pornografia e suas consequências, mas nunca encontrei nada que tratasse especificamente do assunto. Gostaria muito de entender quais são as consequências espirituais para quem cultiva esse tipo de hábito, e se ele pode ser justificável no caso das pessoas que estão passando pela prova da solidão amorosa, e que usam a pornografia para compensar a falta da comunhão sexual nas suas vidas.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Orpheu em 11 de Novembro de 2014, 01:24
Eduardo César, acredito (opinião minha) que mesmo a fase de solidão amorosa tem um propósito. Ela não é por acaso. É um momento de introspecção íntima para reflexão de valores e autoconhecimento, que é deveras mais difícil quando se tem alguém ao seu lado.  A angústia da solidão deveria ser preenchida com a busca daquilo que tem tese o sufoca e o direciona a esse estado.

A ausência de comunhão sexual temporária deveria ser visto, por mais difícil que seja, como uma oportunidade para canalizar e sublimar essa energia para outros propósitos mais nobres, como Chico Chavier, por exemplo, fez em vida. A pornografia, por ter sempre cenas grosseiras e vulgares, pode ser uma "antena de sintonia" com espíritos vadios e desocupados.

Quando puder, leia o livro Vida e Sexo, de Emmanuel, abaixo segue o link:
http://www.luzespirita.org.br/leitura/pdf/L67.pdf

Sabe, a energia que gastamos com essas coisas, se fossem melhor aproveitadas como para sair, tomar um ar no parque, conversar com as transeuntes que fazem cooper ou simplesmente praticar atividades físicas, já abriria espaço para estarmos conhecendo outra pessoa e quem sabe resolver o problema da ausência de comunhão sexual temporária .

Além do quê, não vendo pornografia, indiretamente não alimentamos uma indústria que objetifica a mulher e vulgariza o sexo. Pois os distúrbios do sexo eu sei que tem uma vasta literatura que alerta para as pesadas e penosas consequências que tal vício envolve.

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: valtervcj em 11 de Novembro de 2014, 12:48
Apenas como reflexão: todos os nossos excessos tem como punição, de nossa própria escolha, o esforço e as dores da abstinência, consciente ou forçada por uma situação reencarnatória. Se nossos excessos só envolvem a nós mesmos, não causamos danos a terceiros, consciente ou inconscientemente, ha uma atenuante. Mas quando envolvemos outros companheiros de jornada, o reequilíbrio demandará mais tempo e esforço, para se libertar dos vícios e auxiliar os que foram arrastados por nossa escolhas erradas. Exemplo: se você bebeu em excesso e ao final da encarnação teve problemas hepáticos que o levaram a desencarnar um pouco antes é diferente de ber em excesso, abandonar esposa e filhos, não cumprir com suas responsabilidades familiares e sociais, arrastar seus filhos ou incentivar amigos ao vício. O mal causado a terceiros é pior, para nossa consciência, do que o mal causado a nós mesmos. Isso se aplica a qualquer vício. A pornografia, como qualquer outra droga, exigirá sempre maiores excessos para atingir o prazer desejado, e atrairá os mesmo tipos de viciados espirituais. Espero ter ajudado.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 11 de Novembro de 2014, 13:43
Olá. Há tempos venho procurando na literatura espírita algo sobre a pornografia e suas consequências, mas nunca encontrei nada que tratasse especificamente do assunto. Gostaria muito de entender quais são as consequências espirituais para quem cultiva esse tipo de hábito, e se ele pode ser justificável no caso das pessoas que estão passando pela prova da solidão amorosa, e que usam a pornografia para compensar a falta da comunhão sexual nas suas vidas.

Qual a consequência espiritual para quem cultiva o hábito de ver pornografia? Nenhuma.
Porque ver pornografia não é ato espiritual. É ato humano. É ato de uma mente que foi programada para oferecer ao Espírito determinado gênero de prova. Por essa razão, essa mente é induzida ao habito de ver ou praticar o que se chama "pornografia". Qual é o mal que existe nisso? Nenhum. Não poderia ser mal, se é simplesmente algo que na verdade está ajudando o Espírito a ter uma oportunidade de progresso.
O mundo externo é o reflexo do mundo interno, e não o oposto. Quem vê ou está vendo a pornografia, é porque já tinha a pornografia dentro de si. Então o ato de ver ou praticar não significa nada.

Agora o ato espiritual de desejar a pornografia, de sentir necessidade disso, seja para alcançar algum estímulo, ou por simples vício, isso sim é o que gera consequências espirituais. O Espirito que solicitou esse gênero de provas tem o livre arbítrio de fazer o bem ou o mal, isto é, o livre arbítrio de amar a pornografia acima de Deus, ou amar a Deus acima da pornografia. E amar a Deus acima da pornografia é simplesmente dizer: Estou vendo pornografia, louvado seja Deus e sou feliz assim. Ou: Não estou vendo pornografia, louvado seja Deus e sou feliz assim.

Mas vou dizer algo que talvez surpreenda alguns amigos. O Espírito que solicita esse tipo de prova, muita das vezes, não está sendo provado em questões de âmbito sexual. Mas sim no âmbito do amor-próprio. Isto quer dizer, ele é tentado pela culpa. Culpa de estar assistindo ou praticando algo que é reprovado pelo conjunto de normas, regras e bons procedimentos da sociedade humanizada, apesar de gostar do que faz. Culpa por não ser exemplo de "retidão moral" pregado pela humanidade hipócrita. Essa é a sua prova. Abandonar esse conjunto de leis, regras e conceitos de uma falsa moralidade que não são universais, mas apenas conceitos do mundo mental de outros seres humanos em mundo de provas e expiações, é o que ele precisa para aproximar-se de Deus.       

Simples. Mas é uma simplicidade que muitos ainda não aceitam, pois não querem abrir mão das verdades que foram implantadas na sua mente no que se chama "aprendizado da vida humana", e por isso sentem tanta dificuldade de se libertarem de seus conflitos sexuais. Enquanto o sexo for visto pela humanidade como algo sujo, imoral, incorreto, e que necessita ser "purificado" com manifestações "santas", para ser "legitimado", muitos ainda serão os cruéis conflitos acerca do assunto, que nada mais é do que a prova solicitada por esses Espíritos.

O sexo é limpo, moral e correto. Não importa a forma que ele se manifesta exteriormente. Pense-se assim, e todo e qualquer conflito sexual é superado. O bem e o mal está no mundo interno. O mundo externo é apenas a teatralização da prova do espírito, e por essa razão, não se deve julgar o que nele acontece.






 




 
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: ari santos em 11 de Novembro de 2014, 14:14
Olá amigo.Sugiro que leia o livro " O SEXO ALEM DA MORTE" de R. A. Haniere. Esta literatura trata bem detalhadamente sobre o assunto em pauta.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Norizonte da Rosa em 11 de Novembro de 2014, 14:38
Citar
Agora o ato espiritual de desejar a pornografia, de sentir necessidade disso, seja para alcançar algum estímulo, ou por simples vício, isso sim é o que gera consequências espirituais. O Espirito que solicitou esse gênero de provas tem o livre arbítrio de fazer o bem ou o mal, isto é, o livre arbítrio de amar a pornografia acima de Deus, ou amar a Deus acima da pornografia. E amar a Deus acima da pornografia é simplesmente dizer: Estou vendo pornografia, louvado seja Deus e sou feliz assim. Ou: Não estou vendo pornografia, louvado seja Deus e sou feliz assim.

Olá Danilo.

Só para tentar entender: o que realmente você quer dizer com amar a Deus dizendo ‘louvado seja Deus’, poderia explicar? É natural que assim dito ‘amar Deus’ e ‘louvado seja Deus!’ pareçam apenas fórmulas se não for compreendido (por quem diz) o que se quer dizer com essas expressões. Como você mesmo diz, o que é importante é o sentimento, não atos e palavras ou até mesmo pensamentos (no caso essas expressões) se forem ditas, ou pensadas apenas como fórmulas não passarão de atos materiais.






Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: VLRC em 11 de Novembro de 2014, 14:44



O sexo é limpo, moral e correto. Não importa a forma que ele se manifesta exteriormente. Pense-se assim, e todo e qualquer conflito sexual é superado. O bem e o mal está no mundo interno. O mundo externo é apenas a teatralização da prova do espírito, e por essa razão, não se deve julgar o que nele acontece.



 
Sim quando é consensual ou seja quando dois querem praticar o ato sexual  e que neste caso não venha a ferir uma terceira pessoa que se tenha compromisso(cônjuge ,Namorado,a ) também no caso de estupro a pessoa que comete o crime praticou o mal e  poderia o ter evitado usando seu livre arbítrio ninguém nasce predestinado a  ser estuprador ,assassino ou infiél  para cumprir uma missão dada por Deus ,como já vi aqui no fórum algumas pessoas argumentarem.


Abs

vlrc
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: wender100%espirita em 11 de Novembro de 2014, 16:24
Olá. Há tempos venho procurando na literatura espírita algo sobre a pornografia e suas consequências, mas nunca encontrei nada que tratasse especificamente do assunto. Gostaria muito de entender quais são as consequências espirituais para quem cultiva esse tipo de hábito, e se ele pode ser justificável no caso das pessoas que estão passando pela prova da solidão amorosa, e que usam a pornografia para compensar a falta da comunhão sexual nas suas vidas.
z amigo Eduardo tudo que fizermos que atrasa nossa evolução Moral e prejudicial a nós mesmos, somos julgados pela nossa
 intenção. paz e luz
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 11 de Novembro de 2014, 17:13
Citar
Agora o ato espiritual de desejar a pornografia, de sentir necessidade disso, seja para alcançar algum estímulo, ou por simples vício, isso sim é o que gera consequências espirituais. O Espirito que solicitou esse gênero de provas tem o livre arbítrio de fazer o bem ou o mal, isto é, o livre arbítrio de amar a pornografia acima de Deus, ou amar a Deus acima da pornografia. E amar a Deus acima da pornografia é simplesmente dizer: Estou vendo pornografia, louvado seja Deus e sou feliz assim. Ou: Não estou vendo pornografia, louvado seja Deus e sou feliz assim.

Olá Danilo.

Só para tentar entender: o que realmente você quer dizer com amar a Deus dizendo ‘louvado seja Deus’, poderia explicar? É natural que assim dito ‘amar Deus’ e ‘louvado seja Deus!’ pareçam apenas fórmulas se não for compreendido (por quem diz) o que se quer dizer com essas expressões. Como você mesmo diz, o que é importante é o sentimento, não atos e palavras ou até mesmo pensamentos (no caso essas expressões) se forem ditas, ou pensadas apenas como fórmulas não passarão de atos materiais.

Boa observação. Deixa-me então explicar o que significa dizer "louvado seja Deus".
O significado é harmonizar-se com o acontecimento, seja ele qual for. Um caminho para se conseguir isso, é você deixar de "ser" o pensamento e passar a "observar" o pensamento. A mente estará, a todo momento, gerando a sua prova, isto é, fazendo afirmações tais como: "Isso é errado". "Isso é imoral". "Eu não devia estar fazendo isso". "Eu vou me prejudicar", etc...Tudo o que você precisa fazer, é reagir a estas imposições da mente, respondendo-lhes dizendo: "Não sei". Dessa maneira, você "quebra" o absolutismo da verdade que a mente quer lhe convencer. Assim você abre mão do "saber", e entrega a Deus o comando da situação.
Você pode até me dizer que será a mente respondendo para a própria mente. Isso é verdade. Mas como eu disse, esse é um "caminho" para se conseguir. A verdadeira vontade e disposição de fazer isso será do Espírito, e não há como falar a linguagem dos sentimentos. Não há como eu lhe descrever um ato espiritual, sem palavras ou figuras humanas.

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Olé em 11 de Novembro de 2014, 17:43

Mas vou dizer algo que talvez surpreenda alguns amigos. O Espírito que solicita esse tipo de prova, muita das vezes, não está sendo provado em questões de âmbito sexual. Mas sim no âmbito do amor-próprio. Isto quer dizer, ele é tentado pela culpa. Culpa de estar assistindo ou praticando algo que é reprovado pelo conjunto de normas, regras e bons procedimentos da sociedade humanizada, apesar de gostar do que faz. Culpa por não ser exemplo de "retidão moral" pregado pela humanidade hipócrita. Essa é a sua prova. Abandonar esse conjunto de leis, regras e conceitos de uma falsa moralidade que não são universais, mas apenas conceitos do mundo mental de outros seres humanos em mundo de provas e expiações, é o que ele precisa para aproximar-se de Deus.       


É a perceção social que faz ver dois onde só há um, amigo Danilo.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: valtervcj em 11 de Novembro de 2014, 18:11
Danilo, acho que não é uma questão de ajuizar como bom ou mau, pois, em essência, todas as coisas são neutras, sua utilização geram a observação do resultado, bom ou ruim, e mesmo assim, individual: o bom para um pode ser mau para outro. Mas todos os excessos nos trazem consequências, "tudo me é lícito, mas nem tudo me convém". O amigo Eduardo foi bem claro: dúvidas quanto a consequências. As proibições e punições não geram evolução, somente a conscientização. Então eu pergunto: quais as consequências espirituais que não são decorrentes de hábitos humanos?
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 11 de Novembro de 2014, 18:46
Citar
Sim quando é consensual ou seja quando dois querem praticar o ato sexual  e que neste caso não venha a ferir uma terceira pessoa que se tenha compromisso(cônjuge ,Namorado,a )

O sexo continua sendo perfeitamente limpo, moral e correto, mesmo se praticado com alguém que tenha compromisso de relacionamento com outra pessoa.
Não existe compromisso. Existe uma mente humana que afirma que existe um compromisso. O simples fato de uma mente afirmar que ela tem compromisso com outro ser humano, não torna o relacionamento algo real e verdadeiro no universo. Ele existe apenas como prova no mundo mental de ambos os relacionados.
No mundo verdadeiro, no mundo REAL, que é o mundo espiritual, Espíritos não possuem compromisso de relacionamento. Todos são filhos do mesmo Pai e livres em seguir cada um o seu próprio caminho.
Mas como tudo o que a mente humana afirma, para o ser humano é a própria realidade, então ele acredita que existe um "relacionamento". 

Uma pessoa que é traída, porque seu cônjuge se envolveu com outro, ela só foi "traída" porque a sua mente afirmou que tinha um compromisso, e a sua mente adotou como regra que ele não podia se relacionar com outro. Quando a mente percebeu uma violação dessa regra, ela se sentiu traída. No final de tudo, a mente traiu a própria mente.
Nunca uma pessoa foi traída por outra pessoa. Ela é quem se traiu, ao acreditar que a outra era sua posse. Portanto, o mal não existiu no ato praticado. Mas sim, naquele que escolheu amar a si mesmo acima de Deus.

Citar
também no caso de estupro a pessoa que comete o crime praticou o mal e  poderia o ter evitado usando seu livre arbítrio ninguém nasce predestinado a  ser estuprador ,assassino ou infiél  para cumprir uma missão dada por Deus ,como já vi aqui no fórum algumas pessoas argumentarem.

Essa tese de que um ser humano possui poder para criar um acontecimento que seja de acordo com a sua própria vontade, fazendo esse acontecimento influenciar na vida e no destino de outro ser humano, pode ter os seus milhares de adeptos iludidos com a simulação de realidade dessa vida. Mas não encontra nenhum embasamento na Doutrina Espírita. O que a doutrina diz, é que Deus é a causa primária de todas as coisas, portanto, é ele o criador de tudo (tudo significa tudo). Deus é soberanamente justo e bom, e logo, concede a cada um segundo às suas obras (e não a cada um segundo à obras de terceiros). A vida humana, não é uma excursão com alguns "desafios", mas ela mesmo, em essência, é a prova do Espírito. E o Espírito, ao escolher as provas, não escolhe aquilo que é bom e gostoso pra ele, mas justamente o contrário, para que ele, ao encarnar numa consciência humana que deseja sempre apenas o que é bom e gostoso, possa lutar contra ela e vencê-la.

Sendo assim, estupro é um acontecimento da vida que dará ao Espírito encarnado que o sofre uma oportunidade de passar por uma prova que ele necessita passar. Se não existir um estuprador, ele simplesmente não terá a ocasião para passar pelo gênero de prova que ele constatou ser o melhor para ele avançar num determinado sentido.

Não é castigo. Não é sofrimento gratuito sem propósito. É uma benção.
Benção, não para o ser humano logicamente, que detestará passar pela situação (ou gostará, se a sua prova for a do masoquismo). Mas para o Espírito que terá oportunidade de avançar mais depressa para Deus.

E para garantir que esse acontecimento importante e de grande impacto moral possa acontecer, é necessário que exista um estuprador. Então certamente que alguém deverá executar a missão de fazê-lo, para cumprir o desígnio de Deus.





 

 

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 11 de Novembro de 2014, 19:23
Danilo, acho que não é uma questão de ajuizar como bom ou mau, pois, em essência, todas as coisas são neutras, sua utilização geram a observação do resultado, bom ou ruim, e mesmo assim, individual: o bom para um pode ser mau para outro. Mas todos os excessos nos trazem consequências, "tudo me é lícito, mas nem tudo me convém". O amigo Eduardo foi bem claro: dúvidas quanto a consequências. As proibições e punições não geram evolução, somente a conscientização. Então eu pergunto: quais as consequências espirituais que não são decorrentes de hábitos humanos?


Valter o grande problema é esse. Tanto você como o amigo Eduardo, que com todo respeito levantou uma questão muito importante, acreditam que hábitos humanos geram consequências espirituais, quando a verdade é que hábitos espirituais geram consequências humanas.

É essa inversão de valores que precisa ser compreendida. Vocês são Espíritos vivendo um ser humano, e não um ser humano vivendo um espírito.

Para tentar explicar isso, vou utilizar essa questão do LE:


 85. Qual dos dois, o mundo espírita ou o mundo corpóreo, é o principal na ordem das coisas?

 — O mundo espírita; ele preexiste e sobrevive a tudo.


Eu lhe pergunto: Em qual dos dois mundos VOCÊ se encontra?

Se sua resposta for Mundo Espírita, que é a resposta correta, e diria que é nesse mundo que você age. E não no segundo, apesar de acreditar assim. As coisas que você faz nesse mundo primário causa impacto no segundo, e não o contrário.
Se você é Espírito, e age no mundo primário, não é o Espírito que vê a pornografia. É o ser humano. Este que movido por algum sentimento, ou um carma, age de forma a produzir uma vivência, que é uma prova.
Assim é o ciclo da vida. Sentir, pensar e agir. O agir será efeito, e esse efeito, por si só, estará gerando novos acontecimentos para que um novo sentimento possa ser escolhido. Ao ser escolhido, isto gerará um novo pensamento, que gerará uma nova ação, e assim sucessivamente, até o ultimo segundo da encarnação.

Então o problema já tinha começado na pergunta. E meu discurso foi no sentido de desconstruir o seu sentido, e não de responde-la.

Abraços!









Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: VLRC em 11 de Novembro de 2014, 19:42

Valter o grande problema é esse. Tanto você como o amigo Eduardo, que com todo respeito levantou uma questão muito importante, acreditam que hábitos humanos geram consequências espirituais, quando a verdade é que hábitos espirituais geram consequências humanas.

É essa inversão de valores que precisa ser compreendida. Vocês são Espíritos vivendo um ser humano, e não um ser humano vivendo um espírito.






Jesus estava encarnado ensinando encarnados  quando disse: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a lei e os profetas.” – Mateus 7:12

Este texto é conhecido como a “Regra Áurea”, ou seja, Regra de Ouro, porque fala sobre a manifestação prática do amor cristão.


Abs

vlrc



Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Orpheu em 11 de Novembro de 2014, 20:17
Citar
Valter o grande problema é esse. Tanto você como o amigo Eduardo, que com todo respeito levantou uma questão muito importante, acreditam que hábitos humanos geram consequências espirituais, quando a verdade é que hábitos espirituais geram consequências humanas.

Hábitos humanos não causam impressões no perispírito?

Acredito que hábitos humanos gerem consequências espirituais e hábitos espirituais irão gerar consequências humanas.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 12 de Novembro de 2014, 00:42

Valter o grande problema é esse. Tanto você como o amigo Eduardo, que com todo respeito levantou uma questão muito importante, acreditam que hábitos humanos geram consequências espirituais, quando a verdade é que hábitos espirituais geram consequências humanas.

É essa inversão de valores que precisa ser compreendida. Vocês são Espíritos vivendo um ser humano, e não um ser humano vivendo um espírito.






Jesus estava encarnado ensinando encarnados  quando disse: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a lei e os profetas.” – Mateus 7:12

Este texto é conhecido como a “Regra Áurea”, ou seja, Regra de Ouro, porque fala sobre a manifestação prática do amor cristão.


Abs

vlrc


Valter, Espiritos se amam, apenas amando-se. Eles não precisam  fazer ao outro o que deseja para si, porque eles não tem desejos. O único desejo do Espírito é avançar para Deus. E como essa é uma tarefa que nenhum Espírito pode fazer por outro, a manifestação do amor entre eles não se dá através de atos, mas através de sintonia. Essa frase que você interpreta como uma lei de manifestação prática do amor, trata-se apenas de uma visão humana empobrecida do amor.

Se essa frase fosse uma lei universal de conduta moral, qualquer ser humano que fizesse para o outro aquilo que deseja para si, estaria fazendo o bem. E isso não é verdade. Sabemos muito bem que o bem e o mal está na intenção, e não no fato. Quando eu levanto do assento do metrô para dar lugar ao idoso, estou fazendo a ele o que eu gostaria que fizessem para mim. Mas se faço isso reclamando em pensamento, me sentindo obrigado a fazer, a verdade é que não fiz nenhum bem. E coitado de quem faz isso e espera alguma recompensa na vida futura.
Então eu lhe explico o que aconteceu. O velhinho merecia sentar naquele lugar. Um espírito me influenciou com a ideia de que eu deveria me levantar, e eu levantei. Resumindo: Deus deu o lugar ao velhinho, e logo, Deus que me fez levantar. E eu, através desse ato, não tive nenhum mérito, mas tive uma prova: reclamar da vida, me encher de soberba por ter feito tal ato, ou amar a Deus acima de todas as coisas, sendo simplesmente feliz em dar aquele lugar. Então veja, o problema não está na intrução do mestre às criaturas iludidas desse mundo. O problema está na interpretação que você apresentou, que acrescenta palavras à boca do Mestre, palavras estas que ele não disse.
 
Cristo deu um conselho para seres humanos encarnados: Esforcem-se para fazer ao próximo aquilo que querem para si. Entendendo: Esse é o "meio" pelo o qual vocês podem se amar. Apenas o meio. Mas o Mestre deu essa instrução, não preocupado com o resultado dos fatos, mas para auxiliar estes seres humanos a cumprir o roteiro de provas que trouxeram da erraticidade, e que não pode ser alterado. Então essa simples frase, assim isolada, é muito pouco para defender a tese de que "seres humanos possuem liberdade de fazer acontecer na vida humana aquilo que eles querem".

Abraços!
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 12 de Novembro de 2014, 01:08
Citar
Valter o grande problema é esse. Tanto você como o amigo Eduardo, que com todo respeito levantou uma questão muito importante, acreditam que hábitos humanos geram consequências espirituais, quando a verdade é que hábitos espirituais geram consequências humanas.


Hábitos humanos não causam impressões no perispírito?

Acredito que hábitos humanos gerem consequências espirituais e hábitos espirituais irão gerar consequências humanas.

Orpheu, e o que você é? Você é um perispírito? Creio que não. Você é Espírito.
Então hábitos humanos estarão sim causando impressões sobre o perispírito. Mas não sobre você.
Perispirito é matéria. Sendo matéria, ainda é mundo ilusório. Ainda é mundo humano.
Vamos entender isso usando como exemplo o ato de fumar.
Você diria que fumar pode tornar um Espírito mais invejoso? Poderia torná-la mais ciumento?
Você diria que uma pessoa que fuma, isso diminui a sua capacidade de amar o próximo? Diminui a sua caridade?
Se você responde "não" a essas perguntas, que é a resposta certa, você estará afirmando comigo que o ato de fumar não causa qualquer malefício ao Espírito. Ou seja, em nada prejudica a sua essência e o seu mundo sentimental. E consequentemente, em nada prejudica o seu objetivo de alcançar a Deus.
O ato de fumar, não é um mal. É uma prova para esse Espírito. Uma oportunidade de elevação. Fumando, o seu mundo mental estará passando por diversos fatos e situações os quais ele terá a oportunidade de agir (espiritualmente) com individualismo, ou com amor.

Saindo um pouco do assunto para explicar alguns pontos que dificultam a compreensão dos ensinamentos Espíritas:

O Mundo Espiritual, é a dimensão do Espírito. Nenhuma mente humana pode conceber qualquer ideia que diga alguma coisa a respeito desse mundo. Alguns desencarnados lhes descreveram coisas que viram e sentiram após a morte, e por causa desses relatos, vocês acreditam que o mundo espiritual é semelhante ao mundo humano.
Não. É preciso não confundir Mundo Espiritual, com mundo dos desencarnados. Estes, são seres humanos sem carne. Ainda não se desprenderam totalmente da sua ilusão, e vivem com as mesmas ideias, pensamentos, sentimentos, emoções que viviam durante a vida encarnada. A desencarnação do espírito só chega ao fim do processo, quando eles reencontram a sua verdadeira identidade (que é Filho de Deus), e se desprendem de absolutamente tudo o que lhes faziam sentir emoções. Daí então, eles podem se considerar espíritos errantes, que aguardam a oportunidade de uma nova jornada.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 12 de Novembro de 2014, 02:07
No começo do tópico eu disse:

Citar
Enquanto o sexo for visto pelo ser humano como algo sujo, imoral, incorreto, e que necessita ser "purificado" com manifestações "santas", para ser "legitimado", muitos ainda serão os cruéis conflitos acerca do assunto, que nada mais é do que a prova solicitada por esses Espíritos.
O sexo é limpo, moral e correto. Pense-se assim, e todo e qualquer conflito sexual é superado.

Peço para que o leitor não perca de vista estas considerações, porque é com base nelas que continuarei construindo a ideia que ajudará muitos amigos a superarem os seus conflitos sexuais, para aqueles que quiserem compreendê-las, porque são ideias orientadas por verdades universais da vida espiritual, e não verdades relativas e ilusórias da vida humana.

Citar
Enquanto você está ali, vendo uma revistinha pornográfica, ou acessando videos pornos na internet, com seus desejos ardendo, vários espíritos estão vendo o que você está fazendo. Esses espíritos podem ser os seus pais, seus amigos, seus colegas de trabalho, sua esposa, filhos, parentes, seus professores, enfim, existe a possibilidade de todos eles estarem vendo você praticando essa ação.

Existem a possibilidade de diversos Espíritos estarem vendo essa ação. Esses espíritos podem estar assistindo o ato por vários motivos. Seja para estudar alguma coisa, no caso dos mais adiantados, seja para se divertirem junto com o encarnado, ou seja para ficarem espantados, surpresos ou horrorizados com o ato.

Daí eu pergunto: Espírito tem sexo? Quem estuda a doutrina sabe que não.

Se Espírito não tem sexo, como vocês imaginam que seja a reação de um Espírito ao ver um ato sexual? Será que ele fica excitado? Será que ele fica espantado? Ou será que ele fica com nojo?
Se Espíritos não tem sexo, é óbvio que a reação deles será a mais indiferente possível.
Para um Espírito que está liberto da força da ilusão provocada pelas emoções humanas, o ato sexual é algo tão comum e banal quanto o ato de lavar louça.
Se deveríamos nos incomodar com a opinião de algum Espírito sobre nossos atos, deveria ser ao menos em relação a esses, que não são iludidos e conhecem a verdade. Logo, não há nenhum motivo pra ter "vergonha" deles. Essa vergonha, é a própria mente, com o seu conjunto de verdades, repreendendo a si mesma, com algo que ela reprova. É a noção distorcida que a mente humana tem do sexo, como algo feio, sujo, que precisa ficar escondido e reservado. Daí a necessidade de "privacidade", que é outra ilusão da mente. Sinto informar aos amigos, mas vocês nunca tiveram privacidade. Seja fazendo sexo da forma que vocês acham certa, ou da forma que acham errada.

Citar
Além do encarnados, também seus amigos do plano espiritual, conhecidos, inclusive seu guia, também podem está vendo você fazendo isso.

As consequências disso são enormes.

As pessoas guardam impressões do que seus espíritos viram durante a noite. Isso muda as amizades, os relacionamentos, os casamentos, enfim, seja o que for que fazemos escondido prejudica muito nossas relações sem que percebamos.

Vamos ainda imaginar que estejamos fazendo um mal para Espíritos que não estão libertos da ilusão, e que de alguma forma acompanha o ato, sentindo alguma emoção.
E dai? Se a vida do encarnado é sofrer as vicissitudes da vida humana para ter a oportunidade de se aproximar de Deus, porque ele deve se preocupar em conservar relacionamentos humanos de seres que nem sabe se vai encontrar depois do desencarne? Relacionamentos estes, que não são duráveis para sempre, mas certamente deixarão de existir em meio á sua jornada espiritual. No que se funda essa preocupação? Bem certo que não é no amor a Deus sobre todas as coisas, mas no amor a si sobre todas as coisas. Na sua reputação.
O ser humanizado preso às ilusões da mente luta por algo chamado 'reputação' que é a expectativa de que os outros humanos e desencarnados ao seu redor terá dele um alto conceito. Essa é uma das nuances do egoísmo. Reputação é apenas amor próprio.
Cada espírito desencarnado é responsável pelos seus atos tanto quanto os encarnados. Assim, se algum deles se indispôs por ter visto algo feio sobre um encarnado, foi porque ele quis se indispor.   

Citar
Suas relações durante o sono, quando seu espírito desprende do corpo, também serão afetadas, porque os espíritos bons não se misturam com espíritos sensuais.

Fiquei muito triste com essa frase.
Os Espíritos bons não julgam.
Cristo tomou refeição com pecadores, ladrões e prostitutas. Aceitou todos eles no seu convívio.
Daí você me diz que Espíritos bons não se misturam?  :-X
Depois dessa, vou ter que fazer uma pausa...Queria ter explicado melhor essa parte, mas ao ler isso, sinceramente, perdi o fio da meada. E já está tarde aqui.

Abraços!



Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Amós Ribeiro em 12 de Novembro de 2014, 02:12
Boa noite pessoal,

A meu ver problema da pornografia e a prostituição e que desvaloriza e desmoraliza o ser humano, O meio mais correto que tenho de compreender uma situação é me colocar no lugar ou uma pessoa que amo no lugar, é obvio que nem um de nós queremos ver nossas mães, irmãs, esposa, namorada, filha em um filme porno, porque aquela atriz ou ator se eles também são nossos irmãos?
Nós como buscadores espirituais temos que lutar por uma sociedade mais justa, digna e moralizada para todos e com certeza a pornografia e a prostituição não contribui.

A solidão não justifica, pois conheço pessoa casada viciada em pornografia, é uma questão de compreensão!

Também muito me admira espiritualistas atuais com ideias complexas, as quais podem assustar ou distanciar um buscador!   

Abç.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: VLRC em 12 de Novembro de 2014, 10:55
D- Valter, Espiritos se amam, apenas amando-se. Eles não precisam  fazer ao outro o que deseja para si, porque eles não tem desejos. O único desejo do Espírito é avançar para Deus. E como essa é uma tarefa que nenhum Espírito pode fazer por outro, a manifestação do amor entre eles não se dá através de atos, mas através de sintonia. Essa frase que você interpreta como uma lei de manifestação prática do amor, trata-se apenas de uma visão humana empobrecida do amor.
Abraços!


Você generaliza a situação dos espíritos é mais que notório que ha espíritos que não podem nem ouvir a palavra Deus, todos sabemos que ha grandes quantidades de espíritos em zonas inferiores , outros apegados demais  a matéria e que permanecem na crosta,Obsessores ,ovoides etc...
A frase que o amigo considera um visão empobrecida do amor foi a de que serviu grandes espíritos missionários que vieram a terra exemplificar o amor na pratica e não teoricamente.
Ex: Madre Tereza,Chico,Bezerra,Francisco de Assis etc...   



D- O problema está na interpretação que você apresentou, que acrescenta palavras à boca do Mestre, palavras estas que ele não disse.
 


V-“Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a lei e os profetas.” – Mateus 7:12
 Jesus não disse essas palavras ? qual a fonte que o amigo tem pra tal afirmação ?
ou és onisciente?



D- Então essa simples frase, assim isolada, é muito pouco para defender a tese de que "seres humanos possuem liberdade de fazer acontecer na vida humana aquilo que eles querem".


V-Meu amigo não sei da onde vc tirou a idéia de que eu defendo que seres humanos possuem liberdade para fazer aquilo que querem, o que eu acredito é que nós seres humanos não encarnamos predestinados a sermos Estupradores,assassinos etc... como explica  a questão 872 do livro dos espiritos  RESUMO TEÓRICO DO MÓVEL DAS AÇÕES HUMANAS,


Abs
vlrc
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Norizonte da Rosa em 12 de Novembro de 2014, 11:04
Citar
O Mundo Espiritual, é a dimensão do Espírito. Nenhuma mente humana pode conceber qualquer ideia que diga alguma coisa a respeito desse mundo. Alguns desencarnados lhes descreveram coisas que viram e sentiram após a morte, e por causa desses relatos, vocês acreditam que o mundo espiritual é semelhante ao mundo humano.
Não. É preciso não confundir Mundo Espiritual, com mundo dos desencarnados. Estes, são seres humanos sem carne. Ainda não se desprenderam totalmente da sua ilusão, e vivem com as mesmas ideias, pensamentos, sentimentos, emoções que viviam durante a vida encarnada. A desencarnação do espírito só chega ao fim do processo, quando eles reencontram a sua verdadeira identidade (que é Filho de Deus), e se desprendem de absolutamente tudo o que lhes faziam sentir emoções. Daí então, eles podem se considerar espíritos errantes, que aguardam a oportunidade de uma nova jornada.
Danilo, concordo com boa parte do seu texto, mas em relação ao seu arremate penso diferente, ou talvez não tenha entendido bem o que você quis transmitir.

A desencarnação dos espíritos não chega somente ao fim do processo, quando eles reencontram a sua verdadeira identidade, a desencarnação, ou o desencarne (se foi a isso que você quis se referir) é apenas a perda do corpo físico.

Mesmo que por ‘desencarnação’ você tenha querido dizer não mais necessidade de encarnar e não ao simples fato de desligamento de um corpo físico (desencarne), o arremate me soa estranho quando você afirma sobre Espíritos errantes terem reencontrado sua verdadeira identidade, pois a não mais necessidade de encarnar está associada a Espíritos puros que não mais podem ser chamados de errantes e que também estão vivendo uma vida puramente Espiritual.

Então existem duas situações: a do Espírito que já é puro, que reencontrou sua verdadeira identidade (para usar de suas palavras), não mais errante e que vive apenas uma vida Espiritual (seja isso o que for, pois não temos atualmente condições de saber como é) e existem os desencarnados, os errantes que podem passar um tempo vivendo em mundos criados (pelo pensamento) a semelhança dos mundos anteriores em que estiveram encarnados e que poderão ‘crescer’  no estado errante (a semelhança do que ocorre com a infância terrestre) e assim desenvolvendo-se acabam reencontrando sua verdadeira natureza, mesmo tendo que novamente reencarnar. Pelo menos para mim, só posso imaginar um Espírito reencontrando sua verdadeira natureza nessas duas situações, ou quando já Espírito puro, ou se evoluir como dencarnado: chega do outro lado vivendo ainda em um mundo semelhante ao anterior em que encarnou, começa a evoluir e desprender-se da necessidade de viver nesse mundo mental que criou e, então, em certo ponto passa novamente a viver novamente sua verdadeira natureza, sendo ainda necessário reencarnar, para continuar evoluindo, passando por expiações, provas.

Abraço.




Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 12 de Novembro de 2014, 13:07
Você generaliza a situação dos espíritos é mais que notório que ha espíritos que não podem nem ouvir a palavra Deus, todos sabemos que ha grandes quantidades de espíritos em zonas inferiores , outros apegados demais  a matéria e que permanecem na crosta,Obsessores ,ovoides etc...
A frase que o amigo considera um visão empobrecida do amor foi a de que serviu grandes espíritos missionários que vieram a terra exemplificar o amor na pratica e não teoricamente.
Ex: Madre Tereza,Chico,Bezerra,Francisco de Assis etc...   


Eu generalizei sim. Mas eu te asseguro que a generalização que eu fiz não foi achismo da minha cabeça. E minha fonte é o Livro dos Espíritos questão 225, onde é afirmado que No seu estado normal, o Espírito é livre da matéria. E a questão 266, que afirma que Quando ele está liberto da matéria, cessa a ilusão, e a sua maneira de pensar é diferente. Que maneira diferente de pensar é essa? Seria aquela em que o espírito escolhe ser um aleijado, escolhe ter uma doença grave, escolhe ser estuprado. E ele escolhe, porque liberto da materialidade, não há outro desejo que possa lhe causar interesse, que não seja avançar para a felicidade. E observe que a questão não está falando de algum grupo de Espíritos, mas de todos.
Esse é o estado NORMAL do Espírito. Certamente não é o estado em que se encontra esses exemplos que você citou, de obsessores, ovóide, nem mesmo o estado em que André Luiz, Emmanuel, e outros Espíritos que você considera adiantado se encontram. Todos eles ainda estão presos à materialidade até o encerramento do ciclo de prova ou missão que cada um possui.

O problema é que a literatura Espírita fez você imaginar que "Espírito" é um ser humano sem corpo. E isso não permitiu que você compreendesse algumas questões desse livro, que no seu conjunto tornam bem claro que o Espírito, no seu estado liberto da materialidade, tem apenas um único desejo: Avançar para Deus (o que de nenhuma maneira significa que se todos se empenham da mesma forma). Bastaria eu perguntar por qual motivo você, e toda comunidade de 7 bilhões de Espíritos desse planeta estão encarnados. Mas não foi culpa sua não compreender. Simplesmente faltava informações e conhecimentos adicionais, que viriam para esclarecer esse grande mal entendido que foi disseminado no movimento Espírita. Conhecimentos estes que não tenho condições de transmitir todos de uma vez. Mas que quem tiver interesse, pode pescá-los aqui no fórum, nos posts do Anton Kiudero, ou na internet da vida.     

V-“Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a lei e os profetas.” – Mateus 7:12
 Jesus não disse essas palavras ? qual a fonte que o amigo tem pra tal afirmação ?
ou és onisciente?


O ensinamento do mestre é perfeito. Todas as leis e instruções divinas se resumem em orientar o homem a fazer ao próximo o que ele deseja para si. Mas o mestre deu uma instrução para que seja aplicada a si mesmo. E não para ser usada para julgar os atos alheios.
É por esse motivo que Cristo não decretou nenhuma lei. Para que nenhuma delas fosse usada para julgar o próximo, isto é, para dizer que ele está errado e condená-lo por fazer determinada coisa. A única lei que Cristo ensinou, foi a lei do amor, o que não possibilita a ninguém fazer qualquer tipo de julgamento.
Quando se interpreta o ensinamento acima como uma lei cristã, ocorre o problema que já expliquei no último post desse diálogo.

V-Meu amigo não sei da onde vc tirou a idéia de que eu defendo que seres humanos possuem liberdade para fazer aquilo que querem, o que eu acredito é que nós seres humanos não encarnamos predestinados a sermos Estupradores,assassinos etc... como explica  a questão 872 do livro dos espiritos  RESUMO TEÓRICO DO MÓVEL DAS AÇÕES HUMANAS,

Ninguém nasce predestinado ao crime. Mas todo crime é previsto por Deus. Afinal, temos que levar em conta essa outra afirmação do LE:
Somente as grandes dores, os acontecimentos importantes e capazes de influir na tua evolução moral são previstos por Deus, porque são úteis à tua purificação e à tua instrução.


Como é que alguém pode ter a liberdade não executar um crime que deve acontecer, posto que ele é útil à purificação e instrução de um Espírito que o venha a sofrer?
Se vocês gostam de conviver com essa contradição, sem problemas. Esse é o caminho pelo qual vocês continuarão fazendo as provas que podem ser bem aproveitadas, com ou sem essa solução.
Mas há muitos que já está começando a compreender por que essas duas informações foram colocadas no mesmo livro, e porque elas não se contradizem. Estes estão conseguindo se libertar da matrix, ou seja, estão se dando conta de que suas vidas é apenas um sonho ilusório. E nisso consiste a enorme dificuldade que é vencer uma encarnação, algo que os Espíritos daqui já estão tentando há mais de 6000 anos. Abraços!
 

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Norizonte da Rosa em 12 de Novembro de 2014, 13:11
Olá, um trecho do livro 'Sexo Além da Morte' sugerido por nosso amigo Ari santos (página 19)

"- O sexo não é empecilho a evolução. Pelo contrário, é porta aberta para a evolução. Não é através
da reencarnação que os Espíritos vão alcançando maior progresso? O sexo é porta sagrada. A
extravagância sexual é que enfraquece o corpo físico e o perispírito do homem. As forças eletromagnéticas
dos veículos corpo e perispírito tendem a enfraquecer-se ou a gastar-se com o exercício
indiscriminado da sexualidade, apenas isso... É como se uma bateria se descarregasse pelo uso excessivo.
O celebro material sem a carga eletromagnética necessária, enfraquecido, não tem condições
de alçar vôos para o pensamento mais alto. Daí terem os religiosos do passado caído na situação
oposta e absurda de tentar a castidade absoluta. Para manter-se uma absoluta castidade, também
é necessário que o ser tenha progresso e evolução espiritual. A castidade para o homem comum ou
mesmo para aquele que progrediu muito espiritualmente mas ainda não alcançou a beatitude é medida
prejudicial porque a criatura encarnada tem a responsabilidade da criação das formas... Olhei
Eleutério e vi que ele penetrava agora no campo secreto dos conhecimentos sexuais do Espírito e fiquei
amedrontado."

Parece bastante esclarecedor sobre as consequências do excesso, tanto físicas, quanto para uma tentativa de evolução.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: VLRC em 12 de Novembro de 2014, 13:37
Você generaliza a situação dos espíritos é mais que notório que ha espíritos que não podem nem ouvir a palavra Deus, todos sabemos que ha grandes quantidades de espíritos em zonas inferiores , outros apegados demais  a matéria e que permanecem na crosta,Obsessores ,ovoides etc...
A frase que o amigo considera um visão empobrecida do amor foi a de que serviu grandes espíritos missionários que vieram a terra exemplificar o amor na pratica e não teoricamente.
Ex: Madre Tereza,Chico,Bezerra,Francisco de Assis etc...   


Eu generalizei sim. Mas eu te asseguro que a generalização que eu fiz não foi achismo da minha cabeça. E minha fonte é o Livro dos Espíritos questão 225, onde é afirmado que No seu estado normal, o Espírito é livre da matéria. E a questão 266, que afirma que Quando ele está liberto da matéria, cessa a ilusão, e a sua maneira de pensar é diferente. Que maneira diferente de pensar é essa? Seria aquela em que o espírito escolhe ser um aleijado, escolhe ter uma doença grave, escolhe ser estuprado. E ele escolhe, porque liberto da materialidade, não há outro desejo que possa lhe causar interesse, que não seja avançar para a felicidade. E observe que a questão não está falando de algum grupo de Espíritos, mas de todos.
Esse é o estado NORMAL do Espírito. Certamente não é o estado em que se encontra esses exemplos que você citou, de obsessores, ovóide, nem mesmo o estado em que André Luiz, Emmanuel, e outros Espíritos que você considera adiantado se encontram. Todos eles ainda estão presos à materialidade até o encerramento do ciclo de prova ou missão que cada um possui.

O problema é que a literatura Espírita fez você imaginar que "Espírito" é um ser humano sem corpo. E isso não permitiu que você compreendesse algumas questões desse livro, que no seu conjunto tornam bem claro que o Espírito, no seu estado liberto da materialidade, tem apenas um único desejo: Avançar para Deus (o que de nenhuma maneira significa que se todos se empenham da mesma forma). Bastaria eu perguntar por qual motivo você, e toda comunidade de 7 bilhões de Espíritos desse planeta estão encarnados. Mas não foi culpa sua não compreender. Simplesmente faltava informações e conhecimentos adicionais, que viriam para esclarecer esse grande mal entendido que foi disseminado no movimento Espírita. Conhecimentos estes que não tenho condições de transmitir todos de uma vez. Mas que quem tiver interesse, pode pescá-los aqui no fórum, nos posts do Anton Kiudero, ou na internet da vida.     

V-“Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a lei e os profetas.” – Mateus 7:12
 Jesus não disse essas palavras ? qual a fonte que o amigo tem pra tal afirmação ?
ou és onisciente?


O ensinamento do mestre é perfeito. Todas as leis e instruções divinas se resumem em orientar o homem a fazer ao próximo o que ele deseja para si. Mas o mestre deu uma instrução para que seja aplicada a si mesmo. E não para ser usada para julgar os atos alheios.
É por esse motivo que Cristo não decretou nenhuma lei. Para que nenhuma delas fosse usada para julgar o próximo, isto é, para dizer que ele está errado e condená-lo por fazer determinada coisa. A única lei que Cristo ensinou, foi a lei do amor, o que não possibilita a ninguém fazer qualquer tipo de julgamento.
Quando se interpreta o ensinamento acima como uma lei cristã, ocorre o problema que já expliquei no último post desse diálogo.

V-Meu amigo não sei da onde vc tirou a idéia de que eu defendo que seres humanos possuem liberdade para fazer aquilo que querem, o que eu acredito é que nós seres humanos não encarnamos predestinados a sermos Estupradores,assassinos etc... como explica  a questão 872 do livro dos espiritos  RESUMO TEÓRICO DO MÓVEL DAS AÇÕES HUMANAS,

Ninguém nasce predestinado ao crime. Mas todo crime é previsto por Deus. Afinal, temos que levar em conta essa outra afirmação do LE:
Somente as grandes dores, os acontecimentos importantes e capazes de influir na tua evolução moral são previstos por Deus, porque são úteis à tua purificação e à tua instrução.


Como é que alguém pode ter a liberdade não executar um crime que deve acontecer, posto que ele é útil à purificação e instrução de um Espírito que o venha a sofrer?
Se vocês gostam de conviver com essa contradição, sem problemas. Esse é o caminho pelo qual vocês continuarão fazendo as provas que podem ser bem aproveitadas, com ou sem essa solução.
Mas há muitos que já está começando a compreender por que essas duas informações foram colocadas no mesmo livro, e porque elas não se contradizem. Estes estão conseguindo se libertar da matrix, ou seja, estão se dando conta de que suas vidas é apenas um sonho ilusório. E nisso consiste a enorme dificuldade que é vencer uma encarnação, algo que os Espíritos daqui já estão tentando há mais de 6000 anos. Abraços!


Eu não me estenderei muito ,o amigo usa o livro dos espíritos quando lhe convém no post passado disseste que uma frase somente isolada é muito pouco para defender uma tese e no entanto é esse  artificio que vc mais usa, eu não usei uma frase eu trouxe o resumo teórico do móvel das ações humanas conforme a doutrina espirita e o amigo diz que a coisa não funciona deste jeito, então os espíritos erraram?é mistificação ou o que?

Eu respeito todas as ideias,filosofias, leio de tudo acredito que  aqui na terra ninguém  possui todo o conhecimento  ou verdade absoluta, mas o que o amigo apresenta é um apanhado de um monte de filosofias todas dignas e merecedoras de respeito mas que em alguns casos nada tem de doutrina espirita.

Abs

vlrc
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 12 de Novembro de 2014, 13:40
Citar
A desencarnação dos espíritos não chega somente ao fim do processo, quando eles reencontram a sua verdadeira identidade, a desencarnação, ou o desencarne (se foi a isso que você quis se referir) é apenas a perda do corpo físico.

Norizonte, você não entendeu o que eu disse, naturalmente, porque o que estou apresentando é um outro conceito de encarnação.

Encarnação é palavra que deriva de "carne". Observe, não é uma palavra capaz de descrever um conceito universal do ciclo de provações do Espírito. Porque em outros mundos, pode não existir carne. Os elementos que os espíritos se utilizam para fazer esse ciclo pode ser outro totalmente diferente. Encarnação é então uma expressão humana.
Esse ciclo de provações, para que seja descrito de uma maneira universal, deve ser revisado com outro significado. Ele passa a significar o 'período onde o Espírito se liga a matéria até o período que ele se desliga dela', o que não necessariamente tem alguma coisa a ver com carne. Esse é o significado de encarnação que utilizo. Ele é mais amplo. E contudo, não contraria uma virgula do que diz o Livro dos Espíritos, como eu demonstrei para o Valter no post anterior.
O correto seria mudar a palavra. Mas isso geraria tanta confusão e trabalho para explicar, que precisaria de um tópico inteiro dedicado só a esse assunto. No meu caso, que sou apenas um "aluno de outra sala de aula", que apenas venho aqui falar sobre o que eu aprendo lá, é melhor mantê-la.

Citar
Então existem duas situações: a do Espírito que já é puro, que reencontrou sua verdadeira identidade (para usar de suas palavras), não mais errante e que vive apenas uma vida Espiritual (seja isso o que for, pois não temos atualmente condições de saber como é) e existem os desencarnados, os errantes que podem passar um tempo vivendo em mundos criados (pelo pensamento) a semelhança dos mundos anteriores em que estiveram encarnados e que poderão ‘crescer’  no estado errante (a semelhança do que ocorre com a infância terrestre) e assim desenvolvendo-se acabam reencontrando sua verdadeira natureza, mesmo tendo que novamente reencarnar. Pelo menos para mim, só posso imaginar um Espírito reencontrando sua verdadeira natureza nessas duas situações, ou quando já Espírito puro, ou se evoluir como dencarnado: chega do outro lado vivendo ainda em um mundo semelhante ao anterior em que encarnou, começa a evoluir e desprender-se da necessidade de viver nesse mundo mental que criou e, então, em certo ponto passa novamente a viver novamente sua verdadeira natureza, sendo ainda necessário reencarnar, para continuar evoluindo, passando por expiações, provas.

Quando eu falo sobre reencontrar a sua verdadeira identidade, falo de reconhecer-se filho de Deus. Saber de onde veio e para onde vai. Não reconhecer-se como Danilo, Norizonte, Indio, preto velho, ou qualquer outra forma ilusória. Mas isso não necessariamente se refere a uma condição de Espírito puro. É um estado onde o Espírito vai avaliar tudo o que fez, e seguir sua jornada para uma nova existência.
Esse é um estado que nenhum livro espírita jamais descreveu. Pois é um estado onde o espírito não mais está preso ao mundo das formas.

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: SimonB em 12 de Novembro de 2014, 13:57
O sexo continua sendo perfeitamente limpo, moral e correto, mesmo se praticado com alguém que tenha compromisso de relacionamento com outra pessoa. Não existe compromisso.

Amigo Danilo, se a sua afirmação esta correta, para qual finalidade Jesus disse 'Vai, e não peca mais' para mulher que tinha cometido adultério? Para qual finalidade se encontraria 'Não cometerá adultério' na lei Mosaica? E mais ainda, porque o Emmanuel adverte os espíritas da importância do compromisso amoroso na criação de um lar que possa receber outros espíritos? A sua afirmação encontra eco na DE?

Vigiai (o nosso pensamento) e orai!
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 12 de Novembro de 2014, 13:57
Eu não me estenderei muito ,o amigo usa o livro dos espíritos quando lhe convém no post passado disseste que uma frase somente isolada é muito pouco para defender uma tese e no entanto é esse  artificio que vc mais usa, eu não usei uma frase eu trouxe o resumo teórico do móvel das ações humanas conforme a doutrina espirita e o amigo diz que a coisa não funciona deste jeito, então os espíritos erraram?é mistificação ou o que?

Eu respeito todas as ideias,filosofias, leio de tudo acredito que  aqui na terra ninguém  possui todo o conhecimento  ou verdade absoluta, mas o que o amigo apresenta é um apanhado de um monte de filosofias todas dignas e merecedoras de respeito mas que em alguns casos nada tem de doutrina espirita.

Abs

vlrc

Valter é necessário conhecermos bem a diferença entre ensinamentos do Espíritos da Verdade e comentários de Kardec. Os Espíritos transmitiram a realidade da vida Espiritual. Kardec fez a sua análise filosófica, com os conhecimentos que tinha na época.
Kardec, em sua obra intelectual, jamais apresentou a vida Espírita do ponto de vista espiritual. Mas do ponto de vista humano, limitado às mesmas ilusões que estamos submetidos.
O Livro dos Espíritos é um apenas. Mas nele está contido a Doutrina dos Espíritos, mas se quiser também, a Doutrina de Kardec. São duas coisas diferentes. Eu já fui espírita, e já admirei muito Kardec, mas hoje, com as instruções que recebi, não o posso mais considerar um guia de conhecimento espiritualista. Respeito quem o considere. Mas o século 21 me forneceu outras fontes de pesquisa. Abraço!

 
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: SimonB em 12 de Novembro de 2014, 14:09
Eu já fui espírita, e já admirei muito Kardec, mas hoje, com as instruções que recebi, não o posso mais considerar um guia de conhecimento espiritualista. Respeito quem o considere. Mas o século 21 me forneceu outras fontes de pesquisa.

Me perdoe a indagação talvez importuna, mas se você não é mais espírita, porque você continua postando comentários e análises pessoais num fórum dedicado ao estudo da Doutrina Espírita?



Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 12 de Novembro de 2014, 14:23
O sexo continua sendo perfeitamente limpo, moral e correto, mesmo se praticado com alguém que tenha compromisso de relacionamento com outra pessoa. Não existe compromisso.

Amigo Danilo, se a sua afirmação esta correta, para qual finalidade Jesus disse 'Vai, e não peca mais' para mulher que tinha cometido adultério? Para qual finalidade se encontraria 'Não cometerá adultério' na lei Mosaica? E mais ainda, porque o Emmanuel adverte os espíritas da importância do compromisso amoroso na criação de um lar que possa receber outros espíritos? A sua afirmação encontra eco na DE?

Vigiai (o nosso pensamento) e orai!

Cristo pediu a mulher adultera para que ela perseverasse no bem.
É o que todos precisamos fazer. Perseverar no bem. Essa intenção é o que basta para conseguirmos a salvação.
Mas já adianto. Embora você persevere no bem, nem sempre você conseguirá fazê-lo. Pois a obra de Deus se alicerça não somente no bem, mas também na justiça.
Como nem sempre você poderá fazer tudo certo, pois Deus usará os seus atos maus para ser justo com outros seres humanos, siga o conselho do mestre, quando ensina a parábola do Publicano e do Fariseu no templo. Diga assim: Senhor, compadece de mim, que sou pecador!
A sua fé te justificará, e não as suas obras.
O adultério é pecado. Mas ele também é justo. Ele é fonte da justiça de Deus.
Então há pontos de vistas a serem analisados. O ponto de vista humano, e o ponto de vista universal.
Eu disserto sempre do ponto de vista universal, que é a "visão de Deus" sobre tais coisas. E é por isso que as minhas afirmações são tão estranhas. Faço propositalmente, para chocá-los. Para que fiquem 'bravos' comigo. Isso me ajuda a desenvolver os assuntos.

Voltando, do ponto de vista humano, e prático, você terá o "certo" e o "errado". O mestre pede para que você se esforce em fazer o "certo", mas a realidade é que tanto de um lado, como de outro, está o caminho da salvação ou da perdição. Porque o que vale é sempre a intenção, e não o fato.

Não peço para acreditar em mim. Leia e estude a carta aos Romanos. Foi de lá que esses ensinamentos foram extraídos.

Abraços!




Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Norizonte da Rosa em 12 de Novembro de 2014, 14:57
Citar
A desencarnação dos espíritos não chega somente ao fim do processo, quando eles reencontram a sua verdadeira identidade, a desencarnação, ou o desencarne (se foi a isso que você quis se referir) é apenas a perda do corpo físico.

Norizonte, você não entendeu o que eu disse, naturalmente, porque o que estou apresentando é um outro conceito de encarnação.

Encarnação é palavra que deriva de "carne". Observe, não é uma palavra capaz de descrever um conceito universal do ciclo de provações do Espírito. Porque em outros mundos, pode não existir carne. Os elementos que os espíritos se utilizam para fazer esse ciclo pode ser outro totalmente diferente. Encarnação é então uma expressão humana.
Esse ciclo de provações, para que seja descrito de uma maneira universal, deve ser revisado com outro significado. Ele passa a significar o 'período onde o Espírito se liga a matéria até o período que ele se desliga dela', o que não necessariamente tem alguma coisa a ver com carne. Esse é o significado de encarnação que utilizo. Ele é mais amplo. E contudo, não contraria uma virgula do que diz o Livro dos Espíritos, como eu demonstrei para o Valter no post anterior.
O correto seria mudar a palavra. Mas isso geraria tanta confusão e trabalho para explicar, que precisaria de um tópico inteiro dedicado só a esse assunto. No meu caso, que sou apenas um "aluno de outra sala de aula", que apenas venho aqui falar sobre o que eu aprendo lá, é melhor mantê-la.

 Danilo, acho que você é que não entendeu o que eu questionei. Por encarnação também não entendo apenas encarnar em corpos humanos na terra, mas encarnar em qualquer outro corpo em outro mundo qualquer. O termo, se entendermos para o que serve, não precisa ser mudado só porque lembra carne e em outros mundos possa existir um corpo físico que não seja considerado carne. Veja que o que eu disse foi perda de corpo físico e não corpo de carne, portanto não estou limitando o termo encarnação a somente encarnações na terra.

O que questionei (e você, se quiser, pode dar nova lida no que escrevi anteriormente, pois está mais completo lá) é esta sua conclusão envolvendo o fato de o Espírito reencontrar sua verdadeira identidade com a conclusão de que quando isso ocorre podem ser considerados Espíritos errantes:

Citar
A desencarnação do espírito só chega ao fim do processo, quando eles reencontram a sua verdadeira identidade (que é Filho de Deus), e se desprendem de absolutamente tudo o que lhes faziam sentir emoções. Daí então, eles podem se considerar espíritos errantes, que aguardam a oportunidade de uma nova jornada.


Quando o Espírito é puro, obviamente que só vive uma vida Espiritual (tem a verdadeira identidade, para usar de suas palavras) e não pode ser considerado errante, pois os errantes têm que reencarnar (aqui na terra ou em outro mundo, mesmo que nesse outro mundo os corpos não sejam o mesmo que aqui na terra).

Mas se o Espírito desencarnou e mesmo assim continua vivendo em um mundo ilusório, criado pelo pensamento, também, penso, deve ser considerado um Espírito errante, pois até onde sei e se não interpreto errado o que li existem Espíritos encarnados, Espíritos errantes e Espíritos puros. Mas da forma como você escreveu parece que para ser considerado errante o Espírito desencarnado primeiro precisa reencontrar sua verdadeira identidade, não considerando aqueles que ainda vivem em mundos criados pelo pensamento como Espíritos errantes. E esse entendimento, se for esse mesmo, eu não consegui detectar no pouco que já estudei OLE.

O fato de um Espírito estar apegado ao mundo material anterior ao que encarnou e vivendo em um mundo semelhante criado pelo pensamento, não faz desse Espírito um encarnado, tampouco o transforma em Espírito puro, então o que resta? Ser chamado de Espírito errante, tenha reencontrado sua verdadeira identidade, ou não (ainda preso ao mundo anterior).

Veja:

““Deixando o corpo, a alma volve ao mundo dos Espíritos, donde saíra, para passar
“por nova existência material, após um lapso de tempo mais ou menos longo, durante o
qual “permanece em estado de Espírito errante.”

224. Que é a alma no intervalo das encarnações?
“Espírito errante, que aspira a novo destino, que espera.”

A menos que se considere o que já ouvi em outro lugar sobre o fato de existirem Espíritos encarnados mas sem corpo físico (os que vivem sem corpo físico, mas em mundos semelhantes ao mundo físico anterior e criado pelo pensamento) e dizer que para errantes se considere apenas aqueles que inicialmente eram encarnados mas sem corpo físico e que com o tempo conseguiram reencontrar sua verdadeira identidade. Também não deixa de ser uma forma de pensar: nesse caso errante não seria utilizado simplesmente para todos que estivessem desencarnados.

Citar
Quando eu falo sobre reencontrar a sua verdadeira identidade, falo de reconhecer-se filho de Deus. Saber de onde veio e para onde vai. Não reconhecer-se como Danilo, Norizonte, Indio, preto velho, ou qualquer outra forma ilusória. Mas isso não necessariamente se refere a uma condição de Espírito puro. É um estado onde o Espírito vai avaliar tudo o que fez, e seguir sua jornada para uma nova existência.
Esse é um estado que nenhum livro espírita jamais descreveu. Pois é um estado onde o espírito não mais está preso ao mundo das formas.

Quanto a isso também foi o que conclui na mensagem anterior: Espírito vivendo sua verdadeira natureza, ou identidade (digamos assim) é o caso de, ou um Espírito puro, ou um Espírito errante que de alguma forma se desvencilhou da necessidade de viver em mundo criado pelo pensamento e que reproduz o mundo anterior em que encarnou.













Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: VLRC em 12 de Novembro de 2014, 17:04
Eu não me estenderei muito ,o amigo usa o livro dos espíritos quando lhe convém no post passado disseste que uma frase somente isolada é muito pouco para defender uma tese e no entanto é esse  artificio que vc mais usa, eu não usei uma frase eu trouxe o resumo teórico do móvel das ações humanas conforme a doutrina espirita e o amigo diz que a coisa não funciona deste jeito, então os espíritos erraram?é mistificação ou o que?

Eu respeito todas as ideias,filosofias, leio de tudo acredito que  aqui na terra ninguém  possui todo o conhecimento  ou verdade absoluta, mas o que o amigo apresenta é um apanhado de um monte de filosofias todas dignas e merecedoras de respeito mas que em alguns casos nada tem de doutrina espirita.

Abs

vlrc

Valter é necessário conhecermos bem a diferença entre ensinamentos do Espíritos da Verdade e comentários de Kardec. Os Espíritos transmitiram a realidade da vida Espiritual. Kardec fez a sua análise filosófica, com os conhecimentos que tinha na época.
Kardec, em sua obra intelectual, jamais apresentou a vida Espírita do ponto de vista espiritual. Mas do ponto de vista humano, limitado às mesmas ilusões que estamos submetidos.
O Livro dos Espíritos é um apenas. Mas nele está contido a Doutrina dos Espíritos, mas se quiser também, a Doutrina de Kardec. São duas coisas diferentes. Eu já fui espírita, e já admirei muito Kardec, mas hoje, com as instruções que recebi, não o posso mais considerar um guia de conhecimento espiritualista. Respeito quem o considere. Mas o século 21 me forneceu outras fontes de pesquisa. Abraço!

 


Danilo todos temos a liberdade(livre arbítrio) para buscar conhecimento e todas religiões e doutrinas merecem respeito, se o espiritismo não lhe serve mais Ok continua servindo pra trazer consolo para muitas outras pessoas e vida que segue seja feliz, eu não acho errado buscar outros conhecimentos eu acho errado querer fazer passar por espiritismo (doutrina espirita) outras fontes como o amigo mesmo disse.

Abs
vlrc
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: valtervcj em 12 de Novembro de 2014, 18:33
Por favor, observem melhor os autores dos textos. Estão atribuindo a mim coisas que não questionei ou comentei.
Mas então, por que sou pecador, se uso as coisas "disponíveis", porque todas são de Deus e são neutras, e aprendo, como a criança que aprende tomando choque (ou não mexe mais ou aprende a mexer sem tomar choque)? Só serei pecador quando utilizar, com plena consciência de prejudicar outrem, as mesmas coisas disponíveis?
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 12 de Novembro de 2014, 19:28
Eu já fui espírita, e já admirei muito Kardec, mas hoje, com as instruções que recebi, não o posso mais considerar um guia de conhecimento espiritualista. Respeito quem o considere. Mas o século 21 me forneceu outras fontes de pesquisa.

Me perdoe a indagação talvez importuna, mas se você não é mais espírita, porque você continua postando comentários e análises pessoais num fórum dedicado ao estudo da Doutrina Espírita?

Talvez queira entender qual a minha intenção em estar postando aqui.
Minha intenção é apenas servir a Deus. De que forma? Fazendo aquilo que me dá na telha fazer.
Qualquer motivo que eu pudesse imaginar estar aqui, seria apenas um discurso da minha mente. E todo e qualquer discurso da mente tem apenas uma finalidade: criar uma prova para o espírito. Para ver se ele acredita na mente, ou se acredita em Deus. Então só há uma razão que posso lhe dar certeza de eu fazer essas postagens. Deus querer que eu as faça. E eu apenas obedeço e não questiono as ordens Dele.

Abraços!
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Norizonte da Rosa em 13 de Novembro de 2014, 10:24
Para quem não leu, ou não está lendo o livro sexo além da morte, trago mais um trecho que pode servir para pensarmos um pouco sobre o tema do tópico.

Citar
- O amor e o sexo não estão na carne nem no perispírito - disse Eleutério tomando um ar professoral.
O sexo especialmente está no Espírito, na alma. Muita gente alega que a carne é fraca. Não
existe fraqueza da carne, o que existe é evolução maior ou menor do Espírito. Tudo, no ser, está na
mente. A sexualidade e o amor também estão na mente e não na carne. A carne e o perispírito são
redes eletromagnéticas de alto potencial, acrescidas, no caso do corpo físico, do material de que se
compõe o mundo no qual está vivendo o ser. Apenas isso. Ela é normal e é obra de Deus. O instinto
ou necessidade de procriar, força extraordinária da natureza, é que lança o macho e a fêmea na luta
sexual. Não há nisso pecado nem crime. É a natureza que se expressa através das formas de maneira
a preservar as próprias formas, renovando-as e recriando-as.
Sexo é potencial divino. O uso exagerado, como já dissemos, poderá levar o homem ao embrutecimento
e a animalidade mais violenta, mas o uso controlado poderá mantê-lo perfeitamente no
seio da criação equilibradamente. O que pode haver em todos os departamentos do universo é somente
equilíbrio e desequilíbrio. Quem se desequilibra sofre para readquirir o equilíbrio. Essa luta
para a conquista do reequilibro é que é sofrimento ou dor. Não há pecado nem Deus pune ninguém. Suas leis funcionam como o mais exato relógio e todos estão sujeitos a essas leis, frias, duras, inexoráveis,
mas perfeitas.
No estágio evolutivo em que estamos, acredito que dar vazão a essa energia, a sexual (desde que não em prejuízo de outrem) seja mais benéfico, ou menos perigoso que simplesmente reprimir. Os exageros é que são prejudiciais e quem é encarnado sabe dos benefícios quando não existe exagero, mas também dos prejuízos quando ocorrem os exageros nessa área.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Orpheu em 13 de Novembro de 2014, 16:47
Diante de tantas novas informações, só tenho algo a acrescentar, caro amigo, como disse muitas vezes Kardec dentro da Codificação:

Citar
"Na dúvida abstenha-se"

Se não conseguir controlar seus ímpetos... coisa até aceitável, pois uma vez que estamos em um mundo de prova e expiações, é natural que os nativos deste mundo não consigam, a menos que estejam em missões; mas, enfim, caso não consiga, minimize ao máximo possível os excessos que possa vim a cometer na saciedade desse ímpeto.

E como disse Jesus: "Vigiai e Orai".

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: lconforjr em 13 de Novembro de 2014, 17:49

      Amigos,

      Sobre o tema, gostaria de fazer duas perguntas:

      - se todos os efeitos têm suas causas, qual é a causa que tem como efeito o fato de muitos de nós se deliciarem, se viciarem mesmo, com a pornografia e com tantos desregramentos sexuais e morais que vemos no mundo, ao passo q outros não são assim?

      - O que, ou quem nos fez assim? Nós mesmos, por vontade própria, por livre escolha, decidimos ser assim, uns de um modo, outros de outro modo, ou são as experiencias/lições q a escola da vida nos dá q nos fazem ser assim?

................
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Norizonte da Rosa em 13 de Novembro de 2014, 19:32
Citar
- se todos os efeitos têm suas causas, qual é a causa que tem como efeito o fato de muitos de nós se deliciarem, se viciarem mesmo, com a pornografia e com tantos desregramentos sexuais e morais que vemos no mundo, ao passo q outros não são assim?

A causa é nossa natureza muito próxima ainda do material, bem próxima do início da vida como Espíritos. Quanto menos adiantados, mais apegados ao que é material: o efeito de dispormos uma travessa com carnes em frente a um humano e em frente a um animal carnívoro são distintos, por exemplo.

Mas além da diferença de evolução entre os que agem de forma diferente, no caso em questão, também existe a repressão para muitos que deixam de praticar algo porque uma religião proíbe, ou porque querem respeitar convenções sociais.


Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: valtervcj em 14 de Novembro de 2014, 13:20
Amigo Iconforjr,
Todos buscamos a felicidade. Como disse o amigo Norizonte, no degrau que nos encontramos, muito próximos à matéria, buscamos a felicidade nos bens e nos prazeres materiais . Nenhum deles tem a verdadeira felicidade. Não nos preenchem. Mas ha um momento de prazer, que tentamos prolongar, fazendo mais vezes estas coisas que geraram um instante de alegria. Aí entram os vícios e as compulsões. Neste ponto geramos o desequilíbrio interno, por nossa escolha, por nosso livre-arbítrio. Todo o resto são os efeitos: comprar demais e se endividar, beber além da conta e causar acidentes ou situações desagradáveis, contrair DST's ou enveredar pelo caminho da pedofilia, etc. Isto não é uma regra para todos os casos. Todos temos nosso próprio "termômetro" que sinaliza os excessos e nos ajuda a dominar os prazeres e não sermos dominados por eles. Mas se o "termômetro" estiver desregulado...
O sexo é tão divino quanto tudo o que existe no universo. O ato de olhar todas as mulheres com os olhos da libido se torna o excesso. Buscar o sexo cada vez com maior frequência e de formas mais exageradas (a pornografia , o sexo grupal, sadomasoquismo, etc) é o excesso. É quando você passa a fazer tudo em função do prazer, o restante do tempo é preenchido por coisas que você não dá importância, é apenas um intervalo para obter o prazer para o qual você passa a viver. Deste desequilíbrio, que se iniciou com algumas aventuras sexuais, ou uma bebida socialmente no happy hour, ou fumando um baseado pra curtir com o grupo de amigos, todas inocentes, surge o dependente, o viciado, o espírito desequilibrado, que precisará reencontrar o equilíbrio sofrendo a reação, as consequências de suas escolhas. Relembrando: não é uma regra para todas os espíritos (encarnados ou não), mas provavelmente tem a ver com a história de todos os viciados, dependentes. Espero ter ajudado com minha opinião. Um forte abraço.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: SimonB em 14 de Novembro de 2014, 14:58

1. É o que todos precisamos fazer. Perseverar no bem. Essa intenção é o que basta para conseguirmos a salvação.
(...)
2. A sua fé te justificará, e não as suas obras.
(...)
3. O adultério é pecado. Mas ele também é justo.
(...)
4. Eu disserto sempre do ponto de vista universal, que é a "visão de Deus" sobre tais coisas.
(...)
5. E é por isso que as minhas afirmações são tão estranhas. Faço propositalmente, para chocá-los. Para que fiquem 'bravos' comigo. Isso me ajuda a desenvolver os assuntos.

Irmão Danilo, raramente li tantas contradições e verdades distorcidas em tão poucas linhas. Você esta misturando várias correntes de pensamento para agradar a sua intenção do momento, pouco se importando que sejam coerentes entre si.

Resposta por item:

1. Perseverar no bem, sim. Vamos ver nos próximos itens se você esta sendo coerente com esta afirmativa..

2. Errado. Profissão de fé, tudo mundo pode fazer com os lábios sem que atinge o coração e a razão. 'Todos segundo as suas obras'.

3. Se é pecado, é porque cria injustiça para a vitima e futuro sofrimento para o pecador, por isso, podemos concluir que é injusto.

4. Como é que um ser humano imperfeito pode ter a pretensão de ter a 'visão de Deus' sobre as coisas? Você por acaso, teria resolvido todos os mistérios do universo?

5. Afirmação em total discordância com o item #1. Você parou para pensar que causando discórdia, por único intuito de levantar polêmica, você esta atrapalhando à todos aqui, que mostram boa fé e humildade no estudos doutrinários? Percebeu que esta, desta forma, esquecendo de praticar a caridade, item fundamental na pratica do bem? (item 1).

É com tristeza que vejo um homem, com muito potencial, ser arrastado pelo orgulho e a vaidade. Amigo Danilo, há grande necessidade de prevenir-se contra espíritos mistificadores e as suas influencias morais devastadoras. Todos temos o livre arbítrio, este, porém, deve ser usado com cautela. Se a sua vontade é de aderir a correntes de pensamentos místicos, que assim seja, mas com o conhecimento espirita, já sabe para onde te levarão tais pensamentos.

Que a luz de Deus ilumine o seu caminho.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Amós Ribeiro em 14 de Novembro de 2014, 16:51
Olá Danilo Henrique

O amigo disse: "O sexo continua sendo perfeitamente limpo, moral e correto, mesmo se praticado com alguém que tenha compromisso de relacionamento com outra pessoa.
Não existe compromisso. Existe uma mente humana que afirma que existe um compromisso."

Meu amigo também temos que aprender com a Lei dos homens, ainda que ela não seja perfeita, universal ou metafisica. Muitas coisas pode ser besteira em um estado de consciência ou em um plano mais elevado, mas não significa que seja o mesmo para nós.

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 28 de Janeiro de 2015, 01:50
Olá SimomB. Em tempo, vim lhe responder seu post.

Citar
Irmão Danilo, raramente li tantas contradições e verdades distorcidas em tão poucas linhas. Você esta misturando várias correntes de pensamento para agradar a sua intenção do momento, pouco se importando que sejam coerentes entre si.

Estou aqui para explicar, pacientemente, quantas vezes for necessária. Eu não poderia vir aqui dizer coisas tão espantosas para o seu ego, e depois ir embora sem nenhuma responsabilidade, embora você compreender ou não
para mim, não faz nenhuma diferença, já que cada um está no seu caminho certo, guiado pela influência dos Espíritos que cuidam de cumprir os desígnios da encarnação.

Citar
1. Perseverar no bem, sim. Vamos ver nos próximos itens se você esta sendo coerente com esta afirmativa..

Sim, vamos ver.

Citar
2. Errado. Profissão de fé, tudo mundo pode fazer com os lábios sem que atinge o coração e a razão. 'Todos segundo as suas obras'.

Distorceu minhas palavras. Em que parte falei em "profissão" de fé? Eu falei de fé verdadeira. Aquele que realmente existe no ser. Então o problema não foi o que eu escrevi. Foi a palavra que você acrescentou ao meu discurso, não sei por qual motivo.

Citar
3. Se é pecado, é porque cria injustiça para a vitima e futuro sofrimento para o pecador, por isso, podemos concluir que é injusto.

De onde você tirou isso? De qual livro? De qual ensinamento?
Me diga qual foi o mestre que ensinou que "ao cometer um pecado, estamos criando injustiça para a vítima"?
Não tem como encontrar embasamento nas suas palavras no ensinamento da doutrina Espírita, e nem no ensinamento dos mestres espirituais.   
Segundo o Livro dos Espíritos, não existem "vítimas". Ninguém pode ser vítima de uma injustiça, em um universo onde tudo obedece a justiça de Deus - A cada um segundo às suas obras.
O que você chama de "injustiça" e de "vítima", é o Deus amando esta "vitima", dando-lhe uma oportunidade de progresso, seja pelo o que você entende como expiação, ou como prova.
Meu amigo, você vê injustiça onde existe justiça. Você vê o "errado", onde Deus faz o certo. Você precisa decidir se Deus deve mudar a perfeição da sua obra, ou se você precisa aprender a enxergá-la com olhos diferentes.     

Citar
4. Como é que um ser humano imperfeito pode ter a pretensão de ter a 'visão de Deus' sobre as coisas? Você por acaso, teria resolvido todos os mistérios do universo?

A visão de Deus sobre as coisas está nos ensinamentos dos mestres e da doutrina Espírita que você não compreendeu. Não vim lhe falar de nenhum segredo do universo ou verdade absoluta. Apenas vim falar da interpretação correta (espiritualista) desses ensinamentos. E adianto que não sou nenhum privilegiado em inteligencia pois cometi exatamente os mesmos erros de interpretação que você. Foi necessário alguém me dar um "tapa na cara" para eu conseguir ver a verdadeira mensagem, e estou concedendo ao amigo a mesma oportunidade, a qual cabe apenas você aproveitá-la ou não.
Se antes de ler um livro com esse conteúdo, tivéssemos aprendido a "receber em Espírito uma mensagem de Deus" ao invés de "ler apenas mais um livro usando o intelecto humano", isso não teria acontecido.
Você não é culpado de usar os ensinamentos em prol do próprio egoísmo. Não se sinta assim. Acontece com todo mundo. É algo normal, e é assim mesmo que deveria acontecer pela vontade de Deus.

Citar
5. Afirmação em total discordância com o item #1. Você parou para pensar que causando discórdia, por único intuito de levantar polêmica, você esta atrapalhando à todos aqui, que mostram boa fé e humildade no estudos doutrinários? Percebeu que esta, desta forma, esquecendo de praticar a caridade, item fundamental na pratica do bem? (item 1).

Veja que engraçado. Você demonstra boa fé e humildade para estudar a doutrina Espírita. Aprende que é necessário ter paciência, tolerância e caridade com o próximo. Então, eu venho aqui, e digo tudo o que você não quer ouvir, dando-te uma excelente oportunidade para colocar em prática as coisas que você diz querer aprender, e é assim que você me agradece? Deus me envia até você para provar o seu amor ao próximo, e ele acima de todas as coisas, e você se manifesta dizendo que eu não deveria estar fazendo isso? Que eu estou "atrapalhando". Para onde foi a boa intenção e os valores espiritualistas?
Não estou te criticando. Não estou lhe apontando o dedo na cara. Não estou fazendo nada disso. Estou lhe mostrando a realidade que você não quer ver.
Você tem aqui outra excelente oportunidade. Perguntar a si mesmo, e investigar, porque "deseja" que eu não esteja aqui falando essas coisas. Porque "deseja" que eu diga as coisas que você concorde e aprova. Porque você "deseja" que "não exista polêmica". Excelentes oportunidades que Deus está te concedendo através de mim. Claro, se o seu intento de espiritualizar-se é realmente sincero, ou se tudo isso para você é apenas um passatempo ou um lazer. Coisa que eu não tenho absolutamente nada a ver e cabe apenas a você mesmo constatar.

Depois, você não me compreendeu, porque não quis ler os meus posts. Eu deixei bem clara a diferença de ato espiritual e ato humano. Mas suponho que você não acredite que é um Espírito, e por isso, não consegue utilizar nenhum raciocínio para compreender o que vem a ser "ato espiritual". Perseverar no bem é ter sempre a intenção de fazer o bem. Não é conseguir fazer o bem. Isso você jamais vai conseguir fazer o tempo todo nesse mundo, por mais que você "deseje" que seja dessa forma.
Essa é a diferença de ato Espiritual, e ato humano. E é por não entender essa diferença, que você não entendeu a frase: Nenhuma carne será justificada pelas obras da lei.. Embora o Livro dos Espíritos diga que o bem e o mal verdadeiro está na intenção, o raciocínio humano ainda utiliza a expressão: "de boas intenções, o inferno está cheio". Não. De boas intenções, estão cheios os Espíritos felizes que alcançaram a evolução.

Citar
É com tristeza que vejo um homem, com muito potencial, ser arrastado pelo orgulho e a vaidade.

Isso é apenas o que você acha.

Citar
Amigo Danilo, há grande necessidade de prevenir-se contra espíritos mistificadores e as suas influencias morais devastadoras.

Não jogue nos Espíritos desencarnados a culpa pela inferioridade moral que existe nos Espírito encarnados. Eu não devo me prevenir de Espírito algum, pois estes desencarnados, todos eles, são, segunda a doutrina Espírita que você não estuda: agentes da vontade de Deus. Portanto, sendo a vontade de Deus justa e correta e a minha vontade apenas proposição do meu egoísmo, serão sempre bem vindos todos os Espíritos que queiram me influenciar para o bem como para o mal. Minha escolha moral, e livre arbítrio, será absoluta e independente de qualquer tentativa de influência. As vezes vou escolher o bem, as vezes o mal. Errar faz parte e uma hora consigo acertar. Portanto, estou livre dessa preocupação, graças a Deus. Agora quem acha que deve se preocupar com "influência de espíritos maus", o que pode ser ou não o seu caso, isto significa que os conhecimentos Espíritas não devem estar sendo psicologicamente saudáveis, e talvez melhor fosse esquecê-los e voltar a estudá-los quando houver maior maturidade mental.

Abraço!
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 28 de Janeiro de 2015, 02:01
Citar
Meu amigo também temos que aprender com a Lei dos homens, ainda que ela não seja perfeita, universal ou metafisica. Muitas coisas pode ser besteira em um estado de consciência ou em um plano mais elevado, mas não significa que seja o mesmo para nós.

Caro Amós Ribeiro, se você acredita que esse é o caminho, então viva com as regras, obrigações e necessidades que desejar. Não sou eu quem vou lhe mostrar a prova que está por trás desse caminho. Será a sua observação da vida.
Você tem em suas mãos duas escolhas. Em uma mão está o mundo primário, verdadeiro, que a tudo sobrevive,   
e na outra mão está o mundo secundário, ilusório, que poderia deixar de existir sem alterar a essência do primeiro.
Você decide para qual deles viverá. Se quer escolher os dois ao mesmo tempo, observe por si mesmo o que acontece quando você tenta fazer isso. Depois me conte onde você chegou. 

Abraços!
 
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 28 de Janeiro de 2015, 02:12
Eu não me estenderei muito ,o amigo usa o livro dos espíritos quando lhe convém no post passado disseste que uma frase somente isolada é muito pouco para defender uma tese e no entanto é esse  artificio que vc mais usa, eu não usei uma frase eu trouxe o resumo teórico do móvel das ações humanas conforme a doutrina espirita e o amigo diz que a coisa não funciona deste jeito, então os espíritos erraram?é mistificação ou o que?

Eu respeito todas as ideias,filosofias, leio de tudo acredito que  aqui na terra ninguém  possui todo o conhecimento  ou verdade absoluta, mas o que o amigo apresenta é um apanhado de um monte de filosofias todas dignas e merecedoras de respeito mas que em alguns casos nada tem de doutrina espirita.

Abs

vlrc

Valter é necessário conhecermos bem a diferença entre ensinamentos do Espíritos da Verdade e comentários de Kardec. Os Espíritos transmitiram a realidade da vida Espiritual. Kardec fez a sua análise filosófica, com os conhecimentos que tinha na época.
Kardec, em sua obra intelectual, jamais apresentou a vida Espírita do ponto de vista espiritual. Mas do ponto de vista humano, limitado às mesmas ilusões que estamos submetidos.
O Livro dos Espíritos é um apenas. Mas nele está contido a Doutrina dos Espíritos, mas se quiser também, a Doutrina de Kardec. São duas coisas diferentes. Eu já fui espírita, e já admirei muito Kardec, mas hoje, com as instruções que recebi, não o posso mais considerar um guia de conhecimento espiritualista. Respeito quem o considere. Mas o século 21 me forneceu outras fontes de pesquisa. Abraço!

 


Danilo todos temos a liberdade(livre arbítrio) para buscar conhecimento e todas religiões e doutrinas merecem respeito, se o espiritismo não lhe serve mais Ok continua servindo pra trazer consolo para muitas outras pessoas e vida que segue seja feliz, eu não acho errado buscar outros conhecimentos eu acho errado querer fazer passar por espiritismo (doutrina espirita) outras fontes como o amigo mesmo disse.

Abs
vlrc


Não se preocupe meu caro. Não é minha intenção mudar o movimento Espírita, e nem as ideias e os sentimentos  que você possui em relação a essa Doutrina. Não quero mudar o Espiritismo, porque fazer isso, seria mudar a prova que Deus está concedendo aos adeptos dessa filosofia.
Minha intenção foi apenas mostrar que os Espíritas não conhecem os ensinamentos do Espírito da Verdade. Só isso. Da mesma forma que os cristãos não conhecem os ensinamentos de Cristo. Da mesma forma que os budistas não conhecem os ensinamentos do Buda. Da mesma forma que os muçulmanos não seguem os ensinamentos do Alcorão. E assim por diante. Vocês não são piores que ninguém, não se abale com isso. Não estou a fazer critica, só a demonstrar tal situação através de um dialogo honesto. Abraços.
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: VLRC em 28 de Janeiro de 2015, 13:30


Não se preocupe meu caro. Não é minha intenção mudar o movimento Espírita, e nem as ideias e os sentimentos  que você possui em relação a essa Doutrina. Não quero mudar o Espiritismo, porque fazer isso, seria mudar a prova que Deus está concedendo aos adeptos dessa filosofia.
Minha intenção foi apenas mostrar que os Espíritas não conhecem os ensinamentos do Espírito da Verdade. Só isso. Da mesma forma que os cristãos não conhecem os ensinamentos de Cristo. Da mesma forma que os budistas não conhecem os ensinamentos do Buda. Da mesma forma que os muçulmanos não seguem os ensinamentos do Alcorão. E assim por diante. Vocês não são piores que ninguém, não se abale com isso. Não estou a fazer critica, só a demonstrar tal situação através de um dialogo honesto. Abraços.
[/quote]


Danilo eu hoje nem espirita me considero sou reencarnacionista e toda doutrina que aceita a reencarnação me interessa e busco aprender sobre mas não parece muita pretensão sua afirmar que ninguém conhece os ensinamentos dos grandes mestres da humanidade alem de vc e aqueles com quem vc vem estudando me desculpe mas o próprio Cristo quando perguntado sobre o que era a verdade se manteve em silêncio.

Abraço
VLRC
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Maxwell Carvalho em 28 de Janeiro de 2015, 15:31
Olá. Há tempos venho procurando na literatura espírita algo sobre a pornografia e suas consequências, mas nunca encontrei nada que tratasse especificamente do assunto. Gostaria muito de entender quais são as consequências espirituais para quem cultiva esse tipo de hábito, e se ele pode ser justificável no caso das pessoas que estão passando pela prova da solidão amorosa, e que usam a pornografia para compensar a falta da comunhão sexual nas suas vidas.



Eduardo

As consequências varia de indivíduo pra indivíduo. A questão da pornografia, que o indivíduo fica sujeito a influência de egums (irmãos desencarnados), podendo tornar-se obsessores ligados aos vícios. Mas isto depende do campo vibratório do indivíduo.

Podemos citar algumas consequências:

- vício, dependência,
- adultério,
- vampirização (egums sugando a energia vital do indivíduo);
- destruição da família,
- obsessores,
- Falta de socialização

A questão da pornografia em si não é prejudicial, mas depende do grau de frequência dessa exposição e como se dá a relação do comportamento no meio social e como reflete nesse meio.

Vamos exemplificar:

- Se você é casado e têm família, você pode ser influenciado a trair (cometer adultério) sua esposa porque o desejo carnal de experimentar outras parceiras pode ser incentivada como maus pensamentos, subjugação.

- A frequência na masturbação pode ser propício para que egums (irmãos desencarnados) suguem sua energia vital, incentivando a prática, dividindo a energia com o encarnado, causando-lhe fraqueza, sono, desperdício de tempo, etc. (dependência)

- Um adultério pode destruir uma família;

- A pessoa presa a pornografia é sinal de indivíduo introspectivo, pessoa que não tem capacidade de interagir com o sexo oposto, por medo ou frustração. (Alvo constante de obsessores, quiumbas, vampirizadores e zombeteiros).

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Maxwell Carvalho em 28 de Janeiro de 2015, 17:24
se ele pode ser justificável no caso das pessoas que estão passando pela prova da solidão amorosa, e que usam a pornografia para compensar a falta da comunhão sexual nas suas vidas.


Como eu disse, a questão da pornografia não é prejudicial em si. Mas depende do grau de frequência dessa exposição e como se dá a relação do comportamento no meio social e como reflete nesse meio. E isso, dependendo do caso pode indicar obsessão espiritual ou não.


Em relação a solidão amorosa e ver pornografia é justificável desde que a prática seja moderada e não se fique preso a isso e não prejudique sua vida social. Pois, pode indicar indivíduo introspectivo, incapaz de relacionar com o sexo oposto ou mesmo de se aproximar por medo ou frustração, problemas psicológicos e de auto-estima. Mas na questão espiritual é bom ter cuidado, pois pode indicar obsessão espiritual também e retrocesso espiritual.

Podemos citar vários exemplos de obsessão.

Obsessão espiritual -

- Indivíduo pode ser preso, alvo a macumba, amarração, pra que seus relacionamentos futuros seja prejudicado e não deem certo, frustração. Motivado por inveja ou de ex-companheiros. Nesse caso o indivíduo não interage e acaba se prendendo a prazeres da vida, como pornografia e com prostitutas.

- Indivíduo de pensamentos negativos, que se acha feio, que não tem papo, acha-se incapaz de conquistar o sexo oposto ou de se aproximar. (nesse caso, os obsessores se alimentam desse campo vibracional, da baixo auto-estima e lhe prejudica reafirmando sua incapacidade e lhe estimulando a outras práticas, sugando lhes suas energia ou não).


Cada caso é um caso. O indivíduo que tem problemas amorosos deve evitar pornografia ou moderar nessa prática. E elevar o pensamento a cristo, orando a deus que coloque uma companheira na sua vida. É necessário que o indivíduo procure sair, conhecer pessoas, sair com amigos ou mesmo procurar ajuda no tratamento psicológico ou de desobsessão, dependendo do caso.

Também seria interessante você tomar ebós, banhos de ervas, conduzidas por pessoas capacitadas para afastar as energias impuras, espíritos obsessores para que as portas da sua vida social, profissional ou amorosa se abrem.

A pornografia não é prejudicial em si mas não é motivo de ficar preso e não procurar um companheira pra ser feliz.

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Vitor Santos em 28 de Janeiro de 2015, 18:38
Olá amigos

A pornografia tem de ser vista de dois ângulos distintos.

Um deles corresponde aos actores que se apresentam a simular actividades de natureza sexual, em publico, seja através de filmes, de revistas, da prostituição etc.. Muitas dessas pessoas talvez pudessem ter melhores actividades económicas. Todavia eles ou elas vendem o que lhes pertence, ou seja, os respectivos corpos carnais, embora de uma forma pouco digna. Não se deve olhar isso como uma actividade criminosa, do ponto de vista legal, a não ser que envolva pedofilia, tráfico ou escravização de seres humanos, ou outros crimes associados.

Do ponto de vista moral, a prática da pornografia que não envolve outros crimes, parece-me que se trata de uma questão de consciência, cujo julgamento, e/ou condenação e/ou absolvição cabe aos envolvidos, desde que a já citada prática seja consensual entre os mesmos.

Já tive uma época em que eu pensava que a pornografia e as actividades dessa natureza eram crimes morais. Cheguei à conclusão que se tratava de um preconceito meu. É apenas uma actividade económica, e quem não nasce rico necessita de ganhar dinheiro, de alguma forma. Para mim não desejo essa actividade, mas cada um sabe de si.

Hoje penso que a venda do corpo é uma actividade bem mais digna do que a venda da consciência, tal como acontece com a corrupção (do cidadão comum e/ou dos políticos e das pessoas que se encontram em condições de a fomentar ou aceitar para si mesmas), o tráfico de droga, o tráfico de pessoas, etc. Uma prostituta de rua, no meu conceito,está acima do politico corrupto e negligente, que prejudica deliberadamente o próprio povo para beneficio próprio. Enfim, vender a alma é bem pior do que vender o corpo.

Já do ponto de vista dos utilizadores (clientes...) da pornografia, se se viciarem nessa prática, seja de que forma for, isso pode ser prejudicial à vida deles, o que pode prefigurar um crime moral contra si mesmos. No caso de uma utilização esporádica da pornografia há casos em que se justifica. Lembro-me, por exemplo, de pessoas deficientes que têm dificuldade de arranjar parceiro sexual, ou das pessoas muito sós que são incapazes de superar a solidão, etc.

Há, contudo, um aspecto importante. Quando alguém olha para outrem que está a praticar uma actividade pornográfica deve entender que aquelas pessoas são respeitáveis, que são seres humanos de pleno direito, que são espíritos igualmente importantes a todos os outros. O papel dessas pessoas é o mesmo que o de qualquer outro actor. Se se olha para essas pessoas como seres inferiores, apenas como objectos sexuais, esquecendo-se da dimensão humana delas, isso já é um crime moral. Jesus de Nazaré demonstrou isso ao mandar atirar a primeira pedra à mulher adultera, a quem não tivesse pecados. E o resultado foi que ninguém foi capaz de atirar pedra, como sabemos. Todos podem errar e o objectivo é que cada um de nós consiga errar cada vez menos, ao invés de condenarmos o próximo, sobretudo se isso serve para ocultar os nossos próprios erros ou para nos considerarmos criaturas superiores aos que cometem erros, no nosso conceito.

Há mulheres e homens que culpam a pornografia e os trabalhadores do sexo como uma ameaça aos respectivos casamentos, uniões de facto ou namoros. Todavia os responsáveis pela utilização desses meios, prejudicando as respectivas relações amorosas, são os que os utilizam em proveito próprio, para satisfazer as necessidades sexuais, não são, na minha opinião, os actores pornográficos e/ou os trabalhadores do sexo.

Este mundo está cheio de actividades pouco dignas, de erros, de crueldade. Era melhor que assim não fosse, mas nós, que o habitamos, na carne, infelizmente não somos capazes de eliminar e/ou evitar isso, em muitos casos em nós mesmos, quanto mais nos outros...

Mas se a esperança de melhorar existir, aliada à tentativa sincera de o fazer, o futuro poderá vir a ser melhor. E assim seja!                   

Bem hajam
Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Maxwell Carvalho em 28 de Janeiro de 2015, 19:43
Olá amigos



Hoje penso que a venda do corpo é uma actividade bem mais digna do que a venda da consciência, tal como acontece com a corrupção (do cidadão comum e/ou dos políticos e das pessoas que se encontram em condições de a fomentar ou aceitar para si mesmas), o tráfico de droga, o tráfico de pessoas, etc. Uma prostituta de rua, no meu conceito,está acima do politico corrupto e negligente, que prejudica deliberadamente o próprio povo para beneficio próprio. Enfim, vender a alma é bem pior do que vender o corpo.



Respeitando sua opinião.

Mas do ponto de vista moral e espiritual considero um retrocesso espiritual a venda do corpos e comercialização da imagem. Não acho uma atividade digna, por trás de tudo isso há a ganância, o dinheiro, de ganhar facilmente sem esforço. As pessoas são motivadas pelo dinheiro e acham que a pornografia rendem muito, muita grana. De uma lado pode ganhar ou fracassar se não atingir o sucesso, mas a sociedade tem culpa e responsável por isso, pelo consumo e incentivação. Já ouvi diversas entrevista que mulheres pousaram para a playboy e se arrependeram, tornaram-se evangélicas e sempre dizendo que se pudesse voltar atrás não fariam; a motivação dessa vida é o dinheiro fácil. Ilusão!

É por isso que nas reencarnações posteriores a pessoa deva assumir uma condição diferente que valorize o trabalho e não a superficialidade. Pois a pornografia desvaloriza a família e incentiva a traição.

Título: Re: A pornografia na visão espírita
Enviado por: Vitor Santos em 29 de Janeiro de 2015, 19:15
Olá amigo Maxwell

Concordo consigo, a pornografia ou a venda do corpo, não me parecem actividades ideais nem dignas.

Todavia, como já disse, a venda da consciência ou da alma é mais grave do que a venda do corpo de carne, na medida em que, além de indigna e hipócrita e traiçpoeira.

O que não posso concordar é que a traição das relações de namoro, união de facto ou casamento seja uma consequência da pornografia ou da prostituicao (feminina ou masculina). A responsabilidade é sempre de quem trai. Se uma pessoa não está satisfeita com a prestação sexual do parceiro deve encarar o problema em conjunto com o mesmo. Se essa componente da relação representar um forte obstáculo à mesma, deve equacionar-se o futuro da relação, da melhor forma para ambos. A traição nem sequer está na pratica de sexo fora do casamento, mas no facto dessa prática ser escondida do parceiro.

Aquilo que está reservado às pessoas noutras encarnações ninguém sabe. Nem sequer sabemos se, na pele das pessoas cujas actividades condenamos seriamos melhores do que elas.

Bem haja