Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Lei de Causa e Efeito => Tópico iniciado por: *Leni* em 16 de Dezembro de 2008, 19:56

Título: A FIGUEIRA SECA
Enviado por: *Leni* em 16 de Dezembro de 2008, 19:56
               
 

 

Então Jesus disse à figueira: “Que ninguém mais coma de seus figos”. Na manhã seguinte, Jesus e os discípulos, passando, viram a figueira que tinha secado até a raiz. Pedro lembrou-se e disse a Jesus: “Olha, Mestre, a figueira que amaldiçoaste secou”.
Mc, 11: 14, 20-21

A figueira seca é o símbolo de tudo aquilo que não produz nada de bom, embora tenha as aparências do bem. É igualmente o emblema de todas as pessoas que têm os meios de ser úteis e não o são. Por extensão, é a imagem de todas as utopias, de todos os sistemas vazios, de todas as doutrinas sem base sólida. Árvores com folhagens vistosas, mas que não dão frutos; e, por isso, condenadas à esterilidade, secando até a raiz.

Isso quer dizer que todos os sistemas de todas as doutrinas que não tiverem produzido bem algum para a humanidade cairão no esquecimento; e que todos os homens voluntariamente inúteis, por não colocarem em prática, no interesse do bem, os recursos que possuem, serão tratados como a figueira seca.

Como intérpretes dos espíritos e dotados de faculdades para servirem de veículos no processo de transmissão de suas instruções, os médiuns têm uma missão particular: a de servir como árvores que frutificam para o alimento espiritual de seus irmãos. Eles se multiplicam por toda parte, em todos os países, em todas as classes sociais, entre os ricos e os pobres, entre os grandes e os pequenos, para que o alimento seja abundante, para que não haja deserdados e para provar aos homens que todos são chamados.

Se, no entanto, eles desviam a faculdade que lhes foi concedida do fim providencial a que ela se destina; se a põem a serviço do que é fútil ou nocivo; se a empregam para perseguir interesses mundanos; se se recusam a torná-la proveitosa para os outros; se dela não tiram proveito para o próprio melhoramento – esses médiuns serão como a figueira estéril. E, ao perder o dom que se tornou inútil em suas mãos como semente que não souberam fazer frutificar, se tornarão presa fácil dos espíritos inferiores.

Allan Kardec.
O Evangelho segundo o Espiritismo,
Capítulo XIX.



 
Título: Re: A FIGUEIRA SECA
Enviado por: Viviane Gomes em 16 de Dezembro de 2008, 19:59
Obrigada pela passagem.... Um fraterno abraço!!!!!
uma excelente semana
Título: Re: A FIGUEIRA SECA
Enviado por: *Leni* em 16 de Dezembro de 2008, 20:26



Obrigada você amiga.

Paz e luz.
Título: Re: A FIGUEIRA SECA
Enviado por: Vivaldo em 05 de Janeiro de 2009, 17:56
       Penso constantemente nisso, em como ser útil, como utilizar o conhecimento adquirido, em prol das pessoas. De nada adianta conhecer os porquês da vida, e não se transformar interiormente, ou não ajudar na transformação dos outros. Ando me cobrando ultimamente, em como fazer para ser mais útil para a sociedade, nas questões espirituais, principalmente. obrigado!
Título: Re: A FIGUEIRA SECA
Enviado por: Wagner Sokolski em 21 de Fevereiro de 2009, 21:42
Muito interessante, tem razão..
Um grande abraço a todos!
Título: Re: A FIGUEIRA SECA
Enviado por: *Leni* em 26 de Fevereiro de 2009, 01:59
 

Citar
Penso constantemente nisso, em como ser útil, como utilizar o conhecimento adquirido, em prol das pessoas.

Fazendo a caridade ajudamos ao próximo e muito mais do que ao próximo, estamos ajudando a nós mesmos no sentido da nossa evolução.

Deus é nosso pai.

E o sol que nos ilumina todas as manhãs, ilumina a toda humanidade. Isso significa que Deus não faz distinção dos Seus filhos, e quando nós não ajudamos aos necessitados estamos sendo egoístas e esquecemos-nos das benções que recebemos Dele.

Paz, luz e amor.