Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Jornal das Boas Notícias => Tópico iniciado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 14:04

Título: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 14:04
Queridos amigos e irmãos...Sejam todos bem-vindos...

Este novo tópico, tem como objetivo trazermos o trabalho voluntário  que realizamos ao conhecimento de muitos...
No Fórum Espiríta temos todo um conteúdo, teoria , que nos auxilia, esclarece, ajuda e nos direciona nos ensinamentos de Jesus, através da codificação espiríta..

Lembrando da passagem de Jesus: Quando derdes de comer e beber a um destes mais pequenos é a mim que o fazes!!

  O Evangelho Segundo o Espiritismo Por ALLAN KARDEC

UM ESPÍRITO PROTETOR

Lyon, 1860

10 – Meus amigos, tenho ouvido muitos de vós dizerem: Como posso fazer a caridade, se quase sempre não tenho sequer o necessário?

            A caridade, meus amigos, se faz de muitas maneiras. Podeis fazê-la em pensamento, em palavras e em ações. Em pensamentos, orando pelos pobres abandonados, que morreram sem terem sequer vivido; uma prece de coração os alivia. Em palavras: dirigindo aos vossos companheiros alguns bons conselhos. Dizei aos homens amargurados pelo desespero e pelas privações, que blasfemam do nome do Altíssimo: “Eu era como vos; eu sofria, sentia-me infeliz, mas acreditei no Espiritismo e, vede agora sou feliz!” Aos anciãos que vos disseram: “É inútil; estou no fim da vida; morrerei como vivi”, respondei: “A justiça de Deus é igual para todos; lembrai-vos dos trabalhadores da última hora!” Às crianças que, já viciadas pelas más companhias, perdem-se nos caminhos do mundo, prestes a sucumbir às suas tentações, dizei: “Deus vos vê, meus caros pequenos!”, e não temais repetir freqüentemente essas doces palavras, que acabarão por germinar nas suas jovens inteligências, e em lugar de pequenos vagabundos, fareis delas verdadeiros homens. Essa é também uma forma de caridade.

     

   



Mostre para o mundo o seu trabalho voluntário com Jesus!![Muitas vezes es exemplos são mais válidos que as palavras../b]

O meu trabalho voluntário é:  Abrigo Para idosos Cidadela João de Deus: Todo domingo das 08:00 as 10:00 (Equipe) e o seu... Qual é??

Creche Casa Lar Cordeirinhos de Deus> Toda quarta-feira das 07:30 as !2:00 Berçario 0(Crianças de 11 meses)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Leonardo Hardware em 26 de Dezembro de 2010, 16:33
Muito bonito seu trabalho, parabéns e que Deus lhe de cada vez mais energia e capacidade para realizar grandes tarefas.
 Eu sou um pouco novo, e ainda estou e ver e meditar no que posso fazer, e que os bons espiritos me ajude e me induze ao caminho da caridade e ao amor ao proximo!

 Leonardo.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 21:31
Olá Leonardo...

Seja sempre bem-vindo amigo... muita paz a ti...
O bem sempre beneficia primeiro a nós, este trabalho, já faço há dois anos, é dentro de um espaço catolico, com padre, madre e freiras, no inicio foi uma barra, mas o bem por si só, sempre vence,...
Traga tua colaboração também e vamos incentivar o trabalho voluntário...


Volte sempre aamigo... Abraços afetuosos...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 21:36
Madre Teresa....

Teoria e prática do ensinamentos de Jesus...
Grande exemplo de solidariedade...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 21:41
Chico Xavier...

Homem simples que se doou em benefício do próximo...
Ajudou muitas pessoas, atrvésa de psicografia e outros trabalhos no bem...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 21:48
   O Evangelho Segundo o Espiritismo

Nas grades calamidades, a caridade se agita, e vêem-se generosos impulsos para reparar os desastres. Mas, ao lado desses desastres gerais, há milhares de desastres particulares, que passam desapercebidos, de pessoas que jazem num miserável catre, sem se queixarem. São esses os infortúnios discretos e ocultos, que a verdadeira generosidade sabe descobrir, sem esperar que venham pedir assistência.

            Quem é aquela senhora de ar distinto, de trajes simples mas bem cuidados, seguida de uma jovem que também se veste modestamente? Entra numa casa de aspecto miserável, onde sem dúvida é conhecida, pois à porta é saudada com respeito. Para onde vai? Sobe até a água furtada: lá vive uma mãe de família, rodeada pelos filhos pequenos. À sua chegada, a alegria brilha naqueles rostos emagrecidos. É que ela vem acalmar todas as suas dores. Traz o necessário, acompanhado de suaves e consoladoras palavras, que fazem aceitar a ajuda sem constrangimentos, pois esses infortunados não são profissionais de mendicância. O pai se encontra no hospital, e durante esse tempo à mãe não pode suprir as necessidades.

            Graças a ela, essas pobres crianças não sofrerão nem frio nem fome; irão à escola suficientemente agasalhados e no seio da mãe não faltará o leite para os menorzinhos. Se uma entre elas adoece, não lhe repugnará prestar-lhe os cuidados materiais. Dali seguirá para o hospital, levar ao pai algum consolo e tranqüilizá-lo quanto à sorte da família. Na esquina, uma carruagem a espera, verdadeiro depósito de tudo o que vai levar aos protegidos, que visita sucessivamente. Não lhes pergunta pela crença nem pelas opiniões, porque, para ela, todos os homens são irmãos e filhos de Deus. Finda a visita, ela diz a si mesma: Comecei bem o meu dia. Qual é o seu nome? Onde mora? Ninguém o sabe. Para os infelizes, tem um nome que não revela a ninguém, mas é o anjo da consolação. E, à noite, um concerto de bênçãos se eleva por ela ao Criador: católicos, judeus, protestantes, todos a bendizem.

            Por que se veste tão simplesmente? Para não ferir a miséria com o seu luxo. Por que se faz acompanhar da filha adolescente? Para lhe ensinar como se deve praticar a beneficência. A filha também quer fazer a caridade, mas a mãe lhe diz: “Que podes dar, minha filha, se nada tens de teu? Se te entrego alguma coisa para dares aos outros, que mérito terás? Serei eu, na verdade, quem farei a caridade, e tu quem terás o mérito? Isso não é justo. Quando formos visitar os doentes, ajudar-me as a cuidar deles, pois dar-lhes cuidados é dar alguma coisa. Isso não te parece suficiente? Nada mais simples: aprende a fazer costuras úteis, e assim confeccionarás roupinhas para essas crianças, podendo dar-lhes alguma coisa de ti mesma”. É assim que esta mãe verdadeiramente cristã vai formando sua filha das virtudes ensinadas pelo Cristo. É espírita? Que importa?

            Para o meio em que vive, é a mulher do mundo, pois sua posição o exige; mas ignoram o que ela faz, mesmo porque não lhe interessa outra aprovação que a de Deus e da sua própria consciência. Um dia, porém, uma circunstância imprevista leva à sua casa uma de suas protegidas, para lhe oferecer trabalhos manuais. “Psiu! — diz-lhe ela. Não contes a ninguém!” Assim falava Jesus.

           
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 21:53
Tentativas de suicídio..

Muitas vezes, um minuto do nosso  tempo faz toda a difernça,pararmos um pouco para ouvirmos...Darmos afeto, compreensão...



: Ontem, minha neta,  de 14 anos, me chamou e me disse que, às vezes, tem idéias suicidas. Fiquei chocada, pois, filho único de minha filha e 3º de meu genro, é tratado com tudo o que podemos oferecer a ele, desde carinho, conversas e o que ele pede, desde que ao nosso alcance, pois, como único neto, pede-nos o que gostaria de ter e, dentro do possível, o atendemos. Sempre foi um pouco depressivo e nervoso, mas muito amoroso. Gostaria de saber até que ponto devo valorizar essa queixa, se devo considerá-la uma ameaça, ou se ele está fazendo chantagem para conseguir atenção.

site: Suicídio, explicações, perguntas, respostas, dúvidas, depoimentos
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:03
Irmã Dulce...

Incansável em seu trabalho no beneficio ao próximo...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:07
Atendimento Fraterno...

Faz toda a difernça... Traz beneficio maravilhosos para ambos...

Abrigos para Idosos Cidadela João de Deus

Vó Francisca... (Já desencarnada há 8 meses
)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:11
Cidadela João de Deus- Abrigo para idosos

Carinho...

Opera maravilhas em todos nós...
Quem não precisa??
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:14
Outro grande exemplo de auxilio ao próximo.... Quem esquece??
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:22
  Patch Adams - O Amor É Contagioso

Quem consegue permanecer triste diante da distribuição de sorrisos... Alegrias??
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:26
Outro trabalho Voluntário ao Alcance das nossas mãos...

Contar histórias em hospitais e asilos......
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:34
   Fora da Caridade Não Há Salvação

"[color=blue]Ora, quando o filho do homem vier em sua majestade, acompanhado de todos os anjos,
sentar-se-á no trono de sua glória; - reunidas diante dele todas as nações,
separará uns dos outros, como o pastor separa dos bodes as ovelhas,
- e colocará as ovelhas à sua direita e os bodes à sua esquerda.
Então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: vinde, benditos de meu Pai,
tomai posse do reino que vos foi preparado desde o princípio do mundo;
- porquanto, tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber;
careci de teto e me hospedastes; - estive nu e me vestistes;
achei-me doente e me visitastes; estive preso e me fostes ver.

Então, responder-lhe-ão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome
e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber?
- Quando foi que te vimos sem teto e te hospedamos; ou despido e te vestimos?
- E quando foi que te soubemos doente ou preso e fomos visitar-te?
- O Rei lhes responderá: Em verdade vos digo, todas as vezes que isso fizestes
a um destes mais pequeninos dos meus irmãos, foi a mim mesmo que o fizestes.

Dirá em seguida aos que estiverem à sua esquerda: Afastai-vos de mim, malditos;
ide para o fogo eterno, que foi preparado para o diabo e seus anjos;
- porquanto, tive fome e não me destes de comer, tive sede e não me destes de beber;
precisei de teto e não me agasalhastes; estive sem roupa e não me vestistes;
estive doente e no cárcere e não me visitastes.

Também eles replicarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome e não te demos de comer,
com sede e não te demos de beber, sem teto ou sem roupa, doente ou preso e não te assistimos?
- Ele então lhes responderá: Em verdade vos digo: todas a vezes que faltastes com a assistência
a um destes mais pequenos, deixastes de tê-la para comigo mesmo.
E esses irão para o suplício eterno, e os justos para a vida eterna."

Vejamos quais as condições que Jesus estabelece para ser um escolhido:

      Por acaso Ele faz distinção de religião ou de credo, partido ou seita?
      Inquire se rico ou pobre?
      Ele questiona quem deu maior soma de dinheiro?
      Não. Jesus fala de uma virtude que está ao alcance de todos: A caridade, a fraternidade, o amor pelo semelhante.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:39
Distribuição de sopa

Pr. Francisco Borges (1ª ICE de Abaetetuba-PA), sua esposa Nazaré e Equipe da Ação Social


Trabalho Voluntário... Ao Alcande de suas Mãos!!
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:45
Caridade

Caridade é a mão terna e compassiva
Que ampara os bons e aos maus ama e perdoa,
Misericórdia, a qual para ser boa,
De bens paradisíacos se priva.

Mão radiosa, que traz a verde oliva
Da paz, que acaricia e que abençoa,
Voz da eterna verdade que ressoa
Por toda a parte, promissora e ativa.

A caridade é o símbolo da chave
Que abre as portas do céu claro e suave,
Das consciências libertas da impureza;

É a vibração do espírito divino,
Em seu labor fecundo e peregrino,
Manifestando as glórias da Beleza!..
.

Cruz e Souza,
Psicografia de Francisco Cândido Xavier in
Parnaso do Além Túmulo.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:50
***Ao alcance das Mãos***

Tudo está ao alcance das mãos
Das grandiosas  tarefas...
As mais  pequeninas missões...
Levando Luz onde era  escuridão....

Ao alcance das mãos.....
Sempre auxiliar um irmão..
Levando palavras de conforto
Enxugando lágrimas então...

Ao alcance das mãos...
Tudo em maior dimensão..
Amenizar dores e tormentos
Levando Paz e consolação...

Ao alcance das mãos....
Derramar boa emoção....
Alegrando um coração...
Fazendo a  Felicidade do irmão

Ao alcance das mãos...
Todos ficando em  prontidão...
O  Bem sendo a maior direção.
Através das valiosa colaboração..


Dothy

Cidadela João de Deus (Goreti e  Francisco)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 22:58


TODAS AS COISAS

Todas as coisas te estão ao alcance das mãos...

Dentre elas, a felicidade.

No entanto, é preciso que saibas para onde direcioná-las...

Não basta que simplesmente estendas as mãos no vazio.

Toda conquista requisita o mínimo de esforço.

Felicidade é construção cotidiana.

É indispensável que a edifiques com o concurso de tuas mãos...

Que a plasmes com o teu toque pessoal...

Que a materializes à tua volta com o abençoado movimento dos teus braços.

Se tudo é possível àquele que crê, mais ainda o é àquele que age.



Irmão José
Carlos A. Baccelli
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:01
886. Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?

      "Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas."

      E continua:
      "O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça. pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.
      A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores. Ela nos prescreve a indulgência, porque da indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer. Apresente-se uma pessoa rica e todas as atenções e deferências lhe são dispensadas. Se for pobre, toda gente como que entende que não precisa preocupar-se com ela. No entanto, quanto mais lastimosa seja a sua posição, tanto maior cuidado devemos pôr em lhe não aumentarmos o infortúnio pela humilhação. O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa".

      Efetivamente o amor e a caridade estão de tal forma interligados, que é impossível falar de um sem falar no outro, ou considerar um e ignorar o outro. A caridade verdadeira, conforme nos ensina Jesus, é a realizada com o verdadeiro sentimento de piedade dos padecimentos de nossos irmãos, de nosso próximo. É pensar nas necessidades de outrem, antes de nossas próprias necessidades. É ser feliz pela felicidade proporcionada a outrem. Aquele que pensa no bem estar de outrem e não pensa só em si mesmo, tem sempre alguém que pensa no bem estar dele, gerando uma corrente de fraternidade infinita, que se estende ao Criador.
      Mas, se não amamos verdadeiramente, não há caridade, não há fraternidade, não há altruísmo. Não há como esconder de Deus nossas verdadeiras intenções e sentimentos.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Leonardo Hardware em 26 de Dezembro de 2010, 23:03
 IM.A Instituto de Medicina Do Além

 Realiza-se cura espiritual, pelo médium João Berbel, atraves do Espirito Dr. Ismael Alonso y Alonso, totalmente gratis, segue-se com remedios, feitos de ervas, Plantas, um lindo trabalho realizado na cidade de FRANCA- SP, um exemplo de caridade, e de amor ao proximo na mais sublime ação que ajuda  pessoas de outras cidades, que busca pelo serviço, da mais alta espiritualidade!
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:07
Caridade... Ao Alcance das Mãos...

Ainda quando eu falasse todas as línguas dos homens e a língua dos próprios anjos,
se eu não tiver caridade, serei como o bronze que soa e um címbalo que retine;
-ainda quando tivesse o dom de profecia, que penetrasse todos os mistérios,
e tivesse perfeita ciência de todas as coisas;
ainda quando tivesse a fé possível, até o ponto de transportar montanhas,
se não tiver caridade, nada sou.
- E, quando houver distribuído os meus bens para alimentar os pobres
e houvesse entregado meu corpo para ser queimado,
se não tivesse caridade, tudo isso de nada me serviria.
A caridade é paciente; é branda e benfazeja; a caridade não é invejosa;
não é temerária, nem precipitada; não se enche de orgulho;
- não é desdenhosa; não cuida de seus interesses;
não se agasta, nem se azeda com coisa alguma; não suspeita mal;
não se rejubila com a injustiça, mas se rejubila com a verdade;
tudo suporta, tudo crê, tudo espera, tudo sofre.
Agora, estas três virtudes: a fé, a esperança e a caridade permanecem;
mas, dentre elas, a mais excelente é a caridade".
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:09
Olá Leonardo...

Que legal este trabalho, que bela contribuição para muitos...
O bem ainda é muito timído... Precisamos de muita corgem para vencermos a nós mesmos, para realiz-los...
Brigada pelo apoio e incentivo...Volte sempre a este espaço que é de todos...
Abraços afetuosos.. Muita paz e luz em teus dias..
.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:15
Queridos amigos e irmãos... Sejam todos bem-vindos...

Sua presença que irá enriquecer este novo tópico..
Termos a teoriados ensinamentos de Jesus aqui, através dos estudos que realizamos no Fórum Espiríta e  em nossas casas espiritas, o conhecimento é  muito importante para todos nós...
Mas temos também oportunidade de exercitá-los na prática diária em nossas vidas...
Participe você também.. Traga para nós sua experiência, seu relato... Colabore com o bem..
Voltem sempre.. Abraços afetuosos
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:19
Um Sorriso
 

Um sorriso traz...
De volta a esperança......
Os sonhos de uma criança..
As mais lindas lembranças...

Um sorriso faz...
As dores irem embora..
As tristezas jogar fora..
Os amores a nossa volta..

Um sorriso diz.....
Que tudo é passageiro...
Que mágoas serão esquecidas..
Que nem  toda flor é Margarida..

Um sorriso conta...
Histórias de nossa vida....
A mais bela e  doce poesia....
No despertar de uma  magia...

Um sorriso abre.....
As portas de toda  casa....
As saidas das nossas enrascadas......
Um coração que já não mais amava..
..

Dothy
Publicado no Recanto das Letras.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:24
Meu Trabalho Voluntário é...

Evangelização Espiríta Infantil... Todo sabádo das 08:30 as 12:00
Crianças de 11 e 12 anos... Associação espirita Reviver


E o seu trabalho voluntário qual é??

Colabore com Jesus na construção de um mundo melhor .. Evangelize!!
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:33
A piedade

17. A piedade é a virtude que mais vos aproxima dos anjos; é a irmã da caridade, que vos conduz a Deus. Ah! deixai que o vosso coração se enterneça ante o espetáculo das misérias e dos sofrimentos dos vossos semelhantes. Vossas lágrimas são um bálsamo que lhes derramais nas feridas e, quando, por bondosa simpatia, chegais a lhes proporcionar a esperança e a resignação, que encanto não experimentais! Tem um certo amargor, é certo, esse encanto, porque nasce ao lado da desgraça; mas, não tendo o sabor acre dos gozos mundanos, também não traz as pungentes decepções do vazio que estes últimos deixam após si Envolve-o penetrante suavidade que enche de jubilo a alma. A piedade, a piedade bem sentida é amor; amor é devotamento; devotamento é o olvido de si mesmo e esse olvido, essa abnegação em favor dos desgraçados, é a virtude por excelência, a que em toda a sua vida praticou o divino Messias e ensinou na sua doutrina tão santa e tão sublime.

Quando esta doutrina for restabelecida na sua pureza primitiva, quando todos os povos se lhe submeterem, ela tomará feliz a Terra, fazendo que reinem aí a concórdia, a paz e o amor.

O sentimento mais apropriado a fazer que progridais, domando em vós o egoísmo e o orgulho, aquele que dispõe vossa alma à humildade, à beneficência e ao amor do próximo, é a piedade! piedade que vos comove até às entranhas à vista dos sofrimentos de vossos irmãos, que vos impele a lhes estender a mão para socorrê-los e vos arranca lágrimas de simpatia. Nunca, portanto, abafeis nos vossos corações essas emoções celestes; não procedais como esses egoístas endurecidos que se afastam dos aflitos, porque o espetáculo de suas misérias lhes perturbaria por instantes a existência álacre. Temei conservar-vos indiferentes, quando puderdes ser úteis. A tranqüilidade comprada à custa de uma indiferença culposa é a tranqüilidade do mar Morto, no fundo de cujas águas se escondem a vasa fétida e a corrupção.

Quão longe, no entanto, se acha a piedade de causar o distúrbio e o aborrecimento de que se arreceia o egoísta! Sem dúvida, ao contacto da desgraça de outrem, a alma, voltando-se para si mesma, experimenta um constrangimento natural e profundo, que põe em vibração todo o ser e o abala penosamente. Grande, porém, é a compensação, quando chegais a dar coragem e esperança a uni irmão infeliz que se enternece ao aperto de uma mão amiga e cujo olhar, úmido, por vezes, de emoção e de reconhecimento, para vós se dirige docemente, antes de se fixar no Céu em agradecimento por lhe ter enviado um consolador, um amparo. A piedade é o melancólico, nas celeste precursor da caridade, primeira das virtudes que a tem por irmã e cujos benefícios ela prepara e enobrece. - Miguel. (Bordéus, 1862)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:39
Trabalho Voluntário...

15. Meus caros amigos, todos os (lias ouço entre vós dizerem: "Sou pobre, não posso fazer a caridade", e todos os dias vejo que faltais com a indulgência aos vossos semelhantes. Nada lhes perdoais e vos arvorais em juizes muitas vezes severos, sem quererdes saber se ficaríeis satisfeitos que do mesmo modo procedessem convosco. Não é também caridade a indulgência? Vós, que apenas podeis fazer a caridade praticando a indulgência, fazei-a assim, mas fazei-a largamente. Pelo que toca à caridade material, vou contar-vos uma história do outro mundo.

Dois homens acabavam de morrer. Dissera Deus: Enquanto esses dois homens viverem, deitar-se-ão em sacos diferentes as boas ações de cada um deles, para que por ocasião de sua morte sejam pesadas. Quando ambos chegaram aos últimos momentos, mandou Deus que lhe trouxessem os dois sacos. Um estava cheio, volumoso, atochado, e nele ressoava o metal que o enchia; o outro era pequenino e tão vazio que se podiam contar as moedas que continha. Este o meu, disse um, reconheço-o; fui rico e dei muito. Este o meu, disse o outro, sempre fui pobre, oh! quase nada tinha para repartir. Mas, oh! surpresa! postos na balança os dois sacos, o mais volumoso se revelou leve, mostrando-se pesado o outro, tanto que fez se elevasse muito o primeiro no prato da balança. Deus, então, disse ao rico: deste muito, é certo, mas deste por ostentação e para que o teu nome figurasse em todos os templos do orgulho e, ao demais, dando, de nada te privaste. Vai para a esquerda e fica satisfeito com o te serem as tuas esmolas, contadas por qualquer coisa. Depois, disse ao pobre: Tu deste pouco, meu amigo; mas, cada uma das moedas que estão nesta balança representa uma privação que te impuseste; não deste esmolas, entretanto, praticaste a caridade, e, o que vale muito mais, fizeste a caridade naturalmente, sem cogitar de que te fosse levada em conta; foste indulgente; não te constituíste juiz do teu semelhante; ao contrário, todas as suas ações lhe relevaste: passa à direita e vai receber a tua recompensa. -Um
Espírito protetor. (Lião, 1861.)

Tentar mudar este quadro... Está ao alcance das mãos!!![/b]
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:47
Os órfãos

18. Meus irmãos, amai os órfãos. Se soubésseis quanto é triste ser só e abandonado, sobretudo na infância! Deus permite que haja órfãos, para exortar-nos a servir-lhes de pais. Que divina caridade amparar uma pobre criaturinha abandonada, evitar que sofra fome e frio, dirigir-lhe a alma, a fim de que não desgarre para o vício! Agrada a Deus quem estende a mão a uma criança abandonada, porque compreende e pratica a sua lei. Ponderai também que muitas vezes a criança que socorreis vos foi cara noutra encarnação, caso em que, se pudésseis lembrar-vos, já não estaríeis praticando a caridade, mas cumprindo um dever. Assim, pois, meus amigos, todo sofredor é vosso irmão e tem direito à vossa caridade: não, porém, a essa caridade que magoa o coração, não a essa esmola que queima a mão em que cai, pois freqüentemente bem amargos são os vossos óbolos! Quantas vezes seriam eles recusados, se na choupana a enfermidade e a miséria não os estivessem esperando! Dai delicadamente, juntai ao beneficio que fizerdes o mais precioso de todos os benefícios: o de uma boa palavra, de uma carícia, de um sorriso amistoso. Evitai esse ar de proteção, que equivale a revolver a lâmina no coração que sangra e considerai que, fazendo o bem, trabalhais por vós mesmos e pelos vossos. - Um Espírito familiar. (Paris, 1860.)

Padrinho Solidário... Trabalho Voluntário ao Alcance das Mãos
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:52
Caridade... Ao Alcande de nossas Mãos!!

16. A mulher rica, venturosa, que não precisa empregar o tempo nos trabalhos de sua casa, não poderá consagrar algumas horas a trabalhos úteis aos seus semelhantes? Compre, com o que lhe sobre dos prazeres, agasalhos para o desgraçado que tirita de frio; confeccione, com suas mãos delicadas, roupas grosseiras, mas quentes; auxilie uma mãe a cobrir o filho que vai nascer. Se por isso seu filho ficar com algumas rendas de menos, o do pobre terá mais com que se aqueça. Trabalhar para os pobres é trabalhar na vinha do Senhor.

E tu, pobre operária, que não tens supérfluo, mas que, cheia de amor aos teus irmãos, também queres dar do pouco com que contas, dá algumas horas do teu dia, do teu tempo, único tesouro que possuis; faze alguns desses trabalhos elegantes que tentam os felizes; vende o produto dos teus serões e poderás igualmente oferecer aos teus irmãos a tua parte de auxílios. Terás, talvez, algumas fitas de menos; darás, porém, calçado a um que anda descalço.

E vós, mulheres que vos votastes a Deus, trabalhai também na sua obra; mas, que os vossos trabalhos não sejam unicamente para adornar as vossas capelas, para chamar a atenção sobre a vossa habilidade e paciência. Trabalhai, minhas filhas, e que o produto de vossas obras se destine a socorrer os vossos irmãos em Deus. Os pobres são seus filhos bem-amados; trabalhar para eles é glorificá-lo. Sede-lhes a providência que diz: "Aos pássaros do céu dá Deus o alimento." Mudem-se o ouro e a prata que se tecem nas vossas mãos em roupas e alimentos para os que não os têm. Fazei isto e abençoado será o vosso trabalho.

Todos vós, que podeis produzir, dai; dai o vosso gênio, dai as vossas inspirações, dai o vosso coração, que Deus vos abençoará. Poetas, literatos, que só pela gente mundana sois lidos!... satisfazei-lhe aos lazeres, mas consagrai o produto de algumas de vossas obras a socorros aos desgraçados. Pintores, escultores, artistas de todos os gêneros!... venha também a vossa inteligência em auxílio dos vossos irmãos; não será por isso menor a vossa glória e alguns sofrimentos haver á de menos.

Todos vós podeis dar. Qualquer que seja a classe a que pertençais, de alguma coisa dispondes que podeis dividir. Seja o que for que Deus vos haja outorgado, uma parte do que ele vos deu deveis àquele que carece do necessário, porquanto, em seu lugar, muito gostaríeis que outro dividisse convosco. Os vossos tesouros da Terra serão um pouco menores; contudo, os vossos tesouros do céu ficarão acrescidos. Lá colhereis pelo cêntuplo o que houverdes semeado em benefícios neste mundo. - João. (Bordéus, 1861.)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Dezembro de 2010, 23:56
Abraçar Faz Bem


Abraçar faz bem..
Espanta a tristeza maior..
Auxilia no consolo e na dor..
Levando Esperança no calor..

Abraçar faz bem..
Elimina toda mágoa e rancor...
Sempre unindo pessoas pelo ardor..
A todos que só conheciam o desamor.

Abraçar faz bem...
Diminui a distãncia a supor..
Que muitos colocam ao redor..
Unindo todos apenas no Amor..

Abraçar faz bem..
Une todos em uma canção..
Une todos na imaginação..
Em todos sonhos de evolução..
.

Dothy
Publicado no Recanto das Letras em 18/10/2010

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 00:01
Caridade... Trabalho Voluntário... Ao Alcance das Mãos

12. Sede bons e caridosos: essa a chave dos céus, chave que tendes em vossas mãos. Toda a eterna felicidade se contém neste preceito: "Amai-vos uns aos outros." Não pode a alma elevar-se às altas regiões espirituais, senão pelo devotamento ao próximo; somente nos arroubos da caridade encontra ela ventura e consolação. Sede bons, amparai os vossos irmãos, deixai de lado a horrenda chaga do egoísmo. Cumprido esse dever, abrir-se-vos-á o caminho da felicidade eterna. Ao demais, qual dentre vós ainda não sentiu o coração pulsar de júbilo, de íntima alegria, à narrativa de um ato de bela dedicação, de uma obra verdadeiramente caridosa? Se unicamente buscásseis a volúpia que uma ação boa proporciona, conservar-vos-íeis sempre na senda do progresso espiritual. Não vos faltam os exemplos; rara é apenas a boa-vontade. Notai que a vossa história guarda piedosa lembrança de uma multidão de homens de bem.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 00:15
Mansão do Caminho.

Obra social do Centro Espírita Caminho da Redenção, o lar de crianças órfãs ou socialmente órfãs tinha o objetivo de reconstruir o ambiente familiar.

Aos poucos, com o passar dos anos, os lares foram sendo substituídos por grupos escolares, oficinas de capacitação e outras atividades sociais promotoras, apoiando crianças, jovens e adultos carentes provenientes de bairros de baixa renda, dando-lhes educação integral. Como conseqüência, a designação Mansão do Caminho abrange um conjunto de atividades sociais desenvolvidas pelo Centro Espírita Caminho da Redenção.

A Instituição atende gratuitamente cerca de 3.200 crianças e adolescentes por dia, além de adultos e idosos carentes.
Para os alunos das Escolas, crianças da Creche A Manjedoura, albergados da Caravana Auta de Souza e funcionários, a Mansão do Caminho fornece cerca de 5.000 refeições por dia.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 00:24
Trabalho Voluntátio

Depoimentos de voluntários

"O voluntariado é um trabalho muito importante por estar se doando para pessoas que precisam. Quem aprende aqui é o voluntário e não as crianças, aqui te ensinam a fazer a diferença e a ter cidadania.
Deveriam existir outras casas e ONGs, para ajudar mais pessoas. A ABRACE desempenha bem seu papel amenizando a dor das crianças, dá suporte para as famílias melhorando a situação no decorrer do tratamento."
Ian Oliveira




"É um trabalho maravilhoso que a ABRACE desenvolve. Todos com carinho, amor e energia.
Os voluntários devem ser muito comprometidos para não deixar o trabalho parado, pois o verdadeiro voluntário é aquele que se doa a instituição comparecendo com freqüência nas atividades desenvolvidas."
Elisabete Ferreira



"Um dia tive um sonho onde estava trabalhando com crianças. Resolvi conhecer a instituição e aos poucos conhecer o importante trabalho da ABRACE. As crianças estão retribuindo o meu trabalho com beijos e abraços."
Kátia Cintra


Fernando Oliveira, é publicitário e voluntário do PCA desde abril de 2003. Na época, recebeu uma convocação do Grupo de Cidadania Empresarial da Fundação Cásper Líbero, onde cursava a faculdade.

'No início, somente brincava com as crianças, nos sábados à tarde, enquanto as mães faziam os cursos; depois passei a trabalhar com comunicação e publicidade, minhas áreas de formação. Desde então já fiz de tudo no PCA, banners, folhetos, convites e participei dos eventos.

Me envolvi com o Projeto e com as crianças, e não pretendo mais sair. Contrariando aquela máxima famosa, eu diria que ser voluntário é fazer o bem sabendo a quem: você mesmo'.

Top
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 00:51
A Melhor Prenda que você Pode dar a Alguém...

Caridade!!!
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 10:33
Depoimentos

Sérgio Amaro
Educador Voluntário do Programa na Escola Renê Rodrigues de Moraes (Guarujá), Diretoria de Ensino de Santos.

Sou administrador e bancário de profissão e professor de coração. Sou pós-graduado em sistemas de informação e gestão de pessoas. Graças a Deus eu pude estudar e acredito que esse conhecimento deve ser disseminado!

Há 4 anos sou voluntário do Programa Escola da Família, sendo três no curso de Assistente Administrativo, que há um ano chama-se Administração com ênfase em Assistência Administrativa. Essas aulas também trazem assuntos do dia-a-dia, que prendem a atenção dos alunos.

É com orgulho que reservo algumas horas dos meus sábados para ministrar essas aulas, que têm como ingrediente amor, paixão, dedicação, emoção e, como tempero especial, a importância de pensar positivamente para a realização de nossos sonhos.

Sou muito feliz por fazer parte desse time, em busca de um Brasil melhor!
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 12:03
Trabalho Voluntário... Uma das melhores formas de amar... Está ao Alcance de nosssa mãos!!

Abrace esta causa que é a caridade, ensinada e vivenciada por jesus...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 12:08
Trabalho voluntário... Uma das melhores formas de amar... Está ao Alcance de nosssa mãos!!

Abrace esta causa que é a caridade, ensinada e vivenciada por jesus...

Aulas de dança em comunidades, tem evitado que muitas crianças e jovens fiquem nas ruas ociosas..

Este é o trabalho do voluntário Emerson... E o seu, qual é??

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Gisella em 27 de Dezembro de 2010, 12:17
Oi, querida Dothy.... muito bom dia!!!

Como foi bom abrir o FE e encontrar esse tópico!!!!

Como você mesma colocou, o ESE é um verdadeiro celeiro de ensinos qto à prática da caridade!!! Casa texto, se bem analisado, nos trás à prática do bem, do amor ao próximo, como nos fez Jesus, em toda sua "curta" passagem pela Terra.

A mim, particularmente, durante todo o tempo que trabalhei na Área de Assistência e Promoção Social do CE Filhos da Verdade, em Curitiba, a parábola que mais teve significado para mim e que era o meu Norte, é a Parábola do Bom Samaritano (cap. XV, item 2 - OESE)

Ela nos dá um roteiro firme, de passos seguros e mostra a caridade como um todo...
Olhar (o caído e mover-se de compaixão), perceber o que pode ser feito (ir até ele e atar-lhe as feridas), agir de acordo com as suas possibilidades (azeite e vinho, estalagem) e continuar cuidando dele (mantê-lo na estalagem e pagar ao estalajadeiro) e voltar (continuar o atendimento).

Podemos, com toda a certeza, trazer esse ensinamento para dentro das Casas Espíritas que pretendem, ou ja têm, o DAPSE (Depto assist e promoção social espírita), pois muitas simplesmente distribuem as "cestas de alimentos" e não conhecem as famílias; não sabem as suas reais necessidades; não procuram fazer além (continuar o atendimento), procurando encaminhar essas famílias para um aprendizado profissional, seja ele qual for, de simples trabalho artesanal aos cursos profissionalizantes, educando-os para a vida, para que saiam dessa condição de "assistido da Casa", já que muitas pessoas falam pra gente que "já fazem 30 anos que sou assistida...."

Pois Kardec, com o seu bom sendo sem limites, tb coloca, na q. 685 a, na sua nota: que " a educação é o conjunto dos hábitos adquiridos. (...) Quando essa arte for conhecida, cumprida e praticada, o homem ocasionará no mundo, hábitos de ordem e de previdência para si mesmo e os seus, de respeito por tudo o que é respeitável, hábitos que lhe permitirão atravessar, menos penosamente, os maus dias inevitáveis." (grifos de Kardec)

Ou seja, temos que educar nossos irmãos à Luz da Doutrina Espírita que, naquele momento necessita de ajuda, para que ele tome as rédeas de sua vida e a da sua família. Pois isso também é caridade.

Espero que este tópico nos dê condições de trocar ideias, experiências e, quem sabe, começarmos a trabalhar com firmeza e amor, tendo Jesus por Farol e Guia!!!

Adorei a iniciativa... mais uma vez, parabéns, querida....

Abraços no coração

Gisella  ;)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 12:24
Queridos amigos e irmãos...Sejam todos bem-vindos...

Este novo tópico, tem como objetivo trazermos o trabalho voluntário  que realizamos em nossas casas espiritas, em hospitais, creches, asilos, comunidades, etc... ao conhecimento de muitos...

No Fórum Espiríta temos todo um conteúdo, teoria , que nos auxilia, esclarece, ajuda e nos direciona nos ensinamentos de Jesus, através da codificação espiríta...

Vamos unir a teoria à prática...

Lembrando da passagem de Jesus: Quando derdes de comer e beber a um destes mais pequenos é a mim que o fazes!!





Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 12:28
Oá Gisella...
Seja sempre bem-vinda amiga... Muita paz a ti...
É muito bom encontrarmos corações receptivos a este novo tópico...
Se fizermos um pouquinho, estaremos igual ao pequeno beija-flor...
Volte sempre... Abraços e uma semana maravilhosa para ti e família...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 12:41
Caridade... Trabalho voluntário..

2. Então, levantando-se, disse-lhe um doutor da lei, para o tentar: Mestre, que preciso fazer para possuir a vida eterna? - Respondeu-lhe Jesus: Que é o que está escrito na lei? Que é o que lês nela? - Ele respondeu: Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma, com todas as tuas forças e de todo o teu espírito, e a teu próximo como a ti mesmo. - Disse-lhe Jesus: Respondeste muito bem; faze isso e viverás.

Mas, o homem, querendo parecer que era um justo, diz a Jesus: Quem é o meu próximo? - Jesus, tomando a palavra, lhe diz:

Um homem, que descia de Jerusalém para Jericó, caiu em poder de ladrões, que o despojaram, cobriram de ferimentos e se foram, deixando-o semimorto. - Aconteceu em seguida que um sacerdote, descendo pelo mesmo caminho, o viu e passou adiante. -Um levita, que também veio àquele lugar, tendo-o observado, passou igualmente adiante. - Mas, um samaritano que viajava, chegando ao lugar onde jazia aquele homem e tendo-o visto, foi tocado de compaixão. - Aproximou-se dele, deitou-lhe óleo e vinho nas feridas e as pensou; depois, pondo-o no seu cavalo, levou-o a uma hospedaria e cuidou dele. - No dia seguinte tirou dois denários e os deu ao hospedeiro, dizendo: Trata muito bem deste homem e tudo o que despenderes a mais, eu te pagarei quando regressar.

Qual desses três te parece ter sido o próximo daquele que caíra em poder dos ladrões? - O doutor respondeu: Aquele que usou de misericórdia para com ele. - Então, vai, diz Jesus, e faze o mesmo. (S. LUCAS, cap. X, vv. 25 a 37.)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 12:49
Ao Alcance das mãos... Caridade... Trabalho Voluntário...

Este é o voluntariado da Vera, que é assistente em uma escola pública... E o seu, qual é??
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 13:04


O que significa voluntário?


Essa palavra exprime espontaneidade. Um ato voluntário é de livre vontade, não obrigatório.

Em sentido específico tem se designado por "Voluntários" as pessoas que, por livre e espontânea vontade, agem para ajudar em uma determinada área, ou seja, assumem tarefas pelo bem, movidos pelo sentimento de solidariedade.

O voluntário busca praticar ações de ajuda pelo próprio desejo de uma vida melhor e solidária para todos. Normalmente se engajam em projetos ou ações coletivas que já estejam em andamento.
s.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Tamara F. em 27 de Dezembro de 2010, 16:35
Bom dia!

Dothy que bela iniciativa!! O tópico está maravilhoso!
Ainda mais sobre um assunto que muito me interessa. Então irei compartilhar com vocês um pouquinho dos trabalhos que temos aqui na minha cidade.

Bom, faço parte de um grupo voluntário que atua na pediatria do hospital Santa Casa de Misericórdia de São Carlos, chamado: Grupo Amor em Gotas. Segue o site para quem quiser conhecer mais sobre o projeto:

http://www.amoremgotas.com.br/amoremgotas/

Lá buscamos interagir com as crianças, levar alegria a elas e conquistar sorrisos.
Bom, o grupo é muito organizado, temos reuniões mensais e oficinas, assim como temos regras a seguir.
Esse trabalho, é belíssimo, e me sinto honrada em fazer parte dele, pois a emoção e o bem estar que nos invade o coração, é inexplicável. Ver o sorriso no rosto dessas crianças, e a emoção dos familiares é incrível, é de arrepiar rsrs. O trabalho voluntário mudou minha vida.

Abaixo segue algumas fotos do grupo, com alguns do voluntários no hospital e outras na Creche Nosso Lar.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Tamara F. em 27 de Dezembro de 2010, 16:39
Outro trabalho, é o da Casa Espírita Núcleo Paz, Amor e Fraternidade, que atende crianças carentes aos sábados e nas quartas as famílias.
Lá temos o café da manhã, evangelização, computadores (evangelização online) atendimento aos pais, distribuição de alimentos, sopa e roupas.
O grupo é muito unido, e faz tudo com muito amor. As crianças são maravilhosas e nos surpreendem cada vez mais.
Ali um aprende com o outro. 

Bom pessoal espero ter contribuído pelo menos um pouquinho com o tópico.

Fiquei muito feliz em poder dividir com vocês um tiquinho da minha vida rsrs

Abaixo segue uma foto da festa de natal realizada no Núcleo Paz, Amor e Fraternidade, essa são algumas das meninas. Não coloquei mais fotos para não pesar o tópico! Beijos no coração!



"Guarda, na mente, que a caridade em teus atos deve ser a luz que vence a sombra.

Enquanto não compreendas que a caridade é sempre a bênção maior para quem a realiza, ligando o benfeitor ao necessitado, estarás na fase primária da virtude por excelência...."
Joanna de Ângelis
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 18:18
Trabalho Voluntário...

A realização destas obras encontra fértil solo para sua realização no que modernamente convencionou-se chamar de voluntariado e que, se observarmos atentamente, nada mais é do que o nobre instituto da caridade.

Quando você resolver que pretende se envolver em algum trabalho voluntário, a escolha da instituição é um passo muito importante. Esta escolha deve ser orientada por suas preferências pessoais, ou seja, se você se sente mais à vontade relacionando-se com idosos, procure uma casa de repouso, se as suas preferências estão mais relacionadas com convalescentes, procure um hospital, se são crianças, uma creche ou casa de amparo. Há ainda as instituições de recuperação de portadores de vício, enfim, certamente quando você se decidir por colaborar, haverá uma instituição que se encaixe nas suas preferências. Vale dizer ainda que esta escolha deve observar suas habilidades pessoais, o que implica empregar o seu melhor em favor do próximo, muitas vezes ler um livro para um idoso ou uma criança, se feito com a necessária doação e paixão, pode causar um bem maior do que um chão mais limpo, e certamente a medida em que a conscientização do trabalho voluntário alcançar mais e mais pessoas haverá “mãos empregadas em vários trabalhos”.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 18:31
Olá amiga Tamara...

[color=Que felicidade receber tua visita, teu incentivo e tuas lindas contribuições, mostrando para todos nós que é possivel realizarmos algum  trabalho voluntariado...
Volte sempre a nos presentear com estes lindos exemplos e prendas para  enriquecer nosso espaço..
Parabéns Tamara... Teu trabalho é lindo...Abraços afetuosos querida...
[/b][/color]
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 18:43
Queridos amigos e irmãos da Fampilia Fórum..
Sejam todos bem-vindos... muita paz em seus corações..
.

Juntem-se  a nós e traga também suas experiências, para mostrar que o trabalho com Jesus, é maravilhoso, gratificante...
Este espaço é de vocês... Participem... Faça que nem nossa amigos Leonardo, Tamara F, Gisella
Voltem sempre... Abraços afetuoso
[/b][/color]
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 19:09
Trabalho Voluntário é... Evolução

O Prazer de Servir

Toda a natureza é um anelo de servir.
Serve a nuvem, serve o vento, serve a chuva.
Onde haja uma árvore para plantar, planta-a tu; onde haja um erro para corrigir, corrige-o tu; onde haja um trabalho e todos se esquivem, aceita-o tu.
Sê o que remove a pedra do caminho, o ódio entre os corações e as dificuldades do problema.
Há a alegria de ser puro e a de ser justo; mas há, sobretudo, a maravilhosa, a imensa alegria de servir.
Que triste seria o mundo se tudo se encontrasse feito, se não existisse uma roseira para plantar, uma obra para se iniciar!
Não te chamem unicamente os trabalhos fáceis. É muito mais belo fazer aquilo que os outros recusam.
Mas não caias no erro de que somente há méritos nos grandes trabalhos; há pequenos serviços que são bons serviços; adornar uma mesa, arrumar teus livros, pentear uma criança.
Aquele é o que critica; este é o que destrói: sê tu o que serve.
O servir não é faina de seres inferiores. Deus, que dá os frutos e a luz, serve. Seu nome é: "Aquele que serve". Ele tem os olhos fixos em nossas mãos e nos pergunta cada dia: Serviste hoje? A quem? À Arvore? A teu irmão? A tua mãe?

(Gabriela Mistral)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Dezembro de 2010, 21:36
Trabalho Voluntário é.. Amor

Crianças do Nacc passam a receber visita dos Doutores do Riso

ação dos Doutores do Riso vai ajudar a tirar os pacientes da rotina, minimizando as conseqüências da hospitalização e deixando-os mais sociáveis. Por um momento, elas vão esquecer a dor do tratamento para se divertir como toda criança merece. O Nacc oferece suporte para pacientes do interior que passam por tratamentos em oncologia (câncer) nos hospitais do Recife.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 28 de Dezembro de 2010, 11:31
Trabalho Voluntário é ... Caridade!!

Os primeiros registros de trabalhos voluntários no Brasil foram em 1543, na recém-fundada Santa Casa de Misericórdia. Hoje, as principais ações concentram-se no trabalho com crianças, idosos, portadores de deficiência, pessoas em situação de vulnerabilidade social e preservação ambiental através de atendimento médico, psicológico ou odontológico, recreação, aulas, oficinas de música, dança e atividades administrativas, entre outras.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 28 de Dezembro de 2010, 12:09
Trabalho Voluntário é... União

Ações Voluntárias

No Rio Grande do Sul vem crescendo o número de interessados em prestar serviços à comunidade. Um exemplo de dedicação é o trabalho da soprano Cristina Sorrentino, que há um ano e meio dedica-se a ensinar canto a crianças carentes. Uma vez por semana, Cristina dá aulas a crianças com idades entre seis e 14 anos da Fundação de Proteção Especial do Estado, nos abrigos e associações. O trabalho começou quando a soprano foi conhecer uma das casas e ficou comovida com as dificuldades enfrentadas pelas crianças.

Segundo Cristina, “esse tipo de trabalho é importante para que essas crianças conheçam outras oportunidades que, provavelmente, não teriam condições de buscar”. Ela acredita que são pequenas atitudes como a sua que podem melhorar a sociedade. O coral conta com aproximadamente 40 alunos, e as atividades são realizadas em turno inverso ao da escola. As aulas contam com reforço de voluntários que ensinam noções básicas sobre músicas e notas musicais e proporcionam apresentações em eventos, como o show do cantor Toquinho e no Mc Dia Feliz.


Partabéns aos nosso amigos do Sul...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 28 de Dezembro de 2010, 12:18
Trabalho Voluntário é... Educação

Evangelização nfanto- juvenial   Seja Você  Um Voluntário... Colabore com Jesus!!


Educação -


O amor é a base do ensino.

Professor e aluno, cooperação mútua.

O auto-aprimoramento será sempre espontâneo.

Disciplina excessiva, caminho de violência.

A curiosidade construtiva ajuda o aprendizado.

Indagação ociosa, dúvida enfermiça.

Egoísmo nalma gera temor e insegurança.

Evangelho no coração, coragem na consciência.

Cada criatura é um mundo particular de trabalho e experiência.

Não existe vocação compulsória.

Toda aula deve nascer do sentimento.

Automatismo na instrução, gelo na idéia.

A educação real não recompensa nem castiga.

A lição inicial do instrutor envolve em si mesma a responsabilidade pessoal do aprendiz.

Os desvios da infância e da juventude refletem os desvios da madureza.

Aproveitamento do estudante, eficiência do mestre.

Maternidade e paternidade são magistérios sublimes.

Lar, primeira escola; pais, primeiros professores; primeiro dia de vida, primeira aula do filho.

Pais e educadores! Se o lar deve entrosar-se com a escola, o culto do Evangelho em casa deve unir-se à matéria lecionada em classe, na iluminação da mente em trânsito para as esferas superiores de Vida.

André Luiz
por Francisco Cândido Xavier
da obra Espírito da Verdade


 
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 28 de Dezembro de 2010, 13:06
Trabalho Voluntário é... Amizade!!

- Ergueste-me na caminhada...
- Deste-me guarida no afeto santo do teu coração...
- Advertiste-me fraternalmente nas passadas equívocas...
- Acompanhaste-me nas sombrias noites da desesperação...
- Choraste e abraçaste-me quando, alucinada, entrevi a desesperança e o teu testemunho de solidariedade foi-me a confirmação da presença divina socorrendo-me nas lágrimas...
- Não descuraste do pão à minha mesa...
- Não relegaste o meu coração à solidão fria das longas horas da doença indomável...
- Jamais perdeste a oportunidade do conselho amigo, intentando dirigir-me à ação nobre...
- Por tudo isto te sou grata...
O interlocutor, ante o desvelar de tanta afeição e reconhecimento, asseverou:
- Para mim, isto nenhum esforço representou, amigo, desde quando, expressa o carinho do meu coração pela tua existência. E, em nome deste sentimento, digo-te que o meu silêncio é a melhor resposta às tuas efusões...
- Sim, bem sei. É por isto que Deus te colocou na Terra para alentar o caminho dos homens, sacramentando-te com o sublime nome
de
Amizade...

Meimei
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 28 de Dezembro de 2010, 13:51
Trabalho Voluntário é... Servir com Jesus!!

Observe Para Atender..

Recorde o Mestre e examine-se.

Sua ascensão apóia-se na ascensão dos companheiros.

A queda de alguém é embaraço em seu caminho.

Auxilie sem exigência e indistintamente.

Permita ao grande tempo a tarefa de corrigir e educar.

Confira a você mesmo o impositivo somente de ajudar.

* *
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 29 de Dezembro de 2010, 10:25
Trabalho Voluntário é... Esperança



"As dimensões espirituais e religiosas da cultura estão entre os fatores mais importantes que estruturam a experiência humana, as crenças, os valores, o comportamento e os padrões de adoecimento". Para a maioria das pessoas, religião e espiritualidade são mais fonte de suporte e bem-estar que evidê  "Durante a quimioterapia, que durou três meses, eu só tinha vontade de dormir, e vomitava muito. Fiquei fraca e desidratada, e cheguei a pesar 34 quilos. Sentia-me muito insegura, porque via as pessoas morrendo à minha volta e tinha medo de também não conseguir me curar".

."Além de me dar conselhos, afeto e esperança, a voluntária sempre acalmava minha família quando eu não podia atender ao telefone". "senti que estava sendo cuidada, pois ela me alimentava, rezava comigo e cantava para mim." Sncia de psicopatologia.Trabalhos têm relatado que pessoas que vivenciam experiências místicas pontuam menos em escalas de psicopatologia e mais em medidas de bem-estar psicológico que controles. "o Brasil possui uma grande diversidade religiosa e foi fundado no Instituto de Psiquiatria do HCFMUSP o Núcleo de Estudos de Problemas Espirituais e Religiosos (Neper)". Lotufo Neto e cols. Revista de Psiquiatria Clínica (USP
)

Diz a voluntária Maria Estela: "percebi que ela se sentia muito sozinha sem a família que estava longe e tentei ocupar esse espaço, essa é a nossa missão".Segal, 2001
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 29 de Dezembro de 2010, 10:29
Trabalho Voluntário é... Esclarecimento

Voluntário da Educação Espírita
Como podemos incentivar as pessoas a trabalhar como voluntárias?

Resposta: Falta de trabalhadores é uma queixa mais ou menos generalizada, no
meio espírita. Isto ocorre, em grande parte, porque temos uma idéia fechada do
trabalho e queremos que as pessoas se "enquadrem". E se elas não conseguem
realizar seus anseios, desestimulam-se e acabam indo embora. Uma sugestão que
posso dar seria: iniciar com um levantamento das expectativas das pessoas
convidadas à tarefa, com relação ao trabalho voluntário na Educação (saber como
elas imaginam que seja feito, como pretendem ajudar), buscando somar esforços,
flexibilizar quando possível e valorizar as contribuições pessoais
. Outra
.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 29 de Dezembro de 2010, 10:34
Trabalho Voluntário é... Progresso Intelectual e Espiritual

Para ser voluntário da Educação Espírita será necessário ter formação de Curso
Normal, além é claro de conhecer a Doutrina Espírita?

Resposta: Não é necessário ser professor para trabalhar como educador espírita.
Mas é indispensável que se faça um treinamento para qualificação nesta tarefa
específica, a qual se obtém:
- através de estudos e leituras individuais;
- através de estudos dentro da equipe de educadores, no Centro;
- através de participação em cursos e encontros, organizados por diversas
entidades espíritas, para suprir esta necessidade.
Toda a bagagem adquirida através de formação escolar e acadêmica poderá ser
aplicada, desde que esteja de acor
do com os objetivos e filosofia de trabalho.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Tamara F. em 31 de Dezembro de 2010, 10:43
Dothy querida! Obrigada pelas palavras de carinho! ;)

"Sei que o meu trabalho é uma gota no oceano, mas sem ele o oceano seria menor"
Madre Teresa de Calcutá


Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Tamara F. em 31 de Dezembro de 2010, 10:46
"...Se as tarefas remuneradas, quando bem feitas, conquistam o agradecimento de quem as recebe, a prestação de serviço espontâneo já é vista como um desdobramento da bondade de Deus.

O trabalho-doação não muda apenas o ambiente, muda principalmente o trabalhador, fazendo-o crescer no sentido moral. Nesse trabalho, além do respeito, da simpatia, da gratidão e da amizade que recebe, o homem consegue também socorro espiritual para suas próprias dificuldades. Emmanuel diz que não há investimento melhor para a alma do que o trabalho-doação, pois ele quita o passado, garante as realizações do presente e representa créditos para o futuro..."

Vera Gaetani

fonte: http://www.espirito.org.br/portal/artigos/verdade-e-luz/trabalho-voluntario.html

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 31 de Dezembro de 2010, 13:11
Ola Tamara F...

Seja sempre bem-vinda amiga.. Muita paz a ti
Vamos colaborando que nem o beija-flor... Mais tardeestaremos alcançando grandes voos..
Felicidades eternas em mais uma mudança de ano, grandes reflexões , saude, paz, união, sucesso e mto amor..
Bjs e abraços carinhosos
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 31 de Dezembro de 2010, 15:19
Feliz Ano Novo... O Tempo Todo!!

Hoje é o dia que dá início a um novo ano.

Todos queremos iniciar mais um ano com esperanças renovadas.

É um momento de alegria e confraternização.
As rogativas, em geral, são para que se tenha muito dinheiro no bolso, saúde pra dar e vender.

Mas será que se tivermos tudo isso teremos a garantia de um ano novo cheio de felicidade?

Se Deus nos dá saúde, o que normalmente ocorre é que tratamos de acabar com ela em nome das festas.
Seja com os excessos na alimentação, bebidas alcoólicas, tabaco, ou outras drogas não menos prejudiciais à saúde.
Não nos damos conta de que a nossa saúde depende de nós. Dessa forma, se quisermos um bom ano, teremos que fazer a nossa parte.

Se pararmos para analisar o que significa a passagem do ano, perceberemos que nada se modifica externamente.
Tudo continua sendo como na véspera.
Os doentes continuam doentes, os que estão no cárcere permanecem encarcerados, os infelizes continuam os mesmos, os criminosos seguem arquitetando seus crimes, e assim por diante.

Nós, e somente nós podemos construir um ano melhor, já que um feliz ano novo não se deseja, se constrói.
Poderemos almejar por um ano bom se desde agora começarmos um investimento sólido, já que no ano que se encerra tivemos os resultados dos investimentos do ano imediatamente anterior e assim sucessivamente.

Poderemos construir um ano bom a partir da nossa reforma moral, repensando os nossos valores, corrigindo os nossos passos, dando uma nova direção à nossa estrada particular.
Se começarmos por modificar nossos comportamentos equivocados, certamente teremos um ano mais feliz.

Se pensarmos um pouco mais nas pessoas que convivem conosco, se abrirmos os olhos para ver quanta dor nos rodeia, se colocarmos nossas mãos no trabalho de construção de um mundo melhor, conquistaremos, um dia, a felicidade que tanto almejamos.

Só há um caminho para se chegar à felicidade.
E esse caminho foi mostrado por quem realmente tem autoridade, por já tê-lo trilhado. Esse alguém nós conhecemos como Jesus de Nazaré, o Cristo.

No ensinamento "amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo" está a chave da felicidade verdadeira.
Jesus nos coloca como ponto de referência.
Por isso recomenda que amemos o próximo como a nós mesmos nos amamos.

Quem se ama preserva a saúde.
Quem se ama não bombardeia o seu corpo com elementos nocivos, nem o espírito com a ira, a inveja, o ciúme etc.
Quem ama a Deus acima de todas as coisas, respeita sua criação e suas leis. Respeita seus semelhantes porque sabe que todos fomos criados por ele e que ele a todos nos ama.

Enfim, quem quer um ano novo repleto de felicidades, não tem outra saída senão construí-lo. Importa que saibamos que o novo período de tempo que se inicia, como tantos outros que já passaram, será repleto de oportunidades. Aproveitá-las bem ou mal, depende exclusivamente de cada um de nós.

O rio das oportunidades passa com suas águas sem que retornem nas mesmas circunstâncias ou situação.
Assim, o dia hoje logo passará e o chamaremos ontem, como o amanhã será em breve hoje, que se tornará ontem igualmente.
E, sem que nos demos conta, estaremos logo chamando este ano que se inicia de ano passado e assim sucessivamente.
Que todos possamos aproveitar muito bem o tesouro dos minutos na construção do amanhã feliz que desejamos, pois a eternidade é feita de segundo
s.

Equipe de Redação do Momento Espírita,
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 31 de Dezembro de 2010, 21:47

 O TRABALHO VOLUNTÁRIO NA CASA ESPÍRITA – O VOLUNTARIADO DO AMOR.


O trabalho voluntário na casa espírita é um empreendimento de luz voltado para a edificação do amor na Humanidade, atendendo às recomendações de Nosso Senhor Jesus Cristo de que devemos nos amar uns aos outros como Ele nos amou. É tarefa que todo espírita de boa vontade deve realizar espontânea e naturalmente, com o coração cheio de alegria e felicidade.

Diante de uma realidade, onde o trabalho está associado a fontes de renda voltadas para as mais diversas necessidades do trabalhador, desenvolver atividades voluntárias em prol do bem estar social e espiritual do semelhante, sem auferir nenhuma remuneração financeira por isso é, indubitavelmente, exemplo sublime de acolhimento ao chamado de Nosso Senhor Jesus Cristo para a construção de uma nova relação do trabalho com a felicidade, realização e segurança da criatura humana.


Passeio da Evangelização da Associação  Espiríta Reviver - Ananindeua Pará!! (Turma do Terceiro Ciclo)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 31 de Dezembro de 2010, 22:17
Trabalho Voluntário é... Progresso

 O TRABALHO COMO CONTRIBUIÇÃO PARA UM MUNDO FUTURO MELHO
R.

É certo que não vivemos num mundo ideal, haja vista os quadros de violência, injustiça, ganância, fome e miséria, que ainda fazem parte da nossa realidade. Se por si só, tais flagelos são indesejáveis, imagine-os atuando como fonte geradora do alimento necessário a fortificação de alguns encarnados e desencarnados comprometidos com a quebra da paz e da harmonia social. Este estado de coisas tem raízes, naturalmente, na ausência de fraternidade, solidariedade e amor entre as criaturas.

Sabemos também que esta não será nossa última reencarnação na Terra, pois ainda temos que aqui retornar para cumprir com outros compromissos relacionados com nosso programa evolutivo. Trabalhar hoje, no voluntariado do bem com essa lucidez de consciência, é plantar na sociedade e nas almas de tantos aflitos, e desencontrados na vida, sementes que, com o tempo, florescerão e darão os frutos apropriados a efetivação da paz e da concórdia entre as criaturas. Os efeitos desse labor, com toda certeza, sentiremos, em nossas futuras reencarnações.



Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 31 de Dezembro de 2010, 22:26
Mais Amor

 

Rogas à vida o roteiro
Da Esfera Superior,
E a vida responde sempre:
Meditar com mais amor.
Procurando, desse modo,
Caminho renovador,
Em toda dificuldade,
Apóia com mais amor.

Se esperas pelo futuro
Como ninho aberto em flor,
Arando a terra do sonho,
Trabalha com mais amor.
Recebe, pois, o infortúnio
Com desassombro e valor,
Se a provação recrudesce,
Suporta com mais amor.

Tolera com paciência
A nuvem do dissabor;
Buscando nova alegria,
Ampara com mais amor.
Caluniaram-te a vida?
Perdoa seja a quem for.
Quem vive para a verdade,
Entende com mais amor.

Amigos desavisados
Trouxeram-te sombra e dor?
Diante de todos eles,
Auxilia com mais amor.

Feriram-te as esperanças
Brandindo verbo agressor?
Não critiques nem te queixes...
Espera com mais amor.

Ante o jogo de ilusões
Que o mal te venha a propor,
No cultivo da humildade,
Resiste com mais amor.
Se desejas alcançar
A comunhão do Senhor,
Arrima-te à caridade
E serve com mais amor.


 

Xavier, Francisco Cândido; Baccelli, Carlos A.. Da obra: Brilhe Vossa Luz. Ditado pelo Espírito Casimiro Cunha.


 
        


 




 

 
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 11 de Janeiro de 2011, 23:52
d) O TRABALHO COMO FATOR DE REAJUSTE ESPIRITUAL E RECONCILIAÇÃO.

Sendo a Terra um mundo de expiações e provas, é de se esperar que seus habitantes, detentores dos mais variados graus evolutivos, guardem, relativa ou acentuada sintonia com os padrões éticos e morais desta categoria de mundo, causa geradora da maioria dos desentendimentos humanos.

Quando do seu surgimento, entretanto, Deus, no infinito de sua sabedoria, encaminha as partes envolvidas para espaços de convivência que favoreçam a restauração da concórdia e dosurgimento, entretanto, Deus, no infinito de sua sabedoria, encaminha as partes envolvidas para espaços de convivência que favoreçam a restauração da concórdia e do entendimento, então fragilizados. A casa espírita, pela natureza dos seus propósitos na sociedade terrena, não poderia declinar do chamado divino, para acolher alguns desses irmãos em litígio, no sentido de favorecer sua reconciliação.

Dependendo do grau de discórdia, podem surgir comportamentos de risco para o processo evolutivo das partes e para a funcionalidade da própria instituição, todavia, a espiritualidade benfeitora estará atenta para que dano algum atinja a casa e a causa espírita, pois, no momento certo agirá, eficientemente, no sentido de restaurar a paz e a funcionalidade da instituição.

Ante a possibilidade dessa ocorrência reflitamos sobre duas situações delicadas: o confronto entre a dinâmica de trabalho do voluntário e aquela existente na instituição e o conflito motivado por ciúme ou vaidade.

Em ambos os casos é indispensável que, pelo menos uma das partes, busque ampliar sua visão do que é servir com amor a causa do Cristo através do Espiritismo. Essa amplitude de vista, fatalmente, as levará ao diálogo fraterno objetivando o reajuste imediato das relações, a compreensão de que nem sempre se pode alcançar tudo num só momento e de que o avanço paulatino das idéias e empreendimentos guarda seus méritos. Não nos precipitemos assumindo posturas de embates porque, se nossos propósitos forem corretos, mais adiante a espiritualidade benfeitora os farão efetivar-se, sem dano algum a obra e a casa. Nessas situações cabe-nos vigiar, renunciar a contenda, guardar sintonia com o Plano Espiritual Superior porque não interessa ao Espiritismo avanços que deixem no seu rastro desuniões, ódios, rancores, ou coisas similares, pois nossa Doutrina segue as pegadas do Cristo que nos recomenda amarmo-nos uns aos outros e perdoarmo-nos mutuamente para que não venhamos a sofrer futuramente.

Nos casos em que uma das partes se mantenha irredutível, cabe a outra dar seu testemunho de entendimento da lei do amor, recuando temporariamente do seu intento, continuando a exercer seu trabalho com dedicação e empenho, orando pelo(s) companheiro(s) que não o compreendem e acima de tudo tratando-os como irmãos.

Ao optarmos pela não agressividade ou pelo não confronto, estaremos arando o terreno, para no futuro, germinar com sucesso, a semente da reconciliação ora plantada. Um porvir que poderá ocorrer ainda na atual reencarnação.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 12 de Janeiro de 2011, 00:01
O Trabalho Voluntário é... Satisfação e Realização  Pessoal


O VOLUNTÁRIO

"... tem o dom de se doar,... e em algum momento sente-se chamado a desenvolvê-lo..."
"... dispõe-se a fazer um trabalho sem interesse de retorno material, apenas espiritual ... ou em troca de algo intangível..."
"... através da atuação junto à sociedade, sente-se útil...
*... doa sua força de trabalho para alguma causa humana, social ou ambiental..."
"... tem um conceito mais estruturado do papel do indivíduo na sociedade ... pensa e age de maneira coletivas.."
"... coloca-se à disposição ... contribui... oferece-se sem pensar em retribuição... de livre e espontânea vontade..."
"... valoriza a satisfação pessoal de ter colaborado para tornar os outros mais felizes..."
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 12 de Janeiro de 2011, 00:23
Trabalho voluntário é... Arte!!

Grupo de Teatro da Associação Espirita Reviver... O vale dos Sentimentos!!
O ódio queria eliminar o Amor...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 14 de Janeiro de 2011, 21:11
Trabalho Voluntário é... Prevenção Contra a Violência

 Abençoa e Passa

 

Não basta recear a violência.

É preciso algo fazer para erradicá-la.

Indubitavelmente, as medidas de repressão, mantidas pelos dispositivos legais do mundo, são recursos que a limitam, entretanto, nós todos, - os espíritos encarnados e desencarnados, - com vínculos na Terra, podemos colaborar na solução do problema.

Compadeçamo-nos dos irmãos envolvidos nas sombras da delinqüência, a fim de que se nos inclinem os sentimentos para a indulgência e para a compreensão.

Tanto quanto puderes, não participes de boatos ou de julgamentos precipitados, em torno de situações e pessoas.

Silencia ante quaisquer palavras agressivas que te forem dirigidas, onde estejas, e segue adiante, buscando o endereço das próprias obrigações.

Não eleves o tom de voz, entremostrando superioridade, à frente dos outros.

Não te entregues à manifestações de azedume e revolta, mesmo quando sintas, por dentro da própria alma, o gosto amargo dessa ou daquela desilusão.

Respeita a carência alheia e não provoques os irmãos ignorantes ou infelizes com a exibição das disponibilidades que os Desígnios Divinos te confiaram para determinadas aplicações louváveis e justas.

Ao invés de criticar, procura o lado melhor das criaturas e das ocorrências, de modo a construíres o bem, onde estiveres.

Auxilia para a efevação, abençoando sempre.

Lembra-te: o morrão aceso é capaz de gerar incêndios calamitosos e, às vezes, num gesto infeliz de nossa parte, pode suscitar nos outros as piores reações de vandalismo e destruição.

 


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Atenção. Ditado pelo Espírito Emmanuel.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 14 de Janeiro de 2011, 21:22
Trabalho voluntario é... Receber amor...

Quem dá...

 

  Em tudo o que fazes pões o condimento do amor. A quem amas o fazes com toda a dedicação para preservar esse amor e tornar a pessoa amada sempre mais feliz – dizes.

Para ti, nada há que te impeças de agir para agradar o ser que fez ninho em teu coração, que elegeste por sócio dos teus projetos de felicidade. Tudo na vida parece, então, girar em torno da alma querida que ocupa todos os teus sentidos.

Nessa direção caminhaste com todos os teus sonhos. Nos caminhos da alma amada, semeaste as tuas esperanças. Com ela sorriste, por ela choraste e por ela enfrentaste desafios, correste riscos de que só um grande amor é capaz. Viveste, enfim, para ela, tudo dando sem nada cobrar, como alegas.

Agora sofres por não te veres correspondida na tua dedicação, no teu carinho. Achas que deste sem retribuição. Teu coração, antes cheio de esperanças, amarga agora a indiferença de quem menos esperavas. Desalentada, concluis que toda a tua doação de amor ao ser amado foi em vão. Destes flores e recebestes só espinhos – queixas-te, nas tuas elucubrações mais íntimas.

Quando te encontrares no tumulto desses conflitos afetivos, tomando-te por vítima das incompreensões ou da indiferença de alguém a quem afirmas ter entregue o coração na aurora de um sonho de amor, foge por alguns instantes do circuito fechado em que roda o filme das tuas decepções e distende a tua visão espiritual na direção do calvário. Lá ainda poderás enxergar a grande vítima da incompreensão e da indiferença.

Não te digo o nome, porque tu o conheces muito bem, com detalhes inclusive da história do infamante desejo a quem tudo deu de si para as alegrias e felicidade dos homens. E nessa reflexão recorre à prece por amiga e conselheira leal, que essa grande vítima te surgirá na tela das recordações em algum lugar do passado, perguntando a um dos apóstolos:  – Pedro, filho de Simão, tu me amas?(João XXI, 15-17).

E fez essa pergunta três vezes ao apóstolo querido, o mesmo que lhe negou também três vezes, depois em Jerusalém, mostrando a fragilidade do coração humano em matéria de amor verdadeiro.

Reflete, pois, sobre estas verdades e toma a cruz do Cristo por lição sublime, para que aprendas a amar sem ser amado, a dar sem receber, a ser feliz por já saberes proporcionar a felicidade a alguém sem nada cobrar-lhe, respeitando-lhe a liberdade de ser como deseja ser.

Amar verdadeiramente não é receber amor; é dar. Porque quem dá com amor, que lhe importa receber do mundo, se é certo que recebe de Deus?

Com as bênçãos de Jesus, nosso Senhor.

 

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 14 de Janeiro de 2011, 21:35
Trabalho voluntário é... Bom Ânimo

 

Hoje experimentas maior soma de aflições. Observaste a grande mole dos sofredores: mães desnutridas apertando contra o seio sem vitalidade filhos, misérrimos, desfalecidos, quase mortos; mutilados que exibiam as deformidades à indiferença dos passantes na via pública; aleijões que se ultrajavam a si mesmos ante o desprezo a que se entregavam nos "pontos" de mendicância em que se demoram; ébrios contumazes promovendo desordens lamentáveis; enfermos de vária classificação desfilando as misérias visíveis num festival de dor; jovens perturbados pela revolução dos novos conceitos e vigentes padrões éticos; órfãos...

Pareceu-te mais tristonha a paisagem humana, e consideras mentalmente os dramas íntimos que vergastam o homem, na atual conjuntura social, moral e evolutiva do Planeta.

Examinas as próprias dificuldades, e um crepúsculo de sobras lentamente envolve o sol das tuas alegrias e esperanças.

Não te desalentes, porém.

O corpo é oportunidade iluminava mesmo para aqueles que te parecem esquecidos e que supões descendo os degraus da infelicidade na direção do próprio aniquilamento.

Nascer e morrer são acidentes biológicos sob o comando de sábias leis que transcendem à compreensão comum.

Há, no entanto, acompanhando todos os caminhantes a forma carnal, amorosos Benfeitores interessados na libertação deles. Não os vendo, os teus olhos se enganam na apreciação; não os ouvindo, a tua acústica somente registra lamentos; não os sentindo, as parcas percepções de que dispões não anotam suas mãos quais asas de caridade a envolvê-los e sustentá-los.

Perdido em meandros o rio silencioso e perseverante se destina ao mar. Agita e submissa nas mãos do oleiro a argila alcança o vaso precioso. Sofrido o Espírito nas malhas da lei redentora atinge a paz.

Ante a sombra espessa da noite não esqueças o Sol fulgurante mais além. E aspirando o sutil aroma de preciosa flor não olvides a lama que lhe sustenta as raízes...

Viver no corpo é também resgatar.

O Espírito eterno, evoluindo nas etapas sucessivas da vestimenta carnal, se despe e se reveste dos tecidos orgânicos para aprender e sublimar.

Numa jornada prepara o sentimento, noutra aprimora a emoção, noutra mais aperfeiçoa a inteligência...

Nascer ou renascer simplesmente não basta. O labor, interrompido, pois, prosseguirá agora ou depois. Não cultives, portanto, o pessimismo, nem te abatam as dores.

Cada um se encontra no lugar certo, à hora própria e nas circunstâncias que lhe são melhores para a evolução. Não há ocorrência ocasional ou improvisada na Legislação Divina.

Quando retornou curado para agradecer a Jesus da morféia de que fora libertado, o samaritano que formava o grupo dos dez leprosos, conforme a narração evangélica, fez-nos precioso legado: o do reconhecimento.

Quando o centurião afirmou ao Senhor que uma simples ordem Sua faria curado o seu servo, ofertou-nos sublime herança: a fé sem limites.

Quando a hemorroíssa, vencendo todos os obstáculos, tocou o Rabi, deixou-nos precioso ensino: a coragem da confiança.

Identificado ao espírito do Cristo, não te deixes consumir pelo desespero ou pela melancolia, sob revolta injustificada ou indiferença cruel. Persevera, antes, no exame da verdade e insiste no ideal de libertação interior, ajudando e prosseguindo, além, porque se hoje a angústia e o sofrimento te maceram, em resgate que não pode transferir, amanhã rutilará no corpo ou depois dele o sol sublime da felicidade em maravilhoso amanhecer de perene paz.

"Tem ânimo filhos: perdoados são os teus pecados." - Mateus: 9-2.

"Deus não dá prova superior às forças daquele que a pede; só permite as que podem ser cumpridas. Se tal não sucede, não é que falte possibilidade: falta a vontade". - E.S.E. Cap. XIV Item 9.

 

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Florações Evangélicas. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 15 de Janeiro de 2011, 01:48
Trabalho Voluntário é.. Cura das Enfermidades Morais

Trabalho Sempre

 

Trabalho será sempre o prodígio da vida, criando reconforto e progresso, alegria e renovação.

Se a dificuldade te visita, elege nele o apoio em que te escores e surpreenderás, para logo, a precisa libertação.

Quando a névoa da tristeza te envolva em melancolia, procura nele o clima a que te acolhas e observar-te-ás, sob novo clarão de encorajamento e esperança.

Ante a mágoa que te busque, à vista de ofensas com que absolutamente não contavas, utiliza-o por remédio salutar e obterás, em tempo breve, a bênção da compreensão e a tranqüilidade do esquecimento.

Debaixo da preterição que te fira, refugia-te nele e recuperarás sem demora o lugar a que o mérito te designa.

À frente de injúrias que te amarfanhem o coração, insiste nele e, com a bênção das horas, olvidarás escárnio e perseguição, colocando-te no rumo certo da verdadeira felicidade.

Perante a dor dos próprios erros cometidos, persevera com ele no cotidiano e, a breve espaço, granjearás serenidade e restauração.

Nos momentos claros da senda, trabalha e entesourarás mais luz no caminho.

Nos instantes escuros, trabalha e dissolverás qualquer sombra, desvelando a estrada que o Senhor te deu a trilhar.

Tudo o que o homem possui de útil e belo, grande e sublime se deve ao trabalho, com que se lhe engrandece a presença no mundo.
Haja, pois, o que houver, ampliem-se obstáculos, agigantem-se problemas, intensifiquem-se lutas ou se agravem provações, trabalha sempre no bem de todos, porque, trabalhando na Seara do Bem, podes conservar a certeza de que Deus te sustentará.

 

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Coragem. Ditado pelo Espírito Emmanuel.

 

 
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 15 de Janeiro de 2011, 15:36
Trabalho Voluntário é... Trabalho!!

Mãos Estendidas

Estende a tua mão. E ele a estendeu
e foi-lhe restituída a sua
mão, sã como a outra" - (MARCOS, 3:5.)


 

Em todas as casas de fé religiosa, há crentes de mãos estendidas, suplicando socorro...

Almas aflitas revelam ansiedade, fraqueza, desesperança e enfermidades do coração.

Não seremos todos nós, encarnados e desencarnados, que algo rogamos à Providência Divina, semelhantes ao homem que trazia a mão seca?

Presos ao labirinto criado por nós mesmos, eis-nos a reclamar o auxílio do Divino Mestre...

Entretanto, convém ponderar a nossa atitude.

É justo pedir e ninguém poderá cercear quaisquer manifestações da humildade, do arrependimento, da intercessão.

Mas é indispensável examinar o modo de receber.

Muita gente aguarda a resposta materializada de Jesus.

Esse espera o dinheiro, aquele conta com a evidência social de improviso, aquele outro exige a imediata transformação das circunstâncias no caminho terrestre...

Observemos, todavia, o socorro do Mestre ao paralítico.

Jesus determina que ele estenda a mão mirrada e, estendida essa, não lhe confere bolsas de ouro nem fichas de privilégio. Cura-a. Devolve-lhe a oportunidade de serviço.

A mão recuperada naquele instante permanece tão vazia quanto antes.

É que o Cristo restituía-lhe o ensejo bendito de trabalhar, conquistando sagradas realizações por si mesmo; recambiava-o às lides redentoras do bem, nas quais lhe cabia edificar-se e engrandecer-se.

A lição é expressiva para todos os templos da comunidade cristã.

Quando estenderes tuas mãos ao Senhor, não esperes facilidades, ouro, prerrogativas... Aprende a receber-lhe a assistência, porque o Divino Amor te restaurará as energias, mas não te proporcionará qualquer fuga às realizações do teu próprio esforço.

*  *  *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Fonte Viva. Ditado pelo Espírito Emmanuel. 20a edição. Lição 174. FEB, 1999.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Fevereiro de 2011, 17:37
Ante os Pequeninos

A criança é uma edificação espiritual dos responsáveis por ela.

*

Não existe criança - nem uma só - que não solicite amor e auxilio, educação e entendimento.

*

Cada pequenino, conquanto seja, via de regra, um espírito adulto, traz o celebro extremamente sensível pelo fato de estar reiniciando o trabalho da reencarnação, tornando-se, por isso mesmo, um observador rigorista de tudo o que você fala e faz.

*

A mente infantil dar-nos-á de volta, no futuro, tudo aquilo que lhe dermos agora.

*

Toda criança é um mundo espiritual em construção ou reconstrução, solicitando material digno a fim de consolidar-se.

*

Ajude os meninos de hoje a pensar com acerto dialogando com eles, dentro das normas do respeito e sinceridade que você espera dos outros em relação a você.

*

A criança é um capitulo especial no livro do seu dia-a-dia.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Fevereiro de 2011, 17:43
Trabalho voluntário é... Amor

Conferência sobre População e Desenvolvimento no Cairo. Nafis Sadik, egípcia, Secretária geral da Conferência, defende o controle da natalidade mediante a descriminalização do aborto e o mais que for preciso.

A Madre Teresa sobe ao estrado, no meio de um ansioso silêncio, feito de irreprimível admiração e de temor pelo testemunho vivo da coerência materializada num ser humano, e, com a voz transida de emoção, de uma emoção que contagia os mais recalcitrantes, diz concisamente:

- O mundo que Deus nos deu é mais do que suficiente, segundo os cientistas e pesquisadores, para todos; existe riqueza mais que de sobra para todos. Só é questão de reparti-la bem, sem egoísmo. O aborto pode ser combatido mediante a adoção. Quem não quiser as crianças que vão nascer, que as dê a mim. Não rejeitarei uma só delas. Encontrarei uns pais para elas. Ninguém tem o direito de matar um ser humano que vai nascer: nem o pai, nem a mãe, nem o Estado, nem o médico. Ninguém. Nunca, jamais, em nenhum caso. Se todo o dinheiro que se gasta para matar fosse gasto em fazer que as pessoas vivessem, todos os seres humanos vivos e os que vêm ao mundo viveriam muito bem e muito felizes. Um país que permite o aborto é um país muito pobre, porque tem medo de uma criança, e o medo é sempre uma grande pobreza.

Uma mulher sem filhos, convertida, pela fé e pelo amor, na mãe mais fecunda do mundo.

Bill Clinton, Presidente dos Estados Unidos, é batista de religião. No meio dos retratos que tem no seu gabinete oval da Casa Branca, encontra-se uma fotografia com dedicatória da Madre Teresa. Clinton nutre verdadeira veneração por ela, apesar de que, cada vez que a recebe, lhe ouve uma repreensão em regra, sem a menor contemplação: a Madre lembra-lhe, não o que há que fazer, mas o que ele, concretamente ele, pode e deve fazer para salvaguardar a paz na justiça e na liberdade, para resolver dignamente os problemas da pobreza e evitar que as mulheres norte-americanas se vejam forçadas ao drama do aborto.

- O aborto provocado - diz-lhe - é uma das minhas maiores cruzes; é a maior barbárie contra a paz do mundo, porque, se uma mãe é capaz de matar o seu filho, o que pode evitar que nos matemos uns aos outros?

Há muitos anos, a Madre declarou à revista italiana Gente: "As crianças são o melhor presente que Deus nos pode fazer, mas o homem, no seu egoísmo, nem sempre aprecia este dom. Com freqüência, as crianças são rejeitadas, abandonadas, maltratadas e até assassinadas. Desde a minha juventude, luto contra esses delitos".

As primeiras criaturas com que a Madre Teresa iniciou a sua nova missão, depois daquela noite em que, viajando de Calcutá a Darjeeling, o Senhor lhe abriu os olhos para a miséria absoluta e nasceu a sua vocação de servir Jesus nos mais pobres, foram precisamente cinco crianças abandonadas. Contou-o assim:

"Vivíamos num tugúrio, nos arredores de Calcutá, na região mais miserável da cidade. Eu buscava alimento entre os desperdícios. Não tínhamos nada, mas eu amava aquelas crianças e elas eram felizes porque se sabiam queridas. Não há pior tristeza no mundo que a falta de amor. Vi crianças que se deixavam morrer porque ninguém as amava. Sou mãe de milhares de crianças abandonadas. Tenho-as recolhido do lixo das ruas. Tenho-as recebido da polícia, dos hospitais onde foram rejeitadas pelas << mães >>. E vou levando-as para diante".

Algumas adolescentes foram violentadas com toda a selvajaria em Bangladesh. As autoridades queriam fazê-las abortar. A Madre Teresa interpôs-se. A uma doutora que insistia em que uma criança não-nascida não é um ser humano, disse-lhe:

- Se a senhora está casada e traz um ser no seu ventre, é um ser humano ou o que é?

- Bem - disse a médica -, isso seria diferente.

- Estas meninas - replicou-lhe a Madre Teresa - foram forçadas contra a sua vontade, mas isso que os senhores querem fazer nelas, isso sim, é que é uma violação muito pior e um assassinato. Eu me encarregarei dos bebês quando nascerem...

Contaram-me alguns dos seus colaboradores que a Madre tem um grande álbum com muitas fotos e que, quando as repassa, fica como que ensimesmada, cheia de ternura e de alegria. Os retardados mentais, os debilóides, os que ninguém aceita, nem acolhe, nem adota, os que ela conseguiu salvar da morte no ventre da mãe, "esses ficam comigo. A natureza foi cruel com eles, mas são filhos de Deus e têm tanta necessidade de carinho! São os meus prediletos".
[/b]

Retirado do livro "Madre Teresa de Calcutá", de Miguel Ángel Velasco, Editora Quadrante, 1996
[/color]
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Fevereiro de 2011, 17:46
Olá queridos amigos e irmãos...  Sejam bem-vindos... Muita paz a todos vocês!!

Trabalho Voluntário é... Progresso moral

- Cem anos atrás nascia em Skopje, na região ex-iugoslava, hoje Macedônia, o Anjo dos pobres, Madre Teresa de Calcutá, de família albanesa. E hoje o mundo recorda esse importante aniversário com numerosas celebrações. Bento XVI recorda essa data com uma mensagem enviada à Irmã Mary Prema, Superiora das Missionárias da Caridade, cuja Congregação foi fundada por Madre Teresa em 1950.Madre Teresa "modelo exemplar de virtudes cristãs" – escreve o Papa – foi em vida um "dom inestimável" para o mundo e continua sendo "através do amoroso e incansável trabalho de vocês, suas filhas espirituais"."Respondendo com confiança ao chamado direto do Senhor – prossegue o Santo Padre – Madre Teresa exemplificou diante do mundo as palavras de São João: "Caríssimos, se Deus assim nos amou, devemos, nós também, amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais contemplou a Deus. Se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu Amor em nós é levado à perfeição" (cf. 1 Jo 4, 11-12).""Possa esse Amor continuar inspirando vocês como Missionárias da Caridade a se doarem generosamente a Jesus, que vocês vêem e servem nos pobres, nos doentes, nas pessoas sozinhas e abandonadas" – exorta o Pontífice.Bento XVI encoraja as Missionárias da Caridade a "recorrerem constantemente à espiritualidade e ao exemplo de Madre Teresa e, seguindo as suas pegadas, a acolherem o convite de Jesus "Vinde, sede a minha luz"". (RL)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Fevereiro de 2011, 17:51
Caridade

Caridade é , sobretudo, amizade.

*

Para o faminto - é o prato de sopa.

*

Para o triste - é a palavra consoladora.

*

Para o mau - é a paciência com que nos compete auxiliá-lo

*

Para o desesperado - é o auxílio do coração.

*

Para o ignorante - é o ensino despretensioso.

*

Para o ingrato - é o esquecimento.

*

Para o enfermo - é a visita pessoal.

*

Para o estudante - é o concurso no aprendizado.

*

Para a crianca - é a proteção construtiva.

*

Para o velho - é o braço irmão.

*

Para o inimigo - é o silêncio.

*

Para o amigo - é o estímulo.

*

Para o transviado - é o entendimento.

*

Para o orgulhoso - é a humildade.

*

Para o colérico - é a calma.

*

Para o preguiçoso - é o trabalho.

*

Para o impulsivo - é a serenidade.

*

Para o leviano - é a tolerância.

*

Para o deserdado da Terra - é a expressão de carinho.

*

Caridade é amor, em manifestação incessante e crescente. É o sol de mil faces, brilhando para todos, e o gênio de mil mãos, amparando, indistintamente, na obra do bem, onde quer que se encontre, entre justos e injustos, bons e maus, felizes e infelizes, por que, onde estiver o Espírito do Senhor aí se derrama a claridade constante dela, a benefício do mundo inteiro
.

* * *
Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Viajor.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Fevereiro de 2011, 17:55
Trabalho voluntário é... Esperança

Caridade e Esperança


Lembra-te da esperança para que a tua caridade não se faça incompleta.

*

Darás ao faminto, não somente a côdea de pão que lhe mitigue a fome, mas também o carinho da palavra fraterna, com que se lhe restaurem as energias.

*

Não apenas entregarás ao companheiro, abandonado à intempérie, a peça que te sobra ao vestiário opulento, mas agasalhá-lo-ás em teu sorriso espontâneo a fim de que se reerga e prossiga adiante, revigorado e tranqüilo.

*

Não olvides a paciência divina com que somos tolerados a cada hora.

*



Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caridade.
Ditado pelo Espírito Emmanue
l.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Fevereiro de 2011, 18:01
Trabalho Voluntário é... Caridade

Qual acontece ao campo da natureza, em que o Sol mil vezes injuriado pela treva, mil vezes responde com a bênção da luz, dentro de nossa vida, assinalamos a caridade infinita de Deus, refazendo-nos a oportunidade de servir e aprender, resgatar e sublimar todos os dias.

*

Não te faças palmatória dos próprios irmãos, aos quais deves a compreensão e a bondade de que recebes as mais elevadas quotas do Céu, na forma de auxílio e misericórdia, em todos os instantes da experiência.

*

Não profiras maldição nem espalhes o tóxico da crítica, no obscuro caminho em que jornadeiam amigos menos ditosos, ainda incapazes de libertarem a si mesmos das algemas da ignorância.

*

Recorda que Jesus nos chamou à senda terrestre para auxiliar e salvar, onde muitos já desertaram da confiança no eterno bem.

*

Seja onde for e com quem for, atende à esperança para que o mundo conquiste a vitória a que se destina.

*

Aliviar com azedume é alargar a ferida de quem padece e dar com reprimendas é envolver o socorro em repulsivo vinagre de desânimo ou desespero.

*

À maneira de raio solar que desce à furna cada manhã, restaurando o império da luz, sem reclamação e sem mágoa, sê igualmente para os que te rodeiam a permanente mensagem do amor que tudo compreende e tudo perdoa, amparando e auxiliando sem descansar, porque somente pela força do amor alcançaremos a luz imperecível da vida.

* * *


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caridade.
Ditado pelo Espírito Emmanue
l.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Fevereiro de 2011, 18:07
Trabalho Voluntário é compreensão

O Cooperador

Chame-se familiar ou companheiro, chefe ou subordinado, colega ou amigo, se lhe buscas o auxílio, a golpes de azedume e brutalidade, é possível te escape da área de ação, magoando-se ou perdendo o estímulo ao trabalho.

Se largado ao menosprezo, é provável se entregue a influências claramente infelizes, capazes de lhe envenenarem a alma.

Se empregado por veículo de intriga ou maledicência, fora das funções edificantes a que se dirige, talvez termine desajustado por longo tempo.

Mas, se conservado com respeito, no culto da amizade, e se mobilizado na posição certa, como a te receber as melhores vibrações do coração e do cérebro, ei-lo que te corresponde com a excelência e a oportunidade da colaboração segura, em bases de amor que é, em tudo e em todos, o supremo tesouro da vida.

*

Pensemos nisso e concluiremos que é impossível encontrar cooperadores eficientes e dignos, sem indulgência e compreensão.

* * *


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caridade.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Fevereiro de 2011, 18:27
Donativo do Coração

Seja a tua palavra clarão que ampare, chama que aquece, apoio que escore e bálsamo que restaure.

*

Sempre que te disponhas a sair de ti mesmo para o labor da beneficência, não olvides o donativo da coragem! Auxilia ao próximo por todos os meios corretos ao teu alcance, mas, acima de tudo, ampara o companheiro de qualquer condição ou de qualquer procedência, a sentir-se positivamente nosso irmão, tão necessitado quanto nós da paciência e do socorro de Deus.

* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Brilhe Vossa Luz.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: katiatog em 06 de Fevereiro de 2011, 19:15
Boa tarde, querida amiga Dothy


Parabéns pelos seus lindos trabalhos voluntários e pelo belo exemplo de amor ao próximo!

Que Deus te proteja e te ilumine na sua missão, dando-lhe bom ânimo sempre e abençoando-a com a colheita desse amor que você semeia em tantos corações!

Abraços carinhosos da Katia
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: katiatog em 06 de Fevereiro de 2011, 19:19
Voluntariado Espírita


Vera Meira Bestene


Cada vez mais estamos conscientes que estudar é preciso, trabalhar é necessário e amar ao próximo o menor caminho para chegar à Deus.

O trabalho, a consciência do trabalho, da atividade constante em prol de nós mesmo e de outrem, é necessidade evolutiva e oferecida a todos em igualdade de condições, depende de nós, diante das responsabilidades assumidas, colocarmos a prova as nossas atitudes.

Na conceituação genérica trabalho é a “ocupação em alguma obra ou ministério; exercício material ou intelectual para fazer ou conseguir alguma coisa”

Nos mundos mais evoluídos e nos inferiores, a natureza do trabalho não é a mesma, pois que ela está diretamente ligada às necessidades de cada um, sendo a inatividade, a ociosidade, um verdadeiro suplício.

Em “O Evangelho Segundo o Espiritismo” Allan Kardec nos norteia o princípio da Lei do Trabalho através das máximas “ajuda-te que o céu te ajudará e, análoga a esta, “buscai e achareis”, pois que aí encontramos a verdadeira noção que instiga, incita o homem a trabalhar, fazer a sua parte, para que possa, assim ser ajudado por Deus.

Diz o Cap. XXV, item 3:

”Se Deus houvesse isentado o homem do trabalho do corpo, seus membros estariam atrofiados; se o houvesse isentado do trabalho da inteligência, seu espírito teria permanecido na infância, no estado de instinto animal; por isso, lhe fez do trabalho uma necessidade e lhe disse: Procura e achará, trabalha e produzirás; dessa maneira, serás o filho das tuas obras, delas terás o mérito e serás recompensado segundo o que tiveres feito.”

Na realidade não importa o esforço físico que cada qual tenha que desprender para atender as faixas menos favorecidas da cultura e do destaque social, pois que o trabalho dignifica quem o executa e é-lhe garantia de crescimento. Não se há de fazer comparações ou medições de quanto trabalho se tem de executar, o que importa é ir à luta, semear para poder frutificar.

Sendo a Lei do Trabalho uma lei natural, motivo porque é uma necessidade, engloba os trabalhos materiais, assim como toda ocupação útil. (O Livro dos Espíritos p. 675)

O trabalho está alicerçado em princípios morais, principalmente no amor, e, por isto mesmo, ao lado da oração, é um dos maiores antídotos contra o mal, pois que corrige imperfeições e disciplina a vontade. “A ociosidade é a casa do demônio” é a máxima popular que bem explica que quando nada se faz se faz muito mal, pois que aí estão o egoísmo, o pensamento deprimente, a negatividade e as tentações.

O trabalho, entretanto, longe de ser apenas aquele de ordem material, física, é também aquele que se desenvolve através de ações inteligentes, intelectuais, objetivando a cultura, a arte, o conhecimento, o desenvolvimento e a ciência.

O trabalho do homem objetiva a transformação para melhor. Isto na generalidade. Desdobra-se o arquiteto para produzir imóveis cada vez mais modernos e adequados à realidade de um local e época; o economista busca ajustar as riquezas sociais a fim de que haja sempre progresso financeiro. O carpinteiro trabalha em móveis de estrutura rígida que se lhe justifiquem a tarefa e estejam íntegros para o ambiente a que se propõem. O médico trabalha com afinco para salvar vidas e fazer a prevenção. O cientista submete-se a buscas longas, aparentemente intermináveis, com o fim de ampliar e melhorar as condições de vida do planeta e seus habitantes. Todos motivam-se por atividades instintivas de conservação da vida e de conhecimento social.

Esta é a ação natural e primeira do homem: produzir para suprir suas necessidades imediatas.

Buscando um pouco na história, vemos o homem se utilizando das reservas animais e vegetais. Com o decorrer dos tempos as reservas foram se rareando, As fontes naturais se exaurindo. No período da pedra lascada já jogou-se a buscar mais recursos, ampliando assim seu trabalho já com a ajuda de instrumentos rudes. Mais tarde lançou-se à agricultura e, da terra, passou a extrair os bens necessários a sua subsistência e também ao seu crescimento financeiro. Depois, domesticou animais e os rebanhos renderam-lhes atividades mais estáveis. Com o aparecimento de instrumentos mais aprimorados, do comércio crescente, do aparecimento e evolução da indústria, foram fomentados recursos novos e, paulatinamente, as dificuldades iniciais serviram de base ao equilíbrio social e, posteriormente, o trabalho remunerado, a divisão de classes decorrente do próprio trabalho.

Podemos ver que a própria evolução material do homem está ligada diretamente ao trabalho. Com os tempos e as reencarnações, as evoluções oriundas do trabalho intelectual, produzindo melhoramento da forma de produzir, pois que ao homem cabe a missão de trabalhar pela melhoria do planeta.[/color]

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: katiatog em 06 de Fevereiro de 2011, 19:23
Continuação...

Assim, podemos dizer que o trabalho remunerado é a forma que o homem tem de modificar o meio que vive e produzir a melhoria do Planeta.

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, em seu cap. XVI, item 7, em uma simples leitura, podemos verificar a verdade das necessidades materiais, compreendendo também que “na satisfação das necessidades materiais, o ajudará mais tarde a compreender as grandes verdades morais. Sendo a riqueza o meio primordial de execução, sem ela não mais grandes trabalhos, nem atividades, nem estimulante, nem pesquisas. Com razão, pois, é a riqueza considerada elemento de progresso.”

Há, entretanto, uma outra forma de trabalho, este que não rende moeda, nem produz conforto maior, tampouco crescimento permanente da conjuntura econômica. Este é o trabalho-abnegação, do qual não produz troca ou remuneração mas que redunda em crescimento de si mesmo no sentido moral e espiritual. Modernamente a este trabalho dá-se o nome de TRABALHO VOLUNTÁRIO.

O primeiro caso, o trabalho gerando crescimento material e progresso social, se desenvolve uma melhora exterior da criatura, enquanto o segundo, o trabalho voluntariado, ascende no sentido vertical da vida e modifica, transforma o homem de dentro para fora, superando a si mesmo como instrumento da misericórdia divina.

Jesus é exemplo destes dois tipos de trabalho. Enquanto carpinteiro, dedicado, com José laborava. Ele, ativamente, mostrando a importância do trabalho, ensinando que o trabalho em atividade honrada é o dever primeiro para a manutenção do corpo e da vida terrena. Seguidamente a isto teve Jesus um ministério de amor, um verdadeiro trabalho de autodoação até o sacrifício da própria vida.

Seu exemplo infunde coragem estimula o trabalho-serviço, o trabalho-redenção, fraternal, procurando manter a sociedade unida, acalentando os menos favorecidos, dando conforto aos necessitados de toda ordem.

Podemos perceber, portanto, que o trabalho voluntariado é muito antigo, pois que foi inventado por Jesus Cristo, quando às margens da Galiléia chamou os pescadores Simão Pedro Barjonas e seu irmão André, João e seu irmão Tiago, os dois filhos de Zebedeu, para uma jornada que jamais terminaria. Trabalho voluntário e mais trabalho voluntário os esperava ao longo do tempo, das horas, dos dias, dos anos, dos séculos e milênios.

Aceitaram trabalhar de graça, e como lucraram!

Na Segunda Carta de Timóteo (2:6) Paulo adverte que o lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar os frutos.

Hão de se perguntar: Como gozar os frutos se não recebemos dinheiro pelo que produzimos?

Emmanuel, no livro Perante Jesus nos fala do trabalho voluntariado explicando–nos como nos chega a remuneração mais do que compensadora por trabalharmos pelo simples prazer de servir, desinteressadamente.

Quando o trabalho se transforma em prazer de servir surge o ponto mais importante da remuneração espiritual: Toda vez que a justiça divina nos procura no endereço exato para a execução da sentença que determinamos a nós próprios, segundo a lei de causa e efeito, se nos encontra a serviço do próximo, manda a justiça divina que seja suspensa a execução, por tempo indeterminado.

Assim, podemos entender que todo mal que cometemos estamos nos sentenciando de forma a constituir dívida correspondente a que estamos obrigados a pagar pela lei de causa e efeito. É dando que se recebe, nos ensinou Jesus. O que fazemos ao próximo volta com a mesma intensidade.

Sócrates já considerava que o bem e o mal nada mais eram que a sabedoria e a ignorância, pois que o ignorante concretiza o mal porque não sabe que mais tarde será obrigado a quita-lo, a ajustar contas. Mas, como dissemos, quando se nos encontramos a serviço do próximo, a Justiça Divina manda que o pagamento seja suspenso. Pedro, na sua Carta Universal (4.8) já profetisava: “Tende caridade para com os outros, porque a caridade cobrirá a multidão de pecados”.

A caridade e todo o bem que conseguirmos amealhar na vida presente, será descontado na dívida que contraímos no passado, seja nesta ou em existência anterior. No acerto de conta, quando forem colocar nossa conta na balança, certamente haverá a compensação de nossas ações caridosas e nossas dívidas diminuirão ou até desaparecerão, dependendo do crédito de amor que acumularmos.

O trabalho é alimento da alma e cumpre-nos observar que o trabalho desinteressado não é objeto de troca ou remuneração, de quaisquer espécies. Precisamos compreender que doar trabalho é doar amor, boa vontade, sem escolher a quem e muito menos julgando o merecimento deste ou daquele para quem está rendendo o trabalho.

As pessoas nem imaginam o bem que estão fazendo a si próprias quando se dedicam a realizar algum trabalho sem a respectiva recompensa financeira. O Voluntariado é hoje uma verdadeira explosão, uma vez que está transformando hábitos, sobretudo quando realizado por jovens. É uma característica comum aos jovens a vontade de ajudar, de ser útil, de diminuir a dor alheia, praticando assim a solidariedade. O incentivo cabe a nós, mais velhos, exerce-lo.

Querem eles oferecer um pouco do seu tempo, uma parcela apenas do fruto de sua profissão, um pedacinho de seu coração a instituições voltadas para causas nobres ou que cuidem de seres humanos com provas dolorosas. O voluntariado espírita é essencialmente um doador de seu próprio trabalho e a princípio poucos são os que percebem, mas são felizes porque têm algo para oferecer; sobra-lhes boa vontade e disposição.

As maravilhosas obras beneméritas e de caridade erguem-se no planeta, materializando pensamentos de bondade. Todos somos chamados a produzir obras de trabalho desinteressado, aquele que é abnegado e exige a doação plena.

Ao trabalho voluntariado todos fomos chamados, basta parar para pensar que esta é a mais pura verdade. Entretanto, aos que deixaram passar a oportunidade, conclamamos agora: Venha compor esta fileira. Deixe as desculpas do “não tenho tempo”, “meus filhos são pequenos”, “meu marido é sistemático”, “quando aposentar vou ajudar vocês”, “minha família necessita de mim”. Estas são apenas umas das muitas desculpas usuais e corriqueiras daqueles que fogem, adiam a tarefa do auxílio. É necessário se conscientizar da responsabilidade que temos em relação ao próximo. A firmeza de propósitos, o espírito de altruísmo precisam ser ativados. O maior beneficiado é sempre quem auxilia. Emmanuel, no Livro Pronto Socorro recomenda:

“Não te esqueças do tempo e auxilia agora”.

É tempo de agir, de aprender que o doar-se de forma absolutamente desinteressada, é semeadura de amor e libertação, pois que a justiça divina dá a cada um segundo o seu merecimento e o seguimento da máxima de Cristo “Ama o próximo como a ti mesmo” extirpando o egoísmo e a arbitrariedade que devem ser banidos o quanto antes de nosso comportamento. O trabalho é e será o único meio de evolução do ser encarnado ou desencarnado e, sem trabalho, não há progresso, sem trabalho voluntariado não há evolução espiritual e não há luz. A forma que cada um pode ser mais útil para o maior número de pessoas, é análise pessoal, mas nos cabe alertar a importância do auxílio, da cooperação de acordo com a capacidade e possibilidade de cada um, mas sempre há e haverá um trabalho, uma tarefa que diante da boa vontade e do amor, será sempre, simples, prazerosa e fácil.

Realiza o teu compromisso, por menos significante que te pareça, pois que esta será a base para grandes realizações futuras.

Hoje, tantos anos já passados, o trabalho tem leis que o regem para que a sociedade possa ser mais justa, devido a imperfeição natural dos homens que neste Planeta habitam. Cumpre às Casas Espíritas o cuidado de fazer o registro de seu corpo de voluntariado, cumprindo assim as necessidades das leis humanas.

Os valores de fé, de amor e de persistência, nos levam à reflexão de que a caridade deve substituir a filantropia, sendo trabalho útil, ativo, passando a existir nos moldes dos mundos superiores, onde o trabalho em lugar de ser impositivo, é conquista do homem livre que serve sempre, sem cessar, buscando sempre assistir mas promover o ser humano, buscando ensinar a pescar, não apenas dando o peixe, como nos ensinou .

“Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus” Pedro 1: 4.10 .
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 12:21
Queridos amigos e irmãos... Sejam todos bem-vindos...

Sua presença que irá enriquecer este novo tópico..
Termos a teoriados ensinamentos de Jesus aqui, através dos estudos que realizamos no Fórum Espiríta e  em nossas casas espiritas, o conhecimento é  muito importante para todos nós...
Mas temos também oportunidade de exercitá-los na prática diária em nossas vidas...
Participe você também.. Traga para nós sua experiência, seu relato... Colabore com o bem..
Voltem sempre.. Abraços afetuosos


(http://www.recadodeorkut.com/313/014.jpg) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yZWNhZG9zZXNjcmFwcy5jb20=)

 As mais lindas imagens de Domingo; clique aqui! (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yZWNhZG9zZXNjcmFwcy5jb20=)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 12:23
A arte de contar histórias



Por que contar história?

Contar histórias é um meio muito eficiente de transmitir uma ideia, de levar novos conhecimentos e ensinamentos. É um meio de resgatar a memória. Todo bom contador de histórias deve ser também um bom ouvinte de si mesmo, do mundo e de outras pessoas. O contador deve ser sensível para ouvir e falar. Contar simplesmente porque gosta de contar. O narrador deve estar ciente de que o importante é a história.
As crianças gostam de ouvir seus avós, pais, etc. contando histórias bíblicas, de fadas, da vida deles mesmos e de quando eram crianças.
[/color][/color][/b]
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 12:29
Grupo Alegria da Alma

Grupo Alegria da Alma
Inscrições abertas para Artistas Voluntários
(músicos, atores, cantores, dançarinos, poetas)

O grupo Alegria da Alma é composto de artistas de todas as modalidades da arte e terapeutas voluntários que oferecem apoio emocional para pessoas em recuperação ou em situação da vulnerabilidade mental, emocional e física, em hospitais ou nas instituições como asilos, abrigos e orfanatos.

O objetivo do grupo Alegria da Alma é oferecer apoio emocional para pessoas em recuperação em hospitais e apoiar os idosos e crianças nas instituições como asilos, abrigos e orfanatos, por meio da arte, teatro, cantos, música, poemas, leituras e bate-papo.

Pesquisas feitas por institutos e universidades em vários países do mundo demonstram a importância da alegria na função de fortalecimento do sistema imunológico, fator fundamental no processo de prevenção e de recuperação de doenças físicas, mentais e emocionais.

O trabalho do grupo Alegria da Alma consiste em unir várias linguagens da arte, incluindo teatro, cantos, música, poema, dança, coral etc., para fazer apresentações que alegram a alma, inspiram e motivam as pessoas no seu processo de cura e bem-estar. O trabalho é voluntario e não remunerado.

As apresentações têm a duração de 1hora e 30minutes, utilizando diversas linguagens da arte. Após da apresentação os artistas voluntários conversarão livremente com as pessoas, proporcionando maior oportunidade para interagir, inspirar, motivar, apoiar e alegrar.

Venha alegrar e apoiar alguém no seu processo de recuperação e cura, utilizando o seu dom e talento. Se você deseja ser um voluntário do grupo “Alegria da Alma”, entre em contato pelo telefone: (11) 2389-8816 ou pelo e-mail: contato@terapeutassemfronteiras.org.br
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 12:34
A TRISTEZA... FUGIU!!


Tenan é um menino de oito anos, mora com seus pais em um condomínio de apartamentos. É um menino muito inteligente, esperto,bom amigo, sempre querido por todos.
Todos os dias ao voltar da escola, ele passava em frente a um hospital,onde tinha, uma grande janela que dava na ala para os idosos, ele sempre olhava pela janela, e via diariamente, aquelas pessoas com semblantes de sofrimentos e tristeza. Ao chegar em casa, sempre perguntava a mãe se podia ir visitá-los, ao que ela respondia:  Tenan, tu ainda és uma criança, e hospital, não é lugar para crianças, seu pai complementava,  meu filho... Eles tem família, isto é problema de adultos.
Tenan, não se conformava com estas respostas, e aquela cena, era  contínua , pois o hospital, era seu caminho diário, queria fazer algo para ver aquelas pessoas sorrirem, mas não sabia o que e nem como fazer.  Um dia em  uma atividade extra- classe em sua escola, apareceu um grupo de teatro, com apresentação de fantoches, com muitos risos, encantos, cores, nomes, o que fez na hora,Tenan ter uma idéia.
Ao chegar  em casa,Tenan  foi logo para seu quarto, onde pegou uma meia sua, muito colorida, e um saco de papel, ali ele começou a fazer seus fantoches, com muitos enfeites, recortes, depois de pronto, guardou  logo em sua mochila. No outro dia ao voltar da escola, pegou o caminho para o hospital, chegou bem perto da janela dos idosos, subiu em um caixote, ficando na ponta dos pés, dando um forte assobio com um apito que tinha, ele colocou o primeiro fantoche que representava uma cobra  a vista de todos, depois colocou o outro que representava um canário, e dramatizou uma cena entre os dois personagens, chorou, sorriu, brigou, imitou varais vozes de seus personagens, que fez o primeiro idoso sorrir, sendo seguido depois, pelos demais. Finalmente, Tenan encontrou um meio para ajudar aqueles vovôs a saíram da tristeza e solidão em que se apresentavam.  Agora sempre que chegava da escola, criava novos personagens para seu teatro da alegria, isso o deixava muito feliz, depois  que  ele terminava os novos fantoches,ia brincar com seus amiguinhos.
Os idosos, já esperavam por aquela animação, aos poucos eles iam melhorando, por que sua grande doença era a tristeza, a solidão, e alguns até participavam junto com o menino das narrativas. Certo dia a mãe de Tenan, ao voltar para casa, viu de longe aquela cena.  Seu filho  estava todo esticado, na ponta dos pés, com os braços todos dentro da janela do hospital, ela ficou sem entender o que era aquilo,chegou perto dele chamando-o, fazendo  com que ele ficasse muito assustado, ela lhe perguntou: O que tu estás fazendo aqui,  nesta área do hospital? O menino, reponde a ela: Mãe...  A senhora me disse que eu não podia entrar no hospital, por que  eu poderia adoecer... Mas veja, estou do lado de fora... Sua mãe ficou sem ação, com a atitude do menino, ao olhar para dentro, ela viu os idosos, todos  estavam  preocupados com a situação do menino . A mãe de Tenan, se  emocionou com o gesto do menino, com a atitude de uma criança de apenas oito anos, atitude que ela nunca teve, e  que jamais pensou. Ela entrou no hospital, procurando pela assistente social para ver se conseguia permissão para  eles dois fazerem uma visita fraterna, uma vez por semana, no que foi liberado pela assistência. Assim feito, ela passou a ajudar Tenan  na confecções de novos fantoches e personagens,tudo com muitas cores, brilhos, retalhos, botões, saias.  Tenan  agora não precisava mais ficar do lado de fora da janela, todo esticado para ajudar aqueles que já considerava parte de  sua família.
E a tristeza? Onde ela foi parar?  Ela sumiu daquele lugar... Pois sabia que reinaria sempre ali, pessoas alegres a gargalhar.


Dothy
Publicado no Recanto das Letras em 29/11/2010
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 12:45
Vantagens do trabalho voluntário

Primeira vantagem do trabalho voluntário: propicia-nos um sentido para a vida


A afirmação “só merece a felicidade quem acorda todos os dias disposto a conquistá-la” retrata com fidelidade que a felicidade não cai do céu. A felicidade é uma conquista. E, como qualquer conquista, depende do nosso esforço. Mas, para o nosso próprio bem, esse prazeroso esforço de servir ao próximo é uma das mais benditas ferramentas para ajudar a visualizarmos, com clareza, um sentido para a vida.

Segunda vantagem do trabalho voluntário: torna-nos mais produtivos em nossa atividade profissional

Peter Drucker, certamente o maior consultor do século, há décadas já dizia que o funcionário que presta serviços voluntários, por ser solidário à dor do próximo, é mais produtivo.

Reportagem da revista “Exame” de 18 de junho de 1999 traz o seguinte depoimento: “Eu parei de reclamar, me tornei mais otimista e melhorei meu índice de satisfação” - comentário de Leolino Clementino Barbosa Júnior, controlador de manufatura da 3M, após um ano de trabalho voluntário na FEAC (Fundação das Entidades Assistenciais de Campinas).

Conforme o depoimento acima, a pessoa que se aproxima do sofrimento do próximo vê seus problemas pessoais, numa outra dimensão, torna-se mais resignada, menos ansiosa. Como conseqüência, reclamará menos, saberá entender melhor os outros e aprenderá a ouvir mais, atributos estes que, além de tornarem uma pessoa mais realizada, transformam-na num funcionário mais produtivo.

Terceira vantagem do trabalho voluntário: passamos a ter mais saúde

É a Universidade de Harvard que nos passa essa informação.

Depois de dez anos de coletas e análises de dados, uma pesquisa realizada pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, com 2.700 pessoas, chegou às seguintes conclusões:

1. ajudar o próximo faz bem ao coração;
2. ajudar o próximo faz bem ao sistema imunológico (análises clínicas evidenciaram que, no sangue do trabalhador voluntário, há um aumento de imunoglobulina-A, um anticorpo que ajuda a defender o organismo contra infecções respiratórias);
3. ajudar o próximo aumenta a expectativa de vida e a vitalidade de maneira geral.

Enfim, ajudar o próximo traz benefícios para a saúde.




Alkíndar de Oliveira - do livro: O Trabalho Voluntário na Casa Espíri
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 12:58
TRABALHO VOLUNTÁRIO REALIZADO NO ASILO “POUSADA LAR

DOS IDOSOS” EM GUAÍBA



RESUMO

O presente trabalho visa apresentar os resultados obtidos com um trabalho voluntário
executado por alunos da Universidade Luterana do Brasil em um asilo da cidade de Guaíba,
chamado “Pousada Lar dos Idosos”, onde foram executadas diversas atividades visando
proporcionar algumas horas de lazer e entretenimento para as pessoas que lá se encontram,
levando um pouco de carinho e atenção a essas pessoas, que, infelizmente, encontram-se tão
excluídas de nossa sociedade e afastadas do convívio familiar.
Palavras-Chave: Trabalho Voluntário - Idosos - Guaíba.
1. INTRODUÇÃO
É de conhecimento público que, a cada dia, nossa sociedade evolui mais e mais, porém
os problemas sociais remanescentes de outros tempos, continuam como uma chaga em nosso
meio. Deparamo-nos com situações de extremismo a todo o momento: de um lado uma sociedade
dita desenvolvida e cada vez mais consumista, buscando sempre mais lucros e ganhos; por outro
lado, vemos também outra parte que necessita de todo o apoio da população e que sobrevive
mediante a ajuda e a solidariedade de outros, encontrando esse auxílio nas pessoas engajadas em
trabalhos voluntários.
O trabalho voluntário caracteriza-se como uma forma de caridade e troca de benefícios
mútuos, uma vez que beneficia a instituição escolhida, mediante a realização do trabalho em si (o
qual, na maior parte das vezes, não seria realizado se a instituição tivesse que pagar por esse
serviço), e beneficia também o ser humano que o executa, em questões como: sentimento de
solidariedade, afeto, doação, satisfação própria, humanização e bem-estar social.
1 Acadêmico do Curso de Administração da Universidade Luterana do Brasil.
2 Docente do Curso de Administração e da Universidade Luterana do Brasil e orientador deste trabalho
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 13:04
Deus te Abençoe

Deus te abençoes o gesto de carinho,
Alma da caridade, branda e pura,
Pela migalha de ventura
Aos tristes do caminho.

Deus te abençoe a refeição sem nome
Que trazes, cada dia
Aos cansados viajores da agonia
Que esmorecem de fome.

Deus te abençoe a roupa restaurada
Com que vestes, contentes,
A penosa nudez de tanta gente
Que vagueia na estrada!

Deus te abençoe a bolsa de esperança
Que abres, a sós, sem que ninguém te espreite,
Para a gota de leite
Destinada à criança.

Deus te abençoe o pano de lençol,
Com que envolves em doce cobertura,
Os enfermos que choram de amargura,
A distância do sol.

Deus te abençoe, por onde fores,
E te conserves as luzes,
Em que extingues, removes ou reduzes,
Os problemas , as lágrimas e as dores!

Deus te abençoe a fala humilde e santa,
Com que aplacas a ira
Da calúnia, do escárnio, da mentira,
Na frase que perdoa e que levanta.

Caridade, que o teu nome ressoe,
Pleno de amor profundo,
E por tudo o que fazes neste mundo,
Deus te guarde e abençoe!


Irene de Souza Pinto
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 13:05
Vem e ajuda

Repara, além das rosas do teu horto,
Onde a luz do teu sonho brilha e mora,
Os romeiros que seguem, vida afora,
Padecendo aflição e desconforto.

Infortunados náufragos sem porto,
Tristes, rogando a paz de nova aurora,
Levam consigo a dor que clama e chora,
Sob as chagas do peito quase morto...

Não te detenhas!... Vem, socorre e ajuda
A multidão que passa, inquieta e muda,
Implorando-te amor, consolo e abrigo!...

Reparte o pão que te enriquece a mesa,
Estendendo o teu horto de beleza,
E o Mestre Amado habitará contigo.


Auta de Souza

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 13:07
O que você tem doado?


Cada um recebe de acordo com o que dá.
Se você der ódios e indiferença, há de
recebe-los de volta.
Mas se der atenção e carinho, há
de ver-se cercado de afeto e amor.
Ninguém se aproxima do espinheiro,
por causa dos espinhos, nem do lodo,
porque suja.
Mas todos apreciam permanecer perto das
flores, que espalham beleza e perfume.
Cada um recebe de acordo com o que dá.


C. torres Pastorino

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 13:13
Dádiva da caridade

A passagem da luz nas frestas da escuridão
é alegria para os olhos.
Visão que revela o amor que emana de Deus aos
filhos da criação, descobertos na escuridão da ignorância espiritual.
Combater o mal é criar, na essência da vida,
defesas contra essas investidas que assolam
a paz que tanto se procura.
A cada um, segundo suas obras no bem,
é o que se pode entender como
responsabilidade em todos os sentidos.
A graça recebida seja distribuída de graça
como dádiva da caridade.
Não se projetam visões luminosas
sem a luz no caminho do bem.
O mal não é chama a clarear a vida, mas sim, escuridão, na ignorância do orgulho a apagar
a vida. Infeliz de quem assim comanda o coração.
Os tarefeiros recebem de Deus a sua proteção
para se operar a vida. Com Deus está a luz do amor, com Deus estará sempre o caminho da paz.


Amancio

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Março de 2011, 14:13
Dá de ti mesmo

Declaras não possuir dinheiro para auxiliar.
Acreditas que um pouco de papel ou um tanto de metal te substituem o coração?
Esqueces-te, meu filho, de que podes sorrir para o doente e estender a mão ao necessitado?
A flor não traz consigo uma bolsa de ouro e, entretanto, espalha perfume no firmamento.
O céu não exibe chuvas de moedas,
mas enche o mundo de luz.
Quanto pagas pelo ar fresco que, em bafejos amigos,
te visita o quarto pela manhã?
O oxigênio cobra imposto?
Quanto te custa a ternura materna?
As aves cantam gratuitamente.
A fonte que te oferece o banho reconfortador,
não exige mensalidade.
A árvore abre-te os braços acolhedores, repletos
de flor e fruto, sem pedir vintém.
A benção divina, cada noite, conduz o teu pensamento a bendito repouso no sono e não fazes retribuição de espécie alguma. Habitualmente sonhas, jamais colhendo rosas em formoso jardim, junto de companheiros felizes; no entanto, jamais te lembraste de agradecer aos gênios espirituais que te proporcionam venturoso descanso.
A estrela brilha sem pagamento.
O Sol não espera salário.
Por que não aprenderes com a natureza em torno?
Por que não te fazeres mais alegre,
mais comunicativo, mais doce?
Tens a fisionomia seca e ensombrada por faltar-te dinheiro excessivo e reclamas recursos materiais para ser bom, quando a bondade não nasce dos cofres fortes.
Sê irmão do teu irmão, companheiro de teu companheiro, amigo de teu amigo.
Na ciência de amar, resplandece a sabedoria de dar.
Mostra um semblante sereno e otimista, aonde fores.
Estende os braços, alonga o coração, comunica-te com o próximo, através dos fios brilhantes da amizade fiel.
Que importa se alguém te não
entende o gesto de amor?
Que seria de nós, meu filho, se a mão do Senhor
se recolhesse a distância, por temer-nos
a rudeza e a maldade?
Dá de ti mesmo, em toda a parte.
Muito acima do dinheiro,
pairam as tuas mãos amigas e fraternais.

Espírito: Néio Lúcio

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:11
A Arte de contar história

A importância da leitura e literatura infantil na formação das crianças e jovens

A infância é o melhor momento para o indivíduo iniciar sua emancipação mediante a função liberatória da palavra. É entre os oito e treze anos de idade que as crianças revelam maior interesse pela leitura. O estudioso Richard Bamberger reforça a idéia de que é importante habituar a criança às palavras. "Se conseguirmos fazer com que a criança tenha sistematicamente uma experiência positiva com a linguagem, estaremos promovendo o seu desenvolvimento como ser humano."
Inúmeros pesquisadores têm-se empenhado em mostrar aos pais e professores a importância de se incluir o livro no dia-a-dia da criança. Bamberger afirma que, comparada ao cinema, ao rádio e à televisão, a leitura tem vantagens únicas. Em vez de precisar escolher entre uma variedade limitada, posta à sua disposição por cortesia do patrocinador comercial, ou entre os filmes disponíveis no momento, o leitor pode escolher entre os melhores escritos do presente e do passado. Lê onde e quando mais lhe convém, no ritmo que mais lhe agrada, podendo retardar ou apressar a leitura; interrompê-Ia, reler ou parar para refletir, a seu bel-prazer. Lê o que, quando, onde e como bem entender.
Essa flexibilidade garante o interesse continuo pela leitura, tanto em relação à educação quanto ao entretenimento.
A professora e autora Maria Helena Martins chama a atenção para um contato sensorial com o objeto livro, que, segundo ela, revela "um prazer singular" na criança. Na leitura, por meio dos sentidos, a criança é atraída pela curiosidade, pelo formato, pelo manuseio fácil e pelas possibilidades emotivas que o livro pode conter. A autora comenta que "esse jogo com o universo escondido no livro "pode estimular no pequeno leitor a descoberta e o aprimoramento da linguagem, desenvolvendo sua capacidade de comunicação com o mundo.
Esses primeiros contatos despertam na criança o desejo de concretizar o ato de ler o texto escrito, facilitando o processo de alfabetização. A possibilidade de que essa experiência sensorial ocorra será maior quanto mais freqüente for o contato da criança com o livro.
Às crianças brasileiras, o acesso ao livro é dificultado por uma conjunção de fatores sociais, econômicos e políticos. São raras as bibliotecas escolares. As existentes não dispõem de um acervo adequado, e/ou de profissionais aptos a orientar o público infantil no sentido de um contato agradável e propício com os livros.
Mais raras ainda são as bibliotecas domésticas. Os pais, quando se interessam em comprar livros, muitas vezes os escolhem pela capa por falta de uma orientação direcionada às preferências das crianças.
É de extrema importância para os pais e educadores discutir o que é leitura, a importância do livro no processo de formação do leitor, bem como, o ensino da literatura infantil como processo para o desenvolvimento do leitor crítico.
Podemos tomar as orientações da professora Regina Zilberman, estudiosa em literatura infanto-juvenil e leitura, como forma de motivarmos as crianças e os jovens ao hábito de ler: abordar as relações entre a literatura e ensino legitimando a função da leitura, sugerindo livros, assim como atividades didáticas, a fim de alcançar o uso da obra literária em sala de aula e nas suas casas com objetivos cognitivos, e não apenas pedagógicos; considerar o confronto entre a criação para crianças e o livro didático, tornando o último passível de uma visão crítica e o primeiro ponto de partida para a consideração dos interesses do leitor e da importância da leitura como desencadeadora de uma postura reflexiva perante a realidade.
Assim, com relação à leitura e à literatura infantil, pais e professores devem explorar a função educacional do texto literário: ficção e poesia por meio da seleção e análise de livros infantis; do desenvolvimento do lúdico e do domínio da linguagem; do trabalho com projetos de literatura infantil em sala de aula, utilizando as histórias infantis como caminho para o ensino multidisciplinar.
Estratégias para o uso de textos infantis no aprendizado da leitura, interpretação e produção de textos também são exploradas com o intuito final de promover um ensino de qualidade, prazeroso e direcionado à criança. Somente desta forma, transformaremos o Brasil num país de leitores.

Renata Junqueira de Souza é PhD em Literatura e Educação e professora do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNESP - Universidade Estadual de São Paulo, onde coordena o Núcleo Lúdico de Pesquisa e Extensão.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:12
(http://www.recadodeorkut.com/105/177.jpg) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tZWdhcmVjYWRvcy5jb20=)

 Recados de Bom Dia atualizadas aqui (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tZWdhcmVjYWRvcy5jb20=)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:18
Queridos amigos e irmãos...Sejam todos bem-vindos...

Este novo tópico, tem como objetivo trazer ao conhecimento de todos o que é o trabalho voluntário, qual sua importância, etc...

No Fórum Espiríta temos todo um conteúdo, teoria , que nos auxilia, esclarece, ajuda e nos direciona nos ensinamentos de Jesus, através da codificação espiríta..


Lembrando da passagem de Jesus: Quando derdes de comer e beber a um destes mais pequenos é a mim que o fazes!!





Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:18
(http://www.recadodeorkut.com/255/092.gif) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yZWNhZG9zZXNjcmFwcy5jb20=)

 Envie mensagens de Fim de Semana para seus Amigos! (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yZWNhZG9zZXNjcmFwcy5jb20=)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:20
[size=12pt]]A arte de ouvir é, também, a ciência de ajudar. (Joanna de Ângelis).

A atitude é oração. E, pela atitude, mostramos a qualidade dos nossos desejos. (Emmanuel, do livro: Roteiro).

A cada um será dado de acordo com as suas obras. (Jesus)

A caridade é o amor, é o sol que Nosso Senhor fez raiar claro e fecundo; alegrando nesta vida a existência dolorida dos que sofrem neste mundo! (Casimiro Cunha)

A caridade é o grande caminho! Trabalhemos!... Jesus nos abençoe!...
A caridade é o processo de somar alegrias, diminuir males, multiplicar esperanças e dividir a felicidade para que a Terra se realize na condição do esperado Reino de Deus. (Emmanuel)

A caridade na Terra a santos, crentes e ateus, é a presença de Jesus agindo em nome de Deus. (Carlos Gondim)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:27
(http://www.recadodeorkut.com/255/087.gif) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yZWNhZGluaG9zcGFyYW9ya3V0LmNvbQ==)

 L&iacute;der em gifs de Fim de Semana!. Clique e confira! (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yZWNhZGluaG9zcGFyYW9ya3V0LmNvbQ==)<br
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: PaulinhoCe em 26 de Março de 2011, 10:29
Mostre para o mundo o seu trabalho voluntário com Jesus!![Muitas vezes es exemplos são mais válidos que as palavras..
O meu trabalho voluntário é:  Abrigo Para idosos Cidadela João de Deus: Todo domingo das 08:00 as 10:00 (Equipe) e o seu... Qual é??


 "Guardai-vos, não façais as boas obras diante dos homens, com o fim de serdes visto por eles, de outro modo não recebereis a recompensa de vosso Pai que está nos Céus."

Mas quando derdes esmolas, que não saiba a vossa mão esquerda o que faz a direita. Para que a esmola fique escondida, e vosso Pai que vê o que o que vós fazei em secreto, vos pagará" (MATEUS)

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:32
Candeia sob o alqueire. Porque fala Jesus por parábolas

1. Ninguém acende uma candeia para pô-la debaixo do alqueire; põe-na, ao contrário, sobre o candeeiro, a fim de que ilumine a todos os que estão na casa. (S. MATEUS, cap. V, v.15.)

2. Ninguém há que, depois de ter acendido uma candeia, a cubra com um vaso, ou a ponha debaixo da cama; põe-na sobre o candeeiro, a fim de que os que entrem vejam a luz; - pois nada há secreto que não haja de ser descoberto, nem nada oculto que não haja de ser conhecido e de aparecer publicamente. (S. LUCAS, cap. VIII, vv. 16 e 17.)


3. Aproximando-se, disseram-lhe os discípulos: Por que lhes falas por parábolas? - Respondendo-lhes, disse ele: É porque, a vós outros, foi dado conhecer os mistérios do reino dos céus; mas, a eles, isso não lhes foi dado (1). Porque, àquele que já tem, mais se lhe dará e ele ficará na abundância; àquele, entretanto, que não tem, mesmo o que tem se lhe tirará. - Falo-lhes por parábolas, porque, vendo, não vêem e, ouvindo, não escutam e não compreendem. -E neles se cumprirá a profecia de Isaías, que diz: Ouvireis com os vossos ouvidos e não escutareis; olhareis com os vossos olhos e não vereis. Porque, o coração deste povo se tornou pesado, e seus ouvidos se tornaram surdos e fecharam os olhos para que seus olhos não vejam e seus ouvidos não ouçam, para que seu coração não compreenda e para que, tendo-se convertido, eu não os cure. (S. MATEUS, cap. XIII, vv. 10 a 15.)


(1) No original francês falta o versículo 12 que aqui repomos. - A Editora da FEB, em 1948.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:35
O que é voluntariado?


Segundo definição das Nações Unidas, "o voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social, ou outros campos..."

Em recente estudo realizado na Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança, definiu-se o voluntário como ator social e agente de transformação, que presta serviços não remunerados em benefício da comunidade; doando seu tempo e conhecimentos, realiza um trabalho gerado pela energia de seu impulso solidário, atendendo tanto às necessidades do próximo ou aos imperativos de uma causa, como às suas próprias motivações pessoais, sejam estas de caráter religioso, cultural, filosófico, político, emocional.
Quando nos referimos ao voluntário contemporâneo, engajado, participante e consciente, diferenciamos também o seu grau de comprometimento: ações mais permanentes, que implicam em maiores compromissos, requerem um determinado tipo de voluntário, e podem levá-lo inclusive a uma "profissionalização voluntária"; existem também ações pontuais, esporádicas, que mobilizam outro perfil de indivíduos.
        
Voluntários
O que é voluntariado?
Como ser um Bom Voluntário
Cadastre-se
Alteração de Cadastro
Encontre uma entidade
Por que ser um Voluntário?
Personalidades que são Voluntários
Gestores de Entidades
Cadastre sua entidade
Encontre voluntários
Leis
Colabore
Doe bens e Produtos
Doações On Line
Patrocine este Site
Pesquisas
Estatísticas do Setor
Não Perca!
Campanha nas Empresas - Seja Uma Empresa Admirada
Notícias
Coloque um ícone da nossa campanha no seu site
Seja um Voluntário:
Cadastre-se

 
        Ao analisar os motivos que mobilizam em direção ao trabalho voluntário, (descritos com maiores detalhes a seguir), descobrem-se, entre outros, dois componentes fundamentais: o de cunho pessoal, a doação de tempo e esforço como resposta a uma inquietação interior que é levada à prática, e o social, a tomada de consciência dos problemas ao se enfrentar com a realidade, o que leva à luta por um ideal ou ao comprometimento com uma causa.

Altruísmo e solidariedade são valores morais socialmente constituídos vistos como virtude do indivíduo. Do ponto de vista religioso acredita-se que a prática do bem salva a alma; numa perspectiva social e política, pressupõe-se que a prática de tais valores zelará pela manutenção da ordem social e pelo progresso do homem. A caridade (forte herança cultural e religiosa), reforçada pelo ideal, as crenças, os sistemas de valores, e o compromisso com determinadas causas são componentes vitais do engajamento.

Não se deve esquecer, contudo, o potencial transformador que essas atitudes representam para o crescimento interior do próprio indivíduo.


fonte: "Trabalho Voluntário" - Mónica Corullón

   
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:37
O trabalho voluntário

José Argemiro da Silveira

"Eis que o semeador saiu a semear"- Jesus (Mateus, 13:3)

O desemprego é um fantasma que ronda a casa de muitos. Em nosso País vemos a falta de trabalho criando as dificuldades para muitos. Chefes de famílias, colocados em firmas sólidas, importantes, com um ganho assegurado, de um momento para outro vêm tudo a desmoronar. E isto ocorre não só aqui, mas em todo mundo, inclusive nos países chamados ricos, desenvolvidos.

Para os trabalhadores voluntários, nas instituições beneficentes, serviço não remunerado naturalmente, ocorre um fenômeno oposto. Sempre falta gente para a realização das tarefas. Muitos são ocupados. Trabalham o dia todo, às vezes de um emprego, não sobrando tempo para o trabalho voluntário. Mas há pessoas com disponibilidade de tempo e que poderiam trabalhas em favor do próximo e não fazem porque ainda não perceberam o valor desse trabalho, para elas próprias, para o seu próprio bem. Doando-se em favor do próximo. algumas horas por semana, certamente, muito ganhariam em realização pessoal, sentindo-se úteis. Ajudando o semelhante, ajudamos a nós mesmos, porque aprendemos a servir, aprendemos a amar. E quem ama é feliz. Vemos, ao passar por praças da cidade, e nas esquinas, senhores talvez aposentados, mas não idosos, aparentemente gozando de boa saúde, e que ali permanecem horas e horas, conversando futilidades, "matando o tempo", como dizem, por não terem algo útil para fazer. E há pessoas, com muito compromissos, e que arranjam tempo para dedicar algumas horas em favor do próximo. Um cabeleireiro, nosso conhecido, uma vez por semana, num período do dia, deixa de atender a clientela em seu estabelecimento, e vai cuidar de crianças excepcionais, em casa beneficente da cidade. Um amigo nos contou certo dia, em São Paulo, quando saía de uma Entidade Beneficente, alcançou um senhor de certa idade que ia na mesma direção. Parou o carro e lhe deu carona, entabulando conversa. Não se tratava de um assistido,como pensava nosso amigo, e sim de alguém que ali ia, uma vez por semana, para fazer a contabilidade da Entidade, como voluntário. Nosso amigo ficou sabendo, no decorrer da conversa, que aquele senhor, após as tarefas que ali desenvolvia, se dirigia a um hospital, onde passava o período da tarde, ajudando os enfermeiros a cuidar dos doentes.Nosso amigo aplaudiu sua dedicação, dizendo-lhe que ele vivia os princípios espíritas, servindo o próximo. Porém, para sua surpresa, o bem samaritano lhe informou que não era espírita. Admirava o trabalho caritativo dos espíritas, mas pertencia a outra escola religiosa. Sentia prazer em ser útil, e onde encontrava oportunidade de trabalho, procurava atender. Temos muito que aprender com pessoas assim. Já compreenderam o valor do trabalho no bem. Não estão preocupadas com teorias, nem em aparecer. não gastam tempo com conversas inúteis.

O trabalho voluntário deve ser realizado com amor e responsabilidade. No momento em que o voluntário assume o compromisso de comparecer em tais dias e horas é necessário honrar o compromisso, com disciplina e dedicação. Não é porque o serviço não é remunerado que pode não ser levado a sério. não se deve faltar, chegar atrasado, enfim por qualquer motivo deixar de comparecer, o que acaba comprometendo a execução das tarefas. Por esse motivo, há instituições beneficentes que preferem não trabalhar com voluntários.

O compromisso é o mesmo. O voluntário não recebe pagamento em dinheiro, mas não é por isso que o dever pode deixar de ser cumprido. Não há a figura do patrão material, mas os mentores espirituais nos observam e avaliam nosso desempenho. O compromisso, seja para um trabalho voluntário, seja na realização de tarefas administrativas, na divulgação, ou na participação das atividades doutrinárias da casa precisa ser tratado com a mesma responsabilidade, e até com mais seriedade, que dedicamos aos compromissos materiais.

Emmanuel, analisando o versículo do evangelho citado de início (lição 64, do livro "Fonte Viva"), lembra que Jesus "não nos fala que o semeador deve agir, através de contrato com terceiras pessoas, e sim que ele mesmo saiu a semear". Necessária a participação direta no trabalho. E fazendo que aprendemos.Enquanto ficamos na teoria, na conversa, nada acontece. Não ocorrem mudanças em nosso íntimo. Precisamos encontrar o nosso lugar de trabalho. Não ficarmos só criticando o que os outros fazem. Necessário abrir mão de nossos pontos de vista pa- ra nos devotarmos ao serviço do próximo, diz Emmanuel.

Conta-se que Gandhi foi procurado por dois Homens que lhe manifestaram o desejo de aprender com ele. Que riam se iniciar na ciência do Espírito, compreender as Leis Divinas. O missionário os acolheu, disposto a atender-lhes. No primeiro dia mandou-os ajudar na limpeza da casa, nos servi;os domésticos. No dia seguinte deu- lhes tarefas semelhantes. No terceiro dia os candidatos á iniciação espiritual procuraram o mestre e indagaram: Quando vai começar o curso? e Gandhi respondeu: já começou há três dias, desde que vocês chegaram.

Semear, como fala o Evangelho, não é só ensinar. Semeamos mais pelo atos, por atitudes, do que pelas palavras. O que fazemos tem uma força persuasiva muito maior do que as palavras. A diferença entre Jesus e outros mestres que vieram antes e depois é exatamente esta: Jesus só ensinou, mas sobretudo viveu o que ensinou. Conclui Emmanuel, na lição citada: "Segundo observamos, o semeador do Céu ausentou-se da grandeza a que se acolhe e veio até nós, espalhando as claridades da revelação e aumentando-nos a visão e o discernimento. Humilhou-se para que nos exaltássemos e confundiu-se com a sombra a fim de que a nossa luz pudesse brilhar, embora lhe fosse fácil fazer-se substituído por milhões de mensageiros, se desejasse. Afastemo-nos, pois, das nossas inibições e aprendamos com o Cristo a "sair para semear".

"José Argemiro da Silveira - (de Ribeirão Preto, SP) "
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:39
Espíritas! amai-vos, este o primeiro ensinamento; instrui-vos, este o segundo. No Cristianismo encontram-se todas as verdades; são de origem humana os erros que nele se enraizaram. Eis que do além-túmulo, que julgáveis o nada, vozes vos clamam : "Irmãos ! nada perece. Jesus-Cristo e' o vencedor do mal, sede os vencedores da impiedade. - O Espírito de Verdade. (Paris, 1860)." [...].
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:40
Coragem da fé

13. Aquele que me confessar e me reconhecer diante dos homens, eu também o reconhecerei e confessarei diante de meu Pai que está nos céus; - e aquele que me renegar diante dos homens, também eu o renegarei diante de meu Pai que está nos céus. - (S. MATEUS, cap. X, vv. 32 e 33.)

14. Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, o Filho do Homem também dele se envergonhará, quando vier na sua glória e na de seu Pai e dos santos anjos. (S. LUCAS, capítulo IX, v. 26.)

15. A coragem das opiniões próprias sempre foi tida em grande estima entre os homens, porque há mérito em afrontar os perigos, as perseguições, as contradições e até os simples sarcasmos, aos quais se expõe, quase sempre, aquele que não teme proclamar abertamente idéias que não são as de toda gente. Aqui, como em tudo, o merecimento é proporcionado às circunstâncias e à importância do resultado. Há sempre fraqueza em recuar alguém diante das conseqüências que lhe acarreta a sua opinião e em renegá-la; mas, há casos em que isso constitui covardia tão grande, quanto fugir no momento do combate.

Jesus profliga essa covardia, do ponto de vista especial da sua doutrina, dizendo que, se alguém se envergonhar de suas palavras, desse também ele se envergonhará; que renegará aquele que o haja renegado; que reconhecerá, perante o Pai que está nos céus, aquele que o confessar diante dos homens. Por outras palavras: aqueles que se houverem arreceado de se confessarem discípulos da verdade não são dignos de se verem admitidos no reino da verdade. Perderão as vantagens da fé que alimentem, porque se trata de uma fé egoísta que eles guardam para si, ocultando-a para que não lhes traga prejuízo neste mundo, ao passo que aqueles que, pondo a verdade acima de seus interesses materiais, a proclamam abertamente, trabalham pelo seu próprio futuro e pelo dos outros.

16. Assim será com os adeptos do Espiritismo. Pois que a doutrina que professam mais não é do que o desenvolvimento e a aplicação da do Evangelho, também a eles se dirigem as palavras do Cristo. Eles semeiam na Terra o que colherão na vida espiritual. Colherão lá os frutos da sua coragem ou da sua fraqueza
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:41
II – A Indulgência

JOSÉ

Espírito Protetor, Bordeaux, 1863

 

            16 – Espíritas, queremos hoje vos falar da indulgência, esse sentimento tão doce, tão fraternal,que todo homem deve ter para com os seus irmãos, mas que tão poucos praticam. A indulgência não vê os defeitos alheios, e se os vê, evita comentá-los e divulgá-los. Oculta-os, pelo contrário, evitando que se propaguem, e se a malevolência os descobre, tem sempre uma desculpa à mão para os disfarçar, mas uma desculpa plausível, séria, e não daquelas que, fingindo atenuar a falta, a fazem ressaltar com pérfida astúcia.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: PaulinhoCe em 26 de Março de 2011, 10:56
Sra moderadora Dothy,

Participo e já participei de muitos fóruns  por essa internet a fora e sempre me incomoda o fato de foristas postarem textos copiados e colados.
Da maioria deles fui eliminado ou pedi a minha exclusão pois não compactuava com a forma de exercer a interação que os fóruns proporcionam.
Inicialmente, não concordo com a  publicidade a respeito do serviço voluntário, contraria todas as normas da modéstia e da humildade, demonstrando traços de orgulho e vaidade.
O maior inimigo do espírito é o ego, o conjunto de nossos defeitos materiais que alimenta todas as nossas ações danosas. Não tenho orgulho e vaidade? Tenho sim pois me enquadro no rol das pessoas defeituosas moralmente, cujos hábitos materialistas impedem a minha evolução como espírito eterno que sou.
Faço serviço voluntário? Não, pois os ditos defeitos me impedem de priorizar as necessidades alheias às minhas e ainda sou orgulhoso e alimento meu ego diáriamente, com sofrimento e auto piedade.
Divulgo as boas ações, raras, que ja pratiquei? Não pois são raras e não trazem subsídios ao status social, coisa tão procurada pelos mortais ignorantes assim como eu.
Estou vendo que existem várias respostas ao tópico enquanto estou escrevendo e sei que ninguem concorda com os que contestam alguma coisa mas dentre todos os meus defeitos, o maior deles é ser autentico e dizer o que penso, as consequencias eu as aceito calmamente.
Dirijo a minha crítica, não à sua pessoa mas à todos os que praticam esse tipo de comportamento, vaidoso e orgulhoso. 

Outro fator que me levou a escrever foi o fato de ver tantos ctrl-c ctrl-v nos posts que leio.
Os textos podem estar de acordo com a opinião de quem os posta mas refletem: ou preguiça de absorver o conteúdo e transcrevê-lo com suas próprias palavras ou a vontade de encher os posts de conteúdo, cujo significado muitas vezes nem sequer se dá ao trabalho de entender, apenas as palavras iniciais ou os locais de onde foram colhidos são relevantes.
Tambem não me refiro aos seus copy-cole em particular mas à todos os posts de todos os fóruns.

Muito obrigado,

Paulinho Cé
 
 

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 10:59
O verdadeiro sentido da palavra caridade:

    *

      Benevolência para com todos, 
    *

      indulgência para as imperfeições dos outros,
    *

      perdão das ofensas.

        O amor e a caridade são o complemento da lei_de_justiça, pois amar_o_próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito.

        Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.

        A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles...

    *

      nossos inferiores,
    *

      nossos iguais,
    *

      ou nossos superiores. 

        Ela nos prescreve a indulgência, porque da indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer.

    *

      Apresente-se uma pessoa rica e todas as atenções e deferências lhe são dispensadas.
    *

      Se for pobre, toda gente como que entende que não precisa preocupar-se com ela.
    *

      No entanto, quanto mais lastimosa seja a sua posição, tanto maior cuidado devemos pôr em lhe não aumentarmos o infortúnio pela humilhação.

        O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa.

 
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 11:01
Sede, pois, caridosos, praticando, não só a caridade que vos faz dar friamente o óbolo que tirais do bolso ao que vo-lo ousa pedir, mas a que vos leve ao encontro das misérias ocultas. Sede indulgentes com os defeitos dos vossos semelhantes.  Em vez de votardes desprezo à ignorância e ao vício,...

    *

      instruí os ignorantes
    *

      e moralizai os viciados.

        Sede brandos e benevolentes para com tudo o que vos seja inferior. Sede-o para com os seres mais ínfimos da criação e tereis obedecido à lei de Deus.

 

SÃO VICENTE DE PAULO
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 11:03
É muito importante o conhecimento do bem, mas que não esqueçamos as boas obras; é justo se nos dilate a esperança, diante do futuro, à frente da sublimidade dos outros mundos em glorioso porvir, mas não olvidemos os pequeninos deveres da hora que passa.

 

Emmanuel - (Vinha de Luz)  [55 - página 76]
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 26 de Março de 2011, 20:13
Olá amigo e irmão Paulino C... Muita paz

Seja sempre bem-vindo

Agradeço suas colocações e participação

Abraços!!


Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Mizica em 27 de Março de 2011, 04:33

Dependendo da profissão que exercemos, nesse contexto, no meu caso como bibliotecária, voluntariamente auxiliei a organização de bibliotecas em creche e orfanato...

Como posso cooperar na Cidadela de Deus? Tbm tenho um trabalho como Contadora de Histórias.. abrangendo todas as faixas etárias.

Abraços e carinho
Mizica
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 27 de Março de 2011, 11:17
Olá querida amiga Mizica... Seja bem-vinda.. Muita paz a ti

Brigada pela visitinha... Que maravilha a amiga ser contadora de histórias
A visita ao asilo acontece todo domingo das 08:00 as !0:00, é aberta pra todos
Toda ajuda é muito bem-vinda, vou te passar o endereço direitinho do abrigo

Beijos e abraços carinhosos


Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dalva Maria Candido em 11 de Maio de 2011, 00:12
Acho que o perdão também é uma forma de caridade. melhor ainda é quando nem precisamos perdoar porque nem nos sentimos ofendidos!

Mas, meu trabalho voluntário atualmente é composto de algumas horas que dedico ao centro espírita que frequento e estudo. (geralmente segundas e terças feiras e/ou segundas e terças feiras). Também dedico um dia por semana ao Hospital do Câncer (RJ). É um trabalho dignificante, que não fosse pelo sofrimento que vejo em cada paciente, poderia dizer que quase me faz realizada sabendo que posso usar a minha saúde (graças a Deus), minhas mãos perfeitas e meus sentimentos de carinho e solidariedade para com cada um deles.
Mas, se houver outras oportunidades desde que também possa dedicar parte do meu tempo à minha mãe, que também já é uma senhorinha (85), estarei disposta.

Luz e paz a todos!!!
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 11 de Maio de 2011, 04:33
querida amiga Dalva.... muita paz e luz
seja sempre em vinda a este espaço que é de todos
que maravilhoso é o teu trablho
que Jesus esteja sempre presente em teu coração
agradeço tua visita e rica contrbuição
abraços carinhosos

 
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 11 de Maio de 2011, 04:59
queridos amigos
(http://img1.recadosonline.com/136/004.gif) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5naWZzZm9mb3MuY29t)

 Veja mais gifs de Obrigado pela Visita! em Recados Online. Clique aqui. (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5naWZzZm9mb3MuY29t)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 11 de Maio de 2011, 05:18
Queridos amigos e irmãos... Sejam todos bem-vindos...

Este  tópico, tem como objetivo mostrar o trabalho voluntário, divulgar, incentivar valorizar e convidar a todos a
contribuirem, com mensagens, videos pps enriquecendo este espaço

abraços fratrnos
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 11 de Maio de 2011, 05:41
Queridos amigos...

(http://img1.recadosonline.com/241/097.gif) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yZWNhZGluaG9zcGFyYW9ya3V0LmNvbQ==)

 Encontre muito mais Quarta-feira em nosso site. Clique aqui! (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yZWNhZGluaG9zcGFyYW9ya3V0LmNvbQ==)
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Tamara F. em 25 de Julho de 2011, 16:22
Sra moderadora Dothy,

Participo e já participei de muitos fóruns  por essa internet a fora e sempre me incomoda o fato de foristas postarem textos copiados e colados.
Da maioria deles fui eliminado ou pedi a minha exclusão pois não compactuava com a forma de exercer a interação que os fóruns proporcionam.
Inicialmente, não concordo com a  publicidade a respeito do serviço voluntário, contraria todas as normas da modéstia e da humildade, demonstrando traços de orgulho e vaidade.
O maior inimigo do espírito é o ego, o conjunto de nossos defeitos materiais que alimenta todas as nossas ações danosas. Não tenho orgulho e vaidade? Tenho sim pois me enquadro no rol das pessoas defeituosas moralmente, cujos hábitos materialistas impedem a minha evolução como espírito eterno que sou.
Faço serviço voluntário? Não, pois os ditos defeitos me impedem de priorizar as necessidades alheias às minhas e ainda sou orgulhoso e alimento meu ego diáriamente, com sofrimento e auto piedade.
Divulgo as boas ações, raras, que ja pratiquei? Não pois são raras e não trazem subsídios ao status social, coisa tão procurada pelos mortais ignorantes assim como eu.
Estou vendo que existem várias respostas ao tópico enquanto estou escrevendo e sei que ninguem concorda com os que contestam alguma coisa mas dentre todos os meus defeitos, o maior deles é ser autentico e dizer o que penso, as consequencias eu as aceito calmamente.
Dirijo a minha crítica, não à sua pessoa mas à todos os que praticam esse tipo de comportamento, vaidoso e orgulhoso. 

Outro fator que me levou a escrever foi o fato de ver tantos ctrl-c ctrl-v nos posts que leio.
Os textos podem estar de acordo com a opinião de quem os posta mas refletem: ou preguiça de absorver o conteúdo e transcrevê-lo com suas próprias palavras ou a vontade de encher os posts de conteúdo, cujo significado muitas vezes nem sequer se dá ao trabalho de entender, apenas as palavras iniciais ou os locais de onde foram colhidos são relevantes.
Tambem não me refiro aos seus copy-cole em particular mas à todos os posts de todos os fóruns.

Muito obrigado,

Paulinho Cé
 
 



Paulinho Cé, respeito tua opinião, mas não vejo dessa forma.
Acredito que o trabalho voluntário deve ser divulgado sim. Não para se aparecer ou se vangloriar por isso. De forma alguma, mas sim para mostrar as pessoas que podemos ajudar ao próximo de alguma forma. Que existem lugares e gente que precisam do nosso apoio, de uma palavra amiga, de um abraço ou um sorriso. E isso tudo começa dentro de casa.
Bom amigo, seja bem vindo ao Fórum, espero que possamos compartilhar mtos aprendizados.
Bjs!
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Francineth em 06 de Agosto de 2011, 01:26
Boa noite a todos!

Parabéns Dothy, por sua dedicação no trabalho voluntário.
Conheci hoje este forum e fui logo procurando por pessoas de Ananindeua. Surpresa agradável encontrar você!

Ainda estou, como indica o avatar ao lado, no mundo primitivo  ;), porém com intenções de ascender. Seria possível você me indicar algum orfanato nas redondezas (Ananindeua, Marituba), que esteja precisando de voluntários? Gostaria também de saber o endereço do Centro Espírita em Ananindeua.

Desde já agradeço sua colaboração, bem como a de quem se dispuser a opinar.

Queridos amigos, fui específica à Dothy por estarmos na mesma Cidade, porém aportei neste forum com a intenção de fazer amizades com todos.

Abraços e fiquem com Deus.

Francineth
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Agosto de 2011, 10:33
Olá querida Francineth, seja bem vinda ao Fórum Espiríta Sinta-se entre amigos e irmãos que somos todo nós

Brigada pela visita, carinho  e pelo incentivo a este tópico

O endereço do Centro espiríta Reviver é: Rua Manoel M,  de Oliveria ao lado do Bradesco

Em relação a orfanto aqui em Ananindeua ou marituba , não tenho informações mas tem a creche Cordeirinho de Deus em Belém, onde já realizei um voluntariado  mas tive que deixar por que voltei a trabalhar, mas temos outra amiga do Reviver que vai lá  toda quarta pela manhã.O trabalho é maravilhoso com as crianças

Abraços afetuosos







Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Agosto de 2011, 10:40

O TRABALHO VOLUNTÁRIO NA CASA ESPÍRITA – O VOLUNTARIADO DO AMOR.


O trabalho voluntário na casa espírita é um empreendimento de luz voltado para a edificação do amor na Humanidade, atendendo às recomendações de Nosso Senhor Jesus Cristo de que devemos nos amar uns aos outros como Ele nos amou. É tarefa que todo espírita de boa vontade deve realizar espontânea e naturalmente, com o coração cheio de alegria e felicidade.
Diante de uma realidade, onde o trabalho está associado a fontes de renda voltadas para as mais diversas necessidades do trabalhador, desenvolver atividades voluntárias em prol do bem estar social e espiritual do semelhante, sem auferir nenhuma remuneração financeira por isso é, indubitavelmente, exemplo sublime de acolhimento ao chamado de Nosso Senhor Jesus Cristo para a construção de uma nova relação do trabalho com a felicidade, realização e segurança da criatura humana.

RAZÕES QUE DEVEM MOTIVAR OS ESPÍRITAS A PARTICIPAREM, COM AMOR, DO TRABALHO VOLUNTÁRIO NA CASA ESPÍRITA.
a) O TRABALHO COMO TESTEMUNHO DA FÉ EM DEUS E EM JESUS.
Ter fé em DEUS e em JESUS não é, somente, acolher no íntimo SEUS ensinamentos, mas acima de tudo vivenciá-los. Demonstrá-la é dar a DEUS o que é de DEUS, é edificar o amor no coração, é expandir esse amor para as criaturas, é doar-se com alegria e dedicação para que a dor e o sofrimento sejam afugentados do nosso meio. Só isso bastaria para realizarmos nosso trabalho com alegria, sem falar da imensa felicidade de ter como companheiros de jornada os VOLUNTÁRIOS DE JESUS que habitam o plano espiritual da vida.

b) O TRABALHO COMO FONTE DE REALIZAÇÃO PESSOAL.
O conceito de realização pessoal, geralmente, está associado a ganhos financeiros, prestígio profissional, influência social, alcance do mais alto cargo no âmbito do trabalho, e as mais variadas conquistas particulares, para citar alguns aspectos que fundamentam tal conceito. Seus resultados, entretanto, visam, quase que unicamente, o bem estar e o prazer do seu agente, ficando o semelhante numa posição secundária. Esse modelo, contudo, por ser individualista, não tem concorrido para a felicidade sustentável da criatura humana uma vez que muitos dos seus adeptos não lograram êxito no seu propósito, pois a felicidade é uma conquista coletiva. Nesse contexto, a Doutrina Espírita, nos dá um novo paradigma de realização pessoal, uma nova forma de sentir prazer e satisfação intima. Esse novo modelo fundamenta-se no bem servir ao próximo, fazê-lo feliz, sem nenhuma recompensa exterior, pois estamos aqui para trabalharmos na edificação do amor no coração das criaturas, único caminho capaz de nos fazer sentir a felicidade plena e a sensação ímpar de realização.
Por atender plenamente a esse novo paradigma, o trabalho voluntário da casa espírita, nas suas mais variadas formas, devem ser vivenciados com muito desprendimento, dedicação, felicidade, esmero e carinho pois ao servimos a tantos necessitados e aflitos dos dois lados da vida e também aos benfeitores espirituais que nos assistem, é como se ao Cristo estivéssemos servindo.

c) O TRABALHO COMO CONTRIBUIÇÃO PARA UM MUNDO FUTURO MELHOR.
É certo que não vivemos num mundo ideal, haja vista os quadros de violência, injustiça, ganância, fome e miséria, que ainda fazem parte da nossa realidade. Se por si só, tais flagelos são indesejáveis, imagine-os atuando como fonte geradora do alimento necessário a fortificação de alguns encarnados e desencarnados comprometidos com a quebra da paz e da harmonia social. Este estado de coisas tem raízes, naturalmente, na ausência de fraternidade, solidariedade e amor entre as criaturas.
Sabemos também que esta não será nossa última reencarnação na Terra, pois ainda temos que aqui retornar para cumprir com outros compromissos relacionados com nosso programa evolutivo. Trabalhar hoje, no voluntariado do bem com essa lucidez de consciência, é plantar na sociedade e nas almas de tantos aflitos, e desencontrados na vida, sementes que, com o tempo, florescerão e darão os frutos apropriados a efetivação da paz e da concórdia entre as criaturas. Os efeitos desse labor, com toda certeza, sentiremos, em nossas futuras reencarnações.

d) O TRABALHO COMO FATOR DE REAJUSTE ESPIRITUAL E RECONCILIAÇÃO.
Sendo a Terra um mundo de expiações e provas, é de se esperar que seus habitantes, detentores dos mais variados graus evolutivos, guardem, relativa ou acentuada sintonia com os padrões éticos e morais desta categoria de mundo, causa geradora da maioria dos desentendimentos humanos.
Quando do seu surgimento, entretanto, Deus, no infinito de sua sabedoria, encaminha as partes envolvidas para espaços de convivência que favoreçam a restauração da concórdia e do entendimento, então fragilizados. A casa espírita, pela natureza dos seus propósitos na sociedade terrena, não poderia declinar do chamado divino, para acolher alguns desses irmãos em litígio, no sentido de favorecer sua reconciliação.
Dependendo do grau de discórdia, podem surgir comportamentos de risco para o processo evolutivo das partes e para a funcionalidade da própria instituição, todavia, a espiritualidade benfeitora estará atenta para que dano algum atinja a casa e a causa espírita, pois, no momento certo agirá, eficientemente, no sentido de restaurar a paz e a funcionalidade da instituição.
Ante a possibilidade dessa ocorrência reflitamos sobre duas situações delicadas: o confronto entre a dinâmica de trabalho do voluntário e aquela existente na instituição e o conflito motivado por ciúme ou vaidade.
Em ambos os casos é indispensável que, pelo menos uma das partes, busque ampliar sua visão do que é servir com amor a causa do Cristo através do Espiritismo. Essa amplitude de vista, fatalmente, as levará ao diálogo fraterno objetivando o reajuste imediato das relações, a compreensão de que nem sempre se pode alcançar tudo num só momento e de que o avanço paulatino das idéias e empreendimentos guarda seus méritos. Não nos precipitemos assumindo posturas de embates porque, se nossos propósitos forem corretos, mais adiante a espiritualidade benfeitora os farão efetivar-se, sem dano algum a obra e a casa. Nessas situações cabe-nos vigiar, renunciar a contenda, guardar sintonia com o Plano Espiritual Superior porque não interessa ao Espiritismo avanços que deixem no seu rastro desuniões, ódios, rancores, ou coisas similares, pois nossa Doutrina segue as pegadas do Cristo que nos recomenda amarmo-nos uns aos outros e perdoarmo-nos mutuamente para que não venhamos a sofrer futuramente.
Nos casos em que uma das partes se mantenha irredutível, cabe a outra dar seu testemunho de entendimento da lei do amor, recuando temporariamente do seu intento, continuando a exercer seu trabalho com dedicação e empenho, orando pelo(s) companheiro(s) que não o compreendem e acima de tudo tratando-os como irmãos.
Ao optarmos pela não agressividade ou pelo não confronto, estaremos arando o terreno, para no futuro, germinar com sucesso, a semente da reconciliação ora plantada. Um porvir que poderá ocorrer ainda na atual reencarnação.

e) O TRABALHO COMO RECURSO FAVORÁVEL A DESOBSESSÃO.
Sabemos que a obsessão estabelece-se em decorrência das imperfeições humanas, nas relações entre semelhantes, nesta ou em outras existências reencarnatórias e que sua intensidade está intimamente relacionada com os procedimentos e ações sintonizadas com o mal. O inimigo invisível ao perceber que sua vítima, mesmo com outra vestimenta corpórea, tem comportamento similar ao de outrora, sente-se estimulado a continuar sua vingança no intuito de causar-lhe desconfortos e dores desnecessárias. Se, ao contrário depara-se com seu desafeto, comportando-se de maneira totalmente diferente da anterior, como por exemplo, atuando como agente da misericórdia divina no alívio das dores dos semelhantes, ou mesmo contribuindo, com seu trabalho, para a felicidade de criaturas deste ou do outro lado da vida, a energia negativa que venha a liberar em direção a sua vítima será amortizada ou mesmo extinta, pois a força do bem, natural e espontâneo, lhe é superior.

Desta forma, e pelas inúmeras oportunidades de felicidade que o trabalho voluntário na casa espírita nos propicia, alistemo-nos nas suas fileiras e desenvolvamos nossas tarefas com muito amor, alegria, zelo, e dedicação. Afinal poucos são os que percebem que trabalhando no voluntariado do bem estão trabalhando ao lado de Jesus.

FEP - Federação Espírita Pernambucana



Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Agosto de 2011, 10:44
Queridos amigos e irmãos...Sejam todos bem-vindos...

Este  tópico, tem como objetivo divulgar, esclarecer e  trazermos o trabalho voluntário  que realizamos ao conhecimento de muitos...
No Fórum Espiríta temos todo um conteúdo, teoria , que nos auxilia, esclarece, ajuda e nos direciona nos ensinamentos de Jesus, através da codificação espiríta..

Lembrando da passagem de Jesus: Quando derdes de comer e beber a um destes mais pequenos é a mim que o fazes!!

  O Evangelho Segundo o Espiritismo Por ALLAN KARDEC

UM ESPÍRITO PROTETOR

Lyon, 1860

10 – Meus amigos, tenho ouvido muitos de vós dizerem: Como posso fazer a caridade, se quase sempre não tenho sequer o necessário?

            A caridade, meus amigos, se faz de muitas maneiras. Podeis fazê-la em pensamento, em palavras e em ações. Em pensamentos, orando pelos pobres abandonados, que morreram sem terem sequer vivido; uma prece de coração os alivia. Em palavras: dirigindo aos vossos companheiros alguns bons conselhos. Dizei aos homens amargurados pelo desespero e pelas privações, que blasfemam do nome do Altíssimo: “Eu era como vos; eu sofria, sentia-me infeliz, mas acreditei no Espiritismo e, vede agora sou feliz!” Aos anciãos que vos disseram: “É inútil; estou no fim da vida; morrerei como vivi”, respondei: “A justiça de Deus é igual para todos; lembrai-vos dos trabalhadores da última hora!” Às crianças que, já viciadas pelas más companhias, perdem-se nos caminhos do mundo, prestes a sucumbir às suas tentações, dizei: “Deus vos vê, meus caros pequenos!”, e não temais repetir freqüentemente essas doces palavras, que acabarão por germinar nas suas jovens inteligências, e em lugar de pequenos vagabundos, fareis delas verdadeiros homens. Essa é também uma forma de caridade.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Agosto de 2011, 10:49
''Trabalho Voluntário reduz a Depressão e a ansiedade''



Cada vez mais estamos conscientes que estudar é preciso, trabalhar é necessário e amar ao próximo o menor caminho para chegar à Deus.

O trabalho, a consciência do trabalho, da atividade constante em prol de nós mesmo e de outrem, é necessidade evolutiva e oferecida a todos em igualdade de condições, depende de nós, diante das responsabilidades assumidas, colocarmos a prova as nossas atitudes.

Na conceituação genérica trabalho é a “ocupação em alguma obra ou ministério; exercício material ou intelectual para fazer ou conseguir alguma coisa”

Nos mundos mais evoluídos e nos inferiores, a natureza do trabalho não é a mesma, pois que ela está diretamente ligada às necessidades de cada um, sendo a inatividade, a ociosidade, um verdadeiro suplício.

Em “O Evangelho Segundo o Espiritismo” Allan Kardec nos norteia o princípio da Lei do Trabalho através das máximas “ajuda-te que o céu te ajudará e, análoga a esta, “buscai e achareis”, pois que aí encontramos a verdadeira noção que instiga, incita o homem a trabalhar, fazer a sua parte, para que possa, assim ser ajudado por Deus.

Diz o Cap. XXV, item 3:

”Se Deus houvesse isentado o homem do trabalho do corpo, seus membros estariam atrofiados; se o houvesse isentado do trabalho da inteligência, seu espírito teria permanecido na infância, no estado de instinto animal; por isso, lhe fez do trabalho uma necessidade e lhe disse: Procura e achará, trabalha e produzirás; dessa maneira, serás o filho das tuas obras, delas terás o mérito e serás recompensado segundo o que tiveres feito.”

Na realidade não importa o esforço físico que cada qual tenha que desprender para atender as faixas menos favorecidas da cultura e do destaque social, pois que o trabalho dignifica quem o executa e é-lhe garantia de crescimento. Não se há de fazer comparações ou medições de quanto trabalho se tem de executar, o que importa é ir à luta, semear para poder frutificar.

Sendo a Lei do Trabalho uma lei natural, motivo porque é uma necessidade, engloba os trabalhos materiais, assim como toda ocupação útil. (O Livro dos Espíritos p. 675)

O trabalho está alicerçado em princípios morais, principalmente no amor, e, por isto mesmo, ao lado da oração, é um dos maiores antídotos contra o mal, pois que corrige imperfeições e disciplina a vontade. “A ociosidade é a casa do demônio” é a máxima popular que bem explica que quando nada se faz se faz muito mal, pois que aí estão o egoísmo, o pensamento deprimente, a negatividade e as tentações.

O trabalho, entretanto, longe de ser apenas aquele de ordem material, física, é também aquele que se desenvolve através de ações inteligentes, intelectuais, objetivando a cultura, a arte, o conhecimento, o desenvolvimento e a ciência.

O trabalho do homem objetiva a transformação para melhor. Isto na generalidade. Desdobra-se o arquiteto para produzir imóveis cada vez mais modernos e adequados à realidade de um local e época; o economista busca ajustar as riquezas sociais a fim de que haja sempre progresso financeiro. O carpinteiro trabalha em móveis de estrutura rígida que se lhe justifiquem a tarefa e estejam íntegros para o ambiente a que se propõem. O médico trabalha com afinco para salvar vidas e fazer a prevenção. O cientista submete-se a buscas longas, aparentemente intermináveis, com o fim de ampliar e melhorar as condições de vida do planeta e seus habitantes. Todos motivam-se por atividades instintivas de conservação da vida e de conhecimento social.
O trabalho voluntário,por ser uma atividade que entramos em contato com os problemas e dificuldades das pessoas, reduz a ansiedade e ajuda acabar com a Depressão,pois tomamos melhor consciência de nosso interior.
Buscando um pouco na história, vemos o homem se utilizando das reservas animais e vegetais. Com o decorrer dos tempos as reservas foram se rareando, As fontes naturais se exaurindo. No período da pedra lascada já jogou-se a buscar mais recursos, ampliando assim seu trabalho já com a ajuda de instrumentos rudes. Mais tarde lançou-se à agricultura e, da terra, passou a extrair os bens necessários a sua subsistência e também ao seu crescimento financeiro. Depois, domesticou animais e os rebanhos renderam-lhes atividades mais estáveis. Com o aparecimento de instrumentos mais aprimorados, do comércio crescente, do aparecimento e evolução da indústria, foram fomentados recursos novos e, paulatinamente, as dificuldades iniciais serviram de base ao equilíbrio social e, posteriormente, o trabalho remunerado, a divisão de classes decorrente do próprio trabalho.

Podemos ver que a própria evolução material do homem está ligada diretamente ao trabalho. Com os tempos e as reencarnações, as evoluções oriundas do trabalho intelectual, produzindo melhoramento da forma de produzir, pois que ao homem cabe a missão de trabalhar pela melhoria do planeta.

Assim, podemos dizer que o trabalho remunerado é a forma que o homem tem de modificar o meio que vive e produzir a melhoria do Planeta.

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, em seu cap. XVI, item 7, em uma simples leitura, podemos verificar a verdade das necessidades materiais, compreendendo também que “na satisfação das necessidades materiais, o ajudará mais tarde a compreender as grandes verdades morais. Sendo a riqueza o meio primordial de execução, sem ela não mais grandes trabalhos, nem atividades, nem estimulante, nem pesquisas. Com razão, pois, é a riqueza considerada elemento de progresso.”

Há, entretanto, uma outra forma de trabalho, este que não rende moeda, nem produz conforto maior, tampouco crescimento permanente da conjuntura econômica. Este é o trabalho-abnegação, do qual não produz troca ou remuneração mas que redunda em crescimento de si mesmo no sentido moral e espiritual. Modernamente a este trabalho dá-se o nome de TRABALHO VOLUNTÁRIO.

O primeiro caso, o trabalho gerando crescimento material e progresso social, se desenvolve uma melhora exterior da criatura, enquanto o segundo, o trabalho voluntariado, ascende no sentido vertical da vida e modifica, transforma o homem de dentro para fora, superando a si mesmo como instrumento da misericórdia divina.

Jesus é exemplo destes dois tipos de trabalho. Enquanto carpinteiro, dedicado, com José laborava. Ele, ativamente, mostrando a importância do trabalho, ensinando que o trabalho em atividade honrada é o dever primeiro para a manutenção do corpo e da vida terrena. Seguidamente a isto teve Jesus um ministério de amor, um verdadeiro trabalho de autodoação até o sacrifício da própria vida.

Seu exemplo infunde coragem estimula o trabalho-serviço, o trabalho-redenção, fraternal, procurando manter a sociedade unida, acalentando os menos favorecidos, dando conforto aos necessitados de toda ordem.

Podemos perceber, portanto, que o trabalho voluntariado é muito antigo, pois que foi inventado por Jesus Cristo, quando às margens da Galiléia chamou os pescadores Simão Pedro Barjonas e seu irmão André, João e seu irmão Tiago, os dois filhos de Zebedeu, para uma jornada que jamais terminaria. Trabalho voluntário e mais trabalho voluntário os esperava ao longo do tempo, das horas, dos dias, dos anos, dos séculos e milênios.

Aceitaram trabalhar de graça, e como lucraram!

Na Segunda Carta de Timóteo (2:6) Paulo adverte que o lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar os frutos.

Hão de se perguntar: Como gozar os frutos se não recebemos dinheiro pelo que produzimos?


Emmanuel, no livro Perante Jesus nos fala do trabalho v
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Agosto de 2011, 18:07
O trabalho voluntário proporciona crescimento espiritual de quem o realiza, transformando o planeta para melhor, iniciando pela mudança positiva do trabalhador. Deus nós dá a oportunidade de um trabalho voluntário porque nos ama e quer que sejamos felizes.

          Retorno do trabalho voluntário:

         - Quem acende uma luz é o primeiro a se iluminar. O primeiro beneficiado é quem faz o trabalho e quem recebe é o segundo beneficiado.

         - Traz paz no coração, consciência tranqüila.

         - Nos aproxima de Jesus e de nosso espírito protetor.

         - O bem que se faz retorna para nós.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 06 de Agosto de 2011, 18:16
PALAVRA ESPÍRITA > NOVEMBRO DE 2006 > CENTRO ESPíRITA

O trabalho voluntário


Houve um tempo, não muito distante, mas que vai caindo no esquecimento, quando, no geral, as tarefas nas instituições espíritas eram executadas quase que totalmente pelos próprios espíritas. Eram momentos que se faziam muito especiais, pela oportunidade do encontro, pela aproximação e entrosamento de novos colaboradores, pela alegria que imperava, pelo ensejo do convívio de maneira mais descontraída entre as várias idades, pela reunião da grande família, enfim.

Bastava a casa estar precisando de manutenção, de uma boa faxina, ou precisando de nova pintura, também arrumação do jardim, entre outras necessidades, era só organizar o trabalho que todos estavam sempre atentos ao surgimento de situações e necessidades e sempre dispostos a colaborar quando fosse a ocasião de prestar seu contributo pessoal. Somente em situações muito especiais e complexas é que se buscava serviço remunerado de terceiros.

Na área doutrinária, também prevalecia o espírito voluntário em se fazer presente nas atividades em que se estava compromissado regularmente, e naquelas que pedissem trabalho extra para suprir uma ausência, para atender determinada carência operacional, para auxiliar esse ou aquele companheiro, para completar quadro de trabalhadores para uma nova atividade que estivesse sendo implantada, ou outra atividade que fosse.

Sabia-se, de antemão, que poderia contar com os trabalhadores, por serem realmente voluntários.

Um tempo que deixa saudades e que a geração atual dos espíritas praticamente não conhece.

Não se sabe se o afrouxamento desses laços de dedicação e voluntariado carinhoso e fraternal com a instituição que nos abriga é fruto dos ditos compromissos da modernidade ou da falta de amor mesmo por ela.

O que se vê é a crescente necessidade de contratação de serviços remunerados de terceiros para que não haja solução de continuidade no funcionamento das instituições e das tarefas que lhes cabem.

Há, na atualidade, uma visão distorcida de alguns espíritas para com o movimento espírita, deixando estes de ver no movimento sua oportunidade de melhor conhecer o espiritismo e mais aprender a vivenciar seus postulados, de aí depositar o seu tijolo de amor em benefício de todos, de maneira desinteressada e abnegadamente, para enxergar no movimento um nicho comercial, interessando-se muito em vender seus serviços às instituições quando da execução de alguma coisa que ela precise, tanto na área administrativa quanto doutrinária.

Hoje é uma realidade: mesmo as instituições tendo dentre seus colaboradores pessoa com essa ou aquela capacitação profissional, com ele não pode contar como voluntário. Só se pagar. Registremos que há honrosas exceções.

Nada contra as formações profissionais dos espíritas e suas práticas comerciais no cotidiano.

O que se propõe como reflexão é examinar se é devido por parte do espírita ter o movimento espírita como seu cliente comercial, e não somente como espaço de oportunidade de serviço ao próximo.

De nossa parte, tomamos por base que “a abnegação e o devotamento são uma prece contínua e encerram um ensinamento profundo”1, e concluímos ser de grande valia para o movimento espírita insistir no trabalho de despertamento de amor pela casa e pela causa, onde se possa servir a Jesus com devotamento d’alma, servindo ao próximo; onde se possa ir extirpando o egoísmo dos corações, com a presença do altruísmo; onde se descubra que a prática da caridade é o meio para se alcançar a felicidade; e que, para alcançar a plenitude do espírito através da caridade, é preciso “fazer o bem no limite de suas forças”, porquanto responderemos “por todo mal que haja resultado de não haver praticado o bem”.2

Aconselha-nos o espiritismo: “Tomai, pois, por divisa estas duas palavras: devotamento e abnegação, e sereis fortes, porque elas resumem todos os deveres que a caridade e a humildade vos impõe. O sentimento do dever cumprido vos dará repouso ao espírito e resignação.”1

Assim sendo, somos por dar primazia ao trabalho voluntário no meio espírita, enfatizando que o meio espírita está precisando, e muito, desse espírito de abnegação e dedicação.

“O comportamento espírita do homem que aderiu à doutrina espiritista reflete a sua convicção, revelando se trata de um adepto sincero ou de um simples beneficiário da mensagem que, não obstante impermeável, não se deixa impregnar da excelência moral de que o espiritismo faz-se depositário
”.3

1. “O Evangelho segundo o Espiritismo”, capítulo 6, item 8.

2. “O Livro dos Espíritos”, item 642.

3. “Reflexões espíritas”, capítulo 27.

Este texto serviu como editorial do jornal Mundo Espírita, da Federação Espírita do Paraná, em outubro de 2006.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 30 de Agosto de 2011, 22:45
O que é voluntariado?


Segundo definição das Nações Unidas, "o voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social, ou outros campos..."

Em recente estudo realizado na Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança, definiu-se o voluntário como ator social e agente de transformação, que presta serviços não remunerados em benefício da comunidade; doando seu tempo e conhecimentos, realiza um trabalho gerado pela energia de seu impulso solidário, atendendo tanto às necessidades do próximo ou aos imperativos de uma causa, como às suas próprias motivações pessoais, sejam estas de caráter religioso, cultural, filosófico, político, emocional.
Quando nos referimos ao voluntário contemporâneo, engajado, participante e consciente, diferenciamos também o seu grau de comprometimento: ações mais permanentes, que implicam em maiores compromissos, requerem um determinado tipo de voluntário, e podem levá-lo inclusive a uma "profissionalização voluntária"; existem também ações pontuais, esporádicas, que mobilizam outro perfil de indivíduos.

 
        Ao analisar os motivos que mobilizam em direção ao trabalho voluntário, (descritos com maiores detalhes a seguir), descobrem-se, entre outros, dois componentes fundamentais: o de cunho pessoal, a doação de tempo e esforço como resposta a uma inquietação interior que é levada à prática, e o social, a tomada de consciência dos problemas ao se enfrentar com a realidade, o que leva à luta por um ideal ou ao comprometimento com uma causa.

Altruísmo e solidariedade são valores morais socialmente constituídos vistos como virtude do indivíduo. Do ponto de vista religioso acredita-se que a prática do bem salva a alma; numa perspectiva social e política, pressupõe-se que a prática de tais valores zelará pela manutenção da ordem social e pelo progresso do homem. A caridade (forte herança cultural e religiosa), reforçada pelo ideal, as crenças, os sistemas de valores, e o compromisso com determinadas causas são componentes vitais do engajamento.

Não se deve esquecer, contudo, o potencial transformador que essas atitudes representam para o crescimento interior do próprio indivíduo.


fonte: "Trabalho Voluntário" - Mónica Corullón

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 30 de Agosto de 2011, 22:50

MENSAGEM AOS ESPÍRITAS

Assunto: Preservação dos Princípios Doutrinários na Prática Espírita

"É indispensável manter o Espiritismo, qual foi entregue pelos Mensageiros Divinos a Allan Kardec, sem compromissos políticos, sem profissionalismo religioso, sem personalismos deprimentes, sem pruridos de conquista a poderes terrestres transitórios."

Bezerra de Menezes (Mensagem "Unificação", psicografia de

Francisco Cândido Xavier - Reformador, agosto 2001)


Considerando que as idéias espíritas, tais como reencarnação, imortalidade, comunicação com os Espíritos e vida após a morte, têm sido alvo de interesse geral, propiciando à mídia a divulgação de filmes, teatro, livros e notícias de fatos ocorridos, que mostram, cada vez mais, a certeza dessas verdades que a Doutrina Espírita divulga há 150 anos;

Considerando que essa promoção é perfeitamente compatível com os propósitos do Movimento Espírita que é o de colocar ao alcance e a serviços de todos a mensagem consoladora e esclarecedora da Doutrina Espírita, dando sentido à vida e trazendo respostas às inquietações de muitos seres humanos com tendência ao suicídio, à violência, ao uso das drogas e à desagregação familiar;

Considerando que, com a divulgação feita pela mídia, independentemente da ação do Movimento Espírita, é natural que um número cada vez maior de pessoas procure os núcleos espíritas, interessado em aprofundar-se no conhecimento dos ensinos doutrinários e em receber a assistência, o esclarecimento e a orientação de que necessita, bem como preparar-se para o trabalho voluntário, na assistência e promoção social, no atendimento aos que necessitam de amparo espiritual e em outras atividades;

Considerando que esta circunstância oferece ao trabalhador espírita a oportunidade de intensificar o desenvolvimento de suas tarefas voltadas ao estudo, à difusão e à prática do Espiritismo, consciente de que a convicção do ser humano quanto à sua condição de Espírito imortal é fundamental para ajudá-lo a atravessar esta fase de transição em que nos encontramos, quando se prepara a Humanidade para ascender à condição de mundo de regeneração;

Considerando que o Centro Espírita continua a ser o núcleo básico da difusão espírita, propiciando espaço para todas as atividades de atendimento e de estudo aos interessados em receber os benefícios da Doutrina Espírita, tal como foi revelada pelos Espíritos Superiores a Allan Kardec e nas obras que, seguindo suas diretrizes, lhe são complementares e subsidiárias,
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 30 de Agosto de 2011, 22:58
SER VOLUNTÁRIO....

"Ser voluntário é doar seu tempo, trabalho e talento para causas de interesse social e comunitário e com isso melhorar a qualidade de vida da comunidade"
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 31 de Agosto de 2011, 00:15

Voluntariado - Caridade Organizada (Novembro/2010)

Um ato voluntário é de livre vontade, não obrigatório
Paralelamente aos índices de atividades econômicas e sociais, os governos e as grandes organizações mundiais têm se deparado com um setor de atividadesapresenta grande crescimento nas últimas duas décadas.

Não se dispõe, entretanto, de dados precisos, pelo fato de ser composto por ações livres de cada cidadão, sem controles e sem registros oficiais: é o setor do VOLUNTARIADO.

VOLUNTARIADO é uma forma de se referir à organização de serviços voluntários ou coletivização dos atos dos voluntários.

O que significa voluntário? Essa palavra exprime espontaneidade. Um ato voluntário é de livre vontade, não obrigatório.

Em sentido específico tem se designado por "Voluntários" as pessoas que, por livre e espontânea vontade, agem para ajudar em uma determinada área, ou seja, assumem tarefas pelo bem, movidos pelo sentimento de solidariedade.

O voluntário busca praticar ações de ajuda pelo próprio desejo de uma vida melhor e solidária para todos. Normalmente se engajam em projetos ou ações coletivas que já estejam em andamento.

O voluntariado, ou seja, o conjunto dos movimentos, programas e organizações de serviços voluntários, representa uma mudança conceitual importante: As ações isoladas de altruísmo e caridade, praticadas por algumas pessoas, são insuficientes. O enfrentamento dos problemas sociais da atualidade requer ações coletivas, fortes e organizadas.

Exemplo de organização internacional, o Programa de Voluntários das Nações Unidas envia, desde 1971, voluntários para trabalhar em projetos de cooperação nacional e internacional de desenvolvimento. Todos os anos, em torno de 7.000 mulheres e homens de mais de 170 nacionalidades diferentes servem como Voluntários da ONU em mais de 140 países.

Eles contribuem em diversos programas, reduzindo a pobreza, implantando políticas ambientais, lutando contra o aumento de doenças como o HIV/AIDS e promovendo a paz, a saúde, o bem estar e o desenvolvimento social de milhões de pessoas ao redor do mundo.

No Brasil, o trabalho voluntário tem crescido de forma substancial a cada ano. As iniciativas se espalham em diversos setores: saúde, educação, assistência social, cuidados com crianças e adolescentes e idosos.

O Voluntariado está na alma do nosso país. A nossa história registra, já nos primeiros anos de colonização " em 1543, a criação dos primeiros núcleos de trabalho voluntário no Brasil, baseados em princípios da caridade cristã, para cuidar dos doentes dos primeiros povoados.

Na segunda metade do séc. XIX, numa cruzada filantrópica, toda a sociedade brasileira se mobilizou para combater a disseminação de doenças contagiosas, especialmente da febre amarela, em um trabalho essencialmente feminino com enfoque na caridade.

A partir da década de 1930, desenvolveu-se o conceito de filantropia e de entidades sociais, a partir da transferência do Estado para a sociedade civil da atenção social à grande massa de trabalhadores sem carteira assinada à época.

Nos últimos anos, os governos Federal, Estadual e dos Municípios, a par de tamanha capacidade de ajuda operada por cidadãos e entidades, têm buscado formas de descentralização de recursos para execução de programas em parcerias.

A sociedade, por seu lado, organiza-se a cada dia para prestar sua ajuda na solução dos problemas sociais e na busca do tão sonhado bem-estar social. Não há um pequeno município onde não haja instituições criadas para organizar o trabalho voluntário e produzir o bem, em soluções de escala individuais e coletivas, nas áreas mais necessitadas.

O que vemos é que muitas pessoas, aos poucos, porém de forma progressiva, independente das diferentes culturas e crenças, se rendem aos apelos da própria vida em sociedade, da solidariedade pela participação e pelo bem-estar de todos.

Precisamos compreender que no egoísmo as pessoas estarão em luta permanente; com a caridade, toda a sociedade progredirá em paz.

Paz e Luz a todos!



Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 31 de Agosto de 2011, 00:20
Queridos amigos
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Catal em 06 de Setembro de 2011, 19:32
Alguem amanha 7/09/2011, vai a algum lugar fazer caridade? prefiro crianças... acho q sei lhe dar melhor

Moro no RJ, Pavuna!

Estou a procura de um lugar par apoder ajudar..

um grupo de jovens sabe para irmos em busca de novos desafios!!!

tenho 22anos...Adoro crianças... Nao ligo de me fantasiar e ssas coisas.. rolo no chão o q ofr preciso pra ver a criança felz!!!

nunca fiz um trablaho assim muito serio

ja fui a orfanato e asilo...

mais qria q fosse uma coisa rotineira e nao uma coisa esporadica

me ajudem please

to aberta a convites!

obrigado pela atenção
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Eunniceel em 06 de Setembro de 2011, 20:52
Boa tarde Catal!

Amanhã infelizmente não vou estar em nenhum lugar preciso, fazendo o trabalho voluntariado.  Agora, caridade, espero exercitar durante todo o meu dia.  E para você que esta em busca de um local. Você conhece a Ação Cristã Vicente Morettti? Lá sempre há necessidade de voluntariado. São crianças e adultos especiais que necessitam de carinho, cuidado, ajuda etc. Dê uma olhada no site deles, tem o telefone e endereço: http://www.acvmrj.org.br Quem sabe não nos encontremos por lá em outra ocasião.

Abraços fraternos,
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 07 de Setembro de 2011, 01:42
Queridos amigos Catal e Euniceel... Sejam bem-vindos

Agradeço a vós pela presença e colaboração
Amigo Catal. eu moro no Pará e não sei te informar que atividade acontecerão ai no estado de RJ

Que muitos amigos e irmãos possam ter esta vontade de ajudar, ser voluntário...
Trabalhar com crianças é maravilhoso

Abraços afetuosos a vós

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 07 de Setembro de 2011, 01:55
Voluntariado Espírita

Cada vez mais estamos conscientes que estudar é preciso, trabalhar é necessário e amar ao próximo o menor caminho para chegar à Deus.

O trabalho, a consciência do trabalho, da atividade constante em prol de nós mesmo e de outrem, é necessidade evolutiva e oferecida a todos em igualdade de condições, depende de nós, diante das responsabilidades assumidas, colocarmos a prova as nossas atitudes.

Na conceituação genérica trabalho é a “ocupação em alguma obra ou ministério; exercício material ou intelectual para fazer ou conseguir alguma coisa”

Nos mundos mais evoluídos e nos inferiores, a natureza do trabalho não é a mesma, pois que ela está diretamente ligada às necessidades de cada um, sendo a inatividade, a ociosidade, um verdadeiro suplício.

Em “O Evangelho Segundo o Espiritismo” Allan Kardec nos norteia o princípio da Lei do Trabalho através das máximas “ajuda-te que o céu te ajudará e, análoga a esta, “buscai e achareis”, pois que aí encontramos a verdadeira noção que instiga, incita o homem a trabalhar, fazer a sua parte, para que possa, assim ser ajudado por Deus.

Diz o Cap. XXV, item 3:

”Se Deus houvesse isentado o homem do trabalho do corpo, seus membros estariam atrofiados; se o houvesse isentado do trabalho da inteligência, seu espírito teria permanecido na infância, no estado de instinto animal; por isso, lhe fez do trabalho uma necessidade e lhe disse: Procura e achará, trabalha e produzirás; dessa maneira, serás o filho das tuas obras, delas terás o mérito e serás recompensado segundo o que tiveres feito.”

Na realidade não importa o esforço físico que cada qual tenha que desprender para atender as faixas menos favorecidas da cultura e do destaque social, pois que o trabalho dignifica quem o executa e é-lhe garantia de crescimento. Não se há de fazer comparações ou medições de quanto trabalho se tem de executar, o que importa é ir à luta, semear para poder frutificar.

Sendo a Lei do Trabalho uma lei natural, motivo porque é uma necessidade, engloba os trabalhos materiais, assim como toda ocupação útil. (O Livro dos Espíritos p. 675)

O trabalho está alicerçado em princípios morais, principalmente no amor, e, por isto mesmo, ao lado da oração, é um dos maiores antídotos contra o mal, pois que corrige imperfeições e disciplina a vontade. “A ociosidade é a casa do demônio” é a máxima popular que bem explica que quando nada se faz se faz muito mal, pois que aí estão o egoísmo, o pensamento deprimente, a negatividade e as tentações.

O trabalho, entretanto, longe de ser apenas aquele de ordem material, física, é também aquele que se desenvolve através de ações inteligentes, intelectuais, objetivando a cultura, a arte, o conhecimento, o desenvolvimento e a ciência.

O trabalho do homem objetiva a transformação para melhor. Isto na generalidade. Desdobra-se o arquiteto para produzir imóveis cada vez mais modernos e adequados à realidade de um local e época; o economista busca ajustar as riquezas sociais a fim de que haja sempre progresso financeiro. O carpinteiro trabalha em móveis de estrutura rígida que se lhe justifiquem a tarefa e estejam íntegros para o ambiente a que se propõem. O médico trabalha com afinco para salvar vidas e fazer a prevenção. O cientista submete-se a buscas longas, aparentemente intermináveis, com o fim de ampliar e melhorar as condições de vida do planeta e seus habitantes. Todos motivam-se por atividades instintivas de conservação da vida e de conhecimento social.

Esta é a ação natural e primeira do homem: produzir para suprir suas necessidades imediatas.

Buscando um pouco na história, vemos o homem se utilizando das reservas animais e vegetais. Com o decorrer dos tempos as reservas foram se rareando, As fontes naturais se exaurindo. No período da pedra lascada já jogou-se a buscar mais recursos, ampliando assim seu trabalho já com a ajuda de instrumentos rudes. Mais tarde lançou-se à agricultura e, da terra, passou a extrair os bens necessários a sua subsistência e também ao seu crescimento financeiro. Depois, domesticou animais e os rebanhos renderam-lhes atividades mais estáveis. Com o aparecimento de instrumentos mais aprimorados, do comércio crescente, do aparecimento e evolução da indústria, foram fomentados recursos novos e, paulatinamente, as dificuldades iniciais serviram de base ao equilíbrio social e, posteriormente, o trabalho remunerado, a divisão de classes decorrente do próprio trabalho.

Podemos ver que a própria evolução material do homem está ligada diretamente ao trabalho. Com os tempos e as reencarnações, as evoluções oriundas do trabalho intelectual, produzindo melhoramento da forma de produzir, pois que ao homem cabe a missão de trabalhar pela melhoria do planeta.

Assim, podemos dizer que o trabalho remunerado é a forma que o homem tem de modificar o meio que vive e produzir a melhoria do Planeta.

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, em seu cap. XVI, item 7, em uma simples leitura, podemos verificar a verdade das necessidades materiais, compreendendo também que “na satisfação das necessidades materiais, o ajudará mais tarde a compreender as grandes verdades morais. Sendo a riqueza o meio primordial de execução, sem ela não mais grandes trabalhos, nem atividades, nem estimulante, nem pesquisas. Com razão, pois, é a riqueza considerada elemento de progresso.”

Há, entretanto, uma outra forma de trabalho, este que não rende moeda, nem produz conforto maior, tampouco crescimento permanente da conjuntura econômica. Este é o trabalho-abnegação, do qual não produz troca ou remuneração mas que redunda em crescimento de si mesmo no sentido moral e espiritual. Modernamente a este trabalho dá-se o nome de TRABALHO VOLUNTÁRIO.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 07 de Setembro de 2011, 01:59
O primeiro caso, o trabalho gerando crescimento material e progresso social, se desenvolve uma melhora exterior da criatura, enquanto o segundo, o trabalho voluntariado, ascende no sentido vertical da vida e modifica, transforma o homem de dentro para fora, superando a si mesmo como instrumento da misericórdia divina.

Jesus é exemplo destes dois tipos de trabalho. Enquanto carpinteiro, dedicado, com José laborava. Ele, ativamente, mostrando a importância do trabalho, ensinando que o trabalho em atividade honrada é o dever primeiro para a manutenção do corpo e da vida terrena. Seguidamente a isto teve Jesus um ministério de amor, um verdadeiro trabalho de autodoação até o sacrifício da própria vida.

Seu exemplo infunde coragem estimula o trabalho-serviço, o trabalho-redenção, fraternal, procurando manter a sociedade unida, acalentando os menos favorecidos, dando conforto aos necessitados de toda ordem.

Podemos perceber, portanto, que o trabalho voluntariado é muito antigo, pois que foi inventado por Jesus Cristo, quando às margens da Galiléia chamou os pescadores Simão Pedro Barjonas e seu irmão André, João e seu irmão Tiago, os dois filhos de Zebedeu, para uma jornada que jamais terminaria. Trabalho voluntário e mais trabalho voluntário os esperava ao longo do tempo, das horas, dos dias, dos anos, dos séculos e milênios.

Aceitaram trabalhar de graça, e como lucraram!

Na Segunda Carta de Timóteo (2:6) Paulo adverte que o lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar os frutos.

Hão de se perguntar: Como gozar os frutos se não recebemos dinheiro pelo que produzimos?

Emmanuel, no livro Perante Jesus nos fala do trabalho voluntariado explicando–nos como nos chega a remuneração mais do que compensadora por trabalharmos pelo simples prazer de servir, desinteressadamente.

Quando o trabalho se transforma em prazer de servir surge o ponto mais importante da remuneração espiritual: Toda vez que a justiça divina nos procura no endereço exato para a execução da sentença que determinamos a nós próprios, segundo a lei de causa e efeito, se nos encontra a serviço do próximo, manda a justiça divina que seja suspensa a execução, por tempo indeterminado.

Assim, podemos entender que todo mal que cometemos estamos nos sentenciando de forma a constituir dívida correspondente a que estamos obrigados a pagar pela lei de causa e efeito. É dando que se recebe, nos ensinou Jesus. O que fazemos ao próximo volta com a mesma intensidade.

Sócrates já considerava que o bem e o mal nada mais eram que a sabedoria e a ignorância, pois que o ignorante concretiza o mal porque não sabe que mais tarde será obrigado a quita-lo, a ajustar contas. Mas, como dissemos, quando se nos encontramos a serviço do próximo, a Justiça Divina manda que o pagamento seja suspenso. Pedro, na sua Carta Universal (4.8) já profetisava: “Tende caridade para com os outros, porque a caridade cobrirá a multidão de pecados”.

A caridade e todo o bem que conseguirmos amealhar na vida presente, será descontado na dívida que contraímos no passado, seja nesta ou em existência anterior. No acerto de conta, quando forem colocar nossa conta na balança, certamente haverá a compensação de nossas ações caridosas e nossas dívidas diminuirão ou até desaparecerão, dependendo do crédito de amor que acumularmos.

O trabalho é alimento da alma e cumpre-nos observar que o trabalho desinteressado não é objeto de troca ou remuneração, de quaisquer espécies. Precisamos compreender que doar trabalho é doar amor, boa vontade, sem escolher a quem e muito menos julgando o merecimento deste ou daquele para quem está rendendo o trabalho.

As pessoas nem imaginam o bem que estão fazendo a si próprias quando se dedicam a realizar algum trabalho sem a respectiva recompensa financeira. O Voluntariado é hoje uma verdadeira explosão, uma vez que está transformando hábitos, sobretudo quando realizado por jovens. É uma característica comum aos jovens a vontade de ajudar, de ser útil, de diminuir a dor alheia, praticando assim a solidariedade. O incentivo cabe a nós, mais velhos, exerce-lo.

Querem eles oferecer um pouco do seu tempo, uma parcela apenas do fruto de sua profissão, um pedacinho de seu coração a instituições voltadas para causas nobres ou que cuidem de seres humanos com provas dolorosas. O voluntariado espírita é essencialmente um doador de seu próprio trabalho e a princípio poucos são os que percebem, mas são felizes porque têm algo para oferecer; sobra-lhes boa vontade e disposição.

As maravilhosas obras beneméritas e de caridade erguem-se no planeta, materializando pensamentos de bondade. Todos somos chamados a produzir obras de trabalho desinteressado, aquele que é abnegado e exige a doação plena.

Ao trabalho voluntariado todos fomos chamados, basta parar para pensar que esta é a mais pura verdade. Entretanto, aos que deixaram passar a oportunidade, conclamamos agora: Venha compor esta fileira. Deixe as desculpas do “não tenho tempo”, “meus filhos são pequenos”, “meu marido é sistemático”, “quando aposentar vou ajudar vocês”, “minha família necessita de mim”. Estas são apenas umas das muitas desculpas usuais e corriqueiras daqueles que fogem, adiam a tarefa do auxílio. É necessário se conscientizar da responsabilidade que temos em relação ao próximo. A firmeza de propósitos, o espírito de altruísmo precisam ser ativados. O maior beneficiado é sempre quem auxilia. Emmanuel, no Livro Pronto Socorro recomenda:

“Não te esqueças do tempo e auxilia agora”.

É tempo de agir, de aprender que o doar-se de forma absolutamente desinteressada, é semeadura de amor e libertação, pois que a justiça divina dá a cada um segundo o seu merecimento e o seguimento da máxima de Cristo “Ama o próximo como a ti mesmo” extirpando o egoísmo e a arbitrariedade que devem ser banidos o quanto antes de nosso comportamento. O trabalho é e será o único meio de evolução do ser encarnado ou desencarnado e, sem trabalho, não há progresso, sem trabalho voluntariado não há evolução espiritual e não há luz. A forma que cada um pode ser mais útil para o maior número de pessoas, é análise pessoal, mas nos cabe alertar a importância do auxílio, da cooperação de acordo com a capacidade e possibilidade de cada um, mas sempre há e haverá um trabalho, uma tarefa que diante da boa vontade e do amor, será sempre, simples, prazerosa e fácil.

Realiza o teu compromisso, por menos significante que te pareça, pois que esta será a base para grandes realizações futuras.

Hoje, tantos anos já passados, o trabalho tem leis que o regem para que a sociedade possa ser mais justa, devido a imperfeição natural dos homens que neste Planeta habitam. Cumpre às Casas Espíritas o cuidado de fazer o registro de seu corpo de voluntariado, cumprindo assim as necessidades das leis humanas.

Os valores de fé, de amor e de persistência, nos levam à reflexão de que a caridade deve substituir a filantropia, sendo trabalho útil, ativo, passando a existir nos moldes dos mundos superiores, onde o trabalho em lugar de ser impositivo, é conquista do homem livre que serve sempre, sem cessar, buscando sempre assistir mas promover o ser humano, buscando ensinar a pescar, não apenas dando o peixe, como nos ensinou
.

“Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus” Pedro 1: 4.10 .
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 07 de Setembro de 2011, 02:05
Amigos, achei este endereço onde precisam de voluntários.

Quem tiver noticias ou informações sobre esta grande oportunidade de ajudar, por favor deixem aqui endereço e maiores inforamações para os interessados

Associação Espírita "Lar de Jesus"
Endereço:  Rua Agenos Fábio Gomes - 423 -
Bairro:  Alto das Palmeiras
Cidade:  Canoinhas
Estado:  SC
País:  Brasil
Telefone:  47-3622 5701
Responsável: 
Email: 
Site: 
Descrição: 
CEP:  89460000
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 07 de Setembro de 2011, 02:22
No Trato Com os Outros

"A origem do mal reside no egoísmo e
no orgulho; os abusos de toda espécie
cessarão quando os homens se regerem
pela lei da caridade."
Alan Kardec (E.S.E. Cap.XVI ltem X).

Conserve a paciência com aqueles que não aplicam a solicitude no trato com você. Recorde que a enfermidade pode estar a minar-lhes o organismo.

*

Quando alguém admoestá-lo, mesmo injustamente, silencie e desculpe. Deixe, que a vida se encarregará de colocar os pretensiosos em seus devidos lugares.

*

Se a intriga dificultar-lhe os bons propósitos, não lhe confira a honra de sua revolta. Quase sempre o intrigante é colhido nas malhas da rede que tece.

*

Procure entender a explicação deficiente que o amigo lhe dá. Ele não dispõe de melhores recursos de expressão.

*

Quando convidado a opinar em assunto que desconhece, afirme sua ignorância sobre o caso. Melhor é apresentar-se com simplicidade do que informar erradamente.

*

Se o interlocutor, magoado com a força de seu argumento, deixa bruscamente o tema da palestra, cale e desculpe-se. É provável que ele não se encontre preparado para a lógica das argumentações seguras.

*

Insista no auxílio, mesmo que este seja feito com o silêncio de sua intenção superior. O recalcitrante é infeliz pela própria organização nervosa que lhe aciona a vida.

*

Quando constrangido a arbitrar entre discutidores, a melhor posição é a humildade. Cada antagonista conta com a certeza da vitória para a opinião que defende. Passado o calor do debate, exponha com naturalidade seu pensamento.

*

Se a informação solicitada demorar em ser atendida, guarde calma e repita o pedido. Talvez seu interpelado seja surdo.

*

Há comezinhos incidentes no trato com os homens que, evitados, realizam a paz em todos os corações.

Cultive a confiança, na serenidade, e caminhará com segurança, no trato com os outros.

* * *

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Glossário Espírita-Cristão.
Ditado pelo Espírito Marco Prisco.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Catal em 08 de Setembro de 2011, 11:16
Obrigado euniceel!!!!

eu ovu olhar sim!!!!

qro me encontrar sim com pessoas  espiritas no mesmo propsito

obrigado!!!
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 08 de Setembro de 2011, 22:33
Trabalho voluntário é... Contar histórias para crianças em creches ou orfanatos
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 08 de Setembro de 2011, 22:52
Trabalho voluntário é... Visitar nosso idoso em asilos ou abrigos
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 08 de Setembro de 2011, 22:59
A TRISTEZA... FUGIU!!


Tenan,  é um menino de oito anos, mora com seus pais, em um condomínio de apartamentos. É um menino muito inteligente, esperto,bom amigo, sempre querido por todos.
Todos os dias ao voltar da escola, ele passava em frente a um hospital,onde tinha, uma grande janela que dava na ala para os idosos, ele sempre olhava pela janela, e via diariamente, aquelas pessoas com semblantes de sofrimentos e tristeza. Ao chegar em casa, sempre perguntava a mãe se podia ir visitá-los, ao que ela respondia:  Tenan, tu ainda és uma criança, e hospital, não é lugar para crianças, seu pai complementava,  meu filho... Eles tem família, isto é problema de adultos.
Tenan, não se conformava com estas respostas, e aquela cena, era  contínua , pois o hospital, era seu caminho diário, queria fazer algo para ver aquelas pessoas sorrirem, mas não sabia o que e nem como fazer.  Um dia em  uma atividade extra- classe em sua escola, apareceu um grupo de teatro, com apresentação de fantoches, com muitos risos, encantos, cores, nomes, o que fez na hora,Tenan ter uma idéia.
Ao chegar  em casa,Tenan  foi logo para seu quarto, onde pegou uma meia sua, muito colorida, e um saco de papel, ali ele começou a fazer seus fantoches, com muitos enfeites, recortes, depois de pronto, guardou  logo em sua mochila. No outro dia ao voltar da escola, pegou o caminho para o hospital, chegou bem perto da janela dos idosos, subiu em um caixote, ficando na ponta dos pés, dando um forte assobio com um apito que tinha, ele colocou o primeiro fantoche que representava uma cobra  a vista de todos, depois colocou o outro que representava um canário, e dramatizou uma cena entre os dois personagens, chorou, sorriu, brigou, imitou varais vozes de seus personagens, que fez o primeiro idoso sorrir, sendo seguido depois, pelos demais. Finalmente, Tenan encontrou um meio para ajudar aqueles vovôs a saíram da tristeza e solidão em que se apresentavam.  Agora sempre que chegava da escola, criava novos personagens para seu teatro da alegria, isso o deixava muito feliz, depois  que  ele terminava os novos fantoches,ia brincar com seus amiguinhos.
Os idosos, já esperavam por aquela animação, aos poucos eles iam melhorando, por que sua grande doença era a tristeza, a solidão, e alguns até participavam junto com o menino das narrativas. Certo dia a mãe de Tenan, ao voltar para casa, viu de longe aquela cena.  Seu filho  estava todo esticado, na ponta dos pés, com os braços todos dentro da janela do hospital, ela ficou sem entender o que era aquilo,chegou perto dele chamando-o, fazendo  com que ele ficasse muito assustado, ela lhe perguntou: O que tu estás fazendo aqui,  nesta área do hospital? O menino, reponde a ela: Mãe...  A senhora me disse que eu não podia entrar no hospital, por que  eu poderia adoecer... Mas veja, estou do lado de fora... Sua mãe ficou sem ação, com a atitude do menino, ao olhar para dentro, ela viu os idosos, todos  estavam  preocupados com a situação do menino . A mãe de Tenan, se  emocionou com o gesto do menino, com a atitude de uma criança de apenas oito anos, atitude que ela nunca teve, e  que jamais pensou. Ela entrou no hospital, procurando pela assistente social para ver se conseguia permissão para  eles dois fazerem uma visita fraterna, uma vez por semana, no que foi liberado pela assistência. Assim feito, ela passou a ajudar Tenan  na confecções de novos fantoches e personagens,tudo com muitas cores, brilhos, retalhos, botões, saias.  Tenan  agora não precisava mais ficar do lado de fora da janela, todo esticado para ajudar aqueles que já considerava parte de  sua família.
E a tristeza? Onde ela foi parar?  Ela sumiu daquele lugar... Pois sabia que reinaria sempre ali, pessoas alegres a gargalhar.

Dothy
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 08 de Setembro de 2011, 23:13
Queridos amigos e irmãos...Sejam todos bem-vindos...

Este tópico, tem como objetivo divulgar o trabalho voluntário realizado em casas espiritas, em hospitais, creches, asilos, comunidades, etc... ao conhecimento de muitos...


Vamos unir a teoria à prática...

Lembrando da passagem de Jesus: Quando derdes de comer e beber a um destes mais pequenos é a mim que o fazes!

Abraços fraterno

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 24 de Setembro de 2011, 17:02
Olá amigos

Recebemos este pedido e divulgação do trabalho voluntário de uma amiga na página do forumespirita no Facebook, estou repassando pra vocês

Raquel Westphalen Carlos Gomes
todos os sábados servimos a Sopa Fraterna no Centro Espírita Lins de Vasconcellos, Rua Qunintino Bocaiuva 251, Vila Pinheiro, Jaguariaíva Pr, das 08:00 aas 14:00 hrs, precisamos de voluntários - qualquer pessoa que tenha vontade de por em p...rática os ensinamentos de Nosso Mestre Jesus será muito bem vindo, não é necessário experiência, o pagamento você receberá diretamente de Nosso Pai Eterno. desde já, o meu muito obrigada.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 24 de Setembro de 2011, 18:33
Canção da “Alegria Cristã”

Letra: Leopoldo Machado / Música: Oli de Castro

Somos companheiros,
Amigos, irmãos
Que vivem alegres, pensando no bem.
A nossa alegria é de bons cristãos,
Não ofende a Jesus, nem fere a ninguém.

A nossa alegria
É bem do Evangelho,
Vibra e contagia
Da criança ao velho.

Mesmo entre perigos
Daremos as mãos,
Como bons amigos,
Como bons irmãos.

Sempre ombro a ombro,
Sempre lado a lado.
Vamos trabalhar com muita alegria,
Pelo Espiritismo mais cristianizado,
Pela implantação da paz e harmonia.

A nossa alegria...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:26

Trabalho voluntário


O voluntariado é o conjunto de ações de interesse social e comunitário em que toda a actividade desempenhada reverte a favor do serviço e do trabalho. É feito sem recebimento de qualquer remuneração ou lucro.É uma profissão de prestígio pois o voluntário ajuda quem precisa contribuindo para um mundo mais justo e mais solidário.

O trabalho voluntário tem se tornado um importante fator de crescimento das organizações não-governamentais, componentes do Terceiro Setor. É graças a esse tipo de trabalho que muitas ações da sociedade organizada têm suprido o fraco investimento ou a falta de investimento governamental em educação, saúde, lazer etc.

Atualmente existem diversas organizações que se utilizam do trabalho voluntário de milhares de pessoas, não só no Brasil como em todo o mundo. Bons exemplos de organizações internacionais são: a Cruz Vermelha"[1], os Médicos Sem Fronteiras"[1] e o Serviço Voluntário Internacional do Brasil que tem ramificações em vários países. O SVI Brasil é o representante no país de um movimento pacifista mundial que desde 1920 promove o intercâmbio de serviços voluntários.

Uma forma de trabalho voluntário com a participação de milhões de pessoas é a computação voluntária, em que indivíduos instalam sistemas em seus computadores pessoais para colaborar em projetos científicos doando capacidade ociosa dos mesmos.

O trabalho voluntário, ao contrário do que pode parecer, é exercido de forma séria e muitas vezes necessita de especialização e profissionalismo,[2] já que empresas de toda sorte, como hospitais, clínicas, escolas etc precisam do auxílio de profissionais formados em várias áreas.

Em Portugal o exemplo mais antigo e importante é representado pelas Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários, pilar fundamental do exercício "Vida por Vida
".

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:27
MOTIVAÇÕES PARA A AÇÃO

Uma das razões freqüentemente apontadas para o engajamento em trabalhos voluntários é que nas atividades diárias não existem muitos desafios nem realizações, nem liberdade de ação suficiente, e nas empresas em geral não existe uma missão, apenas conveniência.

Também é comum que as pessoas realizem alguma atividade “socialmente útil”, como forma de retribuir à sociedade todo o conhecimento e experiências adquiridas ao longo da vida, ou apenas para ter uma ocupação do seu tempo livre, às vezes produto inclusive da situação de desemprego. Outro forte motivo alegado é a necessidade interior de fazer o bem, uma satisfação íntima pelo prazer de servir, estar bem consigo mesmo beneficiando o outro, dando de si, sem esperar nada em troca.

Verificam-se certas mudanças nos padrões do voluntariado nos últimos anos. As pessoas estão mais interessadas em se envolver em mais de uma causa, oferecendo seu trabalho voluntário em diferentes atividades. Também atuam mais na defesa dos direitos (advocacy) e no ativismo político. Enquanto ainda desejam se envolver com atividades de serviço, também desejam fazer diferença através de petições, abaixo-assinados, influência nas políticas públicas, e outras formas ativas de participação cívica. É necessário considerar a crescente noção de cidadania e de defesa de direitos humanos e sociais presente na sociedade atual.

O principal diferencial das práticas filantrópicas atuais com relação ao passado reside no fato de que sua população clientela não é mais concebida como sujeitos dependentes e tutelados. Os cidadãos engajam-se em atividades voluntárias não apenas para exercitar a caridade, mas para exercer suas cidadanias na defesa dos seus direitos e os dos outros.

Segundo documentação dos pesquisadores, o trabalho voluntário pode melhorar a auto-imagem, promover um sentimento de realização e competência e agir como um antídoto para o stress e a depressão. De fato, alguns estudos mostram que os voluntários tendem a ser mais saudáveis e felizes e viver mais que aqueles que não o são. Na realidade brasileira, segundo dados recolhidos na prática, voluntários de camadas socioeconômicas baixas, com problemas de inserção social, rejeição, falta de raízes devido às constantes migrações, encontram no trabalho voluntário um forte componente para conformarem sua identidade, aumentarem sua autoestima, e se sentirem valorizados no meio social em que atuam.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:29
INFLUÊNCIAS CULTURAIS E RELIGIOSAS

Quase todas as religiões, mesmo as mais novas, compartilham os ensinamentos de Jesus, Moisés, Alá e Buda, expressas na Bíblia, no Velho Testamento, no Alcorão, nos Dez Mandamentos, na Torah. E todas elas consideram a caridade como a maior das virtudes.

Na tradição judaico-cristã, a caridade era diretamente relacionada com o alívio das necessidades dos pobres, famintos, doentes (tradição do Bom Samaritano). Já entre os gregos e romanos, o objeto da doação não eram os indivíduos necessitados, mas o público em geral, a cidade.

A intenção não era tanto aliviar o sofrimento, como enriquecer a qualidade de vida. Este conceito grego, mais amplo, está mais intimamente relacionado com a idéia atual de instituição filantrópica.

Embora as pessoas tenham se reunido para propósitos assistenciais e solidários desde o começo dos tempos, as modernas formas associativas do esforço voluntário foram muito estimuladas pela Reforma, e seu movimento pela liberdade de associação, incentivado pela urbanização da sociedade durante a revolução industrial, e expandiram-se rapidamente no século XX. Estas organizações foram criadas e muitas existem até hoje para preencher grande variedade de propósitos, das necessidades individuais dos seus membros a serviços mais amplos para as comunidades.

Em pesquisa recente no Brasil, Emerson Giumbelli afirma que mesmo com suas divergências, espiritismo e catolicismo são semelhantes quanto ao significado da caridade: a salvação está relacionada ao “outro”, e este pode ser o “pobre”, o “necessitado” ou o “desvalido...” Mais do que um valor, a caridade é um mandamento, que mobiliza recursos pessoais (voluntários) e financeiros (contribuições) para ações filantrópicas, seja em instituições específicas ou nos diversos centros espíritas. A maioria das instituições espíritas se declaram com fins assistenciais (71%), o que demonstra que a motivação religiosa e a atividade assistencial estão articuladas, a última não existindo desvinculada da primeira. É porque a caridade faz parte da doutrina espírita que a filantropia adquire sentido.

Tanto a militância pelas causas sociais como o voluntariado partem de uma emoção, entre elas a indignação, ou a compaixão. O importante ponto em comum é que ambos se transformam a si mesmos, e assim, em conjunto, os indivíduos, as comunidades, e o país caminham em direção à confiança e à solidariedade.

É lícito pensar em “politizar a ação voluntária” no sentido de não perder de vista as causas reais dos problemas, possibilitando que o voluntário se transforme e transforme seu entorno, sentindo-se co-responsável pelas soluções a médio e longo prazo.

Pressente-se um esgotamento dos antigos modelos de voluntariado, ou seja, da simples ação apenas pela boa vontade, e do trabalho somente por motivos pessoais. O trabalho voluntário enquanto exercício de cidadania deve não só procurar a defesa de direitos, mas também assumir cada vez maiores responsabilidades.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:30
VALORIZAÇÃO E PRECONCEITOS

Existem na sociedade certos preconceitos, ao se ver o voluntariado não como um trabalho senão apenas como um passatempo. Também é comum se associar o perfil do voluntário ao de senhoras desocupadas e sem especialização; às vezes, os voluntários são alvo da desconfiança dos funcionários contratados das instituições, que se sentem ameaçados em seus postos de trabalho.

Por outro lado, algumas causas sensibilizam mais a sociedade em geral, especialmente a criança doente ou deficiente, e os voluntários que se dedicam a este segmento contam com grande valorização e prestígio social pela sua escolha, dependendo do tipo de instituição ou do tamanho do projeto.


Portal do Espírito
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:31
VOLUNTÁRIOS "PROFISSIONAIS"   Portal do Espírito


Muitas organizações sem fins lucrativos ainda dizem: “Nós não remuneramos os voluntários, portanto não podemos exigir nada deles...” Hoje se faz necessária uma mudança de atitude: “Os voluntários precisam obter muito mais satisfação de suas realizações, exatamente porque não recebem nenhuma remuneração...” A constante transformação do voluntário, de amador bem-intencionado a membro não remunerado da equipe, profissional e treinado, é o progresso mais significativo no setor sem fins lucrativos.

A priori, as pessoas não são “voluntárias em si.. “ A instituição que as acolhe tem que transformá-las em voluntários, aprimorando e desenvolvendo seu impulso solidário para transformá-lo em compromisso. É fundamental considerar o bem-estar do voluntário, sua gratificação, satisfação, felicidade e prazer ao realizar o trabalho solicitado, assim como o potencial de desenvolvimento pessoal (profissional e emocional), e sobretudo, as motivações que o levaram até a instituição.

Na relação entidades/voluntários, o espaço para a ação tem que ser um sistema motivador. Deve existir uma política definida, conceito e objetivos claros sobre o trabalho voluntário; objetivos específicos: resultados e metas claramente definidos para o trabalho voluntário; sistemas de capacitação, aperfeiçoamento, avaliação, e motivação constantes; e um sistema de informação, com indicadores de resultado, para dar retorno da ação, como uma espécie de prestação de contas dos resultados atingidos pelo esforço comum. A maior frustração de um voluntário é a falta de organização da entidade.

Ao estudar programas voluntários, uma conclusão inevitável é que eles requerem um certo nível de suporte financeiro, especialmente para garantir a contratação de um diretor ou coordenador. Conforme o depoimento de muitas instituições ouvidas, é recomendável que o gerenciamento do corpo de voluntários esteja em mãos de um profissional remunerado, funcionário efetivo da instituição, para garantir a continuidade dos planos, e evitar sucessivas mudanças de rumo na política do corpo de voluntários.

A chegada dos voluntários nas instituições deve ser preparada cuidadosamente: é preciso perceber que as instituições possuem uma história, uma cultura, uma dinâmica e uma equipe que já está desenvolvendo um trabalho, o que a iniciativa da inserção do voluntário vem se somar às presentes e não procura negar o já realizado.

Mas quais são as necessidades deste pessoal não remunerado? Que razões eles têm para permanecer na instituição? Sua primeira e mais importante exigência é que a organização tenha uma missão clara, que dirija todas suas atitudes. A segunda é treinamento. Uma das maneiras mais eficazes para motivar e manter os voluntários veteranos é reconhecer sua competência utilizando-os como agentes para treinar os recém-chegados.

Por seu lado, as pessoas devem gostar do trabalho voluntário que realizam e devem ser seletivas, aceitando aqueles que melhor se encaixem nas suas habilidades e preferências. Devem se comprometer apenas com o tempo de que realmente dispõem para executar as tarefas, e não assumir responsabilidades que não poderão cumprir.

Os voluntários se afastam da instituição quando a prática do grupo não satisfaz suas necessidades e expectativas. Para obter os melhores esforços de uma pessoa na equipe, ela precisa:

    * saber o que se espera dela
    * sentir que pertence à organização
    * sentir que honestamente se precisa dela
    * poder partilhar o planejamento das metas do grupo em clima de liberdade
    * sentir que é possível alcançar os objetivos e que os mesmos têm sentido para ela
    * ter delegação de responsabilidades que desafiem suas habilidades.

Não menos importante é o fato de que o trabalho voluntário deve ser fácil para o indivíduo, o que deve priorizar a escolha por ações próximas de sua residência, para tornar acessível o seu desempenho, fator relevante, por exemplo, no recrutamento de voluntários da terceira idade.

Outrossim, a entidade deve considerar pelo menos uma ajuda de custo para cobrir despesas de material, transporte, alimentação ou outras, originadas pelo seu trabalho, e mais especialmente para voluntários de baixa renda, que não têm possibilidades de contribuição financeira.

Até onde sabemos, parece mais fácil perder um voluntário do que ganhar outro. Portanto, uma estratégia de estímulo será sem dúvida profissionalizar esta ação não remunerada dentro da instituição. Se as ONGs quiserem atrair e manter seus voluntários, terão que utilizar a competência e os conhecimentos que eles aportam.

Precisarão lhes oferecer realizações com um propósito. Profissionalizar o setor requer uma missão clara, aprendizado e ensino contínuos, gerência por objetivos e auto-avaliação, alto nível de exigência mas a correspondente liberdade de ação e responsabilidade pelo desempenho e pelos resultados.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:35
VOLUNTARIADO NO BRASIL               Portal do Espírito


O trabalho voluntário, as ações voluntárias e a concepção de voluntário não são temas com forte tradição de estudos ou mesmo debates na sociedade brasileira. Historicamente este tipo de trabalho esteve vinculado à atuação de damas caridosas da sociedade, essencialmente tratando-se de um trabalho feminino. Só recentemente, nas últimas décadas, em decorrência da luta por direitos humanos, civis e sociais é que este trabalho começou a ser visto, em algumas esferas da sociedade civil, como possibilidade de ação cívica, bem como de ação voltada para o bem alheio (ou público).

A ação voluntária pode ser apenas uma ajuda informal (ao vizinho, ao colega), um esforço no sentido de consolidar o espírito comunitário, uma ajuda formal, através dos serviços sociais organizados, e/ou uma oportunidade para mudanças sociais. No Brasil de hoje, em maior ou menor grau, estão presentes as quatro vertentes, com certa predominância da terceira. Organizações tradicionais, especialmente as ligadas a movimentos religiosos e variadas instituições da área da saúde, vêm realizando desde há décadas importantes contribuições no aproveitamento do trabalho voluntário.

Na década de 90, o surgimento da Ação da Cidadania contra a Miséria e pela Vida, constituiu-se em fato de extrema relevância para revitalizar uma consciência adormecida na sociedade brasileira: a solidariedade, traduzida em esforço voluntário.

A proposta da Ação pela Cidadania foi deixar de esperar por ações estruturais que não estariam ao alcance do cidadão, mas estimular o gesto imediato, o alimento para quem tem fome, partindo para ações emergenciais como um primeiro passo. A partir deste movimento, muitos outros surgiram com a mesma proposta: fazer com que a sociedade tome iniciativas imediatas para resolver os seus problemas e, ao mesmo tempo, pressione o Estado para que ele cumpra seu papel de formular políticas públicas.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:37
PROGRAMA DE ESTÍMULO AO VOLUNTARIADO NO BRASIL

O Programa de Estímulo ao Voluntariado ora apresentado tem como objetivo geral promover o conceito e a prática da cidadania no país pela participação consciente, solidária e comprometida dos indivíduos em ações voluntárias, oferecendo canais organizados para a ação.

Seus objetivos específicos são: valorizar a imagem do voluntário, aumentar o número de indivíduos e ações voluntárias, qualificar os agentes voluntários, e produzir e socializar informações.

As duas grandes linhas estratégicas propostas contemplam inicialmente a criação de uma rede de Núcleos de Voluntários, em grandes cidades de várias regiões do país, e uma ampla campanha de marketing e comunicação, embasadas em sólidas parcerias entre os diversos atores.

Entre as atividades que estes Núcleos realizariam, destacam-se:

    * o reconhecimento, a valorização e a difusão das ações voluntárias já existentes;
    * a promoção do valor social do trabalho voluntário;
    * a conscientização, mobilização e engajamento de novos voluntários;
    * a organização da oferta e da demanda;
    * a capacitação das entidades para o gerenciamento dos voluntários;
    * a capacitação de voluntários em habilidades específicas;
    * a realização de pesquisas sobre a realidade atual do esforço voluntário e a publicação dos resultados das ações já existentes;
    * a publicação e distribuição de Manuais de Orientação gerais e específicos.

Sugerimos que estes Núcleos promovam programas de capacitação, para aumentar o conhecimento e as habilidades das organizações sobre o recrutamento e o gerenciamento dos voluntários, e focalizem suas ações em seis áreas prioritárias: a situação da infância, a pobreza, a saúde, a educação, o meio-ambiente e situações extraordinárias (por exemplo, prevenção de desastres naturais, preparação para Olimpíadas e outros).

Os Conselhos de cada Núcleo seriam formados por dirigentes locais de organizações que já trabalham com voluntários, considerando as especificidades de cada um, para compor um corpo diretivo com “expertise” em diversas áreas temáticas, assim como em técnicas de recrutamento, seleção, treinamento, gerenciamento e reconhecimento de voluntários.


Portal do Espírito
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:39
Voluntariado em Portugal

Em Portugal, nos Centros Porta Amiga, a AMI conta com voluntários médicos, enfermeiros, advogados, professores, assistentes sociais, psicólogos e com todos aqueles que nos ajudam a prestar serviços aos utentes que, de outro modo, não teriam acesso a essa assistência.

Se está disposto a fazer a diferença, comprometendo-se por uma causa com o seu trabalho e dedicação, veja onde mais precisamos da sua ajuda
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:47
Queridos amigos e irmãos...Sejam todos bem-vindos...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:51
PROTAGONISMO SOCIAL DOS JOVENS  Portal do Espírito


Acreditamos que um programa de voluntariado deve propiciar aos adolescentes e jovens o acesso a práticas em causas ligadas ao bem comum, ao meio ambiente, à preservação de bens culturais, ao resgate de memória histórica, assim como a proporcionar companhia e lazer a outros indivíduos.

Pode se estimular a participação promovendo debates e encontros em escolas e universidades, distribuindo material informativo (folhetos, brochuras, cartazes, fichas para cadastro), e estimular a reflexão sobre o tema através de concursos de textos, artigos e teses sobre voluntariado.

Seguem, apenas a modo de exemplo, alguns tipos de trabalho voluntário que os jovens podem realizar.

Trabalhos de tipo individual, estabelecendo relações pessoais sólidas com o beneficiário:

    * jovens estudantes ajudando crianças com problemas de aprendizagem nas escolas da comunidade, como “tutores...
    * jovens “adotando” uma criança sem pai/ou mãe na comunidade, acompanhando seu desenvolvimento e desempenho escolar. -
    * jovens que superaram problemas de dependência, como drogas, álcool e outros comportamentos auto-destrutívos, auxiliando jovens que estejam enfrentando a mesma situação.
    * jovens que superaram doenças graves, fazendo companhia e aconselhamento a crianças ou jovens na mesma situação.
    * jovens que “adotam um avó”; fazem companhia, oferecem distração e entretenimento, aulas de informática ou leituras para um idoso solitário, na comunidade ou em instituições.

Trabalhos em grupos:

    * Programas de manejo e conservação da natureza em reservas ambientais, programas de limpeza e conservação de parques, praças, jardins e pátios de escolas ou entidades.
    * Diversos tipos de atividades culturais para a comunidade: shows, mostras, exposições, feiras.
    * Acampamentos de trabalho de fins de semana: estudantes universitários selecionando uma comunidade e ajudando na reparação (pintura, telhado, parte elétrica e hidráulica) das casas de habitantes de baixa renda.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 14:58
VOLUNTÁRIOS DA TERCEIRA IDADE  Portal do Espírito


As pessoas da terceira idade, geralmente já aposentadas, têm mais tempo disponível nesta etapa da vida; também costumam sofrer as conseqüências da solidão, seja por não terem familiares próximos, ou pela falta de oportunidade de convivência assídua com filhos e netos. Por outro lado, numa cultura que sobrevaloriza a juventude, o idoso sente-se discriminado e inútil.

O trabalho voluntário apresenta-se assim como uma grande oportunidade de se manter ativo, física e intelectualmente saudável, motivado e participante. Sua experiência e suas habilidades, quando aproveitadas em programas bem planejados, são de grande valor para a comunidade; não se deve esquecer o valor cultural de transformação que representa a promoção da reinserção do idoso na sociedade, mostrando às crianças e jovens o quanto estas pessoas acumularam de experiência e o quanto podem ainda transmitir.

Os voluntários da terceira idade podem usar seus conhecimentos em atividades que beneficiem rápida e diretamente os outros, por exemplo:

    * Pessoas que levam distração, jazer, cultura, (apresentam fitas de vídeo ou cinema, contam histórias, ensinam artesanato) a crianças doentes internadas em hospitais.
    * Pessoas da terceira idade, saudáveis, que fazem companhia e pequenos reparos domésticos nas residências de idosos doentes, que moram sozinhos ou que não podem se locomover
    * Voluntários que organizam passeios, viagens e programas culturais (aulas de atualização, artesanato, concertos, museus) para pessoas da sua mesma idade e interesses.
    * Pessoas que “adotam um neto”, acompanhando os estudos, ajudando nas lições, proporcionando lazer a uma criança da sua comunidade.
    * Pessoas com experiência nos esportes, que podem organizar e treinar times comunitários, e formar novos treinadores.
    * Professores, aposentados ou não, que gravam fitas de áudio de livros didáticos ou temas científicos para estudantes deficientes visuais: ou que datilografam obras em sistema Braille.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 15:21
O indivíduo na sociedade: motivações que levam a agir em benefício dos outros                    Portal do Espírito
   

    * Por quê as pessoas escolhem (ou não) atuar em benefício de outros?
    * Quais os fatores em nossa sociedade que promovem o desenvolvimento da responsabilidade?
    * O papel da auto-imagem no serviço ao próximo.
    * Razões variadas para ajudar aos outros: altruísmo, reciprocidade, interesse próprio.
    * A importância da legislação para proteção e promoção do trabalho voluntário.
    * Escolhendo participar. Diferentes estratégias e tipos de mudança: dilemas da escolha.
    * Caminhos para participar: locais, nacionais, globais.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 16 de Outubro de 2011, 15:23
Queridos amigos e irmãos... Desejo a todos uma:
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 19 de Outubro de 2011, 23:23
Flávia Milanez, voluntária do Asilo Irmão Joaquim

Agradeço pela oportunidade de poder narrar um pouco sb esse tema que é o voluntariado.

O Asilo Irmão Joaquim é uma entidade que descobri estar cercada de pessoas que fazem mesmo a diferença.

Meu testemunho:

Decidi me inscrever no sistema de voluntariado online pouco antes do meu aniversário e assim que entrei no site já enviei as Ongs que precisavam de um trabalho de arte/divulgação/marketing meus dados.
Recebi o chamado do Asilo exatamente no dia do meu aniversário, para mim foi como um presente.
Mesmo sendo uma voluntaria online a troca de informações entre as partes - eu e a Julia do Asilo, e claro, o interesse real em ajudar se envolvendo de fato com as necessidades dos idosos carentes foi fundamental para que os prazos, as ações e o aumento do meu interesse em ser da equipe mesmo a distância dessem certo.

Me sinto parte da família sem nunca ter conhecido o Asilo, o comprometimento faz toda a diferença e sou grata pela oportunidade, pelo retorno e pelo site que proporcionou esta magica experiência para mim. É um trabalho onde todas as partes envolvidas são fundamentais, por isso aproveito para parabenizar o site, o asilo e todos os milhares de voluntários que existem no país.

voluntariosonline.org.br

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Outubro de 2011, 00:03
A dor do abandono

Era uma manhã de sol quente e céu azul quando o humilde caixão contendo um corpo sem vida foi baixado à sepultura.
 
De quem se trata? Quase ninguém sabe.
 
Muita gente acompanhando o féretro? Não. Apenas umas poucas pessoas.
 
Ninguém chora. Ninguém sentirá a falta dela. Ninguém para dizer adeus ou até breve.
 
Logo depois que o corpo desocupou o quarto singelo do asilo, onde aquela mulher havia passado boa parte da sua vida, a moça responsável pela limpeza encontrou em uma gaveta ao lado da cama, algumas anotações.
 
Eram anotações sobre a dor...
 
Sobre a dor que alguém sentiu por ter sido abandonada pela família num lar para idosos...
 
Talvez o sofrimento fosse muito maior, mas as palavras só permitem extravasar uma parte desse sentimento, grafado em algumas frases:
 
Onde andarão meus filhos?
 
Aquelas crianças ridentes que embalei em meu colo, alimentei com meu leite, cuidei com tanto desvelo, onde estarão?
 
Estarão tão ocupadas, talvez, que não possam me visitar, ao menos para dizer olá, mamãe?
 
Ah! Se eles soubessem como é triste sentir a dor do abandono... A mais deprimente solidão...
 
Se ao menos eu pudesse andar... Mas dependo das mãos generosas dessas moças que me levam todos os dias para tomar sol no jardim... Jardim que já conheço como a palma da minha mão.
 
Os anos passam e meus filhos não entram por aquela porta, de braços abertos, para me envolver com carinho...
 
Os dias passam... e com eles a esperança se vai...
 
No começo, a esperança me alimentava, ou eu a alimentava, não sei...
 
Mas, agora... como esquecer que fui esquecida?
 
Como engolir esse nó que teima em ficar em minha garganta, dia após dia?
 
Todas as lágrimas que chorei não foram suficientes para desfaze-lo.
 
Sinto que o crepúsculo desta existência se aproxima...
 
Queria saber dos meus filhos... dos meus netos...
 
Será que ao menos se lembram de mim?
 
A esperança, agora, parece estar atrelada aos minutos... que a arrastam sem misericórdia... para longe de mim.
 
Às vezes, em meus sonhos, vejo um lindo jardim...
 
É um jardim diferente, que transcende os muros deste albergue e se abre em caminhos floridos que levam a outra realidade, onde braços afetuosos me esperam com amor e alegria...
 
Mas, quando eu acordo, é a minha realidade que eu vejo... que eu vivo... que eu sinto...
 
Um dia alguém me disse que a vida não se acaba num túmulo escuro e silencioso. E esse alguém voltou para provar isso, mesmo depois de ter sido crucificado e sepultado...
 
E essa é a única esperança que me resta...
 
Sinto que a minha hora está chegando...
 
Depois que eu partir, gostaria que alguém encontrasse essas minhas anotações e as divulgasse.
 
E que elas pudessem tocar os corações dos filhos que internam seus pais em asilos, e jamais os visitam...
 
Que eles possam saber um pouco sobre a dor de alguém que sente o que é ser abandonado...
 
***
 
A data assinalada ao final da última anotação, foi a data em que aquela mãe, esquecida e só, partiu para outra realidade.
 
Talvez tenha seguido para aquele jardim dos seus sonhos, onde jovens afetuosos e gentis a conduzem pelos caminhos floridos, como filhos dedicados, diferentes daqueles que um dia ela embalou nos braços, enquanto estava na terra.
 


Autor:
Equipe de Redação do Momento Espírita.

Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Outubro de 2011, 00:16
Nossos Velhos

Vimo-lo mais de uma vez. Anda pelas ruas da cidade, empurrando um carrinho, desses próprios para recolher papéis.
Traz o corpo arcado sob o peso dos anos e, por vezes, não se sabe com exatidão se ele conduz o carrinho de papéis ou se este o puxa, de um lado a outro, estabelecendo a direção a seguir, tal a dificuldade que se observa naquele homem.
Os dias frios o surpreendem na rua e, ao final do dia, ele comparece ao mercadinho do bairro para comprar um pãozinho, um ovo, um pacote de fubá.
Quando sorri, aparecem seus poucos dentes amarelados e gastos. Necessitaria tanto de um dentista.
Nos dias de inverno, quando estende a mão um pouco enrolada em panos para disfarçar o frio, pode-se perceber a cor arroxeada dos que têm dificuldade de circulação sanguínea.
Os olhos não são ágeis e precisos como na juventude e ele calcula mal o tempo que leva para passar de um lado ao outro da rua, levando o seu carrinho cheio de caixas, papéis e jornais.
Mas seus ouvidos permanecem atentos e ele pode muito bem ouvir as buzinadas nervosas dos carros que passam conduzidos por motoristas apressados, que não se dão conta da sua dificuldade.
É um catador de papel. Velho e cansado. Olhando-o assim indefeso e buscando sobreviver com um pouco de dignidade, pois se orgulha em afirmar que ainda trabalha, apesar da sua idade, recordamos dos nossos velhos.
Os que desfrutamos da felicidade de ter os avós ao nosso lado, os guardamos com carinho no aconchego do lar, e nos preocupamos com suas refeições. Observando que eles já não se alimentam quanto deveriam, preparamos copos de suco, vitaminas, durante o dia.
Escolhemos ovos frescos e lhes servimos, quentes, batidos, junto a outros complementos vitamínicos a fim de que não enfraqueçam.
E se adoecem, para logo buscamos o médico, o medicamento, a internação, o que seja necessário.
São os nossos velhos, que recebem a nossa atenção e a nossa ternura, na forma de abraços e carícias nas cabeleiras brancas.
E esses outros, perdidos nas ruas da cidade? Que fazemos por eles?
É da Lei de caridade que o forte trabalhe pelo fraco, que o jovem auxilie o idoso. Quando este não tem família ou quem o socorra, é a sociedade que deve ampará-lo.
Como a sociedade somos todos nós, os cidadãos, voltemos nossas vistas para esses que vivem seus últimos anos em abandono e tomemos resoluções firmes.
Não aguardemos que o governo o faça. A solução pode demorar um pouco mais e a necessidade é urgente.
Que tal pensarmos em adotar um idoso? Não haverá necessidade de que o levemos para casa mas bem podemos verificar as condições do seu barraco e melhorá-lo.
Providenciar cobertas quentes, alimentação adequada, visitá-lo, fazer com que se sinta gente e gente importante outra vez.
* * *
O homem tem o direito de repousar na velhice.
A nada deve ser obrigado, além do que lhe permitam as suas forças.
É importante que o idoso se sinta útil, querido, amado.
Afinal, muitos dos seus amigos já partiram para a Espiritualidade, alguns dos filhos se encontram distantes cuidando da própria vida.
Se não lhe dermos um motivo para viver, para ser feliz, ele se tomará de tristeza, mergulhará em depressão e mais cedo, muito mais cedo partirá, tristonho e abatido.
Lembremos: todo velho um dia foi moço, produziu, contribuiu com a sociedade de alguma forma. Merecerá concluir seus dias na Terra em total e desconfortável abandono?


Redação do Momento Espírita, com pensamentos dos itens 685 e 685ª de O livro dos Espíritos, de Allan Kardec, ed. Feb.
Em 21.10.2010.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Outubro de 2011, 00:20
Entidades

O Instituto Espírita Batuíra de Saúde Mental, incentivando o trabalho, a caridade e o amor, também colabora com outras entidades na grande seara de Jesus:


Mocidade Espírita André Luiz
Endereço: Avenida Independência, nº 4439 Vinculada ao CEAC - Centro Espírita Amor e Caridade Fone: (62) 3224 1775

Site: http://www.meal.com.br

Atividades desenvolvidas:
Realizada todos os domingos das 09:30 h às 12:00 h
Na mocidade realizamos a Alegria Cristã das 09:30 h às 10:00 h, cursos da doutrina das 10:00 h às 11:00 h e oficinas artísticas (teatro, violão, artes manuais, comunicação social espírita) das 11:00 h às 11:50 h.
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Outubro de 2011, 00:21
ASCEP - Associação de Serviço à Criança Excepcional de Goiânia
Endereço: Rua Puccinne nº 145 - Jardim Europa - Goiânia
Fone: (62) 3583 0186
Atividades desenvolvidas e serviços prestados: Atualmente atende a 72 crianças, adolescentes e jovens em regime de internato e semi - internato. O atendimento é direcionado a uma clientela diferenciada, com constantes alterações e limitações. Para atendê-las a instituição conta com um quadro de profissionais qualificados: Neurologista, Psiquiatra, Pediatra, Educador, Assistência Social, Fisioterapeuta, Fonoaudióloga, e Psicóloga. Sendo também, campo de estágio para curso de Terapia Ocupacional e Fonoaudiologia. Maiores informações no site www.ascep.org.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hc2NlcC5vcmcuYnI=).
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Outubro de 2011, 00:23


MORHAN – Movimento de Reintegração do Hanseniano - Núcleo de Anápolis
Endereço: Rua 3, Quadra 8, Lote 12 - Jardim Novo Paraíso, Anápolis/GO
Fone: (62) 3387-4984 e (62) 3387-4149
Atividades desenvolvidas: Atendimento a 30 pacient
es. .
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dothy em 20 de Outubro de 2011, 00:25
Escritora Dothy Medeiros

Queridos amigos, sejam bem-vindos a este tópico

Trabalho voluntário é...

Uma das melhores formas de amar... Está ao Alcance de nosssa mãos

Abrace esta causa que é a caridade, ensinada e vivenciada por jesus...
Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Guadalupe Girassol em 24 de Março de 2012, 23:54
Decorre até 15 de Abril a campanha de recolha de livros para Timor: “Um Livro, Um Sorriso”. A iniciativa conta com a organização da ONG Karingana Wa Karingana, em cooperação com Governo de Timor, e tem os CTT como parceiros da campanha. Os correios de Portugal irão disponibilizar os meios necessários para a recolha de livros.
Para contribuir para a causa, basta ir a um balcão dos CTT, em qualquer ponto do País, e depositar desde enciclopédias, gramáticas, passando por dicionários, livros técnicos, manuais escolares de português e matemática [SÓ ESTES DOIS] até livros infantis. Posteriormente, os mesmos serão enviados para Timor, de acordo com o jornal Briefing.
[attach=1]


Título: Re: Trabalho Voluntário (Alcance das Mãos)
Enviado por: Dalva Maria Candido em 01 de Abril de 2012, 18:47
Abençoados todos aqueles que em seu despreendimento de coração, vão ajudar a alguém, vão suavizar alguns momentos de sofrimento, mesmo que seja por algumas horas ou por alguns minutos a aquele irmão que está numa situação de dificuldade!!!!
Tento fazer um pouquinho por cada paciente (ou acompanhante) que encontro semanalmente em uma cama de hospital (trabalho no Hosp. do Câncer - Rio de Janeiro - Unid. IV), onde estão aqueles que não conseguiram vencer a doença.  Mas,  mesmo dessa forma, acredito que quem mais sai beneficiada, sou eu. A cada dia aprendo algo novo. Aprendi que tenho muito mais do que mereço e que a qualquer momento de minha vida, eu posso estar nesta situação. Aprendi que a vida e a saúde é realmente o que importa e o quanto é importante que sejamos humildes diante de qualquer dificuldade que a vida possa nos apresentar!!!! Muita paz a todos!!!!