Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Outros Estudos => Tópico iniciado por: *Leni* em 28 de Fevereiro de 2009, 03:42

Título: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: *Leni* em 28 de Fevereiro de 2009, 03:42



O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA

A questão sobre a alimentação tem sido bastante discutida no movimento espírita.

Mensagens como a de Emmanuel (questão 129 da Ref. 1) e de André Luiz (Cap. 4 da Ref. 2) desaconselham o uso da alimentação carnívora.

Entretanto, isso parece se contrapor com a orientação básica dos Espíritos superiores presentes nas questões 722, 723, 724 e 734 do Livro dos Espíritos3. Reproduziremos aqui a questão 723:

723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

—  “Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização”.

Pretendemos demonstrar aqui que a recomendação de Emmanuel e André Luiz de se evitar a alimentação carnívora possui bases doutrinárias, não estando, portanto, em desacordo com o Espiritismo. Para isso, recorremos à Revista Espírita de dezembro de 1863 onde Kardec reproduziu uma mensagem do Espírito Lamennais4 que esclarece de modo claro todos os ângulos dessa questão:

“Sobre a alimentação do Homem”

(Sociedade de Paris, 4 de Julho de 1863. Médium: Sr. A. Didier)

“O sacrifício da carne foi severamente condenado pelos grandes filósofos da antiguidade. O Espírito elevado revolta-se à idéia de sangue e, sobretudo, à idéia de que o sangue é agradável à Divindade. E notai bem, que aqui não se trata de sacrifícios humanos, mas unicamente de animais oferecidos em holocausto.

Quando o Cristo veio anunciar a Boa-Nova, não ordenou sacrifícios de sangue: ocupou-se unicamente do Espírito. Os grandes sábios da antiguidade igualmente tinham horror a estas espécies de sacrifícios e eles próprios só se alimentavam de frutos e raízes.

Na terra os encarnados têm uma missão a cumprir:

Têm o Espírito que deve ser nutrido pelo Espírito, o corpo com a matéria; mas a natureza da matéria influi (compreende-se facilmente) sobre a espessura do corpo e, em consequência, sobre as manifestações do Espírito. Os temperamentos naturalmente muito fortes para viver como os anacoretas5 fazem bem, porque o esquecimento da carne leva mais facilmente à meditação e à prece.

Mas para viver assim, geralmente seria necessária de uma natureza mais espiritualizada que a vossa, o que é impossível com as condições terrestres. E como, antes de tudo, a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações. Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto, desde que seja razoável. É uma questão algo leviana para os nossos estudos, mas não menos útil e proveitosa”. (os grifos são nossos).

Essa mensagem explica que a dieta sem o uso da carne é melhor, pois isso “leva mais facilmente à meditação e à prece”. Isso aconteceria, pois, segundo Lamennais, a natureza da matéria influi nas manifestações do Espírito. Podemos comparar a situação com os vícios. Aquele faz uso de uma droga, por exemplo, impregna seu perispírito de vibrações que limitarão suas manifestações no mundo espiritual. Da mesma forma, o uso de uma dieta menos carnívora torna o perispírito menos “espesso” (usando aqui uma palavra que Lamennais usou no texto) o que permite que ele tenha mais facilidade em elevar seu pensamento em prece.

Porém, Lamennais, de modo responsável, deixou claro que a dieta vegetariana dependeria do aprimoramento espiritual da nossa Humanidade terrestre, o que ainda não ocorre. Daí adverte que “a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações”. Por isso a questão 723 acima não condena o uso da carne.

Sobre privações, a questão 724 do Livro dos Espíritos3 recomenda:

724. Será meritório abster-se o homem da alimentação animal, ou de outra qualquer, por expiação?

—  “Sim, se praticar essa privação em benefício dos outros. Aos olhos de Deus, porém, só há mortificação, havendo privação séria e útil. Por isso é que qualificamos de hipócritas os que apenas aparentemente se privam de alguma coisa”.

Dessa forma, a privação da carne só teria mérito se ocorrer em benefício do próximo. As atividades espíritas de passes e as reuniões mediúnicas constituem exemplos em que a abstenção do uso da carne, pelo menos no dia dessas atividades, pode levar a benefícios aos assistidos encarnados ou desencarnados. Mas se o tarefeiro tiver dificuldade com isso, Raul Teixeira6 assevera que, “É mais compreensível, e me parece mais lógico, que a pessoa coma no almoço o seu bife, se for o caso, ou tome seu cafezinho pela manhã, do que passar todo o dia atormentada pela vontade desses alimentos, sem conseguir retirar da cabeça o seu uso, deixando-se de concentrar-se na tarefa, em razão da ansiedade para chegar em casa, após a reunião, e comer ou beber aquilo de que tem vontade”.

Lamennais ainda disse que “Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto” sem esquecer que isso deve ser feito “desde que seja razoável”, isto é, sem exageros.

Portanto, a recomendação de Emmanuel e André Luiz é válida e está de acordo com o Espiritismo, mas não deve ser considerada uma exigência para a realização de um bom trabalho espírita ou uma boa reunião mediúnica. Lembremos, afinal, que Jesus em Mateus, Cap. 15 e vers. 11 disse que: “Não é o que entra pela boca que contamina o homem; mas o que sai da boca, isso é o que o contamina”. E, para aprimorar o que sai de “nossa boca” e de nossos atos, devemos nos esforçar pela reforma íntima e no estudo doutrinário.

Referências:
[1] Emmanuel, psicografia de F. C. Xavier, O Consolador, FEB, 20ª Edição (1999).
[2] André Luiz, psicografia de F. C Xavier, Missionários da Luz, FEB, 26ª Edição (1995).
[3] A. Kardec, O Livro dos Espíritos, Editora FEB, 76a Edição, (1995).
[4] Lamennais, Revista Espírita Dezembro, pp. 387- 388 (1863).
[5] Anacoreta é uma pessoa que se retira a um local isolado para dedicar-se a meditação e oração.
[6] D. P. Franco e J. R. Teixeira, Diretrizes de Segurança, Editora FRATER, 8ª Edição (2000).



Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Abril de 2009, 01:42
Olá

O Chico não diz se devemos ser vegetarianos ou omnivoros. Aconselha o bom senso e cuidado na alteração da alimentação, de forma gradual e bem informada pelos médicos.

Não critica nem pressiona os omnivoros para que mudem de regime, nem elogia ou critica os vegetarianos. Deixa a opção alimentar ao critério cada um de nós, alertando, contudo, que temos a obrigação de não fazermos disparates alimentares, sejam de que  tipo forem (tanto no caso dos que têm uma alimentação omnivora, como no caso dos vegetarianos), que nos estraguem a saude e nos impeçam de ser úteis, através do trabalho. Isso é que é prioritário.

Vale a pena ouvir e aprender com o Chico Xavier. Obrigado pela partilha do video.

bem haja
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Diegas em 05 de Abril de 2009, 03:19
Olá.


Penso que não seja uma questão de elogiar ou criticar, mas de despertar a consciência, de perceber que os animais tal como nós necessitam de amor e carinho. Há aqueles que amam seu bichinho de estimação, e estranhamente e de forma bizarra esquartejam e se deliciam com as partes mais íntimas dos animais. Não importa se matam o boi, o porco, o pato, o urubu, o rato...Há gosto e bôcas para tudo !!

Chico fez muito bem em desviar-se deste assunto polêmico, mas Emmanuel e André Luiz lembra-nos da necessidade de uma adequada orientação alimentar, abstendo-se da glutonice carnívora. Imagine as consequências para o Espiritismo se Chico tivesse desaprovado a comilança animal. Estariam neste momento os ortodoxos a desafiar a autoridade dele, confrontando-a com a da Codificação. Esta, por prudência, também se absteve de entrar no mérito em virtude da mentalidade tacanha do século XIX. Obvio que os espíritos responsáveis pela Codificação não correriam o risco de colocar a doutrina nascente em descrédito no seu início, e nem o fariam novamente se a tivessem de reescrevê-la, e isso justamente por ainda respeitar a precariedade da mentalidade de alguns comilões.

Não dá para compreender como há espiritas que consideram a matança de animais como algo natural, que se sintam à vontade preconizando o amor ao próximo com nacos de carne a escorrer pelos lábios grudentos de gordura.

O animal não tem direito à vida ?
Será que se alimentarmo-nos somente de frutas, hortaliças e cereais corremos o risco de estragarmos a saúde ?

Cabe a cada um saber a necessidade do estômago, mas não de propagar a comilança carnivora como algo normal. Nem de achar que Chico passou procuração estimulando o consumo do produto-animal.


Abç
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Abril de 2009, 14:40
Olá Diegas

Citar
O mais grave é o texto que dá origem a este tópico, pois não traz o autor do mesmo. Faz referencia a Raul Teixeira e fica nisso, como se este tivesse mais autoridade do que um Emmanuel ou André Luiz.

Na doutrina espirita não há autoridades. Pelo menos eu não reconheço legitimidade a ninguém para determinar como eu devo ou não devo interpretar a doutrina. Quem se quiser submeter a autoridades, contudo, está no seu direito. Nada a criticar.

Quanto à matança dos animais, se houver formas alternativas para todos de as evitar, não vejo inconveniente, desde que os médicos aprovem.

De qualquer forma é preciso pensar também nos impactos disso a nivel global. Pois se todos se tornarem vegetarianos a plantação de alimento vegetal vai implicar uma área de cultivo muito superior à actual, reduzindo o espaço para a floresta e para o habitat de muitas  espécies animais e vegetais.

Eu, sinceramente, não vejo as questão da mesma forma. Acho que nós pertencemos a um ciclo alimentar, em que ingerimos seres vivos, animais e vegetais, e depois somos ingeridos, quando o nosso corpo fisico morre. a terra é mesmo assim - um planeta precário. Não fui eu que inventei a necessidade de alimentação animal. A verdadeira solução é evoluir para mundos menos precários.

A morte não existe, nem sequer para a espécie de alma imortal dos animais, segundo a minha crença pessoal, por isso, alimentar-se dos animais, sem exageros nem violência desnecessária, desde que seja uma necessidade, como eu penso que é, pelo menos por enquanto e para muitas pessoas, não tem um impacto assim tão grave, de um ponto de vista do universo integral (espirito+matéria).

Crueldade grave é tratar mal os animais (e as pessoas, óbviamente...) enquanto cá estão. Isso é que me parece a questão prioritária, no momento actual.

bem hajas
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: *Leni* em 05 de Abril de 2009, 20:35




Diegas, nosso irmão José Raul Teixeira nasceu em Niterói, no Estado do Rio de Janeiro.

É Licenciado em Física pela Universidade Federal Fluminense, mestre em Educação pela mesma Universidade e Doutor em Educação pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Exerce o cargo de professor na Universidade Federal Fluminense.

Em sua terra natal, Niterói (RJ), junto de alguns companheiros, fundou, em 04 de setembro de 1980, a Sociedade Espírita Fraternidade (SEF), da qual é Diretor. Através do seu departamento social, Remanso Fraterno, a SEF desenvolve um trabalho de assistência a crianças socialmente carentes e a seus familiares, apoiando-as material e moralmente.

Com seu verbo útil e lúcido, Raul Teixeira é um dos oradores mais requisitados no Brasil e no Exterior, já tendo visitado todos os estados do Brasil e 40 países levando a mensagem espírita.

Psicografou diversas obras, ditadas por vários Espíritos, num total de 28 livros publicados até o momento. Desses livros, alguns já estão traduzidos para o espanhol, o inglês e o italiano, sendo todos os direitos autorais pertencentes ao Remanso Fraterno, para atendimento de seus serviços.

Portanto, Raul Teixeira, no meu entendimento, depois de Divaldo Franco, é o maior Orador Espírita do Brasil.

SORRIA. :D
JESUS NOS AMA.




 
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: *Leni* em 05 de Abril de 2009, 21:05

Citar
O Chico não diz se devemos ser vegetarianos ou omnivoros. Aconselha o bom senso e cuidado na alteração da alimentação, de forma gradual e bem informada pelos médicos. Não critica nem pressiona os omnivoros para que mudem de regime, nem elogia ou critica os vegetarianos. Deixa a opção alimentar ao critério cada um de nós, alertando, contudo, que temos a obrigação de não fazermos disparates alimentares, sejam de que  tipo forem (tanto no caso dos que têm uma alimentação omnivora, como no caso dos vegetarianos), que nos estraguem a saude e nos impeçam de ser úteis, através do trabalho. Isso é que é prioritário.

Vitor, excelente seu comentário.
Chico, como fiel seguidor de Jesus, não julgou, nem condenou, nâo criticou e nem elogiou o uso de alimentação carvívora, apenas nos alertou quanto aos excessos. É como você disse: Vale a pena ouvir e aprender com o Chico Xavier



Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Diegas em 06 de Abril de 2009, 15:01
'...Na doutrina espirita não há autoridades. Pelo menos eu não reconheço legitimidade a ninguém para determinar como eu devo ou não devo interpretar a doutrina. Quem se quiser submeter a autoridades, contudo, está no seu direito. Nada a criticar...'

Olá, Vitor.

Na Doutrina Espírita não deve haver hierarquia.

Conforme Kardec:

Citar
'...Faz-se também necessário, e acima de tudo, agir sobre o ser inteligente, com o qual se deve falar com autoridade, sendo que essa autoridade só é dada pela superioridade moral...'


Portanto, há autoridade moral em Erasto, Lammenais, Santo Agostinho, Lacordaire, Fénelon, São Luís, Emmanuel, André Luiz...

Para fazer valer o seu posionamento favorável a alimentação carnívora, voce não vê 'autoridade' nos médicos ? Mas já está mais de comprovado que este tipo de autoridade científica encontra-se muito distante da Ciência de Deus (dos espiritos)


Abç
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Marianna em 12 de Outubro de 2009, 16:36



A carne no banco dos réus: Participantes da Lista da CEPA na Internet discutem a questão do vegetarianismo sob a perspectiva espírita, a partir de texto do comunicador Ivan René Franzolin.

Reportando-se à questão 723 de O Livro dos Espíritos onde Kardec indaga dos espíritos se “a alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza”, lembra o articulista que a primeira frase da resposta foi: “Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece”. Mas, questiona Franzolin: “Como teria sido a resposta caso ele tivesse perguntado se o homem deveria se preparar para um dia deixar de comer carne”. Recolhe, então da resposta “que a alimentação carnívora é parte do processo evolutivo e natural do homem”, mas que isso vale apenas “até um instante de sua evolução” e que esta, segundo alguns vegetarianos, já teria sido alcançada “para aqueles mais evangelizados”.

Segundo o artigo, os conhecimentos da época em que os espíritos deram aquela resposta a Kardec não permitiam incitar o homem a uma mudança de sua alimentação carnívora, sem prejuízo à saúde. Mas que “a situação atual apresenta diferenças muito favoráveis à alimentação vegetariana, aumentando consideravelmente as opções dessa dieta”. Mesmo defendendo a alimentação vegetariana, Franzolin, em seu artigo, destaca: “Independente da análise quanto ao tipo de alimento que ingerimos, se faz necessária a eliminação dos excessos e de qualquer postura que nos coloque próximo da posição de quem vive para comer, ao invés de comer para viver”.

Argumentos contrários e favoráveis no grupo de discussão A tese vegetariana, que tradicionalmente encontra defensores e opositores no meio espírita, também na Lista da CEPA motivou argumentos em ambos os sentidos. O debatedor Vital Ferreira (SP) questionou argumento também presente no artigo de que em Nosso Lar, obra psicografada por Chico Xavier, “os habitantes foram compelidos a deixarem o hábito de comer carne”.

Pergunta se, com isso, o articulista “está dizendo que os espíritos comem carne”.
A partir dessa observação, o debatedor Marcus (Salvador/BA) contestou a própria existência de animais na erraticidade, evocando, para tanto, O Livro dos Espíritos. Por sua vez, Sérgio Maurício (Salvador/BA) fez críticas à posição dos vegetarianos que, em seu discurso, “se consideram mais evoluídos”. Para ele é arrogância achar que uma opção alimentar é caminho ou não para evolução espiritual. Diz o debatedor: “Não tenho nada contra ou a favor de opções alimentares, pois penso firmemente que isso não tem absolutamente nenhuma importância no desenvolvimento espiritual”.

E acrescenta: “Achar que um animal tem mais vida do que uma planta é, no mínimo, um entendimento bem particular e ideologicamente interessado do conceito de vida”.

Paulo Cesar (DF) sustentou no debate que a alimentação carnívora gera compromissos cármicos, sob o entendimento de que fazemos os animais sofrerem “e há uma lei de retorno”. Também participante da lista, Israel Agudelo, de Bogotá, Colômbia, saudou a discussão do tema “tão importante para aqueles que vemos os animais como irmãos e não como meio de alimentação”.

Nossa Opinião, Sem culpas, Costumes alimentares, tanto quanto os de outros aspectos da vida humana, são mutáveis. Se recuarmos no tempo, vamos encontrar o homem primitivo abrigado em grutas de pedra, comendo a carne crua dos animais que saíra a caçar. Nosso organismo, hoje, por certo não suportaria os alimentos que eram, então, por ele ingeridos.

O hábito de comer carne que, diferentemente de nossos antepassados, aprendemos a cozer ao fogo, juntando-lhe condimentos que a transformam em delicadas iguarias, continua, em nosso tempo, sendo uma das principais bases da alimentação humana. Assim mesmo, diversamente do que ocorria no século 19 (época em que os espíritos deram a entender a Kardec que ela era praticamente indispensável à alimentação humana), hoje existem outras opções de cardápio capazes de suprir os nutrientes presentes na carne.

Ademais, costumam-se associar, presentemente, ao consumo da carne riscos de doenças como o câncer, distúrbios cardíacos e, inclusive, a redução da expectativa de vida.
Aspectos dessa natureza têm levado, hoje, muitas pessoas a reduzir ou, mesmo, a abandonar o consumo da carne, substituindo-a, no entanto, por outros tipos de nutrientes que a agricultura e a engenharia alimentar modernas põem à disposição do consumidor. Dessa forma, tornar-se vegetariano já não resulta de convicções religiosas ou de escrúpulos espiritualistas, mas aqueles que o fazem são, via de regra, movidos por razões de saúde. Numa visão inspirada na filosofia espírita, que contempla o homem como um ser integral - corpo/mente/perispírito/espírito -, a saúde material tem, também, importantes repercussões espirituais. Essa linha de raciocínio abre espaço a uma visão mais sistêmica da vida, levando em conta aspectos ecológicos e de respeito a todas as formas de vida.

É possível que, num lapso semelhante àquele que nos separa hoje do tempo em que surgiu o espiritismo, o consumo da carne venha a ser drasticamente reduzido ou até abandonado. Convém, entretanto, que as mudanças ocorram sem a intercorrência de condenações, remorsos ou autoflagelos carregados de ameaças, culpas ou medos. A vida flui e se aprimora a partir do avanço do conhecimento acerca de nós próprios e do mundo que nos rodeia.

Se os preceitos religiosos, ontem, assumiam formas imperativas a regular nossos hábitos pessoais, os tempos de hoje colocam-nos à disposição conhecimentos e alternativas capazes de permitir que, com liberdade, tracemos projetos de vida úteis ao nosso desenvolvimento físico, psíquico e espiritual: sem culpas e com vistas à nossa felicidade e daqueles que nos rodeiam ou que virão depois de nós.

Um artigo do comunicador espírita Ivan René Franzolin postado na lista de discussão da CEPA pelo debatedor Paulo Cesar (DF) e que pode ser lido em sua íntegra no blog http://blog-espiritismo.blogspot.com/2009/05/e-o-vegetarianismo.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2Jsb2ctZXNwaXJpdGlzbW8uYmxvZ3Nwb3QuY29tLzIwMDkvMDUvZS1vLXZlZ2V0YXJpYW5pc21vLmh0bWw=)


Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 12 de Outubro de 2009, 19:40
Diante do exposto, continuo firmemente a afirmar, que não há nenhum óbice á alçimentação animal.
Não influindo na moral nem no moral do Espírito cada um é livre para comer ou deixar de comer, no entanto se entre os vegetarianos de plantão, houver algum que não haja por bem edificar sua moral segundo a moral do Guia e modelo para a humanindade, ver-se-á, rapidamente a diferença entre os do grupo.
Simples assim.
Abraços,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Vitor Santos em 12 de Outubro de 2009, 20:35
Olá

A minha opinião é que a formei a ouvir vários médicos.

Qualquer mudança alimentar importante deve ser acompanhada pelo médico, para evitar riscos.

Espiritismo não é medicina e sobre nutrição devem falar os médicos especialistas no assunto.

Os textos expostos não são artigos médicos nem feitos por médicos, em regra, por isso, muita prudência amigos.

bem hajam
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 12 de Outubro de 2009, 21:03
Voz da prudência mano Vitor, assino embaixo!
Abraços,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: MarcoALSilva em 12 de Outubro de 2009, 23:19

Já tive oportunidade de opinar sobre o tema deste tópico alhures neste Fórum, já há algum tempo (não muito)...

Gostaria, por amor à verdade, de acrescer apenas isso:

Como carne e gosto muito. No entanto, acredito que comer carne [e principalmente gostar muito] são características fortes do baixo nível evolutivo da humanidade no quesito "alimentação". Somos como crianças na fase de prazer oral... A alimentação em geral é-nos um prazer, antes de tudo... Sim, certo, não precisamos fazer da alimentação algo assim como uma "provação", concordo; todavia, somos uma humanidade que tem a culinária como um notório traço cultural de cada povo (!!!).

Como carne e gosto muito... Mas imagino que não poderei continuar fazendo isso ad infinitum se quiser mesmo elevar o meu tom vibratório...

Para ser de todo sincero, como carne e gosto muito mas não tenho orgulho algum de assim proceder.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 12 de Outubro de 2009, 23:52
Não é questão moral comer ou não comer carne mano Marco,. e sim de necessidade orgânica tendo em vista que uma das proteínas da carne até hoje não conseguiu a ciência sintetizar.
pode se viver sem ela? sim, se pode mas sempre na carência desta enzima ou proteína, não sei bem indicar o que seja.
O que eleva a alma, segundo a doutrina, é a moral ilibada, a perfeição moral. E os votos ao bem geral. Não me consta e nem consta de nenhuma dicionário de moral que alimentar-se de carne influa nessa parte.
Abração,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Aldebaran em 13 de Outubro de 2009, 02:56
Já vi o Emmanuel - por uma questão pessoal - ir contra o ato de comer carne. E já  vi o Divaldo, devido a uma questão política dentro do movimento espírita, dizer que "para nós se nos afigura de somenos importância o ato de comer carne". "A carne alimenta a carne, e o Espírito alimenta o Espírito". Os animais estão na Terra para servir também, assim como o nosso trabalho é o de servir à humanidade. Os animais estão também em processo de evolução.
Quanto aos veganos, é como eu ouvi um ateu dizer: "eles comem a alma do boi"  :D

abçs,

Renato
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Vitor Santos em 13 de Outubro de 2009, 12:40
Olá Marco

Compreendo a preocupação das pessoas com os animais. Respeito profundamente todas as pessoas a quem repugna comer carne e peixe, por implicar ter de matar animais.

A mim também me dói pensar que sou cumplice da matança dos animais, se me puser a imaginar a trabalhar num matadouro, por exemplo.

Não trabalho em nenhum matadouro, nem sou caçador ou pescador, mas consumo carne e peixe. E como diz o povo: "tanto é ladrão o que vai à horta como o que fica à porta".

Mas as coisas não assim tão graves se pensarmos que os animais não são o corpo que apresentam, mas que tb têm alma (embora menos desenvolvida que a dos homens). Nos matadouros ou nas redes dos pescadores ficam corpos para consumir, mas não almas. Essas perduram para a eternidade e um dia serão almas que animam os homens.

Todos os corpos de carne do planeta estão condenados à morte. E o nosso próprio corpo de carne será consumido por vermes, senão for cremado préviamente.

Nós fomos colocados aqui neste planeta e por muito que isso nos impressione, a precariedade continuará para além da nossa estadia. Mesmo que entretanto a raça humana deixe completamente de comer carne.

O facto de saber que os animais têm alma não é razão para os matar, evidentemente. Mas, em regra, o homem não mata animais pelo prazer de matar, mas para comer, tal como os animais entre si.

Quem mata animais por prazer são os que praticam a caça e a pesca desportiva, os que fazem as touradas e outros jogos similares. Em resumo: todos aqueles que os matam para se divertir com o espectáculo da matança ou que têm prazer em matar.

Senão desejamos viver num planeta precário, podemos lutar por merecer que as nossas encarnações futuras sejam em planetas menos precários. Nessa luta pacifica por fazer o bem e não fazer o mal, a questão do consumo da carne animal não está ainda no topo das minhas prioridades, mas muito menos nas prioridades da humanidade, em geral.

O que não há dúvida que é mau e que podemos evitar é a crueldade para com os animais. Ou seja minimizar tanto quanto possivel o sofrimento dos mesmos. A matar um animal podemos usar métodos que não o façam sofrer, a transportar os animais podemos ter cuidado para criar sofrimento, nos locais onde os animais vivem podemos dar-lhe boas condições de vida, etc. Isso sim acho que é uma prioridade inegável.

Mas como podemos esperar grande preocupação com os animais se os povos ditos tecnológicamente mais avançados ainda não se preocupam com tantas pessoas que sofrem à fome, à sede, por falta de cuidados básicos de saude e sob a prepotência de crueis homens armados?  

bem haja
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Aldebaran em 14 de Outubro de 2009, 00:36
Citar
Mas como podemos esperar grande preocupação com os animais se os povos ditos tecnológicamente mais avançados ainda não se preocupam com tantas pessoas que sofrem à fome, à sede, por falta de cuidados básicos de saude e sob a prepotência de crueis homens armados? 


Olá amigos, concordo plenamente com o post do Vitor. Os animais estão aqui também para servir. Não é a toa que eles estão submetidos ao mister de servir ao homem em sua alimentação. Estão como nós todos, pleiteando melhores patamares na escala da evolução.
Quanto à citação acima, acho ela um bom motivo para não nos preocuparmos tanto com essa questão, haja vista que há outras de maior urgência. abçs,

Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: psi em 14 de Outubro de 2009, 06:01
Confesso que já apreciei um bom filé com fritas ou um torresminho de porco. Há um tempo atrás, passando uns dias num sítio, estava próximo ao curral, quando o caseiro veio com um facão para matar o porco que nos seria servido à refeição. O animal, ao ver o facão, pareceu pressentir a morte iminente e começou a guinchar. O olhar de desespero do bicho era de doer na alma. Eu não pude assistir àquela cena macabra. Dei meia volta, e mesmo a uns quinhentos metros do curral ainda era possível ouvir os seus grunhidos agonizantes.
Isso me marcou de tal forma que desde então eu deixei de comer carne vermelha. Hoje me contento com a carne de aves e peixes, que nutritivamente falando, nos dão todas as vitaminas e proteínas necessárias.
Sobre esse assunto, acho interessante o seguinte trecho do livro O SUBLIME PEREGRINO de
Ramatis: Jesus desde pequenino revelou profunda repugnância pela carne, e às vêzes que o fizeram ingerí-la, ele sofreu violentos surtos de urticária que produziram preocupações sérias. Felizmente José e Maria seguiam costumes dos essênios, em cuja alimentação predominavam vegetais, frutas, cereais e o peixe, que era abundante. Só em épocas de crise na lavoura e na pesca, é que eles recorriam à carne, mas assim mesmo o faziam de modo parcimonioso. O peixe era o alimento principal e o preparavam de mil modos. A alimentação dos nazarenos se completava com figos, tâmaras, azeitonas em azeite, pão de trigo ou preto com mel e manteiga com leite de cabra. JESUS FOI SEMPRE FRONTALMENTE AVESSO AOS ALIMENTOS CARNÍVOROS, EMBORA RECOMENDASSE O USO DO PEIXE; e mesmo na última ceia com os seus discípulos, ele expõe um dos mais significativos símbolos da vida espiritual, quando, em vez de partir um naco de carne, apanha uma porção de pão e o vinho, e os oferece exclamando: " Eis a minha carne e o meu sangue!"        
Um abraço a todos.

PSI.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Vitor Santos em 14 de Outubro de 2009, 21:22
Olá Psi

O tipo de matança do porco de que fala é de facto uma forma cruel de matar os animais, porque os faz sofrer. Penso que em Portugal a legislação proibe esse tipo de matança. Mas há sempre pessoas que continuam com esse costume, que já vem de longe. Nos matadouros julgo que os animais são mortos com um choque eléctrico muito rápido.

Não consigo entender qual é a diferença entre a carne do porco ou das aves. Tanto é chocante a morte de uma ave, como a de um porco. É mais o tipo de morte que está em jogo, do meu ponto de vista. Seja peixe, ave, porco ou vaca, é sempre matar um animal, não devemos provocar sofrimentos desnecessários às nossas presas.

Também evito carnes vermelhas, mas por outros motivos: são carnes gordas e isso não é muito bom para a saúde. Gorduras saudáveis são as dos peixes e dos vegetais (azeite, por exemplo), que permitem o fabrico de colesterol bom, como toda a gente sabe hoje em dia.

O Ramatis pode até conhecer a vida de Jesus, não digo que não ( e muito menos digo que sim). Mas para eu me convencer não basta a palavra de um só espirito, seja ele quem for. Se fossemos confiar em tudo o que dizem os espiritos, mal de nós, amigo.

E mesmo supondo a veracidade das afirmações do Ramatis, não se pode estabelecer uma relação entre o consumo de carne e a elevação moral, pois no Oriente há muita gente que não come carne, mas nem por isso a história deixa de contar que sempre existiu crueldade e maldade entre essas pessoas, tal como existe e existiu sempre entre nós.

É o que fazemos para o bem comum e para o nosso próprio bem que nos eleva. Estou convencido que aquilo  que comemos não é muito significativo nesse processo.

Se somos demasiado apegados aos prazeres da carne, isso sim é sinal que estamos a deixar-nos levar demasiado pelas coisas da matéria. É sinal que é o corpo de carne que nos conduz, em vez de ser o espirito.

É a elevação moral nos pode livrar da precaridade deste mundo. Era bom que bastasse uma dieta alimentar para merecermos melhor sorte no futuro...

Uma dieta é boa desde que não prejudique a saude do nosso corpo. Se garantirmos isso sem alimentação animal, de uma forma sustentada e extensivel a todos, não vejo inconvenientes. Será que já estamos nessas condições?

bem haja
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: MarcoALSilva em 15 de Outubro de 2009, 00:32

Amigo Vitor Santos,

Você é uma pessoa muito especial. Raramente tenho visto alguém se colocar com tanta ponderação e fineza. Sinto-me na obrigação de lhe dizer isso! Muito obrigado.

A minha concepção quanto aos animais tem muito a ver com o fato (que eu já descrevi em outro tópico) de ter visto o comportamento de bovinos criados com carinho, como se de estimação fossem. Percebi que há outros seres (além de cães e gatos, por exemplo) que desenvolvem MUITO a sua componente emocional quando tratados com carinho... Vi (ninguém me contou, eu vi) uma vaca se aproximar de sua ex-dona e, esfregando a enorme cabeça, verter lágrimas em puro carinho... Um choro realmente "digno", "sereno"...

Claro que é do mundo que o homem se alimente de animais... Sei que é o normal e comum... Mas arrisco-me a conjecturar que é assim mas não será sempre assim...

Não há bases doutrinárias, sequer uma tese nisso que afirmo... É apenas o que sinto. Sinto que os animais são nossos irmãozinhos.

 :D Claro que os vegetais também são seres vivos...  :D

É uma condição do plano físico o corpo denso com suas necessidades. Dentre elas, as proteínas... Compreendo, mas isso me faz ainda mais desejar um tempo em que nossa constituição não seja tão exigente quanto à depredação de outros evolucionários...

Enfim... É apenas o que sinto...

Um abração a todos!

Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: MARIO13 em 15 de Outubro de 2009, 01:11
Fiz opção por não comer carne, a princípio por ser um alimento de dificil
digestão e por isso pesar  no estômago, depois acostumei-me com  o conforto pela absten ção,  daí em diante fui arranjando motivos e um deles,  a preservação dos animais,  que nos podem ser úteis de outra forma,  sem necessáriamente serem assassinados.
Mas concordo com os que julgam ser melhor não consumir carne em pró de uma evolução espiritual, e também com aqueles que não se sentem atrasados por consumirem,  a posição está na consciencia de cada um.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: psi em 15 de Outubro de 2009, 02:45
Olá vitor,

O que me chocou foi a morte violenta, onde o animal, no caso, o porco, sofreu por intermináveis minutos. Esse fato colaborou para a minha abstinência de carne vermelha.
Deveria apiedar-me da mesma forma com relação às aves e aos peixes, mesmo descartando-se o tipo de morte, se é violenta ou não, pois uma morte é sempre uma morte independentemente de ser com um choque elétrico ou com uma paulada na cabeça, mas o fato é que eu sinto falta da proteína animal, e causa-me menos remorso alimentar-me de uma ave ou de um peixe do que de um mamífero que, na escala evolutiva, está bem mais próximo de nós seres humanos, do que as aves, répteis e peixes.
Pode estar certo o amigo que eu não confio cegamente no que dizem os espíritos, mas submeto-os sempre ao crivo do meu bom senso e racionalidade. E é por isso que aceito o trecho transcrito do Ramatis, pois julgo-o extremamente coerente. Jesus, do alto da sua sapiência, sabedor da nossa necessidade proteica proveniente da carne animal, recomendou-nos o uso do peixe, que além de ser um animal rico em proteínas, é o animal que está abaixo
dos outros na cadeia evolutiva, e isso traria à morte do peixe um atenuante do ponto de vista do seu atraso evolutivo em relação a outras espécies mais adiantadas. Isso é um fato bastante relevante e que nada tem a ver com o tipo de carne, mas com a evolução do princípio inteligente. Se o amigo se der conta, nos mamíferos, o princípio inteligente já irradia um pensamento descontínuo mais elaborado, com fragmentos de sentimento e raciocínio, o qual ocorre em sentido inversamente proporcional, nas aves, nos répteis e por último nos peixes, onde esses fragmentos ainda dormitam.

PSI.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: MongeShaolin em 15 de Outubro de 2009, 03:05
Saudações,
Pois é, assisti a um video que
vi toda a crueldade na ora do abatimento,
definindo com uma unica palavra:
horrivel!!!
O mais difícil é parar, mas chegará um tempo
em que não precisaremos mais de carne,
graças a Deus!

Abraços.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Vitor Santos em 15 de Outubro de 2009, 12:55
Olá Marco

Citar
Não há bases doutrinárias, sequer uma tese nisso que afirmo... É apenas o que sinto. Sinto que os animais são nossos irmãozinhos.

Eu também sinto que os animais são nossos irmãos e acredito que um dia as almas que hoje estão encarnadas em animais, encarnarão como seres humanos. E acredito que a minha alma já encarnou em animais.

Quanto à inteligência e à sensibilidade dos animais do ponto de vista afectivo, não só acredito, como sei, por experiência própria. Eles aprendem coisas novas e não mostram afectividade apenas quando têm fome, sede ou outras necessidades fisiológicas. Os animais não são meras máquinas biológicas.

Um cão, por exemplo, pode ter acesso a uma excelente alimentação e a todos os confortos, mas sofre a ausência do dono. Há cães e gatos que até deixam de comer, mesmo tendo alimentos que eles gostam muito no prato. Conheço o caso de uma cabra que também sofre a ausência do dono, mesmo sem nada lhe faltar, isso não é afectividade?

Citar
Livro dos espiritos:

728. É lei da Natureza a destruição?

“Preciso é que tudo se destrua para renascer e se regenerar. Porque, o que chamais
destruição não passa de uma transformação
, que tem por fim a renovação e melhoria dos
seres vivos.”

a) - O instinto de destruição teria sido dado aos seres vivos por desígnios providencias?

“As criaturas são instrumentos de que Deus se serve para chegar aos fins que objetiva. Para se alimentarem, os seres vivos reciprocamente se destroem, destruição esta que obedece a um duplo fim: manutenção do equilíbrio na reprodução, que poderia tornar-se excessiva, e utilização dos despojos do invólucro exterior que sofre a destruição. Esse invólucro é simples acessório e não a parte essencial do ser pensante. A parte essencial é o princípio inteligente, que não se pode destruir e se elabora nas metamorfoses diversas por que passa.”

729. Se a regeneração dos seres faz necessária a destruição, por que os cerca a
Natureza de meios de preservação e conservação?

“A fim de que a destruição não se dê antes de tempo. Toda destruição antecipada
obsta ao desenvolvimento do princípio inteligente. Por isso foi que Deus fez que cada ser
experimentasse a necessidade de viver e de se reproduzir.”

730. Uma vez que a morte nos faz passar a uma vida melhor, nos livra dos males
desta, sendo, pois, mais de desejar do que de temer, por que lhe tem o homem,
instintivamente, tal horror, que ela lhe é sempre motivo de apreensão?

“Já dissemos que o homem deve procurar prolongar a vida, para cumprir a sua tarefa. Tal o motivo por que Deus lhe deu o instinto de conservação, instinto que o sustenta nas provas. A não ser assim, ele muito freqüentemente se entregaria ao desânimo. A voz íntima, que o induz a repelir a morte, lhe diz que ainda pode realizar alguma coisa pelo seu progresso. A ameaça de um perigo constitui aviso, para que se aproveite da dilação que Deus lhe concede. Mas, ingrato, o homem rende graças mais vezes à sua estrela do que ao
seu Criador.”

731. Por que, ao lado dos meios de conservação, colocou a Natureza os agentes de
destruição?

“É o remédio ao lado do mal. Já dissemos: para manter o equilíbrio e servir de
contrapeso.”

Quanto ao futuro:

Citar
Livro dos espiritos:

732. Será idêntica, em todos os mundos, a necessidade de destruição?

“Guarda proporções com o estado mais ou menos material dos mundos. Cessa,
quando o físico e o moral se acham mais depurados. Muito diversas são as condições de
existência nos mundos mais adiantados do que o vosso.”

733. Entre os homens da Terra existirá sempre a necessidade da destruição?

Essa necessidade se enfraquece no homem, à medida que o Espírito sobrepuja a
matéria. Assim é que,como podeis observar, o horror à destruição cresce com o desenvolvimento intelectual e moral.”


734. Em seu estado atual, tem o homem direito ilimitado de destruição sobre os animais?

Tal direito se acha regulado pela necessidade, que ele tem, de prover ao seu sustento e à sua segurança. O abuso jamais constitui direito.

735. Que se deve pensar da destruição, quando ultrapassa os limites que as
necessidades e a segurança traçam? Da caça, por exemplo, quando não objetiva senão o
prazer de destruir sem utilidade?

Predominância da bestialidade sobre a natureza espiritual. Toda destruição que
excede os limites da necessidade é uma violação da lei de Deus. Os animais só destroem
para satisfação de suas necessidades; enquanto que o homem, dotado de livre-arbítrio,
destrói sem necessidade. Terá que prestar contas do abuso da liberdade que lhe foi
concedida, pois isso significa que cede aos maus instintos.”

736. Especial merecimento terão os povos que levam ao excesso o escrúpulo,
quanto à destruição dos animais?

“Esse excesso, no tocante a um sentimento louvável em si mesmo, se torna abusivo
e o seu merecimento fica neutralizado por abusos de muitas outras espécies. Entre tais
povos, há mais temor supersticioso do que verdadeira bondade.”

Está patente nestas citações que o horror à destruição do animais é de facto um sinal de evolução espiritual, tal como me parece que você defende (e sente). Quando as intenções das pessoas são realmente o amor pelos animais.

Mas atenção que a destruição dos peixes também deve causar horror, e atenção também que obter leite e ovos também pode representar um sofrimento aos animais, que dura a vida toda deles e não apenas no momento da morte.

E temos de ponderar também que muitos dos animais criados em cativeiro não existiriam se não fossem as necessidades alimentares do homem. Muito menos animais poderiam encarnar para evoluir do ponto de vista espiritual. E não sei se isso seria melhor ou pior.

Das citações do LE também se pode retirar que só se justifica matar os animais para comer se isso for efectivamente necessário. Sobre essa necessidade, como já disse, não me pronuncio. Cabe aos médicos dar essa resposta e eu não sou médico. E cabe aos especialistas nas áreas da agricultura, pesca e pecuária saber se isso é possivel e sustentável para a humanidade de momento. Pois o aumento do consumo de alimentos vegetais também tem impactos fortes na natureza.

Alterar as condições naturais, de forma a obter novos equilibrios, pode até ser louvável, mas até hoje as interferências do homem na natureza nem sempre foram positivas, como é óbvio. É preciso que sejam homens muito sábios e descomprometidos a fazê-lo, para minimizar os riscos.

No futuro, as citações também lhe dão razão amigo: chegará o dia em que deixamos de encarnar em corpos que necessitem de alimentar dos animais.

Só não concordo consigo quando diz que não há bases doutrinárias que justifiquem o que o amigo pensa...

bem haja
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Anton Kiudero em 15 de Outubro de 2009, 14:11
Gente, gente,

Come carne quem quer e porque lhe apetece. É apenas um apego como tantos outros dos quais quem quiser pode se desvencilhar. Não procurem explicações no LE ou outros livros porque isto será apenas mais uma racionalização. O mal que estarão fazendo é apenas a si mesmos e a mais ninguem. E o nome do mal é APEGO.

Anton
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Vitor Santos em 15 de Outubro de 2009, 15:28
Olá Anton

Não preciso de justificar as minhas opções alimentares a ninguém, não sei onde é que o amigo foi inventar tal ideia.

Estamos num fórum espirita e o objectivo do mesmo é a divulgação da doutrina espirita. A não ser que o amigo ache que devemos excluir as obras de Kardec do espiritismo... :o

bem haja
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Marcio J. Melo em 12 de Novembro de 2009, 21:17




O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA

A questão sobre a alimentação tem sido bastante discutida no movimento espírita.

Mensagens como a de Emmanuel (questão 129 da Ref. 1) e de André Luiz (Cap. 4 da Ref. 2) desaconselham o uso da alimentação carnívora.

Entretanto, isso parece se contrapor com a orientação básica dos Espíritos superiores presentes nas questões 722, 723, 724 e 734 do Livro dos Espíritos3. Reproduziremos aqui a questão 723:

723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

—  “Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização”.

Pretendemos demonstrar aqui que a recomendação de Emmanuel e André Luiz de se evitar a alimentação carnívora possui bases doutrinárias, não estando, portanto, em desacordo com o Espiritismo. Para isso, recorremos à Revista Espírita de dezembro de 1863 onde Kardec reproduziu uma mensagem do Espírito Lamennais4 que esclarece de modo claro todos os ângulos dessa questão:

“Sobre a alimentação do Homem”

(Sociedade de Paris, 4 de Julho de 1863. Médium: Sr. A. Didier)

“O sacrifício da carne foi severamente condenado pelos grandes filósofos da antiguidade. O Espírito elevado revolta-se à idéia de sangue e, sobretudo, à idéia de que o sangue é agradável à Divindade. E notai bem, que aqui não se trata de sacrifícios humanos, mas unicamente de animais oferecidos em holocausto.

Quando o Cristo veio anunciar a Boa-Nova, não ordenou sacrifícios de sangue: ocupou-se unicamente do Espírito. Os grandes sábios da antiguidade igualmente tinham horror a estas espécies de sacrifícios e eles próprios só se alimentavam de frutos e raízes.

Na terra os encarnados têm uma missão a cumprir:

Têm o Espírito que deve ser nutrido pelo Espírito, o corpo com a matéria; mas a natureza da matéria influi (compreende-se facilmente) sobre a espessura do corpo e, em consequência, sobre as manifestações do Espírito. Os temperamentos naturalmente muito fortes para viver como os anacoretas5 fazem bem, porque o esquecimento da carne leva mais facilmente à meditação e à prece.

Mas para viver assim, geralmente seria necessária de uma natureza mais espiritualizada que a vossa, o que é impossível com as condições terrestres. E como, antes de tudo, a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações. Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto, desde que seja razoável. É uma questão algo leviana para os nossos estudos, mas não menos útil e proveitosa”. (os grifos são nossos).

Essa mensagem explica que a dieta sem o uso da carne é melhor, pois isso “leva mais facilmente à meditação e à prece”. Isso aconteceria, pois, segundo Lamennais, a natureza da matéria influi nas manifestações do Espírito. Podemos comparar a situação com os vícios. Aquele faz uso de uma droga, por exemplo, impregna seu perispírito de vibrações que limitarão suas manifestações no mundo espiritual. Da mesma forma, o uso de uma dieta menos carnívora torna o perispírito menos “espesso” (usando aqui uma palavra que Lamennais usou no texto) o que permite que ele tenha mais facilidade em elevar seu pensamento em prece.

Porém, Lamennais, de modo responsável, deixou claro que a dieta vegetariana dependeria do aprimoramento espiritual da nossa Humanidade terrestre, o que ainda não ocorre. Daí adverte que “a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações”. Por isso a questão 723 acima não condena o uso da carne.

Sobre privações, a questão 724 do Livro dos Espíritos3 recomenda:

724. Será meritório abster-se o homem da alimentação animal, ou de outra qualquer, por expiação?

—  “Sim, se praticar essa privação em benefício dos outros. Aos olhos de Deus, porém, só há mortificação, havendo privação séria e útil. Por isso é que qualificamos de hipócritas os que apenas aparentemente se privam de alguma coisa”.

Dessa forma, a privação da carne só teria mérito se ocorrer em benefício do próximo. As atividades espíritas de passes e as reuniões mediúnicas constituem exemplos em que a abstenção do uso da carne, pelo menos no dia dessas atividades, pode levar a benefícios aos assistidos encarnados ou desencarnados. Mas se o tarefeiro tiver dificuldade com isso, Raul Teixeira6 assevera que, “É mais compreensível, e me parece mais lógico, que a pessoa coma no almoço o seu bife, se for o caso, ou tome seu cafezinho pela manhã, do que passar todo o dia atormentada pela vontade desses alimentos, sem conseguir retirar da cabeça o seu uso, deixando-se de concentrar-se na tarefa, em razão da ansiedade para chegar em casa, após a reunião, e comer ou beber aquilo de que tem vontade”.

Lamennais ainda disse que “Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto” sem esquecer que isso deve ser feito “desde que seja razoável”, isto é, sem exageros.

Portanto, a recomendação de Emmanuel e André Luiz é válida e está de acordo com o Espiritismo, mas não deve ser considerada uma exigência para a realização de um bom trabalho espírita ou uma boa reunião mediúnica. Lembremos, afinal, que Jesus em Mateus, Cap. 15 e vers. 11 disse que: “Não é o que entra pela boca que contamina o homem; mas o que sai da boca, isso é o que o contamina”. E, para aprimorar o que sai de “nossa boca” e de nossos atos, devemos nos esforçar pela reforma íntima e no estudo doutrinário.

Referências:
[1] Emmanuel, psicografia de F. C. Xavier, O Consolador, FEB, 20ª Edição (1999).
[2] André Luiz, psicografia de F. C Xavier, Missionários da Luz, FEB, 26ª Edição (1995).
[3] A. Kardec, O Livro dos Espíritos, Editora FEB, 76a Edição, (1995).
[4] Lamennais, Revista Espírita Dezembro, pp. 387- 388 (1863).
[5] Anacoreta é uma pessoa que se retira a um local isolado para dedicar-se a meditação e oração.
[6] D. P. Franco e J. R. Teixeira, Diretrizes de Segurança, Editora FRATER, 8ª Edição (2000).






Ola, acredito que a medida que o ser humano evoluir deixara de matar para sobreviver.
Otima questão!
 Parabens.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 13 de Novembro de 2009, 14:22




O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA

A questão sobre a alimentação tem sido bastante discutida no movimento espírita.

Mensagens como a de Emmanuel (questão 129 da Ref. 1) e de André Luiz (Cap. 4 da Ref. 2) desaconselham o uso da alimentação carnívora.

Entretanto, isso parece se contrapor com a orientação básica dos Espíritos superiores presentes nas questões 722, 723, 724 e 734 do Livro dos Espíritos3. Reproduziremos aqui a questão 723:

723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

—  “Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização”.

Pretendemos demonstrar aqui que a recomendação de Emmanuel e André Luiz de se evitar a alimentação carnívora possui bases doutrinárias, não estando, portanto, em desacordo com o Espiritismo. Para isso, recorremos à Revista Espírita de dezembro de 1863 onde Kardec reproduziu uma mensagem do Espírito Lamennais4 que esclarece de modo claro todos os ângulos dessa questão:

“Sobre a alimentação do Homem”

(Sociedade de Paris, 4 de Julho de 1863. Médium: Sr. A. Didier)

“O sacrifício da carne foi severamente condenado pelos grandes filósofos da antiguidade. O Espírito elevado revolta-se à idéia de sangue e, sobretudo, à idéia de que o sangue é agradável à Divindade. E notai bem, que aqui não se trata de sacrifícios humanos, mas unicamente de animais oferecidos em holocausto.

Quando o Cristo veio anunciar a Boa-Nova, não ordenou sacrifícios de sangue: ocupou-se unicamente do Espírito. Os grandes sábios da antiguidade igualmente tinham horror a estas espécies de sacrifícios e eles próprios só se alimentavam de frutos e raízes.

Na terra os encarnados têm uma missão a cumprir:

Têm o Espírito que deve ser nutrido pelo Espírito, o corpo com a matéria; mas a natureza da matéria influi (compreende-se facilmente) sobre a espessura do corpo e, em consequência, sobre as manifestações do Espírito. Os temperamentos naturalmente muito fortes para viver como os anacoretas5 fazem bem, porque o esquecimento da carne leva mais facilmente à meditação e à prece.

Mas para viver assim, geralmente seria necessária de uma natureza mais espiritualizada que a vossa, o que é impossível com as condições terrestres. E como, antes de tudo, a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações. Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto, desde que seja razoável. É uma questão algo leviana para os nossos estudos, mas não menos útil e proveitosa”. (os grifos são nossos).

Essa mensagem explica que a dieta sem o uso da carne é melhor, pois isso “leva mais facilmente à meditação e à prece”. Isso aconteceria, pois, segundo Lamennais, a natureza da matéria influi nas manifestações do Espírito. Podemos comparar a situação com os vícios. Aquele faz uso de uma droga, por exemplo, impregna seu perispírito de vibrações que limitarão suas manifestações no mundo espiritual. Da mesma forma, o uso de uma dieta menos carnívora torna o perispírito menos “espesso” (usando aqui uma palavra que Lamennais usou no texto) o que permite que ele tenha mais facilidade em elevar seu pensamento em prece.

Porém, Lamennais, de modo responsável, deixou claro que a dieta vegetariana dependeria do aprimoramento espiritual da nossa Humanidade terrestre, o que ainda não ocorre. Daí adverte que “a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações”. Por isso a questão 723 acima não condena o uso da carne.

Sobre privações, a questão 724 do Livro dos Espíritos3 recomenda:

724. Será meritório abster-se o homem da alimentação animal, ou de outra qualquer, por expiação?

—  “Sim, se praticar essa privação em benefício dos outros. Aos olhos de Deus, porém, só há mortificação, havendo privação séria e útil. Por isso é que qualificamos de hipócritas os que apenas aparentemente se privam de alguma coisa”.

Dessa forma, a privação da carne só teria mérito se ocorrer em benefício do próximo. As atividades espíritas de passes e as reuniões mediúnicas constituem exemplos em que a abstenção do uso da carne, pelo menos no dia dessas atividades, pode levar a benefícios aos assistidos encarnados ou desencarnados. Mas se o tarefeiro tiver dificuldade com isso, Raul Teixeira6 assevera que, “É mais compreensível, e me parece mais lógico, que a pessoa coma no almoço o seu bife, se for o caso, ou tome seu cafezinho pela manhã, do que passar todo o dia atormentada pela vontade desses alimentos, sem conseguir retirar da cabeça o seu uso, deixando-se de concentrar-se na tarefa, em razão da ansiedade para chegar em casa, após a reunião, e comer ou beber aquilo de que tem vontade”.

Lamennais ainda disse que “Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto” sem esquecer que isso deve ser feito “desde que seja razoável”, isto é, sem exageros.

Portanto, a recomendação de Emmanuel e André Luiz é válida e está de acordo com o Espiritismo, mas não deve ser considerada uma exigência para a realização de um bom trabalho espírita ou uma boa reunião mediúnica. Lembremos, afinal, que Jesus em Mateus, Cap. 15 e vers. 11 disse que: “Não é o que entra pela boca que contamina o homem; mas o que sai da boca, isso é o que o contamina”. E, para aprimorar o que sai de “nossa boca” e de nossos atos, devemos nos esforçar pela reforma íntima e no estudo doutrinário.

Referências:
[1] Emmanuel, psicografia de F. C. Xavier, O Consolador, FEB, 20ª Edição (1999).
[2] André Luiz, psicografia de F. C Xavier, Missionários da Luz, FEB, 26ª Edição (1995).
[3] A. Kardec, O Livro dos Espíritos, Editora FEB, 76a Edição, (1995).
[4] Lamennais, Revista Espírita Dezembro, pp. 387- 388 (1863).
[5] Anacoreta é uma pessoa que se retira a um local isolado para dedicar-se a meditação e oração.
[6] D. P. Franco e J. R. Teixeira, Diretrizes de Segurança, Editora FRATER, 8ª Edição (2000).






Ola, acredito que a medida que o ser humano evoluir deixara de matar para sobreviver.
Otima questão!
 Parabens.

Amigos,
tomo a liberdade de marcar em castanho  uma parte esquecida por muitos que defendem a alimentação vegetariana como forma de iluminação mais rápida. Vejam o que e sob o tacão do CUEE fala lammenais.
Abraços,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: wil.. em 29 de Maio de 2010, 18:49
                                 "Para Refletir..."
          _ Derramar o sangue dos animais ou inflingir lhes sofrimento para alimentar-se de suas "carnes mortas" ,constitue barbárie indígna de uma pessoa sensível.....

                                     Paz Fraterna à todos ! !
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Anton Kiudero em 29 de Maio de 2010, 19:37
tomo a liberdade de marcar em castanho  uma parte esquecida por muitos que defendem a alimentação vegetariana como forma de iluminação mais rápida. Vejam o que e sob o tacão do CUEE fala lammenais.

"Mas para viver assim, geralmente seria necessária de uma natureza mais espiritualizada que a vossa, o que é impossível com as condições terrestres. E como, antes de tudo, a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações."

Com CUEE ou sem CUEE esta será sempre a opinião de um espirito ainda preso a seus desejos e achismos pessoais.

Apenas um espirito que nada mais sabe do que em vida presenciou a seu redor poderia afirmar que é impossivel ao homem submeter-se a estas privações, simplesmente por ser tão possivel que ao menos 1/3 da humanidade assim vive, sem se privar de coisa alguma e pasmem, continuam vivos ha muitas gerações.

Mas estes textos sempre serão lembrados por aqueles que buscam justificar a si mesmo os seus apegos ao prazer.
Não estou aqui a discutir a propriedade da alimentação animal mas a impropriedade da citação.


Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 29 de Maio de 2010, 22:20
E o faz de maneira totalmente despreparada amigo Anton, quando aqui se tem como foco a doutrina dos Espíritos.
Sendo os propagadores dessa doutrina, da classe dos Espíritos Superiores, não poderiam nela estar se ainda se achassem na condição em que o amigo explana.
Desculpe mano mas dessa vez chutou para fora.
Abração,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Anton Kiudero em 29 de Maio de 2010, 22:42
Desculpe mano mas dessa vez chutou para fora.

Pois é, Moura, as vezes o Rei esta nú, e qualquer menininho pode ver isto... Nem tudo o que reluz é ouro... Mas quem não quer ver, não verá, não é mesmo?
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Lourdilena em 31 de Maio de 2010, 17:35
Irmãos, este assunto é realmente muito controverso... Muitos fundamentam a necessidade de asbtinência de carnes, alimentos de difícil digestão, toxinas, especialmente nos dias de trabalho mediúnico.

Penso que devemos nos e esforçar por melhorar sempre, cuidando do espírito e da matéria. Julgando honestamente sobretudo à si próprios, de modo que façamos esforços por vencer nossas más tendências, abusos, etc.

Penso que à medida emque vamos evoluindo, caminhando, ampliando nossa consciência e percepção, muitas atitudes igualmente vão se modificando...

Obrigada porque percebo que aqui no Fórum, as opiniões individuais são respeitadas.

Paz e Luz!
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: nalaminie em 03 de Agosto de 2010, 20:42
sobre a alimentação carnívora, eu acredito mesmo que nós, enquanto seres que precisa se alimentar, podemos muito bem substituir a carne pela soja e outros alimentos que nos ajuda a preservar a vida dos animais. eu e minha familia, digo, eu e meus 3 filhos deixamos de comer carne pelos motivos corretos.ou seja, por amor aos irmãos mais novos, os animais. antes nós comiamos. um dia apareceu em nossa porta, uma cadelinha atropelada e largada na rua com fratura exposta.levamos ao veterinário e tiveram que amputar uma das suas pernas traseiras.ficamos com tanta pena dela e nossa compaixão nos levou a procurar mais coisas sobre o assunto. desde então estamos sem comer carne.
mas nunca condenamos quem come.respeitamos todo e qualquer opinião sobre isso.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mariskos em 11 de Agosto de 2010, 18:47
Só posso dizer que Jesus não comia carne e eu como cristão também não.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 11 de Agosto de 2010, 20:47
Pois é Mariskos,
mas te ensinaram errado. Jesus também se alimentava da carne, tanto como da carne de peixe como a de cabra, só não comia carne de porco porque sendo judeu participava dos ensinamentos daquele credo.
abraços,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mariskos em 11 de Agosto de 2010, 23:32
Não vou discutir, ninguém estava lá para ver, mas eu tenho minhas convicções e as guardarei, abraços.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 12 de Agosto de 2010, 16:45
Amigo Mariskos,
o problema de se ter convicções está em não se ter, antes procurado com quem saiba do assunto.
Os Historiadores, em sua maioria judeus é que mostram e comprovam o que eu disse, logo, é a ciência e não minha parca convicção que me fez falar.
Abraços,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 12 de Agosto de 2010, 16:49
                                 "Para Refletir..."
          _ Derramar o sangue dos animais ou inflingir lhes sofrimento para alimentar-se de suas "carnes mortas" ,constitue barbárie indígna de uma pessoa sensível.....

                                     Paz Fraterna à todos ! !

Falácia, de quem não conhece a doutrina amigo Wil.
Desculpe-me a sinceridade amigo ao afirmar essa estultice está contra o que diz a codificação.
Wil quem quiser come, quem não quiser que faça bom proveito de outras coisas.
Reveja o post da amiga Leni e preste bem atenção ao que está marcado em castanho.
abraços,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mariskos em 12 de Agosto de 2010, 17:29
Sr. Moura, tudo que eu digo está escrito, cada médium pode ter sua opinião, tenhos livros que falam sobre a carne e Jesus sempre falou dos problemas que a carne trás a ser humano aos seus discípulos. Porque tanta gente sofre do coração ou tem problemas cardíacos, artrite e muitas outras doenças? A grande maioria dos animais tem percepsão espírita, eles enxergam o que o homem é cego, toda vez que se preparam para matar um animal ele já sabe, por isso fica inquieto e tenta fugir, sai lágrimas dos olhos, olhe uma galinha no galinheiro e diz que é ela que vai ser sacrificada, olhe imediatamente o comportamento dela, irá de todas as formas tentar fugir, se agita toda. O boi quando entra no corredor, veja sua reação, olhe nos seus olhos. Então todos os animais que vão ser sacrificados entram em estresse jogando adrenalina na circulação sanguinea e é esses hôrmonios que fazem mal aos homens provocando doenças. E Jesus sabia disso. Converse, pesquise, estude, que eu tenho certeza que irá concordar com Jesus e comigo. Abraços.
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 12 de Agosto de 2010, 18:03
Mariskos,
voce realmente não compreendeu a doutrina e por extensão qualquer outra doutrina.
Se existe uma doutrina ela é o divisor de águas e há de ser seguida, logo excluem-se opiniões pessoais, em virtude e em nosso caso, da doutrina conter o critérium de Verdade.
Logo, o que está escrito nela é o que vale e não o que escreva qualquer outro Espírito encarnado ou não.
Mariskos, o que falam outros livros não é doutrina, não doutrina Espírita.
aprenda isso e andarás mais rápido.
abraços,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mariskos em 12 de Agosto de 2010, 21:39
Não leve pelo lado dos artifícios e sim pelas consequências, o mal que a carne faz ao organismo humano é latente, não há como entrar defesa. A doença que mais mata no mundo é derivada da carne, a pressão alta. Ataca os rins, a vesicúla, as artérias. é a responsável por quase 85% dos infartos. Problemas no sistema nervoso, já notou que sempre em uma churrascada acaba em briga? Os hormônios na carne provoca cólera. Já está provado que os vegetarianos são bem mais calmos e pacientes. Não estou falando de doutrinas, ok?
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: dim-dim em 12 de Agosto de 2010, 21:48

Olá!

http://www.forumespirita.net/fe/audio-video/somos-todos-um-27663/msg131151/#msg131151 (http://www.forumespirita.net/fe/audio-video/somos-todos-um-27663/msg131151/#msg131151)


Namasté
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 13 de Agosto de 2010, 00:00
Mariskos,
apenas digo o que a doutrina ensina, mano. Sem artificios ou firulas.
Aliás vou me utilizar já que o amigo não releu, da postagem da amiga leni par amostrar oq oue a doutrina diz:
"Sociedade de Paris, 4 de Julho de 1863. Médium: Sr. A. Didier)

“O sacrifício da carne foi severamente condenado pelos grandes filósofos da antiguidade. O Espírito elevado revolta-se à idéia de sangue e, sobretudo, à idéia de que o sangue é agradável à Divindade. E notai bem, que aqui não se trata de sacrifícios humanos, mas unicamente de animais oferecidos em holocausto.

Quando o Cristo veio anunciar a Boa-Nova, não ordenou sacrifícios de sangue: ocupou-se unicamente do Espírito. Os grandes sábios da antiguidade igualmente tinham horror a estas espécies de sacrifícios e eles próprios só se alimentavam de frutos e raízes.

Na terra os encarnados têm uma missão a cumprir:

Têm o Espírito que deve ser nutrido pelo Espírito, o corpo com a matéria; mas a natureza da matéria influi (compreende-se facilmente) sobre a espessura do corpo e, em consequência, sobre as manifestações do Espírito. Os temperamentos naturalmente muito fortes para viver como os anacoretas fazem bem, porque o esquecimento da carne leva mais facilmente à meditação e à prece.

Mas para viver assim, geralmente seria necessária de uma natureza mais espiritualizada que a vossa, o que é impossível com as condições terrestres. E como, antes de tudo, a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações. Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto, desde que seja razoável. É uma questão algo leviana para os nossos estudos, mas não menos útil e proveitosa”. (os grifos são nossos).

Observem porém que a doutrina quando faz menção aos anacoretas (anacoreta
a.na.co.re.ta
(ê) sm (gr anakhoretés) 1 Religioso ou penitente que vai viver na solidão. 2 Indivíduo que vive afastado da vida mundana.), não os diz em posição superior aos outros. diz apenas que seriam indivúduos que teriam constituição mais forte.
mas fortifica seu alição quando afirma: "Mas para viver assim, geralmente seria necessária de uma natureza mais espiritualizada que a vossa, o que é impossível com as condições terrestres."

Agora a parte que não quer calar: Onde está segundo o ditado excertado o ponto que o amigo não compreendeu quando é explicado: "(...) o que é impossível com as condições terrestres.(...)".
É esta a afirmação constante numa obra básica considerada o aprofundamento dos pontos doutrinários, ou seja  a Revista Espírita, obra básica que é.
Neste caso, é como se vê escrito nas pules do jogo do bicho, tão conhecido em nosso país: "Vale o Escrito".
Abraços e espero ter ajudado.
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mariskos em 13 de Agosto de 2010, 01:27
Sr. Moura, meus filhos comem carne, meus irmãos fazem churrasco, mas eu em minha fé não como, fiz um sacrificio para me livrar da síndrome do pânico no qual me curei, e olha que eu gostava muito de carne, nunca condenei ninguém que come, há 11 anos vivo tranquilo livre da síndrome, com muito mais saúde e com dez quilos a menos. Abraços
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 13 de Agosto de 2010, 17:26
Posso lhe afiançar que não foi a abstenção que lhe curou amigo.
Releia o que diz a doutrina sobre sacrifícios e vais ver que não foi dele que derivou a sua cura que muito me alegra..
Qualquer sacrificio que alguém tenha de fazer deve ter por fim único o bem geral meu mano, não o próprio bem.
Hoje terei mais uma dádiva a incluir nas minhas orações, e vou fazê-lo feliz por sabê-lo bem e sem maiores problemas.
Abraços,
Moura
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: GeraldoF em 12 de Outubro de 2011, 22:31
Só precisamos nos conscientizar que qualquer excesso é prejudicial...
Vamos discutir de forma mais moderada para que todos possamos crescer?

Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: FENet em 20 de Outubro de 2011, 13:14
Olá amigos! Esta discussão está quente :)
Vamos com calma.
Não tenho muitas dúvidas que a escolha da alimentação é fundamental para boa saúde. Sou adepto da alimentação vegetariana cada vez mais e melhorias no bem-estar são notórias. Lendo sobre o assunto se descobre o quanto é interessante.
A mim não me interessa se está ou não na codificação, é uma opção pessoal. E portanto temos de respeitar o que cada um sente e pensa seja qual for a opção. Não é por não estar na codificação ou de nada codificação dizer algo, que temos de aceitar como verdade absoluta. O mesmo para outros livros de autores espíritas, espiritualistas ou de outra área.
Agora, o assunto que interessa ao espiritismo: o que eu como faz de mim mais ou menos evoluído? Isso não depende tanto do que comemos mas do que somos, fazemos e pensamos e aqui o espiritismo pode dar uma grande ajuda!

abraços :)
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Mourarego em 20 de Outubro de 2011, 13:49
Mano Unformated,
o amigo escreveu: "(...) Agora, o assunto que interessa ao espiritismo: o que eu como faz de mim mais ou menos evoluído? Isso não depende tanto do que comemos mas do que somos, fazemos e pensamos e aqui o espiritismo pode dar uma grande ajuda!"

Se só tivesse escrito isso já teria acertado em cheio. Concordo integralmente.
abraços,
Moura

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/jornal-das-boas-noticias/o-uso-da-alimentacao-carnivora/45/#ixzz1bKG97EB2
Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: RUI FERNANDES MORGADO em 20 de Outubro de 2011, 20:31
Amigos!

Não vejo necessidade de ler Kardec, André Luis, Raul Teixeira, Divaldo, Santo Agostinho, entre outros encarnados ou não, para saber o que é ou não nocivo ou benéfico para nossa alimentação...

Tenho comigo apenas uma máxima:

                               "Tudo que vem do sofrimento de outrem, não poderá ser
                                 benéfico para o homem."

E nossos irmão menores, os animais, como nós, sentem dor, sede, fome, medo... Visitem um
matadouro e observem o comportamento deles!

Eu há muito deixei de alimentar-me com carnes vermelhas. Tento nessa segunda fase substituir
gradativamente outras carnes sem prejuízos ao meu organismo é claro.

Não acredito que o homem, inteligente como o é, não venha encontrar soluções alternativas pa
ra abolir definitivamente a matança de nossos irmãos menores...

Se minha decisão foi amparada apenas por motivos emocionais e de respeito que possuo pelos nossos
irmaõs menores, por outro lado fui também muito fortalecido e incentivado a deixar as
carnes através de um profissional da medicina.

Possuo um amigo, cardiologista conceituado em SP, com quem anos atrás eu tinha o previlégio de
almoçar quase que semanalmente. Durante nossos almoços o mesmo observava em outras mesas, pessoas se alimentarem de muitas carnes vermelhas e as criticava à mim discretamente: "Essas pessoas não
sabem o veneno que estão ingerindo"...  Essas críticas também eram extensivas a mim, pois, até
nessa ocasião eu ainda consumia, de modo já moderado, a carne vermelha.

Foi quando em um almoço meu amigo entregou-me um livro (cujo autor era um médico americano), infelizmente não lembro mais seu tí
tulo, e desafiou-me: "Leia este livro e depois eu te desafio a continuar, mesmo que moderadamente, a comer carnes, principalmente as vermelhas"...

Tiro e queda, esse livro relatava toda a nocividade da carne vermelha em nosso organismo
e seus resultados maléficos, realmente assustou-me.

Diante de ter ficado muito impressionado com a leitura do livro, meu amigo orientou-me: "Mesmo
o pouco de carne vermelha que vc ingere, não a deixe abruptamente, isso poderia deixá-lo um
tanto fraco e até com eventuais vertigens..."

Pedi a ele que me fornecesse um programa para deixar de comer carnes vermelhas gradativamente, sem prejuizo para minha saúde... Segui suas recomendações e após 3
meses já havia deixado totalmente a ingestão das ditas carnes.

Por ter deixado esse hábito alimentar, não desencarnei, não adoeci, jogo futebol veterano até hoje e sinto-me muito bem...

Rui Fernandes Morgado
Santo André-SP

Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Excluam Minha Conta em 20 de Outubro de 2011, 20:42
Sou vegetariana há 3 anos, quando conheci o Espiritismo e iniciei os estudos. Sinto-me muito tranquila nesse quesito, levo em paz minha vida, tendo a meu redor espíritas e não espíritas que consomem carne.

Senti muito prazer em ler o que o amigo MarcoALSilva escreveu. Foi o primeiro espírita que me pareceu totalmente ciente de suas condições e totalmente tranquilo em relação a elas. Ele come carne, mas sabe que virá o dia em que não mais comerá e que isso representará um passo na sua evolução. Não se martiriza nem se orgulha por comer carne. Acho que é a posição mais sóbria possível em relação ao assunto.

É disso que se trata: um passo na evolução. Um só.

Abrir mão de um prazer que nada tem a nos elevar espiritualmente sempre será sinal de evolução moral. Carne é uma delícia, é gostoso mesmo, e o sabor agrada meu paladar, mas sinto-me traidora comendo-a, sinto-me negando meus ideais. Isso basta para que eu me sinta bem seguindo a dieta que sigo. Com todos os cuidados necessários à minha saúde e nutrição, estou saudável no âmbito físico e um pouco mais no espiritual.

A partir de minhas próprias reflexões diante do que conheço, considero que espíritas empenhados em divulgar a ideia de que comer carne não representa qualquer sinal de evolução moral significativa comportam-se como nossos irmãos ateus que empenham-se em provar que Deus não existe. Como que querendo encontrar adeptos que façam suas filosofias parecerem mais dignas de confiança, procuram desmerecer a opção de outras pessoas (vegetarianos/religiosos) que, na verdade, em nada atinge suas vidas.

Se parar de comer carne fosse algo tão importante para a humanidade no presente momento, na própria codificação haveria muito mais sobre o assunto. Imagino que haja outras prioridades visadas pelos espíritos de luz que guiam nosso planeta e que há comportamentos muito mais prejudiciais à nossa evolução moral do que o do consumo de carne.

Para todos aqueles, no entanto, que sentirem-se tocados intimamente pelo sofrimento alheio nos matadouros, pelas narrações de André Luíz referente ao contexto de inferioridade vibratória nesses locais e ainda pelo desgaste do nosso organismo ao digerir a carne, que literalmente apodrece no nosso intestino, que tornem-se vegetarianas satisfeitas consigo próprias, sem acharem-se, de modo algum, melhores do que os outros espíritas por conta disso.

A leitura da codificação nos dá uma capacidade enorme de avaliar a própria consciência e tudo o que aprendi até hoje dentro do Espiritismo me faz chegar à conclusão de que estou fazendo a coisa certa.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: RUI FERNANDES MORGADO em 20 de Outubro de 2011, 23:11
Cara Thais Carolina!

Em seu parágrafo (#60), vc comenta: "Se parar de comer carne fosse algo tão importante para a humanidade no presente momento, na própria codificação haveria muito mais sobre o assunto...".

Senão para a saúde do homem, a extinção da matança de animais, nossos irmãos menores, não
seria importante para os animais e um passo na evolução do homem?

A Doutrina Espírita não teve a pretensão de esgotar todos os assuntos, porém, a mesma prega o amor, a benevolência, o respeito à natureza como um todo, e dentro deste contexto, esses sentimentos são também extensivos aos animais...

Quando seu cãozinho de estimação está doente e com dores, porque seus proprietários correm aos veterinários gastando as vezes até o que está além de seus bolsos para curá-los e por um
ponto final em seus sofrimentos?

As dores desses animais de estimação são maiores daquelas que sentem os animais em mata
douros? Pouquíssimos são os matadouros que previlegiam uma morte menos dolorosa para seus animais a serem abatidos.

Poucos seres humanos teriam coragem para assistirem de perto essa violência contra os animais...

Portanto, acho muito importante, sim, que os homens pudessem se conscientizar desses seus hábitos alimentares primitivos...

Rui Fernandes Morgado
Santo André-SP






Título: Re: O USO DA ALIMENTAÇÃO CARNÍVORA
Enviado por: Excluam Minha Conta em 20 de Outubro de 2011, 23:28
Cara Thais Carolina!

Em seu parágrafo (#60), vc comenta: "Se parar de comer carne fosse algo tão importante para a humanidade no presente momento, na própria codificação haveria muito mais sobre o assunto...".

Senão para a saúde do homem, a extinção da matança de animais, nossos irmãos menores, não
seria importante para os animais e um passo na evolução do homem?

A Doutrina Espírita não teve a pretensão de esgotar todos os assuntos, porém, a mesma prega o amor, a benevolência, o respeito à natureza como um todo, e dentro deste contexto, esses sentimentos são também extensivos aos animais...

Quando seu cãozinho de estimação está doente e com dores, porque seus proprietários correm aos veterinários gastando as vezes até o que está além de seus bolsos para curá-los e por um
ponto final em seus sofrimentos?

As dores desses animais de estimação são maiores daquelas que sentem os animais em mata
douros? Pouquíssimos são os matadouros que previlegiam uma morte menos dolorosa para seus animais a serem abatidos.

Poucos seres humanos teriam coragem para assistirem de perto essa violência contra os animais...

Portanto, acho muito importante, sim, que os homens pudessem se conscientizar desses seus hábitos alimentares primitivos...

Rui Fernandes Morgado
Santo André-SP








Concordo plenamente com vc, amigo!

No fundo, é claro, assim como você, desejo que mais e mais pessoas passem a adotar essa causa tão nobre.

Espero que nossas humildes tentativas neste fórum sejam capazes de colaborar para esse processo.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: RUI FERNANDES MORGADO em 21 de Outubro de 2011, 02:03
Querida Thais Carolina!

Fico feliz com sua forma de pensar (#62)! De tijolinho em tijolinho conseguiremos sensibilizar alguém e esse alguém poderá tornar-se um agente multiplicador dessa bandeira...

Um forte abraço!

Rui Fernandes Morgado
Santo André-SP
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 21 de Outubro de 2011, 02:22
O nosso respeito em relação aos animais e seus direitos pode ser manifestado de várias formas, assim como, também, o respeito que precisamos ter para com nossos semelhantes e suas opções de estilo de vida, religião, pontos de vista, opiniões, etc.
Quanto ao hábito alimentar interferir em nosso perfil espiritual, este depende do efeito moral que tal atitude venha proporcionar em nossa estrutura íntima essencial. Muitos adquirem excelentes resultados quando ingressam as mais diversas religiões, encontrando ali todos os recursos que lhes faltavam para a própria iluminação. Tanto nesse caso como no caso do hábito alimentar, os ganhos espirituais estão em função da determinação do postulante ao progresso, em absorver as energias fortalecedoras da Alma oferecidas pelo sentimento de sobreposição de nossa vontade sobre nossas viciosidades. É o mesmo ganho espiritual que obtém o fumante pelo que consegue ao abandonar o vício de fumar, o alcoólatra que vence o alcoolismo, o descrente que consegue o encorajamento ou o do ímpio que consegue impor sobre a falta de fé em Deus e em si mesmo, arregimentando recursos ao próprio progresso. Assim como muitos conseguem a iluminação sem doutrinas, muitos se perdem espiritualmente por razões relevantes que desconsideram ou desconhecem nossos hábitos alimentares.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: andrerio em 21 de Outubro de 2011, 12:11
Em meu humilde estudo...

Quando se  diz "Sim, se praticar essa privação em benefício dos outros". Creio que se esquecem que "outros" pode (e creio quase certo) se referir tambem ao animais.

Nos ensinamentos basicos. Se fala muito em "excessos". Ceio que no caso dos esclarecimentos dos espíritos superiores eles se referem a isso. Principalmente a industrialização, o desperdício e o holocausto dos animais ocasionado pelo homem.

Vejo muita gente hoje em dia deixando de comer carne pelo fato de conscientizar-se sobre a brutalidade, desumanidade e o holocausto que fazem com os animais nos dias de hoje com a industrialização em massa para servir em abundancia e com disperdicio.

Nao basta não comer carne para ficar mais puro para poder dar passe em alguém se você ao mesmo tempo tem consciência de como esses animais são mortos.

Que todos tenham muita paz, amor e fiquem com Deus.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Luizandro em 21 de Outubro de 2011, 12:41
Bom dia,senhores!

Pra mim é muito claro o motivo da criação dos animais.
Eles foram criados para alimentar e auxiliar os seres humanos

Amo todos os animas sou totalmente contra à a qualquer mal trato,principalmente porque eles são auxiliadores da vida humana na terra.

Acho totalmente inválido medir a evolução espiritual do ser humano pela alimentação.
Como também sou contra a qualquer tipo de exagero alimentar.

Nós nos alimentamos pq temos fome,quando passarmos para o próximo plano teremos muito tempo para nos acostumar a não comer nada.

Fiquem em paz.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: maria.ma@ em 21 de Outubro de 2011, 14:41
O Espírito, quando livre, sem preconceitos, hábitos ou rotinas fixas, não tem a mínima preocupação com esses aspetos da alimentação do seu organismo, porque é um sobrevivente. É frugal, utiliza a natureza desculpando-se de tudo o que consegue e afirmando que o seu próprio organismo servirá um dia para alimentar essa própria natureza.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 21 de Outubro de 2011, 15:07
734. Em seu estado atual, tem o homem direito ilimitado de destruição sobre os animais?

“Tal direito se acha regulado pela necessidade, que ele tem, de prover ao seu sustento e à sua segurança. O abuso jamais constitui direito.”

"728-a. O instinto de destruição teria sido dado aos seres vivos com fins providenciais?
– As criaturas de Deus são os instrumentos de que Ele se serve para, atingir os seus fins. Para se nutrirem, os seres vivos se destroem entre si, e isso com o duplo objetivo de manter o equilíbrio da reprodução, que poderia tornar-se excessiva, e de utilizar os restos do invólucro exterior. Mas é apenas o invólucro que é destruído, e esse invólucro não é mais do que acessório, não a parte essencial dó ser pensante, pois este é o princípio inteligente, indestrutível, que se elabora através das diferentes metamorfoses por que passa."

Reparem os amigos que estas questões são doutrinárias o que desmotivaria qualquer outro comentário fora do que elas especificam.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: ericobitar em 27 de Outubro de 2011, 19:14
Pô se parar de comer carne for pra se preocupar com os animais, então não vamos comer peixe, nem ovos, nem nada que possa vir a gerar sofrimento pros nossos "irmãos menos evoluídos".No nosso  país o que me preocupa é o desperdicio de comida e isso deve ser preocupação pro plano espiritual também. Obrigado pelo forum e pelo espaço pra expor opnião de forma democratica.
Obs: Tomemos cuidado para não imitar o Brasil e levar pra nossa vida a idéia de politica pra gringo ver. Fiquem com Deus.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Wagner Lopes em 27 de Outubro de 2011, 21:09

Como todas as questões que envolvem mudanças de hábitos, esta também é muito delicada, é evidente que se a carne fosse encontrada na natureza sem a necessidade de matanças seria uma maravilha, tanto para nós, quanto para os maiores interessados, os animais.

De fato no nosso imaginário, uma civilização mais avançada seria composta por seres que protegessem seus irmãos de evolução menores, ao invés de consumi-los.

Também é fato, que ao presenciarmos a cena de um homem com uma marreta na mão, a se lançar sobre um boi amarrado, com o objetivo de abate-lo, instintivamente desviamos o olhar na hora capital do animal, inconscientemente pressentimos o ato grave que estamos assistindo.

Mas, como tudo possui seu tempo, também chegara o dia em que nossa humanidade terá que se deparar seriamente com esta questão, enquanto isso...

Ah só pra constar, Já fui vegetariano, larguei porque não aguentava mais comer soja, nem as comidas que eu mesmo preparava, reconheço que sou péssimo cozinheiro...
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: mseabra em 09 de Novembro de 2011, 15:17
Carol, gostei muito do que você descreveu. Considero consumo de carne pré-histórico. Diante de suas palavras creio que não preciso falar mais nada.
[]'s
Márcia
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 18 de Dezembro de 2011, 15:34
Esta a óptica espírita:
"723. A alimentação animal, para o homem, é contrária à lei natural?
Na vossa constituição física, a carne nutre a carne, pois do contrário o homem perece. A lei de conservação impõe ao homem o dever de conservar as suas energias e a sua saúde, para poder cumprir a lei do trabalho. Ele deve alimentar-se, portanto, segundo o exige a sua
organização.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: EsoEstudos em 18 de Dezembro de 2011, 15:46
 ;D

Há um padrão de dúvidas que reaparecem sistematicamente...

Não seria a hora do Forum organizar uma apostila básica especificamente sobre (por exemplo) "comer carne", "humanização" e "colônias"? Tão logo disponibilizada, um tópico específico sobre essa apostila poderia ser anunciado como o local adequado para as dúvidas sobre aqueles tópicos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 18 de Dezembro de 2011, 15:51
A idéia é boa mano Marcão,
mas se precisa pensar detidamente sobre ela, já que não se pode apenas dissertar em causa própria seja a favor ou contra esta forma de alimentação, ou crença em colônias etc e tal.
Se que levar avante, estiver cônscio de que deva ter da doutrina a sua específica determinação espírita, ai sim a idéia vingaria.
Mas olhe, não terminaria com esta infindável pendenga.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 18 de Dezembro de 2011, 16:39
Com todo o respeito,
Negarmos todo o cabedal espiritual que existe para nos apegar a um conceito que foi dito há 200 atrás reflete no mínimo teimosia.
A lei da evolução não pará. Os espíritos usaram uma linguagem adequada ao grau evolutivo da época e falaram o que tínhamos condições de assimilar.
 Hoje somos seres mais maduros e conscientes e temosc ondições de nos aprorfundar em outras lições.
Admiro kardec mas devemos ter cuidado para não dogmatizar uma doutrina que nasceu livre.
Existem espíritas que criticam outros irmãos que seriam mais mosaicos do que cristãos, mas será que muitas vezes não incorremos no mesmo equívocos sendo mais kardecistas do que cristãos?
O norte é Jesus. Entremos por um momento em um matadouro e nos perguntemos se isso está dentro da lei do amor  e compaixão pregada por Jesus.
Percebo que é mais fácil fazer reforma íntima do que mexer no prato do ser humano.
Comemos carne porque gostamos e como temos dificuldade em admitir isso nos apoiamos em uma orientação que foi adequada a uma sociedade que estava em um momento evolutivo totalmente distinto dos nosso.
A base da doutrina deve ser interpretada dentro do contexto em que foi concebida.
 Kardec não está mais aqui,, mas seu trabalho continua ecoando pela mais diversas vozes que vem dar continuidade ao trabalho de esclarecimento á luz dos novos conhecimentos de que dispomos.
kardec sempre foi um espírito progressista, deixou para nós o alicerce da doutrina espírita mas sempre deixou claro que muito ainda não poderia ser dito em razão do grau evolutivo da humanidade da época. Quem garante que o vegetarianismo não era uma destas questões?
Devemos nos lembrar ainda que o principal método utilizado por kardec era a universalidade do ensinamento. Que apenas deveria ser aceito como verdade aquilo que fosse propagado por diferentes médiuns repetidas vezes, de forma universal e  homogênea.
basta olhar os mais recentes relatos mediúnicos, de diversos espíritos para contatar que eles se manifestam no sentido de que devemos rever nossa alimentação.
Negar crédito a estes relatos é menosprezar a própria metodologia aplicada pelo codificador da doutrina espírita.
Quem estuda a doutrina sabe que já houve ocasiões em que kardec teve que rever postulados. Houve inclusive a revisão dele quanto ao tema incorporação, posteriormente ele mudou seu posicionamento quanto à matéria.
Ora, se o prórpio kardec reconheceu posteriormente ter adotado entendimento equivocado quanto a um tema ,porque nós insitimos em dar uma blindagem que o próprio codificador, sabiamente não deu?
Devemos ter muito cuidado para não transformar as obras básicas em um " Pentateuco Espírita" agindo de forma inflexível e dogmática aprisionando o espiritismo na gaiola do exclusivismo humano.
O espiritismo nasceu para os homens e não os homens para o espiritismo.
Quando tenho uma dúvida sobre algo, antes de me socorrer a doutrina pergunto o que Jesus pensaria sobre aquilo.
E sinceramente me recuso a acreditar que a maior representação do amor que caminhou sobre a Terra tenha menos compaixão do que eu.
Ninguém precisa ser vegetariano para estar na luz mas é inevitável que á medida que ampliamos os niveis de consciência e nos aproximamos do Criador que passemos a  ver todos os seres da criação como UM, pois afinal viemos todos da mesma fonte .
Tenho plena convicção de que qualquer espírita que se propusesse a asssitir o abate de um bovino, o seus desespero perante a morte como que a implorar pela clemência humana iria pensar duas vezes antes de se alimentar por prazer da dor e sofrimento alheio.
Os animais choram antes de morrer e adrenalina que eles liberarm por desepero é depois consumida por nós na forma de toxinas.
A alimentação carnívora é resquício do nosso primitivismo. Conseguimos chegar até  a lua, desenvolver computadores mas , apesar de perfeitamente possível , ainda não conseguimos tirar a carne do prato.
Se podemos ter saúde sem a ingestão de carne e se sabemos que essa indústria é cruel porque afinal ainda comermos carne?
Por prazer, hábito e cultura, porém a partir do momento que sabemos que para que tenhamos prazer é necessário um sofrimento que extrapola a compreensão humana isso nos força a uma reflexão pois não pode have prazer em um hábito se ele causa sofrimento e dor.
Conheço médicos, atletas vegetarianos comprovando que a carne HOJE não é mais imprescindível para a sobrevivência como era há 200 anos atrás em face do pouco conhecimento nutricional.
Que isso aconteça na natureza entre seres guiados por insistindo é compreenssível mas entre nós, seres dotados de razão  e que tem outros meios de suprir suas necessidades nutricionais sem o concurso mórbidos da ingestão de sangue e restos mortais de nossos irmãos, realmente não consigo entender.
Não há nenhum problema em não ser vegetariano, mas acredito que é mais digno admitir que não o é porque sente necessidade dela por questões de hábito e culturais do que colocar na conta dos espíritos da codificação kardequiana a justificativa para manutenção de hábitos.
Ninguém come churrasco por necessidade proteica. Os churrascos por si só podem ser carcaterizados com muita tranquilidade, como um dos excessos de que tratam a codificação kardequiana...Trat-se de uma orgia alimentar glutônica realizada á custa do sangue de nossos irmãos apenas por questão de paladar.
Para aqueles que acreditam que não existe excessos na indústria de abate e que não vêm nenhum problema em se alimentar de outros seres sensíveis causando-lhes dor e sofrimento desnecessário, recomendo que assistam o seguinte vídeo.

Paz e Luz




Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 18 de Dezembro de 2011, 16:45
Farm to Fridge - a verdade por trás da produção de carne - legendado em português (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUZEdnc2aGhqVGRJI3dz)

Para Reflexão...
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 18 de Dezembro de 2011, 17:13
Susana, você afirma:
"Com todo o respeito,
Negarmos todo o cabedal espiritual que existe para nos apegar a um conceito que foi dito há 200 atrás reflete no mínimo teimosia.
A lei da evolução não pará. Os espíritos usaram uma linguagem adequada ao grau evolutivo da época e falaram o que tínhamos condições de assimilar."

Eu lhe perguntaria: Qual o Espírito que deu a comunicação que lhe afirmou a crença nessa sua afirmação?
Só para deixar claro, os espíritos que responderam a 164 anos e não há 200, formam os da classe dos Superiores, isso porque as receberam de Espíritos mais avançados os da classe dos Puros Espíritos que, com ose vê nas linhas doutrinárias as receberam de Deus.
Qual a classe em que estava o tal Espírito que lhe afirmou tal como você acredita ser verdade?
Na verdade constatar teimosia, é apenas uma forma falaciosa e sofista de se querer ganhar o que não é um jogo mas sim um debate sobre tema de doutrina.
Abraços,
Moura

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/jornal-das-boas-noticias/o-uso-da-alimentacao-carnivora/75/?action=post;num_replies=78#ixzz1guJ4fBvl
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 18 de Dezembro de 2011, 17:38
Estas discussões são válidas. Vários conhecidos espíritas mudaram sua forma de ver a alimentação justamente através de diálogos como esses.
Quando falei 200 anos vc está certo: faltou dizer "quase"..
Se a letra mata o espírito vivifica, independente de serem 164 anos ou 200, o que importa é que já caminhamos bastante para insistir em um hábito que não tem mais razão de ser.
Se existem médicos que são vegetarianos cai por terra toda a "necessidade"
Repito: os espíritos condicionam a alimentação de carne á necessidade, então se ela não mais existe como utilizar o argumento da codificação???
Se temos alternativas e podemos ter saúde sem carne, pergunto novamente onde a necessidade que segundo os espíritos justificaria o consumo de carne??
A própria existência de vegetarianos saudáveis derruba toda e qualquer argumentação de que precisamos de carne para sobreviver. O ser humano não precisa de carne precisa de proteínas.
A espiritualidade sabe que já passou da hora de revermos nosso hábitos e não é a toa que tem havido esta enxurrada de comunicações mediúnicas mas preferimos nos manter surdos aos apelos dos diversos espíritos que vem aqui nos alertar.
Muitas crianças tem se recusado a comer carne e seus pais atuardidos vão procurar os médicos tentando forçá-las a ingerir carne.
Não conseguem enxergar o recado explícito que estes irmãos vem nos trazer: mude seus hábitos.
Normalmente  a transformação é operada pelos filhos que vem ensinar seus pais uma nova forma de ver a vida.
Muitos pais tem se tornado vegetarianos por influência de seus pequenos, espíritos mais evoluídos que vem nos auxiliar nesse momento e que já trazem em sua memória espiritual o conceito de que os animais são nosso irmãos.
O vegetarianismo é um movimento que reflete compaixão e amor pelos seres da criação e como idéia nobre apoiada por ideais de fraternidade tem sido impulsionada pelo alto.
A cada dia mais e mais pessoas tem se tornado vegetarianas , trata-se de moviemnto ascendenete que está em consonância com a nova forma de se relacionar com o planeta e com os demais seres que aqui vivem. Animais não são bens de consumo são seres vivos.
Esta idéia de subjugação tem que ser urgentemente revista. Ainda temos um ranço do antigo testamento e nos sentimos "donos" dos outros seres vivos , nos sentindo no direito de os tratarmos como bens da indústria, grande equívoco.
Os animais existiam no mundo muito antes da chegada do homem. Não foram criados para ele.
Todos que defendem o consumo de carne deveriam ao menos ser capaz de matar um animal com suas próprias mãos. É fácil defender um hábito quando não temos que sujar as mãos.
Consumi carne por muito tempo, venho de uma família onívora, mas há dois anos durante um processo de busca espiritual , a idéia do vegetarianismo simplesmente tomou meu ser.
Não condeno não vegetarianos, cada um tem sue tempo , o que não concordo é com hipocrisia.
Honestidade sempre, e admitir que come carne porque gosta mesmo sabendo do sofrimento dos animais , a meu ver é um ato de nobreza pois reflete sinceridade.
Paz e Luz

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 18 de Dezembro de 2011, 17:59
Esqueci de responder sua pergunta:
No meio espírita os mais conhecidos espíritos que se manifestam nesse sentido são Emmanuel e André Luiz.
Todas as obras dos citados espíritos são reverenciadas no meio espírita, só falta agora taxarem Emmanuel e André Luiz de pseudo sábios e Chico xavier de obsediado...
Então, partindo do princípio que o médium em questão era dotado da mais alta credibilidade , assim como os dois eminentes espíritos citados porque então não refletir sobre as  questões que eles apresentam no que concerne à alimentação?
Todo o material psicografado por Chico prima pela mais perfeita lógica e harmonia com os ensinamentos cristãos. Então apenas quanto á questão da alimentação , os espíritos teriam dado "uma escorregadinha"??
Se tudo o que apresentaram está baseado na lei de amor e na lógica porque apenas quanto ao quesito alimentação deveriam ser ignoradas suas orientações?
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Anton Kiudero em 18 de Dezembro de 2011, 19:16
Esta a óptica espírita:
"723. A alimentação animal, para o homem, é contrária à lei natural?
Na vossa constituição física, a carne nutre a carne, pois do contrário o homem perece. A lei de conservação impõe ao homem o dever de conservar as suas energias e a sua saúde, para poder cumprir a lei do trabalho. Ele deve alimentar-se, portanto, segundo o exige a sua
organização.
Abraços,
Moura

Amigo Moura,

Ja o escrevi anteriormente e volto a repetir. A DE tambem nos ensina que se a ciencia viesse a contradizer algum postulado espirita no futuro, que ficassemos com a ciencia.

Há neste planeta bilhões de homens que não se alimentam de carne e não perecem. O que é um fato concreto. Portanto esta questão do LE simplesmente pode ser esquecida por ser contraria a realidade e tampouco endossada pela ciencia atual.

Fique com Deus
Anton

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 19 de Dezembro de 2011, 13:53
Suzana, maninha, respondendo a sua última colocação, Emmanuel e André, não têm uma linha codificada, por que?
Sabemos, entretanto, que todos os Espíritos que participaram com suas intervenções nas obras básicas são da classe dos Espíritos Superiores.
Não seria esta a resposta á questão que formulei acima?
Quanto  a deificação destes dois Espíritos, pois que é isso que acontece com grande número não da doutrina mas dos integrantes do movimento espírita, isso se deve exatamente ao não estudar a doutrina.
Senão saberiam  que mesmo Emmanuel já afirmou: "Minhas colocaçõe são e estão dentro daquilo que forma a minha opinião pessoal", E note, E]ele diz isso numa de suas obras, e para quem quiser ler.
Quanto a questão anterior, volto a lembar a doutrina, que a amiga já deve ter estudado, e numa questão que já a coloquei por inteiro, de onde excerto esta parte:
"(...)As criaturas de Deus são os instrumentos de que Ele se serve para, atingir os seus fins. Para se nutrirem, os seres vivos se destroem entre si, e isso com o duplo objetivo de manter o equilíbrio da reprodução, que poderia tornar-se excessiva, e de utilizar os restos do invólucro exterior. Mas é apenas o invólucro que é destruído, e esse invólucro não é mais do que acessório, não a parte essencial dó ser pensante(...)".
Espero que esta questão, respondida pelos Espíritos Superiores e não por mim, lhe sirva de instrumento de modificação da idéia.
Não tomo como idéia  sua condição de vegetariana, isso fica sob a guarda da sua vontade, falo sim, em matéria doutrinária.
Eu trato, como indica o Fórum, de doutrina espírita, e não daquilo que vá de sua vontade, da minha ou da de qualquer outro.
Abração,
Moura

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/jornal-das-boas-noticias/o-uso-da-alimentacao-carnivora/60/#ixzz1gzK3djH5
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Conforti em 19 de Dezembro de 2011, 14:45
      Amigos,

      O se alimentar de cadáveres, fazendo do estomâgo verdadeiro necrotério, não traz tanta repugnancia ou receio de estar errando, quanto o assassinar, sem dó, nem piedade, nem consideração alguma, os animais. Comprovações científicas mostram q eles têm sensações e mesmo sentimentos como nós; no entanto joga-se ao lixo os animais vivos q, por  algum pequeno defeito, não servem ao desejo de ganhar dinheiro no comércio de carnes. Atiram-se na água fervente animaizinhos vivos para q, mortos pela fervura, suas carnes sejam mais macias e apetitosas para os homens.
      Sugiro aos amigos q ainda nãom assistiram, q assistam ao DVD, documentário, "A carne é fraca", para conhecerem os absurdos q o homem, criação especial de Deus, comete. Muitos não conseguem assistir até o fim; muitos deixam de se alimentar de carne, depois de assistir. Eqto isso, os homens se deliciam com os peixes q, pescados, machucados, lutam, arfando, para receber oxigenio, e com caçadas q somente fazem para se divertirem, mostrando a todos suas grandes proezas. O Pai, q está em nós e está em tudo, está, é evidente, também nos animais! E está nos homens, q não são considerados selvagens, não são tidos por náo-civilizados, mas q agem, exatamente, como selvagens ignorantes e não-civilizados.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 19 de Dezembro de 2011, 14:57
Mano Coronel,
não vou contra a sua indicação, mas passou-se a idéia de que um DVD possa trazer ensino de porte, o que faz crer que a doutrina esteja no mínimo errada.
São apenas opiniões, corretas ou não e já quanto ao uso, este vai de acordo com a vontade e necessidade de todos.

abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: RUI FERNANDES MORGADO em 19 de Dezembro de 2011, 16:44
Caro
      Amigos,

      O se alimentar de cadáveres, fazendo do estomâgo verdadeiro necrotério, não traz tanta repugnancia ou receio de estar errando, quanto o assassinar, sem dó, nem piedade, nem consideração alguma, os animais. Comprovações científicas mostram q eles têm sensações e mesmo sentimentos como nós; no entanto joga-se ao lixo os animais vivos q, por  algum pequeno defeito, não servem ao desejo de ganhar dinheiro no comércio de carnes. Atiram-se na água fervente animaizinhos vivos para q, mortos pela fervura, suas carnes sejam mais macias e apetitosas para os homens.
      Sugiro aos amigos q ainda nãom assistiram, q assistam ao DVD, documentário, "A carne é fraca", para conhecerem os absurdos q o homem, criação especial de Deus, comete. Muitos não conseguem assistir até o fim; muitos deixam de se alimentar de carne, depois de assistir. Eqto isso, os homens se deliciam com os peixes q, pescados, machucados, lutam, arfando, para receber oxigenio, e com caçadas q somente fazem para se divertirem, mostrando a todos suas grandes proezas. O Pai, q está em nós e está em tudo, está, é evidente, também nos animais! E está nos homens, q não são considerados selvagens, não são tidos por náo-civilizados, mas q agem, exatamente, como selvagens ignorantes e não-civilizados.



Caro Coronel!

Parabéns por essa bandeira que vc levanta à favor dos animais, ela é minha também!
Nenhum animal mata por prazer e sim pela sua sobrevivência, já não podemos dizer isso
do homem...

Abraços!

Rui Fernandes Morgado
Santo André-SP
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Conforti em 20 de Dezembro de 2011, 00:55
      Mourarego    (ref #85),

      O mano e amigo escreveu:
      “... mas passou-se a idéia de que um DVD possa trazer ensino de porte, o que faz crer que a doutrina esteja no mínimo errada. São apenas opiniões, corretas ou não, e já, quanto ao uso, este vai de acordo com a vontade e necessidade de todos”.

      Cel: mano, compreendo sua posição e, ao mesmo tempo, lhe digo q, crer ou não crer em opiniões, também vai de acordo, sobretudo, com a compreensão de cada um, concorda? Observe q eu não disse q a doutrina esteja errada; <eu> posso estar errado! Mas, mesmo estando errado em relação à doutrina, continuo considerando um absurdo essa matança selvagem de animais e muitas outras coisas perversas q as criaturas de Deus, fazem com os animais!
     Vc disse q são apenas opiniões; agora, não entendi, amigo pois, nenhuma opinião foi realmente formulada, nem pelo DVD, nem por mim; a não ser q mostrar a verdade indiscutível, seja opinião. Não é verdade?

      Mano e amigo, boas festas e feliz 2012 para você e seus queridos. Um abraço.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 20 de Dezembro de 2011, 11:06
Olá amigos(as)

Não vou entrar nessa do como ou não carne, porque já foi e está a ser debatido muito bem, porque para mim opção pessoal não se debate, aliás o que nos faz mal é o que sai pela boca e não pelo que entra, e neste aspecto é uma questão de bom senso.

Mas vejo com alguma frequência o radicalismo de opiniões em defesa de sua teses.

Vejo nos textos atrás que as pessoas que comem carne são (assassinas) ou me deu a entender,e neste aspecto peço desculpa se estou a exagerar.

Vejo também em todo Mundo nomeadamente nos midia, as pessoas a levantarem a bandeira do (assassinato ) de animais para se comer, muito vez com um radicalismo confrangedor, esquecendo porém que elas mesmo esquecem que quase tudo que temos em nossa sociedade( até em medicamentos de cura) são feitos a partir de animais, e nem estou sequer a falar de roupas(casacos, malas e carteiras, automóveis, barcos com bancos pele) especialmente de boas marcas, que não abdicam,etc. Como ficamos neste aspecto do dito(assassinato)?
Pergunto é pior (matar) para se nutrir, ou matar para se vestir?
Espero que compreendam este meio texto porque estou apenas a fazer perguntas utilizando a palavra (assassino) como forma de expressão que aliás li nos vários textos referidos atrás.

saudações fraternas
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 20 de Dezembro de 2011, 14:00
Até bem pouco tempo atrás se matavam Chinchilas para delas se obter essência para perfumes e material para casacos caros...
Até hoje, mesmo sob proteção matam-se baleias, camarões, robalos, tubarões, porcos etc.
o mais interessante nosso tudo é de se ver verdadeiros titans na defesa do vegetarianismo palestrando tendo as calças seguras por cintos de griffe e de couro, assim como sapatos e adereços e também outros defensores, ostentando carros com bancos encapados de couro.O difícil é saber-se onde acabam a hipocrisia e o sofisma que eles arrotam!
é tipo dizer-se: "Faz o que eu digo mas não faça o que eu faço... Eu posso!"
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Ace em 20 de Dezembro de 2011, 14:54
Até bem pouco tempo atrás se matavam Chinchilas para delas se obter essência para perfumes e material para casacos caros...
Até hoje, mesmo sob proteção matam-se baleias, camarões, robalos, tubarões, porcos etc.
o mais interessante nosso tudo é de se ver verdadeiros titans na defesa do vegetarianismo palestrando tendo as calças seguras por cintos de griffe e de couro, assim como sapatos e adereços e também outros defensores, ostentando carros com bancos encapados de couro.O difícil é saber-se onde acabam a hipocrisia e o sofisma que eles arrotam!
é tipo dizer-se: "Faz o que eu digo mas não faça o que eu faço... Eu posso!"
Abraços,
Moura

Amigo Moura

Não devia generalizar. Eu conheço alguns vegetarianos e nenhum deles tem nada disso.


Amigo hcancela

"aliás o que nos faz mal é o que sai pela boca e não pelo que entra..."

Isso não é um pouco egoísta? E o mal que faz aos outros, não interessa? "Só interessa o mal que faz a mim"?


Leiam todos o comentário que o amigo Anton deixou a cima, concordo 100% com ele.


Abraços, Muita Paz.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 20 de Dezembro de 2011, 14:59
Mas eu não generalizei não Cz, veja bem o que escrevi...
abração, e bom natal!
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 20 de Dezembro de 2011, 15:17
Moura,
Vc não respondeu ao questionamento do Anton.
 O livro dos espíritos diz que se não comer carne perecemos.
Várias pessoas não comem carne, e não apenas não perecem como apresentam melhores índices de saúde do que onívoros.
O índice de diabetes, doenças cardíacas e mesmo câncer é muito menor em vegetarianos segundo todos os estudos.,
A FAO indica a dieta vegetariana como saudável.
O grande X da questão não é se  o livro dos espíritos me autorizou HÁ 164 ANOS atrás a comer carne.
A questão éque  HOJE, temos condições de ter saúde sem precisar comer carne.
Existem fisiculturistas, boxeadors e diversos atletasvegetarianos que praticam diversas atividades que exigem imenso aporte proteico e que são absolutamente saudáveis.
A indústria de abate utiliza métodos cruéis; os animais sofrem barbaramente para que sejam transformados em comida.
E acredite, o que nós fazemos com estes seres extrapola a compreensão humana; nenhum ser irracional na natureza, que age puramente por instinto, consegue superar o homem quanto á crueldade com que trata os animais para abate.
Comer carne hoje reflete tanta futilidade quanto usar um casaco de pele.
Usava-se  pele no passado porque não se tinha alternativas, hoje temos;
Comia-se carne no passado porque não se tinha alternativas( ou melhor não se sabia sobre elas); hoje temos..
Li alguns comentários seus que denotam profundo desconhecimento sobre os aspectos médicos e nutricionais da dieta vegetariana, sugiro estudar mais sobre o assunto.
Existe um livro fantástico de um MÉDICO vegetariano chamado " Alimentação sem Carne" que derruba todos os mitos que envolvem a dieta vegetariana.
Porque será que todos os grandes filósofos da humanidade já questionavam há milênios o hábito de comer carne??( Pitágoras, Platão, Sócrates, etc).
Sinceramente, volto a insistir: digam que comem carne porque gostam é mais honesto do que dizer que é porque precisam . Nem os médicos hoje falam mais isso.
Acho que já passou da hora de colocar na conta dos " Espíritos" a justificativa para hábitos que temos dificuldade para mudar, o que foi dito valia para a sociedade da época, não cabe mais para nós.
Chega a ser patético, ninguém quer abrir mão da suculenta picanha daí fica-se buscando subtefúrgios, uma "brechinha" na doutrina para justificar seu hábito, dando um jeitinho, interpretando a doutirna de uma forma beemm conveniente: só lemos " a carne se nutre da carne" mas ninguém lê: DO CONTRÁRIO O HOMEM PERECE !
kd os homens perecendo???
Hoje o vegetarianismo deixou de sre meramente uma questão nutricional, que cabe ao livre arbítrio de cada um..
Quero ver os  onívorso conseguirem matar o bovino com suas mãos, deixá-lo em sangria enquanto ele agoniza, depois despelá-lo e limpar suas vísceras sem sentir náusesas desforto, com a mesma tranquilidade que está aqui a defender o consumo de carne..
Gente, querem consumir carne, sem problemas mas o façam de forma consciente sabendo o custo que este hábito tem para outros seres.
Vão até um matadouro e assistam o abate de bovinos, suínos e a forma como são tratados
e verifiquem se isso se coaduna com uma sociedade que está á beira de um mundo de regeneração..
tenho certeza de que vão ver naquela prática muito mais do homem primitivo do que do homem moderno, simplesmente o abate de animais não combina com nosso estágio evolutivo.
Assistam o vídeo " Farm to Fridge" e digam sinceramnete se isso está de acordo com os ensinamentos cristãos.

Paz e Luz!

Por que ser Vegetariano? (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVc3MzVhOWVBWllZIw==)



Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rafagricola em 20 de Dezembro de 2011, 17:56
Moura,
Vc não respondeu ao questionamento do Anton.
 O livro dos espíritos diz que se não comer carne perecemos.
Várias pessoas não comem carne, e não apenas não perecem como apresentam melhores índices de saúde do que onívoros.
O índice de diabetes, doenças cardíacas e mesmo câncer é muito menor em vegetarianos segundo todos os estudos.,
A FAO indica a dieta vegetariana como saudável.
O grande X da questão não é se  o livro dos espíritos me autorizou HÁ 164 ANOS atrás a comer carne.
A questão éque  HOJE, temos condições de ter saúde sem precisar comer carne.
Existem fisiculturistas, boxeadors e diversos atletasvegetarianos que praticam diversas atividades que exigem imenso aporte proteico e que são absolutamente saudáveis.
A indústria de abate utiliza métodos cruéis; os animais sofrem barbaramente para que sejam transformados em comida.
E acredite, o que nós fazemos com estes seres extrapola a compreensão humana; nenhum ser irracional na natureza, que age puramente por instinto, consegue superar o homem quanto á crueldade com que trata os animais para abate.
Comer carne hoje reflete tanta futilidade quanto usar um casaco de pele.
Usava-se  pele no passado porque não se tinha alternativas, hoje temos;
Comia-se carne no passado porque não se tinha alternativas( ou melhor não se sabia sobre elas); hoje temos..
Li alguns comentários seus que denotam profundo desconhecimento sobre os aspectos médicos e nutricionais da dieta vegetariana, sugiro estudar mais sobre o assunto.
Existe um livro fantástico de um MÉDICO vegetariano chamado " Alimentação sem Carne" que derruba todos os mitos que envolvem a dieta vegetariana.
Porque será que todos os grandes filósofos da humanidade já questionavam há milênios o hábito de comer carne??( Pitágoras, Platão, Sócrates, etc).
Sinceramente, volto a insistir: digam que comem carne porque gostam é mais honesto do que dizer que é porque precisam . Nem os médicos hoje falam mais isso.
Acho que já passou da hora de colocar na conta dos " Espíritos" a justificativa para hábitos que temos dificuldade para mudar, o que foi dito valia para a sociedade da época, não cabe mais para nós.
Chega a ser patético, ninguém quer abrir mão da suculenta picanha daí fica-se buscando subtefúrgios, uma "brechinha" na doutrina para justificar seu hábito, dando um jeitinho, interpretando a doutirna de uma forma beemm conveniente: só lemos " a carne se nutre da carne" mas ninguém lê: DO CONTRÁRIO O HOMEM PERECE !
kd os homens perecendo???
Hoje o vegetarianismo deixou de sre meramente uma questão nutricional, que cabe ao livre arbítrio de cada um..
Quero ver os  onívorso conseguirem matar o bovino com suas mãos, deixá-lo em sangria enquanto ele agoniza, depois despelá-lo e limpar suas vísceras sem sentir náusesas desforto, com a mesma tranquilidade que está aqui a defender o consumo de carne..
Gente, querem consumir carne, sem problemas mas o façam de forma consciente sabendo o custo que este hábito tem para outros seres.
Vão até um matadouro e assistam o abate de bovinos, suínos e a forma como são tratados
e verifiquem se isso se coaduna com uma sociedade que está á beira de um mundo de regeneração..
tenho certeza de que vão ver naquela prática muito mais do homem primitivo do que do homem moderno, simplesmente o abate de animais não combina com nosso estágio evolutivo.
Assistam o vídeo " Farm to Fridge" e digam sinceramnete se isso está de acordo com os ensinamentos cristãos.

Paz e Luz!

Por que ser Vegetariano? (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVc3MzVhOWVBWllZIw==)






Estou voltando a frenquentar o fórum recentemente e achei suas considerações ótimas, parabéns!

Minha esposa não come carne de nenhum tipo a mais de 15 anos (1 ano de casados) e não consome nada com couro, etc etc...eu estou tentando a mais ou menos 1 mês, e muita coisa melhorou, parece que até os pensamentos fluem melhor...abs
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 20 de Dezembro de 2011, 18:52
Até bem pouco tempo atrás se matavam Chinchilas para delas se obter essência para perfumes e material para casacos caros...
Até hoje, mesmo sob proteção matam-se baleias, camarões, robalos, tubarões, porcos etc.
o mais interessante nosso tudo é de se ver verdadeiros titans na defesa do vegetarianismo palestrando tendo as calças seguras por cintos de griffe e de couro, assim como sapatos e adereços e também outros defensores, ostentando carros com bancos encapados de couro.O difícil é saber-se onde acabam a hipocrisia e o sofisma que eles arrotam!
é tipo dizer-se: "Faz o que eu digo mas não faça o que eu faço... Eu posso!"
Abraços,
Moura

Amigo Moura

Não devia generalizar. Eu conheço alguns vegetarianos e nenhum deles tem nada disso.


Amigo hcancela

"aliás o que nos faz mal é o que sai pela boca e não pelo que entra..."

Isso não é um pouco egoísta? E o mal que faz aos outros, não interessa? "Só interessa o mal que faz a mim"?


Leiam todos o comentário que o amigo Anton deixou a cima, concordo 100% com ele.


Abraços, Muita Paz.


Pois é caro amigo CZ, quem disse isto,,,O que sai da boca é o que nos faz mal, e não o que entra...Foi Jesus, e acha Jesus egoista!... O problema amigo é nos entrarmos em radicalismos impondo nossa ideias coisa que eu não fiz , sem egoismos e nem sequer fui deselegante com ninguém(basta ler bem o texto) .
Sem comentários meu caro.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 20 de Dezembro de 2011, 18:57
O que quer dizer este "perecer" usado em resposta no LE?
Simples mente que o encarnado, fisicamente há de sofrer pela falta de uma enzima ainda não sintetizada até hoje e que não se encontra em outro tipo de alimentação.
FONTE: OMS
É o que posso acrescentar.
Para muito Espírita ou dito Espírita, só pode existir o preto e o branco. Se esquecem estes, a enorme variedade de tons de cinza que existem entre o branco e o preto.
Eu já entendo, Rafa, que patético é se querer ver tal estado, sem que se olhe antes para um espelho.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 20 de Dezembro de 2011, 19:08
Significado de Perecer

v.i. Ter fim, deixar de existir; morrer.

Acredito que os espíritos conheciam português, não mencionaram enfraquecer nem adoecer mas perecer, ponto.
Outra coisa, que enzima é essa de que falas???
Só posso imaginar que seja  a VITAMINA B12, que é sintetizada há anos em laboratório podendo ser tomada sob a forma de suplementos vitamínicos ou injeções anuais, bom então quanto a este ponto ciência hoje já resolveu a questão.
No mais todos os aminoácidos encontrados na carne podem ser encontrados em uma dieta vegetariana.



Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 20 de Dezembro de 2011, 19:32
Olá Rafa,
Estas considerações foram fruto de muita reflexão.
Não nasci em um lar vegetariano e como a maior parte das pessoas também fui criada dentro do conceito de que comer carne era saudável.
Graças a Deus, os tempos estão mudando e os conceitos sendo revistos.
A espiritualidade tem se empenhado( e muito) para abrir a mente das pessoas e desenvolver um novo tipo de afetividade mais ampla, que abarque também os animais( não apenas os de estimação) de modo que as pessoas também sintam empatia pelos bichinhos criados para abate, afinal em termos gerais um bovino é tão merecerdor de afeto e compaixão quanto um cachorro.
Estamos vivendo um momento muito especial, onde sem dúvida passaremos a enxergar os animais como irmãos e não mais como bens de consumo.
Convivo em harmonia com não vegetarianos, meus amigos não são, a maior parte dos meus familiares também não, inclusive meu companheiro, resumo: sou um estranho no ninho rs.
meu companheiro reduziu bastante o consumo de carne mas tudo é um processo cada um tem seu tempo. Tem gente que consegue abolir a carne de forma imediata, outros levam meses, anos, vão retirando gradualmente: primeiro bovinos, depois suínos, aves, peixes até sentirem que seu organismo se libertou da dependência da carne construída ao longo de uma vida.
Não acho nenhum crime não ser vegetariano o problema é quando buscamos nos apoiar em argumentos frágeis para não ter que realizar um questionamento ético que certamente irá nos retirar da nossa zona de conforto e implicará mudança de hábitos..e mudar hábitos é difícil, foi como disse em outro comentário: é mais fácil fazer reforma íntima do que mexer no prato..
Não quer ser vegetariano, tudo bem mas seja sincero: sinto empatia pelos animais mas não consigo ficar sem carne, gosto muito de carne, etc..mas sem falatrices do tipo " a carne se nutre da carne" porque isso não cola mais hoje.
Quando os espíritos ditaram aquelas palavras, não se sabia muito sobre nutrição, além do que o espiritismo já enfrentava muita hostilidade pelo conteúdo de suas proposições imagine então se ainda levantasse naquela época a bandeira do vegetarianismo??
Talvez nem Kardec fosse espírita rs, brincadeiras á parte, os espíritos agiram sabiamete quando ditaram à resposta. Não era o momento, ainda éramos muiot imaturos e animalizados. Hoje apesar de ainda termos sérios e graves problemas temos um "pouquinho" mais de maturidade espiritual que nosso irmãos do passado então já estamos prontos para aprender esta lição, ou melhor, nem todos.
Não é à toa que os grandes filósofos da humanidade eram vegetarianos, depois de muita elucubração chegava um momento que não existia mais  argumentos que justificassem esta conduta.
Submeter um ser vivo a um sofrimento desnecessário é incorrer em abuso e hoje, a par de todo conhecimento de que dispomos , sem dúvida estamos incorrendo em abusos contra nossos irmãos menores.
Se vc se sensibiliza com a causa vegetariana e com o sofrimento dos animais criados para abate mas ainda sente necessidade de comer carne, é um bom caminho o que está fazendo ir retirando aos poucos. Vai chegar um momento que seu organismo naturalmente irá se acostumar com sua ausência.
E te digo uma coisa: não há felicidade maior do que conseguir ter saúde e prazer em uma refeição sem sujar as mãos de sangue.
Se o que vc precisa é só de empurrãozinho, assista o vídeo:" Farm to Fridge- legendado", disponível no youtube e se aproprie da realidade que escondem de vc.
A indústria não tem interesse que as pessoas saibam disso. Fazem um ótimo marketing para desvincular o consumidor do processo de abate e tem funcionado muito bem, tá todo mundo na Matrix..
Abraços
Susana

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 20 de Dezembro de 2011, 19:49
Usando de sua própria postagem podemos todos ver que o termo perecer tem também a conotação de ter fim mas sem que este fim seja a morte.
EX: perece o direito quando a causa não é justa:
Queria ela tanto estar perto de seu amado, mas perecendo o amor, findou a vontade.
A luz solar que antes escandalosamente se esbroava pela areia branca, ao final do dia, perecia ante o negrume da capa celeste.
Logo, cuidado com as acepções que queremos dar a um simples vocábulo.
O corpo perece, quer mostrar que este sentirá os efeitos na falta daquela enzima.
Pode em alguns casos trazer o fim morte, se o indivíduo esteja debilitado, porém no mais das vezes apesar de algumas sensações sentidas não passa disso entretanto indica este perecimento em razão desta falta na alimentação.
Quer dizer o ter fim, não indica, peremptoriamente a morte.
Mas qual, o pessoal que apenas ler morre.
Que se pegue então a obra em sua língua pátria, o francês e então se encontrará  a verdadeira colocação dos Espíritos Superiores.
Eu já fiz isso, agora me alegraria ver muitos a fazerem o mesmo.
Abraços,
Moura

Citação de: Susana Fernandes link=topic=13203.msg248992#msg248992
date=1324408080
Significado de Perecer

v.i. Ter fim, deixar de existir; morrer.

Acredito que os espíritos conheciam português, não mencionaram enfraquecer nem adoecer mas perecer, ponto.
Outra coisa, que enzima é essa de que falas???
Só posso imaginar que seja  a VITAMINA B12, que é sintetizada há anos em laboratório podendo ser tomada sob a forma de suplementos vitamínicos ou injeções anuais, bom então quanto a este ponto ciência hoje já resolveu a questão.
No mais todos os aminoácidos encontrados na carne podem ser encontrados em uma dieta vegetariana.




Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 20 de Dezembro de 2011, 19:51
Desculpem-me insistir no tema:
A norma doutrinária diz afirmativamente: "Todo o mal reside no excesso."Este parecer resolve a questão.
abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Ace em 20 de Dezembro de 2011, 20:32
Até bem pouco tempo atrás se matavam Chinchilas para delas se obter essência para perfumes e material para casacos caros...
Até hoje, mesmo sob proteção matam-se baleias, camarões, robalos, tubarões, porcos etc.
o mais interessante nosso tudo é de se ver verdadeiros titans na defesa do vegetarianismo palestrando tendo as calças seguras por cintos de griffe e de couro, assim como sapatos e adereços e também outros defensores, ostentando carros com bancos encapados de couro.O difícil é saber-se onde acabam a hipocrisia e o sofisma que eles arrotam!
é tipo dizer-se: "Faz o que eu digo mas não faça o que eu faço... Eu posso!"
Abraços,
Moura

Amigo Moura

Não devia generalizar. Eu conheço alguns vegetarianos e nenhum deles tem nada disso.


Amigo hcancela

"aliás o que nos faz mal é o que sai pela boca e não pelo que entra..."

Isso não é um pouco egoísta? E o mal que faz aos outros, não interessa? "Só interessa o mal que faz a mim"?


Leiam todos o comentário que o amigo Anton deixou a cima, concordo 100% com ele.


Abraços, Muita Paz.


Pois é caro amigo CZ, quem disse isto,,,O que sai da boca é o que nos faz mal, e não o que entra...Foi Jesus, e acha Jesus egoista!... O problema amigo é nos entrarmos em radicalismos impondo nossa ideias coisa que eu não fiz , sem egoismos e nem sequer fui deselegante com ninguém(basta ler bem o texto) .
Sem comentários meu caro.


Amigo, tudo depende do contexto em que se inserem as frases, tanto sejam de Jesus ou do Papa, não tentes deturpar o que eu disse.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 20 de Dezembro de 2011, 20:37
Moura.
Não força a barra, tentar sustentar um ponto de vista desta forma é temeroso.
Numa boa..vc disse , disse não disse nada.
Não adianta fugir para o juridiquês que eu também ou da área jurídica e isso é bem típico da categoria..
Vc continua insistindo na "tal enzima" que só vc conhece..
Os espíritos foram taxativos, sua palavras foram claras e transparentes como água e não estão erradas, pois para a época realmente  tirar a carne do cardápio sem saber como substituí-la, quais eram os alimentos que combinados propiciassem ao ser humano todos os aminoácidos necessários seria sim motivo de perigo à saúde.
A questão é: o conhecimento que faltava aos nossos antepassados nós já dispomos de modo que é perfeitamente seguro ser vegetariano sem perecer dando ao verbo o significado que vc julgar mais apropriado( sim porque os espíritos no seu entender estavam usando a acepção jurídica da palavra, aiaiai...).
Há excesso na nossa conduta sim porque sabemos das barbaridades que são realizados em relação aos animais para satisfação do nosso paladar e simplesmente não nos importamos.
Há excesso sim porque temos alternativas e insistimos em um hábito que causa sofrimento e dor.
Há partir do momento em que o homem não ignora uma situação, que ele tem consciência e que por seu livre arbítrio, apesar de haver alternativas, se nega a utilizá-las causando o mal a outros seres vivos, há excesso sim.
Isso não valia para o primata irracional ou para nossos antepassados que desconheciam alternativas, mas nós, já estamos incorrendo em excesso há muito tempo só que por covardia moral ainda não tivemos coragem de admitir.

Vc já viu um bezerro chorando ao ver sua mãe entrar em um matadouro??
Vc sabia que os carneiros choram antes de morrer??
Vc já viveu em uma gaiola tão apertada que vc sequer conseguia abrir suas asas durante uma vida inteira sem nunca ter visto a luz solar, entupido de hormônios químicos??
Vc já viu um boi, sendo retalhado vivo, se debatendo enquanto realizam o processo super "humanitário" de sangria??
Vc sabia que é difícil mostrarem fotos de chester porque na verdade trata-se de um frankeinsten, criaram um bicho que é particamente só peito que mal consegue ficar em pé?
Esta é a realidade de milhões de animais abatidos diariamente para satisfazer o exigente paladar humano..te pergunto, esqueça o livro dos espíritos por um momento, esqueça kardec por apenas um segundo e pergunte ao íntimo da sua consciência se isso é ético?
Aonde por acaso está escrito que animais são objetos e que nós somos seus donos?
Os animais são nosso irmãos, nós deveríamos ser seus tutores e não seus carrascos.
Como vê, já estamos incorrendo em excesso há muito tempo e se sabemos disso e continuamos financiando esta indústrai que sabidamente trata mal os animais, estamos sendo coniventes com esta barbárie.
Quando os espíritos ditaram a tão polêmica resposta a indústria da carne ainda não estava estruturada nos moldes em que está hoje, não que fosse correto comer cadáver e nem matar os animais antes , mas certamente os animais tinham uma melhor qualidade de vida do que hoje.
Matar o animal é um grande equívoco, submetê-lo a toda sorte de privações é outro grande equivoco mas financiar todos estes procedimentos sendo seres racionais e sensíveis,este é sem dúvida o maior dos equívocos.
Moura, respeito e estudo a doutrina mas antes de Kardec  a lei maior é " Amai-vos uns aos outros" e isso não se restringe a humanos.

Abraços
Susana






Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Ace em 20 de Dezembro de 2011, 20:46
Moura.
Não força a barra, tentar sustentar um ponto de vista desta forma é temeroso.
Numa boa..vc disse , disse não disse nada.
Não adianta fugir para o juridiquês que eu também ou da área jurídica e isso é bem típico da categoria..
Vc continua insistindo na "tal enzima" que só vc conhece..
Os espíritos foram taxativos, sua palavras foram claras e transparentes como água e não estão erradas, pois para a época realmente  tirar a carne do cardápio sem saber como substituí-la, quais eram os alimentos que combinados propiciassem ao ser humano todos os aminoácidos necessários seria sim motivo de perigo à saúde.
A questão é: o conhecimento que faltava aos nossos antepassados nós já dispomos de modo que é perfeitamente seguro ser vegetariano sem perecer dando ao verbo o significado que vc julgar mais apropriado( sim porque os espíritos no seu entender estavam usando a acepção jurídica da palavra, aiaiai...).
Há excesso na nossa conduta sim porque sabemos das barbaridades que são realizados em relação aos animais para satisfação do nosso paladar e simplesmente não nos importamos.
Há excesso sim porque temos alternativas e insistimos em um hábito que causa sofrimento e dor.
Há partir do momento em que o homem não ignora uma situação, que ele tem consciência e que por seu livre arbítrio, apesar de haver alternativas, se nega a utilizá-las causando o mal a outros seres vivos, há excesso sim.
Isso não valia para o primata irracional ou para nossos antepassados que desconheciam alternativas, mas nós, já estamos incorrendo em excesso há muito tempo só que por covardia moral ainda não tivemos coragem de admitir.

Vc já viu um bezerro chorando ao ver sua mãe entrar em um matadouro??
Vc sabia que os carneiros choram antes de morrer??
Vc já viveu em uma gaiola tão apertada que vc sequer conseguia abrir suas asas durante uma vida inteira sem nunca ter visto a luz solar, entupido de hormônios químicos??
Vc já viu um boi, sendo retalhado vivo, se debatendo enquanto realizam o processo super "humanitário" de sangria??
Vc sabia que é difícil mostrarem fotos de chester porque na verdade trata-se de um frankeinsten, criaram um bicho que é particamente só peito que mal consegue ficar em pé?
Esta é a realidade de milhões de animais abatidos diariamente para satisfazer o exigente paladar humano..te pergunto, esqueça o livro dos espíritos por um momento, esqueça kardec por apenas um segundo e pergunte ao íntimo da sua consciência se isso é ético?
Aonde por acaso está escrito que animais são objetos e que nós somos seus donos?
Os animais são nosso irmãos, nós deveríamos ser seus tutores e não seus carrascos.
Como vê, já estamos incorrendo em excesso há muito tempo e se sabemos disso e continuamos financiando esta indústrai que sabidamente trata mal os animais, estamos sendo coniventes com esta barbárie.
Quando os espíritos ditaram a tão polêmica resposta a indústria da carne ainda não estava estruturada nos moldes em que está hoje, não que fosse correto comer cadáver e nem matar os animais antes , mas certamente os animais tinham uma melhor qualidade de vida do que hoje.
Matar o animal é um grande equívoco, submetê-lo a toda sorte de privações é outro grande equivoco mas financiar todos estes procedimentos sendo seres racionais e sensíveis,este é sem dúvida o maior dos equívocos.
Moura, respeito e estudo a doutrina mas antes de Kardec  a lei maior é " Amai-vos uns aos outros" e isso não se restringe a humanos.

Abraços
Susana


Disse tudo, amiga Susana! Parabéns pelo seu post. Abraços.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 20 de Dezembro de 2011, 21:06
Quando eu quero eu como , quando não quero não me faz falta, sigo um plano alimentar equilibrado e não vejo, pecados e nem culpas, e nem elevação Espiritual tanto de um lado quanto de outro.

Um abç
Hebe
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 20 de Dezembro de 2011, 21:28
Hebe,
 A garnde resposta é a consciência. Não acho que ser vegetariano é um passaporte para a espiritualidade mas penso que á medida que ampliamos nossa consciência cósmica e estendemos o amor a todos os seres da criação, passamo naturalmente a ver os animais com o mesmo respeito que olhamos para qualquer ser humano, porque independente do nível de consciência do ser, não enxergamos mais homens ou animais, mas apenas vida.
Vegetraianismo não é imposição nem sofrimento é um exercício de consciência.
Não é uma questão de culpa, de certo ou errado, é apenas uma questão de ética.
Até que ponto o prazer é tão imporatnte a ponto de se sobrepor ao direito ao bem estar e à vida?
Á medida que nos propormos a faezr uma análise profunda da questão e iniciar um questionamento ético profundo somos levados a ver que os aniamis para abate são extermanete injustiçados.
Foram eleitos para serem bens de consumo enquanto uma "elite" vive confortavelmente nas casas humanas apenas porque demosntram para seus donos características mais sociáveis e humanas.
Gatos e cachorros só são pouuados do abate porque são parecidos demais concosco e não nos sentimos á contade em consumí-los( salvo, algumas culturas asiáticas ).
A pergunta que sempre faço é: Comeríamos nosso animal de estimação? E porque comemos bovinos e cia?
Um boi não sente dor igual um cachorro? Também não merece ter respeitado o bem estar e o direito á vida?
Não nasci vegetariana, me tornei vegetariana porque na hora que comecei a realizar estes questionamentos ficava cada vez mais difcíl ficar em paz com minha consciência.
Para mim, os animais são meus irmãos. Sinto que Deus me incumbiu como irmã mais velha de auxiliá-los e quando passei a v~e-los desta forma ficou muito difícil continuar comendo carne.
parei de comer carne por compaixão  e respeito profuno aos seres da criação porque para mim todos viemso da mesma fonte, SOMOS TODOS UM.
O mesmo princípio, a mesma energia vital que habita em mim habita em um animal a única diferença é o grau de consciência, afinal a  mônada vai estagiando nos diversos reinos ,no contínuo processo de organização da sua consciência
Quando olho para um animal vejo um aluno na escola da vida que está em um estágio pelo qual já passei um dia e trato ele da mesma forma como eu gostaria de ser tratada se estivesse naquela situação, tendo pro ele um profundo respeito.
Paz e Luz!
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 20 de Dezembro de 2011, 21:51
Fique em paz Suzana.

Um abç
hebe
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 21 de Dezembro de 2011, 00:21
Tudo que vivenciamos na Terra é um ensaio para conquistas maiores. Todas as vitórias que conquistamos, principalmente sobre nossas particulares imperfeições devem ser valorizadas e expansíveis a todo nosso entorno.
O carinho e zelo que provamos ao admirarmos uma flor, um pássaro, uma formiguinha laborando sua frágil existência, deve ser cultuado e nutrido em nosso íntimo para termos estes mesmos sentimentos aos que nos são semelhantes em Espírito e tão diferentes de nós em necessidades, os nossos irmãos em humanidade! Isso sim, é respeitar a vida e que a vida verdadeira é em Espírito e que o que nutre e fortalece o Espírito é a Moral.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: EsoEstudos em 21 de Dezembro de 2011, 01:01
Gente, ninguém cogita de culpa ou de "pecados"... Não estamos discutindo religião. Concordo com a Hebe.

A questão maior, ao que me parece, é: os animais são criações destinadas a progredir sem jamais atingir a consciência plena? Animais de planetas mais evoluídos são mais evoluídos, mas serão sempre animais?
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 21 de Dezembro de 2011, 01:13
EsoEstudos, a segunda questão que você coloca, o esclarecimento que encontramos nas respostas dos Espíritos é bem direta; "Os animais nos mundos superiores são animais com caracteres aperfeiçoados e condizentes com aquele mundo". Agora, a primeira, esta é aquela que sempre leva as discussões para o terreno das incertezas, por que esta é uma pergunta cuja resposta ainda está nos mistérios de Deus quanto à criação dos Espíritos e/ou espíritos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Conforti em 21 de Dezembro de 2011, 02:26
      Hcancela    (ref #88)

      O amigo Hcancela escreveu: Não vou entrar nessa do como ou não carne... porque para mim opção pessoal não se debate, aliás o que nos faz mal é o que sai pela boca e não pelo que entra, e neste aspecto é uma questão de bom senso.

       Cel: amigo, essa frase é apenas uma expressão destinada a mostrar q a palavra, q sai da boca, é pior do q aquilo q por ela entra; assim a palavra q humilha, q calunia, mente, falsifica, desonra, agride, certo? Essa frase estará justificando o mal produzido por tudo q entra pela boca? O veneno, as drogas, as bebidas inebriantes, coisas q levam o homem ao crime, à loucura, à dependência, à morte?!
      E, meu amigo Hcancela, o q é aí opção pessoal? Matar e torturar sem qualquer resquício de amor ou piedade os indefesos animais q estão, subjugados, por aqueles q se dizem cristãos, sendo q, para muitos, o mais importante a se ter no coração é o amor, a mais excelsa virtude como disse Paulo: “... se não tiver amor, nada sou” Será q o amor deve ser dirigido só para o semelhante, para nosso carro e nossa casa, para nosso entretenimento (futebol, vícios, sexo etc), para nosso dinheiro, coisas q, por  elas, temos enorme cuidado?!

      Hcancela: Vejo nos textos atrás que as pessoas que comem carne são (assassinas) ou me deu a entender...

      Cel: fui eu q coloquei essa palavra, mas não referente a quem come carne, pois aplica-se ao q mata. É evidente q forcei o significado da palavra, para mais enfatizar o q queria dizer pois, em nosso idioma e em nossas leis (tudo convenção dos homens) “assassino” é o homicida, aquele q mata homens. Assim vou corrigir: em lugar de “assassinos” leia-se: “matadores selvagens”, aqueles que, com enorme crueldade, matam animais indefesos, pois q estão subjugados por eles mesmos.

      Hcancela: Vejo também em todo Mundo nomeadamente nos mídia, as pessoas a
levantarem a bandeira do (assassinato ) de animais para se comer, muito vez com um radicalismo confrangedor, esquecendo porém que elas mesmo esquecem que quase tudo que temos em nossa sociedade( até em medicamentos de cura) são feitos a partir de animais, e nem estou sequer a falar de roupas(casacos, malas e carteiras, automóveis, barcos com bancos pele) especialmente de boas marcas, que não abdicam,etc. Como ficamos neste aspecto do dito(assassinato)?
Pergunto é pior (matar) para se nutrir, ou matar para se vestir?

      Cel: o amigo tem razão; no entanto peço q se prenda à expressão “assassinos de animais” (naturalmente exagerada) aplicada aos q os matam com total brutalidade.
     
      E, mais  palavras q muitos acharão absurdas:aqueles q fazem isso, nenhuma culpa ou responsabilidade tê pelo q fazem, porq é a vida, com todas as experiencias/lições que nos proporciona, q os torna assim.
      Abraços a todos. 

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 21 de Dezembro de 2011, 13:59
Amiga Susana,
creio que se a amiga separasse uns minutos para fazer uma pesquisa séria acharia sobre a "tal enzima".
Até lá, no entanto, permita-me pedir-lhe que se mantenha dentro do trivial pois se a amiga nada conhece sobre isso não pode simplesmente falar em contradita.
E não é "Jurisdiquez" amiga é Direito. Justiça e Direito são coisas diferentes. Tanto que o Juiz "diz a Lei" e o advogado se esforça para "fazê-la cumprir-se".
como se vê falta sustentação trazida pelo conhecimento na contradita que a amiga coloca.
Para que nosso debate continue em bons termos permito-me, ainda indicar-lhe que se fique nos parâmetros doutrinários, já que aquilo que a amiga "acha", se foge do cerne dos debates deste fórum, que é o estudo da doutrina, a mim, não me causa nem curiosidade.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 21 de Dezembro de 2011, 14:12
Mano Coronel, deixe-me falar com mais clareza:
Quem mata quem, quando se fala em animais?
Quem compra o filé, ou quem os cria para tal fim?
Se quem compra o bife, também mata, me desculpe amigo pois mesmo os vegetarianos estariam incursos nessa tipificação inexistente.
Afinal alimentam-se de vegetais e estes contém uma espécie de vida, a Vegetativa.
retirados do habitat natural morrem e então a tipificação lhes caberia do mesmo modo que os hipócritas assim a determinam a quem faça da alimentação carnívora sua forma de nutrir-se.
Nota a mentira mal enrolada? Nota o "gato escondido como rabo de fora?
Amigos, estas são falácias sofistas que não têm pé nem cabeça.
E como aqui o tema é aquele que está descrito nas obras básicas e por mais que alguns se ponham contra não estão nem em conhecimento e nem em moral , na mesma posição em que os espíritos que respondem nas obras básicas estão, melhor ficarmos dentro do retrato doutrinário que é, o cerne dos debates.
Quem não quiser, ou ainda quiser apenas se colocar, baseado em premissas outras não abarcadas nem mesmo pela ciência, que então, assim continue, mas que pelo menos respeite a quele que quer ter o envoltório do ensino codificado como norte.
Note respondo a você com orientação generalista, logo não me refiro em espécie a você.
Quem estuda as obras básica há de ter visto a serventia que os Espíritos afirmam ser dada por Deus aos animais.
Aqueles que diferem desta afirmação que por favor apenas respondam, a uma indagação básica.
Como resolveriam então o problema da super população de animais posto que o período de CIO não acaba apenas por se parar de comer carne não é mesmo?
Por outra, outro problema que a ciência aponta e que se pode ver pela Internet, é exatamente o buraco na camada de ozônio que também encontra um sério perigo mesmo pela quantidade de gases que os animais os soltam.
Parece piada mas não é, podem procurar pois está na internet e atualmente é um estudo que a ciência faz no sentido de diminuir esta produção que agride a camada de ozônio. Neste estudo são mostrado mesmo os animais que mais nocividade têm para com tal camada.
Resolvam estes pequenos problemas e ai sim podem falar, mas sem mentiras ou hipocrisias.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Anton Kiudero em 21 de Dezembro de 2011, 15:29
se a amiga separasse uns minutos para fazer uma pesquisa séria acharia sobre a "tal enzima".

Amigo Moura,

Há uns dois anos voce manda-nos procurar a tal enzima e eu não encontrei nada desde então. Portanto, peço-lhe encarecidamente que nos mostre este segredo tão bem guardado que aparentemente somente voce conseguiu descobrir.

A proposito ainda não 'pereci' apesar de haver eliminado a carne de meu prato ha uns 35 anos.....  ;) :) ::)

Complemento com um pequeno texto que ja postei no passado e cujo unico intuito é conscientizarmo-nos que a alimentação carnivora, tal como alardeada pela midia moderna, jamais existiu neste planeta até bem pouco tempo atras.




Alguns apontamentos sobre a utilização da carne na alimentação humana:

1 - A humanidade comia carne na prehistória, provinda da caça.

2 - Com a estruturação social, que coincidiu com a transformação da caça em criação, a imensa maioria dos seres sempre foi serva ou escrava.

3 - Esta camada da população comia carne apenas em condições especiais, como toda a tribo, alias. O rebanho era o objeto de maior valor á época e matá-lo para comer era um total absurdo. Dele se extraia o leite, a lã e o trabalho. A alimentação carnivora era apenas ritual. O leite e todos os seus subprodutos foram sempre consumidos em abundancia. O alimento que mais distingue o homem civilizado do homem bárbaro não é a carne, mas o pão - um exemplo absoluto de habilidade técnica, de produto totalmente "cultural" em todas as fases de sua preparação. O pão é um símbolo da civilização e faz uma distinção alimentar entre o homem e o animal. O pão - e é preciso acrescentar a ele também o vinho e o óleo - é o sinal que distingue uma sociedade que não repousa apenas sobre recursos "naturais", mas que é capaz de fabricar, ela própria seus recursos, de criar - com a agricultura e a criação de animais - suas próprias plantas e seus próprios animais.

4 - As propostas rigorosamente vegetarianas das antigas seitas filosóficas - o Orfismo e o Pitagorismo - eram uma manifestação cujo aparecimento foi favorecido por uma cultura já amplamente difundida. A rejeição ao sacrifício de animais e ao consumo de carne era justificada pelo respeito à vida dos animais ou pela filosofia de metempsicose. Os sacrifícios eram condenados tanto por serem cruentos como por dissimularem um desejo puro e simples de comer carne. Para as duas primeiras civilizações eminentemente urbanas - os gregos e romanos - os povos que não se dedicassem à agricultura, que não comessem pão e nem bebessem vinho, eram, por conseguinte, bárbaros e selvagens: seu alimento é a carne e sua bebida, o leite. O pão primitivo - uma massa de cereais cozida ou em forma de papa - era o alimento "nacional" do povo grego e do povo romano. Gregos eram conhecidos como "comedores de cevada" e os romanos como "comedores de papas de farinha". Além dos cereais (trigo, cevada, espelta e milheto), as leguminosas também eram importantes: principalmente as favas, depois o grão-de-bico, as lentilhas e as ervilhacas. Nas hortas gregas, o alho, o alho-poró, a cebola eram cultivados. Os romanos consumiam sobretudo a couve, assim como os nabos e plantas aromáticas. A ideologia alimentar grega e romana foi fundada sobre os valores do trigo, da vinha e da oliveira. Esse modelo esteve freqüentemente ligado à idéia de frugalidade: o pão, o vinho e o azeite (aos quais eram acrescentados os figos e o mel) eram elevados à categoria de símbolos de uma vida simples, de uma pobreza digna, feita de trabalho duro e satisfações singelas. Na época, essas imagens eram a proposta alternativa dos gregos ao luxo e decadência do povo persa conforme mostram os textos clássicos. Estimativas conservadoras apontam que os cereais forneciam 80% das calorias totais e que os habitantes das cidades, que recebiam a maioria das carnes dos sacrifícios, não consumiam mais que um ou dois quilos por ano.

5 - É sob o avanço do Cristianismo que esse costume acaba abolido ou seriamente transformado. A carne, que embora nunca tenha sido destacada, teve papel maior na alimentação dos romanos devido à tradição de criação de porcos. Os porcos eram mortos e sua carne distribuída com o pão sob ordens dos imperadores a partir do século III para manter a ordem pública e reafirmar o status privilegiado dos habitantes da capital.

6 - Mesmo assim, os soldados romanos recebiam uma ração diária de 800g a 1 quilo de pão em tempo de guerra. As imagens que os caracterizaram como carnívoros se devem mais às práticas de sacrifício animal do que à sua dieta. O soldado ideal era o que, depois de servir à pátria no combate, se punha a cultivar uma área das terras conquistadas concedida a ele.

7 - Excetuando os soldados, a população mais pobre e os servos, a imensa maioria, comia basicamente pão de cereais, sal e legumes.

8 - Na Idade Média, a carne superou o pão como alimento-símbolo do guerreiro por influência das culturas germânica e cristã. A carne tem maior identidade com o caçador do que com o camponês e a caça se tornou a imagem da guerra.

9 - A carne passa pouco a pouco a assumir um papel de destaque no sistema de valores alimentares por ser um componente importante da alimentação das classes abastadas. Imagem do luxo, da festa, do privilégio social, a carne não era considerada pelas civilizações antigas do Mediterrâneo como um bem tão essencial quanto os produtos da terra: seu preço não era sujeito a um controle político como eram os cereais. Em certas épocas, a venda de carne chegava a ser proibida ao público.

10 - De início, a difusão cristã põe em questão a prática e a "filosofia" do sacrifício. O Cristianismo nega o valor do sacrifício do ponto de vista doutrinário, considerando-o como falsa oferenda feita a falsos deuses, substituindo o sacrifício cruento por um sacrifício "vegetal", lembrando com as espécies sagradas de pão e vinho, o sacrifício bem mais importante e cruento que aconteceu para a salvação dos homens.

11 - Dessa vez, os sacrifícios foram condenados não pelos motivos que os filósofos vegetarianos alegavam, mas sim por serem sacrifícios dedicados a seres maus: os demônios. Segundo os primeiros autores cristãos, esses seres eram alimentados pelos sacrifícios (isto tambem aparece na literatura espírita) e tinham o poder de provocar doenças e se retirar do doente, restituindo-lhe a saúde, somente após receber a oferenda.

12 - Desta forma os cristãos dos primeiros séculos se recusavam a comer carne, por esta ser considerada como provinda ede sacrificio.

13 - À medida que o consumo da carne se desvincula da prática do sacrifício, como efeito colateral, passa a se tornar um simples "alimento cotidiano", cujo consumo passa a ser "normal".

14 - Complementarmente a cultura dos povos germânicos, fundada não no mito da agricultura e dos produtos da terra, mas na intensa exploração das florestas e terras não cultivadas que com o tempo se transformam em pastagens, gerou pela primeira vez a abundancia de carne e a disseminação de seu uso. Assim, com as invasões germânicas, o modelo alimentar "bárbaro" baseado no consumo de carne consolida sua hegemonia simultaneamente à conquista do poder pelos povos invasores.

15 - Por toda a idade média, a carne apesar de ser utilizada em certa escala, ainda o era mais pelas classes abastadas e os moradores dos campos.

16 - Com as descobertas das Americas e seu povoamento, com fartura de pastos naturais, a carne consolida-se como base alimentar nas colonias. (do ponto de vista da cultura grega, seriam considerados "barbaros")

17 - A partir do sec XIX, com a chegada do capitalismo selvagem que a tudo transformou em produto, tambem a carne passou a ser produto, seu preço baixou e construiram-se grandes fábricas de matança. Mesmo assim somente a partir do sec XX, com a invenção da geladeira a carne se tornou um produto disponivel a qualquer tempo e em todo lugar.

18 - Para alimentar a crescente população, cada vez mais dependente da carne, iniciaram-se experimentos na agricultura e na produção de rações, que aumentavam o ganho de peso em menos tempo.

19 - Surgiu então um novo fenomeno. O gado passou a engordar rápido, mas era um gado doente. Surgiram então as industrias de "remédios" para os animais, posterioremente os antibioticos e um pouco mais tarde os remedios para os humanos comedores de carne.

Resumindo a situação atual é a seguinte:

O gado é considerado uma "fábrica" que converte ração em carne a uma determinada proporção, apoiado por suplementos minerais e medicamentos que o deixam com aparencia saudável até o abate.

A industria da carne, para aumentar as vendas e os lucros criou a ilusão da necessidade da alimentação carnivora. Apesar da alimentação carnivora, como a conhecemos hoje, ser um fenomeno recentissimo e apesar da maior parte da população do planeta não depender da mesma (ainda)

Portanto, coma carne quem o desejar. É apenas um problema de cada um consigo mesmo.



Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 21 de Dezembro de 2011, 17:35
Anton, diz o ditado popular:
Quem quer faz, quem não quer manda.
Ora, como aqui só se possa pedir, com o é o oque o amigo fez, preferiria que o amigo trabalhasse mais em suas pesquisas mas desde já procurando em sites sérios.
aliás a norma manda que se a fizer pelos buscadores, que se escreva aquilo que se quer tomar como resposta;
Exemplo: alimentação carnívora,  e enzimas ainda não sintetizadas.
abração e feliz natal.
Moura

se a amiga separasse uns minutos para fazer uma pesquisa séria acharia sobre a "tal enzima".

Amigo Moura,

Há uns dois anos voce manda-nos procurar a tal enzima e eu não encontrei nada desde então. Portanto, peço-lhe encarecidamente que nos mostre este segredo tão bem guardado que aparentemente somente voce conseguiu descobrir.

A proposito ainda não 'pereci' apesar de haver eliminado a carne de meu prato ha uns 35 anos.....  ;) :) ::)

Complemento com um pequeno texto que ja postei no passado e cujo unico intuito é conscientizarmo-nos que a alimentação carnivora, tal como alardeada pela midia moderna, jamais existiu neste planeta até bem pouco tempo atras.




Alguns apontamentos sobre a utilização da carne na alimentação humana:

1 - A humanidade comia carne na prehistória, provinda da caça.

2 - Com a estruturação social, que coincidiu com a transformação da caça em criação, a imensa maioria dos seres sempre foi serva ou escrava.

3 - Esta camada da população comia carne apenas em condições especiais, como toda a tribo, alias. O rebanho era o objeto de maior valor á época e matá-lo para comer era um total absurdo. Dele se extraia o leite, a lã e o trabalho. A alimentação carnivora era apenas ritual. O leite e todos os seus subprodutos foram sempre consumidos em abundancia. O alimento que mais distingue o homem civilizado do homem bárbaro não é a carne, mas o pão - um exemplo absoluto de habilidade técnica, de produto totalmente "cultural" em todas as fases de sua preparação. O pão é um símbolo da civilização e faz uma distinção alimentar entre o homem e o animal. O pão - e é preciso acrescentar a ele também o vinho e o óleo - é o sinal que distingue uma sociedade que não repousa apenas sobre recursos "naturais", mas que é capaz de fabricar, ela própria seus recursos, de criar - com a agricultura e a criação de animais - suas próprias plantas e seus próprios animais.

4 - As propostas rigorosamente vegetarianas das antigas seitas filosóficas - o Orfismo e o Pitagorismo - eram uma manifestação cujo aparecimento foi favorecido por uma cultura já amplamente difundida. A rejeição ao sacrifício de animais e ao consumo de carne era justificada pelo respeito à vida dos animais ou pela filosofia de metempsicose. Os sacrifícios eram condenados tanto por serem cruentos como por dissimularem um desejo puro e simples de comer carne. Para as duas primeiras civilizações eminentemente urbanas - os gregos e romanos - os povos que não se dedicassem à agricultura, que não comessem pão e nem bebessem vinho, eram, por conseguinte, bárbaros e selvagens: seu alimento é a carne e sua bebida, o leite. O pão primitivo - uma massa de cereais cozida ou em forma de papa - era o alimento "nacional" do povo grego e do povo romano. Gregos eram conhecidos como "comedores de cevada" e os romanos como "comedores de papas de farinha". Além dos cereais (trigo, cevada, espelta e milheto), as leguminosas também eram importantes: principalmente as favas, depois o grão-de-bico, as lentilhas e as ervilhacas. Nas hortas gregas, o alho, o alho-poró, a cebola eram cultivados. Os romanos consumiam sobretudo a couve, assim como os nabos e plantas aromáticas. A ideologia alimentar grega e romana foi fundada sobre os valores do trigo, da vinha e da oliveira. Esse modelo esteve freqüentemente ligado à idéia de frugalidade: o pão, o vinho e o azeite (aos quais eram acrescentados os figos e o mel) eram elevados à categoria de símbolos de uma vida simples, de uma pobreza digna, feita de trabalho duro e satisfações singelas. Na época, essas imagens eram a proposta alternativa dos gregos ao luxo e decadência do povo persa conforme mostram os textos clássicos. Estimativas conservadoras apontam que os cereais forneciam 80% das calorias totais e que os habitantes das cidades, que recebiam a maioria das carnes dos sacrifícios, não consumiam mais que um ou dois quilos por ano.

5 - É sob o avanço do Cristianismo que esse costume acaba abolido ou seriamente transformado. A carne, que embora nunca tenha sido destacada, teve papel maior na alimentação dos romanos devido à tradição de criação de porcos. Os porcos eram mortos e sua carne distribuída com o pão sob ordens dos imperadores a partir do século III para manter a ordem pública e reafirmar o status privilegiado dos habitantes da capital.

6 - Mesmo assim, os soldados romanos recebiam uma ração diária de 800g a 1 quilo de pão em tempo de guerra. As imagens que os caracterizaram como carnívoros se devem mais às práticas de sacrifício animal do que à sua dieta. O soldado ideal era o que, depois de servir à pátria no combate, se punha a cultivar uma área das terras conquistadas concedida a ele.

7 - Excetuando os soldados, a população mais pobre e os servos, a imensa maioria, comia basicamente pão de cereais, sal e legumes.

8 - Na Idade Média, a carne superou o pão como alimento-símbolo do guerreiro por influência das culturas germânica e cristã. A carne tem maior identidade com o caçador do que com o camponês e a caça se tornou a imagem da guerra.

9 - A carne passa pouco a pouco a assumir um papel de destaque no sistema de valores alimentares por ser um componente importante da alimentação das classes abastadas. Imagem do luxo, da festa, do privilégio social, a carne não era considerada pelas civilizações antigas do Mediterrâneo como um bem tão essencial quanto os produtos da terra: seu preço não era sujeito a um controle político como eram os cereais. Em certas épocas, a venda de carne chegava a ser proibida ao público.

10 - De início, a difusão cristã põe em questão a prática e a "filosofia" do sacrifício. O Cristianismo nega o valor do sacrifício do ponto de vista doutrinário, considerando-o como falsa oferenda feita a falsos deuses, substituindo o sacrifício cruento por um sacrifício "vegetal", lembrando com as espécies sagradas de pão e vinho, o sacrifício bem mais importante e cruento que aconteceu para a salvação dos homens.

11 - Dessa vez, os sacrifícios foram condenados não pelos motivos que os filósofos vegetarianos alegavam, mas sim por serem sacrifícios dedicados a seres maus: os demônios. Segundo os primeiros autores cristãos, esses seres eram alimentados pelos sacrifícios (isto tambem aparece na literatura espírita) e tinham o poder de provocar doenças e se retirar do doente, restituindo-lhe a saúde, somente após receber a oferenda.

12 - Desta forma os cristãos dos primeiros séculos se recusavam a comer carne, por esta ser considerada como provinda ede sacrificio.

13 - À medida que o consumo da carne se desvincula da prática do sacrifício, como efeito colateral, passa a se tornar um simples "alimento cotidiano", cujo consumo passa a ser "normal".

14 - Complementarmente a cultura dos povos germânicos, fundada não no mito da agricultura e dos produtos da terra, mas na intensa exploração das florestas e terras não cultivadas que com o tempo se transformam em pastagens, gerou pela primeira vez a abundancia de carne e a disseminação de seu uso. Assim, com as invasões germânicas, o modelo alimentar "bárbaro" baseado no consumo de carne consolida sua hegemonia simultaneamente à conquista do poder pelos povos invasores.

15 - Por toda a idade média, a carne apesar de ser utilizada em certa escala, ainda o era mais pelas classes abastadas e os moradores dos campos.

16 - Com as descobertas das Americas e seu povoamento, com fartura de pastos naturais, a carne consolida-se como base alimentar nas colonias. (do ponto de vista da cultura grega, seriam considerados "barbaros")

17 - A partir do sec XIX, com a chegada do capitalismo selvagem que a tudo transformou em produto, tambem a carne passou a ser produto, seu preço baixou e construiram-se grandes fábricas de matança. Mesmo assim somente a partir do sec XX, com a invenção da geladeira a carne se tornou um produto disponivel a qualquer tempo e em todo lugar.

18 - Para alimentar a crescente população, cada vez mais dependente da carne, iniciaram-se experimentos na agricultura e na produção de rações, que aumentavam o ganho de peso em menos tempo.

19 - Surgiu então um novo fenomeno. O gado passou a engordar rápido, mas era um gado doente. Surgiram então as industrias de "remédios" para os animais, posterioremente os antibioticos e um pouco mais tarde os remedios para os humanos comedores de carne.

Resumindo a situação atual é a seguinte:

O gado é considerado uma "fábrica" que converte ração em carne a uma determinada proporção, apoiado por suplementos minerais e medicamentos que o deixam com aparencia saudável até o abate.

A industria da carne, para aumentar as vendas e os lucros criou a ilusão da necessidade da alimentação carnivora. Apesar da alimentação carnivora, como a conhecemos hoje, ser um fenomeno recentissimo e apesar da maior parte da população do planeta não depender da mesma (ainda)

Portanto, coma carne quem o desejar. É apenas um problema de cada um consigo mesmo.




Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 21 de Dezembro de 2011, 18:40
Anton,
Repito: vc foi a pessoa mais lúcida que encontrei neste site.
Que jesus continue te iluminando e que você continue brindando a todos com seus comentários inteligentes e contundentes.
Paz e Luz!
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Anton Kiudero em 21 de Dezembro de 2011, 21:23
Amigo Moura,

Tenho mas noticias para lhe trazer.

No google não achei nada, digitando   

alimentação carnívora "enzimas ainda não sintetizadas"

recebi como resposta:

Nenhum resultado encontrado para alimentação carnívora "enzimas ainda não sintetizadas"

Desta forma, a menos que voce nos mostre algum comentario serio sobre esta, até o momento desconhecida enzima, sou obrigado a acreditar que o amigo teve um sonho que não interpretou bem ao despertar.

De seu não 'perecido' amigo,  ::)
Anton

PS: Tudo é passivel de discussão no LE, desde que a ciencia venha a trazer novas informações. O imobilismo é uma doença apenas.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: procura em 21 de Dezembro de 2011, 21:51
Olá irmãos muita paz

Nos dias de hoje não tem como escamotear esta questão.

Quando eu compro um produto que foi roubado, tendo disso conhecimento, passo a ser responsável igualmente.

Quando eu compro carne (infelizmente ainda não consegui abolir na totalidade) tenho pelna consciÊncia da forma como os animais foram tratados até chegarem À minha mesa. Sou conivente, não tenho como escapar. Se não houver consumo de carne a matança vai acabar. Temos de assumir os nossos actos.

Existem várias mensagens que nso dizem que todos nós chegaremos ao ponto em que deixaremos de comer carne. Se vai levar mais ou menos tempo depende de nós Homens.

A evoluçaõ e o tempo não pára. Kardec lançou as bases sólidas de um edificio. O resto vai ter de ser construido por nós. Se ficarmos parados a olhar para a base e proibirmos tudo o resto porque não foi feito por Kardec, o edificio nunca sairá da base.

Muita Paz em Cristo Jesus Nosso Mestre
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Ace em 21 de Dezembro de 2011, 22:03
Amigos, uma alimentação vegetariana pode ter tudo e mais alguma coisa a nível de vitaminas, proteínas e etc que a alimentação carnívora tem. Basta informarem-se. Hoje em dia só come carne quem não gosta de animais ou quem não está informado em relação ao assunto. Eu sou vegetariano há 1 ano e 3 meses e sinto-me melhor desde aí.

Abraços. Paz.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 21 de Dezembro de 2011, 23:08
Procura,

Parabéns pela sua sinceridade.
É esse o caminho. O problema não é comer carne mas ficar usando falastrices para justificar o hábito.
Diga: como porque gosto , mas não :como porque os espíritos me autorizaram.
Isso não é justo com os espíritos, estamos interpretando a orientação do LE de forma distorcida para atender nossos interesses.
A questão é simples e se resume a uma pergunta
Você sente compaixão pelos animais criados para abate?
Se a resposta for não, natural que continue comendo carne.
Tudo bem porque isso é coerente com tuas crenças e teus sentimentos.
Se a resposta for sim, temos o dever ético de ao menos começar uma reflexão.
É difícil mesmo deixar de comer carne, tivemos nosso paladar distorcido por uma vida inteira, leva tempo para mudar.
O mais importante é dar o primeiro passo e vc querido amigo, já deu, que foi a reflexão sincera mesmo sabendo que tal hábito lhe traz prazer sabe que eticamente ele não é correto e isso mostra muita dignidade da sua parte.
Gosto disso, franqueza.
Boa sorte e se quiser receitas deliciosas e nutritivas sem carne depois é só pedir que te mando por email.
Existem diversos sites sobre vegetarianismo:
http://uni-veg.org/quero-me-tornar-vegetariano/
http://www.vegetarianismo.com.br/sitio/
Dr Eric Slywitch renonamdo médico vegetariano possui duas obras fantásticas sobre o assunto. " Virei vegetariano e agora?" e " Alimentação sem carne"
Boa sorte , tudo a seu tempo mas parabéns por ter dado o primeiro passo.
Abraços
Susana

 " Nada beneficiará mais a saúde da humanidade e aumentará as chances de sobrevivência da vida na Terra quanto a dieta vegetariana."
Albert Einstein (Nobel – 1921)

"O erro da ética até o momento tem sido a crença de que só se deva aplicá-la em relação aos homens."
Dr. Albert Schweitze

"A compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana"
Charles Darwin

"Virá o dia em que a matança de um animal será considerada crime tanto quanto o assassinato de um homem"
leonardo da Vinci

"Se os matadouros tivessem paredes de vidro, todos seriam vegetarianos. Nós nos sentimos melhores com nós mesmos e melhores com os animais, sabendo que nós não estamos contribuindo para o sofrimento deles."
Paul e Linda McCartney

"Os animais do mundo existem para seus próprios propósitos. Não foram feitos para os seres humanos, do mesmo modo que os negros não foram feitos para os brancos, nem as mulheres para os homens."
Alice Walker
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Anton Kiudero em 21 de Dezembro de 2011, 23:20
Eu sou vegetariano há 1 ano e 3 meses e sinto-me melhor desde aí.

E ainda não 'pereceu'?     :D

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Junior Torres em 22 de Dezembro de 2011, 01:00
Totalmente aprovada a opção pelo vegetarianismo.Eu me alimento de carne mas desde que li alguns livros e vi os sofrimento de animais eu passei a ter outro pensamento sobre alimentação carnivora...é um questão de compaixao.......acho que é super louvavel quem faz essa opção ´eum ato de amor pelos animais......
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 22 de Dezembro de 2011, 01:03
Uma coisa que precisa ser sempre lembrada é que quem mata os animais, quem os comem é o animal homem, atendendo ao seu instinto e suas preferências alimentares. Tal como acontece com outros animais carnívoros. O Espírito eterno não necessita de nenhuma alimentação física.

O bem que experimentamos quando abolimos a carne de nosso cardápio é o mesmo que experimentamos em qualquer outra situação que o Espírito dome os instintos naturais da matéria. Porém, não é imolando o corpo que ascendemos em Espírito, pelo contrário, é respeitando suas necessidades e atendendo-as dentro da maior moralidade que nos seja possível. 

O indivíduo que abole o consumo de carne em sua dieta pode estar conseguindo um domínio da sua natureza espiritual sobre a natureza animalizada que este anima. Isso não é prova de elevação espiritual e nem a aquisição deste hábito propicia aquela elevação.

Toda ascensão do Espírito sobre a matéria, como no caso que aqui discutimos, tem seus méritos. E estão em função das aquisições morais e da nossa condição de vivenciá-las em todas as situações do nosso dia a dia. Se deixamos de comer a carne para poupar das pertubações, dores e sofrimentos os que nos servem de repasto, devemos, também, ter esta mesma preocupação em relação a todos os outros nossos irmãos de convívio, que servem de instrumento para a manifestação das influências perniciosas da nossa falta de caridade e indulgência para com eles.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Junior Torres em 22 de Dezembro de 2011, 01:45
Estou gostando muito dessa convivencia de opiniões onde cada um tenta respeitar o direito do outro.Realmente,como já foi dito,nao é imolando o corpo que se consegue a elevação espiritual mas acho que o vegetarianismo é uma forma de respeito com a própria vida.Acho que já está na hora de nós(carnívoros) sabermos respeitar nao só os nossos irmaos de convivio mas tambem todos os animais.Afinal de contas se respeitamos o cacorrinho pq também nao respeitamos a vaca ?Já é praticamnte compravado que o ser humano pode viver sem a alimentação carnivora.Em Toronto está sendo divulgadaos em metros e nas ruas cartazaes que dizem ''Por que ama um e como o outro?'' .Inclusive se gasta mais água na produçao de bovinos.Acho que nao é uma questão de doutrina ,quando vejo alguns defendendo certas coisas pq a doutrina diz eu já fico é com medo.Gosto de uma frase de Chico Xavier que diz Se Allan Kardec tivesse escrito que ´fora do Espiritismo não há salvação´, eu teria ido por outro caminho. Graças a Deus ele escreveu ´Fora da Caridade´, ou seja, fora do Amor não há salvação´.entao é isso.......que nós (carnívoros) consigamos chegar a esse nível ,independete,que ele vá produzir evolução espiritual, mas que enquanto encarnados consigamos repseitar a TODOS,inclusive os animais.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Giuliano.z em 22 de Dezembro de 2011, 01:58
Talvez eu esteja repetindo as palavras q ja disseram,  pois esse é uma discussao antiga, mas vale lembrar.
A caça pode ser condenada atualmente mas foi essencial para a evoluçao do homem. Os animais estao aqui para nos ajudarem a evoluir e isso inclui a nossa alimentaçao.

A questao é o sofrimento do animal na hora do abate. Hoje temos recursos suficientes para evitar isso.

A carne é considerada um alimento pesado espiritualmente e quem conseguir evitar de como-la esta deixando seu espirito menos denso.

É um merito para quem consegue, mas pode ser considerado um fardo para que nao consegue pois todos sabemos como sao tratados os animais que serao abatidos para servirem de alimento.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 22 de Dezembro de 2011, 09:31
Só vou dar o meu parecer final nesta história.

Qualquer, fanatismo, apego ou vício por qualquer idéia gera discordia e parte para o lado pessoal.

Se tem um amigo carnívoro, não recuse a sua companhia e vá com ele a uma churrascaria, sirva-se no buffet de salada e deixe que ele coma a sua carne tranquilamente.

Se é carnívoro e terá como convidado um vegetariano, faça um cardápio que lhe sirva e coma sua carne tranquilamente sem ficar fazendo discurso do que deve e o que não deve ser consumido.

Cada um sabe de si e ninguém tem o direito de impor o que quer que seja com argumentos pesados.

Então, falando exclusivamente da DE, remeta-se as questões de Kardec e leia o que os Espíritos Superiores falam sobre a alimentação carnivora.
Isso não é nenhum álibi para continuar com esse ou aquele hábito alimentar, apenas é a resposta dada na Codificação Espírita, portanto os vegetarianos respeitem e os carnívoros se quiserem abandonem o hábito ou não.

Um abç
Hebe
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 22 de Dezembro de 2011, 14:42
"Tamu juntu ", Hebinha!
abração,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 22 de Dezembro de 2011, 19:49
amigos,
O que mais me deixa feliz é ver que definitivamente quando uma mudança tem que ocorrer ela simplesmente ocorre. A vida não nos pede licença para trazer o novo.
Louvado seja o progresso e a evolução.
Estamos vivendo um momento belíssimo e toda idéia que seja relacionada ao amor tem sido impulsionada pelo Alto.
Independente de ser doutrinário ou antidoutrinário o vegetarianismo é um movimento baseado no ideal de fraternidade que está dentro da nova base moral do mundo que nos bate às portas.
Queria parabenizar a todos que têm se proposto a divulgar esta mensagem de amor a seus irmãos.
Sei que não é fácil, toda idéia que implica mudanças( principalmente de hábitos) enfrenta resistência. Esta tem sido a história da humanidade.
Não foi assim também com o o cristianismo, com o kardecismo, e tantos outros movimentos que vieram mudar uma forma de pensar?
Por acaso foram mudanças fáceis?
Basta olha para nosso passado e contatar que nenhuma grande transformação foi aceita com tranquilidade sem antes haverem embates.
Toda nova idéia antes de ser aceita passa pelos três estágios da verdade.
Este debate aqui é importantíssimo e tenho certeza de que irá gerar frutos.
O vegetarianismo é um movimento ascendente e este processo pelo qual está passando não só é natural como esperado.
Anton, Mariskos, Rui Fernando Morgado, Diegas, Vitor Santos e tantos outros que aqui tem  estado a ajudar a divulgar a alimentação sem carne:
É muito bom saber que não estamos sozinhos. E saibam não estamos mesmo!
Vcs têm sido instrumentos de uma vontade maior para auxiliar num novo despertar de consciência.
Não será um trabalho fácil como já devem ter percebido, mas tenho certeza de que dão conta do recado..já estão dando.
Sabe , a minha pouca experiência mostra que o ser vai construindo suas verdades, estabelecendo sistemas sobre sistemas e sem perceber confunde o que acredita com o que é..e ninguém gosta muito de mexer nisso.
Eu nunca vi, por melhor que sejam os argumentos, alguém simplesmente de imediato abandonar suas crenças porque ouviu uma opinião contrária.
Primeiro há a digestão daquele conceito novo( quando se trata de uma mente aberta, progressista, porque se for alguém "engessado" aí não há nem digestão)
Depois, há a reflexão profunda sobre o tema e por fim, alguns acabam mudando, outros não, permanecem estanques enquanto o mundo gira.
Mudar é essencial, a vida é um eterno transformar, a única coisa imutável neste universo é Deus.. Graças a Deus!
Não me preocupo com os rumos do vegetarianismo porque sei que quem irá terminar esta tarefa são estas crianças que já trazem no seu acervo espiritual o ideal amplo de fraternidade e respeito por todos os seres da criação.
São estes espíritos que vão completar o trabalho de sedimentar o vegetarianismo e eles já o estão fazendo.
A cada dia mais e mais pessoas se tornam vegetarianas.
Não se trata mais de discutir se este é ou não o nosso futuro, isto já está claro.
 Mas de decidir  quanto tempo vamos  levar para torná-lo o nosso presente.
Abraços Fraternos
Susana





Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 23 de Dezembro de 2011, 14:34
Dois casos a serem pensados.

Uma criança desde tenra idade adotou o vegetarianismo por habitos dos pais.
Tinha uma deficiencia em seu organismo que tal dieta agravou.
Note bem, não estou dizendo que ela adquiriu a doença porque foi vegetariana.
Bem, passou adotar, por ordem médica, na sua mesa peixes e outros que pudessem cobrir a deficiencia de proteinas e ferro, só os vegetais não foram suficientes.
Conheço bem a família por isso conto aqui.

Outro caso: Uma moça que apesar de magra e bastante ativa e esportista, mantinha a taxa de colesterol e triglicerideos alta, foi obrigada a largar a alimentação carnivora.
Também conheço pessoalmente.

Como se vê não se deve adotar qualquer regime alimentar sem conhecer o organismo
( corpo físico) e ao adotar deve continuamente verificar suas taxas para ver como organismo está respondendo.

Só para ilustrar para quem não sabe o que é não absorver proteínas suficientes. Caso da menina)
"Uma dieta pobre em proteína provoca a atrofia e a redução dos neurônios do gânglio celíaco, uma parte do sistema nervoso simpático fundamental. É ele que inerva os neurônios da parede do intestino delgado, porção que realiza os movimentos peristálticos e o controle da absorção de nutrientes. A falta de proteína na alimentação também é responsável pela morte dessas células nervosas, constataram pesquisadores da Universidade de São Paulo em um estudo feito em colaboração da Universidade de Liverpool, da Inglaterra."

Quanto ao segundo caso todos já sabem a consequencia.

Nada de paixões nem para um lado e nem para outro, volto a dizer.
Um abç
Hebe


Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 23 de Dezembro de 2011, 14:44
Isso mesmo Hebinha,
é como diz o ditado popular, "Fritar o peixe olhando o gato".
Abração,
moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Rubens Freitas em 23 de Dezembro de 2011, 19:45
Este tópico é realmente muito interessante. Gostaria de dizer o que penso a respeito de certas colocações. Serei bem sucinto. Realmente comer ou não comer carne não é determinante para fazer alguém ser bom ou não. É preferível  uma pessoa moralmente boa e comer carne do que outra, vegetariana, de má índole. O que necessariamente não invalida que um sujeito de boa índole e que ainda evite ingerir carne possa estar em condições "melhores" evolutivamente. Mesmo sendo tanto os vegetais quanto os animais seres vivos, creio que não seja a mesma coisa comer um tomate ou uma carne de porco, pois há uma notória diferença de evolução e sensibilidade entre eles. Mesmo entre  os animais há uma grande diferença de evolução, não só de seus sistemas nervosos como de suas inteligências e capacidades de percepção. Muitas experiências com chipanzés e outros animais comprovaram isso. Desse modo, quanto maior a individualização da espécie, maior a probabilidade de sua evolução (se posso dizer assim); ao comparar uma espécie de peixe que somente movimenta-se em cardumes com um golfinho ou uma baleia, por exemplo, podemos perceber as diferenças de graus evolutivos. Ou seja, matar para comer peixe ou carne de frango ou ainda carne vermelha deve fazer sim diferença. Para finalizar, atualmente o progresso científico nos disponibiliza uma série de nutrientes que nos possibilitam viver bem sem alimentação carnívora. Aliás a provável falta que alguns nutrientes da carne possa fazer pode ser superada pelos males que ela possa causar. Há pesquisas que indicam que o consumo exagerado de carne vermelha pode levar ou piorar quadros cancerígenos entre outras moléstias. Isso sem considerarmos os hormônios jogados na corrente sanguínea de um animal que se vê desesperado pela visão de sua morte iminente e ainda morra sofrendo. Uma braço a todos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 23 de Dezembro de 2011, 20:08
Ter sofrimento como companheiro ao longo da vida é muito mais grave do que experimentar ou querer evitá-lo apenas na hora da morte.
O Cristianismo e a DE visam a promover o Espírito para o gozo da vida eterna e não para prepará-lo para o momento da morte.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 23 de Dezembro de 2011, 20:15
Grade mano Kao, muito boa a frase!
Abração,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 24 de Dezembro de 2011, 12:49
Mano Giuliano.
Só para conhecimento:
Aqui no Brasil, a par de muita conversa mole e mentirosa sobre o abate de animais, há toda uma legislação Federal,  que aborda o abate.
Diz lá no atrigo 2 que a nenhum animal a ser abatido este venha a sentir dor.
para tal outro artigo trás o mandado de que sejam aplicadas algumas técnicas para que o animal não sinta nada.
É isso, de mais importante de que trata esta lei, entre outras coisas também importantes, porém isso não é divulgado e o povo inculto e ignorante das leis não sabe mas palreia, açodadamente dando conotação puramente sentimentalóide ao que não conhece.
A carne, não trás conteúdo algum de peso para o Espírito, até porque Espíritos não se alimentam não é mesmo?
Só para esclarecer mais o período de digestão da carne é de 40 minutos, muito longe do que afirmam alguns que seja de duas horas.
Só há um fator que diminui a densidade de um Espírito e isso conforme OLE: Este fator é a moral.
abração,
Moura

Talvez eu esteja repetindo as palavras q ja disseram,  pois esse é uma discussao antiga, mas vale lembrar.
A caça pode ser condenada atualmente mas foi essencial para a evoluçao do homem. Os animais estao aqui para nos ajudarem a evoluir e isso inclui a nossa alimentaçao.

A questao é o sofrimento do animal na hora do abate. Hoje temos recursos suficientes para evitar isso.

A carne é considerada um alimento pesado espiritualmente e quem conseguir evitar de como-la esta deixando seu espirito menos denso.

É um merito para quem consegue, mas pode ser considerado um fardo para que nao consegue pois todos sabemos como sao tratados os animais que serao abatidos para servirem de alimento.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rogeryoz em 24 de Dezembro de 2011, 14:00
Sobre esse debate: não comer carne pois mata-se um animal, me vem o seguinte questionamento: e os vegetais?
Não são vivos?
Ou "o vivos" a que se refere o debate não é só o "estar vivo",  é o "estar vivo e mexer-se"?
Os vegetais não se mexem a não ser com o vento!
Então podem ser comidos pois não sentem nada ao serem mortos?
Posso estar enganado, mas acho que sofrem!
Outro questionamento: não se pode matar a vaca porquê ela está viva, (claro, se estivesse morta não se matava) mas pode-se matar a barata por quê ninguem a come (talvez os coreanos ou chineses, quem é que sabe...) mas está bem viva e perturbando a paz das esposas, gatos e cachorros , não quero parecer irônico mas sinceramente alguns conceitos ficaram meio incoerentes ou eu é que não estou vendo algo lógico?
Na minha humilde opinião que não está baseada em relatos, psicografias, videos nem nada além do raciocínio lógico que procuro ter, acho que como tudo na vida, o demasiado é ruim e prejudicial, então o homem talvez precise de certas proteínas que quem tem é o animal, sendo assim acho lógico que se coma o animal, sempre achei que nosso corpo manda sinais de quando está com as nescessidades satisfeitas, ou seja: não manda sinal nenhum, pois quando manda é porque já se chegou no "demasiado", arrotos, barriga inchada e posteriromente gazes etc...
A medida que vamos evoluindo, o consumo carnívoro vai diminuindo, mas por hora temos os caninos, e se já não são mais parecidos com os do vampiro, ainda os temos, por hora nescessitamos da vaca e do porco etc...um dia vamos nos alimentar de pensamento, mas por hora ainda não.
Se estiver enganado algum iluminado que me prove o contrário!
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: procura em 24 de Dezembro de 2011, 14:53
Caro Amigo Moura

Você como juridico sabe melhor do que ninguém que as leis existem precisamente porque fazemos o contrário do que deveria ser. Matar um ser vivo causa sempre dor.

Veja a codificação e facilmente verificará que devemos evitar sempre o sofrimento de todos os nossos irmãos.

Muita Paz
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 24 de Dezembro de 2011, 15:25
Uma das coisas que eu mais admiro em Chico Xavier é a serenidade com que respondia, e a postura lucida diante da vida.

Acho que essa serenidade demonstra sem duvida o adiantamento espiritual do ser e não a alimentação.

Chico Xavier - Alimentação Carnívora - Pinga-Fogo (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUZQZ2dXcHlzM0NJJmFtcDtmZWF0dXJlPXBsYXllcl9lbWJlZGRlZCM=)

Um abç
Hebe

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 24 de Dezembro de 2011, 17:00
Poxa maninha Hebinha e jogar fora esta "prova triunfal' que demonstra a primazia dos que "comem cadáveres"? :)  :)
maninha, tem gente que fala mas não se lembra do que foi  aquele de quem fala, que atesta uma conduta menos edificada, enquanto aquele que lhe é exemplo de dulcílima, altivez, fazia do mesmo modo que os que tenta contestar, não é mesmo?
A coisa fica parecendo samba do crioulo doido!
abração,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 26 de Dezembro de 2011, 19:25
Realmente, admiro muito Chico e a forma com que respondeu ao questionamento.
Inclusive menciono no vídeo que editei e postei aqui no fórum que este posicionamento foi coerente e sábio.
Perfeita a colocação de Chico para aquela sociedade, estava de acordo com seu momento evolutivo e ele não poderia ter respondido melhor a questão.
Que bom que da década de 60 para os dias atuais já avançamos muito quanto às propriedades dos alimentos.
Chico fala da importância da carne sob aspectos nutricionais e proteicos.
Qualquer pessoa minimamente informada sabe que hoje não temos mais este problema então repito: isso era válido para aquela sociedade não mais para nós que já dispomos de conhecimento nutricional suficiente para conseguir manter nossa sáude sem a ingestão de carne. O próprio Chico diz que tal mudança deve ser gradual e antes ser consultada a orientação de  um médico de que como fazê-la.
Temos que tomar cuirdado para não emitir opiniões sem estudo profundo.
Antes de pensar em eliminar a carne do cardápio, li muitos livros de nutrição.
Li inclusive obras de médicos vegetarianos sobre o assunto e depois que vi que não apenas era  seguro como muito saudável ser vegetariano, vi que não tinha mais razão de ser a manutenção de um hábito desnecessário.
A questão é simples, ninguém precisa de carne para sobreviver, precisa-de de proteínas.
Então, hoje, quem come carne come porque gosta não porque precisa.
Eu também tinha um paladar viciado e estava muito acostumada e dependente da carne quando iniciei minhas reflexões. Só que cheguei a conclusão que colocando-se na balança o meu prazer e o bem estar dos animais, o direito ao bem estar e á vida se sobrepõe ao meu prazer numa escala de valores éticos.
Eu duvido muito que qualquer um que aqui se encontre defendendo o consumo de carne o faria depois de assistir um abate.
Talvez até o fizesse há 20 anos atrás mas não agora , no momento presente visto que  somos consciências mais despertas.
Tenho plena convicção que pelo menos metade das pessoas que defendem o consumo de carne automaticamente o deixaria de fazer caso se apropriassem da realidade da criação de animais para abate.
O problema maior não é comer carne, o problema é ser indiferente ao que se passa  com os animais para que sejam transformados em comida e bens de consumo.
Abate humanitário é outra grande bobagem só alardeada por quem nunca pisou em um matadouro.
Eu já pisei, já vi e conheço muitas pessoas que fiscalizam frigoríficos e deixaram de comer carne depois de virem aquilo que ,nas suas próprias  palavras ,era um verdadeiro filme de terror macabro.
Repito: querem comer carne, ok, mas antes de mais nada, como seres conscientes e despertos pelo menos conheçam a realidade da criação dos animais para abate, não aquela historinha que vendem para vcs mas a verdade que ninguém mostra.
Falo com conhecimento de causa. Já estive em frigoríficos e muitos dos que estão aqui, em sua grande maioria não tem uma pálida noção do que acontece por trás daquelas paredes.
Tenho chegado á conclusão de que o ser humano realmente gosta de ser enganado.
Como aceitamos igual robozinhos o que a indústria de abate enfiou pelas nossas goelas, gente, saiam da matrix...
Abraços
Susana




Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 26 de Dezembro de 2011, 19:37
Quanto a questão das plantinhas e os insensíveis devoradores vegetarianos vamos lá.
Primeiro quem disse que vegetariano não comer ser vivo?
Vegetarianos não  contribuem para o sofrimento desnecessários de seres vivos.
Hoje meu organismo precisa de vegetais e cereais para sobreviver mas não precisa de carne e se tenho consciência de que os animais sofrem barbaramente não me sinto à vontade em financiar esta indústria.
Segundo, que as plantas são sensíveis não há dúvida mas até hoje ainda não consegue-se medir o grau desta sensibilidade. Se quanto às plantas há duvida sobre o seu  grau de sensibilidade não se pode dizer o mesmo sobre os animais.
Realmente é  a mesma coisa comer uma maça e retalhar um boi, sem sombra de dúvidas...
Estes argumentos frágeis são corriqueiros, são esperados, à medida que as justificativas vão se esvaziando começam a vir pérolas com essas, de qualquer forma como já disse antes, isso já é um avanço, significa que pelo menos estão começando a pensar sobre a questão.
Abraços
Susana

 
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 26 de Dezembro de 2011, 19:53
Resposta a questão apresentada frequentemenete aos vegetarianos.



“VOCÊ NÃO COME ANIMAIS MAS MATA PLANTAS”

“Os animais possuem sistema nervoso. Eles sentem dor, têm medo e sofrem. As plantas não possuem terminações nervosas e não sentem dor, pelo menos de forma detectável. A ingestão de vegetais é fundamental para nossa sobreviência; a de animais, não. Comer plantas é inevitável, animais não.”

*retirado do livro “Virei vegetariano. E agora?” de Eric Slywitch, médico especialista em nutrologia, nutrição clínica, nutrição enteral e parenteral, e mestre em nutrição pela Unifesp.

Complementando com um texto retirado do site: http://vireivegetariana.wordpress.com/

"A história da dor do alface é a que mais me irrita. Já pedi, re-pedi, exigi, e procurei por, mas nunca encontrei nenhum artigo científico explicando a suposta dor do alface. Que ele tem mecanismos de reação que interagem conforme estímulos do ambiente, isso é reconhecido. Isso existe em praticamente todas as plantas. É exatamente este tipo de macanismo que faz algumas folhas se fecharem durante o dia e abrirem durante a noite, que faz algumas pétalas se fecharem quando encostamos na flor, que fez a roseira desenvolver espinhos no caule, etc. Mas jamais foi encontrado nada que se assemelhe, nem remotamente, a um sistema nervoso em uma planta. Tampouco qualquer orgão que faça-a ter consciência de sua existência."
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 26 de Dezembro de 2011, 20:47
Ai Suzana,
Os vegetarianos são lights, tem a consciencia elevada, são serenos e amáveis.
Para que tanto discurso?
Fique calma, um dia todos chegam ao nivel elevado de consciencia, afinal o Espírito nunca retrograda.
Um abç
Hebe


Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 26 de Dezembro de 2011, 21:36
Hebinha, nossa mana susana não deve saber que há uma extensa legislação versando sobre o abates de animais, e que em um de seus artigos, prevê que os animais não venham a sentir dor alguma quando do abate e traça para tal considerações.
Estas são obrigatórias e verificadas de tempos em tempos pelos ficais próprios, sendo obrigatórias antes de tudo para que a empresa receba o alvará de funcionamento, ou  o "pode funcionar".
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 26 de Dezembro de 2011, 21:36
Hebe,
Estas concepção é sua.
Veja meus comentários e vai ver que nunca disse nada neste sentido. Nunca falei que vegetarianos são melhores do que onívoros.
Se tivesse assistido o vídeo que postei no fórum vc iria verificar que ao contrário, afirmo que vegetarianos também possuem as mesmas imperfeições de onivoros.
E a prorpósito eu estou muito tranquila, mas isso não quer dizer que não possa compartilhar minha opinião.
Não sei porque isso lhe incomoda, afinal aqui não é um espaço para exposição de pontos de vista?
Do contrário para que este tópico? E se não em engano você  mesma tinha dito há algumas mensagens atrás que  só " iria dar seu parecer final na história".
Desde então, vc já deu vários pareceres finais sobre a história...
Hebe, eu gostaria muito que alguém tivesse me apresentado antes as informações que aqui estão sendo discutidas.
Pode ser que para vc não faça diferença mas certamente existem pessoas que desconhecem muito do que foi dito aqui. E falo isso pelo próprio teor das postagens,.
Se vc já tem sua opinião formada, que bom. Mas existem pessoas que ainda não chegaram a uma conclusão sobre o assunto então não vejo problema nenhum em apresentar informações que possam contribuir para que tomem suas decisões.
Se para vc a questão está resolvida pelo LE para muitos não estão, senão não estaríamos aqui.
Que as pessoas continuem comendo carne mas com informação, com conhecimento.
Existem muitas pessoas que comem carne mas ignoram a realidade que se passa para que tenham seu apetite saciado com os animais e eu me enquadrava nesta situação.
Eu não sabia, porque se soubesse há muito teria deixado de fazer parte do ciclo da indústria de abate como consumidora final.
Então, me sinto no dever de esclarecer meus irmãos para que eles possam tomar uma atitude com o uso pleno de sua consciência tendo conhecimento de todos os aspectos que envolvem o consumo de carne.
Quem quiser usar estas informações que faça bom proveito quem quiser ignorá-las que o faça.
Vi nos comentários que aqui existem muitas pessoas que querem saber mais sobre esta questão e apenas dividi meu ponto de vista.
Nunca usei de força ou constarngimento para expor meu ponto de vista mas apenas de argumentação, agora se ela incomoda aí é outra questão.
Sempre deixei claro que ninguém é obrigado a ser vegetariano mas que temos o dever ético de saber o custo que nosso hábitos trazem para outros seres.
para sua informação convio em harmonia com não vegetarianos, a amior parte das pessoas do meu convívio não são vegetarianas mas quando manifestam interesse e curiosidade sobre o tema, não me furto de explicar e é apenas isso que estou fazendo aqui.
Diante da abertura do tópico, estou apresentando considerações para serem analisadas e submetidas à razão de cada um, nada mais do que isso.
Hebe, só para frisar: eu estou calma, aliás muito calma, mas não vou deixar de dizer o que penso apenas para agradar aqueles que têm receio de refletir e enfrentar dilemas de consciência.

Abraços
susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 26 de Dezembro de 2011, 21:46
gente, primeiramente devemos resolver uma pendenga: somos ou não somos Espíritas?
Se somos, seguimos ou não os ditames estabelecidos nas obras básicas?
Ora se somos Espíritas e seguimos os ensinos patrocinados pela DE devemos estar de acordo com oque dizem as respostas sobre alimentação carnívora tanto na Revue quanto em OLE.
Estas respostas podem suscitar algumas dúvidas e nossas postagens devem ou deveriam ir no sentido de explicitar-se mais facilmente aquilo que a De tem como verdade.
De que vale uma opinião pessoal se vai contra a doutrina?
de que vale uma opinião de um leigo sobre tema em que ele nunca fez cátedra?
Nossas opiniões são bem recebidas sempre, mesmo que em resposta a elas recebamos vez por outra, contraditas e daí nasça o debate...
abração,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 27 de Dezembro de 2011, 07:35
Não tenho problema nenhum de consciência Susana, já falei o que penso a respeito.

Alimentação equilibrada sem abusos e paixões.

Ninguem a impede de falar o que pensa sobre o tema, aliás nem precisa escrever mil linhas para cada uma escrita contra o que pensa. Já entendi o que quer falar.
A DE não condena a alimentação carnívora, todos são livres para escolher o que quer usar ou não como alimentação. Só isso, nada além.

Só 10  tópicos abertos sobre o assunto para quem quiser consultar a novidade que trazem.  :D isso peguei rapidamente na pesquisa, pode ter mais.   

Espiritismo e alimentação Novo

Alimentação dos Espíritos Novo

Alimentação dos Espíritos Novo

   
Espiritismo: Alimentação onívora X alimentação vegetariana?

Chico Xavier - Alimentação Carnívora Novo

Vegetarianismo e Vida Espiritual

http://www.forumespirita.net/fe/outros-estudos/vegetarianismo-devemos-ou-nao-adotar-esta-%27vida%27/

http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/alimentacao-segundo-espiritos-superiores/msg225011/#msg225011

http://www.forumespirita.net/fe/off-topic/pense-diferente/msg32609/#msg32609

http://www.forumespirita.net/fe/off-topic/dicas-receitas-vegetarianas/msg228377/#msg228377

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/jornal-das-boas-noticias/o-uso-da-alimentacao-carnivora/#ixzz1hiVqbGhT

Fiquem em paz

Um abç
Hebe

Está aí a alimentação saudável e sem abuso em termos nutricionais.

(http://blogamos.com/imagens/piramide-alimentar.gif)


Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 27 de Dezembro de 2011, 09:09
Moura,
Não se trata de ser espírita ou não.
Antes de ser espírita sou humana.
Como já discorreu brilhantemente o Anton em um comentário, a doutrina diz que se houver contradição entre a doutrina e a ciência que fiquemos com a ciência e a ciência já demonsntrou que a informação apresentada pelo LE não mais se verifica.
Os milhões de vegetarianos não perecidos já resolveram esta questão.
Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 27 de Dezembro de 2011, 09:23
Olá Hebe,
Obrigada pelas informações.
Conheço a pirãmide e a adoto apena sno lugar de carnes e ovos, leio: proteínas e as busco em combinações de aliimentos de origem vegetal.
Você sabia que existem diversos estudos médicos que associam o consumo de carne ao câncer?
Inclusive, existe um livro d eum médico, neurologista que teve cãncer que também aborda esta questão:
" Ele relata ainda que todos os países estabelecem uma relação direta entre a incidência de câncer e o consumo de carne, frios e laticínios. Inversamente, quanto mais a alimentação de um país é rica em legumes e leguminosas, menor é a incidência de câncer.
- trecho do livro Anticâncer do Dr. David Servan-Schreibe

As taxas de diabetes, câncer e problemas cardíacos são muito menores em vegetarianos do que em onívoros, alguma coisa tem aí..
De qualquer forma respeito sua dieta alimentar. Quanto aos aspectos nutricionais relacionados á saúde pode-se encontrar equilíbrio tanto na dieta onívora quanto vegetariana.
O questionamento que levanto é hoje, é necessário comer carne para ter saúde?
Abraços
Susana

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 27 de Dezembro de 2011, 10:55
O grande problema de alguns é "achar" que lendo apenas uma vez já sabe de tudo amiga Susana.
nessa matéria a amiga vem provando que ainda está defasada tanto quanto oque a ciência já comprovou  e mesmo sobre oque a doutrina ensina.
É o pior é que usa de certo grau de dureza que ainda vem por comprometer sua escrita diante da norma de bem se expressar neste Fórum.
a amiga numa de suas colocações, afirmou ter sido bloqueada em duas mensagens.
Na verdade o que ocorreu é que cada mensagem, seja de quem for, mesmo as minhas, têm de ser aprovadas antes de aparecerem.
Esta é uma regra deste Estudo não uma ditadura instituída.
Isso prova a natureza de seus comentários que, partindo s]de um simples "eu acho", passam à escrita como verdades.
Por favor, coloque-se apenas dentro do tema, não envolvendo a outrem, num assunto que nada tenha com o fulcro do tema que debatemos aqui.
Esta outra regrinha a ser seguida.
Abraços,
Moura


Moura,
Não se trata de ser espírita ou não.
Antes de ser espírita sou humana.
Como já discorreu brilhantemente o Anton em um comentário, a doutrina diz que se houver contradição entre a doutrina e a ciência que fiquemos com a ciência e a ciência já demonsntrou que a informação apresentada pelo LE não mais se verifica.
Os milhões de vegetarianos não perecidos já resolveram esta questão.
Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 27 de Dezembro de 2011, 11:54
Olá Hebe,
Obrigada pelas informações.
Conheço a pirãmide e a adoto apena sno lugar de carnes e ovos, leio: proteínas e as busco em combinações de aliimentos de origem vegetal.
Você sabia que existem diversos estudos médicos que associam o consumo de carne ao câncer?
Inclusive, existe um livro d eum médico, neurologista que teve cãncer que também aborda esta questão:
" Ele relata ainda que todos os países estabelecem uma relação direta entre a incidência de câncer e o consumo de carne, frios e laticínios. Inversamente, quanto mais a alimentação de um país é rica em legumes e leguminosas, menor é a incidência de câncer.
- trecho do livro Anticâncer do Dr. David Servan-Schreibe

As taxas de diabetes, câncer e problemas cardíacos são muito menores em vegetarianos do que em onívoros, alguma coisa tem aí..
De qualquer forma respeito sua dieta alimentar. Quanto aos aspectos nutricionais relacionados á saúde pode-se encontrar equilíbrio tanto na dieta onívora quanto vegetariana.
O questionamento que levanto é hoje, é necessário comer carne para ter saúde?
Abraços
Susana


vamos lá,
Algum exemplo que só adotar o vegetarianismo não evita doença.

Triglicerideos alto, por exemplo:

Os triglicerídeos ou triglicérides é um tipo de gordura que circula na corrente sanguínea. Ele é produzido no fígado e transportados pelo sangue pelo VLDL e LDL.

Os níveis de triglicerídeos aumentam no nosso sangue quando ingerimos alimentos gordurosos e, principalmente, carboidratos como o açúcar e calorias em geral.

O excesso de triglicerídeos no sangue faz com que diminua a concentração de HDL, ou seja, o colesterol bom e eleve a concentração de LDL, colesterol ruim no sangue, aumentando o risco para doenças cardíacas.

Os níveis de triglicerídeos são considerados elevados quando os valores ficam acima de 200 mg/dL, que pode ser detectado em exame de sangue feito em jejum.

Os níveis altos de triglicerídeos, além de aumentar o risco de doenças cardíacas, pode causar pancreatite,  hepatoesplenomegalia (aumento de do tamanho do fígado e do baço) e depósitos de gordura na pele (xantomas).

A Alimentação  está diretamente associada ao tratamento eficaz do controlo dos níveis de triglicerídeos sanguíneo. Veja algumas dicas:

    Evite o consumo excessivo de carboidratos simples como açúcar, mel, marmelada, doces em calda e doces em geral; origem vegetal
    Controle o consumo de carboidrato complexo como massas, batatas, pães e biscoitos; origem vegetal
    Evite frituras e alimentos gordurosos; tanto faz vegetal ou animal, até margarina deve evitar.
    Bebidas alcólicas aumentam o nível do triglicerídeo sanguíneo, portanto, evite o consumo de bebidas alcólicas; origem vegetal
    Aumente o consumo de fibras e alimentos integrais, eles ajudam, a reduzir os níveis do colesterol sanguíneo;
    Frutas e verduras possuem fibras que ajudam a diminuir a absorção de gorduras no sangue;
    Aumente o consumo de alimentos fonte de ômega-3, encontrado em peixes de águas profundas e frias (salmão, atum, bacalhau, arenque, cavalinha, sardinha, truta) ( origem animal )e em menores concentrações na soja, castanha e óleo de canola. O ômega-3 é um grande aliado na redução dos níveis de triglicérides;
    Atividade física é uma excelente aliada na redução dos triglicerídeos e aumento do HDL (colesterol bom).

Bem , o que eu quero dizer, depende de cada organismo e do abuso que se faça em cada item alimentar.

Essa mesma dieta é dada para diabéticos pois triglicerideos alto está diretamente relacionado a familias que tem por genetica já a predisposição para diabetes, o consumo de carne magra é aceitável e não condenado.

Todo o abuso é condenável, lógico que existem a industria de frios e frigoríferos que em nome do lucro abusam muito, cometem  excessos com aumento de produção através de inseminação artificia, hormonios el etc.  Se o homem se detivesse apenas no suficiente não chegaríamos ao ponto que chegou.

Agora eu pergunto, qual a função do frango e do gado? Vamos ter cemitério agora desses animais? A cadeia alimentar existe para equilibrio da natureza ou não?

E a industria de couro sintético, plásticos etc que lixo gera que não é absorvido pela natureza?

É válido não se alimentar e usar sapato de couro, cinto bolsas etc de origem animal?

Quando se alimenta de um animal, comemos o envólucro material ou a alma do animal?

Tem muitas questões suas e minhas que devem ser observadas antes de se defender uma idéia apenas.

Um abç
Hebe



Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 27 de Dezembro de 2011, 12:06
É bem verdade maninha Hebe!
Exatamente por isso a doutrina prega o não excesso.
Se assim como existem as leis para os abates de animais, existem os que as descumprem.
O Dr. Leopoldo Heitor, hoje falecido, um advogado e jurista renomado, sobre este fato cunhou um bordão que muitos levaram a sério, ele dizia", As leis existem para serem descumpridas", numa analogia bem humorada ao brocardo: "Leis existem para serem seguidas, ou ainda uma decisão legal não se discute, se cumpre".
Ora, o fato de uma lei ser por poucos descumprida faz dela uma lei ruim?
Onde o erro senão o do descumprimento da máxima legal?
E aqueles que são pagos e bem, para fazerem com que se cumpram estas leis, se recebem propinas, deixando poucos abatedores, fazerem da inércia que este ato criminoso, faz nascer uma cena verdadeira em algumas localidades, tal fato não torna a lei menor, mostra mais a pouca moral que certos fiscais têm, apenas isso.
Estes os aspectos doutrinários e os aspectos que demonstram que se há leis, devem aqueles que as fazem cumprir, trabalharem na verdade e com empenho e denodo.
tal como a nós Espíritas o conhecimento da doutrina, seu estudo perseverante, nos facilita o agir em maior sintonia para com o que exprima a codificação.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 27 de Dezembro de 2011, 13:44
Fiz um check up recentemente e todos meus exames estão ótimos inclusive o nível de triglicerídios. E não só os meus, meu pai também tornou-se vegetariano aos 60 anos de idade há cerca de 5 meses e o médico está surpreso com a melhora de todos os índicativos de saúde.
Quando exponho um ponto de vista o faço baseada em leitura e constatações  práticas.
Moura, nunca fugi do tom de respeito usado no fórum.
O problema é que todo mundo que contesta sua opinião é logo tachado de antidoutrinário ou  desrespeitoso.
Já li vários comentários seus e em muitos percebi certa arrogância na forma de corrigir os membros mas quem modera o moderador?
O que percebo que o que incomoda não é o tom das minhas afirmações mas o inconveniente da reflexão que elas representam.
Já conversei com outras pessoas e constatei que esta postura sua de "limar" tudo que vá de encontro com seu pensamento é bastante corriqueira.
Não tem problemas, pode bloquear o que quiser, tenho convicção que a informação que vc não permitiu que eu partilhasse com meus irmãos chegará a seus conhecimentos, quer vc queira  ou não.
A minha mensagem que não ousarei repetir porque sei que ela seria censurada, apenas esclarecia uma informação equivocada que vc postou no fórum e que poderia induzir as pessoas a erros.
Apenas me senti no dever de contar uma realidade que muitos desconhecem e até onde eu sei falar a verdade é um dever ético de todo cidadão.
Se pela minha posição tive acesso a informações que outras pessoas não tiveram tenho o dever moral de dividir isso.
Já entendi as regras do fórum, e fico muito triste com os rumos que o grupo está tomando.
Mais uma vez entendemos tudo errado. Sua postura só confirma o que eu já desconfiava conforme expus em outras postagens.
O debate nunca extravasou a cordialidade ,mesmo quando dividi neste grupo algumas observações sobre sua postura como moderador,nunca ofendi ninguém mas talvez a verdade ainda soe como algo indigesto para alguns.
Para mim isso nunca passou de um debate sadio para refletirmos. Nunca quis impor minha verdade a ninguém mas apenas dividir informações que pelo próprio teor das mensagens muitos desconheciam.
Agora entendo as colocações de outros membros e o porquê do desânimo em dividirem suas opiniões. Não há sentido em um grupo que tolhe a liberdade e expressão dentro dos ditames da civilidade.
Vocês fora incumbidos de uma tarefa belíssima mas acho que se perderam um pouco do objetivo principal. Que jesus os ilumine para achar o caminho.

P.S: Na esperança sincera de que a mensagem  não seja censurada

Paz e Luz!

Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos.Morelli em 27 de Dezembro de 2011, 14:19
Suzana
admiro a sua postagem sobre o assunto do topico, pois todos os vegetarianos que conheço aqui aonde trabalho, sofrem com anemia, ou algo mais.

o que você e seu pai, fazem ou comem para suprir a nescessidades completas que a carne nos traz?

apenas por curiosidade, pois quem sabe eu um dia tb deixe de come-la.

mais eu só como carne de vaca, nem de frango eu gosto, não gosto de nada exótico tb, animais que não deveriam estar na nossa cadeia alimentar, e hoje o homem come.

nunca tive se quer uma auteração tb em meus exames, mesmo comendo carne.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 27 de Dezembro de 2011, 14:36
Susana,
quanto a De ser de Kardec ou do Moura ou minha, ou sua, respondo: de ninguém   e sim dos Espíritos Superiores.

Vamos ao OLE:

"O Livro dos Espíritos" (Allan Kardec - FEB), temos o assunto abordado com bastante clareza, nas questões 723 e 724, onde Kardec pergunta e os Espíritos respondem:

723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

"Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização."

724. Será meritório abster-se o homem da alimentação animal, ou de outra qualquer, por expiação?

"Sim, se praticar essa privação em benefício dos outros. Aos olhos de Deus, porém, só há mortificação, havendo privação séria e útil. Por isso é que qualificamos de hipócritas os que apenas aparentemente se privam de alguma coisa."

6. DA LEI DA DESTRUIÇÃO

Ao que chamamos destruição nem sempre o é; não passa de uma forma de regeneração, de transformação, pois vivemos num universo em que "nada se cria, nada se perde, tudo se transforma."


DESTRUIÇÃO NECESSÁRIA E DESTRUIÇÃO ABUSIVA- OLE

Os seres vivos, para se alimentarem, "destroem-se" reciprocamente, seguindo esta aparente destruição dois fins:

1) Manutenção do equilíbrio na reprodução, que poderia tornar-se excessiva, quebrando a dinâmica de interdependência que existe entre os seres;

2) Utilização dos despojos do invólucro exterior, que sofre a destruição. Esse invólucro é simples acessório; a parte essencial do ser pensante é o princípio inteligente, que não se destrói, mas se elabora nas metamorfoses diversas por que passa.

Os meios de preservação de que a própria natureza é dotada têm a finalidade de evitar que a destruição se dê antes do tempo, o que inibiria o desenvolvimento do princípio inteligente.

O medo inconsciente do homem pela morte é a manifestação do instinto de conservação animal; é a manifestação inconsciente da necessidade que o seu espírito tem de se desenvolver. Por isso, deve enfrentar as provações da vida sem apelar para a fuga das reclamações, das acusações indevidas, nem tão-pouco aspirar à morte física como forma de resolver os problemas que o alcançam.

A necessidade de destruição, para estabelecer o equilíbrio ecológico e psicológico, é proporcional à natureza dos mundos, cessando quando o físico e o moral se acham mais depurados do que aqui na Terra; são características de mundos mais adiantados que o nosso. Mesmo aqui na Terra, à medida que há uma maior depuração, o sentimento de preservação sobrepuja o de destruição, dando ao homem melhor posição no seu desenvolvimento intelectual e moral.

O direito de destruição sobre os animais, bem como sobre os vegetais, está regulado pela sua necessidade, pagando o homem alto preço por qualquer abuso que cometa denotando apenas a predominância dos seus instintos bestiais destrutivos.

Quando a destruição dos animais é evitada, por excesso de escrúpulo ou por imposição religiosa, o facto em si louvável, passa a ser apenas manifestação supersticiosa, pois o homem excede-se de outra maneira. Só é válida quando aceite interiormente, sem riscos para seu bem-estar ou sobrevivência, e sem revolta.

Isso é o que diz a Doutrina Espirita, ou seja, apela para o equilíbrio moral quanto a destruição dos animais ou o excesso religioso e fanático  cairia em outro erro.

\PS: Não tenho, diabetes, nem colesterol, nem triglicerideos, nem pressão alta, nem problema cardíaco etc e faço alimentação equilibrada. Meus avós morreram com mais de 90 anos, minha mãe está com quase isso com as taxas absolutamentes normais apesar de comer carne.
Para mudar o hábito alimentar observe a sua predisposição genética e se tudo corre bem.
Equilibrio no alimento seja ele vegetariano ou não, equilíbrio  no comportamento ao defender as idéias, seja moderador ou não para não entrar no erro que acusa e conviver numa boa.

Fique em paz mais uma vez.

Hebe

PS: Grifo meu
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 27 de Dezembro de 2011, 14:57
Suzana
admiro a sua postagem sobre o assunto do topico, pois todos os vegetarianos que conheço aqui aonde trabalho, sofrem com anemia, ou algo mais.

o que você e seu pai, fazem ou comem para suprir a nescessidades completas que a carne nos traz?

apenas por curiosidade, pois quem sabe eu um dia tb deixe de come-la.

mais eu só como carne de vaca, nem de frango eu gosto, não gosto de nada exótico tb, animais que não deveriam estar na nossa cadeia alimentar, e hoje o homem come.

nunca tive se quer uma auteração tb em meus exames, mesmo comendo carne.

Carlos conheço vários casos de deficiencia organica por alimentação, ou pelo excesso de alimentação carnívora, ou pela falta, como disse antes, é preciso verificar o organismo e disposição genética, consultar  médicos e nutricionistas para cada caso e adotar o regime adequado.
Para mim tanto faz, comer carne ou não, várias vezes optei por omelete substituindo a carne que não me apetecia, mas não recomendo esse ou aquele regime alimentar a quem quer que seja por uma opinião minha.
Meu marido por exemplo vinha de familia diabética, já faço exame periódicos nos meus filhos, porque não sei a que lado puxaram e recomendo, apesar de adultos e morarem sozinhos, não abusarem em doces e gorduras e etc.

Um abç
Hebe
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos.Morelli em 27 de Dezembro de 2011, 16:25
obrigado Hebe,
pela explicação, eu adoro carne, mais somente de vaca, nem peixe sou muito fá, só como Atum e Sardinha.

mais a gente vê coisas que podem ser realmente abusivas, animais que talvez não foram criados por Deus para serem nosso alimento,

rã, gafanhoto, jacaré, avestruz, etc

não tenho paladar e nem vontade de consumo exóticos, só consumo o que é nescessario para o meu organizmo.

fiquem em Paz

Carlos

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 27 de Dezembro de 2011, 19:28
Olá amigos(as)


Vou colocar novamente aquilo que Jesus nos disse há mais de 2000 anos, e, que eu lá para  atrás já tinha referido e não compreendidas e alheadas de qualquer intenção ou presunção de minha parte.

Falou isso porque nos conhecia e conhece até hoje !...São intemporais. São eternas.São imutáveis.

Preocupai-vos primeiro em vos melhorar, porque o que na realidade vos faz mal" Não é o entra pela boca e sim o que vos sai" porque o que entra acaba por sair, mas o que sai entra e fere de tal maneira no próximo, que por vezes leva muito e muito tempo a curar.

Estas palavras nada têm de falta de Amor a pessoas , animais, etc.

Saudações fraternas
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 27 de Dezembro de 2011, 20:25
Pois é Cancela,
Olha a responsabilidade de recomendar qualquer dieta, eu disse qualquer, porque não é a resposta dos Espíritos Superiores que vai determinar que uma pessoa com colesterol alto ou com tendencias a doenças cardíacas deva comer carne a vontade, assim como alguem com tendencia hipoproteica ou triglicerídeos alto vá se eximir de absorver adequadamente omega 3 ou vitamina B12 e ferro, ricos na alimentação animal.
Consultem um médico periodicamente e façam exames, só isso.

3 artigos:

Anemia da carência de Ácido Fólico, Anemia Perniciosa

A vitamina B12, cujo nome científico é cianocobalamina, foi isolada e identificada a partir de um extrato de fígado, em 1948. É indispensável, na espécie humana, para a proliferação dos glóbulos do sangue e para a manutenção da integridade das células nervosas. A vitamina B12 só existe no reino animal; os vegetarianos restritos (que não comem nenhum produto de origem animal), raríssimos no Brasil, desenvolvem a carência.

A deficiência comum é a que decorre da falta de absorção da vitamina, por uma doença auto-imune da mucosa do estômago - a gastrite atrófica - que, rara antes dos 40 anos, aumenta de freqüência com a idade, até tornar-se muito comum na velhice. A incidência é maior no sexo feminino, em pacientes com doenças da tireóide e com vitiligo. A falta de vitamina B12 causa anemia e alterações neurológicas, que são progressivas e mortais se não houver tratamento, donde o nome de anemia perniciosa dado à doença antes de sua notável e recente descoberta.

Anos de absorção inadequada são necessários para o esgotamento das reservas de B12 do organismo, mas a partir daí, a anemização é rápida:
   há glossite (língua vermelha e ardente),
   surgem dormências, depois falta de sensibilidade, nas extremidades,
   e, por fim, deterioração mental irreversível.

O hemograma mostra que a anemia é macrocítica, isto é, caracterizada pela presença de eritrócitos (glóbulos vermelhos) maiores que o usual. A dosagem de vitamina B12 no soro sangüíneo é útil para o diagnóstico, que se completa pela notável resposta ao tratamento de reposição: dois ou três dias após a primeira injeção intramuscular de vitamina B12, o paciente sente-se eufórico, bem disposto e com apetite. A anemia cura-se em poucas semanas; os sintomas neurológicos de modo mais lento. Como a gastrite atrófica é uma doença definitiva, o tratamento com uma injeção mensal de B12 deve ser mantido por toda a vida.

A inclusão da dosagem de vitamina B12 na avaliação laboratorial de pacientes idosos tem permitido o diagnóstico da deficiência antes da aparição da anemia e dos sintomas acima; a reposição parenteral da vitamina causa, em alguns desses pacientes, significativa melhora das condições mentais. A ação da vitamina no organismo é muito ampla; a dosagem deve tornar-se um exame rotineiro em geriatria.

Anemia da carência de ácido fólico

O ácido fólico (nome científico ácido pteroilglutâmico) é uma vitamina do complexo B, abundante nas folhas verdes (donde o nome fólico), presente em pequena quantidade em muitos outros alimentos vegetais, e na totalidade dos alimentos de origem animal. A fervura prolongada dos alimentos destrói a vitamina.

A deficiência de ácido fólico, no organismo, geralmente ocorre quando há uma dieta carente, por precariedade de condições sócioeconômicas, associada a excesso de demanda.

No Brasil é comum, em:
   Crianças em idade de máximo crescimento (1 a 3 anos): o crescimento exige ácido fólico.
   Gestantes: o crescimento fetal consome ácido fólico materno.
   Alcoolistas: alimentam-se apenas das calorias vazias do álcool e desenvolvem múltiplas deficiências; a de ácido fólico é potencializada porque o álcool age como seu antagonista no metabolismo.
   Pacientes com doenças inflamatórias crônicas do trato digestivo que ocasionam má absorção de ácido fólico são raras.

A interação do ácido fólico com a vitamina B12 é indispensável para a proliferação dos glóbulos do sangue. A falta de ácido fólico causa uma anemia macrocítica idêntica a da falta de B12, mas não causa doença neurológica. Os pacientes perdem o apetite, o que faz piorar a dieta, por hipótese, já carente; há rápido emagrecimento. O tratamento com ácido fólico por via oral causa imediata melhora clínica; o paciente desenvolve um apetite voraz que corrige espontaneamente a dieta."

Só há recaída em casos de extrema pobreza ou de alcoolismo persistente.

Fonte: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?26

ANEMIA DA CARÊNCIA DE FERRO

O ferro, por fazer parte da molécula, é indispensável à produção da hemoglobina, pigmento dos glóbulos vermelhos, que lhes permite o transporte de oxigênio, e cuja falta denomina-se anemia. A carência de ferro é a causa mais comum de anemia (anemia ferropênica).

As razões antecedem a história. O homem primitivo, presume-se, alimentava-se como seus assemelhados do topo da escala zoológica: frutas silvestres, ervas palatáveis, ovos avidamente procurados e presas animais, de larvas a mamíferos de porte. Canibalismo talvez fosse um evento vulgar.

Essa dieta natural aportava-lhe ferro ligado a proteínas animais e vitamina C das frutas, combinação apropriada à absorção do ferro no trato digestivo humano. Em épocas de escassez o homem primitivo deveria ser desnutrido, faminto, mas raramente ferropênico.

O sobrenome sapiens, que o diferenciou dos antropóides, levou o homo à invenção da agricultura: a colheita fixou-o ao solo, a fonte previsível de alimentos deu origem à expansão demográfica. Milhares viraram milhões, agora seis bilhões. Não há proteínas animais para tantos e, infelizmente, o trato digestivo humano não evoluiu para os novos tempos: absorve mal o ferro dos grãos, dos tubérculos e das plantas verdes. Crê-se que 20% da população mundial não têm, no organismo, reservas de ferro suficientes para repor a hemoglobina: qualquer excesso de demanda desencadeia anemia ferropênica. Esta se transformou em problema de saúde pública de espantosa prevalência.

No Brasil, a dieta carente é, por si só, o fator desencadeante de anemia ferropênica, apenas nos seguintes casos:
   Nos lactentes, quando alimentados com leite bovino. O ferro do leite, já escasso, é mal absorvido; entre os 6 meses e os 2 anos de idade a anemia é quase universal. O aleitamento materno, com absorção muito superior do ferro, evita a anemia.
   Nas gestantes de baixa condição sócio-econômica: a passagem de ferro pela placenta, para as necessidades fetais, causa um balanço negativo de ferro; se não houver complementação, haverá anemia.
   Nos idosos desassistidos: falta de recursos, dentadura em mau estado, inapetência fazem predominar a alimentação composta de café com leite, pão, sopas, virtualmente sem ferro assimilável.
   Nos vegetarianos restritos: são raros.

Como se desenvolve a anemia ferropênica?

Fora dos casos acima, a anemia da carência de ferro, como regra, independe da alimentação; decorre de perda crônica de sangue. Nas zonas rurais e litorâneas, sem saneamento, a espoliação por verminose, principalmente na infância, é causa comum.

Nas mulheres em idade fértil, o excesso menstrual (hipermenorréia), não notado ou desvalorizado, é a causa de 95% dos casos de anemia ferropênica, e a razão da prevalência desta ser 20 vezes maior em mulheres que em homens. As pacientes (às vezes, também, os médicos), entretanto, custam a crer ser essa a causa da anemia; habituadas à hipermenorréia, consideram-na "normal, porque sempre foi assim" e persistem em procurar na dieta, na "falta de fixação do ferro", motivos outros em detrimento da causa óbvia. O ferro do corpo humano não tem mecanismo de excreção e, certamente, não se evapora: perde-se com a perda de sangue.

Nos homens, e numa minoria de mulheres, a anemia ferropênica decorre de perda crônica de sangue no trato digestivo, por gastrite, úlcera, tumores e inflamações intestinais crônicas. O sangue perdido sai digerido na massa fecal; quando o volume excede 50 gramas as fezes tornam-se escuras, luzidias, e com um cheiro fétido (melena). As pessoas, em geral, não atentam para as próprias fezes: a perda de sangue quase nunca é notada.

Diagnóstico

O diagnóstico de anemia ferropênica costuma ser fácil: o hemograma mostra a anemia, caracterizada pela presença de glóbulos vermelhos menores que o normal (microcitose), por faltar-lhes conteúdo hemoglobínico. A dosagem plasmática da ferritina, forma química de armazenamento do ferro no organismo, mostra-a muito baixa ou ausente.

Tratamento

A anemia ferropênica cura-se em dois a três meses com a administração de sulfato ferroso oral. Outros compostos de ferro, mais caros e comercializados com a alegação de que são melhor tolerados pelo trato digestivo, têm absorção insatisfatória. Querer tratar a anemia ferropênica com "alimentos ricos em ferro" (os pacientes geralmente citam fígado, espinafre, feijão, beterraba - esta pela cor) não tem cabimento: o ferro alimentar é sempre insuficiente para esse fim. Se persistir a causa da anemia ferropênica, como por exemplo, em casos de hipermenorréia intratável, a anemia reaparecerá alguns meses ou anos após a cura com o tratamento. Nesses casos sugere-se um controle periódico pelo hemograma, com repetição do tratamento quando necessário.
Fonte: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?25


continua

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 27 de Dezembro de 2011, 20:28
continuação

Gordura Saturada

As gorduras saturadas são a principal causa da elevação dos níveis sangüíneos de Colesterol.

A principal fonte dessas gorduras vem dos animais e de certas plantas. Recomenda-se não ingerir mais do que 200 mg por dia de Colesterol e não mais do que 30 % da ingestão de calorias por dia oriundas de gorduras, com menos de 7% vindo de gorduras saturadas.

Aí se incluem carne de gado, gordura de gado, porco, sebo, manteiga, nata, leite, queijo e outros alimentos derivados do leite. São todos alimentos que contêm colesterol e gorduras saturadas.

Das gorduras de plantas estão incluídas o gordura de coco, azeites tropicais, manteiga de cacau.

Gorduras hidrogenadas

A hidrogenação das gorduras ocorre durante o seu preparo industrial, o que acontece, por exemplo, com a margarina.

Gorduras não saturadas (Poli e Mono)

São geralmente encontradas em gorduras líquidas obtidas de vegetais.

Entre os poli não saturados estão o óleo de sésamo (ou gergelim), girassol, milho, soja, nozes e sementes.

Entre os mono não saturados estão o óleo de canola, amendoim, abacate e o azeite de oliva.

As gorduras não saturadas ajudam a diminuir os níveis de colesterol do sangue quando são usadas na alimentação, como substitutos das gorduras saturadas. Mesmo as margarinas preparadas com essas gorduras devem ser usadas com moderação. A saturação das gorduras não saturadas, pela industrialização, visando torná-las mais espessas, torna-as tão prejudiciais quanto as gorduras saturadas in natura. As gorduras não saturadas também se saturam pelas altas temperaturas ( frituras).

Seguir as recomendações básicas abaixo:
 
   Use óleos naturais, não hidrogenados, tais como de canola e azeite de oliva.
   Procure alimentos industrializados produzidos com gorduras não saturadas.
   Use margarina como substituto de manteiga, mas procure as margarinas líquidas ou cremosas em vez das mais duras. Procure as que contenham menos de 2 g de gordura saturadas por colher de chá e que, na composição, os azeites líquidos sejam predominantes.
   Evite batata frita, sonhos e biscoitos.
   Evite os alimentos gordurosos.
   Evite os alimentos industriais e comerciais fritos e confeitados por serem ricos em gorduras.
   Evite as refeições rápidas e frituras.[/b]

Fonte:http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?466
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 27 de Dezembro de 2011, 22:29
Olá carlos,
Então vamos lá. Não vou me estender muito nas explicações pois são muito técnicas e longas.
Vou tentar ser breve e ao final te indico a leitura complementar.
Os principais questionamentos de quem deeja se tornar vegetariano dizem respeitos a três situações:
1- Ferro: Todo mundo diz que vegetariano é an~emico mas o que não se fala é que anemia é um problema de onívoros e vegetarianos.
 De acordo com pesquisas( para mais informações sobre dados leia os livros indicados ao final) aproximadamente metade da população mundial sofre com anemia.
Então como sabemos que metade da população mundial ainda não é vegetariana fica fácil perceber que anemia não é um problema exclusivo de vegetarianos.
o que é mais importante saber é que ser vegetariano não é só tirar a carne mas sim buscar os nutrientes que ingeria através da carne em outras fontes.
De nada adianta tirar a carne e se entupir de batata frita e macarrão, tem que haver um grande consumo de alimentos saudáveis, nutritivos e funcionais.
O ferro pode ser obtido através de vegetais verde escuros por exemplo, normalmente existem formas de potencializar a  absorção deste tipo de ferro que é diferente do da carne, vegetarianos costumam ingerir cítricos para auxiliar a  juntamente com as fontes de ferro para potencializar sua absorção
Nos livros que indiquei existe um capítulo inteiro sobre o tema onde o autor, médico, explica detalhadamente esta questão e quais são as melhores fontes de ferro.
Tenho uma amiga que é vegetariana e que há tempos atrás apareceu com anemia.
mas ela não tinha anemia porque era vegetariana, tinha anemia porque comia muito mas muito mal.
Se alimentava basicamente  de fast food então o problema não é ser vegetariano, o problema é ser vegtariano sem informação e sem mudança de hábitos.
2- Proteínas: as pesquisas indicam que vegetarianos não têm problemas com carência proteica. Na verdade as pesquisas apontam que onívoros costumam ingerir uma quantidade demasiada de carne, além do recomendado pelos médicos.
Em uma linguagem leiga, a carne possui todos os aminoácidos de que necessitamos. Os alimentos de origem vegetal não possuem todos eles na mesma proporção da carne, então basta que você diversifique seu cardápio para que obtenha suas proteínas.
De uma forma bem simples, tanto na dieta vegetariana quanto onívora não há dificuldade para obtenção de proteínas.
3- Vitamina b12:a vitamina b12 é importantíssima para a manutenção do equilíbrio do sistema nervoso. Normalmnete para que os feitos de sua carência sejam sentido levam-se alguns anos. vegetarianos que consomem produtos como ovos, leite e laticínios em geral não costumam ter carência de b12, mas lógico vai depender da quantidade ingerida.
Os veganos, que não consomem nem leite nem ovos nem nada que seja de origem  animal costumam tomar uma injeção anual de vitamina b12 ou algum suplemmento oral.
Então, salvo os vegetarianos estritos, a vitamina b12 não é um problema.
Não sou nutricionista então eventualmente posso ter me esquecido de alguma informação ou cometido algum equívoco.
Tentei fazer um breve resumo de tudo que me lembro mas para mais informações, seguem alguns sites sobre o assunto:
http://www.sejavegetariano.com.br/
http://www.vegetarianismo.com.br/sitio/
http://www.nutriveg.com.br
http://www.alimentacaosemcarne.com.br/

E leia os livros do Dr Eric Slywitch " Virei vegetariano e Agora?" e " Alimentação Sem carne"
nestas obras encontrará respostas para todos seus questionamentos.

Carlos, te incentivo a conhecer a dieta vegetariana ,mas antes consulte um nutricionista caso não se sinta seguro em montar seu cardápio apenas com as informações disponibilizada nos livros.
 É sempre importante consultar um médico antes de fazer qualquer mudança de hábitos.
Muita gente acha que vegetariano come só alface e isso é um dos grandes entraves para que tenham seu paladar seduzido pelo vegetarianismo.
te asseguro que não como só alface. Como macarrão á bolonhesa, feijoada vegetariana, bife á milaneza e a parmegiana, strogonofe, almôndegas a diferença é que sem animal.
Outra coisa que precisa saber é que nem todo vegetraiano come soja. Conheço vários que não a consomem mas se teu paladar aceitar ela é uma opção interessante nesta fase de transição.
Tem muitos vegetarianos que engordam porque se entopem de carboidrato em vez de fazer um plano alimentar equilibrado.
De qualquer forma parabéns pela iniciativa.
Abraços
Susana



Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 27 de Dezembro de 2011, 22:44
Olá Hcancela,
Quando Jesus disse isso o contexto não tinha nada a ver com alimentação de animais.
Os fariseus lavavam as mãos antes de comer e vendo que os seguidores de Jesus comiam sem lavar as mãos logo aproveitaram deste fato para dizer que não cumpriam a lei de Moisés.
Daí Jesus se manifestou em defesa dos discípulos com este belíssimo ensinamento que visava demonstrar a hipocrisia dos fariseus que lavavam as mãos e não o coração.
Que não seria o fato de não lavarem as mãos que tornaria aqueles homens ruins.
O ensinamento não estava relacionado com a alimentação de seres sensíveis e mesmo que estivesse a criação de animais não era estruturada da forma como hoje é a indústria de abate.
Os animais viviam como animais, pastavam, as galinhas ciscavam, hoje eles não passam de meros objetos, bens de consumo exauridos até a última gota pela ganância da indústria.
Os hebreus não conseguiam amar nem seus familiares, haviam contendas intermináveis e sangrentas entre as famílias da época como iriam estender a compaixão e o amor aos animais naquela época?
Uma lição só é ensinada quando o aluno está pronto, e se até hoje ainda temos dificuldade de estender o amor além dos laços sanguíneos, imagine então naqueles tempos remotos.
Jesus, sábio psicólogo sideral, não desconhecia o estágio de imaturidade espiritual que se encontrava o homem e não exigiria dele mais do que pudesse compreender.
Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 28 de Dezembro de 2011, 01:39
Amigos,
Queria deixar uma coisa clara.
Não acho que o vegetarianismo seja a grande questão da humanidade.
Como disse no vídeo postado, temos outras lições aprender, como  aprendermos a amar nosso semelhantes por exemplo.
Então não adianta amar os animais, deixar de comer carne por compaixão dos animais e continuar nutrindo ódios, mágoas e ressentimentos uns pelos outros.
Aprender a amar animal é sempre mais fácil do que gente, eles são bem menos complicados rs.
A questão do vegetarianismo não se apresenta como o grande dilema da humanidade mas hoje pelo nosso grau de consciência o que proponho é a reflexão sobre a relação de subjugação , dominação e consumo que estabelecemos com eles ao longo da nossa trajetória.
Será que não é hora de revermos nossos conceitos? Nos livrar do ranço do antigo testamento e passar a ver os animais de uma forma mais humana?
Sei que existem leis, mas são poucas, as penas ainda são leves e infelizmente não intimidam, ainda estamos engatinhando na questão da ética em relação aos animais.
A questão do consumo da carne é muito mais profunda do que ingerir ou não seres vivos. Ela passa necessariamente antes pela questão do direito a dominação e subjugação de outro ser para atender a um interesse de outra raça que se comporta como superior( nós).
Ela passa pela forma com que estes seres são tratados desde o seu confinamento até seu abate, ou seja, pelo tartamento digno aos animais.
Não vou me estender aqui e ser repetitiva: quem quiser saber a verdade tem meios para isso, basta procurar no youtube as dezenas de vídeos feitos clandestinamente em grandes abatedouros,  uma imagem vale mais do que mil palavras.
Enfim, queria frisar que o objetivo principal das minhas mensagens foi o compartilhar de informações pesquisadas e reflexões pessoais sobre o assunto trazendo material para reflexão e não promover uma caça ás bruxas a não vegetarianos.
Já dizia Jesus que a verdade nos libertará e eu entendo verdade como conhecimento.
Somos livres para fazer nossas escolhas mas temos que saber o custo delas.
Paz e Luz!
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 28 de Dezembro de 2011, 02:17
Muito bem Suzana, ao meu ver a chave da questão está, justamente, na expressão moral da aplicação do que significa uma palavra que você utilizou em seu último post: "subjugação".
Todas as grandes conquistas do Homem, as que o enobrece espiritualmente, são alcançadas pela força da transformação do que pode e deve ser transformado no próprio homem. Se alguma coisa deve ser subjugada por nós, são nossas próprias imperfeições, jamais subjugando os que estão ao nosso lado evolutivamente, sufocando seus princípios, e nem os que nos apresentam inferiores violentando-lhes a existência.

 
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Haga em 28 de Dezembro de 2011, 09:05

Podemos viver perfeitamente e muito melhor e com mais energia fisica e mental apenas com frutas e vegetais  e meia duzia de nozes por dia

Para aqueles que ainda acreditam que precisamos carne, leite, ovos, e grãos para se ter saúde leiam 80/10/10 de Doug Graham e o autor Max Gerson. Eles não falam apenas de teoria mas de de resultados comprovados. Só não acredita quem não quer.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 28 de Dezembro de 2011, 09:31
Há controvérsias ainda Haga, logico que uns se adaptam ao vegetarianismo e outros não.
Você trouxe  médicos e livros a favor, posso trazer outros médicos e livros contra.

Um pouco de cautela como a Susana mostrou em seu post, um acompanhamento nutricional sério e opiniões médicas check up regular e pronto.
Siga a dieta que quiser desde que muito bem acompanhada e orientada.
Um abç
Hebe
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 28 de Dezembro de 2011, 10:00
Olá Hcancela,
Quando Jesus disse isso o contexto não tinha nada a ver com alimentação de animais.
Os fariseus lavavam as mãos antes de comer e vendo que os seguidores de Jesus comiam sem lavar as mãos logo aproveitaram deste fato para dizer que não cumpriam a lei de Moisés.
Daí Jesus se manifestou em defesa dos discípulos com este belíssimo ensinamento que visava demonstrar a hipocrisia dos fariseus que lavavam as mãos e não o coração.
Que não seria o fato de não lavarem as mãos que tornaria aqueles homens ruins.
O ensinamento não estava relacionado com a alimentação de seres sensíveis e mesmo que estivesse a criação de animais não era estruturada da forma como hoje é a indústria de abate.
Os animais viviam como animais, pastavam, as galinhas ciscavam, hoje eles não passam de meros objetos, bens de consumo exauridos até a última gota pela ganância da indústria.
Os hebreus não conseguiam amar nem seus familiares, haviam contendas intermináveis e sangrentas entre as famílias da época como iriam estender a compaixão e o amor aos animais naquela época?
Uma lição só é ensinada quando o aluno está pronto, e se até hoje ainda temos dificuldade de estender o amor além dos laços sanguíneos, imagine então naqueles tempos remotos.
Jesus, sábio psicólogo sideral, não desconhecia o estágio de imaturidade espiritual que se encontrava o homem e não exigiria dele mais do que pudesse compreender.
Abraços
Susana

Susana amiga

Também não percebeu, e, como outros já atrás referi.

Falei no contexto geral tal e qual Jesus, apesar de eu não ser como Ele.

A frase de Jesus de facto era por causa do que as pessoas falavam sim e agora lembrei por causa do mesmo. Não era num contexto especial não Susana, era para sempre, e em todas as situações.

Extremismos... E neste aspecto embrenhados nos temas que defendemos nem reparamos no que sai da boca(neste caso na escrita).Também lembrei o preocupai-vos primeiro em vos melhorar e neste caso no texto a seguir o disse e bem tal e qual o Kazaoka.

Não é só modificar a dieta, é necessário reformar a alma, o homem hedonista, pragmático e utilitarista, faz do corpo a finalidade da vida e se afoga na materialidade da vida, esquecido que a vida continua além da morte, porque o Espírito é eterno.





Abraços
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 28 de Dezembro de 2011, 12:25
Eu vejo assim também Cancela, num  sentido mais amplo esta mensagem e não especificamente no episodio de lavar as mãos. Aliás Jesus nunca perdia a oportunidade de passar seus ensinamentos diante dos fatos que ocorriam.

Eu utilizei essa mesma mensagem no estudo do autoconhecimento, e foi interpretado como o estímulo que vem de fora, sejam emoções ou idéias de outrem são interiorizadas e o sujeito decodifica e externa dando a resposta de acordo com sua interpretação, mostrando o que lhe vai no intimo, ou seja a sua natureza maculando até a intenção inicial de quem o estimulou à resposta.

Exemplificando:

O que diz na codificação:

O direito de destruição sobre os animais, bem como sobre os vegetais, está regulado pela sua necessidade, pagando o homem alto preço por qualquer abuso que cometa denotando apenas a predominância dos seus instintos bestiais destrutivos.

Quando a destruição dos animais é evitada, por excesso de escrúpulo ou por imposição religiosa, o facto em si louvável, passa a ser apenas manifestação supersticiosa, pois o homem excede-se de outra maneira. Só é válida quando aceite interiormente, sem riscos para seu bem-estar ou sobrevivência, e sem revolta.

Essas duas citações em OLE dada pelos Espítios Superiores, pode ser interpretada como ultrapassada em vista do avanço da Ciência em relação aos estudos nutricionais, ou uma ofensa ao fanático religioso que acha que deve defender veementemente a sua crença e o faz de forma exagerada.

Quando lida com neutralidade lê-se que a destruição existe para o equilíbrio da natureza e  tanto o abuso quanto a destruição indiscriminada dos animais pelos homens é uma advertencia , assim como o fanatismo defendendo uma idéia pode ser também pernicioso a evolução Espiritual. portanto a mensagem ainda é de extrema sabedoria e adverte ao homem em todos os aspectos.

Um abç
Hebe





Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 28 de Dezembro de 2011, 14:03
Sabe, maninha Hebe, mano Cancela, mano Kao e amigos em geral,
O espírita, falo genericamente, tem uma propensão que lhe entrava um progresso mais rápido.
Podem notar, se fizerem um "vale a pena ver de novo" em muitas discussões que as tempos por aqui, que, mesmo quando um trás a obra básica que deve ser o nosso divisor de águas, o outro reponde, com se esta nenhum valor tivesse ou que esteja defasada.
todavia, mesmo que falem em ciência, em 90% das vezes, tratam mero estudo, pesquisa ou teoria com expressão de verdade inconteste e aprovada quando não passam daquilo  que são, um estudo, pesquisa ou teoria.
Tais posições, assim extremadas, são naturais aos que começam os estudos doutrinários, Mas nota-se sem grande esforço que estes, ao serem contestados sob o condão codificado, cessam uns dias de postar naquele tópico para que quando voltarem já tenham relido e reestudado o ponto e quase que invariavelmente,  voltam atrás.
Outros porém e o que me preocupa é que ainda formam em número muito grande, se aferram as suas idéias, e não mais encontrando lastro no saber espírita, dali passam a atacar àquele que lhe contradita, mas sem que apresentem mais que hipóteses ou suposições que, como se sabe, não formam uma resposta firme, mas simples conjeturas.
O caso é que ninguém quer modificar o pensamento de ninguém, não neste fórum, a repetição geralmente mais aprofundada, a cada vez que se a cometa, é no sentido de tentar fazer soar a campainha do entendimento e nisso se vê mais do que simplesmente uma repetição ditatorial, de impor algo ou de diminuir o conhecimento do outro, mas geralmente o que se vê é a estagnação num mesmo pensar, sem a obra de reestudar o tema, com isenção, sem orgulho ferido e isso já não é natural no noviço, mas sim demonstra o estágio espiritual que estes apresentem.
Constitui um ato de grande estima e consideração por todos, uma repetição que se embase na doutrina, afinal estamos num fórum de estudos e debates sobre a doutrina e isso é pouco percebido e fica a parecer a muitos que apenas "lurkam" sem cooperarem nas postagens, que estas rusgas provocadas, não gerem um efeito bom.
Se não se quer nem se entende que se mude de idéias pelo simples postar em contrário feito por outro, também não é interessante este aferramento a uma idéia que esteja francamente oposta ao que diga a obra básica, pois que se não a temos como uma expressão de Verdade, o que ela o é, para que se dizer Espírita?
melhor se dizer: "Sou ateu, graças a Deus".
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 28 de Dezembro de 2011, 19:27
Olá hcancela,
Concordo em parte.
Vamos analisar uma coisa, de fato não é o que entra pela boca que torna o homem "impuro" mas o que ele faz.
Repito, vegetarianismo é mais um dos passos na nossa caminhada evolutiva mas não o único, temos muitas questões a resolver paralelas à reflexão ética quanto a nossa postura especista em relação aos animais.
Não adianta nada se tornar vegetariano e não desenvolver os valores crísticos na alma.
Não acho que ninguém se torna espiitualizado por ser vegetariano mas penso que á medida que o homem vai se espiritualizando amplia sua consciência cósmica e estende o amor não apenas a laços sanguíneos ou humanos mas a toda forma de vida, seja um ser humano ou uma formiga.
Particularmente, duvido muito que Jesus, sublime alma portadora de amor incondicional por todos os seres da criação, compactue com o que ocorre em matadouros para que possamos ingerir carne. Não sei , mas não consigo imaginar que Jesus estava dizendo com seu ensinamento: fiquem tranquilos, se fartem dos seus irmãos menores!
O que está em jogo não é o simples ato de comer o animal mas todo o processo necessário para que isso aconteça.
O dia que pisei em um matadouro e vi o que faziam com os animais chorei de vergonha.
Se eu, ser imerso na ingnorância , me sensibilizei com o sofrimento dos animais imagino que Jesus também não se sinta feliz com o que fazemos com os bichinhos.
Então, eu não me sinto à vontade para usar o nome de Jesus para justificar o que hoje fazemos com os animais e, aí é uma questão de entendimento e interpretação, não acredito que quando Jesus disse isso estava autorizando o massacre dos nossos irmãos menores em escala industrial tratando seres da criação como meros objetos.
Repito: é uma opinião pessoal e a forma como minha alma sente o ensinamento do Mestre mas cada um dá ao ensinamento o alcance que sua alma entender.
Abraços
Susana

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diego Pedroso em 28 de Dezembro de 2011, 19:33
Acredito que como informa os espiritos um dia a alimentação do homem não vai depender dos animais e esta fase de ja esta começando por isso vemos pessoas que conseguem ja eliminar de vez a alimentação animal de seus pratos.
Creio que quem não consegue ficar sem comer carne fique achando que não estar evoluindo por que eu ja tive este tipo de pensamento e pessoas espiritas e vegetarianas ja falaram isso comigo mas como a doutrina espirita é fé raciocinada acredito que devemos conquistar a evolução moral primeiro e depois este tipo de dependencia da carne se extinguira de forma gradual pois o nosso espirito estara mais puro e sem essas dependencias.
O propio Jesus comia peixe! Por isso ele não foi quem ele é??? Acho que não!!!!! Vamos primeiro nos preocupar com as chagas morais e os resultados virão, comer carne não é sentido de estarmos evoluido ou que resolvemos os  problemas do espirito.
Obs: lembro que qualquer exagero é prejudicail por isso se vc come carne, coma o que é necessario para o seu organismo por que eu acho q vale uma pessoa que coma carne mas faça o bem, do que uma que não coma mas só faz mal ao proximo.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 28 de Dezembro de 2011, 21:00
Olá hcancela,
Concordo em parte.
Vamos analisar uma coisa, de fato não é o que entra pela boca que torna o homem "impuro" mas o que ele faz.
Repito, vegetarianismo é mais um dos passos na nossa caminhada evolutiva mas não o único, temos muitas questões a resolver paralelas à reflexão ética quanto a nossa postura especista em relação aos animais.
Não adianta nada se tornar vegetariano e não desenvolver os valores crísticos na alma.
Não acho que ninguém se torna espiitualizado por ser vegetariano mas penso que á medida que o homem vai se espiritualizando amplia sua consciência cósmica e estende o amor não apenas a laços sanguíneos ou humanos mas a toda forma de vida, seja um ser humano ou uma formiga.
Particularmente, duvido muito que Jesus, sublime alma portadora de amor incondicional por todos os seres da criação, compactue com o que ocorre em matadouros para que possamos ingerir carne. Não sei , mas não consigo imaginar que Jesus estava dizendo com seu ensinamento: fiquem tranquilos, se fartem dos seus irmãos menores!
O que está em jogo não é o simples ato de comer o animal mas todo o processo necessário para que isso aconteça.
O dia que pisei em um matadouro e vi o que faziam com os animais chorei de vergonha.
Se eu, ser imerso na ingnorância , me sensibilizei com o sofrimento dos animais imagino que Jesus também não se sinta feliz com o que fazemos com os bichinhos.
Então, eu não me sinto à vontade para usar o nome de Jesus para justificar o que hoje fazemos com os animais e, aí é uma questão de entendimento e interpretação, não acredito que quando Jesus disse isso estava autorizando o massacre dos nossos irmãos menores em escala industrial tratando seres da criação como meros objetos.
Repito: é uma opinião pessoal e a forma como minha alma sente o ensinamento do Mestre mas cada um dá ao ensinamento o alcance que sua alma entender.
Abraços
Susana


Susana querida amiga

Compreendo perfeitamente o que quer dizer, o que não compreendo é os extremismos, não querendo dizer que eu sou perfeito, longe disso, e, dar abalo a massacres ,e neste aspecto seja do que for.Se reparar o massacre neste Planeta não é só de animais, mas quase tudo que mexa, imposta pelos radicalismos de todo o género.

Sobre o comer já o disse atrás é opção pessoal e não é falta de respeito nem desprezo pelos animais mesmo que queiram tentar dizer isto. Respeito é outra coisa e nada tem a ver com o tópico....é manga para outras camisola....kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

No aspecto de Jesus creio que tentar perceber o que foi ou é Jesus começamos logo de inicio entrar em erro, porque até podemos tentar ter ideia o que Ele era, mas com certeza está fadado ao fracasso.

Creio(minha opinião) que Jesus sabia e sabe o que precisamos para nos mudar , daí eu ter lembrado da frase, mas creditando que o que Ele disse é intemporal, porém não acredito que tenha dado abalo à matança de animais etc e tal, (eu também não a dou e não sou Jesus) nem podia, porque até naquele tempo a vida Humana nada valia, aliás hoje pouco mais vale, basta ver o Planeta em si.
Para mim Susana não é o que comemos mas o que fazemos com ela,e de que forma a produzimos, e neste aspecto concordo plenamente; Deixa muito a desejar.

Abraços fraternos
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 29 de Dezembro de 2011, 10:06
É isso mesmo Diego Pedroso.
Antes um onívoro que busque fazer sua reforma íntima e se sintonizar com as leis divinas do que um vegetariano que vive alheio á isso.
Só penso que nada impede que durante esta caminhada na eliminação de nossas imperfeições também olhemos para os animais com outros olhos, com carinho e respeito, seja um cão ou um bovino.
Á medida que procedemos á nossa reforma interior também podemos ir ampliando nossa compaixão aos nosso irmãos.
 Ampliar o amor a outros seres também faz parte do processo de evolução espiritual então além da reforma de si mesmo também podemos olhar para fora e repensar a forma como nos relacionamos e interagimos com os demais habitantes do planeta em busca de uma convivência mais harmônica e ética.
Abraços
Susana

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 29 de Dezembro de 2011, 10:10
Hcancela,
Valiosos apontamentos.
Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Ace em 31 de Dezembro de 2011, 19:22
Eu sou vegetariano há 1 ano e 3 meses e sinto-me melhor desde aí.

E ainda não 'pereceu'?     :D




Eu penso que não, não tenho a certeza :)


Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Rubens Freitas em 31 de Dezembro de 2011, 23:37
Muitos colocam a dicotomia, "é melhor ser carnívoro e bom do que vegetariano e mau" (falando de modo bem simplista, só para enfocar a ideia). Acredito que as escolhas não são somente estas. Ainda temos a outra: e se formos bons e também não comermos carne? Que tal? Lógico é que ninguém deve se forçar a nada, mas naturalmente este dia chegará. Mesmo porque os avanços tecnológicos já nos permitem substituir a carne por outros nutrientes. Abraço.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diego Pedroso em 04 de Janeiro de 2012, 02:27
O Susana Fernandes reconheço que já tem algum tempo que venho pensando neste tema e acredito nesta mesma reforma que devemos fazer em nossos habitos pensando no bem dos seres que habitam o nosso planeta, espero que ainda nesta encarnação eu possa entender e parar  de usar carnes.
O meu caro Rubens Freitas concordo com você e acredito que sempre temos que buscar o melhor mas falei aquilo no sentido das pessoas não ficarem se martirizando ou achando que esta fazendo a maior coisa errada do mundo por que come carne e como já falei espero ainda nesta encarnação acabar com esse habito de comer carne porque como voçê disse já temos condiçoes de viver sem comer carne.
Abração gente e obrigado por este debate amplo e bem construtivo para nossa evolução!
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 04 de Janeiro de 2012, 14:20
Diego meu mano, nesta minha última postagem aqui devo dizer que se estivéssemos já totalmente adaptados apenas para nos alimentarmos de vegetais, nossa dentição já seria mais parecida com a dos animais que assim também se alimentam
Aliás, sobre este tema ontem mesmo recebi uma piadinha interessante, diz ela:
"Se os vegetarianos gostam tanto assim dos animais, porque então não deixam de se alimentar daquilo que para alguns animais seria a alimentação?"
Os Espíritos Superiores tanto em OLE quanto na RE onde são mais diretos ainda disseram "A alimentação vegetariana somente ainda não é coisa para este mundo."
Ora, esta é a informação doutrinária, logo não há o que se dizer em contradita se somos espíritas.
Porém o livre arbítrio nos indica que podemos nos alimentar como quisermos, mesmo que isso possa nos trazer complicações ao cabo de alguns anos.
Ainda num programa de TV ao domingo próximo passado via-se um cara a se alimentar de vidro, lâmpadas etc. noutros de tempos mais passados, se alimentavam de urina etc.
Quer dizer, cada um dá a si aquilo que acha melhor.
Eu porém digo sempre e continuo a dizer, o que se deve ter em mente é a harmonia nos hábitos alimentares.
Quer dizer, coma do que quiser ou achar bom para você, mas sem excessos.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 04 de Janeiro de 2012, 15:38
Um dado interessante apenas para reflexão quanto aos aspectos ambientais que envolvem a criação de animais para abate( já que os aspectos éticos já foram exaustivamente discutidos).
-O custo para o planeta da produção de carne é altíssimo.
-Na mesma área que se cria gado, caso fosse direcionada para plantação de insumos agrícolas a produtividade seria muito maior
-Os resíduos da criação de animais contaminam nossos recursos hídricos.
- Os humanos consomem uma enorme quantidade de carne; é necessário espaço para criar estes animais para que sejam depois tranformados em comida.
Quantos planetas Terra temos???
Aonde vamos continuar conseguindo terra para criação de animais para abate? Na lua?
- Uma enorme parte da plantação de alimentos tem sido direcionada para virar ração.

- Estamos deixando de alimentar gente para alimentar gado.
- A maior parte da soja plantada não é direcionada para alimentação humana mas sim para ração de animais.

Para maiores informações, favor ler o pequeno estudo sobre oas impactos ambientais e observar os dados apresentados
Como já foi dito aqui, não deixem que pensem por vocês.
 Leiam o material, pesquisem, confrontem os dados com outras informações e cheguem às suas próprias conclusões.
Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diego Pedroso em 04 de Janeiro de 2012, 17:25
Meu amigo Mourarego acho que no meu ponto de vista voc~e matou a charada com a seguinte frase: "Eu porém digo sempre e continuo a dizer, o que se deve ter em mente é a harmonia nos hábitos alimentares.
Quer dizer, coma do que quiser ou achar bom para você, mas sem excessos."
O uso excessivo das coisas que geram os problemas, por isso nos policiarmos é o melhor o que fazer e acredito que a Terra esta no inicio de uma renovação alimentar por isso já alguns anos vemos o aumento de enfermidades relacionadas aos animais impedindo assim o consumo exagerado já que o o patamar evolutivo em que estamos não pedem mais um consumo exessivo de carnes acredito que estamos passando por uma trascisão dificil nos rumos alimentares terrestres.
Chegeui a estas conlusões breves meus amigos depois de ler o livro "Todos os animais são nossos irmãos-Marcel Benedeti"
Abraços


Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 04 de Janeiro de 2012, 21:56

Os Espíritos Superiores tanto em OLE quanto na RE onde são mais diretos ainda disseram "A alimentação vegetariana somente ainda não é coisa para este mundo."

Anton , Ace Cz e demais vegetarianos que fazem parte do grupo, afinal de que mundo fazemos parte?
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 05 de Janeiro de 2012, 11:54
Segundo a obra básica, vegetarianos ou não fazemos parte de um mundo de provas e expiações.
logo, e em sendo Espíritos imperfeitos, ainda não estamos dotados de aparelhamento próprio apenas ao uso da alimentação vegetariana.
Estudem a RE, confrontem oque lá diz com o que diz OLE todas as duas são obras básicas.
Mas agora falando apenas em animais e estudos sobre o buraco na camada de ozônio, outro fator de real importância para a vida por aqui.
Há extenso estudo que pode ser encontrado sob uma pesquisa no Google, sobre o tema, aliás referendado por suas Universidades americanas.
Este estudo mostra que um dos maiores esburacadores da camada de ozônio é o pum... Isso mesmo o pum de certas raças, entre elas os porcos e os bois.
O Estudo diz, com base em medições, que este fator é tão ou mais importante quanto a fumaça dos ônibus, carros etc.
Deixemos então os animais proliferarem e a natureza nos agradecerá.
Aliás os Espíritos Superiores dizem a mesma coisa só que com outras palavras.
me perdoem mas ainda fico com as obras básicas, mormente quando estou a falar apenas de doutrina.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Excluam Minha Conta em 06 de Janeiro de 2012, 14:03
Olá pessoal!  ;)

Já havia respondido anteriormente com um texto maior, mas a moderação não postou o mesmo, de forma que volto a trazer, ao menos, a parte que considero mais importante para aqueles que estão a acompanhar este tópico a fim de esclarecer questões diversas e decidir se a opção vegetariana é ou não a mais  correta.

Tornei-me vegan recentemente (antes era ovo-lacto vegetariana), por conta da pressão que minha própria consciência me fez para tal. Senti-me preparada e larguei o hábito, que é um dos grandes inimigos (infelizmente ainda negado por alguns espíritas) da melhora íntima.

Aos amigos Susana, Anton e outros com os quais compartilho igual ou semelhante opinião, devo dizer que é muito prazeroso encontrá-los ativos por aqui. Passeando pelos fóruns espírita e vegano, raramente encontro pessoas que aprenderam a conciliar o amor próprio ao amor pelos companheiros humanos e pelos companheiros animais. Qual deles pode ser completo sem o outro, não é mesmo? Visto que já fundamentaram tão bem nossa causa a partir dos textos e vídeos espíritas, demonstrando para quem tem olhos de ver e ouvidos de ouvir que somos apenas os pioneiros em uma das grandes mudanças que estão para ocorrer no planeta Terra, não irei repetir nem contribuir nesse sentido.

No entanto, vi poucos argumentos relacionados aos fatos bem conhecidos não necessariamente pelos espíritas, mas pela comunidade vegetariana/vegan e todos aqueles que fazem uma pesquisa digna a respeito do assunto. Vi argumentos como "dentição" e "área destinada ao cultivo de vegetais" serem postos aqui, denotando desconhecimento/ignorância dos fatos reais. A maior porcentagem da produção vegetal *no planeta* não tem como destino o consumo humano, mas sim o bovino e outros animais, que mais tarde estarão no prato de apenas uma pequenina parte da população mundial. A dentição humana é herbívora, não carnívora. Basta pegar uma foto de cada um e comparar. Google imagens resolve isso em menos de 1 minuto.

Ainda para enriquecer esse tópico que está sendo tão proveitoso em informações, com alguns dados e fatos muito importantes, peço que os interessados assistam a este vídeo e deem maior atenção aos fatos ecológicos, fisiológicos/metabólicos humanos e até anatômicos humano e animal, que afetam negativamente nossa saúde. O palestrante em questão é um ativista chamado Gary Yourfsky, a palestra tem cerca de 1 hora e não é nada cansativa, chegando a ser engraçada em alguns momentos. O rapaz não é espírita e nem tem a mesma base espiritual que nós temos, mas gostaria que assistissem ao vídeo sem desmerecê-lo por conta disso ( existem espíritas que se acham melhores que os outros  :-\ ).

Palestra Gary Yourofsky Vegan Too Veganismo forte (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PU51VDZ5bTFxSkZjJmFtcDtmZWF0dXJlPWZ2c3Qjd3M=)

Feliz 2012 para todo mundo! Que a boa vontade neste início de ano possa estender-se pelos próximos 12 meses no coração e nas ações (principalmente) de todos nós.  :D

PS:. Para quem estiver ainda mais interessado, visite o Guia Vegano e nosso fórum.




Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 06 de Janeiro de 2012, 18:47
Olá pessoal!  ;)

Já havia respondido anteriormente com um texto maior, mas a moderação não postou o mesmo, de forma que volto a trazer, ao menos, a parte que considero mais importante para aqueles que estão a acompanhar este tópico a fim de esclarecer questões diversas e decidir se a opção vegetariana é ou não a mais  correta.

Tornei-me vegan recentemente (antes era ovo-lacto vegetariana), por conta da pressão que minha própria consciência me fez para tal. Senti-me preparada e larguei o hábito, que é um dos grandes inimigos (infelizmente ainda negado por alguns espíritas) da melhora íntima.

Aos amigos Susana, Anton e outros com os quais compartilho igual ou semelhante opinião, devo dizer que é muito prazeroso encontrá-los ativos por aqui. Passeando pelos fóruns espírita e vegano, raramente encontro pessoas que aprenderam a conciliar o amor próprio ao amor pelos companheiros humanos e pelos companheiros animais. Qual deles pode ser completo sem o outro, não é mesmo? Visto que já fundamentaram tão bem nossa causa a partir dos textos e vídeos espíritas, demonstrando para quem tem olhos de ver e ouvidos de ouvir que somos apenas os pioneiros em uma das grandes mudanças que estão para ocorrer no planeta Terra, não irei repetir nem contribuir nesse sentido.

No entanto, vi poucos argumentos relacionados aos fatos bem conhecidos não necessariamente pelos espíritas, mas pela comunidade vegetariana/vegan e todos aqueles que fazem uma pesquisa digna a respeito do assunto. Vi argumentos como "dentição" e "área destinada ao cultivo de vegetais" serem postos aqui, denotando desconhecimento/ignorância dos fatos reais. A maior porcentagem da produção vegetal *no planeta* não tem como destino o consumo humano, mas sim o bovino e outros animais, que mais tarde estarão no prato de apenas uma pequenina parte da população mundial. A dentição humana é herbívora, não carnívora. Basta pegar uma foto de cada um e comparar. Google imagens resolve isso em menos de 1 minuto.

Ainda para enriquecer esse tópico que está sendo tão proveitoso em informações, com alguns dados e fatos muito importantes, peço que os interessados assistam a este vídeo e deem maior atenção aos fatos ecológicos, fisiológicos/metabólicos humanos e até anatômicos humano e animal, que afetam negativamente nossa saúde. O palestrante em questão é um ativista chamado Gary Yourfsky, a palestra tem cerca de 1 hora e não é nada cansativa, chegando a ser engraçada em alguns momentos. O rapaz não é espírita e nem tem a mesma base espiritual que nós temos, mas gostaria que assistissem ao vídeo sem desmerecê-lo por conta disso ( existem espíritas que se acham melhores que os outros  :-\ ).

Palestra Gary Yourofsky Vegan Too Veganismo forte (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PU51VDZ5bTFxSkZjJmFtcDtmZWF0dXJlPWZ2c3Qjd3M=)

Feliz 2012 para todo mundo! Que a boa vontade neste início de ano possa estender-se pelos próximos 12 meses no coração e nas ações (principalmente) de todos nós.  :D

PS:. Para quem estiver ainda mais interessado, visite o Guia Vegano e nosso fórum.





Olá Carolina

Sabe amiga, eu ainda não disse se sou vegetariano ou se como carne.Ponto.

Sou espirita(ou peno que sou) e não me acho melhor que ninguém(penso eu).

Para finalizar, creio que ainda não vi os ditos carnívoros a serem ofensivos para com os vegetarianos, coisa que tenho visto ao contrário, argumentando que quem como carne não é amigo(a) dos animais, etc e tal, coisa que neste texto até tentou insinuar que pelo facto de se comer carne é um atrasado, e que quem é vegetariano, já está noutro nivel evolutivo.
Talvez eu até tenha compreendido mal o seu texto como outros atrás referidos, mas pelo simples facto de quem come carne ou não , no Espiritismo não dá evolução alguma, porque o que dá evolução é o respeito por tudo e por todos.
Abraços
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 06 de Janeiro de 2012, 18:53
vamos tentar resolver o assunto sobre o homem trazendo parte de uma pesquisa de bom porte que pode ser encontrada "in totum' em http://www.simbiotica.org/evolucaohomem.htm

"(...) Evolução dos Hominídeos:
Os primatas do género Australopithecus são os primeiros hominídeos que se conhecem. Viveram na África do sul e oriental, entre 4 a 2 M.a.

Apresentavam um volume craniano semelhante ao dos símios (500 cm3) mas já tinham alguns caracteres humanos:

dentição primitiva mas sem caninos salientes e com incisivos largos;

as mãos não eram usadas para andar como nos grandes símios actuais;

bacia larga e em forma de cesto, como num ser bípede.

Teriam, no máximo, 120 cm de altura e pesariam entre 27 a 32 Kg. A face era côncava (em forma de prato) e arcada supraciliar pronunciada.

Já tinham desenvolvido uma “industria do calhau”, oportunista pois as pedras eram usadas ao acaso. Actualmente pensa-se que talvez estes primatas pertençam a um ramo colateral da evolução humana.


Crânio de Homo erectus (reconstituição)
A designação Homo erectus designação inclui diversos fósseis, nomeadamente o Homem de Java, Homem de Pequim, Homem da Rodésia e outros vestígios europeus e africanos. Também já foi referido como Pitecanthropus.

Esta espécie terá vivido entre 2,5 M.A. e 130000 anos atrás. Apresentava uma capacidade craniana de 900 cm3, um acentuado prognatismo (saliência da zona inferior da face) mas sem queixo. A arcada supraciliar era muito saliente ainda.

A sua postura era nitidamente erecta, daí a sua designação, revelando um significativo aumento de estatura em relação aos seus ancestrais Australopithecus.

Foi o primeiro hominídeo a dominar o fogo, o que lhe permitiu reduzir a musculatura da mastigação na face pois a carne cozida é mais macia. O fogo permitiu, também, a expansão do seu território para zonas mais frias.

Já caçava animais de grande porte, o que denota organização e espirito de grupo. Desenvolveu a “indústria lítica”, com separação de lascas, depois usadas como pontas de seta e facas. Migrou da África, onde surgiu, para a Europa e para a Ásia.


Crânio de Homem de Neanderthal (reconstrução)
O chamado Homem de Neanderthal, Homo sapiens neanderthalensis, em homenagem à localidade alemã onde primeiro foi descoberto, viveu entre 50000 e 35000 anos atrás, durante o último período glaciar.

Os ossos do crânio são espessos, embora menos do que os do Homo erectus, com uma espantosa capacidade craniana de 1300 a 1750 cm3, superior à do Homem moderno. O crânio apresenta uma característica forma de sino, baixo e com pouca testa.

As arcadas supraciliares eram muito desenvolvidas, prognata, sem queixo e com dentes maiores que os do Homem actual. De constituição atarracada, viveram principalmente na Europa ocidental e médio oriente mas nunca em África.

Foram descobertas sepulturas com ornamentos, produziam utensílios de pedra mais elaborados e finos. Utilizavam, também, ossos, madeira e outros materiais para a construção de utensílios. Desapareceram instantaneamente, à escala geológica, há cerca de 35000 anos.

As suas características tão especializadas parecem mostrar que não é um antepassado do Homem moderno, antes uma ramo colateral que se extinguiu.


Crânio de Homem de Cro-Magnom
O Homem moderno terá surgido numa região compreendida entre a Etiópia e o próximo oriente pois existem fósseis como o do Homem da Galileia, que parecem estar na origem do tipo humano que se expandiu pelo mundo.

O fóssil europeu mais conhecido é o Homem de Cro-Magnom, com cerca de 30000 anos.

São mais altos e menos possantes que os Homens de Neanderthal, sem arcadas supraciliares salientes, testa direita e ossos do crânio leves. O queixo é bem desenvolvido e a face é ortognata (plana).

São os inventores do supérfluos, como a arte e as diversões. Instalaram-se em aldeias e tornaram-se agricultores, após a última glaciação.

As diferenciações geográficas características das chamadas raças, terão surgido há cerca de 30000 anos(...)"
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Excluam Minha Conta em 06 de Janeiro de 2012, 19:15
Hcancela,

Sim... o colega entendeu mal mesmo.

Serei mais clara: não estou preocupada necessariamente em converter os senhores que se posicionam contra minha opinião, mas sim com aqueles que possam estar acompanhando este tópico a fim de decidirem se devem/podem ou não tornarem-se vegetarianos. Há muitas pessoas que querem mas têm dúvidas. Meu desejo é contribuir para que a opinião desses seja formada, preferivelmente a favor do vegetarianismo, claro. Os senhores não me parecem abertos à compreensão da questão no momento, e portanto a única utilidade que vejo em seus argumentos é a de impulsionar o debate para a "platéia" que realmente me interessa.

Não sinto vontade de argumentar repetidamente, outros amigos já fizeram isso muito bem feito, oq eu podia acrescentar, acrescentei com o vídeo. Espero que outros amigos espíritas vegetarianos apareçam para trazer algo novo que eu não sou capaz de trazer.

Boa discussão para quem fica! Para aqueles que estiverem interessados em conhecer outros veganos e tirar suas dúvidas, principalmente quanto ao aspecto nutricional, sintam-se a vontade para participar do fórum do Guia Vegano, ler seus artigos e seguir suas dicas valiosas! Veganismo/Vegetarianismo + Saúde (espiritual inclusive), sim, é possível!

Iluminação para todos nós, até logo!
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 06 de Janeiro de 2012, 20:53
Boa tarde,
Já que estamos num Forum Espírita as respostas deveriam ser de acordo com o que traz a codificação.
Penso que não é bem o lugar apropriado para indicar essa ou aquela dieta, uma vez que, como já disse antes, depende do organismo de cada um,  essa ou aquela restrição alimentar.
Não somos nutricionistas e nem médicos para generalizar se é adequado ou não qualquer dieta.
Numa posição absolutamente neutra trago aqui um artigo que fala das vantagens e desvantagens de se adotar o vegetarianismo.
Não quero com isso inflamar qualquer discussão ou ficar levantando bandeiras nem para um lado e nem para o outro, mas como somos lidos por muita gente, acho prudente não utilizar esse espaço para fazer apologia a dietas alimentares.
É só uma opinião minha.

Segue o artigo:

Vantagens e Desvantagens da Dieta Vegetariana       

Saúde & Qualidade de Vida - Saúde & Nutrição
Vale a pena trocar o cardápio com carne por um vegetariano?

Existem pessoas que não gostam de carnes ou simplesmente não querem ingeri-las por algum motivo. Assim, a dieta vegetariana é adotada e, nestes casos, deve-se prestar muita atenção na quantidade de proteína e calorias ingeridas, pois a deficiência destes pode levar a uma desnutrição, anemia, entre outros.

Se a dieta vegetariana estiver balanceada e correspondendo às quantidades adequadas de proteínas e calorias, não há problema em trocar o cardápio de carne por um vegetariano.

A troca pode ser boa porque pessoas que optam por este tipo de dieta apresentam menor nível de colesterol no sangue, menor taxa de mortalidade por doença coronariana, menor índice de obesidade, menor incidência de alcoolismo, uma probabilidade menor para intestino preso, câncer de pulmão, diabetes e outros problemas. A dieta vegetariana bem planejada tende a oferecer um bom suprimento da maioria dos minerais e vitaminas, além de quantidades balanceadas de carboidratos, proteínas e lipídeos.

A troca pode ser ruim se a dieta for mal planejada e/ou muito restrita, podendo contribuir para o surgimento de deficiências nutricionais. O maior problema está em atingir a necessidade de proteína sem a inclusão de carnes. Para tal é necessário uma combinação de inúmeras fontes.

Se você resolver adotar a dieta vegetariana só por uns tempos para desintoxicar o organismo deve tomar cuidado com o aporte de proteínas, se está sendo adequado ou não. Deve-se dar preferência a outros alimentos que contém proteína de alto valor biológico como o leite, ovos e derivados para não haver deficiências nutricionais, mesmo que por um curto período.

Se você resolver adotar a dieta vegetariana de uma vez por todas deve tomar o cuidado de optar por uma dieta que permita alimentos como ovos, leite e derivados, pois os alimentos de origem animal possuem proteína de alto valor biológico, essencial para o organismo. Alimentos à base de soja são freqüentemente utilizados para substituir essas fontes. Deve-se estar atento para que as quantidades estejam suprindo as necessidades do organismo para não haver deficiências.

Se quiser adotar a dieta vegetariana e ao mesmo tempo emagrecer deve evitar alimentos fritos, massas ou alimentos em geral com molhos gordurosos, doces gordurosos como bolos, tortas, cremes, chocolates, deve-se prestar atenção também para não exagerar na quantidade de carboidratos ingerida como pães, risotos, pizzas, massas em geral.

Quais os alimentos que não podem faltar numa dieta ovo-lacto-vegetariana?
Todos exceto a carne. No caso de uma dieta vegetariana, os grãos tomam um papel mais importante, devendo aparecer com maior freqüência.

Quem pratica exercício duas ou três vezes por semana pode adotar a dieta vegetariana sem prejuízos? Quais os cuidados que a pessoa deve adotar?

Sim, desde que planeje refeições que forneçam calorias adequadas para suprir suas necessidades energéticas e faça no mínimo seis refeições por dia. É importante também que as quantidades sejam moderadas. Para praticantes de atividade física é importante ter uma refeição equilibrada. Os carboidratos (pães, cereais, arroz, macarrão, batata, etc.) são utilizados preferencialmente como fonte de energia, além da proteína (agora de grãos integrais, soja, ovo, leite e derivados) tendo sua participação mais discreta, porém importante. Para a recuperação a alimentação pós atividade deve conter pelo menos uma fonte de cada destes nutrientes. As vitaminas e minerais (frutas, hortaliças e alimentos integrais) também são importantes por participarem de todas as reações orgânicas, além de atuarem como antioxidantes.

E os atletas, podem ser vegetarianos sem prejuízo?
Sim, porém o atleta vegetariano perde peso com facilidade. Para manter o equilíbrio energético, é necessário um bom planejamento alimentar e fazer seis ou mais refeições por dia em quantidades moderadas. Se a alimentação não inclui leite e derivados ou ovos, é importante formar diferentes combinações de alimentos, incluindo maior quantidade de grãos integrais, principalmente a soja.
 
Fonte:
http://www.vegetarianismo.com.br/sitio/index.php?option=com_content&task=view&id=1675&Itemid=48

Continua..
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 06 de Janeiro de 2012, 20:53
Amiga Carolina,
acredito que a amiga não compreendeu ainda que o que nos motiva neste fórum não é, senão, o estudo da doutrina espírita e não se tornar, continuar ou mesmo propagandear, sobre veganismo, vegetarianismo, canibalismo etc e tal.
Portanto amiga, se a intenção é a de convencer alguém a ser ou não ser vegan, por favor não o faça.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 06 de Janeiro de 2012, 21:05
Mais um artigo

http://nutricionista.com.pt/artigos/alimentacao-vegetariana-e-macrobiotica.jhtml

Neste site a nutricionista se dispõe a esclarecimentos.

Um abç
Hebe
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 06 de Janeiro de 2012, 21:31
Hcancela,

Sim... o colega entendeu mal mesmo.

Serei mais clara: não estou preocupada necessariamente em converter os senhores que se posicionam contra minha opinião, mas sim com aqueles que possam estar acompanhando este tópico a fim de decidirem se devem/podem ou não tornarem-se vegetarianos. Há muitas pessoas que querem mas têm dúvidas. Meu desejo é contribuir para que a opinião desses seja formada, preferivelmente a favor do vegetarianismo, claro. Os senhores não me parecem abertos à compreensão da questão no momento, e portanto a única utilidade que vejo em seus argumentos é a de impulsionar o debate para a "platéia" que realmente me interessa.



Nem vou falar de mais, mas só por este texto, nós os Senhores é que não estamos abertos á compreensão!...
Sem comentários  Carolina.
Abraços e belo fim de semana.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Excluam Minha Conta em 06 de Janeiro de 2012, 23:07
Acho que como moderadores, os encarregados de permitir esta ou aquela mensagem de tornar-se visível para o público são vocês mesmos, não?

Deixo por sua conta, portanto, decidir oq deve ser postado ou não.

Para quem estiver atrás de conhecimento, continuo deixando a indicação do Fórum do Guia Vegano. Conhecimento nunca é demais. Mas só para quem estiver interessado mesmo.

Até mais, amigos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 07 de Janeiro de 2012, 01:57
Carol, não vi nada demais nas suas postagens.
Vamos lá. O foco da discussão é como o espiritismo vê o vegetarianismo.
Apesar de opiniões contrárias eu entendo, assim como outros membros, que a questão do LE que aborda a alimentação carnívora foi resolvida pela própria ciência que comprovou que existem" várias carnes" que não se nutrem da carne no nosso planeta e não perecem.
Adotando o próprio método do codificador, quando houvesse contradição entre algum postulado e a ciência que se ficasse com a ciência, foi justamente o  que fiz.
Portanto, fazendo uma análise da resposta da questão sobre alimentação informada no LE à luz da ciência e a procedendo à mera observação prática da existência de vegetarianos saudáveis e não perecidos, acredito que não há mais o que dizer.
O espiritismo trabalha com conceitos como amor e a compaixão. A principal base do movimento vegetariano é justamente essa: a compaixão e o respeito pelos animais como seres livres da criação.
Desta forma, não vejo nenhum problema em dividir informações que auxiliem na tomada de consciência.
Já foi falado de enzima, de triglícerídeos e nunca houve nenhuma  observação sobre a mudança de foco.
Aqui já foi postado até pirâmide alimentar, então acho que não podemos usar de 2 pesos duas medidas.
Se outras pessoas apresentaram textos com conteúdos nutricionais e não houve nenhuma manifestação por parte de nenhum moderador , não vejo nenhum inconveniente em que Carolina faça o mesmo.
Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 07 de Janeiro de 2012, 03:31
Suzana,
Uma coisa é apresentar uma piramide alimentar como adotando pessoalmente esta, outra é querer transformar o Forum Espírita destinado ao estudo da Codificação em conselhos nutricionais. Como disse antes isso é serio , depende de cada organismo, nem todos podem comer carne , assim como alguns não podem se abster dela sem consulta e acompanhamento médico. Não tem nada demais trazer a sua opinião, eu a minha outro a dele, mas que saibam que o aqui exposto não é de forma alguma conselho médico para se mudar de hábito. Tem os sites dos veganos que já foram mostrados. Assim como artigos contra o veganismo e ponto.
Vejo que a insistencia no assunto de forma querer convencer o conscientizar pessoas disso ou daquilo não é o objetivo do Forum. Já disse debatam idéias, e já foram exaustivamente debatidas aqui, tanto no campo moral, quanto nutricional ( erro) , espiritual e etc.

Um abç
Hebe
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 07 de Janeiro de 2012, 05:41
Eu sei Hebe.
O problema é que não não vi no comentário da Carolina nenhuma inisistência quanto à questão vegetariana.
Ela dividiu sua experiência pessoal e disponibilizou informações para quem deseja conhecer mais sobre o assunto. Acho muito válido pois existem pessoas que já estão há tempos pensando em se tornarem vegetarianas mas que ainda se sentem inseguras.
O que Carolina fez foi compartilhar com estas pessoas, sensíveis e simpáticas ao vegetarianismo material para leitura, atitude aliás muito digna.
Quando eu comecei a falar sobre o assunto me mantive no foco. Apresentei a minha visão do espiritismo sobre vegetarianismo. Pode até não ser uma visão unânime mas está embasada em um estudo da doutrina dentro do contexto atual.
Quando começaram a vir questionamentos de membros sobre os aspectos nutricionais então aproveitei para dar alguns esclarecimentos.
Não entendo uma coisa..porque toda vez que um vegetariano tenta explicar do que se trata o vegetarianismo e apresenta argumentos favoráveis á sua adoção logo dizem que estão querendo impor um regime alimentar?
Existe uma enorme diferença entre expor argumentos e impor pontos de vista.
Li os comentários da Carolina e não percebi em momento nenhum ela obrigando ninguém a nada apenas vi a irmã partilhar conhecimento.
Achei um pouco exagerada esta reação aos comentários da Carolina.
Vi em alguns comentários uma hostilidade desnecessária.
O que ela disse, de certa, forma, já foi  dito aqui por outros membros e não vi nenhuma retaliação quanto aos mesmos.

Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 07 de Janeiro de 2012, 10:39
Bem Susana,
O que a Carolina trouxe em termos de idéia e os artigos e videos, foram publicados sem problema algum.
O que pensam sobre o que ela disse também.
Vamos ao resumo:

Em termos nutricionais, já foi dito tanto faz a dieta vegetariana ou não.
Tem nutricionistas que condenam o excesso para ambos os lados.
Necessário é sempre um acompanhamento por quem sabe orientar.

Em termos de elevação Espiritual, na DE a resposta é o abuso ou excesso da alimentação carnívora e destruição dos animais é condenável, dentro do equilíbrio natural não constitui erro. Não precisamos repetir as questões, pois todos que são espíritas já devem ou deveriam ter lido a codificação, portanto a sua opinião não é embasada na DE e sim em opiniões de comunicações de Espírito que você pessoalmente abraça com todo direito de fazê-lo.

Em termos morais, existe sim abuso por parte do homem na pecuária,suinocultura, granjas e etc em nome da produção visando o lucro material como: forma de abate, injeção de hormonios, inseminações artificiais, higiene local etc etc .
Há legislação disponível para essa verificação porém não é exercida como deve. Essa fiscalização deve ser cobrada com certeza.

Quanto ao maltrato dos animais, já falei no parágrafo anterior e não só nos alimentos, como também visando lucro e fabricação artefatos, diversões ( rodeios, touradas, trafico de animais silvestres etc). Deve ser combatido, sim. O orgão competentes devem atuar.

Em termos de equilíbrio na Natureza, não se deve destruir o meio ambiente com agrotóxicos, impermiabilização do solo, avanço em florestas que regulam oxigenio etc etc. contaminando alimentos e tirando os animais de seu habitat natural.

E, por fim a advertencia que e DE traz, importante para todos independente do que adotam como alimento. 

OLE:
"Quando a destruição dos animais é evitada, por excesso de escrúpulo ou por imposição religiosa, o facto em si louvável, passa a ser apenas manifestação supersticiosa, pois o homem excede-se de outra maneira. Só é válida quando aceite interiormente, sem riscos para seu bem-estar ou sobrevivência, e sem revolta."

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/outros-estudos/o-uso-da-alimentacao-carnivora/165/#ixzz1ildZQikJ

E mais uma coisa:

9 - Se encontrar algo que considera errado ou ofensivo, ou se for importunado, por favor informe a equipa do Fórum Espírita, para podermos agir de acordo com a situação. Pode contactar a equipa do Fórum na secção contactos: www.forumespirita.net/contactos (http://www.forumespirita.net/contactos).


 
Usem essa ferramenta, serve para moderadores e foristas.

Muito obrigada a todos pelos esclarecimentos trazidos ao tópico.

Um abç
Hebe

 



   






Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 07 de Janeiro de 2012, 11:16
Olá  amigos(as)

Não vale a pena tentar induzir que a moderação é isto e aquilo,etc e tal.
Se lerem as regras lá em cima há muita coisa que seria apagada mas que nós no geral(moderação) deixamos andar um pouco, para ver o que dá alguns debates, e que muitos por mim acabariam bem rapidinho, porque dão voltas e voltas sempre com as mesmas coisa criando por vezes algum frisão entre foristas, sem necessidade e neste tema estive a dar uma olhadela mais um pouco atento desde o seu inicio e cheguei a esta conclusão.Convido a todos  a lerem.

Os textos de uma forma geral no forum,até são aprovados em demasia e neste tópico nomeadamente até deixamos ir um pouco na onda, porque falando por mim achei interessante vários pontos de vista a favor ou contra da comida da carne,e até vos digo que há aqui textos que não deveriam ser aprovados ou então logo apagados, porque dar opinião é uma coisa, mas insinuar e neste tópico tem sido um exagero é outra.
Falo com alguma insistência, que discutir ideias é uma coisa e pessoas é outra, e não vale apenas estar com a dizer que não era com esta ou aquela intenção, por o que se vê é uma evidência.

Se utilizarmos termos do tipo; ser vegetariano é ter Amor próprio por ele ou animais;ser carnívoro não gosta de animais etc e tal, derramar o sangue dos animais ou infligir lhes sofrimento para alimentar-se de suas "carnes mortas" ,constitui barbárie indigna de uma pessoa sensível. Há muito mais neste tópico.

O que acham disto? Para mim é ofensivo sim, ainda mais de quem defende com unhas e dentes o Amor ao próximo, mais animais,etc. A vontade das pessoas não é o mais importante? Quem gosta de se alimentar de tudo não tem o direito de o fazer? Desde quando é que o que se come dá mais evolução a alguém ou Amor.

Leiam os vários textos e a ideia que se quer passar é que não coma carne, porque se o fizer não tem Amor nem por si, nem pelos outros ou pelos animais.
Não me vou alongar mais, mas se lerem os vários textos meus neste tema, eu tento sempre alertar para isto e de várias formas, porque vejo uma forma de agressão para as pessoas que comem carne. Neste aspecto podem ler o que a Hebe escreveu atrás,e eu me farto de alertar sobre o mesmo. Já o disse e volto a referir!...Não é o que comemos mas a forma como o fazemos, e neste aspecto concordo plenamente; A industria da carne deixa muito a desejar sim.

Esclarecer é uma coisa, apoiar uns e criticar outros é uma forma inteligente de dizer que quem não está comigo é um assassino e os outros não, especialmente neste tema já se utilizou isto(ou o quiseram fazer) e a moderação não apagou não, a não ser o exagero e não foi só a foristas não ,também ouve textos apagados a alguns moderadores, pelo excesso de frontalidade em suas escritas(digamos agressivas).

Volto a frisar, que o que nos faz mal, é o que dizemos pela boca e não pelo que metemos, e neste tópico é bem mais que evidente , não querendo como também já estou farto de dizer, que apoio qualquer tipo de maldade a pessoas , animais ou bens, aliás a minha cadelinha aqui em casa e não só é uma querida(ás vezes chata)kkkk.

Nada me move contra qualquer  pessoa que aqui venha com suas ideias, mas este texto é apenas um alerta  no geral no cuidado que devemos ter ao dar nossa opinião, sem ferir ou agredir qualquer pessoa mais sensível, não digo conivência para algo que vejamos errado, mas também em nome de uma suposta verdade frontal, dizer-mos o que nos apetece, sem saber se os outros podem ou não ficar magoados.

Acredito que já é tempo sim de deixarmos os nossos estômagos de ser uns autênticos matadouros(perdoem a expressão não quero ser ofensivo), mas cuidado com o que fazemos, porque ninguém pode mudar hábitos de comida de um dia para os outro, aliás como em tudo na vida porque como nos ensina a doutrina , a evolução não dá saltos, acima de tudo sejamos felizes seja qual for a sua comida e se puder mudar de hábitos porque de facto a sua consciência lhe diz isso e o seu corpo lhe agradece, porque caro amigo(a) o faz com sabedoria comendo o que lhe fará bem e não pela moda, criando graves problemas de saúde. Acima de tudo seja feliz e se aceite como é.

Abraços fraternos
 
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Excluam Minha Conta em 07 de Janeiro de 2012, 12:39
Amigos, voltemos à discussão que nos interessa: O uso da alimentação carnívora/dieta vegetariana à luz do espiritismo (ou como preferirem), da qual em nenhum momento pretendi sair, pois muitíssimo me interessa.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 07 de Janeiro de 2012, 14:32
Maninha Carolina (tens o nome da minha filha nº3).
O título do tópico não tem nenhuma convergência ao vegetarianismo, e diz isso bem claro: "O Uso da alimentação carnívora", logo não cabe se colocar O Uso da alimentação Carnívora /  qualquer dieta.

É que, maninha estudamos os ensinos codificador e não as bulas ou ideologias outras concernentes à alimentação de qualquer espécie.
Fiemos pois apenas dentro do escopo que o título trás e assim progrediremos no estudo da doutrina que é o nosso mote.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 07 de Janeiro de 2012, 19:12
Amigos, voltemos à discussão que nos interessa: O uso da alimentação carnívora/dieta vegetariana à luz do espiritismo (ou como preferirem), da qual em nenhum momento pretendi sair, pois muitíssimo me interessa.


Vamos a isso amiga. :)
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Janeiro de 2012, 11:16
Olá  amigos(as)

Não vale a pena tentar induzir que a moderação é isto e aquilo,etc e tal.
Se lerem as regras lá em cima há muita coisa que seria apagada mas que nós no geral(moderação) deixamos andar um pouco, para ver o que dá alguns debates, e que muitos por mim acabariam bem rapidinho, porque dão voltas e voltas sempre com as mesmas coisa criando por vezes algum frisão entre foristas, sem necessidade e neste tema estive a dar uma olhadela mais um pouco atento desde o seu inicio e cheguei a esta conclusão.Convido a todos  a lerem.

Os textos de uma forma geral no forum,até são aprovados em demasia e neste tópico nomeadamente até deixamos ir um pouco na onda, porque falando por mim achei interessante vários pontos de vista a favor ou contra da comida da carne,e até vos digo que há aqui textos que não deveriam ser aprovados ou então logo apagados, porque dar opinião é uma coisa, mas insinuar e neste tópico tem sido um exagero é outra.
Falo com alguma insistência, que discutir ideias é uma coisa e pessoas é outra, e não vale apenas estar com a dizer que não era com esta ou aquela intenção, por o que se vê é uma evidência.

Se utilizarmos termos do tipo; ser vegetariano é ter Amor próprio por ele ou animais;ser carnívoro não gosta de animais etc e tal, derramar o sangue dos animais ou infligir lhes sofrimento para alimentar-se de suas "carnes mortas" ,constitui barbárie indigna de uma pessoa sensível. Há muito mais neste tópico.

O que acham disto? Para mim é ofensivo sim, ainda mais de quem defende com unhas e dentes o Amor ao próximo, mais animais,etc. A vontade das pessoas não é o mais importante? Quem gosta de se alimentar de tudo não tem o direito de o fazer? Desde quando é que o que se come dá mais evolução a alguém ou Amor.

Leiam os vários textos e a ideia que se quer passar é que não coma carne, porque se o fizer não tem Amor nem por si, nem pelos outros ou pelos animais.
Não me vou alongar mais, mas se lerem os vários textos meus neste tema, eu tento sempre alertar para isto e de várias formas, porque vejo uma forma de agressão para as pessoas que comem carne. Neste aspecto podem ler o que a Hebe escreveu atrás,e eu me farto de alertar sobre o mesmo. Já o disse e volto a referir!...Não é o que comemos mas a forma como o fazemos, e neste aspecto concordo plenamente; A industria da carne deixa muito a desejar sim.

Esclarecer é uma coisa, apoiar uns e criticar outros é uma forma inteligente de dizer que quem não está comigo é um assassino e os outros não, especialmente neste tema já se utilizou isto(ou o quiseram fazer) e a moderação não apagou não, a não ser o exagero e não foi só a foristas não ,também ouve textos apagados a alguns moderadores, pelo excesso de frontalidade em suas escritas(digamos agressivas).

Volto a frisar, que o que nos faz mal, é o que dizemos pela boca e não pelo que metemos, e neste tópico é bem mais que evidente , não querendo como também já estou farto de dizer, que apoio qualquer tipo de maldade a pessoas , animais ou bens, aliás a minha cadelinha aqui em casa e não só é uma querida(ás vezes chata)kkkk.

Nada me move contra qualquer  pessoa que aqui venha com suas ideias, mas este texto é apenas um alerta  no geral no cuidado que devemos ter ao dar nossa opinião, sem ferir ou agredir qualquer pessoa mais sensível, não digo conivência para algo que vejamos errado, mas também em nome de uma suposta verdade frontal, dizer-mos o que nos apetece, sem saber se os outros podem ou não ficar magoados.

Acredito que já é tempo sim de deixarmos os nossos estômagos de ser uns autênticos matadouros(perdoem a expressão não quero ser ofensivo), mas cuidado com o que fazemos, porque ninguém pode mudar hábitos de comida de um dia para os outro, aliás como em tudo na vida porque como nos ensina a doutrina , a evolução não dá saltos, acima de tudo sejamos felizes seja qual for a sua comida e se puder mudar de hábitos porque de facto a sua consciência lhe diz isso e o seu corpo lhe agradece, porque caro amigo(a) o faz com sabedoria comendo o que lhe fará bem e não pela moda, criando graves problemas de saúde. Acima de tudo seja feliz e se aceite como é.

Abraços fraternos

Ótimas colocações. Parabéns
Hcancela,
Nunca achei que não vegetarianos são insensíveis e não amam os animais.
A grande verdade é que a maior parte dos onívoros não tem a mínima idéia do que acontece com eles para que sejam transformados em comida.
As pessoas do meu convívio que não são vegetarianas em sua maioria amam animais, alguma inclusive são ljgadas a algum tipo de Ong em defesa dos mesmos.
O que sempre tentei colocar nos meus comentários, mas não sei se consegui, é a mensagem que ao menos devemos começar a desenvolver uma consciência crítica sobre a manutenção nos dias atuais deste hábito.
Vamos ao meu caso, por exemplo, sou uma pessoa cheia de defeitos( se não fosse não estaria aqui na Terra).
Mas sempre fui muito sensível a qualquer tipo de sofrimento seja humano ou animal.
Comi  carne  a vida inteira e não me considerava uma pessoa cruel ou assassina. Hoje apenas vejo que talvez era uma pessoa acomodada. Acomodada no sentido de fazer algo de forma automática sem nunca ter parado para pensar no assunto.
Nunca me preocupei em saber por exemplo como era o processo de abate, como eram tratados os animais.
Simplesmente comia carne mas nunca busquei uma reflexão mais profunda sobre este hábito. Estava meio no piloto automático: é um hábito ancestral, fui criada assim, ponto.
Quando veio o despertar, e eu comecei a me apropriar com detalhes de situações que eu desconhecia então foi um grande choque. Tudo é uma questão de ter ou não consciência, quando eu ignorava aquilo não havia problemas mas a partir do momento que tive conhecimento não tinha mais como fingir que não vi o que vi e que não li o que li.  Então mudar era a única alternativa possível.
Tenho plena convicção que assim como eu, muitas pessoas ignoraram o custo para outros seres da alimentação carnívora.
Onívoros não são más pessoas, assassinos nem menos evoluídos, a maioria simplesmente nunca parou para pensar sobre o assunto. Comem carne por cultura, foram criados assim.
Quanto a questão de sermos onívoros vou expor minha opinião pessoa.
Acredito que comer carne foi fundamental para a sobrevivência do homem. Em épocas extremas, após grandes cataclismas ou em meios inóspitos, o fato de ser onívoro possibilitou ao homem uma grande vantagem pois não dependia de apenas um tipo de alimentação.
Ele não podia escolher, então comia o que aparecia.
Na minha opinião ser onívoro não significa que devemos comer carne mas sim que , em situações extremas onde a sobrevivência esteja em risco, podemos comer carne. O que acho é que ao longo da história o homem foi evoluindo, sua dentição foi mudando, ele foi se tornando cada vez menos parecidos com carnívoros e com seus antepassados primatas, saiu das cavernas, porém ainda mantém um  hábito que combina mais com o homem primitivo do que com o homem moderno. É como se tivéssemos saido da animalidade mas a animalidade ainda não saiu de nós.
A alimentação carnívora estava em sintonia com o homem primitivo mas não combina mais conosco.
A carne foi importante ao longo da caminhada humana? Foi, mas não é mais importante hoje.
Nós só comemos carne hoje porque ela é processada por meio industrial, pois a maior parte das pessoas não teria estrutura emocional hoje para caçar, matar, limpar um animal para se alimentar.
Pense comigo: hipoteticamente acabaram todos os abatedouros. Agora nós é que teremos que procurar o boi , o frango ou o porquinho para comer.
A maior parte das pessoas que conheço não conseguiria empreender esta tarefa. Mas oras, se somos onívoros qual é o problema então? Porque não conseguimos caçar e matar com a mesma naturalidade dos nossos antepassados?
Porque nós não somos mais primatas, porque nosso nível de consciência é outro.
Para mim esta é  a maior evidência de que já estamos prontos para outro tipo de relação com os animais.
Hoje temos uma sensibilidade mais apurada do que nossos antepassados e temos outras alternativas que eles não dispunham. O que proponho é que saiamos do comodismo e iniciemos uma reflexão sobre nossos hábitos.
Tem sido propagado um conceito de que a alimentação vegetariana apenas será possível em outro planeta e esquecemos que o outro planeta está sendo criado dentro de cada um de nós. Nós somos o novo planeta.
Não acho que ninguém deve virar vegetariano do dia da noite mas acho que podemos ir aos poucos iniciando uma mudança de consciência, a natureza não dá saltos é verdade mas há milênios que semente do vegetarianismo foi lançada, não é algo novo.
Nós temos receio de mudar situações que nos trazem segurança, conforto e prazer. Pensamos apenas no que vamos perder e não no que vamos ganhar.
Não se trata de um embate vegetarianos x onívoros. Não é uma questão de uma dieta ser melhor do que outra o foco da discussão não é alimentação. A alimentação é a ponta de um imenso iceberg.
Apesar do título, não estamos falando apenas sobre o ato de se alimentar ou comer mas sobre tudo que o envolve.
A questão do vegetarianismo não se resume apenas discussão sobre dieta alimentar, o buraco é muito mais embaixo.
Tudo se resume a forma como temos visto os animais ao longo da história, será que não é hora de buscarmos alternativas para nos libertar desta dependência animal que estabelecemos ao longo da nossa caminhada?
E afinal o que isso tudo tem a ver com espiritismo?
Foi justamente isso que tentei explicar no vídeo que fiz e postei aqui no fórum.
Abraços
Susana





Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Andrade Fonseca Sonia em 09 de Janeiro de 2012, 13:26
Entrei neste tópico,  pois tudo que se refere aos animais me envolve.
Eu fui criada comendo carne, mas vendo por acaso na TV, como abatem os animais para nos servirem de alimento, fiquei horrorizada.  Pensei: que selvageria.
Inclusíve, não sei se é verdade, ouvi dizer que o animal vai para o abatedouro sabendo que será sacrificado, e lágrimas rolam de seus olhos.  Depois disso, eu não conseguiria comer.  Conversando com uma pessoa que trabalhou num abatedouro, ele disse que eu nem imaginava as barbaridades que lá acontecem.
Substituí a proteína encontrada na carnre, com receitas feitas com soja.  Se a pessoa souber preparar, o que não é difícil nem trabalhoso, fica uma delícia, então, para que matar os animais para nos saciar, se há outros recursos?
Mas não condeno quem coma carne, cada um que responda por sí.
Para terminar, sito um caso que ocorreu na casa da minha filha num almoço com amigos.
Antes do almoço, serviram uns bolinhos que acabaram  rapidamente e minha filha perguntou a uma pessoa se havia gostado dos bolinhos, o que foi confirmado.
Gostei de ver a quantidade de bolinhos que comeu, principalmente para quem sempre afirma que jamais comerá, seja lá o que for, feito com soja.
Desse dia em diante, ele passou a comer tudo feito com soja.
Um abraço a todos.

Sonia

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Le em 09 de Janeiro de 2012, 13:32
Companheiros
Desejos de um bom ano 2012

Sobre o tema em debate já muito foi tratado ao longo dos anos mas parece que não terá ficado claro que os amigos que orientaram o Codificador na elaboração dos textos que foram publicados em tempo útil.

É humano.

Quanto à questão pròpriamente dita aos defensores do vegetarianismo eu gostaria de perguntar, para esclarecimento meu, o que entendem por "vegetarianismo"?

E qual o melhor regime alimentar para o ser humano?
  vegetalismo? ovolactovegetanismo? macrobiótico? outro que eu não conheça?

Uma coisa é verdade: o sitema do corpo humano não tem condições de sintetizar, a partir da alimentação, as proteínas completas a não ser a partir da carne, por isso a sua constituição é por naturesa omnívora.

No que respeita ao sofrimento dos animais, seres vivos, para alimentação, todos os vegetais são também seres vivos e como tal sofrem aquando do abate que sofrem para sirvam de alimento a outros seres. É aliás consequência da cadeia alimentar.

Conteste-se sim o abuso do abate qualquer que seja cometido pelo ser humano que até se diz, porque o pensa, ser o ser mais inteligente à superfície do globo terrestre mas que na realidade se tem demonstrado como o maior predador e destruidor da naturesa.

Abraço fraterno para todos.   
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 09 de Janeiro de 2012, 13:48
Sendo o foco deste fórum debater com base na doutrina reenvio as colocações de Çamennais, na revista Espírita:
"Lamennais, de modo responsável, deixou claro que a dieta vegetariana dependeria do aprimoramento espiritual da nossa Humanidade terrestre, o que ainda não ocorre. Daí adverte que “a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem   submeter-se impunemente a essas privações”.
"Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto" sem esquecer que isso deve ser feito “desde que seja razoável”, isto é, sem exageros.

Nota: Lamannais é um Espírito Superior;
A Revista Espírita é uma obra básica.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diegas em 09 de Janeiro de 2012, 14:05
'...Simplesmente comia carne mas nunca busquei uma reflexão mais profunda sobre este hábito. Estava meio no piloto automático: é um hábito ancestral, fui criada assim, ponto.
Quando veio o despertar, e eu comecei a me apropriar com detalhes de situações que eu desconhecia então foi um grande choque. Tudo é uma questão de ter ou não consciência, quando eu ignorava aquilo não havia problemas mas a partir do momento que tive conhecimento não tinha mais como fingir que não vi o que vi e que não li o que li.  Então mudar era a única alternativa possível.
Tenho plena convicção que assim como eu, muitas pessoas ignoraram o custo para outros seres da alimentação carnívora.
Onívoros não são más pessoas, assassinos nem menos evoluídos, a maioria simplesmente nunca parou para pensar sobre o assunto. Comem carne por cultura, foram criados assim...'

Olá

Felizmente, voce 'despertou' da letargia que culturalmente nos acomete.

Geralmente, costumamos seguir o que outros determinam, sem qualquer questionamento. Pouquissimos param e raciocinam. E isso ocorre em relação à Filosofia, Religião, Ciencia... Se pregam que é bom, então é bom, e fim de papo, nada mais há a fazer do seguir a linha determinada por essa meia duzia de 'cabeças-pensantes/doutrinadoras'

Realmente, é doloroso o que fazem com os animais - a irracionalidade da alimentação carnívora, mesmo por que nossos estomagos não foram elaborados para serem cemiterios de restos de animais.

Não podemos deixar de registrar que já ocorre uma tendencia dos nutricionistas assinalarem como dieta ideal à base de grãos, legumes e frutas. Com certeza, a alimentação vegetariana colabora na diminuição das toxinas do organismo. Que, juntamente com outros tipos de providencias - controles do sal e açucar - evita o risco de derrames e infartes.

E, por tabela, o perispirito agradece, livre do incomodo proveniente de um energismo deprimente, de baixissima qualidade - a Ciencia identificará que, ao mesmo tempo que um individuo consome proteinas tambem absorve um quantum de vitalidade do animal sacrificado, comprometendo a saúde fisica-perispiritual.



Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 09 de Janeiro de 2012, 16:37
 :( faz assim não mano Diegas, afirmando como o fizeste incides contra a doutrina e contra a regra deste fórum que rege quanto às qualificações indignificantes.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Excluam Minha Conta em 09 de Janeiro de 2012, 20:58
Citar

"Lamennais, de modo responsável, deixou claro que a dieta vegetariana dependeria do aprimoramento espiritual da nossa Humanidade terrestre, o que ainda não ocorre. Daí adverte que “a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem   submeter-se impunemente a essas privações”.
"Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto" sem esquecer que isso deve ser feito “desde que seja razoável”, isto é, sem exageros.


Nada tenho contra a prudência e sabedoria de nossos guias. São muito poucos ainda os preparados. Eu procuro apenas alertar aqueles "preparados" que encontram-se em latência, como por exemplo: meu namorado que tem sido ovo-lacto vegetariano por 7 anos. Eu sei que ele está preparado para o veganismo, mas estava acomodado, não queria enfrentar a inconveniência de precisar procurar alimentos alternativos (assim como eu antes... estava "preguiçosa"). Por isso, eu mostrei aquele vídeo pra ele, sabia que faltava só um empurrãozinho. Huahua... ontem mesmo ele me ligou dizendo que decidiu ser vegano também! Mas é isso... quem ainda não se sentiu preparado, merece todo o nosso respeito também, pq está dando o seu melhor e contribuindo em outras causas.

Vamos nós, a passos de formiga, rumo ao melhor que cada um pode dar. Uma das coisas que eu posso oferecer de melhor é não comer derivados de animais por compaixão a eles.

Como a Susana disse, e mais uma vez concordo plenamente, oq gostaríamos de levar aos irmãos é uma dica, um conselho, uma sugestão: vamos repensar nossa relação com os animais? Cada um reflete, tira suas conclusões e só muda quem sentir que pode/deve mudar.

Afinal, eu só mudei, a Susana só mudou, a Sônia só mudou depois que alguém propôs o assunto, né?

Vamos continuar a discussão em paz, longe de mim dizer que sou "mais evoluída" que alguém por aqui. Huahua...

 ;)




Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 10 de Janeiro de 2012, 12:32
Olá Sônia,
Respondendo a sua dúvida: sim , eles choram.
Não só os bovinos como também os carneiros.
Basta conversar com quem trabalha em matadouros ou mesmo na roça.
Recentemente saiu na mídia uma foto onde registraram um boi chorando antes de entrar na arena de um rodeio no MS.
Obrigada por partilhar com o grupo o seu relato.
Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 10 de Janeiro de 2012, 14:29
Amiga Carolina, a citação à Lamennais, não o trás como algum de nossos guias, mas sim como um Espírito da classe dos Espíritos Superiores ou seja os únicos que podem trazer a doutrina.
Volto a pedir que continuemos os debates dentro do escopo da doutrina, pois é a ela que convergem todos os comentários sobre o tema e não para esta ou aquela forma de dieta alimentar.
Abraços,
Moura


"Lamennais, de modo responsável, deixou claro que a dieta vegetariana dependeria do aprimoramento espiritual da nossa Humanidade terrestre, o que ainda não ocorre. Daí adverte que “a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem   submeter-se impunemente a essas privações”.
"Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto" sem esquecer que isso deve ser feito “desde que seja razoável”, isto é, sem exageros.

[/quote]

Nada tenho contra a prudência e sabedoria de nossos guias. São muito poucos ainda os preparados. Eu procuro apenas alertar aqueles "preparados" que encontram-se em latência, como por exemplo: meu namorado que tem sido ovo-lacto vegetariano por 7 anos. Eu sei que ele está preparado para o veganismo, mas estava acomodado, não queria enfrentar a inconveniência de precisar procurar alimentos alternativos (assim como eu antes... estava "preguiçosa"). Por isso, eu mostrei aquele vídeo pra ele, sabia que faltava só um empurrãozinho. Huahua... ontem mesmo ele me ligou dizendo que decidiu ser vegano também! Mas é isso... quem ainda não se sentiu preparado, merece todo o nosso respeito também, pq está dando o seu melhor e contribuindo em outras causas.

Vamos nós, a passos de formiga, rumo ao melhor que cada um pode dar. Uma das coisas que eu posso oferecer de melhor é não comer derivados de animais por compaixão a eles.

Como a Susana disse, e mais uma vez concordo plenamente, oq gostaríamos de levar aos irmãos é uma dica, um conselho, uma sugestão: vamos repensar nossa relação com os animais? Cada um reflete, tira suas conclusões e só muda quem sentir que pode/deve mudar.

Afinal, eu só mudei, a Susana só mudou, a Sônia só mudou depois que alguém propôs o assunto, né?

Vamos continuar a discussão em paz, longe de mim dizer que sou "mais evoluída" que alguém por aqui. Huahua...

 ;)





[/quote]
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 10 de Janeiro de 2012, 14:41
Quanto ao choro dos animais:
Consta que por eficácia da lei que abrange aos abates, todo animal a ser abatido, antes toma um choque de uma potencia "XX" na região lateral do crânio, este choque lhe faz ficar momentaneamente impossibilidade mesmo de sentir dor, mas trás, por alguma forma que já li mas não lembro, o efeito colateral de instigar as glândulas lacrimais sendo esta a causa do "Choro".
Em tempo, um crocodilo ou um jacaré, sempre que abre a boca também chora, e pelo mesmo motivo.
abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 10 de Janeiro de 2012, 18:24
O choro não é no no momento da morte, é antes.
O choro do bovino não tem nada a ver com as tais faladas" lágrimas de crocodilo".
Os bovinos tem consciência de que vão morrer e choram de pavor.
Quando o animal vai ser abatido ele presencia seus companheiros serem mortos. Começam a mugir desesperadamente , tentam correr , escapar, ficam muito nervosos e liberam adrenalina que depois se transforma em toxina absorvida por nós.
Eles pressentem que vão morrer e entram em desespero, daí o choro.
Tenho um familiar que trabalhou em fazenda muito tempo.
Estava acostumado a matar animais para consumo mas me confidenciou que se sentia muito mal, especialmente quanto aos carneiros então se recusava a matá-los.
Quando se buscava o bichinho para abatê-lo ele ficava muito agitado e antes de morrer chorava. Começavam a escorrer lágrimas dos olhos como que a implorar clemência.
 Ele presenciou diversas vezes esta cena. E muitas vezes, enquanto o animal estava consciente aguardando o momento da morte, ouviu da boca de quem realizava os abates dos carneiros: "Pará de chorar, morre que nem homem..."
Acho que não precisa dizer mais nada.
Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Excluam Minha Conta em 10 de Janeiro de 2012, 19:58
Muito comovente. Eu até hoje não consegui assistir a um só vídeo referente aos abatimentos. Só de ler as narrações meu coração já murcha... para ver, eu parei de comer carne só por escutar e ler sobre. Mas acho válido que aqueles que não tenham certeza de como esses abatimentos são feitos, ou ainda aqueles que consideram ser exagero, assistam.

Afinal, já que se come carne, é prudente que pelo menos se saiba por que meio ela chegou até o prato, do contrário, não se tem nem como opinar a respeito do assunto coerentemente.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 10 de Janeiro de 2012, 20:02
Susana, só tem consciência de algo aquele que se funda na razão e na inteligência, atributos dos quais os animais não são dotados, a não ser na parte que tange , em se tratando da espécie de inteligência que possuem, o que concerne à vida material e no mitigar das vontades básicas ou necessidades.
Quanto ao choro ele vem exatamente no segundo após ao choque.
Maninha, estamos falando em caráter apenas de doutrina, e se elegemos algumas outras assertivas é que já fomos a fonte e as colhemos nos meios próprios e que militam nesse mister, afinal eu não entendo nada de bois, vacas ou cabras, a não ser na forma em que os veja mais bonitos, e que vem a ser a de filé mignon, picanha, alcatra etc. :)
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 10 de Janeiro de 2012, 20:11
O problema está em que a maioria dos que decantam  as maldades contra os bois, nunca estiveram num abate ou se estiveram tiveram o azar de não estarem num abatedouro chefiado por gente arrazoada e de boa índole.
Como advogado já patrocinei muitas defesas de donos de empresas que trabalham com abates e tive de conhecer bem sobre o assunto.
Tenho alguns amigos na esta área e deles pude compreender melhor assim como assistir alguns abates dentro das regulamentações que a legislação confere.
Porém esta é apenas a parte material ou seja a parte que concerne ao ser humano, mas aqui queremos ver as elocubrações patrocinadas pela razão e dentro do escopo da doutrina e isso, até agora, poucas vezes foi apreciado.
preferem ficar nessa coisa pequena, que mas fala da hipocrisia do que da verdade dos fatos.
Se existem pessoas desonestas no meio, sim é claro, e mesmo já ui procurado por uma dezena delas, porém nunca lhes patrocinei a defesa mesmo num âmbito apenas da lei trabalhista, campo em que atuo muito.
Fiquemos pois no aspecto em que se fundamenta a existência deste fórum que é o de aprender através de debates, sobre a doutrina espírita.
abração,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 10 de Janeiro de 2012, 21:04
Moura,
Uma coisa é o animal não raciocinar como seres humanos outra coisa é ele não ter entendimento.
Aqui não é o que eu acho mas o que existe. Não se trata de teorias mas de observação de uma situação prática.
Todo mundo que trabalha em abatedouros sabe disso, não é nenhuma novidade.
Os bois antes de serem abatidos entram em um estado de intensa agitação e desespero.
Ninguém conta para eles que vão morrer mas eles simplesmente sabem.
Na minha ignorância desconheço qual mecanismo que atua neste processo.
Não sei se o boi sente o cheiro do sangue dos seus companheiros , ou mesmo a vibração negativa do ambiente..
Realmente não sei dizer ,mas que ele sabe ,sabe, apenas ainda não se descobriu como.
Gostemos ou não é isso que ocorre.
Minha família criou gado por décadas e o que estou escrevendo aqui é baseado no que vi.
Os bovinos entram em intenso sofrimento psicológico antes de serem abatidos.
Quando há dúvida sobre uma situação a melhor forma de dirimí-la é procurando conhecer a prática.
Quem quiser analisar o comportamento dos animais e verificar por si só  o estado de agonia e de stress dos bovinos muito antes de serem abatidos basta procurar na internet que existem diversos vídeos nesse sentido.
 Uma imagem vale mais do que mil palavras.
Não estou falando do momento do abate, nem de frigoríficos mais ou menos éticos.
Estou falando de uma situação que pode ser verificada no mundo inteiro.
Seja num abatedouro na Índia ou nos EUA, sejam em lugares clandestinos ou grandes empresas, o animal se comporta da mesma forma.
Eles pressentem sim que vão morrer.
Se tiverem um dia oportunidade de conversar com alguém que trabalhe em matadouros, perguntem o que realmente se passa.
Assistam os vídeos e observem o comportamento dos bovinos antes do abate e cheguem às suas conclusões.
De qualquer forma, estas explicações foram apenas uma resposta a uma dúvida da querida Sônia, apenas isso.
Acho desnecessário ficar discutindo algo que qualquer pessoa pode constatar.
Acredite quem quiser, no final isso não altera em nada a realidade dos fatos.

Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diegas em 11 de Janeiro de 2012, 09:14
'...Não se trata de teorias mas de observação de uma situação prática...'

Olá

Há profunda diferença com respeito à alimentação dos seres no mundo. A lagarta alimenta-se dos detritos do solo, mas depois que se transforma em borboleta nutre-se no cálice licoroso das flores. Tanto o urubu como o beija-flor são aves; no entanto, o primeiro se satisfaz com a carniça, enquanto o segundo requer o néctar das flores.

A mesma carne que certos homens alegam ser de absoluta necessidade pode ser alimento repugnante e indigesto para outra criatura de natureza mais delicada. Aliás, há provas de que podemos viver e gozar de ótima saúde sem recorrermos à alimentação carnívora. Bastaria considerar a existência de animais corpulentos e robustos, de um vigor extraordinário e que, entretanto, são absolutamente vegetarianos, tais como o elefante, o boi, o camelo, o cavalo...

Quanto a desculpa do condicionamento biológico, pelo hábito de se comer carne, temos de compreender que o orgulho, a vaidade, a hipocrisia ou a crueldade, também são estigmas que se forjaram através dos séculos, mas que temos de eliminá-los definitivamente do nosso psiquismo.


Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Edil Curvelo em 11 de Janeiro de 2012, 11:15
Abandonei o uso da carne há 23 anos, mas na maior parte do tempo permaneci ingerindo queijo e ovos. Em dado momento resolvi tornar-me vegetariano estrito e assim me mantive por 3 anos, até que comecei a desenvolver sérios problemas gástricos e por fim uma labirintite aos 34 anos. Voltei a incluir leite, queijos e ovos na alimentação faz 3 anos. Os problemas gástricos desapareceram rapidamente, mas a labirintite que não tem cura, permanece, embora agora esteja sob controle.


Primeiro, o ser humano é incapaz de, como os animais vegetarianos, produzir em seus intestinos, vitamina B12 em quantidade suficiente. Os animais por estarem em contato direto com a natureza, ingerem muitos microrganismos.
Segundo, os estudos da dieta de tipo sanguíneo mostram que pessoas com sangue tipo O e B podem desenvolver alguns distúrbios por falta de proteína animal, inclusive gástricos como foi meu caso.
Uma coisa é querer, outra coisa é poder... No entanto nunca vi nenhum evidência de que alguém realmente precise ingerir carne, mas quem sabe, pode até haver. Em geral o consumo dos derivados ou até peixes é suficiente para suprir as necessidades. A grande maioria dos poucos veganos existentes, têm recorrer à suplementação artificial de B12 entre outras substâncias.
Deixei de comer carne apenas por uma questão de consciência que engloba saúde e direito à vida dos animais. No passado alguns cientistas interessados no assunto, mostraram que nosso sistema digestivo, principalmente os intestinos, são semelhantes aos de animais frugívoros. Os intestinos dos carnívoros são curtos para evitar que a carne passe tempo demais em seu interior produzindo calor e toxinas prejudicais.
Em um trecho de uma obra de André Luiz, um de seus instrutores, aconselha apenas o uso de derivados ao mesmo tempo que mostra aí uma possibilidade de convívio fraternos com os animais ao criá-los e ajudá-los a evoluir.
Realmente, a ideia de matar para comer, não fica bem para um homem que já atingiu um certo nível de desenvolvimento moral.


Um abraço,
Edil
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 11 de Janeiro de 2012, 16:08
pequena pesquisa sobre a vitamina B12

Essa vitamina é um assunto polêmico na dieta  dos vegetarianos. Estúdios aceita que a vitamina B12 foi abundante em vegetais, mas hoje praticamente se encontra apenas nos produtos de origem animal, porque estes possuem um sistema digestivo que lhes permite aproveitar os nutrientes contidos em alimentos fibrosos grosseiros durante o processo da ruminação. Isso ocorre graças à ação de micro – organismos que habitam no trato digestivo. Por isso que se afirma que a fonte natural de vitamina B12 na dieta humana se restringe a alimentos de origem animal. No corpo humano, a vitamina B12 ingerida dos alimentos de origem animal é liberada pela digestão de proteínas produzidas na saliva e no estomago. A deficiência dessa vitamina é assintomática, podendo ocorrer por longos períodos antes do aparecimento de qualquer sintoma físico. A reposição da vitamina B12 deve ser feita somente sob uma supervisão e orientação de um médico, porque não se pode deixar de investigar a causa da deficiência. Em geral, vegetarianos estritos precisam fazer reposições, pois a vitamina B12, tem uma grande importância na prevenção e combate da anemia. Possui efeito restaurador nas lesões neurológicas provocadas pela anemia perniciosa. Atua no metabolismo das proteínas contribuindo com a absorção dos aminoácidos pelo organismo. Levedo de cerveja, cereais, integrais, leite, vegetais verdes, batatas, peixes, ovos e carnes, etc. são fontes de vitamina B12.

Fontes naturais de vitamina B12



O Nori possui quantidades significativas de B12, porém parte delas são análogas e atrapalham a absorção da verdadeira B12.
Algumas das principais fontes de vitamina B12 são:
Fígado (80% da necessidade diária)
Ostras (100g possuem 570% da necessidade diária)
Carne de vaca (100g de bife possuem 40% da necessidade diária)
Ovos e derivados (1 ovo possui 10% da necessidade diária)
Leite e derivados (1 copo possui 15% da necessidade diária)
Peixes (100g de Truta tem 40%, 100g de Salmão tem 50%, 100g de Atum tem 15%)
Cereais enriquecidos
Manteiga e Margarina fortificada
Abacate
Lêvedo (100g possuem 40% da necessidade diária)
Batata
Massas, salgados e pães

A biodisponibilidade de vitamina B12 em seres humanos saudáveis ​​para carne bovina, carne de peixe, carne de frango e ovinos é em média 42%, 56%-89% e 61%-66%, respectivamente.
Os não-vegetarianos não possuem dificuldades em obter a B12 já que os animais, uma de suas fontes de alimentação, obtêm essa vitamina através de bactérias produtoras de vitamina B12 em seu organismo.
Os humanos também possuem bactérias no intestino, mas sua localização é após da principal área de absorção, no íleo, por isso precisamos de fontes na alimentação. Essa vitamina precisa de pouca reposição pois necessitamos apenas de pequenas necessidades desta vitamina, seu armazenamento é relativamente adequado e uma circulação entero-hepática muito eficiente recupera grande parte da vitamina B12 excretada na bílis.

Veganos
A restrição a fontes vegetais de B12 por veganos relevam ser insuficientes para atender as necessidades diárias. Os estudos incluem pesquisas sobre as bactérias intestinais humanas, spirulina, capim seco, cevada, nori e outras algas. Vários estudos de matérias-primas alimentares vegetarianos têm mostrado que alimentos crus não oferece nenhuma proteção especial. É difícil distinguir a verdadeira B12 de análogos que podem atrapalhar o metabolismo de vitamina B12. Infere-se que a B12 análoga presente nos vegetais prejudica a absorção da verdadeira B12, tornando as fontes vegetais insatisfatórias. A Vegan Society recomenda aos veganos consumirem alimentos enriquecidos ou suplementos vitamínicos.
Abraços,
Moura

NOTA: Neste ponto, esclareço não mais tocar em dietas etc, mantendo-me apenas dentro do cenário da doutrina, que é o que nos interessa aprender.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diegas em 11 de Janeiro de 2012, 18:01
Olá

Causa estranheza a afirmativa de que os animais são fontes de vitamina B12, que faz bem ao ser humano consumi-la. Ora, o ser humano também não é um animal ? Por que, então, deveria suprir-se daquilo que já possui em si mesmo ?

A carne é deficiente de vitaminas (daí a necessidade de consumirmos), pois o animal (inclui-se o ser humano) não as assimila com tanta precisão como se desejaria. Elas são abundantes nos frutos, legumes, cereais e hortaliças, a verdadeira fonte natural de sua vivência.


Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carla Fabiane em 11 de Janeiro de 2012, 19:59
A questão sobre a alimentação tem sido bastante discutida no movimento espírita. Mensagens como a de Emmanuel (questão 129 da Ref. 1) e de André Luiz (Cap. 4 da Ref. 2) desaconselham o uso da alimentação carnívora. Entretanto, isso parece se contrapor com a orientação básica dos Espíritos superiores presentes nas questões 722, 723, 724 e 734 do Livro dos Espíritos3. Reproduziremos aqui a questão 723:

723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

“Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece. A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização”.

Pretendemos demonstrar aqui que a recomendação de Emmanuel e André Luiz de se evitar a alimentação carnívora possui bases doutrinárias, não estando, portanto, em desacordo com o Espiritismo. Para isso, recorremos à Revista Espírita de dezembro de 1863 onde Kardec reproduziu uma mensagem do Espírito Lamennais4 que esclarece de modo claro todos os ângulos dessa questão:

“Sobre a alimentação do Homem”

(Sociedade de Paris, 4 de Julho de 1863. Médium: Sr. A. Didier)


“O sacrifício da carne foi severamente condenado pelos grandes filósofos da antiguidade. O Espírito elevado revolta-se à idéia de sangue e, sobretudo, à idéia de que o sangue é agradável à Divindade. E notai bem, que aqui não se trata de sacrifícios humanos, mas unicamente de animais oferecidos em holocausto. Quando o Cristo veio anunciar a Boa-Nova, não ordenou sacrifícios de sangue: ocupou-se unicamente do Espírito. Os grandes sábios da antiguidade igualmente tinham horror a estas espécies de sacrifícios e eles próprios só se alimentavam de frutos e raízes. Na terra os encarnados têm uma missão a cumprir: têm o Espírito que deve ser nutrido pelo Espírito, o corpo com a matéria; mas a natureza da matéria influi - compreende-se facilmente - sobre a espessura do corpo e, em consequência, sobre as manifestações do Espírito. Os temperamentos naturalmente muito fortes para viver como os anacoretas5 fazem bem, porque o esquecimento da carne leva mais facilmente à meditação e à prece. Mas para viver assim, geralmente seria necessária de uma natureza mais espiritualizada que a vossa, o que é impossível com as condições terrestres. E como, antes de tudo, a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações. Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto, desde que seja razoável. É uma questão algo leviana para os nossos estudos, mas não menos útil e proveitosa”. (os grifos são nossos).


Essa mensagem explica que a dieta sem o uso da carne é melhor, pois isso “leva mais facilmente à meditação e à prece”. Isso aconteceria, pois, segundo Lamennais, a natureza da matéria influi nas manifestações do Espírito.

Atenciosamente,
Carla.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carla Fabiane em 11 de Janeiro de 2012, 20:04
Só acrescentando: Lamennais ainda disse que “Pode ser-se bom cristão e bom espírita e comer a seu gosto” sem esquecer que isso deve ser feito “desde que seja razoável”, isto é, sem exageros.

Portanto, a recomendação de Emmanuel e André Luiz é válida e está de acordo com o Espiritismo, mas não deve ser considerada uma exigência para a realização de um bom trabalho espírita ou uma boa reunião mediúnica. Lembremos, afinal, que Jesus em Mateus, Cap. 15 e vers. 11 disse que: “Não é o que entra pela boca que contamina o homem; mas o que sai da boca, isso é o que o contamina”. E, para aprimorar o que sai de “nossa boca” e de nossos atos, devemos nos esforçar pela reforma íntima e no estudo doutrinário.



Referências:

[1] Emmanuel, psicografia de F. C. Xavier, O Consolador, FEB, 20ª Edição (1999).

[2] André Luiz, psicografia de F. C Xavier, Missionários da Luz, FEB, 26ª Edição (1995).

[3] A. Kardec, O Livro dos Espíritos, Editora FEB, 76a Edição, (1995).
[4] Lamennais, Revista Espírita Dezembro, pp. 387- 388 (1863).

[5] Anacoreta é uma pessoa que se retira a um local isolado para dedicar-se a meditação e oração.

[6] D. P. Franco e J. R. Teixeira, Diretrizes de Segurança, Editora FRATER, 8ª Edição (2000).
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 11 de Janeiro de 2012, 20:21
Deve causar mesmo amigo Diegas, mas apenas para aqueles que não vão as fontes.
Eu não postaria algo que já não fosse do conhecimento científico da área.
Abraços,
Moura

Olá

Causa estranheza a afirmativa de que os animais são fontes de vitamina B12, que faz bem ao ser humano consumi-la. Ora, o ser humano também não é um animal ? Por que, então, deveria suprir-se daquilo que já possui em si mesmo ?

A carne é deficiente de vitaminas (daí a necessidade de consumirmos), pois o animal (inclui-se o ser humano) não as assimila com tanta precisão como se desejaria. Elas são abundantes nos frutos, legumes, cereais e hortaliças, a verdadeira fonte natural de sua vivência.


Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diegas em 11 de Janeiro de 2012, 22:16
A questão sobre a alimentação tem sido bastante discutida no movimento espírita. Mensagens como a de Emmanuel (questão 129 da Ref. 1) e de André Luiz (Cap. 4 da Ref. 2) desaconselham o uso da alimentação carnívora. Entretanto, isso parece se contrapor com a orientação básica dos Espíritos superiores presentes nas questões 722, 723, 724 e 734 do Livro dos Espíritos3...'

Olá

Allan Kardec viu-se compelido a adaptar os seus sensatos postulados ao espírito psicológico da época, evitando conflito não só com a mentalidade profana — ainda bastante acanhada devido à escravidão ao dogma religioso como também com as instituições responsáveis pela economia em que a indústria da carne representava uma de suas bases fundamentais.

Dado que o vegetarianismo era praticado por pequeno número de iniciados que se aproximavam das fontes espiritualistas do Oriente, seria prematuro e inconseqüente que o nobre codificador firmasse esse postulado no espiritismo recém-exposto ao público, e que bem poderia se tornar ridículo para os neófitos da doutrina.

Naquela época a simples recomendação da abstinência completa da carne, como princípio de uma doutrina codificada para a massa comum, acarretaria o fracasso incontestável dessa doutrina.

O espiritismo, em seu início, foi encarado mais como revelação de preceitos esotéricos do que mesmo como doutrina de ordem moral e disciplina evangélica, cujas virtudes ainda eram consideradas como exclusividade da religião dogmática dominante. No entanto, em sua base oculta-se a mensagem claríssima para “os que tiverem olhos de ver”, na qual Allan Kardec legou sugestiva e sibilina advertência que endereça particularmente aos seus adeptos, com relação ao vegetarianismo.

Examinando a obra de Kardec há apontamentos que distinguem, perfeitamente, o pensamento dele quanto à alimentação vegetariana. Diz o codificador, em nota pessoal, de esclarecimento à resposta da pergunta n° 182, do cap. IV, do O Livro dos Espíritos; Encarnação dos Diferentes Mundos:
Citar
À medida que o espírito se purifica, o corpo que o reveste se aproxima igualmente da natureza espírita. Toma-se-lhe menos densa a matéria; deixa de rastejar penosamente pela superfície do solo; menos grosseiras se lhes fazem as necessidades físicas, não mais sendo preciso que os serés vivos se destruam mutuamente para se nutrirem.

Está obviamente implícito nesta nota que, se a destruição entre os seres vivos, para se nutrirem, é sempre um estado de inferioridade e de necessidade grosseira, o fato de a criatura não se nutrir de seres vivos corresponde-lhe a um estado de superioridade espiritual.  
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diegas em 11 de Janeiro de 2012, 22:33
No capítulo IV, a pergunta n° 692:

Citar
Será contrário à lei da natureza o aperfeiçoamento das raças animais e vegetais, pela ciência? Seria mais conforme a essa lei deixar que as coisas seguissem o seu curso normal?

Tudo se deve fazer para chegar à perfeição, e o próprio homem é um instrumento de que Deus se serve para atingir seus fins. Sendo a perfeição a meta para que tende a natureza, favorecer essa perfeição é corresponder às vistas de Deus.


Evidentemente, se o homem tudo deve fazer para que até o próprio animal chegue à perfeição, a fim de corresponder ao que Deus preceitua, indiscutivelmente um ato contrário a tal preceito não atende aos desígnios do Criador e não favorece ao aperfeiçoamento do animal.


Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diegas em 11 de Janeiro de 2012, 22:59
Deve causar mesmo amigo Diegas, mas apenas para aqueles que não vão as fontes....'

Moura

Eu notei que a sua fonte foi a Wikipédia - a enciclopédia livre, neste endereço:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Vitamina_B12


Creio que jamais eu poderia tê-la como fonte de pesquisa cientifica, apesar de considerá-la básica naquilo que se propõe - a informação.


Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diegas em 11 de Janeiro de 2012, 23:20
'...Voltei a incluir leite, queijos e ovos na alimentação faz 3 anos. Os problemas gástricos desapareceram rapidamente, mas a labirintite que não tem cura, permanece, embora agora esteja sob controle....'

Olá

Não há motivo em repudiar o leite, ovos, manteiga, queijo ou quaisquer produtos derivados por que não dependem do sacrifício, morte ou dor do animal.



Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 12 de Janeiro de 2012, 00:08
Profissionais e doutores no assunto falam:


http://www.vegetarianismo.com.br/sitio/index.php?option=com_content&task=view&id=1675&Itemid=48

http://nutricionista.com.pt/artigos/alimentacao-vegetariana-e-macrobiotica.jhtml

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Excluam Minha Conta em 12 de Janeiro de 2012, 00:50
'...Voltei a incluir leite, queijos e ovos na alimentação faz 3 anos. Os problemas gástricos desapareceram rapidamente, mas a labirintite que não tem cura, permanece, embora agora esteja sob controle....'

Olá

Não há motivo em repudiar o leite, ovos, manteiga, queijo ou quaisquer produtos derivados por que não dependem do sacrifício, morte ou dor do animal.



Abç

Olá Diegas...

Como os moderadores têm insistido em que não fujamos do assunto, então apenas abrirei um parênteses rápido para lembrar que os animais que são criados com o objetivo de produzir leites e ovos são vítimas dos mais terríveis maus tratos... incluindo sobrepeso que não lhes permite andar (no caso das vacas que são entupidas de hormônios para continuar produzindo leite), infecções graves nas mamas, separam-lhes dos bezerros oq lhes provoca estado de depressão e sofrimento altíssimo. Para mais informações, caso tenha interesse em realmente saber as verdade (digo isso pq acho que todos devem, ao menos, ter consciência plena do que realmente acontece), galinhas são colocadas em maratonas dia pós noite, todos explorados como escravos  , tratados como objeto cuja única finalidade consiste em nos servir. No mesmo instante em que já não nos servem para tal fim, são abatidos (cerca de 10 anos antes do que uma vaca realmente viveria). Se houver interesse em saber a verdade, indico que assista o vídeo que eu postei aqui mesmo há alguns dias.

Espero que não se importe de eu ter lhe chamado a atenção nesse sentido, mas é que não podemos fechar os olhos e dizer que esses fatos (e outros ainda mais terríveis que não quero descrever aqui, basta por si só procurá-los) são só imaginação de pessoas que lutam por compaixão aos animais. As provas estão gravadas e basta qualquer um querer conhecê-las.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Edil Curvelo em 12 de Janeiro de 2012, 10:47
Como os moderadores têm insistido em que não fujamos do assunto, então apenas abrirei um parênteses rápido para lembrar que os animais que são criados com o objetivo de produzir leites e ovos são vítimas dos mais terríveis maus tratos... incluindo sobrepeso que não lhes permite andar (no caso das vacas que são entupidas de hormônios para continuar produzindo leite), infecções graves nas mamas, separam-lhes dos bezerros oq lhes provoca estado de depressão e sofrimento altíssimo. Para mais informações, caso tenha interesse em realmente saber as verdade (digo isso pq acho que todos devem, ao menos, ter consciência plena do que realmente acontece), galinhas são colocadas em maratonas dia pós noite, todos explorados como escravos  , tratados como objeto cuja única finalidade consiste em nos servir. No mesmo instante em que já não nos servem para tal fim, são abatidos (cerca de 10 anos antes do que uma vaca realmente viveria). Se houver interesse em saber a verdade, indico que assista o vídeo que eu postei aqui mesmo há alguns dias.

Espero que não se importe de eu ter lhe chamado a atenção nesse sentido, mas é que não podemos fechar os olhos e dizer que esses fatos (e outros ainda mais terríveis que não quero descrever aqui, basta por si só procurá-los) são só imaginação de pessoas que lutam por compaixão aos animais. As provas estão gravadas e basta qualquer um querer conhecê-las.


Olá amiga Carolina!


Tudo que disse é uma grande verdade que conheço desde minha adolescência. No entanto isso é um opção cruel desta humanidade ainda atrasada. A possibilidade de se criar os animais com o respeito que eles merecem para compartilhar de seus frutos, existe. No entanto o homem em geral só visa o lucro. Já para consumo da carne não existe forma respeitosa ou piedosa, qualquer afirmação contrária é hipocrisia.
Eu realmente gostaria de criar animais, mas infelizmente não posso. Tentei deixar os derivados e falhei. Hoje consumo apenas o mínimo possível e infelizmente, por enquanto, ainda sou um dos que incentiva essa situação vergonhosa.


Um abraço,
Edil
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Hebe M C em 12 de Janeiro de 2012, 11:48
'...Voltei a incluir leite, queijos e ovos na alimentação faz 3 anos. Os problemas gástricos desapareceram rapidamente, mas a labirintite que não tem cura, permanece, embora agora esteja sob controle....'

Olá

Não há motivo em repudiar o leite, ovos, manteiga, queijo ou quaisquer produtos derivados por que não dependem do sacrifício, morte ou dor do animal.



Abç

Olá Diegas...

Como os moderadores têm insistido em que não fujamos do assunto, então apenas abrirei um parênteses rápido para lembrar que os animais que são criados com o objetivo de produzir leites e ovos são vítimas dos mais terríveis maus tratos... incluindo sobrepeso que não lhes permite andar (no caso das vacas que são entupidas de hormônios para continuar produzindo leite), infecções graves nas mamas, separam-lhes dos bezerros oq lhes provoca estado de depressão e sofrimento altíssimo. Para mais informações, caso tenha interesse em realmente saber as verdade (digo isso pq acho que todos devem, ao menos, ter consciência plena do que realmente acontece), galinhas são colocadas em maratonas dia pós noite, todos explorados como escravos  , tratados como objeto cuja única finalidade consiste em nos servir. No mesmo instante em que já não nos servem para tal fim, são abatidos (cerca de 10 anos antes do que uma vaca realmente viveria). Se houver interesse em saber a verdade, indico que assista o vídeo que eu postei aqui mesmo há alguns dias.

Espero que não se importe de eu ter lhe chamado a atenção nesse sentido, mas é que não podemos fechar os olhos e dizer que esses fatos (e outros ainda mais terríveis que não quero descrever aqui, basta por si só procurá-los) são só imaginação de pessoas que lutam por compaixão aos animais. As provas estão gravadas e basta qualquer um querer conhecê-las.
Carolina, ninguém fechou os olhos para os maus tratos dos animais em nome do lucro, eu citei isso, presta atenção nos posts anteriores, eu trouxe artigos de nutricionistas para serem lidos porque a finalidade deste fórum não é a de convencer ninguém a se tornar vegano ou carnívoro etc e sim estudar o que a codificação diz.
Outra coisa, antes de ser "moderadores" somos foristas, espiritas, homens ou mulheres como você.
Não separe ou faça distinção das opiniões só por ser de "moderadores", comece a interagir diferente.
Um abç
Hebe
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diegas em 12 de Janeiro de 2012, 16:25
'...não podemos fechar os olhos e dizer que esses fatos (e outros ainda mais terríveis que não quero descrever aqui, basta por si só procurá-los) são só imaginação de pessoas que lutam por compaixão aos animais. As provas estão gravadas e basta qualquer um querer conhecê-las.

Olá

Carolina, grato por compartilhar...É assim que aprendemos...


Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Excluam Minha Conta em 18 de Janeiro de 2012, 11:30
Imagina Diegas! Compartilhar conhecimento sempre é lucro, se não para os envolvidos diretamente, para os outros que mais cedo ou mais tarde lerão nossas mensagens!

Abç!!
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Excluam Minha Conta em 18 de Janeiro de 2012, 11:34
Como os moderadores têm insistido em que não fujamos do assunto, então apenas abrirei um parênteses rápido para lembrar que os animais que são criados com o objetivo de produzir leites e ovos são vítimas dos mais terríveis maus tratos... incluindo sobrepeso que não lhes permite andar (no caso das vacas que são entupidas de hormônios para continuar produzindo leite), infecções graves nas mamas, separam-lhes dos bezerros oq lhes provoca estado de depressão e sofrimento altíssimo. Para mais informações, caso tenha interesse em realmente saber as verdade (digo isso pq acho que todos devem, ao menos, ter consciência plena do que realmente acontece), galinhas são colocadas em maratonas dia pós noite, todos explorados como escravos  , tratados como objeto cuja única finalidade consiste em nos servir. No mesmo instante em que já não nos servem para tal fim, são abatidos (cerca de 10 anos antes do que uma vaca realmente viveria). Se houver interesse em saber a verdade, indico que assista o vídeo que eu postei aqui mesmo há alguns dias.

Espero que não se importe de eu ter lhe chamado a atenção nesse sentido, mas é que não podemos fechar os olhos e dizer que esses fatos (e outros ainda mais terríveis que não quero descrever aqui, basta por si só procurá-los) são só imaginação de pessoas que lutam por compaixão aos animais. As provas estão gravadas e basta qualquer um querer conhecê-las.


Olá amiga Carolina!


Tudo que disse é uma grande verdade que conheço desde minha adolescência. No entanto isso é um opção cruel desta humanidade ainda atrasada. A possibilidade de se criar os animais com o respeito que eles merecem para compartilhar de seus frutos, existe. No entanto o homem em geral só visa o lucro. Já para consumo da carne não existe forma respeitosa ou piedosa, qualquer afirmação contrária é hipocrisia.
Eu realmente gostaria de criar animais, mas infelizmente não posso. Tentei deixar os derivados e falhei. Hoje consumo apenas o mínimo possível e infelizmente, por enquanto, ainda sou um dos que incentiva essa situação vergonhosa.


Um abraço,
Edil

Edil, vc está certo. Não adianta dar um passo maior que a perna, faça o que se encontra em suas possibilidades de fazer e isso já ajuda muito, pois trata-se do máximo...

Acho linda  e tão profunda aquela frase que diz "Se não puder fazer tudo, faça tudo oq puder". Como espíritas, acho que devemos seguí-la a risca  ;)

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: ram-wer em 04 de Fevereiro de 2012, 16:25
(...)
“Sobre a alimentação do Homem”

(Sociedade de Paris, 4 de Julho de 1863. Médium: Sr. A. Didier)

(...) Essa mensagem explica que a dieta sem o uso da carne é melhor, pois isso “leva mais facilmente à meditação e à prece”. Isso aconteceria, pois, segundo Lamennais, a natureza da matéria influi nas manifestações do Espírito. Podemos comparar a situação com os vícios. Aquele faz uso de uma droga, por exemplo, impregna seu perispírito de vibrações que limitarão suas manifestações no mundo espiritual. Da mesma forma, o uso de uma dieta menos carnívora torna o perispírito menos “espesso” (usando aqui uma palavra que Lamennais usou no texto) o que permite que ele tenha mais facilidade em elevar seu pensamento em prece.

Porém, Lamennais, de modo responsável, deixou claro que a dieta vegetariana dependeria do aprimoramento espiritual da nossa Humanidade terrestre, o que ainda não ocorre. Daí adverte que “a natureza jamais age contra o bom senso, é impossível ao homem submeter-se impunemente a essas privações”. Por isso a questão 723 acima não condena o uso da carne.

Referências:

[4] Lamennais, Revista Espírita Dezembro, pp. 387- 388 (1863).

(Realcei aqueles dois trechos em cor castanha.)

Essa mensagem explica que a dieta sem o uso da carne é melhor, pois isso “leva mais facilmente à meditação e à prece”.

O "melhor" não é o que nos facilita a prece e a meditação, mas o que não fere ou escandaliza a vida alheia.  Aqui entra, perfeito, o conselho de Jesus: Antes de oferecer a Deus, é melhor a gente se reconciliar com nossos irmãos.

(...)deixou claro que a dieta vegetariana dependeria do aprimoramento espiritual da nossa Humanidade terrestre, o que ainda não ocorre.

Se é assim, então podemos nos desculpar eternamente por não viver o Evangelho.  Se a humanidade ainda não tem o "aprimoramento espiritual", é sinal de que não evolui. E o que nunca se aprimorou, fatalmente não há de se aprimorar.

O uso de carnes na alimentação significa justificar a violência e o derramamento de sangue inocente (como se houvesse algum "sangue culpado"...).





Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos Cunha em 10 de Abril de 2012, 17:36
No capítulo IV, a pergunta n° 692:

Citar
Será contrário à lei da natureza o aperfeiçoamento das raças animais e vegetais, pela ciência? Seria mais conforme a essa lei deixar que as coisas seguissem o seu curso normal?

Tudo se deve fazer para chegar à perfeição, e o próprio homem é um instrumento de que Deus se serve para atingir seus fins. Sendo a perfeição a meta para que tende a natureza, favorecer essa perfeição é corresponder às vistas de Deus.


Evidentemente, se o homem tudo deve fazer para que até o próprio animal chegue à perfeição, a fim de corresponder ao que Deus preceitua, indiscutivelmente um ato contrário a tal preceito não atende aos desígnios do Criador e não favorece ao aperfeiçoamento do animal.


Abç

Oi Diegas, como sempre pedem para que nós estejamos embasados apenas e somente no Pentateuco Espírita e na RE, gostei muito da sua lembrança em relação a esta pergunta / resposta.

Estudemos.

Eu coloquei uma também, de número 888, com comentário de São Vicente de Paulo, Espírito Superior, em;

http://www.forumespirita.net/fe/outras-doutrinas-espiritualistas/o-ser-humano-e-naturalmente-carnivoro/msg267161/#msg267161

Fique com Deus,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 11 de Abril de 2012, 17:45
Amigo Carlos Cunha,
O afamado "pentateuco Espírita" não existe.
Pentateuco nos dá conta de cinco livros e a doutrina se contarmos todas as obras básicas de doutrina tem 18 livros.
Essa idéia de pentateuco foi patrocinada por roustainguistas antigos e há muito caiu por terra mano.
Em segundo plano a assertiva doutrinária que nos dá conta dos deveres do home mesmo para com os animais não nos objeta a alimentação que temos a partir da carne que consumamos deles.
Fazer mais perfeitos significa dar ao animal condições mais favoráveis, para que ele se desenvolva melhor e mais perfeitamente, isso começa na alimentação e passa pelos modos como são tratados e hoje vemos com satisfação bais cobertas, paras os períodos de chuva e estas sob a ventilação de ar condicionado.
Se isso não é dar ao animal meios de melhor se desenvolverem realmente fica difícil continuar...
Finalizando se deve lembrar que a alimentação animal não induz em dizimação das raças das quais o homem extrai a sua alimentação, e que está capitulada como uma coisa normal sob o aspecto doutrinário espírita.
Sobre a questão 888 de OlE, nem ela nem as seguintes sob o comentário do aludido Espírito Superior fazem menção à alimentação animal.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos Cunha em 12 de Abril de 2012, 13:27
Moura, obrigado pela explicação sobre o inexistente pentateuco Espirita.

Sobre a forma de alimentação aqui discutida, você pode falar o que quiser, mas contra fatos, não há argumentos.

A DE trata da Melhoria MORAL do homem e se na sua opinião o que é feito com os animais é MORALMENTE correto, dando a sua interpretação para as questões citadas, é um direito que lhe assiste como membro ativo do fórum.

Como exaustivamente mostrado em vídeos ou reportagens SEGURAS e não tendenciosas, que temos as centenas ou milhares disponíveis, basta aos membros do fórum assistirem e tirarem suas próprias conclusões.

Sobre os animais, que Meios favoráveis de alimentação, como são tratados e vemos com satisfação tais descobertas?

Meios favoráveis de alimentação? Onde?
Satisfação? Satisfação de quem? 
Vemos? Vemos quem?

Falando por mim, não tenho satisfação alguma e muito menos vejo que estamos dando condições para que o animal se aperfeiçoe melhor e mais perfeitamente.

Aproveitando sua frase, excluindo apenas a palavra "não" e adicionando "o debate"

Se isso é dar ao animal meios de melhor se desenvolverem realmente fica difícil continuar o debate...

Sobre o Ar Condicionado, sua ironia é comovente. Clap, Clap, Clap.

Em relação a dizimação de raças, não existe mesmo e eu concordo. Só existe uma criação exagerada, desmedida, capitalista ( Lucro acima de tudo ) para manter uma alimentação que esta exaustivamente comprovada que sua falta não faz o ser humano perecer.

Os Espíritos Superiores veem as situações de uma forma mais completa que a nossa, logo, Brandura e Benevolência não existem nos processos de criação, abate ou pesca e não seria necessário a São Vicente de Paulo dizer; Não comam carne dos animais;

Isto está implícito em ""Sede brandos e benevolentes para com tudo o que vos seja inferior. Sede-o para com os seres mais ínfimos da criação e tereis obedecido à lei de Deus.""

Quem disse isso, relembrando, não foi o Carlos, e sim um Espírito Superior chamado São Vicente de Paulo.

Abs,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 13 de Abril de 2012, 18:43
Mano Carlos,Ser brando e benevolente, não indica e nem retira dos animais que nos sirvam de alimento este atributo que é deles.
Isso a norma espírita estabelece, quando dia afirmativamente que a ajuda que ois animais dão ao home começa por sua alimentação.
De outro lado se formos ver os processos de criação que hoje se tem, veremos que estes sofreram muitas modificações desde ao consumo alimentar dado aos animais, como os recursos para a pastagem e acomodação como já tive a possibilidade de escrever antes.
E falo assim porque conheço não uma mas várias fazendas dadas a criação para abate, em que os animais são tratados com toda a distinção que merecem recebendo mesmo, na questão da qualidade, mais cuidados do que muitos humanos que conheço.
Note, a eles é por dever do criador, consciente, prover  sobre sua saúde física, e isso começa pela alimentação dos animais que crie.
Se alguns não fazem assim o problema não está no todo, mas em parte deste, como há entre nós muitos que se prestam a entortar a doutrina, ou seja, maus e ignorantes existem as carradas em todo lugar.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos Cunha em 13 de Abril de 2012, 20:58
Moura, boa tarde.

Muita calma nessa hora!! Eu li isso mesmo?

Ser brando e benevolente, não indica e nem retira dos animais que nos sirvam de alimento este atributo que é deles.

Dos Dez Mandamentos, destaco;

Não Matarás!

Com todo o respeito a sua pessoa, mas em que mundo você vive para basear as respostas abaixo?

""E falo assim porque conheço não uma mas várias fazendas dadas a criação para abate, em que os animais são tratados com toda a distinção que merecem recebendo mesmo, na questão da qualidade, mais cuidados do que muitos humanos que conheço.
Note, a eles é por dever do criador, consciente, prover  sobre sua saúde física, e isso começa pela alimentação dos animais que crie.
Se alguns não fazem assim o problema não está no todo, mas em parte deste, como há entre nós muitos que se prestam a entortar a doutrina, ou seja, maus e ignorantes existem as carradas em todo lugar.""

O amigo visitou, digamos, 1% das fazendas destinadas para essa função, tanto no Brasil como mundialmente, especialmente nos EUA?
Teve um convívio diário no ambiente, de uma semana, pelo menos?
Visitou, se os donos permitiram, o local próprio do abate?

Distinção? Cuidados? Na hora do abate, também? Não esta no todo, só em parte? Claro, claro. Alguns bilhões abatidos mundialmente por ano, e a maioria é tratada com Distinção e Cuidados?

Meu querido, é triste ver que mesmo colocando apenas o lado Moral em foco, você insista na idéia distorcida de querer justificar o injustificável e pior, justificar usando a DE.

Brando e Benevolente = Patê Foie Gras, Carne de vitela e etc, etc, etc.

Bom, como colocado antes, vídeos existem as centenas ou milhares. Sites idôneos e livros, idem.

Ao bom observador, a máxima;

Contra fatos não há argumentos.

Abs,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 14 de Abril de 2012, 23:37
Carlos meu mano,
destaque o que quiser e o amigo ainda será tal com tantos outros e somente a seu ver, um assassino.
Assassinas a vida vegetativa do tomate, do agrião, da cebola e da pimentinha básica de todo dia, para dar mais saber para a tua alimentação.
Acaso tendo vida vegetativa, e sendo esta uma espécie de vida, não estará o homem também alijando de evoluírem essas especiarias da ensinada evolução por força das coisas?
amigo uma verdade não pode nascer de tergiversação insensata ou de idéia esdrúxula.
A lei natural encampa estados e espécies cada uma em território distinto, logo pelo princípio de isonomia deva-se tratar desigualmente,  para que haja a propalada justiça.
Esta afirmação condiz com o que cantam certos jovens na letra de um funk que diz: "ado, ado, ado, cada um no seu quadrado".
O Ensino proferido pelos Espíritos Superiores assevera: "Cada ser vivo só progride em sua espécie e em sua essência", o que ressalta a informação sobre o tratamento desigual para que exista justiça e a primeira dessas é a de Deus.
Deus julga aos atos que cometemos pela intenção.
Não há qualquer intenção malévola ou em desordem moral  em se nutris, em nossa atual estado, da alimentação animal senão os espíritos Superiores, classe da qual, você ou eu, estamos bem abaixo, não teriam asseverado em outra resposta de OLE: "No vosso atual estágio a carne alimenta a carne".
A estultice que beira aos fanáticos é de tal ordem meu amigo,k que vemos num debate que se estende apenas e tão somente na alimentação animal, serrem referendadas idéias desconexas sobre tema alienígena á discussão, este, a matança amoral promovido por certos criadores de animais.
Ora este é outro tema que comporta outras situações e que não converge para o tema alimentação animal.
Lembro ao amigo que tendo em vista a doutrina e ao que ela ensina, ainda se estamos na classe dos Espíritos imperfeitos, não mudamos de fase, e só o faremos quando conseguirmos o mérito de adentrarmos ao mundo de Regeneração ai sim tendo evoluído. Enquanto estamos num mesmo mundo apenas progrediremos diz OLE.
na verdade mesmo um não espírita mas que se deu ao trabalho de pesquisa, pode ter a mesma visão senão o nosso saudoso cantor Raul Seixas não teria escrito numa de suas letras, "Tente! (Tente!)
E não diga
Que a vitória está perdida
Se é de batalhas
Que se vive a vida"
Enquanto num mesmo mundo reencarnar o Espírito ele apenas vence batalhas, tente entender isso e toda a doutrina lhe soará com maior clareza.
abraços,
Moura


Moura, boa tarde.

Muita calma nessa hora!! Eu li isso mesmo?

Ser brando e benevolente, não indica e nem retira dos animais que nos sirvam de alimento este atributo que é deles.

Dos Dez Mandamentos, destaco;

Não Matarás!

Com todo o respeito a sua pessoa, mas em que mundo você vive para basear as respostas abaixo?

""E falo assim porque conheço não uma mas várias fazendas dadas a criação para abate, em que os animais são tratados com toda a distinção que merecem recebendo mesmo, na questão da qualidade, mais cuidados do que muitos humanos que conheço.
Note, a eles é por dever do criador, consciente, prover  sobre sua saúde física, e isso começa pela alimentação dos animais que crie.
Se alguns não fazem assim o problema não está no todo, mas em parte deste, como há entre nós muitos que se prestam a entortar a doutrina, ou seja, maus e ignorantes existem as carradas em todo lugar.""

O amigo visitou, digamos, 1% das fazendas destinadas para essa função, tanto no Brasil como mundialmente, especialmente nos EUA?
Teve um convívio diário no ambiente, de uma semana, pelo menos?
Visitou, se os donos permitiram, o local próprio do abate?

Distinção? Cuidados? Na hora do abate, também? Não esta no todo, só em parte? Claro, claro. Alguns bilhões abatidos mundialmente por ano, e a maioria é tratada com Distinção e Cuidados?

Meu querido, é triste ver que mesmo colocando apenas o lado Moral em foco, você insista na idéia distorcida de querer justificar o injustificável e pior, justificar usando a DE.

Brando e Benevolente = Patê Foie Gras, Carne de vitela e etc, etc, etc.

Bom, como colocado antes, vídeos existem as centenas ou milhares. Sites idôneos e livros, idem.

Ao bom observador, a máxima;

Contra fatos não há argumentos.

Abs,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos Cunha em 15 de Abril de 2012, 03:09
Moura, vejo que entendes bem de DE, mas de ciência, que faz parte da DE, o amigo tem que estudar um pouco mais.

Para que estender se o amigo e irmão se compraz em dizer que OLE, questão 723, afirma uma coisa que esta a tempos superado pela ciência?

Repetindo, pois o irmão parece ignorar esta parte - de propósito talvez, que não mais esta se debatendo sobre alimentação apenas, mas sobre maus tratos, sobre a forma como são criados e mortos, mas o amigo insiste em colocar sobre um prisma ultrapassado, ignorando sistematicamente o que esta escrito abaixo;

Brandura e benevolência, para com tudo o que lhe seja inferior.

Sobre as plantas, Moura, por favor, use outro argumento pois este é de uma fragilidade sem tamanho.

Creio que o amigo, como moderador, já participou de outros tópicos sobre alimentação e esta mais careca ainda de saber que usar as plantas com exemplo de assassínio para justificar o que é feito com os animais chega a ser infantil.

Creio eu não ser necessário adicionar mais nada a esse tópico que o amigo não saiba a exaustão - embora exerça seu direito inalienável de não querer concordar.

Meu querido, a DE tem como foco a melhoria Moral. Sobre ciência, ler abaixo;

O Espiritismo, pois, não estabelece como princípio absoluto senão o que se acha evidentemente demonstrado, ou o que ressalta logicamente da observação. Entendendo com todos os ramos da economia social, aos quais dá o apoio das suas próprias descobertas, assimilará sempre todas as doutrinas progressivas, de qualquer ordem que sejam, desde que hajam assumido o estado de verdades práticas e abandonado o domínio da utopia, sem o que ele se suicidaria. Deixando de ser o que é, mentiria à sua origem e ao seu fim providencial. Caminhando de par com o progresso, o Espiritismo jamais será ultrapassado, porque, se novas descobertas lhe demonstrassem estar em erro acerca de um ponto qualquer, ele se modificaria nesse ponto. Se uma verdade nova se revelar, ele a aceitará.

Porem o amigo insiste em dizer a questão 723 não está ultrapassada.

Nota de Kardec;

Diante de declarações tão nítidas e tão categóricas quais as que se contêm neste capítulo, caem por terra todas as alegações de tendências ao absolutismo e à autocracia dos princípios, bem como todas as falsas assimilações que algumas pessoas prevenidas ou mal informadas emprestam à doutrina. Não são novas, aliás, estas declarações; temo-las repetido muitíssimas vezes nos nossos escritos, para que nenhuma duvida persista a tal respeito. Elas, ao demais, assinalam o verdadeiro papel que nos cabe, único que ambicionamos: o de mero trabalhador.

Sábio o Codificador, não é mesmo?

Ou o amigo ainda acredita que Marte não possui satélites ou que os discos de Saturno são sólidos?

Uma dúvida, o Fórum esta com algum problema em relação a notificação de novas mensagens postadas?  Pela segunda vez eu não recebo a notificação de mensagem nova neste tópico.

Abs,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rtt em 15 de Abril de 2012, 05:59
 Moura, as plantas não possuem sistema nervoso como os animais e não se locomovem, portanto servir de alimento não as prejudica evolutivamente, na maioria dos casos ocorrem mecanismos que ajudam sua dispersão.
 Mas se o que escrevi acima não convence, entre no youtube e pesquise por "abatedouro" e depois por "colheita" e intuitivamente a consciência e o bom senso responderão se é a mesma coisa.
 Um grande abraço
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 15 de Abril de 2012, 19:14
Carlos Cunha,
dizer apenas quem um posicionamento resulta de fragilidade extrema não resolve o problema e recai no campo do sofisma.
Para combater uma idéia dentro de um aspecto doutrinário há que se colocar outra também eleita pela mesma doutrina.
Ademais mostre-me prova irrefutável pela ciência daquilo que o amigo vem de afirmar.



Moura, vejo que entendes bem de DE, mas de ciência, que faz parte da DE, o amigo tem que estudar um pouco mais.

Para que estender se o amigo e irmão se compraz em dizer que OLE, questão 723, afirma uma coisa que esta a tempos superado pela ciência?

Repetindo, pois o irmão parece ignorar esta parte - de propósito talvez, que não mais esta se debatendo sobre alimentação apenas, mas sobre maus tratos, sobre a forma como são criados e mortos, mas o amigo insiste em colocar sobre um prisma ultrapassado, ignorando sistematicamente o que esta escrito abaixo;

Brandura e benevolência, para com tudo o que lhe seja inferior.

Sobre as plantas, Moura, por favor, use outro argumento pois este é de uma fragilidade sem tamanho.

Creio que o amigo, como moderador, já participou de outros tópicos sobre alimentação e esta mais careca ainda de saber que usar as plantas com exemplo de assassínio para justificar o que é feito com os animais chega a ser infantil.

Não chega não Carlos, já que aos animais ditos irrcionais, hjá apenas a vida pouco além da vegetativa já que agem por instintos básicos.

Creio eu não ser necessário adicionar mais nada a esse tópico que o amigo não saiba a exaustão - embora exerça seu direito inalienável de não querer concordar.

Meu querido, a DE tem como foco a melhoria Moral. Sobre ciência, ler abaixo;

Mostre-me sob o plano de doutrina onde os animais progridam sob o aspecto moral e me darei por vencido.
Mostre-me também que atinja à totalidade dos criadores de animais os vícios que se anotou nos comentários.
Este fórum tem o esquema de tópicos exatamente para elencar um tema apenas.
E tanto as repostas quanto as pereguntas devem ter sempre a corroboração da doutrina.
engraçado em sua resposta refutando e afirmando sobre a caduquice da questão 723, não há uma assertiva corroborada pelos Espíritos superiores sobre a sua afirmação.
E é dito que, sempre que se fizer necessário, somente os Espíritos Superiores virão dizer, excluindo, modificando ressaltando ou reforçando alguma reposta.
Em sua assertiva sim, nota-se sem grande esforço a falta de base doutrinária mas este também já é outro assunto.
Amigo o tema na em questão é alimentação animal e não há outro sub-tema, os que assim o fazem deveriam antes abrir um tópico específico pois que dessa forma não haveria campo parta sua alegação.

O Espiritismo, pois, não estabelece como princípio absoluto senão o que se acha evidentemente demonstrado, ou o que ressalta logicamente da observação. Entendendo com todos os ramos da economia social, aos quais dá o apoio das suas próprias descobertas, assimilará sempre todas as doutrinas progressivas, de qualquer ordem que sejam, desde que hajam assumido o estado de verdades práticas e abandonado o domínio da utopia, sem o que ele se suicidaria. Deixando de ser o que é, mentiria à sua origem e ao seu fim providencial. Caminhando de par com o progresso, o Espiritismo jamais será ultrapassado, porque, se novas descobertas lhe demonstrassem estar em erro acerca de um ponto qualquer, ele se modificaria nesse ponto. Se uma verdade nova se revelar, ele a aceitará.

Porem o amigo insiste em dizer a questão 723 não está ultrapassada.

Nota de Kardec;

Diante de declarações tão nítidas e tão categóricas quais as que se contêm neste capítulo, caem por terra todas as alegações de tendências ao absolutismo e à autocracia dos princípios, bem como todas as falsas assimilações que algumas pessoas prevenidas ou mal informadas emprestam à doutrina. Não são novas, aliás, estas declarações; temo-las repetido muitíssimas vezes nos nossos escritos, para que nenhuma duvida persista a tal respeito. Elas, ao demais, assinalam o verdadeiro papel que nos cabe, único que ambicionamos: o de mero trabalhador.

Sábio o Codificador, não é mesmo?

Ou o amigo ainda acredita que Marte não possui satélites ou que os discos de Saturno são sólidos?

Uma dúvida, o Fórum esta com algum problema em relação a notificação de novas mensagens postadas?  Pela segunda vez eu não recebo a notificação de mensagem nova neste tópico.

Abs,

Carlos.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rtt em 15 de Abril de 2012, 22:02
 Também estou com o problema da notificação.
 Ousando me meter na pergunta feita ao Carlos, a ideia eleita pela mesma doutrina é o uso da razão (os grifos são meus):
 "O primeiro exame comprobativo é, pois, sem contradita, o da razão, ao qual se submeta, sem exceção, tudo o que venha dos Espíritos. Toda teoria em manifesta contradição com o bom senso, com uma lógica rigorosa e com os dados positivos já adquiridos, deve ser rejeitada, por mais respeitável que seja o nome que traga como assinatura."(OESE, introdução)
 Uma prova de que vegetarianos não perecem, dentre infinitas outras que há por aí:
 http://www.nutriveg.com.br/dieta-absolvida-conselho-regional-de-nutricionistas-publica-parecer-sobre-dietas-vegetarianas.html
 Abraços
 
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos Cunha em 15 de Abril de 2012, 22:10
Moura, meu querido, os fatos estão explicados e mostrados a exaustão em outros tópicos de tema similar e para seguir a regra do fórum, não é necessário repetir aqui para que o mesmo se estenda de forma desnecessária.

Parafraseando você, mas sem o sofisma que o amigo insiste em dizer que o seu irmão esta apresentando;

Você pode falar, espernear, gritar e etc mas nada do que o amigo disser mudará a realidade dos fatos que propositalmente insiste em ignorar.

As partes destacadas na minha resposta anterior são um exemplo disso.

Outra coisa, insistindo. Minha pergunta sobre as notificações não enviadas ficou sem resposta.

Fique com Deus,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 16 de Abril de 2012, 18:28
Mano Carlos,
o amigo não trouxe a base em que se pauta para falar em fatos ou em provas científicas, ainda espero  por isso...
Não lembro sobre notificações não enviadas, se você quiser recoloque a questão.
Esclareço que em matéria de doutrina apenas o s Espíritos Superiores a podem revelar. Este é ponto básico para quem já estudou o ESE ou a Gênese.
A ciência para derrogar uma máxima Espírita há de antes provar cabalmente que esta esteja em erro, no confronto com as descobertas já comprovadas.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos Cunha em 16 de Abril de 2012, 18:47
Moura, meu querido.

""Mano Carlos,
o amigo não trouxe a base em que se pauta para falar em fatos ou em provas científicas, ainda espero  por isso...""


Você ao menos se deu ao trabalho de ler o link que o irmão ricardogt postou?

Falar que falta prova cabal sem ler o artigo mencionado ( um de centenas ) mostra que o amigo quer que se acredite na QE 723 atualmente por pura Fé.

Esclareço que em matéria de doutrina apenas o s Espíritos Superiores a podem revelar. Este é ponto básico para quem já estudou o ESE ou a Gênese.

Pois bem, o amigo parece não perceber que o seu irmão aqui também estuda as Obras citadas. Se o irmão Moura insiste em dar esta interpretação, ok.

Mais uma vez, as partes citadas em vermelho foram sistematicamente evitadas. Logo devo crer que como o irmão mesmo respondeu anteriormente em outro tópico para mim, o silêncio sobre isso indica "que quem cala consente"...

Vamos fazer assim então. Eu fingo que aceito sua opinião e fica tudo bem!

Fique com Deus,

Carlos.

PS; Pela TERCEIRA VEZ. Continuo sem receber as notificações sobre novas mensagens neste tópico.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rtt em 16 de Abril de 2012, 19:44
Acho que o que eu escrevi na mensagem anterior foi ignorado, mas lá vai mais das provas que pede:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12826028
http://www.pcrm.org/health/diets/vegdiets/vegetarian-foods-powerful-for-health
Reforço novamente que também não recebo notificações deste tópico.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 17 de Abril de 2012, 18:38
Carlos, desculpe-me,
tal com nesta sua resposta nada de ou em vermelho existe mas sim uma parte em negrito.
A questão 723, não está nem obsoleta segundo a doutrina ou a ciência moderna.
é ponto ou princípio fundamental da doutrina logo, e sendo a classe dos Espíritos superiores, classe espiritual da qual ainda distamos mais que anos luz, há de entender o amigo que não trata de minhas opiniões, mas sim da própria doutrina.
Há que se entender, outrossim, que dista também o estudo que se faça da compreensão que se possa ter.
De qualquer forma o que ressalta não são nem as minhas nem as tuas afirmações, mas sim o que a doutrina estabelece, e que não coube, por parte dos Espíritos superiores, nem modificação, ou atualização, o que demonstra a vigência da propositura doutrinária.
Creia o amigo ou não goste o amigo é a doutrina, "dura lex sed lex" maninho.
Abraços,
Moura

Moura, meu querido.

""Mano Carlos,
o amigo não trouxe a base em que se pauta para falar em fatos ou em provas científicas, ainda espero  por isso...""


Você ao menos se deu ao trabalho de ler o link que o irmão ricardogt postou?

Falar que falta prova cabal sem ler o artigo mencionado ( um de centenas ) mostra que o amigo quer que se acredite na QE 723 atualmente por pura Fé.

Esclareço que em matéria de doutrina apenas o s Espíritos Superiores a podem revelar. Este é ponto básico para quem já estudou o ESE ou a Gênese.

Pois bem, o amigo parece não perceber que o seu irmão aqui também estuda as Obras citadas. Se o irmão Moura insiste em dar esta interpretação, ok.

Mais uma vez, as partes citadas em vermelho foram sistematicamente evitadas. Logo devo crer que como o irmão mesmo respondeu anteriormente em outro tópico para mim, o silêncio sobre isso indica "que quem cala consente"...

Vamos fazer assim então. Eu fingo que aceito sua opinião e fica tudo bem!

Fique com Deus,

Carlos.

PS; Pela TERCEIRA VEZ. Continuo sem receber as notificações sobre novas mensagens neste tópico.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 17 de Abril de 2012, 18:41
Acho que o que eu escrevi na mensagem anterior foi ignorado, mas lá vai mais das provas que pede:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12826028
http://www.pcrm.org/health/diets/vegdiets/vegetarian-foods-powerful-for-health
Reforço novamente que também não recebo notificações deste tópico.
Ricardo, mano,
Não estamos a discutir veganismo ou vegetarianismo, mas sim o que diz a doutrina sobre alimentação animal.
Abraços,
Moura
Entenda isso por fafvor.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rtt em 17 de Abril de 2012, 18:52
 Mas, Moura, você disse que não existia prova e eu mostrei que existem várias.
 Portanto a razão, um dos principais elementos da doutrina mostrou que a alimentação vegana é possível e saudável.
 Como a doutrina põe a razão acima até das palavras dos espíritos superiores, e a razão mostra que a dieta vegana é possível e saudável, logo a doutrina aceita que esta dieta seja saudável.
 PS:Notificação!!
 Abraços
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos Cunha em 17 de Abril de 2012, 19:04
Acho que o que eu escrevi na mensagem anterior foi ignorado, mas lá vai mais das provas que pede:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12826028
http://www.pcrm.org/health/diets/vegdiets/vegetarian-foods-powerful-for-health
Reforço novamente que também não recebo notificações deste tópico.
Ricardo, mano,
Não estamos a discutir veganismo ou vegetarianismo, mas sim o que diz a doutrina sobre alimentação animal.
Abraços,
Moura
Entenda isso por fafvor.

Moura, meu querido.

Quem esta falando em vegetarianismo ou veganismo?

Questão 723 = Sem carne o Homem perece.

Atualidade = Sem carne o homem não perece.

O amigo que insiste em levar para esse lado. Afinal de contas, se não se come carne de qualquer espécie, é vegetariano ou vegano pela nomenclatura, apenas.

Como demonstrado, não se trata de defender Vegano ou Vegetarianismo, e sim que sem alimentação de carne o homem não perece.

Se os links não lhe apetecem, paciência.

Mas o que me conforta é saber que os membros tem procurado e achado, baseados na ciência, e tirado suas próprias conclusões.

Abs,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos Cunha em 17 de Abril de 2012, 19:44
Carlos, desculpe-me,
tal com nesta sua resposta nada de ou em vermelho existe mas sim uma parte em negrito.
A questão 723, não está nem obsoleta segundo a doutrina ou a ciência moderna.
é ponto ou princípio fundamental da doutrina logo, e sendo a classe dos Espíritos superiores, classe espiritual da qual ainda distamos mais que anos luz, há de entender o amigo que não trata de minhas opiniões, mas sim da própria doutrina.
Há que se entender, outrossim, que dista também o estudo que se faça da compreensão que se possa ter.
De qualquer forma o que ressalta não são nem as minhas nem as tuas afirmações, mas sim o que a doutrina estabelece, e que não coube, por parte dos Espíritos superiores, nem modificação, ou atualização, o que demonstra a vigência da propositura doutrinária.
Creia o amigo ou não goste o amigo é a doutrina, "dura lex sed lex" maninho.
Abraços,
Moura

Moura, meu querido.

""Mano Carlos,
o amigo não trouxe a base em que se pauta para falar em fatos ou em provas científicas, ainda espero  por isso...""


Você ao menos se deu ao trabalho de ler o link que o irmão ricardogt postou?

Falar que falta prova cabal sem ler o artigo mencionado ( um de centenas ) mostra que o amigo quer que se acredite na QE 723 atualmente por pura Fé.

Esclareço que em matéria de doutrina apenas o s Espíritos Superiores a podem revelar. Este é ponto básico para quem já estudou o ESE ou a Gênese.

Pois bem, o amigo parece não perceber que o seu irmão aqui também estuda as Obras citadas. Se o irmão Moura insiste em dar esta interpretação, ok.

Mais uma vez, as partes citadas em vermelho foram sistematicamente evitadas. Logo devo crer que como o irmão mesmo respondeu anteriormente em outro tópico para mim, o silêncio sobre isso indica "que quem cala consente"...

Vamos fazer assim então. Eu fingo que aceito sua opinião e fica tudo bem!

Fique com Deus,

Carlos.

PS; Pela TERCEIRA VEZ. Continuo sem receber as notificações sobre novas mensagens neste tópico.

As partes em vermelho estão antes, em questões ignoradas por você.

Mas pode deixar, eu concordo contigo.

Abs,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: hcancela em 18 de Abril de 2012, 11:38
Olá amigos(as)

Um aparte do tópico!... ;)

O Constrangimento da notificação acontece por vezes a todos, coisa que o Webmaster tenta resolver.


Saudações fraternas
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 18 de Abril de 2012, 18:00

Não Ricardo o que você nos trouxe foram colocações de um site vegano ou de apoio ou ao veganismo u ao vegetarianismo, mas nenhuma sob corroboração da OMS.
abraços,
Moura

Mas, Moura, você disse que não existia prova e eu mostrei que existem várias.
 Portanto a razão, um dos principais elementos da doutrina mostrou que a alimentação vegana é possível e saudável.
 Como a doutrina põe a razão acima até das palavras dos espíritos superiores, e a razão mostra que a dieta vegana é possível e saudável, logo a doutrina aceita que esta dieta seja saudável.
 PS:Notificação!!
 Abraços
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rtt em 18 de Abril de 2012, 18:29
Moura, se você visse os links de antes, veria que não é um site vegano, mas sim três sites de nutricionistas e/ou médicos, que mostram cientificamente o que escrevem.
Mas se o companheiro quer a OMS, também temos:
 
"A Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, órgão da OMS, atesta: 30% dos cânceres no mundo são causados pela alimentação, em especial as mais calóricas, as ricas em proteínas e em gordura animal, e carente de fibras.
No interessante relatório publicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), Dieta, nutrição e prevenção de doenças crónicas, há uma secção dedicada às doenças cardiovasculares, em que um grupo internacional de especialistas recorrem às últimas investigações relacionadas com as vantagens da alimentação à base de vegetais. Um dos seus parágrafos diz: «Os subgrupos da população que consomem dietas ricas em alimentos de origem vegetal apresentam taxas mais baixas de cardiopatia coronária que a população em geral.
Segundo refere esse relatório de especialistas da OMS, «os estudos epidemiológicos indicam sistematicamente que a pressão arterial entre os vegetarianos é mais baixa que entre os não vegetarianos (...) Se bem que não seja fácil determinar a causa precisa destes resultados, esses estudos assinalam que algum componente dos produtos de origem animal, possivelmente as proteínas ou as gorduras, pode influir na pressão arterial nas populações bem alimentadas."


Referências dos relatórios da OMS abaixo:
http://edumontesanti.skyrock.com/1833085531-III-SEGUNDA-PAGINA-Meio-Ambiente-Esporte-e-Saude.html
http://www.vegetarianismo.com.br/sitio/index.php?option=com_content&task=view&id=1676&Itemid=48

Acho que não há necessidade de continuar com esse assunto.
Abraços
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 18 de Abril de 2012, 19:29
Amigo Ricardo,
 estimar-se em 30%, é estimar-se, tendo-se em vista a quantidade de seres que se utilizam de tal alimentação  bem por baixo não?
mesmo o uso do tabaco tem uma estimativa maior...
Amigo, o site referenda a alimentação vegana, eu entrei nele. aliás nos links todos que você enviou.
Não adivinhe mano, o amigo não tem, tal como eu esta capacidade...
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: procura em 18 de Abril de 2012, 20:30
Olá queridos Amigos

Amigo Mourarego, podemos para já constatar o seguinte:

- Existe um cada vez maior numero de pessoas que se alimentam de forma vegetariana

- Sempre existiram pessoas vegetarianas

Esta alimentação é saudavel e não trás transtorno para a saúde. Concerteza convive com inumeras pessoas que são vegetarianas e não apresentam problemas de saude.

Esta tática de advogado de retirar as questões do LE de forma cirurgica, esquecendo tudo o resto não faz doutrina. O LE tem 1019 questões no seu todo e tem de ser lido e entendido de forma global, se não fica igual às leis humanas e retiramos só aquilo que nos convém.

Da forma como você insiste em ler só a questão 723, vai transformar a DE em algo de ilógico e ultrapassado, o que não é verdade.

A letra mata e o espírito vivifica.

Se não é capaz de ser vegetariano, como eu ainda não sou, não precisa transformar isso em uma obsessão e a toda a força querer convencer que só a alimentação carnivora é saudavel, o que não é verdade. Temos de progredir e não ficarmos cristalizados na matéria.

O futuro de todos nós vai ser evoluir também em termos de alimentação, como aliás nos é relatado em inumeras comunicações, inclusivé na Revista Espírita de Kardec.
Se Kardec não é idoneo, então quem será?


Jesus nos deixou a lição de que o importante é o conteudo e não a forma.


Muita Paz em Cristo Jesus
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 19 de Abril de 2012, 16:57
Mano Procura, enfim uma postagem inteligente se bem que errônea.
Não faço nada sem ser pela lógica pois o advogado trabalha com ele e através dela, tal como o Espírita deve fazer.
Quando aponto para respostas do LE trago a lógica dos Espíritos Superiores, que, a meu entender é mais saudável e moralmente acertada do que a citação de cunho roustainguista "A letra mata e o Espírito vivifica".
abração mano! tava com saudade.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Carlos Cunha em 19 de Abril de 2012, 17:28
Mano Procura, enfim uma postagem inteligente se bem que errônea.
Não faço nada sem ser pela lógica pois o advogado trabalha com ele e através dela, tal como o Espírita deve fazer.
Quando aponto para respostas do LE trago a lógica dos Espíritos Superiores, que, a meu entender é mais saudável e moralmente acertada do que a citação de cunho roustainguista "A letra mata e o Espírito vivifica".
abração mano! tava com saudade.
Abraços,
Moura

Moura, meu querido, uma ressalva abaixo;

Segunda Carta de Paulo aos Coríntios, Capítulo 3, versículo 6.

Qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.

Roustainguista? Se sim, como?

Abs,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: MarcosBorges em 19 de Abril de 2012, 19:01
"Esta alimentação é saudável e não trás transtorno para a saúde. Concerteza convive com inumeras pessoas que são vegetarianas e não apresentam problemas de saúde."

Como consegue resolver a necessidade de vitamina B12. O fígado possui capacidade de armazenar por alguns anos mas a carência pode ocorrer ao longo do tempo caso não haja suplementação pois a fonte de vitamina B12 é de origem animal e o ser humano não consegue obter com eficiência por biosintese de algumas especies bacterianas que existem no intestino. A vitamina B12 é absorvida pelas células do epitélio do íleo e as bactérias que sintetizam vitamina B12 estam no colon do intestino grosso.

O maior problema dos alimentos de origem animal é do seu consumo exagerado e a industrialização desses alimentos. A alimentação saudável deve estar equilibrada, nem exagerando em gorduras e proteínas de origem animal e nem excesso de carboidratos e óleos vegetais.

Abraços fraterno
Marcos
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rtt em 19 de Abril de 2012, 22:33
 Marcos, essa vitamina pode ser obtida por suplementação, como você falou, que pode ter origem em bactérias. Caso contrário inúmeros veganos teriam sucumbido.
 E a alimentação vegetal não é de forma nenhuma desequilibrada, desde que bem balanceada e com o cuidado da vitamina B12.
 Um abraço.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: MarcosBorges em 20 de Abril de 2012, 03:20
Oi Ricardo,

Nao estava argumentando que a alimentacao vegetariana e desiquilibrada. Mas que mas que qualquer opcao de alimentacao quando nao balanceada, excesso de um lado e carencia de outro, nao e' saudavel.

Uma vez assisti um programa britanico em que um vegetariano pedia ajuda de uma nutricionista para emagrecer. Sua dieta era exclusivamente de carboidratos complexos e poucos vegetais, se me lembro bem so' comia ervilha e tomate. Comia somente pizza em excesso feita para vegans. Era obeso e tinha colesterol total, triglicerides e glicose elevados no sangue. E' deste desiquilibrio na dieta que comentei.

Uma curiosidade em relacao a uma familia de veganos e' como fica a alimentacao de um recem-nascido e de uma crianca apos os 6 meses ja' que a amamentacao e' importante e o leite materno e de origem animal? Os substitutos que existem no mercado sao de origem animal e mesmo assim nao suplem anecessidade de anticorpos IgG que confere protecao ate que a crianca tenha um sistema imune mais maduro e competente.

Abracos fraternos
Marcos
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 20 de Abril de 2012, 16:48
Ricardo,
pelo que me lembro e acredito não ter esquecido, o mano Marcos Borges é da área portanto fala com conhecimento de causa.
abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 20 de Abril de 2012, 16:54
Carlos, alguns gostam de citar a Paulo, outros a Simão Pedro, ou a João...
Eu me valho, em tema sobre a doutrina da própria doutrina.
Uns mais, retratam as assertivas também ditas por Roustaing, e as querem incluir, sob a luz do mesmo pensamento do advogado bordelense, como tema de doutrina, o que é um erro.
Afinal de todos que citam a passagem, nenhum dels explica de que Espírito fala a citação.
abraços,
Moura


Mano Procura, enfim uma postagem inteligente se bem que errônea.
Não faço nada sem ser pela lógica pois o advogado trabalha com ele e através dela, tal como o Espírita deve fazer.
Quando aponto para respostas do LE trago a lógica dos Espíritos Superiores, que, a meu entender é mais saudável e moralmente acertada do que a citação de cunho roustainguista "A letra mata e o Espírito vivifica".
abração mano! tava com saudade.
Abraços,
Moura

Moura, meu querido, uma ressalva abaixo;

Segunda Carta de Paulo aos Coríntios, Capítulo 3, versículo 6.

Qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.

Roustainguista? Se sim, como?

Abs,

Carlos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rtt em 20 de Abril de 2012, 17:35
Oi Ricardo,

Nao estava argumentando que a alimentacao vegetariana e desiquilibrada. Mas que mas que qualquer opcao de alimentacao quando nao balanceada, excesso de um lado e carencia de outro, nao e' saudavel.

Uma vez assisti um programa britanico em que um vegetariano pedia ajuda de uma nutricionista para emagrecer. Sua dieta era exclusivamente de carboidratos complexos e poucos vegetais, se me lembro bem so' comia ervilha e tomate. Comia somente pizza em excesso feita para vegans. Era obeso e tinha colesterol total, triglicerides e glicose elevados no sangue. E' deste desiquilibrio na dieta que comentei.

Uma curiosidade em relacao a uma familia de veganos e' como fica a alimentacao de um recem-nascido e de uma crianca apos os 6 meses ja' que a amamentacao e' importante e o leite materno e de origem animal? Os substitutos que existem no mercado sao de origem animal e mesmo assim nao suplem anecessidade de anticorpos IgG que confere protecao ate que a crianca tenha um sistema imune mais maduro e competente.

Abracos fraternos
Marcos

 Sim Marcos,
 Concordo contigo, é importante balancear a alimentação.
 Sobre o leite materno, o veganismo não é contra o seu uso de forma nenhuma, inclusive é destacado que o ser humano é o único na natureza que toma leite de outras espécies (salvo em casos de adoções) e após se tornar adulto, o que não é necessário(e tem até problemas de saúde relacionados a isso).
 Mais: http://www.nutriveg.com.br/desnutriccedilatildeo-em-crianccedilas-veganas.html
 http://www.animal.org.pt/sjvg_vegbebecrian.html
 Um abraço
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Lívia Duz em 19 de Junho de 2012, 15:54
Bom dia!

O conselho brasileiro de nutrição já deu seu parecer sobre a dieta vegetariana, inclusive a vegetariana restrita adotada por veganos.

Diz o seguinte:

"Por sua natureza biológica, o homem pode comer o que quiser. Ao nutricionista cabe orientar o planejamento alimentar dos indivíduos, visando a promoção da saúde, respeitando as individualidades e opções pessoais quanto ao tipo de dieta."

O cuidado que se deve tomar ao vegetarianos restritos é a vitamina B12, mas que já vem suplementada em muitas marcas de proteínas vegetais e também em bebidas de soja, aveia, arroz, dentre outros. Podem acessar o link abaixo e ler na integra o parecer.
A dieta vegetariana é saudável sob o ponto de vista nutricional.

http://vista-se.com.br/redesocial/parecer-do-crn-3-sobre-dietas-vegetarianas-%E2%80%93-como-surgiu/

Grata!
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Silvio Matos em 30 de Junho de 2012, 17:09
Bem amigos,.....

Penso, logo,...existo!  ;D

 Gostaria de deixar apenas um lembrete.

A preocupação com o meio ambiente, defesa da vida de animais, alimentação e futuro da humanidade, é importante e nunca foi um tema tão atual como esse que vivemos. Pesquisas e mais pesquisas científicas sobre a vida ou o fim da vida no planeta TERRA.

Lembrete:

Tudo me é lícito,..mas nem tudo me convém!

Equílibrio sempre! Mas a vida do Espírito Encarnado é ou deveria ser a mais importante.

Se hoje, temos que matar animais para garantir e saciar a fome de muitos. Que matemos.

No futuro se tivermos que ser vegetarianos para sobreviver,......que assim seja!

Tudo se encadeia no universo!

A Inteligência Suprema que o Diga! ;)

Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 30 de Junho de 2012, 17:38
Mano Silvio, sua postagem me fez relembrar e por isso este parentesis no assunto principal...
Ontem avaliava um programa deTv onde o apresentador, falava sobre depilação nas partes íntimas e seu comentério mostrava que a regra hoje em dia seria a depilação total.
Neste ponto,desliguei-me do programa e comecei a pensar: Caramba, há tantos assuntos onde a tal da modernidade dita leis e atitudes, e no entanto nenhum pensamento é erigido no sentido de se mensurar que como creaturas que somos, o Creador, devia saber mais que nós...
Deus ao crear não fez senão Espíritos. A estes designou dois sexos e não mais, segundo a fase em que encarnavam, estes espíritos tiveram seus corpos dotados de maior quantidade de pelos que, sem uso de lâminas ou pomadas, foram desaparecendo diante dos séculos.
Hoje em dia, teria Deus ficado, senil, com algum mal que o privasse de suas omniciência?
Terá a creatura atingido maior grau de sapiência que Ele?
Parece, certa feita, que nos esquecemos de mensurar ou arrazoar sobre essas coisas antes de ditarmos modismos.
Assim também para com a alimentação, prudência, seriedade e alto grau de ponderação deverão ser a tônica em debates com este.
Segundo a bíbilia encontramos o ensino, "tudo Podeis fazer pois que tudo está em A Lei".
A Doutrina expressa a sua contrariedade aos excessos, e se soubermos pautar nossos atos, mesmo os da alimentação dentro deste ensino tudo irá bem e melhor.
abraços,
Moura
Bem amigos,.....

Penso, logo,...existo!  ;D

 Gostaria de deixar apenas um lembrete.

A preocupação com o meio ambiente, defesa da vida de animais, alimentação e futuro da humanidade, é importante e nunca foi um tema tão atual como esse que vivemos. Pesquisas e mais pesquisas científicas sobre a vida ou o fim da vida no planeta TERRA.

Lembrete:

Tudo me é lícito,..mas nem tudo me convém!

Equílibrio sempre! Mas a vida do Espírito Encarnado é ou deveria ser a mais importante.

Se hoje, temos que matar animais para garantir e saciar a fome de muitos. Que matemos.

No futuro se tivermos que ser vegetarianos para sobreviver,......que assim seja!

Tudo se encadeia no universo!

A Inteligência Suprema que o Diga! ;)

Abç
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: rtt em 01 de Julho de 2012, 23:00
Bem amigos,.....

Penso, logo,...existo!  ;D

 Gostaria de deixar apenas um lembrete.

A preocupação com o meio ambiente, defesa da vida de animais, alimentação e futuro da humanidade, é importante e nunca foi um tema tão atual como esse que vivemos. Pesquisas e mais pesquisas científicas sobre a vida ou o fim da vida no planeta TERRA.

Lembrete:

Tudo me é lícito,..mas nem tudo me convém!

Equílibrio sempre! Mas a vida do Espírito Encarnado é ou deveria ser a mais importante.

Se hoje, temos que matar animais para garantir e saciar a fome de muitos. Que matemos.

No futuro se tivermos que ser vegetarianos para sobreviver,......que assim seja!

Tudo se encadeia no universo!

A Inteligência Suprema que o Diga! ;)

Abç

 Tem razão, entretanto não temos que matar animais para garantir e saciar a fome de muitos. Ao contrário, isso (este modismo) apenas causa mais fome entre as pessoas devido ao desperdicio das calorias usadas para criar os animais, como já foi exposto em outros tópicos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 02 de Julho de 2012, 11:14
isso aí Ricardo.
Complementando,  o consumo de carne não contribui para diminuir a fome no mundo porque os irmãos que passam fome não tem acesso a carne ,que é um artigo de luxo.
As pessoas de outros países( salvo os amercicanos que têm hábitos similiares aos nossos) ficam chocadas quando descobrem que comemos carne três vezes ao dia.
As populações mais pobres são naturalmente vegetarianas ou semivegetarianas.
Infelizmente há uma cultura que relaciona o consumo de carne a status ,fazendo com que muitas pessoas com menos recursos se sintam diminuídas por não poderem consumir carne com frequência, o que é uma pena pois deveriam se sentir aliviadas por correrem menos riscos de desenvolverem infarto,avc, diabetes e alguns tipos de câncer.
Para saciar a fome do mundo é necessário melhor distribuição de renda pra que as camadas mais pobres da população tenham acesso aos alimentos. Não falta comida, falta recursos financeiros para adquirí-la.
abç
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Khaila Lima em 03 de Julho de 2012, 06:03
Ótimo assunto e as opiniões expressadas aqui, me iluminaram bastante.
Gostaria muito de ser uma vegetariana restrita, porem, com a dificuldade de seguir essa dieta a risca, sou ovolactovegetariana e me sinto extremamente bem com essa ação.
Novamente, sou grata pelos materias e opiniões expressadas aqui.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 07 de Julho de 2012, 12:40
Olá Caroline,
Olha também não sou vegana ainda, mas já estou a caminho.
Um site que me ajudou muito foi : www.papacapimveg.com (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wYXBhY2FwaW12ZWcuY29t).
A autora é vegana e apresenta altenativas muito nutritivas e saborosas aos produtos de origem animal. Consegui substituir o leite , a manteiga( margarina já consumo esporadicamente, é uma bomba química e para virar plástico só falta uma molécula) graças ás receitas da Sandra, criadora do blog que não é um blog vegano, mas um espaço dedicado a culinária vegetal e direcionado a qualquer pessoa que queira melhorar sua alimentação.
Aproximadamente 75% da população tem intolerância a lactose o que prova que o leite de mimosa não é um produto muito recomendado para humanos, pois seria uma injustiça muito grande a natureza ter privilegiado 25% da população.
Dentro deste 75% a maioria não sabe que tem intolerância a lactose e não associa os sintomas da alergia ao leite. Depois que diminuí consideravelmente os produtos lácteos desinchei bastante. O leite faz o corpo produzir  muco e o muco está intimamente ligado a progressão de tumores pois o câncer se alimenta do muco.
Além disso células cancerosas prosperam em um ambiente ácido, uma dieta com base em proteína animal( carne , ovos, laticínios e derivados) acidifica o organismo , portanto deve-se dar prioridade a alimentos alcalinos que levam o PH do organismo criando um ambiente desfavorável ao crescimento de células cancerígenas, para entender melhor este processo ler o artigo da química Conceição  Trucom:
www.docelimao.com.br/site/desintoxicante/principios/67-nao-podemos-ser-acidos.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5kb2NlbGltYW8uY29tLmJyL3NpdGUvZGVzaW50b3hpY2FudGUvcHJpbmNpcGlvcy82Ny1uYW8tcG9kZW1vcy1zZXItYWNpZG9zLmh0bWw=)
Existe um queijo de castanhas que é uma delícia e me ajudou aposentar de vez o requeijão.
O grande dilema dos vegetarianos é o queijo mas já existem opções veganas interessantes lá fora, o problema a é que o Brasil se encontra na idade média do veganismo.
Na Alemanha já existe supermercados veganos, um dia chegaremos lá, por aqui as coisas sempre demoram um pouco mais para acontecer principalmente levando em consideração nossa tradição cultural como criadores de gado.
Os americanos também já contam como uma infinidade de produtos veganos que faclitam muito a vida de quem quer abolir produtos oriundos da exploração animal., existe a "levedura red star" por exemplo que é utlilizada para fazer queijos vegetais.
Um produto interessante para substituir o queijo em pizzas e lasanhas é o mandiokejo, já testei e gostei do resultado, endereço para compra:
www.quebracabecaveg.net/categorias-index/83243/mandiokejo.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5xdWVicmFjYWJlY2F2ZWcubmV0L2NhdGVnb3JpYXMtaW5kZXgvODMyNDMvbWFuZGlva2Vqby5odG1s)
Boa sorte!
Abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Lívia Duz em 25 de Agosto de 2012, 04:50
Oláá!

Um amigo me encaminhou um texto muito interessante, é só ler online mesmo, o link abaixo:

http://www.reikibr.org/documentos/Era_uma_vez_um_espirita.pdf

Abraços! Boa noite!
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 25 de Agosto de 2012, 14:36
"Toda idéia nova forçosamente encontra oposição e nenhuma há que se implante sem lutas. ora, nesses casos, a resistência é sempre proporcional à importância dos resultados previstos, porque, quanto maior ela é, tanto mais numerosos são os interesses que fere. se for notoriamente falsa, se for tida por inconseqüente, ninguém se alarma; deixam-na passar, certos de que lhe falta vitalidade. se, porém, é verdadeira, se assenta em sólida base, se lhe prevêem futuro, um secreto pressentimento adverte os seus antagonistas de que constitui um perigo para eles e para a ordem de coisas em cuja manutenção se empenham. atiram-se, então, contra ela e contra os seus adeptos.
assim, pois, a medida da importância e dos resultados de uma idéia nova se encontra na emoção que o seu aparecimento causa, na violência da oposição que
provoca, bem como no grau e na persistência da ira de seus adversários."

O Evangelho Segundo o Espiritismo

Amiga Lívia, muito bom o material que você trouxe.
Não há dúvidas de que o vegetarianismo encontra-se ,neste momento, passando por esta prova de fogo.
As consciências já começam a despertar para um novo tipo de relacionamento com os demais habitantes deste planeta, mas é natural que toda mudança seja acompanhada de resistência pois não gostamos muito de mexer no que está bom.
Mudar dá trabalho e muitas vezes importa em renunciar a algo que gostamos ou que pensamos gostar, mas como já disse em outras postagens, trata-se de movimento ascendente e amparado pela espiritualidade, é um caminho sem volta: o futuro é verde.
Podemos até não cometer a violência de forma direta, mas se consumimos produtos frutos da violência no mínimo somos coniventes com ela e isso deveria ao menos gerar uma reflexão.

Ansiamos por um mundo de regeneração, mas não o alcançaremos tão cedo enquanto não mudarmos nossa maneira de pensar e agir. O mundo de regeneração é construído dentro de cada um de nós, e a violência não está em sintonia com a moral de um mundo de regeneração. Nossa postura deve ser avaliada não apenas em relação a humanos, mas na forma como nos relacionamos com o meio que nos cerca.

Um mundo regenerado é um mundo novo, portanto precisamos deixar sair o homem velho e entrar o novo se quisermos ter a ventura de habitar um mundo melhor e para isso forçoso será revermos nosso conceitos, pois um mundo de regeneração pede por  pessoas regeneradas, em todos os sentidos.

É inacreditável que nos estágio evolutivo que nos encontramos ainda seja normal e natural a existência de indústrias da morte( abater é sinônimo de matar, logo indústria de abate=indústria da morte).
E o mais inacreditável é perceber que não há um questionamento mais profundo sobre isso, que não refletimos sobre o impacto que nossos hábitos têm para outros seres e que a cada vez que vamos ao supermercado estamos sendo coniventes com o que acontece nos matadouros e financiando esta indústria , sim porque ela só existe porque existe demanda.

Cada um de nós tem a oportunidade de mudar isso quando como consumidores usamos da nossa liberdade de escolha e optamos pela vida e não pela morte.
Gandhi já dizia: seja a mudança que você quer ser no mundo, se queremos viver em um mundo menos violento e mais amoroso podemos começar tirando a violência da nossa mesa.

"Olhai o fundo de seus olhos mansos, sem a arrogância dos fortes e a indiferença dos egoístas, e vereis ali cintilando o reflexo de uma alma divina, filha do Criador que também é o Criador da vossa; lereis o apelo silencioso dessas vidas que tateiam nos labirintos da consciência como criancinhas aprendendo a andar vos dizer:
 “Deixa-me viver para aprender a ser um dia como tu, que já foste outrora como eu”.


trecho retirado do livreto "Era uma vez um espírita..."

P.S: para aqueles que querem ser vegetarianos mas ainda têm dúvidas e se sentem inseguros recomendo a leitura deste texto:
http://papacapimveg.com/perguntas-frequentes-e-mitos-sobre-veganismo/.
Hoje já existem inclusive médicos vegetarianos. O Dr Eric Slywitch tem duas execelentes obras para quem está decidido a deixar de se alimentar de animais: "Virei Vegetariano e Agora?" e"Alimentação sem Carne".
Ele escreve diversos artigos desmistificando o consumo de carne, site do médico: www.alimentacaosemcarne.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hbGltZW50YWNhb3NlbWNhcm5lLmNvbS5icg==)

" Só há um tempo em que é fundamental despertar. Este tempo é agora"
Buda

abraços
Susana



Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diana Barbosa em 28 de Setembro de 2012, 16:19
A nota abaixo é prestação de contas pública da empresa, mas denota como a produção de carne é danosa à atmosfera.

"Marfrig faz inventário global de gases-estufa

Autor(es): Bettina Barros | De São Paulo
Valor Econômico - 20/07/2011
 
 
A Marfrig, uma das maiores empresas de carnes do país, apresentou ontem dados consolidados de seu primeiro inventário de gases de efeito estufa, que contribuem para o aquecimento global. Já seria uma boa notícia para um representante importante de um setor com problemas ambientais conhecidos. Mas o avanço foi a magnitude do levantamento: a empresa mapeou todas as suas 152 unidades em 22 países, avançando sobre boa parte da cadeia produtiva.De acordo com o levantamento, realizado pela consultoria Key Associados, o Brasil lidera com 41% do total de gases jogados na atmosfera anualmente durante as atividades operacionais de companhia - foram 763.590 toneladas de dióxido de carbono equivalente (CO2 e) em 2010. Para o diretor de sustentabilidade Clever Ávila, isso se explica pelo fato de o país ter o maior parque fabril do grupo, presente nos EUA, Reino Unido, França, Argentina e Uruguai.

A proporção de emissões cai significativamente nos demais países de atuação da Marfrig. Os EUA, onde o grupo entrou após a compra da Keystone, empresa basicamente de industrializados, representou 16% das emissões totais (291 mil t/CO2 e). Uruguai, 10% (180 mil t/CO2 e), Reino Unido 9% (170 mil t/CO2 e), Argentina 5% (100 mil t/CO2 e), entre alguns exemplos.

O inventário refere-se aos rebanhos bovino, ovino, suíno e aves das unidades brasileiras e internacionais, de incubatórios e fazendas responsáveis pela engorda de bovinos à entrega de produtos ao primeiro centro de distribuição.

Após essa primeira fase, o próximo passo será criar ações de sustentabilidade para serem aplicadas de longo prazo. Para tanto, a Marfrig fará no início de novembro um workshop com lideranças mundiais para discutir metas.

Esse primeiro estudo, que será atualizado anualmente, servirá de modelo para ajustes para minimizar as emissões futuras de gases poluentes, e também para comprovar políticas que estão dando certo. Uma delas foi o investimento de renovação energética, migrando de um matriz suja (termelétrica) para limpa, afirma Ávila.

O inventário demonstrou, por exemplo, que 35% do total de emissões do grupo foram "neutras" - a emissão de poluentes foi compensada pela substituição de energia a partir de fontes renováveis. "Isso mostra que a nossa estratégia foi acertada", diz o executivo.

Hoje, o grupo Marfrig tem contratos de cinco anos com várias PCHs (pequenas centrais hidrelétricas) para suprimento de energia em algumas de suas plantas. Ávila afirma que outra possibilidade, na qual a empresa presta bastante atenção, é a energia eólica. "Estamos de olho no leilão de agosto".

Além disso, a Marfrig já produz energia própria em plantas de Promissão (SP) e Diamantino (MT) a partir do bagaço de cana e biogás. Isso representa 3% do consumo total de energia no país. A ideia é dobrar essa geração a partir de 2012."
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Diana Barbosa em 28 de Setembro de 2012, 17:06
Este é para defender o vegetarianismo, mas gostaria que todos o vissem, para que possamos debater em igualdade de conhecimentos.

É longo, mas é racional, lógico e contundente.

http://www.youtube.com/watch?v=8bH-doHSY_o&feature=player_embedded#!

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Lívia Duz em 17 de Outubro de 2013, 23:35
Boa noite queridos, tudo bem com vocês? ^^

Venho compartilhar  um vídeo dividido em duas partes. O médico especialista em nutrição fala sobre alimentação vegetariana.

PARTE 01 - Mitos e verdades sobre o vegetarianismo parte 1 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PS0tclFCNlpzZkRZJmFtcDtmZWF0dXJlPXlvdXR1LmJlIw==)

PARTE 2 - Mitos e verdades sobre o vegetarianismo parte 2 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVJFeGpValhKSk9ZJmFtcDtmZWF0dXJlPXlvdXR1LmJlIw==)


Muita luz a todos  :D
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Simone Nardi em 18 de Outubro de 2013, 19:04
 :)

 Como interpretar a frase “A carne nutre a carne”?!   :o

O assunto relacionado ao consumo humano de carne é, frequentemente, motivo de controvérsias dentro do movimento espírita. Isto ocorre porque, em um primeiro momento, ao ler "O Livro dos Espíritos" (L.E.), parece que os Espíritos aprovam, sem restrição, a alimentação carnívora. Entretanto, as duas respostas de “O Livro dos Espíritos” (L.E.) que abordam o referido assunto deveriam ser estudadas com mais cuidado.

De fato, a frase "a carne nutre a carne", utilizada pelos Espíritos superiores para responder a uma destas questões não entra no cerne propriamente dito da questão levantada pelo Codificador, pois o principal problema não é a questão nutricional, mas sim o problema moral. É claro que podemos discutir os aspectos positivos e negativos da carne, do ponto de vista nutricional, mas o problema principal não é esse. Kardec poderia questionar se seria lícito fazer uso de bebidas alcoólicas, ou de excesso de algum outro tipo de alimento, e não o fez. O Codificador elege como questão mais relevante a discussão sobre a alimentação carnívora, provavelmente devido à questão moral relacionada à antiqüíssima dúvida: é correto ou não matar animais para comer?!

Obviamente, os mentores espirituais da falange do Espírito de Verdade sabiam disso, ou seja, sabiam das intenções do Codificador e das principais implicações relacionadas à questão levantada por Kardec. Vale, portanto, questionar: Por que não entraram no cerne da questão. Por que não a exploraram com maior profundidade? Por que não exploraram mais o assunto, nem em “O Livro dos Espíritos” (L.E.) e nem nos demais livros do “Pentateuco Espírita”? Na “Revista Espírita”, há uma mensagem muito contundente que sugere que deixemos e/ou minimizemos o hábito de ingerir carne. Tal mensagem estaria em contradição com o L.E.?! Kardec se enganou ao publicá-la na “Revue Spirite”?! Trata-se de uma mistificação que enganou o Codificador? Kardec a publicou porque considerou que o assunto não estava devidamente esclarecido?

É importante ressaltar que é lícito discutir a eficácia nutricional da carne como alimento e se é imprescindível ou não à nossa saúde física, mas a principal questão , sobretudo do ponto de vista filosófico-religioso, diz respeito ao fato de termos de abater os animais. Isso seria eticamente aceitável?! Seria moralmente elevado tal hábito?!

Em suma, a qualidade da carne como alimento e o nível moral da atitude de se matar animais para alimentação são duas questões importantes, mas a segunda é a mais relevante do ponto de vista espírita. Se admitirmos a hipótese da atitude de se matar animais para a alimentação ser reprovável do ponto de vista moral, a relevância nutricional da carne não serviria de justificativa para contrapor o erro moral do abate dos animais. Esse subterfúgio seria ainda menos aceitável se houverem alternativas nutricionais que possam substituir a carne.

Muitos poderiam questionar: “Mas existem muitas pessoas que passam fome no mundo. Não seria lícito nesse caso?!” Essa seria uma segunda questão, e não a questão central e inicial. Essa questão seria o mesmo que dizer: “Consideramos eticamente questionável ou negativo o consumo de carne. Mas, e se estivermos passando fome?! Seria aceitável comer carne?!”. É possível que a resposta a essa segunda pergunta seja sim. Entretanto, das pessoas que ingerem carne, quantas estão passando fome?! E quantas não estão acabando com sua saúde por excesso de ingestão de carne?!

Se os Espíritos da falange do Espírito de Verdade, em L.E., aprovam totalmente o consumo da carne, como alguns confrades sugerem, então Emmanuel, André Luiz e Humberto de Campos, entre outros, erraram completamente. Pois eles realmente têm posicionamentos marcantes sobre o assunto, que não corroboram a interpretação pró-consumo de carne das duas questões de L.E.. André Luiz tem afirmações contundentes a favor de, no mínimo, minimizarmos o consumo de carne tanto em "Os Mensageiros" como em "Missionários da Luz". Emmanuel também tem uma resposta bem explícita a favor da diminuição do consumo carnívoro na obra “O Consolador”.

Autores espirituais importantes para a Doutrina Espírita como Emmanuel e André Luiz não poderiam errar tantas vezes, e com tamanha ênfase. Então, o que estaria acontecendo?!

A problemática questão parece envolver o momento histórico da publicação de “O Livro dos Espíritos”. À época, estávamos, por exemplo, muito longe de eliminar a escravidão no Brasil, (mesmo no chamado "Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”). A escravidão acabaria no Brasil somente em torno de 28 anos após a publicação da segunda edição (edição definitiva) de “O Livro dos Espíritos” (em torno de 31 anos após a publicação da primeira edição de “O Livro dos Espíritos”). Nos Estados Unidos, iria começar a Guerra da Secessão, que também era motivada, entre outros fatores, pela questão da escravidão. Ora, se o ser humano, em países civilizados, ainda escravizava outros seres humanos por causa da cor da epiderme, o que aconteceria se o Espiritismo levantasse, naquele tempo, a bandeira da alimentação sem carne?! A Doutrina Espírita seria ainda mais perseguida do que foi, mais ridicularizada do que foi, pois era uma discussão ainda precoce para a esmagadora maioria dos habitantes da crosta. Portanto, seria um desgaste desnecessário e contraproducente ao desenvolvimento do movimento espírita assumir tal posição naquela época.

De fato, muitos companheiros Espíritas da atualidade continuam achando eticamente elevado matar animais para comer.  Mais de 150 anos após a publicação da segunda edição de “O Livro dos Espíritos”. Se é difícil discutir isso atualmente, mesmo dentro do meio espírita, imagine naquele tempo. O ensino precisa chegar até nós no momento que estamos minimamente preparados para a sua assimilação. Em “Nosso Lar”, o Ministro Genésio afirma para André Luiz: “Quando o discípulo está pronto, o mestre aparece”. Em “O Livro dos Espíritos”, os Espíritos superiores afirmam: “Luz demais ofusca ao invés de clarear (esclarecer)”. De fato, o processo educacional para a mudança de costumes é constante, porém lento e gradual.

Alguns autores, visando simplificar a questão, afirmam que Chico Xavier comia carne. Na verdade, essa informação necessita de maior contextualização sobre os hábitos de vida de Chico Xavier.  Em todo caso, é bastante curioso tal argumento ser utilizado com tão frequência, pois três autores espirituais, dentre os principais que escreviam pela mediunidade de Chico Xavier, induzem a, no mínimo, diminuir tal comportamento. Quem, portanto, está com a razão: Os mentores e autores espirituais da obra de Chico Xavier (que consiste no principal legado de sua vida, pois é obra para ser estudada através dos séculos. Tanto é que Emmanuel dissera em uma famosa reunião de materialização, na qual Chico Xavier era o instrumento mediúnico: “A tarefa do Chico é o livro!”) ou aqueles que afirmam, de forma simplista que Chico Xavier comia carne. Chico Xavier tinha por hábito tentar ser simples e humilde e, na medida do possível, não constranger as pessoas que não tinham a elevação dos seus hábitos e, indiretamente, não criar uma idolatria exagerada sobre a sua pessoa, o que, apesar de seus esforços, acabou, em alguns casos, acontecendo.

Além disso, esse argumento de que Chico Xavier comia carne não modifica em nada o conteúdo das obras que os instrutores espirituais dele trouxeram. Alguns simplificam a questão, o que parece ocorrer simplesmente porque comem carne, o que é um grave erro. Neste caso, estaria havendo uma distorção de um conceito doutrinário porque ainda não podemos vivenciá-lo, o que é um erro crasso visando uma justificação perante a consciência, o que, além de não funcionar, não faz o menor sentido perante a Doutrina Espírita. Quando pregamos Doutrina Espírita, não estamos pregando para os outros, mas para nós mesmo e não estamos afirmando que vivenciando tudo aquilo que nossa consciência já considera errado. “Os são não necessitam de médico”, e o fato de ainda não vivenciar integralmente os postulados espíritas, não nos inviabiliza para iniciarmos o trabalho doutrinário.

Afinal, o primeiro passo é o estudo doutrinário; o segundo é a conscientização do que é correto perante as Leis de Deus; o terceiro é a conscientização da necessidade de modificar para melhor os nossos hábitos, procurando a harmonização com essas Leis; o quarto consiste em traçarmos estratégias e iniciarmos o esforço de transformação efetiva de nossa personalidade; o quinto seria perseveramos no esforço iniciado para efetivarmos a médio ou longo prazo uma efetiva mudança para melhor.

Emmanuel afirma: “Começar é fácil; Perseverar é muito difícil; Concluir a tarefa é raríssimo!”

Reflitamos na necessidade de aprofundarmos o estudo doutrinário e o intercâmbio de idéias, sem preconceitos, para que cada vez mais “nos aproximemos da Verdade para que ela nos liberte”.

Leonardo Marmo Moreira

link http://centroespiritacaminhodapaz.blogspot.com.br/2012/12/como-interpretar-frase-carne-nutre-carne.html
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 20 de Outubro de 2013, 13:36
O grande mal do homem está na falta de equilíbrio e nas ações extremistas que, invariavelmente, promovem a desarmonia que é, também, uma forma de desiquilíbrio. É isso que vemos aqui sobre esta questão da alimentação e sobre qualquer outra questão da natureza humana quando as opiniões são tendenciosas aos extremismos.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 20 de Outubro de 2013, 17:00
Pois é mano Kao, concordo contigo!
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 20 de Outubro de 2013, 17:13
O grande mal do homem está na falta de equilíbrio e nas ações extremistas que, invariavelmente, promovem a desarmonia que é, também, uma forma de desiquilíbrio. É isso que vemos aqui sobre esta questão da alimentação e sobre qualquer outra questão da natureza humana quando as opiniões são tendenciosas aos extremismos.

Olá Kazaoka,
Podemos então desenvolver melhor o raciocínio?
Há 200 anos atrás a sociedade, inclusive as pessoas mais cultas e esclarecidas, aceitava como natural a escravidão, prática hoje que nos causa repulsa.
Mentes despertas começaram a questionar esta prática e possivelmente foram considerados extremistas e radicais, porque todo mundo que vai contra o que está socialmente estabelecido e aceito como natural é considerado assim.
Já diz a famosa frase: "Todo aquele que ousa defender uma verdade antes do seu tempo é considerado herege".
Então eu pergunto: Eram os irmãos pró abolicionistas que eram radicais ou os demais que padeciam de uma acomodação moral?

Hoje temos senzalas ainda disfarçadas sob o nome de fazendas de criação.
Tiramos os negros e colocamos os animais em seus lugares, em essência a questão é a mesma. Continuamos explorando e encarcerando seres livres para atender nossas conveniências. O mundo de regeneração é construído por cada um de nós e ele só chegara quando nós formos serem regenerados, em todos os sentidos.
Então, trabalhar para divulgar uma nova consciência, instigando as pessoas a saírem de suas zonas de conforto em prol de um objetivo nobre me parece ser uma atitude de amor e compaixão em sintonia com o prega a DE.
Não dá para querer um mundo melhor e desejar a paz se não agimos com benevolência com os demais seres que habitam este planeta. Como desejar a paz semeando violência?

Já passou da hora de começarmos a refletir com mais profundidade sobre o assunto e sinceramente não considero um ato de extremismo tentar divulgar informações que levam a um comportamento mais amoroso e compassivo com as demais criaturas , mas sim um ato de amor.
Diversos espíritos amigos têm nos alertado nas últimas décadas sobre esta relação de exploração que estabelecemos com os animais. Hoje a libertação animal têm se levantado como um dos grandes questões éticas a serem enfrentadas pela sociedade porque não começar então a refletir sobre isso?

até mais
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 20 de Outubro de 2013, 18:27
Boa tarde Suzana.
Admiro muito qualquer impulso inovador que ascenda a moral humana. Mas sou muito reservado aos efeitos de ações extremistas, sejam elas a nome do que for.
Tudo vem a seu tempo. e a escravidão negra, assim como o holocausto nazista e outras comoções humanas emprestaram os seus exemplos e suas lições para a formação da consciência humana da atualidade. Tudo a seu tempo e de acordo com as conveniências divinas, mais do que com as vontades humanas.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 21 de Outubro de 2013, 13:57
Concordo Kazaoka, mas e se este tempo chegou?
E se este movimento que vem se desenhando está dentro da vontade divina?
E se Deus tem enviado irmãos para trazer uma nova consciência à humanidade?
Como ter certeza de que as pessoas que defendem o fim da escravidão animal não estão sendo instrumentos da espiritualidade?


Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 21 de Outubro de 2013, 15:09
O que é do desígnio de Deus sempre prevalece.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 21 de Outubro de 2013, 15:40
Quando começamos a tratar o "se" com se fosse uma verdade, passamos de meros hipotetizadores, à condição de ditadores de um futuro que não se possa aquilatar agora.
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 21 de Outubro de 2013, 18:02
Há algum tempo venho me incomodando com certas coisas com relação à alimentação... Bom lendo e analisando tudo aqui neste tópico, tenho algumas dúvidas que gostaria de compartilhar...
Se desenvolvermos em uma propriedade rural pequena nossos alimentos (carnes, vaca de leite, legumes, frutas, etc...) é errado de alguma forma e se sim gostaria de elucidações a respeito.
A evolução humana prevê em algum lugar, alguma coisa sobre essa mudança de hábitos alimentares?
Aqui onde resido (interior) ñ possuímos acesso com tanta facilidade aos fast foods (grandes vilões), bem como, aos alimentos desprovidos de algum tipo de proteína animal... Em uma cidade pequena como a minha, como abrir mão de carnes (todas), ovos, laticínios e enfim... Já que não temos os mercados com opções variadas à este tipo de alimentação? E qdo encontramos é caríssimo...
Me incomodo com o assunto, e gostaria de saber se o consumo consciente nos compromete? 

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 21 de Outubro de 2013, 18:08
O que é do desígnio de Deus sempre prevalece.

Olá Kazaoka,
Mas é o que está acontecendo. A cada dia que passa mais pessoas se tornam vegetarianas. Este é um momento de transição para uma nova consciência. Podemos seguir o fluxo ou tentar remar contra a a maré.

Mais de dez por cento da população inglesa é vegetariana. A cada semana cerca de 2.000 ingleses viram vegetarianos. As escolas deste país são obrigadas a oferecer refeições vegetarianas (também).  Na Europa já existe supermercados veganos. No Brasil já somos mais de 15 milhões.

Fazendo novamente o paralelo com a situação dos escravos. Durante muio tempo a escravidão prevaleceu, então dentro da sua alinha de raciocínio aquela situação estava nos desígnios de Deus. Porém um movimento contrário começou a se desenhar e hoje prevalece exatamente a situação oposta, o que segundo então a mesma lógica, também estava nos desígnios de Deus.
Temos hoje médicos, cientistas, nutricionistas, atletas, políticos, filósofos, cineastas, juristas e milhôes de pessoas no mundo vegetarianas, é um movimento ascendente.

Não precisamos esperar que todas as pessoas do mundo sejam vegetarianas para começar a repensar o consumo de animais. Como não se precisava esperar que todos os escravos fossem libertados para perceber que aquela situação não era ética.
Tenho usado como paralelo a escravidão porque de fato os animais são escravos então me parece que esta analogia é a mais adequada.

Então, vamos imaginar que naquela época tivéssemos escravos, e que todo mundo tinha e esta era a situação que prevalecia. Pois bem, eu não poderia refletir sobre aquilo e chegar a conclusão de que não é ético escravizar seres livres? Deveria manter meus escravos presos apenas porque todo mundo mantinha e esta era a situação que prevalecia? Não seria uma atitude fraterna alforriá-los e tentar esclarecer os outros sobre isso, incentivando uma reflexão ética até que esta situação preponderasse?

Os espíritos deixam claro que nos mundos mais evoluídos não há exploração dos animais e como queremos que nosso mundo evolua se continuamos mantendo os mesmos hábitos?
Como querer viver em um mundo regenerados  e melhor se continuamos nos afinizando com atitudes características de mundos primitivos?
Como colher paz semeando violência?

 Eu realmente não compreendo. Parece paradoxal desejar alguma coisa mas insistir em posturas e hábitos que são frontalmente contrários ao objetivo que se almeja. ???

"Insanidade é fazer as coisas sempre do mesmo jeito e esperar resultados diferentes .
Albert Eistain

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 21 de Outubro de 2013, 18:40
Há algum tempo venho me incomodando com certas coisas com relação à alimentação... Bom lendo e analisando tudo aqui neste tópico, tenho algumas dúvidas que gostaria de compartilhar...
Se desenvolvermos em uma propriedade rural pequena nossos alimentos (carnes, vaca de leite, legumes, frutas, etc...) é errado de alguma forma e se sim gostaria de elucidações a respeito.
A evolução humana prevê em algum lugar, alguma coisa sobre essa mudança de hábitos alimentares?
Aqui onde resido (interior) ñ possuímos acesso com tanta facilidade aos fast foods (grandes vilões), bem como, aos alimentos desprovidos de algum tipo de proteína animal... Em uma cidade pequena como a minha, como abrir mão de carnes (todas), ovos, laticínios e enfim... Já que não temos os mercados com opções variadas à este tipo de alimentação? E qdo encontramos é caríssimo...
Me incomodo com o assunto, e gostaria de saber se o consumo consciente nos compromete? 



Olá Aline,
Quando tiver oportunidade acesse estes links:
www.papacapimveg.com (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wYXBhY2FwaW12ZWcuY29t)
( é um site com receitas veanas, mas tem algumas seções que abordam algumas das suas perguntas)

www.alimentacaosemcarne.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hbGltZW50YWNhb3NlbWNhcm5lLmNvbS5icg==)
( do médico vegetariano DR Eric Slywitch)

www.nutriveg.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5udXRyaXZlZy5jb20uYnI=)
( do nutriiconista vegano Dr Gerorge Guimarães)


Depois te mando material complementar por mensagem pessoal.
Qualquer coisa estou à disposição.
abç
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Le em 21 de Outubro de 2013, 19:05
Olá companheiros

Revendo este tópico com tantas colocações na defesa de uma e outra, outras por vezes, uma vontade de colocar as questões seguinte:

A parte material do ser humano, o corpo de carne, é composta de quê?

Dirão muitos, da componentes sólidos e líquidos.

Mas destes o que constitui os sólidos?

Qual a percentagem relativamente ao todo?

E os líquidos, qual a percentagem ?

Se dirá que a grande parte é água. mais ou menos 75%, sendo que o sangue bem como o cérebro, sabe-se hoje, é de aproximadamente 80%.
Bem, mas a água, qual a sua composição?

Claro que quando falamos em água, é na realidade constituída por apenas dois gases na proporção de 2 para 1, seja 2 partes de Hidrogénio e 1 de Oxigénio.

Fica uma pequena parte para o conjunto dos elementos sólidos.

É na alimentação diversificada que o corpo humano pelas suas caracteristas inatas, resultantes da acção do Criador, que ele conseguirá os elementos nutrientes  à constituição de um corpo harmonizado.

E aqui entra como não podia deixar de ser a carne. Claro que na devida proporção face às necessidades do corpo e não à satisfação da gula, do prazer etc.

Na natureza tudo deve seguir a leis naturais e estas são, como não podia ser de outra forma, as Leis do Criador de todas as Coisas, Essa Inteligência Suprema como nos é instruído pelos Espíritos que transmitiram os ensinamentos insertos na Doutrina.

O que se queira tomar como melhor de acordo com o que em cada época se conhece, ou pensa conhecer, é da inteira responsabilidade de cada um que pode, de acordo com o livre arbítrio que a cada um foi conferido.

Agradeço aceitem as minhas saudações fraternas

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Brenno Stoklos em 21 de Outubro de 2013, 20:08

Se desenvolvermos em uma propriedade rural pequena nossos alimentos (carnes, vaca de leite, legumes, frutas, etc...) é errado de alguma forma?

Me incomodo com o assunto, e gostaria de saber se o consumo consciente nos compromete? 



Nada há na Doutrina Espírita que leve ao entendimento nesse sentido!

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 21 de Outubro de 2013, 20:40
Quando começamos a tratar o "se" com se fosse uma verdade, passamos de meros hipotetizadores, à condição de ditadores de um futuro que não se possa aquilatar agora.
Abraços,
Moura

Porque isso é coisa para o futuro e não pode ser instituído agora se muitos médicos e nutricionistas dizem que é possível e saudável não consumir animais para ter saúde?
Porque empurrar para as próximas gerações a obrigação de uma mudança  que nós mesmos podemos instituir?
Porque isso é tarefa apenas para as gerações futuras se milhões de pessoas vivem já esta prática em seu cotidiano?
Os Hunza são essencialmente vegetarianos vivem até os 145 anos com vigor e saúde, não conhecem a palavra doença e  têm a mesma constituição física que os demais seres humanos então se eles conseguem ter saúde mesmo se abstendo de comer animais porque nós não poderíamos conseguir?
Não consegui compreender o que quis dizer exatamente, poderia explicar melhor?
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: ram-wer em 21 de Outubro de 2013, 23:33
Há algum tempo venho me incomodando com certas coisas com relação à alimentação... Bom lendo e analisando tudo aqui neste tópico, tenho algumas dúvidas que gostaria de compartilhar...
Se desenvolvermos em uma propriedade rural pequena nossos alimentos (carnes, vaca de leite, legumes, frutas, etc...) é errado de alguma forma e se sim gostaria de elucidações a respeito.
A evolução humana prevê em algum lugar, alguma coisa sobre essa mudança de hábitos alimentares?
Aqui onde resido (interior) ñ possuímos acesso com tanta facilidade aos fast foods (grandes vilões), bem como, aos alimentos desprovidos de algum tipo de proteína animal... Em uma cidade pequena como a minha, como abrir mão de carnes (todas), ovos, laticínios e enfim... Já que não temos os mercados com opções variadas à este tipo de alimentação? E qdo encontramos é caríssimo...
Me incomodo com o assunto, e gostaria de saber se o consumo consciente nos compromete? 

Oi, Aline,

Reconheço que a galera do interior não dispõe das facilidades encontradas nas capitais. No Brasil, talvez a pior situação seja no Nordeste: há poucos anos, até nas capitais os "produtos naturais" eram coisa do outro mundo. Mas isso tá mudando. Ninguém pode deter o avanço evolutivo da humanidade.

No entanto, vivendo no interior cê tem uma grande vantagem sobre o habitante de megacidade: o ar. O ar é nosso principal alimento físico. Salvo se sua cidade tiver alguma indústria poluente, vocês estão mais bem servidos.

No livro Evolução em dois mundos, André Luiz ensina que a maior parte de nossa constituição corporal provém da respiração. Sendo assim, sirva-se, rs.

O grande problema de comer carne não é a toxidade dela, nem o envelhecimento acelerado, nem a calvície ou a celulite. É a crueldade. À exceção das crianças e dos maiores incapazes, quem come animais é um matador. Sim, é responsável pela matança de seus irmãos. A maior responsabilidade é a de quem manda matar, não a de quem cumpre a ordem. O sistema é o cumpridor. Nós, os mandantes. Sim, isso nos compromete para com a vida terrena. Compromisso que nos incomodará na vida celeste.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 22 de Outubro de 2013, 02:34

Na natureza tudo deve seguir a leis naturais e estas são, como não podia ser de outra forma, as Leis do Criador de todas as Coisas, Essa Inteligência Suprema como nos é instruído pelos Espíritos que transmitiram os ensinamentos insertos na Doutrina.

Olá Le,
Só que nós não fomos projetados para comer carne. Nós somos animais frugívoros.
Na natureza vigora a regra da similaridade. Nossos parentes, primatas antropóides sâo frugívoros.
A fisiologia diz qual é a  dieta alimentar adequada aos seres.
É como se fossemos um carro porjetado para andar a gasolina, mas que excepcionalmente aceitasse álcool( carne), só que passamos a abastecer este carro com álcool de forma continua aí o resultado não podia ser outro: o carro escangalhou.

Não surpreende a quantidade absurda de doenças que assolam a humanidade. Não respeitamos nossa biologia e fisiologia e deixamos de comer de forma preponderante o que fomos projetados para comer.
Os povos mais longevos do mundo não consomem carne, ou o fazem de forma homeopática, ou ainda em raríssimas ocasiões e em ínfimas quantidades, algo muito longe da dieta alimentar padrão da maior parte  da humanidade. Talvez eles sim comam carne com moderação, 3 a 4 vezes ao ano em eventos festivos, mas não conheço um ocidental que coma carne com moderação, tanto é que a carne é considerada sempre o prato principal e os demais alimentos acompanhamentos e muitas vezes está presente na mesa em pelo duas refeições diárias. Isso definitivamente não é moderação.

Esses são os aspectos biológicos e fisiológicos, além disso, há um aspecto ético que deve ser enfrentado.

Cada um come o que quer. Verdade.
Cada um faz o que quer. Depende

Podemos fazer o que quisermos, desde que isso não interfira no direito alheio e seja absolutamente necessário.

Se alguém passa pela mata e vê um animal morto e quer comê-lo, nenhum problema. Se está passando fome e vê um animal e decide comê-lo por não ter outra opção, nenhum problema. Se escraviza, subjuga e explora seres com finalidade de comê-los quando isso não é absolutamente necessário, temos um problema.
Como vê a discussão não é sobre carne , mas sobre destruição desnecessária de animais, estamos falando de ética, não de nutrição. As explicações nutricionais são decorrência dos questionamentos levantados, mas o cerne do debate é ético.

Os espíritos da codificação dizem que a destruição dos animais se justifica por motivo de necessidade e segurança.
Se a ciência, a Associação Dietética Americana, O Conselho Federal de Nutrição afirmam que a alimentação vegetariana é segura onde está hoje o argumento da necessidade?

Talvez ele exista nas regiões ermas, onde os seres vivem em constante estado de necessidade( no Alasca, no deserto, nos sertões, nas selvas), mas esta não é a situação dos demais seres humanos.
Então porque continuar escravizando e subjugando animais se temos alternativas?
Se alguém come banana ou maça é um problema individual, mas se quer escravizar animais para comê-los, apenas porque é gostoso e é um hábito cultural, então não se trata mas apenas de uma questão individual e material. Há um componente ético e moral envolvido que deve pelo menos ser enfrentado e discutido.
A questão que sempre levanto nos tópicos é: porque continuar escravizando animais quando podemos ter saúde sem precisar ingeri-los?

Os onívoros comem carne por sobrevivência,são oportunistas, comem o que parece porque nunca sabem quando vão se alimentar de novo. Sem dúvida é uma vantagem evolutiva, num meio natural porque vc não fica refém apenas um alimento então em grandes cataclismas ou períodos críticos quem tem uma dite mais diversificada tem mais chance de sobreviver.
Isso foi importante na evolução humana, mas não vivemos mais na selva tenha que matar um leão por dia sem saber quando iremos comer de novo. Não vivemos em um ambiente extremante inóspito e instável para ter que comer comida de sobrevivência. Portanto não precisamos mais usar de um recurso excepcional como algo corriqueiro.

Com tanta informação, tecnologia porque continuar insistindo em hábitos tão primitivos?
Não seria o momento de começar a  buscar uma relação mais harmônica com os demais habitantes deste planeta?

Sei que há uma tendência natural humana em tentar defender seus hábitos, principalmente quando há alguma forma de prazer envolvido, mas gostaria de pedir aos amigos que não se contentassem com explicações simplistas e superficiais e pesquisassem mais sobre o assunto.
Não tenho o poder de mudar hábito de ninguém, aqui só me proponho a divulgar informações com objetivo de instigar um senso crítico e despertar o interesse de se ler mais sobre o assunto.
Quem sabe, ouvindo outros argumentos e tendo mais ifnormação sobre o assunto passemos a ver as coisas sob outra ótica? ;)
Os animais agradecem. :)
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 22 de Outubro de 2013, 02:37
Há algum tempo venho me incomodando com certas coisas com relação à alimentação... Bom lendo e analisando tudo aqui neste tópico, tenho algumas dúvidas que gostaria de compartilhar...
Se desenvolvermos em uma propriedade rural pequena nossos alimentos (carnes, vaca de leite, legumes, frutas, etc...) é errado de alguma forma e se sim gostaria de elucidações a respeito.
A evolução humana prevê em algum lugar, alguma coisa sobre essa mudança de hábitos alimentares?
Aqui onde resido (interior) ñ possuímos acesso com tanta facilidade aos fast foods (grandes vilões), bem como, aos alimentos desprovidos de algum tipo de proteína animal... Em uma cidade pequena como a minha, como abrir mão de carnes (todas), ovos, laticínios e enfim... Já que não temos os mercados com opções variadas à este tipo de alimentação? E qdo encontramos é caríssimo...
Me incomodo com o assunto, e gostaria de saber se o consumo consciente nos compromete? 



Vejamos uma opinião científica:

http://www.ted.com/talks/lang/pt-br/allan_savory_how_to_green_the_world_s_deserts_and_reverse_climate_change.html?embed=true
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 22 de Outubro de 2013, 02:54

Olá Brenno,
Se um dano é inevitável, ele deve ser sempre o menor possível.

Anexei na mensagem um estudo sobre os impactos ambientais da criação de animais.


Certo, amiga Susana,

As questões ambientais são idênticas em ambos os casos, etc...

Mas não é à questão ambiental que me refiro, mas à questão Moral.

O fato é que, em ambos os casos, animais são mortos. Seja para que nos alimentemos diretamente deles ou para que plantemos vegetais.

Também não adianta falar-se em crueldade, pois que não é mais cruel sacrificar-se um animal do que condená-lo a morrer de fome ou envenenado.

O que tornaria mais aceitável, moralmente, matar-se um animal de uma ou de outra forma?

A necessidade. Não podemos viver sem plantas, mas podemos viver sem comer animais.
Além disso a questão principal é: ninguém escraviza um pé de alface.
O que está por trás do debate da libertação animal, que por consequência influenciaria no consumo de carne, é a subjugação e escravidão de seres livres, que têm direito de vivenciarem suas experiência de forma plena, nem que isso importe morrer abocanhado por um leão.
Ninguém está querendo proteger as vacas da morte. Na natureza animais morrem, é um processo natural.
O que estou colocando é que não há necessidade de continuar financiando campos de concentração e incentivar o holocausto animal. Esse tempo já foi, hora de virarmos esta página da nossa história.
Como eu disse antes , sempre haverá um impacto pelas ações humanas, mas ele deve ser sempre o menor possível.
Mesmo no caso da agricultura é possível manter um ecossistema saudável porque a agricultura orgânica e biodinâmica trabalha dentro dos ciclos da natureza e em harmonia com as demais formas de vida. Não existem pragas porque a natureza se encarrega do equilíbrio e as culturas são diversificadas. Em geral pragas são resultado de ecosssitemas desequilibrados e muito mais comuns em monoculturas.

Para se plantar alimentos para humanos haverá desmatamento. É verdade, mas para se plantar alimentos para humanos e animais haverá muito mais desmatamento e custo ambiental e muito mais mortes porque morrem os bois e os demais animais das plantações que irão alimentar bovinos e humanos.
Leia a cartilha que indiquei no anexo, tem muita informação interessante.




Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Le em 22 de Outubro de 2013, 12:16
Olá Susana, bom dia.
*-*-*
Olá Le,
Só que nós não fomos projetados para comer carne. Nós somos animais frugívoros.
Na natureza vigora a regra da similaridade. Nossos parentes, primatas antropóides sâo frugívoros.
A fisiologia diz qual é a  dieta alimentar adequada aos seres.

*-*-*-*

Há sempre uma primeira vez para....

No caso em tantos anos, com estudo e análise das mais diversas fontes, é a primeira vez que tomo conhecimento desta informação.
Sempre me foi ensinado que o homem (o ser humano) é um animal omnívaro, e explicado precisamente pela sua fisiologia.
Sempre me foi ensinado, com explicações científicas, que o seu sistema digestivo não consegue transformar as proteínas incompletas em completas e, por isso, necessita de uma pequena dose de alimento de origem animal para a sua completa organização estrutural.
Não que não consiga sobreviver alimentando-se com abstinência deste alimento e são conhecidos muitos casos.

Mas o problema não está em comer ou não comer carne, está sim, nos exageros sejam eles quais forem.

A máquina implementada pelo homem para atingir os fins de ordem monetária para com isso conseguir obter mais bens matérias levou, leva e irá continuar a levar à implementação de acções tendentes ao exagero do consumo. Os exemplos são mais que muitos.

Pessoalmente não me atrevo a afirmar que está certo ou errado uma ou outra forma de nos nutrirmos para podermos manter este corpo de carne que, afinal, é o veículo necessário à evolução daquele que que cada um de nós é de verdade e com vida eterna, O ESPÌRITO, em devido tempo criado por DEUS, simples e sem conhecimentos (ignorante), objectivado à evolução até à perfeição total e então poder ter a sua "RESSURREIÇÃO".

Desejos de muita paz.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 22 de Outubro de 2013, 13:17
O grande problema de comer carne não é a toxidade dela, nem o envelhecimento acelerado, nem a calvície ou a celulite. É a crueldade. À exceção das crianças e dos maiores incapazes, quem come animais é um matador. Sim, é responsável pela matança de seus irmãos. A maior responsabilidade é a de quem manda matar, não a de quem cumpre a ordem. O sistema é o cumpridor. Nós, os mandantes. Sim, isso nos compromete para com a vida terrena. Compromisso que nos incomodará na vida celeste.
[/quote]

Olá Ram 'saquei', rs... Exatamente, sempre pensei em relação a isso, e tenho dó, se eu ficar perto do frango, por exemplo, na hora da morte e preparo, ñ como meeeessssmo, e não é nada além de sentimento de culpa... Fico pensando a respeito, e às vezes comento algo e me chamam de doente, neurótica e tal... (normal né para espíritas,  :D) mas cá com meus botões fico pensando será???? rs
Foi ótimo suas elucidações, e só p/ te 'matar' de inveja, aqui temos 2 indústrias só, mas moro na zona rural, he he he... Seguindo à risca a sua dica...
Abraços... Valeu!!!
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Le em 22 de Outubro de 2013, 13:22
Em tempo

Cara Susana

Depois da minha colocação manifestando o não conhecimento da definição do ser humano como frugívoro não posso deixar de apresentar a minha concordância com o seu texto porquanto, como terá podido constatar, ele está em sintonia com o que pessoalmente penso sobre o assunto.

Não queria deixar de transmitir algo que para mim foi mais uma das surpresas com que vamos sendo confrontados.

"Num comentário televisivo no passado domingo, obra de um dos grandes investigadores da vida na natureza, nas mais diversas áreas do nosso planeta, uma filmagem em plena selva africana área dos primatas ditos mais próximos de nós os humanos, chimpanzés e orangotangos.

A grande surpresa foi a de ver estes numa acção de caça com organização grupal, com perseguição e cerco até à captura da presa, no caso um símio de menor porte e depois, ao desmembramento e ingestão da presa repartida pelos vários elementos do grupo de caça.

Jamais pensei que tal fosse possível pois que o eu sabia era precisamente que os primatas se alimentavam exclusivamente de frutos.

Que mais nos irá surpreender enquanto estivermos, como estamos, de passagem neste planeta terra?

Uma vez mais desejos de muita paz.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 22 de Outubro de 2013, 13:27
Agradeço Edmar e Susana... Passarei o dia envolvida com os documentários e análises....  :-*
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 22 de Outubro de 2013, 15:16
O problema para com os documentários é que não formam, não fortalecem ou sequer explicam o tema sob a visão da DE.
meus manos, estudemos mais e mais detidamente a DE senão "o bicho pega".
Abraços,
Moura
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Simone Nardi em 22 de Outubro de 2013, 15:37

 É correto matar animais para comer?


Existiria alguma espécie de animal mais digna de respeito do que as outras?

E:

Mesmo nos alimentando exclusivamente de vegetais também não estamos matando animais para comer?


Talvez mesmo que sem querer, o Breno respondeu a questão se é correto ou não matar animais para alimentação ao questionar?lembrando que também somos animais.


"Existiria alguma espécie de animal mais digna de respeito do que as outras?"

Se a resposta for Não, significa que igualmente não temos qualquer direito de criar animais para serem mortos.

....mas insistimos nisso como se fôssemos uma espécie, em 3 milhões de 30 milhões na Terra, digna de maior respeito que as demais somente porque alegamos sermos racionais e o pior, Conhecer a Deus.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Simone Nardi em 22 de Outubro de 2013, 15:42
O problema para com os documentários é que não formam, não fortalecem ou sequer explicam o tema sob a visão da DE.
meus manos, estudemos mais e mais detidamente a DE senão "o bicho pega".
Abraços,
Moura

caro Moura

Quando for assistir a estes documentários procure no Pentatuco a parte sobre moral e verá que os documentários, embora não falem como os Espiritos, se propõe´ a mudar o ser humano naquilo que ele mais teme: A moral

grande abraço
Simone
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Simone Nardi em 22 de Outubro de 2013, 15:48
Espiritismo e Alimentação

 Em qualquer época e em qualquer lugar, quando o homem tenha perdido os seus pêlos, é provável que habitasse então um país quente, condições favoráveis para um regime Vegetariano que, segundo as Leis da Anatomia, devia ser o seu.
Charles Darwin



Atualmente, graças ao movimento de proteção animal e ao surgimento de Casas Espíritas que recebem animais, o tema “Alimentação” vem aguçando a curiosidade de muitas pessoas que, ao passarem a aceitar que os animais possuem senciência e uma alma semelhante a dos seres humanos, começaram a rever suas atitudes em relação a estes irmãos. Uma delas é a reeducação alimentar através da opção vegetariana. Embora muitas ideias a favor da alimentação a base de animais tenha, durante alguns anos, se alicerçado em algumas questões do Livro dos Espíritos , publicado em 18 de Abril de 1857, hoje, através do estudo mais refinado dessas mesmas questões, é possível notar que foi um erro interpretativo que fez com muitos acreditassem que Kardec e os Espíritos fossem a favor a morte de outros irmãos que estagiam conosco no orbe terrestre.

Seria impossível em poucas páginas realizarmos todo um estudo sobre o conteúdo do Livro dos Espíritos no que toque a alimentação de carne animal, por isso e com intuito de aguçar a curiosidade do querido leitor, escolhemos uma única questão que é capaz, também, de dar conta de toda a confusão que muitos fizeram em torno desta e de outras questões. Mas o que poderia ter causado tal confusão? Talvez o fato de não sabermos, em relação aos animais, o que sabemos hoje, a certeza de que possuem alma , de que são seres sencientes e de que possuem, cada um dentro de suas necessidades, um grau de inteligência.

Foram todas essas mudanças dentro do campo físico terrestre, nosso e dos animais, que fizeram com que hoje tenhamos a obrigação moral de ressignificar nossos antigos conhecimentos, olhando com ingenuidade para essas mesmas questões, a fim de poder enxergar tudo com um novo olhar. As questões 722, 723 e 724 são algumas das muitas questões que também tratam da alimentação a base da carne de nossos irmãos animais, mas que deixaremos para estudar numa outra oportunidade.

Em meados do século 19, época em que o Livro dos Espíritos foi publicado, bem pouco se conhecia sobre os animais. A Revista Espírita de Janeiro de 1866 ainda precisava reafirmar a realidade da alma das mulheres coisa que hoje em dia , somente a menção de que as mulheres , os índios e os negros não possuam alma, passa a ser ridícula. O conhecimento evoluiu desde então.

A questão 722 do Livro dos Espíritos trata - se nos atentarmos melhor a pergunta elaborada por Kardec - dos valores culturais de cada povo e da proibição de determinados alimentos , não necessariamente fala sobre a carne. Em muitas religiões consideravam-se duas categorias de animais : os limpos e os imundos. Os limpos seriam todos os animais que possuíssem unhas fendidas e ruminassem como os bois, cordeiros, carneiros entre outros. Os animais considerados imundos seriam todos os que possuíssem apenas as unhas fendidas ou apenas os que ruminassem tais como o porco, que possui a unha fendida, porém não é ruminante. Era proibido, portanto, alimentar-se da carne dos animais considerados imundos.

O que nos esquecemos é que também nós,nos dias atuais,temos nossos tabus culturais. Nos é proibido moralmente a alimentação a base de carne de cães e gatos, porém não a base de carne de bois e frangos, isso implica em um tabu cultural nosso, enquanto que por outro lado nos revoltamos ao saber que alguns povos orientais comem cães e gatos sem o menor constrangimento. Daí surge a questão 722 e é necessário estar atento ao enunciado para que se possa, realmente, compreender a resposta.

722. Será racional a abstenção de certos alimentos, prescrita a diversos povos? R. “Permitido é ao homem alimentar-se de tudo o que lhe não prejudique a saúde. Alguns legisladores, porém, com um fim útil, entenderam de interdizer o uso de certos alimentos e, para maior autoridade imprimirem às suas leis, apresentaram-nas como emanadas de Deus.”

Vamos rever esse trecho em particular: “Alguns legisladores, porém, com um fim útil, entenderam de interdizer o uso de certos alimentos e, para maior autoridade imprimirem às suas leis, apresentaram-nas como emanadas de Deus”. O Espírito que responde a questão coloca que alguns “Legisladores” criaram leis próprias a atribuindo posteriormente a Deus, por isso, e somente por atribuir ao homem a criação de uma “verdade”, é que o Espírito coloca que é “Permitido ao homem alimentar-se de tudo o que lhe não prejudique a saúde”. O que não significa, como geralmente é interpretado, que Deus tenha fornecido aos seres humanos uma autorização para matar seus outros filhos, os animais, em nome da manutenção de seus organismos, tal como não autorizou aos homens e mulheres a se matarem como ocorre desde a antiguidade.

Seja como for, a questão 722 foi perfeitamente respondida a partir do momento em que seu enunciado foi perfeitamente compreendido, afinal até bem pouco tempo muitos acreditavam que comer manga e tomar leite levava a morte. O tomate mesmo era tido como fruto venenoso e cultivado apenas como ornamento, até o Coronel Robert Gibbon Johnson subir nas escadarias do Tribunal de Salem, New Jersey em 26 de setembro de 1820 e comer uma cesta repleta de tomates, mais de 2000 mil pessoas assistiam o que acreditavam ser total suicídio. Johnson não morreu e encerrou ali um tabu alimentar.

O que ocorre é que, normalmente, o trecho onde se lê que tudo é permitido remete a alguns, a ideia de que Deus criou os animais para os seres humanos se alimentarem, como se nossos irmãos menores fossem meros objetos utilizados a cada toque de nossos desejos. Mas, seria correto? Para responder a essa questão seria preciso repetir aqui o Paradoxo de Epicuro para nos lembrarmos o que é Deus:

Ou Deus quer eliminar o mal e não pode; ou pode e não quer; ou não pode nem quer; ou quer e pode. Se quer e não pode, é impotente, o que não corresponde a Deus; se pode e não quer, é mau, o que é estranho a Deus. Se não pode nem quer, é ao mesmo tempo impotente e mau, logo não é Deus. Se quer e pode, o que corresponde somente a Deus, de onde então vem o mal ou por que Deus não o suprime? (Epicuro)

Livre Arbítrio, esta seria a resposta para a questão de Epícuro. Podemos acusar a Deus, mas, se Deus é bom, inteligência suprema e força primária de todas as coisas, podemos pensar: Que tipo de Deus permitiria este massacre diário que se torna ainda mais voraz no Natal, nascimento de Jesus?

Segundo a resposta do Espírito , quando os legisladores proibiram determinados alimentos alegando ordens divinas, o fizeram em beneficio próprio, contudo, hoje muitos de nós fazemos o mesmo ao atribuir ao Livro dos Espíritos a permissão para o extermínio de animais . Tais como os antigos legisladores hoje nós nos escondemos atrás de “leis divinas” para permitir que os animais sejam abatidos, tudo em benefício próprio. Por isso a necessidade de rever esses antigos conceitos que durante anos acabaram por sedimentar hábitos que se apropriam de vidas alheias com total naturalidade. Muitas podem ter sido as razões que levaram a proibição da alimentação, teníase, intoxicações, alergias e uma infinidade de outras doenças, porém, em nenhum momento recebemos a habilitação Divina para matarmos outros animais, façam eles bem ou mal a nossa saúde.


Referências

Allan Kardec – Livro dos Espíritos e Revista Espírita -Jornal de Estudos Psicológicos -ANO IX JANEIRO de 1866 Nº1

Tomatoes Lore and Legend http://homecooking.about.com/od/foodlore/a/tomatolore.htm

The Problem of Evil(Paradoxo de Epícuro) http://plato.stanford.edu/entries/evil/
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 22 de Outubro de 2013, 17:29
Mas Mano Moura... Eu ainda não encontrei nada referente ao assunto nas obras básicas... Estou em busca de respostas... Pesquisando e estudando... Me ajuda????? Pois estou incomodada com certos fatos e hábitos meus...
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Mourarego em 22 de Outubro de 2013, 18:17
Simone,
primeiramente gostaria de lhe informar que em termos de doutrina não existe Pentateuco algum. Os livros que formam a dourtina são em número de 18 pois entre estes estão os doze tomos da Revue. isso não sou em quem o diz mas o próprio codificador.

Dessarte, a parte moral não se modifica pelo uso  ou não uso de qualquer tipo de alimentação.
Abraços,
Moura
O problema para com os documentários é que não formam, não fortalecem ou sequer explicam o tema sob a visão da DE.
meus manos, estudemos mais e mais detidamente a DE senão "o bicho pega".
Abraços,
Moura

caro Moura

Quando for assistir a estes documentários procure no Pentatuco a parte sobre moral e verá que os documentários, embora não falem como os Espiritos, se propõe´ a mudar o ser humano naquilo que ele mais teme: A moral

grande abraço
Simone
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 23 de Outubro de 2013, 00:01
Olá Aline,
Faça uma leitura integrada dos textos e chegue à sua conclusão:

723. A alimentação animal, para o homem, é contrária à lei natural?

       — Na vossa constituição física, a carne nutre a carne, pois do contrário o homem perece. A lei de conservação impõe ao homem o dever de conservar as suas energias e a sua saúde para poder cumprir a lei do trabalho. Ele deve alimentar-se, portanto, segundo o exige a sua organização.

       724. A abstenção de alimentos animais ou outros, como expiação é  meritória?                                                             

       — Sim, se o homem se priva em favor dos outros, pois Deus não pode ver mortificação quando não há privação séria e útil. Eis porque dizemos que os que só se privam em aparência são hipócritas. (Ver item 720.)

  728. A destruição é uma lei da Natureza?

      - E necessário que tudo se destrua para renascer e se regenerar porque  isso a que chamais destruição não é mais que transformação, cujo objetivo é a renovação e o melhoramento dos seres vivos.

733. A necessidade de destruição existirá sempre entre os homens na Terra?

      —A necessidade de destruição diminui entre os homens à medida que o Espírito supera a matéria; é por isso que ao horror da destruição vedes seguir-se o desenvolvimento intelectual e moral.

734. No seu estado atua], o homem tem direito ilimitado de destruição sobre os animais?

      — Esse direito é regulado pela necessidade de prover à sua alimentação e à sua segurança; o abuso jamais foi um direito.


Isso tudo foi escrito há quase dois séculos e estava em perfeita consonância com o que a sociedade ocidental tinha de conhecimento nutricional.
Porém, passado este tempo a ciência têm sistematicamente endossado a idade a de que  carne faz mais mal do que bem à saúde. Nos últimos anoa dezenas e dezenas de pesquisas têm convergido para os mesmos resultados.
O codificador sempre nos recomendou andar junto com a ciência então como ignorar a enxurrada de pesquisas que apontam uma relação entre  consumo de carne e todas as doenças imagináveis no mundo? Como ignorara que os povos mais doentes do mundo são justamente os que mais consomem carne? Como aceitar que a asuência de um alimento nocivo possa levar ao perecimento?
Um dos maiores cardiologistas americanos Dr     têm evitado o bisturi e muitas pontes de safena exclusivamente com a adoção de uma dieta vegana.
Entre o está escrito na questão 723 do LE e o que vem sendo (re)descoberto pela ciência, fico com a ciência como recomendou Allan Kardec.
Pois se um dia tiver que acreditar nas coisas cegamente, ao invés de submetê-las ao uso da razão, fecho todos os livros da codificação.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 23 de Outubro de 2013, 02:30

       724. A abstenção de alimentos animais ou outros, como expiação é  meritória?                                                             

— Sim, se o homem se priva em favor dos outros, pois Deus não pode ver mortificação quando não há privação séria e útil. Eis porque dizemos que os que só se privam em aparência são hipócritas. (Ver item 720.)

Eu posso estar enganado, mas penso que no contexto da resposta o “se priva em favor dos outros” é “deixa de comer certos alimentos para favorecer outros”, ou seja, para que outros o comam em seu lugar e não sejam assim privados dos nutrientes que sua organização exige para cumprir a lei do trabalho.

Isso tudo foi escrito há quase dois séculos e estava em perfeita consonância com o que a sociedade ocidental tinha de conhecimento nutricional.

E foi ensinado por Espíritos superiores que, de acordo com a escala espírita, “Reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade (…) Sua superioridade os torna, mais que os outros, aptos a nos proporcionar as mais justas noções sobre as coisas do mundo incorpóreo, dentro dos limites do que nos é dado conhecer. Comunicam-se voluntariamente com os que procuram de boa fé a verdade e cujas almas estejam bastante libertas dos liames terrenos para compreendê-la(...)”. Eu posso estar enganado, pela segunda vez, mas também penso que muitos dos que produzem algum conhecimento hoje ainda vão levar inúmeras encarnações para chegar no estágio de conhecimento em que esses Espíritos estavam há 156 anos atrás.

Porém, passado este tempo a ciência têm sistematicamente endossado a idade a de que  carne faz mais mal do que bem à saúde. Nos últimos anoa dezenas e dezenas de pesquisas têm convergido para os mesmos resultados.

O sensato é dizer “Parte dos cientistas têm sistematicamente endossado...”. A ciência não é consensual sobre muita coisa e sobre a alimentação é menos ainda. Se uma parte deles endossa esse ponto de vista, uma outra endossa uma perspectiva diametralmente oposta. Eu poderia listar aqui um número assombroso de estudos sérios e livres (os do tipo que não são financiados pela indústria do agronegócio) que concluem categoricamente que a carne, a gordura e o sedentarismo não são os reais responsáveis pelas doenças cardíacas e pela obesidade que ceifam tantas vidas, mas sim uma dieta rica em grãos, açúcar e carboidratos ordinários que são convertidos rapidamente em glicose, impedindo o corpo de usar a própria gordura como fonte de energia. Aos interessados em conhecer o outro lado da ciência, deixo aqui a dica do recém traduzido para o português: Barriga de Trigo, do cardiologista Willian Davis. O que esses cientistas estão “(re)descobrindo” é que a melhor alimentação para o homem talvez ainda seja a que foi abandonada há cerca de 10 mil anos atrás com o surgimento da agricultura, e que hoje recebe o nome de alimentação primal ou paleolítica: carnes, ovos, gorduras animais, verduras e legumes à vontade, mas zero açúcar e zero grãos. Sigo essa alimentação já há algum tempo e como resultado me livrei de 10 quilos de gordura e tenho hoje exames perfeitos. O curioso é que fui vegetariano por cerca de 15 anos e além de ter vivido esse tempo todo com sobrepeso, eu também não tinha saúde – fui impedido de doar sangue por diversas vezes, por exemplo.  Se a questão é ficar com a ciência, há lugar para os dois lados.


Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Brenno Stoklos em 23 de Outubro de 2013, 04:55

Talvez .................
................................Deus.



A amiga está enganada.

Eu não me referi ao Ser Humano como um animal pois sei da enorme diferença que há entre os dois!

Me referi aos animais que são mortos para servirem diretamente à alimentação Humana e àqueles que são mortos para que se plantem vegetais para a alimentação do mesmo.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Brenno Stoklos em 23 de Outubro de 2013, 05:10

       724. A abstenção de alimentos animais ou outros, como expiação é  meritória?                                                             

— Sim, se o homem se priva em favor dos outros, pois Deus não pode ver mortificação quando não há privação séria e útil. Eis porque dizemos que os que só se privam em aparência são hipócritas. (Ver item 720.)

Eu posso estar enganado, mas penso que no contexto da resposta o “se priva em favor dos outros” é “deixa de comer certos alimentos para favorecer outros”, ou seja, para que outros o comam em seu lugar e não sejam assim privados dos nutrientes que sua organização exige para cumprir a lei do trabalho.

[/quote]


O entendimento do amigo Edmar não poderia estar mais correto, pois, já na pergunta, há referência à alimentos animais ou outros!

De minha parte concordo, na totalidade, com a postagem do amigo.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 23 de Outubro de 2013, 07:35
Em tempo

Cara Susana

Depois da minha colocação manifestando o não conhecimento da definição do ser humano como frugívoro não posso deixar de apresentar a minha concordância com o seu texto porquanto, como terá podido constatar, ele está em sintonia com o que pessoalmente penso sobre o assunto.

Não queria deixar de transmitir algo que para mim foi mais uma das surpresas com que vamos sendo confrontados.

"Num comentário televisivo no passado domingo, obra de um dos grandes investigadores da vida na natureza, nas mais diversas áreas do nosso planeta, uma filmagem em plena selva africana área dos primatas ditos mais próximos de nós os humanos, chimpanzés e orangotangos.

A grande surpresa foi a de ver estes numa acção de caça com organização grupal, com perseguição e cerco até à captura da presa, no caso um símio de menor porte e depois, ao desmembramento e ingestão da presa repartida pelos vários elementos do grupo de caça.

Jamais pensei que tal fosse possível pois que o eu sabia era precisamente que os primatas se alimentavam exclusivamente de frutos.

Que mais nos irá surpreender enquanto estivermos, como estamos, de passagem neste planeta terra?

Uma vez mais desejos de muita paz.

Olá Le,

Pois é...isso acontece mesmo, mas os estudiosos suspeitam que a razão não seja propriamente alimentar.
No passado humanos também matavam  comiam pessoas, mas não necessariamente por questões alimentares.
Chimpanzés são territorialista e usam de violência para manter sua dominação.

No livro " Saúde Frugal" o autor Eduardo Corassa fala sobre isso:

" Muitos ao ouvir a afirmação que a natureza dietética do homem é a de um animal frugívoro ficam incrédulas, contestando que os primatas antropóide comem esporadicamente carne, entendendo que então também deveríamos comer( mesmo sendo notório que carne crua, em temperos e cozimento, não apetece ao nosso paladar). Entretanto racionalizam baseando-se em ínfimas informações, ao invés de analisar todos os dados conhecidos sobre a prática desses animais.
Embora alguns deles comam insetos e carne em algumas ocasiões, é estimado que 99% de sua alimentação eja composta de frutas, vegetais, semente e nozes e apenas 1% de fontes animais. E, diferente do homem moderno, todos sem exceção comem quantidades maciças de frutas e vegetais diariamente. Eles comem alimentos animais em épocas de escassez ou falta de seus alimentos prediletos, ou seja, são levados pela fome e pela sobrevivência.
(....)
Da mesma forma que eles, qual ser humano que estivesse numa floresta trocaria uma fruta suculenta por um réptil cru, por exemplo, com exceção óbvia para casos de sobrevivência.
Existem várias questões a serem consideradas e, até hoje, não conseguem explicar exatamente o porquê eles matam e consomem outros animais, principalmente outro primatas. Entretanto, primatólogos acreditam que isso ocorre para a demarcação territorial e "controle" de alimentos.

Duas tribos diferente, ocupando o mesmo território, geram um consumo maior de alimento, isto é, diminuem a competição pela comida disponível naquela área. Portanto o ato de matar e comer a carne dos outros animais se dá principalmente por ua disputa territorial, denominada demarcação de território, demonstrando aos "intrusos", o que acontecerá, caso tentem disputa sua comida.

Ma de qualquer forma, sugerir que primata antropóide sejam onívoros em ves de frugívoros, devido a 1% da sua ingestão calórica ser derivada de alimentos animais, é nada menos que prepóstero. De acordo com Jane Godall, a maior autoridade em primatologia do mundo, cujo estudo de campo sobre qualquer criatura foi o mais longo e contínuo da história, os chimpanzés ficam meses sem consumir carne e o consumo total de crane da dieta deles ao longo do ano compões uma quantidade minúscula da dieta total desses animais.
Memo quando comparado ao ser humano "onívoro", nos dias de hoje, a quantidade de ingestão de produtos animais deta criatura é irrisória, quase negligenciável. Portanto, entendo que primatas antropóide são apenas" carnívoros oportunistas" comendo principalmente frutas e vegetais, mas, em caso de fome, podem comer pequenos animai ou ovos que não apresentem perigo em sua obtenção.
É provado que são inteligentes e podem com humanos escolher agora fora de seus instintos para garantir seus interesses"

O livro é muito interessante. O autor explica em maior grau de detalhamento esse parentesco com chimpanzés e bonobos( nosso parente mais próximo), aspectos comportamentais e alimentares, fala sobre a tão propagada "onivoridade" humana e o que isso realmente significa, desmitificando alguns conceitos que têm sido repetidos nos últimos anos. Recomendo a leitura

O alimento de cada espécie está disponível na natureza. Para saber qual nosso alimento ideal precisamos definir quais alimentos conseguimos comer com nossas ferramentas naturais, pois a natureza fornece toda a ferramentas para todos os animai se alimentarem dentro de sua fisiologia.
Se há o emprego de um meio artificial para comer um alimento então ele não é o alimento ideal daquela espécie, apear de muita vezes o organismo ser bastante resiliente e aceitá-lo. Assim podemos sobreviver com alimentos inadequados, mas não prosperar.
 até mais
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Olá Edmar,
Como seu texto exige muitas explicações, vou responder depois com mais calma, ok? ;)
até mais
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 23 de Outubro de 2013, 11:19
Amigos,

Neste tópico postei recentemente um texto bem esclarecedor que tem relação com o que está sendo discutido:

http://www.forumespirita.net/fe/off-topic/o-ser-humano-e-naturalmente-carnivoro/msg338743/#msg338743

Vale a pena a leitura.

até mais
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 23 de Outubro de 2013, 12:22
Olá Edmar,
Como disse antes, suas observações exigiam um maor detalhamento na respostas.
Dividi meu comentário em dua partes:


Eu posso estar enganado, mas penso que no contexto da resposta o “se priva em favor dos outros” é “deixa de comer certos alimentos para favorecer outros”, ou seja, para que outros o comam em seu lugar e não sejam assim privados dos nutrientes que sua organização exige para cumprir a lei do trabalho.

Também é uma interpretação possível. É que seguindo a lógica da ordem das peguntas,me parece que o entendimento seria no sentido de se evitar comer animais por eles, não por pessoas. Mas é sim uma questão de interpretação, por isso que trouxe várias questões, para que se analise todas de forma integrada e não separada.


E foi ensinado por Espíritos superiores que, de acordo com a escala espírita, “Reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade (…) Sua superioridade os torna, mais que os outros, aptos a nos proporcionar as mais justas noções sobre as coisas do mundo incorpóreo, dentro dos limites do que nos é dado conhecer. Comunicam-se voluntariamente com os que procuram de boa fé a verdade e cujas almas estejam bastante libertas dos liames terrenos para compreendê-la(...)”. Eu posso estar enganado, pela segunda vez, mas também penso que muitos dos que produzem algum conhecimento hoje ainda vão levar inúmeras encarnações para chegar no estágio de conhecimento em que esses Espíritos estavam há 156 anos atrás.


 Ainda não se sabe nem quem eram os Espíritos Superiores. Isso já foi muito discutido aqui aqui no fórum e prefiro não entrar nesta polêmica porque fica difícil tentar definir quem eram e até onde ia seu conhecimento. É claro que sabíamos mais do que nós, eram superiores a nós, mas não esqueçamos superiores ou não, que também eram seres ainda sujeitos á evolução, não eram espíritos puros.

De qualquer forma estou mais propensa a crer que eles não erraram, como mostra um texto trazido pela forista Simone Nardi, mas sim que disseram o que estava dentro da nossa capacidade de assimilação e o que era adequado àqueles momento evolutivo pois como explicou bem o texto não podemos nos esquecer que naquela época ainda existia escravos e ficaria meio sem sentido exigir dos irmãos que desenvolvessem empatia pelos animais, quando não a tinham nem pelos seus semelhantes.
Não acho que erraram, acho que foram prudentes.

O sensato é dizer “Parte dos cientistas têm sistematicamente endossado...”. A ciência não é consensual sobre muita coisa e sobre a alimentação é menos ainda. Se uma parte deles endossa esse ponto de vista, uma outra endossa uma perspectiva diametralmente oposta. Eu poderia listar aqui um número assombroso de estudos sérios e livres (os do tipo que não são financiados pela indústria do agronegócio) que concluem categoricamente que a carne, a gordura e o sedentarismo não são os reais responsáveis pelas doenças cardíacas e pela obesidade que ceifam tantas vidas, mas sim uma dieta rica em grãos, açúcar e carboidratos ordinários que são convertidos rapidamente em glicose, impedindo o corpo de usar a própria gordura como fonte de energia. Aos interessados em conhecer o outro lado da ciência, deixo aqui a dica do recém traduzido para o português: Barriga de Trigo, do cardiologista Willian Davis. O que esses cientistas estão “(re)descobrindo” é que a melhor alimentação para o homem talvez ainda seja a que foi abandonada há cerca de 10 mil anos atrás com o surgimento da agricultura, e que hoje recebe o nome de alimentação primal ou paleolítica: carnes, ovos, gorduras animais, verduras e legumes à vontade, mas zero açúcar e zero grãos. Sigo essa alimentação já há algum tempo e como resultado me livrei de 10 quilos de gordura e tenho hoje exames perfeitos. O curioso é que fui vegetariano por cerca de 15 anos e além de ter vivido esse tempo todo com sobrepeso, eu também não tinha saúde – fui impedido de doar sangue por diversas vezes, por exemplo.  Se a questão é ficar com a ciência, há lugar para os dois lados.

Aqui tem muita coisa para falar.
Nunca disse que a carne é a única responsável por todos nossos problemas de saúde.
Mas sim, que ela é um dos( grandes) agentes promovedores de doença. Açúcar, sal, comida cozida, acrilamidas, conservantes e aditivos químicos, agrotóxicos são todos fatores promovedores de doenças.
Porém , nos últimos anos começaram a ser publicados estudos bem direcionados ao consumo de carne. Antes vc encontrava uma meia dúzia pró consumo e meia dúzia contra. Hoje vc encontra uma enorme quantidade de estudos que colocam em cheque o consumo de carne como saudável e uma ínfima quantidade que diz que seu consumo é seguro.
Até o leite foi colocado sob suspeita por Harvard que o retirou da pirâmide alimentar e não mais o considera um alimento saudável. Estamos passando por um momento onde os padrões nutricionais estão sendo revistos e tenho um íntima sensação de quem 10 anos teremos outra pirâmide alimentar.

Isso sem falar que se por um lado a carne tem ferro e proteínas, por outro, tem antibióticos, anabolizantes, pesticidas e toxinas que ingerimos de tabela. Isso sem contra que o boi não come ração orgânica o que significa que ao comer carne se come por tabela todo o agrotóxico que o animal comeu que fica concentrado no seu corpo.Como considerar como saudável um alimento que tem dois nutrientes e vários agentes nocivos. Não seria mais sensato buscar estes nutrientes em alimentos que tivessem agentes nocivos?
Além disso a proteína animal acidifica o organismo. A saúde é encontrada em um meio levemente alcalino e quando mais alimentos ácidos ingerimos  mais propiciamos a condição ideal para o aparecimento de doenças.

Selecionei algumas notícias recentes sobre o assunto:

http://hypescience.com/vegetarianos-podem-viver-mais-do-que-quem-come-carne/

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2013/04/estudo-liga-substancia-da-carne-vermelha-risco-de-doenca-cardiaca.html

http://www1.folha.uol.com.br/folha/bbc/ult272u43483.shtml

http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/story/2003/09/030930_vermelharg.shtml

http://saude.terra.com.br/doencas-e-tratamentos/carne-vermelha-pode-aumentar-o-risco-de-cancer-diz-estudo,bfaf8c49e9119310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=526164

http://suadieta.com.br/Materias/546/saude/pesquisa-comprova-carne-bem-passada-aumenta-risco-de-cancer-de-bexiga

http://hypescience.com/carne-processada-pode-causar-cancer-de-pancreas/

http://saude.abril.com.br/edicoes/0286/nutricao/conteudo_236176.shtml

http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/agencianoticias/site/home/noticias/2012/consumo_excessivo_de_carne_vermelha_aumenta_risco_de_cancer

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2012/08/carne-frita-na-frigideira-pode-aumentar-risco-de-cancer-de-prostata.html

http://revistaepoca.globo.com/Saude-e-bem-estar/noticia/2013/04/carne-vermelha-aumenta-risco-de-doencas-cardiacas-diz-pesquisa.html

http://hypescience.com/medico-inventa-dieta-%E2%80%9Ca-prova-de-ataques-cardiacos%E2%80%9D/

http://www.veggietal.com.br/casal-velho-vegetariano/


Continua....
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 23 de Outubro de 2013, 12:24
Além disso, também já trouxe em algumas discussões material sobre os Hunza, povo que mesmo sem viver da carne, não perecem e alcançam extraordinária longevidade sendo a expectativa de vida de 100 anos.
Mas não é só a questão da longevidade porque viver muito não significa viver bem.
Eles fazem exercícios intensos, tem vigor e vitalidade. os homens procriam até os 90 e é muito natural pessoas chegaram até os 130 anos com saúde, e não conhecem nenhuma das doenças comuns á nossa sociedade,isso sem fazer da carne seu alimento cotidiano. 
Então quem realmente está perecendo: quem come carne ou quem não come? ???

Não se trata de um estudo, de uma opinião, mas de algo que pode ser contatado de forma prática.
Então, se outras pessoas neste planeta, conseguem sobreviver e muito melhor do que nós, sem ingerir na carne, será que é hora de se questionar o seu consumo?

Eu ainda me questiono se a resistência em abandonar a alimentação carnívora está relacionada a uma preocupação com a saúde ou com o prazer de comer carne. Porque mesmo trazendo textos de entidades relacionadas á saúde absolvendo a alimentação vegetariana, mesmo trazendo  vídeos de atletas veganos que fazem treinos pesados, que exigem imenso aporte proteico e energético e gozam de excelente saúde e vitalidade, ainda assim as pessoas não se convencem de que podem desempenhar suas simples atividades diárias sem ingerir animais.
Aqui postei a vídeos do treinamento de alguns destes atletas:

http://www.forumespirita.net/fe/outros-estudos/vegetarianismo-devemos-ou-nao-adotar-esta-'vida'/360/#.UmetuHCUTpw

Em outro tópico postei também parte de um documentário chamado " Forks over Knives"
Quem participa é um dos maiores cardiologistas americanos. É interessante ouvir o que ele tem a dizer.
A partir da mensagem # 353:
http://www.forumespirita.net/fe/outros-estudos/vegetarianismo-devemos-ou-nao-adotar-esta-'vida'/345/#.Umet-3CUTpw

Sobre ser vegetariano e ter sobrepeso. Não lembro em qual tópico mas tb já falei sobre isso aqui.
Durante o período que comecei a ser vegetariana tive sobrepeso por uma questão simples: comia demais e não fazia exercício :D
Se apenas se tirar a carne e se entupir de gordura, açúcar, alimentos refinados( pão e farinha branca, macarrão e arroz branco, etc)  enlatados, alimentos com grande nível de processamento, industrializados em geral esta pessoa será considerada vegetariana,mas não será saudável e possivelmente será gorda.
Porém os estudos mostram que esta é a exceção e não a regra:
http://www.ativo.com/canais/materia/vegetarianos-sao-mais-magros--diz-estudo
http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2012/07/25/vegetarianos-sao-mais-magros-e-saudaveis.htm

Como disse antes, não vamos aceitar passivamente nada, nem o que esta na codificação, nem o que a ciência diz, nem o que eu e outros foristas postam aqui.
Pesquisemos, leiamos tudo o que puder sobre o assunto e submetamos este material à razão e se nossa conclusão for contrária a nossos hábitos que sejamos sinceros o suficiente para mudar ou pelo menos para admitir nossa dificuldade em atingir o ideal, mas sem deixar de nos esforçar.

até mais
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Kazaoka em 23 de Outubro de 2013, 15:47
As informações que dispomos sobre o que aqui está sendo discutido estão baseadas no que a literatura diz sobre o assunto. E a confiabilidade de tais informações ficam em função da confiabilidade que temos das fontes que as recebemos. Sendo assim, no caso das informações sobre os Hunsas, povo de um pequeno país asiático desmembrado e antigo estado paquistanês, o que consta na literatura é que lá o nível cultural daquele povo apresenta-se bem acima da média da região. E quanto à suposta longevidade, alguns autores associam isso a uma forma diferenciada daquele povo para contagem do tempo de vida. Baseando esta contagem no grau de sabedoria do indivíduo reconhecido por todos, bem ao estilo do Budismo que exerce forte influência na religiosidade daquele região. Portanto, segundo estes autores, uma pessoa de 145 anos seria um indivíduo que apresenta um nível de sabedoria, proporcional aqueles que vivessem fisicamente estes mesmos 145 anos acumulando sapiência.
Agora, trazendo a questão da expectativa de vida para o nosso caso aqui do Brasil. O que vamos encontrar é que a região que apresentam maior índice neste aspecto é, justamente, a região onde mais se consome proteínas de origem animal.
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Le em 23 de Outubro de 2013, 18:03
Olá Susana

Obrigado pelo conjunto de informações e comentários pertinentes.

Continuo considerando que na moderação é que está a virtude, por isso continuarei, com os conhecimentos adquiridos, na ciência dos homens e nos ensinamentos cautelosos da Doutrina, comendo muito moderadamente "carne".

A dita carne proibida pelas religiões, principalmente islâmica e judaica, o foram só depois das autoridades da época não terem conseguido que as populações a não ingerissem através de informação de que causava problemas de saúde, pelo não conhecimento da sua conservação, pelo sal ou pelo frio.
Então a solução encontrada foi incluir a proibição pelo lado religioso.

Quanto ao leite dos animais há conhecimento hoje que o mesmo não deveria ser ingerido pelo ser humano.
Verdade???

""Citação
Além disso a proteína animal acidifica o organismo""

É verdade o que refere e no entanto o que mais encontramos no mercado no que se refre a água?
É só ir lendo os rótulos, da parte de trás e normalmente em letras bem pequenas, que constatamos que a maioria é água muito ácida. Entre 5,1 a 6,2.

Procuro águas de valor superior a 7,0, de preferência 7,4 a 7,6 e não encontro pelo que tenho que pessoalmente a alcalinizar, o que faço com regularidade.

O melhor é não ter tabus com nada e tudo procurar analisar à luz da razão e procurar cometer menos falhas e, assim, contribuir para preservação do invólucro material veículo de evolução do Espírito que o está animando na presente encarnação.

Desejo-lhe toda a felicidade possível e muita paz e luz nesta sua caminhada terrena.

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 27 de Outubro de 2013, 13:56
As informações que dispomos sobre o que aqui está sendo discutido estão baseadas no que a literatura diz sobre o assunto. E a confiabilidade de tais informações ficam em função da confiabilidade que temos das fontes que as recebemos. Sendo assim, no caso das informações sobre os Hunsas, povo de um pequeno país asiático desmembrado e antigo estado paquistanês, o que consta na literatura é que lá o nível cultural daquele povo apresenta-se bem acima da média da região. E quanto à suposta longevidade, alguns autores associam isso a uma forma diferenciada daquele povo para contagem do tempo de vida. Baseando esta contagem no grau de sabedoria do indivíduo reconhecido por todos, bem ao estilo do Budismo que exerce forte influência na religiosidade daquele região. Portanto, segundo estes autores, uma pessoa de 145 anos seria um indivíduo que apresenta um nível de sabedoria, proporcional aqueles que vivessem fisicamente estes mesmos 145 anos acumulando sapiência.
Agora, trazendo a questão da expectativa de vida para o nosso caso aqui do Brasil. O que vamos encontrar é que a região que apresentam maior índice neste aspecto é, justamente, a região onde mais se consome proteínas de origem animal.

Olá Kazaoka,
Estive viajando, não pude responder antes.

Quanto aos Hunza: não cabe a mim ficar especulando as possíveis razões da longevidade deste povo já que o Dr Mac Carrisson  com ele conviveu por 7 anos e deixou suas conclusões registradas.
Saúde é estado que é alcançado através da somatória de uma combinação de vários fatores que vão desde hábitos alimentares , exercícios físicos até o ambiente em que se vive, o ar que se respira e a água que se toma.
Ás vezes pessoas que comem carne conseguem viver bem a despeito deste hábito nocivo porque existe uma somatória de fatores que se sobrepõem ao este hábito, conseguindo minimizar o efeito danoso do consumo de animais.

 Existem pessoas que vivem na área rural e que mesmo ingerindo produtos de origem animal conseguem viver relativamente bem e gozar de boa saúde, mas eles não tomam a água que tomamos, não ingerem o agrotóxico que ingerimos, se expõem a luz solar com ferquência, exercem atividade física intensa, respiram ar de qualidade, comem muita fruta e verdura( antioxidantes) e deste modo conseguem minimizar o efeito negativo da carne.

Mas, a maior parte das pessoas não têm a sorte de poder contar com todos estes agentes naturais como auxiliares no combate aos efeitos nocivos do consumo de carne, daí que além de todos os outros aspectos nocivos relacionados ao meio e ao estilo de vida em que estão inseridas, ainda agregam mais um que é o consumo de animais.

Muita gente tem uma tia Maria ou um tio José que morreu fumando um cigarrinho de palha, tomando uma cachacinha e comendo ,ás vezes, comida feita em banha de porco, mas como disse, eles tinham a seu favor um arsenal de hábitos e condições ambientais que ajudavam seu organismo a lutar de forma eficiente contra as substâncias nocivas do álcool, do cigarro, da carne.

O problema é que a maior da população vive um meio doente e intoxicado. O peixe está totalmente contaminado com metal pesado(e as pessoas acham que estão comendo um alimento saudável....) a carne com pesticida, antibiótico, anabolizante e esmo a carne dita " orgânica" tem toxina e alta taxa de gordura saturada  que se deposita nas nossas veias e artérias causando uma infinidade de problemas de saúde que assolam a humanidade.

Para piorar o quadro, geralmente  grandes comedores de carne  passam longe de frutas e verduras e , ás vezes, discretamente enfeitam o prato com uma folhinha de alface lá no canto com uma rodela de tomate, eixando as frutas e verduras como acessórios.

No caso dos Hunza é inegável que ele respiram um ar de ótima qualidade, bebem uma água excelente, fazem muitos exercícios e não têm hábitos nocivos á saúde. com certeza a alta longevidade é uma somatória de todos estes fatores, e não só resultado único e exlcusivo da alimentação.

Porém, a afirmação de que eles conseguem viver bem sem viver da carne ainda não foi contestada.Este é o ponto.
Essas carnes não se nutrem da carne e não perecem, então esta afirmação dos espíritos não pode ser entendida de forma absoluta e inquestionável, por que a " carne dos Hunza" não se nutrem da carne e gozam de excelente saúde.

O LE diz " a carne se nutre da carne, do contrário o homem perece". Os Hunzas não se nutrem da carne e não perecem, isso é uma fato e portanto mostra que o que foi dito pelos espíritos não deve ser visto hoje de forma relativa e contextualizada e não como um dogma sacramentado, uma orientação a ser seguida cegamente e literalmente sob temor de se adoecer, enfraquecer ou morrer.  Porque se existem outros seres humanos, no mesmo planeta que nós, feitos da mesma "carne" que nós que não come carne de animais e além de não enfraquecerem gozam de ótima saúde, cai por terra qualquer argumentação que diz que precisamos comer carne para ter saúde.

Como então conseguir harmonizar a prática com o que foi ditado pelos espíritos sem abrir mão da razão e ao mesmo tempo sem admitir um erro na doutrina?
Contextualizando, interpretando, pensando e não apenas lendo uma serie de palavras de forma literal sem entender e analisar o contexto em que foram ditas, é preciso ir além da mera leitura de palavras.

Citei os Hunza, em especial, porque além da longevidade, os relatos são de que exercem atividades físicas intensas, o dia todo, e mesmo sem comer carne têm saúde, força e vigor.
Basta apena suma exceção para se quebrar a regra.

Mas eles não são os únicos, temos milhões de pessoas pelo mundo vegetarianas. Scoot Jurek um dos maiores maratonista de todos o tempos é vegano. Além de não ter perecido ele melhorou sua performance após o banimento de carne de sua dieta alimentar.
Como harmonizar isso com a leitura literal da DE? Se formos ler apenas as palavras e seguí-as à risca, isso não poderia ocorrer.

Se não lermos o que diz a DE com base no que se sabe e observa hoje, colocaremos a DE numa situação difícil, já que a realidade prática é notadamente contrária ao que foi preconizado pelos espíritos naquela época. É necessário contextualizar e entender as razões que levaram os Espíritos a ditar o texto daquela maneira, sob pena de expor a DE ao ridículo.

Um dos maiores cardiologistas americanos Dr Caldwell Esselstyn têm devolvido saúde a pacientes com doença crônicas através da alimentação vegana. Pessoas cuja única alternativa era o bisturi estão recuperando a saúde apenas com a retirada de alimentos de origem animal:
http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/980909-so-dieta-a-base-de-vegetais-reverte-doencas-cardiacas-afirma-medico.shtml

Outros médicos já começam a ir no mesmo caminho. Leia esta entrevista do cardiologitsa Dr Juan Navarro:
http://www.ihuonline.unisinos.br/index.php?id=3638&option=com_content&secao=350&view=article

Continue observando o movimento que vem se desenhando. Quando uma mudança está prestes a acontecer é incírivel como há uma sincronicidade e tudo vai caminhando para  mesmo fim.
As pessoas estão pensando e discutindo mais sobre o assunto. Os nutricionistas estão menos hostis. Antes diziam que era impossível, hoje apenas dizem que é mai difícil. Médicos de renome estão indicando este tipo de alimentação a seus pacientes. Atletas de várias modalidade têm aplicado uma alimentação vegetariana e melhorado sua performance. Estudos e mais estudos relacionando o consumo de carne a diversas doenças. Aos poucos tudo vai se encaixando, é só uma questão de tempo.
Até os espíritas estão se aprofundando mais e não se contentando com o que foi dito há quase dois séculos atrás. A quantidade de tópicos neste fórum e a quantidade de visualizações desta discussões mostram que é um assunto que têm ocupado o interesse das pessoas. É inevitável que em algum momento da caminhada evolutiva busquemos formas mais compassivas de interagir com os demais habitantes deste planeta.

Continua...
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 27 de Outubro de 2013, 13:57
Continuação:

É provável que daqui a  algumas décadas esta discussão nem exista, porque leva tempo mesmo para se desconstruir mitos e estabelecer novos conceitos, principalmente quando a mudança interfere em nosso hábitos e envolve algum nível de prazer.

No caso da longevidade da região sul. Realmente a expectativa de vida em SC, RS, no DF dentre outros é um pouco maior do que a média. Mas isso por isso só não diz muito, porque no Mato Grosso se come tanta carne quanto no sul e a expectativa de vida é menor. No Nordeste também se come uma quantidade enorme de carne e mesmo nas cidades litorâneas se come muita, muita carne pois nasci em uma cidade de praia, moro em outra também com o meso perfil e na mesa das pessoas ainda predomina a carne vermelha. Peixe, olhe lá, no final de semana.
Sim porque carne vermelha também engloba presunto, salsicha e nós brasileiros colocamos presunto em tudo, do pão ao macarrão.

Expectativa de vida envolve também fatores econômicos e sociais. Lugares mais pobres com pouco saneamento básico costuma ter índices menores, e muitas vezes não é uma questão de consumo de carne ou não,mas de comida mesmo, já que as pessoas á vezes sequer têm o que comer, independente da fonte ser animal ou vegetal.

E mesmo assim, nossa expectativa de vida ainda esta a léguas de países como Suíça e Japão onde o consumo de alimentos de origem vegetal é extremamente alto. talvez lá eles comam carne com moderação, de forma homeopática.

Além disso, advinha onde estão os maiores índices de câncer?
Isso mesmo: na região sul.
Olhe a tabela aprenentada na página 28 e 29:
http://www.inca.gov.br/enfermagem/docs/cap1.pdf

Temos um paradoxo então?

Estejamos sempre abertos ao novo e acompanhando as descobertas da ciência.
Da minha parte ,mesmo que não fosse vegetariana, analisando em conjunto tudo o que vem sido dito, estudado e observado nos últimos anos teria consciência de que este é caminho não só para a saúde plena como para uma relação mais harmônica com o meio que nos cerca e em consonância com o mundo mais pacífico e compassivo que almejo.

Todo meu discurso nunca foi sobre alimentação, mas sobre ética o que de certo modo tem implicações nutricionais, então por isso acabo abordando alguns aspectos nutricionais. Mas não é este o ponto. Proponho, assim como outros foristas, que repensemos a forma como nos relacionamos como os animais.
E nem é algo tão novo. Grande pensadores da história há décadas,  séculos, milênios atrás já levantavam esta questão. Meditemos:

"Não haverá justiça enquanto o homem empunhar uma faca ou uma arma e destruir aqueles que são mais fracos que ele."
 Isaac Bashevis Singe

"Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante."
Albert Schwweitzer

" "Enquanto o homem continuar a ser destruidor impiedoso dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor."
 Pythagoras

"Eu temo pela minha espécie quando penso que Deus é justo."
 Thomas Jefferson

" Todos os seres vivos tremem diante da violência. Todos temem a morte, todos amam a vida. Projete você mesmo em todas as criaturas. Então, a quem você poderá ferir? Que mal você poderá fazer?"
 Buda

"Virá o dia em que a matança de um animal será considerada crime tanto quanto o assassinato de um homem."
 Leonardo da Vinci

"Um homem pode viver uma vida saudável sem ter que matar animais para comer; portanto se ele come carne, participa do ato de tirar a vida de uma criatura meramente para saciar seu apetite. E agir dessa maneira é imoral."
 Leo Tolstoy

"Nada beneficiará mais a saúde da humanidade e aumentará as chances de sobrevivência da vida na Terra quanto a dieta vegetariana." -
Albert Einstein

"Nossa tarefa deveria ser nos libertarmos ... aumentando o nosso círculo de compaixão para envolver todas as criaturas viventes, toda a natureza e sua beleza."
 Albert Einstein

até mais :)
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Andressa Z. em 27 de Outubro de 2013, 15:45
Olá Susana!
Venho acompanhando esse tópico, não sou vegetariana, mas mesmo não sendo concordo muito contigo. O futuro da humanidade é deixar de comer carne, em qualquer reflexão que temos, não é difícil chegar nessa conclusão. Porém essa mudança, como todas as mudanças que ocorrem conosco, não é fácil de ser feita abruptamente...há muitas questões culturais e até físicas - sei que com a tecnologia de hoje, temos substitutos quase perfeitos para a carne, sem que para isso precisemos causar o sacrifício de outro ser, mas nem todo mundo consegue se manter sem nenhum tipo de proteína animal.
Eu já tentei parar de vez, mas realmente não consegui. O que faço é ir diminuindo o consumo, evito comer carne vermelha, se for comer carne prefiro que seja de peixe...com atitudes assim, acho que com o tempo consigo mudar.
O que estou fazendo agora, é procurar sempre comprar artigos que são cruelty-free, estou sempre antenada nas listas da PETA. Sinceramente acho que o primordial no momento, é pararem com os testes em animais. Uma batalha de cada vez!
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 27 de Outubro de 2013, 16:58
Olá Susana!
Venho acompanhando esse tópico, não sou vegetariana, mas mesmo não sendo concordo muito contigo. O futuro da humanidade é deixar de comer carne, em qualquer reflexão que temos, não é difícil chegar nessa conclusão. Porém essa mudança, como todas as mudanças que ocorrem conosco, não é fácil de ser feita abruptamente...há muitas questões culturais e até físicas - sei que com a tecnologia de hoje, temos substitutos quase perfeitos para a carne, sem que para isso precisemos causar o sacrifício de outro ser, mas nem todo mundo consegue se manter sem nenhum tipo de proteína animal.

Olá Andressa,
Sim, a libertação animal não ocorrerá do dia para a noite. É um processo lento e gradual, mas a reflexão deve ser iniciada. ;)
Compreendo nossas limitações, o hábito de comer carne se transformou quase num apego, numa dependência do qual a maior parte das pessoas não está preparada psicologicamente para se libertar, sem contar a forte influência  social e cultural.
Não espero que com minhas postagens onívoros convictos despertem num passe de mágica e acordem vegetarianos, apenas tento trazer algumas reflexões porque sinto que há uma certa acomodação moral quanto ao tema,como se o assunto já tivesse sido resolvido por aquela fatídica questão do LE,  então trago informações para instigar a pesquisa e quem sabe a tomada de uma nova consciência.

Eu já tentei parar de vez, mas realmente não consegui. O que faço é ir diminuindo o consumo, evito comer carne vermelha, se for comer carne prefiro que seja de peixe...com atitudes assim, acho que com o tempo consigo mudar.


É isso aí amiga. Já diz o famoso provérbio" Uma caminhada de mil léguas começa com um primeiro passo".
Se não der para fazer o ideal podemos tentar pelo menos fazer o que é possível. ;)

abraços
Susana
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Brenno Stoklos em 29 de Outubro de 2013, 02:29

723. La nourriture animale est-elle, chez l'homme, contraire à la loi de nature ?

"Dans votre constitution physique, la chair nourrit la chair, autrement l'homme dépérit. La loi de conservation fait à l'homme un devoir d'entretenir ses forces et sa santé pour accomplir la loi du travail. Il doit donc se nourrir selon que le veut son organisation".

                                            Le Livre des Esprits


723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

“Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem decai (depaupera, enfraquece). A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização.”

                                               O Livro dos Espíritos

"Atualmente, existem muitos adeptos da dieta vegetariana. Algumas pessoas preferem esta alimentação por ser uma opção pobre em colesterol, outras para conseguirem o controle do peso e algumas, simplesmente, por causa da preservação dos animais. Porém, alguns cuidados devem ser seguidos para que não ocorra nenhum dano à saúde seguindo o vegetarianismo.

Alguns nutrientes importantes para o organismo precisam de maior atenção, como: a vitamina B12, o ferro e o cálcio. A vitamina B12, por exemplo, só é encontrada em alimentos de origem animal. Em uma alimentação vegetariana restrita, em que não se consome nenhum produto de origem animal, recomenda-se um controle desta vitamina. Através de exames de sangue é possível observar se há deficiência da vitamina B12. Nestes casos, uma suplementação torna-se necessária.

Através de exames de sangue é possível observar se há deficiência da vitamina B12. Nestes casos, uma suplementação torna-se necessária.
Outro nutriente a ser observado é o ferro. O ferro das carnes chamado de "ferro heme" é melhor absorvido pelo organismo que o ferro encontrado em alimentos de origem vegetal (ferro não-heme). Portanto, os alimentos de origem vegetal ricos em ferro devem ser consumidos com frequência para evitar possíveis deficiências".

                                                                 
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 30 de Outubro de 2013, 11:18
Olá Brenno.
Eu realmente não queria repetir o que já foi dito tantas vezes aqui no fórum.
Eu mesma já trouxe muito material que fala em detalhes sobre estas questões que vc levantada e que já foram levantadas tanta outra vezes por aqui.
Em resumo:

Cerca de 50% dos vegetarianos têm carência de vitamina B12
Cerca de 40% dos não vegetarianos têm carência de vitamina B12


Como vê, mesmo comendo carne as pessoas têm deficiência de B12,e , em algum momento da vida será necessária a suplementação em onívoros.
Para mais informações, leia estes dois artigos:

http://www.alimentacaosemcarne.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=52:vitamina-b12-30-informacoes-importantes&catid=49&Itemid=141

http://www.nutriveg.com.br/vitamina-b12-essa-ilustre-nova-conhecida.html

Sobre Ferro leia também estes artigos:
http://www.nutriveg.com.br/ferro-na-dieta-vegetariana.html

http://www.alimentacaosemcarne.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=61:ferro&catid=49:nutrientes&Itemid=200004

Já que está interessado no assunto, aqui também tem mais informação:
http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1283971

P.S: Sobre o tal decair, enfraquecer que o amigo insiste em trazer repetidamente:
dê uma olhada no tópico" Vegetarianismo : devemos ou não adotar esta vida?" e veja os vídeos que postei de alguns atletas veganos. Eles não só não enfraquecem como têm melhor saúde do que todos nós juntos. :D
E não deixe de ler o texto sobre o Hunza que também já postei aqui no fórum. Eles não vivem da carne e chegam até os 145 anos e a palavra doença não existe em seu vocabulário, mas pela leitura literal e não contextualizada do LE, isso não seria possível.Deveriam estar todos de cama, enfraquecidos. :o
Como vê deixar de comer carne não enfraquece, pelo contrário: fortalece. ;)
Entre o que foi dito há quase 200 anos atrás para um determinada sociedade, dentro de um determinado contexto, e entre o que se observa na prática, fico com o que é real, mas se o amigo quer continuar acreditando no que está escrito no LE, mesmo diante de tantas evidêcias em sentido contrário, então fique à vontade.  :)
até mais

P.S: Dá uma lida nos outros tópicos que existem aqui sobre o assunto. Já fiz esta recomendação antes, mas acho que deve ter esquecido porque estas observações que você trouxe já foram exaustivamente debatidas nos tópicos indicados na época. ;)

até mais

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Zé Ninguém em 30 de Outubro de 2013, 13:31

723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

“Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem decai (depaupera, enfraquece). A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização.”

                                               O Livro dos Espíritos

Vide mensagem # 366:

http://www.forumespirita.net/fe/outros-estudos/vegetarianismo-devemos-ou-nao-adotar-esta-'vida'/360/#.UnEHw3CUTpw


"Alguns nutrientes importantes para o organismo precisam de maior atenção, como: a vitamina B12, o ferro e o cálcio. A vitamina B12, por exemplo, só é encontrada em alimentos de origem animal. Em uma alimentação vegetariana restrita, em que não se consome nenhum produto de origem animal, recomenda-se um controle desta vitamina. Através de exames de sangue é possível observar se há deficiência da vitamina B12. Nestes casos, uma suplementação torna-se necessária.

Através de exames de sangue é possível observar se há deficiência da vitamina B12. Nestes casos, uma suplementação torna-se necessária.
Outro nutriente a ser observado é o ferro. O ferro das carnes chamado de "ferro heme" é melhor absorvido pelo organismo que o ferro encontrado em alimentos de origem vegetal (ferro não-heme). Portanto, os alimentos de origem vegetal ricos em ferro devem ser consumidos com frequência para evitar possíveis deficiências".
                                                         

http://www.nutriveg.com.br/ferro-na-dieta-vegetariana.html

http://www.alimentacaosemcarne.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=61:ferro&catid=49:nutrientes&Itemid=200004

http://www.nutriveg.com.br/vitamina-b12-essa-ilustre-nova-conhecida.html

http://www.alimentacaosemcarne.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4:vitamina-b12-tudo-sobre-a-b12&catid=49:nutrientes&Itemid=200004


Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Simone Nardi em 30 de Outubro de 2013, 14:50

723. La nourriture animale est-elle, chez l'homme, contraire à la loi de nature ?

"Dans votre constitution physique, la chair nourrit la chair, autrement l'homme dépérit. La loi de conservation fait à l'homme un devoir d'entretenir ses forces et sa santé pour accomplir la loi du travail. Il doit donc se nourrir selon que le veut son organisation".

                                            Le Livre des Esprits

723. A alimentação animal é, com relação ao homem, contrária à lei da Natureza?

“Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem decai (depaupera, enfraquece). A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização.”

                                               O Livro dos Espíritos

"Atualmente, existem muitos adeptos da dieta vegetariana. Algumas pessoas preferem esta alimentação por ser uma opção pobre em colesterol, outras para conseguirem o controle do peso e algumas, simplesmente, por causa da preservação dos animais. Porém, alguns cuidados devem ser seguidos para que não ocorra nenhum dano à saúde seguindo o vegetarianismo.

Alguns nutrientes importantes para o organismo precisam de maior atenção, como: a vitamina B12, o ferro e o cálcio. A vitamina B12, por exemplo, só é encontrada em alimentos de origem animal. Em uma alimentação vegetariana restrita, em que não se consome nenhum produto de origem animal, recomenda-se um controle desta vitamina. Através de exames de sangue é possível observar se há deficiência da vitamina B12. Nestes casos, uma suplementação torna-se necessária.

Através de exames de sangue é possível observar se há deficiência da vitamina B12. Nestes casos, uma suplementação torna-se necessária.
Outro nutriente a ser observado é o ferro. O ferro das carnes chamado de "ferro heme" é melhor absorvido pelo organismo que o ferro encontrado em alimentos de origem vegetal (ferro não-heme). Portanto, os alimentos de origem vegetal ricos em ferro devem ser consumidos com frequência para evitar possíveis deficiências".

                                                               

Quando vc coloca:
“Dada a vossa constituição física, a carne alimenta a carne, do contrário o homem decai (depaupera, enfraquece). A lei de conservação lhe prescreve, como um dever, que mantenha suas forças e sua saúde, para cumprir a lei do trabalho. Ele, pois, tem que se alimentar conforme o reclame a sua organização.”

Alguns passam a acreditar que sem a carne o ser humano perece, adoece, morre. Claro que qualquer tipo de alimentação pode levar o ser humano a perecer, mesmo a base de carne, vc deve saber, pela sua postagem noto que sabe, que existe uma quantidade enorme de anêmicos que se alimentam com carne, e que os níveis de B12 em pessoas que também comem carne estão muitas vezes abaixo do correto e eles sequer sabem que necessitam de suplementação, porque não possuem os cuidados que os vegetarianos passam a ter com a saúde e com a alimentação que não é uma Dieta, mas uma reeducação alimentar.

mas vc mata mesmo esse mito ao colocar sobre a b12, logo abaixo:

"Porém, alguns cuidados devem ser seguidos para que não ocorra nenhum dano à saúde seguindo o vegetarianismo.[...]Portanto, os alimentos de origem vegetal ricos em ferro devem ser consumidos com frequência para evitar possíveis deficiências""

Pronto, tá explicado, é possível sim viver sem a carne, tomando cuidados que mesmo os que se alimentam dela deveriam tomar. É contrario isso ao LE? Não, pois quando a pessoa acredita que realmente necessita da carne todas as suas células iniciam um trabalho para aquela necessidade e ela, sem cuidado com a alimentação realmente pode adoecer, mas isso é mais um caso de má interpretação, e vc deixou, mesmo que talvez sem querer, isso muito claro.
O sentido da palavra carne se perdeu muito ao longo dos século, antes era  todo alimento material, ou seja qdo ainda seres materiais necessitamos da matéria para manter o corpo.
Mas nesses mais de 10 anos de vegetarianismo e 5 de veganismo, meus exames demonstraram melhora na anemia que eu tinha quando comia carne, bem como níveis excelentes de ferritina, homocisteína e B12, feita com suplementação uma vez por semana.
o que notamos, dentro dos grupos de estudo sobre nutrição e direitos animais, é que pessoas que se empolgam com o vegetarianismo como Dieta e não como reeducação alimentar que vai contra o sofrimento dos animais, essas sim passam a ingressar um grupo de risco que gera doenças e que depois saem por aí alegando que foi o vegetarianismo que as deixou doentes.Quando se opta pelo vegetarianismo por mudanças morais, somos compelidos a aprender sobre o assunto, a nos olhar e nos cuidar de forma diferente, a nos respeitar mais e o melhor, a ficar mais atentos a qualquer sinal de mudança no organismo.
Si ;)

Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Simone Nardi em 30 de Outubro de 2013, 15:10
Simone,
primeiramente gostaria de lhe informar que em termos de doutrina não existe Pentateuco algum. Os livros que formam a dourtina são em número de 18 pois entre estes estão os doze tomos da Revue. isso não sou em quem o diz mas o próprio codificador.

Dessarte, a parte moral não se modifica pelo uso  ou não uso de qualquer tipo de alimentação.
Abraços,
Moura
O problema para com os documentários é que não formam, não fortalecem ou sequer explicam o tema sob a visão da DE.
meus manos, estudemos mais e mais detidamente a DE senão "o bicho pega".
Abraços,
Moura

caro Moura

Quando for assistir a estes documentários procure no Pentatuco a parte sobre moral e verá que os documentários, embora não falem como os Espiritos, se propõe´ a mudar o ser humano naquilo que ele mais teme: A moral

granhttp://www.forumespirita.net/fe/Smileys/default/cheesy.gif de abraço
Simone

Oi Moura
Eu não pedi para vc ler todos, pedi para vc ler 5 apenas, porque o opinião de a moral não tem nada a ver com a parte material é sua , não das obras da Doutrina, por eu disse para vc estudar mais, pois se contradisse num outro post, qdo lhe perguntei o que era moral e vc disse que a sua moral era a da Doutrina, o que invalida a sua tese de que moral não tem nada a ver com habito;
 ;)
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Simone Nardi em 30 de Outubro de 2013, 15:21

Talvez .................
................................Deus.



A amiga está enganada.

Eu não me referi ao Ser Humano como um animal pois sei da enorme diferença que há entre os dois!

Me referi aos animais que são mortos para servirem diretamente à alimentação Humana e àqueles que são mortos para que se plantem vegetais para a alimentação do mesmo.

Olá Brenno ;)

Matam-se cerca de 50 Bilhões(bilhões mesmo) de animais por ano para alimentação...vc acha que plantar para alimentar as pessoas mataria tudo isso?

 ??? ??? ???
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Simone Nardi em 30 de Outubro de 2013, 15:33

"Atualmente, existem muitos adeptos da dieta vegetariana. Algumas pessoas preferem esta alimentação por ser uma opção pobre em colesterol, outras para conseguirem o controle do peso e algumas, simplesmente, por causa da preservação dos animais. Porém, alguns cuidados devem ser seguidos para que não ocorra nenhum dano à saúde seguindo o vegetarianismo.

Alguns nutrientes importantes para o organismo precisam de maior atenção, como: a vitamina B12, o ferro e o cálcio. A vitamina B12, por exemplo, só é encontrada em alimentos de origem animal. Em uma alimentação vegetariana restrita, em que não se consome nenhum produto de origem animal, recomenda-se um controle desta vitamina. Através de exames de sangue é possível observar se há deficiência da vitamina B12. Nestes casos, uma suplementação torna-se necessária.

Através de exames de sangue é possível observar se há deficiência da vitamina B12. Nestes casos, uma suplementação torna-se necessária.
Outro nutriente a ser observado é o ferro. O ferro das carnes chamado de "ferro heme" é melhor absorvido pelo organismo que o ferro encontrado em alimentos de origem vegetal (ferro não-heme). Portanto, os alimentos de origem vegetal ricos em ferro devem ser consumidos com frequência para evitar possíveis deficiências".

                                                               
[/quote]

 :D
Só para complementar a informação sucinta do Brenno, dois links que informam melhor que é possível ser espírita, respeitar os animais,ser vegetariano e sobreviver  :D
Ambos os artigos são de nutricionistas ok.

Alimentação sem carne( Ferro)
http://www.alimentacaosemcarne.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=61:ferro&
catid=49:nutrientes&Itemid=200004

Alimentação sem carne ( B12)

http://www.alimentacaosemcarne.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4:vitamina-b12-tudo-sobre-a-b12&catid=49:nutrientes&Itemid=200004

boa leitura
 ;)
Título: Re: O uso da alimentação carnívora
Enviado por: Brenno Stoklos em 31 de Outubro de 2013, 03:12
Olá Brenno.
Eu...............
..........................época.

até mais


Só .............
....................leitura



Parece que as amigas ainda não entenderam que nem eu e, muito menos, a Doutrina Espírita dizemos que não se possa viver sem o consumo de carne!

Mas apenas e tão somente que não há nisso nenhuma imoralidade ou contrariedade às Leis da Natureza!

Notem que questão e resposta estão inseridas no Capítulo "DA LEI DE CONSERVAÇÃO" e sob o Subtítulo "Privações voluntárias. Mortificações".

Percebam, ainda, que a Doutrina Espírita não é um manual de nutrição nem um guia de culinária, mas uma Doutrina Filosófica de consequências Morais!