Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Imortalidade da Alma => Tópico iniciado por: SandraMara em 01 de Agosto de 2010, 04:19

Título: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: SandraMara em 01 de Agosto de 2010, 04:19
Olá a todos.

Peço ajuda e colaboração:

[leftGostaria de saber se existe material de estudo para o caso de pessoas trasnplantadas começarem a ter lembranças e algumas características de personalidade de seus doadores.
Vou explicar melhor: Em um grupo de apoio, há um recém-transplantado (cerca de 6 meses) que recebeu o coração de um doador anônimo. Desde que retomou a consciência, tem tido sonhos com um jovem que fica perguntando a ele onde está sua mãe.
Ele acorda assustado. Nunca havia sonhado antes com esse jovem. No último sonho, viu-se dirigindo uma moto, com uma luz forte de um caminhão vindo em sua direção. Acordou sobressaltado e teve que ser atendido em emergência.
Ele está deprimido e dizendo que seria melhor morrer pois se sente muito sozinho. Antes do transplante, apesar da doença, era otimista e desejava ardentemente a vida e a saúde.
Acredito que está sob influência espiritual, mas a equipe que o atende e acompanha é extremamente cética e materialista.
Gostaria de sugestões e de informações[/left]Obrigada
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Caminho do Sol em 01 de Agosto de 2010, 13:14
O Enigma dos Transplantes

Em todo o mundo são registrados casos em que pacientes de transplante de órgãos passam a apresentar conhecimentos ou mesmo características da personalidade dos doadores. Vários cientistas têm estudado essa questão, apresentando inúmeras hipóteses.

Por Alejandro Parra

    Em algum momento de nossa vida, todos nós nos perguntamos sobre a possibilidade de que algo de nós sobreviva à morte. Seja a alma, o espírito ou a mente, deve ser algo que mantenha nossa personalidade, ou pelo menos parte dela, para ser reconhecida por aqueles que nos conheceram em vida.
A atenção do público sobre a evidência proporcionada pelos casos de transplantes começou com a publicação do livro A Voz do Coração (Ediouro), em 1997, no qual Claire Sylvia descreveu as alterações em sua personalidade depois de seu transplante de coração e pulmão, em 1988.
Claire notou as mudanças antes de conhecer a família do doador e saber de seu caráter. Por exemplo, ela começou a gostar de comidas que antes lhe desagradavam, mas que seu doador, Tim, gostava, como a cerveja – que Claire sentiu necessidade de beber pouco depois de sua operação –, pimentão verde e frango frito. Estes últimos parecem particularmente estranhos, já que Claire era bailarina, coreógrafa e muito cuidadosa com sua dieta.
As alterações em Claire também foram acompanhadas por alguns sonhos interessantes durante os primeiros meses após a cirurgia. Num deles, Claire conheceu um homem chamado Tim, que se parecia com seu doador.
Contudo, essas experiências não são as únicas. Além de Claire, existem outros casos que parecem ser ainda mais interessantes. Num deles, a doadora era uma mulher de 24 anos, vítima de um acidente de carro.

Mais informações:
Fonte:http://www.revistasextosentido.net/news/o-enigma-dos-transplantes/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yZXZpc3Rhc2V4dG9zZW50aWRvLm5ldC9uZXdzL28tZW5pZ21hLWRvcy10cmFuc3BsYW50ZXMv)
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Caminho do Sol em 01 de Agosto de 2010, 13:20
A dor no plano espiritual

Escrito por Elizabeth Rezende Nicodemos  

O corpo é o instrumento da dor, mas esta é um efeito. Por exemplo, a dor “fantasma” nas pessoas amputadas. A lembrança que dela conserva pode ser muito penosa, contudo, não pode ser ação física (do corpo). Nem o frio, nem o calor podem desorganizar os tecidos da alma e esta não pode nem se gelar, nem se queimar.

Seguramente, a região do membro amputado não é a sede da dor. Pode-se, pois, crer que há alguma analogia com os so-frimentos do espírito depois da morte, sendo o perispírito o agente das sensações externas e que, no corpo, essas sensações são localizadas pelos órgãos que lhes servem de canais.

Destruído o corpo, essas sensações tornam-se generalizadas e o espírito não diz que sofre mais da cabeça do que dos pés. Liberto do corpo, o espírito pode sofrer, mas esse sofrimento não é corporal. A dor que o perispírito sente não é pro-priamente uma dor física, mas um vago sentimento íntimo que o próprio espírito nem sempre entende, precisamente porque a dor não está localizada e não é produzida por agentes externos. É mais uma lembrança que uma realidade. Porém, uma recordação também penosa.

Durante a vida, o corpo recebe as impressões exteriores e as transmite ao espírito através do perispírito. Morto o corpo, ele não sente mais nada, visto que não há mais nele espírito nem perispírito. Este, desprendido do corpo, experimenta a sensação, mas como esta não lhe chega mais por um canal limitado, é generalizada.

O perispírito não é mais do que um agente de transmissão, pois é no espírito que está a consciência.

A influência material diminui à medida que o espírito pro-gride, quer dizer, à medida que o perispírito se torna menos grosseiro.

André Luiz, em Evolução em Dois Mundos, capítulo XII, mostra a semelhança existente entre o processo gradativo de desencarnação do homem com a que ocorre no mundo dos insetos.

Mais informações - fonte: http://www.rcespiritismo.com.br/index.php?Itemid=25&id=221&option=com_content&task=view (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yY2VzcGlyaXRpc21vLmNvbS5ici9pbmRleC5waHA/SXRlbWlkPTI1JmFtcDtpZD0yMjEmYW1wO29wdGlvbj1jb21fY29udGVudCZhbXA7dGFzaz12aWV3)
Artigo publicado na Revista Cristã de Espiritismo, edição 09.
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Mourarego em 01 de Agosto de 2010, 16:52
Amigos,
me parece que esse tópico se alia mais ao misticismo do que a doutrina espírita e com esse sentido venho esclarecer que nenhuma órgão, guarda nenhuma informação que possa ser adquirida por outrem, após um transplante.
Orgãos não pensam, não têm lembranças, memória ou agem por conta própria.
Assim um transplatado se recebe um rim, não terá informações de como agiria seu doador.
Cessada a vida orgânica não existe mai9s em qualquer pare corpórea nem Espírito nem perispírito.
Sendo assim não haverá aquisição de nada por parte de quem seja o recebedor da doação.
abraços,
Moura
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: dim-dim em 01 de Agosto de 2010, 17:37
Amigos,
me parece que esse tópico se alia mais ao misticismo do que a doutrina espírita e com esse sentido venho esclarecer que nenhuma órgão, guarda nenhuma informação que possa ser adquirida por outrem, após um transplante.
Orgãos não pensam, não têm lembranças, memória ou agem por conta própria.
Assim um transplatado se recebe um rim, não terá informações de como agiria seu doador.
Cessada a vida orgânica não existe mai9s em qualquer pare corpórea nem Espírito nem perispírito.
Sendo assim não haverá aquisição de nada por parte de quem seja o recebedor da doação.
abraços,
Moura


Boa tarde, mano Moura.

Olhe o que nos diz o dicionário sobre o misticismo, e o que nos diz o espiritismo de Kardec. No mais concordo com as suas observações.

Quanto a mim é hora de deixar de ver o misticismo como algo mau.

misticismo

s. m.1. Crença na possível comunicação entre o homem e a divindade.
2. Vida contemplativa.
3. Devoção exagerada.
4. Tendência para acreditar no sobrenatural.

http://www.priberam.pt/dlpo/default.aspx?pal=misticismo (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wcmliZXJhbS5wdC9kbHBvL2RlZmF1bHQuYXNweD9wYWw9bWlzdGljaXNtbw==)

" Allan Kardec "

11 Um dia será permitido ao homem compreender o mistério da Divindade?

– Quando seu Espírito não estiver mais obscurecido pela matéria e, pela sua perfeição, estiver mais próximo de Deus, então o verá e o compreenderá.

221 a É a essa lembrança que se devem certas crenças relativas à Doutrina Espírita e que se encontram em todos os povos?

– Essa Doutrina é tão antiga quanto o mundo; eis por que pode ser encontrada em toda parte, sendo uma prova de que é verdadeira. O Espírito encarnado, conservando a intuição de seu estado como Espírito, tem, instintivamente, a consciência do mundo invisível, freqüentemente falseada pelos preconceitos, acrescida da ignorância que a mistura com a superstição.


Namasté
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: SandraMara em 01 de Agosto de 2010, 18:58
Olá a todos,

Moura,

Este caso que relatei é verídico. Não posso passar mais informações por questões de sigilo profissional, mas além dos mensionados há outros fatos e lembranças também. A pessoa está sofrendo por não conseguir compreender o que está acontecendo. A realidade é: recebeu um coração que era seu objetivo de vida e agora está desejando morrer por se sentir só, sendo q a família inteira está apoiando. Além disso há muitos sonhos com lugares e costumes que não faziam parte de sua vida. Não é fantasia ou adaptação aos remédios, como crê a equipe médica. Há algo mais.... Estou recebendo material que mostra que este caso não é isolado, mas mais comum do que se supunha...
Continuo solicitando mais informações.
Obrigada a todos!
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Mourarego em 01 de Agosto de 2010, 19:08
Sandra,
o caso por ter um relato real, quer dizer ter sido contado porém, de verdade e mesmo que este alguém pensasse ter passado pela situação.
contudo  em nada encontra fundamento no que a doutrina que é o mote pelo qual respondo, explique.
abração,
Moura.

Mano Dim dim
Eu ficaria para o caso em que nos conduzimos neste tópico, apenas com a última colocação do dicionarista.
Por certo o misticismo não é um mal em si mesmo, mas conduz a mal maior que é a crença vã, e o excesso de crédito que possamos dar a qualquer coisa.
São esses dois elementos que a doutrina diz serem erro.
abraços aos dois,
Moura
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: EmBuscaDaLuz em 01 de Agosto de 2010, 21:40
Amigo Moura, suas colocações são sempre muito enriquecedoras...
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: ponto em 01 de Agosto de 2010, 23:18
mas Moura, se o doador já estiver morto, (não sei se o caso dela é de doadores que ja desencarnaram)
voce não concorda que ele pode 'seguir'(não sei que termo usar) ou mesmo influenciar a pessoa que esta com o seu orgão?
não sei..mas acho que a maioria das pessoas que não sabem que é um espirito que vive eternamente ficam apegadas ao corpo quando morrem nao é?
que nem aquelas pessoas que fazem diamante dos restos mortais...(é, isso existe agora)
ps: é claro que doar orgãos é um ato maravilhoso! e pretendo doar tudo quando eu morrer! hehe
(apenas uma opinião nao quis dizer que a verdade é essa)
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: fcfigueiredo em 02 de Agosto de 2010, 00:36
Orgão físico, não transmite impressoes para ninguém.
O que com certeza está acontecendo é que o espírito do doador, transmite sua angústia para o portador de seu orgão, pois ainda está aturdido pela rupitura dos laços físicos em acontecimento trágico.
O transplantado recebe suas impressões, pois tem uma sensibilidade e uma ligação com o doador que deverá ser trabalhada através da gratidão e orações, por ele.
Quando o racional, delibera doar um orgão, não quer dizer que o emocional está pronto, pois não nos conhecemos tão profundamente, assim.
Não temos idéia do nível de apego que ainda possuímos para com o nosso corpo e isso é algo que deve ser trabalhado durante toda uma vida ou algumas.
No entanto o gesto meritório, sempre é visto pelas leis da vida e o socorro do Alto não se faz esperar! Se pudermos colaborar com orações, melhor!
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Tupan em 02 de Agosto de 2010, 05:48
http://www.youtube.com/watch?v=PrnYFvkL8rc&feature=player_embedded (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVBybllGdmtMOHJjJmFtcDtmZWF0dXJlPXBsYXllcl9lbWJlZGRlZA==)

Muita paz!!!
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Mourarego em 02 de Agosto de 2010, 16:52
mas Moura, se o doador já estiver morto, (não sei se o caso dela é de doadores que ja desencarnaram)
voce não concorda que ele pode 'seguir'(não sei que termo usar) ou mesmo influenciar a pessoa que esta com o seu orgão?
não sei..mas acho que a maioria das pessoas que não sabem que é um espirito que vive eternamente ficam apegadas ao corpo quando morrem nao é?
que nem aquelas pessoas que fazem diamante dos restos mortais...(é, isso existe agora)
ps: é claro que doar orgãos é um ato maravilhoso! e pretendo doar tudo quando eu morrer! hehe
(apenas uma opinião nao quis dizer que a verdade é essa)

Vou tocar na exceção, Letícia.
Um materialista, arraigado aos prazeres mundanos, pode sentir a falta de um órgão que foi doado a outrem.
Eu disse sentir, mas note que esta sensação é ilusória e de deve apenas ao caso destes materialistas, não a todos os casos.
Tratamos aqui desta sensação ilusória já que o Espírito, qualquer um deles, não tem corpo físico.
abraços,
Moura
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Mourarego em 02 de Agosto de 2010, 17:08
Orgão físico, não transmite impressoes para ninguém.
O que com certeza está acontecendo é que o espírito do doador, transmite sua angústia para o portador de seu orgão, pois ainda está aturdido pela rupitura dos laços físicos em acontecimento trágico.
O transplantado recebe suas impressões, pois tem uma sensibilidade e uma ligação com o doador que deverá ser trabalhada através da gratidão e orações, por ele.
Quando o racional, delibera doar um orgão, não quer dizer que o emocional está pronto, pois não nos conhecemos tão profundamente, assim.
Não temos idéia do nível de apego que ainda possuímos para com o nosso corpo e isso é algo que deve ser trabalhado durante toda uma vida ou algumas.
No entanto o gesto meritório, sempre é visto pelas leis da vida e o socorro do Alto não se faz esperar! Se pudermos colaborar com orações, melhor!

FC, para que um Espírito possa transmitir coisa, a outro é necessária antes o estabelecimento de um vínculo moral e consciencial entre os dois.
quer dizer: Um terá de estar de acordo com o que o outro pense, sinta e faça., nada mais.
Como a doação não é do conhecimento de quem a receba, este já não sabe e nem conhece quem lhe foi o doador e por isso mesmo não se estabelece vínculo algum.
Abração,
Moura
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: hcancela em 02 de Agosto de 2010, 18:27
Olá amigos(as)


Se eu ou algum amigo daqui do forum, for doar sangue a alguém que precise dele e o salvar,tenho a certeza que quem o recebe, irá ficar grato para todo o sempre. Isso para mim será um acto (digamos de Amor). :-*

Acho e isto dentro do meu entendimento, que nos órgãos físicos,e sejam eles quais forem e se houverem compatibilidades, para mim é o mesmo, que doar sangue.,Se for um acto de Amor, não vejo mal nisso. :-*

É claro , apenas uma opinião minha. ;D


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: fcfigueiredo em 02 de Agosto de 2010, 22:31
Mas não há mal nenhum mesmo em doar um orgão para transpante, hcancela.  Voce está coberto de razão.
Mas quanto à opinião do Moura, respeito, mas de acordo com nossa experiencia de alguns anos na Mesa Mediúnica, vimos inúmeras vezes, expíritos acharem pessoas que não conheciam enquanto encarnadas, para quem foram doados objetos de seu pertence enquanto encarnados,
Espíritos identificam seus inimigos de outra vida, mesmo vestidos de roupagem carnal diferente, na vida atual e se tornam seus obsessores.
O que o amigo define como vínculo moral e consciencial a Doutrina Espírita define como SINTONIA, o que não é muito fácil de definirmos à partir dos padróes puramente humanos.
Jesus nos fala em seu Evangelho de Amor, que ¨onde estiver seu tesouro, aí estará o seu coração¨ e através desse princípio, o espírito desencarnado poderá encontrar, sim, qualquer coisa que julgue lhe pertencer.
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: SandraMara em 05 de Agosto de 2010, 02:45
Boa noite,

Muito obrigada pelas considerações de todos, especialmente pelo presente de ver em vídeo nosso querido Chico Xavier.

Mas ainda estou em dúvida. Os sonhos, as sensações de presença, as lembranças de lugares que nunca esteve, a tristeza que vem acompanhando seus dias depois do transplante de coração, com saudade de algo que não sabe o quê, sendo que antes era alegre e mesmo doente não perdia o bom humor, tudo isso é apenas efeito dos remédios?

Ele se sente vigiado, sonha com um jovem, tem saudade de um passado que não viveu, isso é apenas processo de adaptação? Sinceramente acredito que por algum motivo que não sei ao certo, houve a aproximação do jovem falecido ao receptor da doação. Além das orações, que sem dúvida são importantes, me sinto (tomada as devidas proporções de minha inferioridade) como que diante das mesas girantes. Há algo aqui que merece pesquisa e aprofundamento, e quem sabe, conseguiríamos uma prova irrefutável da imortalidade da alma. Entretanto não quero perder de vista os parâmetros éticos e morais.

Eu estaria divagando em minhas observações?
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Mourarego em 05 de Agosto de 2010, 03:36
FC, me desculpe,
note bq1ue eu nunca me afirmo no tempo em que tenha trabalhado quer na desobsessão, quer no atendimento fraterno, quer no passe, quer na pesquisa de fenômenos físicos e medianímicos.
Este fato não me dá cabedal algum perante a doutrina. Ela sempre será soberana, já que não faço doutrina apenas a sigo e como manda o figurino.
A coisa é simples, nada físico atinge ao Espírito.
Favor não confundir esta verdade espírita com a condição em que esteja um Espírito.
Se muito materializado por certo se agarrará a falta de qq coisa, contudo tudo o que sentir não sairá do campo da sensação ilusória posto que ele não necessita de orgão algum.
Espírito é Espírito aqui, em Marrakesh ou em Júpiter.
Abração,
Moura
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: fcfigueiredo em 05 de Agosto de 2010, 04:36
Moura, eu não me referí à minha atuação na Mesa mediúnica, para demonstrar autoridade perante a Doutrina, não meu amigo!
O fiz, porque a experiencia em qualquer coisa na vida, deve ser considerada.
É claro que estamos falando da condição em que se encontra o espírito (ainda muito materializado) e é exatamente por isso é que esse fato é possível e tem sido observado em reuniões Mediúnicas em várias partes do Brasil.
Minha preocupação é de esclarecer quanto ao fato apresentado e não o de me apresentar como Paladino da Defesa Dpitrinária.
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Mourarego em 05 de Agosto de 2010, 16:42
Amigo FC,
Entre os Espíritos muito materializados ainda, há uma gama muito grande, há mesmos os que nem se preocupem como que falamos e ao generalizar o amigo deixou  a entender que falava de todos e não é assim que a banda toca.
E meu amigo, desculpe--me, mas quando se fala em experiência se tem sim essa vontade de passar uma pretensa autoridade, quando se sabe que muito do que acontece numa mesa, é apenas a visão do Espírito que a ela chega dentro do seu sistema de crença e do que ele entenda, mas no mais das vezes sem nenhum conhecimento do que lhe aconteça, ele fala das sensações e como a doutrina explica a maioria delas quando se trata de Espíritos ainda arraigados à carne é apenas a ilusão que ele conserva.
abraços,
Moura
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: fcfigueiredo em 06 de Agosto de 2010, 04:08
E daí que seja ilusão, se para ele é tão real como a vida que acabou de deixar...
Se generalizei retrato-me, pois as nuances psicológicas vão ao infinito, porém, ainda dentro dessa ¨ilusão¨o espírito ainda materializado, pode se ligar e não raro se liga àquilo que considera seu de direito!
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Mourarego em 06 de Agosto de 2010, 16:50
É FC,
enquanto você permanecer nesse marasmo não vai mesmo compreender a doutrina.
Moura
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: leleka em 06 de Agosto de 2010, 19:49
Na minha opinião o que ocorrer é que o doador pode não estar aceitando sua condição de espírito liberto e  que foi a família quem decidiu doar o órgão.Será que ele (o doador ) era de acordo com a doação de seus órgãos??Afinal doar tem que ser de plena vontade.
Abraço.
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: fcfigueiredo em 07 de Agosto de 2010, 04:16
Não preciso compreender a Doutrina como voce, meu amigo!
Basta que eu respeite cada um desses irmãozinhos em suas ¨ilusões¨ e os dê algumas palavras de conforto e oração, que já estarei cumprido o meu dever de espírita.
Absurdo se eu usasse de verborragia pseudo-doutrinária, na tentativa de fazer com que o espírito perceba que o que ele vê, escuta e sente é tudo ilusão!
Título: Re: Os transplantes e influências espirituais.
Enviado por: Mourarego em 07 de Agosto de 2010, 16:44
Amigo Fc, avalie a estultice que o amigo acaba de postar:
Diz o amigo: "Não preciso compreender a Doutrina como voce, meu amigo!" Ao que eu lhe digo: é verdade, você precisa, como eu ou qualquer um outro, conhecê-la bem e sem roupagens ou adereços produzidos pela sua vontade.
Continuando: "(...) Basta que eu respeite cada um desses irmãozinhos em suas ¨ilusões¨ e os dê algumas palavras de conforto e oração, que já estarei cumprido o meu dever de espírita."
Não notas que um trabalho feito sem conhecimento faz maior mal do que qualquer palavra boa ou má?
Parece que o amigo ainda está no estágio de que só se precise "ajudar", como muitos falam. Infelizmente para ajudar se tem de conhecer bem e profundamento o objeto do como e do porque ajudar.
Um senhor, movido pela mais sublime das compaixões e bondade, procurando ajudar a um homem que havia sido atropelado numa estrada, o removeu do local onde havia caído, colocando-o ao lado da estrada, esperando pela viatura de socorro que demorou mais chegou.
Qual não foi sua surpresa quando o médico qoue acompanha tais viaturas lhe passou o maior "sabão" mostrando-lhe que a remoção efetuada havia rompido o que restava em bom estado da coluna do senhor que havia sido atropelado, e que apenas pela ajuda prestada estaria aquele senhor, vítima do atropelamento, conduzido a condição de invalidez permanente.
Este é apenas um exemplo que acontece muito pelas estrados  e mesmo nas cidades desse meu Brasil brasileiro, onde todos querem ajudar sem mesmo saber como.
Uma boa palavra ajuda mais do que certas indicações que as vemos serem feitas quer em Fóruns quer em chats.
As vezes, diz certo filósofo, grande sabedoria demonstramos ao sabermos ficar calados.
Para se ajudar em termos de doutrina cito agora Emmanuel, pois esta é uma da boas recomendações deste Espírito. "a maior caridade que se faz pela doutrina é dizê-la como ela é". Ficam estas palavras como um brasão distintivo da ação caritativa em molde Espírita meu amigo.
Ou ainda as palavras de Kardec que contam com a outorga do CUEE "O Espiritismo sará bons frutos quando for bem entendido e bem compreendido". Vê-se que o codificador, ladeado por Espíritos do galardão do Espírito A Verdade, concebe em sua afirmação dois vocábulos, entendimento" e "compreensão", o que nos dá a ver que uma não é sinônimo da outra mas que as duas se completam, formando outra que lhes é distinta "Conhecimento".
Quando a verborragia meu amigo as suas palavras já a demonstram e numa visão da palidez da sua compreensão.
Se o amigo refletisse mais no que fala não haveria de ter afirmado: "na tentativa de fazer com que o espírito perceba que o que ele vê, escuta e sente é tudo ilusão!" Já que sendo também um Espírito você mesmo estaria a "ver" uma ilusão...
Esse o tamanho do erro que a paixão não lhe deixa antever.
abraços,
Moura