Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Imortalidade da Alma => Tópico iniciado por: Herbert F Santos Jr em 19 de Outubro de 2009, 19:22

Título: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: Herbert F Santos Jr em 19 de Outubro de 2009, 19:22
Paz e luz para todos!
Sou espírita, mas, ainda me considero um pequenino aprendiz, do aprendiz, do aprendiz.
Uma das coisas que me atrai junto ao Espiritismo, é a característica científica e questionadora que a Doutrina nos permite e, somente por isso faço a pergunta a seguir.
Sempre agradeço ao nosso Criador a oportunidade que me foi dada para meu aperfeiçoamento na vida terrena, mas, antes disso, e acima de tudo, agradeço a Deus pela minha existência espiritual, ou seja, pela criação do meu espírito, pois, em algum momento, creio, todo espírito foi criado por Deus.
Recentemente me veio a mente uma pergunta, a qual insiro neste fórum e dirijo aos que têm conhecimento consistente acerca da espiritualidade.
Partirei de algumas premissas que reputo absolutas, mas, posso estar enganado:
1º - Deus é infinito.  Não tem origem nem fim.  Sua existência escapa à nossa compreensão;
2º - Já um espírito, como Nós todos, foi criado por Deus e, portanto, ao existir, ao ser criado, somente a partir daí passa a ser eterno.
Assim, diferentemente do Criador, a existência de um espírito tem um começo, muito embora não tenha fim, portanto passa a ser dita como eterna daí para frente.
A pergunta é: Apesar de um espírito ser infinito, pode ele deixar de existir? ou seja, poderia vir a ser destruído, tendo em vista que tudo aquilo que existe, seja no mundo material, seja no mundo espiritual, tudo foi criado por Deus e, portanto, em tese, Deus poderia retirar da existência?
Com relação a esta pergunta, faço questão de frisar que estou abstraindo a questão quanto à infinita bondade do Criador e ao seu perdão.
A pergunta é simplesmente quanto à possibilidade potencial disso vir a ser possível ou não.
Digo isso porque acredito que seja possível ao Criador tirar um espírito da existência absoluta, muito embora um espírito seja infinito, mas, somente enquanto existir, tudo pela vontade de Deus.
Entendo que retirar esse poder do Criador seria limitar seu poder, o que ainda não posso aceitar, salvo uma explicação que me faça compreender de outra forma.
Agradeço a quem puder responder e saúdo a todos os que participam deste fórum.
Herbert F S Junior
Título: Re: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: Mourarego em 19 de Outubro de 2009, 19:47
Toda a obra de Deus, amigo Herbert, como diria um antigo ministro da era Collor, é "imexível" hehehe.
Sendo assim e como o progresso é uma constante, Deus não haveria de retirar ao Espírito, mesmo os mais empedernidos a sua oportunidade de transformação.
Abraços,
Moura
Título: Re: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: Herbert F Santos Jr em 19 de Outubro de 2009, 19:57
Paz e luz!
Compreendo isso muito bem, meu Irmão Moura Rêgo, mas, o cerne da questão não é em relação à vontade de Deus e sim em relação à capacidade de Deus de fazê-lo ou não, e, se não o faz, não o faz apenas e tão somente porque assim não o deseja.  A pergunta não reside na vontade de Deus mas sim na capacidade latente que ele teria para isso.  Seria isso?
Abraços fraternos!
Herbert Jr.
Título: Re: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: Mourarego em 19 de Outubro de 2009, 20:00
Herbert, mano, Deus é o que tudo põe e sobre tudo dispõe. Logo ele pode tudo, mas seria Ele capaz de ir contrariamente a suas próprias leis?
Abraços,
Moura
Título: Re: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: Ace em 19 de Outubro de 2009, 20:04
Deus é bom e justo, penso que ele não faria isso.

Paz.
Título: Re: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: Mourarego em 19 de Outubro de 2009, 20:11
Também eu penso o mesmo CZ
Abraços,
Moura
Título: Re: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: Fernando Fazzane em 15 de Dezembro de 2013, 19:39
Prezado Herbert, antes de aprofundar em qualquer conceito, temos que ter em mente as definições corretas.

Alma: Espírito quando encarnado.
Infinito: Aquilo que não se conhece o fim. Não siginifica que não possua fim.
Imortalidade: Refere-se à característica se sobreviver ao processo de morte física.
Indestrutibilidade: Característica da matéria à qual não se possa destruir, dividir, quebrar.

Até onde conhecemos, toda matéria é destrutível. Prova disto é o nível sub-atômico ao qual se revela que a matéria é condesação de energia (além dos quarks) e energia livre, sempre decai.

Quanto ao espírito ser infinito:
Falso. O espírito é um ser LIMITADO e CIRCUNSCRITO, segundo o próprio Kardec e os espíritos que o orietaram nos deixaram bem claro este conceito.
O fato de não conhecermos o processo nos dá a falsa sensação de infinito, pois não conhecemos o fim. Isto não significa que ele não exista.

Referente à imortalidade da ALMA:
Correto. A ALMA é o espírito quando em estado encarnado. Quando desencarnado, ela deixa de ter a nomenclatura ALMA e volta ao estado de espírito, portanto ele se mostra resistente ao processo de morte biológica, sendo tecnicamente IMORTAL.

Referente à infinitude de Deus:
Correto. Não conhecemos sua origem e seu fim e jamais conheceremos pois ele encontra-se fora deste Universo. Então ele PRÉ-existe ao nosso Universo e existe a probabilidade de que ele sobreviva após a morte ou o fim deste Universo.

Referente à criação dos espíritos:
Os princípios espirituais devem ter sido criados no momento do nascimento do Universo e podem continuar entrando no nosso universo através de buracos-negros, brancos e de minhoca, vindos de outros universos. (teorias).

Oque podemos ter certeza é que o princípio espiritual está espalhado pelo nosso universo da mesma forma que a matéria e precisa apenas de que haja condições favoráveis para seu desenvolvimento.

Quanto à morte do espírito:
O espírito é MATÉRIA quintessenciada, ou seja é uma matéria DIFERENTE do conceito de matéria no ano de 1850, quando a eletricidade ainda era algo extraordinário. Na época de Kardec, o conceito de matéria eram os quatro elementos: Terra, Água, Fogo e Ar.

Os espíritos nos disseram que não era nenhum destes 4 e na falta de condições e nomenclatura para descreve-lo, utilizaram o termo "Quintessência".

O espírito, hoje, pode ser definido pela condição de matéria que tem como característica o acúmulo de informação, pois ele evolui e desenvolve, diferentemente da matéria não-inteligente, a qual decai sempre para níveis inferiores ao que possuía anteriormente.

Se o espírito é a única coisa conhecida que realiza este processo inverso ao da entropia, ou seja SINTROPIA, temos a hipótese de que ele seja uma antimatéria ou que tenha vindo de outro Universo sintrópico.

Considerando a opção mais simples, que ele seja uma antimatéria, já foram realizados muitos estudos com o comportamento do pósitron, que é o elétron com carga positiva, ou seja a anti-matéria do elétron, e descobriu-se que era possível que ele armazenasse informação e copiasse trajetos. Isso nos indica que o princípio espiritual possa ser resumido em seu estado embrionário a um pósitron, capaz de estar em qualquer lugar do Universo e sobreviver à força esmagadora de um buraco-negro.

Mas, como sabemos, a antimatéria não pode ficar andando solta por aí pois ela quando em choque com a matéria, aniquilam-se.

Isto reforça a teoria do perispírito, que é o que protege o espírito e realiza a conexão com o corpo físico denso.

O perispírito é feito de matéria disponível no ambiente em que o princípio espiritual se encontra. Mas esta matéria é a matéria não-inteligente comum, à qual nosso corpo é também produzido.

Conforme analisamos anteriormente, toda matéria pode ser destruída. O perispírito é matéria. O espírito também. Os 3 cada um em densidade diferente, porém são Matéria.

Todos a princípio destrutíveis.

O que ofereceria maior resistência e capacidade de resistir à pressões externas extremas seria o espírito, mas este não pode estar desprotegido do perispírito.

Toda esta questão não inclui Deus como tomador de decisão, mas sim a simples e plena execução de suas leis, que são as leis naturais, que são estáveis, irrevogáveis e inescapáveis à TUDO que neste universo está contido.

Resumindo, sim. O espírito poderia ser aniquilado caso fosse exposto à uma condição ambiente na qual não suporte e isto não tem nada a ver com Deus, mas sim às leis que trazem em seu fundo, toda magistralidade e sabedoria no desenvolvimento das mesmas.

Espero tê-lo ajudado no processo de entendimento deste mecanismo que nada tem de sobrenatural.

Abraço e bons estudos.
Título: Re: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: Vitor Santos em 16 de Dezembro de 2013, 08:41
Olá amigo Herbert

na minha opinião, de acordo com a definição espirita de Deus: "Inteligência Suprema, Causa Primeira de todas as coisas", penso que a lógica nos diz que, se Ele assim quisesse, poderia eliminar os Espíritos definitivamente.

Mas é também a lógica que nos diz que, se os espiritos são imortais, foi Ele, pela própria vontade, que os criou assim. Sendo Ele a Inteligência Suprema, também nos diz a lógica que as obras dele são perfeitas. Não serão como as nossas obras, que por serem imperfeitas, temos estar sempre a alterá-las e a aperfeiçoá-las. As obras de Deus, imagino, são perfeitas. Logo Ele não necessita de estar a alterá-las. A vontade de Deus foi exercida ao criar, ela existe. Ele é Todo Poderoso. 

A sua questão não é bem formulada. A questão não é saber se Deus tem livre vontade, mas se pode alterar aquilo que criou pela própria vontade. Se Deus é instável nas decisões Dele, como os homens.

Penso que ninguém poderá dar uma resposta cabal e satisfatória a esta questão, com base em certezas, mas a lógica diz-nos que, sendo a inteligência de Deus incomparavelmente maior à nossa, as obras dele serão perfeitas e que não necessitam de alterações. A instabilidade psicológica e a imperfeição são características que encontramos em nós mesmos. Mas a lógica diz-nos que não devemos conceber Deus à semelhança dos homens. Mas quem pode responder por Deus? Quem o conhece a esse ponto?   

bem haja
Título: Re: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: André luiz de Sá em 15 de Fevereiro de 2014, 21:35
Eu acho que Deus só chegaria ao ponto de destruir um Espírito se o próprio Espírito pedir para ser destruído e deixar de existir. Mas duvido que algum Espírito peça isso, talvez isso seja possível mas nunca aconteceu por lá...
Até porque cá entre nós, deve ser torturante para um Espírito que deseja ser Exterminado e nunca poder Morrer pelo fato de ser Imortal. Acredito que nesses casos seja comuns para as pessoas que cometeram suicídios.
Título: Re: Imortalidade da Alma x Indestrutibilidade da Alma
Enviado por: Brenno Stoklos em 04 de Março de 2014, 19:29

O perispírito é matéria. O espírito também.



"Há muitas coisas que não compreendeis, porque tendes limitada a inteligência. Isso, porém, não é razão para que as repilais. O filho não compreende tudo o que a seu pai é compreensível, nem o ignorante tudo o que o sábio apreende. Dizemos que a existência dos Espíritos não tem fim".

27. Há então dois elementos gerais do Universo: a matéria e o Espírito?

Sim e acima de tudo Deus, o criador, o pai de todas as coisas. Deus, Espírito e matéria constituem o princípio de tudo o que existe, a trindade universal.

                                                            O Livro dos Espíritos