Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Imortalidade da Alma => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 23 de Outubro de 2018, 00:52

Título: A modernidade e o Espírito Imortal
Enviado por: dOM JORGE em 23 de Outubro de 2018, 00:52
                                                              VIVA JESUS!





             Boa-noite! queridos irmãos.




                   A modernidade e o Espírito Imortal



Novamente trazemos ao querido amigo leitor, para nossas reflexões, mensagem espiritual ditada no término das atividades mediúnicas do Centro Espírita Francisco Cândido Xavier, de São José do Rio Preto, interior de SP.

A temática é a modernidade e o Espírito imortal.

Ditou o Benfeitor:

“Debate-se o homem moderno junto às sensações produzidas pela materialidade e pelo gozo fornecido pela notoriedade vazia.

A busca pelo preenchimento do vazio existencial, visitando redes sociais sem profundidade, dá ao homem a falsa impressão de que é feliz.

Mantém-se conectado com outras mentes desconectadas, formando uma rede de cegos destinados ao abismo existencial.

A saciedade buscada nos etílicos e nos estupefacientes não tem limites. É como tentar matar a sede com água salgada.

São tempos modernos, dirão alguns, vivenciamos tempos de tecnologias de grande monta e é preciso aproveitá-las, dirão outros.

De vazio a vazio, de infantilidade a infantilidade, mantém-se no estágio primitivo de nossa natureza, enquanto a Natureza Divina trabalha para conduzir seus filhos cegos para o campo da luz, e estes um dia se cansam e começam a questionar-se intimamente.

A saturação sempre se dá ao Espírito Humano.

O torvelinho da vida, a despeito da escolha pelo fugidio, vai nos envolvendo nos direcionando para o caminho certo.

Dia vem, e sempre foi assim, que se atinge o limite do estágio consciencial habitado e sentir-se-á o desejo de “pular” para outro nível. É a fatalidade do progresso.

Mas, é preciso pensar a respeito. Quanto mais se demora em determinado estágio, mais se encobre de sujeiras que deverão ser limpas. Quanto mais viciação, mais necessidade de esforço para se desvencilhar dela.

De outro lado, traz, o Evangelho do Senhor Jesus, e não temos dado o justo valor a isso, as medidas que deveremos adotar para o nosso próprio bem.

Na mensagem sublime encontra-se a receita para nossa felicidade imperecível, e o Senhor, conhecedor de cada um de nós, sabe que um dia nos voltaremos para Ele, e nesse dia haverá mais alegria no céu.

Tanto o progresso quanto o livre-arbítrio fazem parte da Lei Divina.

Se escolhemos nesse ou naquele campo, vinculamo-nos ao resultado, e a nossa inteligência, embora vinculada a inteligências outras que nos prendem na ilusão, um dia falará mais alto e aí, justamente nesse ponto, estará o Senhor Jesus, porque Ele, o Divino Pastor de nosso Orbe, busca a cada uma de suas ovelhas, mesmo sabendo que por hora estejam revestidas de lobos.

É o amor em busca das ovelhas perdidas da Casa de Israel, e ele, o amor, é imbatível, tanto quanto infalível.

Assim como tem sido ao longo da evolução dos Espíritos, será conosco, e nessa hora haveremos de nos desvencilharmos do que é ilusório para buscarmos nossa melhor parte, a parte do Espírito, que é o que somos, destinados ao convívio com o Pai que, paternalmente, espera e trabalha por todos nós, os transviados da vida, independente de nossa teimosia”.


Antônio Carlos Navarro









                                                                                                     PAZ, MUITA PAZ!