Forum Espirita

GERAL => Sexualidade => Psicologia & Espiritismo => Homossexualidade => Tópico iniciado por: Meel Jacques em 07 de Outubro de 2012, 18:51

Título: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Meel Jacques em 07 de Outubro de 2012, 18:51
Em declaração ao Jornal Folha Espírita de 1984, Chico disse:

“Não vejo pessoalmente qualquer motivo para criticas destrutivas e sarcasmos incompreensíveis para com nossos irmãos e irmãs portadores de tendências homossexuais, a nosso ver, claramente iguais às tendências heterossexuais que assinalam a maioria das criaturas humanas. Em minhas noções de dignidade do espírito, não consigo entender porque razão esse ou aquele preconceito social impediria certo numero de pessoas de trabalhar e de serem úteis à vida comunitária, unicamente pelo fato de haverem trazido do berço características psicológicas e fisiológicas diferentes da maioria. (…)

No site do Instituto André Luiz encontramos opiniões de Emmanuel e de André Luiz sobre o homossexualismo.

A homossexualidade, também hoje chamada transexualidade, em alguns círculos de ciência, definindo-se, no conjunto de suas características, por tendência da criatura para a comunhão afetiva com uma outra criatura do mesmo sexo, não encontra explicação fundamental nos estudos psicológicos que tratam do assunto em bases materialistas, mas é perfeitamente compreensível, à luz da reencarnação (...) e o mundo vê, na atualidade, em todos os países, extensas comunidades de irmãos em experiência dessa espécie, somando milhões de homens e mulheres, solicitando atenção e respeito, em pé de igualdade ao respeito e à atenção devidos às criaturas heterossexuais.(Emmanuel)

Já o espírito Ramatis, no livro "Sobre a Luz do Espiritismo", ditado através da mediunidade de Hercílio Maes, declara:

PERGUNTA: — A tendência de buscar uma comunhão afetiva com outra criatura do mesmo sexo, conhecida por homossexualidade, implica em conduta culposa perante as leis Espirituais? RAMATÍS: — Considerando-se que o "reino de Deus" está também no homem, e que ele foi feito à imagem de Deus, evidentemente, o pecado, o mal, o crime e o vício são censuráveis, quando praticados após o espírito humano alcançar frequências muito superiores ao estágio de infantilidade. Os aprendizados vividos que promovem o animal a homem e o homem a anjo, são ensinamentos aplicáveis a todos os seres. A virtude, portanto, é a prática daquilo que beneficia o ser; nos degraus da imensa escala evolutiva. O pecado, a culpa, são justamente, o ônus proveniente de a criatura ainda praticar ou cultuar o que já lhe foi lícito usar e serviu para um determinado momento de sua evolução. A homossexualidade, portanto, de modo algum pode ofender as leis espirituais, porquanto, em nada, a atividade humana fere os mestres espirituais, assim como a estultícia do aluno primário não pode causar ressentimentos no professor ciente das atitudes próprias dos alunos imaturos. Pecados e virtudes em nada ofendem ou louvam o Senhor, porém, definem o que é "melhor" ou pior para o próprio ser, buscando a sua felicidade, ainda que por caminhos intrincados dos mundos materiais, sem estabilidade angélica. A homossexualidade não é uma conduta dolosa perante a moral maior, mas diante da falsa moral humana, porque, os legisladores, psicólogos, e mesmo cientistas do mundo, ainda não puderam definir o problema complexo dos motivos da homossexualidade, entretanto, muitos o consideram mais de ordem moral do que técnica, científica, genética ou endócrina. Fonte: Grupo Universalista Jesus em seu lar

Em outra pergunta, Ramatis confirma a declaração de  Emmanuel:

PERGUNTA: — Mas o que realmente explica o fenômeno da homossexualidade? RAMATÍS: — É assunto que não se soluciona sobre as bases científicas materialistas, porque, só podereis entendê-lo e explicá-lo, dentro dos princípios da reencarnação.

Como podemos notar, irmãos, para a Doutrina Espírita o homossexualismo é apenas uma estágio evolutivo que não fere as Leis Divinas e muito menos se trata de um equívoco do Criador.  O que vale é a reforma íntima, independente da orientação sexual.

PERGUNTA: — Que dizeis desse estigma de homossexualidade, quando as opiniões se dividem, taxando tal fenômeno de imoral, e outros de enfermidade?  RAMATÍS: — Sob a égide da severa advertência do Cristo, em que "não julgueis para não serdes julgados", quem julgar a situação da criatura homossexual de modo antifratemo e mesmo insultuoso, não há dúvida de que. a Lei, em breve, há de situá-lo na mesma condição desairosa, na próxima encarnação, pois, também é de Lei "ser dado a cada um segundo a sua obra". Considerando-se nada existir com propósito nocivo, fescenino, imoral ou anormal, as tendências homossexuais são resultantes da técnica da própria atividade do espírito imortal, através da matéria educativa. Elas situam o ser numa faixa de prova ou de novas experiências, para despertar-lhe e desenvolver-lhe novos ensinamentos sobre a finalidade gloriosa e a felicidade da individualidade eterna. Não se trata de um equívoco da criação, porquanto, não há erro nela, apenas experimento, obrigando a novas aquisições, melhores para as manifestações da vida.

O Dr. Andrei Moreira, presidente da Associação Médico-Espírita de Minas Gerais, em entrevista concedida para o médium e terapeuta Wanderley Oliveira, diz:

O Espiritismo recomenda a todas as criaturas a conscientização a respeito da sacralidade do corpo físico e da sexualidade, como fonte criativa e criadora, destinada a ser fonte de prazer físico e espiritual, sobretudo de realização íntima para o ser humano, em todas as suas formas de expressão.

Para o Dr Inácio Ferreira, médico psiquiatra desencarnado em 1988 e que escreve a partir da mediunidade de Carlos Baccelli:

O homossexualismo deve ser compreendido por nós outros como uma das muitas experiências que o espírito vivencia em sua trajetória, para que, finalmente, aprenda a verdadeiramente amar para além dos implementos genésicos que o caracterizam como homem ou mulher! Com o meu carinho, o irmão sempre agradecido, INÁCIO FERREIRA Uberaba - MG, 8 de setembro de 2009

Na Wikipedia encontramos um parágrafo que reforça tudo que foi citado até aqui:

 O Espiritismo crê que o espírito humano não tem sexo e que um mesmo espírito pode em diferentes encarnações habitar igualmente o corpo de um homem ou de uma mulher, sendo capaz de amar homens e mulheres. Não existe uma posição oficial sobre a homossexualidade. Alguns doutrinadores, como José B. de Campos, pregam que a questão mais importante no tocante à homossexualidade é a promiscuidade, aconselhando o homossexual a tomar um parceiro e constituir um lar [13]. O doutrinador e médium Divaldo Franco posiciona-se de forma semelhante, frisando que o homossexual, como o heterossexual, será julgado conforme sua conduta moral, independente da sexualidade[14]. (Homossexualidade e religião)


FONTE INFORMATIVA: http://www.blogdolivroespirita.com/2012/07/homossexualidade-na-visao-espirita.html

Raul Teixeira - Homossexualidade: Raul Teixeira - Homossexualidade (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWg5ZkJyYVZXMEl3JmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQj)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Tiny Dancer em 07 de Outubro de 2012, 22:00
Bem, na minha opinião é importante considerar essa abordagem a partir de vários ângulos. Pois todas as citações que foram feitas são somente vários pontos de vista em comum em relação ao um mesmo assunto. E a verdade é algo que muda de acordo com a evolução humana e espiritual. Podemos constatar isso no processo histórico evolutivo da humanidade. Mas certamente há pontos de vistas diferentes dos que foram apresentados e que merecem ser considerados também.
Nós seres humanos temos tendência a classificar e conceitualizar todas as coisas que existem para que algo possa ser entendido. Mas e quando a compreensão de algo está além de uma classificação, como conceitualizar algo que está muito além disso? Provavelmente deve haver um ponto, muito distante dos nossos instintos e tendências, em que a sexualidade torna-se muito mais sutil. Menos exigente de seus caprichos e suas imposições ao corpo. Torna-se mais preocupada com sua missão enquanto espírito.
Vemos na reencarnação uma oportunidade belíssima de nos retirarmos do castigo eterno e continuarmos nosso progresso espiritual. E o processo da reencarnação só é possível através das relações de "reprodução" humana. São essas relações que nos dão a oportunidade de retornarmos a esse mundo para continuar nosso progresso.
E se o espirito é maleável e não tem sexo, porque não pode se adaptar ao corpo que foi lhe dado para o cumprimento do seu dever? Será que as classificações "homossexualidade ou heterossexualidade" seriam mesmo uma questão de escolha? E se é uma questão de escolha, porque não se pode escolher adaptar o espírito ao corpo que foi lhe dado?
Claro que não existem motivos para denegrir a imagem dos homossexuais, embora inúmeros tenham um comportamento bastante promíscuo e há um grande incentivo nessa direção. Mas será que há a necessidade da religiões incentivarem essa vivência, enquanto as famílias tem sido tão desencorajadas nos tempos atuais a ter uniões sérias e estáveis? Enquanto as famílias tem sido tão desvalorizadas?
Na época em que alguns desses texto foram escritos, a sociedade passava por um momento. Mas hoje está passando por uma perda de valores muito grande. Crianças não respeitam mais professores, mais velhos e os pais, porque as bases familiares estão se desmanchando e poucos estão indo socorrer essa instituição tão importante para o processo reencarnatório e nossa evolução espiritual. Se o espírito é assexuado e caminhamos rumo ao domínio dos nossos instintos, porque incentivar um grupo e assistir outro se desmanchando sem fazer nada?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: wender100%espirita em 07 de Outubro de 2012, 23:28
na visão espirita homossexualidade é uma expiação, ou uma prova pro espirito quando não aceita a mudança de sexo na reencarnação,paz e luz a todos
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 08 de Outubro de 2012, 00:24
A visão da DE (Livro dos Espíritos e Revista Espírita: janeiro de1968) é muito clara a esse respeito: O Espírito escolhe (ou aceita) o sexo por pura necessidade. O sexo masculino e o feminino oferecem provas distintas ao Espírito. Não é possível, portanto, que o Espírito evolua encarnando apenas em um dos sexos, indefinidamente. Mas, uma vez na carne, o livre arbítrio é o juiz das escolhas individuais, sendo, portanto, natural que Espírito não queira assumir as provas do sexo que escolheu (ou aceitou) em sua programação reencarnatória. É um direito da criatura humana que deve ser respeitado, doa a quem doer.

Mas, se por um lado não cabe ao Espírita emitir juízo, por outro ele não pode incentivar ou mesmo acatar passivamente os conceitos de “normalidade” e “sexo psíquico” que tanto a literatura espiritualista quanto a terapêutica clínica contemporânea escolheram para lidar com o problema da homossexualidade. O Espírita pode, se solicitado e preparado para isso, apresentar, de forma imparcial e precisa, a visão doutrinária a esse respeito, para esclarecimento daqueles que buscam a visão do Espiritismo sobre esta delicada e ao mesmo tempo tão simples questão.

Abraço fraterno
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Meel Jacques em 08 de Outubro de 2012, 02:15
E o processo da reencarnação só é possível através das relações de "reprodução" humana. São essas relações que nos dão a oportunidade de retornarmos a esse mundo para continuar nosso progresso.
E se o espirito é maleável e não tem sexo, porque não pode se adaptar ao corpo que foi lhe dado para o cumprimento do seu dever? Será que as classificações "homossexualidade ou heterossexualidade" seriam mesmo uma questão de escolha? E se é uma questão de escolha, porque não se pode escolher adaptar o espírito ao corpo que foi lhe dado?
Claro que não existem motivos para denegrir a imagem dos homossexuais, embora inúmeros tenham um comportamento bastante promíscuo e há um grande incentivo nessa direção. Mas será que há a necessidade da religiões incentivarem essa vivência, enquanto as famílias tem sido tão desencorajadas nos tempos atuais a ter uniões sérias e estáveis? Enquanto as famílias tem sido tão desvalorizadas?
Na época em que alguns desses texto foram escritos, a sociedade passava por um momento. Mas hoje está passando por uma perda de valores muito grande. Crianças não respeitam mais professores, mais velhos e os pais, porque as bases familiares estão se desmanchando e poucos estão indo socorrer essa instituição tão importante para o processo reencarnatório e nossa evolução espiritual. Se o espírito é assexuado e caminhamos rumo ao domínio dos nossos instintos, porque incentivar um grupo e assistir outro se desmanchando sem fazer nada?

Bem, preciso comentar algumas coisas que você disse, ok?

Inicialmente eu preciso comentar que só porque a homossexualidade deixa de ser "errada" e "anormal" não quer dizer que todos se tornarão homossexuais, logo a reprodução ainda existirá. E se você pensar bem, não são todas as mulheres e homens que possuem a capacidade de se reproduzirem.

Quando pedimos para nascer na terra fazemos um planejamento, obviamente que grande parte das pessoas irá planejar se casar e ter filhos, e acredito que não existirá, mesmo que fosse incentivado a homossexualidade, uma época em que não existisse reprodução, nem que fosse "barriga de aluguel".

Outro ponto que preciso comentar é o fato de existirem MUITAS crianças abandonadas pelos pais, orfãs, nas ruas. É preferível ser adotada do que passar a vida sozinha ou sendo maltratadas pelos pais "heterossexuais". Uma união estável com amor vale mais do que qualquer reprodução.

Escolher adaptar ao corpo escolhido, você diz. Se fosse tão fácil se adaptar às coisas e às situações, não estaríamos aqui buscando nos melhorar. Não se pode "impor algo". O espírito é livre para fazer suas próprias escolhas. Se ele não pode estar com quem ele ama, se não pode escolher com quem se relacionar, onde entrará o livre arbítrio? Nosso direito de ser feliz? A quem o homossexual machuca ao se apaixonar por alguém do mesmo sexo, ao se sentir atraído por alguém com a mesma morfologia? A ninguém. É apenas a ele mesmo que deve dar satisfações sobre sua sexualidade e a de seu/sua parceiro(a).

Você também fala sobre promiscuidade. Essa tal "promiscuidade" é inerente ao homem e não ao seu sexo. Foi apenas agora que o casamento gay foi oficializado no Brasil e graças a Deus eles poderão viver como uma família e ter os mesmos direito e deveres como em uma família formada por um homem e uma mulher. A relação agora é LEGAL. Se existe algo que deveria ser combatido é esse desvio moral e sexual que existe e não a homossexualidade em si. Se esta relação entre pessoas do mesmo sexo estiver relacionada apenas com desvios e não for algo moralmente correto, vamos dizer assim, desaparecerá a medida que iremos nos melhorando espiritualmente, fazendo nossa reforma intima.

Você relaciona o incentivo das religiões versus desencorajamento de uniões sérias e estáveis. Bem, estamos tentando tornar a união homossexual estável e séria. Não queremos, de forma alguma, desencorajar as família, mas criar um clima de paz e permitir que as pessoas possam se amar sem medo, sem viverem em dor, enclausuradas. O que adianta um homem casar com uma mulher e sentir atrações por homens? Lutando todo dia contra isso? Fazendo apenas o que a sociedade quer, infeliz, tornando sua mulher infeliz?

Perda de valores versus instintos. Essa é interessante. Sinceramente, não acredito que a homossexualidade se relacione a perda de valores, mas a promiscuidade sim, claramente. Quanto a parte dos instintos eu tenho o dever de admitir ser verdade. Mas da mesma forma que é instintivo a um homossexual gostar de uma pessoa do mesmo sexo, é instintivo para um heterossexual gostar de uma pessoa do sexo oposto. E aí está o impasse.

Esse é um assunto delicado. Mas ninguém está incentivando a homossexualidade, mas permitindo, com a legalização do casamento gay, que ela seja legal. Estamos dessa forma libertando espíritos prisioneiros, confusos, perdidos, para que ele possam decidir o que fazer com a sua própria vida.

Não é como se eles estivessem roubando ou matando alguém (como é o caso do assassinato e aborto). Esta é uma livre escolha dele que não afeta a vida de ninguém e nem a sua saúde. E, certamente, se estiver em sua programação se apaixonar por uma pessoa do sexo oposto, porque então ele não poderia mudar de ideia depois? No que isso afetaria nossas vidas? Estaremos apenas permitindo que duas almas fraternas se amem.

Acho que deveríamos parar de jugar o amor das pessoas, sejam estas de sexos diferentes ou iguais, de mesma raça ou não, de mesma nacionalidade, costumes, cor de pele ou não. Deveríamos nos focar em tópicos mais importantes como a reforma íntima, a caridade, o amor e a compreensão.

Muita luz e espero não ter ofendido ninguém. Se fiz isso, peço perdão.  :o

Beijos.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Danilo Henrique em 08 de Outubro de 2012, 02:22
Meel Jaques, parabéns pelo tópico. Um dos melhores que já li sobre o tema.
As considerações de Ramatis me agradam muito.

Amigos, pelo o que sei, a Doutrina Espírita em nenhuma de suas partes, se pronuncia a respeito da problemática da homossexualidade. Se alguém conhecer algum trecho da revista Espírita que trate diretamente do assunto, será de grande valor. Pois eu não conheço.
Mas com vista nas obras básicas, a doutrina fala no máximo sobre a poligamia, e sobre as problemáticas do sexo em si.

Por essa razão, que estes temas são melhores desenvolvidos com base na literatura independente, através destes respeitáveis autores espirituais, em congruência com os estudos científicos da humanidade sobre o tema.

Na minha ótica, é impossível abordar o problema da homossexualidade, com a necessária propriedade, sem analisar, como disse Tyne Dancer, as diversas facetas da questão.
E uma dessas facetas, sem dúvidas, é a que se deve considerar o homossexualismo como um distúrbio da função sexual, desviando-a do seu verdadeiro objetivo, que é a reprodução.
Mas antes que me critiquem essa visão, aviso em tempo que não posso crer que essa condição é absoluta, ou seja, abrange todos os casos.
O estudo e a observação dos diversos casos existentes nos mostra que há pessoas que trazem essa tendência desde o berço, revelando alterações no comportamento dito "padrão" logo nos primeiros gestos da infância, e revelando, nessa fase mesmo, a tendência que lhe é característico, mesmo antes de ter adquirido, conscientemente, qualquer noção sobre as nuanças do sexo.
Outros caso, entretanto, revelam que a deturpação dos valores atribuídos ao sexo conduz o homem, principalmente em sua fase de descoberta e desenvolvimento da libido, à uma espécie de insaciedade, que lhe provoca  a necessidade psicológica de procurar maior variedades de sensações no "novo", no "diferente", no "arriscado", no "proibido".
Como percebem, o problema pode ter mais de uma causa, e desse modo, não pode ser catalogado tudo sob a mesma estrutura conceitual.
Dizer que alguém é homossexual, dando essa única explicação: porque encarnou várias vezes consecutivas no sexo oposto, é ignorar um outro mundo de fatos e observações, que podem ter a sua causa na própria encarnação presente, sob o ponto de vista da psicologia e da psicanálise.

O amplo apelo da classe homossexual por respeito e igualdade, de um lado muito justo, de outro, muitas vezes dificulta uma apreciação mais ponderada do tema. Os homossexuais merecem respeito e compreensão, sem dúvida. Mas esse imperativo não deve mudar a realidade que determina as verdadeiras causas desse comportamento, e não pode o estudo firmar-se nessas bases, mas sim somente no método mais eficaz para o desdobramento da verdade.

O problema do preconceito e da discriminação, aliás, não está ligado às causas e consequências de nenhuma ponto do assunto.
Esse é um problema de atraso moral da humanidade.

Voltando....

A princípio, encontramos na obra Céu e Inferno, uma informação muito importante no capítulo "A carne é fraca". Ali é dito que na mente estão todos os recursos que o Espírito possui para superar as suas tendências. A literatura espírita, concorde a esse princípio, nos informa frequentemente que o corpo é sempre o reflexo do espírito, e nunca o oposto. Embora o corpo transmita sensações ao Espírito, ele nunca vai lhe impor de forma absoluta a direção de suas ações.
Acrescentamos a esse conceito, outro não menos importante: A sexualidade localiza-se na mente, e não no corpo.

Logo, ninguém nasce com "corpo homossexual", ou "bissexual". O corpo é sempre o corpo, criado para os mesmos objetivos gerais.
Por aí, concluímos que os casos em que essas tendências são trazidas do berço, possui a sua causa no arquivo mental intrínseco ao espírito encarnante de suas experiências passadas.

Independente se se trata de uma provação ou expiação, é instrumento de elevação do Espírito na senda do progresso. Como dito por Ramatis: são resultantes da técnica da própria atividade do espírito imortal, através da matéria educativa.

Nesse caso, o Espírito que encarna em uma condição de tendência "irresistível" à homossexualidade deve aprender a conviver com os conflitos dessa situação. Seu mérito consiste em adotar atitude mental positiva diante desses conflitos, registrando o aprendizado construtivo para a sua vida futura. O seu fracasso ou desmérito consiste, não pela sua condição em si, mas pela má elaboração da sua conduta moral, levando uma vida de desgosto, depressão, rancor, ou simplesmente deixando-se entregar a uma vida sensual e desregrada.
Vejam bem, eu disse "irresistível" entre aspas, pois pelo o que já foi exposto, essa condição não pode ser absoluta, pois não só a sexualidade, como todos os conflitos do Espírito se situam na casa mental, e é somente através da mente que vivemos e criamos a nossa realidade.

Amigos, sintam-se a vontade para discordar, pois não sou dono da verdade. Esse é um raciocínio meu próprio, como base no que já lí e estudei sobre o assunto.

Abraços! 


Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Meel Jacques em 08 de Outubro de 2012, 02:53
Realmente não sei o que pensar sobre esse fato, e admito estar deveras transtornada com a possibilidade dos homossexuais terem que se enclausurar e lutar diariamente contra esse sentimento de atração para com pessoa do mesmo sexo, enquanto pessoas de sexo diferentes usam e abusam de seu corpo para fins momentaneamente prazerosos.

Só rezo e peço a Deus que ilumine essas pobres almas perdidas nas desilusões da carne. Eu gostaria muito de poder fazer alguma coisa. Doí pensar nos dessabores de uma vida solitária e constantemente vigiada para que não caiamos na tentação de sentir algum tipo de atração ou sentimento mais forte por alguém do mesmo sexo.

Entendo certas situações, como no caso de aborto, assassinato, roubo... porque machuca as outras pessoas e fere seu livre arbítrio. Mas um relacionamento com pessoas do mesmo sexo? Parece-me ultrajante condená-los a amizade, a um relacionamento sem profundos sentimentos.

Admito verdadeiramente que minhas paixões humanas certamente veiculam minhas ideias, sentindo-me perdida sobre esses fatos. É fácil para os homossexuais falarem isso, ele não têm que lidar com essa situação, não têm que dizer para si mesmos: "Você está errado, não pode se apaixonar por essa pessoa porque ela é morfologicamente igual a você".

Pergunto-me como seria se todos resolvessem ficar sozinhos para sempre ou um heterossexual se obrigar a gostar de uma pessoa do mesmo sexo. Inimaginável.

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Tiny Dancer em 08 de Outubro de 2012, 13:43
Bem, percebi que vc não entendeu minhas colocações.
Em primeiro lugar assim como vc tem o direito de manifestar seu ponto de vista, os que pensam o contrário também tem esse mesmo direito. Segundo, em nenhum momento falei em anormalidade ou em certo e errado. Falei sobre a diferença do momento em que a humanidade vive hoje. Realmente a promiscuidade está em todos os meios como vc colocou, mas é inegável que no meio gls ela é mais incentivada, porque nos outros meios ainda querem proteger as famílias. Concordo com o rapaz que disse que é uma questão de prova e expiação para quem vem nessas condições. Compartilho desse mesmo ponto de vista, o que também não é errado.
Acho importante abordar não somente essa interpretação que a maioria compartilha, mas as outras abordagens que também existem. Para o meu entendimento a maneira que foi colocado esse tema no tópico dá a entender que a homossexualidade deve ser incentivada e eu não concordo. Respeitada sim, mas incentivada não.
Sobre a reencarnação humana certamente irá continuar, mas se uma boa porcentagem da população por causa da "opção" sexual não pode gerar filhos e é fortemente incentivada, acho difícil as oportunidades de nascer aqui aumentarem...
Bem, isso é a minha opinião e vc não precisa concordar, assim como vc tem a sua.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 08 de Outubro de 2012, 14:10
"Esse é um assunto delicado. Mas ninguém está incentivando a homossexualidade, mas permitindo, com a legalização do casamento gay, que ela seja legal. Estamos dessa forma libertando espíritos prisioneiros, confusos, perdidos, para que ele possam decidir o que fazer com a sua própria vida."
Meel minha querida, permita-me citar essa parte do seu texto para introduzir uma parte do meu pensamento.
Concordo que ninguem esteja, incentivando a homossexualidade, e que o fizer acho que comete um equivoco igual aos que a condenam de forma absoluta.
A questão crucial aqui, me parece ser o fim da hipocrisia.
A homossexualidade existe desde que o "mundo é mundo", e em outra epocas, acho que ja foi considerada bem normal.
O problema é que contrários e favoráveis a libertação sexual que "tirou do armário" o homossexualismo, não conseguem fazer aquilo que é fundamental: respeitar a posição e o entendimento contrário.
Acho que as pessoas que lutam pelo direito de expressão e liberdade sexual, estão em uma fase do seu progresso onde necessitam disso. Não nos esqueçamos que são espiritos milenares em processo de evolução.
O problema esta na "necessidade" de afrontar o lado oposto para se sentir "vitorioso". Para acreditar que esta com a razão. E isso vale para os contrários.
Tambem acho que o fundamental é o amor, e uma criança educada com amor em um lar homossexual terá mais chance de ser um adulto sadio do que uma criança criada em um lar heterossexual, onde a promiscuidade e o adultério sejam normais.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 08 de Outubro de 2012, 16:14
Mano Gustavo, deixe-me explicar a coisa no campo do Direito pois que é nesse que o dito casamento Gay, existe.
Primeiro, não há esta figura que a imprensa noticia:
O que existe, ao invés de casamento é o registro Civil. este é um ato legal, que tem a ver com herança, bens adquiridos na constância da união, e para com os filhos que possam ter, com adotantes, os parceiros gays.
tal como nos casos de atropelamentos ou acidentes de transito onde o condutor do veículo esteja embriagado, não se pode falar em dolo, ou seja vontade, sem indicar que seja, como o tipificado no Código Penal Brasileiro que o diz dolo eventual.
Dolo simples indica que o motorista do caso tivesse a vontade e a intenção de matar a quem atropelou, o que não acontece com o bebado que conduza um veículo.
Este sim assume o risco por qualquer eventualidade, ou seja um ato fortuito, mas não tem a vontade de matar ou com se expressa no jargão do jurisdiques, "Animus necandi", ou vontade de matar.
Sendo assim, não existe a figura de casamento, pois que este é um ato em que a competência seja das igrejas.
Estes erros fazem parte do conteúdo erradiço que a imprensa projeta e que o povão não entendendo das normas jurídicas aceita e pensa serem verdades.
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Tiny Dancer em 08 de Outubro de 2012, 16:27
Bem, Gustavo não acho que seja uma questão de hipocrisia, mas de que em geral nosso estado espiritual ainda é muito infantil e escravo do corpo para fazer tantas afirmações sem sequer poder questionar se é isso mesmo, como no caso da homossexualidade egodistônica abordada pelo dr Alberto Almeida. E porque em geral, ainda vivemos em um estado de ilusão. Cientificamente falando, como mostra esse artigo que diz que "boa parte do que vc vê não é real", sobre as mentiras que nosso cérebro conta.
http://cultcarioca.blogspot.com.br/2012/10/descubra-as-mentiras-que-o-seu-cerebro.html?spref=fb
Pra mim a classificação sexual na qual a humanidade está inserida é somente uma questão de significados, interpretações que foram mudando e trazendo novas "convenções" atuais da tal liberação. Também não é a verdade absoluta.

Muita paz e fique com Deus.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 08 de Outubro de 2012, 16:43
Moura meu querido, apenas saliente que a parte que fala em casamento gay esta entre aspas por ser citação do post da nossa irmã Meel.
Da mesma forma, ja tendo debatido esse tema em outros tópicos conheço sua posição de advogado, diga-se de passagem, com a qual concordo de pleno.
Tambem concordo com sua colocação de que casamento, seja atividade associada as crenças relligiosas e cito uma frase muito repetida tanto pela minha tia, idosa a quem dou assitência, bem como pela minha esposa: "bem casado é quem bem vive junto".
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 08 de Outubro de 2012, 16:45
E eu mano repito sempre uma frase antiga mas muito coerente: amigado com fé, casado é.
abração,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 08 de Outubro de 2012, 16:49
Tiny, verdade absoluta, so Deus a conhece.
Enquanto espiritos encarnados em busca de progresso e evolução, temos verdades relativas, que mudam com esse mesmo progresso intelecto-moral que precisamos realizar.
A questão da sexualidade, podemos resumir de forma bem simples e radical: espirito não tem sexo. O sexo é uma necessidade do homem encarnado.
A medida que formos progredindo intelectual e moralmente, o sexo tornar-se-a menos importante quanto a satisfação de sensações materiais, sendo praticado, enquanto ainda encarnados, com mais e mais responsabilidade.
A promiscuidade, o adultério, o sexo sem compromisso, são sintomas da nossa natureza muito apegada a essas sensações materiais.
Hetero ou homossexual, uma relação baseada em amor incondicional independe de sexo para ser proveitosa e feliz.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Vitor Santos em 08 de Outubro de 2012, 18:00
Olá

Na minha opinião a homossexualidade é algo cuja causa está no corpo físico e não no espírito. Tal como a heterossexualidade.

O cérebro de uma mulher e o cérebro de um homem são diferentes, pois os corpos femininos são preparados para a maternidade, para o trabalho fisicamente mais leve (mas nem por isso mais fácil), enquanto os corpos dos homens são preparados para as actividades que exigem maior força instantânea, ou seja, trabalhos mais brutos. O mesmo espírito tanto pode encarnar num corpo de homem como de mulher.

O que pode acontecer, segundo imagino, pelo que tenho lido, é que alguém com um cérebro masculino possa ter órgãos sexuais femininos, e vice-versa.

O problema da homossexualidade está nos heterossexuais: é a intolerância! E a maior parte dessa intolerância vem do lado dos religiosos.

Há opções sexuais que não aprovo, por razões que me parecem óbvias, como a pedofilia. Porque prejudicam outrem. Ninguém que esteja bom da cabeça gosta de imaginar os seus filhos crianças a serem molestados por um adulto. Pelo menos eu não gostava que isso tivesse acontecido com os meus filhos.

Mas a homossexualidade é algo que não prejudica ninguém. E como tal ninguém tem nada a haver com isso. A moral existe para aplicarmos a nós mesmos, e não para julgarmos os outros. Para julgar os outros existe a justiça terrena. Isso não é do âmbito dos religiosos. E quando o é, em alguns locais, até resulta em atrocidades como o apedrejamento de pessoas.

A pessoa homossexual não tem razões para ter pesos de consciência. E quando os têm  são plantados pelos familiares e pela sociedade, devido ao preconceito.

Os meus filhos saíram heterossexuais. E eu prefiro assim. Não por razões morais, mas porque sei que estão dentro dos padrões sociais mais aceites, e assim não são vitimas da intolerância e da descriminação, que é um dos males da raça humana com consequências mais horríveis.

Se a homossexualidade é algo que foi determinado antes da encarnação, como imposição de uma experiência necessária, o objectivo é as as pessoas viverem essa experiência. Nada diz que é para a contrariarem. Quem somos nós para dizer que aquilo que foi determinado antes da encarnação está errado? 

bem hajam
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 08 de Outubro de 2012, 18:05
Sabe Vitor,
vejo alguns a dizerem que a homossexualidade é prova ou expiação mas não é nenhuma das duas.
É coisa que se toma quando já em vida onde a natureza do Espírito as vezes sucumbe ante as afinizações do passado e na imperfeição em que o Espírito esteja ele perde a força para lutar.
As influenciações existirão, e é necessário força para não se deixar levar pela correnteza

Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Vitor Santos em 08 de Outubro de 2012, 18:52
Sabe Vitor,
vejo alguns a dizerem que a homossexualidade é prova ou expiação mas não é nenhuma das duas.
É coisa que se toma quando já em vida onde a natureza do Espírito as vezes sucumbe ante as afinizações do passado e na imperfeição em que o Espírito esteja ele perde a força para lutar.
As influenciações existirão, e é necessário força para não se deixar levar pela correnteza

Abraços,
Moura

A intolerância alheia, sobretudo dentro da própria família, pode tornar a homossexualidade uma prova e uma expiação. Se é como eu imagino, que a pessoa tem essa maneira de ser por razões biológicas, e não por uma opção, e alguém quer impedir a manifestação da natureza daquele corpo, está a fazer a pessoa sofrer. No mínimo é uma prova de paciência. Mas pode ser considerado expiação (para mim expiação tem o sentido de: um sofrimento que visa estimular, ou mesmo forçar, uma mudança, e não a pena de Talião, olho por olho, dente por dente - é aqui que discordo de muitos espíritas. Expiação tem, no meu entendimento, o sentido de correcção forçada e não de castigo. Visa o bem do próprio e não a vingança de outros a quem ele possa ter feito mal em encarnações  anteriores)

Se a pessoa desejava ser heterossexual, porque alguém a convence que é incorrecto ser homossexual, ou com medo de enfrentar a intolerância e a descriminação, também é uma prova, porque isso não é fácil. Há homossexuais que não assumem a homossexualidade, pelo menos até determinada idade. Há muitas pessoas homossexuais que vivem como se fossem heterossexuais. Alguns até casados. E muitos deles traem os companheiros(as) com pessoas do mesmo sexo que eles.

Eu acho que a sexualidade tem muito de necessidade fisiológica. Nós podemos submeter-nos a um regime de abstenção de determinadas necessidades fisiológicas, mas o corpo fala quase sempre mais alto. Se não for pela via do seguimento da vontade do corpo, é pela via da doença que a ansiedade criada pela tentativa de contrariar o mesmo causa. É quase como tapar a boca a uma pessoa para ela não respirar...

Nós damos muita importância à sexualidade. E sendo uma coisa importante para nós, custa a compreender que não seja uma característica do espírito, mas a realidade é que a codificação nos indica que os espiritos não têm sexo. Quanto muito, na erraticidade,  eles podem lembrar-se de como eram as sensações do seu corpo, na encarnação anterior. Era uma coisa importante em vida, pode continuar a sê-lo depois, do ponto de vista psicológico. Por isso eu assumo aquelas psicografias que dizem que os espiritos praticam sexo, como uma linguagem simbólica. Não as interpreto à letra.

Concordo consigo, quando diz:

Citar
É coisa que se toma quando já em vida

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualidade-na-visao-espirita/15/#ixzz28jNM0Bdv

Pois o que vai significar a homossexualidade na vida de uma pessoa, vai depender mais da forma como a própria pessoa a encara, do que da forma como é constituído o seu corpo. Aliás como tudo, ou quase tudo, na vida.             

bem haja
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 08 de Outubro de 2012, 19:52
Entendo, mano vitor.
e só toco no ponto para a expiação, visto que nenhuma prova pode ir contra a lei Natural, que como expiação, só se reconheça como tal, as respostas que o ser em questão passe a ter sobre o que lhe rodeie.
Abração,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: filhodobino em 08 de Outubro de 2012, 20:45
Amado irmão Vitor,

O compreendo...
Penso em tese de vivência dessa experiência, perfeita pedagogia para aprendermos fazer de nossa conciência iníqua, uma conciência equânime por adoção legítima pela percepção das igualdades nas desigualdades, por tê-la apreciado por sob a pele, em comportamento mental.
Saúde e Paz!

Sabe Vitor,
vejo alguns a dizerem que a homossexualidade é prova ou expiação mas não é nenhuma das duas.
É coisa que se toma quando já em vida onde a natureza do Espírito as vezes sucumbe ante as afinizações do passado e na imperfeição em que o Espírito esteja ele perde a força para lutar.
As influenciações existirão, e é necessário força para não se deixar levar pela correnteza

Abraços,
Moura

A intolerância alheia, sobretudo dentro da própria família, pode tornar a homossexualidade uma prova e uma expiação. Se é como eu imagino, que a pessoa tem essa maneira de ser por razões biológicas, e não por uma opção, e alguém quer impedir a manifestação da natureza daquele corpo, está a fazer a pessoa sofrer. No mínimo é uma prova de paciência. Mas pode ser considerado expiação (para mim expiação tem o sentido de: um sofrimento que visa estimular, ou mesmo forçar, uma mudança, e não a pena de Talião, olho por olho, dente por dente - é aqui que discordo de muitos espíritas. Expiação tem, no meu entendimento, o sentido de correcção forçada e não de castigo. Visa o bem do próprio e não a vingança de outros a quem ele possa ter feito mal em encarnações  anteriores)

Se a pessoa desejava ser heterossexual, porque alguém a convence que é incorrecto ser homossexual, ou com medo de enfrentar a intolerância e a descriminação, também é uma prova, porque isso não é fácil. Há homossexuais que não assumem a homossexualidade, pelo menos até determinada idade. Há muitas pessoas homossexuais que vivem como se fossem heterossexuais. Alguns até casados. E muitos deles traem os companheiros(as) com pessoas do mesmo sexo que eles.

Eu acho que a sexualidade tem muito de necessidade fisiológica. Nós podemos submeter-nos a um regime de abstenção de determinadas necessidades fisiológicas, mas o corpo fala quase sempre mais alto. Se não for pela via do seguimento da vontade do corpo, é pela via da doença que a ansiedade criada pela tentativa de contrariar o mesmo causa. É quase como tapar a boca a uma pessoa para ela não respirar...

Nós damos muita importância à sexualidade. E sendo uma coisa importante para nós, custa a compreender que não seja uma característica do espírito, mas a realidade é que a codificação nos indica que os espiritos não têm sexo. Quanto muito, na erraticidade,  eles podem lembrar-se de como eram as sensações do seu corpo, na encarnação anterior. Era uma coisa importante em vida, pode continuar a sê-lo depois, do ponto de vista psicológico. Por isso eu assumo aquelas psicografias que dizem que os espiritos praticam sexo, como uma linguagem simbólica. Não as interpreto à letra.

Concordo consigo, quando diz:

Citar
É coisa que se toma quando já em vida

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualidade-na-visao-espirita/15/#ixzz28jNM0Bdv

Pois o que vai significar a homossexualidade na vida de uma pessoa, vai depender mais da forma como a própria pessoa a encara, do que da forma como é constituído o seu corpo. Aliás como tudo, ou quase tudo, na vida.             

bem haja
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: wender100%espirita em 08 de Outubro de 2012, 22:25
Sabe Vitor,
vejo alguns a dizerem que a homossexualidade é prova ou expiação mas não é nenhuma das duas.
É coisa que se toma quando já em vida onde a natureza do Espírito as vezes sucumbe ante as afinizações do passado e na imperfeição em que o Espírito esteja ele perde a força para lutar.
As influenciações existirão, e é necessário força para não se deixar levar pela correnteza

Abraços,
Moura
bem colocado moura só mudou as palavras continua sendo prova ou expiação pro Espirito! paz e luz
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 09 de Outubro de 2012, 00:18
Wender meu maninho,
expiação é a forma co mque o Espírito passa pelas vicissitudes.
De maneiura geral, explica a doutrina, que expiação é a vicissitude que o espírito passa sem a ter pedido.
Logo, não pode ser com o amigo a entende.
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Meel Jacques em 09 de Outubro de 2012, 02:09
Bem, percebi que vc não entendeu minhas colocações.
Em primeiro lugar assim como vc tem o direito de manifestar seu ponto de vista, os que pensam o contrário também tem esse mesmo direito. Segundo, em nenhum momento falei em anormalidade ou em certo e errado. Falei sobre a diferença do momento em que a humanidade vive hoje. Realmente a promiscuidade está em todos os meios como vc colocou, mas é inegável que no meio gls ela é mais incentivada, porque nos outros meios ainda querem proteger as famílias. Concordo com o rapaz que disse que é uma questão de prova e expiação para quem vem nessas condições. Compartilho desse mesmo ponto de vista, o que também não é errado.
Acho importante abordar não somente essa interpretação que a maioria compartilha, mas as outras abordagens que também existem. Para o meu entendimento a maneira que foi colocado esse tema no tópico dá a entender que a homossexualidade deve ser incentivada e eu não concordo. Respeitada sim, mas incentivada não.
Sobre a reencarnação humana certamente irá continuar, mas se uma boa porcentagem da população por causa da "opção" sexual não pode gerar filhos e é fortemente incentivada, acho difícil as oportunidades de nascer aqui aumentarem...
Bem, isso é a minha opinião e vc não precisa concordar, assim como vc tem a sua.

Oh, Deus, eu sinto muito. Não pensei nada contra você ou seu comentário.
Não se se você percebeu, amigo, mas não quotei seu comentário, então, bem... não foi nada voltado a criticar sua visão. Na verdade, eu agradeço muito você mostrar um ponto de vista, de certa forma, contrário. Nunca iria reprimi-lo.
Foi apenas um comentário pessoa diante de sua observação e não uma crítica a ela.
Me desculpe.  :o
As vezes não me expresso bem.  :'(

Citar
Meel minha querida, permita-me citar essa parte do seu texto para introduzir uma parte do meu pensamento.
Concordo que ninguem esteja, incentivando a homossexualidade, e que o fizer acho que comete um equivoco igual aos que a condenam de forma absoluta.
A questão crucial aqui, me parece ser o fim da hipocrisia.
A homossexualidade existe desde que o "mundo é mundo", e em outra epocas, acho que ja foi considerada bem normal.
O problema é que contrários e favoráveis a libertação sexual que "tirou do armário" o homossexualismo, não conseguem fazer aquilo que é fundamental: respeitar a posição e o entendimento contrário.
Acho que as pessoas que lutam pelo direito de expressão e liberdade sexual, estão em uma fase do seu progresso onde necessitam disso. Não nos esqueçamos que são espiritos milenares em processo de evolução.
O problema esta na "necessidade" de afrontar o lado oposto para se sentir "vitorioso". Para acreditar que esta com a razão. E isso vale para os contrários.
Tambem acho que o fundamental é o amor, e uma criança educada com amor em um lar homossexual terá mais chance de ser um adulto sadio do que uma criança criada em um lar heterossexual, onde a promiscuidade e o adultério sejam normais.


Sim, você está coberto de razão. ^^

Citar
Sendo assim, não existe a figura de casamento, pois que este é um ato em que a competência seja das igrejas.
Estes erros fazem parte do conteúdo erradiço que a imprensa projeta e que o povão não entendendo das normas jurídicas aceita e pensa serem verdades.
Abraços,
Moura

Bem, eu não concordo. Mas é uma opinião inteiramente minha.  ;D  Até porque espíritas não tem rituais de casamento. E mesmo assim se casam. É tudo uma questão psicológica. É o sentir-se casado. O que dá no mesmo com que a igreja faz, só muda o referencial.

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Meel Jacques em 09 de Outubro de 2012, 02:26
Bem, comentários a parte, não sei se algum de você já leu o livro Sexo e Destino (apoiado pela FEB), mas acredito que ele possa esclarecer muitas coisas. ^^
Então o sexo deve ser feito unicamente para procriação? Se a função do sexo para o ser humano não é apenas para reprodução, mas também para troca afectiva, a sua repressão representaria um desequilíbrio para o ser?
   
  Referenciaremo-nos ao livro "Evolução em Dois Mundos", escrito pelo Espírito André Luiz, psicografado por Francisco Cândido Xavier, Parte I, Capítulo 18, página 144: "(...) Isto ocorre porque o Instinto Sexual não é apenas agente de reprodução entre as formas superiores, mas, acima de tudo, é o reconstituinte das forças espirituais, pelo qual as criaturas encarnadas ou desencarnadas se alimentam mutuamente, na permuta de raios psíquico-magnéticos que lhes são necessários ao progresso"

       A partir da informação que nos trouxe o Espírito André Luiz, e das constatações da psicologia, sabemos que o sexo não é somente um mecanismo para procriação. Deve ser um instrumento de renovação de energias, pela doação respeitosa e recepção consciente da intimidade, do carinho, do amor.

            No entanto, dizer que "o homem precisa de sexo como precisa de alimentação" é uma banalização desse sentimento, atribuindo a ele somente uma significação fisiológica. O Espiritismo diz-nos que o sexo não é uma função fisiológica somente, mas que se manifesta no corpo carnal só dessa forma, sendo um conjunto de atribuições do espírito.

            A respeito disso, recorreremos novamente ao livro "Evolução em Dois Mundos", Parte I, Capítulo 18, página 146, onde lemos: "(...) O sexo reside na mente, a expressar-se no corpo espiritual, e consequentemente no corpo físico, por santuário criativo de nosso amor perante a vida, e, em razão disso, ninguém escarnecerá dele, desarmonizando-lhe as forças, sem escarnecer e desarmonizar a si mesmo." (André Luiz)

            Portanto, a banalização e o tratamento animalizado do sexo como uma "necessidade fisiológica" deve ser substituído - com urgência - pelo conhecimento do processo como um processo da mente, e verificado até que ponto o conceito de "necessidade fisiológica" está compatível com a necessidade do Espírito de praticá-lo. É possível que espíritos não o pratiquem sem que com isso se sintam diminuídos nem com alguma necessidade não satisfeita. Com isso entramos na segunda pergunta.

            A "repressão" certamente é muito ruim para o espírito, no entanto a "liberação a nível físico" simplesmente pode lhe ser ainda pior - com consequências para si e para os outros. Se o espírito sente a necessidade do sexo e precisa lançar mão de alguma auto-repressão é porque tem dentro de si alguma tendência que precisa analisar, porque não está tendo um correcto conceito do sexo. Lembramos, enfim, que há espíritos que não lançam mão do sexo, sem, no entanto, necessitarem "reprimi-lo", porque, por opção, direccionam as suas energias sexuais para outras actividades de serviço e de bem, enquanto, conscientes, procuram harmonizar-se melhor para o cumprimento de suas tarefas. É uma atitude muito corajosa e madura, quando é feita essa constatação.

      Na vida sexual normal de um casal equilibrado como saber o limite entre o aceitável e o condenável? Por outras palavras, como determinar onde, na prática sexual, se inicia a fixação deletéria com o sexo - terminando o que seria natural no processo de aprendizado sexual dos Espíritos?

     Se um homem e uma mulher se sentem bem estando unidos pela prática sexual, não há, a rigor, nada de condenável, uma vez que o que existe é uma prática envolvente, amorosa, com vistas à satisfação de um prazer.

     A fixação deletéria será quando os objetivos principais se perderem e o casal ficar exclusivamente voltado para esta prática com o esquecimento de outros valores comuns a uma vida de relação. O processo de aprendizado sexual do espírito começa quando ele busca as sensações e termina quando ele as pratica com vistas ao equilíbrio das suas forças genésicas.

HOMOSSEXUALIDADE E ESPIRITISMO

     Um Espírito que viveu como homem durante algumas encarnações deve agora encarnar num corpo feminino. Primeira pergunta: Há no Plano Espiritual algum processo especial de preparação para essa mudança? Segunda pergunta: há algum reflexo psicológico (como tendência homossexual) nesse Espírito quando encarnado?

     Léon Denis, no seu Livro "O Problema do Ser, do Destino e da Dor" nos afirma que nós só reencarnamos em corpos diferentes daqueles a que psicologicamente estamos vinculados em situação especial e após muito preparo psicológico.

      Assim, cada ser só irá reencarnar num corpo diferente daquele que ele está habituado a ser após intenso preparo. Cremos que a tendência homossexual não deverá ser por conta do facto de ele ter nascido em corpo diferente das suas tendências, mas sim por ele ser um espírito ainda sem a necessária evolução.

 Se nada acontece por acaso, como aprendemos na doutrina espírita, por que ocorre de certas pessoas nascerem com tendência homossexual? A homossexualidade pode ser tomada como uma problemática no campo sexual? Como a doutrina espírita vê a postura sexual dos homossexuais?

        No livro "Vida e Sexo" do espírito Emmanuel, psicografado por Chico Xavier, a homossexualidade "não encontra explicação fundamental nos estudos psicológicos que tratam do assunto em bases materialistas, mas é perfeitamente compreensível à luz da Reencarnação" (P. 89) A "tendência homossexual" e a "homossexualidade" são duas coisas bastante diferentes. Pelo menos representam uma mesma problemática, só que em níveis distintos.

      Quando um indivíduo sente em si uma "tendência homossexual", ou seja, atracção de ordem sexual - ou mesmo afectiva - por outro indivíduo do mesmo sexo, acontece um processo interessante a nível espiritual. A psicoterapia trata essa "tendência homossexual" como "transtorno de identidade sexual".

     O Espiritismo nos diz, no entanto, que essa "confusão de identidade sexual" guarda, como nos diz Emmanuel, a sua raiz na reencarnação. Porquê? Porque o indivíduo espiritual é aquilo que ele pensa. Quando se mantém ligado mentalmente a uma organização física tem uma dificuldade IMENSA de utilizar outro corpo carnal sem que essa ligação mental seja desfeita. O que isso significa? Um indivíduo que encarne como homem e, nessa encarnação, se ligue doentiamente ao sexo, em disfunções e abusos que deixem a sua mente entorpecida como objecto-corpo-feminino. Certamente numa encarnação futura essa ligação mental não estará desfeita. E é por isso que, encarnando num corpo feminino, sentirá tendências que superarão a formação hormonal e física do corpo, porque está enraizada no seu espírito.

     Na realidade, convém que, em foro íntimo, cada qual se pergunte independente da orientação sexual, se está a fazer do sexo algo útil, bom, proveitoso. Se o amor impera sempre ou se são os impulsos. Essas respostas trarão à pessoa a conclusão sobre que tipo de processo está a sofrer, e que nível de ligação mental - e comprometimento espiritual - tem perante a vida.

 Na realidade, quando pensamos no acto sexual devemos estar prontos e completamente conscientes de que é um acto de extrema responsabilidade, amor, doação e carinho. Devemos abrir os nossos espíritos, despindo as nossas almas num encontro de afecto muito mais do que despindo os nossos corpos físicos. E se algo de errado ocorreu em nosso passado, que a culpa não nos paralise os movimentos, porque não há condenação eterna, somente aprendizado em luta para a perfeição.

OBS: Esta parte está em negrito, porque eu achei divinamente perfeita. Acredito que essa seja a verdade universal.  :D  O importante é analisarmos o que fazemos com nosso corpo, com nossa sexualidade e não com quem.  8) Temos que deixar a consciência por cada um e não aprisionar as pessoas.
 

Site informativo: http://www.nervespiritismo.com/sexualidade_e_o_espiritismo-01.html

Que Deus me perdoe se eu estiver cometendo alguma injustiça.  :-\
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 09 de Outubro de 2012, 02:38
Vejo que as confusões se estendem por aqui e que a clareza dos argumentos do Moura ainda não foi o suficiente.

Homossexualismo não é nem prova, nem prova expiação, porque se assim o fosse, Deus estaria derrogando uma lei natural para permitir provas e expiações a um Espírito, e isso não faria o menor sentido. Não se pode esquecer que não há um terceiro sexo e o que os dois sexos existentes, existem para fins de reprodução da espécie humana, e também para oferecer “provas” características e necessárias à evolução do Espírito, quando em processo de encarnação. Aqui está toda a diferença: as “provas” e “expiações” são as do sexo que o Espírito escolheu para encarnar. Essas provas por si já são difíceis o bastante: criar filhos, sustentar família, lidar com a brutalidade física ou com o preconceito da fragilidade, etc.. E o espírito, uma vez encarnado, pode, naturalmente, em função do livre arbítrio de que é dotado, querer negar cada uma dessas provas. Para o  narcisista vaidoso que se encarnou em um corpo aleijado, não há escolha. Mas para o que deve apenas decidir se aceita ou não as provas do sexo que escolheu para encarnar há.

Uma explicação óbvia para a personalidade “feminina” do homem ou “masculina” da mulher é a de que um Espírito que tenha passado sucessivas encarnações em um mesmo sexo e que ainda esteja “ligado” à personalidade desse sexo, possa apresentar tendencias, costumes e inclinações às coisas desse mesmo sexo na encarnação presente, em que se encontra na condição do sexo oposto.  Mas, nem todo homem “afeminado” e nem toda mulher “masculinizada” tornam-se obrigatoriamente homossexuais. Muitos não o são e existem até mesmo muitos casais heterossexuais que completam justamente nesses termos.

Uma recomendação de leitura aos interessados em uma abordagem particular e objetiva sobre o tema do homossexualismo: Vampirismo, de José Herculano Pires, em especial o capítulo 4: “Comportamento humano”.

Abraço fraterno,
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: filhodobino em 09 de Outubro de 2012, 05:07
Amiga e amada irmã, Meel Jaquess,
Depende do que a amada irmã atribui ao vernáculo referencial...
Referência é marco psíquico que se aninha na mente e transmuta pensamentos que não se sabe de onde vêm nem para onde vão, e promove analogia em tese nos nossos psiquismos...
Se por referencial é responsabilizar a Deus para manter sua felicidade no casamento, olhe, a decisão foi sua e de seu noivo, porque Deus se responsabilizaria em manter a paz e felicidade em algo que ele não promoveu?
Se o compromisso de amar e respeitar, na saúde ou na doença, na riqueza e na probreza, descendência com amor e formar cidadãos para o mundo foi sua e de seu noivo, basta que se oficialize o casamento civil, e o compromisso é de voces dois, arquem com o mesmo até o fim de seus dias nesta encarnação...
99% da liturgias religiosas é para dar satisfação à sociedade que os rodeia, no entanto essa mesma sociedade, gerará invejas, ciumes, maledicências, óbices em suas vidas e depois dirão em briga de marido e mulher não se mete a colher... E tudo isso em função do mesmo referencial o casamento em sí...
Que norma de comportamento exige dos nubentes o cumprimento dos compromissos assumidos, o olho no olho, só voce e ele, ou os mimos que todo nubente espera com os festejos?
Saúde e Paz!
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: filhodobino em 09 de Outubro de 2012, 05:21
Amado do meu coração...

Citar
Nos termos que aventas, crês em verdade que a carne formata o Espírito e não o Espírito é que dá destinação e forma à carne?
Se, assim o fora, não estariamos condenados ao sabor do acaso, como os répteis que se fazem machos e fêmeas pela média do calor com que são incubados...

Até parece justo que reflitamos e vejo possibilidades que isto se dê, pelo abuso da luxúria, a contrair débitos desvirtuantes no psiquismo do evoluendo, mas fazer de casos pontuais, um norme comum, é infinitamente injusto, até mesmo porque o próprio abuso da luxúria exige expiação e ou provas para reconduzir o filho de Deus aos caminhos evolutivos justos e mais aproximadores do aperfeiçoamento.

Saúde e Paz!

Citar
Uma explicação óbvia para a personalidade “feminina” do homem ou “masculina” da mulher é a de que um Espírito que tenha passado sucessivas encarnações em um mesmo sexo e que ainda esteja “ligado” à personalidade desse sexo, possa apresentar tendencias, costumes e inclinações às coisas desse mesmo sexo na encarnação presente, em que se encontra na condição do sexo oposto.  Mas, nem todo homem “afeminado” e nem toda mulher “masculinizada” tornam-se obrigatoriamente homossexuais. Muitos não o são e existem até mesmo muitos casais heterossexuais que completam justamente nesses termos.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualidade-na-visao-espirita/15/#ixzz28lx8v8et
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 09 de Outubro de 2012, 15:00
Bem, comentários a parte, não sei se algum de você já leu o livro Sexo e Destino (apoiado pela FEB), mas acredito que ele possa esclarecer muitas coisas. ^^

Querida Meel,

Primeiramente procure não tomar o “apoio” da FEB como indicativo de qualidade e atestado de procedência de uma obra mediúnica, pois a FEB publica e apoia em seu estatuto obras que que não foram aceitas por Kardec como parte integrante da Doutrina Espírita, pelos simples fato de não terem passado pela sanção da concordância. Aliás, nenhuma das obras com as quais você trabalhou passou pela sanção da concordância e devem permanecer, por isso mesmo, como opiniões de seus autores. O autor em questão, no qual você se ampara, apresentou ele mesmo em diversas obras pontos discordantes ou inadaptáveis ao escopo da Doutrina – e antes que alguém venha me massacrar em defesa dos Espíritos de preferência, acusando-me de mera opinião pessoal, cito o autor que faz essa crítica com mais propriedade para isso: “André Luiz manifesta-se como um neófito empolgado pela doutrina, empregando às vezes termos que destoam da terminologia doutrinária e conceitos que nem sempre se ajustam aos princípios espíritas.”[1]

Mesmo assim, a questão proposta por Sexo e Destino é a dos compromissos gerados e assumidos pela prática do sexo irresponsável e como puro atendimento à satisfação da sensualidade. E só serviria aqui, portanto, para se discutir o problema da promiscuidade, problema que não é exclusivo dos homossexuais – aliás, em Sexo e Destino nem mesmo havia homossexualismo.

Léon Denis, no seu Livro "O Problema do Ser, do Destino e da Dor" nos afirma que nós só reencarnamos em corpos diferentes daqueles a que psicologicamente estamos vinculados em situação especial e após muito preparo psicológico.

Aqui, o próprio Leon Denis, considerado o continuador de Kardec por muitos Espíritas, no capítulo XIII do mesmo livro (Segunda Parte: "O problema do destino"), decidiu também contrariar a Doutrina Espírita ao declarar, além da afirmação das almas criadas aos pares, que a mudança de sexo para o Espírito é inútil e perigosa:

Citar
“Quanto à escolha do sexo, é também a alma que, de antemão, resolve. Pode até variá-lo de uma encarnação para outra por um ato da sua vontade criadora, modificando as condições orgânicas do perispírito. Certos pensadores admitem que a alternação dos sexos seja necessária para adquirir virtudes mais especiais, dizem eles, a cada uma das metades do gênero humano; por exemplo, no homem, à vontade, a firmeza, a coragem; na mulher, a ternura, a paciência, a pureza.
Cremos, de acordo com os nossos Guias, que a mudança de sexo, sempre possível para o Espírito, é, em princípio, inútil e perigosa. Os Espíritos elevados reprovam-na. É fácil reconhecer, à primeira vista, em volta de nós, as pessoas que numa existência precedente adotaram sexo diferente; são sempre, sob algum ponto de vista, anormais. As viragos, de caráter e gostos varonis, algumas das quais apresentam ainda vestígio dos atributos do outro sexo, por exemplo, barba no mento, são, evidentemente, homens reencarnados. Elas nada têm de estético e sedutor; sucede o mesmo com os homens efeminados, que têm todos os característicos das filhas de Eva e acham-se como que transviados na vida. Quando um Espírito se afez a um sexo, é mau para ele sair do que se tornou a sua natureza.”
[2] (Grifei)

Os “certos pensadores” a que Leon Denis se refere são os Espíritos Superiores encarregados de nos trazer a revelação em O Livro dos Espíritos e o fundador da Doutrina Espírita, que foram claros a esse respeito:

Citar
“202. Quando se é um Espírito errante, prefere-se encarnar no corpo de um homem ou de uma mulher?
- Isso pouco importa ao Espírito; dá-se em função das provas por que haja de passar.”

[comentário de Kardec:] “Os Espíritos encarnam como homens ou como mulheres, porque não têm sexo; como devem progredir em tudo, cada sexo, assim como cada posição social, oferece-lhes provações e deveres especiais e a oportunidade de adquirir experiência. Aquele que fosse sempre homem, apenas saberia o que sabem os homens.”


Reveja o quanto antes sua postura em relação às obras com as quais você trabalha, se o que deseja é esclarecer-se e esclarecer aos que a procuram. Você parece séria em seus estudos. Seria lamentável vê-la se perder em confusões.

Abraço fraterno,


Referências:

[1]. PIRES, Herculano. Vampirismo. São Paulo: Paidéia, 2003. página 21.
[2]. DENIS, Leon. O problema do ser, do destino e da dor. Edição de 1905.





Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 09 de Outubro de 2012, 15:07
Caro Filhodobino,

Lamento, mas não consegui entendê-lo e nem a correlação que você faz entre as duas citações. Se possível, esclareça-me.

Abraço fraterno,

Amado do meu coração...

Citar
Nos termos que aventas, crês em verdade que a carne formata o Espírito e não o Espírito é que dá destinação e forma à carne?
Se, assim o fora, não estariamos condenados ao sabor do acaso, como os répteis que se fazem machos e fêmeas pela média do calor com que são incubados...

Até parece justo que reflitamos e vejo possibilidades que isto se dê, pelo abuso da luxúria, a contrair débitos desvirtuantes no psiquismo do evoluendo, mas fazer de casos pontuais, um norme comum, é infinitamente injusto, até mesmo porque o próprio abuso da luxúria exige expiação e ou provas para reconduzir o filho de Deus aos caminhos evolutivos justos e mais aproximadores do aperfeiçoamento.

Saúde e Paz!

Citar
Uma explicação óbvia para a personalidade “feminina” do homem ou “masculina” da mulher é a de que um Espírito que tenha passado sucessivas encarnações em um mesmo sexo e que ainda esteja “ligado” à personalidade desse sexo, possa apresentar tendencias, costumes e inclinações às coisas desse mesmo sexo na encarnação presente, em que se encontra na condição do sexo oposto.  Mas, nem todo homem “afeminado” e nem toda mulher “masculinizada” tornam-se obrigatoriamente homossexuais. Muitos não o são e existem até mesmo muitos casais heterossexuais que completam justamente nesses termos.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualidade-na-visao-espirita/15/#ixzz28lx8v8et
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 09 de Outubro de 2012, 15:26
Taí, mano João,
ando a gostar dos teus cometários.
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Claudemir dos Santos em 09 de Outubro de 2012, 16:42
É muito importante abordarem este tema sobre homossexualidade,pois é preciso esclarecimento para que aja respeito,nós sabemos o quanto é dificil de se compreender o assunto quando não se acredita na reencarnação,mas a nós espirita não temos desculpas de não compreensão,pois sabemos que muitas vezes a tendencia homossexual é um distúrbio causado por alguma imprudência nossa na encarnação passada,e que agora se transforma em uma expiação,mas tudo tem o seu lado bom e recompensador,pois quando nós humanos reencarnamos com alguma deficiência,nós tentamos compensar com o desenvolvimento de alguma qualidade moral de respeito ao próximo.  Muita paz a todos. 
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 09 de Outubro de 2012, 16:56
Meus queridos, tendo lido esses, e outros tópicos igualmente complicados, tenho aprendido muito sobre minhas convicções e entendimento.
Gosto de deixar claro que o que escrevo, é o meu entendimento sobre o tema, a luz daquilo que conheço e entendo da DE.
Dessa forma, como não poderia ser diferente, entendo que por expiação, seja algo compulsório, ou seja, algo grave que somos obrigado a vivenciar para expiar, libertar nosso espirito da reincidencia contumaz no erro.
Portanto não posso entender homossexualismo como expiação.
Em segundo lugar, entendo que, como Kardek deixou claro, o espiritismo esta aberto a qualquer crença religiosa, posto que não estabelece dogmas e ritos para seus "crentes", ou seja para aqueles que creem no que a DE nos fala.
A unica informação mais saliente, é que Jesus é nosso modelo de perfeição moral, e que consequentemente precisamos compreende-lo para melhor nos portar.
E Jesus afirmou, de forma absolutamente clara, que devemos amar ao próximo como a nós mesmos.
Todos nossos irmãos são nosso "proximo", portanto todos são dignos de serem amados.
Ainda que esse amor seja apenas o respeito pelas suas crenças e opções.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 09 de Outubro de 2012, 17:12
Sim, mano Gustavo, de maneira geral, é como o amigo escreve, "algo compulsório a que se tenha de passar".
Porém isso não ´tudo, pois se avançamos mais um cadinho entenderemos que por expiar também se tem tudo o que se apreenda da fonte dos murmúrios, como indica O ESE.
O murmurar, ou seja, aquele estado de reclamação inoperante que muitos entretêm, causa uma das formas de expiação, a que não se tinha obrigatoriamente de passar mas que as passamos, exatamente pela falta de compreensão que tenhamos do que nos acontece.
Note-se que O ESE diz textualmente, "haverá choro e ranger de dentes". Este momento aflitivo só nos ocorre pela murmuração.
Enquanto murmurarmos expiaremos, assim as dores que nos obrigamos a passar.
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 09 de Outubro de 2012, 17:19
E Jesus afirmou, de forma absolutamente clara, que devemos amar ao próximo como a nós mesmos.
Todos nossos irmãos são nosso "proximo", portanto todos são dignos de serem amados.
Ainda que esse amor seja apenas o respeito pelas suas crenças e opções.

Gustavo,

Com isso eu também concordo.

No entanto, tal como nos traz o O Livro dos Espíritos:

Citar
647. Toda a lei de Deus está contida na máxima do amor ao próximo, ensinada por Jesus?
“Certamente, esta máxima encerra todos os deveres dos homens entre si; porém, é necessário mostrar-lhes a aplicação, do contrário, eles a negligenciarão, como o fazem hoje; além disso, a lei natural compreende todas as circunstâncias da vida e esta máxima é apenas uma parte dela. Aos homens são necessárias regras precisas; os preceitos gerais e muito vagos deixam muitas portas abertas à interpretação.” (Grifei)

Abraço fraterno,
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 09 de Outubro de 2012, 17:26
Este é um alerta bem importante mano João.
Muita vez fazemos do generalismo,  uma verdade completa, mas é preciso que saibamos que as respostas geralmente nops são dadas de forma geral para que possamos, no caminho dos estudos, ir identificamos  os meandros de cada tema e que, assim, possamos saber passear por tais veredas sem que façamos de um ensino geral, coisa pronta e acabada.
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 09 de Outubro de 2012, 18:51
Meu caro João, que é alguem, pegando o post do Moura, digo que entendo da mesma forma que ele.
Um exemplo prático.
Quando alguem nos ofende, seja a ofensa que for, o que fizemos: devolvemos, processamos, batemos?
Bem Jesus, nos derradeiros minutos apenas disse: "perdoa, eles não sabem o que fazem".
O Cristo ensinou pelo exemplo, mas tudo oque ele disse, bem como muitas otras coisas, estão sendo "praticadas", de acordo com nosso entendimento.
Jesus mandou amar ao próximo como a si mesmo. Na questão que você levanta, a DE corrobora, mas tenta explicar de forma mais didática.
É essa forma mais didática que buscamos ao estudar a DE e o evangelho, pois é a maneira que temos de assimilar e vivenciar o que Jesus ensinou.
As regras precisas de que você fala, são todas as regras que a sociedade ja estabeleceu, desde o código de hamurabi, passando por Moisés e o tão propagado direito romano que se não me engano, e o nosso Dr. Moutra pode confirmar, é a base do direito brasileiro hoje em dia.
Essas regras, vão sendo adaptadas a capacidade de entendimento e ao progresso da humanidade, visto que as leis de Deus são eternas e imutáveis, e nós as "praticamos" sem nos darmos conta.
Alem disso, é por essa imprecisão biblica que existem no Brasil masi de 34 mil igrejas evangélicas.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 09 de Outubro de 2012, 20:10
Mais ainda, mano Gustavo, quando se conhece que o próprio Dto. Romano, tem fulcro no que nasceu entes dele, e é conhecido como Dto. Canônico.
Deste se originam as formas de Dto. mais conhecidas pelo mundo.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 09 de Outubro de 2012, 21:21
As regras precisas de que você fala, são todas as regras que a sociedade ja estabeleceu, desde o código de hamurabi, passando por Moisés e o tão propagado direito romano que se não me engano, e o nosso Dr. Moutra pode confirmar, é a base do direito brasileiro hoje em dia.
Essas regras, vão sendo adaptadas a capacidade de entendimento e ao progresso da humanidade, visto que as leis de Deus são eternas e imutáveis, e nós as "praticamos" sem nos darmos conta.

Caro Gustavo,

Releia calmamente a questão 647 de O Livro dos Espíritos.

Me parece, claramente, que as tais “regras precisas” de que falam os Espíritos Superiores da Doutrina (e não eu) dizem única e exclusivamente aos princípios e postulados da chamada Lei Natural (Lei que compreende todas as circunstâncias da vida) para os quais eles nos chamam ao dever de elucidar a aplicação, para que aqueles que não os conhecem não os negligenciem ou os interpretem a seu bel prazer... Não podemos e não devemos confundir esta Lei com a as Leis Humanas. Ok?

Abraço,
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 09 de Outubro de 2012, 21:45
Meu caro João, dos meus parcos conhecimentos de lingua portuguesa, aqui no Brasil é claro, não vejo ligação clara entre a frase destacada em negrito, e a frase acerca das leis naturais.
A afirmativa me parece dizer que a maxima do amor ao próximo é apenas uma parte das leis naturais.
Em meu entendimento a frase destacada em negrito refere-se a expressão "é necessário mostrar-lhes a aplicação, do contrário eles a negligenciarão, como fazem hoje".
E ai, volatmos ao que disse o Moura, a maxima do Cristo, é generalista e a aplicação esta na observância, ai sim das especificações da lei, ou os regramentos que desde o principio tem sido postos para regular a relação entre os seres humanos.
Podemos tomar como uma especificação, amar aos inimigos, expressão essa que é identificada na doutrina não como uma obrigação de tratar um "inimigo" da mesma forma que se trata um irmão, mas a ter para com ele a mesma compaixão que o Cristo teve para com servo do centurião por exemplo.
Da mesma forma meu caro, quais são as "regras precisas" que podem ensinar aos homens as leis de Deus, se não a formatação das leis humanas que tenta interpretar essa sabedoria adquirida com a milenar evolução do ser humano.
As leis de Deus meu querido, pelo nosso estagio evolutivo, são como quaisquer outras, sujeitas a interpretações, vide a infinidade de igrejas e seitas que as ensinam e propagam, mas não as entendem.
Vide tambem a quantidade de pessoas que são lapidadas ao se seguir as "leis de Deus" que constam dos livros sagrados.
As leis de Deus são eternas e imutáveis mas não temos condições, pelo menos plenas, de as compreender, por isso as interpretamos, e criamos as nossas na tentativa de aplicá-las.
Ainda que não devamos confundir as leis de Deus com as humanas, são as humanas, como ja disse, uma tentativa de interpretar e aplicar as de Deus.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: wender100%espirita em 10 de Outubro de 2012, 02:28
Wender meu maninho,
expiação é a forma co mque o Espírito passa pelas vicissitudes.
De maneiura geral, explica a doutrina, que expiação é a vicissitude que o espírito passa sem a ter pedido.
Logo, não pode ser com o amigo a entende.
Abraços,
Moura

então moura se o espirito  encarna em um corpo de mulher ai passa a encarnar num corpo de homem ai ele não aceita , e ele sofre com aquilo passa ser uma prova ou expiação entendeu meu ponto de vista?paz e luz
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Meel Jacques em 10 de Outubro de 2012, 03:15

Querida Meel,

Primeiramente procure não tomar o “apoio” da FEB como indicativo de qualidade e atestado de procedência de uma obra mediúnica, pois a FEB publica e apoia em seu estatuto obras que que não foram aceitas por Kardec como parte integrante da Doutrina Espírita, pelos simples fato de não terem passado pela sanção da concordância. Aliás, nenhuma das obras com as quais você trabalhou passou pela sanção da concordância e devem permanecer, por isso mesmo, como opiniões de seus autores. O autor em questão, no qual você se ampara, apresentou ele mesmo em diversas obras pontos discordantes ou inadaptáveis ao escopo da Doutrina – e antes que alguém venha me massacrar em defesa dos Espíritos de preferência, acusando-me de mera opinião pessoal, cito o autor que faz essa crítica com mais propriedade para isso: “André Luiz manifesta-se como um neófito empolgado pela doutrina, empregando às vezes termos que destoam da terminologia doutrinária e conceitos que nem sempre se ajustam aos princípios espíritas.”[1]

Reveja o quanto antes sua postura em relação às obras com as quais você trabalha, se o que deseja é esclarecer-se e esclarecer aos que a procuram. Você parece séria em seus estudos. Seria lamentável vê-la se perder em confusões.



Humm... obrigada.  ;)
Eu realmente não sabia disso sobre a FEB. Na verdade, sinto que fui bastante influenciada nesse quesito. Sempre acreditei que o maior atestado de fidelidade aos conhecimentos espíritas fossem apoiados pela FEB. Sinto muito ter ludibriado certos conhecimentos (Ou não-conhecimentos) a meu favor. 
Sim, eu sou muito séria quando o assunto é homossexualidade, aborto, eutanásia e certos assuntos considerados TABU. 
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 10 de Outubro de 2012, 04:35
Humm... obrigada.  ;)
Eu realmente não sabia disso sobre a FEB. Na verdade, sinto que fui bastante influenciada nesse quesito. Sempre acreditei que o maior atestado de fidelidade aos conhecimentos espíritas fossem apoiados pela FEB. Sinto muito ter ludibriado certos conhecimentos (Ou não-conhecimentos) a meu favor. 
Sim, eu sou muito séria quando o assunto é homossexualidade, aborto, eutanásia e certos assuntos considerados TABU.

Querida Meel,

Se lhe serve de consolo, saiba que eu também já fui bastante influenciado por isso. Tenho 40 anos e conheço a Doutrina desde os 20. Mas, até cerca de 4 anos atrás eu nada sabia sobre a história da FEB ou dos cismas no movimento espírita – é claro que não falam sobre estas coisas em nossas casas espíritas. Mas já andava com a pulga atrás da orelha em relação a certos pontos da Doutrina que me pareciam obscuros e mal explicados, e sofria com isso, já que entendia vários desses pontos como contradizentes entre si – e claro que eu só poderia estar errado, já que esses livros contavam com a chancela da FEB, e não poderia, portanto, haver nada de errado com eles. E também me incomodava muito a choramingação nas reuniões públicas, a eloquência e teatralidade dos oradores e os pressupostos tácitos difundidos por eles de que a evolução que realmente interessa ao espírito é a moral e que a reencarnação é um suplício para o Espírito. Mas, um dia, por acaso (como se houvesse acaso para com essas coisas...), pegando carona em uma viagem com dois amigos Espíritas já idosos, encontrei no banco de trás um exemplar do Curso Dinâmico de Espiritismo de Herculano Pires. A leitura desse livro durante uma viagem de algumas horas foi tão impactante que até hoje ainda falo disso com certa emoção. Ele me apresentou verdades frente as quais eu deveria fazer uma escolha.   A partir de então comecei a “estudar” a Doutrina, e pesquisando, conheci então a história da FEB e dos demais cismas que tentaram e ainda tentam se estabelecer dentro Doutrina para “renová-la” e “atualizá-la”. E tomei conhecimento também de que a maioria esmagadora das obras mediúnicas que são publicadas no Brasil não passa por qualquer tipo de controle, muito menos pela sanção da concordância, nos termos do Controle Universal do Ensino dos Espíritos. As editoras, quando não pertencem aos próprios médiuns, confiam na infalibilidade desses e dos Espíritos que já se tornaram consagrados no mercado editorial por meio deles, um flagrante contrassenso com o que nos foi solicitado em O Livro dos Médiuns. Era preciso escolher: ou ficar com Kardec mais os Espíritos Benévolos, Eruditos, Sábios e Superiores que ditaram a Doutrina (e mais alguns autores encarnados que fazem a defesa dos princípios doutrinários) ou ficar com a miscelânea exotérica e espiritualista que hoje encontramos vendida como Espiritismo. Escolhi a primeira opção e passei a ter a segurança que eu não tinha – segurança no sentido de quem se sente amparado e não de autossuficiência.

Parabéns pela seriedade. E já que você gosta de estudar, sugiro um curso introdutório de lógica ou de raciocínio lógico. A Doutrina Espírita trata de muitas leis, e sendo essas leis divinas e naturais, são também verdades (para os Espíritas), e verdades não podem ser modificadas para atender aos nossos gostos e conveniências. A lógica nos ajuda a compreender isso. 

Abraço fraterno,
 

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 11 de Outubro de 2012, 08:57
Bom dia a todos,
Certa feita escutei numa palestra que:
Criaturas que vêm reencarnando sucessivamente com o sexo masculino e não têm o aprendizado adequado, ou seja, aquelas que maltratam o outro sexo, o feminino no caso, através de abusos, discriminações, maldades, etc, estes são obrigados a reencarnar com um corpo feminino.
Assim como criaturas que reencarnam sucessivamente com o sexo feminino e que abusam do seu corpo para fazer o mal, seduzindo, conspirando,  etc, são obrigados a nascer com um corpo masculino.
O corpo muda, mas os pensamentos continuam...
Muito boa essa explicação eu achei, então compartilho com os amigos.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: hcancela em 11 de Outubro de 2012, 09:45
Humm... obrigada.  ;)
Eu realmente não sabia disso sobre a FEB. Na verdade, sinto que fui bastante influenciada nesse quesito. Sempre acreditei que o maior atestado de fidelidade aos conhecimentos espíritas fossem apoiados pela FEB. Sinto muito ter ludibriado certos conhecimentos (Ou não-conhecimentos) a meu favor. 
Sim, eu sou muito séria quando o assunto é homossexualidade, aborto, eutanásia e certos assuntos considerados TABU.

Querida Meel,

Se lhe serve de consolo, saiba que eu também já fui bastante influenciado por isso. Tenho 40 anos e conheço a Doutrina desde os 20. Mas, até cerca de 4 anos atrás eu nada sabia sobre a história da FEB ou dos cismas no movimento espírita – é claro que não falam sobre estas coisas em nossas casas espíritas. Mas já andava com a pulga atrás da orelha em relação a certos pontos da Doutrina que me pareciam obscuros e mal explicados, e sofria com isso, já que entendia vários desses pontos como contradizentes entre si – e claro que eu só poderia estar errado, já que esses livros contavam com a chancela da FEB, e não poderia, portanto, haver nada de errado com eles. E também me incomodava muito a choramingação nas reuniões públicas, a eloquência e teatralidade dos oradores e os pressupostos tácitos difundidos por eles de que a evolução que realmente interessa ao espírito é a moral e que a reencarnação é um suplício para o Espírito. Mas, um dia, por acaso (como se houvesse acaso para com essas coisas...), pegando carona em uma viagem com dois amigos Espíritas já idosos, encontrei no banco de trás um exemplar do Curso Dinâmico de Espiritismo de Herculano Pires. A leitura desse livro durante uma viagem de algumas horas foi tão impactante que até hoje ainda falo disso com certa emoção. Ele me apresentou verdades frente as quais eu deveria fazer uma escolha.   A partir de então comecei a “estudar” a Doutrina, e pesquisando, conheci então a história da FEB e dos demais cismas que tentaram e ainda tentam se estabelecer dentro Doutrina para “renová-la” e “atualizá-la”. E tomei conhecimento também de que a maioria esmagadora das obras mediúnicas que são publicadas no Brasil não passa por qualquer tipo de controle, muito menos pela sanção da concordância, nos termos do Controle Universal do Ensino dos Espíritos. As editoras, quando não pertencem aos próprios médiuns, confiam na infalibilidade desses e dos Espíritos que já se tornaram consagrados no mercado editorial por meio deles, um flagrante contrassenso com o que nos foi solicitado em O Livro dos Médiuns. Era preciso escolher: ou ficar com Kardec mais os Espíritos Benévolos, Eruditos, Sábios e Superiores que ditaram a Doutrina (e mais alguns autores encarnados que fazem a defesa dos princípios doutrinários) ou ficar com a miscelânea exotérica e espiritualista que hoje encontramos vendida como Espiritismo. Escolhi a primeira opção e passei a ter a segurança que eu não tinha – segurança no sentido de quem se sente amparado e não de autossuficiência.

Parabéns pela seriedade. E já que você gosta de estudar, sugiro um curso introdutório de lógica ou de raciocínio lógico. A Doutrina Espírita trata de muitas leis, e sendo essas leis divinas e naturais, são também verdades (para os Espíritas), e verdades não podem ser modificadas para atender aos nossos gostos e conveniências. A lógica nos ajuda a compreender isso. 

Abraço fraterno,
 


João os meus parabéns pela sua opinião, bem lúcida e que muitos de nós (creio eu,) não chegaram a esta conclusão, não querendo dizer que se deve deitar  fora ou criticar muitas e boas obras que por aí circulam, não Senhor, o que deve é estudar e as colocar no crivo da razão,e na dúvida, rejeitar e venham elas de onde vierem.Isto nos diz o Espiritismo.
Creio eu que quando conseguimos fazer tudo isto, respeitamos as referidas obras, porque as estudamos, mas sem a idolatria nada conveniente a quem se modificar dentro dos seus próprios conhecimentos, e não porque alguém lhe diz o que será certo ou errado.

Abraços
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: hcancela em 11 de Outubro de 2012, 10:00
Bom dia a todos,
Certa feita escutei numa palestra que:
Criaturas que vêm reencarnando sucessivamente com o sexo masculino e não têm o aprendizado adequado, ou seja, aquelas que maltratam o outro sexo, o feminino no caso, através de abusos, discriminações, maldades, etc, estes são obrigados a reencarnar com um corpo feminino.
Assim como criaturas que reencarnam sucessivamente com o sexo feminino e que abusam do seu corpo para fazer o mal, seduzindo, conspirando,  etc, são obrigados a nascer com um corpo masculino.
O corpo muda, mas os pensamentos continuam...
Muito boa essa explicação eu achei, então compartilho com os amigos.
Um abraço fraterno.

Olá amigo

Não podemos pensar do tipo ; fui homem maltratei Mulher como tal venho com essa (anomalia).Perdoe a expressão.
O que nos diz o espiritismo é que o espírito na sua essência não tem sexo e encarna biologicamente homem ou mulher, porque assim saberá o que é as duas situações.Lógico penso eu. Deus não castiga, o que dá é oportunidade de nos livrarmos de nossas deficiências Psicológicas, quantas vezes forem necessárias e isto pode ser mais como homem ou como mulher, tudo depende como nos comportamos em determinada situação reencarnatória.
Todos temos as nossas tendências, e, elas se apresentam de várias formas.Até pode estar correcto aquilo que ouviu, porque cada caso é um caso, o que não podemos(só para lembrar e não criticar) é dizer que fulano tem tendências homossexuais ou então encarnou como mulher para aprender a dar valor o que é mulher. Para mim o que determina as dificuldades em cada reencarnação, é a forma como levamos a vida, (certa ou errada)porque o dizer que certa pessoa é Y porque antes foi Z, não me parece certo, mas como é claro é apenas mais uma opinião que vale o que vale.

Abraços
 
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 11 de Outubro de 2012, 10:36
Bom dia a todos,
Bom dia Hcancela,
Já é de entendimento que a Lei da Justiça Divina, ou Lei de Causa e Efeito, ou Lei dos Carmas, nos mostra como devemos conseguir nos depurar. Não existe a tal punição e sim a escolha. Em certos casos, esta é feita por outrem, quando não sabemos o que é melhor para nós mesmos.
Quando uma mulher, usa de sua sensualidade para seduzir homens casados, acabar com famílias, fazer o que bem quiser em beneficio próprio, chegará o momento que ela deverá progredir e uma das formas é perder tais ferramentas, no caso nascer como homem. Para tal criatura, isso se torna um transtorno, pois um homem com tais hábitos fica que nem peixe fora d água. A verdade é que no futuro o sexo pouco importará, pois todos teremos progredidos de tal forma que o sexo como percebemos hoje será apenas uma lembrança.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 11 de Outubro de 2012, 12:36
Meus irmãos Mastomisto e Hcancela.
Lendo seus posts, o debate me pareceu interessante.
Quando alguem me pergunta o que a DE fala sobre determinado assunto, costumo dizer que, com base no que conheço da DE, EU penso isso ou aquilo.
Isso por que não existem respostas prontas, tudo são possibilidades.
A essencia, em minha opinião, esta naquilo que o irmão Hcancela colocou: espirito não tem sexo.
Se estamos encarnados como homens ou mulheres, é para realizar tarefas específicas que essas configurações possuem, que melhor nos auxiliarão no nosso progresso.
Da mesma forma, a alternância de manifestação material de sexualidade, em minha opinião deve-se ao nosso estagio evolutivo ainda muito inferior, onde homens e mulheres ainda não possuem uma condição de igualdade tal como deveriam possuir.
Não nos esqueçamos, que a regra mor é o amor incondicional a todos os nossos irmãos.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 11 de Outubro de 2012, 13:07
Bom dia a todos,
Bom dia Gustavo,
A DE nos diz muito e pouco ainda é entendido. O importante é sabermos que muito ainda será revelado e compreendido.
O fato é! Se eu fosse um homem que teve 45 esposas e 200 escravas sexuais numa encarnação e que noutra eu tivesse apenas uma, mas igual a novela Gabriela, ao qual eu sempre ia no Baita Clã, mas quando ela me deu o troco, eu não perdoei e a matei por honra. Na encarnação seguinte fui obrigado a nascer mulher. De machão discriminador, dominador e assassino, eu iria me tornar um ser frágil, dócil e submisso.
O fato de aparentar algum tipo de discriminação em minha postagem é apenas porque eu escrevo mal, mas sabemos que os espíritos não tem sexo e a maioria de nós já encarnou nos "dois" sexos, então seguindo a lógica, se eu quisesse melhorar esses defeitos eu pediria a permissão para nascer mulher, por escolha minha. Caso eu nunca escolhesse, chegaria a hora que eu teria que reencarnar como mulher na marra, aí é que fica confuso, pois para chegar a esse ponto o espírito tem muito que resgatar.
Além disso, muito já foi debatido aqui nesse fórum sobre esse assunto em vários tópicos. Eu acrescentei mais um pouquinho, tentando não ser repetitivo.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 11 de Outubro de 2012, 13:38
Meu querido Mastomisto, estamos falando em hipóteses, e como tal trarei mais uma.
No livro Icaro Redimido, temos uma história, e não vamos entrar no mérito de ser ou não verdadeira quanto as suas informação, queremos apenas a hipótese que ela levanta.
Nesse enredo, nosso personagem principal, traz uma dificuldade sexual, fruto dos abusos cometidos em encarnação anterior. Entretanto não vem com roupagem diferente.
Ele era homem, e continua homem, entretanto, por uma disfunção sexual, impedido de cometer os abusos de encarnações anteriores, tendo de limitar-se, nessa área.
No livro "Memórias de um Suicida", temos uma outra hipótese, de uma mulher que abusando da beleza e da sensualidade, volta, ainda como mulher, com a "missão", por assim dizer de cuidar de todos os filhos que havia abortado na encarnação anterior, não como filhos, mas como irmãos. Uma mulher ainda bela, mas colocada em condição e arrimo de familia, a qual pela necessidade material não pode usufruir nem da beleza, nem do amor, o qual havia tripudiado na encarnação anterior.
São hipóteses, meu querido, e da minha parte, prefiro acreditar que disfunções orgânicas, e problemas fisicos sejam mais apropriados ao conceito de expiação, do que o homossexualismo.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 11 de Outubro de 2012, 14:11
Bom dia a todos,
Bom dia Gustavo,
Entenda que em nenhum momento o espírito encarnado é obrigado ao homossexualismo, mas sim tem a tendencia de faze-lo, devido aos hábitos das vidas passadas. Se assim não fosse, tal espírito continuaria com seus hábitos indefinidamente, atrasando o progresso da sociedade.
Assim como um fumante tem tendencias de fumar ao reencarnar, assim é o machão que tem tendencias a dominar as mulheres, mesmo sendo mulher.
A suposição do fato é devido, mas não pode ser ausentado.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 11 de Outubro de 2012, 14:57
Mastomisto,
 
Reforço aqui a interpretação do Gustavo, pois eu mesmo já havia falado sobre isso no meu primeiro post para esse tópico: o Espírito não tem sexo porque não precisa dele. Quem tem, porque precisa, é o corpo carnal. A escolha pelo sexo do corpo carnal ocorre em função das necessidades de aprendizado do espírito. No mais, tudo são possibilidades, e não se pode apresentá-las como certeza até que tenham passado pelo crivo da concordância universal ou da comprovação científica, independentemente do quão venerado e importante seja o nome do Espírito que nos traga essa informação. Contudo, o que há sobre o assunto do sexo e da homossexualidade na Obra Fundamental é para mim satisfatório e, pelo menos para mim, não carece de maior desenvolvimento.

A questão do sexo só é tratada diretamente na Obra Fundamental em dois momentos: No Livro dos Espíritos, capítulo 4: “Pluralidade das Existências”, item 6: Sexo nos espíritos, questões 200 a 202. E na obra O Céu e o Inferno, capítulo 2: “Espíritos Felizes”, onde as informação de O Livro dos Espíritos são confirmadas por meio da 3ª evocação do Senhor Sanson, antigo membro da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas.

Já a questão do homossexualismo aparece em dois momentos, primeiramente no Evangelho Segundo o Espiritismo (ver o próximo parágrafo e a citação seguinte) e na Revista Espírita de janeiro de 1866, onde Kardec emprega o termo “certas anomalias” para descrever o caráter aparente de nossos irmãos cujos costumes, hábitos e inclinações não correspondem ao sexo físico de sua encarnação, e pela qual é hostilizado pelos homossexuais – não tenho dúvidas de que se hoje ele estivesse encarnado seria processado.

Uma interessante hipótese para o homossexualismo é a de um processo de vampirismo espiritual, ou seja, a de um desencarnado ainda muito inferior e ligado aos vícios da carne encontrando no encarnado o instrumento adequado para satisfazer seu vício no sexo. Ainda assim, isso depende da escolha do encarnado porque a vontade pode ser do desencarnado, mas o consentimento é o do encarnado. Essa hipótese foi trabalhada por Herculano Pires no livro Vampirismo (acredito que também seja tratada em outros livros sobre vampirismo), mas ela também aparece em O Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 1: “Não vim destruir a Lei”, Instruções dos Espíritos, A Nova Era, item 11. Ela está na nota de Kardec sobre Santo Agostinho (os negritos são meus):

Citar
OBSERVAÇÃO: Santo Agostinho vem então derrubar o que construiu? Não, seguramente; mas como tantos outros, ele vê com os olhos do espírito o que não via como homem. Sua alma, liberta, entrevê novas claridades e compreende o que antes não compreendia. Novas ideias lhe revelaram o verdadeiro sentido de certas palavras; na Terra ele julgava as coisas segundo os conhecimentos que possuía, mas, quando uma nova luz se fez para ele, pôde julgá-las com maior clareza. É assim que ele deve rever sua crença referente aos espíritos íncubos e súcubos [50] …

[50] Íncubo: segundo tradições populares, é um “demônio” masculino que vem ligar-se sexualmente a uma mulher; súcubo é um “demônio” feminino que, nas mesmas condições, vem ligar-se a um homem. Esses “demônios” nada mais são que espíritos inferiores que, mesmo desencarnados, ainda têm desejo sexual e estabelecem, mediante afinidade com o médium, esse tipo de relação. ( N.T. )


Abraço fraterno,
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 11 de Outubro de 2012, 15:05
Mastomisto meu querido, o fumante continuará fumando,de encarnação em encarnação até desapegar-se do cigarro, ou nascer asmático para então não poder exercer o vicio.
Com o sexo, vejo da mesma forma.
Entendo que a opção de encarnar em vestimentas sexuais diferentes seja do espirito, para, por meritos próprios, adquirir as virtudes que, psicologicamente a sociedade confere àquele sexo.
Ao fazer isso, pode, por dificuldades psicológicas assimilar essa função e, lembrando inconscientemente de suas vivencias no sexo oposto, buscar o homossexualismo como forma de satisfação material.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 11 de Outubro de 2012, 16:16
Esta mano Masto,
é uma afirmação fantasiosa e alarmista.
Não há uma obrigatoriedade em que se venha após um mau uso que se fez de qualquer coisa, na forma humana, com que descumpriu.
Assim quem trata mal uma mulher, não vai reencarnar obrigatoriamente como mulher, podendo mesmo voltar um homem que lutará para que se venha a acabar aquele tipo de mau trato.
Abraços,
Moura
Bom dia a todos,
Certa feita escutei numa palestra que:
Criaturas que vêm reencarnando sucessivamente com o sexo masculino e não têm o aprendizado adequado, ou seja, aquelas que maltratam o outro sexo, o feminino no caso, através de abusos, discriminações, maldades, etc, estes são obrigados a reencarnar com um corpo feminino.
Assim como criaturas que reencarnam sucessivamente com o sexo feminino e que abusam do seu corpo para fazer o mal, seduzindo, conspirando,  etc, são obrigados a nascer com um corpo masculino.
O corpo muda, mas os pensamentos continuam...
Muito boa essa explicação eu achei, então compartilho com os amigos.
Um abraço fraterno.

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 11 de Outubro de 2012, 16:27
Boa tarde a todos,
Boa tarde João e Gustavo.
A questão da homossexualidade é muito complexa para mim, mas muito já escrevi sobre o assunto neste fórum. Este ponto de vista é só mais um, não é a verdade absoluta.
O íncubo e súcubo também podem ser considerados como os espíritos aos quais nós juramos amor eterno em casamentos por exemplo, mas que quando reencarnamos estes ficaram com ciúme quando casamos com outro espírito. Heheh.
Existe um tratamento espiritual pra isso.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 11 de Outubro de 2012, 16:31
Boa tarde a todos,
Boa a tarde mano Moura,
Você tem um entendimento, mas existe quem tenha outro.
Você diz que é fantasiosa, mas existe também, quem diga que o espiritismo é fantasia!
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 11 de Outubro de 2012, 16:31
Muito bem colocado mano Moura, acho até mais logico voltar como homem e assim sofrer as consequencias dos equivocos cometidos contra o sexo oposto.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 11 de Outubro de 2012, 16:55
Boa tarde a todos,
Boa tarde mano Moura,
Quando um espírito, que matou muita gente e reencarna como um médico,
não nos parece meio sem lógica?
O espírito matou milhões e é recompensado reencarnando como um médico?
O fato é que para isso acontecer o espírito tem que pedir e merecer, através de trabalho e esforço, lá na espiritualidade. É a bondade de Deus que isso aconteça, para aqueles que tem merecimento e estão arrependidos.
Para aqueles que não estão, serão assassinados, ou encarnarão sem o membro ao qual assassinou, até que se conscientize e pague suas dívidas com os outros aos quais ele fez mal.
Se fosse fácil era mole!
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 11 de Outubro de 2012, 17:02
Depende do do ponto de vista que o amigo veja meu mano Masto.
Se pelo ponto de vista materialista e humano pode dar a parecer que sim, porém, se observamos o fato, sob o pensamento da Justiça e Bondade supremas de Deus, veremos que a lógica divina operou  de maneira, fantástica.
abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 11 de Outubro de 2012, 17:03
Mano Mastomisto, uma das coisas que mais me fascina na DE é exatamente essa enorme gama de possibilidades.
Qualquer um de nós, ao chegar no plano espiritual e ser confrontado com a realidade, irá certamente dar-se conta de que errou, e onde errou.
O arrependimento leva a nova oportunidade, dentro das condições possiveis enecessárias para a reparação dos erros.
Assim o assassino pode voltar como médico, a aborteira pode voltar como professora, e qualquer um pode receber de Deus a tarefa compativel com suas condições evolutivas espirituais, para reparar, ou iniciar o processo de reparação dos erros cometidos.
Entretanto, e nisso tenho uma convicção, não pode haver expiação, ou mesmo uma prova, em algo que disvirtue a lei natural criada por Deus.
Nós, merce da nossa ignorância e das paixões materiais que ainda nos dominam, distorcemos e fugimos dos compromissos assumdos com Deus para a nossa própria "redenção".
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mega em 11 de Outubro de 2012, 17:42
Fiquem tranquilos, não se pode incentivar a homoxessualidade. Podemos gritar anos a fio no ouvido do hétero que ser homo é que é bom e certo que ele não mudará, o mesmo se dá com o homo.
Quando se alude que exista maior indíce de promiscuidade entre homos não podem estar falando sério. Existe homos e héteros extremamente promíscuos, e de ambos, muita gente séria e de ilibado caráter. Entretanto ressalvo que é bastante comum noticiarem estrupos quer seja de mulheres ou crianças, porém até este átimo não  li que o culpado apanhado  fosse homo, ao contrário, são heteros. Você raramente lê que um gay assassinou alguém, mas é bastante comum o contrário. Busquem no google por  pedofilo e verá que a grande maioria dos pedofilos é composta pelos zelosos protetores das famílias, quais sejam: pais, padrastos, pastores, padres e outra monta de heteros. (mas destes tem a grande maioria que é composta de excelentes pessoas) 
Convenhamos tem menos hipocresia no velho discurso dos adeptos da expiação de faltas.
Eu o que penso, já que a maioria de nós pensamos? Penso que, com raras excessões, TODOS  nós estamos aqui expiando faltas e em processo de aperfeiçoamento. Logo não tenho outorga para ficar apontando o outro como mais pecador que eu, até por que quando assim penso, peco mais.

Que a harmonia emanada neste dia próximo ao dia da minha santinha mais amada, Nossa Senhora de Aparecida, inunde esse planeta de amor e bençãos. Abraços!!!
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 11 de Outubro de 2012, 17:52
Boa tarde a todos,
Boa tarde mano Moura,
Quando um espírito, que matou muita gente e reencarna como um médico,
não nos parece meio sem lógica?
O espírito matou milhões e é recompensado reencarnando como um médico?
O fato é que para isso acontecer o espírito tem que pedir e merecer, através de trabalho e esforço, lá na espiritualidade. É a bondade de Deus que isso aconteça, para aqueles que tem merecimento e estão arrependidos.
Para aqueles que não estão, serão assassinados, ou encarnarão sem o membro ao qual assassinou, até que se conscientize e pague suas dívidas com os outros aos quais ele fez mal.
Se fosse fácil era mole!
Um abraço fraterno.

Mastomisto,

Também não acredito em obrigatoriedades, quando o assunto é reencarnação. Mas, porque não seria lógico? Se ele tirou tantas vidas, não seria mais lógico que ele tivesse a oportunidade de salvar outras tantas? De certo como vítima de assassinato é que ele não teria nada a oferecer, pois só poderia morrer uma vez. Parece lei de talião, não?


E porque ver a situação do médico como recompensa? Reconhecimento social e financeiro nada valem como recompensa para o Espírito. Mas o fato é que ele não “vem como médico”. Vem  com vontade de estudar e intelecto propenso em virtude dos esforços que já realizou em vidas passadas, independentemente do fato de ter matado muita gente, pois intelecto e moral nem sempre caminham lado a lado – na Alemanha dos anos 1930, 8 em cada 10 médicos pertenciam ao partido nazista. Mas, uma vez aqui na carne, tem que começar do zero, tem que ir para a escola e estudar feito um cão por toda a educação básica até o vestibular, onde tem que mostrar domínio em todas as disciplinas, porque as vagas são decidas por centésimos, dada a concorrência e o nível dos candidatos. E depois passar ainda outros seis anos de estudos áridos, mais 2 de residência (quando conseguem aprovação no exame). Conheci alguns estudantes de medicina quando estudei na UFMG. É uma coisa insana, meu amigo! Não é para qualquer um e não é privilégio para ninguém.

E depois passar uma vida inteira se dedicando a salvar a vida próximo, sem direito a terminar uma refeição ou ter hora marcada para chegar em casa ou poder dormir? (e olha que quem falava isso era um espírita famoso e médico: Bezerra de Menezes). Se isso não é lógico eu não imagino o que seja...

Abraço,
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 11 de Outubro de 2012, 18:00
Quando se alude que exista maior indíce de promiscuidade entre homos não podem estar falando sério. Existe homos e héteros extremamente promíscuos, e de ambos, muita gente séria e de ilibado caráter. ...

Mega,

A promiscuidade é uma característica do Espírito, não é do sexo que o abriga na carne.

Abraço,
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 11 de Outubro de 2012, 18:02
Exatamente mano, Edmar
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 11 de Outubro de 2012, 20:56
Boa tarde a todos,
Não falei que não é lógico, falei sim que não é lógico generalizar. Não preciso me citar né?
A conscientização, somado com o arrependimento, nos dá o beneficio das escolhas. Escolhas essas ao qual são limitadas ao nosso grau de conhecimento e virtudes. Se não fosse assim, todos gostariam de ser Reis, ou cientistas famosos. Um ser que é obrigado a reencarnar no sexo oposto, afim de compreende-lo melhor, é no mínimo teimoso, pois não teve a humildade de enxergar esse caminho, se não dizer ignorante.
Enfim, vocês estão desatualizados, a onda é ser trissexual!
Um abraço fraterno.

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Meel Jacques em 16 de Outubro de 2012, 04:56
Inicialmente gostaria de comentar que depois de ler esse texto que colocarei embaixo de meu comentário, cheguei a uma bela conclusão sobre algo que eu já sabia, mas que a cada dia tem sua fé renovada em tais pensamentos.
Amor, queridos amigos, companheirismo, está além do sexo, além da roupagem física. Sexo, como bem sabemos, está além da reprodução, é uma transmissão de fluidos e energias, não importando com que você está praticando tal ato. Sinto-me relaxada para firmar que a homossexualidade, assim como a heterossexualidade, não deve ser nunca estimulada, porque sabemos que a morfologia da pessoa pouco importa e que estamos nessa busca de evolução moral e espiritual. Quando formos ensinar nossos filhos sobre relacionamentos, não lhe diremos para sentir atração física por um menino ou uma menina, ou que só se pode amar a pessoa do sexo oposto. É exatamente por essa dualidade sexual e de amor, independente de raça, cor e religião, que o homem pode evoluir e crescer.
Certamente, ao vir em um corpo masculino, o homem possuirá hormônios masculinos e toda uma preparação para este corpo, devendo ele, assim, se atrair pelo sexo oposto. Mas sabemos, meus irmãos, que somos muito mais que corpo e que nossa mente trai nossos instintos, nossas condições.
Vícios, promiscuidades, e um certo tipo de "lavagem cerebral", na linguagem popular, geram sim, a homossexualidade, porque os espíritos ainda encarnantes são fracos. Mas esses mesmos espíritos poderiam decair de mesma forma quando envolvidos na heterossexualidade. Podemos sim, perceber essas atitudes em muitos homossexuais, como também nos heterossexuais. Entretanto, existem espíritos prontos para passar por essa prova, sublimando seus instintos, afim de se desligar de qualquer relação carnal e de envolvimentos, qualquer coisa que os distraia de sua missão aqui na terra, seja esta grande ou pequena.
Entretanto, qual seria o erro desse ato sexual? Quando em missão, é uma falha aos seus planos e um atraso, mas contanto que os parceiros se respeitem e exista dentro deste relacionamento um ato de amor, carinho e compreensão, o que nos dá o direito de proibí-lo? Pois se Deus leva em consideração nossas ações e intenções, agradeço sua imensa misericórdia e não julgo os homossexuais. Acredito então que a liberdade de casamento entre os homossexuais seja sim uma evolução da humanidade que abraça essas pessoas que estão passando por provas difíceis e lhe permite consumar seu ato de amor, carinho e até sexual.
Se a homossexualidade, por ventura, for gerada por vícios, promiscuidade e, de forma geral, "pura safadeza", seu peso não será maior que a de um homossexual, apenas talvez tenha um prorrogativa maior se, e repito se, na programação espiritual desta pessoa estiver envolvida a constituição de uma família, porque mudará toda uma programação espiritual de crescimento.
Mas, como já afirmado anteriormente, existir amor, carinho, amizade, companheirismo e tantas outras características que levam o homem a evolução, se este companheiro que lhe foi escolhido te ajudar na caminhada, como um amigo faria mas com um peso maior, o que a de mal, eu pergunto.
Só juguem o amor e apenas para agradecer a Deus suas bençãos.
Acho que deveríamos parar de buscar defeitos nessa relação entre pessoas do mesmo sexo e buscar ajudar as pessoas que estão desviadas da moralidade e razão. Se a homossexualidade (como já afirmei em outros comentários) só estiver sendo gerada pela maliciosidade humana, logo se extinguirá com a evolução. Devemos saber que nem todo homossexual é malicioso, alguns são muito bons e amorosos e buscam sim a felicidade.
Enquanto existir amor em nossos atos, enquanto estivermos pensando nos outros, independente de sua raça, sexo ou religião, estaremos pregando a caridade que tanto nos é cobrada.
Vamos educar nossos filhos para serem pessoas de bem, direitas e que levem amor ao mundo, pois independente de sua opção sexual, nossos filhos farão as escolhas, trocando energias boas, sendo bons companheiros e respeitando, acima de tudo, a individualidade das pessoas.
Vamos parar de tentar criar um mundo homossexual ou heterossexual e criar um mundo de paz, amor e companheirismos. Não se esqueçam meus irmãos que Kardec nos ensinou que nossa primeiro mandamento, como espíritas, é nos amar e DEPOIS no instruir. É através do amor que poderemos entender todas as coisas do universo.

Bem, esse foi meu desabafo número 2 dessa sessão. *-*
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Meel Jacques em 16 de Outubro de 2012, 05:24

Esse texto logo abaixo tem uma visão muito boa da Homossexualidade. Perfeita, em minha humilde opinião.
Por isso sempre digo que a base de qualquer ideologia ou conceito é o amor.  :-*

HOMOSSEXUALIDADE NA VISÃO ESPÍRITA


Deus criou espíritos e estes não tem sexo.
Então, tanto podemos encarnar em um corpo masculino como feminino. Quando estamos encarnados, interpretamos papéis, como artistas num filme ou novela.
Um homem, por exemplo, não É homem, ele ESTÁ interpretando o papel de homem, porque veste um corpo masculino.
Assim ocorre em relação à mulher.
Na próxima encarnação não sabemos em que sexo reencarnaremos.
Todos nós, trazemos gravado na memória espiritual, o que fizemos em encarnação anterior.
A homossexualidade, por exemplo, pode ter várias origens: EXPIAÇÃO que resulta no travesti; OPÇÃO que é resultado de viciação; ESTÍMULO DOS PAIS e MISSÃO. Vamos explicá-las segundo a visão espírita de Richard Simonetti e Divaldo Franco:

1º) No caso de EXPIAÇÃO, são espíritos que abusaram do sexo oposto, geralmente para saciar seus instintos sexuais, levando-os ao suicídio, por exemplo, e que agora reencarnaram (obrigatoriamente) num corpo oposto da encarnação anterior, para sentir na pele as humilhações, os abusos que uma mulher sofre por parte de alguns homens e vive-versa, para aprender a não cometer o mesmo erro numa próxima encarnação. Então, estes usam um corpo feminino, mas seu desejo é masculino, ou seja, eles olham para uma mulher e sentem atração física. O mesmo acontece com o homossexual masculino. Estes também, por vários motivos, abusaram dos sentimentos de pessoas do sexo oposto. Agora se encontram (obrigatoriamente) em corpos masculino sentindo atração por pessoas do mesmo sexo. Neste caso, surge O TRAVESTI - o homem que simula ser mulher e vice-versa. Geralmente eles se vinculam a atividades artísticas, vestindo-se do sexo que pretendem ser. O travesti só se enquadra na homossexualidade, na medida em que dê vazão aos seus impulsos sexuais orientados pela psicologia invertida. Os mais imaturos acabam envolvendo-se com a prostituição, atendendo pessoas desajustadas que buscam aventuras sexuais.

2º) Podemos dizer que, a maior parte da homossexualidade é muito mais uma questão de OPÇÃO e, mais que isso, de "VICIAÇÃO". Assim como há indivíduos que se viciam no fumo, no álcool, nas drogas, há viciados do sexo que, à procura de sensações, acabam desenvolvendo práticas homossexuais. A homossexualidade pode desenvolver-se na adolescência, como curiosidade juvenil, muitas vezes motivada pelo modismo determinado pela mídia televisiva; por crianças que são abusadas por adultos; ou em prisões, como alternativa para necessidades sexuais; por prostituição, para ganhar dinheiro . . . Estes não tem o conflito da mente com o corpo. Por isso há homossexuais masculinos muito viris, assim como há lésbicas, que são extremamente femininas.

3º) Há também, indivíduos que tornaram-se homossexuais por "ESTÍMULO DOS PAIS." Pais frustrados que estimulam comportamentos equivocados na conduta sexual dos seus filhos. A mãe que esperava uma menina e veio um menino; ela começa a vestir o menino de menininha, e transferir seus conflitos e irrealizações para o filho, ou o pai que desejava um filho varão para preservar o nome, e veio uma filha; ele passa a tratá-la com dureza, porque no inconsciente, está marcando esse espírito profundamente e submetendo-o a uma conduta de comportamento sexual que não harmonizará sua psicologia com sua anatomia.

4º) E para finalizar, a homossexualidade pode também ocorrer como uma opção do Espírito quando, em MISSÃO, pretenda dedicar-se a determinadas tarefas, optando por esta "anomalia" que inibirá seus impulsos de acasalamento. Geralmente são espíritos que tiveram várias encarnações num corpo masculino, por exemplo, e quando pedem para vir num corpo feminino sentem-se estranhos. Com uma psicologia (pensamento) que não se ajusta à morfologia (corpo), tenderá (em alguns casos) a sentir atração por indivíduos do mesmo sexo. Como sua consciência não lhe permitirá um envolvimento desse tipo, que sente ser contrário à Natureza, optará pela solidão afetiva, com o que passará a dedicar-se inteiramente às tarefas a que se propôs, desdobrando sacrificial existência. Encontramos, na História, inúmeras personalidades de destaque nos domínios da Cultura, da Arte, da Filosofia, da Ciência, da Religião, que viveram essa contingência. Passaram incompreendidos, ridicularizados e caluniados por seus contemporâneos quanto à sua posição em relação ao sexo, mas, mantendo SEVERAS DISCIPLINAS DE CASTIDADE, canalizaram suas forças genésicas para gloriosas realizações em favor da Humanidade.


O Espiritismo não é contra a homossexualidade?
Resposta de Divaldo Franco: “O Espiritismo, de forma alguma, é contra a estrutura homossexual do indivíduo, não estando de acordo, porém com a pederastia, ou seja, a entrega do homossexual aos hábitos e práticas perturbadoras, o que é muito diferente.”(...) "O que a doutrina diz é que, o homossexual deve procurar respeitar a si mesmo; não se permitir descer a situações promíscuas; deve respeitar seu parceiro(a); deve respeitar o grupo social, não pretendendo impor a sua orientação sexual como sendo a que todos devem seguir. Porque todos temos, invariavelmente, um certo tipo de comportamento e o consideramos normal. Desejamos consciente e inconcientemente que o mundo mude para estar do nosso lado, quando os outros também tem seus comportamentos e suas orientações sexuais."




OBSERVAÇÃO: ENTÃO, PODEMOS DIZER QUE, O HOMOSSEXUAL NÃO DEVE IMPOR SUA CONDIÇÃO SEXUAL AO HETEROSSEXUAL E VICE-VERSA. ASSIM COMO HÁ HOMOSSEXUAL E HETEROSSEXUAL COM COMPORTAMENTO PROMÍSCUO, AGRESSIVO À SOCIEDADE, HÁ TAMBÉM HOMOSSEXUAL E HETEROSSEXUAL DISCRETO, QUE RESPEITA E SE RESPEITA. A MUDANÇA DE COMPORTAMENTO VIRÁ COM O AMADURECIMENTO DO ESPÍRITO E NÃO COM A IMPOSIÇÃO DE OUTROS ESPÍRITOS TAMBÉM FALHOS. QUEM QUER TER LIVRE ARBÍTRIO DEVE CONCEDER O MESMO AOS OUTROS. SÓ ASSIM VIVEREMOS HARMONIOSAMENTE, ATÉ QUE A HUMANIDADE AMADUREÇA E APRENDA A RESPEITAR A PRÓPRIA SEXUALIDADE, DISPONDO-SE A FAZER DA ATIVIDADE SEXUAL NÃO MERA FONTE DE PRAZER ANIMAL, MAS, FUNDAMENTALMENTE, UM COMPLEMENTO DA COMUNHÃO AFETIVA, SOB INSPIRAÇÃO DO AMOR QUE UNE O HOMEM E A MULHER PARA AS EXPERIÊNCIAS SAGRADAS DA VIDA FAMÍLIAR.

Texto baseado nos livros: QUEM TEM MEDO DOS ESPÍRITOS? de Richard Simonetti e LAÇOS DE FAMÍLIA de Divaldo Franco.





SE DUAS PESSOAS DO MESMO SEXO PODEM SE COMPLEMENTAR PSIQUICAMENTE, COMO ENTENDER A QUESTÃO HOMOSSEXUAL À LUZ DO ESPIRITISMO?

RESPOSTA DE J. RAUL TEIXEIRA: Duas pessoas que apresentem a mesma morfologia biológica e que psiquicamente se complementam, podem torna-se íntimos e excelentes amigos, sem obrigatoriamente ser excelentes amantes, e aqui nos utilizamos do sentido trivial do termo. (...) No aspecto passional, não nos cabe julgar de nenhum modo o procedimento de quem quer que seja, uma vez que, como estabelece o brocardo popular: "todo corcunda sabe como se deita..." Importante é que saibamos que a lei de sociedade, que regula nossas relações sociais no mundo, está embasada na lei de amor, que, por seu turno, é a energia do Pai Criador fluindo pelos poros de nossa alma.
Lamentávelmente será adotar qualquer posição puritana - quando necessitamos estar na busca da veraz pureza - desejando determinar como é que as pessoas terão que viver, ou o que terão que fazer, o que é feio ou bonito, o que é certo ou errado, só para nos satisfazer o espírito policialesco da conduta alheia, como classificados "voyeurs" da intimidade dos outros, quando Jesus Cristo nos propõe o não julgueis.
Assim, se a complementação psíquica entre pessoas de diferentes ou de semelhantes morfologias biológicas servir de motivação para levá-las a relações passionais, e não só fraternais, cabe-nos a discrição e o respeito ao livre arbítrio alheio, por saber que a Deus cabe tomar contas das ações de todos nós.
Então, reconheçamos no criador a perfeita condição de cuidar das vidas dos Seus filhos, quando, na Terra, ainda faltam os valores da isenção e da harmonia espiritual para o trato dessa questão.


(Do livro: Desafios da vida familiar - pelo espírito Camilo - psicografia de Raul Teixeira)


FONTE: http://grupoallankardec.blogspot.com.br/2010/01/o-que-e-o-homossexualismo-na-visao.html
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 16 de Outubro de 2012, 09:33
Bom dia a todos,
Bom dia Meel,
É bom desabafar, mas entenda que um espírita sério não descrimina, pois estuda para entender.
A discriminação é o mal aplicado, ou seja, a ignorância aplicada.
Quando discriminamos, estamos nos igualando as pessoas que julgam sem conhecer e vindo destas aconteceram inúmeras atrocidades na história.
O conhecimento é nossa fonte de crescimento. Quando repassamos informações estamos ajudando nossos irmãos na evolução deles e consequentemente nas nossas.
Seu post#64, para mim, é bem completo. Cada item pode ser bem aprofundado, mas é um post bem educativo.
Hoje, os tabus sexuais estão sendo quebrados e isso é um perigo.
Quando falei que a onda é ser trisexual, não foi discriminando, mas alertando.
Devemos nos alertar por essa nova tendência, que ao meu modo de ver, é muito pior, que são as pessoas de mente aberta, que estão dispostas a fazerem o que quiserem, quando quiserem, independente do que a sociedade ache. A religiosidade sendo exposta de forma fanática está expulsando os inteligentes e cultos do progresso. O espiritismo veio resgatar tal espíritos, mas muitos deles já se veem perdidos na lama do materialismo.
A sexualidade tem que ser estudada por nós, afim de podermos entender o que está acontecendo. Não podemos nos descriminar por faze-lo. O mais puro não é o que não se suja por ficar fora da poça de lama, mas sim aquele que entra nela e não se suja.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 16 de Outubro de 2012, 11:16
Bom dia a todos,
http://www.forumespirita.net/fe/paginas-de-internet-espiritas/o-limite-e-a-tolerancia/msg297443/#msg297443
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mega em 16 de Outubro de 2012, 12:31
Humm... obrigada.  ;)
Eu realmente não sabia disso sobre a FEB. Na verdade, sinto que fui bastante influenciada nesse quesito. Sempre acreditei que o maior atestado de fidelidade aos conhecimentos espíritas fossem apoiados pela FEB. Sinto muito ter ludibriado certos conhecimentos (Ou não-conhecimentos) a meu favor. 
Sim, eu sou muito séria quando o assunto é homossexualidade, aborto, eutanásia e certos assuntos considerados TABU.

Querida Meel,

Se lhe serve de consolo, saiba que eu também já fui bastante influenciado por isso. Tenho 40 anos e conheço a Doutrina desde os 20. Mas, até cerca de 4 anos atrás eu nada sabia sobre a história da FEB ou dos cismas no movimento espírita – é claro que não falam sobre estas coisas em nossas casas espíritas. Mas já andava com a pulga atrás da orelha em relação a certos pontos da Doutrina que me pareciam obscuros e mal explicados, e sofria com isso, já que entendia vários desses pontos como contradizentes entre si – e claro que eu só poderia estar errado, já que esses livros contavam com a chancela da FEB, e não poderia, portanto, haver nada de errado com eles. E também me incomodava muito a choramingação nas reuniões públicas, a eloquência e teatralidade dos oradores e os pressupostos tácitos difundidos por eles de que a evolução que realmente interessa ao espírito é a moral e que a reencarnação é um suplício para o Espírito. Mas, um dia, por acaso (como se houvesse acaso para com essas coisas...), pegando carona em uma viagem com dois amigos Espíritas já idosos, encontrei no banco de trás um exemplar do Curso Dinâmico de Espiritismo de Herculano Pires. A leitura desse livro durante uma viagem de algumas horas foi tão impactante que até hoje ainda falo disso com certa emoção. Ele me apresentou verdades frente as quais eu deveria fazer uma escolha.   A partir de então comecei a “estudar” a Doutrina, e pesquisando, conheci então a história da FEB e dos demais cismas que tentaram e ainda tentam se estabelecer dentro Doutrina para “renová-la” e “atualizá-la”. E tomei conhecimento também de que a maioria esmagadora das obras mediúnicas que são publicadas no Brasil não passa por qualquer tipo de controle, muito menos pela sanção da concordância, nos termos do Controle Universal do Ensino dos Espíritos. As editoras, quando não pertencem aos próprios médiuns, confiam na infalibilidade desses e dos Espíritos que já se tornaram consagrados no mercado editorial por meio deles, um flagrante contrassenso com o que nos foi solicitado em O Livro dos Médiuns. Era preciso escolher: ou ficar com Kardec mais os Espíritos Benévolos, Eruditos, Sábios e Superiores que ditaram a Doutrina (e mais alguns autores encarnados que fazem a defesa dos princípios doutrinários) ou ficar com a miscelânea exotérica e espiritualista que hoje encontramos vendida como Espiritismo. Escolhi a primeira opção e passei a ter a segurança que eu não tinha – segurança no sentido de quem se sente amparado e não de autossuficiência.

Parabéns pela seriedade. E já que você gosta de estudar, sugiro um curso introdutório de lógica ou de raciocínio lógico. A Doutrina Espírita trata de muitas leis, e sendo essas leis divinas e naturais, são também verdades (para os Espíritas), e verdades não podem ser modificadas para atender aos nossos gostos e conveniências. A lógica nos ajuda a compreender isso. 

Abraço fraterno,
 


João os meus parabéns pela sua opinião, bem lúcida e que muitos de nós (creio eu,) não chegaram a esta conclusão, não querendo dizer que se deve deitar  fora ou criticar muitas e boas obras que por aí circulam, não Senhor, o que deve é estudar e as colocar no crivo da razão,e na dúvida, rejeitar e venham elas de onde vierem.Isto nos diz o Espiritismo.
Creio eu que quando conseguimos fazer tudo isto, respeitamos as referidas obras, porque as estudamos, mas sem a idolatria nada conveniente a quem se modificar dentro dos seus próprios conhecimentos, e não porque alguém lhe diz o que será certo ou errado.

Abraços

Ótimo! Incluo também o  crivo do fraterno amor. O que não suporta o crivo do amor, o principal dos mandamentos, não me parece a expressão exata da verdade.

Paz e bençãos
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 16 de Outubro de 2012, 16:28
Boa tarde a todos,
Boa tarde João,
Concordo com você que não é fácil ser médico, como não é fácil ser professor. Ser médico é uma grande oportunidade de crescimento para qualquer espírito. É lógico sim, que ser médico é um bom resgate para o espirito que assassinou alguém, mas tendo em vista que todos gostariam de faze-lo, pois se tivéssemos um cardápio que pudéssemos escolher como resgataríamos nossos erros, no caso, vários assassinatos, eu escolheria ser médico ao invés de ser abortado, ou nascer sem uma mão, etc...Qual seria o merecimento para tal oportunidade? Apenas escolher?
Sei lá, tudo que já li, mostra que, nossas escolhas não dependem só da gente, mas também das lacunas que se abrem administradas pelos espíritos mais sábios.
No filme: E a vida continua, temos uma visão de que nem sempre temos muita escolha. No filme, a escolha foi: Sim, ou não.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 16 de Outubro de 2012, 17:38
Masto meu mano,
a faculdade de pedir as provas pelas quais possamos nos desincumbir melhor nos tornando melhores, é dada a todos segundo o ponto de progresso em que estejam.
Assim, se eu estou em um ponto de progresso menor que o seu, não poderei, ter escolhida uma prova que pedi em igualdade a você.
Deus, que julga a tudo e todos os pedidos, não daria a alguém o cobertor menor que o frio que este irá sentir.
Mesmo assim, avalie, há muitos que mesmo podendo saírem-se vencedores, naquilo que pediram, tornam a falir, e que por isso mesmo terão que reencarnar para completar o curso na matéria em que não passaram.
Um assassino, poderia ser melhor enquadrado nas possibilidades de voltar um juiz, um advogado, um delegado, ou mesmo um simples policial incorruptível, um médico não deixa de ser uma prova boa, porém para este tipo de Espírito seria quase provável que ele faliria, pois que ainda não estaria apto a compreender as lides da medicina.
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 16 de Outubro de 2012, 17:41
Boa tarde a todos,
Boa tarde mano Moura,
Deve ser, mais ou menos isso, pelo menos é o que pensamos.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 16 de Outubro de 2012, 17:48
A coisa toda no terreno do pedir as provas, ou escolha das provas, se dá na observância da harmonia.
Seja do estado em que esteja o Espirito, seja na natureza do mal que haja causado e que necessita de nova revisão para que tal Espírito venha a se transformar pelo Conhecimento.
Assim, abordando o assunto Harmonia, se déssemos a um Espírito que faliu por cometer assassinatos, uma natureza de provas que a este Espirito não estivesse, sob o conhecimento dele, fatalmente ele poderia falir novamente e Deus, Soberanamente Justo e soberanamente Bom, não gostaria, evidentemente, que tal falência voltasse a ocorrer.
O campo da vida no Éter não dá ao Espírito, novos conhecimentos fazendo-o vir a conhecer assuntos de que ele, pontualmente não conhecera na vida que se findou.
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Meel Jacques em 16 de Outubro de 2012, 20:52
Agradeço o comentário de Mastomisto e justifico meu comentário afirmando que não estava me referindo a ninguém de fato - evito fazer esse tipo de coisa para não gerar confusão. Estou realmente satisfeita com a conclusão que estamos chegando.  :D

Agradeço mais ainda a João Ninguém pela sugestão. Farei isso sim. A doutrina espírita é tão vasta e complexa que eu amaria passar minha vida apenas a estudá-la, mas como isso não é profissão terei que aceitar fazer por diversão. E sim, me consola muito saber que não sou um caso aparte e que qualquer um poderia ter sido influenciado. O que não quer dizer que eu esteja feliz por isso (pelo amor da Coca-cola [para não escrever o nome de uma certa divindade em vão] não pense isso de mim).  :o

Quando eu terminar o ensino médio correrei atrás de um curso que me ajude a ter uma boa mente crítica (e é por isso que estou tentando passar em direito) e espero um dia poder entender todas as verdades que nos foi proporcionada, na medida do possível, e levar, assim, essas máximas de amor às pessoas.

 ;)

Acho que não tenho mais nada a declarar.  ::)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 16 de Outubro de 2012, 22:23
Boa noite a todos,
Boa noite mano Moura,
Escutei numa palestra, que poderíamos, a grosso modo, comparar nossas dívidas cármicas com uma dívida no banco. Podemos pagar de uma vez, ou parcelar o pagamento, pois certas dívidas são pesadas demais para resgatarmos em uma encarnação só. É importante salientar. que o carma pode ser positivo também, mas poucos falam do carma positivo. Um carma bom é o direito de certas escolhas na espiritualidade, por exemplo.
Um abraço fraterno.
 
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: hcancela em 17 de Outubro de 2012, 10:37
Olá amigos(as)

Na Doutrina Espirita, não encarnamos, Homos, Heteros, assassinos, ladrões, etc e tal..

Temos tendências que se apresentam der várias formas, motivadas por um passado cheio de conflitos Psicológicos, que nós próprios os aplicamos indo contra a lei da Natureza(Deus) e elas requerem um equilíbrio da mesma forma.

No caso em questão, a tendência (Homossexual) é um desses que hoje em dia largamente debatido em nossas sociedades, em que uns dizem tudo se pode fazer em nome de uma dita liberdade, e outros nada, porque é mau, etc. Lembro que até há poucos anos estes actos eram normais, antigamente muito mais ,havendo sociedades que a homossexualidade não tinha este nome, por ser natural. Hoje aos poucos vamos tomando consciência que as coisas não são bem assim, mas que temos de aprender a conversar e não condenar, explicando tudo á luz do bem senso.
Estou a falar de uma pessoa que (AMA)realmente outra do mesmo sexo, e não (perdoem expressão) orgulho gay,que para mim isto não entra no mesmo debate, porque teríamos de falar também dos heteros com sexo desmedido do tipo sexo porno.

Saudações fraternas
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 17 de Outubro de 2012, 11:03
Bom dia a todos,
Bom dia hcancela,
Exatamente, o LE nos fala do destino. Porém, quando encarnamos cegos, esse desajuste se torna uma barreira muito difícil de ser superada para nos tornarmos médicos. Quando encarnamos numa família pouco evoluída, ao qual fizemos mal no passado, essa situação pode ser um trampolim para o sucesso profissional, como para o sucesso moral.
O importante é entendermos que os pensamentos, os conhecimentos e os sentimentos do espírito desencarnado, voltam a tona quando encarnado, assim como o seu perispírito influencia na saúde física e mental do corpo material.
As circunstancias que seremos colocados são de suma importância e influenciam as nossas escolhas, assim como a sociedade tem importância no desenvolvimento do individuo.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: filhodobino em 17 de Outubro de 2012, 12:02
Bom dia a todos,
Bom dia hcancela,
Exatamente, o LE nos fala do destino. Porém, quando encarnamos cegos, esse desajuste se torna uma barreira muito difícil de ser superada para nos tornarmos médicos. Quando encarnamos numa família pouco evoluída, ao qual fizemos mal no passado, essa situação pode ser um trampolim para o sucesso profissional, como para o sucesso moral.
O importante é entendermos que os pensamentos, os conhecimentos e os sentimentos do espírito desencarnado, voltam a tona quando encarnado, assim como o seu perispírito influencia na saúde física e mental do corpo material.
As circunstancias que seremos colocados são de suma importância e influenciam as nossas escolhas, assim como a sociedade tem importância no desenvolvimento do individuo.
Um abraço fraterno.

Amado...
Embora haja razoabilidade em seu apontamento, penso que te esqueces da imponderabilidade da vontade e do desejo, do ânimus e da ânima, qque faculta a qualquer ser que já tenha aberto os olhos para a conciência universal, que a vida em si nem é masculina nem feminina, que a vida é muito maior que simples generos, que a impermanencia não fecha um circuito como um aparato definido, que a vida é muito mais importante que considerações quaisquer que nossos pobres e incultos parâmetros que já alcançamos o senso e a percepção de que fazemos parte de um todo, embora sendo indivíduos, mas em permanente ascendente processo de individuação, que ainda não chegou, mas a modernidade da nossa visão transcendente, não nos deixa dúvidas.
Precisamos antes nos entender acerca dos sentidos e sentimentos que nos próprios.
Saúde e Paz!
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 17 de Outubro de 2012, 13:14
Bom dia a todos,
Bom dia filhodobino,
Quando um ser chega ao desprendimento de estar aberto a novas idéias, sejam estas o espiritualismo, ou o espiritismo propriamente dito, este conhece uma ferramenta que o ajudará nas dificuldades. Entretanto, certas sociedades, dificultam tais conhecimentos, sejam científicos, sejam filosóficos.  A vontade nada pode fazer sem o conhecimento, pois o que adiantaria eu querer construir um prédio sem o conhecimento? Eu passaria a minha vida toda, construindo-o através da meu esforço, mas quando estivesse pronto, perceberia que é um perigo morar nele, tendo em vista que existe uma ciência específica para calcular estruturas. Assim, percebo a vida. Muitos agem através da força de vontade, conseguindo boas profissões, superando barreiras, mas no pós vida se arrependem, por não terem feito da forma espiritual.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 17 de Outubro de 2012, 14:06
Mastomisto meu querido amigo e demais colegas de debates.
No campo da politica, dizemos que o pior analfabeto é o politico pois se vangloria de não gostar de politica e acaba sendo governado por mediocres.
Podemos perfeitamente ampliar esse conceito para a vida, para a religião.
Quando nosso egoismo, nosso orgulho são postos a vista, nos revoltamos.
Queremos, enquanto seres humanos imperfeitos que somos, o que é mais facil, mais comodo, mais barato, esquecendo que para grandes conquistas, são necessários grandes sacrificios, ou grandes trabalhos.
Sempre que algem trouxer uma inovação que afronte nosso conhecimento, esse orgulho desmedido que possuimos logo rejeitará, mantendo-nos na nossa zona de conforto, a qual tentamos impor aqueles que nos sejam proximos.
Mas havemos de ver tambem aqueles que são apenas ignorantes, que ainda não atingiram evolução intelectualsuficiente para compreender a grandeza do progresso.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 17 de Outubro de 2012, 14:31
Bom dia a todos,
Bom dia Gustavo,
Não entendi bem: "No campo da politica, dizemos que o pior analfabeto é o politico pois se vangloria de não gostar de politica e acaba sendo governado por mediocres".
Tem político que não gosta de política?
Quanto a revolta, olha que legal!
http://www.forumespirita.net/fe/auto-conhecimento/apego-aos-sentimentos-raiva/msg297572/#msg297572
Quanto ao egoismo: Esse tópico é ótimo.
http://www.forumespirita.net/fe/auto-conhecimento/o-pensamento-humano/msg283408/#msg283408
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 17 de Outubro de 2012, 15:01
Estava falando do cidadão, do analfabeto politico, o cidadão que se vangloria de não gostar de politica.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mastomisto em 17 de Outubro de 2012, 15:14
Bom dia a todos,
Bom dia Gustavo,
Agora sim.
Um abraço fraterno.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mega em 18 de Outubro de 2012, 16:53
Exato amigo João. Foi o que tentei dizer, acrescido do fato de  sermos quase todos extremamente devedores. Aliás, o fato de  estarmos nesse planeta por si só, já denuncia o nosso grau evolutivo, claro, não esquecendo das raras excessões desta regra.

Abraços
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: hcancela em 18 de Outubro de 2012, 17:00
Olá amigos(as)


Falamos de" Homossexualidade na visão espírita ", ou de política, egoísmo, etc?

Voltemos ao tema central por gentileza. ;)

Saudações fraternas
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 18 de Outubro de 2012, 17:07
Boa lembrança, mano Cancela!
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mega em 19 de Outubro de 2012, 14:32
Do pouco que pude abstrair das obras básicas, que sustentam a minha forma de crer, o homo é um irmão de caminhada como todos os outros, nem mais, nem menos.

Paz e harmonia amados!
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Erika Reis em 29 de Novembro de 2012, 21:43
Acredito que devemos ter a máxima atenção durante a nossa vida terrena, como nos relacionamos, como lidamos com os obstáculos e quais as nossas atitudes perante à situações que fogem dos nossos valores. São nestes momentos que somos testados na moral e aprendizagem espírita. Devemos atentar para as lições de Cristo de amar e respeitar e fazer o bem sempre. Não importa quem você ama, o simples fato de amar e mais importante que tudo.
O "problema" do homossexual e ter a imposição sociedade para que ele se transforme e negue seus sentimentos.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Kazaoka em 30 de Novembro de 2012, 01:15
Se o Espírito não tem sexo (e não tem mesmo), então a questão da homossexualidade é do homem. E sendo da natureza humana ela nada mais é do que uma nuance a mais do universo físico que serve de oficina de trabalho para o Espírito em evolução.

Portanto, "homossexualidade na visão espírita" é mais uma das diversas questões que exige do homem o uso de sua base moral para lidar com os efeitos dessa variável do comportamento humano na sua própria personalidade espiritual e sobre o meio no qual convive.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Kazaoka em 05 de Dezembro de 2012, 15:30
Há questões no O Livro dos Espíritos, mais especificamente na parte das Leis, que trata sobre os "obstáculo à reprodução" como uma atitude que contraria a Lei natural. Lá estes obstáculos referem-se aos que estejam representados por interesses egoísticos ou de paixões inferiores da natureza humana. O bem de uma ação está em relação aos benefícios que ela possa trazer para o bem geral. Dessa forma, aquela atitude que se toma pensando em si próprio somente e que, por isso mesmo, deve ser enquadrada como uma atitude egoísta, pode deixar de ser se esta mesma ação é tomada em favor do bem comum.
O exposto vale para qualquer método contraceptivo.
No caso da homossexualidade a questão muda, ela não chega a constituir obstáculo à reprodução. No caso da homossexualidade estamos diante de uma variação do comportamento humano e, por isso, fica restrito aos indivíduos que fazem parte deste agrupamento. E sendo um grupo relativamente pequeno em relação à população total, isso jamais compromete a reposição dos corpos para servirem de instrumento de manifestação das inteligências reencarnantes. 
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Lourival Soares em 20 de Dezembro de 2012, 00:59
Meel e Vitor Santos: Parabéns pelas colocações de vocês. São de colocações assim que precisamos para acabar com os preconceitos. A homossexualidade sempre existiu e nunca foi e nem será ameaça a espécie humana. É só da uma pesquisada nos números populacionais da Índia e china.
Paz sem preconceitos. ;)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 20 de Dezembro de 2012, 14:27
Quais foram os preconceitos amigo Lourival?
É simples dizer que os haja mas sem demonstrar...
Abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 30 de Dezembro de 2012, 01:33
Eu to achando muito estranho como a doutrina espírita tem abordado o tema homossexualismo, monopolizando o sentido das leis naturais a tal, escrito na própria doutrina. Devéras que para qualquer adepto da mesma, que tenha que seguir a receita, fica muito estranho confrontar duplo sentido, quando se há outros assuntos também importantes. Observa-se:

693. São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por fim ou por efeito criar obstáculos à reprodução?
“Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha é contrário à lei geral.”

Livro dos espíritos / Página 411

Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha, frutas sem sementes (1), ausência de fecundação humana, etc, é contrário à lei geral.

(1) - Recentemente, notícia deste ano, foi exposta na Revista Veja (n.º 2279), as frutas sem sementes. Para quem não sabe, a fruta sem semente, é uma fruta nascida de uma semente infértil. É promovido uma alteração genética na mesma para que não nasça com sementes. Uma empresa americana é detentora da patente e no Brasil já é plantado laranjas sem sementes (vide notícia revista Veja).

Sabe-se que os transgênicos, é o assunto mais discutido entre agricultores (tecnologia terminator). Um assunto que não encontrei muito material, mas é importante discutir é a erradicação das cooperativas, monopólio da compra das sementes, disseminação de tais por animais e aves (meio natural) e a polinização pelas abelhas. Cito Albert Einstein:

“Se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana.”

Será que a questão 693, esta se referindo somente ao homossexualismo? O homem hoje, esta promovendo meios de conforto muito estranhos. Alguns estudos dizem que as frutas sem sementes são mais saborosas, sem os taninos, tem maior aceitação comercial, tempo de prateleira e frutos partenocárpicos verdadeiros, dispensam a polinização. Porém, isso não estaria infringindo a marcha da natureza, embaraçando-a? Sim. Estaria o homem espiritualizado sendo contrário a lei geral da Natureza? Sim. Porque?

Confrontando a questão 693. do Livro dos Espíritos com:

525. Exercem os Espíritos alguma influência nos acontecimentos da vida?
“Certamente, pois que vos aconselham.”

a) — Exercem essa influência por outra forma que não apenas pelos pensamentos que sugerem, isto é, têm ação direta sobre o cumprimento das coisas?
“Sim, mas nunca atuam fora das leis da Natureza.”

Livro dos espíritos / Página 332

Há uma grande contradição na doutrina espírita. Se os espíritos superiores, dizem que nunca atuam fora das leis da Natureza, para influenciar em ação direta o corpo, para o cumprimento das coisas (P. 525), porque no mesmo livro, os espíritos superiores e espíritas em geral, se contradizem, mantendo uma apologia ao homossexualismo, que pela lei geral, embaraça a Natureza em sua marcha (P. 693)?

Porque os espíritos superiores não influenciam os próprios espíritas, população em geral, com ação direta ao corpo e pensamento, para o cumprimeiro das coisas, respeitando as leis da Natureza (lei geral) e não promovendo embaraço? Os espíritos superiores não respeitão a lei geral (leis da Natureza)? Preferem o embaraço? Porque?

A doutrina ao longo da sua emissão desde que foi escrita, não aborda claramente o homossexualismo como encarne e desencarne consectivos de homem, mulher, mulher, homem, e que o meio, pode ser diferente daquele o qual o dito "espírito" encarnado tenha feito a sua escolha. Li a doutrina, principalmente as obras básicas e não encontrei assunto nenhum relacionado a isso. Muito estranho.

Se a própria doutrina se manifesta impondo dogma de que tudo o que é contrário a lei geral embaraça a Natureza quanto a sua marcha, porque o sentido lógico da compreensão esta sendo manifestado diferente por espíritas e população mundial? Há uma coisa muito estranha também, que é o dogma mutante espírita:

"O espiritismo, marchando com o progresso, jamais será ultrapassado porque, se novas descobertas demonstrassem estar em erro sobre um certo ponto (1), ele se modificaria sobre esse ponto; se uma nova verdade se revelar, ele a aceitará (2)" Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec).

(1) - O que o espiritismo descobriu de benéfico nos transgênicos (ex. frutas sem sementes)? O que o espiritismo descobriu de benéfico no homossexualismo por ir contra a própria doutrina (p. 693 / livro dos espíritos)? Onde esta a filosofia, argumento e comprovação científica que o modifica, quanto a sua postura ao homossexualismo? Houve estudo na disseminação do HIV, DST´S, postura social educacional infantil, manifestação de exemplos na sociedade, opinião da igreja católica, evangélica? Qual a opinião da ciência atual a respeito da reprodução X natureza X homossexualismo?

Por um sentido lógico, o ânus não foi criado para sentir prazer. É como imaginar o duto do esgoto onde dali, sai dejetos, manifestar filosofia de natural. Observo o sentido lógico da criação:

1.º - Olhos para olhar, ver, enxergar;
2.º - Ouvido para ouvir, escutar;
3.º - Boca para falar, comer, comunicar;
4.º - Pernas para andar, mover, locomover;
5.º - Ânus para excretar!

(2) - Que tipo de filosofia é essa que adapta-se ao meio? Isso ao meu ver, não expressa qualquer tipo de evolução, quanto a revelação de dogmas e preceitos sociais os quais fação sentido a uma nação quanto a pesquisas e desenvolvimentos. Tudo o que a ciência descobrir o espiritismo se adapta? Que revelação superior o espiritismo traz?

De que forma essa temporalidade esta marcada para sempre estar em "replays" e nunca haver mudanças evolutivas quanto ao atual meio terráqueo? É por animismos? Quem promoveu esses no passado para este mundo estar sempre nas mesmas coincidências? De que forma a lógica esta sendo manipulada em prol do que, porque e para que objetivo benéfico a evolução do mundo?

Nota: Nunca vi discussão expressa em fórum nenhum, onde aponte contradições na doutrina espírita. A compreensão dos sentidos lógicos da linguística tem que ser preservados, deixando de lado um 3.º que explique e se responsabilize. Sabendo matemática por exemplo, compreende-se sozinho que 2+2=4 sem a necessidade de haver outro 3.º explicar. Porque ninguém explica as contradições e apenas se faz expressões de manifestações de cunho próprio?

Já encontrei outras contradições na doutrina, e porque sempre se faz a mesma doutrina, mesmo havendo quem as encontre (contradições) por sentido lógico?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 30 de Dezembro de 2012, 02:02
(...) No caso da homossexualidade estamos diante de uma variação do comportamento humano e, por isso, fica restrito aos indivíduos que fazem parte deste agrupamento (1). E sendo um grupo relativamente pequeno em relação à população total, isso jamais compromete a reposição dos corpos para servirem de instrumento de manifestação das inteligências reencarnantes (2).

(1) - Mas o que mais se discute, é que a decisão de encarnar e o meio ser diferente da escolha, é provido do espírito e não do comportamento humano. Como acima escrevi, a variação de encarnações de homem, mulher e mulher, homem e consectivamente o meio onde se escolheu estar, ser diferente da escolha, é diante do espírito e não diante do comportamento humano. Estranho não acha? A escolha é feita aqui e não promovida anterior ao nascimento!

(2) - Pois é, fiz um estudo, e esse "grupo pequeno" faz com que o próprío homem, agarie sentidos de prazer bem variantes conforme a naturalidade humana. Gostar de 2 mulheres no ato sexual, por exemplo. Menage Atrois. As mulheres tem que concordar com sentidos homossexuais não? Porque tanto isso é expressado em filmes e manifestação de prazeres machistas? Esse grupo pequeno, esta modificando sentidos lógicos. A própria novela das 20:00 horas (Salve Jorge - Rede Globo), mostrou 2 mulheres indo a ter relação sexual com 1 homem. Quantos no mundo não ostentam esse desejo? 2 mulheres se beijando? Para pensar:

"De uma semente nasce uma árvore e desta, nasce muitas outras."

vidaeterno

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 30 de Dezembro de 2012, 02:14
Em outro grupo que participo discussão semelhante se desenvolveu.
Um membro trouxe uma reflexão no mesmo sentido do que a que acaba de ser levantada.
Estas foram minhas considerações:

"Amigo X, existem muitas pessoas heterossexuais que não podem gerar filhos e fazem sexo e ninguém lhes nega o direito a vivenciar a sua sexualidade mesmo que se fins reprodutivos então não entendo porque no caso dos homossexuais seria diferente.

O sexo tem também finalidade reprodutiva mas se todos os humanos fizesse sexo apenas com esta finalidade o planeta já teria por baixo 50 bilhões de pessoas.

O crescei e multiplicai-vos não pode ser visto de forma absoluta a não ser que arranjemos outro planeta Terra porque esse não comporta 50 bilhões de pessoas exigindo comida, água, espaço, etc)

Os heterossexuais em sua esmagadora maioria não fazem sexo com finalidade exclusivamente reprodutiva.

Se pensarmos que tudo no cosmos tem uma finalidade conseguiremos enxergar que por mais que biologicamente um casal homossexual não possa gerar um filho diretamente, sem o auxílio de um terceiro, eles ainda  assim conseguem gerar a vida.

Geram a vida , por exemplo, a cada vez que acolhem os irmãos rejeitados, abandonados ou órfãos e lhes dão a  oportunidade de um novo lar. Tudo tem um fim útil no cosmos .

Penso que na natureza tudo se equilibra, e se compensa .Aqueles que podem gerar filhos compensam a falta de possibilidade biológica de outros de o fazerem e por outro lado aqueles que não podem procriar  doam amor aqueles que de outro modo não teria  um lar. A maioria esmagadora das crianças adotadas o são por casais que não pode ter filhos, então se todo mundo pudesse procriar quem iria acolher estas crianças?

Nós sabemos que os casais geralmente procuram o recurso da adoção apenas quando não conseguem ter seus próprios filhos. Existem alguns casais que têm seus filhos e  também adotam, mas são a minoria.

Aqueles irmãos que não podem ter filhos ainda assim podem manifestar a glória de Deus e serem instrumentos de sua vontade. A procriação não é o único objetivo da nossa jornada evolutiva. Acredito que somos mais do que coelhos. Não desmereço a  importância da procriação até porque ela é um instrumento bendito que possibilita a reencarnação de muito irmãos para seus aprendizados, apenas não acho que o fato dos homossexuais não procriarem irá trazer algum transtorno demográfico ao planeta ou obstar o plano divino. lembremos que nada , absolutamente nada ocorre sem a permissão de Deus.

Se um espírito  tiver que receber alguém como filho, mesmo que não o gere de foma direta, esse filho irá lhe bater á porta através de uma adoção, não tenha dúvidas. Ninguém foge do seu programa evolutivo.

Cada um de nós tem um roteiro. Chico Xaver também não gerou filhos, mas "procriou" nos deixando um imenso legado de luz. Ele não teria também cumprido os desígnios divinos?

Do mesmo modo vejo a homossexualidade."

Vidaeterno.

Sim, ânus foi feito para excretar é verdade, mas " tá assim ó" de heterossexuais que parecem não saber disso....
Não acho justo satanizarem os homossexuais como se todo mundo fizesse sexo "bunitinho" igual na natureza.
Se  tem um bicho que faz sexo de forma beeem diferente de todos  os animais é o homem.
Na natureza não se usa vibrador, não se faz sexo oral, anal. Ah também não tem filme e revista ponográfica, strip-tease, etc.
Não tem fantasias, nem fetiches.
Então acho que devemos parar de pegar no pé dos homossexuais e olharmos para dentro de nossa casa, porque desconheço algum ser humano que faz sexo de forma "natural" e convencional dentro das regras "naturais.
Acho que temos muita coisa para cuidar no nosso quintal antes de nos metermos a analisar a sexualidade alheia.
Intimamente sinto que é muito menos "grave" inverter uma função biológica do que lançar anátemas sobre a conduta alheia.
paz e luz
Susana


Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 30 de Dezembro de 2012, 05:25
Vou aguardar mais opiniões.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 30 de Dezembro de 2012, 11:33
Para maiores esclarecimentos sobre o tema sugiro a leitura dos seguintes tópicos:

http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualismo-e-homossexualidade-existe-diferenca/msg301650/#msg301650

http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualidade-deveria-ser-combatida/msg291213/#msg291213

http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualidade-existe-cura/msg307157/#msg307157

http://www.forumespirita.net/fe/sexualidade/homossexualismo-22596/new/#new

http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualismo-sem-purismo-cristao/#c2

paz e luz
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: lineu em 30 de Dezembro de 2012, 11:40
Citação de: Vidaeterno
Vou aguardar mais opiniões.

A lei natural preceitua que um ser humano de bem deve abster-se de condenar os seus semelhantes. Por contrapartida, no entanto, também preceitua que o ser humano de bem deve analisar criteriosamente as diversas formas de conduta humana, convenientes ou inconvenientes à dignidade e à moralidade no meio social.

Disso decorre o entendimento de que, no tema referente à sexualidade humana, um ser humano de bem não tem competência para condenar os homossexuais. Mas compete-lhe manifestar-se a respeito da prática do homossexualismo, sobretudo com o propósito de colaborar com os poderes indutores do progresso nas missões de instruir e educar a humanidade.

Ora, relativamente à moralidade preceituada na lei natural, parece óbvia a dedução de que a prática do homossexualismo constitui conduta imoral...

Que avilta a dignidade humana.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 30 de Dezembro de 2012, 11:50
Já vi algumas argumentações no sentido de que o sexo praticados por homossexuais seria contrário a lei natural  da reprodução.
Mas será que todo mundo cumpre a tão mencionada lei  "natural"?
O problema desta argumentação é que boa parte dos casais não pratica sexo estritamente convencional( do jeito que dá para se reproduzir),mas usam várias variantes já conhecidas por todos e que acho que não preciso listar.
E boa parte significa: muita, mas muita gente mesmo, inclusive os que acham que fazem sexo "bonitinho" dentro da tal lei "natural".
Portanto, como já disse antes, quem faz todas as variações que terminam com "al", exceto aquela tida por convencional, e quem faz sexo pelo meio convencional, mas sua método contraceptivo também não está fazendo sexo com fins reprodutivos portanto também contrariaria a tal lei natural  tão invocada para condenar, mesmo que veladamente, a homossexualidade.
Antes de falar sobre homossexualidade é preciso definir: sexo tem finalidade apenas reprodutiva?
Se sim, então todo mundo que faz sexo sem cunho reprodutivo( posições sexuais incompatíveis  com a reprodução) ou usa métodos contraceptivos está indo contra a  lei natural.
Se não, tendo o sexo também tem por finalidade a troca de afetividade, energia, algo biológico, aliviar tensão, stress, blablabla, então  tudo  isso vale tanto  para os heterossexuais quanto para os homossexuais porque eles tem tanto direito a vivenciar esta experiência quanto qualquer um.
Não tem como fugir, tá todo mundo no mesmo barco.
paz e luz!

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Anton Kiudero em 30 de Dezembro de 2012, 14:27
A rigor apenas os animais fazem sexo visando exclusivamente a reprodução. E o fazem em determinadas épocas do ano e quando o parceiro esta pronto. O que denominamos de 'cio'.

Portanto tudo o mais pode ser considerado antinatural. e TUDO é TUDO mesmo. Até mesmo fazer sexo usando a 'tabelinha'...

Portanto discricionar o homosexual é apenas preconceito conjugado com julgamento de Deus. Pois se NADA acontece que não seja da vontade do Pai, condenar a uns e não a outros, SEMPRE constitue um julgamento de Deus. Por mais bonitas e enfeitadas pareçam as palavras.

Ser homosexual, masculino ou feminino são apenas provas diferentes escolhidas pelo espírito e não podem ser alteradas durante a encarnação pela inexistencia do livre arbítrio. Ninguem escolhe ou decide ser homosexual, assim como ninguem escolhe ou decide ser homem  ou mulher. Nasce assim. Simples não?


Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 30 de Dezembro de 2012, 15:48
Salve Anton! :)
Preciso como sempre.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 30 de Dezembro de 2012, 16:05
Senhores,
a questão principal é que sem o querer-se desviou-se o foco do assunto tema.
Não tratamos com forma de uso do sexo, tratamos com o que ocorre do ensino Espírita que é de forma geral.
Trata a De não do homossexual em suas práticas que não são de modo algum imorais mas sim amorais segundo a lei Natural.
Como esta definição trás características muito sutis, reproduzo, do Michaellis seus verbetes:
"amoral
a.mo.ral
adj m+f (a4+moral) 1 Que está fora da noção de moral ou de seus valores: O mundo físico é amoral. 2 V amoralista.

amoralista
a.mo.ra.lis.ta
adj e s m+f (a4+moral+ista) 1 Que, ou quem é partidário do amoralismo. 2 Quem não tem em conta os preconceitos nem as leis da moral, ou que lhes é indiferente.

imoral
i.mo.ral
adj (i2+moral) 1 Que não é moral. 2 Contrário à moral ou aos bons costumes. 3 Devasso, libertino. s m+f Pessoa sem moral.

imoralista
i.mo.ra.lis.ta
adj (i2+moral+ista) 1 Referente ao imoralismo. 2 Qualificativo dado por Nietzsche à sua doutrina. s m+f Pessoa partidária do imoralismo"

Como podemos notar, uma relação entre dois homens, entre as quatro paredes de sua habitação, pode ser tudo, menos imoral, mas tal fato não lhe vai retirar a característica da amoralidade.

A homossexualidade é transgressão á lei natural, transgressão esta tomada pelo Espírito já encarnado, mas nunca pedida como prova ou tida por meio de expiação, isso seria grave incidência contra a mesma Lei.

Mas, mesmo fato de ser transgressão como o fato de ser amoral, não dá ao hétero, direito maior ou superlativo de se arrogar em detentor da coerência Divina e assim passar a desrespeitar ao homossexual.

Em tópicos como este é comum vermos a chamada ao héteros e suas amoralidades pois que o hétero também possa as cometer, mas este é um outro assunto do qual o tema em foco não alude. A não ser para criar celeumas inúteis ou discussões estéreis.
vamos tentar, todavia, continuar o debate mas expressamente dentro do tema foco deste tópico.
abração,
Moura
Feliz 2013 a todos!
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 30 de Dezembro de 2012, 16:34
O problema todo começou quando irmãos começaram a se colocar como juízes da conduta alheia apontando violações a tal lei natural por parte do próximo se esquecendo que eles também não obedecem a mesma lei que invocam.
O que é muto engraçado é que a maioria dos homens já praticou sexo pelas mesmas vias do homossexual masculino( e do feminino tb)com suas parceiras ,portanto não tem a menor autoridade para moralizar ninguém.
Não venham me dizer que não é natural homem com homem e mulher com mulher porque eu poderia passar o dia escrevendo coisas não naturais praticadas por heterossexuais.
Se é "certo" ou "errado' sinceramente não sei e isso não me preocupa. Tenho muita coisa "errada" em mim para consertar antes de conjeturar sobre as imperfeições alheias.

O que tenho visto por aqui são os nús falando dos mal-vestidos... ::)
 paz  e luz
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Rola em 30 de Dezembro de 2012, 16:54
O problema todo começou quando irmãos começaram a se colocar como juízes da conduta alheia apontando violações a tal lei natural por parte do próximo se esquecendo que eles também não obedecem a mesma lei que invocam.
O que é muto engraçado é que a maioria dos homens já praticou sexo pelas mesmas vias do homossexual masculino( e do feminino tb)com suas parceiras ,portanto não tem a menor autoridade para moralizar ninguém.
Não venham me dizer que não é natural homem com homem e mulher com mulher porque eu poderia passar o dia escrevendo coisas não naturais praticadas por heterossexuais.
Se é "certo" ou "errado' sinceramente não sei e isso não me preocupa. Tenho muita coisa "errada" em mim para consertar antes de conjeturar sobre as imperfeições alheias.

O que tenho visto por aqui são os nús falando dos mal-vestidos... ::)
 paz  e luz



Eu concordo com isso tudo, amiga. É por tudo isso que todos os seres humanos sofrem, e o responsável é só um, o pensamento.

Onde há pensamento não pode haver amor, só há egoísmo.

O ser humano, infelizmente, venerou e venera o pensamento, o provocador do egoísmo, do sofrimento, de todas as ilusões do mundo, ao invés de venerar o Sagrado, o puro sentir sem interferências do pensamento profano, o amor, o ser humano natural, sem divisões ou discriminações...
 :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 30 de Dezembro de 2012, 17:11
Susaninha,
o problema continua mesmo na sua postagem de agora onde a amiga continua a prever das práticas que não se enquadram no tópico que é sobre homossexualismo , logo, sobre uma tomada de posição do Espírito quando encancarnado.
Veja que a amiga sai para constatações pertinentes somente á prática, mas não sobre o assunto foco que é o viés doutrinário do qual mesmo o codificador trouxe em discurso que pode ser encontrado na RE e que já foi postado algumas vezes aqui.

Que esta tomada de posição é afronta á lei Natural não se discute, é sim, já que encarnado sob uma arregimentação física, para esta estão dirigidas as provas que o próprio Espírito teve agregadas ao se reencarnar, se ele toma de outra opção sem que mesmo esteja apetrechado para tal já que não veio sob a forma feminina, ai se demonstra a incorreção que é fruto do mau uso do Livre Arbítrio que ele tem.
Tais condutas, explica-se sob o teor de doutrina, são tomadas pelo excessivo apego ao sensualismo em alguns casos, sensualismo este do qual o Espírito não quis ou não pode dado a força com que se apega a ele, modificar.
Mas como disse antes, e repito mais uma vez, tudo isso não nos dá, aos héteros, uma prerrogativa para os discriminar, ofender, ou lhes levar mais dor do que a que eles já sentem, daí o lembrete que geralmente faço ao ditado popular, pra eles também vale: "Respeito é bom e eu gosto".
Abraços,
Moura

O problema todo começou quando irmãos começaram a se colocar como juízes da conduta alheia apontando violações a tal lei natural por parte do próximo se esquecendo que eles também não obedecem a mesma lei que invocam.
O que é muto engraçado é que a maioria dos homens já praticou sexo pelas mesmas vias do homossexual masculino( e do feminino tb)com suas parceiras ,portanto não tem a menor autoridade para moralizar ninguém.
Não venham me dizer que não é natural homem com homem e mulher com mulher porque eu poderia passar o dia escrevendo coisas não naturais praticadas por heterossexuais.
Se é "certo" ou "errado' sinceramente não sei e isso não me preocupa. Tenho muita coisa "errada" em mim para consertar antes de conjeturar sobre as imperfeições alheias.

O que tenho visto por aqui são os nús falando dos mal-vestidos... ::)
 paz  e luz

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: lineu em 30 de Dezembro de 2012, 17:31
Citação de: Mourarego
   
...uma relação entre dois homens, entre as quatro paredes de sua habitação, pode ser tudo, menos imoral...

Depende do caráter da relação praticada.

Assim, não é imoral qualquer relação, praticada por dois homens entre as paredes da sua habitação, cujo caráter não transgrida regra de boa conduta.

Mas qualquer relação, praticada por dois homens entre as paredes da sua habitação, cujo caráter transgrida regra de boa conduta, constitui prática imoral...

Que, entre tantas, figura a relação de caráter sexual, conceituada como homossexualismo.


Notas:
1.   O presente raciocínio encontra-se fundamentado no item 629 do Livro dos Espíritos.
2.   O termo homossexualismo encontra definido no Dicionário Priberam da língua portuguesa como prática de atos sexuais entre indivíduos do mesmo sexo.

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 30 de Dezembro de 2012, 18:04
Não mano Lineu, na verdade por estarem em domínio próprio são eles, e somente ali, que fazem as leis já que destas não partem para uso público.
mano as regras de boa conduta são as que se destinam a uso público não ao privado.
abraços,
Moura

Citação de: Mourarego
   
...uma relação entre dois homens, entre as quatro paredes de sua habitação, pode ser tudo, menos imoral...

Depende do caráter da relação praticada.

Assim, não é imoral qualquer relação, praticada por dois homens entre as paredes da sua habitação, cujo caráter não transgrida regra de boa conduta.

Mas qualquer relação, praticada por dois homens entre as paredes da sua habitação, cujo caráter transgrida regra de boa conduta, constitui prática imoral...

Que, entre tantas, figura a relação de caráter sexual, conceituada como homossexualismo.


Notas:
1.   O presente raciocínio encontra-se fundamentado no item 629 do Livro dos Espíritos.
2.   O termo homossexualismo encontra definido no Dicionário Priberam da língua portuguesa como prática de atos sexuais entre indivíduos do mesmo sexo.


Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Anton Kiudero em 30 de Dezembro de 2012, 18:17
A homossexualidade é transgressão á lei natural, transgressão esta tomada pelo Espírito já encarnado, mas nunca pedida como prova ou tida por meio de expiação, isso seria grave incidência contra a mesma Lei.

Amigo,

Se existe é por ser pela vontade do Pai. Lembre-se de que nada acontece ao acaso, cada um recebe segundo o seu merecimento e sempre acontece o que Deus quer.

Portanto a sua alegação de que não pode ser prova, etc. é apenas uma opinião pessoal. Tá tudo lá no LE à disposição de todos os que desejem ler...

Anton


Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: lineu em 30 de Dezembro de 2012, 18:30
Citação de: Mourarego
...as regras de boa conduta são as que se destinam a uso público não ao privado.

Citação de: Evelyn Beatrice Hall, erroneamente atribuída a Voltaire
"Eu desaprovo o que dizes, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo."

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 30 de Dezembro de 2012, 18:50
De acordo mano Lineu,
Feliz ano novo!
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Manuel L. Cruz em 30 de Dezembro de 2012, 19:48
A homossexualidade é transgressão á lei natural, transgressão esta tomada pelo Espírito já encarnado, mas nunca pedida como prova ou tida por meio de expiação, isso seria grave incidência contra a mesma Lei.

Amigo,

Se existe é por ser pela vontade do Pai. Lembre-se de que nada acontece ao acaso, cada um recebe segundo o seu merecimento e sempre acontece o que Deus quer.

Portanto a sua alegação de que não pode ser prova, etc. é apenas uma opinião pessoal. Tá tudo lá no LE à disposição de todos os que desejem ler...

Anton

Olá queridos irmãos no ideal espírita.

"Não julgueis a fim de não serdes julgados", disse o nosso amado mestre Jesus.

"Porque eu não faço a minha vontade, mas dAquele que me enviou", numa alusão a que todas as vontades são a do Pai.

É o espírito que pede a prova de viver num corpo de homem ou de mulher. Se ele foi mulher por várias encarnações e escolhe nascer em corpo de homem, manifestará tendências femininas.

Não se trata pois de transgressão à Lei de Deus, muito pelo contrário, trata-se da Misericórdia e Bondade de Deus, em permitindo que o Espírito encare as provas pelas quais poderá se libertar dos seus instintos e idéias humanas.

Muitas paz a todos meus queridos irmãos em Cristo.

Abraços fraternos do amigo Manuel Cruz!

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 30 de Dezembro de 2012, 20:15
Amigo Manuel,
Deixe-me explicar algumas arestas em sua colocação:
Primeiro o próprio ensino dito por Jesus o amigo o trás pela metade.
Jesus não nos pede que apenas não julguemos, pois julgar é ato de Espírito pois corpo algum tem possibilidade de agir arrazoadamente, só o Espírito.
Depois por que falta ao ensono sua parte explicativa,fica o mesmo sem razão de ser tanto para com o dito de Jesus como para o ensino codificado.
Julgar é simplesmente traçar do apreendido, ilações e conclusões tida pelo uso do intelecto e encimado pela moral.
que julga sem conhecer do fato ou da idéia faz prejulgamento este sim um erro forte dentro do conteúdo doutrinário espírita.
Sendo um ato de Espírito, este terá de conhecer sobre o fato, sobre o oque a DE ensina sobre tal fato e daí em diante tecer seu arrazoado personalístico.
Mais ainda, o amigo afirma:
"É o espírito que pede a prova de viver num corpo de homem ou de mulher. Se ele foi mulher por várias encarnações e escolhe nascer em corpo de homem, manifestará tendências femininas."

Eu: não se encontra em nenhuma das 18 obras doutrinárias codificadas, qualquer instrução do mesmo teor o que prova de legitimidade tal aferição.
O que se pode inferir de todas as lições tidas nas obras básicas é que, tendo um Espírito observado inúmeras encarnações sob a forma feminina, estando ele ligado a idealizações no rumo do sensualismo exacerbado, pode em poucos casos  vir sob a influência dessas mesmas características.
Ora o que acima está disposto é bem diferente do que simplesmente afirmar-se que sempre ele virá sob tal influencia já que é também ensinado na mesma obra que "um Espírito pode muito se adiantar mesmo na erraticidade" o que é indício de que, tendo se adiantado de forma integral, estará livre de tais influências, e que saberá, quando encarnado livrar-se de tal cristalização avançando a posição mais alteada.
Seguindo em sua resposta diz o amigo:
"Não se trata pois de transgressão à Lei de Deus, muito pelo contrário, trata-se da Misericórdia e Bondade de Deus, em permitindo que o Espírito encare as provas pelas quais poderá se libertar dos seus instintos e idéias humanas. "

Diz a DE que nenhuma prova pode ser agregada à encarnação que virá quando esta estiver contrária a lei de Deus.
Ora se venho num corpo masculino minhas provas terão forçosamente de serem dentro de tal característica pois é ainda a mesma obra que nos ensina, que " O Espírito encarna num corpo para aprender tudo oque é da vivencia que aquele sexo lhe possa dar.
Logo, se venho como homem mas adoto quando em vida a opção em agir como se mulher eu o fosse, já estou a transgredir meu amigo.
Deixe-me, também realçar, que nossas postagens deverão estar tanto quanto consigamos amealhar da doutrina, dentro do parâmetro expressamente doutrinário.
Quer dizer, não se trata do que eu acho sob minhas próprias luzes, mas sim daquilo que pude receber dos ensinamentos que as obras básicas me trouxeram.
Senão nunca sairemos do estágio do "eu acho".
Abração,
moura


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualidade-na-visao-espirita/105/#ixzz2GZEWDY18
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Manuel L. Cruz em 30 de Dezembro de 2012, 20:44

Meu querido irmão em Cristo,

Mais ainda, o amigo afirma:
"É o espírito que pede a prova de viver num corpo de homem ou de mulher. Se ele foi mulher por várias encarnações e escolhe nascer em corpo de homem, manifestará tendências femininas."

Eu: não se encontra em nenhuma das 18 obras doutrinárias codificadas, qualquer instrução do mesmo teor o que prova de legitimidade tal aferição.

258. Quando na erraticidade, antes de começar nova existência corporal, tem o Espírito consciência e previsão do que lhe sucederá no curso da vida terrena?

“Ele próprio escolhe o gênero de provas por que há de passar e nisso consiste o seu livre-arbítrio.”

Acalme-se irmão Moura, você não está de todo errado, veja:

Seguindo em sua resposta diz o amigo:
"Não se trata pois de transgressão à Lei de Deus, muito pelo contrário, trata-se da Misericórdia e Bondade de Deus, em permitindo que o Espírito encare as provas pelas quais poderá se libertar dos seus instintos e idéias humanas. "

Diz a DE que nenhuma prova pode ser agregada à encarnação que virá quando esta estiver contrária a lei de Deus.
Ora se venho num corpo masculino minhas provas terão forçosamente de serem dentro de tal característica pois é ainda a mesma obra que nos ensina, que " O Espírito encarna num corpo para aprender tudo oque é da vivencia que aquele sexo lhe possa dar.
Logo, se venho como homem mas adoto quando em vida a opção em agir como se mulher eu o fosse, já estou a transgredir meu amigo.

Em absoluto acordo aqui, meu amigo. É claro que - como eu mesmo tinha exemplificado - pede para nascer em corpo masculino depois de ter vivido várias reencarnações em corpo feminino, decerto que era "para aprender tudo o que da vivência que aquele sexo possa lhe dar".

Pois, não é que o meu amigo tens razão?

Contudo, como em todas as provas, essa é uma prova em que freqüentemente o espírito sucumbe. É que o amigo falou de uma maneira um tanto incisiva que o homossexualismo é contra as leis divinas. Temos que ponderar, pois, não é porque estou num corpo de homem que posso ter 10 ou 20 mulheres, ou sair com uma diferente a cada dia. Isso também não seria transgredir as leis divinas, não obstante eu estar num sexo "para aprender tudo o que a da vivência que aquele sexo possa me dar"?  ::)

Foi nesse sentido que eu citei Jesus, "não julgueis".

Abraços fraternos meu querido irmão em Cristo,

Manuel Cruz



Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 30 de Dezembro de 2012, 21:50
Olá a tod@s!

Alguns companheiros têm afirmado que a prática de atos sexuais entre pessoas do mesmo sexo é contrária à Lei Natural. Gostaria de perguntar, então, a fim de esclarecer tal posicionamento: Qual é a definição de Lei Natural utilizada para embasar essa assertiva?

Abraços!  :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 30 de Dezembro de 2012, 22:14
Olá a tod@s!

Alguns companheiros têm afirmado que a prática de atos sexuais entre pessoas do mesmo sexo é contrária à Lei Natural. Gostaria de perguntar, então, a fim de esclarecer tal posicionamento: Qual é a definição de Lei Natural utilizada para embasar essa assertiva?

Abraços!  :)

De que os espíritos são uma (1) das potências da Natureza (vide doutrina) e não a potência acima da Natureza. Por uma hierarquia, os espíritos tem que prestar esclarecimentos a Natureza do porque o controle não esta sendo feito, promovendo ação direta, em vista de que na pergunta 525 (LE), revela que os espíritos poderiam fazer ação direta ao corpo para influênciar acontecimentos na VIDA, mas nunca fora das leis da Natureza. E porque não estão promovendo ação direta ao corpo, respeitando a lei geral e não embaraçando a Natureza quanto a sua marcha? A presidência quer saber!
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 30 de Dezembro de 2012, 22:23
Eu to achando muito estranho como a doutrina espírita tem abordado o tema homossexualismo, monopolizando o sentido das leis naturais a tal, escrito na própria doutrina. Devéras que para qualquer adepto da mesma, que tenha que seguir a receita, fica muito estranho confrontar duplo sentido, quando se há outros assuntos também importantes. Observa-se:

693. São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por fim ou por efeito criar obstáculos à reprodução?
“Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha é contrário à lei geral.”

Livro dos espíritos / Página 411

Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha, frutas sem sementes (1), ausência de fecundação humana, etc, é contrário à lei geral.

(1) - Recentemente, notícia deste ano, foi exposta na Revista Veja (n.º 2279), as frutas sem sementes. Para quem não sabe, a fruta sem semente, é uma fruta nascida de uma semente infértil. É promovido uma alteração genética na mesma para que não nasça com sementes. Uma empresa americana é detentora da patente e no Brasil já é plantado laranjas sem sementes (vide notícia revista Veja).

Sabe-se que os transgênicos, é o assunto mais discutido entre agricultores (tecnologia terminator). Um assunto que não encontrei muito material, mas é importante discutir é a erradicação das cooperativas, monopólio da compra das sementes, disseminação de tais por animais e aves (meio natural) e a polinização pelas abelhas. Cito Albert Einstein:

“Se as abelhas desaparecerem da face da Terra, a humanidade terá apenas mais quatro anos de existência. Sem abelhas não há polinização, não há reprodução da flora, sem flora não há animais, sem animais, não haverá raça humana.”

Será que a questão 693, esta se referindo somente ao homossexualismo? O homem hoje, esta promovendo meios de conforto muito estranhos. Alguns estudos dizem que as frutas sem sementes são mais saborosas, sem os taninos, tem maior aceitação comercial, tempo de prateleira e frutos partenocárpicos verdadeiros, dispensam a polinização. Porém, isso não estaria infringindo a marcha da natureza, embaraçando-a? Sim. Estaria o homem espiritualizado sendo contrário a lei geral da Natureza? Sim. Porque?

Confrontando a questão 693. do Livro dos Espíritos com:

525. Exercem os Espíritos alguma influência nos acontecimentos da vida?
“Certamente, pois que vos aconselham.”

a) — Exercem essa influência por outra forma que não apenas pelos pensamentos que sugerem, isto é, têm ação direta sobre o cumprimento das coisas?
“Sim, mas nunca atuam fora das leis da Natureza.”

Livro dos espíritos / Página 332

Há uma grande contradição na doutrina espírita. Se os espíritos superiores, dizem que nunca atuam fora das leis da Natureza, para influenciar em ação direta o corpo, para o cumprimento das coisas (P. 525), porque no mesmo livro, os espíritos superiores e espíritas em geral, se contradizem, mantendo uma apologia ao homossexualismo, que pela lei geral, embaraça a Natureza em sua marcha (P. 693)?

Porque os espíritos superiores não influenciam os próprios espíritas, população em geral, com ação direta ao corpo e pensamento, para o cumprimeiro das coisas, respeitando as leis da Natureza (lei geral) e não promovendo embaraço? Os espíritos superiores não respeitão a lei geral (leis da Natureza)? Preferem o embaraço? Porque?

A doutrina ao longo da sua emissão desde que foi escrita, não aborda claramente o homossexualismo como encarne e desencarne consectivos de homem, mulher, mulher, homem, e que o meio, pode ser diferente daquele o qual o dito "espírito" encarnado tenha feito a sua escolha. Li a doutrina, principalmente as obras básicas e não encontrei assunto nenhum relacionado a isso. Muito estranho.

Se a própria doutrina se manifesta impondo dogma de que tudo o que é contrário a lei geral embaraça a Natureza quanto a sua marcha, porque o sentido lógico da compreensão esta sendo manifestado diferente por espíritas e população mundial? Há uma coisa muito estranha também, que é o dogma mutante espírita:

"O espiritismo, marchando com o progresso, jamais será ultrapassado porque, se novas descobertas demonstrassem estar em erro sobre um certo ponto (1), ele se modificaria sobre esse ponto; se uma nova verdade se revelar, ele a aceitará (2)" Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec).

(1) - O que o espiritismo descobriu de benéfico nos transgênicos (ex. frutas sem sementes)? O que o espiritismo descobriu de benéfico no homossexualismo por ir contra a própria doutrina (p. 693 / livro dos espíritos)? Onde esta a filosofia, argumento e comprovação científica que o modifica, quanto a sua postura ao homossexualismo? Houve estudo na disseminação do HIV, DST´S, postura social educacional infantil, manifestação de exemplos na sociedade, opinião da igreja católica, evangélica? Qual a opinião da ciência atual a respeito da reprodução X natureza X homossexualismo? ( ... )

(1) Faço uma citação novamente do que primeiramente escrevi, que não foi somente o homossexualismo que associei, mas contradições na doutrina espírita e transgênia. Reprodução não fazem só os homens, mas as plantas também. Cito as modificadas, transgênicas, que estão sendo manipuladas para serem inférteis, não estão podendo reproduzir-se. Leião a reportágem da Revista Veja, procurem o assunto "terminador", sementes inférteis, monsanto e frutas sem sementes.   

Livro dos espíritos:

P. 693 - Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha, frutas sem sementes (transgênicos), ausência de fecundação humana, etc, é contrário à lei geral.

- Confrontado com:

P. 525 - Sim, mas nunca atuam fora das leis da Natureza. Quer dizer, para os espíritos atuarem no corpo, comandarem, sugestionarem em pensamento, promoverem animismos, influenciarem em pensamento, promover coincidências, eles nunca atuam fora das leis da Natureza.

Que relação há entre espíritos (ação direta ao corpo / leis da natureza) x homens (ciência)?

Diante da alteração genética de uma planta, para que ela não se reproduza (transgênia) o homem esta sendo contrário a lei geral, embaraçando-a. E porque o espírito não esta promovendo ação direta ao corpo, se o homem esta atuando fora das leis da Natureza? O homem esta embaraçando a Natureza e o espírito não esta fazendo nada para impedir. O espírito não esta querendo promover ação direta ao corpo para parar os transgênicos porque? Cito ainda um link, onde revela o que os trangênicos causam e que poucos entre a população, consumidora de transgênicos sabem:

http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2012/09/19/transgenicos-matam-mais-cedo-e-causam-ate-tres-vezes-mais-cancer-em-ratos-diz-estudo.htm

É isso que o espírito não esta promovendo ação direta ao corpo, nos cientístas, para interromper porque?

Se o espírito pode promover ação direta ao corpo e não pode atuar fora das leis da Natureza, porque o homossexualismo, que é contrário a lei geral, esta permitido? Porque o espírito não promove ação direta ao corpo para parar, em vista, que homossexuais são contrários a marcha da Natureza, embaraçando-a?

Ainda fiz um estudo mais aprofundado e fui até a gênese, onde lá diz:

"O espiritismo, marchando com o progresso, jamais será ultrapassado porque, se novas descobertas demonstrassem estar em erro sobre um certo ponto (1), ele se modificaria sobre esse ponto; se uma nova verdade se revelar, ele a aceitará (2)" Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec).

(1) Se novas descobertas demonstrassem estar em erro sobre um certo ponto, ele se modificaria sobre esse ponto:
Quais descobertas são essas que promove frutas sem sementes (transgênicos) e homossexualismo mesmo escrito na doutrina (p. 693 / livro dos espíritos) que isso embaraça a Natureza em sua marcha e que é contrário a lei geral?

Se a doutrina se diz escrita em pilares de filosofia e ciência; onde esta o aval e estudos científicos dando permissão para ser recontextualizada? Onde esta a filosofia, argumento e comprovação científica que a modifica, quanto a sua postura ao homossexualismo? Houve estudo na disseminação do HIV, DST´S, postura social educacional infantil, manifestação de exemplos na sociedade, opinião da igreja católica, evangélica? O Evangelho Segundo o Espiritismo profere:

Espiritismo e Cristianismo ensinam a mesma coisa
X
Levitico 20:9-13


Ensinão? Qual a opinião da ciência atual a respeito da reprodução X natureza X homossexualismo? Só dessa forma, a doutrina pode promover uma modificação sobre "esse ponto". Porque os espíritos não estão promovendo o controle, sob ação direta ao corpo, daqueles que estão contrários a lei geral?

(2) Que nova verdade é essa que se revelou? Que eu saiba verdade é só uma. Não há outra verdade. Que motivo científico há em promover embaraçamentos na Natureza, quanto a reprodução frutífera e humana, com aval doutrinário espírita, privido de espíritos superiores, ministros de Deus e agentes de sua vontade?
 
O que é evidente salientar é que o livro dos espíritos, por algumas fontes, diz ter sido escrito em 1857. A gênese onde consta o dogma mutante em 1868. O que Hippolyte tentou manifestar de filosofia que no livro dos espíritos defendeu um sentido a reprodução, porém, em 1868 na gênese, defendeu um dogma adaptativo? Retraiu-se quanto a segurança de que algo poderia vir a acontecer, porque?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 31 de Dezembro de 2012, 05:30
Olá Vidaeterno!

Não sei se entendi bem as suas colocações, mas vou tentar escrever algo assim mesmo.
A meu ver, a homossexualidade não embaraça a marcha da Natureza. É incontestável que no ato sexual homoerótico não pode ocorrer fecundação, mas não considero isto uma ameaça à preservação da espécie humana na Terra, já que em termos percentuais a maioria da população do nosso planeta é heterossexual. Além disso, temos atualmente a nosso dispor os recursos tecnológicos da inseminação artificial e da fertilização in vitro, por exemplo, que possibilitariam a perpetuação da espécie mesmo que toda a humanidade fosse homossexual.
Nós já somos mais de 7.000.000.000 de seres humanos reencarnados no planeta e o problema é mesmo a superpopulação! Temos que pensar que muita gente ainda vive na miséria e deveria ter uma vida mais confortável, o que acarretaria uma maior pressão nos ecossistemas, agravando a crise ambiental. Seriam necessários vários planetas iguais ao nosso se todos esses 7 bilhões de seres humanos tivessem o mesmo padrão de consumo dos norte-americanos.
Sobre frutos sem sementes, acho-os mais práticos, especialmente as uvas. Se ocasionam problemas à saúde, não sei dizer. Muitas espécies transgênicas são desenvolvidas para aumentar a produtividade, visando alimentar esse gigantesco contingente populacional do nosso planeta.
E para terminar, queria lembrar que Kardec não teve filhos. Ninguém tem a obrigação de gerar descendentes. Esta é uma questão do livre-arbítrio de cada um.
Acho que já divaguei bastante por agora... rsrs
Abraços!  :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 31 de Dezembro de 2012, 10:54
Assino embaixo.
Não somos coelhos. :)

paz e luz
Susana
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 31 de Dezembro de 2012, 13:31
Amigo Manuel,
antes de tudo por favor, evite os "acalme-se" porque o amigo não adivinha logo não pode dizer se estou nervoso, raivoso ou simplesmente e como sempre, calmo pois se fosse para me irritar certamente já teria tido novo infarto hehehe.
O amigo fala em escolha das provas e trás em sua resposta colada de OLE exatamente oque eu lhe disse antes, ou seja o Espírito pode apenas pedir, e se tem a si aceitas as provas pedidas, só conhece da generalidade, logo, não lhe cabe saber qual e de que natureza será tal prova.
Acredito que o erro é de pressa no estudo pois está bem descrito na própria resposta que o amigo trouxe.

Das ações em resposta as vicissitudes, o Espírito poderá cumprir bem ou cumprir mal e por isso ser destinado a novo processo probatório dentro daquilo que errou nas respostas.
Precisamos entreter, meu amigo, muita atenção quando no estudo pois as vezes nossa pressa, nos faz passar muito rápido em pontos que cremos serem fáceis e vai daí nascerem os erros interpretativos.
Feliz 2013!
Abraços,
Moura


Meu querido irmão em Cristo,

Mais ainda, o amigo afirma:
"É o espírito que pede a prova de viver num corpo de homem ou de mulher. Se ele foi mulher por várias encarnações e escolhe nascer em corpo de homem, manifestará tendências femininas."

Eu: não se encontra em nenhuma das 18 obras doutrinárias codificadas, qualquer instrução do mesmo teor o que prova de legitimidade tal aferição.

258. Quando na erraticidade, antes de começar nova existência corporal, tem o Espírito consciência e previsão do que lhe sucederá no curso da vida terrena?

“Ele próprio escolhe o gênero de provas por que há de passar e nisso consiste o seu livre-arbítrio.”

Acalme-se irmão Moura, você não está de todo errado, veja:

Seguindo em sua resposta diz o amigo:
"Não se trata pois de transgressão à Lei de Deus, muito pelo contrário, trata-se da Misericórdia e Bondade de Deus, em permitindo que o Espírito encare as provas pelas quais poderá se libertar dos seus instintos e idéias humanas. "

Diz a DE que nenhuma prova pode ser agregada à encarnação que virá quando esta estiver contrária a lei de Deus.
Ora se venho num corpo masculino minhas provas terão forçosamente de serem dentro de tal característica pois é ainda a mesma obra que nos ensina, que " O Espírito encarna num corpo para aprender tudo oque é da vivencia que aquele sexo lhe possa dar.
Logo, se venho como homem mas adoto quando em vida a opção em agir como se mulher eu o fosse, já estou a transgredir meu amigo.

Em absoluto acordo aqui, meu amigo. É claro que - como eu mesmo tinha exemplificado - pede para nascer em corpo masculino depois de ter vivido várias reencarnações em corpo feminino, decerto que era "para aprender tudo o que da vivência que aquele sexo possa lhe dar".

Pois, não é que o meu amigo tens razão?

Contudo, como em todas as provas, essa é uma prova em que freqüentemente o espírito sucumbe. É que o amigo falou de uma maneira um tanto incisiva que o homossexualismo é contra as leis divinas. Temos que ponderar, pois, não é porque estou num corpo de homem que posso ter 10 ou 20 mulheres, ou sair com uma diferente a cada dia. Isso também não seria transgredir as leis divinas, não obstante eu estar num sexo "para aprender tudo o que a da vivência que aquele sexo possa me dar"?  ::)

Foi nesse sentido que eu citei Jesus, "não julgueis".

Abraços fraternos meu querido irmão em Cristo,

Manuel Cruz




Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 01 de Janeiro de 2013, 01:47
Olá Vidaeterno!

Não sei se entendi bem as suas colocações, mas vou tentar escrever algo assim mesmo. A meu ver, a homossexualidade não embaraça a marcha da Natureza (1). É incontestável que no ato sexual homoerótico não pode ocorrer fecundação, mas não considero isto uma ameaça à preservação da espécie humana na Terra, já que em termos percentuais a maioria da população do nosso planeta é heterossexual (2). Além disso, temos atualmente a nosso dispor os recursos tecnológicos da inseminação artificial e da fertilização in vitro, por exemplo, que possibilitariam a perpetuação da espécie mesmo que toda a humanidade fosse homossexual (3).  Nós já somos mais de 7.000.000.000 de seres humanos reencarnados no planeta e o problema é mesmo a superpopulação! Temos que pensar que muita gente ainda vive na miséria e deveria ter uma vida mais confortável, o que acarretaria uma maior pressão nos ecossistemas, agravando a crise ambiental. Seriam necessários vários planetas iguais ao nosso se todos esses 7 bilhões de seres humanos tivessem o mesmo padrão de consumo dos norte-americanos. Sobre frutos sem sementes, acho-os mais práticos, especialmente as uvas. Se ocasionam problemas à saúde, não sei dizer. Muitas espécies transgênicas são desenvolvidas para aumentar a produtividade, visando alimentar esse gigantesco contingente populacional do nosso planeta. E para terminar, queria lembrar que Kardec não teve filhos. Ninguém tem a obrigação de gerar descendentes. Esta é uma questão do livre-arbítrio de cada um. Acho que já divaguei bastante por agora... rsrs
Abraços!  :)
Assino embaixo.
Não somos coelhos. :)

paz e luz
Susana

Isso são opiniões pessoais, gostaria dos estudos, as respostas das confrontações entre perguntas (693 x 525 = Livro dos espíritos), sentidos lógicos de interpretação, estudos científicos aprovando a recontextualização da doutrina por novas descobertas (homossexualismo e transgênicos) perante a metodologia científica.

A doutrina é dita construída em pilares científicos (ciência); estou indo no caminho certo. Se a ciência descobrir algo novo e a doutrina espírita descobrir estar em erro, ela se modifica nesse ponto. Mas a porta que eu to batendo, é onde a ciência descobriu que o homossexualismo é certo, faz parte do contexto humano, faz parte da psicologia humana, etc.

Outra questão é onde os trangênicos (transgênia / frutas sem sementes - inférteis - incapacitação de reprodução), e pelo link que forneci (UOL), que revela que transgênicos provocam câncer, demonstrou a doutrina espírita (espíritos superiores / Deus) que ela poderia ser modificada, fazendo que os espíritos superiores aceitassem como dentro das leis da Natureza (p.693 + p.525 = LE)  e não provocassem ação direta nos cientístas para que eles parassem?

Eu li a doutrina e não há menção de homossexualismo nela, dizendo expressamente "homossexuais", "homossexualismo", "homossexualidade". A doutrina por base é contra o homossexualismo (tudo o que é contrário a marcha da natureza é contrário a lei geral). Como expressa no Evangelho Segundo o Espiritismo que faz ensino igual ao Cristianismo. É sabido que o Cristianismo por base é contra homossexuais, portanto, a doutrina tem por ensino o mesmo contexto. Isso esta escrito na doutrina espírita, qualquer um que ler, vai associar logicamente isso. A doutrina espírita em certas partes menciona até leitura de salmos; uma forma de sincretismo.

Obs: Os métodos contraceptivos em uma subliminaridade, podem ser comparados a um controle de natalidade e bem vindos diante de um contexto social atual, onde há doenças e moléstias os quais deveriam ser evitados. Porque surgiram? Boa pergunta! Em uma doutrina como a cristã, que menciona zoofilia, é passível de se pensar o que lá se fazia para ser imposto como dogma proibido-o. Estranho, é desde tal época, incesto e zoofilia serem mencionados, onde, pela bíblia, se dizia promover uma idolatria e milagres onde o contexto natural era fácil identificar. O que antes do cristianismo era promovido como "prazer"?

Quando um dogma é imposto por âmbito religioso é porque a festa tá sendo grande! É necessário impor sentido de aceitação de um criador e fazer-se acreditar em tal. Agora mencionar incesto e zoofilia como dogma bloqueador é motivo pra investigar severamente isso! O que era educação, animismo, metodologia educacional, sugestões de prazer, convencimento, etc.

Cabe salientar piamente que a doutrina espírita, espiritualista, menciona um perfil de evolução muito estranho:

1.º - Mineral;
2.º - Vegetal;
3.º - Animal;
4.º - Humano.

Até hoje, em muitos lares, jovens e adultas apelidadas de "lobas", tem lingeries com estampas de peles de animais (oncinha / tigre / etc). Estranho é o que insinua uma mulher estar usando uma lingerie com estampa assim, remetendo ter instinto animal (3.º). Seria uma mulher que não evolui da forma correta e ainda se prende sobre psíquicos selvagens? Porque a indústria insinua um perfil psíquico assim? O cristisnismo não impôs o dogma da zoofilia proibindo-o? Porque a aceitação esta sendo tão grande? Antes de existir a industria a bíblia já era livro de cabeçeira.

Ainda que se uma jovem, adulta, não tivesse a imagem tão familiarizada pelo público usando tal, seria de analisar o exemplo que estaria expondo. Mas a gama de exemplos que isso esta impondo é cabível de analisar sob contexto maior o que esta sendo insinuado em psíquico as pessoas terem como instinto diante do ato sexual! Gente, na boa, isso é insinuar zoofilia. O que tá acontecendo que perderam o controle da sociedade de novo?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 01 de Janeiro de 2013, 04:49
[
Eu li a doutrina e não há menção de homossexualismo nela, dizendo expressamente "homossexuais", "homossexualismo", "homossexualidade". A doutrina por base é contra o homossexualismo (tudo o que é contrário a marcha da natureza é contrário a lei geral).
(...)

Obs: Os métodos contraceptivos em uma subliminaridade, podem ser comparados a um controle de natalidade e bem vindos diante de um contexto social atual, onde há doenças e moléstias os quais deveriam ser evitados.



Muito interessante quer dizer que obstar a reprodução apenas para ter prazer é algo benéfico e não viola nenhuma lei natural, ham?
Não é o que diz a doutrina. Os espíritos são taxativos:

"693 do LE  São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por fim ou por efeito criar obstáculos à reprodução?
 “Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha é contrário à lei geral.”


Portanto, o que acabou de escrever contraria doutrina, ponto.
Se quer enquadrar os homossexuais nesta questão e dizer que embaraçam a lei natural é um direito que lhe cabe ,mas não pode esquecer de que você também se enquadra nela ,porque eu duvido que o amigo durante toda sua vida tenha feito sexo apenas com finalidade reprodutiva e nunca tenha( ou sua parceira) usado método contraceptivo para que pudessem se divertir sem gerar filhos.
Vidaterno, neste plano , todos nós obstamos a reprodução e todos usamos o sexo dentro de nossa visão ainda materialista. Vamos ver novamente o que nos dizem os espíritos:

"694 do LE- Que se deve pensar dos usos, cujo efeito consiste em obstar à reprodução, para satisfação da sensualidade?
 
“Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem é material.”


Ou seja meu amigo, o controle de natalidade humano que você apresentou como argumento para justificar sua conduta perante a doutrina espírita tem um nome: predomínio da materialidade.
Não tem como fugir, gostemos ou não estamos todos no mesmo barco.
Todo mundo se esbaldando na materialidade, então vamos deixar nossos irmãos em paz.
Não sejamos os nús falando do mal vestidos.
Se você tem o direito de usar o sexo para se divertir, os homossexuais têm o mesmo direito.
Só você pode  brincar? :)

P.S: Deveria dar uma olhada nos tópicos indicados para complementação do estudo, tem muito material interessante lá., talvez te ajudasse a enxergar as coisas sob outro prisma.
Ás vezes me parece que já estamos muito evoluídos e não temos nada a trabalhar em nós mesmos já que nos sobra muito tempo para sermos juízes da conduta alheia.

paz  e luz

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 01 de Janeiro de 2013, 05:01

693 do LE  São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por fim ou por efeito criar obstáculos à reprodução?
 “Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha é contrário à lei geral.”
 
694 do LE- Que se deve pensar dos usos, cujo efeito consiste em obstar à reprodução, para satisfação da sensualidade?
 
“Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem é material.”


Gente, me desculpem , mas por mais que as informações dos espíritos venham de encontro aos nossos costumes não podemos simplesmente ignorá-las.
Nas palavras dos espíritos a satisfação da sensualidade( sexo sem finalidade reprodutiva) é sinônimo de predomínio da matéria sobre o espírito.
Já li e reli essas questões pelo menos algumas dezenas de vezes e tenho visto comentários que vão frontalmente contra o que dizem os espíritos.
Gostemos ou não está escrito com todas as letras que usar métodos para se evitar a gravidez é contrário á lei geral.
Se temos dificuldade de vivenciar as determinações dos espíritos, aí são outros quinhentos ,mas está escrito na doutrina sim  que a finalidade do sexo precípua é reprodutiva e não venham me dizer que quem faz sexo não tem por objetivo satisfazer a sensualidade porque mesmo que tenham mudado o nome para "fazer amor" na realidade está a se fazer sexo porém com uma pessoa com a qual se tem laços afetivos.
Ao final de toda relação sexual o que se busca é um prazer físico, é o estímulo dos sentidos.
Até hoje não tive a oportunidade de conhecer uma simples alma que fizesse sexo sem o objetivo de saciar o seu desejo ás vezes com a pessoa que se ama( fazer amor) , outras com alguém pela qual se sente atraído fisicamente( fazer sexo),mas ao final o que se busca é o prazer físico.
Não é nenhum crime fazer sexo pelo sexo é apenas um traço ainda da nossa inferioridade e predomínio da animalidade, apenas mais um apego.

abraços
Susana

Conheço a intimidade sexual de muitos casais e posso te dizer que o que vejo hoje é muito , mas muito sensualismo disfarçado.
Como se o fato de fazermos algo , por mais bizarro e inusitado que seja, com quem amamos tivesse o condão de dar um ar de respeito a coisa.
Não estou entrando no mérito se tem amor, se não tem. Se o sexo com amor é melhor do que sem, etc.
Estou apenas trazendo as palavras claras e diretas dos espíritos, reconheço que são um pouco inconvenientes porque se chocam com nossos costumes, mas não tem como negar: está lá.
Só para constar, também não cheguei nesse estágio evolutivo a ponto de conseguir dominar a influência da matéria mas tenho plena consciência de que minha forma de ver a sexualidade é ainda fruto da minha imaturidade.
Não estou aqui moralizando ninguém só lembrando o que a doutrina diz sobre o assunto, segue quem quer.
Eu mesma não consegui ainda.
abraços
Susana

Sm Gustavo, concordo com tudo.
Aliás nunca disse que quem faz sexo sem finalidade reprodutiva está errado, na verdade isso está dento do nosso estágio evolutivo, mas pela palavra dos espíritos esta forma de vivenciar a sexualidade é sim sinônimo de atraso evolutivo, de inferioridade  e creio também que chegará um momento em que nossa concepção de sexualidade amadurecerá.
abraços
Susana

Nunca achei que sexo seja algo sujo ou deprimente ,mas não há como negar que a sexualidade está relacionada ao nosso lado mais animal e que ela visa saciar nossos desejos físicos.
E o lado animal também é normal,não é certo nem errado, mas apenas uma etapa de aprendizado que em determinado momento devemos ultrapassar.
Sexo não é sujo é algo belo e natural nós humanos que sempre distorcemos as coisas.
Ninguém disse que sexo é algo sujo ou pecaminoso.
Veja bem amigo Rui, aqui se discute doutrina então tudo o que trouxe foi com base no que tá na codificação.
Por mais que isso vá de encontro aos nossos usos e costumes os espíritos são claros ao dizer que sexo sem finalidade reprodutiva significa predomínio da matéria.
Susana não disse nada. Susana trouxe o que está na codificação de forma clara e transparente.
Não há nenhuma condenação ou reprimenda mas apenas uma constatação.
Se ainda usamos o sexo dessa maneira é por conta do nosso estagio evolutivo.
Já disse que cada um faz o que quer mas não adianta ficarmos bravos com o que os espíritos disseram.
Das suas uma: ou nós ainda somos materializados por fazermos sexo da forma como fazemos ou os espíritos estavam errados.
Em várias questões do LE poderíamos colocar um "se", um "mas", um "talvez" mas nesta em especial não temos muita saída porque eles foram muito claros não dando brechas para interpretações.
E como disse, eu ainda não consegui aplicar isso, quem sabe um dia.
abraços
Susana


Isso é direcionado a todos os heterossexuais que acham que se encontram em situação diferente dos homossexuais.

"E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? "
Lucas 6:41
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 01 de Janeiro de 2013, 07:19

( ... )
Não é nenhum crime fazer sexo pelo sexo é apenas um traço ainda da nossa inferioridade e predomínio da animalidade (1), apenas mais um apego.

abraços
Susana


( ... )
Como se o fato de fazermos algo , por mais bizarro (2) e inusitado que seja, com quem amamos tivesse o condão de dar um ar de respeito a coisa.

abraços
Susana


Nunca achei que sexo seja algo sujo ou deprimente ,mas não há como negar que a sexualidade está relacionada ao nosso lado mais animal e que ela visa saciar nossos desejos físicos. E o lado animal também é normal (3),não é certo nem errado, mas apenas uma etapa de aprendizado que em determinado momento devemos ultrapassar.
( ... )
abraços
Susana

Isso é direcionado a todos os heterossexuais que acham que se encontram em situação diferente dos homossexuais.

"E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? " Lucas 6:41 (4)



(1) Animalidade? Condição ou caráter de animal? Então esta entre o vegetal e humano quando quer manter uma relação sexual? Pensa melhor, instinto animal é uma coisa, instinto humano é outra diante da sexualidade! Se diz estar numa condição psíquica inferior perante estes atos por falta de maturidade, que direito a fez estar num corpo humano? Promover mais animalia? Humanos pensando em humanos, animais com animais!

(2) Bizarro? Procure o assunto parafilia. É um assunto muito difundido no meio homossexual. Se procurar vai ver que esse público procura prazeres de uma forma bem inusitada por motivo do ânus não ofereçer o mesmo prazer que a vagina, devéras, induzem ao prazer forçado por métodos e uso de drogas. Natural humano? Pois é, isso não faz parte!

(3) Sexualidade humana relacionado ao lado animal? Nossa, isso é inédito. Só porque o cachorro faz o doggy style o homem acha que proveio o sentido de tal? Quanta falta de maturidade psíquica né? Onde esta a falha? Esse lado animal esta muito estranho. As relações sexuais humanas são providas de seres humanos a seres humanos. Tais são providas de criações de humanos por humanos e assim explica a genealogia educacional. Seria uma pergunta muito particular mais interessante de se fazer, se uma mulher quando esta usando uma lingerie com estampa de pele animal ela em psíquico pensa ser uma onça, tigre e desejando que o parceiro fosse outro animal, tipo tigre, onça, etc. Isso sim, é uma zoofilia subliminar psíquica. Cabe tratamento psicológico. Isso se chama desvio de personalidade e tentativa de caracterização animal por associação sexual. 

Se a mulher em estado exitado, usa uma lingerie com estampa de animal, como muitas vendidas em lojas, onça, tigre, etc, ela obviamente insinua em psíquico ser uma fêmea copulando com o macho. Ao meu ver, isso é uma doença ou algo muito estranho que convence em psíquico o qual deve ser apagado. Não é bom misturar as coisas não.

(4) Se menciona a bíblia, porque não respeita os dogmas? Será você Susana mais uma adepta ao creador, que creou a creação? Êxodo 20:3 para você!
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 01 de Janeiro de 2013, 14:13
Olá Vidaterno,
Tudo que escreveu é tão, mas tão sem pé nem cabeça que não tenho nem como debater.
Nossa, fiquei assustada.. O lance da lingerie de estampa animal então, de onde tirou aquilo? :o
Depois do que li, desisto de qualquer debate.
Sinceramente , creio que já temos muito material para análise então deixo-o á vontade com suas elocubrações.
P.S: Só para constar citei o novo testamento. É apenas isso que reconheço como de origem divina.
O antigo testamento é resultado de uma longa história, mas é melhor descobrir por si só.

paz  e luz

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 01 de Janeiro de 2013, 14:21

Portanto, o que acabou de escrever contraria doutrina, ponto.
Se quer enquadrar os homossexuais nesta questão e dizer que embaraçam a lei natural é um direito que lhe cabe ,mas não pode esquecer de que você também se enquadra nela ,porque eu duvido que o amigo durante toda sua vida tenha feito sexo apenas com finalidade reprodutiva e nunca tenha( ou sua parceira) usado método contraceptivo para que pudessem se divertir sem gerar filhos.
Vidaterno, neste plano , todos nós obstamos a reprodução e todos usamos o sexo dentro de nossa visão ainda materialista. Vamos ver novamente o que nos dizem os espíritos:

(...)
Ou seja meu amigo, o controle de natalidade humano que você apresentou como argumento para justificar sua conduta perante a doutrina espírita tem um nome: predomínio da materialidade.
Não tem como fugir, gostemos ou não estamos todos no mesmo barco.
Todo mundo se esbaldando na materialidade, então vamos deixar nossos irmãos em paz.
Não sejamos os nús falando do mal vestidos.
Se você tem o direito de usar o sexo para se divertir, os homossexuais têm o mesmo direito.
Só você pode  brincar? :)


Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 01 de Janeiro de 2013, 14:42
Vida,
a sua exposição: "Cabe salientar piamente que a doutrina espírita, espiritualista, menciona um perfil de evolução muito estranho:

1.º - Mineral;
2.º - Vegetal;
3.º - Animal;
4.º - Humano.

está errada, pois o homem está na mesma classe dos animais, nunca saiu de lá embora seja superior a todos os ditos irracionais.

Há também uma incorreção grave quanto ao apelido de "lobas".
Este decorre do tempo dos fundadores de roma, que diz a estória que tivessem sido alimentados por uma lôba, ocorre que, tal vocábulo, na língua deles queria dizer "prostituta", e não fazia referência ao animal.
Abraços,
Moura


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/homossexualidade-na-visao-espirita/105/#ixzz2GjcTQKQK

Olá Vidaeterno!

Não sei se entendi bem as suas colocações, mas vou tentar escrever algo assim mesmo. A meu ver, a homossexualidade não embaraça a marcha da Natureza (1). É incontestável que no ato sexual homoerótico não pode ocorrer fecundação, mas não considero isto uma ameaça à preservação da espécie humana na Terra, já que em termos percentuais a maioria da população do nosso planeta é heterossexual (2). Além disso, temos atualmente a nosso dispor os recursos tecnológicos da inseminação artificial e da fertilização in vitro, por exemplo, que possibilitariam a perpetuação da espécie mesmo que toda a humanidade fosse homossexual (3).  Nós já somos mais de 7.000.000.000 de seres humanos reencarnados no planeta e o problema é mesmo a superpopulação! Temos que pensar que muita gente ainda vive na miséria e deveria ter uma vida mais confortável, o que acarretaria uma maior pressão nos ecossistemas, agravando a crise ambiental. Seriam necessários vários planetas iguais ao nosso se todos esses 7 bilhões de seres humanos tivessem o mesmo padrão de consumo dos norte-americanos. Sobre frutos sem sementes, acho-os mais práticos, especialmente as uvas. Se ocasionam problemas à saúde, não sei dizer. Muitas espécies transgênicas são desenvolvidas para aumentar a produtividade, visando alimentar esse gigantesco contingente populacional do nosso planeta. E para terminar, queria lembrar que Kardec não teve filhos. Ninguém tem a obrigação de gerar descendentes. Esta é uma questão do livre-arbítrio de cada um. Acho que já divaguei bastante por agora... rsrs
Abraços!  :)
Assino embaixo.
Não somos coelhos. :)

paz e luz
Susana

Isso são opiniões pessoais, gostaria dos estudos, as respostas das confrontações entre perguntas (693 x 525 = Livro dos espíritos), sentidos lógicos de interpretação, estudos científicos aprovando a recontextualização da doutrina por novas descobertas (homossexualismo e transgênicos) perante a metodologia científica.

A doutrina é dita construída em pilares científicos (ciência); estou indo no caminho certo. Se a ciência descobrir algo novo e a doutrina espírita descobrir estar em erro, ela se modifica nesse ponto. Mas a porta que eu to batendo, é onde a ciência descobriu que o homossexualismo é certo, faz parte do contexto humano, faz parte da psicologia humana, etc.

Outra questão é onde os trangênicos (transgênia / frutas sem sementes - inférteis - incapacitação de reprodução), e pelo link que forneci (UOL), que revela que transgênicos provocam câncer, demonstrou a doutrina espírita (espíritos superiores / Deus) que ela poderia ser modificada, fazendo que os espíritos superiores aceitassem como dentro das leis da Natureza (p.693 + p.525 = LE)  e não provocassem ação direta nos cientístas para que eles parassem?

Eu li a doutrina e não há menção de homossexualismo nela, dizendo expressamente "homossexuais", "homossexualismo", "homossexualidade". A doutrina por base é contra o homossexualismo (tudo o que é contrário a marcha da natureza é contrário a lei geral). Como expressa no Evangelho Segundo o Espiritismo que faz ensino igual ao Cristianismo. É sabido que o Cristianismo por base é contra homossexuais, portanto, a doutrina tem por ensino o mesmo contexto. Isso esta escrito na doutrina espírita, qualquer um que ler, vai associar logicamente isso. A doutrina espírita em certas partes menciona até leitura de salmos; uma forma de sincretismo.

Obs: Os métodos contraceptivos em uma subliminaridade, podem ser comparados a um controle de natalidade e bem vindos diante de um contexto social atual, onde há doenças e moléstias os quais deveriam ser evitados. Porque surgiram? Boa pergunta! Em uma doutrina como a cristã, que menciona zoofilia, é passível de se pensar o que lá se fazia para ser imposto como dogma proibido-o. Estranho, é desde tal época, incesto e zoofilia serem mencionados, onde, pela bíblia, se dizia promover uma idolatria e milagres onde o contexto natural era fácil identificar. O que antes do cristianismo era promovido como "prazer"?

Quando um dogma é imposto por âmbito religioso é porque a festa tá sendo grande! É necessário impor sentido de aceitação de um criador e fazer-se acreditar em tal. Agora mencionar incesto e zoofilia como dogma bloqueador é motivo pra investigar severamente isso! O que era educação, animismo, metodologia educacional, sugestões de prazer, convencimento, etc.

Cabe salientar piamente que a doutrina espírita, espiritualista, menciona um perfil de evolução muito estranho:

1.º - Mineral;
2.º - Vegetal;
3.º - Animal;
4.º - Humano.

Até hoje, em muitos lares, jovens e adultas apelidadas de "lobas", tem lingeries com estampas de peles de animais (oncinha / tigre / etc). Estranho é o que insinua uma mulher estar usando uma lingerie com estampa assim, remetendo ter instinto animal (3.º). Seria uma mulher que não evolui da forma correta e ainda se prende sobre psíquicos selvagens? Porque a indústria insinua um perfil psíquico assim? O cristisnismo não impôs o dogma da zoofilia proibindo-o? Porque a aceitação esta sendo tão grande? Antes de existir a industria a bíblia já era livro de cabeçeira.

Ainda que se uma jovem, adulta, não tivesse a imagem tão familiarizada pelo público usando tal, seria de analisar o exemplo que estaria expondo. Mas a gama de exemplos que isso esta impondo é cabível de analisar sob contexto maior o que esta sendo insinuado em psíquico as pessoas terem como instinto diante do ato sexual! Gente, na boa, isso é insinuar zoofilia. O que tá acontecendo que perderam o controle da sociedade de novo?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 01 de Janeiro de 2013, 20:59

Portanto, o que acabou de escrever contraria doutrina, ponto.
Se quer enquadrar os homossexuais nesta questão e dizer que embaraçam a lei natural é um direito que lhe cabe ,mas não pode esquecer de que você também se enquadra nela ,porque eu duvido que o amigo durante toda sua vida tenha feito sexo apenas com finalidade reprodutiva e nunca tenha( ou sua parceira) usado método contraceptivo para que pudessem se divertir sem gerar filhos.
Vidaterno, neste plano , todos nós obstamos a reprodução e todos usamos o sexo dentro de nossa visão ainda materialista. Vamos ver novamente o que nos dizem os espíritos:

(...)
Ou seja meu amigo, o controle de natalidade humano que você apresentou como argumento para justificar sua conduta perante a doutrina espírita tem um nome: predomínio da materialidade.
Não tem como fugir, gostemos ou não estamos todos no mesmo barco.
Todo mundo se esbaldando na materialidade, então vamos deixar nossos irmãos em paz.
Não sejamos os nús falando do mal vestidos.
Se você tem o direito de usar o sexo para se divertir, os homossexuais têm o mesmo direito.
Só você pode  brincar? :) (1)



(1) Ih, você é mocinha que no ato sexual diz brincar? Sabe o significado de brincar Susana? Não mistura as coisas não. Fase de criança já passou, agora você não brinca, você faz outra coisa. Deixa esse "ego" malicioso de lado e assume o mulher. Ainda que reprovo uma passagem da bíblia que diz assim:

"E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus. Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus." Mateus 18:3-4

Sabe que tem muita gente ai interpretando esse versículo de uma forma bem diferente né Susana. Dizem tais que há a necessidade de haver uma indução a inocência, humildade, para ingresso ao reino dos céus. Será por isso que os padres fazer aquelas coisas que o Vaticano reconheçeu aqueles 4.000 casos? Pois é, existe quem leia 1+1=2 mais ache que ainda pode haver um 3. Observo que a humildade como exemplo em uma criança não é o melhor caminho para aperfeiçoar o sentido adulto. Humildade para cada um, tem um significado diferente, afinal, não existe 2 iguais!

Pois é Susana, quando você me mencionou a questão 694, do livro dos espíritos, eu já tinha ela filosofada. Ainda que tenho determinados questionamentos a respeito de religião, posso ainda mencionar:

"Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia (sensualidade)," Gálatas 5:19

Se os espíritos, como menciona a questão 694 do livro dos espíritos, que camisinha, coito interrompido, obsta a reprodução para satisfação da sensualidade por motivo do predomínio do corpo sobre a alma, como o homem pela matéria, que nível evolutivo é esse mundo? Sabe, ainda vou um pouco mais a fundo e dou uma citada em outra coisa:

"Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito." Romanos 8:5

A escolha da inclinação do homem pelo espírito ou pela carne já é mencionada a mais de 3513 anos atrás. E você Susana, já se questionou por qual escolha a população mundial fez? De segunda a segunda a rede televisiva só mostra sensualidade. Devéras que sempre acompanhada de filosofias onde a prostituição é sempre salientada (novela Salve-Jorge / Rede Globo). Não é culpa da VIDA (carne), mas o sugestivo psíquico que predomina nessa forma!

Quanto ao controle de natalidade Susana, isso é real. Sabe como as pessoas fazem isso? Controle financeiro. Isso é muito comum nas famílias. Tem lugares como a China que retardaram esse controle de natalidade, observe:

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/998350-controle-de-natalidade-chines-retardou-a-chegada-aos-7-bilhoes.shtml

Alguns lugares, quando se tem um controle de geografia e estatística mais eficiente, promove-se avisos a população que o consumo esta sendo mais alto que a demanda. Existe um pouco de administração nisso. Observo que não é fácil manter um filho hoje como a 20 anos atrás; é muito caro. As próprias familias tem um senso onde 1, 2 filhos é sempre o galgado. Isso vai muito do contra cheque! Quem tem mais, desejão mais, ainda que há quem tenha e não esteja desejando. Povo egoísta né Susana?

Sabe Susana, por mais que eu saiba que não tenho alma, faço valor a matéria. O dogma da "alma" é algo o qual o livre arbítrio deixa qualquer um fazer a sua escolha. Eu não tenho, não nasci com uma e não há quem diga que isso faz parte do mundo, sei que não, afinal, certeza disso eu tenho! Não vou entrar em detalhes porque caminha a sentido dogmatista e isso não vem ao caso no momento.

Mas lembre-se Susana, brinca, no ato sexual nunca! Isso remete a outra coisa que em "ego" é muito peculiar se observar não pelo tradicionalismo mundano, mas pela forma como encara o sentido do sexo.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Zé Ninguém em 01 de Janeiro de 2013, 21:34
Ô Vidatereno, Você é espírita ou evangélico?
O Teu Deus é aquele que no dizeres da Bíblia aspirou o suave odor dos holocaustos?Aquele Deus que se arrependeu de ter feito o homem, resolveu aniquilá-lo e depois também se arrependeu de ter desejado exterminá-lo? Desculpe, mas o espiritismo ensina que Deus é onisciente, portanto não pode ser surpreendido com as imperfeições humanas e muto menos ter se arrependido de algo como se não soubesse o desfecho.
Arrependimento é uma conduta humana, Deus não pode se arrepender de nada porque já sabe de antemão o resultado de tudo.
Portanto esta passagem, assim como outras similares, podem ter vindo de qualquer coisa menos do Criador, portanto a base divina do AT está comprometida. Tem muito mais do homem do que de Deus ali.
O antigo testamento tem várias passagens altamente questionáveis como vindas de Deus então ficar citando levíticos não irá adiantar muito.

Basta pesquisar que você conseguirá perceber o que realmente se deu.
Não posso tirar a venda dos seus olhos, só você pode fazer isso mas se lhe conforta continuar acreditando nisso quem sou para demovê-lo de suas crenças.
Só lembrando, espíritas não seguem o antigo testamento portanto trazer Romanos, Levíticos, Deuteronômio não vai ajudar em nada até porque o antigo testamento condena a evocação de espíritos não é mesmo?
 Então se fossemos seguir ao pé da letra ao invés de fazer uma análise contextualizada estaríamos em situação bem complicada.

A palavra brincar não tem nada de errado. Brincar significa dentre vários significados, jogar, divertir-se e afinal porque as pessoas fazem sexo? Não é para se divertirem?
De novo dicionário: divertir significa entreter, distrair, alegrar, " causar alegria, prazer e descontração". Portanto creio que o sexo se enquadra dentro desta descrição.

Vidaeterno, sejamos sinceros fazemos sexo porque isso nos dá prazer, traz sensações físicas agradáveis. Não seria caridoso queremos ter exclusividade sobre isso e impedir que outros irmãos também vivenciem esta experiência.
Para gente pode, para o próximo não? Não estamos sendo um pouco egoístas?

Há modo muito simples de fazer controle de natalidade: abstinência sexual..mas lógico que não estamos dispostos, no estágio evolutivo em que nos encontramos de abrir mão deste prazer não é mesmo. ;)
Nós demos um jeitinho de burlar a natureza e descobrimos um atalho, um meio de continuamos dando vasão a nossa sensualidade sem arcarmos com as consequências naturais advindas do sexo. Eureka!
Só peço que por favor não falemos que utilizamos métodos contraceptivos apenas por medo de uma explosão demográfica, isso não é justo pois bem sabemos que não é verdade. Não há mal nenhum em se admitir que se faz sexo porque é prazeroso.

Sei que nada que diga vai fazer diferença. Já tem sua opinião formada e afinal cada um tem seu dez.
Então, me reservo o direito de dar por encerrada esta discussão.
Aproveito para agradecer ainda os adjetivos dirigidos a mim. Irei refletir sobre cada um deles. ;)

paz  e luz
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 01 de Janeiro de 2013, 22:15
Olá Vidaeterno!

Não sei se entendi bem as suas colocações, mas vou tentar escrever algo assim mesmo. (...)
Abraços!  :)
Assino embaixo.
Não somos coelhos. :)

paz e luz
Susana

Isso são opiniões pessoais, gostaria dos estudos, as respostas das confrontações entre perguntas (693 x 525 = Livro dos espíritos), sentidos lógicos de interpretação, estudos científicos aprovando a recontextualização da doutrina por novas descobertas (homossexualismo e transgênicos) perante a metodologia científica. (...) Gente, na boa, isso é insinuar zoofilia. O que tá acontecendo que perderam o controle da sociedade de novo?

Vida,
a sua exposição: "Cabe salientar piamente que a doutrina espírita, espiritualista, menciona um perfil de evolução muito estranho:

1.º - Mineral;
2.º - Vegetal;
3.º - Animal;
4.º - Humano.

está errada, pois o homem está na mesma classe dos animais, nunca saiu de lá embora seja superior a todos os ditos irracionais. (1)

Há também uma incorreção grave quanto ao apelido de "lobas".
Este decorre do tempo dos fundadores de roma, que diz a estória que tivessem sido alimentados por uma lôba, ocorre que, tal vocábulo, na língua deles queria dizer "prostituta", e não fazia referência ao animal. (2)
Abraços,
Moura

(1) Pois é Mourarego, não vamos também ser radicais em dizer que um animal seja irracional né. Impressiona o quanto eles demonstrão compaixão com sua espécie quando um da sua mesma é atropelado e fica de campana cuidando para que alguém o ajude. Outros estudos científicos tem relevado que até elefantes tem sentimento quanto a sua conduta moral. Porém Moura, vou lá pra China e ver o que aconteceu com aquela menina de 2 anos que foi atropelada e ninguém a salvou! Sabe dessa história?

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/10/atropelamento-de-menina-e-falta-de-socorro-chocam-a-china.html

E ainda dizer que o animal é irracional? Existe muitos vídeos na internet onde revela uma compaixão tão grande dos animais com sua espécie que é de analisar quem ali esta pensando racionalmente. Esse caso na China é um caso muito interessante porque por uma pesquisa mais aprofundada, os chineses dizem não ajudar alguém que precise de ajuda, para não se responsabilizar. Mas isso é ser humano Mourarego? O cachorro salva e o humano não? Que leis espirituais são essas (Romanos 7:14)? 

Fazendo uma pesquisa no google existe mais de 26.000 fontes mencionando tal tipo de evolução (mineral/vegetal/animal/humano); tais estão erradas? Se for analisar uma pesquisa no google onde até consta o fórum espírita (forumespirita.net) como fonte, sobre o assunto:

http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/evolucao-segundo-o-espiritismo/

http://www.forumespirita.net/fe/reencarnacao/ja-fomos-pedras-ja-reencarnamos-no-reino-vegetal-no-reino-animal/190/?wap2

http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/evolucao-segundo-o-espiritismo/5/?wap2

Obs: Resalvas a esse último link que fornece uma fonte com um livro chamado "Depois da Morte", escrito por Léon Denis onde resalta no capítulo XI:

"Uma cadeia ascendente e continua liga todas as criações, o mineral ao vegetal, o vegetal ao animal, e este ao ente humano. Liga-os duplamente, ao material como ao espiritual. Não sendo a vida mais que uma manifestação do espírito, traduzida pelo movimento, essas duas formas de evolução são paralelas e solidárias."

Está Léon Denis errado? Essa busca no google o qual fiz, menciona que o reino hominal, humano, existente após o animal é salientado. Fica muito estranho muitas pessoas estarem interpretando assim, em vista, de que haja, quem diga ao contrário. Inclusive outros grupos de discussão como o grupo de estudos "Andre Luiz", menciona que existe o hominal, que aliás é o humano, após o animal. Se dizes Mourarego que estamos, humanos, ainda no animal, é possível de lhe perguntar:

As personalidades onde existe um ativo e um passivo, um dominado e um dominador é relevante a fazer contexto com a naturalidade do humano? O homem leva o animal para passear, de coleira e bom humor. O dominado obedeçe o dominador. E quem leva o humano para passear? Ainda há menção a questionar livre arbítrio, etc, etc, mas isso é um passado, que já se revelou.

(2) Mas esse é um detalhe mitologico Mourarego. Estou analisando o psíquico como um bom psiquiatra. Esse tradicionalismo humano esta uma confusão tão grande que a indústria esta a todo vapor apoiando o que vender mais e mais rápido. A eles não interessa o sentido do que é , mas vendeu, tá valendo. Isso provoca inspirações, associações no cérebro humano e consequentemente exteriorizações. 

Esse psiquismo que faz a moda na moçada, esta bem evidente que tem sentido de "ego". A linha do tempo revela quais as intenções das doutrinas psíquicas onde impõem um sentido de lógica bem contrária com a imposta pelo criador, VIDA. O passado Mourarego é presente para mim, não vejo um psíquico dizendo-me que pornografia é normal, quando na verdade é abominação diante do passado da criação. Pior é ainda ler que há quem diga que homossexual também pode "brincar" de sexo com o parceiro do mesmo sexo. Inadimissível! 

Sempre menciono que o sentido lógico racional é sempre o mais viável. Como 1+1=2, o pênis não é dentro do ânus. Isso é lógico! E porque isso esta sendo aceito diante da população, por opressão psíquica, expressiva e sem sentido, quando o certo é corrigir? Observe o que menciona o dicionário espírita:

[do latim homo + sexu + -al] - 1. Referente à afinidade, à atração de indivíduos do mesmo sexo. 2. Relação afetiva e/ou sexual entre criaturas de sexo idêntico. 3. Para a ciência espírita, o homossexual é criatura que reencarna com inversão da tendência sexual predominante em seu psiquismo, por expiação, prova ou recurso de tarefa missionária, necessitando sempre de muita compreensão, já que precisa saber conter seus impulsos e vencer suas tendências. Conforme o Espiritismo, o Espírito não tem sexo, como entendemos, e sim "poderosa energia criadora, suscetível, como toda força natural, ao uso e ao abuso", podendo reencarnar na polarização masculina ou feminina, conforme a necessidade de prova que deva suportar.

Fonte: Dicionário Espírita

Se esse ser humano expiou, ele tem que vencer a nova prova imposta. Se o sistema apoia, não estaria abrandando essas expiações, imposições de provas e necessidade de conter os impulsos homossexuais? De que forma o homossexual estaria se corrigindo? O que diz a verdade disso tudo? 
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 02 de Janeiro de 2013, 01:55
Olá Vidaeterno!

Primeiramente, gostaria de lhe desejar um feliz 2013!

Devo dizer que continuo tendo dificuldade para acompanhar seus raciocínios. Mas, mesmo assim, não me furto a escrever-lhe algo.

Às vezes, certas coisas nos parecem inquestionáveis. Um exemplo disto foi citado por você mesmo: "1+1=2". E a maciça maioria das pessoas concordaria com isto! Mas há também quem questione o inquestionável com argumentos perfeitamente válidos. Foi o que fez, por exemplo, Piaget: ele nos leva a concluir, através de um experimento, que 1+1=1. Que experimento seria este? Seria o seguinte: pense que se pinga uma gota de água sobre outra gota de água. Qual o resultado desta adição? Uma gota de água (maior do que as duas primeiras, é verdade, mas mesmo assim uma gota apenas).

Para o homem da Idade Média, a sua velocidade era nula quando ele estava sentado tranquilamente em um aposento; para ele, o próprio planeta Terra estava imóvel e era o centro do Universo. Hoje sabemos que a história é bem diferente: a Terra não é o centro do Universo e muito menos nós estamos imóveis no Cosmos enquanto digitamos nossas postagens aqui no Fórum Espírita (estamos a uma velocidade de muitos milhares de quilômetros por hora, se tomarmos como referencial outras estrelas, apesar de as paredes dos nossos aposentos continuarem querendo nos convencer de que estamos parados).

Por que este arrodeio todo? Apenas para dizer que algumas de nossas verdades não são tão absolutas como gostaríamos que fossem. É muito provável que o sexo anal (que não é nem sinônimo nem prática exclusiva de homossexuais) seja uma forma de satisfação sexual tão lícita quanto a penetração vaginal pelo pênis. Isto não quer dizer que você seja obrigado a praticá-lo com sua parceira. Aliás, existem as mulheres heterossexuais que gostam e as que não gostam dessa prática. Ninguém, sexualmente falando, é obrigado a fazer aquilo que não goste. Mas também não se deve querer que os outros sejam obrigados a fazer sexo exatamente da mesma maneira que nós.

Há algumas décadas atrás, os padres escreviam livros dizendo como os casais deveriam fazer sexo. A Igreja Católica atualmente é alvo de severas críticas por querer manter essa postura de regulação das relações sexuais das pessoas com discursos contra os anticoncepcionais ou contra o sexo antes do casamento. Aliás, a sociedade só teria a agradecer se a cúpula da Igreja Católica acabasse de vez com essa obrigação do celibato aos padres. O impulso sexual, quando presente, tem que ser satisfeito; quantas pessoas não enlouquecem lutando contra ele? É por isto que também não concordo com aqueles que propugnam que os homossexuais sejam celibatários (sendo que muitos desses "juízes da conduta alheia" não são capazes, eles mesmos, de viver na abstinência sexual).

Em um post anterior, Vidaeterno, você disse que a boca era para falar e para comer. Eu pergunto, então: a boca é para beijar? E beijar onde e de que forma? Existe alguma diferença anatômica entre as bocas de homens e mulheres que justifique a opinião de que um beijo heterossexual é lícito e um beijo homossexual não é? E, se beijar não é contra nenhuma lei divina, seria o sexo oral uma abominação? Deixo no ar tais questionamentos.

Em minha opinião, não existe nenhum motivo justificável para ser ao mesmo tempo a favor da heterossexualidade e contra a homossexualidade. E podem dizer que é apenas minha opinião (ter uma opinião, aliás, não é nenhum crime), mas a quem dela discorda eu proponho apenas que questione o "inquestionável", que sonde se não se trata de um "a priori" culturalmente adquirido. Infelizmente, não possuímos as ferramentas de auscultação psíquica que os Espíritos Superiores possuem e que nos permitiriam a demonstração empírica de muitas das nossas teses.

Novamente já divaguei bastante por hoje. Queria somente dizer que também gosto muito do posicionamento da Susana nesta questão e me desculpar por, aqui ou ali, eu apenas os ter repetido com as minhas palavras.

Que possamos a cada dia nos livrar de nossas ideias preconcebidas e avançar rumo à aceitação de nossas diferenças.

Abraço a tod@s!



Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 02 de Janeiro de 2013, 06:40

Às vezes, certas coisas nos parecem inquestionáveis. ( ... ) Foi o que fez, por exemplo, Piaget: ele nos leva a concluir, através de um experimento, que 1+1=1. Que experimento seria este? Seria o seguinte: pense que se pinga uma gota de água sobre outra gota de água. Qual o resultado desta adição? Uma gota de água (maior do que as duas primeiras, é verdade, mas mesmo assim uma gota apenas).

( ... ) tomarmos como referencial outras estrelas, apesar de as paredes dos nossos aposentos continuarem querendo nos convencer de que estamos parados).

Por que este arrodeio todo? Apenas para dizer que algumas de nossas verdades não são tão absolutas como gostaríamos que fossem. É muito provável que o sexo anal (que não é nem sinônimo nem prática exclusiva de homossexuais) seja uma forma de satisfação sexual tão lícita quanto a penetração vaginal pelo pênis (1). ( ... )

( ... ) Aliás, a sociedade só teria a agradecer se a cúpula da Igreja Católica acabasse de vez com essa obrigação do celibato aos padres. O impulso sexual, quando presente, tem que ser satisfeito; quantas pessoas não enlouquecem lutando contra ele? É por isto que também não concordo com aqueles que propugnam que os homossexuais sejam celibatários (sendo que muitos desses "juízes da conduta alheia" não são capazes, eles mesmos, de viver na abstinência sexual).

Em um post anterior, Vidaeterno, você disse que a boca era para falar e para comer. Eu pergunto, então: a boca é para beijar? E beijar onde e de que forma? Existe alguma diferença anatômica entre as bocas de homens e mulheres que justifique a opinião de que um beijo heterossexual é lícito e um beijo homossexual não é? E, se beijar não é contra nenhuma lei divina, seria o sexo oral uma abominação? Deixo no ar tais questionamentos.

Em minha opinião, não existe nenhum motivo justificável para ser ao mesmo tempo a favor da heterossexualidade e contra a homossexualidade. E podem dizer que é apenas minha opinião (ter uma opinião, aliás, não é nenhum crime), mas a quem dela discorda eu proponho apenas que questione o "inquestionável", que sonde se não se trata de um "a priori" culturalmente adquirido. Infelizmente, não possuímos as ferramentas de auscultação psíquica que os Espíritos Superiores possuem e que nos permitiriam a demonstração empírica de muitas das nossas teses.

Novamente já divaguei bastante por hoje. Queria somente dizer que também gosto muito do posicionamento da Susana nesta questão e me desculpar por, aqui ou ali, eu apenas os ter repetido com as minhas palavras.

Que possamos a cada dia nos livrar de nossas ideias preconcebidas e avançar rumo à aceitação de nossas diferenças.

Abraço a tod@s!

(1) Não concordo com você. A criação não foi feita para isso. Como ingestão de veneno, pênis no ânus não. Se fosse assim, as fezes não poderiam ser tóxicas para o organismo, provocando feridas e nem mesmo traumas no canal reto como muitos homossexuais vem procurando centros cirúrgicos querendo fazer cirurgia plástica para correção do anel anal. Isso ainda são detalhes onde lesões, câncer e até a perda do controle nas fezes já foi citado. Posso ajuda-lo a compreender com este link:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-98802010000100007&script=sci_arttext

RESUMO

INTRODUÇÃO: a incontinência anal (IA) é uma disfunção de origem multifatorial com impacto significativo na qualidade de vida do indivíduo. Dentre as diversas etiologias para IA encontra-se a traumática, provocada pela penetração de objetos no canal anal. A inclusão do ânus na atividade sexual, já vem sendo descrita, principalmente entre homossexuais do sexo masculino. A partir desta premissa, questionou-se nesta pesquisa a possibilidade da penetração do pênis no ânus se enquadrar como etiologia traumática da incontinência anal.
OBJETIVO: verificar a possível correlação entre a incontinência anal e a prática de sexo anal utilizando variáveis como idade, tempo de prática e a freqüência semanal de sexo anal. Métodos: 100 homossexuais masculinos passivos responderam um questionário elaborado pelas pesquisadoras e um Índice de Incontinência Anal.
RESULTADOS: a incontinência anal estava presente em 62%, sendo que a perda de gases foi considerada a mais significativa. Contudo, as correlações propostas não se apresentaram estatisticamente significantes.
CONCLUSÃO: a maioria dos homossexuais apresentou algum grau de incontinência anal, provavelmente em decorrência da prática do sexo anal.

Os médicos que sabem, estes, sempre procurados para corrigir, o que não foi VIDA que provocou! Volto a repetir, que o lugar do pênis não é o ânus. Muitos cirurgiões plásticos vem alertando homossexuais a respeito do problema do excesso de fricção do pênis no ânus e a perda da sensibilidade do canal reto como força muscular para controlar a evacuação. Relato novamente que o ãnus não tem sensibilidade correlacionada com prazer. Por esse motivo, tantos homossexuais usam drogas e equipamentos para aumentar a chance de prazer. Isso é um perigo para a sociedade e para o público. Porém a indústria quer faturar e essa tem que também alertar.   

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 02 de Janeiro de 2013, 13:48
Pois é digo eu Vida...
veja que o amigo falando de compaixão, está a eleger apenas a alguns poucos numa vasta espécie, disse alguns e o vocábulo mostra que não é da maioria e nem de totalidade que se fala meu mano.
Vai daí, acredito teres de  reacertar teu raciocínio.
abraços,
Moura
Olá Vidaeterno!

Não sei se entendi bem as suas colocações, mas vou tentar escrever algo assim mesmo. (...)
Abraços!  :)
Assino embaixo.
Não somos coelhos. :)

paz e luz
Susana

Isso são opiniões pessoais, gostaria dos estudos, as respostas das confrontações entre perguntas (693 x 525 = Livro dos espíritos), sentidos lógicos de interpretação, estudos científicos aprovando a recontextualização da doutrina por novas descobertas (homossexualismo e transgênicos) perante a metodologia científica. (...) Gente, na boa, isso é insinuar zoofilia. O que tá acontecendo que perderam o controle da sociedade de novo?

Vida,
a sua exposição: "Cabe salientar piamente que a doutrina espírita, espiritualista, menciona um perfil de evolução muito estranho:

1.º - Mineral;
2.º - Vegetal;
3.º - Animal;
4.º - Humano.

está errada, pois o homem está na mesma classe dos animais, nunca saiu de lá embora seja superior a todos os ditos irracionais. (1)

Há também uma incorreção grave quanto ao apelido de "lobas".
Este decorre do tempo dos fundadores de roma, que diz a estória que tivessem sido alimentados por uma lôba, ocorre que, tal vocábulo, na língua deles queria dizer "prostituta", e não fazia referência ao animal. (2)
Abraços,
Moura

(1) Pois é Mourarego, não vamos também ser radicais em dizer que um animal seja irracional né. Impressiona o quanto eles demonstrão compaixão com sua espécie quando um da sua mesma é atropelado e fica de campana cuidando para que alguém o ajude. Outros estudos científicos tem relevado que até elefantes tem sentimento quanto a sua conduta moral. Porém Moura, vou lá pra China e ver o que aconteceu com aquela menina de 2 anos que foi atropelada e ninguém a salvou! Sabe dessa história?

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/10/atropelamento-de-menina-e-falta-de-socorro-chocam-a-china.html

E ainda dizer que o animal é irracional? Existe muitos vídeos na internet onde revela uma compaixão tão grande dos animais com sua espécie que é de analisar quem ali esta pensando racionalmente. Esse caso na China é um caso muito interessante porque por uma pesquisa mais aprofundada, os chineses dizem não ajudar alguém que precise de ajuda, para não se responsabilizar. Mas isso é ser humano Mourarego? O cachorro salva e o humano não? Que leis espirituais são essas (Romanos 7:14)? 

Fazendo uma pesquisa no google existe mais de 26.000 fontes mencionando tal tipo de evolução (mineral/vegetal/animal/humano); tais estão erradas? Se for analisar uma pesquisa no google onde até consta o fórum espírita (forumespirita.net) como fonte, sobre o assunto:

http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/evolucao-segundo-o-espiritismo/

http://www.forumespirita.net/fe/reencarnacao/ja-fomos-pedras-ja-reencarnamos-no-reino-vegetal-no-reino-animal/190/?wap2

http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/evolucao-segundo-o-espiritismo/5/?wap2

Obs: Resalvas a esse último link que fornece uma fonte com um livro chamado "Depois da Morte", escrito por Léon Denis onde resalta no capítulo XI:

"Uma cadeia ascendente e continua liga todas as criações, o mineral ao vegetal, o vegetal ao animal, e este ao ente humano. Liga-os duplamente, ao material como ao espiritual. Não sendo a vida mais que uma manifestação do espírito, traduzida pelo movimento, essas duas formas de evolução são paralelas e solidárias."

Está Léon Denis errado? Essa busca no google o qual fiz, menciona que o reino hominal, humano, existente após o animal é salientado. Fica muito estranho muitas pessoas estarem interpretando assim, em vista, de que haja, quem diga ao contrário. Inclusive outros grupos de discussão como o grupo de estudos "Andre Luiz", menciona que existe o hominal, que aliás é o humano, após o animal. Se dizes Mourarego que estamos, humanos, ainda no animal, é possível de lhe perguntar:

As personalidades onde existe um ativo e um passivo, um dominado e um dominador é relevante a fazer contexto com a naturalidade do humano? O homem leva o animal para passear, de coleira e bom humor. O dominado obedeçe o dominador. E quem leva o humano para passear? Ainda há menção a questionar livre arbítrio, etc, etc, mas isso é um passado, que já se revelou.

(2) Mas esse é um detalhe mitologico Mourarego. Estou analisando o psíquico como um bom psiquiatra. Esse tradicionalismo humano esta uma confusão tão grande que a indústria esta a todo vapor apoiando o que vender mais e mais rápido. A eles não interessa o sentido do que é , mas vendeu, tá valendo. Isso provoca inspirações, associações no cérebro humano e consequentemente exteriorizações. 

Esse psiquismo que faz a moda na moçada, esta bem evidente que tem sentido de "ego". A linha do tempo revela quais as intenções das doutrinas psíquicas onde impõem um sentido de lógica bem contrária com a imposta pelo criador, VIDA. O passado Mourarego é presente para mim, não vejo um psíquico dizendo-me que pornografia é normal, quando na verdade é abominação diante do passado da criação. Pior é ainda ler que há quem diga que homossexual também pode "brincar" de sexo com o parceiro do mesmo sexo. Inadimissível! 

Sempre menciono que o sentido lógico racional é sempre o mais viável. Como 1+1=2, o pênis não é dentro do ânus. Isso é lógico! E porque isso esta sendo aceito diante da população, por opressão psíquica, expressiva e sem sentido, quando o certo é corrigir? Observe o que menciona o dicionário espírita:

[do latim homo + sexu + -al] - 1. Referente à afinidade, à atração de indivíduos do mesmo sexo. 2. Relação afetiva e/ou sexual entre criaturas de sexo idêntico. 3. Para a ciência espírita, o homossexual é criatura que reencarna com inversão da tendência sexual predominante em seu psiquismo, por expiação, prova ou recurso de tarefa missionária, necessitando sempre de muita compreensão, já que precisa saber conter seus impulsos e vencer suas tendências. Conforme o Espiritismo, o Espírito não tem sexo, como entendemos, e sim "poderosa energia criadora, suscetível, como toda força natural, ao uso e ao abuso", podendo reencarnar na polarização masculina ou feminina, conforme a necessidade de prova que deva suportar.

Fonte: Dicionário Espírita

Se esse ser humano expiou, ele tem que vencer a nova prova imposta. Se o sistema apoia, não estaria abrandando essas expiações, imposições de provas e necessidade de conter os impulsos homossexuais? De que forma o homossexual estaria se corrigindo? O que diz a verdade disso tudo? 

Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 03 de Janeiro de 2013, 01:04
Salve Vidaeterno!

Quando vi a postagem (#129) na qual você indicava um artigo científico e transcrevia seu resumo (abstract), minha reação inicial (antes mesmo de ler e estudar o artigo, coisa que só pude vir a fazer agora no finalzinho da tarde) foi de achar que, apesar de interessante, tal contribuição estaria no lugar errado, já que a ênfase estava mais no sexo anal do que na homossexualidade em si.

Apesar de ser um estudo sobre uma população de 100 indivíduos homossexuais, penso que está mais do que claro que o sexo anal é praticado tanto por homossexuais quanto por heterossexuais. Aliás, este ponto de vista está presente no próprio corpo do artigo, quando, fazendo referência a Nunes (2007) e Johanson (2005), afirma:

"Poucas pesquisas têm sido feitas sobre este assunto, porém todas demonstram que cada vez mais, não só os casais homossexuais, como também os heterossexuais fazem sexo anal."

Os autores utilizam-se de uma escala (de 0 a 20) para caracterizar a Incontinência Anal em leve (1 a 7), intermediária (8 a 13) e grave (14 a 20). O zero coreesponderia ao indivíduo continente.

Foram realmente encontrados 62% de incontinentes. Mas 59% apresentavam incontinência leve e somente 3% apresentavam incontinência intermediária (muito próxima da leve: valores 8 e 9)! Este é um dado importante, pois que eu presumo que muitos dos companheiros deste fórum (a começar por mim, que até a presente data nesta encarnação não fiz sexo anal, mas nada tenho contra quem o pratica) seríamos considerados como apresentando incontinência leve, com base na Tabela 1 do artigo; para dizer isto com precisão seria necessário ter acesso ao questionário semi-estruturado que as autoras utilizaram, bem como consultar mais detalhadamente os critérios de aplicação da própria tabela 1.

O artigo diz ainda: "Santos [1990] afirma em seu estudo com homossexuais que o uso de lubrificantes na penetração anal diminui a possibilidade de lesões anorretais."

Apesar de se ter perguntado sobre esta questão dos lubrificantes no questionário, nenhuma correlação foi calculada entre seu uso e o índice de incontinência anal. Ademais, não há informações detalhadas a respeito de quais seriam esses lubrificantes, mas apenas quanto a sua frequência de utilização.

Foram realizados cálculos para verificar se havia correlações estatísticas entre o índice de incontinência anal (IA) e variáveis como: tempo de prática de sexo anal, idade e frequencia semanal de sexo anal (Gráficos 2, 3 e 4, respectivamente). Mas os valores obtidos "apresentaram-se estatisticamente pouco significante." (sic)

Creio que informações acerca da qualidade de vida dos investigados poderiam ser extraídas dos dados brutos da pesquisa, mas os autores, por um motivo qualquer, não publicaram nada a este respeito no artigo em análise.

Na conclusão do artigo, é dito que: "A penetração do pênis no ânus durante o ato sexual pode ser uma etiologia traumática da IA [incontinência anal]." Apesar de serem expressões parecidas, existe uma diferença entre "poder ser" e "ser"!

Gostaria de dizer que teria sido também interessante aplicar a pesquisa a um "grupo controle".

Apesar dessas minhas críticas, penso que foi um interessante Trabalho de Conclusão de Curso dessas estudantes de graduação em Fisioterapia da Unijorge (BA). Às vezes, em Ciência, conclui-se mesmo que ainda não se pode concluir!

E, prezado Vidaeterno, leia criticamente você também os artigos científicos, eles não são artigos de fé que devam ser aceitos sem análise!

Grande Abraço!  :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 03 de Janeiro de 2013, 14:18
Meus amigos, quando se fala em condutas sexuais, somos guindados não raro a prescrever erros e adoecimentos, dizer que aqui não foi foi feito para isso e ali é o caminho, tudo concepção nossa.
O que interessa é a intenção, pois diz a DE "Deus julga pela Intenção", não nos esqueçamos.
Na verdade, esse tipo de conduta sexual o sexo anal, gerou até mesmo um ditado popular muito repetido no Rio de janeiro que diz assim:
"Cada um chora por onde sente saudade". :)
abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 05 de Janeiro de 2013, 05:58
Salve Vidaeterno!

Quando vi a postagem (#129) na qual você indicava um artigo científico e transcrevia seu resumo (abstract), minha reação inicial (antes mesmo de ler e estudar o artigo, coisa que só pude vir a fazer agora no finalzinho da tarde) foi de achar que, apesar de interessante, tal contribuição estaria no lugar errado, já que a ênfase estava mais no sexo anal do que na homossexualidade em si. (1)

Apesar ( ... )

E, prezado Vidaeterno, leia criticamente você também os artigos científicos, eles não são artigos de fé que devam ser aceitos sem análise! (2)

Grande Abraço!  :)

(1) Creio que não. Porque essa questão que estou envolvendo estudo científico (ciência) com doutrina espírita, esta alimentando um sentido muito curioso anímico, que faz que eu acorde mais empolgado a cada sentido de pesquisa que faço, em prol de um desvendamento de determinado "mistério" que paira sobre esse assunto. Me dá impressão que há alguma coisa muito estranha atrás dessa porta. Descobri coisas, que não é interessante aqui revelar, em vista, que nem tudo o que questiona-se aqui, é respondido, portanto, inerte a aprofundamentos mais lógicos de realidades psíquicas.

O que posso ainda salientar é que a doutrina espírita, como menciono novamente, disse que só pode ser recontextualizada se uma nova descoberta for feita pela ciência e revelar a doutrina espírita que está em erro, portanto, modificaria-se nesse ponto. A doutrina por base, menciona favoritismo a Natureza, mencionando que transgredir sentidos lógicos de sexualidade (embaraçar a Natureza em sua marcha), contraria a lei geral. Sei o que tem atrás dessa porta, sabendo que ela é transparente, tipo de vidro.

Quando descobri tantas teses científicas de alunos, professores e outros profissionais com assuntos abordando o homossexualismo, questiona-se:

"Onde a doutrina ganha notoriedade para recontextualizar-se com aval científico, se a mesma, ciência, mostra receio e determinada desconfiaça neste perfil social e individual?".

São mais de 10 sites onde busco informações sobre grupos sociais de risco e todos apontam homossexuais e bissexais como focos principais. É uma tecla interessante de ficar apertando. Uma lida mais severa na doutrina, principalmente focando sentido no científico, revela-se que recontextualizar, só por metodologia científica. Portanto, teses de pós graduação, mestrados, doutorados, estudos científicos, envolvendo desde a relação sexual anal, dst´s, hiv e parafilias de uma forma geral, são argumentos para compara-los ao motivo do porque o mecanismo espírita falhou no indivíduo que encarnou provido de um passado de consectivos encarnes e desencarnes e o corpo que esta atualmente é diferente daquele que manifesta em psíquico.

Porque o espiritismo, mesmo não existindo informação na doutrina espiritualista, angaria o sentido proposto por Chico Xavier, onde menciona argumentos a respeito do homossexulismo? Se fosse algo o qual tivesse um cuidado maior, será que não estaria escrito logo nas obras básicas? Que eu saiba, homossexualismo é um assunto que antes mesmo de Hippolyte nascer era já discutido. Porque Hippolyte não mencionou nada a respeito disso na base, nas obras básicas?

Pareçe que Chico Xavier, foi um Maomé para o espiritismo, onde Chico observou a sociedade de uma forma geral e agregou alguns assuntos a mais, dando responsabilidade espírita a determinados assuntos ainda não abordados nas obras básicas. Fica muito estranho isso tudo, se é um assunto que ganhou até destaque na imprensa onde questionou-se até a laicidade do estado.   

Encontrei uma reportágem de 1972, onde tal texto diz:

"Para o espiritismo, o homossexualismo não é uma anormalidade nem deve ser condenado. O homossexual não deve procurar experiências heterossexuais, pois irão desequilibrá-lo ainda mais. A união de duas pessoas que se amam, sejam elas hetero ou homossexuais, é a manifestação de Deus nos seres humanos"

Revista Veja - Julho de 1972

Porém:

[do latim homo + sexu + -al] - 1. Referente à afinidade, à atração de indivíduos do mesmo sexo. 2. Relação afetiva e/ou sexual entre criaturas de sexo idêntico. 3. Para a ciência espírita, o homossexual é criatura que reencarna com inversão da tendência sexual predominante em seu psiquismo, por expiação, prova ou recurso de tarefa missionária, necessitando sempre de muita compreensão, já que precisa saber conter seus impulsos e vencer suas tendências. Conforme o Espiritismo, o Espírito não tem sexo, como entendemos, e sim "poderosa energia criadora, suscetível, como toda força natural, ao uso e ao abuso", podendo reencarnar na polarização masculina ou feminina, conforme a necessidade de prova que deva suportar.

Fonte: Dicionário Espírita

Comparando o que esta escrito na revista Veja com o que esta escrito no dicionário espírita, é questionar se homossexualidade é prova ou expiação; e os reflexos na sociedade. Em 1972 o homossexual não pode procurar experiências heterossexuais, porque irá desequilibra-lo ainda mais. Porém no dicionário espírita (http://www.dicionarioespirita.com.br) diz que homossexualismo é expiação, prova e tarefa missionária, e que, precisa saber conter seus impulsos (o que significa impulsos?) e vencer suas tendências (o que são as tendências?). Por uma breve interpretação, significa que o homossexual, não pode se superar? E como fica as provas, expiações e tarefa missionária? De que forma então ele manifesta respeito pelo corpo, interrogando o psíquico, caso esteja em corpo masculino, diga ser em psíquico feminino? Muito estranho.

Ainda dizer, que o homossexualismo é a manifestação de Deus nos seres humanos, tem por significado que é Deus quem promulga o homossexualismo no mundo, no corpo e no psíquico e não o espírito. Então não se trata de consectivas reencarnações, homem, mulher, mulher, homem e a perda do sentido encarnatório, por o meio, corpo, ser diferente daquele em psíquico. Essa explicação é uma mentira. Porque a relevação da verdade não foi feita se essa informação existe desde a escrita da doutrina espírita? Essa informação vai de encontro até com o dogma imposto da bíblia a respeito de relações sexuais entre sexos iguais. A doutrina espírita menciona no Evangelho Segundo o Espiritismo que ensina a mesma coisa que o Cristianismo. Seria questionar ainda:

1.º - Deus é quem confunde os homens, por encarne e desencarne, para se tornar homossexuais?
2.º - Porque o espiritismo mente dizendo ser o espírito o culpado e na verdade é Deus?
3.º - Qual o objetivo do homossexualismo imposto por Deus? Ou imposto pelos homens (vide resposta #132 - "dizer que aqui não foi foi feito para isso e ali é o caminho, tudo concepção nossa")?
4.º. Se a concepção é toda dos homens, que relação existe entre psíquico x animismo x homossexualismo, proposto pelos homens?
5.º - Qual é o sentido correto e verdadeiro da criação?
6.º - Se Deus manifesta seu amor pelos seres humanos, estes sendo heterossexuais ou homossexuais, porque o homem não tem vagina e ovários?
7.º - Porque o ânus, quando há repetidas penetrações (relação homossexual), sofre incontinência fecal? Deus não teria preparado o ânus, manifestando seu amor, a vontade dos homens (vide pesquisa #129)?

(2) Porém Wim, fiquei curioso quanto os artigos de fé. Artigo de fé não pode sofrer análise? Qualquer manifestação de fé, é aceita sem análise? Para quem observa o sistema como uma caixa de fósforo sim. O mau não reina soberamente na Terra.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 05 de Janeiro de 2013, 06:39
Meus amigos, quando se fala em condutas sexuais, somos guindados não raro a prescrever erros e adoecimentos, dizer que aqui não foi foi feito para isso e ali é o caminho, tudo concepção nossa (*).
O que interessa é a intenção, pois diz a DE "Deus julga pela Intenção", não nos esqueçamos. (1)
Na verdade, esse tipo de conduta sexual o sexo anal, gerou até mesmo um ditado popular muito repetido no Rio de janeiro que diz assim:
"Cada um chora por onde sente saudade". :) (2)
abraços,
Moura

(1) A intenção é de Deus ou dos homens? Pelo que escreveu acima Mourarego, é toda dos homens (*)! Porque então? Porque a zoofilia, incesto e pedofilia? É muito estranho esse contexto doutrinário religioso. Deus manifestando amor pelo homossexualismo (VEJA - 1972) e Levitíco (20:13) dogmatizando um sentido de contrariedade. O espiritismo, em doutrina espiritualista, manifesta no Evangelho Segundo o Espiritismo um ensino igual ao cristianismo. Que filosofia se promulgou para o futuro a respeito dessas contradições?

(2) Pois é Mourarego. Cada um chora por onde sente saudade. O homem na Ásia consome aranha, barata e ratos como forma de alimento, contrariando a lógica do consumo. A cadeia alimentar racional não estipula que homens consumão os alimentos de outra cadeia alimentar. Porém, isso já é coisa de muito tempo, onde gostaria de saber o motivo que faz mudar tal sentido de consumo, onde o temporal, dito por espíritas, faz parte do espaço / tempo.

Alguns até arriscam dizer que a doutrina espiritualista já faz parte desse contexto. Acho que não. Não vejo respeito aos sentidos dos paradigmas que evoluem, sentidos lógicos e honestos de benignidade, diante da verdade. Mencionar luta, duelo, contrariedade a lógica, sentidos filosóficos psíquicos, são motivos a criar inimigos de VIDA, criador, e não amigos!
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 05 de Janeiro de 2013, 15:10
Vida, leia com atenção: "Deus julga pela intenção".
Ora se deus está a julgar a partir da intenção, esta só pode ser do Espírito e não dele.
abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mega em 05 de Janeiro de 2013, 22:25
Fico pensando...será o que Deus acha, sente, conclue ao presenciar seus filhos se apedrejando, um julgando ser melhor(menos pecador) que outro, com mais direitos etc?
Tolos, é o que somos, fala a verdade. Uma, outra ou muitas falhas todos nós temos!
Estamos assim, mas seremos melhores quando aprendermos mais do amor.

Abraços de sublime 2013!


Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 06 de Janeiro de 2013, 00:11
Vida, leia com atenção: "Deus julga pela intenção".
Ora se deus está a julgar a partir da intenção, esta só pode ser do Espírito e não dele.
abraços,
Moura

Mourarego isso é muito estranho. Uma hora vocês dizem:

"dizer que aqui não foi foi feito para isso e ali é o caminho, tudo concepção nossa"

post #132

Ao meu ver isso significa que toda interpretação do que é certo e errado é feita aqui, no mundo. Não há manifestação do espírito quanto a sugestões anímicas da forma de conduta; se cria-o no mundo. Quero dizer que desde soltar uma bomba em Hiroshima à promover um tratamento para o câncer é concepção de todos aqueles que estão no mundo (ação / reação). Não há interferência de Deus nisso. Porém no mesmo post escreveu:

"Deus julga pela Intenção"

post #132

Deus julga pela intenção e a conduta mundana é toda concepção humana (ação / reação ou causa / efeito). Para o mundo se tornar o que é, seria culpa dos humanos né? Deus julga pelas intenções (#132), porém, homossexualismo é a manifestação do amor de Deus (Veja 1972). Mas o homossexualismo é explicado pelo espiritismo como falha no encarne (culpa do espírito), porém, há na doutrina, evidência que é Deus aquele que manifesta ação direta ao corpo para promover o homossexualismo, ditando ser este seu amor, sabendo sempre antecipadamente. O que é a concepção humana x livre arbítrio x manifestação do amor de Deus? 

Porque o espiritismo (espiritualistas) mentiram, criando uma história culpando o espírito encarnado e não a Deus? Você mesmo disse Mourarego que a concepção dos paradigmas é toda de vocês (#132). Depois no mesmo post (#132), diz que Deus julga pelas intenções. Mas é Deus quem manifesta homossexualidade nos humanos por achar que isso se trate ser amor. Estaria Deus promovendo um laboratório dos seus próprios atos (manifestação homossexual nos seres humanos), nos humanos, para encontrar o que em si? Com que intenção Deus faz isso, com muitos promulgando ele ser oniciência?

Fiz um cruzamento de informações e me parece que essa história de "erro de concepção do meio" não é verdadeira, mas aponta pra Deus, por dizer este, saber de tudo antecipadamente e vira que tal espírito se uniria a tal corpo (livro os espíritos / questão 334), como o espírito também saber a qual corpo vai encarnar, assim o escolhendo (livro os espíritos / questão 335).

Nessa questão 335 do livro dos espírito é muito interessante salientar que diz que o espírito, escolhe o corpo, mesmo com as imperfeições que apresente, por estas, serem colocadas como caráter de prova. Se o corpo carrega imperfeições, estas são a homossexualidade? O amor em Deus (homossexualismo - Revista Veja 1972) manifestado no corpo, é imperfeição?

Porque foi criado a história de encarne e desencarne consectivos e confusão do psíquico com o meio? Se você Mourarego diz que a "concepção é toda vossa (#132)", que intenção tem o homem sabendo disso, criar uma segunda interpretação, delegando culpa ao psíquico? Ao meu ver, isso é injustiça com a "carne", que é VIDA.

É sabido que o molde mundano é todo feito diante da necessidade da população, como há também, padrões de evolução por filosofia. Que "humanos" são esses que não estão compreendendo o sentido lógico da criação? Que intenções tem esses humanos concordando com uma filosofia pré encarnatória indo contra a lógica da criação, promulgada pelo criador, VIDA?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 06 de Janeiro de 2013, 04:01
Oi Vidaeterno!

Em relação aos artigos científicos que você afirma andar pesquisando, reitero meu conselho para que seja criterioso e não extraia deles conclusões precipitadas. Não tenha medo de submetê-los a uma crítica lúcida, pois isto é parte constituinte do fazer científico.

Você faz o seguinte questionamento (post #133):

"Por que o ânus, quando há repetidas penetrações (relação homossexual), sofre incontinência fecal? Deus não teria preparado o ânus, manifestando seu amor, à vontade dos homens (vide pesquisa #129)?"

Já expus algumas de minhas críticas a essa pesquisa num post anterior (#131). Deixe-me relacionar mais algumas observações:

Na pesquisa (Gráfico 4), figuram dois indivíduos que praticaram sexo anal por um tempo muito longo (um por 30 anos e o outro por 24 anos) e que não apresentam incontinência anal (IA).

Como a pesquisa considerou perda de sólidos, líquidos ou gases, é possível que quem tenha passado pela experiência de soltar um pum contra a sua vontade já seja incluído na classificação de "incontinência anal leve". Mas para saber com exatidão os critérios de utilização da Tabela 1 (que serve para o cálculo do índice de incontinência anal) seria necessário ter acesso a dados que não foram informados no artigo.

Note que no resumo diz-se que o objetivo seria o cálculo de correlações. E os resultados dos 3 coeficientes de correlação linear (r) calculados foram de 0,079; 0,113 e 0,192. Estes valores estão muito mais próximos de zero do que de um, o que indica uma correlação fraca, que não deve ser considerada significativa. Uma correlação significativa normalmente apresenta r superior a 0,7.

Ainda que obtivesse correlações significativas (o que, conforme vimos, não aconteceu!), a pesquisa, pelo seu próprio formato (design), não seria capaz de estabelecer uma relação de causalidade entre a prática de sexo anal e a incontinência anal.

E, mesmo que se constate inequivocamente, um dia, que o sexo anal (que é uma prática tanto de héteros quanto de homossexuais) seja uma atividade que ocasione severos danos ao organismo, o máximo que se poderá fazer é aconselhar às pessoas (homens e mulheres) a não praticá-lo. Mas a vivência da homossexualidade não se resume apenas a esta prática, da mesma forma que a prática heterossexual não se resume à penetração vaginal pelo pênis. A intimidade sexual entre as pessoas possui as mais variadas formas de expressão, estabelecidas no acordo mútuo.

Por fim, Vidaeterno, você afirmou ter encontrado referências a homossexuais e bissexuais como constituintes de grupos de risco. Mesmo em relação a isto é necessário que sejam especificados quais são os comportamentos que os tornam grupos de risco e se façam campanhas de esclarecimento específicas. Imagino que promiscuidade e prática de sexo sem preservativo sejam comportamentos de risco. Mas, mesmo que estes comportamentos tenham uma maior incidência entre homossexuais e bissexuais (isto é apenas uma suposição hipotética, pois não tenho qualquer dado confiável comigo), isto ainda não tornaria a prática homossexual em si condenável. E aqui tem-se que ter atenção para uma observação que já se torna recorrente: seres humanos adotam comportamentos de risco.

Parece que não há tanta diferença assim entre a homossexualidade e a heterossexualidade. É tudo concepção nossa! O que julgamos condenável nos homossexuais devemos também julgar condenável nos heterossexuais e o que julgamos lícito a estes últimos deveríamos também julgar lícito àqueles; a equanimidade seria o primeiro passo rumo a uma visão mais amadurecida neste terreno ao mesmo tempo tão pedregoso e tão prazeroso que é a sexualidade humana.

Grande Abraço, Vidaeterno!  :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 06 de Janeiro de 2013, 04:22
Quando eu disse que seres humanos adotam comportamento de risco, quis referir-me ao fato de que isto não é apanágio de uma orientação sexual específica (daí ser uma observação recorrente).

 :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Amós Ribeiro em 06 de Janeiro de 2013, 12:37
 Olá pessoal.


O Evangelho Apócrifo do Apóstolo Tomé (Thomas)
(Apostolo Dídimo Judas Tomé)
Texto Gnóstico encontrado em Nag Hammad, 1945


Jesus viu crianças sendo amamentadas. Ele disse a seus discípulos: "Esses pequeninos que mamam são como aqueles que entram no Reino." Eles lhe disseram: Nós também, como crianças, entraremos no Reino?" Jesus lhes disse: "Quando fizerdes do dois um e quando fizerdes o interior como o exterior, o exterior como o interior, o acima como o embaixo e quando fizerdes do macho e da fêmea uma só coisa, de forma que o macho não seja mais macho nem a fêmea seja mais fêmea, e quando formardes olhos em lugar de um olho, uma mão em lugar de uma mão, um pé em lugar de um pé e uma imagem em lugar de uma imagem, então, entrareis (no Reino).


Acredito que nossa verdadeira essência o "Espirito" não tem sexo, e que o masculino e o feminino não passa de um aprendizado, experiencias que adquirimos  no plano físico, como uma forma de dominar algo que se encontra em nosso ser, acredito que exista espíritos desencarnados que podem reencarnar e manifestar tanto em corpos masculinos e femininos "Felizes esses espíritos", e outros ainda não, estão muitos apegados a um sexo. 
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Amós Ribeiro em 06 de Janeiro de 2013, 12:57


Imaginem suas mentes se manifestando em um corpo de sexo oposto????

Acredito que a homossexualidade não passa de uma simples escolha, há mistérios envolvendo esse caso.   
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: lineu em 06 de Janeiro de 2013, 14:16
A homossexualidade, por si mesma, constitui um martírio.

Mas deve ser acolhida como oportunidade de elevação espiritual.

Convém, pois, abster-se de condenar os homossexuais, infligindo-lhes tortura psicológica.

E buscar orientá-los a respeito da justiça inerente à lei natural...

Demonstrando-lhes que se quiserem bem aproveitar a própria homossexualidade, superando as suas tendências instintivas, por certo serão bem-aventurados.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 06 de Janeiro de 2013, 22:06
A homossexualidade, por si mesma, constitui um martírio.

Mas deve ser acolhida como oportunidade de elevação espiritual.

Convém, pois, abster-se de condenar os homossexuais, infligindo-lhes tortura psicológica.

E buscar orientá-los a respeito da justiça inerente à lei natural...

Demonstrando-lhes que se quiserem bem aproveitar a própria homossexualidade, superando as suas tendências instintivas, por certo serão bem-aventurados.


Prezado Lineu,

Não acredito que a homossexualidade, por si mesma, constitua um martírio. Existem homossexuais que lidam muito bem ela, tendo uma vida sexual ativa saudável, responsável e amorosa.

Quando você fala em martírio, penso imediatamente no preconceito que existe em torno das relações sexuais homoafetivas. Nós, espíritas, também somos tratados de forma preconceituosa quando nos acusam de termos parte com o demônio, praticar magia negra e tantas outras sandices que somente gente ignorante e fanática é capaz de engendrar.

Concordo com você quando diz que não devemos infligir aos homossexuais (nem a ninguém) qualquer tipo de tortura psicológica. Porém, penso que insinuar que as relações sexuais homoafetivas são contrárias à lei natural é uma forma sutil de tortura psicológica; é uma forma de impor-lhes um fardo desnecessário!

Abri um tópico intitulado "O que é a Lei Natural?" para tentar entender esta condenação que existe em torno do envolvimento sexual entre pessoas do mesmo gênero, mas confesso que, de todas as respostas que lá estão até hoje (há, inclusive, duas participações suas), não há uma única que sirva de embasamento a uma tal postura condenatória. A resposta que mais me satisfez (do companheiro antevazin) foi a de que a Lei Natural encontra-se resumida na máxima de Jesus: "Amai ao próximo como a si mesmo e a Deus sobre todas as coisas."

Será que você (ou algum outro companheiro) pode ser mais específico e dizer o motivo pelo qual a prática sexual entre pessoas do mesmo gênero é contrária à Lei Natural?

Fazer a pergunta acima no tópico "O que é a Lei Natural?" talvez fosse desvirtuar-lhe o direcionamento. Mas, no presente tópico, não há qualquer razão para fugirmos a esse aprofundamento.

Desejando-lhe sinceramente tudo de bom,
Vou ficando por aqui.

Abraços!  :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: lineu em 07 de Janeiro de 2013, 00:43
Citar
Não acredito que a homossexualidade, por si mesma, constitua um martírio.

Parece que sim.

A sociedade atual, lamentavelmente evidencia muito preconceito sobre a homossexualidade, discriminando os homossexuais a ponto de induzir alguns à prática do suicídio.

Clique aqui. (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy51bmljYW1wLmJyL3VuaWNhbXAvdW5pY2FtcF9ob2plL2p1L21hcmNvMjAxMi9qdTUyMV9wYWcwMi5waHAj)

Citar
Porém, penso que insinuar que as relações sexuais homoafetivas são contrárias à lei natural é uma forma sutil de tortura psicológica.

Porém não tem o propósito de infligir tortura psicológica.

Só intenta insinuar que a prática de atos sexuais entre indivíduos do mesmo sexo constitui prática artificiosa, inconcebível como prática natural.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 07 de Janeiro de 2013, 23:22

( ... ) Parece que não há tanta diferença assim entre a homossexualidade e a heterossexualidade. É tudo concepção nossa! O que julgamos condenável nos homossexuais devemos também julgar condenável nos heterossexuais e o que julgamos lícito a estes últimos deveríamos também julgar lícito àqueles; a equanimidade seria o primeiro passo rumo a uma visão mais amadurecida neste terreno ao mesmo tempo tão pedregoso e tão prazeroso que é a sexualidade humana.

Grande Abraço, Vidaeterno!  :)


Eu respeito o sentido daquilo que crio. Faço da ciência o mecanismo para manifestar de uma forma comprobatória os prós e contrás de uma coisa, tanto psíquicas como físicas. Se existe um dogmatismo doutrinário que diz respeitar-me e ao mesmo tempo expressa contrariação, esse não é respeitado nem por si próprio.

A doutrina menciona base favorável a criação (1857 - Livro dos espíritos), dogma mutante (1868 - A gênese) e recontextualização com Chico Xavier (+ ou - 1960). O dogma mutante menciona que a doutrina espírita muda se a ciência mostrar revelar que ela, doutrina, esta errada naquele ponto, sendo assim, não revelando esta ser superior quanto ao próprio dogma: "superioridade".

Existe mais de 10.000 teses ao redor do mundo que menciona uma inversão de personalidade (psiquiatria/psicologia) quanto ao homossexualismo. Chico menciona um erro no processo reencarnatório causado pelo espírito. A doutrina espírita por outras análises se contradiz dizendo que o espírto antes de encarnar sabe tudo de antemão e Deus antecipadamente. Evidentemente, há contradições e algumas mentiras.

No site (http://www.academicoo.com) é um exemplo, onde pesquisas como sexo anal, tem um resultado da ciência, como da proctologia, que não é viável esse tipo de relação. O que confronto é ciência X espiritismo. A ciência diz não ao sexo anal, alteração na personalidade e sentido psíquico aparente sendo embaraçados.

Se você perguntar a um proctologista, ginecologista e urologista, o que eles achão do sexo anal, eles dirão por eles e pela medicina. Por eles, é um prazer diferente, pelo orifício anal ser mais justo que o vaginal. A indução ao prazer no pênis pelo justiza do local é evidente, mas isso não tira o mérito da vagina. Pela medicina (ciência), diz que lá não é local para colocar o pênis, porque existe bactérias que podem causar desde uma infecção no canal retal, no pênis, infecção na vagina como já foi relatado por muitas mulheres, que tiveram a relação anal antes da vaginal, problemas de incontinência fecal, câncer, enfraquecimento da musculatura retal, etc, etc. Essa é a opinião da ciência. Fica com a ciência ou opiniões pessoais?

Olho a ciência ainda pelo lado laboratorial, ambulatorial, onde mesmo o humano dizendo saber de tudo, mesmo usando as receitas caseiras, acaba sempre comprando a nelsaldina e prozac pra conter os problemas causados pela sociedade atual, causados pelo homem e sua concepção. Nem sempre o que outros opinão é a realidade que um laboratório pode comprovar. Dizer que isso não é problema, camisinha e tá pronto, é desculpa esfarrapada pra parceira (o) que logo após a relação, sente os sintomas de flatulência e afins. A opinião do passivo também conta. Afinal quem esta se defendendo é o ativo que esta com a camisinha, o passivo ainda pode se contaminar, caso o ativo tenha alguma ferida no corpo e passe com o dedo e introduza no ânus do parceiro. São muitos casos Wim, coisas que você pode analisar procurando relatos a respeito do desrespeito dos homossexuais com eles próprios.

A doutrina se diz construída em pilares científicos. Modificar-se-ia se a ciência mostrasse a ela (doutrina espírita) estar em erro em determinado ponto. A ciência mostrou que a homossexualidade é um grupo de risco onde hiv, sífilis e herpes e muito comum, podendo ser transmitido até a mulheres por bissexualidade (menage atrois) e homens bissexuais. Sexo sem preservativo também e muitas parafilias promulgadas entre os mesmos por mim foi pesquisado. Ai vai de encontro os dogmas:

1.º - A doutrina espírita disse que muda (1868) se a ciência mostrar a doutrina espírita que esta em erro.
2.º - A ciência mostrou por muitas teses, mestrados e doutorados providos de médicos e cientístas, que homossexualismo é um grupo de risco e que promove uma concepção diferente do meio onde vivemos. Promovem uma forma de psicologia que tem feito muitos casais terem relações homossexuais e bissexuais por analisarem esse perfil e serem convencidos de um prazer maior. Esse prazer é obra do tesão momentãneo, sem qualquer acréscimo de mentalidade raciocínica. Portanto, não promove evolução nenhuma, só perversão.     
3.º - Onde esta a responsabilidade científica para manifestar isso diante da doutrinação espiritual para promover a mudança nesse ponto?

Se me dizer a respeito que homossexualidade tem explicação diante de doutrina espírita, esta explicação, vai de encontro com a própria doutrina e ciência. Mencionei isso desde que começei a postar neste tópico. Por isso, fica a dúvida: o que é a homossexualidade?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 07 de Janeiro de 2013, 23:32
Olá pessoal.


O Evangelho Apócrifo do Apóstolo Tomé (Thomas)
(Apostolo Dídimo Judas Tomé)
Texto Gnóstico encontrado em Nag Hammad, 1945


Jesus viu crianças sendo amamentadas. Ele disse a seus discípulos: "Esses pequeninos que mamam são como aqueles que entram no Reino." Eles lhe disseram: Nós também, como crianças, entraremos no Reino?" Jesus lhes disse: "Quando fizerdes do dois um e quando fizerdes o interior como o exterior, o exterior como o interior, o acima como o embaixo e quando fizerdes do macho e da fêmea (1) uma só coisa, de forma que o macho não seja mais macho nem a fêmea seja mais fêmea, e quando formardes olhos em lugar de um olho, uma mão em lugar de uma mão, um pé em lugar de um pé e uma imagem em lugar de uma imagem, então, entrareis (no Reino).


Acredito que nossa verdadeira essência o "Espirito" não tem sexo, e que o masculino e o feminino não passa de um aprendizado, experiencias que adquirimos  no plano físico, como uma forma de dominar algo que se encontra em nosso ser, acredito que exista espíritos desencarnados que podem reencarnar e manifestar tanto em corpos masculinos e femininos "Felizes esses espíritos", e outros ainda não, estão muitos apegados a um sexo.


Imaginem suas mentes se manifestando em um corpo de sexo oposto???? Acredito que a homossexualidade não passa de uma simples escolha, há mistérios envolvendo esse caso. (2)

(1) Ribeiro, macho e fêmea não é associado com animais? Não seria o homem e a mulher né? Sempre que analiso comportamentos onde fundem na relação expressiva do macho e da fêmea sempre obtive a significância do animal e não do humano. Não estaria eu julgando a Jesus, mas macho e fêmea é animal!

(2) Não só mistérios, mas coisas que há relação com determinado embaraço quanto a lógica de compreensão.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 07 de Janeiro de 2013, 23:52
A homossexualidade, por si mesma, constitui um martírio.

Mas deve ser acolhida como oportunidade de elevação espiritual.

Convém, pois, abster-se de condenar os homossexuais, infligindo-lhes tortura psicológica.

E buscar orientá-los a respeito da justiça inerente à lei natural...

Demonstrando-lhes que se quiserem bem aproveitar a própria homossexualidade, superando as suas tendências instintivas, por certo serão bem-aventurados.

Pois é, busca-los a orientar respeito da justiça inerente à lei natural. Até semana passada vi o quanto essa explicação estava alertando os homossexuais à lei natural. Exemplos de mulheres desnudas e praticando tantas coisas na TV, que os beijos, seria até princípio a se imaginar outras coisas que estariam por vir. Parece que o homem esta tão a vontade com a bissexualidade que a homossexualidade não esta mais em foco, como na novela das oito (Globo). Até algumas atrás, o foco era a homossexualidade, agora o foco é os prostíbulos com mulheres escravizadas a manter relação sexual a força. Quanta filosofia se cria a partir disso né? A sociedade, devéras, esta decadente de bons exemplos. Os meios de comunicação só faltam dizer, faça, é tesão, diga que viu na TV!

Mulher virgem na Playboy, leilão de virgindade pra ajudar a família. Não digo só da mulher de 18 anos de Santa Catarina, mas dela, já surgiram outras leiloando. Exemplos geram exemplos. Essa sociedade de 1800 prá cá parece que desceu 90º graus e rápido em benignidade. Os problemas são tantos, que tenho a impressão que essa espiritualidade não esta corrigindo. Cabe salientar que a televisão mostra, o que o povo pede. Se o espírito diz que controla todas as ações de tão ordinária que são (livro dos espíritos) o que será eles estão induzindo esta população a querer, manifestar, desejar, aceitar e filosofiar?     

Esse é o laboratório espírita?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 08 de Janeiro de 2013, 00:15
A homossexualidade, por si mesma, constitui um martírio.

Mas deve ser acolhida como oportunidade de elevação espiritual.

Convém, pois, abster-se de condenar os homossexuais, infligindo-lhes tortura psicológica.

E buscar orientá-los a respeito da justiça inerente à lei natural...

Demonstrando-lhes que se quiserem bem aproveitar a própria homossexualidade, superando as suas tendências instintivas, por certo serão bem-aventurados.


Prezado Lineu,

Não acredito que a homossexualidade, por si mesma, constitua um martírio. Existem homossexuais que lidam muito bem ela, tendo uma vida sexual ativa saudável (1), responsável e amorosa (1).

Quando você fala em martírio, penso imediatamente no preconceito que existe em torno das relações sexuais homoafetivas. Nós, espíritas, também somos tratados de forma preconceituosa quando nos acusam de termos parte com o demônio (2), praticar magia negra e tantas outras sandices (3) que somente gente ignorante e fanática é capaz de engendrar.

Concordo com você quando diz que não devemos infligir aos homossexuais (nem a ninguém) qualquer tipo de tortura psicológica. Porém, penso que insinuar que as relações sexuais homoafetivas são contrárias à lei natural é uma forma sutil de tortura psicológica; é uma forma de impor-lhes um fardo desnecessário! (4)

Abri um tópico intitulado "O que é a Lei Natural?" para tentar entender esta condenação que existe em torno do envolvimento sexual entre pessoas do mesmo gênero, mas confesso que, de todas as respostas que lá estão até hoje (há, inclusive, duas participações suas), não há uma única que sirva de embasamento a uma tal postura condenatória. A resposta que mais me satisfez (do companheiro antevazin) foi a de que a Lei Natural encontra-se resumida na máxima de Jesus: "Amai ao próximo como a si mesmo e a Deus sobre todas as coisas."

Será que você (ou algum outro companheiro) pode ser mais específico e dizer o motivo pelo qual a prática sexual entre pessoas do mesmo gênero é contrária à Lei Natural? (5)

Fazer a pergunta acima no tópico "O que é a Lei Natural?" talvez fosse desvirtuar-lhe o direcionamento. Mas, no presente tópico, não há qualquer razão para fugirmos a esse aprofundamento.

Desejando-lhe sinceramente tudo de bom,
Vou ficando por aqui.

Abraços!  :)

(1) Que amor é esse né Natureza, desse povo que não respeita nem os espermatozóides? Aliás, são vidas também, que geram vidas e vidas. Povoão um mundo e ainda podem exteriorizar tantas outras belezas.

(2) As doutrinas do demônio? Pois é, por uma ánalise bem detalhada, tudo que esta entre os mortos, faz relação com o inferno né?

(3) Mas não sejão preconceituoso assim também né. Afinal, tudo tem associação com o espiritismo. Em revista espírita, dezembro de 1968, Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec) menciona assim:

"... eis o credo, a religião do Espiritismo, religião que pode conciliar-se com todos os cultos, isto é, com todas as formas de adorar a Deus."

Sabe que pesquisei isso e obtive que se o sujeito quiser matar em nome de Deus ele estará sendo o "senhor dos exércitos" ou "espírito mau da parte de Deus". Se ele quiser mentir "espírito de falsidade". Se quiser fazer o mal "espírito maligno" ou "espírito mau". E se ele quiser ainda matar em nome da besta "espírito à imagem da besta". Se ele quiser ser anti cristo "espírito do anti cristo". É de citar que Deus é um espírito o que explica que todos os espíritos da bíblia são providos de Deus e de Deus, os mortos. Por isso a parte com o demônio é so falta de interpretação dos próprios espíritas, afinal, Deus criou as trevas, tem mau em si e promove homicídios! Não seriam sandices mais uma interpretação maior, não leitura superficial.

(4) Mas afinal, homossexualidade é prova, expiação, o que é? Se não pode corrigi-lo para o sentido natural, deixa-o assim? Até que o exemplo não bata a porta de casa, todos fazem o papel de bom samaritano. Conheço casos de quem dissesse amar e defender o homossexualismo, até que o casal de filhos se revelou homossexuais. Todos os pais querem os filhos, progenizando filhos. É o sentido natural. Estaria o homem achando que homossexualismo é um tipo de controle de natalidade? Caridade com os desabrigados e crianças abandonadas? Por uma breve pesquisa, o perfil dos pedidos na delegacia da infância e juventude é sempre de crianças claras de olhos claros. Mas o que se observa, é que abandono não tem só crianças claras de olhos claros e sim muitos negros. Ainda que haja um número de crianças assim, enorme!

Abandono de incapaz é prova imposta pelo espiritismo?

(5) Pois é , você mesmo respondeu: prática sexual entre pessoas do mesmo gênero é contrário à lei Natural (geral). Portanto embaraça a Natureza. Agora analise o que é o significado de embaraçar. 

O sentido é reprodução, reproduzir, gerar sementes para evolucionismo. Fazer gerar mais pessoas que expressem opiniões, estudos, pontos de vista, análises, interpretações. O sentido lógico da criação é compreendido por raciocínio e pensamento. É lógica. Sem lógica, sem processadores! Sem processadores, sem computador. Não há reverso em lógica. A criação é toda provida de lógica. Sempre para o bem. Eu não faria algo que não pudesse promover aqueles que aqui estão sem gerar descendentes e descendentes. É a continuação do mundo. Um Planeta Terra dura muito mais que bilhões de anos. Dessa forma como esta não sei se chega a muito tempo não, mas sem guerra, vai muitíssimo longe! O foco é estudo. Se eu coloco a ciência para estudar outros perfis, pode estar se desequilibrando em outros.   
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 08 de Janeiro de 2013, 01:33
Vidaeterno,

Aquilo que os filósofos chamam de "Problema do Mal" é, com toda certeza, um tema interessante para se debater. Penso até que já deva ter sido abordado neste fórum. Mas, por uma questão de organização, vamos procurar nos ater ao tema central deste tópico.

Trazer a Ciência para a discussão seria mais produtivo, já que o próprio Kardec nos aconselhou a seguí-la, mesmo que ela contrariasse algum postulado doutrinário. Naturalmente, a razão deve nos servir de guia neste processo! E sejamos cuidadosos nas interpretações, a fim de evitarmos extrapolações indevidas.

Sexo anal não é sinônimo de relação sexual homoafetiva. Já disse num post anterior que, se a Ciência constatar inequivocamente que o sexo anal ocasiona severos danos ao organismo, devemos fazer uma campanha (alertando homens e mulheres!) contra tal conduta. Mas a prática homossexual envolve outras formas de expressão, e aí dever-se-ia ver se a Ciência também condenaria essas outras práticas, como o sexo oral, a masturbação recíproca etc.; e, se todos seguissem a Ciência e esta somente validasse a penetração vaginal pelo pênis, penso que um grande percentual dos casais heterossexuais do planeta iria se sentir mais triste do que atualmente com uma tal prática sexual dita científica!

O parágrafo acima, até agora em nossa discussão, pertence ao terreno das suposições. Assim, gostaria de lhe pedir para indicar algum artigo científico (infelizmente, depois do recesso natalino, meu tempo tem se tornado mais escasso devido a minhas obrigações pessoais e não teria tempo de ler nem monografias, nem dissertações de mestrado e muito menos teses de doutorado - os artigos científicos são mais sintéticos) que deixasse claro essa sua tese de que o sexo anal deve ser evitado.

Gostaria de ouvir algum comentário seu à análise que eu fiz acerca daquela pesquisa que você apresentou anteriormente sobre a incontinência anal. Em que você discordaria nos pontos que realcei?

Qual foi o critério de busca que você utilizou para achar "mais de 10.000 teses ao redor do mundo que mencionam uma inversão de personalidade (psiquiatria/psicologia) quanto ao homossexualismo"? Em que base de dados você realizou tal busca? Indique-me aqui também, por favor, o artigo que você achou mais interessante.

Comprometo-me a analisá-los cuidadosamente, dentro de minhas naturais limitações de tempo e conhecimento.

Como sempre: Abraço fraterno!  :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 08 de Janeiro de 2013, 01:56
Lineu,

Gostei muito do link (uma notícia a respeito da tese de doutorado da psicóloga Daniela Barbetta Ghorayeb) que você forneceu anteriormente (post #144). Muitíssimo útil. Um verdadeiro hino contra o preconceito! Todos deveriam ler essa notícia do Jornal da Unicamp. Imprimi a notícia e espero ter a oportunidade de rassaltar aqui alguns pontos oportunamente. Fico-lhe agradecido pela contribuição.

Espero, também oportunamente, escrever algumas considerações sobre seus comentários. Às vezes, sou mesmo meio lento para coordenar minhas ideias e pô-las no "papel". São muitos os insights e tenho que avaliar o que vale e o que não vale a pena ser trazido à discussão. Meu tempo se torna escasso, mas continuo acompanhando o andamento deste tópico, que considero importante justamente pelo potencial que apresenta aos que o leem de eliminar um preconceito e diminuir o sofrimento humano de um grupo social específico.

Abraços!  :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 08 de Janeiro de 2013, 04:53

Trazer a Ciência para a discussão seria mais produtivo, já que o próprio Kardec nos aconselhou a seguí-la (1), mesmo que ela contrariasse (2) algum postulado doutrinário. Naturalmente, a razão deve nos servir de guia neste processo! E sejamos cuidadosos nas interpretações, a fim de evitarmos extrapolações indevidas.

(1) Será mesmo?

"O espiritismo, marchando com o progresso, jamais será ultrapassado porque, se novas descobertas demonstrassem estar em erro sobre um certo ponto, ele se modificaria sobre esse ponto (1); se uma nova verdade se revelar, ele a aceitará."(2) - (*)

A gênese / Página 59

(2) E onde a ciência contrariaria o postulado doutrinário Wim? Qual será o cientísta que vai revela que a doutrina espírita esta errada para ela se modificar? Haveria nova impressão (edição revisada) dos livros? E quem já os leu e morreu, como fica? E quem morreu e já reencarnou de novo?

Que eu saiba, a primeira impressão dos livros foram feitos e nunca mudados, apenas traduzidos. A ciência galgando novas descobertas e a doutrina não está se modificando em determinados aspectos? Tem algo de errado nisso né Wim?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Wim em 08 de Janeiro de 2013, 11:22

Trazer a Ciência para a discussão seria mais produtivo, já que o próprio Kardec nos aconselhou a seguí-la (1), mesmo que ela contrariasse (2) algum postulado doutrinário. Naturalmente, a razão deve nos servir de guia neste processo! E sejamos cuidadosos nas interpretações, a fim de evitarmos extrapolações indevidas.

(1) Será mesmo?

"O espiritismo, marchando com o progresso, jamais será ultrapassado porque, se novas descobertas demonstrassem estar em erro sobre um certo ponto, ele se modificaria sobre esse ponto (1); se uma nova verdade se revelar, ele a aceitará."(2) - (*)

A gênese / Página 59

(2) E onde a ciência contrariaria o postulado doutrinário Wim? Qual será o cientísta que vai revela que a doutrina espírita esta errada para ela se modificar? Haveria nova impressão (edição revisada) dos livros? E quem já os leu e morreu, como fica? E quem morreu e já reencarnou de novo?

Que eu saiba, a primeira impressão dos livros foram feitos e nunca mudados, apenas traduzidos. A ciência galgando novas descobertas e a doutrina não está se modificando em determinados aspectos? Tem algo de errado nisso né Wim?


Vidaeterno,

Rever algum ponto doutrinário não significa adulterar o que Kardec escreveu! Se há quem tenha tal costume (o da adulteração de textos), não devemos nós, espíritas, imitá-los em tal conduta.

Abraços!  :)
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 09 de Janeiro de 2013, 18:36

Trazer a Ciência para a discussão seria mais produtivo, já que o próprio Kardec nos aconselhou a seguí-la (1), mesmo que ela contrariasse (2) algum postulado doutrinário. Naturalmente, a razão deve nos servir de guia neste processo! E sejamos cuidadosos nas interpretações, a fim de evitarmos extrapolações indevidas.

(1) Será mesmo?

"O espiritismo, marchando com o progresso, jamais será ultrapassado porque, se novas descobertas demonstrassem estar em erro sobre um certo ponto, ele se modificaria sobre esse ponto (1); se uma nova verdade se revelar, ele a aceitará."(2) - (*)

A gênese / Página 59

(2) E onde a ciência contrariaria o postulado doutrinário Wim? Qual será o cientísta que vai revela que a doutrina espírita esta errada para ela se modificar? Haveria nova impressão (edição revisada) dos livros? E quem já os leu e morreu, como fica? E quem morreu e já reencarnou de novo?

Que eu saiba, a primeira impressão dos livros foram feitos e nunca mudados, apenas traduzidos. A ciência galgando novas descobertas e a doutrina não está se modificando em determinados aspectos? Tem algo de errado nisso né Wim?


Vidaeterno,

Rever algum ponto doutrinário não significa adulterar o que Kardec escreveu! Se há quem tenha tal costume (o da adulteração de textos), não devemos nós, espíritas, imitá-los em tal conduta.

Abraços!  :)

Eu já vi, variações da tradução na doutrina espírita em alguns livros.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 10 de Janeiro de 2013, 14:42
Vida,
em que livros você notou a tal variação?
Se o amigo não explicar, vamos entender de que não se tratam de livros de doutrina.
Se não o forem, não há problema algum em que o autor as faça, mesmo q errando.
abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 13 de Janeiro de 2013, 04:38
Vida,
em que livros você notou a tal variação?
Se o amigo não explicar, vamos entender de que não se tratam de livros de doutrina.
Se não o forem, não há problema algum em que o autor as faça, mesmo q errando.
abraços,
Moura


Trazer a Ciência para a discussão seria mais produtivo, já que o próprio Kardec nos aconselhou a seguí-la (1), mesmo que ela contrariasse (2) algum postulado doutrinário. Naturalmente, a razão deve nos servir de guia neste processo! E sejamos cuidadosos nas interpretações, a fim de evitarmos extrapolações indevidas.

(1) Será mesmo?

"O espiritismo, marchando com o progresso, jamais será ultrapassado porque, se novas descobertas demonstrassem estar em erro sobre um certo ponto, ele se modificaria sobre esse ponto (1); se uma nova verdade se revelar, ele a aceitará."(2) - (*)

A gênese / Página 59

(2) E onde a ciência contrariaria o postulado doutrinário Wim? Qual será o cientísta que vai revela que a doutrina espírita esta errada para ela se modificar? Haveria nova impressão (edição revisada) dos livros? E quem já os leu e morreu, como fica? E quem morreu e já reencarnou de novo?

Que eu saiba, a primeira impressão dos livros foram feitos e nunca mudados, apenas traduzidos. A ciência galgando novas descobertas e a doutrina não está se modificando em determinados aspectos? Tem algo de errado nisso né Wim?


Vidaeterno,

Rever algum ponto doutrinário não significa adulterar (1) o que Kardec escreveu! Se há quem tenha tal costume (o da adulteração de textos), não devemos nós, espíritas, imitá-los em tal conduta.

Abraços!  :)



Não é preciso ir muito longe Mourarego. É só consultar a pesquisa, do próprio fórum e analisar como há quem também tenha essas observações:

Link (1.º): http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-espiritos/livo-dos-espiritos-o-porque-de-uma-nova-traducao/

outro link (2.º):

http://www.orkut.com/Main#CommMsgs?na=4&nid=495527-5667417855476382400-5670048062775607676&nst=9&tid=5667417855476382400&cmm=495527&hl=pt-BR

(1) O que notei muito nos comentários é a palavra "adulteração", principalmente no livro a genese. No primeiro link, um forista chamado "edmar f jr" menciona no post #7:

"A Gênese é um exemplo bem conhecido de adulteração com supressão de parágrafos inteiros."

No segundo link o usuário "Anônimo - 29/10/2011" menciona:

"Qto à Gênese, é um livro importantíssimo que eu fui obrigado a traduzir, usando minha 3ª ed. francesa porque a da FEB estava completamente adulterada, onde o sr. Guillon Ribeiro trocou todos os textos contrários ao docetismo roustaingistas por outros criados por ele a favor a sua doutrina, da FEB, que nada tem de espírita."

Como é um assunto fora do tópico, forneci o link (1.º) para fazer um adendo, onde há necessidade de promover uma discussão. É um assunto de 2 meses atrás, mas parece, que tenhão-no esqueçido. Se há necessidade de tradução e estar a mercê da adulteração, porque a doutrina espírita, não deu certo na França?
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 13 de Janeiro de 2013, 15:51
Caramba amigo Vida, falamos em adulterações por aqui neste tópico?
A Gênese fala em homossexualidade?
Amigo tente antes não sair do foco, senão a coisa vira samba do crioulo doido.
E sim houve adulteração e comprovada por latinista e conhecedor do francês, este que traduziu a mesma obra e quem eu conheço bem e muito.
Mas a adulteração e supressão, nada têm a ver com o tema, mas sim com a flagrante falta de respeito para com a obra kardeciana.
Mano para se entrar em tema como este melhor chamar-se u novo tópico pois que a sua colocação nada tem a ver com este tópico.
antes amigo, conheça bem o tema, e quem se coloca em, contrário, para que, depois, possa avaliar com isenção.
abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 14 de Janeiro de 2013, 08:42
Caramba amigo Vida, falamos em adulterações por aqui neste tópico?
A Gênese fala em homossexualidade?
Amigo tente antes não sair do foco, senão a coisa vira samba do crioulo doido.
E sim houve adulteração e comprovada por latinista e conhecedor do francês, este que traduziu a mesma obra e quem eu conheço bem e muito.
Mas a adulteração e supressão, nada têm a ver com o tema, mas sim com a flagrante falta de respeito para com a obra kardeciana.
Mano para se entrar em tema como este melhor chamar-se u novo tópico pois que a sua colocação nada tem a ver com este tópico.
antes amigo, conheça bem o tema, e quem se coloca em, contrário, para que, depois, possa avaliar com isenção.
abraços,
Moura

Calma Mourarego, releia:

"Como é um assunto (livo-dos-espiritos-o-porque-de-uma-nova-traducao) fora do tópico (Homossexualidade na visão espírita), forneci o link (1.º) para fazer um adendo, onde há necessidade de promover uma discussão. É um assunto (livo-dos-espiritos-o-porque-de-uma-nova-traducao) de 2 meses atrás, mas parece, que tenhão-no esqueçido (# 154). Se há necessidade de tradução e estar a mercê da adulteração, porque a doutrina espírita, não deu certo na França?"
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Mourarego em 14 de Janeiro de 2013, 14:33
Mas neste tópico não se tratando nem de longe, sobre traduções, não há oque se falar a respeito sem que se mude o foco.
abraços,
Moura
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: vidaeterno em 14 de Janeiro de 2013, 17:52
Fiz um breve comentário Moura. Já tinha notado divergência nas traduções em outros manuscritos doutrinário espírita; mas esse é outro assunto.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: Paulo H. em 29 de Abril de 2014, 05:17
Chama a atenção a abundância de tópicos sobre a visão espírita da homossexualidade, isso porque o que menos há no Espiritismo é uma visão sobre o homossexualismo.

Esse paradoxo se resolve numa explicação nada tranquilizadora: a vontade de atribuir à Doutrina Espírita um posicionamento sobre o assunto. Como, de fato, não há um tal posicionamento, cuida-se, então, de dar ares de Espiritismo àquilo que não pertence à Doutrina Espírita, mas sim às ideologias em voga nesta temática.
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: lineu em 29 de Abril de 2014, 13:11
Citação de: Paulo H.
Esse paradoxo se resolve numa explicação nada tranquilizadora: a vontade de atribuir à Doutrina Espírita um posicionamento sobre o assunto.

De pleno acordo, caro Paulo.

Nenhum preceito do Espiritismo refere-se ao homossexualismo como prática natural.

Qualquer tentativa no sentido de atribuir à doutrina espírita um posicionamento favorável à prática de relação sexual entre pessoas do mesmo sexo só pode ser interpretada como um efeito de vontade equivocada...

Consequente de ingênua pieguice ou deplorável hipocrisia.

***
Título: Re: Homossexualidade na visão espírita
Enviado por: lconforjr em 29 de Abril de 2014, 20:02

..............

      Amigos, na tentativa de ter uma "fé raciocinada", pergunto:

      Afinal, quem deu ao homem o desejo sexual, os hormônios que o sustentam, a possibilidade de se exacerbar e de se resolver em ações absurdas que a vida nos mostra? Quem deu ao homem tudo o que ele é?

............