Forum Espirita

GERAL => Sexualidade => Psicologia & Espiritismo => Homossexualidade => Tópico iniciado por: AromadAlma em 12 de Outubro de 2007, 11:26

Título: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: AromadAlma em 12 de Outubro de 2007, 11:26
É difícil falar das experiências que não vivenciámos. Contudo, não preside a isto a ideia de condenar, mas sim de compreender e fundamentalmente Saber Educar.

Quando falamos em homossexualidade não podemos dissociar-nos da liberdade de consciência e do espírito, pois entre eles existe uma forte ligação biunívoca. Os mídia têm abordado com insistência o comportamento sexual do homem, face aos altos índices de desvario. As abordagens colocam questões de natureza psicológica, emocional, orgânica e biológica, na procura de respostas para estes problemas da sexualidade. Não é uma temática nova, entretanto, está longe de resolução, pelo homem dito da ciência materialista, em que esta, já não tem razão de existir, após Einstein. Ainda não aceitam ou não querem, melhor dizendo, o «homem integral» com a sua responsabilidade como espírito reencarnado e filho e herdeiro de Deus, com a missão de aperfeiçoar-se rumo à angelitude.

            Os geneticistas têm tentado encontrar genes que explicariam este  problema, como sendo um desvio de comportamento sexual. Outra  corrente,  na  psiquiatria,  tenta  encontrar enzimas  cerebrais que influenciariam no comportamento  sexual. Dizem também, os melhores sexólogos, que é uma preferência sexual. Mas sabemos que  é uma  experiência  a que o espírito se impõe, ou a que vem por imposição, causada  por  uma  conduta  anterior, na qual não soube manter o seu equilíbrio.

            Nada tem esta tendência a ver com mudanças morfológicas de sexo, por parte do espírito sexualmente caracterizado, existindo inúmeros casos de reencarnações em que ocorrem mudanças de sexo, não causando a homossexualidade a estes espíritos.

            O assunto é delicado. Como identificar as suas causas? Só assim se pode tentar minimizar os seus efeitos, com o apoio duma nova postura da psicologia e da sexologia diante destas novas experiências, pois tudo indica que seja uma temática de foro espiritual. Nesta faixa em que o espírito se  movimenta, estamos diante  de  um  processo  de evolução. Aqui o ser terá que tentar não desperdiçar esta oportunidade, mas para isso terá que entendê-la.         

            Enquanto espíritas, não temos condições de recriminar quem quer que seja por seus comportamentos individuais e colectivos. Compete-nos, isso sim, alertar, esclarecendo, porque a aplicação desvairada do sexo à luz da vida e do amor é assunto pertinente à consciência de cada criatura, recordando que todos trazemos as nossas imperfeições.

            Passamos e passaremos por múltiplas reencarnações, quer com vestes somáticas femininas e masculinas. Isso explica a bissexualidade em muitos. O indivíduo ao reencarnar trará consigo as feições sexuais que mais pesarem ao longo do processo evolutivo. Compete-lhe evoluir. E porquê? Por causa do aprendizado que deverá assimilar, já que cada somatologia oferece educação, deveres  especiais e novas experiências, pois têm tarefas, características e sensibilidades diferentes, e como o espírito é o mesmo, este só atingirá o seu grau de evolução terreno quando souber reencarnar-se em ambos os sexos indistintamente, aprendendo desta forma, todos os estádios que a vida lhe proporciona. Aquele que fosse sempre homem só saberia o que sabem e sentem os homens, decerto que não entendia o nobre valor da maternidade.

            A sede real do sexo não se acha no veículo físico, mas no espírito, na sua estrutura complexa. A forma individual em si obedece ao reflexo mental dominante, notadamente no que se reporta ao sexo, manifestando-se o ser com os distintivos psicossomáticos de homem ou de mulher segundo a vida íntima, através da qual se mostra com as qualidades espontâneas acentuadamente activas ou passivas. A alma guarda a sua individualidade sexual intrínseca, a definir-se na feminilidade e na masculinidade conforme as características passivas ou claramente activas que lhe sejam próprias.

(continua)

 
     

       


Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: AromadAlma em 12 de Outubro de 2007, 11:29
(continuação)

           O sexo, é uma ponte que liga o homem a um despertar da consciência individual, estando ao serviço da felicidade e da harmonia do universo, sendo este espírito e vida. Muitos ainda não alcançaram o entendimento de que o sexo é uma  força essencialmente libertadora. Este, define-se por um atributo não somente digno de respeito, mas fundamentalmente uma graça divina da natureza, exigindo educação e controlo. Pelo sexo dimanam forças geradoras poderosas, às quais devemos neste planeta a divina reencarnação, o templo do lar, as alegrias revitalizadoras do amor, a riqueza inapreciável dos estímulos espirituais e as bênçãos de uma família. Desse contacto  recíproco, em que cada qual deve dar-se para possuir, surge o jogo de forças morais capaz de  transformar, sublimando as características individuais.
            O espírito que vem vivendo do sexo pelo sexo vive em experiência ilusória, e não vê o sexo como uma porta de divina nobreza, mas sim como um gueto de miséria, de dissolução, de desvario, arruinando seus irmãos e a si próprio, confundindo o amor com paixão e instinto sexual a qualquer custo. Tais indivíduos, ao passarem para o plano espiritual pelo desencarne, e mesmo quando encarnados, tornam-se presas de obsessores, que visam implantar o sexo como lema, vampirizando-os. Reencarnam em  novas experiências, uma das quais é a homossexualidade. Amargam então uma  existência de humilhações e de solidão,  e, para aprenderem, a misericórdia divina, que somente sabe amar e nunca punir, dá infinitas oportunidades ao espírito para se reajustar e reequilibrar-se. Assim, este espírito é induzido amorosamente pelos benfeitores espirituais a reencarnar num corpo com um sexo contrário ao que teve antes, para reajuste dos seus sentimentos mais subtis. Outras vezes, é o próprio espírito que, com os instrutores espirituais, roga a tão desejosa oportunidade de se modificar através deste processo reencarnatório. No entanto, em qualquer caso ele (espírito) nunca está só.

            Sem dúvida que o controlo dos impulsos sexuais não é uma tarefa fácil: exige disciplina, vontade férrea, superação de dificuldades presentes e vínculos provenientes de outras existências, mas é uma luta necessária na procura do equilíbrio, fazendo parte integrante da auto-educação que compete ao espírito, individualmente, realizar. E, a característica principal do espírito é a sua liberdade. Fausto eterno, insatisfeito com a realidade que o cerca, ávido de romper as barreiras do seu ser e do seu meio, vive na ânsia incontida de sair de si, de descobrir outros ambientes, outros mundos... E, se pode agir sobre os determinismos do organismo, é porque há nele um princípio super-orgânico que é uma potência de liberdade. Sejam, embora esses determinismos impostos pela hereditariedade, instintos ou hábitos, do passado ou do presente. E se os vence, contrariando-os, fá-lo, muitas vezes, por um valor mais alto, para dar um sentido à vida moral, intelectual, à sua perfectibilidade. Não era sem razão que os antigos gregos atribuíam ao espírito o grau mais elevado da energia e do poder. Energia e poder que o espírito encontra na transformação das tendências e na sublimação da energia instintiva em actividade espiritual, por esforço próprio.


    O Consolador prometido por Jesus, através da sua terapia balsâmica, racional e espiritualizante, faculta ao homem a vitória, porque lhe revela as inúmeras potencialidades que ele tem, e espera, com a imortalidade - o nascer, viver, morrer e renascer de novo e progredir sempre -, o encontro com o amor, esse sublime sentimento que une as criaturas na caminhada ascensional.     

Perguntámos se  estes  seres tem o direito de experimentar o amor, de experimentar  o sexo. Compete aos indivíduos responderem conscientemente - (com + ciência) -, com sabedoria. O  espiritismo edifica posturas comportamentais. Cada indivíduo terá que justificar a sua  atitude,  no  entanto,  uma   lei   é incontestável:  temos o dever de nos respeitarmos e de respeitarmos  o nosso semelhante. Não está em causa qualquer sintomatologia ou patologia, mas uma experiência de vida. A postura mental e a conduta sexual é que irão estabelecer a moralidade ou a imoralidade destas experiências individuais, sejam homo ou heterossexuais.

(continua)
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: AromadAlma em 12 de Outubro de 2007, 11:30
(continuação)

Terminamos com uma pergunta feita a Chico Xavier(1): Como o Espiritismo encara o problema da homossexualidade? Qual  a melhor atitude da sociedade frente a essa ocorrência?

 “Acreditamos que o tempo  e  a  compreensão  humana  traçarão normas sociais  susceptíveis  de  tranquilizar  quantos  se  vinculam  a semelhante segmento da comunidade,assegurando-se-lhes  a  benção  do trabalho com o respeito devido a todos os filhos de Deus.”
“Até que isso se concretize, não vejo pessoalmente  qualquer  motivo para criticas  destrutivas  e  sarcasmos  incompreensíveis  para  com nossos irmãos e irmãs portadores de tendências homossexuais,  a  nosso ver, claramente iguais as tendências heterossexuais  que  assinalam  a maioria das criaturas  humanas.  Em  minhas  noções  de  dignidade  do espírito, não consigo entender porque razão esse ou aquele preconceito social impedira certo numero de pessoas de trabalhar e de serem  úteis a vida comunitária, unicamente pelo fato de haverem trazido  do  berço características psicológicas e fisiológicas diferentes da maioria.” “Nunca vi mães e pais, conscientes da  elevada  missão  que  a  Divina Providencia lhes delega, desprezarem um filho porque haja nascido cego ou mutilado.  Seria  humana  e  justa  nossa  conduta  em  padrões  de menosprezo e desconsideração, perante nossos  irmãos  que  nascem  com dificuldades psicológicas?”

Luís de Almeida 

(1)-«Lições  de Sabedoria», Chico Xavier.
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Marden em 02 de Abril de 2009, 18:46
Não acho que seja nem um nem outro, mas uma questão como tantas outras, que o ser humano que a adota mais dia, menos dia, encontrará uma conclusão que há de lhe satisfazer.
Existem outras questões muitas de importancia muito maior para a nossa solução e que às vezes passamos por cima.

O que atrapalha a discussão desse assunto de um lado são os tabus e preconceitos, de outro a liberdade que exacerba e extrapola o senso de responsabilidade.

Pra mim só mais uma questão.
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: mestrerocha em 06 de Setembro de 2010, 17:30
Parabens pela excelente abordagem!

No meu entendimento, cada individuo que nasce com essa tendência, deve procurar ser feliz de acordo com sua consciência, ora sendo no trabalho edificante, sublimando os seus desejos para um bem maior. Ou procurar não ser promiscuo, em suas relações, e viver o verdadeiro amor entre duas pessoas do mesmo sexo.
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Ace em 06 de Setembro de 2010, 18:37
Há quem goste de homem, há quem goste de mulher, qual o problema? Desde que se tomem as devidas precauções, todos podem ser felizes, e merecem, né?

Abraços.
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Régis Franco em 06 de Setembro de 2010, 19:01
Cara irmã AromadAlma,

Achei interessante seu artigo. Gostaria que comentasse um pouco mais o trecho: "Tais indivíduos, ao passarem para o plano espiritual pelo desencarne, e mesmo quando encarnados, tornam-se presas de obsessores, que visam implantar o sexo como lema, vampirizando-os."

De onde provém essa informação? Algo na Doutrina que mencione ou indique isso?

Peço gentilmente (se me permite) que se tome muito cuidado com esse tipo de comentário. Isso pode assustar pessoas menos esclarecidas, ou até mesmo causar sentimento e terror, o que não é nada bom.

Me desculpe, minha intenção não é criticar, absolutamente. Apenas prevenir emissões mentais de frequencias menores...

Abraços fraternos,

Régis
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Monstrinho em 06 de Setembro de 2010, 19:03
Olá,

Esse artigo foi escrito por um encarnado ou por um desencarnado??

Parece que a visão que ele tem sobre sexo e homossexualidade não tem nada a ver com a visão da Doutrina Espírita :o



            A sede real do sexo não se acha no veículo físico, mas no espírito, na sua estrutura complexa

. A forma individual em si obedece ao reflexo mental dominante, notadamente no que se reporta ao sexo, manifestando-se o ser com os distintivos psicossomáticos de homem ou de mulher segundo a vida íntima, através da qual se mostra com as qualidades espontâneas acentuadamente activas ou passivas. A alma guarda a sua individualidade sexual intrínseca, a definir-se na feminilidade e na masculinidade conforme as características passivas ou claramente activas que lhe sejam próprias.

(continua)


Não se acha no veículo físico?? Se acha no Espírito? :o Meu amigo, os Espíritos não têm sexo, logo, o sexo é uma demanda dos mundos materiais com o objetivo de reproduzir/perpetuar a espécie.

E também essa característica ativa e passiva que marca o Espírito, durante as suas várias reencarnações, ora como homem ora como mulher, não é exclusiva do Espírito, mas ele as traz do mundo material, quando, estando encarnado como homem ou como mulher, adquiriu esse ou aquele psiquismo e também apegos sexuais.

Parece absurdo isso, porque criou-se, no Movimento Espírita, a idéia de que “o mundo físico é um pálido reflexo, uma cópia imperfeita e mal acabada do mundo espiritual.”

Essa sim, é uma idéia absurda e questionável, pois, sendo o Mundo Espiritual, o mundo primitivo e normal,  preexistente e sobrevivente a tudo, eterno (Allan Kardec), ele não guarda nenhuma semelhança com os mundos materiais, ainda que sejam os mundos felizes.

Gente, o mundo espiritual não é a erraticidade, o estado entre uma e outra reencarnação dos diversos mundos

- primitivos
- de provas e expiações
- de regeneração
- felizes e...

“Mundos divinos”.

Até aquele “mundo feliz” ali, o que se dá é o Espírito reencarnando em mundos mais ou menos materiais.

O “Mundo Divino”, ou simplesmente “Mundo Espírita” ou “Mundo Espiritual” está fora do tempo e do espaço, fora de qualquer dimensão temporal ou espacial gente!!! É o Espírito completamente liberto da matéria e de suas idéias ilusórias.


Sobre a Homossexualidade como Prova para o Espírito.

Gente, raciocinemos... Se tudo nos Mundos de Provas e Expiações ou são provas ou são expiações, logo, a homossexualidade é uma prova.

Em que consiste essa prova?? Vamos lá... Os Espíritos não têm sexo, logo ele não é filho, filha, pai ou mãe. O que acontece é que o Espírito encarna, escolhe uma dessas personagens para cumprir sua prova e volta para o “mundo espiritual” acreditando que é uma mulher ou um pai, um macho ou uma fêmea da espécie homo sapiens.

E a prova da Homossexualidade?

 Vou lhes dar um exemplo: o Espírito nasceu durante várias reencarnações para viver a personagem “mãe” ou “mulher”, de tal forma que ele criou a ilusão de que é uma mulher ou uma mãe. Aí ele mesmo pede a prova "ser “homem”", renascer em corpo de homem a fim de desfazer aquela ilusão anterior.

É uma ilusão tão forte, que o Espírito mesmo em corpo de homem ainda acredita ser mulher, que são os chamados “travestis”. A própria Psiquiatria chegou á conclusão de que “o travesti é um homem que tem um psiquismo de mulher”.

Veja só que interessante, “um homem que pensa como uma mulher”  (Pensa que é mulher!)

É uma grande ilusão. Ou seja, o Espírito chegou num ponto de acreditar que é uma mulher e não um Espírito que agora, mesmo encarnado em corpo de homem, ainda acredita que é mulher.

Enquanto no movimento espírita se continuar acreditando que Espíritos são Homens ou Mulheres, a coisa fica complicada.

Espírito não tem:

- sexo
- cor da pele
- estória pessoal
- corpo (seja físico, astral, mental, tudo isso é ilusão)

==> O sexo portanto, é uma demanda material para a reprodução e perpetuação da espécie e a homossexualidade é uma prova como outra qualquer.

É isso.

Abcs,

Renato

 
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: S0L em 06 de Setembro de 2010, 19:22
Se lembrarmos dos primórdios da humanidade, a homossexualidade era o padrão e a heterossexualidade e monogamia, eram o diferente.
Muitos de nós lá estivemos,provavelmente.

E a nível natureza, quantas espécies mantém relação com criaturas do mesmo sexo...não tem fundamento achar que o indivíduo homo afetivo tem "problema".

O que observo neste tema, é que ainda pode existir muito preconceito inconsciente talvez até com existências pregressas , sentimentos de culpa até conosco mesmos advindos destas épocas remotas.Quem sabe?É uma hipótese.

Mas fato é que caráter e promiscuidade não dependem de gênero.Basta ver a grande maioria do mercado pornográfico que é heterossexual.

O que devemos é atentar para nossa evolução neste sentido, de prezar a fraternidade, compreensão e humildade.Equilíbrio nas relações, é saudável.Independente da orientação sexual.E a prova que o indivíduo tem de passar, ele vai passar.Seja nesta existência, seja em outra...

Todos os adeptos aos vícios são presas mais fáceis dos obssessores. Mas isto se aplica a qualquer espírito com sintonia mais densa, apegado ao físico, aos prazeres ;vícios morais ou químicos.

Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Régis Franco em 06 de Setembro de 2010, 19:28
Muito interessante SOL. Poderia "abrir" um pouco mais "vícios morais e químicos"?
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: S0L em 06 de Setembro de 2010, 19:34
Vícios morais que eu quis dizer são nossos defeitos que negamos e não elaboramos. Inveja, raiva, maledicência,orgulho,vaidade,egoísmo,sentimento de vingança,etc.

Vícios químicos diz respeito ao exógeno mesmo; álcool, drogas , cigarro, remédios, sexo, comida...enfim, vício em alguma substância ou comportamento compulsivo.
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Régis Franco em 06 de Setembro de 2010, 19:37
Muito obrigado !!!
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Monstrinho em 06 de Setembro de 2010, 23:49
Vícios morais que eu quis dizer são nossos defeitos que negamos e não elaboramos. Inveja, raiva, maledicência,orgulho,vaidade,egoísmo,sentimento de vingança,etc.

Vícios químicos diz respeito ao exógeno mesmo; álcool, drogas , cigarro, remédios, sexo, comida...enfim, vício em alguma substância ou comportamento compulsivo.

Olá,

Na verdade esses dois tipos vícios podem reduzir-se a um somente: apegos sejam materiais, morais ou sentimentais. 

Se o sexo já uma espécie de apego; se ser pai ou mãe através do sexo já constitui uma prova para o Espírito, imagine o Espírito na prova da homossexualidade??

Se o heterossexual que está chafurdado no desejo de sexo sucumbe na prova de natureza sexual, que dizer do homossexual?? :o

Vamos deixar mais clara essa questão: o Espírito está seduzido com a idéia de sexo. Teve nas suas 10 últimas reencarnações, como provas, nascer no sexo masculino, e agora acredita que é um macho da espécie homo sapiens. Ora, qual é a sua prova?? A sua prova é renascer para ele lutar contra essa idéia. Mas quando ele, uma vez encarnado, vê o seu corpo e olha os corpos das fêmeas de homo sapiens voltará a acreditar que é um macho dessa espécie e que a sua "missão" é fazer sexo com o máximo de fêmeas possível, seja sua esposa (s), amantes, namoradas etc.

Aí ele desencarna; retorna ao mundo espiritual e vê que sucumbiu novamente na prova. Qual é o problema dele? é que, toda vez que ele veste um roupagem de "macho homo sapiens" ele acredita nessa personagem e faz do sexo um prazer, a meta a ser alcançada, o que é uma grande ilusão.

Até que, esse Espírito resolve escolher uma outra prova para desfazer essa ilusão: ora, se ficar reencarnando indefinidamente em corpo masculino é causa do Espírito permanecer estacionário, se é isso que faz o Espírito pensar que ele é um homem e que a sua "missão" na Terra é se casar com uma ou várias fêmeas da espécie, qual é então a melhor prova para o Espírito desfazer essa ilusão senão reencarnando no sexo oposto?? :o

E então, ele, com aquela mentalidade de "macho da espécie" renasce num corpo feminino.

Agora, se ele, nesse corpo feminino ainda continua acreditando que é um "macho da espécie", aí a coisa complica e próximo passo desse Espírito é a expiação - talvez no hermafroditismo, na idiotia e outras.

Então, não adianta sair com esse discurso do "preconceito", para continuar acreditando que é macho quando se está num corpo feminino, ou acreditando que é fêmea quando se está num corpo masculino, por que isso é uma ilusão elevada ao quadrado, já que Espíritos não têm sexo!!!

Abçs,

Renato

 
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Adriano Michel em 10 de Setembro de 2010, 01:02
Boa noite.

Concordo com vocë monstrinho, a ilusão do preconceito está sendo espalhada principalmente pela midia, que quer chafurdar mais ainda o homem (espécie) com o objetivo de perdermos o nosso dissernimento quanto ao certo e ao  errado, com isto nos manteremos mais e mais tempo na ignorancia, deixando estacionados os degraus da evolução, mantendo por mais tempo o poder sobre uma sociedade que se encontra iludida.
Não devemos apoiar o homosexualismo ou bisexualismo, devemos dar todo o amor e o apoio a pessoas nesta condição.
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Wilson Tavares em 10 de Setembro de 2010, 02:26
Olá Renato.
Quem somos nós para condenar-mos alguem ?
Se Aquele a quem nos espelhamos, nos diz para que não julguemos ninguem.
Na verdade o espírito não tem sexo, e nós somos espíritos.
Um grande abraço.
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Monstrinho em 10 de Setembro de 2010, 02:36
Não devemos apoiar o homosexualismo ou bisexualismo, devemos dar todo o amor e o apoio a pessoas nesta condição.


Exato Adriano. Eu acho que não deveríamos "apoiar" a ninguém, porque esse tipo de "apoio" sempre pode suscitar no outro a idéia de que nós temos algum tipo de superioridade, uma vez que teríamos o "poder" de "apoiar" o outro, ou seja, sempre surge o ensejo para o homossexual perguntar: "ué, mas o heterossexual não precisa de ajuda, só nós?"  ;) Ou seja, aí seria uma hipocrisia da parte do heterossexual.  :o

Assim como cada um de nós cumpre um prova na heterossexualidade, há os que as cumprem também na homossexualidade. Tudo são provas.

O melhor jeito de evitar discriminação é este, como já foi colocado: "Espíritos não têm sexo". Essa tacada mata dois coelhos de uma vez só: de um lado vem acabar com a questão do preconceito, mas por outro também vem sopitar o discurso hipócrita do homossexual, que, mediante o discurso da "segregação sexista", quer com isso, legitimar suas práticas sexuais, que para o Espírito não tem relevância alguma, apenas para o corpo que goza os prazeres da carne. É isso que postula a Doutrina Espírita sobre essa questão.

Abçs,

 
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Williams Ramos em 10 de Setembro de 2010, 02:42
@Monstrinho
Espírito não tem sexo, mas o perispírito é um retrato de nossa situação evolutiva, afinidades, vontades e pesamentos.
Se um espírito sente afinidade com algum estado reencarnatório (alguma vida passada), ele poderá se materializar, agir de maneira parecida, mesmo estando no mundo espiritual. Em filmes e textos, os espíritos aparecem com algum gênero humano aparente, mesmo que não sinta atração por alguém do gênero humano oposto. Aí é que está a definição de sexo. Lógico que eles não precisam se reproduzir, mas a diferença de gêneros é aparente, pelo menos nas esferas às quais temos notícias.
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: belina em 10 de Setembro de 2010, 02:46
Olá a todos

Na minha opinião pessoal não é patológico. Condenar não temos esse direito.

Não posso deixar de dizer que meus melhores amigos, com um amor incondicional, com sentimentos profundos, mesmo quando espezinhados o sorriso do rosto não desaparece, trabalhadores, caridosos para com os mais necessitados e até para com quem os ofendem, são homossexuais.

Deixo em anexo um power point  sexo a luz do Espiritismo

Paz e Luz
Belina
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Monstrinho em 10 de Setembro de 2010, 02:52
Olá Renato.
Quem somos nós para condenar-mos alguem ?

Ninguém. Aliás, hoje há um grande questionamento por parte da própria Espiritualidade sobre o seguinte: quem é o Espírito humanizado para acusar o outro? Para dizer que o outro está lhe agredindo? Quem é o ser humano para criticar o outro se todos são nada mais que Espíritos encarnados cumprindo provas?

Ora, se os Espíritos não têm sexo, então que essa função seja exercida por aqueles que escolheram a prova da procriação, sejam como pais, mães ou filhos.

Dai a César o que é de César, e ao Espírito o que é do Espírito :o

Gente, eu não estou contra o sexo! Não estou contra homossexuais ou heterossexuais, apenas estou dizendo que a preocupação com o sexo diz respeito ao ser humanizado, que acredita ser corpo. Ao Espírito não diz respeito. Você não é o corpo, é o Espírito! Por que então essa preocupação exagerada com o sexo? (o sexo é do corpo, não é do Espírito. Eu não queria dizer isso, mas vou dizer: o sexo é uma ilusão.)


Mas eu vou citar de novo o Kardec para não restar dúvidas.


202 Quando está na erraticidade, o Espírito prefere encarnar no corpo de um homem ou de uma mulher?
– Isso pouco importa ao Espírito. Depende das provas que deve suportar. :o

☼ Os Espíritos encarnam como homens ou mulheres, porque não têm sexo. Como devem progredir em tudo, cada sexo, assim como cada posição social, lhes oferece provas, deveres especiais e a ocasião de adquirir experiência. Aquele que encarnasse sempre como homem apenas saberia o que sabem os homens.

Ou seja, cabe ao Espírito vivenciar a personagem sem no entanto acreditar que é ela. O Espírito é o Ator, ele quer uma coisa e o corpo quer outra.

O reencarnar em sexo oposto é uma boa prova para o Espírito se despegar do sexo. Aproveitem essa prova.


Jesus: "O Espírito é que vivifica, a carne de nada serve".

 

Abçs

 
Título: Re: Homossexualidade, Condenável? Patológico?
Enviado por: Williams Ramos em 10 de Setembro de 2010, 03:59
Ótimo arquivos de slides. Muito esclarecedor.

Cada dia fico mais feliz em estar aqui aprendendo com todos vocês, meus irmãos ^^