Forum Espirita

GERAL => Sexualidade => Psicologia & Espiritismo => Homossexualidade => Tópico iniciado por: Victor Passos em 05 de Outubro de 2007, 15:52

Título: As algemas do preconceito homossexual
Enviado por: Victor Passos em 05 de Outubro de 2007, 15:52
AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
     
  A homossexualidade é muito debatida, e pouco entendida, e ainda por cima se vê preconceito para um lado e não para o outro! Será que também não existe preconceito do homossexual para o heterossexual!?
     Entendo que os seres que respeito imenso, no caso os homossexuais, também se vitimam em demasia para encarar a situação de se achar desgarrados da Natureza procriadora, porque na realidade eles sabem no seu intimo que a posição que se encontram é opção deles e não doença.
    Não sou contra, como disse tenho alguns amigos nessa condição e são extremamente generosos e boas pessoas, nem os vejo por o serem...São seres como eu ,mas com opção diferente, e porquê?! Vejamos recorrendo à Codificação;
   

132. Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos?

      “Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão. Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal: nisso é que está a expiação.
Visa ainda outro fim a encarnação: o de pôr o Espírito em condições de suportar a parte que lhe toca na obra da criação. Para executá-la é que, em cada mundo, toma o Espírito um instrumento, de harmonia com a matéria essencial desse mundo, a fim de aí cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. É assim que, concorrendo para a obra geral, ele próprio se adianta.”
   
 A acção dos seres corpóreos é necessária à marcha do Universo. Deus, porém, na Sua sabedoria, quis que nessa mesma acção que eles encontrassem um meio de progredir e de se aproximar Dele. Deste modo, por uma admirável lei da Providência, tudo se encadeia, tudo é solidário na Natureza. relâmpago.”

    Logo, perante este cenário, não poderá ser uma expiação ou provação a sua condição?
    Não terá escolhido este meio de poder sanar abusos dum pretérito , sei que é uma suposição, mas assisti a relatos em doutrinações de espiritos que passaram nessa condição, devido a abusarem de mulheres, mesmo tendo violado, nalguns casos...seguindo
   
   200. Têm sexos os Espíritos?

“Não como o entendeis, pois que os sexos dependem da organização. Há entre eles amor e simpatia, mas baseados na concordância dos sentimentos.”

201. Em nossa existência, pode o Espírito que animou o corpo de um homem animar o de uma mulher e vice-versa?

“Decerto; são os mesmos os Espíritos que animam os homens e as mulheres.”

     Ora amigos,se os espiritos no caso dos homossexuais são seres que estão em sintonia, de sentimentos e vontades, não pode haver amor entre eles!E concordância? Claro que se sim apesar de estarem num corpo e apesar de encarnados são espiritos ou não?
    Agora, se pode um espírito animar um corpo de homem, num de mulher , não tem ele afinidade com a forma de estar da mesma, penso que sim, está a errar por isso?
    Se tratando duma provação ou expiação  claro que não, será um um meio de valorização do próprio espírito, ao fazê-lo valorizar os sentimentos, para com os outros.Vejam...

202. Quando errante, que prefere o Espírito; encarnar no corpo de um homem, ou no de uma mulher?

“Isso pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de passar.”
Os Espíritos encarnam como homens ou como mulheres, porque não têm sexo.
Visto que lhes cumpre progredir em tudo, cada sexo, como cada posição social, lhes proporciona provações e deveres especiais e, com isso, ensejo de ganharem experiência.
Aquele que só como homem encarnasse só saberia o que sabem os homens.

Após esta questão penso que está tudo dito.
Aonde condena a homossexualidade a Codificação!?
 
 Meus amigos assim como à agnostos que tem mais moral que qualquer um de nós, estes irmãos também tem direito à sua livre escolha, às suas opções de evolução, o importante é os seus valores de amor e respeito pelo próximo,pergunto em que afecta, estes irmãos amarem outros do mesmo sexo ?
    Entendo que o importante é que eles na sua caminhada , assim como nós,se façam seres moralizados, e se libertem de egoísmo e orgulho, que cambeia pelas relações vivenciais!
   Vamos preocupar-nos com a envolvência educativa, dos nossos filhos, das Famílias, e do respeito dos seus valores, porque cada vez à mais divórcios, cada vez à mais abandonos dos filhos, cada vez à mais violência, isto é que temos que repensar, e dar as mãos afim de tornarmos a Humanidade vivente melhor.
Me perdoem, não sou dono da verdade, no meu conhecimento pequenino , vejo as coisas assim, e como sou apenas uma individualidade, não faço razão.

Muita paz e harmonia a todos os amigos.
VICTOR PASSOS
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Fernando Oliveira em 23 de Outubro de 2007, 20:04
 Logo, os Heterossexuais que impedem a reprodução, não têm grande moral para criticar os Homossexuais.[/quote][/color]Olá Joshua,espero obviamente não o aborrecer,mas não devemos ser homofóbicos,o livre arbitrio por si só confere a cada um a opção que quiser.
Seguindo um pensamento de pura e sentida caridade ninguém seja homo ou hetero tem o direito de criticar o comportamento do irmão.
Cada cabeça sua sentença,e cada caminho deve ser feito pelo seu próprio pé pois só assim será possível evoluir.
Aquilo a que assistimos diariamente é confrangedor,todavia só Deus tem o poder de julgar as opções.Já dizia Pessoa em relação ás criticas "pedras":Ainda vou construir um castelo.
As críticas são de ontem de hoje e de amanhã,até ao dia em que possamos atingir um mundo
melhor mais puro,mais caridoso,menos egoista,enfim CRISTÃO em tudo....

Um Abraço
F.Peixoto  
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 23 de Outubro de 2007, 20:05
     Ora amigos,se os espiritos no caso dos homossexuais são seres que estão em sintonia, de sentimentos e vontades, não pode haver amor entre eles!   
VICTOR PASSOS


Caro Victor

Por acaso não terá se explicado mal com esta afirmação?
Penso que isto contraria o resto que disse...pode sim haver amor entre dois espiritos, mesmo que sejam do mesmo sexo, não acha?

Um grande abraço
Gi
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 23 de Outubro de 2007, 20:09
até porque quem Julga é Deus e não o Homem

Caro Joshua

Gostaria de clarificar que o Espiritismo demonstra que Deus não julga ninguém. Somos nós que reflectimos sobre as nossas dificuldades e escolhemos as provas mais adequadas para as ultrapassarmos.

Um grande abraço
Gi
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Raul Cabral em 23 de Outubro de 2007, 21:20
Citar
Gostaria de clarificar que o Espiritismo demonstra que Deus não julga ninguém. Somos nós que reflectimos sobre as nossas dificuldades e escolhemos as provas mais adequadas para as ultrapassarmos.
Perfeitamente.

Como Victor citou o trecho do Livro dos Espíritos que fala sobre os mesmos espíritos encarnarem tanto em corpos de homem como de mulher, acredito que por ainda estarmos mais perto do ponto de partida do que do ponto de chegada, os instintos que herdamos de nossa trajetória animal ainda prevalecem.

Um indivíduo que por consecutivas vezes reencarnou na Terra como mulher, pode vir como homem porque precisa ter outras experiências que são características do sexo masculino. E a inclinação natural desse espírito que foi mulher por tantas vezes é sentir atração por uma pessoa do sexo masculino. Homossexualismo não é, então, nenhuma enfermidade moral.

Contudo, acrescento que não convém dizermos que "o homossexual é quem ama alguém do mesmo sexo". Nosso querido Mestre Jesus nos ensinou o amor de outra forma: o amor fraternal, por todas as criaturas, o bem-querer e o perdão. Seja homem ou mulher, negro ou branco, rico ou pobre. Paixão, desejo e atração não são o que Jesus disse por "amor".

De qualquer forma, o preconceito é algo totalmente sem cabimento!! Lembremos sempre que estamos diante de singular oportunidade, que é a misericordiosa dádiva da reencarnação. Deus permitiu que voltássemos à Terra para que pudéssemos aprender um pouco mais e caminhássemos um pouco além no caminho da nossa evolução. A melhor maneira para fazer isso é através do bem e do amor. Recordemos sempre da lição do Cristo: Como é que vedes um argueiro no olho do vosso irmão, quando não vedes uma trave no vosso olho? Ou, como é que dizeis ao vosso irmão: Deixa-me tirar um argueiro do teu olho, vós que tendes no vosso uma trave? - Hipócritas, tirai primeiro a trave do vosso olho e depois, então, vede como podereis tirar o argueiro do olho do vosso irmão.
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Raul Cabral em 23 de Outubro de 2007, 22:05
Querido amigo Joshua,

Eu compreendi o que você disse, e para mim não ficou de modo algum a impressão de que você recriminava a alguém.
:)

Paz e Luz!
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 23 de Outubro de 2007, 22:14
Peço-vos, é que não interpreteis o que eu digo ao pé da letra, porque desse modo ides interpretar mal sempre aquilo que eu digo.

Oi Joshua  :)

Sim, claro...eu só pretendi clarificar. Isto tendo em conta que pessoas visitam este forum pela 1ª vez podem interpretar á letra, como você disse.

Um grande abraço  :-*
Gi
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 23 de Outubro de 2007, 22:16
Ola Amiga Regina e companheiros
Muita paz

                 
Citar
Ora amigos,se os espiritos no caso dos homossexuais são seres que estão em sintonia, de sentimentos e vontades, não pode haver amor entre eles!E concordância? Claro que se sim apesar de estarem num corpo e apesar de encarnados são espiritos ou não?
    Agora, se pode um espírito animar um corpo de homem, num de mulher , não tem ele afinidade com a forma de estar da mesma, penso que sim, está a errar por isso?
    Se tratando duma provação ou expiação  claro que não, será um um meio de valorização do próprio espírito, ao fazê-lo valorizar os sentimentos, para com os outros.Vejam...

202. Quando errante, que prefere o Espírito; encarnar no corpo de um homem, ou no de uma mulher?

“Isso pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de passar.”
Os Espíritos encarnam como homens ou como mulheres, porque não têm sexo.
Visto que lhes cumpre progredir em tudo, cada sexo, como cada posição social, lhes proporciona provações e deveres especiais e, com isso, ensejo de ganharem experiência.
Aquele que só como homem encarnasse só saberia o que sabem os homens.

Amiga Regina , não está a expressão em conflito com o que digo, tem que ler no contexto todo ...como está aí e depois verificar o que diz o Livro dos espiritos.


  Este tema é complexo porque nós muitas das vezes tratamos as questões muito superficialmente e não podemos colocar assim as coisas.
 O Amigo Cabral colocou uma situação que equivale realmente a uma enorme verdade, por isso nós ainda estamos num primitivismo de salvaguarda instintiva .
   Amigos aqui não se trata de critica, de heterossexual ou homossexual, temos que ter em conta que existem situações que mesmo estando no mesmo âmbito tocam os mesmos sexos...o transsexualismo...o intersexualismo...o hemafroditismo...androgino...enfim existe em todos estes envolvimentos situações, que demomstram que o sexo , a feminilidade ou masculinidade pode ser transitória, a nossa tendência é de a ver pela questão da reprodução, e não devemos fazê-lo porque isso seria logo destituir o espírito de escolha, pois a Lei da Reprodução os coloca como seres fora da natureza....estaria a colocar neles como que uma pena de talião, e sendo Deus infinitamente bom e justo, estaria a punir esses irmãos...Atendendo que acredito num Deus eternamente Misericordioso, essa mesma fase do espirito será a de um aprendizado, a exemplo;um espirito que vem valorizar o seu corpo, ou aprender a respeitar uma mulher ou homem na condição de encarnado que tenha feito mau uso da sua condição...
     Mas atenção isto não faz regra.
     Não sou dono da verdade...esta opinião é apenas pessoal...por isso não faz Lei..
     Está a ser um bom aprendizado, continuemos a opinar, sem melindres...e sempre com o mesmo respeito...é destes diálogos tolerantes que nós aprendemos mais ...

    Grato por tudo que temos trocado aqui .

 Muita paz e harmonia
VICTOR PASSOS
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 23 de Outubro de 2007, 22:27
Caro Victor

Fiquei confusa... Porque diz então que "não pode haver amor entre eles?"

O resto concordo, claro. E de forma alguma eu queria dizer que o amor escolhe sexos. Mas penso que o verdadeiro amor pode surgir sim entre pessoas do mesmo sexo, podendo no entanto não serem homosexuais.
Eu tenho grandes amigas mulheres. Uma delas não me larga desde a infância  ;D...
Mas prefiro como opção sexual, um homem... ;)

Abraços
Gi
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 23 de Outubro de 2007, 22:47
Ola Amiga Regina
Muita paz

              Se reparar amiga coloco a questão se eles não se podem amar?
              Não estou a afirmar, penso que é apenas uma questão de sinalização  e não de falta de interpretação...

               Muita paz e harmonia.,..
               VICTOR PASSOS
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: flordelisMG em 30 de Dezembro de 2007, 14:50
Olá,

Achei muito interessante a discussão e a conclusão dada. Fiquei muito feliz por todos estarem respeitando o próximo. Quanto a isso, se me permitem relembro, Allan Kardec, O Evangelho Segundo o Espiritismo, falando sobre o Homem do Bem:

"Respeita nos outros todas as convicções sinceras e não lança anátema aos que como ele não pensam."
E posteriormente, li num site:

"No ano de 1984, nosso querido Chico Xavier foi questionado sobre como o Espiritismo encarava a homossexualidade. A resposta dele foi a seguinte: “Acreditamos que o tempo e a compreensão humana traçarão normas sociais suscetíveis de tranqüilizar quantos se vinculam  a semelhante segmento da comunidade, assegurando-se-lhes a bênção do trabalho com o respeito devido a todos os filhos de Deus. Até que isso se concretize, não vejo pessoalmente qualquer motivo para críticas destrutivas e sarcasmos incompreensíveis para com nossos irmãos e irmãs portadores de tendências homossexuais, a nosso ver claramente iguais às tendências heterossexuais que assinalam a maioria das criaturas humanas.” (Lições de Sabedoria, FE, 1996) O importante em todas as relações, sejam homossexuais ou heterossexuais, é o respeito e o amor mútuos, que devem imperar sobre qualquer comportamento[/i]

Analisando a questão sobre o homossexualismo, pois tenho inúmeros amigos, que são movidos pela compaixão de auxiliar o próximo, eu e minha amiga, também espírita chegamos a uma conclusão:

Às vezes, a pessoa é homossexual, mas está fazendo o bem pelos outros, é honesta, é paciente, ou seja, tem complicações na área sexual(lei da ação e reação), mas tem grandes conquistas morais em outras áreas. Em compensação, todavia, às vezes, o cara é heterossexual, não comete excessos sexuais, mas é desonesto, viciado em outras coisas materiais, etc...

Creio que o importante é não julgar ninguém.

E que o amor realmente pode existir amor entre pessoas do mesmo sexo. Pois o amor não se restringe a questões materiais - corpo- e sim união de qualidades (digo sentimentos).

Abraços
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 06 de Fevereiro de 2008, 14:13
Coloco aqui um extrato de uma entrevista ao Divaldo Pereira Franco:

<[Moderador]> [20] <Freire> No Atendimento Fraterno pela Internet temos recebido pedidos de esclarecimentos por parte de homossexuais. O que dizer a essas pessoas, que muitas vezes nos buscam com o coração amargurado?

<Divaldo_Franco> Que o homossexualismo é um fenômeno biológico do processo evolutivo. Segundo os Bons Espíritos, o espírito evolui através de quatro faixas de polaridade sexual: uma delas a heterossexualidade, que propicia a reprodução da espécie. Quando o indivíduo exorbita na função sexual, tornando-a um instrumento de prazer que dilacera outros sentimentos, retorna com a polaridade psicológica da experiência anterior e a polaridade fisiológica com a anatomia na qual ele corrompeu outras vidas, desejando, portanto, correção. Se, por acaso, na homossexualidade, ele desce à pederastia, ao lesbianismo e se corrompe, é natural que ele seja reeducado através da assexualidade, em que ele volta com uma anatomia, no entanto castrado psicologicamente para o exercício da função. A quarta experiência seria na chamada bissexualidade. Esta não existe do ponto de vista fisiológico, porquanto seria o hermafroditismo, que é uma degenerescência do aparelho genital sem nenhuma função. No entanto, a mente dos portadores do rock dos anos 60, saturados de exercer a sexualidade conforme a sua polaridade, começou a experienciar sensações e prazeres que os tornaram mais atormentados, ora na masculinidade, ora na feminilidade, ativos e passivos concomitantemente.

Deste modo, o homossexualismo é uma experiência. Qualquer preconceito contra o homossexual é uma agressão à liberdade do indivíduo. Nós outros consideramos que, nessa experiência, a dignidade deve permanecer norteando-lhe os passos e ensejando-lhe a sublimação daqueles apelos que procedem de sua psicologia. Da mesma forma que a ética moral da Doutrina Espírita não faculta ao heterossexual a corrupção, a prostituição e este estado de entrega de natureza promíscua, é óbvio que aos homossexuais não concede também direitos de perversão, de promiscuidade, ensejando-lhes o amor como direito e opção de vida.

Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: aruanda em 06 de Fevereiro de 2008, 15:20
Realmente, Jorge , se existir um espirita que seja homossexual,perante tamanha capacidade de "tolerância "contida na sua resposta.....vai certamente ficar calado.

Era o que eu faria e, ainda nos dizemos "tolerantes" e falamos do perdão.

Pegando nas palavras que um amigo meu costuma usar ,só posso dizer: sem comentários.

Ou eu entendi mal ou o Divaldo disse exactamente o oposto de si .


Citar
Deste modo, o homossexualismo é uma experiência. Qualquer preconceito contra o homossexual é uma agressão à liberdade do indivíduo. Nós outros consideramos que, nessa experiência, a dignidade deve permanecer norteando-lhe os passos e ensejando-lhe a sublimação daqueles apelos que procedem de sua psicologia. Da mesma forma que a ética moral da Doutrina Espírita não faculta ao heterossexual a corrupção, a prostituição e este estado de entrega de natureza promíscua, é óbvio que aos homossexuais não concede também direitos de perversão, de promiscuidade, ensejando-lhes o amor como direito e opção de vida.
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 06 de Fevereiro de 2008, 15:50
Olá amigo Jorge  :), tudo bem?

Bom...nunca imaginei que fosse "tirar alguém do sério"...ao trazer aqui esta resposta a uma questão que pensei já ser mais consensual.

Á pergunta "Será que existe algum espírita que seja homosexual" eu respondo sim, eu tenho 2 amigos espíritas que são homosexuais.

Um deles é amigo de infância, uma doçura de pessoa, um bom exemplo de filho dedicado á família, ao trabalho, estudioso do espiritismo desde jovem. Nunca comprometeu ninguém levando o seu companheiro ás festas de familia, para não causar embaraço, evitando assim manifestações de carinho ao nosso lado.
O outro amigo conheço apenas há 2 anos, mas não fica atrás do outro em bom senso e postura de homem integro.
Ambos comentaram comigo que graças ao espiritismo compreenderam o porque da sua angustia, e encontraram nesta doutrina as respostas que procuravam, bem como as justificações para a descriminação a que se vêm sugeitos.

Como diz a Aruanda, onde está a nossa tolerância?

Saliente-se as palavras de Chico xavier (em post anterior) e as de Divaldo :"Qualquer preconceito contra o homossexual é uma agressão à liberdade do indivíduo."

Tenho escutado alguns espiritas afirmarem, com frieza, essa descriminação em relação aos homosexuais considerando-na uma doença, um desiquilibrio. Mas alguns falam isto em cima da "tribuna", no centro espirita, e no entanto não respeitam a companheira que tem em casa.

O meu bom senso diz-me que não devemos julgar ninguém. Para além que Jesus nos disse : Amai-vos uns aos outros!

Quanto á sexualidade, eu falo aos meus filhos com naturalidade sobre tudo.
Que é possivel dois seres do mesmo sexo amarem-se e terem um relacionamento afinizado em fidelidade e respeito.
Que infelizmente existem muitos relacionamentos ditos "normais", em que os casais trocam de parceiros em experiencias doentias, ou em que a fidelidade apenas existe no papel.

O que importa é o amor que une os seres. Pois se o espirito nem tem sexo...

Beijinhos
Gi


Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 06 de Fevereiro de 2008, 15:56
Peço desculpa, mas não me acredito que haja algum ESPÍRITA com letras grandes que seja homossexual, porque isso seria uma aberração, uma enorme contradição com os princípios da doutrina espírita.
Não é por aí que mudaremos o mundo para melhor!


O homosexual que é espirita tenta a todo custo superar essa frustação que sente em ser descriminado por sentimentos que nem sempre compreende. Esforça-se por modificar-se tentando contrariar esses impulsos na medida do possível.

Assim como o espirita que é orgulhoso tenta evitar situações em que alimente o seu ego, combatendo essa imperfeição.

Se não somos tolerantes com as opções sexuais de outrem, como ser com as opções religiosas, ideológicas, etc?

Amigo Jorge...mais ponderação é o que te aconselho.

Beijinhos
Gi
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 06 de Fevereiro de 2008, 16:08
Olá

Jesus ensinou:

"Ama a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo."

Ele não disse se deviamos amar os brancos ou as brancas, os negros ou as negras, os amarelos ou as amarelas, os pobres ou os ricos, os homosexuais, os heterosexuais, os altos, os baixos, etc.

A lei de Deus não tem qualquer excepção. Jesus não disse: criticai-vos e julgai-vos uns aos outros, mas amai-vos.

Perante isso, o comportamento do nosso próximo, nós, enquanto sociedade, temos três opções possiveis:

- Ou concordamos com ele e o deixamos viver a sua vida em paz,
 
- Ou não concordamos com eles e temos de proteger as outras pessoas porque eles se comportam de forma a prejudicar gravemente terceiros

- Ou, não concordamos e deixamos as pessoas em paz.

Não vejo que a homosexualidade das outras pessoas prejudique mais ou menos do que a minha heterosexualidade. Nem sequer sei perceber bem o que essas pessoas sentem, pois não é o meu caso.

Também não vejo que isso seja essencial quando olhamos para o ser humano numa perspectiva integral, ou seja, como um espirito encarnado, pois os espiritos não têm sexo. O sexo tem a haver apenas com o corpo.

A obsessão sexual, seja ela homosexual ou heterosxual é prejuducial. Senão há obsessão sexual, não vejo qual é o problema. O amor que vai para além da carne, ou seja a afeição da alma permanece quando o corpo morre. Podemos amar desta forma pessoas do mesmo sexo (como acontece por exemplo com o amor pelos nossos filhos ou pais). A afeição sexual não tem relevância espiritual, por isso, do ponto de vista espiritual não vejo qualquer inconveniente na homosexaulidade.

bem hajam
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: SB em 06 de Fevereiro de 2008, 16:09
Ola Jorge,

Estou de acordo com a posição da Aruanda.  :)

Ai Jorge, tanto preconceito vai pra ai.... :P

Jorge eu nao tive qq dificuldade em explicar aos meus filhos que uma pessoa que seja homossexual, é uma pessoa que pelo seu livre arbitrio tomou uma opção/orientação diferente na vida a nivel sexual, nao em relação ao Amor, Tolerancia, Afecto, Responsabilidade, Indulgencia, Resignação, tudo o que a Doutrina nos ensina, essas sim as tendencias e caracteristicas principais a serem moldadas ou transformadas.

Tb ja expliquei aos meu filhos que na maior parte das vezes quando por medo da descriminação, ou alguma retaliação por parte da sociedade pelas diferenças que eventualmente podemos mostrar nesse sentido, muitas destas pessoas ocorre se auto-flagelar, sentir alguma dor que para nós que nao a sentimos, jamais a compreenderemos...Assim, felizmente todos lá em casa, nao fazemos descriminações destas, ou outras qq...


Abraços
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 06 de Fevereiro de 2008, 16:10
Querido Jorge

Se a sua conduta foi recta, seja ou não homosexual, irá colher o que semeou.

"Deus é justo!"

Existe preconceito em relação á homosexualidade, pois ainda é associada a muitos desvios como o de alguns transexuais, ou travestis, etc...
Mas não significa que todos os homosexuais procedam assim.

As marcas que ficam no perispirito prejudicias em encarnações futuras, são resultado das más acçoes praticadas contra si mesmo.
Não vejo como um relacionamento saudável, vivido com respeito, fidelidade e amor, poderá prejudicar alguém.

É o que eu penso querido amigo. Por isso não posso concordar contigo.

O que não signifique que só eu esteja certa.

Beijinhos
Gi
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: SB em 06 de Fevereiro de 2008, 16:27
Assim sendo, coitados dos caracois, devem ser os unicos entao que nao pertencem a Deus  ;)

Respeito a sua indignação, nao se preocupe  :)

Abraços  :)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Carlos Ribeiro em 06 de Fevereiro de 2008, 17:22
Amigo Jorge:
deixo-te com uma pergunta. Se tivesses um filho ou uma filha homossexual, irias deixar de o(a) amar?
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Carlos Ribeiro em 06 de Fevereiro de 2008, 18:08
E se tu próprio nascesses homossexual? Gostarias que descriminassem só por isso? Na minha opinião a homossexualidade não é nenhuma aberração, mas sim uma prova porque certos espíritos estão a passar. O que é de lamentar e o que é errado, não é o ser-se homossexual ou hetero ou bissexual. O que está errado é a promiscuidade que se verifica muitas vezes nas pessoas tanto homo como heterossexuais.
Essa a minha opinião.
Ass: Carlos Ribeiro
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 06 de Fevereiro de 2008, 18:16
Olá Jorge

Citar
Mas a conduta homosexual já é em si um desvio à ordem natural das coisas criadas por Deus. Portanto deixará marcas negativas na pessoa que a praticou.

Concordo que é um desvio à ordem natural das coisas. Eu não gostava de ser homosexual. Nesta matéria, a poder escolher, as pessoas preferiam decerto a  normalidade, para fugir ao preconceito alheio.

A expiação é ter de suportar a critica e a violência alheia por ser diferente. Não é o resultado da prática sexual, desde que não haja abusos que nos rebaixem à brutalidade.

Fugir à normalidade não é necessariamente um desvio às leis de Deus. Muitas vezes é ser normal que está errado, quando o que é normal é fazer o mal.

O normal é apenas o que é mais frequente. Se olharmos para o exemplo de Jesus, vemos que ele não era nada normal, graças a Deus. Não é nada frequente na terra a encarnação de Espiritos Superiores desta elevação

Em geral, a homosexualidade não é uma doença. Pelo menos que eu saiba. As pessoas sentem-se melhor na pele do sexo oposto, só isso. Mas por vezes nem é o sexo oposto, é o sexo que foi mal escolhido artificialmente à nascença, por erro humano.

Todo o tipo de abuso sexual em relação aos outros ou a si próprio, isso sim, é uma doença, venha de homosexuais ou heterosexuais.  Todo aquele que tem um comportamento obsessivo-compulsivo é doente mental ou obsediado por espiritos ainda muito materializados (como os pedófilos, por exemplo).

Enfim, Todo aquele que é demasiado apegado aos gozos da carne, sejam eles quais forem, é doente do ponto de vista fisico e/ou espiritual e pode prejudicar-se a si próprio, aos outros ou a ambos.

Acredito que haja pessoas que pratiquem actos homosexuais a titulo de experiência fisica nova, sem qualquer inclinação de nascença para isso. Essas sim, estão a abusar do seu corpo e isso é um sinal de imperfeição.

Enfim:

- Para eu ver prejuizo na homosexualidade tenho que ver algum mal nisso. Se o homosexual não prejudicar ninguém por se assumir, qual é o problema?

- de qualquer modo, por mais grave que seja o comportamento alheio, Jesus ensinou-nos a não criticar, a não julgar e não condenar. A não ser que possamos ajudar, sem humilhações nem alaridos, julgo que não temos nada a ver com isso. Quanto muito, pode ser necessário protegermo-nos e/ou proteger as pessoas de quem não têm consciência e que viola a liberdade alheia e prejudica gravemente outrém. "Dar a outra face" é não se vingar, recusar-se a pagar a violência com mais violência desnecessária. Ter consciência que o mal se paga com o bem. Mas não é compactuar com as más acções.

- Se alguém sofre pelo facto de ser homosexual não assumido e isso não trás a felicidade a ninguém, porque não as pessoas assumirem-se como homosexuais, em vez de sofrer? Quem tem um espinho num pé e o pode tirar, deve tirá-lo ou deve ficar a gemer? Não entendo a utilidade de fazer o sacrificio de fazer uma vida a fingir que se é heterosexual, sendo homosexual, a não ser para não ser esmagado pelo preconceito alheio. São os preconceituosos que fazem o mal e não as vitimas do preconceito.

- Os casos desagradáveis são aqueles em que as pessoas se forçam, casam, têm filhos e mais tarde não aguentam, separam-se e deixam o(a) companheiro(a), os filhos desgostosos, desamparados e/ou confusos. Se se assumissem logo, não haveria problema. É o facto de querem forçar a sua natureza sem ter arcaboiço para tal é que pode levar ao prejuizo de terceiros. Já viu o que é um homem ver mulher que ama a partir para ir viver com outra mulher, ou vice-versa? E como ficam os filhos jovens desses casais quando vêm os pais a mudar de comportamento?

bem haja
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: SB em 07 de Fevereiro de 2008, 11:08
Jorge, o mal de muitos espiritas é lerem à letra o livro dos espiritos.

Quando se fala em progresso, fala-se precisamente em erros...Independente da causa, seja ela num casamento, seja ela na homossexualdade, seja ela por assassinato ou  o que lhe possa ocorrer...

E nada é perda de tempo, e nada nos faz regredir...

Por litígio de um espirito ele tem que se aceitar em suas tendencias e imperfeições, para eventualmente começar a trabalhar nesses ponto cruciais, porque em verdade se negarmos aquilo que somos, nao estamos a ser justos com o nosso proprio espirito., nem nunca arrajaremos condições propicias ao melhoramento, e assim por isso que se assumam os homossexuais, porque nao? Para mim isso é caminho ao Progresso.

E terminando com coisa pouca, mas talvez de grande importância, para quem nao sabe ou nunca vivenciou algumas particularidades na vida, nao deve ter uma opinião tão assertiva sobre esses assuntos, deve sim, opinar dando a si mesmo uma oportunidade de compreensão daquilo que nao sente, daquilo que nao tem conhecimento...
 
Esta é uma boa atitude , eu acho, mas posso estar completamente errada  ;)

beijinhos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 07 de Fevereiro de 2008, 12:13
Olá Jorge

A sua opinião é legitima e respeitável. Contudo eu não penso da mesma forma.

Concordo que a familia é a mais importante instituição humana, porque nela existe uma força extraordinária: o amor. Se abolissemos a familia, de facto, estariamos a regredir.

Na nossa sociedade actual a familia não foi abolida mas em muitos casos está atrofiada. Muitos pais não têm tempo nem paciência para dar a atenção devida aos filhos. Para lhes mostrar que os amam. É no amor da familia que despertamos para procurar o amor de Deus. A sensação de ser amado ajuda-nos muito e faz-nos lembrar do Criador. É no amor da familia que melhor aprendemos os valores morais.

Mas há pessoas que preferem viver sózinhas porque não encontraram o par que consideram ideal ou porque não se adaptam à vida de casal, ou porque a sua missão na vida não o permite (caso da Madre Teresa de Calcultá e das suas seguidoras, por exemplo, que dão a sua vida inteira aqueles que não têm familia ou que foram desprezados por ela, por exemplo).

A opção de não ter familia não é um crime contra a lei de Deus, que eu saiba. Nem todos reencarnaram com a missão de formar uma familia. O que os espiritos querem dizer, do meu ponto de vista limitado, é que escolher o celibato só para agradar a Deus não é meritório, o que não quer dizer que seja reprovável. Já escolher o celibato porque se escolheu um serviço ao próximo incompativel com o casamento, pode ser meritório.
_________________________________________________________________________
 Mas ser homosexual não é escolher o celibato. Até há mulheres homosexuais que fazem a inseminação artificial e têm filhos. Há homosexuais que desejam adoptar crianças. Embora isto seja uma questão delicada, acredito que, se houver afeição da alma no casal, para além de atracção fisica, é possivel que as crianças cresçam saudáveis e se sintam amadas num casal homosexual, como acontece num casal heterosexual.

No fundo isto é como nos casais heterosexuais. Se só há atracção fisica e não há afeição entre as almas, não se trata de uma familia, mas de duas pessoas que se usam mutuamente só para terem relações sexuais e por conveniência legal. Prefiro que uma criança seja entregue para adopção a um casal homosexual onde existe atracção das almas, do que a uma familia heterosexual onde só existe atracção fisica.
_________________________________________________________________________

Esta questão da homosexualidade é tida por muitos espiritas como uma doença cármica.

Para mim começa logo a dúvida se a homosexualidade é doença. Acho que não é. É uma distorção das leis da natureza, pois o nosso corpo, em regral, tal como o dos animais, está preparado para a relação heterosexual. Mas não é uma doença, pois os orgãos não estão doentes e as pessoas em questão não são doentes mentais, salvo aquelas excepções de pessoas que são levadas a praticar a homosexualidade apenas como uma experiência sensual, sem terem essa inclinação de nascença, que podem sofrer de demasiado apego à matéria ou de comportamentos obsessivos e/ou compulsivos.

Admitindo que era doença (o que não acredito), recuso-me a olhar a doença em outrém como um castigo de Deus. Não me sinto no direito de julgar se é ou não uma expiação, pois nem tenho dados suficientes para o efeito, nem tenho nada que criticar, julgar ou condenar o que se passa com as outras pessoas. só Deus sabe se a doença é uma expiação ou não e qual é a finalidade da mesma na nossa vida (se é corrigir, se é exercitar a nossa paciência, etc.). É sempre para o nosso bem, mas como é que nos vai fazer bem, não me cabe a mim saber. Para além disso os animais também adoecem e não estão a expiar nada. Nada nos garante que a doença alheia é sempre cármica.

Mas lá vem a minha advertência do costume. Tudo o que eu disse não passa da minha opinião. Não estou aqui a representar o espiritismo. Cada pessoa deve estudar e pensar por si. Todas as opiniões são legitimas e respeitáveis, concordemos ou não com elas, desde que as pessoas estejam de boa fé a expressá-las, sem objectivos ocultos.
 
bem haja
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 07 de Fevereiro de 2008, 13:38
Olá Jorge

Concordo com o texto em algumas coisas, mas há coisas que não concordo, por exemplo:

Citar
"Não ignoramos que há inúmeras formas de manifestação do
homossexualismo. Entre elas, a mais marcante (...) é o "transexualismo". O
transexual poderia ser descrito como aquele indivíduo que possui a alma de
um dado sexo, inserida no corpo de um outro sexo. Por exemplo, uma alma
feminina habitando um corpo masculino, e vice-versa".

Ninguém tem alma feminina nem masculina. O nosso corpo (cerebro incluido) pode ter caracteristicas masculinas ou femininas, não a alma. Kardec afirma com toda a clareza que os espiritos não têm sexo.

e também

Citar
Depreende-se, portanto, que os homossexuais são Espíritos que podem
ter cometido abusos sexuais em sexo diferente do atual, respondendo, tal
comportamento no passado, pela atual atração que sente por pessoas do mesmo
sexo, devendo resistir a esses apelos instintivos em prol do seu
aperfeiçoamento moral.

Quem nos garante que o homosexual seja um espirito que cometeu abusos sexuais no passado? Quem pode assegurar isso? Não é nos dado conhecer as nossas vidas passadas. Muito menos conhecer as de outrém. Não quer dizer que até não haja casos que possam ser assim, mas quem tem o direito de afirmar que conhece as razões do acontece na sua vida e na dos outros?

Se há alguma lição a retirar é que não devemos praticar abusos sexuais, pois isso pode trazer problemas cármicos futuros. Mas que tipo de problemas, ninguém sabe.

Mas não se pode concluir que uma pessoa deva ou não reprimir a sua tendência sexual se nasceu com caracteristicas diferentes da norma, com base na lei causa-efeito, penso eu.
 
Acho que não é correcto estabelecer uma relação causa-efeito entre o que nos acontece nesta vida e nas vidas passadas. Eu acredito que nós tenhamos se ser sujeitos a provas e expiações que visam o nossa evolução, ou seja a nossa educação, enquanto espiritos,  mas não acredito que, em regra, nos seja possivel estabelecer uma relação directa de causa efeito entre o que se passa connosco no presente e nosso passado de outras reencarnações. Muito menos nos é possivel estabelecer uma relação directa de causa efeito entre o que se passa com os outros e com o seu passado.

Deus sabe a finalidade dos obstáculos que permite existirem na nossa vida, mas nós não sabemos, nem interessa sabermos. A utilidade de saber que existe uma lei causa-efeito (não tipo pena de talião, pois nós podemos reduzir as nossas dividas fazendo o bem) não é julgar as razões passadas pelas quais as outras pessoas sofrem, mas evitarmos fazer o mal no presente.  

bem haja
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: vitor_goncalves em 07 de Fevereiro de 2008, 13:43
Olá a todos
Interessante este tema. É com estas passagens que poderemos avançar com o nosso conhecimento, quer concordamos ou não, tirando deles as nossas ilações, que aceitamos.
Nós estamos num Mundo de Provas.
Todas as doenças, defeitos fisicos, etc. são provas, que em principio nós nos propusemos a passar por elas, devido a erros passados.
Para mim a homosexualidade é uma prova.
Agora nesta prova é tentar saber como deverá ser corrigida. É por isso que se levantam tantas contradições.
Será que o homosexual deverá corrigir-se frustando as suas as suas paixões ( julgo que se está a confundir Amor com Paixão ), ou apaixonando-se com pessoas do mesmo sexo sem frustações ? .
Como será vencida a prova ?
No entanto em tudo isto se mete o Sexo. Julgo eu que pouca gente percebe o que é o Sexo, no entanto transcrevo aqui uma passagem do livro " Acção e Reacção " de André Luiz ( que eu no entanto o considero fiável ).
" Sabemos que o sexo, analisado na essência, é a soma das qualidades femininas ou masculinas que caracterizam a mente, razão porque é imprescindível observá-lo do ponto de vista espiritual, enquandrando-o na esfera das concessões divinas que nos cabe movimentar com respeito e rendimento na produção do bem...
...O sexo no corpo humano é assim como um altar de amor puro que não podemos relegar à imundice sob pena de praticar as mais espantosas crueldades mentais, cujos efeitos nos seguem, invariáveis, depois do túmulo...
... Nas falhas do campo genésico, temos a considerar, acima de tudo a crueldade mental que praticamos em nome do amor...

Um Abraço
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Ivi em 07 de Fevereiro de 2008, 14:58
Paz para todos !

Ousarei postar meu humilde pensamento a respeito de assunto tão debatido.

Ao contrário de todos vocês que mostram ter uma opinião própria (cada um a sua) a respeito do assunto e expondo aos demais, eu ainda não tenho um ponto de vista a defender ou questionar sobre a questão da homossexualidade. Falta-me muito conhecimento Espírita, falta-me conhecimento científico para abordar o assunto.
Não tenho conhecimento para opinar se o homossexual ‘escolheu’ essa prova. Não tenho conhecimento para opinar se ser homossexual é uma questão patológica. Não tenho conhecimento para opinar se o homossexual depois de encarnado decidiu ‘gostar’ do mesmo sexo em virtude de seu convívio social. (livre arbítrio).
Por outro lado também, é um assunto que vivemos no nosso dia-a-dia, na imprensa, na sociedade, no trabalho e não podemos simplesmente ignorá-lo.

Percebi que, dada todas as opiniões aqui postadas, existe um consenso – nenhum de nós discrimina o homossexual (a pessoa em si). São pessoas que merecem nosso respeito e que podem perfeitamente fazer parte do nosso convívio social, enquanto seres humanos.
O que vejo é que algumas opiniões passam divergências quanto a  aprovar ou não a opção do homossexual gostar do mesmo sexo – para algumas opiniões namorar, adotar filhos, praticar o ato sexual é perfeitamente normal, aceitável. Para outras opiniões isso foge “as leis da natureza”.

No entanto, me vejo a todo momento lendo sobre a homossexualidade para criar uma opinião própria que condiga com meus valores, com minha conduta diante das diferenças, que condiga com o pouquíssimo conhecimento da doutrina, e encontrei num livro espírita lido em 2006 um texto sobre a homossexualidade que me fazem ‘pensar’ (não defender como ponto de vista, pois como disse, não tenho conhecimento suficiente do assunto) desta maneira. Não digo defendo, pois se eu defendo algo é porque eu acredito veementemente naquilo que digo.
Eu digo ‘penso’ pois eu posso mudar de opinião a qualquer momento sobre qualquer assunto se novas verdades surgirem. Eis o texto:

Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Ivi em 07 de Fevereiro de 2008, 15:00
Continua . . .

HOMOSSEXUALIDADE
“Esse é o termo aplicado atualmente. E como o Espiritismo encara a sua problemática ? Enfermidade ou opção pessoal ? Se possui caráter patológico, provém do corpo ou da alma ? Quais as origens ou causas ? E quanto às cirurgias visando a inversão ou adaptação fisiológica dos transexuais, devem ser interpretadas como úteis ou eticamente não recomendadas ? E as uniões conjugais entre pessoas do mesmo sexo e o desejo de adoção de filhos ?
Antes de mais nada vale lembrar que o Espiritismo, embora, por força de seu caráter científico, dedique-se às pesquisas envolvendo a influência da sexualidade na vida humana, não podendo alienar-se à mesma, de modo algum julga ou critica condutas pessoais. Não alimenta preconceitos de raça, cor, nacionalidade, religião, condição social ou sexo, entendendo que todos são irmãos em estágios diferentes de evolução e como tal devem se respeitar. Cultiva a ética cristã e oferece aos interessados, por indicação da monumental obra do codificador Allan Kardec, regras de conduta que possam torná-los mais felizes e apressar-lhes o progresso. Mas em nenhum momento avança no direito de liberdade que deve nortear a existência individual do ser humano. Afinal, DEUS nos concede livre arbítrio para que tenhamos responsabilidade sobre nossos atos, reajuste nos erros e mérito nas vitórias.
........................................
Não pode, a título de modernidade de costumes sociais ou mesmo de falsa caridade, ser conivente com a prática imprópria e desajustada.
Quase todos os autores consultados a respeito são de opinião mais ou menos idêntica em relação à origem da homossexualidade. Concordam que o problema pode ser levado à conta de patologia do Espírito ocasionado por abusos cometidos em vidas anteriores no terreno sexual. Na realidade, a consumação do desvio em práticas homossexuais reflete nova queda do Espírito, agravando um quadro já defeituoso em vias de expiação.
.........................................
Concluindo e para ficar claro: O Espiritismo não abomina os homossexuais, mas não endossa a prática homossexual. Por mais se tente falar em liberdade e novos direitos humanos e de minorias; por mais que a sociedade ignore ou aplauda tais comportamentos; ainda que a legislação garanta certos direitos, inclusive o contrato matrimonial ou adoção de filhos; podemos tomar todas essas atitudes como paliativos que, no máximo, podem minorar o sofrimento de irmãos que, infeliz e indisfarçadamente, estão falhando em seus compromissos espirituais de mais longo prazo.
A tolerância, a aceitação e mesmo os exageros adulatórios que visam incentivar e rotular de normal uma prática que moralmente sabe-se que não o é, só serve para atacar parcialmente os efeitos de desajustes que se manifestam na expressão morfológica do sexo de periferia, mas residem fundamentalmente no Espírito e aí deveriam ser trabalhados, equilibrados e sublimados. Falar e agir em contrário é um grande e lamentável equívoco. Devemos respeitar e amar os homossexuais como quaisquer outros seres humanos, irmãos nossos, mas, se possível, não faltar com a orientação que lhes transmita valores autênticos do Espiritismo, capazes de favorecê-los a vencerem-se a si mesmos nesta como em outras tantas e tão difíceis provas que romperão a ilusão do prazer voluptuoso e efêmero, para culminar com a felicidade legítima e perene do Espírito elevado à categoria de servido consciente de DEUS.”



Bem essa é a opinião ‘defendida’ pelo autor do livro. Essa é a minha maneira de ‘pensar’ sobre o assunto.

Abraço carinhoso !
Ivi
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 07 de Fevereiro de 2008, 15:47
Olá Ivi  :)

Não se importa de citar o nome do autor do texto,bem como a obra mencionada, visto que o mesmo retrata uma opinião pessoal?

Abraço
Gi


Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 07 de Fevereiro de 2008, 16:44
Olá Ivi

Citar
Quase todos os autores consultados a respeito são de opinião mais ou menos idêntica em relação à origem da homossexualidade. Concordam que o problema pode ser levado à conta de patologia do Espírito ocasionado por abusos cometidos em vidas anteriores no terreno sexual. Na realidade, a consumação do desvio em práticas homossexuais reflete nova queda do Espírito, agravando um quadro já defeituoso em vias de expiação.

As pessoas que assim falam, sejam elas quem forem, estão a fazer um juizo sobre o comportamento das outras pessoas. Assumem-se como conhecedores das razões que levam aos acontecimentos da vida alheia, à laia de videntes preveligiados, como se as reencarnações passadas das outras pessoas fossem um livro aberto para elas.

Que presunção afirmar que conhecem os motivos pelos quais as outras pessoas estão doentes ou saudáveis, porque são homosexuais ou heterosexuais, porque são ricos ou pobres, etc.

Os bons espiritos, que até podem saber isso, não andam a denegrir as pessoas nem a dar a conhecer e a acusá-las do seu passado, ainda que tenhamos culpas (como é normal neste mundo). Ninguém me faz acreditar nisso. Os maus frutos, em principio, não vêm de boas arvores.

Estão no direito de manifestar as sua opiniões, como toda a gente. Mas não me convencem de forma alguma porque isso não parece coerente com as palavras de Jesus.

Eis como devemos pensar sobre os males alheios:

Evangelho Segundo o Espiritismo:

Citar
20. Será repreensível notarem-se as imperfeições dos outros, quando daí nenhum proveito possa resultar para eles, uma vez que não sejam divulgadas?

Tudo depende da intenção. Decerto, a ninguém é defeso ver o mal, quando ele existe.
Fora mesmo inconveniente ver em toda a parte só o bem. Semelhante ilusão prejudicaria o progresso. O erro está no fazer-se que a observação redunde em detrimento do próximo, desacreditando-o, sem necessidade, na opinião geral. Igualmente repreensível seria fazê-lo a alguém apenas para dar expansão a um sentimento de malevolência e à satisfação de apanhar os outros em falta. Dá-se inteiramente o contrário quando, estendendo sobre o mal um véu, para que o público não o veja, aquele que note os defeitos do próximo o faça em seu proveito pessoal, isto é, para se exercitar em evitar o que reprova nos outros. Essa observação, em suma, não é proveitosa ao moralista? Como pintaria ele os defeitos humanos, se não estudasse os modelos? - S. Luís. (Paris, 1860.)

uma passagem dos Evangelhos:

Citar
O argueiro e a trave no olho

9. Como é que vedes um argueiro no olho do vosso irmão, quando não vedes uma
trave no vosso olho? - Ou, como é que dizeis ao vosso irmão: Deixa-me tirar um argueiro ao teu olho, vós que tendes no vosso uma trave? - Hipócritas, tirai primeiro a trave ao vosso olho e depois, então, vede como podereis tirar o argueiro do olho do vosso irmão. (S. MATEUS, cap. VII, vv. 3 a 5.)

bem haja
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Ivi em 07 de Fevereiro de 2008, 19:35
Paz para todos !

Amigo Vitor

Quanto a você questionar a opinião do autor livro, eu não posso em absoluto contra argumentar. Até porque somente o próprio autor poderia ratificar ou retificar seus argumentos.
É a mesma coisa alguém tentar condenar os seus pontos de vista, quando você não tem oportunidade de defendê-lo.
Nesse caso eu não devo fazer menção alguma ao que você pensa acerca das palavras do autor.


Por outro lado, eu não entendo onde, nós participantes deste tópico estamos querendo chegar sobre esse assunto. Unanimidade de valores, pontos de vistas ?

Estamos tentando convencer a todos os outros que nossos pontos de vistas estão corretos ?

Estamos buscando ‘defeitos’ nos pontos de vistas alheios para que se prevaleça a nossa verdade, o nosso ponto de vista ?

A resposta, muito provavelmente é não.


. O erro está no fazer-se que a observação redunde em detrimento do próximo, desacreditando-o, sem necessidade, na opinião geral. Igualmente repreensível seria fazê-lo a alguém apenas para dar expansão a um sentimento de malevolência e à satisfação de apanhar os outros em falta.

Exatamente amigo Vitor, está perfeita a sua colocação. Mas veja, nenhum de nós até agora disse ter recriminado a pessoa do homossexual ou  desacreditado-o, sem necessidade, na opinião geral.
Ninguém deu “ expansão a um sentimento de malevolência e à satisfação de apanhar os outros em falta”.  Com que direito faríamos isso ? Por que faríamos isso ? O que ganharíamos com isso, sabendo-se todos devedores. Estamos a colocar pensamentos, valores e pontos de vistas pessoais a cerca de assunto que no fundo, absolutamente nenhum de nós, à exceção DIVINA,  tem conhecimentos suficientes para ‘defendê-lo com unhas e dentes’ ou ‘condená-los’.

E ainda que um de nós ousasse, redirecionar um homossexual à nossa suposta verdade, caberia tão somente a ele a opção pela continuidade ou não de sua opção. O que faríamos se ele não nos ouvisse ? Condenaria-o ? Não, evidentemente. Excluiríamos do nosso convívio ? Não absolutamente.


Caros amigos, ninguém aqui até agora apontou o dedo para um homossexual e condenou-o pela opção. Isso eu entendo como “como é que vedes um argueiro no olho do vosso irmão”. Nenhum de nós, apontou um dedo para um homossexual e disse ‘seja como eu, pois minha opção é correta, a sua está errada’.

O que estamos a argumentar são nossos pontos de vistas. Somente isso. Se não conseguimos convencer a outrem sobre o que nos é correto, não adianta levar o assunto em frente. E por que queremos convencer os outros da nossa verdade ? Com que objetivo ?


O que devemos deixar claro e isso ficou claro sobre o tópico o tempo todo é que

Antes de mais nada vale lembrar que o Espiritismo, embora, por força de seu caráter científico, dedique-se às pesquisas envolvendo a influência da sexualidade na vida humana, não podendo alienar-se à mesma, de modo algum julga ou critica condutas pessoais. Não alimenta preconceitos de raça, cor, nacionalidade, religião, condição social ou sexo, entendendo que todos são irmãos em estágios diferentes de evolução e como tal devem se respeitar. Cultiva a ética cristã e oferece aos interessados, por indicação da monumental obra do codificador Allan Kardec, regras de conduta que possam torná-los mais felizes e apressar-lhes o progresso. Mas em nenhum momento avança no direito de liberdade que deve nortear a existência individual do ser humano. Afinal, DEUS nos concede livre arbítrio para que tenhamos responsabilidade sobre nossos atos, reajuste nos erros e mérito nas vitórias.

Esse “em nenhum momento avança no direito de liberdade que deve nortear a existência individual do ser humano”, não se aplica apenas ao homossexualismo, mas justamente no que estamos a fazer: contra argumentar a opinião de nossos próprios amigos.

Olá Gi !
Tem razão, esqueci de mencionar:
Livro "Espiritismo - Uma Visão Panorâmica"
Autor Wilson Czerski
Casa Editora o Clarim


Abraço carinhoso !
Ivi
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 07 de Fevereiro de 2008, 20:01
Olá Jorge

A promiscuidade existe tanto entre os homosexuais como entre os heterosexuais. Não há nenhuma relação causa-efeito entre a homosexualidade e as doenças sexualmente transmissiveis, como a SIDA, por exemplo. A promiscuidade sexual sim,  é sintoma de demasiado apego ao mundo material. É um abuso do corpo. Mas não é único. A alimentação pouco saudável, em excesso, por exemplo, também é abusar do corpo em nome dos gozos materiais.

O espiritismo não nos ensina a dizer aos outros como se devem comportar, a não ser aos nossos filhos, pois isso é nossa obrigação. Cada um deve fazer o que lhe diz a sua consciência. Desde que respeite os direitos alheios e que não prejudique ninguém, nós não temos o direito de impedir nem censurar ninguém pela forma como vive.

Se uma pessoa vem ter connosco para pedir ajuda para se livrar de algo que lhe faz pesar a consciência, seja o que for, se acharmos que pudemos ou devemos ajudar, tudo bem, ajudemos. Mas em silêncio, em particular, sem alaridos, sem publicidade, sem humilhações, sem criticas, nem acusações, nem condenações. Mas é a consciência das pessoas que deve pesar nas suas decisões e não a nossa consciência. Foi o que o Divaldo fez no caso que contou. Estou certo que esse espirita exemplar não tentou manipular a consciência de ninguém. Também não quis fazer publicidade. Contou isso, a titulo de exemplo,  mas não disse decerto o nome de quem se tratava.

Não acredito que possamos fazer uma relação directa entre as causas do que nos acontece e o que aconteceu nas nossas vidas passadas. Ou seja, o mesmo comportamento errado pode ser expiado de forma diferente. Porque não?

Por exemplo, uma pessoa que foi sexualmente promiscua numa vida e se arrependeu sinceramente, não vai sofrer o mesmo tipo de expiação daquele que fez um erro semelhante e não se arrependeu. A justiça de Deus não é cega. É uma justiça baseada no amor e quem tem em vistas a nossa correcção, que leva em conta a intenção com que fizemos o erro e o arrependimento (Não sou eu que digo que o arrependimento é levado em conta, foi Jesus que o disse).  

Se alguém se arrependeu realmente (como nós não conseguimos esconder a verdade de Deus, aquele que se arrepende só de garganta não se arrependeu, óbviamente), pede a Deus que lhe permita voltar a reencarnar para ser submetido à prova que falhou (quer voltar a ser tentado no mesmo erro para ver se está curado e não como vitima de erros semelhantes dos outros) e, simultaneamente, reparar o mal que haja feito. Reparar é sempre fazer o bem. Jesus disse que o mal se paga com o bem, não com sofrimentos inuteis que não levam o bem a ninguém. Uma lei de justiça cega, olho por olho dente por dente levaria as pessoas a sofrimentos que nada reparariam. Serviria para vingar aqueles que prejudicámos, não para ajudar ninguém.

Se alguém não se arrependeu, aí sim, pode ser submetido ao mal que fez aos outros. Não por castigo, mas para sentir na pele o erro, de forma a ser vergado pelo sofrimento crescente, até querer seguir a lei do progresso e evoluir para uma situação mais feliz. A lei do progresso não é facultativa, é obrigatória. Quanto mais fugimos dela mais sofreremos.

Como então fazer uma tabela que relacione directamente os efeitos na nossa vida com causas nas vidas passadas? Quem pensa assim, pensa que a justiça de Deus é cega. Que pai continua a castigar os seus filhos de erros passados se sabe que eles já estão educados, ou seja já não cometem esses erros? O Pai celeste será mais severo que os pais terrenos? Reparar não é ser castigado, é fazer o bem para compensar o mal que se fez.  

Quanto menos nós necessitarmos dos gozos materiais, quaisquer que eles sejam, melhor. É sinal que já estamos menos apegados à matéria. Mas não vamos condenar os homosexuais por procurarem os gozos do corpo e fazer o mesmo enquanto heterosexuais. Para o Pai celeste só há um peso e uma medida.

Não podemos pretender que Deus olhe os heterosexuais de forma mais leve do que olha os homosexuais, se ambos procuram os gozos do corpo através da actividade sexual, pois isso seria injusto.

bem haja
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 07 de Fevereiro de 2008, 20:52
Amigo Ivi

Citar
Esse “em nenhum momento avança no direito de liberdade que deve nortear a existência individual do ser humano”, não se aplica apenas ao homossexualismo, mas justamente no que estamos a fazer: contra argumentar a opinião de nossos próprios amigos.

Você está a valorizar demais a minha opinião pessoal, amigo. Será que a minha opinião é assim tão importante que vá influenciar as pessoas? Está muito enganado...Nem as pessoas não se deixam manipular assim facilmente, nem eu quero manipular ninguém.
Cada um que estude e decida por si, em consciência. Ninguém me venha cá pedir contas pelos seus erros, pois eu só assumo a responsabilidade pelos meus (e já não é pouco).  Era o que me faltava, expiar também pelas faltas alheias... :D

Se uma pessoa calar a sua opinião só para agradar, ou só para não desagradar aos amigos, é hipócrita, não é manipulador. Só justifica calar-se se estivermos frente a pessoas intolerantes, que se irritam com opiniões diversas das nossas, para evitar conflitos, ou se não estivermos de boa fé (o que não é meu caso, como espero que compreenda). :)

Discussão não é sinónimo de agressão (pelo menos para mim). Quando há dois pontos de vista diferentes, em principio algum deve estar mais próximo da verdade do que o outro. Como amo a verdade, tenho de ouvir as opiniões diversas da minha para me abrir os horizontes e expor as minhas oiniões para que os companheiros me ajudem a encontrar possiveis erros nas mesmas. Não é esse o objectivo do debate? :)

bem haja
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gigii em 07 de Fevereiro de 2008, 21:42
Se uma pessoa calar a sua opinião só para agradar, ou só para não desagradar aos amigos, é hipócrita, não é manipulador. Só justifica calar-se se estivermos frente a pessoas intolerantes, que se irritam com opiniões diversas das nossas, para evitar conflitos, ou se não estivermos de boa fé (o que não é meu caso, como espero que compreenda). :)

Discussão não é sinónimo de agressão (pelo menos para mim). Quando há dois pontos de vista diferentes, em principio algum deve estar mais próximo da verdade do que o outro. Como amo a verdade, tenho de ouvir as opiniões diversas da minha para me abrir os horizontes e expor as minhas oiniões para que os companheiros me ajudem a encontrar possiveis erros nas mesmas. Não é esse o objectivo do debate? :)
bem haja

Vitor, você disse o que eu pensei quando li a intervenção da Ivi (é menina...acho... ;)).

Ivi, você começou por afirmar que não tinha opinião formada sobre o tema, depois transcreve um texto afirmando que "Essa é a minha maneira de ‘pensar’ sobre o assunto." Entretanto argumenta não fazer referencia ás palavras do autor que não são as suas... :-\

Estamos a debater ideias apenas...Cada um pode e deve expressar o que pensa. Somos todos livres. Não está em causa sentirmo-nos detentores de verdades, mas olhar para aqueles que nos são queridos e alertá-los de que o preconceito, a descriminação não nos levam a bom porto.
O Jorge é um amigo, e como tal achei por bem opinar. Bons amigos não são os que dão palmadinhas nas costas e dizem "ámen" a tudo sem reflectir. Um bom amigo discute por ter ideias contrárias e no final abre os braços com um sorriso e diz: és porreiro pá!  ;)

Como surgiu a discussão?

Com a afirmação do Jorge "Para mim podem dizer muitas coisas a favor da homossexualidade, mas quanto a mim é uma aberração, que precisa de ser banida da sociedade".
(Eu acho que certamente já não pensa assim, pois sei que é pessoa sensível)
Por isso se gerou o debate.Por isso houve uma certa reação de quem discorda com este ponto de vista.
Portanto, Ivi, esta afirmação :"ninguém aqui até agora apontou o dedo para um homossexual e condenou-o pela opção" não é totalmente verdade, pois foi por isso que se gerou o diálogo.

Seja como for, é sempre salutar partilharmos os nossos pensamentos, mesmo que eles estejam errados para os outros, ou não sejam o nosso melhor caminho, mas é na partilha que nasce a luz, é na troca que surge a conquista, é no toque que nasce a afeição.

Abraço a todos
Gi


Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 07 de Fevereiro de 2008, 23:07
Olá, amigos :)

Eu gostava que me esclarecessem uma pequena dúvida  :P

Estamos a falar do "preconceito" ou da "homosexualidade"?
Se é do preconceito, creio que será engraçado vermos em próxima reencarnação como cada um de nós aqui, reencarnando CONTRARIADOS (pois, não disse que seria fácil, eheheh) em corpo de sexo oposto, lidaremos com a situação :D

De facto a questão da homosexualidade actualmente sofre do "politicamente correcto", e aí sim: ai de quem diz que não acha normal!

O facto é que, realmente, se a reencarnação não se dá no corpo de sexo afinizado com a essência mais desenvolvida do Espírito (de facto, VS, os Espíritos não têm sexo fisico, mas não desenvolvem igualmente a essência feminina e a essência masculina, mas sim, primeiro uma mais que outra, antes de chegarem ao equilibrio, e é nesse aspecto que podemos considerar que os Espíritos "têm" sexo -não fisicamente, mas psicologicamente), isso era previsto com alguma finalidade: será a de frustrar o Espírito para o reequilibrar de alguns excessos passados? ou será o quê? nos não temos os elementos de análise todos, mas é de facto, exigível, na qualidade de Espíritas, que mantenhamos nós mesmos o equilibrio na forma como nos confrontamos com situações que achamos desequilibradas.

Esclarecer, a nós mesmo e ao próximo, sim.
E o que é "preconceito"? Um conceito adoptado sem análise prévia. Um receio instintivo do desconhecido. Ora, é o conhecimento pelo estudo que nos fará progredir, já que para isso estamos neste mundo.

E com isso, nunca nos esqueçamos que Deus criou leis de harmonia e equilibrio da vida, perante as quais a homosexualidade, de facto, não parece encaixar (falo em termos de sexualidade, e não de amor entre dois seres). Mas será que Deus nos pede que auxilemos "à martelada" essa harmonia e equilibrio?

Creio, em primeiro lugar, que é totalmente legítimos expressarmos nossa opinião de "não achar normal" a homosexualidade, embora discordemos do acto em si, em confronto com as leis do universo, e não do nosso "irmão ou irmã", se é que me entendem.

Creio, em segundo lugar, que deveriamios dialogar mais sobre o tema, só assim haverá mais razão e lógica em nossas opiniões (transformadas assim em conhecimento) e não meros preconceitos.

Creio em terceiro lugar que a ditadura do "politicamente correcto", é ela sim uma aberração que precisa ser banida da sociedade!  ;)   ;D

Abraços a todos,
Pg  :)




 
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 07 de Fevereiro de 2008, 23:26

Olá, de novo :)
Agora sobre o tema "homosexualidade" mais do que sobre a questão do "preconceito":

“O Espiritismo não abomina os homossexuais, mas não endossa a prática homossexual. Por mais se tente falar em liberdade e novos direitos humanos e de minorias; por mais que a sociedade ignore ou aplauda tais comportamentos; ainda que a legislação garanta certos direitos, inclusive o contrato matrimonial ou adoção de filhos; podemos tomar todas essas atitudes como paliativos que, no máximo, podem minorar o sofrimento de irmãos que, infeliz e indisfarçadamente, estão falhando em seus compromissos espirituais de mais longo prazo.
A tolerância, a aceitação e mesmo os exageros adulatórios que visam incentivar e rotular de normal uma prática que moralmente sabe-se que não o é, só serve para atacar parcialmente os efeitos de desajustes que se manifestam na expressão morfológica do sexo de periferia, mas residem fundamentalmente no Espírito e aí deveriam ser trabalhados, equilibrados e sublimados. Falar e agir em contrário é um grande e lamentável equívoco. Devemos respeitar e amar os homossexuais como quaisquer outros seres humanos, irmãos nossos, mas, se possível, não faltar com a orientação que lhes transmita valores autênticos do Espiritismo, capazes de favorecê-los a vencerem-se a si mesmos nesta como em outras tantas e tão difíceis provas que romperão a ilusão do prazer voluptuoso e efêmero, para culminar com a felicidade legítima e perene do Espírito elevado à categoria de servido consciente de DEUS.”

Será que o problema é mesmo e apenas a disconformidade entre o sexo do corpo em que o Espírito reencarnou e as suas preferências sexuais? Ou o problema é bem mais vasto e se encontra no facto de nossa civilização ter colocado o prazer sexual como um dos maiores valores actuais, e apele por mil e uma vias à maior liberdade nesse campo?
Todos estamos muito endividados nesse campo, ainda, isso creio ninguém aqui irá negar.
A homosexualidade, ao meu ver, é apenas uma maneira de persistir nesse "liberou geral" do Tim Maia, acho que é o Tim Maia... Mas há tantas mais actualmente, que nenhuma justifica a outra.

Agora, embora devamos evitar o preconceito, acho justo e legítimo que se tente entender, no plano espíritual, porque existe homosexualidade, contra as leis naturais, segundo as quais Deus criou, na matéria, homem e mulher (creio que não foi apenas para que lutassemos contra o preconceito). E também porque existe taras sexuais também nos heterosexuais.
O estudo não mata... Espero :)

Pg  :)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Ivi em 08 de Fevereiro de 2008, 10:26
Paz para todos !

"Uai, a gente não pode querer que todo mundo nos aceite. Às vezes, nem nós mesmos nos aceitamos . . .  Nem Jesus é unanimidade entre os homens ! . . ."

O Evangelho de Chico Xavier
de Carlos A. Baccelli

Abraço carinhoso !
Ivi
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Ivi em 08 de Fevereiro de 2008, 12:15
Paz para todos!

Caros amigos Vitor, Gi !

É verdade GI, eu sou uma menina (de apenas 41 anos). :D
Talvez a confusão gerada seja pela imagem do ‘moço’ ao lado com a frase
“Love is a temple, Love the higher law”. Eu acho que vi essa história antes !

Permitam-me esclarecer a opção pela foto, embora não seja o tema agora e desculpo-me pela liberdade.
Trata-se de “Bono Vox”, vocalista da Banda U2 (que eu amo verdadeiramente de paixão). Descupe-me, eu sou humana – Graças a DEUS !!!  ;)

A faixa em seu rosto está escrito “Coexist”. Tenho certeza que vocês conhecem o termo e seu significado, também conhece  o Bono . . . a Banda U2 e aqui não faço apologia à Banda.

 
Significado (by Wikipédia) - com anexo !
O logo é formada pelo intercambiamento dos três símbolos das religiões monoteístas que consideram Abraão como seu patriarca.
A letra "C" foi trocada pelo Crescente Islâmico, símbolo adotado em várias bandeiras de países em que há predominância de mulçumanos na população.
O símbolo judaico conhecido como "Estrela de Davi" foi inserido na logo na posição da letra "X". Segundo a tradição judaica, este símbolo era grafado no escudo do exército do reino de Israel desde os tempos do reinado de Davi.
A letra "T" foi permutada pelo símbolo maior do cristianismo, a Cruz de Cristo. Esta representa a expiação dos pecados da humanidade por meio do sacrifício de Jesus Cristo na cruz do Calvário.
A união desses símbolos numa só palavra, "Coexist", sugere a idéia de convivência pacífica entre as religiões abraâmicas.
Tal convivência pressupõe o respeito às crenças e aos preceitos das outras religiões sem o abandono ou sincretismo dos mesmos.”


Adiciono também ao último parágrafo por conta e risco próprio que não se trata apenas da convivência, respeito às crencas e aos preceitos de outras religiões, mas também da perfeita possibilidade de coexistirmos em perfeita harmonia em todos os outros segmentos da humanidade, seja em respeito pela: cor, raça, opção sexual, opiniões pessoais, enfim . . .

Bono ‘prega’ isso.

Abraço carinhoso !
Ivi



Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 08 de Fevereiro de 2008, 16:17
Olá amigos

Independentemente de considerarmos que existe ou não diferença entre o apego aos gozos da carne nos heterosexuais e nos homosexuais, garanto-vos que a humanidade terá razões para estar satisfeita quando todos os seus problemas se reduzirem a este. Decerto ainda temos de andar muitos séculos até chegar a esse ponto...

Contudo esclareço que aquilo que me faz confusão não é a questão da homosexualidade em si, mas a forma como as pessoas vêem a lei de causa-efeito.

Chega ao ponto de haver espiritas que estabelecem tabelas de relações directas causa-efeito entre as doenças e outras caracteristicas humanas e as situações de vidas passadas que as provocaram. Uma coisa é imaginarmos exemplos ou até transcrever exemplos recebidos de espiritos desencarnados que nos contam a sua experiência Através dos médiuns. Outra coisa é querer saber tanto como Deus sobre a justiça divina, ao ponto de fazer uma tabela tipo:

- A doença X é sempre devida ao mau comportamento Y;
- A homosexualidade é sempre devida ao mau comportamento Z;
- Etc., etc. 

Não podem haver efeitos semelhantes provindos de causas diferentes?

Também é, em meu entender, negar a bondade de Deus admitir que Deus não tem em conta as nossas verdadeiras intenções, o nosso arrependimento, etc. e que atribui as provas e expiações de uma forma cega.

Jesus disse para tratarmos Deus como Pai. Isso é suficiente para nos levar a pensar que a justiça de Deus não é tipo pena automática em função dos erros cometidos. Será que um bom pai continua a castigaria um filho se estivesse certo, como Deus pode estar, se o desejar, que ele se arrependeu e não repeteria o erro? Isso não seria vingança em vez de educação ou uma justiça cega e estúpida?

O que acontece no mundo é sempre segundo a vontade de Deus. Se erramos é porque ele o permite, pois acha isso útil para nós. Se ele não quisesse não existiria a possibilidade do erro e nós seriamos automátos, em vez de seres humanos.

Há aqui alguém que se sinta conhecedor, de forma inequivoca e absoluta, das razões cármicas do que acontece e do que acontece aos outros? Se Deus quisesse que soubessemos isso não nos permitiria essa lembrança?

Mas entenda-se bem: eu acredito que há muitos acontecimentos na nossa vida que estão relacionados com a lei causa-efeito. Não é isso que me faz confusão, de maneira alguma. O que eu pergunto é como é que alguém é capaz de dizer que sabe as causas passadas de tudo o que lhe acontece ou acontece aos outros? Isso é assustador, não por saber que estamos sujeitos à lei de causa-efeito, mas porque se trata de uma forma  de descriminação das pessoas quem, meu entender, não tem fundamento.

As causas daquilo que nos acontece é complexa e, para além da familia onde vamos reencarnar e das consequências genéticas disso, há muitas outras causas, grande parte das nossas acções são devidas a erros nesta reencarnação.

Para além disso, mesmo naquilo que é genético, onde será talvez mais claro estabelecer uma relação de causa-efeito com as vidas passadas, podem haver efeitos parecidos que derivam de causas muito diferentes.

bem hajam
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 08 de Fevereiro de 2008, 17:14

De facto, Vitor, tens razão nesse alerta.

Quanto muito podemos colocar hipóteses, como forma de nos conscientizarmos da LCE, mas nunca nos fixarmos em "certezas", pois estas últimas correm o risco de também serem meros preconceitos.

Pg  :)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: SB em 08 de Fevereiro de 2008, 17:19
Muito bem Victor!

  ;)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Carlos Ribeiro em 08 de Fevereiro de 2008, 17:51
Sem dúvida que o Vitor tem razão. A homossexualidade terá concerteza várias causas possiveis e não podemos generalizar. No entanto pergunto: que tipo de causas poderão dar origem a uma tendência de ordem homossexual? Serão factores genéticos? Serão originados por traumas de infância ou má educação? No caso de ser um problema relacionado com vidas passadas o que estará por detrás disso? Exagero ou abuso na conduta sexual? Será apenas fruto do livre-arbitrio do espírito, que escolhe nascer assim como provação, ou como expiação? Será que aquele espírito esteve durante várias encarnações numa polaridade masculina ou feminina e agora que nasceu com corpo físico situado em polaridade oposta tem esse tipo de tendência?
Ass: Carlos Ribeiro
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 08 de Fevereiro de 2008, 19:59
Pode-se dar simplesmente o caso de o Espírito, que teve mais reencarnações num dos sexos, agora deve renascer no outro para desenvolver das duas essências feminina ou masculina aquela que não está tão devolvida ainda, e ai, quando reencarna, não lida bem com o que estava planejado, a nivel sexual.

Há tantas hipóteses possíveis...
A causa não tem que ser expiação, mas o uso do livre arbitrio é que vai decidir do mais rápido ou mais lento aproveitamento da nova experiência no mundo fisico do Espírito reencarnado. Digo mais ou menos, rápido ou lento, porque certezas não as teremos. Só o próprio Espírito, em sua consciência, saberá se aqproveitou ou não a reencarnação, ou se terá perdido uma oportunidade.

Nós, com as algemas do preconceito, perdemos imenso tempo a olhar o passado - o nosso e ainda mais o dos outros - em vez de aproveitarmos o presente, auxiliando a nós e ao próximo, com a esperança e fé naquilo que chamamos verdadeira felicidade e que almejamos para o futuro, para o momento do nosso regresso à nossa verdadeira pátria, ao mundo espiritual.

Na Lei Única de Deus, que nos foi ensinada como a síntese de todas as revelações dos mensageiros de Deus , "amar a Deus sobre todas as coisas", em primeiro lugar, é tentar corresponder ao que na nossa consciência sabemos que nos foi indicado como melhor caminho, entre bem e mal, em cada reencarnação ou na erraticidade, para nossa própria felicidade. E nós sabemos, na verdade, quais são as leis naturais. Não podemos amar a Deus e sermos escravizados ao mundo dos prazeres físicos ao mesmo tempo. Temos que saber se aproveitamos nossa passagem aqui para progredir, como seres espirituais, ou se gozamos agora e nos lamentamos depois. Embora não nos falte novas oportunidades de reencarnar e repetir as aprendizagens, cada oportunidade desperdiçada, o Livro dos Espíritos no-lo diz, é causa, no momento do desencarne, daquilo a que a velha religião alegorizou como Céu e Inferno. Claro, podemos aproveitar agora, em "bons vivants", e depois logo se vê...

Mas isso vale para cada um de nós, não apenas para os homosexuais.

Pg  :)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 08 de Fevereiro de 2008, 21:01
Olá Cariberto

O problema é que cada caso é um caso. As causas podem ser muito diversas e dúvido que se encontre uma causa comum a todos os casos de homosexualidade.

Por exemplo, sabemos que há pessoas que nascem com os dois sexos. Depois os médicos optam por um deles. Quando eles erram pode suceder que se venha a desenvolver uma pessoa com caracteristicas orgânicas gerais (o corpo da mulher e do homem são diferentes até a nivel cerebral - o cérebro das mulheres, por exemplo é mais pequeno, talvez por ser para usar menos, não sei... ;D - é só para ver se as mulheres do fórum afinam, não levem a mal  :D) de mulher e orgãos sexuais de homem e vice-versa. Este caso é muito diferente dos pedófilos e de outros tarados e obsecados do sexo. Estes últimos ou são doentes mentais ou são muito carnais, pessoas para quem o sexo pode até ser a prioridade máxima das suas vidas.

Deve haver documentação sobre explicações cientificas da homosexualidade na WEB. Podemos procurar.

bem hajas
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 08 de Fevereiro de 2008, 21:41
Por exemplo, sabemos que há pessoas que nascem com os dois sexos. Depois os médicos optam por um deles. Quando eles erram pode suceder que se venha a desenvolver uma pessoa com caracteristicas orgânicas gerais de mulher e orgãos sexuais de homem e vice-versa.

Será mesmo que erram? Será que Deus deixa assim tão alto grau de acaso e incerteza, em assunto tão grave de nossas vidas?

Por acaso, na revista Sábado desta semana vem um artigo interessante sobe esse tema que se chama: INTERSEXUALISMO

Abraço.

Pg  :)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: SB em 08 de Fevereiro de 2008, 22:31
Eu conheci, tinha os meus 17 anos…uma pessoa que nasceu com os dois sexos.

No bilhete de identidade chamava-se António…mas toda a gente a chamava de Maria…

Alta, um corpo de meter inveja a  qualquer mulher, uns olhos lindos…nada parecia ser alguém que tinha sido registado com o nome de Antonio.

Actualmente não sei se será viva…naquela época ela já teria alguma idade…um dia contou-me a sua historia.

Quando nasceu, não foi bem vista pelos seus pais, tinha dois sexos, um deles mais incluso…mas o mais saliente seria o masculino. A nossa medicina mt aquém nesse sentido, nada podia fazer…assim, seria escolhido um nome mais adquado ao sexo…

Viveu com os dois sexos ate aos seus 20 e tal anos…mtas frustações se foram dando pelo caminho da adolescência, e na idade já adulta, nao havia informação nem formação para esta situação…chegou a ter um caminho duvidoso…foi um caminho muito solitário...um dia consegue dinheiro e vai ate Paris onde podia optar por aquilo que sentia…a mulher que sempre sentiu ser…contudo, nas nossas leis não era permitido alterar a sua condição no registo de identidade… então a sua frustação continuou…completava-se a nível sexual e intimamente, mas ainda sem conseguir a sua tranquilidade a nível sentimental…

Imaginem, ha 30 e tal anos atras…eu sou a Maria…mas no meu BI eu sou o Antonio…

Sofreu uma vida inteira de descriminações…e foi bastante infeliz…conseguiu ser aceite, finalmente no mundo dos transformistas…ai podia ser ela, a mais autentica de todos nesse ambiente…infelizmente...

Acreditem que era uma mulher adorável…sempre a conheci a sorrir…ficou-me sempre na memoria…

_________________________
Em reflexão sobre este assunto…Ocorre-me…

Ocorre-me, que sejamos do sexo feminino ou masculino, ambos os sexos tem as duas energias…mas por natureza neste estágio de provas e expiações, ambos os sexos ainda se sentem desequilibrados.

Pois que o equilíbrio chegará, aquando o sexo se vier a transformar imutável.

Assim, tantos erros tem um homossexual, como heterossexual, como da mesma forma se dá a dois corações diferentes, pois nenhum é igual…

Ocorre-me também, que dentro da heterossexualidade existe tanta precariedade nos sentimentos e nos actos, provocando feridas mesmo na sua condição humana e espiritual, pelo desrespeito por si mesmo e aos outros…que…continua-me a ocorrer-me que:

É importante que exista progresso, independentemente de se ser homossexual ou não, pois a oportunidade é mesmo a vida que procurou ter, e servir com a maior respeito e dignidade possível , todos os momentos prováveis e as improváveis a que se submeteu.

E todos nós podemos contribuir para esse progresso, mostrando esse respeito e essa dignidade.

Um principio básico de todas as coisas, alem de  se afirmar as leis de Deus, será a atitude com que se encara a vida, isso já foi falado aqui, mas continua-se a debater e a dar voltas ao assunto…
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 09 de Fevereiro de 2008, 17:50
Olá Susana

Citar
Pois que o equilíbrio chegará, aquando o sexo se vier a transformar imutável.

Segundo Kardec (e os espiritos que ditaram a codificação) esse dia nunca chegará, pois eles dizem que os Espiritos não têm sexo. Um dia chegaremos ao ponto de não ter de reencarnar e, portanto, deixaremos de ter sexo masculino ou feminino. Isso sim é que tornará imutável (não ter sexo masculino nem feminino).

Olá David

Citar
Será mesmo que erram? Será que Deus deixa assim tão alto grau de acaso e incerteza, em assunto tão grave de nossas vidas?

Parece-me que em casos como o que a Susana contou não há dúvidas que os médicos erraram (por falta de meios e conhecimentos para fazer de outra forma ou por incompetência - só os médicos poderão responder sobre as razões do erro).

Mas julgo (perdoa-me e corrige-me, se estou a julgar mal, por favor), que querias dizer que houve intervenção do mundo espiritual no sentido de assegurar que fosse seleccionado à Maria o sexo masculino, em vez do feminino. O objectivo, nesse caso, era assegurar-lhe a expiação adequada/ merecida.

Não concordo com isso pelas seguintes razões:

- Òbviamente que nada do nos acontece é contra a vontade de Deus, pois se ele não o permitisse, não ocorreria. Trata-se de nos deixar em liberdade, tal como um pai larga o filho que está a aprender a andar. Como não somos máquinas temos liberdade, na medida no nosso grau de evolução, mas nunca deixamos de ser amparados pelos bons espiritos e pelos nossos anjos guardiães. Portanto, se a Maria nasceu com o sexo trocado, é porque Deus o permitiu, disso não há dúvidas.

- Mas desde Deus permitir até provocar propositadamente os nossos problemas vai uma grande distância. Não consigo conceber que bons espiritos, ao serviço do Pai Celeste, intervenham para nos criar doenças e outros problemas, a titulo de expiações. Portanto, se houve intervenção dos espiritios, essa foi de maus espiritos (influenciando mal o médicos ou quem tomou a decisão do sexo da Maria, por exemplo). Para além disso, infelizmente ninguém precisa de intervir para nos criar expiações, pois nós próprios somos muito bons a fazer isso. Para além de vivemos num planeta precário, de provas e expiações, que só por si chega para nos criar pedras no sapato que cheguem para nos entretermos. Como sabemos que é possivel que os maus espiritos nos influenciem mal, esta é uma hipótese a considerar (embore eu não aposte nela à partida)

- Claro que podemos alegar que há sofrimentos que nos são impostos para o nosso próprio bem e que, portanto, os bons Espiritos poderiam preparar as nossas expiações para o nosso próprio bem. Eu não consigo pensar assim, pois não me imagino a tomar a decisão de trocar o sexo a uma pessoa propositadamente, mesmo sabendo que era para seu bem, nem consigo pensar em Jesus a fazer tal coisa, pois o exemplo dele aqui na terra foi o oposto: ele curava as mazelas fisicas, para que as pessoas, a partir da fé, curassem as mazelas da alma. Jesus agia sempre pela positiva.  Tudo me leva a crer que carregar ainda mais a cruz que as pessoas já carregam por viverem neste planeta e pelos seus próprios erros, não seja uma via simpática a quem tem um coração puro. Mas na verdade, só Deus sabe. Lá por eu não conseguir perceber uma coisa, nada diz que as coisas têm de ser como eu sinto e imagino, óbviamente.

Conclusão:

- Deus criou-nos simples e ignorantes, com o destino de evoluirmos até á perfeição, passando pelos vários degraus necessários, o que é diferente de sermos criados para sermos infelizes. O que nos cria a infelicidade são as nossas mazelas morais, que nós próprios criamos. Mas só Deus sabe, efectivamente. Isto é o que eu sinto e, por isso, é o que aqui escrevo.
 
bem hajam
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 09 de Fevereiro de 2008, 22:07
Olá, Vitor  :)

Penso que o que a Susana quis dizer foi que chegará um dia em que tremos na plenitude as duas essências, masculina e feminina, em equilibrio, não nos deixando mais desequilibrar com tais situações aqui analizadas.

O sexo não é apenas manifestação do corpo físico, tal como o pensamento não é secreção da matéria: sexo é uma força criadora, de essência espiritual, que nesta fase de nossa evolução quanto muito sabemos manifestar através do prazer físico, mas é mais do que este.

Quanto à questão de os médicos não errarem, o que eu quero dizer é que acertam na operação, na escolha do sexo, após estudo dos cromossomas e não só (como eu referi, vem um estudo muito interessante na revista Sábado desta semana), em concordância com aquilo que o Espírito aceitou vivenciar nesta reencarnação. Ninguém impôs nada ao espírito, ele é que previamente sabia exactamente ao que vinha nesta reencarnação. Não há acaso na escolha dos médicos, na operação.

O Espírito é que, depois, não consegue superar as dificuldades da reencarnação, apesar da prévia escolha que fez, na altura consciente de tal experiência no mundo lhe ser proveitosa para a sua evolução espiritual (já que para isso reencarnamos, certo?), mas depois, uma vez aqui, perdemos a perspectiva, e apenas vemos o momento presente, a vida material.

É isso que eu creio.

Abraços

Pg  :)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: SB em 09 de Fevereiro de 2008, 23:17
É sim David, é isso mesmo que quero dizer...embora o Vitor na sua analise nao esteja errado, mas contudo menos abrangente...

Sabes, e isto digo-te a titulo pessoal, fiquei muito feliz, pelo entendimento que ja adquiriste acerca dessa mesma energia. É muito importante nas nossas vidas esse conhecimento, é Consciencia, um grande passo para o equilibrio ;)

Abraços
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: flordelisMG em 10 de Fevereiro de 2008, 01:41
Oi,

Sobre o preconceito homossexual no enlace de nossas vidas.

Os bons espirítos, como Joanna De Angelis, eu pelo menos julgo ser, dizem que o amor nos liberta, nos faz sentir saudáveis, irradiamos energias, rompemos as couraças e os anéis que envolvem o corpo, luariza as dores morais, proporciona paz, é um estímulo permanente, refreia as nossas paixões, nos inspira e nos eleva dando colorido às paisagens mais cinzentas, tornando-se estrelas luminosas das noites da emoção, é saúde que expande, nos proporciona simpatia afetuosa com tudo e com todos, nos desenvolve a criatividade, etc... Enfim, que "através do amor, imbatível amor, o ser se espiritualiza e avança na direção do infinito, plenamente realizado, totalmente saudável, portanto, feliz."


E aí, aos que persistem na dúvida, questiono, já perguntaram a um homossexual se ele se sente assim? Se te disser: Sim, sinto-me assim. Será que teremos coragem em dizê-lo: É errado você sentir isso ou é uma aberração ou você está sendo obsediado ou você está só em busca de prazer ou... ou... (?)


Ora, não nos é dito que "onde o amor se faz presente aí está Deus. E onde Deus está nada falta, para que sejas feliz" (Emmanuel).

Desculpe-me, mas contrariar a essa máxima me faz partir do zero e nada mais compreendo. Peço ajuda....
Outra dúvida, se precisamos aprender a amar nessa vida e em todas, porque complicamos tudo, buscamos causas, falhas, defeitos, julgamos(se isso cabe apenas a Deus, né?)? A essência de nossas vidas é amar, não?   ???

Estou perdida... sinto-me desorientada qdo leio ou escuto dizer que é uma aberração, que é errado...


Jeannete gostei muito do seu tema sobre "Reflexões sobre o Amor" e do comentário dos outros.  ;)

Abraços a todos.
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: vitor_goncalves em 10 de Fevereiro de 2008, 19:04
Amigos

Como todos nós sabemos estamos num Mundo de Provação.

LE (167) - Qual o fim objetivado com a reencarnação?
             
               " Expiação, melhoramento progressivo da Humanidade. Sem isto,
                 onde está a justiça?

Deus não tem nenhuma "tabela" de castigos, na reencarnação, somos nós principalmente que escolhemos as provas a que nos queremos submeter.

LE (258) - Quando na erraticidade, antes de começar nova existência corporal, tem o Espirito consciência e previsão do que lhe sucederá no curso da vida terrena?

   " Ele próprio escolhe o gênero de provas por que há de passar e nisto consiste o seu livre-arbítrio."

   a) - Não é Deus, então, qem lhe impõe as tribulações da vida como castigo?

         " Nada ocorre sem a permissão de Deus, porquanto foi Deus quem estabeleceu todas as leis que regem o Universo. ...


Deus é justo, nem castiga nem permeia. Vive as nossas provas.

Vamos supor que determinada pessoa numa, vida passada, encontra outro "irmão" com determinado defeito fisico ou moral, nisto ele passa a humilhá-lo, a renegá-lo, a difamá-lo, etc.

Como fazer que essa pessoa possa corrigir o mal que fez?
Parece-me que há uma maneira, é ela propor-se numa próxima reencarnação ter o mesmo defeito que tanto criticou, para sofrer as mesmas amaguras que ele provocou, assim perceber o mal que fez.

É por isso que nós devemos a maior compreensão, solidarizarmos com eles e aceitá-los de coração aberto.

Um Abraço
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 11 de Fevereiro de 2008, 11:53
Olá

Citar
David

O sexo não é apenas manifestação do corpo físico, tal como o pensamento não é secreção da matéria: sexo é uma força criadora, de essência espiritual, que nesta fase de nossa evolução quanto muito sabemos manifestar através do prazer físico, mas é mais do que este.

Citar
Livros dos Espiritos

200. Têm sexos os Espíritos

“Não como o entendeis, pois que os sexos dependem da organização. Há entre eles
amor e simpatia, mas baseados na concordância dos sentimentos"

693. São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por
fim ou por efeito criar obstáculos à reprodução?

“Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha é contrário à lei geral.”

694. Que se deve pensar dos usos, cujo efeito consiste em obstar à reprodução, para
satisfação da sensualidade?

“Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem é material.”

Daqui não consigo retirar nenhuma conclusão de que o sexo que não visa a reprodução seja uma força criadora do espirito, nem nada mais que uma necessidade fisica, quer em homosexuais quer em heterosexuais. É uma consequência da nossa natureza animal, tal como a necessidade de nos alimentarmos, por exemplo.

Consigo sim perceber que o sexo que só visa a sensualidade (isto passa-se quando a relação sexual é praticada entre pessoas em que só há atracção fisica e não afeição da alma), mostra demasiado apego aos gozos da carne (como abusar da comida, por exemplo). Todos nós sabemos que é uma vantagem conseguirmos ir buscar a felicidade às coisas do espirito, em vez de a procurarmos nos gozos materiais (pois nunca a lá vamos encontrar). Mas também sabemos todos que não nos podemos mudar de um dia para o outro.

Concordo com a flordelisMG e também gosto muito de Joanna de Angelis.

O sexo tem de ser essencialmente uma expressão da afeição da alma entre duas pessoas para ser uma coisa positiva, penso eu. Mas não acredito que entre os espiritos desmaterializados haja alguma coisa parecida com sexo. Há amor e não sexo entre os espiritos mais elevados.

Acredito que entre os espiritos muito carnais (portanto de baixo nivel moral) continue a haver a necessidade psicológica do sexo (e também da comida, do tabaco, da droga, etc.) mas isto é fruto da sua natureza muito material, não é por o sexo ser uma necessidade espiritual. Os espiritos não têm corpo fisico - toda a  necessidade fisica do espirito é uma deficiência/ ilusão psicológica, não uma necessidade real.

bem hajam
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 11 de Fevereiro de 2008, 11:56
Olá

Quanto á lei causa efeito, eu baseio-me muito no modelo de Deus Pai. Jesus ensinou-nos a tratar Deus como Pai Nosso e isso quer dizer, em meu entender, duas coisas:

- Deus é o nosso Criador;
- Deus ama a sua criação, como um Pai terreno perfeito, se isso existisse na terra,
  amaria os seus filhos.

Não sei se estou certo, mas, na fase actual em que me encontro, é assim que sinto e imagino.

Há muitos problemas na nossa vida que não têm natureza cármica (pois os animais não têm provas e expiações a sofrer e ambém nascem doentes, por exemplo). Não nos é dado sequer separar os problemas quanto á sua natureza, em problemas cármicos, e problemas derivados de vivermos num planeta precário e estarmos sujeitos a um ambiente perigoso, de doenças, poluição, etc., a não ser que vamos incluir o facto de vivermos na terra como uma expiação.
 
Há vários tipos de problemas na nossa vida, que podem ter natureza cármica (opções nossas ou de outros espiritos superiores a nós, que foram estipuladas como objectivo reencarnatório:

1) Expiações (punições)
2) Provas (testes)
3) Reparações

1) Expiações (punições)

Os espiritos só sofrem punições para serem obrigados a abrir os olhos se não se arrependerem do mal que fazem. Não para vingar o mal que fizeram a outrém. A vingança não é agradável a Deus nem aos bons espiritos. Os espiritos em punição não escolhem as suas expiações, são-lhe impostas, para vergar a sua vaidade, o seu orgulho e egoismo. Mas cuidado ao imaginar a punição. Um pai não dá um pontapé ao filhos, de forma a imobilizá-lo, para ele não sair de casa, a não ser que seja um caso de vida ou de morte impedir o filho. Da mesma forma não imaginemos os espiritos superiores a engendrar sofrimentos maquiavélicos desnecessários. A Justiça de Deus é sempre aplicada com amor e não de forma cega e automática. Para além disso a punição termina com o arrependimento.

2) Provas (testes)

Quando somos submetidos a uma prova, por nossa vontade, isso é bom sinal, ou seja significa que já há arrependimento e que queremos vencer os defeitos relacionados com essa prova. Dessa forma, a prova deve ser reencarnar numa familia onde haja grande probabilidade de sermos testados em determinado defeito. Por exemplo o egoista vai ser colocado em situação de ter de partilhar os seus bens com outras pessoas. As provas mais dificeis são das últimas e dos espiritos que atingiram maior nivel de evolução moral, não dos inferiores. Deus não carrega ninguém com fardos que não seja possivel carregar. Ninguém imagina dar ao aluno da escola básica um teste de nivel universitário para ele resolver, assim é também na vida espiritual (as nossas provas são para o nosso nivel). Aliás um espirito mais elevado já é capaz de amar os seus semelhantes de forma mais incondicional, não tendo a tentaçao de se irritar, revoltar ou vingar. Compreende a inferioridade dos que lhe fazem o mal.

3) Reparações

É trabalho comunitário para compensar o mal feito. Assim sendo trata-se sempre de fazer o bem para os nossos semelhantes.
 
Mal ou bem, é assim que imagino as leis da vida. Sempre a pensar na bondade e no amor de Deus, o que é incompativel com justiça vingativa e cruel. Tudo o que nos acontece é permitido por Deus. Ele definiu as leis que regem o universo. A lei moral está escrita na consciência de cada um. O caminho para a felicidade é fácil de encontrar, para quem o procura realmente, embora não seja fácil de seguir.

Mas se fosse muito fácil, como é que nós, espiritos, ganhávamos inteligência e sabedoria? (A verdadeira inteligência só se deduz com segurança da elevação moral, pois o conhecimento moral só acontece após o desenvolvimento da inteligência e da sabedoria).

bem hajam
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: vitor_goncalves em 11 de Fevereiro de 2008, 14:23
Amigo Vítor Santos

Creio que estamos a falar da mesma coisa, com outra maneira de expor o assunto.
Tenho um curso superior de engenharia civil e não um curso de filosofia ou de português( que admiro muito ), pelo que eu talvez seja mais "frio" e suncinto a expor os assuntos.
Ora eu nunca disse que Deus se vingava ( porque isso seria um autêntico disparate ), nem os Espiritos Superiores.
Como sabe nós não podemos falar só de nós Espiritas (já com um certo conhecimento), mas sim no Povo em todo Mundo, e pelas "amostras" que temos, há muita e muita gente que pertence ao Baixo Astral (digo eu).
Nós podemos reportar-nos à matemática, ou seja, quando praticamos uma acção negativa (-1) para a anulá-la a zero (neutro) teremos que somar (+1).
Isto pode ser uma Prova ou uma Reparação, mas há casos (a maioria) que ao factor negativo (-1) terá de ser subtraído a mesma negatividade, assim (-1)-(-1)=0. Ora isto é Expiação.
Peço desculpa de esta minha maneira de por o assunto.

Na minha maneira de "ver" Deus na sua Onipotência, está sempre connosco, Ele nos acompanha sempre. Ora se Ele praticasse uma vingança em nós, seria vingar-se Nele Próprio, o que é absurdo.

Isto é a minha teoria que pode não ser, uma verdade relativa


Um abraço
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 11 de Fevereiro de 2008, 14:42
Penso que a LCE, além de "O Livro dos Espíritos", de "O Céu e o Inferno", está muito bem explicada nos livros que Chico Xavier e Yvonne Perreira psicografaram.

No entanto, aconselho o "Semeando e Colhendo", psicografado por Hercilio Maes, do Espírito Atanagildo.

De facto, há duas possibilidades: (-1)+ (+1) = 0, que é "o amor cobre a multidão dos pecados", ou (-1) - (-1) = 0, que é a LCE ou "carma", pela dor.

Em todos os casos, este "=0" é um reequilibrio e não uma lei do talião ou reparação.

Se calhar, a expressão "provas e expiações" deverá ser actualizada num "aprendizagens, exames e reequilibrios", mais adequada à verdade que hoje já estamos aptos a entender. O termo que consta do Espiritismo oitocentista destivava-se às mentes ainda emergentes dos dogmas católicos e protestantes, e como avisaram os Espíritos da codificação, estes usam a linguagem que mais estamos aptos a entender em determinado momento, pois para eles a essência é tudo na comunicação, enquanto para nós a forma e a letra ainda limitam a linguagem (basta ver as controversias sobre a questão de saber se o Espiritismo é ou não é "religião"...).

Mas se não há punição, também não há acasos e dificuldades gratuitas para qualquer um de nós: a lei de causa e efeito existe e funciona sempre.
Não há dificuldades sem causa.

Pg  :)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 11 de Fevereiro de 2008, 17:54
Olá Vitor Gonçalves e David

Para mim, a expiação só se dá enquanto o espirito não se arrepende. Por exemplo, se ele é um patrão actual que explora duramente os seus trabalhadores e se, quando chega ao mundo espiritual, vê o que fez com mais clareza e não se arrepende, pode ter de renascer como um trabalhador fortemente explorado, para sentir e entender o que ele fez na reencarnação passada. Não para vingar as vitimas. Até se arrepender está num ciclo de expiação. Não se trata de contabilizar o mal feito e aplicar a mesma dose, trata-se de cansar o espirito pelo sofrimento até ao arrependimento (aceitação racional e aceitação do coração da necessidade de mudar). A expiação não é reparação nem vingança. É correcção pela coersão. Deste modo não faz sentido continuar após o arrependimento.

A reparação, em meu entender, tem de sempre positiva +(+1). De que adiantaria aos espiritos a quem um espirito fez o mal, ou a Deus, que ele seja submetido também ao mal -(-1)? Isso não seria reparação, mas vingança.

Se me assassinarem um familiar, por exemplo, do ponto de vista racional, a prisão do bandido não repara a falta que esse familiar me faz. Se eu me revolto e desejo vingança, para além de me levar o meu familiar, estou a deixar o assassino me continue a fazer mal, pois a revolta e o desejo de vingança trazem-me sofrimento fisico e psicológico. Será que a justiça divina se baseia na racionalidade e no amor ou será que se baseará no desejo de vingança emocional/irracional das vitimas?

No exemplo anterior, se o assassino for obrigado a indeminizar-me, então está a fazer uma pequena tentativa de reparação. Caso contrário a prisão serve só para dissuadir outros potenciais assassinos e para proteger a sociedade. A pena de prisão, actualmente, não repara nada à vitima, só alimenta a sua sede de vingança. Eu até acho que a divida do recluso perante a sociedade devia ser paga através do trabalho do mesmo. Ele devia viver em condições dignas na prisão, mas deveria ser estipulada a quantidade de trabalho útil para a comunidade e/ou para as vitimas e/ou para assegurar o sustento do recluso até se reintregar na sociedade, que ele teria de fazer.  E só poderia sair após fazer esse trabalho, descontadas as refeições, a roupa, etc. Exceptua-se o caso de pessoas que não podemos libertar enquanto forem uma ameaça muito grave para a sociedade.

Recuso-me a aceitar que a reparação seja tipo pena de talião aplicada pela negativa
(-1)-(-1)=0. Em minha opinião só é válido (-1)+(+1)=0.

bem hajam
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: vitor_goncalves em 11 de Fevereiro de 2008, 19:54
Amigo Vítor Santos

Eu gostava, que o Mundo fosse como você diz. Mas parece-me infelizmente não ser.

Veja, digo eu, Quando uma pessoa boa, morre assassinada, será porquê? Um mal intencionado, decidiu assassinar outra pessoa por seu livre-arbítrio. E então o assassinado será que ele no seu livre-arbítrio não queria morrer daquela maneira?
Isto tem de estar no "Carma", no planeamento da vida, senão como conseguiamos entender as nossas vidas nas reencarnações.
Queria eu dizer, quando alguém, por exemplo é assassinado está a reequilibrar-se, num ponto (-1), em sofrimento, como se fosse um estado.
Repare neste Mundo, ou melhor neste País, há para aí tanta gente que intimamente se vangolariza-se por fazer "mal" e que a justiça dos Homens não os consegue condenar.
Quando desencarnarem, para o local onde forem, não me parece que se vão arrepender, não é isso que as comunicações nos dizem, se calhar continuam a vangolarizar.se. Pelo menos assim se percebe na vasta literatura psicografada por vários autores.
Repare nós estamos a viver em dualidade, portanto não há vinganças, há é vivências.
Quando eu provoco uma determinada acção, eu tenho de ter uma mesma reacção do mesmo tipo. É com isto que nós nos equilibramos.

Vítor Santos, isto é discussão batante útil e amigável e eu gostaria tanto que fosse como diz, mas ainda não consigo chegar lá.

Um Abraço
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 11 de Fevereiro de 2008, 21:15

A reparação, em meu entender, tem de sempre positiva +(+1). De que adiantaria aos espiritos a quem um espirito fez o mal, ou a Deus, que ele seja submetido também ao mal -(-1)? Isso não seria reparação, mas vingança.


Não se trata de reparação para com a vitima, Vitor, o ponto da questão é mesmo esse: trata-se de reequilibrio do próprio ser que, ao agir contra as leis divinas que harmonizam o universo, se desequilibrou de tal forma nas suas energias perispirituais que necessita reequilibrar-se, e iso ele fará compensando, agindo em benefico do próximo (+1) ou passando por situação igual à que fez passar a outrem (-1), de forma a que interiorize essa experiência e também que restaure seu equilibrio energético ou fluidico, como queiram, seja qual for a expressão ou terminologia.

Não há reparação para com a vitima, porque simplesmente não há vitima, mas sim, outrem ele próprio em reequilibrio ou expiação para adoptar a terminologia da codificação..

Um exempo: A é um sujeito agressivo, que numa vida mata outrém; essa tendência para matar e agredir, não só desequilibra suas energias e deixa sequelas no seu perispirito, como cria uma sintonia nele. Ele desencarna, pode se arrepender ou não, isso fará com que tenha auxilio ou não, mas não basta para que resolva seu desequilibrio. Terá que voltar a reencarnar. E o que vai acontecer noutra reencarnação? Vai reencarnar, no meio (POR ESCOLHA) ou atraindo (POR SINTONIA: lembrem-se que ele tem tendências agressivas) pessoas tão ou mais agressivas, e aí, de duas uma: ou ele realmente se esforça por controlar seus impulsos (+1) e aí se reequilibra e dá o exemplo, auxiliando outros também agressivos a mudarem, pelo amor; ou vai dar abertura a sua agressividade, o que é lógico que aconteça, pois estará em convivio com outras pessoas agressivas e agressividade gera agressividade, se não aprendemos a controlar essas reacções; só que aqui, encontrará mais agresivo do que ele, e serão fortes as hipóteses para que então, morra assassinado também.

Ou seja, não foi Deus nem os Espiritos que disseram a fulano, vais matar A, precisamos de ti para que a justiça se faça, embora tu mesmo serás um criminoso e por tua vez noutra vida terá que morrer também assassinado. NÃO! Onde estaria o livre arbitrio?

O que acontece é tão só que nossas acções e pensamentos geram ambientes em nós, o que algumas doutrinas chamam de "aura", os quai fazem funcionar a lei de sintonia, e daí a advertencia de que quem mata pela espada morrerá pela espada, que Jesus fez a Pedro no monte das oliveiras. Não porque Deus vai tudo controlar para que isso aconteça, mas sim porque ou mudamos, e o amor cobre a multidão dos pecados, na primeira hipótese acima, ou porque a sintonia faz que atraimos nossos iguais (-1).

Pode se dizer: sim, mas se são iguais, A pode se defender e matar de novo em vez de ser morto.
É esquecer a influência do mundo espiritual, em que até os Espíritos ainda inferiores são intrumentos das leis divinas, e irão "auxiliar" para que A não atraia só igual, mas pior e mais agressivo. Lembremos que muitas das vezes, as nossas vitimas o passado são obsessores desencarnados. E estes só os "vencemos" com o exemplo do amor e do arrependimento. Voltamos à outra solução (+1).

É assim que eu percebi que funciona a lei de causa e efeito.
Só a lei de sintonia permite entender que a lei do livre arbitrio funciona.
E a ninguém é imposto ser carrasco de A no exemplo.

==>>==>>  Leiam este texto de Emmanuel (http://www.forumespirita.net/fe/index.php/topic,807.msg2613.html#msg2613)

Pg  :) 
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 11 de Fevereiro de 2008, 21:32
Olà VG

O exemplo que dá não é muito feliz, pois a morte precoce pode não ser um castigo, mas uma benção, dependendo de quem é o assassinado. Se for um espirito já evoluidinho fica satisfeito de sair deste planeta precário. Se for um espirito ainda muito carnal, pode ficar revoltado.

Mas suponhamos que em vez de ser um homicidio era uma tentativa falhada de homicidio e que a vitima ficou viva mas com um grau de deficiência elevado. Acaso serve alguma coisa à vitima o sofrimento futuro do homicida, noutra vida? De que modo é que isso repara o mal feito? A reparação terá de ser fazer o bem e não sofrer mal idêntico.

Contudo pode tratar-se de uma vingança de outra vida, por exemplo um espirito que atraiu o homicida da vitima, influenciando os seus pensamentos, para se vingar de um mal que a vitima de hoje fez no passado. Aí trata-se de uma vingança por parte de um mau espirito, pois os bons espiritos não se vingam, seguem os preceitos que Jesus ensinou. Não foi Deus nem os bons espiritos que influenciaram o homicida para cometer homicidio de certeza. Se foi permitido (nunca provocado por Deus ou pelos bons espiritos) havia uma de duas razões:

- Ou foi permitido porque o sofrimento causado podia contribuir para o arrependimento da vitima, que era um espirito endurecido e, não obstante os esforços do anjo guardião e dos bons espiritos, não se arrepende de outra forma. A lei do progresso não é facultativa. Quem não vai a bem vai á força, ou seja, fica sujeito á acção dos maus espiritos, sem que os bons espiritos se oponham. No momento em que se arrepende a educação forçada deixa de ter razão de ser. A meu ver, a contabilização do mal e do bem que se fez, não serve para determinar expiações, mas calcular reparações (fazendo o bem para compensar o mal que tenha feito).
 
- Ou foi permitido porque se trata de uma prova de paciência e resignação pedida por um espirito arrependido (os espiritos que pedem este tipo de provas já são relativamente evoluidos, pois um espirito fraco pode sucumbir, suicidando-se ). Se era um espirito bom, estava neste caso.

Como você, eu acredito que o espirito rebelde, que não se arrepende (um espirito pode não se arrepender enquanto está no corpo, mas arrepender-se na erraticidade) é submetido a experiências semelhantes aquelas que ele criou, pois alguém que fez mal está sujeito à vingança. Mas não acredito que Deus ou os bons espiritos incitem um espirito à vingança nem tenham arquitectado a mesma antes da reencarnação. Infelizmente não faltam na terra espiritos desencarnados nem encarnados para nos fazer expiar, se deixarmos. Isto parece uma questão de linguagem, mas não é. Há quem diga que os bons espiritos são os arquitectos das nossas doenças de nascença e de outros sofrimentos e é nisso que eu não acredito.

Citar
Repare neste Mundo, ou melhor neste País, há para aí tanta gente que intimamente se vangolariza-se por fazer "mal" e que a justiça dos Homens não os consegue condenar.

Deixe-os lá amigo. Não os critiquemos, julguemos ou condenemos (pelo menos nós os dois, que não somos juizes de profissão). Sempre ouvi dizer entre espiritas que o mal que verdadeiramente nos faz mal é aquele que fazemos e não aquele que nos fazem a nós. Quando esses homens chegarem ao mundo espiritual, após longa perturbação, pois em geral são pessoas muito carnais, constatarão que lá não há cunhas nem corrupção. Verão muitos  que eles pensavam que eram os "tótós", porque não eram chicos-espertos, como eles, em posição bastante mais elevada. Verão que perderam esta reencarnação e muitos que eles pensavam seus inferiores são agora mais felizes do que eles e, quem sabe, até estejam sujeitos a pedir favores a quem espezinharam. São uns pobres infelizes. Contudo não os julguemos, pois podemos ter feito o mesmo em outras vidas. Assim como perdoamos seremos perdoados. Podemos aumentar  o nosso tempo de reparação, se julgamos com todos os rigores seremos julgados com todos os rigores quando acordarmos no mundo dos espiritos (julgados por nós próprios).

bem haja
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 11 de Fevereiro de 2008, 22:05
Olá David

Esta tua última mensagem corresponde aquilo que penso. A expiação vem pela mão daqueles a quem fizémos mal noutras vidas. Quando nos arrependemos e nos melhoramos deixamos de estar em sintonia com esses espiritos. Cessa a expiação. Voluntáriamente pedimos a reparação em reencarnação futura.

Não há bons espiritos a preparar doenças de nascença nem desgraças para nós. Sâo os da nossa natureza que nos fazem a vida dificil (e infelizmente por aqui pela terra não há falta de espiritos para atormentar a malta , ao que parece)

Citar
Do texto de Emmanuel que apresentaste:

Ontem, atraiçoamos a confiança de um companheiro, induzindo-o à derrocada moral. Hoje, guardamo-lo na condição do parente difícil, que nos pede sacrifício incessante.

Isto é uma prova, uma oportunidade de reparação do mal feito e de reconciliação. Se fosse a pena de talião, vinha alguém para nos fazer o mesmo que fizémos (levar-nos à derrocada moral). Isto está muito bem engendrado. Não serve para expiar, pois não suspeitamos quem é o nosso familiar, mas de uma reparação, ainda por cima directa à vitima da vida anterior.

bem hajas
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 11 de Fevereiro de 2008, 23:40
Do texto de Emmanuel que apresentaste:

Citar
Ontem, atraiçoamos a confiança de um companheiro, induzindo-o à derrocada moral. Hoje, guardamo-lo na condição do parente difícil, que nos pede sacrifício incessante.

Isto é uma prova, uma oportunidade de reparação do mal feito e de reconciliação. Se fosse a pena de talião, vinha alguém para nos fazer o mesmo que fizémos (levar-nos à derrocada moral). Isto está muito bem engendrado. Não serve para expiar, pois não suspeitamos quem é o nosso familiar, mas de uma reparação, ainda por cima directa à vitima da vida anterior.

De facto, Vitor, neste caso funcionou o (-1) + (+1) =0
O Espírito em dívida aceitou sua antiga vítima como filho, por exemplo, apesar de saber que este, pelo inconsciente ainda estaria revoltado contra ele, e será talvez um filho de lida difícil, mas aceitou seguir o sábio conselho de que "o amor cobre a multidão dos pecados"

Mas agora, imagina, se ele não quisesse sequer ouvir falar nisso e não aceitasse que ele fosse filho dele? Ou pior ainda, primeiro aceita (antes ainda de reencarnar ou já reencarnado, na emancipação do sono físico), mas depois ele induz a espos a praticar o aborto. Nesse caso, o que se vai passar? Pela obsessão do filho rejeitado, agora ainda mais revoltado, talvez vá fazer com que em vários casos o coloque a ele seu desafecto na presença de outras pessoas reencarnadas que por sintonia (ao Espírito obsessor basta propiciar o encontro e estimular os maus impulsos dos dois reencarnados, embora não os obrigue a nada, estes têm essa personalidade de ganhar a confiança e depois trair as pessoas de modo muito mau e prejudicial) lhe façam igual ao que ele. E aqui será a tal "expiação" ou interiorização do que os outros sentem quando age incorrectamente, e reequilibrio de suas energfias perispirituais, o tal [(-1)-(-1)=0] do Vitor Gonçalves.

Ou seja: vai a bem ou vai a mal...

Mas importante é entendermos que nem Deus nem os Espíritos superiores induzem as pessoas a serem carrascos: a própria lei de sintonia, a faixa espiritual em que nossa alma vibra, alimentada pelos nossos pensamentos e nossas acções, é que se encarrega de realizar a lei de causa e e efeito.

Mas creio que nos afastamos já bastante do tema inicial deste tópico :D

De qualquer forma, acho estranho pensarmos que a homosexualidade é expiação em que o Espírito se coloca por forma a ser criticado e sofrer pelo preconceito alheio. Parece-me a mim que é antes a fuga da prova destinada ao reequilibrio. Posso estar enganado, claro, e é sempre perigoso generalizar, mas sinceramente não vejo a homosexualidade como uma expiação.

Abraços fraternos a todos.

Pg
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 12 de Fevereiro de 2008, 17:58
Olá

Citar
[(-1)-(-1)=0] do Vitor Gonçalves

O mal não paga nem apaga o mal. Então estaria correcto colocar alguém que me agrediu a ser agredido para o compensar espiritualmente. O mal que nos fazem é fruto da nossa existência neste planeta precário. A única forma de ter vantagem com o mal que nos fazem é perdoando-o. Quem perdoa e não se vinga, faz o bem, por isso repara. Quem é vitima de um espirito obsessor que lhe jurou vingança, ou mesmo de alguém a quem não fez mal, lhe fica com raiva, e na erraticidade, vai por sua vez obsedá-lo, ou seja, vingar-se, cada vez está mais enterrado na lama. Só quem perdoa repara. O perdão é caridade e a caridade tem um saldo +(1).

Por isso é tão importante perdoar. Também é importante durante a vida fisica. Pois se alguém nos fez mal e nós deixamos que nos continue a fazer mal através da nossa raiva e revolta, ainda agravamos mais a nossa vida. Se perdoarmos, sofremos o mal e tudo fica resolvido, pois cortamos o "tempo de antena" ao mal que nos foi feito.

bem haja
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: vitor_goncalves em 12 de Fevereiro de 2008, 19:00
Amigo Vítor Santos

Desculpe mas está a fazer confusão, ou eu estou a explicar mal.
Eu não estou a dizer que quem sofre um "mal" se vá vingar, a não ser que ele seja um Espirito Imperfeito e ande no Baixo Astral, porque aquele que sofre o "mal" e aprendeu com ele nunca vai tirar esforço disso ( seria absurdo ), ele vai perdoar e seguir na sua evolução.
Agora quando eu falo na parte negativa (-1), isto não é vingança nenhuma, porque uma pessoa que comete um "mal" e se sente um remorso e se arrepende, isto para mim é maneira dum estado de representação negativa (-1)
Como sabe eu não gosto de nisto se falar em vingança, mas sim um estado de reequilibrio, até porque me faz lembrar um ditado português de há muitos e muitos séculos "cá se fazem cá se pagam" e que não gosto.

Um Abraço
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Peregrino em 12 de Fevereiro de 2008, 19:13
O mal não paga nem apaga o mal. Então estaria correcto colocar alguém que me agrediu a ser agredido para o compensar espiritualmente.

Bom, Vitor
Não é nada disso, eu não penso assim, interpretas me mal.
O "carma" não viasa compensar mal, mas reequilibra-nos espiritualmente.
Repara: se A fez parte da inquisição e condenou B a morrer queimado na fogueira, como se resolve a situação do lado de A? Ele pode se arrepender e interiorizar o erro que cometeu e o mal que causou a B, decidino compensá-lo. Certo. Mas isso em regra não acontece, porque nós todos ainda somos egoistas e dificilmente nos colocamos na situação alheia. Então a solução é a dor: A de uma maneira ou outra, por ser REBELDE AO ENTENDIMENTO SUBLIME DO AMOR, irá acabar numa situação, por afinidade do que ele é e de seu ambiente espiritual, atraindo essa situação, queimado também, pode ser num mero acidente casual, sei lá. Daí o que acontece? Não se trata de compensar coisa nenhuma, mas sim, de colocar A na mesma situação de sofrimento que ele a B causou,  PARA QUE A INTERIORIZE O MAL QUE CAUSA QUANDO AGE DE FORMA COMO AGIU, e assim, Vitor, na próxima situação de prepotência em que esteja quando for tentado a voltar a queimar alguém, ele, A, no seu íntimo sentira que isso é errado, por já ter vivido tal situação de ser queimado, e terá horror e vergonha da própria ideia, e controlera esse impulso e não o cometerá de novo.

É isso que se passa: uma aprendizagem do que é amar ao próximo, colocando-se no seu lugar, sentindo o que ele sente. Claro que junto a isso há uma limpeza perispiritual, mas o mais importante é aprender o sentimento. A bem ou a mal.

Espero que desta vez tenha deixado claro que não se trata de nenhuma lei de talião, de uma mera cmpensação. Mas de um mecanismo de aprendizagem do sentimento, do bem e do mal, aquilo a que se chama "empatia" perante o próximo. A fórmula matemática representa a alternativa: amor ou dor. O livre arbitrio é nosso. Mas este também é condicionado pelalei de evolução.

Abraço.

Pg
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Vitor Santos em 13 de Fevereiro de 2008, 13:20
Olá David

Fundamentalmente estamos de acordo.

Estamos de acordo que a expiação serve para vergar o espirito a arrepender-se. Essa expiação é provocada por aqueles espiritos a quem ele fez mal e por outros da mesma natureza dele.

Estou de acordo que o espirito seja colocado numa familia que vive num meio em que a probabilidade de ele ser submetido ao mal semelhante ao que ele fez seja muito elevada. No fundo ele reencarna num meio que lhe é simpático, mas se, na reencarnação anterior, esteve numa posição de poder que lhe permitiu abusar dos outros, reencarna depois numa posição de fragilidade, de modo que outros, também de naturezas morais semelhantes ou piores, lhe possam fazer o mesmo. Mas a partir daí tudo depende dele e do meio envolvente.

O que lhe é proporcionado é nascer no meio apropriado. Se ele queimou alguém não tem necessariamente de morrer queimado. Vai sofrer, isso sim, a influência de nascer num meio horrivel (mas compativel com o nivel moral dele) em que a probabilidade de ser submetido à crueldade é muito grande. Pode suceder é que quem ele fez morrer queimado sugira aos que o rodeiam esse castigo. Isso pode efectivamente acontecer.

Mas se ele fez morrer queimado um espirito que já não é vingativo, não vai sofrer vingança. O mal que ele fez foi benéfico para a sua vitima, pois se o perdoou, teve grande mérito. A sua vitima eleva-se, ele fica na mesma.

Não acredito que Deus determine que quem matou pelo fogo vai morrer pelo fogo, como se tivesse essa fatalidade marcada por Deus. Isso não.

Também não acredito que ao sofrermos um mal isso é tido como uma atenuação para o mal que fizémos antes, a não ser que sejamos capazes de perdoar, quebrando o ciclo de vinganças. Os nossos créditos derivam do bem que fazemos e não do mal que nos fazem. Se nos fazem mal e nós passamos essa prova, perdoando, estamos a fzer o bem, que é tanto maior quanto maior o mal que nos foi feito.

bem hajas
Título: Uma Duvida????
Enviado por: davidsecio1978 em 03 de Julho de 2008, 11:33
Mas alguém que vive num corpo que não corresponde ao espirito e se essa pessoa vive as experiencias sexuais com pessoas do mesmo sexo quer dizer que vai pagar por isso em outra encarnação?

Pois algo que não compreendo é que como é que um espirito pode evoluir noutras esferas se no plano sentimental (e não so sexual) vive na solidão e no vazio sentimental. Como é que pode ter forças e energias ou "vontade" de continuar a viver?

Não sei se me consigo bem explicar mas tenho receio que alguém homosexual pague pelos erros que fez mesmo querendo mudar...
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: aruanda em 03 de Julho de 2008, 12:51
Citar
Mas alguém que vive num corpo que não corresponde ao espírito e se essa pessoa vive as experiências sexuais com pessoas do mesmo sexo quer dizer que vai pagar por isso em outra encarnação?

David, antes de tudo, NINGUÉM paga seja o que for .
Nós reencarnamos para sermos felizes e, tentar eliminar as  tendências que no passado nos levaram a errar.
Em espiritismo , costumamos dizer que quem não aprende pelo e por amor...aprende pela e com a dor.
É apenas uma defeciencia nossa , não sabermos viver em amor e com amor.

Por isso, alguém que esteja na situação que citou não vai pagar nada...mas, temos que ter em atenção a forma como essa pessoa vive,tal como todos nós.
Se tem uma relação digna e respeitadora ou se pelo contrário está numa situação d e deboche total.
Assim homo ou hetero , tudo depende da nossa postura moral perante  a vida, perante os outros mas, principalmente perante nós mesmos.

E, é claro, quem semeia ventos ...colhe tempestades.
Imagine se só semeássemos amor...não seria tão bonito???

Espero ter-me feito entender.
Abraços
Título: Re: Uma Duvida????
Enviado por: Jorge em 03 de Julho de 2008, 14:41
Pois algo que não compreendo é que como é que um espirito pode evoluir noutras esferas se no plano sentimental (e não so sexual) vive na solidão e no vazio sentimental. Como é que pode ter forças e energias ou "vontade" de continuar a viver?

Olá David,

A nossa felicidade perante a vida não pode depender de coisas ilusórias como a satisfação das nossas necessidade sexuais sejam elas normais ou anormais.

O verdadeiro Amor é espiritualizado, esse Amor enobrece e sublima a alma e em vez de diminuir com o sofrimento, fortifica-se e cresce.

Portanto, vivamos de modo a que nos libertemos de quaisquer amarras às coisas ilusórias.

Se a nossa consciência nos acusa quando optamos por comportamentos anti-naturais, esforçemo-nos para colocar em prática o Amor espiritualizado já mencionado.

É simplesmente a minha humilde opinião.

Abraço fraterno.
Jorge
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: davidsecio1978 em 03 de Julho de 2008, 14:54
Muito Obrigado pelos vossos esclarecimentos ;)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Carlos Ribeiro em 03 de Julho de 2008, 20:40
Citar
A nossa felicidade perante a vida não pode depender de coisas ilusórias como a satisfação das nossas necessidade sexuais sejam elas normais ou anormais.
-Jorge

O problema aqui amigo Jorge, é saber o que se entende por necessidades sexuais "normais" e "anormais". És capaz de dizer onde termina a normalidade e começa a anormalidade?
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: vennus em 07 de Julho de 2008, 05:32
Na minha opinião, todo o acto que vai contra a Ordem das Coisas, ou seja, contra as Leis da Natureza, é um acto prejudicial. Todos temos livre arbítrio, isto é, cada um faz aquilo que bem quer e lhe apetece, e ninguém tem nada com isso, até porque quem Julga é Deus e não o Homem, que muito gosta de criticar e julgar. Relativamente às diferenças, entre o acto sexual homossexual e o acto sexual heterossexual com uso de métodos contraceptivos, ou seja, tendo em vista evitar a reprodução: Ambos os casais buscam o prazer e ambos evitam a reprodução. Onde estão as diferenças? Eu não as vejo. Até porque, respeitar a Ordem das Coisas, é reproduzirmo-nos e não evitar a reprodução, tendo em vista o prazer da sensualidade. Logo, os Heterossexuais que impedem a reprodução, não têm grande moral para criticar os Homossexuais.
Mesmo porque a crítica e o preconceito vêm justamente daqueles que no fundo tem medo,e se escodem atrás do preconceito, para disfarçar suas próprias vontades,pois, se somos espíritos encarnados ,quer dizer que já fomos do sexo oposto, podendo com isso nos trazer algumas confusões sobre nossa própria sexualidade,fazendo assim que os seres humanos se sintam atraidos pelo mesmo sexo.
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: arikahn em 22 de Outubro de 2010, 20:55
Irmãos,

Gostaria de explanarmos um pouco mais esse assunto. Acabei de dar essa mesma resposta ao irmão Tiago em tópico de semelhente assunto, e comento aqui com vocês, mas embasado em ensinamentos da Doutrina Espírita.

Cito abaixo, trecho do capítulo 19, do livro de Adenáuer Marcos Ferraz de Novaes, "Conhecendo o Espiritismo" (Salvador: Fundação Lar Harmonia, 1998), no seu capítulo 19, onde menciona a energia sexual, dando ênfase à questão dizendo; "questão importante no que diz respeito ao uso da energia sexual é a homossexualidade, nem sempre compreendida adequadamente por pais e educadores. O espírito, enquanto essência divina, não tem sexo e renasce em um corpo masculino ou feminino a fim de aperfeiçoar-se no uso de sua sexualidade de forma equilibrada. O Espiritismo vê aqueles que optam pelo homossexualismo com a mesma atenção e respeito com que trata os heterossexuais."

Em outra obra do mesmo autor, denominada "Psicologia e mediunidade" (Salvador: Fundação Lar Harmonia, 10/2002), podemos entender um pouco mais profundamente o ângulo de visão pelas quais se observa o homossexualismo:
"Homossexualidade é a designação que se dá àquelas pessoas que praticam sexo com gênero semelhante. Essa prática ocorre por uma série de motivos que variam de pessoa a pessoa que assim procede. Os motivos podem ter causas na indiferenciação psíquica sexual, no desequilíbrio do chakra genésico, na imitação comportamental, na curiosidade sexual, na preferência inata ou outros de natureza não definida. Não há uma causa precisa, nem decorre, como muitos pensam, do espírito ter tido a encarnação anterior num corpo do sexo oposto. Outros, absurdamente, pensam que se trata de expiação. A homossexualidade não é doença, tampouco significa, a priori, a existência de um conflito psíquico. Quando ela se apresenta como um conflito deve a pessoa buscar ajuda profissional para compreender-se e resolver seu problema. A necessidade de entender-se como homem ou como mulher impõe às pessoas que se coloquem como homossexuais, quando não se enquadram, pela preferência sexual que adotam, como típicos de seu gênero. Com isso, perdem a oportunidade de entender que sua natureza sexual não precisa dos estereótipos convencionais. Cada ser humano tem seu sexo psíquico (definição sexual) específico. Não precisa se enquadrar neste ou naquele tipo, nem num terceiro ou quarto. Definir-se como homem ou como mulher é uma necessidade psíquica para a maioria das pessoas, por necessidade cultural (meio social), importante para que o Espírito aprenda a educar sua energia sexual.
O espírito, psiquicamente falando, não é homem, mulher ou homossexual. Embora tenha as polaridades psíquicas (masculina e feminina), pode expressar-se dentro do espectro entre uma e outra. Isso significa dizer que a expressão do espírito, encarnado ou desencarnado, pode se situar dentro da faixa que vai do masculino ao feminino. O ser humano não é homem nem mulher. Ele se apresenta com uma das denominações por conta da correlação que naturalmente faz entre a predominância de seu psiquismo e sua anatomia genital.
Ser homossexual não quer dizer, em se tratando do homem, ter uma ´alma feminina´, isto é, ser sensível emocionalmente, pois esta característica pode estar presente em pessoas sensíveis, de ambos os sexos, independentemente de suas práticas sexuais. Geralmente, para não assinalar a preferência sexual diferenciada de alguém que é homossexual, especificamente do sexo masculino, afirma-se que a pessoa tem a ´alma feminina´. É importante que aprendamos a respeitar a preferência sexual das pessoas e que enxerguemos sua individualidade independente da opção que faça, qualquer que seja. Da mesma forma, ser homossexual, em se tratando da mulher, não quer dizer ser máscula ou rude, pois tais condições podem estar presentes em qualquer pessoa.
A vivência da homossexualidade sem culpa requer a compreensão da própria personalidade, a fim de não fazê-la sucumbir às exigências coletivas, encarando o desafio de realizar seu sentido interno de viver. Para isso é preciso libertar-se dos preconceitos que impedem a felicidade no amor, isto é, amar outra pessoa como forma de alcançar o sentido supremo de viver, que é ser feliz sem infelicitar a outrem. A experiência de ser homossexual deve ser validada quando proporciona o crescimento da pessoa através do amor. Este sim, deve estar presente qualquer que seja a preferência sexual do indivíduo. Geralmente, quando lidamos com a homossexualidade, em nós ou em alguém, colocamos em nosso julgamento a pobreza moral ao emitir juízos de valor. O desequilíbrio porventura existente numa relação homossexual não está por conta da semelhança do gênero, mas no psiquismo dos indivíduos, que pode conter complexos desestruturantes. Nada há no Espiritismo que estimule a prática homossexual, tampouco que a reprima, pois se trata apenas de uma expressão do Espírito em busca de si mesmo. Já vivemos a experiência homossexual em algum período de nossa evolução, por conta da indiferenciação sexual característica dos primórdios da humanidade."

Deêm uma olhada nesse site e leiam-no atentamente, pois compreenderão ainda mais sobre o tema, do ponto de vista da ciência e do espiritismo - O artigo intitula-se "Espiritismo e diversidade sexual", lembrando que Kardec nos alerta que o Espiritismo deve sempre andar lado a lado com os progressos da Ciência.
---->       http://www.armariox.com.br/conteudos/artigos/010-espiritismo.php

Já neste vídeo, Chico Xavier fala da relação entre o homossexualismo e o espiritismo. Todos os espiritos terão a experiência de nascer como homem e como mulher em suas inúmeras encarnações. Alguns terão dificuldades nesta transição ou até mesmo na aceitação ou adaptação de mudança de sexo em uma nova encarnação.
Mas como o próprio Chico Xavier destaca o importante não é preferência sexual das pessoas quando estão encarnadas. O importante é o caráter de cada um. Ele se refere a leis e mudanças de leis para o futuro. É importante então destacar que este vídeo foi gravado na década de 70.

A Sexualidade à Luz da Doutrina Espírita (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTZfcld4U2c2anBJJmFtcDtmZWF0dXJlPXBsYXllcl9lbWJlZGRlZCM=)

Mudança de Sexo entre Reencarnações (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVBqY3VMWVM5RUNVJmFtcDtmZWF0dXJlPXBsYXllcl9lbWJlZGRlZCM=)

Bom amigos, acredito que por hora pude dar-lhes mais uma luz à discussão. Pude complementar respostas de alguns irmãos, que na minha opinião foram bastante sensatas e de grande valor.
Espero que vocês tenham dicernimento para entender, que raciocinem e se embasem em autores que agregam valor à Doutrina que estudamos.

ADENÁUER MARCOS FERRAZ NOVAES É ENGENHEIRO, CURSOU FILOSOFIA NA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SALVADOR E PSICOLOGIA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA;
·            É PSICÓLOGO CLÍNICO E DIRETOR DO CENTRO ESPÍRITA CASA DE REDENÇÃO JOANNA DE ÂNGELIS. MINISTRA CURSOS DE PSICOLOGIA ANALÍTICA, E TRABALHA COM GRUPOS TERAPÊUTICOS E COM ATENDIMENTO CLÍNICO INDIVIDUAL. SUA FORMAÇÃO É JUNGUIANA.
·            DIRETOR DA FUNDAÇÃO LAR HARMONIA: SITE ---->  WWW.LARHARMONIA.ORG.BR (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL1dXVy5MQVJIQVJNT05JQS5PUkcuQlI=)

Cordialmente, luz e paz a todos.
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 23 de Outubro de 2010, 19:32
Ola Amigo Arihahn
Muita paz

    *

      Pergunta — Quando errante, que prefere o Espírito:

      encarnar no corpo de um homem, ou no de urna mulher?
    *

      Resposta — Isso pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de passar.

Item nº 202, de "O LIVRO DOS ESPÍRITOS"

 

 

        A homossexualidade, também hoje chamada transexualidade, em alguns círculos de ciência, definindo-se, no conjunto de suas características, por tendência da criatura para a comunhão afetiva com uma outra criatura do mesmo sexo, não encontra explicação fundaMental nos estudos psicológicos que tratam do assunto em bases materialistas, mas é perfeitamente compreensível, à luz da reencarnação.

        Observada a ocorrência, mais com os preconceitos da sociedade, constituída na Terra pela maioria heterossexual, do que com as verdades simples da vida, essa mesma ocorrência vai crescendo de intensidade e de extensão, com o próprio desenvolvimento da Humanidade, e o mundo vê, na atualidade, em todos os países, extensas comunidades de irmãos em experiência dessa espécie, somando milhões de homens e mulheres, solicitando atenção e respeito, em pé de igualdade ao respeito e à atenção devidos às criaturas heterossexuais.

        A coletividade humana aprenderá, gradativamente, a compreender que os conceitos de normalidade e de anormalidade deixam a desejar quando se trate simplesmente de sinais morfológicos, para se erguerem como agentes mais elevados de definição da dignidade humana, de vez que a individualidade, em si, exalta a vida comunitária pelo próprio comportamento na sustentação do bem de todos ou a deprime pelo mal que causa com a parte que assume no jogo da delinqüência.

        A vida espiritual pura e simples se rege por afinidades eletivas essenciais; no entanto, através de milênios e milênios, o Espírito passa por fileira imensa de reencarnações, ora em posição de feminilidade, ora em condições de masculinidade, o que sedimenta o fenômeno da bissexualidade, mais ou menos pronunciado, em quase todas as criaturas.

        O homem e a mulher serão, desse modo, de maneira respectiva, acentuadamente masculino ou acentuadamente feminina, sem especificação psicológica absoluta.

        À face disso, a individualidade em trânsito, da experiência feminina para a masculina ou vice-versa, ao envergar o casulo físico, demonstrará fatalmente os traços da feminilidade em que terá estagiado por muitos séculos, em que pese ao corpo de formação masculina que o segregue, verificando-se análogo processo com referência à mulher nas mesmas circunstâncias.

        Obviamente compreensível, em vista do exposto, que o Espírito no renascimento, entre os homens, pode tomar um corpo feminino ou masculino, não apenas atendendo-se ao imperativo de encargos particulares em determinado setor de ação, como também no que concerne a obrigações regenerativas.

    *

      O homem que abusou das faculdades genésicas, arruinando a existência de outras pessoas com a destruição de uniões construtivas e lares diversos, em muitos casos é induzido a buscar nova posição, no renascimento físico, em corpo morfologicamente feminino, aprendendo, em regime de prisão, a reajustar os próprios sentimentos,
    *

      e a mulher que agiu de igual modo é impulsionada à reencarnação em corpo morfologicamente masculino, com idênticos fins.
    *

      E, ainda, em muitos outros casos, Espíritos cultos e sensíveis, aspirando a realizar tarefas específicas na elevação de agrupamentos humanos e, conseqüentemente, na elevação de si próprios, rogam dos Instrutores da Vida Maior que os assistem a própria internação no campo físico, em vestimenta carnal oposta à estrutura psicológica pela qual transitoriamente se definem. Escolhem com isso viver temporariamente ocultos na armadura carnal, com o que se garantem contra arrastamentos irreversíveis, no mundo afetivo, de maneira a perseverarem, sem maiores dificuldades, nos objetivos que abraçam.

        Observadas as tendências homossexuais dos companheiros reencarnados nessa faixa de prova ou de experiência, é forçoso se lhes dê o amparo educativo adequado, tanto quanto se administra instrução à maioria heterossexual. E para que isso se verifique em linhas de justiça e compreensão, caminha o mundo de hoje para mais alto entendimento dos problemas do amor e do sexo, porquanto, à frente da vida eterna, os erros e acertos dos irmãos de qualquer procedência, nos domínios do sexo e do amor, são analisados pelo mesmo elevado gabarito de Justiça e Misericórdia. Isso porque todos os assuntos nessa área da evolução e da vida se especificam na intimidade da consciência de cada um.

Muita paz e harmonia
Bom Amigo


Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: arikahn em 24 de Outubro de 2010, 00:15
Amigo Victor, colocaste muito bem. É de certo assunto muito polêmico ainda, e como disse o próprio Chico Xavier, muito ainda teremos de aprender sobre o assunto. Temos hoje tantas visões nesse aspecto, algumas até contraditórias, mas as considerações que apresentou são fato e nada tenho a acrescentar. Como você disse no final, se especificam na intimidade da consciência de cada um e isso é mais do que certo.
Feliz resposta e valiosa, sem dúvida.
Um grande abraço fraterno.

Ari Kahn
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 26 de Outubro de 2010, 12:17
Ola Amigo Arika
Muita paz

   Estamos em sentido conscencial, muito existe para aprendermos e é neste dialogo ameno e respeitavel , que todos contribuimos para o aparendizado e clariamos cada vez mais os trilhos do conhecimento, para entendimento dos processos vivenciais das individualidades...

Bem-haja
Bom Amigo

Muita paz

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: filhodobino em 26 de Outubro de 2010, 13:16
Amados Irmãos,
Um universo de possibilidades e probilidades, é resumidamente(por mais paradoxal que possa parecer), quanto se trata desse assunto...

A primeira providência humana cabível é o tratamento humano, justo, franco, sem piequices, mas imperiosamente desprovido da intencionalidade de derivações para a promiscuidade, visão, retrogada de quem nunca nem siquer pensou de forma Crística no assunto.
Assim posto fica mais fácil entendermos... pelo menos um pouco, posto que há tanto para aprender, e tão pouco já aprendido, que dói-me a consciência não contribuir com um ponto que favoreceu a mim e a meu filho, no entendimento de uma probação difícil, cujo desenlace só quem verdadeiramente ama é capaz de enfrentar...
viajando nas estações religiosas, descobrimos assim:
As Quatro Verdades são: 
5.   a dor é universal;
6.   o desejo (cobiça ou egoísmo) é a causa da dor;
7.   a dor cessa quando se sufoca (a segunda verdade) o fogo do desejo;
8.   o Caminho do Meio (um meio termo entre o acetismo, a vida comum e a piedade para com todos os seres que sofrem) é a senda libertadora que extingue todo sofrimento.    Já o Caminho do Meio divide-se em oito partes ou oito lies caminhos:
•     conhecimento perfeito;
•     a intenção perfeita;
•     a palavra perfeita;
•     a maneira de agir perfeita;
•     a maneira de viver perfeita;
•     a perfeita aspiração à salvação;
•     a memória perfeita;
•     a concentração perfeita. São milhares os livros sagrados (Cânones budistas).
       Consciência espírita: www.consciesp.org.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jb25zY2llc3Aub3JnLmJy)   e    CDEXPERT - Religião.com (Ano 1 nº 01)

Filhodobino reflete:
Ou talvez eu esteja mais próximo daquilo que pretendo ao dizer que o self contingente é um epistemológico fraco porque sabe apenas uma coisa, e é um tipo paradoxal de conhecimento. Ele sabe que a experiência é emocional e nova a cada momento, e uma vez que todo nosso equipamento para nos preparar o futuro provém do passado, é redundante e irônico. Ou seja, somos todos principiantes na contingência, porque é a única coisa que podemos ser.

Vejamos por comparação, se é que podemos fazê-lo:

Freud analisando o sorriso de Mona Lisa, de Leonardo...

Lógico, um pensamento, (onde a verdade?), mas um pensamento embasado...

Ele havia, escreve Freud, “permanecido fiel ao conteúdo de sua lembrança mais primitiva”.  É como se o passado, uma recordação  particular estivesse impelindo Leonardo para o futuro em busca de ecos. A réplica é uma auto-cura da perda.
“O sorriso de Mona Lisa desperta nele algo que havia permanecido muito tempo adormecido em sua mente – Provavelmente uma lembrança antiga. Essa lembrança era importante o bastante para que ele nunca se livrasse dela, uma vez que despertada; era continuamente obrigado a lhe dar nova expressão”.
A própria possibilidade de repetição significa perda; apenas podemos repetir o irrepetível.
(...)
Uma vez que Leonardo era coagido a esquecer – por temor de castração pelo pai*** – tinha que achar um substituto chamado lembrança, reproduzindo o sorriso, como afirmou Freud, ou melhor seu editor e tradutor James Strachey, “evocado nos lábios de seus modelos femininos”.  Para Freud a lógica do complexo de Édipo impõe que os homens devem esquecer o que desejam (a mãe), para evocarem o que supostamente podem ter (outras mulheres). E segundo essa lógica normativa, as mulheres têm que esquecer o que desejam(a mãe) para encontrarem e serem encontradas pelo pai, de quem também devem se esquecer para desejarem com mais sucesso; Elas devem esquecer duas vezes.

Trecho de “O Flerte” – Titulo original : On Flirtation. -  Trad. Cid K.Moreira- Ed. Schwarcz lt.-1998-.
**Sabewmos que ao longo da vivência humana, quando o reino dos gigantes, ajuntado ao ESE por Kardec, Relembrado por Mateus, e profetizada a sua queda por Isaias, (fato que ainda não se deu por completo),  a temática castração pelo pai... é retórica, hoje, já foi realidade no passado, mas é muito mais autocastrante, pela pedagogia crítica do pecado, imposta pelas religiões ao longo dos milêncios, que permanece no psiquismo de toda criatura acumulado pelas centenas de existências na carne, que pela própria realidade...

Então em sendo a experiência emocional, bem pode o ser via sentido consciente ou inconscientemente entronizada no Ego... e o perigo de extirpá-lo a fórceps pelo fenômento, pelo hipnose, pelas retrogadas laudas acusatórias e pela insensibilidade de tratar um fenômeno de aspecto peculiar da libido que exerce tantas outras funções úteis, pelo acusatório de perversibilidade sexual,  justificam as preocupações... Conheço em minha família, 2 casos de celibato sendo um feminino que já ronda a casa dos 80 anos e outro masculino que já passa de 33 anos, sem nenhum envolvimento sexual...Embora em ambos os casos, esteja patente o fator trans, a inibir e algemar aprofundamento de relações...

Daí, há um raio luminoso, clareando nossa mente, nos indicando, com sentido de profunda caridade, e sendo argumento forte e gentil, para a homessexualidade, seja de qual for a expressão.
Contudo cada caso é um caso...
A conjugação desrespeitosa de coletivizar o individual, como doutrina, só serve àquele que tem autoridade ... para ensinar... posto que sabe o que argumentar a cada hora de acordo com o grupo para o qual se exprime...(isso só a tem o Espirito da verdade)...
Daí justificável fica o protesto, pelo enfoque de um assunto de tão relevada complexidade, a nivel de divulgação de um único apostilamento, e o cerceamento do direito às divergências, mesmo sem saber do que se trata a divergência...
Atributo oriundo do psiquismo dos súditos do reino dos gigantes...(ainda vigente),
Que o Cristo por seus Evangelhos veio combater...
Que o Espírito da verdade, racionalizou com a máxima:
“”POR
ALLAN KARDEC
Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a
frente a razão, em todas as épocas da Humanidade.””
 
Que infelizmente ainda há coagido por qual motivo, um ser humano, que estuda caridade, fala de caridade, vivencia caridade e não atenta para um fato que doravante estará cada vez mais nas manchetes do nosso dia-a-dia.
Cabe nosso humilde protesto, posto que não será esta, a última página a ser veiculada, sobre o assunto e que no futuro tenhamos em mente o zelo de não limitar um estudo de tão elevada importância a uma unica personalidade.
Saúde e Paz!
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 26 de Outubro de 2010, 14:00
Ola muita paz
Amigo Filhodobino

As Nossas Dependências

Coisas há que dependem de nós - e outras há que de nós não dependem. O que depende de nós são os nossos juízos, as nossas tendências, os nossos desejos, as nossas aversões: numa palavra, todos os actos e obras do nosso foro íntimo. O que de nós não depende é o nosso corpo, a riqueza, a celebridade, o poder; enfim, todas as obras e actos que de maneira nenhuma nos constituem.
As coisas que dependem de nós são por natureza livres, sem impedimento, isentas de obstáculos; e as que de nós não dependem são inconsistentes, servis, susceptíveis de impedimento, estranhas.
Tem em mente, portanto, o seguinte: se avalias livre o que por natureza é servil, e julgas decente para ti o que te é estranho, sentir-te-ás embaraçado, aflito, inquieto - e em breve culparás os Deuses e os homens. Mas se crês teu o que unicamente é teu, e por estranho o que efectivamente estranho te é, então niguém te poderá constranger, nem tão pouco causar embaraços; não atacarás ninguém, a ninguém acusarás, nada farás contra a tua vontade; prejudicar-te, ninguém te prejudicará; e não terás um só inimigo - e prova disso é sobre ti a ausência de qualquer dano.

Epicteto, in 'Manual'

Nunca nos Assemelhamos a nós Próprios

O homem não é conhecível a si próprio, porque a sua vida consiste em esforços alternados para ser o que não é, e essa transposição e substituição contínuas de almas irreais e estranhas fazem com que aquilo que na verdade e, ao contrário de Deus, pareça o que nunca é. Mesmo no mais pobre de nós existem pelo menos sete homens.

Há aquele que parece aos outros e o julgado, justamente, sabe quase sempre que não é.
Há aquele que diz ser e ele próprio sabe não ser, porque a vaidade ou medo tornam sempre mentiroso.
Há aquele que julga ser e é o mais distante da verdade, que cada um se inclina para se julgar aquilo que não é, por uma retorsão do orgulho que afasta tudo o pior, que é a maioria.
Há aquele que quereria ser, o mito pessoal de todo o homem, o sonho reservado ao futuro, aquele que depois deforma todas as autobiografias.
Aquele que finge ser para comodidade e necessidade da vida comum, onde o insensível deve mostrar-se caloroso, o avarento liberal e o vil corajoso.
Há aquele que se poderia chamar o nosso duplo desconhecido: a personalidade subconsciente, que só conhecemos vagamente e por suposição, embora oriente com frequência a nossa vida e sugira, valendo-se hipocritamente de razões fingidas, muitos dos nossos actos.
E, finalmente, há aquele que é verdadeiramente e ninguém conhece, à parte Deus, do qual apenas um inimigo paciente pode entrever algumas fracções inferiores.
O eu essencial e autêntico esquiva-se sempre, a tudo e a si próprio. Nunca nos assemelhamos a nós mesmos.

Giovanni Papini, in 'Relatório Sobre os Homens'

Ora neste sentido precisamos de educação constante...

Educação Permanente


A educação prolonga-se por toda a vida. Defino-a da seguinte maneira: a maturação da nossa alma e do nosso espírito graças aos nossos cuidados e às circunstâncias exteriores. Do convívio com pessoas más ou com pessoas respeitáveis é que resulta a má ou boa educação de toda a vida. O espírito fortifica-se no convívio com os espíritos rectos; sucede o mesmo com a alma. Endurece-se no convívio com pessoas duras e frias.

Eugène Delacroix, in 'Diário'

Muita paz e harmonia
Bom Amigo
Um Abraço

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: filhodobino em 26 de Outubro de 2010, 14:29
Irmão Victor,
Deus o abençoe!
Saúde e Paz!
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 27 de Outubro de 2010, 13:34
Ola muita paz
 Bom Amigo Filhodobino

A Fraternidade realiza Milagres
          Expulsa a antiga lepra do mal, transformando-a em flores do bem, a recenderem aroma por onde passes, onde estejas, como te encontres, no serviço da Imortalidade. O Senhor seguirá contigo, e mesmo quando todos estiverem aparentemente contra ti, tem em mente que o desprezo do mundo, por causa do Senhor, testifica que o Senhor está conosco, Ele que até hoje continua ignorado e, mesmo quando proclamado por milhões, prossegue esquecido...

          ***

          Quando o homem entender e praticar as lições do otimismo, nos momentos mais graves, e entregar-se às mãos de Deus, em quaisquer conjunturas, sofrerá muito menos, porque se libertará do antigo hábito da autocompaixão e do egoísmo, para plainar acima das vicissitudes e das constrições malsinantes da autocomiseração, de resultados sempre molestos. Essa tarefa o Espiritismo conseguirá realizar, a seu tempo, ajustando o pensamento humano à só valorização das coisas legítimas e boas, sem quaisquer conúbios com a insensatez e o comodismo, que engendram expressões de secundária significação e mórbidos desequilíbrios.

          ***

          A fraternidade realiza milagres. O pensamento é o dínamo da vida: bom ou mau, culmina sempre por alcançar aquele que se lhe torna receptivo e a quem se dirige.

          ***

          Bem-aventurados aqueles que já podem expungir o mal de suas almas, com resignação e esperança! Para esses, os dias claros de sol logo voltarão, a alegria depressa reacenderá e a música dos sorrisos tornará muito em breve aos lábios restaurados.

          ***

          Resguardemo-nos, os que seguimos descuidados. Ouçamos as advertências da Doutrina Espírita, insculpindo no coração e na mente os conceitos libertadores com que Allan Kardec postulou e viveu as informações do Mundo Espiritual encarregado de clarificar a Humanidade.

          ***

          O medo é algoz impenitente que destrói, seguro de si, estilhaçando tudo, tudo transformando em maior razão de pavor: pequenos ruídos semelham trovões, o cicio do vento parece voz de fantasma, a própria respiração soa como estertor de gigante, prestes a desferir golpe fatal.

Livro: Sublime Expiação
Victor Hugo  & Divaldo P. Franco

Muita Paz

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 27 de Outubro de 2010, 17:27
João Deus creou  sexo diferente do que masculino e feminino?
Amigo, vamos continuar a debater, dentro do campo da doutrina deixando criancices de lado ok?
Abraços,
Moura

_

VAMOS perguntar uma coisa - SER HETERO 'e op;cao?

porque ser GAY, homo - ou como queira chamar, nunca foi op;cao

nao existe um botao de LIGA e DESLIGA
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: filhodobino em 27 de Outubro de 2010, 18:43
Amados Irmãos,
Desde as mais remotas eras, o preconceito algemou realmente a evolução individual, em seu psiquismo, posto que tudo quanto a sociedade criou em termos de preconceito, fê-lo viver o próprio necessitado de reflexão...
Não falando do pecado nem do erro, mas do preconceito...
Meu filho e eu chegamos à tempos que ambos, precisávamos refletir não exatamente nas causas e efeitos, pela análise do efeito em sí... mas, o que o efeito representava em termos de ensinamento para nós...
Nem a análise na época nos ajudou posto que coforme Fromm escreveu em 1932, com visto na análise de Phillips, Adan-Trad. de Cid Knipel Moreira em "O Flerte"- Ed.:-Swarccz - à pag. 191...
""A psicanáise concentrou-se na estrutura da sociedade burguesa e sua familia patriarcal como situação normal, (...)Uma vez que (os psicanalistas) não se preocupavam com a variedade da experiência da vida, com estrutura socioeconômica de outros tipos de sociedade e, portanto, não tentavam explicar a estrutura psíquica conforme determinada pela estrutura social, começaram necessáriamente a analozigar em lugar de analisar...."""

Tivemos portanto, aos áureos tempos da década de 50/60/70, um volume de informações categorizadas à forma de religião, pelo Espiritismo, que se não tivesse recebido esse selo, estaríamos mais compreendendo esse percalço, ou óbice ao psiquismo, ou prova(não importa o nome, que nada tem de pecado nem de erros, mas sim de maciços preconceituosos, que os próprios exortadores puritanos na carne, sofrem hoje além da pecha homossexual, irmãos, sensíveis e quando os conhecemos melhor vemo-los com um coração alvo e doce a sofrer com manifestações de aids, ainda lepra, ainda tuberculose, psoríase, vitiligo, artroses deformantes, anquilosantes, etc...
Cada Caso é um caso que sonho, todas as noites, e peço oportunidade se a bondade de Deus e minha capacidade intelectiva permitir, retornar para aprofundar mais no tema e se possível for, levar o conceito de atendimento fraterno sob as bençãos de Jesus, sob a bandeira do Espiritismo, e sob a autoridade da bancada examinadora da ciência, tornar esse estudo, bem como o dos vícios, em unidades de apôio, reunindo ciência-Jesus-Espíritismo-Reflexão individual e amor ao próximo como formula adequada ao perfeito tratamento e abertura dessas algemas.
Posto que quem mais sofre como homosexual, é o próprio e milhares se fecham num mutismo auto-deletável,que rende tantos suicídios, que doi muito fundo naquele que não sendo vê quem ama sofrer e buscando encontra enganos e incoerências de quem fala sem coração de amor na classificação analogizante, sem prover recurso que não seja pelo apontamento de erros, que na grande maioria nada tem a ver com o que é.
Reconheço, que boa vontade há...
Nesse drama existêncial, não basta, no entanto a boa vontade...
Kardec fez muito, abrindo a porteira para os discursos, que eram mantidos à boca pequena entre iniciados, que podiam arcar com o pesado ônus da iniciação... mas muitas verdades foram reservadas íntegras apesar de tudo, e hoje nos servem, como nos servirá no futuro.
Penso Jesus o primeiro artífice do pensamento individual, promovendo oportunidades aos diferentes a se integrarem ao uno...
Penso o Espírito da verdade, o caminho... mas NÃO caindo no erro de fazer de Jesus e seus evangelhos um símbolo religioso, mas um indutor do livre pensamento, para que indivíduos se pensem por sí mesmos, sem colocar o indivíduo, na mesma classe do coletivo, mas também educando o pensamento coletivo na aceitação não exatamento do erro, posto que não seria válido, mas consusbtanciando alteridade, conjugando o sentir do indivíduo na sua individualidade, e o incentivando a participar da sociedade em que vive com seus empeços pessoais, na busca de seus proprios acertos, com a benevolência do amor verdadeiro, não piedoso, nem piegas, mas também de aroma, palavras e atos gentis, a servir como luzeiro eficiente para que o próprio necessitado se encontre, no viver pleno, e deixe tanto de buscar a negação de si mesmo, ou o extravamento da revolta formando os batalhões das paradas, que agridem o bom sendo dos indivíduos, mas garantem pelo grito, o direito de existirem e coexistirem como faziam os antigo suditos do reino da força bruta e dos gigantes...
Penso que estamos no caminho certo.
Espero em Deus, ter como voltar e não fugir dessa gloriosa epopéia, de exclarecimento, com o aporte cultural, e a sapiência que hoje não possuo... ainda...
Ainda ontem conversava com meu filho a esse respeito, e ele me presenteou com um largo sorriso, que não me pareceu cético... me pareceu mais dizendo assim, como eu sempre lhe disse vá em frente... fé em Deus e pé na tábua.... senta a pua...heheheheh...
Saúde e paz!
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 27 de Outubro de 2010, 18:47
Seu filho, mano Filho do bino, é um cara dez!
Abraços,
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: filhodobino em 27 de Outubro de 2010, 18:51
Mano, eu digo sempre pra ele, que ele é que deveria ser meu pai....e dá risada...
saúde e Paz!
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 27 de Outubro de 2010, 19:02
mano vou lhe contar que em minha família, tenho no meu filho meu verdadeiro amigo.
quando enfartei, no dia do meu aniversário,  ele quando soube, pediu á irmã que lhe arrumasse um emprego na mesma firma onde ela trabalha.
Sabia ele que todos teriam de ajudar pois aquele que lhes tinha facultado a vida boa de antes não teria mais condições iguais as de antes e tudo o que ele previu aconteceu.
Acontece que ele tinha apenas 15 anos, da vida só havia conhecido as coisas boas , sem nenhuma responsabilidade de fazer algo. Ele não se conteve em esperar o tempo justo para poder trabalhar na firma de minha filha, e conseguiu outro emprego. Hoje está onde queria estar, e nos ajuda cá em casa.
Nossos filhos, a bem dizer serão nossos mestres se nos despirmos desta falsa visão de que sabemos mais do que eles, somos todos da mesma categoria de Espíritos e por lógica relacionada ao ensino da doutrina eles geralmente podem nos trazer melhores informações.
No teu caso daquilo que você nos conta, o teu filho demonstra estar mais ajuizado, compreendendo bem a situação e você, como pai, demonstra que soube colocar na cabeça dele as boas idéias que, em conjunto com as deles fizerem o bolo de sabor tão agradável.
abraços,
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: hcancela em 27 de Outubro de 2010, 19:55
Olá amigos(as)


As algemas que existem na realidade, são aquelas que colocamos em nós mesmo.

Sabem amigos(as) independentemente de sermos Homos ou Heteros ou outro nome que lhe queiramos dar, o que falta nas relações humanas ,é Amor, fruto de um passado cheio de conflitos com nós mesmo, trazendo em nosso psiquismo toda uma panóplia de (defeitos) que devemos burilar.

A doutrina Espirita é maravilhosa porque nos dá o entendimento correcto e a melhor forma de nos relacionarmos uns com os outros. Não livra nem condena nada, apenas explica o porquê das coisas cabendo a cada um de nós ter uma vida a mais feliz possível, com a responsabilidade actuar em cada um de nós. Isto é da Lei.

Agora um pensamento que me surgiu agorinha mesmo? :-*. Coisa pouca? ;D
Já repararam que existem relações muita boas entre pessoas do mesmo sexo,e relações muita más daquelas ditas de normais? Aliás as ditas normais por hábito até se matam umas ás outras , né. Ciúmes, etc e tal.

De facto precisamos e muito de aprender as relações humanas.

Saudações fraternas
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 27 de Outubro de 2010, 20:42
Bem colocado, mano Cancela!
Abração,
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 28 de Outubro de 2010, 11:32
Ola muita paz e harmonia
Bons Amigos

  Amigo Cancela,quando dizes; ,
Citar
Já repararam que existem relações muita boas entre pessoas do mesmo   sexo,e relações muita más daquelas ditas de normais? Aliás as ditas   normais por hábito até se matam umas ás outras , né. Ciúmes, etc e tal.

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/as-algemas-do-preconceito-homossexual/75/?action=post;num_replies=86#ixzz13eBIZV1q

Amigo perdoa não aceitar essa asservativa da tua parte ,. pois se verficares bem a violência paira em qualquer dos lados , isso sim , não escolhe nem se permite a opções, pois as relações  com desenvoltura negativa , ou seja que geram conflitos , elas se dão em qualquer das situações.homo.hetero ou outra qualquer...porqyu todos somos imperfeitos e o despeito pela relação já existe desde o rpimitivismo, onde as situações matraicais e patriacais existiam, logo não tem sentido unificar o sentimento de um so lado...

Queria também dar uma achega ao companheiro João Meireles,e peço desculpa porque não tinha visto essa questão
Citar
VAMOS perguntar uma coisa - SER HETERO 'e op;cao?

porque ser GAY, homo - ou como queira chamar, nunca foi op;cao

nao existe um botao de LIGA e DESLIGA                            

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/as-algemas-do-preconceito-homossexual/75/?action=post;num_replies=86#ixzz13eEMj800

Pois bom Amigo a resposta para Ele está bem explicita no L.E. Cap. Parte Segunda – Capítulo 7vejamos;


334 A união da alma com este ou aquele corpo é predestinada, ou a escolha   se faz apenas no último momento?
– O Espírito é sempre designado antes. Ao escolher a prova por que deseja passar,   pede para encarnar; portanto, Deus, que tudo sabe e tudo vê, sabe e vê antecipadamente   que alma se unirá a qual corpo.
335 O Espírito faz a escolha do corpo em que deve encarnar, ou apenas   do gênero de vida que lhe deve servir de prova?
– Pode escolher o corpo, já que as imperfeições desse corpo são para ele provas   que ajudam no seu adiantamento, se vencer os obstáculos que aí encontra. Embora   possa pedir, a escolha nem sempre depende dele.
335 a O Espírito poderia, no último momento, recusar o corpo escolhido   por ele?
– Se recusasse, sofreria muito mais do que aquele que não tentou nenhuma prova. 
336 Poderia acontecer que um corpo que tivesse de nascer não encontrasse   Espírito para encarnar nele?
– Deus a isso proveria. Quando a criança deve nascer para viver, está sempre   predestinada a ter uma alma; nada foi criado sem finalidade.
337 A união do Espírito com um determinado corpo pode ser imposta pela   Providência Divina?
– Pode ser imposta, bem como as diferentes provas, especialmente quando o Espírito   ainda não está apto a fazer uma escolha com conhecimento de causa. Como expiação,   o Espírito pode ser obrigado a se unir ao corpo de uma criança que por seu nascimento   e pela posição que terá no mundo poderão tornar-se para ele uma punição.
Agora claro bom Amigo todos temos nosa personalidade diferente, temos livre-arbitrio e cada um será encaminhado para aquilo que se traduz nas suas escolhas e predominancia, mas lembro que em espirito essa proveniência sexual não existe, pois os espiritos não detem sexo

Muita paz e harmonia bons amigos
Abraço fraterno

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: hcancela em 28 de Outubro de 2010, 19:36
Olá amigos(as)


Victor meu caro amigo, quando dou uma opinião não o faço com objectivos das pessoas concordarem ou não.

É apenas a minha opinião, como a tua ,ou de outro elemento deste forum.Apenas isso caro amigo. ;)

Como penso que não fugi do tema, é um reparo de tua parte que me merece o máximo respeito, mas só isso.

Se não concordas, azar o meu , né. ;D.

Obs: Apenas mais uma pequena nota que lembrei agora? Victor quando as pessoas dizem que não gostam daquilo que escrevo, vou ler aquilo que têm para me dizer porque quero aprender, e no teu caso tu particularizaste, em algo que eu generalizei, porque como todos nós sabemos a violência arrasta-se pelo mundo, e ela começa em cada um de nós, independentemente de ser Homo, Hetero, Branco , Preto, Azul,tendência religiosa, ou outro nome qualquer que queiras chamar; como tal amigo não aprendi nada.

Saudações fraternas
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: JT em 28 de Outubro de 2010, 20:19
A Vida nos ensina permanentemente e é a dor quase sempre que nos eleva, quer sejamos homo, ou hetero.
Há um Amor Maior que aquele que existe entre homo, ou hetero.
É esse que é preciso permitir que aconteça em nós: Chamem-lhe Nirvâna, Consciência Cósmica, Consolador, …
Quando acontecer em vós, saberão do que falo. Doutra forma não é possível saber.
Quando souberem, não importa que se seja homo, ou hetero.
O preconceito não o vão mais sentir.
Abraço fraterno,
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 28 de Outubro de 2010, 23:59
Ola muita paz e harmonia
Bons Amigos

  Amigo Cancela,quando dizes; ,
Citar
Já repararam que existem relações muita boas entre pessoas do mesmo   sexo,e relações muita más daquelas ditas de normais? Aliás as ditas   normais por hábito até se matam umas ás outras , né. Ciúmes, etc e tal.

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/as-algemas-do-preconceito-homossexual/75/?action=post;num_replies=86#ixzz13eBIZV1q

Amigo perdoa não aceitar essa asservativa da tua parte ,. pois se verficares bem a violência paira em qualquer dos lados , isso sim , não escolhe nem se permite a opções, pois as relações  com desenvoltura negativa , ou seja que geram conflitos , elas se dão em qualquer das situações.homo.hetero ou outra qualquer...porqyu todos somos imperfeitos e o despeito pela relação já existe desde o primitivismo, onde as situações matriacais e patriacais existiam, logo não tem sentido unificar o sentimento de um so lado...

Queria também dar uma achega ao companheiro João Meireles,e peço desculpa porque não tinha visto essa questão
Citar
VAMOS perguntar uma coisa - SER HETERO 'e op;cao?

porque ser GAY, homo - ou como queira chamar, nunca foi op;cao

nao existe um botao de LIGA e DESLIGA                            

Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/homossexualidade/as-algemas-do-preconceito-homossexual/75/?action=post;num_replies=86#ixzz13eEMj800

Pois bom Amigo a resposta para Ele está bem explicita no L.E. Cap. Parte Segunda – Capítulo 7vejamos;


334 A união da alma com este ou aquele corpo é predestinada, ou a escolha   se faz apenas no último momento?
– O Espírito é sempre designado antes. Ao escolher a prova por que deseja passar,   pede para encarnar; portanto, Deus, que tudo sabe e tudo vê, sabe e vê antecipadamente   que alma se unirá a qual corpo.
335 O Espírito faz a escolha do corpo em que deve encarnar, ou apenas   do gênero de vida que lhe deve servir de prova?
– Pode escolher o corpo, já que as imperfeições desse corpo são para ele provas   que ajudam no seu adiantamento, se vencer os obstáculos que aí encontra. Embora   possa pedir, a escolha nem sempre depende dele.
335 a O Espírito poderia, no último momento, recusar o corpo escolhido   por ele?
– Se recusasse, sofreria muito mais do que aquele que não tentou nenhuma prova. 
336 Poderia acontecer que um corpo que tivesse de nascer não encontrasse   Espírito para encarnar nele?
– Deus a isso proveria. Quando a criança deve nascer para viver, está sempre   predestinada a ter uma alma; nada foi criado sem finalidade.
337 A união do Espírito com um determinado corpo pode ser imposta pela   Providência Divina?
– Pode ser imposta, bem como as diferentes provas, especialmente quando o Espírito   ainda não está apto a fazer uma escolha com conhecimento de causa. Como expiação,   o Espírito pode ser obrigado a se unir ao corpo de uma criança que por seu nascimento   e pela posição que terá no mundo poderão tornar-se para ele uma punição.
Agora claro bom Amigo todos temos nosa personalidade diferente, temos livre-arbitrio e cada um será encaminhado para aquilo que se traduz nas suas escolhas e predominancia, mas lembro que em espirito essa proveniência sexual não existe, pois os espiritos não detem sexo

Muita paz e harmonia bons amigos
Abraço fraterno

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 29 de Outubro de 2010, 00:10
Ola Amigo Cancela
Muita paz

   Na realidade penso que deste a resposta a ti mesmo, porque em nada procurei primar pela asservativa pessoal, mas sim na generalidae dai ter feito o meu comentario ...
Mas enfim ionde uns ler (a ), outros conseguem ver (b), mas enfim Amigo são opiniões e essas são livres tal como dizes, mas , é importante que sejamos homogeneos no que afirmamos , para não cairmos no erro de estar a ser fracionario...a Doutrina manda , nos seus principios , estudar, verificar bem se somos ou não consignados por valores da razão e bom senso e permite-nos a aprender o caminho a seguir...dai que os melindres, são sinal de fragilidade...paz em Jesus
As razões não ganham  utilidade se não forem pela humildade...cravo

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 01 de Dezembro de 2010, 18:17
Ola muita paz Amigo New

  Na realidade até os contracetivos são abortivos e contra a lei natural.
  O maior problema não está no epiteto contrario à Lei e na realidade na apetencia de nos amarrarmos em demasia ao que é material e estarmos estimulados pela vertente do egoismo e orgulho,e esses são os maiores causadores das fragilidades humanas, logo o espectro de almas sofridas..

  Muita paz bom Amigo

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: new em 02 de Dezembro de 2010, 10:56
Oi Victor

concordo que estamos muito ligados ao material, de maneira errada muitas vezes, que damos muito significados aos conceitos mundanos, de todas as espécies, inclusive o preconceito.

Por isso a importância de lembrar as palavras de perseverança do Cristo.

Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 02 de Dezembro de 2010, 14:28
Amigo Victor, desculpe-me discordar:
Copntraceptivos não estão entre os abortivos. sua classificação é outra.
Contraceptivos, agem impedindo a concepção, e este é o fator que os designa como "contraceptivos.
Abortivos, são substâncias algumas utilizadas pela ciência médica, para promover o aborto. ?Estes sim contrários a lei natural.
Por que?
Simples: A concepção já se deu, em andamento está a fase gestacional, logo, com um ser em formação é que se daria o tal aborto. ato criminoso.

"Controle de natalidade (português brasileiro) ou ainda contracepção é o regime de uma ou mais ações, dispositivos ou medicamentos de modo a prevenir ou reduzir a propensão de uma mulher se tornar grávida ou dar à luz. Estas ações, também conhecidas como métodos anticoncepcionais, são fundamentais hoje em dia para o planejamento familiar."

"Aborto ou interrupção da gravidez(ver terminologia) é a remoção ou expulsão prematura de um embrião ou feto do útero, resultando na sua morte ou sendo por esta causada. Isto pode ocorrer de forma espontânea ou artificial, provocando-se o fim da gestação, e consequentemente o fim da vida do feto, mediante técnicas médicas, cirúrgicas entre outras.
Após 180 dias (seis meses) de gestação, quando o feto já é considerado viável, o processo tem a designação médica de parto prematuro.  A terminologia "aborto", entretanto, pode continuar a ser utilizada em geral, quando refere-se à indução da morte do feto.
O aborto induzido, também denominado aborto provocado ou interrupção voluntária da gravidez, ocorre pela ingestão de medicamentos ou por métodos mecânicos. A ética deste tipo de abortamento é fortemente contestada em muitos países do mundo mas é reconhecida como uma prática legal em outros locais do mundo, sendo inclusive suportada pelo sistema público de saúde (no Brasil é feito apenas nos casos em que uma junta médica certifica que há perigo iminente de risco de morte à gestante)."
Abraços,
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: new em 02 de Dezembro de 2010, 16:55
Moura, contraceptivos não deixam de ser obstáculos à reprodução.

A pergunta de Kardec não deixa dúvidas:

693. São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por
fim ou
por efeito criar obstáculos à reprodução?

“Tudo o que embaraça a Natureza em sua marcha é contrário à lei geral.”

Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 02 de Dezembro de 2010, 17:01
New,
esta é a sua visão.
Quando a obra básica fala em "obstáculos à reprodução", o faz em caráter geral e indefinido.
Quer dizer, a obra fala não no que frustre concepção, senão de modo permanente.
Ora o contraceptivo frustrando ou inibindo a Concepção", não tem caráter permanente, logo, se hoje u'a mulher faz uso dele mas amanhã deixa de fazê-lo, retoma a capacidade de gestar.
Abraços,
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: new em 02 de Dezembro de 2010, 17:32
Oi Moura

Não é a minha visão, é o que consta em O livro dos Espíritos, ademais, desconheço outros animais que usam métodos para não engravidar.

Não significa que devemos abolir o ato sexual sem intenção de se reproduzir, por enquanto.

Até mais amigo.
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 02 de Dezembro de 2010, 17:58
Ola muita paz e harmonia
Bons Amigos

Amigo Moura não tem que pedir desculpa por não concordar, é desta forma que nós através dos pontos de vista por vezes com mais lucidez , chegamos a um consenso e percebemos melhor os fatos.

Porém me diga o que é a pilula do dia seguinte, o Diu ,fecho das trompas ?
Se me disser que é um mal menor, até posso aceitar, mas em qualquer circunstancia entendo que o planeamento familiar é importante , bem como a defesa da vida ,agora é preciso educar para não cair.

Muita paz e harmonia

Abração Moura e New

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 02 de Dezembro de 2010, 19:02
Essa é mole, mano Victor,
tanto a pílula do dia seguinte quanto o DIU são abortivos.
Simples assim!
abração,
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 02 de Dezembro de 2010, 19:39
Ola Amigo Moura
Muita paz

Exponha a discordância, estamos aqui para aprender...

OBSTÁCULOS À REPRODUÇÃO

Todo obstáculo que embaraça a Natureza é contrário à lei geral. Esta afirmativa dos Espíritos na questão 693, nos faz refletir sobre os métodos anticoncepcionais utilizados pela sociedade. Observando bem, veremos o que realmente embaraça a Natureza são as medidas extravagantes, aquelas que se colocam a serviço do egoísmo, do prazer material em detrimento do espiritual. Ou seja, aqueles que se opõem a reprodução apenas pelas paixões. Toda ação com base no equilíbrio, no amor ao próximo encontra na Natureza aceitação, e pode e deve ser praticada. Toda ação humana que constrange o fluxo natural da vida, apenas evidencia a predominância de sua materialidade sobre a seu estado mais espiritualizado. Desta forma, podemos entender porque nosso mundo ainda expia as tribulações existenciais de forma tão dolorosa. É que não encontrou o homem ainda, a sua expressão maior de espiritualidade. Na medida que ele erra, sofre, e assim aprende pelos caminhos mais longos e mais penosos, a evolução consciencial. Deus na sua infinita misericórdia e justiça permite ao homem os tormentos decorrentes de sua ação contrária a Natureza, a fim de remove-lo ao estado consciente, e também lhe oferece a reencarnação como forma nova de aprendizado, dando-lhe eternas oportunidades de atingir a perfeição moral, cujo o intento lhe proporcionará o plena felicidade.

Nas minhas reflexões pessoais uma intuição me sobressaltou, como um insight, e dele pude concluir este pensamento que passei a tentar por em meu cotidiano. Ei-lo : “A maior ilusão é tentar conter o fluxo, represando seu recursos em cativeiros do egoísmo. A Natureza sempre acha um meio de libertá-los. Viva a Natureza ! “ (t)

LIMITAÇÃO DE FILHOS

O problema da planificação familiar, antes de maiores cogitações, deve merecer dos cônjuges, mais profundas análises e reflexões. Pela forma simplista como alguns o apresentam, a desordenada utilização de métodos anticonceptivos interfere negativamente, na economia moral da própria família. Na situação atual, os pais dotados de recursos econômicos, menos procriam, em considerando as disponibilidades que possuem, enquanto os destituídos de posses aumentam a prole, tornando muito mais complexas e difíceis as engrenagens do mecanismo social. Os filhos são programados na esfera extra-física da vida, tendo-se em vista as injunções crédito-débito, defluentes das reencarnações passadas. Normalmente, antes do mergulho no corpo carnal, o espírito reencarnante estabelece intercâmbio com os futuros genitores, de cujo concurso necessitam para o cometimento a empreender. Os filhos não chegados pela via normal, não obstante, alcançarão a casa dos sentimentos negados, utilizando-se dos sutis recursos da vida, que reaproximam os afins pelo amor ou pela rebeldia quando separados, para as justas reparações. Chegarão a outros tetos, mas dali sairão atraídos pelas necessidades propelentes ao encontro da família que lhe é própria, nem sempre forrados em objetivos relevantes... Alguém que te chega, perturbando a paz... Outrem que te rouba pertences e sossego... O ser que te sobrecarrega de dissabores... Aquele que de fora desarmoniza a tua família... O vadio que te adentra o lar...
O viciado que corrompe quem te é caro... O aliciador que chega de longe e infelicita o filho ou a filha que amas... Todos eles estão vinculados a ti.
Quiçá houvessem renascido sob o teu teto e as circunstâncias impediriam dramas maiores... O Senhor dispõe de recursos inimagináveis. Confia a ele as tuas dificuldades e entrega-te consciente, devotadamente. Seja qual for a opção que escolhas - ter mais ou menos filhos - os que se encontram na pauta das tuas necessidades chegar-te-ão, hoje ou mais tarde. Sendo possível, acolhe-os da melhor maneira, porquanto, conforme os receberes, ser-te-ão amigos generosos ou rudes adversários dos quais não te libertarás facilmente.

Joanna de Ângelis
Do Livro: Leis Morais da Vida
Psicografia: Divaldo Pereira Franco

Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 02 de Dezembro de 2010, 20:09
New, o que você desconhece é a doutrina, amigo.
Por isso antes de fazer piadas procure compreendê-la.
Ninguém falou ou escreveu nada acerca de animais tomando qualquer droga.
Curto e grosso.
Abraços,
Moura
Oi Moura

Não é a minha visão, é o que consta em O livro dos Espíritos, ademais, desconheço outros animais que usam métodos para não engravidar.

Não significa que devemos abolir o ato sexual sem intenção de se reproduzir, por enquanto.

Até mais amigo.
[/quote]
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 02 de Dezembro de 2010, 20:13
Mano Victor,
a discordância já foi exposta mas levo-o, comigo, a outyro ponto no mesmo capítulo do LE.
"693-a. Não obstante, há espécies de seres vivos, animais e plantas, cuja reprodução indefinida seria prejudicial às outras espécies e das quais, cm breve, o próprio homem seria vítima. Seria repreensível deter essa reprodução?
Deus deu ao homem, sobre todos os seres vivos, um poder que ele deve usar para o bem, mas não abusar. Ele pode regular a reprodução segundo às necessidades, mas não deve entravá-la sem necessidade.
A ação inteligente do homem é um contrapeso posto por Deus entre as forças da Natureza para restabelecer-lhes o equilíbrio, e isso também o distingue dos animais, pois ele o faz com conhecimento de causa.
Os animais concorrem, por sua vez, para esse equilíbrio, pois o instinto de conservação que lhes foi dado faz que, ao proverem à própria conservação, detenham o desenvolvimento excessivo e talvez perigoso das espécies animais e vegetais de que se nutrem."
Abração mano.
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: new em 03 de Dezembro de 2010, 10:35
Moura, obrigado pela sentença, mas a recusarei.

Sempre se encontra aparentes brechas na "lei" para sofismos.



a) - Entretanto, há espécies de seres vivos, animais e plantas, cuja reprodução
indefinida seria nociva a outras espécies e das quais o próprio homem acabaria por ser
vítima
. Pratica ele ato repreensível, impedindo essa reprodução?

A não ser que você considere que o homem não tem solução, sendo nocivo às outras espécies e ao próprio homem. Mas pela construção da pergunta parece-me que Kardec não se referia ao controle de reprodução humano.

A resposta também não deixa dúvida para sofismos:

"...obstem ao desenvolvimento excessivo, quiçá perigoso, das
espécies animais e vegetais de que se alimentam."


E para não deixar dúvidas Kardec insiste, na pergunta imediatamente seguinte, encerrando o a assunto com a pergunta diretíssima:

694. Que se deve pensar dos usos, cujo efeito consiste em obstar à reprodução, para
satisfação da sensualidade?

“Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem é material.”



Não falamos de animais, mas é o que podemos usar como possível comparação nesse quesito, já que não podemos comparar com outra espécie.

Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 03 de Dezembro de 2010, 11:06
Ola muita paz
Amigos Moura e New

Amigo Moura estamos de acordo nesse ponto, mas no seguinte tem este;

694. Que pensar dos usos que têm por fim deter a reprodução, com vistas à satisfação da sensualidade?

— Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem está imerso na matéria.

Quando me refiro que existe obstrução à reprodução, pelos anticoncepcionais , coloco a questão por este ponto bom Amigo, todos sabemos dos excessos, e sabemos no relacionamento sexual, se faz na maioria das vezes pela simples sensualidade , fora por completo do amor, e isso retira o sentido que qualquer meio traga para defesa da Familia. Ou seja o que quero dizer , que quando os meios economicos são fargéis, e se faz a proteção, afim de quem possa vir a nascer não entre num meio para sofrer à partida..Todo o casal que não tem meios para alimentar uma criança, deve fazê-lo e será um meio menor, mas não deixa de ser um erro, poruqe Deus sabe do que necessitamos e todos temos em conta mesmo que omisso de nóssó encarna quemn tem de encarnar e em determinado lar...
 Agora existemn aqueles que usam os meios para o sexo desregrado e nisso temos uma maioria  infelizmente, é puro estado de sensualidade e nada de amor.

Amigos espero ter feito compreender,, mas estou aberto a esclarecimentos...

Abração Mano Moura e New

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gisella em 03 de Dezembro de 2010, 12:43
Olá, amigos...

Como os debates frutificam quando bem encaminhados...

Nas ultimas colocações, senti a falta de uma colocação feminina.

Da Homossexualidade à contracepção, ficarei com a última, pois outros tópicos tb abordam o 1° tema.

Como mulher, mãe de família, trabalhadora na área da assist social espírita, acredito que posso dar minha modesta opinião.

Acredito, baseada na DE, que o nosso livre arbítrio funciona, nesse caso, como uma ferramenta, ou uma faca de dois gumes.

Existem as famílias que optam pela contracepção temporária por falta de recursos; outras, por mera sensualidade.... enfim, é o livre arbítrio, não é verdade??

Deus nos deu a inteligência para usá-la!!!

O texto da Joanna de Angelis foi claríssimo... aqueles que deveriam vir por nossas portas virão de qq jeito. Mas, posso usar meu livre arbítrio para, naquele momento, não deixar livre a minha concepção...

Ela é contra a Lei Natural??? Acredito que sim, mas nada nos impede de nos ajustarmos a ela por outros meios....

Posso contar uma história real?? Certa vez, em um trabalho mediúnico, um amigo estava me odiando demais, pois meu marido havia fechado as portas para ele (vasectomia) e como o esclarecedor conhecia meu histórico médico, esclareceu o amigo e ele me disse que, se eu deixasse, ele viria por outras portas.. claro que aceitei e, com tantos amigos dos meus filhos que me chamam de "mãe", acredito que ele está entre eles, ou entre tantas e tantas crianças que nasceram depois que as mães passaram a frequentar nossas atividades de Assist à Gestante Socialmente Carente, que pretendiam fazer aborto e que passou a amar aquele ser que estava sendo gerado e que amamos como nossos filhos!!!

Ama aquele que te aborrece, que te trai, que te fere, mas ama tb aqueles que se aproximam de você pelos laços da amizade... quem sabe, assim, não estaremos nos ajustando à Lei??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

PS... Victor... muito bom encontrar com vc por aki tb....
Título: Re: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 03 de Dezembro de 2010, 14:10
Exato Hebe,
bom senso, só isso.
É o bom senso o fator que deve nortear segundo a questão nº 593.a do LE.
As pessoas vêem a indicação do item da doutrina mas não vão pesquisar mesmo que o livro esteja a seu lado. continuam acrisoladas num mesmo pensar e a divulgarem o seu pensamento como se ele fosse a doutrina.
Por isso tanta celeuma inútil e estéril no nosso meio.
Abração,
Moura

Olha,
Tudo é muito relativo em relação a evitar a concepção.
Cada caso é um caso.
No meu por exemplo foram 4 gravidez seguidas.
A primeira aborto espontâneo após o terceiro mês porque o feto não desenvolveu.
A segunda sete meses deitada com risco de vida pra mim e para criança.
A terceira perdi no oitavo mês, porque torceu o cordão umbilical e parou de passar alimentação e oxigenio para criança.
Na quarta gravidez, foi ótima e perfeita mas o próprio obstetra aconselhou o ligamento de trompas, porque eu já estava com 35 anos e pelo histórico não havia mais condição nem físicas e nem emocionais para encarar uma quinta gravidez.
E não me arrependo de ter feito nestas circunstâncias.
Acho que antes de avaliar se é correto ou não tem que se ver, condições econômicas, emocionais, físicas para se ter um filho.
Um abço Hebe
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 03 de Dezembro de 2010, 14:19
Moura, obrigado pela sentença, mas a recusarei.

Sempre se encontra aparentes brechas na "lei" para sofismos.



a) - Entretanto, há espécies de seres vivos, animais e plantas, cuja reprodução
indefinida seria nociva a outras espécies e das quais o próprio homem acabaria por ser
vítima
. Pratica ele ato repreensível, impedindo essa reprodução?

A não ser que você considere que o homem não tem solução, sendo nocivo às outras espécies e ao próprio homem. Mas pela construção da pergunta parece-me que Kardec não se referia ao controle de reprodução humano.

A resposta também não deixa dúvida para sofismos:

"...obstem ao desenvolvimento excessivo, quiçá perigoso, das
espécies animais e vegetais de que se alimentam."


E para não deixar dúvidas Kardec insiste, na pergunta imediatamente seguinte, encerrando o a assunto com a pergunta diretíssima:

694. Que se deve pensar dos usos, cujo efeito consiste em obstar à reprodução, para
satisfação da sensualidade?

“Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem é material.”



Não falamos de animais, mas é o que podemos usar como possível comparação nesse quesito, já que não podemos comparar com outra espécie.


Ola muita paz
Amigos Moura e New

Amigo Moura estamos de acordo nesse ponto, mas no seguinte tem este;

694. Que pensar dos usos que têm por fim deter a reprodução, com vistas à satisfação da sensualidade?

— Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem está imerso na matéria.

Quando me refiro que existe obstrução à reprodução, pelos anticoncepcionais , coloco a questão por este ponto bom Amigo, todos sabemos dos excessos, e sabemos no relacionamento sexual, se faz na maioria das vezes pela simples sensualidade , fora por completo do amor, e isso retira o sentido que qualquer meio traga para defesa da Familia. Ou seja o que quero dizer , que quando os meios economicos são fargéis, e se faz a proteção, afim de quem possa vir a nascer não entre num meio para sofrer à partida..Todo o casal que não tem meios para alimentar uma criança, deve fazê-lo e será um meio menor, mas não deixa de ser um erro, poruqe Deus sabe do que necessitamos e todos temos em conta mesmo que omisso de nóssó encarna quemn tem de encarnar e em determinado lar...
 Agora existemn aqueles que usam os meios para o sexo desregrado e nisso temos uma maioria  infelizmente, é puro estado de sensualidade e nada de amor.

Amigos espero ter feito compreender,, mas estou aberto a esclarecimentos...

Abração Mano Moura e New

Victor Passos
Ola muita paz
Amigos Moura e New

Amigo Moura estamos de acordo nesse ponto, mas no seguinte tem este;

694. Que pensar dos usos que têm por fim deter a reprodução, com vistas à satisfação da sensualidade?

— Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem está imerso na matéria.

Quando me refiro que existe obstrução à reprodução, pelos anticoncepcionais , coloco a questão por este ponto bom Amigo, todos sabemos dos excessos, e sabemos no relacionamento sexual, se faz na maioria das vezes pela simples sensualidade , fora por completo do amor, e isso retira o sentido que qualquer meio traga para defesa da Familia. Ou seja o que quero dizer , que quando os meios economicos são fargéis, e se faz a proteção, afim de quem possa vir a nascer não entre num meio para sofrer à partida..Todo o casal que não tem meios para alimentar uma criança, deve fazê-lo e será um meio menor, mas não deixa de ser um erro, poruqe Deus sabe do que necessitamos e todos temos em conta mesmo que omisso de nóssó encarna quemn tem de encarnar e em determinado lar...
 Agora existemn aqueles que usam os meios para o sexo desregrado e nisso temos uma maioria  infelizmente, é puro estado de sensualidade e nada de amor.

Manos Victor e New, respondo aos dois pois colocaram aq mesma pergunta "694".
Ora, aqui falamos de uma parte especialíssima, logol, exceção.
Se abordamos o assunto sob a regra geral, a 693.a exibe a resposta completa e que, caro New, não deixa brecha a sofismas, a não ser que a pessoa esteja querendo"vender gato por lebre"
No teor específico da pergunta 694, aludida por vocês a Espíritualidade Superior, abordando esta exceção ou parte especial, informa com a clareza necess´[aria.
volto a informar, trata-se de parte especial e que só visa a um núcleo, ou seja o dos sensualistas.
Mas devo também esclarecer que a sensualidade, fator gerador, em alguns Espíritos ainda mais materializados, do sensualismo, que é exatamente a exacerbação do conteúdo sensual ou de sensualidde que todos os Espíritos Encarnados neste mundo e no próximo ainda conterão, o foco da questão referida.
Ora pergunto eu, sabendo-se que vocês e eu ainda contemos um contingente de sensualidade a ser observado nesta romagem, por assim estarmos apetrechados nos fazemos sensualistas?
Vocês decidem!
abração,
Moura

Amigos espero ter feito compreender,, mas estou aberto a esclarecimentos...

Abração Mano Moura e New

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 03 de Dezembro de 2010, 14:29
Moura, obrigado pela sentença, mas a recusarei.

Sempre se encontra aparentes brechas na "lei" para sofismos.



a) - Entretanto, há espécies de seres vivos, animais e plantas, cuja reprodução
indefinida seria nociva a outras espécies e das quais o próprio homem acabaria por ser
vítima
. Pratica ele ato repreensível, impedindo essa reprodução?

A não ser que você considere que o homem não tem solução, sendo nocivo às outras espécies e ao próprio homem. Mas pela construção da pergunta parece-me que Kardec não se referia ao controle de reprodução humano.

Eu: Novamente o amigo embarca na barca furada do sofisma.
Tece uma consideração específica partindo de um excerto quando a questão é mais abrangente.
Desfaz da doutrina quando pelo excerto feito, dá a ele uma conotação de questão unificada quando sabe que não o é.
sofismar é isso meu mano. Tentar, pelo jogo de palavras dá conotação de ser uma coisa quando na verdade não seja esta a coisa de referência logo uma tentativa de engodo.
Mas é muito boa essa colocação pois ela dá azo a que se fale de outra coisa e esta para os "bonzinhos de plantão" que advogam causa perdida de plano. Ouo seja o abate de animais.
A ci^}encia já comprocou que os gases emanados pelos animais, é um fator preponderante no crescimento do buraco na camada de ozônio. A doutrina já esclarece que os animais ajudam ao homem até mesmo na alimentação deste último.
Se não houver o abate criterioso, a população logo alcançará quantidade que irá retirar do próprio homem local para sua sobrevivência e como aumento no buraco da camada de ozônio a própria vida chegará a um ponto de não ser suportável ao homem.

Assim meu amigo, não lhe peço que mude mas por outra imploraria para que o amigo se despisse de tendencio0sismo e voltasse ao estudo destas questões como mero estudante, mas com a seriedade e gravidade que a doutrina merece ter de todos nos, assim disseram os Espíritos Superiores.
"Doutrina é coisa sagrada e deve ser estudada com a gravidade, seriedade e perseverança que merece"."Espírito A Verdade, Erasto, São Luiz).
Abração,
Moura
A resposta também não deixa dúvida para sofismos:

"...obstem ao desenvolvimento excessivo, quiçá perigoso, das
espécies animais e vegetais de que se alimentam."


E para não deixar dúvidas Kardec insiste, na pergunta imediatamente seguinte, encerrando o a assunto com a pergunta diretíssima:

694. Que se deve pensar dos usos, cujo efeito consiste em obstar à reprodução, para
satisfação da sensualidade?

“Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem é material.”



Não falamos de animais, mas é o que podemos usar como possível comparação nesse quesito, já que não podemos comparar com outra espécie.


Ola muita paz
Amigos Moura e New

Amigo Moura estamos de acordo nesse ponto, mas no seguinte tem este;

694. Que pensar dos usos que têm por fim deter a reprodução, com vistas à satisfação da sensualidade?

— Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem está imerso na matéria.

Quando me refiro que existe obstrução à reprodução, pelos anticoncepcionais , coloco a questão por este ponto bom Amigo, todos sabemos dos excessos, e sabemos no relacionamento sexual, se faz na maioria das vezes pela simples sensualidade , fora por completo do amor, e isso retira o sentido que qualquer meio traga para defesa da Familia. Ou seja o que quero dizer , que quando os meios economicos são fargéis, e se faz a proteção, afim de quem possa vir a nascer não entre num meio para sofrer à partida..Todo o casal que não tem meios para alimentar uma criança, deve fazê-lo e será um meio menor, mas não deixa de ser um erro, poruqe Deus sabe do que necessitamos e todos temos em conta mesmo que omisso de nóssó encarna quemn tem de encarnar e em determinado lar...
 Agora existemn aqueles que usam os meios para o sexo desregrado e nisso temos uma maioria  infelizmente, é puro estado de sensualidade e nada de amor.

Amigos espero ter feito compreender,, mas estou aberto a esclarecimentos...

Abração Mano Moura e New

Victor Passos
Ola muita paz
Amigos Moura e New

Amigo Moura estamos de acordo nesse ponto, mas no seguinte tem este;

694. Que pensar dos usos que têm por fim deter a reprodução, com vistas à satisfação da sensualidade?

— Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem está imerso na matéria.

Quando me refiro que existe obstrução à reprodução, pelos anticoncepcionais , coloco a questão por este ponto bom Amigo, todos sabemos dos excessos, e sabemos no relacionamento sexual, se faz na maioria das vezes pela simples sensualidade , fora por completo do amor, e isso retira o sentido que qualquer meio traga para defesa da Familia. Ou seja o que quero dizer , que quando os meios economicos são fargéis, e se faz a proteção, afim de quem possa vir a nascer não entre num meio para sofrer à partida..Todo o casal que não tem meios para alimentar uma criança, deve fazê-lo e será um meio menor, mas não deixa de ser um erro, poruqe Deus sabe do que necessitamos e todos temos em conta mesmo que omisso de nóssó encarna quemn tem de encarnar e em determinado lar...
 Agora existemn aqueles que usam os meios para o sexo desregrado e nisso temos uma maioria  infelizmente, é puro estado de sensualidade e nada de amor.

Manos Victor e New, respondo aos dois pois colocaram aq mesma pergunta "694".
Ora, aqui falamos de uma parte especialíssima, logol, exceção.
Se abordamos o assunto sob a regra geral, a 693.a exibe a resposta completa e que, caro New, não deixa brecha a sofismas, a não ser que a pessoa esteja querendo"vender gato por lebre"
No teor específico da pergunta 694, aludida por vocês a Espíritualidade Superior, abordando esta exceção ou parte especial, informa com a clareza necess´[aria.
volto a informar, trata-se de parte especial e que só visa a um núcleo, ou seja o dos sensualistas.
Mas devo também esclarecer que a sensualidade, fator gerador, em alguns Espíritos ainda mais materializados, do sensualismo, que é exatamente a exacerbação do conteúdo sensual ou de sensualidde que todos os Espíritos Encarnados neste mundo e no próximo ainda conterão, o foco da questão referida.
Ora pergunto eu, sabendo-se que vocês e eu ainda contemos um contingente de sensualidade a ser observado nesta romagem, por assim estarmos apetrechados nos fazemos sensualistas?
Vocês decidem!
abração,
Moura

Amigos espero ter feito compreender,, mas estou aberto a esclarecimentos...

Abração Mano Moura e New

Victor Passos
Moura, obrigado pela sentença, mas a recusarei.

Sempre se encontra aparentes brechas na "lei" para sofismos.



a) - Entretanto, há espécies de seres vivos, animais e plantas, cuja reprodução
indefinida seria nociva a outras espécies e das quais o próprio homem acabaria por ser
vítima
. Pratica ele ato repreensível, impedindo essa reprodução?

A não ser que você considere que o homem não tem solução, sendo nocivo às outras espécies e ao próprio homem. Mas pela construção da pergunta parece-me que Kardec não se referia ao controle de reprodução humano.

A resposta também não deixa dúvida para sofismos:

"...obstem ao desenvolvimento excessivo, quiçá perigoso, das
espécies animais e vegetais de que se alimentam."


E para não deixar dúvidas Kardec insiste, na pergunta imediatamente seguinte, encerrando o a assunto com a pergunta diretíssima:

694. Que se deve pensar dos usos, cujo efeito consiste em obstar à reprodução, para
satisfação da sensualidade?

“Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e quanto o homem é material.”



Não falamos de animais, mas é o que podemos usar como possível comparação nesse quesito, já que não podemos comparar com outra espécie.


Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 03 de Dezembro de 2010, 15:21
Ola Amigo Moura e companheiros

Na razão que me assiste , não podemos relativizar a inerência dos anticepcionais , como sendo abortivos, digam por planeamento, e proteção, por defesa da mulher ....ou outra sequência que sempre se coloca aquando das vasotemias ou fecho das trompas , mas tudo que vá contra a natureza é contrario aos preceitos Legitimos viventes, no entanto sendo sempre uma questão de mal menor..Não somos todos sensualistas, mas façam uma reflexão bem profunda da situação que envolve as almas encarnadas, onde em duas uniões existe uma separação e me digam que não está em crescendo...
Amiga fala de Joana refere-se a este texto;

Anti-conceptivos e planejamento familiar

Joanna de Ângelis (espírito)

Alegações ponderosas que merecem consideração vêm sendo arroladas para justificar-se a planificação familiar através do uso dos anti-conceptivos de variados tipos. São argumentos de caráter sociológico, ecológico, econômico, demográfico, considerando-se com maior vigor os fatores decorrentes das possibilidades de alimentação numa Terra ti da como semi -exaurida de recursos para nutrir aqueles que se multiplicam geometricamente com espantosa celeridade...

Entusiastas sugerem processos definitivos de impedimento procriativo, pela esterilização dos casais com dois filhos, sem maior exame da questão, no futuro, transformando o indivíduo e a sua função genética em simples máquina que somente deve ser acionada para o prazer, nem sempre capaz de propiciar bem-estar e harmonia.

Sem dúvida, estamos diante de um problema de alta magnitude, que deve ser. todavia, estudado à luz do Evangelho e não por meios dos complexos cálculos frios da precipitação materialista.

O homem pode e deve programar a família que deseja e lhe convém ter: número de filhos, período propício para a maternidade, nunca, porém, se eximirá aos imperiosos resgates a que faz jus, tendo em vista o seu próprio passado.

Melhor usar o anti-conceptivo do que abortar.

Os filhos, porém, não são realizações fortuitas, decorrentes de circunstancias secundárias, na vida. Procedem de compromissos aceitos antes da reencarnação pelos futuros progenitores, de modo a edificarem a família de que necessitam para a própria evolução.  lhes lícito adiar a recepção de Espíritos que lhes são vinculados, impossibilitando mesmo que se reencarnem por seu intermédio.

Irrisão, porém, porquanto as Soberanas Leis da Vida dispõem de meios para fazer que aqueles rejeitados venham por outros processos à porta dos seus devedores ou credores, em circunstancias quiçá mui dolorosas, complicadas pela irresponsabilidade desses cônjuges que ajam com leviandade, em flagrante desconsideração aos códigos divinos.

Assevera-se que procriar sem poder educar, ter filhos sem recursos para cuidá-los, aumentando, incessantemente, a população da Terra, representa condená-los à miséria e a sociedade do futuro a destino inditoso...

Ainda aí o argumento se reveste do sofisma materialista, que um dia inspirou Malthus na sua conceituação lamentável e no não menos infeliz néo-malthusianismo que adveio posteriormente...

Ninguém pode formular uma perfeita visão do porvir para a Humanidade, e os futurólogos que aí se encontram têm estado confundidos pelas próprias apreensões, nas surpresas decorrentes da sucessão dos acontecimentos ainda nos seus dias...

A cada instante recursos novos e novas soluções são encontrados para os problemas humanos.

Escasso, porém, é o amor nos corações, cuja ausência fomenta a fome de fraternidade, de afeição e de misericórdia, responsável pelas misérias que se multiplicam em toda parte.

Não desejamos aqui reportar-nos às guerras de extermínio, que o próprio homem tem engendrado e de que se utiliza a Divindade para manter o equilíbrio demográfico, nem tão pouco às calamidades sísmicas que irrompem cada dia voluptuosas, convidando a salutares reflexões.

Quando um filho enriquece um lar, traz com ele os valores indispensáveis à própria evolução, intrínseca e extrinsecamente.

A cautela de que se utilizam alguns pais, aguardando comodidade financeira para pensar na progenitura, nem sempre é válida, graças às próprias vicissitudes que conduzem uns à ruína econômica e outros à abastança por meios imprevisíveis.

A programação da família não pode ser resultado da opinião genérica dos demógrafos assustados, mas fruto do diálogo franco e ponderado dos próprios cônjuges, que assumem a responsabilidade pelas atitudes de que darão conta.

O uso dos anti-conceptivos como a implantação no útero de dispositivos anticoncepcionais, mesmo quando considerado legal, higiênico, necessita possuir caráter moral, a fim de se evitarem danos de variada conseqüência ética.

A chamada necessidade do `'amor livre" vem impondo o uso desordenado dos anovulatórios, de certo modo favorecendo a libertinagem humana, a degenerescência dos costumes, a desorganização moral, e, conseqüentemente, social dos homens, que se tornam vulneráveis à delinqüência, à violência e às múltiplas frustrações que ora infelicitam verdadeiras multidões que transitam inermes e hebetadas, arrojando-se aos abusos alucinógenos, à loucura, ao suicídio...

Experiências de laboratório com roedores, aos quais se permitem a procriação incessante, hão demonstrado que a superpopulação em espaços exíguos os alucina e os incapacita...Daí defluem, apressados, que o mesmo se vem dando com o homem, para justificarem a falência dos valores éticos, e utilizando-se da observação a fim de fomentarem a necessidade de impedir-se a natalidade espontânea... Em realidade, porém, os fatos demonstram que, com o homem, o fenômeno não é análogo.

Quando os recursos do Evangelho forem realmente utilizados, a pacificação e a concórdia dominarão os corações...

Antes das deliberações finalistas quanto à utilização deste ou daquele recurso anti-conceptivo, no falso pressuposto de diminuir a densidade de habitantes, no mundo, recorre ao Evangelho, ora e medita.

Deus tudo provê, sem dúvida, utilizando o próprio homem para tais fins.

Em toda parte na Criação vigem as leis do equilíbrio, particularmente do equilíbrio biológico.

Olha em derredor e concordarás.

Os animais multiplicam-se, as espécies surgem ou desaparecem por impositivos evolutivos, naturais.

Muitas espécies ora extintas sofreram a sanha do homem desarvorado. Mas a ordem divina sempre programou com sabedoria a reprodução e o desaparecimento automático.

O fantasma da fome de que se fala, mesmo quando a Terra não possuía super-população, como as pestes e as guerras dizimou no passado cidades, países inteiros.

Conserva os códigos morais insculpidos no espírito e organiza tua família, confiante, entregando-te a Deus e porfiando no Bem, porquanto em última análise d'Ele tudo procede como atento Pai de todos nós.

Após a Tempestade – Psicografia de Divaldo Pereira Franco, pelo espírito de Joanna de Ângelis

Muita paz e harmonia

Abraçao Amigos

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 03 de Dezembro de 2010, 15:40
Desculpe-me meu mano e amigo Victor,
mas tenho comigo um lema. para se debater em caráter de doutrina há que ser usada apenas o que é de doutrina e como sabemos, Joanna não expressa  doutrina, mas sua opinião.
Isso não a faz uma mentirosa ou engodeira, contudo não poderia eu, como advogado, para dar um exemplo simplório, defender uma causa de Direito Civil, preceituando e seguindo o trâmite da processualística penal, não é mesmo?
é bem como diz certo Funk brazuca: "Ado ado, ado, cada um no seu quadrado", cada coisa cada ação, cada pensamento deve englobar e estar baseado na doutrina na qual vem disposto.
No caso dos anticoncepcionais já deixei aqui as definições de concepção alusivas a estes e aos abortivos. concordo como amigo na razão específica de que métodos abortivos tenha apenas um aspecto que  começa e se finda no perigo de morte à gestante. Única exclusão feita na DE.
Doutra feita seria crime nefando e covarde.
Sensuailidde é uma coisa, sensualismo é a exacerbação ou excesso desta e com fins definidos, sabemos.
ainda temos em nós a sensualidade que é o atrativo primeiro de qualquer relação, mas vemos que tal como o orgulho, tão mal conhecido  em nosso meio e por isso feito de espada criminosa ao progresso, se formos estudar no LE veremos que a citação dos Espíritos superiores nos avisa, que o orgulho PODE ser um meio de acelerar o progresso. Mas o que nos é passado no mais das vezes é que ele é o galho que se quebra e interrompe nosso progresso moral. isso também leva o mesmo advérbio "pode" acrescido do verbo ser, não é mesmo?
Abraço-o amigavelmente.
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: new em 03 de Dezembro de 2010, 15:46
Moura, quais obstáculos à reprodução vão ao encontro da Lei Natural?
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Gisella em 03 de Dezembro de 2010, 15:59
Amigo Victor...

Adoro os textos de Joanna de Angelis, pois além de elucidativos, nos trazem mensagens de conforto e abrem nossas mentes para mais pesquisas.

Por isso, de todo o texto da obra Após a Tempestade, tirei esses dois parágrafos que vêm bem a calhar com o meu sentimento.

A programação da família não pode ser resultado da opinião genérica dos demógrafos assustados, mas fruto do diálogo franco e ponderado dos próprios cônjuges, que assumem a responsabilidade pelas atitudes de que darão conta.

Quando os recursos do Evangelho forem realmente utilizados, a pacificação e a concórdia dominarão os corações...


Assumimos as nossas responsabilidades, inclusive de acordo com o nosso conhecimento. Não digo que não pensaríamos em vasectomia na época, mas com certeza pensaríamos muito mais se tivéssemos o conhecimento que temos hoje da DE.

E, como me disse uma amiga muito querida da cidade de Porto Alegre/RS: "se Deus achar que devo engravidar novamente (ela tem 4 filhos) eu vou ter, independente de tomar ou não anticoncepcional", e ela não fazia uso e hoje ela já é bisavó e não teve mais nenhum rebento seu...

Esse exemplo vem de acordo com o segundo parágrafo que eu assinalei: reconheço que temos uma fé do tamanho de um cisco, pois se ela fosse do tamanho de um "grão de mostarda", com certeza não necessitaríamos de tais meios.

Abraços fraternos

Gisella  ;)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 03 de Dezembro de 2010, 16:04
Todos aqueles que obstem indefinidamente a reprodução.
Quando falo indefinidamente, entenda-se pela vida inteira.
Isso serve para todos os casos mesmo que estes sejam apenas um.
Salvaguardando os casos em que a má formação orgânica possa trazer comprovado risco de morte á gestante.
Notem bem, tal fato não exime àqueles que tomem parte na ação de obstar nova gravidez, no caso acima relacionado, das penas cominadas pela Lei de Causa e Efeito, mas sim, são fatores de atenuação dessas mesmas penas.
Esta a resposta.
base, LE, ESE, RE. Ou seja: A doutrina. posto que enontramos nas obras relacionadas esta elucidação: "Deus julga pela intenção".
Abraços,
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Victor Passos em 03 de Dezembro de 2010, 16:28
Ola Amigo Moura e New e Gisela

Muita paz

Amigo, não sou contrario a leitura de outras Obras, mas por acso coloquei o texto para Gisela , pois ela falou nele...
Sou um defensor da Codificação, mas temos que ter tempero na razoabilidade, porque a evolução pode trazer muitas surpresas.

Mas vamos ao importante, após estudo mais reflexivo verifiquei que realmente os anticonpcecionais atuam antes da reencarnação do espirito, logo não existe projecção nefasta, sío realmente nos casos que focamos já.

Neste Item do LE;

336. Poderia acontecer que um corpo que deve nascer não encontrasse Espírito para encarnar-se nele?

— Deus proveria a isso. A criança, quando deve nascer para viver, tem sempre uma alma predestinada: nada é criado sem um desígnio.

Logo mesmo que haja obstrução à reprodução , Se estiver predestinado a nascer determinado espirito terá sempre a sua oportunidade.

Moura tiro o chapeu , pois estava a errar, agradeço ter trazido até mim maior lucidez, nesse aspeto.

Abraço fraterno

Muita paz

Victor Passos
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 03 de Dezembro de 2010, 16:43
Amigo Victor,
eu já tinha passado pela questão que o amigo mostra agora.
mas meu sistema aqui no fórum é provocar exatamente a ação que o amigo empreendeu, o que demonstra que o amigo é um dos poucos que mergulha nas obras básicas procurando a água pura.
Sinto-me recompensado  exatamente pelo que o amigo trás e assim sendo, aprendemos todos.
abração,
Moura
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: new em 03 de Dezembro de 2010, 17:09
Contracepção
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Controle de natalidade (português brasileiro) ou controlo de natalidade (português europeu) ou ainda contracepção é o regime de uma ou mais ações, dispositivos ou medicamentos de modo a prevenir ou reduzir a propensão de uma mulher se tornar grávida ou dar à luz. Estas ações, também conhecidas como métodos anticoncepcionais, são fundamentais hoje em dia para o planejamento familiar.."


http://pt.wikipedia.org/wiki/Contracep%C3%A7%C3%A3o


693. São contrários à lei da Natureza as leis e os costumes humanos que têm por
fim ou por efeito criar obstáculos à reprodução?


Ora, anticoncepcionais não tem por efeito criar obstáculos à reprodução?


Como diria Arnaldo: "A regra é clara!"
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mourarego em 03 de Dezembro de 2010, 17:42
Não.
Anticoncepcionais, inibem o processo de concepção.
A reprodução é ação que começa após a concepção.
Logo, vem depois e se esta não começa a regra que é clara, não incide contra o anticoncepcional.
Amigo, saia desta, já está demonstrado que apenas queres jogar conversa fora.
Pior ainda o tema deste tópico é Algemas do Preconceito Homossexual.
Onde os homo entram no caso dos anticoncepcionais, abortivos, contraceptivos etc e tal?
Dá um tempo mano! :)
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: new em 03 de Dezembro de 2010, 18:27
Perfeito Moura. Os Espíritos da codificação acabam de serem desmistificados por você.

Já que concepção e reprodução não fazem parte do mesmo processo, e que Kardec e os Espíritos   não se referiam ao sexo e a reprodução, já que se pode reproduzir sem concepção.


Tem tudo com o tema, que tem como centro a sexualidade, como debater algo sem buscar todas as referências possíveis?
Título: Re: AS ALGEMAS DO PRECONCEITO HOMOSSEXUAL
Enviado por: Mega em 30 de Agosto de 2013, 22:47

Peço desculpa, mas não me acredito que haja algum ESPÍRITA com letras grandes que seja homossexual, porque isso seria uma aberração, uma enorme contradição com os princípios da doutrina espírita.
Não é por aí que mudaremos o mundo para melhor!


O homossexual que é espirita tenta a todo custo superar essa frustação que sente em ser descriminado por sentimentos que nem sempre compreende. Esforça-se por modificar-se tentando contrariar esses impulsos na medida do possível.

Assim como o espirita que é orgulhoso tenta evitar situações em que alimente o seu ego, combatendo essa imperfeição.

Se não somos tolerantes com as opções sexuais de outrem, como ser com as opções religiosas, ideológicas, etc?

Amigo Jorge...mais ponderação é o que te aconselho.

Beijinhos
Gi


citando Gigii

"O homosexual que é espirita tenta a todo custo superar essa frustação que sente em ser descriminado por sentimentos que nem sempre compreende. Esforça-se por modificar-se tentando contrariar esses impulsos na medida do possível."

Será?? se for o caso, a doutrina esta deixando a desejar com esse indivíduo.

Se essa expressão viesse da fé cega que prega os adeptos da ressurreição, eu não aceitaria como válido, mas entenderia, afinal é e sempre foi sua forma de ver o assunto, mas na doutrina espírita?

Gigii:
"Se não somos tolerantes com as opções sexuais de outrem, como ser com as opções religiosas, ideológicas, etc?"

Você acha certo e necessário o uso da tolerância para com esses irmãos? Por que eles precisam ser "tolerados"?? Nossa! que triste.
E onde foi parar o amor, o respeito, a caridade?

Jesus não nos mandou escalar montanhas, apenas que nos amassemos.

Quanto ao Jorge, bom, esse definitivamente, não me parece um espírita, nem com letras pequenas.

Ainda bem que pensavam assim em 2008, muito tempo passou e acredito que não pensam mais desta forma.

Abraços fraternos
Título: Re: As algemas do preconceito homossexual
Enviado por: Confortipai em 31 de Agosto de 2013, 03:22
      Amigos,

      Em primeiro lugar, peço ao amigo(a) que, se bem compreendi, colocou observações contra o homossexual, que me perdoe, mas está completamente enganado em suas colocações.

      Nem vc, nem qualquer outro, tem comando sobre seu organismo físico (apenas, muito limitadamente, em alguns poucos aspectos relativos à saúde, por exemplo), como também não tem com relação ao corpo espiritual, para que consiga fazer que ele tenha ou deixe de ter inclinação homossexual, ou o que for, do mesmo modo que não o tem para conseguir que seja bom ou mau, inteligente ou néscio, egoísta ou solidário, orgulhoso ou humilde, potente ou impotente etc etc. 

      Aqui, o problema não está em ser ou não homossexual, em esconder esse fato, mas, exatamente, nos preconceitos dos homens, que a escola da vida os ensina a possuírem.

      Preconceitos, como se aqueles que tem a inclinação sexual desviada do que chamamos de natural ou normal, fossem responsáveis pela natureza que seu organismo tem.

      Os preconceitos, todos sabem, talvez atinjam a quase todos, não só esse citado, mas preconceitos em relação à cor e raça, à posição social, à condição econômica ou financeira, e, em particular, às crenças, religiões e doutrinas.

      Nestas sempre é bem pesado pois causou, e continua causando, até conflitos sangrentos, inclusive entre religiões de mesma origem.

      E embora, num falso gesto de condescendência as religiões afirmem que todos os caminhos levam a Deus, cada uma se julga a "única" certa, a depositária de toda a verdade, ou da maior dose de verdade.

      E suas interpretações sobre a vida e sobre tudo são tantas vezes, para muitos consideradas absurdas e, para outros, não. Basta lembrar que, enqto para determinadas religiões Deus é amor e perdão, para outras é ódio e vingança.

      Eqto tivermos preconceitos, dificilmente iremos compreender aquilo que devemos compreender para nossa evolução espiritual. Os preconceitos, de que natureza forem, são obstáculos colocados pela escola da vida, entre nós e Deus.
.............