Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Tópico iniciado por: monicarsb em 19 de Abril de 2010, 02:40

Título: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: monicarsb em 19 de Abril de 2010, 02:40
Recentemente ocorreu um fato que está me deixando muito intrigada.Estava eu sozinha,distraida quando tive uma forte impressão que tinha alguém ao meu lado. Não dei muita importância e continuei o que eu estava fazendo,quando derrepente senti uma forte "pegada" na altura de minha cintura.Instintivamnete dei um pulo,fique com o coração disparado totamente assustada e sem ação.Perplexa pois eu estava só.Por fim racionalizei que deveria ter sido apenas minha imaginação.Esqueci o assunto até aconteceu novamente.Estava tentando tirar um cochilo quando senti uma forte pegada no meu braço a ponto de eu levantar sobressaltada.É possível alguém sem o corpo matérial ,um espírito, causar sensações dessa natureza? ???
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Mourarego em 19 de Abril de 2010, 19:27
Recentemente ocorreu um fato que está me deixando muito intrigada.Estava eu sozinha,distraida quando tive uma forte impressão que tinha alguém ao meu lado. Não dei muita importância e continuei o que eu estava fazendo,quando derrepente senti uma forte "pegada" na altura de minha cintura.Instintivamnete dei um pulo,fique com o coração disparado totamente assustada e sem ação.Perplexa pois eu estava só.Por fim racionalizei que deveria ter sido apenas minha imaginação.Esqueci o assunto até aconteceu novamente.Estava tentando tirar um cochilo quando senti uma forte pegada no meu braço a ponto de eu levantar sobressaltada.É possível alguém sem o corpo matérial ,um espírito, causar sensações dessa natureza? ???

Para que tal fato aconteça há o Espírito de estar materializado em em estado de tangibilidade. Nesse estado se ele pode, como a kate King fez varias vezes, se deixar tocar, pode também empreender a ação do toque.
Note porém que isso não é fácil nem muito usual acontecer.
Abraços,
Moura
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Luzceano em 30 de Abril de 2010, 21:25
Sim
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: marcia rodrigues em 19 de Agosto de 2010, 21:31
Recentemente ocorreu um fato que está me deixando muito intrigada.Estava eu sozinha,distraida quando tive uma forte impressão que tinha alguém ao meu lado. Não dei muita importância e continuei o que eu estava fazendo,quando derrepente senti uma forte "pegada" na altura de minha cintura.Instintivamnete dei um pulo,fique com o coração disparado totamente assustada e sem ação.Perplexa pois eu estava só.Por fim racionalizei que deveria ter sido apenas minha imaginação.Esqueci o assunto até aconteceu novamente.Estava tentando tirar um cochilo quando senti uma forte pegada no meu braço a ponto de eu levantar sobressaltada.É possível alguém sem o corpo matérial ,um espírito, causar sensações dessa natureza? ???

Olá, fazem tres meses que meu esposo desencarnou, deixei-o bem e fiz uma viagem de 500 kilometros, quando cheguei a minha cidade de destino, 19 horas falei com ele pelo telefone, estava tudo bem.
por volta das 22:10hs senti alguem me tocar nas costas e um sentimento de preciso de ajuda, olhei para o lado e nao tinha ninguem, minha filha estava distante uns 8 metros, cheguei perguntar se tinha sido ela a me toca e ela respondeu que nao. No outro dia  por volta das 11:40 uma colega me ligou falando que meu esposo nao tinha ido trabalhar e que indo a minha residencia encontra-lo morto e pelo o que o medico constatou ele tinha morrido entre 22 e 23hs, ou seja ele veio me avisar que estava partindo desta vida. Hoje posso confirmar com certeza, eles podem sim nos tocas
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Mourarego em 20 de Agosto de 2010, 16:56
Amiga Marcia,
se a amiga for contabilizar as vezes que já tinha sentido antes esses toques por certo vai se espantar.
Essas sensações são amplamente sentidas por todos nós no decorrer do dia, contudo não apresentam uma ação de outro Espírito há uma carrada de fatores todos físicos que nos dão a sentir esta sensação.
Espíritos, não nos podem tocar, mesmo porque não são eles quem nos aparecem ou que se materializam mais sim o perispírito deles é que se expande, devido as capacidades de plasticidade e expansão que possuem.
Assim e vou dar com exemplo Kate King, quando ela se fazia sentir, era o perispírito dela que estava imerso  na vontade do Espírito e assim dava ao experimentador, tensão, batimento cardíaco , pulsação e calor corporal.
contudo isso não quer dizer que o senhor seu pai não possa ter estado perto de vocês que lhe formaram a familia carnal.  pois o amor familiar possibilita essas ações.
Um Espírito que nos ama, minha cara, não nos vem tocar e depois não se deixa ver, ele sabe que isso nos assustaria mais do que nos acalentaria a saudade.
Abraços,
Moura
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Da Rosa em 04 de Maio de 2012, 01:27
 Boa noite irmã.Vou dar uma resposta curta mas que representa bom entendimento:Sim,pois
sendo um ser imaterial ele pode tocar no que quiser,a diferença e ser ou não sentido esse toque.

Espero ter ajudado,Da Rosa ;)
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Mourarego em 04 de Maio de 2012, 15:35
na verdade a resposta seria não, rosa.
Sendo seres incorpóreos, não teriam mãos, logo não poderiam tocar a ninguém, o que eles fazem ou melhor, podem fazer, é impressionar a matéria de que somos formados, e assim transmitir uma sensação de toque.
Abraços,
Moura
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Danilo Henrique em 04 de Maio de 2012, 15:56
Boa noite irmã.Vou dar uma resposta curta mas que representa bom entendimento:Sim,pois
sendo um ser imaterial ele pode tocar no que quiser,a diferença e ser ou não sentido esse toque.

Espero ter ajudado,Da Rosa ;)


Norizonte, está mesmo correto dizer que os espíritos são seres imateriais?

Abraços?
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Mourarego em 04 de Maio de 2012, 15:59
Por isso mano Danilo,
em minha resposta fiz a correção escrevendo "incorpóreos", mas não falei nada.
abraços,
Moura
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 04 de Maio de 2012, 17:04
É possível alguém sem o corpo matérial ,um espírito, causar sensações dessa natureza? ???

Sim é possivel

É possivel mesmo estando invisível que é a forma natural dos espírtos para a nossa percepção, tornarem-se tangiveis...nos tocar, nos espurrar...
enfim!

Estas experiências mesmo que espontâneas nos deixam bem apreensíveis

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Mourarego em 04 de Maio de 2012, 17:08
Repare mano Moisés, que a pergunta é clara e só quer saber se é possível sem o corpo material..
nesse caso eles só podem impressionar a matéria ou seja, produzir uma ilusão de sensação de toque, mas não tocar visto a falta dos membros próprios ao caso.

Eis a pergunta: "É possível alguém sem o corpo matérial ,um espírito, causar sensações dessa natureza?"
Abraços,
Moura

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/faq-perguntas-frequentes/podem-os-espiritos-nos-tocar/?action=post;num_replies=9#ixzz1tuxv62FX
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 04 de Maio de 2012, 18:40
Repare mano Moisés, que a pergunta é clara e só quer saber se é possível sem o corpo material..
nesse caso eles só podem impressionar a matéria ou seja, produzir uma ilusão de sensação de toque, mas não tocar visto a falta dos membros próprios ao caso.

Eis a pergunta: "É possível alguém sem o corpo matérial ,um espírito, causar sensações dessa natureza?"
Abraços,
Moura


Moura sua colocação está correta, que duvidas!
mas não encerra a questão levantada
espírtos nos tocam, deixam marcas, nos esbofeteam.

Citar
Postangem da autora do Tópico;

.......Não dei muita importância e continuei o que eu estava fazendo,quando derrepente senti uma forte "pegada" na altura de minha cintura.Instintivamnete dei um pulo,fique com o coração disparado totamente assustada e sem ação.

..................

Moura

No o Livro dos Médiuns
há citações que;

nos dizem que
os espíritos provocam barulhos , sons aos nossos ouvidos, como no barulho provocado de louças de cozinha que são atiradas ao chão e esses barulhos são ouvidos mesmo sem terem derrubado louças algumas...vamos verificar e tudo está em ordem

Mas também há citações que apontam que eles agindo em nosso meio físico derrubam louças, abrem portas, e provocam contatos.

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Mourarego em 05 de Maio de 2012, 16:39
Moisés, meu mano,
tudo isso eles podem e fazem impressionando a matéria e sob rígidas regras e na confluência de todos os elementos de que necessitem para o caso.
A falta de um elemento somente frustra ao Espírito tais ações.
Mas tocar, mano, sem órgãos e meios para tal, que é o nosso tema, isso eles não podem.
Espíritos são seres incorpóreos ensina OLE.
Abraços,
Moura
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: dvince_br em 29 de Maio de 2014, 13:37
Amigos, bom dia. Pelo pouco que conheço, é necessário, para que ocorra uma manifestação deste porte a presença de médiuns que possam dar sustentação ao espírito, assim como Moisés ao jogar o seu cajado o transformou em uma serpente, para que o espírito possa fazer uma ação tem que ser auxiliado. Há casos de ações praticadas por espíritos, porém, como o Mourarego informa, "não em seu estado de intangibilidade". Seria o mesmo que querermos pegar uma fumaça, não a podemos segurar com as mãos, o mesmo acontecendo com os espíritos. Sem o corpo físico, fica mais difícil, O que vemos em filmes e ouvimos em estórias que o povo conta, há uma enorme diferença até a realidade. Sabemos apenas que estamos ainda engatinhando no conhecimento sobre o outro lado da vida. O homem, com o seu espírito aprisionado num corpo carnal, esquece do que sabe e o que pode fazer.

O perispírito é um dos produtos mais importantes do Fluido Cósmico Universal. Tanto o corpo carnal como o perispírito são matéria e derivam do fluido cósmico, mas a matéria de ambos se encontra em diferentes condições vibratórias, como diria André Luiz.

Suas características dependem do nível moral e espiritual alcançado por cada individualidade, pois é esta moralidade e espiritualidade alcançada em numerosas experiências reencarnatórias que funcionará como um foco de atração para este ou aquele elemento (átomo) da matéria espiritual, de sorte que o perispírito retratará sempre o nível espiritual de  espiritual de cada criatura.

 Portanto, o corpo espiritual ou perispírito tem uma forma para se constituir bem distinta do corpo físico. Enquanto que este é formado basicamente dos elementos carbono, oxigênio, hidrogênio e nitrogênio (constituintes básicos da matéria orgânica), os átomos espirituais que compõem o perispírito variam de acordo com sua evolução.
Abçs
Dvince_br
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Norizonte da Rosa em 29 de Maio de 2014, 15:35
Boa noite irmã.Vou dar uma resposta curta mas que representa bom entendimento:Sim,pois
sendo um ser imaterial ele pode tocar no que quiser,a diferença e ser ou não sentido esse toque.

Espero ter ajudado,Da Rosa ;)


Era outro Da Rosa Danilo! ;D

Norizonte, está mesmo correto dizer que os espíritos são seres imateriais?

Abraços?
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: jocellito em 29 de Maio de 2014, 16:28
Boa tarde !!!
Desculpe-me pela retificação.
Os espíritos podem sim tocar nossa matéria, porém, não estando totalmente desmaterializados, pois há a necessidade da ação do fluido cósmico universal ( perispírito ) para que haja essa possibilidade; eis o sentido das materializações menos ou mais intensas.
Também não devemos conceituar os espíritos que se comunicam conosco, seres imateriais, pois os espíritos puros, estão em mundos mais distantes de nossa frequência, agindo em mundos mais elevados, menos densos, menos materializados.
A grande maioria, senão todos espíritos que se comunicam conosco, são seres em evolução, portanto, possuem ainda que em pequena parte, suas porções mateiriais ( perispírito ).
Enfim, o imaterial necessita de matéria intermediária ( menos densas ) para se comunicarem, ainda que em toque, com seres materiais.

Isso é assim para mim; e para você?
Paz e luz á todos !!!

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 30 de Maio de 2014, 20:01


O Perispírito não pode tocar nem a si mesmo:


"Aquela perturbação apresenta circunstâncias especiais, de acordo com os caracteres dos indivíduos e, principalmente, com o gênero de morte. Nos casos de morte violenta, por suicídio, suplício, acidente, apoplexia, ferimentos, etc., o Espírito fica surpreendido,
espantado e não acredita estar morto. Obstinadamente sustenta que não o está. No entanto, vê o seu próprio corpo, reconhece que esse corpo é seu, mas não compreende que se ache separado dele. Acerca-se das pessoas a quem estima, fala-lhes e não percebe por que elas não o ouvem. Semelhante ilusão se prolonga até ao completo desprendimento do perispírito. Só então o Espírito se reconhece como tal e compreende que não pertence mais ao número dos vivos. Este fenômeno se explica facilmente. Surpreendido de improviso pela morte, o Espírito fica atordoado com a brusca mudança que nele se operou; considera ainda a morte como sinônimo de destruição, de aniquilamento. Ora, porque pensa, vê, ouve, tem a sensação de não estar morto. Mais lhe aumenta a ilusão o fato de se ver com um corpo semelhante, na forma, ao precedente, mas cuja natureza etérea ainda não teve tempo de estudar. Julga-o sólido e compacto como o primeiro e, quando se lhe chama a atenção para esse ponto, admira-se de não poder palpá-lo".

                                                                                    (OLE)


Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 30 de Maio de 2014, 21:09


O Perispírito não pode tocar nem a si mesmo:


"Aquela perturbação apresenta circunstâncias especiais, de acordo com os caracteres dos indivíduos e, principalmente, com o gênero de morte. Nos casos de morte violenta, por suicídio, suplício, acidente, apoplexia, ferimentos, etc., o Espírito fica surpreendido,
espantado e não acredita estar morto. Obstinadamente sustenta que não o está. No entanto, vê o seu próprio corpo, reconhece que esse corpo é seu, mas não compreende que se ache separado dele. Acerca-se das pessoas a quem estima, fala-lhes e não percebe por que elas não o ouvem. Semelhante ilusão se prolonga até ao completo desprendimento do perispírito. Só então o Espírito se reconhece como tal e compreende que não pertence mais ao número dos vivos. Este fenômeno se explica facilmente. Surpreendido de improviso pela morte, o Espírito fica atordoado com a brusca mudança que nele se operou; considera ainda a morte como sinônimo de destruição, de aniquilamento. Ora, porque pensa, vê, ouve, tem a sensação de não estar morto. Mais lhe aumenta a ilusão o fato de se ver com um corpo semelhante, na forma, ao precedente, mas cuja natureza etérea ainda não teve tempo de estudar. Julga-o sólido e compacto como o primeiro e, quando se lhe chama a atenção para esse ponto, admira-se de não poder palpá-lo".

                                                                                    (OLE)




Amigo, essa comunicação trata de casos de mortes violentas, ou seja, casos especiais, dos quais não podemos emitir conclusões gerais. O espírito está em um estado de perturbação, ou seja, não está em seu estado normal.

E ai também não está falando que os espíritos não podem tocar seu perispírito. Diz respeito apenas ao corpo que ficou no chão.


Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 30 de Maio de 2014, 21:12
Os espíritos, se Deus permitir, não apenas podem nos tocar, como também podem até mesmo entortar um dedo de um encarnado.



Revista Espírita 1863 » Agosto » Ação material dos Espíritos sobre o organismo


O fato seguinte nos foi transmitido pelo Sr. A. Superchi, de Parma, membro honorário da Sociedade Espírita de Paris.

 

“Em nossa sessão de 23 de abril último, fiz o médium pôr a mão sobre o papel, sem evocar nenhum Espírito. Logo que a mão começou a se mover, ele sentiu uma força estranha que o obrigou a manter o indicador levantado e duro, numa posição absolutamente anormal. O dedo estava singularmente frio. Não me podendo dar a razão para tal originalidade, pedi a explicação ao Espírito. Respondeu: ‘Esquecido que sois! Não vos lembrais daquele que, em vida, assim escrevia? Endureci este dedo para dar uma prova de nossa autenticidade e de nosso poder.’ Era o Espírito de um irmão do médium, falecido há mais de vinte anos, em Florença. Ele tinha ferido o dedo ao quebrar uma garrafa, quando derramava o seu conteúdo, de tal modo que o dedo ficou anquilosado. Anexo, um desenho representando a posição da mão do médium.

“Um outro médium, despeitado por uma mistificação, aliás merecida, esforçava-se por provar que os fenômenos provinham do nosso próprio Espírito, concentrado não sei como. Um dia, conversando, tomou maquinalmente um lápis para desenhar algumas linhas, brincando, mas a mão ficou imóvel, malgrado todos os esforços para servir-se dela. Por fim, pôs-se em movimento e escreveu: ‘Quando eu não quiser, jamais poderás escrever coisa alguma.’ Surpreendido, mas ao mesmo tempo ferido no amor-próprio, retomou o lápis, dizendo que não queria escrever e que veria se esse suposto Espírito teria poder de obrigá-lo. Malgrado sua resolução, a mão moveu-se rapidamente e escreveu: ‘Quando eu quiser, não poderás deixar de escrever.’”

 

Nos dois casos acima, a ação do Espírito sobre os órgãos é, como se vê, inteiramente independente da vontade. Desde logo concebe-se que ela pode ocorrer espontaneamente, abstração feita de qualquer noção do Espiritismo. Com efeito, é o que provam muitas observações. Aqui ela ocorre num dedo, ali será sobre outro órgão, e poderá traduzir-se por outros efeitos. Temporária nesta circunstância, a ação poderia ter uma certa duração e apresentar uma aparência patológica, na realidade inexistente, e contra a qual seria improfícua a terapêutica ordinária.

Considerado do ponto de vista das manifestações espíritas, esse fenômeno oferece uma notável prova de identidade. O Espírito, na condição de Espírito, incontestavelmente não tem o dedo anquilosado; mas a um vidente ele se teria apresentado com tal enfermidade, para ser reconhecido; ao que não era vidente, comunica temporariamente a sua enfermidade. Ainda aqui está a prova de que o Espírito se identifica com o médium e se serve do corpo dele como se fora o seu próprio. Seja esta ação produzida por um Espírito malévolo, que adquira uma certa duração, que afete formas mais características e excêntricas, e ter-se-á a explicação da maioria dos casos de subjugação corporal, que tomam como loucura.

O fato seguinte, de natureza análoga, foi relatado por um membro da Sociedade de Paris, que o testemunhou numa cidade provinciana. Diz ele:

 

“Vi uma médium muito original. É uma senhora ainda moça, que pede ao seu Espírito familiar lhe paralise, por exemplo, a língua, e logo não pode falar senão à maneira de um mudo que se esforça para se fazer compreendido. A seu pedido, ele faz a mão aderir à outra, de modo que é impossível separá-las. Ele a prega numa cadeira, até que ela lhe peça para devolver-lhe a liberdade. Pedi ao Espírito que a adormecesse instantaneamente, e ele o fez: A médium adormeceu imediatamente, na primeira vez, sem auxílio de ninguém. Foi nesse estado que julguei reconhecer a natureza desse Espírito, que me pareceu obsessor, pois quando a senhora sofria, ou, ao menos, ficava muito agitada durante o sono, se eu lhe quisesse fazer uns passes magnéticos para acalmá-la, o Espírito a levava a me repelir duramente. Aconselhei à senhora a não repetir as experiências com muita frequência.”

 

Quanto a nós, aconselhamos abster-se totalmente, porque ele poderia pregar-lhe uma peça. É evidente que um bom Espírito não se presta a semelhantes coisas. Delas fazer um jogo é pôr-se voluntariamente sob funesta dependência, moral e fisicamente, e só Deus sabe onde isto iria parar. Poderia resultar-lhe qualquer subjugação terrível, da qual lhe seria muito difícil, senão impossível, ver-se livre. Já é bastante que tais acidentes ocorram espontaneamente, sem dar lugar a um prazer e apenas para satisfazer a uma vã curiosidade.

Tais experiências não têm qualquer utilidade para o melhoramento moral, e podem acarretar os mais graves inconvenientes. Depois, culpariam o Espiritismo, quando só deveriam acusar a imprevidência ou o orgulho dos que se julgam capazes de manejar os maus Espíritos à sua vontade. Jamais os desafiamos impunemente.

Não afirmamos que o Espírito em questão seja fundamentalmente mau. Mas o que é certo é que não pode ser adiantado, nem mesmo fundamentalmente bom, e que é sempre perigoso submeter-se a tal domínio, cujo menor inconveniente seria a neutralização do livre-arbítrio. Dando acesso aos Espíritos dessa espécie, fica-se penetrado de seus fluidos, necessariamente refratários às influências dos bons Espíritos, que se afastam, se não nos esforçamos para atraí-los, buscando no Espiritismo os meios de nos melhorarmos.

Uma vez penetrado por um fluido maléfico, o perispírito é como uma vestimenta impregnada de odor acre, que os mais deliciosos perfumes não podem fazer desaparecer.

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 31 de Maio de 2014, 17:29

Amigo, essa comunicação trata de casos de mortes violentas, ou seja, casos especiais, dos quais não podemos emitir conclusões gerais. O espírito está em um estado de perturbação, ou seja, não está em seu estado normal.

E ai também não está falando que os espíritos não podem tocar seu perispírito. Diz respeito apenas ao corpo que ficou no chão.


A natureza do desencarne não influi sobre a natureza do Perispírito.

E o que se lê no parágrafo diz respeito ao Perispírito.


Ora, porque pensa, vê, ouve, tem a sensação de não estar morto. Mais lhe aumenta a ilusão o fato de se ver com um corpo semelhante, na forma, ao precedente, mas cuja natureza etérea ainda não teve tempo de estudar. Julga-o sólido e compacto como o primeiro e, quando se lhe chama a atenção para esse ponto, admira-se de não poder palpá-lo".

                                                                                                                         (OLE)

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 31 de Maio de 2014, 17:38

Amigo, essa comunicação trata de casos de mortes violentas, ou seja, casos especiais, dos quais não podemos emitir conclusões gerais. O espírito está em um estado de perturbação, ou seja, não está em seu estado normal.

E ai também não está falando que os espíritos não podem tocar seu perispírito. Diz respeito apenas ao corpo que ficou no chão.


A natureza do desencarne não influi sobre a natureza do Perispírito.

E o que se lê no parágrafo diz respeito ao Perispírito.


Ora, porque pensa, vê, ouve, tem a sensação de não estar morto. Mais lhe aumenta a ilusão o fato de se ver com um corpo semelhante, na forma, ao precedente, mas cuja natureza etérea ainda não teve tempo de estudar. Julga-o sólido e compacto como o primeiro e, quando se lhe chama a atenção para esse ponto, admira-se de não poder palpá-lo".

                                                                                                                         (OLE)



Prezado, está falando do perispírito, mas quando diz que o desencarnado admira-se de não poder palpa-lo, se refere ao corpo que ficou estendido no chão.

"Julga-o sólido e compacto como o primeiro e, quando se lhe chama a atenção para esse ponto, admira-se de não poder palpá-lo."



Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 31 de Maio de 2014, 18:05

Prezado, está falando do perispírito, mas quando diz que o desencarnado admira-se de não poder palpa-lo, se refere ao corpo que ficou estendido no chão.

"Julga-o sólido e compacto como o primeiro e, quando se lhe chama a atenção para esse ponto, admira-se de não poder palpá-lo."


Qual o corpo que o Espírito recem-desencarnado julga sólido e compacto?

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 31 de Maio de 2014, 18:34
Ok, Hudson.

Se esta oração diz respeito ao perispírito, ou seja, que nem mesmo o espírito pode tocar em seu perispírito, vamos ter que reescrever toda a doutrina para entender o que foi dito sobre os fluidos espirituais.


Amigo, eu não vou nem mesmo me dar ao trabalho de buscar textos para confirmar isso. Deixou ao interesse do amigo a busca pela resposta, por se tratar de um assunto tão básico na doutrina.


HL



Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 31 de Maio de 2014, 18:39
"Ora, porque pensa, vê, ouve, tem a sensação de não estar morto. Mais lhe aumenta a ilusão o fato de se ver com um corpo semelhante, na forma, ao precedente, mas cuja natureza etérea ainda não teve tempo de estudar. Julga-o sólido e compacto como o primeiro e, quando se lhe chama a atenção para esse ponto, admira-se de não poder palpá-lo".


Como é que o desencarnado pode julgar esse novo corpo sólido e compacto se não pode toca-lo?

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Arthur BR em 31 de Maio de 2014, 19:51
A lógica me diz que se possível for os espíritos nos tocarem, eles tbm serão capazes de nos atingir com qq. coisa material. Portanto espíritos desafetos se serviriam desse expediente para nos agredirem e poderiam, mais simplesmente, nos darem uma surra física.

Paz e luz.
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 31 de Maio de 2014, 20:35
A lógica me diz que se possível for os espíritos nos tocarem, eles tbm serão capazes de nos atingir com qq. coisa material. Portanto espíritos desafetos se serviriam desse expediente para nos agredirem e poderiam, mais simplesmente, nos darem uma surra física.

Paz e luz.

Isso só acontece em circunstâncias especiais, caro Arthur, e sempre  com o consentimento de um espírito superior. Ou seja, nunca que um espírito será capaz de nos atingir com algo de material, ou nos dar uma surra, porque eles precisam da permissão de espíritos superiores.

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Kazaoka em 31 de Maio de 2014, 21:24
Tanto o corpo físico como o perispírito são constituídos de um mesmo princípio que é o precedente de todo universo material. Sabemos que tudo que há em termos materiais é constituído por átomos. Quanto maior a concentração dos átomos mais densa e, portanto, mais perceptível pelos órgãos dos sentidos humanos serão estes corpos.

No universo material que fazemos parte, percebemos um gradiente de estado da matéria que vai da mais densa, como os minerais rochosos, até as mais sutis, como o vapor d'água e o ar. Assim, passamos as mãos pelo vapor e quase não o sentimos, a não ser pelo seu calor que experimentamos devido a sensibilidade térmica ou pelas gotículas que condensam sobre nossa pele. Isso acontece porque a matéria do vapor d'água ou o ar estão num estado tão rarefeito que fogem para a periferia do nosso campo de sensibilidade física de tais elementos.

Na tessitura do corpo espiritual acontece fato análogo; o perispírito é constituído de uma matéria tão rarefeita que, além de não ser perceptível pelos nossos órgãos de sensibilidade física, ele consegue traspassar pela porosidade da matéria densa como o ar traspassa um elemento filtrante, ou como a água traspassa ou incorpora-se às porosidades de uma esponja.
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 31 de Maio de 2014, 21:41

Na tessitura do corpo espiritual acontece fato análogo; o perispírito é constituído de uma matéria tão rarefeita que, além de não ser perceptível pelos nossos órgãos de sensibilidade física, ele consegue traspassar pela porosidade da matéria densa como o ar traspassa um elemento filtrante, ou como a água traspassa ou incorpora-se às porosidades de uma esponja.

Eu concordo, Kaza, mas é preciso acrescentar que o perispírito pode assumir dois estados distintos, o de eterização, como o amigo disse, e o de tangibilidade, ou seja, ele pode se tornar tão material e tangível a ponto de ser confundido com um ser humano vivo, podendo até mesmo ser tocado e apalpado por alguns instantes, como nos casos dos agêneres. Contudo, isso só acontece em determinadas circunstâncias. São circunstancias especiais porque, penso eu, os espíritos, que se julgam vivos, não sabem como o fazem, eles apenas acreditam que estão vivos.

Como, por exemplo, um espírito pode se tornar tangível sem de fato acreditar está vivo? É uma condição bastante especial e muito difícil de reproduzir, caso o espírito não tenha a consciência de está vivo. Isso não significa que os espíritos superiores não consigam realizar o mesmo efeito.

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Kazaoka em 31 de Maio de 2014, 21:55
Considerando nossos sentidos, o estado etéreo é o natural do perispírito e o de tangibilidade é o excepcional. Quer dizer, para o primeiro caso não há esforço e, para o segundo, depende de fatores e circunstâncias especiais. É como acontece com o homem (Espírito encarnado), quando se coloca em comunicação ou comunhão com os Espíritos. No caso do homem é necessário, no mínimo, um estado de concentração ou torpor da matéria densa para que as percepções de natureza espiritual fiquem mais claras. De lá para cá o processo é o inverso disso.
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 31 de Maio de 2014, 22:14
"Ora, porque pensa, vê, ouve, tem a sensação de não estar morto. Mais lhe aumenta a ilusão o fato de se ver com um corpo semelhante, na forma, ao precedente, mas cuja natureza etérea ainda não teve tempo de estudar. Julga-o sólido e compacto como o primeiro e, quando se lhe chama a atenção para esse ponto, admira-se de não poder palpá-lo".


Como é que o desencarnado pode julgar esse novo corpo sólido e compacto se não pode toca-lo?


Não fui quem escreveu o que está na Doutrina Espírita, Sr. HamLacerda.

Mas acredito que se foram os Espíritos Superiores que a ditaram segue-se que o que lá está é a expressão da verdade.

Ora, o fato de um Espírito recem-desencarnado julgar (pensar, iludir-se) que ainda tem um corpo sólido é que lhe causa estranheza, admiração de não poder palpá-lo quando lhe chamam a atenção para esse fato.

Um Espírito recem-desencarnado julga-se (pensa, ilude-se) acerca de seu estado geral justamente por ainda estar em perturbação, por não estar ainda consciente de seu novo estado.


Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 31 de Maio de 2014, 22:23
"Ora, porque pensa, vê, ouve, tem a sensação de não estar morto. Mais lhe aumenta a ilusão o fato de se ver com um corpo semelhante, na forma, ao precedente, mas cuja natureza etérea ainda não teve tempo de estudar. Julga-o sólido e compacto como o primeiro e, quando se lhe chama a atenção para esse ponto, admira-se de não poder palpá-lo".


Como é que o desencarnado pode julgar esse novo corpo sólido e compacto se não pode toca-lo?


Não fui quem escreveu o que está na Doutrina Espírita, Sr. HamLacerda.

Mas acredito que se foram os Espíritos Superiores que a ditaram segue-se que o que lá está é a expressão da verdade.

Ora, o fato de um Espírito recem-desencarnado julgar (pensar, iludir-se) que ainda tem um corpo sólido é que lhe causa estranheza, admiração de não poder palpá-lo quando lhe chamam a atenção para esse fato.

Um Espírito recem-desencarnado julga-se (pensa, ilude-se) acerca de seu estado geral justamente por ainda estar em perturbação, por não estar ainda consciente de seu novo estado.




Acontece Hudson, que para essa interpretação ser uma expressão da verdade dos espíritos, ela deveria ser totalmente lógica e coerente com as demais informações dadas pelos espíritos. E ela não passa no teste básico dos fluidos espirituais.



Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 31 de Maio de 2014, 22:32
Considerando nossos sentidos, o estado etéreo é o natural do perispírito e o de tangibilidade é o excepcional. Quer dizer, para o primeiro caso não há esforço e, para o segundo, depende de fatores e circunstâncias especiais. É como acontece com o homem (Espírito encarnado), quando se coloca em comunicação ou comunhão com os Espíritos. No caso do homem é necessário, no mínimo, um estado de concentração ou torpor da matéria densa para que as percepções de natureza espiritual fiquem mais claras. De lá para cá o processo é o inverso disso.


Penso que seja isso também, e por isso que esses casos são bastantes raros e muito difíceis de acontecer. No caso do dedo anquilosado, por exemplo, do texto acima, o espírito, em vida, tinha o dedo anquilosado. Quando acontece tem um fim providencial e está sempre sobre a supervisão de um espírito superior, logo, nunca vamos ouvir que um espírito tirou a vida de um encarnado.

Tapas, abraços e apertos de mãos, isso, acredito eu, não é tão raro, porque eu mesmo já senti ser tocado algumas vezes, em condições também especiais, e muitos amigos também, mas deve existir um limite onde não é permitido aos espíritos fazer qualquer mal físicos - externo - aos encarnados, como no caso do dedo anquilosado, do texto anterior, que foi permitido com um fim de instrução.


Mas, eu penso, que nestes casos, como do dedo anquilosado, essas ações são sempre internas, ou seja, o espírito tem que identificar com o encarnado para conseguir lhe tocar, assim como acontece com os médiuns, pois o encarnado, embora sente o toque como se fosse do corpo de outra pessoa,  está sentindo um toque do seu próprio corpo. O espírito, quando dá um abraço, por exemplo, está usando o corpo da pessoa que recebe a ação, o encarnado.

Mas existe também os casos de tangibilidade, onde o espírito condensa seu perispírito e pode tocar ou ser tocado, como nos casos produzidas pelo Sr. Home, William Crookes, e muitos outros.

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 31 de Maio de 2014, 22:39
Por falar no Sr. Home...


Revista Espírita 1859 » Fevereiro » Os agêneres


Por várias vezes demos a teoria das aparições. Em nosso número passado recordamo-la a propósito dos estranhos fenômenos então relatados. Relembramo-la aos nossos leitores, para melhor compreensão do que se segue.

Todos sabem que no número das mais extraordinárias manifestações produzidas pelo Sr. Home estava o aparecimento de mãos perfeitamente tangíveis, que todos podiam ver e apalpar; que apertavam em cumprimento e que, de repente, ofereciam o vazio quando as queriam pegar de surpresa. É um fato positivo, produzido em diversas circunstâncias, atestado por numerosas testemunhas oculares. Por mais estranho e anormal que pareça, cessa o maravilhoso desde o momento em que é possível dar-lhe uma explicação lógica. Então entra na categoria dos fenômenos naturais, muito embora de uma ordem completamente diversa daqueles que se produzem aos nossos olhos e com os quais não os devemos confundir.



O texto é longo, quem quiser estudar o assunto, segue o link.

http://www.ipeak.com.br/site/busca_janela_conteudo.php?sec=roteiro&id=1171&idioma=1


Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 31 de Maio de 2014, 23:16
De forma mais direta, sem nenhuma ambiguidade:



Instruções Práticas sobre as Manifestações Espíritas » Capítulo II – Das manifestações Espíritas – Ação oculta » Manifestações aparentes

[...]

Em certos casos a aparição se torna tangível, isto é, adquire momentaneamente e sob o império de certas circunstâncias, as propriedades da matéria sólida. Então não é mais pelos olhos que constatamos a realidade, mas pelo tacto. Se se pudesse atribuir à ilusão ou a uma espécie de fascinação a aparição apenas visual, a dúvida já não seria permissí­vel quando se pode tocar, pegar e apalpar, quando ela mesma nos agarra e nos abraça[2].






Instruções Práticas sobre as Manifestações Espíritas » Capítulo II – Das manifestações Espíritas – Ação oculta » Manifestações aparentes

24ª Os Espíritos que aparecem são sempre inapreensíveis e imperceptíveis ao tato?

"Em seu estado normal, são inapreensíveis, como num sonho. Entretanto, podem tornar-se capazes de produzir impressão ao tato, de deixar vestígios de sua presença e até, em certos casos, de tornar-se momentaneamente tangíveis, o que prova haver matéria entre vós e eles."



Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 01 de Junho de 2014, 02:38

Acontece Hudson, que para essa interpretação ser uma expressão da verdade dos espíritos, ela deveria ser totalmente lógica e coerente com as demais informações dadas pelos espíritos. E ela não passa no teste básico dos fluidos espirituais.



Em primeiro lugar não se trata de uma interpretação, mesmo porque o texto é claro.

E, em segundo lugar, as explicações que os Espíritos nos dão acerca dos Fluídos é, segundo eles mesmos, superficiais, pois que não teríamos condições de compreender uma exposição aprofundada e exata sobre os mesmos.

Note-se que nem mesmo há uma nomenclatura exata para definir as diferentes condições em que os Fluídos se apresentam. Ora falam em Fluídos, Princípios, Elementos, e utilizam esses nomes indistintamente para se referir ao Princípio Vital, Princípio Inteligente, Princípio Material, Perispírito, etc...

Veja-se pelo Livro dos Médiuns:

"Por ocasião da morte, despoja-se deste, porém não do outro, a que damos o nome de  perispírito.
Esse invólucro semimaterial, que tem a forma humana, constitui para o Espírito um corpo fluídico, vaporoso, mas que, pelo fato de nos ser invisível no seu estado normal, não deixa de ter algumas das propriedades da matéria".

"Não conhecemos a natureza íntima do perispírito. Suponhamo-lo, todavia, formado de matéria elétrica, ou de outra tão sutil quanto esta: por que, quando dirigido por uma vontade, não teria propriedade idêntica à daquela matéria?"

"há no homem três componentes: 1º, a alma, ou Espírito, princípio inteligente, onde tem sua sede o senso moral; 2º, o corpo, invólucro grosseiro, material, de que ele se revestiu temporariamente, em cumprimento de certos desígnios providenciais; 3º, o perispírito, envoltório fluídico, semimaterial, que serve de ligação entre a alma e o corpo".

"O outro se desliga deste e acompanha a alma que, assim, fica sempre com um envoltório. Este último, ainda que fluídico, etéreo, vaporoso, invisível, para nós, em seu estado normal, não deixa de ser matéria, embora até ao presente não tenhamos podido assenhorear-nos dela e submetê-la à análise".

                                                                                                                           (OLM)


Assim só nos resta seguir o sábio conselhos de Kardec:

"Assim, Espíritos, que podemos considerar adiantados, ainda não conseguiram sondar a natureza da alma. Como poderíamos nós fazê-lo? E, portanto, perder tempo querer perscrutar o principio das coisas que, como foi dito em  O Livro dos Espíritos".

                                                                                                                             (OLM)


Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 01 de Junho de 2014, 03:12
Citação de: Hudson Santiago link=topic=24086.msg358903#msg358903

Em primeiro lugar não se trata de uma interpretação, mesmo porque o texto é claro.

E, em segundo lugar, as explicações que os Espíritos nos dão acerca dos Fluídos é, segundo eles mesmos, superficiais, pois que não teríamos condições de compreender uma exposição aprofundada e exata sobre os mesmos.

Note-se que nem mesmo há uma nomenclatura exata para definir as diferentes condições em que os Fluídos se apresentam. Ora falam em Fluídos, Princípios, Elementos, e utilizam esses nomes indistintamente para se referir ao Princípio Vital, Princípio Inteligente, Princípio Material, Perispírito, etc...

[..]


É assim mesmo, Hudson, no começo todos nós confundimos, mas a medida que vamos estudado fica clara a compreensão dos fluidos.


Sobre a questão anterior, parece que realmente está falando do perispírito, e peço desculpas ao amigo pelo meu equivoco. Mas como eu disse, é um caso especial. O espírito acabou de desencarnar por morte violenta, e não conhece os "poderes" do seu novo corpo. Está em um estado de perturbação. Mas isso, como já disse, não é uma lei.



Veja o que diz kardec:

"Em nosso mundo tudo é matéria tangível; no mundo invisível tudo é, se assim nos podemos exprimir, matéria intangível, isto é, intangível para nós que só percebemos por órgãos materiais, mas tangível para os seres desse mundo, que percebem por sentidos espirituais. Tudo é fluídico nesse mundo, homens e coisas, e as coisas fluídicas aí são também reais, relativamente, como as coisas materiais são reais para nós. Eis um primeiro princípio."



Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 02 de Junho de 2014, 16:24

,..............................



Sr. HamLacerda,

Na verdade o "amigo", como dizes, não tem interesse nenhum em estudar e aprender sobre os "Fluídos"!

Na Verdade, o amigo ilude-se que através desse "estudo" poderá confirmar o seu desejo de, após desencarnado, continuar a desfrutar de prazeres materiais!

Não iluda-se, "amigo"!

A VIDA espiritual é, toda ela, MORAL!

Os desencarnados atuam apenas e tão somente pela Vontade.

Não têm braços ou pernas para atuar diretamente sobre a matéria.

Após desencarnado, o amigo não vai para nenhum "umbral", local inexistente, não vai alimentar-se, nem "abraçar" entes queridos, nem passear de "aerobus", fazer sexo ou trabalhar em troco de uma moeda fictícia (bônus-hora).

A evolução. o quintecenciamento do Perispírito, visa justamente o nos desligarmos das coisa da matéria bruta!

Deus é "Espírito" e importa que os seus adoradores o adorem em "Espírito" e em VERDADE!

Já passou da hora de abandonarmos as fantasias do "emmanuelismo", "andreluizismo", "chiquismo", e nos ater-mos as VERDADES do ESPIRITISMO, revelado nos ditados dos ESPÍRITOS SUPERIORES na DOUTRINA ESPÍRITA!




Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: HamLacerda em 02 de Junho de 2014, 23:45






Instruções Práticas sobre as Manifestações Espíritas » Capítulo VIII – Das relações com os Espíritos » Do local

[...]

A condensação pode chegar ao ponto de produzir a resistência e a tangibilidade. É o caso das mãos que podemos ver e tocar. Mas essa condensação ─ e esta é a única palavra de que nos podemos servir, para dar uma ideia, embora imperfeita, de nosso pensamento ─ esta condensação, íamos dizendo, ou ainda essa solidificação da matéria etérea, é apenas temporária ou acidental, porque esse não é o seu estado normal. Eis por que, em um dado momento, as aparições tangíveis nos escapam como uma sombra. Assim, do mesmo modo que um corpo se nos apresenta em estado sólido, líquido ou gasoso, conforme o grau de condensação, assim a matéria etérea do perispírito pode aparecer-nos em estado sólido, vaporoso visível ou vaporoso invisível.

Veremos, a seguir, como se opera essa modificação.

A mão aparente, tangível, oferece uma resistência: exerce pressão, deixa impressões, opera uma tração sobre os objetos que seguramos. Nela há, pois, uma força. Ora, estes fatos, que não são hipóteses, podem levar-nos à explicação das manifestações físicas.

Notemos, antes de tudo, que essa mão obedece a uma inteligência, pois age espontaneamente; dá sinais inequívocos de uma vontade e obedece a um pensamento: pertence, pois, a um ser completo, que só nos mostra essa parte de si mesmo, e a prova é que produz impressões com as partes invisíveis; os dentes deixam marcas na pele e produzem dor.

Entre as diversas manifestações, uma das mais interessantes é, sem dúvida, o toque espontâneo de instrumentos de música. Os pianos e acordeons são aparentemente os instrumentos prediletos. Este fenômeno é explicado muito naturalmente pelo que precede. A mão que tem a força para apanhar um objeto, também pode tê-la para fazer pressão sobre as teclas e fazê-las soar. Aliás, por diversas vezes vimos os dedos em ação, e quando a mão não é vista, veem-se as teclas em movimento e o fole a distender-se e fechar-se. As teclas só podem ser movidas por mão invisível, a qual dá mostras de inteligência, tocando árias perfeitamente ritmadas e não sons incoerentes.

Desde que essa mão pode enfiar-nos as unhas na carne, beliscar-nos, arrebatar aquilo que temos na mão; desde que a vemos apanhar e transportar um objeto, assim como nós o faríamos, também nos pode dar pancadas, erguer e derrubar uma mesa, tocar uma campainha, puxar uma cortina e até mesmo nos dar uma bofetada invisível.










Um equívoco muito frequente entre novos adeptos é o de se julgarem mestres após alguns meses de estudo. O Espiritismo é uma Ciência imensa, como bem sabeis, e experiência em sua prática não se adquire senão com o tempo, aliás como em todas as coisas.

Fonte: Revista Espírita 1861, novembro - Reunião geral dos Espíritas bordeleses - Discurso do Sr. Allan Kardec



Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Arthur BR em 03 de Junho de 2014, 00:14
HamLacerda, este texto deixou claro o que o amigo quis dizer na resposta anterior. Obrigado !!
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 03 de Junho de 2014, 20:11

A condensação pode chegar ao ponto de produzir a resistência e a tangibilidade.



Materializações tangíveis.

Fenòmeno raro e que só se produz em condições muito especiais!


VIII. Como pode um Espírito produzir o movimento de um corpo sólido?

"Combinando uma parte do fluido universal com o fluido, próprio àquele efeito, que o médium emite."

IX. Será com os seus próprios membros, de certo modo solidificados, que os Espíritos levantam a mesa?

"Esta resposta ainda não te levará até onde desejas. Quando, sob as vossas mãos, uma mesa se move, o Espírito haure no fluido universal o que é necessário para lhe dar uma vida factícia. Assim preparada a mesa, o Espírito a atrai e move sob a influência do fluido que de si mesmo desprende, por efeito da sua vontade.
Quando quer pôr em movimento uma massa por demais pesada para suas forças, chama em seu auxílio outros
Espíritos, cujas condições sejam idênticas às suas. Em virtude da sua natureza etérea, o Espírito, propriamente dito, não pode atuar sobre a matéria grosseira, sem intermediário, isto é, sem o elemento que o liga à matéria. Esse elemento, que constitui o que chamais perispírito, vos faculta a chave de todos os fenômenos espíritas de ordem material. Julgo ter-me explicado muito claramente, para ser compreendido."

XI. São aptos, todos os Espíritos, a produzir fenômenos deste gênero?

"Os que produzem efeitos desta espécie são sempre Espíritos inferiores, que ainda se não desprenderam inteiramente de toda a influência material."

XII. Compreendemos que os Espíritos superiores não se ocupam com coisas que estão muito abaixo deles. Mas, perguntamos se, uma vez que estão mais desmaterializados, teriam o poder de fazê-lo, dado que o quisessem?

"Os Espíritos superiores têm a força moral, como os outros têm a força física.
Quando precisam desta força, servem-se dos que a possuem. Já não se vos disse que eles se servem dos Espíritos inferiores, como vós vos servis dos carregadores?"

NOTA. Já foi explicado que a  densidade do perispírito, se assim se pode dizer, varia de acordo com o estado dos mundos. Parece que também varia, em um mesmo mundo, de indivíduo para indivíduo. Nos Espíritos moralmente adiantados, é mais sutil e se aproxima da dos Espíritos elevados; nos Espíritos inferiores, ao contrário, aproxima-se da matéria e é o que faz que os Espíritos de baixa condição conservem por muito tempo as ilusões da vida terrestre. Esses pensam e obram como se ainda fossem vivos; experimentam os mesmos desejos e quase que se poderia dizer a mesma sensualidade. Esta grosseria do perispírito, dando-lhe mais  afinidade  com a matéria, torna os Espíritos inferiores mais aptos às manifestações físicas.

Sendo o perispírito, para o Espírito, o que o corpo é para o homem e como à sua maior densidade corresponde menor inferioridade espiritual, essa densidade substitui no Espírito a força muscular, isto é, dá-lhe, sobre os fluidos necessários às manifestações, um poder maior do que o de que dispõem aqueles cuja natureza é mais etérea. Querendo um Espírito elevado produzir tais efeitos, faz o que entre nós fazem as pessoas delicadas: chama para executá-los um  Espírito do ofício.

XIII. Se compreendemos bem o que disseste, o princípio vital reside no fluido universal; o Espírito tira deste fluido o envoltório semimaterial que constitui o seu perispírito e é ainda por, meio deste fluido que ele atua sobre a matéria inerte. É assim?

"É. Quer dizer: ele empresta à matéria uma espécie de vida factícia; a matéria se anima da vida animal. A mesa, que se move debaixo das vossas mãos, vive como animal; obedece por si mesma ao ser inteligente. Não é este quem a impele, como faz o homem com um fardo. Quando ela se eleva, não é o Espírito quem a levanta, com o esforço do seu braço: é a própria mesa que, animada, obedece à impulsão que lhe dá o Espírito."

XIV. Que papel desempenha o médium nesse fenômeno?

"Já eu disse que o fluido próprio do médium se combina com o fluido universal que o Espírito acumula. E necessária a união desses dois fluidos, isto é, do fluido animalizado e do fluido universal para dar vida à mesa. Mas, nota bem que essa vida é apenas momentânea, que se extingue com a ação e, às vezes, antes que esta termine, logo que a quantidade de fluido deixa de ser bastante para a animar."

XV. Pode o Espírito atuar sem o concurso de um médium?

"Pode atuar à revelia do médium. Quer isto dizer que muitas pessoas, sem que o suspeitem, servem de auxiliares aos Espíritos. Delas haurem os Espíritos, como de umafonte, o fluido animalizado de que necessitem.

                                                                                                           (OLM)



Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 04 de Junho de 2014, 23:18
Sobre a pergunta do tópico;

Citar
Podem os espíritos nos tocar?

A resposta é;

Podem quando conseguem
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 04 de Junho de 2014, 23:28
Sobre a pergunta do tópico;

Citar
Podem os espíritos nos tocar?

A resposta é;

Podem quando conseguem


Eu diria que o mais correto é que os Espíritos podem, quando querem, é nos fazer sentir estarmos sendo tocados.


Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 04 de Junho de 2014, 23:55
Nem todos sabem como
Logo!
 mesmo querendo não conseguem

E se não houvesse explicado que existem médiuns involuntários
e ou fenômenos espontâneos e  provocados
ainda estaríamos variando...mas há explicações.
está resolvida a questão

Muitos nos tocam sem o quererem
pois que assim também o fazemos entre nós
Muitos tocam por que querem e sabem com realizar o toque.


Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 05 de Junho de 2014, 00:12

Já passou da hora de abandonarmos as fantasias do "emmanuelismo", "andreluizismo", "chiquismo", e nos ater-mos as VERDADES do ESPIRITISMO, revelado nos ditados dos ESPÍRITOS SUPERIORES na DOUTRINA ESPÍRITA!


Bom!

Estavam mesmo esperando o Novo Messias

Não precisa disto Sr. Hudson

Tudo esta em O Espiritismo
é só estudarmos

As obras atacadas acima
correspondem claramente com a DE.

Está na hora sim
de estudarmos em grupo....como verdadeiros irmãs e irmãos.
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 05 de Junho de 2014, 00:42

Está na hora sim
de estudarmos em grupo....como verdadeiros irmãs e irmãos.



Eis aí um posicionamento ao qual me alio sem reservas!

Estudemos, então, a Doutrina dos Espíritos, que é toda Filosofia e ciência de consequências Morais e deixemos de lado os supostos beliscões de Espíritos atrevidos que, afinal de contas, não nos tornarão melhores nem piores!

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: unknown. em 05 de Junho de 2014, 03:03
Citar
As obras atacadas acima
correspondem claramente com a DE.

Temo que não amigo Moisés. Assista alguns vídeos do Sérgio Aleixo  e verá que ficam bem claras as discordâncias entre a Doutrina e o que dizem essas obras.
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 05 de Junho de 2014, 18:54

Está na hora sim
de estudarmos em grupo....como verdadeiros irmãs e irmãos.



Eis aí um posicionamento ao qual me alio sem reservas!

Estudemos, então, a Doutrina dos Espíritos, que é toda Filosofia e ciência de consequências Morais e deixemos de lado os supostos beliscões de Espíritos atrevidos que, afinal de contas, não nos tornarão melhores nem piores!



Em Obras Póstumas
há relatos de que Kardec ouviu barulhos...pancadas, quando em trabalho da Codificação
e também
há uma citação de que se nos paralisarmos seremos atropelados pelo progresso
então concluo que nos faltam beslicôes de monte...muitos...

Sobre "consequências morais"
como nos adverte
kardec apresenta-nos o Evangelho redivivo
Luz vinda pelo Cristo
Que assiste aos dois planos
corpóreo e icorporeo
tanto para os que tem posse como para os que nada possuem
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 05 de Junho de 2014, 19:01
Citar
As obras atacadas acima
correspondem claramente com a DE.

Temo que não amigo Moisés. Assista alguns vídeos do Sérgio Aleixo  e verá que ficam bem claras as discordâncias entre a Doutrina e o que dizem essas obras.

Nada de temores
sejamos corajosos
Nada de paradigmas
não bloqueemos
os nossos recursos mediúnicos

Não aceitemos nada que não possamos
compreender
Afinal !
Concluamos que ninguém construirá alguma defesa que seja
que não tenha a coerência do próprio entendimento...

Tudo é valido
mas os fatos nos darão sempre orientações precisas

Que bom que asiste o Sr. Sérgio Aleixo
eu também assisto
e recomendo também
ouvir e estudar
tudo o que puder que se declare contra a Doutrina dos Espíritos

Abraços
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 05 de Junho de 2014, 19:06
........
 Evangelho redivivo
Luz vinda pelo Cristo
Que assiste aos dois planos
corpóreo e icorporeo
tanto para os que tem posse como para os que nada possuem


Já não me alio mais à esse posicionamento!

Se é para enveredar-mos pela cristolatria do espiritolicismo, paro por aqui!


Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 05 de Junho de 2014, 19:11
........
 Evangelho redivivo
Luz vinda pelo Cristo
Que assiste aos dois planos
corpóreo e icorporeo
tanto para os que tem posse como para os que nada possuem


Já não me alio mais à esse posicionamento!

Se é para enveredar-mos pela cristolatria do espiritolicismo, paro por aqui!




Tudo bem
Ande sem o Cristo
mas !
com latria ou sem latria
preferível estar com o Cristo

se precisar de algo
é só chamar

Abraços
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 05 de Junho de 2014, 19:41
Para quem duvidar que os Espírito possam nos tocar e por nós serem tocados

pesquisem nos estudos espíritas

os seguintes assuntos;

Agêneres e
Materializações
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 05 de Junho de 2014, 23:32
“Vivemos no mundo do irreal onde tudo o que vemos é somente uma sombra imperfeita de uma realidade mais perfeita.”

Platão
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Hudson Santiago em 06 de Junho de 2014, 04:43
Para quem duvidar que os Espírito possam nos tocar e por nós serem tocados

pesquisem nos estudos espíritas

os seguintes assuntos;

Agêneres e
Materializações


Não é preciso ir tão longe, Sr. Moisés!

Basta que estudemos a nós mesmos, pois que somos Espíritos encarnados e podemos tocar-nos à vontade.

Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 06 de Junho de 2014, 19:24
Para quem duvidar que os Espírito possam nos tocar e por nós serem tocados

pesquisem nos estudos espíritas

os seguintes assuntos;

Agêneres e
Materializações


Não é preciso ir tão longe, Sr. Moisés!

Basta que estudemos a nós mesmos, pois que somos Espíritos encarnados e podemos tocar-nos à vontade.



Olha Hudson!
Os Espíritos não vieram dali...de pertinho
vieram de longe
e declararam sem rodeios
que muito observaram as trajetórias dos próprios espíritos
Logo

Se olharmos somente para o nosso umbigo
eita!
dores nas costas
Observemos que a codificão não é um trabalho de brincadeira
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Borges Maciel em 12 de Junho de 2014, 02:59
A ciencia diz que, em verdade, não podemos nem tocar a matéria. O assunto deve ser tratado com mais ciência. Eu sou leigo, mas deixo a fresta pra podermos investigar.

"A matéria é invisível. O que vemos é a luz refletida nela. Sem luz nada é visto por nós. A matéria é feita por átomos cuja superfície possui elétrons que ao se aproximarem se repelem por terem a mesma carga. Quando tocamos a matéria não sentimos o toque, mas a força de repulsão eletrostática entre os elétrons. Se fosse possível tocar a matéria, haveria uma fusão atômica. Em cada aperto de mão, uma explosão, em cada abraço, uma explosão. A matéria em verdade é intangível e invisível, portanto o materialista acredita naquilo que ele não toca e naquilo que ele não vê." Dr. Sérgio Felipe de Oliveira
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Amós Ribeiro em 26 de Setembro de 2015, 20:16
Recentemente ocorreu um fato que está me deixando muito intrigada.Estava eu sozinha,distraida quando tive uma forte impressão que tinha alguém ao meu lado. Não dei muita importância e continuei o que eu estava fazendo,quando derrepente senti uma forte "pegada" na altura de minha cintura.Instintivamnete dei um pulo,fique com o coração disparado totamente assustada e sem ação.Perplexa pois eu estava só.Por fim racionalizei que deveria ter sido apenas minha imaginação.Esqueci o assunto até aconteceu novamente.Estava tentando tirar um cochilo quando senti uma forte pegada no meu braço a ponto de eu levantar sobressaltada.É possível alguém sem o corpo matérial ,um espírito, causar sensações dessa natureza? ???

Olá amigo,

Tive uma experiencia em que um espirito me imobilizou por completo, pude sentir a influencia dele sobre meu corpo físico como uma onda de energia, mas nada que me lembre o toque físico(mas não descarto a possibilidade de outros espíritos possuírem essa habilidade).
Também pude observar que ele tinha uma grande influencia sobre a matéria, muito mais que nós encarnados.

Abraços
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: Rosa Luiza Baldon em 06 de Junho de 2016, 05:05
Isso já aconteceu comigo.

Sim, eles podem nos tocar.

Por que fazem isso já não sei te falar.

Mas com certeza podem.
Título: Re: Podem os espíritos nos tocar?
Enviado por: bblu em 07 de Junho de 2016, 03:36
O toque de seres espirituais não seriam sentidos como nós, vestindo um corpo, entendemos.
Um corpo astral pode tocar e ser sentido dependendo da energia que ele consiga retirar da própria pessoa que ele quer tocar.
Mas existem outros corpos além dos corpos astrais, usados enquanto estamos presos aos mundos astrais em volta dos planetas.Existem também os corpos moronciais que são usados por nós em outras esferas antes de chegarmos ao paraíso e obtermos a nossa forma espíritual, e portanto, a vida eterna.
O espírito e um corpo astral tem muita diferença.