Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Existência de Deus => Tópico iniciado por: Robespierre em 11 de Novembro de 2015, 23:34

Título: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 11 de Novembro de 2015, 23:34
Oi Pessoal. Já vi algumas teorias que dizem que espíritos influenciaram a construção da nossa cultura. Por exemplo....Moisés recebeu os dez mandamentos de espíritos....os anjos que anunciaram a Maria sua gravidez eram espíritos e assim por diante. E que todas as religiões foram "reveladas" por espíritos (De graus altos de evolução até graus mais baixos...). Agora pergunto....e o Budismo??  Como espíritos podem ter influenciado na criação de uma religião (Ou filosofia, se preferirem) sem Deus, sem espíritos, sem vida após a morte, sem nada?? . Como vocês, espíritas, avaliam as "revelações" que Buda nos trouxe?

E pra terminar: meditação e espiritismo podem se conciliar?? pode ser preconceito meu, mas vejo a meditação como algo cético...apenas concentrado no EU....no agora....etc. Como conciliar isso com espiritismo??

Abraços
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: lconforjr em 12 de Novembro de 2015, 02:47
Deus x Buda x Meditação

      Ref msg inicial, de Robespierre

      Conf: novo companheiro de estudos Robespierre (na história da França, “o incorruptível”), bem-vindo entre nós!

      Vou tentar responder ao último parágrafo de sua msg.

      Robesp disse:... meditação e espiritismo podem se conciliar?? pode ser preconceito meu, mas vejo a meditação como algo cético... apenas concentrado no EU....no agora....etc. Como conciliar isso com espiritismo??

      Conf: novo amigo, a qual tipo de meditação o amigo se refere? Pois há um tipo de meditação, esse comum e mais conhecido e praticado no Ocidente, e que significa "refletir, raciocinar, questionar para tentar compreender o que vemos ou sentimos", e há outro tipo, este mais conhecido e praticado no Oriente, e que apenas significa “sentar-se e esquecer”! E, sem dúvida, em nenhum desses 2 tipos existe alguma coisa que impeça que se conciliem perfeitamente com a doutrina espírita!

      Um abraço!
.............

Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: jsoranz em 12 de Novembro de 2015, 10:30
Ola amigo.
Buda pede a seus discipulos para meditarem... e assim obter a compreenção das coisas por si proprio.
A meditação de compreensao consiste em se concentrar no assunto de interece

Bom... Buda acreditava que esse conhecimento que vem durante a meditação eh um processo natural, onde o ser se conecta com o problema/assunto e o compreende.

No espiritismo acreditamos que quando meditamos em algo... as ideias que surgem por intuição são de espiritos esclarecidos...


Entao ai esta a grande diferença
Buda acredita que a intuição eh um metodo que se da naturalmente... voce compreende as coisas por si mesmo... basta fazer esse trabalho de meditação

Espiritismo acredita que a intuição vem do mundo espiritual... tanto de esperitos esclarecidos, como tambem (Pietro Ubaldi dizia, corrente de pensamentos...)



Abs
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 12 de Novembro de 2015, 11:33
Olá amigo Robespierre

Segundo a Doutrina Espirita os espiritos são uma das maiores forças da natureza. Eles influenciam para o bem e para o mal todos os seres humanos. Logo também influenciaram na génese do Budismo.

Sob o nome Budismo há muitas ideias diferentes. Logo necessitamos de definir qual é a linha de que estamos a falar, dentro do Budismo. Para mim a referência é o Budismo Tibetano, segundo Tenzin Gyatso, o Dalai Lama actual, porque é a fonte a que tenho mais fácil acesso e porque considero que Tenzin Gyatso  é um homem sábio, muito inteligente, muito culto e um bom comunicador. Inclusivamente ele consegue manter conversas de grande nível com cientistas e outros religiosos, porque tem uma grande abertura mental.

Segundo esta linha de pensamento existem espiritos e reencarnação, todavia descritos de uma forma diferente da forma que o Espiritismo descreve. É preciso compreender que a a Doutrina Espirita é recente e que o Budismo vem de há milhares de anos. O Novo Testamento da Biblia tem passagens que descrevem a reencarnação (veja-se a conversa de Jesus com Nicodemos, Evangelho Segundo São João, por exemplo), mas não explica a reencarnação da mesma forma e com a clareza da Doutrina Espirita.

Não sei onde o amigo foi buscar isso dos budistas não acreditarem nos espiritos. Inclusivamente existe a crença que o próprio Dalai Lama é a encarnação de uma linhagem de espiritos dedicados a esclarecer a humanidade. Segundo o Budismo podem é existir reencarnações não humanas (o que se pode também interpretar, de forma simbólica, como determinados tipos de encarnações humanas).

Ao que sei, a existência de "Deus" não é consensual entre os budistas. Há linhas que crêem em Deus e linhas que não crêem. Pelo menos no sentido Ocidental do termo. 

A Doutrina Espirita reconhece e insere a meditação num conjunto de fenómenos denominados "emancipação da alma". Aconselho a leitura das respostas às questões 400 a 454 do Livro dos Espíritos. A prática da meditação, para quem consegue, segundo os Yoguis, por exemplo, é até uma forma de constatar pessoalmente que somos espiritos e não apenas corpos de carne. E se assim é benéfica, do meu ponto de vista. Tudo o que possa ajudar a esclarecer as pessoas de que somos espiritos imortais ajuda.

A ideia de crer sem ver é o oposto do que Allan kardec defendia. Ele dizia que a Doutrina Espirita nasceu porque ele e outros puderam constatar pessoalmente a existência dos espiritos através da mediunidade. Portanto a constatação dos fenómenos, embora possa ser insuficiente é útil, segundo a DE.

O que não seria benéfico era ser um eremita que apenas se dedicasse a práticas meditativas.

A linha do Raja Yoga, por exemplo, ensina a ter uma conduta moral exemplar, mais exigente do que a Doutrina Espirita. E não a passar a vida a meditar (no sentido de se retirar para a realização especifica dessa prática).

Eu também tinha esse tipo de dúvidas, mas ao longo do tempo fui lendo um pouco sobre as tradições Orientais e fiquei com uma ideia diferente da que tinha antes sobre elas. O livro Supranormal de Dean Radin (cientista com o grau académico PhD) esclarece bastante sobre a meditação e as tradições Orientais, separando os mitos da realidade. Só é pena não estar traduzido ainda traduzido para português (que eu saiba, pelo menos).

Em conclusão, aconselho-o a fazer um estudo mais profundo sobre o assunto que colocou em debate, pois irá, decerto, compreender melhor as tradições Orientais e a relação das mesmas com as Ocidentais.

Bem haja
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: homemsideral em 12 de Novembro de 2015, 11:55
Amigo Robespierre.

Passarei tão somente algúmas definições, sem necessidade de interpretá-las.
Voce mesmo as definará.

BUDA
"... O Buda apareceu 50 anos depois de Jeremias (profeta israelita que viveu 650 anos a.C)
Seu nome era Sidarta Sakia Muni Gautama. Nasceu na Índia, 'às sombras do Himalaia'.
REF:
IMBASSAY, Carlos / Religião /

BUDISMO
" (...) as doutrinas básicas do budismo repousam no Karma e na reencarnação.
Ele procurava extirpar dos homens a superstição, o temor, o sofrimento.
Eles (os ensinos do budismo) trazem aos homens o ideal moral mais elevado e mais completo
que já se lhes ofereceu, e, excetuado o Sermão da Montanha, não se pode, em teoria, susten-
tar que o ideal moral búdico seja materialmente inferior ao ideal  cristão".
REF:
IMBASSAY, Carlos / Religião /

MEDITAÇÃO
(...) Toda alma, no campo da meditação, é um canteiro de possibilidades infinitas à semeadura espiritual".
REF:
XAVIER, Francisco Cândido / Lázaro Redivivo /

" A meditação é o ato pelo qual se volve o homem para dentro de sí mesmo, onde encontrará  a Deus, no esplendor de sua Glória, na plenitude do seu Poder, na ilimitada expansão do seu Amor: 'O Reino de Deus está dentro de vós'.
REF:
PERALVA, Martins / Estudando o Evangelho /

Abs ao amigo.
Sérgio.           
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Gabri-El em 13 de Novembro de 2015, 00:21
Oi Pessoal. Já vi algumas teorias que dizem que espíritos influenciaram a construção da nossa cultura. Por exemplo....Moisés recebeu os dez mandamentos de espíritos....os anjos que anunciaram a Maria sua gravidez eram espíritos e assim por diante. E que todas as religiões foram "reveladas" por espíritos (De graus altos de evolução até graus mais baixos...). Agora pergunto....e o Budismo??  Como espíritos podem ter influenciado na criação de uma religião (Ou filosofia, se preferirem) sem Deus, sem espíritos, sem vida após a morte, sem nada?? . Como vocês, espíritas, avaliam as "revelações" que Buda nos trouxe?

E pra terminar: meditação e espiritismo podem se conciliar?? pode ser preconceito meu, mas vejo a meditação como algo cético...apenas concentrado no EU....no agora....etc. Como conciliar isso com espiritismo??

Abraços

Olá irmão Robespierre!

Religião Budista não é creação do Buddha Gautama, assim como Religião Cristã não é creação do Christo Jesus.

Os ensinamentos atribuídos a Buddha não tratam a respeito de Deus e da Creação, estabelecendo assim uma teologia e uma cosmogonia. Por isso, naturalmente a maioria das pessoas entendem que o ensinamento budista não considera a existência de Deus, de um Creador, etc.

O foco do ensinamento do Senhor Gautama foi o estímulo à vivência virtuosa e ao Autoconhecimento, o qual confere a Libertação. Se o discípulo quiser conhecer a Brahma (Deus), que busque esse conhecimento em si mesmo. A experiência direta é levada mais em conta do que as divagações filosóficas, as quais quase sempre permanecem apenas no nível intelectual.

Um estudo mais acurado sobre os ensinamentos budistas mostrará que neles estão incluídos vida após a morte, espíritos e mundo espiritual, como, por exemplo, mostram estes versos da obra Dhammapada:

Quem faz mal sofre nesta vida,
sobre na próxima,
sofre nos dois mundos.
A visão das próprias más ações traz dor e aflição.


Quem pratica atos meritórios rejubila-se nesta vida,
rejubila-se na próxima,
rejubila-se nos dois mundos.
A visão das próprias ações puras traz alegria e deleite.



Sobre a meditação, o Sr. Allan Kardec a chamou de introspecção, que é o direcionamento da atenção sobre o mundo íntimo. É um exercício muito importante e indispensável na vida de todo buscador da Verdade, conquanto não se perca em exercícios meditativos que fogem à simplicidade.

Portanto, não há qualquer discrepância entre a prática meditativa e a prática espírita.

Fraternalmente

Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 13 de Novembro de 2015, 00:35
Vitor Santos...

No Budismo existem 300 mil seitas. As mais modernas podem até aceitar espíritos e até Deus. As escolas mais tradicionais, como a Theravada, não reconhece nada disso. Para eles nao existe Deus, nem espíritos, nem vida após a morte. O renascimento (Ou reencarnação) é totalmente diferente dos conceitos espiritas. Para eles, o seu EU desaparece com a morte. O que renasce é uma espécie de energia. Ex: Imagina uma vela quase acabando, passando a chama para outra. É esse o conceito budista.

E outra...como budistas podem acreditar em espíritos se eles não acreditam na sobrevivência da consciência após a morte?? estranho , né?
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 13 de Novembro de 2015, 00:40
Jsorans

Legal sua teoria, mas Buda não captou os ensinamentos dos espíritos? e estes espíritos estavam mal intencionados, pois queriam criar uma ordem sem Deus etc....
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 13 de Novembro de 2015, 00:48
Ok....mas na hora que eu tiver meditando (No sentido oriental mesmo) eu vou acabando ou diminuindo a importância do meu EU. Já no espiritismo, o meu EU sou EU....sou minhas vidas passadas....minhas experiências....etc. Já ouvi pessoas dizendo : "Com a meditação, você vai fortalecer seu lado espiritual". Qual lado espiritual? eu vou me "infiltrar" na natureza....no cosmos....na particula de Deus e eu mesmo serei o Deus? (Tudo isso numa visao mais cética budista) ou vou me conectar mais com os espiritos, mentores, vida espiritual etc (Lado espírita )???? não sei se estou enganado, mas me PARECE que a meditação vem de acordo com as suas crenças. Ou nao?
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 13 de Novembro de 2015, 12:47
Olá amigo Robespierre

Citar
No Budismo existem 300 mil seitas. As mais modernas podem até aceitar espíritos e até Deus. As escolas mais tradicionais, como a Theravada, não reconhece nada disso. Para eles nao existe Deus, nem espíritos, nem vida após a morte. O renascimento (Ou reencarnação) é totalmente diferente dos conceitos espiritas. Para eles, o seu EU desaparece com a morte. O que renasce é uma espécie de energia. Ex: Imagina uma vela quase acabando, passando a chama para outra. É esse o conceito budista.

E outra...como budistas podem acreditar em espíritos se eles não acreditam na sobrevivência da consciência após a morte?? estranho , né?

Não sou um especialista, nem advogado dos budistas ou do budismo. Afinal o amigo percebe mais do assunto, pelo que parece. O meu interesse em relação ao budismo não é, contudo, contestar, mas conhecer. Há sempre algo a aprender em todas as tradições. A minha referência para o budismo é, como lhe disse, Tenzin Gyatso, o Dalai Lama actual. Eu não tenho a possibilidade de ir fazer um curso sobre a história do budismo. A minha área profissional está ligada à tecnologia e não às ciências sociais e humanas, como a antropologia, sociologia, etc. 

No livro "caminhos cruzados da consciência" que é uma espécie de acta de um encontro entre Tenzin Gyatso, pessoas de outras tradições religiosas e cientistas, Tenzin Gyatso dá um exemplo de saída do corpo em que alguém consegue ir a casa de outrem e saber que livro ele estava a ler, ao momento. Se isto não é crer no espírito...

Eu sou essencialmente é um defensor do respeito pelas ideias, religiões e doutrinas espirituais alheias. Não sou daqueles que consideram que tudo o que não é Doutrina Espirita está errado ou em oposição ao espiritismo e que deve ser atacado. As únicas ideias que me parecem mesmo erradas são aquelas que ensinam a praticar a violência, a intolerância, a vingança, a descriminação sob qualquer forma, etc. O resto cada um é que sabe no que deve crer ou não.

A única forma universal de demonstrar um conhecimento é através do método cientifico adaptado à situação em estudo. A credibilidade consegue-se através do cepticismo saudável, que é o oposto ao que as religiões, em regra professam: crer sem ver.

Dentro das várias crenças há sempre todo o tipo de pessoas. Aquelas pessoas que têm um comportamento moralmente exemplar existem em todas as tradições, como as que têm um comportamento oposto. E o comportamento é bem mais importante do que as palavras. O que fazemos e que pode atingir os nossos interesses é que diz quem somos e no que realmente cremos. Não o que dizemos ou acreditamos ser.

bem haja
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Diegas em 13 de Novembro de 2015, 13:46
Agora pergunto....e o Budismo??  Como espíritos podem ter influenciado na criação de uma religião (Ou filosofia, se preferirem) sem Deus, sem espíritos, sem vida após a morte, sem nada?? . Como vocês, espíritas, avaliam as "revelações" que Buda nos trouxe?...


Olá, Robespierre


Buda foi um dos espiritos mais elevados que encarnou em nosso planeta. A unica diferença no sentido iniciatico dos ensinamentos do Budismo e do Cristianismo é que a filosofia budista vai mais ao encontro de um determinado tipo de indole oriental, agrada a introspectividade, e portanto, enquandra-se mais propriamente a uma determinada localização geográfica. Por sua vez, o Cristianismo tem uma maior abrangencia, serve a toda a humanidade, independe de latitude ou longitude.

Não é suficiente dizer 'Senhor, Senhor...' para que uma determinada doutrina seja intitulada divina ! -  se bastasse somente gritar o nome de Deus, ficar pelos cantos dando salvas e aleluias, não haveria tantos saduceus/ fariseus hipocritas e nem Jesus teria morrido na cruz !


Vide a regra aurea das maiores Religiões:


Citar
Cristianismo:

“...Tudo o que você gostaria que os outros fizessem a você, faça igual a eles...”.

Confucionismo:

“Não faça aos outros o que você não quer que façam a você”.

Budismo:

“Não prejudique outros com o que lhe machucaria”.

Hinduísmo:

“Este é o resumo do dever: não faça aos outros o que causaria dor se feito a você”.

Islamismo:

“Ninguém é um adepto até desejar para seu irmão o que deseja para si mesmo”.

Sikismo:

“Não crie inimizade com ninguém, pois Deus está em todos”.

Jainismo:

“Na felicidade e no sofrimento, na alegria e na dor, devemos prezar todas as criaturas como prezamos a nós mesmos”.

Zoroastrismo:

“Esta natureza é boa apenas quando não fizer a outro nada que não seja bom para si próprio”.

Índios americanos:

“Tenha respeito pois toda vida é a base”.

Baha’í:

“Abençoado quem prefere seu irmão antes de si mesmo”.

Judaísmo:

“O que é repulsivo a você, não faça a seu semelhante. Esta é a lei – todo o resto é comentário.”



Percebeu as semelhanças ?



Abç
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 13 de Novembro de 2015, 14:37
Olá amigo Diegas

Muito interessante a comparação de alguns princípios em várias religiões ou doutrinas.

Bem haja
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: jsoranz em 13 de Novembro de 2015, 15:39
Jsorans

Legal sua teoria, mas Buda não captou os ensinamentos dos espíritos? e estes espíritos estavam mal intencionados, pois queriam criar uma ordem sem Deus etc....


Mais vale um ateu, que faça o bem..... doque um crente que faça o mal
Essa eh a crença que acredito

Entao que mal faz se Buda acredita ou nao em Deus....
Ai esta a grande diferença entre as religioes.... uns acreditam em resureição/reencarnação/transmutação/etc
Mas a parte que importa, a moral eh sempre igual...
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 15 de Novembro de 2015, 19:08
Diegas

Entendo que todas as religiões possuem uma "semente da verdade". Só não consigo achar isso no Budismo. Você diz que Buda foi um espírito evoluído, só que ele não se deu conta que era um espírito. Jesus e outros mestres nos ensinaram a vida após a morte (Cada um a seu jeito) e Buda NÃO. Não consigo encaixar Buda na figura de um grande mestre espiritual. Para Buda o que importava era o homem e sua consciência e SÓ.
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 15 de Novembro de 2015, 19:13
"Entao que mal faz se Buda acredita ou nao em Deus"

Mal nenhum....só que Buda não pode ser considerado um mestre espiritual. Vou formular a pergunta para um espírita: Porque o mundo espiritual mandaria um "mestre" como Buda para a terra???? Pra ensinar amor e paz? isso outros já fizeram.
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 15 de Novembro de 2015, 19:22
Vitor

Também não tenho nada contra o budismo e os budistas. A minha maior curiosidade é exatamente saber como surgiu uma religião sem Deus e sem vida após a morte. Tbm tenho curiosidade em entender como Buda pode ser "divino" com idéias tão anti religiosas. Acho um absurdo comparar Buda com grandes mestres como Jesus, por exemplo.

"A única forma universal de demonstrar um conhecimento é através do método cientifico adaptado à situação em estudo. A credibilidade consegue-se através do cepticismo saudável, que é o oposto ao que as religiões, em regra professam: crer sem ver"

Eu sou espírita e creio sem ver. Infelizmente até hoje não temos nada demonstrado sobre a existência de espíritos. E infelizmente tbm nunca presenciei um fenômeno espírita de perto para poder estuda-lo e chegar ás minhas próprias conclusões (Já que os céticos não acreditariam mesmo).
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Diegas em 16 de Novembro de 2015, 09:33
Olá, Robespierre


'...Só não consigo achar isso no Budismo. Você diz que Buda foi um espírito evoluído, só que ele não se deu conta que era um espírito. Jesus e outros mestres nos ensinaram a vida após a morte (Cada um a seu jeito) e Buda NÃO. Não consigo encaixar Buda na figura de um grande mestre espiritual. Para Buda o que importava era o homem e sua consciência e SÓ...'


O que sabemos à respeito de Jesus e de Buda é por meio de cópias de muitas outras cópias dos textos originais fornecidas por seus discípulos e admiradores que procuraram retratar os seus mestres conforme os limites de compreensão. Nem todo discípulo tem estatura suficiente ou psicológica para compreender o seu mestre na profundidade/totalidade. O que piora a situação é que nem Buda e muito menos Jesus escreveram as suas doutrinas, não deixaram nada escrito. Ao contrário, por meio da exemplificação das ações que deixaram é que podemos ter uma idéia bem vaga da grandeza espiritual.

Infelizmente, ao longo do tempo, muita coisa se perdeu, principalmente com a intervenção indevida dos religiosos que deturparam/adulteraram os ensinamentos originais de modo a atender a interesses particulares ou com a própria tradição oral: do tipo quem conta um conto sempre aumenta ou diminui um ponto !

Muito provavelmente, vc considere Buda um mau exemplo, mas de que vale falar da vida após-morte e ensinar tudo que nos espera no Além se os indivíduos não sabem ainda nem viver a vida de encarnado ? Não seria perda de tempo ensinar matemática avançada para quem ainda engatinha no básico ? Não é mais interessante que o iniciante da matemática aprenda os números para depois passar as operações básicas de adicionar, multiplicar ou dividir ? Buda ensinou a importância de praticar o amor ao próximo, portanto, todo o resto é consequência/vaidade !

'Faça o Bem e terás um tesouro no Céu' - de me adianta saber a Codificação de cor e salteado, de trás para a frente, ou até comunicar-me via-mediúnica com os maiorais se ainda me perco, fascinado, imantado ao solo do planeta ?



Abç
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: lconforjr em 16 de Novembro de 2015, 17:43
Re: Deus x Buda x Meditação

      Ref resp #3 em: 12 11 15, 11:33, de Vitor

      Conf: Olá amigo Vitor

      Vitor: Segundo a DE os espíritos influenciam para o bem e para o mal todos os seres humanos. Logo também influenciaram na génese do Budismo.

      Conf: “segundo a doutrina espírita”, meu amigo, mas não segundo outras doutrinas, ou linhas espiritualistas! Por ex, para o Zen essa influência não existe, pois não existem espíritos no sentido que a DE dá a esse termo!

      Vitor: Segundo esta linha de pensamento (Budismo Tibetano) existem espíritos e reencarnação...

      Conf: o Budismo Tibetano talvez seja hoje, não tenho certeza absoluta, a "única" escola budista que se refere à reencarnação e a espíritos.

      Vitor: Não sei onde o amigo (Robespierre) foi buscar isso dos budistas não acreditarem nos espíritos.

      Conf: amigo Vitor, pois essa é a revelação, resultante da prática da meditação; talvez a única exceção seja a escola tibetana.

      Vitor: Ao que sei, a existência de "Deus" não é consensual entre os budistas. Há linhas que creem em Deus e linhas que não creem. Pelo menos no sentido Ocidental do termo.

      Conf: no Ocidente, como no Oriente, mesmo nas doutrinas deístas/teístas, espírita, católica, evangélica e outras, tb não há consenso total. E, nos referindo às religiões do mundo, para uns, Deus é amor e justiça; para outros, é ódio e castigo/vingança!

      Vitor: A Doutrina Espirita reconhece e insere a meditação num conjunto de fenômenos denominados "emancipação da alma"... A prática da meditação, para quem consegue, segundo os Yoguis, por exemplo, é até uma forma de constatar pessoalmente que somos espíritos e não apenas corpos de carne...

      Conf: porém, meu amigo, a meditação aconselhada por adeptos das doutrinas cristãs, "nada tem a ver" com aquelas praticadas por linhas tradicionais espiritualistas. Para as doutrinas cristãs, inclusive a espírita, meditar é refletir, procurar lembrar-se ou trazer para a mente “tudo” que possa resultar para nós em ensinamento/compreensão em relação a determinado assunto espiritual, assunto escolhido por nós, conforme acreditamos ser nossa necessidade de aprender, de conhecer.

      Para as tradições meditativas (como as esotéricas), meditar é não refletir, fazer cessarem todos os pensamentos, sentimentos, preocupações, lembranças, expectativas/esperanças. É, portanto, "esvaziar" a mente e "esquecer-se de tudo", mesmo de que está meditando; é “sentar-se e esquecer” (pode ser feita em qualquer posição desde que perfeitamente cômoda); apenas isso!

      É, portanto, fazer calar o ego para se atingir aquilo a que damos o nome de “iluminação”, que nada mais é que a "claridade da mente".     

      Já, no Antigo Testamento, aquele que é considerado o “maior” profeta, num de seus salmos tentava ensinar isso, dizendo: “Aquieta-te e sabe: eu sou Deus”! Isto é: aquietada a mente, esvaziada de seu conteúdo qualquer que seja ele, portanto cessadas suas operações, não somos mais nós que estamos aqui, é Deus!

      Para essas tradições, o que nos estorva a percepção de Deus é a mente, o "ego"; esse é o único obstáculo entre nós e o Criador!

      Vitor: A ideia de crer sem ver é o oposto do que Allan kardec defendia. Ele dizia que a Doutrina Espirita nasceu porque ele e outros puderam constatar pessoalmente a existência dos espíritos através da mediunidade. Portanto a constatação dos fenómenos, embora possa ser insuficiente é útil, segundo a DE.

      Conf: é verdade. Porém, o que podemos ver entre os amigos espíritas, é que muitos acreditam que “crer sem ver” é mais útil ainda!

      Vitor: O que não seria benéfico era ser um eremita que apenas se dedicasse a práticas meditativas.

      Conf: ao contrário, meu amigo, tanto que o Mahatma (Grande Alma) Gandhi deu ênfase à meditação, afirmando: “cada homem que se ilumina, extingue o ódio de milhões!”. Logo, para Gandhi e importantes tradições espiritualistas, meditar é agir para o bem da humanidade!

      Vitor: A linha do Raja Yoga, por exemplo, ensina a ter uma conduta moral exemplar, mais exigente do que a Doutrina Espirita. E não a passar a vida a meditar (no sentido de se retirar para a realização especifica dessa prática). Raja-ioga horas por dia

      Conf: meu amigo, o raja-ioga objetiva o desenvolvimento/amadurecimento da mente do homem, para libertá-lo de todos os impedimentos à uma perfeita compreensão do Todo. Em escolas tradicionais, portanto tb no hinduísmo/bramanismo, de onde vieram a pratica e filosofia ióguicas, a meditação é considerada de extrema importância, tanto que deve ser realizada "sempre" que possível, cada vez por, no mínimo, 40 minutos, podendo se estender  por horas, dias etc.

      Como dizem o hinduísmo, o budismo Zen, o Sufismo e outras tradições, devemos ter a mente focada em Deus 24 horas por dia. A meditação, portanto, é de máxima importância, pois é a porta que leva todos à “salvação”.

      Se bem feita, resulta na contemplação (Samadhi), no sentido religioso, “percepção do Todo”. Seu objetivo é fazer cessarem as ilusões, proporcionadas pelo “ego”, o que resulta no conhecimento do que é “real” (que o ego, sempre iludido, nos impede de conhecer), no despertamento (a palavra Buda significa "o desperto", aquele que despertou), na “iluminação”, na qual não há mais nada oculto, nem segredos, nem mistérios a serem desvendados e "quase" nenhum sofrimento (Nirvana)! Digo "quase" porq, mesmo chegando ao máximo de elevação espiritual, mesmo "sentados ao lado de Deus", sempre haverá sofrimentos.
     
      Bem haja!
............
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 17 de Novembro de 2015, 02:33
IconforJR e amigos.....

Você falou que a meditação trouxe a revelação aos budistas de que espíritos não existem. Então eu pergunto: A meditação não seria nociva aos espíritas/católicos/protestantes etc?? Pois pelo que entendi, através da meditação você adquiri uma dimensão do todo e destrói seu próprio ego. O que sobra ? o NADA....o vazio. Ou seja...como posso fazer meditação (No sentido oriental mesmo) e continuar a acreditar em espíritos, Jesus, Maomé etc?? Me parece meio contraditório fazer meditação e ao mesmo tempo continuar com crenças.
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: lconforjr em 17 de Novembro de 2015, 17:58
Re: Deus x Buda x Meditação

      Ref resp #18 em: 17 11 15, às 02:33, de Robespierre

      Robespierre disse: Você falou que a meditação trouxe a revelação aos budistas de que espíritos não existem. Então eu pergunto: A meditação não seria nociva aos espíritas/católicos/protestantes etc??...

      Conf: nunca as consequências da meditação frutífera/eficiente serão nocivas a quem quer que seja, a crentes ou descrentes, religiosos ou ateus etc......

      Robes:... Pois pelo que entendi, através da meditação você adquire uma dimensão do todo e destrói seu próprio ego. O que sobra? o NADA....o vazio. Ou seja... como posso fazer meditação (No sentido oriental mesmo) e continuar a acreditar em espíritos, Jesus, Maomé etc?? Me parece meio contraditório fazer meditação e ao mesmo tempo continuar com crenças.

      Conf: não meu amigo, a meditação leva à destruição do “ego” e das ilusões que ele nos proporciona, em relação aos fatos da vida; o “ego” só existe na “mente dos encarnados”, nascido em face das adversidades originárias da carne, do mundo material. Fora da carne, na dimensão espiritual, o ego não existe. Pense um pouco, meu amigo e talvez vc venha a compreender: porq que nos transformamos em seres cheios de egoísmo? E, o que é o egoísmo, de onde vem, qual é a causa de vir, tem origem em que? Tente encontrar as respostas!

      Quanto ao mais de seus comentários, não posso responder aqui, em respeito às regras do fórum; vou tentar responder no sub-quadro “espiritualismo”. Veja lá!

      Um abraço.
.........
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 18 de Novembro de 2015, 01:19
Iconforjr

Respondi pra você lá no outro tópico.
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 18 de Novembro de 2015, 13:56
Amigo Robespierre

Citar
Eu sou espírita e creio sem ver. Infelizmente até hoje não temos nada demonstrado sobre a existência de espíritos. E infelizmente tbm nunca presenciei um fenômeno espírita de perto para poder estuda-lo e chegar ás minhas próprias conclusões (Já que os céticos não acreditariam mesmo).

Eu sou adepto de grande parte da Doutrina Espirita, embora tenha dúvidas em algumas coisas. Já em relação ao movimento espirita (pessoas activas na divulgação ou em outros trabalhos espíritas), identifico-me numa parte, mas não me identifico em grande parte. Por exemplo não aceito grande parte do que comunicou André Luiz, tomado tão à letra como vejo tomar.

E também sou crente que somos espíritos imortais, na reencarnação, na existência de Deus e na bondade de Deus, etc.

A minha afirmação refere-se a conhecimento universal, demonstrável para além das crenças. A postura do investigador tem de ser céptica, mas no bom sentido. Ser céptico é ter um postura de dúvida, na actividade cientifica. O cientista não pode ser crente nem descrente, quando está a trabalhar. Tem de observar os factos e encontrar explicações para os mesmos, independentes de crenças. Tem de por sempre tudo em questão, quando a coerência ou as observações se desviam do que se pensava.
Um facto espirita só é universalmente comprovado se houver uma forma cientifica de o demonstrar.

Por exemplo, se uma mensagem mediúnica identifica o espírito de alguém que ninguém conhece, se dá a morada onde vivia e nomes de familiares, factos de que só alguns familiares poderiam ter conhecimento, essa informação pode ser confirmada, desde que se possa demonstrar que não havia outra forma alternativa de explicar que a informação prestada pelo espírito ser obtida. Este é um exemplo do tipo de evidência cientifica que se pode obter, no caso do espiritismo.     

A minha crença, como qualquer outra, não é universalmente demonstrável. Eu posso divulgar aquilo em que creio, mas não posso demonstrar, de uma forma universal, a outras pessoas, que é a verdade.

Uma pessoa até pode ter observado fenómenos muito sugestivos, recebido mensagens mediúnicas, e quase não ter dúvidas que se trata de um fenómeno espirita genuíno. Todavia, quando vai contar isso a outra pessoa, só por isso não prova nada. O que está em jogo, para o ouvinte, não é o facto de o fenómeno ser comprovado, bem como a respectiva explicação, mas se acredita em quem lhe está a contar o que se passou ou no que está escrito na mensagem mediúnica.

Se eu não dependesse da fé, para apoiar a minha crença, acho que os resultados da investigação cientifica, neste tipo de área do conhecimento, embora existam alguns, não seriam suficientes para a sustentar.

Quanto às palavras de  Siddhartha Gautama não posso concordar consigo. Para mim trata-se de um sábio no domínio da espiritualidade. Se as passagens que já li, atribuídas a  Siddhartha Gautama não são dele, isso já não sei. Mas elas parecem-me ser de uma riqueza espiritual muito grande. Mas opiniões são apenas opiniões.

Bem haja
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 18 de Novembro de 2015, 14:19
Olá amigo Iconforjr

Li as suas opiniões, mas o que tenho lido não coincide com elas, em muitos aspectos.

A meditação não é um objectivo, é um meio. Tal como na tradição Ocidental a prece é um meio e não um fim. É isso que tenho lido em relação ao Raja Yoga, por exemplo. O Yogui praticante do Raja Yoga não pode, por exemplo, aceitar donativos, de qualquer espécie. Logo tem de trabalhar para se sustentar. E ser uma pessoa útil, para o conjunto. Os católicos é que enclausuram pessoas dentro de conventos só para rezar. Se há linhas budistas ou de outras tradições que praticam a meditação que têm de ser sustentados por outros, são inúteis, tal como as freiras ou monges católicos que só se dedicam à prece.

A meditação é uma forma de concentrar a atenção. Não é não pensar, é não ser afectado pelos pensamentos como se fosse um espectador de si mesmo. Também é isso que tenho lido.

Todavia, eu mesmo não tenho a experiência da meditação profunda. Apenas leio o que outros comunicam.

Acredito que o amigo seja bem mais conhecedor do que eu, neste assunto. Não é preciso saber muito, para isso, mas as questões que o amigo está sempre a colocar aqui, neste fórum espirita, não parecem de quem é conhecedor destas matérias, pois já podia ter encontrado respostas (através da meditação, como diz, por exemplo, podia ser um iluminado e estar a ensinar em vez estar apenas a questionar). Não tenho nada contra as suas questões, estou apenas a tirar ilações do que vai dizendo. Mas trata-se apenas da minha opinião, que tem a importância de outra opinião qualquer.

De qualquer modo agradeço que, se puder nomeie as fontes de onde retirou as suas conclusões em relação ao assunto em apreço.   

Bem haja
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Olé em 18 de Novembro de 2015, 18:59
Meditação

"A meditação é realmente muito simples, mas nós complicámo-la. Tecemos uma rede de ideias em torno dela, sobre o que é ou deixa de ser. Mas não é nenhuma dessas coisas. Porque é tão simples ela escapa-nos. As nossas mentes são muito complicadas e acham-se gastas pelo tempo. Mas essa mente determina actividade do coração e aí a dificuldade começa. A meditação sobrevem naturalmente e com extraordinária facilidade quando caminhamos pela areia ou olhamos pela janela e distinguimos aquelas colinas queimadas maravilhosas, queimadas pelo sol do Verão passado. Porque somos seres tão torturados, com lágrimas nos olhos e riso forçado nos lábios? Se pudésseis percorrer sozinhos essas colinas e bosques, iríeis pelas vastas praias de areias alvas e, nessa solidão saberíeis o que é a meditação. O êxtase da solidão sobrevem quando deixais de vos sentir assustados por estar sós, sem pertencer mais ao mundo nem apegado a nada. Então, como aquela alvorada que estava esta manhã, isso sobrevem silenciosamente e estabelece um caminho dourado na própria quietude que existia no início, que existe agora, e que sempre estará aí."

(Krishnamurti)

http://www.forumespirita.net/fe/outras-doutrinas-espiritualistas/a-arte-da-meditacao-krishnamurti/30/#.VkzJmuYkrZc
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: lconforjr em 19 de Novembro de 2015, 14:38
Re: Sobre a Meditação

      Resf resp #10 em: 18 11 15, às 17:18, de Vinicius

      Robespierre e Vinicius escreveram que Jesus disse que ELE era Deus. Ele não disse que NÓS somos Deus.

      Conf: olá, meus amigos, não se esqueçam de que estamos falando do budismo, não do espiritismo; as interpretações deles são muito diferentes em relação a isso: para o espiritismo (penso que não esteja na codificação, mas apenas em obras e msgs de espíritos), Jesus foi, como vcs estão dizendo, “não Deus” mas, apenas “um com Deus”.

      No entanto, para muitas linhas espiritualistas, em particular as “orientais”, não existe senão “uma única mente e nós somos essa mente”, afirmação igual à vinda das revelações trazidas pela ciência mais avançada do mundo, aquela elaborada pelos físicos “místicos”, como outros cientistas os apelidaram. Esses físicos místicos afirmam mais ainda: “a mente é a única coisa que não tem plural!". Assim, par a física quantica (nome dado por Einstein) só há uma única mente e nós somos essa mente!”.

      Assim, os buscadores da compreensão sobre o Todo (Deus, eventos da vida etc) de desde séculos ou milênios antes do Cristo (até os dias de hoje), dizem: “a doença do homem é ver dois onde só existe um!”.

      Um abraço!
...............
     
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: lconforjr em 19 de Novembro de 2015, 15:06
‘Re: Deus x Buda x Meditação

      Ref resp #15 em: 15 11 15, às 19:22, de Robespierre.
         
      Robespierre (ao Vitor):... A minha maior curiosidade é exatamente saber como surgiu uma religião sem Deus e sem vida após a morte. Tbm tenho curiosidade em entender como Buda pode ser "divino" com idéias tão anti religiosas. Acho um absurdo comparar Buda com grandes mestres como Jesus, por exemplo.

      Conf: entrando nessa conversa; meu amigo Rob, primeiro: essas linhas budistas que não creem em Deus, não são “religiões”, no sentido que damos a essa palavra; são tradições nas quais o objetivo é meditar e unir-se a "Deus" (à Consciência Universal), "aqui e agora”; segundo, nenhuma delas diz que não existe “vida após a morte”; o amigo deve estar confundindo alguma coisa pois, para essas linhas espiritualistas, a vida é infinita, sem princípio nem fim! Para elas, porém, não existe vida “individual”, pois o “eu” não sobrevive à morte física.

      Robes: Eu sou espírita e creio sem ver. Infelizmente até hoje não temos nada demonstrado sobre a existência de espíritos. E infelizmente tbm nunca presenciei um fenômeno espírita de perto para poder estuda-lo e chegar ás minhas próprias conclusões.

      Conf: o amigo lembra-se de o que disse Paulo: “fé é crer naquilo que não se vê!”? Se vc acredita em uma coisa qualquer sem “vê-la”, é apenas porq vc tem plena confiança nas fontes de onde veio isso que vc passou a crer, concorda? Mas, isso pode ser nada mais do que fé, “suposição” sua (como de muitos outros), que depois poderá resultar em decepções, sofrimentos e descrença total, pois vc não viu; apenas creu!

      Um abraço!
.................
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 19 de Novembro de 2015, 15:31
Vitor Santos

Admiro muito Allan Kardec. Na minha opinião ele foi um homem honesto e bem intencionado. Mas é claro que não podemos dar ás costas as várias falhas que existem na doutrina.

1 - Tem gente que insiste em falar em espíritos "superiores". Esses espíritos , se é que existem, não fizeram contato, pois o livro dos espíritos têm um monte de erros grosseiros em matéria de biologia etc. Portanto, acredito que foram espíritos "normais" que mandaram mensagens. Espíritos normais são apenas pessoas sem corpo. Só isso.

2 - Já foram apontados vários casos de plágios nas obras de Chico Xavier. Claro...não acho que ele tenha sido mal intencionado. Acho que foi inconsciente mesmo. Mas por isso não dou muita importância para as coisas que André Luiz e Emmanuel falavam.

3 - Infelizmente só temos casos "fortes" vindos do passado.... como Crookes, Piper etc.  Os espíritos hoje em dia parecem não estar muito á vontade para testes.

4 - Acho incrível como o fenômeno da materialização sumiu do mapa. Não conheço nenhum lugar que faça esse tipo de coisa.

e por ai vai......

Por exemplo, se uma mensagem mediúnica identifica o espírito de alguém que ninguém conhece, se dá a morada onde vivia e nomes de familiares, factos de que só alguns familiares poderiam ter conhecimento, essa informação pode ser confirmada, desde que se possa demonstrar que não havia outra forma alternativa de explicar que a informação prestada pelo espírito ser obtida. Este é um exemplo do tipo de evidência cientifica que se pode obter, no caso do espiritismo.     


É....mas os céticos sempre inventarão desculpas para não aceitar. Existe um preconceito muito grande dos cientistas em relação a coisas espirituais.

uanto às palavras de  Siddhartha Gautama não posso concordar consigo. Para mim trata-se de um sábio no domínio da espiritualidade. Se as passagens que já li, atribuídas a  Siddhartha Gautama não são dele, isso já não sei. Mas elas parecem-me ser de uma riqueza espiritual muito grande. Mas opiniões são apenas opiniões.

Buda pode ter ensinado coisas bonitas, mas continua anos luz atrás de Jesus Cristo. E como eu disse no outro tópico, budismo pra mim é uma religião totalmente refutada, pois existem fortes evidências de que nossa consciência sobrevive após a morte.


Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: lconforjr em 19 de Novembro de 2015, 21:11
Re: Deus x Buda x Meditação

      Ref resp #26 em: 19 11 15, às 15:31, de Robespierre

      Robes disse (a Vitor Santos):... É... mas os céticos sempre inventarão desculpas para não aceitar. Existe um preconceito muito grande dos cientistas em relação a coisas espirituais.

      Conf: meu jovem, não é também preconceito falar que “os céticos sempre inventarão desculpas para não aceitar a os postulados da doutrina”?! Serão os céticos desonestos, hipócritas, injustos...? O amigo já comprovou que as desculpas deles são mesmo “inventadas”? Não serão essas coisas que diz que são desculpas resultantes do fato de não entenderem a doutrina, de a julgarem apenas um conjunto de crendices pois não têm comprovação científica, crenças tolas de pessoas supersticiosas que não sabem raciocinar etc?!

      Um abraço, meu jovem!
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Robespierre em 20 de Novembro de 2015, 02:05
Eleonora Piper foi estudada por mais de 20 anos. Só que os céticos ainda continuam falando que isso é evidência anedota....que não foram aplicados os métodos científicos etc.
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 20 de Novembro de 2015, 15:23
Olá amigo Iconforjr

Citar
No entanto, para muitas linhas espiritualistas, em particular as “orientais”, não existe senão “uma única mente e nós somos essa mente”, afirmação igual à vinda das revelações trazidas pela ciência mais avançada do mundo, aquela elaborada pelos físicos “místicos”, como outros cientistas os apelidaram. Esses físicos místicos afirmam mais ainda: “a mente é a única coisa que não tem plural!". Assim, par a física quantica (nome dado por Einstein) só há uma única mente e nós somos essa mente!”.

Não há físicos místicos nenhuns no que se refere à actividade cientifica deles. Há cientistas, mais vulgarmente ex-cientistas aposentados, que se dedicam a escrever livros e a fazer palestras sobre esses temas por conta própria, apresentando teorias comprovadas para explicar coisas que não estão no âmbito dessas teorias. Einstein não era místico nenhum. Há Fundações, muito poucas, que financiam alguns projectos na área ada espiritualidade. Mas os trabalhos que os cientistas realizam para elas não são submetidos ao cepticismo cientifico (cepticismo saudável, e não a crença fanática de que a Doutrina materialista está comprovada pela ciência

Mas quando algumas pessoas falam em cientistas, e sobretudo em nomes conhecidos, para dar credibilidade a teorias pessoais, não estão a falar em evidências suficientemente comprovadas pela ciência, apenas aproveitam a credibilidade desta última para convencer as pessoas cientificamente menos instruídas, ou menos cuidadosas. O mesmo acontece com muitos Espiritas, que começam um artigo ou uma palestra com um dito de Kardec, para parecer que se trata da Doutrina Espirita descrita na Codificação. Depois, a seguir saem psicografias que não têm nada a haver com o trabalho de Kardec. É um aproveitamento do nome "Allan Kardec" para dar credibilidade aos textos.

Há cientistas que investigam mesmo, nestas áreas, como Dean Radin, por exemplo, mas as conclusões deles são cientificas e não fantasias. Ele separa claramente o trigo do joio quando faz trabalhos científicos.

Quaisquer que sejam as tradições, ao falar de algo como Deus, ou como a Consciência Universal (panteísmo), todos são limitados, pois é uma questão que transcende todo o ser humano. Ainda que a meditação profunda permita determinados estados de consciência em que os meditadores dizem ter uma sensação de perda da individualidade, ainda está por demonstrar que essa sensação não é um problema cerebral conhecido que provoca esse efeito. Trata-se de evidências subjectivas e não de evidências universalmente comprovadas.

Bem haja
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 20 de Novembro de 2015, 15:33
Olá amigo Robespierre,

Os cépticos no sentido de crentes fanáticos da Doutrina Materialista (crentes porque não se baseiam em comprovações cientificas), não são uma boa referência. Eles divulgam uma crença deles, não ciência.

Citar
Eleonora Piper foi estudada por mais de 20 anos. Só que os céticos ainda continuam falando que isso é evidência anedota....que não foram aplicados os métodos científicos etc.

Foram obtidas evidências, mas não suficientemente comprovadas, de um ponto de vista cientifico. E mesmo que estivessem comprovadas, ao tempo desses estudos, necessitam de confirmação com a tecnologia actual, que é muito mais poderosa e fiável.

Ainda não consegui encontrar evidências cientifica e suficientemente comprovadas que permitam chegar ao Espiritismo sem alguma fé. Só a ciência é insuficiente e pouco conclusiva. Se fosse só pelas conclusões cientificas eu não seria adepto da Doutrina Espirita de Kardec, ou pelo menos de parte da mesma.

Bem haja 
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: lconforjr em 20 de Novembro de 2015, 16:04
Re: Deus x Buda x Meditação

      Ref resp #22 em: 18 11 15, às 14:19, de Vitor

      Boa-tarde, amigo Vitor.

      Vitor disse: Li as suas opiniões, mas o que tenho lido não coincide com elas, em muitos aspectos.

      Conf: Olá, meu amigo; cite alguma, ou todas as “não coincidências” que vc encontrou para q possamos estudá-las mais de perto e, se for o caso, explicá-las.

      Sem dúvida, as “tentativas” de meditação são apenas um meio, método ou o trabalho necessário de se chegar à meditação. Digo as “tentativas”, pois qdo se atinge a “meditação”, que pode vir das tentativas, já atingimos o objetivo final. Esse é o modo como alguns mestres se expressam: atingir o estado de meditação é atingir o estado do universo, atingir o "real"; além desse estado não há mais nada a atingir!

      Vitor: Acredito que o amigo seja bem mais conhecedor do que eu, neste assunto...  mas as questões que o amigo está sempre a colocar aqui, neste fórum espirita, não parecem de quem é conhecedor destas matérias

      Conf: não procuro nenhuma resposta, meu jovem; como muitas vezes já disse, o que procuro é levar outros a raciocinarem e procurarem eles mesmos as respostas.

      Vitor:... agradeço que, se puder, nomeie as fontes de onde retirou as suas conclusões em relação ao assunto em apreço.

      Conf; já lhe indiquei; várias delas estão em tópicos deste Fórum e, além do fórum, em o obuscadordedeus.blogspot.com e obuscadordedeus1.blogspot.com,  e noutros endereços eletrônicos dos quais não me recordo dos nomes, e na meditação.

      Abraços!
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Gabri-El em 20 de Novembro de 2015, 23:35
O link abaixo é de um vídeo da visão budista sobre a morte.

Haverá algum ponto de divergência entre esta visão e o que a Doutrina Espírita diz sobre a morte?

O Teste Final

https://www.youtube.com/watch?v=AKkOv2aNQZk
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: SimonB em 21 de Novembro de 2015, 00:06
Como espíritos podem ter influenciado na criação de uma religião (Ou filosofia, se preferirem) sem Deus, sem espíritos, sem vida após a morte, sem nada?? . Como vocês, espíritas, avaliam as "revelações" que Buda nos trouxe?
Abraços

O Budismo acredita na unidade de consciência, no todo, no fluido geral que inclui tudo e todos. É a mesma coisa que chamamos Deus.

O próprio Siddhārtha Gautama, que apenas foi chamado Buddha depois da sua morte, afirmava ter lembranças claras das suas ultimas três encarnações e que os ensinos lhe foram comunicados pela intuição (mediunidade).

A meditação como entendida no oriente, recomendada pela benfeitora Joanna de Ângelis, é um exercício das potencias psíquicas inerente ao homem. Da mesma forma, entramos em prece, em transe, em recolhimento..

Como pode ver, estamos apenas usando palavras diferente para designar aspectos semelhantes. A DE e o Budismo tem, ao contrário, muito em comum.
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 21 de Novembro de 2015, 15:39
Olá amigo Iconforjr

Citar
Conf: não procuro nenhuma resposta, meu jovem; como muitas vezes já disse, o que procuro é levar outros a raciocinarem e procurarem eles mesmos as respostas.

Se não procura é porque o amigo já tem as respostas todas, talvez, ou então já desistiu de as procurar. Isso é consigo. Sou um jovem, mas de cabelos brancos  :D

Levar as outras pessoas a raciocinar para procurar algo que, em principio, se pode constatar experimentando e não através do raciocínio? Só se ensinar técnicas de relaxamento e meditação. Não estou a ver outra forma.

De qualquer forma, "a iluminação" obtém-se através de uma boa conduta moral, também segundo as tradições Orientais, não? A meditação não evita os inconvenientes de uma conduta errada ou evita?

Bem haja
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: lconforjr em 21 de Novembro de 2015, 16:39
Re: Deus x Buda x Meditação

      Ref resp #30 em: 21 11 15, às 15:23, de Vitor

      Olá, amigo Vitor, e demais amigos.

      Conf (msg ant): No entanto, para muitas linhas espiritualistas, em particular as “orientais”, não existe senão “uma única mente e nós somos essa mente”, afirmação igual à vinda das revelações trazidas pela ciência mais avançada do mundo, aquela elaborada pelos físicos “místicos”, como outros cientistas os apelidaram. Esses físicos místicos afirmam mais ainda: “a mente é a única coisa que não tem plural!". Assim, para a física quântica (nome dado por Einstein) só há uma única mente e nós somos essa mente!”.

      Conf: é claro que, “antes”, não havia físicos “místicos”, que isso deve ser apenas um “apelido” que deram a eles, talvez até mesmo com sentido pejorativo! Mas hoje deve existir muitos aos quais podemos dar esse nome, pois que perceberam, com seus sofisticados laboratórios e “ferramentas” de pesquisas de última geração, que o que os místicos diziam, desde séculos ou milênios A.C, revelações adquiridas apenas com a “ferramenta” da meditação, era uma verdade.

      Fritjof Capra, por exemplo, doutor em física teórica, em seu livro “O Tao da Física”, que foi considerado "um dos mais fascinantes", traça um paralelo entre a física moderna (relatividade, física quântica, física das partículas) e as filosofias e pensamentos orientais tradicionais, como os do Taoísmo, do Budismo (incluindo o Zen) e do Hinduísmo. Publicado nos anos 70, seu livro mostra os pontos comuns entre as abordagens oriental e ocidental da realidade.

      Sem dúvida, Capra e outros que concordam com ele, e são muitos, podem ser chamados de impostores por colegas que não concordam devido ao inusitado das revelações trazidas pela física moderna, em relação às quais renomados físicos disseram que toda ciência anterior devia ser repensada, reestudada pois "pensávamos que estávamos estudando o mundo, mas tínhamos nas mãos apenas uma caricatura mal feita dele". Outros disseram: "Como a natureza pode ser tão absurda?! A realidade está se mostrando mais estranha do que a ficção!" e outras coisas!
............
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: lconforjr em 21 de Novembro de 2015, 19:15
Re: Deus x Buda x Meditação

      Ref resp #34 em: 21 11 15, às 15:39, de Vitor

      Conf disse: não procuro nenhuma resposta, meu jovem; como muitas vezes já disse, o que procuro é levar outros a raciocinarem e procurarem eles mesmos as respostas.

      Vitor: Levar as outras pessoas a raciocinar para procurar algo que, em principio, se pode constatar experimentando e não através do raciocínio? Só se ensinar técnicas de relaxamento e meditação. Não estou a ver outra forma.

      Conf: técnicas de meditação já foram, por mim e por outros, ensinadas. Até já lhe indiquei tópicos deste fórum e sites onde poderá estudá-las. E não têm nada de difícil; exigem, isto sim, disposição, determinação, vontade e tempo para a tentativa de meditar!

      Vitor: De qualquer forma, "a iluminação" obtém-se através de uma boa conduta moral, também segundo as tradições Orientais, não? A meditação não evita os inconvenientes de uma conduta errada ou evita?

      Conf: não se exige ter uma boa conduta moral; apenas exige determinação, desejo, vontade e tempo disponível. A boa moral não é um meio para que se obtenha a “iluminação”, mas uma consequência desta. Com a conquista da meditação a boa conduta moral, o amor, etc, se tornam a natureza daquele que chegou à meditação!

      Tenha um feliz domingo!
...........   
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Olé em 21 de Novembro de 2015, 21:17
Meditação

"Meditação é ver o constante tocando o movimento da vida sempre mudando. O homem que progrediu de ser pecador para ser santo, progrediu de uma ilusão para outra. Todo este movimento é uma ilusão. Quando a mente vê esta ilusão, não está mais criando nenhuma ilusão, não está mais medindo. Portanto o pensamento chegou ao fim em relação ao se tornar melhor. Disto vem um estado de liberação – e isto é sagrado. Isto sozinho pode, talvez, receber o constante."

Pode a mente estar consciente desse vazio sem nomeá-lo?

"Penso que a maioria de nós fica consciente, talvez só raramente já que a maioria de nós está terrivelmente ocupada e ativa, mas penso que estamos conscientes, algumas vezes, que a mente está vazia. E, estando conscientes, temos medo desse vazio. Nós nunca investigamos nesse estado de vazio, nunca entramos nele profundamente; temos medo e, então, nos desviamos dele. Nós lhe demos um nome, dizemos que é “vazio”, é “terrível”, é “doloroso”; e esse próprio nomear já criou uma reação na mente, um medo, um escape, uma fuga. Ora, pode a mente parar de fugir, e não dar nome, não dar a isto a significação de uma palavra como vazio a respeito da qual temos memórias de prazer e dor? Podemos olhar para isto, pode a mente estar consciente desse vazio sem nomeá-lo, sem fugir dele, sem julgá-lo, mas simplesmente ficar com ele? Porque, então, isso é a mente. Então, não existe um observador olhando para isto; não há censor para condenar; existe apenas aquele estado de vazio com o qual todos nós estamos bem familiarizados mas que todos nós evitamos, tentando preenchê-lo com atividades, com adoração, preces, conhecimento, com toda forma de ilusão e excitação. Mas quando toda excitação, ilusão, medo, fugas param, e você não está mais lhe dando um nome e, por isso, o condenando, o observador é diferente da coisa que é observada? Certamente, lhe dando um nome, condenando, a mente criou um censor, um observador, fora dela mesma. Mas quando a mente não confere um termo, um nome, condena, julga, então não existe observador, apenas o estado dessa coisa que chamamos de vazio."

(Krishnamurti)
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Novembro de 2015, 12:56
Olá amigo iconforjr

Citar
Conf: é claro que, “antes”, não havia físicos “místicos”, que isso deve ser apenas um “apelido” que deram a eles, talvez até mesmo com sentido pejorativo! Mas hoje deve existir muitos aos quais podemos dar esse nome, pois que perceberam, com seus sofisticados laboratórios e “ferramentas” de pesquisas de última geração, que o que os místicos diziam, desde séculos ou milênios A.C, revelações adquiridas apenas com a “ferramenta” da meditação, era uma verdade.

Eu não digo, nem nunca disse, que não existem cientistas que têm convicções fortes de que a explicação para tudo isto, onde estamos incluídos, transcende o paradigma materialista.O cientista é uma pessoa como qualquer outra. Até pode ser um religioso. Mas uma coisa são os trabalhos do cientista, enquanto profissional, em que ele tenta descobrir e comprovar, o mais possível, novas evidências, ou em que ele tenta encontrar resposta para as incoerências entre resultados teóricos e/ou experimentais, comprovar, sobre novos pontos de vista, o  que já vem sendo aceite como um bom modelo da realidade, etc.; outra coisa é o cientista enquanto pessoa. O cientista, enquanto profissional,  usa ou pode usar a intuição, mas a fé não é critério cientifico.

Nós podemos encontrar modelos aproximados da realidade, mas não creio que possamos conhecer a realidade de tudo isto, em que nos incluímos, e que designamos genericamente de "Universo". Essa é uma das divergências que tenho em relação às pessoas que estão convencidas que têm certezas absolutas, seja lá do que for. E é aí que eu acho que o religiosos típicos e os cépticos fanáticos da Doutrina materialista-fisicalista-reducionista, se espalham ao comprido. A certeza absoluta parece-me ser uma ilusão.

Claro que há coisas em que as nossas certezas são maiores, por exemplo: os automóveis podem funcionar com um motor de combustão, como ainda é o mais usual. O modelo teórico que descreve o modelo de um motor de combustão é credível, pois existem biliões de veículos desse tipo a circular pelo mundo inteiro, gastam combustível, aquecem, enfim, comportam-se de forma coerente com o modelos teóricos que os descrevem.  Mas o assunto de que falamos engloba modelos da realidade muito complexos, em que as certezas são relativas. São assuntos que transcendem a capacidade de compreensão do homem, dos quais este apenas pode abranger uma ínfima parte.

Eu não sou um cientista nem tinha conhecimentos, meios e capacidade para isso. Todavia tenho uma formação que incluiu bases cientificas fortes. Incluindo alguns conhecimentos  mecânica quântica. E esta última disciplina que se inclui na química-física, pode ter evoluído muito desde que a estudei. Todavia os argumentos que referem a mecânica quântica, no âmbito do que estamos a debater  não falam em novas descobertas, nesta área, mas em conclusões que já têm entre 50 e 100 anos, mais ou menos, mas apresentam-nos as coisas como se fossem novidades de última hora.     

Mas nos laboratórios e com os meios dos dias de hoje, que servem para a investigação cientifica, em regra, não se estuda nada dessas coisas. Há estudos, mas são muito poucos e com um nível de comprovação baixo, mas fora da investigação profissional, pois esta última é uma actividade económica. Senão como podiam ser suportados financeiros esses potentes laboratórios e meios?

Os mecenas da ciência não têm capacidade para tal. Os contribuintes já estão sobrecarregados com impostos e taxas de vária ordem para que o erário público, no mundo de hoje, possa suportar estudos sem interesse económico.

A comprovação cientifica é obtida através da confirmação das evidências, ao longo do tempo, realizada por muitas pessoas, de pontos de vista diferentes. Em assuntos complexos não chega meia dúzia de cientistas terem investigado.       

Há uma confusão grande entre ciência e as divagações filosóficas em torno da ciência, as aparentes ou reais analogias entre o que os sábios das várias tradições religiosas e/ou doutrinas de natureza espiritual disseram e o que diz a ciência. Essas divagações e analogias apontam hipóteses, embora lógicas, e não certezas nem evidências suficientemente comprovadas. A própria ficção cientifica é uma divagação em torno da ciência, que, por vezes até parecem quase profecias, na medida em que, depois, a ciência se encaminha no sentido em que os autores da ficção cientifica previram.       



A grande dificuldade que eu encontro, na forma de pensar de muitas dessas pessoas de que fala, que profissionalmente são ou foram cientistas, mas cujas divagações em torno da ciência não são ciência, são mais um exercício de filosofia, é que elas tentam encontrar modelos baseados no paradigma de que tudo no Universo funciona como uma máquina, incluindo Deus e os seres espirituais.

A diferença entre os materialistas típicos e esses é que os primeiros crêem que não existe Deus nem seres espirituais, e os segundos crêem que existem máquinas mais sofisticadas que a ciência actual ainda não aceita como realidades comprovadas, que são os seres espirituais e Deus. Ou só Deus (no caso dos panteístas).

A explicação de Deus e dos seres espirituais como máquinas, em meu entender, não é credível. Se eu assim pensasse nunca seria espiritualista, seria materialista. Por definição, para mim, ser espiritual é aquele que não é uma máquina, e é nesse sentido que tem natureza divina. Pois não consigo conceber Deus como uma máquina, ainda que seja a máquina mais sofisticada do Universo. A diferença entre a máquina natural e o divino é o que dá sentido ao espiritualismo, na minha óptica. Eu creio que o corpo de carne é uma máquina natural, mas não creio que a alma seja uma máquina.

 
Bem haja
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Novembro de 2015, 12:57
Olá amigo Iconforjr


Citar
Conf: não se exige ter uma boa conduta moral; apenas exige determinação, desejo, vontade e tempo disponível. A boa moral não é um meio para que se obtenha a “iluminação”, mas uma consequência desta. Com a conquista da meditação a boa conduta moral, o amor, etc, se tornam a natureza daquele que chegou à meditação!

Aqui o seu raciocínio faz lembrar aquela história de quem nasceu primeiro: o ovo ou  a galinha.

Será que uma pessoa que se vê e, sobretudo, se comporta, como sendo apenas um corpo de carne mortal, que se vê como a besta sadia, cadáver adiado que procria, encontrará a motivação para se dedicar à prática da meditação, ao estudo e a práticas relacionadas com espiritualidade? Práticas supersticiosas são comuns até em ateus materialistas-fisicalistas, mas superstição nada tem a haver com espiritualidade.

A conduta errada, de um ponto de vista espiritual, provém da crença ilusória que somos apenas corpos de carne mortais. Se assim nos vemos, a nós e aos outros, como podemos ter motivação para nos dedicarmos à meditação (não interessa muito o que dizemos aos outros, nem tão pouco a narrativa que fazemos a nós mesmos, mas aquilo em que realmente cremos e que é visível e na forma como nos comportamos e não nas palavras)?

Eu compreendo, acho eu..., a questão dos inconvenientes do apego às coisas deste mundo. Se somos espiritos imortais, se o corpo de carne não nos pertence e é apenas uma máquina natural a que estamos ligados transitoriamente, se a morte na carne é inevitável, estamos a apegar-nos a algo impermanente. Todavia, sem algum apego poderá haver motivação para viver aqui, neste mundo? Não levaria isso à vontade de se suicidar? Podemos separar completamente o ser espiritual que somos e a máquina de carne a que estamos associados, na nossa mente, enquanto estamos encarnados?

Mas se, durante a encarnação vivemos como um actor (espírito) que desempenha o papel de uma personagem, mas sem ter bem a noção de que é uma personagem e não o actor (podemos chegar lá pelo pensamento, pela imaginação, pela experiência meditativa, ou outras, mas não creio que seja possível ver-se a 100% como o actor), no momento do desencarne deveríamos iniciar o processo de nos vermos novamente com o actor e deixar de nos ver como a personagem. Todavia se o apego era demasiado, compreendo que o espírito possa continuar agarrado à personagem, e que, em vez de se tentar libertar, procure voltar a ser a personagem que procurava ser. Mas a DE ensina que esta nunc poderia ser a última encarnação, ao contrário do Budismo. A ideia é parecida: livrar-se do ciclo de encarnações, mas para a DE ainda é cedo para nós. Podemos evoluir para vir a encarnar depois num mundo regenerador, no máximo, para já.

Há apegos muito fortes. Entre aqueles que me parecem mais fortes é aquele que temos às pessoas. O apego às coisas parece-me mais simples de eliminar. Mas quando amamos alguém, de um ponto de vista que inclui também o desejo carnal, por exemplo, é extremamente difícil admitir que temos de nos separar da pessoa. Até mesmo que não haja desejo carnal, mas que haja um afecto muito grande.

Todavia Deus concebeu a encarnação de tal forma que a libertação dos apegos é facilitada, por via do envelhecimento, da demência, da perda progressiva das capacidades físicas, etc. Em tudo está implícita um Inteligência superior, até no que nos faz degradar fisicamente a Inteligência Suprema, a que chamamos Deus.   

A Doutrina Espirita dá alguma resposta em em relação a isso. A relação carnal tem de cessar, necessariamente, mas o amor entre duas almas pode permanecer. E esse amor, com a evolução espiritual, pode estender-se a todos os seres espirituais, começando por Deus. A felicidade de amar e ser amado jamais cessará, pelo contrário, será cada mais intensa e generalizada. A sensação de solidão que, por vezes, sentimos na Terra, não será a nossa condição futura. A evolução espiritual significará, provavelmente mais união, entre todos os seres espirituais e entre cada espiritual e Deus. Mas a ligação de amor não quer dizer necessariamente que a individualidade não existe.   

A individualidade, a consciência de si mesmo, isso não pode deixar de existir, embora possa mudar de perspectiva, se admitimos que a vida depois da morte existe. A perda da consciência de si mesmo, para mim chamava-se morte. Não morte carnal, mas espiritual, essa definitiva..   
 
Bem haja
Título: Re: Deus x Buda x Meditação
Enviado por: Olé em 23 de Novembro de 2015, 18:01
A própria conscientização do que é, é um processo libertador

"A própria conscientização do que é, é um processo libertador. Enquanto estamos inconscientes daquilo que somos e ficamos tentando nos tornar outra coisa, haverá distorção e dor. A própria conscientização do que eu sou provoca transformação e liberdade de compreensão."

(Krishnamurti)