Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Existência de Deus => Tópico iniciado por: Clay em 22 de Fevereiro de 2012, 17:42

Título: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 22 de Fevereiro de 2012, 17:42
Gostaria de propor uma reflexão sobre as perigosas ideias materialista-ateias, para tanto disponibilizo o link abaixo onde o médium,escritor e conferencista Benjamin Teixeira de Aguiar Machado aborda a questão.

http://www.saltoquantico.com.br/2012/02/17/ateismo-o-abominavel-crime-da-militancia-contra-deus-disseminando-desespero-e-cinismo-entre-milhoes-de-criaturas/
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 22 de Fevereiro de 2012, 21:00
Sobre o termo ateismo:
"Ateísmo, num sentido amplo, é a rejeição ou ausência da crença na existência de divindades e outros seres sobrenaturais. O ateísmo é contrastado com o teísmo, que em sua forma mais geral é a crença de que existe pelo menos uma divindade. Num sentido mais restrito, o ateísmo é precisamente a posição de que não existem divindades.
Logo, não é de se afirmar que um ateu, por assim pensar, mantenha alguma militância contra Deus ou divindades.
Isso porque ele não acredita nelas.
Simples assim.
Abraços,
Moura
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Ped a Jesus em 22 de Fevereiro de 2012, 21:10
quanto desperdicio de energia do nada para nada ,e meio esquisito isso parece uma Ameba
que se esconde na sua inferioridade de posição ,não tem sentido se aprende tanto do nada do inutil,que evolução para baixo,so perdoando para entender que algo não quer no amor e dizer que ama.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 22 de Fevereiro de 2012, 22:28
quanto desperdicio de energia do nada para nada ,e meio esquisito isso parece uma Ameba
que se esconde na sua inferioridade de posição ,não tem sentido se aprende tanto do nada do inutil,que evolução para baixo,so perdoando para entender que algo não quer no amor e dizer que ama.
Sobre o termo ateismo:
"Ateísmo, num sentido amplo, é a rejeição ou ausência da crença na existência de divindades e outros seres sobrenaturais. O ateísmo é contrastado com o teísmo, que em sua forma mais geral é a crença de que existe pelo menos uma divindade. Num sentido mais restrito, o ateísmo é precisamente a posição de que não existem divindades.
Logo, não é de se afirmar que um ateu, por assim pensar, mantenha alguma militância contra Deus ou divindades.
Isso porque ele não acredita nelas.
Simples assim.
Abraços,
Moura


Na prática não é tão simples assim. Essas ideias são muito perigosas a tal ponto que segundo Emmanuel em " A Caminho da Luz" foi o motivo da encarnação de kardec no século XIX e em certo sentido da primeira grande guerra, pois uma Europa cínica, materialista,racional de mais, mas sem as conquistas do sentimentos levou o mundo a autodestruição . Não nos esqueçamos que estamos em um mundo heterogêneo, boa parte da juventude não tem preparo para lidar com o mito de que  ser ateu é ser mais inteligente e que espiritualidade é coisa de gente ignorante. Muitos então buscam viver a necessidade de transcendência inerente a todo ser humano através das drogas, quem não reverência o sublime, reverência os vícios.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 22 de Fevereiro de 2012, 23:10
Nas universidades, professores sem responsabilidade social destroem sem pudor a fé de católicos e evangélicos menos preparados, lançando-os no campo da incerteza, do medo, do cinismo e posteriormente nas drogas. Novamente, como no século XIX, o materialismo e o ateísmo ameaçam consumir a tudo e a todos, só que desta fez usam uma "inocente" ideia de que existem ateus bonzinhos, éticos, com o objetivo de diminuir as barreiras e se instalarem sorrateiramente. Essas ideias são comuns nas regiões umbralinas (vide série André Luís), onde é dito que lá se tem plena liberdade, se pode fazer tudo que se quer; mas não dizem que são controlados por gênios das trevas. O que está por trás dessas ideias ressurgidas é a noção de se viver a liberdade sem responsabilidade, pois se Deus e seus representantes não existirem não há que se prestar contas do comportamento a ninguém. Isso é imensamente perigoso para a civilização, tão perigoso quanto o fanatismo religioso, são dois extremos que devem ser duramente combatido por qualquer pessoa lúcida e responsável. E O Livro dos Espíritos é dito que o mal prospera graças a acomodação dos bons. Então não nos acomodemos muito está em jogo, nesta década o ateísmo vai se proliferar muito.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 01:11
A julgar pelo silêncio, percebo que muitos não estão conscientes do que está por vir. Pediria que dessem uma lida em artigo recente divulgado pela revista Veja e verão ao que me refiro. Estes artigos ficarão cada vez mais frequentes e arregimentarão muitos incautos, enquanto nós que temos uma melhor formação assistiremos tudo de forma passiva. Lembremos que a quem muito é dado muito será cobrado!
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Paulo Castro em 23 de Fevereiro de 2012, 01:28
O mano Clay tem toda razão,e não podemos mesmo esquecer das guerras que aconteceram no seculo passado.Infelizmente,nossos jovens,digo principalmente os adolescentes,estão se deixando levar facilmente,por palavras de pessoas extremamente cepticas,com isso muitas pessoas que não tem plena convicção de sua fé,ou seja na doutrina que segue,ou até mesmo que não siga doutrina alguma,mas sempre acreditou na existencia de Deus,acabam se declinando as ideias de certos professores e estudiosos mais graduados.
   As novas gerações correm um risco muito grande,pois se essas ideias malucas tomarem de assalto os jovens de hoje,o que vai ser dos velhos de amanhã.
 Eu sou musico,e conheço muitas pessoas que são ateias,sempre vejo uma coisa ou outra,e realmente essas pessoas não parecem pensar,vivem o momento se embebedando,se drogando e ao conversar com essas pessoas,é semelhante a conversar sozinho,aliás,conversar sozinho é melhor,o nivel de realidade é outra.
  os ateus pensam que são inteligentes,muitos deles dizem que são inteligentes por não se apegarem a em crenças.
  Por muitos anos eu tambem fui inteligente e não me apegava a nada,não tinha amor proprio,pois tambem havia me contaminado pelas mesmas ideias,mas eu caí fui ao fundo do poço,mas eu tive ajuda para me levantar.agora vejo as mesmas ideias voltando atona, as mesmas ideias que quase me destruiu a uns 10 anos atrás,vindo em direção dos jovens e adolescentes de hoje,e não podemos negar que uma boa parte deles,vão trilhar um possivel caminho da morte.Peçamos a Deus,todos nós que pelo menos a maior parte se desperte para a verdade que se chama Jesus.

             muita paz e muita luz....
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 02:13
O mano Clay tem toda razão,e não podemos mesmo esquecer das guerras que aconteceram no seculo passado.Infelizmente,nossos jovens,digo principalmente os adolescentes,estão se deixando levar facilmente,por palavras de pessoas extremamente cepticas,com isso muitas pessoas que não tem plena convicção de sua fé,ou seja na doutrina que segue,ou até mesmo que não siga doutrina alguma,mas sempre acreditou na existencia de Deus,acabam se declinando as ideias de certos professores e estudiosos mais graduados.
   As novas gerações correm um risco muito grande,pois se essas ideias malucas tomarem de assalto os jovens de hoje,o que vai ser dos velhos de amanhã.
 Eu sou musico,e conheço muitas pessoas que são ateias,sempre vejo uma coisa ou outra,e realmente essas pessoas não parecem pensar,vivem o momento se embebedando,se drogando e ao conversar com essas pessoas,é semelhante a conversar sozinho,aliás,conversar sozinho é melhor,o nivel de realidade é outra.
  os ateus pensam que são inteligentes,muitos deles dizem que são inteligentes por não se apegarem a em crenças.
  Por muitos anos eu tambem fui inteligente e não me apegava a nada,não tinha amor proprio,pois tambem havia me contaminado pelas mesmas ideias,mas eu caí fui ao fundo do poço,mas eu tive ajuda para me levantar.agora vejo as mesmas ideias voltando atona, as mesmas ideias que quase me destruiu a uns 10 anos atrás,vindo em direção dos jovens e adolescentes de hoje,e não podemos negar que uma boa parte deles,vão trilhar um possivel caminho da morte.Peçamos a Deus,todos nós que pelo menos a maior parte se desperte para a verdade que se chama Jesus.

             muita paz e muita luz....


Companheiro, muito obrigado pelo depoimento. Obrigado por manifestar o repúdio ao modismo perverso do ateísmo. Essa causa é uma causa de todos nós, senão corremos o risco de alguém que amamos ser arrastado por essa onda de loucura e irracionalidade. Ainda entristeço-me por só você perceber isso, outros tópicos de menor relevância aqui no fórum bombam e o pior percebi uma certa licenciosidade aqui, pois até vídeo de ateus propagando suas ideias encontrei por aqui, tudo é claro em favor da boa democracia. Afirmou Nosso senhor e Mestre Jesus através da psicografia de João Evangelista em Apocalipse "Sede quentes ou frios, eu vomito os mornos" Indicando ao cristão o espírito de combatividade no bem. Gênios desencarnados da trevas tem interesse nessas ideias serem propagadas. Não podemos compactuar com isso, nem nos omitirmos! Mostremos que há pessoas de alta graduação que defendem o contrário, que os defensores da imortalidade da alma não são ignorantes, mas que muitos destacam-se em vários ramos. Os jovens buscam exemplos, então demos exemplos a eles e propaguemos as ideias racionais e científicas do espiritismo.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: HamLacerda em 23 de Fevereiro de 2012, 02:21
Gostaria de propor uma reflexão sobre as perigosas ideias materialista-ateias, para tanto disponibilizo o link abaixo onde o médium,escritor e conferencista Benjamin Teixeira de Aguiar Machado aborda a questão.

http://www.saltoquantico.com.br/2012/02/17/ateismo-o-abominavel-crime-da-militancia-contra-deus-disseminando-desespero-e-cinismo-entre-milhoes-de-criaturas/

Gostaria de propor outra reflexão acerca do perigoso título do tópico e das idéias espiritualistas abordadas no vídeo.

Como pode ver, tanto um lado como o outro são perigosos quando são inflamados pelas paixões: as guerras santas não existiriam se os crentes deixassem a cargo de Deus o julgamento e sua confiança.



Estou fazendo este comentário, meio grave, para que não vejam nisso uma relação com o espiritismo, visto que é contrário à seus ensinamentos:



Revista Espírita 1865 » Outubro » Partida de um adversário do Espiritismo para o mundo dos Espíritos (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5pcGVhay5jb20uYnIvc2l0ZS9idXNjYV9qYW5lbGFfY29udGV1ZG8ucGhwP3NlYz1yb3RlaXJvJmFtcDtpZD01ODM1JmFtcDtpZGlvbWE9MVsvdXJs)

"Senhor padre, embora tenhais sido nosso adversário declarado e militante na Terra, nenhum de nós assim vos quer hoje e jamais vos quis durante vossa existência, primeiro porque nossa fé faz da tolerância uma lei e aos nossos olhos todas as opiniões são respeitáveis, quando sinceras. A liberdade de consciência é um dos nossos princípios; nós a queremos para os outros, como a queremos para nós. Só a Deus pertence julgar da validade das crenças, e nenhum homem tem o direito de anatematizar em nome de Deus. A liberdade de consciência não tira o direito de discussão e de refutação, mas a caridade ordena não amaldiçoar ninguém. Em segundo lugar, não vos queremos menos, pois vossa oposição não causou nenhum prejuízo à doutrina. Servistes à causa do Espiritismo, malgrado vosso, como todos os que o atacam, ajudando a torná-lo conhecido e provando, sobretudo em razão do vosso mérito pessoal, a insuficiência das armas que empregam para combatê-lo. "




Hamlacerda




 
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 02:33
Gostaria de propor uma reflexão sobre as perigosas ideias materialista-ateias, para tanto disponibilizo o link abaixo onde o médium,escritor e conferencista Benjamin Teixeira de Aguiar Machado aborda a questão.

http://www.saltoquantico.com.br/2012/02/17/ateismo-o-abominavel-crime-da-militancia-contra-deus-disseminando-desespero-e-cinismo-entre-milhoes-de-criaturas/

Gostaria de propor outra reflexão acerca do perigoso título do tópico e das idéias espiritualistas abordadas no vídeo.

Como pode ver, tanto um lado como o outro são perigosos quando são inflamados pelas paixões: as guerras santas não existiriam se os crentes deixassem a cargo de Deus o julgamento e sua confiança.



Estou fazendo este comentário, meio grave, para que não vejam nisso uma relação com o espiritismo, visto que é contrário à seus ensinamentos:



Revista Espírita 1865 » Outubro » Partida de um adversário do Espiritismo para o mundo dos Espíritos (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5pcGVhay5jb20uYnIvc2l0ZS9idXNjYV9qYW5lbGFfY29udGV1ZG8ucGhwP3NlYz1yb3RlaXJvJmFtcDtpZD01ODM1JmFtcDtpZGlvbWE9MVsvdXJs)

"Senhor padre, embora tenhais sido nosso adversário declarado e militante na Terra, nenhum de nós assim vos quer hoje e jamais vos quis durante vossa existência, primeiro porque nossa fé faz da tolerância uma lei e aos nossos olhos todas as opiniões são respeitáveis, quando sinceras. A liberdade de consciência é um dos nossos princípios; nós a queremos para os outros, como a queremos para nós. Só a Deus pertence julgar da validade das crenças, e nenhum homem tem o direito de anatematizar em nome de Deus. A liberdade de consciência não tira o direito de discussão e de refutação, mas a caridade ordena não amaldiçoar ninguém. Em segundo lugar, não vos queremos menos, pois vossa oposição não causou nenhum prejuízo à doutrina. Servistes à causa do Espiritismo, malgrado vosso, como todos os que o atacam, ajudando a torná-lo conhecido e provando, sobretudo em razão do vosso mérito pessoal, a insuficiência das armas que empregam para combatê-lo. "




Hamlacerda




 


Caro confrade, imagino que você não conhece Jesus, digo o Jesus dos Evangelhos. Indignando-se, derrubando as bancas do templo, chamando de hipócritas os religiosos de seu tempo. Jesus não era nada passivo, pelo contrário era muito combativo, o problema é que criaram uma noção de passividade como sinônimo de espiritualidade e é isso que as trevas gostam de muita gente se achando santo só por ser manso, passivo e as vezes negligente. Lamento não ter percebido a gravidade do que está acontecendo, não está sendo proposto aqui uma caça as bruxas ou uma agressão contra os ateus, mas sim uma postura mais firme contra AS IDEIAS MATERIALISTAS  e não contra pessoas. Leia André Luís e verá se os mentores são passivos como você acha que deve ser a espiritualidade.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: HamLacerda em 23 de Fevereiro de 2012, 03:00
Meu caro, vamos fazer outra reflexão?


Alguns ateus podem ser perigosos ao espiritismo, é verdade, no entanto, o ateísmo é a ferramenta pela qual o espiritismo avança, porque é o ateísmo que faz o trabalho sujo do qual o espiritismo não poderia fazer.

Sem o ateísmo as pessoas acreditariam em qualquer coisa, e dificilmente o espiritismo poderia triunfar no meio de tantas fábulas, crendices populares, ocultismo, professias etc. Por isso que o espiritismo "apareceu" na época que o movimento ateísta estava mais inflamado. Foi nesse sentido, penso eu, que Emmanuel pronunciou as palavras acima.


E sem conveniências, meu caro, você não conhece a natureza de Jesus para afirma que ele fez o que você disse, e nem a bíblia é prova disso. E ter uma postura firme é diferente de atacar. Parece que você não leu a resposta de Kardec ao Padre: isto é ter postura firme.



Encerro aqui, pois o que tinha pra dizer já foi dito.




Hamlacerda



Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 03:14
Meu caro, vamos fazer outra reflexão?


Alguns ateus podem ser perigosos ao espiritismo, é verdade, no entanto, o ateísmo é a ferramenta pela qual o espiritismo avança, porque é o ateísmo que faz o trabalho sujo do qual o espiritismo não poderia fazer.

Sem o ateísmo as pessoas acreditariam em qualquer coisa, e dificilmente o espiritismo poderia triunfar no meio de tantas fábulas, crendices populares, ocultismo, professias etc. Por isso que o espiritismo "apareceu" na época que o movimento ateísta estava mais inflamado. Foi nesse sentido, penso eu, que Emmanuel pronunciou as palavras acima.


E sem conveniências, meu caro, você não conhece a natureza de Jesus para afirma que ele fez o que você disse, e nem a bíblia é prova disso. E ter uma postura firme é diferente de atacar: Parece que você não leu a resposta de Kardec ao Padre, isto é postura firme.



Encerro aqui, pois já disse o que tinha pra dizer.




Hamlacerda








Lamento mais uma vez a postura egoísta aqui apresentada. Então, em nome do espiritismo avançar devemos permitir que jovens cometam suicídio ou sejam consumidos pelas drogas? Isso não é um espírito cristão! Disse Jesus " Eu não vim trazer a paz mais a espada". A espada da decisão, da combatividade. do compromisso com o bem e de não se calar perante as injustiças ou diante do sofrimento do próximo. Quanto a resposta de Kardec, ela está fora de contexto, não vale aqui. Kardec como discípulo de Jesus jamais foi passivo, nem covarde é só vê a postura firme dele no caso da diplomação das mulheres formadas em direito, onde ele se colocou a favor das mesmas e contra a sociedade parisiense. Os representantes do alto não são nada passivos, veja Moises falando duro com o povo Judeu ou Paulo de Tarso retirando a voz de quem se colocou contra o Céu. Estudemos mais... Reitero aos corações de boa vontade o compromisso de propagarmos as ideias de imortalidade da alma e não nos calarmos perante a atitude criminosa de tirarem de jovens em formação a esperança e a razão de viver. Já que se não somos imortais para que respeitar regras,se esforçar,se disciplinar?
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Danilo Henrique em 23 de Fevereiro de 2012, 10:59
Ham Lacerda, parabéns pelas postagens! Eu nunca diria melhor...Quanta demonstração de bom senso e juízo!

Mas ainda na tentativa de permitir que o irmão Clay se permita a fazer outras reflexões, e principalmente, não se deixar perturbar por estes alardes, e para que afastemos qualquer possibilidade de nos prender às teias do fanatismo, pensemos simplesmente com a razão:

O direito mais imprescindível de qualquer ser humano é o de pensar. Ainda mesmo que disso haja consequências negativas, não estamos no direito, nem no poder, de reprimir, atacar, censurar ou coibir, repudiar ou depreciar qualquer atitude mental que qualquer pessoa, por livre arbítrio, decida ter. Pela constituição, eu não posso matar pessoas. Mas tenho PLENO direito de achar correto o ato de disparar um revolver contra alguém em qualquer circunstância. Pela lei, eu não posso andar despido roupas na via pública, mas tenho PLENO direito de achar mais conveniente andar sem roupas, em qualquer lugar, e ser adepto da nudez e do exibicionismo irrestrito, e defender esse ponto de vista, mesmo que não tenha nenhum fundamento ético, ou racional. Mesmo que isso futuramente me encoraje ao ato insano de sair na rua sem roupas, sofrerei as consequências do ato ilegal, mas ainda é inatacável o meu direito de pensar que isso é correto.

Portanto, desde que eu não atente contra a liberdade ou a integridade de alguém, também tenho pleno direito em não acreditar em divindades, ou de não ter nenhuma crença. A maior violência que um ser humano pode cometer contra o outro, é prescrever-lhe como pensar, e qual opinião deve ser adepto.

Temos sim, a obrigação e o dever de tentar plantar na consciência das pessoas a crença espiritualista. Mas limitamos-nos apenas a jogar as sementes, sem mexer no terreno, no adubo, e no cultivo, que pertence somente ao mundo particular do próximo. Disse Jesus, que devemos converter pela brandura e persuasão. Se uma pessoa é refratária a qualquer ideia espiritualista, e tem convicção da inveracidade da mesma, não há nada que possamos fazer. Não tem nada de "espada". O irmão está aplicando e interpretando erradamente o ensino de Cristo, que nunca pregou nenhuma espécie de violência. Nessa passagem, Cristo tão somente profetizou que o advento de sua doutrina causaria fortes dissenções. Ele nunca disse que devemos agir com violência.

Portanto, não há razão para se perturbar com isso.

Fiz um apontamento tão somente me detendo à Lei de Liberdade. Posso ainda ir mais além, e demonstrar mais razões de que o irmão pode estar sendo vítima de fanatismo;

Não devemos, como espíritas, crer que somos portadores de qualquer verdade. O que temos é uma crença. Não temos o direito de, com base nela, estabelecer ou impor aos outros qualquer regra de conduta que nela esteja embasada, senão a nós próprios. A frase citada pelo amigo Ham Lacerda é brilhante: Só a Deus pertence julgar da validade das crenças, e nenhum homem tem o direito de anatematizar em nome de Deus.

Nem mesmo o conhecimento científico é a expressão da verdade absoluta, quanto mais o Espiritismo, que é uma ciência bem acanhada. Não estou discutindo o mérito da consistência doutrinária. Estou me detendo ao exame da Verdade, que em verdade, ninguém a possui.

E para finalizar, devo ressaltar, com máxima importância, e com base nos fatos, que o ateísmo não é, e nunca foi a causa da imoralidade. A causa da mesma está na fraqueza do espírito humano, e de nenhum modo está em função de suas crenças. Existem ateus mais dignos que espíritas, e para sustentar isso, não preciso apelar para a lei das excessões. O ateísmo é, de fato, uma posição filosófica que inibe o exercício de defesas contra as trevas interiores que carregamos em nós mesmos, mas para exaltar a necessidade e o valor da virtude, não precisamos nos apoiar em qualquer crença religiosa ou doutrina. Basta-nos o exame da razão, da ética, da educação e da moral. Sócrates pregou a virtude, sem nunca ter se apoiado em crenças ou doutrinas religiosas.

Portanto, recomendo ao irmão Clay uma reflexão mais profunda das idéias que defende, pois elas me parecem, com todo repeito, sem nenhum julgamento de minha parte, distorcidas dos ideais de amor, tolerância e respeito que prega o Espiritismo.

Abraços, e boa sorte nas novas reflexões!





Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 11:54
Ham Lacerda, parabéns pelas postagens! Eu nunca diria melhor...Quanta demonstração de bom senso e juízo!

Mas ainda na tentativa de permitir que o irmão Clay se permita a fazer outras reflexões, e principalmente, não se deixar perturbar por estes alardes, e para que afastemos qualquer possibilidade de nos prender às teias do fanatismo, pensemos simplesmente com a razão:

O direito mais imprescindível de qualquer ser humano é o de pensar. Ainda mesmo que disso haja consequências negativas, não estamos no direito, nem no poder, de reprimir, atacar, censurar ou coibir, repudiar ou depreciar qualquer atitude mental que qualquer pessoa, por livre arbítrio, decida ter. Pela constituição, eu não posso matar pessoas. Mas tenho PLENO direito de achar correto o ato de disparar um revolver contra alguém em qualquer circunstância. Pela lei, eu não posso andar despido roupas na via pública, mas tenho PLENO direito de achar mais conveniente andar sem roupas, em qualquer lugar, e ser adepto da nudez e do exibicionismo irrestrito, e defender esse ponto de vista, mesmo que não tenha nenhum fundamento ético, ou racional. Mesmo que isso futuramente me encoraje ao ato insano de sair na rua sem roupas, sofrerei as consequências do ato ilegal, mas ainda é inatacável o meu direito de pensar que isso é correto.

Portanto, desde que eu não atente contra a liberdade ou a integridade de alguém, também tenho pleno direito em não acreditar em divindades, ou de não ter nenhuma crença. A maior violência que um ser humano pode cometer contra o outro, é prescrever-lhe como pensar, e qual opinião deve ser adepto.

Temos sim, a obrigação e o dever de tentar plantar na consciência das pessoas a crença espiritualista. Mas limitamos-nos apenas a jogar as sementes, sem mexer no terreno, no adubo, e no cultivo, que pertence somente ao mundo particular do próximo. Disse Jesus, que devemos converter pela brandura e persuasão. Se uma pessoa é refratária a qualquer ideia espiritualista, e tem convicção da inveracidade da mesma, não há nada que possamos fazer. Não tem nada de "espada". O irmão está aplicando e interpretando erradamente o ensino de Cristo, que nunca pregou nenhuma espécie de violência. Nessa passagem, Cristo tão somente profetizou que o advento de sua doutrina causaria fortes dissenções. Ele nunca disse que devemos agir com violência.

Portanto, não há razão para se perturbar com isso.

Fiz um apontamento tão somente me detendo à Lei de Liberdade. Posso ainda ir mais além, e demonstrar mais razões de que o irmão pode estar sendo vítima de fanatismo;

Não devemos, como espíritas, crer que somos portadores de qualquer verdade. O que temos é uma crença. Não temos o direito de, com base nela, estabelecer ou impor aos outros qualquer regra de conduta que nela esteja embasada, senão a nós próprios. A frase citada pelo amigo Ham Lacerda é brilhante: Só a Deus pertence julgar da validade das crenças, e nenhum homem tem o direito de anatematizar em nome de Deus.

Nem mesmo o conhecimento científico é a expressão da verdade absoluta, quanto mais o Espiritismo, que é uma ciência bem acanhada. Não estou discutindo o mérito da consistência doutrinária. Estou me detendo ao exame da Verdade, que em verdade, ninguém a possui.

E para finalizar, devo ressaltar, com máxima importância, e com base nos fatos, que o ateísmo não é, e nunca foi a causa da imoralidade. A causa da mesma está na fraqueza do espírito humano, e de nenhum modo está em função de suas crenças. Existem ateus mais dignos que espíritas, e para sustentar isso, não preciso apelar para a lei das excessões. O ateísmo é, de fato, uma posição filosófica que inibe o exercício de defesas contra as trevas interiores que carregamos em nós mesmos, mas para exaltar a necessidade e o valor da virtude, não precisamos nos apoiar em qualquer crença religiosa ou doutrina. Basta-nos o exame da razão, da ética, da educação e da moral. Sócrates pregou a virtude, sem nunca ter se apoiado em crenças ou doutrinas religiosas.

Portanto, recomendo ao irmão Clay uma reflexão mais profunda das idéias que defende, pois elas me parecem, com todo repeito, sem nenhum julgamento de minha parte, distorcidas dos ideais de amor, tolerância e respeito que prega o Espiritismo.

Abraços, e boa sorte nas novas reflexões!








Percebo que você nunca leu a série André Luís e que tem uma visão distorcida da espiritualidade. Não a toa muitos espíritas desenvolvem cânceres, por reprimirem a agressividade, uma das potências do psiquismo humano que deve ser canalizada a serviço de causas justas, como fez Nosso Senhor Jesus, representante máximo da ira sagrada. Muita gente não poderá ascender a planos mais altos, pois lá não há democracia, lá não se fala o que quer a hora que quer. Quem governa os planos celestes é uma aristocracia intelecto-moral, que não aceita indisciplinas. Quem quer fazer ou falar o que quer está nas regiões umbralinas. Quem é passivo e covarde vê em quem tem coragem fanatismo, é comodo pensar assim. Jesus, nesta ótica, teria sido o maior fanático da história, pois colocava o dedo na cara dos religiosos "bonzinhos" e os chamava de hipócritas, virou as bancas do templo com um chicote na mão, afirmava que era o caminho, a verdade e a vida. Realmente Jesus era muito fanático ou aqueles que se dizem seus seguidores distorceram sua mensagem e criaram um Jesus fraco e covarde? Pois o Jesus do evangelho não é nada do que pregam por ai! Não estou propondo censura, estou conclamando os acomodados espíritas a reagirem no sentido de se comprometerem em propagar ideias que salvam vidas ! Ninguém recebeu as ideias espíritas para guardarem par  si, mas para levarem ao maior número de pessoas possível ! Muita gente está desenvolvendo karma por sua preguiça e covardia, já que na propagação de ideias terão que enfrentar contraditores e a ideia aqui é da passividade, da covardia, de falar manso para passar por santo, enquanto o mal campeia e se instala no coração de muitos irmãos nossos. O que mais o ateísmo tem feito é destruir o espiritismo, pois afirma abertamente que o mesmo não é científico e o que os médiuns não passam de criadores de caso, para tanto usam seus PHDs para mostrar sua autoridade a gente sem preparo para contra argumentar. É muita falta de informação.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Danilo Henrique em 23 de Fevereiro de 2012, 14:24

Citar
Companheiro, muito obrigado pelo depoimento. Obrigado por manifestar o repúdio ao modismo perverso do ateísmo.

Citar
Lamento mais uma vez a postura egoísta aqui apresentada.

Citar
Isso não é um espírito cristão! Disse Jesus " Eu não vim trazer a paz mais a espada"

Citar
veja Moises falando duro com o povo Judeu ou Paulo de Tarso retirando a voz de quem se colocou contra o Céu

Citar
Percebo que você nunca leu a série André Luís e que tem uma visão distorcida da espiritualidade.

Citar
Não a toa muitos espíritas desenvolvem cânceres, por reprimirem a agressividade, uma das potências do psiquismo humano que deve ser canalizada a serviço de causas justas, como fez Nosso Senhor Jesus

Citar
Ninguém recebeu as ideias espíritas para guardarem par  si, mas para levarem ao maior número de pessoas possível ! Muita gente está desenvolvendo karma por sua preguiça e covardia, já que na propagação de ideias terão que enfrentar contraditores e a ideia aqui é da passividade, da covardia, de falar manso para passar por santo

Clay, permita-me imitar a sábia atitude do nosso irmão HamLacerda. Calar-me-ei diante de ti. Também já disse tudo o que precisava dizer, e todas as minhas palavras, infelizmente, ficaram jogadas ao vento.

Abraços!

Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 14:35
Mas poxa Clay, novamente essa coisa de colocar o pobre do André, a responder pelo que só a doutrina poderia?
André nunca escreveu um til de doutrina meu mano, tudo oque disse, partiu da observação que fez dentro de um estado ainda imperfeito em que estava.
Logo, dele só temos as suas opiniões que não formam e nem são doutrina.
Abraços,
Moura

Ham Lacerda, parabéns pelas postagens! Eu nunca diria melhor...Quanta demonstração de bom senso e juízo!

Mas ainda na tentativa de permitir que o irmão Clay se permita a fazer outras reflexões, e principalmente, não se deixar perturbar por estes alardes, e para que afastemos qualquer possibilidade de nos prender às teias do fanatismo, pensemos simplesmente com a razão:

O direito mais imprescindível de qualquer ser humano é o de pensar. Ainda mesmo que disso haja consequências negativas, não estamos no direito, nem no poder, de reprimir, atacar, censurar ou coibir, repudiar ou depreciar qualquer atitude mental que qualquer pessoa, por livre arbítrio, decida ter. Pela constituição, eu não posso matar pessoas. Mas tenho PLENO direito de achar correto o ato de disparar um revolver contra alguém em qualquer circunstância. Pela lei, eu não posso andar despido roupas na via pública, mas tenho PLENO direito de achar mais conveniente andar sem roupas, em qualquer lugar, e ser adepto da nudez e do exibicionismo irrestrito, e defender esse ponto de vista, mesmo que não tenha nenhum fundamento ético, ou racional. Mesmo que isso futuramente me encoraje ao ato insano de sair na rua sem roupas, sofrerei as consequências do ato ilegal, mas ainda é inatacável o meu direito de pensar que isso é correto.

Portanto, desde que eu não atente contra a liberdade ou a integridade de alguém, também tenho pleno direito em não acreditar em divindades, ou de não ter nenhuma crença. A maior violência que um ser humano pode cometer contra o outro, é prescrever-lhe como pensar, e qual opinião deve ser adepto.

Temos sim, a obrigação e o dever de tentar plantar na consciência das pessoas a crença espiritualista. Mas limitamos-nos apenas a jogar as sementes, sem mexer no terreno, no adubo, e no cultivo, que pertence somente ao mundo particular do próximo. Disse Jesus, que devemos converter pela brandura e persuasão. Se uma pessoa é refratária a qualquer ideia espiritualista, e tem convicção da inveracidade da mesma, não há nada que possamos fazer. Não tem nada de "espada". O irmão está aplicando e interpretando erradamente o ensino de Cristo, que nunca pregou nenhuma espécie de violência. Nessa passagem, Cristo tão somente profetizou que o advento de sua doutrina causaria fortes dissenções. Ele nunca disse que devemos agir com violência.

Portanto, não há razão para se perturbar com isso.

Fiz um apontamento tão somente me detendo à Lei de Liberdade. Posso ainda ir mais além, e demonstrar mais razões de que o irmão pode estar sendo vítima de fanatismo;

Não devemos, como espíritas, crer que somos portadores de qualquer verdade. O que temos é uma crença. Não temos o direito de, com base nela, estabelecer ou impor aos outros qualquer regra de conduta que nela esteja embasada, senão a nós próprios. A frase citada pelo amigo Ham Lacerda é brilhante: Só a Deus pertence julgar da validade das crenças, e nenhum homem tem o direito de anatematizar em nome de Deus.

Nem mesmo o conhecimento científico é a expressão da verdade absoluta, quanto mais o Espiritismo, que é uma ciência bem acanhada. Não estou discutindo o mérito da consistência doutrinária. Estou me detendo ao exame da Verdade, que em verdade, ninguém a possui.

E para finalizar, devo ressaltar, com máxima importância, e com base nos fatos, que o ateísmo não é, e nunca foi a causa da imoralidade. A causa da mesma está na fraqueza do espírito humano, e de nenhum modo está em função de suas crenças. Existem ateus mais dignos que espíritas, e para sustentar isso, não preciso apelar para a lei das excessões. O ateísmo é, de fato, uma posição filosófica que inibe o exercício de defesas contra as trevas interiores que carregamos em nós mesmos, mas para exaltar a necessidade e o valor da virtude, não precisamos nos apoiar em qualquer crença religiosa ou doutrina. Basta-nos o exame da razão, da ética, da educação e da moral. Sócrates pregou a virtude, sem nunca ter se apoiado em crenças ou doutrinas religiosas.

Portanto, recomendo ao irmão Clay uma reflexão mais profunda das idéias que defende, pois elas me parecem, com todo repeito, sem nenhum julgamento de minha parte, distorcidas dos ideais de amor, tolerância e respeito que prega o Espiritismo.

Abraços, e boa sorte nas novas reflexões!








Percebo que você nunca leu a série André Luís e que tem uma visão distorcida da espiritualidade. Não a toa muitos espíritas desenvolvem cânceres, por reprimirem a agressividade, uma das potências do psiquismo humano que deve ser canalizada a serviço de causas justas, como fez Nosso Senhor Jesus, representante máximo da ira sagrada. Muita gente não poderá ascender a planos mais altos, pois lá não há democracia, lá não se fala o que quer a hora que quer. Quem governa os planos celestes é uma aristocracia intelecto-moral, que não aceita indisciplinas. Quem quer fazer ou falar o que quer está nas regiões umbralinas. Quem é passivo e covarde vê em quem tem coragem fanatismo, é comodo pensar assim. Jesus, nesta ótica, teria sido o maior fanático da história, pois colocava o dedo na cara dos religiosos "bonzinhos" e os chamava de hipócritas, virou as bancas do templo com um chicote na mão, afirmava que era o caminho, a verdade e a vida. Realmente Jesus era muito fanático ou aqueles que se dizem seus seguidores distorceram sua mensagem e criaram um Jesus fraco e covarde? Pois o Jesus do evangelho não é nada do que pregam por ai! Não estou propondo censura, estou conclamando os acomodados espíritas a reagirem no sentido de se comprometerem em propagar ideias que salvam vidas ! Ninguém recebeu as ideias espíritas para guardarem par  si, mas para levarem ao maior número de pessoas possível ! Muita gente está desenvolvendo karma por sua preguiça e covardia, já que na propagação de ideias terão que enfrentar contraditores e a ideia aqui é da passividade, da covardia, de falar manso para passar por santo, enquanto o mal campeia e se instala no coração de muitos irmãos nossos. O que mais o ateísmo tem feito é destruir o espiritismo, pois afirma abertamente que o mesmo não é científico e o que os médiuns não passam de criadores de caso, para tanto usam seus PHDs para mostrar sua autoridade a gente sem preparo para contra argumentar. É muita falta de informação.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: pretoriano em 23 de Fevereiro de 2012, 14:43
Ola a todos,

Sem o ateísmo as pessoas acreditariam em qualquer coisa, e dificilmente o espiritismo poderia triunfar no meio de tantas fábulas, crendices populares, ocultismo, professias etc. Por isso que o espiritismo "apareceu" na época que o movimento ateísta estava mais inflamado. Foi nesse sentido, penso eu, que Emmanuel pronunciou as palavras acima.

Estou de acordo!

Mas deixa os ateus lá, eu aqui, os evangelicos ali, os catolicos acolá, os judeus bem ali, os mulçumanos por aí...........sinceramente se nao fosse este topico eu nem me lembraria dos ateus!
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 14:55
OlE tem uma frase muito boa para este caso,
diz lá: "cada ser, qualquer que seja, está inserido na mecânica do progresso, é assim que tudo se encadeia no Universo".
Abraços,
Moura
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 15:14

Citar
Companheiro, muito obrigado pelo depoimento. Obrigado por manifestar o repúdio ao modismo perverso do ateísmo.

Citar
Lamento mais uma vez a postura egoísta aqui apresentada.




Citar
Isso não é um espírito cristão! Disse Jesus " Eu não vim trazer a paz mais a espada"

Citar
veja Moises falando duro com o povo Judeu ou Paulo de Tarso retirando a voz de quem se colocou contra o Céu

Citar
Percebo que você nunca leu a série André Luís e que tem uma visão distorcida da espiritualidade.

Citar
Não a toa muitos espíritas desenvolvem cânceres, por reprimirem a agressividade, uma das potências do psiquismo humano que deve ser canalizada a serviço de causas justas, como fez Nosso Senhor Jesus

Citar
Ninguém recebeu as ideias espíritas para guardarem par  si, mas para levarem ao maior número de pessoas possível ! Muita gente está desenvolvendo karma por sua preguiça e covardia, já que na propagação de ideias terão que enfrentar contraditores e a ideia aqui é da passividade, da covardia, de falar manso para passar por santo

Clay, permita-me imitar a sábia atitude do nosso irmão HamLacerda. Calar-me-ei diante de ti. Também já disse tudo o que precisava dizer, e todas as minhas palavras, infelizmente, ficaram jogadas ao vento.

Abraços!




Contínuo a discordar do modo como você vê a espiritualidade. Você acha que ser espiritual é fugir do confronto, ser passivo, dócil, mesmo quando a vida de pessoas está em jogo, como no caso dos jovens seduzidos por essas ideias. Da minha parte sigo a recomendação de Jesus ' Ide e propagai o evangelho a todas as criaturas" e "quem se envergonhar de mim diante dos homens, em Me envergonharei dele diante do Pai". As ideias ateias como disse antes são tão perigosas quanto as do fanatismo religioso. O problema é que você está mal informado, não tem ouvido ou pesquisado sobre essas ideias. Tenho o dever moral de afirmar o contrário: que Deus e seus representantes existem, que temos que disciplinar nossa natureza e não vivermos controlados pelos extintos. Sim, pois os ateus propõem o contrário : viver a liberdade sem responsabilidade. Imagina o caos social se essas ideias se concretizarem? Não companheiro, sigo minha consciência muito mais do que o amor pela persona do ego. Tenho responsabilidade com os adolescentes que estão se tornando cínicos e caindo no mundo das drogas, só porque nenhuma voz contrária surge para mostrar o outro lado da moeda. Não ficarei com esse carma, pois se tenho o conhecimento é para ser propagado a serviço de meus semelhantes.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 15:21
Amigo Clay,
seu discurso ia bem até que afirmou: "Sim, pois os ateus propõem o contrário : viver a liberdade sem responsabilidade."
Esta afirmação mostra bem que o amigo não conhece nada sobre ateísmo a não ser o que tenha lido pela internet, que, para o caso, não lhe serviu, senão de um mau ensino, pois que ateus nada têm a ver com o que sua afirmação, trás.
Eles apenas não acreditam que ajam divindades, apenas isso, mas são ordeiros, pacíficos e conhecem também da doutrinas, das ciências que das coisas do mundo, tal como nós.
Trazer uma afirmação destas, após ter falado em ciência é no mínimo, desfazer das afirmações anteriores.
Sou Espírita, logo não sou ateu, mas nem por isso apregoo contra estes que no mínimo não são o que o amigo relata.
abraços,
Moura

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/existencia-de-deus/ateismo-o-abominavel-crime-da-militancia-contra-deus-disseminando-desespero-e/15/?action=post;num_replies=18#ixzz1nDbi21hl
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 15:31
Amigo Clay,
seu discurso ia bem até que afirmou: "Sim, pois os ateus propõem o contrário : viver a liberdade sem responsabilidade."
Esta afirmação mostra bem que o amigo não conhece nada sobre ateísmo a não ser o que tenha lido pela internet, que, para o caso, não lhe serviu, senão de um mau ensino, pois que ateus nada têm a ver com o que sua afirmação, trás.
Eles apenas não acreditam que ajam divindades, apenas isso, mas são ordeiros, pacíficos e conhecem também da doutrinas, das ciências que das coisas do mundo, tal como nós.
Trazer uma afirmação destas, após ter falado em ciência é no mínimo, desfazer das afirmações anteriores.
Sou Espírita, logo não sou ateu, mas nem por isso apregoo contra estes que no mínimo não são o que o amigo relata.
abraços,
Moura

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/existencia-de-deus/ateismo-o-abominavel-crime-da-militancia-contra-deus-disseminando-desespero-e/15/?action=post;num_replies=18#ixzz1nDbi21hl

Essa é boa!!! Só crianças e pessoas com problemas mentais fazem leitura literal de certas coisas. Claro que não afirmam abertamente, mas está implícito em suas ideias. Afinal para que tirar Deus e seus representantes da jogada? Recomendo leitura de  " O Céu e o Inferno", onde Kardec expõe o perigo dessas ideias ou melhor o que está por trás delas.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 15:38
Amigo Clay,
não sendo eu, nem criança e nem idiota  esperaria do amigo a mesma conduta que tenho tido para consigo.
Termino dizendo, Não recomende algo do qual não tenha entendido ou compreendido.
Abraços,
Moura
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Danilo Henrique em 23 de Fevereiro de 2012, 15:45
Só um palpite, pelo pouco de malícia que tenho...Acho que Clay está se divertindo conosco. Ninguém que é são faz estes ataques absurdos, sem nenhum freio. Fica a dica...Eu acho melhor ignorá-lo. Eu devia ter percebido isso, antes de ter colocado um post enorme...¬¬ Vivendo e aprendendo...
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 15:48
Mano Danilo,
o nosso mano Clay deve ter lido as regras deste fórum, logo está ciente de tudo.
Por certo ele não quis atacar a ninguém, já que incidiria contra uma das regras...
A moderação tá de butuca mano :)
Abração,
Moura
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 15:49
Só um palpite, pelo pouco de malícia que tenho...Acho que Clay está se divertindo conosco. Ninguém que é são faz estes ataques, sem nenhum freio. Fica a dica...Eu acho melhor ignorá-lo.


Fugir do confronto, esse é o problema. Por isso o materialismo campeia novamente devastando vidas e corações.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 15:57
Perdoe-me se me excedi com a última postagem, caro Moura. Mas é que muito está em jogo, esses novos ateus não são similares aos que você conheceu ou conhece, são pessoas com o intuito de atrair adeptos, de propagar a desesperança..Dê uma olhada nos fóruns sobre ateísmo, já participei de muitos deles. Todavia, por você ser leitor da doutrina, recomendo uma releitura de " O Céu e o Inferno" capítulo 1- O Porvir e o Nada. A civilização corre perigo, não são ideias inofensivas e ingênuas, estão levando muitos jovens as drogas e ao suicídio, pelos motivos expostos por Kardec no capítulo recomendado anteriormente. Mais uma vez perdão se o ofendi.
Mano Danilo,
o nosso mano Clay deve ter lido as regras deste fórum, logo está ciente de tudo.
Por certo ele não quis atacar a ninguém, já que incidiria contra uma das regras...
A moderação tá de butuca mano :)
Abração,
Moura

Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 16:06
Amigo Clay,
Não existem novos ou velhos ateus...
Existem sim ignorantes ateus e ateus que conhecem sobre as coisas.
Ora o mesmo acontece entre nós espíritas, senão não veríamos tantos a quererem embasar uma idéia esdrúxula, citando obras e autores que nunca apareceram na obra codificada.

Um dia, veja só, esta a ouvir a Radio rio de Janeiro, onde já palestrei umas 4 vezes, e sempre a convite, escutava as assertivas de um senhor que por ser dono de um CE localizado na Ilha do Governador, achava-se gabaritado até a ensinar como desfazer trabalhos de magia etc, dando relação de coisas que nunca pertenceram a doutrina.
como sempre fazia, lancei mão do telefone, e liguei,  para a Rádio, e como o programa tinha a parte online, ao ouvir a minha réplica, que citava obra básica, capítulo e item, ele, fingindo não ter acabado de ouvir o que eu falara, disse se reportando aos outros ouvintes: É meus amigos, alguns ainda não têm o conhecimento da doutrina e por isso mesmo não podem ter bom, senso..."
Ai está um ótimo exemplo de que nem só os ateus tenham em seu grupo pessoas totalmente desinformadas do que seja a doutrina que seguem, tal como o senhor, dono do CE...
abração,
Moura
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 16:13
Amigo Clay,
Não existem novos ou velhos ateus...
Existem sim ignorantes ateus e ateus que conhecem sobre as coisas.
Ora o mesmo acontece entre nós espíritas, senão não veríamos tantos a quererem embasar uma idéia esdrúxula, citando obras e autores que nunca apareceram na obra codificada.

Um dia, veja só, esta a ouvir a Radio rio de Janeiro, onde já palestrei umas 4 vezes, e sempre a convite, escutava as assertivas de um senhor que por ser dono de um CE localizado na Ilha do Governador, achava-se gabaritado até a ensinar como desfazer trabalhos de magia etc, dando relação de coisas que nunca pertenceram a doutrina.
como sempre fazia, lancei mão do telefone, e liguei,  para a Rádio, e como o programa tinha a parte online, ao ouvir a minha réplica, que citava obra básica, capítulo e item, ele, fingindo não ter acabado de ouvir o que eu falara, disse se reportando aos outros ouvintes: É meus amigos, alguns ainda não têm o conhecimento da doutrina e por isso mesmo não podem ter bom, senso..."
Ai está um ótimo exemplo de que nem só os ateus tenham em seu grupo pessoas totalmente desinformadas do que seja a doutrina que seguem, tal como o senhor, dono do CE...
abração,
Moura


Então, Moura, são esses ateus ignorantes que estão ganhando força diante da juventude. Propagando o niilismo que você, por ter lido com certeza " O Céu e o Inferno" sabe das consequências apresentadas por Kardec da propagação dessa doutrina. Há até uma nota onde o codificador comenta o caso de um jovem com doença incarável, o que faria se fosse adepto do niilismo.

"Um moço de dezoito anos, afetado de uma enfermidade do coração, foi declarado incurável. A Ciência havia dito: Pode morrer dentro de oito dias ou de dois anos, mas não irá além. Sabendo-o, o moço para logo abandonou os estudos e entregou-se a excessos de todo o gênero.

Quando se lhe ponderava o perigo de uma vida desregrada, respondia: Que me importa, se não tenho mais de dois anos de vida? De que me serviria fatigar o espírito? Gozo o pouco que me resta e quero divertir-me até ao fim. Eis a conseqüência lógica do niilismo.

Se este moço fora espírita, teria dito: A morte só destruirá o corpo, que deixarei como fato usado, mas o meu Espírito viverá. Serei na vida futura aquilo que eu próprio houver feito de mim nesta vida; do que nela puder adquirir em qualidades morais e intelectuais nada perderei, porque será outro tanto de ganho para o meu adiantamento; toda a imperfeição de que me livrar será um passo a mais para a felicidade. A minha felicidade ou infelicidade depende da utilidade ou inutilidade da presente existência. É portanto de meu interesse aproveitar o pouco tempo que me resta, e evitar tudo que possa diminuir-me as forças. Qual destas doutrinas é preferível? "
















Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 16:23
Ainda em o Céu e o Inferno afirma Kardec:

"Mas, se a religião se mostra impotente para sustar a incredulidade, é que lhe falta alguma coisa na luta. Se por outro lado a religião se condenasse à imobilidade, estaria, em dado tempo, dissolvida."

Veja como o codificador fala em luta, em combatividade contra essa ideia e até prever o que ocorrerá se não se reagir ao desafio apresentado. O problema é que o desconhecimento  de alguns, sobre as obras básicas, provocaram tantas incompreensões sobre a proposta por mim apresentada. Não estou fazendo nada senão seguir a recomendação de Kardec.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 16:25
Veja mano Clay a definição do niilismo:

"Niilismo (do latim nihil, nada) é um termo e um conceito filosófico que afeta as mais diferentes esferas do mundo contemporâneo (literatura, arte, ciências humanas, teorias sociais, ética e moral). É a desvalorização e a morte do sentido, a ausência de finalidade e de resposta ao “porquê”. Os valores tradicionais depreciam-se e os "princípios e critérios absolutos dissolvem-se". "Tudo é sacudido, posto radicalmente em discussão. A superfície, antes congelada, das verdades e dos valores tradicionais está despedaçada e torna-se difícil prosseguir no caminho, avistar um ancoradouro".
O niilismo pode ser considerado como "um movimento positivo” – quando pela crítica e pelo desmascaramento nos revela a abissal ausência de cada fundamento, verdade, critério absoluto e universal e, portanto, convoca-nos diante da nossa própria liberdade e responsabilidade, agora não mais garantidas, nem sufocadas ou controladas por nada". Mas também pode ser considerado como "um movimento negativo” – quando nesta dinâmica prevalecem os traços destruidores e iconoclastas, como os do declínio, do ressentimento, da incapacidade de avançar, da paralisia, do “tudo-vale” e do perigoso silogismo ilustrado pela frase dum personagem de Dostoiévski: "Se Deus está morto, então tudo é permitido" (Na verdade trata-se de mera interpretação de um diálogo desenvolvido entre os irmãos Karamazov, com a "intervenção" do Diabo). Entende-se por Deus neste ponto como a verdade e o princípio."
Em que, este movimento ou filosofia, está de acordo com a crença dos ateus?
Um Ateu apenas não acredita na divindade ou nos santos, como estão a pregar diversas religiões. apenas isso, e disso não passa.
Agora, oque se deve ter cuido e esmero no estudo é para com as publicações que sem mérito algum, de verdade queiram trazer o alarmismo ao povo
Da reportagem, vê-se apenas o alarmismo, sem nenhuma referência aferida, apenas uma colcha de opiniões, tendentes a trazerem exatamente esse medo do futuro, quando nós sabemos que o futuro não nos é conhecido.
Abração meu mano!
Moura
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 16:31
Mano Clay, você parte de uma coisa para atingir outra, diferente e diametralmente oposta.
antes de Kardec já se havia provado que tudo que estagna tende a morte. logo uma religião, uma doutrina, uma ordem de idéias, uma forma política de governo se não progridem no campo das idéias não vingam ou morrem cedo.
Porém isso nada tem a ver com ateísmo, cristianismo  etc, senão porque sejam também doutrina que estejam sob a obrigação de progredirem e que assim estão progredindo, mais ou menos...
A ninguém é vedado, ou a ninguém está defeso acreditar ou deixar de, sobre algo, alguma coisa ou doutrinas.
Aliás este é um direito fundamental, expresso na carta de direitos do homem, ou seja o da liberdade de pensamento.
O que a notícia faz é instalar o medo no futuro mas nem mostra prova alguma mesmo de que existam os tais milhões, mesmo que estes fossem apenas de espigas de milhos muito grandes.
Alarmismo falso e improvável meu mano, pois se mesmo existisse, seria apenas um pensamento de minorias, tal como a minoria ignorante que está entre espíritas, católicos, cientistas etc.
abraços,
Moura

Ainda em o Céu e o Inferno afirma Kardec:

"Mas, se a religião se mostra impotente para sustar a incredulidade, é que lhe falta alguma coisa na luta. Se por outro lado a religião se condenasse à imobilidade, estaria, em dado tempo, dissolvida."

Veja como o codificador fala em luta, em combatividade contra essa ideia e até prever o que ocorrerá se não se reagir ao desafio apresentado. O problema é que o desconhecimento  de alguns, sobre as obras básicas, provocaram tantas incompreensões sobre a proposta por mim apresentada. Não estou fazendo nada senão seguir a recomendação de Kardec.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 16:34
Veja mano Clay a definição do niilismo:

"Niilismo (do latim nihil, nada) é um termo e um conceito filosófico que afeta as mais diferentes esferas do mundo contemporâneo (literatura, arte, ciências humanas, teorias sociais, ética e moral). É a desvalorização e a morte do sentido, a ausência de finalidade e de resposta ao “porquê”. Os valores tradicionais depreciam-se e os "princípios e critérios absolutos dissolvem-se". "Tudo é sacudido, posto radicalmente em discussão. A superfície, antes congelada, das verdades e dos valores tradicionais está despedaçada e torna-se difícil prosseguir no caminho, avistar um ancoradouro".
O niilismo pode ser considerado como "um movimento positivo” – quando pela crítica e pelo desmascaramento nos revela a abissal ausência de cada fundamento, verdade, critério absoluto e universal e, portanto, convoca-nos diante da nossa própria liberdade e responsabilidade, agora não mais garantidas, nem sufocadas ou controladas por nada". Mas também pode ser considerado como "um movimento negativo” – quando nesta dinâmica prevalecem os traços destruidores e iconoclastas, como os do declínio, do ressentimento, da incapacidade de avançar, da paralisia, do “tudo-vale” e do perigoso silogismo ilustrado pela frase dum personagem de Dostoiévski: "Se Deus está morto, então tudo é permitido" (Na verdade trata-se de mera interpretação de um diálogo desenvolvido entre os irmãos Karamazov, com a "intervenção" do Diabo). Entende-se por Deus neste ponto como a verdade e o princípio."
Em que, este movimento ou filosofia, está de acordo com a crença dos ateus?
Um Ateu apenas não acredita na divindade ou nos santos, como estão a pregar diversas religiões. apenas isso, e disso não passa.
Agora, oque se deve ter cuido e esmero no estudo é para com as publicações que sem mérito algum, de verdade queiram trazer o alarmismo ao povo
Da reportagem, vê-se apenas o alarmismo, sem nenhuma referência aferida, apenas uma colcha de opiniões, tendentes a trazerem exatamente esse medo do futuro, quando nós sabemos que o futuro não nos é conhecido.
Abração meu mano!
Moura


Caro Moura, sempre apegado a letra, mas como disse São Paulo " a letra mata, mas o espírito é que vivifica". Seria muito bom se na prática ocorresse como suas definições aqui apresentadas, mas como sei que não tem conhecimento de psicologia profunda compreendo as limitações de sua parte. O inconsciente não absorve conceitos, não trabalha de forma lógica e racional, mas através de símbolos, mesmo que o ateísmo seja estreitamente definido numa sentença o inconsciente absorve o dado de forma mais ampla, estabelecendo uma relação entre niilismo e ateísmo e o como o inconsciente estabelece nossos comportamentos... é e se esperar uma atitude niilista por parte dessas pessoas...
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 16:41
Novamente o amigo erra mano Clay...
Não estou apegado senão ao fundo.
Aliás esta também era a forma de agir do codificador.
abraços,
Moura
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 23 de Fevereiro de 2012, 16:49
Novamente o amigo erra mano Clay...
Não estou apegado senão ao fundo.
Aliás esta também era a forma de agir do codificador.
abraços,
Moura



Cara Moura,


Obrigado pelo espaço para fazer o alerta e chamar a responsabilidade quem tem mais conhecimento. Espero que esteja certo, seja apenas um alarde falso e que ninguém próximo a você seja seduzido por essas ideais.


Abraço.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2012, 16:54
Perto de mim?
Ops, tô foríssimo mano Clay!
abração,
Moura
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Paulo Castro em 26 de Fevereiro de 2012, 03:49
Acho que isso já tá virando politica,este forum deve ser usado para troca de pontos de vistas,vivências,experiências,esclarecimentos e estudos aconselhamentos.devemos fazer amizades aqui,e não uma tribuna politica....
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Chorapornatela em 27 de Março de 2012, 22:48
Só para que conste que tenho alguns amigos Ateus, e que no entanto têm valores, e sentimentos Cristãos , sem que se apercebam; passo a explicar.

Fazem parte de colectividades onde ajudam idosos, e ajudam e retirar crianças assim como seus Pais das ruas da amargura tantas vezes ligadas á toxicodependencia.


Fazem parte das Associaçoes de Proteçao de Menores do Distrito onde moro, fazem voluntariado nessas associaçoes em prol dos outros.

Quando lhes perguntei porque não acreditavam em Deus e como poderiam praticar o Bem de forma tão desinteressada a resposta não se fez esperar, disseram-me
- Sinto dentro de mim que é o correcto a fazer, "faz-me bem fazer o Bem"

Portanto podemos ser Ateus e já ter despertado para Cristo sem que nos apercebamos disso...

Paz
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 28 de Março de 2012, 01:23
Só para que conste que tenho alguns amigos Ateus, e que no entanto têm valores, e sentimentos Cristãos , sem que se apercebam; passo a explicar.

Fazem parte de colectividades onde ajudam idosos, e ajudam e retirar crianças assim como seus Pais das ruas da amargura tantas vezes ligadas á toxicodependencia.


Fazem parte das Associaçoes de Proteçao de Menores do Distrito onde moro, fazem voluntariado nessas associaçoes em prol dos outros.

Quando lhes perguntei porque não acreditavam em Deus e como poderiam praticar o Bem de forma tão desinteressada a resposta não se fez esperar, disseram-me
- Sinto dentro de mim que é o correcto a fazer, "faz-me bem fazer o Bem"

Portanto podemos ser Ateus e já ter despertado para Cristo sem que nos apercebamos disso...

Paz



Quem dera companheiro que todos os militantes do ateísmo fossem como esses que você descreveu. Entretanto, a exceção não faz a regra, dê uma olhada na história e verá que nunca se matou tanta gente como na antiga URSS e na China, ambos países declaradamente ateus. Para se ter ideia o regime ateu de Stalin e Mao tsé Tung matou mais gente do que as duas guerras mundiais somadas.Então, não me venham com essa que a militância ateísta é inofensiva, basta vê os fatos históricos.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 28 de Março de 2012, 14:48
Prezados irmãos.
Voltando a ter mais frequencia ao forum encontrpo este debate bem interessante.
Vamos as considerações.
Carissimo Clay: Sou casado com uma evangélica e conheço bem seus conceitos e posso dizer que existem entre os evangélicos, tanto quanto entre os católicos, cujas fileiras ja percorri, aqueles que creem nos conceitos de sua fé, independente do que lhes digam ou provem.
Não se trata de serem menos preparados, mas preparados de uma forma diferente e por que não dizer incompleta.
Já a manifestação do Irmão Ham Lacerda, é perfeita quando diz que "a liberdade de consciência não tira o direito de discussão e refutação, mas a caridade ordena não amaldiçoar mninguem".
Uma discussão que faço com alguns evangélicos que conheço, fora da familia da minha esposa é a conversão. Jesus determinou que saissemos e fizessemos discípulos. Até nada de mal, mas para quem?
Prefiro ficar com o conceito de Santo Agostinho em o ESE, quando diz que "devemos levar o evangelho onde formos, quando necessário falar sobre ele".
Jesus, no evangelho de Mateus, capitulo 25, a partir do versículo 31 nos da aquilo que entendo ser a chave para o ingresso no "Reino de Deus": a caridade.
Apenas as igrejas, que tratam as pessoas como amebas, é que insistem na possibilidade da salvação atraves da simples crença em Jesus.
Nós sabemos que somos responsáveis pelos nossos atos, por todos, e que colheremos os frutos das nossas ações.
Por isso mesmo não podemos cercear o livre arbitrio de quem prefere praticar a caridade apenas por ser uma boa pessoa, lembrando que ate poucos anos atras estavamos sob o jugo do tribunal do santo oficio, que pode ser o responsável por termos hoje tantas pessoas que rejeitem os conceitos de divindade, uma vez que lhes é impossivel, como para mim mesmo o é, aceitar um deus que mande fazer fogueiras com seres humanos.
Portanto irmão Clay, se o dito ateu for uma pessoa honesta, correta e caridosa, já sera muito melhor e mais evoluido que um espírita, católico ou evangélico que excomungue, amaldiçoes ou persiga que considere um "infiel".
É meu entendimento
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 29 de Março de 2012, 00:30
Prezados irmãos.
Voltando a ter mais frequencia ao forum encontrpo este debate bem interessante.
Vamos as considerações.
Carissimo Clay: Sou casado com uma evangélica e conheço bem seus conceitos e posso dizer que existem entre os evangélicos, tanto quanto entre os católicos, cujas fileiras ja percorri, aqueles que creem nos conceitos de sua fé, independente do que lhes digam ou provem.
Não se trata de serem menos preparados, mas preparados de uma forma diferente e por que não dizer incompleta.
Já a manifestação do Irmão Ham Lacerda, é perfeita quando diz que "a liberdade de consciência não tira o direito de discussão e refutação, mas a caridade ordena não amaldiçoar mninguem".
Uma discussão que faço com alguns evangélicos que conheço, fora da familia da minha esposa é a conversão. Jesus determinou que saissemos e fizessemos discípulos. Até nada de mal, mas para quem?
Prefiro ficar com o conceito de Santo Agostinho em o ESE, quando diz que "devemos levar o evangelho onde formos, quando necessário falar sobre ele".
Jesus, no evangelho de Mateus, capitulo 25, a partir do versículo 31 nos da aquilo que entendo ser a chave para o ingresso no "Reino de Deus": a caridade.
Apenas as igrejas, que tratam as pessoas como amebas, é que insistem na possibilidade da salvação atraves da simples crença em Jesus.
Nós sabemos que somos responsáveis pelos nossos atos, por todos, e que colheremos os frutos das nossas ações.
Por isso mesmo não podemos cercear o livre arbitrio de quem prefere praticar a caridade apenas por ser uma boa pessoa, lembrando que ate poucos anos atras estavamos sob o jugo do tribunal do santo oficio, que pode ser o responsável por termos hoje tantas pessoas que rejeitem os conceitos de divindade, uma vez que lhes é impossivel, como para mim mesmo o é, aceitar um deus que mande fazer fogueiras com seres humanos.
Portanto irmão Clay, se o dito ateu for uma pessoa honesta, correta e caridosa, já sera muito melhor e mais evoluido que um espírita, católico ou evangélico que excomungue, amaldiçoes ou persiga que considere um "infiel".
É meu entendimento



Companheiro, nunca passei pelas lides evangélicas, apenas tenho uma postura diferente de muitos que seguem os ensinamentos de Jesus. Muitos entendem por caridade, passividade e conivência, Jesus nunca pregou tal coisa, aliás o Mestre agiu bem pior do que eu contra os contraditores de sua doutrina, os chamava de hipócritas e sepulcros caiados e isso com certeza é caridade, ou seja, dizer algo duro que pode corrigir a rota errada que alguém esta seguindo. Se você tivesse lido as argumentações anteriores veria o porquê da minha postagem. Não estou combatendo pessoas, mas sim as ideias ateias que induzem muitos jovens ao suicídio e desespero, aliás o próprio Kardec,como vemos em "A Caminho da Luz", obra do espírito Emanuel, reencarnou para combater tais ideias no século XIX, o que reporto o amigo a leitura dos primeiros capítulos de " O Céu e o Inferno" de autoria do codificador.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 29 de Março de 2012, 02:49
Caro Clay.
Como você mesmo disse, temos uma visão diferente dos ensinamentos de Jesus.
Quando o Mestre nos diz para "aprendei comigo que sou manso e humilde de coração", e quando nos fala para que "se alguem lhe bater em uma face, dê-lhe tambem a outra", ou "se alguem lhe pedir a capa dê-lhe tambem a túnica", não acho que Ele quisesse ofender seus "detratores". Isso é o exemplo claro do que você chama de "passividade".
Li sim suas argumentações e acho que idéias não surgem do nada, combater idéias é combater quem as dissemina.
Não acho que seja o ateísmo o culpado pela amoralidade da nossa sociedade. Muito pior que o ateísmo, em  minha opinião, é a fé que não consegue reconhecer a excelsa virtude do amor incondicional.
Hipócritas, somos todos nós que temos a pretensão de dizermo-nos cristãos e não conseguimos respeitar quem, sendo tambem cristão, entende o evangelho de forma diferente.
Estatisticamente, menos de 10% da população brasileira se diz atéia, entretanto com certeza, muito mais do que isso são os brasileiros perdidos nos vicios, qualquer vicio.
Entendo também, que combater essas idéias, é fundamentalmente exemplificar a veracidade do contrário.
O problema das drogas por exemplo, que você tanto cita, é muito mais um problema dos desajustes familiares que existem, do que de falta de fé.
O seu conceito de passividade tambem pode ser questionado.
Passividade é omitir-se do processo quando se tem a possibilidade de interferir, melhorando esse processo. Passivo é um eleitor que vota em um candidato notoriamente corrupto, apenas pafra tentar levar vantagem.
Repito o que ja falei, se queres "combater" o ateísmo, respeite-os e faça o que Jesus ensinou, provando pelo exemplo de amor, perdão e caridade, que voc~e esta certo.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 29 de Março de 2012, 12:16
Caro Clay.
Como você mesmo disse, temos uma visão diferente dos ensinamentos de Jesus.
Quando o Mestre nos diz para "aprendei comigo que sou manso e humilde de coração", e quando nos fala para que "se alguem lhe bater em uma face, dê-lhe tambem a outra", ou "se alguem lhe pedir a capa dê-lhe tambem a túnica", não acho que Ele quisesse ofender seus "detratores". Isso é o exemplo claro do que você chama de "passividade".
Li sim suas argumentações e acho que idéias não surgem do nada, combater idéias é combater quem as dissemina.
Não acho que seja o ateísmo o culpado pela amoralidade da nossa sociedade. Muito pior que o ateísmo, em  minha opinião, é a fé que não consegue reconhecer a excelsa virtude do amor incondicional.
Hipócritas, somos todos nós que temos a pretensão de dizermo-nos cristãos e não conseguimos respeitar quem, sendo tambem cristão, entende o evangelho de forma diferente.
Estatisticamente, menos de 10% da população brasileira se diz atéia, entretanto com certeza, muito mais do que isso são os brasileiros perdidos nos vicios, qualquer vicio.
Entendo também, que combater essas idéias, é fundamentalmente exemplificar a veracidade do contrário.
O problema das drogas por exemplo, que você tanto cita, é muito mais um problema dos desajustes familiares que existem, do que de falta de fé.
O seu conceito de passividade tambem pode ser questionado.
Passividade é omitir-se do processo quando se tem a possibilidade de interferir, melhorando esse processo. Passivo é um eleitor que vota em um candidato notoriamente corrupto, apenas pafra tentar levar vantagem.
Repito o que ja falei, se queres "combater" o ateísmo, respeite-os e faça o que Jesus ensinou, provando pelo exemplo de amor, perdão e caridade, que voc~e esta certo.


Mais uma vez discordo de suas colocações principalmente quando retira partes do Evangelho sem está em seu contexto, se tivesse o cuidado de ler o evangelho em sua totalidade veria que Jesus não se referiu a manso no sentido de passivo, já que em outra passagem afirmou que não veio trazer a paz, mas sim a espada. Não a espada no sentido de violência,mas sim no sentido de combatividade nas causas do bem, o que podemos ver em "O Livro dos Espíritos" quando os benfeitores espirituais afirmaram que "o mal predomina porque os bons se acomodam". Com relação as drogas é necessário mais pesquisa e estudo e não achismos, hoje nos acevera as neurociências que há uma região no cérebro específica para a vivência do divino, chamado "The gods Spot",ou seja, o lugar de Deus no cérebro, quando essa área não é ativada construtivamente, será ativada destrutivamente,pois é uma necessidade do cérebro, daí o aumento exponencial no uso das drogas que estamos vendo em nossos dias. O grande psiquiatra, psicólogo e psicanalista suiço Carl Jung já havia afirmado a décadas atrás que o alcoólatra e demais viciados em drogas tinham fome de Deus, o que hoje é comprovado pelas neurociências. Então, se afastamos as pessoas de Deus ou destruímos a ideia de sua existência estamos lançando milhares no campo dos vícios, pois precisarão viver o que os psicólogos chamam hoje de estados alterados de consciência, o que é propiciado pelos estados meditativos e oracionais. Tenho  o hábito de pesquisar e estudar sempre, não gosto de achismos, mas sim de fatos. Estudemos um pouco mais...
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 29 de Março de 2012, 12:48
Caro Clay.
Concordo com você, é preciso estudar e muito mais.
Entretanto o que você chama de achismo, é tudo o que você citou.
Tudo é questão de interpretação, de achismo. Freud dizia que tudo na vida é relativo a libido. Discordo para mim tudo remete ao prazer, buscamos o que nos da prazer.
A literatura espírita nos diz que todos temos a intuição de Deus, o que é obvio, pois somos seus filhos.
Ja vi diversos estudos dizendo que vinho e até cerveja são otimos para determinadas funções do organismo. Chegam a dizer até que uma taça de vinho por dia, o que para mim é vicio, é o principal fator da longevidade dos "gringos" de Veranópolis.
A espada a que Jesus se refere, ja ouvi duas interpretações distintas e aceitáveis. A primeira fala das guerras que seriam travadas em seu nome, tais como as cruzadas. A segunda que, metaforicamente, como quase tudo que existe na Biblia, falava dos conflitos internos que o ser humano teria na busca da evolução moral, aquilo que chamamos de reforma intima e os evangélicos chamam de conversão. Isso por que a espada simbolizaria, pelos seus dois gumes essa divisão.
Quantas vezes ficamos "divididos", como por uma espada, entre o prazer material sem consequência, e o dever moral, com consequência?
Como o irmão pode ver, as interpretações são diferentes e todas respeitáveis.
O que estou tentando dizer, e vou tentar ser mais claro, é que o que tira as pessoas do vicio, seja ele qual for, é o AMOR.
O marido que ama sua esposa, não trai, a esposa que ama seu marido não trai.
O pai e a mãe que amam seus filhos não permitirão que eles bebam, nem tão pouco colocarão eles no caminho das drogas e da violência.
Quem ama de verdade respeita seu semelhante, não abusa do sexo, sem consequencia, até por que isso não existe.
O AMOR é a essência de Deus, Deus é amor em plenitude, quem ama de verdade, seus semelhantes, sua família, e da esse exemplo, esta sim contribuindo para que o mundo seja melhor, independente dessa pessoa se dizer católico, evangélico, islamico, judeu, espírita ou qualquer outra religião. Ou mesmo se dizer ateu.
Ame incondicionalmente seu filho e ele jamais sentira a tentação das drogas.
Tomemos como exemplos Madre Teresa de Cálcuta, que ao ser questionada por uma pessoa sobre como ela poderia ajudar a realizar a paz no mundo ela respondeu " Va para casa e ame sua família".
Quer mais mansuetude do que alguem que, preso a um madeiro considerado infame e ultrajante, ao invés de se rebelar ainda diz " Pai, perdoai-os, eles NÃO sabem o que fazem"?
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 29 de Março de 2012, 13:21
Caro Clay.
Concordo com você, é preciso estudar e muito mais.
Entretanto o que você chama de achismo, é tudo o que você citou.
Tudo é questão de interpretação, de achismo. Freud dizia que tudo na vida é relativo a libido. Discordo para mim tudo remete ao prazer, buscamos o que nos da prazer.
A literatura espírita nos diz que todos temos a intuição de Deus, o que é obvio, pois somos seus filhos.
Ja vi diversos estudos dizendo que vinho e até cerveja são otimos para determinadas funções do organismo. Chegam a dizer até que uma taça de vinho por dia, o que para mim é vicio, é o principal fator da longevidade dos "gringos" de Veranópolis.
A espada a que Jesus se refere, ja ouvi duas interpretações distintas e aceitáveis. A primeira fala das guerras que seriam travadas em seu nome, tais como as cruzadas. A segunda que, metaforicamente, como quase tudo que existe na Biblia, falava dos conflitos internos que o ser humano teria na busca da evolução moral, aquilo que chamamos de reforma intima e os evangélicos chamam de conversão. Isso por que a espada simbolizaria, pelos seus dois gumes essa divisão.
Quantas vezes ficamos "divididos", como por uma espada, entre o prazer material sem consequência, e o dever moral, com consequência?
Como o irmão pode ver, as interpretações são diferentes e todas respeitáveis.
O que estou tentando dizer, e vou tentar ser mais claro, é que o que tira as pessoas do vicio, seja ele qual for, é o AMOR.
O marido que ama sua esposa, não trai, a esposa que ama seu marido não trai.
O pai e a mãe que amam seus filhos não permitirão que eles bebam, nem tão pouco colocarão eles no caminho das drogas e da violência.
Quem ama de verdade respeita seu semelhante, não abusa do sexo, sem consequencia, até por que isso não existe.
O AMOR é a essência de Deus, Deus é amor em plenitude, quem ama de verdade, seus semelhantes, sua família, e da esse exemplo, esta sim contribuindo para que o mundo seja melhor, independente dessa pessoa se dizer católico, evangélico, islamico, judeu, espírita ou qualquer outra religião. Ou mesmo se dizer ateu.
Ame incondicionalmente seu filho e ele jamais sentira a tentação das drogas.
Tomemos como exemplos Madre Teresa de Cálcuta, que ao ser questionada por uma pessoa sobre como ela poderia ajudar a realizar a paz no mundo ela respondeu " Va para casa e ame sua família".
Quer mais mansuetude do que alguem que, preso a um madeiro considerado infame e ultrajante, ao invés de se rebelar ainda diz " Pai, perdoai-os, eles NÃO sabem o que fazem"?

Veja que ironia, esperava encontrar resistência em um materialista e não num espirita às ideias científicas que corroboram sua fé, mas o desejo de ter a razão é muito forte.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 29 de Março de 2012, 13:23
Com relação as interpretações evangélicas deixarei você com as suas,que talvez sejam apropriadas para seu perfil psicológico, e eu com as minhas mais apropriadas para o meu. Mas com relação aos fatos científicos não posso deixar passar, pois fechar os olhos para a ciência é não saber nada de espiritismo, pois o codificador afirmou que o espiritismo marcha com a ciência e que se esta afirmasse algo e o espiritismo dissesse o contrário se abandona-se o espiritismo e seguisse a ciência. Não é por que a ciência rever seu próprio conhecimento que devemos fechar os olhos para ela, isso é ignorância e espirito dogmático. Prefiro ouvir a ciência do que acreditar em achismos ou mesmo médiuns que distorcem mensagens mediúnicas com seus preconceitos, o chamado animismo. É justamente por essa falta de informação e espírito conservador que os jovens abandonam o meios religiosos e acreditam nos materialistas, muito melhor informados e combativos do que os ditos religiosos. Ninguém quer mais crer por crer, as novas gerações existem provas, argumentos abalizados em pesquisas científicas, mas como não é hábito de muito espíritas se atualizarem fica difícil convencer alguém sobre a a importância da vivência da espiritualidade. Sigo Kardec, ouço a ciência e hoje duas áreas científicas afirmam, o que já é extraordinário, as neurociências e a psicologia e , há uma necessidade bio-psíquica de contato com o divino, com o numinoso e quando isto não é atendido busca-se compensação nos vícios.. Se lançarmos as massas na descrença, estaremos lançando todos nos vícios, o que o próprio Kardec aceverou em "O Céu e o Inferno".
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 29 de Março de 2012, 14:50
Prezado Clay.
Devemos estar falando idiomas diferentes.
O espiritismos, por ter na ciência uma de suas bases, jamais a irá contrariar. Espiritas e espiritos ignorantes ou mal informados farão isso.
O que quero deixar claro é que mesmo o que a ciência afirma hoje, pode não ser a verdade amanhã.
Quanto a mim, foi a racionalidade da ciência espírita que me aproximou de Deus, posto que a fé tradicional da igreja católica a qual frequentava me afastava Dele.
"Nem todos que dizem Senhor Senhor entrarão no Reino de Deus" e "as meretrizes e os publicanos vos precederão no Reino de Deus" para mim são passagens fundamentais do evangelho, pois nos mostram nossa hipocrisia.
Reitero o fato de que somente o amor incondicional sustentado na base familiar é capaz de tirar o jovem ou mesmo o adulto, dos vicios degradantes.
E isso meu irmão não tem, em minha opinião nada a ver com acreditar ou não em Deus.
Tem a ver com a evolução moral dos espiritos envolvidos.
Se acreditar em Deus fosse garantia de alguma coisa o maior país católico do mundo não teria uma corrupção e um infiltração das drogas e da violência como o Brasil tem.
Se acreditar em Deus tornasse as pessoas melhores, não teriamos homens bomba e gerras santas sejam pelos motivos que forem.
Olhe a história, cruzadas, tribunal do santo oficio, noite de são bartolomeu apenas para citar alguns, são momentos trevosos da nossa história que se deram por ateus? Não exatamente o contrário, deram-se por que as lideranças religiosas da época pensavam como você pensa, pensavam que quem não comunga da sua crença, da sua fé deve ser COMBATIDO, exterminado.
Conheço pais que vivem dentro da igreja, tem uma fé enorme em deus, mas foram egoistas o suficiente para não amarem seus filhos e o resultado é que um filho cumpre pena por assalto a banco.
Repito que não temos de combater ninguem, temos de ensinar os irmãos, pelo exemplo.
Disse o mestre que seus seguidores seriam recinhecidos por "muito se amarem". E disse tambem que devermos amar os inimigos e orar pelos que nos caluniem.
Enquanto o ser humano tentar impor seu conceito religioso, seja ele qual for teremos guerras e disputas.
Como você bem disse, "o desejo de ter razão" que se resume na palavra ORGULHO, é realmente muito forte. Por isso algumas pessoas não aceitam ser questionadas, serem contraditas.
Eu pelo contrario adoro o contraditório, o debate, é com ele que crescemos.
Afinal, como na pesquisa cientifica, o debate nos apresenta a Tese, para ser confrontada com a antítese e dai sair a sintese.
Apesar de não parecer, respeito suas idéias, apenas discordo delas e estou dando meus argumentos.
"Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei, e todos saberão que sois meus discípulos".
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 29 de Março de 2012, 15:05
Agora as coisas estão ficando mais claras,respeito o seu ponto de vista,mas não o sigo. Prefiro ver Jesus virando as bancas do templo, que é amor, também. Apenas, alguns só querem considerar amor, o amor materno e não sua versão paterna. O amor pode se exprimir como uma reprimenda, quando um pai diz verdades duras aos filhos com o objetivo de terem suas rotas corrigidas, como diz paternalmente Jesus "raça de víboras até quando estarei convosco, até quando ei de vos suportar". Apenas não vejo Jeusus como uma mãe,mas sim como um pai por excelência. Você é adepto do amor materno, enquanto eu sou do amor paterno, por esse se fazer mais necessário em nossa época de tantos relativismos. Combater não é sinônimo de exterminar, como você deu a entender, mas na minha acepção de apresentar argumentos a altura dos contraditores da espiritualidade, como fez Kardec. Mas, quem tem natureza passiva ou reprimi sua agressividade enxerga em posturas mais enérgicas desejo de supremacia. Combato paternalmente as ideias ateias com argumentos e não com opiniões pessoais, por mr ver na obrigação de ajudar as novas gerações.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 29 de Março de 2012, 15:39
Prezado Clay.
Viu como o diálogo nos faz crescer.
Estamos começando a concordar posto que estamos começando a entender o que o outro pensa. E so conseguimos isso através do diálogo.
Concordo com você, uma reprimenda é um ato de amor sim e as vezes o maior deles.
Certa vez li a argumentação de um pastor evangélico falando da péssima influência das doutrinas espiritas, assim mesmo no plural, numa clara demonstração de desconhecimento e falta de respeito.
E ca entre nós minha mãe nunca se eximiu da reprimenda quando julgou necessário e é exatamente disso que falo quando digo amar seus filhos.
É participar da vida deles, saber sua rotina, acompanhar a evolução na escola, brincar junto sempre que possivel. E quado não for, arrumar um tempo.
Os materialistas, esse sim são "perigosos", pois transferem para brinquedos, normalmente caros, o conceito de amor. Papai te ama então toma um video game novo. Isso é o verdadeiro perigo. E temos visto muito disso ultimamente.
Idéias se combatem como voce disse, com idéias, com debate, as vezes rispidos ou um pouco forte como nós mesmos temos falado por aqui.
O importante é não termos a pretensão de impormo-nos.
Como escrevi antes, não fujo de um bom debate, mas não tento fazer minha esposa que é evangélica, acreditar em reencarnação por exemplo. Isso virá com o tempo.
Mas sempre que posso mostro a ela aquilo que considero incoerências das igrejas evangélicas.
A energia, a reprimenda, erguer a voz é sim uma forma de amor quando num relacionamento familiar. Não podemos é confundir educação, que isso deveria significar, com manipulação, controle e autoritarismo.
São linhas muito tênues.
E Normalmente tem a ver com o histórico espiritual do individuo, refletido no seu estado psicológico.
De mais a mais, é muito bom um debate como esse.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 29 de Março de 2012, 15:55
Prezado Clay.
Viu como o diálogo nos faz crescer.
Estamos começando a concordar posto que estamos começando a entender o que o outro pensa. E so conseguimos isso através do diálogo.
Concordo com você, uma reprimenda é um ato de amor sim e as vezes o maior deles.
Certa vez li a argumentação de um pastor evangélico falando da péssima influência das doutrinas espiritas, assim mesmo no plural, numa clara demonstração de desconhecimento e falta de respeito.
E ca entre nós minha mãe nunca se eximiu da reprimenda quando julgou necessário e é exatamente disso que falo quando digo amar seus filhos.
É participar da vida deles, saber sua rotina, acompanhar a evolução na escola, brincar junto sempre que possivel. E quado não for, arrumar um tempo.
Os materialistas, esse sim são "perigosos", pois transferem para brinquedos, normalmente caros, o conceito de amor. Papai te ama então toma um video game novo. Isso é o verdadeiro perigo. E temos visto muito disso ultimamente.
Idéias se combatem como voce disse, com idéias, com debate, as vezes rispidos ou um pouco forte como nós mesmos temos falado por aqui.
O importante é não termos a pretensão de impormo-nos.
Como escrevi antes, não fujo de um bom debate, mas não tento fazer minha esposa que é evangélica, acreditar em reencarnação por exemplo. Isso virá com o tempo.
Mas sempre que posso mostro a ela aquilo que considero incoerências das igrejas evangélicas.
A energia, a reprimenda, erguer a voz é sim uma forma de amor quando num relacionamento familiar. Não podemos é confundir educação, que isso deveria significar, com manipulação, controle e autoritarismo.
São linhas muito tênues.
E Normalmente tem a ver com o histórico espiritual do individuo, refletido no seu estado psicológico.
De mais a mais, é muito bom um debate como esse.



Companheiro, que bom que o entendimento e o respeito se faz entre nós, mesmo discordando em alguns pontos aqui e ali. Quando abri esta discussão foi com o objetivo de alertar pais e responsáveis para o perigo da infiltração das ideias materialistas no seio de seus lares, justamente por falta de cuidado e amor com os filhos, amor paterno seja ele expresso por um homem ou por uma mulher. Quando os adolescentes vão as universidades tem sua fé facilmente destruída por professores materialistas, os quais considero irresponsáveis,pois deviam apresentar algo melhor daquilo que combatem. Como a ciência comprova hoje ser a vivência da espiritualidade uma necessidade vital para o ser humano, a juventude desiludida busca saciar sua fome do transcendente no campo das drogas. Digo vivenciar e não crer, pois quem crer descrer e pode comete atrocidades crendo ou não. Refiro-me a viver o espirito de solidariedade e de busca do transcendente através das práticas oracionais e da caridade. Mas se você diz a alguém que Deus não existe e que vamos para o nada quando morremos, para que um jovem vai pensar em se esforçar ou seguir regras sociais? É este o perigo que venho denunciando aqui. Segundo os dados do IBGE o número de ateus aumentou na última década e deve aumentar ainda mais nesta, será que é coincidência com o aumento do uso de drogas? Não estou propondo aqui uma cruzada contra os ateus, mas sim apresentando argumentos para qualquer jovem que por acaso aqui aparecer, para lhe mostrar que seguir a espiritualidade não é coisa de gente inculta e ignorante,como dizem muitos materialistas, e que há embasamento científico para a vivência da fraternidade e do espiritual.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 29 de Março de 2012, 18:14
Na realidade meu irmão, acredito que o ateísmo tem crescido pela maneira como as igrejas tradicionais tratam a fé.
Você disse, e é verdade, que os jovens principalmente não aceitam mais crer por crer, querem algo mais, coisa que infelizmente nãovemos nas igrejas tradicionais.
Ao contrario, se olhar a televisão os canais religiosos passam mais tempo vendendo literalmente, a idéia de que a riqueza e o sucesso são "coisas de Deus".
As pessoas precisam crer em Deus tanto quanto precisam ser aceitas e fazer parte de uma sociedade. Se não conseguem participar da célula familiar, procuram a célula que os aceite, passando a assumir os valores dessa célula, sejam eles quais forem.
Por isso a familia é a base de tudo. Os valores que você da e recebe em família é que irão definir sua postura diante das dificuldades, se você vai cair nas tentações do caminho largo, ou entrar pela porta estreita da virtude.
Como disse, a supervalorização do material, do ter em detrimento do ser é que faz com que os valores sejam distorcidos e é isso, em minha opinião que gera as dificuldades morais que temos hoje.
Infelizmente incentivada por pastores, bispos e apóstolos que choram na tv por dinheiro para comprar fazendas de gado.
Mas tenhamos fé e paciência, Jesus esta no comando e a terra irá evoluir.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Lucas M. em 29 de Março de 2012, 18:52
Eu entendo as considerações do Clay, mas acho que ele só se equivoca quando coloca "materialismo" e "ateísmo" no mesmo barco.

Ateus não são um grupo homogêneo, então você vai ter pessoas com todas as filosofias diferentes nesse meio. Muitos dos vegans, feministas, pessoas que lutam pelas causas sociais, são ateus devido a todo o mal que as religiões causaram supostamente em nome de Deus.

Não se deve combater o ateísmo por si só, e sim o materialismo, que está dentro das religiões também.

A tal da "ética protestante", a teologia da prosperidade, a crença de que Deus recompensa em bens a fé. São doutrinas extremamente nocivas que nascem no seio das igrejas.

Vamos separar as duas coisas.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Kazaoka em 29 de Março de 2012, 19:45
Me perdoem por estar opinando num tópico que não tenho acompanhado. Porém, para fazer esta postagem visitei as páginas anteriores e não vi em nenhuma delas o que, para mim, é o fundamental para a segurança da sociedade humana e, por conseguinte, para a elevação moral dos Espíritos. a educação. A preocupação do Clay com o presente e o futuro da juventude que transvia é justa e estamos mergulhados numa sociedade onde estes casos multiplicam-se dia-a-dia. Se estamos sendo ineficazes no combate a esse mal, tendo de tratar o problema depois de instalado, então devemos tratá-lo na origem antecedendo às suas ações perniciosas. É na educação que devemos focar nossas ações. E a nós Espíritas, podemos fazer isso fortalecendo a base da educação em nossas CE, dando à envangelização infantil a atenção necessária e merecida.

Se não podemos confrontar e anularmos de pronto o mal que identificamos, podemos trabalhar e preparar aqueles propensos a serem destes males vitimados. É assim que agem os Espíritos das ordens mais elevadas, eles não anulam as causas dos sofrimentos mas buscam fortalecer espiritualmente aqueles que experienciam o sofrimento. Mesmo porque, muitos as vivenciam como provas previamente escolhida.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 29 de Março de 2012, 21:30
Irmãos Lucas e kazaoka.
Bem vindos ao debate.
Suas considerações são absolutamente corretas e me atrevo a dizer que foi exatamente sobre isso que discorremos o tempo todo.
Em todos os meus posts enfatizei que o que eleva os homens é o amor que eles tenham, e que isso independe de religião. São os sentimentos mais ou menos nobres de seus corações que vão definir isso. "Não é o que entra na boca do homem que o macula, mas o que sai, pois o que sai vem do coração".
Quanto ao "combate", confesso que não gosto muito dessa palavra, posto que me remete a confronto, o que não é necessariamente bom.
Mas é exatamente na educação Kazaoka, que me refiro quando falo na importância dos pais amarem seus filhos, das familias serem mais unidas.
É essa transmissão de valores que faz com que as crianças e jovens sejam, no futuro, adultos sadios ou não.
Valores meus irmãos.
Se os pais passam aos filhos os valores do poder, da ganância, do ter sobre o ser, teremos jovens e adultos fúteis, buscando nos prazeres materiais a sua felicidade.
Mas se passarmos aos jovens o valores do amor incondicional, do perdão, do trabalho, da honestidade, então teremos jovens e adultos sadios e comprometidos com o bem comum.
Para encerrar, tambem não gosto da "teologia da prosperidade", mas cada irmão esta em um nivel evolutivo, devemos respeitar.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Ramon em 29 de Março de 2012, 22:32
O Ateu e o Médium

Como se transfere da fé no niilismo à realidade da alma imortal

O escritor francês, residindo em Lyon, nos oferece precioso exemplo ao biografar uma pessoa pública fácil de examinar pelo conjunto de sua obra inteligente. Com perfeito domínio da língua portuguesa, e visitando várias vezes o Brasil, oferece-nos uma pérola. Não é uma “mera compilação, mas uma serena e desapaixonada interpretação de fatos”.
Rolando Ramaccioti procura Laerte Abnelli. “Chico, lá em Uberaba, pediu que você desenhasse uma capa para seu novo livro.” Não conhecendo Chico e sendo ateu, Laerte não deseja colaborar na divulgação de crença que não compartilha e responde negativamente. Chico lhe escreve reiterando o pedido. Em seguida, de passagem por São Paulo, é recebido com hora marcada. Falou da infância do artista, referência em matéria de publicidade no Brasil. Narrou fatos de que Laerte não lembrava mais, e também toda a sua vida. O artista estupefato dá seu testemunho em livro posterior.
“Fui testemunha de uma coisa (...). Perfume! Muito perfume: de rosas. Não apenas delicioso aroma. Garoava! Abundantemente! Tão intenso que meus cabelos estavam molhados. E vários dias depois, lavados diariamente, recendiam a rosas. E meu terno que guardei no armário, seguiu perfumado por meses e meses a fio...”
Sete anos depois, sem que Laerte tenha notícias do Chico, ocorre-lhe outro fato inusitado. Não tenho coragem de privar o leitor do prazer de verificar, no livro (referência), como se transfere da fé no niilismo à realidade da alma imortal.
http://www.forumespirita.net/fe/espiritismo-espanol/como-se-transfiere-de-la-fe-en-el-nihilismo-a-la-realidad-del-alma-inmortal/
http://www.forumespirita.net/fe/spiritism-english/as-transfers-of-faith-in-nihilism-to-the-reality-of-the-immortal-soul/
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Kazaoka em 29 de Março de 2012, 22:45
Quem habita o mundo físico são os Espíritos que vem do plano espiritual. E se é aqui que vivenciamos as provas e expiações que nos fazem avançarmos, então devemos educar e nos educarmos para que povoemos o mundo espiritual com Seres melhores.
Se queremos povoar a Terra com Espíritos melhores, devemos enviar para a espiritualidade Espíritos melhorados. Está é nossa função e, como diz na oração de S. Francisco: "É dando que se recebe"
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Anton Kiudero em 29 de Março de 2012, 22:59
Tudo são provas solicitadas pelo espirito antes da encarnação.

E Deus, pai de todos os espíritos, as prove, de acordo com o merecimento (entenda-se "solicitação") a cada momento dado. Portanto que ninguem se preocupe com o que os 'outros' fazem ou o que os 'outros' irão ler ou compreender, porque o Pai deles ja cuida disto.

Ia me esquecendo. Ao contrário dos que estão querendo assumir a responsabilidade do Pai, Ele não dorme e jamais se esqueçe de detalhe algum.

Portanto vivam as suas provas e deixem aos 'outros' viver as deles. Os 'outros' incluem os filhos, amigos e todos os parentes proximos e distantes.

Que a paz fique com todos,
Anton



Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 30 de Março de 2012, 01:49
Mas não podemos deixar passar as oportunidades de auxiliar nossos irmãos e, em fazendo isso aprender tambem o que precisamos para nossa própria evolução.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 30 de Março de 2012, 03:14
Me perdoem por estar opinando num tópico que não tenho acompanhado. Porém, para fazer esta postagem visitei as páginas anteriores e não vi em nenhuma delas o que, para mim, é o fundamental para a segurança da sociedade humana e, por conseguinte, para a elevação moral dos Espíritos. a educação. A preocupação do Clay com o presente e o futuro da juventude que transvia é justa e estamos mergulhados numa sociedade onde estes casos multiplicam-se dia-a-dia. Se estamos sendo ineficazes no combate a esse mal, tendo de tratar o problema depois de instalado, então devemos tratá-lo na origem antecedendo às suas ações perniciosas. É na educação que devemos focar nossas ações. E a nós Espíritas, podemos fazer isso fortalecendo a base da educação em nossas CE, dando à envangelização infantil a atenção necessária e merecida.

Se não podemos confrontar e anularmos de pronto o mal que identificamos, podemos trabalhar e preparar aqueles propensos a serem destes males vitimados. É assim que agem os Espíritos das ordens mais elevadas, eles não anulam as causas dos sofrimentos mas buscam fortalecer espiritualmente aqueles que experienciam o sofrimento. Mesmo porque, muitos as vivenciam como provas previamente escolhida.


Companheiro, muito lúcida sua opinião e análise dos fatos. De fato o que tenho questionado aqui é a passividade dos espíritas que possuem o conhecimento necessário para educar os espíritos encarnados em nossa época. O espiritismo é a chave, pois não fala por falar,apresenta argumentos baseados na mais pura lógica e no bom senso, sem falar na ponte que estabelece com a ciência,coisa que nenhuma religião formal faz. Entretanto,você vê programas de televisão propagando essas ideias? Não, e porque? Por que está faltando compromisso educativo com os outros. Mas vemos programas de TV e revistas propagando abertamente o niilismo e o materialismo, que passam para a juventude como se fossem verdades inquestionáveis. Sim, inquestionáveis, pois circula por vários meios de comunicação que quem se preocupa com espiritualidade é gente de baixa cultura e ignorante. Sabe por que isso? Por que quem tem o conhecimento o esconde numa falsa humildade. Falo em combate, apesar de alguns não gostarem da palavra, o que tem o direito, por ver muita passividade e até preguiça na propagação dos ideais espíritas. Precisamos levar essa mensagem que salva ao maior número de pessoas possível, principalmente a juventude, que carece de explicações racionais para as coisas do mundo.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Anton Kiudero em 30 de Março de 2012, 03:36
Mas não podemos deixar passar as oportunidades de auxiliar nossos irmãos e, em fazendo isso aprender tambem o que precisamos para nossa própria evolução.

Voce é mais que Deus? Porque enquanto não for, voce fará exatamente o que Deus lhe ordenar fazer, na hora de fazer e do modo como deve ser feito. E quem sabe o que é melhor para a sua evolução tambem é Deus...

Para ajudar, primeiro se ajude. Para mudar alguem, primeiro mude... A sua verdade pode não ser a verdade verdadeira e seguramente não o é. A sua verdade é a sua prova e a verdade de cada um é a prova de cada um...



Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 30 de Março de 2012, 12:38
Prezado Anton.
Um pouco incisivos seus argumentos eu acho.
E um pouco fatalistas tambem. Onde esta meu "livre arbitrio".
Da forma como você escreve parece que somos marionetes nas mãos de Deus e não vejo dessa forma.
Cada um tem suas dificuldades, provações, dores e lutas. Inclusive nós mesmos.
Mas como o Mestre disse, cada um deve pegar a sua cruz e segui-lo.
Jesus tambem disse a seus seguidores que pregassem e fizessem discípulos, apresentassem a boa nova aos homens.
Se um ateu, materialista, egoista ou orgulhoso cruza o seu caminho, é seu dever sim, como ja diria Leon Denis, auxiliar o irmão, posto que você como espirita consciente das suas responsabilidade, embora tendo esses mesmos defeitos, tenha mais capacidade de discerni-los.
Até por que, o que vemos nesses irmãos é um reflexo de nós mesmos. É uma oportunidade de questionarmos nossa propria conduta e nossos valores.
Apenas essa reflexão sobre nós mesmos nos fará crescer: "Um sábio da antiguidade ja vo-lo disse: conheça-te a ti mesmo".
Nada melhor para isso do que auxiliar nossos irmãos, pois nesse debate e troca de idéias ensinamos e aprendemos e principalmente adquirimos as virtudes e os conhecimentos necessários para dar o bom exemplo.
É o que penso.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 30 de Março de 2012, 13:29
Prezado Anton.
Um pouco incisivos seus argumentos eu acho.
E um pouco fatalistas tambem. Onde esta meu "livre arbitrio".
Da forma como você escreve parece que somos marionetes nas mãos de Deus e não vejo dessa forma.
Cada um tem suas dificuldades, provações, dores e lutas. Inclusive nós mesmos.
Mas como o Mestre disse, cada um deve pegar a sua cruz e segui-lo.
Jesus tambem disse a seus seguidores que pregassem e fizessem discípulos, apresentassem a boa nova aos homens.
Se um ateu, materialista, egoista ou orgulhoso cruza o seu caminho, é seu dever sim, como ja diria Leon Denis, auxiliar o irmão, posto que você como espirita consciente das suas responsabilidade, embora tendo esses mesmos defeitos, tenha mais capacidade de discerni-los.
Até por que, o que vemos nesses irmãos é um reflexo de nós mesmos. É uma oportunidade de questionarmos nossa propria conduta e nossos valores.
Apenas essa reflexão sobre nós mesmos nos fará crescer: "Um sábio da antiguidade ja vo-lo disse: conheça-te a ti mesmo".
Nada melhor para isso do que auxiliar nossos irmãos, pois nesse debate e troca de idéias ensinamos e aprendemos e principalmente adquirimos as virtudes e os conhecimentos necessários para dar o bom exemplo.
É o que penso.


Muito boa análise. Lúcida e com responsabilidade social.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Anton Kiudero em 30 de Março de 2012, 13:29
Um pouco incisivos seus argumentos eu acho.

O motivo de voce "achar" é unicamente por serem diversos daqueles argumentos que voce considera "verdadeiros" ou "certos", apenas isto. O nome que se dá a isto é "apego moral", que é um dos maiores vicios do espírito humanizado. Sugiro estudar mais sobre isto em diversos tópicos neste forum.

E um pouco fatalistas tambem. Onde esta meu "livre arbitrio".
Da forma como você escreve parece que somos marionetes nas mãos de Deus e não vejo dessa forma.

O seu "livre arbítrio" esta em:

(1) acreditar que voce possui livre arbítrio ou não. Mas que não lhe dá qualquer oportunidade de praticar qualquer ação positiva ou negativa a qualquer outro espírito encarnado ou desencarnado, sem que Deus o ordene e

(2) executar as ações de Deus dando graças a Deus ou murmurando contra o Pai.

Isto esta no muito citado, pouco lido e praticamente nada compreendido Livro dos Espiritos que nos informa que:

Deus é a causa primária de todas as coisas (#001), 
O homem orgulhoso nada admite acima de si. Por isso é que ele se denomina a si mesmo de espírito forte. Pobre ser, que um sopro de Deus pode abater! (#009),
É apenas a Deus que devemos agradecer por tudo o que nos acontece (#535), porque ele é o unico causador (#001)
Deus sabe o momento e a forma da morte de cada um e se ninguem morre a não ser no momento certo (#528),
Deus se ocupa de todos os seres que criou, por menores que sejam; nada é muito pequeno para sua bondade (#963),
Quando chega a hora, os espiritos encaminham o ser humano a seu destino (#459, #526, #527), 
Não existe o acaso (#529 a),
O espirito, utilizando seu livre arbitrio, define o genero de provas pelas quais deseja passar durante a encarnação (#258 à #273, #335),
Todas as ações são provas (expiações) ou missões (#132),
Todas as ações realizadas pelo espirito encarnado (cumprir a sua parte na obra da criação) são por determinação de Deus (#132).

Voce não ve desta forma por não haver procurado as respostas as suas questões no LE, conforme citado acima.
 
A única "ação" que o espirito encarnado pratica livremente e nisto consiste o seu livre arbítrio é a ação moral de amar a Deus acima de tudo ou amar a si mesmo acima de tudo.

Não se preocupe tanto com os outros e o que pensam e fazem, porque se voce o fizer será apenas por acreditar (de novo o apego moral) que "sabe" algo mais que os outros, ou que é "melhor" que os outros, o que é apenas egoismo ou hipocrisia humana da qual devemos nos libertar.

E isto invariavelmente leva a queda ao fim da fila....

Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Marlenedd em 30 de Março de 2012, 13:52
Todos os que, apesar de venerarem o Cristo, não cumprem este primeiro mandamento, são mais ateus que os ateus declarados e mais materialistas que os materialistas declarados...

"Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento."

Quem não segue este mandamento ama-se mais a si próprio do que a Deus. Quem se preocupa com as "boas"ações perante os outros, idem.

São os egos, a totalidade que domina o mundo, que da boca para fora dizem que amam o Cristo e que o veneram e idolatram, apenas exacerbando o egoísmo. Porque lá no fundo amam-se ais a si próprios do que a Deus.

Isto vê-se em todo o mundo, e ainda é mais declarado naqueles que seguem religiões ou doutrinas...
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 30 de Março de 2012, 15:11
"Este povo me honra com a boca, mas seu coração esta longe de mim".
Prezado anton e demais amigos do forum.
Tenho uma memória ruim, não guardo com precisão números, nem de versiculos bíblicos, nem das questões do LE. Até por que acredito, e concordo com você é minha opinião, que o importante não é a "letra fria da lei", mas o conceito que ela encerra.
Temos nossas provas, isso é inquestionavel, se um irmão enfrenta uma prova dificil, como a miséria por exemplo, sabemos que ele precis passar por isso. Mas na propria obra básica, e repito não decoro números, você verá que isso serve de oportunidade para colocarmos em prática a caridade.
Se você vai fazer a caridade e colocar na capa do jornal de maior circulação na sua cidade, ou vai apenas praticar a caridade pelo prazer de ajudar alguem, é responsabilidade sua, e tambem escolha sua. Você pode escolher não fazer nada afinal é a prova dele.
"Somos responsáveis não apenas pelo mal que fazemos, mas tambem pelo bem que deixamos de fazer".
Reitero meu entendimento caro Anton, você esta me dizendo que somos marionetes na mão de Deus e que devemos ser egoistas e nos preocuparmos apenas com nossas dificuldades.
"Amar ao próximo como a si mesmo".
Em absoluto, o que os outros pensam ou fazem, é problema deles, assim como o que eu penso e faço é problema meu, mas, e a participação nesse forum mesmo é um exemplo, a trocade idéias e experiências é fundamental para que possamos tirar a trave que temos nos nossos olhos.
Será que o divaldo esta errado em manter a Mansão do Caminho em Salvador, dando abrigo, comida, carinho e educação a espíritos que nasceram na pobreza por "ordem de Deus".
Esse conceito meu irmão, é o conceito evangélico, ou católico, que considera tudo ordem de Deus, as quais não podemos questionar.
Alias, eu jamais questiono Deus, mas questiono qualquer homem que tenha a pretenção de dizer que fala Deus e que lhe entende os pensamentos. Não estamos nesse nivel.
Da minha parte tento fazer o que Jesus nos ensina no evangelho, esse sim o grande código moral do ser humano.
O debate sobre os conceitos religiosos, que fazem parte do conhecimento espírita, é uma ferramenta importante para o crescimento individual e coletivo dos homens.
Ou será que o irmão desconhece as responsabilidades coletivas?
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Anton Kiudero em 30 de Março de 2012, 16:01
Temos nossas provas, isso é inquestionavel, se um irmão enfrenta uma prova dificil, como a miséria por exemplo, sabemos que ele precis passar por isso. Mas na propria obra básica, e repito não decoro números, você verá que isso serve de oportunidade para colocarmos em prática a caridade.
E é claro que devemos por em pratica a caridade, desde que o possamos fazer (o que não é decisão nossa) e nem por um momento acreditemos que estamos fazendo alguma caridade, o que seria contrario a verdadeira caridade.

Em absoluto, o que os outros pensam ou fazem, é problema deles, assim como o que eu penso e faço é problema meu, mas, e a participação nesse forum mesmo é um exemplo, a trocade idéias e experiências é fundamental para que possamos tirar a trave que temos nos nossos olhos.
Mas se o proximo esta recebendo de Deus o que solicitou antes da encarnação quando praticou o unico livre arbitrio que o espírito possui?  Voce pensa que pode alterar o livre arbítrio de outra pessoa? Onde voce leu isto, no LE?

Será que o divaldo esta errado em manter a Mansão do Caminho em Salvador, dando abrigo, comida, carinho e educação a espíritos que nasceram na pobreza por "ordem de Deus".
O Divaldo não esta em discussão como tampouco esta em discussão a caridade material. Estamos conversando neste tópico sobre o direito de cada um de pensar como quer.

Convido-o a ler, estudar e comentar se assim o desejar este texto  http://www.forumespirita.net/fe/auto-conhecimento/as-quatro-ancoras/msg18886/#msg18886  que pode auxilia-lo a compreender a si mesmo e a partir da compreensão de si mesmo, compreender o mundo e não tentar amoldar o mundo ao que considera 'certo'.

Que a paz fique contigo,
Anton

Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 30 de Março de 2012, 16:25
Não tenho a pretensão de alterar nem o livre arbitrio, nem as provas dos meus irmãos. Alias não tenho a pretensão de alterar nem as minhas.
O que digo e reafirmo é que podemos sim auxiliar nossos irmãos a atravessar as provas pelas quais precisam passar.
Quando citei Divaldo e a Mansão, falei de carinho e educação, que são a mais sublime forma de caridade que eu conheço e que não são materiais, são valores morais.
As provas pelas quais passamos, quando não se tratam de expiações, existem para que possamos evoluir, tanto intelectual como moralmente e como ja dizia Chico Xavier, "A justiça de Deus jamais vai lhe levar onde sua misericórdia não possa protejê-lo".
Nossos irmãos de jornada, em qualquer estagio evolutivo são a ferramenta que Deus colocou e utiliza para nos moldar, não como marionetes, mas como principio inteligente, buscando colocar o sentimento do amor incondicional e fraterno acima das convenções materiais vigentes.
Amar a Deus somente, esquecendo nossos compromissos com a fraternidade universal, fruto da nossa evolução moral, é que é ser hipócrita, é bater ponto na igreja ou no centro espirita, acreditando que ao dizer "senhor senhor" as portas do paraiso se abrirão.
A chave que abre o "reino de Deus", está em MT 25:31ss.
É meu entendimento
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Marlenedd em 30 de Março de 2012, 16:43
A doutrina diz que os espíritos são os instrumentos dos quais Deus se serve para cumprir as Suas vontades, submissos à vontade de Deus e a maioria cegos. Cegos por não terem consciência disto e pensarem que fazem alguma coisa por si mesmos, ou que são independentes.

Isto é corroborado por palavras sagradas dos nossos antepassados...

Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.

Não vem das obras, para que ninguém se glorie.

Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Anton Kiudero em 30 de Março de 2012, 17:52
Não tenho a pretensão de alterar nem o livre arbitrio, nem as provas dos meus irmãos. Alias não tenho a pretensão de alterar nem as minhas.

E mesmo que o pretendesse, não o conseguiria, portanto não perca seu valioso tempo com tentativas infrutiferas.

O que digo e reafirmo é que podemos sim auxiliar nossos irmãos a atravessar as provas pelas quais precisam passar.

Desde que respeitemos a individualidade de cada um, não tentando vender nossa verdade.

Quando citei Divaldo e a Mansão, falei de carinho e educação, que são a mais sublime forma de caridade que eu conheço e que não são materiais, são valores morais.

E os espiritos que acolheu são aqueles espiritos que deveria acolher e que alias, encarnaram para isto.

Nossos irmãos de jornada, em qualquer estagio evolutivo são a ferramenta que Deus colocou e utiliza para nos moldar, não como marionetes, mas como principio inteligente, buscando colocar o sentimento do amor incondicional e fraterno acima das convenções materiais vigentes.

Vejo que voce não teve a curiosidade de ler e compreender o texto que sugeri acima...

Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 30 de Março de 2012, 18:31
Curiosidade até tive e tenho, mas não tive tempo.
Quanto ao Divaldo, ele poderia ter recusado a tarefa e continuado a se comprometer.
Não estou tentando vender verdade nenhuma, estou apenas emitindo minhas opiniões, as quais podem ser equivocadas ou rejeitadas, mas com certeza fazem com que as pessoas pensem, reflitam o que para mim é fundamental na busca pelo conhecimento de si mesmo.
Sou como qualquer um de nós um espírito que busca conhecimento de si mesmo e de qualquer conceito ou informação que possa auxiliar-me nessa tarefa.
Não descarto informação ou conceito nenhum, por mais absurdo que possa ser.
Cada um de nós vem com uma tarefa, mas sua execução depende da nossa vontade. Pelo menos até o momento em que a evolução torne-se obrigatória e as expiações apareçam.
De qualquer forma meu irmão, não pretendo me manter em polêmicas que me parecem estéreis.
Estamos falando idiomas diferentes.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 31 de Março de 2012, 02:25
"Este povo me honra com a boca, mas seu coração esta longe de mim".
Prezado anton e demais amigos do forum.
Tenho uma memória ruim, não guardo com precisão números, nem de versiculos bíblicos, nem das questões do LE. Até por que acredito, e concordo com você é minha opinião, que o importante não é a "letra fria da lei", mas o conceito que ela encerra.
Temos nossas provas, isso é inquestionavel, se um irmão enfrenta uma prova dificil, como a miséria por exemplo, sabemos que ele precis passar por isso. Mas na propria obra básica, e repito não decoro números, você verá que isso serve de oportunidade para colocarmos em prática a caridade.
Se você vai fazer a caridade e colocar na capa do jornal de maior circulação na sua cidade, ou vai apenas praticar a caridade pelo prazer de ajudar alguem, é responsabilidade sua, e tambem escolha sua. Você pode escolher não fazer nada afinal é a prova dele.
"Somos responsáveis não apenas pelo mal que fazemos, mas tambem pelo bem que deixamos de fazer".
Reitero meu entendimento caro Anton, você esta me dizendo que somos marionetes na mão de Deus e que devemos ser egoistas e nos preocuparmos apenas com nossas dificuldades.
"Amar ao próximo como a si mesmo".
Em absoluto, o que os outros pensam ou fazem, é problema deles, assim como o que eu penso e faço é problema meu, mas, e a participação nesse forum mesmo é um exemplo, a trocade idéias e experiências é fundamental para que possamos tirar a trave que temos nos nossos olhos.
Será que o divaldo esta errado em manter a Mansão do Caminho em Salvador, dando abrigo, comida, carinho e educação a espíritos que nasceram na pobreza por "ordem de Deus".
Esse conceito meu irmão, é o conceito evangélico, ou católico, que considera tudo ordem de Deus, as quais não podemos questionar.
Alias, eu jamais questiono Deus, mas questiono qualquer homem que tenha a pretenção de dizer que fala Deus e que lhe entende os pensamentos. Não estamos nesse nivel.
Da minha parte tento fazer o que Jesus nos ensina no evangelho, esse sim o grande código moral do ser humano.
O debate sobre os conceitos religiosos, que fazem parte do conhecimento espírita, é uma ferramenta importante para o crescimento individual e coletivo dos homens.
Ou será que o irmão desconhece as responsabilidades coletivas?


Muito boa e responsável a análise feito por você companheiro. Isso é que é verdadeiro espírito cristão, de fato não importa a prova que nosso irmão esteja passando, se nossa consciência nos pede que o auxiliemos devemos fazê-lo, esteja isso ou não escrito em texto dito sagrado, o importante é atendermos os reclames de nossas consciências, o que teremos o termômetro da paz a nos indicar se estamos seguindo a consciência ou não. "Misericórdia eu quero e não sacrifício" nos afirmou Jesus parafraseando o profeta Oséas.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: hcancela em 31 de Março de 2012, 13:58
Olá amigos(as)

Em minha opinião o texto peca por defeito.

Como exemplo dou eu mesmo!... Nunca tive formação Filosófica alguma e muito menos Religiosa, até conhecer o Espiritismo, que me deu a conhecer, o porquê de tudo, no entanto nunca disse mal de Deus, apenas não compreendia o que ouvia falar, porque nada batia certo inclusive quando falavam de um Deus bom e justo e só via (maldade). Hoje tudo para mim bate certo.Era Ateu? Talvez, não sei!...Dizia mal de Deus; Não.

Creio que dentro deste raciocínio a maioria dita de Ateu é, ou será como eu pensava.

Abraços fraternos
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 01 de Abril de 2012, 00:12
Prezado hcancela.
Concordo com você, as pessoas que se dizem atéias, são na verdade pessoas que não entendem Deus.
E posso lhe dizer irmão, que como ja citei em um post anterior, eu rambem andei nese caminho, da descrença, da falta de fé por ignorar o Deus verdadeiro.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Paulo Castro em 01 de Abril de 2012, 03:56
Boa noite pessoal.
 Esse lance de ateísmo tá mais serio do que eu podia imaginar,e agora está tão perto de mim que não tô sabendo lidar com a situação.Eu tenho um amigo que toca na minha banda que,quando nos conhecemos era evangelico e eu quase nessa ideia de ateismo,aínda acreditava um pouco em Deus,mas o culpava pelos meus problemas com bebidas alcoolicas e drogas e muita infelicidade.é uns dos motivos que eu não gosto de olhar para o meu passado.e ele sempre me falava de Deus que era pra eu ter fé que as coisas iriam melhorar.sabem eu comecei a procurar uma religião apartir dele,não posso negar que ele me ajudou muito neste aspecto.Cara hoje eu fico boquiaberta com as coisas que ele fala,ele diz que deus não existe e mesmo que existisse,se recusaria a acreditar,e tambem já disse literalmente,não com essas palavras,mas que eu sou um tolo por seguir uma religião e um Deus que não existem,que não levam a nada.e o pior,eu não tenho nada contra o ateísmo e nem contra quem se diz ateu,mas no meu ponto de vista,uma pessoa assim tem que ter um motivo plausivo,uma opinião propria a respeito do assunto,mas ele se diz uma dessas pessoas mas fazendo de ideias dos outros como se fossem suas,eu fico muito triste de ver o quanto as pessoas não conseguem enxergar Deus quando é tão facil,fico triste de ver uma pessoa que me ajudou de certa forma a aceitar as provas que deus nos impõe de coração aberto,se dizer ateu depois de tudo que ele mesmo me ensinou.e como eu já disse nesta enquete,e é lamentavel dizer isso mas essas pessoas são vazias,são ocas,não tem vontade de viver,e o mais complicado é que tentam a todo custo fazer com que essa aberração chamada ateísmo ganhar força,esses dias ele me disse que um tal professor de harvard,que leciona estudos de religiões,pagaria 1 milhão de euros,para quem provar para ele que Deus existe,e que ha vida depois da morte,eu respondí que nenhum espiritualista serio e firme em suas convicções jamais entraria neste tipo de joguete,e simplesmente com ar de deboche me disse que niguem provaria porque realmente não existe.e eu então fui obrigado a falar para ele ir estudar,e não tomar a opinião de terceiros como se fosse uma teoria dele,e que ele é um revoltadinho sem calça por não ser honesto consigo mesmo,mas realmente é lamentaval que essa ideia está arrastando uma multidão de almas para a escuridão.

                   muita paz e muita luz.....
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Kazaoka em 01 de Abril de 2012, 12:34
Paulo, seu amigo não é ateu! O que está acontecendo com ele é que ele está revoltado contra aquilo que ele considera divindade. Não tem como se revoltar contra "algo" que não existe para nós. Se um dia ele lhe foi útil, está na hora de você procurar devolver-lhe a mesma luz que um dia lhe serviu na obscuridade que se encontrava.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 02 de Abril de 2012, 02:50
Boa noite pessoal.
 Esse lance de ateísmo tá mais serio do que eu podia imaginar,e agora está tão perto de mim que não tô sabendo lidar com a situação.Eu tenho um amigo que toca na minha banda que,quando nos conhecemos era evangelico e eu quase nessa ideia de ateismo,aínda acreditava um pouco em Deus,mas o culpava pelos meus problemas com bebidas alcoolicas e drogas e muita infelicidade.é uns dos motivos que eu não gosto de olhar para o meu passado.e ele sempre me falava de Deus que era pra eu ter fé que as coisas iriam melhorar.sabem eu comecei a procurar uma religião apartir dele,não posso negar que ele me ajudou muito neste aspecto.Cara hoje eu fico boquiaberta com as coisas que ele fala,ele diz que deus não existe e mesmo que existisse,se recusaria a acreditar,e tambem já disse literalmente,não com essas palavras,mas que eu sou um tolo por seguir uma religião e um Deus que não existem,que não levam a nada.e o pior,eu não tenho nada contra o ateísmo e nem contra quem se diz ateu,mas no meu ponto de vista,uma pessoa assim tem que ter um motivo plausivo,uma opinião propria a respeito do assunto,mas ele se diz uma dessas pessoas mas fazendo de ideias dos outros como se fossem suas,eu fico muito triste de ver o quanto as pessoas não conseguem enxergar Deus quando é tão facil,fico triste de ver uma pessoa que me ajudou de certa forma a aceitar as provas que deus nos impõe de coração aberto,se dizer ateu depois de tudo que ele mesmo me ensinou.e como eu já disse nesta enquete,e é lamentavel dizer isso mas essas pessoas são vazias,são ocas,não tem vontade de viver,e o mais complicado é que tentam a todo custo fazer com que essa aberração chamada ateísmo ganhar força,esses dias ele me disse que um tal professor de harvard,que leciona estudos de religiões,pagaria 1 milhão de euros,para quem provar para ele que Deus existe,e que ha vida depois da morte,eu respondí que nenhum espiritualista serio e firme em suas convicções jamais entraria neste tipo de joguete,e simplesmente com ar de deboche me disse que niguem provaria porque realmente não existe.e eu então fui obrigado a falar para ele ir estudar,e não tomar a opinião de terceiros como se fosse uma teoria dele,e que ele é um revoltadinho sem calça por não ser honesto consigo mesmo,mas realmente é lamentaval que essa ideia está arrastando uma multidão de almas para a escuridão.

                   muita paz e muita luz.....



É sobre isso que venho falando um bom tempo aqui, apesar de muitos quererem contemporizar. Nunca escrevi sobre pessoas que passaram ou estão passando por crise de identidade religiosa, isto é natural. Eu mesmo tive meus períodos de descrença, antes de conhecer o espiritismo, mas nunca fiz militância pro-ateísmo, nem procurei destruir a fé de quem quer que seja por causa da minha crise que era problema meu. Entretanto não é isto que está acontecendo agora, pessoas com interesses outros estão deliberadamente propagando ideias ateias irresponsavelmente e para isso se utilizam de títulos acadêmicos para corroborarem suas teses niilistas e como vivemos numa sociedade tecno-científica buscam convencer a muitos de que a ciência nega Deus. Estas ideias tem muita força perante a juventude que ouvi estes argumentos de PHDs como se fossem verdades absolutas, por não terem um nível de conhecimento para refutá-los já que os espiritualistas com sua passividade não se preocupam em propagar argumentos para embasar a fé da juventude. O que acontece? Muitos jovens buscam as drogas para viver o anseio de transcedência que é inerente a todo ser humano, ao invés de viverem a oração e o espírito de serviço. Por isso, chamo de assassina a atitude deste militantes, á que não buscam uma discussão com pessoas adultas, mas sim com jovens que não podem contra-argumentar. Tem muita gente aqui mal informado, se baseando naquele ateu camarada que pratica a caridade, nunca me referi a estes, mas sim a militância ateia encabeçada por acadêmicos como Richard Dawkins e companhia, que tem usado de seus títulos para afirmar estultices, como a incompatibilidade entre ciência e Deus.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Paulo Castro em 02 de Abril de 2012, 03:19
Irmãos Kazaoka e Clay,concordo plenamente com vocês,o meu medo maior,é se isso se propagar de modo descontrolado.são ideias muito impressionantes que eu não posso conceber,temo pelas proximas gerações,temo pelo o que há por vir se continuar assim.infelizmente as pessoas principalmente os jovens e adolescentes que dão muita credibilidade aos diplomas,e sequer avaliam as provas incontestaveis sobre os espiritos,que afirmam a existencia de deus e de jesus,que inclusive já existem provas até mesmo cientificas como por exemplo a trancomunicação instrumental.mas eles mesmos dizem,mesmo sendo verdade eles se negam a acreditar....
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 02 de Abril de 2012, 11:07
Irmãos Kazaoka e Clay,concordo plenamente com vocês,o meu medo maior,é se isso se propagar de modo descontrolado.são ideias muito impressionantes que eu não posso conceber,temo pelas proximas gerações,temo pelo o que há por vir se continuar assim.infelizmente as pessoas principalmente os jovens e adolescentes que dão muita credibilidade aos diplomas,e sequer avaliam as provas incontestaveis sobre os espiritos,que afirmam a existencia de deus e de jesus,que inclusive já existem provas até mesmo cientificas como por exemplo a trancomunicação instrumental.mas eles mesmos dizem,mesmo sendo verdade eles se negam a acreditar....



Vejo que você é uma pessoa bem informada. Finalmente, encontrei alguém que está a parte do que está ocorrendo e o que pode vir a acontecer. Entretanto, companheiro, é responsabilidade nossa propagar as ideias imortalistas, foi com esse objetivo que abri a discussão aqui, apesar de ter sido muito incompreendido. Não posso me omitir diante desta atitude irresponsável de gente que usa seus títulos para convencer pessoas em formação, como são os jovens. Mas para minha surpresa encontrei bastante resistência em meus irmãos de ideal que em nome da caridade permitem permissividades. Aqui mesmo neste fórum há uma parte que se constitui em verdadeira propaganda ateia, claro em nome da boa democracia. Todavia após o 11 de setembro, muitos intelectuais ocidentais que defendiam a plena democracia a todos, vem mudando de opinião e não mais defendem o direito do líder religioso de defender a destruição do ocidente. Agora se fala em dá liberdade, desde que aja responsabilidade. Liberdade sem responsabilidade social ocorre nas regiões do umbral, pois nos planos mais altos figura a disciplina e a responsabilidade. Tem muito intelectual ateu por ai que anda canalizando gênios das trevas e nem percebem isso, pois sua arrogância não os deixa perceber. Por trás desta nova militância ateia há o desejo dos planos inferiores de botar a civilização em risco. Já que o expurgo de muitos espíritos para mundos inferiores já está em andamento e muitos não querem ir sozinhos...
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2012, 12:02
Só uma pergunta,

Como se pode fazer militância contra algo que não acredita?

Na concepção dos ateus Deus não existe, se não existe vai lutar contra o que?

Deus está pouco se ligando em quem acredita nele ou não.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 02 de Abril de 2012, 12:32
Creio que o irmão Clay não entendeu minhas c olocações. Sem problemas.
"Quando o discípulo esta pronto, o trabalho aparece".
Concordo com a Hebe, na realidade o que eles fazem é propagar idéias materialistas, ignorando a vida eterna do espírito imortal, supervalorizando o ter hoje.
Vemos até os "emissários" de Deus fazendo isso. Afinal o que é a teologia da prosperidade. As ditas igrejas evangélicas oferecendo amuletos para se ganhar dinheiro, tudo em nome de Deus e de Jesus.
Ja disse uma artista que "se fez mais merda em nome de Jesus do que de Hitler". E é verdade.
Que as trevas estão ao nosso lado para nos prejudicar, isso é inquestionavel, mas só conseguem porque, enquanto psicosfera planetária, permitimos.
Continuamos hoje iguais aos judeus que crucificaram Jesus: materialistas, imediatistas, ignorando não a existência de Deus posto que temos essa intuinção, mas as consequencias e principalmente a realidade da Leis de Causa e Efeito.
A culpa disso é dos ateus? Não, ao contrário, é do egoismo, orgulho e vaidades humanos, que colocam sua arogância acima da verdade.
"Ainda que ressucitasse um dos mortos não acreditariam".
O tempo senhores, fara com que essas ignorantes acordem.
Egoistas e orgulhosos só aprenderão quando não tiverem mais as condições que alimentam esse egoismo e orgulho.
Quanto a nós, faremos a nossa parte se mantivermo-nos fiéis ao que o Cristo ensinou, vivenciando isso no dia a dia e servindo de exemplo aos incrédulos.
"Olhando a flor que nasce no chão daquele que tem amor, olho pro céu e sinto crescer a fé no meu salvador".
"ORAI E VIGIAI".
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Marlenedd em 02 de Abril de 2012, 12:38
Tanto os que não acreditam em Deus, os ateus, como os que acreditam e seguem religiões ou doutrinas, enquanto se amarem a si próprios estão a lutar contra Deus. Apesar de ser uma luta inglória de sofrimentos intermináveis...

É o que se vê no mundo inteiro com guerras de doutrinas ou de religiões, cada uma a querer ser melhor que a outra, a iniquidade! Ainda não aprenderam a amar Deus acima de tudo e todas as coisas!
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 02 de Abril de 2012, 14:48
Creio que o irmão Clay não entendeu minhas c olocações. Sem problemas.
"Quando o discípulo esta pronto, o trabalho aparece".
Concordo com a Hebe, na realidade o que eles fazem é propagar idéias materialistas, ignorando a vida eterna do espírito imortal, supervalorizando o ter hoje.
Vemos até os "emissários" de Deus fazendo isso. Afinal o que é a teologia da prosperidade. As ditas igrejas evangélicas oferecendo amuletos para se ganhar dinheiro, tudo em nome de Deus e de Jesus.
Ja disse uma artista que "se fez mais merda em nome de Jesus do que de Hitler". E é verdade.
Que as trevas estão ao nosso lado para nos prejudicar, isso é inquestionavel, mas só conseguem porque, enquanto psicosfera planetária, permitimos.
Continuamos hoje iguais aos judeus que crucificaram Jesus: materialistas, imediatistas, ignorando não a existência de Deus posto que temos essa intuinção, mas as consequencias e principalmente a realidade da Leis de Causa e Efeito.
A culpa disso é dos ateus? Não, ao contrário, é do egoismo, orgulho e vaidades humanos, que colocam sua arogância acima da verdade.
"Ainda que ressucitasse um dos mortos não acreditariam".
O tempo senhores, fara com que essas ignorantes acordem.
Egoistas e orgulhosos só aprenderão quando não tiverem mais as condições que alimentam esse egoismo e orgulho.
Quanto a nós, faremos a nossa parte se mantivermo-nos fiéis ao que o Cristo ensinou, vivenciando isso no dia a dia e servindo de exemplo aos incrédulos.
"Olhando a flor que nasce no chão daquele que tem amor, olho pro céu e sinto crescer a fé no meu salvador".
"ORAI E VIGIAI".


Creio que também o irmão não me entendeu. Não estou procurando aqui discutir os desmandos dos religiosos, estou conclamado aqueles que tem o conhecimento para o dever moral de ajudar seus semelhantes que jazem na ignorância. Os religiosos cometeram e cometem abusos? Não diga ! Onde há seres humanos haverá abusos, a ciência foi utilizada para criar a bomba atômica a filosofia serviu de pretexto para o nazismo e por isso a ciência não presta e nem a filosofia? Ora, é necessário mais profundidade. A militância ateia é tão ou mais perniciosa do que o fanatismo religioso. A sociedade amadureceu para se prevenir do fanatismo religioso, mas confere facilmente cidadania ao niilismo, vendo-o como inofensivo. Isto é um erro que o presente já nos diz. Aliás, esses religiosos que prometem bens materiais, apesar de dizerem o contrário, são ateus! Sim, pois se acreditassem realmente que Deus existe não utilizariam seu nome para pilantragens: "Conhece-se a árvore pelos frutos". É justamente o cinismo do niilismo que está penetrado nos meios religiosos, "lobos em pele de cordeiro".
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 02 de Abril de 2012, 15:15
Eu prefiro o conceito de Gamaliel no Sinédrio: "Se for obra dos homens, deixai, acabará por si mesmo..."
Sempre que estou em duvida sobre algo, busco no evangelho os ensinamentos de Jesus para ver qual se encaixa.
Nesse casso apenas uma frase me veio a mente:
"NÃO ATIREIS PÉROLAS AOS PORCOS".
Tenho dito.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2012, 15:17
Clay,
Não generalize.

Não é bem assim, eu vim do ateísmo, e nunca saí chutando Santo quando era.
Meu marido era ateu e nunca me proibiu a ir no Centro ou falou coisa alguma contra qualquer religião.

Lobos em peles de cordeiro tem em qualquer lugar , até dentro dos Centros.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 02 de Abril de 2012, 15:20
Eu prefiro o conceito de Gamaliel no Sinédrio: "Se for obra dos homens, deixai, acabará por si mesmo..."
Sempre que estou em duvida sobre algo, busco no evangelho os ensinamentos de Jesus para ver qual se encaixa.
Nesse casso apenas uma frase me veio a mente:
"NÃO ATIREIS PÉROLAS AOS PORCOS".
Tenho dito.


Já eu prefiro o conceito de Jesus "proclamai o evangelho ao mundo inteiro(...)" e " Eu não vim trazer a paz, mas a espada", não a paz no sentido de passividade, mas a paz que é o dever retamento cumprido de serviço a sociedade e a espada não da violência,mas sim da persistência e combatividade nas causas do bem.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 02 de Abril de 2012, 15:22
Clay,
Não generalize.

Não é bem assim, eu vim do ateísmo, e nunca saí chutando Santo quando era.
Meu marido era ateu e nunca me proibiu a ir no Centro ou falou coisa alguma contra qualquer religião.

Lobos em peles de cordeiro tem em qualquer lugar , até dentro dos Centros.


Mas foi justamente o que afirmei, que há lobos em pele de cordeiros nos meios religiosos. Se tivesse o cuidado de ler com calma teria percebido isso.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2012, 15:35
Creio que o irmão Clay não entendeu minhas c olocações. Sem problemas.
"Quando o discípulo esta pronto, o trabalho aparece".
Concordo com a Hebe, na realidade o que eles fazem é propagar idéias materialistas, ignorando a vida eterna do espírito imortal, supervalorizando o ter hoje.
Vemos até os "emissários" de Deus fazendo isso. Afinal o que é a teologia da prosperidade. As ditas igrejas evangélicas oferecendo amuletos para se ganhar dinheiro, tudo em nome de Deus e de Jesus.
Ja disse uma artista que "se fez mais merda em nome de Jesus do que de Hitler". E é verdade.
Que as trevas estão ao nosso lado para nos prejudicar, isso é inquestionavel, mas só conseguem porque, enquanto psicosfera planetária, permitimos.
Continuamos hoje iguais aos judeus que crucificaram Jesus: materialistas, imediatistas, ignorando não a existência de Deus posto que temos essa intuinção, mas as consequencias e principalmente a realidade da Leis de Causa e Efeito.
A culpa disso é dos ateus? Não, ao contrário, é do egoismo, orgulho e vaidades humanos, que colocam sua arogância acima da verdade.
"Ainda que ressucitasse um dos mortos não acreditariam".
O tempo senhores, fara com que essas ignorantes acordem.
Egoistas e orgulhosos só aprenderão quando não tiverem mais as condições que alimentam esse egoismo e orgulho.
Quanto a nós, faremos a nossa parte se mantivermo-nos fiéis ao que o Cristo ensinou, vivenciando isso no dia a dia e servindo de exemplo aos incrédulos.
"Olhando a flor que nasce no chão daquele que tem amor, olho pro céu e sinto crescer a fé no meu salvador".
"ORAI E VIGIAI".


Creio que também o irmão não me entendeu. Não estou procurando aqui discutir os desmandos dos religiosos, estou conclamado aqueles que tem o conhecimento para o dever moral de ajudar seus semelhantes que jazem na ignorância. Os religiosos cometeram e cometem abusos? Não diga ! Onde há seres humanos haverá abusos, a ciência foi utilizada para criar a bomba atômica a filosofia serviu de pretexto para o nazismo e por isso a ciência não presta e nem a filosofia? Ora, é necessário mais profundidade. A militância ateia é tão ou mais perniciosa do que o fanatismo religioso. A sociedade amadureceu para se prevenir do fanatismo religioso, mas confere facilmente cidadania ao niilismo, vendo-o como inofensivo. Isto é um erro que o presente já nos diz. Aliás, esses religiosos que prometem bens materiais, apesar de dizerem o contrário, são ateus! Sim, pois se acreditassem realmente que Deus existe não utilizariam seu nome para pilantragens: "Conhece-se a árvore pelos frutos". É justamente o cinismo do niilismo que está penetrado nos meios religiosos, "lobos em pele de cordeiro".
Eu li com calma
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Marlenedd em 02 de Abril de 2012, 15:39
Todo efeito tem uma causa. Todo efeito inteligente tem uma causa inteligente. O poder da causa inteligente está na razão da grandeza do efeito.

1 O que é Deus?

– Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.


Não esqueçam que tudo é manifestação de Deus. Sejam porcos, lobos, cordeiros homens egoístas ou homens santos, é sempre a inteligência de Deus a manifestar-se através de tudo e de todos..

Por isso não adianta discriminar. Discriminar revela amor próprio, egoísmo que é contrário ao primeiro mandamento do Cristo: amar Deus acima de tudo e de todas as coisas.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2012, 15:43
Eu trouxe uma palestra interessante apenas para mostrar um outro ponto de vista.

Café Filosófico, Nietzsche (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTEwZzFEcDFlb2Q0Iw==)

Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 02 de Abril de 2012, 15:52
Todo efeito tem uma causa. Todo efeito inteligente tem uma causa inteligente. O poder da causa inteligente está na razão da grandeza do efeito.

1 O que é Deus?

– Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.


Não esqueçam que tudo é manifestação de Deus. Sejam porcos, lobos, cordeiros homens egoístas ou homens santos, é sempre a inteligência de Deus a manifestar-se através de tudo e de todos..

Por isso não adianta discriminar. Discriminar revela amor próprio, egoísmo que é contrário ao primeiro mandamento do Cristo: amar Deus acima de tudo e de todas as coisas.


Ser contra uma ideia não é a mesma coisa que discriminar. Pelo contrário é o primeiro indício de maturidade psicológica, já que não é uma "Maria vai com as outras". Repito não estou propondo discriminações ou perseguições, mas sim alertando para o perigo dessas ideias e conclamando que propaguemos para a juventude que á ramos da ciência que estudam e comprovam o fenômeno espiritual, como as EQMs, a Tanatologia, A Transcomunicação Instrumental, as TVPs e fatos de médiuns proeminentes como Chico Xavier, que grafotécnicos comprovaram que escreveu com a letra do indivíduo quando estava encarnado. Tudo isso confirma que a espiritualidade tem confirmação científica, basta estudar e se atualizar.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 02 de Abril de 2012, 15:58
Como sempre a participação feminina muito inteligente.
Em minha opinião, o que chamamos de ateismo, nada mais é do que a desconfiança dos seres humanos não na divindade, em Deus, mas naqueles se proclamam seus representantes.
Deus julga as intenções de cada ser humano nas suas ações. E essas intenções estão relacionadas a sua capacidade de entendimento acerca dos problemas envolvidos.
Já disse aqui, eu tambem estava caminhando para a descrença, não em Deus, mas nas religiões.
Foi apenas o conceito espírita que me deu a lógica que eu precisava.
Quanto a levar o evangelho meu irmão levo-o todos os dias a todos o lugares, vivendo aquilo que em entendo ser os ensinamentos do mestre Jesus.
Já a espada a que ele se refere, ja falei aqui das interpretações que são dadas. Eu particularmente acho que ele previa, com exatidão as inúmeras "cruzadas" que os homens fariam, contra seus próprios irmãos, em nome do Cristo.
Acho que as cruzadas e o tribunal do santo oficio são páginas trevosas na história da humanidade, as quais deveriam ficar no passado. Infelizmente sempre temos pessoas tentando impor seus conceitos, no conmbate feroz e irracional de quem pensa diferente.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Marlenedd em 02 de Abril de 2012, 16:06
A maturidade psicológica alcança-se pela completa entrega ao amor de Deus. Único remédio para acabar com a ignorância, o egoísmo e as discriminações.

A mais elevada moral que qualquer ser possa aspirar, o mais elevado estado de ser do espiritismo, é o reconhecimento que nos é dado pela compreensão de que nada somos, mas que Deus é tudo.

E eu, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo.

Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis,

Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?

Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; porventura não sois carnais?

Pois, quem é Paulo, e quem é Apolo, senão ministros pelos quais crestes, e conforme o que o Senhor deu a cada um?

Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento.

Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 02 de Abril de 2012, 16:10
Eu trouxe uma palestra interessante apenas para mostrar um outro ponto de vista.

Café Filosófico, Nietzsche (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTEwZzFEcDFlb2Q0Iw==)





Acho que o tiro saiu pela culatra, pois o vídeo só confirma o que tenho dito aqui, que não sou a favor da passividade, que o cristão deve ser combativo e se libertar da falsa humildade. Jesus nunca foi a favor da falsa modéstia, pois afirmou " vós sois a luz do mundo, ninguém coloca uma luz em baixo da cama, mas sim no candelabro, para que brilhe" ou seja, Ele queria que manifestássemos o nosso potencial a serviço da sociedade,mas por aqui se fala que manifestar o potencial é amor próprio e egoísmo!
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2012, 16:15
Mas quem disse que eu queria te dar um tiro?
 

Eu só dei continuidade ao debate com um outro ponto de vista.

Eu por exemplo caí muitos anos no Ateísmo, devido a manipulação das Igrejas, o que não tem nada a ver com Deus.

Aliás eu ainda olho com desconfiança para palestrantes com voz de púlpito, falando muito em nome de Deus, Jesus, vivas etc. Só faltam ter um sincope de tanto que impostam a voz.

A religiosidade é intima, não precisa de espetáculos, você pode ter religiosidade e não seguir nenhuma religião especificamente.

O Espiritismo é simples, sem pompa e me deu lógica em seus ensinos, apenas isso.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Clay em 02 de Abril de 2012, 16:56
Mas quem disse que eu queria te dar um tiro?
 

Eu só dei continuidade ao debate com um outro ponto de vista.

Eu por exemplo caí muitos anos no Ateísmo, devido a manipulação das Igrejas, o que não tem nada a ver com Deus.

Aliás eu ainda olho com desconfiança para palestrantes com voz de púlpito, falando muito em nome de Deus, Jesus, vivas etc. Só faltam ter um sincope de tanto que impostam a voz.

A religiosidade é intima, não precisa de espetáculos, você pode ter religiosidade e não seguir nenhuma religião especificamente.

O Espiritismo é simples, sem pompa e me deu lógica em seus ensinos, apenas isso.



Concordo contigo e por isso acho importante propagar o espiritismo.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: filhodobino em 12 de Outubro de 2012, 06:49
Uma "dose de ateísmo" é bom para o Espírita, pois para receber a verdade, é necessário estar despojado de todo senso de fanatismo, misticismo e crendice.
O Espírita deve ser cético, e deveria ser, pelo menos a sua postura filosófica diante do conhecimento.

Mas o ceticismo tem variados graus de intensidade, dependendo do matiz da razão que o ilumina.

Compreender e meditar sobre as linhas do raciocínio ateísta, e a lógica que utilizam no desenvolvimento dos seus argumentos, sem se deixar abalar pelo ceticismo exagerado que lhes permeiam as ideias, pode estabelecer bases para uma fé ainda mais sólida e resistente.

Ideologia muito respeitável, mas que também possui as suas fraquezas peculiares, assim como o Espiritismo, e qualquer outra doutrina Religiosa.

Por mais lógico que um raciocínio seja, sempre estará enraizado nas estrias mais profundas da personalidade.

Só não sou ateu, porque o Espiritismo, mesmo com suas deficiências, conseguiu montar o melhor quebra-cabeça da Verdade. 


Amado Irmão,
Penso aproximadamente como pensas, desde há alguns anos, mas estou aprendendo, lidar me com essas idéias ateístas-materialistas, nihilistas, com uma intensa busca da compreensão do ensino do cristo, comparado com o ensino dos espíritos, e as novas reflexões da psicilogia cognitiva notadamente na área do comportamento.
Pena que só posso estudar pela internet sem aulas presenciais, mas me está sendo muito útil.
Saúde e Paz!
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Danilo Henrique em 12 de Outubro de 2012, 14:09
Uma "dose de ateísmo" é bom para o Espírita, pois para receber a verdade, é necessário estar despojado de todo senso de fanatismo, misticismo e crendice.
O Espírita deve ser cético, e deveria ser, pelo menos a sua postura filosófica diante do conhecimento.

Mas o ceticismo tem variados graus de intensidade, dependendo do matiz da razão que o ilumina.

Compreender e meditar sobre as linhas do raciocínio ateísta, e a lógica que utilizam no desenvolvimento dos seus argumentos, sem se deixar abalar pelo ceticismo exagerado que lhes permeiam as ideias, pode estabelecer bases para uma fé ainda mais sólida e resistente.

Ideologia muito respeitável, mas que também possui as suas fraquezas peculiares, assim como o Espiritismo, e qualquer outra doutrina Religiosa.

Por mais lógico que um raciocínio seja, sempre estará enraizado nas estrias mais profundas da personalidade.

Só não sou ateu, porque o Espiritismo, mesmo com suas deficiências, conseguiu montar o melhor quebra-cabeça da Verdade. 


Amado Irmão,
Penso aproximadamente como pensas, desde há alguns anos, mas estou aprendendo, lidar me com essas idéias ateístas-materialistas, nihilistas, com uma intensa busca da compreensão do ensino do cristo, comparado com o ensino dos espíritos, e as novas reflexões da psicilogia cognitiva notadamente na área do comportamento.
Pena que só posso estudar pela internet sem aulas presenciais, mas me está sendo muito útil.
Saúde e Paz!

filhodobino,

Muito sábia a sua atitude.
Estas ideias são por demais sedutoras, quando pensamos somente como homens.
Mas a palavra de Jesus é como um canto irresistível, que nos abala a inteligência e nos frutifica a fé diretamente no coração.
Busquemos com insistência elevar a nossa compreensão.

Abraços!


Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 12 de Outubro de 2012, 14:27
Até certo tempo atrás eu ainda gostava de ver a postura do ateu como séria e, pasmem, contributiva para a causa do crente. Em certa medida, as perguntas do ateu são aquelas que levam o indivíduo a uma busca pela fá raciocinada, fé que até mesmo grande parte dos espíritas não possui, uma vez que tendem a aceitar a tudo o que vem dos Espíritos sem crítica ou discernimento de qualquer espécie. Até que um dia me caiu a ficha: Ora, as perguntas que nos levam à aceitação de uma inteligência suprema e causa primária de todas as coisas são relativamente simples e não demandam tanto intelecto para isso.

O universo é por demais ordenado e seus fenômenos obedecem  as leis naturais precisas e até certo ponto previsíveis, tanto é que até mesmo podem ser descritas matematicamente, e até mesmo um cientista de formação mediana sabe que, por princípio, descrições matemáticas só são possíveis sobre fenômenos regidos por leis. É preciso ser infantil ao extremo (ou muito leviano) para considerar que fenômenos regidos por leis possam ser obra do acaso. Se perguntas tão simples não podem ser feitas por um ateu, de duas uma: ou ele não possui inteligência e maturidade mínima para fazê-las (sobretudo se ainda pelo Deus "ser" das religiões) ou não está interessado em fazê-las, já que poderia perder tudo o que construiu com isso: carreira acadêmica, reconhecimento social, valor editorial, etc.

Abraço a todos,
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Vitor Santos em 12 de Outubro de 2012, 19:19
Olá

Citar
É preciso ser infantil ao extremo (ou muito leviano) para considerar que fenômenos regidos por leis possam ser obra do acaso. Se perguntas tão simples não podem ser feitas por um ateu, de duas uma: ou ele não possui inteligência e maturidade mínima para fazê-las (sobretudo se ainda pelo Deus "ser" das religiões) ou não está interessado em fazê-las, já que poderia perder tudo o que construiu com isso: carreira acadêmica, reconhecimento social, valor editorial, etc.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/existencia-de-deus/deus-um-delirio-(richard-dawkins)/?action=post;num_replies=7#ixzz296p2ky8G

O assunto é demasiado complexo para esta abordagem tão simplista. Nem o crente pode garantir ao ateu que Deus existe, nem o ateu pode provar ao crente o contrário. Nenhum sabe o suficiente para dizer, e muito menos para impor, ao outro, o que é possível e o que é impossível. Esta é a minha opinião.

Por isso, a única solução razoável e inteligente parece-me ser cada um respeitar a crença do outro. Ou seja, a tolerância mutua. O facto de haver ateus não retira valor nenhum à nossa crença em Deus. Mas o facto de sermos intolerantes com eles é uma falta, que descredibiliza e desvaloriza a nossa crença, na minha opinião.

bem haja   
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 12 de Outubro de 2012, 20:33
O assunto é demasiado complexo para esta abordagem tão simplista. Nem o crente pode garantir ao ateu que Deus existe, nem o ateu pode provar ao crente o contrário. Nenhum sabe o suficiente para dizer, e muito menos para impor, ao outro, o que é possível e o que é impossível. Esta é a minha opinião.

Por isso, a única solução razoável e inteligente parece-me ser cada um respeitar a crença do outro. Ou seja, a tolerância mutua. O facto de haver ateus não retira valor nenhum à nossa crença em Deus. Mas o facto de sermos intolerantes com eles é uma falta, que descredibiliza e desvaloriza a nossa crença, na minha opinião.

bem haja

Já eu defendo exatamente o oposto: o assunto é por demais simplista para tão complexa abordagem. Aliás é moda (e os espíritas não promovem exceção a regra) se produzir abordagens complexas quando o assunto é por demais simplista:

Citar
14. Deus é um ser distinto, ou, conforme a opinião de alguns, a resultante de todas as forças e de todas as inteligências do Universo reunidas?

“Se assim fosse, Deus não existiria, pois seria o efeito e não a causa; ele não pode ser, ao mesmo tempo, um e outra.
Deus existe, disso não podeis duvidar; é o essencial. Crede-me, não vades além; não vos percais num labirinto de onde não poderíeis sair; isso não vos tornaria melhores, mas, talvez um pouco mais orgulhosos, porque acreditaríeis saber e, na realidade, nada saberíeis. Deixai, portanto, de lado todos estes sistemas; tendes coisas suficientes, que vos tocam mais diretamente, a começar por vós mesmos; estudai vossas próprias imperfeições, a fim de vos livrardes delas; isto ser-vos-á mais útil do que querer penetrar no que é impenetrável.” (O Livro dos Espíritos. Primeira parte: Causas primárias, capítulo 1. Rio de Janeiro: CELD, 2008. Trad. Maria Lúcia de Alcântara Carvalho) [GRIFEI]

Eu não vejo onde está a complexidade a partir do exposto acima. Faça a pergunta necessária e estará a caminho da resposta. Assista ao vídeo ai acima e veja você mesmo o tipo de pergunta que cada um dos 4 senhores quer sustentar. Nenhum deles está atrás da verdade e jamais poderia encontrá-la onde estão buscando e por meio da crítica que promovem.

Por outro lado, me incomoda mais o uso do termo intolerância. Não tolerar alguém ou desrespeitá-lo por sua forma de pensar é criar obstáculos à sua expressão e ser agressivo com ele – não tenho esse poder aqui e mesmo se o tivesse não o exerceria. Se referir a alguém como infantil/imaturo e também como leviano (desatento, imprudente, precipitado, etc.) sobre um assunto que deveria ser de seu domínio – e que o é dentro de suas conveniências – está longe de configurar intolerância e desrespeito. Aliás, pensando melhor, creio que os Espíritos da Doutrina ao utilizar o termo “orgulhosos” tenham sido mais incisivos – para não dizer duros.

Reveja seus termos e aceite minha forma de raciocinar – ou se possível, debata comigo no campo das ideias, mesmo que seja por meio das tais abordagens “complexas” que você defende para um assunto que considero, mais uma vez: demasiado simplista...
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Alesandro Bennati em 13 de Outubro de 2012, 04:41
É inútil argumentar com ateus!

Nenhum argumento tem o poder de infundir inteligência num indivíduo que uma sólida aliança da genética com a má educação tornou irremediavelmente estúpido!
(Olavo de Carvalho)

O PROBLEMA É : 1- Uma estranha síndrome tem feito com que imbecis passem a se sentir mais inteligentes quando atacam e agridem pessoas religiosas e suas crenças.

2- O termo "ATEU", passou a ser utilizado impropriamente para tudo e para todos, assim, muitos Recalcados, Perturbados, Perdedores, Raivosos, Agressivos, Obtusos, Desequilibrados, Violentos, Maníacos, Derrotados, Anti-religiosos, Anti-éticos, Anti-sociais, autointitulando-se "ateus", passaram a canalizar todo seu ódio, mágoa, recalque, desajustamento, raiva, frustração, incompreensão, contra as pessoas religiosas e suas crenças.

3- Uma estranha alucinação que acomete pessoas mentalmente perturbadas, faz com que elas sintam um certo alívio quando culpam as religiões por todas as desgraças ocorridas à humanidade, ao mesmo tempo quando são desmentidas ou corrigidas, costumam reagir com ataques de fúria.

É claro que ideólogos ateus totalitários têm motivos de sobra para ter ódio dos religiosos.
Eles lutam contra a religião, pois sabem que os religiosos lutam para esclarecer as pessoas em relação à falibilidade humana (que não passa de reconhecimento do óbvio). Coisa que os ideólogos ateus genocidas negam existir, pois se existe a idéia de falibilidade humana, como poderíamos acreditar nestes “seres humanos perfeitos, anjos terrestres, que nos levariam ao belo mundo?”.
Dawkins quer que tenhamos a crença na turma dele, mas só cairíamos nessa lorota (que é a mesma conversa da turma de Hitler), se abandonarmos a religião.
Enquanto tivermos a religião enraizada como base de nossa moral, desconfiaremos de TODOS que vierem com essa conversinha de “Cidadãos, creiam em mim, pois temos a razão, construiremos o mundo perfeito”.
Com idéias como essa Richard Dawkins é CÚMPLICE MORAL de todos os crimes do comunismo e do nazismo. E de todos os crimes que surgirem no futuro a partir do mesmo tipo de ideologia.
E, assim como Goebbels disse, “uma mentira contada muitas vezes torna-se uma verdade”.
Talvez isso explique o fato de Dawkins mentir tanto enquanto divulga sua ideologia genocida.
Quanto mais ele mentir, mais temos que investigar e desmascarar.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Vitor Santos em 13 de Outubro de 2012, 13:17
Olá João Ninguem

Se o amigo pensa que os ateus são todos gente mal intencionada, ou gente estúpida, que não compreende uma coisa tão simples como a origem do universo, está a ser tolerante e razoável?

A tolerância é a aceitação das ideias dos outros. Você demonstra uma dificuldade de compreender que, por as pessoas pensarem de forma diferente, não têm de ser mal intencionadas, nem menos inteligentes que o amigo. Ser tolerante é admitir a diferença.   

Aqueles ateus que são fanáticos, falam como o amigo fala, mas em relação aos religiosos. Ou seja, são intolerantes também.

O que é complexo, do meu ponto de vista, é o fenómeno da origem e criação do universo amigo. Mas se o amigo considera que domina o assunto, que é uma coisa assim tão simples, não sei porque não escreve o que sabe e se candidata ao prémio Nobel.   

Olá Alesandro Bennati

Citar
Com idéias como essa Richard Dawkins é CÚMPLICE MORAL de todos os crimes do comunismo e do nazismo. E de todos os crimes que surgirem no futuro a partir do mesmo tipo de ideologia.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/existencia-de-deus/deus-um-delirio-(richard-dawkins)/?action=post;num_replies=10#ixzz29B4WDO00

O nazismo nasce da intolerância, e não do materialismo. É precisamente a não aceitação do multi-culturalismo. O holocausto é um aproveitamento da intolerância para saquear e escravizar os judeus, a favor da Alemanha. 

A inquisição nasceu da intolerância. Neste caso são os religiosos a aproveitar a intolerância para justificar atrocidades contra os ateus ou contra os de outras religiões. O mesmo se passou com as cruzadas.

Confundir ateísmo com falta de valores éticos é uma falha grave. Diria mesmo que é fanatismo religioso e intolerância.

Tal como nos ensina o espiritismo, nós somos espiritos milenares. E a capacidade para ter valores éticos advêm da nossa evolução, como espiritos, e não das nossas crenças religiosas terrestres. Muitos religiosos são umas bestas e muitos ateus são umas bestas. Muitos religiosos são pessoas boas e muitos ateus são pessoas boas. Há de tudo, em ambos os lados.
O alto nível espiritual não se encontra nas crenças proclamadas, mas na realização de acções virtuosas. Não compreender isso é que leva ao fanatismo religioso

O que aconteceu em relação à ciência, que deu origem a um tabu em relação às coisas do espírito, foram os religiosos que o criaram. Com efeito os religiosos não aceitavam os resultados da ciência quando achavam que estes últimos podiam ameaçar as crenças religiosas deles. Essa interferência era inaceitável. E foi ela que deu campo aos ateus fanáticos, para tentarem afastar das investigações cientificas os cientistas que confessassem ideias religiosas, colocando-os a ridículo.

Mas sabemos, por estudos de opinião realizados, que muitos cientistas não dizem o mesmo em público e em privado, em relação às suas crenças espirituais. Mas isto não é só entre os cientistas. Parte da minha geração, em Portugal, reage mal quando nós dizemos que somos espiritualistas, se estivermos em público. Em privado, muitos continuam a reagir mal, mas muitos descontraem e verificamos que também são espiritualistas, ou, pelo menos, que não são intolerantes.

Socialmente não é muito bem visto ser espiritualista. Em sociedade, as religiões instituídas, onde se imagina que esteja a maior parte da população, são aceites. As outras não. Mas o que é aceite é a presença dos religiosos, não as suas ideias.   

O comportamento fanático da parte dos religiosos só vem reforçar os preconceitos sociais.
 
Ser religioso, espiritualista ou ser ateu é como estar em clubes de futebol diferentes. Por mais que as pessoas discutam, não chegam a acordo. Mas uma coisa é não chegar a acordo, outra coisa é achar que nós é que somos os donos da verdade.

Nós somos donos da nossa verdade, e não da verdade dos outros.

Considerar-se dono da verdade é que é ser orgulhoso, é que gera a intolerância, que por sua vez pode gerar atrocidades. Tanto faz que aquele que se diz dono da verdade seja ateu, como religioso.

A crença religiosa não dá a bondade, como o ateísmo não dá a maldade. A maldade advêm de as pessoas não se suportarem umas às outras, ou seja, de serem intolerantes. Dizer que os outros que vêem a vida de outra forma são todos burros é um insulto verbal. Ou seja, é violência.

Jesus disse: amai-vos uns aos outros. E amai até os vossos inimigos. Ou seja, não à violência (pelo menos não à violência que não seja em protecção dos mais fracos, sem abusos), e não à vingança.

Jesus não incitava à revolta contra os que pensam diferente, mas incitava à paz e à conciliação entre todos, sem excepção. Jesus e os primeiros cristãos, eram perseguidos, mas não perseguiam ninguém.

Allan kardec escreveu:

- Fora da caridade não há salvação!

E não:

- Fora do espiritismo, ou da religião, não há salvação.

bem hajam
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Alesandro Bennati em 13 de Outubro de 2012, 16:09
Sabemos que os ateus são pessoas que sofreram doutrinação para pregar contra a religião, é possível identificar com extrema clareza suas diretivas. Estou considerando, agora, o programa a ser executado pela MASSA dos ateus, ou seja, os leitores e seguidores dos autores do ateísmo:

    Agir de forma militante na luta contra a religião
    Utilizar de escárnio o máximo que conseguir, fazendo o uso tanto quanto possível de simulação de falso entendimento em relação às doutrinas religiosas
    Permanecer o maior tempo possível em redes sociais, interferindo em discussões entre religiosos, e divulgando o maior número possível de ridicularizações e difamações
    Simular que se representa a ciência, e forçar a discussão criacionismo X evolucionismo
    Buscar notícias na Internet em que religiosos cometam equívocos ou situações ridicularizáveis, e usar de generalizações, dando a impressão de que se aplicam ao todo
    Tentar maquiar o maior número possível de fatos históricos para simular a impressão de que religião é decisiva para eventos inconvenientes
    Em contrapartida, inocentar o ateísmo da maior quantidade possível de eventos
    Maquiar dados para fingir que em alguns países, como Suécia e Nova Zelândia, há uma maioria de ateus, e usar a estratégia da “Vitória Irresistível”
    Criar e/ou divulgar imagens simuladamente humorísticas ou charges em que se descrevem “o comportamento teísta”, usando da generalização o máximo possível (é recomendável nunca associar a ofensa a um teísta ou um grupo específico, mas a todos os teístas)
    Em caso de estar na mídia, usar ressignificações e técnicas de pânico moral sempre com intuito de difamação e/ou ridicularização de religiosos
    Endeusar em público as figuras de Richard Dawkins, Sam Harris, Christopher Hitchens e Daniel Dennett – em caso de discordâncias, simular discordâncias em pontos irrelevantes, apenas para não dar muito na cara que os adeptos do neo ateísmo não possuem senso crítico (ou seja, jamais discordar destes autores nas teses centrais do ateísmo)
    Em caso de surgir um refutador ao ateísmo pela frente, ofender o máximo possível, e usar difamações contra ele
    Usar o maior número possível de chavões e frases de efeito em sua pregação

Enfim, em linhas gerais esse é o exemplo do comportamento de praticamente todos os leitores dos gurus do ateísmo. Como se pôde notar, há várias características que transcendem aquilo que conhecíamos por diálogo filosófico. Pelo contrário, o tipo de “diálogo” estabelecido pelo ateu tem mais a aparência de um discurso político de rivalidade (onde geralmente nenhuma razão é dada ao oponente sob qualquer circunstância, assumindo que a priori todas as opções do oponente sempre estão erradas). Nisso, o ateísmo novamente se posiciona como um irmão do marxismo, uma outra doutrina de cunho político baseada em ódio.

http://neoateismodelirio.wordpress.com/2010/04/27/desvendando-a-ilusao-do-neo-ateismo-pt-10-suicidio-intelectual/
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Alesandro Bennati em 13 de Outubro de 2012, 16:15
Uma coisa que se pode notar, principalmente em redes sociais, é praticamente um comportamento sociopata dos ateus. Obviamente não se trata da sociopatia em todos os seus sintomas (mas um sociopata não precisa atender a todos eles, sendo que o atendimento a 3 dos itens já configura um estado de sociopatia).

Dentre os sintomas mais conhecidos da sociopatia podemos citar

    Ausência de qualquer sentimento de remorso e de valores morais, usando da mentira, calúnia, insultos, sedução, intimidação, ameaças e violência, para verem satisfeitas suas vontades
    Não se compadecer pelo sofrimento alheio. As manifestações emocionais das outras pessoas são-lhe completamente indiferentes. Se for preciso ainda agridem e humilham mais a pessoa que está em sofrimento, para que esta se cale, alegando precisar de silêncio
    São covardes, porque “atacam” sobretudo aqueles que dificilmente poderão reagir às suas agressões. Tendem a culpar as suas vítimas dos seus atos mais insanos, chamando-lhes loucas, estúpidas e outras ofensas, sublinhando que são merecedoras de todo o sofrimento que lhes incutem.
    Revelam uma necessidade doentia de manipular aqueles que não respeita. Quando perdem o controle da situação, reagem furiosamente.

Agora, vejamos um perfil da maioria da atuação dos ateus em redes sociais.

Tecnicamente, os ateus (assim como os marxistas) não deixam jamais de realizar patrulhamento ideológico, assim como perseguição ideológica contra aqueles que são religiosos. Pessoas com baixo treino em debate são humilhadas e esmagadas com estratagemas, e, infelizmente, muitas não conseguem se defender. Ao perceber isso, os ateus se unem e realizam ainda mais a ridicularização da vítima.

Se a moderação de uma comunidade ou fórum for composta de ateus, muitas vezes a vítima da ofensa não poderá se defender. Caso o teísta replique a ofensa, ele será punido, mas um moderador ateu não tende a punir qualquer ateu.

Um exemplo real deste comportamento deve ser visto em uma palestra em que uma garota, realmente muito ingênua, perguntou para Richard Dawkins “E se você estiver errado?”, no que Dawkins, com a palavra, usou o famoso estratagema do Monstro Espaguete Voador, que é justamente uma técnica de ridicularização, mas não de diálogo. O que mostra, naturalmente, que eles optam por ridicularizar um adversário, mas escolhem preferencialmente aqueles que são incapazes de reagir aos seus ataques.

Pessoas como essa garota da palestra existem aos montes nas redes sociais, e são as vítimas preferenciais do bullying virtual. Muitas vezes, a ridicularização não é sutil, mas também extensiva e pejorativa. Conforme a descrição da sociopatia (como veremos a seguir), os ateus jamais se consideram errados em suas atitudes, e todos os religiosos são merecedores de quaisquer ofensas.

Muitas vezes, podem tentar iludir alguns teístas donos de comunidades, pedindo para participar da moderação (obviamente, para livrar a cara de um ateu quando for preciso). Também são capazes de tomar alguma comunidade de teístas, principalmente mantendo a couraça para fingir que ela ainda é uma comunidade teísta. Mesmo assim, passam a usar seus poderes de novos donos de comunidade para permitir a entrada de ateus, e barrar a presença de teístas mais aptos, deixando por lá apenas os incapazes. Motivo: uma comunidade que possua a fachada de ser teísta, mas seja dominada por ateus, tem mais capacidade de juntar pessoas que não perceberam ainda as tramas contra os teístas lá. Logo, são vítimas indefesas. Os ateus mantém essas comunidades como se fosse um tesouro, pois lá eles podem praticar bullying virtual à vontade.

Caso as pessoas peçam para eles pararem, eles aumentarão o potencial da ofensa, pois não se compadecem com a lamentação alheia. E, como já visto, quanto mais alguém pede clemência, mais eles sentem prazer em sua atitude ofensiva.  Pessoas normais, por exemplo, se compadecem ao ver alguém que não tem capacidades de embate, agindo de maneira diametralmente oposta ao que um ateu faz quando vê um adversário fraco pela frente.

Que o comportamento padrão do ateu, com uma atitude de causar vergonha a qualquer pessoa que tenha acesso ao básico dos valores morais humanos, não tenha percebido que a longo prazo causa danos à imagem até dos ateus tradicionais, assim como dão motivos para uma retaliação, é algo a ser estudado.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Alesandro Bennati em 13 de Outubro de 2012, 16:20
Os ateus terminam sendo acometidos não só de uma variante da sociopatia, como também de outras síndromes que são evidentes em uma mera análise de seu discurso. Por exemplo, vários se acham na posição de atuarem até como consultores de crença, dizendo aquilo em que os outros deveriam ou não acreditar. Muitos, como Daniel Dennett, dizem que se deve determinar uma crença para todo o mundo, e que um comitê liderado por ele deveria existir para isso. Isso, é claro, os qualifica, como também a vários de seus seguidores, como portadores de um doentio e assustador auto-engano, que, em várias vezes, causa um misto de assombro e vergonha alheia. Não raro ateus definem que são os portadores da “razão”, mas a única evidência que trazem disso é a declaração. Quanto à ciência, outros tantos (inclusive vários que não são portadores da ciência) alegam representá-la.

O auto-engano, como um processo de alguém enganar a si próprio, significa a tendência a aceitar como verdadeiro algo que é falso. Tecnicamente, é mais uma manifestação da interpretação delirante. Portanto, além da mentalidade revolucionária, o ateu tem mais uma série de variações da interpretação delirante. Principalmente, a crença de que é “racional”, “cético” ou coisas do tipo.

No livro “How We Know What Isn’t So”, Thomas Gilovich dá os detalhes de características de pessoas que se acometem de auto-engano, aqui, é claro, com exemplos do discurso ateísta:

    1. erro de interpretação de dados aleatórios, encontrando padrões onde eles não existem – neste caso podemos considerar quando o neo ateu faz a citação de países que teriam um número maior de ateus, apontando-os como evidência de que o ateísmo teria resultado em melhorias das condições do país, só que para isso eles ignoram os Estados Unidos, com altíssimo número de religiosos, e países como China, com altíssimo número de ateus;
    2. erro de interpretação de dados incompletos ou não representativos, dando atenção extra a dados que confirmam a hipótese, tirando conclusões sem esperar ou procurar dados que a negam – neste caso, naturalmente podemos observar este padrão quando utilizam poucos exemplos de islâmicos que tenham cometido atentado suicida, e definem isso como algo derivado da religião, o que claramente configura uma amostra não representativa, sem olhar para exemplos de países que tiveram também atentados terroristas suicidas praticados por grupos não-religiosos (ex. Tamil Tigers, no Sri Lanka);
    3. avaliação de dados ambiguos ou inconsistentes, tendendo a ser acritico com dados que lhe apoiem e muito critico a outros dados – um caso é o aceite da teoria do gene egoísta, por grande parte de neo ateus, com o aceite da idéia de que a seleção tem como unidade fundamental o gene, mas a rejeição da idéia de que a seleção natural tem mais evidências de ocorrer de forma multi-nível (e não orientada apenas ao gene).

Aliás, justamente por serem indivíduos acometidos de auto-engano, é preciso termos um forte ceticismo com grande parte de seu discurso. Que eles tem tendência a se auto-enganarem, esse é um fato, mas é importante deixar que não nos enganem.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: filhodobino em 13 de Outubro de 2012, 16:23
Amados,
Desde o advento do iluminismo, o contraponto para fomentar infindáveis discursos, muitos dos quais renderam fortunas em vendas de livros e monografias, era a afirmação do ateísmo...

Kardec nos orientando nos indica:
Primeiro pergunte se a pessoa acredita em um ser supremo creador de tudo que sejamos capazes de perceber...
Se a resposta for não... aconselha-nos Kardec: Deixe-o com suas conjecturas, vá em busca das que lhe atendam o interesse pessoal evolutivo...

Reflitamos:


Qualquer pessoa seriamente envolvida nas especulações da ciência torna-se convicta de que há um espírito manifesto nas leis do universo - um espírito vastamente superior ao do homem, e diante do qual temos que nos sentir humildes com os nossos modestos poderes.

ALBERT EINSTEIN (1879-1955), citado por HERMÍNIO C. MIRANDA em A MEMÓRIA E O TEMPO - 5ª Ed. Lachâtre, 1993-pág.338

O argumento ateísta, é instigante, para aquele que primeiro se desencantou com a fé religiosa, todavia é inócua para quem se encantou com a fé em Deus e fé no próximo e em si mesmo.
reparem quanto engano:


Ateísmo para iniciantes (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWhDVDFGVE16amxrI3dz)

Saúde e Paz!
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Alesandro Bennati em 13 de Outubro de 2012, 16:27
O pensamento preto e branco, obviamente uma manifestação do comportamento preconceituoso, termina fazendo com que a pessoa veja tudo de forma dicotômica. Desta forma, o maniqueísmo assume ares gigantescos, com eles terminando por considerar todo  religioso alguém que está em um extremo, ao passo que ele está em outro extremo. Obviamente, ele, embutido de seu auto-engano, irá atribuir todas as características do extremo a que pertence como lisonjeiras, ao passo que todas as características do extremo a que o outro pertence são, naturalmente, pejorativas.

Outro problema do pensamento preto e branco é o uso abusivo de estereótipos, naturalmente, com que se refere aos religiosos. Portanto, torna-se difícil para ele, encarar algum religioso fora do estereótipo. Isso, aliás, tende a dificultar sua socialização com qualquer pessoa religiosa, que irá provavelmente identificar a quantidade enorme de preconceitos que o ateu possui. Isso talvez explique por que eles preferem ser tão unidos entre eles.

A mitomania é outra faceta da personalidade do ateu. Talvez pela cultura do ódio, que explicarei adiante, ele considera lícito mentir o máximo possível contra qualquer religioso que encontrar pela frente. Não há limites para a quantidade de mentiras. Quando estão em grupo, principalmente nas redes sociais, podem mentir e difamar de forma mais coordenada, mas não há jamais o interesse em buscar a verdade a respeito do oponente.

Normalmente, quando suas mentiras são descobertas, tendem a se tornar agressivos e impacientes, o que, novamente, é uma característica da sociopatia.

A psicose é outra característica evidente, e que tem fortes relações com o auto-engano e a mitomania. Pessoas com essa característica mentem tanto, mas tanto, que passam até a acreditar em suas próprias mentiras. Por exemplo, em comunidades como as vistas nos fóruns de Richard Dawkins e Sam Harris (eles abrem fóruns para seus leitores), nota-se que vários ateus realmente acreditam naquilo que falam, pois estão em um grupo no qual não há frequência de religiosos. Logo, alguns deles já não estão no estágio de mentir para um oponente, mas sim mentir entre eles próprios, principalmente quando estão em grupos de amigos.

Essa característica, aliás, é uma das mais interessantes, pois quando eles já estão neste estágio é aquilo que os psiquiatras definem como “perda de contato com a realidade”. Recentemente, por exemplo, um ateu se afirmou cientista, mas na verdade estava apenas… estudando biologia. Outro afirmou-se cientista também, mas após alguns questionamentos notou-se que ele era um advogado. No que ele retrucou: “sou um cientista das ciências jurídicas”. Enfim, não há limites.

A demência é outra manifestação evidente em vários ateus. Alguns deles, mesmo tendo o desenvolvimento intelectual normal, perdem a capacidade cognitiva parcial ou completamente. Muitas vezes o diálogo com eles torna-se algo próximo do surreal, como quando um disse certa vez no Orkut: “Eu não acredito em Deus, pois a ciência exige evidências” (ele se comparou à ciência). Ou então quando um outro afirmou: “Eu não posso acreditar em nada, pois sou ateu” (o ateísmo é só ausência de crença em Deus, e não em tudo).

O curioso é que se você questioná-los a respeito de suas afirmações, será se como você não tivesse dito nada. O erro, conforme já previsto na interpretação delirante, é persistente, incorrigível.

Por fim, a imbecilidade é uma característica que os torna completamente sugestionáveis a qualquer sandice que ouvirem desde que venha do guru ou de qualquer pessoa que esteja com idéias alinhadas com o guru. Não questionam nada. Um exemplo engraçado foi uma vez que usei um perfil falso chamado “Dichard Rawkins”, e entrei em um fórum de ateus postando a seguinte teoria: “A religião tende a aumentar a criminalidade pois tem o perdão. Com o perdão, as pessoas ficariam incentivadas a cometer crimes, pois serão perdoadas no dia do julgamento se pedirem o perdão. Portanto, temos mais um motivo para retirar a religião e aumentar a justiça no mundo”. Foi mais ou menos isso. Claro que vários ateus apoiaram. Em coro.

Duvidam? Façam a experiência, mas procurem, é claro, obter um argumento esquisito, sem evidências, mas que esteja plenamente alinhado com a ideologia dos autores ateus. Não vão lhe questionar. Será um ecoar de palmas em uníssono.

http://neoateismodelirio.wordpress.com/2010/04/27/desvendando-a-ilusao-do-neo-ateismo-pt-10-suicidio-intelectual/
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: filhodobino em 13 de Outubro de 2012, 17:03
Irmão Alessandro...
Saúde e Paz!

Por outro lado, é facilmente verificável, que de modo inverso, ocorre tambem entre os fundamentalistas, cujo psiquismo trava rumos na fé religiosa pura e simples, como apreende...
Eis uma constatação de que de um tudo devemos aurir conhecimento, e com vagar e fé em Deus, (não digo fé religiosa), encontrarmos um meio termo que nos equalize mentalmente, e eu particularmente vejo no estudo do comportamento, iniciado em Yung, e conseguintes, algo de bom...
Saúde e Paz!
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 13 de Outubro de 2012, 18:35
O que é complexo, do meu ponto de vista, é o fenómeno da origem e criação do universo amigo. Mas se o amigo considera que domina o assunto, que é uma coisa assim tão simples, não sei porque não escreve o que sabe e se candidata ao prémio Nobel.   

Vitor,

A primeira coisa que se deve fazer ao iniciar um debate com um oponente é estabelecer e se possível esclarecer os termos e limites desse debate. Já que você citou minha opinião, que não era endereçada a você, e emitiu juízo a meu respeito, iniciou um debate, e deveria, portanto, ter feito isso.

O que é para mim por demais simplista é a questão da existência ou não existência de Deus. Mas, você está falando sobre a origem do universo que é uma coisa bem distinta. Mas, vamos admitir, a partir de agora, que a questão seja a origem do universo, sobre a qual também concordo que não seja uma questão nada simplista – e nos parece muito óbvio que não poderia ser.

Os cientistas ateus estão interessados em provar a origem do universo como obra do acaso por meio de abordagens científicas, e querem confrontar os resultados positivos de suas investigações com o Deus que conhecem das religiões, notadamente o Deus católico/protestante. Ummm! O que poderíamos dizer de um sistema que parte de duas premissas absolutamente inadequadas para a construção desse sistema?

Em primeiro lugar temos o problema de se tentar provar a origem do universo como obra do acaso a partir de uma abordagem científica. Ora, o que caracteriza um experimento como científico é a possibilidade de se replicá-lo indefinidamente, em condições sempre idênticas e com resultados previstos dentro de um espectro conhecido de probabilidades. Entende o que isso quer dizer? Um experimento científico descreve uma lei pré existente. O problema é que a razão humana simplesmente não concebe que uma lei natural pré existente possa se resultar do acaso, pois isso qualificaria o acaso como um princípio inteligente, e de tal modo o acaso não seria mais acaso. É necessário, portanto, partir-se de uma outra abordagem que não seja a científica, mas ai o cientista não encontra meios com que trabalhar e não pode sustentar o que afirma a respeito de nada. Pode no máximo estabelecer conjecturas e modelos, e até mesmo os modelos tornam-se suspeitos, já que um modelo pressupõe a existência de um algorítimo (procedimentos ordenados e sequenciais...). É o eterno labirinto do qual não se pode sair, do qual falam os Espíritos da Doutrina na questão 14 de O Livro dos Espíritos.

A segunda é que não se pode confrontar um princípio racional (supondo que a origem do universo como obra do acaso seja racional) com um princípio irracional (o Deus católico/protestante) para fins de validação de um dos dois. Ora, o Deus que as religiões estabelecem não é racional, pois não se sustenta quando confrontado com perguntas simples. Nós espíritas (suponho que você também seja espírita) não admitimos mais esse Deus há 155 anos. Se até mesmo Einstein, que também era um cientista interessado na origem do universo, sabia disso perfeitamente, porque parece tão difícil para os demais?

Mas, o que observo de mais interessante nos debates promovidos por ateus (cientistas ou não) é que cada vez mais eles vêm se reduzindo aos argumentos de sua defesa, ou seja, de como os crentes são intolerantes e não lhes permitem expressar sua filosofia de vida  ou modo racional de pensar. O que é no mínimo curioso, não apenas porque debates existem para que se possam discutir ideias e tentar prová-las ou refutá-las, mas porque os crentes em questão  são os do catolicismo/protestantismo, os primeiros a promover a criação do Estado laico, condição sinequanom para a existência da livre expressão.

E mais uma vez: mantenhamo-nos no campo das ideias. Se você permanecer no campo da agressividade, afirmando, por exemlo, que eu deveria me canditar ao premio Nobel, criará animosidade entre nós dois e dificultará em muito um processo aprendizagem que poderá beneficiar a nós dois. Estamos em um Fórum espírita. Não nos esqueçamos disso.

Abraço,
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Vitor Santos em 13 de Outubro de 2012, 19:43
Olá amigo João Ninguém

Conhecemos ciências diferentes.

A ciência que eu conheço mais ou menos, ou seja a parte da física que aborda a cosmologia, nada diz acerca da razão pela qual foi criado o universo. Nem sabe se foi criado. Apenas sabe como se desenvolve o universo observável. 

A teoria em vigor, ou seja a teoria do Big Bang, nem sequer sabe dizer se o universo é finito ou infinito. Na verdade a teoria fala apenas sobre o universo observável, que é o que a radiação cósmica permite aos cientistas observar.

E não diz nada disso do acaso. Não sei a que se refere.

Trata-se de uma conclusão baseada na observação do afastamento das galáxias, obtida por Hubble. E também se pode chegar à mesma conclusão, de forma teórica, através das equações da relatividade geral de Einstein.

Todas as observações experimentais, até hoje, confirmaram a teoria do Big Bang.

Nada disto é simples, é bastante complexo.

A existência de Deus não se pode demonstrar cientificamente. Tal como a não existência de Deus não se pode demonstrar cientificamente. Ateísmo e teísmo são crenças.

Há argumentos dos que defendem que Deus existe e argumentos dos que defendem o oposto. Mas não há provas cientificas.

Eu creio em Deus, não sou ateu, entenda-se bem. Mas não penso que os ateus são burros e mal intencionados. São apenas visões do mundo, ou crenças, diferentes da minha.

A ética nada tem a haver com materialismo, nem com ateísmo, nem com religião. Há pessoas que se dizem ateus materialistas que são pessoas excelentes, como os há médios e os há indecentes. Nas religiões verifica-se o mesmo, há pessoas de vários níveis morais.

A ética ou moral, vê-se nas acções das pessoas e não naquilo que elas dizem acreditar, em termos religiosos. E a intolerância é uma acção negativa, disso não tenho dúvidas. As maiores atrocidades da história foram aproveitamentos da intolerância.   


O espiritismo não condena os ateus. Apenas pensa de outra forma.

Ver os outros e a nós mesmos como meros corpos de carne, também me parece uma visão redutora do homem. Mas eu não posso provar a ninguém que assim pensa que está errado. Apenas posso dizer que acredito noutra coisa.

Se pudesse fazer prova cientifica que Deus existe, antes de pensar de a fazer aos outros faria prova a mim mesmo. Mas eu não tenho provas cientificas universais disso. Apenas posso dizer que, para mim, faz sentido que Deus exista. Que creio em Deus. Nada mais

Mas não se preocupe em fazer prova da existência de Deus para mim, pois eu já acredito. Se provar aos cientistas é que pode fazer um serviço pela humanidade.

A espiritualidade para mim, não é nenhum clube de futebol, que eu defendo contra outros clubes. É o conjunto das minhas crenças, que têm lógica para mim. Não sinto necessidade que os outros acreditem no mesmo que eu. Eu não tenho nada de dizer aos outros aquilo em que eles devem acreditar. A liberdade de expressão, para mim é algo sagrado.

Os intolerantes são aqueles que, se pudessem, obrigavam os que têm opinião diferente a calar-se. Esses são verdadeiramente nocivos para a humanidade. 

bem haja
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Alesandro Bennati em 13 de Outubro de 2012, 20:09
A empatia bizarra dos “humanistas” seculares

Quando eu digo que a melhor opção nessa guerra intelectual iniciada pelo ateísmo é o ceticismo em relação À PREGAÇÃO DELES, é por que já os estudei de tal forma que o perfil comportamental deles é realmente muito previsível.
Sempre defendi que, se eles apresentam alegações, devem ser INVESTIGADOS para avaliarmos se suas alegações são factuais ou não, ao invés de apenas ficar tendo que “defender” a religião e Deus de argumentos ateus que não passariam no crivo de uma criança de 10 anos.
É na investigação do DISCURSO deles que encontramos algumas pérolas que merecem estudos mais fortes… um estudo de como eles são sugestionáveis a ideologias picaretas. Tecnicamente, acreditam em tudo, inclusive em qualquer falsa promessa desde que amparada por alguma retórica, desde que esteja contra a religião.
O que mais causa vergonha alheia em relação a esse pessoal é que aceitam o discurso sem JULGAMENTO CRÍTICO, pois algumas coisas que eles pregam são dignas de riso. Em termos práticos, não há muita diferença entre a postura deles e a pior faceta religiosa, como nos casos do Edir Macedo. Em ambas as situações, é apenas discurso sedutor, emocional, para enrolar os incautos.
Diante dessa perspectiva da investigação das alegações neo ateístas, eu não podia deixar passar batido este texto, “Seja individualista você também”, uma defesa do humanismo secular feita de forma apaixonada por Eli Vieira.
Se alguém já leu “Cachorros de Palha”, de John Gray, já deve ter uma idéia a respeito do humanismo secular, e de como é uma ideologia patética, do início ao fim.

Vamos ao texto:

    Calma. Não estou convidando ninguém a ser egoísta. Muito pelo contrário – pretendo mostrar que ser individualista é bem melhor para quem se preocupa com o resto da Humanidade. O que é este individualismo que não é um egoísmo? É uma postura comum de quem é humanista e secular.
    Humanistas seculares estão preocupados em defender uma plenitude da vida humana construída sobre um chão sólido. O chão sólido é que a vida humana seja vista como é apresentada pela ciência, ou seja, solitária no contexto cósmico, finita e rara, produto de processos puramente naturais. A construção da plenitude é feita tanto com o incentivo ao melhor entendimento desse chão sólido, ou seja, com a indicação da ciência como o método mais apropriado de obter conhecimento, quanto com a proposição de valores éticos que dizem respeito à preservação da vida humana.

O divertido é que a coisa já começa com um baixíssimo nível de humildade. O sujeito não só diz “defender uma plenitude da vida humana” como também a idéia de que ele caminha em direção à “construção da plenitude”. Os leitores do Bule devem ter ficado com a calcinha molhada neste momento.
Mas essa plenitude, segundo ele, vem da ciência, que ele define como “o método mais apropriado para obter conhecimento”. Bem, pelo menos ele não escreveu “o único método”, mas o cheiro de cientificismo é forte.
Vejam só: se é verdade isso que ele diz, será que ele consegue provar CIENTIFICAMENTE que a postura de quem é humanista e secular AUMENTA a “preocupação com o resto da humanidade”? Será que ele fará uma parte 2 do texto trazendo tais evidências? Lembremos que ele ALEGOU que o conhecimento teria que vir da ciência…
E a tal “proposição de valores éticos que dizem respeito à preservação da vida humana”… Vieram de onde? Da ciência? Qual pesquisa? Qual paper?
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Alesandro Bennati em 13 de Outubro de 2012, 20:12
Já deu para notar que o começo do discurso de Eli não é nada promissor. E o restante não melhora muito, quando ele prossegue:

    Esta preservação e manutenção da qualidade da vida humana é pautada no indivíduo. Porque entendemos que não há sociedade saudável sem indivíduos saudáveis.
    A última frase merece uma explicação especial. ‘Saúde’ do indivíduo significa:
    [1] – expressar livremente suas opiniões e impulsos estéticos e artísticos,
    [2] – atender a seus impulsos biológicos fundamentais, como os sexuais, quaisquer que sejam contanto que com parceiros capazes de responder por si (o que exclui crianças por exemplo),
    [3]- ter a oportunidade de livrar-se da dor física e psicológica, mesmo que signifique optar pela eutanásia ou pelo aborto (contanto que responsavelmente e na ausência de alternativas),
    [4] – ter acesso universal à apresentação imparcial do conhecimento,
    entre outras coisas que se seguem logicamente dos valores fundamentais que adotamos.
    Valorizar o indivíduo evita coisas como a opressão das minorias, as guerras, os privilégios a instituições ideológicas e religiosas (como a isenção de impostos escandalosa que é dada às religiões no Brasil), a homofobia, o racismo, o fascismo, e todas as formas de comportamento de rebanho que foram danosas à Humanidade em sua história milenar.
    Note que isso é uma prescrição, e não uma descrição da realidade. (É como queremos que as coisas sejam, e não como as coisas são hoje.)

Chega a ser engraçado. Primeiramente ele diz que “não há sociedade saudável sem indivíduos saudáveis”, mas ao invés de tratar da concepção de saúde tradicional, opta por outra coisa muito estranha. Ele redefine o termo ‘saúde’.

Os itens [1] a [3] existem em países extremamente religiosos também. Não tem a ver com o humanismo.

Já o item [4] chega a ser no mínimo hipócrita da parte dele. Recomendo que leiam um livro chamado “Indoctrination U”, de David Horowitz, que fala do patrulhamento ideológico que sofre a minoria em alguns cursos universitários. E qual a minoria? Os conservadores/religiosos. A maioria, claro, é composta de esquerdistas (que é do tipo liberal, nos Estados Unidos, com facetas pós-iluministas, “humanistas”, anti-religiosas,etc.). E vejam como eles tratam as minorias. Uma das tentativas que eles farão, por exemplo, é destruir a carreira acadêmica de alguém que pertence à minoria. Mas aí vem o alívio (para eles), pois é só a minoria que eles não gostam. E eles não gostam dos conservadores.

Querem ver o “respeito” ao próximo deles? Ele defende o término da isenção de impostos de religiões (ele deveria ter escrito “igrejas”, e não religiões, aliás). Quer dizer, entidades que recebem doações podem ter privilégios, MENOS que sejam religiosas. O sujeito devia pelo menos tentar esconder a agenda anti-religiosa dele em um texto onde fala de “respeito ao próximo”.

Aí ele diz que essa atitude que defende irá “evitar” coisas como “opressão das minorias”, as “guerras”, a “homofobia”, o “racismo”, etc.

Curioso que ele não se esforçou nem um pouco para mostrar COMO isso vai ocorrer.

Vamos aos fatos: o discurso que ele está tentando é basicamente o da esquerda americana (no Brasil, estaria mais próximo ao do PSDB). Funciona assim: o sujeito INVENTA a historinha de que está a “favor dos direitos das minorias”, do “respeito à individualidade” e usa isso como jogo político, para dizer que “luta contra os outros” que não estão a favor dessas minorias. Daí ele defende a idéia de que o oponente é “genocida”, “intolerante”, “racista”, “homofóbico” e coisas do tipo, somente para JOGAR SEUS SEGUIDORES CONTRA o oponente. O discurso de “humanismo” não tem outra função que não isso. E, para piorar, ele não provou que o “humanismo” será a panacéia que promete.

Aliás, a panacéia para o mundo… Já ficou bem claro que o discurso dele é uma pregração de SALVAÇÃO da humanidade.

E ainda tem a pachorra de afirmar: “É como queremos que as coisas sejam…”. Esse é o Eli, O Salvador.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Alesandro Bennati em 13 de Outubro de 2012, 20:14
Vamos a mais coisas divertidas à frente:

    Para os humanistas seculares, nenhum indivíduo pode ser transformado em bode expiatório. A ideia cristã, por exemplo, de que seria admirável o inocente Jesus morrendo para pagar por erros cometidos por outras pessoas, é simplesmente absurda aos olhos do Humanismo Secular (HS). Também é absurda para o HS a ideia de que um indivíduo pode sozinho saber mais que todo o resto da humanidade (como um Papa, um Aiatolá ou um Lama). Isso é contraditório com o chão firme das ciências humanas, que mostra as limitações da mente humana tanto em ética quanto em conhecimento. No HS o indivíduo humano é ’sagrado’ (defensável), mas não é ’santo’ (dotado de atributos não demonstráveis). Empatia é a chave para esta postura. Sendo humanista secular, você não será homofóbico, porque entende que a atração sexual por pessoas do mesmo sexo é algo inexorável e irresistível para o indivíduo homossexual (empatia).

Pois é, nessas horas é bom ser cético.

O Eli Vieira promete uma teoria em que “nenhum indivíduo pode ser transformado em bode expiatório”. Será que é verdade? Recomendo que vejam a comunidade “Criacionismo” e procurem os posts de Eli e seus amigos contra religiosos. Claro que ele só consegue praticar bullying virtual em uma comunidade de Orkut, e quando está apoiado pela moderação, mas o importante aqui é que vocês vejam a “empatia” que ele tem pelos religiosos. Se o tal do “humanismo secular” garantisse empatia, então os adeptos dele não iriam praticar bullying virtual de maneira covarde principalmente contra aqueles que não sabem se defender.

Querem mais um exemplo? Aqui está um tópico de bullying virtual (embora o George saiba se defender, ele estava em uma comunidade em que as regras funcionavam para o lado dos neo ateus, ou “humanistas”, como o Eli agora quer se rotular).

Eles não são gente finíssima? Pois é, não transformam “ninguém” em bode expiatório. Dá para notar…

Mesmo assim, a cara de pau é tamanha que a promessa de palanque não tem limites:

    Você não apoiará as guerras, porque saberá do horror que significa a morte de um único soldado cheio de esperanças e vontades de viver, e saberá que apesar da vontade do grupo, muitos indivíduos terão objeção de consciência com relação a se doarem por causas abstratas (empatia). Tampouco um humanista secular deverá comemorar quando defensores de ideologias anti-humanistas são mortos em conflitos – sabemos da fragilidade da mente humana ignorante e sua extensa propensão a crenças simplórias e tribais, que não diminuem a raridade e a preciosidade de um indivíduo humano, ainda que fanático e nocivo (empatia).

No momento em que ele garante que o humanista “não apoiará as guerras”, não é bonito de ver falar? O problema é que não há nada que comprove isso, e ainda o histórico que mostrei do Sr. Eli nos demonstra que o discurso é só da boca para fora.

Tanto que ele usa estratagemas para ridicularizar seus oponentes ao dizer “fragilidade da mente humana ignorante” ou “extensa propensão a crenças simplórias e tribais”, e a pérola “fanático e nocivo”.

Notaram como ele define um religioso? NOCIVO!
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Alesandro Bennati em 13 de Outubro de 2012, 20:15

Vamos realizar: será que se alguém for racista e ao encontrar uma pessoa de outra raça disser “mesmo que você seja nojento e nocivo, chorarei se você morrer (empatia)” estará sendo humanista? Será que usar um discurso de preconceito desse é o que ele chama de empatia?

Mas, enfim, no conceito bizarro de moral dele, Eli pode ser preconceituoso o quanto quiser, já que estes que são contra ele estariam contra a “promessa de paz”, a famosa utopia, que prossegue:

    As crenças ufanistas e nacionalistas que motivam muitas guerras vão de encontro à cosmovisão humanista quando fabricam conceitos frouxos como nação, raça, grupo de fé, e outros conceitos coletivos que não significam nada perto do sofrimento real e das aspirações básicas de um organismo humano individual. Ninguém deve morrer pela pátria, pátrias não têm outra substância que não sejam ideias, pátrias não sentem dor, não têm aspirações nem necessidade de prazer.

Depois ele não poderá negar que prometeu a utopia. E lá vem mais:

    Individualistas podem se orgulhar por ter nascido em determinado lugar do planeta, por falar certa língua ou pertencer a certa etnia. Mas, acima de tudo, não deixarão que este orgulho fira outros indivíduos na forma de xenofobia, racismo e sexismo, porque quem fere o outro fere a si próprio. Quem desvaloriza indivíduos em nome de ideologias de rebanho está desvalorizando a si próprio (Podem incluir aqui as torcidas fanáticas do futebol!).

A utopia prossegue. Mas uma pergunta que não quer calar: se ideologias de rebanho estão proibidas, o neo ateísmo não está? Algo como: ler os livros de Richard Dawkins e Sam Harris e depois sair ofendendo os religiosos nas comunidades, com discurso decorado dos livros (todo baseado em slogans, como bem apontou Chris Hedges) pode? Só não pode se for um “comportamento de rebanho” que ele não gosta, certo? Esse discurso do Eli está cada vez mais revelador a respeito de quem ele realmente é. Sigamos…

    Ordens só devem ser seguidas na medida em que promovem a dignidade dos indivíduos humanos. Nenhum humanista secular deve atentar contra indivíduos sob a alegação de que estava somente seguindo ordens (como fizeram vários empregados do regime nazista que diariamente jogavam judeus na câmara de gás, ou como fez o personagem fictício Abraão ao obedecer as ordens de Javé para sacrificar o próprio filho).

E se o Sam Harris dá a ordem para sair pregando e ofendendo os religiosos, essa é uma ordem que pode ou não ser seguida pelo “humanista secular”? Ah, eu me divirto…

    A ciência mostrou que nós, indivíduos, somos raros, finitos, e pequenos. Encontrar outro indivíduo neste planeta é, portanto, um evento mais precioso que observar a explosão de uma supernova. Se você é individualista, portanto, você valoriza o que é raro e precioso. Nas palavras de Carl Sagan para sua amada Ann Druyan, “diante da vastidão do espaço e da imensidão do tempo, é uma alegria para mim partilhar um planeta e uma época com você”.

Isso aqui é tão bobinho e auto-ajuda que nem vou comentar. Mais:

    Pense nisso da próxima vez em que estiver andando pelas ruas da sua cidade, atrasado para o trabalho ou para o estudo. Olhe em volta os múltiplos rostos humanos: sorrindo e chorando, preocupados e contentes, esperançosos e cheios de fé, incisivos e fanáticos, com mente aberta e tentando se proteger, com medo e com coragem, opressores e oprimidos. Faz muito bem para você e para os outros.

Dica ao Eli: quando o assunto acaba, melhor parar de escrever. Eu faço isso. As vezes já reclamaram que meu estilo é abrupto e eu termino um texto as vezes sem um “grand finale”. Mas é melhor do que escrever bobagem.

Esse finalzinho do texto dele é o exemplo do Tetrafarmacón de Epicuro. Basta pensar positivo, olhar para os outros, imaginar que possuem sentimentos e “fará muito bem para você e os outros”. Será que os humanistas realmente fazem isso? Devemos exigir evidências, pois o comportamento de Eli mostrou o inverso da parte da “empatia” alegada em seu discurso.

O importante é notar que o componente de utopia está presente do início ao fim.

O recurso dele é simples, como em todo joguete político de esquerda: prometer a utopia, fingir que se é um AGENTE na busca por essa utopia, e, então, usar isso como desculpa para discriminar os que SUPOSTAMENTE estariam contra essa utopia.

O curioso é que Eli nem se preocupou em esconder sua agenda.

E, se ele promete empatia, recomendo que dêem uma olhadela pelos textos do Bule Voador.

A maioria é composta de escárnio contra religiosos, manipulação de informações, charges com generalizações, etc.

Se é essa a “empatia” que ele quer oferecer aos religiosos, então eu prefiro a antipatia. A antipatia honesta e declarada dificilmente conseguirá ser tão fétida quanto a “empatia” desses “humanistas seculares”.

http://neoateismodelirio.wordpress.com/?s=humanismo
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 13 de Outubro de 2012, 21:38
Conhecemos ciências diferentes.
...
E não diz nada disso do acaso. Não sei a que se refere.
...
A existência de Deus não se pode demonstrar cientificamente. Tal como a não existência de Deus não se pode demonstrar cientificamente. Ateísmo e teísmo são crenças.
...
A ética nada tem a haver com materialismo, nem com ateísmo, nem com religião. ...
...
Os intolerantes são aqueles que, se pudessem, obrigavam os que têm opinião diferente a calar-se. ...

Caro Vitor,

Engano seu. Falamos de uma mesma ciência. Ela se insere no contexto da Academia (caso contrário nem mesmo seria reconhecida como ciência) e trabalha com os mesmíssimos princípios:

1. Caracterização de problemas;
2. Delineamento de hipóteses;
3. Verificação e observação experimental das hipóteses;
4. Construção e defesa de tese a partir dos dados obtidos;
5. Consolidação de teoria.

Infelizmente, pela escala e pelos objetos com que trabalha, não consegue ir muito além do 3º passo. É uma limitação natural e o cientista que trabalha nessa área tem plena consciência disso.

Aquilo que não pode ser provado cientificamente pode ser aceito como válido pelo crivo da razão. Se kardec tivesse que provar cientificamente o princípio da reencarnação não poderia tê-lo incluído como um princípio fundamental da Doutrina Espírita. Teve de aceitá-lo após verificar que esse princípio era racional e único para o atendimento a uma série de problemas propostos. O princípio da existência de Deus se insere nesse mesmo contexto. Um universo que não foi criado a partir da uma inteligência é, portanto, obra do acaso, e sendo obra do acaso, não pode manter leis universais.

Moralidade não tem nada a ver com isso e você está certíssimo. Todos nós conhecemos inúmeras pessoas que não acreditam em nada além do que pode ser provado cientificamente, mas que são maravilhosas e não medem esforços para ajudar o semelhante. Acreditar em Deus é uma direção para vida de qualquer indivíduo, mas não o torna automaticamente melhor em relação à ninguém, nem à ele próprio.

Mas, pela maneira que você fala, pode dar a entender que o ateu está sossegado no seu canto, sendo quase sempre vítima de uma série de preconceitos da parte de crentes fanáticos. Faça uma pesquisa e encontrará exatamente o contrário: intolerância às avessas. A maioria esmagadora dos vídeos sobre ateísmo que se encontra no YouTube, por exemplo, tem por objetivo ridicularizar a fé religiosa, mesmo um trabalho pretensiosamente sério como os filmes da série “Zeitgeist” faz isso. Os livros que tratam sobre ateísmo, ainda que de forma mais polida, tem o mesmo objetivo, e nesse caso pecam com mais gravidade, porque tendem a contrapor argumentos religiosos contra argumentos científicos e ambos são simplesmente incompatíveis. O caso Dawkins (lembra do título desse tópico?) é sintomático: o sujeito quer estabelecer um paradigma filosófico sobre a relação Deus/homem/universo discutindo a Bíblia?

Abraço,

Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Claudemir dos Santos em 15 de Outubro de 2012, 11:28
Muito sabia a reflexão de Danilo Henrique,esta é a linha de conduta que devemos seguir ou tomar, uma dose de ateísmo,pois sem ela nós seremos eternos fanáticos,o ateísmos não prejudica a nossa evolução,mas o materialismo sim,muitos se dizem espiritas,mas não agem como tal,pois agir como espirita é honrar a palavra espirita ou espirito,ou seja,ser contrario a materia,mas o que vemos são homens que pregam o espiritismo como uma doutrina sem rituais e não usam velas ou imagens etc., mas fora dela são totalmente apegados as coisas materiais. O segredo é que a nossa verdadeira evolução espiritual começa quando começamos a despojar do apego as coisas materiais. Um abraço a todos e muita paz.
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Vitor Santos em 15 de Outubro de 2012, 14:26
Muito sabia a reflexão de Danilo Henrique,esta é a linha de conduta que devemos seguir ou tomar, uma dose de ateísmo,pois sem ela nós seremos eternos fanáticos,o ateísmos não prejudica a nossa evolução,mas o materialismo sim,muitos se dizem espiritas,mas não agem como tal,pois agir como espirita é honrar a palavra espirita ou espirito,ou seja,ser contrario a materia,mas o que vemos são homens que pregam o espiritismo como uma doutrina sem rituais e não usam velas ou imagens etc., mas fora dela são totalmente apegados as coisas materiais. O segredo é que a nossa verdadeira evolução espiritual começa quando começamos a despojar do apego as coisas materiais. Um abraço a todos e muita paz.

O pensamento ateísmo materialista não é nenhum crime moral. É uma forma de ver a vida, como outra qualquer.

A liberdade de expressão é um valor que, quanto a mim, faz parte dos princípios espíritas. Se nós queremos calar alguém, não só estamos a julgar, como a querer condenar esse alguém moralmente.

A tolerância, em meu entender, é um valor espirita, um valor cristão (de acordo com as palavras de Jesus) e um valor ético, para todos os homens de bem, sejam eles religiosos ou ateus materialistas, agnósticos, etc. A intolerância é claramente anti-cristã, pois leva a atrocidades, tanto da parte dos religiosos, como da parte dos ateus materialistas.
 
Os valores éticos estão no coração das pessoas, ou seja, no espírito milenar que cada um é. E não nas opções religiosas.

Se há ateus materialistas fanáticos, que querem calar os religiosos, eles estão errados. Os espíritas que fizerem o mesmo, estão a cometer o mesmo erro.   

Se alguém comete atrocidades para com o próximo, não é por ser ateu materialista, nem por ser religioso, é por ser simultaneamente intolerante e mau. É por admitir que só uma única forma possível de pensar, ou seja nós sabemos tudo e os outros que não dizem connosco são todos burros, ou mal intencionados, e que devem ser eliminados da face da Terra.

A intolerância é para aqueles que pensam que sabem tudo. Que não compreendem a complexidade da natureza, e se acham no direito e com a capacidade de dizer aos outros o que é possível e o que é impossível. Eu não estou nesse número, pois sei que a natureza é extremamente complexa. Estou sempre cheio de dúvidas, e não de certezas absolutas.

A doutrina espirita diz que não é materialista porque não acredita que o ser humano é apenas um corpo de carne. Acredita que cada um de nós é um espírito imortal, provisoriamente associado a corpo de carne mortal. A matéria não é um mal, pelo contrário, é necessária, inclusivamente para proporcionar ao espírito uma forma de evoluir. Enquanto a morte não nos liberta temos de viver com a matéria e não contra a matéria. E o crime é danificar o corpo material antes do tempo.     

bem hajam
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: hcancela em 15 de Outubro de 2012, 17:08
Olá amigos(as)


Perdoem amigos mas o facto de se acreditar não é importante, porque Deus sente-se, não se prova. Se estivermos há espera que alguém ou alguma Ciência consiga provar a existência de Deus com olhos fechados(que é aquilo que actualmente temos) não vamos lá. Creio que sim, um dia havemos de conseguir isso. Pobres Cientistas que se julgam infalíveis porque julgam tudo saber e interpretar, se esquecendo(ou não querem lembrar) que até a Ciência muda porque nada é falível, apenas a criação é infalível. Uma coisa de facto tenho de concordar, que a Biblia tal e qual é apresentada, torna um Deus bom num dia e tirano noutro, coisa que é inconcebível a uma Divindade, mas aqui a culpa é de Deus ou dos homens, vaidosos e arrogantes que julgam tudo saber . Como pode uma Ciência ou alguma coisa falar de algo que não entende; por certo um sábio realmente é prudente , mas neste caso convém uma certa polémica de Publicidade, muito importante para quem quer vender, não é mesmo.

Saudações fraternas
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Vitor Santos em 15 de Outubro de 2012, 19:34
Olá amigos(as)


Perdoem amigos mas o facto de se acreditar não é importante, porque Deus sente-se, não se prova. Se estivermos há espera que alguém ou alguma Ciência consiga provar a existência de Deus com olhos fechados(que é aquilo que actualmente temos) não vamos lá. Creio que sim, um dia havemos de conseguir isso. Pobres Cientistas que se julgam infalíveis porque julgam tudo saber e interpretar, se esquecendo(ou não querem lembrar) que até a Ciência muda porque nada é falível, apenas a criação é infalível. Uma coisa de facto tenho de concordar, que a Biblia tal e qual é apresentada, torna um Deus bom num dia e tirano noutro, coisa que é inconcebível a uma Divindade, mas aqui a culpa é de Deus ou dos homens, vaidosos e arrogantes que julgam tudo saber . Como pode uma Ciência ou alguma coisa falar de algo que não entende; por certo um sábio realmente é prudente , mas neste caso convém uma certa polémica de Publicidade, muito importante para quem quer vender, não é mesmo.

Saudações fraternas

Eu não sei Deus se sente, mas sei que tenho fé que ele existe. Não me parece um sentimento, mas um conhecimento instintivo.

De qualquer modo, os cientistas não dizem, nem provam cientificamente que Deus existe ou deixa de existir. Eles só defendem como verdade aquilo que a ciência demonstra.

Aqueles que dizem que Deus não existe, não se baseiam na ciência, apenas dão o seu palpite pessoal. Quem diz que a ciência não admite a existência de Deus são os ateus materialistas fanáticos, não são os cientistas.

Os cientistas mais brilhantes aceitam que a obra da criação é algo que tem por detrás uma inteligência tão grande, que a inteligência do homem mais inteligente da Terra não compreende ainda. A ciência sabe umas coisas, mas ignora muito mais do que aquilo que sabe. Os cientistas sabem que a natureza é demasiado complexa para alguém poder dizer que sabe tudo, e ter capacidade para afirmar aos outros o que é possível e o que é impossível.   

O Deus que a ciência não acredita é o Deus que nos é apresentado com características humanas. Nesse, eu também não acredito!

bem hajam
Título: Re: Ateísmo – Militância contra Deus
Enviado por: Brenno Stoklos em 06 de Junho de 2013, 05:34

O mais importante é que se conheçam as intenções que se escondem por detrás das palavras!

"É claro que ideólogos ateus totalitários têm motivos de sobra para ter ódio dos religiosos.
Eles lutam contra a religião, pois sabem que os religiosos lutam para esclarecer as pessoas em relação à falibilidade humana (que não passa de reconhecimento do óbvio). Coisa que os ideólogos ateus genocidas negam existir, pois se existe a idéia de falibilidade humana, como poderíamos acreditar nestes “seres humanos perfeitos, anjos terrestres, que nos levariam ao belo mundo?”.
Dawkins quer que tenhamos a crença na turma dele, mas só cairíamos nessa lorota (que é a mesma conversa da turma de Hitler), se abandonarmos a religião.
Enquanto tivermos a religião enraizada como base de nossa moral, desconfiaremos de TODOS que vierem com essa conversinha de “Cidadãos, creiam em mim, pois temos a razão, construiremos o mundo perfeito”.
Com idéias como essa Richard Dawkins é CÚMPLICE MORAL de todos os crimes do comunismo e do nazismo. E de todos os crimes que surgirem no futuro a partir do mesmo tipo de ideologia.
E, assim como Goebbels disse, “uma mentira contada muitas vezes torna-se uma verdade”.
Talvez isso explique o fato de Dawkins mentir tanto enquanto divulga sua ideologia genocida.
Quanto mais ele mentir, mais temos que investigar e desmascarar".


"O socialismo e o nazismo ateístas são revolucionário/ateístas não porque propõem respectivamente o predomínio de uma classe ou de uma raça, mas porque fazem dessas bandeiras os princípios de uma remodelagem radical não só da ordem política, mas de toda a vida humana. Os malefícios que prenunciam se tornam universalmente ameaçadores porque não se apresentam como respostas locais a situações momentâneas, mas como mandamentos universais imbuídos da autoridade de refazer o mundo segundo o molde de uma hipotética perfeição futura. A Ku-Klux-Klan é tão racista quanto o nazismo, mas não é revolucionária/ateísta porque não tem nenhum projeto de alcance mundial. Por essa razão seria ridículo compará-la, em periculosidade, ao movimento nazista. Ela é um problema policial puro e simples. [...] Por isso mesmo é preciso enfatizar que o sentido aqui atribuído ao termo “ateísmo” é ao mesmo tempo mais amplo e mais preciso do que a palavra tem em geral na historiografia e nas ciências sociais presentemente existentes. Muitos processos sócio-políticos usualmente denominados “revoluções” não são “revolucionários” de fato, mas ateístas, porque não participam da mentalidade revolucionária, mas visam à remodelagem integral da sociedade, da cultura e da espécie humana. Não é necessariamente revolucionária, por exemplo, a rebelião política destinada apenas a romper os laços entre um país e outro. Nem é revolucionária a simples derrubada de um regime tirânico com o objetivo de nivelar uma nação às liberdades já desfrutadas pelos povos em torno. Mesmo que esses empreendimentos empreguem recursos bélicos de larga escala e provoquem modificações espetaculares, não são revoluções, porque nada ambicionam senão à correção de males imediatos ou mesmo o retorno a uma situação anterior perdida.
Aliás, a explicação abaixo nos mostra por que devemos suspeitar de quando os quatro cavaleiros do ateísmo dizem que prometem uma “difusão de racionalidade” que deve abranger toda a espécie humana:
O que caracteriza inconfundivelmente o movimento ateísta é que sobrepõe a autoridade de um futuro hipotético ao julgamento de toda a espécie humana, presente ou passada. O ateísmo é, por sua própria natureza, totalitário e universalmente expansivo: não há aspecto da vida humana que ela não pretenda submeter ao seu poder, não há região do globo a que ele não pretenda estender os tentáculos da sua influência. E não importa à que custo em milhões de vidas humanas".