Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: Gisella em 31 de Março de 2011, 20:06

Título: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 31 de Março de 2011, 20:06
TRANSFORMAÇÃO PELO AMOR


Ainda quando eu falasse todas as línguas dos homens e a língua dos próprios anjos, se eu não tiver caridade, serei como o bronze que soa e um címbalo que retine; ainda quando tivesse o dom de profecia, que penetrasse todos os mistérios, e tivesse perfeita ciência de todas as coisas; ainda quando tivesse toda fé possível, até o ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, nada sou. - E, quando houvesse distribuído os meus bens para alimentar os pobres e houvesse entregado meu corpo para ser queimado, se não tivesse caridade, tudo isso de nada me serviria.
A caridade é paciente; é branda e benfazeja; a caridade não é invejosa; não é temerária, nem precipitada; não se enche de orgulho; - não é desdenhosa; não cuida de seus interesses; não se agasta, nem se azeda com coisa alguma; não suspeita mal; não se rejubila com a injustiça, mas se rejubila com a verdade; tudo suporta, tudo crê, tudo espera, tudo sofre.
Agora, estas três virtudes: a fé, a esperança e a caridade permanecem; mas, dentre elas, a mais excelente é a caridade (S. PAULO, 1ª Epístola aos Coríntios, cap. XIII, vv. 1 a 7 e 13 do ESE)


Paulo de Tarso, nesta Epístola, trouxe para todos nós, Espíritos ainda em processo evolutivo, os caminhos para que encontremos a verdadeira caridade, que é o Amor em Ação.

E, nesta ação, precisamos movimentar todo o nosso potencial, racional e emocional, para seguirmos esses caminhos, que podem ser o nosso Caminho de Damasco, o qual a grande maioria da humanidade terrena ainda não consegue percorrer e entregar-se como fez, o então, Saulo.
Transformação pelo amor | Estudo [url=http://www.forumespirita.net]www.forumespirita.net (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTVwdUZuck0zVmJvI3dz)




Por isso, nosso estudo Transformação pelo Amor, tem por objetivo percorrer o caminho das virtudes citadas por Paulo, fazendo sacudir nossa consciência ainda adormecida, despertando para a lucidez, para uma nova realidade da vida.

Esse despertar acontece nas pequenas ações do nosso dia a dia, nas nossas relações com os seres mais próximos e com os demais que cruzam os nossos caminhos, onde vivenciamos as experiências mais simples para alcançarmos as mais complexas.

A Doutrina Espírita nos diz que evoluímos do átomo ao arcanjo, sem saltos, e que, para isso, necessitamos de muitas experiências físicas para desenvolvermos, passo a passo, todas as virtudes que estão latentes no Ser Imortal, que somos todos nós.

Trabalhando incessantemente com equilíbrio para conhecermos a verdade que liberta, vamos atingindo a nossa maioridade psicológica e existencial, com harmonia entre o que aspiramos, o que fazemos e como nos comportamos emocionalmente, sem ansiedade pelo que devemos produzir, nem conflito por aquilo que conseguimos realizar.

Que possamos, com este estudo que se inicia, movimentarmos toda a nossa vontade em prol dessa Transformação que nos fará contribuir, de maneira ativa, com o meio social que vivemos, assim como com a transformação pela qual passa o nosso Planeta.

"Eu sou apenas um, mas sou alguém; não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. Tenho o dever de fazer tudo o que posso, e com a ajuda de Deus serei capaz!" Everett H.

Bom estudo a todos!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 31 de Março de 2011, 21:26
ESTRUTURA DO ESTUDO

Como o objetivo do estudo é focar nas virtudes encontradas na I Epístola de São Paulo aos Coríntios (cap. XIII, vv. 1 a 7 e 13.), trabalharemos as mesmas divididas em grupos mais ou menos homogêneos, não implicando que elas não se entrelacem no nosso dia a dia.
Portanto, estruturamos da seguinte maneira:

1ª semana:
•   Paciência
•   Resignação
•   Tolerância
•   Justiça

2ª semana:
•   Delicadeza / Gentileza
•   Alegria
•   Honestidade / Sinceridade
•   Humildade

3ª semana:
•   Bondade
•   Compaixão
•   Perdão
•   Desapego

4ª semana:
•   Consciência
•   Fé
•   Esperança
•   Amor

Procuraremos trazer sempre assuntos referentes à vida cotidiana, aos problemas humanos, às dificuldades que enfrentamos.

E, ao final, que tenhamos percebido que aquela criança psicológica que somos, muitas vezes adormecida e que teima por ser acalentada, tenha cedido lugar ao adulto de vontade firme e confiante, que programa os seus atos, trabalhando com afinco para conseguir os resultados almejados, pois entendeu que todo este processo de auto-transformação resulta da vontade disciplinada, que é o mais notável instrumento de trabalho para a vitória física do ser pensante.

Como nos diz Léon Denis: "Todo poder da alma resume-se em três palavras: querer, saber, amar". (O Problema do Ser, do Destino e da Dor)

Bibliografia:
•   O Livro dos Espíritos
   "Da Lei e Justiça, Amor e Caridade - parte 3ª - Cap. IX - Caridade e Amor ao Próximo - perguntas 886 a 889 e Amor Materno e Filial - perguntas 890 a 892
   "Da Perfeição Moral" - parte 4ª, cap XII - perguntas 893 a 919
•   O Evangelho Segundo Espiritismo
   Capítulos VIII a XIII;
   Capítulos XV, XVII, XIX e XXV;
•   O Consolador - Francisco C. Xavier/Emmanuel
•   Sinal Verde - Francisco C. Xavier/André Luiz
•   Segue-me - Francisco C. Xavier/Emmanuel
•   Boa Nova - Francisco C. Xavier/Humberto de Campos
•   O Problema do Ser, do Destino e da Dor - León Denis
•   Nossas Riquezas Maiores - J. Raul Teixeira/Espíritos Diversos
•   Carta Magna da Paz - J. Raul Teixeira/Espírito Camilo
•   Revelações da Luz - J. Raul Teixeira/Espírito Camilo
•   Educação e Vivências - J. Raul Teixeira/Espírito Camilo
•   Vida: Desafios e Soluções - Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
•   Jesus e o Evangelho à Luz da Psicologia Profunda - Divaldo P. Franco/Joanna de        Ângelis
•   Rumos Libertadores - Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
•   Jesus e Atualidade - Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
•   Desperte e Seja Feliz - Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 31 de Março de 2011, 21:30
Boa Tarde a todos,

Quero agradecer a Gisella  pelo  convite para ajudá-la  na moderação deste estudo, ao qual,  estruturou e elaborou com tanto carinho, trazendo-o aqui para nossa apreciação.

Transformação pelo Amor.

O conceito de amor ainda é pequeno na visão do ser humano, porque está condicionada aos seus apegos, ou seja , ao seu egoísmo. Não é o “Amor Maior “ como ensinou  Jesus e todos os outros avatares.

O homem ama condicionalmente, criando posses e expectativas.
Ama em busca do poder ou prazer .
O homem sempre se decepciona ou causa decepção ao próximo porque nada o satisfaz.
Em nome deste amor exclusivo, o homem provoca guerras e desarmonias em devoção a sua Pátria, religião, raça, família, posses materiais etc.


Esse é o amor apegado ao plano terrestre, muda de acordo com as verdades de cada um.
É o total  esquecimento que a vida terrena é transitória, que nada, absolutamente, é nosso e sim emprestado para cumprimento de nossas provas.

O maior mandamento de todos  “ Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo” ainda não é respeitado pela maioria num planeta de provas e expiações onde, segundo a Doutrina Espírita, o mal ainda impera.

A hora que o homem conseguir  abandonar-se ao Amor a Deus e parar de qualificar tudo como bom ou ruim sob sua ótica exclusiva, vai parar de criar medos e defesas em relação ao outro.
A hora que os homens se perceberem como iguais, pensando sempre no coletivo e não mais em si mesmo, a humanidade encontrará a  Paz e a Deus.

Este amor divino e incondicional é a proposta deste estudo do mês. Ao mesmo tempo será feita uma reflexão profunda de  quanto a humanidade está  longe de despertar a centelha divina que todos os homens carregam em seu interior, centelha esta obscurecida pelo Egoísmo.

Contamos com a presença de vocês todos para estudarmos juntos este tema tão relevante trazido por Gisella ao Fórum.


Bem vindos ao estudo do mês de abril.

Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 31 de Março de 2011, 21:33
Olá, pessoal...

Estamos com mais esse estudo mensal para aprendermos juntos e nos ajudarmos mutuamente a avançarmos um pouquinho mais na senda do progresso.

Nossa amiga Hebe está compartilhando comigo esta coordenação, a quem, desde já, agradeço de todo o coração.

Aproveito a oportunidade para comunicar aos amigos que, durante a próxima semana, estarei ausente pelas manhãs, pois estou fazendo fisioterapia diariamente.

Caso demoremos um pouco para responder, não é falta de atenção, mas apenas de tempo. Espero que compreendam e nos ajudem a fazer deste estudo, um momento de alegria e troca de muitas informações.

Abraços fraternos a todos,

Gisella  :)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: warley em 31 de Março de 2011, 21:50
Olá Gisella, bem escolhido o tema dos estudos deste mês.
Que ao acompanharmos,sintamos renovados os nossos pequenos gestos do dia-a-dia.
Que Ele, o Amor se faça presente em cada ser, em cada consciência, para que a Caridade caminhando junto auxilie os necessitados não só de pão, mas também de boas palavras.
Bons Dias, Bem Haja e um Abraço Fraterno.

Warley - Porto - Portugal
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 31 de Março de 2011, 22:52
Amigos...

Para iniciarmos nosso estudo, lançamos um desafio....

Gostaríamos que os amigos se perguntassem e, é lógico colocassem para nós aqui no tópico, onde, na nossa vida diária, temos que exercitar a paciência, a resignação, a tolerância e a justiça??

Quais as nossas maiores dificuldade em exercer estas virtudes??

Os amigos estão dispostos a seguir conosco nesta trajetória de se auto-conhecer?

Abraços fraternos

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 31 de Março de 2011, 23:00
Gisella amiga querida, seja muito bem-vinda ao estudo mensal! :)

Lindo tema! Lindo vídeo!

Com sua direção, costumeiro carinho, lucidez e experiência, muito aprenderemos este mês.

A escolha da companhia da amiga Hebe, contribuirá para acrescentar mais conteúdo ao estudo.

Como já disse quando do anúncio deste tópico, está na hora de crescer e ocupar nosso lugar na vida, no mundo, e isso só é possível através dos caminhos do amor.

Mas para isso é preciso atitude, pois precisamos da simples humildade para aprender a amar, conquistando, assim, a tão almejada felicidade.

Então o que é o amor? Como aprender a amar?


E renovai-vos pelo espírito do vosso sentir.”
Paulo (Efésios, 4:23)
[attach=1]

Que Deus nos acompanhe neste importante estudo.

Beijinhos,

Edna ;)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 31 de Março de 2011, 23:02
Boa Noite,
Seja bem vinda ao estudo Edna, muito obrigada por suas palavras.

Com autorização da Gisella, que terá que se ausentar por hoje, colocarei um texto seu para reflexão sobre paciência.

"A Paciência pode ser considerada uma virtude catalisadora que contribui para o desenvolvimento e fortalecimento das virtudes correlatas do perdão, da tolerância e da fé.   

 “O bem da paciência é um subgrupo da caridade, que de todas é a mais dignificante das leis a serem cumpridas. A caridade será tolerar com paciência o parente necessitado, respeitar com a mesma paciência as dificuldades dos vizinhos; a criança largada aos azares da sorte que perambula pelas ruas ou mesmo um animalzinho doente.”

Estamos vivendo uma fase muito crítica. E nunca estivemos precisando tanto de calma e paciência como agora. Até parece que todos os nossos valores sendo rigorosamente testados.

A paciência é uma virtude que deve ser cultivada e cuja força somente pode ser medida, quando submetida ao teste que a desafia em forma de problema. (Alegria de Viver).

A caridade sabe esperar. O desespero corresponde a “não espera”, a impaciência. Toda criatura desesperada é, em princípio, de caráter impaciente. (A Carta Magna da Paz).   


A impaciência desarmoniza ambientes, tumultua relacionamentos, ocasiona insatisfação e insegurança.A paciência se desenvolve com muita prática: na fila do banco, quando há uma ofensa, no trânsito, no trabalho, ante as imperfeições de cada espírito, em família.

Exercitando a paciência nas pequenas ocorrências, sem permitir a irritação ou o agastamento, adquirirá força e enfrentará com êxito as situações mais graves. (Alegria de Viver).

A paciência serena, pacífica, sem reações violentas, calma, branda, tolerante, a aceitação tranqüila, a vigilância ponderada são, todas, reações do nosso comportamento que poderão mudar essa atmosfera turbulenta do nosso planeta, na medida em que nos conscientizarmos da necessidade de mudanças e por elas trabalharmos deliberadamente. 

O compromissos com horário, os múltiplos encargos a saldar, as providências a tomar, etc. A angústia de vivermos sempre atrasados em nossos afazeres cria atualmente uma onda envolvente que nos transforma em autônomos sem ponderação, percepção, sentimento.


A paciência é reserva de ânimo para enfrentar as situações mais difíceis sem perder o equilíbrio. (Alegria de Viver).





Para sermos tolerantes precisamos estar dispostos a aceitar reações, condutas e o modo de ser das pessoas. Aceitá-las como são, sem no entanto ser conivente com seus atos e condutas. Respeitando o outro sem desrespeitar a nós próprios. Encarando o outro como ser espiritual passível de bons sentimentos, com potencialidades latentes, sujeitas ao desenvolvimento.


Algumas pessoas têm a necessidade de saber o porquê de estarem aqui, ao invés de “trabalharem”, ficam retidas no tempo, querendo saber de todas as formas este porquê, como se tudo fosse resolvido estando de frente a uma bola de cristal e que as coisas, ou dificuldades, fossem deixar de existir num passe de mágica...A ansiedade que nos afeta é algo que atrapalha o nosso minúsculo dia de 24h. O passado fez o presente, portanto trabalhemos o agora, pacientes de amanhã será melhor se o cultivarmos agora, no presente.

 



Paciência não significa submissão ou alienação; ser paciente é não deixar que a ansiedade ou os fatos determinem reações, na maioria das vezes, impensadas e com conseqüências nem sempre positivas.



Não podemos perder algo que ainda não possuímos. Quando dizemos: “perdi a paciência” é certo que ainda não encontramos a ciência da paz. Quem tem essa virtude, que nos torna serenos e tranqüilos, não a perde em nenhuma situação.


Ninguém adquire paciência de um momento para outro, é necessário o exercício diário dessa qualidade, até que ela faça parte do indivíduo. Assim, a paciência é uma virtude calcada na fé, na harmonia , na sabedoria, que é aprimorada ao longo das encarnações. Durante a evolução espiritual, todos adquiriremos valores como a benevolência, o perdão, a caridade, a paciência, em nosso caminho rumo a perfeição.

Muitas são as virtudes adquiridas ao longo da estrada da vida. A paciência, porém, é aquela que todos devemos nos esforçar por possuir, porque de posse dela, alcançaremos todas as outras. Quem é paciente, espera o momento certo dos acontecimentos, não se precipita, evitando assim,
grandes aborrecimentos.           

Quem percebe as suas seqüelas morais, sem disfarces ou desculpas, naturalmente tende a olhar o próximo com tolerância.

Paciência, em verdade, é perseverar na edificação do bem, a despeito das arremetidas do mal, e prosseguir corajosamente cooperando com ela e junto dela, quando nos seja mais fácil desistir."

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: MarcoALSilva em 01 de Abril de 2011, 02:43
A mansuetude é um dom magno que o homem deve procurar cultivar com serenidade na construção de seu edifício evolucionário de paz interior. A ira é um vinho frisante sempre prestes a arremeter longe a rolha da garrafa. É a jactância do ego perante si mesmo, num misto de orgulho e arrogância, o olvido de nossa pequenez diante do Pai Eterno. Todos temos nossos momentos de fraqueza, máxime pelo desgaste acumulativo com que o estresse diário nos envenena e vai minando o bom-senso. Tenhamos paciência e boa-vontade. Lembremo-nos do ponto fundamental: todos nós necessitamos de perdão; portanto, não devemos nos deixar levar pela sedução da ira sob pena de recebermos o influxo inevitável de nossa contra-parte nas agitações violentas que imprimimos no éter a que estamos sintonizados.

No nosso dia-a-dia, creio, temos oportunidades constantes de exercitar a paciência... Não fosse assim e o estresse não seria o lugar comum dos que adoecem dentro de um quadro de aparente saúde...

Enfim, a lista seria muito grande... E dentro delas, estaremos nós em relação a outrem...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: jujucaba em 01 de Abril de 2011, 04:08
Querida Gisella e Hebe, pbrigado por nos instigar a estudar um tema assim tão complexo e grandioso, uma vez que o mesmo nos leva a refletir sobre nossos atos e como temos nos portado no nosso dia-a-dia.
Irei começar esse fórum fazendo uma refleção pessoal e tentando responder à questão inicial proposta pela Gisella. Creio que no meu caso preciso exercitar a paciencia na universidade. Ter paciência para aprender, para "aguentar" um professor que dá uma aula chata,
paciência para esperar o término de uma atividade e o começo de outra. Ter paciência para aceitar o outro e seus defeitos... isso nem sempre é fácil, pois esperamos demais dos outros, cremos que os mesmos terão certa atitude e quando os mesmos não nos correspondem
nos decepcionamos e aí precisamos ter paciência para aceitar o "direito de individualidade" do outro. Precisamos ter paciência para aceitarmos os nossos erros, para não nos culparnos. Paciência quando se está atrasado ou quando se está adiantado. Enfim devemos aprender
a utilizar a paciência em todas as nossas atividades
Quanto à resignação, entendo a mesmo como sendo estar sob influência de algo e não contestar, descordando ou não de tal posição. Seria nesse caso a paciência ao extremo, pois não vou me descontrolar com nada que acontecer, irei apenas aceitar. A enciclopedia define a resignação
da seguinte maneira: "A resignação, ou ainda aceitação, na espiritualidade, na conscientização e na psicologia humana, geralmente se refere a experienciar uma situação sem a intenção de mudá-la. A aceitação não exige que a mudança seja possível ou mesmo concebível, nem necessita
que a situação seja desejada ou aprovada por aqueles que a aceitam. De fato, a resignação é freqüentemente aconselhada quando uma situação é tanto ruim quanto imutável, ou quando a mudança só é possível a um grande preço ou risco. Aceitação pode implicar apenas em uma falta de tentativas
comportamentais visíveis para mudar, mas a palavra também é utilizada mais especificamente para um sentimento ou um estado emocional ou cognitivo teórico. Então, alguém pode decidir não agir contra uma situação e ainda assim não ter se aceitado-a." Assim. devemos ter resignação com tudo aquilo
que não se pode mudar, visto que nada irá adiantar se preocupar.
A tolerância, do latim tolerare (sustentar, suportar), é um termo que define o grau de aceitação diante de um elemento contrário a uma regra moral, cultural, civil ou física.
Do ponto de vista da sociedade, a tolerância define a capacidade de uma pessoa ou grupo social de aceitar, noutra pessoa ou grupo social, uma atitude diferente das que são a norma no seu próprio grupo. Numa concepção moderna é também a atitude pessoal e comunitária face a valores diferentes daqueles
adotados pelo grupo de pertença original.Assim devemos tolerar tudo e todo aquele que age de maneira diferente à que esperávamos.
O termo justiça (do latim iustitia, por via semi-erudita), de maneira simples, diz respeito à igualdade de todos os cidadãos. Num sentido mais amplo pode ser considerado como um termo abstracto que designa o respeito pelo direito de terceiros, a aplicação ou reposição do seu direito por ser maior em
virtude moral ou material. Justo é aquilo que é equitativo ou consensual, adequado e legítimo (aplicar o direito nas suas próprias fontes - as pessoas - em igualitariedade). A Justiça pode ser reconhecida por mecanismos automáticos ou intuitivos nas relações sociais, ou por mediação através dos
tribunais e em ordem à equidade.

Uma das maiores dificuldades de exercemos essas virtudes é o fato que nos consideramos os seres mais importantes. Em primeiro lugar sou EU, o MEU direito deve prevalecer sobre os demais. Assim vivemos em um egocentrismo onde o outro deve satisfazer nossas necessidades que nesse caso são mais importantes.
Isso se chama falta de amor.... eu não amo e não respeito ao próximo, pois o mesmo é sempre obrigado a satisfazer nossas vãs necessidades.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Felipa em 01 de Abril de 2011, 05:30
Se tiveres paciencia

e tiveres paciência, serás o sustentáculo do instituto doméstico, evitando conflitos e contendas entre aqueles que mais amas.

Se tiveres paciência, auxiliarás ao colega de trabalho na inexperiência que demonstre, amparando-lhe o espírito contra a inquietação do desemprego e angariando um amigo para o dia de tuas necessidades.

Se tiveres paciência com os amigos do teu grupo social, conseguirás vaciná-los contra os delírios da discórdia e contra o frio do desânimo.

Se tiveres paciência com o teu próprio corpo, abstendo-te dos desmandos da cólera e das extravagâncias da alimentação, resguardarás a própria saúde.

Se tiveres paciência, saberás cultivar a tolerância e a cortesia nas vias públicas , sobrepondo-se, quase sempre, aos assaltos da delinquência.

Se tiveres paciência, a paz em ti se te fará clima da esperança e do otimismo, que te sustentarão no caminho do bem.

Emannuel
Livro: Nós
Psicografia de: Francisco C. Xavier


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Felipa em 01 de Abril de 2011, 05:37
De fato, há que se estudar a resignação para que a paciência não a venha trazer resultados contraproducentes.
Um lavrador suportará corajosamente aguaceiro e granizo na plantação, mas não se acomodará com gafanhoto e tiririca.
Habitualmente, falamos em tolerância como quem procura esconderijo à própria ociosidade. Se nos refestelamos em conforto e vantagens imediatas, no império da materialidade passageira, que nos importam desconforto e desvantagens para os outros?
Esquecemo-nos de que o incêndio vizinho é ameaça de fogo em nossa casa e, de imprevisto, irrompem chamas junto de nós, comprometendo-nos a segurança e fulminando-nos a ilusória tranqüilidade.
Todos necessitamos ajustar resignação no lugar certo.
Se a Lei nos apresenta um desastre inevitável, não é justo nos desmantelemos em gritaria e inconformação. É preciso decisão para tomar os remanescentes e reentretecê-los para o bem, no tear da vida.
Se as circunstâncias revelam a incursão do tifo, não é compreensível cruzar os braços e deixar campo livre aos bacilos.
Sempre aconselhável a revisão de nossas atitudes no setor da conformidade.
Como reagimos diante do sofrimento e do mal?
Se aceitamos penúria, detestando trabalho, nossa pobreza resulta de compulsório merecimento.
Civilização significa trabalho contínuo contra a barbárie.
Higiene expressa atividade infinitamente repetida contra a imundície.
Nos domínios da alma, todas as conquistas do ser, no rumo da sublimação, pedem harmonia com ação persistente para que se preservem.
Paz pronta ao alarme. Construção do bem com dispositivo de segurança.
Serenidade é constância operosa; esperança é ideal com serviço.
Ninguém cultive resignação diante do mal declarado e removível, sob pena de agravá-lo e sofrer-lhe clava mortífera.
Estudemos resignação em Jesus - Cristo. A cruz do Mestre não é um símbolo de apassivamento à frente da astúcia e da crueldade e sim mensagem de resistência contra a mentira e a criminalidade mascaradas de religião, num protesto firme que perdura até hoje.

Texto extraído do livro "Estude e Viva" - Emmanuel e André Luiz
Psicografado por Francisco C. Xavier e Waldo Vieira
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Victor Passos em 01 de Abril de 2011, 10:16
Ola muita paz e harmonia
Bons Amigos e Amigas

  Quando falamos em Pacîência, temos que lhe ver o objetivo e qual a ingerência benefica que pode proporcionar na vida das pessoas.
   Hora sabendo nós que somos todos individualidades, em busca de crescimento, temos que procurar atuar sempre de forma a podermos ir ao encontro dos valores do bom senso e da razão.
  A Paciência se aplica a todos os momentos a que somos submetidos no nosso conceito de conduta vivencial.
  Na realidade, não é a espera que pode ser tomada aqui como valor de paciência, mas o amor aplicado na mesma aquando testados pela eloquência dos outros perante a nossa movimentação na vida.
  Em todo o momento , seja na emoção, no pensamento e no ato, é importante aplicarmos da serenidade, porque ao pequeno desvio da paciência, estaremos a confrontarmo-nos com nós mesmos.Será pela razão?Será pelo amor?
  A paciência é isso mesmo, justeza nos atos e firmeza na indulgência, porque sem ela aonde fica a paciência.

Citar
Saber Esperar

Quem sabe esperar o bem que deseja não toma a decisão de se desesperar se ele não chega; aquele que, pelo contrário, deseja uma coisa com grande impaciência, põe nisso demasiado de si mesmo para que o sucesso seja recompensa suficiente. Há pessoas que querem tão ardente e determinantemente certa coisa, que por medo de perdê-la, não esquecem nada do que é preciso fazer para perdê-la. As coisas mais desejadas não acontecem; ou se acontecem, não é no tempo nem nas circunstâncias em que teriam causado extraordinário prazer.

Jean de La Bruyére, in "Os Caracteres"

Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 01 de Abril de 2011, 12:00
Olá, meus amigos...

Edna, Jujucaba, Maria47, Victor e Hebe... que bom entrar no tópico e ver idéias e textos tão importantes para nosso estudo! É um prazer perceber que nosso estudo está nos chamando para ele e, com isso, refletirmos nos nossos atos.

Sempre que a vida nos chama para a nossa Transformação Moral, modificando aquilo que é velho e caótico em algo novo e libertador, movemos, em nosso ser imortal, aquela sementinha que está em estado latente no seu íntimo. E, para que ela cresça forte e saudável, é necessário regá-la com o a água da vontade, pois, se os raios do sol forem fortes demais, se as tempestades surgirem avassaladoras ou, ainda, alguém nos disser que isso é bobagem, ela perecerá e todo o trabalho vai por terra.

Paciência, resignação, tolerância e justiça são estas sementes colocadas no Ser Inteligente pela Causa Priimária e, por ser ainda a Inteligência Suprema, Ele sabe o que cada uma de suas criações é capaz e Ele confia plenamente nelas.

Por isso, precisamos fortificar essas sementes começando por nós mesmos, tendo para conosco esses sentimentos, pois somos tão necessitados deles como qualquer outro Ser Inteligente do Universo.

Assim, peço permissão aos irmãos para eu me ausentar por algumas horas, pois testarei a minha paciência e mais uma sessão de fisioterapia. Aceitar com resignação esse momento em que meu joelho dói muito, ser tolerante com aqueles que querem ser atendidos primeiro independente do horário marcado e deixar que a Justiça Divina cumpra seu papel com o corpo que eu, talvez involuntariamente, tenha lesado.

Voltarei logo...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 01 de Abril de 2011, 12:39
Gisella fez um apelo para que possamos nos situar em momentos que nos fazem apelar para paciência.

Vejo que a paciência é testada em todos os momentos da nossa vida em nossas relações.
Seja com filhos, cônjuge, amigos, empregados, chefes , não importa.
Todos nós ao longo da vida somos testados neste quesito.

Diante das contrariedades temos que ter uma visão geral do que ocorre, e não centrar a verdade apenas na nossa razão. Diria que é o famoso "contar até dez", não responder pelo impulso da emoção do momento que nos surpreende.

Muitas vezes uma pessoa ao interagir conosco de forma agressiva, pode estar passando por momentos difíceis, que aparentemente não estão visíveis agravando a situação presente.
Esperando um pouco e evitando agir no momento surpresa, podemos com calma conversar e chegar e entender a reação intempestiva do outro.
Para isso temos que nos policiar, porque não raro estamos também nesta  mesma situação.

Sto Agostinho se fechava em meditação todo o final do dia, e fazia uma auto-avaliação de seus erros e acertos, desta maneira tinha sempre o controle sobre si mesmo.

Trago aqui uma mensagem.

ESE

"II – A Paciência

UM ESPÍRITO AMIGO

Havre, 1862

             7 – A dor é uma benção que Deus envia aos seus eleitos. Não vos aflijais, portanto, quando sofrerdes, mas, pelo contrário, bendizei a Deus todo poderoso, que vos marcou com a dor neste mundo, para a glória no céu.

            Sede paciente, pois a paciência é também caridade, e deveis praticar a lei de caridade, ensinada pelo Cristo, enviado de Deus. A caridade que consiste em dar esmolas aos pobres é a mais fácil de todas. Mas há uma bem mais penosa, e conseqüentemente bem mais meritória, que é a de perdoar os que Deus colocou em nosso caminho para serem os instrumentos de nossos sofrimentos e submeterem à prova a nossa paciência.

            A vida é difícil, bem o sei, constituindo-se de mil bagatelas que são como alfinetadas e acabam por nos ferir. Mas é necessário olhar para os deveres que nos são impostos, e para as consolações e compensações que obtemos, pois então veremos que as bênçãos são mais numerosas que as dores. O fardo parece mais leve quando olhamos para o alto, do que quando curvamos a fronte para a terra.

            Coragem, amigos: o Cristo é o vosso modelo. Sofreu mais que qualquer um de vós, e nada tinham de que se acusar, enquanto tendes a expiar o vosso passado e de fortalecer-vos para o futuro. Sede, pois, paciente, sede cristãos: esta palavra resume tudo."

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 01 de Abril de 2011, 13:57
Bom dia aos amigos

Paciência antes da crise

O homem moderno tem urgente necessidade de cultivar a paciência, na condição de medicamento preventivo contra inúmeros males que o espreitam.
De certo modo, vitimado pelas circunstâncias da vida ativa em que se encontra, sofre desgaste contínuo que o leva, não raro, a estados neuróticos e agressivos ou a depressões que o aniquilam.
A paciência é-lhe reserva de ânimo para enfrentar as situações mais difíceis sem perder o equilíbrio.
A paciência é uma virtude que deve ser cultivada e cuja força somente pode ser medida, quando submetida ao teste que a desafia, em forma de problema.
O atropelo do trânsito; a agitação geral; a competição desenfreada; o desrespeito aos espaços individuais; a compressão das horas...
Além disso, as limitações financeiras; os conflitos emocionais; as frustrações e outros fatores decorrentes do modo de vida dito moderno e do relacionamento social, levam o homem a desequilíbrios que a paciência pode evitar.
Exercitando-a nas pequenas ocorrências, sem permitir-se a irritação ou o agastamento, adquirirá força e enfrentará com êxito as situações mais graves.
Todas as criaturas em trânsito pelo mundo são vítimas de ciladas intencionais ou não.
Manter-se atento e saber enfrentá-las com cuidado é a única forma de superá-las com êxito.
* * *
Se te sentes provocado pelos insultos que te dirigem, atua com serenidade e segue adiante.
Se erraste em alguma situação que te surpreendeu, retorna ao ponto inicial e corrige o equívoco.
Se te sentes injustiçado, reexamina o motivo e disputa a honra de não desanimar.
Se a agressão de alguma forma te ofende, guarda a calma e a verás desmoronar-se.
A convivência com as criaturas é o grande desafio da evolução porque resulta, de um lado, da situação moral deles, e de outro, do seu estado emocional.
O amor ao próximo, no entanto, só é legítimo quando não se desgasta nem se converte em motivo de censura ou queixa, em relação às pessoas com quem se convive.
É fácil amar e respeitar aqueles que vivem fisicamente distantes.
O verdadeiro amor é o que se relaciona sempre bem com as demais criaturas.
* * *
Você já se propôs ser mais paciente? Já colocou isso como meta na vida alguma vez?
É importante ter metas claras. É importante dizer a si mesmo: Estou mais paciente agora. Não vou deixar que isto ou aquilo me abale com facilidade.
Começamos assim um processo de autopreservação, de automonitoramento e, toda vez que uma situação crítica se apresentar, poderemos voltar a dizer: Não vou deixar que isto me tire do sério.
Cada um poderá desenvolver seu método, sua forma de atuar, porém a essência deste trabalho está em começar já, imediatamente.
Quem antes inicia, antes colhe os benefícios.


Redação do Momento Espírita com base no cap. 10,
do livro Alegria de viver, pelo Espírito Joanna de Ângelis,
psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.
Em 06.04.2010.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 01 de Abril de 2011, 14:58
Olá amigos,

Gi, parabéns pela escolha .É um tema Lindo.!!!!

Deixo aqui minha participação:

"Enquanto a pessoa não experimenta o suave envolvimento do amor, movimenta-se nas heranças dos desejos..... dos instintos, sofrendo sempre quando os seus interesses não se encontram atendidos e suas aspirações não são respeitadas.
Lentamente, porém, à medida que as dúlcidas vibrações do amor a tomam, desembraça-se das penosas injunções do primarismo e liberta-se da escravidão da posse, da fantasia em torno da felicidade pelo que tem.
Envolvida nessa vibração de fraternal compreensão dos acontecimentos, das outras pessoas e suas dificuldades, dos fenômenos que se  manifestam na existência,o amor desenvolve-lhe os valores mais elevados e a induz à gloriosa tarefa de servir e passar despercebida, deixando porém, suas luminosas pegadas pelo caminho transitado."

Joanna de Angelis/Divaldo Franco(Garimpo de Amor)


O amor muda quem ama e altera para melhor o mundo em que vive.

Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 01 de Abril de 2011, 15:33
Penso que tem um ponto bastante importante a ser considerado sobre a paciência.
O ser focado em si mesmo com as emoções alteradas, preso dentro das suas verdades não consegue atinar em relação ao ponto de vista do outro. Fica impaciente por estar sendo agredido, por não estar sendo compreendido e não exercita a escuta, não consegue se colocar na razão do outro, porque sua mente está imoblizada.
Muitos exemplos podem ser citados. Falo aqui numa situação bem simples.
Depois de um  dia exaustivo de trabalho onde um pai chega em casa alterado, quando seu filho se aproxima para brincar ou mostrar alguma coisa de seu interesse, esse pai já impaciente responde com rispidez magoando a criança. Neste caso a criança não pode compreender o que se passa, se sente rejeitada, ou insiste porque quer partilhar da companhia do pai agravando ainda mais a situação.
A escuta e o diálogo é importantíssimo para acabar com este tipo de situação, mas muitas vezes essa situação se repete e pode até estabelecer um relacionamento padrão ente pai e filho perpetuando uma situação de conflito constante entre ambos que pode vir mais tarde trazer sérias consequencias, ou seja, o pai , focado em seus problemas, sempre responde com rispidez, o filho com a carencia da atenção, sempre se magoa ou insiste às vezes chamando à atenção até por agressividade também ou por comportamento inoportuno. Na verdade essa criança está pedindo amor e carinho, mas o pai não vê e o considera inoportuno sempre.

Vamos pensar sobre isso , dei um exemplo simples de convivência familiar, mas este padrão de conflito uma vez estabelecido entre duas pessoas de convivência íntima, pode desarticular mais tarde  qualquer tentativa de resgate de relação a qualquer nível, seja entre pais e filhos,  marido e mulher e etc.

Talvez por isso o exercício de viver o momento presente, serenando a mente como muitos mestres ensinam, ajude bastante na visualização do que está ocorrendo, sendo um pouco mais clara, se este pai chega em casa e deixa seus problemas de trabalho no trabalho, vai encontrar um filho amoroso e desejoso de sua companhia e não uma criança irritante e insistente, podendo então usufruir de um ambiente calmo e saudável na convivência com o filho.
Um abço
Hebe




Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mizica em 01 de Abril de 2011, 16:15
Bom dia à todos!

 A paciência é ponto importante na convivência humana.... no âmbito familiar a paciência entre os cônjuges fica tão apagda com o passar dos longos anos de convivência, que chega a agonizar, mal aparece. E se a mente está imobilizada por não conseguirmos nos colocar na razão do outro,  todos os esforços para uma convivência pacífica caem por terra. Mas, não só no âmbito familiar, como também  em todos os outros setores de convivência e, a todo momento, nos deparamos com o ter que ser pacientes ou com a nossa falta de paciência. Precisamos nos policiar, e nossa responsabilidade é maior por que temos consciência disso.  É imperioso “orar e vigiar”... aprender a olhar para dentro de nós mesmos de verdade, e lutar corajosamente para fazer a reforma íntima. Ser pacientes não é ser lerdo, parado, ou medroso, ou ficar balançando a cabeça para tudo, com medo de desagradar. Ao contrário, é preciso muita coragem para ir de encontro a si mesmo, é preciso ser caridoso consigo e com o outro. E o mais importante, admitir que perdeu a paciência em algum momento, mas que quer firmemente, recuperá-la. Quando isso acontece ficamos em paz, serenos, enfim conseguimos sair da imobilidade espiritual. Sem paciência não há paz, não há sossego, não há amor, não há bom senso...
Eis minha contribuição... com meu carinho à todos principalmente aos que nos visitam...
Queridas Hebe e Gisa... desejo  pleno êxito aos estudos de abril, feliz por vê-las na coordenação de tão lindo tema.

Paz e harmonia, sempre com carinho e respeito...
Mizica
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: dOM JORGE em 01 de Abril de 2011, 16:16
                                      VIVA JESUS!


        Boa-tarde! queridos irmãos.

             
Com amor


"E, sobre tudo isto, revesti-vos de caridade, que é o vinculo da perfeição." - Paulo. (Colossenses, 3:14.)


Todo discípulo do Evangelho precisará de coragem para atacar os serviços da redenção de si mesmo.

Nenhum dispensará as armaduras da fé, a fim de marchar com desassombro sob tempestades.

O caminho de resgate e elevação permanece cheio de espinhos.

O trabalho constituir-se-á de lutas, de sofrimentos, de sacrifícios, de suor, de testemunhos.

Toda a preparação é necessária, no capítulo da resistência; entretanto, sobre tudo isto é indispensável revestir-se nossa alma de caridade, que é amor sublime.

A nobreza de caráter, a confiança, a benevolência, a fé, a ciência, a penetração, os dons e as possibilidades são fios preciosos, mas o amor é o tear divino que os entrelaçará, tecendo a túnica da perfeição espiritual.

A disciplina e a educação, a escola e a cultura, o esforço e a obra, são flores e frutos na árvore da vida, todavia, o amor é a raiz eterna.

Mas, como amaremos no serviço diário?

Renovemo-nos no espírito do Senhor e compreendamos os nossos semelhantes.

Auxiliemos em silêncio, entendendo a situação de cada um, temperando a bondade com a energia, e a fraternidade com a justiça.

Ouçamos a sugestão do amor, a cada passo, na senda evolutiva.

Quem ama, compreende; e quem compreende, trabalha pelo mundo melhor.

 

Do cap. 5 do livro Vinha de Luz, de Emmanuel, obra psicografada pelo médium Francisco Cândido Xavier.



                                                       PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 01 de Abril de 2011, 16:20
Olá, pessoal.... estou de volta depois de ter tentado praticar a paciência e a resignação em uma sala de fisioterapia...  :D

Gostaria de citar uma frase do texto do Momento Espírita (www.momento.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tb21lbnRvLmNvbS5icg==)) colocado pelo Ken:

Exercitando-a nas pequenas ocorrências, sem permitir-se a irritação ou o agastamento, adquirirá força e enfrentará com êxito as situações mais graves.

O texto traz o ensinamento sobre a paciência, mas esta frase, em particular, nos remete a todas as virtudes que devem ser estudadas esta semana:
        Paciência
   Resignação
   Tolerância
   Justiça
E é, também, aquilo que Jesus nos mostrou nas Suas atitudes perante as circunstâncias conflituosas, aproveitando sempre a oportunidade para nos ensinar alguma coisa.

Não conseguiremos alcançar voos mais altos se não aprendermos a voar; não alcançaremos o final da jornada, se não começarmos a caminhar; não conseguiremos aprimorar nossas virtudes se não iniciarmos pelas pequenas coisas, por aquilo que sabemos que somos capazes e, sabendo que podemos fazer nas pequenas, nos aventuraremos nas maiores, pois vamos conquistando, também, a autoconfiança.

"O Sol incansável devora a noite cada manhã, enquanto ela, paciente, retorna, diminuindo o calor do dia, mil vezes, sem cansaço". (Há flores no caminho - Amélia Rodrigues/Divaldo Pereira Franco - cap 4)

Abraços fraternos

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 01 de Abril de 2011, 18:52
Olá Gisella, conforme mencionastes na apresentação do Estudo

Todo o poder da alma resume-se em três palavras: - Querer, Saber, Amar!
Querer, isto é, fazer convergir toda a atividade, toda a energia, para o alvo que se tem de atingir, desenvolver a vontade e aprender a dirigi-la.
Saber, porque sem o estudo profundo, sem o conhecimento das coisas e das leis, o pensamento e a vontade podem transviar-se no meio das forças que procuram conquistar e dos elementos a quem aspiram governar.
Acima, porém, de tudo, é preciso amar, porque, sem o amor, a vontade e a ciência seriam incompletas e muitas vezes estéreis. O amor ilumina-as, fecunda-as, centuplica-lhes os recursos. Não se trata aqui do amor que contempla sem agir, mas do que se aplica a espalhar o bem e a verdade pelo mundo. A vida terrestre é um conflito entre as forças do mal e as do bem. O dever de toda alma viril é tomar parte no combate, trazer-lhe todos os seus impulsos, todos os seus meios de ação, lutar pelos outros, por todos aqueles que se agitam ainda na via escura.
O uso mais nobre que se pode fazer das faculdades é trabalhar por engrandecer, desenvolver, no sentido do belo e do bem, a Civilização, a sociedade humana, que tem as suas chagas e fealdades, sem dúvida, mas que é rica de esperanças e magníficas promessas; essas promessas transformar-se-ão em realidade vivaz no dia em que a Humanidade tiver aprendido a comungar, pelo pensamento e pelo coração, com o foco de amor, que é o esplendor de Deus.
Amemos, pois, com todo o poder do nosso coração ; amemos até ao sacrifício, como Joana d'Arc amou a França, como o Cristo amou a Humanidade, e todos aqueles que nos rodeiam receberão nossa influência, sentir-se-ão nascer para nova vida.
Õ homem, procura em volta de ti as chagas a pensar, os males a curar, as aflições a consolar. Alarga as inteligências, guia os corações transviados, associa as forças e as almas, trabalha para ser edificada a alta cidade de paz e de harmonia que será a cidade de amor, a cidade de Deus ! Ilumina, levanta, purifica ! Que importa que se riam de ti ! Que importa que a ingratidão e a maldade se levantem na tua frente! Aquele que ama não recua por tão pouca coisa; ainda que colha espinhos e silvas, continua sua obra, porque esse é seu dever, sabe que a abnegação o engrandece.
O próprio sacrifício também tem suas alegrias; feito com amor, transforma as lágrimas em sorrisos, faz nascer em nós alegrias desconhecidas do egoísta e do mau. Para aquele que sabe amar, as coisas mais vulgares são de interesse ; tudo parece iluminar-se ; mil sensações novas despertam nele.
São necessários à sabedoria e à Ciência longos esforços, lenta e penosa ascensão para conduzir-nos às altas regiões do pensamento. O amor e o sacrifício lá chegam de um só pulo, com um único bater de asas. Na sua impulsão conquistam a paciência, a coragem, a benevolência, todas as virtudes fortes e suaves. O amor depura a inteligência, põe à larga o coração e é pela soma de amor acumulada em nós que podemos avaliar o caminho que temos andado para Deus.

AS POTÊNCIAS DA ALMA  -  XXV. - O Amor (trecho) -  Leon Denis

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 01 de Abril de 2011, 19:09
Resignação na adversidade

O sofrimento é uma ocorrência comum em nosso mundo.
Em todas as condições, em todas as idades, sob todos os climas, o homem tem padecido, a humanidade tem derramado lágrimas.
Apesar dos progressos sociais, milhões de seres gravitam ainda sob o jugo da dor.
Por vezes é a miséria provocando intensas agonias.
Em outras, é a enfermidade arrastando os seres para os vales do sofrimento e da angústia.
Nem mesmo as classes mais abastadas têm sido isentas desses males.
Até nos ambientes onde reina a abundância, um sentimento de desânimo, uma vaga tristeza, às vezes se apodera das almas.
A dor, sob suas múltiplas formas, é o remédio supremo para as imperfeições, para as enfermidades da alma.
No estágio evolutivo em que nos encontramos, sem ela não é possível o aprimoramento.
Assim como as moléstias orgânicas são muitas vezes resultantes dos nossos excessos, assim também as provas morais que nos atingem são conseqüências de nossas faltas passadas.
Cedo ou tarde o resultado desses equívocos recairão sobre nós.
É a lei de justiça agindo no curso de nossas existências.
Saibamos aceitar os seus efeitos como se fossem remédios amargos, operações dolorosas, capazes de restituir nossa saúde.
Embora nos sintamos entristecidos pelos desgostos, devemos sempre suportá-los com paciência.
O lavrador rasga o seio da terra para daí fazer brotar o campo dourado.
Assim também é a nossa alma, depois de desbastada também se tornará exuberante em frutos morais.
Pela ação da dor abandonamos os vícios e as más paixões.
A adversidade é uma grande escola, um campo fértil em transformações.
A ignorância das leis universais é que nos faz ter aversão aos nossos males.
Se compreendêssemos o quanto esses males são necessários ao nosso adiantamento, eles não nos pareceriam mais um fardo.
Em nossa cegueira, estamos quase sempre prontos a amaldiçoar as nossas vidas.
Mas, quando formos capazes de discernir o verdadeiro motivo de nossas existências, compreenderemos que todas elas são preciosas.
A dor é capaz de abrandar o nosso coração, avivando os fogos da nossa alma.
É o cinzel que lhe dá proporções harmônicas, que lhe apura os contornos e a faz resplandecer em sua perfeita beleza.
 
Pense nisso!
 
Vivemos em um mundo de provas e expiações.
Nele a dor reina soberana, em virtude do mal ainda sobrepujar o bem.
Embora conscientes dessa inegável condição, é nosso dever lutar contra a adversidade.
Sofrer sem reagir aos males da vida seria uma covardia.
Porém, quando os nossos esforços se tornam supérfluos, quando tudo se mostra inevitável, chega então o momento de apelarmos para a resignação.
Revoltarmo-nos contra a lei moral seria tão insensato como querermos resistir à lei da gravidade.
O espírito sensato encontra na provação os meios de fortificar suas qualidades.
A alma corajosa aceita os males do destino, mas, pelo pensamento, eleva-se acima deles e daí faz uma escala para atingir a virtude.

 
Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no livro Depois da Morte, de Léon Denis, parte quinta, capítulo L, FEB, 20ª edição.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 01 de Abril de 2011, 19:24
Olá Gisella, conforme mencionastes na apresentação do Estudo

Todo o poder da alma resume-se em três palavras: - Querer, Saber, Amar!
Querer, isto é, fazer convergir toda a atividade, toda a energia, para o alvo que se tem de atingir, desenvolver a vontade e aprender a dirigi-la.
Saber, porque sem o estudo profundo, sem o conhecimento das coisas e das leis, o pensamento e a vontade podem transviar-se no meio das forças que procuram conquistar e dos elementos a quem aspiram governar.
Acima, porém, de tudo, é preciso amar, porque, sem o amor, a vontade e a ciência seriam incompletas e muitas vezes estéreis.

AS POTÊNCIAS DA ALMA  -  XXV. - O Amor (trecho) -  Leon Denis



Olá, Ken...

Realmente, este trecho da obra de Léon Denis é simplesmente maravilhoso. Eu sou um pouco suspeita em falar, pois simplesmente sou "fã" incondicional dele...  ;D

Qto à parte que destaquei, me fez lembrar de um encontro que tive hoje com uma pessoa muito querida ... trata-se de uma senhora de seus 70 anos, aproximadamente, que teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) há alguns anos. Ficou com o lado direito do corpo paralisado, precisa usar uma prótese na perna e faz uso de bengala própria para se locomover.

Ela, na sua simplicidade, me mostrou como é viver as 4 virtudes que estamos trabalhando esta semana:

Paciência: ela estava chegando do posto de saúde, onde havia ficado horas aguardando ser atendida;
Resignação: aceita sua debilidade sem reclamar, mas não se deixa ficar, como ela mesma disse, na cama, apesar das dores que sofre;
Tolerância: um motorista de ônibus gritou com ela porque ela estava caminhando pela rua, ao invés de pela calçada. "Mas as calçadas desta cidade não são feitas para deficientes", ela me falou. "Coitado, já deveria estar cansado de tanto dirigir, né, filha?"
Justiça: "Mas fazer o que, né, filha? Eu sei que eu mereço passar por isso. Deus sabe o que faz."

Ou seja, ela usou do "Querer, Saber, Amar" em todos os momentos que saiu de sua casa e foi ao posto de saúde, sem contar o esforço que faz para ir à Casa Espírita, cuidar de sua própria casa, fazendo todos os afazeres domésticos, enfim.

Ela "quis" sair da sua condição de debilitada; "soube" (entendeu) que esse momento de sua existência é necessário para o seu crescimento espiritual; e "ama" a todos, inclusive a si mesma e a um motorista de ônibus que não teve para com ela compaixão suficiente para aguardar que ela tivesse um lugar firme para pisar.

São estes os exemplos que eu gostaria que tratássemos aqui neste espaço, pois são nas pequenas ações, nas "pequenas" narrativas, como a da minha amiga, que aprenderemos o quanto somos capazes de fazer crescer as virtudes que existem em cada um de nós!

Obrigada pelo texto, Ken.

Abraços fraternos

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 01 de Abril de 2011, 20:02
Olá Amigas Gisella e Hebe.

Que tema lindo!!!  A transformação pelo Amor!!!  Parabéns pela bela escolha.
Possamos nos envolver dia-a-dia em seus ensinamentos.

Paciência, como temos que exerce-la seguidamente em nosso viver, tentando nos melhorar, nos modificar, nos fortalecer, nos equilibrar, nos amar e igualmente aplicando-a junto ao próximo que está ao nosso lado, entendendo suas limitações, seus sentimentos e desejos, seus traumas...  Que possamos seguir o caminho da nossa melhoria interior.

Gostaria de deixar aqui um pps que espero venha a contribuir com o tema do estudo.
Se intitula  "Se tiveres amor", do livro Religião dos Espíritos, de  Emmanuel e  Chico Xavier.

Meu carinho a todos!!!
Macili

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Maira Oliveira em 01 de Abril de 2011, 20:20
Olá, Gisele! :)

Obrigada, pelo convite. Adorei o tema: Transformação pelo amor. Essa não é a única forma de transformação, mas certamente é a melhor. Mas temos que estar preparados para as grandes dificuldades que teremos que enfrentar no processo de transformação.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 01 de Abril de 2011, 20:48
Olá, Macili e Maira,

Que bom tê-las conosco no estudo!

Realmente, a transformação no homem pode ocorrer de diversas maneiras e modos. Mas, segundo Pedro (I Epístola, 4:8 ), "o amor cobre uma multidão de pecados", ou seja,  o Amor é o sentimento sublime, pois engloba todos os demais.

Se amamos, conseguimos ser :

pacientes  - quem não tem paciência quando um bebezinho lindo chora?
resignados - quando alguém que amamos tem um "defeito" que não modifica
tolerantes - quem tem um idoso com uma doença degenerativa, não cuida dele? e
justos  - fazemos com que nossas crianças aprendam a devolver um brinquedo que diz que "ganhou" de um coleguinha da escola

Enfim, aprendemos a ver o outro, ou as situações, com outros olhos. Os vemos com os olhos do Amor.

Lógico que estamos longe de ter "olhos de ver", mas estamos encaminhando para isso.

"O amor é força inexaurível e renova-se sem cessar e enriquece aquele que dá e aquele que recebe.
Como ainda somos espíritos imperfeitos, estamos constantemente nos equivocando quanto as nossas atitudes, e necessitando repará-las.
De que forma? Através do arrependimento sincero e do desejo igualmente sincero em não incorrer mais nos mesmos equívocos.
Quando disse Jesus que "o amor cobre a multidão de pecados", quis dizer que nos determos no remorso e na culpa já que estes são sentimentos que nos paralisam e nos impedem de crescer"
. (http://www.espirito.org.br)

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 01 de Abril de 2011, 22:07
Primeiramente boa noite a todos irmãos e q a paz do mestre descanse em nossos corações!!!!!!

O tema deste mês é bélissimo, talvez seja um dos mais complexos e fundamentais neste fim de ciclo, pois os intistos animalescos e o individualismo ainda habita infelismente em parte da humanidade.
Deixo minha contribuição para reflexão...


 
"Só o amor que renuncia sabe caminhar para a vida suprema!..." - Jesus

Muitos de nós talvez lembremos de uma cena que desenhamos em nossa mente, quando pela primeira vez tivemos conhecimento desta passagem.

Rompendo as portas da casa de um homem muito rico, chamado Simão, uma mulher procurava pelo mestre Jesus, que ali estava aquela noite. Aproximando-se dele, causando espanto a todos, ela atira-se a seus pés, e uma chuva de lágrimas irrompe de seus olhos tristes. As gotas de um coração opresso lavam então os pés do Cristo, misturadas a um perfume que ela trazia num vaso de alabastro. Seus longos cabelos enfim secam-nos, complementando o gesto de humildade e reconhecimento.

De onde vinham aquelas lágrimas? O que significavam? Pareciam guardadas há tanto tempo...

Maria, da cidade de Magdala, buscava um sentido maior na vida... buscava um amor verdadeiro... um sentimento que estivesse distante das ilusões afetivas em que vivia, que fosse além de encantos físicos passageiros, que aplacasse sua profunda sede... E ali, na proposta do Mestre, ela o encontrara...

Há pouco tempo, em conversa em casa de Simão Pedro, ele havia lhe falado sobre este amor, um sentir que conhece a renúncia suprema a todos os bens do mundo e vive feliz, na sua senda de trabalhos para o difícil acesso às luzes da redenção. Um amor sincero que não exige satisfações passageiras, que se extinguem no mundo com a primeira ilusão; ele trabalha sempre, sem amargura e sem ambição...

A lição, que jamais seria esquecida por ela, terminava nas seguintes palavras: - Só o amor que renuncia sabe caminhar para a vida suprema!...

E assim ela o fez... Entregou-se, doou-se ao mundo enfermo por toda a vida, deixando para trás o passado infeliz, e sorrindo para o futuro, transformada pelo amor. Os leprosos tiveram o consolo de alguém que havia conhecido o Cristo, que havia bebido de sua fonte de esperança sem fim, e puderam assim receber carinho, atenção e dedicação - os filhos queridos do Amor.

E nossa transformação pelo amor, quando virá?

Ela terá seu início quando pudermos amar nossa família, quando pudermos perdoar estes próximos que dividem o lar conosco e compreender suas dificuldades. Virá quando conseguirmos dedicar um maior tempo à célula familiar e colocarmos a educação dos filhos como prioridade em nossas existências.

Estará no tempo que dedicaremos, semanalmente, ao serviço assistencial, ao trabalho voluntário, em que doaremos principalmente nossa atenção, nosso carinho, praticando a tão necessária caridade em todas as suas nuanças.

Ela virá quando não mais permitirmos que as ambições materiais falem tão alto, a ponto de emudecerem as conquistas do espírito; quando os problemas financeiros não mais tirarem nosso sono nem prejudicarem nosso humor e nossos relacionamentos com as pessoas; quando questionarmos a alguém "Como vai?", querendo realmente saber como está essa pessoa, interessados nos outros, e não fechados nas conchas do mundo moderno, que criam relações superficiais e frágeis.

Virá quando decidirmos viver no mundo - fazendo-o crescer, dando a nossa contribuição, - sem ser do mundo, sem colaborar com suas tristezas, sem sermos seduzidos pelas ilusões materiais e pelos modismos vazios que buscam nos afastar da religião, dos bons costumes e da prática do bem.

E sua transformação pelo amor, quando virá?

Fonte Jornal Universo Espirita Maio/2001

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 02 de Abril de 2011, 00:07
Olá amigos ,

Tema fascinante ......, tão antigo quanto recente.
O amor e Jesus são termos da mesma realidade.

O amor continua desafiando homens e mulheres na arte do bem viver.
O amor é conciliador, no entanto não se acumplicia com aquilo que é incorreto.
Possui o dom de Perdoar esquecendo todo o mal apenas para recordar -se de todo o bem que pode vislumbrar em qualquer ação ou pessoa.

A conciliação, é filha direta do perdão e da compaixão.

O Mestre do Amor referiu-se com imensa propriedade: "Reconcilia-te com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele ".
Para isso é necessário que o amor impere no país dos sentimentos, oferecendo Paz e Perdão ao ofensor , sem o que o gesto de busca e encontro perderia o seu significado, por manter apenas uma posição exterior.   
Aquele que perdoa e reconcilia-se com o mundo interior, daí Ama e mostra jovialidade, modificando a aparência física que retrata o estado emocional interno, catalisando simpatia e saúde espiritual;.

Vamos confiar no poder desta força intangível , mas que movimenta o Universo.
Cedo ou tarde a sua doação retornará pelos movimentos especiais de fraternidade, entendimento e amizade.

Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 02 de Abril de 2011, 00:13
Olá, Henrique Alves e demais amigos,

Meditemos sobre a questão 893 de O Livro dos Espíritos :

Qual a mais meritória de todas as virtudes?
– Todas as virtudes têm seu mérito, porque indicam progresso no caminho do bem. Há virtude sempre que há resistência voluntária ao arrastamento das más tendências; mas a sublimidade da virtude é o sacrifício do interesse pessoal pelo bem de seu próximo, sem segundas intenções.
A mais merecedora das virtudes nasce da mais desinteressada caridade.

(grifos meus)

Quando os Espíritos Amigos nos trazem esta resposta, abre-se um leque bem grande em relação às virtudes.

Unindo esta resposta à colocação de Paulo, no início do nosso tópico, percebemos o quão grandioso e complexo é este assunto.

Se todas são meritórias, se todas são sinais de progresso, por qual começarmos? Como elegermos a que será mais fácil alcançarmos?

Vamos pensar sobre isso ?

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Ganimedes em 02 de Abril de 2011, 00:49
Também tenho algo a dizer sobre o amor.

O Amor e a Vida

Eu "me amarro" em dinheiro. Eu adoro dinheiro.
A vida é apenas um jogo e quem morrer com mais dinheiro ganha!

Qual o objetivo da vida ?
O objetivo da vida é a evolução.
Mas a vida se alimenta da morte. Como pode ser isso ?
É que a morte, verdadeiramente, é a falta de fé, porque, quando a vida no corpo se extingue, o Espírito continua vivo para prosseguir sua existência no plano espiritual; e lá não é preciso dinheiro para seguir vivendo.

Na economia da sociedade que criamos, é imprescindível ter dinheiro para viver com saúde neste mundo, mas a riqueza necessária, para se realizar um plano de vida, depende da meta que se quer alcançar.
Um vencedor não é somente o que realiza grandes empreendimentos, mas vencedores são todos aqueles que escolhem um ideal a ser concretizado em suas vidas, dizem que vão fazê-lo se tornar realidade e fazem, não importando se esse ideal é grande ou pequeno.
Então, o objetivo da vida, aquele que tem sido a finalidade principal de todas as grandes religiões humanísticas e sistemas filosóficos dos últimos quatro mil anos de história ocidental e oriental, aquele, depois de tudo que se possa imaginar ou pensar, é a evolução, que independe da quantidade de dinheiro que se possa ajuntar.

No começo, a inconsciência é o estado natural dos seres, que só pouco a pouco vão se desenvolvendo e aprimorando suas inteligências que os hão de tornar senhores de si mesmos.
Toda a obra da evolução reduz-se a desenvolver o amor em tudo que existe.
E como se desenvolve o amor nos seres inconscientes? Simplesmente, propendendo eles sempre para o melhor.
A todo tipo de amor que se tem conhecimento, chamamos de Deus.
Ninguém ou coisa alguma deixa de buscar a Deus, por mais atrasado que esteja no caminho do progresso. Procurá-o da maneira que sabe e pode. Muitos não terão consciência de que assim procedem; mas, nem por isso se esforçam menos para alcançá-lo. Até as plantas vão nessa direção. Não buscam a luz, o calor, a umidade? Tudo isso é o melhor para elas; é a garantia de suas vidas. Procurando pelo que lhes convém, querem o melhor, porque, ainda que não tenham percepção do que acontece, amam a esse melhor e isso, que elas buscam e amam, é Deus. Seres e coisas tendem sempre para maior perfeição, que é buscada, procurando, uns e outros, o bem para si mesmos.
No mundo dos seres inteligentes, não existe evolução sem renúncia, porque não se pode obter o que quer que seja sem se dar ao próximo.
Nenhuma criatura pode existir sem ajuda. Ninguém chega ao mundo sozinho. Iremos precisar, sempre, de alguma coisa ou de alguém até o dia de nossa morte. É assim que funciona e isso não podemos mudar.
Não existe nada ou coisa alguma que possa amar sem dar amor : é a Lei da Natureza. Mas se o seu amor é egoísta, porque não se preocupa com o querer dos outros, e procura amar sem atrair amor, então o seu amor é fraco; chega ser um infortúnio, e sua evolução ocorre muito lentamente.

O amor final e completo, aquele que é praticado pelos que estão mais adiantados, é o amor que procura cuidar do crescimento daquilo que se ama.

"E, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis?..."
"...Porque também os pecadores fazem o mesmo."
"E, como vós quereis que os homens vos façam, também da mesma maneira lhes fazeis vós."(*1)

"Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças : este é o primeiro mandamento.
E o segundo...: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes."(*2)
Deus se manifesta através dos Espíritos e é desse modo que o amor existe no mundo e em todo o Universo. Tudo é espiritismo.
_____________________________
(*1) ( Lucas_cap 6, v 32, 33 e 31 )
(*2) ( Marcos_cap 12, v 30 e 31 )
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2011, 01:49
Boa Noite Ganimedes, bem vindo ao estudo.

Sem dúvida o acumulo de bens materiais não trás evolução espiritual.
Nada demais em ter dinheiro ou bens. Os Espíritos escolhem as suas provas na riqueza e na pobreza de acordo com a sua necessidade.
A riqueza talvez seja uma prova mais dificil porque induz ao orgulho, avareza, egoísmo se o Espírito se apegar a seus bens terrenos.  Praticar o desapego aos bens materiais não quer dizer em absoluto se desfazer de tudo que tem, mas fazer bom uso do mesmo sem dar a mínima importância.
Já dizia sabiamente Rohden, possua o dinheiro, mas não seja possuido por ele.
Creio que foi esse o pensamento que você trouxe aqui.

Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 02 de Abril de 2011, 03:09
Boa noite, Amigas Gisella, Hebe e demais Amigos e Visitantes .

A respeito da Paciência, eis um texto interessante, para podermos refletir através dos seus ensinamentos.

Abraços fraternos
Macili
***
Paciência e Compreensão


“Não empurre o rio, pois ele vai correr no seu próprio tempo”.
Em se tratando de evolução espiritual, é interessante encarar o tempo como um rio.
O tempo não deve ser medido cronologicamente, como fazemos hoje, mas sim em termos de lições apreendidas em nosso caminho para a imortalidade.

Portanto não tente empurrar o rio do tempo:
Você só vai se desgastar e vai derramar água inutilmente.
Quer dizer, você tanto pode se debater na correnteza a quanto fluir com ela serenamente.

A impaciência rouba nossa alegria, nossa paz e nossa felicidade .
Queremos porque queremos, e queremos tudo aqui e agora, pois somos muito imediatistas.
Isto nunca foi tão evidente quanto no século XXI.

Mas as leis que regem o Universo não são assim.
As coisas só acontecem quando estamos prontos.
Antes de nascer, vislumbramos a paisagem do que será nossa vida, mas a esquecemos depois do nascimento, e vivemos apressados, preocupados em corrigir tudo na hora.

Seria importante que como adultos, reconhecessemos que existe um tempo certo e o outro errado.
Por que alguém apareceu na sua vida agora e não há dois anos atrás?
Porque na verdade tudo tem o seu tempo certo. Se fosse anteriormente seria o tempo errado.

A chave de tudo é a paciência psicológica, muito mais ainda do que a paciência física.
O tempo, como medimos, pode passar rápido ou devagar.
Meia hora de um bom papo com um amigo passa voando.
Mas quando você está parado no engarrafamento de trânsito, é uma eternidade.

Se internalizarmos o tempo como o rio infinito que é, a impaciência desaparece.
Você já deve ter ouvido muitas vezes, pessoas dizerem, que não desejam morrer agora,
pois que possuem ainda muitas coisas para fazerem.
Mas na verdade terá um tempo finito, para fazer o que precisa que seja feito, muito embora este tempo possa ir ao infinito, se levarmos em consideração, o longo dos tempos.

A paciência está relacionada à compreensão, porque quanto mais você compreende uma pessoa, uma situação ou uma experiência ou a você mesmo, menos chance vai ter de reagir, impulsivamente e se ferir, ou ferir alguém.

Muitas das vezes alguém é impaciente com você, pelo estreito relacionamento que existe entre ambos, porque talvez com uma pessoa mais estranha, não teria esse tipo de comportamento.
Se você gritar, responder asperamente, não vai resolver a situação, e muito pelo contrário,
vai agravá-la ainda mais.

Seja paciente e procure compreender as dificuldades que o outro está passando, e que só desabafou com você, pois isso não teria condições de ser feito com um estranho.
Aí entra sua astúcia para descobrir a causa da raiva que o levou àquela situação, e poder ajudá-la.

Se sua resposta for paciente e você entender que havia uma razão oculta por trás da explosão, fica mais fácil restaurar harmonia.
É preciso habilidade para se distanciar, para ter uma perspectiva mais ampla, para ter paciência.

A meditação e à contemplação estão sempre a serviço da paciência, porque então nos ajudam a guardar distância.
À medida que você desenvolve a capacidade de manter a calma, a introspecção e a capacidade de ouvir, a paciência se desenvolve.

Se você treinar sua paciência, vai perceber a importância dela e progredir no caminho da imortalidade.
Às vezes você precisa ver o futuro, para então reconhecer plenamente o poder da paciência.

Fonte: Gotas de Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2011, 03:13
Muito bom texto Macili,

Trouxe aqui um poema de Hermógenes para reflexão.
________________________________________________________________________
Se
Hermógenes - Livro: Canção Universal
 
Se, ao final desta existência,
Alguma ansiedade me restar
E conseguir me perturbar;
Se eu me debater aflito
No conflito, na discórdia...
 
Se ainda ocultar verdades
Para ocultar-me,
Para ofuscar-me com fantasias por mim criadas...
 
Se restar abatimento e revolta
Pelo que não consegui
Possuir, fazer, dizer e mesmo ser...
 
Se eu retiver um pouco mais
Do pouco que é necessário
E persistir indiferente ao grande pranto do mundo...
Se algum ressentimento,
 
Algum ferimento
Impedir-me do imenso alívio
Que é o irrestritamente perdoar,
 
E, mais ainda,
Se ainda não souber sinceramente orar
Por quem me agrediu e injustiçou...
 
Se continuar a mediocremente
Denunciar o cisco no olho do outro
Sem conseguir vencer a treva e a trave
Em meu próprio...
 
Se seguir protestando
Reclamando, contestando,
Exigindo que o mundo mude
Sem qualquer esforço para mudar eu...
 
Se, indigente da incondicional alegria interior,
Em queixas, ais e lamúrias,
Persistir e buscar consolo, conforto, simpatia
Para a minha ainda imperiosa angústia...
 
Se, ainda incapaz
para a beatitude das almas santas,
precisar dos prazeres medíocres que o mundo vende...
 
Se insistir ainda que o mundo silencie
Para que possa embeber-me de silêncio,
Sem saber realizá-lo em mim...
 
Se minha fortaleza e segurança
São ainda construídas com os materiais
Grosseiros e frágeis
Que o mundo empresta,
E eu neles ainda acredito...
 
Se, imprudente e cegamente,
Continuar desejando
Adquirir,
Multiplicar,
E reter
Valores, coisas, pessoas, posições, ideologias,
Na ânsia de ser feliz...
 
Se, ainda presa do grande embuste,
Insistir e persistir iludido
Com a importância que me dou...
 
Se, ao fim de meus dias,
Continuar
Sem escutar, sem entender, sem atender,
Sem realizar o Cristo, que,
Dentro de mim,
Eu Sou,
Terei me perdido na multidão abortada
Dos perdulários dos divinos talentos, Os talentos que a Vida
A todos confia,
E serei um fraco a mais,
Um traidor da própria vida,
Da Vida que investe em mim,
Que de mim espera
E que se vê frustrada
Diante de meu fim.
 
Se tudo isto acontecer
Terei parasitado a Vida
E inutilmente ocupado
O tempo
E o espaço
De Deus.
Terei meramente sido vencido
Pelo fim,
Sem ter atingido a Meta.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 02 de Abril de 2011, 04:03
Boa noite a todos, e sintam-se abraçados..... ;)

A PACIÊNCIA é uma virtude bem diferente da mera passividade perante o sofrimento; não é um não reagir nem um simples agüentar: é parte da virtude da fortaleza, e leva a aceitar serenamente a dor e as provas da vida, grandes ou pequenas, como vindas do amor de Deus. Identificamos então a nossa vontade com a do Senhor, e isso permite-nos manter a fidelidade em qualquer circunstância e é o fundamento da grandeza de ânimo e da alegria de quem está certo de vir a receber uns bens futuros maiores.

Os campos em que devemos praticar esta virtude são inúmeros. Em primeiro lugar, conosco próprios, já que é fácil desanimarmos com os nossos próprios defeitos, sempre repetidos, sem conseguir superá-los totalmente. É necessário sabermos esperar e lutar com perseverança, convencidos de que, enquanto mantivermos o combate, estaremos amando a Deus. Normalmente, a superação de um defeito ou a aquisição de uma virtude não se consegue à custa de esforços violentos, mas de humildade, de confiança em Deus, de petição de mais graças, de uma maior docilidade. São Francisco de Sales afirmava que é necessário termos paciência com todos, mas, em primeiro lugar, conosco próprios.

Paciência também com as pessoas com quem nos relacionamos freqüentemente, sobretudo se, por qualquer motivo, temos obrigação de ajudá-las na sua formação ou em determinadas circunstâncias… Devemos contar com os defeitos das pessoas com quem convivemos – sem esquecer que muitas vezes estão sinceramente empenhadas em superá-los –, talvez com o seu mau gênio, com as suas faltas de educação, com os seus melindres… que, sobretudo se se repetem com freqüência, poderiam fazer-nos faltar à caridade, envenenar a convivência ou tornar ineficaz o nosso interesse em socorrê-las. A caridade ajudar-nos-á a saber esperar, sem deixar de corrigir quando for o momento mais indicado e oportuno. Esperar um tempo, sorrir, dar uma resposta amável a uma impertinência, são pormenores que podem fazer com que as nossas palavras cheguem ao coração das pessoas, e, de qualquer modo, sempre chegam ao Coração do Senhor, que olhará para nós com especial afeto.

Paciência com os acontecimentos que nos contrariam: a doença, a pobreza, o excessivo calor ou frio…, os diversos contratempos que se apresentam num dia normal: o telefone que não funciona ou a ligação que não se completa, a morosidade no trânsito que nos faz chegar atrasados a um encontro importante, esquecer em casa o material de trabalho, uma visita que se apresenta no momento menos oportuno… São as adversidades, talvez não muito grandes, mas que possivelmente nos levariam a reagir com falta de paz. O Senhor espera-nos nessas ocasiões: devemos enfrentá-las de ânimo tranqüilo, sem “explodir”, sem um gesto sequer de contrariedade ou um trejeito de desagrado. E tudo isto é manifestação do ânimo forte de um cristão que aprendeu a santificar os pequenos incidentes de um dia qualquer.

(…)

Caritas omnia suffert, omnia credit, omnia sperat, omnia sustinet, a caridade tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo sofre, ensina São Paulo. Se tivermos paciência, seremos fiéis, salvaremos a nossa alma e também a de muitos outros que Nosso ) Senhor coloca constantemente ao nosso lado.

Fonte: Falar com Deus.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 02 de Abril de 2011, 04:21
Amigas Gisella, Hebe, bem como todos que acompanham o Estudo.

Posto abaixo um texto e os grifos em marrom são meus pensamentos.

Abçs
Macili

------------

Paciência...    (como precisamos de ti!!!)


A paciência é uma virtude e, assim como outras, existe em cada um de nós. Pode estar em estado latente ou já estar sendo aprimorada.

Não se pode dizer que "perdi minha paciência com fulano!". Não se perde aquilo que não se tem. (é mesmo!  :o)

Assim como todas as virtudes, a paciência deve ser exercitada no dia-a-dia e, o êxito em adquirí-la só se dará com muito esforço e treino.

Há varias situações em nossas vidas que são oportunidades para o exercício da paciência:
(Que tal começarmos a praticar a paciência a partir de agora???) :)

- Aquele trânsito que pegamos para ir ao trabalho...em vez de se impacientar, vamos nos ligar ao Pai, fazer uma prece pela paz, será muito gratificante!  (Será que conseguiremos?)

- A fila no banco ou no supermercado...vamos aproveitar para ler um livro edificante, só temos a ganhar com o conhecimento!  (Boa idéia!)

- Um chefe tirano...onde está a caridade que aprendemos no evangelho de Jesus? Se ele não tem paciência, sejamos nós a dar o exemplo!  (Vamos começar já a praticar!  Quem sabe ele fica bonzinho...)

- A dificuldade financeira...façamos a nossa parte, sendo bem honestos com o que é ou não "supérfulo", e deixemos que a Providência se encarregue do resto!  (Difícil.... mas quem sabe um dia conseguiremos)

- Um problema de saúde...Deus deu aos homens a inteligência, Permitiu o desenvolvimento da medicina para que pudéssemos ter o auxílio necessário mas, necessitamos buscar o equilíbrio em nossas atitudes, para termos mais saúde.
(Esta é uma situação também muito difícil, pelo menos para mim... nos mantermos pacientes nos momentos da doença, da dor e do sofrimento...   quem sabe um dia conseguiremos!)

São tantas as situações que poderia passar o dia escrevendo mas, uma coisa é certa, com paciência TUDO se resolve melhor...experimente e veja quanto equilíbrio trará para sua vida.
(Com certeza, devemos praticar a Paciência e encontraremos a nossa paz e equilíbrio, tão importantes para a nossa harmonia interior).

Fonte: Gts.Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 02 de Abril de 2011, 04:53
Boa noite Gisella e Hebe,
Boa noite Amigos do Estudo.

Seguindo o estudo deixo aqui uma postagem comparando a resignação com a indiferença, que diferencia muito bem estas duas atitudes. Avaliemos!!!

Abçs fraternos
Macili

****

Resignação e Indiferença

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de Justiça, porque serão fartos.” (Mateus, V, 6.)

Bem-aventurados os que se revoltam contra a injustiça, mas são resignados e calmos.
Ai dos indiferentes, dos acomodatícios, dos covardes, dos servis, que em proveito próprio aplaudem a injustiça!

Há muita diferença entre a resignação e a indiferença.

A resignação é a conformidade ativa nos inevitáveis acontecimentos da vida.
A indiferença é a submissão passiva às injustiças deprimentes.

A resignação é cheia de amor, de sentimentos nobres, de elevadas paixões.
A indiferença nulifica o amor, aniquila a nobreza d’alma, destrói as virtudes e deprime a moral.

A resignação nas provas é obediência aos decretos de Deus.
A indiferença nos sofrimentos é dureza de coração e ausência de submissão à vontade divina.

O resignado é santo, porque a resignação nasce da paciência, e a paciência é filha dileta da Caridade.
O indiferente é um anormal: tem cérebro e não pensa; tem coração e não sente; tem alma e não ama.

O resignado não aparenta sofrimento, porque conhece a Lei de Deus e a ela se submete com humildade.
O indiferente também não mostra sentir a dor, mas, orgulhoso e alheio aos ditames celestes, repele de si a idéia do sofrimento.

A resignação é excelente virtude, que precisamos cultivar;
a indiferença é manifestação do egoísmo, que precisamos extirpar.

A resignação é a coragem da virtude.
A indiferença é a covardia da paixão vil.

Aquela eleva, dignifica, enaltece, santifica.
Esta deprime, desmoraliza, deprava e mata.

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos.
"Bem-aventurados os que não se submetem às injustiças da Terra, nem pactuam com os opressores, os vossos turibulários das altas posições!

Autor: Caibar Schutel
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: dOM JORGE em 02 de Abril de 2011, 10:33
                                    VIVA JESUS!


       Bom-dia! queridos irmãos.

               Amor Onipotente  
A árvore da fé viva não cresce no coração, miraculosamente.


Qual acontece na vida comum, o Criador dá tudo, mas não prescinde do esforço da criatura.


Qualquer planta útil reclama especial atenção no desenvolvimento.


Indispensável cogitar-se do trabalho de proteção, auxílio e defesa.


Estacadas, adubos, vigilância, todos os fatores de preservação devem ser postos em movimento, a fim de que o vegetal precioso atinja os fins a que se destina.


A conquista da crença edificante não é serviço de menor esforço.


A maioria das pessoas admite que a fé constitua milagrosa auréola doada a alguns espíritos privilegiados pelo favor divino.


Isso, contudo, é um equívoco de lamentáveis consequências.


A sublime virtude é construção do mundo interior, em cujo desdobramento cada aprendiz funciona como orientador, engenheiro e operário de si mesmo.


Não se faz possível a realização, quando excessivas ansiedades terrestres, de parceria com enganos e ambições inferiores, torturam o campo íntimo, à maneira de vermes e malfeitores, atacando a obra.


A lição do Evangelho é semente viva.


O coração humano é receptivo, tanto quanto a terra.


É imprescindível tratar a planta divina com desvelada ternura e instinto enérgico de defesa.


Há muitos perigos sutis contra ela, quais sejam os tóxicos dos maus livros, as opiniões ociosas, as discussões excitantes, o hábito de analisar os outros antes do autoexame.


Ninguém pode, pois, em sã consciência, transferir, de modo integral, a vibração da fé ao espírito alheio, porque, realmente, isso é tarefa que compete a cada um.


Emmanuel
In: 'Vinha de Luz' - Francisco Cândido Xavier


                                                    PAZ, MUITA PAZ!

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2011, 12:58
Bom dia,

Constantemente fazemos projeções consciente e inconscientemente em relação às todos  que participam diariamente em nossas vidas, portanto as decepções são inevitáveis.
Isso acontece devido a  espelharmos no outro aquilo que consideramos o ideal para nós, e nos apaixonamos pela  idéia. 
Na verdade dentro do nosso egoísmo idealizamos a pessoa e não a enxergamos de fato. Transformamos amigos, parentes, filhos naquilo que acreditamos que seja o nosso ideal.
Enxergamos e projetamos apenas o que queremos ver  nos outros e que nos satisfaz.. Basta um pequeno gesto ou atitude que nos contrarie e essa imagem de amigo, marido, esposa ideal venha por terra. Lógico que esperar sempre o melhor de todo mundo não é ruim. A grande dificuldade  é criar uma ilusão de perfeição ou divinizar uma pessoa tão falível e humana como qualquer outra.
Agora eu pergunto essa pessoa falhou conosco realmente, é ruim, ou nós que a criamos em nossa mente sob o nosso molde?  Isso não é amor, é paixão.
Que direito temos de apedrejar alguém só porque não atendeu as nossas expectativas?
O amor é compreensivo, vê o outro com erros e acertos e o ama assim mesmo, porque compreende as suas limitações. E serão realmente limitações ou nós é que atribuímos falhas ao que nós consideramos como tal?
Jesus em relação aos pecadores e considerados errados na sociedade da época em que esteve na Terra nos mostra isso claramente.
“Ame a seus inimigos”, disse ele, talvez porque nós o criemos dentro da nossa mente aprisionada as nossas verdades relativas.
A medida que nos dispusermos a enxergar todos que convivem conosco como iguais, sem máscaras, sem projeções de ideal, vendo a causa de suas reações que consideramos ofensivas, talvez não exista mais mágoa ou decepção e troca de farpas que se arrasta de encarnação a encarnação num incessante movimento para aprendermos a nos amar.

Portanto considero dois itens da votação primordial para aprender a mas.
O perdão a si e ao próximo e o desapego.

Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 02 de Abril de 2011, 13:09
Bom dia a todos

Resignação

Há virtudes difíceis de serem adquiridas e cujo exercício é pouco compreendido.
A resignação é uma delas.
As criaturas levianas nem a vêem como algo apreciável.
Presas em suas ilusões, consideram a resignação apenas falta de forças ou de coragem.
Entendem que o homem sempre deve reagir violentamente contra qualquer circunstância que contrarie seus interesses.
Pensam ser indigno aceitar com tranqüilidade um revés.
Contudo, urge reconhecer que nem sempre é possível obter-se o que se deseja.
Muitas vezes, nossos sonhos mais caros não se concretizam.
Ou então nossa tranqüilidade, tão duramente conquistada, é atingida por um infortúnio.
Há dificuldades ou contrariedades que podemos vencer, mas algumas vezes, a vida responde a nossos apelos com sombra e dor.
Nessas circunstâncias, alguns encontram em seu íntimo forças para resignar-se.
Em face de situações constrangedoras, dolorosas e inalteráveis, a resignação é uma atitude que apenas os bravos conseguem adotar.
Trata-se da aquiescência da razão e do coração com um regime severo imposto pela vida.
O resignado não é um covarde, mas alguém que compreende a finalidade da existência terrena.
O homem nasce na Terra para evoluir, para vencer a si mesmo e amealhar virtudes.
Justamente por isso, as dificuldades apresentam-se em seu caminho.
Algumas são contornáveis e outras não.
Às vezes, somente poderíamos sair de uma situação triste, prejudicando ou magoando o semelhante.
Como ninguém conquista a própria felicidade semeando desgraças, essa opção não é legítima.
Frente a um infortúnio inevitável, é necessário acomodar a própria vontade.
Impõe-se a consideração de que Deus rege o Universo e jamais se equivoca ou esquece de algo.
Já nascemos inúmeras vezes e renasceremos outras tantas.
A vida é uma escola, na qual passamos da ignorância e da barbárie à angelitude.
Conscientes de nosso papel de aprendizes, convém nos dedicarmos a fazer a lição do momento.
Talvez ela não seja a que desejaríamos, mas certamente é a mais adequada às nossas necessidades.
Se a vida nos reclama serenidade em face da dor, aquiesçamos. A rebeldia de nada nos adiantará.
A criatura rebelde perante as Leis Divinas apenas torna seu aprendizado lento e doloroso.
Rapidamente ela se torna cansativa para seus familiares e amigos.
Ao fazer sentir por toda parte o peso de seu amargor, infelicita os que a amam.
Resignar-se não significa desistir da luta. Implica apenas reconhecer que a luta interiorizou-se.
Quem se resigna enobrece lentamente seu íntimo, ao desenvolver novos propósitos de vida.
Tais propósitos não se resumem a um viver róseo.
Eles envolvem a percepção e a aceitação de que temos um papel a desempenhar na construção de um mundo melhor.
Esse papel pode não coincidir com nossas fantasias.
Mas é uma bênção ser um elemento do progresso, mesmo com algum sacrifício.
Outras pessoas, mirando-se em nosso exemplo, podem encontrar forças para seguir em frente.
A resignação é uma conquista do Espírito que vence suas paixões e atinge a maturidade.
Ele consegue manter a alegria e o otimismo, mesmo em condições adversas.
Ao enfrentar com tranqüila dignidade seus infortúnios, prepara-se para um amanhã venturoso.


Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no capítulo 24 do livro Leis Morais da Vida, do Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2011, 13:58
Agradeço a todos que estão contribuindo com mensagens edificantes para compreensão do tema.
________________________________________________________________________
Continuando

Acredito que antes de qualquer coisa, esse estudo trazido por Gisella, venha  ajudar a todos a refletir e pensar nas sua motivações e reações diante da vida.

Muitas vezes se é justos e injustos diante das  relações, erra-se e acerta-se, mas todo o sofrimento que é causado a um e a outro, serve para  um único propósito, aprender a amar e se despir de conceituações erradas diante da vida.
Isso significa o total desapego aos condicionamentos.

Não há estudo, mensagens de espíritos iluminados que possa  ajudar se realmente  o ser humano  não se dispuser a  conhecer-se  intimamente, sem medo, sem defesa e sem máscara.

A humanidade estuda, compreende o teor da mensagem mas não consegue ainda alcançar a magnitude em sentimentos  passadas por todos os Avatares. É preciso mais que isso, e preciso vivenciar , sentir para aprender.

Vê-se a toda hora pessoas com uma intelectualidade íncrivel e um potencial de amor imenso, mas não consegue aplicar em si mesmo, nem quando é alertado para a sua enorme capacidade, pois está aprisionado em suas dores, vê no outro apenas os defeitos, a ameaça, a dor, praticamente passa a vida inteira se sentindo incapaz de amar ou ser amado. Isso é grave, porque muitas vezes ,quando consegue despertar o amor, a amizade, a admiração de alguém, não acredita, joga uma pá de cal em cima, porque está preso às suas lembranças de dor e desilusão que o passado lhe impôs.

O ser humano tem que enxergar as suas sombras para iluminá-las e se livrar das correntes que o aprisiona.
Não se conformar na situação de imperfeitos, e sim de filhos de Deus, criação suprema, ao qual traz a centelha divina e todo o potêncial em seu interior.
Tudo o que estou falando o Espiritismo e outras correntes espiritualistas falam, não é novidade. A interpretação é dúbia, mas a verdade é única e imutável.

Um abço Hebe

 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 02 de Abril de 2011, 15:35
Bom dia a todos os amigos!!!

Que coisa boa poder abrir o tópico pela manhã e presenciar tantas mensagens importantes para nosso estudo.

Destaquei algumas frases para que pudéssemos pensar ainda mais nelas, pois vêm ao encontro da proposta do estudo.


Por Dom Jorge:
A sublime virtude é construção do mundo interior, em cujo desdobramento cada aprendiz funciona como orientador, engenheiro e operário de si mesmo.
Pensando nesta frase, podemos perceber a nítida a afirmativa de que nós somos os responsáveis pela nossa formação, pelas nossas atitudes, ou seja, não podemos jogar pra ninguém aquilo que cabe a nós. "A cada um segundo suas obras"!!

Por Henrique Alves
Paciência com os acontecimentos que nos contrariam: a doença, a pobreza, o excessivo calor ou frio…, os diversos contratempos que se apresentam num dia normal: o telefone que não funciona ou a ligação que não se completa, a morosidade no trânsito que nos faz chegar atrasados a um encontro importante, esquecer em casa o material de trabalho, uma visita que se apresenta no momento menos oportuno… São as adversidades, talvez não muito grandes, mas que possivelmente nos levariam a reagir com falta de paz. O Senhor espera-nos nessas ocasiões: devemos enfrentá-las de ânimo tranqüilo, sem “explodir”, sem um gesto sequer de contrariedade ou um trejeito de desagrado. E tudo isto é manifestação do ânimo forte de um cristão que aprendeu a santificar os pequenos incidentes de um dia qualquer.
Como havíamos colocado anteriormente, são nas pequenas ações do dia a dia que vamos fortalecendo nossas virtudes. É como "malhar" na academia (aff... estou começando): não conseguiremos músculos fortes se não começarmos devagarinho, carregando o peso que suportarmos, caminhando o tempo que nossas pernas aguentarem. Se quisermos alcançar tudo em uma semana, estouramos todos os nossos tendões, músculos e sentiremos tanta dor que nem ao menos conseguiremos sair de casa... Jesus já nos disse: "A cada dia já basta o seu mal".

Por Macili
Seguindo o estudo deixo aqui uma postagem comparando a resignação com a indiferença, que diferencia muito bem estas duas atitudes. Avaliemos!

Que texto importante!! Quem passou e não leu, volta lá e lê...  Sem contar com o texto sobre paciência, no qual nossa amiga faz uma reflexão individual!!
Esse é o objetivo deste estudo... introjetar em nós os ensinamentos e fazer essa reflexão, nas pequenas coisas do dia a dia... Há varias situações em nossas vidas que são oportunidades para o exercício da paciência:... Isso!!!

Por Ken
Em face de situações constrangedoras, dolorosas e inalteráveis, a resignação é uma atitude que apenas os bravos conseguem adotar.
Trata-se da aquiescência da razão e do coração com um regime severo imposto pela vida.
O resignado não é um covarde, mas alguém que compreende a finalidade da existência terrena.
A vida é uma escola, na qual passamos da ignorância e da barbárie à angelitude.
Conscientes de nosso papel de aprendizes, convém nos dedicarmos a fazer a lição do momento.

Isso... fazer a lição do momento!! o que se apresenta para nós é o que deve ser trabalhado... Não aquilo que pensamos que vai acontecer, mas o que está acontecendo agora!! Amanhã?? Você sabe se estará encarnado para fazer??
Razão e coração!! Não podemos agir apenas com a razão, pois podemos ser rudes onde deveríamos ser dóceis. E nem só com o coração, pois podemos ser dóceis onde deveríamos ser firmes.

Por Hebe
O ser humano tem que enxergar as suas sombras para iluminá-las e se livrar das correntes que o aprisiona.
Não se conformar na situação de imperfeitos, e sim de filhos de Deus, criação suprema, ao qual traz a centelha divina e todo o potencial em seu interior.

É a confiança que devemos ter na nossa capacidade, capacidade esta inerente a todos os Seres Inteligentes do Universo, ou seja, nós Espíritos. "Vós sois deuses"...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 02 de Abril de 2011, 16:45
Para refletirmos:


A arte da tolerância

Tolerância é a capacidade de aceitar o diferente. Não confundir com o divergente. Intolerância é não suportar a pluralidade de opiniões e posições, crenças e ideias, como se a verdade fizesse morada em mim e todos devessem buscar a luz sob o meu teto.

Conta uma parábola que um pregador reuniu milhares de chineses para pregar-lhes a verdade. Ao final do sermão, em vez de aplausos, houve um grande silêncio. Até que uma voz se levantou ao fundo: "O que o senhor disse não é a verdade". O pregador indignou-se: "Como não é verdade? Eu anunciei o que foi revelado pelos céus!" O objetante retrucou: "Existem três verdades: a do senhor, a minha e a verdade verdadeira. Nós dois, juntos, devemos buscar a verdade verdadeira".
Só os intolerantes se julgam donos da verdade.

Todo intolerante é um inseguro. Por isso, aferra-se a seus caprichos como um náufrago à tábua que o mantém à tona. Ele não é capaz de ver o outro como outro. A seus olhos, o outro é um concorrente, um inimigo ou, como diz um personagem de Sartre, "o inferno". Ou um potencial discípulo que deve acatar docilmente suas opiniões.

Ser tolerante não significa ser bobo. Tolerância não é sinônimo de tolice. O tolerante não desata tempestade em copo d'água, não troca o atacado pelo varejo.

Das intolerâncias, a mais repugnante é a religiosa, pois divide o que Deus uniu. Quem somos nós para, em nome de Deus, decretar se esses são os eleitos e, aqueles, os condenados?

Frei Betto

Abraços fraternos,

Gisella  :)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Victor Passos em 02 de Abril de 2011, 16:46
Ola muita paz e harmonia
Bons Amigos e Amigas

    A vida , não se acha pelo que lhe encontramos de belo, mas pelos valores de amor que dela poderemos usufruir e compartilhar.
    Na palavra, dialogo e ato, temos que trancender a virtude do ouvir, saber olhar, e sentir...sim !É nos sentidos que somos provados, testados, para colimar a nossa razão e bom senso. É disto que nosso livre-arbitrio necessita, o aprendizado está em cada pequeno gesto, mas os pequenos gestos por vezes se tornam oriundos de desgaste, de dor e nós muitas das vezes, nem discernimos da sua importância.
   No sorriso, na tristeza, no Sol, no luar,nolar, no Amigo e claro no algoz,em tudo temos a mão Maior e dela devemos realçar a importância de cada oportunidade, porque todo espaço e ação tem ensinamento, ora se falamos de paciência, ela se faz dificil pela nossa fragilidade medonha de vivermos apenas as coisas mortas e esquecermos as coisas vivas....É meus Irmãos a vida pede-nos em sua prosperidade que aprendamos a dar a paciência a nosso espirito, porque não lhe oferecermos isso, como vai ele dar paciência aos testes da vida ?!
  É a transformação vibracional, quantificada pelos valores da cristandade, fazem apelo à paciencia, mas que é ela senão  tolerancia, indulgência, humildade e renuncia...Mas , afinal , não é de amor que falamos!Isto é transformação e só seguindo os objetivos, da escalada de cada vivência, iremos amontoar o plantio rosaceo da grandeza de cada alma, porque cada um de nós é uma raiz em crescimento pela vontade do amor e só com ele nos transformaremos...Amem..vivam ..sejam felizes.....Cravo

Victor Passos
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 02 de Abril de 2011, 17:06
Evite a impaciência. Você já viveu séculos incontáveis e está diante de milênios sem-fim.
Guarde a calma. Fuja, porém, à ociosidade, como quem reconhece o decisivo valor do minuto.
Semeie o amor. Pense no devotamento daquele que nos ama desde o princípio.
Guarde o equilíbrio. Paixões e desejos desenfreados são forças de arrasamento na Criação Divina.
Cultive a confiança. O Sol reaparecerá amanhã, no horizonte, e a paisagem será diferente.
Intensifique o próprio esforço. Sua vida será o que você fizer dela.
Estime a solidariedade. Você não poderá viver sem os outros, embora na maioria dos casos possam os outros viver sem você.
Experimente a solidão, de quando em quando; Jesus esteve sozinho, nos momentos cruciais de sua passagem pela Terra.
Dê movimento construtivo, às suas horas. Não converta, no entanto, a existência numa torre de Babel.
Renda culto fiel à paz. Não se esqueça, todavia, de que você jamais viverá tranqüilo sem dar paz aos que pisam seu caminho.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Agenda Cristã.
Ditado pelo Espírito André Luiz.
Edição de Bolso. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 02 de Abril de 2011, 17:09
Tolerância

Muitas vezes, no nosso dia-a-dia, costumamos reclamar de algumas pessoas que nos atendem em lojas, supermercados, ao telefone, enfim, as pessoas que nos atendem de alguma forma.
O que não nos damos conta é que também estamos entre essas pessoas. E que, como elas, também estamos nos relacionando com várias outras pessoas.
Devemos pensar duas vezes antes de nos irritarmos.
A irritação, a intolerância, fazem com que provoquemos males ainda maiores na sociedade que vivemos.
São os pequenos desentendimentos que geram os grandes conflitos da humanidade.
Por isso, não negue consideração e carinho diante de balconistas fatigados ou irritadiços. Pense nas provações que, sem dúvida, os atormentam nas retaguardas da família ou do lar.
A pessoa que se revela mal-humorada, em seus contatos públicos, provavelmente carrega um fardo pesado de inquietação e doença.
Aprender a pedir um favor aos que trabalham em repartições, armazéns, lojas ou bares é obrigação.
Embora estejam sendo pagos para cumprir suas tarefas ou sejam subordinados a nós são seres humanos como nós mesmos.
Lembre-se que todas as criaturas trazem consigo as imperfeições e fraquezas que lhes são peculiares, tanto quanto, ainda desajustados, trazemos também as nossas.
Muitas vezes, nós mesmos, atormentados por algum problema a resolver, tratamos mal alguém que nos venha pedir um favor com delicadeza.
O que aconteceria se essa pessoa também nos tratasse mal; ficaríamos ainda mais irritados. No entanto, se essa pessoa, apesar da nossa má-vontade, nos tratasse bem, com cortesia e gentileza, pensaríamos melhor no que estamos fazendo, podendo até mudar de atitude.
Em muitos casos, o que nos falta é um pouco de tolerância.
Ter tolerância é ter paciência e saber entender os problemas alheios.
A tolerância deve ser aplicada indistintamente entre todos e em qualquer lugar. É lição viva de fé e elevação e não pode ser esquecida.
Tolerar, no entanto, não significa conivir.
Desculpar o erro não é concordar com ele. Entender e perdoar a ofensa, não representa ratificá-la, mas sim ser caridoso e compreensivo.
É indispensável não entrar em área de atrito, quando puder contornar o mal aparente a favor do bem real.
Perdoe as ofensas e tente entender os problemas alheios sem julgá-los preconceituosamente.
Faça aos outros o que gostaria que fizessem para você.
Seja uma pessoa amistosa para com todos.
Contribua sempre com um pouco de amor para vencer o mal do mundo.
Pense nisso!
Tolerância é caridade em começo. Exercitando-a, em regime de continuidade, você defrontará com os excelentes resultados do bem onde esteja, com quem conviva.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base nos livros Sinal Verde, cap. 14 e Convites da Vida, cap. 56, ed. FEB.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 02 de Abril de 2011, 17:20
Nada te perturbe, nada te amedronte tudo passa a paciência tudo alcança...A quem tem Deus nada falta só Deus basta
                                                 **    ***   **
Antes de dar a dor, Deus dá a paciência.

Santa Tereza  de Ávila
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 02 de Abril de 2011, 17:28

Meditemos sobre a questão 893 de O Livro dos Espíritos :

Qual a mais meritória de todas as virtudes?

– Todas as virtudes têm seu mérito, porque indicam progresso no caminho do bem. Há virtude sempre que há resistência voluntária ao arrastamento das más tendências; mas a sublimidade da virtude é o sacrifício do interesse pessoal pelo bem de seu próximo, sem segundas intenções.
A mais merecedora das virtudes nasce da mais desinteressada caridade.

(grifos meus)

Quando os Espíritos Amigos nos trazem esta resposta, abre-se um leque bem grande em relação às virtudes.

Unindo esta resposta à colocação de Paulo, no início do nosso tópico, percebemos o quão grandioso e complexo é este assunto.

Se todas são meritórias, se todas são sinais de progresso, por qual começarmos? Como elegermos a que será mais fácil alcançarmos?

Vamos pensar sobre isso ?

Abraços fraternos,

Gisella  ;)


Olá a todos! :)

Gisella amiga querida, de fato este assunto é grandioso, complexo e importantíssimo.

Já que estamos a falar de virtude, vale destacar o que Sócrates e Platão disseram, seguindo a posição da Doutrina Espírita sobre este assunto:


     "A virtude não pode ser ensinada; ela vem por um dom de Deus aos que a possuem."

    "É quase a doutrina cristã sobre a graça. Mas se virtude é um dom de Deus, é um favor, e pode perguntar-se porque ela não é concedida a todos? De outro lado, se ela é um dom, não há mérito de parte daquele que a possui. O Espiritismo é mais explícito. Ele ensina que aquele que a possui, a adquiriu pelos seus esforços, nas vidas sucessivas, ao se livrar pouco a pouco das suas imperfeições. A Graça é a força que Deus concede a todo homem de boa-vontade para se livrar do mal e fazer o bem.”


Abraços fraternos,

Edna ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 02 de Abril de 2011, 17:32
Não há problema que não possa ser solucionado pela paciência.
Chico Xavier

                                             **   ***   **

Se fiz descobertas valiosas, foi mais por ter paciência do que qualquer outro talento.
Isaac Newton

                                              **   ***   **

A paciência é amarga, mas seu fruto é doce!
Rousseau


                                               **   ***   **

Um momento de paciência pode evitar um grande desastre; um momento de impaciência pode arruinar toda uma vida.
Provérbio chinês
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2011, 17:35
Boa Tarde,
Ninguem é totalmente desprovido de virtude, paciência, tolerância, fraternidade, amor.
Todos tem essa capacidade.
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 02 de Abril de 2011, 17:35
É na vossa paciência que ganhareis vossas almas.”

Jesus (Lucas, 2:19)


************


É comum ouvir-se dizer que alguém perdeu a paciência.

Sendo a paciência uma virtude, parece estranha a idéia de que possa ser perdida.

Virtudes são conquistas do Espírito, que as incorpora em seu modo de ser.

Não se trata de algo exterior, que o homem encontra e vê desaparecer sucessivas vezes.

Quem desenvolve uma virtude passa a ser melhor em determinado aspecto de sua vida imortal.

É possível perder-se apenas o que se possui, mas não o que se é.

Se uma característica nobre foi assimilada por alguém, ela não pode ser perdida.

A criatura genuinamente honesta jamais extravia a própria honestidade.

A pessoa bondosa não é privada repentinamente de sua bondade.

Assim, quando alguém afirma que perdeu a paciência é porque nunca chegou a ser verdadeiramente paciente.

Isso não significa que as virtudes surjam de um momento para o outro.

Elas devem ser paulatinamente elaboradas no íntimo do ser.

No longo processo de aquisição da nobreza interior, trava-se uma autêntica batalha entre os vícios e as virtudes.

É comum que certas quedas ocorram, pois se trata de um processo de transição.

Mas a verdade é que, enquanto a criatura titubeia entre atos nobres e mesquinhos, ela ainda está lutando contra si mesma.

Virtudes não são propriedade de um determinado Espírito, pois compõem a sua própria essência.

Tanto é assim que habitualmente se fala que alguém é bondoso, e não que possui bondade.

Enquanto estamos com dificuldade para tolerar certas pessoas ou situações, ainda não somos pacientes.

No máximo, estamos lutando para incorporar essa virtude.

Afinal, é fácil conviver pacificamente com quem pensa igual a nós, ou suportar pequenos inconvenientes.

O teste para nossa fibra moral é suportar com serenidade grandes contrariedades ou provocações.

A verdadeira paciência é sempre exteriorização da alma que já realizou muito amor em si mesma.

Plena de amor, ela distribui os tesouros de seu afeto aos que a rodeiam, mediante a exemplificação.

A alma paciente já consegue considerar todas as criaturas como irmãs, em quaisquer circunstâncias.

Se necessário, ela esclarece a ignorância, mas sempre de modo fraterno.

Paciência é a tolerância esclarecida que revela a iluminação do ser que a manifesta.

Trata-se de uma conquista sublime, somente alcançada a custo de disciplina e esforço.

Para ser paciente é preciso domar os próprios impulsos inferiores.

Quem pretende ser tolerante deve cessar de ver problemas nos elementos externos, sejam pessoas ou circunstâncias.

Precisa compreender que todo o mal que atinge a criatura em evolução vem dela própria, de seu interior carente de renovação.

Quem percebe as suas sequelas morais, sem disfarces ou desculpas, naturalmente tende a olhar o próximo com tolerância.

Mas não basta apenas perceber os próprios problemas.

É necessário corrigi-los, com a adoção de novos padrões de comportamento.

A disciplina antecede a espontaneidade.

Transformar vícios em virtudes pressupõe disciplina e determinação.

Assim, para ser paciente é preciso esforço para tolerar as dificuldades e os defeitos alheios.

Mas também é indispensável trabalho concentrado para vencer os próprios vícios.
 

Fonte: O texto é colocado com autorização expressa concedida pela Redação do Momento Espírita, com base na questão 254 do livro O Consolador, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb.
Em 31.12.2009.



Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: fernandes adalberto em 02 de Abril de 2011, 17:45
amar.
essa é umas das maiores virtude,
sentimos o aroma dos campos, viver feliz, sentir o amor contaminando o vosso ser.
isso faz que aumenta a nossa virtude e no amor pelo proximo.
um abraço, esse tema já é uma virtude dada a moderadora.
fernandes Adalberto
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 02 de Abril de 2011, 17:48
Olá, amigos...

Muitos textos são colocados para nos alertar quanto à necessidade de exercitarmos nossas virtudes (como malhar nossos músculos...rsrs) para que elas, ainda sem semente, cresçam e reproduzam com os seus frutos saborosos.

Mas, por que ainda lutamos tanto em iniciar esta "malhação"??

Vejamos a pergunta que Kardec fez aos Espíritos Amigos:

895. Postos de lado os defeitos e os vícios acerca dos quais ninguém se pode equivocar, qual o sinal mais característico da imperfeição?
 
Resposta: “O interesse pessoal. Freqüentemente, as qualidades morais são como, num objeto de cobre, a douradura que não resiste à pedra de toque. Pode um homem possuir qualidades reais, que levem o mundo a considerá-lo homem de bem. Mas, essas qualidades, conquanto assinalem um progresso, nem sempre suportam certas provas e às vezes basta que se fira a corda do interesse pessoal para que o fundo fique a descoberto. O verdadeiro desinteresse é coisa ainda tão rara na Terra que, quando se patenteia todos o admiram como se fora um fenômeno.
        O apego às coisas materiais constitui sinal notório de inferioridade, porque, quanto mais se aferrar aos bens deste mundo, tanto menos compreende o homem o seu destino. Pelo desinteresse, ao contrário, demonstra que encara de um ponto mais elevado o futuro.”

Ou seja, precisamos começar a nos desapegar das coisas materiais, do meu, para que, quando pisarem no nosso calo, saibamos usar nossas conquistas positivas para não termos vergonha de nos olharmos no espelho e vermos aquele homem velho que teima em não partir.

Abraços fraternos e agradecemos a todos pela contribuição ao nosso estudo,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 02 de Abril de 2011, 17:51
Amiga Hebe

Complementando, nada nos falta, Deus esta em nós, só nos basta  encontrá-lo e

todas  as virtudes irão aflorar naturalmente
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2011, 18:03
Certinho Ken,

A visão sempre para o externo  distrai a  verdadeira natureza do ser.
O ponto de referência deve ser interno.
Por isso os mestres ensinam para aquietar a mente e cessar o pensamento contínuo.

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 02 de Abril de 2011, 18:19
Amiga Hebe

Perfeito, porem ainda somos um diamante bruto, e por conseqüência necessitamos levar muitas marteladas por fora para nos descobrirmos. ;D ;D

Sds.

ken

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2011, 18:23
 :D :D Haja martelada Ken,
E como temos que martelar!!!!
Fique em paz
Hebe  :D
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 02 de Abril de 2011, 18:26
Bom dia a todos irmãos,,
 bélissimos textos sobre tolêrancia,,, q por agora me fez lembrar de uma estorinha contada em uma préleção a algum tempo,,,,, não recordo inteiramente,,, mas acredito que consigo passar a mensagem,,,,


Pois bem,,,,  Começou no fim de um expediente em algum escritório,,, onde o chefe irratadissimo com um trabalho que julgou mal feito,,,, chamou o seu responsavel e com palavrões e todos os tipos de ofensa descarregou neste pobre homem que por sua vez não retrucou, guardou sua raiva, por medo de perder o emprego. 

Logo mais tarde chega em sua casa,,, a pobre da esposa que nada tinha com os problemas do marido logo recebeu inumeras ofensas por motivos banais sobre a comida ou roupas em lugares errados,,, enfim,   a esposa tambem ficou calada para não irrita-lo ainda mais.
Logo a esposa tbm Irada com as ofensas do marido descarrega sua raiva na empregada que tambem não tinha nada haver.... ofendida a empregada tbm fica calada para não ser mandada embora do emprego... 
Que por sua vez indo pela rua com muita raiva logo avistou um pobre cachorro dormindo em seu caminho,,, onde com muita raiva deu um baita chute no cachorro q saiu correndo bravissimo sem direção e mordeu uma senhora q vinha a sua frente,,,,, um rapaz viu o acontecido e parou ante a senhora para ajudala,,, esta senhora cega de raiva pela mordida do cachorro começou a bater no rapaz o chamando de aproveitador de sem vergonha e de todos os nomes grosseiros de uma interpretação mal feita pela raiva ....

Logo o rapaz tbm irritadissimo com as ofensas da senhora a qual foi ajudar com as melhores das intenções,,, chegou em sua casa esbravejando palavrões e sua mãe por vez foi a vitima dessa corrente, recebendo grosserias e insultos de todos os tipos... Sua mãe entendendo o momento,,,, tolerou todas as ofensas, sem ao menos se sentir ofendida como uma verdadeira cristã, praticante da humildade, pasciencia, tolerancia e indulgencia,  com muita sabedoria esperou..........

Mais tarde quando viu o filho mais calmo foi conversar com ele de forma doce e sem repressões, somente com amor e compreensão,,,,, onde o filho pediu desculpas pelas ofensas e sua mãe entendendo o momento do filho,,, o abençõou e disse não foi nada,,,,




Creio q sirva para refletimos como as vezes a falta de tolerancia, pasciencia e humildade pode formar uma corrente de negatividade tão grande,,, que somente por pessoas verdadeiramente crisã pode ser quebrada, coisas do nosso dia pode por um simples momento de invigilancia tornar um mal tão grande para outras pessoas,,,, pensemos nisso.....



Que Deus abençõe a todos nós,,,,
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: katiatog em 02 de Abril de 2011, 18:32
Queridas amigas Gisella e Hebe


Parabéns pela escolha do tema! Com certeza todos nós aprenderemos muito com vocês.

No mundo que vivemos, como ser pacientes?

Discutimos, nos irritamos e nos desequilibramos emocionalmente várias vezes ao dia.Cada um de nós poderá identificar, nos momentos diários, as ocasiões em que deverá aplicar a paciência para com um familiar, um colega de trabalho, um desconhecido que nos exige o exercício da tolerância e a prática da caridade calando palavras desagradáveis que muitas vezes só iriam trazer mais desequlíbrio e sofrimento.

Paciência, resignação, tolerância eis as virtudes básicas para a realização da reforma íntima. E só podemos realizar a Reforma íntima através do conhecimento de nós mesmos.

Citando o LE:

"919-A - Allan Kardec - "Compreendemos toda a sabedoria dessa máxima ( Conhece-te a ti mesmo ) mas a dificuldade está precisamente em se conhecer a si próprio. Qual o meio de se chegar a isso ????

A pergunta de Allan Kardec, Santo Agostinho, responde, oferecendo o resultado de sua própria experiência:

"Fazei o que eu fazia quando vivi na Terra: ao fim de cada dia interrogava a minha consciência, passava em revista o que havia feito e me perguntava a mim mesmo se não tinha faltado ao cumprimento de algum dever, e se ninguém teria motivo para se queixar de mim. Foi assim que cheguei a me conhecer e ver o que em mim necessitava de reforma".

Isso é AUTO-ANÁLISE - É UM PROCESSO SISTEMÁTICO E PERMANENTE DE EFEITOS DIÁRIOS E CONTÍNUOS, ONDE VAMOS AO ENCONTRO DE NÓS MESMOS."

Abraços carinhosos da Katia
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 02 de Abril de 2011, 18:37
Justiça e equilíbrio

Em determinada passagem do evangelho, o apóstolo Paulo afirma: “Pois aquilo que o homem semear, isto também ceifará”.

Habitualmente se entende que somente após a vida terrestre faremos um balanço de nossas ações, recebendo a justa recompensa, seja paz ou desequilíbrio.
Ocorre que não é necessário morrer para perceber a atuação da lei das compensações.
Reparemos o cenário da luta vulgar na Terra.
Há homens que são indiferentes às dores do próximo.
Por seu turno, eles também recebem a indiferença quanto às dores que experimentam.
Muitos optam pelo afastamento do convívio social.
Para esses a solidão deprimente é a resposta ao mundo.
Alguns se permitem utilizar extrema severidade no trato com o semelhante.
Mas também são julgados pelos outros com rigor e aspereza.
Há quem pratique, em sociedade ou em família, a hostilidade e a aversão.
Naturalmente encontra entre vizinhos e parentes primordialmente antipatia e desconfiança.
Entretanto, muitos optam por demonstrar carinho e respeito, mesmo por desconhecidos.
Esses gestos amigos granjeiam o concurso fraterno até de grupos anônimos que a todos cercam.
Pequeninas sementeiras de bondade geram abençoadas fontes de alegria.
O trabalho bem vivido produz o tesouro da competência.
Atitudes de compreensão e gentileza estabelecem solidariedade e respeito, junto a nós.
Otimismo e esperança, nobreza de caráter e puras intenções atraem preciosas oportunidades de serviço, em nosso favor.
Todo dia é tempo de semear.
Todo dia é tempo de colher.
Não é necessário atravessar as portas do túmulo para encontrar a justiça, face a face.
A justiça revela-se no cotidiano, nos princípios de causa e efeito, em todos os instantes de nossa vida.
A justiça divina é, em última instância, uma lei de harmonia.
Deus criou o mundo com base em leis perfeitas, que regem a vida e a evolução das criaturas.
A energia que lançamos no mundo, seja de paz ou de desarmonia, nos pertence.
Ela até pode afetar momentaneamente os outros, mas sempre volta à origem, para quem a emitiu.
Esse raciocínio evidencia o equívoco de pretender que Deus castiga suas criaturas.
É inconcebível imaginar Deus no papel de carrasco, sondando os atos de cada um de seus filhos, para puni-los ao menor desvio.
Ele nos dá livre-arbítrio, a fim de que cresçamos em experiência, discernimento e compreensão.
Mas também nos dá responsabilidade por nossos atos, permitindo que experimentemos as conseqüências de todos eles.
Assim, se causamos desequilíbrio no universo, fazendo mal a um semelhante, devemos restabelecer o equilíbrio original, reparando as conseqüências.
Nesse contexto, está inteiramente em nossas mãos optar pela paz ou pela discórdia, pela saúde ou pela doença.
Se tudo o que ofertamos ao mundo a nós retorna, é questão de bom senso adotarmos um padrão de conduta generoso e nobre.
A sementeira de ontem já foi lançada e hoje colhemos os seus frutos.
Não há como retornar sobre os próprios passos e desfazer o passado.
Mas o amanhã está inteiro por construir.
Optemos firmemente pelo bem, seguindo os exemplos do cristo.
Bem rápido a vida nos dará frutos de paz e amor.
Afinal, como disse o apóstolo, “aquilo que o homem semear, isto também ceifará”.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no capítulo XXXIV do livro Segue-me!..., do Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 02 de Abril de 2011, 18:44
Justiça

O quadro era muito triste. Olhamos aquela mulher outra vez. E a mente rapidamente calculou os meses intermináveis que a detém ao leito de dores.
Contemplando-lhe o corpo minado pela enfermidade, o cansaço estampado na face, a memória que a trai a cada instante, com imensos lapsos de esquecimento do passado distante, quanto do ontem ainda presente, sentimos compaixão.
Imaginamos a sua vida de trabalho e operosidade. Mulher dinâmica, valorosa, criou cinco filhos quase a sós. A profissão do esposo o mantinha semanas a fio, longe do lar.
Sempre foi ela quem decidiu, opinou, escolheu. Disciplina lhe foi nota constante. Valor que passou aos cinco filhos. Disciplina de horários, na palavra, na conduta.
Dinâmica e corajosa, enfrentou enfermidades dos filhos, dificuldades financeiras imensuráveis.
Os anos se somaram. Os filhos cresceram. Casaram e constituíram a própria família.
Vieram os netos e a soma de trabalhos não cessou, pois que agora os pequeninos lhe eram deixados à guarda, por horas, sim, desde que as forças já não eram as mesmas da juventude ativa e sadia.
E então, quando o inverno dos anos lhe cobriu de neve os cabelos, intensificaram-se as dores.
Morreram-lhe em curto espaço de anos o esposo e três filhos, em circunstâncias trágicas.
Enfraqueceram-lhe ainda mais as forças e o coração ferido se deixou desfalecer.
Acresceram-lhe as inquietudes e a doença se instalou, vigorosa.
Olhando-a agora, sobre a cama, semi-desfalecida, recordamos-lhe os esforços para a preservação da vida dos filhos, pela sua educação.
Lembrando-lhe os anos de atividade e labuta, perguntamos-nos o porquê de tanto sofrimento.
As pessoas dizem que é o ciclo natural da vida. Nascer, crescer, enfermar, morrer.
Mas a pergunta não cala em nós. Desejamos resposta mais convincente.
Afinal, dói-nos na alma observar a debilidade e a dependência da mulher mãe, esposa, avó.
Enquanto oramos por ela, soam-nos aos ouvidos as exortações do evangelho de Jesus: A cada um segundo as suas obras.
É como se pudéssemos, no recesso do Espírito, escutar a voz do Sublime Cantor Galileu, em plena natureza.
Tornamos a olhar para o corpo da enferma e agradecemos a Divindade. Podemos agora entender a sua serenidade na dor.
Ela sabe que é a justiça de Deus que a alcança, permitindo-lhe o resgate de faltas cometidas em dias passados, de vidas anteriores.
Por isso ela sorri. E ora. E espera. Aguarda os dias do reencontro com os seus amores, afirmando convicta: Quando Deus quiser, hei de partir. E estou me esforçando para seguir viagem vitoriosa.
* * *
Ninguém sofre de forma injusta.
Se assim não fosse, não poderíamos conceber que Deus, nosso Pai, fosse infinitamente justo e bom, pois puniria a bel prazer uns e outros, concedendo felicidade a outros tantos.
Dessa forma, cabe-nos cultivar a resignação ante os problemas que nos atingem e não podem ter seu curso alterado, por nossa vontade.
Contudo, é sempre bom lembrar que cada um de nós, sobre a Terra, pode se tornar instrumento da Divindade, para aliviar a carga do seu irmão, socorrendo. Eis porque a fraternidade é dever.

Redação do Momento Espírita

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 02 de Abril de 2011, 18:55
Olá Kátia, Ken, Henrique, Hebe e todos que estão neste momento estudando conosco...

Estamos muito bem sintonizados, apesar de estarmos quilômetros de distância uns dos outros, provavelmente..

Esta "historinha", ou este "causo" como gosta de dizer o Moura, que o Henrique nos trouxe estava na minha pauta de citações... não é interessante isso??

Quando estamos trabalhando para o bem, no nosso caso estudando para o nosso bem e para o bem de quem segue conosco, o Universo conspira a favor.

Por isso, quando tomamos a resolução de colocar em prática o que aprendemos, aquele burilamento do "diamante bruto" pode se dar sem muitas marteladas!!! Poderemos nos encontrar muito antes do que pensávamos.

Coloco aqui mais uma vez esta citação de Jesus que se encaixa muito bem aqui ( de novo :) ) "Vós sois deuses", citando Salmos 82:6.

Somos deuses e, por isso temos força suficiente para encarar uma transformação!!

Abraços fraternos

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: fernandes adalberto em 02 de Abril de 2011, 19:14
MUITAS vêzes falta humildade para serem mais conscienciosos com seus irmãos. a virtude é um dom muito dificil de almejar. porque ela nos levar ao ponto do verdadeiro amor.
fernandes Adalberto
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 02 de Abril de 2011, 20:02
MUITAS vêzes falta humildade para serem mais conscienciosos com seus irmãos. a virtude é um dom muito dificil de almejar. porque ela nos levar ao ponto do verdadeiro amor.
fernandes Adalberto

Desculpe-me, amigo Fernandes Adalberto...

Poderia se explicar melhor?? Acho que você está em uma linha de pensamento bem interessante, mas, se puder estender seu pensamento, poderemos dar continuidade a ele.

Pode ser??

Obrigada,

Abraços fraternos

Gisella
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 02 de Abril de 2011, 20:13
A vida nos testa todos os dias.
Seja no trabalho, em casa, com amigos parentes, não importa.
Cada pessoa que cruza nosso caminho acrescenta alguma coisa, mesmo que estabeleça uma relação aparentemente tempestuosa ou aflita, é a nossa capacidade de compreensão e de aprendizado que está sendo colocada em prova.
Cada pensamento e intenção diante dos fatos da vida  vai martelando  :D e polindo o diamante bruto tirando aos poucos toda a sua impureza até que alcance o brilho maior.
A história que Henrique nos trouxe mostra claramente como arrastamos determinada situação de conflito de um ambiente para outro causando  ainda mais desarmonia em torno de nós mesmos. É mais comum de acontecer do que se possa imaginar.
Por isso a expessão "vigiai e orai".
Não se pode apegar a dor e ao prazer ao ponto de se imobilizar por ambos.
Tudo pede serenidade e equilibrio. Muito comum em situações difíceis nossa mente ficar paralisada apenas no lado negativo.
A vida nos desafia, mas também nos presenteia muito mais todos os dias. Basta perceber.

Um abço
Hebe

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 02 de Abril de 2011, 21:16
A vida nos testa todos os dias.
Seja no trabalho, em casa, com amigos parentes, não importa.
Cada pessoa que cruza nosso caminho acrescenta alguma coisa, mesmo que estabeleça uma relação aparentemente tempestuosa ou aflita, é a nossa capacidade de compreensão e de aprendizado que está sendo colocada em prova.
Cada pensamento e intenção diante dos fatos da vida  vai martelando  :D e polindo o diamante bruto tirando aos poucos toda a sua impureza até que alcance o brilho maior.
A história que Henrique nos trouxe mostra claramente como arrastamos determinada situação de conflito de um ambiente para outro causando  ainda mais desarmonia em torno de nós mesmos. É mais comum de acontecer do que se possa imaginar.
Por isso a expessão "vigiai e orai".
Não se pode apegar a dor e ao prazer ao ponto de se imobilizar por ambos.
Tudo pede serenidade e equilibrio. Muito comum em situações difíceis nossa mente ficar paralisada apenas no lado negativo.
A vida nos desafia, mas também nos presenteia muito mais todos os dias. Basta perceber.

Um abço
Hebe



Hebe, concordo plenamente contigo...

Já no início do nosso vídeo, tem uma frase que diz: "quando eu era menino, sonhava como menino", ou seja, em cada degrau da nossa escalada evolutiva, temos que aprimorar a nossa maneira de pensar, agir e isso fará com que busquemos o próximo degrau e assim sucessivamente.

Mas quando estamos fechados em nós mesmo, não prestamos atenção nas coisas e pessoas ao nosso redor, como "cavalos" com viseiras, que só olha pra frente, quando não para baixo, pois não tem liberdade de ação.

Vivemos nessa "loucura" sem nos darmos conta.

Marina Colassanti diz:                                                 
        “...A gente se acostuma a acordar sobressaltado porque está na hora. A tomar o café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder tempo de viagem. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar  e dormir pesado sem ter vivido o dia...”

E assim vamos empurrando a vida com a barriga, como dizemos por aqui, sem nos preocuparmos em fazer "brilhar a nossa luz" que existe dentro daquele diamante bruto, sem vontade de dar as marteladas necessárias para vê-la.

O que são essas marteladas se não as dificuldades que a vida nos oferece para que pratiquemos a leis de Amor, ensinada por Jesus??

Pensemos...

Abraços fraternos,

Gisella   ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: MarcoALSilva em 02 de Abril de 2011, 21:21

Assim já me pus:

[...]
Qual o instrumento necessário para que o homem mude o curso descendente à matéria e retorne, após sua experiência como ser individualizado, à Fonte que o criou?
Esse instrumento é tudo o que o homem aprendeu a chamar de Mal...
É a dor que instrui o ser à manutenção de si mesmo, com os cuidados indispensáveis à própria conservação.
É a perda que obriga o ser à valoração das coisas que lhe vêm ao domínio.
É o medo que impede o ser de lançar-se aos devaneios aventureiros que a vontade traz.
É a humilhação que impele o ser à valoração de si mesmo, extirpando o orgulho que seduz e distorce.
É a violência que nos bate à face cada vez que tentamos burlar nossa consciência com os argumentos personalistas que ofendem nossa natureza espiritual.
E assim por diante...
[...]
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 02 de Abril de 2011, 21:57
A paciência

7. A dor é uma benção que Deus envia aos seus eleitos; não vos aflijais, pois quando sofrerdes, mas bendizei, ao contrário, o Deus todo poderoso que vos marcoupela dor neste mundo para a glória no céu.

      Sede pacientes; a paciência é tamb´´em uma caridade, e deveis praticar a lei de caridade ensinada pelo Cristo, enviado de Deus. A caridade que consiste na esmola dada aos pobres é a mais fácil das caridades; mas ha uma bem mais penosa e, consequentemente, mais meritória, é de perdor àqueles que Deus colocou sobre nosso caminho para serem instrumentos dos nossos sofrimentos e colocar a nossa paciência à prova.

    A vida é dificil, eu o sei; ela se compõe de mil nadas que são picadas de alfinetes que acabam por ferir; mas é preciso considerar os deveresque nos são impostos, as consolações e as compensações que temos por outro lado, e , então veremos que as bençãos são mais numerosas do que as dores. O fardo parece menos pesado quando se olha do alto, do que quando se curva a fronte para o chão.

   Coragem, amigos, o Cristo é o vosso modelo; ele sofreu mais do que qualquer de vós e não tinha nada a se censurar, ao passo que vós tendes vosso passado a expiar e vos fortalecer para o futuro. Sede, pois pacientes; sede Cristãos, essa palavra encerra tudo. (UM ESPIRITO AMIGO, Le Havre,1862).

Fonte. Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap 9
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: NELIANE em 02 de Abril de 2011, 22:22
O texto é muito reflequitivo, presicamos ler ele todos os dias, para lembar dessas palavras, para nos lembrar que temos de adiquiri esta virtude "a paciência".     
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: poranga em 02 de Abril de 2011, 23:12
O amor é celula  que Deus nos deu para seus filhos, que alegria sentir isso , o reino de Deus é de amor.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 02 de Abril de 2011, 23:47

Assim já me pus:

[...]
Qual o instrumento necessário para que o homem mude o curso descendente à matéria e retorne, após sua experiência como ser individualizado, à Fonte que o criou?
Esse instrumento é tudo o que o homem aprendeu a chamar de Mal...
É a dor que instrui o ser à manutenção de si mesmo, com os cuidados indispensáveis à própria conservação.
É a perda que obriga o ser à valoração das coisas que lhe vêm ao domínio.
É o medo que impede o ser de lançar-se aos devaneios aventureiros que a vontade traz.
É a humilhação que impele o ser à valoração de si mesmo, extirpando o orgulho que seduz e distorce.
É a violência que nos bate à face cada vez que tentamos burlar nossa consciência com os argumentos personalistas que ofendem nossa natureza espiritual.
E assim por diante...
[...]

Olá, MarcoASilva...

É exatamente assim como você colocou.

Somente quando o Ser Inteligente conseguir vencer a luta consigo mesmo, burilar suas imperfeições e transformá-las em virtudes, é que ele conseguirá olhar pra trás e perceber, então, que graças a estes instrumentos é que ele pode chegar onde chegou. Caso contrário, estaria estacionado na sua dor, no seu sofrimento egoístico, sentindo-se rejeitado por Deus e culpando-O, é claro, por toda a sua aflição.

Mas, Deus como Pai amoroso que é, educa suas criaturas para valorizarem cada conquista, pois somente assim conseguirá entender o que é ser feliz!!

Obrigada por sua contribuição,

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 02 de Abril de 2011, 23:54
Olá, Neliane, poranga e Henrique...

Obrigada por mais estas contribuições... o que cada um de nós contribuir para o estudo, podem ter certeza, ele crescerá muito e muitos se beneficiarão dele... é a Lei de Amor surgindo devagarinho, sem atropelos, abraçando corações e mostrando o quanto somos importantes uns para os outros.

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 00:12
Olá Amigas e Amigos do Estudo, e é claro os Visitantes também...

Hoje passei pelo teste da paciência...

Fui trabalhar na Feira de Artesanato (decoro porcelana branca, vendendo-as de sexta a domingo) e quando cheguei não encontrei as grades, que as protegem e não vi as prateleiras.

Comecei a ficar intranquila e pensava...  Não vou poder trabalhar...  Como vou dispor as porcelanas sem grades de segurança...  Se ventar (o que é frequente) elas cairão e quebrarão.  E também sem as prateleiras como vou dispor o material???  Vai ficar muito feio...   ???

Para complicar mais a situação, vieram me contar que a Sra. que guarda o material dos Feirantes faleceu nesta madrugada...   Outro  baque!!!  Comecei a notar que estava ficando nervosa.  :'(

Foi quando me lembrei do estudo e pensei...   Caaaaalma!!! se você não souber se controlar, nada irá se resolver.  Olha o estudo, você tem que praticar a paciência, a tolerância, a resignação...   :o

Aí, respirei fundo, orei e pedi amparo à Espiritualidade Amiga e fui abençoada.   :-*
Em pouquíssimo tempo eu me reequilibrei. 
O nervoso, a ansiedade e a intranquilidade deram lugar a calma, a serenidade e a tranquilidade.

Momentos depois as grades foram achadas (estavam sendo utilizadas por outra pessoa) e as prateleiras também. E quanto ao falecimento da Sra., que estava doente há muito tempo, sofrendo muito, pedi que a Espiritualidade Socorrista a amparasse e me senti bem melhor, em paz, confiante de que tudo que Deus faz é bom e está certo, nós e que pela nossa pequenez não conseguimos entender.   :)

Obrigada a todos pelos preciosos ensinamentos.

Abraços fraternos
Macili


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Kenia Fidalgo em 03 de Abril de 2011, 00:30
Gisa , meus parabens pelo estudo, esta otimoooooooo, como tudo que voce faz....


acompanhando ....

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 03 de Abril de 2011, 00:53
Olá, amigos...

Amiga Macili, muito obrigada por compartilhar conosco sua experiência. Este é o valor do nosso estudo, podermos colocar nos nossos atos, tudo aquilo que aprendemos...

Colocaremos, agora, em pauta, o tema Tolerância, outra grande virtude encontrada na Carta de Paulo, quando ele diz que o Amor não se exaspera, ou seja é tolerante.

Vamos encontrar uma passagem do livro Boa Nova e outra do livro Nossas Riquezas Maiores (Raul Teixeira), que nos dará subsídios para a continuidade do assunto:

.....
“- Mestre, chamaram-vos servo de Satanás e reagimos prontamente! Dizia Pedro, com sinceridade ingênua.
- Observávamos que por vós mesmo nunca oporíeis a contradita – ajuntava Filipe – e por isso revidamos aos ataques com a maior força de nossas expressões.
Afinal, saindo de suas reflexões silenciosas, o Mestre interrogou:
- Acaso podemos colher uvas de espinheiros? De modo algum me empenharia em Nazaré numa contradita estéril aos meus opositores. Contudo, procurei ensinar que a melhor réplica é sempre a do nosso próprio trabalho, do nosso esforço útil que nos seja possível. (...) Só devemos dizer aquilo que o nosso coração pode testificar mediante atos sinceros, porque, de outra forma, as afirmações são simples ruído sonoro de uma caixa vazia”.
(Boa Nova – cap. 10)


(...)
"Tolerar não será conivir, concordar com enganos ou com graves crimes encontrados pelo mundo afora. Será, isto sim, a presença da autodisciplina que faz com que o tolerante entenda que, no ponto onde alguém errou, erraria ele também, se estivesse preso às mesmas circunstâncias. (...)
O indivíduo intolerante, sem dúvida, é o ser impaciente. Por causa desse desajuste do caráter, quantas têm sido as enfermidades que grassam e as crises emocionais que atacam a saúde física e psicológica das criaturas?
A intolerância, à medida que se instala como característica na personalidade, vai aos poucos minando o equilíbrio dos órgãos, impondo-lhes descompensações, desde o músculo cardíaco até as especiais engrenagens do fígado. (...)
O indivíduo intolerante é antissocial. Para ele, o que não estiver de conformidade com seu modo de fazer e de ser tem que ser execrado, contradito, corrigido, denunciado, quando não lança mão da zombaria que, qualquer que seja sua manifestação, provoca conseqüências sempre danosas ao ambiente e às pessoas.
A tolerância, por sua vez, sabe corrigir, valorizando; sabe opor-se, respeitando a opinião alheia; sabe denunciar, quando isso signifique defesa, libertação ou salvação de terceiros, sem perder o passo do indispensável bom senso como do abençoado equilíbrio".
(Nossas riquezas maiores – cap. 3)



Que possamos seguir adiante com nosso estudo, para que muitos outros, assim como Macili, possa colocar em prática mais esta virtude...

Bom estudo a todos nós!

Abraços Fraternos

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 01:24
Obrigada Gisella pelas suas palavras incentivadoras e carinhosas.

Esta mensagem da Silvia Schmidt também nos dá bons exemplos a seguir...

***


Vida, Tempo e Saúde.

"A vida pode ser uma boa pescaria, e todo bom pescador sabe que a impaciência espanta os peixes".



Há um menino danado chamado Tempo.
Ele adora tirar o sossego de pessoas que não tem paciência.

Quando nos desesperamos no trânsito, naqueles enormes congestionamentos, é o
Tempo que nos injeta a vontade de largar o carro, deixar tudo e sair correndo a pé!
O Tempo racha de rir!

Nas filas de supermercados tudo para ele é uma farra!
Quando finalmente, chega a nossa vez e acaba aquele rolo de papel ticket e temos
que esperar, é um "Deus nos acuda!"
A moleza do funcionário do caixa nos tira o prumo!
Mas será que o funcionário é mole mesmo? É nada! Nós é que não temos paciência!

Em filas dos bancos, de ônibus, de cinemas, de estacionamentos e em tudo que requer
fila, sempre está o Tempo de plantão, só para se divertir com os impacientes "enfileirados".
Se o da frente dá meio passinho, o detrás já quer dar dois. Lá vem empurrão!
Se bobear vão todos pras cucuias sob "efeito dominó"!
É cômico e, para o Tempo, é uma das melhores diversões.

Em toda e qualquer situação onde a espera é a única solução, está o Tempo rindo dos nossos "trimiliques" e, para quem observa de fora, é muito divertido.
Para o Tempo, então nem se fale!

Pense em tudo que desafia sua paciência e questione-se:
"Aonde eu posso chegar com tanta impaciência?"

CUIDADO!
Diz um provérbio: "Quem tem pressa engole cru e quente".
A morte se apressa para alcançar os apressados.
Não queira ser "engolido" por ela ainda cru e quente.

A paciência é a virtude favorita da Longevidade e da Saúde.
Tenha paciência com a Vida e ela será abundantemente colaboradora, cuidadosa, generosa e paciente com você.

Elimine a impaciência e a pressa antes de ser eliminado por elas.
Sabe que assim o Tempo até ajudará você?

Sossegue. Pegue leve.
Quem gosta de pegar pesado é amestrador de elefantes.


(Silvia Schmidt).
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 03 de Abril de 2011, 01:53
Olá, Macili... ótimo texto para rir e meditar!!!  :D

Segue mais um trecho do livro Fonte Viva, cap. 163 sobre a Tolerância:

(...)

"É impossível qualquer ação de conjunto, sem base na tolerância.

Aprendamos com o Cristo.

O homem identifica no próprio corpo a lei da cooperação, sem a qual não permaneceria na Terra.

Se o estômago não suportasse as extravagâncias da boca, se as mãos não obedecessem aos impulsos da mente, se os pés não tolerassem o peso da máquina orgânica, a harmonia física resultaria de todo impraticável. (...)

Indispensável cultivar a renúncia aos pequenos desejos que nos são peculiares, a fim de conquistarmos a capacidade de sacrifício, que nos estruturará a sublimação em mais altos níveis. (...)

E para que possamos agir nessas normas, é imperioso suportar-nos como irmãos, aprendendo com o Senhor, que nos tem tolerado infinitamente".



Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 02:31
Oi Gisella, 

Agora, um texto sobre Justiça, muito interessante e com profundos ensinamentos.
Espero que enriqueça o estudo.

***

   
  Justiça de Cima

      Quatro operários solteiros quase todos da mesma idade compareceram ao tribunal de Justiça de Cima, depois de haverem perdido o corpo físico, num acidente espetacular.

      Na Terra, foram analisados por idêntico padrão.

      Excelentes rapazes, aniquilados pela morte, com as mesmas homenagens sociais e domésticas.

      Na vida espiritual, contudo, mostravam-se diferentes entre si, reclamando variados estudos e diversa apreciação.

      Ostentando, cada qual, um halo de irradiações específicas, foram conduzidos ao juiz que lhes examinara o processo, durante alguns dias, atenciosamente.

      O magistrado convidou um a um a lhe escutarem as determinações, em nome do Direito Universal, perante numerosa assembléia de interessados nas sentenças.

      Ao primeiro deles, cercados de pontos escuros, como se estivesse envolvido numa atmosfera pardacenta, o compassivo julgador disse, bondoso:

      - De tuas notas, transparecem os pesados compromissos que assumiste, utilizando os teus recursos de trabalho para fins inconfessáveis. Há viúvas e órfãos, chorando no mundo, guardando amargas recordações de tua influência.

      E porque o interpelado inquirisse quanto ao futuro que o aguardava, o árbitro amigo observou, sem afetação:

      - Volta à paisagem onde viveste e recomeça a luta de redenção, reajustando o equilíbrio daqueles que prejudicaste. És naturalmente obrigado a restituir-lhes a paz e a segurança.

      Aproximou-se o segundo, que se movimentava sob irradiações cinzentas, e ouviu as seguintes considerações:

      - Revelam os apontamentos a teu respeito que lesaste a fábrica em que trabalhavas. Detiveste vencimento e vantagens que não correspondem ao esforço que despendeste.

      E, percebendo-lhe as interrogações mentais, acrescentou:

      - Torna ao teu antigo núcleo de serviço e auxilia os teus companheiros e as máquinas que exploraste em mau sentido. É indispensável resgates os débitos de alguns milhares de horas, junto deles, em atividade assistencial.

      Ao terceiro que se aproximou, a destoar dos precedentes pelo aspecto em que se apresentava, disse o juiz, generoso:

      - As informações de tua romagem no Planeta Terrestre explicam que demonstraste louvável correção no proceder. Não te valeste das tuas possibilidades de serviço para prejudicar os semelhantes, não traíste as próprias obrigações e somente recebeu do mundo aquilo que te era realmente devido. A tua consciência está quite com a Lei. Podes escolher o teu novo tipo de experiência, mas ainda na Terra, onde precisas continuar no curso da própria sublimação.

      Em seguida, surgiu o último. Vinha nimbado de belo esplendor. Raios de safira claridade envolviam-no todo, parecendo emitir felicidade e luz em todas as direções.

      O juiz inclinou-se, diante dele, e informou:

      - Meu amigo, a colheita de tua sementeira confere-te a elevação. Serviços mais nobres esperam-te mais alto.

      O trabalhador humilde, como que desejoso de ocultar a luz que o coroava, afastou-se em lágrimas de júbilo e gratidão, nos braços de velhos amigos que o cercavam, contentes, e, em razão das perguntas a explodirem nos colegas despeitados, que asseveravam nele conhecer um simples homem de trabalho, o julgador esclareceu persuasivo e bondoso:

      - O irmão promovido é um herói anônimo da renúncia. Nunca impôs qualquer prejuízo a alguém, sempre respeitou a oficina em que se honrava com a sua colaboração e não se limitou a ser correto para com os deveres, através dos quais conquistava o que lhe era necessário à vida. Sacrificava-se pelo bem de todos. Soube ser delicado nas situações mais difíceis. Suportava o fígado enfermo dos colegas, com bondade e entendimento. Inspirava confiança. Distribuía estímulo e entusiasmo. Sorria e auxiliava sempre. Centenas de corações seguiram-no, além da morte, oferecendo-lhe preces, alegrias e bênçãos.

      A Lei Divina jamais se equivoca.

      E porque o julgamento fora satisfatoriamente liquidado, o tribunal da Justiça de Cima, encerrou a sessão.



Irmão X
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 02:39
Oi Gisella,

Belo texto, caiu como uma luva... :D

(...)
"Tolerar não será conivir, concordar com enganos ou com graves crimes encontrados pelo mundo afora. Será, isto sim, a presença da autodisciplina que faz com que o tolerante entenda que, no ponto onde alguém errou, erraria ele também, se estivesse preso às mesmas circunstâncias. "(...)

Hebe: Penso que  aqui  a tolerância pelo erro alheio é se colocar no lugar do outro para compreendê-lo em suas atitudes, e não julgá-lo de forma incisiva. Assim como o outro erra também podemos errar dependendo das circunstâncias.


"O indivíduo intolerante, sem dúvida, é o ser impaciente. Por causa desse desajuste do caráter, quantas têm sido as enfermidades que grassam e as crises emocionais que atacam a saúde física e psicológica das criaturas?
A intolerância, à medida que se instala como característica na personalidade, vai aos poucos minando o equilíbrio dos órgãos, impondo-lhes descompensações, desde o músculo cardíaco até as especiais engrenagens do fígado." (...)


Hebe: todo o sentimento de irritabilidade descompensa o organismo. O texto chama à atenção para mantermos a serenidade diante dos pequenos desajustes que nos acontece ou que assistimos.

O indivíduo intolerante é antissocial. Para ele, o que não estiver de conformidade com seu modo de fazer e de ser tem que ser execrado, contradito, corrigido, denunciado, quando não lança mão da zombaria que, qualquer que seja sua manifestação, provoca conseqüências sempre danosas ao ambiente e às pessoas.

Hebe: Pensamento perfeito. Quem consegue conviver com um ser que impõe a sua maneira de pensar  tolindo a liberdade do outro?
 Ninguém. A liberdade na convivência é essencial

"A tolerância, por sua vez, sabe corrigir, valorizando; sabe opor-se, respeitando a opinião alheia; sabe denunciar, quando isso signifique defesa, libertação ou salvação de terceiros, sem perder o passo do indispensável bom senso como do abençoado equilíbrio".
(Nossas riquezas maiores – cap. 3)


Muito mais pode ser dito sobre  esse aspecto. Vamos desenvolvendo conforme os textos vão se apresentando.

Um abço
Hebe

 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 02:41
Amigos do estudo,

falando um pouco mais da justiça...


***


     
Justiça Infalível, Mas Misericordiosa

      A lei de ação e reação é perfeita. Tudo o que fazemos para os outros retorna para nós mesmos. O mal que distribuímos – de qualquer espécie –, seja em calúnia ou prejuízos e sofrimentos causados ao próximo, redundará em aflições futuras e exigirão reparação.

      Por outro lado, o bem que dedicarmos ao próximo retornará como alívio e bênçãos no futuro. Nada do que fazemos se perde. E tudo isso é aprendizado.

      O que ocorre, porém, em crimes bárbaros, especialmente envolvendo crianças.

      Qual a situação do agressor e da vítima?

      Há que considerar que todo agressor é alguém necessitado de misericórdia, pois está enfermo, desequilibrado. E, embora desequilibrado em suas ações, responderá pelos sofrimentos que causou, senão pela justiça humana, mas sempre pela Justiça Divina, pois que a vida tem inumeráveis mecanismos de reparação. Nesta ou em outras existências.

      Quanto à vítima, criança ou adulto, porque sofre tais ações?

      Não temos condições de julgar ou avaliar, pois não temos conhecimento completo da história da vítima, pois que tais registros extrapolam a presente existência. E o mesmo podemos dizer do agressor. Que laços ligam a ambos? Qual o relacionamento entre ambos no passado? Não sabemos.

      Porém, algo é correto: ninguém sofre por acaso. Há todo um perfeito mecanismo de justiça que enquadra cada situação conforme necessidades de todas as partes.

      Mesmo assim, a justiça é extremamente misericordiosa. Ampara sempre.

      E nunca poderemos generalizar, pois cada caso é único.

      Para os que duvidam seria o caso de perguntam porque determinadas pessoas escapam ilesas de acidentes pavorosos, sem qualquer arranhão? Seria o caso de perguntam porque certos acontecimentos atingem uns e não outros. Por que para uns a saúde e/ou a riqueza e para outros a miséria, a destruição, a doença?

      É em torno de toda esta temática que devemos refletir sobre as palavras de Jesus: a cada um segundo suas próprias obras. E para corrigir todas essas distorções, haver justiça – sem dispensa da misericórdia –, e promover o bem geral há o mecanismo de outra lei: a reencarnação, ou a pluralidade das existências, que corrige e abre renovadas oportunidades de aprendizado, recomeço e reparação para os equívocos de todo dia.

Orson Carrara

Sobre o Autor

    * Orson Peter Carrara nasceu em Mineiros do Tietê-SP, no dia 10 de Março de 1960, cidade onde viveu até os 40 anos. Sempre gostou de escrever e falar em público, sendo auto-didata nestas áreas, como leitor inveterado e pesquisador nato. Hoje reside em Matão-SP, é casado e pai de 3 filhos, tendo trabalhado como Assessor de Imprensa na "Casa Editora O Clarim", publicando artigos nos principais órgãos da imprensa espírita brasileira e internacional. além de atuar como escritor e palestrante em todo o país.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 03:11
Queridas Amigas, Amigos e Visitantes.

Continuando a falar em justiça, deixo aqui mais um texto para nossa reflexão...


***

Do Livro: Renovando Atitudes
Índice das citações de "O Evangelho Segundo o Espiritismo".

V - Bem-Aventurados os Aflitos.
.    Justiça das Aflições.(item 3, pág. 45)

Eu não merecia

"... Por que uns nascem na miséria e outros na opulência, sem nada terem feito para justificar essa posição? Por que para uns nada dá certo, enquanto que para outros tudo parece sorrir?..."
"... As vicissitudes da vida têm, pois, uma causa, e, uma vez que Deus é justo, essa causa deve ser justa. Eis do que cada um deve compenetrar-se bem..."
(Cap. V, item 3.)


     Assumir total responsabilidade por todas as coisas que acontecem em nossa vida, incluindo sentimentos e emoções, é um passo decisivo em direção a nossa maturidade e crescimento interior.

     A tendência em acusar a vida, as pessoas, a sociedade, o mundo enfim, é tão antiga quanto o gênero humano; e muitos de nós crescemos aprendendo a raciocinar assim, censurando todos e tudo, nunca examinando o nosso próprio comportamento, que na verdade decide a vida em nós e fora de nós.

     Assimilamos o "mito do vitimismo" nas mais remotas religiões politeístas, vivenciadas por todos nós durante as várias encarnações, quando os deuses temperamentais nos premiavam ou castigavam de conformidade com suas decisões arbitrárias. Por termos sido vítimas nas mãos dessas divindades, é que passamos a usar as técnicas para apaziguar as iras divinas, comercializando favores com oferendas a Júpiter no Olimpo, a Netuno nas atividades do oceano, a Vênus nas áreas afetivas e a Plutão, deus dos mortos e dos infernos.

     Aprendemos a justificar com desculpas perfeitas os nossos desastres de comportamento, dizendo que fomos desamparados pelos deuses, que a conjunção dos astros não estava propícia, que a lua era minguante e que nascemos com uma má estrela.

     Ainda muitos de nós acreditamos ser vítimas do pecado de Adão e Eva e da crença de um deus judaico que privilegia um povo e despreza os outros, surgindo assim a idéia da hegemonia divina das nações.

      As pessoas que acreditam ser "vítimas da fatalidade" continuam a apontar o mundo exterior como culpado dos seus infortúnios. Recusam absolutamente reconhecer a conexão entre seus modos de pensar e os acontecimentos exteriores. São influenciadas pelas velhas crenças e se dizem prejudicadas pela força dos hábitos, pelas cargas genéticas e pela forma como foram criadas, afirmando que não conseguem ser e fazer o que querem. Não sabem que são arquitetos de seu destino, nem se conscientizam de que o passado determina o presente, o qual, por sua vez, determina o futuro.

      A vítima sente-se impotente e indefesa em face de um destino cruel. Sem força nem capacidade de mudar, repetidas vezes afirma: "Eu não merecia isto", "A vida é injusta comigo", nunca lhe ocorrendo, porém, que o seu jeito de ser é que materializa pessoas e situações em sua volta.

      Defendem seus gestos e atitudes infelizes dizendo: "Meus problemas são causados por meu lar", "Os outros sempre se comportam desta forma comigo". Desconhecem que as causas dos problemas somos nós e que, ao renascermos, atraímos esse lar para aprendermos a resolver nossos conflitos. São os nossos comportamentos interiores que modificam o comportamento dos outros para conosco. Se somos, pois, constantemente maltratados é porque estamos constantemente nos maltratando e/ou maltratando alguém.

     Ninguém pode fazer-nos agir ou sentir de determinada maneira sem a nossa permissão. Outras pessoas ou situações poderão estimular-nos a ter certas reações, mas somente nós mesmos determinaremos quais serão e como serão essas reações. As formas pelas quais reagimos foram moldadas pelas experiências em várias vidas e sedimentadas pela força de nossas crenças interiores - mensagens gravadas em nossa alma.

     Portanto, precisamos assumir o camando de nossa vida e sair do posicionamento infantil de criaturas mimadas e frágeis, que reclamam e se colocam como "vítimas do destino".

      Admitir a real responsabilidade por nossos atos e atitudes é aceitar a nossa realidade de vida - as metas que alteram a sina de nossa existência.

     Em vez de atribuirmos aos outros e ao mundo nossas derrotas e fracassos, lembremo-nos de que "as vicissitudes da vida têm, pois, uma causa, e, uma vez que Deus é justo, essa causa deve ser justa".


Ditado por Hammed, psicografia de Francisco do Espírito Santo Neto.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 03:38
Olá queridos Amigos, Amigas e Visitantes...

Dando continuidade ao tema Resignação...


***


Do Livro: Renovando Atitudes
Índice das citações de "O Evangelho Segundo o Espiritismo".

V - Bem-Aventurados os Aflitos.
Motivos de Resignação - (item 13, Pág. 133)


A arte da aceitação

"... O homem pode abrandar ou aumentar a amargura
 das suas provas pela maneira que encara a vida terrestre..."
"... contentar-se com sua posição sem invejar a dos outros, de
atenuar a impressão moral dos reveses e das decepções que
experimenta; ele haure nisso uma calma e uma resignação..."
(Cap. V, item 13.)


      Aceitar nossa realidade tal qual é representa um ato benéfico em nossa vida. Aceitação traz paz e lucidez mental, o que nos permite visualizar o ponto principal da partida e realizar satisfatoriamente nossa transformação interior.

      Só conseguimos modificar aquilo que admitimos e que vemos calaramente em nós mesmos, isto é, se nos imaginarmos outra pessoa, vivendo em outro ambiente, não teremos um bom contato com o presente e, conseqüentemente, não depararemos com a realidade.

      A propósito, muitos de nós fantasiamos o que poderíamos ser, não convivendo, porém, com nossa pessoa real. Desgastamos dessa forma uma enorme energia, por carregarmos constantemente uma série de máscaras como se fossem utilitários permanentes.

     A atitude de aceitação é quase sempre característica dos adultos serenos, firmes e equilibrados, à qual se soma o estímulo que possuem de senso de justiça, pos enxergam a vida através do prisma da eternidade. Esses indivíduos retêm um considerável "coeficiente evolutivo", do qual se deduz que já possuem um potencial de aceitação, porquanto aprenderam a respeitar os mecanismos da vida, acumulando pacificamente as experiências necessárias a seu amadurecimento e desenvolvimento espiritual.

      Quando não enfrentamos os fatos existenciais com plena aceitação, criamos quase sempre uma estrutura mental de defesa. Somos levados a reagir com "atitudes de negação", que são em verdade molas que abrandam os golpes contra nossa alma. São consideradas fenômeno psicológico de "reação natural e instintiva" às dores, conflitos, mudanças, perdas e deserções e que, por algum tempo, nos alivia dos abalos da vida, até que possamos reunir mais forças, para enfrentá-los e aceitá-los verdadeiramente no futuro.

     Não negamos por ser turrões ou teimosos, como pensam alguns; não estamos nem mesmo mentindo a nós próprios. Aliás, "negar não é mentir", mas não se permitir "tomar consciência" da realidade.

     Talvez esse mecanismo de defesa nos sirva durante algum tempo; depois passa a nos impedir o crescimento e a nos danificar profundamente os anseios de elevação e progresso. 

     Auto-aceitação é aceitar o que somos e como somos. Não a confundamos como uma "rendição conformada", e que nada mais importa. De fato, acontece que, ao aceitar-nos, inicia-se o fim da nossa rivalidade com nós mesmos. A partir disso, ficamos do lado da nossa realidade em vez de combatê-la.

     Diz o texto: "O homem pode abrandar ou aumentar a amargura das suas provas pela maneira que encara a vida terrestre". Aceitação é bem uma maneira nova de "encarar" as circunstâncias da vida, para que a "força do progresso" encontre espaços e não mais limites na alma até então restrita, pois a "vida terrestre" nada mais é do que o relacionar-se consigo mesmo e com os outros no contexto social em que se vive.

     Aceitar-se é ouvir calmamente as sugestões do mundo, prestando atenção nos "donos da verdade" e admitindo o modo de ser dos outros, mas permanecer respeitando a nós mesmos, sendo o que realmente somos e fazendo o que achamos adequado para nós próprios.

     Em vista disso, concluímos que aceitação não é adaptar-se a um modo conformista e triste de como tudo vem acontecendo, nem suportar e permitir qualquer tipo de desrespeito ou abuso à nossa pessoa. antes, é ter a habilidade necessária para admitir realidades, avaliar acontecimentos e promover mudanças, solucionando assim os conflitos existenciais. E sempre caminhar com autonomia para poder atingir os objetivos pretendidos.



Ditado por Hammed, psicografia de Francisco do Espírito Santo Neto.


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 03 de Abril de 2011, 03:39
Olá, Macili, obrigada por suas contribuições.....

Amigos, em cada momento de nossas vidas, nos deparamos com situações em que a Tolerância é testada e precisamos ficar atentos para não deixar essas oportunidades passarem.

Vamos meditar sobre este texto de Emmanuel??

Tolerância

Tolerância é caminho de paz.

Não julgues esse ou aquele companheiro ignorante ou desinformado, porquanto, se aprendeste a ouvir, já sabes compreender.

Diante de criaturas que te enderecem qualquer agressão, conversa com naturalidade, sem palavras de revide que possam desapontar o interlocutor.

Perante qualquer ofensa, não percas o sorriso fraternal e articula alguma frase, capaz de devolver o ofensor à tranqüilidade.

Nos empecilhos da existência, tolera os obstáculos sem rebeldia e eles se te farão facilmente removíveis.

No serviço profissional, suporta com paciência o colega difícil, e, aos poucos, em te observando a calma e a prudência, ele mesmo transformará para melhor as próprias disposições.

Em família, tolera os parentes menos simpáticos e, com os teus exemplos de abnegação, conquistarás de todos eles a bênção da simpatia.

No trânsito público, não passes recibo aos palavrões que alguém te dirija e evitará discussões de conseqüências imprevisíveis.

Nos aborrecimentos e provações que te surgem, a cada dia, suporta com humildade as ocorrências suscetíveis de ferir-te, e a tolerância se te fará a trilha de acesso à felicidade, de vez que aceitarás todos os companheiros do mundo na condição de filhos de Deus e nossos próprios irmãos.

Plantão de Paz
Emmanuel
Psicografia de Francisco Cândido Xavier


E, por falar em tolerância, já são 23:35h (horário de Brasília) e meu marido está me aguardando para assistir a um filme do James Bond - o 007...  ;D
Se eu não sair daqui agora, será que ele ainda vai ser tolerante e paciente comigo  ???

Por isso, até amanhã, amigos... e que Jesus ilumine nossa noite e abençoe o nosso domingo!!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 03 de Abril de 2011, 04:13
Olá amigos do estudo mensal....

Citações se Sabedoria proferidas pelo Dalai Lama                         

(1ª visita de Sua Santidade a Portugal em Novembro de 2001):

"Considero que espiritualidade diz respeito às qualidades do espírito humano como o amor e a compaixão, a paciência, a tolerância, o perdão, o contentamento, o sentido da responsabilidade e da harmonia, que dão felicidade para si e para os outros."

"De acordo com a minha experiência, a principal característica da felicidade genuína é a paz - a paz interior."

"Não estou a pedir a ninguém para renunciar ao seu modo de vida atual, adaptando novas regras ou maneiras de pensar. Mais exatamente a minha intenção é sugerir que cada um de nós, mantendo a sua vida diária, possa mudar, possa tornar-se num ser humano melhor, mais compassivo e mais feliz. E assim, tornando-nos indivíduos melhores, mais compassivos, podemos começar a pôr em prática a revolução espiritual."

"A minha mensagem é a prática do amor, da compaixão e da bondade. Estas qualidades são muito úteis para vivermos o nosso quotidiano mais harmoniosamente, e também muito importantes para a sociedade humana como um todo."

"A bondade é o que realmente importa. A bondade, o amor e a compaixão combinados são sentimentos que levam à essência da fraternidade. São os alicerces da paz interior."

"Com sentimentos de ódio e rancor, é muito difícil alcançar a paz interior. Neste sentido, as religiões e crenças são convergentes. Em todas as grandes religiões do mundo, a ênfase é no espírito de fraternidade."

"Ninguém pode prever o que acontecerá daqui a algumas décadas ou séculos, por exemplo, qual o impacto que o desflorestamento terá sobre o clima, o solo, as chuvas. Temos muitos problemas porque as pessoas estão centradas nos seus próprios interesses, em ganhar dinheiro e não estão a pensar no bem-estar da comunidade como um todo. Não estão a pensar na Terra a longo prazo, e nos efeitos ambientais adversos sobre o homem. Se nós, da actual geração, não reflectirmos sobre estas questões agora, as gerações futuras não terão como lidar com elas."

"Muitos de nós juntam-se sob o mesmo sol resplandecente, falando línguas diversas, vestindo indumentárias diferentes e até mesmo possuindo crenças distintas. Contudo, nós todos somos idênticos como seres humanos e individualmente únicos. Desejamos todos, indistintamente, a felicidade e não o sofrimento."

"Rancor, ódio, ciúme: não é possível encontrar a paz com eles. Podemos resolver muitos dos nossos problemas por meio da compaixão e do amor. Só assim nos desarmaremos e encontraremos a verdadeira felicidade. Uma das maiores virtudes é a compaixão. A compaixão não pode ser comprada numa loja de departamentos ou fabricada por máquinas. Ela advém do crescimento interior. Sem paz de espírito, é impossível haver paz no mundo."

"Na nossa vida, cultivar a tolerância é muito importante. Com tolerância, pode-se facilmente superar as dificuldades. Caso ainda tenha pouca ou nenhuma tolerância, ficará irritado muito facilmente. Em situações difíceis, terá reacções extremas. Na minha vida, já reflecti muito a respeito desta questão e sinto que a tolerância é algo que deve ser praticado no mundo inteiro, no seio da sociedade humana. Mas, quem nos ensina tolerância? Pode ser que os seus filhos o ensinem a cultivar a paciência, mas é o seu "inimigo" quem irá ensinar-lhe a prática da tolerância. "O inimigo" é o seu mestre. Mostre-lhe respeito, ao invés de ódio. Dessa forma, a verdadeira compaixão irá brotar de seu interior e essa compaixão é a base de tudo aquilo que você é e acredita."

"Se colocarmos os níveis de consciência mais subtis ao nosso serviço, estaremos a expandir a nossa mente. Assim sendo, as virtudes originais da mente podem expandir-se ilimitadamente."

"Sem amor, a sociedade humana encontra-se numa situação difícil. Sem amor, iremos enfrentar problemas terríveis no futuro. O amor é o centro da vida."

"Se tiver amor e compaixão por todos os seres, em especial pelos seus inimigos, este é o verdadeiro amor e a verdadeira compaixão. O amor e compaixão, nutridos pelos seus amigos, esposa e filhos, não são verdadeiros na sua essência. "

"A nossa sombra interior, a que chamamos de ignorância, é a raiz de todo o sofrimento. Quanto mais luz houver, menos a sombra se manifestará.

"Deve haver um equilíbrio entre o progresso espiritual e o material. Atinge-se esse equilíbrio por meio de princípios baseados no amor e na compaixão. O amor e a compaixão são a essência de todas as religiões, que têm muito a aprender entre si. O objectivo primordial de todas as religiões é criar seres humanos mais tolerantes, mais compassivos e menos egoístas."

Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 04:18
Gisella,

Não precisas me agradecer, é um prazer participar do estudo e assim ajudar a todos os nossos irmãos de caminhada e a mim mesma, com as msgs que nos enriquecem interiormente.

Desculpe, mas gostaria de deixar este líndo vídeo "Alguém para amar", para refrescar nossas almas.

Tenham todos uma noite de paz!!!



Alguém para amar - Reflexão (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUI5YlIybl9oVWNVIw==)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 04:29
Belíssimo video Macili.
Madre Thereza de Calcutá foi um belo exemplo na Terra.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 03 de Abril de 2011, 04:31
Olá,

"A ciência incha, mas o amor edifica" - Paulo (I Coríntios, 8:1)

A ciência pode estar cheia de poder, mas só o amor beneficia.

A ciência, em todas as épocas, conseguiu inúmeras expressões evolutivas.

Vemo-la no mundo, exibindo realizações que pareciam quase inatingíveis.

Máquinas enormes cruzam os ares e o fundo dos oceanos.

A palavra é transmitida, sem fios, a longa distâncias.

A imprensa difunde raciocínios mundiais.

Mas, para essa mesma ciência pouco importa que o homem lhe use o frutos para o bem ou para o mal.

Não compreende o desinteresse, nem as finalidades santas.

O amor, porém, aproxima-se de seus labores e retifica-os, conferindo-lhe a consciência do bem.

Ensina que cada máquina deve servir para Deus, que somente se deveria transmitir a palavra edificante como dádiva do Altíssimo, que apenas seria justa a publicação dos raciocínios elevados para o esforço redentor das criaturas.

Se a ciência descobre explosivos, esclarece o amor quanto à utilização deles na abertura de estradas que liguem os povos.

Se a primeira confecciona um livro, ensina o segundo como gravar a verdade consoladora.

A ciência pode concretizar muitas obras úteis, mas só o amor institui as obras mais altas.

Não duvidamos de que a primeira, bem interpretada, possa dotar o homem de um coração corajoso; entretanto, somente o segundo pode dar um coração iluminado.

O mundo permanece em obscuridade e sofrimento, porque a ciência foi assalariada pelo ódio, que aniquila e perverte, e só alcançará o porto de segurança quando se render plenamente ao amor de Jesus-Cristo.

Emmanuel


Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 04:41
"Prece pela tolerância"

- Voltaire, séc. XVIII -

 

"Não é mais aos homens que me dirijo. É a você, Deus de todos os seres, de todos os mundos e de todos os tempos: Que os erros agarrados à nossa natureza não sejam motivo de nossas calamidades.

Você não nos deu coração para nos odiarmos nem mãos para nos enforcarmos. Faça com que nos ajudemos mutuamente a suportar o fardo de uma vida penosa e passageira.

Que as pequenas diferenças entre as vestimentas que cobrem nossos corpos, entre nossos costumes ridículos, entre nossas leis imperfeitas e nossas opiniões insensatas não sejam sinais de ódio e perseguição.

Que aqueles que acedem velas em pleno dia para te celebrar, suportem os que se contentam com a luz do sol.

Que os que cobrem suas roupas com um manto branco para dizer que é preciso te amar, não detestem os que dizem a mesma coisa sob um manto negro.

Que aqueles que dominam uma pequena parte desse mundo, e que possuem algum dinheiro, desfrutem sem orgulho do que chamam poder e riqueza e que os outros não os vejam com inveja, mesmo porque você sabe que não há nessas vaidades nem o que invejar nem do que se orgulhar.

Que eles tenham horror à tirania exercida sobre as almas, como também execrem os que exploram a força do trabalho. Se os flagelos da guerra são inevitáveis, não nos violentemos em nome da paz.

Que possam todos os homens se lembrar que eles são irmãos! "

 

Vídeo no youtube:

Voltaire - Prece pela Tolerância (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PThkSGdfVHlDN3ZZIw==)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 04:48
Boa Noite, Si, Macili e demais amigos que acompanham o estudo, muito obrigada pelas colaborações aqui postadas.
Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 03 de Abril de 2011, 04:54
Olá,

TRANSFORMAÇÃO PELO AMOR

“Que vos ameis uns aos outros: como eu vos amei a vós...”
Jesus (João, 13:34.)

Certa feita, um grande pensador da atualidade estava sendo entrevistado por um grupo de acadêmicos e universitários sobre diversos temas. Quando então, um dos jovens presentes, levantou a seguinte pergunta: Qual é a melhor religião?

Vale frisar que muitas pessoas já levantaram este questionamento algum dia, no entanto, não obtiveram uma resposta convincente e racional. Mas enfim, após breve reflexão, sem hesitações, o homem respondeu: A melhor religião é aquela que nos transforma em homens melhores.

Ao ouvirmos esta resposta, nos lembramos de um breve comentário de Kardec, na obra O Evangelho Segundo o Espiritismo: “Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral e pelos esforços que empreende em domar as suas inclinações más”. Daí em diante, ficamos um bom tempo refletindo sobre esta questão, pois percebemos que o ponto patente e fundamental na evolução espiritual do ser humano não se restringe à religião, mas decorre, sobretudo e principalmente da sua transformação, que no caso é moral, portanto íntima.

Com isso, surge outra questão: Como realizar a transformação íntima com o objetivo de me tornar uma pessoa melhor? Para responder esta pergunta vamos fazer uma analogia. Quando construímos ou reformamos uma casa, temos que ter em mãos ferramentas adequadas ao trabalho que nos auxiliem na empreitada, tais como a pá, a enxada, a marreta dentre outros. De forma análoga, quando buscamos construir valores íntimos ou transformar os já conquistados, necessitamos também de ferramentas, devem estar de acordo com o meio em que serão utilizadas.

E quais são estas ferramentas? Paulo de Tarso nos dá algumas dicas através de seu belíssimo comentário, registrado na carta endereçada aos Coríntios já registrada no início deste estudo, " Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria."

Concluímos com isso que por mais que saibamos, por mais que realizemos auxílios materiais aos mais necessitados, mesmo que sejamos portadores de uma mediunidade espetacular e façamos prodígios “milagrosos”, sem a movimentação do amor no nosso íntimo, como premissa para nossas atitudes externas, não obteremos êxito na nossa transformação moral. Portanto, encerramos com o chamado do Amável Mestre: “Que vos ameis uns aos outros: como eu vos amei a vós...”.           (Hilton Alves)


Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Nielson em 03 de Abril de 2011, 06:19
Olá Gisella! Olá pessoal!

Bem, antes de tudo, gostaria de parabenizá-la por tão pertinente tema!

Acho importante exercitar a paciência em primeiro lugar, pois ela nos levará a sermos mais resignados e tolerantes. É com paciência que esperamos que a Justiça Divina alcance a todos.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 03 de Abril de 2011, 10:59
Bom dia e um ótimo domingo a todos

Desculpar

Desculpe e você compreenderá.
Onde existe amor não há lugar para ressentimento.
Ao colocar-se na condição de quem erra, seja qual seja o problema, de imediato, você notará que a compaixão nos dissolve qualquer sombra de crítica.
A existência humana é uma coleção de testes em que a Divina Sabedoria nos observa, com vistas à nossa habilitação para a Vida Superior; quem hoje condena o próximo não sabe que talvez amanhã esteja enfrentando os mesmos problemas daqueles companheiros presentemente em dificuldade.
Nos esquemas da Eterna Justiça, o perdão é a luz que extingue as trevas.
Às vezes, aquilo que parece ofensa é o socorro oculto do Mundo Espiritual em seu benefício.
A misericórdia vai além do perdão, criando o esquecimento do mal.
Em muitas ocasiões a Divina Providência nos permite erro para que aprendamos a perdoar.
A indulgência é a fonte que lava os venenos da culpa.
Perdão é a fórmula da paz.
Aprendamos a tolerar, para que sejamos tolerados.

Respostas da Vida Pelo Espírito
André Luiz
Francisco Cândido Xavier


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 03 de Abril de 2011, 11:06
A justiça e os dramas humanos

O artigo de um juiz, publicado em jornal de grande circulação, é de causar emoção nas almas mais insensíveis.

Seu artigo diz o seguinte:

“Indaga-me jovem amigo se as sentenças podem ter alma e paixão.

O esquema legal da sentença não proíbe que tenha alma, que nela pulsem vida e emoção, conforme o caso.

Na minha própria vida de juiz senti muitas vezes que era preciso dar sangue e alma às sentenças.

Como devolver, por exemplo, a liberdade a uma mulher grávida, presa porque trazia consigo algumas gramas de maconha, sem penetrar na sua sensibilidade, na sua condição de pessoa humana?

Foi o que tentei fazer ao libertar Edna, uma pobre mulher que estava presa há 8 meses, prestes a dar à luz, com o despacho que a seguir transcrevo:

A acusada é multiplicadamente marginalizada:

Por ser mulher, numa sociedade machista...

Por ser pobre, cujo latifúndio são os sete palmos de terra dos versos imortais do poeta.

Por ser prostituta, desconsiderada pelos homens, mas amada por um Nazareno que certa vez passou por este Mundo.

Por não ter saúde. Por estar grávida, santificada pelo feto que tem dentro de si.

Mulher diante da qual este juiz deveria se ajoelhar numa homenagem à maternidade, porém que, na nossa estrutura social, em vez de estar recebendo cuidados pré-natais, espera pelo filho na cadeia.

É uma dupla liberdade a que concedo neste despacho: liberdade para Edna e liberdade para o filho de Edna que, se do ventre da mãe puder ouvir o som da palavra humana, sinta o calor e o amor da palavra que lhe dirijo, para que venha a este Mundo, com forças para lutar, sofrer e sobreviver.

Quando tanta gente foge da maternidade...

Quando pílulas anticoncepcionais, pagas por instituições estrangeiras, são distribuídas de graça e sem qualquer critério ao povo brasileiro...

Quando milhares de brasileiras, mesmo jovens e sem discernimento, são esterilizadas...

Quando se deve afirmar ao Mundo que os seres têm direito à vida, que é preciso distribuir melhor os bens da Terra e não reduzir os comensais...

Quando, por motivo de conforto ou até mesmo por motivos fúteis, mulheres se privam de gerar, Edna engrandece hoje este Fórum, com o feto que traz dentro de si.

Este juiz renegaria todo o seu credo, rasgaria todos os seus princípios, trairia a memória de sua mãe, se permitisse sair Edna deste Fórum sob prisão.

Saia livre, saia abençoada por Deus...

Saia com seu filho, traga seu filho à luz...

Porque cada choro de uma criança que nasce é a esperança de um Mundo novo, mais fraterno, mais puro, e algum dia cristão...

Expeça-se incontinenti o alvará de soltura.”

O artigo vem assinado pelo Meritíssimo Juiz João Batista Herkenhoff, Livre-docente da Universidade Federal do Espírito Santo.
* * *
Ao ler o despacho desse magistrado, a esperança de um Mundo novo e justo se desdobra à nossa frente.

Esperança de um dia as leis humanas se tornarem educativas e não punitivas.

Esperança de ver as sanções proporcionais às faltas cometidas.

Esperança de, num julgamento, ser levado em conta o passado de cada ser, sua infância, as possibilidades que teve de educação, de saúde, de carinho, de afeto.

Enfim, esperança de que a Humanidade atente para as Leis de Deus e nelas baseiem as suas.

Redação do Momento Espírita com base em artigo publicado
no Jornal Gazeta do Povo (Curitiba), em 23.01.1998.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 03 de Abril de 2011, 11:13
Justiça na ótica cristã

Toda vez que o assunto é injustiça, o que logo vem à nossa mente é a imagem das grandes diferenças sociais, das perseguições raciais, da corrupção.
Por outro lado, há formas de injustiça que, por serem aparentemente inofensivas, são praticadas todos os dias pela maioria das pessoas, sem que elas mesmas se apercebam.
Todos sabem da dificuldade que o mundo enfrenta com o abastecimento de água e dos altos custos para o tratamento adequado, transformando-a em saudável ao consumo humano.
Mesmo assim observa-se muitas pessoas deixando de lado a vassoura e limpando calçadas extensas com a mangueira totalmente aberta.
Com certeza mais fácil e cômodo, mas injusto porque quando ocorrer o racionamento do precioso líquido, todos reclamarão do governo por não ter tomado as devidas medidas e por não ter realizado mais investimentos na área.
Injustiça igualmente durante o período de racionamento quando uns gastam em demasia, impedindo que outros tenham o mínimo necessário em seus lares.
É a despreocupação com o semelhante. É a visão estreita do exclusivo bem-estar, mesmo em detrimento do outro.
Quando as chuvas se tornam constantes, poucas cidades conseguem evitar enchentes que desabrigam milhares de pessoas e destroem centenas de casas, ruas, hospitais.
Mas, nem por isso as mesmas pessoas deixam de jogar lixo nas ruas, entupindo esgotos e bueiros, ou nos rios, comprometendo o seu livre curso.
Injustiça é batalhar por melhores salários, sem o devido cumprimento das obrigações que lhe competem.
Injustiça é aguardar que alguém com dificuldades financeiras tenha sua situação extremamente agravada para só depois adquirir, a preço reduzido, o bem que ele coloca à venda.
Jogar lixo na rua é injustiça. Desperdiçar água, energia elétrica, comida, quando tantos padecem privações, é injustiça. Estacionar em local proibido, aproveitando-se da ausência do guarda, avançar o sinal vermelho também o é.
Configura-se uma injustiça toda vez que se busca burlar a lei, negando o pagamento dos impostos e desrespeitando o Código Civil, o de trânsito, o comercial etc.
Todos os que nos afirmamos cristãos e que falamos muito em amor ao próximo, caridade, amor a Deus, pensemos que tudo isso se consegue praticando a Lei de justiça, que é a expressão da caridade e do amor.
Lembremos que ninguém pode servir de forma coerente a Deus contribuindo para a desgraça dos seus semelhantes.
* * *
Se tivermos amor, caminharemos no mundo como alguém que transformou o próprio coração em chama Divina a espantar trevas.
Se tivermos amor, a justiça nos haverá de governar os gestos e saberemos cultivar o bem a cada instante para vencer o mal a cada hora.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. Se tiveres amor,
do livro Religião dos Espíritos, pelo Espírito Emmanuel,
psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: dOM JORGE em 03 de Abril de 2011, 11:15
                                  VIVA JESUS!


      Bom-dia! queridos irmãos.

              Domesticação dos instintos agressivos
 À medida que o ego se faz consciente dos valores ínsitos no Self, torna-se factível uma programação saudável para o comportamento

“Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral  e pelos esforços que emprega para domar suas inclinações más.” -  Allan Kardec[1]

Estudando a história dos povos, não ficará difícil concluir que a gênese dos instintos agressivos - à solta nos dias atuais - se mescla à gênese do próprio homem, portanto, perde-se na noite dos tempos!...  Na frase em epígrafe, observemos que Kardec usou o verbo “domar”. E ele estava, (como sempre!), coberto de razão, porque para revertermos os instintos agressivos em “atitudes educadas”, há que se empregar ingentes esforços de autodomesticação. E caso não venhamos a tomar a iniciativa por nós mesmos, os mecanismos divinos passarão a agir tal como ensina Lázaro ao nos admoestar[2]: “(...) Ai do Espírito preguiçoso, ai daquele que cerra o seu entendimento! Pois nós, que somos os guias da Humanidade em marcha, lhe aplicaremos o látego e lhe submeteremos a vontade rebelde, por meio da dupla ação do freio e da espora”.

Joanna de Ângelis[3] leva-nos a uma viagem às abissais e ignotas profundezas do “Self”, onde estão firmemente implantadas as raízes dos instintos agressivos, mostrando-nos como extirpá-los. Segundo a nobre Mentora, “uma psicoterapia eficiente libera o paciente não só dos conflitos, mas também das paixões primitivas, que passam a ser direcionadas com equilíbrio, trans­formando os impulsos inferiores em emoções de harmonia. As imagens arquetípicas que emergem do in­consciente pessoal, heranças algumas dos instintos agressivos que predominam em a natureza humana, resultantes do processo antropossociopsicológico, tornam-se diluídas pela razão, em um trabalho de conscientização das suas inclinações más e imediata superação, conforme acentua Allan Kardec, o ínclito Codificador do Espiritismo.

Essas inclinações más ou tendências para atitudes primitivas, rebeldes, perturbadoras do equilíbrio emocional e moral, são heranças e atavismos insculpidos no Self, em razão da larga trajetória evolutiva, em cujo curso experienciou o primarismo das formas ancestrais, mais instinto que razão, caracterizadas pelos impulsos automáticos do que pela lógica do discernimento.   Impregnando o ego com a sua carga de paixões asselvajadas, necessitam ser trabalhadas com afinco, a fim de que abandonem os alicerces do inconsciente, no qual se encontram, e possam ser dissolvidas, substituídas pelos mecanismos dos sentimentos de amor, de compaixão, de solidariedade...

(...) À medida que o ego se faz consciente dos valores ínsitos no Self, torna-se factível uma programação saudável para o comportamento, trabalhando cada dificuldade, todo desafio, mediante a reconciliação com a sua realidade eterna. Os fenômenos que parecem obstar o processo de maturação psicológica cedem lugar aos estímulos pelas conquistas que se operam, emulando a novas realizações edificantes que enriquecem de alegria os relacionamentos familiares, sociais e humanos em geral. É uma forma de o paciente desencarcerar-se dos impulsos perniciosos, que somente contribuem para asselvajar-lhe os sentimentos e emparedar-lhe as aspirações no estreito espaço das ambições tormentosas.

(...) A necessidade de trabalhar as tendências primárias, os instintos dominantes e primitivos, torna-se imprescindível em todos os indivíduos. Todo esse patrimônio psicológico ancestral que nele permanece constitui-lhe patamar inicial do processo para a aquisição da consciência, que não pode ser violentado, sem graves prejuízos, no que diz respeito a outras manifestações que fazem parte da realidade dos próprios instintos. Essa batalha íntima se faz possível graças aos estímulos que decorrem dos primeiros resultados, quando são vencidas as etapas iniciais da luta interna que se processa com naturalidade. Como não se podem preencher espaços ocupados, faz-se imperioso substituir cada impulso perturbador por um sentimento enobrecido, ampliando a área de compreensão da vida e disputando a harmonia no cometimento da saúde.   

Merece seja evocada, novamente aqui, a já analisada sábia proposta de Krishna ao discípulo Arjuna, conforme narrada no Baghavad Gita, quando o primei­ro lhe refere que, na sua condição de príncipe pândava, terá que lutar com destemor contra os familiares do grupo kuru, mesmo que esses sejam numericamente maiores. Não obstante o jovem candidato à plenitude desejasse a paz, foi tomado de temor por considerar que lhe seria impossível combater os demais membros da sua família, gerando uma tragédia de grande porte. Ademais, ignorava onde seria essa batalha vigorosa. Mas o mestre, compassivo e sábio,  admoestou-o, informando que se tratava de familiares, sim, porque procedentes da mesma raiz, mas que os pândavas eram as virtudes, enquanto os kurus eram os vícios, nesse inter-relacionamento que se estreitava na causalidade dos fenômenos, mas que a vitória, sem dúvida, seria daqueles valores nobres, enquanto que a luta teria que ser travada no campo da consciência...  Esse momento do despertar da consciência para a realidade do Si, também significa a alegria de reconhecer a necessidade de libertar-se das paixões dis­solventes, geradoras de tormentos.

Indubitavelmente, o passado programou no ser as necessidades da sua evolução, apontando-lhe uma finalidade, um objetivo que deve ser alcançado medi­ante todo o empenho da sua inteligência e do seu discernimento. Deixando de lado os impulsos meramente instintivos que o vêm guiando através dos milênios, agora desperta para a razão, descobrindo a essencialidade da vida, que nele próprio se encontra como tendência inapelável — o seu destino — que é a harmonia, a plenitude ambicionada... É inevitável que, durante essa trajetória, repontem as dificuldades, hoje ameaçadoras, que fizeram parte das conquistas pretéritas, e, no seu momento, foram os mecanismos de sobrevivência e de vitória do ser em relação ao meio hostil e aos semelhantes primitivos que o buscavam dizimar.   

Vencendo as impressões que permanecem do ontem, o seu vir-a-ser desenha-se atraente e enriquece­dor, por propiciar-lhe metas idealistas que irão desenvolver os sentimentos e a inteligência, encarregados de selecionar os recursos que o podem impulsionar para a conquista da saúde integral e do equilíbrio social”.

Nosso confrade psicólogo, Adenáuer Novaes, nos oferece[4] ricos subsídios para o trabalho íntimo de erradicação dos instintos agressivos, e o segredo está no desenvolvimento da nossa Inteligência Emocional. Segundo Novaes, existem vários tipos de inteligência. A partir do conteúdo da questão número vinte e quatro de “O Livro dos Espíritos”, na qual os Benfeitores Espirituais afirmam que “a inteligência é um atributo essencial do Espírito”, o autor revela que a pobreza de nossa compreensão e da linguagem não nos permite maiores descortinos acerca da essência do Espírito, mostrando que o mesmo acontece com o conceito da palavra “Inteligência”.
                                                            ( continua )

             Rogerio Coelho


                                                   PAZ, MUITA PAZ!
                                                   
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: dOM JORGE em 03 de Abril de 2011, 11:19
                                      VIVA JESUS!


       Bom-dia! queridos irmãos.


               Sobre a inteligência, explica Novaes4: “(...) Por muito tempo se considerou a inteligência como o atributo principal para designar o máximo da capacidade do ser humano em face do mundo e seus desafios. A palavra resumia tudo que se queria afirmar a respeito da capacidade de cada ser humano no que diz respeito às suas aptidões intelectuais. Mas, em absoluto, ela não consegue resumir todas as qualidades nem a diversidade da natureza humana. As capacidades intelectivas humanas não mais podem se resumir à palavra inteligência. Ela encerra apenas o domínio lógico-matemático e linguístico-verbal da mente humana. O Espírito, na riqueza de sua evolução e na complexidade de suas potencialidades, tem mais do que a inteligência, como muito bem colocaram os Espíritos na Codificação ao afirmarem que ela é apenas um dos atributos do Espírito. Como a ciência da época não valorizava outras formas de manifestação das capacidades psíquicas do ser humano, confundia-se o Espírito com a inteligência. Mas hoje, após estudos e novas formas de percepção e valorização das capacidades humanas, podemos afirmar que a inteligência em todas as suas manifestações é apenas um dos muitos atributos do Espírito. O domínio das inteligências, pertencente ao Espírito, ainda se encontra de tal forma concebido como um caráter cerebral que não se avança na percepção da totalidade e da realidade psíquica da pessoa. A ciência teima em atribuir ao cérebro os potenciais que pertencem ao Espírito, que se utiliza daquilo que sua estrutura física possibilita manifestar.

A denominação de inteligência obedece a uma época em que faltavam termos para se definir as capacidades do Espírito. Talvez ainda faltem, porém é fundamental entender que a falta não se deve à linguagem, mas ao aprisionamento a paradigmas mecanicistas e estritamente vinculados a uma concepção materialista e utilitarista de enxergar o ser humano. As inteligências definidas pela ciência como capacidades intelectivas, longe de serem meros campos de avaliação do saber, se aproximam, embora que de forma acanhada, das faculdades do Espírito.

Poderíamos redefinir inteligência como uma aptidão do Espírito, que resume grande número de funções independentes, tais como: imaginação, memória, atenção, conceituação e raciocínio, dentre outras... Ela resulta da aprendizagem através da formação de hábitos oriundos dos condicionamentos reflexos bem como da livre expressão do Espírito na utilização do seu livre-arbítrio. É uma função complexa de adaptação ao mundo onde a consciência se torna cada vez mais capaz de compreender, criticar e decidir sobre uma nova situação. Inteligência é a capacidade de ordenar, organizar e utilizar os pensamentos e emoções em proveito próprio; é a capacidade de reunir procedimentos adequados para fazer coisas; é a capacidade de resolver problemas ou de criar situações que sejam valorizadas dentro de um ou mais cenários culturais.

Desviando a concepção de inteligência como algo ligado ao raciocínio e ao conhecimento intelectual, Gandhi dizia que ‘os únicos demônios deste mundo são os que circulam em nossos corações. É aí que a batalha deve ser travada’. Na mesma esteira de Gandhi, Antoine de Saint­-Exupéry, em O Pequeno Príncipe, afirma que ‘é com o coração que se vê corretamente; o essencial é invisível aos olhos’. Um e outro procuram colocar que existe algo mais além do que a inteligência quer significar. Há capacidades emocionais que fogem do domínio daquilo que se conhece com o nome de inteligência”.

Os famosos testes QI, em razão do amplo leque das potencialidades humanas, se mostram inócuos, uma vez que não podem abranger toda essa superlativa gama de potencialidades; portanto, são ineficazes para medir a inteligência e as aptidões do Espírito.   

Segundo ainda o nosso Adenáuer, os testes de QI abrangem parcialmente apenas duas inteligências: a inteligência linguística ou verbal (do domínio da fala) e a inteligência lógico-matemática (do cálculo, da percepção algébrica). Mas existem outras inteligências, além dessas duas, como por exemplo: a inteligência musical, a inteligência corporal-cinestésica, a inteligência espacial, a inteligência intrapessoal, a inteligência interpessoal, a inteligência intuitiva e a Inteligência Emocional. Nesta última, está a nossa grande aliada para a domesticação dos instintos agressivos. Aprendamos com Adenáuer4 o que é, afinal, a INTELIGÊNCIA EMOCIONAL:

“A Inteligência Emocional é a capacidade de reconhecer sentimentos, e aplicá-los eficazmente como uma energia em favor da sobrevivência, adaptação e crescimento pessoal. É a capacidade de sentir, entender e aplicar eficazmente o poder e a perspicácia das emoções como uma fonte de energia, informação, conexão e influência humanas.

Mahatma Gandhi dizia, demonstrando ter integrado seus defeitos e chegado ao equilíbrio e à harmonia espiritual desejável a qualquer ser humano: ‘Sou um homem mediano com uma capacidade menos que mediana. Admito que não sou intelectualmente brilhante. Mas não me importo. Existe um limite para o desenvolvimento do intelecto, mas nenhum para o do coração’.

O desenvolvimento da inteligência emocional se dá com o aparecimento da empatia, que é a capacidade de se identificar com o outro, sentindo o que ele sente. Isso pressupõe: compreensão, tolerância e paciência. A Inteligência Emocional compreende: Autoconhecimento, Administração de humores, automotivação, educação do impulso e sociabilidade”.

Para melhorar a nossa Inteligência Emocional e despertar os potenciais criativos interiores que a fortalecem, devemos, segundo ainda o nosso confrade Adenáuer, tomar as seguintes atitudes4: “Não nos aborrecermos com coisas pequenas; cultivar otimismo e entusiasmo, que significa ter Deus dentro de si; cultivar a persistência objetiva; desenvolver a própria singularidade (estilo pessoal) e a simplicidade; sempre reconhecer os erros; saber ouvir e escutar o outro; aprender a fazer distinção entre os atos e a pessoa que os pratica; olhar nos olhos da pessoa com quem falar; acreditar naquilo que disser; reconhecer e sentir a emoção, não negá-la ou minimizá-la; cultivar a amorosidade, a humanização e a compaixão.

Para tornar realidade a nossa Inteligência Emocional, devemos considerar que qualquer derrota é aprendizado importante tanto quanto a vitória. Persistir em busca de alternativas diferentes para os problemas aparentemente insolúveis, sem se atribuir incompetência. Além dos objetivos imediatos e mais próximos, devemos desenvolver internamente a crença num objetivo global para a vida como um presente de Deus. Considerar importante planejar, organizar e responsabilizar-se por tudo que ocorre na própria vida. Aprender a guiar-se pela razão e pelos sentimentos, buscando alternativas que conciliem essas possibilidades. Estimular em si mesmo, no próprio caráter, os aspectos mais puros e nobres que possui. Amar a simplicidade, as pessoas, a si mesmo e a vida.   

Fundamental é desenvolver a autoestima. Para tanto não é preciso nada de excepcional na personalidade. É suficiente considerar-se filho de Deus e, portanto, detentor de habilidades mínimas para o desempenho adequado na arte de viver; cultivar a segurança física, valorizando adequadamente o corpo, não se sentindo intimidado ou com medo da vida; ter sua crença pessoal sobre a própria origem divina; ter a certeza de que a própria vida tem significado e uma direção definida; buscar não se perturbar com pequenas derrotas, consciente de que melhorará o próprio desempenho na próxima vez; não permitir que a própria ansiedade atrapalhe o preparo para enfrentar novas provas; enfim, cultivar a simpatia.

(...) As emoções são reconfigurações do Espírito. O uso da inteligência não deve se limitar a conhecer os objetos ou mesmo servir para lhes caracterizar com nomes ou utilidades.   Ela representa aquisição superior do Espírito e deve ser colocada a serviço do amor, sem o qual se torna ferramenta inútil e perigosa.

A Inteligência Emocional, ou a capacidade de administrar afetos, emoções e sentimentos, é o fator mais importante da evolução do Espírito, em seu atual estágio no planeta. Essa aquisição possibilitará a percepção de leis transcendentes que o capacitarão a alcançar limites fora do sistema solar”.

                Rogerio Coelho


                                                           PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 03 de Abril de 2011, 11:20
Respostas no caminho

Trazendo sua consciência tranqüila, nos deveres que a vida lhe deu a cumprir, você pode e deve viver a sua vida tranqüila, sem qualquer necessidade de ser infeliz.
Auxilie os outros sem afligir-se demasiado com os problemas que apresentem, porque eles mesmos desejam solucioná-los por si próprios.
Não se fixe tão fortemente nos aspectos exteriores dos acontecimentos e sim coloque sua visão interna nos fatos em curso, a fim de que a compreensão lhe clareie os raciocínios.
Dedique-se ao seu trabalho com todos os recursos disponíveis, reconhecendo que se houver alguma necessidade de modificação em suas atitudes, a sua própria tarefa lhe fará sentir isso sem palavras.
Se você experimentou algum fracasso na execução dos seus ideais, não culpe disso senão a você mesmo, refletindo na melhor maneira de efetuar o reajuste.
Se você realizar corretamente seu trabalho, os seus clientes ou beneficiários virão de longe procurar o valor de sua experiência e de seu concurso.
Em qualquer indecisão valorize os pareceres dos amigos que lhe falem do assunto, mas conserve a convicção de que a decisão será sempre de você mesmo.
Uma atitude de simpatia para com o próximo é sempre uma porta aberta em seu auxílio agora e no futuro.
Mesmo nas horas mais aflitivas, procure agir com serenidade e discernimento, porque de tudo quanto fizemos, colheremos sempre.
A desculpa ante as faltas de que você tenha sido vítima, invariavelmente, é ação em seu próprio favor.
Quando provações e dificuldades lhe pareçam aumentadas, guarde paciência e otimismo, trabalhando e servindo na certeza de que Deus faz sempre o melhor.

Respostas da Vida Pelo Espírito
André Luiz
Francisco Cândido Xavier





Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 03 de Abril de 2011, 11:36
Olá amigos, para complementar o bom domingo que desejei a todos considero o texto a seguir muito pertinente.



Se você puder
 
Se você puder, hoje ainda:
- olvide contratempos e mostre um sorriso mais amplo para aqueles que lhe compartilham a vida;
- dê mais um toque de felicidade e beleza em seu recanto doméstico;
- faça a visita, mesmo ligeira, ao doente que você deseja reconfortar;
- escreva, ainda que seja simples bilhete, transmitindo esperança e tranqüilidade em favor de alguém;
- melhore os seus conhecimentos, no setor de trabalho a que esteja empregando o seu tempo;
- estenda algo mais de otimismo e de alegria aos que se encontrem nas suas faixas de convivências;
- procure esquecer - mas esquecer mesmo - tudo o que se lhe faça motivo de tristeza ou aborrecimento;
- leia alguma página edificante e escute música que pacifique o coração;
- dedique alguns minutos à meditação e à prece;
- pratique, pelo menos, uma boa ação sem contar isso a ninguém.

Estas indicações de apoio espiritual se forem observadas, farão grande bem aos outros, mas especialmente a você mesmo.

Respostas da Vida Pelo Espírito
André Luiz   -     Francisco Cândido Xavier



Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 03 de Abril de 2011, 12:10
Vivência

Habitualmente perdemos tempo em desgosto inútil, quando nos achamos em antagonismo com alguém ou vice-versa.
Entretanto, vejamos: os outros pensam segundo imaginam; falam o que melhor lhes parece; fazem o que lhes ocorre aos desejos; abraçam o que lhes agrada; adquirem o que estimam; valorizam o que mais amam; inclinam-se para aquilo que os atrai; vivem com quem mais se afinam; estão no caminho que escolheram; acham sempre o que procuram.
Isso, porém, não é novidade, porque todos nos padronizamos por diretrizes idênticas; agimos como somos e reagimos, conforme a própria vontade, na condução de nossos impulsos. A novidade é reconhecer que os outros e nós teremos inevitavelmente aquilo que fizermos.
Alcançando a certeza disso, vale, acima de tudo, auxiliarmo-nos reciprocamente, sem queixas uns dos outros, de vez que nenhum de nós consegue aperfeiçoamento próprio senão à custa de numerosas experiências.
À frente da realidade, vivamos com as nossas lições, mantendo a consciência em paz, e deixemos aos outros o seu próprio dom de aprender e de viver.

Respostas da Vida Pelo Espírito
André Luiz
Francisco Cândido Xavier


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 03 de Abril de 2011, 14:09
Olá, amigos...

Mais uma vez me surpreendo ao abrir o tópico e ver tantos textos importantes com relação ao nosso tema.

Isso nos mostra o quanto este assunto é importante para nossa transformação moral e nos traz ensinamentos para nossa vida diária, contribuindo, assim, eficazmente para ela.

Com estes exemplos, como nos trouxeram Macili com o vídeo de Madre Tereza, com a Prece da Tolerância trazida pela Hebe, com os textos do Ken, do Dom Jorge, com a mensagem do Nielson, não poderemos dizer  à nossa própria consciência, que não temos as ferramentas necessárias, como nos diz o texto da Si.

São estes os valores que devemos imprimir em nosso íntimo para que consigamos realizar o "esforço para domar as nossas más inclinações", sendo reconhecidos, assim, como "verdadeiros espíritas, verdadeiros cristãos", que é a mesma coisa.

Um bom domingo a todos e que Jesus, nosso Modelo e Guia, ilumine este dia dedicado à família.

Abraços Fraternos a todos,

Gisella  ;)



Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 14:37
Bom dia,
Agradeço muito por todos os textos aqui colocados, mas agora , conforme a proposta do estudo, eu e Gisella gostaríamos que fizessemos uma reflexão a respeito da tolerancia, seria interessante  cada um que faz parte do estudo, colocar a sua opinião pessoal e narrar algum episódio que tenha vivido ou assistido em relação ao tema.
Este texto postado por Ken pode ser o inicio para essa reflexão.

Vivência

Habitualmente perdemos tempo em desgosto inútil, quando nos achamos em antagonismo com alguém ou vice-versa.
Entretanto, vejamos: os outros pensam segundo imaginam; falam o que melhor lhes parece; fazem o que lhes ocorre aos desejos; abraçam o que lhes agrada; adquirem o que estimam; valorizam o que mais amam; inclinam-se para aquilo que os atrai; vivem com quem mais se afinam; estão no caminho que escolheram; acham sempre o que procuram.
Isso, porém, não é novidade, porque todos nos padronizamos por diretrizes idênticas; agimos como somos e reagimos, conforme a própria vontade, na condução de nossos impulsos. A novidade é reconhecer que os outros e nós teremos inevitavelmente aquilo que fizermos.
Alcançando a certeza disso, vale, acima de tudo, auxiliarmo-nos reciprocamente, sem queixas uns dos outros, de vez que nenhum de nós consegue aperfeiçoamento próprio senão à custa de numerosas experiências.
À frente da realidade, vivamos com as nossas lições, mantendo a consciência em paz, e deixemos aos outros o seu próprio dom de aprender e de viver.

Respostas da Vida Pelo Espírito
André Luiz
Francisco Cândido Xavier
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: arikahn em 03 de Abril de 2011, 15:04
Na área do amor, quanto em todos os campos da ação nobre da vida, é necessário primeiro dar, a fim de um dia receber. O amor é, por conseqüência, o mais precioso investimento até hoje conhecido. Antes que dê os resultados a que propõe, produz, no nascedouro, as excelências de que se reveste: bem-estar, paz e alegria.

(Retirado do site Arca do Autoconhecimento)

Bom domingo meus queridos irmãos!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 15:22
Vou tentar passar o que eu entendo por tolerância.
Não basta dizer, precisamos ser tolerantes.
É preciso compreender profundamente o sentido.
Como André Luiz colocou neste texto que o Ken nos trouxe, é comum e fácil nos reunirmos por afinidade e sempre procurarmos o que nos convém, porém através das nossas provas escolhidas, vão estar em nosso caminho, fatos e pessoas que não se afinam dentro da nossa visão humana com as nossas apreciações, e assim rejeitamos ou descriminamos.
Se rejeitarmos ou descriminarmos, provocando dor e sofrimento para nós e para os outros, não conseguimos cumprir essa nossa etapa.
Seria muito bom que tudo corresse como um mar de rosas, mas o nosso  aprendizado é justamente saber lidar com a adversidade.
Um amigo me falou uma frase muito interessante a respeito disto, "as nossas provas não são os acontecimentos ruins e sim a maneira como nos comportamos diante destes acontecimentos."
Pensando assim, sabemos que todos somos filhos de Deus, nada acontece sem o seu consentimento, se por um acaso temos algumas desavenças com alguém que cruza nosso caminho, essa aparente discordância de idéias ou ofensas e mágoas, nos testa para suportar a situação. De que forma nós encaramos um ofensor, por exemplo, rebatemos igual? Criamos mágoa? o descriminamos? Sentimos-nos ofendidos? Por quê?
Ora, se alguém nos ofende no caminho da vida, obviamente que ali vem por trás uma grande lição, ou para nos mostrar algum lado  nosso que provocou aquela situação, ou para compreender a limitação do outro em nos enxergar.
Se alguém nos ofende, só vai encontrar respaldo se nos sentirmos ofendido e acreditarmos na ofensa, senão a ofensa cai no vazio, não há necessidade de defesa ou acumular mágoa etc. Desta forma não seremos coniventes com a ofensa e sim tolerantes com a limitação do ser que nos ofende. Obvio.

Vamos pensar um pouquinho a respeito disso.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 03 de Abril de 2011, 15:37
Bom dia,
Agradeço muito por todos os textos aqui colocados, mas agora , conforme a proposta do estudo, eu e Gisella gostaríamos que fizessemos uma reflexão a respeito da tolerancia, seria interessante  cada um que faz parte do estudo, colocar a sua opinião pessoal e narrar algum episódio que tenha vivido ou assistido em relação ao tema.
Este texto postado por Ken pode ser o inicio para essa reflexão.

Vivência

Habitualmente perdemos tempo em desgosto inútil, quando nos achamos em antagonismo com alguém ou vice-versa.
Entretanto, vejamos: os outros pensam segundo imaginam; falam o que melhor lhes parece; fazem o que lhes ocorre aos desejos; abraçam o que lhes agrada; adquirem o que estimam; valorizam o que mais amam; inclinam-se para aquilo que os atrai; vivem com quem mais se afinam; estão no caminho que escolheram; acham sempre o que procuram.
Isso, porém, não é novidade, porque todos nos padronizamos por diretrizes idênticas; agimos como somos e reagimos, conforme a própria vontade, na condução de nossos impulsos. A novidade é reconhecer que os outros e nós teremos inevitavelmente aquilo que fizermos.
Alcançando a certeza disso, vale, acima de tudo, auxiliarmo-nos reciprocamente, sem queixas uns dos outros, de vez que nenhum de nós consegue aperfeiçoamento próprio senão à custa de numerosas experiências.
À frente da realidade, vivamos com as nossas lições, mantendo a consciência em paz, e deixemos aos outros o seu próprio dom de aprender e de viver.

Respostas da Vida Pelo Espírito
André Luiz
Francisco Cândido Xavier





Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 03 de Abril de 2011, 15:42
Olá, amigos...

Neste nosso estudo, a vivência das virtudes, ou pelo menos as reconhermos, nos faz pensar no nosso dia a dia, nas nossa atitudes perante determinados acontecimentos, como reagimos, por exemplo:
- perante aquele vizinho que derruba coisas o dia todo no apartamento acima do teu
- com aquela atendente da padaria que estava com um mau humor terrível e nem ao menos te deu bom dia
- com o companheiro de trabalho que se recusa a atender o telefone da mesa ao lado, porque simplesmente "não é minha obrigação"
- o colaborador da Casa Espírita que ainda não entendeu que o mendigo que bate à porta, à procura de um alimento, não pode esperar até o dia de distribuição da cesta básica, porque a fome é urgente

Enfim, são tantas as oportunidades de crescimento que, às vezes, nos preocupamos em fazer grandes coisas, mas o mérito maior está nas pequenas.

Por tudo isso, o texto Vivências, que o Ken nos trouxe, faz com que possamos refletir e, humildemente, reconhecermos que precisamos mudar, e é para agora!!

A "natureza não dá saltos"?? Corretamente, mas os Espíritos Amigos não nos disseram que ela é estática...

Vamos pensar onde estamos deixando de ser tolerantes, ou então, onde exercemos a tolerância e dividir com os demais??

Esta é a nossa proposta...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: filhodobino em 03 de Abril de 2011, 15:43
Amados do meu coração, estudantes da transformação pelo amor...

Bem a propósito, estamos em tempos de reflexão, nas provas que nossos queridos irmãos, se encorajam e encarnaram sob as provas do autismo...
A transformação pelo amor, é a síntese do sucesso de uma cruzada de amor em prol dos pais e dos provantes, para que o resultado seja pleno, na medida do merecimento de todos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 16:14
A tolerância, do latim tolerare (sustentar, suportar), é um termo que define o grau de aceitação diante de um elemento contrário a uma regra moral, cultural, civil ou física.

Do ponto de vista da sociedade, a tolerância define a capacidade de uma pessoa ou grupo social de aceitar, noutra pessoa ou grupo social, uma atitude diferente das que são a norma no seu próprio grupo. Numa concepção moderna é também a atitude pessoal e comunitária face a valores diferentes daqueles adotados pelo grupo de pertença original.

O conceito de tolerância se aplica em diversos domínios:

    * Tolerância social: atitude de uma pessoa ou de um grupo social diante daquilo que é diferente de seus valores morais ou de suas normas.
    * Tolerância civil: discrepância entre a legislação e sua aplicação e impunidade.
    * Tolerância segundo Locke : «parar de combater o que não se pode mudar».
    * Tolerância religiosa: atitude respeitosa e convivial diante das confissões de fé diferentes da sua.
Fonte:
Wikipédia
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Nielson em 03 de Abril de 2011, 16:14
O homem costuma avaliar os acontecimentos da vida como castigos divinos. A maioria das pessoas acredita que o ser humano é pecador, e que seus pecados redundam em castigos por parte de Deus.

Essa maneira de pensar foi herdada da maneira equivocada de como as religiões abordam o assunto. A interpretação bíblica do paraíso perdido, do pecado cometido por Adão e Eva, da influência da cobra e da expulsão do casal do Eden e sua conseqüente vida de trabalho, considerando-se como um mal o suor do homem na busca de seu sustento, criou nas pessoas a falsa idéia de que o homem tem que sofrer e que ele é um pecador que deve ser punido pelo seu pecado.

Outra consequência desse erro é se acreditar que Deus é cruel e vingativo, e que Ele castiga aos seus filhos. E erro maior ainda é o de se considerar esse castigo eterno em local destinado ao suplício dos pecadores, por toda a eternidade.


O Espiritismo nos dá uma outra visão. O homem não é um pecador, é um espírito criado simples e ignorante, destinado a alcançar, por seu próprio esforço, a plenitude, a perfeição, a felicidade. Deus criou a todos iguais, sem privilégios para ninguém, e dotou o homem do livre-arbítrio para que cada um possa caminhar com inteira liberdade de ação e aprender com o próprio erro. Estabeleceu normas e bases corretas, e uma lei de reajuste automático denominada Lei de Causa e Efeito.

A Lei de Causa e Efeito é complemento necessário à Lei de Justiça, de Amor e de Caridade. Por ela o homem vai se depurando, evoluindo, corrigindo os erros, até conseguir, mercê de seu próprio esforço, alcançar a perfeição e a conseqüente felicidade.

A Lei de Causa e Efeito é também chamada Lei de Ação e de Reação. É uma lei automática, ou seja, já tem embutida em si mesma os efeitos decorrentes de nossos atos. Atos bons trazem como conseqüência efeitos bons. Atos maus, efeitos maus. Assim, quem planta ventos colhe tempestades. Quem planta amor colhe amor. A semeadura é livre, a colheita é obrigatória. Todos, absolutamente todos, colherão sempre apenas e tão somente o que plantarem. Ninguém poderá colher maçãs se plantou bananas.


O homem, no início simples e ignorante, vai agindo e ampliando o seu livre-arbítrio à medida que evolui e adquire mais conhecimentos. Ele erra, porque não conhece. Com as conseqüências de seu erro, ele aprende, e quando aprende não erra mais.

Há uma diferença fundamental entre o erro e o pecado. Erro é conseqüência de desconhecimento, de imaturidade, de falta de calma, de falta de melhor estrutura. É o caso das crianças, que em sua aprendizagem sofrem muitas vezes efeitos de seus atos imaturos e imprecisos, até que, já adultos, sorriem ao verificar quanta coisa tiveram de passar por sua própria culpa. Muita gente costuma dizer: "se eu tivesse, quando mais moço, a experiência que tenho hoje, como as coisas teriam sido diferentes."

Para nós, Deus é a suprema perfeição, causa primária de todas as coisas. Deus é infinitamente bom e justo e não castiga os seus filhos, que não pediram para ser criados e se são ainda imperfeitos e cheios de falhas e erros, são porque foram feitos assim por Ele.


Extraído do artigo: Justiça Divina, no site www.espirito.org.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnI=).
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 16:31
 :D :D Juntando a resposta de Nielson e este ítem que eu trouxe da Wikpédia posso dizer que passo por isso todos os dias.

  * "Tolerância religiosa: atitude respeitosa e convivial diante das confissões de fé diferentes da sua.".

Todos os meus subordinados são evangélicos, conversam sobre pecado, diabo, Deus , castigo e Infernos todos os dias.
Um dia tentei passar o conceito do Espiritismo para eles.
Bem, a principio acreditam piamente que as comunicações dos espírtos são dos de mônios. Já me olharam esquisito.  :o
Tentei ir um pouco além, mas resolvi, ficar quieta, apenas agora quando o assunto vem, sem tocar no espiritismo, passo os conceitos morais sem que percebam,  sendo assim, aceitam, mas não entramos mais em conflito de idéias e crenças.

Outra
* Tolerância social: atitude de uma pessoa ou de um grupo social diante daquilo que é diferente de seus valores morais ou de suas normas.

Sendo eu do Rio de Janeiro capital, e morando numa cidade de interior muito provinciana, tenho que conviver todos os dias com o preconceito sobre a cidade grande e o quanto seu povo é entregue ao pecado. Escuto quieta, afinal a mídia contribui um bocado para esse preconceito.

Vou me ofender por que? não é verdade. Confesso que às vezes os comentários e a discrepância é tanta que eu até dou risada.
E ssim vou exercitando a minha tolerância no dia a dia.
Taí Gisella, alguns exemplos do cotidiano.  ;)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Nielson em 03 de Abril de 2011, 16:49
É verdade, cara Hebe.

Por mais que eu explique aos meus colegas de trabalho (sou professor das rede municipal e estadual em PE) que Espiritismo não tem nada a ver com o Candomblé, Umbanda ou Macumba e as outras ramificações das religiões de origem africana, é difícil convencê-los disso, pois a cidade onde moramos tem pouco mais de 50.000 habitantes. Mas não evoluiu o bastante, visto que metade está no espaço rural.

Embora eu tente usar de muita paciência para tolerar certos comentários, é uma tarefa árdua, visto que a maioria das pessoas na minha cidade têm como referência os médiuns que cobram, que "trabalham para o mal" (como dizem)...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 17:20
Nielson,
Conheci mediuns até dentro do Espiritismo que cobravam consultas aos maus informados.
Isso não é privilégio dos cultos africanos.
Aqui nesta cidade temos Centros Espiritas muito sérios, mas a maioria da população é católica ou da Igreja Universal do Reino de Deus.
Tem católicos tão fechados que nem sabiam que o Espiritismo seguia os ensinamentos morais de Cristo, pensavam que era só macumba.
A Umbanda, Candomblé ou qualquer outra linha espiritualista tem seu valor, não se pode falar nada se não conhece a linha.
Todas as linhas espiritualistas são válidas se seguirem as leis de Deus, não tem porque descriminá-las. Cada um no seu espaço, até a humanidade se tocar que Deus e seus ensinamentos são  um só para todos.
E também se tocar que em todo lugar , em qualquer grupo social , seja no interior ou na Capital os homens cometem os mesmos erros.
Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 03 de Abril de 2011, 17:37
Nielson,
Conheci mediuns até dentro do Espiritismo que cobravam consultas aos maus informados.
Isso não é privilégio dos cultos africanos.
Aqui nesta cidade temos Centros Espiritas muito sérios, mas a maioria da população é católica ou da Igreja Universal do Reino de Deus.
Tem católicos tão fechados que nem sabiam que o Espiritismo seguia os ensinamentos morais de Cristo, pensavam que era só macumba.
A Umbanda, Candomblé ou qualquer outra linha espiritualista tem seu valor, não se pode falar nada se não conhece a linha.
Todas as linhas espiritualistas são válidas se seguirem as leis de Deus, não tem porque descriminá-las. Cada um no seu espaço, até a humanidade se tocar que Deus e seus ensinamentos são  um só para todos.
E também se tocar que em todo lugar , em qualquer grupo social , seja no interior ou na Capital os homens cometem os mesmos erros.
Um abço
Hebe


Hebe e Nielson...

Que vertente importante vocês entraram...

A Tolerância religiosa é uma necessidade premente, das mais importantes, pois estamos convivendo com muitas doutrinas, seitas, religiões, classificações, enfim, são tantas as denominações que às vezes até nos perdemos...

Meu esposo mesmo, tem uma colaboradora que é uma "evangélica revoltada", como ele mesmo diz. Uma pessoa insatisfeita com o segmento religioso que "pratica", por todas as privações que obriga seus seguidores, mas não se afasta por puro comodismo. Mas, o legal nisso tudo, é que é com o meu marido, espírita declarado (pois temos tantos inrustidos) que ela vem desabafar, pois ele é o "único que a entende" (dizeres dela).

Se, neste caso, não houvesse tolerância de ambas as partes, provavelmente ele teria uma colaboradora insatisfeita com o superior e um superior que, como acontece muito, a afastaria do depto para não ter que conviver.

E isso é só um exemplo simples, mas que, com certeza, faz a diferença na vida dessa pessoa e meu marido pode, dentro dos postulados da DE, mostrar o que é ser um espírita.

Hebe e Nielson, imagino o que vocês passam, pois já vivi em algumas cidades espalhadas pelo Brasil e a dificuldade de adaptação é imensa, principalmente pela intolerãncia, nossa e dos moradores, em aceitarmos as diferenças.

Abraços fraternos e obrigada pelas experiências compartilhadas!

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 03 de Abril de 2011, 17:50
Meus amigos

Desde sempre procuramos aprender com os mais velhos, com os mais sábios, ler livros, etc..., porem em termos de convivência, estamos rodeados de mestres de altíssimo nível e não nos apercebemos..
Prestem atenção nas crianças, elas vivem o momento, muitas vezes se desentendem, porem em minutos  já estão brincando novamente  sem ressentimentos, para elas não existe hierarquia, nível social, raça, crença, até que surja a influência dos sábios em suas vidas.
Isto demonstra  claramente que precisamos desaprender muito se quisermos realmente evoluir.

 

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 18:01
 :D Gisella, No inicio foi muito dificil, porque a maioria dos hábitos eram muito diferentes do que eu estava acostumada. Depois me toquei que eu é que tinha que me adaptar, afinal, eu estava arraigada as minhas verdades, o ET era eu, hehehe!!!.
Hoje as  festas dos dptos  é dentro da minha casa,  nem me importo se trazem duplinha sertaneja para tocar, não gosto,  mas escuto numa boa.  :D :D

Ken meu amigo, você falou uma grande verdade, as crianças sabem viver,são puras, não se importam com as diferenças,  perdem essa pureza  quando crescem.

Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mirina em 03 de Abril de 2011, 18:19
Olá amigos,

as crianças não são puras, no sentido de evoluidas e imaculadas.  Na verdade elas são autenticas, são como são, independente se estão agradando ou não.  E nós, adultos, respeitamos esta autenticidade pois sabemos que ainda sãocrianças e livres das censuras socialmente impostas.  Será que aceitariamos o mesmo comportamento de um adulto?

Abs,
Mirina
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 18:45
Olá amigos,

as crianças não são puras, no sentido de evoluidas e imaculadas.  Na verdade elas são autenticas, são como são, independente se estão agradando ou não.  E nós, adultos, respeitamos esta autenticidade pois sabemos que ainda sãocrianças e livres das censuras socialmente impostas.  Será que aceitariamos o mesmo comportamento de um adulto?

Abs,
Mirina
Está certo Mirina, são autênticas, mas são espíritos muito antigos. Chegam aos nossos braços frágeis e dependentes. Segundo a DE na adolescencia revelam um pouco a sua personalidade, porém, dependendo da infancia sofrida ou não, pode agravar ou facilitar o cumprimento da prova do Espírito.
A responsabilidade dos pais e do meio social é imensa
Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mirina em 03 de Abril de 2011, 19:04
Podem ser mais antigos que o dos próprios pais!
A DE nos elucida isto!
E muitas vezes são os filhos que reencarnam em socorro de pais desajustados espiritualmente.
Ou por vezes os pais recebem espiritos enfermos.  E neste ciclo é que se dá a transformação pelo amor, amiga Hebe.  No seio da familia, onde os laços afetivos são viscerais, em que simplesmente não nos é licito abandonar um filho, ou nossos pais, pelo simples fator de não tolerarmos sua presença.
É o amor incondicional levado ao limite máximo.
É neste ponto que questiono, teriamos a mesma compreensão com uma alma que, já na fase adulta, mantém a mesma autenticidade do ser e do agir que uma criança?
Tenho exemplos práticos de que não aceitamos assim tão facil e incondicionalmente.

E no fundo a censura está dentro de nosso íntimo, que se recusa a enxergar o outro, que possui defeitos, como uma alma em desenvolvimento.  Nós é que impomos a condicionalidade do amor que damos aos outros, simplesmente porque nos disponibilizamos a amar somente áqueles que nos amam, ou nos fazem bem, sendo nos, todo o restante indiferente.

Abs,
Mirina
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 19:06
Boa tarde Gisella, Hebe e amigos e visitantes do estudo.


Na Feira de Artesanato, conheci o Sr. Adalberto,  idoso, cerca 83 anos, espiritualista, muito sensato, culto, uma pessoa adorável aos meus olhos...  mas como todos nós, com suas imperfeições...

Temos empatia de idéias, conceitos e nos sentimos muito bem conversando.  Hoje o considero como um querido amigo.

Sempre que ele está com um problema, vem ao meu encontro e só de olhar para o seu rosto, sei que não está bem!!!  Algo o incomoda.  E conversamos...

Há duas semanas atrás ele veio chateadíssimo com a neta, que tem cerca de 18 anos (por sinal adotada) que ele diz que a ama muito e que ensinou direitinho como deveria ser a sua conduta em relação à vida, aos estudos, cumprir com as suas obrigações em casa, na escola, ser uma pessoa responsável, carinhosa, ter bons amigos e todos os demais predicados para ser uma "boa moça". 

Conflito de gerações!!!

Mas a neta só faz o contrário.  Não quer estudar.  Não o ajuda nos afazeres de casa.  Só fica em frente ao computador.  Se mostra entediada com tudo.  As amizades dela, através dos olhos dele, não são as adequadas.   Então  brigam, discutem, se agridem e ele se entristece e não se sente amado por ela.  E aí se deprime...

Carinhosamente, tentei aconselhá-lo que por mais que ele a tenha educado, ela é uma individualidade e só seguirá os seus ensinamentos e conselhos se assim o desejar. Ela tem os seus desejos, anseios e conceitos, errados ou não, e por ser jovem está passando por transformações difíceis e comuns da idade.  É o tempo!!! 

E que se ele tem a consciência tranquila quanto aos seus deveres e obrigações de avô, que pratique a  "tolerância"  e  a "paciência", evitando reclamar e tentar corrigi-la diariamente,  deixando-a passar pelas experiências da vida, mesmo as que ele julgue negativas, como também as positivas, pois assim, quem sabe, através da Lei de Causa e Efeito, as consequências virão e ela as sentindo poderá então discernir o que é certo e o que é errado e assim possa mudar e o valorizar.

Que ele, com 83 anos, não deveria se deixar atingir demasiadamente por esses conflitos, ao ponto de ficar depressivo ou quem sabe ficar desgostoso da vida, já que disse para mim, que não queria mais viver, que no mundo de hoje ele não tinha  mais prazer de viver,  porque as pessoas estão valorizando atitudes negativas, deixando de se amar...

Bem ele agradeceu as minhas sugestões, foi embora e na semana seguinte voltou, bem melhor, sorrindo, dizendo que estava praticando a paciência e a tolerância e que a egrégora na casa dele melhorou bastante.

E eu fiquei feliz por ele!!!


Abraços
Macili




 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 19:23
Podem ser mais antigos que o dos próprios pais!
A DE nos elucida isto!
E muitas vezes são os filhos que reencarnam em socorro de pais desajustados espiritualmente.
Ou por vezes os pais recebem espiritos enfermos.  E neste ciclo é que se dá a transformação pelo amor, amiga Hebe.  No seio da familia, onde os laços afetivos são viscerais, em que simplesmente não nos é licito abandonar um filho, ou nossos pais, pelo simples fator de não tolerarmos sua presença.
É o amor incondicional levado ao limite máximo.
É neste ponto que questiono, teriamos a mesma compreensão com uma alma que, já na fase adulta, mantém a mesma autenticidade do ser e do agir que uma criança?
Tenho exemplos práticos de que não aceitamos assim tão facil e incondicionalmente.

E no fundo a censura está dentro de nosso íntimo, que se recusa a enxergar o outro, que possui defeitos, como uma alma em desenvolvimento.  Nós é que impomos a condicionalidade do amor que damos aos outros, simplesmente porque nos disponibilizamos a amar somente áqueles que nos amam, ou nos fazem bem, sendo nos, todo o restante indiferente.

Abs,
Mirina
Concordo com tudo, mas veja bem, adultos que se comportam como adolescentes, pode crer que não tiveram a tolerância e o amor devido na infância, não foram aceitos ou compreendidos em sua totalidade.
Tenho um irmão assim, era rebelde, precisava de um pulso mais forte, não no sentido de repreensão, mas de compreensão,sempre foi muito inteligente, acima da média, mas era uma criança rebelde, pois bem, foi tido sempre como um problema, e sua rebeldia não foi canalizada de forma adequada. Cresceu se sentido marginalizado e por isso agredia, agravou ainda mais o seu problema.
Hoje compreendo isso perfeitamente, mas  durante muitos anos me afastei por não conseguir conviver. Para você ter uma idéia, ele não conhece meus filhos. Voltamos a conversar agora, isso pra mim foi um grande alivio, porque sempre o amei, ele era a criança que eu brincava quando pequena, não fazia sentido não resgatar essa relação.
Sei que muitos espírtios nascem como filhos para amparar seus pais, lógico, vemos muito exemplo sobre isso também. Você está certa.
Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: K em 03 de Abril de 2011, 19:44
Olá amigos! As crianças nos ensinam mesmo! São autênticas e conseguem relevar os problemas com maior facilidade. Quando alguém dá uma "bronquinha" em uma criança ela ouve, reflete ou não, mais logo parte pra frente... que atrás tem gente, querendo brincar, cantar, se divertir. Pra criança todo o dia é pequeno e a vontade de viver é grande. Nós adultos, no entanto, perdemos muitas vezes tais características. Quando alguém nos dá uma "bronquinha" passamos dias amargos, relembrando as palavras ditas, as vezes nem sequer questionamos se elas foram sensatas. Costumamos sempre levar pro caminho errado... As vezes estamos até precisando da bronca mais... Bom, sem dúvida aprenderemos ao observar as crianças.
Abraços fraternos.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 19:47
Do Livro: Unidos pelo Amor
Ética e Cidadania à Luz dos Fundamentos Espíritas


11.  Tolerância ou Exclusão?

"Vinde a mim, vós que sois bons servidores,
vós que soubestes impor silêncio aos vossos
ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que
daí não viesse dano para a obra!" Mas, ai
daqueles que, por efeito das suas dissensões,
houverem retardado a hora da colheita, pois a
tempestade virá e eles serão levados no
turbilhão!" Espírito da Verdade. (Paris, 1862.)
                 O Evangelho Segundo o Espiritismo
                                               Cap. XX - item 5

      Atendendo a generosa solicitação do jovem Pedro Helvécio, trabalhador de nosso plano nos serviços socorristas, endereçamos uma página de sua lavra inspirada para meditação:

      "Dentre os ensinos de que mais carece o Espírito, a necessidade de respeito às diferenças do outro é das lições mais urgentes a se conquistar."

      "Nos serviços da causa espírita a que te empenhas, vezes sem conta serás chamado a conviver com os afins e contrários nas relações interpessoais. Nessa hora, se te afeiçoas à vivência da ética espírita-cristã, és convocado naturalmente a selecionares o teor de tuas emoções com os que te partilham a tarefa."

      "Como te posicionar frente aos que assumem declarada oposição contra ti e tuas idéias? Como conviver harmoniosamente com os que pensam diferentemente de ti? Sentes que se definires pela tolerância,  serás muita vez obrigado a abrir mão de tuas aspirações e permear por uma postura conivente. Se definires pela exclusão, colocando emocionalmente os menos afins na pauta das aversões e das incompatibilidades, tua consciência expedirá uma queixa sistemática ao teu sensível coração, clamando pela adoção da fraternidade."

      "Anseias por uma postura ideal, mas o raciocínio confunde-te frente ao desafio.  Se toleras, és conivente. Se excluis, és sectário."

      "Na regra áurea do amor encontrarás o caminho ideal. Quando Jesus profere o fazer aos outros o que gostaríamos que nos fizessem (Lucas, 6:31), Ele não estabelece uma conduta de compensações e trocas. Sobretudo, o ensino do Mestre é um chamamento ao mergulho interior, no quel, através da empatia, avaliarás qual a carga emocional que gostarias de receber no lugar de teu próximo. Fazendo assim, perceberás de pronto que podes tolerar teus desafetos e amá-los ardentemente, sem subtrair-te aos teus anelos de serviço e projetos de ação, porque o que verdadeiramente importa é como te encontras intimamente em relação aos outros.."

      "A tolerância não implica aceitação incondicional. Pelo contrário, a tolerância é atitude construtiva das condições para as boas relações que, por sua vez, dissolvem as espessas nuvens do malquerer. Podes ter divergências sem que essas, necessariamente, excitem a dissidência..."

      "A tolerância construtiva é aquela que gera as condições propícias, no íntimo e no exterior, para que haja o respeito, a convivência pacífica e, até mesmo, a possibilidade da iniciativa conjunta."


      "Tolera sempre, sendo indulgente."

      "Tolera incondicionalmente, usando o perdão."

      "Tolera abnegadamente, guardando a paciência."

      "Tolera com fé, entregando ao tempo a solução de muitas adversidades."

      "Tolera compreendendo, pois cada pessoa tem seu patamar evolutivo."

      "Tolera orando, evitando os circuitos mentais de baixo teor moral."

      "Tolera trabalhando. Ocupando a mente em ideais nobres não terás tempo a disputas inferiores."

      "Tolera aprendendo, buscando as lições sublimes do Cristianismo redivivo e medita nas tuas necessidades."

      "Tolera na discrição, abstendo-te de nomear pejorativamente pessoas e grupos."

      "Tolera na meditação, controlando o bulir dos sentimentos impetuosos que elaboram os raciocínios de desforra."

      "Faze tua parte na manutenção da tolerância construtiva e entrega-te a Deus fervorosamente, dele esperando as respostas justas que expressem Sua Vontade frente às tuas adversidades, no relacionamento com os companheiros de jornada, no aprendizado espiritual."

      "Tolerando, armas-te intimamente de recursos para o amor e, amando, serás sempre um instrumento de Deus na mão das circunstâncias que, no momento justo, chamar-te-ão à conciliação, ao entendimento e ao serviço de união."

      "A atitude de exclusão é das mais engenhosas manobras do orgulho. Basta que alguém discorde dos teus pontos comuns de entendimento para que inicie, nas profundezas do campo afetivo de teu ser, um processo de indisposição afetiva que, se não for coibido na origem, caminha para a aversão e, dessa, para os desaires da palavra e da atitude."

      "Defenda tuas idéias, crie teus projetos, mas jamais exclua do campo de teus melhores sentimentos quantos vos não partilham as idéias ou se indispõem contigo."

      "Cada ser dá o que pode e possui nas construções espirituais, e ninguém guarda consigo valores e conquistas suficientes para decretar sentenças condenatórias. Cada qual, conquanto tuas imperfeições, faz o melhor que pode em favor da causa. Compete a ti respeitar a todos, orar pelos que vos maltratam e seguir teu caminho, porque todos já têm uma sentença consciencial com a qual se defrontarão na vida dos "mortos-vivos". Não esqueças que assim como eles, também tu enfrentarás na "vida da verdade" o tribunal de tua consciência, a te perguntar: fizeste ao próximo o que gostaria que ele te fizesse?"

      "Respeite a todos, conquanto não tenhas que pensar por igual; todavia, exclusão, jamais."



Ermance Dufaux e Cícero Pereira





Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mirina em 03 de Abril de 2011, 20:02
Amigos,

para compreendermos o outro devemos nos colocar na posição dele!
Quando conversamos com uma criança, nos abaixamos, usamos a linguagem dela, e damos exemplos que ela comprenda.
Quando estamos face a face com um adulto com o qual não concordamos com a conduta, o que fazemos?
Assumimos um ar professoral, desfiamos um monte de lições e razões pessoais e, tacitamente o julgamos, colocando-os numa situação marginal em referencia a nossa aceitação.
Agora, desprezamos o fato de que o entendimento e a experiencia de vida daquele individuo pode não compreender nossos argumentos, ou até, nossa experiencia de vida é que não alcança o entendimento do outro ser, que pode até ser mais evoluido do que o nosso.
Meu sogro, que já faleceu, aprendeu a respeitar e amar meus filhos e estes vice e versa, quando por problemas de saúde ele esteve durante dez dias em minha casa.  Chamei meus filhos adolescentes e pedi que fizessem companhia ao avo durante a minha ausencia.  Assim instrui-os a convidá-lo a jogar baralho à tarde, a assistir os programas de tv que meu sogro gostava, e que, quando um estivesse dormindo (porque adolescentes dormem muito a tarde), o outro se mantivesse acordado num revezamento constante.
O resultado foi melhor que eu esperava, criaram-se laços e respeito mútuo.

Nós temos na verdade que aprender a nos distanciar de nosso próprio referencial de vida e tentar enxergar sob o ponto de vista do outro.  E, com conhecimento da doutrina espirita, entender que nem todas as almas estão na mesma etapa de progresso, o que nos faz mais tolerantes em relação ao comportamento do outro.

Ter paciencia e tolerancia nem sempre significa amar!

Abs,
Mirina
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 20:55
Olá Amigos.


Do Livro: Unidos pelo Amor
Ética e Cidadania à Luz dos Fundamentos Espíritas

20. Criatividade a Serviço do Bem


"A inteligência é rica de méritos para o futuro,
 mas, sob a condição de ser bem empregada.
 Se todos os homens que a possuem dela se
 servissem de conformidade com a vontade de
 fazer que a Humanidade avance." Ferdinando,
 Espírito protetor. (Bordéus, 1862.)
                 O Evangelho Segundo o Espiritismo
                                               Cap.VII - item 13


     Em determinada cidade, os tarefeiros espíritas se viam diante de um acontecimento incômodo para suas atividades. Existiam dez casas espíritas, e todas exerciam o sublime ministério da campanha fraterna do quilo. Como a cidade não dispunha de avultada população, era comum, em uma determinada manhã de domingo, passarem por uma mesma rua até três instituições para fazerem seus pedidos de solidariedade. Isso causava alguns inconvenientes para os trabalhadores e a comunidade.

     Marcou-se então uma reunião entre os representantes dos dez centros para discutir o assunto. Alguns compareceram com ânimo exaltado, porque ostentavam a chancela de serem os mais antigos a exercerem a tarefa, portanto, julgavam-se com direitos... Outros discutiam que a cidade tinha diversas necessidades sociais, propondo que algumas casas assumissem esses compromissos e deixassem a campanha do quilo para os jovens... As discussões prosseguiam, quando uma senhora, recém-ingressa no Espiritismo, propôs com naturalidade que cada semana a tarefa se realizasse em um dos bairros, com a presença de todas as casas, uma campanha unificada; os gêneros daquela semana seriam de um centro previamente escalado, e tal ciclo poderia ser repetido até atingir todas as dez organizações. O volume de doações seria maior, as pessoas se integrariam formando uma amizade no movimento local e cessariam os problemas com a comunidade. A idéia foi aplaudida e imediatamente aceita sem restrições.


     Criatividade é a capacidade de criar, dar existência a algo não criado.

     Fruto da inteligência, a faculdade de criar implica utilizar diversos potenciais da alma impelindo o ser para frente, destinando-o ao seu grande fanal de progredir e cooperar na obra do Pai-Criador.

     O pintor passa para tela a idéia original nascida nas profundezas de sua mente. Ele mesmo, enquanto cria, se delicia com a sua criação, porque através dos pincéis e tintas encontra com algo incomum de sua personalidade, vê na tela um retrato de sua profundidade, descobre-se naquilo que executa.

     Criatividade é a expansão do bom e do belo que existe de forma latente em nossa intimidade. É permitir o Deus-criador que dormita nos recessos da vida mental espraiar-se em co-criações de beleza e paz, pelo bem de todos e de tudo.

     Criatividade é criar o novo, descobrir o inusitado, oferecer opções, apresentar soluções, ter atitudes incomuns, falar de forma inesperada. Em cada gesto, em cada passo, uma semente do bem plantada no solo inóspito dos corações gerando bem-estar e alegria, disposição de crescer e atração para amar.

     Não costumamos ter olhos para a criatividade porque ela é o fruto saudável da liberdade dos sentimentos, liberdade conquistada na medida em que afinamos o coração com a nobreza de caráter e com o autoconhecimento. As crianças, por exemplo, são muito criativas porque se sentem livres e são puras,  ??? tornando-se-lhes fácil e natural a multiplicidade de idéias, a diversidade de visões incomuns. 

     O desconhecimento do que verdadeiramente está nas origens daquilo que sentimos nos leva a criar velhas associações mentais já condicionadas. Juízos rigorosos e padronizados são externados no automatismo mental a partir daquilo que se passa em nossa vida afetiva. assinalemos, assim, a importância do alimento novo do conhecimento moral-espiritual como sendo um dos recursos mais nobres na elaboração de padrões novos para o campo dos sentimentos.

     No acontecimento da campanha do quilo, a senhora que propôs uma solução criativa o fez imbuída dessa liberdade interior. Sua idéia foi acatda sem restrições porque era o que todos desejavam, mas não sabiam expressar. Ela captou a alma da discussão e soube diluir a sombra do mal através da opção iluminada. Ao invés de criticar pessoas ou atitudes, ocupou-se em encontrar alternativas, centrou-se no desejo de ser útil e poupou possíveis observações que não contribuiriam decisivamente no objetivo da reunião. Quando a conversa penetrava o escuro portal dos condicionamentos de opinião, ela permitiu-se a liberdade para pensar o bem. Isso é o desprendimento mental dos condicionamentos o qual nos permite a expansão do poder criativo.

     Muitas pessoas sentem-se "felizes" por deter-se nos problemas ou nas enfermidades dos outros, porque ainda estão apegadas a suas próprias dificuldades. Não travaram um contato educativo com seu "lado sombra". Admitem seus erros e imperfeições, mas ainda não conseguiram estudar com detalhes os escaninhos de suas limitações na vida prática. Muitos companheiros já foram para aquele "encontro das campanhas" de "espírito armado", prisioneiros de velhas emoções de domínio e superioridade, reflexos do "feudalismo psíquico" que ainda assola diversas almas nos campos doutrinários.


     Que podemos fazer então para alcançar essa liberdade no coração e permitir a criatividade? Como expandir nossa criatividade a serviço do bem?

     A criatividade brota espontaneamente como uma semente rica, que traz em si própria o germe do futuro fruto. Ela, portanto, precisa de condições para fluir com naturalidade, assim como qualquer semente solicita fertilidade. E a condição essencial de fertilidade espiritual é exatamente o trabalho interior com nossa vida afetiva. A descoberta do patrimônio que possuímos na vida emocional e a habilidade de reconhecer a natureza das vivências sentimentais permitirão, paulatinamente, uma maior fecundidade de imaginação e de pensamentos, para decidir e agir perante os desafios da vida. À medida que nos desenvolvemos mais competentes na interpretação do mundo dos sentimentos, fazemo-nos criaturas mais simples.

     Muitos eventos que reúnem pessoas para discutir problemas terminam em conflitos, devido à interpretação que damos à mensagem utilizada pelo outro, porque utilizamos para avaliar o outro os mesmos critérios que aplicamos a nós. Por exemplo, se alguém se julga mais experiente, como foi o caso de um companheiro na historieta das campanhas, então seremos inclinados a julgar os demais como menos experientes. Por sua vez, se um deles ostentar algum valor que coloque em xeque a suposta maior vivência de quem se julga mais experiente, será interpretado como intruso, precipitado e atrevido.

     O costume humano é destacar os problemas, utilizar a inteligência para esquadrinhar as razões das atitudes alheias, no entanto, a maturidade das experiências ensina-nos a aplicar a energia e a criatividade na solução dos obstáculos de cada etapa. A necessidade de responsabilizar alguém é ação infantil e descuidada que, certamente, provocará hostilidades desnecessárias, acrescidads de desânimo e obsessão, gerando clima para elevadas cobranças e expectativas. Essa fixação nos erros é uma faceta do doentio pessimismo do qual ainda somos cativos, porque não aprendemos a criar soluções a nossos próprios dramas íntimos.

     Como diz Ferdinando, a utilização da inteligência para captar a Vontade de Deus levará a humanidade ao avanço mais rápido. A razão disso é muito simples: Deus, na condição de Criador, é riqueza e fartura para o bem de todos; portanto, compete-nos a cada um saber como sintonizar nossa mente nesse Infinito Oceano de Bondade e Beleza, a fim de aprendermos a arte de criar a perfeição em cada passo do caminho.



Ermance Dufaux e Cícero Pereira.






     

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 03 de Abril de 2011, 20:56
Amigos,

para compreendermos o outro devemos nos colocar na posição dele!
Quando conversamos com uma criança, nos abaixamos, usamos a linguagem dela, e damos exemplos que ela comprenda.
Quando estamos face a face com um adulto com o qual não concordamos com a conduta, o que fazemos?
Assumimos um ar professoral, desfiamos um monte de lições e razões pessoais e, tacitamente o julgamos, colocando-os numa situação marginal em referencia a nossa aceitação.
Agora, desprezamos o fato de que o entendimento e a experiencia de vida daquele individuo pode não compreender nossos argumentos, ou até, nossa experiencia de vida é que não alcança o entendimento do outro ser, que pode até ser mais evoluido do que o nosso.
Meu sogro, que já faleceu, aprendeu a respeitar e amar meus filhos e estes vice e versa, quando por problemas de saúde ele esteve durante dez dias em minha casa.  Chamei meus filhos adolescentes e pedi que fizessem companhia ao avo durante a minha ausencia.  Assim instrui-os a convidá-lo a jogar baralho à tarde, a assistir os programas de tv que meu sogro gostava, e que, quando um estivesse dormindo (porque adolescentes dormem muito a tarde), o outro se mantivesse acordado num revezamento constante.
O resultado foi melhor que eu esperava, criaram-se laços e respeito mútuo.

Nós temos na verdade que aprender a nos distanciar de nosso próprio referencial de vida e tentar enxergar sob o ponto de vista do outro.  E, com conhecimento da doutrina espirita, entender que nem todas as almas estão na mesma etapa de progresso, o que nos faz mais tolerantes em relação ao comportamento do outro.

Ter paciencia e tolerancia nem sempre significa amar!

Abs,
Mirina
Essa postura que temos que nos colocar no lugar do outro para compreende-lo já comentei aqui.
Mas vamos no significado do amor.
Existe o amor condicional, ligado a posse,  interesse e apegos e o incondicional, praticado por Cristo. Não importa parentesco, nacionalidade, retorno, absolutamente nada, é deste que o tópico se reporta.
Os atributos  do amor incondicional é a paciência, tolerância, perdão e mais todos os outros que a Gisella colocou no inicio do estudo, ou seja, quando se ama incondicionalmente, esses atributos já fazem parte, são naturalmente praticados sem nem precisar fazer força alguma.

Um abço Hebe
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 03 de Abril de 2011, 22:21
Gisella, Hebe e demais amigos e amigas...


Compartilho com vocês este vídeo  "Regras para ser Humano" ,
por acreditar nas palavras que traduzem  um pouco do aprendizado
pelo qual passamos, e nem sempre avaliamos.



Regras para Ser Humano.MP4 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PW5yVmlxbDlvWk5jIw==)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 03 de Abril de 2011, 23:48
Olá amigos,

O trabalho de reforma é nosso, e deve ser de cada um a ação para conquista da harmonia na mente e no coração. O aprendizado tem variadas faces, mas todas elas comungam com a verdade e, no fundo, se expressa o amor.
Imitemos a árvore cheirosa que sempre perfuma o machado que a decepa. Mesmo que alguém te ofenda , não deixes de socorrê-lo com o teu amor.
Examinemos nossas reações para com os outros, e pratiquemos a tolerância, se tivermos alguma coisa para consertar, não deixemos para amanhã, que o amanhã é outro dia, por vezes mais cheio de dificuldades.

O maior vencedor é aquele que vence as suas próprias imperfeições.

Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 04 de Abril de 2011, 00:34
S/re #117
“as crianças não são puras, no sentido de evoluidas e imaculadas. Na verdade elas são autenticas, são como são, independente se estão agradando ou não. E nós, adultos, respeitamos esta autenticidade pois sabemos que ainda sãocrianças e livres das censuras socialmente impostas. Será que aceitariamos o mesmo comportamento de um adulto?”


Amiga Mirina

 Quando me referi às crianças, afirmando que devemos desaprender para evoluirmos, tentei  deixar claro que devemos eliminar todo nosso egoísmo, nos tornando humildes e tolerantes como são as crianças, pois sem esta postura será impossível evoluirmos.



Mateus 18
2 Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles,
3 e disse: Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.
4 Portanto, quem se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no reino dos céus.



Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ram-wer em 04 de Abril de 2011, 01:22
Olá amigos,

as crianças não são puras, no sentido de evoluidas e imaculadas.  Na verdade elas são autenticas, são como são, independente se estão agradando ou não.  E nós, adultos, respeitamos esta autenticidade pois sabemos que ainda são crianças e livres das censuras socialmente impostas.  Será que aceitariamos o mesmo comportamento de um adulto?

Abs,
Mirina

Alô, Gisella e amiguinhos,

Mirina, seu comentário me fez refletir sobre o que seria a pureza infantil.

Por que, quando crianças, éramos mais puros?  Não na visão alheia, mas em nossa própria consciência.

Por que nos é difícil viver com pureza e inocência depois da primeira infância?

Lembro de algumas manhãs da infância, em que acordava mas não recordava. Durante alguns momentos, antes do download que traria as informações pessoais, familiares, eu não sabia quem eram minha mãe, meu pai... Não sabia de nada!  Só estava feliz, super animado pra pular da cama e viver.

Crianças pequenas, antes dos 5 ou 6, ainda são pouco vinculadas à memória.  Vivem mais no presente de Deus.  Quando o Espírito está presente, sem recordações, não há culpa.  Nem existem boas lembranças de mérito, vitórias, etc. Vivendo-se no presente, é-se novo, puro, inocente.  E isto ocorre em qualquer idade corporal.

Quando Jesus recomendou fôssemos iguais às criancinhas, não dizia que teríamos de penar muito para atingir aquele estado e, então, entrar no Reino dos Céus.  É como se dissesse:

- "Vivam o Presente de Deus.  Sejam puros, imaculados e inocentes agora"!

Depois que a memória supera a consciência, a coisa mais fácil e simples torna-se difícil, quase impossível.  E aí a gente deve meditar, ficar docemente atento, receptivo. 

Oh, Deus!  O que fizemos de nossa inocência?

[attachimg=1 align=left width=620]

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 04 de Abril de 2011, 01:23
Gisella e Hebe,

Li este texto maravilhoso falando de Amor...  não poderia deixar de compartilhar no estudo.

Revigorando o Amor!

Todos nós temos nosso jeito de amar ou demonstrar amor.

E aí eu pergunto:
- Você já parou pra pensar como mostra seu amor?

Esse pensamento tinha invadido minha cabeça naquele dia, durante uma conversa.

Observei que ao longo da vida, eu demonstro amor fazendo, e de diversas e diferentes formas.
A questão é:  Como faço amor?
Entre centenas de maneiras, quer ver algumas?

Sempre que faço pra alguém seu prato preferido, estou mostrando amor. Quando ouço com atenção as aflições que atormentam pessoas que são importantes pra mim, estou fazendo amor. Ao  demonstrar interesse pelos sonhos dos outros, andando junto na trilha íngreme, segurando na mão estendida que pede conforto, acolhendo as lágrimas de uma dor que transbordou ou abraçando um corpo doente de dor, estou fazendo amor.
É nos gestos que mais revelamos o amor - as palavras não o traduzem com perfeição. Então, se fizermos uma lista de ações amorosas, entenderemos que o amor está nas coisas mais simples, nas intenções mais verdadeiras, e que fazemos amor, amando. Amando sem reservas, sem condição ou imposição.

Fazendo o doce predileto, procurando o presente perfeito, escolhendo a melhor hora pra fazer a surpresa, roubando horário de uma agenda apertada, lembrando de comprar guloseimas, esperando o primeiro minuto da madrugada para cumprimentar pelo aniversário, selando um acordo com um olhar, ou compartilhando de um café fresquinho, estamos fazendo amor.

São inúmeras as atitudes que carregam o amor que sentimos. O silêncio respeitoso, o abraço cheio de saudade, uma sopa quentinha, ou quando cedemos nossa cama, sentamos juntinhos no sofá e torcemos baixinho pro Brasil.

Pode parecer banal, mas ao darmos carona pro aeroporto, atendermos de um bebê enquanto os pais descansarem, servirmos uma massa mergulhada no molho preferido, ou ouvirmos quem está triste, estamos mostrando amor, fazendo.

E quando dizemos "te amo" olhando no fundo dos olhos em completo silêncio, ou retribuímos um aceno que sabemos que custou a chegar, quando presenteamos com um livro que adoramos - e se o exemplar for o nosso, então...seguramente, estamos fazendo amor!!

Entretanto, a mais importante de todas as formas de fazermos amor é quando mudamos, tornando-nos pessoas melhores, aprendendo a lidar com nossos limites buscando superações, crescendo por opção. Nesta hora estamos fazendo amor conosco, maneira única de amarmos o outro!

Continuo fazendo amor, descobrindo a cada dia formas de manter acesa a chama da vida, renovando a mim - e revigorando o amor!
Se você se achou em alguma parte do texto, descobriu que faz amor de um jeito que não sabia que fazia.

E então, vamos continuar fazendo amor?

Fonte: Tecendo Idéias.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 04 de Abril de 2011, 02:29
Olá amigos,

as crianças não são puras, no sentido de evoluidas e imaculadas.  Na verdade elas são autenticas, são como são, independente se estão agradando ou não.  E nós, adultos, respeitamos esta autenticidade pois sabemos que ainda são crianças e livres das censuras socialmente impostas.  Será que aceitariamos o mesmo comportamento de um adulto?

Abs,
Mirina

Alô, Gisella e amiguinhos,

Mirina, seu comentário me fez refletir sobre o que seria a pureza infantil.

Por que, quando crianças, éramos mais puros?  Não na visão alheia, mas em nossa própria consciência.

Por que nos é difícil viver com pureza e inocência depois da primeira infância?

Lembro de algumas manhãs da infância, em que acordava mas não recordava. Durante alguns momentos, antes do download que traria as informações pessoais, familiares, eu não sabia quem eram minha mãe, meu pai... Não sabia de nada!  Só estava feliz, super animado pra pular da cama e viver.

Crianças pequenas, antes dos 5 ou 6, ainda são pouco vinculadas à memória.  Vivem mais no presente de Deus.  Quando o Espírito está presente, sem recordações, não há culpa.  Nem existem boas lembranças de mérito, vitórias, etc. Vivendo-se no presente, é-se novo, puro, inocente.  E isto ocorre em qualquer idade corporal.

Quando Jesus recomendou fôssemos iguais às criancinhas, não dizia que teríamos de penar muito para atingir aquele estado e, então, entrar no Reino dos Céus.  É como se dissesse:

- "Vivam o Presente de Deus.  Sejam puros, imaculados e inocentes agora"!

Depois que a memória supera a consciência, a coisa mais fácil e simples torna-se difícil, quase impossível.  E aí a gente deve meditar, ficar docemente atento, receptivo. 

Oh, Deus!  O que fizemos de nossa inocência?

(Ligação para o anexo)


Ram-wer, os mestres iluminados ensinam a viver o momento, com total atenção, este é o estado meditativo permanente.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Marli Pacheco em 04 de Abril de 2011, 02:29
Boa noite Gisella e Hebe, boa noite amigos queridos
Que maravilha podermos esplanarmos sobre a transformação pelo amor.
Que Deus nosso pai as iluminem!!!!!!!!!!!!


Quem Ama

Quem ama nada exige.
Perdoa sem traçar condições.
Sabe sacrificar-se pela felicidade alheia.
Renuncia com alegria ao que mais deseja.
Não espera reconhecimento.
Serve sem cansaço.
Apaga-te para que outros brilhem.
Silencia as aflições, ocultando
as próprias lágrimas.
Retribui o mal com o bem.
É sempre o mesmo em qualquer situação.
Vive para ser útil aos semelhantes.
Agradece a cruz que leva sobre os ombros.
Fala esclarecendo e ouve compreendendo.
Crê na Verdade e procura ser justo.
Quem ama, qual o samaritano anônimo
da parábola do Mestre,
levanta os caídos da estrada,
balsamiza-lhes as chagas, abraça-os
fraternalmente e segue adiante...

(Alexandre de Jesus)
Chico Xavier

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 04 de Abril de 2011, 02:38
Bem vinda ao estudo Marli, Macili, muito obrigada pelos textos e video que trouxe.
Um abço Hebe.

Voltando, vivendo o momento, é interromper o pensamento intermitente,
O que isso quer dizer? Acalmar a mente, sem passado e nem futuro.
Ex: Está dirigindo prestando atenção só no ato de dirigir.
Normalmente está se pensando nas contas a pagar, na briga com a namorada, no carro que quer comprar, e mais uma enxurrada de ansiedade, quando não se estabelece um verdadeiro diaolgo mental em determinada situações que nos preocupam.
Não só no ato de dirigir, mas a todo momento, ou seja, focando o que já passou ou o que virá e não vivendo o agora. A mente serena  nos faz viver a cada momento com total atenção.

Um abço Hebe

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 04 de Abril de 2011, 02:43
Boa noite, vou falar como nossos irmãos evangélicos," isto aqui é uma benção”
Que vídeo lindo de exemplos de nossa irmã Madre Tereza, e diversos textos edificantes, que todos contribuem com muito amor, onde já até pude parar por alguns instantes hoje e exercitar a paciência graças a este estudo. Queridos irmãos deixo um abraço fraterno e uma pequena contribuição neste estudo que dará ainda mais frutos para nossa reforma íntima. :)

Os efeitos da lei de amor são o aperfeiçoamento moral da raça humana e a felicidade durante a vida terrestre. Os mais rebeldes e os mais viciosos deverão se reformar quando virem os benefícios produzidos por está prática. Não façais aos outros o que não quereríeis que vos fosse feito, mas fazei-lhes, ao contrário, todo o bem que está em vosso poder fazer-lhes.
Não creiais na esterilidade e no endurecimento do coração humano; ele cede, a seu malgrado, ao amor verdadeiro; é um ímã ao qual não pode resistir, e o contato desse amor vivifica e fecunda os germes dessa virtude que está nos vossos corações em estado latente. A terra, morada de prova e de exílio, será então purificada por esse fogo sagrado, e verá praticar a caridade, a humildade, a paciência, o devotamento, a abnegação, a resignação, o sacrifício, virtudes todas filhas do amor.
Pequeno trecho tirado do livro; “Esculpindo o Próprio Destino”
Espirito Lucius André Luiz Ruiz,,,,
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 04 de Abril de 2011, 03:13
Muito se falou da tolerancia, paciencia e vamos falar agora de Justiça.

"Justiça e Direito Natural"

"Justiça é a virtude moral pela qual se atribui a cada indivíduo o que lhe é de direito; é um sentimento natural, inerente ao ser humano, e não resultado de idéias adquiridas, pois consiste no respeito ao direito de cada um. O sentimento de justiça está de tal modo patente na natureza que o próprio homem revolta-se à simples idéia de uma injustiça. O progresso moral desenvolve este sentimento, que é o mesmo para todos; o que varia é a sua expressão, em função do grau evolutivo dos Espíritos.

É assim que, o que para uns é justo, para outros não é; isto explica o fato de muitas criaturas interpretarem a justiça de modos diferentes; o critério de justiça está portanto diretamente ligado à evolução moral do Espírito. Por isso que se vêem criaturas simples, e às vezes até primitivas, mas com elevadas noções de justiça, mais exatas do que as de homens de muito saber. Estes, em numerosas oportunidades deixam-se levar pela cobiça, pelo poder e pela vaidade, desvirtuando assim o conceito natural de justiça, ao aplicá-la segundo seus próprios interesses.

A justiça consiste no respeito aos direitos de cada um (LÊ, 875). Esses direitos são determinados por duas leis: a lei natural e a lei humana. A primeira é eterna, imutável, e sua origem identifica-se com a própria natureza de Deus, sendo sempre a mesma para todos. Deus não fez uns de limo mais puro que outros e todos são iguais perante Ele. Esses direitos são eternos; os estabelecidos pelos homens perecem com as instituições (LÊ, 878a). A segunda, compreendendo um conjunto de leis ou normas que regem as relações entre os homens, é feita de acordo com seus interesses, seus costumes, seu caráter, estabelecendo regras que podem variar com o progresso moral e intelectual. O direito dos homens, portanto, nem sempre corresponde à verdadeira justiça; ele só regula algumas relações sociais, porque há uma infinidade de atos que dizem respeito tão somente à consciência de cada um.

Pelo fato da justiça consistir no respeito aos direitos de cada um, se o homem não souber onde termina o seu direito e começa o do outro, deve basear-se no ensinamento de Jesus: "Querei para os outros o que quereis para vós mesmos".
Da necessidade que o homem tem de viver em sociedade, decorrem para ele obrigações especiais, sendo a primeira a de respeitar os direitos de seus semelhantes; aquele que se empenha em respeitar esse direito será sempre considerado como um homem justo.

Portanto, a característica de todo aquele que procura viver sob a égide da Lei de Justiça, Amor e Caridade em toda sua essência, é a do homem verdadeiramente bom e justo, porque estaria seguindo o exemplo de Jesus ao praticar o amor ao próximo e caridade, virtudes sem as quais não se estabelece a verdadeira justiça."
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mirina em 04 de Abril de 2011, 03:43
Por que, quando crianças, éramos mais puros?  Não na visão alheia, mas em nossa própria consciência.

Por que nos é difícil viver com pureza e inocência depois da primeira infância?

Lembro de algumas manhãs da infância, em que acordava mas não recordava. Durante alguns momentos, antes do download que traria as informações pessoais, familiares, eu não sabia quem eram minha mãe, meu pai... Não sabia de nada!  Só estava feliz, super animado pra pular da cama e viver.

Crianças pequenas, antes dos 5 ou 6, ainda são pouco vinculadas à memória.  Vivem mais no presente de Deus.  Quando o Espírito está presente, sem recordações, não há culpa.  Nem existem boas lembranças de mérito, vitórias, etc. Vivendo-se no presente, é-se novo, puro, inocente.  E isto ocorre em qualquer idade corporal.

Quando Jesus recomendou fôssemos iguais às criancinhas, não dizia que teríamos de penar muito para atingir aquele estado e, então, entrar no Reino dos Céus.  É como se dissesse:

- "Vivam o Presente de Deus.  Sejam puros, imaculados e inocentes agora"!

Depois que a memória supera a consciência, a coisa mais fácil e simples torna-se difícil, quase impossível.  E aí a gente deve meditar, ficar docemente atento, receptivo. 

Oh, Deus!  O que fizemos de nossa inocência?

[attachimg=1 align=left width=620]


[/quote]

Amigo Ram Wer,

de fato as crianças tem esta caracteristica, vivem o presente, sem ansiedades, sem expectativas.  Mas somente até tenra idade, onde ainda não tem que apresentar boas notas, ser o mais bonito, o mais popular.....isto é o mais aceito socialmente!

Mas a doutrina nos ensina que para atingirmos nossa finalidade neste plano devemos aprender a conviver e ser útil socialmente, o que nos distancia da natureza da criança.  Dificil compreender este binomio.

Abs amigo,
Mirina
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 04 de Abril de 2011, 03:50
Só gostaria de ressaltar para não confundirmos a virtude da Justiça com o defeito de julgar, pois fico muito triste quando vejo jornais e pessoas julgando e condenando irmãos menos esclarecidos, e as autoridades responsaveis pelo julgamente fica esta pequena

frase tirada do livro Evangelho Segundo o Espiritismo cap 10

A consciência íntima, de resto, recusa todo respeito e toda submissão voluntária àquele que estando investido de um poder qualquer, viola as leis e os principios que está carregado de aplicar
Não há autoridade legítima, aos olhos de Deus, senão aquela que se apoia sobre o exemplo que dá do bem; é o que ressalta igualmente as palavras de Jesus.

Boa noite a todos...............
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mirina em 04 de Abril de 2011, 03:54
Hebe,

direito e justiça estão sempre ligados a pontos de vista referencial.

Assisti ao filme "As mães de Chico Xavier" e num dado momento Chico pergunta a mãe que perdeu seu filho após um acidente de bicicleta com sua baba, se ela já havia agradecido a mesma pela morte do seu filho!  Isto lhe parece justo?  A mãe também não lhe pareceu, então Chico disse, que se não fosse pelas mãos da baba, talvez seu filho tivesse desencarnado pelas mãos da própria mãe, após um tombo de seu colo, ela saberia lidar com esta culpa?

Estranha a justiça divina! Creio que a maioria de nós jamais a compreenderia!
Paciencia e tolerancia não combinam com amor incondicional, que pede aceitação do outro independente de seu ponto de vista.  Liberdade de ser e responsabilidade no agir são mais coerentes com o amor incondicional!

Abs,
Mirina
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 04 de Abril de 2011, 05:47
Bom dia, queridos amigos e caros irmãos visitantes!

Querida amiga Gisella,

Parabéns pela escolha do tema e também da nossa amiga Hebe para moderar este estudo junto com você.

Gostei muito da forma como o estudo deste transcendente tema foi concebida, com uma estrutura muito bem definida e abrangente, de modo a faclitar — para todos os interessados em partcipar do estudo — as postagens mais adequadas, nas quatro semanas em que o mesmo vai se desenvolver.

Parabéns e boa sorte!

Deus conosco, sempre!

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 04 de Abril de 2011, 05:53
Bom dia, irmãos queridos!


PACIÊNCIA


Podemos dizer que a paciência é a virtude sobre a qual se alicerçam as demais.

Para nos convencermos do valor da paciência, bastar-nos-á refletir sobre os efeitos da impaciência.

A paciência é a força que, por si só, remove muitos obstáculos no caminho.

Quem se controla emocionalmente evita problemas que, às vezes causados num minuto de cólera, exigem anos para serem solucionados.

O Espírito paciente, acima de tudo, é um sábio, porque conhece o poder transformador que somente o Tempo possui sobre todas as coisas e todos os seres.

A paciência é o antídoto contra o desequilíbrio.

Tudo é obra silenciosa e paciente do tempo. Quantos séculos a imensa floresta levou para se formar?! Quantos milênios as Leis da Vida gastaram para elaborar o corpo humano?!...

Não nos atrasemos na marcha que empreendemos à procura da felicidade, mas também não nos apressemos em excesso.

Saibamos dimensionar os próprios passos, para que não tropecemos nas pedras de nossas limitações.

Há dois mil anos Jesus espera que o homem aceite o Evangelho no coração, mas nem no momento da cruz esteve Ele de braços cruzados!

Nós nos esquecemos de que ao poder transformador do Tempo apenas se iguala o poder transformador do Trabalho.

                Irmão José
(Psicografia de Carlos A. Baccelli)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Victor Passos em 04 de Abril de 2011, 09:15
Ola muita paz e harmonia
Bons Amigos e Amigas

Trajetória de Vida

No processo de aprendizado, a pessoa tem momentos de profunda reflexão na busca do significado de sua existência: Quem eu sou? De onde eu vim? Por que estou aqui? Para onde eu vou ?São perguntas cujas respostas são essenciais para o indivíduo deixar de ser passageiro do mundo imediato e se transformar em agente consciente e conseqüente do seu processo de vida, passando, dessa forma, a planejar sua evolução.

A proposta da Doutrina Espírita é tentar fornecer instrumentos e instruções para que se possa compreender e construir a pluralidade de caminhos que compõe a trajetória de vida. Portanto, é fundamental conhecer as alternativas existentes e ter consciência clara ¾ sabedoria — dos caminhos que podem ser escolhidos.

É muito importante, ao se falar em trajetória de vida, conceituar passado, presente, futuro e referencial de vida.

O passado são os acontecimentos vividos, experiências acumuladas. O presente é o que a pessoa é e o que ela faz. Ao agir, o homem faz transformações — "quem não age não é" (Antonio Grimm). O futuro é a expectativa do que a pessoa quer ser.

O presente da pessoa possui suas bases no somatório das suas experiências e vivências, portanto é um resultado único e individual. A observação plena, racional e intensa do presente possui profundo significado para o homem. Viver o presente, analisá-lo, pesquisá-lo é dar a dimensão do Universo à vida do homem (Antonio Grimm).

A Doutrina Espírita promove o processo sustentável de vida por meio do encontro do homem consigo mesmo; ou seja, aquele que vive somente os acontecimentos do passado, ou apenas as expectativas do futuro, não vive o presente, portanto não age e não transforma.

A análise do passado, do presente e do futuro é feita de acordo com determinado referencial de vida. Para a Doutrina Espírita, referencial de vida é um sistema de valores utilizado como parâmetro de avaliação crítica das decisões, das ações e do comportamento.

Pode-se tentar traduzir a idéia de referencial de vida usando o seguinte exemplo: uma pessoa decidiu viajar. Viajar é uma experiência bastante interessante que permite conhecer outros lugares, pessoas e viver momentos novos. Ou seja, viajar é uma oportunidade de aprendizagem. Se esta viagem for planejada previamente, levando-se em conta as experiências anteriores da pessoa, acrescida das suas preferências e tendências atuais, além de se considerar as informações e indicações dos lugares a serem visitados, com certeza a viagem será mais condizente com as expectativas. O planejamento permitirá a escolha de caminhos mais objetivos e, o que é muito importante, servirá como referência caso, por engano, a pessoa saia do trajeto que escolheu. Entretanto, supondo-se que a pessoa não fez o planejamento prévio, deixando para o momento e para o acaso a escolha do caminho a ser tomado, a probabilidade da viagem não ser satisfatória será maior. Corre-se o risco de levar a trajetos perigosos, muitas vezes difíceis e penosos. Todo este cenário pode ser agravado pela falta de um ponto de referência para saber se a pessoa está se aproximando ou se afastando do objetivo desejado.

Dessa forma, a trajetória de vida de um indivíduo pode ser encarada como uma viagem do espírito a várias culturas, lugares, momentos, situações, desafios, funções e oportunidades. A abordagem da vida como trajetória e a utilização do referencial como ferramenta são muito úteis na otimização da evolução de cada pessoa. É importante estar reavaliando continuamente o referencial, transformando-o e corrigindo-o.

O sistema referencial proposto pela Doutrina Espírita traz alguns conceitos tais como: capital de vida, história de vida, inventário de vida, projeto de vida.

Capital de vida é a duração potencial, a quantidade de tempo disponível pelo espírito para construção de sua trajetória no polissistema material.

História de vida é a resultante singular e universal do somatório contínuo de experiências vividas e convividas pelo espírito.

Inventário de vida é o levantamento e avaliação de valores agregados pelo espírito ao longo de sua trajetória; coleção do resultado de suas experiências.

Projeto de vida é a construção da trajetória de vida do indivíduo na expectativa do que ele quer ser - projeto de construção do ser na ação de sua consciência.

O objetivo da vida é a evolução. Como evolução é um processo, a vida é necessariamente aberta, não há destino. A trajetória de vida é construída pela pessoa ao desenvolver os seus potenciais e superar os seus limites.

Resumindo, trajetória de vida é um caminho construído livremente pelo espírito ao interagir de forma consciente e conseqüente consigo mesmo, com os outros, com a natureza, com o Universo.


Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas

Muita paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 04 de Abril de 2011, 11:57
Amigos...

Peço desculpas pela minha parca participação de ontem, mas meu PC está louquiando, desliga sozinho e não consigo completar minha msg...

Irei a uma lan house e lerei td com carinho e responderei, ok??

Vou sair antes que seja tarde...  :D :D

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 04 de Abril de 2011, 12:31
Olá amigos,

"A Lei é o Amor! Não existe nenhuma outra maneira de atingirmos nossa paz interna a não ser pela expressão do Amor Incondicional.

E o que significa este Amor Incondicional? É tão divino que o humano tem dificuldade até na compreensão desta expressão... é o caminhar na vida levando compaixão, compreensão, perdão, tolerância, desapego... dar valor ao que realmente tem valor, é não ficar preso a palavras, gestos, fatos, eventos, situações emocionais; é relevar com compaixão as mágoas, as injustiças, as decepções vividas no nosso cotidiano... é compreender que tudo isto é muito pequeno comparado com a grandeza da alma, com a grandeza da vida.

É caminharmos fazendo a nossa parte, amando ao próximo como a nós mesmos, entregndo a Deus, à vida, todas as situações conflitantes, dolorosas, que momentaneamente possamos estar incapacitados para darmos a melhor solução, a resposta mais adequada."

Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 04 de Abril de 2011, 13:04
Olá amigos,

Complementando o comentário da Hebe

A verdadeira Lei de justiça nos impõe como dever primordial “amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos”, e se alguém segue esses fundamentos, em observação ao resumo de todas as leis e de todos os profetas sintetizadas por Jesus, não pode em nenhuma hipótese sob nenhum pretexto, deixar de observar o respeito ao direito do semelhante que começa onde o nosso termina.
 
A verdadeira caridade é aquele que observa o cuidado em não prejudicar o nosso semelhante, em fazer por ele o que gostaríamos que em nosso lugar ele fizesse por nós, em desejar para ele o que desejamos para nós, em ser para ele sob todos os aspectos, o irmão em caminhada evolutiva, estendendo-lhe nossas mãos fraternas e operosas no objetivo único de ajudar no progresso de seu aperfeiçoamento individual a caminho da felicidade e da perfeição, que tanto almejamos para nossa própria vida.

Sobe o assunto ouçamos as instruções que nos transmitiram os Espíritos Superiores, para que definitivamente entendamos o verdadeiro sentido da caridade e o quanto ela nos é proveitosa e nos credencia a vôos mais altos na construção de um caminho muito mais seguro na conquista dos valores morais imprescindíveis à nossa caminhada de aperfeiçoamento evolutivo.

Assim sendo, precisamos o quanto antes aprender a desenvolver em nós o senso de justiça, para que não tenhamos mais tarde problemas a enfrentar diante do tribunal de nossa própria consciência a nos cobrar ações dignas de um filho de Deus a caminho da perfeição.


Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 04 de Abril de 2011, 13:27
Bom dia e uma ótima semana a todos

Leis Morais da Vida

"Não erreis, não vos enganeis, meus amados irmãos." (Tiago: 1-16)

O salutar conselho do apóstolo Tiago continua muito oportuno e de grande atualidade para os cristãos novos.

Erro - compromisso negativo, amarra ao passado.

Ao erro cometido impõe-se sempre a necessidade de reparação.

Quem conhece Jesus não se pode permitir o desculpismo constante, irresponsável, que domina um sem número de pessoas.

Por toda parte se apresentam os que mentem e traem, enganam e dilapidam, usurpam e negligenciam, exploram e envilecem, aplaudidos uns, homenageados outros, constituindo o perfeito clã dos iludidos em si mesmos. Sem embargo, o mal que fazem ao próximo prejudica-os, porquanto não se furtarão a fazer a paz com a consciência, agora ou depois.

Anestesiados os centros de discernimento e da razão, hoje ou amanhã as conjunturas de que ninguém se consegue eximir impor-lhes-ão reexame de atitudes e de realizações, gerando neles o impositivo de despertamento para as superiores conceituações sobre a vida.

Enquanto se erra, muitas vezes se diz crer na honestidade e valia da ação, como a ocultar-se em ideais ou objetivos que têm aparência elevada e honesta, todavia, todo homem, à exceção dos que transitam nas faixas mais primitivas da evolução ou os que padecem distúrbios psíquicos, tem a noção exata do que lhe constitui bem e mal, do lhe compete, ou não, realizar.

Dormem nos recessos íntimos do ser e despertam no momento próprio as inabordáveis expressões da presença divina, que se transformam em impulsos generosos, sentimentos de amor e fé, aspirações de beleza e ideal nobre que não se podem esmagar ou usar indevidamente sem a correspondente conseqüência, que passa a constituir problemas e dificuldade na economia moral-espiritual do mau usuário.

Refere-se, porém, especificamente o Apóstolo austero do Cristo, aos erros que o homem pratica em relação à concupiscência e à desconsideração para com o santuário das funções genésicas.

O espírito é sempre livre para escolher a melhor forma de evolução.Não fugirá, porém, aos escolhos ou aos alcatifados que lhe apraz colocar pela senda em que jornadeia.

Em razão disso, a advertência merece meditada nos dias em que, diminuindo as expressões de fidelidade e renúncia, se elaboram fórmulas apressadas para as justificativas e as conivências com a falência dos valores morais, que engoda os menos avisados.

Os seus fâmulos crêem-se progressistas e tornam-se concorde para fruírem mais, iludindo-se quanto ao que chamam "evolução da ética".

Não te justifique os erros.

Se possível, evita errar.

Desculpa os caídos e ajuda-os, mas luta por manter-te de pé.

A corroborar com a necessidade imperiosa da preservação moral do aprendiz do Evangelho, adverte Paulo, na sua Primeira Epístola aos Coríntios, conforme se lê no Capítulo dez, versículo doze: "Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe, não caia".

Perfeitamente concorde com a lição de Tiago, os dois ensinamentos são inadiáveis concitamento à resistência contra as tentações.

A tentação representa uma avaliação em torno das conquistas do equilíbrio por parte de quem busca o melhor, na trilha do aperfeiçoamento próprio.

Assim, policia-te, não caindo nem fazendo outrem cair.

Pensamento otimista e sadio, palavra esclarecedora, sem a pimenta da malícia ou da censura e atitudes bem definidas no compromisso superior aceito, ser-te-ão abençoadas forças mentais e escoras morais impedindo-te que erres ou que caias.



Autor: Joanna de Ângelis
Psicografia de Divaldo Franco
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 04 de Abril de 2011, 15:28
Amor e Progresso

Mediante o amor, todos despertarão para as responsabilidades que lhe dizem respeito.
O amor é o mais prodigioso fomentador do progresso moral, do qual decorrem todas as demais formas de desenvolvimento.
Quando não viceja no ser humano as conquistas realizadas, por mais brilhantes, tendem à destruição ou são filhas especiais do egoísmo, que as realiza para atender fins nem sempre respeitáveis.
A atualidade tem-se feito caracterizar por muitas formas de progresso, que têm impulsionado a cultua e a civilização a níveis elevados, não obstante a vigência dos crimes hediondos, da fome estarrecedora, das enfermidades infecto-contagiosas, das guerras contínuas, dos abusos do poder, dos preconceitos ainda não erradicados, da intolerância de vário matiz, dos descalabros morais por meio dos vícios destruidores como o alcoolismo, o tabagismo, as doenças químicas...
A Ciência e a Tecnologia têm impulsionado o individuo a relevantes realizações, porém esquecidas do amor, e dessa forma as máquinas que ele criou substituem-no, desumanizam-no enquanto o super-povoamento das grandes cidades alucina-o, tornando-o mais agressivo e estressado.
Não obstante as propostas sociológicas que se multiplicam, esse cidadão perde a identidade e confunde-se na massa que detesta, tornando-se violento e sentindo a sua existência quase sem objetivo.
Os veículos de comunicação, com o seu imenso poder de conduzir notícias, invadem os lares em toda parte, especialmente a televisão, e os abarrotam com informações ligeiras, raramente esclarecedoras e profundas quando da abordagem dos temas de alta significação, libertadores de consciência e tranqüilizadores da emoção, apresentando, ao invés, muitos fatos escabrosos que ele desconhece e, não poucas vezes, estimulam-no a lutas ferozes, nas quais os demais são-lhe inimigos em potencial. Infelizmente, esses veículos dão preferência às licenças morais devastadoras, criando uma cultura pessimista e reacionária, na qual o ódio, a frustração, o desespero assumem papel de importância na conduta interior e na maneira de viver na sociedade.
A família, embora o patrimônio multimilenário de que se constitui, sofre os camartelos da agitação e do desconcerto de que se tornou vitima, transtornando-se e esfacelando-se, tornando-se campo de rudes batalhas malsucedidas.
... E o ser humano superconfortado transita sob injunções tormentosas, derrapando em transtornos neuróticos, psicóticos, mergulhando no fosso da desolação.
Sucede que o progresso, sem amor, está sem Deus, portanto, sem o alicerce seguro do equilíbrio e da libertação das vidas dos seus atavismos primitivos, que as escravizam no primarismo de onde procedem.
Torna-se urgente uma revisão de conceitos em torno do progresso e das suas propostas, a fim de que seja realizada uma ação renovadora e saudável, propiciando relacionamentos felizes entre as criaturas.
Esse ministério somente pode ser desempenhado pelo amor.
É inevitável que a máquina robotize muitas atividades, solucionando com razoável perfeição os misteres que lhe estão programados. Entretanto, cumpre ao ser humano encontrar soluções outras e mecanismos sábios para atender aos desempregados, àqueles que foram substituídos nas empresas e fábricas, nos laboratórios e no campo...
Tal compromisso diz respeito ao amor e à compaixão.
*
O amor fomenta o progresso, nunca eliminando a criatura humana, sua meta e seu destino.
De que adianta um mundo tecnologicamente bem equipado, com criaturas fantasmas de si mesmas, sem objetivos de alta significação, transitando entre aspirações imediatas e prazeres fugidios?
O ser humano é grande investimento da Divindade, que aplicou centenas de milhões de anos na sua construção, conduzindo-o, passo a passo, na longa travessia das experiências de crescimento.
Mediante o amor, de que se constitui, e na maioria ainda se encontra em latência, conseguirá romper os envoltórios resistentes, para sair a flux e desenvolver as aptidões, aumentando o campo de realizações que lhe dizem respeito.
Por meio da lucidez do amor, a Tecnologia trabalhará em favor da paz, jamais promovendo guerras de extermínio, a soldo das ambições desmedidas dos indivíduos e de governos alucinados, egotistas e mercenários.
Os poderosos auxiliarão os fracos, emulando-os à conquista de recursos dignos, mediante os quais adquirirão valores para a existência saudável.
O comércio terá características humanitárias e não apenas de exploração do homem pelo homem, gerando a escravidão monetária, qual vem ocorrendo lastimosamente.
As indústrias respeitarão os direitos do cidadão, mediante horários de trabalho justo e espaços para repouso, espairecimento e estudo, mas também preservarão a Natureza.
O ser humano não foi criado para ter as suas forças exauridas, como se fora uma alimária infeliz, no justo momento em que os amigos dos animais levantam-se para profligar contra o abuso e a impiedade com que muitos os tratam.
A agricultura receberá maior respeito, tornando-se milagroso instrumento de provisão para as multidões, que não mais experimentarão fome ou escassez de alimentos.
O tráfico, em todas as formas como se apresente, será diluído na solidariedade que há de viger entre os seres pensantes da Terra.
Porque, mediante o amor, todos despertarão para as responsabilidades que lhes dizem respeito, e não apenas para os interesses mesquinhos que os submetem às tormentosas lutas de predomínio e de loucura.
Como é possível uma sociedade, na qual alguns poucos detêm o poder financeiro, que todo o restante da população do mundo, somada, não consegue sequer aproximar-se, menos ultrapassar?! Como estabelecer-se uma cultura, em nome do progresso, na qual a miséria total espia com a ira a abundancia e o desperdício acintoso dos poderosos?! Como aguardar-se a paz social, estabelecida por tratados internacionais de conveniência, firmados pelas Nações mais desenvolvidas e ricas da Terra, olvidando-se dos estertores agônicos daquelas outras que lhes sofrem as injunções penosas, na condição de escravas, sem direito à palavra, à liberdade, à esperança, encontrando-se na linha abaixo da miséria estabelecida?!...
Tudo isso ocorre somente porque o amor não foi consultado, quando se cuidou de desenvolver o progresso do mundo, longe dos sentimentos da compaixão e da solidariedade para com o próximo, que não é apenas aquele que está mais perto, senão todos os seres existentes.
*
O amor verdadeiro, portanto, é aquele que se estabelece em todos os segmentos sociais, culturais, científicos, religiosos, artísticos, priorizando sempre a criatura humana, seu objetivo, sua razão de existir...
Com o seu hálito vivificador, comanda as consciências e os sentimentos, nunca permitindo que alguém deseje, ou faça com outrem, aquilo que não gostaria que lhe fosse feito.
Quando essa compreensão abarcar os homens e as mulheres, conduzindo-s pela trilha da evolução, o progresso será real, profundo e plenificador.
Começa, então, desde agora, com esse compromisso de amar, não pensando em resultados, exceto os do próprio amor.
O futuro encarregar-se-á de levá-lo até onde não consigas chegar, e isso sim, é o que se faz importante.

Livro: Garimpo de Amor
Divaldo Franco (médium)
Joanna de Ângelis (Espírito

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 04 de Abril de 2011, 18:30
Boa tarde a todos do estudo.

Gisella e Hebe obrigada pelos ensinamentos.


Trago uma história que se encaixa ao tema.
Possamos refletir neste aprendizado de amor.

***

O Mestre e o Escorpião

Um mestre oriental viu um escorpião que se afogava e decidiu tirá-lo da água, mas quando o fez, o escorpião lhe picou. Como reação à dor, o mestre soltou-o e o animal caiu na água e, de novo, estava se afogando.

O mestre tentou tirá-lo outra vez, e novamente o escorpião o picou.

Alguém que tinha observado tudo, aproximou-se do mestre e disse:
- Perdão, mas você é muito teimoso! Não entende que cada vez que tentar tirá-lo da água, ele o picará?
O mestre respondeu:

- A natureza do escorpião é picar e isso não muda a minha natureza, que é ajudar. Então,
com a ajuda de um ramo, o mestre retirou o escorpião da água e salvou-lhe a vida.

Não mude a sua natureza se alguém lhe magoar. Apenas tome as devidas precauções.

"O tempo é algo que não volta atrás; portanto, plante seu jardim ao invés de esperar que alguém lhe mande flores".


    (William Shakespeare)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 04 de Abril de 2011, 18:56
Contribuindo mais um pouco na virtude da "Paciência", posto aqui uma mensagem muito especial.

***


Paciência


A vontade de Deus e o tempo de Deus são inseparáveis!

Parece-nos difícil entender, ou mais ainda, aceitar este fato imutável.

Deus, em Sua infinita sabedoria nos dá diversos exemplos maravilhosos.

Um lavrador, por mais que ele não queira, ou seja, por mais que ele se impaciente, ele terá que esperar pela época certa para efetuar a colheita;
uma árvore tem seu tempo para, em germinando de uma pequenina semente, tornar-se enorme, frondosa e cheia de frutos;
nós estivemos no ventre materno;
um tempo para sermos crianças, jovens, adultos;
enfim, necessitamos de tempo para amadurecer.

A coisa certa, feita na hora errada, torna-se errada!

O ser-humano é a única das criaturas a sofrer desse terrível mal, chamado, impaciência.
A impaciência no ser-humano adulto é, na verdade, fruto dela mesma;
porque a impaciência é um fruto da imaturidade.

A imaturidade, refere-se a algo que não está maduro, ou seja, algo precipitado, algo antecipado, algo feito antes do tempo.

A impaciência do mundo e principalmente da maioria dos pais, acabam por formar adultos imaturos.
A criança praticamente não tem tempo de ser criança, não lhe é permitido um tempo à sua imaturidade.
Então, formamos cidadãos muitíssimo maduros externamente (os valores mundanos cultuam as aparências), mas que na verdade, continuam imaturos por dentro, incapazes de suportar qualquer adversidade, qualquer contrariedade à sua vontade, sem que venham a produzir frutos de impaciência.

A paciência está diretamente relacionada à maturidade (os velhos, em geral, têm menos pressa que os mais jovens); que por sua vez, está diretamente relacionada à nossa capacidade de suportar desprazer.

Tire o brinquedo de uma criança e verá como ela reage impacientemente, através de gritos, choro etc.

Será que você é capaz de se lembrar de algum adulto que você conhece que tem reações semelhantes, quando algo desagradável acontece?

Será que você conhece alguém que começa a culpar a todos, quando algo não lhe vai bem?

Não olhe no espelho agora... você poderá lembrar-se de alguém.

Quantos “erros” seriam evitados, se nós aceitássemos a vontade de Deus e respeitássemos o Seu tempo que são perfeitos.
Quantas crianças (filhos de verdadeiras crianças), não estariam nas ruas, ou sem pais?... quantos casamentos não teriam sido desfeitos?...?

O ser-humano está sempre em busca do que lhe é mais prazeroso, nossa tendência humana é permanecer no prazer, na imaturidade.
A impaciência é a “qualidade” que mais cresce no homem moderno.
O homem tem se tornado, cada vez mais, impaciente.
Se o casamento não passa por um bom momento, separa; se as coisas não caminham do modo e no tempo em que desejamos, então não servem para nós.
A verdade, é que chega-se a ponto de qualquer pequena coisa nos irritar e se tornar motivo de nossa destemperança.

Será que fomos criados para sermos assim?

-Claro que não.
Nossa arrogância em querer controlar todas as coisas, a começar pelas nossas próprias vidas nos levam a esse desesperador estágio.

A impaciência (imaturidade), aparece exatamente quando percebemos, através de algum acontecimento, que não temos o controle de nada.

Quando nos defrontamos, ou melhor, quando a nossa imatura ilusão de controle se despedaça frente à dura realidade de nossa insignificância, temos duas opções, aceitar e amadurecer (paciência), ou negar e continuar imaturo (impaciência).
Quanta vida se perde pela impaciência!

Às vezes, beiram o rídiculo os motivos pelos quais nos impacientamos: -filas, trânsito, linha telefônica ocupada...

Chegamos a olhar para outras pessoas como se fossem uns estorvos em nossas vidas (infelizmente, muitas vezes dentro de casa), como se estivessem nos atrapalhando de viver.

Queremos ruas livres, bancos sem filas, telefones que nunca estão ocupados, médicos sem espera, entregas que não demorem, conjuguê sempre pronto a nos atender...
Enfim, não queremos esperar: -Queremos reinar soberanos, determinando modo e tempo.

É a imaturidade, refletida através da impaciência.

A ilusão do tudo por nós e para nós e, ai daquele que cortar a nossa onda, vai ter que suportar a nossa impaciência (imaturidade), a nossa ira.

Felizmente, as coisas não foram criadas para serem assim, nós não fomos criados para sermos assim.
Deus nos criou, então é tudo por Ele e para Ele.

E o Único que entendeu e entende isso perfeitamente, Esse sim, Reina soberano.
Reina, não porque desejou todas as coisas para Si, mas, porque abriu mão de todas as coisas.

Abrir mão é sinal de paciência (maturidade), capacidade de adiar prazer e suportar desprazer é paciência (disciplina).

Jesus, aos doze anos já sabia quem era; mas só aos trinta anos iniciou Seu Ministério.

Atentemos para esse enorme ensinamento.
Jesus sabia-se Filho de Deus, Aquele que veio para salvar o mundo e não Se impacientou.

Será que temos obra tão grande que justifique a nossa impaciência?

Aproveite cada minuto de sua vida, não o desperdice com sua impaciência.

Os impacientes, por não aceitarem o tempo de Deus e quererem estabelecer o seu tempo no universo que os cerca, acabam sem tempo, acabam sem vida.

Os impacientes por quererem controlar o tempo acabam por perdê-lo.

Enfim, os impacientes não têm tempo para amar; não têm tempo de viver!

Seja paciente, abra mão do tempo e você descobrirá que Deus te permite ter todo o tempo do mundo, o único tempo que existe, o tempo que se chama agora.

Não o desperdice com impaciência, ele jamais voltará.

 

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito  debaixo  do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de   plantar, e tempo de  arrancar o que se plantou; tempo de matar, e tempo   de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;  tempo de chorar, e  tempo de rir; tempo de  prantear, e tempo de dançar;  tempo de espalhar   pedras, e tempo de ajuntar  pedras; tempo de abraçar, e tempo de abster-se de abraçar;  tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e   tempo de deitar fora;  tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar   calado, e tempo de falar; tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de   guerra, e tempo de paz.”

Antigo testamento – Eclesiastes  3. 1- 8

 “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo;”  Antigo testamento – Eclesiastes  3. 11

 “melhor é o paciente do que o arrogante.”  Antigo testamento – Eclesiastes  7. 8

Fonte: Navegando nas águas da emoção.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 04 de Abril de 2011, 19:18
 
Meus amigos, amigas e visitantes,  reflitamos...


"A maior motivação para amarmos alguém é compreendermos que podemos perde-lo."

- G.K.Chesterton -


Por isso, não economize palavras  e atitudes de amor para seu marido, sua esposa, seus filhos, seus pais, seus amigos...
enfim para aqueles que você ama, por que amanhã talvez você tenha vontade de fazê-lo e será muito tarde...
Não fique nervosa(o) com a bagunça das crianças, tudo é passageiro, até as crianças se vão... se tornam adultos...
e você sentirá falta da casa vazia e até da bagunça que não mais existe.

Fonte: Navegando nas águas da Emoção.

 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 04 de Abril de 2011, 19:21
Um carinho para revigorar nossas almas...


GAIVOTAS (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWtoZWtwSWJWSnFnIw==)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 04 de Abril de 2011, 20:32
Olá, meus amigos....
Enfim, com PC emprestado, mas funcionando...
Obrigada por todas as citações, por todas as postagens tão enriquecedoras!!!

Lendo todas as postagens, pude perceber o quanto é interessante a questão da justiça. Como foi citado, “não se trata de justiça como coisa jurídica, mas de relação, atitude justa e reta que o homem assume em face de Deus”.Quando pensamos em justiça, já nos vem à mente aquela cena de filmes de TV, com um tribunal composto por um juiz, júri, os advogados de defesa e acusação e, por fim, o réu. Ahhh! E sem contar a platéia assistindo! Cada qual cumprindo o seu papel para trazer a verdade e dar a melhor saída para aquele caso.

Mas, quanto pensamos na relação, atitude justa e reta que o homem assume em face de Deus, nos perguntamos: quem de nós tem o direito de julgar uma atitude de um irmão se não estávamos no lugar dele, se não sabemos o que o motivou a tal situação? Quem de nós possui a verdade verdadeira, senão sob o nosso ponto de vista, ainda ofuscado pela nuvem espessa da nossa imperfeição moral?

Como nos disse Jesus “Hipócritas, tirai primeiro a trave do vosso olho e, depois, então, vede como podereis tirar o argueiro do vosso irmão”!

Isso me fez lembrar de uma historinha de uma mulher que vivia dizendo que sua vizinha não sabia lavar roupas, pois ela deixava todas as peças amareladas. Até que um dia, durante o café da manhã, ela disse ao marido que finalmente a vizinha havia aprendido, pois as roupas que estavam penduradas no varal estavam branquinhas. No que o marido respondeu: Não foi a vizinha que aprendeu a lavar roupas, mas eu que lavei a vidraça da nossa janela e agora você pode enxergar melhor as roupas do varal.

Ou seja, julgamos apenas por julgar...

“Toda vez que o indivíduo, descredenciado legalmente, procede a um julgamento caracterizado pela impiedade e pela precipitação, realiza de forma inconsciente a projeção da sombra que nele jaz, desforçando-se * do conflito e da imperfeição que lhes são inerentes, submetido como se encontra à sua crueza escravizadora em tentativa de libertar-se”. (Jesus e o Evangelho à Luz da Psicologia Profunda – Joanna de Ângelis – pg. 81)
*desforço - Vingança, desforra, desagravo (mini dicionário Aurélio on line)

Que tal pensarmos nisso??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 04 de Abril de 2011, 20:48
continuando...

“ Já ouvimos dizer que existem duas formas de verdade: uma que é perceptível, pelos nossos cinco sentidos, que é o que vemos, tocamos, escutamos, sentimos e gostamos. Outra é a verdade que não sentimos com os sentidos ou com  os órgãos, mas com o coração.

A primeira verdade é subjetiva e a sua própria subjetividade depende dos sentidos, não é permanente, é mutável dependendo da época, da sociedade e do aprimoramento dos sentidos.
A verdade objetiva, quer dizer, aquela que é captada pelo nosso coração, esta sim, é permanente e imutável e não é atingida pela passagem do tempo.

A humanidade do homem é a sua verdade. A ela se juntam todos os princípios que mantém a vida: justiça, moralidade, compaixão, humildade, tolerância e todas as outras qualidades que representam os componentes da verdade e moram eternamente no homem constituindo os meios de que ele precisa para alcançar a perfeição". (do Livro Os valores humanos, cap. A viagem do eu ao nós, pag, 195, de Antonio e Sylvie Craxi)

grifos meus

Vamos pensar no assunto?

Tragam suas contribuições!!

Abraços fraternos

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 04 de Abril de 2011, 21:06
Mirina, desculpe, mas tenho que discordar de você nesta citação sua:

"Paciência e tolerância não combinam com amor incondicional, que pede aceitação do outro independente de seu ponto de vista".

Eu não vejo uma discordância entre Amor Incondicional e as virtudes da paciência e da tolerância, pois Deus no ama incondicionalmente e é todo paciência e tolerância conosco desde sempre. Nem por um momento colocou condição para este amor.

Acredito que no estágio evolutivo que nos encontramos, pode ser que ainda não consigamos sintetizar bem isso, mas podemos não concordar com determinadas atitudes de alguém, mas isso não significa falta de amor, mas tolerância; a paciência para com um filho não implica em deixá-lo fazer qualquer coisa, pois isso é ser irresponsável. O amor incondicional requer de nós atitude... é a caridade agindo... "disciplina, disciplina, disciplina". Dizer que o amor é incondicional, não significa dizer que ele é cego!!

Será que estou equivocada?

Abraços sempre fraternos,

Gisella  ;)

Ufaaaa.... agora vou esperar pelas colocações dos amigos...  ;D
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mourarego em 04 de Abril de 2011, 21:23
Lendo constantemente aos achegas deste tópico ocorreu-me fazer o papel do advogado do diabo.
Vemos pensar: O que é o elemento de transformação que o título indica?
Resp: O Amor.
Muito bem, mas o que ensina, não só sobre o amor que é um dos elementos da Lei trina que nos rege, a lei de Amor, Justiça e Caridade?
Outro elemento, muito citado por kardec e os Espíritos Superiores mas pouco levado em conta pelos Espíritas em geral: O Conhecimento.
É o conhecimento que nos abre as portas para tudo, mesmo para este sentimento tão confundido com meras sensações.
Osa qu3e me conhecem sabem que quase não me3 refiro senão aos Espíreitos que trabalharam no edifício da doutrina, ou seja nas obras codificadas. Mas abro outra exceção para voltar a lembrar Joanna de Angelis, na obra "Amor Imbatível Amor".
ela, ali nos mostra as fases deste amor e as referência como estado em que estejam os Espíritos.
Diz o ditado popular:"Para bom entendedor, pingo é letra". Eu concordo plenamente!
Logo pára o bom entendedor das obras básicas, sabendo este que o Espírito passa por diversas classes e ordens, segundo sua moralidade, hão todos de perceber que a cada uma dessas fases e ordens, muitos Espíritos estarão, segundo o seu conhecimento, a compreenderem menos ou mais o que seja e do que trate este amor que o Cristo nos quis ensinar.
Dessarte, repercute que se afirme que a cada uma dessas fases, em qualquer das classes e ordens de Espíritos, cada um destes terá o conhecimento que lhe caiba deste sentimento maravilhoso.
Aqueles que mais avançaram numa ordem ou classe, mais conhecerão e por conseguinte, poderá, pelo exemplo dado, mostrar este entendimento nos atos que cometam enquanto encarnados. Os outros, estes apenas adivinharão e de modo muito sutil mas ainda não estarão apetrechados para exemplificar.
A missão do Espírita consciente e responsável também é a de aclarar as mentes ainda no desalinho, fortificando a vontade dos outros em estudarem perseverantemente a doutrina para que esta sendo-lhes melhor apreendida possa produzir os frutos que por meio de seus exemplos os farão adiantarem-se mais até que consigam compreender bem o Amor.
Até porém cada um de nós conhecerá apenas um vetor deste sentimento até que o todo esteja bem entendido e compreendido quando, a partir deste instante poderão proficiar os exemplos maiores que vemos em apenas alguns poucos até hoje.
Abraços,
Moura
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mirina em 04 de Abril de 2011, 21:35
Gisella,

eu tolero que um individuo seja viciado e viva no limite da miséria, mas minha tolerancia me faz ignorá-lo, olhá-lo com um sentimento de repulsa e desaprovação, e, desviar-me dele até por uma questão de segurança.  Isto é amor incondicional?

Eu tenho paciencia com o poder publico, aguardo que as coisas se resolvam da melhor forma, mas quando posso me manifestar contra ou a favor de alguma ação, minha paciencia me faz ficar sentada em frente ao sofá, assistindo os outros pela tv na mais completa inércia.  Isto é amor?

Precisamos tomar muito cuidado com nossos limites de tolerancia e paciencia para que, não fazendo o mal, também não deixemos de praticar o bem!  É basicamente isto a que me referia!

Abs,
Mirina
Título: Transformação pelo Amor
Enviado por: Sylvia Campos em 04 de Abril de 2011, 21:51
Sábias palavras irmão Moura!!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 04 de Abril de 2011, 22:25
Gisella,

eu tolero que um individuo seja viciado e viva no limite da miséria, mas minha tolerancia me faz ignorá-lo, olhá-lo com um sentimento de repulsa e desaprovação, e, desviar-me dele até por uma questão de segurança.  Isto é amor incondicional?

Eu tenho paciencia com o poder publico, aguardo que as coisas se resolvam da melhor forma, mas quando posso me manifestar contra ou a favor de alguma ação, minha paciencia me faz ficar sentada em frente ao sofá, assistindo os outros pela tv na mais completa inércia.  Isto é amor?

Precisamos tomar muito cuidado com nossos limites de tolerancia e paciencia para que, não fazendo o mal, também não deixemos de praticar o bem!  É basicamente isto a que me referia!

Abs,
Mirina

Paciência e tolerância são atributos do amor, como diz a DE o amor mais próximo do amor de Deus é o amor de mãe.
Apelativo isso?
Não.
Nossos filhos erram, uns são mais rebeldes que os outros, um tem mais afinidade com o pai , outro com a mãe, porém a mãe os ama da mesma maneira, é tolerante com seus erros, mas os corrige, os compreende, é paciente em esperar que amadureçam, conhece o lado bom e ruim de cada um. Abre mão de sua vida por eles e não cobra absolutamente nada por isso.
Talvez seja o melhor exemplo que posso dar aqui do que é ser paciente e tolerante.
Há exclusivismo nisto, lógico que há, o ideal seria que amassemos a todos da mesma forma e não só os que saíram de nosso ventre.
Esse mesmo amor pode ser desenvolvido por amigos, irmãos, pai, mãe, enfim.
Quantas pessoas passam por nossas vidas e temos essa convivência fraterna, acredito que muitos,  mesmo os que se afastam pelas contingências da vida, mesmo os que não nos compreende, por quê? Porque nos reportamos a sua história, entendemos suas atitudes, esperamos que a ficha caia e perdoamos seus erros.
Já com outros, somos intolerantes e impacientes com seu estado de erro, por isso o repelimos, ou ignoramos e  nos protegemos.
Enfim não há tolerância em quem ignora a miséria do outro, nem paciência, o que há é indiferença ao seu estado, o que é muito pior.
Quem tolera e é paciente tem esperança e sabe que o outro pode melhorar, acredita, ajuda, nem que seja com uma resposta mais incisiva ou áspera, para que o outro se corrija ou de um basta em situação conflituosa, porque não existe conivência com o  erro a não ser que o ignoremos.
Um abço
Hebe


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mirina em 04 de Abril de 2011, 22:38
" Enfim não há tolerância em quem ignora a miséria do outro, nem paciência o que há é indiferença ao seu estado, o que é muito pior.
Quem tolera e é paciente tem esperança e sabe que o outro pode melhorar, acredita, ajuda, nem que seja com uma resposta mais incisiva ou áspera, para que o outro se corrija ou de um basta em situação conflituosa, porque não existe conivência com o  erro a não ser que o ignoremos."

Ai concordamos Hebe, o amor como disse a Gisella pede-nos uma atitude, por vezes mais firme, em outras mais rispida, quando demonstramos claramente que amamos embora não mais toleramos os erros, e que nossa paciencia findou, mas que estamos disponiveis e continuamos amando a ponto de ajudá-lo a reconstruir-se, melhorar-se e evoluir!
E muitas vezes, quando finda a tolerancia e a paciencia é que finalmente enxergamos o outro como ele realmente precisa, e, por caminhos muitas vezes que numa primeira vista nos parece falta de amor, é que colocamos o amor em prática, e também aprendemos a amar com o outro.

Por isso acho que tolerancia e paciencia nem sempre combinam com atitudes de amor incondicional!

Abs,
Mirina
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 04 de Abril de 2011, 22:42
Olá, Moura... que bom vê-lo por aqui....

Concordo com o que você disse, no sentido de que só podemos exemplificar aquilo que já adquirimos e só adquirimos aquilo que conhecemos e nos esforçamos para colocar em prática.

Mas, o Amor exemplicado por Jesus é a nossa meta, o nosso ideal. Estamos longe disso, com certeza (pelo menos por mim), mas precisamos começar a nos mexer... e este estudo tem exatamente esta perspectiva, mostrar, através dos exemplos aqui trazidos, que podemos fazer as coisas acontecerem paulatinamente, mas continuadamente. Como você bem colocou, evoluindo nas diversas fases do amor.

Podemos não ter muito a exemplificar, mas aquilo que já interiorizamos e conseguimos vivenciar, temos que passar adiante. É a nossa maneira de mostrar que é possível fazer. Qualquer um de nós pode fazer diferente, bastando, para isso, acionar a vontade, tanto para adquirir este conhecimento como para agir conforme aprendemos.

É a lei de Amor, Justiça e Caridade sendo exercida.

Abraços e apareça sempre...

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: hcancela em 04 de Abril de 2011, 22:45
Olá amigos(as)


Gisella muito bem vinda aos temas mensais e que seja muito feliz.Bons estudos para todos. :-* :-* :-* :-* :-*


Na questão da tolerância tenho em crer o seguinte?



A Espiritualidade Superior ensina que o isolamento é contrário à natureza humana.

Segundo ela, o homem é instintivamente gregário por motivos providenciais.

Ele precisa progredir e o progresso é sempre fruto da colaboração de muitos.

Em regra, o homem busca a vida em sociedade por razões pessoais.

Ocorre que as criaturas possuem diferentes habilidades e caracteres.

Mediante o convívio, elas se aproveitam dos talentos recíprocos e aprendem umas com as outras.

Justamente por isso, a força de uma sociedade advém da diversidade de seus integrantes.

Quando a diversidade é valorizada, tem-se um organismo social dinâmico e eficiente.

Ao contrário, toda tentativa de uniformização, com intolerância ao diferente, implica enfraquecimento.

Pode-se entender que vigora no âmbito humano uma Lei geral de Cooperação.

Ela se apresenta nos mais variados contextos, dos triviais aos sublimes.

Por exemplo, Jesus encarnou na Terra para ensinar e exemplificar a vivência do bem, na conformidade dos desígnios Divinos.

Dotado de extremas sabedoria e pureza, ainda assim buscou companheiros para auxiliá-lO na tarefa.

Escolheu doze Apóstolos, aos quais ministrou os mais variados ensinamentos.

Orientou-os, burilou-os e amparou-os para que no tempo devido sustentassem a vivência do Evangelho no mundo.

Os Apóstolos eram diferentes entre si.

Havia os reflexivos, os exaltados, os emotivos e os práticos.

Jesus a nenhum desprezou. Antes, soube aproveitar suas diferentes habilidades para o sucesso da empreitada evangélica.

Certamente, ao assim agir, o Mestre Divino sinalizou a importância da cooperação e da tolerância.

Dotado de poderes magnéticos desconhecidos e de extraordinária sabedoria, nem por isso quis fazer tudo sozinho.

Soube dividir o peso da tarefa com homens rudes e que não O compreendiam bem.

Esse eloquente exemplo demanda detida reflexão.

A vida em sociedade nem sempre é fácil.

Entre pessoas de visões e habilidades diversas, por vezes surgem discussões e desentendimentos.

Ocorre que o bem pujante nunca é obra de um homem só.

Toda realização de importância é sempre fruto do esforço de incontáveis envolvidos.

Apenas é preciso ser tolerante para conviver com o diferente.

A fim de que o melhor resultado surja, importa aprender a admirar opiniões divergentes.

Não apenas tolerá-las, mas valorizá-las, no que apresentem de positivo.

Sem dúvida, é possível agir sozinho na luta por um ideal.

Ocorre que, quando várias mãos se juntam, o bem se multiplica e expande.

Pense nisso.

Redação do Momento Espírita.


Saudações fraternas
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 04 de Abril de 2011, 22:57
Amigos...

Como eu disse anteriormente, meu PC tá louco e eu tô com um emprestado... mas está na hora de devolver!!!!  ;D

Vou para minha casa e tentarei acessar pelo meu PC. Caso não consiga, fica aqui meu boa noite e até amanhã!!! ;D

Ou, até daqui a pouco!!

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 04 de Abril de 2011, 23:02
" Enfim não há tolerância em quem ignora a miséria do outro, nem paciência o que há é indiferença ao seu estado, o que é muito pior.
Quem tolera e é paciente tem esperança e sabe que o outro pode melhorar, acredita, ajuda, nem que seja com uma resposta mais incisiva ou áspera, para que o outro se corrija ou de um basta em situação conflituosa, porque não existe conivência com o  erro a não ser que o ignoremos."

Ai concordamos Hebe, o amor como disse a Gisella pede-nos uma atitude, por vezes mais firme, em outras mais rispida, quando demonstramos claramente que amamos embora não mais toleramos os erros, e que nossa paciencia findou, mas que estamos disponiveis e continuamos amando a ponto de ajudá-lo a reconstruir-se, melhorar-se e evoluir!
E muitas vezes, quando finda a tolerancia e a paciencia é que finalmente enxergamos o outro como ele realmente precisa, e, por caminhos muitas vezes que numa primeira vista nos parece falta de amor, é que colocamos o amor em prática, e também aprendemos a amar com o outro.

Por isso acho que tolerancia e paciencia nem sempre combinam com atitudes de amor incondicional!

Abs,
Mirina

Mirina,
 :) O basta que me refiro, é o basta ao erro, e não a pessoa,  se a porta continua aberta é porque existe a  tolerância e paciência em esperar que a pessoa se recupere.
Outra coisa é dar um basta definitivo, cortar relação, neste sentido não há tolerância nem paciência, não há perdão, por conseguinte não há amor e posso me arriscar em dizer que nunca houve. O amor incondicional não morre, porque não espera o retorno, a unica coisa que espera é a melhora do outro, como esperamos que nossos filhos se corrijam apesar de seus erros. Mas continuamos a amá-los apesar de seus defeitos.
Acho que interpretamos as palavras de forma diferente.

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Kenia Fidalgo em 05 de Abril de 2011, 00:13
Boa noite irmaos,

Segue abaixo uma frase de nosso saudoso Chico acerca do tema amor e justiça....

" A verdadeira felicidade, consiste na alquimia de misturar uma gota de justiça em um litro de amor! ....."

Reflitamos.....
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: filhodobino em 05 de Abril de 2011, 00:16
Amados irmãos, queridos companheiros de estudo da transformação pelo amor...

Não importando o ponto evolutivo em que nos encontramos, preciso é agir em pensamentos, palavras e obras seguindo o exemplo que o Cristo nos ofereceu, e sempre em todos os acontecimentos agradecer....

como nos brinda o bom amigo de sempre:

Pão Ouro e Amor - Voz de Chico Xavier (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVRjSUVSV0JXb0RvIw==)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 05 de Abril de 2011, 01:11

Boa noite a todos amigos de estudo e visitantes, um grande abraço.....

Resignação e Indiferença
Caírbar Schutel

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de Justiça, porque serão fartos.”
(Mateus, V, 6.)

Bem-aventurados os que se revoltam contra a injustiça, mas são resignados e calmos.

Ai dos indiferentes, dos acomodatícios, dos covardes, dos servis, que em proveito próprio aplaudem a injustiça!

Há muita diferença entre a resignação e a indiferença.

A resignação é a conformidade ativa nos inevitáveis acontecimentos da vida.

A indiferença é a submissão passiva às injustiças deprimentes.

A resignação é cheia de amor, de sentimentos nobres, de elevadas paixões.

A indiferença nulifica o amor, aniquila a nobreza d’alma, destrói as virtudes e deprime a moral.

A resignação nas provas é obediência aos decretos de Deus.

A indiferença nos sofrimentos é dureza de coração e ausência de submissão à vontade divina.

O resignado é santo, porque a resignação nasce da paciência, e a paciência é filha dileta da Caridade.

O indiferente é um anormal: tem cérebro e não pensa; tem coração e não sente; tem alma e não ama.

O resignado não aparenta sofrimento, porque conhece a Lei de Deus e a ela se submete com humildade.

O indiferente também não mostra sentir a dor, mas, orgulhoso e alheio aos ditames celestes, repele de si a idéia do sofrimento.

A resignação é excelente virtude, que precisamos cultivar; a indiferença é manifestação do egoísmo, que precisamos extirpar.

A resignação é a coragem da virtude.

A indiferença é a covardia da paixão vil.

Aquela eleva, dignifica, enaltece, santifica.

Esta deprime, desmoraliza, deprava e mata.

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos."Bem-aventurados os que não se submetem às injustiças da Terra, nem pactuam com os opressores, os vossos turibulários das altas posições!

(Parábolas e Ensinos de Jesus – Caírbar Schutel)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: filhodobino em 05 de Abril de 2011, 02:22
Queridos e amados companheiros de estudos do tema Transformação pelo amor...
Peço vossa vênia, para replicar aqui, o que estudei alhures, pois penso pertinente, caso vejam o contrário fiquem à vontade para não publicá-lo.

Amados irmãos, companheiros de ideal...
Preparei este estudo com muito carinho e amor dedicado a quatro pessoas que amo...
Um papai, Uma mamãe e dois filhinhos autistas, felizardos que nasceram em um lar cristão...

660. -OLE - A prece torna melhor o homem?
“Sim, porquanto aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo.”
“É este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.”

a) - Como é que certas pessoas, que oram muito, são, não obstante, de mau caráter, ciosas, invejosas, impertinentes, carentes de benevolência e de indulgência e até, algumas vezes, viciosas?

“O essencial não é orar muito, mas orar bem.”
Essas pessoas supõem que todo o mérito está na lonjura da prece e fecham os olhos para os seus próprios defeitos.
Fazem da prece uma ocupação, um emprego do tempo, nunca, porém, um estudo de si mesmas.
“A ineficácia, em tais casos, não é do remédio, sim da maneira por que o aplicam.”
661. Poderemos utilmente pedir a Deus que perdoe as nossas faltas?
“Deus sabe discernir o bem do mal; a prece não esconde as faltas.
Aquele que a Deus pede perdão de suas faltas só o obtém mudando de proceder.
As “boas ações são a melhor prece, por isso que os atos valem mais que as palavras.”

filhodobino reflete:
Não há idade, nem época, nem volume de peso na consciência de quem quer seja, que Deus não o ouça...
Precisamos entender isto muito bem... Posto que não hão condições estabelecidas em nenhuma lei ou regra, ou ditame, que impeça quem quer que seja de se redimir...
O filho de Deus não está sujeiro a nenhum julgamento, exceto o que faça de sí mesmo, e prioritáriamente, o redimindo encontra, nas provas a que está submetido, uma graça de remissão de algo que pela misericóridia Divina, permitiu-lhe, esquecer na carne...
Há dois meios pelos quais, podemos aferir por parâmetros o que precisamos corrigir...EM NóS...
O primeiro e mais nítido, é tudo que nos causa irritação na ação de outrem... Deus coloca diante de nós nosso espelho, e de nós aproxima os similares, para que nos espelhemos no que nos causa irritação e desgosto nas ações dos nossos semelhantes, observemos em nós mesmos, pois estejamos certos o que nos causa reparo em outrem está vivo em nós mesmos...
Trata-se do mesmo princípio da homeopatia "similibus, similares curandur" e nesse caso "similibus, similares educandur"... todos somos assim, sem exceção.

O segundo meio é mais eficaz, posto que depende da nossa verdade, da nossa intenção e da nossa humildade, e principalmente da nossa pobresa espiritual em NÃO nos acharmos os bonitões da bala chita...
Trata-se do exame de consciência... Como nos asseverou Santo Agostinho...
Antes de deitarmos examinemos o que fizemos e o que deixamos de fazer naquele dia...
Se nada encontrarmos em nossa consciência que nos acuse, agradeçamos a Deus o dia de vida que Ele nos proporcionou e peçamos suas bençãos, para um feliz encontro com nossos amigos e protetores enquanto o nosso corpo descansa da labuta do dia...
Se algo encontrarmos no nosso exame, não precisamos ficar encimesmados, anotemos nossa falta, e objetivemos como primeira iniciativa do dia seguinte corrigí-la, durmamos em paz e também rogando para que o aprendizado com o erro nos seja elemento de utilidade, para não voltarmos a cair no mesmo... simples assim...

O que somos no presente instante, está pronto e acabado, é resultado do que fizemos no passado, não há mudanças, aceitação é a melhor regra, e determinação para que no minuto seguinte, começemos a pensar, agir e desejar melhor...

se for do seu interesse, há um pdf contendo toda a matéria de estudo em:
http://www.forumespirita.net/fe/o-evangelho-segundo-o-espiritismo/ese-entendimentos-com-as-referencias-biblicas/msg202821/?topicseen#msg20282
Re: Referências Bíblicas e o ESE - Allan Kardec - post  #647.

Saúde e paz!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 05 de Abril de 2011, 02:52
Boa noite Gisella, Hebe e a todos do estudo .

Um pouco mais de Paciência conosco...

Abçs e bons sonhos


***

Tem paciência

Tem paciência contigo, com tuas vontades, com tuas necessidades. 
É importante saber que só aprendes sobre ti mesmo trilhando, passo a passo, o teu caminho.

Muitas vezes vens a descobrir que as coisas não são exatamente como tu as imaginavas, por isso, a necessidade de viveres todos os orvalhos de cada amanhecer, tratando tuas vontades feito argila, até dar a forma na qual o teu coração contenta.

Quando acreditas em ti, no teu escudo real, verás que nada se faz tão difícil.
Enquanto acreditares que as dificuldades são maiores que a tua capacidade em resolvê-las, estarás preso em teu próprio caminho.
Então, trata de vivê-lo com um pouco mais de fé, de alegria, de força de vontade.

Tem paciência com teus humores, eles apenas refletem onde está o teu foco de atenção e a importância que dás para cada coisa.

Tem paciência com tua dor, ela só te lembra que ainda não tens olhado para ti mesmo da forma como teu ser necessita.
Quando pensas que tudo está perdido é o momento onde as novas possibilidades apresentam-se ao teu ser.

Dentro de ti a luz ainda brilha...
Portanto, está em tuas mãos a decisão de ser, de sentir e evoluir com a tua própria paciência que, no fundo, significa apenas dar-te amor e compreensão no teu dia a dia.


Fonte: www.paz.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wYXouY29tLmJy)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 05 de Abril de 2011, 03:22
Justiça Inteligente

Conta uma antiga lenda que na Idade Média um homem muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher.
Na verdade, o autor era uma pessoa influente do reino e por isso desde o primeiro momento, se procurou um "bode expiatório" para acobertar o verdadeiro assassino.
O homem foi levado a julgamento, já temendo o resultado: a forca. Ele sabia que tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas chances de sair vivo desta história.
O juiz, que também estava combinado para levar o pobre homem a morte, simulou um julgamento justo, fazendo uma proposta ao acusado que provasse sua inocência.

Disse o juiz:

- Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar sua sorte nas mãos do Senhor. Vou escrever num pedaço de papel a palavra INOCENTE e no outro pedaço a palavra CULPADO. Você sorteará um dos papéis e aquele que sair será o veredito. O Senhor decidirá seu destino.

Sem que o acusado percebesse, o juiz preparou os dois papéis, mas em ambos escreveu CULPADO de maneira que, naquele instante, não existia nenhuma chance do acusado se livrar da forca. Não havia saída. Não havia alternativas para o pobre homem.
O juiz colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um. O homem pensou alguns segundos e pressentindo a "vibração" aproximou-se confiante da mesa, pegou um dos papéis e rapidamente colocou na boca e engoliu. Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com a atitude do homem:

- Mas o que você fez? E agora? Como vamos saber qual seu veredito?

- É muito fácil, respondeu o homem.
- Basta olhar o outro pedaço que sobrou e saberemos que acabei engolindo o contrário. Imediatamente o homem foi liberado.

Moral Da História:

Por mais difícil que seja uma situação, não deixe de acreditar até o último momento. Saiba que para qualquer problema há sempre uma saída. Não desista, não entregue os pontos, não se deixe derrotar. Persista, vá em frente apesar de tudo e de todos. Creia que pode conseguir. Seja vitorioso em qualquer circunstância!


Autor Desconhecido
Fonte: STUM
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 05 de Abril de 2011, 03:36
Viver com resignação

Talvez a maior de todas as bênçãos que recebemos sejam as contrariedades. Elas nos fazem mover-nos. O comodismo nos mantém paralisados e muitas vezes confunde o nosso senso de direção.

Deus sempre nos dá o que precisamos, embora nem sempre o que queremos. Mas é só Ele quem sabe o que nos trará melhor proveito.

Tudo o que lhe parece ser de tal maneira, em determinado momento, poderá ser mostrar diferente no momento seguinte.

Sorte ou azar? Depende do que vem depois. Só o saberemos a partir do próximo movimento da vida. Assim como no jogo de xadrez, só saberemos se a nossa jogado foi boa depois que assistirmos à jogada do nosso oponente.

Quantas vezes na vida já ficamos frente a situações que nos pareciam desesperadoras... Para, no momento seguinte, descobrir que aquilo foi a melhor coisa que poderia ter-nos acontecido.

Quantas vezes já comemoramos efusivamente um fato, apenas para depois perceber que não precisávamos daquilo, ou que o que aconteceu apenas foi o prelúdio de momentos difíceis pelos quais tivemos de passar?

Como viver feliz, então?

Simples: sem julgar e sem ansiar por nada. Aceitando cada coisa a cada momento, seja ela boa, ou seja ela ruim − de acordo com o nosso julgamento −, com a certeza de que aquilo é exatamente do que precisamos naquele momento. Com a fé e a confiança de que Deus nos dá sempre o que necessitamos a cada momento, para que possamos crescer e evoluir.

Pelo que podemos aprender e viver, devemos ser sempre gratos. A dor é por opção nossa, o sofrimento é construído por nossas ilusões e nossa falta de confiança nos desígnios do Pai.

Tudo tem sua razão, tudo está certo, tudo está no seu lugar e tudo passa. Cada momento de nossa vida é precioso e precisa ser aproveitado com gratidão. A dor só virá com os fatos se não soubermos confiar no Pai e em seus desígnios.

A vida é eterna e caminha para o bem, para a construção, para a evolução. Tudo tem um propósito maior, que visa nos aproximar do nosso Deus.

Tenha paciência e resignação, apóie seus medos e suas dores nas mãos do Senhor e confie. Siga em frente, confiando que, pela bênção do Pai, tudo está em seu lugar e nada nos exigirá além do que podemos suportar.


Gilberto Cabeggi é escritor, autor do livro “Todo Dia É Dia de Ser Feliz”, pela Editora Gente.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: katiatog em 05 de Abril de 2011, 04:28
Boa noite queridas Gisella, Hebe e amigos!


Gostaria de compartilhar um artigo muito pertinente ao estudo mensal.

Abraços afetuosos da Katia


Acerca da justiça e fraternidade


DAVILSON SILVA


Assim como não se pode construir uma casa sem alicerçá-la, tampouco se poderá construir a justiça sem uma base fraternal, fundamentada no ato de se desejar ao próximo o que desejamos para nós, isto é, a caridade no mais alto grau segundo o nosso amado Mestre Jesus 1. O mais legítimo dos sacrifícios, o verdadeiro trabalho, o maior louvor a Deus consiste no esforço para se ser justo; portanto, a maior de todas as glórias, de todas as graduações deste mundo é a virtude da justiça!

Há quem ache a caridade mais importante que a justiça... Sim... Porém... convenhamos! A caridade é o templo do qual só a justiça pode ser a base. O sociólogo John Ruskin (1819/1900) 2 disse com força e serenidade que é preciso se edificar sobre a justiça pelo fato de, geralmente, não se possuir, no começo, a idéia da caridade necessária à construção. "Esta é a última recompensa do bom trabalho", afirmou. Completou Ruskin, recomendando: "Sede justos para com vossos irmãos (podeis ser justos, ameis a eles ou não) e concluireis por amá-los; sede injustos para com eles, porque não os ameis, e acabareis por odiá-los".

Em princípio, justiça significa a virtude de se dar a cada um o que é seu, o meio pelo qual podemos agir conforme o direito, mas, também, sobretudo, conforme a fraternidade, resultante do amor ao próximo. Somente justiça e fraternidade serão capazes de levar a cabo a tão sonhada paz social, ambas um dever que não permite sentido diverso ou análogo, o que tanto interessa a homens e mulheres de bem de todo o planeta.

Esse duplo dever figura um preceito para conosco mesmo e para com os outros. Tal encargo consiste no que há de mais básico e seguro, o que diz respeito à união e convivência dos seres humanos como membros de uma imensa família, resumo do ato de julgar segundo o direito e melhor consciência em defesa e responsabilidade.

Em geral, às paixões se mistura o julgamento, alterando o sentido de justiça 3. Justiça, exatamente falando, é feita com concórdia, reiteramos, e ninguém, nenhum chefe de qualquer nação conseguirá garantir ausência de guerras, de toda sorte de distúrbio social, de atentados contra pessoas, instituições, a pretexto de "liberdade" sob justificativas arbitrárias e unilaterais.

A idéia de justiça que nos determina a dar a cada um o que lhe pertence deveria predominar acima de quaisquer controvérsias. A justiça constitui-se em um desses axiomas que transcendem. Pois bem. Não há como estabelecer ordem sem a exemplificação do reparo e honradez, não existe estrutura organizada capaz de garantir as esferas específicas da vida social como as instituições básicas, suas atividades e correspondências que vigoram entre si.

O julgamento da maneira mais íntegra possível seria o determinante de todas as ações humanas. Tudo, em nossa sociedade, teria que começar pela justiça como um sagrado dever recíproco de todo indivíduo, porque direitos e deveres possuem correlação entre si — ao se cumprir estes últimos, possivelmente os primeiros hão de ser cumpridos. 

Reinará, sim, a fraternidade na Terra, não a fraternidade de momento que, por ora, vige, geralmente, visando algum tipo de interesse, mas a que conduz ao vínculo sincero 4. Presumir que isso é impossível é duvidar da sabedoria e benevolência de Deus, ainda que nEle se acredite. Há, portanto, perfeita correlação entre justiça e fraternidade, esta outra tarefa do homem para com seus semelhantes, que jamais será um direito formal, uma obrigação prescrita.

A verdadeira justiça fundamenta-se no critério de se querer para os outros aquilo que se quer para si mesmo. E não há como se ser justo sem um sentimento fraterno. Justiça e Fraternidade: muitas vezes, uma lei rígida, mas "suave". Remetendo-nos à esplêndida menção de nosso Mestre ao nos oferecer o Seu "jugo" 5, essa lei tão-somente nos recomenda a observância do amor ao próximo por amor a Deus. E ponto final.

Bibliografia:

1. KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o Espiritismo. 58. ed., São Paulo: Lake — Livraria Allan Kardec Editora, cap. 15, item 4 a 6.

2. Também crítico e ensaísta, o mencionado sociólogo inglês, cujo amor pela natureza e o profundo sentimento religioso caracterizaram o seu pensamento em um estilo vigoroso e elegante, autor de Pintores Modernos, As Sete Lâmpadas da Arquitetura, As Pedras de Veneza, etc.

3. KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. 62. ed., São Paulo: Lake — Livraria Allan Kardec Editora, cap. 11, q. 874.

4. IDEM. Obras Póstumas. 11 ed., São Paulo: Lake — Livraria Allan Kardec Editora, parte 1ª, pág. 168, do terceiro parágrafo em diante.

5. IDEM. O Evangelho segundo o Espiritismo. 58. ed., São Paulo: Lake — Livraria Allan Kardec Editora, cap. 6.o, it. 1 e 2.


O autor é jornalista, presidente-fundador da Fraternidade Espírita Aurora da Paz (Feap), site www.feap.udesp.org.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5mZWFwLnVkZXNwLm9yZy5icg==), São Paulo, Capital.
 
Título: Cada dia me sinto mais perto de mim mesma, pois a doutrina está me ilustrando
Enviado por: Maria Helena Carneiro em 05 de Abril de 2011, 04:33
Gisella amiga querida, seja muito bem-vinda ao estudo mensal! :)

Lindo tema! Lindo vídeo!

Com sua direção, costumeiro carinho, lucidez e experiência, muito aprenderemos este mês.

A escolha da companhia da amiga Hebe, contribuirá para acrescentar mais conteúdo ao estudo.

Como já disse quando do anúncio deste tópico, está na hora de crescer e ocupar nosso lugar na vida, no mundo, e isso só é possível através dos caminhos do amor.

Mas para isso é preciso atitude, pois precisamos da simples humildade para aprender a amar, conquistando, assim, a tão almejada felicidade.

Então o que é o amor? Como aprender a amar?


E renovai-vos pelo espírito do vosso sentir.”
Paulo (Efésios, 4:23)
(Ligação para o anexo)

Que Deus nos acompanhe neste importante estudo.

Beijinhos,

Edna ;)
JESUS.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Amigo Renan em 05 de Abril de 2011, 05:20
Bom dia estimados!

Este tema e a elaboração do material de estudo foram fantásticos, isso me remete a pensar na frase que ecoa na minha mente a todo tempo: "Fora da Caridade não há Salvação"
Pensando em tudo isso percebo que esta máxima nos transporta para outras esferas de discussão e pensamento, pois até chegarmos na caridade em todo o seu sentido, amplitude e magnitude, precisamos nos ater aos pequenos grandes passos como a prática da paciência, da tolerância, da justiça com base nos ensinamentos do nosso irmão mais velho, Jesus, resignação.
Então para chegar a caridade não há outra forma senão trilhando a senda do exemplo concreto de edificação.
Não é facil, mas a cada dia muitos de nós ganham a oportunidade sublime de escrever uma nova pagina no livro da vida, e esta vem em branco cabendo a cada um grafar o seu novo instante de existência.


Muito obrigado.

Abraços fraternos! :D
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 05 de Abril de 2011, 19:10
Boa tarde a todos,,, um grande abraço e muita paz

O Pequeno Aborrecimento
 
Um moço de boas maneiras, incapaz de ofender os que lhe buscavam o concurso amigo, sempre meditava na Vontade de Deus, disposto a cumpri-la.
Certa vez, muito preocupado com o horário, aproximou-se de um pequeno ônibus, com a intenção de aproveitá-lo para a travessia de extenso trecho da cidade em que morava, mas, no momento exato em que o ia fazer, surgiu-lhe à frente um vizinho, que lhe prendeu a atenção para longa conversa.

O rapaz consultava o relógio, de segundo a segundo, deixando perceber a pressa que o levava a movimentar-se rápido, mas o amigo, segurando-lhe o braço, parecia desvelar-se em transmitir-lhe todas as minudências de um caso absolutamente sem importância.

Contrafeito com a insistência da conversação aborrecida e inútil, o jovem ouvia o companheiro, por espírito de gentileza, quando o veículo largou sem ele.

Daí a alguns minutos, porém, correu inquietante a notícia.

A máquina estava sendo guiada por um condutor embriagado e precipitara-se num despenhadeiro, espatifando-se.

Ouvindo com paciência uma palestra incômoda, o moço fora salvo de triste desastre.

O jovem refletiu sobre a ocorrência e chegou à conclusão de que, muitas vezes, a Vontade Divina se manifesta, em nosso favor, nas pequenas contrariedades do caminho, ajudando-nos a cumprir nossos mais simples deveres, e passou a considerar, com mais respeito e atenção, as circunstâncias inesperadas que nos surgem à frente, na esfera dos nossos deveres de cada dia.
 
* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Pai Nosso.
Ditado pelo Espírito Meimei.
19a edição. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.
 
Título: ue
Enviado por: Gisella em 05 de Abril de 2011, 19:22
Olá, amigos... mais uma vez peço desculpas por ter participado pouco desde ontem, mas, infelizmente, meu pc teve que ir pra manutenção. Estou usando um pc de uma amiga para darmos continuidade ao nosso estudo.

Lendo os posts desde a minha última participação, pensei em alguma passagem conhecida de todos, que nos trouxesse um ensinamento sobre justiça e amor.

Pensei, pensei e me veio esta história bíblica a respeito do Rei Salomão e duas mulheres.

Vamos a ela:

Certa vez, o rei Salomão estava em seu palácio. Aí entraram duas mulheres. Elas tinham uma questão entre si. E agora o rei tinha que dizer qual delas tinha razão.
Cada uma das mulheres tinha um filho.

Uma dessas crianças olhava para o mundo com olhos risonhos. Estava viva e sadia. Mas a outra criança tinha os olhos fechados e jazia quieta e pálida nos braços da mulher. Esta criança estava morta.

"A criança viva pertence a mim", disse uma das mulheres.
"Isso não é verdade, é minha", disse a outra.
Salomão disse: "Contem-me tudo."

E uma das mulheres contou: "Oh rei, ela e eu moramos juntas numa casa, e dormimos no mesmo quarto, e cada uma tem uma criança. Mas esta noite morreu uma das crianças. O filho dela morreu, rei. A criança morta é a dela, e a criança viva é a minha."
Mas a outra mulher disse: "Não, a criança viva é minha, e a morta é dela."
"Eu quero a criança viva, porque sou a mãe", gritou uma.
"Não, eu sou a mãe, eu quero a criança", gritou a outra.

Assim estavam todos ali e ninguém sabia quem tinha razão. Mas Salomão tinha que saber. Ele devia dizer quem iria ganhar a criança viva.
Salomão perguntou: "Então, vocês querem ambas ter a criança viva?"
"Sim, rei", falou uma.
"Sim, rei", falou a outra.

E então Salomão disse uma coisa estranha, com a qual todos se assustaram. Ele falou: "Pois bem, então vamos cortar a criança viva pelo meio, então cada uma de vocês receberá a metade".
Não era o plano do rei de fazer realmente isto. Mas ele disse isso com muita seriedade, ele fez de conta como se fosse tal seu plano. Ele chamou um empregado com uma grande espada e disse: "Corte a criança pelo meio".E o empregado pegou a criança e levantou a grande espada. Mas então uma das mulheres começou a chorar amargamente.
"Não faça isso!" gritou ela. "Não faça nenhum mal à criança! Só quero que meu filho continue vivo!".

Mas a outra mulher não se afligiu pela criança. Ela disse: "Bem, corte-a pelo meio, então nós duas não temos nada".

Aí o rei sabia quem era a mãe. Ele disse: "Dê a criança à primeira mulher, porque ela a ama. Esta é a mãe".

E a mulher recebeu a criança viva e, feliz, foi para casa com o filhinho no braço.

(I Reis 3:16–28)


Que lição podemos tirar desta passagem??
Encontramos o senso de justiça  na atitude do Rei Salomão?
Se fosse conosco, qual seria a nossa atitude perante estas duas mulheres?
Onde se encontra o Amor?

Ficaremos aguardando as colocações de nossos amigos para, com isso, aprofundarmos mais nosso estudo.

Tragam suas opiniões pessoais, pois, como falamos no início de nossos estudos, apenas com a nossa vivência e exemplificação, poderemos interiorizar as virtudes e comerçarmos a colocá-las em prática!!

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: angel123 em 05 de Abril de 2011, 19:27
 Temos que testar nossa paciência no dia a dia ,em nosso trabalho,em nosso lar,com filhos,amigos parentes,enfim a todo o instante.
Peço sempre a Deus que me dê muita paciência para lidar com os problemas,e sei que Ele está sempre comigo.obrigada pela paciência que tiveram ao ler esse meu simples texto. :D
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 05 de Abril de 2011, 19:31
Boa tarde a todos,,, um grande abraço e muita paz

O Pequeno Aborrecimento
 
Um moço de boas maneiras, incapaz de ofender os que lhe buscavam o concurso amigo, sempre meditava na Vontade de Deus, disposto a cumpri-la.
Certa vez, muito preocupado com o horário, aproximou-se de um pequeno ônibus, com a intenção de aproveitá-lo para a travessia de extenso trecho da cidade em que morava, mas, no momento exato em que o ia fazer, surgiu-lhe à frente um vizinho, que lhe prendeu a atenção para longa conversa.

O rapaz consultava o relógio, de segundo a segundo, deixando perceber a pressa que o levava a movimentar-se rápido, mas o amigo, segurando-lhe o braço, parecia desvelar-se em transmitir-lhe todas as minudências de um caso absolutamente sem importância.

Contrafeito com a insistência da conversação aborrecida e inútil, o jovem ouvia o companheiro, por espírito de gentileza, quando o veículo largou sem ele.

Daí a alguns minutos, porém, correu inquietante a notícia.

A máquina estava sendo guiada por um condutor embriagado e precipitara-se num despenhadeiro, espatifando-se.

Ouvindo com paciência uma palestra incômoda, o moço fora salvo de triste desastre.

O jovem refletiu sobre a ocorrência e chegou à conclusão de que, muitas vezes, a Vontade Divina se manifesta, em nosso favor, nas pequenas contrariedades do caminho, ajudando-nos a cumprir nossos mais simples deveres, e passou a considerar, com mais respeito e atenção, as circunstâncias inesperadas que nos surgem à frente, na esfera dos nossos deveres de cada dia.
 
* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Pai Nosso.
Ditado pelo Espírito Meimei.
19a edição. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.
 


Olá, Henrique...

Este texto nos traz motivos de profundas reflexões...

Vamos pensar juntos??

O que faríamos caso esta ocorrência fosse conosco? Pediríamos licença e correríamos atrás do ônibus ou ouviríamos o colega?

Seríamos resignados e aceitaríamos a justiça divina?

Que você pensa a respeito??

Abraços fraternos,

Gisella
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 05 de Abril de 2011, 20:01
Este caso como eu vejo é a confirmação de tudo ser ligado com o propósito Divino, que nem uma folha cai sem a permição do Pai, nada acontece por acaso, pois muitas vezes acontecem estes tipos de "pequenos aborrecimentos" onde logo mudamos o animo, a educação e a sintonia, esquecemos que as vezes um atraso aqui pode nos livrar de um acidente, de uma briga, de um assalto, de varias coisas, e de qualquer forma a atenção a um irmão nunca é em vão, pois responderemos um mal que fizemos e o bem que deixamos de fazer, seja com os ouvidos , seja com uma palavra amiga, não importa.
Agora a prática é realmente dificel, sómente com muito vigiai e orai podemos praticar a virtude da tolerancia e pasciencia em certos casos.
Falando por mim ainda tenho muito a vivenciar estas virtudes, quase sempre me mantenho pasciente e tolerante, mas basta uma pisada mais forte no calo que logo acaba as virtudes dando espaço para os defeitos,
estou trabalhando essas virtudes, mas acredito que ainda tenho muitos passos pela frente.
Grande abraço...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 05 de Abril de 2011, 20:12
Temos que testar nossa paciência no dia a dia ,em nosso trabalho,em nosso lar,com filhos,amigos parentes,enfim a todo o instante.
Peço sempre a Deus que me dê muita paciência para lidar com os problemas,e sei que Ele está sempre comigo.obrigada pela paciência que tiveram ao ler esse meu simples texto. :D

Olá, angel123, bem vinda aos nossos estudos!!

Você está correta ao afirmar que temos que ser pacientes em todos os momentos.

Mas eu acrescentaria... não só pacientes, mas resignados, justos, enfim... temos que cultivar o hábito de adubar as sementes de todas as virtudes que estão latentes em nós, para que elas floresçam e se mostrem nos nossos atos.

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 05 de Abril de 2011, 20:24
Este caso como eu vejo é a confirmação de tudo ser ligado com o propósito Divino, que nem uma folha cai sem a permição do Pai, nada acontece por acaso, pois muitas vezes acontecem estes tipos de "pequenos aborrecimentos" onde logo mudamos o animo, a educação e a sintonia, esquecemos que as vezes um atraso aqui pode nos livrar de um acidente, de uma briga, de um assalto, de varias coisas, e de qualquer forma a atenção a um irmão nunca é em vão, pois responderemos um mal que fizemos e o bem que deixamos de fazer, seja com os ouvidos , seja com uma palavra amiga, não importa.
Agora a prática é realmente dificel, sómente com muito vigiai e orai podemos praticar a virtude da tolerancia e pasciencia em certos casos.
Falando por mim ainda tenho muito a vivenciar estas virtudes, quase sempre me mantenho pasciente e tolerante, mas basta uma pisada mais forte no calo que logo acaba as virtudes dando espaço para os defeitos,
estou trabalhando essas virtudes, mas acredito que ainda tenho muitos passos pela frente.
Grande abraço...

Olá, Henrique... bem vindo ao clube dos que estão lutando para "domar as suas más tendências" !!!

Neste ponto, meu amigo, estamos todos, que habitamos este planeta, lutando para incorporar todas as virtudes e, após este trabalho, começarmos a colocar em prática.

Mas, não precisamos esperar tê-las todas no auge da perfeição (até porque nunca seremos perfeitos em plenitude) para colocá-las em prática. Isso é um trabalho continuado, perseverante, que não pode ficar parado, estagnado, porque "sou incapaz de mudar, não consigo"...

Este é o grande "pulo do gato" que podemos dar em nossas vidas, meu amigo!! Todos somos capazes, todos temos condições!! Afinal, Deus nos criou para sermos felizes, não é mesmo?? E só seremos plenamente felizes quando começarmos a vivenciar nossas virtudes fazendo os outros também felizes!!

Obrigada por compartilhar conosco suas experiências... E não se preocupe, todos nós ainda temos um "calo para lixar"...

Abraços fraternos

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 05 de Abril de 2011, 22:12
Boa tarde a todos,,, um grande abraço e muita paz

O Pequeno Aborrecimento
 
Um moço de boas maneiras, incapaz de ofender os que lhe buscavam o concurso amigo, sempre meditava na Vontade de Deus, disposto a cumpri-la.
Certa vez, muito preocupado com o horário, aproximou-se de um pequeno ônibus, com a intenção de aproveitá-lo para a travessia de extenso trecho da cidade em que morava, mas, no momento exato em que o ia fazer, surgiu-lhe à frente um vizinho, que lhe prendeu a atenção para longa conversa.

O rapaz consultava o relógio, de segundo a segundo, deixando perceber a pressa que o levava a movimentar-se rápido, mas o amigo, segurando-lhe o braço, parecia desvelar-se em transmitir-lhe todas as minudências de um caso absolutamente sem importância.

Contrafeito com a insistência da conversação aborrecida e inútil, o jovem ouvia o companheiro, por espírito de gentileza, quando o veículo largou sem ele.

Daí a alguns minutos, porém, correu inquietante a notícia.

A máquina estava sendo guiada por um condutor embriagado e precipitara-se num despenhadeiro, espatifando-se.

Ouvindo com paciência uma palestra incômoda, o moço fora salvo de triste desastre.

O jovem refletiu sobre a ocorrência e chegou à conclusão de que, muitas vezes, a Vontade Divina se manifesta, em nosso favor, nas pequenas contrariedades do caminho, ajudando-nos a cumprir nossos mais simples deveres, e passou a considerar, com mais respeito e atenção, as circunstâncias inesperadas que nos surgem à frente, na esfera dos nossos deveres de cada dia.
 
* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Pai Nosso.
Ditado pelo Espírito Meimei.
19a edição. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.
 


Olá, Henrique...

Este texto nos traz motivos de profundas reflexões...

Vamos pensar juntos??

O que faríamos caso esta ocorrência fosse conosco? Pediríamos licença e correríamos atrás do ônibus ou ouviríamos o colega?

Seríamos resignados e aceitaríamos a justiça divina?

Que você pensa a respeito??

Abraços fraternos,

Gisella
Gisella,
Confesso que eu pediria licença e subiria no ônibus, mas vejo que isso só ocorreria se estivesse no meu caminho tal acidente, lembrando a DE, os espíritos guardiões nos intuem nos momentos de perigo. 
Trago aqui a questão.
OLE
525. Os Espíritos exercem influência sobre os acontecimentos da vida?
-- Seguramente, pois que te aconselham.
525- a. Exercem essa influência de outra maneira, além dos pensamentos que sugerem, ou seja, têm uma ação direta sobre a realização das coisas?
-- Sim, mas não agem nunca fora das leis naturais.

    "Pensamos erradamente que a ação dos Espíritos só deve manifestar- se por fenômenos extraordinários; desejaríamos que viessem em nosso auxílio através de milagres e sempre os representamos armados de uma varinha mágica. Mas assim não é, e eis porque a sua intervenção nos parece oculta, e o que se faz pelo seu concurso nos parece inteiramente natural. Assim, por exemplo, eles provocarão o encontro de duas pessoas, o que parece dar- se por acaso; inspirarão a alguém o pensamento de passar por tal lugar; chamarão sua atenção para determinado ponto, se isso pode conduzir ao resultado que desejam; de tal maneira que o homem, não julgando seguir senão os seus próprios impulsos, conserva sempre o seu livre arbítrio."

Neste caso talvez a polidez e a paciência do rapaz o tenha feito escutar o amigo e perder o onibus, mas vejo que este amigo veio na hora certa para evitar o infortunio.

Um abço Hebe

PS: Bem vinda mana  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ♪♫ Mana ♫ ♪ em 05 de Abril de 2011, 22:36
Obrigada Hebe...  ;)
Bjs Gisa... :-*
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 05 de Abril de 2011, 22:39
Oi, Hebe... que bom nos encontrarmos para o estudo....

Concordo contigo, quando coloca que o amigo, neste caso, o tirou de um infortúnio, tendo em vista que ele usou da paciência e da tolerância para ouví-lo.

Isso nos remete a outro ponto que falamos tanto dentro da Doutrina que é que "quando fazemos o bem a outro, recebemos muito mais do que a quem ajudamos".

Se o rapaz não tivesse parado, ouvido o amigo (sabe-se lá o tamanho do problema que ele estava contando), talvez não estivesse se livrado do acidente, não é mesmo?

E, é claro, baseado sempre na lei de Causa e Efeito como vc bem colocou, pois os Amigos Espirituais não têm esse poder de nos livrar de uma dificuldade se não merecermos, tendo em vista que eles nos aconselham, mas a tomada de decisão é nossa!!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 05 de Abril de 2011, 22:49
Amigos...

Peço licença para me retirar, pois a Casa Espírita também aguarda meus préstimos. E, quem sabe meu pc fica pronto amanhã?? ::)

Hoje encerro minha participação deixando um trechinho do livro "Atualidade do Pensamento Espírita" pelo Espírito Viana de Carvalho, pela psicografia de Divaldo Franco, pag. 76:

"O grau de responsabilidade é correspondente ao nível de conhecimento cultural e ético-moral do indivíduo. Não se pode culpar, insensatamente, com os mesmos agravantes o ignorante e o enfermo psíquico, devendo existir códigos que correspondam aos diferentes níveis de cultura e moralidade nos quais transitem esses mesmos seres".

Ou, seja "a cada um segundo suas obras"...

Pensemos nisso e até amanhã. Tenham todos uma linda noite de sono ...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 05 de Abril de 2011, 22:58
Sim Gisella sempre é nossa, mas veja só.
Continuação
OLE -
526. Tendo os Espíritos ação sobre a matéria, podem provocar certos efeitos com o fim de produzir um acontecimento? Por exemplo, um homem deve perecer: sobe então a uma escada, esta se quebra e ele morre. Foram os Espíritos que fizeram quebrar a escada, para que se cumpra o destino desse homem?
R- -- É bem verdade que os Espíritos têm influência sobre a matéria, mas para o cumprimento das leis da Natureza e não para derrogá-las, fazendo surgir em determinado ponto um acontecimento inesperado e contrário a essas leis. No exemplo que citas, a escada se quebra porque está carunchada ou não era bastante forte para suportar o peso do homem; se estivesse no destino desse homem morrer dessa maneira, eles lhe inspirariam o pensamento de subir na escada que deveria quebrar-se com o seu peso, e sua morte se daria por um motivo natural, sem necessidade de um milagre para isso.
 
527. Tomemos outro exemplo, no qual não intervenha o estado natural da matéria. Um homem deve morrer de raio: esconde-se embaixo de uma árvore, o raio estala e ele morre. Os Espíritos poderiam ter provocado o raio, dirigindo-o sobre ele?
--R- É ainda a mesma coisa. O raio explodiu sobre aquela árvore, e naquele momento, porque o fato estava nas leis da Natureza. Não foi dirigido para a árvore porque o homem lá se encontrava, mas ao homem foi dada a inspiração de se refugiar numa árvore, sobre a qual ele deveria explodir. A árvore não seria menos atingida, se o homem estivesse ou não sob ela.
 
528. Um homem mal intencionado dispara um tiro contra outro, mas o projétil passa apenas de raspão, sem o atingir. Um Espírito benfazejo pode ter desviado o tiro?
R--- Se o indivíduo não deve ser atingido, o Espírito benfazejo lhe inspirará o pensamento de se desviar, ou ainda poderá ofuscar o seu inimigo, de maneira a lhe perturbar a pontaria; porque o projétil, uma vez lançado, segue a linha de sua trajetória.

Veja bem, muitas vezes temos a intuição, mas não acreditamos ou não a seguimos, mas se for da Lei Natural que algo nos aconteça, nada pode modificar o rumo.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 05 de Abril de 2011, 23:23
Gostaria de falar um pouquinho agora sobre a justiça dos homens e a Justiça Divina.
Vendo sobre a perspectiva humana, o homem julga de acordo com as normas e os princípios sociais ao qual foi inserido, ou seja, as leis dos homens são relativas e as leis divinas eternas e imutáveis.
O que é considerado crime num país é considerado lícito no outro. Hábitos e costumes se modificam na vida terrena, mas todos os Avatares, sem exceção estiveram no mundo para ensinar a lei maior que é a lei do amor, ou seja, a voz de Deus. Essas leis estão gravadas em nosso íntimo, será que a seguimos ou julgamos sempre de acordo com o nosso ponto de vista?
Indo para um âmbito menor, chegando, por exemplo, a célula da sociedade, família.
Dois irmãos vieram juntos num mesmo lar para aprender sem dúvida a se amarem e crescer em harmonia, mas diante das circunstâncias que vão ocorrendo em suas vidas, acabam se desentendendo, uma briga por uma sociedade mal administrada, ou por ciúme dos pais, ou até mesmo por inveja  de beleza física ou inteligência e dom. Enfim, posso narrar uma série de fatores que ocorrem todos os dias.
A questão é a seguinte, qual a causa deste desvio da lei maior,
“ Amar a Deus sobre todas as coisas e ao  próximo como a ti mesmo” ?
O que é que precisa ser mudado nesta relação fraternal para não se julgarem como inimigos e conquistar o amor entre ambos?
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mourarego em 05 de Abril de 2011, 23:45
Maninha Hebe,
há muito mais água passando por baixo da ponte que a amiga cita do que se imagine.
Para se ter uma idéia nem mesmo se fala no grau de percepção que os dois irmãos tenham adquirido em passagens pretéritas pela terra.
Note, por serem irmão e vivenciarem as mesmas coisas, nem por isso têm eles que ter o mesmo grau de aprendizado já que cada ser é um universo finito em si mesmo.
Dizendo assim já dá para se antever que a custa de uma briga ou desentendimento um possa começar a ver o outro irmão como inimigo.
Abração,
Moura
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 05 de Abril de 2011, 23:56
Maninha Hebe,
há muito mais água passando por baixo da ponte que a amiga cita do que se imagine.
Para se ter uma idéia nem mesmo se fala no grau de percepção que os dois irmãos tenham adquirido em passagens pretéritas pela terra.
Note, por serem irmão e vivenciarem as mesmas coisas, nem por isso têm eles que ter o mesmo grau de aprendizado já que cada ser é um universo finito em si mesmo.
Dizendo assim já dá para se antever que a custa de uma briga ou desentendimento um possa começar a ver o outro irmão como inimigo.
Abração,
Moura
Esta é uma bela resposta Moura.
Vou seguindo mais adiante, se vieram juntos vieram em ajuda mútua, para cumprimento de provas, nesta vida são irmãos em outra podem ter se encontrado em situações bem mais complexas e difíceis, por isso estão juntos.
Segunda explicação posso dar da seguinte forma.
Inveja por beleza apego a matéria.
Briga por bens, apego a matéria,
Briga por ciume dos pais, apego ao personagens e ao próprio que está exercendo nesta vida.
Hoje somos homens ou mulheres, amigos ou irmãos, pai mãe, mas são funções de provas escolhidas, na verdade somos espíritos encarnados, já tivemos muitas vidas em papéis diferentes, a única coisa que vai nos fazer crescer, não são as provas e os fatos em si, mas sim como passamos por elas.
Se continuarmos nos apegando a tudo que nos acontece de forma puramente egoísta, sem compreensão de si mesmo e do próximo provavelmente vamos sucumbir as provas escolhidas.
Absolutamente ninguém, passa por nossas vidas, seja bom ou ruim,  por um acaso.
Cada episódio que temos com determinada pessoa, seja irmão, pai, mãe, vizinho, colega de trabalho e etc fazem parte da nossa história já pré estabelecida no mundo espiritual.
A partir dai, vejo que o apego à dor ou ao ressentimento é inútil para os espírito.
Um abço Hebe


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: josebancillon em 06 de Abril de 2011, 02:42
Gisele,
A resposta para mim é simples: é dar muito mais do que receber.
Resumindo minha autobiografia, tive uma infância e adolescência de abandono quase total em certa época e completo em outra, da parte dos meus pais, por diversos motivos. Passei fome, frio e solidão. Conheci o submundo, a violência, a sociedade paralela. Também obtive caridade de estranhos, como prova disso, sobrevivi. Apesar dessas vicissitudes, encontrei meu caminho na sociedade, estudei, trabalhei, envelheci (não muito). Tenho uma inestimável companheira (+ de 20 anos de convívio) e três filhos. Meus filhos tem de mim do essencial ao supérfluo, coisas que na minha infância até sonhar era proibido. Já aposentado, continuo trabalhando em condição de subalternidade devido à minha própria imprevidência e iniquidades na juventude, resquícios do passado marginal. Tudo para dar a mim mesmo, a minha companheira, aos dois meninos e ao rapaz (o primogênito), as melhores condições possíveis. É, eu acho,  faço por eles o que teria gostado e muito que fizessem por mim,  quando era criança, carente e indefesa, mas não o fizeram.
Aos 55 anos ingressei na faculdade, devido a conclusões intuitivas que cheguei após uma sessão de culto no Lar. Quase sessentão agora, e também quase formado em Direito, ocupo posto de soldado raso na minha empresa, a mesma patente na qual ingressei há 36 anos atrás. Ainda assim, os ensinamentos da Doutrina, me conduzem ao trabalho com bom ânimo, e busco  com alegria, eficiência e ética desimcubir-me das minhas atribuições. Desejo muito exercer essas virtudes de paciência,  resignação,  tolerância e a justiça com meus filhos e acho que eles nem percebem o quanto é fundamental o amor e a proteção dos pais. Geralmente me falta a paciência. Na determinação de opor-lhes limites, algumas vezes no passado, me excedi e usei da chinela a aplicar-lhes punição física (que vergonha!). Não faço mais isso graças à Deus. Mas ainda assim, o espinho da insatisfação transborda meu copo. Veja bem, não recebi, tenho que dar, e não devo contar com retribuição alguma, pois sou pai, não estou plantando para mim, e sim para os filhos deles, que talvez nem venha a conhecer em vida, e para o Mundo.
Tenho confiança no Espiritismo pela excelência da palavra espírita, verdade que não se contradiz nunca. Nunca me arrependi de ter tomado essa trilha, embora não possua o que chamam de mediunidade, nada vi, nada ouvi e encaro com muita reserva tudo o que dizem a respeito do “outro lado” . Só vou saber mesmo quando estiver lá.
Perdôe-me pela extenuante explanação.
Muita Paz.
josebancillon





Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 06 de Abril de 2011, 02:54
Boa Noite Josebancillon,
Muito obrigada mesmo por trazer sua história ao tópico.
Contribuiu muito para o tema. É um belo exemplo de superação.
Fique com Deus.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 06 de Abril de 2011, 02:57
Já está um pouco tarde, então vou deixar aqui um texto para reflexão.

Desapego...

"Vivemos uma época de celebridades, apelos fáceis à riqueza, ao consumismo,
às paixões avassaladoras. Transitamos aturdidos por um mundo em que o
destaque vai para aquele que mais tem.


E a todo o instante os comerciais de televisão, os anúncios nas revistas e
jornais, os outdoors clamam: "Compre mais. Ostente mais. Tenha mais e
melhores coisas." É um mundo em que luxo, beleza física, ostentação e vaidade ganharam tal espaço que dominam os julgamentos.
Mede-se a importância das pessoas pela qualidade de seus sapatos, roupas e
bolsas.

Dá-se mais atenção ao que possui a casa mais requintada ou situada nos
bairros mais famosos e ricos.
Carros bons somente os que têm mais acessórios e impressionam por serem
belos, caros e novos. Sempre muito novos.


Adolescentes não desejam repetir roupas e desprezam produtos que não sejam
de grife. Mulheres compram todas as novidades em cosméticos. Homens se
regozijam com os ternos caríssimos das vitrines.
Tornamo-nos, enfim, escravos dos objetos. Objetos de desejo que dominam
nosso imaginário, que impregnam nossa vida, que consomem nossos recursos
monetários.

E como reagimos? Será que estamos fazendo algo - na prática - para combater
esse estado de coisas?

No entanto, está nos desejos a grande fonte de nossa tragédia humana. Se
superarmos a vontade de ter coisas, já caminhamos muitos passos na estrada
do progresso moral.

Experimente olhar as vitrines de um shopping. Olhe bem para os sapatos,
roupas, jóias, chocolates, bolsas, enfeites, perfumes.
Por um momento apenas, não se deixe seduzir. Tente ver tudo isso apenas como
são: objetos.


E diga para si mesmo: "Não tenho isso, mas ainda assim eu sou feliz. Não
dependo de nada disso para estar contente".

Lembre-se: é por desejar tais coisas, sem poder tê-las, que muitos optam
pelo crime. Apossam-se de coisas que não são suas, seduzidos pelo brilho
passageiro das coisas materiais.

Deixam para trás gente sofrendo, pessoas que trabalharam arduamente para
economizar...

Deixam atrás de si frustração, infelicidade, revolta.

Mas, há também os que se fixam em pessoas. Vêem os outros como algo a ser
possuído, guardado, trancado, não compartilhado.
Esses se escravizam aos parceiros, filhos, amigos e parentes. Exigem
exclusividade, geram crises e conflitos.

Manifestam, a toda hora, possessividade e insegurança. Extravasam egoísmo e
não permitem ao outro se expressar ou ser amado por outras pessoas.
É, mais uma vez, o desejo norteando a vida, reduzindo as pessoas a tiranos,
enfeiando as almas.

Há, por fim, os que se deixam apegar doentiamente às situações.
Um cargo, um status, uma profissão, um relacionamento, um talento que traz
destaque. É o suficiente para se deixarem arrastar pelo transitório.
Esses amam o brilho, o aplauso ou o que consideram fama, poder, glória.
Para eles, é difícil despedir-se desse momento em que deixam de ser pessoas
comuns e passam a ser notados, comentados, invejados.

Qual o segredo para libertar-se de tudo isso? A palavra é desapego. Mas...
Como alcançá-lo nesse mundo?

Pela lembrança constante de que todas as coisas são passageiras nessa vida.
Ou seja: para evitar o sofrimento, a receita é a superação dos desejos.
Na prática, funciona assim: pense que as situações passam, os objetos
quebram, as roupas e sapatos se gastam.

Até mesmo as pessoas passam, pois elas viajam, se separam de nós, morrem...
E devemos estar preparados para essas eventualidades. É a dinâmica da vida.
Pensando dessa forma, aos poucos a criatura promove uma auto-educação que a
ensina a buscar sempre o melhor, mas sem gerar qualquer apego egoísta.
Ou seja, amar sem exigir nada em troca."


Texto da Redação do Momento Espírita.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 06 de Abril de 2011, 04:49
Bom dia, queridos amigos e caros irmãos visitantes!


                                                             COMPLACÊNCIA

“Não digas: Como ele me fez a mim, assim lhe farei a ele. Pagarei a cada um segundo a sua obra."
                                                             (Provérbios, 24:29)


Compadece-te de quem desconhece as leis do perdão; confere com ele o lugar que ele ocupa e sente que não deves julgá-lo. A indulgência é norma divina que deve dominar o coração.

Nunca digas a ninguém: ferir-te-ei com o mesmo ferro com que me feriste. Eis que, no tocante ao bem, podes dizer: amar-te-ei do mesmo tanto que me amas, ou: dar-te-ei em dobro a paz que me ofertaste.

Sê como o frasco de essências, que perfuma o ambiente da mão que o quebrou, e aromatiza o rosto, também, de quem o destampou.

A justiça, tomando a forma de vingança, desmerece a dignidade.

Cobrar multas aos infratores da lei não é lei dos sentimentos; é disciplina para quem desrespeita a paz alheia.

E não se importar com o bem-estar social é também impulso do egoísmo.

Quem troca murros está na mesma dimensão da violêncja.

Se alguém te ofendeu, por palavras ou obras, digna-te em tolerar, pensa no que deves responder, e, se falares, fala com brandura. Mesmo sofrendo é bom que ensines o amor.

O primeiro impulso do ofendido é ofender. Contudo, a mão que bate sofre o impacto da pancada, porque está ligada ao corpo. Perdoa, pois, que a natureza se encarrega da justiça, sem que lhe peças. No lugar da revolta, abençoa o ignorante.

A benevolência desarma o caluniador, e desperta-o para a fraternidade.

Se não te sentes bem no esquecimento das faltas para contigo, se ainda há algo dentro de ti remoendo pela injustiça que te fizeram, se a calúnia acendeu o fogo do ódio em teu mundo íntimo, apela para o socorro da oração. Depois dela, se te sentires meio atordoado, sem condições de te reergueres, procura amigos da tua confiança, e conversa, sem alarde, que Deus e Cristo te ajudarão por meio deles.

O amor, na Terra, é justiça, e a justiça, no céu, é amor.

O perdão veio colocar em dificuldades a justiça, mas é para quem não tem olhos de ver. Ninguém recebe o que não merece.

Se já conheces a Cristo, os teus caminhos são outros: quando ferido, não firas; quando injuriado, não injuries; quando ofendido, não ofendas; quando perseguido, não persigas; quando odiado, não odeies, porque vives em um mundo diferente daquele que precisa de corrigendas pela força, porque vibras em um intenso amor, por Deus e por tudo.

A tua conduta cristã poderá desmanchar, sem precisar da palavra, as más idéias formadas a teu respeito.

           Carlos (Espírito)
(Psicografia de João Nunes Maia)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 06 de Abril de 2011, 05:38
Bom dia, irmãos queridos!


INJUSTIÇAS

São muitos os que se acham supliciados, principalmente os que lidam com situações em que os encaminhamentos das coisas parecem não corresponder aos anseios pessoais. As injustiças fazem parte de um capítulo tão relevante nos processos da evolução humana que mereceram de Jesus uma referência especial no Sermão da Montanha, quando o amorável peregrino de nossas vidas referiu-se às bem-aventuranças.

Por toda parte, encontramos companheiros a se sentirem punidos com os encaminhamentos vários que se apresentam como propostas da vida para o progresso. Vivem, assim, contristados na experiência a que são chamados a desempenhar. Frustrados, acabam por se abaterem profundamente, deixando-se arrastar por uma onda avassaladora de pessimismo, quase sempre acompanhada pela revolta doentia e pertinaz.

Em muitos casos, as injustiças passam a ser o combustível a movimentar as revoltas renitentes que assolam a alma, acabando por entalhar uma legião de sofredores compulsivos que expressam a depressão através de diversos sintomas. Vivem assim atados a um monturo improdutivo de infelicidade, cuja gênese se encontra na inaceitação dos desígnios superiores.

A vida é uma experiência sublime carregada de desafios e avaliações que nos são colocadas para o nosso crescimento manifestando-se nas diversas modalidades provacionais. Vivemos, muitas vezes, as suas várias fases, submetidos a um rígido planejamento e a uma supervisão milimétrica, que monitora em nós os recursos movimentados pela Lei de Progresso, cujo único objetivo é o da evolução individual e coletiva.

As muitas inadaptações em que vivemos aferrados, deambulando, de revolta em revolta, fazem com que desconheçamos os mecanismos superiores e o bálsamo da misericórdia infinita, optando por vivermos entre as lágrimas, dores que maceram a alma, aflições que consomem as reservas de esperança e sustentam o desespero que nos adoece a alma.

Encontramos, assim os filhos divorciados dos seus pais a reclamarem insistentemente por uma parcela maior de atenção, amparo, apoio e carinho, sentindo-se abandonados pela vereda, sem a direção devida que lhes conduza a um porto seguro. Pobres nautas da evolução, esquecem-se de agradecer a vida pela oportunidade bendita do lar e pelas bênçãos da reencarnação. Vão ditando desprevenidamente a própria derrocada.

Vamos registrar um sem-número de maridos e esposas que reclamam uns dos outros, protestando contra o abandono e a solidão a que são submetidos no dossel da experiência. Muitos vivem os seus dias, carpindo as grandes traições urdidas pelos parceiros, ainda atados aos troncos dos prazeres imediatos. Vários reclamam da inanição a que são submetidos, alimentando-se somente das contrariedades. Entretanto esquecem-se de agradecer a vida pela oportunidade da experiência conjunta. Neste bendito momento do hoje, soterrados pelas revoltas, esquecem-se de que o passado os espreita, e os sofrimentos simplesmente representam a continuidade em resposta aos desmandos de ontem a exigir renúncia e muita capacidade de doação. Ninguém passa ileso aos códigos impressos nos escaninhos da consciência.

Quantos estão por aí submetidos a uma sobrecarga de trabalho a lhes exigir quase que a alma para atenderem as exigências dos que comandam lutas e mais lutas aguerridas, e acabam por levar companheiros nobres ao desespero e ao sacrifício sem medidas! Quantos não são os que convivem sob a ameaçadora presença do fantasma do desemprego, mendigando diariamente uma oportunidade de trabalho com a remuneração justa. Na maioria das vezes, estes são os que menoscabaram as chances do labor no ontem, aferrados à preguiça e à indolência e, presos à licenciosidade doentia, hoje vestem o manto dos injustiçados, agregados à grande legião dos que reclamam por maiores ensejos.

Alma querida, nestes momentos de revolta e dor, escuta o verbo doce e suave do peregrino Jesus: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão saciados.” Apresenta a tua sede e fome de forma diferente, como reconhecimento e agradecimento ao muito que se tem ofertado a ti, que tão pouco, ou quase nada, tem oferecido em doações.

Não existem injustiças, mas simplesmente a justiça divina expressa a maravilha da vida em forma de causa e efeito.

Aprendamos a agradecer pelos momentos tormentosos, pois eles representam a bigorna robusta e forte, amortecendo as pancadas inclementes da marreta que molda o caldo de ferro, conduzindo-o ao modelamento ideal, para que alcancemos a verdadeira serventia, deixando para trás os monturos improdutivos, transformando-nos em ferramentas úteis e dignas na grande seara do amor.

Quando te sentires injustiçado, não permitas que a revolta ou que o desespero venham fazer morada em teu coração, recorre, o mais breve possível, aos recursos da prece e recorda-te de Jesus no madeiro impiedoso, quando, de forma magistral recorreu ainda ao Pai : “Pai, Pai!... Perdoa-lhes, pois eles não sabem o que fazem”.

Assim, perdoa sempre, ora com fé e serve indistintamente, acreditando que tudo que chega a ti tem a métrica do teu merecimento.

Deixemos o vício de tratar os acontecimentos por injustiça, passando a chamá-los carinhosamente de misericórdia!

                                  Irmã Sheilla
(Do livro “Tuas Preces”, psicografia de Jairo Avellar)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 06 de Abril de 2011, 09:56
Bom dia Lima Gil,
Belíssimos textos que trouxe para reflexão do Tema.
O nosso intuito é este mesmo, trazer textos e refletir sobre eles, desta forma enriquecemos o estudo e colocando nossas considerações nos ajudamos mutuamente a entender nossas falhas e enganos perante a vida.
Todos ainda erramos, porque a nossa vida na matéria nos turva a vista para uma verdade maior.
às vezes nos achamos, cheios de razão corretos e justos, e mais ainda, constantemente nos sentimos vítimas deste ou daquele, porque não paramos para pensar um minuto sequer na razão do outro ,ou no aprendizado que determinado episódio nos trás.
Mas o nosso julgamento é falho, porque não somos imparciais, vemos sempre sob nossas verdades.Se somos caluniados nos enfurecemos, se somos feridos desejamos dar troco, se alguém nos responde de forma mais agressiva, respondemos por impulso igual.
Não serenamos a mente, e nem praticamos a escuta, obviamente falo de uma forma geral.
Jesus nos deixou um grande exemplo de conduta, mas não adianta só admirar a sua história como se fosse algo inatingível.
Ele  era filho de Deus como nós somos, todo seu potencial está em nós, precisamos percebê-lo.

Tenha um bom dia

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 06 de Abril de 2011, 12:40
Bom dia queridos amigos,,,,,,,,,,  trago esse texto para refletirmos que mesmo parecendo dificel, se torna facil quando deixamos de lado os defeitos do orgulho e egoismo.
E pequenas atitudes do nosso dia dia se torna tão grande aos olhos de Deus,



Gentilezas Salvadoras
Aquele cuja afabilidade e
doçura não são fingidas
nunca se desmente: é o
mesmo, tanto em
sociedade, como na
intimidade.
(Alan Kardec. E.S.E.
Cap. IX. Item 6.)
 
Quando você afasta do piso uma casca de fruta deixada pela negligência de alguém, não pratica apenas um ato de gentileza. Evita que algum desavisado escorregue, sofrendo tombo violento.
*

Ao ceder o lugar no transporte coletivo a um ancião, você não realiza um gesto de cortesia somente. Atende a um corpo cansado, poupando as energias de quem poderia ser seu genitor.

*

Se você oferece braço moço à condução de um volume, poupando aquele que o carrega, não pratica unicamente uma delicadeza. Contribui fraternalmente para o júbilo de alguém que, raras vezes, encontra ajuda.

*

Portando a boa palavra em qualquer situação, você não atende exclusivamente à finura do trato. Realiza entre os ouvintes o culto do verbo são, donde fluem proveitosos e salutares ensinamentos.

*

Silenciando uma afronta em público, você não atesta apenas o refinamento social. Poupa-se à dialogação violenta, que dá margem a ódios irremediáveis.

*

Se você oferece agasalho a algum desnudo, não só atende à delicadeza humana, por filantropia. Amplia a cultura da caridade pura e simples.

*

Ao sorrir, discretamente, dando ensejo a um desafeto de refazer a amizade, você não age tão-somente em tributo à educação. Apaga mágoas e ressentimentos, enquanto "está no caminho com ele".

*

Procurando ajudar um enfermo cansado a galgar e vencer dificuldades, você não procede imbuído apenas de gentileza. Coopera para que a vida se dilate no debilitado, propiciando-lhe ensejos evolutivos.

*

Atendendo impertinente criança que o molesta, num grupo de amigos, você não se situa só na formosura da conduta externa. Liberta um homem futuro de uma decepção presente.

No exercício da gentileza, a alma dilata recursos evangélicos e vive o precioso ensino do Mestre ao enfático doutor da lei, com afabilidade e doçura, quando Ele afirmou: "Vai e faze o mesmo!".
 
* * *

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Glossário Espírita-Cristão.
Ditado pelo Espírito Marco Prisco.
4a edição. Salvador, BA: LEAL, 1993.
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 06 de Abril de 2011, 12:57
Bom dia a todos

Renovação em Amor



"E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem”.

- PAULO (II Tessalonicenses, 3:13.).



Quando as crises te visitem, ante os problemas humanos, é justo medites nos princípios de causa e efeito, tanto quanto é natural reflitas no impositivo de burilamento espiritual, com que somos defrontados, entretanto, pensa igualmente na lei de renovação, capaz de trazer-nos prodígios de paz e vitória sobre nós mesmos, se nos decidimos a aceitar, construtivamente, as experiências que se nos façam precisas.

Se atingiste a integração profunda com as bênçãos da vida, considera a tarefa que a Divina Providência te confiou.

Deus não nos envia problemas de que não estejamos necessitados.

Aceitação e paciência, sem fuga ao trabalho, são quase sempre a metade do êxito em qualquer teste a que estejamos submetidos, em nosso proveito próprio.

Se qualquer tempo é suscetível de ser ocasião para resgate e reajuste, todo dia é também oportunidade de recomeçar, reaprender, instruir ou reerguer.

O amor que estejamos acrescentando à obrigação que nos cabe cumprir, é sempre plantação de felicidade para nós mesmos.

Onde estiveres e como estiveres, nas áreas da dificuldade, dá-te à serenidade e ao espírito de serviço e entenderás, com facilidade, que o amor cobre realmente a multidão de nossas faltas, apressando, em nosso favor, a desejada conquista de paz e libertação.



Autor: Emmanuel
Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Ceifa de Luz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Cristina M. Marques em 06 de Abril de 2011, 12:57
Bom dia e muita paz ao  coração de todos. É com grande alegria que estou participando deste estudo e este tema chegou em momento oportuno de minha vida. Não é fácil modificar o homem velho que esta dentro de nós, é um trabalho lento e por muitas vezes difícil, mas somente trazendo a superfície a bela criança que temos é que estaremos verdadeiramente livres para amar incodicionalmente.
Que Deus abençoe a todos vcs.
Cristina Marques
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 06 de Abril de 2011, 13:18
SERENIDADE E PACIÊNCIA


No sentido de preservar a própria paz, é indispensável nos disponhamos a manter criteriosa atenção sobre nós mesmos.

O conflito de resultados inavaliáveis pode surgir da explosão de sentimentos descontrolados; entretanto, não se obtém a paz sem esforço.

Quem acredite no imaginário valor da desinibição despropositada, no intuito de garantir o equilíbrio próprio, observe a força elétrica desorientada ou o trânsito sem disciplina.

Ninguém possui uma serenidade que não construiu.
Daí, o impositivo da vigilância em nós próprios.

Não se trata de prevenção contra ninguém e sim de auto-governo.

Para semelhante realização, ser-nos-á justo enfileirar certas obrigações primordiais que se nos mostram por alicerces da consciência tranqüila.

Compreendamos que somos colocados, uns à frente dos outros, a fim de aperfeiçoar-nos.
Abracemos as iniciativas de concórdia sem esperar que determinadas pessoas venham a promovê-las.

Pelos erros alheios que claramente nos preocupem, examinemos os nossos com a sincera resolução de corrigi-los.

Não nos aborreçamos com o trabalho que a vida nos confia, de vez que, através dele, é que atingiremos a promoção justa na escala de valores da vida.

Nunca nos esqueçamos de que a eficiência não se harmoniza com a pressa, mas não se fará vista sem apoio da diligência.

Convém lembrar que os nossos ouvidos podem ser transformados em extintores do mal, todas as vezes em que o mal nos procure.

Aceitemos a realidade de que o próximo não tem a nossa formação e saibamos respeitar cada criatura na posição em que se encontre.

Em suma, a serenidade não é uma aquisição espiritual que se faça em toque de mágica e sim, através do trabalho, muitas vezes, duro e áspero da paciência em ação.

Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 06 de Abril de 2011, 13:45
MAIS PACIÊNCIA

Na atualidade do mundo, não será demasiado rogar sempre mais paciência a quantos nos possam ouvir, em louvor da paz de que necessitamos para a execução das tarefas a que fomos chamados.

São tantas as inquietações que hoje assoberbam as criaturas encarnadas, que toda pessoa humana, com suficiente responsabilidade de viver, está na condição do motorista correto e seguro que se vê, quando em ação, impelido a pensar por si e pelos outros que lhe cruzem o caminho, de modo a se prevenir contra acidentes.

Por isso mesmo, no trânsito das atitudes e das palavras, ouve com mais paciência quaisquer alegações que te sejam endereçadas para que explosões de azedume não apareçam.

Ninguém pode calcular toda a extensão dos prejuízos de uma bomba detonada.
Em vista disso, quanto mais longo o estopim da tolerância, mais probabilidades de se evitar o desastre.

Se o companheiro ou a companheira, compromissados na formação do lar se desentendem, que a vítima cultive mais paciência, permanecendo no lugar de trabalho que a vida lhe confiou, frustrando naquele que agride a queda em débitos mais amplos.

Se teus filhos se deixam embair por idéias negativas, conserva mais paciência diante deles, a fim de que não se te desvinculem violentamente do amor, caminhando talvez sem defesa ao encontro de tragédias passionais evitáveis.
 
Se teus familiares não te compreendem, sustenta mais paciência para com eles, a fim de que a desarmonia doméstica não se cristalize, criando sofrimentos inúteis, dentro de casa.

Se os amigos escolhem estradas diferentes das tuas, conquanto observes os perigos a que se expõem, aceita-os com mais paciência, de maneira que possas auxiliá-los na travessia das provas que serão impelidos a facear.

Em qualquer situação difícil, aparentemente insolúvel, usa mais paciência, porque a paciência é construção da alma sobre os alicerces da fé em Deus e, aplicando mais paciência onde estiveres, em quaisquer tribulações, que, porventura, te apareçam, claramente vencerás.

Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 06 de Abril de 2011, 14:07
Auto-Julgamento

Se te decidires a praticar compreensão, adiantar-te ás, consideravelmente, no caminho do amor, em direção à paz que se te fará suporte à felicidade.
Para isso, é imperioso te situes no lugar dos outros; de modo a que não percas tempo, com qualquer julgamento leviano, capaz de arrojar-te em complicações e enganos, por vezes, de lastimável e longa duração.
Se te observares na condição do agressor, imagina quão valioso se te faria o perdão daqueles a quem houvesse ferido, após reconheceres que te desmandaste num momento de desequilíbrio e loucura.
Fosses a pessoa encarcerada em penúria e doença e saberias agradecer os gestos espontâneos de quem te doasse alguns minutos de reconforto ou leves migalhas de auxílio.
Caso te visses no lugar da pessoa caída em tentação, reflete se poderias haver resistido, com mais eficiência, ao assédio das sugestões infelizes.
Estivesses na posição daqueles que controlam a fortuna ou o poder, a influência ou a autoridades e examina, por ti mesmo, qual seria o teu comportamento.
Colocando-te na situação dos companheiros em lágrimas que viram partir entes amados, sob a neblina da morte, mentaliza a extensão do sofrimento que te dilapidaria o coração ao perder a companhia daqueles que mais amas.
De quando a quando, sujeita-te, no silêncio, aos testes dessa natureza, dialogando intimamente de ti para contigo e descobrirás em ti as fontes de renovação espiritual a te nutrirem os sentimentos com novos princípios de tolerância e humanidade.
Realmente, advertiu-nos Jesus:

- "Não julgues para não serdes julgados."

O Divino Mestre, entretanto, não nos proclamou impedidos de julgar a nós próprios, de modo a revisarmos nossos ideais e atitudes, colocando-nos finalmente a caminho da própria sublimação.

Francisco Cândido Xavier

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: mix em 06 de Abril de 2011, 14:46
ESTRUTURA DO ESTUDO

Como o objetivo do estudo é focar nas virtudes encontradas na I Epístola de São Paulo aos Coríntios (cap. XIII, vv. 1 a 7 e 13.), trabalharemos as mesmas divididas em grupos mais ou menos homogêneos, não implicando que elas não se entrelacem no nosso dia a dia.
Portanto, estruturamos da seguinte maneira:

1ª semana:
•   Paciência
•   Resignação
•   Tolerância
•   Justiça

2ª semana:
•   Delicadeza / Gentileza
•   Alegria
•   Honestidade / Sinceridade
•   Humildade

3ª semana:
•   Bondade
•   Compaixão
•   Perdão
•   Desapego

4ª semana:
•   Consciência
•   Fé
•   Esperança
•   Amor

Procuraremos trazer sempre assuntos referentes à vida cotidiana, aos problemas humanos, às dificuldades que enfrentamos.

E, ao final, que tenhamos percebido que aquela criança psicológica que somos, muitas vezes adormecida e que teima por ser acalentada, tenha cedido lugar ao adulto de vontade firme e confiante, que programa os seus atos, trabalhando com afinco para conseguir os resultados almejados, pois entendeu que todo este processo de auto-transformação resulta da vontade disciplinada, que é o mais notável instrumento de trabalho para a vitória física do ser pensante.

Como nos diz Léon Denis: "Todo poder da alma resume-se em três palavras: querer, saber, amar". (O Problema do Ser, do Destino e da Dor)

Bibliografia:
•   O Livro dos Espíritos
   "Da Lei e Justiça, Amor e Caridade - parte 3ª - Cap. IX - Caridade e Amor ao Próximo - perguntas 886 a 889 e Amor Materno e Filial - perguntas 890 a 892
   "Da Perfeição Moral" - parte 4ª, cap XII - perguntas 893 a 919
•   O Evangelho Segundo Espiritismo
   Capítulos VIII a XIII;
   Capítulos XV, XVII, XIX e XXV;
•   O Consolador - Francisco C. Xavier/Emmanuel
•   Sinal Verde - Francisco C. Xavier/André Luiz
•   Segue-me - Francisco C. Xavier/Emmanuel
•   Boa Nova - Francisco C. Xavier/Humberto de Campos
•   O Problema do Ser, do Destino e da Dor - León Denis
•   Nossas Riquezas Maiores - J. Raul Teixeira/Espíritos Diversos
•   Carta Magna da Paz - J. Raul Teixeira/Espírito Camilo
•   Revelações da Luz - J. Raul Teixeira/Espírito Camilo
•   Educação e Vivências - J. Raul Teixeira/Espírito Camilo
•   Vida: Desafios e Soluções - Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
•   Jesus e o Evangelho à Luz da Psicologia Profunda - Divaldo P. Franco/Joanna de        Ângelis
•   Rumos Libertadores - Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
•   Jesus e Atualidade - Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis
•   Desperte e Seja Feliz - Divaldo P. Franco/Joanna de Ângelis

Olá,
esse é o primeiro estudo que participo e fiquei tão feliz com esse tema, pois sinto que ainda tenho tanto a transformar pelo amor, a minha família, amigos e sobretudo, a mim mesma. Muito obrigada por essa oportunidade! Luz e Paz!!!
Michele de Lima
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: reginia maria silva nunes em 06 de Abril de 2011, 16:43
Boa tarde a todos vou responder de modo geral,pela por três itens ,pelo exemplo de familia,pela intuição e por visão ao próximo;na minha familia a maioria sempre atendeu primeiro o próximo nossos problemas nunca eram grandes em nossos poontos de vista,e na nossa intuição sempre o outro merecia ser melhor ouvido e atendido que nós,e sei que cada pesoa ,educação é diferente,mais esse exemplo se faz presente até hoje em nossas vidas,perdoar e passar por cima de qualquer situação é normal e esquecer também,pois sempre esiste ,as diferenças das atitudes tomadas de um lado ou de outro.Amar o p´roximo como a nós mesmo e normalmente seguir os dois grandes mandamentos que rege aos outros ,evia e deve ser prioridade para nós,isto que escrevi e como eu sou,mais depende de cada um ,sua criação e visão.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 06 de Abril de 2011, 16:46
Boa tarde a todos,
Oi Ken, muito obrigada pela colaboração ao tópico, estou lendo os textos com calma, no final da tarde eu comento.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 06 de Abril de 2011, 18:02
Como este belo poema diz, "é comovente o carinho de Jesus.
Façamos por onde merere-lo. 

O Divino Mestre, que após a multiplicação dos pães e peixes recolheu as sobras, agora recolhe com Suas mãos generosas e puras toda centelha de luz, toda ação boa, toda intenção verdadeira de serviço ao bem, e de culto á virtude.
Nada escapa ao seu olhar amoroso e percuciente. E toda fagulha de luz que exista nas almas é por Ele recolhida e levada ao Supremo Juiz. Seu verbo, ao apresenta-la ante a Infinita Majestade, é de piedoso amor, é uma rogativa sincera e humilde: "Vê, Pai, este tem já em si a luz a ponto de se acender. Deixa-o ficar."
É comovente o carinho de Jesus; se o visse os homens, a luz de cada um brilharia mais que mil sóis, e estes sóis se ergueriam ao encontro do Sol Crístico, numa fulguração sublime que iluminaria o Universo.

Brilhe a vossa luz, recomendou o Mestre. Que ela brilhe efetivamente e faça desaparecer toda a sombra, para que a Terra Renovada do Terceiro Milênio a todos possa reter em seu regaço generoso e amigo.
Ismael
A hora do Apocalipse- Edgar Armond


Ismael
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 06 de Abril de 2011, 18:04
Gisele,
A resposta para mim é simples: é dar muito mais do que receber.
Resumindo minha autobiografia, tive uma infância e adolescência de abandono quase total em certa época e completo em outra, da parte dos meus pais, por diversos motivos. Passei fome, frio e solidão. Conheci o submundo, a violência, a sociedade paralela. Também obtive caridade de estranhos, como prova disso, sobrevivi. Apesar dessas vicissitudes, encontrei meu caminho na sociedade, estudei, trabalhei, envelheci (não muito). Tenho uma inestimável companheira (+ de 20 anos de convívio) e três filhos. Meus filhos tem de mim do essencial ao supérfluo, coisas que na minha infância até sonhar era proibido. Já aposentado, continuo trabalhando em condição de subalternidade devido à minha própria imprevidência e iniquidades na juventude, resquícios do passado marginal. Tudo para dar a mim mesmo, a minha companheira, aos dois meninos e ao rapaz (o primogênito), as melhores condições possíveis. É, eu acho,  faço por eles o que teria gostado e muito que fizessem por mim,  quando era criança, carente e indefesa, mas não o fizeram.
Aos 55 anos ingressei na faculdade, devido a conclusões intuitivas que cheguei após uma sessão de culto no Lar. Quase sessentão agora, e também quase formado em Direito, ocupo posto de soldado raso na minha empresa, a mesma patente na qual ingressei há 36 anos atrás. Ainda assim, os ensinamentos da Doutrina, me conduzem ao trabalho com bom ânimo, e busco  com alegria, eficiência e ética desimcubir-me das minhas atribuições. Desejo muito exercer essas virtudes de paciência,  resignação,  tolerância e a justiça com meus filhos e acho que eles nem percebem o quanto é fundamental o amor e a proteção dos pais. Geralmente me falta a paciência. Na determinação de opor-lhes limites, algumas vezes no passado, me excedi e usei da chinela a aplicar-lhes punição física (que vergonha!). Não faço mais isso graças à Deus. Mas ainda assim, o espinho da insatisfação transborda meu copo. Veja bem, não recebi, tenho que dar, e não devo contar com retribuição alguma, pois sou pai, não estou plantando para mim, e sim para os filhos deles, que talvez nem venha a conhecer em vida, e para o Mundo.
Tenho confiança no Espiritismo pela excelência da palavra espírita, verdade que não se contradiz nunca. Nunca me arrependi de ter tomado essa trilha, embora não possua o que chamam de mediunidade, nada vi, nada ouvi e encaro com muita reserva tudo o que dizem a respeito do “outro lado” . Só vou saber mesmo quando estiver lá.
Perdôe-me pela extenuante explanação.
Muita Paz.
josebancillon







Olá José e demais amigos que chegaram aos nossos estudos. Que Jesus nos ilumine para que tenhamos compreensão sempre constante de seus ensinamentos!!

Muito obrigada, José, pela sua contribuição e pelo exemplo de superação, como disse a Hebe, que vc teve. Isso prova que podemos fazer diferente... às vezes não recebemos tudo o que gostaríamos de nossos pais, pois estes não receberam de nossos avós, estes de nossos bisavós e assim por diante... O  normal seria que não déssemos, também aos nossos filhos, não é verdade? Seguindo a vida como ela nos foi passada.

Mas, felizmente, temos um "bichinho" dentro de nós chamado vontade, que nos leva a fazer diferente, pois aquilo que vc passou, não foi bom para você, em um sentido, pois o abandono o fez sofrer. Mas, por outro lado, te deu algo que talvez, se tudo tivesse sido "normal", você não conquistasse, que é a sua força interior. Hoje ela é muito maior do que quando você reencarnou, tenha certeza.

Aquele homem velho que precisava passar por algumas privações ficou lá, no teu passado, mas, de uma forma muito contundente, influenciou o teu presente e está influenciando o teu futuro, pois o que você significa para teus filhos será levado por muitas gerações.

E isso, meu amigo, é crescimento!! Você poderia ter sucumbido às provas, mas não o fez, muito pelo contrário e isso é maravilhoso!!

Isso nos prova que quando temos vontade firme, podemos operar em nós uma transformação. E que ela seja sempre pelo Amor, para que, pela Dor, vá diminuindo mais e mais e, logo, logo, nosso planeta será um local muito melhor para se viver!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 06 de Abril de 2011, 18:07
Só pra complementar, deixo este video do Exemplo maior a qual um dia atingiremos.



Video de Jesus - O Homem (Roberto Carlos) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUYwU3BiWS00WkdBJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQj)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 06 de Abril de 2011, 18:37
Maninha Hebe,
há muito mais água passando por baixo da ponte que a amiga cita do que se imagine.
Para se ter uma idéia nem mesmo se fala no grau de percepção que os dois irmãos tenham adquirido em passagens pretéritas pela terra.
Note, por serem irmão e vivenciarem as mesmas coisas, nem por isso têm eles que ter o mesmo grau de aprendizado já que cada ser é um universo finito em si mesmo.
Dizendo assim já dá para se antever que a custa de uma briga ou desentendimento um possa começar a ver o outro irmão como inimigo.
Abração,
Moura
Esta é uma bela resposta Moura.
Vou seguindo mais adiante, se vieram juntos vieram em ajuda mútua, para cumprimento de provas, nesta vida são irmãos em outra podem ter se encontrado em situações bem mais complexas e difíceis, por isso estão juntos.
Segunda explicação posso dar da seguinte forma.
Inveja por beleza apego a matéria.
Briga por bens, apego a matéria,
Briga por ciume dos pais, apego ao personagens e ao próprio que está exercendo nesta vida.
Hoje somos homens ou mulheres, amigos ou irmãos, pai mãe, mas são funções de provas escolhidas, na verdade somos espíritos encarnados, já tivemos muitas vidas em papéis diferentes, a única coisa que vai nos fazer crescer, não são as provas e os fatos em si, mas sim como passamos por elas.
Se continuarmos nos apegando a tudo que nos acontece de forma puramente egoísta, sem compreensão de si mesmo e do próximo provavelmente vamos sucumbir as provas escolhidas.
Absolutamente ninguém, passa por nossas vidas, seja bom ou ruim,  por um acaso.
Cada episódio que temos com determinada pessoa, seja irmão, pai, mãe, vizinho, colega de trabalho e etc fazem parte da nossa história já pré estabelecida no mundo espiritual.
A partir dai, vejo que o apego à dor ou ao ressentimento é inútil para os espírito.
Um abço Hebe




Oi, Hebe e Moura...

Concordo plenamente com você... cada um está num grau diferente da escala evolutiva, uns são mais adiantados que ouros, independentemente de virem na mesma família ou não. Se vêm na mesma família, com certeza uém tem o que ensinar e outro a aprender.

E só aprendemos quando deixamos de lado nossos interesses, nosso orgulho para vermos que o outro realmente pode nos ensinar.

Isso me fez recorrer ao Livro dos Espíritos, q 895:

Além dos defeitos e vícios sobre os quais ninguém se enganaria, qual o sinal mais característico da imperfeição?

– O interesse pessoal. As qualidades morais são, freqüentemente, como banho de ouro sobre um objeto de cobre que não resiste à pedra de toque. Um homem pode ter qualidades reais que fazem dele, diante de todos, um homem de bem. Mas essas qualidades, ainda que sejam um progresso, nem sempre resistem a certas provas, e basta tocar no interesse pessoal para colocar o fundo a descoberto. O verdadeiro desinteresse é coisa tão rara na Terra que é admirado como um fenômeno quando se apresenta.

O apego às coisas materiais é um sinal notório de inferioridade, porque quanto mais o homem se prende aos bens deste mundo menos compreende sua destinação. Pelo desinteresse, ao contrário, prova que vê o futuro sob um ponto de vista mais elevado.

E, essas virtudes que estamos estudando esta semana - paciência, resignação, tolerância e justiça - só teremos, realmente firmes em nós, quando conseguirmos colocar os interesses dos outros acima dos nossos e, digo interesses, no sentido moral.

Concordam comigo ou estarei equivocada?

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 06 de Abril de 2011, 18:48
Paciência

A paciência não é um vitral gracioso para as suas horas de lazer.
É amparo destinado aos obstáculos.

A serenidade não é jardim para os seus dias dourados.
É suprimento de paz para as decepções de seu caminho.

A calma não é harmonioso violino para as suas conversações agradáveis.
É valor substancial para os seus entendimentos difíceis.

A tolerância não é saboroso vinho para os seus minutos de camaradagem.
É porta valiosa para que você demonstre boa-vontade, ante os companheiros menos evoluidos.

A boa cooperação não é processo fácil de receber concurso alheio.
É o meio de você ajudar ao companheiro que necessita.

A confiança não é um néctar para as suas noites de prata.
É refugio certo para as ocasiões de tormenta.

O otimismo não constitui poltrona preguiçosa para os seus crepúsculos de anil.
É manancial de forças para os seus dias de luta.

A resistência não é adorno verbalista.
É sustento de sua fé.

A esperança não é genuflexório de simples contemplação.
É energia para as realizações elevadas que competem ao seu espírito.

Virtude não é flor ornamental.
É fruto abençoado do esforço próprio que você deve usar e engrandecer no momento oportuno.


André Luiz/Francisco Cândido Xavier

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 06 de Abril de 2011, 18:53
Olá, amigos...

Falando um pouco mais de justiça, recorremos ao nosso Livro dos Espíritos:

903 - É errado estudar os defeitos dos outros?
– Se é para divulgação e crítica há grande erro, porque é faltar com a caridade. Porém, se a análise resultar em seu proveito pessoal evitando-os para si mesmo, isso pode algumas vezes ser útil. Mas é preciso não esquecer que a indulgência com os defeitos dos outros é uma das virtudes contidas na caridade. Antes de censurar os outros pelas imperfeições, vede se não se pode dizer o mesmo de vós. Empenhai-vos em ter as qualidades opostas aos defeitos que criticais nos outros, esse é o meio de vos tornardes superiores; se os censurais por serem mesquinhos, sede generosos; por serem orgulhosos, sede humildes e modestos; por serem duros, sede dóceis; por agirem com baixeza, sede grandes em todas as ações. Em uma palavra, fazei de maneira que não se possa aplicar a vós estas palavras de Jesus: “Vê um cisco no olho de seu vizinho e não vê uma trave no seu”.

904 - É errado investigar e revelar os males da sociedade?
– Depende do sentimento com que se faz; se o escritor quer apenas produzir escândalo, é um prazer pessoal que procura, apresentando quadros que mostram antes um mau do que bom exemplo. Apesar de ter feito uma avaliação, como Espírito, pode ser punido por essa espécie de prazer que tem em revelar o mal.

904 a - Como, nesse caso, julgar a pureza das intenções e a sinceridade do escritor?
– Isso nem sempre é útil mas, se escreve coisas boas, aproveitai-as. Se forem más, ignorai-as. É uma questão de consciência dele. Afinal, se deseja provar sua sinceridade, deve apoiar o que escreve com seu próprio exemplo.

905 - Certos autores publicaram obras belíssimas, de elevada moral, que ajudam o progresso da humanidade, mas eles mesmos não tiram delas nenhum proveito; como Espíritos, será levado em conta o bem que fizeram com essas obras?
A moral sem as ações é a semente sem trabalho. De que serve a semente se não é multiplicada para vos alimentar? Esses homens são mais culpáveis, porque tiveram a inteligência para compreender. Não praticando os ensinamentos que deram aos outros, renunciaram a colher seus próprios frutos.
(grifos meus)

Os Espíritos Amigos nos trouxeram lições primorosas nestas respostas...

Como faremos para introjetá-las em nós?

Estamos vendo o defeito do outro apenas para verificar se estamos comentendo os mesmos erros ou apenas para apontar o dedo e dizer: "Nossa! Você viu o que fulano fez?"

Queremos mostrar a ele, sem alarde o mal que pode estar causando a ele mesmo e à sociedade?

Vamos pensar a respeito?? 

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mourarego em 06 de Abril de 2011, 19:05
Josebancillon, meu mano,
tudo na vida deve estar em sintonia e por sintonia devemos aqui pensar em harmonia e equilíbrio.
Quem dá mais do que recebe fatalmente não estará primando por equilíbrio.
O que não se deve é fazer uma coisa em troca de outra, mas lhe asseguro que em mundos como o nosso, são pouquíssimos o que não necessitem de receber respostas a seus atos.
Basta ver um simples exemplo:
No elevador, quando entramos e cumprimentamos a alguém e este não responde, insistimos mais algumas vezes depois deixamos de cumprimentar àquela pessoa.
Por que? Simples: Pela falta da resposta que esperamos ter.
A imperfeição que nos é natural é que nos faz esperar por isso. É para vencer esta etapa que ainda estamos reencarnando aqui na Terra.
Outro exemplo que conheço bem como advogado que sou: nas uniões, quando um faz carinho no outro e deste poucas vezes recebe a resposta, a relação se esfria e tende à separação.
Mano, não somos Espíritos Superiores, nem Bons, somos Espíritos Imperfeitos e por isso devamos antes de qualquer coisa superar esta imperfeição.
Abraços,
Moura
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 06 de Abril de 2011, 19:21
Meus amigos...

Hoje vou me despedir de vocês mais cedo, pois, por mais que eu tenha liberdade na casa da minha amiga Margeci Mana, não dá pra abusar, né??

Amanhã já estarei com o meu pc de volta, e retornarei ao nosso estudo com a "corda toda" !!! :D

Obrigada a todos pela compreensão. À amiga Hebe pela força e toda ajuda que tem me dado e, é claro, à Margeci pelo uso e empréstimo de sua casa e de seu pc!!!

Ao Unformatted pela paciência e pela confiança...

Até amanhã!!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 06 de Abril de 2011, 20:00
O EVANGELHO
SEGUNDO O ESPIRITISMO

CAPÍTULO V

Justiça das aflições

3. Somente na vida futura podem efetivar-se as compensações que Jesus promete aos aflitos da Terra. Sem a certeza do futuro, estas máximas seriam um contra-senso; mais ainda: seriam um engodo.
Mesmo com essa certeza, dificilmente se compreende a conveniência de sofrer para ser feliz. E, dizem, para se ter maior mérito. Mas, então, pergunta-se: por que sofrem uns mais do que outros? Por que nascem uns na miséria e outros na opulência, sem coisa alguma haverem feito que justifique essas posições? Por que uns nada conseguem, ao passo que a outros tudo parece sorrir?
 Todavia, o que ainda menos se compreende é que os bens e os males sejam tão desigualmente repartidos entre o vício e a virtude; e que os homens virtuosos sofram, ao lado dos maus que prosperam.
 A fé no futuro pode consolar e infundir paciência, mas não explica essas anomalias, que parecem desmentir a justiça de Deus.
Entretanto, desde que admita a existência de Deus, ninguém o pode conceber sem o infinito das perfeições. Ele necessariamente tem todo o poder, toda a justiça, toda a bondade, sem o que não seria Deus. Se é soberanamente bom e justo, não pode agir caprichosamente, nem com parcialidade. Logo, as vicissitudes da vida derivam de uma causa e, pois que Deus é justo, justa há de ser essa causa. Isso o de que cada um deve bem compenetrar-se. Por meio dos ensinos de Jesus, Deus pôs os homens na direção dessa causa, e hoje, julgando-os suficientemente maduros para compreendê-la, lhes revela completamente a aludida causa, por meio do Espiritismo, isto é, pela palavra dos Espíritos.
Causas atuais das aflições

4. De duas espécies são as vicissitudes da vida, ou, se o preferirem, promanam de
duas fontes bem diferentes, que importa distinguir. Umas têm sua causa na vida presente;
outras, fora desta vida.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Fernando Marcos em 06 de Abril de 2011, 20:22
"Esse despertar acontece nas pequenas ações do nosso dia a dia, nas nossas relações com os seres mais próximos e com os demais que cruzam os nossos caminhos, onde vivenciamos as experiências mais simples para alcançarmos as mais complexas".

O texto todo é muito importante, más esta parte acima, eu considero fundamental e muito dentro do que pregou Paulo de Tarso.
"Nas nossas relações com os seres mais próximos e com os demais que cruzam o nossos caminhos" acho que é muito importante aceitar as pessoas como elas são.
Vejo no fato da aceitar as pessoas como elas são, uma forma muito evoluída de caridade, assim como pregou Paulo de Tarso.
Fernando Marcos
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 06 de Abril de 2011, 22:03

O Poder do Amor
Acredita no amor e vive-o plenamente.
Qualquer expressão de afetividade propicia renovação de entusiasmo, de qualidade de vida, de metas felizes em relação ao futuro.

O amor não é somente um meio, porém o fim essencial da vida.

Emanado pelo sentimento que se aprimora, o amor expressa-se, a princípio, asselvajado, instintivo, na área da sensação, e depura-se lentamente, agigantando-se no campo da emoção.

Quando fruído, estimula o organismo e oferece-lhe reações imunológicas, que proporcionam resistência às células para enfrentar os invasores perniciosos, que são com batidos pelos glóbulos brancos vigilantes.

A força do amor levanta as energias alquebradas, e torna-se essencial para a preservação da vida.

Quando diminui, cedendo lugar aos mecanismos de reação pelo ciúme, pelo ressentimento, pelo ódio, favorece a degeneração da energia vital, preservadora do equilíbrio fisiopsíquico, ensejando a instalação de enfermidades variadas, que trabalham pela consumpção dos equipamentos orgânicos...

Situação alguma, por mais constrangedora, ou desafio, por maior que se apresente, nas suas expressões agressivas, merecem que te niveles à violência, abandonando o recurso valioso do amor.

Competir com os não-amáveis é tornar-se pior do que eles, que lamentavelmente ainda não despertaram para a realidade superior da vida.

Amá-los é a alternativa única à tua disposição, que deves utilizar, de forma a não te impregnares das energias deletérias que eles exalam.

Envolvê-los em ondas de afetividade é ato de sabedoria e recurso terapêutico valioso, que lhes modificará a conduta, senão de imediato, com certeza oportunamente.

O amor solucionará todos os teus problemas. Não impedirá, porém, que os tenhas, que sejas agredido, que experimentes incompreensão, mas te facultará permanecer em paz contigo mesmo.

É possível que não lhe vejas a florescência, naquele a quem o ofertas, no entanto, a sociedade do amanhã vê-lo-á enfrutecer e beneficiar as criaturas que virão depois de ti. E isto, sim, é o que importa.

Quando tudo pareça conspirar contra os teus sentimentos de amor, e a desordem aumentar, o crime triunfar, a loucura aturdir as pessoas em volta, ainda aí não duvides do seu poder. Ama com mais vigor e tranqüilidade, porque esta é a tua missão na Terra - amar sempre.

Crucificado, sob superlativa humilhação, Jesus prosseguiu amando e em paz, iniciando uma Era Nova para a Humanidade, que agora lhe tributa razão e amor.
 
* * *

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Momentos Enriquecedores.
Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis.
Salvador, BA: LEAL, 1994.
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: pati em 07 de Abril de 2011, 00:01
Olá para todos!!! :D

Acompanhando os estudos, tenho a impressão de exercitar a paciência... :-\ sinal fraco, páginas que não carregam; nem sei se o comentário vai ëntrar"";   :-[  teclado que não tem todos os sinais que preciso(mania de querer escrever direito...  ::))

Gostei muito do tema! Mais ainda pelas moderadoras... ;D

Vou continuar a leitura( com paciencia, ou exercitando-a) do que está sendo colocado aqui.
Deixo um comentário dentro do que consegui alcancar(sem cedilha >:(). as virtudes aqui apresentadas na primeira parte do estudo, [como color=red]paciência, tolerância[/color] estào sendo exercitadas,aprendidas por mim. mas nào posso dizer que as desenvolvi, ou adquiri, pois quando digo:"perdi a paciencia"é porque, na verdade ainda nao a alcancei. entendo que não se pode perder uma virtude adquirida, aprendida. Ainda estou impaciente, intolerante... nao com tudo e todos, com isto ou aquilo, mas ainda estou assim.

Deixo abracos pra todos os amigos!
Peco desculpas pela falta dos acentos e cedilhas... ;)

Estejamos em Deus
pati
   
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 07 de Abril de 2011, 00:10
"Esse despertar acontece nas pequenas ações do nosso dia a dia, nas nossas relações com os seres mais próximos e com os demais que cruzam os nossos caminhos, onde vivenciamos as experiências mais simples para alcançarmos as mais complexas".

O texto todo é muito importante, más esta parte acima, eu considero fundamental e muito dentro do que pregou Paulo de Tarso.
"Nas nossas relações com os seres mais próximos e com os demais que cruzam o nossos caminhos" acho que é muito importante aceitar as pessoas como elas são.
Vejo no fato da aceitar as pessoas como elas são, uma forma muito evoluída de caridade, assim como pregou Paulo de Tarso.
Fernando Marcos


Boa Noite a todos,
Esses dizeres de Paulo de Tarso nos leva a pensar no nosso modo de agir diante das pessoas que cruzam nosso caminho e da nossa convivência diária.
No nosso núcleo familiar está a nossa mais importante tarefa no cumprimento de nossas provas. É neste núcleo de espíritos que em ajuda mútua precisamos vencer as vicissitudes da vida. A DE nos explica que muitos espíritos vem juntos no núcleo familiar ,para que tenham que superar adversidades de vidas passadas.
Uns vem em auxílio e missão de ajuda, outros para aprender a amar talvez um inimigo de vida anterior, pode ocupar lugar de pai, mãe , filho ou irmão indistintivamente. O papel ou a função que opera neste núcleo varia de acordo com a prova que deve ser vencida.

Não raro vemos desarmonia e desentendimento no lar, chegando até a sérios rompimentos. Mas neste núcleo é que temos que exercitar a paciência, a tolerância e principalmente o perdão.
Vejo no perdão um ato de amor a si mesmo e ao próximo.

Trago aqui a  questão 775 OLE e parte do comentário do espírito Miramez

QUESTÃO 775 - O LIVRO DOS ESPÍRITOS
 
Parte Terceira

Das leis morais

CAPÍTULO VII

DA LEI DE SOCIEDADE

Laços de família

775. Qual seria, para a sociedade, o resultado do relaxamento dos laços de família?
 
“Uma recrudescência do egoísmo.”

Comentário do Espírito Miramez:

Desfazer a família é desorientar a humanidade. O combate ao egoísmo começa no lar, porque ali passamos a nos interessar uns pelos outros, já com certo desprendimento. Esta é a verdade. Como criar filhos com bom comportamento, sem a presença dos pais, sem o aconchego dos companheiros em família? Deus fez o homem e a mulher para que os dois iniciassem um mundo dentro de casa, representando todo o universo dentro de um lar.

"Embora já tenhamos falado muitas vezes, tornamos a dizer: ninguém consegue viver sozinho, em parte alguma. Todos precisam de todos para se completarem rumo à felicidade. Se queremos ser felizes, trabalhemos para a felicidade dos que viajam conosco no grande caminho da vida. Que Deus nos abençoe, para entendermos as Suas leis, que palpitam em toda parte, e têm o poder de nos libertar, com a liberdade em Jesus Cristo."
[/i]

Um abço
Hebe
 


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 07 de Abril de 2011, 00:20
Olá para todos!!! :D

Acompanhando os estudos, tenho a impressão de exercitar a paciência... :-\ sinal fraco, páginas que não carregam; nem sei se o comentário vai ëntrar"";   :-[  teclado que não tem todos os sinais que preciso(mania de querer escrever direito...  ::))

Gostei muito do tema! Mais ainda pelas moderadoras... ;D

Vou continuar a leitura( com paciencia, ou exercitando-a) do que está sendo colocado aqui.
Deixo um comentário dentro do que consegui alcancar(sem cedilha >:(). as virtudes aqui apresentadas na primeira parte do estudo, [como color=red]paciência, tolerância[/color] estào sendo exercitadas,aprendidas por mim. mas nào posso dizer que as desenvolvi, ou adquiri, pois quando digo:"perdi a paciencia"é porque, na verdade ainda nao a alcancei. entendo que não se pode perder uma virtude adquirida, aprendida. Ainda estou impaciente, intolerante... nao com tudo e todos, com isto ou aquilo, mas ainda estou assim.

Deixo abracos pra todos os amigos!
Peco desculpas pela falta dos acentos e cedilhas... ;)

Estejamos em Deus
pati
   
  :D Pati, seja muito bem vinda ao estudo, configure o seu teclado no canto inferior direito da tela para  PT Português ( Brasil) assim os acentos e cedilhas aparecerão.
Muito obrigada pelo comentário sobre as moderadoras  ;D  ;D,
Não é privilégio seu não ter alcançado a paciência e tolerância, estamos no caminho ainda, por isso é importante refletir sobre os textos aqui postados.
Seus comentários são sempre bem vindos, fique a vontade e participe do estudo.

Um bjo
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 07 de Abril de 2011, 01:32
Meus irmãos e irmães do fórum Espírita,que maravilha de tema escolhido para estudo mensal que é a "Tranformação pelo Amor".Durante nossa existência material somos testados por Deus em nossa capacidade de reagirmos em diferentes situações,pelas nossas reações vemos o quanto ainda somos imperfeitos.Quando digo que não tenho paciência é porque ainda não aprendi a té-la,quando digo que não tolero isso ou aquilo é porque ainda não aprendi a ter tolerância.Entretantanto,se Deus no deu a capacidade e inteligência para raciocinar,com o seu amor deu a todos nós também a capacidade de amar,e exercitando este  amor é que poderemos aprender a nos transformar.
Fiquem na paz e que Deus na sua infinita grandeza nos abençoe sempre.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 07 de Abril de 2011, 01:59
Bem vindo Antonio Renato,
Continue conosco.
Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Fernando Marcos em 07 de Abril de 2011, 02:12
Não desfazendo da família consanguínea e, considerando toda a humanidade como parte de uma só família, Jesus disse que "todo aquele que cumpre a vontade de meu Pai é meu irmão, irmã e mãe..."
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 07 de Abril de 2011, 03:55
Boa noite Gisella, Hebe e todos deste estudo maravilhoso...

Hoje, meu marido e eu,  exercitamos a paciência e a tolerância no Banco em que temos conta.
Eu precisei pegar uma encomenda e queria pagar em 3 x sem juros, com cheque.
Mas havia esquecido o talão em casa. Pedi então ao meu marido que fosse ao Banco retirar o talão enquanto eu separava o material.
E ele não retornava com o cheque. Liguei para ele e soube que o banco havia modificado a maneira de imprimir o cheque. Era preciso chave de segurança e ele não tinha.
Providenciou, mas não conseguiu mesmo assim tirar o talão. Ficou nervoso e desistiu.  ???

Voltei com ele ao Banco e ele reclamando o tempo todo, dizendo que não queria mais perder tempo com isto, que era um absurdo e tudo mais.
Mas mesmo assim como eu "calmamente" insisti me acompanhou. Resultado. O cartão emitido foi cancelado por algum erro interno e providenciaram outro. Aproveitei e pedi que providenciassem também o cadastramento das impressões digitais dele.

Saímos de lá com tudo resolvido e ele acabou ficando satisfeito, exercendo também a virtude da paciência, mesmo a contra gosto...   ;D  e eu consegui pagar em 3x sem juros a minha encomenda porque retornei ao local e paguei satisfeita da vida o material.   :-*

Apesar de ser um exemplo simples, não deixei de praticar a paciência junto ao meu marido e ao banco, porque a funcionária também estava alterada, dizendo que as pessoas ficavam aborrecidas com os funcionários, os quais não tinham culpa se o sistema não funcionava.
E até ela depois saiu sorrindo...  :D

Bjsss
Macili
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ram-wer em 07 de Abril de 2011, 04:06
Alô, Gisella, Hebe e amigos,

Gisella, sei que nesta primeira semana o Estudo deveria enfatizar a Paciência, a Justiça, a Resignação e a Tolerância.

A princípio, não parece haver grande ligação entre essas qualidades e o Amor. Porém...

Deus não há de ter essas qualidades.  Nós é que separamos tudo. Gostamos de classificar, organizar, comparar.

Talvez a única Qualidade Divina seja a de ser Espírito, puro Espírito. Não fosse assim, e a Divindade seria composta de subpartes - as tais qualidades.  E isso não seria muito divino...

Quando a gente se acalma, cansa das variedades diárias, silencia e se aprofunda, ao sentir a essência da vida, a gente descobre que não há diversas virtudes.  Melhor ainda, torna-se claro que não é preciso "lutar" por elas.  Cessam a busca e todo desejo de conquistar. 

O que fica?  É o Espírito.  Espírito?  Não, não a personalidade humana desprendida do corpo físico (isso é apenas um homem ou mulher em corpo astral).

O Espírito puro, Espírito Santo, é a nossa essência.  É o Deus que nos anima. Não tem qualidades, muito menos defeitos. 

É a pura alegria de ser.  A alegria que ama, espera, tolera e se submete às classificações, resignando-se.

É o puro amor da vida.  O amor cheio de alegria, sabedoria e poder.

É a paz que não vive no tempo nem depende da Criação.

A transformação é sempre da forma: trans-forma (ir além da forma, mudar de aspecto, etc.).

E o Amor, ou a Alegria Divina, promove o milagre da transformação.  Transforma a ideia (corpo causal ou mental), a emoção (corpo astral ou perispírito) e a sensação (corpo físico).  Tudo se torna mais diáfano, leve, transparente. 

Mas, na superfície, na nossa vida agitada - minha, também -, a gente só consegue ver Deus em pedaços, de acordo com a necessidade do momento:  Amor, Abundância, Infinitude, Alegria, Paz...

E faltou a Inteligência.  Mas, afinal, o que é inteligência senão amor?

Tem jeito não.  Nossa mente adora separar as coisas... Mas só há uma Verdade.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 07 de Abril de 2011, 04:09
Boa noite, queridos amigos,
Digo por mim que até um tempo atraz eu tinha mania de ficar "tentando" combater os maus estintos a animalidade e todos os vicios e defeitos,"tentando ser bom, "tentando" adquirir virtudes ai certo dia escutei em algum lugar,,, até quando "tentaremos" ser pessoas boas,,, e pude enchergar que o sentido desta palavra "tentar" não existe,,, o que existe é a "vontade". Somos Divindade, somos criadores,, criamos e não "tentamos". Criamos o nosso próprio destino, onde pelos caminho temos o plantio livre e uma colheita obrigatória. A nossa consciencia é nosso maior Juiz. O não ter a virtude, não quer dizer que não teremos. Com inumeros exemplos só de sermos pasciente ou tolerante algumas vezes ja possuimos a virtude, só que as vezes deixamos os defeitos falar mais alto, temos que saber ao menos equilibrar a balança dos  defeitos\virtudes e como cristãos fazela pender sempre pro lado das virtudes.
Deixo este texto onde passamos refletir de forma mais clara.

Acordemos
É sempre fácil
examinar as consciências alheias,
identificar os erros do próximo,
opinar em questões que não nos dizem respeito,
indicar as fraquezas dos semelhantes,
educar os filhos dos vizinhos,
reprovar as deficiências dos companheiros,
corrigir os defeitos dos outros,
aconselhar o caminho reto a quem passa,
receitar paciência a quem sofre
e retificar as más qualidades de quem segue conosco...
*

Mas enquanto nos distraimos,
em tais incursões a distância de nós mesmos,
não passamos de aprendizes que fogem, levianos, à verdade e à lição.

*

Enquanto nos ausentamos
do estudo de nossas próprias necessidades,
olvidando a aplicação dos princípios superiores que abraçamos na fé viva,
somos simplesmente
cegos do mundo interior
relegados à treva...

*

Despertemos, a nós mesmos,
acordemos nossas energias mais profundas
para que o ensinamento do Cristo
não seja para nós uma bênção que passa, sem proveito à nossa vida,
porque o infortúnio maior de todos
para a nossa alma eterna
é aquele que nos
infelicita quando a graça do Alto
passa por nós em vão!...
 
* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caridade.
Ditado pelo Espírito André Luiz.
Araras, SP: IDE, 1978.
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 07 de Abril de 2011, 04:59
Compaixão e Justiça

O Amor Universal favorece o levantamento da escola, mas, se te negas a aprender, ninguém te pode arrancar ás trevas da ignorância.

A Divina Presciência estabelece regras e meios para a higiene, mas, se desertas do cuidado para contigo, albergarás, no próprio corpo, largo pasto à imundície.

A Infinita Bondade inspira a elaboração do remédio que te alivie ou cure as doenças, nessa ou naquela circunstância difícil, mas, se recusas o medicamento, continuarás sofrendo o desequilíbrio.

A Eterna Sabedoria promove a fabricação de extintores e encoraja a educação de bombeiros, mas se ateias fogo na própria casa, padecerás, de imediato, os resultados do incêndio.

A Providência Vigilante suscita a formação de recursos para o cultivo e defesa da gleba, mas, se foges do trabalho, a breve tempo terás no próprio campo, vasta coleção de espinheiros e serpentes.


**


Deus dá a semente, mas pede serviço para que o pão apareça;
espalha ensinamentos, mas pede estudo para que haja aprimoramento do espírito.

Não procures enganar a ti mesmo, aguardando compaixão sem justiça.

Anota os fenômenos da existência e reconhecerás que a vida te concede guias e explicadores, estradas e máquinas; no entanto, exige que penses com a própria cabeça e andes com os próprios pés.

Afirma Allan Kardec:  «certo, a misericórdia de Deus é infinita, mas não é cega»

E Jesus, encarecendo a responsabilidade que nos supervisiona os caminhos, adverte-nos no versículo 33 do capitulo 13, no Evangelho de Marcos: «Olhai, vigiai e orai...»

Observemos que o apelo à prudência não inclui simplesmente o « vigiai» e o «orai», e sim, começa, com ampla objetividade, pelo imperativo categórico: «Olhai»


Livro: Justiça Divina, Emmanuel e Chico Xavier
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 07 de Abril de 2011, 05:06
NA LUZ DA JUSTIÇA

A justiça humana, conquanto respeitável, freqüentemente julga os fatos que considera puníveis pelos derradeiros lances de superfície, mas a Justiça Divina observa todas as ocorrências, desde os menores impulsos que lhe deram começo.


***

Identificaste os culpados pelas tragédias, minuciosamente descritas na imprensa; no entanto muitas vezes tudo ignoras acerca das inteligências que as urdiram na sombra.

Viste pais e mães, aparentemente felizes e vigorosos, tombarem na desencarnação prematura, minados por sofrimentos indefiníveis, mas não enxergaste os filhos inconseqüentes que lhe exauriram as forças.

Anotaste os companheiros que desertaram da construção espiritual, censurando-lhes o esmorecimento e o recuo; todavia, não te apercebeste dos amigos levianos que lhes exterminaram a tenra sementeira de luz no apontamento escarnecedor.

Reprovaste os que se renderam à perturbação e à loucura, estranhando-lhes a suposta fraqueza; entretanto, não chegaste a conhecer os verdugos risonhos do campo social e doméstico, que os ficharam no cadastro do manicômio.

Acusaste os irmãos que caíram em desdita e falência, classificando-os na lista dos celerados; contudo nem de leve assinalaste a presença daqueles que os sitiaram no beco da aflição sem remédio.


***

Não queremos, com isso, consagrar o regime da irresponsabilidade.

Todos respiramos, no Universo, ante a luz da Justiça.

O autor de uma falta, naturalmente, responderá por ela.

Nos tribunais da imortalidade, cada espírito devedor resgata as suas próprias contas. No entanto, em todas as circunstâncias, saibamos semear o bem esparzir o bem, sustentar o bem e cooperar para o bem, de vez que as nossas ações provocam nos outros ações semelhantes, e se aquele que faz o mal é passível de pena, aquele que organiza o mal, conscientemente, sofrerá pena maior.


Livro: Justiça Divina, Emmanuel e Chico Xavier
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Mizica em 07 de Abril de 2011, 05:45
 :D :-*  Olá à todos!
Com carinho especial aos visitantes.... que bom que voces vieram!
Oferto esse  pequeno texto narrando uma história que mostra o poder transformador do Amor e como esse sentimento muda nossa realidade de mundo, da vida...
Deixo o texto como um afago, contribuindo com amor para ilustar vosso trabalho... cooperar com todos e com a divulgação da DE, isso me faz feliz... obrigada Senhor!

Com carinho
Mizica

A aula de amor
Numa sala de aula, diversas crianças estudavam, quando uma delas perguntou à professora: - Professora, o que é o amor? A professora, como já estava na hora do recreio e querendo valorizar o questionamento feito, pediu para que cada aluno desse uma volta pelo pátio da escola e trouxesse o que mais despertasse nele o sentimento de amor. As crianças saíram apressadas e, ao voltarem, a professora pediu que cada um mostrasse o que trouxe consigo. A primeira criança disse: - Eu trouxe esta flor, não é linda? A segunda criança falou: - Eu trouxe esta borboleta. Veja o colorido de suas asas, vou colocá-la em minha coleção. A terceira criança completou: - Eu trouxe este filhote de passarinho. Ele havia caído do ninho junto com outro irmão. Não é uma gracinha? E assim as crianças foram se colocando. Terminada a exposição, a professora notou que havia uma criança que tinha ficado quieta o tempo todo. Ela estava vermelha de vergonha, pois nada havia trazido. A professora se dirigiu a ela e perguntou: - Meu bem, por que você nada trouxe? E a criança timidamente respondeu: - Desculpe, professora. Vi a flor e senti o seu perfume. Pensei em arrancá-la, mas preferi deixá-la para que seu perfume exalasse por mais tempo. Vi também a borboleta, leve, colorida! Ela parecia tão feliz que não tive coragem de aprisioná-la. Vi igualmente o passarinho caído entre as folhas, mas, ao subir na árvore, notei o olhar triste de sua mãe e preferi devolvê-lo ao ninho. Portanto, professora, trago comigo o perfume da flor, a sensação de liberdade da borboleta e a gratidão que senti nos olhos da mãe do passarinho. Como posso mostrar o que trouxe? A professora agradeceu à criança e lhe deu nota máxima, pois ela fora a única que percebera que só podemos definir o amor no coração
        Autoria desconhecida
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 07 de Abril de 2011, 10:28
Muito Obrigada,
Mizica, Macili, Henrique Alves, Ram-wer, Fernando Marcos e a todos que aqui postaram pela colaboração.

Continuem conosco

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 07 de Abril de 2011, 12:42
Amigos e imãos do Fórum Espirita,são nas coisas simples que avaliamos a nossa capacidade de reagirmos com paciência,tolerância até mesmo com humildade em determinadas situações,vou colocar aqui um exemplo simples:Eu estou cadastrado no Fórum Espírita à cerca de um(01) ano,e venho participando dos estudos mensais onde tenho aprendido muito com as respostas dadas aos vários questionamentos, sinto no convívio com irmãos que estou em minha casa,entretanto,sempre nas minhas participações me colocam como visitante,não é nenhum demérito em ser,mas como todos sabem visitar é:Ir ver(alguém)em casa ou noutro lugar onde esteja,por cortesia,dever,afeição ou até mesmo por interesse ou curiosidade.Não deixarei de participar dêste fórum por isto,mas aqui está o meu pequeno exemplo.
Fiquem na paz e que Deus na sua infinita grandeza nos abençoe sempre.

 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 07 de Abril de 2011, 16:44
Boa tarde aos amigos

PACIÊNCIA


Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados... Muita gente iria
gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia.
Por muito pouco a madame que parece uma "lady" solta palavrões e berros que
lembram as antigas "trabalhadoras do cais"... E o bem comportado executivo?
O "cavalheiro" se transforma numa "besta selvagem" no trânsito que ele mesmo
ajuda a tumultuar...
Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o
jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma chata, o marido
uma "mala sem alça". Aquela velha amiga uma "alça sem mala", o emprego uma
tortura, a escola uma chatice.
O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela.
Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela internet estava
demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e balancei a
cabeça, inconformado...
Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela deletou sem
sequer ler o título, dizendo que era longo demais.
Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem
tempo para Deus.
A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética
dos calmantes está cada vez mais em alta.
Pergunte para alguém, que você saiba que é "ansioso demais" onde ele quer
chegar?
Qual é a finalidade de sua vida?
Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.
E você?
Onde você quer chegar?
Está correndo tanto para quê?
Por quem?
Seu coração vai agüentar?
Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar?
A empresa que você trabalha vai acabar?
As pessoas que você ama vão parar?
Será que você conseguiu ler até aqui?
Respire... Acalme-se...
O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do dia
vai completar o seu giro , com ou sem a sua paciência...

NÃO SOMOS SERES HUMANOS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL...

SOMOS SERES ESPIRITUAIS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA HUMANA...

Paulo Roberto Gaefke
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 07 de Abril de 2011, 17:20
Boa tarde queridos irmãos,


Imperativo da Paciência
Provável que raros amigos pensem nisto: paciência por imunização contra o suicídio.
*

Nas áreas da atividade humana, bastas vezes, surgem para a criatura determinados topos de provação para cuja travessia, nem sempre bastará o conhecimento superior. É necessário que a alma se apóie no bastão invisível da paciência, a fim de não resvalar em sofrimentos maiores.

Eis porque nos permitimos endereçar reiterados apelos aos irmãos domiciliados no Plano Físico a fim de que se dediquem ao cultivo da compreensão.

*

Se te encontras sob o impacto de conflitos domésticos, ante aqueles que se façam campo de vibrações negativas, usa a tolerância, quanto possível, em auxílio à segurança da equipe familiar a que te vinculas.

*

Nas decepções, sejam quais forem, reflete no valor da ponderação em teu próprio benefício.

*

Diante de golpes que te sejam desfechados, esquece injúrias e agravos e pensa nas oportunidades do trabalho que se te farão apoio defensivo contra o desespero.

*

Sob acusações que reconhece imerecidas, olvida o mal e não alimentes o fogo da discórdia.

*

Quando te falte atividade profissional, continua agindo, tanto quanto puderes, nas tarefas de auxílio espontâneo aos outros, aprendendo que atividade nobre atrai atividades nobres e, com isso, para breve, te reconhecerás em novos posicionamentos de serviço, segundo as tuas necessidades.

*

Se o desânimo te ameaça por esse ou aquele motivo, recorda a importância de teu concurso fraterno, em apoio de alguém, e não te dês ao luxo de paradas improdutivas.

*

Em qualquer obstáculo a transpor no caminho, conserva a paciência por escora e guia e, de pensamento confiante na Divina Providência, seguirás adiante, afastando para longe a tentação da fuga e reconhecendo, em tempo estreito, que há sempre um futuro melhor para cada um de nós e que, em todas as tribulações da existência, vale a pena esperar pelo socorro de Deus.
 
* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Atenção.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.
16a edição. Araras, SP: IDE, 1997.
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 07 de Abril de 2011, 17:21
Olá, pessoal... ainda com pc emprestado, mas vamos esudar!!!

Estou lendo com calma todos os posts desde minha última participação e logo, logo estarei com vcs...

Acho que estou tendo que praticar minha paciência, minha tolerância (o técnico me disse que ficaria pronto pela manhã)....  ;D

Sem contar que, estou fazendo a Margeci praticar as dela!!!

Até já...

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 07 de Abril de 2011, 18:58
Olá, amigos, boa tarde...
Agora sim, depois de tudo lido e feito os neurônios trabalharem, podemos pensar em algumas coisas:

Macili... que bom que vocês conseguiram passar pelo teste da paciência!! Como é difícil fazer isso dentro de um banco, ou quando precisamos usar o SAC das empresas que contratamos, os órgãos públicos (assistência médica, aposentadoria, cartórios, enfim...). Até colocam um cartaz, dizendo mais ou menos isso: “É crime qualquer tipo de desacato ao funcionário desta repartição. Lei nº tal...”, ou seja, sabem que deixaremos a nossa paciência em casa e desceremos do salto!!
Mas se deixamos a paciência em casa, será que já a possuímos??

Ram-Wer.... você tem razão... “A transformação é sempre da forma: trans-forma (ir além da forma, mudar de aspecto, etc.).
E o Amor, ou a Alegria Divina, promove o milagre da transformação.  Transforma a ideia (corpo causal ou mental), a emoção (corpo astral ou perispírito) e a sensação (corpo físico).  Tudo se torna mais diáfano, leve, transparente. 
Mas, na superfície, na nossa vida agitada - minha, também -, a gente só consegue ver Deus em pedaços, de acordo com a necessidade do momento:  Amor, Abundância, Infinitude, Alegria, Paz...
E faltou a Inteligência.  Mas, afinal, o que é inteligência senão amor?”

Esse é o grande “pulo do gato” !! Irmos além da forma, daquilo que nossos sentidos percebem, aquilo que, por isso mesmo, julgamos, condenamos... Fazermos com que o nosso Ser Imortal vibre de tal forma que todas as sementes latentes brotem em definitivo, mas, é claro, muito bem adubadas até que atinjam o grau de maturidade que necessitem apenas daquela “aguinha” diária... É o uso da Inteligência!! É o Amor construindo...

Henrique... mais um texto que nos faz pensar....
“Acordemos
É sempre fácil
examinar as consciências alheias,
identificar os erros do próximo,
opinar em questões que não nos dizem respeito,
indicar as fraquezas dos semelhantes,
educar os filhos dos vizinhos,
reprovar as deficiências dos companheiros,
corrigir os defeitos dos outros,
aconselhar o caminho reto a quem passa,
receitar paciência a quem sofre
e retificar as más qualidades de quem segue conosco...”

Como é fácil apontarmos os defeitos alheios, não é verdade? Mas, nos diz a Psicologia, que só enxergamos no outro aquilo que temos em nós. Ou seja, se é tão fácil é porque eles gritam ainda dentro de nós e não conseguem se calar!!

Fernando Marques: muito obrigada pela sua participação! Realmente são nas pequenas coisas que somos testados constantemente pela Vida! Somos tão orgulhosos que já queremos resolver as grandes questões e não nos damos conta de que, uma montanha começou com um torrão de terra... que a imensidão das dunas, começaram com um simples grão de areia.. Venha nos visitar sempre que desejar!!

Pati... muita gentileza sua... isso faz com que testemos a nossa Humildade!! Obrigada...  ;)
Não perca sua paciência com a tecnologia...a Hebe e eu estamos passando pelo mesmo problema... epidemia de falta de tecnologia??
Temos que ler o texto que o Ken nos trouxe (#229)... infelizmente, ainda não conseguimos comprar nossas virtudes em cápsulas...

Antonio Renato, Fernando Marcos, Mizica, conceiçãomedin.... muito obrigada pela participação de vocês... este é o nosso maior tesouro, sabiam?? Sabermos que estamos cercados de pessoas (mesmo que algumas virtuais) que estão buscando fazer o “Reino de Deus” na Terra, pois é começando por nós que conseguiremos alcançar os corações daqueles que nos cercam, estes os corações de outros, os outros de outros e, assim, quando a gente menos espera, tudo estará transformado!!!

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: pati em 07 de Abril de 2011, 19:14
Olá!
Encontrei um texto de que gosto muito e trago para os amigos, a fim de continuarmos os estudos.
Abracos
pati


ROGATIVA DE PAZ
                                                 Maria Dolores           
Onde estiveres no mundo,
Não te queixes, nem te irrites,
Não há sombra sem limites,
Nem sofrimentos em vão;

Suporta com paciência
Qualquer toque de amargura,
A provação nos procura
Trazendo renovação.

Trabalha, serve, perdoa,
Se alguém te enlameia o nome,
Que a tolerância te tome
Por mestra de amor e luz;

Ninguém passa pela Terra,
Caminhando indiferente,
Esse luta, outro é doente,
Cada qual na própria cruz.

Às vezes, quem te deprime
Quem te ofende ou desprimora
Carrega chagas, embora
O lindo porte que traz;

Muita gente que parece
Felicidade e barulho,
Vício, pompa, inveja e orgulho,
É pranto pedindo paz.

Compadece-te e caminha
Na fé com que Deus te alcança,
Não apagues a esperança
No coração de ninguém.

Recorda que o Céu te busca
Não para ver pedra e espinho
Mas para ser no caminho
O apoio vivo do bem.


Estejamos em Deus
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: pati em 07 de Abril de 2011, 19:24
"Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa." - Paulo. (I CORÍNTIOS, 5:7.)

(...)
Reformemo-nos, à claridade do Infinito Bem, a fim de que sejamos nova massa espiritual nas mãos de Nosso Senhor Jesus.  ( Emanuel)


Abraços fraternos
pati

 Em Deus
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: pati em 07 de Abril de 2011, 19:40
Olá para todos!!! :D

Acompanhando os estudos, tenho a impressão de exercitar a paciência... :-\ sinal fraco, páginas que não carregam; nem sei se o comentário vai ëntrar"";   :-[  teclado que não tem todos os sinais que preciso(mania de querer escrever direito...  ::))

Citar
  :D Pati, seja muito bem vinda ao estudo, configure o seu teclado no canto inferior direito da tela para  PT Português ( Brasil) assim os acentos e cedilhas aparecerão.
Muito obrigada pelo comentário sobre as moderadoras  ;D  ;D,
Não é privilégio seu não ter alcançado a paciência e tolerância, estamos no caminho ainda, por isso é importante refletir sobre os textos aqui postados.
Seus comentários são sempre bem vindos, fique a vontade e participe do estudo.

Um bjo
Hebe

Oi, Hebe!!
Grata pelas dicas do teclado... mas acho que nâo adiantou... faz tudo ao contrãrio, estã vendo? :( Sem problemas, vamos em frente! ;)
Estou lendo com calma e atencâo, o que foi postado. Como disse, gosto do tema, pois nos faz sair do lugar confortável da preguica... :D

Abracos fraternos
pati

Em Deus
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 07 de Abril de 2011, 20:02
Olá, amigos...

Vamos refletir??

Como reconhecer a injúria, a violência e a cólera?

A injúria é o ato de ofender alguém atribuindo-lhe, injustamente, uma falsa ação ou pensamento; é difamante. Por várias vezes, Jesus aconselha a não injuriar o semelhante. (Mt., 5:22).                                                                                         
Deve-se lembrar que as palavras revestem sonoramente os pensamentos e refletem a expressão dos sentimentos, consignando, por si, a responsabilidade social e coletiva.                                                                                                           

A violência é o ato de transgredir, infligir a lei em coação física ou moral, em abuso do respeito ao próximo.
O violento sempre usa da força bruta, enquanto o manso é afável e tolerante.
Todo intransigente é irritável e intolerante, e se identifica pela incompreensão e exigência com os outros.                                                                 
São severos e rígidos com os outros, não lhes permitindo infrações, pois se consideram infalíveis.                                                                                               
São sempre ríspidos no falar e no agir, às vezes até com quem estimam. Têm prazer em denegrir as pessoas.
Não sabem perdoar nem mesmo as pequenas falhas humanas. O senso crítico e seu poder de análise os tornam exigentes, radicais e duros. Jesus mostrou ao homem que com a medida que ele julgar, será julgado  (Mt., 7:12)                                   
                                                                               
A intolerância é irmã da impaciência, da irritação que é o primeiro alerta de perigo do desequilíbrio mental. O impaciente é sempre inquieto, agitado e aborrecido. São defeitos satélites do egoísta. Ele tudo quer como num passe de mágica e se irrita e desespera pelas frustrações sofridas. 
A intolerância a impaciência acabam levando o homem à violência e esta, à cólera.

A cólera é um fluido viscoso que bloqueia a razão e ativa os instintos primários negativos, impossibilitando as criaturas ao entendimento da realidade, subjugando-as ao orgulho pela impotência do seu raciocínio e, todos sabemos, comprometendo a
saúde.                                                                                                               
"Um espírito protetor" nos diz que “nesses instantes, se a pessoa pudesse se ver a sangue frio, teria medo e horror de si mesmo, ou se acharia bastante ridículo.” (E.S.E., Cap. IX, item 9)                                                                                             

O homem deve tomar muito cuidado com a cólera. Sendo raios de sentimentos desarticulados, ela  não exclui certas qualidades do coração, podendo enganar pela invigilância, atribuindo ao seu temperamento ativo, quando é, na realidade, nascida da impotência, do orgulho e da fraqueza nas resoluções das imperfeições que revestem o  Espírito. A única solução no momento, é dar uma parada rápida nos centros seletivos da mente e procurar a origem do problema, para reorganização da Casa Mental.

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
     
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 07 de Abril de 2011, 20:38
Olá a todos! :)

Gisella querida, se me permite voltar algumas páginas no estudo... ::)

Gostaria de destacar as palavras do querido Codificador quanto a tolerância de crenças, uma vez que, este assunto ainda causa dissidência.

“... a tolerância, conseqüência da caridade, que é a base da moral espírita, lhe impõe a obrigação de respeitar todas as crenças. Querendo ser aceita livremente, por convicção e não por coação, proclamando a liberdade de consciência como um direito natural imprescritível, ela diz: “tenho razão, os outros acabarão por pensar como eu; se não a tenho, acabarei por pensar como os outros”.


Abraços fraternos,

Edna ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 07 de Abril de 2011, 20:48
Olá a todos! :)

Gisella querida, se me permite voltar algumas páginas no estudo... ::)

Gostaria de destacar as palavras do querido Codificador quanto a tolerância de crenças, uma vez que, este assunto ainda causa dissidência.

“... a tolerância, conseqüência da caridade, que é a base da moral espírita, lhe impõe a obrigação de respeitar todas as crenças. Querendo ser aceita livremente, por convicção e não por coação, proclamando a liberdade de consciência como um direito natural imprescritível, ela diz: “tenho razão, os outros acabarão por pensar como eu; se não a tenho, acabarei por pensar como os outros”.


Abraços fraternos,

Edna ;)

Olá, querida amiga... seja sempre bem vinda!!

Você tem razão... este assunto nunca pode ser esquecido por todos nós, que buscamos na DE a fonte para saciar a nossa sede de conhecimento, e, sobretudo, que buscamos colocar em prática estes mesmos conhecimentos. Pois muitos de nós sabem, mas poucos, muito poucos, conseguem colocar em prática.

Muito obrigada pela sua contribuição, sempre coerente com os ensinamentos do nosso Codificador!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 07 de Abril de 2011, 21:02
Olá, amigos..

Como o objetivo de nosso estudo é entendermos as virtudes e procurarmos colocá-las em prática no nosso dia a dia, busquei um parágrafo do cap. 15 do livro Boa Nova para que pensemos no nosso dia a dia, pois sabemos o quanto é difícil para alguns colocarem suas próprias experiências.

Joana de Cusa foi conversar com Jesus, narrando suas angústias e sofrimentos que passava com seu marido.

Jesus, sempre calmo e compassivo diante das misérias humanas, sabendo o que ia no íntimo de cada um, respondeu a Joana:

"- Joana, entre o sincero discípulo do Evangelho e os erros milenários do mundo, começa a travar-se o combate sem sangue da redenção espiritual. Agradece ao Pai o haver-te julgado digna do bom trabalho, desde agora. Teu esposo não te compreende a alma sensível? Compreender-te-á um dia. É leviano e indiferente? Ama-o mesmo assim. Não te acharias ligada a ele se não houvesse para isto razão justa. Servindo-o com amorosa dedicação, estarás cumprindo a vontade de Deus. Fala-me de teus receios e de tuas dúvidas. Deves, pelo Evangelho, amá-lo ainda mais. Os são não precisam de médico."

Que lições podemos tirar desta passagem ??

Será que ela vem ao encontro de nossos anseios, também?

Se pudéssemos dialogar com o Mestre, assim, olho no olho, saberíamos o que falar? Do que nos "queixaríamos"?

Vamos pensar??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 07 de Abril de 2011, 21:05
Ainda um pouco atrasada ::)...  apenas para relembrar a posição dos Espíritos, quanto ao tema importante que é a Justiça!


     O sentimento de justiçaé de tal modo natural que vos revoltais ao pensamento de uma injustiça. O progresso moral desenvolve sem dúvida esse sentimento, mas não o dá. Deus o pôs no coração do homem. Eis porque encontrais frequentemente, entre os homens simples e primitivos, noções mais exatas da justiça, do que entre pessoas de muito saber."

     
    Fora do direito consagrado pela lei humana, a base da justiça fundada sobre a lei natural é aquela que, "O Cristo vos disse: “Querer para os outros o que quereis para vós mesmos”. Deus pôs no coração do homem a regra de toda a verdadeira justiça, pelo desejo que tem cada um de ver os seus direitos respeitados. Na incerteza do que deve fazer para o semelhante, em uma dada circunstância, que o homem pergunte a si mesmo como desejaria que agissem com ele. Deus não lhe poderia dar um guia mais seguro que a sua própria consciência."


     O caráter do homem que praticasse a justiça em toda a sua pureza é “ o do verdadeiro justo, a exemplo de Jesus; porque praticaria também o amor do próximo e a caridade, sem os quais não há a verdadeira justiça.


************


 
    - Gravitar para a unidade divina, esse é o objetivo da Humanidade.
Para atingi-lo, três coisas lhe são necessárias: a justiça, o amor e a ciência;
três coisas lhe são opostas e contrárias: a ignorância, o ódio e a injustiça
.!”

Paulo, o Apóstolo


(Os destaques em negrito são meus)


Paz e luz!

Edna ;)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: pati em 07 de Abril de 2011, 21:23
OLá!
Bem, vamos refletir, como sugeriu a Gisela...
Há bem pouco tempo nos reconhecemos com essas imperfeiões, violência, cólera.(não ousamos colocar a injúria, pois ainda é mais difícil...) Digo que não foi fácil, e ainda não é, nos ver dessa forma. Ainda dói muito esse reconhecimento, mas o Leon Dennis nos acalma nesse campo, pois a dor nos impulsiona para o progresso; e gracas a ela, nos mantemos no melhor caminho, evitando cair nos mesmos erros. Antes essas imperfeicoes eram vistas e apontadas nos outros, nos colocando em situacão de infalíveis e intolerantes com as falhas alheias. Nos encontramos com a Doutrina dos Espíritos, seus estudos e orientacões. Principalmente o ESE, os estudos se tornaram luz pra cegueira que nos acompanhava. Aindda nos entristecemos  com a lembranca do"homem velho", mas a paciência deve reinar nesse novo olhar em nós.
Bem, paramos por aqui, pois a emocão chega rápido...
Agradecemos a oportunidade de reflexão...
Abracos
pati

Estejamos em Deus.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 07 de Abril de 2011, 21:31
Ainda um pouco atrasada ::)...  apenas para relembrar a posição dos Espíritos, quanto ao tema importante que é a Justiça!


     O sentimento de justiçaé de tal modo natural que vos revoltais ao pensamento de uma injustiça. O progresso moral desenvolve sem dúvida esse sentimento, mas não o dá. Deus o pôs no coração do homem. Eis porque encontrais frequentemente, entre os homens simples e primitivos, noções mais exatas da justiça, do que entre pessoas de muito saber."

     
    Fora do direito consagrado pela lei humana, a base da justiça fundada sobre a lei natural é aquela que, "O Cristo vos disse: “Querer para os outros o que quereis para vós mesmos”. Deus pôs no coração do homem a regra de toda a verdadeira justiça, pelo desejo que tem cada um de ver os seus direitos respeitados. Na incerteza do que deve fazer para o semelhante, em uma dada circunstância, que o homem pergunte a si mesmo como desejaria que agissem com ele. Deus não lhe poderia dar um guia mais seguro que a sua própria consciência."


     O caráter do homem que praticasse a justiça em toda a sua pureza é “ o do verdadeiro justo, a exemplo de Jesus; porque praticaria também o amor do próximo e a caridade, sem os quais não há a verdadeira justiça.


************


 
    - Gravitar para a unidade divina, esse é o objetivo da Humanidade.
Para atingi-lo, três coisas lhe são necessárias: a justiça, o amor e a ciência;
três coisas lhe são opostas e contrárias: a ignorância, o ódio e a injustiça
.!”

Paulo, o Apóstolo


(Os destaques em negrito são meus)


Paz e luz!

Edna ;)



Atrasada, querida?? Absolutamente.... o assunto justiça está hoje sendo discutido por todos os lados, pois os meios de comunicação não cansam de falar sobre a tragédia ocorrida no Rio de Janeiro esta manhã.

Para nossa reflexão, trouxe um as palavras do Evangelho Segundo o Espiritismo - cap. XI, item 14 - "Caridade para com os criminosos" :

A verdadeira caridade constitui um dos mais sublimes ensinamentos que Deus deu ao mundo. Completa fraternidade deve existir entre os verdadeiros seguidores da sua doutrina. Deveis amar os desgraçados, os criminosos, como criaturas, que são, de Deus, às quais o perdão e a misericórdia serão concedidos, se se arrependerem, como também a vós, pelas faltas que cometeis contra sua Lei. Considerai que sois mais repreensíveis, mais culpados do que aqueles a quem negardes perdão e comiseração, pois, as mais das vezes, eles não conhecem Deus como o conheceis, e muito menos lhes será pedido do que a vós.

Não julgueis, oh! não julgueis absolutamente, meus caros amigos, porquanto o juízo que proferirdes ainda mais severamente vos será aplicado e precisais de indulgência para os pecados em que sem cessar incorreis. Ignorais que há muitas ações que são crimes aos olhos do Deus de pureza e que o mundo nem sequer como faltas leves considera?

(...)

Deveis, àqueles de quem falo, o socorro das vossas preces: é a verdadeira caridade. Não vos cabe dizer de um criminoso: "um miserável; deve-se expurgar da sua presença a Terra; muito branda é, para um ser de tal espécie, a morte que lhe infligem." Não, não é assim que vos compete falar. Observai o vosso modelo: Jesus. Que diria ele, se visse junto de si um desses desgraçados? Lamentá-lo-ia; considerá-lo-ia um doente bem digno de piedade; estender-lhe-ia a mão. Em realidade, não podeis fazer o mesmo; mas, pelo menos, podeis orar por ele, assistir-lhe o Espírito durante o tempo que ainda haja de passar na Terra. Pode ele ser tocado de arrependimento, se orardes com fé. E tanto vosso próximo, como o melhor dos homens; sua alma, transviada e revoltada, foi criada, como a vossa, para se aperfeiçoar; ajudai-o, pois, a sair do lameiro e orai por ele. Elisabeth de França. (Havre, 1862.) "


Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 07 de Abril de 2011, 21:40
OLá!
Bem, vamos refletir, como sugeriu a Gisela...
Há bem pouco tempo nos reconhecemos com essas imperfeiões, violência, cólera.(não ousamos colocar a injúria, pois ainda é mais difícil...) Digo que não foi fácil, e ainda não é, nos ver dessa forma. Ainda dói muito esse reconhecimento, mas o Leon Dennis nos acalma nesse campo, pois a dor nos impulsiona para o progresso; e gracas a ela, nos mantemos no melhor caminho, evitando cair nos mesmos erros. Antes essas imperfeicoes eram vistas e apontadas nos outros, nos colocando em situacão de infalíveis e intolerantes com as falhas alheias. Nos encontramos com a Doutrina dos Espíritos, seus estudos e orientacões. Principalmente o ESE, os estudos se tornaram luz pra cegueira que nos acompanhava. Aindda nos entristecemos  com a lembranca do"homem velho", mas a paciência deve reinar nesse novo olhar em nós.
Bem, paramos por aqui, pois a emocão chega rápido...
Agradecemos a oportunidade de reflexão...
Abracos
pati

Estejamos em Deus.

Pati, querida...

Nós é que agradecemos a sua colaboração e sua palavrasa emotivas, pois estamos todos no mesmo barco.

O que você nos disse tem grande valor: temos que ter paciência conosco mesmos, também... "Amai ao próximo como a ti mesmo"

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 07 de Abril de 2011, 21:40
Olá, amigos..

Como o objetivo de nosso estudo é entendermos as virtudes e procurarmos colocá-las em prática no nosso dia a dia, busquei um parágrafo do cap. 15 do livro Boa Nova para que pensemos no nosso dia a dia, pois sabemos o quanto é difícil para alguns colocarem suas próprias experiências.

Joana de Cusa foi conversar com Jesus, narrando suas angústias e sofrimentos que passava com seu marido.

Jesus, sempre calmo e compassivo diante das misérias humanas, sabendo o que ia no íntimo de cada um, respondeu a Joana:

"- Joana, entre o sincero discípulo do Evangelho e os erros milenários do mundo, começa a travar-se o combate sem sangue da redenção espiritual. Agradece ao Pai o haver-te julgado digna do bom trabalho, desde agora. Teu esposo não te compreende a alma sensível? Compreender-te-á um dia. É leviano e indiferente? Ama-o mesmo assim. Não te acharias ligada a ele se não houvesse para isto razão justa. Servindo-o com amorosa dedicação, estarás cumprindo a vontade de Deus. Fala-me de teus receios e de tuas dúvidas. Deves, pelo Evangelho, amá-lo ainda mais. Os são não precisam de médico."

Que lições podemos tirar desta passagem ??

Será que ela vem ao encontro de nossos anseios, também?

Se pudéssemos dialogar com o Mestre, assim, olho no olho, saberíamos o que falar? Do que nos "queixaríamos"?

Vamos pensar??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)


Gisella amiga querida, mas que linda passagem esta, aliás, como tudo que vem de Jesus.

A lição que tiro é que devemos amar sempre a tudo e a todos, mesmo com nossas tantas imperfeições e, estando, ainda, a soletrar as primeiras letras do amor.

No dia em que aprendermos a compreender e aceitar o outro como ele é, não como gostaríamos que fosse, estaremos nos doando ao amor, e é assim que entendo que deverei amar um dia.

A caridade é o amor em ação, e só se prova na vida relação, como no exemplo citado de Joana de Cusa.

Agora quanto a dialogar com Jesus isso faço todos os dias no silêncio do meu coração, onde mais do que pedir orientação, proteção, força..., também desabafo e peço colo.

Afinal de contas, em que pese estarmos no caminho certo, ainda somos tão fragéis...

Beijinhos,

Edna ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 07 de Abril de 2011, 21:47
Queridos, entramos em uma parte deste estudo bem interessante em bem vivenciado por muitos,  eu por exemplo sou casado com uma pessoa excepicional, contudo evangelica (protestante) que aceita o espiritismo unicamente por ver uma certa mudança em mim,,, mas ainda assim acredita que não seja de Deus, eu aceito ela e ainda a insentivo na sua religião, onde acredito que não importa qual seja desde que busque transformar o homem velho em um novo homem, Mas ela ao contrario tenta sempre me fazer mudar de ideia, eu a acompanho as vezes respeitando sempre seus cultos. Acredito que tem um porque de estarmos juntos e separados, e esta frase do texto seu Gisella me confirma ainda mais a tolerancia para com ela.

Ama-o mesmo assim. Não te acharias ligada a ele se não houvesse para isto razão justa.

Obrigado.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 07 de Abril de 2011, 22:46
Queridos, entramos em uma parte deste estudo bem interessante em bem vivenciado por muitos,  eu por exemplo sou casado com uma pessoa excepcional, contudo evangelica (protestante) que aceita o espiritismo unicamente por ver uma certa mudança em mim,,, mas ainda assim acredita que não seja de Deus, eu aceito ela e ainda a insentivo na sua religião, onde acredito que não importa qual seja desde que busque transformar o homem velho em um novo homem, Mas ela ao contrario tenta sempre me fazer mudar de ideia, eu a acompanho as vezes respeitando sempre seus cultos. Acredito que tem um porque de estarmos juntos e separados, e esta frase do texto seu Gisella me confirma ainda mais a tolerancia para com ela.

Ama-o mesmo assim. Não te acharias ligada a ele se não houvesse para isto razão justa.

Obrigado.
Boa Noite a todos,
Henrique a minha resposta se refere a frase que eu destaquei, acontece muito mais vezes do que se imagina.
Muitas vezes na nossa miopia julgamos relacionamentos alheios, dizendo
" Não sei como pode uma homem ou mulher  tão bom(a) aturar e ficar ligada a tal pessoa tão rude e indiferente? Como pode perdoar tanta falha?
Nada é por acaso, os espíritos se reúnem por afinidade, ou estão juntos por missão e amparo ao outro, que necessita aprender a amar.
Sendo assim, esta visão é limitada do que seria justo ou injusto na vida terrestre.
Recebi um texto por e-mail que diz mais ou menos assim:
Aceite o belo e o feio, o doce e o amargo em sua vida.
Se alguém  tentar te magoar ou te injuriar, só consegue se assim você acreditar, ou seja, não existe nada que possa ferí-lo se você não se sente ferido. 
A vida na matéria mostra sempre todas as facetas, precisa saber conviver com o egoísmo e a visão turva do outro, não seja você também egoísta em achar que o outro deve se modificar e ver a vida como você, portanto não existe ofensor o que existe é ofendido. Se a ofensa não encontra respaldo em você, ela se anula e prevalece a compaixão ao ofensor. Portanto aceite o outro como ele é , tenha compaixão de seu estado alterado de consciência.  Se assim não fizer ao desencarnar vai se perceber em todo o seu egoísmo em querer modificá-lo  para se adaptar as suas conveniências e modo de ser. 
A grande transformação vem através da compaixão.
Por isso de vez em quando entra em nossas vidas pessoas que nos testam em toda a nossa paciência, tolerância, sejam eles, amigos, cônjuges, filhos, não importa.

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 07 de Abril de 2011, 23:59
Boa noite aos amigos

Examinemos a Nós Mesmos

"O dever do espírita-cristão é tornar-se progressivamente melhor.
Útil, assim, verificar, de quando em quando, com rigoroso exame pessoal, a nossa verdadeira situação íntima.
Espírita que não progride durante três anos sucessivos permanece estacionário.
- Testa a paciência própria: Estás mais calmo, afável e compreensivo?
- Inquire as tuas relações na experiência doméstica: Conquistaste mais alto clima de paz dentro de casa?
- Investiga as atividades que te competem no templo doutrinário: - Colaboras com mais euforia na seara do Senhor?
- Observa-te nas manifestações perante os amigos: Trazes o Evangelho mais vivo nas atitudes?
- Reflete em tua capacidade de sacrifício: Notas em ti mesmo mais ampla disposição de servir voluntariamente?
- Pesquisa o próprio desapego: Andas um pouco mais livre do anseio de influência e de posses terrenas?
- Usas mais intensamente os pronomes "nós", "nosso" e "nossa" e menos os determinativos "eu", "meu" e "minha"?
- Teus instantes de tristeza ou de cólera, surda, às vezes tão conhecidas somente por ti, estão presentemente mais raros?
- Diminuíram-te os pequenos remorsos ocultos no recesso da alma?
- Dissipaste antigos desafetos e aversões?
- Superas-te os lapsos crônicos de desatenção e negligência?
- Estudas mais profundamente a Doutrina que professas?
- Entendes melhor a função da dor?
- Ainda cultivas alguma discreta desavença?
- Auxilias aos necessitados com mais abnegação?
- Tens orado realmente?
- Teus ideais evoluíram?
- Tua fé raciocinada consolidou-se com mais segurança?
- Tens os verbo mais indulgente, os braços mais ativos e as mãos mais abençoadoras?
- Alegria é Evangelho no coração: - Estás de fato, mais alegre e feliz intimamente, nestes três últimos anos?
Tudo caminha! Tudo evolui! Confiramos os nosso rendimento individual com o Cristo!
Sopesa a existência hoje, espontaneamente, em regime de paz, para que não te vejas na obrigação de sopesá-la amanhã sob o impacto da dor.
Não te iludas! Um dia que se foi é mais uma cota de responsabilidade, mais um passo rumo à Vida Espiritual, mais uma oportunidade valorizada ou perdida.
Interroga a consciência quanto à utilidade que vens dando ao tempo, à saúde e aos ensejos de fazer o bem que desfrutas na vida diária.
Faze isso agora, enquanto te vales do corpo humano, com a possibilidade de reconsiderar diretrizes e desfazer enganos facilmente, pois, quando passares para o lado de cá, muita vez, já será mais difícil...

André Luiz. Da obra: Opinião Espírita. CEC.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 00:06
Olá, amigos..

Como o objetivo de nosso estudo é entendermos as virtudes e procurarmos colocá-las em prática no nosso dia a dia, busquei um parágrafo do cap. 15 do livro Boa Nova para que pensemos no nosso dia a dia, pois sabemos o quanto é difícil para alguns colocarem suas próprias experiências.

Joana de Cusa foi conversar com Jesus, narrando suas angústias e sofrimentos que passava com seu marido.

Jesus, sempre calmo e compassivo diante das misérias humanas, sabendo o que ia no íntimo de cada um, respondeu a Joana:

"- Joana, entre o sincero discípulo do Evangelho e os erros milenários do mundo, começa a travar-se o combate sem sangue da redenção espiritual. Agradece ao Pai o haver-te julgado digna do bom trabalho, desde agora. Teu esposo não te compreende a alma sensível? Compreender-te-á um dia. É leviano e indiferente? Ama-o mesmo assim. Não te acharias ligada a ele se não houvesse para isto razão justa. Servindo-o com amorosa dedicação, estarás cumprindo a vontade de Deus. Fala-me de teus receios e de tuas dúvidas. Deves, pelo Evangelho, amá-lo ainda mais. Os são não precisam de médico."

Que lições podemos tirar desta passagem ??

Será que ela vem ao encontro de nossos anseios, também?

Se pudéssemos dialogar com o Mestre, assim, olho no olho, saberíamos o que falar? Do que nos "queixaríamos"?

Vamos pensar??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)


Gisella amiga querida, mas que linda passagem esta, aliás, como tudo que vem de Jesus.

A lição que tiro é que devemos amar sempre a tudo e a todos, mesmo com nossas tantas imperfeições e, estando, ainda, a soletrar as primeiras letras do amor.

No dia em que aprendermos a compreender e aceitar o outro como ele é, não como gostaríamos que fosse, estaremos nos doando ao amor, e é assim que entendo que deverei amar um dia.

A caridade é o amor em ação, e só se prova na vida relação, como no exemplo citado de Joana de Cusa.

Agora quanto a dialogar com Jesus isso faço todos os dias no silêncio do meu coração, onde mais do que pedir orientação, proteção, força..., também desabafo e peço colo.

Afinal de contas, em que pese estarmos no caminho certo, ainda somos tão fragéis...

Beijinhos,

Edna ;)


Edna querida... mais uma vez obrigada por suas palavras...

Amar sempre, apesar de nossas imperfeições.... isso é uma "verdade verdadeira", pois Jesus nunca disse que só poderíamos amar quando fôssemos perfeitos, ou conseguíssemos atingir o grau máximo permitido do entendimento... muito pelo contrário, suas palavras sempre foram de incentivo, de confiança em nossa capacidade de transformação. Por isso quer ele nos disse que "sois deuses".

Na minha parca visão, penso que aquele que quer ser perfeito primeiro para amar depois, certinho, está apenas camuflando, a si mesmo, o seu orgulho, pois não admite que pode errar...

E muitas vezes erramos, não é verdade, tentando acertar?? Aliás, alguém já disse que só aprendemos a fazer, fazendo; só erramos porque queríamos acertar... E é com esses erros que aprendemos a não errar de novo!!!

Agora, minha amiga.... quem de nós não pede colo a Jesus todas as noites?? Quem já passou essa fase, já alcançou um degrauzinho a mais.... (mais uma vez minha parca visão!!!  ::) )

Queridos, entramos em uma parte deste estudo bem interessante em bem vivenciado por muitos,  eu por exemplo sou casado com uma pessoa excepicional, contudo evangelica (protestante) que aceita o espiritismo unicamente por ver uma certa mudança em mim,,, mas ainda assim acredita que não seja de Deus, eu aceito ela e ainda a insentivo na sua religião, onde acredito que não importa qual seja desde que busque transformar o homem velho em um novo homem, Mas ela ao contrario tenta sempre me fazer mudar de ideia, eu a acompanho as vezes respeitando sempre seus cultos. Acredito que tem um porque de estarmos juntos e separados, e esta frase do texto seu Gisella me confirma ainda mais a tolerancia para com ela.

Ama-o mesmo assim. Não te acharias ligada a ele se não houvesse para isto razão justa.

Obrigado.

Henrique, obrigada pelo seu depoimento, mas, a frase acima não é minha.... é de Jesus, segundo Humberto de Campos (Irmão X) pelas mãos do Chico!! Ainda estou longe de escrever, e muito menos de agir assim... :)

Mas, o que valeu, foi a sua demostração de que é muito possível a convivência, em uma mesma família, com a tolerância religiosa, com as diferenças crenças, desde que um respeite o direito do outro.

Você, tendo essa atitude perante sua esposa, está dando motivos para que ela, quem sabe um dia, deixe de acreditar que o Espiritismo não é de Deus. Seus exemplos demonstram o contrário.

Siga sempre assim, meu amigo, pois vocês estão juntos e não é por acaso.

Hebe, minha amiga.... muito obrigada por compartilhar conosco este texto recebido por email. Realmente muito esclarecedor...

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 00:19
Boa noite aos amigos

Examinemos a Nós Mesmos

"O dever do espírita-cristão é tornar-se progressivamente melhor.
Útil, assim, verificar, de quando em quando, com rigoroso exame pessoal, a nossa verdadeira situação íntima.
Espírita que não progride durante três anos sucessivos permanece estacionário.
- Testa a paciência própria: Estás mais calmo, afável e compreensivo?
- Inquire as tuas relações na experiência doméstica: Conquistaste mais alto clima de paz dentro de casa?
- Investiga as atividades que te competem no templo doutrinário: - Colaboras com mais euforia na seara do Senhor?
- Observa-te nas manifestações perante os amigos: Trazes o Evangelho mais vivo nas atitudes?
- Reflete em tua capacidade de sacrifício: Notas em ti mesmo mais ampla disposição de servir voluntariamente?
- Pesquisa o próprio desapego: Andas um pouco mais livre do anseio de influência e de posses terrenas?
- Usas mais intensamente os pronomes "nós", "nosso" e "nossa" e menos os determinativos "eu", "meu" e "minha"?
- Teus instantes de tristeza ou de cólera, surda, às vezes tão conhecidas somente por ti, estão presentemente mais raros?
- Diminuíram-te os pequenos remorsos ocultos no recesso da alma?
- Dissipaste antigos desafetos e aversões?
- Superas-te os lapsos crônicos de desatenção e negligência?
- Estudas mais profundamente a Doutrina que professas?
- Entendes melhor a função da dor?
- Ainda cultivas alguma discreta desavença?
- Auxilias aos necessitados com mais abnegação?
- Tens orado realmente?
- Teus ideais evoluíram?
- Tua fé raciocinada consolidou-se com mais segurança?
- Tens os verbo mais indulgente, os braços mais ativos e as mãos mais abençoadoras?
- Alegria é Evangelho no coração: - Estás de fato, mais alegre e feliz intimamente, nestes três últimos anos?
Tudo caminha! Tudo evolui! Confiramos os nosso rendimento individual com o Cristo!
Sopesa a existência hoje, espontaneamente, em regime de paz, para que não te vejas na obrigação de sopesá-la amanhã sob o impacto da dor.
Não te iludas! Um dia que se foi é mais uma cota de responsabilidade, mais um passo rumo à Vida Espiritual, mais uma oportunidade valorizada ou perdida.
Interroga a consciência quanto à utilidade que vens dando ao tempo, à saúde e aos ensejos de fazer o bem que desfrutas na vida diária.
Faze isso agora, enquanto te vales do corpo humano, com a possibilidade de reconsiderar diretrizes e desfazer enganos facilmente, pois, quando passares para o lado de cá, muita vez, já será mais difícil...

André Luiz. Da obra: Opinião Espírita. CEC.



Olá, Ken...

Muito oportuno o texto que você colocou para nós.

Vale aqui nossa reflexão....

O que a Doutrina Espírita modificou na minha vida??

Certa vez uma amigo muito querido de Porto Alegre/RS, disse que a gente não pode ser orgulhoso por se sentir "melhorado", mas que não poderíamos fazer de conta que nada aconteceu, pois assim não teríamos condições de verificar os erros e procurar fazer os acertos.

Com isso, posso dizer, com todas as letras, que antes de conhecer a Doutrina Espírita, meu marido costumava dizer qye eu era uma pessoa que não tinha "pavio", ou seja, paciência era uma palavra que não existia em meu vocabulário, ainda mais a virtude!!!

Hoje, posso dizer que melhorei muito, já consigo entender o significado desse vocábulo e um pouquinho mais desta virtude. Sou uma pessoa totalmente paciente?? De maneira alguma, basta aparecer uma certa rede de móveis que me lembro o quanto me desequilibrei por mau atendimento  >:(. Mas, isso ainda tem que ser trabalhado em mim e não errar de novo, pois passar pelo mesmo problema com a mesma loja e não aprender, aí já é demais...   :D

Vamos refletir neste texto??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 08 de Abril de 2011, 00:21
Não Só Justiça

"Todos os Espíritos tendem para a perfeição e Deus lhes faculta os meios de alcançá-la, proporcionando-lhes as provações da vida corporal. Sua justiça, porém, lhes concede realizar, em novas existências, o que não puderam fazer ou concluir numa primeira prova. O LIVRO DOS ESPÍRITOS (Comentários de ALLAN KARDEC à resposta 171).


- "Vale de lágrimas"! - exclamam corações em tormento.
- "Região de trevas e desespero"! - propõem sofredores de diversos matizes.
- "Oásis de gozo" - afirmam os doentes do prazer.
- "Recanto de delícias" - esclarecem os fornicadores da loucura.
- "Colônia de alegrias ao alcance da sagacidade" - expõem cerebrações enrijecidas no mal.
- "Punição, viver" - bradam uns.
- "Vivamos e gozemos" - proclamam outros.
"Viver é pagar alto tributo à vida" - gritam alguns revoltados.
"Viver é aproveitar o favor da oportunidade" - repitam os desassisados.
A carne, como porta de renascimento, é alta concessão da Divinidade para a felicidade do espírito.
A Terra é abençoado educandário onde se formam valores e se afirmam expressões superiores para a Vida.
Atados à conceituação deficitária da unicidade da experiência carnal para o espírito, os discípulos de tal escola, contemplam, estarrecidos, a dor, formulando hipóteses cruéis, nas quais mentalizam a Justiça Divina através dos recursos mesquinhos da arbitrariedade humana...
Vinculados a um materialismo grotesco e revel, homens e mulheres desnorteados, derivam no prazer, as apreensões que mantêm quanto à vida além-túmulo.
Informados da pluralidade das experiências carnais, face ao sofrimento, há quem diga que a reencarnação é justiça, severa justiça...
Não só justiça mas misericórdia também. Alta e valiosa misericórdia significa o trânsito na carne, a recapitulação entre novo berço e novo túmulo.
Por natural evocação das paisagens da vida extra-física, todos guardamos nas telas mentais os sinais da imortalidade.
Estes relutam e asfixiam as lembranças nos nimbos cerrados da rebeldia.
Esses reagem e apagam as evocações com a borracha da indiferença.
Aqueles insistem na negativa e anulam as recordações ante a teimice do prazer.
Todos, no entanto, renascem assinalados pelos caracteres trazidos da vida espiritual onde foi cultivada a aflição ou a ventura decorrente da jornada precedente...
Aguça os ouvidos e registrarás vozes de ontem, falando hoje.
Educa os olhos e enxergarás companheiros que a morte não consumiu nem aniquilou.
Aprimore a mente e decifrarás os enigmas do momento encontrando-lhes as chaves no pretérito.
Recorda e sentirás que viveste, vives e viverás...

Diante do arguto doutor do Sinédrio, a serenidade e segurança de Jesus afirmaram: "É necessário nascer de novo". E ante as interrogações e dúvidas que assomavam ao interlocutor, Ele expôs: "O vento sopra onde quer, ouves-lhe a voz, mas não sabes donde vem nem para onde vai. Assim é o espírito"... ensejando-nos a marcha da evolução, o grande porvir hoje em começo, através da Justiça e da Divina Misericórdia também.

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Espírito e Vida. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. LEAL Editora.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Regina Prins em 08 de Abril de 2011, 00:23
NO CAMPO DO AFETO .

“... Tudo o que o homem semear, isso também ceifará.”
Paulo. (Gálatas, 6:7.)


 
Quase sempre, anelamos trato diverso e melhor, por parte daqueles que nos rodeiam.
Ansiamos pela afeição que nos compreenda os intentos mais íntimos; que se mantenha invariável, sejam quais sejam as circunstâncias; que nos escute sem reclamar, nos momentos mais duros; que nos releve todas as faltas; que não nos exija tributações de carinho; que não nos peça impostos de gratidão; que nos encoraje e sustente nos dias tristes e nos partilhe o contentamento nas horas de céu azul ...
Suspiramos pelo entendimento integral e pela amizade perfeita; entretanto, se rogamos afetos marcados por semelhantes valores, é indispensável comecemos a ser para os outros esse amigo ideal.
Se desejamos recolher amor e paciência, nas manifestações do próximo, saibamos distribuí-los com todos aqueles que nos partilham a marcha.
Bondade forma bondade.
Abnegação gera abnegação.
A palavra do apóstolo Paulo é clara e franca nesse sentido: “tudo o que o homem semear,isso também ceifará”.


Palavras da Vida Espiritual - Emmanuel
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 08 de Abril de 2011, 00:31
Na verdade Gisella o que está aí é a essência de um texto que eu recebi, não está escrito exatamente como é porque o texto em si é muito grande.
Trouxe para entendermos que é muito fácil amar só a quem nos faz bem ou nos agrada, dificil é amar o diferente, é ter paciência com o defeito alheio.
Fácil é julgar , muitas vezes injustamente, até caluniando, porque não se tem  a visão total do outro, analisamos tudo e todos sob uma ótica individualista e pequena.
Mas muitas vezes atravessa  no caminho, alguém com um comportamento igual a outro que antes se  condenou, e por não ter envolvimento maior, se exercita a escuta, compreende a razão de tal comportamento, e faz a reflexão vir a tona e mostrar o quanto se errou no passado por ter sido tão intolerante.
Deus escreve certo por linhas tortas, já diz o ditado.
Um abço
Hebe



Amar sempre, apesar de nossas imperfeições.... isso é uma "verdade verdadeira", pois Jesus nunca disse que só poderíamos amar quando fôssemos perfeitos, ou conseguíssemos atingir o grau máximo permitido do entendimento... muito pelo contrário, suas palavras sempre foram de incentivo, de confiança em nossa capacidade de transformação. Por isso quer ele nos disse que "sois deuses".

E muitas vezes erramos, não é verdade, tentando acertar?? Aliás, alguém já disse que só aprendemos a fazer, fazendo; só erramos porque queríamos acertar... E é com esses erros que aprendemos a não errar de novo!!!

Hebe, minha amiga.... muito obrigada por compartilhar conosco este texto recebido por email. Realmente muito esclarecedor...

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 02:55
Olá, meus amigos...

Como havíamos colocado no início do tópico, nosso estudo, Transformação pelo Amor, tem por objetivo percorrer o caminho das virtudes citadas por Paulo (S. PAULO, 1ª Epístola aos Coríntios, cap. XIII, vv. 1 a 7 e 13 do ESE), fazendo sacudir nossa consciência ainda adormecida, despertando para a lucidez, para uma nova realidade da vida.

Como não podemos percorrê-las todas em uma só encarnação, (quem dirá em um mês!!! ), poderemos, pelo menos, conhecê-las e procurarmos enxergá-las no nosso dia a dia.

Por isso, a partir desta 6a. feira, estaremos trabalhando:


•   Delicadeza / Gentileza
•   Alegria
•   Honestidade / Sinceridade
•   Humildade


E, mais uma vez afirmamos: isso não significa que elas não se entrelacem em nossas vidas, nos nossos momentos de tensão ou, nos momentos de calmaria.

Mas, estudando uma por vez e fazendo esta ligação com as nossas vivências, poderemos assimilá-las melhor e, quem sabe, ao final deste mês, poderemos dizer: aprendi mais um pouquinho e consegui colocar em prática alguma coisa!!

Bom estudo a todos nós e que Jesus, nosso Mestre de Virtudes por excelência, possa nos iluminar nesta caminhada que começamos a percorrer!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

PS.: não esqueçam, por favor, que continuo sem pc e testanto toda a minha paciência, tolerância e todas as outras virtudes em sessões diárias e matinais de fisioterapia...  :(
Por isso, peço a gentileza de terem paciência com esta "menina de 48 anos" que está com as juntas todas soltas !!!  ;D
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 08 de Abril de 2011, 03:02

Para nossa reflexão, trouxe um as palavras do Evangelho Segundo o Espiritismo - cap. XI, item 14 - "Caridade para com os criminosos" :

A verdadeira caridade constitui um dos mais sublimes ensinamentos que Deus deu ao mundo. Completa fraternidade deve existir entre os verdadeiros seguidores da sua doutrina. Deveis amar os desgraçados, os criminosos, como criaturas, que são, de Deus, às quais o perdão e a misericórdia serão concedidos, se se arrependerem, como também a vós, pelas faltas que cometeis contra sua Lei. Considerai que sois mais repreensíveis, mais culpados do que aqueles a quem negardes perdão e comiseração, pois, as mais das vezes, eles não conhecem Deus como o conheceis, e muito menos lhes será pedido do que a vós.

Não julgueis, oh! não julgueis absolutamente, meus caros amigos, porquanto o juízo que proferirdes ainda mais severamente vos será aplicado e precisais de indulgência para os pecados em que sem cessar incorreis. Ignorais que há muitas ações que são crimes aos olhos do Deus de pureza e que o mundo nem sequer como faltas leves considera?

(...)

Deveis, àqueles de quem falo, o socorro das vossas preces: é a verdadeira caridade. Não vos cabe dizer de um criminoso: "um miserável; deve-se expurgar da sua presença a Terra; muito branda é, para um ser de tal espécie, a morte que lhe infligem." Não, não é assim que vos compete falar. Observai o vosso modelo: Jesus. Que diria ele, se visse junto de si um desses desgraçados? Lamentá-lo-ia; considerá-lo-ia um doente bem digno de piedade; estender-lhe-ia a mão. Em realidade, não podeis fazer o mesmo; mas, pelo menos, podeis orar por ele, assistir-lhe o Espírito durante o tempo que ainda haja de passar na Terra. Pode ele ser tocado de arrependimento, se orardes com fé. E tanto vosso próximo, como o melhor dos homens; sua alma, transviada e revoltada, foi criada, como a vossa, para se aperfeiçoar; ajudai-o, pois, a sair do lameiro e orai por ele. Elisabeth de França. (Havre, 1862.) "


Abraços fraternos,

Gisella  ;)


Ressalto esta mensagem trazida por você amiga Gisella, ainda sendo a lição que a espiritualidade trouxe a mim no meu Evangelho no Lar agora a noite, por mais dificel que seja devemos vibrar com muito amor não só pelas "vitimas" e familiares mas tbm por esse irmão desentendido.
Deixo um texto para que reflitamos .... um abraço a todos, que a Paz do mestre esteja entre nós.
Extinção do Mal
Na didática de Deus, o mal não é recebido com a ênfase que caracteriza muita gente na Terra, quando se propõe a combatê-lo.

Por isso, a condenação não entra em linha de conta nas manifestações da Misericórdia Divina.

Nada de anátemas, gritos, baldões ou pragas.

A Lei de Deus determina, em qualquer parte, seja o mal destruído não pela violência, mas pela força pacífica e edificante do bem.

A propósito, meditemos.

O Senhor corrige:

a ignorância: com a instrução;

o ódio: com o amor;

a necessidade: com o socorro;

o desequilíbrio: com o reajuste;

a ferida: com o bálsamo;

a dor: com o sedativo;

a doença: com o remédio;

a sombra: com a luz;

a fome: com o alimento;

o fogo: com a água;

a ofensa: com o perdão;

o desânimo: com a esperança;

a maldição: com a benção.

Somente nós, as criaturas humanas, por vezes, acreditamos que um golpe seja capaz de sanar outro golpe.

Simples ilusão.

O mal não suprime o mal.

Em razão disso, Jesus nos recomenda amar os inimigos e nos adverte de que a única energia suscetível de remover o mal e extingui-lo é e será sempre a força suprema do bem.
 
* * *

Xavier, Francisco Cândido; Baccelli, Carlos A.. Da obra: Brilhe Vossa Luz.
Ditado pelo Espírito Bezerra de Menezes.
4a edição. Araras, SP: IDE, 1996.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 03:48
Olá, Henrique...

Este texto que você nos trouxe veio muito bem ao nosso estudo...

Obrigada por compartilhar este ensinamento conosco, e agradeçamos aos Espíritos Amigos por "conspirarem a favor" para este momento em que estamos vivendo e fazendo com que nossos corações se voltem para as grandes realidades da vida!!

Abraços,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 04:03
Amigos...

Iniciando mais uma semana de estudo, vamos começar diferente??

Que tal, ao invés de postarmos os textos referentes ao assunto delicadeza/gentileza, pensarmos um pouquinho em que ocasiões de nossa vida tão atribulada, podemos exercê-las??

São duas virtudes que muito facilmente encontraremos exemplos para compartilharmos com nossos amigos que seguem este estudo.

Vamos relacionar estes momentos, em que a Vida nos dá esta oportunidade??

Tenho certeza que serão exemplos que servirão para a vida toda!!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

Até amanhã e tenham uma noite de sono tranquila e reconfortante!!!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: jujucaba em 08 de Abril de 2011, 04:21
Delicadeza/Gentileza.....
Duas virtudes a serem aprendidas e utilizadas por todos nós.
Podemos aplicá-las a todo instante, desde um simples Bom dia, Boa tarde, Boa noite e um Obrigado dirigidos ao nosso próximo. Ser gentil é uma dádiva divina. Como é edificante quando utilizamos esses pequenos vocábulos e vemos a transformação ocorrer no outro. Parece que em uma fração de segundos tudo se transforma. Nos sentimos mais leves também, pois recebemos de volta as vibrações positivas emanadas pelo outro. Pelo outro que naquele momento se sentiu alguém, que se sentiu amado, que se sentiu importante para alguém. Como é gratificante ver o outro abrir aquele sorriso......

Que Deus nos ilumine e que tenhamos sempre a gentileza para com nossos irmãos.

Boa noite a todos e obrigado por podermos compartilhar juntos esse momento de aprendizagem!!!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 08 de Abril de 2011, 04:52
Bom dia, queridos amigos e caros irmãos visitantes!


O PODER DA GENTILEZA

Com palavras gentis, pronunciadas com sinceridade, conseguirás sensibilizar os Espíritos mais indiferentes.

Se, toda manhã, saudares com um bom-dia o companheiro carrancudo, a pouco e pouco haverás de arrancar-lhe um sorriso de simpatia.

Se te habituares a dizer muito obrigado a este ou àquele atendente irritadiço, conseguirás extrair o que ele possua de melhor em termos de boa vontade.

Se elogiares a paciência de quem, por vezes, se revela impaciente no que faz, o induzirás a desenvolver a virtude que carrega em estado latente.

Se estenderes a mão em cumprimento ao vizinho que te evita, é possível que, em breve tempo, estejas a ganhar dele um abraço.

Se tão-somente acenares para quem transita na calçada oposta, com a intenção de não cruzar os passos com os teus, não demorarás a vê-lo atravessar a rua, vindo ao teu encontro, sorridente.

O poder da gentileza, a expressar-se em palavras e gestos quase insignificantes é semelhante à força da alavanca que, com o concurso de humilde ponto de apoio, remove os mais difíceis entraves no campo do relacionamento humano.

                 Irmão José
(Psicografia de Carlos A. Baccelli)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 08 de Abril de 2011, 05:58
Queridos amigos e caros irmãos visitantes,


BOM-DIA

Saúda o teu novo dia com disposição e trabalho.

Ergue-te sempre da cama, respirando a longos haustos e deixa que os pulmões se inundem da brisa fresca que te anuncia o novo momento.

Considera, por alguns instantes, a bênção de novamente poderes levantar e abraçar com carinho a vida que te é ofertada nesta nova manhã. O dia que te espera lá fora é sublime bênção do Criador a estender-te os braços, ofertando renovadas oportunidades de lutas.

Alegra-te e pensa nesta misericórdia, podes levantar.

Reflete um pouquinho, mas pensando sobre os teus objetivos para esta nova jornada. Põe-te de pé e vai estendendo o teu corpo levemente, sentindo cada membro. Gira agora suavemente a cabeça sobre o pescoço de um lado para o outro, sente todas as articulações que te servem nesta hora.

Estende os braços, trazendo-os verticalmente até a lateral do corpo e mantém-nos estendidos por alguns instantes.

Movimenta levemente os punhos para cima e para baixo. Agora, abre e fecha as mãos distendendo com energia os dedos.

Volta os braços para a posição normal e dobra o tronco sobre a bacia de um lado para o outro, levemente, indo ao máximo até as laterais do corpo.

Retorna e flexiona as pernas, dobrando-as uma a uma para baixo e para cima, lentamente.

Segura, nas mãos, as pontas dos dedos dos pés por três minutos cada um.

Dobra os joelhos, indo até o chão e levanta-te, lentamente, por umas dez vezes. Enquanto isso, faze com que os braços estejam suavemente colocados sobre os quadris.

Abre levemente as pernas, deixa a cabeça solta sobre o corpo e permite que os braços caiam relaxadamente. Deixa-te solto por completo, fecha os olhos e respira suavemente.

Neste instante, faze a tua oração, agradecendo a Deus por toda a dinâmica de tua vida.

Considera agora a tua saúde. Observa a harmonia do corpo, este patrimônio divino que o Senhor te confiou através da indulgência da reencarnação.

Este é o teu corpo, um santuário divino, sublime bênção a ofertar-te continuamente alegrias da vida, sugerindo em tudo a grandiosidade maravilhosa de Deus a manifestar em ti.

Alma querida, não te importes, caso sejas um paraplégico, tetraplégico ou aleijado, tendo cumprido só a mínima parte de nossa mentalização. O importante é que estejas vivo, desfrutando das muitas oportunidades que a reencarnação tem te permitido.

Louva o teu dia com toda a força da alma, pois ele é único, é o teu presente embrulhado no papel do hoje, é a oferta de Deus ao teu progresso; por isto mesmo é o mais importante entre todos os outros.

Levanta o corpo e, se não o puderes, levanta-te pela alma. Agradecido, reverencia ao Senhor, nosso Deus. Abre um sorriso, vê com amor tudo a tua volta, revestindo-te o caminho em maravilhosa sinfonia de beleza e alegria.

Sorri, pois este é um tempo que foi dado por Deus!

Alma amiga, o importante é que o dia que se inicia traz novamente as bênçãos da vida. Continuas vivo, resplandecente e reencarnado, usufruindo o tesouro do maior dos patrimônios, a tua própria vida! Agradece a Deus agora por ela e considera a sublime chance que te é ofertada, colocando-te imediatamente a postos para o reinício de novas lutas, glorificando ao Senhor nosso Deus, em cada mínimo ato desta tua nova jornada.

Em tudo, faze-te um reflexo do Pai a espelhar a magnitude da vida. Assim, tem sempre um bom-dia!...

                              Irmã Sheilla
(Do livro “Tuas Preces”, psicografia de Jairo Avellar)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 08 de Abril de 2011, 12:50
|Bom Dia a Todos.......... :D
Gentileza é questão de saude pro corpo e alma.


Gentileza gera gentileza
Cíntia Parcias e Clarisse Meireles

 Retomar a delicadeza relegada ao esquecimento melhora a qualidade de vida e as relações cotidianas

Faça um rápido teste de memória. Você cumprimentou seu vizinho hoje de manhã no elevador? Desejou bom dia ao porteiro quando cruzou com ele na portaria como faz todas as manhãs? Deu passagem para o carro que precisava mudar de pista para entrar numa rua transversal? Esperou pacientemente o carro da frente andar sem buzinar quando o sinal ficou verde? Se respondeu negativamente a alguma das perguntas acima, saiba que, além de agir de forma tremendamente mal-educada, você está fazendo mal à sua própria saúde - e à das pessoas que o cercam.

Segundo o livro A arte da gentileza, de Piero Ferruci (ed. Alegro), pesquisas científicas confirmam que pessoas gentis são mais saudáveis e vivem mais, são mais amadas e produtivas, têm mais sucesso nos negócios e são mais felizes. ''Ser gentil nos faz tão bem quanto ser alvo de uma gentileza'', garante o autor. Por outro lado, a não-gentileza gera sentimentos negativos, atrapalha as relações e pode até deixar a pessoa doente, já que quando alguém é alvo de grosseria, falta de educação, o sistema nervoso reage liberando hormônios como a adrenalina, que desequilibram o organismo. Até a musculatura é afetada e reage à falta de gentileza se contraindo, deixando o corpo cada vez mais tenso.

''A falta de gentileza, caracterizada por um ambiente de grosseria e violência, se constitui em um fator estressor que leva o indivíduo ao desenvolvimento do estresse crônico. Por conseqüência, a qualidade de vida acaba sendo afetada, incluindo a saúde'', confirma a psicóloga Lucia Novaes, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e diretora do Centro Psicológico de Controle do Stress.

O que a ciência agora comprova vai ao encontro do que o profeta Gentileza passou grande parte da vida pregando e escrevendo nos 55 murais que criou sob o viaduto do Gasômetro, próximo à Rodoviária Novo Rio. Sua mensagem podia ser resumida na frase-síntese ''gentileza gera gentileza''.

Os murais, restaurados há cinco anos pelo projeto Rio com Gentileza, coordenado pelo filósofo Leonardo Guelman, hoje se encontram de novo danificados por pichações logo abaixo das inscrições do profeta. Mais ou menos como a própria gentileza, tão fora de moda nos dias que correm.

''O Gentileza denunciava uma crise ética, de valores. Segundo ele, tudo passa pelo favor. O simples fato de pedirmos 'por favor' e agradecer com um 'obrigado' denotava que adotamos a troca na base do toma-lá-dá-cá, típico do mundo individualista, produto do capitalismo que ele batizou de 'capeta capital''', afirma Guelman, autor do livro Brasil, tempo de gentileza (Eduff), sobre o profeta que morreu aos 79 anos, em 1996.

Para o profeta, ficamos cegos e surdos e perdemos a capacidade de ver e ouvir o outro. Segundo a psicoterapeuta e educadora Sandra Celano, o pronome nós, nesse mundo tão individualista, agrega no máximo o núcleo familiar. ''Então, como esperar que um seja gentil com o outro em pequenas ações cotidianas, se as pessoas não conseguem nem perceber o outro?'', questiona. Até em uma discussão é possível manter a gentileza. ''Basta prestar atenção ao que a outra pessoa diz e se expressar considerando suas razões e seu ponto de vista'', completa Sandra, que observa em seu consultório o crescimento da falta de gentileza como uma das queixas comuns de seus pacientes.

Um dos ambientes onde a falta de delicadeza e gentileza mais se manifesta é no local de trabalho. Muitas vezes, as pessoas confundem relações profissionais com frieza e rispidez. E deixam de agradecer um serviço só porque este está sendo pago.

''Hoje já existem empresas que têm como meta o bem-estar dos seus funcionários. Não porque sejam boazinhas, pois toda empresa precisa gerar lucros, mas, sim, porque descobriram que onde há bem-estar, há produtividade, pois as pessoas trabalham felizes'', observa Alkíndar de Oliveira, consultor de empresas e autor de Viver é simples, nós é que complicamos (ed. Didier). ''Neste novo mundo corporativo que está surgindo, há uma ferramenta que tende a ser a mais importante na convivência profissional. Trata-se da afetividade. E a gentileza é um dos frutos da árvore do afeto.''

Como todo profeta, Gentileza denunciava a crise e anunciava uma boa nova. Para ele, assim como a natureza nos dá tudo de graça, temos que retomar um tempo a troca desinteressada. O primeiro passo seria bem simples: dizer sempre 'agradecido' e 'por gentileza', em vez das fórmulas consagradas - que já foram esquecidas por muita gente, porém sem nenhuma substituição.

Uma das pessoas que foram tocadas pela obra de Gentileza foi a compositora Marisa Monte, que transformou alguns de seus versos em uma canção com o nome do profeta. Marisa fez a música no dia em que foi apresentar os murais ao parceiro Carlinhos Brown, antes do projeto de recuperação, e viu que não havia mais nada. Chocada, escreveu a música.

A cantora acha que a mensagem de Gentileza está cada vez mais atual. ''Com o ritmo acelerado das cidades, as pessoas estão perdendo a noção de gentileza, que é uma espécie de pureza refrescante para a vida, para o dia-a-dia.'' Ainda hoje, ela se comove em ver que alguém dedicou sua vida para falar da importância de ser gentil, e em vez de pedir dinheiro, ia de carro em carro oferecer uma flor. ''Ele foi uma pessoa linda que plantou a semente da gentileza.''

Buda também identificou alguns benefícios de se cultivar a gentileza, como dormir bem, ser amado, ter proteção dos seres divinos, e uma mente serena. De nada adianta, no entanto, começar a ser gentil para obter tais resultados e melhora da qualidade de vida, pois falsidade é algo diametralmente oposto à proposta. E, por princípio, a gentileza é necessariamente desinteressada. Como o escritor britânico Aldous Huxley afirmou, no fim da vida. ''É desconcertante que, após anos e anos de pesquisas e experimentações, eu tenha que dizer que a melhor técnica para transformar nossas vidas seja ser mais gentil''.

Algo bastante urgente de ser lembrado nos dias de hoje. Pois se gentileza gera gentileza, a sua falta só pode produzir uma carência ainda maior, daí o cenário aterrador de um mundo de rispidez e impaciência, e seus assustadores índices de violência - não como causa única, evidentemente.

''A falta de gentileza e a hostilidade nas relações podem contribuir para um mundo estressante, na medida em que essas atitudes são contagiosas. Violência gera violência, hostilidade gera hostilidade, raiva gera raiva'', acredita a psicóloga Lúcia Novaes. Por outro lado, diz ela, o mundo estressado, com tantas demandas, com a necessidade de se fazer cada vez mais coisas em menos tempo e mais perfeitas abre espaço para atitudes agressivas, raivosas e hostis. ''É um círculo vicioso.''

No ano que vem, para marcar os dez anos da morte de Gentileza, um grupo de artistas e intelectuais afinados com a causa do profeta deve retomar o projeto Rio com Gentileza, com manifestações festivas pela cidade para lembrar a atualidade do pensamento do profeta.

''Se ele estivesse entre nós, continuaria pregando a gentileza, já que seu avesso, a rudeza e a violência, infelizmente não saíram de moda'', acredita Guelman, que também reivindica junto à prefeitura um maior cuidado com os murais, que ele quer ver cercados e iluminados. ''São um patrimônio afetivo da cidade.''

A importância de se adotar a atitude no cotidiano é bem expressada pelo teólogo Leonardo Boff, em artigo intitulado ''Espírito de Gentileza'' (disponível na íntegra no site leonardoboff.com). ''Este espírito nunca ganhou centralidade, por isso somos tão vazios e violentos. Hoje ele é urgente. Ou seremos gentis e cuidantes ou nos entredevoraremos.''

Fonte: Fórum Saúde Br


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 08 de Abril de 2011, 13:41
  :D Meus queridos irmãos e irmães,com é bom ser gentil,nos dá uma satisfação sem medida,o nosso coração transborda de alegria.A gentileza é a maneira mais simples de abrir portas fechadas que em muitas das vezes as pessoas se trancam,por motivos as vezes alheio a sua vontade,por um momento sofrido,pelo egoismo,pela arrogância,pela falta de amor,muitas das vezes por nunca ter experimentado esse amor.Dai então quando se chega a ela com de uma maneira gentil, com paciência e tolerância,vai-se se abrindo as portas que estavam fechadas,fazendo com que esta pessoa tenha também alegria no coração.
Havia na cidade do Rio de Janeiro,uma pessoa que se tornou muito popular e respeitado por pregar sempre o "Amor e a Gentileza"ficou sendo conhecido como o Profeta Gentileza.Andava nas ruas com as vestimentas branca pregando o amor e a gentileza,contam-se em história que ele era um empresário do setor de transpote e que depois que sofreu uma grande decepção,abondonou tudo e se tornou um ermitão,um pregador da paz,do amor e da gentileza.
Fiquem na paz e que Deus na sua infinita grandeza nos abençoe sempre.
Ps.Sejam sempre gentis.

Fiquem
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Regina Prins em 08 de Abril de 2011, 14:05

No meu dia a dia tenho como princípio tratar ou fazer as pessoas, aquilo que gostaria que fizessem comigo.
A delicadeza e gentileza são uma questão de educação, de sensibilidade para com o próximo, quantas vezes podemos levantar o astral de uma pessoa sem dizermos nada, apenas sendo solidários com a pessoa, estando perto, ouvindo seu desabafo,dando um forte abraço, um toque em seu braço,uma lágrima compartilhada, são coisas simples que não nos custam nada e que é tão importante para a pessoa que está sofrendo.
Como é bom entrar no ônibus, dar um olá ao cobrador, motorista, um desejo de bom trabalho ao sair do coletivo;deixar uma pessoa idosa ou uma pessoa que pareça estar precisando mais que nós,sentar.São pequenos gestos que fazem bem a nós e aos outros.
Ao passarmos na rua por uma pessoa, ou ao irmos ao supermercado e passar pela senhora que está limpando o corredor, dar um sorriso...meu Deus como enche nosso coração de prazer de amor.
Muitas vezes encontro pessoas que me tratam mal, mesmo assim continuo com gentileza,com educação, no final a pessoa até já se mostra diferente e se não se mostra naquela mesma hora ,com o passar do tempo ela modifica sua maneira de ser para comigo ,eu sempre digo “amoleci a fera”...
Não somos diferentes de ninguém e nem melhores que ninguém, assim como precisamos de atenção, carinho, amor, os outros também precisam.
O grande segredo é tentar amar as pessoas como Deus nos ama.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 08 de Abril de 2011, 14:23
Bom dia, queridos amigos e caros irmãos visitantes!


ALEGRIA


A alegria real é aquela que nasce do dever cumprido com base na consciência tranqüila.

A alegria, quando extrapola os seus limites, é fonte de muitas lágrimas.

Viver com alegria é viver com saúde e paz.

As vibrações alegres e otimistas têm o poder de regenerar as células enfermas, tanto quanto o de levantar as almas apáticas.

Quem compreende o sentido da vida sabe superar com alegria todas as provas com as quais se defronte.

Quem procura alegrar-se nos prazeres transitórios apenas encontra mágoa e desilusão ao fim de fugaz alegria.

O homem de fé, sobretudo, é um homem que traz a felicidade represada na alma, pela insuperável alegria de amar ao próximo como a si mesmo.

A alegria que nos falta, não raro, é a alegria que negamos aos outros.

Um sorriso de simpatia atrai incontáveis bênçãos de carinho.

Aprendamos a sorrir para a Vida para que a Vida continue a sorrir para nós.

O homem que vive contrariado e de tudo reclama, vendo obstáculos em toda parte, está em profunda desarmonia com a Vida, que é a Suprema Alegria de Deus!
 
                 Irmão José
(Psicografia de Carlos A. Baccelli)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 08 de Abril de 2011, 14:32
Bom dia a todos,
Lima Gil, REGINA_RS, Antonio Renato, Henrique Alves, Jujucaba

 muito obrigada pela sua colaboração, muito bom os textos aqui postados.

Bem, a Gisella nos pediu que trouxessemos alguns exemplos nossos sobre o tema.

Eu trabalho em Hospital, ambiente tenso, e aflito.
O Hóspede hospitalar é muito diferente da hotelaria turísticas, não estão lá por opção, foram retirados das suas  vidas,  para ficarem reclusos em tratamento. O seu estado emocional está alterado, assim como o de seu acompanhante. Em vista disto, o nível de exigência é muito superior ao hóspede comum.
Qualquer coisa é motivo de uma reclamação tempestuosa, e não raro falam palavras duras, não só à Instituição em si, como aos colaboradores que ali trabalham. ( enfermeiros, médicos , camareiras etc).
Existe todo um treinamento feito para lidar com delicadeza e não absorver pessoalmente a queixa para toda a equipe que lida com o paciente e principalmente com seu acompanhante, que está tenso e vigilante a absolutamente a tudo que se passa.
Uma simples colher de café, que por ventura não tenha ido na bandeja ( isso não acontece é só exemplo) é motivo para uma critica ou queixa extremamente pesada. Assim como uma piora no quadro clínico do paciente ou até mesmo o óbito, pode levar o acompanhante ao extremo.
Manter a serenidade nesta hora é fundamental por parte da equipe , que atende o paciente e o acompanhante, falar palavras delicadas de compreensão, gentileza dar o ombro em ajuda, e como já falei aqui executar a escuta.
O que vem a ser executar a escuta? Se colocar no lugar do outro, compreender o que ele está sentindo, sem ser levado pela emoção . Se ele aumentar a voz responda em tom baixo, deixe que ele desabafe, não o interrompa até que ele acabe de falar, dê razão mesmo que não tenha e providencie o que é necessário para sanar a situação.
Tenho percebido , por incrível que pareça, que este treinamento tem me auxiliado muito nas minhas relações do dia a dia.

Ajuda muito, porque perde-se a impulsividade da resposta, percebe-se o que é do outro e o que é seu, assim sendo é muito mais fácil lidar com o conflito sem ser levado por ele e por conseguinte perdoar o outro.

Um abço

Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 08 de Abril de 2011, 14:56
 :D Sei quem é este "Profeta da Gentileza",claro, acompanhei também esse personagem do Rio, muito obrigada por citá-lo, Antonio Renato e Henrique Alves, não me lembrava mais.
Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 15:04
Olá, amigos....

Bom dia!!!

Acabei de chegar da fisioterapia, onde tive oportunidade de aplicar a gentileza / delicadeza...

Tem uma paciente que está com sérios problemas de limitação física e não consegue ter forças para lutar a favor dela mesma.

Ela reclama o tempo todo, se sente muito "injustiçada", enfim, situação que muitos que passam por este problema e não sabem lidar com ele se sentem..

E o bacana desta história, é que todas as vezes que eu falava com ela, ela só chorava, reclamava, gemia... hoje, graças a Deus e ao seu esforço, ela conseguiu sorrir, me dizer que "tem que dizer que tá bem, né?"... poxa vida, valeu todos os momentos em que eu conversei com ela e lhe desejava saúde, boa sorte, força e dizer a ela que "tudo passa"...

Foi uma experiência gratificante!!

Bem... agora vou até a assistência técnica para ver o que aconteceu com o meu PC, pois a coisa está pior do que parece... será que conseguirei agir com delicadeza??  ;D

Já, já eu volto e lerei com calma todos os posts e trarei mais alguns exercícios que podemos fazer no nosso dia a dia, ok??

A todos que postaram e nos trouxeram suas experiências, muito obrigada, de todo o coração!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 08 de Abril de 2011, 15:40
Bom dia aos amigos

Gentilezas Salvadoras

Aquele cuja afabilidade e doçura não são fingidas nunca se desmente: é o mesmo, tanto em sociedade, como na intimidade. (Alan Kardec. E.S.E. Cap. IX. Item 6.)

Quando você afasta do piso uma casca de fruta deixada pela negligência de alguém, não pratica apenas um ato de gentileza. Evita que algum desavisado escorregue, sofrendo tombo violento.
*
Ao ceder o lugar no transporte coletivo a um ancião, você não realiza um gesto de cortesia somente. Atende a um corpo cansado, poupando as energias de quem poderia ser seu genitor.
*
Se você oferece braço moço à condução de um volume, poupando aquele que o carrega, não pratica unicamente uma delicadeza. Contribui fraternalmente para o júbilo de alguém que, raras vezes, encontra ajuda.
*
Portando a boa palavra em qualquer situação, você não atende exclusivamente à finura do trato. Realiza entre os ouvintes o culto do verbo são, donde fluem proveitosos e salutares ensinamentos.
*
Silenciando uma afronta em público, você não atesta apenas o refinamento social. Poupa-se à dialogação violenta, que dá margem a ódios irremediáveis.
*
Se você oferece agasalho a algum desnudo, não só atende à delicadeza humana, por filantropia. Amplia a cultura da caridade pura e simples.
*
Ao sorrir, discretamente, dando ensejo a um desafeto de refazer a amizade, você não age tão-somente em tributo à educação. Apaga mágoas e ressentimentos, enquanto "está no caminho com ele".
*
Procurando ajudar um enfermo cansado a galgar e vencer dificuldades, você não procede imbuído apenas de gentileza. Coopera para que a vida se dilate no debilitado, propiciando-lhe ensejos evolutivos.
*
Atendendo impertinente criança que o molesta, num grupo de amigos, você não se situa só na formosura da conduta externa. Liberta um homem futuro de uma decepção presente.
No exercício da gentileza, a alma dilata recursos evangélicos e vive o precioso ensino do Mestre ao enfático doutor da lei, com afabilidade e doçura, quando Ele afirmou: "Vai e faze o mesmo!".

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Glossário Espírita-Cristão. Ditado pelo Espírito Marco Prisco. 4 edição. Salvador, BA: LEAL. 1993.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 08 de Abril de 2011, 15:51
Sinceridade

"Aliás, não é de bom aviso atacar bruscamente os preconceitos. Esse o melhor meio de não se ser ouvido. Por essa razão é que os Espíritos muitas vezes falam no sentido da opinião dos que os ouvem: é para o trazer pouco a pouco à verdade. Apropriam na linguagem às pessoas, como tu mesmo farás, se fores um orador mais ou menos hábil." O LIVRO DOS MÉDIUNS 2ª parte, Capítulo 27º - Item 301 (3ª)

Em nome da verdade não apliques a palavra contundente sobre a fraqueza daqueles que caminham desequilibrados ao teu lado.
A pretexto de servir à causa do Bem não derrames espinhos pela senda onde segue teu próximo, tentando, dessa forma, ser coerente com as próprias convicções.
Falando em nome do ideal que esposas, evita a exposição petulante dos conhecimentos que um dia te conferiram; apresenta-os aos ouvintes com a simplicidade que agrada e sem a pretensão de emitires o último conceito.
Justificando a tua maneira sadia de viver, não te faças desagradável companhia, usando, indiscriminadamente, a palavra ferinte e o argumento intolerante, a expressão deprimente e a frase impiedosa em relação àqueles que ainda não podem seguir-te os passos.
Procurando libertar a tua alma do erro, não intentes escravizar aos teus caprichos de pensamentos quantos não têm possibilidade de voar contigo na amplidão do conhecimento.
Nas observações que fazes, não te esqueças que nem todos os seres se encontram preparados para ouvir-te as repreensões, mesmo quando coroadas das melhores intenções.
Procurando ajudar, não te detenhas, apenas, na descoberta da ferida; utiliza-te do singelo chumaço do algodão e cobre a enfermidade com medicação balsâmica.
Não te esqueças de que a verdade, semelhante à moral penetra, lentamente, acendendo luzes na escuridão e vencendo trevas sem precipitação em gritos, generalizando-se, poderosa.
Muitas vezes se serve melhor à verdade, calando a palavra ofensiva e constringente que jamais edifica.
Saber e silenciar, receber e guardar, ouvir e reter são manifestações que contribuem mais para a campanha de esclarecimento do que expor a verdade, aos gritos, junto às almas que não se encontram preparadas para a renovação.

Sinceridade!.

Quantas vezes em teu nome se destrói, esmaga-se, desanima-se e persegue-se, acreditando servir à honra e ao bem.
Por isso mesmo, lavra teu campo, meu irmão, semeia a bondade e a luz e, sendo sincero para contigo mesmo, serve ao ideal do Cristo na humanidade inteira, ajudando, sem cessar, a quantos caminham pelas tuas veredas.
Não será isto, porventura, o que Jesus faz conosco?

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Espírito e Vida. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Capítulo 18. LEAL Editora.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 15:55
Olá, amigos....

Segue um texto bastante interessante de um médico e professor de medicina tradicional chinesa a respeito da Gentileza

Depois de lermos este texto, ele nos propõe um exercício bem legal...

Gostaríamos que apenas procurassem fazer o exercício depois de ler o texto... não deixemos que a impaciência e a ansiedade nos faça pular etapas... ;D

Vamos a ele:

Pratique a gentileza

Há pouco tempo um amigo me fez refletir sobre a virtude da gentileza.

Ele estava atrasado para uma reunião importante. Apresentaria, naquela tarde, uma proposta de prestação de serviço para uma grande empresa. Quando chegou, correu para o elevador e a ascensorista avisou: "Só cabe mais um". O fato é que havia dois: ele e outro senhor que acabara de chegar. Apesar da pressa, cedeu seu lugar.

Quando entrou no escritório, todos estavam à sua espera. Para sua surpresa, a falta de pontualidade não comprometeu o interesse pelo projeto e, por ironia do destino, ainda rendeu-lhe um amigo: o vice-presidente da companhia, a quem, sem saber, havia oferecido o lugar no elevador.

A lição é clara: não devemos perder a chance de ser gentis. E não me refiro àquela gentileza mecânica, que funciona como um simples facilitador da convivência social, mas sim da verdadeira virtude, que envolve doação e até um pouco de renúncia. Para diferenciá-las, é preciso prestar atenção às nossas atitudes diárias.

Tomemos como exemplo um sorriso, que constitui sempre um ato gentil, ainda que seja conveniente e forçado. Ele, certamente, será útil para quebrar o gelo em situações formais e dar segurança para abordar um desconhecido. No entanto, sua função acaba aí. Mas se, ao contrário, for espontâneo e sincero, vai levar afeto a quem o recebe e é justamente essa doação que caracteriza a gentileza como virtude.


continua...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 15:58
continuação...

A gentileza formal e a verdadeira virtude têm ainda outra diferença.

 A primeira se orienta pela reação alheia, pois é um ato condicionado. Imaginemos que o tal sorriso automático não seja correspondido pela outra pessoa. Da próxima vez que a virmos, não iremos mais usá-lo.

Já a gentileza virtuosa nos permite continuar sorrindo, independentemente de haver reciprocidade.

Ao contrário do que se pensa, a gentileza não começa no tratamento que dispensamos ao outro, mas no respeito que temos por nós mesmos. Antes de sorrir para alguém, temos de sorrir para nós mesmos, ser gentis com nossas limitações e inseguranças, com a vida de modo geral. Impossível doar alguma coisa boa a alguém sem antes cultivá-la interiormente. E por isso que uma pessoa depressiva tem dificuldade de transmitir afeto em suas ações.

Reconhecer a dádiva da vida é a melhor forma de exercitar a verdadeira gentileza no dia-a-dia. Pratique.

Antes de distribuir "bons-dias" automáticos, cumprimente-se com entusiasmo diante do espelho e agradeça a oportunidade de levar essa satisfação para as pessoas que cruzarão seu caminho naquele dia. E lembre-se: nunca espere nada em troca, apenas a afirmação de sua humanidade.


continua...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 16:06
continua...

Agora é que ele nos dá um exercício bem bacana para fazermos...

Mas você já leu os dois posts contendo o texto introdutório?? Venceu a ansiedade e a impaciência??  ;D

Ok. Então, vamos ao exercício....


Repita a seqüência abaixo durante uma semana:

Afirmação matinal: "Para ser gentil com os outros, tenho de ser gentil comigo mesmo.
Devo perdoar minhas limitações e inseguranças e cultivar tudo aquilo que tenho de bom".

Diante do espelho, mentalize: "Hoje meu rosto vai transmitir força, paz e alegria de viver".

Diga a si mesmo: "Hoje vou expressar afeto por meio dos meus gestos. Vou perceber o outro como eu gostaria de ser percebido. Farei isso sem esperar absolutamente nada em troca".

Diário noturno: Escreva ou medite sobre como foi incluir a gentileza em seu dia. Por exemplo, "dei aos outros atenção e compreensão quando...” e "agora sei em quais situações não consigo ser gentil e vou fazer o que puder para melhorar".

*Dr. Jou Eel Jia é médico de formação clássica e professor de medicina tradicional Chinesa.

Que tal?? Gostaram?? Vamos nos exercitar??

Abraços fraternos,

Gisella  :)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ♪♫ Mana ♫ ♪ em 08 de Abril de 2011, 16:29
Olá, pessoal... ainda com pc emprestado, mas vamos esudar!!!

Estou lendo com calma todos os posts desde minha última participação e logo, logo estarei com vcs...

Acho que estou tendo que praticar minha paciência, minha tolerância (o técnico me disse que ficaria pronto pela manhã)....  ;D

Sem contar que, estou fazendo a Margeci praticar as dela!!!

Até já...

Gisella  ;)

Praticar minha paiciência com você até que é facinho...  :D difícil está sendo praticá-la comigo mesma.  :(
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 08 de Abril de 2011, 16:30
 >:(Caros irmãos e irmães,eu continuo exercitando a paciência e a tolerância,pode está fora de contexto na continuação do estudo mensal.mas eu não estou visitante nem visitando o fórum,eu sou da casa e faço parte desta grande família que é o Fórum Espirita,a palavra em sí e o tratamento não é ofensiva para mim,como já citei em uma postagem anterior,mas por favor senhores moderados sejam gentis para comigo,modifiquem a minha apresentação.
Fiquem na paz.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 08 de Abril de 2011, 16:36
Simplicidade e Pureza de Coração

Bem-aventurados os que têm puro o coração, porquanto verão a Deus. (S. Mateus, cap. V, v. 8.)

Apresentaram-lhe então algumas crianças, a fim de que ele as tocasse, e, como seus discípulos afastassem com palavras ásperas os que lhas apresentavam, Jesus, vendo isso, zangou-se e lhes disse: “Deixai que venham a mim as criancinhas e não as impeçais, porquanto o reino dos céus é para os que se lhes assemelham. - Digo-vos, em verdade, que aquele que não receber o reino de Deus como uma criança, nele não entrará.” - E, depois de as abraçar, abençoou-as, impondo-lhes as mãos. (S. MARCOS, cap. X, vv. 13 a 16.)

A pureza do coração é inseparável da simplicidade e da humildade. Exclui toda ideia de egoísmo e de orgulho. Por isso é que Jesus toma a infância como emblema dessa pureza, do mesmo modo que a tomou como o da humildade.
Poderia parecer menos justa essa comparação, considerando-se que o Espírito da criança pode ser muito antigo e que traz, renascendo para a vida corporal, as imperfeições de que se não tenha despojado em suas precedentes existências. Só um Espírito que houvesse chegado à perfeição nos poderia oferecer o tipo da verdadeira pureza. E exata a comparação, porém, do ponto de vista da vida presente, porquanto a criancinha, não havendo podido ainda manifestar nenhuma tendência perversa, nos apresenta a imagem da inocência e da candura. Daí o não dizer Jesus, de modo absoluto, que o reino dos céus é para elas, mas para os que se lhes assemelhem.
Pois que o Espírito da criança já viveu, por que não se mostra, desde o nascimento, tal qual é? Tudo é sábio nas obras de Deus. A criança necessita de cuidados especiais, que somente a ternura materna lhe pode dispensar, ternura que se acresce da fraqueza e da ingenuidade da criança. Para uma mãe, seu filho é sempre um anjo e assim era preciso que fosse, para lhe cativar a solicitude. Ela não houvera podido ter-lhe o mesmo devotamento, se, em vez da graça ingênua, deparasse nele, sob os traços infantis, um caráter viril e as ideias de um adulto e, ainda menos, se lhe viesse a conhecer o passado.
Aliás, faz-se necessário que a atividade do princípio inteligente seja proporcionada à fraqueza do corpo, que não poderia resistir a uma atividade muito grande do Espírito, como se verifica nos indivíduos grandemente precoces. Essa a razão por que, ao aproximar-se-lhe a encarnação, o Espírito entra em perturbação e perde pouco a pouco a consciência de si mesmo, ficando, por certo tempo, numa espécie de sono, durante o qual todas as suas faculdades permanecem em estado latente. E necessário esse estado de transição para que o Espírito tenha um novo ponto de partida e para que esqueça, em sua nova existência, tudo aquilo que a possa entravar. Sobre ele, no entanto, reage o passado. Renasce para a vida maior, mais forte, moral e intelectualmente, sustentado e secundado pela intuição que conserva da experiência adquirida.
A partir do nascimento, suas ideias tomam gradualmente impulso, à medida que os órgãos se desenvolvem, pelo que se pode dizer que, no curso dos primeiros anos, o Espírito é verdadeiramente criança, por se acharem ainda adormecidas as ideias que lhe formam o fundo do caráter. Durante o tempo em que seus instintos se conservam amodorrados, ele é mais maleável e, por isso mesmo, mais acessível às impressões capazes de lhe modificarem a natureza e de fazê-lo progredir, o que toma mais fácil a tarefa que incumbe aos pais.
O Espírito, pois, enverga temporariamente a túnica da inocência e, assim, Jesus está com a verdade, quando, sem embargo da anterioridade da alma, toma a criança por símbolo da pureza e da simplicidade.

Allan Kardec. Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo. 112 edição. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet.org.br. Federação Espírita Brasileira. 1996.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 08 de Abril de 2011, 16:46
O Homem Honesto Segundo Deus ou Segundo os Homens

Nota: as respostas deste texto foram dadas pelo Espírito JOSEPH BRÊ, falecido em 1840, ao ser evocado em Bordéus, por sua neta, em 1862. O texto foi extraído do livro "O Céu e o Inferno" de Allan Kardec.

1. - Caro avô, podeis dizer-me como vos encontrais no mundo dos Espíritos, dando-me quaisquer pormenores úteis ao nosso progresso?
R. Tudo que quiseres, querida filha. Eu expio a minha descrença; porém, grande é a bondade de Deus, que atende às circunstâncias. Sofro, mas não como poderias imaginar: é o desgosto de não ter melhor aproveitado o tempo aí na Terra.
2. - Como? Pois não vivestes sempre honestamente?
R. Sim, no juízo dos homens; mas há um abismo entre a honestidade perante os homens e a honestidade perante Deus. E uma vez que desejas instruir-te, procurarei demonstrar-te a diferença. Aí, entre vós, é reputado honesto aquele que respeita as leis do seu país, respeito arbitrário para muitos. Honesto é aquele que não prejudica o próximo ostensivamente, embora lhe arranque muitas vezes a felicidade e a honra, visto o código penal e a opinião pública não atingirem o culpado hipócrita.
Em podendo fazer gravar na pedra do túmulo um epitáfio de virtude, julgam muitos terem pago sua dívida à Humanidade! Erro! Não basta, para ser honesto perante Deus, ter respeitado as leis dos homens; é preciso antes de tudo não haver transgredido as leis divinas. Honesto aos olhos de Deus será aquele que, possuído de abnegação e amor, consagre a existência ao bem, ao progresso dos seus semelhantes; aquele que, animado de um zelo sem limites, for ativo na vida; ativo no cumprimento dos deveres materiais, ensinando e exemplificando aos outros o amor ao trabalho; ativo nas boas ações, sem esquecer a condição de servo ao qual o Senhor pedirá contas, um dia, do emprego do seu tempo; ativo finalmente na prática do amor de Deus e do próximo.
Assim o homem honesto, perante Deus, deve evitar cuidadoso as palavras mordazes, veneno oculto sob flores, que destrói reputações e acabrunha o homem, muitas vezes cobrindo-o de ridículo. O homem honesto, segundo Deus, deve ter sempre cerrado o coração a quaisquer germens de orgulho, de inveja, de ambição; deve ser paciente e benévolo para com os que o agredirem; deve perdoar do fundo dalma, sem esforços e sobretudo sem ostentação, a quem quer que o ofenda; deve, enfim, praticar o preceito conciso e grandioso que se resume "no amor de Deus sobre todas as coisas e do próximo como a si mesmo".
Eis aí, querida filha, aproximadamente o que deve ser o homem honesto perante Deus. Pois bem: tê-lo-ia eu sido? Não. Confesso sem corar que faltei a muitos desses deveres; que não tive a atividade necessária; que o esquecimento de Deus impeliu-me a outras faltas, as quais, por não serem passíveis às leis humanas, nem por isso deixam de ser atentatórias à lei de Deus. Compreendendo-o, muito sofri, e assim é que hoje espero mais consolado a misericórdia desse Deus de bondade, que perscruta o meu arrependimento. Transmite, cara filha, repete tudo o que aí fica a quantos tiverem a consciência onerada, para que reparem suas faltas à força de boas obras, a fim de que a misericórdia de Deus se estenda por sobre eles. Seus olhos paternais lhes calcularão as provações. Sua mão potente lhes apagará as faltas.

Allan Kardec. Da obra: O Céu e o Inferno. 40 edição. Extraído do capítulo 3 - 2a. Parte - Espíritos em condições medianas. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet.org.br. Federação Espírita

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 16:49
>:(Caros irmãos e irmães,eu continuo exercitando a paciência e a tolerância,pode está fora de contexto na continuação do estudo mensal.mas eu não estou visitante nem visitando o fórum,eu sou da casa e faço parte desta grande família que é o Fórum Espirita,a palavra em sí e o tratamento não é ofensiva para mim,como já citei em uma postagem anterior,mas por favor senhores moderados sejam gentis para comigo,modifiquem a minha apresentação.
Fiquem na paz.

Olá, Antonio Renato...

Não sei o que pode estar havendo... vou passar sua queixa para a coordenação. Mas uma dica... vc entra com o seu login na página inicial??

Bem, vamos ver o que podemos fazer...

Mas não perca a sua paciência nem a sua tolerância para conosco... estamos trabalhando para melhora, tenha certeza... :D

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Marina garcia em 08 de Abril de 2011, 18:41
precisamos fortificar essas sementes começando por nós mesmos, tendo para conosco esses sentimentos, pois somos tão necessitados deles como qualquer outro Ser Inteligente do Universo.
essas palavras realmente servem muito  para o nosso dia a dia, que bom se conseguissemos por em prética todas essas virtudes.
Adorei este tema, transformação pelo amor.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 08 de Abril de 2011, 18:44
Humildade de Espírito

A humildade é o ingrediente indefinível e oculto sem o qual o pão da vida amarga invariavelmente na boca.
Amealharás recursos amoedados a mancheias, entretanto, se te não dispões a usa-los, edificando o conforto e a alegria dos outros, na convicção de que todos os bens pertencem a Deus, em breve converter-te-ás em prisioneiro do ouro que amontoaste, erguido, assim, à feição de teu próprio cárcere.
Receberás precioso mandato de autoridade entre as criaturas terrestres, no entanto, se não procuras a inspiração do Senhor para distribuir os talentos da justa fraternidade, como quem está convencido de que todo o poder é de Deus, transformar-te-ás, pouco a pouco, no empreiteiro inconsciente do crime, por favoreceres a própria ilusão, buscando o incenso a ti mesmo na prática da injustiça.
Erguerás teu nome no pedestal da cultura, contudo, se te não inclinas à Sabedoria da Eternidade, acendendo a luz em benefício de todos, como quem não ignora que toda inteligência é de Deus, depressa te rojas ao chavascal da mentira, angariando em teu prejuízo a embriaguez da vaidade e a introdução à loucura.
Lembra-te de que a Bondade Celeste colocou a humildade por base de todo o equilíbrio da Natureza.
O sábio que honra a ciência ou o direito não prescinde da semente que lhe garanta a bênção da mesa.
O campo mais belo não dispensa o fio d´água que lhe fecunda o seio em dádivas de verdura.
E o próprio Sol, com toda a pompa de seu magnificente esplendor, embora fulcro de criação, converteria o mundo em pavoroso deserto, não fosse a chuva singela que lhe ambienta no solo a força divina.
Não desdenhes, pois, servir, aprendendo com o Mestre Sublime, que realizou o seu apostolado de amor entre a manjedoura desconhecida e a cruz da flagelação, e serás contado entre aqueles para os quais ele mesmo pronunciou as inesquecíveis palavras:

“Bem-aventurados os humildes de espírito, porque a eles mais facilmente se descerrarão as portas do Céu”.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Intervalos. Ditado pelo Espírito Emmanuel.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 18:54
Olá, amigos!

Um texto, apenas para nossa reflexão...



O PODER DA GENTILEZA
 
Samuel era um rabino que, na década de 1930, vivia numa aldeia polonesa. Gostava de dar longas caminhadas pelo campo. Era conhecido pela sua gentileza, pela forma com que a todos se dirigia.

As relações entre cristãos e judeus não eram muito boas, naquela aldeia. Mesmo assim, toda vez que o rabino passava pelo camponês Sr. Müeller o cumprimentava com um sonoro: bom dia!

Naturalmente que não havia resposta. O lavrador lhe voltava as costas, em silêncio.

O rabino, contudo, não desistia. Todos os dias, nas manhãs de sol, passava e cumprimentava o Sr. Müeller.

Finalmente, depois de muito tempo, o lavrador decidiu corresponder ao cumprimento. Primeiro com um leve toque no chapéu. Depois, acrescentou um sorriso. Mais tarde, gritava de volta: bom dia, Rabino.

Os anos se passaram. Chegaram os nazistas e o rabino e toda sua família foram feitos prisioneiros e levados a um campo de concentração.

O rabino foi sendo transferido de um campo para outro até chegar ao de Auschwitz.

Desembarcando do trem, ele entrou em uma enorme fila para seleção.

Enquanto caminhava ao ritmo da fila, percebeu que lá na frente estava o comandante do campo. Era ele que indicava com um bastão para onde o prisioneiro deveria ir: para a esquerda ou para a direita.

A esquerda queria dizer morte imediata. A direita garantia algum tempo de sobrevivência.

O coração começou a palpitar. A fila avançava e ele pensava: esquerda ou direita? Morrerei ou viverei?

Que tipo de homem, pensou, seria aquele comandante que assim decidia sobre a vida e a morte de outros tantos homens?

Quando estava apenas a uma pessoa de distância do oficial, afastou o medo e olhou com curiosidade para o rosto do comandante. Naquele momento, o homem se voltou e os olhos de ambos se encontraram.

O rabino se aproximou. Era a sua vez. Olhou fixamente para os olhos que o fitavam e disse baixinho: bom dia, Sr. Müeller. Os olhos do comandante tremeram por um segundo. A seguir, respondeu: bom dia, Rabino.

Estendeu o bastão para a frente. Apontou a direita e gritou: passe.

E o rabino passou para a direita, para a vida. 

*** 

Os pequenos gestos, tantas vezes considerados insignificantes, podem acarretar conseqüências. Se forem gestos infelizes, as conseqüências serão graves. Se forem bons, gerarão felicidade.

O rabino jamais pensou que um dia a sua vida estaria nas mãos daquele homem simples, que lavrava o campo todos os dias, em sua aldeia.

Mas o cultivo da gentileza, do bom humor, da cortesia lhe salvaram a vida. Possivelmente, o rude comandante se recordou dos dias de calor, de sol ardente em que a única voz humana afetuosa que ouvia era a do rabino, com seu sonoro “bom dia, Sr. Müeller.”

Um gesto e uma voz que estavam acima do preconceito e que falavam, em verdade, da fraternidade doce e singela ensinada por Jesus.

 

(Pequenos Milagres, pág. 76 - www.momento.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tb21lbnRvLmNvbS5icg==))
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 08 de Abril de 2011, 18:55
Energia e Brandura

Na marcha do dia-dia, urge harmonizar as
manifestações de nossas qualidades com o
espírito de proporção e proveito, a fim de que
o extremismo não nos imponha acidentes,
no trânsito de nossas tarefas e relações.

Energia na fé; não demais que tombe em
fanatismo..

Brandura na humildade; não demais que
entremostre relaxamento.

Energia na convicção; não demais que se
transforme em teimosia.

Brandura na humildade; não demais que
degenere em servilismo.

Energia na justiça; não demais que seja
crueldade.

Brandura na gentileza; não demais que
denuncie bajulação.

Energia na sinceridade; não demais que
descambe no desrespeito.

Brandura na paz; não demais que se acomode
em preguiça.

Energia na coragem; não demais que se faça
temeridade.

Brandura na prudência; não demais que se
recolha em comodismo.

No caminho da vida, há que aprender com a
própria vida.

Vejamos o carro moderno nas viagens de hoje;
nem passo a passo, porque isso seria ignorar
o progresso, diante do motor; nem velocidade
além dos limites justos, o que seria abusar do
motor para descer ao desastre e à morte
prematura.

Em tudo, equilíbrio, porque, se tivermos
equilíbrio asseguraremos, em toda parte e em
qualquer tempo, a presença de caridade e
paciência, em nós mesmos, as duas guardiãs
capazes de garantir-nos trajeto seguro e
chegada feliz


Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 19:14
precisamos fortificar essas sementes começando por nós mesmos, tendo para conosco esses sentimentos, pois somos tão necessitados deles como qualquer outro Ser Inteligente do Universo.
essas palavras realmente servem muito  para o nosso dia a dia, que bom se conseguissemos por em prética todas essas virtudes.
Adorei este tema, transformação pelo amor.

Olá, Marina Garcia....

Seja bem vinda aos nossos estudos, ele é de todos nós....

Você disse uma grande verdade... as sementes das virtudes devem ser fortificadas em nós primeiro, para que possamos mostrar ao outro como nos modificamos e nos tornamos melhores. Assim, não haverá palavra que tem mais força, do que as nossas atitudes, não é mesmo??

Deus permita que tenhamos vontade suficiente para colocá-las em prática, logo, logo...

Obrigada por sua contribuição!!

Ken, obrigada pelos textos sempre elucidativos..

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 08 de Abril de 2011, 19:37
Homem inteligente

Reunião pública de 22-5-59.

Questão 592 (Livro dos Espíritos)





Em verdade, o homem inteligente não é aquele que apenas calcula, mas sim o que transfunde o próprio raciocínio em emoção. Para compreender a vida e sublimá-la. Podendo senhorear as riquezas do mundo, abstém-se do excesso para viver com simplicidade, sem desrespeitar as necessidades alheias. Guardando o conhecimento superior, não se encastela no orgulho, mas aproxima-se do ignorante para auxiliá-lo a instruir-se. Dispondo de meios para fazer com que o próximo se lhe escravize ao interesse, trabalha espontaneamente pelo prazer de servir. E, entesourando virtudes inatacáveis, não se furta à convivência com as vítimas do mal, agindo, sem escárnio ou condenação, para libertá-las do vício. O homem inteligente, segundo o padrão de JESUS, é aquele que, sendo grande, sabe apequenar-se para ajudar aos que caminham em subnível, consagrando-se ao bem dos outros, para que os outros lhe partilhem a ascensão para DEUS.


Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 08 de Abril de 2011, 21:01
O Significado da Vida

Na grande mole humana, cada pessoa dá, à vida, um significado
especial.

Esta objetiva a aquisição da cultura; essa busca o destaque
social; aquela anela pela fortuna; estoutra demanda o patamar da glória...

Uma quer a projeção pessoal; outra anseia pela construção de
uma família ditosa, cada qual empenhando-se mais afanosamente para atingir o que estabelece como condição de meta essencial.

Tal planificação, que varia de indivíduo, termina por estimular
à luta, à competição insana, ao desespero.

Conseguido, porém, o que significou como ideal, ou reprograma
o destino ou tomba em frustração, descobrindo-se irrealizado
ou vítima de saturação do que haja conseguido sem plenificar-
se interiormente.


A vida, entretanto, possui um significado especial, que reside
no auto descobrimento do homem, que passa a valorizar o que é ou não importante no seu peregrinar evolutivo.

Este desafio se torna individual, unindo, sem embargo, no futuro,
os seres numa única família, que entrelaça os ideais em
sintonia perfeita com a energia que emana de Deus e é o élan
vitalizador da vida.


Os meios da tua sobrevivência orgânica emulam-te para avançar
ao encontro da finalidade da existência.

O azeite sustenta a chama, porém a finalidade desta não é
crepitar, mas derramar luz e aquecer.


Enquanto não te empenhes, realmente, na busca da tua realidade espiritual, seguirás inseguro, instável, sem plena satisfação.

Todas as aquisições que exaltam o ego, terminam por entediar.


A maneira mais eficiente para o cometimento do real significado
da vida é a experiência do amor.


Amor que doa e liberta.

Amor que renuncia e faz feliz.

Amor que edifica, espalhando esperança e bênçãos.

Amor que sustenta vidas e favorece ideal de enobrecimento.

Amor que apazigua quem o sente e dulcifica aquele a quem
se doa.


O amor é conquista muito pessoal que necessita do combustível
da disciplina mental e da ternura do sentimento para expandir-se.

O significado essencial da vida repousa, pois, no esforço que
cada criatura deve encetar para anular as paixões dissolventes,
colocando nos seus espaços emocionais o divino hálito, o amor
que se origina em Deus.


Divaldo P. Franco / Joanna de Ângelis

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 21:10
Olá, amigos.... fazendo uma pesquisa sobre delicadeza/gentileza, encontrei este texto do Momento Espírita, que nos traz uma reflexão bastante importante.

Muitas vezes vemos apenas no que nosso olhos viciados enxergam, não vemos realmente. Uma pessoa pode se esconder por tras de máscaras (que usamos todos os dias) para parecer o que não é. Nosso corpo material permite isso.

Mas quando desencarnarmos, poderemos continuar usando nossas máscaras?

Sabemos que não... por isso, seria muito bom refletirmos nesta mensagem, para que façamos nossa transformação enquanto é tempo, pois não sabemos até quando estaremos por aqui....


Gentileza e polidez     

Na língua portuguesa existem palavras com vários significados. Nem sempre sabemos o que realmente significam no contexto em que estão inseridas.

A palavra gentil, por exemplo, segundo os dicionários, quer dizer: de boa linhagem; nobre, fidalgo; elegante, garboso; que agrada pela delicadeza de sentimentos ou fineza de maneiras; amável.

E a palavra polidez quer dizer: caráter ou qualidade do que é polido; atitude gentil; cortesia, civilidade.

Geralmente as pessoas gostam de ser consideradas gentis e polidas, pois esses termos pressupõem atitudes nobres.

No entanto, a pessoa pode ser gentil e polida e não ser ética e nem moralmente correta.

Uma pessoa que se comporta com gentileza e polidez não está, necessariamente, agindo com bondade, equidade, complacência e gratidão.

O excesso de polidez e de gentileza pode até ser muito inconveniente.

É por isso que o ditado popular: É polido demais para ser honesto tem sua razão de ser.

Aquele que é gentil e polido, em excesso, passa por pouco verdadeiro. Isso porque, às vezes, a honestidade, a seriedade e a verdade exigem que se desagrade alguém.

Levada muito a sério, a polidez é o contrário da autenticidade.

Os muito polidos são como crianças grandes demasiadamente bem comportadas, prisioneiras de regras, iludidas pelos costumes e pelas conveniências.

Assim, entende-se que uma pessoa polida não deve ser, só por esse fato, considerada virtuosa.

A polidez pode ser uma atitude externa, como uma fina camada de verniz, adquirida pelas regras de etiqueta, e não ter ressonância no interior da alma.

Uma pessoa pode ser gentil e enérgica ao mesmo tempo, sem que isso a torne menos gentil.

Pessoas que nunca contrariam ninguém não podem estar sendo honestas nem verdadeiras.

Uma pessoa gentil sabe usar a sua autenticidade com moderação, bom senso e firmeza, sem resvalar na pieguice ou na loucura.

Já uma pessoa vil não deixa de ter mau caráter pelo fato de ser polida.

Geralmente, esse equívoco de interpretação confunde a análise e julga-se mais pela aparência do que pela essência.

É por isso que um gentil cavalheiro ou uma dama polida, quando provocados, podem tornar-se irreconhecíveis, pela grosseria de seus atos e gestos.

Isso porque a provocação não resiste à pedra de toque, as mazelas internas rompem o verniz e a criatura mostra-se tal qual é: uma fera.

Nesses momentos usa todas as armas possíveis para agredir, sem mensurar se há justiça ou não em suas atitudes insanas.

Quanto mais fina a camada de verniz, mais facilmente surgirão as intimidações dos oponentes mostrando-lhes, de alguma forma, que estão investidas de algum poder, atrás do qual se protegem.

Quando não se tem argumentos lógicos, justos e coerentes, apela-se para o grito, a carteirada ou a força bruta.

Jesus, o grande Sábio de todos os tempos, disse: Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas, que são semelhantes a sepulcros caiados, vistosos por fora mas cheios de podridão por dentro. Assim também vós, por fora pareceis justos aos outros, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e maldade.

É essa maldade que vai aparecer sempre que ficar exposto o verdadeiro caráter do indivíduo, que está escondido por trás da polidez ou da falsa gentileza.

Por tudo isso vale construir um bom caráter de dentro para fora, pois ninguém poderá se manter por muito tempo sobre bases falsas.

Seja essencialmente gentil e sua gentileza se exteriorizará naturalmente, tão natural como o ato de respirar.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 20 de
O livro das virtudes de sempre, de Ramiro Marques,
ed. Landy e no Evangelho de Mateus, cap. 23, vv 27 e 28.
Em 29.03.2010

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 08 de Abril de 2011, 21:29
Muito bom este texto Gisella,

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 08 de Abril de 2011, 21:55
Assistam este vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=k687Qt6l50o&feature=player_embedded#at=20
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: yuriautran em 08 de Abril de 2011, 22:23
Gisella amiga querida, seja muito bem-vinda ao estudo mensal! :)

Lindo tema! Lindo vídeo!

Com sua direção, costumeiro carinho, lucidez e experiência, muito aprenderemos este mês.

A escolha da companhia da amiga Hebe, contribuirá para acrescentar mais conteúdo ao estudo.

Como já disse quando do anúncio deste tópico, está na hora de crescer e ocupar nosso lugar na vida, no mundo, e isso só é possível através dos caminhos do amor.

Mas para isso é preciso atitude, pois precisamos da simples humildade para aprender a amar, conquistando, assim, a tão almejada felicidade.

Então o que é o amor? Como aprender a amar?


E renovai-vos pelo espírito do vosso sentir.”
Paulo (Efésios, 4:23)
(Ligação para o anexo)

Que Deus nos acompanhe neste importante estudo.

Beijinhos,

Edna ;)



Acordamos sempre com o intuito de fazer o melhor, mas quando o dia vai passando, parece que este consome nossas energias e acabamos por perder também a vontade inicial de demonstrarmos todo nosso amor para o próximo, o que nos leva a cometer pequenos deslizes nos testes diários. Sinto como se fosse sugado por forças que estão no contexto em que vivo... Como é difícil! Mas conseguirei!!! Assim seja
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 08 de Abril de 2011, 22:28
Minha querida irmã Gisella,que texto maravilhoso que você nos apresenta,ele nos mostra bem o tanto e o porque das pessoas se apresentarem umas as outras.Muitas são gentis e cortezes porque as circunstâncias e as regras de etiquetas sociais ás obrigam,outras o são por conviniência,pois necessitam serem aceitas,é como um falso brilhante,se forem visto com atenção e cuidado logo é indentificado.Diferentemente dos que o são por amor e bondade,em que as vezes sem querer trata uma outra pessoa com pouca delicadeza,é puramente compreenssivel,êste comportamento as vezes é motivado pelo seu estado emocional,ao refazer-se,esta pessoa vem a sí e pede perdão e desculpas pelo seu comportamento.
Fique na paz e que Deus na sua infinita grandeza nos abençoe sempre.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: yuriautran em 08 de Abril de 2011, 22:40
Assistam este vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=k687Qt6l50o&feature=player_embedded#at=20

Que vídeo incrível, me senti em um mundo de sonhos quando ele disse que para qualquer canto que viajássemos estaríamos com nossa família, e estaríamos em casa.

Cara Hebe, quem é o senhor que palestra no vídeo? Grato.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 08 de Abril de 2011, 23:01
Assistam este vídeo.

http://www.youtube.com/watch?v=k687Qt6l50o&feature=player_embedded#at=20

Que vídeo incrível, me senti em um mundo de sonhos quando ele disse que para qualquer canto que viajássemos estaríamos com nossa família, e estaríamos em casa.

Cara Hebe, quem é o senhor que palestra no vídeo? Grato.
Oi Yuriautran

Robert Happé nasceu em Amsterdão, Holanda. Estudou religiões e filosofias na Europa e dedicou-se desde então a descobrir o significado da vida. Estudou também Vedanta, Budismo e Taoísmo no Oriente durante 14 anos, tendo vivido e trabalhado com nativos de diferentes culturas de cada região onde esteve - Índia, Tibete, Cambodja e Taiwan.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 08 de Abril de 2011, 23:47
Minha querida irmã Gisella,que texto maravilhoso que você nos apresenta,ele nos mostra bem o tanto e o porque das pessoas se apresentarem umas as outras.Muitas são gentis e cortezes porque as circunstâncias e as regras de etiquetas sociais ás obrigam,outras o são por conviniência,pois necessitam serem aceitas,é como um falso brilhante,se forem visto com atenção e cuidado logo é indentificado.Diferentemente dos que o são por amor e bondade,em que as vezes sem querer trata uma outra pessoa com pouca delicadeza,é puramente compreenssivel,êste comportamento as vezes é motivado pelo seu estado emocional,ao refazer-se,esta pessoa vem a sí e pede perdão e desculpas pelo seu comportamento.
Fique na paz e que Deus na sua infinita grandeza nos abençoe sempre.

Olá,  Antonio Renato,

Realmente as máscaras que a sociedade, às vezes, nos impõem precisam ser usadas se quisermos viver "bem" na comunidade que vivemos.

Mas, precisamos começar a fazer com que elas não deixem que o Ser Inteligente que somos seja ofuscado por elas.

Esse é um exercício diário que vamos, aos poucos, nos fazendo verdadeiros onde estivermos, nem mais nem menos, apenas como devemos agir.

Não podemos ser uma pessoa em casa e outra no local de trabalho... um na rua e outro no ônibus, enfim... temos que ser os mesmos em qualquer lugar. Sem esquecer a Casa Espírita...

Quantos de nós somos um na Casa Espírita e outro no lar? Falamos com gentileza com aquele que chega precisando de auxílio e, em casa, quando um filho pede ajuda para uma tarefa escolar o taxamos de burro, de incompetente?

Pensemos nisso... e obrigada por você ter lido o texto e introjetado a lição, assim como devemos fazer todos nós.... esta é a nossa expectativa com este estudo!! Não apenas postarmos os textos, mas, sim, refletirmos na lição que ele quer passar...

Amiga Hebe, depois verei o video com calma, ok??


Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 09 de Abril de 2011, 01:31
Olá queridas amigas Gisella e Hebe e demais do estudo.

Vamos falar um pouco da alegria.  Como é bom nos sentirmos alegres!!!
Desejamos que esses momentos demorem a passar... 
Saibamos cultivá-la em nosso coração.

***

Alegria

Alegria é o cântico das horas com que Deus te afaga a passagem no mundo.

Em toda parte, desabrocham flores por sorrisos da natureza e o vento penteia a cabeleira do campo com música de ninar.

A água da fonte é carinho liquefeito no coração da terra e o próprio grão de areia, inundado de sol, é mensagem de alegria a falar-te do chão.

Não permitas, assim, que a tua dificuldade se faça tristeza entorpecente nos outros.

Ainda mesmo que tudo pareça conspirar contra a felicidade que esperas, ergue os olhos para a face risonha da vida que te rodeia e alimenta a alegria por onde passes.

Abençoa e auxilia sempre, mesmo por entre lágrimas.

A rosa oferece perfume sobre a garra do espinho e a alvorada aguarda, generosa, que a noite cesse para renovar-se diariamente, em festa de amor e luz.


(Meimei)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: reginia maria silva nunes em 09 de Abril de 2011, 01:31
Amigo DEUS sempre nos da  e na hora que precisamos paciência ,coragem e resignação;e algum ou alguns momentos temos que ter isso e mais a fé .essa não podemos perder nunca,pois ela é a luz que nos mantem em pé.se cuide á fé seja tua força.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 09 de Abril de 2011, 01:35
Alegria no Dever


Quando Jesus estava entre nós, recebeu certo dia a visita do apóstolo João, muito jovem ainda, que lhe disse estar incumbido, por seu pai Zebedeu, de fazer uma viagem a povoado próximo.

Era, porém, um dia de passeio ao monte e o moço achava-se muito triste.

O Divino Amigo, contudo, exortou-o a cumprir o dever.

Seu pai precisava do serviço e não seria justo prejudicá-lo.

João ouviu o conselho e não vacilou.

O serviço exigiu-lhe quatro dias, mas foi realizado com êxito.

Os interesses do lar foram beneficiados, mas Zebedeu, o honesto e operoso ancião, afligiu-se muito porque o rapaz regressara de semblante contrafeito.

O Mestre notou-lhe o semblante sombrio e, convidando-o a entendimento particular, observou :

– João, cumpriste o prometido?

– Sim – respondeu o apóstolo.

Neste instante, o doente acordou, compreendeu a Vontade Divina e rendeu graças a Deus.

– Atendeste à Vontade de Deus, auxiliando teu pai?

– Sim – tornou o jovem, visivelmente contrariado –, acredito haver efetuado todas as minhas obrigações.

Jesus, entretanto, acentuou, sorrindo calmo :

– Então, ainda falta um dever a cumprir – o dever de permaneceres alegre por haveres correspondido à confiança do Céu.

O companheiro da Boa Nova meditou sobre a lição e fez-se contente.

A tranqüilidade voltou ao coração e à fisionomia do velho Zebedeu e João compreendeu que, no cumprimento da Vontade de Deus, não podemos e nem devemos entristecer ninguém.


(Meimei)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 09 de Abril de 2011, 01:41
Boa noite queridos amigos e caros irmãos visitantes!


HUMILDADE AUTÊNTICA


O homem consciente de suas limitações não se vangloria...

E não se deixa vangloriar.

Certo de sua insignificância, luta, inclusive, para que a consciência que toma de sua pequenez não seja germe de vaidade.

Lucidez intelectual sem humildade é luz que ofusca a visão.

Até para reconhecer-se imperfeito, o homem precisa vacinar-se contra o orgulho.

Quem admite ser nada para ser tudo é menos ainda.

O total despojamento de si é constante desafio para o Espírito...

Mas a idéia de nada ser não pode lhe inocular a tristeza; antes lhe deve ser causa de alegria...

Alegria, por enxergar-se sem atavios e sem ilusões...

Alegria, por saber-se perfectível. Em construção pacienciosa. A falsa modéstia é mais nociva ao Espírito que o personalismo.

Muitos se apequenam com o propósito velado de serem engrandecidos.

A humildade autêntica é aquela que compete consigo mesma, no sentido de anular-se ao infinito...

E assim alcançar a Plenitude!

                 Irmão José
(Psicografia de Carlos A. Baccelli)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 09 de Abril de 2011, 01:44
Manter a Alegria

Mantém a alegria.
Às vezes, pensas ser impossível manter a alegria porque tens muitos problemas que te prendem a atenção e não dão espaço para sorrisos.
No entanto, sê alegre conforme as circunstâncias.

Assim, nos instantes de problema e busca de soluções, usa de uma alegria amena;
nos de dor, de uma alegria silenciosa e paciente;
nos de reflexão, de uma alegria de expectativa;
nos de urgência, de uma alegria ativa;
nos de exaltação, de uma alegria vibrante;
nos de prece, de uma alegria divina.

Nunca percas a alegria.
Manter constante alegria é preservar o Espírito de Deus no coração.


Fonte: Gts.Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 09 de Abril de 2011, 01:56
Eu vou chamar a alegria e a felicidade...  e você???

***
Alegria ou Dor


Quando a cabeça não pensa o corpo é que padece.
A afirmação é absolutamente certa.
Tudo o que nos ocorre se faz pela forma com que pensamos.
A alegria e a dor não vêm por si mesmas,
mas respondem aos nossos chamados.
Da forma como você pensa,
vem os reflexos para o seu corpo físico.
Pensamentos de raiva e ressentimentos,
retornarão para o seu corpo com distúrbios físicos,
dores e sofrimentos.
Pensamentos amorosos e altruístas,
reverterão em disposição e entusiasmo para o seu corpo físico.
Portanto, você tem duas escolhas para si:
dores e sofrimentos ou alegria e felicidade.
Fique à vontade para escolher o que você quer para a sua vida.

- gts.paz -
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 09 de Abril de 2011, 02:00
Comece bem o seu dia.


Como você começou seu dia hoje?
Agradecendo, por mais uma oportunidade de aprendizado ou reclamando, por ter pela frente mais um "longo" dia estressante?
Como você sai de casa para suas atividades diárias?
Apreciando o jardim antes de chegar na garagem, dizendo "bom dia" aos seus vizinhos ou de cara amarrada, preocupado com a quantidade de tarefas que tem pela frente?
Como você faz na hora do seu almoço?
Degusta o sabor dos alimentos, grato por tê-los à sua mesa ou engole tudo sem sentir o gosto direito, já pensando no que vai fazer à tarde?
Como você se sente ao final do seu dia?
Feliz por ter aproveitado da melhor forma as "oportunidades" ou esgotado e pessimista diante da vida?
Estas perguntas foram feitas para que pudéssemos refletir e ver que, muitas vezes, um dia bom ou ruim, depende mais da nossa "postura", do que dos acontecimentos em si.

- gts. paz -
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 09 de Abril de 2011, 02:17
Boa noite, irmãos queridos!


PACIÊNCIA E FÉ


Meus amigos amigos da Terra, vocês se lamentam freqüenteente, direi mais, vocês se lamentam sempre! Por quê? Vou dizê-lo a vocês.

Vocês são enfermos obrigados a engolir o remédio amargo que se chama a existência terrestre, gritam bem forte que o remédio é ruim, apenas se esquecem de uma coisa, é que o remédio é necessário, é preciso tomá-lo, mas não é melhor tomá-lo alegremente?

Concordo com vocês com tudo o que querem; que seu mundo é triste, que aí faz frio, que aí é escuro; mas, digam-me, Deus não é infinitamente bom? Deus que deu a uns o estudo sempre consolador, a outros a arte sempre encantadora, para todos, a Natureza sempre bela?

Geralmente vocês cometem um grande erro, o de se afundarem na lama, quando lhes basta, para dela sair, uma prece a Deus, um pensamento na direção do futuro!

Tranqüilizem-se e consolem-se, a existência é apenas uma viagem comumente muito curta, a vida é uma passagem, sou disso uma prova, prova bem feia, outrora bem triste, mas que diferentes beberagens como a que tomam atualmente, modificaram, transformaram, embelezaram, e, posso dizê-lo sem orgulho, transfiguraram!

Sejam, pois, pacientes nas suas provas, meus amigos da Terra, amem um pouco essa vida que os ajudará a crescer, e bendigam o remédio que lhes dará a saúde e os tornará eternamente felizes!

Aqueçam-se no verdadeiro sol que seca todas as lágrimas: o amor!

Esclareçam-se na divina chama que dissipa todas as dúvidas: a fé! 

Não percam nunca de vista a estrela que os conduz para o futuro: a esperança!

Lembrem-se de que tudo passa, exceto a verdade!

                                         Esopo
(Mensagem psicografada pela Sra W. Krell, em novembro de 1873)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 02:28
Comece bem o seu dia.


Como você começou seu dia hoje?
Agradecendo, por mais uma oportunidade de aprendizado ou reclamando, por ter pela frente mais um "longo" dia estressante?
Como você sai de casa para suas atividades diárias?
Apreciando o jardim antes de chegar na garagem, dizendo "bom dia" aos seus vizinhos ou de cara amarrada, preocupado com a quantidade de tarefas que tem pela frente?
Como você faz na hora do seu almoço?
Degusta o sabor dos alimentos, grato por tê-los à sua mesa ou engole tudo sem sentir o gosto direito, já pensando no que vai fazer à tarde?
Como você se sente ao final do seu dia?
Feliz por ter aproveitado da melhor forma as "oportunidades" ou esgotado e pessimista diante da vida?
Estas perguntas foram feitas para que pudéssemos refletir e ver que, muitas vezes, um dia bom ou ruim, depende mais da nossa "postura", do que dos acontecimentos em si.

- gts. paz -

Boa Noite Macili,
Seria bom refletir mesmo, durante o dia acontece muito mais coisas boas do que ruins, mas aonde está o nosso pensamento,? nas contrariedades ou nas coisas que nos são dadas diariamente como saúde, inteligencia, alimento, trabalho, convivência, filhos saudáveis?  Normalmente uma pequena discussão ou contrariedade é aonde se vai fixar o pensamento não enxergando nada mais adiante.

Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 09 de Abril de 2011, 02:39
Olá amigos,

Na votação acima com o tema: O que nos faz crescer mais para atingirmos o amor incondicional?

Notamos que o Perdão a si e ao próximo aparece com uma carga maior de percentual.

Me fez lembrar um texto que segue abaixo:

Um dos fatores mais determinantes à evolução espiritual é o perdão. Mensagens do plano espiritual e pesquisas científicas confirmam os benefícios do perdão. Quem perdoa é leve, livre, versátil, tem um sistema imunológico mais saudável e tem índice de felicidade maior. Ao revés, quem tem muita dificuldade de perdoar é tenso, embotado, instável, adoece mais e sente-se mais infeliz.
Jesus insistiu muito sobre essa lição. Ela está em várias passagens da Bíblia. Ele sabia de nossa necessidade e, principalmente, sobre a dificuldade que muitos sentem de perdoar.
Perdoar não é um ato, uma palavra. O perdão é o final de um processo mais ou menos longo – dependendo da evolução e vontade do espírito – que culmina com uma redenção: de quem perdoa e de quem é perdoado. É a maior expressão da liberdade, pois quem perdoa liberta-se do passado e de pesos emocionais desnecessários, que com o tempo se transformam em prisão.

Certa vez um repórter perguntou à Gandhi se ele tinha perdoado um agressor. Mahatma Gandhi respondeu: _ Não perdoei. Todos ficaram surpresos e ele completou: “_ Não perdoei porque nunca me senti ofendido.”
Marco Aurélio (121-180 d.C), o imperador filósofo, que conduziu Roma a seu último período de glórias, foi vítima de uma tentativa fracassada de conspiração. Sem que soubesse, a conspiração foi descoberta, reprimida e seu mentor executado. Ficou muito triste quando soube, por ter perdido a chance de perdoar o inimigo. Quando lhe entregaram a correspondência do conspirador, ele a queimou sem lê-la e mais tarde deixou sublime lição a respeito: “Sempre que você se desentender com alguém, lembre que em pouco tempo você e outro estarão desaparecidos.”
Cada um levará consigo apenas o que fizeram de suas vidas. De muitas atitudes nos arrependeremos, de outras não. Uma destas é perdoar. Vale a citação de Malba Tahan:
“Nunca te arrependerás:- De teres freado a língua, quando pretendias dizer o que não convinha....- De teres pensado antes de falar.......- De teres perdoado aos que te fizeram mal....- De teres suportado com paciência faltas alheias....- De teres sido cortês e honesto com tudo e com todos.”

Por fim, devo confessar que estou nesta caminhada , aprendendo a aceitar as pessoas, mesmo quando me desapontam. Estou aprendendo a escutar, ....escutar com os olhos e ouvidos... escutar com a alma.
Para ser sincera, hoje, passei por uma situação(constangimento) e logo entrei na "sintonia" das pessoas viciadas em terem tudo sob controle. Pior para mim, pois como sabemos o stress emocional é um importante fator no processo de produção das doenças, então não conseguí resolver nada, com tolerância Zero, paciência Zero, ........sentí na pele a dificuldade de manter o equilíbrio.

Na verdade, todos nós fazemos gols contra na vida. Não adianta ficar remoendo o passado. Vale a lição.
Sei que é difícil, mas é preciso avançar. Fiquemos com o roteiro que o espírito André Luis nos concedeu através de Chico Xavier: “Jesus ilumina o caminho, mas quem tem que percorrê-lo somos nós.”

Perdoar é Amar.!!!!!

Muita Paz

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: RuyLFreitas em 09 de Abril de 2011, 02:51
Oi! Prezados irmãos.

Transformação pelo Amor! Sim é mais do que possível, basta seguir algumas máximas de Jesus e de outros grandes precursores do amor: João 13:34. "34 Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis". Sabemos que somos muito pequenos ainda e não possuímos o amor do tamanho, peso e medida de Jesus, mas ele sabe disto, então basta-nos amar o nosso máximo que é nada para Jesus, mas que muito vale para ele.

Um forte abraço, cheio de Paz e Luz.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 09 de Abril de 2011, 04:33
Boa noite Hebe,

É mesmo, na maioria das vezes temos o hábito de nos conectarmos apenas com as coisas ruins, com as "fofocas", com a mágoa, a raiva, o mal estar, a doença, e a lista não teria fim...
 
Ah como seria bom se aprendessemos a valorizar as coisas boas, nossa alma agradeceria, quem estivesse conosco sentiria as boas irradiações e aí a magia do amor se faria.

Que tal tentarmos a partir de agora aprender a fazer isso???  Seria maravilhoso, não é mesmo??? 

Bjsss
Macili

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: macili em 09 de Abril de 2011, 04:35
"...A gente precisa disso...

Delicadeza com nós mesmos...
Delicadeza com os outros...
Delicadeza com o amor,

que borda tantas maravilhas com
os seus fios perfumados de luz...".

Ana Jácomo
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 08:05
Boa noite Hebe,

É mesmo, na maioria das vezes temos o hábito de nos conectarmos apenas com as coisas ruins, com as "fofocas", com a mágoa, a raiva, o mal estar, a doença, e a lista não teria fim...
 
Ah como seria bom se aprendessemos a valorizar as coisas boas, nossa alma agradeceria, quem estivesse conosco sentiria as boas irradiações e aí a magia do amor se faria.

Que tal tentarmos a partir de agora aprender a fazer isso???  Seria maravilhoso, não é mesmo??? 

Bjsss
Macili


Oi Macili,
Posso estar parecendo pessimista, mas não é isso não, estou apenas puxando para reflexão.
Você trouxe pequenos casos aqui de teste de paciência que é o que tem que ser feito, mas no nosso dia dia, convivemos constantemente com pessoas que uma pequena contrariedade, como um atraso, ou um mal atendimento em um Banco, até mesmo um taxi, que não parou num dia de chuva é o suficiente para estragar o dia, esquecendo todos o resto.
Fora contrariedades de dias , meses até anos passados que são contadas e recontadas diariamente, como se tivesse acontecido agora.
Esse pensamento intermitente e fixação em contrariedades é o que tem que ser  combatido. Viva o agora, sem passado e nem futuro dizem os Mestres.
Um bjo Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 08:10
Olá amigos,

Na votação acima com o tema: O que nos faz crescer mais para atingirmos o amor incondicional?

Notamos que o Perdão a si e ao próximo aparece com uma carga maior de percentual.

Me fez lembrar um texto que segue abaixo:

Um dos fatores mais determinantes à evolução espiritual é o perdão. Mensagens do plano espiritual e pesquisas científicas confirmam os benefícios do perdão. Quem perdoa é leve, livre, versátil, tem um sistema imunológico mais saudável e tem índice de felicidade maior. Ao revés, quem tem muita dificuldade de perdoar é tenso, embotado, instável, adoece mais e sente-se mais infeliz.
Jesus insistiu muito sobre essa lição. Ela está em várias passagens da Bíblia. Ele sabia de nossa necessidade e, principalmente, sobre a dificuldade que muitos sentem de perdoar.
Perdoar não é um ato, uma palavra. O perdão é o final de um processo mais ou menos longo – dependendo da evolução e vontade do espírito – que culmina com uma redenção: de quem perdoa e de quem é perdoado. É a maior expressão da liberdade, pois quem perdoa liberta-se do passado e de pesos emocionais desnecessários, que com o tempo se transformam em prisão.

Certa vez um repórter perguntou à Gandhi se ele tinha perdoado um agressor. Mahatma Gandhi respondeu: _ Não perdoei. Todos ficaram surpresos e ele completou: “_ Não perdoei porque nunca me senti ofendido.”
 

Malba Tahan:
“Nunca te arrependerás:- De teres freado a língua, quando pretendias dizer o que não convinha....- De teres pensado antes de falar.......- De teres perdoado aos que te fizeram mal....- De teres suportado com paciência faltas alheias....- De teres sido cortês e honesto com tudo e com todos.”

Por fim, devo confessar que estou nesta caminhada , aprendendo a aceitar as pessoas, mesmo quando me desapontam. Estou aprendendo a escutar, ....escutar com os olhos e ouvidos... escutar com a alma.
Para ser sincera, hoje, passei por uma situação(constangimento) e logo entrei na "sintonia" das pessoas viciadas em terem tudo sob controle. Pior para mim, pois como sabemos o stress emocional é um importante fator no processo de produção das doenças, então não conseguí resolver nada, com tolerância Zero, paciência Zero, ........sentí na pele a dificuldade de manter o equilíbrio.
 André Luis nos concedeu através de Chico Xavier: “Jesus ilumina o caminho, mas quem tem que percorrê-lo somos nós.”

Perdoar é Amar.!!!!!

Muita Paz


Belo texto Si destaquei o que precisa ser muito bem compreendido.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 08:25
Oi! Prezados irmãos.

Transformação pelo Amor! Sim é mais do que possível, basta seguir algumas máximas de Jesus e de outros grandes precursores do amor: João 13:34. "34 Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis". Sabemos que somos muito pequenos ainda e não possuímos o amor do tamanho, peso e medida de Jesus, mas ele sabe disto, então basta-nos amar o nosso máximo que é nada para Jesus, mas que muito vale para ele.

Um forte abraço, cheio de Paz e Luz.
Oi Ruy bem vindo ao estudo.

Ruy, não somos pequenos, apenas nos percebemos pequenos.
Jesus sempre nos mostrou que é possível. " Vós sois Deuses".
Temos que pensar o que nos leva a acreditar no contrário.

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 08:30
Oi Lima Gil,

Você tem trazido excelentes textos para o estudo, eu e Gisella agradecemos muito.

Porém , já li considerações suas pessoais aqui no Fórum de muita sabedoria.
Gostaríamos muito que tecesse comentários  com suas palavras sobre o tema proposto, suas reflexões ajudariam muito neste estudo  ;)

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: hcancela em 09 de Abril de 2011, 11:40
Olá amigos(as)



Através da janela, fico observando a beleza do flamboaiã florido nesta ensolarada manhã de verão... Que magia nos envolve o ser, quando olhamos sua figura exuberante, com galhadas de flores numa cor indefinível, que se aproxima do vermelho, sem ser verdadeiramente cor...

Como pano de fundo, o céu azul contrastando com sua nuança avermelhada nos demonstra a grandeza de Deus através da Natureza. Ao menor sopro do vento, mesmo na brisa do alvorecer, suas pétalas caem suavemente emoldurando nosso jardim, atapetando o chão onde pisamos, recobrindo a grama de uma tonalidade de rara beleza. Numa comparação simplista, temos neve em dezembro, mas temos chuva de flores enfeitando nossos dias tropicais. O chão recoberto de flores assemelha-se a um tapete rubro onde nossos pés se afundam em sua maciez, acariciando-nos suavemente como se estivesse a nos compensar pelo cansaço, pela longa caminhada nestes anos todos em que presenciamos seu crescimento. De singela muda, tão tenra e frágil transformou-se numa frondosa árvore que nos dá sombra, suaviza as agruras do verão, embeleza nosso jardim como um cartão-postal, rico em sua exuberante beleza, inconfundível em sua rusticidade e em ser porte majestoso.

Olhando-o sob seus ramos floridos não temos a visão de toda a sua beleza...

Certamente os moradores dos prédios vizinhos desfrutam muito mais que nós de toda a sua magnífica performance em que ele resolveu compensar, neste ano, a ausência das luzes que enfeitavam seus galhos nos outros tempos...

Com a simplicidade do homem do campo, certo dia, ouvi de um trabalhador rural a seguinte expressão: "tudo o que é da Natureza não pertence a ninguém, é de Deus". Ele se referia aos peixes do lago que ornamenta nossa casa lá na fazenda. E ele tinha razão, porque não nos pertence o que pode ser desfrutado por todos... A mágica beleza da Natureza, suas dádivas, os peixes que são gerados espontaneanente, sem que tivéssemos colocado alevinos no lago, o brilho do sol que ilumina nossos dias e nos aquece, o encantamento de uma noite de luar...

Quem sabe, um dia seremos generosos como a Natureza com seus encantos e suas bênçãos?!

Observemos a fonte que brota na gruta, no meio de pedras e vai se estendendo caminhos afora, contornando montes, enfrentando espinhos e pragas, desviando-se dos barrancos e das rochas que tentam impedir seu curso... Ela tem um objetivo, procura um local para espraiar-se, beneficiando a todos que sedentos a busquem.

O bosque que se estende no contorno de cidades, ocultando árvores, frutos, pássaros e outros animais, é refúgio sagrado dos que preservam a Natureza e procuram cuidar de sua permanência entre nós...

O Sol que nos aquece, peneirando com seus raios generosos os lugares mais diferentes, aquecendo-nos o corpo, mantendo a vida, clareando nossos dias e preservando a vida.

A Natureza é um exemplo vivo a nos dar lições de generosidade, de compreensão, de paciência e doação constantes...

Cercados por tantos exemplos e gestos de amor, por que não aprendemos, ainda, a ser, igualmente, solidários e generosos?

Por que tanto egoísmo e frieza nos relacionamentos?

Quando entenderemos que somos todos irmãos, com a mesma origem e a mesma destinação espiritual?

Analisando estes sentimentos que afloram em meu ser, minha mente procura refletir em torno do momento atual, tão marcante e infeliz, porque passa a Humanidade em sua trajetória evolutiva...

Do entendimento acerca dos problemas que nos atingem, porque fazemos parte desta Humanidade e não poderemos fugir às consequências dos atos de rebeldia e desobediência à Lei Divina, estamos conscientes de que somente o amor e a solidariedade nos farão romper com as amarras do ódio, da insensatez e do egoísmo.

Falar da beleza e de toda a generosidade que a Natureza nos concede, nos leva a maiores reflexões em torno do viver e do sentir... Da nossa maneira de ser nos momentos mais íntimos e naqueles que somos chamados ao testemnunho da verdade, do conhecimento já adquirido sobre as coisas espirituais. Iremos refletir em nossa vivência, em nossas reações ante os infortúnios e os problemas do mundo... Quem realmente somos, sem as máscaras sociais que, muitas vezes, imprimimos como disfarce de nossos conflitos e inseguranças...

As nossas reações refletem nosso mundo íntimo.

São tão fugazes os momentos que, realmente, nos pertencem na voracidade do tempo de que dispomos para trabalhar nossas emoções, educar nossos sentimentos e viver com dignidade, como exemplos vivos do que já amealhamos em conhecimento e bênçãos da vida. Utilizar este tempo para enriquecer nossos espíritos é sabedoria. Dispersá-lo em experiências que não nos elevam, nem nos permitem um crescimento consciente na busca do progresso moral, é sinal de imaturidade e não nos ajudará na busca do sentido da vida. O vazio existencial, a falta de objetivos, a negação sistemática aos apelos do bem e do amor ao próximo, nos fazem sofrer a angústia, o tédio e os conflitos entre aquilo que se deve fazer e a nossa indiferença em aceitar nossa destinação maior, como espíritos imortais.

Vive-se com tamanha inquietação os momentos fugazes do hoje, como se a vida se resumisse na aquisição dos bens materiais, no usufruir dos prazeres mundanos, sem se importar com as consequências morais dos atos que degradam o ser humano, tornando-o indiferente às dores do próximo e às necessidades do outro que caminha conosco.

Contudo, não devemos nos intimidar ante o quadro que nos parece tão evidente das mazelas humanas, retratadas, a todo momento, pela mídia, pelas informações degradantes da guerra, da fome e da miséria moral das criaturas humanas. Sabemos, pelas informações dos benfeitores espirituais, que o mal é a ausência do bem e que o amor vencerá, mesmo que isto nos custe sofrimentos acerbos...

Não devemos desaminar ante o desencanto dos dias atuais e olhar apenas o lado sombrio das atitudes humanas...

Por isso, iniciei nossa conversa, querido leitor, com um quadro da Natureza que nos encanta, nos leva a entender que somos herdeiros desta bênção maior do Criador, que em sua bondade infinita nos concede a alegria de vislumbrar a beleza do céu, dos campos floridos, do mar, das árvores, dos pássaros como que se nos mostrasse, em tanta generosidade, que não estamos sozinhos, que outros seres como nós estão preocupados em buscar a paz, a harmonia e que, um dia, estaremos todos unidos neste mesmo ideal de amor, usufruindo as belezas da vida, numa convivência solidária e feliz!...

Diz-nos a Benfeitora espiritual Joanna de Ângelis que:

"Jesus é o guia de segurança para este momento, e a sua doutrina, restaurada pelo Espiritismo, é o roteiro único para facultar o enfrentamento saudável e decisivo com o hedonismo perverso e devorador que toma conta das mentes e dos corações.

Autopenetrar-se e conquistar o país de si mesmo, para administrar com sabedoria os tesouros nele existentes, é a tarefa que urge e não deve ser postergada por ninguém, traçando novas rotas para a sociedade feliz do futuro".

Texto - Lucy Dias Ramos

Saudações fraternas
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: hcancela em 09 de Abril de 2011, 11:53
Olá amigos(as)

Em nossos dias compenetrados em nossas coisinhas pequenas que julgamos grandes, rara vez pensamos em algo que dizemos aqueles com quem convivemos no quotidiano, com as quais agredimos sem pensar. A tarefa de todos(as) é levar a nós mesmo essas palavras e esses actos irreflectidos e fruto de nossa pouca evolução(digamos traquinices) :-*,conscientes que eles nos podem levar por vezes  a resgates  dolorosos.
A transformação pelo Amor, é a maior prova de paciência que devemos ter para com nós mesmo e assim levar a aqueles que se cruzam connosco.
Tratemos de nos melhorar conscientes de nossos(defeitos)e assim transformar um Mundo cheio de guerras e desequilíbrios, em um Mundo de Paz e fraternidade.
Muita paz para todos(as) e fiquem com Deus.

Saudações fraternas
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 09 de Abril de 2011, 13:29
Oi! Prezados irmãos.

Transformação pelo Amor! Sim é mais do que possível, basta seguir algumas máximas de Jesus e de outros grandes precursores do amor: João 13:34. "34 Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis". Sabemos que somos muito pequenos ainda e não possuímos o amor do tamanho, peso e medida de Jesus, mas ele sabe disto, então basta-nos amar o nosso máximo que é nada para Jesus, mas que muito vale para ele.

Um forte abraço, cheio de Paz e Luz.

Oi Ruy bem vindo ao estudo.

Ruy, não somos pequenos, apenas nos percebemos pequenos.
Jesus sempre nos mostrou que é possível. " Vós sois Deuses".
Temos que pensar o que nos leva a acreditar no contrário.

Um abço Hebe

Bom dia a todos,
só pra complementar trago este ensinamento de Emmanuel = que alias significa Deus conosco.
E algumas coisas que nos faz pensar ao contrario...

Edificação do Reino
"O Reino de Deus está no meio de vós."
Jesus. (LUCAS, 17:21.)
 
Nem na alegria excessiva que ensurdece.
Nem na tristeza demasiada que deprime.

Nem na ternura incondicional que prejudica.

Nem na severidade indiscriminada que destrói.

Nem na cegueira afetiva que jamais corrige.

Nem no rigor que resseca.

Nem no absurdo afirmativo que é dogma.

Nem no absurdo negativo que é vaidade.

Nem nas obras sem fé que se reduzem a pedra e pó.

Nem na fé sem obras que é estagnação da alma.

Nem no movimento sem ideal de elevação que é cansaço vazio.

Nem no ideal de elevação sem movimento que é ociosidade brilhante.

Nem cabeça excessivamente voltada para o firmamento com inteira despreocupação do valioso trabalho na Terra.

Nem pés definitivamente chumbados ao chão do Planeta com integral esquecimento dos apelos do Céu.

Nem exigência a todo instante.

Nem desculpa sem-fim.

O Reino Divino não será concretizado na Terra, através de atitudes extremistas.

O próprio Mestre asseverou-nos que a sublime realização está no meio de nós.

A edificação do Reino Divino é obra de aprimoramento, de ordem, esforço e aplicação aos desígnios do Mestre, com bases no trabalho metódico e na harmonia necessária.

Não te prendas excessivamente às dificuldades do dia de ontem, nem te inquietes demasiado pelos prováveis obstáculos de amanhã.

Vive e age bem no dia de hoje, equilibra-te e vencerás.
 
* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Vinha de Luz.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.
Lição 177. Edição Internet baseada na 14a edição. FEB, 1996.
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 14:31
Bom dia a todos.

Trago aqui um texto de Osho sobre a Alegria, como é muito grande deixo o link para apreciação de todos.

http://www.luzdegaia.org/aajuda/alegria.htm

Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 15:28
Olá amigos(as)

Em nossos dias compenetrados em nossas coisinhas pequenas que julgamos grandes, rara vez pensamos em algo que dizemos aqueles com quem convivemos no quotidiano, com as quais agredimos sem pensar. A tarefa de todos (as) é levar a nós mesmo essas palavras e esses atos irrefletidos e fruto de nossa pouca evolução (digamos traquinices) :-*,conscientes que eles nos podem levar por vezes  a resgates  dolorosos.
A transformação pelo Amor é a maior prova de paciência que devemos ter para com nós mesmo e assim levar a aqueles que se cruzam conosco.
Tratemos de nos melhorar conscientes de nossos (defeitos) e assim transformar um Mundo cheio de guerras e desequilíbrios, em um Mundo de Paz e fraternidade.
Muita paz para todos (as) e fiquem com Deus.

Saudações fraternas
Bom dia H cancela,
São as coisinhas pequenas que se tornam grandes,quando se dá muita importância a elas, se não nos preocuparmos com as traquinices dos outros e cuidarmos da nossa tudo se resolve, você está certíssimo. Já dizia Chico Xavier que muitas vezes foi ofendido, mas se orgulhava de nunca ter respondido a uma ofensa, sendo assim nada o abalava em sua trajetória.
A impulsividade é um grande defeito, uma palavra mal dada, um ato de intolerância pode levar a um desafeto grave. O contrário acontece  com a tolerância e paciência, essa leva ao entendimento e harmonia  entre as partes. Não somos imperfeitos nem pequenos, temos todo o potencial em nós.  É só saber serenar a mente e enxergar com clareza, assim passamos pelas vicissitudes da vida de forma tranqüila.
Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 09 de Abril de 2011, 16:16
Olá a todos! :)

Gisella amiga querida, estava aqui a pensar o quanto a gentileza é importante, não dá para viver e conviver sem ela.

A gentileza começa no trato consigo mesmo, e daí passa a refletir nossa realidade interior, em cada gesto de atenção e cuidado que temos para com tudo e com todos, começando pela sinceridade das atitudes, é olhar nos olhos, sorrir, cumprimentar, agradecer, conversar, ouvir, ouvir mais um pouquinho, e saber o momento exato de falar, calar e auxiliar...

Gentileza é um carinho onde demostramos o quanto tudo é importante em nossas vidas, pra mim gentileza é uma delicadeza sim, diria mais: é a simples elegância da alma.

Beijinhos, :-*

Edna ;)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 09 de Abril de 2011, 16:25
"É precisamente no convívio com as outras pessoas que a atenção para os detalhes se reveste de um significado especial. Merece até um nome particular: delicadeza, que reclama uma grande diligência e grandeza de alma."



Gentileza e afeto - as pupilas dilatadas pelo amor humano


Há algum tempo, li não sei onde um episódio ocorrido com uma escritora que foi passar dois meses numa região montanhosa de um país europeu, num período do ano em que era freqüente acontecerem grandes tempestades; ia com o propósito de conhecer os costumes da gente do campo e colher assim material para um romance.

Quando estava desfazendo as malas no pequeno chalé que alugara, com a ajuda da caseira que morava perto dali, desabou um grande temporal e as luzes se apagaram. A caseira acendeu umas velas e, enquanto atiçava o fogo na lareira, bateram à porta. Era um rapazinho de uns doze anos, conhecido da caseira. Depois de recuperar o fôlego, o menino disse:

- Vim ver se está tudo bem com a senhora.

A caseira agradeceu e apresentou-o à escritora. Como a ventania aumentasse e a chuva caísse com mais força, o rapaz perguntou à recém-chegada:

- A senhora não tem medo?

A escritora ia dizer que não, mas a caseira, que evidentemente não estava nem um pouco assustada, atalhou-a:

- É claro que ela estava morrendo de medo, assim como eu. Mas agora temos um homem aqui, e tudo vai ficar bem.

Quando a tormenta passou, o menino despediu-se e saiu, capengando do modo mais garboso que podia.

A escritora ficou pensativa e perguntou-se: "Por que não me ocorreu responder à pergunta do menino como a caseira?" E evocou tantas situações da sua vida em que se mostrara pouco sensível às necessidades dos outros por estar absorvida nas suas coisas. "Que havia naquela mulher simples do campo - continuou a pensar - que a tornava capaz de transformar um menino aleijado num homem confiante?" E teve de reconhecer: simples detalhes de gentileza e afeto.

Pois é precisamente no convívio com as outras pessoas que a atenção para os detalhes se reveste de um significado especial. Merece até um nome particular: delicadeza, que reclama uma grande diligência e grandeza de alma. É ela que permeia todas as virtudes próprias da convivência, como a cordialidade, a afabilidade, o acolhimento, o perdão, a paciência, enfim, a caridade. Manifesta-se principalmente, em palavras de Machado de Assis, "nesse desejo de bem servir que é a alma de toda a cortesia". Nunca deveria dar-se motivo para o comentário cético daquele que dizia que o lar é o centro geométrico das grandes dedicações e das pequenas desatenções.

Mas trata-se de exercitar a "arte de ser amável" não apenas no sentido ativo, mas também no sentido passivo, isto é, facilitando aos outros que nos queiram bem. Quando penso nisto, lembro-me sempre de um cantor nacional que, há uns trinta anos, fazia um programa de TV com muito sucesso e que, no fim de cada apresentação, se despedia com as mesmas palavras: "Continuem a querer-me bem, que não custa nada". É isso o que quero dizer com ser amável no sentido passivo: que, pela nossa gentileza, não custe aos outros nada ou quase nada querer-nos bem.


O texto acima é colocado com autorização expressa do Portal da Família. Fonte: "Coisas Pequenas", de J. Malvar Fonseca, Editora Quadrante, São Paulo, 1996)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Kenia Fidalgo em 09 de Abril de 2011, 17:20
Boa tarde a todos,

Vou repetir aqui meu recado de paginas atras, parabenizando nossa irmã Gisa pelo estudo deste mes que esta maravilhoso, visto que observei que todos os recados foram respondidos em cumprimento exceto o meu....
talvez nao tenha lido, mas mesmo assim o repito,

obrigada pela oportunidade de aprender mais e mais com este estudo magnifico

Siga sempre com Jesus!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ram-wer em 09 de Abril de 2011, 17:39
Querida Kenia,

Não fique tristinha.  A Gisella esteve com problemas em seu PC/Ruimdows, rsrsrs.

Seja bem-vinda ao Estudo, querida. [attachimg=1 align=right width=125]

Agora, trate de postar mais vezes aqui, viu?

Grande beijo, Ram

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 17:50
Oi Kenia,
Tanto eu quanto Gisella estamos com problemas no PC, nem sempre conseguimos acessar, fora quando trava na hora de responder, sendo assim, quando entramos já temos um monte de textos postados que temos que ler um a um e por vezes não percebemos a postagem.
Muito obrigada pelo elogio a Gisella, e participe do estudo será bem vinda.
Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: nicsoares em 09 de Abril de 2011, 18:32
A moral espírita é de fácil entendimento, nem tanto de praticá-la. Por isso temos que orar e vigiar sempre, não nos santificaremos do dia para noite mas temos que nos esforçar para sermos melhores a cada dia.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 09 de Abril de 2011, 19:34
Boa tarde a todos participantes e visitantes do fórum..............


Gentileza gera gentileza assim como a mágica gera o encanto.Nada como um sorriso e um aperto de mão, nada como um “Bom dia!” para aquecer um coração, destruir barreiras, quinas e nãos.
Gentileza gera uma corrente do bem, faz um anônimo sentir-se alguém, faz com que o outro perceba que você se importa, é o bem-querer em ação.Quem não gosta de ouvir “Oi Meu Amor, como você está?”, quem não gosta quando alguém lhe cede o lugar?É maravilhoso quando alguém diz:”Você está linda!”, não é? Assim , conquistamos um mundo mais solidário, menos alienado, menos sórdido. Afinal de contas, a vida é a arte da delicadeza, é a eterna surpresa do sonho...

Karla Bardanza




Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 21:30
A moral espírita é de fácil entendimento, nem tanto de praticá-la. Por isso temos que orar e vigiar sempre, não nos santificaremos do dia para noite mas temos que nos esforçar para sermos melhores a cada dia.
O Espiritismo por ter sua origem no Ocidente está baseado nos ensinamentos e conduta moral de Jesus.
Os Espiritos Superiores vieram esclarecer seus ensinamentos um tanto quanto perdidos e deturpados pelo homem até o final da idade média. Assim como Jesus não veio modificar as Leis de Deus e sim cumprí-las em toda a sua grandeza. Essas leis estão gravadas no intimo de todo ser humano. É possível sim alcançá-las , estão dentro de nós, muito pertinho e não distantes. Acredito que essa é a explicação para as frases.
" Conhece-te a ti mesmo" Conheça a verdade e a verdade vos libertará".

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 09 de Abril de 2011, 22:50
Boa Noite,
Vamos pensar um pouquinho sobre todas essas virtudes que estamos estudando, pode ser que meu ponto de vista vá um pouco de encontro a uns e a outros, mas o estudo é para isso mesmo,  abrindo nosso entendimento dos textos que vem sido trazidos por diversos espíritos e que a DE contém é que corrigimos nossos equívocos de interpretação, afinal ninguém detém a verdade absoluta, cada um interpreta de acordo com suas experiências. Por isso Kardec aconselhou para lermos tudo  e Paulo para determos o que é válido.
As virtudes já estão em nós, o pior dos marginais as detém também em seu íntimo, porque é filho de Deus como nós. Deus não deixaria  ninguém em desamparo e ardendo no fogo eterno como fala o AT. 
Ao exercitar estas virtudes, ganhamos aceitação da sociedade que estamos inseridas, é obvio, mas a aceitação  não é a maior importância para o Espírito. Ser, caridosos, amáveis, gentis, justos e etc  vem para o nosso benefício, e precisa ser sentido, não deve ser feito apenas para ser aceito por esta ou aquela determinada pessoa e sim por nós mesmos.  Essa é a importância do autoconhecimento e da reforma íntima.  Na medida em que praticamos essas virtudes espontaneamente, não precisamos de retorno, nem devemos praticá-las para agradar a Deus, se assim o fizermos estaremos condicionando o ato de agradar a algo em troca e não porque sentimos realmente essas virtudes.
A principal caridade é nos descobrirmos inteiros, capazes, em paz conosco . Ao atingir este estado não há furacão que nos derrube a casa, porque  as bases sólidas estão em nós, e não no externo. Por isso somos testados o tempo todo na vida, para sermos firmes nas tempestades tanto quanto somos na bonança.
Teremos sim que conviver com pessoas rudes, de visão turva, que nos atribui sentimentos torpes, que nos calunia, mas não devemos julgá-los ou condená-los, se estivermos firmes em nossas bases, naturalmente não precisaremos provar ou castigar quem quer que seja, porque não nos afetará em nosso íntimo. Teremos sim compaixão destas criaturas “que não sabem o que fazem”, como disse Jesus ao ser crucificado.
Um abço
Hebe

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 10 de Abril de 2011, 02:04
Olá, amigos...

Peço desculpas por ter ficado o dia todo fora, mas hoje fui fazer a caridade a um próximo mais próximo, que é meu velho pai... pois no último dia 06 completou 02 meses da desencarnação da mnha mãe, então, vcs podem imaginar... 58 anos de convivência não se apagam assim... e nem devem...

E, para quem conhece São Paulo, com show do U2 pelo caminho, o trânsito estava horrível, bem típico para se testar a paciência, a solidariedade em 2 horas dentro de um ônibus  >:(... Ahhh.... isso é dentro de São Paulo!!!  :D

Por isso, solicito que, pratiquem a paciência comigo...  :D

Estou lendo com cuidado todos os posts e está difícil de responder algo, pois estou surpresa (no bom sentido) com o conteúdo das postagens!!!

Mas, faço aqui a mea culpa com a Kenia... não foi falta de atenção, mas é que, realmente, como disse a Hebe, estamos com problemas de acesso... estou com um pc emprestado da Margeci, pois meu simplesmente cansou e não quer mais trabalhar!!! >:(

Seja bem vinda, Kenia... e não nos elogie muito, pois ainda não chegamos no tema humildade!!! e como disse o Ram-Wer, nos ajude com as suas contribuições... venha mais vezes e nos ajude a entender todas essas virtudes que estamos estudando, pois cada experiência pessoal é importante para nos ajudarmos mutuamente...

Bem, amigos... caso eu não consiga postar muita coisa hoje, amanhã ficarei o dia todo à disposição, pois à noite terei que devolver o pc da Margeci e o meu só chega na 2a. à tarde...

Espero que os amigos me compreendam, mas, se tudo ocorrer como o planejado, na 3a. já estarei novamente me dedicando tempo integral.... claro que depois da fisioterapia!!! ;D

Até depois..

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: La. em 10 de Abril de 2011, 03:51
Parabéns pelo tema lindissimo.

Eu nao li todos os tópicos anteriores, mas gostaria de deixar um rabisquinho aqui.

Eu entendo o amor como a primazia do plano divino ao coração de todos os seres da criação. Só ele transforma, transcende e renova. È a lei e todos os profetas, porque traduz do plano da essencia ao plano das formas, e do plano das formas ao plano da essencia, a única lei universal que é a lei da fraternidade, acordante a unidade, de mesmo sendo muitos e diversos, somo uni, constituindo o
uni-verso.

Como traduzir o amor na vida? Se nao amamos aquele que vemos, como podemos amar a Deus que nao vemos?

Meu esforço pessoal para amar, passa justamente pelos exercicios da virtudes proposta por Paulo e pelo roteiro.

Primeiro Passo. Tolere e tenha paciencia com aqueles que estão mais proximos de voce, porque eu descobri que antes de ajudar o meu proximo eu preciso me harmonizar com meu proximo mais proximo.

Segundo Passo. Como diria Divaldo, " não reaja, e sim aja" Mobilize sempre a compreensão.

Terceiro Passo. Silencie. O silencio é mais que um prece, é um exercicio de auto- compreensão.

Quarto Passo. Sofra calado. Não atormete seu proximo com seus problemas, ele ja tem os dele.

Quinto Passo. Sorria sempre, mesmo com lagrimas no coração distribua sorrisos, a alegria é energia tão vigorosa quanto amor. E traduz de forma mais fiel a plena felicidade de conhecer a DEUS e ser deus.

Sexto Passo. Empregue seu tempo de forma util, a construção do Reino Divino dentro de nós é a construção do Reino Divino no universo, ja que somos partes importantissma dele.

Setimo Passo. Saber que mesmo tendo a importancia de um sol, ainda assim nada somos.

Oitavo Passo. Não tenha fé, seja a fé. Ter estado transitorio, ser é permanente. Quando nos enxergamos diante do universo, percebemos que tudo é feito para o melhor em nós, se convertar em o melhor de nós, e o melhor para nós. Emmanuel é claro, importa saber se estamos tanto em Cristo, como o Cristo está em nós.

Nono Passo. Não se ofenda, quando vislumbramos a dimensionalidade de todas nuances evolutivas, percebemos que aquele companheiro que nos "ofende", nos machuca, nos fere, tem o direito de experiencia aquela situação que faculta dor, ele escolheu viver, nós escolhemos seguir. Se hoje nos encontramos na posição de vitimas, muitas vezes ja representamos o algoz, e se fomos perdoados diversas vezes, a milenios de milenios, como ousamos nao perdoar? Suba no horizonte e veja mais além, do além.

Décimo Passo. Perdoe assim mesmo. Todos fazemos escolhas que nem sempre são as melhores. Se nao podemos voltar ao inicio, podemos iniciar agora e fazer um novo fim. Todo tempo é tempo de renovação, como nos advertiu Chico.

Eu poderia enumerar milhares de passos, mas esse é alguns dos passos que me propos a tentar , mas a tentaaaaaaaaar viver, para me canditar a um dia a amar a humanidade. Lembrando sempre que o amor ao proximo, passa primeiro ao amor a si mesmo, e eu me amo quando me reconheço como uma divindade, Filha DAQUELE QUE TUDO É, e passo a agir como tal.

Luzes de paz a todos corações.

Laísa Emanuelle.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Victor Passos em 10 de Abril de 2011, 12:45
Ola muita paz e harmonia
Bons Amigos e Amigas


O Amor Puro


        O amor puro é reflexo do Criador em todas as criaturas.

        Brilha em tudo e em tudo palpita na mesma vibração de sabedoria e beleza. É fundamento da vida e justiça de toda a Lei.

        Surge, sublime, no equilíbrio dos mundos erguidos à glória da imensidade, quanto nas flores anônimas esquecidas no campo.

        Nele fulgura, generosa, a alma de todas as grandes religiões que aparecem, no curso das civilizações., por sistemas de fé à procura da comunhão com a Bondade Celeste, e nele se enraíza todo o impulso de solidariedade entre os homens.

        Plasma divino com que Deus envolve tudo o que é criado, o amor é o hálito d'Ele mesmo, penetrando o Universo.

        Vemo-lo, assim, como silenciosa esperança do Céu, aguardando a evolução de todos os princípios e respeitando a decisão de todas as consciências.

        O amor, repetimos, é o reflexo de Deus, Nosso Pai, que se compadece de todos e que a ninguém violenta, embora, em razão do mesmo amor infinito com que nos ama, determine estejamos sempre sob a lei da responsabilidade que se manifesta para cada consciência, de acordo com as suas próprias obras. "


Livro: Pensamento e Vida
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 10 de Abril de 2011, 12:50
Bom dia a todos.
Trouxe esse texto simples e intereçante onde nos afirma que as coisas que as vezes julgamos insignificantes, será a que nos levara ao reino dos ceus.


A Lição da Bondade
Quando Jesus entrou vitoriosamente em Jerusalém, montado num burrico, eis que o povo, alvoroçado, vinha vê-lo e saudá-lo na praça pública.
Muitos supunham que o Mestre seria um dominador igual aos outros e bradavam:

- Glória ao Rei de Israel!...

- Abaixo os romanos!...

- Hosanas ao vencedor! ...

- Viva o Filho de David!... Viva o Rei dos Judeus!...

E atapetavam a rua de flores.

Rosas e lírios, palmas coloridas e folhas aromáticas cobriam o chão por onde o Salvador deveria passar.

O Mestre, contudo, sobre o animalzinho cansado, parecia triste e pensativo. Talvez refletisse que a alegria ruidosa do povo não era o tipo de felicidade ele desejava. Queria que ver o povo contente, mas sem ódio e sem revolta, inspirado pelo bem que ajuda a conservação das bênçãos divinas.

O glorificado montador ia, assim, em silêncio, quando linda jovem se destacou da multidão, abeirou-se dele e lhe entregou uma braçada de rosas, exclamando:

- Senhor, ofereço-te estas flores para o Reino de Deus.

O Cristo fixou nela os olhos cheios de luz e indagou:

- Queres realmente servir ao Reino do Céu?

- Oh! sim... - disse a moça, feliz.

- Então - pediu-lhe o Mestre -, ajuda-me a proteger o burrico que me serve, trazendo-lhe um pouco de capim e água fresca.

A jovem atendeu prontamente e começou a compreender que, na edificação do Reino Divino, Jesus espera de nós, acima de tudo, a bondade sincera e fiel do coração.
 
* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Pai Nosso.
Ditado pelo Espírito Meimei.
19a edição. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1999.
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 10 de Abril de 2011, 13:24
Bom dia,

Henrique, belo post.

Realmente não era esta reação que Jesus esperava do povo de Israel.
Ele não veio para insuflar a vingança nem a revolta, ele veio para mostrar o amor.
Jesus era um lider sem querer ser, tinha poder sem almejar por ele, a maior libertação que ele veio trazer ao povo de Israel em sua mensagem, era a libertação através do amor e não através de posses de terra ou poder político.
"O Reinos dos Céus está dentro de vós" disse ele.

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 10 de Abril de 2011, 13:33
Bom dia aos amigos

Humildade

A humildade, por força divina, reflete-se, luminosa, em todos os domínios da Natureza, os quais expressam, efetivamente, o Trono de Deus, patrocinando o progresso e a renovação.
Magnificente, o Sol, cada dia, oscula a face do pântano sem clamar contra o insulto da lama; a flor, sem alarde, incensa a glória do céu. Filtrada na aspereza da rocha, a água se revela mais pura, e, em seguida às grandes calamidades, a colcha de erva cobre o campo, a fim de que o homem recomece a lida.
A carência de humildade, que, no fundo, é reconhecimento de nossa pequenez diante do Universo, surge na alma humana qual doentio enquistamento de sentimentos, quais sejam o orgulho e a cobiça, o egoísmo e a vaidade, que se responsabilizam pela discórdia e pela delinqüência em todas as direções.
Sem o reflexo da humildade, atributo de Deus no reino do "eu", a criatura sente-se proprietária exclusiva dos bens que a cercam, despreocupada da sua condição real de espírito em trânsito nos carreiros evolutivos e, apropriando-se da existência em sentido particularista, converte a própria alma em cidadela de ilusão, dentro da qual se recusa ao contato com as realidades fundamentais da vida.
Sob o fascínio de semelhante negação, ergue azorragues de revolta contra todos os que lhe inclinem o espírito ao aproveitamento das horas, já que, sem o clima da humildade, não se desvencilha da trama de sombras a que ainda se vincula, no plano da animalidade que todos deixamos para trás, após a auréola da razão.
Possuída pelo espírito da posse exclusivista, a alma acolhe facilmente o desespero e o ciúme, o despeito e a intemperança, que geram a tensão psíquica, da qual se derivam perigosas síndromes na vida orgânica, a se exprimirem na depressão nervosa e no desequilíbrio emotivo, na ulceração e na disfunção celular, para não nos referirmos aos deploráveis sucessos da experiência cotidiana, em que a ausência da humildade comanda o incentivo à loucura, nos mais dolorosos conflitos passionais.
Quem retrata em si os louros dessa virtude quase desconhecida aceita sem constrangimento a obrigação de trabalhar e servir, a benefício de todos, assimilando, deste modo, a bênção do equilíbrio e substancializando a manifestação das Leis Divinas, que jamais alardeiam as próprias dádivas.
Humildade não é servidão. É, sobretudo, independência, liberdade interior que nasce das profundezas do espírito, apoiando-lhe a permanente renovação para o bem.
Cultivá-la é avançar para a frente sem prender-se, é projetar o melhor de si mesmo sobre os caminhos do mundo, é olvidar todo o mal e recomeçar alegremente a tarefa do amor, cada dia...
Refletindo-a, do Céu para a Terra, em penhor de redenção e beleza, o Cristo de Deus nasceu na palha da Manjedoura e despediu-se dos homens pelos braços da Cruz.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Pensamento e Vida. Ditado pelo Espírito Emmanuel.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 10 de Abril de 2011, 13:35
Vejam este texto de Joanna de Ângelis que o Vitor postou em outro tópico.

Não te canses de amar

"Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

    Não te canses de amar.

    É possível que a resposta do Amor não te chegue imediatamente.

    Talvez te causem surpresa as reações que propicia.

    É possível que as ache desencorajadora.

    Sucede que, desacostumadas aos sentimentos puros, as pessoas reagem por mecanismos de auto-defesa.

    Insistindo, porém, conseguirás, demonstrar a excelência desse sentimento sem limite e mimetizarás aqueles a quem amas, recebendo de volta a bênção de que se reveste.

    Ama, portanto, sempre."

O que isto quer dizer?
As vezes amamos sim e ofertamos este amor, mas nos surpreendemos com a resposta ao amor que ofertamos. Mas temos que entender a limitação do outro em enxergar, segundo a DE o amor desprendido é tão raro na Terra que quando surge o homem desconfia, não acredita, e por auto-defesa cria desarmonia aonde não tem.
Por isso que Joanna diz " Ame Sempre", porque para quem tem este amor, pouco importa a resposta, espera pacientemente que o outro perceba, a verdade sempre vem a luz, só se ressente com a falta de retorno quem oferta o seu amor esperando por algo.
Sem esperar e sendo espontâneo não há mágoa.

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 10 de Abril de 2011, 14:12
PARA MELHORAR

Conserva a fé em Deus e em ti mesmo.

Age servindo.

Constrói o bem que se nos mostre ao alcance.

Recusa qualquer idéia de desânimo e trabalha sempre.

Aceita o fracasso por base de recomeço.

Admite o outro, tais quais são.

Não exijas de alguém aquilo que esse alguém ainda não te pode dar.

Auxilia aos companheiros de experiência, tanto quanto puderes.

Hoje, é possível que esse ou aquele amigo necessite de ti, entretanto, amanhã, é provável sejamos nós os necessitados.

Não te aconselhes com a irritação, nem hospedes a tristeza que termine habitualmente no nevoeiro da inércia.

Respeita as idéias dos outros para que as tuas se façam respeitadas,

Sorri, ainda quando as dificuldades nos sitiem por todos os lados.

Esforça-te em descobrir o lado útil das situações e das pessoas.

Não guardes ressentimentos.

Não te queixes de ninguém, nem te lastimes.

Valoriza o tempo e não te concedas o luxo das horas vazias.

Enumera as bênçãos que o Senhor já te permite usufruir e serve.

Usa a paciência e a tolerância.

Vive a própria vida e deixa que os outros vivam a existência que o Céu lhes concedeu.

E se nos dispusermos realmente a melhorar-nos e a melhorar o nosso próprio caminho, estejamos na certeza de que a Divina Providência nos fará sempre o melhor.


Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 10 de Abril de 2011, 14:35
Bom dia, meus amigos... que o Sol que brilha aqui em São Paulo, aqueça o coração de todos aqueles que estejam passando pelo frio do abandono, da tristeza e da dor...

Como citar cada post aqui colocado?? Simplesmente impossível, pois todos eles trazem sua mensagem tão importante e tão dentro do que precisamos ouvir e sentir, que seria "chover no molhado" se ficássemos a responder cada um....

A amiga Laisa nos trouxe passos firmes para seguirmos, o Henrique nos mostrou, através de um texto, a simplicidade que devemos perceber para alcançar o Reino de Deus... enfim...
Cada um de nós, ao ler determinado texto, ou determinado depoimento, vai assimilar aquilo que lhe falta e, com isso, vai se tornando mais consciente e, portanto, mais responsável por seus atos.

Será por isso que, nos grupos de estudos da DE, tantos iniciam e poucos terminam?? Será o encontro com a própria consciência, ou com a responsabilidade de vem dela??

Quando fizemos este estudo Transformação pelo Amor, na casa espírita que eu trabalhava em Curitiba, muitos desistiram. Mas, quem "perseverou", ao final, sentiu-se muito mais comprometido com a sua própria mudança e em se tornar espelho para aqueles que lhes seguiam o caminho.

Junto com o estudo, tivemos como "lição de casa", o estudo do livro Paulo e Estevão (Emmanuel/Chico), que mostra a trajetória de Saulo e sua transformação em Paulo. Como foi edificante, ao final, toda a pesquisa que fizemos em torno desse "personagem" vivo! Percebemos que somos capazes de nos transformar, sim, talvez não como ele, mas nas pequenas atitudes da vida, nos "mínimos detalhes", como ser responsável pelo próprio lixo, dar bom dia ao vizinho carrancudo, não utilizar os bens da empresa que trabalhamos para uso próprio, enfim...

Segue um texto bem elucidativo a respeito... para não ficar cansativo, ele vai no próximo post..

continua...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 10 de Abril de 2011, 14:43
segue o texto:


UMA VIRTUDE RARA ESQUECIDA

Tem se ouvido falar muito a respeito da esquecida honestidade.

Cidadãos criticam, de forma veemente, o que adjetivam como corrupção no Governo. As imagens televisivas e os jornais apontam cidadãos que lesaram os cofres públicos, de forma direta ou indireta.

E, todos os que lemos os jornais, que assistimos as imagens televisivas, que achamos muito bom que tenham sido presos esse ou aquele personagem, supostamente desonesto, nos esquecemos de uma coisa muito importante.

A honestidade é virtude rara em nossos dias. Ocorre que, de tal forma nos acostumamos a fraudar, a lesar que não mais nos damos conta de que o fazemos.

Vejamos alguns exemplos. Não é tão raro que haja desonestidade no casamento.

Por exemplo, um relacionamento extraconjugal. Seja qual seja o motivo, não há desculpas.

Temos também a desonestidade comercial onde, comerciantes vendem produtos de qualidade inferior como se fossem de melhor qualidade.

E ainda negociam com o famoso desconto especial para o cliente. Contudo, eles sabem que estão enganando o comprador. Nada contra o lucro, na atividade comercial.
Tudo contra, no entanto, à lesão a quem quer que seja que compra de boa fé.

E que se dizer da desonestidade profissional? Quantos médicos, advogados, professores deixam de realizar com honestidade o que lhes compete?

Quando o médico atende sem se importar com o paciente, preocupado em logo se liberar daquelas horas de trabalho que ele acredita mal pagas;

quando o advogado perde prazos, não providenciando o que devia e com isso prejudica o seu cliente no desfecho da causa;

quando o advogado prolonga, muito além do necessário, determinadas ações, cobrando com regularidade seus honorários mensais;

quando o professor não prepara as aulas e fica enganando alunos, pais e a administração da escola, colégio ou faculdade, é desonestidade.

Quando, como funcionários, deixamos nossos óculos ou a bolsa sobre a mesa, ou o paletó na cadeira, para dizer que estamos no local de trabalho, mas não estamos trabalhando, é desonestidade.

Quando usamos o tempo que a empresa pública ou privada nos paga, para atender nossas questões particulares, telefonando, conversando, estamos sendo desonestos.

Quando, ainda faltando 20 ou 30 minutos para o término do expediente, já nos arrumamos e ficamos somente esperando a hora de bater o ponto, estamos lesando quem nos paga.

Pensemos: hoje são 20 ou 30 minutos, mas, se somados ao longo de 30 ou 35 anos de trabalho, quantos anos teremos furtado ao nosso empregador?

E tudo isso fazemos de forma simples, comum, todos os dias. Como se fosse normal.

Estamos nos acostumando a ser desonestos, com a desculpa de sermos mal pagos, mal reconhecidos ou porque todo mundo faz.

Pensemos nisso: analisemos a nossa forma de atuar no mundo.

Verifiquemos o quanto estamos sendo incorretos, desonestos no lar, na escola, na rua, no trabalho, na sociedade como um todo.

Retifiquemos o passo enquanto é tempo. Se os outros fazem, o problema é dos outros. Não é nosso.

Sejamos aqueles que fazem a diferença. Não tenhamos medo dos que nos dizem que somos tolos.

Tolo é quem pensa que está enganando a própria consciência que é onde se encontra escrita a Lei de Deus.

Reformulemos ações e, a partir de agora, façamos um pacto solene e irrestrito com a honestidade.

A partir de hoje, sem falta. Acreditemos: seremos muito mais felizes, sem remorsos e sem temores.


Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no programa televisivo Vida e Valores -  Honestidade, apresentado por Raul Teixeira e Cristian Macedo.


Abraços sempre fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 10 de Abril de 2011, 14:54
Olá...

Ken, obrigada pelo texto... amigo Victor, muito obrigada por sua contribuição. É muito bom vê-lo por aqui...

Vamos refletir sobre estas frases de Joanna de Ângelis??

“ Em realidade, astúcia não expressa inteligência, mas sim, instinto de preservação da vida e dos jogos de interesses pessoais” 

(...)

“ A melhor solução para enfrentar problemas se é tentar resolvê-los nas suas fontes, evitando atitudes que o postergam, trazendo-o de volta mais complicados. O que não é feito hoje, amanhã estará por certo, mais difícil de ser conseguido.
Quando se resolve mal um problema ele dá surgimento a outro, que lhe é resultado, ou retorna mais desafiador. Por isso somente atitudes corretas, baseadas na honradez e na lealdade, conseguem resolver em definitivo as dificuldades e as ocorrências desagradáveis do percurso.”                                   

(...)

“ O amadurecimento psicológico propõe que cada atividade tenha lugar no seu momento próprio e cada desafio seja atendido no instante correto, quando se apresentem. “                                                             

(Joanna de Ângelis – Vidas Desafios e Soluções – cap. 3) .


As mudanças do outro, começam dentro de nós!!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 10 de Abril de 2011, 14:58
Amiga Gisella, seguindo seu raciocínio segue:

O QUE DESPERTAS?


“De sorte que transportavam os enfermos para as ruas e os punham em leitos e em camilhas para que ao menos a sombra de Pedro, quando este passasse, cobrisse alguns deles.” - (ATOS, cap. 5, vs. 15.)

O conquistador de glórias sanguinolentas espalha terror e ruínas por onde passa.
O político astucioso semeia a desconfiança e a dúvida.
O juiz parcial acorda o medo destrutivo.
O revoltado espalha nuvens de veneno sutil.
O maledicente injeta disposições malignas nos ouvintes, provocando o verbo desvairado.
O caluniador estende fios de treva na senda que trilha.
O preguiçoso adormece as energias daqueles que encontra, inoculando-lhes fluidos entorpecentes.
O mentiroso deixa perturbação e insegurança, ao redor dos próprios passos.
O galhofeiro, com a simples presença, inspira e encoraja histórias hilariantes.

Todos nós, através dos pensamentos, das palavras e dos atos, criamos atmosfera particular, que nos identifica aos olhos alheios.

A sombra de Simão Pedro, que aceitara o Cristo e a Ele se consagrara, era disputada pelos sofredores e doentes que encontravam nela esperança e alivio, reconforto e alegria.

Examina os assuntos e as atitudes que a tua presença desperta nos outros. Com atenção, descobrirás a qualidade de tua sombra e, se te encontras interessado em aquisição de valores iluminativos com Jesus, será fácil descobrires as próprias deficiências e corrigi-las.

EMMANUEL
(Do livro "Pão Nosso", 172, FCXavier, edição FEB)


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 10 de Abril de 2011, 15:08
Amiga Gisella, seguindo seu raciocínio segue:

O QUE DESPERTAS?


“De sorte que transportavam os enfermos para as ruas e os punham em leitos e em camilhas para que ao menos a sombra de Pedro, quando este passasse, cobrisse alguns deles.” - (ATOS, cap. 5, vs. 15.)

O conquistador de glórias sanguinolentas espalha terror e ruínas por onde passa.
O político astucioso semeia a desconfiança e a dúvida.
O juiz parcial acorda o medo destrutivo.
O revoltado espalha nuvens de veneno sutil.
O maledicente injeta disposições malignas nos ouvintes, provocando o verbo desvairado.
O caluniador estende fios de treva na senda que trilha.
O preguiçoso adormece as energias daqueles que encontra, inoculando-lhes fluidos entorpecentes.
O mentiroso deixa perturbação e insegurança, ao redor dos próprios passos.
O galhofeiro, com a simples presença, inspira e encoraja histórias hilariantes.

Todos nós, através dos pensamentos, das palavras e dos atos, criamos atmosfera particular, que nos identifica aos olhos alheios.

A sombra de Simão Pedro, que aceitara o Cristo e a Ele se consagrara, era disputada pelos sofredores e doentes que encontravam nela esperança e alivio, reconforto e alegria.

Examina os assuntos e as atitudes que a tua presença desperta nos outros. Com atenção, descobrirás a qualidade de tua sombra e, se te encontras interessado em aquisição de valores iluminativos com Jesus, será fácil descobrires as próprias deficiências e corrigi-las.

EMMANUEL
(Do livro "Pão Nosso", 172, FCXavier, edição FEB)




Olá, Ken...

Excelente texto!!!

Muito obrigada por estar refletindo comigo!!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 10 de Abril de 2011, 15:23
Amigos, refletindo, neste exato momento sobre o que estamos estudando, sobre esta modificação interior que devemos fazer, me veio à mente esta passagem do Evangelho, onde Jesus nos mostra o caminho a seguir, tão claro como água transparente e tão simples como 2 + 2 = 4..

A Porta Estreita

"Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ela. Que estreita é a porta, e que apertado o caminho que leva para a vida, e quão poucos são os que acertam com ela!" (Mateus, VII: 13-14).

"E perguntou-lhe alguém: Senhor, são poucos, então, os que se salvam? E ele lhes disse: Porfiai por entrar pela porta estreita, porque vos digo que muitos procurarão entrar e não o poderão. E quando o pai de família tiver entrado, e fechado à porta, vós estareis de fora, e começareis a bater à porta, dizendo: Abre-nos, Senhor! E ele vos responderá, dizendo: Não sei de onde sois. Então começareis a dizer: Nós somos aqueles que, em tua presença, comemos e bebemos, a quem ensinaste nas nossas praças. E ele vos responderá: Não sei de onde sois; apartai-vos de mim todos os que obrais a iniqüidade. Ali será o choro e o ranger de dentes, quando virdes que Abrão, e Isaac e Jacó, e todos os profetas, estão no Reino de Deus, e que vós ficais fora dele, excluídos. E virão do oriente e do ocidente, e do setentrião e do meio-dia, muitos que se assentarão à mesa do Reino de Deus. E então os que são últimos serão os primeiros,e os que são os primeiros serão os últimos." (Lucas, XII: 23-30).


Por qual porta estamos passando?? Será tão difícil, assim, seguirmos pela porta estreita?? Será, realmente tão difícil ser honesto, alegre, generoso e todos os outros adjetivos que já estudamos nesta última semana?? 

Jesus não nos pede uma Estrada de Damasco, mas que construamos essa estrada com atenção à nossa volta, que olhemos ao nosso redor e verifiquemos onde podemos aplicar suas máximas, seus ensinamentos.

Será que estamos fazendo isso??
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 10 de Abril de 2011, 16:04
Amiga Gisella ,

Ainda complementando  o acima exposto:

O Apóstolo Paulo afirmou: Não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse eu faço. (Romanos, 7-19.)
Nesse auto-reconhecimento, o nobre servidor do Evangelho de Jesus denunciava a existência do seu lado escuro, impulsionando-o a atitudes que reprovava e não conseguia impedir-se de praticar. Mediante, porém, esforço perseverante e autoconscientização da própria fragilidade psicológica, o arauto da Era Nova conseguiu atingir a culminância do seu apostolado, quando proclamou: (...) E vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim... (Gálatas, 2:20.)

Como conclusão evidente, enquanto não adquirirmos a autoconciência tudo que fizermos  serão  atitudes inconsistentes, que  por mais úteis que demonstrem ser, estarão longe de atingir a tão buscada “ Fora da caridade não há salvação “, proferida pelo apóstolo.


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 10 de Abril de 2011, 16:26
Amiga Gisella ,

Ainda complementando  o acima exposto:

O Apóstolo Paulo afirmou: Não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse eu faço. (Romanos, 7-19.)
Nesse auto-reconhecimento, o nobre servidor do Evangelho de Jesus denunciava a existência do seu lado escuro, impulsionando-o a atitudes que reprovava e não conseguia impedir-se de praticar. Mediante, porém, esforço perseverante e autoconscientização da própria fragilidade psicológica, o arauto da Era Nova conseguiu atingir a culminância do seu apostolado, quando proclamou: (...) E vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim... (Gálatas, 2:20.)

Como conclusão evidente, enquanto não adquirirmos a autoconciência tudo que fizermos  serão  atitudes inconsistentes, que  por mais úteis que demonstrem ser, estarão longe de atingir a tão buscada “ Fora da caridade não há salvação “, proferida pelo apóstolo.




Oi, Ken...

Concordo contigo, apenas penso, na parte da sua colocação que grafei em vermelho, que, apesar de serem atitudes inconsistentes, se não iniciarmos essas mesmas atitudes, elas nunca serão consistentes.

Tudo tem seu tempo: semear, ver crescer, frutificar, colher, se alimentar... se queremos chegar a um fim sólido, devemos começar agora, não é mesmo??

Mesmo com a geladeira cheia, se não nos levantarmos para buscar o alimento e, se necessário, prepará-lo, a nossa fome não passa, ou ficamos na dependência do outro para nos servir. Mas mesmo assim, se não mastigarmos, ou engolirmos o alimento, não nos saciaremos.

Até quando ficaremos nos alimentando de "soro intravenoso" ??

Concorda comigo??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

PS.: por falar em alimento, está na hora de ir para a cozinha e preparar o almoço de domingo... ;D
Até mais tarde...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Kenia Fidalgo em 10 de Abril de 2011, 17:01
Querida Gisela,


Conforme seus comentarios acima em relação à porta estreita, segue comentários,


No mundo em que HOJE vivemos de fato estamos em constante progresso, gradativo e contínuo buscando nos desvincular das práticas mesquinhas e nos desligar das lascívias carnais, todavia, ainda impera na maioria dos espiritos aqui encarnados a necessidade latente dos prazeres mundanos, uma busca frenética pela satisfação pessoal em detrimento de quem quer que seja, o individualismo ainda é muito forte, apesar das discretas manifestações dos " homens de bem".

Contudo, estivemos observando que a situação está mudando , pessoas em todo orbe estão tocadas pelo sofrimento das pessoas, pelas catástrofes , pelas grandes tragédias , e é o tempo de se observar uma comoção que toma conta de todos os corações.
A porta estreita está ganhando mais adeptos, e isso é um motivo de comemoração para todos nós, há pouco tempo atrás , pessoas que vivenciavam o Evangelho de Cristo, e buscavam seguir seus passos, timidamente se " escondiam" temendo uma reação da sociedade, mas hoje, quer pela divulgação da mídia (Através dos filmes baseados em obras de Chico Xavier), quer pelos livros psicografados, os " adeptos" da porta estreita estão se multiplicando.

Se é genuíno, não sabemos....  Se é passageiro, também nao podemos dizer, Mas a divulgação da doutrina está tendo um papel  determinante na evolucao da Terra, e é chegado o momento que nós espíritas devemos nos preparar pois dúvidas surgirão, muitos serão procurados com questionamentos mil, e devemos auxiliar nesta transformação que está ocorrendo com muito amor e sob os ensinamentos do pai maior,


Sigam sempre com Jesus
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Kenia Fidalgo em 10 de Abril de 2011, 17:12
Irmãos, segue abaixo , vídeo do nosso querido irmão Bezerra de Menezes, anunciando transformações, pelo médium Divaldo Pereira Franco,

Vale a pena assistir,

http://www.youtube.com/watch?v=90CwC0FmCz8&feature=player_embedded#at=101

Sigam sempre com Jesus
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 10 de Abril de 2011, 18:04
Amiga Gisella,

A reforma é intima, ninguém faz nada a ninguém, só nos restando ter em mente, que àquele que muito sabe ou  muito tem, mais lhe será cobrado. Porem  concordo contigo, “A semente só germina em solo fértil” ou  “Quando o aluno estiver pronto o Mestre aparece”,  cabe a cada um de nós refletir, e optarmos pela porta estreita ou não.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 10 de Abril de 2011, 19:13
Certo Ken,
A reforma intima é individual, assim como ninguém pode salvar ou ajudar ninguém, que não queira receber.
Penso que absolutamente tudo neste sentido é de cunho próprio. São posturas diante da vida, não devemos nem nos orgulhar por ter enstendido a mão à alguém, isso tem que ser feito de forma natural e simples. Não é dever, nem obrigação, nem muito menos mérito, é apenas o fazer o que tem que ser feito ao seu semelhante.
Acredito que esta é a verdadeira virtude.

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 10 de Abril de 2011, 19:24
Olá, Kenia...
Olá, Ken...

Obrigada por nos trazerem suas contribuições...

A porta estreita e a larga têm sido abertas para a Humanidade desde sempre, mas, pelo nosso comodismo, sempre optamos pela porta larga.

O momento de transformação que estamos passando está nos impulsionando para a frente, para a Porta Estreita.

Por isso, precisamos deixar de lado essa ideia de que amanhã faremos pois não sabemos se, para nós, o amanhã existirá, pelo menos no mundo material.

E, a Transformação pelo Amor só se dará quando tivermos aprendido as mínimas lições e fomos avançando para as mais complicadas.

Cada um de nós sabe onde estão nossas maiores dificuldades: para uns é mais difícil ser generoso, para outros pacientes, para outros tantos perdoar... mas, se começarmos a usar destas virtudes nos momentos mais simples da vida, tenhamos a certeza de que a nossa trajetória estará num bom começo!!


Certo Ken,
A reforma intima é individual, assim como ninguém pode salvar ou ajudar ninguém, que não queira receber.
Penso que absolutamente tudo neste sentido é de cunho próprio. São posturas diante da vida, não devemos nem nos orgulhar por ter enstendido a mão à alguém, isso tem que ser feito de forma natural e simples. Não é dever, nem obrigação, nem muito menos mérito, é apenas o fazer o que tem que ser feito ao seu semelhante.
Acredito que esta é a verdadeira virtude.

Um abço Hebe


Hebe, amiga...

Perfeito... simples assim...

Abraços fratrnos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 10 de Abril de 2011, 19:43
Amigos...

Quando falamos dos ensinamentos de Jesus, muitas vezes nos equivocamos por que acreditamos que eles são muito complicados, que o que Ele propõe é de prática muito difícil.

Neste texto, do qual extrai uma pequena parte, o autor nos mostra a Pedagogia de Jesus, de maneira tão simples que não temos como nos furtarmos em colocá-la em prática no nosso dia a dia:

"Jesus possui todas as qualidades do educador perfeito. Os recursos pedagógicos de que se serve conduzem o educando, com feliz e profunda alegria, à verdade essencial dos seus ensinos. Por isso pode sacudir e despertar a consciência adormecida do seu próprio povo, asfixiado sob o peso excessivo da lei mosaica e da política imperialista da época".

"Os ensinos de Jesus são sempre adaptados aos ouvintes. Ele pronuncia as suas palavras de forma compreensível para todos, sempre nas ocasiões mais oportunas. Recorre freqüentemente às imagens e parábolas, dando maior plasticidade às suas idéias".

"A Pedagogia do mestre é também gradual. Não cai jamais em precipitações que possam fazer malograr o aprendizado. Semeia e espera que as sementes germinem e frutifiquem: Tenho ainda muito a vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora".

"Como todo educador genial, Jesus emprega em alto grau a arte de interrogar, de expor, de excitar o interesse dos discípulos. Seus colóquios decorrem sempre num ambiente de incomparável simpatia. É digno, severo, paciente, segundo as circunstâncias e os interlocutores".

Os seus ensinos são claros e intuitivos. Cria figuras literárias e busca exemplos da vida cotidiana para esclarecer o seu pensamento. Aperfeiçoou a forma da parábola e revestiu-a de incomparável esplendor" (Riboulet).

"Seus ensinos têm um toque de autoridade (Eu sou o caminho , a verdade e a vida, todo o poder me foi concedido). Mas exerce com suavidade a sua autoridade. Responde com bondade aos contraditores de boa fé e com energia aos que querem combatê-lo".
 
(Francisco Arroyo em sua "História Geral da Pedagogia" - em "A Pedagogia de Jesus - José Herculano Pires - www.espirito.org.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnI=))

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: fiumatti em 10 de Abril de 2011, 23:20
A paz seja convosco!!

Esperando encontrar as palavras que possam vir ajudar ao melhor conhecimento da DE e ajudar no caminho para evoluçao, solicito que Deus me ampare!
A respeito da necessidade de construir o amor incondicional que se mostra mais adequado para avançar em prol da perfeição, temos a considerar que sem a caridade nao havera evoluçao. Essa maxima é uma contataçao oriunda das respostas no LE e que se recobre de logica nas leis divinas. Por isso acho que nao se deva negligenciar esse tema por se tratar do mais importante, e assim me surpreende ele nao esta na primeira colocaçao das votações. Reflitamos sobre essas questoes, e fico aqui pronto para ajudar e ser ajudado. Fiquem com Deus
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Marcia Faccin em 10 de Abril de 2011, 23:36
        Falar em Amor, esse sentimento tão grande e completo. Faz com que sejamos envolvidos numa energia cósmica, fazedores de uma caminhada lindissima, entre lutas e vitórias. Porém na busca constante em transformá-lo parte de nosso ser. Bjs
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 11 de Abril de 2011, 00:14
Boa Noite a todos,
Ainda dentro do módulo desta semana, trago um texto de Joanna de Ângelis sobre humildade para reflexão.

Humildade Sempre

Joanna de Ângelis

Alegra-te por fazeres parte da grandeza indescritível do Universo.

Não te subestimes, a ponto de constituíres-te uma nota dissonante, nesta sinfonia de incomparável musicalidade.

Busca sintonizar-te com a melodia que paira no ar, vibrante, afinando-te com a glória da vida.

Engrandece-te na ação das coisas de menor monta; apequena-te, quando diante das expressivas realizações que promovem os pruridos da vaidade e desarticulam as peças da simplicidade.

No contexto das expressões do Universo tu és importante, traduzindo a glória da Criação e evoluindo sem cessar.

A humildade exterioriza o valor e a conquista pessoais.

Ignorando-se, irradia-se e fomenta a paz em toda parte.

Jamais te deixes engolfar pela revolta, que traduz soberba e orgulho.

Quando alguém se permite penetrar de humildade, enriquece-se de força renovadora que se não exaure.

Contempla as estrelas, mas não te descuides dos pedregulhos sob os teus pés.

Sonha com os acumes esplendorosos das alturas, no entanto, não desconsideres as dificuldades-desafio da ascensão.

O Sol, que mantém a corte de astros que o cercam, desgasta-se, lentamente.

A Tecnologia, de tão salutares benefícios para a Humanidade, também responde pela tremenda poluição que ameaça a vida e a Natureza.

O metal, que reluz, se consome no burilamento a que se entrega.

Só a humildade brilha sem desgastar-se e eleva sem por em perigo.

Muitos falam, escrevem e traçam definições sobre a humildade de que se dizem possuidores ou que propõem para vivê-la os outros.

Sê tu aquele que passa incompreendido, porém entendendo o próximo e as circunstâncias, sem tempo para justificativas ou colocações defensivas.

Segue a programação a que te vinculas com o bem, não descurando o burilamento íntimo, o sacrifício pessoal.

Se outros pensam em contrário à tua atividade — cala e prossegue.

Cada qual responde a si mesmo pelo que é e pelo que faz.

A humildade difere da humilhação. Uma é luz, outra é treva; a primeira eleva, a segunda rebaixa.

Investe-te da segurança, de que, na Terra, ainda não há lugar ou pelo menos compreensão, para a verdadeira humildade de que Jesus se fez o protótipo por excelência, e, olhos nEle postos, ignora o mal e os sequazes dos maus, não revidando nem magoando ninguém, embora ferido, em sofrimento intenso, na certeza da vitória plena e final, após a larga travessia pelo oceano das paixões humanas dilacerantes.


Autor: Joanna de Ângelis
Psicografia de Divaldo Franco
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Anton Kiudero em 11 de Abril de 2011, 00:20
Alguem poderia explicar o que é o amor? Não precisa utilizar palavras bonitas e solicito não mandar textos alheios. Apenas, tentem definir o amor com as suas proprias palavras. Em poucas palavras.



Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 00:22
A paz seja convosco!!

Esperando encontrar as palavras que possam vir ajudar ao melhor conhecimento da DE e ajudar no caminho para evoluçao, solicito que Deus me ampare!
A respeito da necessidade de construir o amor incondicional que se mostra mais adequado para avançar em prol da perfeição, temos a considerar que sem a caridade nao havera evoluçao. Essa maxima é uma contataçao oriunda das respostas no LE e que se recobre de logica nas leis divinas. Por isso acho que nao se deva negligenciar esse tema por se tratar do mais importante, e assim me surpreende ele nao esta na primeira colocaçao das votações. Reflitamos sobre essas questoes, e fico aqui pronto para ajudar e ser ajudado. Fiquem com Deus

Olá, fiumatti... que bom que está conosco no estudo...

Você tem razão quando nos diz que para conquistarmos o amor incondicional necessitamos praticar a caridade.

Mas, pergunto, o que é a caridade senão o Amor em Ação?? e, para que esse Amor se movimente, o que precisamos fazer??

Não seria praticarmos todas as suas vertentes, que são as virtudes, em prol dos nossos próximos e de nós mesmos??

Cada vez que colocamos em prática qualquer das virtudes, estamos no caminho do Amor Incondicional, aquele que Paulo colocou na I Epístola aos Coríntios.

E, a "palavra caridade" não foi colocada por primeiro, na votação, não por ela não ser importante, ou a menos importante, mas simplesmente porque todas são igualmente importantes. Por isso colocamos, no início do nosso estudo, que dividiríamos o estudo em 4 blocos semanais, mas isso não significava que as virtudes não se entrelaçariam.

É por isso que nosso estudo está baseado no E.S.E, cap. XV, itens 6 e 7, A Caridade segundo São Paulo. "Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade, estas três virtudes; porém, a maior delas é a caridade".

        Falar em Amor, esse sentimento tão grande e completo. Faz com que sejamos envolvidos numa energia cósmica, fazedores de uma caminhada lindissima, entre lutas e vitórias. Porém na busca constante em transformá-lo parte de nosso ser. Bjs

Olá, Marcia... muito obrigada por suas palavras... já me contagiei com esta energia cósmica!!

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 11 de Abril de 2011, 00:29
Olá,

O Amor.....
"Ele é generoso, carinhoso, é antídoto eficaz para a crueldade, ignorância, egoísmo, adversários cruéis da humanidade." 

Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 00:32
Alguem poderia explicar o que é o amor? Não precisa utilizar palavras bonitas e solicito não mandar textos alheios. Apenas, tentem definir o amor com as suas proprias palavras. Em poucas palavras.





Olá, Anton...

Meu marido diz que é o nome dele ao contrário (Romão)..  ;D

Deixando a brincadeira de lado, acredito que esta seja a descrição mais difícil de se fazer, pois o Amor não se explica, se sente...

E, falarmos do que sentimos é muito complicado... Muitos dirão que é o sentimento que une um homem e uma mulher; outros que é o que mantem a Vida Universal; outros que é a beleza das flores, outros, então, dirão que ele não existe!!

E você, o que nos diz sobre o amor??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 11 de Abril de 2011, 00:37
Amor = Deus
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Anton Kiudero em 11 de Abril de 2011, 00:38
Amiga Gisella, eu digo que o amor é um sentimento desconhecido para o ser humano.

O ser humano somente conhece o amor se, amor quando e amor porque. E as condiçoes simplesmente eliminam o amor.

Por isto coloquei a pergunta: alguem poderia defini-lo em sua essencia?

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Anton Kiudero em 11 de Abril de 2011, 00:40
Amor = Deus

Bem, Hebinha, Deus causa todas as coisa boas e todos os males que nos afligem. Amamos a Deus sempre ou apenas quando?
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 00:42
Olá, amigos...

Como já é de conhecimento de todos, estou fazendo minha amiga Margeci praticar a caridade para comigo desde que fiquei sem PC !!!

Mas, hoje preciso devolvê-lo...  :'(

Amanhã deve chegar o meu, por isso me despeço de vocês hoje, rogando a Jesus nos ilumine sempre os pensamentos, para que possamos, juntos, encontrarmos o caminho que nos conduzirá ao Amor Incondicional!!

Se, caso amanhã eu não aparecer, algo aconteceu e meu pc não chegou!!! Aí, será mais uma oportunidade de praticar a paciência!!!

Abraços com carinhos fraternais a todos,

Gisella  ;)

PS.: Unformatted, espero que esta situação se resolva o mais rápido possível. Obrigada pela compreensão!!

Amiga Gisella, eu digo que o amor é um sentimento desconhecido para o ser humano.

O ser humano somente conhece o amor se, amor quando e amor porque. E as condiçoes simplesmente eliminam o amor.

Por isto coloquei a pergunta: alguem poderia defini-lo em sua essencia?



Anton, neste caso, você está pedindo algo iimpossível para nós, simples humanos!!

Se é um sentimento desconhecido, como definí-lo??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

PS.: (de novo)... agora, sem mais demora.... Até Amanhã a todos!!! :-\

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: yuriautran em 11 de Abril de 2011, 00:45
Alguem poderia explicar o que é o amor? Não precisa utilizar palavras bonitas e solicito não mandar textos alheios. Apenas, tentem definir o amor com as suas proprias palavras. Em poucas palavras.

No meu humilde entendimento e da maneira mais simples que posso achar:

Não faça aos outros o que não quer que façam com vc. (atitude passiva)
Faça aos outros o que quer que façam com vc. (atitude ativa)




Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 11 de Abril de 2011, 00:45
Quando entramos em sintonia.
Quando amamos, quando estamos em paz em qualquer circunstância, aí estamos em Deus.
Quando saímos desta sintonia não estamos em Deus.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Anton Kiudero em 11 de Abril de 2011, 00:48
Citar
Anton, neste caso, você está pedindo algo iimpossível para nós, simples humanos!!

Se é um sentimento desconhecido, como definí-lo??

Amiga Gisella, eu apenas disse que era um sentimento desconhecido, mas como uma multidão esta falando deste sentimento desconhecido ha 24 paginas cheias, devem saber algo que eu não saiba e por isto coloquei a pergunta.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Henrique Alves em 11 de Abril de 2011, 02:02
O Amor talves seja desconhecido para a grande maioria das pessoas, mas lembremos de exemplos não distantes de Bezerra de Menezes, Chico Xavier, Madre Teresa e tantos outros desconhecidos que praticaram o Amor da forma pura sem condições.
Tomemos Jesus como exemplo maior.   
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 02:06
 :D :D :D

Olá, amigos....

A minha amiga/irmã Margeci e seu esposo estão praticando a generosidade para comigo!!!

Me permitiram usar o PC deles até amanhã....  ;D

Por isso, estou de volta!!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Citar
Anton, neste caso, você está pedindo algo iimpossível para nós, simples humanos!!

Se é um sentimento desconhecido, como definí-lo??

Amiga Gisella, eu apenas disse que era um sentimento desconhecido, mas como uma multidão esta falando deste sentimento desconhecido ha 24 paginas cheias, devem saber algo que eu não saiba e por isto coloquei a pergunta.



Olá, Anton...

Neste caso, estamos todos aprendendo, pois a cada nova postagem, algo nos faz pensar na grandeza desse sentimento ainda tão difícil de alcançar, o qual apenas os Espíritos Puros conseguem definir, e, principalmente, sentir!!

Quem sabe, até o final do mês, descobriremos algo a mais sobre o amor e conseguiremos colocar em prática para que, um dia, ele se torne tão natural que o dividiremos com todos sem a necessidade de pensarmos nele??

Os obreiros de Senhor

"Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da Humanidade. Ditosos serão os que houverem trabalhado no campo do Senhor, com desinteresse e sem outro móvel, senão a caridade! Seus dias de trabalho serão pagos pelo cêntuplo do que tiverem esperado. Ditosos os que hajam dito a seus irmãos: "Trabalhemos juntos e unamos os nossos esforços, a fim de que o Senhor, ao chegar, encontre acabada a obra", porquanto o Senhor lhes dirá: "Vinde a mim, vós que sois bons servidores, vós que soubestes impor silêncio aos vossos ciúmes e às vossas discórdias, a fim de que daí não viesse dano para a obra!"
(E.S.E. - cap. XX - item 5)

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 11 de Abril de 2011, 02:14
Citar
Anton, neste caso, você está pedindo algo impossível para nós, simples humanos!!

Se é um sentimento desconhecido, como definí-lo??

Amiga Gisella, eu apenas disse que era um sentimento desconhecido, mas como uma multidão esta falando deste sentimento desconhecido ha 24 paginas cheias, devem saber algo que eu não saiba e por isto coloquei a pergunta.


Anton ,
O amor se define por serenidade, estar em paz, é o oposto do egoísmo que gera todos os conflitos.
Chegamos a este estágio permanentemente, claro que não. Nem eu, e mais uma multidão.
Mas quem não sentiu ainda, nem que seja por dias, horas , minutos essa sensação de paz, de alívio de alegria, de leveza. Acredito que muita gente possa ter sentido, nem que seja por algumas horas. É só puxar pela memória.
Não acredito que seja possível nunca ter sentido, ou estar eternamente preso ao egoísmo que nos caracteriza nesta encarnação.
Principalmente na cultura Ocidental, voltada eternamente para a busca da felicidade no externo do ser é dificil mesmo essa percepção.
Mas é possível sentir amor sim.
Um abço Hebe

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 11 de Abril de 2011, 05:30
Bom dia, queridos amigos e caros irmãos visitantes!


MENDIGOS DE AMOR


Quase todos temos uma tendência a nos deixarmos impressionar pelo que os outros aparentam.

Pelo modo como se trajam.

Pelos títulos que ostentam.

Pela condição social que ocupam.

Pelos recursos amoedados de que disponham.

A tais, nos desdobramos em atenção e gentilezas, quando por eles somos abordados, até em momentos que consideramos inadequados.

Quando, porém, somos procurados por pessoas que consideramos obscuras e sem expressão na vida comunitária, costumamos exasperar-nos e despachá-las com meia-dúzia de palavras.

Por esta nossa única íntima postura, diante de uns e dos outros, ser-nos-á possível uma melhor avaliação nos sentimentos que nos movem.

A rigor, ninguém é o que aparenta, nem nós, quando ansiamos por transmitir uma imagem falsa do que somos a quem nos observa.

Diante das Leis Equânimes da Vida, por mais nos cubramos de ouro e púrpura, todos estamos em situação de extrema penúria a mendigar amor.

                 Irmão José
(Psicografia de Carlos A. Baccelli)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 11 de Abril de 2011, 06:05
Bom dia, irmãos queridos!


ALEGRIA

Esse valoroso homem, André, que se tornou discípulo do Divino Mestre, foi trucidado na Acaia, pendurado em um madeiro em forma de X, para que o Evangelho ali fosse dignificado como força de vida. Ele chegou a Corinto com alguns de seus acompanhantes para fazer mais conhecida a Boa Nova de Jesus Cristo e foi colhido por malfeitores encamisados no crime, guiados por políticos inescrupulosos, no intuito de fazer calar o anunciante das coisas do espírito. André nunca se esquecera da lição de alegria dada por Jesus. E quando era espetado por lâminas que a violência fazia acionar em seu corpo, ainda lhe sobrava força espiritual para sorrir, sabendo que estava cumprindo o seu dever de entregar sua vida física como semente para as futuras árvores do Cristianismo no mundo.

André tinha muita afinidade com o mundo grego e sentia imenso prazer quando ouvia falar dos filósofos mais instruídos da Terra, que haviam nascido na Grécia. Tinha notícias também de um seu contemporâneo de nome Apolônio de Tiana, um iniciado que iluminara o coração pelo amor e a verdade de que a sua incomparável inteligência era portadora. André sabia de cor muitos preceitos de Sócrates e Platão e os admirava pela rara beleza de seus ensinamentos, eivados de justiça, amor e alegria.

Bem, vamos encontrar o irmão de Pedro cansado da refrega diária que tinha o Mar da Galileia como palco. Ali, naquele mundo líquido, estava a lavoura dos pescadores. André chega em casa e entra em meditação sobre a vida dos homens e das coisas, sobre Deus e a criação, sobre o porque viver e para quê, pensando se iria ficar toda a vida como pescador, enquanto existiam milhões e milhões de outros cada vez mais ricos, enquanto os romanos dominavam quase o mundo inteiro. E o cidadão romano se destacava onde seu domínio se salientava pela força, enquanto os outros se mantinham como escravos ou servos, como escabelos de seus pés. Passados alguns minutos de meditação, pega alguns escritos sagrados e, lendo, dorme como uma criança e voa como um passarinho que o destino leva para as regiões do Éden. André é levado por alguém que não vê, entra em um enorme pátio onde se avistavam muitas pessoas a trabalhar, cuidando dos harmoniosos jardins. Depois é conduzido para um amplo salão onde uma mesa circular enfeitava o ambiente, rodeada de cadeiras confortáveis. A música se espraiava na atmosfera, sem que se pudesse descobrir sua procedência. Mais ao lado, várias cadeiras reclinadas, bem dispostas, convidavam à conversação. Duas delas estavam ocupadas por personagens que logo o filho de Betsaida atinou quem seriam: Sócrates e Platão. Foi convidado a assentar-se, o que fez meio desapontado, mas alegre. O seu acompanhante conversa com os dois líderes da filosofia, apresentando seu tutelado. André ouvia, mas não via a entidade. Sócrates, muito gentil, saúda André, e Platão deseja-lhe paz. O irmão de Pedro, prestimoso, responde às gentilezas dos dois era portadora. André sabia de cor muitos preceitos de Sócrates e Platão e os admirava pela rara beleza de seus ensinamentos, eivados de justiça, amor e alegria.

Bem, vamos encontrar o irmão de Pedro cansado da refrega diária que tinha o Mar da Galileia como palco. Ali, naquele mundo líquido, estava a lavoura dos pescadores. André chega em casa e entra em meditação sobre a vida dos homens e das coisas, sobre Deus e a criação, sobre o porque viver e para quê, pensando se iria ficar toda a vida como pescador, enquanto existiam milhões e milhões de outros cada vez mais ricos, enquanto os romanos dominavam quase o mundo inteiro. E o cidadão romano se destacava onde seu domínio se salientava pela força, enquanto os outros se mantinham como escravos ou servos, como escabelos de seus pés. Passados alguns minutos de meditação, pega alguns escritos sagrados e, lendo, dorme como uma criança e voa como um passarinho que o destino leva para as regiões do Éden. André é levado por alguém que não vê, entra em um enorme pátio onde se avistavam muitas pessoas a trabalhar, cuidando dos harmoniosos jardins. Depois é conduzido para um amplo salão onde uma mesa circular enfeitava o ambiente, rodeada de cadeiras confortáveis. A música se espraiava na atmosfera, sem que se pudesse descobrir sua procedência. Mais ao lado, várias cadeiras reclinadas, bem dispostas, convidavam à conversação. Duas delas estavam ocupadas por personagens que logo o filho de Betsaida atinou quem seriam: Sócrates e Platão. Foi convidado a assentar-se, o que fez meio desapontado, mas alegre. O seu acompanhante conversa com os dois líderes da filosofia, apresentando seu tutelado. André ouvia, mas não via a Entidade. Sócrates, muito gentil, saúda André, e Platão deseja-lhe paz. O irmão de Pedro, prestimoso, responde às gentilezas dos dois senhores e começa a conversação, iniciada por Sócrates:

— Meu filho, ainda estás preso aos liames da carne e talvez não conseguirás registrar tudo o que porventura deveríamos conversar nesta oportunidade. Todavia, a bondade de Deus é imensa e nos dá outros recursos. Guardarás tudo dentro da consciência como se fosse um gás circulando nos mais profundos arquivos da alma, por leis que desconheces. Na hora conveniente, tal conhecimento irá aflorar na inteligência em forma de lembranças, meio confusas a princípio, aclarando-se depois e tomando a forma que pretendemos na realização que foi desejada. Nós te agradecemos a admiração que tens por nós, ao conhecer fragmentos dos nossos feitos quando passamos pela Grécia e o interesse nosso de falar-te era bem maior que o teu de nos conhecer, pois se trata de coisa muito interessante e da maior importância para a tua vida. Escuta com atenção. Foste preparado, meu filho, antes de nasceres na Terra, para te unires a um Mestre que se propõe a ensinar aos homens. Deves segui-Lo quando o chamado chegar aos teus ouvidos. Terás um papel a desempenhar na estrutura orgânica da religião nascente e a nossa maior alegria é que podes desempenhar o teu papel com prudência, com coragem e com amor. É bem possível que tenhas de dar duros testemunhos, sem que o medo te torne covarde, mesmo que sejas abandonado nas horas mais difíceis. Não temas, é nessas horas que precisarás de mais ânimo. E nós, de onde estivermos, haveremos de cooperar com todos os trabalhadores desse Mestre incomparável. Ajusta teu caráter na dimensão de novos entendimentos a serem administrados por Ele e avança destemido. Quando estivemos na Terra, já foi, de certo modo, preparando terreno para essa grande alma, já foi semeando gotas de luz que Ele nos ofertou nos planos resplandecentes em que transita. Esse Espírito de que te falo já se encontra na Galiléia, onde tiveste a abençoada felicidade de também nascer. A Terra, André, encontra-se em festa espiritual por hospedar a maior das estrelas dos céus. E nós, mesmo do plano espiritual, continuamos a ajudar a disseminação das ideias de Deus, anunciadas pela mensagem do Messias. Na verdade te dizemos: o sol vai nascer na escuridão do planeta em que vives, do qual também estamos fazendo parte.

Sócrates, sorrindo, adianta, com sabedoria:

— Meu Filho! Esse Mestre de que acabo de falar é um grande educador cósmico, que não só é Mestre de fora, como de dentro da alma. Que Deus abençoe a tua existência no mundo e o teu trabalho de cada dia!

Continua...

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 11 de Abril de 2011, 06:18
Continuação...

Sem que André pudesse falar, desejoso de agradecer àquele homem maravilhoso que fazia transparecer pela fala e pela presença a serenidade dos céus, Platão dá continuidade à conversa de Sócrates. André preparou-se para ouvir o antigo filósofo que derramou sobre todos o conhecimento humano da mais pura essência educativa, que formou conceitos elevadíssimos sobre política e vivência humanas, fundador de métodos democráticos de direção dos povos, o homem que sonhou com fraternidade vivida e deu ensejo às universidades na Terra, que falou de continentes desaparecidos, como a Atlântida e a Lemúria como se os tivesse visitado e neles morado. Foi também quem soube no mundo, entender com mais profundidade o pensamento de Sócrates, desdobrando-o em inúmeros ramos de entendimento e fundando educandários exemplares, como academias de luz. Platão começou a falar tranquilamente a André:

— Filho de Betsaida, terra generosa e boa! Que o nosso Pai Celestial te infunda ânimo e fé para remover do teu coração todas as dúvidas que por acaso estiverem te inquietando, e que a luz da confiança fortaleça todos os teus sentimentos, fazendo da tua vida, André, um cântico de alegria. O que já ouviste de Sócrates é o que podes ouvir de mim. Sentimo-nos imensamente satisfeitos em contar com a tua presteza, com a tua fé e coragem na implantação da verdade que irás ouvir do Messias. Em primeiro lugar, é justo e bom que fortaleças os conhecimentos acerca da vida e alimentes a certeza de que ninguém morre. Além do corpo, vibra uma chama divina. Sem ela, o que seria dele? Um amontoado de matéria que se destaca no lixo pelo seu mau odor. No entanto, iluminado pela alma que dele se serve como instrumento, é a peça mais importante na vida do Espírito em passagem pela Terra. É uma construção divina que, mesmo ao tempo, guiado por Deus, gastou muito para solidificar sua conjuntura e dele tirar as mais belas notas para a orquestração da vida e glória de Deus. Queremos ter muita alegria ao te conscientizar da tarefa que tens no esclarecimento da humanidade. Serás um dos pontos da claridade divina na escuridão do planeta. Cresce no amor, meu filho, para que esse mesmo amor venha te libertar para a eternidade. Vamos fazer o possível para que te lembres com mais nitidez deste encontro nas horas convenientes e não penses que ficaremos distantes do movimento novo, para a nova vida de luz espiritual que a Terra vai receber. Não, estamos todos unidos com Aquele que já se encontra na vinha do Senhor, dando cumprimento a todas as profecias de todos os tempos, que anunciavam a vinda de um Messias, como um Sol para a velha Terra, a salvar os homens e a salientar uma nova esperança aos corações sofredores. O Seu olhar é imantado de poderes que curam enfermos. Poderás, mais tarde, constatar que a Sua palavra é como se fosse a palavra do próprio Deus, com poderes inexplicáveis. É uma fonte inesgotável de sabedoria e de paz. As Suas mãos parecem dois sóis que removem todas as trevas ao abençoar, levantam paralíticos, curam leprosos e ajustam os desequilibrados. Sua presença é uma esperança sem limites.

André gostaria de ficar ouvindo aqueles mestres do saber durante toda a vida, mas sentia que sua tarefa o chamava para as lides do mundo. Por dentro, parecia cantar hinos de alegria e de libertação. Nada falava por não ter nada a dizer. Estava ouvindo tudo que, por certo, precisava.

Platão, com a candura que lhe era peculiar, finaliza, com benevolência:

— Meu filho! Quando fores chamado, abraça este dever como sendo o maior da tua vida, porque a própria vida na Terra te será pedida para testemunho. Na Velha Grécia, se souberes comportar-te, encher-nos-ás de júbilo, pois os gregos precisam desse testemunho de confiança e de fé. Sê alegre mesmo na despedida da Terra para o Céu.

Nisso, André sente que alguém batia de leve em seu ombro. Ouviu uma voz suave lhe dizendo:

— Vamos, André. É hora de partirmos.

André levanta-se e alcança as mãos dos dois filósofos, beijando-as como se fosse uma criança e os dois mestres sentiram em André uma alma da mais pura simplicidade, que merecia toda a atenção para os devidos acertos na sua personalidade, visando a um perfeito desempenho no importante papel de discípulo do Mestre dos mestres: Jesus Cristo.

Continua...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 11 de Abril de 2011, 06:21
(Final)

André acorda esplendendo de alegria, sem saber o motivo. A Alegria era imensa. Depois, vagamente, vem à tona um vago sonho que, devagarinho, toma corpo, fazendo-o lembrar-se de muitas coisas que lhe dão a certeza da existência dos céus de que tanto falavam os livros sagrados. Quando Jesus o convida para segui-Lo, André é tomado de muitas recordações, a respeito do diálogo com os filósofos gregos, sentindo que Jesus é, realmente, o Messias prometido. Entregou-se ao Mestre como peça da máquina que deveria trabalhar na Terra, no cultivo dos corações e das inteligências, para o bom plantio da verdade.

André adentra a igreja dos pescadores, toma lugar ao lado de seu irmão Pedro. Tiago de Alfeu assume a posição de orar e roga a Deus com toda a disposição e humildade. André, a um simples olhar de Jesus, levanta-se com reverência e fala:

— Mestre, eu amo muito a Alegria. Queria que me fizesses a caridade de apresentar a modalidade em que a Alegria possa ser mais útil e a forma de atingir a humanidade com essa virtude divina que pode nascer nos nossos corações.

O Messias, ouvindo atento Seu discípulo, prepara o verbo para discorrer acerca do mais lindo tesouro e da mais encorajadora disposição que a alma pode despertar: a Alegria, quando esta emana do amor.

— André! Podes ser uma fonte de Alegria, onde muitas pessoas poderão saciar a sede. A Alegria é um dom divino. Para que conheças mais de perto o valor da Alegria, observa a tristeza. Deves ter cuidado quando falares aos teus companheiros, para que não destiles neles estados negativos que, por vezes, encontras como entulhos dentro de ti. Antes de pensar, antes de falar, vê como está teu mundo interno. Se as condições não estiverem favoráveis, trabalha para te modificares, porque conversar com os outros nos traz certas responsabilidades e, para tanto, devemos nos preparar. Assim como existe o pão que mata a fome do corpo, existe o pão da palavra e da Alegria, que matam a fome do coração. Assim como existem alimentos indigestos pela sua composição, em dissonância com o fardo físico, igualmente há palavras e gestos em distonia com as almas que os vêem e as ouvem. A Alegria elevada, meu filho, é se uma força poderosa que ainda desconheces. Ela transmite, em sua estrutura divina, as bênçãos da saúde e da fé, até do próprio amor, elevando o sistema de felicidade e cooperando com a esperança, para que sintamos prazer em viver e em amar a Deus e aos homens. Com o tempo podes observar que tudo na criação canta louvores ao Criador. Se tiveres olhos para ver, observa a Alegria nos animais, nos pássaros, nos peixes, nas árvores, no sol e nos ventos, nas estrelas e no mar. Parece lógico que as árvores sorriem pelos lábios das flores; os peixes pelas suas cadências, ao deslizar nas águas; os pássaros nas exuberâncias dos vôos; o sol pelas viagens vertiginosas dos seus raios; as águas pela musicalidade das ondas; os animais pelos impulsos instintivos da competição nos campos; os ventos pelo seu deslizar suave na face da Terra e as estrelas pela harmonia que emprestam à mecânica universal. E nós outros, como os mais bem dotados seres da criação, não teremos de dar uma nova feição enriquecida à Alegria? O que faremos dela? Devemos fazer as coisas mais agradáveis. É pela Alegria e através dela, que o nosso a amor deve sensibilizar os nossos companheiros. É por ela e através dela que a nossa caridade deve se fazer presente em todas as oportunidades de servir. É por ela e através dela que a fraternidade, de nós para com os outros, deve ser alastrada em todas as direções da vida. Alegria, André, é vida. E para sermos alegres, necessariamente temos de fazer a nossa parte, pois todo aperfeiçoamento requer do candidato o esforço próprio. Começa hoje mesmo a exercer a gentileza. Se já és dono dessa maneira elevada, procura melhorar mais, pois a Alegria verdadeira nasce de pequenos gestos, para engrandecer no todo da alma. Os grandes rios se alimentam dos pequenos córregos para se tornarem verdadeiros mares.

Jesus se cala, sem que os apóstolos pressentissem e medita junto com eles. O ambiente estava repleto de pura Alegria. O Nazareno havia dado um cunho da satisfação na disposição de cada criatura ali reunida. Remata sua fala com delicadeza:

—André! O sorriso bem posto na feição do homem é um patrimônio divino, é uma conquista do tempo, cujo preço foram séculos incontáveis de aprendizado. Na Terra, somente os homens possuem essa virtude. Os outros reinos estão a caminho dela. E nós devemos agradecer a Deus por sabermos aperfeiçoar esse estado divino em nossos corações. E eu desejo que a Alegria pura seja o sol despontando nos céus da tua boca, para que esta possa, com maior valor, anunciar a Boa Nova do Reino de Deus.

Todos os discípulos, naquela noite, saíram da igreja dos pescadores sorrindo, motivados por Aquele que representa a Alegria dos céus.

         Pelo Espírito Shaolin
(Psicografia de João Nunes Maia)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: filhodobino em 11 de Abril de 2011, 11:21
A transformação pelo amor é muito simples e eficaz... é só seguir o exemplo...


Retrospectiva de Vida da Zilda Arns (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVB2bFBwU0FLaWtFIw==)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Anton Kiudero em 11 de Abril de 2011, 11:42
Certo, não sobram exemplos de amar se, amar quando e amar porque. E encontrar imensa felicidade nestes instantes de amor. E isto será felicidade ou apenas outro nome para as posses humanas ou algum desejo satisfeito?

Quem amou o rapazinho que matou as crianças na escola ha alguns dias?

Ele passou a ser menos 'filho de Deus' ou irmão nosso, apenas pelo ato que cometeu?
E se todos os atos do universo são causados por Deus, de que o acusam, afinal?

Porque quem ama se, quando ou porque, tambem desama se, quando e porque....

O amor, tal como compreendido pelo ser humano é sempre um ato egoista e dura enquanto o ego se satifaz com isto. Na primeira contrariedade, deixa de existir e brota o seu oposto.

Por favor, sem copy&cole de longos textos e figurinhas. Gostaria de ouvir ou ler o que pensam em poucas palavras ou cinco linhas no maximo. O assunto é sério...

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 11:54
Olá, amigos, bom dia!!!

Antes da minha fisioterapia, dei uma passadinha pra dar um Oi e dizer que logo, logo estarei de volta.

filhodobino, um dos seus videos está com a URL errada... não carregou!!

Lima_Gil, ainda não consegui ler seu texto, na volta farei com calma...

Anton, você está me fazendo pensar... pode deixar que, na volta, retomamos nosso "debate" (no bom sentido)... ;D

Amiga Hebe está sem acesso à rede... hoje só a teremos no horário do almoço ou à noite... :'(

Um dia radiante para todos...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: filhodobino em 11 de Abril de 2011, 11:56
Querido e amado irmão Anton...

A veracidade e a oportunidade de suas palavras não poderiam ter sido melhor colocadas...
A messe é gigantesca, faltam trabalhadores...
Somos muito capazes de organizar mesmo após catastrofes, veja os barracões das escolas queimaram, deram um jeitinho e eles desfilaram...

A organização do Carnaval brasileiro é o melhor treinamento para as convocações de trabalho voluntário...

Para fazer o que Jesus fazia, para sentir como Jesus sentia, para amar como Jesus amava, é que anda faltando voluntários...
e ainda ficamos culpando o governo...
Estava com saudades do amigo...
Saúde e Paz!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Kenia Fidalgo em 11 de Abril de 2011, 13:42
Querido irmao Anton,


Se a nossa ignorancia espiritual nao fosse ainda tao grande, já teríamos compreendido o que é o amor, Jesus veio á Terra disseminando o amor e nos ensinando que não há como sermos felizes sem amar uns aos outros , a tarefa ainda nos é tao dificil que muitos nao compreenderam essa maxima até hoje .

Se compreender o sentido da palavra AMOR já foi dificil por mais de dois séculos, imagine então defini-lo .... perdoa-me minha falta de vocabulário .


Siga sempre com Jesus
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 14:41
Olá, pessoal... de volta da fisioterapia!!!

Anton e amigos...

Vou fazer uma proposta:

Este assunto "Amor"  seria discutido, em uma maior amplitude na última semana do nosso estudo.

Porém, tendo em vista os questionamentos e colocações feitas pelo Anton, que, como ele mesmo disse, o assunto é sério, pergunto:

Tratamos deste assunto agora ou seguimos o cronograma??

Quem sabe, ao final, na última semana, poderemos ter mais bases para discutir este assunto?? Ou, começamos agora e seguimos intercalando as outras virtudes..

Aguardo a posição dos amigos para esta decisão...

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Anton Kiudero em 11 de Abril de 2011, 14:46
Queridas Gisella e Hebinha!

Voces são as iniciadoras e organizadoras deste estudo e não me cabe opinar sobre o seu ritmo. Apenas iniciei um questionamento 'paralelo' por senti-lo conveniente no momento.

Fico a disposição do que quiserem fazer,
Anton
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 11 de Abril de 2011, 14:47
Olá Gisella e amigos,

Minha opinião é que sigamos o cronograma.
Com certeza voltaremos a estas colocações do amigo Anton.

Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: fiumatti em 11 de Abril de 2011, 15:10
Parabéns pelo tema lindissimo.

Eu nao li todos os tópicos anteriores, mas gostaria de deixar um rabisquinho aqui.

Eu entendo o amor como a primazia do plano divino ao coração de todos os seres da criação. Só ele transforma, transcende e renova. È a lei e todos os profetas, porque traduz do plano da essencia ao plano das formas, e do plano das formas ao plano da essencia, a única lei universal que é a lei da fraternidade, acordante a unidade, de mesmo sendo muitos e diversos, somo uni, constituindo o
uni-verso.

Como traduzir o amor na vida? Se nao amamos aquele que vemos, como podemos amar a Deus que nao vemos?

Meu esforço pessoal para amar, passa justamente pelos exercicios da virtudes proposta por Paulo e pelo roteiro.

Primeiro Passo.....
Eu poderia enumerar milhares de passos......
Luzes de paz a todos corações.

Laísa Emanuelle.


Laísa

Que a Paz de Deus seja convosco!!

Admiravel exercicio,

Vendo suas colocoções nao pude deixar de notar que seus esforços sao fortes e espero que tenhas exito. Todavia me perpassa a ideia que seja uma tarefa muito ardua e dificil de realizar, pelo menos para mim.  Ao meu turno, procuro Amar o proximo, nao como Deus nos ama, mas como me amo. Isso porque primeiro nao tenho essa capacidade e outra que Deus não exigiria de um aluno tamanha responsabilidade. Assim fica menos dificil, pois esse amor ja temos e deixa uma boa pista para realizar com o outro, e todos nos sabemos que o orgulho e o egoismo tenta nos afastar desse intento.

Para sair do amor interno, ou seja, do egoismo, procuro o proximo, isto é, o bem proximo mesmo, os filhos os pais os que de alguma forma te faz sentir amor. A partir desse(s) tento entender que isso devera ser expandido aos outros proximos. É de facil entendimento, porem de dificil execusao, porem bem possivel. E que so existe dois caminhos para evoluir, ou se evolui pelo amor ou pela catapulta da dor,,, a escolha e nossa!!!
Espero que essa palavras te cheguem em harmonia, pois e esse meu desejo.
Um abraço
Fabio
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 15:11
Queridas Gisella e Hebinha!

Voces são as iniciadoras e organizadoras deste estudo e não me cabe opinar sobre o seu ritmo. Apenas iniciei um questionamento 'paralelo' por senti-lo conveniente no momento.

Fico a disposição do que quiserem fazer,
Anton

Anton, o estudo é de todos, apenas somos aquelas que o iniciaram...

Achei muito oportuna suas colocações, por isso fiz a proposta... vamos aguardar mais um pouco e decidiremos o que fazer...

Nada é rígido, tudo tem que ser maleável e a oportunidade que temos em aproveitar isso, é imensa!!

Olá Gisella e amigos,

Minha opinião é que sigamos o cronograma.
Com certeza voltaremos a estas colocações do amigo Anton.

Muita Paz

Si, querida.... obrigada por sua participação...

Vamos aguardar mais um pouco??

Gosto de ouvir outras ideias... ;D


Abraços a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Kenia Fidalgo em 11 de Abril de 2011, 16:35
oi gisa, ola queridos irmaos,


se me permite , penso que seria oportuno prosseguirmos o cronograma e assim no momento certo rediscutirmos este assunto,


grande abraco a todos!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 16:40
Olá, pessoal...

O site está oscilando para vocês??

Desculpem, mas não consigo aprovar os posts... dá erro e sai do ar...  >:(

Será que esta mensagem vai entrar??

Veremos...

Até mais...

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 17:08
oi gisa, ola queridos irmaos,


se me permite , penso que seria oportuno prosseguirmos o cronograma e assim no momento certo rediscutirmos este assunto,


grande abraco a todos!

Ok, Kenia...

Obrigada por sua mensagem.... vamos aguardar mais um tiquinho... quem sabe, depois que o site oscilar menos, mais amigos nos respondem, não é??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 11 de Abril de 2011, 19:03
Boa tarde, queridos amigos e caros irmãos visitantes!


AMOR DIVINO E HUMANO


O Amor Divino é Incondicional e a Perfeita Justiça de Deus, Misericordiosa. A amizade é a expressão humana do Amor Divino. Deus sempre nos mostra, em primeiro lugar, a face de Sua Infinita Bondade.

No processo evolutivo, quando o Ser ou a Individualidade se comporta em dissonância com a Lei inscrita em sua Consciência, por suas escolhas equivocadas, no exercício do seu livre-arbítrio, Deus lhe mostra a face da Justiça.

Na fase humana de seu desenvolvimento, o Espírito Imperecível, enquanto não alcançar a liberdade plena dos Espíritos superiores, não sabe verdadeiramente o que é o Amor, porque o Eu Divino ainda não terá conquistado a definitiva vitória sobre o Ego, instrumento comparável ao andaime, na construção do edifício do Eu.

A expressão “eu te amo” representa apenas um exercício transitório desse sentimento, inerente ao desenvolvimento do Ser, pois todas as virtudes são divinas. O homem pode apenas apresentar boas ou más qualidades e, quando muito, servir de instrumento para que o Amor possa fluir por seu intermédio.

Quando plenamente depurada, a Entidade Pensante torna-se perfeitamente integrada com Deus e, por essa razão, alcança a Felicidade Eterna, a Paz em Deus ou a Alegria Perene e, assim, metamorfosea-se em Fonte Viva de Amor Incondicional ou Universal, conquistando a autoridade que lhe permite afirmar, a exemplo de Jesus: “Eu e o Pai somos um.”

A Vida não tem sua direção submetida a uma vontade única, ditatorial ou impositiva, que não admite escolhas. O Universo Manifesto é, portanto, governado pela Realidade Suprema, constituída pelo Um (Deus ou Realidade) e pelos Muitos (deuses).

À luz da Doutrina dos Espíritos, Deus é a Inteligência Suprema e a Causa Primária de todas as coisas, e detém a Responsabilidade Maior pelo funcionamento desse organismo vivo, que é o Universo Manifesto. Mas, daí a se afirmar que Ele é o causador direto de todos os acontecimentos da Vida, vai uma distância tão imensa que tal afirmação somente pode ser atribuída à nossa profunda ignorância das coisas divinas.


Deus conosco, sempre!

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: yuriautran em 11 de Abril de 2011, 19:11
Boa tarde,

Poderíamos utilizar, para melhor explicar as palavras que fazem parte dos tópicos de cada semana, os exemplos daquele que mais soube aplicá-las aqui na Terra, nosso Mestre Jesus. Para cada uma delas nós podemos relatar uma passagem de sua vida que trata do assunto, pois assim veríamos um exemplo real... que acham? :)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 19:35
Boa tarde,

Poderíamos utilizar, para melhor explicar as palavras que fazem parte dos tópicos de cada semana, os exemplos daquele que mais soube aplicá-las aqui na Terra, nosso Mestre Jesus. Para cada uma delas nós podemos relatar uma passagem de sua vida que trata do assunto, pois assim veríamos um exemplo real... que acham? :)

Olá, Yuri... obrigada por sua sugestão...

Neste espaço, a nossa primeira proposta foi a de cada um de nós trazermos a nossa prática das virtudes. Isso faria com que cada exemplo nosso servisse para um companheiro e o do companheiro para nós.

A ideia é exatamente a da troca, porém nada nos impede de darmos os exemplos vivenciados por Jesus! Ninguém, melhor do que Ele nos deu lições sobre todas as virtudes...

Siga em frente, amigo... pode contribuir conosco!!!

Anbraços fraternos

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: yuriautran em 11 de Abril de 2011, 19:47
Boa tarde,

Poderíamos utilizar, para melhor explicar as palavras que fazem parte dos tópicos de cada semana, os exemplos daquele que mais soube aplicá-las aqui na Terra, nosso Mestre Jesus. Para cada uma delas nós podemos relatar uma passagem de sua vida que trata do assunto, pois assim veríamos um exemplo real... que acham? :)

Olá, Yuri... obrigada por sua sugestão...

Neste espaço, a nossa primeira proposta foi a de cada um de nós trazermos a nossa prática das virtudes. Isso faria com que cada exemplo nosso servisse para um companheiro e o do companheiro para nós.

A ideia é exatamente a da troca, porém nada nos impede de darmos os exemplos vivenciados por Jesus! Ninguém, melhor do que Ele nos deu lições sobre todas as virtudes...

Siga em frente, amigo... pode contribuir conosco!!!

Anbraços fraternos

Gisella  ;)

Bem, já que se trata de exemplos nossos do dia-a-dia, trago um que está acontecendo comigo este mês. Eu trabalho em regime de escala, plantões de 24 horas, no serviço público, onde temos contato com todo tipo de pessoa, quer para quem prestamos o serviço, quer para os que trabalham conosco. Pois bem, neste mês de abril, foi para nossa equipe uma das figuras mais ímpares da nossa Superintendência, que fica no Ceará. Conviver com este irmão está sendo um teste para minha paciência, resignação e tolerância (que são as virtudes desta semana). Estou tendo a necessidade de por em prática as 3 de uma vez só, todo plantão, para seguir percorrendo o caminho correto, e, confesso a vocês, não é nada fácil, mas sei que preciso subir esse degrau. No final desse mês venho aqui contar essa história de novo para, com isso, servir-me de estímulo a conquista dessas três virtudes! Assim seja.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 11 de Abril de 2011, 19:51
Boa tarde aos amigos

Ainda a Humildade

A fôrça da humildade!

Grandiosa, passa na maioria das vêzes como fraqueza, ante os conceitos gastos da falsa moral. Tão nobre que se desconhece a si mesma.
Atravessa uma existência sem despertar atenção, e nisso reside a essência do seu valor.
Serva fiel do dever, não malbarata o tempo nas frivolidades habituais que exaltam os ouropéis. Avança sempre, produzindo com objetividade na direção dos fins que busca colimar.
A humildade é muito ignorada.
Virtude excelente é precioso aroma de sutil característica que vitaliza os que a conduzem.
Toma diversas aparências conforme as necessidades das circunstâncias em que se manifesta.
Aqui é renúncia, cedendo a benefício geral, esquecida de si mesma.
Adiante é perdão a serviço da paz de todos.
Além é bondade discreta, produzindo esperança.
Hoje é indulgência para oferecer nova oportunidade.
Amanhã é beneficência para manter a misericórdia.
É sempre a presença de Jesus edificando a felicidade onde quer que escasseie a colheita de luz.
A humildade, porém, somente é possível quando inspirada nos ideais da verdade.
Enquanto o homem não se abrasa da certeza da vida superior, a humildade não lhe encontra guarida.
Sabendo que a Terra é uma escola de experiências e ensaios da vida para a verdade, do mundo somente lhe vê as oportunidades de progresso, compreendendü a necessidade de aproveitar as horas.
Todos os grandes heróis do pensamento, os mártires da fé e os santos da renúncia para lobrigarem o êxito dos objetivos a que ligaram a existência, se firmaram na humildade por saberem do pouco valor que representavam ante as grandes diretrizes da vida.
A humildade em última análise representa submissão à vontade de Deus, doação plena e total às Suas mãos, deixando-se conduzir pela Sua Diretriz segura que governa o Universo.

*

No culto da humildade não tenhas a presunção de resolver todos os problemas que te chegam. Preocupa-te em desincumbir-te fielmente dos deveres que te dizem respeito.
Qualquer tarefa, por mais insignificante que te pareça, é de alta importância no conjunto geral. Faze, portanto, a tua função no concêrto das coisas consciente de que tua colaboração é preciosa e deve ser doada.
Não ambiciones a tarefa que te não diz respeito. Aprende a considerar o labor alheio e produze o teu serviço cônscio da significação do que realizas, adornando de belezas o que passe pelo crivo do teu interêsse e do teu zêlo.
Responderás diante da vida não pelo que gostarias de ter proporcionado, mas pelo que tiveste diante das possibilidades e de como te comportaste ante a ensancha.
Cultiva a humildade.
A humildade pela força da sua fraqueza nunca vai ser atingida: a lisonja não a envaidece, e a zombaria não a humilha. É inatingível pelo mal em qualquer expressão como se apresente.
Olha o firmamento e faze um paralelo: as estrêlas faiscantes e tu! Compreenderás o valor da humildade.

*

Conquanto Jesus fôsse o Arquiteto Sublime da Terra, não desconsiderou a carpintaria singela de José; caminhou imensos trechos descampados de solos agrestes a serviço do amor; conviveu com os mais difíceis caracteres sem melindres, sem falsa superioridade. Tão igual se fêz aos infelizes que o acompanhavam que nem todos acreditaram fôsse Ele "o escolhido".
No entanto, ainda aí não usou a presunção de convencer a ninguém, fazendo tudo aquilo para quanto veio e depois retornou, sereno. sem abandonar os a quem veio amar.
Lição viva e desafiadora, a Sua vida é convite para que meditemos e vivamos, incorporando à nossa existência essa pérola sublime da redenção espiritual: a humildade!

*

"Aquele que quiser tornar-se o maior, seja vosso servo". Mateus: capítulo 20º, versículo 27.

*

"A humildade é virtude muito esquecida entre vós. Bem pouco seguidas são os exemplos que dela se vos têm dado. Entretanto, sem humildade, podeis ser caridosos com o vosso próximo?" Evangelho Segundo o Espiritismo. Capítulo 7º - Item 11, parágrafo 3.

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Florações Evangélicas. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Capítulo 31. Salvador, BA: LEAL.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 19:53
Olá, amigos...

Como poucos responderam à nossa proposta, acreditamos que devemos seguir o estudo conforme o planejado, sem deixarmos de lado a face tão importante do Amor, como tão bem nos mostrou o amigo Anton pois, a partir do momento em que conhecermos a melhor maneira de vigorar em nós as virtudes, conseguiremos, quem sabe, responder melhor, a nós mesmos e aos nossos próximos, o que seja o Amor ensinado por Jesus.

Portanto, vamos seguir com nosso estudo.

Trago, aqui, um texto que acredito os amigos vão gostar, pois nos mostra as diferentes faces da Alegria, uma das virtudes a serem trabalhadas nesta semana e que pouco falamos.

A partir deste texto, aguardo as considerações dos amigos para darmos continuidade ao tema proposto:

Sobre a Verdadeira Alegria


A alegria é a mais expressiva comunicação de que a alma encontra-se em liberdade, todavia, para nós, que ainda nos encontramos em um planeta de expiações e provas (Evangelho Segundo o Espiritismo – Cap. III, 4), o conceito de alegria pode receber um largo espectro de interpretações. Muitos confundem a alegria com a necessidade mandatária de se liberar de todos os controles que a vida em sociedade pede para uma relação normal entre as pessoas. A alegria não pode ser confundida com a liberalidade, pois são coisas distintas: Uma, é a expressão da felicidade; a outra, é o atestado da fragilidade da alma.

A verdadeira alegria é forte, douradora. Constrói em nosso interior valores que nos transportam para Deus. A falsa alegria é efêmera, fugaz como o pensamento que a criou e nada constrói, pelo contrário, muitas vezes nos traz um estado de tristeza, depressão e arrependimento.

A verdadeira alegria, é construída com ações edificantes. A falsa alegria é montada através de artifícios como a bebida, as drogas ou as construções mentais inferiores, próprias de nosso estado espiritual.

Todas os retratos de Allan Kardec nos mostram um homem sisudo, dono de uma seriedade respeitosa e, no entanto, nosso codificador era uma pessoa que tinha grande alegria e prazer de viver. Sabemos que ele era naturalmente contido, mas estava longe da imagem que se faz dele.

Jesus, ao fazer sua entrada em Jerusalém, escolheu um dia alegre para os judeus, porque assim é que deveria ser entendido o Cristianismo. O Mestre Nazareno, em todas as suas prédicas, sempre demonstrou otimismo e prometeu as alegrias do céu para todo aquele que O seguisse.
Na ordem das lições de Jesus, a alegria é um sentimento transcendental. Está implícita em todas as passagens, porque mostra o resultado da vitória do homem sobre seus obstáculos maiores, sobre as muralhas que escondem a grandeza de Deus.

No Evangelho Segundo o Espiritismo vamos encontrar, ainda no Cap.III, item 11, os Espíritos Superiores nos ensinando, de maneira clara e inquestionável, as diferenças entre a verdadeira alegria e as ilusões que assaltam o homem desinformado.

Uma das leis mais importante que regem o nosso viver, é sem dúvida, a de Causa e Efeito, regulada pelo princípio do Livre Arbítrio, refletindo a perfeição de nosso Pai. Ele nos dá o direito de escolha, ao mesmo tempo em que nos ensina duas coisas fundamentais:

- Como aprender a fazer a melhor escolha.
- A responsabilidade irrevogável pela escolha que for feita.

Nesse sentido, somente nós poderemos decidir pela nossa verdadeira alegria. Fora disso, é ilusão de aprendizes mal orientados.


(http://www.bezerramenezes.org.br/estudos/cronica/sobre_verdadeira_alegria.htm)

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 11 de Abril de 2011, 19:59
Meus queridos rmãos e irmães,sigamos pois o cronograma dos estudos,mas por favor,sem textos longos e por assim dizer,cansativos,que muitas das vezes não acrescentam muito a nossa dinâmica de estudo.
Fiquem na paz.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 22:15
Olá, amigos...

Um pouco de música para alegrar o nosso estudo!!!

Ode à Alegria  (Schiller, escrito em 1785)

Oh amigos, mudemos de tom!
Entoemos algo mais agradável
E cheio de alegria!

Alegria, mais belo fulgor divino,
Filha de Elíseo,
Ébrios de fogo entramos
Em teu santuário celeste!
Teus encantos unem novamente
O que o rigor da moda separou.
Todos os homens se irmanam
Onde pairar teu vôo suave.
A quem a boa sorte tenha favorecido
De ser amigo de um amigo,
Quem já conquistou uma doce companheira
Rejubile-se connosco!
Sim, também aquele que apenas uma alma,
possa chamar de sua sobre a Terra.
Mas quem nunca o tenha podido
Livre de seu pranto esta Aliança!
Alegria bebem todos os seres
No seio da Natureza:
Todos os bons, todos os maus,
Seguem seu rastro de rosas.
Ela nos dá beijos e as vinhas
Um amigo provado até a morte;
A volúpia foi concedida ao verme
E o Querubim está diante de Deus!

Alegres, como voam seus sóis
Através da esplêndida abóbada celeste
Sigam irmãos sua rota
Gozosos como o herói para a vitória.

Abracem-se milhões de seres!
Enviem este beijo para todo o mundo!
Irmãos! Sobre a abóbada estrelada
Deve morar o Pai Amado.
Vos prosternais, Multidões?
Mundo, pressentes ao Criador?
Buscais além da abóboda estrelada!
Sobre as estrelas Ele deve morar.


O video segue abaixo....

YouTube - Broadcast Yourself. (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PS1rY09weU05Y0JnJmFtcDtmZWF0dXJlPWZ2c3Ij)

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 11 de Abril de 2011, 23:30
Olá, amigos...

Estou dando boa noite a todos.... estou devolvendo o PC da Margeci e, por um engano terrível, meu PC só chegará na 2a. dia 18  :'( :'(

Portanto, peço licença para os amigos, para me retirar...

Amanhã, depois da fisioterapia, vou na casa da minha "amiga anjo" e usarei o PC dela, ok??

Até amanhã ...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 12 de Abril de 2011, 00:15
 :D :D Pois é Gisella e o meu  chega na Semana Santa, se tudo correr bem.
 Boa Noite a todos,
Enquanto isso entre um but e outro, vamos continuar o tema.

Essa explicação quem nos dá é Osho.

"A alegria é a natureza básica da vida. É a dimensão espiritual da felicidade, que nos leva a compreender o nosso valor intrínseco e o papel que nos cabe neste universo. Quando aceitamos a alegria, tomamos a decisão de 'seguir com o fluxo', de ser gratos pela vida e por todos os desafios e oportunidades que ela traz. Deixamos de impor condições ou de fazer exigências para sermos felizes. "


Para mim alegria é um estado de espírito, aceita-se a vida como ela é e não como queremos que fosse. Impor condições para ser feliz, como morar em tal bairro, tal cidade, ter tal condição social, a ilusão do principe encantado, serei feliz quando conseguir isso ou aquilo, só causa ansiedade e decepção por não conseguir alcançar o que almejamos ou ficar esperando o que virá.

Muita gente adia o sentimento de felicidade. Sempre focando a própria realização em coisas externas.

Ora, vemos pessoas humildes absolutamente felizes em sua condição e ricos vivendo em verdadeiros infernos e desamor.

Para se ter alegria não precisa muita coisa, basta aceitar a vida como ela se apresenta. Não quer dizer comodismo, mas sim viver o presente, as conquistas vem naturalmente sem precisar criar tanta ansiedade em torno de pessoas e coisas.

Os desejos assim que alcançados se transformam em outros e outros numa torrente sem fim quando não se está centrado em si mesmo.

Buscar a paz interna é que se faz necessario para se ter a verdadeira alegria independente dos prêmios que nos julgamos merecedores e das perdas  que a vida nos apresente

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 12 de Abril de 2011, 00:26
Boa noite, queridos amigos e caros irmãos visitantes!


HONESTIDADE

A humanidade cada vez mais demonstra preocupação com questões transcendentes da vida.

A consciência de que viver não se resume a aspectos materiais se dissemina pela sociedade.

Fala-se em entrar em contato com a própria essência, em desenvolver a espiritualidade.

Independentemente de filiação a determinada corrente religiosa, a ampla maioria afirma acreditar em uma força superior.

Isso revela as criaturas buscando identificar a razão de sua existência.

Como tudo no universo encontra-se em constante metamorfose e aprimoramento, conclui-se que o progresso é uma das finalidades da vida.

O anseio pelos aspectos sublimes da existência demonstra justamente as criaturas em pleno processo evolutivo.

Mas é importante recordar que a evolução dá-se de modo cadenciado.

Na natureza não ocorrem saltos.

As espécies não se transformam repentinamente.

Determinadas etapas devem ser vencidas para ser possível atingir-se a fase seguinte.

É como a construção de uma casa: ninguém inicia pelo acabamento.

Faz-se necessário antes providenciar sólida estrutura.

O mesmo ocorre com o psiquismo das criaturas.

A identificação com as faixas superiores da vida pressupõe o domínio de aspectos básicos do viver.

A harmonia e a paz são o resultado de vivências nobres do espírito.

Tais conquistas não são improvisáveis e nem surgem de um momento para o outro.

Assim, ao preocupar-se com questões transcendentes, não esqueça coisas elementares.

A honestidade é justamente uma das primeiras virtudes a serem conquistadas por quem deseja a paz e a felicidade.

O céu não é um local determinado no espaço, mas um estado de consciência, de harmonia com as leis divinas.

Mas não é possível harmonizar-se com tais leis sem o rigoroso atendimento dos próprios deveres.

Ser honesto implica demonstrar lealdade em todos os aspectos da existência.

O homem honesto realiza as tarefas que lhe cabem, com ou sem testemunhas.

Ele não inventa desculpas para avançar sobre o patrimônio do vizinho.

Infelizmente, nossa sociedade vive uma grande crise ética.

Ao tempo em que demonstram indignação com a desonestidade alheia, os indivíduos são com freqüência desleais em seus negócios particulares.

Muitas vezes, quem reclama dos políticos não paga corretamente seus impostos.

Inúmeros estudantes bradam contra a falta de ética de governantes e empresários, mas colam nas provas e copiam as tarefas dos colegas.

Esse gênero de conduta sinaliza apenas hipocrisia.

Como afirmou Jesus, é necessário dar a César o que é de César.

Ao agir honestamente, ninguém faz mais do que a obrigação.

Mas não há como desenvolver harmonia espiritual se nem a honestidade ainda foi assimilada.

É paradoxal fazer caridade sem pagar as próprias contas.

A torpeza dos outros não lhe serve de desculpa.

Antes de preocupar-se com a ausência de ética alheia, analise seu modo de viver.

Pense se você tem condições de assumir tudo o que faz e diz.

Pense nisso!

A lealdade irrestrita é uma recompensa em si mesma, pois confere dignidade e auto-respeito.

Assim, se você deseja viver em paz, seja honesto.

Afinal, a conquista da paz pressupõe poder observar o próprio proceder sem remorso ou vergonha.

Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 12 de Abril de 2011, 03:16
Caros irmãos e irmães,à alegria está intimamente ligado com a emoção,é um estado em que o espírito se encontra,para se está alegre e feliz é necessário que se esteja bem emocionalmente,porque momentâneamente tudo pode mudar,basta uma reação contrária para acabar a alegria.Vejamos um exemplo simples:Estamos em uma festividade ou uma comemoração,alegres e felizes,de repente recebe-se uma má notícia,então apartir daquele momento acaba toda alegria.Podemos o tempo todo estarmos alegres e felizes,desde que não haja uma ação contrária.Esta é a minha maneira de entender o que seja alegria.
Fiquem na paz.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 12 de Abril de 2011, 07:05
Bom dia, queridos amigos e caros irmãos visitantes!


HUMILDADE

Jamais nos acreditemos maiores ou melhores do que os outros.

Não existem privilégios na Criação Divina.

Cada Espírito encontra-se vivendando a experiência que lhe diz respeito, com vistas à Perfeição.

As posições que os homens ocupam na Terra, consoante a Lei da Reencarnação, alteram-se de vida em vida.

Todos os implementos materiais não passam de recursos descartáveis para que o Espírito efetue o seu aprendizado.

O Espírito, onde estiver, vale pelo que é, na intimidade de si mesmo.

Existem grandes almas corporificadas no mundo, iluminando-se ainda mais no anonimato social em que se ocultam.

Enquanto os Espíritos dominados pela matéria disputam sobre a Terra o status dos cargos, os Espíritos conscientes da necessidade de se espiritualizarem disputam o privilégio dos encargos.

Não confundamos humildade com subserviência.

A virtude da humildade há de ser tão espontânea e tão genuína quanto o perfume das flores que desabrocham nos campos.

Não nos esqueçamos de que Jesus, o Senhor da Vida, escolheu vir ao mundo numa mangedoura, nasceu escravo na descendência da menor entre as tribos de Israel, pregou o Evangelho aos filhos enjeitados da raça e concluiu a sua luminosa missão dependurado num madeiro ignominioso, rodeado pela companhia de dois malfeitores.

                 Irmão José
(Psicografia de Carlos A. Baccelli)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Vitor Santos em 12 de Abril de 2011, 08:42
Olá

Queria em primeiro lugar dar os parabéns à Giselle, pela escolha do tema e pela forma como o apresentou.

Embora a análise deste mundo, à primeira vista, nos possa conduzir ao medo e à desconfiança, sobretudo numa época em que os meios de comunicação de massas nos mostram essencialmente os eventos negativos e omitem a maior parte dos positivos, nada melhor do que analisar exemplos de vida que nos mostram a força gigante do amor e a grandeza da humildade.

Todos conhecemos exemplos de vida assim, começando pelo do próprio Jesus de Nazaré. Mas continuam a existir aqui na Terra, inúmeros espíritos missionários, a maioria dos quais são pessoas incógnitas, mas incansáveis, que fazem a diferença, dedicando-se incondicionalmente aos outros.   

Temos um exemplo ainda recente e bem conhecido, que gosto muito de dar: Teresa de Calcutá.

Sendo uma mulher invulgarmente inteligente e determinada, Teresa de Calcutá tinha capacidades para ser e ter o que ela quisesse, neste mundo.  Mas em vez de criar um império económico, ela dedicou-se ao serviço dos mais pobres dos pobres. Em vez de deixar uma fortuna em dinheiro, ela deixou uma fortuna incalculável em amor e uma obra que continua, mesmo depois da sua partida.

O sorriso expressivo de Teresa de Calcutá mostra-nos o expoente máximo da felicidade que este mundo nos permite. Ela era uma pessoa de trato agradável e alegre. 

Desafio a ciência a estudar o caso de Teresa de Calcutá e a explicar, com base na psicologia materialista e na teoria da selecção natural das espécies, as razões pelas quais alguém faz da sua vida um exemplo tão grandioso de humildade e amor ao próximo. Mas duvido que encontrem uma resposta satisfatória.

A resposta está no facto de se tratar de um espírito muito avançado, em missão neste planeta precário. Em vez de deixar tratados e livros, ela deixou-nos um exemplo vivo. E por esse exemplo, devemos agradecer a Deus e ao espírito que animou o corpo a que chamámos Teresa de Calcutá. Os meus heróis e heroínas são as pessoas assim. E a quem desvalorizar os seus feitos heróicos, eu proponho que faça o mesmo, para ver se é capaz.               

bem hajam   
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Anton Kiudero em 12 de Abril de 2011, 09:53
A Vida não tem sua direção submetida a uma vontade única, ditatorial ou impositiva, que não admite escolhas. O Universo Manifesto é, portanto, governado pela Realidade Suprema, constituída pelo Um (Deus ou Realidade) e pelos Muitos (deuses).

Só para relembrar:

13 - Quando dizemos que Deus é eterno, infinito, imutável, imaterial, único, todo-poderoso, soberanamente justo e bom, não temos uma idéia completa de seus atributos?

– Do vosso ponto de vista, sim, porque acreditais abranger tudo. Mas ficai sabendo bem que há coisas acima da inteligência do homem mais inteligente e que a vossa linguagem, limitada às vossas idéias e sensações, não tem condições de explicar. A razão vos diz, de fato, que Deus deve ter essas perfeições em grau supremo, porque se tivesse uma só de menos, ou que não fosse de um grau infinito, não seria superior a tudo e, por conseguinte, não seria Deus. Por estar acima de todas as coisas, Ele não pode estar sujeito a qualquer instabilidade e não pode ter nenhuma das imperfeições que a imaginação possa conceber.

Deus é eterno. Se Ele tivesse tido um começo teria saído do nada, ou teria sido criado por um ser anterior. É assim que, de degrau em degrau, remontamos ao infinito e à eternidade.

É imutável; se estivesse sujeito a mudanças, as leis que regem o universo não teriam nenhuma estabilidade.

É imaterial, ou seja, sua natureza difere de tudo o que chamamos matéria; de outro modo não seria imutável, porque estaria sujeito às transformações da matéria.

É único; se houvesse vários deuses, não haveria unidade de desígnios, nem unidade de poder na ordenação do universo.

É todo-poderoso, porque é único. Se não tivesse o soberano poder, haveria alguma coisa mais ou tão poderosa quanto Ele; não teria feito todas as coisas e as que não tivesse feito seriam obras de um outro Deus.

É soberanamente justo e bom. A sabedoria providencial das Leis Divinas se revela nas menores como nas maiores coisas, e essa sabedoria não permite duvidar de sua justiça nem de sua bondade.

À luz da Doutrina dos Espíritos, Deus é a Inteligência Suprema e a Causa Primária de todas as coisas, e detém a Responsabilidade Maior pelo funcionamento desse organismo vivo, que é o Universo Manifesto. Mas, daí a se afirmar que Ele é o causador direto de todos os acontecimentos da Vida, vai uma distância tão imensa que tal afirmação somente pode ser atribuída à nossa profunda ignorância das coisas divinas.

Mais lembretes:

Os egos humanos possuem uma incapacidade para administrar alguns conceitos. Entre eles destacamos aqui o termo “tudo”.

TUDO – A totalidade das coisas e/ou animais e/ou pessoas. Todas as coisas. (Dicionário Aurélio).

Apesar da definição deste termo ser extremamente explícita, o ego humanizado não consegue operar dentro da sua amplitude. Com isso, o termo passa a ser aplicado a um conjunto de elementos que se quer ver incluído no tudo enquanto outros são eliminados deste grupo.

A definição abrangente do termo, porém, não permite que isso possa acontecer. Tudo é a totalidade de todas as coisas, sejam elas objetos, elementos humanos ou animais.

Por isso, quando o termo tudo é aplicado em algum ensinamento, ele não aceita que qualquer elemento, por qualquer razão, possa ser excluído do seu campo de aceitação. Mas, não é isso que se repara quando da interpretação dos mesmos...

1 - O que é Deus?
Deus é a Inteligência Suprema, Causa Primária de todas as coisas (O Livro dos Espíritos)

O termo todas é uma variação do tudo e, portanto, com a mesma abrangência que aquele possui. Sendo assim, temos que compreender que o ensinamento nos diz que Deus causa primariamente tudo o que existe e pode acontecer. Mas, não é isso que os egos humanos dizem.

Estes afirmam que acreditam no ensinamento, mas que a doença, por exemplo, não está subordinada a Causa Primária, ou seja, não é fruto da ação divina. Para os egos humanos a doença é fruto da ação de uma propriedade de elementos materiais (vírus, bactérias,etc.).

Acusam aqueles que vêem nos movimentos sísmicos a Causa Primária em Deus de fanáticos. Afirmam isso porque acreditam que a causa dos abalos sísmicos são as propriedades do subsolo da Terra.

Ou seja, retiram do “tudo” que é causado pela Causa Primária aquilo que acreditam saber como acontece. Com isso cerceiam a abrangência do termo usado pelo Espírito da Verdade.

Mas, não podem negar desconhecimento para tal atitude, visto que o texto da pergunta 7 do Livro dos Espíritos é bastante explícito:

7 - Poder-se-ia achar nas propriedades íntimas da matéria a Causa Primária da formação das coisas?
Mas, então, qual seria a causa dessas propriedades? É indispensável sempre uma Causa Primária.

Outra coisa que os egos humanizados separam como não pertencendo a causa primariamente a ação de Deus é a própria atividade humana (pensar e agir). Porém, mais uma vez não podem alegar ignorância, pois o texto da pergunta 9 do mesmo livro não deixa dúvidas:

9 - Em que é que, na causa primaria, se revela uma inteligência suprema e superior a todas as outras inteligências?
Tendes um provérbio que diz: vede a obra e procurai o autor. O orgulho é que gera a incredulidade. O homem orgulhoso nada admite acima de si. Por isso é que ele se denomina a si mesmo de espírito forte. Pobre ser, que um sopro de Deus pode abater.

Deus é a Causa Primária de toda atividade humana, já que os seres humanos estão incluídos no tudo utilizado pelo Espírito da Verdade. Kardec, que não fez distinções para o tudo do ensinamento, compreendeu isso:

“Quaisquer que sejam os prodígios que a inteligência humana tenha operado, ela própria tem uma causa e, quanto maior for o que opere, tanto maior há de ser a causa primaria. Aquela inteligência superior é que é a causa primaria de todas as coisas, seja qual for o nome que lhe dêem”. (O Livro dos Espíritos – comentários à pergunta 9).

Se todas as coisas originam-se primariamente na ação divina, podemos, então afirmar que todas as coisas (objetos, pessoas, animais e acontecimentos) são causadas por Deus. “Todas” as coisas...

No entanto, o ego humanizado continua incluindo neste conceito apenas o que ele quer, o que acha certo, bonito, bom. Mas Deus não é apenas o que cada um acha que Ele é, mas sim tudo que existe e acontece.

Mas, o ego humano não consegue captar esta realidade... Apesar de todos os ensinamentos que dizem a mesma coisa, ele continuará gerando grupos de tudo que contenham apenas o que ele quer que esteja presente.

Enquanto o espírito aceitar como real as distinções que o ego cria estará afastado do Criador, pois não vivenciará a Real Causa Primária de todas as coisas.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Anton Kiudero em 12 de Abril de 2011, 09:55
Bem, já que se trata de exemplos nossos do dia-a-dia, trago um que está acontecendo comigo este mês. Eu trabalho em regime de escala, plantões de 24 horas, no serviço público, onde temos contato com todo tipo de pessoa, quer para quem prestamos o serviço, quer para os que trabalham conosco. Pois bem, neste mês de abril, foi para nossa equipe uma das figuras mais ímpares da nossa Superintendência, que fica no Ceará. Conviver com este irmão está sendo um teste para minha paciência, resignação e tolerância (que são as virtudes desta semana). Estou tendo a necessidade de por em prática as 3 de uma vez só, todo plantão, para seguir percorrendo o caminho correto, e, confesso a vocês, não é nada fácil, mas sei que preciso subir esse degrau. No final desse mês venho aqui contar essa história de novo para, com isso, servir-me de estímulo a conquista dessas três virtudes! Assim seja.

Sermão do Monte

Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita; para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Anton Kiudero em 12 de Abril de 2011, 10:05
Para mim alegria é um estado de espírito, aceita-se a vida como ela é e não como queremos que fosse. Impor condições para ser feliz, como morar em tal bairro, tal cidade, ter tal condição social, a ilusão do principe encantado, serei feliz quando conseguir isso ou aquilo, só causa ansiedade e decepção por não conseguir alcançar o que almejamos ou ficar esperando o que virá.

A alegria, a compaixão e a igualdade são os tres alicerces do amor.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 12 de Abril de 2011, 14:15
Bom dia ,
Para Krishnamurti a compaixão é o amor maior.
Separei alguns trechos e deixo o link para quem quiser ler mais.
 Fonte:
http://www.krishnamurti.org.br/?q=node/583
Vale a pena.

Krishnamurti.

"A compaixão não é sua nem minha, da mesma forma que o pensamento não é seu nem meu. Quando há inteligência, não há eu e você. E a inteligência não fica em seu coração ou em sua mente. Tal inteligência, que é suprema, está em toda parte. Ela é a inteligência que move a terra e os céus, as estrelas, porque ela é compaixão. (Mind Without Measure, pág. 97)

E onde há qualidade de amor, então daí surge a compaixão; onde há compaixão há inteligência - não a inteligência do interesse próprio, não a inteligência do pensamento, não a inteligência (…) do acúmulo de conhecimento, pois a compaixão nada tem a ver com conhecimento - mas a inteligência que proporciona segurança à humanidade, estabilidade e um vasto sentido de expansão. (The World of Peace, pág. 98)

(…) Quando compreendo a mim mesmo, compreendo a vós, e dessa compreensão nasce o amor. O amor é o fator que está faltando - há falta de afeição, de cordialidade, nas relações; e porque falta esse amor, essa ternura, essa generosidade, essa compaixão, em nossas relações, escapamo-nos para a ação em massa, que produz maior confusão e maior miséria. (…) (A Arte da Libertação, pág. 63)

(…) O amor ultrapassa e sobreleva tudo isso; ele transcende o plano dos sentidos. É em si mesmo eterno e independente, e não um resultado. Nele há misericórdia e generosidade, perdão e compaixão. Com o amor, surge a humildade e a brandura (…) (Autoconhecimento, Correto Pensar, Felicidade, pág. 90)

O amor não é oposto de coisa alguma. Não é o oposto do ódio ou da violência (…) Para o homem que ama não há erro; ou, se há, sabe corrigi-lo imediatamente. O homem que ama não tem ciúme, (…) remorsos. Para ele não existe o perdão, porque nunca surge uma ocasião em que haja algo para perdoar. Tudo isso exige profunda investigação (…) (Fora da Violência, pág. 37)

Vossa comiseração, pois, não é amor. E é amor o perdão? Que está implicado no perdão? Vós me insultais e eu fico ressentido e guardo isso na lembrança; depois (…) digo: “perdôo-vos”. (…) Um homem que ama não guarda inimizade, sendo indiferente a todas essas coisas, (…) . (A Arte da Libertação, pág. 180-181)"
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Darc em 12 de Abril de 2011, 18:49
Parabéns pra você pelo maravilhoso texto.

Um abraco fraterno, fique com Jesus.
DArc
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 12 de Abril de 2011, 20:05
Olá, amigos.... Estou aqui, de volta ao nosso estudo, por alguns momentos !!!

Como último tópico desta semana, falaremos sobre Humildade!!

Virtude muitas vezes confundida com pobreza, submissão, ignorância ...

Segue um trecho de O Evangelho Segundo Espiritismo:

“O orgulho vos induz a julgardes mais do que sois, a não aceitar uma comparação que vos possa rebaixar, e a vos considerardes, ao contrário, tão acima dos vossos irmãos, quer em espírito, quer em posição social, quer mesmo em vantagens pessoais, que o menor paralelo vos irrita e aborrece. E o que acontece, então? Entregai-vos à cólera.”(Capítulo IX. Bem-aventurados os Brandos e Pacíficos. A Cólera.)

Será que podemos citar algumas ocasiões de nossa vida diária em que nos deixamos levar pelo nosso orgulho??

Ou, então, quando podemos exercitar a “nossa” humildade??  


Essas reflexões nos farão, de alguma maneira, revermos nossas atitudes?? Nos farão diferenciar humildade de uma falsa virtude??

Vamos pensar a respeito??

Bem, meus amigos... hoje terei que me retirar mais cedo, pois estou aguardando uma encomenda e terei que retornar à minha casa.

Agradeço, desde já, a todas as postagens dos amigos e, se tudo ocorrer bem, amanhã estarei on line após a fisioterapia..

Abraços fraternos, sempre,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 12 de Abril de 2011, 20:53
ESE
I – O Orgulho e a Humildade

LACORDAIRE
Constantina, 1863

11 – Que a paz do senhor esteja convosco, meus queridos amigos! Venho até vós para encorajar-vos a seguir o bom caminho.

Aos pobres de Espíritos que outrora viveram na Terra, Deus concede a missão de vir esclarecer-vos. Bendito seja pela graça que nos dá, de podermos ajudar o vosso adiantamento. Que o Espírito Santo me ilumine, me ajude a tornar compreensível a minha palavra, e me conceda a graça de pô-la ao alcance de todos. Todos vós, encarnados, que estais sob a pena e procurais a luz, que à vontade de Deus venha em minha ajuda, para fazê-la brilhar aos vossos olhos!

A humildade é uma virtude bem esquecida, entre vós. Os grandes exemplos que vos foram dados são tão poucos seguidos. E, no entanto, sem humildade, podeis ser caridosos para o vosso próximo? Oh!, não, porque esse sentimento nivela os homens, mostra-lhes que são irmãos, que devem ajudar-se mutuamente, e os encaminha ao bem. Sem a humildade, enfeitai-vos de virtudes que não possuis, como se vestísseis um hábito para ocultar as deformidades do corpo. Lembrai-vos daquele que nos salva; lembrai-vos da sua humildade, que o fez tão grande e o elevou acima de todos os profetas.

O orgulho é o terrível adversário da humildade. Se o Cristo prometeu o Reino dos Céus aos mais pobres, foi porque os grandes da Terra imaginavam que os títulos e as riquezas eram a recompensa de seus méritos, e que a sua essência era mais pura que a do pobre. Acreditavam que essas coisas lhes eram devidas, e por isso, quando Deus as retira, acusam-no de injustiça. Oh, irrisão e cegueira! Deus, acaso, estabeleceu entre vós alguma distinção pelos corpos? O invólucro do pobre não é o mesmo do rico? O Criador fez duas espécies de homens? Tudo quanto Deus fez é grande e sábio. Não lhe atribuais as idéias concebidas por vossos cérebros orgulhosos.

Oh!, rico! Enquanto dormes em teus aposentos suntuosos, ao abrigo do frio, não sabes quantos milhares de irmãos, iguais a ti, jazem na miséria? O desgraçado faminto não é teu igual? Bem sei que o teu orgulho se revolta com estas palavras. Concordarás em lhe dar uma esmola; nunca, porém, em lhe apertar fraternalmente a mão. Que! exclamarás: Eu, nascido de sangue nobre, um dos grandes da Terra, ser igual a esse miserável estropiado? Vã utopia de pretensos filósofos! Se fôssemos iguais, porque Deus o teria colocado tão baixo e a mim tão alto? É verdade que vossas roupas não são nada iguais, mas, se vos despirdes a ambos, qual a diferença que então haverá entre vós? A nobreza do sangue, dirás. Mas a química não encontrou diferenças entre o sangue do nobre e do plebeu, entre o do senhor e o do escravo. Quem te diz que também não foste miserável como ele? Que não pediste esmolas? Que não a pedirás um dia a esse mesmo que hoje desprezas? As riquezas são por acaso eternas? Não acabam com o corpo, invólucro perecível do Espírito? Oh, debruça-te humildemente sobre ti mesmo! Lança enfim os olhos sobre a realidade das coisas desse mundo, sobre o que constitui a grandeza e a humilhação no outro; pensa que a morte não te poupará mais do que aos outros; que os teus títulos não te preservarão dela; que te pode ferir amanhã, hoje, dentro de uma hora; e se ainda te sepultas no teu orgulho, oh! Então, eu te lamento, porque serás digno de piedade!

Orgulhosos! Que fostes, antes de serdes nobres e poderosos? Talvez mais humildes que o último de vossos servos. Curvai, portanto, vossas frontes altivas, que Deus as pode rebaixar, no momento mesmo em que as elevais mais alto. Todos os homens são iguais na balança divina; somente as virtudes os distinguem aos olhos de Deus. Todos os Espíritos são da mesma essência, e todos os corpos foram feitos da mesma massa. Vossos títulos e vossos nomes em nada a modificam; ficam no túmulo; não são eles que dão a felicidade prometida aos eleitos; a caridade e a humildade são os seus títulos de nobreza.

Pobre criatura! És mãe, e teus filhos sofrem. Estão com frio. Têm fome. Vais, curvada ao peso da tua cruz, humilhar-te para conseguir um pedaço de pão. Oh, eu me inclino diante de ti! Como és nobre, santa e grande aos meus olhos! Espera e ora: a felicidade ainda não é deste mundo. Aos pobres oprimidos, que nele confiam, Deus concede o Reino dos Céus.

E tu, que és moça, pobre filha devotada ao trabalho, entregue às privações, por que esses tristes pensamentos? Por que chorar? Que teus olhos se voltem, piedosos e serenos, para Deus: às aves do céu ele dá o alimento. Confia nele, que não te abandonará. O ruído das festas, dos prazeres mundanos, te faz bater o coração. Querias também enfeitar de flores a fronte e misturar-te aos felizes da Terra, dizes que poderias, como as mulheres que vês passar, estouvadas e alegres, ser rica também. Oh, cala-te, filha! Se soubesses quantas lágrimas e dores sem conta se ocultam sob esses vestidos bordados, quantos suspiros se asfixiam sob o ruído dessa orquestra feliz, preferirias teu humilde retiro e tua pobreza. Conserva-te pura aos olhos de Deus, se não queres que o teu anjo da guarda volte para Ele, escondendo o rosto sob as asas brancas, e te deixe com os teus remorsos, sem guia, sem apoio, neste mundo em que estarias perdida, esperando a punição no outro. E todos vós que sofreis as injustiças dos homens, sede indulgentes para as faltas dos vossos irmãos, lembrando que vós mesmos não estais sem manchas: isso é caridade, mas é também humildade. Se suportais calúnias, curvai a fronte diante da prova. Que vos importam as calúnias do mundo? Se vossa conduta é pura, Deus não pode vos recompensar? Suportar corajosamente as humilhações dos homens, é ser humilde e reconhecer que só Deus é grande e todo-poderoso.

Oh!, meu Deus, será preciso que o Cristo volte novamente a Terra, para ensinar aos homens as tuas leis, que eles esquecem? Deverá ele ainda expulsar os vendilhões do templo, que maculam tua casa, esse recinto de orações? E, quem sabe?, oh, homens, se Deus vos concedesse essa graça, se não o renegaríeis de novo, como outrora? Se não o acusaríeis de blasfemo, por vir abater o orgulho dos fariseus modernos? Talvez, mesmo, se não o faríeis seguir de novo o caminho do Gólgota?

Quando Moisés subiu ao Monte Sinai, para receber os mandamentos da Lei de Deus, o povo de Israel, entregue a si mesmo, abandonou o verdadeiro Deus. Homens e mulheres entregaram seu ouro, para a fabricação de um ídolo que abandonaram. Homens civilizados fazeis, entretanto, como eles. O Cristo vos deixou a sua doutrina, vos deu o exemplo de todas as virtudes, mas abandonastes exemplos e preceitos. Cada um de vós, carregando as suas paixões, fabricou um deus de acordo com a sua vontade: para uns terrível e sanguinário; para outros, indiferente aos interesses do mundo. O deus que fizestes é ainda o bezerro de ouro, que cada qual apropria aos seus gostos e às suas idéias.

Despertai, meus irmãos, meus amigos! Que a voz dos Espíritos vos toque o coração. Sede generosos e caridosos, sem ostentação. Quer dizer: fazei o bem com humildade. Que cada um vá demolindo aos poucos os altares elevados ao orgulho. Numa palavra: sede verdadeiros cristãos, e atingireis o reino da verdade. Não duvideis mais da bondade de Deus, agora que Ele vos envia tantas provas. Viemos preparar o caminho para o cumprimento das profecias. Quando o Senhor vos der uma manifestação mais esplendente da sua clemência, que o enviado celeste vos encontre reunidos numa grande família; que os vossos corações, brandos e humildes, sejam dignos de receber a palavra divina que Ele vos trará; que o eleito não encontre em seu caminho senão as palmas dispostas pelo vosso retorno ao bem, à caridade, à fraternidade; e então o vosso mundo se tornará um paraíso terreno. Mas se permanecerdes insensíveis à voz dos Espíritos, enviados para purificar e renovar as vossas sociedades civilizadas, ricas em conhecimentos e não obstante tão pobre de bons sentimentos, ah! nada mais nos restarás do que chorar e gemer pela vossa sorte. Mas, não, assim não acontecerá. Voltai-vos para Deus, vosso pai, e então nós todos, que trabalhamos para o cumprimento da sua vontade, entoaremos o cântico de agradecimento ao Senhor, por sua inesgotável bondade, e para o glorificar por todos os séculos. Assim seja.

 Continua
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 12 de Abril de 2011, 20:55
Continuação

*

ADOLFO

Bispo de Alger, Marmande, 1862

 

12 – Homens, por que lamentais as calamidades que vós mesmos amontoastes sobre a vossa cabeça? Desprezastes a santa e divina moral do Cristo; não vos admireis de que a taça da iniqüidade tenha transbordado por toda parte.

O mal-estar se torna geral. A quem se deve, senão a vós mesmos, que incessantemente procurais aniquilar-vos uns aos outros? Não podeis ser felizes, sem mútua benevolência, e como poderá esta existir juntamente com o orgulho? O orgulho, eis a fonte de todos os vossos males. Dedicai-vos, pois, à tarefa de destruí-lo, se não quiserdes perpetuar as suas funestas conseqüências. Um só meio tendes para isso, mas infalível: tomai a lei do Cristo por regra invariável de vossa conduta, essa lei que haveis rejeitado ou falseado na sua interpretação.

Por que tendes em tão grande estima o que brilha e encanta os vossos olhos, em lugar do que vos toca o coração? Por que o vício que se desenvolve na opulência é o objeto da vossa reverência, enquanto só tendes um olhar de desdém para o verdadeiro mérito, que se oculta na obscuridade? Que um rico libertino, perdido de corpo e alma, se apresente em qualquer lugar, e todas as portas lhe são abertas, todas as honras lhe são dispensadas, enquanto dificilmente se concede um gesto de proteção ao homem de bem que vive do seu trabalho. Quando a consideração que se dispensa às pessoas é medida pelo peso do ouro que elas possuem, ou pelo nome que trazem, que interesse podem ter elas em se corrigem de seu defeito?

Bem diferente seria, entretanto, se o vício doirado fosse fustigado pela opinião pública, como o é o vício andrajoso. Mas o orgulho é indulgente para tudo quanto o agrada. Século de concupiscência e de dinheiro, dizeis vós. Sem dúvida; mas por que deixastes as necessidades materiais se sobreporem ao bom-senso e à razão? Por que cada qual deseja se elevar sobre o seu irmão? Agora, a sociedade sofre as conseqüências.

Não esqueçais que um tal estado de coisa é sempre o sinal da decadência moral. Quando o orgulho atinge o seu extremo, é indício de uma próxima queda, pois Deus pune sempre os soberbos. Se às vezes os deixa subir, é para lhes dar tempo de refletir e de emendar-se, sob os golpes que, de tempos a tempos, desfere no seu orgulho como advertência. Entretanto, em vez de se humilharem, eles se revoltam. Então, quando a medida está cheia. Ele a vira de repente, e a queda é tanto mais terrível, quanto mais alto tiverem se elevado.

Pobre raça humana, cujos caminhos foram todos corrompidos pelo egoísmo, reanimai-te, apesar disso! Na sua infinita misericórdia, Deus envia um poderoso remédio aos teus males, um socorro inesperado à tua aflição. Abre os olhos à luz: eis que as almas dos que se foram estão de volta, para te recordar os verdadeiros deveres. Elas te dirão, com a autoridade da experiência, quanto às vaidades e as grandezas da vossa passageira existência são pequeninas, diante da eternidade. Dirão deste mundo; que nesta, será maior o que foi menor entre os pequenos deste mundo; que o que mais amou os seus irmãos será o mais amado no céu; que os poderosos da Terra, se abusaram da autoridade, serão obrigados a obedecer aos seus servos; que a caridade e a humildade, enfim, essas duas irmãs que se dão às mãos, são os títulos mais eficazes para obter-se a graça diante do Eterno.


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 12 de Abril de 2011, 22:26
Boa noite, queridos amigos e caros irmãos visitantes!

                                            SINCERIDADE

"Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; porque o que passa disto procede do maligno." — Jesus (Mateus, 5:37).

Podemos figurar a sinceridade como uma árvore que tem raízes no coração, e em cujos caule, ramos e folhas corre a seiva da verdade.

Segundo o dicionário, a sinceridade é a qualidade do sincero, ou do indivíduo que se expressa sem artifício, sem intenção de enganar, sem afetação ou malícia; que é franco, leal, verdadeiro, puro, autêntico e de boa-fé.

A quase totalidade dos seres humanos gosta de parecer sincero, mas conduzir-se sempre com sinceridade não é um comportamento tão simples quanto possa parecer.

A falta de sinceridade no relacionamento familiar ou social configura uma conduta desleal, falsa ou antiética.

Comportar-se com excesso de franqueza é o mesmo que faltar à caridade.

Fingir sinceridade, em qualquer situação, buscando parecer o que não é, além de ser hipocrisia, constitui um compromisso com a consciência má, porque significa mentir para si mesmo.

Ser sincero é, antes de tudo, ser verdadeiro, o que nem sempre nos é possível. Há ocasiões em que uma verdade contundente pode expressar um julgamento humilhante para o nosso irmão de jornada.

Em outras oportunidades, quando, por exemplo, estamos lidando com pacientes em fase terminal, por apego à sinceridade, poderemos estar contribuindo para baixar a auto-estima do companheiro em provação e, em conseqüência, para apressar o seu retorno à Pátria espiritual. Cometemos, neste caso, uma falta grave, pois é sabido que “o homem deve prolongar a vida, para cumprir a sua tarefa.” (LE, 730).

Há, portanto, muitas ocasiões em que mais vale uma mentira piedosa do que uma sinceridade rigorosa.

Na rua ou nos lugares freqüentados esporadicamente, é comum aparentarmos a mais larga sinceridade, tirando proveito do fato de não sermos bem conhecidos pelas pessoas de fora. Já nos embates em âmbito familiar, por nos sentirmos em casa, muitas vezes, ou expressamos nossa sinceridade com atitudes agressivas ou buscamos nos manter em silêncio, ao qual geralmente agregamos certa dose de mau humor, comprometendo tanto a paz interior quanto à nossa volta.

De que vale tanta sinceridade presumida em um coração repleto de mazelas e mágoas ou ressentimentos? É justamente por ela ter suas raízes no coração que se faz imprescindível buscarmos, antes de cultivar a sinceridade, tornar o nosso coração cada vez mais limpo, já que a sua total pureza não é, dentro da lógica e do bom senso, um objetivo a ser alcançado em apenas uma existência corporal.

Todos os crimes, pecados ou misérias humanas têm origem na mente carnal ou intelecto, razão pela qual a falsidade, a hipocrisia, a astúcia e a mentira nascem do pensamento maligno, seja do próprio indivíduo ou da influência malévola dos Espíritos obsessores, encarnados ou desencarnados. Por compreender com exatidão esta verdade é que Mahatma Gandhi, em sua luta silenciosa para libertar a Índia do domínio inglês, recomendava sempre aos seus discípulos que, além de orar pelos invasores, jamais agasalhassem em suas mentes quaisquer pensamentos menos dignos contra os seus adversários.

Se queremos, portanto, nos apegar à sinceridade, comecemos por exercer a máxima vigilância no tocante aos nossos pensamentos, e a ser sinceros conosco mesmo, reconhecendo, de verdade, as mazelas e imperfeições morais que, por enquanto, ainda nos caracterizam. Somente assim, compreenderemos que bem mais valiosa que a sinceridade é a indulgência para com as imperfeições alheias — o mais importante aspecto da caridade moral.

Disse-nos o Cristo: “Seja o vosso falar: Sim, sim; Não, não”, porém não esqueceu de nos esclarecer que “O que sai da boca procede do coração.“ (Mateus, 15:18).


Deus conosco, sempre!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 12 de Abril de 2011, 22:49
Minha querida irmã Hebe,que maravilha de texto,com certeza leva todos nós a fazermos várias reflexões,reavaliar-mos os nossos conceitos,porque em verdade o orgulho e a vaidade, sem dúvida torna as pessoas mesquinhas e arrogantes.Ao se colocar diante dos demais,exaltando o seu melhor saber,a sua melhor condição de vida,as suas conquistas materiais,colocando-se em nobreza pelo seu poder,em sua cegueira que não o deixa vê, que diante de Deus somos todos iguais como seus filhos,portanto tendo para ele o mesmo valor.De que adianta tanto orgulho,tanta vaidade se terão em seu julgamento diante do pai todas as suas obras avaliadas.A humildade pra êstes é um sinal de fraqueza,no entanto esta humildade que eles não aceitam é uma grande muralha de uma fortaleza,porque, quanto mais humilde for, mais forte será para enfrentar as adversidades da vida.portanto com mais qualidades e nobreza diante de Deus.Sejamos sempres humildes para sermos um vencedor.
Fique na paz e que Deus na sua infinita grandeza nos abençoe sempre.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 12 de Abril de 2011, 23:02
Boa Noite a todos,
Lima Gil, excelente texto sobre sinceridade. Muito Obrigada.

Boa Noite Antonio Renato,

Eu transcrevi o capítulo do ESE sobre humildade e orgulho, atendendo o pedido de Gisella para caminharmos com o tema "Humildade".

Lacodaire e ADOLFO (Bispo de Alger) , dão um senhor puxão de orelha na humanidade.
Aonde estão calcados nossos valores? Será que dá para enxergar um miserável na rua como igual?, irmão? filho de Deus? ou a sociedade o enxerga como diferente e nocivo?
Há pouco postei alguns trechos sobre compaixão, seria bom refletir sobre humildade, compaixão e orgulho.
A humanidade , de um modo geral num planeta de Provas e Expiações ainda está longe de alcançar essas virtudes.
Vamos olhar as nossas atitudes do dia a dia mesmo, e ver  como estamos distantes e como podemos alcançar esse patamar que Lacodaire e o Bispo de Alger nos fala.
Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 13 de Abril de 2011, 00:33
Boa noite aos amigos

Examina-Te

"Nada faças por contenda ou por vanglória, mas por humildade." - Paulo. (FILIPENSES, capítulo 2, versículo 3.)

O serviço de Jesus é infinito. Na sua órbita, há lugar para todas as criaturas e para todas as idéias sadias em sua expressão substancial.
Se, na ordem divina, cada árvore produz segundo a sua espécie, no trabalho cristão, cada discípulo contribuirá conforme sua posição evolutiva.
A experiência humana não é uma estação de prazer. O homem permanece em função de aprendizado e, nessa tarefa, é razoável que saiba valorizar a oportunidade de aprender, facilitando o mesmo ensejo aos semelhantes.
O apóstolo Paulo compreendeu essa verdade, afirmando que nada deveremos fazer por espírito de contenda e vanglória, mas, sim, por ato de humildade.
Quando praticares alguma ação que ultrapasse o quadro das obrigações diárias, examina os móveis que a determinaram. Se resultou do desejo injusto de supremacia, se obedeceu somente à disputa desnecessária, cuida de teu coração para que o caminho te seja menos ingrato. Mas se atendeste ao dever, ainda que hajas sido interpretado como rigorista e exigente, incompreensivo e infiel, recebe as observações indébitas e passa adiante.
Continua trabalhando em teu ministério, recordando que, por servir aos outros, com humildade, sem contendas e vanglórias, Jesus foi tido por imprudente e rebelde, traidor da lei e inimigo do povo, recebendo com a cruz a coroa gloriosa.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caminho, Verdade e Vida. Ditado pelo Espírito Emmanuel. 28 edição

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 13 de Abril de 2011, 00:44
Linhas de Evolução

"Caridade e humildade, tal a senda única da salvação." (Alan Kardec. E.S.E. Cap.XV. Item 5.)

Observando os companheiros a quem você deseja ajudar, seja breve na exposição e demorado no socorro.
Sem o suor do exemplo, os mais belos comentários perdem a legitimidade.

*

Utilize-se do poço do caminho, sem lhe tisnar a limpidez das águas. Mais tarde você poderá necessitar dele novamente.

*

Seu vestuário desvela para os outros suas íntimas inclinações. Use a roupa, sem a ela escravizar-se.

*

Mantenha a higiene de seu corpo para preservar a saúde. No entanto, viver excessivamente preocupado com a limpeza é sintoma de desequilibrio.

*

Cobiçando o melhor de cada dia, viva cada minuto nobremente, como se fosse o último a que você tivesse direito. O depois começa agora.

*

Pare para refletir, não obstante sabendo refletir para não parar. Quem avança, sem estacionar, pára sem forças para avançar.

*

Planifique, antes de agir, e demonstrará respeito pelo serviço. Evite, porém, planificar assoberbado de preocupações, pois que assim você jamais realizará algo.

*

Se você acredita em felicidade vivendo a sós, disponha-se para inquietantes aflições. A gota de orvalho no deserto reflete a glória de longínqua estrela, mas não dá vitalidade à terra onde se aquieta e consome, sem ajudar.

*

Em todas as conjunturas de sua vida, recorde-se da caridade, primeiro, e da humildade, logo depois.

"Caridade e humildade, tal a senda única da salvação."

Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Glossário Espírita-Cristão. Ditado pelo Espírito Marco Prisco. 4 edição. Salvador, BA: LEAL. 1993.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 13 de Abril de 2011, 01:42
Olá, amigos...

Gostaria de iniciar este post agradecendo a paciência e a tolerância dos amigos por estes dias todos, nos quais meu acesso ao nosso Estudo não foi dos melhores, porém, agora, novamente equipada, estou de volta...

Agradeço, aos amigos que têm postado aqui suas considerações e textos tão importantes para a continuidade de nossas reflexões.

Amigo Vitor Santos, foi muito bom reencontrá-lo neste espaço, sobretudo com uma mensagem tão edificante para todos nós, falando de um Ser tão simples, mas ao mesmo tempo tão "grande" como Madre Teresa... obrigada...

Seguindo com a Humildade, concordo literalmente com a postagem da amiga Hebe e do amigo Antonio Renato, mostrando aquilo que "julgamos" inferior, o que, na verdade, pode ser nosso orgulho exacerbado.

Segue uma colocação do Sr. Ney Prieto Peres* sobre o Orgulho e a Vaidade:

"Procuremos, agora, ilustrar, entre os defeitos que mais comumente manifestam-se em nós, o orgulho e a vaidade. Busquemos tranqüilamente conhecê-los, tão profundamente quanto possível, sem mascarar os seus impulsos dentro de nós mesmos. Entendamos que a tolerância começa de nós para nós mesmos. Assim, o nosso trabalho de prospecção interior é suave, e não podemos nos maldizer ou nos martirizar pelos defeitos que ainda temos. Vamos, então, trazer aos níveis de nossa consciência aquelas manifestações impulsivas que nos dominam de certo modo, e que, progressivamente, desejamos controlar.

As principais reações e características do tipo predominantemente orgulhoso são:

a. Amor-próprio muito acentuado: contraria-se por pequenos motivos;
b. Reage explosivamente a quaisquer observações ou críticas de outrem em relação ao seu comportamento;
c. Necessita ser o centro de atenções e fazer prevalecer sempre as suas próprias idéias;
d. Não aceita a possibilidade de seus erros, mantendo-se num estado de consciência fechado ao diálogo construtivo;
e. Menospreza as idéias do próximo;
f. Ao ser elogiado por quaisquer motivos, enche-se de uma satisfação presunçosa, como que se reafirmando na sua importância pessoal;
g. Preocupa-se muito com a sua aparência exterior, seus gestos são estudados, dá demasiada importância à sua posição social e ao prestígio pessoal;
h. Acha que todos os seus circundantes (familiares e amigos) devem girar em torno de si;
i. Não admite se humilhar diante de ninguém, achando essa ati-tude um traço de fraqueza e falta de personalidade;
j. Usa da ironia e do deboche para com o próximo nas ocasiões de contendas.

Compreendemos que o orgulhoso vive numa atmosfera ilusória, de destaque social ou intelectual, criando, assim, barreiras muito densas para penetrar na realidade do seu próprio interior. Na maioria dos casos o orgulho é um mecanismo de defesa para encobrir algum aspecto não aceito de ordem familiar, limitações da sua formação escolar-educacional, ou mesmo o resultado do seu próprio posicionamento diante da sociedade da imagem que escolheu para si mesmo, do papel que deseja desempenhar na vida de “status”.

E preferível nos olharmos de frente, corajosamente, e lutar por nos-sa melhora, não naquilo que a sociedade estabeleceu, dentro dos limites transitórios dos bens materiais, mas nas aquisições interiores: os tesouros eternos que “a traça não come nem a ferrugem corrói!“

(Ney Prieto Peres é Diretor Fundador do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas - IBPP, Professor em cursos de pós-graduação universitária)

continua...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 13 de Abril de 2011, 02:04
continuando...

A Vaidade

“O homem, pois, em grande número de casos,é o causador de seus próprios infortúnios; mas, em vez de reconhecê-lo, acha mais simples, menos humilhante para a sua vaidade, acusar a sorte, a Providência, a má fortuna, a má estrela, ao passo que a má estrela é apenas a sua incúria.”
(Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. Capítulo V. Bem-aventurados os Aflitos. Causas Atuais das Aflições.)

A vaidade é decorrente do orgulho, e dele anda próxima. Destacamos adiante as suas facetas mais comuns:

a. Apresentação pessoal exuberante (no vestir, nos adornos usados, nos gestos afetados, no falai demasiado);
b. Evidência de qualidades intelectuais, não poupando referências à própria pessoa, ou a algo que realiza;
c. Esforço em realçar dotes físicos, culturais ou sociais com notória antipatia provocada aos demais;
d. Intolerância para com aqueles cuja condição social ou intelectual é mais humilde, não evitando a eles referências desairosas;
e. Aspiração a cargos ou posições de destaque que acentuem as referências respeitosas ou elogiosas à sua pessoa;
f. Não reconhecimento de sua própria culpabilidade nas situações de descontentamento diante de infortúnios por que passa;
g. Obstrução mental na capacidade de se auto-analisar, não aceitando suas possíveis falhas ou erros, culpando vagamente a sorte, a infelicidade imerecida, o azar.


continua...
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 13 de Abril de 2011, 02:14
continua...

"A vaidade, sorrateiramente, está quase sempre presente dentro de nós.

Dela os espíritos inferiores se servem para abrir caminhos às perturbações entre os próprios amigos e familiares.
 
É muito sutil a manifestação da vaidade no nosso íntimo e não é pequeno o esforço que devemos desenvolver na vigilância, para não sermos vítimas daquelas influências que encontram apoio nesse nosso defeito.

De alguma forma e de variada intensidade, contamos todos com uma parcela de vaidade, que pode estar se manifestando nas nossas motivações de algo a realizar, o que é certamente válido, até certo ponto.

O perigo, no entanto, reside nos excessos e no desconhecimento das fronteiras entre os impulsos de idealismo, por amor a uma causa nobre, e os ímpetos de destaque pessoal, característicos da vaidade.

A vaidade, nas suas formas de apresentação, quer pela postura física, gestos estudados, retórica no falar, atitudes intempestivas, reações arrogantes, reflete, quase sempre, uma deformação de colocação do indivíduo, face aos valores pessoais que a sociedade estabeleceu. Isto é, a aparência, os gestos, o palavreado, quanto mais artificiais e exuberantes, mais chamam a atenção, e isso agrada o intérprete, satisfaz a sua necessidade pessoal de ser observado, comentado, “badalado”.

No íntimo, o protagonista reflete, naquela aparência toda, grande insegurança e acentuada carência de afeto que nele residem, oriundas de muitos fatores desencadeados na infância e na adolescência. Fixações de imagens que, quando criança, identificou em algumas pessoas aparentemente felizes, bem sucedidas, comentadas, admiradas, cujos gestos e maneiras de apresentação foram tomados como modelo a seguir.

O vaidoso o é, muitas vezes, sem perceber, e vive desempenhando um personagem que escolheu. No seu íntimo é sempre bem diferente daquele que aparenta, e, de alguma forma, essa dualidade lhe causa conflitos, pois sofre com tudo isso, sente necessidade de encontrar-se a si mesmo, embora às vezes sem saber como.

O mais prejudicial nisso tudo é que as fixações mentais nos personagens selecionados podem estabelecer e conduzir a enormes bloqueios do sentimento, levando as criaturas a assumirem um caráter endurecido, insensível, de atitudes frias e grosseiras.

O Aprendiz do Evangelho terá aí um extraordinário campo de reflexão, de análise tranqüila, para aprofundar-se até as raízes que geraram aquelas deformações, ao mesmo tempo que precisa identificar suas características autênticas, o seu verdadeiro modo de ser, para então despir a roupagem teatral que utilizava e colocar-se amadurecidamente, assumindo todo o seu íntimo, com disposição de melhorar sempre". 

Reflitamos, meus amigos, e, se possível, introjetemos estas lições, estes exemplos, olhando demoradamente dentro de nós....

Será que não temos nenhum dessas "facetas"??

Eu tenho algumas...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: filhodobino em 13 de Abril de 2011, 07:49
Amados do meu coração, o intelecto sozinho, não é capaz de promover nossa evolução sem a participarção constante e integral dos nossos benfeitores que nos brindam a vida na matéria com a evolução naturalmente assistida... e nos assistem via intuição, à qual damos tão pouca atenção...
filhodobino reflete:
Não existe uma vida material e outra vida Espiritual agindo simultaneamente em cada um de nós...
Nunca paramos para pensar nisso...
De onde surgem as boas idéias, que nos levam a soluções complexas de problemas que dias atrás nos deixavam de cabelos em pé, buscando e não encontrando soluções para os mesmos...
De repente... Acontece...
Seja na preparação de uma palestra, seja na execução de um projeto, seja na execução de uma obra, ou na combinação de cores para decorar um ambiente...

Temos percepções do mundo da ilusão da matéria, onde exercitamos nossa inteligência e aprendizado...
Temos percepções do mundo espiritual, onde o pensamento, pela lei das afinidades recebe e doa idéias e percepções...
Dificilmente percebemos essa diferença em nós, quase sempre nos gabamos da nossa boa idéia, da nossa genialidade... Pobres dorminhocos que somos...
Pela conceituação da evolução naturalmente assistida, o aceite em nossa mente nos permitirá percebermos, em dado tempo, que as idéias que nos assistem são provindas de campos diametralmente opostos o tempo todo...
Intuição, intuição, quando deixaremos os debates inúteis para lhe dar a atenção que mereces?
xxxx

A civilização sempre cuida saber excessivamente, mas, em tempo algum, soube como convém saber. Assim também, na esfera individual, o homem apenas cogita saber, esquecendo que é indispensável saber como convém.
Emmanuel - (Vinha de Luz)  [55 - página 179]
xxx

Ps.: Anexo, com o estudo completo que realizei, enfeixando assunto igual embora disperso, numa mesma peça, para facilitar o entendimento, baixe-o do post #676 no link...
http://www.forumespirita.net/fe/o-evangelho-segundo-o-espiritismo/ese-entendimentos-com-as-referencias-biblicas/msg204426/#new-    #676
Saúde e Paz!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 13 de Abril de 2011, 12:07
Oi Gisella

  O modelo social do mundo Ocidental não está acostumado a uma vida interiorizada. A procura da felicidade é externa, em troca de aceitações.
Se você me ama eu te amo, se você é correto sou seu amigo, se você erra eu o condeno, se você me fere eu não consigo mais te amar como antes, este eu o pensamento dual, feio/bonito, certo/errado, julgando sempre e sempre precisando da aceitação do meio que vive.
Não foi isso que Jesus nos ensinou quando disse , " Ame seus inimigos", "Assim como julgares será julgado",

"Bem aventurados os humildes, porque deles será o Reino dos Céus". Essas últimas frases resumem o que Jesus esperava de nós.
Como ser serenos e humildes se estamos sempre com medo de perder o que se tem? (relacionamentos e bens).
Como ser serenos se sempre estamos nos magoando ou ferindo em defesa de não ser ferido?
Como ser serenos e humildes se estamos sempre julgando e qualificando o próximo colocando-o distante de nós.
Seríamos capazes de amar um  assassino ?
Todas essas atribulações que passamos na vida terrena são atribulações atribuídas a esta vida terrena, EGO ( persona que como Espíritos escolhemos ser nesta encarnação, escolhendo o gênero de provas consentido por Deus) então tudo que nos acontece, qualquer obstáculo no nosso caminho que qualificamos como bom ou ruim, é obra de Deus para o nosso crescimento. " Amar a Deus sobre todas as coisas, é confiar em Deus e não se queixar das vicissitudes da vida, amar sempre, o amigo e o inimigo que faz parte da nossa prova para o nosso crescimento, e estender a mão ao inimigo,  porque é filho de Deus como nós.
Temos que  nos desapegar dos conceitos relativos da vida terrena e ter consciência absoluta que somos espíritos.
Em Deus devemos confiar cegamente, tanto na tempestade quanto na bonança. E não se apegar a absolutamente nada, o apego as coisas e personagens da nossa prova na vida terrena , nos faz sofrer aqui e não raro na vida espiritual. (obsessores presos e iludidos no personagem que teve na Terra), esta mágoas, dores, raivas, são portanto produtos do EGO adquirido na vida social, são transitórios, durarão enquanto o ser ( Espírito) se apegar ao EGO, causando o seu verdadeiro inferno mental ( a ilusão de dor e prazer).
O apego a dor e ao prazer é o nosso erro maior, apegado ao prazer causamos a nossa própria dor por perder o que nós consideramos prazeroso.

Ter a mente serena e atingir o Reino dos Céus , significa se desapegar das verdades do EGO ( persona), que não é o Espírito, porque tivemos vários EGOS, então não  somos o ego ( personagem ) e sim Espíritos filhos de Deus, puros e devemos acessar o nosso self ou essência divina, que já está em nós, mas não percebemos.
Só assim poderemos entender toda a grandeza e harmonia do Universo, seus fluxos , estações que vão e voltam, com equanimidade,e atingir o amor supremo de Deus.
" Vós sois Deuses" disse Jesus
" Vós sois Buda" disse Sidarta e por aí vai.
Então o que é o amor? O amor é Deus em todas as suas faces se manifestando, o amor está dentro de nós em todo o seu potencial.

Viva no mundo mas não se apegue a ele, "eu venci o mundo disse Jesus", nem a dor da carne, nem as perseguições, nem as injustiças e  o fez abandonar sua essência divina, esta foi a maior lição. O DESAPEGO pouco votado neste tópico.

Essa é a grande compreensão do Sermão do Monte em toda a sua bem aventurança.

Estamos falando em humildade. Como ser humildes se nos orgulhamos das nossas conquistas terrenas (cargo, bens, filhos, religião, status, raça, país,intelectualidade,  corpo físico e consideramos o outro diferente de nós?
Se nos sentimos ofendidos, ou magoados porque as pessoas não atendem o que esperamos delas?

Desculpem-me se me estendi um pouco. Essa compreensão eu obtive lendo tanto a DE quanto outras correntes espiritualistas. Já compreender me fez enxergar o quanto estava errada numa série de conceitos que me aprisionava me causando sofrimento, e o quanto ainda tenho que caminhar para me livrar de mais um tanto de apego que eu ainda tenho.
Estou caminhando ainda como todos aqui neste mundinho que construímos e muito tenho que seguir ainda para acabar com tanta ansiedade e expectativa em relação a este ou aquele e isso e aquilo .
Essa compreensão aguça o senso de observação em si mesmo, e ajuda a compreender o outro dentro de todas as suas nuances.
Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 13 de Abril de 2011, 12:31
Bom dia a todos

O Homem de Bem

O verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza. Se ele interroga a consciência sobre seus próprios atos, a si mesmo perguntará se violou essa lei, se não praticou o mal, se fez todo o bem que podia, se desprezou voluntariamente alguma ocasião de ser útil, se ninguém tem qualquer queixa dele; enfim, se fez a outrem tudo o que desejara lhe fizessem.
Deposita fé em Deus, na Sua bondade, na Sua justiça e na Sua sabedoria. Sabe que sem a Sua permissão nada acontece e se lhe submete à vontade em todas as coisas.
Tem fé no futuro, razão por que coloca os bens espirituais acima dos bens temporais.
Sabe que todas as vicissitudes da vida, todas as dores, todas as decepções são provas ou expiações e as aceita sem murmurar.
Possuído do sentimento de caridade e de amor ao próximo, faz o bem pelo bem, sem esperar paga alguma; retribui o mal com o bem, toma a defesa do fraco contra o forte, e sacrifica sempre seus interesses à justiça.
Encontra satisfação nos benefícios que espalha, nos serviços que presta, no fazer ditosos os outros, nas lágrimas que enxuga, nas consolações que prodigaliza aos aflitos. Seu primeiro impulso é para pensar nos outros, antes de pensar em si, é para cuidar dos interesses dos outros antes do seu próprio interesse. O egoísta, ao contrário, calcula os proventos e as perdas decorrentes de toda ação generosa.
O homem de bem é bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças, nem de crenças, porque em todos os homens vê irmãos seus.
Respeita nos outros todas as convicções sinceras e não lança anátema aos que como ele não pensam.
Em todas as circunstâncias, toma por guia a caridade, tendo como certo que aquele que prejudica a outrem com palavras malévolas, que fere com o seu orgulho e o seu desprezo a suscetibilidade de alguém, que não recua à idéia de causar um sofrimento, uma contrariedade, ainda que ligeira, quando a pode evitar, falta ao dever de amar o próximo e não merece a clemência do Senhor.
Não alimenta ódio, nem rancor, nem desejo de vingança; a exemplo de Jesus, perdoa e esquece as ofensas e só dos benefícios se lembra, por saber que perdoado lhe será conforme houver perdoado.
É indulgente para as fraquezas alheias, porque sabe que também necessita de indulgência e tem presente esta sentença do Cristo: "Atire-lhe a primeira pedra aquele que se achar sem pecado."
Nunca se compraz em rebuscar os defeitos alheios, nem, ainda, em evidenciá-los. Se a isso se vê obrigado, procura sempre o bem que possa atenuar o mal.
Estuda suas próprias imperfeições e trabalha incessantemente em combatê-las. Todos os esforços emprega para poder dizer, no dia seguinte, que alguma coisa traz em si de melhor do que na véspera.
Não procura dar valor ao seu espírito, nem aos seus talentos, a expensas de outrem; aproveita, ao revés, todas as ocasiões para fazer ressaltar o que seja proveitoso aos outros.
Não se envaidece da sua riqueza, nem de suas vantagens pessoais, por saber que tudo o que lhe foi dado pode ser-lhe tirado.
Usa, mas não abusa dos bens que lhe são concedidos, porque sabe que é um depósito de que terá de prestar contas e que o mais prejudicial emprego que lhe pode dar é o de aplicá-lo à satisfação de suas paixões.
Se a ordem social colocou sob o seu mando outros homens, trata-os com bondade e benevolência, porque são seus iguais perante Deus; usa da sua autoridade para lhes levantar o moral e não para os esmagar com o seu orgulho. Evita tudo quanto lhes possa tornar mais penosa a posição subalterna em que se encontram.
O subordinado, de sua parte, compreende os deveres da posição que ocupa e se empenha em cumpri-los conscienciosamente.
Finalmente, o homem de bem respeita todos os direitos que aos seus semelhantes dão as leis da Natureza, como quer que sejam respeitados os seus.
Não ficam assim enumeradas todas as qualidades que distinguem o homem de bem; mas, aquele que se esforce por possuir as que acabamos de mencionar, no caminho se acha que a todas as demais conduz.

Allan Kardec. Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo. 112 edição. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet.org.br. Federação Espírita Brasileira. 1996.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 13 de Abril de 2011, 12:42
Olá, amigos... bom dia!!!

Agora equipada, novamente, posso dar uma passadinha antes da fisioterapia!!! :D

Amiga Hebe, na volta lerei suas considerações com calma, pois sei que nos trarão grandes ensinamentos...

Amigo Ken, na minha modéstia opinião, esta é uma das passagens mais importantes do ESE... ela resume tudo o que precisamos fazer, para domar as nossas más inclinações (nossos vícios morais)..

Obrigada por ter trazido para nós...

Até depois..

Abraços fraternos a todos e que Jesus ilumine nosso dia como o sol que brilha lá fora, apesar da chuva terrível que caiu aqui em São Paulo ontem!!!

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 13 de Abril de 2011, 12:59
Olá amiga Gisella,

Seguindo o mesmo raciocínio

Observe para Atender

A piedade é o melancólico, mas celeste precursor da caridade, primeira das virtudes que a tem por irmã e cujos benefícios ela prepara e enobrece.
Alan Kardec, E.S.E. Cap.XIII- ltem 17).




Você comentará falhas alheias, sem resultado edificante, e se fará dilapidador das fraquezas do próximo.
 
Você censurará o vizinho, sem lhe retificar a posição, e se converterá em juiz impiedoso das vicissitudes dos outros.

Você discutirá as imperfeições do amigo, sem lhe modificar a situação moral, e se transformará em algoz de quem já é vitima de si mesmo.
 
Você debaterá problemas dos conhecidos, sem os solucionar, e se tornará leviano examinador das causas que lhe não pertencem.
 
Você exporá feridas do caráter das pessoas, sem as medicar, e se situará na condição de enfermeiro negligente em doenças a que lhe não cabe oferecer assistência.

Cale o verbo que não ajuda, observe e sirva.
 
Você caminha sob a mesma ameaça.

Os outros observam-no também.

Deixe que a tentação da censura morra asfixiada no algodão do silêncio.

Ninguém é infeliz por prazer.

Os que mais erram são doentes contumazes que requerem o medicamento fraterno da prece e do entendimento.
 
O comentário improdutivo é gás que asfixia as plantas da esperança alheia.

Sua censura é espinho na alma do vizinho.
 
A exposição dos insucessos do próximo é estilete a ferir-lhe a chaga aberta.

Recorde o Mestre e examine-se.

Sua ascensão apóia-se na ascensão dos companheiros.
 
A queda de alguém é embaraço em seu caminho.
 
Auxilie sem exigência e indistintamente.
 
Permita ao grande tempo a tarefa de corrigir e educar.

 Confira a você mesmo o impositivo somente de ajudar.


Divaldo P. Franco / Marco Prisco

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 13 de Abril de 2011, 15:04
Olá, amigos... de volta da fisioterapia!!!

Hebe, concordo contigo quando diz que nós, os ocidentais, não temos por hábito perceber-se, buscando a felicidade em conquistas exteriores, e, mesmo dizendo que seguimos o Cisto, não o entendemos na sua plenitude.

Acredito que muita coisa está mudando...

Tudo se encadeia no Universo (q. 540 de OLE), não foi isso que os Espíritos Superiores nos falaram? Que todos estamos submetidos à Lei do Progresso?? Que a semeadura é livre, mas a colheita obrigatória?? Que todos nós estamos vinculados, de uma maneira ou de outra, que os mais adiantados auxiliam os mais atrasados??

Penso que este é o objetivo deste estudo... a partir do momento em que estamos estudando, conhecendo outras experiências, outros autores (não necessariamente espíritas), estamos seguindo o ritmo proposto pela Providência Divina, que tudo rege e que de tudo tem o controle.

Realmente não é fácil trazer pro nosso íntimo estes conceitos sobre as virtudes, sobre o progresso espiritual, sobre a nossa necessidade de autoconhecimento!! Dói!! Dói porque nos deparamos com nossas imperfeições, e, nosso orgulho e nossa vaidade não permitem que façamos diferente!!

Mas a culpa é de quem?? de Deus?? da sorte (ou azar)?? do vizinho?? NÃO... absolutamente... a culpa é nossa mesma, porque não queremos sair da nossa zona de conforto!!

Pra finalizar, trago de volta uma frase do Sr. Ney Prieto Peres:

"O mais prejudicial nisso tudo é que as fixações mentais nos personagens selecionados podem estabelecer e conduzir a enormes bloqueios do sentimento, levando as criaturas a assumirem um caráter endurecido, insensível, de atitudes frias e grosseiras. O Aprendiz do Evangelho terá aí um extraordinário campo de reflexão, de análise tranqüila, para aprofundar-se até as raízes que geraram aquelas deformações, ao mesmo tempo que precisa identificar suas características autênticas, o seu verdadeiro modo de ser, para então despir a roupagem teatral que utilizava e colocar-se amadurecidamente, assumindo todo o seu íntimo, com disposição de melhorar sempre." (grifos meus)

Ken... o seu texto serve para fechar este post... obrigada..

Ufa... me estendi, tb???  ::)

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 13 de Abril de 2011, 15:21
Minha querida irmã Gisella,muito bem colocado em seu texto quando nos diz a respeito da vaidade que temos dentro de nós,e que muitas das vezes mesmo nos policiando não conseguimos contolar,demonstrando assim a nossa imperfeição.Basta que em algumas vezes sermos questionados em nossas ações,atitudes ou colocação,para sentir-nos ferido no nosso orgulho na nossa vaidade,que nos aprisionam e nos prende as coisas materiais.Esse comportamento impede de de verdadeiramente exercitar a humildade,tão necessária a nossa evolução.Aqui mesmo dentro do nosso Fórum podems colocar exemplos sem citar nomes,como muitas delas se comportam quando são questionadas em suas colocações ou qundo respondem à algum tópico.Dado o seu nivel intelectual bastante elevado e o seu conhecimento da Doutrina Espirita,colocam-se insentos de qualquer questionamento,e na maioria das vezes não se desculpam por assim proceder,e admitindo como é o caso citado pela nossa irmã Hebe o quanto devemos mudar os nossos conceitos tidos como certos,para poder dizer então que verdadeiramente  somos todos irmãos na mesma caminhada,portanto todos iguais perante Deus o nosso pai,e que temos para ele o mesmo valor em seu julgamento.
Fique na paz e que Deus na sua infinita grandeza nos abençoe sempre.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 13 de Abril de 2011, 15:26
Amigos...

Realmente tudo se encadeia no Universo....

Nosso amigo Victor Passos nos trouxe uma linda história sobre humildade..

Dêem uma lida, vale a pena!!!

http://www.forumespirita.net/fe/meditacao-diaria/o-burro-de-carga-34996/new/#new

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 13 de Abril de 2011, 15:35
Olá, Antonio Renato...

Esta questão que você levantou sobre as pessoas se são orgulhosas pelos conhecimentos adquiridos, apenas nos faz sentir piedade, pois a inteligência, assim como qualquer outro atributo do Espírito Imortal, deve ser usado para o progresso geral, para que, aquele que sabe mais ensine quem sabe menos, pois, se for usado apenas para satisfação pessoal, será retirado pela Misericórdia Divina.

E a nós, que sabemos menos, devemos orar por aqueles outros, além de ser, para nós também, uma prova para desenvolvermos a nossa paciência, a nossa tolerância, a nossa humilade, pois sempre haverá os que sabem mais e os que sabem menos, o que tem mais e o que tem menos... e por ai vai..

Obrigada pela sua colaboração,

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: La. em 13 de Abril de 2011, 18:02
Olás amigos,

Creio que não há formulas, ou parametros para definir o que é o amor. O amor é construido atraves da vivenciação que o SER realiza na descoberta de sua essencia divina. Por isso é que a lei que de atração entre dois atomos buscando uma estabilidade, pode ser considerado o primeiro ato de amor que a centelha realiza em sua evolução. Bem como uma leoa lambendo os seus filhotes, ou uma alcateia que cuida um dos outros. Como se explica que seres que são regidos pelos instintos são capazes de verdadeiros atos altruista que muitas vezes escasseia no propria especie  humana, apice da evolução no planeta?! Eu vi um documentario em que bando de cachorros selvagens , cuidavam daqueles que  estavam  gravemente feridos devido ao ataque de leões, e por isso ficaram invalidos para caça, para economia canina se eles raciocinasse como humanos seriam consideram pesos. A natureza transborda amor.

Desde a lei da afinidade atomica, passando pela atração instintiva, até o laurel do amar, o Ser vai se descobrindo como sendo esse sentimentos divino que rege o universo. Perguntaram o que é o amor, e respoderam Deus, essa foi a mais bela e lógica resposta postada, já que nada existe fora da Criação Divina, sendo Deus Amor, toda criação por efetualidade é amor.

O amor é um só. A nossa concepção de vivencia-lo muda através dos tempos, porque vamos vagarosamente  compreendendo nas diretrizes evolutivas que traçamos a plenitude desse sentimento. Creio eu, que nao somos capazes de imaginar qual será a ultima lição a ser assimilada nessa apredizagem, todavia  no mais alto amor detederemos a nos sentir um com o Todo, porque em tudo e no Todo, veremos Deus.

abs!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 13 de Abril de 2011, 18:21
Olá, amigos...

Sabemos da grande dificuldade do Ser Inteligente em adquirir novos comportamentos, em sair do conhecer para o ser.

Sairmos da inércia do comodismo e vencermos a nós mesmos para deixar para trás do homem velho e trazer à luz o homem novo.

Um companheiro espírita do estado do Rio Grande do Sul, ex presidente da Federação Espírita do Rio Grande do Sul (FERGS), sr Jason de Camargo, no seu livro "Educação dos Sentimentos", nos diz que o que temos que vencer são os paradigmas existenciais, os  atavismos do passado, pois esses são os grandes entraves do nosso caminho.

Ele nos diz :
"(...) de uma maneira geral, somos um subproduto de nossos paradigmas e que se ainda não somos felizes, é porque alguns elementos precisam ser modificados. Esse é um dos pontos básicos de nosso estudo: realiar essas modificações.
(...)
Somos pessoas que vivem altamente condicionadas a determinados hábitos que geram preocupações, ansiedades, desejos e mais desejos e, com isso, surgem a tristeza e as dores humanas. Estamos mais voltados para os paradigmas que geram sofrimento do que para aqueles que geram felicidade. Aí se encontra o cerne da questão: modificar, substituir esses paradigmas negativos pelos que contribuem para a plenificação humana".
Estamos, portanto, falando de mudança, de reorganização mental e de projetos de felicidade".  (grifos meus)

Portanto, amigos, vamos pensar em que tipo de paradigmas estamos estacionados.

Somos seres inteligentes, capazes de se transformar, e se transformar para melhor!!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)

("Educação dos Sentimentos" - Jason de Camargo / Ed. Letras de Luz - 7a. edição, pg 137)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 13 de Abril de 2011, 18:32
Boa tarde, queridos amigos e caros irmãos visitantes!


                                                  HUMILDADE
“Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.” — Jesus
                                                   (Mateus, 5:3)


Em algumas versões — tal como a da Bíblia de Referência THOMSON —, a palavra <humildes> está traduzida como <pobres>, o que em nada modifica o real sentido da sublime promessa feita aos Seus discípulos pelo Cristo Jesus.

Um dos aspectos que podemos deduzir dessa especial <bem-aventurança> é que as portas do Reino estarão fechadas para todos os que se considerem ricos de espírito, para os orgulhosos e presunçosos, ou seja para todos aqueles que, pela presumida auto-suficiência, consideram-se não necessitados de suprimento espiritual e moral.

Analisemos mais a fundo essa importante questão. Primeiro, é necessário considerar que a palavra de Jesus, invariavelmente, se referia às coisas espirituais, razão pela qual convém dissociar dessa promessa qualquer idéia que vise enaltecer a pobreza material, como condição de acesso ao Reino, pois o que importa para Deus ou para o Reino não são as coisas sujeitas a mudanças — a exemplo das situações de riqueza ou pobreza —, e sim a forma como o Espírito enfrenta as provações que lhe foram confiadas, em virtude de sua escolha consciente, no uso do seu livre-arbítrio, antes de reencarnar.

Assim, a primeira conclusão a tirar dessa análise é que humildade necessariamente não tem a ver com pobreza, riqueza material ou quaisquer tribulações físicas ou morais. Essa virtude singular está interrelacionada com a resignação, a simplicidade, a aceitação, a fé e, sobretudo, com a submissão aos superiores desígnios da Providência.

Do ponto de vista material, quando o homem se considera rico, é porque já conseguiu amealhar uma fortuna de tal monta que lhe proporcionou certa tranqüilidade familiar e social, a ponto de, assim pensando, ser levado a crer que não tem mais muito que se esforçar ou trabalhar para prover a segurança material com a qual todo o homem pobre ou carente de recursos pecuniários tanto se preocupa. A riqueza conquistada lhe dá uma sensação de plenitude e de realização pessoal, que pode mesmo conduzi-lo a uma acomodação, pois está convencido de que não tem mais necessidades ou carências para superar.

Do ponto de vista espiritual, as coisas se passam de modo semelhante. Ao se considerar rico de espírito, é porque o homem, por orgulho, não admite depender de Deus para o seu sustento espiritual. Neste caso, considera-se plenamente realizado, como se de nada mais precisasse para o seu desenvolvimento espiritual; ou que não tivesse mais qualquer necessidade espiritual ou moral a ser satisfeita. O indivíduo que assim se coloca, quase sempre, se acha na doce ilusão de possuir tanta fortaleza de espírito que não carece de ajuda do Alto para se sustentar na Vida e, dessa forma, enquanto imodesto assim permanecer, ficará afastado do estado de bem-aventurança prometido por Jesus, por culpa do seu próprio orgulho ou falta de humildade.

Ao contrário, aquele que se humilda diante de Deus ou se acha pobre de espírito é porque reconhece que muito ainda tem que trabalhar, que evoluir, que alcançar, em termos de amor, de sabedoria e das demais qualidades da Alma ou riquezas espirituais que o farão sentir-se devidamente preparado para usufruir a Paz, a Alegria Perene ou Felicidade Eterna inerentes ao estado que Jesus nos promete em forma de Bem-aventurança!

O que se consideram pobres de espírito são, portanto, todos os aspirantes ao Reino do Cristo que se sentem, sinceramente, vazios das virtudes que lhe são pertinentes, sem méritos para serem eleitos ou escolhidos para serem admitidos no Reino; que tomaram consciência do pouco que realizaram e do muito que ainda lhes falta realizar para se depurarem das mazelas e imperfeições que ainda lhes impedem o acesso às portas do Reino; enfim, os que ainda não se sentem investidos das condições espirituais pertinentes a esse desiderato ou que ainda não envergaram a <veste nupcial> que os habilitará a participar do divino banquete, tão bem assinalado na maravilhosa parábola das bodas. (Mateus, 22: 2 a 14).

Aqueles que dão ouvidos aos preceitos do Cristo, estabelecidos nas Bem-aventuranças, são os que buscam fazer aquilo que o próprio Jesus fez, quando “a si mesmo se esvaziou, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.” (Filipenses, 2:7 e 8).

Neste mundo, os <pobres>, quer os que o são literalmente, quer os <humildes de espírito> nada podem esperar de qualquer reino. No que se refere ao Reino dos Céus, os valores que realmente contam não são a riqueza nem o poder, mas as qualidades morais e o florescimento espiritual.

Tais considerações comparativas se encontram muito bem abordadas pelo Mestre Jesus na parábola do fariseu e do publicano, cujo fecho encerra o inesquecível ensinamento: “Pois qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilhar será exaltado.” (Lucas, 18: 10 a 14).

“Torna-te mais e mais humilde de espírito, posto que o que o homem pode esperar é tornar-se comida de vermes.” — J. R. Dummelow.


Deus conosco, sempre!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: RuyLFreitas em 13 de Abril de 2011, 18:51
Oi! Prezada Laísa.

Gostei! E concordo plenamente. São frases doloridas? Claro que são, mas mister um despertador de panelas para que ao menos abramos dois milímetros os olhos, para o tudo que nos transforma numa ilha, por razão de nós mesmos nos afastarmos do bom senso. Não é brincadeira não! eu já vi gente passando perto de um mendigo e tampando o nariz e nem sequer dar um trocado ao infeliz. caso pensa que dando esmola ele vai beber, então porque não comprar um simples pão e dar ao pobre coitado? Ademais dar dinheiro para alimentação dele é a intensão, mais se acaso ele desvia a para aguardente, é um problema dele, onde há de responder a Lei que rege o Livre Arbítrio de cada um.

Um forte abraço, cheio de Paz e Luz.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 13 de Abril de 2011, 19:03
Oi Gisella,
Não há culpa nem castigo, apenas aprendizado com cada situação.

Só para lembrar sobre o gênero de provas escolhidas.

258. No estado errante, antes de nova existência corpórea, o Espírito  tem consciência e previsão do que lhe vai acontecer durante a vida?

      — Ele mesmo escolhe o gênero de provas que deseja sofrer; nisto consiste o seu livre-arbítrio.

258. A) Não é Deus quem lhe impõe as tribulações da vida, como castigo?

      — Nada acontece sem a permissão de Deus, porque foi ele quem estabeleceu todas as leis que regem, o Universo. Perguntareis agora por que ele fez tal lei em vez de tal outra! Dando ao Espírito a liberdade de escolha, deixa-lhe toda a responsabilidade dos seus atos e das suas conseqüências; nada lhe estorva o futuro; o caminho do bem está à sua frente, como o do mal. Mas se sucumbir, ainda lhe resta uma consolação, a de que nem tudo se acabou para ele, pois Deus, na sua bondade, permite-lhe recomeçar o que foi malfeito. É necessário distinguir o que é obra da vontade de Deus e o que é da vontade do homem. Se um perigo vos ameaça, não fostes vós que o criastes, mas Deus; tivestes, porém, a vontade de vos expordes a ele, porque o considerastes um meio de adiantamento; e Deus o permitiu.

262 – a) Quando o Espírito goza do seu livre-arbítrio, a escolha da existência corpórea depende sempre exclusivamente da sua vontade ou essa existência pode lhe ser imposta pela vontade de Deus, como expiação?

       -Deus sabe esperar: não precipita a expiação. Entretanto, pode impor certa existência a um Espírito, quando este, por sua inferioridade ou má vontade, não está apto a compreender o que lhe seria mais proveitoso, e quando vê que essa existência pode servir para a sua purificação, o seu adiantamento, e ao mesmo tempo servir-lhe de expiação.

266. Não parece natural que os Espíritos escolham as provas menos penosas?

     - Para vós, sim; para o Espírito, não. Quando ele está liberto da matéria, cessa a ilusão, e a sua maneira de pensar é diferente

Comentário de Kardec: O homem, submetido na Terra à influência das idéias carnais, só vê nas suas provas o lado penoso. É por isso que lhe parece natural escolher as que, do seu ponto de vista, podem subsistir com os prazeres materiais. Mas na vida espiritual ele compara os prazeres fugitivos e grosseiros com a felicidade inalterável que entrevê, e então, que lhe importam alguns sofrimentos passageiros? O Espírito pode escolher a prova mais rude, e em conseqüência a existência mais penosa, com a esperança de chegar mais depressa a um estado melhor, como o doente escolhe muitas vezes o remédio mais desagradável, para se curar mais rapidamente. Aquele que deseja ligar o seu nome à descoberta de um país desconhecido, não escolhe um caminho coberto de flores, pois sabe os perigos que corre, mas sabe também a glória que o espera, se for feliz.

       A doutrina da liberdade de escolha das nossas existências e das provas que devemos sofrer deixa de parecer extraordinária, quando se considera que os Espíritos, libertos da matéria, apreciam as coisas de maneira diferente da nossa. Eles antevêem o fim, e esse fim lhes parece muito mais importante que os prazeres fugidios do mundo. Depois de cada existência, vêem o progresso que fizeram e compreendem quanto ainda lhes falta em pureza, para o atingirem. Eis porque se submetem voluntariamente a todas as vicissitudes da vida corpórea, pedindo eles mesmos aquelas que podem fazê-los chegar mais depressa. Não há, pois, motivo para nos admirarmos de que o Espírito não dê preferência à existência mais suave. No seu estado de imperfeição, ele não pode desfrutar a vida sem amarguras, que apenas entrevê. E é para atingi-la que procura melhorar-se.

             Da mesma maneira, o viajante, no fundo de um vale nevoento, não vê a extensão nem os pontos extremos da sua rota; mas, chegando ao cume da montanha, seu olhar abrange o caminho percorrido e o que falta percorrer, vê o final de sua  viagem, os obstáculos que ainda tem de vencer, e pode então escolher com mais segurança os meios de o atingir. O Espírito encarnado é como o viajante no fundo do vale; desembaraçado dos liames terrestres, é como o que atingiu o cume. Para o viajante, o fim é o repouso após a fadiga; para o Espírito, é a felicidade suprema, após as tribulações e as provas.

      Todos os Espíritos dizem que, no estado errante, buscam, estudam, observam, para fazerem suas escolhas. Não temos um exemplo disso na vida corpórea? Não buscamos muitas vezes, através dos anos, a carreira que livremente acabamos por escolher, porque a achamos a mais apropriada aos nossos objetivos? Se fracassamos numa, procuramos outra. Cada carreira que abraçamos é uma fase, um período da vida. Não empregamos cada dia em escolher o que faremos no outro? Ora, o que são as diferentes existências corpóreas para o Espírito, senão fases, períodos, dias da sua vida espírita que. como sabemos, é a vida normal, não sendo a vida corpórea mais do que transitória, passageira?

      267. O Espírito poderia fazer a sua escolha durante a vida corporal?

      — Seu desejo pode ter influência. Isso depende da intenção. Mas, no estado de Espírito, freqüentemente vê as coisas de maneira diferente. É o Espírito quem faz a escolha. Mas, ainda assim, ele pode fazê-la nesta vida material, porque o Espírito tem sempre os momentos em que se liberta da matéria.

      267 – a) Muitas pessoas desejam grandezas e riquezas, mas não o será, por certo, como expiação nem como prova?

      — Sem duvida; a matéria deseja essa grandeza, para gozá-la, e o Espírito a deseja, para conhecer-lhe as vicissitudes.

      268. Até que chegue ao estado de perfeita pureza, o Espírito tem de passar constantemente por provas?

      — Sim, mas elas não são como as entendeis. Chamais provas às tribulações materiais; ora, o Espírito, chegando a um certo grau, mesmo sem ser perfeito, não tem mais nada a sofrer. Mas tem sempre deveres que o ajudam a se aperfeiçoar, e que não são penosas para ele, a não ser os de ajudar os outros a se aperfeiçoarem.

      269. O Espírito pode enganar-se, quanto à eficácia da prova que escolher?

      — Pode escolher uma que esteja acima de suas forças, e então sucumbe. Pode também escolher uma que não lhe dê proveito algum, como um gênero de vida ocioso e inútil. Mas, nesse caso, voltando ao mundo dos Espíritos, percebe que nada ganhou, e pede para recuperar o tempo perdido.
___________________________________________________________________________
Coloquei essas questões para pensarmos na diferença da visão do espírito preso a matéria ( nós) e da sua visão quando liberto dela.
Até a sua escolha em nascer num meio hostil é para o seu crescimento com o consentimento de Deus.
Nada acontece por acaso, portanto o chefe que o humilhou, o sócio que o traiu, o irmão que por inveja o maltratou, os pais que não conseguiram ser amorosos, são espíritos em provas como nós, atravessaram nosso caminho para aprendermos a ser, tolerantes, ter compaixão, perdoar, ter paciência, e não para nos revoltarmos contra atitudes que nós consideramos amargas, porque assim classificamos pela visão humana e não do Espírito que somos, e que escolhemos este gênero de prova.
Portanto não se trata em culpar Deus pelos nossos infortúnios e sim compreender os infortúnios como ação para o nosso crescimento.
Isso é só uma ponderação sobre o meu post anterior.

PS: Grifo meu.

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Kazaoka em 13 de Abril de 2011, 21:34
O Amor é a "pedra filosofal" que transforma em tesouro tudo que ela toque, ou ainda, o que a Ele toque.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 13 de Abril de 2011, 21:59
Olá, amigos....

Hebe, acredito que me equivoquei usando a palavra culpa.

"Mas a culpa é de quem?? de Deus?? da sorte (ou azar)?? do vizinho?? NÃO... absolutamente... a culpa é nossa mesma, porque não queremos sair da nossa zona de conforto!!"

Oi Gisella,
Não há culpa nem castigo, apenas aprendizado com cada situação.


Não a usei no sentido de "Ato ou omissão repreensível ou criminosa; falta voluntária, delito, crime: pagar por uma culpa." (dicionário on line), mas, sim, no sentido de responsabilidade.

A partir do momento que tomamos conhecimento de determinado aprendizado e não nos mexemos para colocá-lo em prática, estamos assumindo a responsabilidade por aquele ato.

Por exemplo: sei que não posso acelerar meu carro a mais de 60 km/h na cidade de São Paulo. Se eu ultrapasso esse limite, causo um acidente, ou sou flagrada pelo radar, devo arcar com as responsabilidades decorrentes deste ato.

Alguns poderão dizer: mas o acidente tinha que ocorrer, estava no seu destino!! Aí, volto a citar Jesus: "O escândalo há de vir; mas ai daqueles por quem o escândalo venha!"
Se eu tiver que passar pelo acidente, ele acontecerá sem que eu seja a causadora, pois cumpri com as regras de trânsito..

Obrigada pela correção!!

Laisa...
Muito obrigada por suas palavras... "O amor é um só. A nossa concepção de vivencia-lo muda através dos tempos, porque vamos vagarosamente  compreendendo nas diretrizes evolutivas que traçamos a plenitude desse sentimento."

Isso é mesmo evolução!!

Lima_Gil...
Excelente o seu comentário sobre humildade... Obrigada, amigo!!

RuyFreitas... muitos não conseguem chegar perto de um mendigo! Já presenciei casos que nem vale a pena comentarmos, mas cada um de nós está num grau diferente e percebe o mundo de maneira diferente. É aí que entra o conhecimento, a aquisição de conceitos novos e a consequente reforma interior.
Porém, nem todos que chegam perto dos mendigos são humildes, ou amam... estarei equivocada??


Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 13 de Abril de 2011, 22:27
Oi! Prezada Laísa.

Gostei! E concordo plenamente. São frases doloridas? Claro que são, mas mister um despertador de panelas para que ao menos abramos dois milímetros os olhos, para o tudo que nos transforma numa ilha, por razão de nós mesmos nos afastarmos do bom senso. Não é brincadeira não! eu já vi gente passando perto de um mendigo e tampando o nariz e nem sequer dar um trocado ao infeliz. caso pensa que dando esmola ele vai beber, então porque não comprar um simples pão e dar ao pobre coitado? Ademais dar dinheiro para alimentação dele é a intensão, mais se acaso ele desvia a para aguardente, é um problema dele, onde há de responder a Lei que rege o Livre Arbítrio de cada um.

Um forte abraço, cheio de Paz e Luz.
Sabe Ruy,
Eu tenho uma história para contar a respeito de mendicancia.
Todo sábado passava pela frente da minha casa uma moça com duas crianças pedindo mantimento.
Eu dava sempre, 1 litro de leite, 1 pacote de biscoito, 1k de arroz , Nescau, 1 k de açucar.
Ela já sabia que eu deixava separado e sempre vinha.
Um dia ela chegou para buscar os alimentos e um jardineiro que estava trabalhando no meu jardim observou a doação.
Quando ela foi embora , ele me contou que ela vendia os mantimentos para uma mercearia aqui perto em troca de cachaça.
Quer dizer, mesmo não querendo dar dinheiro para não gastar em bebidas  e sim mantimentos,
eles arranjam um jeito de comprar a bebida.
Bem, eu fiz a minha parte, mas ela e o dono do Bar , principalmente ele usavam de má fé.
Quando ela voltou no sábado seguinte, entreguei um lanche pronto para as crianças.
Ela nunca mais voltou, acredita?
Pois é. A cachaça era mais importante do que a alimentação dos filhos, se é que eram filhos dela mesmo.
Um abço
Hebe
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 14 de Abril de 2011, 11:25
Bom dia, amigos!!!

Que este dia seja tão iluminado como está aqui em São Paulo!!

Amiga Hebe.... acredito que cada um de nós tem uma história como a sua para contar... infelizmente muitas são as pessoas que se escondem por tras da mendicância para tirar vantagem da situação.

Muitos, é lógico, humilham-se, resignam-se, mas buscam constantemente a sua melhora, como vemos tantos nas Casas Espíritas que trabalham com a Assistência Social. Há aqueles que aproveitam cada oportunidade para crescer intelectual e profissionalmente. Buscam algo que modifique sua história.

A primeira situação é difícil, pois estes espíritos, além de tudo, terão que prestar contas à sua consciência pela oportunidade que perderam e levaram as crianças, espíritos que estavam sob sua responsabilidade, para o mesmo caminho...

Bem, amigos... estou deixando um recadinho agora pois a fisioterapia me aguarda...

Hoje, arremataremos as virtudes desta semana:

•   Delicadeza / Gentileza
•   Alegria
•   Honestidade / Sinceridade
•   Humildade


Tragam suas considerações sobre elas, para que possamos, amanhã, entrar com as da nossa 3a. semana... Nossa!!! já estamos entrando na 3a. semana de estudo!! :o :o

Até mais tarde...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 14 de Abril de 2011, 13:31
Bom dia,

 Delicadeza / Gentileza

A beleza interior que expressa a verdadeira delicadeza e gentileza.
 Não são atributos estudados e treinados para uso no convívio social, tem que ser sentidos, para serem verdadeiros. Um sorriso, uma palavra de carinho, um gesto gentil ,partindo da espontaneidade do interior do homem é o que esboça a verdadeira natureza dessas virtudes.
Portanto a delicadeza e a gentileza não podem ser artifícios para conquista de elogios ou interesses maiores. Uma pessoa leve em seus sentimentos é naturalmente delicado e gentil.

•   Alegria

O esforço para a conquista da Alegria e da felicidade é algo inútil , é o que causa o oposto desse sentimento.
O homem naturalmente alegre segue o fluxo da vida com resignação e aceitação.
Isso não que dizer se tornar acomodado ou inerte diante da vida, mas sim compreender a vida em toda a sua extensão.  Aceitar o próximo como ele é, trabalhar com amor no que faz sem esperar méritos, pois qualquer tarefa realizada e bem feita será reconhecida naturalmente, portanto coloque amor no que faz e viva com naturalidade.

•   Honestidade / Sinceridade

Honestidade
A verdadeira honestidade é a consigo mesmo, é enxergar-se por inteiro e ter consciência dos seus erros e acertos. Se conseguimos ter esta visão diante da vida, podemos deitar a cabeça no travesseiro e dormirmos tranquilos sem medo de ser descobertos. Mesmo que estejamos equivocados em relação a alguém ou alguma coisa, no momento do equivoco fomos honestos, e podemos tranquilamente reconsiderar, sem culpa de ter errado.
Quanto a não roubar, não se apoderar do que não é nosso já não é virtude alguma é obrigação.

Sinceridade
Cuidado com a sinceridade.
Ela não quer dizer franqueza rude ou o direito de falar o que pensa a qualquer hora e a qualquer momento.
A sinceridade tem que ter junto com ela a sensibilidade e delicadeza de ser expressa no momento certo.  Evite o uso na hora do impulso do conflito.
A sinceridade deve ser usada sempre, não há dúvida, mas não a use com uma impressão superficial de ninguém. E veja se naquele momento a pessoa a quem você se reporta , está em condições de ouvir o que você pensa.
Veja se a conhece o suficiente para não expressar um julgamento errado, que pode gerar mágoa e conflito.
Muitas vezes vemos alguém se achar no direito de falar sinceramente ao outro e expressar uma injustiça enorme, porque não conhece uma unha sequer da história desta pessoa.
Portanto, cuidado, seja honesto e sincero primeiro consigo mesmo e com o outro sempre, mas com  jeito e seguro do que faz.


Humildade

A humildade é a quebra do personalismo, e o processo de não individualização.
É não se envaidecer com um elogio, ou se ofender com uma agressão.
É não se orgulhar porque é rico e nem se humilhar porque é pobre.
É não se envaidecer de seus conhecimentos e nem se sentir inferior por não te-los .
É ter a coragem de dizer não sei, eu preciso de ajuda, eu posso ajudar. É pedir desculpas  quando erra sem medo de rejeição.
A humildade é o oposto do orgulho e do egoísmo, penso que é a maior de todas a s virtudes.
Será que conseguimos?

Bem , esse é a minha compreensão do que foi estudado neste módulo.

Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Felipa em 14 de Abril de 2011, 18:12
ENERGIA E BRANDURA
 
   Na marcha do dia-a-dia, urge harmonizar as manifestações de nossas qualidades com o espírito de proporção e proveito, a fim de que o extremismo não nos imponha acidentes, no trânsito de nossas tarefas e relações.
   Energia na fé; não demais que tombe em fanatismo.
   Brandura na bondade; não demais que entremostre relaxamento.
   Energia na convicção; não demais que se transforme em teimosia.
   Brandura na humildade; não demais que degenere em servilismo.
   Energia na justiça; não demais que seja crueldade.
   Brandura na gentileza; não demais que denuncie bajulação.
   Energia na sinceridade; não demais que descambe no desrespeito.
   Brandura na paz; não demais que se acomode em preguiça.
   Energia na coragem; não demais que se faça temeridade.
   Brandura na prudência; não demais que se recolha em comodismo.
   No caminho da vida, há que se aprender com a própria vida.
   Vejamos o carro moderno nas viagens de hoje: nem passo a passo, porque isso seria ignorar o progresso, diante do motor, e nem velocidade além dos limites justos, o que seria abusar do motor para descer ao desastre e à morte prematura.
   Em tudo equilíbrio, porque, se tivermos equilíbrio, asseguraremos, em toda parte e em qualquer tempo, a presença da caridade e da paciência, em nós mesmos, as duas guardiãs capazes de garantir-nos trajeto seguro e chega feliz.
(De “Centelhas”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel).
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 14 de Abril de 2011, 19:30
 :)Meus queridos irmãos e irmães,todos os nossos gestos de:delicadeza,gentileza,alegria,
honestidade,sinceridade e humildade,para serem verdadeiros terão que ser expôntaneos,
sem que,perderão à válidade aos olhos de Deus.Eu não posso ser delicado para me dizer educado,não posso ser gentil para ser tido como bonzinho,não posso demonstrar alegria
para provar que estou de bem com a vida,não devo aparentar honestidade para ser acreditado,não posso dizer sempre que estou sendo sincero mesmo que êste gesto venha magoar à alguem.Finalmente não posso e não devo me mostrar humilde quando na verdade sou orgulhoso,arrogante,e não venha praticar ao meu semelhante,um ato de amor e caridade.
Fiquem na paz.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 14 de Abril de 2011, 19:43
Boa tarde a todos! :)

O amor é um sentimento que vamos desenvolvendo, aos poucos, no curso das encarnações.

Deus criou  o homem simples e ignorante, mas com capacidade para aprender e vivenciar a Lei Maior, que é a Lei do Amor.

A resposta da amiga Maria Helena Carneiro (#169, pag. 12) à pergunta que deixei em aberto na página inicial, foi: JESUS.

Sim, o Mestre Jesus é nosso modelo e guia.

Por isso, sempre tenho em mente as palavras de Jesus: “aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”... e, acho que o caminho para aprender a desenvolver as virtudes é por aí.

Como desenvolver as virtudes que nos elevarão na Escala Espiritual, sem que a mansidão e humildade nos guiem?

Quando vejo a simplicidade que sempre presidiu as palavras e atos de Jesus, e de tantos Espíritos elevados que por aqui passaram, sinto a importância da sinceridade em nossas vidas...

Assim, partilho um texto que de forma singela fala sobre a sinceridade, e que ela possa fortalecer nossos sinceros propósitos de acertar, para evoluir, amando, deixando-se amar e ser feliz, muito feliz. :D

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Edna☼ em 14 de Abril de 2011, 19:44
Sinceridade, um caminho para a evolução

A Humanidade, impregnada com seus defeitos morais no estágio evolutivo em que se encontra, busca nas religiões uma resposta às suas angústias e frustrações. Isso acontece desde os primórdios dos tempos. Na atualidade essa procura é mais intensa na medida em que o homem cria fundamentos e seitas às centenas em busca de prosélitos que possam lhes satisfazer os anseios materiais. Para estes, naturalmente, resgates dolorosos, para àqueles, devido principalmente a sua fé baseada na ingenuidade, a evolução, uma vez que a sinceridade é a base e o caminho para uma vida futura melhor.

Nós, espíritas, conhecedores do evangelho, ou Boa Nova, em sua pureza, temos a oportunidade de ser possuidores de um conhecimento que nos foi dado pelo Espírito de Verdade, através da codificação, cujo codificador foi Allan Kardec.

Lutamos todos os dias para sanearmos nossos defeitos morais, o orgulho e seus filhos diletos, o egoísmo, a vaidade etc., além do ódio, o rancor, a mágoa, a inveja e assim por diante. “Muito será pedido a quem muito foi dado”. Nessa luta diária, vamos adquirindo aos poucos, sem nos apercebermos, algumas virtudes que nos servirão para “engrossar nosso dossiê positivo”. E no momento cruciante, quando nossa consciência se organiza para um “julgamento” de nossos atos, em nossas reencarnações, essas virtudes adquiridas naturalmente, sem hipocrisia, serão nossos advogados de defesa e será nesse momento que nos lembraremos do “A César o que é de César”.

Isso tudo nos faz lembrar de um escritor cujo pseudônimo é Malba Tahan, ou seja, Julio Cezar de Mello e Souza, nascido no Rio de Janeiro em 1895 e desencarnado em 1974. Trabalhou como jornalista e escreveu cerca de sessenta livros, o mais famoso o - Homem que Calculava. Embora desencarnado suas obras continuam a deleitar milhares de pessoas. É dele o artigo que vamos transcrever. “Sincera é uma palavra doce e confiável. Sincera é uma palavra que acolhe. É essa palavra que deveria estar no vocabulário de toda alma. Sincera foi uma palavra inventada pelos Romanos. Sincero vem do velho, do velhíssimo latim... Eis a poética viagem que fez sincero de Roma até aqui: Os romanos fabricavam certo vaso de uma cera especial. Essa cera era, às vezes, tão pura e perfeita que o vaso se tornava transparente. Em alguns casos chegava-se a distinguir um objeto – um colar, uma pulseira, ou um dado – que estivesse colocado no interior do vaso. Para o vaso, assim fino e límpido, dizia o romano vaidoso: - como é lindo... parece até que não tem cera! “Sine-cera” queria dizer: “Sem cera”, uma qualidade de vaso perfeito, finíssimo, delicado, que deixava ver através de suas paredes. Da antiga cerâmica Romana, o vocábulo passou a ter um significado muito mais elevado. Sincero é aquele que é franco, leal, verdadeiro, que não oculta, que não usa disfarces, malícias ou dissimulações. O sincero, à semelhança do vaso, deixa ver, através de suas palavras, os nobres sentimentos de seu coração”.

Os nobres sentimentos do coração, o encerramento de um artigo e o começo de uma nova era para quem, a exemplo dos romanos, começarem a moldar em seu imo o vaso de cera transparente que mostrará a verdadeira vocação do espírito reencarnado, ou seja, a evolução. 

Naturalmente, existem outros predicados que o encarnado vai adquirindo ao longo de uma existência dedicada ao bem ou pelo menos no esforço de fazê-lo, entre eles a paciência, a humildade etc.; mas a Sinceridade é, provavelmente, o melhor sintoma para uma evolução feliz e sofrimentos minorados.

Ao consultarmos o Dicionário Aurélio, destacamos dois itens: adjetivo: 1. que se expressa sem artifício, sem intenção de enganar; franco, leal: 4. verdadeiro, autêntico, puro. A definição é longa e toda ela positiva.

Quando militamos na Seara Espírita temos a oportunidade de socorrer muitos espíritos que passam por transes trágicos devido a encarnações difíceis e que devido ao materialismo adquirido na “Porta Larga” desconhecem a sua verdadeira situação. Assim, podemos verificar que nenhum deles conhece a definição da palavra sinceridade, pois se a conhecessem não estariam naquela situação. Mesmo os espíritos mistificadores que se servem de médiuns não educados (ou orientados) e usam de todos os artifícios para enganar seus interlocutores e suas “vítimas”, podem ser facilmente detectados se as pessoas que ali estão trabalhando estão no caminho correto da sinceridade. E como um “radar”, vai detectando as imperfeições e dar a solução correta juntamente com os orientadores espirituais que agradecem essa qualidade, pois assim a facilidade de socorrer irmãos infelizes é muito mais simples e menos complicada.

Assim como o vaso romano, nos transformamos em pessoas transparentes fazendo com que nosso próximo ao olhar em nossos olhos confie em nossas boas intenções, mesmo quando essas intenções são de ajuda ou de subalternos no nosso ganha-pão do dia-a – dia e mesmo de patrões ou executivos e líderes nos mais diversos setores da sociedade.

As pessoas sinceras cativam seus semelhantes e interlocutores numa convivência às vezes momentânea, outras a médio e longo prazo.

Com a sinceridade atingiremos outros atributos morais que nos levarão a evolução espiritual e certamente conseguiremos cumprir o que planejamos ao reencarnarmos para resgatar débitos dolorosos do passado.
 
Fonte: Texto de autoria de J. Garcelan, que gentil e expressamente, autorizou o uso para fins de estudo.

(Os destaques em negrito e itálico são meus)


Que haja sempre muita paz e luz em nossas vidas.

Abraços fraternos,

Edna ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 14 de Abril de 2011, 21:05
Olá, meus amigos...

Realmente estou testando todas as virtudes estudadas estas semanas, pois quando não é o PC que não funciona, é a banda larga que se torna inoperante...  >:(

Ainda bem que pude ler todas as postagens. E, por isso, não tenho como não "me render" à tolerância com a tecnologia, que, afinal, nos presta este favor imenso de fazermos amigos.

Isso me faz ser Sincera (transparente) com todos os amigos, pois pode parecer indiferença essa minha ausência, o que, definitivamente, não é.

E mais....

Não posso deixar de perceber a Generosidade da Vida em trazer para perto de mim amigos tão queridos;

Não posso deixar de perceber a Gentileza de todos para comigo, me estimulando a prosseguir, apesar da minha pequenez diante de tantos irmãos mais adiantados do que eu;

Não posso me furtar à Alegria de acordar diariamente, de sorrir para o dia e brindar o sol com uma prece de agradecimento ao Criador;

Não posso esquecer que, honesta e humildemente, tenho que agradecer ao Senhor da Vida pela oportunidade de aprender sempre.

Cada um de nós, meus amigos, tem uma maneira de expressar seus sentimentos, seus pensamentos e inúmeras outras maneiras de colocar em prática esses mesmos sentimentos.

Vivemos num mundo globalizado, vivemos longe uns dos outros, com culturas diferentes e situações de vida diferentes. Mas todos buscando o aprendizado capaz de ser colocado em prática no nosso meio, na nossa comunidade, seja ela no sul, ou no norte, no leste ou no oeste, na América ou na Europa, na Ásia ou na África!!!

O importante é que todos estamos nos ajudando, compartilhando e, com certeza, utilizando a nossa inteligência para o bem geral...

Obrigada, amiga Hebe pela força, e todos os demais amigos que conviveram conosco estas duas semanas, trazendo suas experiências e suas leituras!!

Que as próximas duas semanas continuem sendo tão harmoniosas como estas duas últimas foram...

E, que Jesus, nosso Mestre, Modelo e Guia, nos envolva em seus braços amorosos !!!

Abraços sempre fraternos,

Gisella  ;)


Assim, meus amigos,
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 14 de Abril de 2011, 22:43
 :D Não precisa agradecer Gisella,
Eu também estou limitadíssima, não só pelo problema de horário durante o dia, mas também pelo PC travando.
E haja teste de tolerância e paciência, hahaha!!!
Concordo com você, agradecer todo o dia por tudo e fazer um auto-exame no final do dia e uma meditação também é muito bom.
Edna, excelente post, Antonio Renato você resumiu o que eu quis dizer. Maria 47 trouxe um texto de Emmanuel que pega bem o espírito do tópico, enfim, como você disse Gisella, o tópico segue em harmonia e todos com vontade de aprender cada vez mais. Afinal, estamos caminhando juntos apesar da diversidade de cultura.
Um bjo Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 14 de Abril de 2011, 23:10
Amigos...

Apenas para asserenar os nossos corações, segue uma linda história que nos mostra, com sua simplicidade, a força do Amor..

CÍRCULO DE AMOR

Aquele homem estava um pouco apressado e quase não viu a senhora, com o carro parado no acostamento. Mas percebeu que ela precisava de ajuda.

Assim, parou seu  carro e se aproximou. O carro da senhora era novo, mas estava com problemas.

Mesmo com o sorriso que o homem estampava na face, ela ficou preocupada.

Ninguém tinha parado para ajudar durante a última hora. Quais seriam as intenções daquele estranho? Pensou a senhora.

Ele percebeu que ela estava com muito medo e lhe disse: "eu estou aqui para ajudar, madame. Pode esperar dentro do carro que está mais quentinho. A propósito, meu nome é Alfredo".

Bem, o problema era só um pneu furado, mas para uma senhora era ruim o bastante.
Alfredo abaixou-se, colocou o macaco e levantou o carro. Logo o pneu já estava trocado. Mas ele ficou um tanto sujo e ainda feriu uma das mãos.

Enquanto ele apertava as porcas da roda, a senhora abriu a janela e começou a conversar com ele.

Contou que estava de passagem por ali, pois morava noutra cidade, e que não sabia como agradecer pela preciosa ajuda.

Alfredo apenas sorriu enquanto se levantava. Ela perguntou quanto devia. Qualquer quantia teria sido muito pouco para ela. Já tinha imaginado todas as terríveis coisas que poderiam ter acontecido se Alfredo não tivesse parado.

Mas Alfredo não pensava em dinheiro. Aquilo não era um trabalho para ele. Gostava de ajudar quando alguém tinha necessidade e Deus já lhe ajudara bastante. Aquele era seu modo de viver e nunca lhe ocorreu agir de outra maneira.

"Se realmente quiser me reembolsar, disse Alfredo, da próxima vez que encontrar alguém que precise de ajuda, dê a ela a ajuda que precisar". E acrescentou: "e pense em mim".

Ele esperou até que ela saísse com o carro e também se foi.

Aquele havia sido um dia frio e cinzento, mas ele se sentia muito bem.

Algumas milhas abaixo a senhora encontrou um pequeno restaurante e entrou para comer alguma coisa. Não era um restaurante muito limpo, daqueles que ela costumava frequentar.

A garçonete veio até ela e trouxe-lhe uma toalha limpa para que pudesse secar um pouco o cabelo molhado e lhe dirigiu um doce sorriso, um sorriso que mesmo com os pés doendo por um dia inteiro de trabalho não pôde apagar.

Notou que a garçonete estava nos últimos meses de gravidez, e ainda assim não deixou a tensão e as dores mudarem sua atitude. A senhora ficou curiosa em saber como alguém que tinha tão pouco, podia tratar tão bem a um estranho. Então se lembrou de Alfredo.

Depois que terminou a refeição, enquanto a moça buscava o troco para a nota de cem dólares, a senhora se retirou. A garçonete voltou e procurou localizar a freguesa, mas achou apenas algo escrito no guardanapo, sob o qual tinha mais 4 notas de $100 dólares.

Havia lágrimas em seus olhos quando leu o que estava escrito. O bilhete dizia o seguinte: "você não me deve nada, eu já tenho o bastante. Alguém me ajudou há pouco e da mesma forma estou lhe ajudando. Se você realmente quiser me reembolsar não deixe este círculo de amor terminar com você".

A garçonete ainda tinha muito trabalho a fazer naquela noite. Mesas para limpar, açucareiros para encher, e pessoas para servir. Mas quando foi para casa deitou-se ao lado do marido e ficou pensando no dinheiro e no que a senhora deixou escrito. Como podia aquela senhora saber o quanto ela e o esposo precisavam de dinheiro? Com o bebê para o próximo mês, como estava difícil!

Virou-se para o marido que dormia tranqüilamente ao lado, deu-lhe um beijo carinhoso e sussurrou:  "tudo ficará bem, Alfredo. Eu amo você".

*** 

O amor produz sempre um efeito positivo em quem o recebe e, de maneira mais intensa, em quem o pratica.

Por essa razão, o amor é, e sempre será, a melhor opção.

 
(Redação do Momento Espírita - momento.com.br)

Linda história, não é??

Quantas lições podemos tirar dela, não é verdade??

Quantas virtudes...

Abraços sempre fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 15 de Abril de 2011, 01:28
Olá amigos,

Toda a trajetória deste estudo mensal tem sido fantástica, isso tudo resumido vimos a Delicadeza / Gentileza/ Alegria/ Honestidade / Sinceridade/ Humildade ........

Assim é o amor. É um sentimento que brota de forma espontânea.
 
Floresce através de ações benéficas, capazes de gerar bem-estar e alegria.
 
Manifesta-se como gesto de ternura, doando-se a quem necessita.
 
Em todos os tempos, a Humanidade registrou a abnegação de homens e mulheres notáveis, cujas vidas, iluminadas pelo amor, tornaram-se exemplos edificantes e inesquecíveis.
 
E todos os que experimentam o amor, nunca mais tornam a ser os mesmos, porque o amor é de essência Divina.
 
Na verdade, todos os seres, do primeiro ao último, têm, no fundo do coração, a centelha desse fogo sagrado.
 
Quando descobrirmos que o amor é a meta que devemos alcançar e nos entregarmos à sua realização, haveremos de felicitar nossas vidas e toda a Humanidade.
 
O fruto do silêncio é a oração, o fruto da oração é a fé, o fruto da fé é o amor, e o fruto do amor é servir aos demais.
 
Assim, sintamos o que vamos dizer com carinho, digamos o que pensamos com esperança, pensemos o que fazemos com fé e façamos o que devemos, com amor.

Muit Paz à todos.
 
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 15 de Abril de 2011, 01:36

O fruto do silêncio é a oração, o fruto da oração é a fé, o fruto da fé é o amor, e o fruto do amor é servir aos demais.
 
Assim, sintamos o que vamos dizer com carinho, digamos o que pensamos com esperança, pensemos o que fazemos com fé e façamos o que devemos, com amor.

Muit Paz à todos.
 

Si, querida...

Lindas palavras, cheias de sentimentos puros...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Si em 15 de Abril de 2011, 01:42
Querida Gi,

A condução deste estudo tem sido maravilhosa.....
Parabéns...

Muita Paz
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 15 de Abril de 2011, 01:47
Olá, amigos...


Mais uma semana se passou, algumas experiências vivenciadas e compartilhadas...



Estamos entrando na nossa 3a. semana de estudo, mas, como falamos no início do nosso tópico, esta divisão é apenas para fins didáticos, não implicando que as virtudes não se entrelacem.





Por isso, a partir de hoje, estaremos estudando:

•   Bondade
•   Compaixão
•   Perdão
•   Desapego



Cada uma destas virtudes, trabalhadas paulatinamente dentro de nós, adubadas com a nossa boa vontade, nosso esforço e perseverança, conseguiremos vencer a nós mesmos e nos tornarmos os "homens novos".

Vamos a elas e nos tragam seus pareceres e experiências....

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 15 de Abril de 2011, 01:55
Para pensarmos:

“ A beneficência, meus amigos, vos dará nesse mundo os mais puros e suaves prazeres, as alegrias do coração, imperturbáveis pelo remorso e pela indiferença. Oh! Pudésseis compreender tudo o que de grande e agradável encerra a generosidade das almas belas, esse sentimento que se faz  olhe aos outros com o mesmo olhar voltado para si mesmo, e que nos faz despir os nossos corpos para jubilosamente vestir os outros.“ ( E.S.E. cap. XIII item 11)

O que significa ser generoso ?

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 15 de Abril de 2011, 11:36
Bom dia, amigos!!!

Que o Sol de nossas almas, Jesus, nos ilumine hoje....

Estamos falando sobre a Bondade, uma das virtudes a serem estudadas esta semana.

Segue um texto, simples de palavras, mas com um ensinamento incrível!!

Bondade e Amor
(http://marcoaureliorocha5.blogspot.com/2011/03/bondade-e-amor.html)

A professora disse aos alunos para falarem sobre bondade e amor.
Um garoto levantou-se e disse:

“Bem, se eu estivesse com fome e alguém me desse um pedaço de pão, isso seria bondade. Mas se passasse geléia no pão, isso seria amor”.

A bondade proporciona uma casa, mas o amor proporciona um lar.

A bondade entrega o lanche num pacote bonito, mas o amor coloca um bilhete de incentivo dentro do pacote.

A bondade proporciona um aparelho de TV ou um computador, mas o amor toma conta do controle remoto e insiste para que a criança o “desligue” no momento certo.

A bondade manda a criança para a cama na hora certa, mas o amor a cobre com carinho e lhe dá um beijo e um abraço de boa noite.

A bondade prepara uma refeição, mas o amor escolhe seus pratos prediletos” e os serve à luz de velas.

A bondade escreve uma nota de agradecimento, mas o amor toma o cuidado de colocar uma brincadeira, uma fotografia ou um marcador de livros dentro do envelope.

A bondade mantém uma casa limpa e em ordem, mas o amor acrescenta um buquê de flores viçosas.

A bondade oferece um copo de leite, mas o amor acrescenta, um pouco de chocolate.

A bondade faz o que é decente, básico, delicado e necessário para que a vida flua de modo tranqüilo, suave e agradável.

O amor dá um passo a mais para fazer com que a vida seja verdadeiramente excitante, criativa e sugestiva!

O amor transforma as coisas simples em especiais!


Deixo esta reflexão para iniciarmos bem o dia...

Vou à fisioterapia, na volta, tornamos a nos encontrar... :D

Abraços fraternos, sempre!

Gisella  :)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 15 de Abril de 2011, 12:15
Bom dia Gisella,
Trouxe também um texto , fora da DE para reflexão.

Pensamento de Osho sobre a bondade
Artigos - Artigos
Escrito por Osho   
“Olhe ao seu redor – as pessoas que você acha boas, quase sempre são fracas. A bondade delas não vem da força, vem da fraqueza.
Elas são boas porque não ousam ser más. Mas que tipo de bondade é essa que vem da fraqueza? A bondade tem de surgir de uma força transbordante, só então é boa porque ela é vida, um fluxo de vida. Assim, sempre que um pecador se torna santo, sua santidade tem sua própria glória. Mas sempre que um homem comum se torna santo por causa da sua fraqueza, sua santidade é pálida e morta, não existe vida nela. Um homem que é bom porque não pode ser mau, não é realmente bom. No momento em que se tornar forte, será mau – dê-lhe o poder e imediatamente estará corrompido.”

(trecho do livro “A Semente De Mostarda”)

Quem viu o depoimento de Wellington, assassino de Realengo, entende estas palavras.
Lógico que se trata de um sociopata desiquilibrado que chegou ao extremo. No seu depoimento se declarava que agia em nome da Bondade e a Justiça, para acabar com o mal das pessoas ruins que perseguem os bons e indefesos.

Mas o que o Osho quer dizer neste trecho é que a bondade não pode ser praticada por obrigação ou por covardia de não saber reagir, e nem por querer ser aceito. Isso é fraqueza, pessoas assim guardam mágoas profundas e no momento que tem a oportunidade de se manifestar se tornam despotas e vingativas.
Portanto sua bondade era aparente.
A bondade , repito é expontanea, o homem que é bom já é por natureza,não precisa fazer força alguma para ser e o é incondicionalmente.

Um abço
Hebe

PS: Eu sempre puxo o oposto para reflexão, não reparem.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Lima_Gil em 15 de Abril de 2011, 14:27
Bom dia, queridos amigos e caros irmãos visitantes!


A COMPAIXÃO INDISPENSÁVEL

A busca pelo bem-estar é inerente à natureza humana.

O desejo do homem de livrar-se do sofrimento propiciou notáveis descobertas em todos os setores do conhecimento.

Analgésicos e anestésicos podem ser citados como conquistas humanas na procura de bem-estar.

Ar condicionado, colchões ortopédicos e mesmo a singela água encanada também compõem o espectro de invenções destinadas a tornar a vida confortável.

Na busca de conforto e tranqüilidade, um dia o homem voltará sua atenção para os problemas morais que a sociedade enfrenta.

Então compreenderá que o egoísmo é a causa de todas as desgraças sociais.

Ele é que permite a um homem investir sobre o patrimônio, a honra e a vida de outro, qual uma fera selvagem.

O egoísmo é a matriz de todos os vícios.

Quando ele for combatido, todos os seus desdobramentos, como vaidade, ganância, maledicência e corrupção, perderão a força.

A disseminação das idéias espíritas é um poderoso elemento de combate ao egoísmo.

O Espiritismo deixa claro que todo vício gera dor e que a Lei de Causa e Efeito rege a vida.

Todo mal feito ao semelhante é uma semeadura de dor no próprio caminho.

Quem quer ser feliz deve tratar o próximo com todo o respeito e generosidade com que desejaria ser tratado.

A vinculação da própria felicidade à felicidade que se proporciona torna evidente o quanto é tolo ser egoísta.

Ao buscar seu interesse, em detrimento ao do próximo, o egoísta apenas se candidata a vivenciar grandes dores.

Ao se conscientizar da inexorabilidade da Lei de Causa e Efeito, a Humanidade reverá seus valores e prioridades.

Entretanto, é preciso reconhecer que uma idéia nem sempre é fácil de ser posta em prática.

Provavelmente você já se conscientizou de que a Justiça Divina é infalível.

Mas ainda titubeia em sua caminhada e por vezes comete leviandades em prejuízo do próximo.

Uma boa tática de renovação moral é parar de apenas pensar e começar a sentir.

Raciocinar é necessário, mas amar é imprescindível.

O melhor caminho para o genuíno amor fraterno é a compaixão.

Compaixão é a tristeza que se sente com a infelicidade alheia.

Mas também é o desejo de livrar o próximo do sofrimento.

Para desenvolver esse nobre sentimento, deixe de fugir ao espetáculo das misérias humanas.

Permita-se conviver com os doentes e os viciados do corpo e da alma, conforme fez o Cristo.

Faça-se companheiro e amigo de idosos e enfermos.

Visite asilos, orfanatos, hospitais e presídios.

A título de preservar sua paz, não cultive a indiferença.

Deixe que seu coração se enterneça com a dor alheia.

A compaixão impede que um homem siga satisfeito em meio à tragédia que devasta a vida do outro.

Ela possui um certo encanto melancólico, pois nasce ao lado da dor e da desolação.

Contudo, constitui a mais eficiente forma de cura das ilusões e paixões humanas.

A compaixão desperta as fibras mais íntimas da alma e a prepara para as experiências sublimes do devotamento e da caridade.

Não receie sofrer ao se tornar compassivo.

Ao avançar nesse caminho, você logo se tomará do ideal de aliviar a dor do semelhante e começará a agir.

Então, a tristeza inicial se converterá no júbilo de quem amorosamente socorre e ampara os desprotegidos do Mundo.

A alegria de ser útil e bondoso iluminará sua vida e o acompanhará pela eternidade.

Pense nisso.

Redação do Momento Espírita.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 15 de Abril de 2011, 15:44
Bom dia a todos

Compaixão

Escasseia, na atual conjuntura terrestre, o sentimento da compaixão. Habituando-se aos próprios problemas e aflições, o homem passa a não perceber os sofrimentos do seu próximo.

Mergulhado nas suas necessidades, fica alheio às do seu irmão, às vezes, resguardando-se numa couraça de indiferença, a fim de poupar-se a maior soma de dores.

Deixando de interessar-se pelos outros, estes se esquecem dele, e a vida social não vai além das superficialidades imediatistas, insignificantes.

Empedernindo o sentimento da compaixão, a criatura avança para a impiedade e até para o crime.

Olvida-se da gratidão aos pais e aos benfeitores, tornando-se de feitio soberbo, no qual a presunção domina com arbitrariedade.

Movimentando-se, na multidão, o indivíduo que foge da compaixão, distancia-se de todos, pensando e vivendo exclusivamente para o seu ego e para os seus. No entanto, sem um relacionamento salutar, que favorece a alegria e a amizade, os sentimentos se deterioram, e os objetivos da vida perdem a sua alta significação tornando-se mais estreitos e egotistas.

A compaixão é uma ponte de mão dupla, propiciando o sentimento que avança em socorro e o que retorna em aflição.

É o primeiro passo para a vigência ativa das virtudes morais, abrindo espaços para a paz e o bem-estar pessoal.

O individualismo é-lhe a grande barreira, face a sua programação doentia, estabelecida nas bases do egocentrismo, que impede o desenvolvimento das colossais potencialidades da vida, jacentes em todos os indivíduos.

A compaixão auxilia o equilíbrio psicológico, por fazer que se reflexione em torno das ocorrências que atingem a todos os transeuntes da experiência humana.

É possível que esse sentimento não resolva grandes problemas, nem execute excelentes programas. Não obstante, o simples desejo de auxiliar os outros proporciona saudáveis disposições físicas e mentais, que se transformarão em recursos de socorro nas próximas oportunidades.

Mediante o hábito da compaixão, o homem aprende a sacrificar os sentimentos inferiores e a abrir o coração.

Pouco importa se o outro, o beneficiado pela compaixão, não o valoriza, nem a reconheça ou sequer venha a identificá-la. O essencial é o sentimento de edificação, o júbilo da realização por menor que seja, naquele que a experimenta.

Expandir esse sentimento é dar significação à vida.

A compaixão está cima da emotividade desequilibrada e vazia. Ela age, enquanto a outra lamenta; realiza o socorro, na razão em que a última apenas se apiada.

Quando se é capaz de participar dos sofrimentos alheios, os próprios não parecem tão importantes e significativos.

Repartindo a atenção com os demais, desaparece o tempo vazio para as lamentações pessoais.

Graças à compaixão, o poder de destruição humana cede lugar aos anseios da harmonia e de beleza na Terra.

Desenvolve esse sentimento de compaixão para com o teu próximo, o mundo, e, compadecendo-te das suas limitações e deficiências, cresce em ação no rumo do Grande Poder.



Autor: Joanna de Ângelis
Psicografia de Divaldo Franco. Da obra: Responsabilidade
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 15 de Abril de 2011, 16:08
Bom dia Gisella,
Trouxe também um texto , fora da DE para reflexão.

Pensamento de Osho sobre a bondade
Artigos - Artigos
Escrito por Osho   
“Olhe ao seu redor – as pessoas que você acha boas, quase sempre são fracas. A bondade delas não vem da força, vem da fraqueza.
Elas são boas porque não ousam ser más. Mas que tipo de bondade é essa que vem da fraqueza? A bondade tem de surgir de uma força transbordante, só então é boa porque ela é vida, um fluxo de vida. Assim, sempre que um pecador se torna santo, sua santidade tem sua própria glória. Mas sempre que um homem comum se torna santo por causa da sua fraqueza, sua santidade é pálida e morta, não existe vida nela. Um homem que é bom porque não pode ser mau, não é realmente bom. No momento em que se tornar forte, será mau – dê-lhe o poder e imediatamente estará corrompido.”

(trecho do livro “A Semente De Mostarda”)

Quem viu o depoimento de Wellington, assassino de Realengo, entende estas palavras.
Lógico que se trata de um sociopata desiquilibrado que chegou ao extremo. No seu depoimento se declarava que agia em nome da Bondade e a Justiça, para acabar com o mal das pessoas ruins que perseguem os bons e indefesos.

Mas o que o Osho quer dizer neste trecho é que a bondade não pode ser praticada por obrigação ou por covardia de não saber reagir, e nem por querer ser aceito. Isso é fraqueza, pessoas assim guardam mágoas profundas e no momento que tem a oportunidade de se manifestar se tornam despotas e vingativas.
Portanto sua bondade era aparente.
A bondade , repito é expontanea, o homem que é bom já é por natureza,não precisa fazer força alguma para ser e o é incondicionalmente.

Um abço
Hebe

PS: Eu sempre puxo o oposto para reflexão, não reparem.

Olá, amigos... de volta da fisioterapia...  ;D

Hebe, excelente texto do Osho, nos faz refletir de que maneira estamos praticando a bondade e, por extensão, acredito, todas as virtudes.

Eu concordo que temos que agir espontaneamente, esse é o verdadeiro valor do que praticamos, porém, será que começamos a agir assim imediatamente, como Paulo na estrada de Damasco?

Acredito que temos que começar do começo, assim como a semente se transformando em árvore para frutificar e distribuir seus frutos.

As virtudes, sejam elas quais forem, mas no nosso caso, agora, a Bondade, deve ser vivenciada aos poucos, nas pequenas atitudes do dia a dia, repetindo, repetindo e repetindo até que se torne hábito virtuoso.

Acredito que temos que aprender a ser diferente, tirar aquilo que está entranhado no nosso íntimo e colocar o novo aprendizado, ou seja, temos que reeducar nossa mente, usando de nossa inteligência, aliando teoria e prática.

"Elas são boas porque não ousam ser más.". Será que aquelas que já são boas porque são boas, já não galgaram muitas experiências para chegarem onde chegaram?? Já não conseguiram fazer o caminho do aprendizado e já tiveram oportunidades de colocarem em prática??

O que os amigos pensam??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)


Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 15 de Abril de 2011, 16:23
Oi Gisella,
Acho que o texto de Osho se refere a submissão ou aceitação de tudo para ser querido, e a falta de coragem de dizer não ao outro ,quando o sentimento interno é inverso.
Penso que ele se refere a pessoas com medo de tomar uma atitude diante da vida.
A bondade não se expressa só pelo sim, como exemplo, pais que consentem tudo e depois se queixam denão haver retorno dos filhos.
Pessoas que falam " Puxa vida, dei tudo, aceitei tudo,fiz e aconteci,  mesmo assim não fui recompensado, ou fui incompreendido" e se fecham em mágoa, ou ressentimentos.
Temos que pensar direitinho no que significa ser bom e justo para não se magoar,e culpar o outro por expectativas criadas.
Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 15 de Abril de 2011, 16:32
Oi Gisella,
Acho que o texto de Osho se refere a submissão ou aceitação de tudo para ser querido, e a falta de coragem de dizer não ao outro ,quando o sentimento interno é inverso.
Penso que ele se refere a pessoas com medo de tomar uma atitude diante da vida.
A bondade não se expressa só pelo sim, como exemplo, pais que consentem tudo e depois se queixam denão haver retorno dos filhos.
Pessoas que falam " Puxa vida, dei tudo, aceitei tudo,fiz e aconteci,  mesmo assim não fui recompensado, ou fui incompreendido" e se fecham em mágoa, ou ressentimentos.
Temos que pensar direitinho no que significa ser bom e justo para não se magoar,e culpar o outro por expectativas criadas.
Um abço
Hebe


 :D :D :D

Ahhhhhhhhhh.... assim, sim....

Concordo com você, amiga... aí entra até a questão da culpa... "vou fazer tal coisa por você porque não posso fazer esta outra"... isso não é bondade, é querer comprar o outro. E aí é que vem a cobrança!!! e, por conseguinte, a frustração, a raiva, e todos os outros sentimentos negativos que carregamos (ou melhor, arrastamos) por várias encarnações, muitas vezes...

E que vamos demorara mais outras tantas pra sanar...

Brigadão, amiga, pelo toque... valeu!!

Abraços fraternos a todos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: filhodobino em 15 de Abril de 2011, 18:34
Sim... eu quero me transformar pelo amor...
Tenho agido assim... espero ter tempo de vida na carne o suficiente para automatizar esse viver em meu psiquismo, educando meu ego...
Exatamente com expus alhures, mas, posto que é pertinente peço vênia para replicar aqui...

Mateus; 22, 15...22. – Evangelho Segundo o Espiritismo – Pág.185.

6. A questão proposta a Jesus era motivada pela circunstância de que os judeus, abominando o tributo que os romanos lhes impunham, haviam feito do pagamento desses tributos uma questão religiosa.
Numeroso partido se fundara contra o imposto.
O pagamento deste constituía, pois, entre eles, uma irritante questão de atualidade, sem o que nenhum senso teria a pergunta feita a Jesus:
"É-nos lícito pagar ou deixar de pagar a César o tributo?"
Havia nessa pergunta uma armadilha.
Contavam os que a formularam poder, conforme a resposta, excitar contra ele a autoridade romana, ou os judeus dissidentes.
Mas "Jesus, que lhes conhecia a malícia", contornou a dificuldade, dando-lhes uma lição de justiça, com o dizer que a cada um seja dado o que lhe é devido.
(Veja-se, na "Introdução", o artigo: Publicanos.)

filhodobino reflete:
O exercício diário, contínuo e permanente, em todas as nossas atividades, prepara-nos para uma vivência muito mais feliz, vivenciando o Evangelho de N.S.J.Cristo, não apenas nas igrejas e reuniões religiosas, e reservando a outra fase da nossa vida quando fora desses locais de adoração, o que é de César...
Dezenas de vezes, ouví... entre católicos e evangélicos com os quais convivi longa data, que o que era de Cesar é a luta para ganhar o pão, e o que era de Deus eram os momentos de transcendencia, seja na igreja, numa reunião, ou nas horas das preces intimas...
Ledo engano...
A ciência psicologógica, tem trabalhado a idéia de que individualizar-se é a ação do indivíduo centrar unicamente em sí mesmo, portanto danosa à sociedade em que vive, e a ele mesmo que recebe com o rigor da lei de causa e efeito o feed back(o retorno), por seu egoísmo...
A idéias que os modernos psicopedagogos e psicoterapeutas, tem adotado e nós religiosos seja de qualquer denominação também devemos adotar é a idéia da individuação, onde o indivíduo se consorcia com seus iguais para juntos buscarem evolução material e espiritual socialmente consubstanciada em perfeita equanimidade, e mesmo quando realizam esse conceito em grupo, as tais panelinhas, também é danosa igualmente...
A esse conceito de viver chamamos educação de nossos egos... pessoais e automaticamente com as adesões formar-se-á conciente coletivo.
Já nos ensinava no século passado Carl Yung, já na sua primeira palestra em Londres.

Na prática, cada ato da nossa vida é oração... ao tomar o ônibus pela manhã um cumprimento ao motorista, e um sorriso como cumprimento a todos que já estão embarcados, é prece...
facilitar  troco para o trocador realizar mais facilmente seu trabalho, também o é...
Respeitar os lugares reservados aos deficientes, idosos e gestantes, também é oração da melhor qualidade... e assim por diante durante todo o dia... manifestar amor...
Isso aprimora o filho de Deus, no desenvolvimento de sua capacidade intuitiva, o que o leva a viver cercado de bons Espíritos que lhes inspiram sempre boas idéias, e nos preserva como preservou o Cristo nesta passagem da má intencionalidade dos fariseus...

Não me venham dizer, que Ele era o Cristo, por isso tal se deu, que de antemão, Ele o Próprio já nos asseverou com insofismável segurança, que tudo quanto Ele fizera, nós também o poderiamos fazer se o quizessemos, e até mais. Está escrito. Tenhamos fé...

anexo singelo filme que editei, que disponibilizo, a quem queira dele se aproveitar e refletir.
Como dizia Pe. Eustáquio, Que Deus lhes abençoe com muita saúde os seus corpos e muita paz espiritual, peço sua devida vênia para repetir:
A todos Saúde e Paz!
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Antonio Renato em 15 de Abril de 2011, 18:45
Meus irmãos e minhas irmães,que coisa maravilhosa é a prática do bem,e que satisfação ainda maior quando você vê que aquele seu ato deixou outra pessoa feliz,seja até mesmo nas coisas
mais simples.Naquele momento pode-se até ter a liberdade de usar aquela frase de efeito:"É bom ser bom".Em particular quando Deus me dá a oportunidade de praticar um ato de bondade,eu nunca espero agradecimento,pratíco apenas por me sentir bem,e quando alguem vem  agradecer eu sempre digo:não agradeça a mim e sim a Deus por ter me colocado em condições te te fazer êste bem.
Ps.por favor,não estou fazendo propaganda da minha bondade,rsrs,brincadeira amigos,fiquem na paz.
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 15 de Abril de 2011, 19:37
Olá, filhodobino e Antonio Renato ,

Muito obrigada por suas colocações.

Vocês têm razão... cada simples ato é a oportunidade que temos em sedimentar as virtudes em nossos Espíritos..

Para ilustrar nossa ideia, trago um trechinho do livro "Boa Nova" - cap 20 - Maria de Magdala, que, depois de sua conversa com o Mestre, Maria se rende à busca do amor incondicional que temos falado, começando pela bondade para servir aos mais pequeninos do Senho:

"Senhor, doravante renunciarei a todos os prazeres transitórios do mundo para adquirir o amor celestial que anunciaste... Acolherei como filas as minhas irmãs no sofrimento, procurarei os infortunados para aliviar-lhes as feridas do coração, estarei entre os aleijados e leprosos..."

Pensemos: como deve ter sido linda esta mudança de Maria, uma mulher acostumada ao luxo, aos prazeres materiais, se dispor a cuidar dos doentes da alma e do corpo!!!

Por isso que dizem que, quando a gente faz o bem para alguém, nosso coração se enternece e até nossas células sentem a emoção!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 15 de Abril de 2011, 20:57
"Só o tempo pode revelar-nos um homem bom; o perverso pode ser conhecido apenas em um dia."
(William Shakespeare)

Amigos, um poquinho mais sobre a

 Bondade:

"A bondade é um sentimento superior da alma. Ela é uma virtude dinâmica, de ação no bem: é o amor em ação. Através dela conquistamos a nós próprios e suavizamos a consciência. Seus efeitos se estendem de várias formas e são capazes de harmonizar o ambiente, pacificar a fome espiritual de muitos, estabelecer o equilíbrio da sociedade, iluminar nosso coração e minorar o sofrimento de milhares.
(...)
Depois que o ser humano experimenta o elixir da bondade, ele jamais desejará retornar aos degraus da intemperança mental. O sentimento inferior de maldade se expressa de várias maneiras no indivíduo, desde as simples irritabilidades até as vinganças ou atitudes hostis. Essa maldade já se encontra há séculos no psiquismo humano, esperando o desabrochar da bondade, essa energia nova capaz de dissolver os resquícios de agressividade na Terra. Basta que nos apercebamos de que tanto a maldade como a bondade estão dentro de nós. Cresce o sentimento que recebe nutrientes da mesma textura, ou seja, a maldade somente se ampliará se ela receber o esforço dos pensamentos maus. Assim também a bondade. Ela crescerá se receber pensamentos de generosidade. A vontade adestrada e a motivação para o bem conduzirão esse processo de transformação interior. Assim, a bondade é uma força fecunda porque constrói, remove obstáculos e conduz rapidamente o indivíduo pelos caminhos da evolução".

(Educação dos Sentimentos - Jason de Camargo, Editora AGE, 7a. edição)

“A benevolência para com os nossos semelhantes, fruto do amor ao próximo, origina a afabilidade e a doçura, que lhes são formas de manifestação. Entretanto, nem sempre é prudente confiar nas aparências; a educação e os costumes mundanos podem aparentar tais qualidades”. ( ESE - cap. IX item 6)


Apenas para meditarmos...

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 15 de Abril de 2011, 23:05
Sendo a verdadeira bondade um ato espontâneo, não pensado e nem calculado o retorno, achei interessante colocar este comentário de Hammed sobre o ESE.

RENOVANDO ATITUDES
FRANCISCO DO ESPÍRITO SANTO NETO
DITADO PELO ESPÍRITO HAMMED


O amor que tenho é o que dou
Capítulo 11, item 8
“... No seu início, o homem não tem senão instintos; mais avançado e
corrompido, só tem sensações; mais instruído e purificado, tem
sentimentos; e o ponto delicado do sentimento é o amor, não o amor no
sentido vulgar do termo, mas este sol interior...”
(Capítulo 11, item 8.)

"Somente se dá aquilo que se possui. Como, pois, exigir amor de alguém
que ainda não sabe amar?
Como requisitar respeito e consideração de criaturas que não atingiram o
ponto delicado do sentimento que é o amor?
Quem dá afeto recolhe a felicidade de ver multiplicado aquilo que deu, mas
somente damos de conformidade com aquilo de que podemos dispor no ato da
doação.
Há diversidades de evolução no planeta. Homens mal saídos da
primitividade campeiam na sociedade moderna, ensaiando os primeiros passos
do instinto natural para a sensibilidade amorosa.
Eis aqui uma breve relação de sintomas comportamentais que aparecem
nas criaturas, confundindo o amor que liberta e deseja o bem da outra pessoa
com a atração egoísta que toma posse e simplesmente deseja:
— Há indivíduos que, para conquistar os outros e convencê-los de suas
habilidades e valores, contam vantagens, persuadindo também a si mesmo,
pois acreditam que para amar é preciso apresentar credenciais e louros,
satisfazendo assim as expectativas daqueles que podem aceitá-lo ou recusá-lo.
— Há criaturas que tentam amar comprando pessoas, omitindo e negando
suas necessidades e metas existenciais, abandonando tudo que lhes é mais
caro e íntimo e depois, por terem aberto mão de todos os seus gostos e
desejos, perdem o sentido de suas próprias vidas, terminando
desastrosamente seus relacionamentos.
— Alguns delegam o controle de si mesmos aos outros, cometendo
assim, em “nome do amor”, o desatino de renunciar ao próprio senso de
dignidade, componente vital à felicidade. Não é de surpreender que vivam
vazios e torturados, pois tornaram-se “um nada” ao permitirem que isso
acontecesse.
— Outros tantos usam da mentira, encobrindo realidades e escondendo
conflitos.
Convictos de que têm de ser perfeitos para ser amados, temem a
verdade pelas supostas fraquezas que ela possa lhes expor diante dos outros.
Acabam fracassados afetivamente por falta de honestidade e sinceridade.
— Certas criaturas afirmam categoricamente que amam, mas tratam o
ser amado como propriedade particular. Por não confiarem em si mesmas,
geram crenças cegas de que precisam cuidar e proteger, quando na realidade
sufocam e manipulam criando um convívio insuportável e desgastante.
Uma das características mais tristes dos que dizem saber amar é a
atitude submissa dos que nunca dizem “não”, convencidos de que, sendo
sempre passivos em tudo, receberão carinho e estima. Esse tipo de
comportamento leva as pessoas a concordar sempre com qualquer coisa e em
qualquer momento, trazendo-lhes desconsideração e uma vida insatisfatória.
Requisitar dos outros o que eles ainda não podem dar é desrespeitar
suas limitações emocionais, mentais e espirituais, ou seja, sua idade evolutiva.
Forçar pais, filhos, amigos e cônjuge apreencher o teu vazio interior com
amor que não dás a ti mesmo, por esqueceres teus próprios recursos e
possibilidades, é insensato de tua parte.
É dando que se recebe; portanto, cabe a ti mesmo administrar tuas
carências afetivas e fazer por ti o que gostarias que os outros te fizessem.
Não peças amor e afeto; antes de tudo, dá a ti mesmo e em seguida aos
outros, sem mesmo cobrar taxas de gratidão e reconhecimento. Importante é
que sigas os passos de Jesus na doação do amor abundante, sem jamais exigi-lo
de ninguém e sem jamais esquecer que és responsável pelos teus
sentimentos.
Quanto aos outros, sejam eles quem forem, responderão por si mesmos
conforme o seu livre-arbítrio e amadurecimento."
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 15 de Abril de 2011, 23:20
Amor e Matizes

Alcança-se a plenitude terrena quando se consegue amar.
Amar, sem qualquer condicionamento ou imposição, constitui meta que todos devem perseguir, a fim de atingir o triunfo existencial.
O amor é um diamante que, para poder brilhar, necessita ser arrancado da ganga que o envolve no seu estágio primário. Nasce do coração no rumo da vida, expandindo-se na razão direta em que conquista espaço interno, sempre mais expressivo e irradiante.
É realização do sentimento que se liberta do egoísmo, que se transmuda em compaixão, em solidariedade, em compreensão.
Possuidor de emoções superiores, expressa o nível de evolução de cada ser, à media que se agiganta.
Quando alguém empreende a tarefa de ser aquele que ama, ocorre uma revolução significativa no seu psiquismo, e todo ele se transforma numa chama que ilumina sem consumir-se, numa tranqüilidade que não se altera.
Não poucas vezes, aquele que desperta para o amor experimenta frustração e conflito, por não ser entendido ou esperar que os resultados do seu empenho sejam imediatos e logo a plantação de ternura seja abençoada pelas flores perfumadas da recompensa.
Trata-se, essa reflexão incorreta, de algum remanescente ainda egoística em torno de equivocado conceito sobre o amor.
É muito gratificante acompanhar o desenvolvimento de qualquer empresa, observando os resultados que apresenta, os frutos que produz, as gratificações que oferece. No entanto, não é essa a resposta do empreendimento afetivo.
Não estando as criaturas acostumadas ao amor, mas sim à convivência com as utopias, os interesses mesquinhos e competitivos, quando o defrontam, afligem-se, desconfiam, reagem negativamente, recusam-no. É perfeitamente natural essa conduta, porque defluente do desconhecimento dos inexcedíveis benefícios do amor.
Tudo quanto é inusitado inspira suspeição.
Porque alguém não se sente em condições de amar, não acredita que outrem se encontre nesse patamar do sentimento elevado.
O amor, porém, que insiste e persevera, termina por vencer quaisquer resistências, porque não se impõe, não gera perturbação, não toma, somente oferece.
O amor torna o ser compreensivo e dedicado, emulando-o a prosseguir na sementeira da bondade, do bem-estar próprio e geral.
O amor é sempre mais enriquecedor para quem o cultiva e esparze-o do que para os demais.
O amor apresenta-se em variados matizes, que são resultados das diversas facetas da mesma gema, refletindo a luz em tonalidades especiais, conforme o ângulo de sua captação.
Expressa-se num misto de ternura e de companheirismo, de interesse pelo êxito do outro e de compreensão das suas dificuldades, de alegria pelas suas conquistas e de compaixão pelos seus desaires, de generosidade que se doa e de cooperação que ajuda.
Mesmo quando não aceito, não se entristece nem descamba em reações psicológicas de autopiedade, reservando-se o luxo de manter ressentimento, ou de propor o afastamento de quem o não recebe.
Pelo contrário, continua na sua tarefa missionária de enriquecer, às vezes, desaparecendo da presença para permanecer em vibrações de doçura e de paz, sustentando o opositor e diluindo-lhe as impressões perturbadoras.
Deve ser enunciado ou pode manter-se em silêncio, a depender das circunstâncias, das ocorrências, dos fenômenos que se derivam dos relacionamentos.
O importante é que transforme em ação paciente e protetora, sem asfixiar nem dominar a quem quer que seja.
Nunca desfalece, quando autêntico, embora haja momentos em que a sua luz bruxuleia um pouco, necessitando do combustível da oração que o fortalece, por vincular a criatura ao seu Criador, do qual promana como inefável recurso de plenitude.
Quando os racionamentos humanos experimentarem o estímulo do amor, os famigerados adversários da sociedade - guerras, calamidades, fome, violência, vícios - desaparecerão naturalmente, porque desnecessários entre os seres, em razão dos seus conflitos, agora atenuados, não mais buscarem esses mecanismos infelizes de sobrevivência, de exaltação do ego ou de dominação arbitrária do seu próximo.
O amor tudo pode e tudo vence. Não se afadigando mediante a pressa, estende-se ao longo do tempo como hálito que mantém a vida e brisa cariciosa que a beneficia.
Onde se apresenta o amor, os espectros do ódio, do ciúme, da cizânia, da maledicência, da perversidade, da traição, do orgulho, se diluem, cedendo-lhe o espaço para a fraternidade, a confiança irrestrita, a união, a estimulação, a bondade, a fidelidade, a simplicidade de coração.
O amor é um tesouro que m ais se multiplica, à medida que se reparte, jamais desaparecendo, porque a sua força reside na sua própria constituição, que é de origem divina.
Nada obstante, o amor não conive, não se amolenta, não serve de capacho para facultar a ascensão dos fracos aos estágios superiores, nem se submete ante a exploração dos perversos e dos astutos.
É alimento do Espírito e irradiação do magnetismo universal.
Enquanto se deseja ser amado, embora não amando, ser compreendido, apesar de não ser compreensivo, não se atinge a meta do desenvolvimento espiritual. Nesse ser, que assim age, permanece a infância psicológica que deseja auferir sem dar, desfrutar sem oferecer,
O amor compraz-se na reciprocidade, porém, não a torna indispensável, porque existe com a finalidade exclusiva de tronar feliz aquele que o cultiva, enriquecendo aqueloutro a quem se dirige.
Em razão disso, é rico de valores, multiplicando-se incessantemente e oferecendo apoio, plenificação e paz a quem o ignorando, por indiferença ou desequilíbrio.
Afinal, sendo de essência divina, nunca será demasiado repetir-se que o amor é a emanação da vida, é a alma de Deus.

Franco, Divaldo Pereira. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Página psicografada pelo médium Divaldo P.Franco, no dia 20 de setembro de 2002, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia..

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 16 de Abril de 2011, 00:15
Olá, Hebe e Ken...

Excelentes textos para reflexão... eles nos mostram o quanto temos que desenvolver em nós as virtudes, culminando no Amor Incondicional que tanto almejamos..

Oxalá consigamos subir todos os degraus da evolução para desfrutarmos deste sentimento tão especial, e que, pos nossa ignorância, confundimos com tantos outros!!

E por falar em tantos outros, hoje vou deixar aflorar o meu amor de mãe!!! Minha filhota está chegando para ficar a semana.... e, como ainda não alcancei o Amor Plenitude, vou dividir com ela o Amor que conheço...

Pensemos na Bondade Divina que coloca seres tão especiais perto da gente, aliviando nossa trajetória, às vezes, tão difícil...

Por isso, amigos, até amanhã!!!

Abraços sempre fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 16 de Abril de 2011, 13:51
Bom dia a todos

PERDOAR

Sim, deves perdoar! Perdoar e esquecer a ofensa que te colheu de surpresa, quase dilacerando a tua paz. Afinal, o teu opositor não desejou ferir-te realmente, e, se o fez com essa intenção, perdoa ainda, perdoa-o com maior dose de compaixão e amor. Ele deve estar enfermo, credor, portanto, da misericórdia do perdão.

Ante a tua aflição, talvez ele sorria. A insanidade se apresenta em face múltipla e uma delas e a impiedade, outra o sarcasmo, podendo revestir-se de aspectos muito diversos.

Se ele agiu, cruciado pela ira, sacando as armas da calúnia e da
agressão foi vitimado por cilada infeliz da qual poderá sair desequilibrado ou comprometido organicamente. Possivelmente, não irá perceber esse problema, senão mais tarde.

Quando te ofendeu deliberadamente, conduzindo o teu nome e o teu caráter? O descrédito, em verdade se desacreditou ele mesmo. Continua o que és e não o que ele disse a teu respeito.

Conquanto justifique manter a animosidade contra tua pessoa, evitando a reaproximação, alimenta miasmas que lhe fazem mal e se abebera da  alienação com indisfarçável presunção.

Perdoa, portanto, seja o que for e a quem for.

O perdão beneficia aquele que perdoa, por propiciar-lhe paz
espiritual, equilíbrio emocional e lucidez mental.

Felizes são os que possuem a fortuna do perdão para a distender
largamente, sem parcimônia.

O perdoado é alguém em débito; o que perdoou é Espírito em lucro.

Se revidares o mal és igual ao ofensor; se perdoares, estás em melhor condição; mas se perdoas e amas aquele que te maltratou, avanças em marcha invejável pela rota do bem.

Todo agressor sofre em si mesmo. É um Espírito envenenado, espargindo o tóxico que o vitima. Não desças a ele senão para o ajudar.

Há tanto tempo não experimentavas aflição ou problema - graças à fé  clara e nobre que enflora em tua alma  que te desacostumaste ao  convívio do sofrimento. Por isso, estás considerando em demasia o  petardo com que te atingiram, valorizando a ferida que podes de  imediato cicatrizar.

Pelo que se passa contigo, medita e compreenderás o que ocorre com  ele, o teu ofensor.

O que te é inusitado, nele é habitual.

Se não te permitires a ira ou a rebeldia - perdoarás!

A mão que, em afagando a tua, crava nela espinhos e urze que carrega,  está ferida ou se ferirá simultaneamente. Não lhe retribuas a atitude,  usando estiletes de violência para não aprofundares as lacerações.

O regato singelo, que tem o curso impedido por calhaus e os não pode  afastar, contorna-os ou pára, a fim de ultrapassá-los e seguir adiante.

A natureza violentada pela tormenta responde ao ultraje reverdecendo  tudo e logo multiplicando flores e grãos.

E o pântano infeliz, na sua desolação, quando se adorna de luar,
parece receber o perdão da paisagem e a benéfica esperança da
oportunidade de ser drenado brevemente, transformando-se em jardim.

Que é o "Consolador", que hoje nos conforta e esclarece, conduzindo  uma plêiade de Embaixadores dos Céus para a Terra, em missão de  misericórdia e amor, senão o perdão de Deus aos nossos erros, por  intercessão de Jesus?!

Perdoa, sim, e intercede ao Senhor por aquele que te ofende, olvidando  todo o mal que ele supõe ter-te feito ou que supões que ele te fez, e,  se o conseguires, ama-o, assim mesmo como ele é.

"Não vos digo que perdoeis até sete vezes, mas até setenta vezes sete  vezes". - Mateus, 18:22

"A misericórdia é o complemento da brandura, porquanto aquele que não  for misericordioso não poderá ser brando e pacífico. Ela consiste no  esquecimento e no perdão das ofensas". - Cap. X, Item 4 – ESE.


Divaldo P. Franco / Joanna de Ângelis

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 16 de Abril de 2011, 14:00
Desculpa Sempre

"Se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai Celestial vos perdoará." - Jesus. MATEUS, 6:14

Por mais graves te pareçam as faltas do próximo, não te detenhas na reprovação.
Condenar é cristalizar as trevas, opondo barreiras ao serviço da luz.

Procura nas vítimas da maldade algum bem com que possas soerguê-las, assim como a vida opera o milagre do reverdecimento nas árvores aparentemente mortas.

Antes de tudo, lembra quão difícil é julgar as decisões de criaturas em experiências que divergem da nossa!

Como refletir, apropriando-nos da consciência alheia, e como sentir a realidade, usando um coração que não nos pertence?

Se o mundo, hoje, grita alarmado, em derredor de teus passos, faze silêncio e espera...
A observação justa é impraticável quando a neblina nos cerca.

Amanhã, quando o equilíbrio for restaurado, conseguirás suficiente clareza para que a sombra te não altere o entendimento.

Além .disso, nos problemas de crítica, não te suponhas isento dela.

Através da nociva complacência para contigo mesmo, não percebes quantas vezes te mostras menos simpático aos semelhantes!

Se há quem nos ame as qualidades louváveis, há quem nos destaque as cicatrizes e os defeitos.

Se há quem ajude; exaltando-nos o porvir luminoso, há quem nos perturbe, constrangendo-nos à revisão do passado escuro.

Usa, pois, a bondade, e desculpa incessantemente.

Ensina-nos a Boa Nova que o Amor cobre a multidão dos pecados.

Quem perdoa, esquecendo o mal e avivando o bem, recebe do Pai Celestial, na simpatia e na cooperação do próximo, o alvará da libertação de si mesmo habilitando-se a sublimes renovações.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Fonte Viva. Ditado pelo Espírito Emmanuel. Capítulo 135. Rio de Janeiro, RJ: FEB.

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 16 de Abril de 2011, 14:37
Bom dia, amigos!!!!

Que este sábado seja tão iluminado como o sol que está qui em São Paulo!!!

Ken, muito obrigada pelos textos... excelentes!!

Vou aproveitar um gancho que você nos dá com o segundo texto, colocando uma passagem de Jesus:

"Se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai Celestial vos perdoará." - Jesus. MATEUS, 6:14

Nesta passagem, Jesus usa uma palavrinha muito especial: SE, indicando uma condição. Se você perdoar, Deus te perdoa. Ou seja, temos que movimentar em nós a vontade de sermos perdoados.

Sobre a Vontade, trago um trechinho da obra "Painéis da Existência", de José Maria M. Souza, pelo Espírito Albino da Santa Cruz.

No capítulo intitulado: A Vontade e o Querer, nos diz Albino da Santa Cruz:

"Acomodação e desânimo não vencem desafios e tampouco ultrapassam limites, porque o indivíduo que se acomoda estabelece para si uma rotina de conveniência onde nada de novo acontece e dá a impressão de que tudo está sob controle restrito, quando, na verdade, é o comodismo que leva ao desânimo que se estabeleceu, em virtude de não existir vontade de mudar ou energia suficiente para reagir contra o que já se acha estabelecido.

É imperioso evitar o desânimo e a acomodação, visto que a existência terrena, (...) se encontra em constante processo de mutação, requisitando das criaturas um esforço contínuo, que permita vencer os desafios existentes e ultrapassar os limites impostos, sob pena de ficarem na retaguarda, excluídos do desenvolvimento produzido pelo progresso.

(...)

Tanto os desafios quanto os limites de qualquer teor não podem ser vistos como barreiras que ao homem não é dado vencer, porquanto eles é que são os verdadeiros fomentadores do progresso e da evolução do Planeta, os grandes responsáveis pelas maiores conquistas que a Humanidade terrena já alcançou.

'Eu o quero. Sê limpo', falou Jesus, em resposta ao leproso que rogava ao Mestre limpeza para as chagas que carregava, lecionando ao enfermo da época e a todos, através dos tempos, quanto são importantes a 'vontade' e o 'querer', quando se trata de empreender mudanças, objetivando vencer os desafios da existência.

Não se permita abrigar acomodação e desânimo, quando você pode acionar a vontade e o querer."
(grifos meus)


Com isso, meus amigos, temos que rever certas condutas nossas, principalmente com referência a uma frase que a gente ouve tanto: "foi Deus que quis", no sentido real de acomodação!!

Se fosse assim, Ele não nos teria dado a vontade e o querer como forças fomentadoras do progresso, e, muito menos, a inteligência para avançarmos mais e mais..

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 16 de Abril de 2011, 14:45
Bom dia,
Deus coloca diante de nós os desafios que temos que superar.
A acomodação está em não superá-los e atribuir o obstáculo a Deus.
Um abço Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 16 de Abril de 2011, 15:05
Bom dia,
Deus coloca diante de nós os desafios que temos que superar.
A acomodação está em não superá-los e atribuir o obstáculo a Deus.
Um abço Hebe


Isso mesmo, amiga...

E como a gente vê este tipo de colocação:se algo dá errado na nossa vida, a culpa é de Deus, mas se algo deu certo, "ahhhh... como sou inteligente, como sou capaz"... puro orgulho!!

Sem contar com a falta de vontade... "como vou ser bom, se todos me tratam mal??"

A gente se esquece que a mudança tem que começar por nós, não pelos outros!!

Abraços fraternos, sempre,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Hebe M C em 16 de Abril de 2011, 15:33
Falando em acomodação diante da vida, trago mais um texto para reflexão.


“ A BUSCA DO SENTIDO EXISTENCIAL
“ Existir significa ter vida, fazer parte do Universo, contribuir para a harmonia
do Cosmos.
A existência humana é uma síntese de múltiplas experiências evolutivas, trabalhadas pelo tempo através de automatismos que se transformam em instintos e se transmudam nas elevadas expressões do sentimento e da razão.
À medida que os automatismos biológicos se convertem em impulsos dirigidos — ressalvados alguns que permanecerão sem a contribuição da consciência — o ser psicológico passa a sobressair, conduzindo, de início, a carga dos atavismos que deverão ser remanejados, diluindo aqueles de natureza perturbadora e aprimorando aqueloutros que se transformarão em fontes de alegria, de prazer e de paz...
Simultaneamente, a razão abandona as brumas da ignorância que a entorpece — qual cascalho que envolve a gema preciosa — e se delineiam objetivos e sentido existenciaL Enquanto não surge essa necessidade, o primarismo predomina, e o ser, não obstante em estágio de humanidade, apenas reage, sem saber agir; ambiciona sem discernir para que; agride ou deprime-se, por desconhecer o valor da luta saudável, sempre desafiadora para a conquista do progresso. Somente então, surgem as interrogações que fazem parte da busca do sentido existenciaL a) para que viver? b) por que lutar? c) como desenvolver essa capacidade de perseverar até alcançar a meta?
A vida é inerente a tudo, e tentar explicar-lhe a causa, o motivo do Primeiro Movimento que lhe deu origem, é perder-se em elucubrações filosóficas e religiosas desnecessárias. Aceitar-lhe a realidade sem discussão, que se apresenta como fuga psicológica para o seu enfrentamento, é o primeiro passo.
Vive-se, e isso é incontestável. Negá-lo, significa anular-se, anestesiar a
capacidade de pensar.
Viver da melhor forma possível é o desafio imediato. Viver bem — desfrutando dos recursos que a Natureza e a inteligência proporcionam — para bem viver —realizações internas com o desenvolvimento ético adequado, que proporcionam bem-estar interior —, eis a razão por que lutar.
Tal conquista sempre se consegue mediante o esforço da não aceitação comodista, partindo-se para a luta de crescimento pessoal e de transformação ambiental, que facultam a existência feliz.
O próprio esforço, na mínima realização vitoriosa, contribui para o favorecimento da capacidade de se prosseguir conquistando as metas que, ao serem alcançadas, oferecem outras novas, que podem proporcionar melhores condições de plenitude e de integração na Consciência Cósmica.
Cada etapa vencida, portanto, mais capacita o ser para as porvindouras que lhe cumpre conquistar. Experimentada uma vitória, surgem motivações especiais para o prosseguimento das lutas que acenam conquistas mais significativas, particularmente no íntimo, quando o ser psicológico desabrocha e predomina sobre o conjunto fisiológico.”
Joanna de Angelis - Amor, Imbatível Amor

Um abço
Hebe
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 16 de Abril de 2011, 16:17
Hebe, amiga...

"Cada etapa vencida, portanto, mais capacita o ser para as porvindouras que lhe cumpre conquistar. Experimentada uma vitória, surgem motivações especiais para o prosseguimento das lutas que acenam conquistas mais significativas, particularmente no íntimo, quando o ser psicológico desabrocha e predomina sobre o conjunto fisiológico.”


Jason de Camargo, no seu livro Educação dos Sentimentos, chama isso de Vontade Inteligente:

"A vontade (...) inclui estágios ou fases necessárias, como motivação, deliberação, decisão, afirmação, planejamento e execução. (...) Eu batizei (...) de vontade inteligente, porque significa uma aliança entre essas duas forças psíquicas: a vontade e a inteligência.

(...) A inteligência, então, auxiliará a vontade a buscar soluções para as diversas situações da vida, não apenas os vícios, mas todas as escolhas, decisões e compromissos.
Aliando-se a vontade aos sentimentos superiores e à inteligência, o homem será imbatível, porque construirá seu psiquismo em bases sólidas e voltadas para as leis de Deus. Essas funções psíquicas orvalharão as outras funções e o homem conseguirá, enfim, conquistar-se."

Ou seja, amiga.... temos condições de fazer a mudança, basta querer!!!

"Vós sois deuses", disse Jesus!!!

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: ken em 16 de Abril de 2011, 17:19

Amigas Gisella e Hebe,

Acredito que também possa contribuir com nossas reflexões:

Duas crianças estavam patinando num lago congelado da Alemanha.
Era uma tarde nublada e fria, e as crianças brincavam despreocupadas.
De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou.
A outra, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e libertar o amigo.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
- Como você conseguiu fazer isso? É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!
Nesse instante, o gênio Albert Einstein que passava pelo local, comentou:
- Eu sei como ele conseguiu.
Todos perguntaram:
- Pode nos dizer como?
- É simples, respondeu o Einstein.
- Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz.
"Deus nos fez perfeitos e não escolhe os capacitados, capacita os escolhidos".
Fazer ou não fazer algo, só depende de nossa vontade e perseverança.

Conclusão:
Preocupe-se mais com sua consciência do que com sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você.
E o que os outros pensam, é problema deles!


Albert Einstein

Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 16 de Abril de 2011, 17:57
Amigo Ken,

Excelente narrativa... eu já conhecia, mas nem lembrava dela!!!  ;D

Obrigada, pois ela vem reforçar o nosso estudo, pois, quando temos vontade forte, conseguimos realizar muitas coisas, como, no caso, da nossa Transformação Moral.

Sabemos que ela não se dará de uma hora para outra, mas Deus nunca nos daria a inteligência, a vontade, se Ele não quisesse o nosso progresso.

Aliás, Ele não se contradiria, não é verdade?? Se o Progresso é uma das Leis Naturais, como derrogá-la? Como podemos dizer que não somos capazes??

A criança só aprende a andar depois que aprende a gatinhar. Mas, se tiver alguém que a segure no colo o tempo todo, ela não terá vontade nenhuma de caminhar... se cansar pra que??

Não podemos deixar que o comodismo se transforme na nossa bengala, no nosso colo!!

Não é verdade??

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: Gisella em 16 de Abril de 2011, 18:39
Só para meditarmos....

A Ação da Bondade

A cobrança da gratidão diminui o valor da dádiva.

O bem não tem preço, pois que, à semelhança do amor, igualmente não tem limite.

Quando se faz algo meritório em favor de próximo, aguardando recompensa, eis que se apaga a qualidade da ação, em favor do interesse pessoal grandemente pernicioso.

O Sol aquece e mantém o planeta sem qualquer exigência.

A chuva abençoa o solo e o preserva rico, em nome do Criador, sustentando os seres, e se repete em períodos ritmados, não pedindo nada.

O ar, que é a razão da vida, existe em tão harmonioso equilíbrio e descrição, que raramente as criaturas se dão conta da sua imprescindibilidade.

* * *

Faze o bem com alegria e, no ato de realizá-lo, fruirás a sua recompensa.

Ajuda a todos com naturalidade, como dever que te impões, a favor de ti mesmo, e te aureolarás de paz.

Se estabeleces qualquer condição para ajudar, desmereces a tua ação, empalidecendo-lhe o valor.

Une-te ao exército anônimo dos heróis e apóstolos da bondade. Ninguém te saberá o nome, no entanto, o pensamento dos beneficiados sintonizará com a tua generosidade, estabelecendo elos de ligação e segurança para a harmonia no mundo.

Os que se destacam na ação comunitária e são aplaudidos, homenageados, sabem que, sem as mãos desconhecidas que os ajudam, coisas alguma poderiam produzir.

Assim, os benfeitores verdadeiros são os da retaguarda e não os que brilham nos veículos da Comunicação.

Aproveita o teu dia e vai semeando auxílios, esparzindo bondade de que esteja rica a tua vida, e provarás o licor da alegria na taça da felicidade de servir.


(Divaldo P. Franco por Joanna de Ângelis. In: Episódios Diários - Cap. 09)

Abraços fraternos,

Gisella  ;)
Título: Re: Transformação pelo Amor
Enviado por: katiatog em 16 de Abril de 2011, 18:47
Boa tarde queridas Gisella, Hebe, amigos e visitantes!


Gostaria de compartilhar com vocês um artigo que gostei muito.

Desejo à todos um fim-de-semana abençoado e rico em aprendizados para todos nós.

Abraços afetuos