Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: lukas de souza em 29 de Setembro de 2011, 21:12

Título: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 29 de Setembro de 2011, 21:12
Está o homem na Terra condenados viver fora do abrigo de leis advindas de uma potência intelecto-moral extra-humana? De supor-se que sim! Examinemos os nossos dias e veremos o quadro mórbido das candentes diferenças sociais – Mas, o igualitarismo social e absoluto de todos, nos traria o bem-estar, a paz tão almejada ou então a felicidade ou o progresso?... Os legisladores, em todas as épocas da humanidade até a presente data, têm logrado êxito em suas investidas através de leis? Vemos e/ou  sabemos, haverem estadistas e condutores de multidões propugnarem o bem-estar por processos mecânicos e, conseguirem regular as relações sociais?  Consegue o homem por mais portento em inteligência e moralidade, fazer o Planeta girar no sentido anti-horário? Pode o humano ofuscar o brilho das estrelas?
Crendo e aceitando a existência de Deus, estão os homens sujeito ao constrangimento no sentido de cumprimento de Leis Naturais? Admitindo-se que sim, estudemos observando:

Desigualdades Sociais - Estudo forumespirita.net (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXJ0V21XTF9Mc1B3I3dz)

● Somos todos iguais ante a Ele, mesmo observando a imensa fenda que se abre pelas desigualdades sociais gritantes;

● Sendo justas as desigualdades de aptidões mesmo sendo iguais ante a Lei, importa saber a razão;

●  Justificar, eis que a ciência ordinária não explica as desigualdades.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Kazaoka em 30 de Setembro de 2011, 01:58
Lukas, passo-lhe o bastão do estudo mensal. Desejo-lhe bastante amparo espiritual para persistires na condução deste estudo ao longo do mês. Mesmo porque, persistência é a palavra chave para a nossa evolução espiritual. Temos que trabalhar muito para evoluirmos em todos os aspectos, inclusive materiais.
Se não somos ainda, capazes de distribuir equitativamente o amor que encerramos em nós, quem dirá o restante que, na maioria das vezes, estão relacionados com as forças antagônicas às do Espírito, que são o orgulho, a vaidade e o egoismo, fermentos de nossas paixões inferiores, ou seja, o dinheiro, o poder, o conforto, etc..
Como o próprio ESE nos mostra, no Cap XVI, leitura 8; "Desigualdades das Riquezas";

"A desigualdade das riquezas é um dos problemas que inutilmente se procurará resolver, desde que se considere apenas a vida atual. A primeira questão que se apresenta é esta: Por que não são igualmente ricos todos os homens? Não o são por uma razão muito simples: por não serem igualmente inteligentes, ativos e laboriosos para adquirir, nem sóbrios e previdentes para conservar. E, alias, ponto matematicamente demonstrado que a riqueza, repartida com igualdade, a cada um daria uma parcela mínima e insuficiente; que, supondo efetuada essa repartição, o equilíbrio em pouco tempo estaria desfeito, pela diversidade dos caracteres e das aptidões; que, supondo-a possível e durável, tendo cada um somente com que viver, o resultado seria o aniquilamento de todos os grandes trabalhos que concorrem para o progresso e para o bem-estar da Humanidade; que, admitido desse ela a cada um o necessário, já não haveria o aguilhão que impele os homens às grandes descobertas e aos empreendimentos úteis. Se Deus a concentra em certos pontos, é para que daí se expanda em quantidade suficiente, de acordo com as necessidades."

Mas, não vamos nos desiludirmos e cairmos na descrença, deixando este ideal, hoje quimérico, se desvanecer no campo das ilusões perdidas. Devemos acalentar sempre este sonho. E sabendo que, o que a humanidade tem para repartir, tanto em riqueza material como em amor, ainda é pouco para ser dado em quantidade satisfatória e suficiente a todos, então, precisamos continuar a trabalhar para o nosso progresso material e, não menos, para o nosso progresso espiritual. De forma que, quando nos sentirmos aptos à partilha, que esta seja em partes generosas e aquilo tudo que oferecermos ao próximo seja servido em amplas bandejas de amor.

Nota: - Em estudo realizado na década de 90, se toda riqueza dos Estados Unidos fosse igualmente distribuída entre os habitantes daquele país, tocaria pouco mais de dois mil dólares para cada um...
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Hebe M C em 30 de Setembro de 2011, 01:58
Boa Noite Lukas,

Parabéns pela escolha do tema.

A desigualdade social é necessária para que cada Espírito experimente na matéria as provas de riqueza e pobreza.

Na riqueza tem o desafio  de superar, o poder, o egoísmo, o orgulho, a avareza e a soberba.
Segundo os Espíritos Superiores é uma prova até mais difícil que a pobreza , pois o homem tem em suas mãos a oportunidade muito maior de fazer o bem e muitas vezes arrastado pelo apego à matéria, sucumbe à prova. E a pobreza é a prova da resignação.

De qualquer forma todos interagem e tem a sua importância na matéria. O engenheiro precisa do operário para que seu projeto seja concluído.

Cada um de nós é um instrumento de uma grande orquestra onde Deus é o regente e é necessário que desde de um simples triangulo até o piano de calda se harmonizem e se afinem para o grande conserto da vida.

Um abç
Hebe


Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Marccello em 30 de Setembro de 2011, 02:24
Olá companheiros (as) de ideal espírita!   

Querido amigo Lukas! :D

Parabenizo pela escolha do tema de tão grande importância para o entendimento das nossas vidas sucessivas e das situações vivenciadas. 

Grande abraço! ;)

Muita paz. :)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Marccello em 30 de Setembro de 2011, 02:26
Muita paz. :)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 30 de Setembro de 2011, 05:54
Bom dia queridos amigos membros e vistantes.. Muita paz a todos vós

Querido amigos Lukas...

Parabéns pela escolha do tema. Desejo-te luzes de entendimentos e muita paz no decorrer do estudo

Desigualdade Sociais

Todos os homens estão submetidos às mesmas leis da Natureza. Todos nascem igualmente fracos, acham-se sujeitos às mesmas dores e o corpo do rico se destrói como o do pobre. Deus a nenhum homem concedeu superioridade natural, nem pelo nascimento, nem pela morte: todos, aos seus olhos são iguais.

Deus não tolera distinções de linhagem familiar, não conhece honrarias extemporâneas e nem favorece com privilégios qualquer de suas criaturas, mas proporciona a todos idênticas e incessantes oportunidades. Coloca em estado latente o mesmo poder, a mesma sabedoria e os mesmos estímulos evolutivos para todos, no longo e fastidioso percurso para a perfeição.

Atentos a essas considerações é que podemos perceber o sentido correto da Lei de Igualdade, no seu aspecto natural, em contraposição à pretendida igualdade sócio-econômica, frequentemente artificial na vida de relação dos Espíritos encarnados.

Sendo todos da mesma essência divina e criados para os mesmos gloriosos destinos, o gênero humano constitui uma única família. Daí estarem todos os homens sujeitos às mesmas leis naturais.

Deus não concede privilégios a ninguém, e, se há sofredores e felizes em nosso planeta, isto não acontece à custa das preferências divinas, mas por força do mau ou bom uso do livre arbítrio dos seus habitantes. Todos fomos criados simples e ignorantes, porém, destinados à perfeição. Se ao longo da nossa trajetória evolutiva falimos ou nos elevamos, isso ocorre por força da nossa livre vontade. As desigualdades sociais existentes são produto de opções voluntárias dos homens e nunca devido às preferências de Deus.

As próprias aptidões humanas, tão diversas, resultam da variedade de experiências vividas nas múltiplas encarnações. Por força do livre arbítrio, cada pessoa decide qual o caminho a seguir.

Deus criou iguais todos os Espíritos, mas cada um destes vive há mais ou menos tempo, e, conseguintemente, tem feito maior ou menor soma de aquisições. A diferença entre eles está na diversidade dos graus da experiência alcançada e da vontade com que obram, vontade que é o livre arbítrio. Daí o se aperfeiçoarem uns mais rapidamente do que outros, o que lhes dá aptidões diversas. Necessária é a variedade das aptidões, a fim de que cada um possa concorrer para a execução dos desígnios da Providencia, no limite do desenvolvimento de suas forças físicas e intelectuais. O que um não faz, fá-lo outro. Assim é que cada qual tem seu papel útil a desempenhar.

Aliás, a variedade das aptidões, ao contrário da uniformidade, é um meio propulsor do progresso, já que cada homem contribui com sua parcela de conhecimento.

As dessemelhanças que apresentam entre si, quer em inteligência, quer em moralidade, não derivam da natureza íntima deles (dos homens); resultam apenas se haverem sido criados há mais ou menos tempo e do maior ou menor aproveitamento desse tempo, no desenvolvimento das aptidões e virtudes que lhes são intrínsecas, consoante o bom ou mau uso do livre arbítrio por parte de cada um.

As desigualdades naturais das aptidões humanas são os degraus das múltiplas experiências que nos conduzirão aos mundos superiores e que nos propiciarão implantar o reino de Deus na Terra. Essas diferenças constituem os “agentes do progresso e preenchem uma necessidade inapreciável, na economia da evolução, favorecendo-a, por mais que haja indivíduos que detestem essas diferenças; enquanto tenham razão de ser, subsistirão e, enquanto subsistirem satisfarão a uma necessidade da própria natureza, favorecendo o progresso humano”.

É provável que no estágio atual da nossa civilização, nem todos os homens estejam exercendo a ocupação adequada às suas aptidões naturais. Mas, “quando o egoísmo e o orgulho deixarem de ser os sentimentos predominantes na Terra; quando compreendermos que somos todos irmãos, amando-nos realmente uns aos outros como preceitua a Religião, todo homem de boa vontade achará ocupação adequada às suas aptidões, que lhe garanta o mínimo necessário a uma vivência compatível com a dignidade humana, e mesmo aqueles que não mais possam manter-se em atividade, por doença ou velhice, terão a seu favor o amparo da lei, sem que precisem humilhar-se, recorrendo à caridade pública”.

                       

   
Fonte: Os mensageiros (Internet)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: M.Altino em 30 de Setembro de 2011, 11:09
Amigo Lukas de Sousa  é com uma grande alegria que  tenho  ao saber da sua participação neste estudo mensal .
Como a sua contribuição nos é importante neste lindo tema das desigualdades que existem entre os homens, e como  o seu contributo nos pode ajudar  a  pelo menos tentar mudar um pouco a vida  de todos , assim  teremos todos vontade  de o fazer , colocando em nossa vida  por vezes e  também denunciando muitas  formas de injustiças sociais.
É  o nosso primeiro dever  como  homem , e muito mais  tendo conhecimento  da doutrina  espirita  e  das  Grande  verdade  que  a  todos nos é dada pela lei e efeito e Causa.
Deixo  esta questão do Livro  dos Espíritos  e  cada um  de nós  para meditar e pensar  na sua responsabilidade  no futuro.
   Não é lei da Natureza a desigualdade das condições sociais.
 É obra do homem e não de Deus.
 Algum dia essa desigualdade desaparecerá.  Eternas somente as leis de Deus o são.
 Não vês que dia da dia ela gradualmente se apaga?
Desaparecerá quando o egoísmo e o orgulho deixarem de predominar.
Restará apenas a desigualdade do merecimento.
Dia virá em que os membros da grande família dos filhos de Deus deixarão de considerar-se como de sangue mais ou menos puro.
Só o Espírito é mais ou menos puro e isso não depende da posição social.

[9a - página 376 questão 806]

Os que abusam da superioridade de suas posições sociais, para, em proveito próprio, oprimir os fracos, merecem anátema!
Ai deles !
 Serão, a seu turno, oprimidos:
 renascerão numa existência em que terão de sofrer tudo o que tiverem feito sofrer aos outros.

[9a - página 377 questão 807]

Amigo  Lukas  de Sousa  espero  que este estudo seja  um grande  alerta  para todos nós
Um grande abraço  sincero Manuel Altino
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Anton Kiudero em 30 de Setembro de 2011, 11:22
Os espiritos não são iguais. Nem em conhecimento e menos ainda em sentimentos. E cada um, individualmente solicita e recebe as provas pelas quais deseja passar. Frente a tão amplo leque, parece-me alheio ao ser humano que se diz espirita a formulação da questão que inicia este estudo.

Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração.

Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.

Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas? Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura? E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam; contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles.

Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? (Pois a todas estas coisas os gentios procuram.) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso.


O Pai da a cada um de acordo com o seu merecimento. Para alguns poucos dá palacios suntuosos, para muitos da residencias amplas e confortaveis, para outros em maior numero prove abrigos simples e para muitos mais prove um teto formado por estrelas. E ninguem é mais amparado do que o outro, todos são igualmente amparados.


Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Edna☼ em 30 de Setembro de 2011, 12:47
Olá a todos! :)

Lukas seja muito bem-vindo ao estudo mensal.


•   Da igualdade natural

"Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, ou seja, sem conhecimento. Todos são iguais perante Deus e tendem para o mesmo fim e fez as suas leis para todos."

Em notas a esta questão, Kardec elucida que "todos os homens são submetidos às mesmas leis naturais, todos nascem com a mesma fragilidade, estão sujeitos às mesmas dores e o corpo do rico se destrói como o do pobre. Deus não concedeu, portanto, superioridade natural a nenhum homem, nem pelo nascimento, nem pela morte: todos são iguais diante dele."

(in, O Livro dos Espíritos)


•   Das desigualdades sociais

Humanitário por excelência, o querido codificador em seus escritos nos mostra que a igualdade decorre da fraternidade.

"Tratar alguém de irmão é tratar de igual para igual, é querer para ele o mesmo que para si. Em um povo de irmãos, a igualdade será a consequência dos seus sentimentos, da sua maneira de proceder, e se estabelecerá pela força das coisas.

Qual é, porém, o inimigo da igualdade? ??? O orgulho, que trabalha por ser o primeiro e por dominar, que vive de privilégios e de exceções e que aproveitará a primeira ocasião para destruir a igualdade social, nunca por ele bafejada. Ora, sendo o orgulho uma das chagas sociais, é evidente que nenhuma sociedade terá a igualdade sem arrasar primeiro esta barreira."

por Allan Kardec


Bons estudos para todos!

Abraços fraternos sempre,

Edna ;)

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Carla Fabiane em 30 de Setembro de 2011, 15:05
Olá a todos,

“O bem-estar é um desejo natural” (7) que predomina em todos os homens. Se desprovidos das condições essenciais para a sua reprodução e conservação, se revoltam violentamente ou, em outro extremo, devido à ideologia dominante e conservadora, se conformam. A busca do bem-estar, segundo o Espiritismo, é necessária e nunca será um crime se for conquistada sem o prejuízo de alguém.

Os Espíritos sustentam que as desigualdades sociais não são obra de Deus, são obras dos homens e serão eles próprios que através de existências sucessivas irão eliminando essas desigualdades.

Humberto Mariotti, em sua magistral obra Parapsicologia e Materialismo Histórico (Edicel - 2ª edição/cap. XVI) coloca o seguinte:

“A reencarnação, ou lei palingenésica, não justificará, como ainda se pretende, as desigualdades sociais. A lei de causalidade espiritual ou existencial não determina as formas de sociedade, pois o destino individual do homem carece de força histórica para estabelecer um regime social, baseado no sistema de propriedade privada”, e acrescenta ainda que “a lei de renascimento origina destinos individuais, mas não poderá jamais determinar sistemas sociais. Os sistemas ou formas de convivência social, estabelece-os a ciência da sociedade, elaborada pelo mais brilhantes espíritos”.

A existência de comunidades desprovidas de recursos essenciais a sua existência nunca será legitimada pela reencarnação, pois sabemos que, historicamente, os ricos sempre foram minoria, havendo portanto uma desproporção aritmética entre ricos e pobres que, em todos as épocas da humanidade, constituíram a grande massa.

A aceitação conformista dos problemas de natureza econômica e política, concebendo-os como algo estático e insensível a mudanças pelas nossas ações, vem atender aos interesses de uma elite que quer se perpetuar no poder. A necessidade de se transformar a nossa sociedade desigual em uma sociedade igualitária torna-se um dever, implicando numa melhoria do planeta em que vivemos a fim de que todos possamos progredir de forma sadia e adequada.

retirado do site: http://viasantos.com/pense/arquivo/0158.html

Atenciosamente,
Carla.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 30 de Setembro de 2011, 15:17
Amados Irmãos,
As diferenças, por serem mal interpretadas, face nossa ainda imperfeita condição de distribuição de renda e dos egoísmos e orgulhos ainda existentes, não produzem ainda o resultado maravilhoso no nosso aprendizado, que ainda virá a produzir, quando minorarem nossas imperfeições e melhorarem nosso comportamento de convivência social, nesta vida de relação.
A título de reflexão anexo um ppt, que nos mostra o valor das diferenças e que a nossa capacidade cognitiva (nós espiritias podemos ler intuitivas),têm para aprender por associação de diferentes e obter aprendizagem, simplesmente observando diferentes...
Eu amo as diferenças, embora me doa muitas que desvirtuamos com nossos preconceitos, mas tenho certeza de que tais diferenças não podem acabar, pois viemos exatamente de onde não há diferenças...
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Elsamar em 30 de Setembro de 2011, 17:32
Boa tarde para todos.

Porque este Forúm é visitado por muitas pessoas, espíritas e não espíritas, eu coloco uma questão, que talvez seja pertinente.

Porque é que estão neste momento na Somália, cerca de 750.000 pessoas em risco de morrer à fome?
Todos aqueles espíritos reencarnaram naquele local no mesmo momento, para um sofrimento colectivo? Todos escolheram passar por aquela prova?


Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário? Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas? Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura? E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam; contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles.

Como poderão estas criaturas não estar ansiosas?

Abraços.


Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: M.Altino em 30 de Setembro de 2011, 18:30
Um Abraço  com muita paz  para todos  e  deixando aqui mais  uma questão  como pode haver tantas desigualdades neste Planeta.
Sabendo que todos estamos num planeta de provas e expiações.
Então sempre  que nos é colocada esta questão ficamos muito apreensivos.
Mas  sabendo que  tudo contribui para a evolução moral  de cada   e  para a moral coletiva.  Vamos  compreendendo que  no Livro dos Espíritos já Kardec  nos questiona  e muito bem:
Não é possível a igualdade absoluta das riquezas.
A isso se opõe a diversidade das faculdades e dos caracteres.
Há, no entanto, homens que julgam ser esse o remédio aos males da sociedade.
 São sistemáticos esses tais, ou ambiciosos cheios de inveja.
Não compreendem que a igualdade com que sonham seria a curto prazo desfeita pela força das coisas.
Combatei o egoísmo, que é a vossa chaga social, e não corrais atrás de quimeras.
Não é possível a igualdade das riquezas.
O mesmo não se dará com o bem-estar. 
Mas o bem-estar é relativo e todos poderiam dele gozar, se se entendessem convenientemente, porque o verdadeiro bem-estar consiste em cada um empregar o seu tempo como lhe apraza e não na execução de trabalhos pelos quais nenhum gosto sente.
Como cada um tem aptidões diferentes, nenhum trabalho útil ficaria por fazer.
 Em tudo existe o equilíbrio;
o homem é quem o perturba.
Os homens se entenderão quando praticarem a lei de justiça.
Há pessoas que, por culpa sua, caem na miséria.
Mas, já dissemos que a sociedade é muitas vezes a principal culpada de semelhante coisa. Demais, não tem ela que velar pela educação moral dos seus membros?
Quase sempre, é a má educação que lhes falseia o critério, ao invés de sufocar-lhes as tendências perniciosas
Questões  811 a 813 do Livro dos Espíritos

Então  como podemos compreender  é sempre através da Doutrina Espírita  que vamos encontrando muitas respostas .
Mas há uma coisa que  temos de ir compreendendo , sempre  cada um  de nós deve fazer  a sua parte para amenizar  muitas desigualdades que  podem acontecer à sua volta
Um grande abraço de muita paz
Manuel Altino
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 30 de Setembro de 2011, 19:16
Amados Louvo a desigualdade na carne que me faz ver diferenças, que eu não tinha a menor noção que existia nem quando eu já tinha atingido a idade de quinze anos nesta encarnação...
Que dizer quando eu vivia onde tudo era igual...
Hoje sei que há igual e igual... diferente e diferente...

Toda igualdade, como toda a verdade, tem de se condicionar ao conceito relativo dos valores de cada personalidade, no quadro de suas aquisições próprias, dentro das lutas purificadoras.
Só a obra cristã nos pode interessar, no amplo movimento de educação das almas e o Evangelho de Jesus não preconiza que os ricos do mundo se façam pobres e sim que todos os homens se façam ricos de conhecimento, porque somente nas aquisições de ordem moral descansa a verdadeira fortuna.
Observemos se é justo observarmos nas pátrias o agrupamento de múltiplas coletividades, pelos laços afins da educação e do sentimento, das castas, do interesse político fisiologista, a política do racismo tudo isso deve ser encarado como erro grave, que pretexto algum justifica, porquanto não pode apresentar base séria nas suas alegações, que mal encobrem o propósito nefasto de tirania e separatividade.
Allan Kardec em Livro dos Espíritos- Questões 517,  635 Obs e 690.
A Gênese 1/36.
EMMANUEL em:
 O CONSOLADOR - 7ª Ed. FEB, 1977 - 61 -
CONFIA E SERVE - 3ª Ed. IDE, 1989 - 3 –
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Anton Kiudero em 30 de Setembro de 2011, 20:07
Porque é que estão neste momento na Somália, cerca de 750.000 pessoas em risco de morrer à fome?
Todos aqueles espíritos reencarnaram naquele local no mesmo momento, para um sofrimento colectivo? Todos escolheram passar por aquela prova?

Cada um esta no lugar em que deve estar a cada momento.

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Mizica em 30 de Setembro de 2011, 20:39
Ola!
Boa tarde à todos!

Lukas, parabéns pela escolha do tema. Certamente teremos grande oportunidade de aprendizado diante deste assunto que é sempre atual e que nos alerta, nos sugere reflexão

Então... De que maneira estamos vivendo, afinal nesse mundo?  Sejamos francos  o máximo que pudermos e vejamos: Tomamos atitudes corretas? Observamos, realmente, como estamos a conduzir nossos atos em relação ao outro? Podemos mudar as situações que geram tantas desigualdades sociais?
Expurguemos de nossos corações o egoísmo, o orgulho, a soberba, a indiferença perante as dores alheias, entre outras coisas e quem sabe não poderemos observar uma redução drástica nessas tais desigualdades sociais?

Falar mal dos políticos, dos poderosos que governam o planeta, é muito fácil. Chegamos, alguns de nós, falar frases pungentes, e duras ao mesmo tempo. Afinal, quem esta lá no poder é o presidente, o senador, o deputado, etc... e eles erram, eles cometem fraudes, são corruptos, e por ai vai. Mas dentro de nosso próprio ambiente doméstico que tipo de comportamento temos demonstrado? Será que, dentro de nosso habitat doméstico tbm podem ser observadas desigualdades sociais? Se tal fato acontece, pode haver retrocesso?
Repito-me:  Expurguemos de nossos corações o egoísmo, o orgulho, a soberba, a indiferença perante as dores alheias, entre outras coisas e quem sabe não poderemos observar uma redução drástica nessas tais desigualdades, inclusive dentro de nossos lares?
 Que todo o processo, de reverter o quadro das desigualdades sociais comece por mim. Lá na minha casa, por exemplo.

Todos nós, como criaturas divinas que somos estamos sujeitos as Leis de Deus. Uma delas é a Lei de Igualdade, (OLE, parte 3ª, capitulo IX)
Igualdade Natural
803 – Perante Deus são iguais todos os homens?
Resp. : “Sim, todos tendem para o mesmo fim e Deus fez suas leis para todos. Dizeis frequentemente: “O Sol luz para todos” e anunciais uma verdade maior e mais geral que pensais”
Abrindo aspas agora para Kardec: “Todos os homens estão submetidos ás mesmas leis da Natureza. Todos nascem igualmente fracos, acham-se sujeitos às mesmas dores e o corpo do rico se destrói como o do pobre. Deus a nenhum homem concedeu superioridade natural, nem pelo nascimento, nem pela morte: todos, aos seus olhos, são iguais.”


Como podemos observar, não tem jeito: estamos, todos nós, sob a égide das Leis Divinas, e Ele, em sua sapiência misericordiosa facultou-nos a escolha. Ai, inflados de vaidade, egoisticamente, criamos as desigualdades entre nós mesmos. Não vemos mais o outro, vemos  apenas a nós, a nossa família, o nosso emprego, o status que conseguimos e queremos manter por força, mesmo que isso até nós custe a vida.

Claro! Pode haver reversão, o mundo pode se tornar um lugar melhor, mas a mudança tem que acontecer primeiro no homem. No seu desapego, no seu sair de si mesmo. Se é utopia? Que seja! Mas por que não tentar essa mudança? Madre Tereza de Cálcuta, não tentou? Jesus, não tentou?  E Gandhi? E tantos outros...?

É preciso ter esperança!! É Preciso Ter!! Sem esperança, sem acreditar que é possível, não faremos nada. Ei, todo mundo!!! Chegou a hora, chegou a oportunidade da mudança. De fazer a faxina e recriar o ambiente de seu ser, de seu íntimo.
Deus não pede para nós façanha incrível, fala só pra gente se amar. Só isso... Custa?

Meu carinho sempre para todos
Mizica
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Felipa em 01 de Outubro de 2011, 00:31
Desigualdade. Pobreza. Miséria.
Perante as leis divinas ou naturais todos os homens são iguais em sua origem. O Criador não concedeu privilégio ou Superioridade natural a nenhum ser humano. A diversidade que se observa entre os Espíritos, encarnados ou não, deve- se à vivência, há mais ou menos tempo, e às experiências e aquisições de cada um. Assim, se foram criados em épocas  (O Livro dos Espíritos, questões 803 e seguintes, edição FEB.)
Em um mundo atrasado como o nosso, habitado por homens de diferentes condições intelectuais e morais, as desigualdades sociais tornam-se por vezes chocantes. Conquanto sejam naturais as desigualdades individuais resultantes do desenvolvimento das aptidões de cada um, em mundos inferiores, como a Terra, as desigualdades sociais são agravadas pelo orgulho e pelo egoísmo do homem, e se refletem nas instituições, nos governos, na legislação e nos costumes humanos.
Por isso é que os Espíritos Superiores, respondendo à indagação do Codificador, tornaram claro que a desigualdade das condições sociais não se deve à lei natural, sendo obra do homem e não de Deus. (O Livro dos Espíritos, q. 806.) Nesse caso, a organização social é susceptível de aperfeiçoamento no tempo, como, aliás, vem sucedendo.
O mundo atual, apesar de algumas mazelas que sobrevivem até mesmo nas mais ricas comunidades nacionais, como a violência, os conflitos e a pobreza extrema, já está livre da escravidão, por exemplo, que persistiu até os fins do século XIX, deixando rastros de iniqüidade até os dias atuais. A raça negra, os indígenas da América, os povos vencidos nas guerras no Oriente e no Ocidente, as mulheres de diversos países e nações foram dominados durante séculos e milênios por exploradores, guerreiros, reis, príncipes e organizações sociais, sob os mais diferentes pretextos, baseados sempre no orgulho, no egoísmo e na ignorância. Ao absolutismo político e à autocracia religiosa opuseram-se os princípios da liberdade e da igualdade, que acabaram limitando as desigualdades mais absurdas existentes no mundo.
O mundo progrediu muito no decorrer dos últimos séculos em função das conquistas vinculadas à liberdade e à igualdade. Mas ainda há focos de injustiças nas sociedades modernas, tais como a discriminação racial e da mulher e as desigualdades sociais impostas pela pobreza extrema.
Revista Reformador, fevereiro de 2002
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Felipa em 01 de Outubro de 2011, 01:19
IGUALDADE, DESIGUALDADE E ESPIRITISMO
Igualdade é a qualidade do que é igual, do que não tem diferença. Na ética e na política é o princípio segundo o qual as prescrições, proibições e penas legais são as mesmas para  todos os cidadãos, sem acepção de nascimento, situação ou riqueza. Desigualdade é a  qualidade do que não é igual, do que tem diferença.
A igualdade é uma das aspirações mais autênticas e profundas da democracia. O projeto de igualdade democrática baseia-se no princípio de que todos os homens são iguais em  sua dignidade essencial,  porém, diferentes em suas capacidades e talentos. Quer dizer, todos devemos ter oportunidade de  trabalho remunerado, mas de acordo com a característica específica de cada um.
Os números abaixo relacionados indicam as desigualdades sociais existentes em  nosso país:
a) a distribuição de renda no Brasil mostra que 20% dos mais ricos ganham 26 vezes mais do que os 20% mais  pobres. No Leste Europeu, os 10% mais ricos recebem 7 vezes mais do que  os 10% mais pobres;
b) aqui, a diferença entre o menor salário e o maior é de 1/100, já no Japão é de 1/10;
c)  temos uma renda per capita de US$ 2.550 contra  US$ 30.270 na Suíça;
d) somos  a  8.ª economia  pelo  cálculo do PIB (Produto Interno Bruto) e a 70.ª pelo Índice de Desenvolvimento Humano, que inclui analfabetismo e qualidade de vida.
Diante deste quadro, perguntamos: por que uns ganham 50.000 dólares/ano  e outros ganham 5.000? A Ciência  Econômica procura dar uma resposta baseada na produtividade marginal do trabalho. Mas não nos satisfaz. A explicação deve ser buscada  na lei de reencarnação. De acordo com a Doutrina Espírita, a riqueza é distribuída  igualmente para todos, mas cada um tem-na  a seu turno. Se hoje somos pobres, é possível que  já  tenhamos sido ricos em encarnações passadas, ou que assim sejamos no futuro.
Allan  Kardec, em O Livro dos Espíritos, diz-nos que as desigualdades das condições sociais, sendo criação humana, deverão desaparecer quando a humanidade tiver extinto o egoísmo e o orgulho. Nessa situação restará apenas a desigualdade de mérito. Isso não é privilégio, visto todos os Espíritos  partirem da mesma origem, submetidos  às leis naturais. Como uns se esforçaram mais do que outros, é justo que posições  que exijam maiores responsabilidades.
Evitemos a proclamação demagógica da igualdade absoluta. Realizemos plenamente a nossa essência e deixemos que cada um realize a sua.
http://www.sergiobiagigregorio.com.br/filosofia/igualdade-e-desigualdade.htm
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: hcancela em 01 de Outubro de 2011, 10:32
Olá Lukas que seja muito feliz neste estudo mensal.

Seja muito bem vindo ao convivio. :-*


As desigualdades sociais pelo menos neste nosso Planeta e noutros, mais ao menos evoluídos fazem parte de um processo complicado (aos nossos olhos) de caídas e subidas que o Espirito inacabado tem de fazer.
Desde a sua formação(criação de Deus) que o Espirito simples e ignorante vai adquirindo e através do seu livre-arbitrio as construções necessárias ao seu aprimoramento,até que um dia cansado mas feliz conquistará a felicidade interior. Neste processo construtivo(evolutivo) nem todos trilham pelo mesmo caminho, apesar de todos chegarem ao mesmo destino, fruto de sua vontade(livre-arbitrio). Juntando isto e ao facto de Deus criar incessantemente , creio que existem Espiritos mais novos e outros mais velhos em sabedoria, logicamente que só aqui as desigualdades estão evidentes. Diremos desigualdades, mas que na realidade é um processo que todos estamos sujeitos e fruto destas circunstâncias evolutivas e outras ,que estamos a caminho de conhecer.
Por isso desigualdades são naturais, porque todos nascemos em épocas diferentes, e ,mesmo que nascesse-mos na mesma altura, continuaríamos a ter desigualdades por causa do livre-arbitrio, que com certeza as nossas decisões não eram iguais e assim caminhos diferentes.
Claro que ao olharmos para o Mundo dá alguma tristeza ver uns a viver na opulência e outros em absoluta miséria, mas se estudarmos as Leis de Deus que acreditamos serem justas e sábias, temos a certeza e que apesar de nem sempre as compreendermos, todos iremos ser felizes apesar de uns sofrerem mais do que outros, mas que cada um é construtor do seu próprio Mundo interior, como tal só temos de o fazer o mais rápido possível para que as ditas desigualdades sejam mesmos evidentes.
O Espiritismo como " Consolador" por excelência, damos maravilhosas ferramentas para assim o conseguirmos, basta as pôr me prática.

Vosso amigo de sempre.
hcancela

Saudações fraternas
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: M.Altino em 01 de Outubro de 2011, 12:47
Para todos  um grande abraço.
 Como  podemos compreender tantas desigualdades neste planeta ?
Tantas  situações  de miséria  que grassa pelo planeta ?
Como o homem  ainda não consegue  pelo menos amenizar todos estas situações  que  nos cercam..
Então é  caso  para dizer  todos somos  se uma ou outra forma  responsáveis, pois  se cada um de nós fizer um pouquinho á nossa volta  podemos  tornar  tudo melhor um pouco.
Mas ainda  temos de compreender que todos  nascemos no lugar certo e no ambiente melhor para nossa evolução enquanto estamos  aqui neste planeta de provas e expiações , que na Doutrina Espirita e  no seu  Livro dos Espíritos  muito nos ensina.
Sempre  pensamos muitas vezes  o lado sensível de cada um de nós e por vezes  dizemos  ""  é lamentável estas situações de desigualdades  Lamentável  mesmo  """
Mas  sabendo que  tudo  tem uma causa  e  mais tarde vemos o efeito.
Então sim , podemos compreender  toda   complexidade  do sistema que o homem precisa para se educar e evoluir.
Como nos diz  Kardec  nestas questões   
 

 Não é lei da Natureza a desigualdade das condições sociais.
 É obra do homem e não de Deus.
 Algum dia essa desigualdade desaparecerá. 
Eternas somente as leis de Deus o são.
Não vês que dia da dia ela gradualmente se apaga?
 Desaparecerá quando o egoísmo e o orgulho deixarem de predominar.
Restará apenas a desigualdade do merecimento.
Dia virá em que os membros da grande família dos filhos de Deus deixarão de considerar-se como de sangue mais ou menos puro.
Só o Espírito é mais ou menos puro e isso não depende da posição social.

[9a - página 376 questão 806]

Os que abusam da superioridade de suas posições sociais, para, em proveito próprio, oprimir os fracos, merecem anátema!
 Ai deles !
Serão, a seu turno, oprimidos:
 renascerão numa existência em que terão de sofrer tudo o que tiverem feito sofrer aos outros.

[9a - página 377 questão 807]

Então  é como podemos compreender  tudo tem  um efeito que vem de uma causa .
um  grande abraço de muita paz 
Manuel Altino
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: dOM JORGE em 01 de Outubro de 2011, 13:00
                                       VIVA JESUS!


       Bom-dia! queridos irmãos.

               desigualdades sociais não são obra de Deus, mas do homem

1. As desigualdades sociais, provenientes das mais variadas condições econômicas e espirituais dos vários povos da Terra, são sempre obra dos homens e não de Deus. O Pai criou os Espíritos iguais e destinados ao mesmo fim, mas os homens, por força das imperfeições morais que ainda possuem, estatuíram leis – muitas delas injustas e até mesmo cruéis – para regular as relações em sociedade.

2. Como conseqüência dessas leis, surgiram muitas desigualdades, que são mais ou menos acentuadas em determinadas nações, conforme o grau evolutivo dos seus componentes.

3. O progresso segue, no entanto, o seu curso ascendente e por isso a desigualdade social, como tudo o que é inferior, dia a dia se atenua, até que se apague em definitivo, quando o egoísmo e o orgulho deixarem de predominar na Terra.

4. Restará, então, em nosso mundo tão-somente a desigualdade do mérito, porquanto dia virá em que os membros da grande família universal deixarão de considerar-se como de sangue mais ou menos puro e entenderão, enfim, que apenas o Espírito pode ser mais ou menos puro, mas isso não depende da posição social.   

A abolição das desigualdades não se fará de repente
5. Ninguém pense, porém, que as desigualdades desaparecerão de repente e serão o resultado de revoluções, de guerras, de leis ou de decretos. Não. Sua abolição se fará de modo lento e gradual, de acordo com o ritmo dos esforços individuais e coletivos e como conseqüência do progresso moral alcançado pela Humanidade, o que levará à destruição dos privilégios de casta, de sangue, de posição social, de sexo, de raça, de religião e de quaisquer outros.

6. Compreendamos também que com o banimento das desigualdades sociais não se verificará na Terra um processo de uniformização dos homens. A espécie humana não se transformará em máquina, a sociedade terrena não se tornará um sistema robotizado. Os homens é que passarão a orientar-se pelas leis divinas, a fim de que seus pendores naturais possam desabrochar e desenvolver-se normalmente, sem nenhuma atitude de coerção por parte de quem quer que seja.

7. Haverá, evidentemente, quem ocupe cargos de maiores ou de menores responsabilidades, mas, com o adiantamento espiritual, os homens não sofrerão os males do egoísmo, da inveja, do orgulho e do preconceito.

O homem e a mulher gozam, aos olhos de Deus, dos mesmos direitos
8. Em uma sociedade moralizada, não se compreenderá a diferença de tratamento, ainda tão comum, que se observa entre o homem e a mulher, porque todos entenderão que, perante os códigos divinos, ambos possuem os mesmos direitos e que a diferença dos sexos existe por força da necessidade de experiências específicas pelas quais o Espírito precisa e deve passar.

9. O Espírito – ensina o Espiritismo – não possui sexo, do modo como entendemos esse vocábulo em nosso plano. É por isso que, embora as funções do homem e da mulher sejam diferentes e específicas, seus direitos são exatamente os mesmos e todo privilégio concedido a um ou a outro é contrário à lei de justiça.

10. A lei humana deve, pois, para ser eqüitativa, consagrar a igualdade dos direitos do homem e da mulher, cientes todos nós de que a emancipação feminina acompanha o progresso geral da civilização, e sua escravização marcha de par com a barbárie. Sexos existem apenas na organização física. Os Espíritos encarnam-se num e noutro e devem, por conseguinte, gozar dos mesmos direitos.

A desigualdade social é o mais elevado testemunho da realidade da reencarnação
11. As funções, evidentemente, resultam das aptidões próprias de cada gênero. Por exemplo, só a mulher pode ser mãe e amamentar uma criança. Preciso é, pois, que cada um esteja no lugar que lhe compete. O homem e a mulher são, no instituto conjugal, como o cérebro e o coração do organismo doméstico, e essa diversidade de funções verifica-se por necessidade de planificação reencarnatória.

12. São um e outro portadores de uma responsabilidade igual no sagrado colégio familiar. Se a alma feminina apresentou sempre um coeficiente mais avançado de espiritualidade na vida, é que, desde cedo, o Espírito masculino intoxicou as fontes da sua liberdade por meio de todos os abusos, prejudicando a sua posição moral no decurso de existências numerosas, em múltiplas experiências seculares. A ideologia feminista dos tempos modernos, com suas diversas bandeiras políticas e sociais, pode ser, segundo Emmanuel, um veneno para a mulher desavisada dos seus grandes deveres espirituais na face da Terra.

13. A desigualdade social é o mais elevado testemunho da realidade da reencarnação, mediante a qual cada Espírito tem sua posição definida de regeneração e resgate. Pobreza, miséria, guerras, ignorância e tantas outras calamidades coletivas não passam de enfermidades do organismo social, em razão da situação de prova da quase generalidade dos seus membros. Cessada a causa patogênica com a iluminação espiritual de todos em Jesus Cristo, a moléstia coletiva, assevera Emmanuel, estará, obviamente, eliminada dos ambientes humanos.

         Thiago Bernardes



                                                           PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 01 de Outubro de 2011, 15:51
EM TEU NOME SENHOR...


Acessei neste empreendimento, o de estudar e de agora, tentar  promover e estimular o estudo da DOUTRINA ESPÍRITA, abençoada Doutrina que mantém redivivo o Evangelho, que a mais de vinte séculos, pelo amantíssimo Carpinteiro da Galiléia – Jesus nos entregou. Recebi, portanto, Pai uma singular e sublime oportunidade ou talvez um galardão divino que me remete à severa, mas, judiciosa missão, qual seja, a da entrega redentora e que por assim ser, retira-me das trevas da ignorância com o promissor desejo de servir a fraternidade, buscando edificar a inteligência para assim Ó Pai, ó Claridade Eterna! Trabalharmos para servir-Te.
Meu Pai colocaste-me neste sítio, um verdadeiro nicho de amor onde amáveis companheiros de jornada carnal prontamente abriram as portas ao ambiente de luzes profusas. Luzes capazes de me conduzirem na oficina do bem comum, luzes cristãs na sua pureza imaculada.
Assim Amantíssimo Pai, por sentir-me ainda impotente, porém comovido, por não saber por qual forma devo agradecer tão doce acolhida, tantas palavras de encorajamento e de tantos auxílios anônimos ou não... Suplico-Te interceda por mim junto a todos indistintamente Leve, Te suplico, toda minha gratidão, todo o meu anseio de poder sempre merecer tanta distinção, cujo merecimento e sem falsa humildade, procuro saber onde nasceu e não encontro.
Obrigado Pai, obrigado meus companheiros.
Obedeçamos ao chamamento Celeste, emprestemos-Lhe toda a nossa boa-vontade ao engrandecimento da redenção humana, mesmo em meio a incontáveis vicissitudes, entre elas a da indignação que sentimos ante as DESIGUALDADES SOCIAIS. Preocupam vivamente a nossa época, mas, confiemos, são finitas uma vez que, e, estejamos certos, os sentimentos humanitários não desapareceram. Em incontáveis corações de todos os povos aninham-se instintivas aspirações para a justiça, bem como o desejo de uma vida melhor.

Recebam meu afetuoso abraço.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 01 de Outubro de 2011, 17:24
Boa tarde querido amigo lukas e amigos membros e visitantes... Muita paz e luz

Desigualdades sociais

Abrindo um parênteses em nosso estudo, perguntamos: Como está a sociedade Humana? O que estamos assistindo diuturnamente?
 
A sociedade humana está profundamente enferma. A Humanidade, com raras exceções, geme, chora, desespera-se, pelo muito que sofre; o egoísmo, o amor próprio, a cupidez, a tudo devoram; a corrupção, a miséria, o vício, geram as vítimas da maldade e da violência, que se sucedem sem parar; as religiões, ditas cristãs, a tudo assistem, acomodadas, pois que se desviaram do caminho traçado pelo Cristo; os homens de bem, verdadeiros intermediários entre a Humanidade e a Providência, são raros, escassos, e impotentes ante a onda avassaladora do utilitarismo que vige.
 
Assistimos diuturnamente, milhões de pessoas, de irmãos nossos, que vivem em estado de miséria absoluta. Milhões se alimentam do LIXO; sobrevivem do LIXO, disputando com as aves de rapina, e entre si, as sobras de alimento acumuladas no LIXO. Espetáculo terrificante, degradante, que assistimos todos os dias.
 
Somente no Brasil, hoje, existem cerca de 45 MILHÕES de irmãos em estado de MISÉRIA ABSOLUTA.
 
Se o objetivo da encarnação é permitir ao espírito atingir a perfeição (relativa); se durante a vida corpórea, não conseguiu depurar-se, sofrerá novas existências; se o homem (espírito encarnado) deve viver em sociedade, podemos concluir que dessa conjugação de respostas de O Livro dos Espíritos (132-166-766) resulta que as leis da matéria, que são divinas, devem ser respeitadas, pois sem elas, o homem, individualmente, e a sociedade humana, coletivamente, não lograrão atingir e cumprir o seu destino.
 
Para que o ser humano (espírito encarnado) ou a sociedade humana possa cumprir seu destino, o instinto e os meios de conservação são os fatores básicos, conforme podemos constatar, no LIVRO DOS ESPÍRITOS, Cap. V - DA LEI DA CONSERVAÇÃO - perg. 702 e seguintes.
 
Tais fatores básicos conjugados nos levam ao PRIMEIRO de todos os direitos naturais do homem: o de VIVER (O Livro dos Espíritos - perg. 880).
 
Diante do exposto, a que conclusão chegamos?
 
Conclui-se que o homem (espírito encarnado) para atingir e cumprir seu destino, para aprofundar sua fé (certeza, convicção) e sua tranqüilidade, necessita de uma ORDEM SOCIAL-ECONÔMICA mais justa nas relações humanas, coerentes com o pensamento e o espírito de Jesus.
 
Nós espíritas estamos encarregados de levar a luz, já que sabemos, com os conhecimentos emanados da Doutrina Espírita, porque a Humanidade está doente; porque sofre; porque chora; porque desespera.
 
Ide e pregai! falou-nos Jesus.
 
Ide e pregai! repetiu Erasto (Evang. Segundo o Espiritismo - Cap. XX - item 4) em Paris no ano de 1863.
 
Ide! Eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos (Jesus - Lucas 10:3).

Fonte: CVDEE Internet
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Felipa em 01 de Outubro de 2011, 18:10
Boa Tarde a todos!

O PROBLEMA DA IGUALDADE
A igualdade, sem dúvida, é realidade nas raízes da existência.
Todos os seres possuem direitos idênticos de acesso à elevação, sob qualquer prisma, entretanto, é preciso considerar que os deveres graduam as vantagens, dentro da vida.
No caminho da evolução, desse modo, a teoria igualitária absoluta é invariável utopia que nenhum sistema político poderá materializar.
A experiência e o esforço pessoal são as duas alavancas da diferenciação à cuja influência decisiva não conseguiremos fugir.
Mas, se é verdade que não podemos improvisar a ancianidade do espírito, que só o tempo confere a cada criatura, na jornada para a maturação, o trabalho é sempre a riqueza real, suscetível de ser ampliada em nosso destino, ao preço de nossa boa vontade.
Assim sendo, não te esqueças das oportunidades que a divina providência te oferece cada dia, em favor do teu crescimento.
Os degraus da subida de nossa alma no rumo da perfeição destacam-se, hora a hora, através das situações e das pessoas que nos rodeiam.
Não residem nas facilidades que nos acomodam o coração com as linhas inferiores do mundo. Salientam-se nos obstáculos com que somos defrontados.
Cada problema e cada aflição, cada prova mais rude e cada luta mais árdua representam pontos vivos de ascensão que podemos aproveitar, em favor do próprio aprimoramento.
Aprendamos a respeitar o próximo e auxiliá-lo, na convicção de que amparando os nossos irmãos de caminho, auxiliaremos a nós mesmos, de vez que adquiriremos o tesouro da experiência, que nos enriquecerá de visão para os cimos que nos cabe alcançar.
Cada fonte vive em seu nível.
Cada projeção de luz caracteriza-se por determinado potencial de radiação.
Cada flor guarda o perfume que lhe é próprio.
Cada árvore produz segundo a espécie a que se subordina.
Cada espírito respira na esfera que elege para clima ideal da própria existência...
Compete-nos buscar a posição de superioridade que Jesus nos oferece, aceitando o sacrifício pelo bem que a vida nos impõe, a fim de que nos façamos hoje os envoltórios pesados que ainda nos imantam à zonas escuras da Terra e tentando a sintonia com os benfeitores que nos esperam na glória espiritual.
Emmanuel
Do Livro: Trilha de Luz
Psicografia: Francisco Cândido Xavier
Editora: IDE
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Claudio Marcelo Silva em 01 de Outubro de 2011, 21:05
Não esqueçamos que as desigualdades sociais oferecem não somente oportunidade de resgate a espíritos endividados pelo mau uso do poder e das riquezas (entre os quais com certeza também estamos, ainda que na atual encarnação não soframos miséria) mas também a todos nós chance de exercer a caridade mais amplamente, não só compartilhando o que nos toca em bens, recursos, instrução e esclarecimento com os menos aquinhoados, como participando ativamente da vida coletiva da sociedade para que os recursos coletivos sejam usados para elevar as massas destituídas, premiando o esforço pessoal e removendo barreiras do orgulho e do preconceito. O verdadeiro espírita é, na medida de suas forças, cidadão ativo e participante, engajado em educar e melhorar a sociedade na qual está inserido. A Lei do Progresso exige que, no futuro mundo de regeneração que será a Terra, as instituições e fatos sociais viciosos e nocivos tenham sido pelo menos bastante amenizados, e a nós, encarnados e desencarnados unidos na Seara do Cristo, cabe tal tarefa, sem dúvida gigantesca, mas inescapável. Lembremos quantas chagas sociais milenares já foram e estão sendo removidas apenas nos últimos 500 anos, e tomemos coragem. O futuro do planeta, apesar das "dores de parto", será necessariamente tão fraterno e meritocrático quanto uma colônia espiritual da literatura mediúnica. Deus o quer, nos ensinam os Bons Espíritos. Embora as mudanças graduais sejam mais seguras, a Lei de Amor, Justiça e Caridade ainda não foi revogada pelo egoísmo humano.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Hebe M C em 01 de Outubro de 2011, 21:51
Boa tarde Lukas,

Bem, muito texto já foi aqui colocado com a explicação espírita das desigualdades sociais, a necessidade de haver aptidões diferentes e a vivência na riqueza e pobreza para adiantamento do Espirito neste planeta de provas e expiações.

Elza tocou na Somália, perguntou se há condições destes Espíritos nascidos lá não se  desesperarem. Acredito sinceramente que eles não tem nem condição de imaginar uma outra realidade.
Mas eu nasci no Rio de Janeiro,cidade maravilhosa que vende a alegria e bom humor do povo e suas belezas naturais, segunda economia do País e quarta da América Latina.

No vídeo abaixo mostra bem o contraste social existente com o qual eu convivi mais de 40 anos.

A pergunta é: O que me faz nascer do ventre de uma mulher que mora em situação confortável sem privação alguma e a poucos metros dali , nasce uma criança do ventre de uma mulher cercada de violência, sem ter como deixar e amparar os seus filhos da mesma, porque tem que trabalhar para sobreviver, então é forçada a deixá-los desde crianças a esmo ou em medicança nos sinais entre carros de luxo da zona Sul carioca?

Essa criança miserável do RJ, diferente da criança nascida da Somália vê outra realidade, a qual não alcança. mas sabe que existe, por isso, luta, se revolta, entra para o crime, ou batalha para conseguir sair da situação em que se encontra, não se misturando com a violência em torno dela, e posso dizer que é a maioria.

A cidade agora está em festa, todos os abastados no Rocky in Rio, depois vem a Copa e mais uma série de eventos grandiosos que tem como palco e cenário suas belezas naturais.

Quanto desta renda arrecadada nestes eventos vão para obras sociais?

O que realmente está sendo feito para acabar com esse contraste?
Quais as opções que tem uma criança que nasce na favela, desde cedo abandonada e que aos 9 e 10 anos, já está com uma arma na mão trabalhando para o tráfico?

Violência e Desigualdade Social no Rio de Janeiro (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWFNNWtBU3dGWHQ4Iw==)

É preciso transformar em ação todos os ensinamentos.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Angela Hygina em 02 de Outubro de 2011, 00:50
O importante é respeitar todas as pessoas e reconhecer que necessitamos uns dos outros a cada dia e para cada fase da nossa evolução.
Parabéns pela escolha, precisamos refletir muito e realmente respeitar todos os nossos.
Angela Hygina
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Kazaoka em 02 de Outubro de 2011, 01:25
A primeira igualdade que precisamos buscar é a da aceitação das diferenças. Aceitarmos os desafetos com a mesma tolerância que temos com os entes queridos, recebermos o estropiado com o mesmo acaloramento que recebemos o ilustre, tratarmos os idosos com o mesmo carinho que tratamos as crianças, considerarmos sogra e sogro com a mesma consideração que temos pelos nossos pais. Sentirmos no trabalho necessário o mesmo valor e prazer que sentimos no descanso merecido. Estas são riquezas espirituais, aquelas que servem ao entesouramento do Espírito eterno.
Sem a equivalência dos valores espirituais jamais teremos, na materialidade, a justiça que se almeja.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: M.Altino em 02 de Outubro de 2011, 12:54
Um Abraço a todos
Amiga Hebe  fiquei  maravilhado com a sua colocação dentro deste estudo ,que nos faz meditar nessa realidade da vida .
Sempre houve desigualdades há nossa volta , mas  então este planeta é um lugar de provas e expiações ...........
Sendo assim pelo estudo desta doutrina  , vamos compreendendo que  cada um de nós antes de  reencarnar escolhemos por livre arbítrio o melhor lugar para  resgatarmos muitos débitos do passado e  escolhemos  a família que é importante  para cada um de nós .
Dentro desta filosofia  vamos entendendo muitas coisas, tudo bem .
Mas  é com pertinência que digo ,não basta saber como a doutrina nos ensina estas situações , mas  a grande pergunta é :
 O que podemos fazer ?
 Como podemos atenuar  algumas  situações?
 Então por vezes queremos  fazer  coisas  que  possam mudar o mundo. 
Será mesmo assim !!! 
Então  o importante por vezes  é tentar mudar um pouquinho que está á nossa volta ! 
Seria muito bom .
Assim seriamos  um pequenino facho de luz  e então muitos fachos  mudariam muitas desigualdades !!!!!
 É caso para meditar  no entanto pelo conhecimento que vamos tendo Kardec  nos foi  dizendo  na  questão  804 do Livro  dos Espíritos

Deus criou iguais todos os Espíritos, mas cada um destes vive há mais ou menos tempo, e, conseguintemente, tem feito maior ou menor soma de aquisições.
A diferença entre eles está na diversidade dos graus da experiência alcançada e da vontade com que obram, vontade que é o livre-arbítrio.
Daí o se aperfeiçoarem uns mais rapidamente do que outros, o que lhes dá aptidões diversas.
Necessária é a variedade das aptidões, a fim de que cada um possa concorrer para a execução dos desígnios da Providência, no limite do desenvolvimento de suas forças físicas e intelectuais.
O que um não faz, fá-lo outro.
Assim é que cada qual tem seu papel útil a desempenhar.
 Demais, sendo solidários entre si todos os mundos, necessário se torna que os habitantes dos mundos superiores, que, na sua maioria, foram criados antes do vosso, venham habitá-lo, para vos dar o exemplo.
Como  é  bom  começarmos  a sentir  que todos  somos importantes e temos  de ajudar e compreender.
um grande abraço de muita paz
 Manuel Altino
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: hcancela em 02 de Outubro de 2011, 13:46
Olá amigos(as)



A Doutrina Espírita embora compreenda e explique muitos fenômenos sociais e econômicos, através da tese reencarnacionista, é revolucionária, porque propõe mudanças estruturais do ser humano; não contemporiza com a concentração de riqueza e com a ausência de fraternidade, que significam a manutenção de privilégios e de excessos no uso dos bens, das riquezas e do poder de uns poucos em detrimento do infortúnio da maioria. O mais amplo sentido de Justiça Social, segundo a visão do Espiritismo, é a que está gravada no escrínio da consciência humana, que estimula o homem a cumprir seus deveres honestamente e a proteger seus direitos, respeitando os direitos alheios.

Urge que se crie uma mentalidade crítica, que permita estabelecer novos comportamentos com foco na solidariedade. A sociedade deve formatar novos modelos de convivência lastreados na fraternidade e no amor. A falta de percepção da interdependência e complementaridade, entre os indivíduos, gera uma visão individualista, materialista, separatista.

Sabemos das quantias exorbitantes, em dinheiro, que são gastas na produção de armas, pelos países desenvolvidos, para fomentar guerras. Temos consciência de que o montante monetário destinado à guerra seria suficiente para minorar ou erradicar a pobreza humana em poucos anos. Como modificar este panorama de desigualdade e insegurança? Como diminuir continuamente a manifestação da violência nas suas mais diversas nuanças? Cremos que o desenvolvimento de uma cultura de amor e fraternidade com base no Evangelho é ponto relevante para todas as denominações políticas, filosóficas e religiosas comprometidas com a conquista definitiva da paz entre os homens no planeta.


Saudações faretnas
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Anton Kiudero em 02 de Outubro de 2011, 14:01
Deus cria os acontecimentos da existencia material de cada um dos espiritos encarnados. E isto é fruto do livre arbitrio do espirito.

Por mais que outros espiritos desejem alterar estes acontecimentos, não o poderão fazer, simplesmente por não serem Deus.

No entanto podem tentar fazer o possivel, que será sempre aquilo que Deus deseja que seja feito. E nem um milimetro a mais, nem para melhor e nem para pior.

Isto esta descrito detalhadamente no Livro dos Espiritos.

De nada adianta culpar o presidente, os governos e as instituições e a outros seres humanos. Porque cada um esta cumprindo a sua parte na obra de Deus.

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Edna☼ em 02 de Outubro de 2011, 14:04
Olá Lukas e demais amigos queridos! :)


•   Da desigualdade das riquezas

A desigualdade das riquezas é um dos problemas que em vão se procuram resolver, quando se considera apenas a vida atual. A primeira questão que se apresenta é a seguinte: Por que todos os homens não são igualmente ricos? ???  Por uma razão muito simples: é que não são igualmente inteligentes, ativos e laboriosos para adquirir, nem sóbrios e previdentes para conservar. Aliás, é uma questão matematicamente demonstrada que, supondo-se feita essa repartição, o equilíbrio seria rompido em pouco tempo, em virtude da diversidade de caracteres e aptidões; que, supondo-a possível e durável, tendo cada um somente o necessário para viver, isso equivaleria ao aniquilamento de todos os grandes trabalhos que concorrem para o progresso e o bem-estar da humanidade; que, portanto, supondo-se que ela desse a cada um o necessário, desapareceria o estímulo que impulsiona as grandes descobertas e os empreendimentos úteis. Se Deus a concentra em alguns lugares, é para que dos mesmos ela se expanda, em quantidades suficientes, segundo as necessidades.

Admitindo-se isto, pergunta-se por que Deus a concede a pessoas incapazes de fazê-la frutificar para o bem de todos? ???  Essa é ainda uma prova da sabedoria e da bondade de Deus. Ao dar ao homem o livre arbítrio, quis que ele chegasse, pela sua própria experiência, a discernir o bem e o mal, de maneira que a prática do bem fosse o resultado dos seus esforços, da sua própria vontade. Ele não deve ser fatalmente levado a um nem ao outro, pois então seria um instrumento passivo e irresponsável como os animais. A fortuna é um meio de prová-lo moralmente; mas como, ao mesmo tempo, é um poderoso meio de ação para o progresso, Deus não quer que permaneça improdutiva, e é por isso que incessantemente a transfere. Cada qual deve possuí-la, para exercitar-se no seu uso e provar a maneira por que o sabe fazer. Como há a impossibilidade material de que todos a possuam ao mesmo tempo, e como, se todos a possuíssem, ninguém trabalharia, e o melhoramento do globo sofreria com isso: cada qual a possui por sua vez. Dessa maneira, o que hoje não a tem, já a teve no passado ou a terá no futuro, numa outra existência, e o que hoje a possui poderá não tê-la mais amanhã. Há ricos e pobres porque, Deus sendo justo, cada qual deve trabalhar por sua vez. A pobreza é para uns a prova da paciência e da resignação; a riqueza é para outros a prova da caridade e da abnegação.

Lamenta-se, com razão, o triste uso que algumas pessoas fazem da sua fortuna, as ignóbeis paixões que a cobiça desperta, e pergunta-se se Deus é justo, ao dar a riqueza a tais pessoas.  É claro que, se o homem só tivesse uma existência, nada justificaria semelhante repartição dos bens terrenos; mas, se em lugar de limitar sua vida ao presente, considerar-se o conjunto das existências, vê-se que tudo se equilibra com justiça. O pobre não tem, portanto, motivo para acusar a Providência, nem para invejar os ricos, e estes não o têm para se vangloriarem do que possuem. Se, por outro lado, estes abusam da fortuna, não será através de decretos, nem de leis suntuárias, que se poderá remediar o mal. As leis podem modificar momentaneamente o exterior, mas não podem modificar o coração: eis porque têm um efeito temporário e provocam sempre uma reação mais desenfreada. A fonte do mal está no egoísmo e no orgulho. Os abusos de toda espécie cessarão por si mesmos, quando os homens se dirigirem pela lei da caridade.

por Allan Kardec

Desejo um lindo dia para todos!

Abraços fraternos sempre,

Edna ;)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Edna☼ em 02 de Outubro de 2011, 14:25
"Mas qual é, então, o melhor emprego da fortuna?  ??? 

Procurai nestas palavras: “Amai-vos uns aos outros”, a solução desse problema, pois nelas está o segredo da boa aplicação das riquezas. O que ama o seu próximo já tem a sua conduta inteiramente traçada, pois a aplicação que agrada a Deus é a da caridade. Não essa caridade fria e egoísta, que consiste em distribuir ao redor de si o supérfluo de uma existência doirada, mas a caridade plena de amor, que procura a desgraça e a socorre sem humilhá-la. Rico, dá do teu supérfluo; faze ainda mais; dá do teu necessário, porque o teu necessário é também supérfluo, mas dá com sabedoria. Não repelias o pranto, com medo de seres enganado, mas vai à origem do mal; ajuda primeiro; informa-te depois, para ver se o trabalho, os conselhos, a afeição mesmo, não seriam mais eficazes do que a tua esmola. Difunde ao teu redor, com a abastança, o amor do trabalho, o amor do próximo, o amor de Deus. Põe a tua riqueza sobre uma base segura e que te garantirá grandes lucros: a das boas obras. A riqueza da inteligência deve servir-te como a de ouro; difunde em teu redor os benefícios da instrução, distribui aos teus irmãos os tesouros do amor, que eles frutificarão."

por Cheverus, Bordeaux, 1861

Paz e luz sempre!

Edna ;)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Edna☼ em 02 de Outubro de 2011, 14:39
•   Desigualdade das Riquezas e desprendimento dos bens terrenos

"Se sois pobres, não invejeis o ricos, porque a fortuna não é necessária à felicidade. Se sois ricos, não esqueçais de que os vossos bens vos foram confiados, e que deveis justificar o seu emprego, como numa prestação de contas de tutela. Não sejais depositários infiéis, fazendo-os servir à satisfação do vosso orgulho e da vossa sensualidade. Não vos julgueis no direito de dispor deles unicamente para vós, pois não os recebestes como doação, mas como empréstimo. Se não sabeis pagar, não tendes o direito de pedir, e lembrai-vos de que dar aos pobres é saldar a dívida contraída para com Deus."

(Lacordaire, Constantina, Argélia, 1863)

Abraços fraternos sempre,

Edna ;)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 02 de Outubro de 2011, 15:37
A diversidade, seja de que ordem for, é o fator gerador das mudanças induzidas pela vontade...
Sem a diversidade, só teríamos monotonia deletéria, na qual sucumbiríamos todos, ao contrário de evoluirmos.
Cabe-nos comedimento, exercício inteligente da vontade e do movimento, principalmente na preparação de sí próprio, mas não para sí, e sim para servir...
Servir a única alternativa para não sermos inúteis e monotonos, extinguíveis, por implosão de inanição.
Murcharíamos...
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 02 de Outubro de 2011, 16:38
As desigualdades embora as mais das vezes, se nos apresenta emolduradas pela crueldade e é de se lamentar...
Mas não um lamento de dor, e sim um lamento pela insurjeição presente em todos os sujeitos da crueldade, os crudelizados e os crudelizadores, ambos se revoltam contra o sublime  objetivo das diferenças, e poucos a usam para acumular para si de forma egoística, e outros muitos se revoltam e quedam-se... Alguns sem luta numa inanição penosa, outros pela ira, pela selvageria, apropriações indignas, que os poucos usam para, pela hipocrisia se justificarem, quando em verdade precisamos mesmo é de lutar pela educação e pela saúde, única via prática para nós nos elevarmos  em amor, cultura e conhecimento e abafar a crueldade de poucos egoístas.
Então esses poucos desaparecerão pela razão mesma das coisas.

Todos devemos aprender a reconhecer nas diferenças materiais o material didático mais eficiente para a evolução das percepções, ferramenta precisa que nos conduz  ao conhecimento de nós mesmos das nossas próprias emoções, e as aprendermos a controlar com o objetivo de sermos úteis aos que evoluem à nossa retaguarda.
Aprender a diferença, entre a nossa emoção e a alheia, que pelo pleroma, nos faz pensar uma só coisa...
A estruturação em nós desse conhecimento é ferramenta útil e precisa para virmos-a-ser algum dia livre de enganos e donos do nosso arbítrio.
Mesmo sofrendo, a sublimidade do evoluir, seja qual for a ordem da mutabilidade que se nos apresenta, precisamos em primeiro lugar, entender algo muito importante:
Tudo passa... Tudo passará, e o que ficar no final será o saber...
Exatamente igual lá na salineira, quando a maré alta invade as quadras de decantação, parece que nada sairá dali, algumas horas de sol aberto, sobra seco e preparável para nutrição essencial de nossos corpos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: EsoEstudos em 02 de Outubro de 2011, 17:30

Há um imenso enredamento de vivências, experiências, posturas, condutas enfim, pelo que é muito difícil (senão impossível) vislumbrar a resultante que reúne grupos dentro de grupos.

Daí conceitos como "carma individual" e "carma coletivo".
Título: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 02 de Outubro de 2011, 18:03
Olá companheiros/as,

Necessariamente para o meu aprendizado de vez que na proposta do estudo ao tópico me incluo, estive lendo e estudando as postagens, já em número bem expressivo. É-me muito gratificante o interesse.
Em absoluto, devo dizer, coloco-me na condição de julgador e de proferir sentença, até porque não reúno potência intelectual para formar uma opinião derradeira, em torno de um assunto de alta complexidade, contrário senso, já nem estaríamos lidando com a matéria.
Bastante e intensamente se constata a indignação e/ou de inconformação quanto ao caos moral em que se encontra a sociedade humana em nosso Planeta – Houve quase que por inteiro o recair dos nossos olhares numa visão mais espacial, isto é, do todo, do conjunto global e nefasto a contribuir para o mal-estar do indivíduo, como, por assim dizer, a transferirmos inteiramente à responsabilidade  desse estado de coisas a outrem e/ou a instituições.
Como a me defender, ou para defender-me mesmo! Inúmeras vezes, no meu cadinho existencial surgiram “remédios” para aplacar a agressão da consciência que me acusava – Em vão o esforço para eximir-me à responsabilidade. Mas, a certeza que algo deveria ser feito para alterar a perturbação das relações sociais, pois conforme afirma A. KARDEC, sempre aceitei esta afirmação, mesmo antes de saber do querido codificador: “... HÁ NO HOMEM ALGUMA COISA A MAIS, ALÉM DAS NECESSIDADES MATERIAIS...”
“Vira e mexe” vulgarmente falando, perdoem-me  irreverência, a sentença acima, remeteu-me a uma situação de exame nuclear, qual seja: a de examinar a questão, não mais do ponto de vista do efeito, ou seja: saindo do comportamento da sociedade no âmbito global, fortemente acusada, indo ao berço, isto é, a sociedade familiar que vejo sob forte perturbação ou desmantelamento, como causa do coletivo indesejável que se nos apresenta. Este aspecto, e até aqui, meio que passou na tangente e quando tocado, a meu ver, salvo melhor juízo, o foi de forma muito tímida.
Lendo matéria postada na “Internet,” a recolhi, e a estou anexando. Um pouco extensa talvez, mas, por achar-se calcada sob a ótica espírita, acredito, muito nos poderá auxiliar. Salientando que tempo não nos falta não é verdade?
Espero estar colaborando pois este é o meu único e maior desejo.

Recebam meu afetuoso abraço.
            lukas
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 02 de Outubro de 2011, 21:22
Amado Irmão,
Exatamente no dia 30/agosto-01/setembro, completam 21 anos que decidí, volver-me inteiramente para a família, mas eu compreendia familia de maneira equivocada...
Familia é a carnal para juntar os diferentes, e a Espiritual para unir os iguais...
Nada mudou... A marcha continua exatamente como nas antigas eras...
Não creiamos em derrotismos, creiamos em dificuldades e dificuldades cada vez maiores na medida da nossa capacidade de vencê-las, e esta evolui sistematicamente lenta, mas de forma persistente, posto que muito há ainda para aprendermos.
A verdadeira familia a Espiritual, inteligentemente sob a égide do Creador, une na carne os diferentes, para consubstanciar a evolução psíquica...
A chamada familia carnal, só desenvolve possibilidades economicas e intelectuais, no que lhes é permitido de acordo com a lei natural que dirige os homens...
Conheci familia carnal rigida quando trabalhei nos EUA nos Estados da Nova Inglaterra, e os descendentes romanos lá exercem com intenso rigor o domínio, das exclusividades para garantir sustentabilidade em suas vidas materiais... Cito o exemplo que vivi: na coleta de lixo de N.Yorque ao Maine...
Essa não é a verdadeira família, é família ilusão do pleroma, para impor diferenças...
As diferenças é que precisam ser aceitar e superadas pela decisão de cada um na educação e no desenvolvimento moral, que esta doutrina bendita consagra, via Evangelho de Luz.
Sim há algo que nos foge ainda à percepção, mas neste ítem aprendí aceitar e agora estou pronto para recomeçar, pois depois de tanto aprender, descobri que nada sei.

Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: M.Altino em 03 de Outubro de 2011, 12:12
Um Abraço a todos
Realmente  o que tenho lido nestes comentários  que  nos dão uma  grande  dimensão da vida  e muito mais  na família.
Como seria muito bom sentirmos que todos  a desigualdades que  são uma chaga neste planeta , como podemos sentir  na grande força que  tem a família no equilibro emocional de  todos nós.
Mas  o importante e  cada um de nós ficarmos conscientes  que aqui neste planeta temos  sempre uma grande prova a realizar .
Sermos capazes de  colocar  na prática todos as nossas possibilidades de sermos  muitas  vezes os apaziguadores no meio da turbulência que muitas vezes somos envolvidos.
Façamos  um pouco  no nosso meio , mesmo sabendo que  apenas  aqui estamos a  limar aresta de  vidas passadas e termos consciência que a verdadeira família  como nos diz Kardec  e de uma forma muito  simples no livro da Gênese :

    Mas, a essa ideia eminentemente justa da criação, faz-se mister acrescentar a da humanidade solidária e é nisso que consiste o mistério da eternidade futura.
Uma mesma família humana foi criada na universalidade dos mundos e os laços de uma fraternidade que ainda não sabeis apreciar foram postos a esses mundos.
Se os astros que se harmonizam em seus vastos sistemas são habitados por inteligências, não o são por seres desconhecidos uns dos outros, mas, ao contrário, por seres que trazem marcado na fronte o mesmo destino, que se hão de encontrar temporariamente, segundo suas funções de vida, e encontrar de novo, segundo suas mútuas simpatias.
 É a grande família dos Espíritos que povoam as terras celestes;
é a grande irradiação do Espírito divino que abrange a extensão dos céus e que permanece como tipo primitivo e final da perfeição espiritual
.
[38  cap. VI  página 136 item 56 ]
- Allan Kardec  - A Gênese - 1868

Então   podemos   compreender que  uma  das grandes  missões enquanto encarnados será  uma grande prova o tentarmos realizar  um pouco à nossa volta com que  as desigualdades  sejam  menos  duras e  que o sofrimento seja  reduzido.
Embora temos a consciência que  a parte mais dura e mais  extensa é  dos homens que lideram o mundo.
Se  cada um  deles  fizessem um pouco mais , e não  queimassem tanto dinheiro em guerras e  outras coisas que  fazem no sentido da destruição ......... Como seria  muito bom  para o planeta.
Então  para todos   meditarem  que  pelo menos  cada um de nós pode fazer um pouco lhes deixo  estas palavras de Emmanuel que pode  servir de exemplo para todos :

Quanto mais nos adentramos no conhecimento de nós mesmos, mais se nos impõe a obrigação de compreender e desculpar, na sustentação do equilíbrio em nós e em torno de nós.
 Daí a necessidade da convivência, em que nos espelhamos uns aos outros, não para criticar-nos, mas para entender-nos, através de bendita reciprocidade, nos vários cursos de tolerância, em que a vida nos situa, no clima da evolução terrestre
 Assim é que, no educandário da existência, aquele companheiro:
 Que somente identifica o lado imperfeito dos seus irmãos, sem observar-lhes a boa parte;
 Que jamais se vê disposto a esquecer as ofensas de que haja sido objeto;
 Que apenas se lembra dos adversários com o propósito de arrasá-los, sem reconhecer-lhes as dificuldades e os sofrimentos;
 Que não analisa as razões dos outros, a fixar-se unicamente nos direitos que julga pertencer-lhes;
 Que não se enxerga passível de censura ou de advertência, em momento algum;
 Que se considera invulnerável nas opiniões que emita ou na conduta que espose;
 Que não reconhece as próprias falhas e vigia incessantemente as faltas alheias;
 Que não se dispões a pronunciar uma só frase de consolação e esperança, em favor dos caídos na penúria moral que se utiliza da verdade exclusivamente para ameaçar ou ferir...
 Será talvez de todos nós aquele que mais exija entendimento e ternura, de vez que, desajustado na intolerância, se mostra sempre desvalido de paz e necessitado de amor.

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Ceifa de Luz.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.

Apenas  é  uma  meditação que  pode  ajudar a tentarmos compreender  tantas injustiças  neste planeta e tantas desigualdades ..............façamos  a nossa parte já  seria muito bom ..........
Uma grande abraço
Manuel Altino
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: maria.ma@ em 03 de Outubro de 2011, 14:21
Fernando Pessoa

Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.


Paz na Terra (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PThtMnkzZ2kwd3ZVIw==)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Matheus RA em 04 de Outubro de 2011, 05:53
Vou ser simples em minha mensagem:

-Não existe desigualdade ...Segundo o Espiritismo

Se aqui nada nos pertence...apenas temos o nosso espírito...e nisto todos seres humanos são iguais.

O que temos é o espírito que evolui intelectualmente e moralmente...

No mais,o que temos de material se resume a prova...a riqueza e uma prova muito sedutora...
E a pobreza e dura...

Mas cada um com a sua prova e expiação.

Abraço
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 04 de Outubro de 2011, 15:37

Estimados(as) companheiros(as) de estudo,

agrego mais este conteúdo, que penso, encaixa-se perfeitamente dentro de esclareimentos e de explosões de idéias que não conflitam com o tópico. Saliente-se não pretender com esta iniciativa, abrir a idéia de que esteja tentando moldar pensamentos. Seria escuso, pois feriria o livre-arbítrio.


TEMPOS ATUAIS

A Humanidade terrena atravessa um período de sua história que permite
prever eventos próximos importantes, tanto de natureza material quanto de ordem
espiritual.
Século e milênio prestes a findarem deixam antever claramente que ocorrerão
transformações profundas na sociedade humana em nosso Planeta. A vinda de Jesus
ao Mundo assinalou a decadência do paganismo, o fim do politeísmo. O milênio atual
dissipou as sombras medievais e os dois últimos séculos mostram que a primazia deve
ser a dos valores morais, de conformidade com o que esclarecem as leis divinas que
regem a vida, o Espírito e o Universo.
As reformas sociais de vulto geram invariavelmente turbulências. O progresso
científico, tecnológico e industrial alcançado acarretou, por outro lado, conseqüências
graves. Os valores espirituais permaneceram quase sempre postergados com a nefasta
prevalência dos interesses materiais, levando as pessoas a embrutecimento temporário
mas profundamente pernicioso para o progresso da alma, mergulhada em ilusórias
conquistas e fugazes prazeres.
Raças e povos de tradições milenares no Mundo exibem cenas de distúrbios
provocados por desemprego e instabilidade de cunho econômico. O crescimento
populacional e o aprimoramento de máquinas industriais fazem com que parte da
população permaneça ociosa. Dificuldades se agravam gerando conflitos e violências,
insatisfações e desvios de comportamento. Orçamentos públicos e privados estão
freqüentemente desequilibrados por despesas crescentes ocasionando endividamentos
escravizadores. Há visível agravamento de dificuldades para obtenção dos recursos e
meios de subsistência de grandes contingentes humanos. Alimentos e água potável
escasseiam e a poluição de várias feições é preocupante.
Nações emergentes apresentam quadros ainda mais sombrios. Governantes
insensíveis e vaidosos se incumbem de implantar na população a desilusão em lugar de
promoverem a instrução e combaterem a incerteza e a descrença. Os legítimos anseios
das criaturas não são atendidos. A infância não desfruta de segurança, de
encaminhamento adequado. Crianças vagueiam sem rumo, sem escola, sem alimento
nem teto, sobretudo sem o amor indispensável para que possam conhecer Deus e
encontrar paz e felicidade. Em nome de um modernismo inconseqüente menosprezam se
os valores morais sadios cultivados no seio da família, célula essencial da
sociedade. Abusos de variados matizes são impunemente cometidos, dissimulando
práticas abomináveis como se fossem amparadas pelo progresso social, pela liberdade
e demais direitos da pessoa. As desuniões nos lares são as mostras patentes do
afastamento da criatura de seu Criador. Modernidade jamais significará devassidão de
costumes veneráveis.
Todo esse panorama está a indicar fim de ciclo doloroso. Um novo há de se
iniciar no qual deverão ser encontradas as soluções adequadas.
O império do egoísmo, do orgulho, do materialismo começa a ser demolido.
Tudo leva a crer que em seu lugar erguer-se-á o reinado da fraternidade onde os
interesses reais do Espírito deverão prevalecer. Governantes incompetentes e extensa
lista de injustiças e paixões vis será certamente superados, alijados dos caminhos
humanos pela força mesma das coisas, da verdade, da evolução.
Desde épocas remotas até os dias atuais, a sociedade humana experimentou
diversas modalidades de vida e de comportamento. Utilizou as experiências de Esparta
e de Atenas. A dissolução dos costumes levou à decadência o poderoso Império
Romano. Os abusos, desmandos e injustiças de cortes irresponsáveis e imprudentes
deram ensejo à Revolução Francesa. O ser humano superou as conseqüências da
Revolução Industrial. Tantos eventos serviram de lição, tantos meios foram tentados em
busca de solução para as dificuldades e desafios. Fortalezas e regimes com aparências
inexpugnáveis ruíram. Chega-se agora às proximidades de grandes aflições que
ameaçam todos os povos.
A maneira definitiva de suplantar todas as vicissitudes não é através de fórmula
nova, de laboratório, pelo contrário, é antiga, mas está esquecida há quase dois
milênios. É a receita do amor que Jesus deixou na Palestina. Não há outra solução para
os problemas humanos, quaisquer que sejam. Por isso Ele nos esclareceu: “Eu sou o
“caminho, a verdade e a vida...”
Fala-se muito em má distribuição de renda, mas, realmente o que ocorre é
grande disseminação de miséria. Concentração de riquezas, desperdício de recursos
públicos e particulares, malversação de verbas, improbidades administrativas,
privilégios odiosos poderio bélico ostensivo prevalecendo sobre a angustiante
necessidade de educação e saúde é algumas das principais causas fomentadoras de
pobreza e sofrimentos. Contudo, as origens profundas são sempre as mesmas:
egoísmo, orgulho, cobiça e um extenso rol de inferioridades fazendo o mal predominar
no ambiente terreno e gerar crises sucessivas. É natural que existam dificuldades na
senda da evolução, mas vencê-las é tarefa para o progresso do Espírito. Entretanto,
muitas delas decorrem da incúria, da ignorância, da maldade da própria alma humana,
são conseqüências de suas imperfeições.
As religiões, seus representantes e adeptos são partes da comunidade humana
e estão do mesmo modo envolvidos nas convulsões atuais, engajados na luta de
sobrevivência e de demanda de solução para os problemas comuns a todos. Até agora,
porém, não lograram êxito, seja por incapacidade ou por incúria. Não conseguiram
encontrar o caminho verdadeiro a despeito do decurso dos evos. Divergem até mesmo
em questões fundamentais, como, por exemplo, quanto às leis que regem a vida e o
Espírito. Espalhadas pelo Mundo, cada facção religiosa concebe uma verdade exclusiva
sem demonstrar qualquer esforço ou empenho em encontrar o caminho comum que
leva a Deus. As religiões parecem ignorar que o Criador é o Pai de todas as criaturas e
que não tem preferência por nenhum de Seus filhos, independentemente da fé que
cada qual traz ou não no coração.
As ameaças sombrias que pairam sobre a Humanidade devem ser consideradas
à luz das verdades já alcançadas, e examinadas sob essa nova ótica. O Mundo não
comporta mais a convivência com o materialismo obtuso de acanhados horizontes. A
vida, em todas as suas manifestações, não pode ser usufruída em sua plenitude e em
paz sem a consciência da existência de Deus e de Suas leis, do Espírito imortal, das
vidas sucessivas, dos preceitos morais. Velhas concepções estão ultrapassadas e não
devem mais povoar a mente humana e ditar os rumos do destina das pessoas.
As verdades trazidas aos habitantes da Terra pelo Consolador sob a égide de
Jesus conduzem aos rumos certos. A prática do bem, do amor ao próximo e a busca da
sabedoria facultam a edificação do destino feliz. .

REFORMADOR EDIÇÃO INTERNET – FERGS (Federação Espírita do R.G.doSul/Br.
 
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Ann@ em 04 de Outubro de 2011, 15:52

Somos todos iguais perante a criação, disto não temos dúvidas!

Obviamente a desigualdade social mexe muito com muitas pessoas, mas concordo que todos nós estamos exatamente onde deveríamos estar - afinal vivemos as situações necessárias ao nosso aprendizado e evolução.

Porém a responsabilidade que cada um de nós (encarnados) possui no auxílio e na compaixão também deve ser exercitada e aprendida. Algumas situações nos chegam exatamente para saber qual a nossa atitude.

Ana
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Edna☼ em 04 de Outubro de 2011, 23:53
Olá a todos! :)

Lukas, muito bom o material que nos trouxe para refletir sobre a importância da família e do amparo social a criança, para que sentindo-se protegida, amada, respeitada, feliz e equilibrada, reúna em si condições para construir um mundo e um futuro melhor.

O materialismo leva a inversão de valores, pois que desconhece um dos pontos principais do ensino de Jesus que é a vida futura, a qual prepara o homem no seu aperfeiçoamento a partir de agora, pois que dá sentido a vida e, por conseqüência, passa a amar, cuidar e respeitar o próximo como um irmão em humanidade.

Sabemos que as desigualdades não são frutos do acaso, em tudo há aprendizado e cumprimento das leis naturais, mas, tenhamos sempre em mente que Deus não coloca “ninguém” em nosso caminho para que sejamos instrumento de punição, mas sim de auxílio e amor.

Neste contexto vale destacar as palavras do querido codificador:

 “O Espiritismo é, sem contestação, o elemento mais potente de moralização, porque alui os fundamentos do egoísmo e do orgulho, dando sólido fundamento à moral; faz milagres de conversão. Não são, ainda, é certo, senão curas individuais e, quase sempre, parciais; mas o que ele produz nos indivíduos é prenuncio do que produzirá um dia nas massas populares. Não pode, de uma vez, arrancar toda a erva daninha; mas dá a fé, que é a boa semente e que não precisa senão de tempo para germinar e frutificar. Eis porque ainda não são todos perfeitos. Ele encontrou o homem no meio da vida, no ardor das paixões, na força dos preconceitos, e se em tais condições tem operado prodígios, como não operará quando o tomar no berço, virgem de todas as impressões maléficas, quando lhe der, com o leite, a caridade, e o acalentar com a fraternidade, quando, enfim, uma geração inteira vier alimentada por idéias que a razão fortificará em vez de debilitar? Sob o império dessas idéias, que serão mandamentos de fé racional para todos, o progresso, limpando a estrada do egoísmo e orgulho, penetrará nas instituições que se reformarão a si mesmas, e a humanidade caminhará para os destinos que lhe são prometidos na terra, enquanto não chega a hora de alcançar o céu.

(in, Obras Póstumas)


O am♥r é o eterno fundamento da educação.”
Pestalozzi


Abraços fraternos sempre,

Edna ;)

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Carolina Morais em 05 de Outubro de 2011, 03:33
Primeiramente, gosto muito dessa discussão, pois faço Serviço Social e esse tema sempre me rondou... rsrs

Gosto muito da ideia de Herculano Pires no livro "O Reino".
Segundo ele, na "Dialética do Reino" - no caminho para se atingir o Reino de Deus - não há como mudar a sociedade sem mudar o homem, mas também não se muda o homem sem condições materiais adequadas, que proporcione condições para que, segundo Kardec, exista apenas uma "Desigualdade de méritos". Ou seja, é necessário intervir na sociedade, nas condições materiais.Gosto da ideia de Leon Denis, em "Socialismo e Espiritismo" quando diz que o Espiritismo não é revolucionário, e sim evolucionista.

Na Questão 930, Os Espíritos são muito objetivos ao dizer que "Em uma sociedade segundo a lei do Cristo, ninguém deve morrer de fome".
Pra mim é muito claro por essa frase que as desigualdades de CONDIÇÕES é obra dos homens e não de Deus, e que não deve permanecer.
A Desigualdade DE RIQUEZAS, sim, é lei natural, lei divina.
A sociedade deve trabalhar para que todos tenham as mesmas condições, e que a desigualdade seja consequência da desigualdade de aptidões e não pela falta de oportunidades e acesso.

O que me dá muito receio nas interpretações ( feitas pela metade rs) sobre a desigualdade como lei natural é exatamente o naturalizar totalmente a pobreza e a miséria e isto levar à imobilidade: "já que é natural que haja desigualdade, tal pessoa tinha que estar assim mesmo." Acredito que o Espiritismo vá além disso. Pra mim isso só perpetua a pobreza e não extuingue-a.
No mesmo texto em que Kardec fala sobre a desigualdade das riquezas, diz que aqueles que estão em melhores condições - momentâneas - tem o dever de auxiliar aqueles que não estão.
E segundo, e mais brilhante - porque Kardec não dá ponto sem nó-, no Evangelho Segundo o Espiritismo há um item: "Dever-se há pôr termo às provas do próximo?", no Cap. V, Bem- aventurados os aflitos.
Encerro com a resposta impecável dos espíritos:


    " Já vos temos dito e repetido muitíssimas vezes que
estais nessa Terra de expiação para concluirdes as vossas
provas e que tudo que vos sucede é conseqüência das vos-sas existências anteriores, são os juros da dívida que ten-des de pagar. Esse pensamento, porém, provoca em certas
pessoas reflexões que devem ser combatidas, devido aos
funestos efeitos que poderiam determinar.
     Pensam alguns que, estando-se na Terra para expiar,
cumpre que as provas sigam seu curso. Outros há, mesmo,
que vão até ao ponto de julgar que, não só nada devem
fazer para as atenuar, mas que, ao contrário, devem contri-buir para que elas sejam mais proveitosas, tornando-as mais vivas. Grande erro. É certo que as vossas provas têm de
seguir o curso que lhes traçou Deus; dar-se-á, porém,
conheçais esse curso?
Sabeis até onde têm elas de ir e se o
vosso Pai misericordioso não terá dito ao sofrimento de tal ou tal dos vossos irmãos: “Não irás mais longe?” Sabeis se a Providência não vos escolheu, não como instrumento de
suplício para agravar os sofrimentos do culpado, mas como
o bálsamo da consolação para fazer cicatrizar as chagas
que a sua justiça abrira? Não digais, pois, quando virdes
atingido um dos vossos irmãos: “É a justiça de Deus, im-porta que siga o seu curso.” (...)     
     Vejamos mesmo se Deus não me
pôs nas mãos os meios de fazer que cesse esse sofrimento;
se não me deu a mim, também como prova, como expiação
talvez, deter o mal e substituí-lo pela paz.”

     Deve o espírita estar com-penetrado de que a sua vida toda tem de ser um ato de
amor e de devotamento; que, faça ele o que fizer para se
opor às decisões do Senhor, estas se cumprirão. Pode, por-tanto, sem receio, empregar todos os esforços por atenuar
o amargor da expiação, certo, porém, de que só a Deus
cabe detê-la ou prolongá-la, conforme julgar conveniente.

     Resumindo: todos estais na Terra para
expiar; mas, todos, sem exceção, deveis esforçar-vos por
abrandar a expiação dos vossos semelhantes, de acordo
com a lei de amor e caridade."
 Bernardino, Espírito prote-tor. (Bordéus, 1863.)


Que esse fórum ajude, como tem ajudado, a entendermos melhor as palavras de Kardec e dos espíritos, de acrescentar com todas as contribuições que diversos autores tem trazido sobre o Social e que são tão pouco conhecidos ainda.

Indico um site: http://viasantos.com/pense/

E anexo 2 textinhos que gosto muito. e indico a leituro de "O Reino", livro muito pequeno e fantástico!

Grande abraço!!

Carol Morais
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Thiago Nalli em 05 de Outubro de 2011, 17:58
Olá a Todos.

Sou um Ex-Espirita (Não Praticante), estou tentando voltar para a Doutrina, e assim como a Carol que postou logo acima, faço Faculdade de Serviço Social. Espero poder aprender muito com esse tema, não só a parte Religiosa como na minha Futura profissão. Só fiquei meio com "receio" pois o pessoal sabe muito aqui. Espero que tenham paciência pois estou aprendendo ainda.

Abraços a Todos
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Kazaoka em 05 de Outubro de 2011, 18:42
As misérias humanas ocorrem em todos os pontos do planeta e exigem atitudes emergenciais para suprirem as faltas materiais mais urgentes. A mobilização geral para estes socorros envolvem Almas tomadas de sentimento caritativo que, sensibilizadas com os quadros, se agregam, organizam-se e intervém contra o mal imediato. Esta é a ação socorrista a nível da materialidade.
Imediatamente após esta, deve haver um auxilio mais profundo que busque diagnosticar e tratar as causas que levaram àquela situação de penúria e dor. Nas células Espíritas que são as casas de atendimento (CE), sempre existe um trabalho de assistência social que fornece a sopa, cestas básicas, roupas, etc.. E as Almas necessitadas que a elas recorrem, quase sempre não têm acesso aos trabalhos de evangelização, orientação espiritual e outras atividades doutrinárias que normalmente existem nas CE.
O trabalho é tão lento quanto judicioso, mas é necessário que seja feito. Suprir a falta material é necessidade e fomentar o progresso espiritual é a sublimação da caridade, é o Amor.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 05 de Outubro de 2011, 20:45
Querido amigo lukas e amigos participantes do estudo mensal. Boa tarde, muita paz  a todos vós

NEGÓCIOS HUMANOS

No capítulo das preocupações da vida humana, urge considerar que todas elas são importantes e, a rigor, não existe pergunta que não necessite de resposta, esclarecimento, informe, orientação.

De que modo menosprezar as inquietações alheias, quaisquer que sejam, sem tisnar as fontes da caridade?

Entretanto, ao lado dos assuntos puramente espirituais, temos outros propriamente vinculados ao plano físico, tão respeitáveis, aliás, quanto às questões que afetam o imo da alma, tais quais sejam:

obtenção de trabalho;

melhoria de vencimentos;

transações em perspectiva;

mudanças prováveis;

redução de prejuízos;

instalação de empresas;

dificuldades econômicas;

apoio em questões com a justiça;

reivindicações financeiras;

pacificação doméstica;

rearmonização em serviço;

condução de filhos;

amparo ao casamento;

necessidade de companhia;

solução de lutas afetivas.

Todos os temas do caminho terrestre são respeitáveis, repitamos; no entanto, sempre que te surjam no dia-a-dia, recorda que são eles os testes da escola humana em que te encontras, a fim de que aprendas a decidir e a escolher, nas trilhas da existência, e para que realizes o melhor nas tarefas de que te deves desincumbir.

Por semelhante motivo, sempre que problemas de natureza material te asfixiem no clima das tribulações terrenas, não exijas a opinião dos outros, nas responsabilidades que te dizem respeito, e sim recorre à prece,

rogando o socorro da inspiração divina para as medidas que te caiba promover ou patrocinar, de vez que, em qualquer caso de consciência, a decisão pertence a cada um de nós, com as repercussões naturais e justas, diante das leis de Deus.

Emmanuel

Do Livro: Rumo Certo

Psicografia: Francisco Cândido Xavie
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: antonio renato em 06 de Outubro de 2011, 00:58
Caros irmãos e irmães de caminhada.Deus em sua bondade criou e deu a todos
as mesmas igualdades,mas pela suas rebeldias em seguir as suas leis universais,o ser hu-
-mano criou às desigualdades em nome de um progresso.À medida em que a humanidade
caminha para um progresso material,criando novas tecnologias,diminuindo as distâncias
globais,criando novas fronteiras de trabalho,para melhoria da suas condições de vida,vai aumentando às transgressões às leis de Deus,sendo a principal delas a lei do AMOR. Ao se modernizar para acompanhar esse progresso,ele se torna mais frio,mais egoista,men-
-os solidário e também olhando menos para às necessidades dos outros.O ideal seria que
todos vivessem com menas desigualdades,daí então teriamos um mundo melhor,caminha-
-riamos então para um verdadeiro progresso.
Fiquem na paz,e que Deus na sua infinita grandeza nos abençoe sempre.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: M.Altino em 06 de Outubro de 2011, 11:50
Um Abraço  a todos
Amigos  muito falamos em desigualdades sociais o que  é muito importante, pois é através destas reflexões que  podemos constatar  o que para todos nós é uma evidência.
Mas  que fazer no meio de tantos desajuste neste planeta?
Então por vezes  o sabermos  de tantas desigualdades que  existem , será que  todos  fazemos a nossa parte.
No nosso lugar!
No nosso ambiente !
No que nos rodeia !
Cada um de  nós  podemos meditar um pouco,  e  ainda mais responsáveis  somos , pois   conhecemos   como a Doutrina espirita nos dá uma visão   muito mais abrangente deste  grande  problema que afecta a humanidade, podemos  ser  trabalhadores  para que  possamos  tornar melhor, pelo menos o que  pode ser resolvido á nossa volta .
E para  melhor o entendermos  temos  sempre  Kardec  que nos vai alertando e orientando para sabermos  o quanto  somos por vezes coniventes  nesta problemática das dedigualdades  no Planeta.
Posto de parte o direito que a lei humana consagra, a base da justiça, segundo a lei natural, disse o Cristo:
Queira cada um para os outros o que quereria para si mesmo.
 No coração do homem imprimiu Deus a regra da verdadeira justiça, fazendo que cada um deseje ver respeitados os seus direitos.
Na incerteza de como deva proceder com o seu semelhante, em dada circunstância, trate o homem de saber como quereria que com ele procedessem, em circunstância idêntica.
Guia mais seguro do que a própria consciência não lhe podia Deus haver dado.
          Efetivamente, o critério da verdadeira justiça está em querer cada um para os outros o que para si mesmo quereria e não em querer para si o que quereria para os outros, o que absolutamente não é a mesma coisa.
        Não sendo natural que haja quem deseje o mal para si, desde que cada um tome por modelo o seu desejo pessoal, é evidente que nunca ninguém desejará para o seu semelhante senão o bem.
Em todos os tempos e sob o império de todas as crenças, sempre o homem se esforçou para que prevalecesse o seu direito pessoal.
A sublimidade da religião cristã está em que ela tomou o direito pessoal por base do direito do próximo.
[9a - página .404 questão 876]
 Então vejamos  que  nesta questão podemos  sentir o verdadeiro sentido de justiça que  deve haver entre os homens .
Assim as desigualdades que existem neste planeta seria muito menos  se  todos os homens  a  tivessem  no seu ambiente  natural e à sua volta .
 Um grande  abraço de muita paz
Manuel Altino

 
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: hcancela em 06 de Outubro de 2011, 14:08
Olá amigos(as)



A Doutrina Espírita embora compreenda e explique muitos fenômenos sociais e econômicos, através da tese reencarnacionista, é revolucionária, porque propõe mudanças estruturais do ser humano; não contemporiza com a concentração de riqueza e com a ausência de fraternidade, que significam a manutenção de privilégios e de excessos no uso dos bens, das riquezas e do poder de uns poucos em detrimento do infortúnio da maioria. O mais amplo sentido de Justiça Social, segundo a visão do Espiritismo, é a que está gravada no escrínio da consciência humana, que estimula o homem a cumprir seus deveres honestamente e a proteger seus direitos, respeitando os direitos alheios.


Saudações fraternas
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Érica Alves em 06 de Outubro de 2011, 18:47
Boa tarde a todos,

Lukas meu querido, encantada com tudo, como sempre me encanto com suas palavras.
Obrigada por mais este tema, estou acompanhando...

Um forte abraço.


Érica
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Taprobana em 06 de Outubro de 2011, 22:02
Um pensamento

Marx escreveu: "Até o momento, os filósofos apenas interpretaram o mundo; o fundamental agora é transformá-lo."

Joaquim escreve: “Os filósofos interpretam a vida e a morte; o fundamental agora é transformá-las.”
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: pati em 06 de Outubro de 2011, 22:31
Bons dias a todos!
Antes de terminar a leitura do que aqui foi exposto, gostaria de parabenizar pelo belo vídeo de apresentação do tema. O forum está de parabéns! A cada tema um melhor trabalho apresentado. Dividi com outros irmãos, num site social, pois o achei de grande valia para quem se interessa pelas coisas espirituais. Mais uma vez parabéns! E obrigada pelo capricho nesses vídeos que, além de encantarem aos olhos, fazem refletir de imediato, a quem quer que seja.

Bem, agora vamos à leitura do que já foi comentado, ou postado.
Abraços a todos!
pati

Estejamos em Deus
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: M.Altino em 07 de Outubro de 2011, 12:00
um abraço  a todos
Continuando a nossa meditação  neste  estudo que nos alerta  muito para as desigualdades  que grassam  neste planeta.
è  cada vez mais importante,   nós  os que nos dizemos Espíritas  estarmos  mais atentos   ao que se passa à  nossa volta,  vigiar um pouco, pelo menos  saber compreender muitas vezes  alguém que  se aproxima de nós para uma palavra amiga.
 Assim podemos contribuir para  que o sofrimento seja minorado à nossa volta.
Não basta saber  o que  muitas vezes a Doutrina espírita nos ensina e nos faz compreender que tudo tem o seu sentido neste planeta , e todos  estão no lugar certo  como tantas vezes  pelo Livro dos Espíritos, Kardec nos aconselha e esclarece .
Temos de atuar e  muitas vezes é sempre à volta das actividades Espirituais do Centro Espírita , assim como de outros movimentos,  em  acções de nível social  que  vamos tentando ajudar .
Como diz  Jesus :
 """"   A Seara é grande , poucos os trabalhadores """""   
Sejamos trabalhadores na Seara  do Mestre  e assim as desigualdades podem ser  atenuadas
um pouco e Kardec mais uma vez nos alerta nesta questão:   
 Sendo iguais perante a lei de Deus, devem os homens ser iguais também perante as leis humanas.
 O primeiro princípio de justiça é este:
Não façais aos outros o que não quereríeis que vos fizessem.
 Assim sendo, uma legislação, para ser perfeitamente justa, deve consagrar a igualdade dos direitos do homem e da mulher.
 Mas, das funções, não.
Preciso é que cada um esteja no lugar que lhe compete.
 Ocupe-se do exterior o homem e do interior a mulher, cada um de acordo com a sua aptidão.
 A lei humana, para ser equitativa, deve consagrar a igualdade dos direitos do homem e da mulher.
 Todo privilégio a um ou a outro concedido é contrário à justiça.
 A emancipação da mulher acompanha o progresso da civilização.
Sua escravização marcha de par com a barbaria.
 Os sexos, além disso, só existem na organização física.
 Visto que os Espíritos podem encarnar num e noutro, sob esse aspecto nenhuma diferença há entre eles.
 Devem, por conseguinte, gozar dos mesmos direitos.
[9a - página 381 questão 822]
 Então   nesta questão  ainda temos muito que meditar na liberdade  que cada um de nós  tem de praticar na vida com um grande sentido de justiça.
Um grande abraço de muita paz
Manuel Altino
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 07 de Outubro de 2011, 13:17
Um pensamento

Marx escreveu: "Até o momento, os filósofos apenas interpretaram o mundo; o fundamental agora é transformá-lo."

Joaquim escreve: “Os filósofos interpretam a vida e a morte; o fundamental agora é transformá-las.”



Aí está estimado irmão, a importância da filosofia, esta é que por suas perguntas, por assim dizer, incessantes questionamentos é que fazem a ciência mover-se - Tão importante, e realço de que a ciência, toda ela é de observação e da observação parte o cientista para a experiência. O que mais se roga a Deus é de que o cientista em qualquer âmbito e em tdoso os tempos não se envaideçam do que apenas descobrem, pois que tudo em a Natureza já existe.
A Doutrina Espírita nesta trilogia é: Filosofia, ciência e de conseqüências religiosas da mais pura moral cristã. Importante salientar que toda a doutrina que em si não encerrar a verdade, estará fadada a perecer e todas até aqui, exctuando a DE, sucumbiram por que não trouxeram a verdade.

Afetuoso abraço,

       lukas   
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: maria.ma@ em 07 de Outubro de 2011, 14:18
S. Abhedananda

Toda religião pode dividir-se em duas partes: uma parte chamaremos de essencial e a outra não-essencial. As doutrinas, os dogmas, os ritos, as cerimônias e as mitologias de todos os credos religiosos organizados não são elementos essenciais. Não quer isto dizer que são inúteis; pelo contrário, o simples fato de sua existência prova que são necessários e ajudam em certas etapas ao progresso espiritual.

O que quero dizer é que não pode afirmar-se que são absolutamente necessários para levar uma vida puramente espiritual. Um homem ou uma mulher pode ser altamente espiritual sem executar nenhum dos ritos ou cerimônias ordenadas pelas escrituras religiosas do mundo ou pelas hierarquias eclesiásticas. Um homem ou uma mulher pode ser realmente religioso sem crer em nenhuma doutrina, em nenhum credo, em nenhum dogma ou mitologia. Os que crêem que estas coisas não-essenciais são indispensáveis para alcançar a meta última da religião, não compreenderam ainda os princípios básicos de todas as religiões; eles não sabem distinguir entre o essencial e o que não é; falta-lhes a compreensão que dá a iluminação espiritual. Os que entendem o essencial da religião e o levam a prática na vida diária não se preocupam pelo que não é essencial. São apenas estas almas simples e sinceras as que chegam à meta da religião pelo mais curto dos caminhos.

Os elementos essenciais da religião são principalmente dois: o conhecimento de si mesmo e o autocontrole. O conhecimento de si mesmo significa o conhecimento do Ser superior, o conhecimento da natureza divina do homem; e o autocontrole consiste em refrear o eu inferior, ou seja, nossa natureza egoísta. O verdadeiro conhecimento chega quando o eu inferior for dominado. Nos tempos antigos os filósofos gregos compreenderam estes dois elementos essenciais da religião; por isso sobre o frontispício do templo de Delfos estava gravada em forma tão conspícua a máxima “Conhece-te a Ti mesmo”. Interpretando esta máxima Heráclito, filósofo da antiga Grécia, disse: “Incumbe a todos os homens conhecer-se a si mesmos e a exercer o autocontrole”.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 07 de Outubro de 2011, 15:44
As desigualdades sociais, não são um fenômeno religioso, nem fisiológico, muito menos mentalíticos...
São discordâncias comportamentais, e até servem para gerar conhecimento, pois onde todos são iguais, nada há para se aprender.

As desigualdades não surgiram no século XXI...
Começaram quando alguns desistiram de serem nômades, se estabeleceram e começaram a produzir alimentos, ao invés de simplesmente os extrair da natureza.
Cultivando-os, irrigando, colhendo-os, e os guardando em celeiros, tinham seus sustentos durante todo o ano...
O emprego da força, e a força do poder de guerra, induziram outros a simplesmente saquear, ao invés de trabalhar e produzir...
O emprego da força e a força do poder de guerra induziram os que produziam a se defender, e os ódios se avolumaram.
Isto acontece até hoje... Exatamente igual.
E acontecerá por um longo tempo, embora os esforços de transferência de tecnologia, já estão sendo feitos, mas de uma maneira muito medrosa.
É natural se observarmos os comportamentos que a história registrou.
A globalização paulatinamente irá demovendo esse medo, a seu tempo, e a situação irá melhorar pela força da solidariedade com o que não sabe, e as tormentas financeiras são hoje juntamente com as tormentas do tempo, ferramentas que conduzirão os homens a irem melhorando-se pela própria decisão de melhorarem-se e não por imposição que as antigas idéias de prêmios e castigos elegiam melhores, que nada mais eram que iguais.
Precisamos cultivar paciência, solidariedade, fraternidade, dividir mais o que sabemos e aprendermos melhor o que ainda não sabemos, e nos esforçarmos pela não punição, e nos esmerarmos na educação.
É trabalho individual e cada um precisa fazer a sua parte.
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: MVilela em 07 de Outubro de 2011, 20:47
Estranho ver religiosos, cristãos e espíritas defenderem a desiguladade social como um mal necessário ao crescimento espiritual do homem. Penso que realmente o seja, pois Deus tudo sabe sobre nossas necessidades espirituais e a matéria serve apenas para o desenvolvimento do espírito. Porém, não cabe a nós julgarmos quem deve ser ou não pobre. Seria o mesmo que descobrirmos a cura para a paralisia mas não a ministrarmos pois a deficiência é para o crescimento espiritual daquele ser, estaríamos dessa forma agindo como Deus. Não temos esse direito.
Nosso dever como cristãos é lutar pela melhora das condições sociais de todos. E cabe apenas a Deus pôr o obstáculo que for necessário na vida de cada ser.
Contribuir para a infelicidade humana, por omissão ou por atos, não é seguir os ensinamentos do Mestre Jesus. "TUDO QUANTO FIZESTES A UM DESTES PEQUENINOS A MIM O FIZESTES"
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Taprobana em 07 de Outubro de 2011, 23:54
(...) Filosofia, ciência e de conseqüências religiosas da mais pura moral cristã. (...)

Sendo que, é de importância primeira em favor da Verdade, que a moral cristã seja entendida como a moral de Jesus e não como a moral dos Homens criada em favor da sua vontade de poder.

Cada Homem é uma Inteligência única e diferente de todas as demais.

A ideia de "igualdade" é um produto egoístico do domínio da mente, da vontade redutora.

Aquilo que cada um tem é aquilo que necessita ter para que o seu processo evolutivo em direcção do AMOR seja consumado.

Joaquim

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Taísa34 em 08 de Outubro de 2011, 02:38
      Amigo Lucas, que lindo tema de estudo vc escolheu, parabéns. As desigualdades sociais existem sim, mas para  nos mostrar que é preciso uma evolução do espírito, pois cada um tem o que conforme é merecido; mas nem por isto não podemos deixar de fazer a caridade e de praticar o bem ao nosso semelhante sempre, pois sempre temos que dar o que temos e não o resto de nossas mesas. Então como espíritas sejamos cada vez mais amorosos com o nosso irmão que está sofrendo com a falta de alimento, de roupa, de abrigo, de remédio, pois ninguém é tão pobre que nada pode ofertar, nem que seja um abraço e uma prece vindo do coração. Um abraço cheio de paz e alegria.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: M.Altino em 08 de Outubro de 2011, 12:54
Um grande abraço a todos.
Continuando a meditar um pouco sobre as desigualdades que  grassam no nosso planeta, é muito importante  sabermos que com o conhecimento da Doutrina Espírita, ficamos  mais atentos , mais sensíveis ao sofrimento dos homens.
Então quantas vezes nos sentimos impotentes para  que a humanidade  se torne diferente !!!!!
Como seria  muito bom que  não houvesse  tantas desigualdades , mas  ao sabermos que cada um de nós  pode modificar à sua volta  um pouco em atitudes e actos, vamos   tentar  compreender que tudo é sempre  para que possamos evoluir mais um pouco ,  e saber  compreender ......O porquê  de muitas vidas  atribuladas
Assim nos diz Kardec
Uns nascem na indigência  e outros na opulência.
Há pessoas que nascem cegas, surdas, mudas ou atacadas de enfermidades incuráveis,
 enquanto que outras têm todas as vantagens físicas.
 É isso efeito do acaso ou da Providência?
 Se é efeito do acaso, não o é da Providência;
 Se é efeito da Providência, pergunta-se onde está sua bondade e sua justiça?
 Ora, é por não compreenderem a causa desses males, que muitas pessoas são levadas a acusá-la.
 Compreende-se que aquele que se torna miserável ou enfermo por suas imprudências ou seus excessos, seja punido pelo que pecou;
Mas se a alma é criada ao mesmo tempo que o corpo, que fez ela para merecer semelhantes aflições, desde o seu nascimento, ou para delas estar isenta?
Se se admite a justiça de Deus, deve-se admitir que esse efeito tem uma causa;
Se essa causa não está nesta vida, deve ser de antes dela, porque em todas as coisas, a causa deve preceder o efeito;
 por isso, é preciso, pois, que a alma tenha vivido e que tenha merecido uma expiação.
Os estudos espíritas nos mostram, com efeito, que mais de um homem que nasceu na miséria, foi rico e considerado em uma existência anterior, mas, fez mau uso da fortuna que Deus lhe deu para gerir; que mais de um indivíduo, que nasceu na vileza, foi orgulhoso e poderoso; nô-lo mostram, às vezes submetido às ordens daquele mesmo ao qual comandou com dureza, sob os maus tratos e a humilhação que fez os outros suportarem.
 Uma vida penosa não é sempre uma expiação;
Frequentemente, é uma prova escolhida pelo Espírito, que vê um meio de se adiantar mais rapidamente, se a suporta com coragem.
A riqueza é também uma prova, porém, mais perigosa que a da miséria, pelas tentações que dá e os abusos que provoca; o exemplo daqueles que a viveram também prova que é uma daquelas em que, freqüentemente, saem menos vitoriosos.
 A diferença de posições sociais seria a maior das injustiças, quando não resulta da conduta atual, se ela não devesse ter uma compensação.
 É a convicção que se adquire desta verdade pelo Espiritismo, que dá a força para suportar as vicissitudes da vida e aceitar a sorte sem invejar a dos outros.
Allan Kardec

Como  podemos  pelo estudo  desta Doutrina  como são sempre provas  e  expiações para cada um de nós.
Mas  sempre podemos fazer algo .
O importante é  tentarmos sermos melhores.
Um grande abraço de muita paz
Manuel Altino
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 08 de Outubro de 2011, 14:22
(...) Filosofia, ciência e de conseqüências religiosas da mais pura moral cristã. (...)

Sendo que, é de importância primeira em favor da Verdade, que a moral cristã seja entendida como a moral de Jesus e não como a moral dos Homens criada em favor da sua vontade de poder.

Cada Homem é uma Inteligência única e diferente de todas as demais.

A ideia de "igualdade" é um produto egoístico do domínio da mente, da vontade redutora.

Aquilo que cada um tem é aquilo que necessita ter para que o seu processo evolutivo em direcção do AMOR seja consumado.

Joaquim


estimado, amigo uma vez que recebemos pelo Evangelho Segundo o Espiritismo, por seus preceitos e atos comuns da vida de Jesus,  toda a moral cristã, Ele, Jesus, conforme instruções do Excelsos Espíritos, trouxe-nos a rigor o que Deus reclama, e, que ensinou ao próprio Jesus - Esta obra de maneira mais condensada (ESE) acha-se em TOMO do Livro dos Espíritos e que Kardec, com o auxílio do Espírito de Verdade, ou em parceria, com este, abriu em 1864 e mais amiúde o ensinamento da Moral Cristã. Saliente-se que são leis Naturais, irrecorríveis e não permitem, assim que nos lacemos a dighressões.
 Apenas para reforçar o entendimento, quando ao término da  rainha das preces, Pai Nosso, onde o Mestre diz: SEJA FEITA A SUA VONTADE, reportando-se a Deus, outra coisa não quiz dizer; se não isto: "cumpram-se as suas leis." Leis de Deus, tal como Cristo cumpriu e vem cumprindo. Mas o homem, como não as cumpre,pelo contrário, as infringe, sofre-lhe, portanto, as conseqüências, e, em sabendo-se de que Deus é bom e soberanamente justo, justa há de ser a causa do sofrimento. Então temos que admitir, de que se há desigualdades sociais, estas foram criadas  pelo homem e são millenares, assim nos dizem os pergaminhos e os registros da ciência extraídos do próprio solo terrestre.
A igualdade social, para concluir, é sim, e deve ser aspiração do homem para si e para seus irmãos e começa por curvar-se em obedecer a leis desde já. Não a conseguindo e/ou não querendo hoje, a alacançará amanhã (porvir); não aqui na Terra, plano de provas e de expiações; o que identifica que o nosso orbe é ainda imperfeito e é pelo trânsito por este solo, é que aprenderemos sob o constrangimento do cumprimeito da lei, como se poderá ter a igualdade social.
 Ora, se examinarmos a vida somente do ponto de vista, como sendo uma única, abstraindo-se a Doutrina das Plúrimas Reencarnações, forçoso será então reconhecerr que Deus não é Justo, nem bom etc... Felizmente, e para quem crê, e alérm de crer, admite a existência de Deus aqui na Terra, como em todo o Universo está tudo certo, tudo no devido lugar.
Parafraseando o amigo: As inteligências são únicas é verdade e cada indivíduo responsável por elas (livre-arbítrio) - Mas, as aptidões são diferentes. Acertar e/ou cair é por demais evidente:  é problema individual, contudo e como ninguém evolui sozinho, quer intelectualmente quer moralmente é dever de cada um de nós ajudarmo-nos mutuamente.

Agradecido pela colaboração, envio-te fraterno abraço, acompanhado do desejo de que desfrutes de muita paz.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 08 de Outubro de 2011, 15:07
Pelos exemplos a evolução moral dos homens, dar-se-á, de um modo ou de outro, isto é mais certo que o sol haverá de brilhar amanhã...

“Diz-se de todo enviado de Deus com a missão de instruir os homens e de lhes revelar as coisas ocultas e os mistérios da vida espiritual”.

Assim o compreendo para todo aquele que adquiriu consciência de si, que caminha no autoconhecimento, seja qual for sua religião, seu modo de crer, se está encarnado ou desencarnado.
Creio que houve de antemão uma preparação de alguns que vieram com predisposições psíquicas e mentais adequadas, tanto agora, quanto antes, na vinda do Cristo.
Mas estes preparados tiveram por missão preparar outrens, e mais outrens, e mais outrem preparando outrem até a completa remissão dos dias de provação e expiações.

Resumindo: Instruir homens.../ revelar coisas ocultas.../ e mistérios da vida espiritual.

Os mistérios da vida espiritual... sempre só é feito através das parábolas, metáforas, figuras de retórica, figuras de comparação, sabemos que não temos nenhuma condição de obter informações acerca dos mistérios da vida espiritual, a mais dos que até temos idéias, exceto por novas revelações que promanem do plano espiritual, posto que só os que lá estão têm condições de falar do que há de misterioso para nós por lá. Nenhum daqui, mesmo por informação direta via comunicação é capaz de revelar, posto que é notório que é nossa compreensão que não suporta entender o que há por ser revelado ainda, mas que nada do que há é mistério e tudo pode ser revelado, desde que possamos compreender, então cabem as ciências ir nos preparando, que novas revelações virão, pois a perfectibilidade é de nossa responsabilidade a busca... lembremos que as ondas hertzianas e a eletricidade ainda estão como foram descobertas, simplesmente as esmiuçamos.
Nos campos da saúde e do aumento da produção de alimentos também nos coube a tarefa de irmos evoluindo entre erros e acertos.

Ninguém moraliza ninguém... Todos moralizar-se-ão, a si mesmos, cada um ao seu tempo, nos tempos de amor ou nos termos da angústia e dor... o processo de evolução intelectual, poderia estar andando mais rápido, mas não nascem asas nas cobras, então é preciso cuidar do aspecto moral, para acompanhar o desenvolvimento inteletual, senão as diferenças aumentarão.
Saúde e Paz!

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 08 de Outubro de 2011, 15:58
Estranho ver religiosos, cristãos e espíritas defenderem a desiguladade social como um mal necessário ao crescimento espiritual do homem. Penso que realmente o seja, pois Deus tudo sabe sobre nossas necessidades espirituais e a matéria serve apenas para o desenvolvimento do espírito. Porém, não cabe a nós julgarmos quem deve ser ou não pobre. Seria o mesmo que descobrirmos a cura para a paralisia mas não a ministrarmos pois a deficiência é para o crescimento espiritual daquele ser, estaríamos dessa forma agindo como Deus. Não temos esse direito.
Nosso dever como cristãos é lutar pela melhora das condições sociais de todos. E cabe apenas a Deus pôr o obstáculo que for necessário na vida de cada ser.
Contribuir para a infelicidade humana, por omissão ou por atos, não é seguir os ensinamentos do Mestre Jesus. "TUDO QUANTO FIZESTES A UM DESTES PEQUENINOS A MIM O FIZESTES"

Olá estimado irmão,

Agradecido pela postagem, no entanto, desde já lhe peço licença, fazendo um pequeno ajuste à sua interpretação quando se reporta estranhando e sentenciando haver postantes defendido às desigualdades sociais sob o cunho de religiosidade e de divorciar os espíritas da condição de cristãos.
Em ambas as posturas não correspondem o posicionamento, até porque, o indivíduo se consagra como espírita, à medida que se transforma moralmente e pelo esforço que emprega para domar suas más inclinações (Allan Kardec) – Refere religioso, e o Espiritismo não defende religião, até porque como cristãos, os espíritas sabem de que Jesus  nunca professou religião – Religião, certamente sabeis, nada mais são do que apenas comunidades afins e criadas pelos homens em todos os tempos da humanidade.

Século XXI – Desigualdades Sociais, objeto do estudo. Existem e são gritantes e exatamente por isto foi trazida para estudo e conseqüente reflexão, pois quem as criou foi o homem.
Dize-nos caber  a Deus ao humano criar obstáculos, franca contradição, pois de Deus, tudo como homens podemos saber, é o que Ele não pode fazer, entre as que não pode Ele fazer, é de oferecer-nos óbices, diferente pensar, transforma Deus em injusto. Dissésseis do que tudo Ele pode fazer e que ao homem não é dado saber, estaria o estimado amigo, mais próximo da verdade. Tomo por oportuno  lembrar, de que as leis de Deus já estão promulgadas e inderrogáveis por imutáveis que são.
O estudo e respeitando a sua externação, traz exatamente a proposta  para explosões de idéias, embora por vezes divirjam, mas convida a todos ao estudo e que por essa forma, além de retirar-nos das trevas da ignorância dos ensinamentos cristãos em toda a sua pureza trazida pela DE, atende o que o grande codificador, Allan Kardec proclamou: “A maior caridade que se pode oferecer ao Espiritismo é divulgá-lo.”  Divulgar por diretrizes seguras!
Por fim, a  igualdade entre os homens e absoluta só a há perante Deus que concede a todos os seus filhos uma oportunidade igual nos tesouros inapreciáveis do tempo. Esses direitos são os da conquista da sabedoria e do amor, através da vida, pelo cumprimento do sagrado dever do trabalho e do esforço individual. Eis por que cada criatura terá o seu mapa de méritos nas sendas evolutivas, constituindo  essa situação, nas lutas planetárias, uma grandiosa escala progressiva e matéria de raciocínios e sentimentos, em que se elevará naturalmente todo aquele que mobilizar as possibilidades concedidas à sua existência para o trabalho edificante na iluminação de si mesmo, nas sagradas expressões do esforço individual
Receba meu afetuoso abraço

              lukas

 
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 09 de Outubro de 2011, 04:04
Amados,
Só há uma formula para minorar as desigualdades, eliminá-las é ato do próxima existência fora da carne... Porquanto na carne só o Exemplo de cada um que deseja ser dígno de pertencer à sua sociedade, fazendo sua parte, a força mesma das coisas coisas cuida do restante(Pleroma=o que explica o inexplicável).

Há XXI séculos nosso melhor instrutor caminhou entre nós, e nos deixou exemplos de como viver e evoluir para permanecer como convidado a participar do banquete do festim das bodas...
Deus nunca para de criar, cria todos os dias, desde sempre e para todo o sempre...
Sempre encontraremos pessoas mais instruídas que nós e pessoas menos instruídas que nós...
Todos que se fizeram instrutores pela força, passaram ao largo e já ninguém mais se lembra deles, exceto, pela história que registrou seus erros e enganos muito mais que seus acertos...
Nosso Senhor Jesus o Cristo, nunca ousaram publicar algo que lhe desacreditassem o moral do viver...
Pelo seu exemplo de como viver... E é só o que temos que fazer...
Instruir os homens... É servir-lhes de exemplo.
No que tange a melhor distribuir os bens que mãe natura nos proporciona, adoto com minha família um quesito:
“Adoramos a fartura, detestamos todo e qualquer desperdício”
Estudemos então o que é exemplo, só para recordar...
“Não podemos começar a estudar exemplos, sem citar a máxima que o Mestre dos Mestres no-lo deixou”
“Não fazer a outrem o que não desejaríamos que outrem se nos fizesse”.
EXEMPLO –
A primeira cartilha da criança, na escola da vida, é o exemplo dos adultos que a cercam.
BEZERRA DE MENEZES em EXCURSÃO DE PAZ - 1ª Ed. CEU, 1990.13 –
Apascentai o rebanho de Deus, não como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho.
Primeira Epístola Universal do Apóstolo Pedro (NT) -5:2 e 3

Clareia-te por dentro, purificando-te sempre mais, a fim de que a tua presença irradie, em favor do próximo, a mensagem persuasiva do amor, na convicção de que a sementeira do exemplo é a mais duradoura plantação no solo da alma.
EMMANUEL em PALAVRAS DE VIDA ETERNA - 2ª Ed. CEC, 1970 -31

Cristo padeceu por nós, dando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas. Quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente.
Primeira Epístola Universal do Apóstolo Pedro (NT) 2:21 a 23 –
Evangelho Segundo Mateus; 26:63 e 27:12 –
Evangelho Segundo Marcos; 15:5

Eu vos dei o exemplo para que, como eu vos fiz, façais vós também.
Evangelho Segundo João; 13:15 –
Evangelho Segundo Mateus;11:29 –
Primeira Epístola Universal do Apóstolo João (NT) 2:6 –

EXEMPLO - Melhor divulgação do espiritismo.
DIVULGAÇÃO - Conquanto precisemos batalhar incansavelmente no esclarecimento geral, usando processos justos e honestos, não esquecer que a propaganda principal é sempre aquela desenvolvida pelos próprios atos da criatura, através da exemplificação eloqüente de nossa reforma íntima, nos padrões do Evangelho. A doutrina espírita prescinde do proselitismo de ocasião.
ANDRÉ LUIZ em CONDUTA ESPÍRITA - 7ª Ed. FEB, 1979 -13 -
O Espiritismo possui a sua maior força nas realizações e no exemplo dos seus seguidores. ANDRÉ LUIZ em OPINIÃO ESPÍRITA - 4ª Ed. CEC, 1973 -37 –
Allan Kardec em Livro dos Espíritos – Questão: 917

Nossa atitude é uma corrente de indução magnética. Em torno de nós, quem simpatiza conosco geralmente faz aquilo que nos vê fazer. Nosso exemplo, em razão disso, é um fulcro de atração.
ANDRÉ LUIZ em ENTRE A TERRA E O CÉU - 5ª Ed. FEB, 1972 -22 –


Se muito podes realizar, a benefício do próximo, por aquilo que sabes, somente conseguirás renovar os semelhantes por aquilo que és.
Exemplo é a prova externa daquilo que somos na intimidade.
Allan Kardec em:
Livro dos Espíritos:- Questão: 905 –
Evangelho Segundo o Espiritismo:10/13 –
Livro dos Médiuns: 30 –

EMMANUEL em:
O LIVRO DA ESPERANÇA - 6ª Ed. CEC, 1982 -70
IDEAL ESPÍRITA - 7ª Ed. CEC, 1973 -94 -


Subjugo o meu corpo e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.
Primeira Epístola do Apóstolo Paulo aos Coríntios (NT)- 9:27 –
Epístola do Apóstolo Paulo aos Romanos (NT) -8:13


Torturada entre os preconceitos da forma gramatical, a palavra escrita revela poderes de repercussão menos vivos que o exemplo, de vez que a voz e a ação prática jazem impregnadas do magnetismo indutivo que se desprende da reflexão imediata.
EMMANUEL em PENSAMENTO E VIDA - 3ª Ed. FEB, 1972 -13 –

Trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes. STS 3:8 e 9


Uma advertência, quando se constitua somente de palavras, deixa invariável vazio após sua passagem. Convites e conselhos transparecem, com mais força, do exemplo de cada um. Todo aquele que vive na prática real dos princípios nobres a que se devotou no mundo, que cumpre zelosamente os deveres contraídos e que demonstre o bem sinceramente, está exortando os irmãos em humanidade ao caminho da elevação.
Allan Kardec em Livro dos Espíritos- Questão: 917 -
EMMANUEL em PÃO NOSSO - 6ª Ed. FEB, 1979 -69 - 180 -

Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 09 de Outubro de 2011, 13:30
Bom dia querido amigo Lukas, membros e visitantes... Desejo a todos um ótimo domingo de paz  e amor

Desigualdades sociais

Há ricos e pobres porque Deus, sendo justo, cada um deve trabalhar a seu turno; a pobreza é para uns a prova da paciência e da resignação; a riqueza é para outros a prova da caridade e da abnegação." (6)
Continuando com a escolha das provas, parece-nos, a priori, que a escolha da riqueza seria a melhor, porquanto vislumbramos somente o aspecto material em que nos sentimos plenamente realizados, segundo o adágio popular: "o dinheiro resolve tudo"; porém, ela é igualada à prova da pobreza, pelo seguinte:
"Qual das duas provas é a mais terrível para o homem, a da infelicidade ou da fortuna?Tanto uma quanto outra o são. A miséria provoca o murmúrio contra a Providência, e a riqueza leva a todos os excessos." (7)
A parábola do rico e Lázaro (Lucas 16: 19 - 31), magistralmente interpretada pelo nosso Cairbar Schutel, ilustra perfeitamente as provas da riqueza e da pobreza.
"Este rico (...) é o símbolo daqueles que querem tratar da vida do corpo e esquecem da vida da alma. (...) é a personificação daqueles que são escravos do reino do mundo, (...) Lázaro representa os excluídos da sociedade terrena, (...) Os Lázaros não são esses pobres orgulhosos do mundo, que não têm muitas vezes o que comer e o que vestir, mas estão cobertos com a púrpura do orgulho; não é essa gente que não tem dinheiro, mas tem vaidade; não tem palácios, mas tem egoísmo; (...) os pobres, de que Lázaro serviu de símbolo na parábola, são os que sofrem com resignação, (...) (8)
Pelos excertos acima, o rico da parábola fracassou na prova da riqueza e deu mau exemplo aos ricos; ao passo que o pobre (Lázaro) saiu vitorioso da prova da pobreza e serviu de bom exemplo aos pobres que, pelo visto, também podem fracassar como pobres...
Assim, podemos colocar a seguinte proposição em termos dicotômicos:
Temos o "rico-rico", isto é, rico de bens materiais e espirituais e o "rico-pobre", isto é, rico de bens materiais, mas pobre espiritualmente; em contrapartida, temos o "pobre-pobre", isto é, pobre de bens materiais e espirituais e o "pobre-rico", isto é, pobre de bens materiais, mas rico espiritualmente.
Sobre o dinheiro, após vários itens considerados, Bezerra de Menezes terminou a sua mensagem, dizendo:
"(...) Em suma, o dinheiro, associado à consciência tranqüila, alavanca do trabalho e fonte de beneficência, apoio da educação e alicerce da alegria, é uma bênção do Céu que, de modo imediato, nem sempre faz felicidade, mas sempre faz falta." (9)
Pelo exposto, os ricos, que observarem o proposto na presente lição, "estão salvos", desde que, também, tenham em mente o seguinte ensino de Jesus:
"(...) Porque onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração." (10)

Fonte: Internet
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 09 de Outubro de 2011, 18:52
Amados sugiro este trabalho, que pelo tamanho, não vale posicioná-lo aqui, mas o link é seguro e as idéias nele expostas, valem a pensa meditar... no surgimento das desigualdades...

eis o link:
http://www.planetaeducacao.com.br/portal/artigo.asp?artigo=906
Educação para o Pensar
Dalva Aparecida Garcia Docente do Ensino Médio na Rede Pública Estadual. Coordenadora Pedagógica do Centro Brasileiro de Filosofia para Crianças; Graduada em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista - Marília, UNESP; Mestra em Filosofia e Educação pela Faculdade de Educação da USP/SP, FEUSP; e-mail: dalva@cbfc.org.br

As Dimensões da Cidadania:
Coluna Educação para o pensar
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Edna☼ em 11 de Outubro de 2011, 03:13
"A piedade é a virtude que mais vos aproxima dos anjos. É a irmã de caridade que vos conduz para Deus. Ah!, deixai vosso coração enternecer-se, diante das misérias e dos sofrimentos de vossos semelhantes. Vossas lágrimas são um bálsamo que derramais nas suas feridas. E quando, tocados por uma doce simpatia, conseguis restituir-lhes a esperança e a resignação, que ventura experimentais! É verdade que essa ventura tem um certo amargor, porque surge ao lado da desgraça; mas se não apresenta o forte sabor dos gozos mundanos, também não traz as pungentes decepções do vazio deixado por estes; pelo contrário, tem uma penetrante suavidade, que encanta a alma.

A piedade, quando profundamente sentida, é amor: o amor é devotamento é o olvido de si mesmo; e esse olvido, essa abnegação pelos infelizes, é a virtude por excelência, aquela mesma que o divino Messias praticou em toda a sua vida, e ensinou na sua doutrina tão santa e sublime. Quando essa doutrina for devolvida à sua pureza primitiva, quando for admitida por todos os povos, ela tornará a Terra feliz, fazendo reinar na sua face à concórdia, a paz e o amor.
           
O sentimento mais apropriado a vos fazer progredir, domando vosso egoísmo e vosso orgulho, aquele que dispõe vossa alma à humildade, à beneficência e ao amor do próximo, é a piedade, essa piedade que vos comove até as fibras mais íntimas, diante do sofrimento de vossos irmãos, que vos leva a estender-lhes a mão caridosa e vos arranca lágrimas de simpatia. Jamais sufoqueis, portanto, em vossos corações, essa emoção celeste, nem façais como esses endurecidos egoístas que fogem dos aflitos, para que a visão de suas misérias não lhes perturbe por um instante a feliz existência. Temei ficar indiferente, quando puderdes ser úteis! A tranqüilidade conseguida ao preço de uma indiferença culposa é a tranqüilidade do Mar Morto, que oculta na profundeza de suas águas a lama fétida e a corrupção.
           
Quando a piedade está longe, entretanto, de produzir a perturbação e o aborrecimento de que se arreceia o egoísta! Não há dúvida que a alma experimenta, ao contato da desgraça alheia, confrangendo-se, um estremecimento natural e profundo, que faz vibrar todo o vosso ser e vos afeta penosamente. Mas compensação é grande, quando conseguis devolver a coragem e a esperança a um irmão infeliz, que se comove ao aperto da mão amiga, e cujo olhar, ao mesmo tempo umedecido de emoção e recolhimento, se volta com doçura para vós, antes de se elevar ao céu, agradecendo por lhe haver enviado um consolador, um amparo. A piedade é a melancólica, mas celeste precursora da caridade, esta primeira entre as virtudes, de que ela é irmã, e cujos benefícios prepara e enobrece."

Michel, Bordeaux, 1862

(in, O Evangelho Segundo o Espiritismo)


Que Deus nos ajude a construir um mundo melhor!

Abraços fraternos sempre,

Edna☼  ;)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: maria.ma@ em 13 de Outubro de 2011, 23:57
Anjos ou deuses, sempre nós tivemos,

               A visão perturbada de que acima

               De nós e compelindo-nos

               Agem outras presenças.


               Como acima dos gados que há nos campos

               O nosso esforço, que eles não compreendem,

               Os coage e obriga

               E eles não nos percebem,


               Nossa vontade e o nosso pensamento

               São as mãos pelas quais outros nos guiam

               Para onde eles querem

               E nós não desejamos.


Ricardo Reis - F. Pessoa
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: 1Berto em 14 de Outubro de 2011, 02:55
É inacreditável o autismo em que vive o movimento espírita brasileiro clássico.

Uma mistura de racionalismo cristão e arrogância intelectual. Parece que descobriram a pedra filosofal adotando idéias milenarmente consagradas da cultura oriental.

Creio que grande equívoco está em ter dado ao Espiritismo um caráter cristão. Não pela base ético-moral do cristianismo, mas pelo teor acidental.

Num primeiro momento é justificável essa conexão com o Cristianismo, mas ao ser exportada da França para o Brasil, a fundamentação espírita inicial fragmentou-se e mudou para pior. Influência da religião dominante? Talvez, não sei.

Tornou-se um movimento politicamente acefálico, socialmente piegas e voltado para uma ação de visão unilateralmente focado numa ação filantrópic-assistencialista-salvacionista  a que chama “caridade”.

O discurso nos centros espíritas é de uma mesmice ortodoxal, de uma monotonia barbitúrica, de ausência de criatividade baseada em modelos e cartilhas amareladas e livrinhos de autoajuda adocicados.

Há uma proliferação de centros espíritas mais pela megalomania mal disfarçada de alguns grupos do que pela necessidade estratégica e planejada das comunidades carentes.
Os espíritas, em geral, por serem avessos às discussões de temas relacionados às políticas públicas, convivem pacificamente com as mazelas provocadas pela falta de gestões governamentais e pelos que decidem os rumos da cidade e do país, e por isso mesmo, com o trabalho assistencial cavam um abismo mais profundo entre classes sociais, doando porções generosas de pão e ofertando conforto espiritual baseados na idéia de que tudo é passageiro, de que a maior parte das dificuldades enfrentadas estão ligadas às encarnações passadas, e que não se deve revoltar-se com o status quo, apregoando, enfaticamente, a resignação como qualidade superior.

Vivem e se alimentam, psicologicamente, do paradoxo de pertencerem à classe média burguesa, medianamente esclarecida a qual alimenta e mantém a fonte de sua salvação – a saber, a pobreza.

Falta aos espíritas, em geral, uma indignação de raiz, como aquela do Cristo dirigindo-se aos vendilhões do templo.

Daí procede as dezenas de justificativas às chamadas desigualdades sociais sem solução de continuidade. Torço para que seja uma amnésia passageira ao que disseram, enfaticamente,  os espíritos a Kardec, bem ao gosto de Edmund Burke - os maus dominam a Terra pela indolência dos bons.

Ressalvo que a maioria dos espíritas que assim agem trazem em si o germe da boa vontade, do desejo de ajudar, porém essa ação moldada nesses termos não passa de ingenuidade e de uma ineficácia gritante, em nivel global.

Não estariam as comunidades de base católicas, em sua ação social, à frente da ação das casas espíritas?
Esse comportamento espírita seria a proposta dos espíritos?!

Observação  importante: o que disse acima é uma generalização, isto é, não quer dizer que existem espíritas trabalhando na contramão desse movimento.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 14 de Outubro de 2011, 20:25
Amados do meu coração,
Onde está essa tal desigualdade que eu não vejo...

4. As idéias do homem estão na razão do que ele sabe; como todas as descobertas importantes, a da constituição dos mundos deveria imprimir-lhes outro curso; sob a influência desses conhecimentos novos, as crenças se modificaram; o Céu foi deslocado e a região estelar, sendo ilimitada, não mais lhe pode servir.
Onde está ele, pois?
E ante esta questão emudecem todas as religiões.
O Espiritismo vem resolvê-las demonstrando o verdadeiro destino do homem.
Tomando-se por base a natureza deste último e os atributos divinos, chega-se a uma conclusão; isto quer dizer que partindo do conhecido atinge-se o desconhecido por uma dedução lógica, sem falar das observações diretas que o Espiritismo faculta.

5. O homem compõe-se de corpo e Espírito: o Espírito é o ser principal, racional, inteligente; o corpo é o invólucro material que reveste o Espírito temporariamente, para preenchimento da sua missão na Terra e execução do trabalho necessário ao seu adiantamento.
O corpo, usado, destrói-se e o Espírito sobrevive à sua destruição.
Privado do Espírito, o corpo é apenas matéria inerte, qual instrumento privado da mola real de função; sem o corpo, o Espírito é tudo: a vida, a inteligência. Em deixando o corpo, torna ao mundo espiritual, onde paira, para depois reencarnar.
Existem, portanto, dois mundos: o corporal, composto de Espíritos encarnados; e o espiritual, formado dos Espíritos desencarnados.
Os seres do mundo corporal, devido mesmo à materialidade do seu envoltório, estão ligados à
Terra ou a qualquer globo; o mundo espiritual ostenta-se por toda parte, em redor de nós como no Espaço, sem limite  algum designado. Em razão mesmo da natureza fluídica do seu envoltório, os seres que o compõem, em lugar de se locomoverem penosamente sobre o solo, transpõem as distâncias com a rapidez do pensamento.
A morte do corpo não é mais que a ruptura dos laços que os retinham cativos.

6. Os Espíritos são criados simples e ignorantes, mas dotados de aptidões para tudo conhecerem e para progredirem, em virtude do seu livre-arbítrio.
Pelo progresso adquirem novos conhecimentos, novas faculdades, novas percepções e, conseguintemente, novos gozos desconhecidos dos Espíritos inferiores; eles vêem, ouvem, sentem e compreendem o que os Espíritos atrasados não podem ver, sentir, ouvir ou compreender.
A felicidade está na razão direta do progresso realizado, de sorte que, de dois Espíritos, um pode não ser tão feliz quanto outro, unicamente por não possuir o mesmo adiantamento
intelectual e moral, sem que por isso precisem estar, cada qual, em lugar distinto.
Ainda que juntos, pode um estar em trevas, enquanto que tudo resplandece para o outro, tal como um cego e um vidente que se dão as mãos: este percebe a luz da qual aquele não recebe a mínima impressão.
Sendo a felicidade dos Espíritos inerente às suas qualidades, haurem-na eles em toda parte em que se encontram, seja à superfície da Terra, no meio dos encarnados, ou no Espaço.
Uma comparação vulgar fará compreender melhor esta situação. Se se encontrarem em um concerto dois homens, um, bom músico, de ouvido educado, e outro, desconhecedor da música, de sentido auditivo pouco delicado, o primeiro experimentará sensação de felicidade, enquanto o segundo permanecerá insensível, porque um compreende e percebe o que nenhuma impressão produz no outro.
Assim sucede quanto a todos os gozos dos Espíritos, que estão na razão da sua sensibilidade.
O mundo espiritual tem esplendores por toda parte, harmonias e sensações que os Espíritos inferiores, submetidos à influência da matéria, não entrevêem sequer, e que somente são acessíveis aos Espíritos purificados.

7. O progresso nos Espíritos é o fruto do próprio trabalho; mas, como são livres, trabalham no seu adiantamento com maior ou menor atividade, com mais ou menos negligência, segundo sua vontade, acelerando ou retardando o progresso e, por conseguinte, a própria felicidade.
Enquanto uns avançam rapidamente, entorpecem-se outros quais poltrões, nas fileiras inferiores.
São eles, pois, os próprios autores da sua situação, feliz ou desgraçada, conforme esta frase do Cristo:
— A cada um segundo as suas obras.
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 15 de Outubro de 2011, 20:42
Amados,
Alhures publiquei estas palavras, mas as mesmas cabem também direitinho aqui...
Enquanto insistirmos nas divisões, principalmente das castas, do poder, em negar o direito a instrução a homens e mulheres igualmente, enquanto, os ensinos Crísticos não forem objeto de reflexão desapaixonada pelas religiosidades, partidárias, que criam imensas dores em todo o orbe, não veremos o amor ao próximo como deve ser...
Por isso replico aqui, o que postei alhures... Naturalmente aqui está sem a menor sombra de dúvida uma das várias razões das imensas dificuldades sociais, desafio do XXI, para cada uma das criaturas humanas que vivem na crosta terrestre independentemente de raça, poder aquisitivo, nivel cultural, poder político formador de opinião, todos estamos envolvidos igualmente.

O Cristianismo e o Espiritismo, bem compreendidos, são excelentes medidas para a obtenção das curas morais, pelo evoluir dos pensamentos palavras e atos dos filhos de Deus, e pela renovação de suas formas particulares de compreender o objetivo de se viver na carne. “Livra-nos com certeza 100%, das doenças morais.”

De outra forma, teríamos uma enorme injustiça diante dos olhos:
“As beneficências exclusivas”

FELICIDADE –
Isento das tribulações que para si mesmo cria, quando num estado de maior adiantamento, o homem, no estado de natureza, tendo menos necessidades, pode desfrutar a felicidade relativa.
É a felicidade do bruto, à maneira dos animais.
As crianças também são mais felizes do que os homens feitos.
Allan Kardec em: Livro dos Espíritos: Questão:777

Onde predomina o interesse pelo dinheiro, escasseiam as austeridades morais. MANOEL P. DE MIRANDA em TRILHAS DA LIBERTAÇÃO - 1ª Ed. FEB, 199 -5


Os indivíduos abastados, elevados à glória e invejados, não poucas vezes se excruciam em silenciosos tormentos, desejando satisfações singelas, como o anonimato, o desejo de viver em paz.
Seus relacionamentos afetivos, porque na maioria das vezes inautênticos, desde que inspirados no interesse pelo poder e pela fama, são rápidos e tumultuados, assinalados pela desconfiança recíproca, pela incerteza de serem amados, acreditando que o parceiro foi atraído mais pelo que cada um tem do que pelo que é, resvalando em contínuas buscas, e terminando no escuro da solidão.
JOANNA DE ÂNGELIS em ENCONTRO COM A PAZ E A SAÚDE - 1ª Ed. Alvorada, 2007 -71, 140 e 143

CURA –
A grande maioria das pessoas dirige-se à casa espírita em busca de curas ou de algo que lhe seja concedido sem qualquer esforço.
Poucas aí comparecem com o propósito sincero de renovar valores íntimos ou de aprimorar conhecimentos.
A doutrina codificada por Kardec é a precursora de uma era nova, não uma seita mística fundamentada nas práticas do curandeirismo.
Jesus curou muitos enfermos, mas, acima de tudo, queria que os doentes dessem manutenção à cura recebida, transformando suas atitudes e ampliando a luz do conhecimento a fim de consolidar o próprio caminho.

As curas das doenças físicas, são somente um complemento que advém do trabalho de harmonização dos transtornos Espirituais.
Muitas vezes, obtem-se o alívio com um simples passe, a água fluidificada, mas logo que o sofredor põe o pé fora do centro ou da igreja, (pois isso não é exclusividade do Espiritismo), recebe novamente a carga negativa e já chega em casa doente novamente...
Me sinto comovido e cheio de compaixão, quando falo dessa maneira, mas não adianta, fingir, a lei natural é rigorosamente igual para com todos, e por ser universal, ninguém se livra por beneficiencias exclusivas.
E os que pagam muito mais me doi, a ignorância, mas manda a lei que eu me cale, pois, Jesus foi incisivo e vero
"A cada um segundo suas obras".

Saúde e Paz!

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/o-evangelho-segundo-o-espiritismo/ese-entendimentos-com-as-referencias-biblicas/1140/#ixzz1asfsDpkw
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 15 de Outubro de 2011, 21:40
Querido amigo lukas e amigos membros e visitantes do estudo mensal... Muita paz

Emmanuel - Riqueza Para o Céu

Quem se aflige indebitamente, ao ver o triunfo e a prosperidade de muitos homens impiedosos e egoístas, no fundo dá mostras de inveja, revolta, ambição e desesperança. É preciso que assim não seja!
Afinal, quem pode dizer que retêm as vantagens da Terra, com o devido merecimento?
Se observarmos homens e mulheres, despojados de qualquer escrúpulo moral, detendo valores transitórios do mundo, tenhamos, ao revés, pena deles.
A palavra de Cristo é clara e insofismável. – “Amontoa tesouros no Céu” – disse-nos o Senhor.
Isso quer dizer “acumulemos valores íntimos para comungar a glória eterna!”.
Efêmera será sempre a galeria de evidência carnal.
Beleza física, poder temporário, propriedade passageira e fortuna amoedada podem ser simples atributo da máscara humana, que o tempo transforma, infatigável.
Amealhemos bondade e cultura, compreensão e simpatia.
Sem o tesouro da educação pessoal é inútil a nossa penetração nos céus, porquanto estaríamos órfãos de sintonia para corresponder aos apelos da Vida Superior.
Cresçamos em virtude e incorporemos a verdadeira sabedoria, porque amanhã será visitado pela mão niveladora da morte e possuirás tão somente as qualidades nobres ou aviltantes que houveres instalado em ti mesmo.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 15 de Outubro de 2011, 21:43
A Prova da Riqueza

Líamos as reflexões registadas no Evangelho Segundo o Espiritismo no capítulo: 'Sede Perfeitos', em que somos levados a meditar, entre outros aspectos, na aplicação que damos aos bens materiais de que somos apenas fiéis depositários e nos perigos que o mau uso da fortuna sempre acarreta para o espírito no seu regresso, pelo remorso que nos advém de a termos utilizado apenas para nosso benefício pessoal, nos gozos mundanos, esquecendo de a empregar no desenvolvimento da sociedade a que pertencemos, com equidade e justiça, tornando-nos úteis e contribuindo para o bem-estar de todos;
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 15 de Outubro de 2011, 21:46
Boa tarde Brasil.. Boa noite Portugal...

Queridos amigos membros e visitantes... Sejam bem-vindos

Estão todos convidados a participarem do estudo mensal trazendo sua contribuição dentro do tema estudado

Abraços afetuoso
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 15 de Outubro de 2011, 21:54
# ORIENTAÇÃO ESPÍRITA sobre O DESPRENDIMENTO DOS BENS TERRENOS

Se todos nos colocássemos como usufrutuários dos bens materiais, teríamos uma vida mais tranqüila, e não invejaríamos a riqueza do próximo. Cada ser humano está colocado no devido lugar e circunstância para a sua evolução espiritual.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 16 de Outubro de 2011, 00:09
Amados do meu coração,
Nem siquer de longe, penso ensinar...
Mas me toca o coração o desejo de estimular o estudo, pois estudando, aprendemos sem nos melindrarmos, entre uns e outros, por isto prefiro postar indicação de estudo...
Reflitamos:

17. Posto que os Espíritos estejam por toda parte, os mundos são de preferência os seus centros de atração, em virtude da analogia existente entre eles e os que os habitam.
Em torno dos mundos adiantados abundam Espíritos superiores, como em torno dos atrasados pululam Espíritos inferiores.
Cada globo tem de alguma sorte, sua população própria de Espíritos encarnados e desencarnados, alimentada em sua maioria pela encarnação e desencarnação dos mesmos.
Esta população é mais estável nos mundos inferiores, pelo apego deles à matéria, e mais flutuante nos superiores.
Destes últimos, porém, verdadeiros focos de luz e felicidade, Espíritos se destacam para mundos inferiores a fim de neles semearem os germens do progresso, levar-lhes consolação e esperança, levantar os ânimos abatidos pelas provações da vida.
Por vezes também se encarnam para cumprir com mais eficácia a sua missão.

18. Nessa imensidade ilimitada, onde está o Céu?
Em toda parte.
Nenhum contorno lhe traça limites.
Os mundos adiantados são as últimas estações do seu caminho, que as virtudes franqueiam e os vícios interditam.
Ante este quadro grandioso que povoa o Universo, que dá a todas as coisas da Criação um fim e uma razão de ser, quanto é pequena e mesquinha a doutrina que circunscreve a Humanidade a um ponto imperceptível do Espaço, que no-la mostra começando em dado instante para acabar igualmente com o mundo que a contém, não abrangendo mais que um minuto na Eternidade!
Como é triste, fria, glacial essa doutrina quando nos mostra o resto do Universo, durante e depois da Humanidade terrestre, sem vida, nem movimento, qual vastíssimo deserto imerso em profundo silêncio!
Como é desesperadora a perspectiva dos eleitos votados à contemplação perpétua, enquanto a maioria das criaturas padece tormentos sem fim!
Como lacera os corações sensíveis a idéia dessa barreira entre mortos e vivos!
As almas ditosas, dizem, só pensam na sua felicidade, como as desgraçadas, nas suas dores.
Admira que o egoísmo reine sobre a Terra quando no-lo mostram no Céu?
Oh! quão mesquinha se nos afigura essa idéia da grandeza, do poder e da bondade de Deus! Quanto é sublime a idéia que d’Ele fazemos pelo Espiritismo!
Quanto a sua doutrina engrandece as idéias e amplia o pensamento!
Mas, quem diz que ela é verdadeira?
A Razão primeira, a Revelação depois, e, finalmente, a sua concordância com os progressos  da Ciência.
Entre duas doutrinas, das quais uma amesquinha e a outra exalta os atributos de Deus; das quais uma só está em desacordo e a outra em harmonia com o progresso; das quais uma se deixa ficar na retaguarda enquanto a outra caminha, o bom-senso diz de que lado está à verdade.
Que, confrontando-as, consulte cada qual a consciência, e uma voz íntima lhe falarão por ela. Pois bem, essas aspirações íntimas são a voz de Deus, que não pode enganar os homens.
Mas, dir-se-á, por que Deus não lhes revelou de princípio toda a verdade?
Pela mesma razão por que se não ensina à infância o que se ensina aos de idade madura.
A revelação limitada foi suficiente a certo período da Humanidade, e Deus a proporciona gradativamente ao progresso e às forças do Espírito.
O céu e o inferno - cap.III - Allan Kardec.
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: 1Berto em 16 de Outubro de 2011, 02:46
Prezados companheiros de caminho,

Tendo visto algumas postagens aqui colocadas em torno do tema "desigualdades sociais" nas quais são focados os seguintes argumentos [corrijam-me se estou errado]:

1) Deus permite que essas desigualdades existam na Terra para que possamos experimentar as condições opostas da riqueza e da pobreza;
2) Quem puder passar por essas provas de maneira ética terá vantagens no mundo espiritual;
3) Os que criticam enfaticamente esse status quo - sendo pobres - são invejosos;
4) Temos de ser bons, pacíficos e resignados, entendendo que assim Deus o quer.

O que alicerça esses argumentos são a base do Cristianismo dominante na Idade Média, na qual acenava-se ao desgraçado na Terra com as promessas de uma vida melhor no outro mundo. Mantinha-se o status quo aumentando a esperança dos famintos.

Com todo o respeito, se não bastasse esses argumentos ingênuos servirem de combustível para ao fogo que incendeia e calcina as esperanças de corações desesperados de 9/10 da humanidade, no mais cruel desrespeito pela Vida; também servem para manter esses 90% de desesperados em compasso de espera para uma vida melhor, no outro mundo, com a agravante de colocarmos nas mãos de Deus (se é que o Deus espírita alguma vez teve mãos) e não tarefa dos homens, na Terra. Com o perdão da expressão, isso me cheira alienação.
A raiz das desigualdes sociais está na falta quase absoluta de acesso a uma saúde pública e educação de boa qualidade, à moradia decente e oportunidades para mais de 90% da humanidade. Isso não é pouca gente, não!
Eu ficaria calado se, toda essa gente vivesse como moradores de rua da Suécia. Lá existem moradores de rua, porém por opção; mas não! Tratam-se de excluídos na sua mais pura acepção!
Não é possível acreditar que uma boa parte dos espíritas acredite que milhões de pessoas morram de fome por ano, no mundo porque Deus quer!
É mais angustiante pensar que o problema é nosso; é um pesadelo pensar que teremos de trabalhar nosso despojamento para mudar esse quadro; é mais difícil associar isso tudo pela nossa presença aqui, e não por um conceito de que o mundo É de provas e expiações - e se ele fosse, ainda assim teríamos de tentar muda-lo, de maneira inteligente. Vale a pena, porém, tentar, apesar do acrescentamento de mais angústia além do que o pobre ser humano já carrega.
A Vida não é futura; a Vida é presente. Ela é o aqui e agora. E no aqui e no agora, 11 crianças morrem de fome por minuto, em nosso mundinho, segundo estatísticas da FAO. Isso não é jogo de palavras, nem retórica vazia, é a realidade.
Talvez, por isso mesmo, Jesus tenha dito, com certo enfado: "não vos preocupeis com o dia de amanhã; a cada dia basta o seu mal."
Saudações fraternas.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: L@CERD@ em 16 de Outubro de 2011, 03:09
Caros Irmãos.. Boa Noite.
Tema muito rico, grande escolha.Parabéns
A desigualdade social, por ser obra exclusiva do ser humano, um dia desaparecerá da face da terra, pois eternas somente são as leis de DEUS. Porém teremos que deixar de sermos orgulhosos , egoistas, de tirar proveito de posições sociais, de querer sempre levar vantagem em detrimento do próximo etc. Ai restará apenas a desigualdade do merecimento.
Muita Paz..Que Deus ilumine a tdos
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 16 de Outubro de 2011, 15:38

Olá 1BERTO e demais companheiros de jornada terrestre...


em anexo, post, onde me reporto a sua primeira postagem em torno do assunto em epígrafe. Procedi desta forma, uma vez que o texto é longo.
Em princípio parece dirigir-me inteiramente a você, no entanto, sugiro que todos leiam - Assume minha postagem uma certa rispidez, mas em absoluto busca provocar celeumas.
Redunda ao final no atendimento a proposta do Estudo deste mês. ok?

Abraço,
 lukas

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Anton Kiudero em 16 de Outubro de 2011, 16:53
A Vida não é futura; a Vida é presente. Ela é o aqui e agora. E no aqui e no agora, 11 crianças morrem de fome por minuto, em nosso mundinho, segundo estatísticas da FAO. Isso não é jogo de palavras, nem retórica vazia, é a realidade.

A unica vida que existe é a vida do espirito. Não há vida passada, presente ou futura, apenas encarnações que servem como provas, missões e expiações.

Esta é a origem de sua confusãozinha.

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Kazaoka em 16 de Outubro de 2011, 18:59
As diferenças existem em função do momento e do estado em que se encontra cada Ser.
Toda riqueza monetária do mundo, se repartida igualmente entre a população do planeta, não resolveria o estado de miséria dos mais pobres porque a parte que tocaria a cada um não seria suficiente para dar-lhes uma vida digna e auto-sustentável ao longo de sua existência. Portanto, esta justiça social através da distribuição equitativa de renda é, ainda, uma utopia.
Não adianta saciar a fome das criancinhas miseráveis de alguns países ao redor do mundo e a causa que lhes impôs aquela condição continuar a existir. São governos corruptos, guerras, intolerâncias religiosas, falta de cultura e, por conseguinte, intelectualidade as razões principais deste estado de coisas que muitos vivem. Comece por você que, às vezes, tem seus lapsos de caridade e sai a oferecer o pão material preocupando com a manteiga que ainda falta, esquecendo de oferecer o pão espiritual que pode ser servido em abundância.
Alimentar o miserável é meritório como medida emergencial e pode ser demonstração de nobreza de sentimento. Agora, identificar e combater suas causas é demonstração de coragem moral, de amor ao próximo mais que a si mesmo, desprendimento material e compreensão e respeito a Deus e a toda sua criação.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: ped jesus em 16 de Outubro de 2011, 20:47
muita boa e instrutiva ,sempre me guio pela maxima ,somente na caridade a salvação,Jesus
o Mestre ,atraves do amor de cristo jesus que sempre pregou o amor e a caridade
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 16 de Outubro de 2011, 22:11
PRECE de GRATIDÃO (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWFXN21DdGlZVzZFJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQj)

Prece de Gratidão.
Senhor,
Muito obrigado pelo que me deste, pelo que me dás,
pelo ar,pelo pão, pela paz...
pela minha faculdade de ver, pelos cegos eu quero interceder
por aqueles que vivem na escuridão e tropeçam na multidão
por eles eu oro e a Ti imploro comiseração
pois eu sei que depois dessa lida, numa outra vida
Eles enxergarão...
Senhor,
Muito obrigado pelos ouvidos meus,
Ouvidos que ouvem o tamborilar da chuva no telheiro
A melodia do vento nos ramos do salgueiro,
A dor e as lágrimas que escorrem no rosto do mundo inteiro
Ouvidos que ouvem a musica do povo que desce do morro na praça cantar
A melodia dos imortais que a gente ouve uma vez e não se esquece nunca mais
Diante de minha capacidade de ouvir; pelos surdos eu quero Te pedir
Pois eu sei que depois desta dor, no Teu reino de Amor eles voltarão a ouvir
Muito obrigado Senhor
Pela minha voz, mas também pela voz que canta que ensina que consola,
Pela voz que com emoção profere uma sentida oração,
Pela minha capacidade de falar; pelos mudos eu Te quero rogar
Pois eu sei que depois dessa dor no Teu Reino de amor eles também cantarão
Muito obrigado senhor pelas minhas mãos, mas também pelas mãos que aram, que  semeiam, que agasalham, mãos de caridade, de solidariedade, mãos que apertam mãos, mãos de poesias, mãos de cirurgias, de sinfonias, de psicografias
Mãos que numa noite fria, cuida ou lava louça numa pia,
Mãos que à beira de uma sepultura abraça alguém com ternura num momento de amargura
Mãos que no seio agasalham um filho de um corpo alheio, sem receio
E meus pés que me levam a caminhar sem reclamar, por que eu vejo na Terra
Amputados, deformados, aleijados, e eu, eu posso bailar, por eles eu oro e a Ti imploro,
Pois eu sei quedepois dessa expiação,  numa outra situação eles também bailarão
Por fim senhor... Muito Obrigado pelo meu lar,
Pois é tão maravilhoso ter um lar, não importa se este lar é uma mansão
Um ninho, uma casa num caminho, um bangalô, seja lá o que for
O importante é que dentro dele exista a presença da harmonia e do amor
O amor de mãe, de pai, de irmão, de uma companheira, de alguém que nos dê a mão
Nem que seja a presença de um cão, porque é tão doloroso viver na solidão,
Mas, se eu ninguém tiver, nem um teto para me agasalhar, uma cama pra eu deitar, um ombro pra eu chorar, ou alguém para desabafar, não reclamarei, não lastimarei, nem blasfemarei,
Porque eu tenho a Ti... Então, Muito obrigado porque eu nasci, e pelo Teu amor, Teu
sacrifício,Tua Paixão por nós... Muito Obrigado... Senhor.
Uma linda prece de gratidão psicografada por Divaldo Franco e narrada por Silvio Matos.

Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Edna☼ em 16 de Outubro de 2011, 23:16
Deve-se pôr termo às provas do próximo, quando se pode, ou devemos, por respeito aos desígnios de Deus, deixá-las seguir o seu curso?  ???


          -   Já vos dissemos e repetimos, muitas vezes, que estão na terra de expiação para completarem as vossas provas, e que tudo o que vos acontece é conseqüência de vossas existências anteriores, as parcelas da dívida que tendes a pagar. Mas este pensamento provoca em certas pessoas reflexões que devem ser afastadas, porque podem ter funestas conseqüências.

            Pensam alguns que, uma vez que se está na Terra para expiar, é necessário que as provas sigam o seu curso. Há outros que chegam a pensar que não somente devemos evitar atenuá-las, mas também devemos contribuir para torná-las mais proveitosas, agravando-as. É um grande erro. Sim, vossas provas devem seguir o curso que Deus lhes traçou, mas acaso conheceis esse curso? Sabeis até que ponto elas devem ir, e se vosso Pai Misericordioso não disse ao sofrimento deste ou daquele vosso irmão: “Não irás além disto?” Sabeis se a Providência não vos escolheu, não como instrumento de suplício, para agravar o sofrimento do culpado, mas como bálsamo consolador, que deve cicatrizar as chagas abertas pela sua justiça?

            Não digais, portanto, aos verdes um irmão ferido: “É a justiça de Deus, e é necessário que siga o seu curso”, mas dizei, ao contrário: “Vejamos que meios nosso Pai misericordioso me concedeu, para aliviar o sofrimento de meu irmão. Vejamos se o meu conforto moral, meu amparo material, meus conselhos, poderão ajudá-lo a transpor esta prova com mais força, paciência e resignação. Vejamos mesmo se Deus não me pôs nas mãos os meios de fazer cessar este sofrimento; se não me deu, como prova também, ou talvez como expiação, o poder de cortar o mal e substituí-lo pela benção da paz”.

            Auxiliai-vos sempre, pois em vossas provas mútuas, e jamais vos encareis como instrumentos de tortura. Esse pensamento deve revoltar todo homem de bom coração, sobretudo os espíritas. Porque o espírita mais que qualquer outro, deve compreender a extensão infinita da bondade de Deus. O espírita deve pensar que sua vida inteira tem de ser um ato de amor e de abnegação, e que por mais que faça para contrariar as decisões do Senhor, sua justiça seguirá o seu curso. Ele pode, pois, sem medo, fazer todos os esforços para aliviar o amargor da expiação, porque somente Deus pode cortá-la ou prolongá-la, segundo o que julgar a respeito.

            Não seria excessivo orgulho, da parte do homem, julgar-se com o direito de revolver, por assim dizer, a arma na ferida? De aumentar a dose de veneno para aquele que sofre, sob o pretexto de que essa é a sua expiação? Oh! considerai-vos sempre como o instrumento escolhido para fazê-la cessar. Resumamos assim: estais todos na Terra para expiar; mas todos, sem exceção, deveis fazer todos os esforços para aliviar a expiação de vossos irmãos, segundo a lei de amor e caridade.

Bernardim
Espírito protetor, Bordeaux, 1863


Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 17 de Outubro de 2011, 13:13
Bom dia Brasil... Boa tarde Portugal

Querido amigo Lukas e amigos visitantes, desejo a todos um ótima semana rica de amor, saúde e paz

O PROBLEMA DA IGUALDADE

A igualdade, sem dúvida, é realidade nas raízes da existência.

Todos os seres possuem direitos idênticos de acesso à elevação, sob qualquer prisma, entretanto, é preciso considerar que os deveres graduam as vantagens, dentro da vida.

No caminho da evolução, desse modo, a teoria igualitária absoluta é invariável utopia que nenhum sistema político poderá materializar.

A experiência e o esforço pessoal são as duas alavancas da diferenciação à cuja influência decisiva não conseguiremos fugir.

Mas, se é verdade que não podemos improvisar a ancianidade do espírito, que só o tempo confere a cada criatura, na jornada para a maturação, o trabalho é sempre a riqueza real, suscetível de ser ampliada em nosso destino, ao preço de nossa boa vontade.

Assim sendo, não te esqueças das oportunidades que a divina providência te oferece cada dia, em favor do teu crescimento.

Os degraus da subida de nossa alma no rumo da perfeição destacam-se, hora a hora, através das situações e das pessoas que nos rodeiam.

Não residem nas facilidades que nos acomodam o coração com as linhas inferiores do mundo. Salientam-se nos obstáculos com que somos defrontados.

Cada problema e cada aflição, cada prova mais rude e cada luta mais árdua representam pontos vivos de ascensão que podemos aproveitar, em favor do próprio aprimoramento.

Aprendamos a respeitar o próximo e auxiliá-lo, na convicção de que amparando os nossos irmãos de caminho, auxiliaremos a nós mesmos, de vez que adquiriremos o tesouro da experiência, que nos enriquecerá de visão para os cimos que nos cabe alcançar.

Cada fonte vive em seu nível.

Cada projeção de luz caracteriza-se por determinado potencial de radiação.

Cada flor guarda o perfume que lhe é próprio.

Cada árvore produz segundo a espécie a que se subordina.

Cada espírito respira na esfera que elege para clima ideal da própria existência...

Compete-nos buscar a posição de superioridade que Jesus nos oferece, aceitando o sacrifício pelo bem que a vida nos impõe, a fim de que nos façamos hoje os envoltórios pesados que ainda nos imantam à zonas escuras da Terra e tentando a sintonia com os benfeitores que nos esperam na glória espiritual.

Emmanuel

Do Livro: Trilha de Luz

Psicografia: Francisco Cândido Xavier

Editora: IDE
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 17 de Outubro de 2011, 13:15
"Igualdade Natural - Desigualdade de Aptidões - Desigualdades Sociais"

Como sabemos , fomos criados simples e ignorantes. Todos nas mesmas condições.

E todos tendendo a um fim único: o caminho da perfeição. Deus , portanto, não faz distinções.

Para Deus todos são iguais.

Todos, sem exceção, estão sujeitos às mesmas dores.

Deus não concede superioridade natural a nenhum homem, nem pelo nascimento e nem pela morte.

Todos estamos aqui encarnados , cada qual na sua condição.

Seja moral ou intelectual vamos adquirindo valores que somam a nossa bagagem espiritual e marca "pontos" no caminho da evolução.

A cada difícil situação que  nos apresenta, é como um prêmio, pois, diante de cada situação difícil, vamos saindo do mundo confortável que criamos e vivemos para um mundo de perguntas onde através da percepção de cada um, podemos ou não compreender o porque da situação pela que passamos ocorre, e aplicar os ensinamentos de Jesus.

Vivendo num mundo de provas e expiações, vamos então, compreendendo a necessidade de evoluir para que alcancemos degraus maiores até atingirmos os chamados mundos felizes.

A igualdade natural então, nos explica a condição que estamos frente aos nossos irmãos que é "A Mesma",pois somos submetidos as mesmas leis naturais, as mesmas fragilidades.

Cabe a cada um de nós sair da condição de espíritos que sofrem, à espíritos que evoluem.

E é o que acontece com muito de nós.

Dada a condição de livre-arbítrio, vamos nos diferenciando de nossos irmãos à medida que nos desligamos das amarras dos sentimentos inferiores e focando nossas vidas dentro da busca da evolução espiritual - aprendendo e praticando os ensinamentos de Jesus - e da evolução intelectual - gosto por estudar as mais diversas matérias (profissões) que se apresentam a  nós no mundo simples que vivemos.

Quando a escolha é evoluir, deixando de lado todas as pequenas coisas, o espírito se mostra apto a continuar seguindo frente a evolução e  desenvolve aptidões mais rapidamente de outros espíritos, ganhando aptidões diversas.

Decorre disso, a mistura de aptidões que vem contribuir para o equilíbrio, dando sua contribuição.

Ocorre também de espíritos que pertençam a mundos mais evoluídos encarnem em nosso mundo a fim de nos dar exemplo.

Deus não criou desigualdade, mas permite que as diferentes condições de aptidões nos espíritos mantenham contato, para que os mais adiantados contribuam com os menos evoluídos para  que possam evoluir.

Já a Desigualdade Social é uma condição humana.

Nada tem relacionado a Deus. Dias haverá em que não mais haverá a predominância do orgulho e egoísmo.

Seguiremos frente a um mundo maior longe de toda maldade humana.

A desigualdade social tem se extinguido dia a dia.

E sabemos q isso decorre da evolução de nosso planeta.

Somente as leis de Deus são eternas.

Os que abusam das leis praticando abusos da posição que ocupam, em breve terá também que aprender  em nova existência através do sofrimento que amor deve reinar no lugar da iniqüidade.

E esse abuso é tão sério que os espíritos colocam da seguinte forma a pergunta de Kardec :

807 - Que pensar dos que abusam da superioridade de sua posição social para oprimir o fraco em seu proveito?

R: Esses merecem o anátema; infelizes que são!

Serão oprimidos por sua vez e renascerão numa existência em que sofreram tudo o que fizeram sofrer.

O que podemos resumir daqui para reflexão individual é  procuremos nos aprimorar a cada dia .

Fonte: Portal do espirito
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 17 de Outubro de 2011, 13:25
Podemos dizer, que as desigualdades sociais, são inevitáveis e até mesmo necessárias para as diferentes provas que os espíritos desempenham e que a miséria é que é criação humana?

R- Isso depende muito do gênero de expiação ao qual o espírito deve passar.

Olhando para nosso mundo, vemos a desigualdade social muito freqüente. Difícil analisar cada caso, mais difícil ainda analisar sob a ótica espírita todo o geral.

Acredito que a desigualdade social possa ser usada como "ferramenta" de aprendizagem de alguns espíritos que muitas vezes necessitam viver esse contexto para evoluir ou expiar.

Mas é preciso deixar claro que a desigualdade social não é de Deus e sim do Homem. E que dia chegará em que ela se extinguirá por completo.

Portal do espiríto
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 17 de Outubro de 2011, 13:33
Haverá um dia, igualdade social entre os homens da Terra?

R-  Sim. Sem dúvida. Assim como nós estamos evoluindo, nosso planeta também esta. Estamos deixando de ser um plano de provas e expiações para regeneração.

Portal do espirito
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 17 de Outubro de 2011, 13:37
Dentro da Lei de Igualdade, todos somos iguais por estarmos submetidos às mesmas Leis Naturais, ou Divinas, seria isso?

R- Todos somos iguais porque Deus fez suas Leis para todos.

As mesmas Leis que regem meu pequeno universo são as mesmas que regem o seu.

Como diz no LE citado por nossos próprios provérbios

"O Sol Brilha para Todos”

Seguimos para o mesmo fim.

Deus nos criou simples e ignorantes e sob as mesmas leis em busca da evolução.


Portal do espiríto
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Dothy em 17 de Outubro de 2011, 13:55
Desigualdade Social

A pobreza é um problema que afeta a maioria dos países.

A desigualdade social e a pobreza são problemas sociais que afetam a maioria dos países na atualidade. A pobreza existe em todos os países, pobres ou ricos, mas a desigualdade social é um fenômeno que ocorre principalmente em países não desenvolvidos.

O conceito de desigualdade social é um guarda-chuva que compreende diversos tipos de desigualdades, desde desigualdade de oportunidade, resultado, etc., até desigualdade de escolaridade, de renda, de gênero, etc. De modo geral, a desigualdade econômica – a mais conhecida – é chamada imprecisamente de desigualdade social, dada pela distribuição desigual de renda. No Brasil, a desigualdade social tem sido um cartão de visita para o mundo, pois é um dos países mais desiguais. Segundo dados da ONU

Fonte: Brasil Escola » Sociologia » Desigualdade social
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: 1Berto em 18 de Outubro de 2011, 03:46
A Vida não é futura; a Vida é presente. Ela é o aqui e agora. E no aqui e no agora, 11 crianças morrem de fome por minuto, em nosso mundinho, segundo estatísticas da FAO. Isso não é jogo de palavras, nem retórica vazia, é a realidade.

A unica vida que existe é a vida do espirito. Não há vida passada, presente ou futura, apenas encarnações que servem como provas, missões e expiações.

Esta é a origem de sua confusãozinha.


Pois é Sr. Anton gostei do "confusãozinha". Você é espirituoso (sem trocadilho).
Não quero desviar o foco - o tema, por isso vou ser breve, a não ser que queira continuar discutindo esse assunto em outro lugar.
Acontece, Sr. Anton, que a pejoração não serve pra mim, não. Esse teu dardo deve ser atirado em outro alvo - Allan Kardec, e por tabela Jesus.
Só pra te refrescar a memória: Capítulo II de O Evangelho Segundo o Espiritismo - item 2. Vê, lá, qual é o título desse ítem e o que ele diz a respeito.
Além do mais, estamos discutindo "desigualdades sociais" e não desigualdades espirituais. Daí eu ter dito que você sofismou.
Observação importante: não me considero fundamentalista, e nem legalista. Citei o ESE apenas como apoio. Prova disso: não considero nem mesmo o livro "O Evangelho Segundo o Espiritismo" como cláusula pétrea.
Parece-me que o fórum existe para discutir idéias e refletir sobre elas; dialogar sem o intuito de impor conceitos e crenças. Essa é minha proposta aqui.

Saudações fraternas
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 18 de Outubro de 2011, 07:15
Amado Irmao 1berto,
Observando sua argumentação, a ideia que formatei (posso estar enganado, todos podem!), mas me parece que o amigo está fortemente comprometido com um repertorio  operante na ordem dos comportamentos reativos, arregimentanto um exercito para desencadear uma revolta contra o sistema que realmente não é bom, aliás poderia ser bem melhor... concordo, mas é o que temos, e vem sendo testado há milênios, centenas ce milhares de milhores de pessoas já deram a vida, em defesa e em revolta ao que aí está, e paece que o amigo, tem assim de pronto uma idéia, eficaz, mas não a expõe, só critica.
Mas só esse argumento, e fraco, e precisa de mais base filosóficas, psicológicas cognitivas, que fundamentem nas outras pessoas assumirem um risco de desmanchar o que está ai, por algo que nem siquer o amigo mencionou.
Ou o amigo, critica só por criticar sem ter apontamentos adqueados e planejado para substiruir tudo que está posto e que inclusive serviu para trazer o amado irmão até aqui e aqui ter a oportunidade de usufruir o bem maior do universo que é o viver...
Não podemos fazer de conceitos tão longanimamente executados, certos ou errados não sei, um laboratório de uma idéia reacionária, talvez e também com razoaveis argumentos, os quais nem sombra dele eu notei... mudar por mudar é submeter vidas humanas a experimentos que já estamos rejeitando nos ramsters...
Por favor seja mais claro, pois a mim me parece que o irmão fotmata idéias unicamente baseadas na crítica, nem nenhuma construtividade ou responsabilidade com o que acontecerá em seguida.
Espero que o amado irmão tenha fibra e não se melindre, pois se melindrarres, aí sim saberei com certeza que infelizmente o amado irmão deve permanecer lendo ainda por um bom tempo.
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: pati em 18 de Outubro de 2011, 21:06
Bons dias a todos!

Citar
"A Vida não é futura; a Vida é presente. Ela é o aqui e agora."

Vejo aqui, um apelo aflito para que possamos fazer algo, o que possamos realizar, a fim de minimizar sofrimentos ao nosso redor. Vejo assim também: é o agora que importa. A falta do que é necessário, do básico, para a vida terrena, ainda nos  causa aflição, principalmente, quando se trata de espíritos encarnados em tenra idade. É uma realidade humana muito triste essa.
Por outro lado, para o Espírito, não existe o tempo como conhecemos:
Citar
passado,presente, futuro.
Entendo que, o aqui e agora, são
Citar
provas, expiações, missões.
. Com isso misturado, mas sem nenhuma confusão, lembramos que nosso modo de ver as coisas de Deus, está ligado ao grau de consciência espiritual, ao desapego.
A riqueza, por exemplo, sempre existirá, até onde entendi. Cada ser a reconhecerá e renovará seus conceitos, conforme progresso e evolução  alcançados nas vidas sucessivas.
E, para terminar, acredito piamente que poderia( e vai haver) haver mais equilíbrio social, se os que podem mais tivessem o hábito(nem falo de caridade), apenas hábito de fazer doação do necessário à sobrevivência do semelhante. Ex: " eu necessito disto. tenho isto e mais isto. então entrego ao outro o que me sobra disto" = equilíbrio. Não é a "caridade austera" de que nos fala o ESE mas, no meu parco modo de ver, se começarmos por aí, já vai fazer diferença. Com esse simples exercício creio estarmos no caminho do esforço para melhorarmos.
Abraços a todos
pati

Estejamos em Deus

Título: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 19 de Outubro de 2011, 14:31

Olá estimado/as companheiros/as,

reforço minha gratidão por todos os 'post"s"' alimentando o estudo em em torno do tópico em epígrafe.
 Não tenham dúvidas, todos muito valiosos, ampliando horizontes, noutros trazendo conhecemintos inéditos... Notável como apanharam o aspecto moral, que não se pode divorciar, ou melhor, arredar do estudo proposto, em que pese tratemos e/ou  aparantemente, em  primeiro plano de diferenças sociais no âmbito das coisas da matéria.
Apegado ao acima exposto, anexo Power Point para reflexão e facilmente o veremos ratificar o posicionamento de várias postagens, ao mesmo tempo que nos convida a fortalecer a idéia de que tudo depende de cada um de nós para melhorar a nossa Casa Terrestre.
Mantenhamo-nos encorajados no emprendimento em que nos lançamos, estudando e buscando pelo extraordinário meio do conhecimento, desenvolver a nossa moral e acelerar o processo de forma a fazê-la andar de mãos dadas com o desenvolvimento intelectual.

Afetuoso abraço a todos/as
            lukas
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: pati em 20 de Outubro de 2011, 02:07
bons dias a todos!
muito bom o pps, lukas!!
frases para refletir...
obrigada por nos trazer essas reflexões.
pati

em deus
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Edna☼ em 22 de Outubro de 2011, 00:43
Olá Lukas e demais amigos...  :)


Princípio da igualdade     [attach=1]


"Sem a preexistência da alma, o homem, que crê em Deus, é levado a acreditar que lhe deve singulares vantagens, e o que não crê é levado a atribuí-los ao acaso e aos méritos próprios. A preexistência, dando-lhes a noção da vida anterior da alma, ensina-o a distinguir a espiritual, infinita, da corporal, temporária. Ele chega por aí a compreender que as almas saem iguais das mãos do Criador, têm o mesmo ponto de partida e o mesmo fim, que todos atingirão em mais ou menos tempo, segundo os esforços empregados; que ele próprio não chegou ao ponto, em que se acha senão depois de ter longa e penosamente vegetado como os outros, nos planos inferiores; que não há entre os mais e os menos adiantados senão questão de tempo; que as vantagens do nascimento são puramente corporais e não afetam o Espírito; que o proletário pode, noutra existência nascer em um trono e o mais poderosos pode vir como proletário.

Se ele não considerar senão a vida corporal, vê as desigualdades sociais e não as pode explicar; mas se lançar a vista para o prolongamento da vida espiritual, para o passado e o futuro, desde o ponto de partida até o terminal, todas as desigualdades se lhe desfazem perante os olhos e reconhecerá que Deus não deu a nenhum de seus filhos vantagens que negasse a outros; que fez a partilha com a mais rigorosa igualdade, não preparando o caminho melhor para uns do que para outros; que o mais atrasado de hoje, dedicando-se à obra do seu aperfeiçoamento, pode ser amanhã mais adiantado; em fim reconhece que, não se elevando ninguém a não ser pelos esforços pessoais, o princípio da igualdade tem o caráter de um princípio de justiça e de lei natural, diante dos quais não prevalece o orgulho dos privilégios."

Allan Kardec

(In, Obras Póstumas)


Abraços fraternos sempre,

Edna ;)

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 24 de Outubro de 2011, 22:55
Amados,
Desde sempre, a falta de interesse em informar, disponibilizar educação, conhecimento, foi usada como forma de manter sob controle, grande numero de pessoas, despreparadas para evoluirem social e moralmente, pois somente uma educação de boa qualidade proporciona isso aos  humanos.
É nossa(coletiva) a responsabilidade em educar e o educando poderá pelo prazer de aprender, melhorar seu comportamento cognitivo, pois se vê inserido no plano evolutivo, e não desenvolve revoltas...
As castas sempre se julgaram privilegiadas, em detrimento dos impuros...
Como melhorar esse mundo de revoltas sem educação e ainda exigindo que quem deseja aprender se cale?
Veremos que os rebeldes que derrubaram Muammar Kadafi, agora armados até os dentes, não serão melhores que o falecido, espero em Deus estar errado.
Mas tudo começa pelo indivíduo, que segue outrem, olhemos o mau exemplo dos nossos motoristas que se alcoolizam, se drgam e saem a dirigir seus veículos, matando, aleijando, e ainda nos mandam comer nosso naco de melão calado.
Que Deus nos abençoe!
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Kazaoka em 24 de Outubro de 2011, 23:16
Todo tipo de desigualdade social está sempre ligada a questões precedentes, ligadas à omissão na tarefa de educar. E isso começa no núcleo familiar, são pais omissos, pais atarefados que delegam a terceiros a tarefa de educar seus próprios filhos em nome da necessidade do trabalho para sustentação da família. São as intolerâncias gerando conflitos que se transformam em guerras e consequente miséria coletiva.
Tudo isso é falta da verdadeira conscientização do valor que tem a "pedra filosofal" chamada educação.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: filhodobino em 24 de Outubro de 2011, 23:52
Todo tipo de desigualdade social está sempre ligada a questões precedentes, ligadas à omissão na tarefa de educar. E isso começa no núcleo familiar, são pais omissos, pais atarefados que delegam a terceiros a tarefa de educar seus próprios filhos em nome da necessidade do trabalho para sustentação da família. São as intolerâncias gerando conflitos que se transformam em guerras e consequente miséria coletiva.
Tudo isso é falta da verdadeira conscientização do valor que tem a "pedra filosofal" chamada educação.
Concordo que parte do problema está ligado à dificuldades dos pais em "educar", mas podem pelo menos dar alguns exemplos, mesmo na lida diária...
Outra parte do problema advém do conjunto da sociedade que jung chamou de consciente coletivo, este, todos nós devemos estar atentos, pois não há pais que consigam educar filhos que se afinizam com os maus comportamentos que o consciente coletivo, já na creche, envolve nossos filhos...
Mas, como não nos compete educar o mundo, o que realmente nos compete é dar exemplo, essa é nossa missão que redundará num planeta melhor para se viver.
Saúde e Paz!
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Kazaoka em 25 de Outubro de 2011, 00:44
Tudo que é, ou está, imperfeito está assim para ser corrigido e para servir de campo para o exercício das virtuosidades capazes de modificá-las. E no trato com as questões que balizam a organização social da humanidade a questão toma um aprofundamento tal, que chega atingir a "alma" da sociedade, a família.
A forma dinâmica de viver que experimentamos hoje é uma situação nova para a humanidade. A geração contemporânea vive um momento de dualidade de forma de viver e, por consequência, de forma de educar os filhos também.
Até mais ou menos trinta ou quarenta anos atrás, a forma de viver, de trabalhar, de formar a família e educar os filhos seguia um padrão secular que dava a certeza dos resultados da aplicação daquele modelo.
Hoje vivenciamos um momento único onde estamos na posição de testemunhas oculares da mudança desse modelo tradicional pelo estilo moderno e ajustado às realidades da modernidade. E o resultado dessa mudança estamos começando a sentir seus efeitos agora, com os filhos desta nova era (que são nossos filhos) se tornando adultos, adaptados à nova realidade e convivendo com os velhos problemas.
A dor que essa condição de testemunhas nos dá é esta de vivermos a dúvida já com o presente, sendo que estávamos acostumados a lidar com as dúvidas, que para a maioria dos de nossa geração, eram próprias das coisas do futuro.
Me perdoem os mais jovens mas, estou dirigindo minha fala àqueles que, como eu, brincava com "vaquinhas" feitas de fruto novo de chuchu e às companheiras que brincavam com bonecas de palha de milho. Quanta saudade!!!   
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Anton Kiudero em 25 de Outubro de 2011, 03:55
Enquanto o espirito humanizado procurar as causas de sua infelicidade fora de si mesmo, nos 'outros', nos 'governantes', no 'sistema; enquanto acreditar que existam 'culpados' e 'vitimas' inocentes, coisas 'certas' e coisas 'erradas', não é ainda 'filho de Deus', mas apenas 'filho de si mesmo'.

Nada acontece ao acaso e tudo o que acontece a cada um é dado por Deus de acordo com o merecimento de cada um, com absoluta justiça e total amor.

Não julguem nada e nem a ninguem, que estarão apenas julgando a si mesmos.

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Kazaoka em 25 de Outubro de 2011, 15:47
A  sociedade humana é como um espelho a refletir a imagem que nela imprimimos. E se queremos esta imagem diferente, aqui acho que estamos em acordo Anton, devemos mudar em nós o que não estamos concordando na sociedade. E, como sabemos que tudo tem uma regência Divina, Deus nos dá este espelho chamado sociedade humana, que nos mostra os parâmetros das desigualdades que fazem distorcer nossa imagem e nos faz buscarmos a melhora. Por que sabemos que em sua essência, toda obra de Deus é perfeita.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: maria.ma@ em 27 de Outubro de 2011, 20:04
Consciência Divina

Ralph Waldo Emerson, o maior filósofo e poeta da América do Norte, disse acertadamente: “O homem é como o frontispício de um templo em cujo interior reside toda a sabedoria e todo o bem. O que normalmente chamamos homem – o que come, bebe, planta, calcula -, não é o verdadeiro homem, senão um disfarce de si mesmo. Não é a ele a quem respeitamos, senão a alma da qual ele é simplesmente um instrumento; se a deixasse aparecer em suas ações, nos faria cair de joelhos em adoração”.

O homem que come, bebe, planta, calcula, sendo limitado e imperfeito, é o que chamamos de homem “aparente”; o homem verdadeiro é livre, infinitamente sábio, divino e sempre bem-aventurado. A alma de cada indivíduo é um centro daquele círculo cuja circunferência é infinita, mas cujo centro está em toda parte. Esse círculo se chama Espírito universal e é a fonte de toda sabedoria e conhecimento, de toda verdade, de toda ciência, filosofia, arte, beleza e amor. Esse ilimitado círculo de infinita sabedoria é a natureza real que há no fundo de cada indivíduo aparente. Não sabendo que o eterno rio da sabedoria flui constantemente em seu interior, o homem aparente busca aqui e lá e luta para conseguir uma gota de conhecimento com que espera satisfazer sua sede intelectual; é como um louco que, estando às margens de um caudaloso rio, cava um poço para encontrar água com que matar sua sede.


(HD) - Quem Somos Nós ? parte 04 / 12 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXoxODBKRF90NnJnJmFtcDtmZWF0dXJlPXBsYXllcl9lbWJlZGRlZCM=)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Anton Kiudero em 28 de Outubro de 2011, 00:16
O que denominamos de realidade é apenas a ilusão pessoal. Mudando levemente a mente, muda a realidade.

Título: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lukas de souza em 30 de Outubro de 2011, 12:25
Olá estimados(as) companheiros(as),

muito prático me seria, apenas sugerir buscassem no Evangelho Segundo o Espiritismo o Cap. II; de que que o lessem ou o relessem, mas não arredo a sugestão de que o acessem por inteiro, eis que, adiante, e para não ser enfadonho, apenas transcrevo os itens 4 (quatro) e 5 (cinco) que penso adequa-se diretamente ao estudo por forma mais pontual.

MEU REINO NÃO É DESTE MUNDO (fragmento)
E. S. E. – Cap. II — itens 4 e 5

A REALEZA DE JESUS


4. Que não é deste mundo o reino de Jesus todos compreendem, mas, também na Terra não terá ele uma realeza? Nem sempre o título de rei implica o exercício do poder temporal. Dá-s esse título, por unanime consenso, a todo aquele que, pelo seu gênio, ascende à primeira plana numa ordem de idéias quaisquer, a todo aquele que domina o seu século e influi sobre o progresso da Humanidade. É nesse sentido que se costuma dizer: o rei ou príncipe dos filósofos, dos artistas, os poetas, dos escritores, etc. Essa realeza, oriunda do mérito pessoal, consagrada pela posteridade, não revela, muita vezes, preponderância bem maior do que a que cinge  (restringir, ornar) a coroa real? Imperecível é a primeira, enquanto esta outra é joguete das vicissitudes; as gerações que se sucedem à primeira sempre bendizem, ao passo que, por vezes, amaldiçoa a outra. Esta, a terrestre, acaba com a vida; a realeza moral se prolonga e mantém o seu poder, governa, sobretudo, após a morte. Sob esse aspecto não é Jesus mais poderoso rei do que os potentados da Terra? Razão, pois lhe assistia para dizer a Pilatos, conforme disse:   “Sou rei, mas o meu reino não é deste mundo.”

O PONTO DE VISTA

5. A idéia clara e precisa que se faça da vida futura proporciona inabalável fé no porvir, fé que acarreta enormes conseqüências sobre a moralização dos homens, porque muda completamente  o ponto de vista sob o qual os encara a vida terrena  Para quem se coloca, pelo pensamento, na vida espiritual, que é indefinida, a vida corpórea se torna simples passagem, breve estada num país ingrato. As vicissitudes e tribulações dessa vida não passam de incidentes que ele suporta com paciência, por sabê-las de curta duração, devendo seguir-se-lhes um estado mais ditoso. À morte nada mais restará de aterrador; deixa de ser porta que se abre para o nada e torna-se a que dá para a libertação, pela entra o exilado numa mansão de bem-aventurança e de paz. Sabendo temporária e não definitiva a sua estada no lugar onde se encontra menos atenção presta às preocupações da vida, resultando-lhe daí uma calma de espírito que tira àquela muito do seu amargor
Pelo simples fato de duvidar da vida futura, o homem dirige todos os seus pensamentos para a vida terrestre. Sem nenhuma certeza quanto ao porvir, dá tudo ao presente. Nenhum bem divisando mais precioso do que os da Terra tornam-se qual a criança que nada mais vê além de seus brinquedos. E não há o que não faça para conseguir os únicos bens que se lhe afiguram reais. A perda do menor deles lhe ocasiona causticante pesar; um engano, uma decepção, uma insatisfeita, uma injustiça de que seja vítima, o orgulho ou a vaidade ferida são outros tantos tormentos, que lhe transformam a existência numa perene angústia,  inflingindo-se ele, desse modo, a si próprio, verdadeira tortura de todos os instantes. Colocando o ponto de vista, de onde considera a vida corpórea, no lugar mesmo em que aí se encontram, vastas proporções assume tudo o que o rodeia. O mal que o atinja, como o bem que toque aos outros, grande importância adquire aos seus olhos. Aquele que se acha no interior de onda cidade, tudo lhe parece grande: assim os homens que ocupem as altas posições, como os monumentos. Suba ele, porém, a uma montanha, e logo bem pequenos lhe parecerão homens e coisas.
É o que sucede ao que encara a vida terrestre do ponto de vista da vida futura; a humanidade, tanto quanto as estrelas do firmamento, perdem-se na imensidade. Percebe então que grandes e pequenos estão confundidos, como formigas sobre um montículo de terra; que proletários e potentados são da mesma estatura, e lamenta que essas criaturas efêmeras e tantas canseiras se entreguem para conquistar um lugar que tão pouco tempo conservarão. Daí se segue que a importância dada aos bens terrenos está sempre em razão inversa da fé na vida futura. — Uma rainha de França. (Havre, 1863).

Afetuosos abraços,
        lukas
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: 1Berto em 31 de Outubro de 2011, 21:20
Em tempo: algumas observações (possíveis) pelas reações às minhas postagens

1)   Minhas críticas podem ser consideradas autocríticas, porque faço parte do chamado “movimento espírita”.
Esclareço que o Espiritismo entrou em minhas veias desde a fase de mórula. Aqueles que me conhecem – meus amigos e familiares – sabem que o Espiritismo é para mim como ar que respiro. Isso não me autoriza dizer que sou bondoso, virtuoso; muito pelo contrário. Tenho aguda noção de minha condição espiritual, porém sem afetações humilhantes.

2)   Minha intenção não é discutir querelas, mas conversar sobre o Espiritismo em sua forma doutrinária e, sobretudo, sua práxis no Brasil – suas virtudes e seus vícios.
3)   Como querem alguns (e alguns de peso!) o Espiritismo seria o Cristianismo Redivivo, então todos os espíritas deveriam observar atentamente o registro feito por Lucas, em seu “Atos dos Apóstolos”, capítulo 4 versículos 32 a 35: 
A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém dizia que eram suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era comum.
Com grande coragem os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. Em todos eles era grande a graça.
Nem havia entre eles nenhum necessitado, porque todos os que possuíam terras e casas vendiam-nas, e traziam o preço do que tinham vendido e depositavam-no aos pés dos apóstolos. Repartia-se então a cada um deles conforme a sua necessidade.

4)   Agradeço, sem afetação alguma, as respostas às minhas indagações pelo simples fato de terem prestado atenção ao que disse, mesmo sendo, para alguns, grandes equívocos; mesmo tendo respostas diametralmente opostas às minhas observações. Vale dizer, algumas confirmando minha opinião sobre o tema. Agradeço a todos que se expressaram porque este deve ser o escopo do movimento espírita.
Tivesse eu me sentido ofendido com as manifestações de alguns companheiros, eu estaria negando aquilo que entendo por Espiritismo: uma dialética da Vida.
Entretanto, devo afirmar-lhes que muita coisa ficou sem resposta (não tenho a presunção de tê-la), como também não faço exigências de que alguém aqui a tenha, pronta e acabada, caso contrário o Espiritismo não poderia ter o caráter filosófico tão enfatizado por Allan Kardec.
Por outro lado, o “ disse o que quis, e ouvi o que não quis” é normal para mim; já não posso dizer o mesmo da qualidade do que ouvi. Explico: enquanto (salvo engano) eu fazia críticas ao movimento espírita, EM GERAL,  e recebi ataques pessoais – coisa não muito difícil de se constatar. Lamento, não por mim, por que seria uma bobagem, uma tolice revestida de melindres e ferimentos ao meu ego; não. Lamento porque ainda temos de aprender a discutir, a expor idéias e conceitos sem os inconvenientes do fundamentalismo e do legalismo tão prejudiciais a qualquer área do conhecimento.
Pelo exposto, e se me for permitido, darei, sim,  as respostas aos ataques e contrapontos, porém não em mensagens abertas.

5)   Em certo momento, o Sr. “Filhodobino” diz que tenho de estudar mais. Ele tem toda a razão. Tenho de estudar mais e mais e mais. A vida é uma escola sem fim, e o humano uma obra inacabada.
Por isso, pergunto-lhe o quê eu devo estudar em sua opinião? Quais os autores que ele me indica? Quais obras devo estudar para conhecer melhor a problemática da fome, da miséria, da estupidez humana? Isso não é um desafio ao Sr. “Filhodobino”, isso é um apelo!
6)   Para finalizar, gostaria de citar Santo Agostinho para nossa reflexão, mais pelo seu conteúdo do que pela importância do seu autor:
“A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem; a indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-las”
Abraço fraterno a todos
Muita paz.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Kazaoka em 31 de Outubro de 2011, 23:40
1berto, suas colocações refletem a sensibilidade do Ser que o anima e sua manifestação é importante convite à introspecção necessária ao nosso autoconhecimento.
E quando cita a frase de Santo Agostinho, aqueles que já foram tocados pela base da DE, entendem que a indignação não pode ser confundida com revolta para que os atos de coragem não sejam atos de revolução irresponsável.
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: 1Berto em 01 de Novembro de 2011, 00:39
Sr. Kasaoka,

Obrigado pela atenção dedicada às minhas observações.
Acho bom sabermos da distinção entre revolta e indignação, porém a revolução deve continuar o seu processo - falo sobre a revolução da consciência, obviamente. E ela começa pela pedagogia espírita, na qual, a meu ver, passa por uma crise. (não vou me estender nesse tema porque não é a finalidade desse debate, especificamente).

Abraço fraterno. Mais uma vez, obrigado e a todos os companheiros muita paz.

Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: guto augusto em 01 de Novembro de 2011, 20:49
Está o homem na Terra condenados viver fora do abrigo de leis advindas de uma potência intelecto-moral extra-humana? De supor-se que sim! Examinemos os nossos dias e veremos o quadro mórbido das candentes diferenças sociais – Mas, o igualitarismo social e absoluto de todos, nos traria o bem-estar, a paz tão almejada ou então a felicidade ou o progresso?... Os legisladores, em todas as épocas da humanidade até a presente data, têm logrado êxito em suas investidas através de leis? Vemos e/ou  sabemos, haverem estadistas e condutores de multidões propugnarem o bem-estar por processos mecânicos e, conseguirem regular as relações sociais?  Consegue o homem por mais portento em inteligência e moralidade, fazer o Planeta girar no sentido anti-horário? Pode o humano ofuscar o brilho das estrelas?
Crendo e aceitando a existência de Deus, estão os homens sujeito ao constrangimento no sentido de cumprimento de Leis Naturais? Admitindo-se que sim, estudemos observando:

Desigualdades Sociais - Estudo forumespirita.net (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXJ0V21XTF9Mc1B3I3dz)

● Somos todos iguais ante a Ele, mesmo observando a imensa fenda que se abre pelas desigualdades sociais gritantes;

● Sendo justas as desigualdades de aptidões mesmo sendo iguais ante a Lei, importa saber a razão;

●  Justificar, eis que a ciência ordinária não explica as desigualdades.

sim somos todos iguais perante Ele.Porém , em muitas vezes, o nascer pobre ou miserável na Terra é uma provação.
Só que , observando a pobreza em muitos outros lugares , em países que tem o mesmo nível de  riquezas geradas , o Brasil  transforma a vida do pobre em um martírio infindável,
Citando exemplos corriqueiros , ao chegar em São Paulo  ou no Rio ou em qualquer grande cidade do país , percebemos o contraste aviltante, enormes prédios , centros comerciais de um lado , do outro vivendo como bichos , nosso irmãos menos afortunados.
Porque no Brasil , a provação se faz mais sofrida, pois o Governo de uma forma geral, independente de partidos, é omisso na sua obrigação ao básico que tem que oferecer a população.
Ensino fundamental , péssimo
Segurança publica - inexistente
Saúde publica - excetuando as campanhas contra a polio , sarampo e o programa da Aids, é fraca e humilhante.
aqui não estou nem falando das situações de moradia, péssimas, indignas, aviltantes.
como disse anteriormente , é uma provação , mas nossos governantes a tornam mais duras.
não acredito em igualdade social , mesmo porque sempre vai haver pessoas que gostam de estudar mais , outras menos e outras apenas viver.mesmo porque a síntese do comunismo e socialismo  era a igualdade , vimos que nao deu certo , se tronaram ditaduras atrozes.
mesmo criando igualdde de oportunidades , sempre teremos um que se destaca.

abraços
augusto
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Feni em 06 de Fevereiro de 2012, 16:21
     Muitas pessoas reencarnam em locais onde as provas coletivas são imensas. Porém, tb estamos em prova quando negamos auxilio à essas pessoas que passam dificuldades. A nossa prova esta em desenvolver a compaixão, a benevolência, sair da inércia, ir de encontro ao outro. Muitos espíritas usam a resposta que tudo é carma e expiação, até pode ser. Mas, não esqueçamos quem receber muito, muito lhe será cobrado. As desigualdades existem por que ainda opera no planeta o orgulho e o egoísmo.  Se não houver miseráveis, como podera sobreviver o PODER da minoria?
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: lovis em 17 de Fevereiro de 2012, 14:26
Observemos se é justo observarmos nas pátrias o agrupamento de múltiplas coletividades, pelos laços afins da educação e do sentimento, das castas, do interesse político fisiologista, a política do racismo tudo isso deve ser encarado como erro grave, que pretexto algum justifica, porquanto não pode apresentar base séria nas suas alegações, que mal encobrem o propósito nefasto de tirania e separatividade. (http://www.bosin.info/g.gif)
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Mourarego em 17 de Fevereiro de 2012, 15:47
Amigos,
quem pensar que a encarnação seja uma coisa simples de se levar com mérito, por certo errará mais do que acertará.
Está exatamente na multiplicidade de carismas a nossa maior chance de aprendermos e progredirmos, assim como a a forma mais fácil de, mostrarmos a nossa imperfeição.
É trabalho duro, vigiar e orar, é lição árdua aprender a conviver.
Abraços,
Moura
Título: Re: Século XXI - Desigualdades Sociais
Enviado por: Victor Passos em 26 de Julho de 2012, 19:18
Ola muita paz e harmonia
Bons Amigos e Amigas

Citar
A desigualdade que vemos entre os homens é fruto da sua própria evolução e esforço, baseada no facto de cada um ser herdeiro de si mesmo ao longo de sua trajectória evolutiva, onde forja a sua superioridade espiritual.
Desigualdade das aptidões

O que à primeira vista pode parecer uma injustiça - a variedade e desigualdade de aptidões - é a prova maior da harmonia divina, expressa na sua lei do progresso, que coloca espíritos de condições evolutivas diferentes uns ao lado dos outros, com a finalidade de que o que estiver em situação pior encontre um modelo que lhe sirva de meio e estímulo para a sua melhoria.

A diversidade de aptidões facilita o desenvolvimento da solidariedade entre todos, pois aquilo que um não faz, faz o outro, e no final todos precisam uns dos outros, entendendo-se que só na troca é que se desenvolve o amor fraterno e o respeito mútuo.

Espíritos de planos superiores têm como finalidade servir de auxiliares do progresso, quando encarnam em mundos e meios inferiores, dando assim testemunho da sua compreensão e renúncia, desempenhando papel de real valor na ordem geral evolutiva.
Desigualdades sociais

As condições de desigualdade social são criadas pelo homem e não determinadas por Deus. Nascem geralmente do abuso no campo do egoísmo e do orgulho, que se atenuarão cada vez mais através do mecanismo reencarnatório que conduz ao progresso em todos os níveis. A única desigualdade natural é a do merecimento e dá origem a uma hierarquia moral natural ou cósmica.

Toda a desigualdade tem o cunho de reparação , bem como de permissão ao crescimento e valorização dos valores do amor e da caridade.
Mas lembro que mesmo nos que sofrem da desigualdade , se encontra a arrogância, que é nada mais nada menos o espelho de si mesmo...

abraço fraterno

Victor Passos