Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: Karina Jordão Cardoso em 01 de Dezembro de 2012, 08:09

Título: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 01 de Dezembro de 2012, 08:09
Queridos irmãos do Fórum Espírita, que a paz do Mestre Jesus esteja presente em nossos corações!
Com muita alegria damos início ao Estudo Mensal de Dezembro de 2012, fazendo votos para que este transcorra em clima de fraternidade e interesse verdadeiro em aprendermos, juntos, algo mais sobre a nossa Doutrina Espírita.
O tema proposto é: O Processo Reencarnatório.
Nós pretendemos abordar os vários aspectos envolvidos nesta questão, com ênfase no planejamento da reencarnação e na ligação da alma ao corpo.

Estudo Mensal Processo Reenarnatório (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVppbW9xaF9zeDVjI3dz)

A volta ao corpo físico representa uma grande bênção concedida pelo Pai, facultando-nos o resgate de nossos débitos e o avanço em nossa marcha evolutiva. Grandes esforços são empreendidos por Espíritos amigos que auxiliam os reencarnantes a retornarem à esfera carnal para progredirem. Esforços estes que variam conforme o nível evolutivo daqueles que voltarão à Terra, entre vários outros fatores.
O nosso objetivo em relação a este tema é fazer com que possamos, em nossas conversas e trocas de informações, dimensionar o quanto é valiosa a oportunidade de uma nova encarnação, em face da complexidade deste processo, do qual podemos ter significativa noção, mediante a leitura da obra Missionários da Luz, ditada pelo Espírito André Luiz, ao médium Francisco Cândido Xavier. Sobretudo almejamos promover o seguinte questionamento para a nossa reflexão:

Estamos valorizando a presente encarnação?

Seguem algumas citações sobre o tema:

Dizem todos os Espíritos que, na erraticidade, eles se aplicam a pesquisar, estudar, observar, a fim de fazerem a sua escolha para a próxima reencarnação.

(Livro dos Espíritos Allan Kardec. Questão 266)


O Espírito pode, também, escolher o corpo, porquanto as imperfeições que este apresente ainda serão, para o Espírito, provas que lhe auxiliarão o progresso, se vencer os obstáculos que lhe oponha.  Nem sempre, porém, lhe é permitida a escolha do seu invólucro_corpóreo; mas, simplesmente, a faculdade de pedir que seja tal ou qual.  Se o Espírito recusar, à última hora, tomar o corpo por ele escolhido, sofreria muito mais do que aquele que não tentasse prova alguma. 
 
(Livro dos Espíritos Allan Kardec. Questão 335)


Livro dos Espíritos Allan Kardec. Questão 340)

Na incerteza em que se vê o Espírito, quanto às eventualidades do seu triunfo nas provas que vai suportar na vida, tem o Espírito uma causa de grande ansiedade antes da sua encarnação. Pois que as provas da sua existência o retardarão ou farão avançar (progredir), conforme as suporte.
 
(Livro dos Espíritos Allan Kardec. Questão 341)


Muita paz e bom estudo para nós!
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: M.Altino em 01 de Dezembro de 2012, 12:44
Amiga  Karina antes de tudo um grande abraço de muita paz  e  que neste  estudo possa nos ajudar a  compreender  mais um pouco sobre a reencarnação e como é  dentro desta Lei que podemos  compreender  muitas vezes  o que  estamos a viver  hoje.
 A volta à vestimenta física é uma bênção que poderemos conseguir à custa de generosas intercessões, quando nos faltam méritos para a ter, no instante oportuno, por nós mesmos, tanto quanto é possível conseguir trabalho digno na Esfera da Crosta, movimentando amigos que nos conduzam aos objetivos disputados; no entanto, qual ocorre a muitos encarnados que se localizam em respeitáveis quadros de serviço, tão só para usarem direitos que nada fizeram pelos merecer, com flagrante abuso das leis que nos regem as ações, muitas almas procuram o santuário da carne, formulando precipitadas promessas, e nele penetram agravando os próprios débitos.
Tímidas, levianas ou inconsequentes, aproveitam o estágio bendito na Região da Neblina (“Região de Neblina” é também sinónimo de Esfera Carnal.
Viver no corpo terrestre, entendendo os deveres divinos que nos cabem, não é tão fácil, ante a glória infinita que em companhia dele podemos recolher.
Todos possuímos culposo pretérito a redimir.
É imperioso reconhecer, todavia, que, se a experiência humana pode ser doloroso curso de renunciação pessoal, é também abençoada escola em que o Espírito de boa vontade pode alcançar culminâncias.
Para isto, no entanto, é indispensável se abra o coração ao clima interior da bondade e do entendimento.
Somos diamantes brutos, revestidos pelo duro cascalho de nossas milenárias imperfeições, localizados pela magnanimidade do Senhor na ourivesaria da Terra.
A dor, o obstáculo e o conflito são bem-aventuradas ferramentas de melhoria, funcionando em nosso favor.

ENCARNAÇÃO, DESENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.wmv (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PS1wNDZ0N1NocVNBIw==)

Com um grande abraço de muita paz  e  que  possamos  todos  partilhar e debater com harmonia  este lindo tema
Manuel Atino
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 01 de Dezembro de 2012, 13:12
Bom dia meus queridos amigos do FE.
Seja bem vinda aos estudos minha cara Karina e parabens pelo tema.
Em minha opinião, debater de forma séria a reencarnação é algo fundamental dentro da DE, pois para mim, a grande lógica da vida esta esse processo tão natural quanto incompreendido e rejeitado.
Que possamos realmente aproveitar esse tema para fazer um debate esclarecedor e de alto nivel.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 01 de Dezembro de 2012, 13:33
Muito obrigada, caro Altino, pela grande contribuição.
Temos muita dificuldade para compreender os reais propósitos da reencarnação.Tendemos a adiar o abandono dos maus hábitos e erros de conduta, sem considerarmos os enormes esforços despendidos por nós mesmos e pelos espíritos amigos, para que possamos estar aqui. Desperdiçamos tempo demais com atividades inúteis. Ao estudarmos as obras de André  Luiz, percebemos o quanto o tempo é valorizado no Mundo Maior. Precisamos ter consciência disso por nós mesmos, pelo orbe em que vivemos e por aqueles que permaneceram no plano espiritual trabalhando, zelando e torcendo por nós. A hora da mudança é agora. Vamos nos esforçar para aproveitarmos, ao máximo, esta encarnação.
Muita paz!
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 01 de Dezembro de 2012, 14:00
Olá, caro Gustavo! Também considero a reencarnação um dos temas mais relevantes. Que nós possamos realmente, ao longo deste estudo, compartilhar nossos conhecimentos sobre o assunto, como você disse, em alto nível.
Muita paz!
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marcos W. Silva em 01 de Dezembro de 2012, 14:31
Olá Karina Jordão Cardoso e todos, bom estudo, e sucesso! O tema escolhido é fundamental para o bom entendimento de tudo que diz respeito à DE. Analisemos OLE;

A reencarnação

166. Como pode a alma, que não alcançou a perfeição durante a vida corpórea,
acabar de depurar-se?
“Sofrendo a prova de uma nova existência.”

a) -  Como realiza essa nova existência? Será pela sua transformação como
Espírito?
“Depurando-se, a alma indubitavelmente experimenta uma transformação, mas para
isso necessária lhe é a prova da vida corporal.”

b) - A alma passa então por muitas existências corporais?
“Sim, todos contamos muitas existências. Os que dizem o contrário pretendem
manter-vos na ignorância em que eles próprios se encontram. Esse o desejo deles.”

c) - Parece resultar desse princípio que a alma, depois de haver deixado um corpo,
toma outro, ou, então, que reencarna em novo corpo. E assim que se deve entender?
“Evidentemente.”

167. Qual o fim objetivado com a reencarnação?
“Expiação, melhoramento progressivo da Humanidade. Sem isto, onde a justiça?”

168.  É limitado o número das existências corporais, ou o Espírito reencarna
perpetuamente?
“A cada nova existência, o Espírito dá um passo para diante na senda do
progresso. Desde que se ache limpo de todas as impurezas, não tem mais necessidade das
provas da vida corporal.”

169. É invariável o número das encarnações para todos os Espíritos?
“Não; aquele que caminha depressa, a muitas provas se forra. Todavia, as
encarnações sucessivas são sempre muito numerosas, porquanto o progresso é quase
infinito.”

170. O que fica sendo o Espírito depois da sua última encarnação?
“Espírito bem-aventurado; puro Espírito.”

Cap. Da Pluralidade das Existências- O Livro dos Espíritos.

Abraços.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: ken em 01 de Dezembro de 2012, 16:08
Boa tarde a todos

Necessidade da encarnação

É um castigo a encarnação e somente os Espíritos culpados estão sujeitos a sofrê-la?

A passagem dos Espíritos pela vida corporal é necessária para que eles possam cumprir, por meio de uma ação material, os desígnios cuja execução Deus lhes confia. É-lhes necessária, a bem deles, visto que a atividade que são obrigados a exercer lhes auxilia o desenvolvimento da inteligência.

Sendo soberanamente justo, Deus tem de distribuir tudo igualmente por todos os seus filhos; assim é que estabeleceu para todos o mesmo ponto de partida, a mesma aptidão, as mesmas obrigações a cumprir e a mesma liberdade de proceder. Qualquer privilégio seria uma preferência, uma injustiça. Mas, a encarnação para todos os Espíritos, é apenas um estado transitório.

E uma tarefa que Deus lhes impõe, quando iniciam a vida, como primeira experiência do uso que farão do livre-arbítrio. Os que desempenham com zelo essa tarefa transpõem rapidamente e menos penosamente os primeiros graus da iniciação e mais cedo gozam do fruto de seus labores.

Os que, ao contrário, usam mal da liberdade que Deus lhes concede retardam a sua marcha e, tal seja a obstinação que demonstrem, podem prolongar indefinidamente a necessidade da reencarnação e é quando se torna um castigo.
 
S. Luís. (Paris, 1859.)

KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet.org.br.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Edna☼ em 01 de Dezembro de 2012, 16:43
Olá Karina, seja muito bem-vinda ao estudo mensal.

Voltando alguns séculos (a.C), vemos que o princípio da reencarnação encontra suas raízes na própria tradição filosófica, onde repousam as idéias cristãs e os fundamentos da Doutrina Espírita, conforme nos recorda Allan Kardec.


“A alma impura, nesse estado, encontra-se pesada, e é novamente arrastada para o mundo visível, pelo horror do que é invisível e imaterial. Ela erra, então, segundo se diz, ao redor dos monumentos e dos túmulos, junto dos quais foram vistos às vezes fantasmas tenebrosos, como devem ser as imagens das almas que deixaram o corpo sem estar inteiramente pura, e que conservam alguma coisa da forma material, o que permite aos nossos olhos percebê-las. Essas não são as almas dos bons, mas as dos maus, que são forçadas a errar nesses lugares, onde carregam as penas de sua vida passada, e onde continuam a errar, até que os apetites inerentes à sua forma material as devolvam a um corpo. Então, elas retomam sem dúvida os mesmos costumes que, durante a vida anterior, eram de sua predileção.”

Não somente o princípio da reencarnação esta aqui claramente expresso, mas também o estado das almas que ainda estão sob o domínio da matéria é descrito tal como o Espiritismo o demonstra, nas evocações. E há mais, pois, afirma-se que a reencarnação é uma conseqüência da impureza da alma, enquanto as almas purificadas estão livres dela. O Espiritismo não diz outra coisa, apenas acrescenta que a alma que tomou boas resoluções na erraticidade, e que tem conhecimentos adquiridos, trará menos defeitos ao renascer, mais virtudes e mais idéias intuitivas do que na existência precedente, e que, assim, cada existência marca para ela um progresso intelectual e moral.” (Céu e Inferno, II parte: exemplo)


Parabéns pela escolha do excelente tema.

Bons estudos a todos!

Abraços fraternos sempre,

Edna ;)




Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: ken em 01 de Dezembro de 2012, 16:48
Considerando a Reencarnação

A reencarnação é Lei da Vida.

Impositivo estabelecido, irrefragavelmente, constitui processo de evolução, sem o qual a felicidade seria impossível.

Programada pelo Criador, faculta os mecanismos naturais de desenvolvimento dos valores que jazem latentes, no ser espiritual, que assim frui, em igualdade de condições, dos direitos que a todos são concedidos.

A reencarnação favorece com dignidade os códigos da justiça divina, demonstrando as suas qualidades de elevação e de amor.

*
Sem a reencarnação - que proporciona a liberdade de opção, com as consequências decorrentes da escolha - a vida não teria sentido para os párias sociais, os homens primitivos, os limitados mentais, os amargurados e infelizes...

Sem a reencarnação, o ódio inato e o amor espontâneo constituiriam aberração perturbadora em a natureza humana.

Da mesma forma, as tendências e propensões que comandam a maioria dos destinos, seriam fenômenos cruéis de um determinismo absurdo, violentador das consciências e dos sentimentos.

Sem a reencarnação, permaneceriam como incógnitas geradoras de revolta, as razões dos infortúnios morais, das enfermidades de alto porte, mutiladoras e degradantes, da miséria social e econômica que vergastam expressivas massas e grupos da sociedade terrestre.

Sem a reencarnação, os laços de família se diluiriam aos primeiros impactos defluentes dos acontecimentos danosos...

*
A reencarnação enseja reequilíbrio, resgate, reparação.

Faculta o prosseguimento das atividades que a morte pareceria interromper.

Proporciona restabelecimento da esperança, entrelaçando as existências corporais que funcionam como classes para o aprendizado evolutivo no formoso Educandário da vida terrestre.

Oferece bênçãos, liberando de qualquer fatalidade má, que candidataria o Espírito a um estado permanente de desgraça.

A reencarnação enobrece o calceta, santifica o vilão, eleva o caído, altera a paisagem moral do revoltado, dulcificando-o ao largo do tempo, sem pressa, nem violência.

A reencarnação é convite ao aproveitamento da oportunidade e do tempo, que sempre devem ser colocados a serviço do progresso espiritual e da perfeição, etapa final da contínua busca do ser.


FRANCO, Divaldo Pereira. Responsabilidade. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. LEAL.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 01 de Dezembro de 2012, 17:17


A Genialidade e a Reencarnação
-Momento Espírita-

Conta-se que um jovem médico procurou o notável compositor Mozart e lhe perguntou como deveria proceder para escrever uma sinfonia.
 
O grande músico lhe respondeu que ele era muito jovem para pensar em escrever sinfonias e lhe sugeriu que tentasse antes escrever baladas.
 
Indignado com a observação, o rapaz retrucou: Como pode me dizer que sou jovem, se o senhor escreveu sinfonias com apenas dez anos!
 
Realmente, concluiu Mozart, eu as escrevi com aquela idade, mas não perguntei a ninguém como fazê-lo.
 
A resposta do alegre músico austríaco nos conduz a destacar o prodígio que são algumas crianças.
 
O famoso Rembrandt já era pintor antes de aprender a ler. Miquelângelo, a quem devemos a maravilha das pinturas da Capela Sistina, no Vaticano, foi considerado um artista completo, aos oitos anos, por seu mestre.
 
O célebre escritor francês Victor Hugo revelou-se literariamente aos treze anos.
 
Crianças outras demonstraram bem cedo sua genialidade, qual seja a de dominar várias línguas, como o alemão, francês, latim, grego e hebraico; compor, pintar; escrever poemas ou outras peças literárias.
 
Os Espíritos nos explicam com clareza que tais fenômenos de prodígio são devidos ao progresso anterior da alma, a uma lembrança do passado, entendendo-se como passado as vidas anteriores do Espírito.
 
Equivale pois a dizer que nada do que se aprenda é perdido, em tempo algum.
 
Plenamente concorde com a Lei do Progresso, tais fatos nos levam a reflexões em torno dos talentos de que somos portadores, convidando-nos a atentar para o que possamos ter trazido de vidas passadas.
 
Descortina-se a razão pois que renascemos não somente para resgatar débitos, acertar problemas do ontem mas também para amadurecer avanços iniciados em outras encarnações.
 
Aqueles que mais sabem, que trazem melhores mensagens de vida e maiores experiências, são convidados a trabalhar em prol da vida mais bela e elevada.
 
É desta forma que benfeitores da Humanidade retornam vez ou outra ao cenário da Terra, revestidos de uma roupagem carnal diferente, para atender seus irmãos.
 
Quem haja se evidenciado nas artes e tenha brindado o mundo com produções belíssimas, pode retornar para se dedicar ao bem do próximo, exercitando a sensibilidade de outra forma.
 
Quem tenha se esmerado na Ciência, pode retornar servindo à comunidade em outro campo, totalmente diverso, sem perder jamais, em momento algum, o que aprendeu, exercitou, lecionou.
 
Isto também explica a facilidade de algumas pessoas para determinadas áreas do saber, das artes, da indústria, do comércio, das relações humanas.
 
Parafraseando Lavoisier: Nada se perde... tudo se transforma. E diríamos: para melhor.
 
O fenômeno do Espírito retornar à carne, em outro corpo especialmente preparado para ele, se chama reencarnação.
 
A reencarnação constitui excelente oportunidade de aperfeiçoamento, concedida por Deus, para o Espírito.
 
Assim, vale a pena aproveitar cada minuto da presente existência, fazendo o melhor que estiver ao nosso alcance.

http://www.caminhosluz.com.br/detalhe.asp?txt=4254
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 01 de Dezembro de 2012, 20:50
Meus irmãos e minhas irmães.Assim como de retorno ao nosso plano material,o espírito vem
para cumprir mais um etapa de aprendizado no seu processo evolutivo.Pois na verdade a
reencarnação tem essa finalidade como ponto de partida e a sua elevação moral se dará
pelas suas ações.Estamos todos novamente na mesa de debates dentro do tema proposto
para o nosso estudo mensal,naturalmente iremos observar o que interpretamos pelo estudo
das obras básicas o que é reencarnação,tirando as nossas conclusões,e não tão somente
colocando textos de quem já interpretou.O tema é muito bom,e pela sua complexidade,nos
obrigam a sermos mais prudentes nas nossas interpretações.
Fiquem na paz.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: filhodobino em 02 de Dezembro de 2012, 01:51
Amados irmãos companheiros estudantes,

É como o aço forjado enrijecido, oh! Espírito valente, que a esta árdua tarefa, de estimular evoluendos, ainda tão pouco esclarecidos, na tarefa de refletir acerca da mais importante ação de nossas vidas, que sinto solidário contigo, nobre irmã, pois o tema é palpitante, intrigante, difícil, pouco esclarecido nas obras básicas, que ouso solicitar o empenho misericordioso de todos amados irmãos, na colaboração para levarmos adiante tão grato assunto e ao mesmo tempo tão espinhosa tarefa, justamente no mês em que celebramos a encarnação do Espírito Divisor das eras da humanidade terrena.
Amada irmã, amados companheiros estudantes do tema “Processo Reencarnatório”, Já estamos diante de uma problemática... As ações que atendem estes pressupostos primeiros como sugestão de tema em estudo, só são concedidos, à aqueles que já desenvolveram intensas possibilidades de êxito, e teem bastante largas suas vias de livre arbítrio... e poucos são os aptos a tal empreitada...
A grande maioria de nós ainda jazeu nos mínimos espaços do nosso livre arbítrio, e somos, portanto, pela nossa infantilidade Espiritual, tutorados, por  abnegados Obreiros da Vida Maior, a nos conduzirem em evolução naturalmente assistidas, e nossas escolhas, não são exatamente nossas, mas na conformidade do amor, da justiça, e da lei do progresso que nos anima a todos nós.
Reparem que na questão que antecede a esta sugerida para inicio, já há susto
.

Citar
Estamos valorizando a presente encarnação?

Seguem algumas citações sobre o tema:

Dizem todos os Espíritos que, na erraticidade, eles se aplicam a pesquisar, estudar, observar, a fim de fazerem a sua escolha para a próxima reencarnação.

(Livro dos Espíritos Allan Kardec. Questão 266)

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/#ixzz2DqtgNVRm

OLE
266. Não parece natural que se escolham as provas menos dolorosas?

“Pode parecer-vos a vós; ao Espírito, não".
"Logo que este se desliga da matéria, cessa toda ilusão e outra passa a ser a sua maneira de pensar.”
Sob a influência das idéias carnais, o homem, na Terra, só vê das provas o lado penoso.
Tal a razão de lhe parecer natural sejam escolhidas as que, do seu ponto de vista, podem coexistir com os gozos materiais.
Na vida espiritual, porém, compara esses gozos fugazes e grosseiros com a Inalterável felicidade que lhe é dado entrever e desde logo nenhuma impressão mais lhe causam os passageiros sofrimentos terrenos.
Assim, pois, o Espírito pode escolher prova muito rude e, conseguintemente, uma angustiada existência, na esperança de alcançar depressa um estado melhor, como o doente escolhe muitas vezes o remédio mais desagradável para se curar de pronto.
Aquele que intenta ligar seu nome à descoberta de um país desconhecido não procura trilhar estrada florida.
Conhece os perigos a que se arrisca, mas também sabe que o espera a glória, se lograr bom êxito.

Palestra Espírita - Divaldo Franco - Enfoques sobre a Reencarnação (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTNKck11T05rZnYwJmFtcDtmZWF0dXJlPWNvbGlrZSM=)


Palestra promovida pela Federação Espírita do Paraná (conheça os sites da FEPARANA: www.feparana.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5mZXBhcmFuYS5jb20uYnI=), www.momento.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tb21lbnRvLmNvbS5icg==), www.livrariamundoespirita.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5saXZyYXJpYW11bmRvZXNwaXJpdGEuY29tLmJy)) apresentada por Divaldo Franco no Londrina Country Clube (Estado do Paraná) em 19.Abr.2004.

Nessa conferência ele narra várias passagens do Antigo e Novo Testamento, demonstrando que a crença na Reencarnação estava presente ma Doutrina Judaica e no Cristianismo nascente. Tece um paralelo entre a criação do mundo e do homem segundo a Ciência e a Bíblia, apontando com segurança, as contradições existentes, não deixando margem a dúvidas. Narra ainda vários casos de reencarnação estudados em diferentes países por eminentes cientistas e psicólogos.

Divaldo Franco - http://pt.wikipedia.org/wiki/Divaldo_Franco
Professor, médium e orador espírita brasileiro. Já teve 240 títulos publicados, totalizando mais de quatro milhões e quinhentos mil exemplares, muitos deles ocupando lugar de destaque na literatura, no pensamento e na religiosidade universal. Dessas obras, houve 80 versões para 15 idiomas. Os livros englobam uma grande variedade de estudos literários, como prosa, romances, narrações, etc., abrangendo temas filosóficos, doutrinários, históricos, infantis, psicológicos e psiquiátricos.

O arquivo de áudio em formato MP3 está disponível em:

Palestra Espírita - Divaldo Franco - Enfoques sobre a Reencarnação
http://www.4shared.com/mp3/CuyHHaI1/107_-_Palestra_Esprita_-_Dival.html

O Programa Palestra Espírita tem como propósito divulgar a Doutrina Espírita através de arquivos de vídeo de palestras postados no YouTube (www.youtube.com (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbQ==)) e os arquivos de áudio da mesma palestra postados no 4Shared (www.4shared.com (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy40c2hhcmVkLmNvbQ==)). Não há interesse financeiro algum ou vantagem material de qualquer natureza nesse trabalho, que é voluntário e abnegado. Espírita que assim possa dizer-se com dignidade, não explora o Espiritismo como negócio e nem faz dele um meio de vida ou fonte de renda. Pedidos de informações, perguntas, sugestões, esclarecimentos, etc., inclusive pedido de instruções para fazer download dos arquivos e gravação das palestras em CD ou DVD, podem ser encaminhados para o endereço de email palestra.espirita@gmail.com
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: ken em 02 de Dezembro de 2012, 10:22
Bom dia a todos

Limites da Encarnação

Quais os limites da encarnação?

A bem dizer, a encarnação carece de limites precisamente traçados, se tivermos em vista apenas o envoltório que constitui o corpo do Espírito, dado que a materialidade desse envoltório diminui à proporção que o Espírito se purifica. Em certos mundos mais adiantados do que a Terra, já ele é menos compacto, menos pesado e menos grosseiro e, por conseguinte, menos sujeito a vicissitudes.

Em grau mais elevado, é diáfano e quase fluídico. Vai desmaterializando-se de grau em grau e acaba por se confundir com o perispírito. Conforme o mundo em que é levado a viver, o Espírito reveste o invólucro apropriado à natureza desse mundo.

O próprio perispírito passa por transformações sucessivas. Torna-se cada vez mais etéreo, até à depuração completa, que é a condição dos puros Espíritos. Se mundos especiais são destinados a Espíritos de grande adiantamento, estes últimos não lhes ficam presos, como nos mundos inferiores. O estado de desprendimento em que se encontram lhes permite ir a toda parte onde os chamem as missões que lhes estejam confiadas.

Se se considerar do ponto de vista material a encarnação, tal como se verifica na Terra, poder-se-á dizer que ela se limita aos mundos inferiores. Depende, portanto, de o Espírito libertar-se dela mais ou menos rapidamente, trabalhando pela sua purificação.

Deve também considerar-se que no estado de desencarnado, isto é, no intervalo das existências corporais, a situação do Espírito guarda relação com a natureza do mundo a que o liga o grau do seu adiantamento. Assim, na erraticidade, é ele mais ou menos ditoso, livre e esclarecido, conforme está mais ou menos desmaterializado.

S. Luís. (Paris, 1859.)


KARDEC, Allan. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet.org.br.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: M.Altino em 02 de Dezembro de 2012, 11:07
Amigos  e companheiros  deste estudo e debate é sempre com muita paz que lhes  venho dar o Meu Bom dia e trazer mais um pequeno texto para  que possamos  entender  esta grande verdade   que rege as nossas  vidas e  lhes dá um novo sentido  do que  podemos  compreender que o que hoje somos são explicados pela reencarnação.
Grande percentagem de reencarnações na Crosta se processa em moldes padronizados para todos, no campo de manifestações puramente evolutivas. Mas outra percentagem não obedece ao mesmo programa. Elevando-se a alma em cultura e conhecimento, e, consequentemente, em responsabilidade, o processo reencarnacionista individual é mais complexo, fugindo à expressão geral, como é lógico.
Em vista disso, as colónias espirituais mais elevadas mantêm serviços especiais para a reencarnação de trabalhadores e missionários.
As explicações eram sedutoras e relevantes e, compreendendo a importância dos esclarecimentos para meu pobre espírito, Alexandre continuou:
Quando me refiro a trabalhadores, falo dos companheiros não completamente bons e redimidos, mas daqueles que apresentam maior soma de qualidades superiores, a caminho da vitória plena sobre as condições e manifestações grosseiras da vida.
Em geral, como acontece a nós outros, são entidades em débito, mas com valores de boa vontade, perseverança e sinceridade, que lhes outorgam o direito de influir sobre os fatores de sua reencarnação, escapando, de certo modo, ao padrão geral.
Claro que nem sempre tais alterações se verificam em condições agradáveis para a experiência futura.
Os serviços de retificação representam tarefas enormes.
E desejando imprimir fortemente em meu espírito a noção da responsabilidade, o instrutor prosseguiu, tornando mais grave a inflexão da voz:
 O problema da queda é também uma questão de aprendizado e o mal indica posição de desequilíbrio, exigindo restauração e corrigenda.
A evolução confere-nos poder, mas gastamos muito tempo, aprendendo a utilizar esse poder harmonicamente.
A racionalidade oferece campo seguro aos nossos conhecimentos; entretanto, André, quase todos nós, trabalhadores da Terra, nos demoramos séculos no serviço de iluminação íntima, porque não basta adquirir ideias e possibilidades, é preciso ser responsável, e nem é justo tenhamos tão-somente a informação do raciocínio, mas também a luz do amor.
 Daí as lutas sucessivas em continuadas reencarnações da alma! — exclamei, vivamente impressionado.
Sim — continuou meu amável interlocutor —, temos necessidade da luta que corrige, renova, restaura e aperfeiçoa.
A reencarnação é o meio,
a educação divina é o fim.
Por isso mesmo, a par de milhões de semelhantes nossos que evolvem, existem milhões que se reeducam em determinados setores do sentimento, porquanto, se já possuem certos valores da vida, faltam-lhes outros não menos importantes.
 Identificando-me a dificuldade para compreender-lhe o ensinamento de maneira integral, meu orientador voltou a dizer:
O próprio Jesus nos deixou material de pensamento para o assunto em exame, quando nos asseverou que se a nossa mão ou os nossos olhos fossem motivos de escândalo deveriam ser cortados ao penetrarmos no templo da vida.
Compete-nos transferir a imagem literal para a interpretação simples do espírito.
Se já falimos muitas vezes em experiências da autoridade, da riqueza, da beleza física, da inteligência, não seria lógico receber idêntica oportunidade nos trabalhos retificadores.
 É para a regulamentação de semelhantes serviços que funciona em nossa colônia espiritual, por exemplo, o planejamento de reencarnações, onde você terá ocasião de recolher ensinamentos preciosos.
E, atendendo-me às necessidades como pai afetuoso, apresentou-me o instrutor, no dia imediato, à imponente instituição.
Constituía-se o movimentado centro de serviço de vários prédios e numerosas instalações.
Árvores acolhedoras enfileiravam-se através de extensos jardins, imprimindo encantador aspecto à paisagem. Reconheci logo que o instituto se caracterizava por grande movimento.
Entidades insuladas ou em pequenos grupos iam e vinham, estampando atencioso interesse na expressão fisionómica.
Pareciam sumamente despreocupadas de nossa presença ali, porque, quando não passavam sozinhas, ao nosso lado, engolfadas em profundos pensamentos, iam em grupos afetuosos, alimentando discretas conversações, muito graves e absorventes, ao que me parecia. Muitos desses irmãos, que passavam junto de nós, empunhavam reduzidos rolos de substância semelhante ao pergaminho terrestre, relativamente aos quais não possuía eu, até então, a mais leve notícia.
Alexandre, porém, como sempre, veio em socorro de minha estranheza, explicando, bondosamente:
As entidades sob nossos olhos são trabalhadores de nossa esfera, interessados em reencarnações próximas.
Nem todos estão diretamente ligados a semelhante propósito, porque grande parte está em trabalho de intercessão, obtendo favores dessa natureza para amigos íntimos.
Os rolos brancos que conduzem são pequenos mapas de formas orgânicas, elaborados por orientadores de nosso plano, especializados em conhecimentos biológicos da existência terrena.
Conforme o grau de adiantamento do futuro reencarnante e de acordo com o serviço que lhe é designado no corpo carnal, é necessário estabelecer planos adequados aos fins essenciais.
André Luís
O QUE É A REENCARNAÇÃO (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTZZY1cxdEJhbmZRIw==)
Comum grande abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 02 de Dezembro de 2012, 11:10
Obrigada, Marcos Silva pela sua participação. Muito importante o conteúdo que você acrescentou. Em relação a ele, gostaria de destacar a questão do número de encarnações que são quantas se fizerem necessárias, conforme os nossos esforços e aproveitamento de cada uma delas. E que não reencarnaremos eternamente. Que a roda das encarnações terá fim, quando alcançarmos um nível tal, que não necessitaremos mais delas.
Ressalto isso, porque percebo no convívio com os irmãos não espíritas, e às vezes até espíritas, mas que não se dedicam regularmente ao estudo da doutrina, que uma das dificuldades para o entendimento do tema em questão, se justifica pelo equivocado entendimento de que a nossa existência será uma sucessão de intermináveis reencarnações.
Muita paz!
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 02 de Dezembro de 2012, 11:30
Olá, caro Ken! Obrigada pela sua valiosa contribuição onde foi abordada a necessidade da reencarnação onde sugerimos realizemos uma reflexão sobre o nosso livre arbítrio como o estamos conduzindo e, sobre o texto maravilhoso de Joanna de Ângelis/Divaldo Franco, que nos mostra a reencarnação como a chave para o entendimento das diversas questões que envolve a nossa vida, sem a qual só poderíamos conceber um Deus injusto e caprichoso, que condede privilégios a uns em detrimento de outros, sem qualquer razão que os possa justificar.
Muita paz!
Anexo um pps com um texto de Emmanuel /Chico Xavier para refletirmos.
Muita Paz!
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 02 de Dezembro de 2012, 12:05
Queridos amigos, num despretensioso panorama histórico, vejamos algumas citações sobre a Reencarnação presentes em  documentos antigos e citadas por personagens importantes do nosso mundo, muito antes de Allan Kardec:


 “Antes de nascer, a criança já viveu e a morte não é o fim.”
“A vida é um evento que passa como o dia solar que renasce.”
(Papiro Egípcio, 3.000 A.C.)
Ver: Religião egipciana
 
“Da mesma forma que nos desfazemos de uma roupa usada para pegar uma nova, assim a alma se descarta de um corpo usado para se revestir de novos corpos.”
"Eu e vós tivemos vários nascimentos. Os meus, só são conhecidos de mim; vós não conheceis os vossos."
(Krishna, no Bhagavad Gita, 3.000 A.C.) 
 
 “Honra a ti, Osiris, Ó Governador dos que se encontram no paraíso, tu que fazes renascer os mortais, que renovas sua juventude...”
(Livro dos Mortos do antigo Egito, 2.000 A.C.)

Depois de haver passado um tempo no além, no Amenti, e se haver purificado da vida passada, o defunto é chamado a contribuir com novas existências para a múmia, o germe causal de sua próxima encarnação. “Oh Deuses de Heliópolis (…), concedei-me que minha alma venha a mim onde quer que esteja. (…) Minha alma e minha inteligência me foram arrancadas. Fazei que minha alma veja meu corpo, se a encontrardes… Que se uma à sua múmia (que reencarne)” (Livro dos Mortos cap. LXXXIX).
http://www.revistaesfinge.com.br/?p=617
 
"O homem retorna à vida várias vezes, mas não se recorda das suas pretéritas existências exceto algumas vezes em sonho.
No fim todas essas vidas lhe serão reveladas."
(Texto egípcio, 1320 A.C ) 
 
 “Ninguém pode ser salvo sem renascer e sem livrar-se das paixões que entraram no último nascimento espiritual”.
(Hermes Trimegisto. 1.250 A.C.) 

“Aquele que retoma à Terra e faz o bem, segundo o seu conhecimento, suas palavras, ações e intenções, recebe um dia uma recompensa que convenha aos seus méritos...Aquele que durante o período de vida na Terra vivem na dor e no desgosto, sofrem por causa de suas palavras mesquinhas ou suas más ações num corpo anterior, pelo que é punido no presente.”
(Zoroastro, 630 a 553 a.C.)
 
 
 “A alma nunca morre, mas recomeça uma nova vida, muda de domicílio, tomando uma outra forma. Quanto a mim, já fui Euforbes, no tempo da guerra de Tróia e lembro-me perfeitamente bem do meu nome e dos meus pais, bem como fui morto em combate com o rei de Esparta...mas embora vivendo em vários corpos, a alma é sempre a mesma, pois só muda a forma.”
(Pitágoras 572 - 492 A.C.)


“Os seres humanos que se apegam demasiado aos valores materiais, são obrigados a reencarnar incessantemente, até compreenderem que Ser é mais importante que Ter.”
(Buda, 563 - 483 A.C.) 
 
 “Estou convencido de que vivemos novamente e que os vivos emergem dos que morreram e que as almas dos que morreram estão vivas.”
"As almas, depois de haverem estado no Hades o tempo necessário, são reconduzidas a esta vida em múltiplos e longos períodos."
(Sócrates, 469 - 399 A.C.)

 "Ó tu, moço ou jovem que te julgas abandonado pelo deuses, saiba que, se te tornares pior, irás ter com as piores almas, ou se melhor, irá se juntar as melhores almas, e em toda sucessão de vida e morte farás e sofrerás o que um igual pode merecidamente sofrer nas mãos de iguais. É esta a justiça dos céus."
"Aprender é recordar"
Platão (427 - 347 a.C.)

 "Outro forte indício de que os homens sabem a maioria das coisas antes do nascimento é que, quando crianças aprendem fatos com enorme rapidez, o que demonstra que não os estão aprendendo pela primeira vez, e sim os relembrando."
Cícero (106 - 43 a.C.)

 
“Em verdade vos digo que se alguém não nascer de novo, não poderá ver o reino de Deus.”
(Jesus,  João 3:3)
A palavra água, empregada pelo Divino Mestre, revela dois pensamentos, ...um dos quais apropriado aos conhecimentos cientíticos daquela época, e outro que, ainda hoje, pode bem servir a todos aqueles que não conheçam a verdade, segundo a doutrina de salvação.
É assim que, entre os judeus, era a água considerada o princípio gerador de todas as coisas, o elemento primitivo, donde tudo se derivava nos reinos orgânicos; e isso para eles constituía um dogma, cuja base encontramos no Gênesis de Moisés, cap. I. vv. 2, 6, 7, 9, 10, 20 e cap. II, vv. 1, 4, 5, 6 e 7.
[124 - Capítulo IV, página 71]

 
 “A alma veste vários corpos em tempos diferentes e a alma, presa ora nesta criatura, ora naquela, assim percorre uma ronda ordenada pela necessidade”.
(Diógenes Laércio, século I)
Orígenes o Cristão (185 — 253 d.C.)


Considerado por S. Jerônimo como a maior autoridade da Igreja de Roma, afirma, no livro "Dos Princípios", em abono da tese básica do Espiritismo:
"As causas das variedades de condições humanas são devidas às existências anteriores."
São, ainda, do eminente e consagrado teólogo as seguintes palavras:
"A maneira por que cada um de nós põe os pés na Terra, quando aqui aportamos, é a consequência fatal de como agiu anteriormente no Universo."
[122 - página 54]
 “cada alma... vem a este mundo fortificada pelas fraquezas ou vitórias da vida anterior. Seu lugar neste mundo, como um vaso escolhido para honrar ou desonrar, é determinado pelos seus méritos ou deméritos. Seu trabalho neste mundo determina a sua vida num mundo futuro”.
http://www.espiritismogi.com.br/colunistas/reencarnacao_concilio.htm

 
 “Fui mineral, morri e me tornei planta; como planta morri e me tornei animal; como animal morri e depois fui homem; por que teria eu medo? Vi dois mil homens que eu fui, mas nenhum era tão bom quanto sou hoje. Morrerei ainda como homem para elevar-me e estar entre os bem-aventurados anjos. Entretanto, mesmo este estado de anjo terei de deixar.”
(Al Rumi, poeta Islâmico, 1.210 – 1.273 D.C.) 


“Lê-me, leitor, se encontras prazer em ler-me, porque muito raramente eu voltarei a este mundo”.
(Leonardo Da Vinci, 1.452 – 1.519 D.C.)   

 "Nascer duas vezes não é mais surpreendente que nascer uma vez: tudo na natureza é ressurreição."
Voltaire (1.694 - 1778 d.C.)
 
"Aqui jaz o corpo de Benjamin Franklin, Impressor, Semelhante à capa de um velho livro de páginas arrancadas, abandonadas ao léu, com seu título e seus dourados apagados.
A obra não se perderá, pois como ele acreditava, ela aparecerá uma vez mais em nova edição mais elegante, revisada e corrigida pelo autor."
Benjamin Franklin (1.706 - 1.790 d.C.)
 
 "Sinto que logo deixarei esta vida terrena. Mas como estou convencido de que nada existe na natureza que possa ser aniquilado, tenho como certeza que o mais nobre de mim mesmo não cessará de viver. Embora eu me arrisque a não ser rei em minha próxima vida... ora, tanto melhor!
...viverei mesmo assim uma vida ativa e, o que é melhor, sofrerei menos por ingratidão."
Frederico "O Grande" (1.712 - 1.786 d.C.)
"Estou certo de que estive aqui, como estou agora, mil vezes antes e espero retornar mil vezes...
A alma do homem é como a água; Vem do Céu e sobe para o Céu, para depois voltar a Terra, em um eterno ir e vir."
Goethe (1.749 - 1.832 d.C.)
 
 "Se um asiático me perguntar por uma definição da Europa, serei forçado a responder-lhe do seguinte modo: É aquela parte do mundo perseguida pela incrível ilusão de que o homem foi criado do nada, e que a sua existência atual é a sua primeira entrada na vida"
Arthur Schopenhauer - Filósofo Alemão (1.788 - 1.850 d.C.)
 
"Todos os seres humanos experimentaram vidas anteriores... Quem sabe quantas formas físicas o herdeiro do céu ocupa, antes que ele possa compreender o valor daquele silêncio e solidão, cujas planícies estreladas são apenas a antecâmara dos mundos espirituais?"
Honoré de Balzac - Escritor Francês (1.799 - 1.850 d.C.)

Como vemos, não são poucos os registros mais antigos a repeito da reencarnação., antes de Kardec.

Muita Paz!
   


Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 02 de Dezembro de 2012, 12:12
Meus irmãos de estudos bom dia."Reencarnar,voltar a animar um novo corpo em uma nova vida".
A reencarnação sucederá a cada espírito,o tanto quanto for necessário pelo seu grau de evolu-
-ção,que será orientada pelos espíritos superiores e com a permissão de Deus.A cada um será
dado a oportunidade de melhoramento e crescimento,a estes compete,pelas suas ações,apro-
-veitar esta oportunidade,os que não o fazem,aumentam os seus débitos e irão continuar a
reencarnar,até que não seja mais necessário pelo grau de seu aperfeiçoamento moral.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 02 de Dezembro de 2012, 12:13
Cara Edna, obrigada pelas boas vindas. Adorei a sua participação. A crença na reencarnação não é recente. Postei algumas referências sobre isso, logo acima.
Por que será, então, que encontramos tamanha resistência, principalmente no mundo ocidental para aceitá-la?
Abraços e muita paz!
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: ken em 02 de Dezembro de 2012, 12:22
Amiga Karina, complementando seu texto:
"Queridos amigos, num despretensioso panorama histórico, vejamos algumas citações sobre a Reencarnação presentes em  documentos antigos e citadas por personagens importantes do nosso mundo, muito antes de Allan Kardec:", anexo PPS pertinente.


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/15/#ixzz2DtcV5cp5
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 02 de Dezembro de 2012, 12:32
Olá, caro Moisés! É muito consolador e estimulante sabermos que as nossas conquistas intelecto-morais nos acompanham além-túmulo. Vamos trabalhar para crescermos o mais que pudermos nesta vida, para levarmos uma boa bagagem desta encarnação.
Muito obrigada e Muita Paz!
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 02 de Dezembro de 2012, 12:39
 Olá, caro Antônio Renato! Sim, é interessante que neste estudo haja não apenas a troca de textos, mas, também, das nossas colocações e interpretações pessoais, de modo que juntos reflitamos e aproveitemos as experiências uns dos outros,  para o crescimento de todos.
Obrigada e muita Paz!
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Karina Jordão Cardoso em 02 de Dezembro de 2012, 12:57
Olá, caro Filhodobino! Obrigada pelo seu sentimento de solidariedade em relação à esta árdua tarefa, como você definiu, sabiamente. No entanto, guardávamos a certeza de que amigos como você, se colocariam presentes para nos ajudar. Sou apenas uma alma de boa vontade, se colocando a serviço, consciente de suas limitações, mas com uma enorme vontade de contribuir para melhoria deste mundo.
Muito obrigada pela palestra de Divaldo que postou e conto sempre com a sua participação amiga.
Muita paz!
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Mourarego em 02 de Dezembro de 2012, 15:33
Caríssimos!
Aque tange o processo reencarnatório?
Resp: Tem a ver com o progresso moral de todos nós.
Simples não?
Sendo assim, a cada nova existência que tenhamos pois que sabemos de antemão que por vida o Espírito só tem uma e que é, como certo ministro da era Color disse               "Imorrível", não tivemos outras vidas, mas sim outras existências em corpos perecíveis diferentes.
A cada nova encarnação, reacertamos a rota para o Evoluir, consertando erros pretéritos, agindo melhor, conhecendo mais do que nos acerca e de nós mesmos, e assim progredimos até que nos seja conferido o ingresso a nova etapa, em mundo superior ao que estejamos agora.
As diversas religiões e crenças, têm a sua gama de informações próprias a cada uma delas que, podem, como em muitas estas, se assemelharem as visões que a doutrina consagra, mas é importante que as tenhamos sempre dentro daqueles ritos religiosos, ou ensinos conferidos a cada uma delas, mas que nunca as queiramos trazer ao cenário do Espiritismo, pois que mesmo que se assemelham, não são sinonímia perfeita ao ensino prestado pelos Espíritos Superiores.
Em suma o ensino doutrinário espírita é de simplicidade geral, mas que muita vez é atrapalhado por visões que as incertamos quando aludimos à outras religiões ou credos.
Desculpem  mas é que hoje tô muito parlapatão! :)
Abraços,
Moura
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Edna☼ em 02 de Dezembro de 2012, 16:14
Cara Edna, obrigada pelas boas vindas. Adorei a sua participação. A crença na reencarnação não é recente. Postei algumas referências sobre isso, logo acima.
Por que será, então, que encontramos tamanha resistência, principalmente no mundo ocidental para aceitá-la?
Abraços e muita paz!

Oi Karina, gostei muito do material que nos trouxe.

Quanto a questão que você levantou, na minha opinião é porque ignoram as leis naturais que regem a vida, e, por consequência, a justiça divina.

O codificador nos diz que o princípio da reencarnação havia encontrado muitos contraditores, porque não era compreendido, é hoje aceito pela força da evidência e porque todo homem que pensa nela reconhece a única solução possível do maior número de problemas da filosofia moral e religiosa. Sem a reencarnação somos detidos a cada passo, tudo é caos e confusão; com a reencarnação tudo se esclarece, tudo se explica da maneira mais racional.

Acrescenta que,  a doutrina da reencarnação, que consiste em admitir para o homem muitas existências sucessivas, é a única que corresponde a idéia da justiça de Deus, com respeito aos homens de condição moral interior; a única que pode explicar o nosso futuro e fundamentar as nossas esperanças, pois oferece-nos o meio de resgatarmos os nossos erros através de novas provas. A razão assim nos diz, e é o que os Espíritos nos ensinam.


Lindo domingo a todos! :)

Abraços fraternos,

Edna ;)
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: ken em 02 de Dezembro de 2012, 19:05
Amiga Karina, estou anexando pps que analisa  a "Lógica da reencarnação", cujo conteúdo é muito esclarecedor.

 
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: hcancela em 02 de Dezembro de 2012, 20:32
Olá Karina muito sucesso neste estudo mensal. :-*



Através dos séculos, o homem sempre procorou perceber o porquê das coisas.

Uns talvez por se sentirem bem na vida tentaram explicar que eram diferentes.

Outros talvez mais inteligentes procuravam explicar que eram seres há parte da criação.

Uns ainda faziam crer que Deus os fez assim com um propósito, fazer guiar outros(muitos ainda acreditam) do tipo Missionários com dons expeciais e mesmo ao verem a miséria há sua volta necessiitando de sua ajudas de vidas bem fartas, se  auto consideravam oferecendo algumas migalhas justificando assim  os seus actos altruistas ;enviados de Deus , esquecendo porém que há mais de 2000 anos Jesus lhes chamou de Hipócritas com belas bestimentas , mas que por dentro!...
Mesmo hoje assim acontece, mas que o advento do Espiritismo nos abriu as portas da Reencarnação, e que nada nem ninguém é um ser especial, porque a Divindade trata todos(Seus Filhos) da mesma forma dando a cada um o seu tempo de fazer mais e melhor até á sua relativa pureza; A tudo isto chamamos de Rencarnação ou vivas sucessivas e tantas as vezes as quais forem necessárias, uns duma forma outros de outra; Ricos,Pobres,altos, baixos, Brancos ou Pretos, feio ou bonito,etc. Tudo é um processo desde que tenhamos consciência que a vida é mesmo assim, este belo Planeta no qual chamamos Terra é do tipo escola que como toda a escola o seu aprendizado pode ter dias bem mais dificeis, mas mesmo aqui depende do ponto de vista, uns nas adverssidades escolhem lutar ainda mais para aprender e outros revoltam-se contra a própria Divindade de suas más condutas, esquecendo porém que quem decide é Ele próprio, até que chegará o dia em que percebe que tem de lutar é contra Ele mesmo que são as suas imperfeições porque tudo Evolui, esta é a Lei.

Hernâni Cancela

Saudações fraternas
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 02 de Dezembro de 2012, 22:07

"O MOMENTO EXATO DA REENCARNAÇÃO"

Em entrevista À Folha Espírita, o conceituado Dr. Sérgio Felipe de Oliveira discorre, entre outras coisas, sobre o momento exato da reencarnação. Acompanhe o texto:

A Volta ao Mundo Corporal: o Processo Reencarnatório foi o tema do primeiro painel do segundo dia do Medinesp, o congresso internacional da Associação Médico-Espírita, ocorrido de 7 a 9 de junho, em São Paulo (SP). Sérgio Felipe de Oliveira, mestre em Ciências pela USP, que realiza trabalhos para a Associação Médico-Espírita de São Paulo (AME-SP) e é diretor clínico do Pineal Mind, onde faz seus atendimentos e aplica suas pesquisas, abriu o painel, falando do momento exato da reencarnação, seguido depois pela ginecologista e obstetra Cristiane Ribeiro Assis. Sobre o assunto, ele falou à Folha Espírita:

Folha Espírita – Existem preparativos para a reencarnação?
Sérgio Felipe de Oliveira – Os preparativos espirituais para a reencarnação são tratados de forma muito clara nos livros ditados pelo espírito André Luiz através da psicografia de Chico Xavier. A reencarnação, ou seja, o retorno do espírito a um novo corpo, é um fenômeno que não ocorre ao acaso, ao contrário, é cuidadosamente planejado. Podemos dizer que existem “obstetras” no mundo espiritual que preparam o processo reencarnatório. O espírito Emmanuel, também pela psicografia de Chico Xavier na obra Pensamento e Vida, um livro pequeno, mas de grande conteúdo, refere-se a esses preparativos como uma cartilha que se recebe antes de se escorregar para o berço.

Como o espírito sabe se está pronto para reencarnar? Há condições preestabelecidas para isso?
Consoante nos assevera a Doutrina Espírita, nem todos os espíritos têm plena consciência do processo reencarnatório, motivo pelo qual existem as chamadas reencarnações compulsórias, casos que se assemelham a uma internação psiquiátrica, quando o paciente violento e fora de si necessita ser tratado sob os cuidados de um hospital. São os casos de internação psiquiátrica nas condições de psicose, quando, quase sempre, ocorrem compulsoriamente. Nesta linha de raciocínio, diria que há espíritos que se encontram em determinado nível de sofrimento e comprometimento que somente numa encarnação compulsória poderiam alcançar algum nível de consciência de si e da sua situação. Entendemos que, fora esses casos pontuais, as encarnações são planejadas, e nascemos com alguma missão a ser realizada. Deus é econômico e não colocaria alguém no mundo se não tivesse alguma tarefa a cumprir, consigo próprio, com a família e com a sociedade.

O perispírito, ou corpo espiritual, passa por alguma modificação em seu estado antes de reencarnar?
Não resta dúvida de que passa, porque a lógica nos diz que o perispírito precisa adaptar-se à crosta terrestre, tendo em vista que há uma relação entre ele e a força gravitacional. Por exemplo, o espírito reencarnante precisa de uma etapa intermediária no que diz respeito à força gravitacional. Não é por acaso que o bebê fica mergulhado no líquido amniótico, que possibilita essa adequação entre a força gravitacional do mundo espiritual e a do mundo físico. Isso também ocorre com o cérebro dentro do líquido céfalo-raquidiano. A explicação para esse mecanismo providencial é que o líquido possibilita diminuir o empuxo gravitacional. Tanto isso é verdade que o desenvolvimento psíquico, que tem seus registros no perispírito, depende igualmente da força gravitacional. Por exemplo, o bebê precisa ser colocado no colo, ser ninado, aprende a engatinhar, pular e escorregar numa autêntica brincadeira com a força da gravidade. Allan Kardec fala sobre isso quando faz referência à necessidade de mudança no perispírito, quando o espírito precisa mudar de um mundo para outro. Há que se adaptar às peculiaridades de cada mundo.

Podemos dizer que os elementos que constituem o perispírito resultam de uma atração, em que cada espírito atrai partículas inerentes ao seu estado evolutivo?
Acho que é como se fosse uma sintonia, quando você liga o rádio em determinada estação e com ela se conecta para ouvir uma música, um noticiário ou outra coisa que queira. Acredito que o perispírito possa ser construído por algum tipo de espectro do eletromagnetismo, que deve funcionar similarmente ao mecanismo de sintonia, atraindo as partículas do meio onde é formado, segundo o grau evolutivo de cada indivíduo.

No livro Missionários da Luz, o espírito André Luiz descreve que no processo reencarnatório, para a formação do novo corpo, o perispírito se constitui no molde que atrai os elementos materiais fornecidos pela mãe à semelhança de um ímã. Qual a explicação para as anomalias físicas durante a formação do novo corpo?
Quando nós temos um envolvimento muito grave com o passado e a nossa consciência não se desliga desse passado no momento da reencarnação, a mente, voltada para o passado, não permite a sustentação da força suficiente para a formação perfeita do embrião. Então, os genes ficam sem o suporte que o espírito deve dar. Com isso, o indivíduo vem com seqüelas, seja pela má-formação embrionária ou genética, seja pela interferência do espírito reencarnante – e ele freqüentemente interfere – na genética herdada. Assim, as fortes ligações mentais arrastadas do passado, como remorsos, culpas, ódios, mágoas, dentre outras, impossibilitam ao espírito concentrar-se naquele momento e projetar suas energias para o devir, ou seja, o vir a ser, e, então, não sustenta o desenvolvimento genético com a perfeição que deveria sustentar. No entanto, e ao mesmo tempo, essa ligação com o passado pode ser necessária para sua recuperação.
Continua...
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 02 de Dezembro de 2012, 22:08
Continuação..

É possível os encarnados detectarem o momento exato da reencarnação? Quais são os sinais biomoleculares que sinalizam esse momento?
Sim, perfeitamente. Uma nova vida se inicia no exato momento em que o espermatozóide beija a membrana do oócito que a mulher produz a cada 28 dias. É nesse momento que o espírito assume o comando do novo corpo em formação, tendo o seu perispírito como molde organizador.

Existe algum equipamento, hoje, que pode detectar esses sinais biomoleculares?
Sim, e podemos destacar o microscópio eletrônico e o microscópio de luz.

Há pesquisas sobre esse assunto?
Esse exato instante já foi fotografado pela Ciência. (Foto ao lado)


Quanto à Física, os seus avanços vêm ajudando a entender mais as questões do espírito?

Necessariamente, porque o espírito pensa e sente no mundo e só pensa e sente pela interação com o mundo. E o mundo que nos envolve é material, e a nossa comunicação de um para com o outro se dá através do som, que é matéria, pelo eletromagnetismo, a visão. Então, a compreensão da Física nos permite entender o meio no qual estamos submersos. É também uma forma de nos localizarmos do ponto de vista existencial e na transcendência. Emmanuel, na introdução do livro Nos Domínios da Mediunidade, de autoria do espírito André Luiz, pela psicografia de Chico Xavier, deixa evidente que os cientistas materialistas também são pesquisadores de Deus, porque, ao estudarem a estrutura íntima da matéria, descobrirão que a matéria, como a concebem, não existe e perderão o objeto de sua própria convicção.

Com base no que expôs, como está enxergando o projeto de lei que tramita no Congresso Nacional buscando descriminalizar o aborto?
Acho que essa questão da descriminalização do aborto envolve uma percepção muito sutil da representação da vida. Só mesmo uma pessoa envolvida com a causa do bem entende o valor da vida em todas as suas condições. Quando a pessoa tem a sensibilidade de perceber que não pode pisar uma plantinha e estragar o jardim, ela toma cuidado. Assim, temos de entender que o nascituro, ou concepto, também é uma flor no jardim que nós não vamos pisar, porque ela é vida. Então, para dar esse valor essencial, a pessoa precisa estar muito envolvida com a bondade e o amor. Não é só uma questão de lógica, é uma percepção de sentimento. E a humanidade está vivendo uma situação hedonista, muito superficial. É difícil para a maioria das pessoas ter essa percepção, sobretudo nos países onde o aborto é permitido. Nos Estados Unidos, por exemplo, 30% das gestações são abortadas. Mas muitas pessoas, mesmo aquelas que abortaram, já admitem que cometeram algum atentado à vida.

Não seria o caso de perguntar aos defensores do aborto se eles não estão contentes com suas vidas e a de seus entes queridos?
Temos muita gente trabalhando o assunto junto aos parlamentares. O que eu entendo é que o Brasil precisa de gente. Na Itália já não nascem pessoas suficientes. O Japão já tem a mesma população do Brasil. Veja a sua dimensão territorial. Então, no Brasil, cabe muita gente ainda. E qual seria a força de expressão de nosso país se não fossem as pessoas? Quem é que não sabe disso no mundo? Quando se fala em brasileiro, os estrangeiros já sorriem. Então por que não vamos deixar nascer mais brasileiros, se esta é a nossa riqueza?

Fonte: Folha Espírita
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 02 de Dezembro de 2012, 22:22
Partida e chegada - Momento Espírita (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTRFNzNTUk5CMWo0Iw==)
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 03 de Dezembro de 2012, 11:22
Meus irmãos e minhas irmães,bom dia.Como sabemos o objetivo principal da reencarnação é
o aperfeiçoamento moral do espírito,pois mediante os seu débitos existentes de outras encar-
-nações se faz necessário o seu retorno ao mundo material.No caso,animando assim outro cor-
-po em uma nova vida,nessa orbe,pois é a que conhecemos.Essa reencarnação poderia ser em outro mundo,de como foi respondido a Kardec pelos espíritos(pergunta 172 do LE),dependendo
assim do seu grau evolutivo(pergunta 173 do LE),nisto em mim deixa dúvidas:Como se explica
os diferentes graus de adiantamento de diversos espíritos encarnados na terra,cito o caso das
crianças tidas como super dotadas,estarem novamente nessa nossa orbe?Gostaria que me fos-
-se explicado.
Fiquem na paz.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 03 de Dezembro de 2012, 12:00
Moura meu caro, seu post #23 é muito coerente e correto, acrescentaria apenas que, em minha opinião, o que diferencia a DE das religiões, em especial das igrejas evangélicas esta no entendimento dos conceitos, na maneira como cada um vê e entende, interpreta essa relação entre os dois planos, material e espiritual.
Quanto a reencarnação, que é o foco do estudo, é a resposta mais lógica, racional e inteligente a uma série de interrogações que, com um reciocinio mais apurado, surgem para qualquer um.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Vitor Santos em 03 de Dezembro de 2012, 14:41
Olá

A minha perspectiva da reencarnação é positiva. Assim, o objectivo da reencarnação, em geral, é o aperfeiçoamento do espírito, rumo à felicidade. A vida é como um curso prático, em que somos colocados em posição de aprender coisas, que, de outra forma não era possivel aprender. Seres criados para ser livres não são máquinas que se podem programar. O preço da liberdade é termos de aprender à nossa própria custa. E aprender nem sempre é fácil, e por vezes custa mesmo muito. Mas vale a pena. E é isso que interessa. Manter os olhos no objectivo, mesmo quando os pontapés nas pedras do caminho fazem doer muito.
 
O espírito mais perfeito é mais livre, não está dependente de um corpo de carne escravizante, como nós. Pode deslocar-se livremente, para toda a parte, à velocidade que quiser, não tem dores, não está dependente de necessidades fisiológicas, tem uma felicidade imensa, que está para além da nossa compreensão. Pode ouvir a música celeste, pode usufruir de belezas que a nossa memória cerebral não conhece. O trabalho não custa, é uma missão voluntária, e não uma condição para manter um corpo de carne vivo. Não há cansaço. Não há tédio. Não há ansiedade. A paz, o amor, a calma, a alegria são as constantes. 

A visão hedonista da vida, ou seja, a ideia que o sentido da vida são apenas os prazeres, sobretudo os da carne, dificulta muito a compreensão do estado dos espíritos felizes. É mesmo muito difícil a quem não consegue compreender que felicidade não é o mesmo que prazer material, entender isto, pois não consegue conceber uma vida com sentido sem um corpo de carne.  É isso o nocivo apego à carne, que nos prende aqui, a este mundo em que estamos intimamente presos a um corpo animal.

Se cometemos atrocidades, se prejudicámos os outros, no passado? - Era inevitável. É assim mesmo. O aprendiz erra sempre. Todo o aprendiz erra. E Deus sabe disso. E todos errámos. Não fomos lobos a prejudicar pobres carneiros inocentes, mas lobos a lutar com outros lobos, por um naco de carne. Os lobos vivem com os lobos. Todos mordem, todos mostram os dentes e as garras.

Imagino que a encarnação não tem em vista resolver o passado, embora tenha ligação com ele. Não nos deixemos paralisar e desanimar pela ideia ultrapassada do pecado original, que pesa sobre nós sem sabermos porquê. Se Deus quisesse que nos lembrássemos do passado de outras encarnações, nós lembrávamos. A encarnação é essencialmente virada para aprender, para o futuro.

Eu acredito que Deus é bom e justo. Mas não é aqui na carne que podemos compreender bem essa justiça, estou convicto disso. Apenas podemos fazer uma ideia muito limitada do objectivo da encarnação, pelo que nos foi dito. Uma coisa é viver uma experiência, outra é ouvir falar nessa experiência. Assim nos diz a razão.

bem hajam
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Filipa Matos em 03 de Dezembro de 2012, 17:46
O progresso entravado pela reencarnação indefinida

Até aqui a reencarnação foi admitida de um modo muito prolongado; não se pensou senão nessa prolongação da corporeidade, embora cada vez menos material, ocasionando, no entanto, necessidades que deviam entravar o vôo do Espírito. Com efeito, admitindo a persistência da geração nos mundos superiores, atribui-se ao Espírito encarnado necessidades corpóreas, dão-lhe deveres e ocupações ainda materiais que constrangem e detêm o impulso dos estudos espirituais. Que necessidade desses entraves? O Espírito não pode gozar as felicidades do amor sem sofrer as enfermidades corpóreas? Sobre a própria Terra, esse sentimento existe por si mesmo, independente da parte material de nosso ser; os exemplos, embora sejam raros, estão aí, suficientes para provar que deve ser sentido mais geralmente entre os seres mais espiritualizados.

O Espiritismo é a alavanca que levantará de um pulo ao estado espiritual todo encarnado que, querendo bem compreendê-lo e pô-lo em prática, se ligará em dominar a matéria, a dela se tornar senhor, a aniquilá-la; todo Espírito de boa vontade pode se colocar em estado de passar, deixando este mundo, ao estado espiritual sem retorno terrestre; somente, lhe é preciso a fé ou vontade ativa. O Espiritismo a dá a todos aqueles que querem compreendê-lo em seu sentido moralizador.


Boa tarde.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Mourarego em 03 de Dezembro de 2012, 18:24
OLE - Da Reencarnação:
166-a. Como realiza ela essa nova existência? Pela sua transformação como Espírito?
– Ao se depurar, a alma sofre sem dúvida uma transformação, mas para isso necessita da prova da vida corpórea.
166-b. A alma tem muitas existências corpóreas?
– Sim, todos nós temos muitas existências. Os que dizem o contrário querem manter-vos na ignorância em que eles mesmos se encontram; esse é o seu desejo.
167. Qual é a finalidade da reencarnação?
– Expiação, melhoramento progressivo da humanidade. Sem isso, onde estaria a justiça?
168. O número das existências corpóreas é limitado, ou o Espírito se reencarna perpetuamente?
– A cada nova existência o Espírito dá um passo na senda do progresso; quando se despojou de todas as suas impurezas, não precisa mais das provas da vida corpórea.
Abraços,
Moura
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 03 de Dezembro de 2012, 18:59
"A visão hedonista da vida, ou seja, a ideia que o sentido da vida são apenas os prazeres, sobretudo os da carne, dificulta muito a compreensão do estado dos espíritos felizes. É mesmo muito difícil a quem não consegue compreender que felicidade não é o mesmo que prazer material, entender isto, pois não consegue conceber uma vida com sentido sem um corpo de carne.  É isso o nocivo apego à carne, que nos prende aqui, a este mundo em que estamos intimamente presos a um corpo animal."
Vitor meu caro, esse é realmente o grande drama dos encarnados, não conseguem raciocinar como espiritos, o que havemos de concordar, é relamente dificil.
Por isso a compreensão da reencarnação, como um processo natural do ser espiritual, o qual ratifica a justiça e misericórdia de Deus, é fundamental em nossa existência.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marcos W. Silva em 03 de Dezembro de 2012, 23:56
Olá Karina e todos do estudo do mês, boa noite.

Frases de grandes homens sobre a reencarnação.

Benjamin_Franklin mandou que lhe colocassem esta lápide tumular: “Aqui jaz o corpo de Benjamin Franklin, livreiro, como a capa de um livro velho, despedaçado e despido de seu título e de seus dourados, entregue aos vermes. Mas a obra não está perdida, pois aparecerá mais uma vez, em nova e elegante edição, revista e corrigida pelo autor”.

O renomado industrial Henry Ford, assim se pronunciou: “O trabalho é fútil se não podemos utilizar a experiência que reunimos numa vida para usá-la na próxima. Quando descobri a reencarnação, foi como se tivesse encontrado um plano universal. Compreendi que havia uma oportunidade para pôr em jogo minhas idéias. Gênio é experiência. Algumas pessoas parecem pensar que se trata de um dom ou de um talento, mas é fruto de longa experiência em outras vidas”.
 
O líder hindu Ghandi explicava: “Faz parte da bondade da Natureza isso de não_recordarmos_os_nascimentos_passados. Que haveria de bom no conhecimento pormenorizado dos numerosos nascimentos pelos quais temos passado? A vida seria uma carga se carregássemos tão tremendo acúmulo de lembranças”.

                                Fonte- Internet

Abraços.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Dezembro de 2012, 10:25
Olá amigo Gustavo

Citar
Vitor meu caro, esse é realmente o grande drama dos encarnados, não conseguem raciocinar como espiritos, o que havemos de concordar, é realmente dificil.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/30/#ixzz2E4cmDUdI

A reencarnação é uma crença que deriva da crença na existência de uma alma imortal, para além do corpo de carne. Primeiro que tudo temos de ter fé na imortalidade da alma.

Para raciocinar como espíritos temos de acreditar que somos espiritos, para além de corpos de carne. Parece que é na falta de fé que reside o problema. E é um debate interessante entender de onde vem a fé. Curiosamente, já os homens pré-históricos, do período do paleolítico, faziam rituais de enterramento dos seus mortos. O que sentiriam ou pensariam eles?   

Mas, por vezes, pergunto-me: se eu pudesse ter a certeza absoluta de que sou um espírito imortal, eu comportar-me-ia de forma diferente? - No âmbito estudo dos casos de quase morte do Dr. Pim Van Lommel, cardiologista e investigador, foi realizado um inquérito, a pessoas que alegam ter tido um caso de quase morte, 2 e 8 anos após a experiência. E eles parecem ter mudado mesmo, em termos mais ou menos objectivos, a sua forma deles de ver a vida e de agir. Mais que fé, sentem uma certeza de a vida continua. Ou seja, a experiência pessoal é uma via para fé. Mas aqueles que não têm essa experiência pessoal? Não têm direito à fé inabalável?

Aquilo que as pessoas nos dizem, que não podemos comprovar pessoalmente, é muito mais difícil de provocar em nós a fé. Até porque vivemos um período em que a comunicação social desvenda a corrupção diariamente. As pessoas e organizações que as pessoas consideravam mais ou menos de confiança, deixaram de ser de tanta confiança. Ou seja há uma crise de confiança entre as pessoas. Sempre houve corrupção, mas agora está mais à vista...

Na realidade não nos podemos alhear do facto de termos um corpo de carne. As preocupações com a sobrevivência e com o bem estar são necessárias e úteis. O problema é imaginar-se apenas como um corpo de carne, e nada mais. E isso dá-nos a sensação que se somos criaturas desligadas umas das outras a competir pelo pão. Perdemos o sentido de unidade que a crença no amor divino nos dá.

O que a doutrina espirita pode fazer pela humanidade é estimular a crença de que somos almas imortais, sem julgar sobre as razões pelas quais este ou aquele tem ou não tem fé, ou se tem muita fé ou pouca fé. Depois, a ideia de reencarnação é fácil de explicar. Mas, sem fé, ela não faz qualquer sentido.

Há quem diga que a reencarnação nos mostra que pode existir justiça divina, apesar de na Terra, entre os homens, não existir justiça. Mas, sem fé, isso é apenas mais uma teoria para justificar a possibilidade da bondade divina.     
       
bem haja
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Dezembro de 2012, 11:26
Vitor meu caro, otimo seu post #37, vamos analisá-lo:
A fé na imortalidade da alma é, em minha opinião, unanimidade no planeta. Todas as igrejas e crenças atestam essa condição. A diferença vem do entendimento sobre o que essa imortalidade significa.
Para raciocinar como espiritos, não é necessário ignorar a matéria, ou ter a certeza de que somos espiritos imortais. A primeira condição é impossivel, somos matéria em um orbe material e dela necessitamos para nosso progresso. E o segundo já é fato, somos espirios imortais. O drama, a dificuldade está em conseguir equilibrar essas condições. Conseguir desapegar-se da matéria, sem abrir mão das necessidades basicas e das oportunidades que o progresso material nos oferece.
Quanto aquilo que não podemos comprovar pessoalmente, tambem é algo um tanto relativo.
Conheço o caso de um parente distante, que aos 94 anos, tinha um irmão de quase 90 tambem, internado em um hospital. Em uma madrugada, disse ter visto o irmão, doente, o qual lhe garantiu estar bem e indo para casa.
Os dois morreram naquela mesma madrugada/manhã.
Entretanto, como a familia é evangélica, ficou na conta de delirio.
Quando digo que a reencarnação é a justiça de Deus, digo por que é, para mim a unica forma de entender tanto sofrimento e injustiça, na terra, como se Deus fosse ausente.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: M.Altino em 04 de Dezembro de 2012, 13:33
Amigos  e companheiros deste estudo que  muito nos  ajuda a compreender  muitas  situações que  temos na vida.
Uma boa tarde  de muita paz para todos  e  sentindo que  nesta paretilha entre todos  assim vamos  aprendendo e debatendo.

OBJETIVO DA REENCARNAÇÃO
 
Reencarnação é um processo do despertar da alma.
 As vidas sucessivas são escolas em todos os reinos da natureza.
É, pois, uma depuração constante em rumos variáveis.
Ela é uma das leis de Deus, e se encontra fixada na eternidade para ajudar seus filhos a compreenderem a si mesmos, a serem obedientes aos programas do Todo Poderoso.
É certo que o Espírito progride no mundo espiritual, sem a participação do corpo físico; este é um dos primeiros degraus do progresso da alma.
O estudioso de espiritualismo, que já se libertou de comandos deliberados para a sua compreensão, chega à conclusão de que o mundo físico e o espiritual se confundem, que tudo vem de Deus na Sua maior expressão de amor.
Se o Senhor criou essas modalidades de progresso, certamente porque viu que era bom.
Os meios do despertar das almas são infinitos.
Quem deseja ficar parado no tempo e no espaço sofre as consequências dessa inércia; quem abre a mente para o estudo, para todos os tipos de análise acerca da vida, encontra ou começa a encontrar a verdade, e ela ajuda a sua libertação.
Em muitos casos, a reencarnação se expressa como justiça em variados ângulos da lei.
O que chamas de expiação da alma, em se enfrentando as reencarnações, não passa de processos de evolução do Espírito, visto que todos passam por isso.
Enfim, são caminhos indispensáveis ao bem-estar de todo o rebanho para purificação, se esse é o termo, dos filhos da criação.
Cada corpo que o Espírito recebe na Terra é uma bênção de Deus em seu caminho, porque significa um degrau que sobe para a eternidade, sendo que ninguém regride. Sempre estamos avançando para a nossa própria liberdade.
O processo reencarnatório está sofrendo limitações inumeráveis em todos os países.
São dificuldades que os Espíritos estão sofrendo por estarmos passando pelo fechar de cada ciclo evolutivo.
São também meios de depuração espiritual, que estão sob o controle de Deus, que tudo sabe e de Jesus, que compreende o porquê de todas as catástrofes morais e mesmo físicas que se passam e que deverão surgir.
A dor é, pois, o anjo divino que deve aparecer com frequência no cenário da Terra, para salvar as criaturas de maiores distúrbios.
Quem nega a reencarnação recusando-se a meditar sobre o assunto, talvez com medo de que por intermédio dela e pelos seus processos variáveis venham a mudar de posição onde se encontram, em situação de mando e abundância de ouro, se esquece que lei é lei, principalmente a de Deus.
Em verdade, nada existe que não viva e torne a viver incessantemente, e reafirmamos que se muda de corpo quantas vezes forem necessárias, sendo eles degraus para que se conheça a luz na sua intensidade de Amor.
O objetivo da reencarnação é facultar cada vez mais ao Espírito a lucidez da vida e oferecer mais vida para quem procura viver. Uma das linhas da Doutrina dos Espíritos é anunciar essa lei divina em todos os seus aspectos e falar em voz alta esse nome: reencarnação.
Com um grande abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Dezembro de 2012, 14:09
Belo texto mano Altino, eu so acrescentaria que em minha opinião, a reencarnção é a expressão maxima da justiça e da misericórdia de deus, posto que é a oportunidade maravilhosa da redenção, do recomeço, do corrigir-se.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Dezembro de 2012, 14:37
Olá Gustavo

Citar
A fé na imortalidade da alma é, em minha opinião, unanimidade no planeta. Todas as igrejas e crenças atestam essa condição. A diferença vem do entendimento sobre o que essa imortalidade significa.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/30/#ixzz2E5HbEDz0

Concordo amigo. Há muitas crenças e doutrinas que parecem defender a imortalidade da alma. Mas as pessoas não têm ou deixam de ter fé pelo que as doutrinas e catecismos dizem. As leis humanas impõem-se, mas a fé não. É algo pessoal. Eu não tenho fé porque a maioria tem, ou deixa de ter. E o que interessa não é o que dizemos acreditar, mas aquilo em que acreditamos intimamente. Muitas vezes nem nós mesmos sabemos em que é que acreditamos. Só colocados em face de provas sérias podemos descobrir.

Citar
Para raciocinar como espiritos, não é necessário ignorar a matéria, ou ter a certeza de que somos espiritos imortais. A primeira condição é impossivel, somos matéria em um orbe material e dela necessitamos para nosso progresso. E o segundo já é fato,

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/30/?action=post;num_replies=38#ixzz2E5Kh5nvm

Concordo, nós não podemos ignorar a matéria. As pessoas podem ter dúvidas se são espiritos imortais, mas que estão associadas à carne parece-me mais evidente. Ainda assim, há crentes no imaterialismo, que dizem que a matéria é uma ilusão. Quanto a mim a ilusão poderá ser a ideia de que somos apenas carne. Mas também há quem diga que a ilusão é pensarmos que somos espiritos imortais. Há ideias e doutrinas para todos os gostos.

Eu não tenho a certeza absoluta de que sou um espírito imortal, o que eu tenho é essa esperança. De qualquer modo eu propus a ideia de que era necessária fé na imortalidade, para pensar como espírito, e para acreditar na reencarnação, e não a ideia que era necessária a certeza absoluta. Se eu pensasse assim não estava aqui a escrever.

Citar
O drama, a dificuldade está em conseguir equilibrar essas condições. Conseguir desapegar-se da matéria, sem abrir mão das necessidades basicas e das oportunidades que o progresso material nos oferece.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/30/?action=post;num_replies=38#ixzz2E5Trqw2j
 

Acho que você colocou muito bem a questão. Atingir um adequado equilíbrio espírito-carne é o melhor que se pode arranjar. 

Citar
Conheço o caso de um parente distante, que aos 94 anos, tinha um irmão de quase 90 tambem, internado em um hospital. Em uma madrugada, disse ter visto o irmão, doente, o qual lhe garantiu estar bem e indo para casa.
Os dois morreram naquela mesma madrugada/manhã.
Entretanto, como a familia é evangélica, ficou na conta de delirio.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/30/?action=post;num_replies=38#ixzz2E5V19ouT

Um vestígio interessante, que dá que pensar. Divulgá-lo é fomentar a fé. Cada um pode encontrar a sua explicação para os factos, mas isso não importa. O que importa é que o facto não tenha sido inventado. Pois isso seria pior do que não divulgar nada. Uma vez descoberta a fraude retiraria a fé a muito mais pessoas do que aquelas a quem a facilitou. E deixava a desconfiança para o futuro.   

Citar
Quando digo que a reencarnação é a justiça de Deus, digo por que é, para mim a unica forma de entender tanto sofrimento e injustiça, na terra, como se Deus fosse ausente.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/30/?action=post;num_replies=38#ixzz2E5VnPoV3

Eu concordo consigo. Acho que a ideia de reencarnação é uma boa forma de conciliar a ideia da bondade de Deus com o facto de existir tanta maldade na Terra. Na verdade leva-nos a compreender que a justiça divina pode existir, em relação aos espíritos imortais, mesmo quando não existe entre os encarnados na Terra.

Todavia, nos mundos mais avançados, pode existir justiça entre os encarnados, também. Segundo a doutrina espirita.

Mas o objectivo essencial da reencarnação não é a justiça, é o progresso dos espiritos. Sendo Deus bom e imparcial em relação aos espiritos, pela lógica, esse processo deve ser justo. Não podem progredir os que não o merecem. Estagnam, até se cansarem de sofrer e quererem progredir (nem que seja só para não sofrer tanto, inicialmente). Mas não podem ficar estagnados para sempre. O sofrimento será crescente e um dia eles não aguentam mais.   

O que me parece menos plausível é que a maldade seja uma lei divina promovida por Deus, ou pelos Bons Espíritos. Isto é, que seja uma pena, ou uma acção propositada de Deus, ou dos Bons Espíritos, para promover a justiça.

A maldade é permitida por Deus, não posso ter dúvidas, pois isso está patente aos meus olhos. Mas a iniciativa da mesma vem sempre dos espiritos inferiores, e não de Deus, ou dos Bons Espíritos.

A vitima de hoje pode ter sido o algoz de ontem, e até pode ser o algoz de amanhã novamente. Mas a culpa do acto criminoso, para mim, em cada acto, é sempre do algoz, e não da vitima. Para alguns espiritas a culpa é da vitima, por estar a ser submetida a uma pena anterior.

A justiça divina pode estar na escolha deste corpo e não daquele, neste planeta e local, e não naquele. Mas não podemos atribuir a maldade do algoz à vitima, ainda que seja uma vingança do algoz por um prejuízo anterior real. Muito menos podemos atribuir a iniciativa e/ou o incentivo à maldade dos espiritos inferiores, a Deus e aos Bons Espíritos, mesmo em nome da justiça.

Um bom pai, que tem dois filhos, se vê que um deles cometeu uma atrocidade contra o outro, ficará triste, poderá tomar medidas para que não volte a acontecer, se for capaz, poderá obrigar o algoz a reparar, fazendo um bem a favor da vitima, para a compensar.

Mas um bom pai jamais iria cometer ou mandar cometer uma atrocidade igual sobre o algoz, para fazer justiça, porque isso seria promover a maldade contra um dos filhos. E se a vitima cometer uma atrocidade igual à que foi sujeita, para se vingar, comete o mesmo crime de que foi vitima anteriormente. Era vitima, passa a ser também algoz, em acções diferentes. O bom pai actuará para o vingador como actuou para o algoz que o prejudicou, pois o crime é o mesmo. O bom pai nunca iria promover a vingança.   

A pena de Talião não é justiça, é promover a vingança da vitima contra o agressor. Nem na Terra, nem no "Céu". Vingança não é justiça, é sempre um segundo crime.

A diferença entre justiça e vingança, é que a justiça é reparação, ou seja, fazer um bem que compense o mal que foi feito. A vingança é fazer o mal, a titulo de compensação de outro mal. Fazer o mal é sempre errado, seja em circunstâncias for. Fazer o bem está sempre certo. A reparação é boa para a vitima, a vingança é má para todos. Embora algumas pessoas sintam satisfação com ela, provisoriamente, no computo geral é sempre negativa. Por isso Jesus dizia para amarmos os inimigos (não nos vingarmos).   

bem hajam
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Dezembro de 2012, 15:02
Vitor meu caro, o problema das doutrinas em geral, que pregam a imortalidade da alma, mas geram um sem fim de materialistas, esta no fato de não conseguirem, de forma racional, explicar essas distorções, que a DE, através inclusive e principalmente pela reencarnação, explica.
Uma alma imortal que passara dormindo durante séculos, até o advento do juizo, parece pouco racional a qualquer um que não tenha essa crença muito bem arraigada em suas convicções, ou que raciocine um pouco mais.
A questão matéria-espirito, e o equilibrio necessário entre ambos, é de fundamental importância.
Precisamos da matéria, da roupa, do abrigo, da comida, e ate de atividades outras como o lazer, a distração e o sexo.
Entretanto priorizar esses aspectos, deixando de lado as necessidades do espirito, é o que nos coloca cada vez mais presos a um orbe material, impedindo um progresso mais agil.
E é esse materialismo que as doutrinas religiosas, de uma maneira geral acabam sustentando, primeiro ao pregar um evangelho materialista, onde se compram bençãos e beneficios divinos e depois, ao negar aquilo que esta escancarado no universo, o plano espiritual composto de seres como nós, aqueles que nos enteciparam na volta para casa.
Quanto ao objetivo da encarnação ser a evolução, o progresso, tambem é uma questão obvia, sendo ela a ferramenta para que a justiça de Deus se exerça, oferecendo a ambos, algoz e vitima, a oportunidade de se ajustarem, sem vinganças, mas pelo processo de aprendizado do sentimento verdadeiro: o amor.
Por isso Jesus nos orientou a "dar a outra face".
A reencarnação é uma forma muito inteligente, criada por deus para esse fim.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 04 de Dezembro de 2012, 17:18
Olá Karina e todos do estudo do mês, boa noite.

Frases de grandes homens sobre a reencarnação.

Benjamin_Franklin mandou que lhe colocassem esta lápide tumular: “Aqui jaz o corpo de Benjamin Franklin, livreiro, como a capa de um livro velho, despedaçado e despido de seu título e de seus dourados, entregue aos vermes. Mas a obra não está perdida, pois aparecerá mais uma vez, em nova e elegante edição, revista e corrigida pelo autor”.

O renomado industrial Henry Ford, assim se pronunciou: “O trabalho é fútil se não podemos utilizar a experiência que reunimos numa vida para usá-la na próxima. Quando descobri a reencarnação, foi como se tivesse encontrado um plano universal. Compreendi que havia uma oportunidade para pôr em jogo minhas idéias. Gênio é experiência. Algumas pessoas parecem pensar que se trata de um dom ou de um talento, mas é fruto de longa experiência em outras vidas”.
 
O líder hindu Ghandi explicava: “Faz parte da bondade da Natureza isso de não_recordarmos_os_nascimentos_passados. Que haveria de bom no conhecimento pormenorizado dos numerosos nascimentos pelos quais temos passado? A vida seria uma carga se carregássemos tão tremendo acúmulo de lembranças”.

                                Fonte- Internet

Abraços.



Já roubei e postei no "face"
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: tania henk em 04 de Dezembro de 2012, 17:51
Olá, tenho uma dúvida, o perispirito está dentro do nosso corpo fisico? Ou está em volta?
Obrigada
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Dezembro de 2012, 17:55
Olá Gustavo
 
Citar
Uma alma imortal que passara dormindo durante séculos, até o advento do juizo, parece pouco racional a qualquer um que não tenha essa crença muito bem arraigada em suas convicções, ou que raciocine um pouco mais.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/30/#ixzz2E6czkHbF

Essa conclusão da "alma imortal que passara dormindo durante séculos" tira-se dos catecismos católicos, mas não das palavras dos livros que eles apregoam ser os deles, ou seja, a Biblia. E em concreto do novo Testamento.

Há a mania de atribuir um paralelismo entre  ressurreição e reencarnação. Mas S.Paulo esclarece bastante bem, ao falar do "corpo espiritual", que eu penso que é o mesmo que perispirito, que a ressurreição é o processo da morte, e não do renascimento. Nós morremos no corpo de carne, que era aquele de que nós tínhamos consciência, e ressuscitamos "corpo espiritual" (nós só damos que temos corpo espiritual depois da morte do corpo de carne, antes não tínhamos consciência disso).

A parábola de Nicodemos, no Evangelho Segundo S.João, fala em renascimento, e aí, sim parece falar da reencarnação.

Mas a ideia de reencarnação, mesmo excluindo os Evangelhos,  é muito mais antiga do que a doutrina espirita. Há correntes do budismo e do hinduísmo com milhares de anos, que já falam nisso.
 
bem haja
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Dezembro de 2012, 18:17
Com certeza meu caro Vitor, e ja foi citado aqui mesmo a antiguidade da ideia de reencarnação.
Da mesma forma esse conceito de um sono interminavel, aguardando o juizo, é apenas dos catecismos das igrejas tradicionais, que se recusam a modernizar-se.
Mas tudo a seu tempo meu caro, tudo a seu tempo..
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 04 de Dezembro de 2012, 21:30
Meus irmãos e minhas irmães.Na forma como foi colocado pelo nosso irmão Altino,os espíritos
não necessitam do corpo físico para progredirem no mundo espiritual,é uma questão lógica,em
se tratando dos espíritos de uma maneira geral.Isso deve ser analisado com mais profundida-
-de,pois os espíritos que reencarnarem na nossa orbe,necessitam de um corpo físico para
progredirem,pois a sua evolução fica dependendo das suas ações.Sendo assim tem-se de en-
-tender as várias classes de espíritos existentes.É assim que eu penso.
Fiquem na paz.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Dezembro de 2012, 23:11
Seu raciocinio é correto meu caro Antonio, a necessidade da encarnação esta na execução prática daquilo a que nos propusemos para resgatar nossos débitos do passado e acelerar a nossa marcha de prograsso.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: MarcosBorges em 04 de Dezembro de 2012, 23:48
Oi Vitor,

Segundo o Rabino Yaakov Astor (fonte: Beit Chadad, referência judaica na internet), que fala do papel da reencarnação e ressurreição na cultura judaica:

"O Mundo da ressurreição, em contraste, “nenhum olho viu”, declara o Talmud,7 é um mundo, segundo a maior parte das autoridades, onde corpo e alma são reunidos para viver eternamente num estado realmente perfeito. Aquele mundo somente virá a existir após Mashiach e será iniciado por um evento conhecido como o “Grande Dia do Julgamento.” (Yom HaDin HaGadol)8

O Mundo da Ressurreição é então a suprema recompensa, um lugar no qual o corpo se torna eterno e espiritual, ao passo que a alma se torna ainda mais espiritual.9"

Referencias numericas:

"7. Sanhedrin 99a.
8. Ramban, Shaar HaGemul. Citando fontes talmúdicas e midráshicas, o Ramban escreve que há três dias de julgamento, i.e., três vezes a alma é julgada.
1) Rosh Hashaná, quando revisa o ano que passou e determina as circunstâncias materiais para o ano vindouro;
2) Dia da morte, quando revisa a vida que passou e determina o que precisa para continuar a experiência de mais revisão ou está pronta para o Paraíso.
3) O Grande Dia do Julgamento, que é quando todos que viveram são ressuscitados, os justos para a vida eterna (num mundo físico espiritualizado, segundo o Ramban) e os perversos por aquilo que falta para terminar (segundo outros haverá uma categoria intermediária daqueles que são dignos de continuar num espírito desencarnado, mas não na forma física mais rara do corpo ressuscitado num mundo ressuscitado). Haverá também aparentemente diferentes graus de recompensa (i.e., vivenciando a presença de D’us) neste Mundo Renovado após o Grande Dia de Julgamento, tudo dependendo das ações da pessoa durante a vida. Tem sido questionado: Se uma pessoa é julgada após a sua morte quanto ao seu status no Mundo Vindouro, qual é o propósito do Grande Dia do Julgamento? Uma das respostas diz que depois que uma pessoa morre, todos os filhos, as boas e as más ações e a influência que ela teve sobre os outros ainda “estão em movimento”. Somente ao final da história pode ser feita a “contagem final”, então, quanto ao impacto que a pessoa teve em sua vida.
9. Derech Hashem 1:3:13."


Continuando o texto diz sobre reencarnação no judaismo moderno:

"A ressurreição é então um puro conceito escatológico. Seu propósito é recompensar o corpo com a eternidade (e a alma com maior perfeição). O propósito da reencarnação geralmente é duplo: ou compensar uma falha numa vida anterior ou criar um estado novo, mais elevado, de perfeição pessoal ainda não atingido.10 A ressurreição é então um tempo de recompensa; a reencarnação um tempo de reparo. A ressurreição é a época da colheita; a reencarnação o tempo de semear."

Referência 10:"Shaar HaGilgulim, cap. 8; Derech Hashem 2:3:10."

Será que por corpo espiritual ressurecto, Paulo como profundo conhecedor das leis judaicas, nãomestaria se referindo a um corpo fisico espiritualizado e com um alma perfeita?

Mesmo os rabinos que estudam a reencarnação chegam a conclusões no talmud e torah através de interpretações e não pela tradução direta das palavras.

A tradução em grego de renascimento em João não significa reencarnação mas mudança de ser, de vida interior. Já andei procurando por termos gregos para a reencarnação na biblia e não encontrei, no maximo chegasse a interpretações. Isso não quer dizer que ideias reencarnacionista não exitia no judaismo contemporaneo a Jesus, mas de certa forma pode não ter existido uma palavra, mas no contexto estaria implicito.

O próprio rabino Yaakov Astor diz:
"O Bahir, atribuído ao sábio do Século Primeiro, Nechuniah ben Hakana, usava a reencarnação para discutir a clássica questão de teodicéia – por que coisas más acontecem a pessoas boas e vice-versa." 


Abraços fraternos
Marcos Borges
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marcos W. Silva em 05 de Dezembro de 2012, 02:21
Olá todos do estudo do mês, boa noite.

Certa feita em uma palestra para alunos de quinta série até terceiro ano do ensino médio, falava sobre aborto e suicídio, quando ao final no momento de responder as indagações o guarda da escola, senhor de idade já avançada, pediu o microfone e me perguntou mais ou menos nestes termos; "___ ...olha moço, eu gostei muito de tudo que foi dito aqui, mas... desde menino aprendi que existe a ressurreição, mas agora o senhor vem e diz que é a reencarnação o certo... quer dizer que eu aprendi errado?!", naquele milésimo de segundo antes de responder sua pergunta, e dada a sua fala em tom de humildade, eu temia criar uma situação de choque frente à platéia... foi nesse momento que comecei a falar; __"...não senhor, a ressurreição está correta, afinal, quando estamos no mundo dos espíritos e vamos reencarnar na terra nós ressurgimos aqui... e quando morremos aqui, ressurgimos no mundo dos espíritos... isso é a ressurreição, um ressurgimento... agora, sempre que  Deus nos concede um corpo novo para que estejamos novamente entre os encarnados da terra, aí reencarnamos, ou seja, tomamos um novo corpo para que o espírito cumpra suas tarefas.

Na verdade suei frio, e , com a explicação que naquela oportunidade foi bem esmiuçada, ele relatou ter entendido e saiu satisfeito, afinal, não menti, nem bati de frente com a verdade dele, e senti-me livre daquela saia-justa. Mas, com certeza, a resposta foi uma intuição dos amigos espirituais.

Abraços. ;)

 
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 05 de Dezembro de 2012, 10:23
"Na verdade suei frio, e , com a explicação que naquela oportunidade foi bem esmiuçada, ele relatou ter entendido e saiu satisfeito, afinal, não menti, nem bati de frente com a verdade dele, e senti-me livre daquela saia-justa. Mas, com certeza, a resposta foi uma intuição dos amigos espirituais."
Marcos meu caro, parabens pela resposta.
Acho esse um dos grandes desfios que nós, espiritas, possuimos, transmitir essa verdade, para mim absolutamente inquestionável, da reencarnação e dos demais conceitos epsiritas, sem agredir, ofender, ou como você diz, bater de frente.
Ja vi muito espirita na posição arrogante de "dono da verdade", ofendendo irmãos de outras crenças, isso é triste, mas aprenderemos.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 05 de Dezembro de 2012, 10:25
Marcos Borges, meu querido, como posso conseguir esse livro que estou procurando e não achei, o Shaar HaGilgulim?
Em uma versão em português de preferência, não leio hebraico e meu "ingreis" é muito ruim...rsrsrs
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Kazaoka em 05 de Dezembro de 2012, 10:57
Marcos Borges,

São  contribuições como esta que você nos trouxe sobre a visão judaica com relação à destinação do Espírito após a morte, feita pelo Rabino Yaakov Astor que enriquece de forma significativa nossos estudos doutrinários.

Muito obrigado pela sua postagem que nos trouxe um "apanhado" da visão judaica sobre os conceitos encarnação e ressurreição.
É muito importante que tenhamos um mínimo de noção da visão de outras doutrinas espiritualista. E o judaísmo como uma das mais antigas doutrinas espiritualista do mundo, pela sua história estar entrelaçada com a história do Cristianismo é muito importante que tenhamos uma noção de suas bases.

Parabéns mais uma vez, obrigado!!! 
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 05 de Dezembro de 2012, 11:07
Concordo mano Kazaoka, e digo mais, não acho que o judaismo esteja "entrelaçado" com o cristianismo, o judaismo é a base do cristianismo.
O que é o velho testamento cristão, se não os livros sagrados do judaismo?
O que é o novo testamento cristão, senão a interpretação de um judeu, Jesus, sobre esses mesmos livros sagrados?
Por isso tenho buscado efetuar leituras e estudos dentro dessa linha de pensamento e ultimamente tenho lido os livros do professor Severino Celestino da Silva.
Mas, como pode ver emum post meu de hoje, quero ler os livros interpretativos do judaimso, tal como o Zohar e o portal da reencarnação.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Dezembro de 2012, 11:08
Olá amigo Marcos

Citar
não senhor, a ressurreição está correta, afinal, quando estamos no mundo dos espíritos e vamos reencarnar na terra nós ressurgimos aqui... e quando morremos aqui, ressurgimos no mundo dos espíritos... isso é a ressurreição, um ressurgimento... agora, sempre que  Deus nos concede um corpo novo para que estejamos novamente entre os encarnados da terra, aí reencarnamos, ou seja, tomamos um novo corpo para que o espírito cumpra suas tarefas.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/processo-reencarnatorio-45156/45/#ixzz2EAZkbpdU

É  esse conceito de ressurreição que leio nas palavras de S.Paulo (1ª carta aos Corintios):

Citar
Assim também acontece com a ressurreição dos mortos: semeado corruptível, o corpo é ressuscitado incorruptível; semeado na desonra, é ressuscitado na glória; semeado na fraqueza, é ressuscitado cheio de força; semeado corpo terreno, é ressuscitado corpo espiritual. Se há um corpo terreno, também há um corpo espiritual 

Basta substituir "corpo espiritual" por "perispirito" para termos a morte, na visão espirita. Na carne, sentimo-nos um corpo de carne, pois percepcionamos e actuamos através dele. Extinto o corpo de carne, sentimo-nos com um novo corpo (que já existia, mas que não percebíamos quando estávamos na carne, pela via sensorial).

Se assim não fosse, a religião não fazia sentido. Ela trazia-nos uma esperança vaga de sobrevivência à morte, cheia de condições.

Todavia, quanto a mim, nós também temos tendência para ter uma visão deturpada da sobrevivência à morte. Imaginamos que somos a pessoa actual, numa viagem ao além. Mas a pessoa actual que nós somos é transitória, como nos ensina o Budismo Tibetano, por exemplo. O adulto maduro não é a criança que foi, nem o velho é o adulto maduro que foi. As nossas manifestações, os nossos pensamentos, a nossa forma de ver o mundo, e a nós mesmos, está em constante mutação.

Há uma unidade em nós. Nós somos sempre o mesmo ser, mas esse ser não se pode confundir com o seu estado transitório. O estado transitório está sempre a mudar. O ser é sempre o mesmo. Mas nós não conhecemos o ser, apenas as suas manifestações, que são transitórias.

Tenho uma pessoa de família que tem Alzheimer. Um destes dias ela começou a reunir os objectos pessoais para voltar para casa, ao que parece para a casa dela na infância. Os raciocínios dela eram lógicos, e pareciam característicos dela, mas ela perdeu provisoriamente o acesso à memória presente. É como se o "eu" dela fosse outro. Mas a alma dela era a mesma. 

Imagino que as nossas memórias é que nos dão a ideia de que somos uma unidade. Se alguém nos pudesse implantar outra memória cerebral, provavelmente nós não nos sentíamos o mesmo "eu". O "eu" é uma concepção nossa, baseada em memórias passadas. Não é algo real.

Ao desencarnar, nós deixamos de estar limitados à memória cerebral. Temos acesso a uma memória diferente, mais antiga e abrangente, a memória espiritual. Temos outro ponto de vista do nosso "eu". Imaginar-nos tal como somos neste momento, a viajar para o além, para outro local, não me parece nada realista. 

Amigo Marcos Borges, admito que as interpretações das escrituras antigas são sempre influenciadas pelas nossas crenças. Um Espirita não lê nas escrituras o mesmo que um Católico ou de que um adepto da religião Judaica. E nunca podemos ter a certeza daquilo que o autor estava a pensar.   

bem hajam
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: M.Altino em 05 de Dezembro de 2012, 11:17
Amigos  para todos o meu Bom Dia de muita paz e  voltando atrás um pouco  e  meditado na questão 172 do Livro Dos  Espíritos onde   muito bem nos é  explicado as vidas  sucessivas neste Planeta.
VIDAS SUCESSIVAS NA TERRA
Nem todos os Espíritos que ora estagiam na Terra, tiveram nela as primeiras reencarnações.
Muitos já viveram em outros mundos, dos quais guardaram muitas experiências, que lhes servem de amparo contra muitos males.
A Terra, pelo que sabemos, é um dos mundos atrasados, não dos mais atrasados, no entanto.
Ela está na situação dos globos que logo passarão de mundos de expiação para mundos de regeneração, onde o amor começa a despontar nos corações das almas, e Jesus será entendido pelos processos da dor, de sorte que as lições do Mestre serão vividas na sua feição mais pura.
Há, porém, ainda, uma distância da teoria dos conceitos evangélicos à verdade prática.
Cabe à Doutrina dos Espíritos fazer reviver na Terra os ensinamentos do Divino Mestre na sua pureza, para que as almas descubram pelos próprios esforços, a luz do entendimento, dando início à caminhada de libertação espiritual.
A humanidade em geral se encontra muito distante da perfeição, contudo, está a caminho, e isso para nós outros que convivemos com os homens, é motivo de grande alegria ao vê-los trabalhando, dia a dia, em busca da melhoria espiritual.
O Evangelho pode ser entendido em várias dimensões, de acordo com a elevação do Espírito.
Estamos empenhados, Espíritos e espíritas, em buscar, na profundidade do tempo, o verdadeiro Evangelho, do modo que foi vivênciado pelo Guia Espiritual da humanidade.
Para tanto, devemos nos esforçar no cumprimento desse dever que, para nós outros, é uma glória, de recordar o que foi dito para nós há quase dois mil anos.
Compete a cada criatura esforçar-se em todas as direções do saber, para que o amor, aquele ensinado por Jesus, venha à tona da consciência, no sentido de libertar todas as criaturas da ignorância, fazendo lembrar a profecia de Moisés, da descoberta do “Paraíso Perdido” onde poderemos encontrar o leite da vida e o mel da perfeição espiritual.
Se a lei da reencarnação nos fala que já passamos em muitos mundos, recolhendo experiências, devemos a esses mundos o que aprendemos; portanto, a mesma lei do amor pede que devolvamos o que recebemos em forma de fraternidade universal, enriquecendo a vida e despertando em nós os valores que nos foram legados.
Não é somente a Terra que tem as possibilidades de receber rebanho de almas e educá-las.
Deus não iria criar somente um mundo em condições de ser habitado; eles são incontáveis, bailando no cosmo à espera da sequência da vida, adicionando sempre os valores do saber e do amor.
As vidas que na Terra são vividas não são as primeiras nem as últimas, mas são valiosas, porque nelas o Espírito poderá aprender o valor das reencarnações, como escolas de luz dentro da luz de Deus.
Ao meditarmos na reencarnação, uma luz de maior entendimento desabrocha em nossos corações, levando-nos a compreender que as vidas na Terra podem se multiplicar, quantas vezes forem necessárias, para a nossa libertação espiritual.
Com um grande abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 05 de Dezembro de 2012, 11:39
"As nossas manifestações, os nossos pensamentos, a nossa forma de ver o mundo, e a nós mesmos, está em constante mutação."
Isso é algo absolutamente fantástico, somos sim seres em constante mutação, pois a vida é uma constante mutação.
Entretanto, alguns agarram-se a situações que lhes sejam comodas, ai, a vida lhes ensina a caminhar.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: MarcosBorges em 06 de Dezembro de 2012, 00:45
Oi Gustavo

O livro Shaar HaGilgulim existe em pdf em inglês para download mas, na web existe o sitio que faz um estudo do Ari e está em português: http://aridiario.wordpress.com/portao-das-rodas-da-alma/capitulo-1/

Na livraria online sêfer: http://www.sefer.com.br/ tem um livro sobre reencarnação no judaismo.


Abraço fraterno

Marcos Borges
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: MarcosBorges em 06 de Dezembro de 2012, 00:50
Oi Kazaoka

No sitio do  Beit Chadad http://www.chabad.org.br/ tem varias outras exposições de rabinos sobre reencarnação e outros sobre sobrevivência da alma. Possui varios depoimentos de rabinos sobre temas do misticismo judaico onde trata da reencarnação.

Abraço fraterno

Marcos Borges
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: MarcosBorges em 06 de Dezembro de 2012, 00:55
Oi Vitor

"admito que as interpretações das escrituras antigas são sempre influenciadas pelas nossas crenças. Um Espirita não lê nas escrituras o mesmo que um Católico ou de que um adepto da religião Judaica. E nunca podemos ter a certeza daquilo que o autor estava a pensar."

Realmente! Por isso que me vem sempre a mente o que Paulo estava a pensar quando disse sobre corpo espiritual?! Um começo seria uma busca histórica e epistemologica dos movimentos judaicos contemporaneos ao periodo em que Paulo estava encarnado, o que é díficil para quem não tem acesso a estas informações e quando as mesmas possuem interpretações por diferentes historiadores.   


Uma outra questão importante são as diferentes formas de pensar sobre reencarnação em diversas culturas e religiões espiritualistas. Na maioria carregada de misticismo e conceitos miticos.

No judaismo se me lembro bem tem limites (número fixo de encarnações ou chances) e está relacionados ao cumprimento dos 613 mandamentos do Mitzvot (onde está incluso os 10 mandamentos de Moises) necessarios para estar preprado para a chegada do Messiah no mundo vindouro. Os rabinos kabalistas acreditam que uma alma pesada de males que cometeu em reencarnação passada pode retornar a niveis inferiores, como animais, plantas e pedras.

O mesmo ocorre no Budismo tibetano que ve a reencarnação, ou melhor os renascimentos, como um ciclo no qual deve ser elimidando pois, quem vive nos diversos reinos desta roda é porque está preso ali pelo sofrimento. Os ensimamentos do Buda de Shakyamuni, as quatro joias e o nobre caminho octuplo, demonstram o que é o sofrimento, as causa do sofrimento, e como se liberdar dele. ou seja da roda de nascimentos e morte. Um destes reinos míticos é o reino animal. Alguns budistas ocidentais tem um interpretação destes reinos, distinto da trsdição tibetana, no qual ver os reinos como estados de ser do encarnado não necessariamnente encarnados em animais mas, em corpos humanos em condições animalescas. No budismo não ver isso como retrocesso mas condição de ser temporaria causada pelo qualidade do karma que deve ser elimidado. Como não ver a reencarnação como um processo de progresso embora demonstre que o melhor é se esforçar para está no reino dos deuses no qual desfruta de bem estar, o que exige evitar karmas dolorosos. Conduto somente a prática continua e persistente da compaixão amorosa, do desapego das ilusões das vissitudes (que existe até no reino dos deuses) e da meditação, eliminando principalmente o egoismo e orgulho, é o primeiro passo para se libertar das roda do renascimentos e mortes e, começar a vislumbrar o estado de nirvana.

A DE é a única que conheço que tem um outro olhar para a reencarnação, sem precisar de representações míticas. 

Abraço fraterno

Marcos Borges 
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Dothy em 06 de Dezembro de 2012, 01:33
Boa noite amigos e irmãos do estudo mensal... Muita paz a todos
Por motivos particulares a irmã Karina teve que se ausentar do estudo mensal e o amigo Gustavo Rettenmaier é que irá facilitar o mesmo até o fim
Agradecemos a presença de todos vocês nestes 5 dias de estudo e convidamos a todos a participarem trazendo mensagens,  perguntas, vídeos, etc, desta forma enriquecendo o nosso tema


Achei este texto e espero que ajude

FINALIDADE DA ENCARNAÇÃO

1) Expiação — Expiar significa remir, resgatar, pagar. A expiação, em sentido restrito consiste em o homem sofrer aquilo que fez os outros sofrerem, abrangendo sofrimentos físicos e morais, seja na vida corporal, seja na vida espiritual.

2) Prova — Em sentido amplo, cada nova existência corporal é uma prova para o Espírito. A prova, às vezes, confunde-se com a expiação, mas nem todo sofrimento é indício de uma determinada falta. Trata-se freqüentemente de simples provas escolhidas pelo espírito para acabar a sua purificação e acelerar o seu adiantamento. Assim, a expiação serve sempre de prova mas a prova nem sempre é uma expiação.

3) Missão — A missão é uma tarefa a ser cumprida pelo Espírito encarnado. Em sentido particular, cada Espírito desempenha tarefas especiais numa ou noutra encarnação, neste ou naquele mundo. Há, assim, a missão dos pais, dos filhos, dos políticos etc.

4) Cooperação na Obra do Criador — Através do trabalho, os homens colaboram com os demais Espíritos na obra da criação.

5) Ajudar a Desenvolver a Inteligência — a necessidade de progresso impele o Espírito às pesquisas científicas. Com isso a sua inteligência se desenvolve, sua moral se depura. É assim que o homem passa da selvageria à civilização.

A encarnação ou reencarnação tem outras finalidades específicas para este ou aquele Espírito. Citam-se, por exemplo, o restabelecimento do equilíbrio mental e o refazimento do corpo espiritual.

 (FEESP, 1991, 7.ª Aula, p. 73 a 76)
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 06 de Dezembro de 2012, 09:48
O progresso pela reencarnação

Todos nós somos espíritos milenares e reencarnamos tantas vezes quantas forem necessárias. A finalidade da reencarnação, conforme orientam os espíritos superiores, é a correção de erros, o melhoramento progressivo da humanidade. Sem isso, onde estaria a justiça? Dessa forma, quem não alcançou ainda a perfeição durante a vida corporal irá submeter-se à prova de uma nova existência.
A reencarnação é lei universal para o progresso. Varia de um mundo para outro, de um sistema para outro, mas invariavelmente todos os espíritos passam por ela a fim de desfrutar da aproximação de Deus e da plenitude que está reservada a todos no final da marcha evolutiva.
Deus, na sua infinita bondade, não permite que o espírito regrida. A cada conquista vai se libertando das faixas primárias em que se encontrava, conseguindo o constante crescimento interior. Mesmo em situações que caracterizam estacionamento, como em alguns processos de expiação, o patrimônio moral e intelectual adquiridos continua arquivado para ressurgir após a experiência dolorosa.
A Benfeitora Espiritual Joanna de Ângelis (através da psicografia do médium espírita Divaldo Franco) nos diz que o espírito quando lúcido e diante da necessidade do retorno ao corpo para nova experiência reencarnatória, preocupa-se muito. Isso se dá tendo em vista os riscos a que será submetido, as provas que irá experimentar e as expiações naturais propostas pelo sofrimento que o lapidará. Analisa a tudo isso, recebe o estímulo e boas vibrações dos que lhe tem afeição para a jornada que lhe aguarda. Mergulha no corpo físico, cheio de expectativas felizes e abraçando os planos de realização. Muitas vezes, porém, na carne, envolve-se com antigos vícios.
Da mesma forma que a desencarnação (morte) constitui um momento grave na trajetória do ser, a reencarnação igualmente se apresenta como uma luta de grande responsabilidade cujas consequências irão alterar o seu destino, assegura Joanna de Ângelis.
Nenhum espírito jamais poderá isentar-se da reencarnação, por cujo progresso, e somente por ele, alcançará a felicidade. Os espíritos puros e angélicos de hoje passaram também pelas provas, conquistaram a excelência de que desfrutam, sem que tenham recebido privilégios. Por mais difícil que se apresenta a estrada a percorrer, estará despertando a pouco e pouco a luz divina interior que permanece no ser em evolução.
http://omossoroense.uol.com.br
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 06 de Dezembro de 2012, 09:54
 
Meditando Sobre a Vida

Progresso e Reencarnação

Além da morte ou desencarne, o espírito no plano espiritual pode adquirir o equilíbrio ao calor das afeições dos seus amigos espirituais, condicionando ao campo de afinidades em que se lhe expressam emoções e desejos, superada a fase de justo refazimento, aparece a ociosidade que, se mantida, faz que o espírito por muito tempo se mantenha parado, ante a luz do progresso.
É por isso que a reencarnação se mostra imprescindível e inadiável.
Determinado espírito resolve seu problema de sexualidade inferior, mas guardará em sua mente espiritual a febre de cupidez.
Outro vão se sentir liberado das tentações da usura, entretanto permanecerá em conflito com o vício da inconformação.
Alguns venceram o hábito da rebeldia sistemática, mas sofrerá em si mesmo o estilete magnético de ciúme.

Esse e aquele amigo se revelarão livres dessa pratica mental, contudo, sustentam-se, ainda, algemados à vaidade infantil ou ao orgulho tirânico.
E para que essas chagas ocultas sejam extirpadas do nosso espírito é necessário voltar a reencarnar, a onde encontramos a adversidade ambiental, e de idéias, e atitudes, para de acordo com as nossas necessidades evolutivas, para buscar nossos valores eternos.
Em nosso presente estágio de evolução, será preciso renascer, na Terra ou em outros mundos que se lhe assemelham, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, para acertar os erros e culpas do passado, em louvor da justiça, mas também no aperfeiçoamento de nós mesmos, em obediência ao Amor Divino.
A família consanguínea é o grupo estudantil a que pertencemos, o lar é a banca da experiência, os amigos representam como explicadores da vida, que temos que passar pelo fio da razão determinados caminhos ou explicações, os adversários desempenham o papel de fiscais, os parentes difíceis são cadernos de prova, só o trabalho espontâneo no bem, é o curso da iluminação interior que podemos aproveitar segundo a nossa vontade.
http://www.mensagensdeluz.org
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 06 de Dezembro de 2012, 10:57
Marcos Borges, obrigado pelas informações,em especial os conceitos existentes de reencarnação em outros credos.
Considerando que vivemos em uma parte do planeta que é cristã, acho que fica muito relevante o entendimento do judaismo acerca desse processo, visto que o judaismo é a base das doutrinas cristãs.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 06 de Dezembro de 2012, 11:35
Maria47, obrigado pelos textos, que nos lembram de um aspecto pouco comentado: a questão do encarne.
Quando Jesus diz para "deixar os mortos enterrar seus mortos", nos lembra que a vida, a verdadeira vida é a espiritual.
Seria a reencarnação a "morte" do espirito, uma vez que o mesmo fica muito limitado?
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: M.Altino em 06 de Dezembro de 2012, 11:52
Amigos  para todos  um bom dia muita paz e  partilhando deste  tema que  muito tem nos ajudado a compreender  o beneficio
da Reencarnação e  sendo um dos pilares  desta doutrina  onde  muitas coisas  nos e dado compreender  o porquê  de situações na vida de cada um.
 Reencarnação
A vida na Terra é uma ferramenta de grande utilidade na evolução da nossa alma.
Ela é útil graças ao mecanismo de perda de memória que sofremos com nosso retorno a Terra.
Entender porque isto é útil é bem simples.
Imagine uma pessoa que sofre ao lembrar de todo mal que fez para outras pessoas.
Uma pessoa que sente remorso.
ma pessoa que sente ódio de alguém.
Uma pessoa deprimida pelo sofrimento que passou em vida ou do outro lado da vida.
Levaria muito tempo para que estes traumas fossem superados naturalmente.
 O remorso preso na memória acaba atrapalhando a continuidade da vida do espírito e de seus trabalhos para melhorar a cada dia.
Então temos a vida na Terra como solução para este tipo de problema.
Ao nascer novamente você esquece de tudo que viveu no passado e recomeça um novo período em seu processo de evolução. Livre do sofrimento da memória você dá espaço aos novos aprendizados.
Apesar de esquecer os momentos vividos, ficam gravados em seu espírito a  sua sabedoria de vida, suas qualidades e seus defeitos que ainda não foram corrigidos.
É por isto que dentro de uma mesma família encontramos irmãos tão diferentes em sua personalidade.
Mesmo tendo acesso a mesma educação, a mesma orientação, as pessoas são sempre diferentes.
A base de nossa personalidade já existe e está em nosso espírito.
 Começar de novo nos permite rever nossos conceitos e concertar nossos defeitos a partir de novas experiências que começam na infância onde estamos mais propícios a aprender e aceitar novas verdades.
É comum vermos pessoas onde temos a impressão de já termos conhecido no passado.
É comum termos antipatia por uma pessoa que nunca vimos, que pode ser um desafeto nosso.
As vezes esta antipatia é passageira e em pouco tempo nos tornarmos amigos desta pessoa, o que representa um bom sinal para nossa evolução.
 Existem casos em que nos recordamos de lugares como se já estivessemos estado lá.
 Existem situações em que temos uma grande facilidade para aprender certos tipos de conhecimento como se já tivessemos estudado o assunto no passado.
Estas são as impressões que ficam registadas em nossa alma.
Esquecer o sofrimento passado para conseguir começar novamente é um dos motivos que levam uma pessoa a pedir para reencarnar.
Outro motivo comum é a tentativa de acabar com ódio e as desavenças que possamos ter com outras pessoas promovendo um reconciliar  entre as  almas.
Os laços familiares são o melhor remédio para curar o ódio.
O amor familiar é o remédio.
 É o exemplo de duas pessoas que se odeiam e nascem irmãs.
Ou uma mulher que tem como filho seu pior inimigo na vida passada.
Nem sempre o amor materno ou o amor entre irmãos consegue resolver o problema do ódio.
Por isto vemos casos de mães que não amam seus filhos como deveriam, de irmãos que brigam como se realmente fossem grandes inimigos.
É uma oportunidade de melhorar e evoluir que cada uma destas pessoas está jogando fora.
A vida é apenas um mecanismo para solucionar este tipos de problema. O ideal mesmo seria aprender a perdoar com sinceridade os erros e as ofensas que as outras pessoas cometem connosco e com isto não seria necessário passar por todo este processo.
Existem pessoas que pedem para reencarnar com o objetivo de ajudar o próximo.
É o caso da esposa que ama muito um marido cheio de defeitos.
Em outra vida ela terá como filho o próprio marido para que, durante a vida, possa orientá-lo e guiá-lo para um caminho melhor. É o caso do homem que nasce como irmão de um grande amigo que precisa crescer espiritualmente, e para isto acaba contando com a ajuda do irmão que o acompanha pela vida.
Ao retornarem poucos espíritos conseguirão se recordar das vidas passadas.
A última vida que se teve é a mais presente e fácil de recordar.
As demais ficam como vagas lembranças.
Isto é ótimo para pessoas que ainda não estão maduras para visualizar o passado sem se deprimir. Apenas espiritos elevados tem acesso ao conhecimento das vidas passadas.
Por isto não é recomendável tentar conhecer o que se foi ou o que se fez nas vidas passadas pois ter acesso a estas informações pode não ser algo agradável.
Muitas vezes as Colónias espirituais por onde passamos mantém registos de nossas vidas passadas e se for permitido é possível ter acesso a estas informações para facilitar as lembranças.
Existem grupos de espíritos que se mantém unidos por muitos e muitos séculos já que nascem e morrem sempre formando uma mesma família.
Com isto estes espíritos se ajudam no processo de evolução dos demais.
Ao reencarnar o espírito mais evoluídos podem escolher que tipo de problemas poderão ter durante a vida para que possam corrigir de forma sólida os defeitos que possuem.
Temos relatos de pessoas que escolhem nascer com determinadas doenças que desde cedo a impedirão de levar uma vida pouco sadia.
É uma forma eficiente de acabar com vícios que são levados com o espírito como o fumo, as drogas, o alcoolismo, a gula compulsiva, o sexo compulsivo, e outros exageros do corpo.
Muitas vezes somente com o sofrimento é que podemos corrigir problemas que estão solidificados em nossa alma.
Todos nós só estamos aqui na Terra porque temos defeitos a superar e virtudes a adquirir.
Você também pode desejar reencarnar para adquirir uma virtude como por exemplo: Fé, Esperança, Caridade, Prudência, Temperança, Justiça, A Força. E isso pode ser desenvolvido ao enfrentar determinados problemas durante sua vida.
O aprendizado vivido fica eternamente impresso em sua alma e jamais é esquecido.
É importante lembrar que as pessoas só podem escolher detalhes de sua reencarnação quando estão abrigadas em colónias ou em postos de socorro.
Antes de tomar qualquer decisão estas pessoas adquirem informações, estudam e são preparadas para o cumprimento de sua missão na Terra.
Pessoas que vivem no Umbral em total ignorância e descontrole sobre sua vida não tem esta opção. Espíritos que tem merecimento para isto chegam até a visualizarem como serão enquanto estiverem vivos. Junto a técnicos especializados podem até escolher as combinações possíveis de corpo em relação aos pais que terá e quais doenças e características poderão ter durante a vida para melhorar seu processo de aprendizagem.
As colónias possuem departamentos ou prédios onde são atendidos as pessoas que desejam reencarnar.
Cada caso é estudado detalhadamente por espíritos especializados.
As filas de interessados é grande e nem sempre sua solicitação é aceita.
Por isto a vida é uma oportunidade, um privilégio importante que deve ser aproveitado ao máximo para correção de feitos e construção de virtudes.
Não é a toa que o suicídio e o aborto são os piores crimes que se pode cometer.
Existem espíritos que pedem para encarnar simplesmente por gostarem mais da vida na Terra do que a vida no plano espiritual. Outros pedem para reencarnar para esquecer.
Outros para concertar erros passados, outros para corrigir defeitos internos, outros para adquirir experiência e vivência, outros para aprimorarem virtudes.
É comum um estado de ansiedade e medo nos espíritos que estão se preparando para reencarnar.
Existe o medo de perderem-se em meio aos prazeres proporcionados pela matéria, se desviando do objetivo principal de sua vinda.
Tem medo de serem seduzidos por caminhos mais fáceis ou fáceis da vida, quando sabem que o caminho da evolução é difícil de ser seguido e muitas vezes não é nada  fácil.
Antes da fecundação podem ocorrer o encontro do futuros país com o espírito do filho que irá nascer. Os pais, durante o sono, são levados em espírito até a colónia de onde partirá o filho.
Normalmente é um encontro alegre e feliz, principalmente quando os espíritos já se conhecem e são amigos.
O mesmo não ocorre quando são inimigos.
 As vezes os pais querem se recusar a receber o filho.
Ocorrendo a fecundação o espírito passa a acompanhar a mãe gravida.
Aos poucos a ligação que une o espírito ao feto vai se tornando cada vez maior. A entrada do espírito no corpo ocorre exatamente no momento do nascimento. É ai que ocorre o processo de esquecimento do passado.
No caso de aborto natural ou provocado o espírito retorna para a colónia e para o departamento especializado em reencarnação onde será verificada a situação.
Pode ocorrer o retorno do espírito para a mesma família ou para outra família dependendo de cada caso.
Como tudo é um aprendizado, o aborto natural pode ser uma aprendizado para os pais e para o espírito que iria reencarnar.
O espírito não sofre e não sente qualquer dor durante o processo.
O aborto provocado é um erro grave dos pais, dos médicos envolvidos e uma aprendizagem para o abortado.
O espírito não sente dor mas sente a rejeição, a repulsa dos pais, mas logo é socorrido.
Infelizmente existem casos em que o reencarnante fica revoltado com os pais que provocaram o aborto.
Estando revoltado fica impossível o trabalho de resgate e ajuda dos socorristas e o espírito nutrido de ódio passa a perseguir e atrapalhar a vida dos pais.
Enquanto houver ódio fica difícil fazer alguma coisa para ajudar.
E os pais acabam sofrendo pelo mal que plantaram.
Se todos entendessem a vida como ela realmente é, ou seja, um mecanismo de aprendizagem passageiro do espírito materializado, certamente choraríamos no nascimento e faríamos uma festa na morte de um amigo ou familiar.
Amigos  depois de meditar ao ler  este texto como tudo se compreende  e  como temos der saber  aceitar , e sempre pelo menos na vida  sabermos fazer o nosso melhor pelo nosso livre arbítrio
Com um grande abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 06 de Dezembro de 2012, 13:05
Exatamente, mano Altino, a encarnação é um privilégio que a misericórdia divina nos dá.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marcos W. Silva em 06 de Dezembro de 2012, 13:28

A reencarnação dos suicidas         

Nair Bello – Chico, um filho excepcional é um carma, uma prova para os pais?
Chico Xavier – Nair, a criança excepcional sempre me impressionou pelo sofrimento de que ela é portadora , não somente em se tratando dela mesma, mas, também, dos pais e isso tem sido o tema de várias conversações minhas com nosso Emmanuel, que é o guia espiritual de nossas tarefas, e ele, então, diz que, regra geral, a criança excepcional é o suicida reencarnado, reencarnado depois de um suicídio recente, porque a pessoa quando pensa que se aniquila, está apenas estragando ou perdendo a roupa que a Providência Divina permite de que ela se sirva durante a existência, que é o corpo físico.
A verdade é que ela em si é um corpo espiritual; então, os remanescentes do suicídio acompanham a criatura que praticou a autodestruição para a vida do Mais Além.
Lá ela se demora algum tempo amparada por amigos que toda criatura tem, afeições por toda parte, mas volta à Terra com os remanescentes que ela levou daqui mesmo, após o suicídio.
Se uma pessoa espatifou o crânio e se o projétil atingiu o centro da fala, ela volta com a mudez. Se atingiu apenas o centro da visão, ela volta cega, mas se atingiu determinadas regiões mais complexas do cérebro, ela vem em plena idiotia e aí os centros fisiológicos não funcionam.
A Endocrinologia teria de fazer um capítulo especial para estudar uma criança surda, muda, cega, paralítica, porque aí a criatura feriu a vida no santuário da vida que é a parte mais delicada do cérebro.
Se ela suicidou-se, mergulhando-se em águas profundas, ela vem com a disposição para o enfisema, um enfisema infantil ou da mocidade, ou dos primeiros dias da vida.
Se ela, por exemplo, se enforcou, ela vem com a paraplegia, depois de uma simples queda que toda criança cai do colo da ama, do colo da mãezinha; então, quando o processo é de enforcamento, a vértebra que foi deslocada, no enforcamento, vem mais fraca e, numa simples queda, a criança é acometida pela paraplegia.
E nós vamos por aí.
Outras crianças que vêm completamente perturbadas; a esquizofrenia, por exemplo, diz-se que é o suicídio, depois do homicídio. O complexo de culpa adquire dimensões tamanhas que o quimismo do cérebro se modifica e vem a esquizofrenia como uma doença verificável, porque através dos líquidos expelidos pelo corpo é possível detectar os princípios da esquizofrenia.
Mas a esquizofrenia é o homicida que se fez suicida, porque o complexo de culpa é tão grande, o remorso é tão terrível que aquilo se reflete na própria vida física da criatura durante algum tempo ou muito tempo.

Fonte: Entrevista de Chico Xavier ao Programa de Hebe Camargo, com a participação de Nair Bello. TV Bandeirantes, 20 de dezembro de 1985.
Livro – Jesus em Nós. Pelo espírito Emmanuel / psicografia de Chico Xavier – editora Geem.

Abraços.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 06 de Dezembro de 2012, 14:16
Obrigados aos irmãos Marcos e Edna pelas informações postadas, são muito importantes e uteis na tentativa de compreender melhor esse processo indispensavel que a providencia divina criou para o progresso do universo.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Mourarego em 06 de Dezembro de 2012, 14:57
Gente amiga, vamos pensar um cadinho?
É de Chico a afirmação de que aquele que desencarna pelo suicídio em águas profundas, renasce com predisposição ao enfisema.
Ora, isso é uma afirmação meus amigos, mesmo que trate em termos de predisposição.
A crer-se nisso, estaríamos a assinar por baixo do tema destino que a De tão bem nos ensina que não existe.
Se a mesma frase fosse colocada com a adição do verbo poder, a coisa toda estaria melhor definida pois que  a frase ficaria assim: "aquele que desencarna pelo suicídio em águas profundas, pode renascer com predisposição ao enfisema."
Ora sendo uma hipótese, não haveria nada de mal nesta colocação mesmo que se vista sob o olhar doutrinário, do qual não me afasto, apesar de dentro de qualquer das obras ditas básicas, nada haver que sugira tal predisposição, já que esta indicaria outra discrepância ao ensino de que OLE  nos dá que todos possam progredir também na erraticidade.
Assim, continuando a alinhavar meu pensamento, se todo Espírito após se liberar do torpor que nos envolve quando da volta ao Éter, tem consigo todas as lembranças de sua última experiência na carne, mesmo as da morte e do tipo desta, quem, em sã consciência não procuraria, correndo, apreender novos ensinamentos que o fizesse sair daquela linha de ação e pensar, para que mais rapidamente, pudesse se livrar de tão doridos ricuerdos?
Sim manos, na erraticidade se pode muito progredir, mas necessitamos, para que tenhamos garantido o mérito deste progresso amealhado, de nova existência na carne, para nos consagramos vencedores e se voltamos  sob tal véu de destino a coisa fica feia...
me lembro de que em uma palestras um senhor sabendo dos meus pensamentos, passou a insistir de modo intermitente, para atrapalhar o prosseguimento do tema, que nem era sobre este assunto, a me questionar sobre Umbral, vale dos suicidas e quejandos.
Até que me faltando a paciência que não me é de grande porte hehehe, respondi, amigo nosso tema hoje é bem outro mas lhe posso, rapidamente responder.
A me assemelhar ao senhor que acredita nisso, sinto-me satisfeito em pensar que no meu caso estarei no Umbral que é o purgatório espírita.
Assim, se existir esse lugar errático e errado perante o ensino codificado,  de lá eu não gostaria de sair, já que estaria junto ao Elvis, ao John, ao meu mano Raul Seixas e todas as mulatas do Sargentelli e as loiras do Tchan, a tomarmos umas geladas e fazermos churrasquinhos, feitos no mármore do inferno!
Daí para adiante, quando os risos terminaram o cidadão se calou.
Abraços,
Moura
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marcos W. Silva em 06 de Dezembro de 2012, 15:22
Gente amiga, vamos pensar um cadinho?
É de Chico a afirmação de que aquele que desencarna pelo suicídio em águas profundas, renasce com predisposição ao enfisema.
Ora, isso é uma afirmação meus amigos, mesmo que trate em termos de predisposição.
A crer-se nisso, estaríamos a assinar por baixo do tema destino que a De tão bem nos ensina que não existe.
Se a mesma frase fosse colocada com a adição do verbo poder, a coisa toda estaria melhor definida pois que  a frase ficaria assim: "aquele que desencarna pelo suicídio em águas profundas, pode renascer com predisposição ao enfisema."
Ora sendo uma hipótese, não haveria nada de mal nesta colocação mesmo que se vista sob o olhar doutrinário, do qual não me afasto, apesar de dentro de qualquer das obras ditas básicas, nada haver que sugira tal predisposição, já que esta indicaria outra discrepância ao ensino de que OLE  nos dá que todos possam progredir também na erraticidade.
Assim, continuando a alinhavar meu pensamento, se todo Espírito após se liberar do torpor que nos envolve quando da volta ao Éter, tem consigo todas as lembranças de sua última experiência na carne, mesmo as da morte e do tipo desta, quem, em sã consciência não procuraria, correndo, apreender novos ensinamentos que o fizesse sair daquela linha de ação e pensar, para que mais rapidamente, pudesse se livrar de tão doridos ricuerdos?
Sim manos, na erraticidade se pode muito progredir, mas necessitamos, para que tenhamos garantido o mérito deste progresso amealhado, de nova existência na carne, para nos consagramos vencedores e se voltamos  sob tal véu de destino a coisa fica feia...
me lembro de que em uma palestras um senhor sabendo dos meus pensamentos, passou a insistir de modo intermitente, para atrapalhar o prosseguimento do tema, que nem era sobre este assunto, a me questionar sobre Umbral, vale dos suicidas e quejandos.
Até que me faltando a paciência que não me é de grande porte hehehe, respondi, amigo nosso tema hoje é bem outro mas lhe posso, rapidamente responder.
A me assemelhar ao senhor que acredita nisso, sinto-me satisfeito em pensar que no meu caso estarei no Umbral que é o purgatório espírita.
Assim, se existir esse lugar errático e errado perante o ensino codificado,  de lá eu não gostaria de sair, já que estaria junto ao Elvis, ao John, ao meu mano Raul Seixas e todas as mulatas do Sargentelli e as loiras do Tchan, a tomarmos umas geladas e fazermos churrasquinhos, feitos no mármore do inferno!
Daí para adiante, quando os risos terminaram o cidadão se calou.
Abraços,
Moura

Não discordo, Moura, realmente o generalizar é arriscado, mas a explicação do Chico é boa, dando-nos razão lógica para patologias dolorosas. Confesso ter sido intencional o post para que verifique-se também outras possibilidades.

Abraços.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 06 de Dezembro de 2012, 17:13
Moura meu caro, muito importante sua manifestação.
Embora eu respeite, e para ser honesto, goste das opiniões de Chico e Divaldo, e das infomações por eles trazidas, acho que o fundamental delas é isso ao que o Marcos referiu-se: provocar o debate.
Costumo dizer que acredito em duas coisas: naquilo que pode ser provado,e ai deixa de ser crença para ser convicção, e naquilo que, em não podendo ser provado, não ofenda minha inteligência, que pode não ser grande coisa.
Por isso, concordo inteiramente com você, cada individuo tem suas necessidades e possibilidades em cada encarnação, e não passa disso, possibilidades, podem ser verdadeiras, ou não, pode ser para uns, não ser para outros, possibilidade é isso.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 06 de Dezembro de 2012, 21:09

Reencarnação e Progresso

A reencarnação significa recomeço nos processos de evolução ou de retificação. Lembre-se de que os organismos mais perfeitos da nossa Casa Planetária procedem inicialmente da ameba. Ora, recomeço significa “recapitulação” ou “volta ao princípio”. Por isso mesmo, em seu desenvolvimento embrionário, o futuro corpo de um homem não pode ser distinto da formação do réptil ou do pássaro. O que opera a diferenciação da forma é o valor evolutivo, contido no molde perispirítico do ser que toma os fluidos da carne. Assim pois, ao regressar à esfera mais densa (reencarnar), é indispensável recapitular todas as experiências vividas no longo drama de nosso aperfeiçoamento, ainda que seja por dias e horas breves, repetindo em curso rápido as etapas vencidas ou lições adquiridas, estacionando na posição em que devemos prosseguir no aprendizado. Logo depois da forma microscópica da ameba, surgirão no processo fetal os sinais da era aquática de nossa evolução e, assim por diante, todos os períodos de transição ou estações de progresso que a criatura já transpôs na jornada incessante do aperfeiçoamento, dentro da qual nos encontramos, agora, na condição de humanidade.

André Luiz.

NINGUÉM PODERÁ VER O REINO DE DEUS SE NÃO NASCER DE NOVO.

 extraído da obra MISSIONÁRIOS DA LUZ psicografado por Chico Xavier:
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 06 de Dezembro de 2012, 21:17
Reencarnação e Progresso

Na Revista Espírita de janeiro de 1864, encontramos relevantes subsídios para a reflexão sobre esse tema, seja pelas considerações da mensagem psicografada que Kardec transcreve, seja pelas próprias observações do Codificador.
Considerada do ponto de vista do progresso, a vida do Espírito apresenta três períodos principais, a saber:
1º – O período material, no qual a influência da matéria domina a do Espírito. É o estado dos homens dados às paixões brutais e carnais, à sensualidade, cujas aspirações são exclusivamente terrenas ligadas aos bens materiais, ou refratárias às idéias espirituais.
2º – O período do equilíbrio no qual as influências da matéria e do Espírito se exercem simultaneamente; em que, posto submetido às necessidades materiais, o homem pressente e compreende o estado espiritual: em que trabalha para sair do estado corporal.
3º – O período espiritual, no qual, tendo dominado completamente a matéria, o Espírito não mais necessita da reencarnação, nem do trabalho material; seu trabalho é inteiramente espiritual; é o estado dos Espíritos nos mundos superiores.
Deus quis que o Espírito fosse ligado à matéria para sofrer as vicissitudes do corpo, com o qual se identifica a ponto de ter a ilusão de o tomar por si mesmo, quando não passa de uma prisão passageira. Sofrer as vicissitudes que o fazem sentir o sofrimento e compreender a comiseração que deve ter por seus irmãos na mesma posição. Esse estado transitório é necessário à progressão do Espírito que, sem isso, ficaria estagnado. As necessidades que o corpo o faz experimentar estimulam o seu Espírito e o forçam a procurar os meios de as prover; desse trabalho forçado nasce o desenvolvimento do pensamento; constrangido a presidir aos movimentos do corpo para se dirigir, visando a sua conservação, o Espírito é conduzido ao trabalho material e daí ao trabalho intelectual, necessários um ao outro e um pelo outro. Tendo assim o Espírito adquirido o hábito de trabalhar, a ele constrangido pelas necessidades do corpo, o trabalho, por sua vez, se lhe torna uma necessidade e quando desprendido dos seus laços, não tem mais que pensar na matéria, pensa em trabalhar em si mesmo para o seu adiantamento.
Trabalhando para si mesmo, o Espírito encarnado trabalha para o melhoramento do mundo em que habita; assim ajuda a sua transformação e o seu progresso material, que estão nos desígnios de Deus, de quem é o instrumento inteligente.
A reencarnação é necessária enquanto a matéria domina o Espírito. Mas, do momento em que o Espírito encarnado chega a dominar a matéria e a anular os efeitos de sua reação sobre o moral, a reencarnação não tem mais nenhuma utilidade nem razão de ser. Tendo depurado e experimentado suas sensações na Terra, ou em globos análogos, está maduro para a vida espiritual e seus estudos.
Em seu início: estúpido e bruto, sente contudo a centelha divina em si, pois que adora Deus, que materializa conforme a sua materialidade.
À medida que suas sensações corporais se tornam mais requintadas, suas sensações espirituais também despertam e crescem. Então, começa o trabalho moral e a depuração da alma se une à aspiração do corpo para chegar a um estado superior. Esse estado de igualdade de aspirações materiais e espirituais não é de longa duração: em breve o Espírito eleva-se acima da matéria e suas sensações não mais podem ser por ela satisfeitas; necessita mais; precisa de melhor; o Espírito, então, domina o corpo e dele se destaca cada vez mais. Ele volta todos os seus desejos, todas as suas aspirações, para um estado superior.
A facilidade com que certas pessoas aceitam as idéias espíritas, das quais, parece, têm a intuição, indica que pertencem ao segundo período; mas entre este e os outros há muitos graus, que o Espírito transpõe tanto mais rapidamente quanto mais próximo do período espiritual. É assim que, de um mundo material como a Terra pode ir habitar um mundo superior como Júpiter, se seu avanço moral e espiritual for suficiente para dispensar os graus intermediários.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 06 de Dezembro de 2012, 21:29

ENCARNAÇÃO DOS ESPÍRITOS

Os Espíritos são criados simples e ignorantes e se instruem através das lutas e adversidades da vida corporal. Em sua origem, o Espírito possui apenas consciência de si mesmos e de seus atos agindo de forma instintiva. Sua inteligência se desenvolve lentamente e passo a passo. (1) Por isso, a encarnação é uma necessidade do Espírito, onde a cada nova existência, ele avança em seu progresso.
 
A vida do espírito é constituída de uma seqüência de existências corporais, sendo cada uma delas uma valiosa oportunidade de progresso, da mesma forma que cada existência se compõe de uma seqüência de dias, onde o homem adquire mais experiência e instrução. Pela Lei de Conservação o espírito encarnado tem a obrigação de prover a nutrição do corpo, a sua segurança e o seu bem-estar, obrigando ele a aplicar suas faculdades em investigações, a exercê-las e a desenvolvê-las. (2)
 
Desta forma a finalidade da encarnação dos Espíritos é trabalhar para a conquista da perfeição. Para uns pode ser uma expiação e para outros uma missão. Para chegar a essa perfeição, os Espíritos devem passar por todas as vicissitudes da existência corpórea: nisto é que está a expiação. Mas encarnação não é, pois, em absoluto, uma expiação para o Espírito, como qualquer um possa pensar, mas uma condição inerente à inferioridade do Espírito e um meio de progredir (3). A encarnação tem ainda outra finalidade, que é a de por o Espírito em condições de enfrentar a sua parte na obra da criação. É para executá-la que ele toma um aparelho em cada mundo, em harmonia com a sua matéria essencial, a fim de nele cumprir, daquele ponto de vista, os propósitos de Deus. Dessa maneira, concorrendo para a obra geral, também progride. (4)
 
A encarnação é necessária ao duplo progresso do Espírito: moral e intelectual. Ao progresso intelectual pela atividade obrigatória do trabalho e ao progresso moral pela necessidade recíproca dos homens entre si. Como não consegue progredir sozinho, pois não possui todas as faculdades, busca a sociedade por instinto a fim de participar com o progresso, não só individual, como o coletivo. Portanto, a vida social é a pedra de toque das boas ou más qualidades. (5)

Todos os Espíritos estão sujeitos à encarnação, pois é necessário que se submetam às provas da vida material, cujo objetivo é o de adquirir conhecimentos essenciais para chegar à perfeição. A vida puramente espiritual (existência incorpórea), não é suficiente para a conquista de todos os conhecimentos necessários para o justo adiantamento moral e intelectual.
 
Da mesma maneira que um escolar não chega a colar seus graus senão depois de ter passado pela fieira de todas as classes, o Espírito, não tendo cumprido completamente o dever na classe ao qual pertence é constrangido a recomeçar sua tarefa, e assim, multiplica suas existências corpóreas que se lhe tornam penosas pela sua própria falta. (6)
 
Passar por cada classe não é uma punição, é uma necessidade, uma condição indispensável para o seu adiantamento, mas se por sua preguiça, é obrigado a repeti-las, aí está a punição. Conseguir passar por elas é um mérito. A encarnação sobre a Terra pode ser considerada uma punição para muitos daqueles que a habitam, porque teriam podido evitá-la. Mas, como o Espírito age em relação ao seu livre arbítrio, pode negligenciar as leis naturais, e assim retardar seu avanço, consequentemente, prolonga a duração de suas encarnações nos mundos materiais, permanecendo em lugares inferiores, sendo necessário recomeçar a mesma empreitada. Depende, assim, do Espírito abreviar, através de um trabalho de depuração em si próprio (autoconhecimento), a duração do período de encarnações.
 
Uma só existência corporal é insuficiente para o Espírito adquirir todo o bem que lhe falta e eliminar o mal que lhe sobra. Eis porque a reencarnação é uma necessidade. (7) Quando tiver eliminado de si todas as impurezas não precisará mais das provas da vida corpórea, tornando-se um espírito puro. (8)
 
Um selvagem, por exemplo, não conseguiria em uma só encarnação nivelar-se moral e intelectualmente ao mais adiantado homem civilizado. A sensatez rejeita tal suposição, que seria, tanto, a negação da justiça e da bondade divina,como das próprias leis evolutivas da Natureza. Com o processo da reencarnação, certamente, ele não ficará eternamente na ignorância nem na selvageria, privado da felicidade que só o desenvolvimento das faculdades pode proporcionar-lhe.Como Deus fez essas leis de acordo com a Sua bondade e justiça, naturalmente, é concedido ao Espírito tantas encarnações quantas lhes forem necessárias para atingir seu objetivo à perfeição. (9) Nessa caminhada evolutiva o         Espírito, qualquer que seja o grau de seu adiantamento, na situação de encarnado, ou na erraticidade, estará sempre colocado entre um superior, que o guia e aperfeiçoa, e um inferior, para com o qual tem que cumprir esses mesmos deveres. (10) É assim que, por uma lei admirável da providência divina, tudo se encadeia, tudo é solidário na Natureza.(11)
 
Continua...
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 06 de Dezembro de 2012, 21:30
Continuação...

Em cada nova existência o Espírito se apresenta com o cabedal que adquiriu em vidas anteriores. Aptidões, conhecimentos intuitivos, inteligência e moralidade se somam com as conquistas da existência atual. É assim, que em cada encarnação, ele dá um passo avante no caminho do progresso. (12)
 
Aqueles que progrediram espiritualmente nas existências corporais, encarnam em mundos cada vez mais superiores, onde a materialidade é mais suave que a terrestre. A encarnação, assim, torna-se por conseqüência, cada vez mais desnecessária, tornando-se voluntária, onde podem exercer sobre os encarnados em mundos inferiores uma ação mais produtiva e tendente ao cumprimento de missões que escolhem para atuar junto aos mesmos. É desse modo que aceitam abnegadamente as vicissitudes e sofrimentos da encarnação num mundo adverso. (13)
 
À medida que os Espíritos progridem participam cada vez mais ativamente no mecanismo da Criação, devendo dirigir a ação dos elementos materiais. Presidindo às leis que põem os fluidos em movimento constante determinam todos fenômenos naturais. Só que eles não podem chegar a um tal resultado senão pelo conhecimento dessas leis, por isso, não as poderão conhecer adequadamente sem primeiro aprenderem a obedecê-las para depois dirigi-las. (14)
 
O Espírito na proporção que progride moralmente, gradualmente, irá livrando-se da influência da matéria e, assim vai se depurando. Espiritualizando-se, suas faculdades e percepções vão se ampliando, sendo assim, sua felicidade estará sempre na razão do progresso completado. Deus, que é justo, não podia fazer felizes alguns Espíritos, sem dificuldades e sem labor, consequentemente, sem méritos. Os que seguem o caminho do bem chegam mais depressa à meta. Além disso, as vicissitudes da vida são freqüentemente a conseqüências da imperfeição do Espírito. Quanto menos imperfeito for, menos tormentos sofrerá. Aquele que não for invejoso, nem ciumento, nem avarento ou ambicioso, não passará pelos tormentos que se originam desses defeitos. (15)
Um ponto freqüentemente questionado é que o Espírito sendo criado simples e ignorante com liberdade de fazer o bem ou o mal, não sofre queda moral se tomar o mau caminho, uma vez que chega a fazer o mal que não fazia antes. Todavia, esta argumentação não é sustentável, pois, não há queda senão na passagem de um estado relativamente bom à um estado pior. O Espírito criado simples e ignorante está, em sua origem, num estado de nulidade moral e intelectual, como a criança que acaba de nascer. Se não fez o mal, também não fez o bem. Assim, não é nem feliz nem infeliz. Age sem consciência e sem responsabilidade, por isso, se nada tem, nada pode perder, e, também, não há como retrogradar.Sua responsabilidade só começa do momento em que se desenvolve nele o livre arbítrio. Consequentemente, o mal que vier a fazer mais tarde infringindo as leis de Deus e abusando das faculdades a ele concedidas, não é um retorno do bem ao mal, mas a conseqüência do mau caminho que escolheu. (16)
 
As faltas cometidas pelo Espírito têm como fonte primeira sua imperfeição, já que ainda não alcançou a superioridade moral que terá um dia, mas que, nem por isso, deixa de ter o seu livre-arbítrio. A vida corporal lhe é concedida para se livrar das imperfeições através das provas que nela padece. São precisamente essas imperfeições que o tornam mais frágil e mais acessível às sugestões de outros Espíritos imperfeitos, que se aproveitam para tentar fazê-lo sucumbir na luta que empreende. Se sair vencedor, terá se elevado se fracassar, continuará a ser o que era, nem pior, nem melhor. Será uma prova a recomeçar, podendo até durar um tempo maior que na encarnação passada. Quanto mais depurar-se, mais diminuirão seus pontos fracos e menos se entregará àqueles que procuram induzi-lo ao mal, pois sua força moral crescerá em razão de sua elevação e os maus Espíritos, naturalmente, se afastarão. (17)
 
É nas convulsões sociais que o Espírito pode avançar mais rápido, pois a experiência adquirida através das relações difíceis resulta sempre numa melhora. O infortúnio pode ser um estimulante útil para impeli-lo a procurar um remédio para o mal.
 
Quando na erraticidade, reflete, pode tomar novas resoluções para quando voltar a encarnar, fazer coisa melhor. É assim que, de encarnação em encarnação (reencarnação), o progresso se efetua no Espírito. (18)
Pesquisa: ClaudiaC e Elio Mollo
http://www.aeradoespirito.net
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 07 de Dezembro de 2012, 10:54

O Combinado não é caro

Estamos sempre nos comprometendo durante a vida, desde a nossa vida espiritual
até a nossa reencarnação, quando estamos no plano espiritual, assumimos compromissos
e temos a certeza que encarnados vamos cumprir a todos, mas quando chegamos a terra
através da reencarnação, nos distanciamos das responsabilidades asssumidas
e assim traçamos caminhos diferentes do que prometemos.
O compromisso assumido espiritualmente não é claro para nós após a reencarnação
porque passamos pela fase do esquecimento, mas a providência Divina que não nos
desampara nunca, sempre nos dá dicas valiosas do nosso compromisso,
mas para isso é necessário que estejamos atentos, com nossos pensamentos acionados
para o bem e para boa sintonia, desta forma teremos condições de discernir o
caminho que devemos seguir.
Lembremos que nossos compromissos assumidos, são tarefas valiosíssimas para nosso
crescimento e aprimoramento espiritual, senão acordarmos para as responsabilidades
de uma encarnação, estaremos fugindo a esse compromisso e conseqüentemente estaremos
nos distanciando do nosso progresso como espíritos.
Portanto meus irmãos, tudo que é combinado não é caro e assim sendo,
devemos unir forças em favor do cumprimento de nossos compromissos assumidos.
http://www.gotasdepaz.com.br/

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 07 de Dezembro de 2012, 11:16

A Reencarnação é assim 

JESUS NÃO ENSINOU NADA SOBRE REENCARNAÇÃO…
Ensinou, sim.

1.FEZ UMA AFIRMATIVA TEÓRICA.

A Nicodemos, doutor da lei, como se vê em João, capítulo 3, versículos 1 a 12:
Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.
Se um homem não nasce da água e do espírito, não pode entrar no reino de Deus.
“Nascer da água” é bem o símbolo da vida material; na vida terrena, a água é o elemento predominante, até mesmo em nosso corpo (que tem mais de 70% de líquidos).
Alguns entendem que “nascer do espírito” é renovar-se moralmente.
Mas quem conseguiria uma plena renovação sem se reencarnar?
Para progredirmos, intelectual e moralmente, é imprescindível e inevitável que reencarnemos, que retomemos a vida corpórea, renasçamos materialmente, muitas e muitas vezes.

2.E APONTOU ALGUÉM REENCARNADO, NAQUELA ÉPOCA.
Afirmou, por duas vezes, que João Batista era Elias reencarnado (Mateus 11:2-19, e no episódio da transfiguração, Mateus 17:1-13).
Quando viveu como Elias, João mandara decapitar sacerdotes de Baal. Reencarnado como o Batista, enfrenta também a morte por decapitação.
No caso do homem cego de nascença (João 9:15-5), Jesus disse que não havia sido por pecado dele nem de seus pais. Não é a negação da reencarnação?
Não. Jesus apenas esclareceu que, naquele caso, não era uma expiação, um débito a ser ressarcido.
A reencarnação não existe, apenas, para reajuste mas, também, para aprendizado, realizações, boas obras.
Ante quem está sofrendo, em vez de perguntarmos se a pessoa merece ou não sofrer e por que, devemos procurar ajudar, fazendo o bem ao nosso alcance.
Foi o que Jesus exemplificou, curando o cego.
Mas se são sempre os mesmos Espíritos, indo e voltando pela reencarnação, como é que a população da Terra está aumentando tanto?


Responderemos apontando três fatores:

1. A população espiritual da Terra é bem maior do que se costuma pensar, porque não se restringe ao que observamos no mundo visível; os Espíritos habitantes da Terra ocupam o planeta em rodízio reencarnatório, sendo que, atualmente, estão encarnados apenas cerca de 6,5 bilhões, mas há mais de 20 bilhões desencarnados.

2. Sempre há novos seres espirituais chegando à escala humana. Do princípio inteligente criado por Deus originam-se os Espíritos, os seres inteligentes da Criação; em sua evolução, passam pelos reinos inferiores na Natureza, Deus criou, está criando e sempre criará novos Espíritos.

3. Há migração de Espíritos de mundo para outro. Existem muitos outros mundos habitados no Universo; alguns terão habitantes de evolução semelhante à nossa e daí .pode vir certo contingente para a Terra.

A REENCARNAÇÃO JÁ ESTÁ CIENTIFICAMENTE COMPROVADA?
Não. A ciência ainda tudo reporta ao plano da matéria, só reconhece os fenômenos que possa provocar e controlar, e a reencarnação é um processo que transcende a vida física, não está nas mãos do homem fazer parar ou repetir, para observá-lo.
Há, porém, muitos indícios e casos que sugerem a reencarnação:
• As lembranças de vidas passadas (espontâneas ou provocadas pela hipnose).
• Reencarnações anunciadas (via mediúnica ou por sonhos) e que vieram a se concretizar, conforme verificação posterior;
• Constatações feitas por pessoas em experiência de quase-morte.
QUE MAS FALARIA EM FAVOR DA REENCARNAÇÃO?
O fato de que ela reafirma a justiça, a bondade e o poder de Deus.
QUE TEM A VER REENCARNAÇÃO COM O PODER DE DEUS?
Deus nos cria para a perfeição e a felicidade.
Mas, se cada pessoa que nasce fosse um espírito novo, conseguiria, numa única existência, atingir essa felicidade e perfeição?
Então, Deus não seria poderoso, pois não teria conseguido levar a criatura ao fim por ele desejado…
E quanto a bondade divina?
Seria Deus bondoso se, podendo nos levar à perfeição e felicidade numa só vida, não o fizesse, não o quisesse fazer?
Se nos acenasse com a perfeição e a felicidade mas nos desse apenas uma encarnação, sabendo com antecedência que, assim, não as conseguiríamos alcançar?
Não, não seria bondoso…
Mas, justo, Deus é!
Entretanto, se a nossa existência é uma só e cada criança que nasce é um novo ser:
Por que não nascem todos iguais?
Uns são saudáveis e inteligentes outros enfermos, ou deficientes.
Por que são diferentes as dificuldades e problemas que cada pessoa tem de enfrentar no mundo?
Uns nascem em “berço de ouro”, outros em miséria e abandono.
Com a reencarnação, tudo fica perto?
Sim. Com a reencarnação, compreendemos que:
Deus é justo
Cria todos os seres iguais e a todos dá as mesmas oportunidades.
Cada um, porém, está em determinado grau de evolução, por isso apresenta diferentes possibilidades e enfrenta diferentes situações, todas úteis e necessárias, agora, para o seu desenvolvimento.
É bondoso
Dá a cada um segundo as suas obras mas nunca nos condena de modo irremissível.
Todos teremos tantas oportunidades quantas forem necessárias para resgatarmos erros e alcançarmos nossa evolução.
E é poderoso
Tendo nos criado para a perfeição e a felicidade, seu desígnio se cumprirá integralmente.
Através da evolução e em vidas sucessivas, todos nos aperfeiçoaremos e seremos felizes.
Louvado seja Deus, nosso Criador e Pai, em sua sabedoria, poder, justiça e bondade!
http://ceak.org.br
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 07 de Dezembro de 2012, 11:19
Maria47, obrigado pelos textos postados, os auais trazem um bom apanhado sobre reencarnação e seus objetivos.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 07 de Dezembro de 2012, 12:08
Meus irmãos e minhas irmães,bom dia.Somos seres humanos,se compararmos,uma máquina
perfeita criada por Deus.Se for observado simplesmente pelo seu funcionamento.Entretanto
Deus na sua inteligência,não iria tão somente criar-nos e nos facilitar tudo,deu-nos inteligên-
-cia sim,mas um espírito imperfeito para animar essa máquina perfeita por assim dizer,ele já
foi energia que animou e deu vida a outros corpos,a isto se chama encarnação e reencarna-
-ção.Trazem estes espíritos,vícios que precisam sere eliminados,e a isto cabe a cada um de
nós fazê-lo,vem então a pergunta:Seria fácil fazer?Não,eis aí o grande desafio que nos foi
criado pelo nosso pai maior(sentido figurado).Estaria no nosso tempo cumprir esta tarefa?
Também não,esse tempo é de Deus,mas são as nossas ações que irão aumentar o diminuir
este tempo.Pensemos nisto.
Fiquem na paz.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 07 de Dezembro de 2012, 12:40
Interssante conceito meu caro Antonio, tudo na criação de Deus é perfeito, inclusive a decisão de criar espiritos simples e ignorantes, portanto imperfeitos, para que possam progredir por si mesmos, por seus proprios meritos.
Não tenho filhos, mas lembro a felicidade de mau pai quando conclui a faculdade.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: M.Altino em 07 de Dezembro de 2012, 13:16
Amigos e companheiros para todos  um bom dia de muita paz  e  vos venho trazer  mais uma  meditação sobre  este processo de  reencarnação reportando-me  à questão 330 do Livro dos Espíritos onde  nos é dado mais um conhecimento ...........
Os Espíritos pressentem em que época reencarnarão, como sucede ao cego que se aproxima do fogo.
Sabem que têm de retomar a um corpo, como sabemos  que temos de morrer um dia, mas ignoram quando isso se dará.
 A reencarnação é uma necessidade da vida espírita, como a morte o é da vida corporal.
 
PRELÚDIO DA VOLTA
 
Quase todos os Espíritos pressentem a sua volta à carne, em se cumprindo a lei da reencarnação.
Alguns deles, quando a ignorância os domina, dando nascimento à revolta, são forçados a voltar ao corpo ainda que na inconsciência.
Outros aceitam a volta, diante dos conselhos dos benfeitores da espiritualidade, mas depois se arrependem e, em muitos casos não chegam a nascer.
Dai, advém o aborto, mesmo com todos os cuidados que a futura mãe tem com seu estado de gravidez.
Já encontramos muitos que imploraram a volta ao corpo e sentem prazer em tal viagem, sabendo que é pelas vidas sucessivas que se melhora espiritualmente. As variações são muitas, no quadro das vidas múltiplas.
Outros são ainda mais cuidadosos: pedem um preparo alongado, de maneira a não servirem de motivo de escândalo no percorrer da vida na Terra.
Aqueles que trazem para o mundo físico um acervo de qualidades despertadas têm a vantagem de se livrarem de muitas tentações, saindo ilesos das emboscadas das trevas, que sempre acontecem.
As colónias espirituais são escolas de preparo das almas, de modo que elas possam se fortalecer nas suas fraquezas, ganhando terreno no campo de ascensão espiritual.
As vidas sucessivas são uma lei universal, não somente para os seres humanos, mas, para todos os reinos da natureza, fazendo parte do crescimento espiritual de toda a criação de Deus.
Como o fenómeno chamado de morte, a reencarnação é também inevitável.
São mudanças necessárias, que sempre buscam mais luz de entendimento e de paz para o coração.
Uma grande parte dos Espíritos que reencarnam pressentem o dia da volta, se ainda não o sabem.
Para tanto, temos um sentido que nos faz entender o que pode acontecer connosco como o temos de que existe um Ser Superior que comanda todos.
A Doutrina dos Espíritos é, pois, uma escola de luz, por nos advertir, mesmo antes de desencarnarmos, que devemos nos preparar para outras voltas a carne.
Esse preparo é nascido do amor a Deus e ao próximo, pela caridade em todos os seus sentidos, despertando no mundo íntimo os valores espirituais que possuímos como dádiva de Deus e esforço próprio.
A reencarnação não vai deixar de existir porque existem aqueles que ainda não acreditam nela; por isso, é bom que busquemos entender as leis de Deus, e entre todas elas, vibra a reencarnação.
As vidas sucessivas nos mostram o atado de amizades que devemos possuir, estendendo o nosso amor não somente a família de sangue, porém, a toda a família universal, porque hoje podemos estagiar em um país e, no amanhã, em outro. Se já somos conscientes dessa verdade, é bom que o nosso amor comece a quebrar as barreiras e avançar sem as fronteiras que o impeçam de amar.
A reencarnação é uma necessidade da alma, como força que a impulsiona para o alto e para Deus.
Os processos da reencarnação são engenhosos; no entanto, os benfeitores espirituais cuidam dessa ciência com todo o amor que podem dar aos que vão ingressar nos fluidos da carne.
Nós já reencarnamos muitas vezes, e poderemos voltar muito mais, herdando a Terra como promessa da Luz.
Preparamos com Jesus.
As Suas escolas são inúmeras na face da Terra, de sorte a nos levar para a tarefa do aprendizado com coragem e alegria.
O prelúdio da volta pode ser a intuição que temos no fundo da alma e a necessidade de crescimento espiritual.
Oremos e trabalhemos, cultivando a caridade, que ela nos levará aos campos de luta, de modo que venceremos a nós mesmos, conhecendo as nossas necessidades e despertando os nossos valores na amplitude do amor.
com um sincero abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Anton Kiudero em 07 de Dezembro de 2012, 13:33
Os vivos e os mortos
“deixai os mortos sepultar os seus próprios mortos”

O espírito vive enquanto espírito e morre enquanto se deixa fascinar pelas sensações materiais colocadas pelo ego.

Desta forma podemos compreender o significado da ressurreição que não tem a conotação de reencarnação que alguns pretendem lhe dar. A ressurreição é o despertar do espírito que se compreende como tal, mesmo enquanto vivenciando as provas suportadas por seu personagem.

Os vivos compreendem que nada são fora de Deus, mesmo porque nada pode existir fora de Deus. Os mortos acham que vivem uma vida independente de Deus.

Os vivos sabem que nada pode lhes acontecer de mal pois nada jamais os poderá atingir. Os mortos se sentem constantemente ameaçados por tudo o que desconhecem e temem.

Os vivos nada desejam pois que já tem tudo. Os mortos desejam tudo pois que não tem nada, vivem para a satisfação de seus desejos.

Na seqüência de milhares de encarnações do espírito como “ser humano” em apenas uma única se processa a ressurreição ou despertar para a vida. Durante todas as anteriores o espírito esta como morto ou adormecido. E em todas as posteriores está vivo, sem deixar de vivenciar os personagens que veste.

O processo é único e instantâneo. Não há gradualismos. Ou é uma coisa ou é outra.  Tal como a água que, estando a 1 grau ou a 99 graus será sempre água, mas aos 100 graus transforma-se em vapor e aos 0 graus se transforma em sólido gelo. Mas o processo não é reversível como o da água. É permanente e irreversível. No entanto não há garantias de sucesso e que ninguém espere entrar em outra dimensão ou ser salvo eternamente após a ressurreição. Mesmo porque quem espera algo ainda esta adormecido...

É uma mudança qualitativa que ocorre de forma natural, muitas vezes sem que o espírito tome conhecimento, tão natural o processo. Na atualidade, praticamente todo ser humano pode processar esta transformação na atual encarnação (“muitos serão chamados”), mas poucos estão conscientemente preparando-se para ela (“poucos serão escolhidos”).

Voce que lê estas linhas, VIVA! A sua hora é agora!

Acumule as suas riquezas no reino do Pai e não no reino do Ego. Desapegue-se de tudo e não acredite em nada e em ninguém, nem mesmo neste texto. Apenas libertando-se de todas as ilusões o processo pode iniciar-se...




Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 07 de Dezembro de 2012, 16:27
Belos conceitos apresentados pelos irmãos Altino e Anton.
Importante perceber-mos o momento em que estamos vivendo, um despertar para as coisas espirituais, para a verdadeira vida, que é a do espirito que almeja e anseia pelo progresso que lhe dê a liberdade.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 07 de Dezembro de 2012, 22:05

Reencarnação Sem Acomodação

Quando a temática da multiplicidade das vidas é trazida à discussão, ouvem-se observações estranhas.

Imaginam alguns que o fato de saber que tornaremos a reencarnar pode nos conduzir à acomodação, deixando para a próxima existência a solução de dificuldades do presente.

Tal forma de pensar nada tem a ver com o verdadeiro ensino dos espíritos.

O retorno a um novo corpo obedece sempre a lei do progresso. O objetivo é de melhoramento contínuo.

Nada de estagnação, portanto.

Conscientizados de que a felicidade está na conquista da perfeição relativa, é natural que os espíritos primem por galgar com rapidez os degraus evolutivos.

Dívidas a saldar? Por que não ressarci-las logo? Não é este o nosso proceder perante prestações e contas a pagar?

Como nos sentimos aliviados ao concluir o pagamento de um bem adquirido! Como nos satisfazemos com a nota promissória ou duplicata quitada, em mãos!

Não é diferente no que diz respeito a débitos do passado.

Ansiamos por resgatá-los desde que, libertos da problemática, poderemos estabelecer metas mais arrojadas de crescimento.

Conquistar a sabedoria, progredir é o que almejamos.

Nesse compasso, nosso empenho é sempre crescer, aprender mais. Aqueles que pensamos de forma diversa, mais cedo ou mais tarde, nesta vida ou na espiritual, nos daremos conta do tempo perdido.

Exatamente como o aluno relapso que, chegado ao fim do ano letivo, e não tendo conquistado as notas devidas, sente-se entristecido ante a perspectiva de ter que repetir o mesmo aprendizado que desprezou.

Nada na lei de Deus que não seja perfeito.

O planejamento divino estabeleceu para todos nós uma escalada de progresso e venturas. Ninguém que escape ao contexto.

E quanto mais nos adiantarmos na vida presente, menos longas e penosas nos serão as existências futuras. A cada dia construímos o nosso amanhã.
Os que desejam chegar antes ao topo da montanha, certamente não se permitem descanso exagerado, comodismo ou desculpismo.

Trabalharemos com afinco para galgar com maior rapidez os degraus da ciência e do amor, do saber e do sentimento.

Você sabia?

Que a marcha dos espíritos, através das várias existências corporais, é progressiva?

E que a vida corporal é uma espécie de filtro, de depurador pelo qual passam os espíritos para chegarem à perfeição que lhes cabe?

Isto quer dizer que a vida do espírito se constitui de uma série de experiências corporais, como cada vida humana se constitui de uma série de dias, nos quais o homem adquire maior experiência e instrução.

Equipe de Redação do Momento Espírita,
com base em O Livro dos Espíritos itens 191, 195
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 07 de Dezembro de 2012, 22:13
História real de Reencarnação - parte 1 de 2 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTItRnNTVUlkVk04Iw==)
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 07 de Dezembro de 2012, 22:14
História real de Reencarnação - parte 2 de 2 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWp4REVXaVBnS2pjIw==)
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 07 de Dezembro de 2012, 23:15
Maria47, obrigado pelas postagens, em especial pelo documentário, com certeza muito interessante para se fomentar um bom debate.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: ken em 07 de Dezembro de 2012, 23:27
Boa noite a todos

A Reencarnação Fortalece os Laços de Família, ao Passo Que a Unicidade da Existência os Rompe

Os laços de família não sofrem destruição alguma com a reencarnação, como o pensam certas pessoas. Ao contrário, tornam-se mais fortalecidos e apertados. O princípio oposto, sim, os destrói.

No espaço, os Espíritos formam grupos ou famílias entrelaçados pela afeição, pela simpatia e pela semelhança das inclinações. Ditosos por se encontrarem juntos, esses Espíritos se buscam uns aos outros.

A encarnação apenas momentaneamente os separa, porquanto, ao regressarem à erraticidade, novamente se reúnem como amigos que voltam de uma viagem. Muitas vezes, até, uns seguem a outros na encarnação, vindo aqui reunir-se numa mesma família, ou num mesmo círculo, a fim de trabalharem juntos pelo seu mútuo adiantamento. Se uns encarnam e outros não, nem por isso deixam de estar unidos pelo pensamento. Os que se conservam livres velam pelos que se acham em cativeiro. Os mais adiantados se esforçam por fazer que os retardatários progridam. Após cada existência, todos têm avançado um passo na senda do aperfeiçoamento.

Cada vez menos presos à matéria, mais viva se lhes torna a afeição recíproca, pela razão mesma de que, mais depurada, não tem a perturbá-la o egoísmo, nem as sombras das paixões. Podem, portanto, percorrer, assim, ilimitado número de existências corpóreas, sem que nenhum golpe receba a mútua estima que os liga.

Está bem visto que aqui se trata de afeição real, de alma a alma, única que sobrevive à destruição do corpo, porquanto os seres que neste mundo se unem apenas pelos sentidos nenhum motivo têm para se procurarem no mundo dos Espíritos. Duráveis somente o são as afeições espirituais; as de natureza carnal se extinguem com a causa que lhes deu origem. Ora, semelhante causa não subsiste no mundo dos Espíritos, enquanto a alma existe sempre. No que concerne às pessoas que se unem exclusivamente por motivo de interesse, essas nada realmente são umas para as outras: a morte as separa na Terra e no céu.

A união e a afeição que existem entre pessoas parentes são um índice da simpatia anterior que as aproximou, Daí vem que, falando-se de alguém cujo caráter, gostos e pendores nenhuma semelhança apresentam com os dos seus parentes mais próximos, se costuma dizer que ela não é da família. Dizendo-se isso, enuncia-se uma verdade mais profunda do que se supõe. Deus permite que, nas famílias, ocorram essas encarnações de Espíritos antipáticos ou estranhos, com o duplo objetivo de servir de prova para uns e, para outros, de meio de progresso. Assim, os maus se melhoram pouco a pouco, ao contato dos bons e por efeito dos cuidados que se lhes dispensam. O caráter deles se abranda, seus costumes se apuram, as antipatizas se esvaem. E desse modo que se opera a fusão das diferentes categorias de Espíritos, como se dá na Terra com as raças e os povos.

O temor de que a parentela aumente indefinidamente, em consequência da reencarnação, é de fundo egoístico: prova, naquele que o sente, falta de amor bastante amplo para abranger grande número de pessoas. Um pai, que tem muitos filhos, ama-os menos do que amaria a um deles, se fosse único? Mas, tranquilizem-se os egoístas: não há fundamento para semelhante temor. Do fato de um homem ter tido dez encarnações, não se segue que vá encontrar, no mundo dos Espíritos, dez pais, dez mães, dez mulheres e um número proporcional de filhos e de parentes novos. Lá encontrará sempre os que foram objeto da sua afeição, os quais se lhe terão ligado na Terra, a títulos diversos, e, talvez, sob o mesmo título.

Vejamos agora as consequências da doutrina antireencarcionista. Ela, necessariamente, anula a preexistência da alma. Sendo estas criadas ao mesmo tempo que os corpos, nenhum laço anterior há entre elas, que, nesse caso, serão completamente estranhas umas às outras. O pai é estranho a seu filho. A filiação das famílias fica assim reduzida à só filiação corporal, sem qualquer laço espiritual. Não há então motivo algum para quem quer que seja glorificar-se de haver tido por antepassados tais ou tais personagens ilustres.

Com a reencarnação, ascendentes e descendentes podem já se terem conhecido, vivido juntos, amado, e podem reunir-se mais tarde, a fim de apertarem entre si os laços de simpatia.

Isso quanto ao passado. Quanto ao futuro, segundo um dos dogmas fundamentais que decorrem da não-reencarnação, a sorte das almas se acha irrevogavelmente determinada, após uma só existência. A fixação definitiva da sorte implica a cessação de todo progresso, pois desde que haja qualquer progresso já não há sorte definitiva. Conforme tenham vivido bem ou mal, elas vão imediatamente para a mansão dos bem-aventurados, ou para o inferno eterno. Ficam assim, imediatamente e para sempre, separadas e sem esperança de tornarem a juntar-se, de forma que pais, mães e filhos, maridos e mulheres, irmãos, irmãs e amigos jamais podem estar certos de se verem novamente; é a ruptura absoluta dos laços de família.

Com a reencarnação e progresso a que dá lugar, todos os que se amaram tornam a encontrar-se na Terra e no espaço e juntos gravitam para Deus. Se alguns fraquejam no caminho, esses retardam o seu adiantamento e a sua felicidade, mas não há para eles perda de toda esperança. Ajudados, encorajados e amparados pelos que os amam, um dia sairão do lodaçal em que se enterraram.

Com a reencarnação, finalmente, há perpétua solidariedade entre os encarnados e os desencarnados, e, daí, estreitamento dos laços de afeição.

Em resumo, quatro alternativas se apresentam ao homem, para o seu futuro de além-túmulo:

1ª, o nada, de acordo com a doutrina materialista;
2ª, a absorção no todo universal, de acordo com a doutrina panteísta;
3ª, a individualidade, com fixação definitiva da sorte, segundo a doutrina da Igreja;
4ª, a individualidade, com progressão indefinita, conforme a Doutrina Espírita.

Segundo as duas primeiras, os laços de família se rompem por ocasião da morte e nenhuma esperança resta às almas de se encontrarem futuramente. Com a terceira, há para elas a possibilidade de se tornarem a ver, desde que sigam para a mesma região, que tanto pode ser o inferno como o paraíso. Com a pluralidade das existências, inseparável da progressão gradativa, há a certeza na continuidade das relações entre os que se amaram, e é isso o que constitui a verdadeira família.


Allan Kardec. Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo. 112 edição. Capítulo IV. Livro eletrônico gratuito em http://www.febnet.org.br. FEB 1996.



Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 07 de Dezembro de 2012, 23:38
Um aspecto bem interessante de sua postagem Ken, a lógica dos agrupamentos famliares.
Esta ai um ponto, pouco debatido, pelo menos no meu ponto de vista, dentro do conceito espirita de reencarnação.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: ken em 08 de Dezembro de 2012, 00:24
Olá Gustavo, a seguir, mais um texto pertinente ao tema, especificando a família.:-

REENCARNAÇÃO E FAMÍLIA

Um dos argumentos mais comuns dos opositores do Espiritismo é o de que a Reencarnação, sua lei básica, destrói os laços de família.

Tal argumento, como tantos outros que a ignorância e a má-fé suscitaram, visando a obstar a marcha triunfante e galharda da Terceira Revelação, não resiste ao mais simples raciocínio, ao mais leve exame da lógica e do bom senso.

É por meio da reencarnação - e graças exclusivamente a ela - que os laços da fraternidade se ampliam e se fortalecem, notadamente nos círculos da consangüinidade.

Sem as noções da palingenesia, reduzida seria a nossa família espiritual, porque, em princípio, também reduzida seria a nossa família corporal.

Pela Reencarnação, prolongam-se as afeições além da vida física. Continuam os laços e vínculos espirituais, noutros mundos e noutras existências. Por seu intermédio estabelecem-se ligações eternas entre corações que se reencontram, inúmeras vezes, na paisagem do mundo, renovando experiências de aprimoramento.

Impossível se nos afigura considerar a Reencarnação por doutrina prejudicial aos laços de família. Somente podemos entendê-la como afirmação de solidariedade entre os seres, a refletir, assim, em toda a sua plenitude, a Bondade Celeste.

Entendemo-la por elemento divino de reunião de almas, no mesmo grupo ou ambiente, povo ou nacionalidade, para consolidação de afetos iniciados, noutros grupos e noutros povos, em tempos que se foram.

Existe, ainda, outro aspecto que igualmente revela a excelsitude, a benemerência da Reencarnação: se, por ela, amigos se reaproximam no mesmo lar, também no mesmo lar adversários se reencontram para a definitiva extinção de ódios cuja origem se perde nas brumas do pretérito.

Não fora a Reencarnação  faltar-nos-iam oportunidades de reconciliação com aqueles a quem ofendemos ou ferimos, ou que nos ofenderam ou feriram. Logo, benéficos são os efeitos, as conseqüências da Reencarnação.

Como poderíamos, igualmente, restabelecer o contacto com almas que semearam espinhos em nosso caminho e com almas que tiveram em seu caminho pedras colocadas por nós?

Como poderíamos voltar ao cenário terrestre a fim de, ao lado de companheiros de outras jornadas, concluir programas individuais ou coletivos apenas esboçados ou simplesmente iniciados?

Como nos reabilitarmos perante almas que, situadas em nossa estrada evolutiva, na condição de filhos e esposas, parentes e amigos, tiveram suas vidas e seus destinos complicados pela nossa desatenção aos preceitos do Evangelho?

Como vemos, ao invés de destruir os laços de família, os liames da consangüinidade, a Reencarnação os fortalece e consolida. assegura-lhes a perpetuidade na Terra e noutros mundos.

Se o Divino Mestre exaltou-a várias ocasiões, inclusive com o "ninguém verá o Reino de Deus se não nascer de novo", a Doutrina Espírita glorificou-a na síntese admirável que a bandeira do nosso movimento filosófico ostenta, galhardamente: "Nascer, morrer, renascer ainda, progredir continuamente, tal é a lei."

Jesus e Kardec plenamente identificados na lei magnânima.

A Reencarnação nega o egoísmo, pois afirma, de maneira eloqüente, a solidariedade entre os seres.

Divulgá-la, torná-la conhecida, é acender no coração da Humanidade a lâmpada da Esperança. Ela dissolve o preconceito, em qualquer de suas manifestações.

A Reencarnação é bálsamo, também, para o sofrimento. É chave que abre a porta para a compreensão dos mais complexos problemas humanos.

É luz que clareia a noite de nossos sofrimentos e de nossos anseios para a Vida Mais Alta.

A Reencarnação, em síntese, é Amor...


Martins Peralva - Estudando o Evangelho - FEB

 
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marcos W. Silva em 08 de Dezembro de 2012, 00:32
O primeiro mandamento

A primeira e mais importante alusão à doutrina das vidas sucessivas se acha contida exatamente no mandamento inicial do Decálogo. Vamos olhá-lo com olhos de ver:

__Eu sou Jeová, teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa de servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagens de escultura, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem debaixo na terra. Não as adorarás, nem lhes darás culto. porque Eu Jeová, teu Deus, sou Deus Zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, na terceira e na quarta geração daqueles que me aborrecem, e uso misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam meus mandamentos(Exo. 20:2-6).

Estamos recorrendo, nesta citação, ao texto da tradução brasileira segundo os originais hebraico e grego publicados sob a responsabilidade da American Bible Society. Esta é uma das poucas, se não a única versão hoje em circulação, que manteve sua fidelidade ao texto da vulgata que diz; "in tertiam et quartam generationem...", ou seja "na terceira e na quarta geração" e não "até a terceira e quarta gerações", como consta de praticamente todas as versões mais modernas.

Hemínio C. Miranda. A Reencarnação na Bíblia.
               
                                                 
oOo

Amigos do estudo mensal, percebem a importância de uma simples troca da preposição na, pela preposição até. Se Deus pune, o que já sabemos ser punição consciencial, até a terceira geração, o filho torna-se um sofredor daquilo que o pai faz de errado... estranho né..., mas se Deus "pune" na terceira e na quarta geração, o neto ou o bisneto pode ser o sofredor dos erros cometidos pelo avô ou bisavô, porque, não raro, netos são avós ou bisavós reencarnados. Interessante não é?

Abraços.



 

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 08 de Dezembro de 2012, 02:41
Meus irmãos e minhas irmães,para raciocinar.Que sentimento terá o espírito ao reencarnar,
tenha que ter um corpo mutilado,deficiente,motivado pela inabilidade de quem está auxili-
-ando despertar para uma nova vida.Cito o caso dos chamados erros médicos durante os
nascituros,vista que o corpo físico deste espírito recém encarnado seria normal se não fosse
o acidente.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: M.Altino em 08 de Dezembro de 2012, 11:43
Amigos  e companheiros  para todos o meu Bom Dia  de muita paz  e voltando a este tema  vamos encontrar  na questão 332  do Livro dos Espíritos  como por  vezes  o processo de reencarnação pode ser  retardado ou  apressado
 Prelúdio da volta
332. Pode o Espírito apressar ou retardar o momento da sua reencarnação?
“Pode apressá-lo, atraindo-o por um desejo ardente.
Pode igualmente distanciá-lo, recuando diante da prova, pois entre os Espíritos também há covardes e indifere

APRESSAR OU RETARDAR
 
Cada Espírito é um mundo dentro do mundo de Deus.
A liberdade de pensar, de agir e mesmo de crescer é um fato em todas as dimensões de vida.
Nos planos iluminados, dentre os próprios anjos, notar-se-á diversidade de opiniões, contudo, todas elas são alicerçadas nas leis criadas pelo Senhor de todas as coisas.
Não existem almas que não acordam para as verdades, pois foram todas feitas pelas mãos santas do Criador.
O Espírito tem condições de ativar sua evolução ou retardá-la, no entanto, pelos seus redobrados esforços, ele sempre pode, no transcorrer de sua jornada evolutiva, recuperar o tempo perdido.
Pode-se notar esse fato na vida dos grandes seres que passaram pela Terra. Paulo de Tarso foi um exemplo: ele voltou sua atenção para a perseguição ao Cristianismo nascente, mesmo com a sua evolução assegurada em outras existências, mas, quando descobriu a verdade, acelerou seu despertar na amplitude do seu forte desejo de servir a causa do Cristianismo.
Aurélio Agostinho foi outro exemplo típico de transformação rápida, para acompanhar as outras almas que passaram a sua frente, na prudência das suas decisões.
No fim, a soma dos esforços torna todos iguais, por serem todos iguais na sua analogia, nos fundamentos dos princípios espirituais.
Todos fomos feitos simples e ignorantes, mas feitos pela mesma massa divina, na sublime expressão que todos conhecem:
-“Faça-se a luz, e a luz se fez."
A mente da alma é poderosa, principalmente se já demonstra algumas qualidades desabrochadas no centro da vida.
Aquilo que ela pensa firmemente lhe vem pelos seus poderes adquiridos.
Se o Espírito pede para reencarnar e trabalha para tal acontecimento, é justo que logo aparecerá sua oportunidade de voltar à matéria pelos processos da reencarnação, e se ele rejeita essa volta, retarda esse acontecimento.
A sua vontade o aproxima ou afasta da volta aos dramas da carne. Se as leis exigem a sua volta e ele recua, responde pelas consequências, porém, em se somando todos esses fatos na sua vida sem limites, dar-se-á o mesmo peso, porque quando ele recua, acomoda energias para avanços mais rápidos.
Devemos todos meditar no assunto ventilado sobre a evolução das almas ou despertar dos dons de ouro do Espírito.
As leis de Deus são segredos, mas, para os que ignoram o amor e a sabedoria, dois caminhos que mais adiante se confundirão, no esplendor da felicidade, onde Deus e Cristo se fazem visíveis dentro de cada ser.
Retardar ou apressar o momento da reencarnação nos traz meios de crescer, a uns metodicamente, a outros com certa violência. Temos, quando atingimos certa maturidade, o poder da escolha para os caminhos que devemos trilhar, mas, o nosso conselho é de prudência, na sobriedade que o equilibro nos faz sentir. Entretanto, há almas que desejam e experimentam outros métodos que respeitamos, mas preferimos ser mais comedidos. No momento da escolha, a oração e a vigilância nos ajudam sobremodo nas nossas decisões.
Pedimos a Jesus que nos inspire em todos os momentos de partidas para frente, em busca do melhor.
Miramez
Com um grande abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 08 de Dezembro de 2012, 12:10

A REENCARNAÇÃO

A vida na Terra é uma ferramenta de grande utilidade na evolução da nossa alma. Ela é útil graças ao mecanismo de perda de memória que sofremos com nosso retorno a Terra. Entender porque isto é útil é bem simples.
Imagine uma pessoa que sofre ao lembrar de todo mal que fez para outras pessoas. Uma pessoa que sente remorço. Uma pessoa que sente ódio de alguém. Uma pessoa deprimida pelo sofrimento que passou em vida ou do outro lado da vida.
Levaria muito tempo para que estes traumas fossem superados naturalmente. O remorso preso na memória acaba atrapalhando a continuidade da vida do espirito e de seus trabalhos para melhorar a cada dia.
Então temos a vida na Terra como solução para este tipo de problema. Ao nascer novamente você esquece de tudo que viveu no passado e recomeça um novo periodo em seu processo de evolução. Livre do sofrimento da memória você dá espaço aos novos aprendizados. Apesar de esquecer os momentos vividos, ficam gravados em seu espirito sua sabedoria de vida, suas qualidades e seus defeitos que ainda não foram corrigidos.
É por isto que dentro de uma mesma familia encontramos irmãos tão diferentes em sua personalidade. Mesmo tendo acesso a mesma educação, a mesma orientação, as pessoas são sempre diferentes. A base de nossa personalidade já existe e está em nosso espirito. Começar de novo nos permite rever nossos conceitos e concertar nossos defeitos a partir de novas experiências que começam na infância onde estamos mais propícios a aprender e aceitar novas verdades.
É comum vermos pessoas onde temos a impressão de já termos conhecido no passado. É comum termos antipatia por uma pessoa que nunca vimos, que pode ser um desafeto nosso. As vezes esta antipatia é passageira e em pouco tempo nos tornarmos amigos desta pessoa, o que representa um bom sinal para nossa evolução. Existem casos em que nos recordamos de lugares como se já estivessemos estado lá. Existem situações em que temos uma grande facilidade para aprender certos tipos de conhecimento como se já tivessemos estudado o assunto no passado. Estas são as impressões que ficam registradas em nossa alma.
Esquecer o sofrimento passado para conseguir começar novamente é um dos motivos que levam uma pessoa a pedir para reencarnar. Outro motivo comum é a tentativa de acabar com ódio e as desavenças que possamos ter com outras pessoas promovendo um reconciliamento entre almas. Os laços familiares são o melhor remédio para curar o ódio. O amor familiar é o remédio. É o exemplo de duas pessoas que se odeiam e nascem irmãs. Ou uma mulher que tem como filho seu pior inimigo na vida passada. Nem sempre o amor materno ou o amor entre irmãos consegue resolver o problema do ódio. Por isto vemos casos de mães que não amam seus filhos como deveriam, de irmãos que brigam como se realmente fossem grandes inimigos. É uma oportunidade de melhorar e evoluir que cada uma destas pessoas está jogando fora. A vida é apenas um mecanismo para solucionar este tipos de problema. O ideal mesmo seria aprender a perdoar com sinceridade os erros e as ofenças que as outras pessoas cometem conosco e com isto não seria necessário passar por todo este processo.
Existem pessoas que pedem para reencarnar com o objetivo de ajudar o próximo. É o caso da esposa que ama muito um marido cheio de defeitos. Em outra vida ela terá como filho o próprio marido para que, durante a vida, possa orientá-lo e guiá-lo para um caminho melhor. É o caso do homem que nasce como irmão de um grande amigo que precisa crescer espiritualmente, e para isto acaba contando com a ajuda do irmão que o acompanha pela vida.
Ao retornarem poucos espiritos conseguirão se recordar das vidas passadas. A última vida que se teve é a mais presente e fácil de recordar. As demais ficam como vagas lembranças. Isto é ótimo para pessoas que ainda não estão maduras para visualizar o passado sem se deprimir. Apenas espiritos elevados tem acesso ao conhecimento das vidas passadas. Por isto não é recomendável tentar conhecer o que se foi ou o que se fez nas vidas passadas pois ter acesso a estas informações pode não ser algo agradável.
Muitas vezes as Colônias espirituais por onde passamos mantém registros de nossas vidas passadas e se for permitido é possível ter acesso a estas informações para facilitar as lembranças.
Existem grupos de espiritos que se mantém unidos por muitos e muitos séculos já que nascem e morrem sempre formando uma mesma familia. Com isto estes espiritos se ajudam no processo de evolução dos demais.
Ao reencarnar o espirito mais evoluídos podem escolher que tipo de problemas poderão ter durante a vida para que possam corrigir de forma sólida os defeitos que possuem. Temos relatos de pessoas que escolhem nascer com determinadas doenças que desde cedo a impedirão de levar uma vida pouco sadia. É uma forma eficiente de acabar com vícios que são levados com o espirito como o fumo, as drogas, o alcoolismo, a gula compulsiva, o sexo compulsivo, e outros exageros do corpo. Muitas vezes somente com o sofrimento é que podemos corrigir problemas que estão solidificados em nossa alma.
Todos nós só estamos aqui na Terra porque temos defeitos a superar e virtudes a adquirir. Você também pode desejar reencarnar para adquirir uma virtude como por exemplo: Fé, Esperança, Caridade, Prudência, Temperança, Justiça, A Força. E isso pode ser desenvolvido ao enfrentar determinados problemas durante sua vida. O aprendizado vivido fica eternamente impresso em sua alma e jamais é esquecido.
Continua...
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 08 de Dezembro de 2012, 12:11
Continuaçâo...

É importante lembrar que as pessoas só podem escolher detalhes de sua reencarnação quando estão abrigadas em colônias ou em postos de socorro. Antes de tomar qualquer decisão estas pessoas adquirem informações, estudam e são preparadas para o cumprimento de sua missão na Terra. Pessoas que vivem no Umbral em total ignorância e descontrole sobre sua vida não tem esta opção. Espiritos que tem merecimento para isto chegam até a visualizarem como serão enquanto estiverem vivos. Junto a técnicos especializados podem até escolher as combinações possíveis de corpo em relação aos pais que terá e quais doenças e características poderão ter durante a vida para melhorar seu processo de aprendizagem.
As colônias possuem departamentos ou prédios onde são atendidos as pessoas que desejam reencarnar. Cada caso é estudado detalhadamente por espiritos especializados. As filas de interessados é grande e nem sempre sua solicitação é aceita. Por isto a vida é uma oportunidade, um privilégio importante que deve ser aproveitado ao máximo para correção de feitos e construção de virtudes. Não é a toa que o suicidio e o aborto são os piores crimes que se pode cometer.
Existem espiritos que pedem para encarnar simplesmente por gostarem mais da vida na Terra do que a vida no plano espiritual. Outros pedem para reencarnar para esquecer. Outros para consertar erros passados, outros para corrigir defeitos internos, outros para adquirir experiência e vivência, outros para aprimorarem virtudes.
É comum um estado de ansiedade e medo nos espiritos que estão se preparando para reencarnar. Existe o medo de perderem-se em meio aos prazeres proporcionados pela matéria, se desviando do objetivo principal de sua vinda. Tem medo de serem seduzidos por caminhos mais fáceis ou prazeirosos da vida, quando sabem que o caminho da evolução é dificil de ser seguido e muitas vezes não é nada prazeiroso ou fácil.
Antes da fecundação podem ocorrer o encontro do futuros país com o espírito do filho que irá nascer. Os pais, durante o sono, são levados em espírito até a colônia de onde partirá o filho. Normalmente é um encontro alegre e feliz, principalmente quando os espiritos já se conhecem e são amigos. O mesmo não ocorre quando são inimigos. As vezes os pais querem se recusar a receber o filho.
Ocorrendo a fecundação o espirito passa a acompanhar a mãe gravida. Aos poucos a ligação que une o espirito ao feto vai se tornando cada vez maior. A entrada do espirito no corpo ocorre exatamente no momento do nascimento. É ai que ocorre o processo de esquecimento do passado.
No caso de aborto natural ou provocado o espirito retorna para a colônia e para o departamento especializado em reencarnação onde será verificada a situação. Pode ocorrer o retorno do espirito para a mesma familia ou para outra familia dependendo de cada caso. Como tudo é um aprendizado, o aborto natural pode ser uma aprendizado para os pais e para o espirito que iria reencarnar. O espirito não sofre e não sente qualquer dor durante o processo. O aborto provocado é um erro grave dos pais, dos médicos envolvidos e uma aprendizagem para o abortado. O espirito não sente dor mas sente a rejeição, a repulsa dos pais, mas logo é socorrido. Infelizmente existem casos em que o reencarnante fica revoltado com os pais que provocaram o aborto. Estando revoltado fica impossível o trabalho de resgate e ajuda dos socorristas e o espirito nutrido de ódio passa a perseguir e atrapalhar a vida dos pais. Enquanto houver ódio fica díficil fazer alguma coisa para ajudar. E os pais acabam sofrendo pelo mal que plantaram.
Se todos entendessem a vida como ela realmente é, ou seja, um mecanismo de aprendizagem passageiro do espirito materializado, certamente chorariamos no nascimento e fariamos uma festa na morte de um amigo ou familiar.
Existe um livro psicografado por Chico Xavier que mostra passo-a-passo como é a reencarnação de uma pessoa. Do momento que o espirito conhece sua mãe e pai na nova existência até o nascimento. Clique aqui para ver o livro. Se gostar, compre o livro em qualquer livraria. Ele é do mesmo espirito que escreveu o livro Nosso Lar que deu origem ao filme.


 http://www.vidaemorte.org
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: ken em 08 de Dezembro de 2012, 22:38
Boa noite a todos


A Família e a Lei de Reencarnação


ONTEM, atraiçoamos a confiança de um companheiro, induzindo-o à derrocada moral.

HOJE, guardamo-lo na condição do parente difícil, que nos pede sacrifício incessante.

ONTEM, abandonamos a jovem que nos amava, inclinando-a ao mergulho na lagoa do vício.

HOJE, temo-la de volta por filha incompreensiva, necessitada do nosso amor.

ONTEM, colocamos o orgulho e a vaidade no peito de um irmão que nos seguia os exemplos menos felizes.

HOJE, partilhamos com ele, à feição de esposo despótico ou de filho-problema, o cálice amargo da redenção.

ONTEM, esquecemos compromissos veneráveis, arrastando alguém ao suicídio.

HOJE, reencontramos esse mesmo alguém na pessoa de um filhinho, portador de moléstia irreversível, tutelando-lhe, à custa de lágrimas, o trabalho de reajuste.

ONTEM, abandonamos a companheira inexperiente, à míngua de todo auxílio, situando-a nas garras da delinqüência.

HOJE, achamo-la ao nosso lado, na presença da esposa conturbada e doente, a exigir-nos a permanência no curso infatigável da tolerância.

ONTEM, dilaceramos a alma sensível de pais afetuosos e devotados, sangrando-lhes o espírito, a punhaladas de ingratidão.

HOJE, moramos no espinheiro, em forma de lar, carregando fardos de angústia, a fim de aprender a plantar carinho e fidelidade.

À frente de toda dificuldade e de toda prova, abençoa sempre e faze o melhor que possas.

Ajuda aos que te partilham a experiência, ora pelos que te perseguem, sorri para os que te ferem e desculpa todos aqueles que te injuriam...

A humildade é a chave de nossa libertação.

E, sejam quais sejam os teus obstáculos na família, é preciso reconhecer que toda construção moral do Reino de Deus, perante o mundo, começa nos alicerces invisíveis da luta em casa.

Emmanuel
“Amor e Vida em Família” - Chico Xavier


Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 09 de Dezembro de 2012, 14:39
Obriado aos irmãos pelos textos postados para nossa reflexão sobre o tema.
Todos nos lembram a importância e a justiça da reencarnação no processo evolutivo pelo qual todos nós precisamos passar.
A questão familiar então, é absolutamente fascinante. Compreender que estamos inseridos exatamente no grupo familiar que conquistamos pelas nossas ações pretéritas é fundamental para melhor nos conduzirmos diante dos desafio de hoje.
Quanto aos erros médicos meu caro Antonio, não existem erros nos planos de Deus, alguma razão ha de se ter para que isso aconteça.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Mourarego em 09 de Dezembro de 2012, 14:49
gente posso dar um pitaco de natureza instrutiva quanto a este quadro que é de Estudos doutrinários?
A questão é, que noto que muitos apenas colocam textos, muitos dos quais nem mesmo das obras básicas saídos. Ora este quadro trás como condição "sine qua non", o foco num estudo q ue há de ser gerido não por colgens de textos mas sim pela interpretação que se dê a cada texto ou pergunta.
Assim, quando apenas colamos um texto e nada de nosso acrescentamos, não estaremos usando do quadro dentro da idéia com que ele foi formado entendem?
Precisamos, meus mano, a muito mesmo,  deixar de lado certos pruridos e preocupações em postar algo de nós que não esteja totalmente correto, apenas porque saibamos que outro possa falar que não esteja certo e que se proponha a aparar a aresta de erro que continha a nossa opinião.
Aliás, este o foco deste nosso quadro, promover sim, o debate de nossas opiniões trazidas do estudo daquilo que tenhamos estudado sobre o tema.
Se pensarmos mais detidamente, veremos que o simples colar de um texto e mais nada, é o mesmo que se faz no fórum, diante de tantos tópicos que ele contém, porém aqui o interesse é em aperfeiçoar o nosso estudo e isso só se consegue quando postamos nossas opiniões embasadas pela DE.
Abração,
Moura
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 09 de Dezembro de 2012, 20:22
Meu nobre mano Moura,nordestino como eu."Estamos todo novamente na mesa de debates,
dentro do tema proposto para estudo mensal,naturalmente iremos observar o que interpre-
-tamos pelo estudo das obras básicas,do que é reencarnação,tirando as nossas conclusões,
e não tão somente colocando textos de quem já interpretou".Isto é um trecho do primeiro
texto que eu coloquei para este estudo mensal.Eu particularmente não coloco textos,nem
mesmo tirados das obras básicas,mas usando de diplomacia que aprendi com o povo carioca:
Não sou contra nem a favor,muito pelo contrário,rsrsrs.
Ps.Meu irmão Gustavo,eu não afirmei de quando citei:Os chamados erros médicos para o
acontecimento,em meu post anterior.
Fiquem na paz.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 10 de Dezembro de 2012, 01:12
Uma lembrança muito correta, Moura, os textos são sim interessantes e nos auxiliam a refletir sobre o tema sem duvida, mas o crescimento que se faz é pelo estudo e este se dá de forma mais completa e coreta atraves do debate, da exposição das idéias das pessoas.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: sensitive em 12 de Dezembro de 2012, 13:16
Ola!

Como em tudo na ordem divina, a reencarnaçao está subordinada a cuidadoso plenamento.
Andre Luis, fala-nos dessa preparaçao que começa no despertar para a Justiça, no esclarecimento profundo sobre a vida e evoluçao, no reencontro, pela lei das afinidades.
Falamos, como é evidente, na reencarnaçao voluntaria.
Os Espiritos, depois da fase do acordar para a realidade espiritual, iniciam a sua preparaçao para o regresso a Terra.
Reúnem-se pela Lei da Afinidade Espiritual, vivem durante cero tempo em comunidade,
procurando familiarizar-se, aprendem a realidades da vida espiritual, visualizam o seu futuro, como espiritos de evoluçao, mais ou menos sofrida,prepara, com suas vivencias passadas a matriz do seu futuro corpo físico.
E, quando lhes é permitido ,marcham para a Terra ao encontro dos lçares programados para a reencarnaçao, trazendo experiencias e conhecimentos obtidos ao longo do seu trajeto da vid, mau grado muitasb vezes envaredem por caminhos outros daqueles que usaram escolher..................


Trexo do Jornal Espirita de Janeiro de 2012
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 12 de Dezembro de 2012, 14:11
Obrigado pela mensagem, cara Sensitive.
Alias, podemos aproveitar essa mensagem para refletir sobre o tópico exato do estudo: Processo reencarnatório.
Como se dá o processo reencarnatório?
Quais são os preparativos, as necessidades?
Por que um lar especifico, em detrimento de outro?
Por que uma constituição fisica, com tal ou qual dificuldade?
Reflitamos sobre esses temas...
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: M.Altino em 13 de Dezembro de 2012, 15:30
Amigos e companheiros  deste estudo para todos a minha boa tarde de muita paz.
Com  sempre  temos que  compreender que todo este processo de  voltarmos  a este planeta  é sempre  muito complexo e  nos  faz muito meditar  nestas questões : quando voltamos  e  com voltamos  aqui é que  por vezes  o estudo da doutrina e  o seu entendimento nos pode  trazer muitas  respostas  para meditarmos um pouco e debater  para todo este estudo se  tornar interactivo e mais  útil ao nosso aprendizado.
Então levando a debate esta  questão  335 do Livro  dos Espíritos onde  nos  tenta explicar  a escolha  das nossas  novas  vestes corporais  para  assim voltarmos a este planeta.

ESCOLHA DO CORPO
 
Nem sempre é permitido ao Espírito que  vem reencarnar escolher o seu corpo, por ter  particularidades que o Espírito não deve saber, diante da sua evolução espiritual.
Cabe aos benfeitores espirituais examinar o que a alma suporta saber, para que ela não venha a recuar diante da escolha.
Há uma variedade de posicionamentos nos momentos decisivos de passar pela porta estreita que chamamos de reencarnação.
A escolha do corpo físico foi feita para a plena harmonia, trabalhar em perfeita saúde, mesmo que seja por um século de existência; no entanto, como ele é um instrumento da alma, em provas e essa não pode manter a plena harmonia na mente devido a sua inferioridade, o corpo de carne recebe pelos pensamentos cargas e mais cargas de vibrações pesadas, de um magnetismo inferior, capaz de tornar lentas as vibrações celulares e fazer as células entrarem em decadência, de modo a facilitar, mesmo com a defesa natural do soma físico, a ação de agentes que desequilibram a estabilidade de todos os órgãos.
Convém notar que todos os desequilíbrios provêm da mente em estado de baixa vibração.
Compete a alma que já se encontra desperta para a luz, alimentar-se no amor e passar a amar todos e tudo, no sentido de prover a sustentação da sua paz.
Todos os Espíritos desejam corpos sãos para um bom desempenho das suas atividades materiais e espirituais, porém, nem sempre pode ser assim, devido às provas pelas quais deverão passar, provando assim o que aprendeu no mundo da teoria.
Todos os grandes emissários, principalmente no mundo religioso, pedem por sua livre e espontânea vontade, corpos mutilados ou enfermos, para assim, praticarem o que aprenderam e, muito mais, dando exemplos para os seus seguidores, de firmeza na fé, de amor e de certeza na vida futura.
Muitas almas, no momento de reencarnar, podem resolver, e usando sua vontade, desligarem os laços já consumados nas primeiras formações do corpo em crescimento.
Umas o conseguem, deixando a nova reencarnação para depois, sem raciocinar que o depois virá com maiores dificuldades.
Nas colónias espirituais as provas que tem que enfrentar os voltam a reencarnar são estudadas, de acordo com o Espírito que vai vestir-se de carne.
Às vezes, são sugeridos a ele vários modelos, cujas deficiências, ainda que diferentes, tem o mesmo peso no campo das provações.
Mas, o Espírito sente alegria em escolher dentre muitas apresentadas, as provas que pensa poder suportar nos caminhos da Terra.
O que é importante para todos os candidatos à reencarnação, e mesmo aos homens que se encontram no mundo, é que tenham a humildade de pedir sempre opinião aos benfeitores espirituais, cheios de experiências nesse campo de vestir-se de carne no mundo das formas, que eles sabem o que fazer em favor dos que sofrem e sentem a necessidade de voltarem à arena da carne para esquecer o passado vivo na consciência.
Pode-se, desde já, escolher-se os futuros corpos, pelo que hoje se faz, desde que se encontre em trabalho no mundo físico.
Aos espíritas é que falamos com mais desenvoltura, por serem eles mais esclarecidos de certas verdades que os outros ainda desconhecem.
Estudemos, exercitemos a caridade em seus vários aspectos, que as mãos de Jesus ficarão mais visíveis em nossos caminhos para nos ajudar na escolha do melhor, que esse melhor aparecerá nas próximas vidas, como força que ajudará a acertar os caminhos da felicidade.
Quanto ao corpo, se não for permitido escolher a sua forma e a harmonia que nele desejamos, agradeçamos a Deus pelo que nos for entregue, que Deus sabe mais que nós o de que precisamos com mais urgência.
Amigos  então  por este  pequeno  texto podemos  tirar muitas explicações  e  ao mesmo tempo ficar  com algumas  dúvidas que  podemos  debater durante   este  estudo.
Com um grande abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marcos W. Silva em 13 de Dezembro de 2012, 23:33
Em O Livro dos Espíritos observemos:

Justiça da reencarnação

171. Em que se funda o dogma da reencarnação?
“Na justiça de Deus e na revelação, pois incessantemente repetimos: o bom pai
deixa sempre aberta a seus filhos uma porta para o arrependimento. Não te diz a razão
que seria injusto privar para sempre da felicidade eterna todos aqueles de quem não
dependeu o melhorarem-se? Não são filhos de Deus todos os homens? Só entre os
egoístas se encontram a iniqüidade, o ódio implacável e os castigos sem remissão.”

Todos os Espíritos tendem para a perfeição e Deus lhes faculta os meios de
alcançá-la, proporcionando-lhes as provações da vida corporal. Sua justiça, porém, lhes
concede realizar, em novas existências,  o que não puderam fazer ou concluir numa
primeira prova.


Acho muito forte o argumento que diz sobre a reencarnação como perdão incondicional de Deus. Quem não pensa assim, e se diz cristão esquece-se que seria incoerente que Jesus ensinasse-nos a perdoar sempre, se o Pai que é muito maior não o fizesse também. E a reencarnação é o perdão de Deus 70 vezes 7 vezes. E ainda de quebra, com alguma elevação, podemos até escolher a prova... se pensássemos bem reclamaríamos menos, bem menos.

Abraços.



 
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 14 de Dezembro de 2012, 00:53
Meu caro Altino, obrigado pelo texto que remete a uma parte do processo reencarnatório, ja que trata da escolha do corpo material, do aspecto fisico do reencarnante, um capitulo realmente importante de ser estudade para a compreensão da justiça de Deus feita pela reencarnação.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 14 de Dezembro de 2012, 00:55
Esse é outro aspecto importante Marcos, afinal se aqui estamos é por que Deus já nos perdoou, e esta nos dando a oportunidade de recomeçarmos, fazendo da forma correta.
Se tivermos a humildade de buscá-lo, com certeza teremos mais chances de exito na reencarnação.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 14 de Dezembro de 2012, 00:57
Seja bem vindo ao fórum meu caro Amigochang, tenho certeza que poderá crescer muito acompnahando e participando dos debates que aqui se fazem, emn especial dos estudos mensais, como é o caso desse tema.
Existem outras ferramentas como o chat, que eu nãoconheço bem, mas que esta a disposição.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 14 de Dezembro de 2012, 01:10
Caros irmãos.Um espírito muito devedor,tendo a oportunidade de reencarnar escolheria as
provas mais duras para a sua evolução,ou elas são impostas a ele por ser esses débitos 
maior que os dos outros espíritos? Tomei como base o texto que foi postado pelo nosso
irmão Altino.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Luciano7 em 14 de Dezembro de 2012, 12:02
Caros irmãos.Um espírito muito devedor,tendo a oportunidade de reencarnar escolheria as
provas mais duras para a sua evolução,ou elas são impostas a ele por ser esses débitos 
maior que os dos outros espíritos? Tomei como base o texto que foi postado pelo nosso
irmão Altino.
Não existe uma regra para isso que diga isso é assim o que sabemos e que tudo que nos acontece tem um porque e uma ligação com nossos atos tanto do presente como do passado e tambem de nossas outras reencarnaçoes
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: sensitive em 14 de Dezembro de 2012, 13:11
l]Encontrei este desenho que mostra bem o processo da reencarnaçao!






Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: M.Altino em 14 de Dezembro de 2012, 15:16
Amigos  para todos uma boa tarde e  amiga Sensitive foi muito curiosa a foto que  disponibilizou e  fez  com que este estudo se torna- se mas rico e  é assim que nesta partilha vamos  compreendendo  esta problemática  de reecarnação  e  como sempre há algo novo para debatermos e  assim continuarmos este  nosso estudo e  buscando mais uma vez  o Livro Dos Espíritos  na questão  341 onde  podemos meditar no medo que  por vezes o Espírito sente  antes de voltar a esta sua nova vida.

INQUIETAÇÃO DA ALMA
 
A ansiedade da alma no momento da reencarnação geralmente é enorme.
Ela não tem certeza da sua vitória nas lutas que se destinou a travar, contudo, se o Espírito tem fé em Deus e conhece os ensinamentos de Jesus, a força da confiança ir-lhe-à garantir a esperança.
Bem sabemos o que passa o Espírito reencarnado com a prova de ser um hanseniano que, em muitos casos, é abandonado pelos próprios familiares.
É muito duro o desprezo, e esse desprezo avança e atinge a sociedade.
Mesmo nos dias atuais, quando a medicina oficial os está liberando para que convivam com a família, ainda falta o exemplo de irmãos desses que sofrem na carne um passado drenador, que derrama no corpo as vibrações criadas por eles mesmos em eras remotas.
Onde nos encontrarmos, façamos o que pudermos pela educação de nós mesmos.
Procuremos cortar as arestas daquilo que nos levou aos desatinos no passado, porque é nesse esforço de melhorar que iremos nos renovando pelo bem e salvando-nos pela caridade.
Não aumentemos o nosso jugo nem façamos pesado o nosso fardo.
As inquietações do Espírito para reencarnar, as ansiedades no momento de entrar na carne, bem como, também, para deixar o corpo físico, é ignorância da vida espiritual e falta de maturidade da alma na posição em que se encontra.
Um homem que pretende levar um peso a determinado lugar, quando não o suporta, divide o fardo para levar de duas ou três vezes. Assim também é a alma ao descer para o mundo físico com um corpo: se ela não suporta as provações que escolheu ou que lhe foram impostas, ela as divide para outras vezes, como faz o viajante comum na Terra.
Falamos do Espírito mediano, e essa escala é muito grande, mas, quando se trata de Espírito missionário, esse a tudo suporta tanto dentro da carne como fora dela, tanto pisando nas lutas com os homens, quanto no mundo dos Espíritos em missões nas trevas.
O sofrimento, para esses Espíritos de escol, representa forças novas para seus caminhos.
E o que o Cristo deseja dos Seus discípulos novos nos caminhos do mundo: que eles se fortaleçam na fé renovada, mostrada pela Doutrina dos Espíritos, e nela bebam a água da vida, para a vida com Deus.
Pensemos na fé, estudemos todos os meios lícitos para conquistá-la, meditemos o quanto for necessário na a força  dessa confiança, na certeza de que a fé que pode encarar face a face a razão nos leva à esperança divina, no sentido de que a nossa presença, onde quer que estejamos, seja motivo de glória e de alegria, pela vida que levamos e no estímulo aos outros, para viver em paz.
Não nos inquietemos com os problemas que deverão surgir como teste do que já aprendemos; se acompanhamos o Cristo, os caminhos são tortuosos, cheios de espinhos, porém são eles que irão nos mostrar o que já aprendemos, na nossa renovação interior.
Aqueles que ainda não despertaram para o Culto do Evangelho no Lar, que o façam o mais urgente possível, que ele lhes dará os meios de compreender, junto a família, o valor da solidariedade, da compreensão do amor em conjunto e da paz, para que venham a viver cada dia o que Jesus ensinou em três anos de lutas, compreendendo e amando as criaturas que O perseguiam e até mesmo O expulsaram pelas vias de uma cruz.
Entretanto, Ele venceu a humanidade, Ele venceu o mal, amando sempre os Seus perseguidores que hoje, quase todos, se encontram na falange de amor, sofrendo e amando como Ele, a todos os retardatários.
A vida é avanço, a vida é amor. Amemos e prossigamos, que seremos um daqueles que, imitando o Cristo, tomam-se um sol nos caminhos de muitos.
Miramez
http://128 - No momento da encarnação, existe alguma perturbação para o espírito? (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXVVeEdaYkZhWG9zIw==)
Com um grande abraço de muita paz
[attach=2]
Manuel Altino
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marccello em 16 de Dezembro de 2012, 00:08
Olá queridos amigos(as)! :D
 
Que a paz e o amor de Jesus estejam sempre presentes em nossos corações!
Parabéns Karina e equipe pelo belo trabalho!

Muita paz. :)

[attachimg=1 width=650]
[attachimg=2 width=650]
[attachimg=3width=650]
[attachimg=4 width=650]
[attachimg=5width=650]
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 17 de Dezembro de 2012, 00:00
Obrigado aos irmãos que postaram seus textos, alias bem elaborados os quadrinhos.
A inquitação, mano Altino, é algo constante em nossa existência, estamos sempre ansiosos e inquietos com as possibilidades e perspectivas de nossos atos.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 17 de Dezembro de 2012, 23:06
Caros irmãos.Pode não ser regra geral,mas os espíritos têm semelhanças de características
de outras encarnações.Os comportamentos podem ser diferentes,dependendo da época,
pois as semelhanças dizem assim.Vejamos pelos casos dos espírito que se tem conhecimento
de ter tido várias encarações,como é o caso do espírito Joanna de Angelis,em relato psicogra-
-fado por Chico Xavier por Humberto de Campos e do próprio espírito por Divaldo Franco.O es-
-pírito  reencarnou em diferentes épocas como mulher,ligada a arte e a escrita,e sempre com Jesus.Desde a sua primeira aparição como Joana de Cusa,seguidora de Jesus e dos seus ensinamentos,depois como Clara de Assis(1194-1255),seguindo São Francisco de Assis,com freira fundou a ordem das Clarisses.Em outra encarnação(1651-1695)foi Juana de Asbaje,poe-
-tisa e teatróloga,mais outros predicados,e que usou o pseudônimo religioso de Juana Inês de la Cruz.Por último que se tem conhecimento como Joana Angélica de Jesus(1761-1822),vindo a se tornar freira.Hoje vive na espiritualidade apenas como Joanna de Angelis,de onde através do
médium Divaldo Franco tem seus livros psicografados.Sendo assim,pela permanência na espiri-
- tualidade já atingiu o seu grau máximo de moralidade.Entretanto se olharmos de uma maneira diferente,esses acontecimentos vai de encontro ao que se diz,que o espírito tanto pode reen-
-carnar como homem ou como mulher,salvo se este for uma exerção da regra.
Fiquem na paz.
Fonte de pesquisa:Google,Wilkipédia.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 18 de Dezembro de 2012, 09:17
Caros irmãos.Com relação ao meu post anterior,no que diz respeito ao espírito reencarnar
como homem ou como mulher,nas perguntas 201 e 202 feita por Kardec aos espíritos,tem
como resposta que poderia o mesmo espírito animar tanto o corpo de um homem como de
uma mulher.Entretanto,como se dá esse acontecimento do exemplo que citei,conhecidência
ou necessidade desse espírito vir naquela condição para dá continuidade a sua missão?
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 18 de Dezembro de 2012, 23:25


ENCARNAÇÃO, DESENCARNAÇÃO E REENCARNAÇÃO.wmv (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PS1wNDZ0N1NocVNBIw==)
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Felipa em 18 de Dezembro de 2012, 23:28
REENCARNAÇÃO PROVAS CIENTÍFICAS (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PV8xODQzVnhUTGpvIw==)
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: ednabr em 19 de Dezembro de 2012, 15:43
Este é um daqueles textos que, após lido por algumas vezes nos encanta e extasia.

AS TESTEMUNHAS
“Portanto, nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço.” — Paulo. (HEBREUS, 12:1.)

 
Cada existência humana é sempre valioso dia de luta — generoso degrau para a ascensão infinita —   e, em qualquer posição que permaneça, a criatura estará cercada por enorme legião de testemunhas. Não nos reportamos tão-somente àquelas que constituem parte integrante do quadro doméstico, mas, acima de tudo, aos amigos e benfeitores de cada homem, que o observam nos diferentes ângulos da vida, dos altiplanos da espiritualidade superior.
Em toda parte da Terra, o discípulo respira rodeado de grande nuvem de testemunhas espirituais, que lhe relacionam os passos e anotam as atitudes, porque ninguém alcança a experiência terrestre, a esmo, sem razões sólidas com bases no amor ou na justiça.
Antes da reencarnação, Espíritos generosos endossaram as súplicas da alma arrependida, juizes funcionaram nos processos que lhe dizem respeito, amigos interferiram nos serviços de auxílio, contribuindo na organização de particularidades da luta redentora... Esses Irmãos e educadores passam a ser testemunhas permanentes do tutelado, enquanto perdura a nova tarefa e lhe falam sem palavras, nos refolhos da consciência. Filhos e pais, esposos e esposas, irmãos e parentes consangüíneos do mundo são protagonistas do drama evolutivo, Os observadores, em geral, permanecem no outro lado da vida.
Faze, pois, o bem possível aos teus associados de luta, no dia de hoje, e não te esqueças dos que te acompanham, em espírito, cheios de preocupação e amor.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 19 de Dezembro de 2012, 23:40
Caro Antonio, entendo que por regra geral, os espiritos voltam ao plano material com as necessidades e as condições que o espirito possui e necessita para o seu progresso.
As tarefas a serem desempenhadas durante a encarnação, os reparos a serem feitos, os compromissos assumidos em encarnações pretéritas, que lhe colocam na situação atual é que são os balizadores da sua encarnação.
Assim sendo, o espirito terá o corpo fisico de acordo com esses compromissos a serem resgatados.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 20 de Dezembro de 2012, 23:48
Caro irmão Gustavo,eu não discordaria da sua resposta no todo,pois os espíritos responderam
também a Kardec,essa questão da reencarnação do espírito ser de acordo com as provas que
ele tenha que passar(pergunta 202 do OLE).Entretanto eu coloco novamente as semelhanças 
de características,no caso do espírito no qual citei como exemplo:Joanna de Angelis sempre
reencanou como mulher em diferentes épocas,sempre ligada a arte e as letras,e também como religiosa.Seria então essa a razão pois teria que dá continuidade a sua missão como mulher?
Fique na paz.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Mirina em 21 de Dezembro de 2012, 01:07
Olá Antonio,

sei que Joana de Angelis é um espírito muito respeitado por suas mensagens e sabedoria, mas se analisarmos sua pergunta sob a ótica da Doutrina Espirita, utilizando o principio que, enquanto não aceita evoluir, o espírito permanece estacionário em determinado grau, suponho que a coincidência de este espírito ter encarnado inúmeras vezes como mulher se deve ao fato de que, em algum momento falhou no aprendizado e foi obrigado a rever em outra encarnação novamente com um envoltório feminino.

Neste caso a resposta do Gustavo é condizente com a questão, pois o que determina as condições do envoltório físico de um espírito em cada encarnação é a sua necessidade de aprendizado.

Abraços,

Mirina
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marcos W. Silva em 21 de Dezembro de 2012, 02:17
Olá amigos, boa noite. Em OLE.

991.? Qual a consequência do arrependimento no estado espiritual?
" Desejar o arrependido uma nova encarnação para se purificar.  O Espírito compreende as imperfeições que o privam de ser feliz e por isso aspira a uma nova existência em que possa expiar suas faltas."


O Espírito que reconhece seus equívocos demonstra abertura para novos empreendimentos. E isso significa necessidade de voltar a reencarnar para refazer tudo que deixou de realizar em benefício de sua evolução. Quando tem méritos e entendimento pode escolher a natureza das provas porque tem que passar. Mas há situações em que o sofrimento é imposto, obrigatório mesmo, geralmente em casos de repetidas quedas ante as provas, no passado, escolhidas.

Abraços.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 21 de Dezembro de 2012, 10:02
Meu nobre irmão Marcos.No caso do espírito que citei como exemplo,não houve arrependimento
baseado nos equívocos das sua provas,pois as semelhanças das suas reencarnações diz que
não.Voltar a reencarnar para refazer tudo que deixou de realizar em benefício da sua evolução,
nisso sim há concordância.Agora se voltarmos a sua primeira encarnação como Joana de Cusa,
baseado em seu histórico a que se tem conhecimento,o seu desencarne foi de forma violenta
assim como o último como Joana de Jesus,seria então uma das provas que teria que passar?
Fique na  paz.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 21 de Dezembro de 2012, 17:20
Minha querida irmã Mirina,eu não discordo totalmente da sua posição em dá essa resposta,
assim como não discordei da mesma forma a resposta do nosso irmão Gustavo.Pode até
parecer que eu esteja tentando ser sempre contrário,mas não é verdade.Eu sempre
costumo dizer para as pessoas que o mundo espiritual é muito sutil,nas formas em que se
apresenta,e essas sutilezas nos obrigam a ter várias interpretações.De imediato seria desta
forma a ser respondido a esse meu questionamento,mas se analisarmos o reencarne deste
mesmo espírito em épocas diferentes,veremos que foram semelhantes na forma que se apre-
-sentavam:Nivel intelectual elevado,ligado a arte e a escrita,forte religiosidade,e sua estreita
ligação com Jesus.Pode-se dizer então que os acontecimentos estão ligados a sua evolução,
sendo este espírito de um grau de adiantamento muito grande,em relação aos demais,então
em que ele falhou,para ter que voltar e começar tudo novamente?
Fique na paz.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Roberto Morais em 22 de Dezembro de 2012, 22:31
Como vai ser agora que estamos em um mundo de regeneração, os comentários orientando como prova e expiação estão sem sentido.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Antonio Renato em 23 de Dezembro de 2012, 08:07
Meu caro irmã Roberto,que prova você teria para essa sua afirmação de que já estamos em um
mundo de regeneração?Como justificar as violências e os sofrimentos que ainda estamos sujei-
-tos?Em um mundo de regeneração,esses acontecimentos já não se justificam em rasão do adi-
-antamento e evolução dos espíritos que lá habitam.O próximo passo para o espírito que anima
o nosso corpo será este,depois que resgatar todas as provas que tenha que passar nesse nos-
-so mundo ainda de expiação.
Fique na paz.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 23 de Dezembro de 2012, 20:08
Obrigado pelas manifestações.
Entendo realmente que o processo reencarnatório dá-se essencialmente pelas necessidades do espirito reencarnante, seja na composição fisica seja no local em que ele nascer.
Assim sendo cada um terá o que lhe for melhor para o seu progresso moral.
Quanto a evolução do planeta, com certeza se dará, mas não de forma automática como nosso irmão imagna.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Marcos W. Silva em 26 de Dezembro de 2012, 16:10
Meu nobre irmão Marcos.No caso do espírito que citei como exemplo,não houve arrependimento
baseado nos equívocos das sua provas,pois as semelhanças das suas reencarnações diz que
não.Voltar a reencarnar para refazer tudo que deixou de realizar em benefício da sua evolução,
nisso sim há concordância.Agora se voltarmos a sua primeira encarnação como Joana de Cusa,
baseado em seu histórico a que se tem conhecimento,o seu desencarne foi de forma violenta
assim como o último como Joana de Jesus,seria então uma das provas que teria que passar?
Fique na  paz.

Amigo Antonio, desculpe a demora, é que estou com problemas com minha máquina. No caso de Joana de Cusa, ao que me consta, martirizada no circo, desempenhou uma missão, que era   exemplificar a abnegação e fidelidade aos seus ideais (cristãos).

Abraços.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 26 de Dezembro de 2012, 17:53
Dúvida acerca do processo reencarnatório

A reencarnação procede-se com a participação de espíritos existentes em ambos os planos da realidade.

Assim, entende-se que são os espíritos desencarnados que planejam e dirigem o processo reencarnatório.

Mas é imprescindível a participação de espíritos encarnados na execução do processo reencarnatório, através da procriação, para que se efetive a reencarnação.

Ora, sabe-se que a procriação de seres humanos, no geral, pode ser praticada por quaisquer espíritos encarnados, independentemente da sua qualidade espiritual.

Por outras palavras: tanto os seres humanos classificados como bons espíritos encarnados como os seres humanos classificados como maus espíritos encarnados, incluindo os denominados impuros, podem participar do processo reencarnatório na Terra.

Suscita-se, então, a seguinte pergunta:

Os espíritos desencarnados, classificados como impuros, podem também participar do processo reencarnatório efetivado na Terra, planejando e dirigindo reencarnações?
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Mourarego em 26 de Dezembro de 2012, 18:29
Mano Lineu você pergunta:
"Os espíritos desencarnados, classificados como impuros, podem também participar do processo reencarnatório efetivado na Terra, planejando e dirigindo reencarnações?"

A reposta é não.
Ora pois se estão na classe dos Impuros não adquiriram nem intelecto e nem moral para efetuarem corretamente tal trabalho.
Porém se a questão visasse aos encarnados a resposta tenderia a ser Sim.
por que?
Bem, com a encarnação destina-se ao progresso intelecto-moral de todos os Espíritos, nesta fase mesmo os Impuros encarnados estrariam a participar das lições que as vicissitudes pelas quais passassem lhes viessem a ensinar. estariam sim a dirigir mas apenas as suas ações, mas pelo bom exemplo que pudessem dar, Se houvessem já adquiridos certo conhecimento, poderiam ajudar também ao núcleo familiar em que vieram.
Abraços,
Moura

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 26 de Dezembro de 2012, 19:44
Citação de: Mourarego
A reposta é não.
Ora pois se estão na classe dos Impuros não adquiriram nem intelecto e nem moral para efetuarem corretamente tal trabalho.

Citação de: Allan Kardec, no item 102 do Livro dos Espíritos.
Quando encarnados, inclinam-se a todos os vícios que as paixões vis e degradantes engendram: a sensualidade, a crueldade, a felonia, a hipocrisia, a cupidez e a avareza sórdida. Fazem o mal pelo prazer de fazê-lo, no mais das vezes sem motivo, e, por aversão ao bem, que sempre escolhem suas vítimas entre as pessoas honestas. Constituem verdadeiros flagelos para a Humanidade, seja qual for a posição social que ocupem e o verniz da civilização não os livra do opróbrio e da ignomínia.

Ora, segundo Kardec, os espíritos impuros encarnados podem ocupar relevantes posições sociais na Terra, ostentando vernizes da civilização.

E a História da Humanidade registra a existência de elevado número de espíritos impuros encarnados, dotados de avançados graus intelectuais.

Obviamente é lícito presumir que tais espíritos, na condição de desencarnados, não perdem as suas qualidades intelectuais...

E que, assim dotados intelectualmente, ao que parece, dispõem de poder intelectual necessário e suficiente para planejar e dirigir encarnações na Terra.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 27 de Dezembro de 2012, 11:31
Meu caro Moura, obrigado pela sua participação nesse estudo com suas respostas sempre precisas e objetivas.
Quanto ao seu questionamento Lineu, não entendi exatamente o que você quer dizer com "planejar e dirigir encarnações na terra".
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 27 de Dezembro de 2012, 13:37
Citação de: Gustavo Rettenmaier
Quanto ao seu questionamento Lineu, não entendi exatamente o que você quer dizer com "planejar e dirigir encarnações na terra".

Segundo o Espiritismo, as reencarnações na Terra são planejadas, preparadas e dirigidas por espíritos desencarnados, interessados no progresso deste planeta.

Os espíritos superiores, administradores e indutores do progresso da Terra, interessam-se tanto pelo progresso científico-tecnológico quanto pelo progresso moral da humanidade deste planeta, com ênfase ao aspecto de moralidade. E trabalham no sentido de transformar este planeta num mundo de regeneração, sob o império da justiça, isento da selvageria e da crueldade.

Já, os espíritos desencarnados, ainda imperfeitos, sobretudo os impuros, interessam-se apenas pelo progresso científico-tecnológico da Terra. Mas não se interessam pela moralização da sua humanidade; pelo contrário, tudo fazem no sentido de mantê-la propícia à prática do mal. E trabalham com o propósito de impedir o seu avanço moral, induzindo-lhe condições favoráveis à injustiça, plena de selvageria e crueldade.

Daí, a pergunta: Os espíritos desencarnados, classificados como impuros, podem também participar do processo reencarnatório efetivado na Terra, planejando, preparando e dirigindo reencarnações?

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Kazaoka em 27 de Dezembro de 2012, 16:10
Espíritos imperfeitos ou impuros têm poder de influenciação apenas em suas próprias reencarnações, seja solicitando-a e/ou fazendo a escolha da natureza da provas que queira passar. E aí encerra a sua participação no processo.

Os Espíritos que zelam pelo processo reencarnatório na sua expressão geral, são Espíritos puros, que não necessitam mais reencarnarem e que são os ministros que recebem diretamente de Deus as ordens para as tarefas a serem executadas, entre elas está a reencarnação.

A coordenação geral dos processos reencarnatórios é missão restrita aos Espíritos perfeitos designados por Deus para tal incumbência, os Espíritos imperfeitos ou impuros têm suas participações limitadas somente ao processo reencarnatório de si mesmos. 
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 27 de Dezembro de 2012, 23:13
Obrigado ao mano Kazaoka pelos esclarecimentos feitos, de forma clara e coerente.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 28 de Dezembro de 2012, 00:03
Citação de: Kazaoka
A coordenação geral dos processos reencarnatórios é missão restrita aos Espíritos perfeitos designados por Deus para tal incumbência, os Espíritos imperfeitos ou impuros têm suas participações limitadas somente ao processo reencarnatório de si mesmos.
 

As afirmativas da citação acima são peremptórias. E transmitem a ideia de que são fundamentadas por preceitos doutrinários específicos, revelados pelos Espíritos Superiores.

Pede-se, pois, ao Senhor Kazaoka a indicação da parte da codificação espírita onde constam tais preceitos doutrinários.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Kazaoka em 28 de Dezembro de 2012, 01:21
258 Na espiritualidade, antes de começar uma nova existência corporal, o Espírito tem consciência e previsão das coisas que acontecerão durante sua vida?

Ele mesmo escolhe o gênero de provas que quer passar. Nisso consiste seu livre-arbítrio.

Nessa resposta e mais especificamente na parte grifada, fica esclarecido que o Espírito tem a liberdade de escolher o gênero das provas as quais deverá passar. E diz respeito somente a ele porque a sua liberdade de escolha não pode alterar a liberdade dos outros Espíritos que farão parte da sua existência como encarnado. Por isso cada um jurisdiciona somente sobre si mesmo.


Primeira ordem – Espíritos puros
[/b]

112 Características gerais – Não sofrem nenhuma influência da matéria. Superioridade intelectual e moral absoluta em relação aos Espíritos das outras ordens.

113 Primeira classe. Classe Única – Passaram por todos os graus da escala e se libertaram de todas as impurezas da matéria. Tendo atingido o mais elevado grau de perfeição de que é capaz a criatura, não têm mais que sofrer provas nem expiações. Não estando mais sujeitos à reencarnação em corpos perecíveis, a vida é para eles eterna e a desfrutam no seio de Deus.

Gozam de uma felicidade inalterável por não estarem sujeitos nem às necessidades, nem às variações e transformações da vida material. Mas essa felicidade não é de uma ociosidade monótona passada numa contemplação perpétua. São os mensageiros e ministros de Deus, cujas ordens executam para a manutenção da harmonia universal. Comandam todos os Espíritos que lhes são inferiores, ajudando-os a se aperfeiçoarem e lhes designam missões. Assistir os homens em suas aflições, incitá-los ao bem ou à expiação das faltas que os afastam da felicidade suprema é para eles uma agradabilíssima ocupação. São chamados, às vezes, de anjos, arcanjos ou serafins.

Quando um Espírito errante pede a Deus a oportunidade de uma nova encarnação, se for atendido, ele recebe a permissão dada por Deus através de seus ministros, que no caso são os Espíritos puros, porque estes são os que estão incumbidos de executarem as ordens de Deus. E no trecho da resposta acima, quando o Espírito diz; "Comandam todos os Espíritos que lhes são inferiores, ajudando-os a se aperfeiçoarem e lhes designam missões", e sabendo que a evolução do Espírito ocorre na fase de encarnado, então esta ajuda no aperfeiçoamento e essa designação de missões só pode ser feita pelos Espíritos puros que recebem as ordens diretamente de Deus em obediência às suas vontades, que nessa passagem do OLE, assim como em várias outras, fica bem sugestiva a ideia de que o processo reencarnatório na sua expressão mais ampla é conduzida por estes seres da ordem mais elevada da escala de progressão dos Espíritos.

Espero que tenha satisfeito o questionamento do nosso companheiro Lineu.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 28 de Dezembro de 2012, 02:21
Citação de: Kazaoka
[...] e que nessa passagem do OLE, assim como em várias outras, fica bem sugestiva a ideia de que o processo reencarnatório na sua expressão mais ampla é conduzida por estes seres da ordem mais elevada da escala de progressão dos Espíritos.

Sim, sugere. Mas não explicita.

A codificação espírita relaciona-se intimamente com as ideias filosóficas de Sócrates, registradas por Platão.

As ideias de Sócrates, por sua vez, denotam influências do pensamento desenvolvido no Antigo Egito, particularmente a filosofia conhecida por Hermetismo.

A segunda lei hermética, conhecida como a Lei da Correspondência, encontra-se enunciada da seguinte forma:” O que está em cima é como o que está embaixo. E o que está embaixo é como o que está em cima”. E parece esclarecer que o que é verdadeiro no macrocosmo é também verdadeiro no microcosmo e vice-versa.

Daí a suscitação da dúvida apresentada, referente à participação de espíritos impuros desencarnados, avançados intelectualmente, em processos reencarnatórios que flagelam a humanidade.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 28 de Dezembro de 2012, 11:30
Manos Lineu e Kazaoka, muito interessante esse debate acerca da influencia ou não dos espiritos de moral menos elevada, sobre o processo, ou os processos reencarnatórios que interferem no cotidiano do planeta.
Parece-me que o processo reencarnatório deve, pelas colocações desse debate, ser divido em duas partes, sendo a primeira, a preparação do espirito reencarnante, desde o momento em que ele, seja pela solicitação, seja pela imposição, começa a preparar-se para o regresso, estabelecendo um plano a ser executado.
E a segunda parte, a execução desse plano, o qual ai sim, esta seriamente sujeito a interferência do plano espiritual inferior.
Acredito tambem que, a DE vem ampliar o entendimento e o conhecimento sobre aquilo que filósofos e lideres religiosos sempre disseram, desde que o ser humano começou a ser humano. Mas como todo avanço, acaba superando as teses anteriores.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 29 de Dezembro de 2012, 01:53
Citação de: Gustavo Rettenmaier
Parece-me que o processo reencarnatório deve ser divido em duas partes, sendo a primeira, a preparação do espirito reencarnante[...] E a segunda parte, a execução desse plano, o qual ai sim, esta seriamente sujeito a interferência do plano espiritual inferior.

Por processo reencarnatório, parece certo entender a maneira pela qual se realiza a reencarnação de seres humanos no plano material, segundo determinadas normas. Trata-se, então, de compreender a técnica ou o método observados para tal realização.

O desenvolvimento de tal processo, conforme a revelação espírita, ocorre através de ações praticadas simultaneamente em ambos os planos da realidade, com a efetiva participação de espíritos encarnados e de espíritos desencarnados.

O método e a técnica para a realização de reencarnações no plano material, envolvendo ações praticadas por seres humanos encarnados são perfeitamente conhecidos e normatizados pela lei natural de reprodução humana. E podem ser realizados, no geral, por quaisquer seres humanos encarnados, independentemente das suas qualidades morais.

Quanto às ações praticadas por espíritos desencarnados na realização do processo reencarnatório, a revelação espírita refere-se a elas com informações muito simples e pouco esclarecedoras. E não menciona informações relativas à metodologia e a técnica observadas nesse processo...

E nem vagamente alude aos espíritos desencarnados que não podem participar do processo reencarnatório no plano material.

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 29 de Dezembro de 2012, 17:09
"O desenvolvimento de tal processo, conforme a revelação espírita, ocorre através de ações praticadas simultaneamente em ambos os planos da realidade, com a efetiva participação de espíritos encarnados e de espíritos desencarnados."
Essa afirmativa, meu caro Lineu, parece ser ponto pacifico em toda a questão.
Os demais pontos existentes nesse estudo e debate, ficam muito a cargo do entendimento de cada um acerca daquilo que a codificação apresenta.
Liberdade plena, apenas aquele que tenha elevação suficiente para tal.
A inferioridade moral, em especial de um planeta como o nosso, não nos permite muito mais do que elaborar teses para estudarmos, seja sobre o assunto que for, nesse não é diferente.
As leis de reprodução estão, como tudo, dentro das leis naturais, eternas e imutaveis, criadas por Deus.
É dentro dessa otica que devemos entender esse, e qualquer outro processo, remetendo-nos as primeiras questões do LE que diz que "Deus é soberanamente justo e bom."
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Kazaoka em 29 de Dezembro de 2012, 17:28
A participação do homem (Espírito encarnado) no processo reencarnatório, numa análise mais superficial, está restrita à geração de corpos para receberem os encarnantes.

Mas, podemos aprofundar um pouco mais nessa questão e ai as coisas começam a tomar ar de gravidade e de responsabilidade nossa que, talvez, vá mais de encontro com o que o companheiro Lineu está querendo nos mostrar.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Kazaoka em 29 de Dezembro de 2012, 18:13
Nessa questão de forças malignas atuarem ou intervirem em processos reencarnatórios não é totalmente descartada, desde que compreendamos que a ação das forças morais, que é o que tentamos tratar aqui, são dependentes de uma similitude, de uma afinidade entre as partes para que tais forças, positivas ou negativas, possam atuarem. E Deus permite que isso ocorra para que os Espíritos, através da vivência daquilo que eles próprios reivindicaram, experimentem, eles mesmos, o efeito da vibração e da afinidade com as forças que atraíram. 

E quando analisamos a questão por este ângulo, sabendo que o Espírito não retrograda, pois a DE nos ensina que ninguém vira anjo porque desencarnou, e muito menos Espírito bom decai por que reencarnou, sabendo que o avanço espiritual ocorre no período como encarnado, então é extremamente importante percebermos que se queremos um mundo melhor, habitado por Espíritos menos imperfeitos, Espíritos benévolos e, sabendo também, que vêm para cá os mesmos seres que mandamos para lá (erraticidade), isso significa que a nossa conscientização da necessidade do trabalho moral para a educação dos Espíritos que já estão encarnados e a nossa vibração positiva para atrair os bons que hão de vir é que determinará a sobre-posição do bem frente ao mal neste mundo em transformação. E somos nós mesmos os operários dessa obra, tendo como mestres todos reveladores que Deus enviou para iluminarem nossas mentes, que para nós Cristãos temos a Jesus como modelo moral a ser seguido.

O anjo do mal não está na erraticidade interferindo ou concorrendo nas ações dos Espíritos puros, ministros de Deus, ou agindo sob comando da vontade de uma única mente perversa tão poderosa quanto Deus. Na verdade este anjo do mal que interfere até no povoamento do globo está no coração de cada um de nós e sendo nutrido pelas nossas imperfeições e paixões inferiores, e precisa ser transformado.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 29 de Dezembro de 2012, 18:35
Citação de: Kazaoka
A participação do homem (Espírito encarnado) no processo reencarnatório está restrita à geração de corpos para receberem os encarnantes.

Parece que não.

Lembre-se que obstetras também podem participar de processos reencarnatórios, inclusive realizando cesarianas. E, igualmente, médicos especialistas em fertilizações “in vitro” e inseminações artificiais e etc, também podem participar...

Tudo isso, sem referir as possibilidades tendentes a impedir o desenvolvimento de fetos, abortando processos reencarnatórios.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Kazaoka em 29 de Dezembro de 2012, 18:49

Lembre-se que obstetras também podem participar de processos reencarnatórios, inclusive realizando cesarianas. E, igualmente, médicos especialistas em fertilizações “in vitro” e inseminações artificiais e etc, também podem participar...

Tudo isso, sem referir as possibilidades tendentes a impedir o desenvolvimento de fetos, abortando processos reencarnatórios.


E você acha que a vontade do homem ou até mesmo sua imprevidência pode suplantar os desígnios de Deus?

A DE diz que pode haver corpos em formação para os quais Deus não determinou nenhum Espírito para neles reencarnarem, nesse caso a criança não sobrevive, e aí enquadram alguns dos exemplos que você citou e a outros ficam restritos apenas a ação do homem na biologia de formação dos corpos, não chegando a interferir naquilo que foi acertado e executado nas esferas superiores.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 29 de Dezembro de 2012, 19:14
Citação de: Kazaoka
E você acha que a vontade do homem ou até mesmo sua imprevidência pode suplantar os desígnios de Deus?

Claro que não.

Mas, em ambos os planos da realidade existem espíritos inclinados ao mal que, por aversão ao bem, tudo fazem no sentido de subverter a lei natural, na tresloucada tentativa de suplantar os desígnios divinos.

Saliente-se que no plano material, além dos espíritos encarnados, há também os desencarnados, todos influenciando-se reciprocamente.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 29 de Dezembro de 2012, 20:26
Meus caros Lineu e Kazaoka, um debate interessante sem duvida, mas entendo que a participação de espiritos inferiores no proceso reencarnatório estará, como mano Kazaoka bem disse, dentro dos limites estabelecidos por Deus para que possamos efeuar os ajustes necessários a evolução do ser humano de forma individual e coletiva.
Alias, a sugestão de que o plano espiritual inferior tenha uma organização intelectuo-moral capaz de alterar o panejamento estabelecido por Deus, a sua revelia, é uma das tantas "viajadas", que ja li por ai.
O processo reencarnatório, seja como, quando ou de quem for, segue as regras estabelecidas pr Deus, as quais dizem, entre outras coisas, que estamos com quem nos afinizamos.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 29 de Dezembro de 2012, 22:00
Citação de: Gustavo Rettenmaier
...é uma das tantas "viajadas", que ja li por ai.

... estamos com quem nos afinizamos.

É...

Parece que basta.

Agradecimentos.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Max Odilon em 01 de Janeiro de 2013, 04:13
Citação de: Kazaoka
A coordenação geral dos processos reencarnatórios é missão restrita aos Espíritos perfeitos designados por Deus para tal incumbência, os Espíritos imperfeitos ou impuros têm suas participações limitadas somente ao processo reencarnatório de si mesmos.
 

As afirmativas da citação acima são peremptórias. E transmitem a ideia de que são fundamentadas por preceitos doutrinários específicos, revelados pelos Espíritos Superiores.

Pede-se, pois, ao Senhor Kazaoka a indicação da parte da codificação espírita onde constam tais preceitos doutrinários.

Olá! Feliz 2013 a todos!

Também concordo com o amigo lineu! Onde está a fonte doutrinária dessa informação?

Abraços!

Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Mourarego em 01 de Janeiro de 2013, 15:10
Está em OLE, no ESE, na RE, basta procurar e estudar.
Razão para tal: Deus não daria tarefa tão importante à Espíritos que pudessem falhar.
abraços,
Moura
Citação de: Kazaoka
A coordenação geral dos processos reencarnatórios é missão restrita aos Espíritos perfeitos designados por Deus para tal incumbência, os Espíritos imperfeitos ou impuros têm suas participações limitadas somente ao processo reencarnatório de si mesmos.
 

As afirmativas da citação acima são peremptórias. E transmitem a ideia de que são fundamentadas por preceitos doutrinários específicos, revelados pelos Espíritos Superiores.

Pede-se, pois, ao Senhor Kazaoka a indicação da parte da codificação espírita onde constam tais preceitos doutrinários.

Olá! Feliz 2013 a todos!

Também concordo com o amigo lineu! Onde está a fonte doutrinária dessa informação?

Abraços!


Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 01 de Janeiro de 2013, 23:09
Obrigado Moura pelos esclarecimentos, alias, percebe-se que se precisa, e muito, estudar a DE com muito afinco e seriedade, deixando de lado dogmas ou pré conceitos que pssam obscurecer o raciocinio.
Esperamos que esse estudo tenha sido util, salientando que não esgota-se por si mesmo, podendo, e devendo ter continuidade.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: lineu em 02 de Janeiro de 2013, 00:22
Citação de: Mourarego
Está em OLE, no ESE, na RE, basta procurar e estudar.
Razão para tal: Deus não daria tarefa tão importante à Espíritos que pudessem falhar.

Pressupõe-se que um estudo sério, relacionado ao tema definido como processo reencarnatório, dentre inúmeras variáveis, também deve admitir a apresentação de dúvidas pessoais, no contexto do tema.

Uma dúvida referente ao processo reencarnatório foi devidamente apresentada, em termos respeitosos, na mensagem #130 deste tópico de estudo.

Ora, não tem sentido responder que “basta procurar e estudar” as Obras Básicas da Codificação para dirimir a dúvida suscitada.

Tal resposta, no mínimo, pode ser interpretada como descaso.

Smj.
Título: Re: Processo Reencarnatório
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 02 de Janeiro de 2013, 10:59
Meu caro Lineu, sua questão do post #130 foi respondida nos post seguintes.
Levantei inclusive o questionamento sobre o que você considera processo reencarnatório para responder.
A questão parece simples: a reencarnação é planejada e organizada, no plano espiritual pelos espiritos mais elevados, tendo os espiritos menos elevados, e os encarnados, a possibilidade unica de escolher as provas pelas quais pretendem passar. E atente para a palavra possibilidade.
O livre arbitrio da, aos encarnados a possibilidade de, esquecendo o que havia planejado, fugir da responsabilidade, apenas isso.