Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: zeni em 01 de Novembro de 2009, 18:14

Título: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 01 de Novembro de 2009, 18:14

[youtube=640,385]-BIg793WZAc[/youtube]
Olá! A todos do Fórum.

Tema para Estudo: (  O PENSAMENTO )

Trago um tema o qual tenho muito a aprender sobre este verdadeiro tesouro nos deixado por Deus, que para mim em particular, é uma função muito importante no espírito, dos encarnados e desencarnados.

SEGUE ALGUMAS PERGUNTAS:
O que é o pensamento?
Pensar é desejar?
Qual a origem do pensamento?
Qual a função do pensamento no perispírito?
O pensamento positivo ou negativo influência n o desenvolvimento espiritual e moral?

"A FORÇA DO PENSAMENTO INFLUENCIA O PRÓPRIO DESTINO HUMANO.

 O ato de pensar é um dos mais poderosos recursos do indivíduo; é a própria capacidade da mente de transfortmar ondas energéticas, dando-lhes solidez, forma e sentido. A matéria mental é o instrumento sutil da vontade, atuando na manutenção e na estrutura do corpo físico."
Hammed / Francisco do Espírito Santo Neto

 Lendo alguns testos na internet estava este (A MENTE HUMANA E SEU PODER DE REALIZAÇÃO)
O que você grava na mente subconsciente, está programado para se tornar realidade física. O pensamento dá a ordem e o subconsciente cumpre. Por isso, você é o resultado dos seus pensamentos. Seu pensamento é sua verdadeira oração. Todo pensamento que o subconsciente aceita como verdadeiro, ele move céus e terra para realizá-lo.

O PODER DE PENSAR

Como é o pensamento que aciona o poder do subconsciente, na verdade pensar é poder. Acredite que você e Deus formam uma só unidade todo-poderosa e por isso você irradia paz para todas as pessoas. Não deve existir lugar para tristeza, mágoas, ressentimentos, solidão e nervosismo. Esse enlace com a força divina nos fortalece para enfrentar a vida. Isso é mudar o padrão dos pensamentos e, conseqüentemente, mudar os rumos da própria vida.



Aqui é algo do livro QUALIDADE DE VIDA
E ESPIRITISMO Jose Carlos Leal. Página 19  André Luiz:"
Compreendemos assim, perfeitamente, que a matéria mental é o instrumento
sutil da vontade, atuando nas formações da matéria física, gerando as motivações de
prazer ou desgosto, alegria ou dor, otimismo ou desespero, que não se reduzem
efetivamente a abstrações, por representarem turbilhões de força em que a alma cria os
seus próprios estados de mentação indutiva, atraindo para si mesma os agentes (por
enquanto imponderáveis na Terra), de luz ou de sombra, vitória ou derrota, infortúnio
ou felicidade." (Idem, IV, "Matéria Mental", p. 47.)
É nesse sentido que se pode dizer que somos resultado do que pensamos. Com
os nossos pensamentos construímos o céu ou o inferno. Lembremos as palavras de Jesus
a nos dizer: "O Reino do Céu está em vós." Pelo pensamento atraímos para o nosso lado
as boas ou más companhias que conosco partilham a mesma esfera mental. Jesus em seu
Evangelho disse certa vez: "Orai e Vigiai." E, parafraseando Jesus, podemos dizer: orai
e vigiai-vos, ou seja, orar é importante, muito importante mesmo, mas é necessário
também fiscalizar a qualidade do que pensamos e do que recebemos mentalmente.
Não podemos perder de vista também que o pensamento é uma instância
criativa. Emitindo uma idéia, falando ou mesmo escrevendo, essa idéia pode se
corporificar e se manter na intensidade e na força com que a sustentamos. É disso que se
está falando quando nos referimos as formas-pensamento. Com elas, o homem pode
talhar os degraus na escada da própria evolução ou as algemas que o mantém preso aos
estados inferiores da vida espiritual.

AÇÃO DA PRECE. - TRANSMISSÃO DO PENSAMENTO

No capítulo XXVII página 373 do  Evangelho Segundo o Espiritismo de  Allan Kardec

9. A prece é uma invocação, mediante a qual o homem entra, pelo pensamento, em
comunicação com o ser a quem se dirige. Pode ter por objeto um pedido, um agradecimento,
ou uma glorificação. Podemos orar por nós mesmos ou por outrem, pelos vivos ou pelos
mortos. As preces feitas a Deus escutam-nas os Espíritos incumbidos da execução de suas
vontades; as que se dirigem aos bons Espíritos são reportadas a Deus. Quando alguém ora a
outros seres que não a Deus, fá-lo recorrendo a intermediários, a intercessores, porquanto
nada sucede sem a vontade de Deus.
10. O Espiritismo torna compreensível a ação da prece, explicando o modo de
transmissão do pensamento, quer no caso em que o ser a quem oramos acuda ao nosso apelo,
quer no em que apenas lhe chegue o nosso pensamento. Para apreendermos o que ocorre em
tal circunstância, precisamos conceber mergulhados no fluido universal, que ocupa o espaço,
todos os seres, encarnados e desencarnados, tal qual nos achamos, neste mundo, dentro da
atmosfera. Esse fluido recebe da vontade uma impulsão; ele é o veículo do pensamento, como
o ar o é do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, ao passo que as
do fluido universal se estendem ao infinito. Dirigido, pois, o pensamento para um ser
qualquer, na Terra ou no espaço, de encarnado para desencarnado, ou vice-versa, uma
corrente fluídica se estabelece entre um e outro, transmitindo de um ao outro o pensamento,
como o ar transmite o som.
A energia da corrente guarda proporção com a do pensamento e da vontade. E assim
que os Espíritos ouvem a prece que lhes é dirigida, qualquer que seja o lugar onde se encontrem; é assim que os
Espíritos se comunicam entre si, que nos transmitem suas inspirações, que relações se
estabelecem a distância entre encarnados.
Essa explicação vai, sobretudo, com vistas aos que não compreendem a utilidade da
prece puramente mística. Não tem por fim materializar a prece, mas tornar-lhe inteligíveis os
efeitos, mostrando que pode exercer ação direta e efetiva. Nem por isso deixa essa ação de
estar subordinada à vontade de Deus, juiz supremo em todas as coisas, único apto a torná-la eficaz.


 PENSAMENTO – INFORMAÇÃO
 
DO LIVRO DOS ESPÍRITOS [1] destaco as seguintes passagens:
 
Ítem V da Introdução: “Em certos casos, as respostas revelam tal cunho de sabedoria, de profundeza e de oportunidade; exprimem pensamentos tão elevados, tão sublimes, que não podem emanar senão de uma Inteligência superior, impregnada da mais pura moralidade.”
 
Ítem XIII da Introdução: “Os Espíritos superiores não se preocupam absolutamente com a forma. Para eles, o fundo do pensamento é tudo.”.
 
Frase contida no primeiro parágrafo da questão 100 sobre Escala Espírita: “Para eles, o pensamento é tudo.”
 
Comentário de Kardec à questão 462: “Se fora útil que pudéssemos distinguir claramente os nossos pensamentos próprios dos que nos são sugeridos, Deus nos houvera proporcionado os meios de o conseguirmos, como nos concedeu o de diferençarmos o dia da noite. (...)”
 
Comentário de Kardec à questão 662: “O pensamento e a vontade representam em nós um poder de ação que alcança muito além dos limites da nossa esfera corporal. (...)”
 
Questão 835: “835. Será a liberdade de consciência uma conseqüência da de pensar?
 
“A consciência é um pensamento íntimo, que pertence ao homem, como todos os outros pensamentos.”
 


DO LIVRO A GÊNESE [2], destaco as seguintes passagens:
 
Ítem 14 do Cap. XIV: “Para os Espíritos, o pensamento e a vontade são o que é a mão para o homem. Pelo pensamento, eles imprimem àqueles fluidos tal ou qual direção, os aglomeram, combinam ou dispersam, organizam com eles conjuntos que apresentam uma aparência, uma forma, uma coloração determinadas; (...). É a grande oficina ou laboratório da vida espiritual. (...) Por análogo efeito, o pensamento do Espírito cria fluidicamente os objetos que ele esteja habituado a usar.”
 
Ítem 16 do Cap. XIV: “Sendo esses fluidos o veículo do pensamento e podendo este modificar-lhes as propriedades, é evidente que eles devem achar-se impregnados das qualidades boas ou más dos pensamentos que os fazem vibrar, modificando-se pela pureza ou impureza dos sentimentos.”
            




BIBLIOGRAFIA:

[1] -   KARDEC, O LIVRO EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO ALLAN KARDEC.
[2].-  QUALIDADE DE VIDA  E ESPIRITISMO Jose Carlos Leal..
[3] -  A. GÊNEZE
[4] - O. LIVRO DOS ESPÍRITOS

FILMES SOBRE O TEMA:

O SEGREDO.
QUEM SOMOS NÓS.


SITES RELACIONADOS:

http://www.paginaespirita.com.br/o_pensamento.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wYWdpbmFlc3Bpcml0YS5jb20uYnIvb19wZW5zYW1lbnRvLmh0bQ==)
 
http://www.oespiritismo.com.br/textos/ver.php?id1=107 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5vZXNwaXJpdGlzbW8uY29tLmJyL3RleHRvcy92ZXIucGhwP2lkMT0xMDc=)

http://www.comunidade-espiritual.com/blog.php?sub_section=view&id=11444 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jb211bmlkYWRlLWVzcGlyaXR1YWwuY29tL2Jsb2cucGhwP3N1Yl9zZWN0aW9uPXZpZXcmYW1wO2lkPTExNDQ0)

PALESTRA ESPIRITA PENSAMENTO:

http://www.youtube.com/watch?v=bAO6r-YOkbY (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWJBTzZyLVlPa2JZ)


Abraços a todos Zeni.


Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: MarcoALSilva em 01 de Novembro de 2009, 18:21

Ainda hoje, em outro tópico, pude postar o trecho adiante transcrito, certamente pertinente a este estudo.

(origem: CVDEE – Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo - Estudos sobre Mediunidade)

[...]
O PENSAMENTO
A ciência espírita nos ensina que a ordem realmente nasce na vontade do Espírito que, por uma "vibração nervosa", faz vibrar certa região de nosso cérebro perispiritual e este emite uma outra "vibração nervosa" que faz a área correspondente no cérebro físico emitir uma ordem ao órgão efetor do corpo físico.
Ou seja, quem realmente responde ao estímulo do meio é o Espírito, e a resposta ganha o corpo físico através do perispírito. O Espírito pensa e manda, o perispírito transmite e o corpo físico materialmente responde. No exemplo que citamos, o Espírito ao ouvir a mensagem ou a música responde ao estímulo. após julgá-lo utilizando-se de todo seu patrimônio moral e intelectual, adquirido em reencarnação sucessivas, explicando assim a resposta diferente de dois Espíritos ao mesmo estímulo. Ou seja, ocorre na matéria a exteriorização de tudo aquilo que existe no Espírito como um todo. Albert Einstein afirmava que todos nós vivemos em um Universo de energias, que a matéria é, na verdade, a apresentação momentânea da energia, como a água, pode apresentar-se em seus três estados (sólido, líquido e gasoso).
O sábio cientista nos ensinou que toda fonte de energia propaga sua influência no Universo através de ondas (ex.: fonte de calor com ondas de calor, fonte sonora com ondas sonoras, fonte luminosa como ondas de luz, etc.), e que esta influência vai até ao infinito. Ao campo de influência, existente ao redor de toda fonte de energia (matéria), a Ciência deu o nome de "CAMPO DE INFLUÊNCIA DE EINSTEIN". Se analisarmos o campo de influência de uma fonte de energia, vamos conseguir deduzir aspectos importantes desta fonte, mesmo sem conhecê-la diretamente (o estudo feito pelos astrônomos com a irradiação emitida das estrelas). Cada fonte de energia tem o seu campo de influência próprio.
Quando o Espírito pensa, estando encarnado ou não, pois como vimos, quem pensa é o Espírito e não o cérebro físico, ele funciona como uma fonte de energia, criando as ondas mentais (partículas mentais) gerando em torno de si o CAMPO DE INFLUÊNCIA DA MENTE HUMANA, conhecido com o nome de hálito mental, como nos ensina o autor espiritual André Luiz. Como cada um de nós pensa de acordo com o seu patrimônio intelecto-moral, emitimos ondas mentais diferentes, ou seja, cada um de nós tem o seu Hálito Mental próprio - HÁLITO MENTAL INDIVIDUAL. Projetamos constantemente uma vibração nas partículas que compõem nosso perispírito de acordo com a nossa evolução (cor, cheiro, sensação agradável ou desagradável e alguém que se aproxima de nós, etc.).
A espiritualidade nos ensina que um grupo de Espíritos (encarnados ou desencarnados) que pensa da mesma forma (evolução semelhante) formam um Hálito Mental de um Grupo, HÁLITO MENTAL DE UMA COLETIVIDADE.
Como vimos, a energia de uma fonte se propaga através de ondas. A Física nos ensina que o que diferencia uma onda de outra, são suas características físicas como: amplitude, freqüência, comprimento, etc. Assim, uma onda seria luminosa, outra de calor, outra sonora, outra mental, segundo estas características físicas. Para simplificarmos a análise, utilizaremos apenas a freqüência de uma onda, ou seja, o número de ciclos em determinado tempo (ciclos por segundo). Assim teríamos ondas de alta, média e baixa freqüência por exemplo. A física nos ensina que o campo de influência das ondas que esta fonte emite (ex.: emissoras de rádio que emitem ondas de mais elevada freqüência atingem maior distância de seu sinal). A espiritualidade nos ensina que esta lei é obedecida na Ciência espiritual, ou seja, quanto mais evoluído moralmente é o Espírito (encarnado ou desencarnado) mais alta a freqüência de suas ondas mentais. Assim Espíritos muito evoluídos emitem ondas de altíssima freqüência (maior o seu campo de influência) e Espíritos pouco evoluídos ondas de baixa freqüência (menor o campo de influência). Assim, obedecendo a uma lei física, podemos afirmar que o poder de influência do Bem é muito maior do que do Mal.
A FÍSICA DA TERRA NOS ENSINA QUE FONTES QUE EMITEM ONDAS DE FREQÜÊNCIAS IGUAIS SE ATRAEM E FONTES QUE EMITEM ONDAS DE FREQÜÊNCIA DEFERENTES SE REPELEM. ASSIM TAMBÉM OCORRE COM O ESPÍRITO, ESTEJA ELE ENCARNADO OU NÃO. O LOCAL (DIMENSÃO) DO UNIVERSO ONDE ESPÍRITOS QUE EMITEM O MESMO TIPO DE HÁLITO MENTAL SE ENCONTRAM RECEBE O NOME DE FAIXA VIBRATÓRIA, OU FAIXA DE PENSAMENTO, OU FAIXA DE INFLUÊNCIA. QUANDO SE ACHA EM UMA FAIXA VIBRATÓRIA, O ESPÍRITO QUE AÍ ESTÁ ATRAI E É ATRAÍDO PARA ESTA FAIXA, OU SEJA, ALIMENTA E É ALIMENTADO DOS SENTIMENTOS DESSA FAIXA DE PENSAMENTOS OU DE SENTIMENTOS. DEVEMOS NOS BURILAR, NO SENTIDO DE SEMPRE ESTARMOS EM FAIXAS VIBRATÓRIAS MAIS EVOLUÍDAS; TUDO DEPENDE DOS SENTIMENTOS (ONDAS) QUE CRIAMOS DIUTURNAMENTE.
[...]
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: mariiia em 02 de Novembro de 2009, 01:38
"Somos donos de nossos atos, mas não donos de nossos sentimentos; Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos; Podemos prometer at..." com relação a este poema de Mario quintana poderemos ser "punidos"por certos pensamentos?
ou so somos responsáveis pelo q fazemos?

muita paz
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Carmen.gbi em 03 de Novembro de 2009, 02:28


Oi, Boa noite!


Um pequeno trecho do livro "EM BUSCA DA VERDADE " de Joanna de Ângelis , que fala sobre o pensamento.


                                          PENSAMENTO E AÇÃO

      Examinando sob o ponto de vista filosófico , o pensamento é uma atividade psíquica que corresponde pela ocorrência dos fenômenos cognitivos , independendo da vontade e dos sentimentos.
      René Descartes afirmou : Eu sou uma coisa que pensa , dando ao pensamento um significado específico , afirmando que a essência do homem é pensar.
      Através do pensamento cada ser humano eleva o seu estágio de evolução , caracterizando-se pela nobreza das idéias que formula ou pela vulgaridadade em que se compraz.
      O processo de evolulçao do pensamento fez-se lentamente através das multifárias experiências reencarnacionistas , desde quando surgiram as primeiras expressões arcaicas , passando pelas de natureza primitiva , mítica, egocêntrica até alcançar o estágio racional, avançando no rumo da sublime conquista cósmica.
      Desenvolvendo a capacidade de pensar , ultrapassando as barreiras dos instintos que limitam , o Espírito vem ampliando a percepção do psiquismo divino que nele existe , adquirindo essa peculiar capacidade , base para todas as realizaçôes existenciais.
      Essa faculdade inata que se desdobra mediante as experiências contínuas é portadora de um poder para a ação , que a torna elemento vital no desenvolvimento do Espírito na sua incessante busca de felicidade.
     

( do livro Em Busca da Verdade - Joanna de Ângelis/Divaldo Franco)




                                       Carmen
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Suelen em 03 de Novembro de 2009, 03:21
Boa noite!
========

"A oração é emanação do pensamento bem direcionado e rico de conteúdos vibratórios que se expande até sincronizar com as ondas equivalentes, assim estabelecendo o intercâmbio entre a criatura e o Criador"

Jesus e o Evangelho - A luz da psicologia profunda - Divaldo Franco/Joanna de ângelis
---------------------------------------------------  -------------------------------
Divaldo Pereira Franco - Momentos de Saúde - Pelo Espírito Joanna de Ângelis

"Conforme se pensa, assim se procede (grifo meu).
A mente, exteriorizando os níveis psicológicos, é responsável
pelas atitudes, por expressar a realidade espiritual de cada um.
O processo que precede à ação é de natureza mental. Portanto,
tudo quanto se afirma, ou se nega mentalmente, passa a exercer
preponderância que se materializa no campo da realidade
objetiva.
O cultivo das idéias pessimistas, geradoras de enfermidades e
dissabores, angústias e tragédias, deve ser substituído pelos pensamentos saudáveis, produtivos, responsáveis pelos bens da vida.
Ninguém há que se encontre fadado à desdita. Renovando-se,
altera-se-lhe a paisagem para o futuro, mediante o que elabore na
área dos desejos mentais.
Os teus pensamentos seguem a linha direcional das tuas aspirações.
O que anelas na emoção, elaboras na construção mental.
Sucederá, portanto, conforme o queiras.
Certamente experimentarás, no transcurso da existência física,
provas e expiações, que decorrem de pensamentos e atitudes
passadas, ora retornando ao proscênio do ser como mecanismos
de reparação, resgate, reeducação.
Houvesses agido de forma diferente e enfrentarias outras situações
cármicas.
Não obstante tais efeitos, a lei de renovação propele-te à modificação
da estrutura dos dias porvindouros, mediante a tua conduta presente.
Revisa, quanto antes, os teus planos de ação. Submete-os a
uma análise tranqüila e considera as tuas possibilidades atuais,
refazendo programas e estabelecendo metas novas."


===========
Muita paz!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dOM JORGE em 03 de Novembro de 2009, 08:51
                                                        VIVA  JESUS !

              Bom-dia! meus caros irmãos foristas.


                                     " NÓS SOMOS O QUE PENSAMOS. "



                                                                                  PAZ, MUITA PAZ !
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: andrem1lima em 03 de Novembro de 2009, 13:33
Em todos os momentos da vida, lembre-se de que cada um dos seus pensamentos exerce um efeito sobre você.

**********************************************************
[size=10pt]Todas as manhãs, afirme: Eu só atraio paz à minha vida.

Com isso, as pessoas reagirão a você com sorrisos, agradecimentos, gestos amigáveis e cumprimentos amáveis durante todo o dia.
[/size]



Abraços

Ame sempre.


André.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: andrem1lima em 03 de Novembro de 2009, 13:40
O pensamento, segundo o metafísico José Milanez, é um padrão vibracional. Essa vibração, de acordo com a lei da atração, atrai vibrações semelhantes.

Mas não é só isso. Essa vibração, de acordo com ele, trata-se do pensamento somado à emoção consistente. “Não basta pensar , ‘vou ganhar na loteria’. É preciso realmente estar alinhado ao seu desejo. Sentindo o desejo, que deve estar associado a essa emoção.”

Na avaliação do metafísico, há muito ‘oba-oba’ em torno do que é e de como utilizar o pensamento positivo, popularizado em O Segredo. Não basta querer. Há um processo para a deliberação do desejo, o chamado ‘buffering’, que significa carregamento.

Significa dizer que há um tempo para tudo se concretizar e, o que ocorre geralmente, é que as pessoas desistem no meio do caminho e não persistem no pensamento, deixando-se levar pelas negatividades do cotidiano.

“A verdade é que a maioria delas são imediatistas e querem soluções mágicas para seus problemas. Mas mágica não existe e tudo precisa passar por um processo de transformação. E como toda transformação, é dolorida e trabalhosa. Não é fácil”, afirma a psicóloga e terapeuta holística Amarílis Castro.

Fonte:

http://www.nominuto.com/noticias/cidades/mas-afinal-o-que-e-o-pensamento-positivo-e-como-pratica-lo/16925/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5ub21pbnV0by5jb20vbm90aWNpYXMvY2lkYWRlcy9tYXMtYWZpbmFsLW8tcXVlLWUtby1wZW5zYW1lbnRvLXBvc2l0aXZvLWUtY29tby1wcmF0aWNhLWxvLzE2OTI1Lw==)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: andrem1lima em 03 de Novembro de 2009, 13:45
Assim o pensamento é uma sequência de evocações de percepções, de associações, de sentimentos, e de tudo o que o funcionamento do cérebro pode produzir. Através da fé.


Ame sempre.


André
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 03 de Novembro de 2009, 15:24

Olá!

Amiga Zeni, se temos que ter pensamento que seja no abstrato no infinito, é isto e mais tudo do melhor boa amiga para si, e também para todo mundo.

Não é energético o pensamento antes pelo contrário.

Ele é dominante, implacável, mesquinho, tortuoso, feio, horripilante, vaidoso, vingativo...

Alguém nos dá uma palavra menos boa e lá está logo ele pronto, a encher a cabeça, para responder dos mesmos modos.

Vê uma cena de amor logo fica todo ciumento, invejoso...enfim. Essa é sua essência nefasta diga-se.

Sentir ( sentimento ) é energético, não julga, não teme, sente-se pelo prazer de sentir, abstraido de tudo o mais.

O pensamento fala com ele próprio faz grandes conjeturas, grandes " filmes ", mas é vazio sem essência.

O sentir não. O sentir é instantâneo é a essência, não precisa da linguagem apresenta grandes " blocos " de informação e de imediato fica-se com o entendimento sem palavras.

A parte difícil é pois colocar em palavras essas percepções, não é que seja necessário, só o é para fazer o que se faz aqui, pois esse conhecimento é absoluto, as interpretações que depois se faz é que o corrompe. Devido sempre à falta de cultura e à própria sintaxe que se utiliza.

com carinho amigos todos

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 03 de Novembro de 2009, 17:32
Olá a todos os amigos e amigas do Fórum.


É com muito carinho que agradeço a todas as participações ao estudo de Novembro, e também a você Dim-Dim quando diz (O pensamento fala com ele próprio faz grandes conjeturas, grandes " filmes ", mas é vazio sem essência.

O sentir não. O sentir é instantâneo é a essência, não precisa da linguagem apresenta grandes " blocos " de informação e de imediato fica-se com o entendimento sem palavras.)

Muitas das vezes fantasiamos e muito a respeito do que pensamos, mas ainda assim penso que o pensamento é um fator muito importante e valioso no ser humano, que tem que ser trabalhado e educado para nossas atitudes diárias.
E assim vamos dando  continuidade ao estudo deste mês.

Beijusssssssss a todos fiquem com Deus.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 03 de Novembro de 2009, 18:07
 
Olá amiga zeni !

O pensamento existe como um reflexo, porque quando os olhos fitam algo é esse algo que vai ditar o pensamento, daí ele ter pouco significado porque vai conjeturar sobre o que já se sabe, sobre o que os olhos viram, o que é desnecessário.

Os olhos já tinham sentido tudo, para quê esse pensamento espécular, só se não houver confiança nesse sentir que nunca nos engana pois é a nossa essência.

Todos estes " pensadores ", Allan Kardec, Cristo, krishnamurti, Buda, Krishna etc, só obteram todo o conhecimento que nos legaram quando deixaram de lado o pensamento, para sentirem a sua essência.

Os olhos têm um truque uma maneira de olhar, quando olham subjugados, pelo pensamento, à emoção da raiva ou outra emoção qualquer fazem-nos sentir essas coisas, mas o indivíduo tem sempre a liberdade de mudar a sua forma de olhar para não sentir nada disso.

Os olhos ligam-nos a Deus não podem é andar a correr, subjugados, com o pensamento.

É que sinto com todas as limitações em expressar-me.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luz13 em 03 de Novembro de 2009, 18:10

   :)

   "Somos o que pensamos.Tudo o que somos surge com nossos pensamentos.
    Como nossos pensamentos,fazemos o nosso mundo."


              (Buda)


   Abraços.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 03 de Novembro de 2009, 18:19

Olá amiga Luz13, concordo,

mas não gosto do mundo dos pensamentos por tudo o que anteriormente disse.

E o Buda quando na sua yoga disse isso foi com a intenção de nos destapar os olhos, para entendermos esse pensamento, já que também disse que é a unica forma de nos ver-mos livres dele, depois do entendermos.

com carinho

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 03 de Novembro de 2009, 18:48

Olá!

Amigos quando falo em sentir ( sentimento ) é porque é o que nos une a todos e a tudo.

Um animal, qualquer, quando nos aproximamos dele ele sabe, sem pensamentos, e nós também, as nossas intenções, ou foge ou abana o rabo.

As plantas as árvores igual apenas têm uma intensidade de sentir com outra velocidade, podemos comunicar com elas não podemos é esperar respostas imediatas elas são mais lentas.

Isto para situar o entendimento.

com carinho

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 03 de Novembro de 2009, 19:12
O pensamento existe como um reflexo, porque quando os olhos fitam algo é esse algo que vai ditar o pensamento, daí ele ter pouco significado porque vai conjeturar sobre o que já se sabe, sobre o que os olhos viram, o que é desnecessário.

Olá Dim-Dim de acordo com o texto acima, uma reação corporal?

Allan Kardec,  associa pensamento e a vontade, mais só a vontade sem o pensamento seria algo?

Emmanuel o pensamento é força eletromagnética, sob influência de ondas invisíveis de acordo com o texto abaixo.

Allan Kardec, ao emitir seus comentários na questão 662 de O Livro dos Espíritos, afirma que “o pensamento e a vontade representam em nós um poder de ação que alcança muito além dos limites da nossa esfera corporal. A prece que façamos por outrem é um ato dessa vontade.” (6)

Diz-nos o Espírito Emmanuel que “O homem custa a crer na influenciação das ondas invisíveis do pensamento, contudo, o espaço que o cerca está cheio de sons que os seus ouvidos materiais não registram (...)” (7). E ainda esclarece: “a eletricidade é energia dinâmica; o magnetismo é energia estática; o pensamento é força eletromagnética” (8). É através dessa força que emulamos nossas orações e também direcionamos nossas vibrações benéficas em favor de outras pessoas, pois “a oração é a emanação do pensamento bem direcionado e rico de conteúdos vibratórios” (3).

Continuando com o estudo.

Abraço a todos Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: hcancela em 03 de Novembro de 2009, 19:32
Olá amigos(as)

Zeni muito bem vinda aos tópicos mensais :-* :-* :-*
Deixo a minha participação com várias teses de ver o pensamento , e cada uma delas tem o seu ponto de vista.;) ;) ;) ;)

O segredo do pensamento positivo.
Para construir uma imagem mental de qualquer coisa que queiramos o cérebro, até realizar esta caminhada exerce uma atividade que conta com inúmeros sinais nervosos, e ainda no córtex milhares de neurônios são acionados e trocam informações em segundos, arquivos da memória são acionados e sem que nos seja possível perceber em segundos estamos com a imagem desejada projetada em nosso cérebro, quando estão relacionadas a algo bom são chamados de pensamento positivo, para tanto nossa mente desenvolve uma cadeia de
processos que chamamos Pensamento positivo.

Segunda a autora Rhonda Byrne, escritora do best seller O Segredo, que também se tornou um filme, basta desejar e se concentrar em qualquer coisa que queiramos e ela se manifestará, em seu livro ela diz ter descoberto esta tese ao analisar os fatos históricos.
Não faltam personalidades famosas para confirmar esta hipótese, na base desta afirmação o pensamento age como um catalisador magnético, desta forma ao pensar positivamente seus desejos tendem a se materializar.

Para o famoso guru indiano Deepak Chopra, que também ensina como usar a mente positiva em seu benefício, o corpo é entendido como um campo de energia que precisa estar em equilíbrio.
Diversos estudiosos de diferentes áreas dividem esta opinião e alguns dizem ter tirado suas conclusões de experiências próprias, algumas idéias se repetem em todas as teorias, são a questão da energia, do magnetismo e do holismo.

Para a física a energia é a capacidade de um corpo em executar um trabalho, segundo os autores de auto ajuda é a força que anima todas as coisas, sendo uma fonte de bem-estar e amor.
Não existem estudos que comprovem esta possibilidade, relatos de pessoas que teriam exercido esta possibilidade são as provas usadas pelos autores, a física rejeita a lei da atração empregada nestes casos que diz que pensamnto positivo cria um campo energético ao redor de quem o irradia.
Porém os neurocientistas concordam com o estado de animo, ou seja, acreditam que este pode influenciar nosso organismo de diferentes formas.

Para muitos , o pensamento é a força impulsionadora que move o universo.

No Espiritismo “Os maus pensamentos corrompem os fluidos espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar respirável” - (Allan Kardec - A Gênese, cap. XIV, item 16).

SAUDAÇÕES FRATERNAS
 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 03 de Novembro de 2009, 19:59

Olá!

Amiga zeni não vou dizer uma reação corporal mas sim dos olhos que é a ligação direta ao todo que é o espirito ao eterno ao infinito.

É esse pensar na carne que nos desconecta, somos luz, a percepção engana-nos.

Os olhos fazem isso têem como que uma espécie de memória tal como os ouvidos que em todos os tempos nos protegeram, enquato descansávamos, de perigos imensos.

A vontade é o dominio da intenção e como disse mais atrás se temos que pensar é no abstrato em Deus no infinito, depois de termos esse pensamento aí a vontade leva-o à intenção e com intenção inflexível com disciplina e sendo tenazes faz-se luz.

O conhecimento é uno e está à espera de nós a todo o momento. Somos como as crianças entretidas a brincar, desligadas.

Quando falo em intenção inflexível, implacabilidade, tenacidade é verdade que é extremamente necessário mas ao mesmo tempo com muita alegria, só assim funciona.

Temos que ter prazer em voltar à nossa essência, temos o nosso eu grande à nossa espera de braços abertos e cheio de saudades.

Amiga zeni comparações com Kardec não sei fazê-las, mas uma coisa sei amiga quando se chega a esse ponto todos somos Kardec, Cristo, Tudo.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Debmota em 03 de Novembro de 2009, 20:06
Caros irmãos foristas,
Luz e Paz a seus corações!
Enquanto refletia sobre o tema proposto por nossa querida irmã Zeni,
ocorreu-me  uma questão:
" A condição de pensar foi criada junto com o espírito ou, esta veio como conquista evolutiva?"
Se alguém souber a resposta enquanto pesquiso sobre a mesma, queira por gentileza compartilha-la.
Agradeço a atenção!
Abraços fraternos,
Debora.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 03 de Novembro de 2009, 20:39
Olá a todos do Fórum.

E a todos que aqui, estão dando suas participações, é muito bom estar aqui com vocês.

Dim-Dim entendi perfeitamente o que quis dizer e saiba que encheu meu coração de muita paz e uma energia maravilhosa, obrigada pela partilha, saiba o quanto é importante quando se tem boa vontade e amor ao próximo.

Seguimos com o estudo.

Abraço a todos.
Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 03 de Novembro de 2009, 20:49

Olá!

Deus ( pensamento consciência, energia ) está em tudo...

Então temos que vê-lo em tudo...

Então nada é mau...esta é a liberdade de percepção.

Agora a ouvir Joe Satriani vi ação, vi energia, vi sentimento, enfim como Deus está em tudo, o que é bem certo, vi Deus.

Liberdade de percepção atinge-se num estado de silêncio interor, que deixa de considerar bom mau; feio bonito. Não mais vê nada de mal, compreende tudo não julga não adjectiva não interpreta, submergiu-se nele próprio e vê os seus semelhantes com impecabilidade e sente que também eles estão no caminho certo e com sua impecabilidade.

O contrário disto é querermos que o outro seja como nós e aí está a vaidade, pensamento em ação.

É o que acabei de sentir com música, e vou voltar para lá!

com carinho

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 03 de Novembro de 2009, 20:57
Olá a todos do Fórum.



Para muitos , o pensamento é a força impulsionadora que move o universo.

No Espiritismo “Os maus pensamentos corrompem os fluidos espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar respirável” - (Allan Kardec - A Gênese, cap. XIV, item 16).



Amigo hcancela de acordo com a sua mensagem acima o pensamento está associado com o desejo ou não?

Eu tenho um pouco de medo de saber sobre essa verdade, o que ele o ( pensamento) proporciona a nós ser humanos.

Seguindo com os estudos.

Abraços a todos Zeni.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: SB em 03 de Novembro de 2009, 23:34
Caros irmãos foristas,
Luz e Paz a seus corações!
Enquanto refletia sobre o tema proposto por nossa querida irmã Zeni,
ocorreu-me  uma questão:
" A condição de pensar foi criada junto com o espírito ou, esta veio como conquista evolutiva?"
Se alguém souber a resposta enquanto pesquiso sobre a mesma, queira por gentileza compartilha-la.
Agradeço a atenção!
Abraços fraternos,
Debora.

Debora olá,
Quem pensa não é o espirito é a alma, sere inteligente, enquanto espirito encarnado.

A alma é um sere inteligente que sem corpo é essencia, é o espirito. Enquanto espirito encarnado a alma e corpo se unem ou por outra servem-se do perispirito para se interligarem (comunicarem).

A alma é a parte inteligente, a que pensa  ;)

Por isso todo o espirito encarnado (alma+perispirito+corpo) pensa.

Abraços
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: hcancela em 03 de Novembro de 2009, 23:55
Olá a todos do Fórum.



Para muitos , o pensamento é a força impulsionadora que move o universo.

No Espiritismo “Os maus pensamentos corrompem os fluidos espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar respirável” - (Allan Kardec - A Gênese, cap. XIV, item 16).



Amigo hcancela de acordo com a sua mensagem acima o pensamento está associado com o desejo ou não?

Eu tenho um pouco de medo de saber sobre essa verdade, o que ele o ( pensamento) proporciona a nós ser humanos.

Seguindo com os estudos.

Abraços a todos Zeni.


Olá Zeni ;D ;D ;D
De acordo com a minha mensagem,também está(nem sempre);porque o pensamento nesta fase evolutiva nos pode levar por muitos caminhos perigosos, e basta lembrar e ver o nosso mundo e as pessoas que nele habitam,o que o pensamento faz aos poderosos, que antes de chegarem ao poder, pensam antes em tudo, e ,na forma como lá  chegar ;). Neste raciocínio existe muito, e, muito mais, nomeadamente pedofilia,aborto,assassínios,etc,etc,etc.,mas isto é apenas as coisas más,né :-* :-* :-*existe ainda pensamentos de amizade,amor, carinho,atenção e respeito pelo próximo e finalmente a "Vida".

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: SB em 03 de Novembro de 2009, 23:57

Deus ( pensamento consciência, energia ) está em tudo...

Deus pensa?

esta é a liberdade de percepção.

Agora a ouvir Joe Satriani vi ação, vi energia, vi sentimento, enfim como Deus está em tudo, o que é bem certo, vi Deus.

Liberdade de percepção atinge-se num estado de silêncio interor, que deixa de considerar bom mau; feio bonito. Não mais vê nada de mal, compreende tudo não julga não adjectiva não interpreta, submergiu-se nele próprio e vê os seus semelhantes com impecabilidade e sente que também eles estão no caminho certo e com sua impecabilidade.

Numa unica palavra, quererá dizer, contemplação?

Abraços
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 04 de Novembro de 2009, 00:01
Pensamentos Pascal

ARTIGO XIX
VAIDADE DO HOMEM, IMAGINAÇÂO, AMOR-PRÓPRIO

 

I.
Vaidade
Não nos contentamos com a vida que temos em nós e no nosso próprio ser: queremos na idéia dos outros uma vida imaginária, e nos esforçamos por assim parecer. Trabalhamos incessantemente por embelezar e conservar esse ser imaginário, e neglicenciamos o verdadeiro; e, se temos ou a tranqüilidade, ou a generosidade, ou a fidelidade, apressamo-nos em fazê-lo saber, afim de ligar essas virtudes a esse ser de imaginação: nós as destacaríamos antes de nós para juntá-las a ele, e seríamos de bom grado poltrões para adquirir a reputação de ser corajosos. Grande marca do nada do nosso próprio ser, não estar satisfeito com um sem o outro, e renunciar muitas vezes a um pelo outro! Pois, quem não morresse para conservar sua honra, esse seria infame.

A doçura da glória é tão grande que, a alguma ; coisa que se ligue, mesmo à morte, é amada.

II
O orgulho contrapesa todas as misérias. Ou as oculta, ou, se as descobre, glorifica-se de conhecê-las. Ele nos detém de uma posse tão natural no meio das nossas misérias, dos nossos erros, etc., que perdemos mesmo a vida com alegria, desde que se fale disso.

III
A vaidade está de tal forma arraigada no coração do homem, que um soldado, um criado, um cozinheiro, um malandro, se gaba e quer ter seus admiradores; e os filósofos também o querem. É os que escrevem contra (a glória) querem ter escrito bem, e os que o lêem querem ter a glória de o ter lido; e eu, que escrevo isto, talvez tenha essa vontade, e talvez os que me lerem... (também a tenham).

IV
Somos tão presunçosos que desejaríamos ser conhecidos de toda a terra, e até das pessoas que vierem quando nela não estivermos mais; e somos tão vãos que a estima de cinco ou seis pessoas que nos cercam nos diverte e nós contenta.

V
Curiosidade não é senão vaidade. O mais das vezes, não se quer saber senão para falar disso. De outro modo, não se viajaria por mar para nunca dizer nada a respeito, e só pelo prazer de ver, sem esperança de nunca comunicá-lo.

VI
As cidades por onde se passa, a gente não se importa de ser nelas estimado; mas, quando se deve ai ficar algum tempo, a gente se importa. Quanto tempo é preciso? Um tempo proporcionado à nossa duração vã e mesquinha.

VII
Quem quiser conhecer por completo a vaidade do homem não tem senão que considerar as causas e os efeitos do amor. A causa é um não sei quê (Corneille) e os efeitos são espantosos. Esse não sei quê, tão pouca coisa que não se pode reconhecê-lo, revolve toda a terra, os príncipes, os exércitos, o mundo inteiro.

Se o nariz de Cleópatra tivesse sido mais curto, toda a face da terra teria mudado.

VIII
Que uma coisa tão visível como é a vaidade do mundo seja tão pouco conhecida, que seja uma coisa estranha e surpreendente dizer que é uma tolice procurar as grandezas, isso é admirável!

IX
Amor-próprio (76)
A natureza do amor-próprio e desse eu humano é não amar senão a si, e não considerar senão a si. Mas, que fará ele? Ele não saberia impedir que esse objeto que ama não seja cheio de defeitos e de misérias: quer ser grande e se vê pequeno: quer ser feliz e se vê miserável: quer ser perfeito e se vê cheio de imperfeições: quer ser o objeto do amor e da estima dos homens, e vê que os seus defeitos só merecem a sua aversão e o seu desprezo. Esse embaraço em que se acha produz nele a mais injusta e mais criminosa paixão que é possível imaginar-se; pois concebe um ódio mortal contra essa verdade que o repreende e o convence dos seus defeitos. Desejaria aniquilá-la e, não podendo destruí-la em si mesma, ele a destrói, tanto quanto pode, no seu conhecimento e no dos outros; isto é, põe todo o seu cuidado em ocultar seus defeitos aos outros e a si mesmo, e não pode tolerar que o façam vê-los, nem que os vejam.

É sem dúvida um mal ser cheio de defeitos; mas, é ainda um mal maior ser cheio deles e não querer reconhecê-los, de vez que isso é ajuntar-lhes ainda o de uma ilusão voluntária. Não queremos que os outros nos enganem; não achamos justo que queiram ser estimados por nós mais do que merecem: não é, pois, justo também que os enganemos e queiramos que nos estimem mais do que o merecemos.

Assim, quando eles só descobrem em nós imperfeições e vícios que na realidade temos, é visível que não nos fazem injustiça, pois não são eles a causa disso; e nos fazem um bem, pois nos ajudam a nos livrarmos de um mal, que é a ignorância dessas imperfeições. Não devemos aborrecer-nos pelo fato de as conhecerem, sendo justos, e nos conhecerem pelo que somos, e nos desprezarem se somos desprezíveis.

Eis os sentimentos que nasceriam de um coração que fosse cheio de eqüidade e de justiça. Que devemos dizer, pois, do nosso, vendo nele uma disposição inteiramente contrária? Pois não é verdadeiro que odiamos a verdade e os que no-la dizem, e gostamos que se enganem em nosso benefício, e queremos ser por eles julgados outros que não somos na realidade?

Eis disso uma prova que me causa horror. A religião católica não obriga a descobrir seus pecados indiferentemente a toda a gente: tolera que se fique oculto a todos os outros homens, mas excetua um só a quem recomenda descobrir o fundo do seu coração e fazer-se ver tal qual se é. Só há esse único homem no mundo que ela nos ordena que desenganemos, e obriga a um segredo inviolável, que faz que esse conhecimento esteja nele como se não o estivesse. Pode-se imaginar nada mais caritativo e mais doce? E, contudo, a corrupção do homem é tal que acha ainda dureza nessa lei, e é uma das principais razões que fazem revoltar contra a Igreja uma grande parte da Europa.

Como o coração do homem é injusto e extravagante, para achar mau que o obriguem a fazer em relação a um homem o que seria justo, de certa maneira, que ele fizesse em relação a todos os homens! Pois é justo que nos enganemos?

Há diferentes graus nessa aversão pela verdade; mas, pode dizer-se que ela existe em todos em algum grau, porque é inseparável do amor-próprio. É essa má delicadeza que obriga os que estão na necessidade de repreender os outros a escolher tantos atalhos e temperamentos para evitar chocá-los. Precisam diminuir os nossos defeitos, fazer menção de desculpá-los, misturar a isso louvores e testemunhos de afeição e estima. Com tudo isso, essa medicina não deixa de ser amarga ao amor-próprio. Ele toma o menos que pode e sempre com desgosto, e muitas vezes mesmo com um secreto despeito contra os que lha apresentam.

Acontece, por isso, que, quando se tem algum interesse em ser amado por nós, evita-se dar-nos um ofício que se sabe nos ser desagradável; tratam-nos como queremos: odiamos a verdade, no-la ocultam; queremos ser adulados, adulamos; gostamos de ser enganados, enganam-nos.

É o que faz que cada grau de boa fortuna que nos eleva no mundo nos afaste mais da verdade, porque se receia mais ferir aqueles cuja afeição é mais útil e cuja aversão mais perigosa. Um príncipe será a fábula de toda a Europa, e somente ele nada saberá. Não me admira: dizer a verdade é útil àquele a quem a dizem, mas desvantajoso aos que a dizem, porque eles se fazem odiar. Ora, os que vivem com os príncipes amam mais os seus interesses do que os do príncipe que servem; e, assim, não se incomodam de lhe proporcionar uma vantagem prejudicando-se a si mesmos.

Essa infelicidade é, sem dúvida, maior e mais ordinária nas maiores fortunas; mas, as menores não estão isentas, porque há sempre algum interesse em se fazer amar pelos homens. Assim, a vida humana não é senão uma ilusão perpétua; não se faz outra coisa senão enganar-se e adular-se mutuamente. Ninguém fala de nós em nossa presença como fala em nossa ausência. A união que existe entre os homens é fundada .exclusivamente sobre esse recíproco ludíbrio; poucas amizades subsistiriam se um soubesse o que seu amigo diz de si quando ele não está, embora falando sinceramente e sem paixão.

O homem não é, pois, senão disfarce, mentira e hipocrisia, quer em si mesmo, quer em relação aos outros. Não quer que se lhe diga a verdade, evita dizê-la aos outros; e todas essas disposições, tão afastadas da justiça e da razão, têm uma raiz natural em seu coração.

X
Imaginação.
É essa parte enganadora no homem, essa senhora de erro e de falsidade, tanto mais velhaca quanto não o é sempre; pois seria regra infalível de verdade, se o fosse infalível de mentira. Mas, sendo o mais das vezes falsa, não dá nenhuma marca de sua qualidade, marcando com o mesmo caráter o verdadeiro e o falso.

Não falo dos loucos, falo dos mais sábios, e é entre eles que a imaginação tem o grande dom de persuadir os homens. A razão tem ocasião de gritar, não pode pôr preço às coisas.

Essa soberba potência inimiga da razão, que se compraz em controlá-la e em dominá-la para mostrar quanto pode em todas as coisas, estabeleceu no homem uma segunda natureza. Tem seus felizes, seus infelizes, seus sãos, seus doentes, seus ricos, seus pobres; faz crer, duvidar, negar a razão; suspende os sentidos, fá-los sentir; tem seus loucos e seus sábios: e nada nos despeita mais do que ver que ela enche seus hóspedes de uma satisfação, bem ao contrário, plena e completa, que não a razão. Os hábeis por imaginação se comprazem, bem ao contrário, em si mesmos, de que os prudentes não se possam razoavelmente agradar. Observam as pessoas com império; disputam com ousadia e confiança; os outros, com medo e desconfiança: e essa alegria de rosto lhes dá muitas vezes vantagem na opinião dos ouvintes, de tal maneira os sábios imaginários gozam de favor junto aos juizes do mesmo modo que a natureza! Ela não pode tornar sábios os loucos; mas, os torna felizes em relação à razão, que só pode tornar seus amigos miseráveis, uma cobrindo-os de glória, a outra de vergonha.

Quem dispensa a reputação? quem dá o respeito e a veneração às pessoas, às obras, às leis, aos grandes, senão essa faculdade imaginante? Todas as riquezas da terra são insuficientes sem o seu consentimento.

Não diríeis que esse magistrado, cuja velhice venerável impõe respeito a todo um povo, se governa por uma razão pura e sublime e que julga coisas por sua natureza, sem deter-se nessas vãs circunstâncias que só ferem a imaginação dos fracos? Vêde-o entrar num sermão em que traz um zelo todo devoto, reforçando a solidez da razão pelo ardor da caridade. Ei-lo pronto a ouvir com um respeito exemplar. Que o pregador chegue a aparecer: se a natureza lhe deu uma voz rouquenha e uma fisionomia esquisita, se o seu barbeiro o barbeou mal, se o acaso ainda por cima o lambuzou, por maiores que sejam as verdades que ele anuncia, aposto pela perda da gravidade do nosso senador.

O maior filósofo do mundo, sobre uma tábua mais larga do que é preciso, se há em baixo um precipício, embora a razão o convença de sua segurança, a imaginação prevalecerá. A maioria não poderia sustentar o pensamento sem empalidecer e suar.

Quem não sabe que a visão dos galos, dos ratos, o esmagamento de um carvão, põe a razão fora dos gonzos? O tom de voz impõe aos mais sábios e muda um discurso e um poema de face.

A afeição ou o ódio mudam a justiça de face: e quanto um advogado bem pago adiantadamente acha mais justa a causa que defende! quanto o seu gesto ousado o faz parecer melhor aos juizes enganados por essa aparência! Divertida razão que um vento maneja em todos os sentidos!

Não quero relacionar todos os seus efeitos(77); eu relacionaria quase todas as ações dos homens que quase só se abalam por suas sacudidelas. Pois a razão tem sido obrigada a ceder, e a mais sábia toma por seus princípios os que a imaginação dos homens temerariamente introduziu em cada lugar.

Os nossos magistrados conheceram bem esse mistério. As suas túnicas vermelhas, os arminhos com que se enfaixam de gatos pingados, os palácios em que julgam, as flores-de-lis, todo esse aparato augusto era muito necessário: e, se os médicos não tivessem sotainas e galochas, e os doutores não tivessem bonés quadrados, e túnicas muito amplas de quatro partes, nunca teriam enganado o mundo, que não pode resistir a esse monstro tão autêntico. Só os homens de guerra não estão disfarçados assim, porque na realidade a sua parte é mais essencial: estabelecem-se pela força, ao passo que os outros pela careta.

Eis porque os nossos reis não investigaram esses disfarces. Não estão mascarados de hábitos extraordinários para parecer tais; mas, estão acompanhados de guardas, de alabardas: essas carrancas armadas que não têm mãos e força senão para eles, as trombetas e os tambores que marcham na frente, e essas legiões que os cercam, fazem tremer os mais firmes. Não têm o hábito somente, têm a força. Seria preciso ter uma razão bem purificada para observar como outro homem o Grande Senhor cercado, em seu soberbo serralho, de quarenta mil janízaros.

Se eles(78)tivessem a verdadeira justiça, se os médicos tivessem a verdadeira arte de curar, não precisariam fazer bonés quadrados: a majestade dessas ciências seria bastante venerável por si mesma. Mas, só tendo ciências imaginárias, precisam tomar esses vãos instrumentos que ferem a imaginação com que se relacionam; e, por isso, na realidade se fazem respeitar.

Não podemos nem mesmo ver um advogado com sotaina e o boné na cabeça, sem uma opinião favorável de sua suficiência.

A imaginação dispõe de tudo; faz a beleza, a justiça e a felicidade, que é tudo no mundo. Eu desejaria de bom grado ver o livro italiano, do qual só conheço o titulo, que vale sozinho muitos livros, Della Opinione, Regina del Mondo(79). Subscrevo-o sem o conhecer, salvo o mal, se nele existe.

Eis, aproximadamente, os efeitos dessa faculdade enganosa que parece nos ser dada de propósito para induzir-nos a um erro necessário. Temos princípios bem diferentes.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 04 de Novembro de 2009, 00:10

 Pensamentos


     Pascal



MARCAS DA VERDADEIRA RELIGIÃO

 

I
A verdadeira religião deve ter por marcas obrigar a amar seu Deus. Isso é bem justo. No entanto, nenhuma outra como a nossa o ordenou; a nossa o fez. Ela deve ainda ter conhecido a concupiscência (do homem) e a impotência (em que ele próprio se encontra para adquirir a virtude); a nossa o fez. Deve indicar os remédios para isso, um dos quais é a prece. Nenhuma (outra) religião pediu (jamais) a Deus que o amasse e o seguisse.

II
A verdadeira natureza do homem, o seu verdadeiro bem e a verdadeira virtude e a verdadeira religião são coisas cujo conhecimento é inseparável.

III
É preciso, para que uma religião seja verdadeira, que tenha conhecido a nossa natureza; deve ter conhecido a grandeza e a pequenez, e a razão de ambas. Quem a conheceu, além da cristã?

IV
As outras religiões, como as pagãs, são mais populares, porque se exteriorizam: não são, porém para as pessoas hábeis. Uma religião puramente intelectual seria mais proporcionada aos hábeis, mas não serviria ao povo. Só a religião cristã é proporcionada a todos, sendo composta de exterior e de interior. Ela eleva o povo ao interior e baixa os soberbos ao exterior, não sendo perfeita sem os dois, pois é preciso que o povo entenda o espírito da letra e que os hábeis submetam o seu espirito à letra (praticando o que há de exterior).

V
Nenhuma outra religião propôs que nos odiemos a nós mesmos. Nenhuma outra religião pode, pois, agradar aos que se odeiam a si mesmos e que procuram um ser verdadeiramente amável. E estes, se nunca tivessem ouvido falar da religião de um Deus humilhado, a abraçariam incontinente. Nenhuma outra (religião, a não ser a cristã) conheceu que o homem é a mais excelente criatura (e ao mesmo tempo a mais miserável). Uns, que conheceram bem a realidade de sua excelência, adquiriram por covardia e por ingratidão os sentimentos baixos que os homens, naturalmente, têm em si mesmos; e outros, que conheceram bem quanto essa baixeza é efetiva, trataram com uma soberba ridícula esses sentimentos de grandeza, que são tão naturais no homem. Nenhuma religião, a não ser a nossa, ensinou que o homem nasce com pecado; nenhuma seita filosófica o disse; portanto, nenhuma disse a verdade.

VI
Se só houvesse uma religião, Deus estaria nela bem manifesto. Se só houvesse mártires na nossa religião, também.

VII
Estando Deus oculto, toda religião que não diz que Deus está oculto não é verdadeira; e toda religião que a isso não faz referência não é instrutiva. A nossa faz tudo isso: Vere tu es Deus absconditus(6).

Essa religião, que consiste em crer que o homem desceu de um estado de glória e de comunicação com Deus a um estado de tristeza, de penitência e de afastamento de Deus, mas que, depois desta vida, seremos restabelecidos por um Messias que deve vir, sempre existiu sobre a terra. Todas as coisas passaram, subsistindo aquela para a qual todas as coisas existem. Os homens, na primeira idade do mundo, foram arrastados a toda sorte de desordens, embora houvesse santos como Enoc, Lamec, e outros, que esperavam pacientemente o Cristo prometido desde o começo do mundo. Noé viu a malícia dos homens no mais alto grau e mereceu salvar o mundo em sua pessoa pela esperança do Messias, do qual foi ele a figura. Abraão estava cercado de idólatras, quando Deus fez com que ele conhecesse o mistério do Messias, que ele saudou de longe. No tempo de Isac e de Jacó, a abominação estava espalhada sobre toda a terra: mas, esses santos viviam na fé; e Jacó, morrendo e abençoando seus, filhos, exclama, num transporte que o obrigou a interromper seu discurso: Eu espero, meu Deus, o Salvador que prometeste: Salutare tum expectabo, Domine(7).

Os egípcios estavam infectados de idolatria e de magia; o próprio povo de Deus era influenciado por seus exemplos. No entanto, Moisés e outros acreditavam naquele que não viam e o adoravam olhando para os dons naturais que ele lhes preparava.

Os gregos e os latinos, em seguida, fizeram reinar as falsas divindades; os poetas fizeram cem diversas teologias: os filósofos se separaram em mil seitas diferentes: no entanto, havia sempre, no coração da Judéia, homens escolhidos que presidiam à vinda de um Messias que só por eles era conhecido.

Ele veio, enfim, na consumação dos tempos: e, desde então, viram-se nascer tantos cismas e heresias, tantos desmoronamentos de Estados, tantas mudanças em todas as coisas; e essa Igreja a que adora aquele que sempre foi adorado subsistiu sem interrupção. E o que é admirável, incomparável e inteiramente divino, é que essa religião que sempre durou foi sempre combatida. Mil vezes esteve na iminência de uma destruição universal; e, todas as vezes que se achou nesse estado, Deus tornou a levantá-la com golpes extraordinários de potência. É assombroso que assim seja e que ela se mantenha sem dobrar-se e curvar-se sob a vontade dos tiranos.

Os Estados pereceriam se não se fizesse com que as leis se submetessem freqüentemente à necessidade. A religião, porém, nunca sofreu isso, nunca usou disso. São necessários ou esses acomodamentos ou milagres. Não é de estranhar que nos conservemos submissos, e isso não é propriamente manter-se; e ainda pereçam eles, enfim, inteiramente; não há o que tenha durado mil e quinhentos anos. Mas, que essa religião se mantenha sempre inflexível, isso é divino.

VIII
(Haveria obscuridade demais se a verdade não tivesse marcas visíveis. É admirável a de se ter conservado sempre numa Igreja a e numa assembléia visível. Haveria claridade demais se só houvesse um sentimento nessa Igreja; mas, para reconhecer o que é verdadeiro, basta ver o que sempre existiu: com efeito, é certo que o verdadeiro sempre existiu e que nenhuma falsidade existiu sempre. Assim), o Messias foi sempre acreditado. A tradição de Adão era ainda nova em Noé e em Moisés. Os profetas o predisseram depois, predizendo sempre outras coisas cuja realização, verificando-se periodicamente entre os homens, assinalava a verdade de sua missão e, por conseguinte, a de suas promessas em relação ao Messias (Todos eles disseram que a lei que possuíam só gorava enquanto esperavam a do Messias e que, então, ela seria perpétua, mas que a outra dura eternamente; que, por isso, a sua lei e a do Messias da qual era ela a promessa, existiram sempre sol a terra. Com efeito, ela durou sempre, e Jesus Cristo veio em todas as circunstâncias preditas). Jesus Cristo fez milagres, assim como os apóstolos que converteram todos os pagãos; e, assim, realizando-se todas as profecias, o Messias está provado para sempre.

IX
Vejo várias religiões contrárias, mas todas falsas, exceto uma. Cada qual quer ser acreditada por sua própria autoridade e ameaça os incrédulos. Não creio nelas; todos podem dizer isso, todos podem dizer-se profetas. Vejo, porém, a religião cristã, na qual encontro profecias; e é o que nem todos podem fazer.

X
A única religião contrária à natureza no estado em que ela se acha, que combate todos os nossos prazeres e que, à primeira vista, parece, contrária ao senso comum, é a única que sempre existiu.

XI
Toda a conduta das coisas deve ter por objeto o estabelecimento e a grandeza da religião; os homens devem ter em si mesmos sentimentos conformes ao que ela nos ensina: e, enfim, ela deve ser de tal forma o objeto e o centro para o qual tendem todas as coisas que quem souber os seus princípios poderá explicar toda a natureza do homem em particular e toda a conduta do mundo em geral.

E, sobre esse fundamento, eles (os ímpios) tomam pé para blasfemar a religião cristã, porque a conhecem mal. Imaginam que ela consiste simplesmente na adoração de um Deus considerado como grande e poderoso e eterno: o que é propriamente o deísmo, quase tão afastado da religião cristã quanto o ateísmo, que lhe é totalmente contrário. E daí concluem que não vêem que todas as coisas concorrem para o estabelecimento deste ponto: que Deus não se manifesta aos homens com toda a evidência que lhe seria possível.

Mas, que daí concluam o que quiserem contra o deísmo, nada concluirão contra a religião cristã, que consiste propriamente no mistério do Redentor, o qual, unindo em si as duas naturezas, a divina e a humana, retirou os homens da corrupção do pecado, para reconciliá-los com Deus em sua pessoa divina.

Ela ensina, pois, a todos os homens, estas duas verdades: que há um Deus de que os homens são capazes, e que há uma corrupção na natureza que os torna indignos dele. Importa, igualmente, que os homens conheçam esses dois pontos; e é igualmente perigoso que o homem conheça Deus sem conhecer sua miséria, e conheça sua miséria sem conhecer o Redentor que pode curá-lo dela. Um só desses conhecimentos faz ou o orgulho dos filósofos que conheceram Deus, e não sua miséria, ou o desespero dos ateus, que conhecem sua miséria sem Redentor. E, assim como é igualmente da necessidade do homem conhecer esses dois pontos, é também igualmente da misericórdia de Deus fazer com que os conheçamos. A religião cristã o faz; é nisso que ela consiste. Examine-se a ordem do mundo sobre isso, e veja-se se todas as coisas não tendem ao estabelecimento dos dois chefes dessa religião.

XII
Quem não se reconhece cheio de soberba, de ambição, de concupiscência, de fraqueza, de miséria e de injustiça, é bastante cego. E quem, assim se reconhecendo, não deseja regenerar-se, que se pode dizer de um homem... (tão pouco razoável)? Que é, pois, que se pode ter, senão estima, por uma religião que conhece tão bem os defeitos do homem, e senão desejo pela verdade de uma religião que para isso promete remédios tão desejáveis?


--------------------------------------------------------------------------------
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: SB em 04 de Novembro de 2009, 00:14
Ao falarem em pensamento e desejo lembrei-me de um pequeno episodio com a minha filha, nao ha muito tempo, e antes de ir dormir vou-vos contar...

A minha filha pôs uma daquelas pulseiras em que se pede um desejo quando se coloca e so se realiza quando esta se parte por si mesma.

Ela actualmente tem 14 anos, e colocou a dita pulseira com 10 anos.

Ha 2 semanas, ela surpreendida disse-me: - "mae a minha pulseira partiu"

e eu indaguei: - e agora, acreditas que se vai realizar o teu desejo?

E ela: - Espero que nao, eu tinha so 10 anos e nem queiras saber o que desejei...nao quero nada do que queria com aquela idade!

Terminei dizendo-lhe: - Que te sirva de lição! É necessário pensarmos muito bem no que desejamos, porque se queremos conquistar/alcançar algo importante tem que valer a pena, tudo, o bom e mau que pode advir dai!

;)

Abraços, ate amanha
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 04 de Novembro de 2009, 00:21

Olá!

Amiga SB, Deus, Consciência, Pensamento, Vida, tudo è energia. Logo os pensamenntos estão em Deus.




Contemplação sei que não é porque sou um contemplador conheço por experiência o que é essa coisa tão simples que quando não se conhece parece misteriosa.

Já falei ( no tópico consciência do mês passado ) numa amiga plantinha que tenho faz muitos anos, que está a alguns kilómetros da minha casa, quando não a posso visitar pessoalmente visualizo-a em silêncio, como tantas vezes junto a ela, e fico de imediatio junto dela.

Namasté   
Título: A Velocidade do Pensamento
Enviado por: Aldebaran em 04 de Novembro de 2009, 00:35


o Fluido Cósmico Universal é o veículo do pensamento, assim como o ar é o veículo do som, que viaja a 340 km/s.

E o pensamento,  a que velocidade viaja?? A luz, viaja a 299.576 km/s, e o pensamento??
é mais rápido que a velocidade da luz. Lembrando os tópicos sobre colônias espirituais, as formações de objeto pelo pensamento são instantâneas.

E, outro detalhe importante em nossas vidas: devemos vigiar os nossos pensamentos. Quando, ressentidos elaboramos um quadro de vingança, ele se materializa, porque, sem o percebermos, o Fluido Cósmico o transporta para a imensidão, e é aí, que Espíritos ou pessoas encarnadas poderão entrar em sintonia, porque esse fluido está por toda parte. Ex: se mentalizamos um quadro de vingança, bradando impropérios de maneira insultuosa contra um ofensor, e mentalizando este, esse quadro se materializa, de modo que, as entidades desencarnadas sabem o que se passa, e então, podem interagir perante esse quadro  psíquico de formações ideoplásticas.

Daí a recomendação de Jesus: "vigiai e orai para que não entrei em tentações". E, o principal meio pelo qual nos deixamos cair em tentações, é pelo pensamento

O inverso, obviamente é válido também: se imaginamos um quadro de ternura ou sentimento de AMOR por alguem, o éter universal transporta pela imensidão essa idéia plasmada, e então, todos aqueles que estão em sintonia com esse sentimento, podem interagir nesse sentido.

Nao sei se contribuiu...

abçs


Renato  

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 04 de Novembro de 2009, 00:37

Amiga SB o que disse também mais atrás é que não julgo não interpreto bem como não descontextualizo as mensagens.

Não arranco bocados às mensagens para lhes dar outro sentido do que ficou escrito, não espéculo, esta é a tal liberdade de percepção.

E atenção que se fica ainda com um aguçamento e uma sensibilidade de percebimento muito superior do que quando andamos por aí todos espalhados a procurar entretenimento como se tivessemos todo tempo do mundo.

com carinho

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 04 de Novembro de 2009, 00:52
Para Zeni.
 Zeni, minha querida. Quero parabenizar-te por estar coordenando esse estudo. É responsa hein...  :)
Mas daqui do meu lar, sabendo que o pensamento é instantãneo, vibro por você, e no momento em que escrevo, fico imaginado o proveito que se poderá tirar desse estudo, e nesse sentido ele é real, pois está plasmado, materializado, constatado, pelo pensamento de todos os que estão aqui estudando, colaborando, instruindo, e aprendendo.

Amo você minha amiga, e todos os membros desse fórum

Você está de parabéns e que Deus te ilumine.

bjs.

Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dOM JORGE em 04 de Novembro de 2009, 10:35
                                                       VIVA JESUS !

              Olá, queridos irmãos em Cristo.

                    A Carmen.gbi, postou um texto da Joanna de Ângelis, onde diz: " O espírito

              vem ampliando a percepção do psiquismo divino que nele existe, adquirindo essa

              peculiar capacidade, base para todas as realizações existenciais." Pois muito bem

              sinalizado pela Joanna, sermos depositários dos mistérios da vida, todos eles ínsi -

              tos em nós. O que nos cabe é desdobrá-los a medida que nos percebamos seres

              construidos condenados a sermos felizes.


                                                                     PAZ, MUITA PAZ !
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 04 de Novembro de 2009, 12:38

Olá a todos os pensadores!

Quando se está num estudo mensal ou leva-se a coisa com integridade com seriedade e com responsabilidade, ou então é melhor não participar.

Entrar-se num estudo destes como o lobo desfarçado de cordeiro não abona em nada o entendimento.

A humildade que é necessária não é aquela que ajoelha perante aquele que julga seu superior e que faz ajoelhar aquele que julga seu inferior. Isto é vaidade, isto é obra do pensamento.

A humildade necessária é aquela que não permite que ninguém se ajoelhe perante ele e ao mesmo tempo não se ajoelha perante ninguém. Somos espiritos, somos uno.

Allan Kardec
O Livro dos Espíritos

467. Pode o homem eximir-se da influência dos Espíritos que procuram arrastá-lo
ao mal?
“Pode, visto que tais Espíritos só se apegam aos que, pelos seus desejos, os
chamam, ou aos que, pelos seus pensamentos, os atraem.”

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Marta81 em 04 de Novembro de 2009, 13:12
COMO ENTRA O PENSAMENTO NA SUA MENTE
 O pensamento pode entrar em nos de duas formas:
é empurrado de fora para dentro,
ou nasce dentro de si por seu próprio processo criador.
Quando um pensamento vem de fora,nos temos tempo de aceita-lo ou não.
Se o aceitar,é reconhecido pelo seu
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Marta81 em 04 de Novembro de 2009, 13:26
COMO ENTRA O PENSAMENTO NA SUA MENTE...CONTINUAÇÃO

Se o aceitar,é recolhido pelo seu subconsciente,que o metaboliza, o energiza e o realiza.
Assim, quando alguém  aceita essa ideia, ela chega ao subconsciente,que a torna real na sua vida.
Como o pensamento produz a realidade do seu conteúdo, nós vivênciamos essa imagem todos os dias e veremos o grande milagre que acontecerá em nossas vidas.
Nossas vidas se transformarão, nossos corpos se iluminarão, nossas doenças desaparecerão, novas forças virão até nós, progredirão cada vez mais.

A paz estejam convosco
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Novembro de 2009, 13:49
Olá

O pensamento é a caracteristica que distingue a matéria bruta dos seres dotados de espirito.

A inteligência é uma qualidade do espirito, embora o espirito não seja só a inteligência. Não creio que seja total ou parcialmente uma qualidade do corpo de carne nem do perispirito.

O perispirito é um meio de transmissão do pensamento para o corpo de carne e da sensações do mundo material para o espirito, no caso dos encarnados, em que a percepção dessas sensações está dependente dos orgãos materiais do corpo de carne: terminações nervosas, nervos e cérebro propriamente dito.

Quando parte do cérebro falha, por doença, o espirito não falha. Continua a pensar, mas não é capaz de manifestar os seus pensamentos através do corpo.

O espirito não se manifesta nem percepciona só através dos orgãos materiais, como todos sabemos. Chama-se a esse estado: emancipação da alma, comum entre as pessoas que dormem, as pessoas em estado de coma, e as pessoas em outros estados alterados de consciência.

A inteligência e a vontade dependem uma da outra. Inteligência sem vontade não serve para nada. Vontade sem inteligência para menos serve. Atenção que falo de inteligência e não de grau de instrução. Um analfabeto pode ser muito mais inteligente do que um individuo com muita formação académica, ou seja, se trocassem de posições, o mais inteligente conseguiria fazer mais, se para isso tivesse vontade.

O pensamento positivo, em meu entender é:

1) aceitar a situação actual em nos encontramos;

2) Ter fé em Deus, na sua infinita bondade e paciência, ou seja, não desanimar em circunstância alguma e não se revoltar contra Deus, contra si próprio ou contra outras pessoas, ainda que essas pessoas possam ter contribuido para a nossa situação actual não ser melhor, colocando areia na nossa "engrenagem".

3) A partir da aceitação da nossa situação actual, se tivermos fé, seremos capazes de ter calma suficiente para pensar. Pensando e tendo vontade (não se deixando cair na preguiça), podemos alterar o que não gostamos na nossa situação actual. Se ficarmos sentados à espera que a situação melhore lendo livros de auto-ajuda, não vamos lá. A força para vencer reside na fé em Deus e na fé na sua infinita bondade. A preguiça e o desanimo são os inimigos a combater em nós.

bem hajam
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 04 de Novembro de 2009, 17:03
A alma é um sere inteligente que sem corpo é essencia, é o espirito. Enquanto espirito encarnado a alma e corpo se unem ou por outra servem-se do perispirito para se interligarem (comunicarem).

A alma é a parte inteligente, a que pensa  ;)

Por isso todo o espirito encarnado (alma+perispirito+corpo) pensa.

És simplesmente desconcertante.

Agora voltamos a concordar. Susana, só para me certificar se te entendi bem... no caso se as coisas forem assim como tu dizes, só a vida representa a nossa real existência, ou seja esta só é possível quando o espírito se une à matéria, ou seja, quando o espírito está desencarnado (pelo menos neste nosso estado evolutivo) nada mais é do que essência...

Resta saber para onde vai, o que anda a fazer por aí e se essa essência tem alguma consciência de si.  ;)

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 04 de Novembro de 2009, 19:12
 
Olá a todos os amigos e amigas do Fórum.

Trago o texto: Fonte http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/op/op-04.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2NvZGlmaWNhY2FvL29wL29wLTA0Lmh0bWw=)

Há no homem um princípio inteligente que se chama ALMA ou ESPÍRITO, independente da matéria e que lhe dá o senso moral da faculdade de pensar.

Se o pensamento fosse uma propriedade da matéria, ver-se-ia a matéria bruta pensar; ora, como jamais se viu a matéria inerte dotada de faculdades intelectuais; que quando o corpo está morto ele não pensa mais, é necessário disso concluir que a alma é independente da matéria, e que os órgãos não são senão instrumentos com a ajuda dos quais o homem manifesta o seu pensamento.

5. As doutrinas materialistas são incompatíveis com a moral e subversivas da ordem social.

Se, segundo os materialistas, o pensamento fosse segregado pelo cérebro, como a bile é segregada pelo fígado, disso resultaria que, na morte do corpo, a inteligência do homem e todas as suas qualidades morais reentrariam no nada; que os parentes, os amigos e todos aqueles aos quais se tivesse afeiçoado, estariam perdidos sem retorno; que o homem de gênio seria sem mérito, uma vez que não deveria as suas faculdades transcendentais senão ao acaso de sua organização; que não haveria, entre o imbecil e o sábio, senão a diferença de mais ou de menos cérebro.

As conseqüências dessa doutrina seriam que, não esperando o homem nada além desta vida, nenhum interesse teria em fazer o bem; que seria muito natural que procurasse se proporcionar o mais de gozos possíveis, fosse memo às expensas de outrem; que haveria estupidez em disso se privar pelos outros; que o egoísmo seria o sentimento mais racional; que aquele que fosse teimosamente infeliz sobre a Terra, nada melhor teria a fazer do que se matar, uma vez que, devendo cair no nada, isso não seria nem mais e nem menos para ele, e que abreviaria os seus sofrimentos.

A doutrina materialista é, pois, a sanção do egoísmo, fonte de todos os vícios, a negação da caridade, fonte de todas as virtudes e base da ordem social, e a justificação do suicídio.

6. A independência da alma está provada pelo Espiritismo.

A existência da alma está provada pelos atos inteligentes do homem, que devem ter uma causa inteligente e não uma causa inerte. A sua independência da matéria está demonstrada de maneira patente pelos fenômenos espíritas que a mostram agindo por si mesma, e sobretudo pela experiência de seu isolamento durante a vida, o que lhe permite se manifestar, pensar e agir na ausência do corpo.

Pode-se dizer que, se a química separou os elementos da água, se ela colocou por aí as suas propriedades em descoberto, e se pode à vontade fazer e desfazer um corpo composto, o Espiritismo pode igualmente isolar os dois elementos constitutivos do homem: o espírito e a matéria, a alma e o corpo, separá-los e reuni-los à vontade, o que não pode deixar dúvida sobre a sua independência...

Abraços a todos.
Zeni
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Novembro de 2009, 19:29
Olá Taprobana

Os espiritas que trabalham nos centros espiritas, nos trabalhos de desobssessão, por exemplo, sabem que os desencarnados têm consciência de si mesmos. E também sabem o que os espiritos nessa situação andam a fazer por aí. Têm o conhecimento teórico e simultaneamente o conhecimento prático.

A doutrina espirita esclarece o que os espiritos andam a fazer na erraticidade.

E também que os espiritos moralmente elevados deixam de reencarnar, não deixando nunca de ter perispirito.

Quem quiser saber basta falar com as pessoas certas e ler, por exemplo, o livro dos espiritos de Kardec, entre muitos outros. Contudo só vê quem quer ver.  E podem haver outras formas de ver o mundo espiritual, só que não são espiritas. Sendo este fórum espirita e este debate um tema no âmbito do estudo da doutrina espiritismo...

bem hajam
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 04 de Novembro de 2009, 22:44
Olá Taprobana

Os espiritas que trabalham nos centros espiritas, nos trabalhos de desobssessão, por exemplo, sabem que os desencarnados têm consciência de si mesmos. E também sabem o que os espiritos nessa situação andam a fazer por aí. Têm o conhecimento teórico e simultaneamente o conhecimento prático.

A doutrina espirita esclarece o que os espiritos andam a fazer na erraticidade.

E também que os espiritos moralmente elevados deixam de reencarnar, não deixando nunca de ter perispirito.

Quem quiser saber basta falar com as pessoas certas e ler, por exemplo, o livro dos espiritos de Kardec, entre muitos outros. Contudo só vê quem quer ver.  E podem haver outras formas de ver o mundo espiritual, só que não são espiritas. Sendo este fórum espirita e este debate um tema no âmbito do estudo da doutrina espiritismo...

Olá Vítor

Como sabes, eu conheço a doutrina espírita com bastante pormenor e sei também de que forma os centros espíritas interagem com a sociedade.

Como este aspecto ortodoxo da questão é abordada por muitos e com uma competência exemplar entre os quais tu estás de forma distinta incluído, não sinto de forma alguma necessidade de me juntar ao coro.

No entanto, por muito que alguns espíritas assim o pensem, o espiritismo não tem um sistema patriarcal de comando acerca daquilo que cada um de nós pensa ser importante reflectir, nomeadamente no que se refere à procura da concertação do que a doutrina professa com aquilo que as evidencias da vida nos vão ditando e isto tal como o codificador desta doutrina assim exigiu.

Seria interessante saber dos teus argumentos que contradizem as já centenas de páginas escritas neste fórum que fundamentadas na razão e no conhecimento apresentam os argumentos que suportam as hipóteses que neste momento a minha vontade decidiu abordar, em perfeita consonância com uma atitude eminentemente espírita no sentido Kardecista da palavra, e que se esforçam por encontrar no espiritismo a sua real essência doutrinária.

Como já nos conhecemos há alguns meses e já trocamos ideias várias vezes, confesso que estranho a tua ausência quando a oportunidade de refutar os argumentos em debate e que contrariam a tua visão ortodoxa desta doutrina, surgem enquadrados com uma pertinência muito mais adequada que esta.

Não existe qualquer tipo de legitimidade que confira àqueles que se decidem por uma postura ortodoxa, onde o espírito crítico não existe ou está amordaçado, o estatuto de serem os verdadeiros e legítimos seguidores do Kardecismo e portanto os únicos com poder de afirmar a sua vontade neste fórum como as tuas palavras reiteradamente pretendem fazer querer.

Assim, meu amigo, apesar de ser perfeitamente plausível que os espíritos tenham uma intervenção efectiva nos mecanismos da mediunidade, essa afirmação se não for sustentada e concertada com os desenvolvimentos que a vida nas sugere, não tem a mínima legitimidade assertiva que a destaque das múltiplas outras que com ela convivem e nada no espiritismo nos indica que devemos fechar os olhos a tudo aquilo que de alguma forma possa por em causa os seus dogmas, que curiosamente não foram criados por Kardec, mas sim por aqueles que lêem o livro dos espíritos como se fosse uma obra escrita pelo próprio Deus.

Agora se me permites, a afirmação que fazes acerca da certeza que o médium possi de que os desencarnados têm consciência de si mesmo está fundamentada em que tipo de conhecimento?

Que tipo de evidência irrefutável te permite afirmar tão peremptoriamente esta certeza? O que te faz afirmar que o processo de causalidade não está algures na mente do próprio médium? Porque motivo simplesmente descartas uma das duas hipóteses em questão quando é perfeitamente possível conceber, utilizando aquilo que o conhecimento da mente e da física neste momento nos proporciona, a hipótese da mediunidade ser um sentido biológico perfeitamente inserido na caracterização da vida humana?


Um abraço, amigo.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: nelsonmt em 05 de Novembro de 2009, 00:22
Olá Zeni

Parabens pelo tema e seja bem vinda !

Para me situar no estudo proposto, e colaborar com discussão com texto de  “Mecanismos da Mediunidade” - Capítulo 1

Citar
E o homem, colocado nas faixas desse imenso domínio, em que a matéria quanto mais estudada mais se revela qual feixe de forças em temporária associação, sômente assinala as ondas que se lhe afinam com o modo de ser.
Temo-lo, dessa maneira, por viajante do Cosmo, respirando num vastíssimo império de ondas que se comportam como massa ou vice-versa, condicionado, nas suas percepções, à escala do pro¬gresso que já alcançou, progresso esse que se mostra sempre acrescentado pelo patrimônio de ex¬periência em que se gradua, no campo mental que lhe é característico, em cujas dimensões revela o que a vida já lhe deu, ou tempo de evolução. e aquilo que ele próprio já deu à vida, ou tempo de esforço pessoal na construção do destino. Para a valorização e enriquecimento do caminho que lhe compete percorrer, recebe dessa mesma vida, que o acalenta e a que deve servir, o tesouro do cére¬bro, por intermédio do qual exterioriza as ondas que lhe marcam a individualidade, no concerto das forças universais, e absorve aquelas com as quais pode entrar em sintonia, ampliando, os recursos do seu cabedal de conhecimento, e das quais se deve aproveitar, no aprimoramento intensivo de si mesmo, no trabalho da própria sublimação.
(...)
Salientando-se no oceano da Vida Infinita, outros reinos ondulatórios se espraiam, ofertando novos campos de evolução ao Espírito, que a mente ajustada às peculiaridades do Planeta não consegue perceber.
(...)
Semelhantes notas oferecem ligeira ideia da transcendência das ondas nos reinos do Espírito, com base nas forças do pensamento.

Estou compreendendo do texto que o “pensamento” depende da capacidade “percepção”, e esta depende da “escala do progresso que alcançou” o espirito, na troca de dar e receber à vida. O cérebro representa o “tesouro, por intermédio do qual exterioriza as ondas que lhe marcam a individualidade, no concerto das forças universais, e absorve aquelas com as quais pode entrar em sintonia, ampliando, os recursos do seu cabedal de conhecimento, e das quais se deve aproveitar, no aprimoramento intensivo de si mesmo, no trabalho da própria sublimação”.

Pergunta

Zeni, neste tema qual o conceito de “pensamento” ?

É toda energia capaz de alterar a materia mental do espírito?

Portanto, assim o sentimento é capaz tambem de alterar a materia mental.

Ou não, pensamento separado do sentimento, e fruto da reflexão, raciocínio e razão?

Estando correta minha interpretação de André Luiz, da dependencia do pensamento da percepção, como faz o espírito para modificar sua capacidade de percepção, nos dois conceitos?

Um Abraço Fraternal e Muita Paz

Nelson
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: freire em 05 de Novembro de 2009, 01:05
Um pensador famoso ja alertava que "uma falta jamais seria cometida, se o faltoso soubesse estar sendo observado pela pessoa que mais respeitasse". Ninguem melhor que o espirita
consciente para conhecer esta profunda verdade, ja que os Espiritos a tudo observam por estarem permanentemente em todo derredor.
Os espiritos, podem penetrar fundo nos pensamentos, por mais secretos que sejam. Conhecem , muitas vezes, aquilo que o homem deseja ocultar a si mesmo.
Por isso vivemos pensamento, e a linguagem dos Espiritos e o pensamento.
Nao sei se a frase e nova ou antiga, mas um velho proverbio que sempre ouvimos e "diga-me
com quem andas , e te direi quem es" para aqueles que conhecem o espiritimos podemos dizer, " diga-me o que estas pensando , e te direi quem esta ao teu lado.

                                                                muita paz a todos.[/b]
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 05 de Novembro de 2009, 11:36
Olá pessoal, incrível como as coisas se interrelacioanam. Estávamos discutindo ontem lá no tópico "A ORIGEM  DAS COLÔNIAS ESPIRITUAIS",  e a questão do pensamento veio trazer a chave para a solução daquela torturante questão, e não por acaso, o Estudo de Novembro  "Pensamento" veio trazer subsídios para a nossa compreensão lá. O pensamento vem de Deus, o Espírito é o elemento inteligente da criação, o que equivale a dizer que o pensamento talvez seja a única coisa real, e é ele que produz tudo o mais. Nesse sentido, as coisas produzidas pelo pensamento seriam reais ( ? ) ou teriam existência real somente enquanto durar aquele pensamento?? O pensamento é capaz de ordenar logicamente uma dada realidade, daí que não é de se espantar que todos os  Espíritos que escreveram romances mediúnicos, sobretudo  pela mão de Divaldo e Chico, descreveram realidades fantásticas no mundo espiritual, mas todas  formadas e ordenadas pelo  pensamento, assim como a criação do universo material é uma realidade advinda  do pensamento de Deus.

Não sei se é por  aí... aguardo maiores elucidações sobre o tema.

abçs,

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Angelresende em 05 de Novembro de 2009, 11:47
O pensamento é o ínicio de tudo, pois tudo que vamos fazer nasce do pensamento.
Este é a mola propulsora que move o mundo, certo que algumas vezes somos influenciados.
Creio que o pensamento só não seja mais dificil que controlar do que os sentimentos, é um exercicio constante manter a nossa vibração em bom estado e para isso é preciso vigiar sempre nossos pensamentos.
Procuro sempre ler e referente a pensamento tem um livro que me fez mudar e muito o conceito do poder que este ter, que é O poder dentro de vc,não me recordo o autor nesse momento, eu simplesmente achei o livro martavilhoso, e há um tempo li O Segredo, muito bom também e que somente veio a somar nas convicções que eu já havia formado anteriormente.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 05 de Novembro de 2009, 12:03
Olá angel, concordo com o que você diz,

Seja bem-vinda a este estudo,

abçs, 

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 05 de Novembro de 2009, 14:23
O pensamento vem de Deus, o Espírito é o elemento inteligente da criação, o que equivale a dizer que o pensamento talvez seja a única coisa real, e é ele que produz tudo o mais. Nesse sentido, as coisas produzidas pelo pensamento seriam reais ( ? ) ou teriam existência real somente enquanto durar aquele pensamento?? O pensamento é capaz de ordenar logicamente uma dada realidade, daí que não é de se espantar que todos os  Espíritos que escreveram romances mediúnicos, sobretudo  pela mão de Divaldo e Chico, descreveram realidades fantásticas no mundo espiritual, mas todas  formadas e ordenadas pelo  pensamento, assim como a criação do universo material é uma realidade advinda  do pensamento de Deus.

Não sei se é por  aí... aguardo maiores elucidações sobre o tema.

Olá Renato

“O pensamento vem de Deus.” Eu é que aguardo elucidações tuas que sustentem esta afirmação. Se a utilizas como um pressuposto hipotético para tentar ensaiar uma hipótese, é uma possibilidade. Mas porque motivo somente o pensamento seria de Deus? Se queres averiguar se quem pensa é Deus e não o homem, nesse caso estarias a definir Deus da mesma forma que é definido por mais do que uma corrente religiosa (poupa-me o trabalho de as procurar por não as tenho de memória) ou seja como o somatório de tudo aquilo que existe, ou seja não seriamos os seus filhos, mas sim os seus órgãos, observando a questão por este prisma.

Mais para a frente abordas esta mesma questão colocando-a de forma muito diferente e com a qual eu pessoalmente simpatizo mais, ou seja, se eu entendi bem, o universo existe como consequência da materialização do pensamento de Deus (nos qual está contida a totalidade da sua criação, ou seja nós mesmo também) e os mundos espirituais existem pela materialização dos pensamentos dos seus filhos ou seja nós mesmo, e assim sendo a citação bíblica “criados à imagem e semelhança de Deus” é para ser tomada à letra.

Esta última possibilidade é possível de ser concebida de forma cognoscível utilizando as prováveis propriedades quânticas da matéria (já para entender a primeira necessito que me ajudes).

No entanto partindo deste pressuposto, quando libertos da matéria, os espíritos viveriam em mundos cuja realidade não seria passível de ser partilhada, ou seja, os mundos espirituais criados por cada um determinam uma realidade que somente o próprio espírito vive e não uma realidade social, ou seja, cada espírito cria individualmente o seu próprio mundo assim como Deus cria o universo com o seu pensamento.

Esta possibilidade justificaria por completo a forma como o espiritismo descreve aquilo que está contido na obra “O Céu e o Inferno”.

Se adicionarmos a esta hipótese o pressuposto de que a partir de determinada altura os espíritos passam a entender Deus, ou seja, podem experimenta-lo, ou seja, participar do seu mundo mental (sem que a partir daqui a especulação que neste momento crio possa ser acompanhada por qualquer tipo de suporte empiricamente cognoscível, ou seja, é especulação pura) por esse motivo não mais necessitariam de encarnar, ou seja, não necessitariam de matéria para coexistir no mundo que o pensamento de Deus cria, ao contrario dos espíritos que como os nossos se encontram em processos evolutivos individuais, que não “existem” no mundo de Deus enquanto estão mortos e só a vida lhes permite participar activamente no mundo divino.

Que te parece? Pensas que este argumento pode vir a dar um filme interessante? Ou deitamos-lo já para a reciclagem?  8)

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 05 de Novembro de 2009, 14:39
Olá Tap,

Penso que é lógico tudo o que falou

Citar
Taprobana: No entanto partindo deste pressuposto, quando libertos da matéria, os espíritos viveriam em mundos cuja realidade não seria passível de ser partilhada, ou seja, os mundos espirituais criados por cada um determinam uma realidade que somente o próprio espírito vive e não uma realidade social, ou seja, cada espírito cria individualmente o seu próprio mundo assim como Deus cria o universo com o seu pensamento.

Como não?? assim como nós "criamos" ou melhor organizamos a nossa sociedade de maneira coletiva, assim também os Espíritos organizam, pelo pensamento, as suas "sociedades", ou seja, as formações-pensamento tbm se dão de maneira coletiva não acha??

abçs

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 05 de Novembro de 2009, 14:57
Olá Tap,

Penso que é lógico tudo o que falou

Citar
Taprobana: No entanto partindo deste pressuposto, quando libertos da matéria, os espíritos viveriam em mundos cuja realidade não seria passível de ser partilhada, ou seja, os mundos espirituais criados por cada um determinam uma realidade que somente o próprio espírito vive e não uma realidade social, ou seja, cada espírito cria individualmente o seu próprio mundo assim como Deus cria o universo com o seu pensamento.

Como não?? assim como nós "criamos" ou melhor organizamos a nossa sociedade de maneira coletiva, assim também os Espíritos organizam, pelo pensamento, as suas "sociedades", ou seja, as formações-pensamento tbm se dão de maneira coletiva não acha??

abçs

Renato



Não consigo imaginar como mundos mentais podem conter mundos mentais. Parece ser impossivel. Observa: Se eu crio pelo pensamento um mundo do qual do qual eu sou o "Deus", todas as personagens que nele habitam são fruto do meu pensamento e não a coisa em si. Imagina que eu crio um mundo em que o espírito Renato está lá para arrumar a minha casa, lavar a loiça, tratar do meu jardim, etc, não significa que de facto seja o Renato que lá esteja em espírito, ou seja é uma criação minha.

O "Deus" Renato está algures noutro local a administrar a sua própria criação e o Taprobana pode ter o papel de louco que habita uma cabana mas sem ter a águia nem a serpente e que de lá não sai para não vir ao teu mundo armar confusão como fazia aquele nosso amigo que temos em comum.

O sonho pode ser uma pista que a ser tomado como uma analogia meramente exemplificativa para facilitar a compreensão desta ideia.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 05 de Novembro de 2009, 15:15
Olá.
Não é a questão de "mundos mentais conter mundos mentais", trata-se antes de compreender que esses mundos mentais podem coexistir, e não se conterem. É lógico que quanto a Deus, tudo mais é fruto do seu pensamento.
Mas, e quanto à obsessão, não se trata de mundos mentais contendo mundos mentais?? não há uma interação entre mundos mentais??
Os Espíritos não lêem o pensamento dos encarnados??

Não sei bem este assunto, por isso é que estou perguntando

abçs,

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 05 de Novembro de 2009, 15:42
Olá.
Não é a questão de "mundos mentais conter mundos mentais", trata-se antes de compreender que esses mundos mentais podem coexistir, e não se conterem. É lógico que quanto a Deus, tudo mais é fruto do seu pensamento.
Mas, e quanto à obsessão, não se trata de mundos mentais contendo mundos mentais?? não há uma interação entre mundos mentais??
Os Espíritos não lêem o pensamento dos encarnados??

Não sei bem este assunto, por isso é que estou perguntando
(Nem eu sei, e ninguém sabe... resta especular  :D )

Correcto Renato. É isso mesmo que neste momento me cria perplexidade. Se as coisas se passassem da forma como acima especulei, os processos mediúnicos teriam um carácter completamente diferente daquele que o espiritismo interpretou.

Não seriam nesse caso um sentido externo do organismo, mas sim interno, ou seja, uma forma de tornar consciente a nosso ser imortal, que contem em si mesmo todos os ingredientes para que essas manifestações se concretizem, ou seja, existiria um único personagem em palco nesse teatro e que é o próprio médium ou então uma espécie de coro mediumico do qual participam todos os presentes nessa sessão.

Assim, a hipótese de somente espíritos que habitam o mundo divino, poderem participar nesse evento de forma externa seria compreensível, pois não estão aprisionados ao universo mental individual, ou seja, já aniquilaram o seu Ego ou o seu mundo individual, ou seja, experimentam o mundo de Deus, o mundo do AMOR, aquele único mundo que é o mundo real, ou seja o nosso mundo perdido (ou nunca antes encontrado).

Se assim as coisas se passassem, seria fácil explicar de forma cognoscível, utilizando aquilo que já sabemos acerca da mente e da matéria, aquilo que constitui o elemento doutrinário do espiritismo, facilmente separando a intervenção do ego (animismo) do médium que conspurcou de irrealismo muitos capítulos e matérias incompreensivelmente abordadas.

Atenção a todos os que lêem este texto: O que aqui está em análise são hipóteses especulativas, exercícios da razão que tentam encontrar no espiritismo bases sólidas e que se coloquem em consonância com os conhecimentos que as restantes ciências vão disponibilizando. Não é o espiritismo uma ciência? Se o é tem de ter uma postura condizente com a insígnia que pretende ostentar e não curvar-se sobre dogmas desprovidos de qualquer tipo de credibilidade para a vida.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 05 de Novembro de 2009, 16:32

Olá amigos do pensamento!

Como entendo bem o pensamento não quero especular nem comparar, que também não sei nem quero saber porque tudo isso me afasta da essência do pensamento e gera confusão onde não existe. ( para mim claro está )

Então vou tentar colocar em palavras como sinto o pensamento (difícil amigos ).

Se eu estiver a ler as vossas mensagens em êxtase, em silêncio e com os olhos desfocados, não na totalidade senão as letras desapareciam, entendo tudo o que os meus amigos escrevem sem nenhuma reação do pensamento. ( ele, o pensamento não está lá )

Então o que é o pensamento? Ele é aquilo que costumamos fazer ao ler as ditas mensagens que é conforme vamos lendo ele, o pensamento, já está a engendrar todo tipo de respostas e a fazer interpretações diversas daquilo que o autor da mensagem quis comunicar.

Muitas vezes quando se fala em êxtase e em silêncio interior pensa-se logo em insanidade mental, só porque é uma prática que esquecemos devido à vida agitada que levamos e a numerosas coisas mais, mas quando caímos doentes ou temos que ser submetidos a anestesias e coisas do género ficamos logo a saber o que é sentir direto sem a intervenção do pensamento.

Modifica-se logo a nossa personalidade o nosso rosto e o nosso comportamento, quantas vezes pessoas que levaram a vida sem acreditar em nada do que nós aqui falamos depois de terem um enfarte miocárdio, se escaparem vivos, saem do hospital a dizer que nasceram para uma nova vida, já mais simpáticos com mais amor e com outra calma para reparar nestes pequenos pormenores que fazem toda a diferença quando toca a entender a vida.

É o que sinto amigos

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 05 de Novembro de 2009, 16:40
Olá! A todos do Fórum.


Olá! Nelson deixo minhas respostas.

Pergunta

Zeni, neste tema qual o conceito de “pensamento” ?

Interpretei da mesma maneira ( percepção). Na escalada evolutiva que vai ampliando seus conhecimentos e se aprimorando se moldando tendo o cérebro  como o tesouro pelas suas próprias conquistas.

É toda energia capaz de alterar a matéria mental do espírito? Eu penso que não.

Portanto, assim o sentimento é capaz também de alterar a matéria mental. sim

Ou não, pensamento separado do sentimento, e fruto da reflexão, raciocínio e razão?
 Penso que sim

Estando correta minha interpretação de André Luiz, da dependência do pensamento da percepção, como faz o espírito para modificar sua capacidade de percepção, nos dois conceitos?
 Eu posso pensar uma coisa, mas através do meu sentimento posso por em prática outra coisa, nem sempre fazemos o que pensamos, mas sim a maioria das vezes o que sentimos, pelo menos penso eu, não sei os outros.

Abraço forte a todos.

Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Marianna em 05 de Novembro de 2009, 17:24



Tem sido comum em nossos dias a divulgação sobre o poder do pensamento. Digo que esse poder é mais verdadeiro do que se imagina, pois, de fato, os nossos pensamentos e sentimentos geram concretas influências em nós e no ambiente que nos cerca.

E por que é tão importante saber usar o pensamento? Os pensamentos criam os sentimentos em nós (positivos ou negativos), e estes nos afetam energeticamente em vários sentidos, em termos de saúde, realizações de vida (amorosas, profissionais e financeiras), além de impactar no mundo externo.

Considerando que o pensamento tem imenso poder de atração, é preciso evitar os pensamentos negativos. Por exemplo, se você deseja ficar livre de dívidas ou de doenças, não pode pensar assim: “quero pagar todas as minhas dívidas” ou “quero deixar de ter doença”.

Pensando em “dividas” e em “doenças”, você estará atraindo sem saber exatamente uma coisa e outra. Deve-se pensar dessa maneira: “tenho dinheiro suficiente para viver confortavelmente com a minha família” e “todo o meu corpo é pleno de saúde” (mesmo que isso ainda não seja uma realidade, mas certamente acabará se realizando). Com frases mentalmente positivas, estaremos atraindo saúde e dinheiro e tudo mais que desejarmos em nossa vida.

Já foi comprovado que as energias dos pensamentos/sentimentos fluem à distância. Como exemplo, cito a experiência realizada em 1952 com macacos selvagens da ilha de Koshima no Japão. Naquele ano, os pesquisadores deram batatas-doces sujas de areia aos macacos. Eles não comeram por que não gostaram, afinal, as batatas estavam sujas. Entretanto, uma macaca chamada Imo levou as batatas a um riacho e as lavou para comer. Ensinou essa descoberta aos outros macacos de sua tribo, os quais passaram a agir lavando antes as batatas, para depois comê-las.

A grande descoberta se deu em 1958, quando determinado número de macacos da tribo de Imo já sabia se utilizar do benefício da descoberta: colônias de macacos de outras ilhas começaram também a lavar as batatas. Os pesquisadores concluíram que, havendo determinada quantidade de indivíduos que adquiriram certa aprendizagem, esse novo conhecimento é transmitido à distância de uma mente para outra em forma de energia.

Embora concorde que o pensamento de um grupo seja mais forte no processo de expansão energética, estou convencido, mesmo na esfera individual, de que o pensamento sai da pessoa, atingindo e influenciando o externo energeticamente.

A todo o momento, consciente ou inconscientemente, afetamos a realidade externa. Se não o fazemos conscientemente tanto como deveríamos é porque não acreditamos nessa capacidade. As pessoas normalmente formam pensamentos de intenção positiva, mas logo apagam, pois se convencem, quase sempre, tratar-se de simples tolice. Acabam dizendo ou pensando que não conseguem realizar e assim fracassam em seus objetivos.

No entanto, podemos realizar tudo, pois o pensamento positivo é uma força poderosa. Em vez disso, os pensamentos positivos de muita gente não têm passado, na maioria das vezes, de frágil camada sobrepondo enorme massa de pensamentos negativos.

Vítimas da falta de crença em nós, em nosso potencial criador, ficamos presos à realidade que vemos, colocando-nos de forma insignificante diante dela. As realidades, contudo, são possibilidades de nossa consciência ou de nossa subconsciência e, portanto, podemos  alterá-las qualitativamente se assim o desejarmos.

Podemos escolher as experiências que quisermos; afinal, a nossa realidade interna, de fato, é quem cria a nossa realidade externa. Ao contrário, muitas pessoas ainda acreditam que a realidade externa influencia determinantemente os fatos de suas vidas. Essas pessoas acabam por continuar a ter os mesmos relacionamentos e as mesmas atividades profissionais, ainda que não gostem deles.

Não é bem assim. Em verdade, o que acontece dentro de nós é que irá, concretamente, determinar e criar a realidade externa. E plenos de possibilidades presentes e futuras, podemos renascer como seres de pensamentos quânticos para uma existência de participação livre, criando as nossas realizações e a nossa felicidade.

A influência dos pensamentos e sentimentos sobre o meio externo ficou também comprovada em recentes experiências realizadas pelo cientista japonês Masaru Emoto. Esse pesquisador comprovou as influências dos pensamentos e dos sentimentos sobre água. Na experiência, a água ficou exposta aos pensamentos e aos sentimentos de algumas pessoas. Depois, a água foi congelada, sendo fotografados os cristais. Constatou-se, então, que a estrutura molecular da água havia sido alterada, quando em contato com esses agentes: pensamentos e sentimentos. O que se viu foi a formação de cristais luminosos em face de pensamentos e sentimentos positivos e cristais negros em consequência dos sentimentos e pensamentos negativos.

Se os pensamentos e os sentimentos afetam de forma positiva ou negativamente a água e sendo o homem composto de pelo menos 70% de água, fica evidente a influência que sofremos em virtude de nossos pensamentos e sentimentos. Do mesmo modo, afetamos as outras pessoas e, conseqüentemente, somos influenciados pelos pensamentos e sentimentos delas. Em suma, tudo que existe, as pessoas, os animais e o planeta são influenciados pelo que pensamos e sentimos.

É, pois, momento de se deparar com essa importante evidência: as pessoas desempenham papéis determinantes sobre tudo o que existe. Os nossos pensamentos se constituem em grande poder. Por conta disso, devemos exercer vigilância sobre eles, para que eles sejam constantemente positivos, gerando sentimentos saudáveis e influindo, salutarmente, em nós e em tudo que nos cerca.

Moacir Sade.


Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 05 de Novembro de 2009, 17:54
 

Citar
Taprobana: Se as coisas se passassem da forma como acima especulei, os processos mediúnicos teriam um carácter completamente diferente daquele que o espiritismo interpretou. Não seriam nesse caso um sentido externo do organismo, mas sim interno, ou seja, uma forma de tornar consciente a nosso ser imortal [...]

Mas a mediunidade é (ou não) um sentido interno ao organismo!

Citar
author=Taprobana link=topic=18735.msg67504#msg67504 date=1257435770]Assim, a hipótese de somente espíritos que habitam o mundo divino, poderem participar nesse evento de forma externa seria compreensível, pois não estão aprisionados ao universo mental individual, ou seja, já aniquilaram o seu Ego ou o seu mundo individual, ou seja, experimentam o mundo de Deus, o mundo do AMOR, aquele único mundo que é o mundo real, ou seja o nosso mundo perdido (ou nunca antes encontrado).

Quanto a isso eu não tenho nenhuma dúvida.


Se assim as coisas se passassem, seria fácil explicar de forma cognoscível, utilizando aquilo que já sabemos acerca da mente e da matéria, aquilo que constitui o elemento doutrinário do espiritismo, facilmente separando a intervenção do ego (animismo) do médium que conspurcou de irrealismo muitos capítulos e matérias incompreensivelmente abordadas.

E, não são assim que elas se passam?? Se não, como é então que as coisas se passam?? (qual é a sua opinião sobre essa questão)


Não é o espiritismo uma ciência? Se o é tem de ter uma postura condizente com a insígnia que pretende ostentar e não curvar-se sobre dogmas desprovidos de qualquer tipo de credibilidade para a vida.

Veja bem, caro Taprobana. No meu modo de entender as coisas, o Espiritismo não é uma ciência tal como entendemos esse termo. A ciência se vale de um método que lhe é peculiar o método científico. Esse método busca encontrar problemas nas teorias já vigentes e consolidadas,  buscar erros e aprender mais a partir desses erros. A ciência, nesse sentido estaria dentro de uma concepção darwiniana, ou seja, dentro de uma perspectiva da Seleção Natural. Me explico: se ela é uma forma de conhecimento que melhor explica – ou constrói modelos para se entender – a “realidade”, é porque ela sobreviveu, de um  ponto de vista da Seleção Natural, entre tantas outras.

 Nesse sentido, a pensamento filosófico e religioso são formas “primitivas” e anteriores ao pensamento científico, e que deram origem a este. Qual a diferença, nessa perspectiva evolucionista entre uma ameba e Einstein?? É que a ameba também tem uma forma de conhecimento, só que ela só pode errar uma vez, ou seja, se ela erra no seu conhecimento de como sobreviver, ela morre, enquanto que se Einstein erra, ele apenas perde credibilidade na comunidade científica, mas por outro lado, abre espaço para se elaborar novas teorias. Dentro dessa visão, como eu já disse acima, a ciência só evolui a partir de seus próprios erros.


E o Espiritismo, que ciência é essa?? Não podemos colocar o Espiritismo  ao da ciência, por o seu método é diverso. Primeiro que ele é uma Revelação, e o seu Método é o CUEE. O Espiritismo é apenas uma forma de conhecimento filosófica e científica de conseqüências morais, e não uma ciência. Allan Kardec foi claro quanto a isso na introdução de OLE: “pretender que o Espiritismo fosse o resultado de um paradigma científico estabelecidos por doutores dentro da academia, seria um absurdo” (adaptação minha). “A ciência não tem nada a ver com o Espiritismo e nem se ocupar dele”, disse Allan Kardec, o que equivale a dizer as realidades do mundo espirituais é que são as reais, e que portanto, a ciência estuda os efeitos e o Espiritismo as causas. De fato, não tem como a ciência penetrar nessas realidades espirituais se valendo do método científico, concorda??

Passo a palavra

Abcs,

Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 05 de Novembro de 2009, 17:56
Olá amigos do pensamento!

Não importa parecer louco já tirei toda a importãncia e vaidade que são os maiores criadores deste eu ilusório, então o que me resta é espírito energia, e neste nosso mundo, olhos, a fonte viva que tem a capacidade de nos ligar a estas duas realidades independentemente de serem ilusórias ou não.

Todas estas coisas difíceis de colocar em palavras de forma linear, pensamento, consciência, espírito e vida, são tão simples de se conhecerem que até parecem brincadeira, aliás toda a vida baseia-se na simplicidade nós ( o pensamento ) é que confundimos tudo de propósito como se ele ( o pensamento ) fosse um parasita ( energia, vida inorgânica vinda dos confins do universo) para nos parasitar através das nossas emoções. As emoções libertam uma quantidade enorme de energia que poderá ser o " alimento " desses mesmos seres.

Uma boa prática de sentir e obter todo este conhecimento é afastarmo-nos sozinhos para as montanhas bem longe de cidades e luzes e acamparmos por ali alguns dias e noites, durante a noite vamos sentir medo que não sei pôr em palavras. Se aguentarmos firme e dermos uns gritos bem profundos, garanto-vos amigos os nossos sentidos percebem com uma profundidade que mais uma vez não sei colocar em palavras.

Os nossos olhos e ouvidos ganham vida própria tornam-se independentes, já não seguem o pensamento o único objetivo é sobreviver, e para isso o pensamento é logo abandonado. Só vale, o pensamento, para brincarmos e para comunicarmos como fazemos aqui neste fórum, a quem eu agradeço pela liberdade que me têem dado. Obrigado.

É como vivo

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Novembro de 2009, 17:59
Olá Zeni

Ainda não lhe tinha dado os parabéns pelo tema, que é muito interessante, e pela apresentação do mesmo. Devo agradecer, porque foi um trabalho doado com muito carinho à comunidade que é o fórum, à qual tb pertenço.

Eu estou completamente de acordo que as emoções têm um papel fundamental no pensamento. Penso que as emoções são manifestações inteligentes do espirito, ou seja fazem parte da inteligência. Talvez sejam um sistema de protecção, não sei.

As emoções podem bloquear o raciocinio ou estimulá-lo. São a cor das "lentes" com que vemos o mundo.

Se estamos com pressa, parece que tudo empata a nossa tarefa, se vamos com calma já não damos enfase aos obstáculos e parece que são menos.

Se temos medo, ou reagimos no sentido de cancelar a causa do que nos faz medo, usando os estimulantes naturais que se libertam no nosso corpo a tal ponto de sermos capazes de esforços extraordinários, ou podemos bloquear em pânico (se o medo nos domina).

Se estamos deprimidos vemos tudo negro, se estamos alegres a vida parece mais fácil.

Nessa medida, em primeira instância agimos como sentimos, dependo do efeito das emoções em nós.

Deixo uma dúvida:

O senso moral, ou seja, a consciência subjectiva do que é o bem e o mal, quando nós seguimos o caminho daquilo que acreditamos ser o mal, altera sempre as nossas emoções? Parece-me que há pessoas muito frias, que são capazes de fazer grandes atrocidades sem manifestar um pingo de emoção. Outras pessoas, perante um pequenissimo delito, sem consequências, ou práticamente sem consequências, ficam cheias de pesos na consciência.

Olá Tapobrana

Todos os que se identificam com a doutrina espirita acreditam (e alguns, para além de acreditar sabem) que o espirito desencarnado tem consciência de si mesmo e que mantemos a individualidade depois do desencarne. De outra forma estariamos a negar o principio da imortalidade da alma.

Se não mantivessemos a individualidade, ainda que sempre com o mesmo espirito, deixariamos de ser nós mesmos, o que equivalia à morte total do ser anterior. Mal comparado era como mudar completamente o software de um computador. A máquina fisica era a mesma, mas o conjunto hardware+software poderia ser outro completamente diferente, sem nenhuma linha de continuidade entre ambos.

Não conheço nenhum espirita que diga o contrário, é uma zona em que não conheço polémica alguma entre espiritas. E ser espirita é identificar-se com as ideias espiritas fundamentais, por definição. Um ateu, por exemplo, não pode ser espirita, se quiser ser coerente.

bem hajam
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 05 de Novembro de 2009, 18:42
Citar
Zeni: Eu posso pensar uma coisa, mas através do meu sentimento posso por em prática outra coisa, nem sempre fazemos o que pensamos, mas sim a maioria das vezes o que sentimos, pelo menos penso eu, não sei os outros.

Oi Zeni,
Bem colocada essa questão e que veio ressuscitar em mim, uma antiga dúvida:
No Livro dos Espíritos, não há sequer uma menção de que os sentimentos atraem os Espíritos. Sempre é dito que o pensamento atrai os Espíritos.

 E eu, sempre tive essa dúvida, porque uma vez, um amigo meu - que se tornara naquela ocasião um grande médium de desobsessão - me disse que o que atrai os Espíritos, são aquilo que sentimos.

E acho que tem alguma lógica, porque às vezes a pessoa não está pensando em nada, mais guarda dentro de si um amor imenso por tudo e por todos o que sucede com o ódio também, às vezes a pessoa não está com o pensamento em nada, mas traz consigo tanto ressentimento e ódio, que eu pergunto: não seria o sentimento que atrai outro sentimento: não seria o sentimento que atrai os Espíritos??

Porque, muitas vezes, como você mesma disse, pensamos de um modo, mas sentimos  e agimos de outro: pensamos  naquela pessoa que nos fez o mal, mas, se não sentimos ódio por ela, se perdoamos, acho que cortamos o elo com ela. O mesmo em relação ao amor: alguém nos fez o bem, mas estamos indiferente com essa pessoa, logo, nosso pensamento não poderia estabelecer um elo psíquico com ela.  E aí, o que acham??

abçs,



Renato



Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: hcancela em 05 de Novembro de 2009, 19:18
Olá amigos(as)

Perdoem o copiar este texto, e por ser um pouco longo, mas achei interessante  ;D ;D ;D ;D

Vivemos imersos no mar de pensamentos de toda a humanidade – o chamado “pensamento massa”. A maior parte do tempo, você capta estes pensamentos, aceita-os, dá-lhes força (nutrindo-os com seus sentimentos) e os envia adiante. A partir daí, torna-se responsável por eles, pois contribuiu para melhorar ou piorar a qualidade do “pensamento massa”.

É um erro acreditar que os pensamentos sejam invisíveis e que se desfazem no infinito. O que você pensa fica registrado em seu corpo físico, nos móveis, nas paredes da casa, na atmosfera do seu mundo, nos relacionamentos e nos trabalhos que produz.

Você é, agora, o resultado do que pensou até hoje.

Diz um provérbio milenar: “junte Amor no pão que amassar; embrulhe Força e Coragem no pacote que amarrar para a mulher de rosto cansado; entregue Confiança no dinheiro que vai pagar ao homem de olhos desconfiados”.

Os maus pensamentos e sentimentos causam danos, tanto para o pensador como para os outros, sendo fonte de muitas doenças.

Anteriormente, só as doenças psíquicas eram ligadas a pensamentos e sentimentos imperfeitos, mas já é tempo de discernir que variadas doenças físicas nasceram de pensamentos e sentimentos descontrolados. Não só as do coração! Muitas de estômago e pele são conseqüências de pensamentos e sentimentos destrutivos.

Cada mau pensamento e sentimento nos distancia do nosso Sol Espiritual, o Cristo, a fonte da nossa vida e imunidade. Quando nos afastamos de Deus, nos tornamos campos férteis para todo tipo de doença.

O que torna um ser humano mais desenvolvido que outro é que um deles controla melhor seus pensamentos e sentimentos e os usa conscientemente.

Para você adquirir esse controle, o primeiro passo é estabelecer o observador de si mesmo. Esse vigilante silencioso logo ajudará a discernir entre seus bons e maus pensamentos.

Você descobrirá que a saúde, a convivência e tudo que nos cerca, resulta da qualidade dos nossos pensamentos e sentimentos. Só então pode deixar o papel de vítima e assumir a consciência de ser o Criador Responsável.

Esse observador pode ser visualizado, a princípio, como um olho dentro da cabeça (o terceiro olho), sentindo-o como o Olho Onividente, a Vista de Deus em si, o Pensador Perfeito.

A mente é semelhante a um aparelho de rádio e podemos selecionar as emissoras, ou seja, os tipos de pensamentos que desejamos captar. Escolhamos então a melhor emissora! A Mente de Deus!

Os grandes mestres da música, da pintura, da literatura, os maiores pensadores foram apenas pessoas que ousaram aspirar por uma perfeita sintonia com a Mente de Deus. Realizaram então obras que contribuíram e contribuem para a evolução da humanidade.

O pensamento é a flecha. O sentimento, o arco que a impulsiona. Sejamos arqueiros conscientes e, com toda concentração, miremos o único alvo de valor: a Mente de Deus.

Todas as formas velam um atributo, uma mensagem, um ensinamento. O jasmim do cabo ou Gardenia jasminoides Ellis é um ser nativo da antiga Pérsia, que traz um simbolismo, uma mensagem muito importante para cada um de nós neste momento.

Olhe para o jasmim e transforme-se nele, pois ele é pureza transmitida pela alvura de suas pétalas, que também emanam inofensividade, regeneração, paz, dignidade e elegância. Do seu centro, o jasmim exala maravilhoso perfume, que são seus pensamentos e sentimentos, abençoando toda criação, todo o exterior.

A essência floral do jasmim é obtida da seguinte forma: ao nascer do sol, colhe-se uma flor bem aberta e perfeita. Mergulha-se a flor em um litro de água pura, em vasilha de vidro transparente. Deixa-se ao sol durante todo o dia. Ao entardecer, estará pronta para ser tomada. A dosagem fica a critério da observação pessoal de cada um.

Esta essência facilita a sintonia de nossa mente com a Mente do nosso Deus interior, fonte de toda beleza, harmonia, pureza, perfeição, criatividade e iluminação. Proporciona um novo nascimento, regeneração e melhoria na auto-estima.

O nome jasmim significa “exalar a beleza e a perfeição que jaz em mim”. Sejamos jasmins e vivamos no interior do seguinte pensamento: Eu Sou o pensamento e sentimento criadores perfeitos, presentes nas mentes e corações de todos, em todos os lugares.
Lucia Helena dos Santos

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 05 de Novembro de 2009, 19:19
Olá a todos do Fórum.

Olá Amigo Victor Santos.

Parece-me que há pessoas muito frias, que são capazes de fazer grandes atrocidades sem manifestar um pingo de emoção. Outras pessoas, perante um pequenissimo delito, sem consequências, ou práticamente sem consequências, ficam cheias de pesos na consciência.

Nesta questão é complexo envolve vários fatores, incluindo até o psicológico do ser, uma pessoa que é desequilibrada emocionalmente moralmente não terá problemas em cometer delitos, o que já não ocorre com aquela que é o oposto, pois suas faculdades são normais agiu por impulso pela emoção e aí vem o arrependimento.

O senso moral, ou seja, a consciência subjectiva do que é o bem e o mal, quando nós seguimos o caminho daquilo que acreditamos ser o mal, altera sempre as nossas emoções?

Aqui eu acho que vai depender da situação e de cada ser, o que é mal para um,  pode não ser para outro depende do ponto de vista de cada um, depende da situação,por exemplo esse caminho que é mal, mas que resolvi encarar posso ter êxito e transformá-lo num saída boa e ser bem sucedido,e  quando temos lucidez em nossos pensamentos ou seja quando temos consciência do que é certo ou errado aí penso que altera sim caso ao contrário não,esses são meus pensamentos individual.

Abraço a todos.

Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 05 de Novembro de 2009, 20:03
Se a mediunidade for um sentido externo do (não ao) organismo seria da mesma família da visão, ou da audição, uma forma de proporcionar ao nosso cérebro a experimentação de impulsos sensitivos cuja origem se encontra num mundo exterior a nós mesmo. Assim, esse sentido teria a potencialidade de sensibilizar o nosso cérebro através de coisas que não estão contidas no nosso próprio universo individual, correspondendo assim à possibilidade de comunicar através desse sentido com outras inteligências incorpóreas.

No entanto, caso a mediunidade seja um sentido interno do organismo, tudo aquilo que ela percepciona está já contido no nosso próprio principio inteligente, ou seja, a mediunidade seria uma forma através da qual o nosso cérebro criaria um universo mental expandido para aquém e talvez para além da vida presente.

Dizes concordar com a possibilidade de somente os espíritos que habitam o mundo mental de Deus, ou seja, aqueles que ultrapassaram o meu próprio mundo egoístico e assim habitam nas esferas não ilusórias da mente, poderem realmente entender a vida enquanto desencarnados. No entanto, se a mediunidade fosse um sentido interno, nunca através dela os poderíamos ouvir… e seria assim tão dramático isso acontecer?

Imagina a seguinte situação: tu és um espírito elevado que habita o mundo divino. Nessa circunstancia, terias a possibilidade de “observar” todos os universos gerados pelos “Deuses” menores que nós somos, ou seja, estarias fora da bolha, ou seja, consoante a tua vontade, o teu pensamento poderia intreferir no mundo mental de cada uma das “bolhas” que podes observar… e para não confundir, vamos adicionar ao ser encarnado uma forma de sensibilidade mais, que é aquela que a Susana muito bem tenta por aqui explicar(apesar de ainda não ter sido possível ainda nos entendermos pelas palavras quanto a isso), ou seja, a capacidade de sentir AMOR, a potencialidade que nós temos de perfeitamente enquadrados com a vida se assim estivermos atentos e despertos de ouvir a voz de Deus e dos seus Anjos.

No entanto o espírita não pode parar aqui onde neste momento estou e tornar esta simples hipótese especulativa num dogma sagrado.

Dizes-me : “De fato, não tem como a ciência penetrar nessas realidades espirituais se valendo do método científico, concorda??”

Não. Na minha opinião o espírita tem de ser o crente, o filosofo e o cientista, ou seja, terá de trabalhar no sentido de a cada momento da vida estar atento aquilo que ela nos vai explicando a todos os níveis do conhecimento, para assim entender algo que inevitavelmente terá de acontecer, ou seja, o espiritismo terá que encontrar o seu lugar na vida e nunca a vida se submeterá aquilo que o espírita quer que ela seja.

Se a ciência nunca penetrar nas realidades espirituais, elas nunca serão para nós cognoscíveis e isso seria o mesmo que afirmar que o espiritismo era uma desnecessidade, estaria a mais na vida.

No entanto sabemos todos que assim não é. O problema parece centrar-se na nossa própria natureza egoística, ou seja, aquilo que os nossos olhos vêm que não seja aquilo que o ego quer ver, autimáticamente afirmamos a sua inexistência.
 
Um bom exemplo disso está na posição do Vitor Santos quando nos diz:

Citar
Todos os que se identificam com a doutrina espirita acreditam (e alguns, para além de acreditar sabem) que o espirito desencarnado tem consciência de si mesmo e que mantemos a individualidade depois do desencarne. De outra forma estariamos a negar o principio da imortalidade da alma.


Se não mantivessemos a individualidade, ainda que sempre com o mesmo espirito, deixariamos de ser nós mesmos, o que equivalia à morte total do ser anterior. Mal comparado era como mudar completamente o software de um computador. A máquina fisica era a mesma, mas o conjunto hardware+software poderia ser outro completamente diferente, sem nenhuma linha de continuidade entre ambos.

A imortalidade da alma não pode ser confundida com a imortalidade da carne, ou seja, aquela imortalidade que cada espírito envolto no seu universo egoístico deseja para si, ou seja a pretensão de prolongar esta existência para além da morte exactamente como ele é agora, pretendendo incorporar no reino de Deus o seu próprio “reino individual”, ou seja, a manifestação natural do medo da morte, não acreditando que a felicidade, a paz e o AMOR somente se lhes deparam quando finalmente morrerem. E agora não falo da morte biológica, aquela que ciclicamente se ressuscita na matéria, meus amigos agora falo da morte definitiva aquela morte que realmente liberta o espírito do seu ego, ou seja do fim do processo da reencarnação e que assim finalmente lhe permite conviver com o AMOR ou seja com DEUS.

Pronto Renato. Aqui está um discurso elaborado através daquele sentido que te falei anteriormente aquele que a Susana ensina. Agora chega de recreio e vamos lá voltar para o trabalho ou seja vamos lá recomeçar a viver, ou seja, conhecer a vida através da vida e não de forma preguiçosa admitir que não podemos ser cientistas porque não somos capazes, afirmar que a nossa tarefa se resume a apregoar a paixão e a caridade em nome de um Amor que não conhecemos.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 05 de Novembro de 2009, 20:13
Citar
Taprobana: Pronto Renato. Aqui está um discurso elaborado através daquele sentido que te falei anteriormente aquele que a Susana ensina. Agora chega de recreio e vamos lá voltar para o trabalho ou seja vamos lá recomeçar a viver, ou seja, conhecer a vida através da vida e não de forma preguiçosa admitir que não podemos ser cientistas porque não somos capazes, afirmar que a nossa tarefa se resume a apregoar a paixão e a caridade em nome de um Amor que não conhecemos.

Essa foi a melhor coisa que eu li nesse fórum hoje.
Tens toda a razão Tap.
Vou deslligar o PC nesse momento.

fui...

abçs


Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 05 de Novembro de 2009, 20:27
Olá a todos os amigos e amigas do Fórum.

Olá Hcancela.

Vivemos imersos no mar de pensamentos de toda a humanidade – o chamado “pensamento massa”. A maior parte do tempo, você capta estes pensamentos, aceita-os, dá-lhes força (nutrindo-os com seus sentimentos) e os envia adiante. A partir daí, torna-se responsável por eles, pois contribuiu para melhorar ou piorar a qualidade do “pensamento massa”.

É um erro acreditar que os pensamentos sejam invisíveis e que se desfazem no infinito. O que você pensa fica registrado em seu corpo físico, nos móveis, nas paredes da casa, na atmosfera do seu mundo, nos relacionamentos e nos trabalhos que produz.

Você é, agora, o resultado do que pensou até hoje.


Aqui falo por experiência própria, eu postei algum tempo a traz, o que aconteceu comigo em meu serviço. Foi em uma tarde em que me dediquei tanto aos estudos da doutrina, pesquisando lendo textos em fim, quando encerrei o expediente desliguei todos os aparelhos fechei tudo, quando saia já lá fora, meu colega me via ainda na minha sala sentada normalmente, durou poucos minutos, ele ficou sem fala, muito impressionado, a minha sala e toda de vidro no 2º andar, aí tempos atrás li um livro espírita, que não recordo o nome agora, diz que quando colocamos muita  emoção bons sentimentos no que fazemos, é normal isso ficar plasmado por alguns minutos, ou por mais tempo, causando somente a impressão no local, não sendo visualizado, isso fica por tempo indeterminado, para pessoas que são sensitivas ou seja médiuns, obs: o que aconteceu comigo foi real.

Abraço a todos.

Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: nelsonmt em 05 de Novembro de 2009, 21:13
Olá Zeni e amigos do Forum,

Eu posso pensar uma coisa, mas através do meu sentimento posso por em prática outra coisa, nem sempre fazemos o que pensamos, mas sim a maioria das vezes o que sentimos, pelo menos penso eu, não sei os outros.
 

Concordo, pois podemos fazer por reação emocional, ou por sentimentos não refletidos atos irracionais até, mediante o estado do psiquismo, mas isto altera o quadro da percepção, ou é uma reprodução do mesmo padrão?

Porem quanto à definição que estamos dando a pensamento, neste tema , você poderia ser mais clara?


É toda energia capaz de alterar a matéria mental do espírito? Eu penso que não.

Portanto, assim o sentimento é capaz também de alterar a matéria mental. sim

Ou não, pensamento separado do sentimento, e fruto da reflexão, raciocínio e razão?
 Penso que sim

André Luiz, não é muito claro, neste ponto, mas o que dá subentender que para a condição humana devemos compreender que existe o fluido cósmico, matéria mental, e a matéria propriamente dita, no meu entendimento. Se estou correto, e considerando que concordamos que os sentimentos expressam uma idéia, o que mais poderia alterar a matéria mental? Ou onde mais atuaria um pensamento, já que a amiga pensa diferente?

 Materia Mental Cap. 04 Mecanismos da Mediunidade  
 
Citar
PENSAMENTO DO CRIADOR — Identifican¬do o Fluido Elementar ou Hálito Divino por base mantenedora de todas as associações da forma nos domínios inumeráveis do Cosmo, do qual conhece¬mos o elétron como sendo um dos corpúsculos-base, nas organizações e oscilações da matéria, interpre¬taremos o Universo como um todo de forças dinâ¬micas, expressando o Pensamento do Criador. E superpondo-se-lhe à grandeza indevassável, encon¬traremos a matéria mental que nos é própria, em agitação constante, plasmando as criações tempo¬rárias, adstritas à nossa necessidade de progresso.

Citar
PENSAMENTO DAS CRIATURAS — Do Prin¬cípio Elementar, fluindo incessantemente no campo cósmico, auscultamos, de modo imperfeito, as ener¬gias profundas que produzem eletricidade e magne¬tismo, sem conseguir enqüadrá-las em exatas defi¬nições terrestres, e, da matéria mental dos seres criados, estudamos o pensamento ou fluxo ener¬gético do campo espiritual de cada um deles, a se graduarem nos mais diversos tipos de onda, desde os raios super-ultra-curtos, em que se exprimem as legiões angélicas, através de processos ainda inacessíveis à nossa observação, passando pelas os¬cilações curtas, médias e longas em que se exte¬rioriza a mente humana, até às ondas fragmentá¬rias dos animais, cuja vida psíquica, ainda em germe, sômente arroja de si determinados pensa¬mentos ou raios descontínuos.

Já que foi citado, seria importante definir emoção e sentimento tambem.

Um abraço fraterno a todos

Nelson
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Novembro de 2009, 21:55
Olá Zeni

Amiga, custa-me a compreender que os pensamentos fiquem "congelados" na matéria. Não digo que seja assim, mas que a minha intuição me diz que isso não será em assim. Espero que não seja a minha ilusão a falar, em vez da intuição. :)

A situação que descreve parece-me mais um desdobramento, ou seja o seu corpo fisico estava num local e o seu perispirito estava noutro local próximo. Nada nos diz que o corpo de carne e o perispirito tenham de estar exactamente no mesmo local fisico todo o tempo.

E se o seu colega viu isso apenas por minutos, ou o seu perispirito seguiu o seu corpo fisico e ele deixou de o ver, ou ele entrou num estado de emancipação da alma por pouco tempo. Será que se ele tivesse continuado no mesmo estado alterado de consciência durante muito tempo continuaria a vê-la?

Eu tenho interpretado o facto de alguns médiuns serem capazes de sentir uma pessoa através de um objecto pessoal, ou de uma foto, como uma transmissão de pensamentos. Ao olhar ou ao sentir o objecto emitimos um pensamento que é reconhecido pelo espirito da outra pessoa, por semelhança com o que a própria pessoa já sentiu antes ao tocar no objecto ou ao ver uma foto sua.

Até há quem justifique que os espiritos não existem, alegando que os médiuns sentem é apenas a impressão fisica que ficou das pessoas. Será possivel chegar a esta conclusão com dados crediveis, sem considerar a comunicação com um espirito (de um encarnado ou de um desencarnado)?

Há médiuns negociantes que dizem isto às pessoas descrentes, para não afastarem o freguês. Os relatos desses não são de confiança, pois o que dizem tem a haver com uma relação comercial e pode não ter nada a haver com a realidade.

Mas há mesmo dados que confirmem que esse registo fica mesmo na matéria, excluindo a possibilidade de ser a tal transmissão de pensamentos entre o médium e o espirito, nos registos da ciência espirita de observação? Ou será uma teoria a comprovar?

Seja ou não assim é um assunto interessante de investigar.

Há tanta coisa a aprender amiga, que, se me ponho a pensar muito nisso, sinto-me completamente ignorante...

bem hajam
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: EMILIA NELLY em 05 de Novembro de 2009, 22:02
Olá Zeni,

Parabéns, adorei o tópico para estudo, tenho  lido bastante sobre pensamentos, pois como

você citou:

"A FORÇA DO PENSAMENTO INFLUENCIA O PRÓPRIO DESTINO HUMANO".

"O PODER DE PENSAR"

"AÇÃO DA PRECE. - TRANSMISSÃO DO PENSAMENTO"

"PENSAMENTO – INFORMAÇÃO"


OBS: Estive um período ausente, vou ler o que os amigos postaram e logo voltarei
 
Bjs.

Emilia Nelly
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: a_aprendiz em 05 de Novembro de 2009, 23:23
 :)PENSAMENTO É TUDO! SOMOS O QUE PENSAMOS!!! PENSAMENTO É EMERGIA!!! QDO PENSAMOS PLASMAMOS TUDO O QUE É DE BOM E TB DE RUIM! POR ISSO DO ORAI E VIGIAI!!!!!! UM ABRAÇO A APRENDIZ!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: rsobrinho em 06 de Novembro de 2009, 00:42

[youtube=640,385]-BIg793WZAc[/youtube]
Olá! A todos do Fórum.

Tema para Estudo: (  O PENSAMENTO )

Trago um tema o qual tenho muito a aprender sobre este verdadeiro tesouro nos deixado por Deus, que para mim em particular, é uma função muito importante no espírito, dos encarnados e desencarnados.

SEGUE ALGUMAS PERGUNTAS:
O que é o pensamento?
Pensar é desejar?
Qual a origem do pensamento?
Qual a função do pensamento no perispírito?
O pensamento positivo ou negativo influência n o desenvolvimento espiritual e moral?

"A FORÇA DO PENSAMENTO INFLUENCIA O PRÓPRIO DESTINO HUMANO.

 O ato de pensar é um dos mais poderosos recursos do indivíduo; é a própria capacidade da mente de transfortmar ondas energéticas, dando-lhes solidez, forma e sentido. A matéria mental é o instrumento sutil da vontade, atuando na manutenção e na estrutura do corpo físico."
Hammed / Francisco do Espírito Santo Neto

 Lendo alguns testos na internet estava este (A MENTE HUMANA E SEU PODER DE REALIZAÇÃO)
O que você grava na mente subconsciente, está programado para se tornar realidade física. O pensamento dá a ordem e o subconsciente cumpre. Por isso, você é o resultado dos seus pensamentos. Seu pensamento é sua verdadeira oração. Todo pensamento que o subconsciente aceita como verdadeiro, ele move céus e terra para realizá-lo.

O PODER DE PENSAR

Como é o pensamento que aciona o poder do subconsciente, na verdade pensar é poder. Acredite que você e Deus formam uma só unidade todo-poderosa e por isso você irradia paz para todas as pessoas. Não deve existir lugar para tristeza, mágoas, ressentimentos, solidão e nervosismo. Esse enlace com a força divina nos fortalece para enfrentar a vida. Isso é mudar o padrão dos pensamentos e, conseqüentemente, mudar os rumos da própria vida.



Aqui é algo do livro QUALIDADE DE VIDA
E ESPIRITISMO Jose Carlos Leal. Página 19  André Luiz:"
Compreendemos assim, perfeitamente, que a matéria mental é o instrumento
sutil da vontade, atuando nas formações da matéria física, gerando as motivações de
prazer ou desgosto, alegria ou dor, otimismo ou desespero, que não se reduzem
efetivamente a abstrações, por representarem turbilhões de força em que a alma cria os
seus próprios estados de mentação indutiva, atraindo para si mesma os agentes (por
enquanto imponderáveis na Terra), de luz ou de sombra, vitória ou derrota, infortúnio
ou felicidade." (Idem, IV, "Matéria Mental", p. 47.)
É nesse sentido que se pode dizer que somos resultado do que pensamos. Com
os nossos pensamentos construímos o céu ou o inferno. Lembremos as palavras de Jesus
a nos dizer: "O Reino do Céu está em vós." Pelo pensamento atraímos para o nosso lado
as boas ou más companhias que conosco partilham a mesma esfera mental. Jesus em seu
Evangelho disse certa vez: "Orai e Vigiai." E, parafraseando Jesus, podemos dizer: orai
e vigiai-vos, ou seja, orar é importante, muito importante mesmo, mas é necessário
também fiscalizar a qualidade do que pensamos e do que recebemos mentalmente.
Não podemos perder de vista também que o pensamento é uma instância
criativa. Emitindo uma idéia, falando ou mesmo escrevendo, essa idéia pode se
corporificar e se manter na intensidade e na força com que a sustentamos. É disso que se
está falando quando nos referimos as formas-pensamento. Com elas, o homem pode
talhar os degraus na escada da própria evolução ou as algemas que o mantém preso aos
estados inferiores da vida espiritual.

AÇÃO DA PRECE. - TRANSMISSÃO DO PENSAMENTO

No capítulo XXVII página 373 do  Evangelho Segundo o Espiritismo de  Allan Kardec

9. A prece é uma invocação, mediante a qual o homem entra, pelo pensamento, em
comunicação com o ser a quem se dirige. Pode ter por objeto um pedido, um agradecimento,
ou uma glorificação. Podemos orar por nós mesmos ou por outrem, pelos vivos ou pelos
mortos. As preces feitas a Deus escutam-nas os Espíritos incumbidos da execução de suas
vontades; as que se dirigem aos bons Espíritos são reportadas a Deus. Quando alguém ora a
outros seres que não a Deus, fá-lo recorrendo a intermediários, a intercessores, porquanto
nada sucede sem a vontade de Deus.
10. O Espiritismo torna compreensível a ação da prece, explicando o modo de
transmissão do pensamento, quer no caso em que o ser a quem oramos acuda ao nosso apelo,
quer no em que apenas lhe chegue o nosso pensamento. Para apreendermos o que ocorre em
tal circunstância, precisamos conceber mergulhados no fluido universal, que ocupa o espaço,
todos os seres, encarnados e desencarnados, tal qual nos achamos, neste mundo, dentro da
atmosfera. Esse fluido recebe da vontade uma impulsão; ele é o veículo do pensamento, como
o ar o é do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, ao passo que as
do fluido universal se estendem ao infinito. Dirigido, pois, o pensamento para um ser
qualquer, na Terra ou no espaço, de encarnado para desencarnado, ou vice-versa, uma
corrente fluídica se estabelece entre um e outro, transmitindo de um ao outro o pensamento,
como o ar transmite o som.
A energia da corrente guarda proporção com a do pensamento e da vontade. E assim
que os Espíritos ouvem a prece que lhes é dirigida, qualquer que seja o lugar onde se encontrem; é assim que os
Espíritos se comunicam entre si, que nos transmitem suas inspirações, que relações se
estabelecem a distância entre encarnados.
Essa explicação vai, sobretudo, com vistas aos que não compreendem a utilidade da
prece puramente mística. Não tem por fim materializar a prece, mas tornar-lhe inteligíveis os
efeitos, mostrando que pode exercer ação direta e efetiva. Nem por isso deixa essa ação de
estar subordinada à vontade de Deus, juiz supremo em todas as coisas, único apto a torná-la eficaz.


 PENSAMENTO – INFORMAÇÃO
 
DO LIVRO DOS ESPÍRITOS [1] destaco as seguintes passagens:
 
Ítem V da Introdução: “Em certos casos, as respostas revelam tal cunho de sabedoria, de profundeza e de oportunidade; exprimem pensamentos tão elevados, tão sublimes, que não podem emanar senão de uma Inteligência superior, impregnada da mais pura moralidade.”
 
Ítem XIII da Introdução: “Os Espíritos superiores não se preocupam absolutamente com a forma. Para eles, o fundo do pensamento é tudo.”.
 
Frase contida no primeiro parágrafo da questão 100 sobre Escala Espírita: “Para eles, o pensamento é tudo.”
 
Comentário de Kardec à questão 462: “Se fora útil que pudéssemos distinguir claramente os nossos pensamentos próprios dos que nos são sugeridos, Deus nos houvera proporcionado os meios de o conseguirmos, como nos concedeu o de diferençarmos o dia da noite. (...)”
 
Comentário de Kardec à questão 662: “O pensamento e a vontade representam em nós um poder de ação que alcança muito além dos limites da nossa esfera corporal. (...)”
 
Questão 835: “835. Será a liberdade de consciência uma conseqüência da de pensar?
 
“A consciência é um pensamento íntimo, que pertence ao homem, como todos os outros pensamentos.”
 


DO LIVRO A GÊNESE [2], destaco as seguintes passagens:
 
Ítem 14 do Cap. XIV: “Para os Espíritos, o pensamento e a vontade são o que é a mão para o homem. Pelo pensamento, eles imprimem àqueles fluidos tal ou qual direção, os aglomeram, combinam ou dispersam, organizam com eles conjuntos que apresentam uma aparência, uma forma, uma coloração determinadas; (...). É a grande oficina ou laboratório da vida espiritual. (...) Por análogo efeito, o pensamento do Espírito cria fluidicamente os objetos que ele esteja habituado a usar.”
 
Ítem 16 do Cap. XIV: “Sendo esses fluidos o veículo do pensamento e podendo este modificar-lhes as propriedades, é evidente que eles devem achar-se impregnados das qualidades boas ou más dos pensamentos que os fazem vibrar, modificando-se pela pureza ou impureza dos sentimentos.”
            




BIBLIOGRAFIA:

[1] -   KARDEC, O LIVRO EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO ALLAN KARDEC.
[2].-  QUALIDADE DE VIDA  E ESPIRITISMO Jose Carlos Leal..
[3] -  A. GÊNEZE
[4] - O. LIVRO DOS ESPÍRITOS

FILMES SOBRE O TEMA:

O SEGREDO.
QUEM SOMOS NÓS.


SITES RELACIONADOS:

http://www.paginaespirita.com.br/o_pensamento.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wYWdpbmFlc3Bpcml0YS5jb20uYnIvb19wZW5zYW1lbnRvLmh0bQ==)
 
http://www.oespiritismo.com.br/textos/ver.php?id1=107 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5vZXNwaXJpdGlzbW8uY29tLmJyL3RleHRvcy92ZXIucGhwP2lkMT0xMDc=)

http://www.comunidade-espiritual.com/blog.php?sub_section=view&id=11444 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jb211bmlkYWRlLWVzcGlyaXR1YWwuY29tL2Jsb2cucGhwP3N1Yl9zZWN0aW9uPXZpZXcmYW1wO2lkPTExNDQ0)

PALESTRA ESPIRITA PENSAMENTO:

http://www.youtube.com/watch?v=bAO6r-YOkbY (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWJBTzZyLVlPa2JZ)


Abraços a todos Zeni.



Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 06 de Novembro de 2009, 10:24
Olá

Citar
Lendo alguns testos na internet estava este (A MENTE HUMANA E SEU PODER DE REALIZAÇÃO) O que você grava na mente subconsciente, está programado para se tornar realidade física. O pensamento dá a ordem e o subconsciente cumpre. Por isso, você é o resultado dos seus pensamentos. Seu pensamento é sua verdadeira oração. Todo pensamento que o subconsciente aceita como verdadeiro, ele move céus e terra para realizá-lo.

Esta ideia é a que é transmitida nos chamados livros de auto-ajuda.

Na minha modesta opinião não há nenhum subconsciente todo poderoso que cumpre as nossas ordens. Parece-me um pensamento algo fantasioso. E pode ter efeitos depressivos, pois pode criar expectativas falsas nas pessoas.

E a experiência mostra-nos o percurso de muitas pessoas que tentaram usar este métodos de auto-sugestão. Pelo menos alguns entram em decepção e depois em depressão.

Aqueles que vendem livros com isto alegam que os métodos não funcionam porque a pessoa não acredita realmente e está a ter pensamentos que implicitamente são derrotistas, ou seja, que a pessoa  quer uma coisa, mas está a pensar outra sem querer.

Acredito no fenómeno de transmissão do pensamento, que dá entre encarnados ou entre um encarnado e um desencarnado. E também na força de vontade e na fé das pessoas. Essas forças são o que move a nossa vida no sentido do progresso.

Aquele que tem confiança em Deus e na bondade de Deus encontrará forças para não desanimar e isso permitir-lhe-à progredir se usar a sua inteligência e trabalhar para isso.

Não há milagres nem subconscientes simultaneamente estúpidos e todo-poderosos, na minha forma limitada, mas sincera, de perceber as leis da vida. Se contarmos com a nossa determinação e o nosso trabalho não entraremos em decepção, ou se entrarmos e pedirmos  ajuda ao Nosso Pai celestial não chegaremos a desanimar e saberemos dar a volta por cima, de uma forma ou de outra. A imaginação humana é capaz de descobrir soluções incriveis, desde que a deixemos trabalhar. É aí é que está o nosso poder!

bem hajam
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Jorge em 06 de Novembro de 2009, 11:58
Olá bons amigos  :)

PENSAMENTO

"Orai e Vigiai" : importantíssima recomendação do Mestre Jesus!
Uma verdadeira Chave para gerar a tão esperada, a tão necessitada, Paz no nosso mundo!

De facto tudo começa aqui, no vigiar os pensamentos, que são as vigas mestras que sustentarão o edifício da nossa consciência tranquila. A partir daí nossos comportamentos serão o reflexo dessa vigilância de pensamentos que deve ser permanente!

Casa mental higienizada = Actos nobres!

Portanto, quando se colocar isto em práctica no seio de cada família, que são verdadeiras células no organismo da sociedade, esse mesmo organismo começará gradualmente a sentir a verdadeira saúde! A PAZ se instalará na Terra e se encontrarão todas as condições para um intercâmbio saudável entre o nosso mundo físico e o Alto!

Claro que isto são palavras muito bonitas, mas já temos a noção que é por aqui que devemos atacar a questão e cada um no seio da sua família (célula da sociedade) deverá criar as referidas condições salutares!

Abraços.   :)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: mariiia em 06 de Novembro de 2009, 11:59
 OLÁ

FORÇA DE VONTADE


DO LIVRO= PARA ENTENDER (nós e o mundo espiritual)
 Saara Nousiainen

A ciência espírita, que é a ciência da própria vida, nos ensina que a saúde ou a doença, a felicidade ou a infelicidade, são produzidas por nós próprios.
Essa não é uma questão mística, mas científica.
   O que nos adoece são as energias negativas que geramos e armezenamos em nosso organismo espiritual, tanto nesta, quanto nas passadas encarnações. Essa energias materializam-se no corpo carnal em órgãos mais vulneráveis, produzindo doenças.[...]Por isso é tão importante a disciplina mental, a educação da mente, o aprender a comandar conscientemente a si mesmo.[...] Por isso achamos importante passar, a quem se interessar, o seguinte exercício:
Pela manhã, antes de levantar, pense em alguma conquista ou aquisição já realizada; recorde os detalhes das ocorrências e do labor que empregou nessa aquisição.
Á noite, faça um relax: deitado ou confortavelmente sentado, respire profundamente umas cinco ou seis vezes, contando sempre de um a quatro, lentamente.[...] Relaxe todas as partes do corpo. sinta o corpo, parte por parte, começando pelos pés. Movimente-os levemente para sentí-los bem; sinta as pernas, as coxas, os quadris, o abdomen, as costas, o tôrax...Conforme for passando de uma parte para outra esqueça as que passou, deixando-as em pleno repouso. Em seguida, continue essa viagem pelas mãos, os braços, ombros, pescoço, rosto e cabeça, terminando no cérebro.
 Imagine seu cérebro todo iluminado por uma luz branca e serena.Formule então, a seguinte ideia:tenho uma vontade firme e realizadora.
 Repita várias vezes essa ideia, sentindo-a profundamente, impregnando-a com seu próprio potencial emicional, fazendo com que penetre em cada célula do corpo. Sinta crescer nas profundezas do eu a energia que essa afirmação vai gerando.[...] Repita várias vezes durante o dia esse exercício apenas pensando: estou relaxado...
quando perceber que sua força de vontade está se tornando realmente firme e realizadora, é hora de iniciar o trabalho de educação e disciplina da mente e, consequentemente, das palavras, sentimentos, emoções e ações.
Esse é um trabalho interior que só você pode realizar, começando pela observação e análise de sua vida mental.
Essa observação e análise constantes criam na mente uma espécie de censor, que nos alerta sempre que o pensamento começa a enveredar por caminhos impróprios. quando isto ocorre, basta mudar-lhe o curso.
Esse é o grande mecanismo de evolução.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: nilsoncr em 06 de Novembro de 2009, 12:03
Acredito que a maioria das pessoas se preocupa demais com as coisas que são escritas como se tivessem de se transformar urgente em seguidores franciscanos de nosso irmão Francisco de Assis:):)....relaxa gente. Vou dar uma dica importante. Parem de tentar serem perfeitos, absorvam os conhecimentos com naturalidade e consciencia. Todos sabemos o que é certo e  o que é errado, e conhecemos as verdades evangelicas, os exemplos edificantes..portanto, fixemos em nossos corações as nobres lições e vamos dando um passo de cada vez, sem ficarmos bitolados e amendrontados ante um pensamento banal que passe por nossa mente, achando que por causa desse ou daquele pensamento, vamos ser crucificados ou jogados no inferno astral umbralino:):) Lembrem-se caros amigos....ainda não somos perfeitos. Portanto, pensamentos as vezes menos dignos podem sim passar pelas nossas cabecinhas que ainda emitem pensamentos que alimentam a imensa egregora negativa do nosso orbe. Portanto...se porventura pensares algo não tão digno, relaxe, pense em Deus, faça uma oração e pronto...siga em frente. Nada de entrar em pânico e achar-se  o pior dos mortais. O dia que nossa mente for povoada apenas de pensamentos divinos, estaremos em mundos melhores ou nos altiplanos celestes.....por hora tentemos melhorar e amar.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: mariiia em 06 de Novembro de 2009, 12:51
olá amigos

A doutrina espírita nos ensina uma conduta mais saudável para a mente e o corpo e uma ética de vida mais compatível com nossas necessidades evolutivas; ela abre, diante de nossa curiosidade e sede de saber, um universo infinito de novos conhecimentos. É como redescrobrir a vida sob novos e maravilhosos enfoques, sob novas cores e perspectivas. (Saara Nousiainen- no livro Para entender)

Que possamos usar todos esses ensimanentos que a doutrina espírita nos proporciona
e com base no que nos ensina o mestre dos mestre possamos limpar a nossa casa mental, combatendo nossos próprios defeitos e prtaticando os ensinamentos de Jesus procurando hoje sermos melhores que ontem e amanhã melhores do que somos hoje.
 Quando tivermos dificuldades, oremos!

 
 LEMBRE-SE: O VERDADEIRO ESPÍRITA SERÁ RECONHECIDO PELO ESFORÇO QUE FIZER PARA SE TORNAR MELHOR.(Homero Moraes de Barros)

    Muita paz!! medite neste slide  "o mestre dos mestres"

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Tolomei em 06 de Novembro de 2009, 14:36
tema muito bom parabéns!
Não posso deixar de fazer uma propaganda de um livro que adoro sobre este tema :
Livro clássico espírita imperdível para os estudiosos deste tema : Pensamento e Vontade de Ernesto Bozzano link para download gratuito

http://www.autoresespiritasclassicos.com/Autores%20Espiritas%20Classicos%20%20Diversos/Ernesto%20Bozzano/15/Ernesto%20Bozzano%20Pensamento%20e%20Vontade.doc (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hdXRvcmVzZXNwaXJpdGFzY2xhc3NpY29zLmNvbS9BdXRvcmVzJTIwRXNwaXJpdGFzJTIwQ2xhc3NpY29zJTIwJTIwRGl2ZXJzb3MvRXJuZXN0byUyMEJvenphbm8vMTUvRXJuZXN0byUyMEJvenphbm8lMjBQZW5zYW1lbnRvJTIwZSUyMFZvbnRhZGUuZG9j)


Conteúdo resumido do livro

Nesta obra Bozzano faz uma análise científica dos efeitos das forças ideoplásticas na mente humana, ou seja: a transformação de um fenômeno psicológico em fisiológico; a fotografia do pensamento através da sua concretização e materialização plástica; a objetivação do pensamento em um organismo vivo.
É uma importante investigação sobre as energias da mente e seus reais atributos, mostrando as potencialidades da alma, encarnada ou desencarnada.

Sumário

As forças ideoplásticas   3
Imagens consecutivas   6
Alucinações espontâneas e voluntárias   7
Sugestão hipnótica e pós-hipnótica   8
Formas do pensamento   10
Fotografia do pensamento   19
Ideoplastia   50
Conclusões   61



pequeno resumo sobre Bozzano : Nasceu em 9/01/1862, em Gênova, Itália e desencarnou em 1943, na mesma localidade. Professor da Universidade de Turim, foi, antes de se converter ao Espiritismo, materialista, céptico, positivista.

Numa época em que o Positivismo empolgava muitas consciências, Bozzano demonstrava-lhe nítida inclinação. Dos postulados positivistas gravitou para uma forma intransigente de materialismo, o que o levou a proclamar mais tarde: Fui um positivista-materialista a tal ponto convencido, que me parecia impossível pudessem existir pessoas cultas, dotadas normalmente de sentido comum, que pudessem crer na existência e sobrevivência da alma.

O fato de representantes da Ciência oficial levarem a sério a possibilidade da transmissão de pensamento entre pessoas que vivem em continentes diferentes, a aparição de fantasmas e a existência das chamadas casas mal-assombradas escandalizava Bozzano.

Somente após ler diversas outras obras é que Ernesto Bozzano resolveu dedicar-se com afinco e verdadeiro fervor ao estudo aprofundado dos fenômenos espíritas, fazendo-o através das obras de Allan Kardec, Léon Denis, Gabriel Delanne, William Crookes e outros.

Como medida inicial para um estudo profundo, Bozzano organizou um grupo experimental, do qual participaram muitos professores da Universidade de Gênova.
No decurso de cinco anos consecutivos, graças ao intenso trabalho desenvolvido, esse pequeno grupo propiciou vasto material à imprensa italiana e, ultrapassando as fronteiras, chegou a vários países. Havia-se obtido a realização de quase todos os fenômenos, culminando com a materialização de seis Espíritos, de forma bastante visível, e com a mais rígida comprovação.

Dentre as mais de trinta e cinco obras escritas, citamos "A Crise da Morte", "A Hipótese Espírita e as teorias Científicas", "Animismo ou Espiritismo", "Comunicações Mediúnicas entre Vivos", "Pensamento e Vontade", "Fenômeno de Transfiguração", "Metapsíquica Humana", "Os Enigmas da Psicometria", "Fenômenos de Talestesia", etc. O seu devotamento ao trabalho fez com que se tornasse um dos mais salientes pesquisadores dos fenômenos espíritas, impondo-se pela projeção do seu nome e pelo acendrado amor que dedicou à causa que havia esposado e que havia defendido com todas as forças de sua convicção inabalável.

Um fato novo veio contribuir para robustecer a sua crença no Espiritismo. A desencarnação de sua mãe, em julho de 1912, serviu de ponte para demonstração da sobrevivência da alma. Bozzano realizava nessa época sessões semanais com um reduzido grupo e com a participação de famosa médium. Realizando uma sessão na data em que se marcava o primeiro ano da desencarnação de sua genitora, a médium escreveu umas palavras num pedaço de papel, as quais, depois de lidas por Bozzano o deixara assombrado. Ali estavam escritos os dois últimos versos do epitáfio que naquele mesmo dia ele havia deixado no túmulo de sua mãe.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Tolomei em 06 de Novembro de 2009, 14:42
Kardec escreveu sobre isto ...como é um artigo pequeno transcrevo aqui para estudos.

texto Telegrafia do Pensamento - Obras Póstumas - Kardec
Primeira Parte
Introdução ao estudo da fotografia e da telegrafia do pensamento

A ação fisiológica de indivíduo a indivíduo, com ou sem contato, é um fato incontestável. Esta ação não pode se exercer, evidentemente, senão por um agente intermediário, do qual o nosso corpo é o reservatório, os nossos olhos e os nossos dedos os principais órgãos de emissão e de direção. Esse agente invisível, necessariamente, é um fluido. Qual é sua natureza, sua essência? Quais são suas propriedades íntimas? É um fluido especial ou bem uma modificação da eletricidade ou de algum outro fluido conhecido? É o que se designava há pouco sob o nome de fluido nervoso? Não é antes o que designamos hoje sob o nome de fluido cósmico, quando está esparramado na atmosfera, e de fluido perispiritual quando é individualizado?

Essa questão, de resto, é secundária.

O fluido perispiritual é imponderável, como a luz, a eletricidade e o calor. É invisível, para nós, no estado normal, e não se revela senão pelos seus efeitos; mas torna-se visível no estado de sonambulismo lúcido, e mesmo no estado de vigília para as pessoas dotadas de dupla vista. No estado de emissão ele se apresenta sob a forma de faíscas luminosas, bastante semelhantes à luz elétrica difusa no vazio; é a isso, de resto, que se limita a sua analogia com este último fluido, porque não produz, ao menos ostensivamente, nenhum dos fenômenos físicos que conhecemos. No estado ordinário, apresenta cores diversas segundo os indivíduos de onde emana; ora de um vermelho fraco, ora azulado ou acinzentado, como uma bruma leve; o mais das vezes, espalha sobre os corpos vizinhos, uma nuvem amarelada, mais ou menos pronunciada.

As narrações dos sonâmbulos e dos videntes são idênticas sobre essa questão; aliás, teremos ocasião de voltar ao assunto falando das qualidades impressas ao fluido para o motivo de pô-lo em movimento, e para o adiantamento do indivíduo que o emite.

Nenhum corpo lhe constitui obstáculo; penetra-os e os atravessa todos; até o presente, não se conhece nenhum que seja capaz de isolá-lo. Só a vontade pode estender-lhe ou restringir-lhe a ação; a vontade, com efeito, é o seu mais poderoso princípio; pela vontade, dirigem-se-lhe os eflúvios através do espaço, ou os acumula, a seu contento, sobre um ponto dado, ou saturam-se certos objetos, ou bem são retirados dos lugares onde são superabundantes. Digamos, de passagem, que é sobre esse princípio que está fundada a força magnética. Parece, enfim, ser o veículo da visão psíquica, como o fluido luminoso é o veículo da visão ordinária.

O fluido cósmico, se bem que emanando de uma fonte universal, se individualiza, por assim dizer, em cada ser, e adquire propriedades características que permite distingui-lo entre todos. A própria morte não apaga esses caracteres de individualização que persistem muitos anos depois da cessação da vida, assim como pudemos disso nos convencer. Cada um de nós tem, pois, seu fluido próprio que o envolve e o segue em todos os seus movimentos, como a atmosfera segue cada planeta. A extensão da irradiação dessas atmosferas individuais é muito variável; num estado de repouso absoluto do Espírito, essa irradiação pode estar circunscrita num limite de alguns passos; mas sob o domínio da vontade, pode alcançar distâncias infinitas; a vontade parece dilatar o fluido, como o calor dilata o gás. As diferentes atmosferas particulares se encontram, se cruzam, misturam-se sem jamais se confundirem, absolutamente como as ondas sonoras que permanecem distintas apesar da multidão de sons que agitam o ar simultaneamente. Pode-se, pois, dizer que cada indivíduo é o centro de uma onda fluídica cuja extensão está em razão da força e da vontade, como cada ponto vibrante é o centro de uma onda sonora, cuja extensão está em razão da força da vibração; a vontade é a causa propulsora do fluido, como o choque é a causa vibrante do ar e propulsora das ondas sonoras.

Das qualidades particulares de cada fluido resulta, entre eles, uma espécie de harmonia ou de desacordo, uma tendência a se unir ou a se evitar, uma atração ou uma repulsão, em uma palavra, as simpatias ou as antipatias que se experimentam, freqüentemente, sem causas determinantes conhecidas. Se estamos na esfera de atividade de um indivíduo, a sua presença nos é, algumas vezes, revelada pela impressão agradável ou desagradável que sentimos de seu fluido! Se estamos no meio de pessoas das quais não partilhamos os sentimentos, das quais os fluidos não se harmonizam com o nosso, uma reação penosa nos oprime, e ali nos encontramos como uma nota dissonante num concerto! Se vários indivíduos estão, ao contrário, reunidos numa comunidade de objetivos e de intenções, os sentimentos de cada um se exaltam em proporção mesmo da massa das forças reagentes. Quem não conhece a força de arrebatamento que domina as aglomerações onde há homogeneidade de pensamentos e de vontades? Não se poderia imaginar a quanta influência estamos assim submetidos, com o nosso desconhecimento.

Essas influências ocultas não podem ser a causa determinante de certos pensamentos; desses pensamentos que nos são comuns, no mesmo instante, com certas pessoas; desses vagos pressentimentos que nos fazem dizer: Há qualquer coisa no ar que prenuncia tal ou tal acontecimento? Enfim, certas sensações indefiníveis de bem-estar ou de mal-estar moral, de alegria ou de tristeza, não seriam de nenhum modo o efeito da reação do meio fluídico no qual estamos, dos eflúvios simpáticos ou antipáticos que recebemos e que nos envolvem como as emanações de um corpo perfumado? Não saberíamos nos pronunciar afirmativamente, sobre essas questões, de maneira absoluta, mas é forçoso convir pelo menos que a teoria do fluido cósmico, indivualizado em cada ser sob o nome de fluido perispiritual, abre um campo todo novo para a solução de uma multidão de problemas até aqui inexplicáveis.

Cada um, em seu movimento de translação, carrega, pois, consigo a sua atmosfera fluídica, como o caracol carrega a sua concha; mas esse fluido deixa os traços de sua passagem; deixa como uma esteira luminosa, inacessível aos nossos sentidos no estado de vigília, mas que serve, aos sonâmbulos, aos videntes e aos Espíritos desencarnados, para reconstruírem os fatos realizados e analisar o móvel que os fez executar.

Toda ação física ou moral, patente ou oculta, de um ser sobre si mesmo ou sobre um outro, supõe, de um lado, uma força atuante, de outro, uma sensibilidade passiva. Em todas as coisas, duas forças iguais se neutralizam, e a fraqueza cede à força. Ora, não sendo todos os homens dotados da mesma energia fluídica, dito de outro modo, não tendo o fluido perispiritual em todos a mesma força ativa, isto nos explica por que, em uns, essa força é quase irresistível, ao passo que é nula em outros; por que certas pessoas são muito acessíveis à sua ação, ao passo que outras lhe são refratárias.

Essa superioridade e essa inferioridade relativas, evidentemente, dependem do organismo; mas estar-se-ia em erro crendo-se que elas estão em razão da força ou da fraqueza física. A experiência prova que os homens mais robustos, algumas vezes, sofrem as influências fluídicas mais facilmente do que os outros de uma constituição muito mais delicada, ao passo que se encontra, freqüentemente, nestes últimos, uma força que a sua frágil aparência não poderia fazer supor. Essa diversidade no modo de ação pode se explicar de várias maneiras.

A força fluídica aplicada à ação recíproca dos homens uns sobre os outros, quer dizer, no magnetismo, pode depender: 1º da soma de fluido que cada um possui; 2º da natureza intrínseca do fluido de cada um, abstração feita da quantidade; 3º do grau de energia da força impulsora, talvez mesmo dessas três causas reunidas. Na primeira hipótese, aquele que tem mais fluido dá-lo-ia àquele que o tem menos, mais do que dele receberia; haveria, nesse caso, analogia perfeita com a permuta de calor que fazem entre eles, dois corpos que se colocam em equilíbrio de temperatura. Qualquer que seja a causa dessa diferença, podemos nos dar conta do efeito que ela produz, supondo três pessoas das quais nos representaremos a força por três números: 10, 5 e 1. O 10 agirá sobre o 5 e sobre o 1, mas, mais energicamente sobre o 1 do que sobre o 5; o 5 agirá sobre o 1, mas será impotente sobre o 10; enfim, o 1 não agirá nem sobre um, nem sobre o outro. Tal seria a razão pela qual certas pessoas são sensíveis à ação de tal magnetizador e insensíveis à ação de tal outro.

Pode-se ainda, até um certo ponto, explicar esse fenômeno, reportando-nos às considerações precedentes. Dissemos, com efeito, que os fluídos individuais são simpáticos ou antipáticos, uns em relação aos outros. Ora, não poderia se dar que a ação recíproca de dois indivíduos estivesse em razão da simpatia dos fluidos, quer dizer, de sua tendência a se confundir, por uma espécie de harmonia, como as ondas sonoras produzidas pelos corpos vibrantes? É indubitável que essa harmonia ou simpatia dos fluidos é uma condição, ainda que não absolutamente indispensável, ao menos muito preponderante, e que, quando há desacordo ou simpatia, a ação não pode ser senão fraca, ou mesmo nula. Esse sistema nos explica bem as condições prévias da ação; mas não nos diz de que lado está a força, e tudo admitindo, somos forçados a recorrer à nossa primeira suposição.

De resto, que o fenômeno haja ocorrido por uma ou por outra dessas causas, isso não tem nenhuma conseqüência; o fato existe, é o essencial: os da luz se explicam, igualmente, pela teoria da emissão e das ondulações; os da eletricidade, pelos fluidos positivo e negativo, vítreo e resinoso.

Num próximo estudo, apoiando-nos sobre as considerações que precedem, procuraremos estabelecer o que entendemos pela Fotografia e a Telegrafia do pensamento.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: segoma em 06 de Novembro de 2009, 14:48
Olá a todos. É a primeira vez que participo neste fórum. Como acabei de ler um pequeno texto sobre o tema em questão, decidi partilhá-lo com vocês, caso o mesmo seja considerado pertinente para o assunto em questão.
 
Um abraço fraterno e bons estudos!!!!

"O pensamento é sinónimo de essência, de alma, de proposta, de interpretação de um autor. O pensamento deve anteceder a ação. O pensamento deve ser encarado como a base e a motivação para se imprimir movimento, canalisar a vontade, gerar acções.

O pensamento se manifesta primeiramente no campo mental, se patenteia e se mostra como uma vibração e que produz vários efeitos. Pode-se evocar o "conjunto de fenômenos psíquicos produzidos com a cooperação consciente ou inconsciente das pessoas" (André Luiz) e também que tais fenómenos "podem ser explicados por uma ação que o homem vivo exerce além dos limites do corpo" (Aksakof).

Anota Emmanuel que "definindo-a por espelho da vida, reconhecemos que o coração lhe é a face e que o cérebro é o centro de suas ondulações, gerando a força do pensamento que tudo move, criando e transformando, destruindo e refazendo...".

O pensamento gera acção, inclusive deve haver compatibilidade, coerência entre pensamento e ação. O pensamento também pode gerar luz, inclusive no sentido simbólico da luz e de suas relações com o pensamento.

A essa altura, é oportuna a lembrança sobre a parábola da candeia: "não coloqueis a candeia debaixo do alqueire" (Lucas) e também a advertência: "Vós sois o sal da Terra. Vós sois a luz do mundo" (Mateus).

A tarefa principal das instituições espíritas é divulgar o Espiritismo, ou seja, concretizar e compatibilizar o pensamento da Doutrina Espírita e a ação dos espíritas."


"Todo ser humano emite vibrações que estão relacionadas diretamente à capacidade de pensar. Pensar é vibrar. De acordo com o conteúdo e características dos pensamentos de uma pessoa, pode-se, de forma simplificada, classificá-la como possuidora de uma vibração baixa ou elevada. A vibração elevada é característica de espíritos esclarecidos e evangelizados, os quais exercitam constantemente o amor, a caridade, a benevolência, o devotamento, a abnegação e o auto-conhecimento. Possuem interesses voltados principalmente para a vida espiritual. Já a vibração baixa é característica de espíritos ignorantes e pouco evangelizados, nos quais predomina ainda o orgulho, o egoísmo, o ódio, o rancor, a inveja e o fato de estarem ligados principalmente à vida material."

in http://www.geae.inf.br/pt/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5nZWFlLmluZi5ici9wdC8=) (boletim 512)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: SB em 06 de Novembro de 2009, 14:49

Você é, agora, o resultado do que pensou até hoje.



"Eu nao sou o que penso que sou, sou o que penso"
É uma frase que uso muito (internamente) ;)

YO NO SOY YO.
Soy este
que va a mi lado sin yo verlo;
que, a veces, voy a ver,
y que, a veces, olvido.
El que calla, sereno, cuando hablo,
el que perdona, dulce, cuando odio,
el que pasea por donde no estoy,
el que quedará en pié cuando yo muera.

Juan Ramon Jiménez
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 06 de Novembro de 2009, 15:20

Olá a todos os amigos do pensamento!

Andei a ler todas as respostas ( incluindo as minhas ) a este tópico interessantíssimo, e por mais que queira uma sintese que faça sentido o meu pensamento fracassou, ficou todo baralhado!

Então abandonei o pensamento.

E fez-se luz, apareceu esta frase que já alguém disse provavelmente, mas não sei quem foi, deixo-a aqui para refletirmos. ( sem pensamento )

" A unica forma de pensar profundo e com coerência é não pensar de forma alguma. "

Acho que se fizermos isto o nosso grande Deus diz-nos todas as verdades ao ouvido com toda a simplicidade. O pensamento é que vai ficar zangado.

Mas não vale a pena ter medo, ele só cria ilusão e perante o nosso grande Deus não vale a importância que lhe damos. Não é nada.

É o que sinto

Namasté

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 06 de Novembro de 2009, 15:58
E se o seu colega viu isso apenas por minutos, ou o seu perispirito seguiu o seu corpo fisico e ele deixou de o ver, ou ele entrou num estado de emancipação da alma por pouco tempo. Será que se ele tivesse continuado no mesmo estado alterado de consciência durante muito tempo continuaria a vê-la?

Olha Victor Santos, ele olhava para mim saindo fora da sala, e me via sentada ao mesmo tempo na cadeira de costas para ele e de frente para o computador, depois que ele falava e olhava para mim, ele saiu correndo pegar a sua moto, que por sinal estava ao lado do escrítório, e não percebeu de tão nervoso, eu também tenho dúvidas do que realmente se passou.

Abraços a todos, dando continuidade aos estudos.

Zeni.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: louisse em 06 de Novembro de 2009, 16:16
[color=pink“O pensamento é criador, é a causa inicial de nossa elevação ou nosso rebaixamento. Podemos fazer à vontade em nós, a luz ou a sombra, o céu ou o inferno. Não só emitimos como recebemos, mas quem determina a qualidade do retorno é o emissor.”
(Léon Denis – O Problema do Ser, do Destino e da Dor, C. 24)
“O pensamento exterioriza-se e projeta-se formando imagens e sugestões que arremessa sobre os objetivos que se propõe a atingir. Quando benigno e edificante, ajusta-se às leis que nos regem, criando harmonia e felicidade; todavia, quando desequilibrado e deprimente, estabelece aflição e ruína. A química mental vive na base de todas as transformações, porque realmente evoluímos em profunda comunhão telepática com todos aqueles encarnados e desencarnados que se afinam conosco.”
(André Luiz – Nos Domínios da Mediunidade, p. 186)
Ou seja, tudo em nós gira em torno do pensamento, somos espíritos, assim captamos e emitimos também bons ou maus pensamentos. Procuremos nos manter em sintonia com o mais alto para que não venhamos a chorar depois. Abraços fraternos. Louise[/color]
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 06 de Novembro de 2009, 16:55
Olá a todos deste Fórum.

Oi Nelson.

Concordo, pois podemos fazer por reação emocional, ou por sentimentos não refletidos atos irracionais até, mediante o estado do psiquismo, mas isto altera o quadro da percepção, ou é uma reprodução do mesmo padrão?

Zeni - Eu entendo que tenha ligação sim, exemplo olhei( percepção) uma roupa na vitrine pensei e já comprei, mas pode ocorrer de outra maneira, mas que não se deixa de ter a percepção, reação, e o pensar, veja isso é o que eu penso, precisamos ver as outras conclusões.

Porem quanto à definição que estamos dando a pensamento, neste tema , você poderia ser mais clara?

Zeni- Eu penso que o pensamento e energia o qual estamos cercado dela por todas os lugares,assim como acredito que os espíritos, mas que se não soubermos usar, teremos reações adversa  nossa mente, por não saber controlar essa emoção,não sei se fui clara.


Citação de: zeni em Ontem às 16:40

É toda energia capaz de alterar a matéria mental do espírito?
Zeni-  Espírito encarnado ou desencarnado.



Portanto, assim o sentimento é capaz também de alterar a matéria mental.

Zeni- Sim em muitas situações sofremos por tomar decisões, que no sentimento vai ser dolorido mas que a razão da situação fala mais alto, nesse caso o sentimento foi alterado pelo raciocínio (mental), vamos ver se haverá outras respostas.


Ou não, pensamento separado do sentimento, e fruto da reflexão, raciocínio e razão?


Zeni- Todos estão ligados, só que agimos por reflexo conforme a situação, como já disse posso pensar sentir e agir diferente, tudo ao mesmo tempo.

Abraço a todos Zeni.
 

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: SB em 06 de Novembro de 2009, 17:08

Portanto, assim o sentimento é capaz também de alterar a matéria mental.

Zeni- Sim em muitas situações sofremos por tomar decisões, que no sentimento vai ser dolorido mas que a razão da situação fala mais alto, nesse caso o sentimento foi alterado pelo raciocínio (mental), vamos ver se haverá outras respostas.


Ou não, pensamento separado do sentimento, e fruto da reflexão, raciocínio e razão?


Zeni- Todos estão ligados, só que agimos por reflexo conforme a situação, como já disse posso pensar sentir e agir diferente, tudo ao mesmo tempo.

Abraço a todos Zeni.
 

Não Zeni...

O pensamento está em primeiro ao sentimento, embora não reconheçamos ainda e em espaços de segundos como isso se dá (pela nossa imperfeição), por  isso os misturamos, pensamento/sentimento e vice-versa, mas só em termos de teoria, nunca na pratica.

Porque nos pedem que elevemos o pensamento sempre que o nosso emocional se sente defraudado?

Porque o pensamento comanda o sentimento.

Basta que nos envolvamos com o emocionnal e deixamos o pensamento á mercê deste, contudo é a vontade do espirito que elege pelo pensamento combater a emoção ;)

Vou ver se encontro um texto que penso que ja coloquei aqui ha uns anitos que fala da razao e da emoção ;) nessa mistura que falas :)

Abraços
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 06 de Novembro de 2009, 17:10
Descartes: penso, logo existo, logo, - digo eu - penso, logo Deus existe.
gostaria q o Anton estivesse por aki para discutir isso. Afinal, Deus existe por si mesmo ou só existe porque temos um sentido humano chamado razão, que faz com que ele exista para nós?? (boa pergunta nao acham?) 
Ou seja, da mesma maneira que, uma árvore que cai numa floresta e faz um barulho, mas não tem ninguém lá para ouvir, e logo esse barulho não existe, o mesmo podemos dizer de Deus: Deus só existe porque pensamos, o que equivale a dizer que ele não existe para os seres que não pensam.
Nâo é uma "pegadinha' esse post. É o seguinte: temos a idéia de Deus, porque temos um sentido chamado razão que nos enseja a concepção de que Deus existe. Para os seres que não tem 'razão', logo, Deus não existe. (já imagino de antemão o Tap aqui fazendo um longo post para contestar essa assertiva heheheeee)  ;)

abçs,

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 06 de Novembro de 2009, 17:12
Citar
Susana: Porque o pensamento comanda o sentimento.

Oi...
como assim Susana, poderias explicar melhor??

abçs,

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Paulo Maia em 06 de Novembro de 2009, 17:23
Olá Zeni e todos os participantes.
Muita paz!
Estou lendo as informações postadas e feliz pelo entusiasmo.
"Só falamos do que está cheio nosso coração"
Abraços frternos.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: SB em 06 de Novembro de 2009, 17:31
Encontrei....deixei este texto aqui mesmo em 2005...

A estrutura emocional dos seres humanos não é sempre a mesma durante a vida. Há diversas alterações, confome a pessoa se submete a novas experiencias. A vida, é um longo percurso e muitas das vezes doloroso.O periodo do aprendizado emocional, no qual se ganham noções complexas como vergonha, culpa, preocupação, afecto, altruímos, dedicação, compaixão e muito mais, a nossa racionalidade tem que participar nesse processo, tem que crescer juntomente, terá ter que justificar ou não algumas dessas emoções, nas várias circuntâncias em que ocorrem.
A nossa racionalidade tem como sugerir ao nosso bom senso que precisa de reconhecer as situações ou alterá-las.
A razão e emoção não deveriam se encontrar em conflito, mas sim actuar em pareceria.
Se não forem parceiras, então obviamente uma delas estará dominando a outra.
Que ocorre nesses casos?
Suponho que nos deixamos ganhar pela emoção.
Nesse caso, o nosso comportamento estará sendo orientado em direcção a conviniencias emocionais momentaneas.
Uma outra forma de abuso do emocional, ocorre quando este tenta “usar” o racional para providenciar suporte para intenções inconvinientes. Neste caso, o racional estará sendo um “servo” dos motivos emocionais e as soluções podem parecer ganhar certa justificação. Esta situação recebe o nome de racionalização: é o uso de “desculpas racionais” para fugir (ou evitar) a solução de certos problemas de grande significado emocional.
O facto é que todos nós precisamos de expressar as nossas emoções e por isso sem quebrar a relação da parceria razão/emoção, a ideia é obter a colaboração de uma e outra, e não o confronto ou restrição.
Somos seres em sociedade, precisamos de convivio e de intenções, factores fundamentais de sobrevivência, mas que na conveniencia uns com os outros, nós como seres humanos, traz outro tipo de problema, pois não basta ter que levar em conta apenas os nossos pensamentos, precisamos também considerar o que os outros pensam de nós.
E ai vem a questão: Qual a real importancia que precisamos dar ao que os outros pensam de nós? Será importante alterarmos o nosso comportamento para melhor se ajustar ao que o mundo quer de nós?
Se deixarmos a resposta a esta pergunta a cargo das emoções, ficamos com a nossa conduta essencialemnte à mercê do nosso meio social. Pois vamos sempre querer ser aquilo que os outros esperam de nós.
É facil concluir que, se permitirmos isso, vamos ter que alterar constatemente o nosso comportamento...Intuitivamente, isto parece-me cruel, mas há uma razão racional para justificar, porque essa não é uma boa solução.
De que forma os outros perceberão aquilo que realmente somos?
As pessoas que nos rodeiam e que convivem conosco fazem um “modelo” daquilo que somos, através das nossas acções e reacções diárias, ás diversas situações a que somos submetidos.
Se as minhas acções não forem coerentes, ou se minhas reacções forem precipitadas ou injustificaveis, então os outros vão ter a oportunidade de me mostrar que sou uma pessoa confusa e complicada.
Não é tão importante o que os outros pensam de nós, é mais importante o que nós pensamos sobre nós mesmos, pois o que os outros pensam de nós será automaticamente um reflexo de nossas atitudes exteriores.
E as nossas atitudes exteriores são directamente função daquilo que nós achamos de nós mesmos. Estamos neste caso a usar a força racional para auxiliar, em conjunto, a resolução de problemas de ordem emocional.
É necessário uma habilidade e flexibilidade na informação que vamos obtendo de forma racional/emocional, pelas varias perspectivas e multiplas situações que nos chegam constantemente. Onde as tentações e ofertas nas oportunidades do momento, nos oferecem, a liberdade de expressão, um dos mais importantes direitos individuais de que dispomos, e que exige de nós uma preparação e conhecimento de nós mesmos, fazendo com que cresçamos, evoluiamos, sem entrar em grande conflito conosco mesmo, experienciando.



Renato,

O que disse é uma afirmação, mas pela nossa imperfeição ainda não conseguimos mentalmente, separar as coisas, e vemo-nos a agir de facto mais emocionalmente, contudo somos o que pensamos ou sentimos e agimos conforme pensamos.

Somos tão imperfeitos que na maioria das situações ainda levamos a emoção a vencer o pensamento, ou nós nao "sofreriamos" tanto ;)

Abraços
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 06 de Novembro de 2009, 17:39

Olá amigos do pensamento!

Estou aqui sem pensamentos e tive a intenção de saber o porquê da dificuldade de voltar à nossa essência, o porquê de tantos caminhos e religiões todos a falarem das dificuldades que nós temos em largar este mundo ilusório criado pelo pensamento.

E então mais uma vez a simplicidade disse ao ouvido que já que o mundo, este ilusório, foi criado pelo pensamento ele ( o pensamento ) tem vida mesmo que ilusória e só existe porque nós o sustentamos. ( alimentamos ou ele alimenta-se de nós, energia )

Quando todos os que se iluminaram nos deixaram testemunhos da beleza da nossa essência porquê a dificuldade de para lá voltar? E porquê a dificuldade inicial quando se pratica yoga com o objetivo de nos transcendermos?

Justamente por a sua vida ser ilusória ( a do pensamento ) ele não quer nos deixar iluminar porque seria o fim do grande logro, o término da sua vida. A morte pela falta de sustento, energia. Mas se formos persistentes na prática ( só com o saber psicológico não é suficiente ) vencemos e claro ele lá vai triste por ter perdido mais um do " rebanho ".

Um pequeno esclarecimento, as citações que se fazem das mensagens não tenho nada contra desde que não se descontextualize.

É o que sinto amigos, a minha forma de me expressar pode não ser muito sofisticada por ter vivido sempre primeiro a prática e depois então o entendimento, mas não interessa não me tenho dado mal.

E mais, se vos tivesse na minha frente para vos olhar nos olhos era o que mais gostava e o que melhor sei fazer, isto de escrever aqui sem ver ninguém é uma experiência nova mas necessária porque não se encontra abertura de espírito por aí com muita facilidade para termos esta elevação e este desprendimento para falar do abstrato, Deus, Energia.

com carinho amigos

Namasté

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 06 de Novembro de 2009, 17:40
Descartes: penso, logo existo, logo, - digo eu - penso, logo Deus existe.
 (já imagino de antemão o Tap aqui fazendo um longo post para contestar essa assertiva heheheeee)  ;)

Em que página vais na tua leitura do "O Erro de Descartes"?  >:(
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 06 de Novembro de 2009, 17:43
Descartes: penso, logo existo, logo, - digo eu - penso, logo Deus existe.
 (já imagino de antemão o Tap aqui fazendo um longo post para contestar essa assertiva heheheeee)  ;)

Em que página vais na tua leitura do "O Erro de Descartes"?  >:(

Tap, sabes muito bem que eu ainda não li esse livro e que tenho resistências quanto a lê-lo....
você está pegando o barco andando...
Me responda só uma coisa: e uma arvore cai numa floresta, e não tem ninguém ali para ouvir o som, esse som existe ou não??

abçs

Renato

 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 06 de Novembro de 2009, 17:50
Citar
Susana: Não é tão importante o que os outros pensam de nós, é mais importante o que nós pensamos sobre nós mesmos, pois o que os outros pensam de nós será automaticamente um reflexo de nossas atitudes exteriores.

Oi, Su...

Mas aí, aonde entra o conflito, ou a indecisão sobre o que é primordial: o pensamento ou a emoção?? (se bem que você disse no seu texto que há uma interacção entre ambos).

E disse também que nos reconhecemos socialmente pelo o que os outros pensam de nós (isso é uma grande verdade) .

Não consideras, entretanto, que nem sempre o pensamento consegue deter a emoção??

abçs

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 06 de Novembro de 2009, 17:54
Citar
Taprobana: Em que página vais na tua leitura do "O Erro de Descartes"? 

ah, agora que entendi rsrs nem comprei o livro ainda, só achei algumas resenhas pela internet, e por sinal, muito ruins  :D

abçs,

Renato

 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: SB em 06 de Novembro de 2009, 18:05
Citar
Susana: Não é tão importante o que os outros pensam de nós, é mais importante o que nós pensamos sobre nós mesmos, pois o que os outros pensam de nós será automaticamente um reflexo de nossas atitudes exteriores.

Oi, Su...

Mas aí, aonde entra o conflito, ou a indecisão sobre o que é primordial: o pensamento ou a emoção?? (se bem que você disse no seu texto que há uma interacção entre ambos).

E disse também que nos reconhecemos socialmente pelo o que os outros pensam de nós (isso é uma grande verdade) .

Não consideras, entretanto, que nem sempre o pensamento consegue deter a emoção??

abçs

Renato



Hoje nao...quando evoluirmos sim!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 06 de Novembro de 2009, 18:11
Até lá tem tempo não acha??

abçs,

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 06 de Novembro de 2009, 18:22
Tap, sabes muito bem que eu ainda não li esse livro e que tenho resistências quanto a lê-lo....
você está pegando o barco andando...
Me responda só uma coisa: e uma arvore cai numa floresta, e não tem ninguém ali para ouvir o som, esse som existe ou não??

Eu também sei que o tens na tua biblioteca e combinamos que o lias em nome da nossa dama.  >:(

Sei... sei... está aqui!

http://www.4shared.com/file/18026846/7208f1b9/Antonio_RDamasio_-_O_Erro_de_Descartes.html?s=1 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy40c2hhcmVkLmNvbS9maWxlLzE4MDI2ODQ2LzcyMDhmMWI5L0FudG9uaW9fUkRhbWFzaW9fLV9PX0Vycm9fZGVfRGVzY2FydGVzLmh0bWw/cz0x)

Tens toda a razão, Deus não pode existir por si só, sem a mente Deus não existe. No entanto não é só Deus que não existe, também tudo aquilo que essa mesma mente cria não existe.

No entanto pela mesma ordem de razão nós mesmo não existimos se ninguém nos estiver a ouvir.

A consequência da inexistência de Deus é a nossa própria inexistência, conclusão suportada pelo teu interessante mas difícil desafio, ou seja se nada existir que nos possa ouvir, a vida não existe. Conclusão: para que a vida exista é necessário que exista Deus para que alguém a esteja a ouvir.

Taprobana (cansado e desgastado por este trocadilho)


Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Mateus em 06 de Novembro de 2009, 18:53
ola boa tarde a todos
é com natural alegria que entre aqui neste querido forum
estive ausente deste, mas sempre activo no proposito consciente do entendimento Espirita
este é o meu pensamento
Confio na elevaçao de todos os seres em todas as suas existencias, estando cada um no estado ou momento (como esta)
somos eternos por a nossa existencia ser espiritual--espirito-
agradeço  ao meu pequeno no estado em esta, agradeço a tiodas as existencias, porque e com elas estamos assim agora (embora sejamos eternos) a agradeçer a todos levaria a minha eternidade, e de forma um pouco injusto, para com todos ou outros seres, agradeço a Maria, A Jesus e Deus

Paz e Amor para todos nós


Mateus
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 06 de Novembro de 2009, 19:10
Ola a todos do Fórum.

Oi!! Susana.

O pensamento está em primeiro ao sentimento, embora não reconheçamos ainda e em espaços de segundos como isso se dá (pela nossa imperfeição), por  isso os misturamos, pensamento/sentimento e vice-versa, mas só em termos de teoria, nunca na pratica.

Porque nos pedem que elevemos o pensamento sempre que o nosso emocional se sente defraudado?

Porque o pensamento comanda o sentimento.

Basta que nos envolvamos com o emocionnal e deixamos o pensamento á mercê deste, contudo é a vontade do espirito que elege pelo pensamento combater a emoção 


Sim concordo que ele está em primeiro, não resta dúvida, mas poço alterá-lo a medida que eu sinto a necessidade para isso, quanto a ele( pensamento) vir primeiro também penso da mesma maneira.

Segue mais uma passagem, pessoal, quando faço minhas orações a noite e fecho os olhos, meus pensamentos não me deixam me concentrar em uma imagem que representa paz em minha mente, o pensamento de outras coisas alteram meus verdadeiros sentimentos embaralha tudo,e acabo dormindo nessa bagunça, veja isso ocorre por falta de concentração, dando margem aos pensamentos que surge em massa. em minha mente. Segue os estudos.

Abraço forte a todos
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 06 de Novembro de 2009, 19:18
Olá Zeni

Eu não disse, nem sequer imaginei que aquilo do desdobramento não tenha mesmo acontecido.

Acho que é perfeitamente possivel acontecer, e que as leis da natureza o podem explicar perfeitamente. Eu estava apenas a pensar alto se o fenómeno seria mesmo desdobramento ou se seria um registo fisico permanente que o seu corpo deixou na sala.

O que me parece mais lógico é o seu amigo ter visualizado o seu perispirito, porque o seu perispirito e o seu corpo fisico não estavam no mesmo sitio. Mas isso é só uma hipotese.

Peço desculpa de me repetir, mas senti na sua resposta que pensou que eu não acreditava no fenómeno. Nada disso amiga. Pelo contrário. Entusiasmei-me e arranjei uma teoria possivel, só isso. Se calhar era melhor ter ficado calado porque não me soube expressar bem

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 06 de Novembro de 2009, 19:39
Olá a todos do Fórum.


Olá amigo Victor Santos, não interpretei assim também, pois estamos aqui para isso mesmo, trocar idéias e nos ajudar mutuamente para talvez chegarmos perto de algum entendimento, e como é bom quando isso acontece em perfeita harmonia, não é mesmo, fica bem amigo.

Abraço forte a todos.
Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 06 de Novembro de 2009, 20:38

Olá amigos do pensamento!

Ia dizer que sinto pouca clarividência pouco coração aqui neste estudo, e muita reflexão do pensamento vazio que não trás esclarecimento nenhum, mas não digo, para vocês e para os moderadores deste fórum não se zangarem comigo. Mas como está escrito fica!

Não é através do pensamento que vamos obter clarividência senão já eramos todos clarividentes, Kardecs, Cristos, Krishnas, etc., se nos lembrarmos como é que por exemplo a nossa ciência avançou tanto desde há cem anos, e se lermos por aí alguma coisa que ficou escrito desde essa altura, vamos confirmar que os maiores avanços se dão pela expansão da consciência e não pela reflexão do pensamento que é sempre muito limitado e cheio de dúvidas.

Claro que os monopolistas e imperialistas tudo fizeram e fazem para nos manter sem esses conhecimentos, na pura ignorância como lhes convém para nos manter sossegados, como fez a igreja mais poderosa do nosso planeta há dois mil anos. Hoje não temos nenhuma democracia, temos uma escravidão dos sentidos de forma mais subtil mas a finalidade continua a ser a mesma da igreja católica.

Expansão da consciência é não deixarmos a consciência andar toda virada para fora, toda agarrada aos sentidos ( é o que interessa ao materialismo, consumo ) sem descanso. É parar, não para pensar mas para olhar para as nossas mãos para as estrelas para a beleza disso tudo, o mundo ilusório ou não, é belo em cores em luz em aromas que nós nem sequer já reparamos nessas coisas todas, tal como o amor que tanto falamos e tão poucos o sentimos com toda a sua intensidade.

Temos gosto em experimentar o bonito mas depois não queremos experimentar o feio, depois queremos a alegria mas quando chega a tristeza ( que nos pode ensinar mais que a alegria ) já não queremos.

Tenho sentido em todos os ensinamentos que nos temos que elevar acima de isso tudo, percepcionar apenas com mente vazia sem considerar nada como bom mau ou outra coisa quaquer porque quando fazemos isso deixamos de ver o mundo vivo tal como ele é e como se modifica a todo o momento, passamos a olhar para as coisas já com ideias formadas e isso é ver um mundo morto, o passado.

É como vivo, é o que sinto, é a minha contribuição para entendermos o pensamento.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 06 de Novembro de 2009, 20:58
Olá

Citar
É como vivo, é o que sinto, é a minha contribuição para entendermos o pensamento.

Dessa forma o amigo não pode ser infeliz. Procura livrar-se do efemero e dedicar-se ao que é permanente. Espero que mantenha, ou, se possivel, melhore ainda esse equilibrio a que chegou.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 06 de Novembro de 2009, 21:27

Olá!

É verdade amigo Vitor Santos infeliz é que não sou, fez-me lembrar um livro que muito gosto de um bom pensador ( Osho- vida amor e riso ).

O xamanismo e a yoga ensinaram-me o desprendimento e a liberdade de percepção há vinte e tal anos. ( mas não cheguei aqui só pela leitura teve que haver muita prática para me tornar auto-consciente )

E o mais bonito é que esse conhecimento deu-me a capacidade de englobar todos os outros sem os criticar, mas encontrando os pontos em comum, o que faço com Kardec que apesar de o conhecer de há muito tempo nunca, como agora, me tinha interessado.

Daí a minha renitência em fazer comparações para não ferir susceptibilidades. Por exemplo o que Kardec fala de espíritos eu aprendi a chamar de seres inorgânicos, que são aglomerados como nós, sustentados ou melhor mantêem a sua coesão como nós apenas não têem organismo. O perispirito, ainda não entendi bem, mas será o nosso duplo ou corpo energético, já que no meu entendimento o nosso mundo é duplo simplesmente vibra noutra intensidade que os nossos olhos não captam mas podem ser perceptíveis através do silêncio interior.

Depois comparamos mais se houver interesse

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: almir em 06 de Novembro de 2009, 22:19
Olá amigos do forum,
 

o pensamento nos diz muito daquilo que somos na atualidade, porque se aprendemos que semelhante atrai semelhante, e de convir que tipo de  companhia nos estamos nos associando
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Ana Belo em 06 de Novembro de 2009, 22:38
Olá dim dim.!

Olá a todo o mundo !

Há um tema  intitulado :     Alma versus espirito _ ver em Pesquisa.
Talvez ajude a compreender.

Junto um anexo, de um livro que pode ajudar a compreender.

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::.

Namasté

         Ana Belo
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 07 de Novembro de 2009, 01:19
O pensamento está intimamente ligado ao estado emocional e sentimental do indivíduo.

Quando os mapas neurológicos que caracterizam um determinado estado mental proporcionam uma vivencia agradável e aprazível, as imagens que o pensamento ilustra, porque de imagem se tratam (já repararam neste interessante pormenor? O pensamento são imagens que se criam na mente fruto de estímulos cerebrais) são ricas, variadas, imaginativas e resolutivas nas mais variadas facetas que caracterizam uma agilidade mental proporcionada por um estado de espírito positivo.

Quando por outro lado, o nosso estado metal e mais doloroso e menos aprazível, o pensamento degenera em algo que se vira contra nós mesmos, tende a sugerir imagens repetitivas que de forma lenta e monocórdica se vão arrastando na mesma medida que a vida se vai diminuindo e apagando.

Independentemente das técnicas adoptadas por cada indivíduo que a elas se socorre para assim activar a sua vontade de viver, sejam elas baseadas na filosofia, na psicologia, na crença, na religião, em dogmas, nas drogas ou na medicina, pressupõem desde logo um estado mental doente, no sentido de se encontrar em contra-mão com a vida.

Assim, a felicidade, ou seja, um estado mental sadio, é impossível de ser experimentada enquanto o indivíduo encara a vida como algo que contra ele conspira, enquanto observa essa mesma vida como aquilo que durante séculos intermináveis foi sugerido, imposto ou educado, com sendo um local de castigo, de provas e de expiações e que nada mais lhe resta do que a suportar da melhor forma possível, arrastando o seu desprezado e inimaginávelmente valioso corpo humano até à morte inglória, na esperança que essa atitude mórbida e inútil possa ser a chave para ser feliz num além que parece, ou que se ouve dizer, ser o lugar da descanso e da paz para aqueles que acusam a vida substantivando-a de algoz.

Preocupa-nos o debate acerco do pensamento criar ou não formas vivas plasmáticas, adoptando uma perspectiva de quem já se treina para estar morto, quando paradoxalmente esse mesmo pensamento não é de forma alguma uma causa mas sim a consequência da representação do corpo no cérebro que por sua vez se constitui como quadro de referencia indispensável para o desencadear dos processos neurais que designamos como mente.

É o nosso próprio organismo e nenhuma outra externa que é utilizado como referência para a interpretação do mundo que por sua vez identifica o carácter de uma personalidade que é a identidade responsável pela subjectividade do mundo mental que criamos.

Os nossos pensamentos são originados no nosso próprio corpo e consoante aquilo que esse mesmo corpo, ou seja consoante aquilo que a própria vida significa para cada um, assim serão determinadas as imagens que se criam no acto do pensamento, imagens de alegria e de felicidade ou de tristeza e mágoa, imagens lúcidas e rápidas ou baças, escuras e lentas, imagens que resolvem a vida ou imagem que reduzem à sua mais ínfima expressão.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Fraterno em 07 de Novembro de 2009, 03:08
 Olá amigos do forum!

Quero propor uma questão em cima do estudo.
Qual o caminho mais indicado para se chegar a um objetivo:

Através da fé = sentimento         
 
           ou

Através do pensamento = imagem

Um independe do outro? Ou tem de estar necessáriamente interligados?

Abraços fraternos do Fraterno  ;)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: heitorcostadacruz em 07 de Novembro de 2009, 10:02
Todo pensamento dá origem a uma série de vibrações que no mesmo momento atuam na matéria do corpo mental. Uma esplêndida gama de cores o acompanha, comparável às reverberações do sol nas borbulhas formadas por uma queda de água, porém com uma intensidade mil vezes maior.
 
Sob este impulso, o corpo mental projeta para o exterior uma porção vibrante de si mesmo, que toma uma forma determinada pela própria natureza destas vibrações.

Cada pensamento bem definido produz um duplo efeito:

Uma vibrante radiação e uma forma suscetível de flutuar pelo espaço. Falando com propriedade, no princípio o pensamento parece ao clarividente como uma vibração no corpo mental, que se pode manifestar sob uma forma complexa ou simples.

Cada pensamento bem definido produz um duplo efeito:

Uma vibrante radiação e uma forma suscetível .de flutuar pelo espaço. Falando com propriedade, no princípio o pensamento parece ao clarividente como uma vibração no corpo mental, que se pode manifestar sob uma forma complexa ou simples.


Cada pensamento bem definido produz um duplo efeito:

Uma vibrante radiação e uma forma suscetível .de flutuar pelo espaço. Falando com propriedade, no princípio o pensamento parece ao clarividente como uma vibração no corpo mental, que se pode manifestar sob uma forma complexa ou simples.









Livro: Formas-pensamentos Annie besant e C. W. Leadbeater
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 07 de Novembro de 2009, 10:29

Olá a todos amigos do pensamento!

Ana Belo, para o tópico, o livro, para si e para todo mundo, Namasté

Olá amiga Ana Belo as suas dicas foram esclarecedoras quanto a algumas duvidas que tinha. Mas mais importante ainda foi ter-me tirado de um dilema que eu sentia, que é como ir mais profundo ainda na explicação deste tema.

Eu sabia e sei como fazê-lo mas é um tema que neste fórum dedicado aos estudos de Kardec, pensei que poderia não ser bem aceite, e como já disse não quero ferir susceptibilidades. Então vamos falar de sentir.

Para o xamã a aprendizagem dá-se no meio da natureza ( os livros pouco importam, ou porque ele sentiu esse chamado da natureza ou porque ouviu ou leu algo sobre isso ).

O xamã vai para o meio da natureza para se encontrar a sós com a terra as árvores as pedras o céu os animais tudo o que lá existe, e observa como se fosse a primeira vez que visse aquela beleza toda. O passe obrigatório e seguinte é sentar-se perante uma plantinha ou um carreiro de formigas, por exemplo, e desculpar-se em voz alta por todos os males que ele ou os seus semelhantes lhes possam ter feito. Se sentir fome e tiver que colher alguma planta ou fruto também se deve desculpar dizendo que por exemplo um dia o seu ser será ele também alimento para elas, e ser frugal, não precisa colher mais do que o necessário.

Chamo a isto, consciência, humildade, amor, união ao todo, desprendimento da vaidade, do orgulho, dos caprichos, e mais importante a perda da importância, o ser e sentir-se igual a uma plantinha ou a uma formiga, igual a tudo nem mais nem menos importante.

Isto intensifica-nos a percepção a extremos incríveis, porque ao despirmos a nossa alma desta parte social ( feia ), ao não dar-mos importância a nós mesmos nem aos pensamentos, a alma despe-se por completo e o espírito começa ele a percepcionar e a fundir-se com a alma, todo contente porque se tem sentido recalcado por todos aqueles sentimentos de importância criados pelo pensamento mórbido. Sem este desprendimento o espírito não consegue vir ao cimo e a unica coisa que lhe resta é de vez em quando apanhar-nos distraídos e falar-nos ao ouvido, aquela voz interior só fala quando o pensamento se cala. Só que o pensamento quer ser sempre o vilão e nunca se cala a não ser que tenhamos essa intenção permanentemente.

Isto veio na conclusão da dica da amiga Ana Belo sobre o tópico ( Alma versus Espírito ) aqui no fórum.

Desde que me lembro fui sempre sonhador e sonâmbulo, saía da cama a sonhar mas depois já não voltava para a cama até que a minha mãe, que já sabia, ouvia-me andar por ali e agarrava-me por um braço e deitava-me.

Outro sonho recorrente era sentir-me minúsculo e o quarto e tudo lá dentro eram enormes, ficava em pele de galinha e escondia-me todo debaixo das mantas até que adormecia.

Hoje já não sonho ( ou de outra forma, descobri o elo de ligação ao espírito e tento mantê-lo limpo de pensamentos para que a comunicação seja límpida, clara e objetiva. Esta humildade e o amor que aqui falei é o caminho para mim) o espírito fala-me a toda a hora, está comigo. O sonho é o caminho para o espírito. O desgaste energético da vida diária é quase nada, já pouco necessito dormir.

É como vivo amigos, perdoem os meus erros ou as minhas falhas em expressar-me, apesar de tudo gosto de estar aqui a aprender com vocês todos.

Com todo este exercício que aqui estou a fazer, os meus amigos estão a ajudar-me no meu desprendimento e na minha liberdade.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: heitorcostadacruz em 07 de Novembro de 2009, 10:33
FORMAS-PENSAMENTO NO ESPIRITISMO:

PERISPÍRITO

2ª Edição Revista e Ampliada – Zalmino Zimmermann - pp. 218

Projeções mentais coloridas que configuram – às vezes, com detalhes – as imagens produzidas pela mente.  Segundo o Espírito André Luiz: “Nas reentrâncias e ligações sutis dessa túnica eletromagnética de que o homem se entraja, circula o Pensamento, colorindo-a com as vibrações e imagens de que se constitui, aí exibindo, em primeira mão, as solicitações e os quadros que improvisa, antes de irradia-los no rumo dos objetos e das que demanda.  Aí temos, nessa conjugação de forças físico-químicas e mentais, a Aura humana, peculiar a cada indivíduo, interpenetrando-o, ao mesmo tempo que parece emergir dele, à maneira de campo ovóide, não obstante a feição irregular em que se configura, valendo por espelho sensível em que todos os estados da alma se estampam com sinais característicos e em que todas as idéias se evidenciam, plasmando telas vivas, quando perduram em vigor e semelhança, como no cinematógrafo comum.

 
Fotosfera psíquica, entretecida em elementos dinâmicos, atende à cromática variada, segundo a onda mental que emitimos, retratando-nos todos os pensamentos em cores e imagens que nos respondem aos objetivos e escolhas, enobrecedores ou deprimentes.”



Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: nelsonmt em 07 de Novembro de 2009, 12:38
Olá Zeni e amigos do fórum,

Zeni obrigado por procurar definir o que é pensamento em sua opinião.

Zeni- Eu penso que o pensamento e energia o qual estamos cercado dela por todas os lugares,assim como acredito que os espíritos, mas que se não soubermos usar, teremos reações adversa  nossa mente, por não saber controlar essa emoção,não sei se fui clara.

Em minhas palavras, entendi que pensamento como “energia” expressa uma visão unidimensional, ou seja da esfera inferior de vibração para a superior, e que a questão é como lidamos com esta “energia”, como ela interage com nossa mente, e capacidade de perceber, reconhecer, refletir e enfim agir (com vontade) pelo livre arbítrio. Se estiver correto, fica mais fácil contribuir com seu trabalho.

Penso que já concordamos que:

1 O pensamento depende da percepção do espírito.

Podemos concordar que em última instancia a inteligência do espírito deve direcionar seu esforço de vontade para alterar e ampliar sua percepção de si e do universo que o rodeia? Sendo isso o grande poder do pensamento para o espírito?

Concordamos?

Podemos então discutir, neste tema, razoes para que apesar de todos terem capacidade de “pensamento”, nem todos conseguem construir para seu ambiente mental, condições de viver o Amor e a Paz que nos acenou Jesus?

Neste sentido fica a relevância do fato que Jesus, não nos disse “pense”, e sim “Ame”, então como saímos do pensamento para o Amor?

Um abraço fraternal e muita Paz a todos

Nelson

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 07 de Novembro de 2009, 13:00
Tendo em conta os pontos de vista aqui abordados venho, sem querer colocar em causa a sua legitimidade assertiva, disponibilizar outro tipo de observações possíveis que devem ser tomadas em consideração para estudo.

Existem no cérebro humano um conjunto de sistemas que elaboram as condições para que o processo de pensar se concretize, e assim quando direccionado para um determinado objectivo, sejam formuladas um conjunto de possíveis opções cuja capacidade de raciocinar vai gerir no sentido da tomada de uma opção.

Esses sistemas incluem locais determinados que potenciam não só a razão e a tomada de decisão como também as próprias emoções e os sentimentos.

Este facto, pode ser demonstrado de forma empírica, através da observação e análise de comportamentos de indivíduos que por diversos motivos têm essas zonas do cérebro afectadas.

Do ponto de vista espírita, este tipo de observação determina a explicação de que o princípio inteligente encarnado não pode potenciar a sua individualidade por deficiência da matéria.

Assim, e em concordância com aquilo que o espiritismo preconiza, o mundo mental que o espírito vivencia não é um atributo do próprio espírito mas sim um atributo da matéria que lhe propicia as experimentações que lhe são possíveis ter. E nesta observação estão incluídas as emoções, os sentimentos, o pensamento e a razão.

Assim parece restar ao espírito um único atributo, é o principio inteligente que quando encarnado anima e gere este sistema orgânico perfeito e autosustentável, como todos os outros sistemas orgânicos vivos.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 07 de Novembro de 2009, 13:08
Olá Ana Belo

Muito interessante e esclarecedor, o livro do António Freire.

É uma pena que os livros desta época dos principios do movimento espirita português não sejam publicados em formato digital e/ou impresso.

A amiga tem acesso a mais livros dos fundadores do movimento espirita e dos primeiros centros espiritas portugueses?

Era engraçado criar um grupo de trabalho para fazer isso, se a FEP estivesse de acordo.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Ana Belo em 07 de Novembro de 2009, 13:38
Olá.

Esse,  Da Alma Humana,  posso por à disposição.
A informação que tenho, de à pouco tempo, ( cerca de dois anos),
é de que aínda há  (ou havia) exemplares desses na Federação.

É uma boa sugestão , essa divulgação, assim creio.
As Associações Espíritas, muitas delas teem Bibliotecas, que serão
uma ótima ajuda, um bom apoio.

É um PENSAMENTO,  partilhado...


Um abraço.

Ana Belo



Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 07 de Novembro de 2009, 15:03
Sabemos que mesmo a vida dos seres unicelulares apresenta comportamentos que os diferenciam entre si consoante os estímulos que recebem do meio ambiente. Assim apesar da sua simplicidade aparente, são capazes de se tornarem únicos em termos de identidade consoante a forma como se comportam ao ponto de ser possível num determinado meio social identificar cada um destes seres pelo seu nome se proceder-mos a uma observação atenta e pormenorizada das suas actividades.

Claro que nenhum deles possui cérebro e muito menos uma mente nem sequer qualquer tipo de determinação pela vontade propria, mas a interacção que existe com o meio ambiente repercute-se em termos de comportamento que identifica uma identidade própria que advém da simples capacidade de movimento que detêm.

No entanto, nos organismos dotados de cérebro, a maior parte das acções orgânicas ocorre sem que dependam da vontade dos mesmos. São acções desencadeadas de forma autónoma através de respostas que os neurónios desencadeiam consequentes de múltiplos tipos de estímulos.

Na medida que subimos no grau de complexidade do cérebro que caracterizam as várias espécies de vida, maior se vai tornando a complexidade da rede de informação constituída pelos neurónios, sem que tal signifique que tal condição implique como consequência a existência do fenómeno que denominamos mente.

A mente somente surge quando o cérebro passa a ter capacidade de conceber imagens cuja proveniência não advém dos seus sentidos externos mas sim de proveniência interna ou seja, quando o cérebro cria imagens que não advêm dos olhos, nem sons que advêm dos ouvidos, nem cheiros que advêm do olfacto mas sim daquilo que podemos designar pela sua capacidade de os criar subjectivamente através da imaginação.

A forma como estas imagens são concebidas e ordenadas não é mais do que aquilo que aqui debatemos ou seja o pensamento.

Assim, a capacidade de pensar não é nenhum atributo metafisico tal como era pensado no século XIX mas sim um sentido mais que o corpo humano possui através do qual, o espírito que é  dotado de um nível evolutivo condizente com a capacidade de gerir uma vida mental, pode experimentar e assim dar continuidade ao seu processo evolutivo.

Não é tão mais simples a vida quando compreendida através da razão?

Os raios da tempestade não é são fúria dos deuses. É electricidade.
 
Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 07 de Novembro de 2009, 15:16

Olá amigos da consciência!

Xamanismo,yoga e sonhos complementam-se perfeitamente.

Xamanismo e yoga tráz-nos aquela humildade de nos sentirmos iguais a tudo, despoja-nos da importância própria, a vaidade já não nos perturba por estarmos a falar com uma bela flor, a vergonha não suporta o amor e então se retira ( ela não passa de mera construção do pensamento ). Claro que aos olhos dos nossos semelhantes somos meios tontos por falarmos com plantas e coisas do género. ( sem importância própria ficamos impassíveis, nada nos afeta )

Também nos lembra a verdadeira arte de bem respirar ( conhecimento dos nossos primórdios que sempre foi a verdadeira respiração do homem enquanto viveu no seu ambiente natural sem se deixar perturbar pelos pensamentos ) que no ritmo de vida que temos hoje já nem lhe prestamos atenção. ( tornou-se automática e superficial, grande parte das doenças que nos afligem poderiam terminar com a boa prática da respiração profunda)

Sonhar, hoje até acordado entro em sonho, alguém que esteja perto a observar ( se for observador atento ) notará aquele estado que nos acontece quando acabamos de acordar ainda meio endorminhados com as feições e olhos meio desfocados, de resto funciona-se normal. ( um pouco mais lentos )

A prática é tão simples que até pode ser levado como brincadeira e tanto o xamanismo como a yoga podem ser feitas da mesma maneira ( respiração: não a querermos controlar, apenas serve para prendermos a atenção na entrada e saida de ar, o pensamento cala-se ao fim de algum tempo e de alguma prática.

Quando se tem isto controlado passamos a atenção para os pés com a intenção de nos relaxarmos por completo, de seguida para as pernas, coxas, cintura, abdomem, peito, braços e mãos. Quando chegamos às mãos ( o que com alguma prática leva poucos minutos até nos sentirmos a afundar no colchão ) podemos deixar aí a atenção a " observá-las " as mãos ou outra parte quaquer do corpo com o máximo pormenor ( unhas dedos linhas, etc. ). Depois disto, mais tarde ou mais cedo aparecem as mãos no sonho e vemo-nos a dormir.

Como somos " animais " de hábitos e rotinas é só ir praticando e ganhar experiência até começarmos a sair para aqueles sitios que mais gostamos conscientemente ou inconscietemente, é para onde o espirito nos leva num instante. Ou podemos nós ter um sitio que nos dê muito prazer, a imaginação aqui temos que nos familiarizar com ela porque com a prática e o controle ela torna-se o caminho pelo qual o sonhador, espirito, a segue para todo o lado, sem barreiras sem obstáculos. Livres.

Mais uma partilha do meu sentir

com carinho amigos

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Fraterno em 07 de Novembro de 2009, 16:19


Assim parece restar ao espírito um único atributo, é o principio inteligente que quando encarnado anima e gere este sistema orgânico perfeito e autosustentável, como todos os outros sistemas orgânicos vivos.

Taprobana


Concordo com tudo o que o amigo colocou, mas restam algumas afirmações que ao meu modo de ver gera certo conflito.
Um individuo que tenha por ex: A parte do cérebro afetada responsável pela agressividade e este mesmo individuo comete um assassinato, devido a esse " defeito " genético ou acidental.
A quem seria creditado crime? Seria o organismo defeituoso o único responsável, encerrando com sua própria morte a ação, eximindo assim o Espírito de qualquer culpa?

Existem estudos sérios onde foi feito um mapeamento computadorizado no cérebro de pessoas que cometeram crimes bárbaros. E esses mesmos estudos concluiram que a grande maioria dos criminosos apresentam alterações neurônais significativas em uma mesma região cerebral.
Então logo é de se deduzir que esses individuos são aberrações biológicas. Que são moralmente incapazes, que do ponto de vista ético, moral e espiritual são verdadeiramente inocentes, isentos de culpas e castigos.
E onde se encaixa o Espírito nessa?

Abraços fraternos do Fraterno  ;)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: YESNO em 07 de Novembro de 2009, 17:51
Não é de hoje que sabemos da influência do pensar e da forma de pensar nos resultados que pretendemos obter.

Há milênios nos advertem os evangelhos
"Eu, porém, vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração." (Mt, 5, 28). Consideremos aqui adultério como expressão de malefícios. Um pensamento mau dará ou poderá dar ação a atos maus (ESE cap8, 6)

O pensamento é estruturador de ações, arquiteta, modela, como um oleiro que acaricia ou soca o barro e produz o que imaginou.

Vejamos um trecho de Kardec quando discorre sobre as visões, criações mentais num item específico, como: princípio das criações fluídicas pelo pensamento (RE Ago1866 pg 12/13)

["Tudo é fluídico nesse mundo (espiritual), homens e coisas, e as coisas ali são tão reais, relativamente, quanto as coisas materiais o são para nós. Eis um primeiro princípio.

O segundo princípio está nas modificações que o pensamento faz o elemento
fluídico sofrer. Pode-se dizer que ele se configura à sua vontade, como configuramos um pedaço de terra para dele fazer uma estátua; somente a terra sendo uma matéria
compacta e resistente, é preciso, para manipulá-la, um instrumento resistente, ao passo
que a matéria etérea sofre, sem esforço, a ação do pensamento"]

Os teosofistas e alguns espíritos autores de textos explicam muito claramente sobre as formas-pensamento e que, como a comunicação espiritual corre pelos fios do pensamento, cumpre-nos orar e vigiar para que não se estabeleça a balbúrdia num sentido ou no outro que só geraria desequilíbrios psíquicos entre as conexões.

Um pensamento positivo, elevado, é uma prece, uma bandagem balsamizadora;
um pensamento mau é uma lâmina de dois gumes, machuca antes quem a brande.

Um abraço fraterno a todos

Paz ! (com ela há mais luz nos caminhos)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: giceliocalixto em 07 de Novembro de 2009, 18:31
 Olá Zani,
 Parabéns pelo espírito fraterno que está coordenando,o estudo mensal "O Pensamento".
Força e luz!

 Para mim o pensamento é a força propulsora que movimenta toda a dinâmica progressiva do espírito encarnado e desencardo.

 "Sabemos que a educação,na maioria das vezes,parte da periferia para o centro;contudo,a renovação,traduzindo o aperfeiçoamento real,movimenta-se em sentido inverso.Ambos os impulsos,todavia, são alimentados e controlados pelos poderes quase desconhecidos da mente.
  O espírito humano lida com a força mental,tanto quanto maneja a eletricidade,com a diferença,porém,de que se já aprende a gastar a segunda,no transformismo incessante da Terra,mal conheçe a existência da primeira,que nos preside a todos os atos da vida.
  A rigor,portanto,não temos circlos infernais,de acordo com os figurinos da antiga teologia,onde se mostra indefinidamente genios satânicos de todas as épocas e,sim,esferas obscuras em que se agrega conciências embotadas na ignorância,cristalizadas no ócio reprovável ou confundida no eclipse temprário da razão.Desesperadas e insubmissas cria zonas de tormento reparadores.Semelhantes a criaturas,no entanto,não se regeneram á força de palavras.Necessitam de amparo eficiente que lhes modificam o tom vibratório,elevando-lhes o modo de sentir e pensar."
(trecho extraído do livro Libertação de André Luís,1º parte,pág. 14)

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: MarcoALSilva em 07 de Novembro de 2009, 23:26
[...]
E onde se encaixa o Espírito nessa?
Abraços fraternos do Fraterno  ;)

Olá Fraterno! Antes de mais nada, pelo avatar! (avante Palestra!)

Já tive oportunidade de postar em outro tópico, junto ao amigo Taprobana. Temos uma visão diferente acerca dos fenômenos mentais. Acho que o cérebro é uma estrutura física de que se serve o Espírito para veicular fenômenos mentais no plano físico. São redes neurais enredadas ricamente. Mas o moto é o Espírito.

Apenas uma opinião.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: GUSTAVOADBUENO em 07 de Novembro de 2009, 23:52
EGUE ALGUMAS PERGUNTAS:
O que é o pensamento? E pergunta e geral então existe vários tipos de resposta
1.   Definida pelo dicionário ato ou efeito de pensar
2.   Por certos conceitos formulação de uma idéia por palavras
3.   Por culturas Por mais incrível que pareça, existe um dia do ano para a comemoração do Pensamento, isso mesmo, do “pensar” do ser humano. Esse dia já existe há muitos anos, mas muitas pessoas nem sabem de sua existência.
4.   O pensamento humano em geral humano é o único animal racional na face da Terra. Somos os únicos que temos uma inteligência capaz de nos permitir fazer escolhas, desde as mais simples como o que comer, até respostas das perguntas mais complexas.
5.   O pensamento tem diversos entendimentos em varias culturas diferentes. Já a ciência explica de uma maneira diferente. Os cientistas dizem que é apenas o cérebro humano trabalhando, apenas isso.
6.   Religiões A religião explica que o pensamento é a alma do ser humano, o espírito, a vida em si, o nosso ser que fala dentro de nós de alguma maneira.
7.   ate mesmo pela sua própria certeza adquirida É algo que podemos controlar, mesmo por que segundo essa crença, essa voz somos nós mesmos.
8.   Tem ate o dia dele Independente do que seja, o dia 13 de agosto foi feito para celebrar ele, ele que toma tantas decisões em nossas vidas, o Pensamento.


Pensar é desejar? Sendo o desejo fruto da sua criação e verdadeiros aos seus motivos, assim que nos leva apensar, então ..... e bem complexo esta pergunta, para responder assim.

Qual a origem do pensamento? Levando em conta o dito por dois gênios da humanidade e muitos anos de pesquisa do Respostas ao Impossível chegamos a conclusão de que: o pensamento não se origina no próprio homem, mas de fora dele, ou como Descartes afirma, distinta da área corporal.
Comecemos pelas palavras de Sócrates, o filósofo dos filósofos.
Sócrates sempre fazia questões à respeito do que se dizia ser verdade, demonstrando que nós mesmos nos enganamos sobre o que é certo ou errado.
Ao ser interrogado sobre o seu conhecimento em relação a natureza Socrates respondia:  "O conhecimento já existe, só precisamos pari-lo"
Agora vamos ao comentário de Descartes, matemático e filósofo que permanece com suas leis sobre a natureza válidas até hoje:
"Enfim, considerando que os mesmos pensamentos que nos assaltam quando acordados também podem nos ocorrer quando dormimos, sem que nesse caso haja algum que seja verdadeiro, as coisas que até então haviam entrado no meu espírito não eram mais verdadeiras que as ilusões e meus sonhos.
Mas logo concluí que eu que pensava, era alguma coisa, mostrando esta verdade:  penso, logo existo.
Não posso negar que as idéias não existem verdadeiramente em meu pensamento, mas reconheço claramente que a natureza inteligente é distinta da corporal

ainda nao conseguir me aprofundar mais, mas tendo outras respostas hle enviarei
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 08 de Novembro de 2009, 00:57
Olá Fraterno.

Penso que está no ponto em que neste momento me encontro, ou seja, por aquilo que me é dado a conhecer, não existem condições para que a resposta a essa sua questão seja por mim formulada sem que para tal não tenha necessidade de me socorrer da especulação racional pura, ou seja, formular suspeitas que não são passíveis de serem comprovadas de forma empírica.

Nesse caso habitualmente socorro-me da doutrina espírita que contem conceitos e formulações com os quais a minha razão empatiza, tendo como pressuposto a imortalidade da alma, principio que por si só tenho ainda ainda no domínio do agnosticismo, tal como acontece com a prova da existência de Deus, ou seja que me parecem inevitáveis para que a vida se concretize tal qual ela se demonstra ser, mas que estão para além da capacidade cognitiva do Homem enquanto ser vivo.

Aceitando como verdade que o principio inteligente individualizado encarna num corpo que esta previamente “concebido” para que seja possível a experimentação de uma vida com as características que ele mesmo necessita vivenciar no interesse da seu processo evolutivo, compete a esse principio inteligente o assumir de todas as responsabilidades que a conduta que o seu ser uno evidencia através das acções de causalidade por si desencadeadas, e que ficam sujeitas à avaliação que o sistema sócio-cultural em que se insere determina como justiça.

Não é assim a vida?

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Fraterno em 08 de Novembro de 2009, 04:28
Olá Fraterno.


Aceitando como verdade que o principio inteligente individualizado encarna num corpo que esta previamente “concebido” para que seja possível a experimentação de uma vida com as características que ele mesmo necessita vivenciar no interesse da seu processo evolutivo, compete a esse principio inteligente o assumir de todas as responsabilidades que a conduta que o seu ser uno evidencia através das acções de causalidade por si desencadeadas, e que ficam sujeitas à avaliação que o sistema sócio-cultural em que se insere determina como justiça.

Não é assim a vida?

Taprobana


Olá amigo Taprobana.

Com a vida sim! Só não consigo é encontrar uma correlação com a morte. ( ou vida após a morte).
Abraços fraternos do Fraterno!  :D
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 08 de Novembro de 2009, 09:59

Olá amigos do pensamento!

A verdade

A verdade amigos é aquilo que optamos por não querer ver.

A verdade quando optamos por ela nunca mais temos que pedir desculpas a ninguém.

Averdade é aquilo que sai da nossa boca quando nós permitimos, nunca se baseia no pensar.

Agimos contra nós próprios a todo o momento, depois dizemos que não sabemos porque é que fizemos aquilo.

Isso é mentira. Nós sabemos sempre que não estávamos a agir bem. Optamos é por não querer ver essa verdade.

Toda vez que temos que agir temos sempre as duas opções, raramente optamos pela mais simples, a verdade. Preferimos quase sempre a mais complicada que não esclarece nada, mas é o que pensamos que os outros esperam ouvir. Estamos sempre preocupados com a nossa auto-imgem. Nunca somos reais.

Esse impulso que tive ( do xamanismo ) de viver o mais possível com a natureza foi libertador para acabar com a auto-imagem.

Quando se caminha umas horas no meio da natureza sem pessoas isso termina logo. Não faz sentido defendermos auto-imagens, importâncias próprias, vaidades e fingimentos, perante seres tão simples. Ali só existe amor, verdade e beleza.

Essas outras vaidades só existem no meio dos seres humanos, por isso é que nos afastámos dos outros seres, da natureza. Por isso é que perdemos a consciência. ( passamos por cima de todos os outros seres da natureza só por ganância, não temos amigos )

A verdade quando estamos perante um facto chega com uma força tremenda, sem pensar, só depois é que chega o pensamento. Quase nunca optamos por dizer logo a primeira coisa que o nosso espírito sentiu que é o real a verdade.

Em vez disso valorizamos antes a hipócrisia e a demagogia porque é como funciona este mundo, é aqui que funciona o nosso livre arbítrio, devemos dizer sempre a primeira coisa que sentimos, a verdade, não o que pensamos que os outros esperam ouvir.

Não temos que idolatrar nada nem ninguém, ninguém descobriu nada que nós também não saibamos.

A verdade não tem mistérios, ela é a própria simplicidade. Para quê complicá-la.

Quando reflito na vida de Jesus Cristo e nas suas metáforas nada sinto de complicado, antes pelo contrário, sinto a maior simplicidade.

Não entendo porque é que nós em vez de viver como Ele, na simplicidade e momento a momento agindo só por agir, vamos logo pensar em ganhos, interesses pessoais, vaidades. ( entender entendo, chama-se miserabilidade )

Depois chamamos as coisas simples de ocultas e de misteriosas. Só o são enquanto não nos decidirmos a largar todas estas coisas e a segui-Lo, nessa simplicidade de vida os milagres e os mistérios tornam-se o que realmente são, coisas simples, verdades irrefutáveis.

O nosso maior obstáculo a tudo isso é a nossa importância própria, a vaidade e o medo do que os outros possam pensar de nós. A liberdade está sempre a olhar para a gente, podemos mudar tudo isto instantâneamente, não precisamos métodos, são desprendimentos individuais, nascemos sozinhos e vamos morrer sozinhos. Todo o conhecimento que um tem o outro também.

Então para quê teorias e filosofias, se necessitamos alguma coisa é só do impulso inicial e isso pode ser através dum livro duma palavra duma atitude. Não prcisamos esmiuçar mais nada. Precisamos é de meter mãos à obra, a mudança é instantânea. É só querermos, termos essa intenção, só a fé não chega.

É a minha realidade amigos

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: juliborboleta em 08 de Novembro de 2009, 12:40
Acredito que o pensamento é a verdadeira maneira de entrarmos em comunicação com o que é verdadeiramente essencial. Para que tudo ficasse às claras, esta força é plenamente confirmada pela ciência e pelas leis da física.
Segundo a neurociência, o pensamento se origina através de diversas sinapses nervosas, e através delas ocorre o que se chama circuito reverberante, ou seja, quanto mais pensamos coisas boas, mais coisas boas nos são acrescentadas pelo pensamento, o mesmo ocorre com os maus pensamentos. Já perceberam que quando pensam algo ruim, inicia-se uma cadeia de coisas negativas em suas mentes? Este é o circuito reverberante que cria ligações entre os neurônios e recordações relacionadas ao que se pensa.
Fatos positivos e negativos são comportamentos. E como tais, estão sujeitos às contingências. Por isso, quando agimos com positividade, estamos atraindo aquilo que enviamos, e vice-versa.
Li e assisti O Segredo. Particularmente achei dotado de surrealismo à medida que a autora visivelmente está em busca de abordando uma crença popular de auto ajuda, enriquecer a si mesma.
Já em Quem somos nós, cujo livro é bem mais abrangente que o filme, podemos visualizar com perfeição, o que fazem as contingências em nossos pensamentos e ações, e como modificador de comportamento.

Paz e Luz a todos.

Contatos via msn a quem desejar continuar a discussão.
Julimatos@msn.com
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 08 de Novembro de 2009, 13:01
Olá dim-dim

Citar
Toda vez que temos que agir temos sempre as duas opções, raramente optamos pela mais simples, a verdade. Preferimos quase sempre a mais complicada que não esclarece nada, mas é o que pensamos que os outros esperam ouvir. Estamos sempre preocupados com a nossa auto-imgem. Nunca somos reais.

Esse impulso que tive ( do xamanismo ) de viver o mais possível com a natureza foi libertador para acabar com a auto-imagem.

Quando se caminha umas horas no meio da natureza sem pessoas isso termina logo. Não faz sentido defendermos auto-imagens, importâncias próprias, vaidades e fingimentos, perante seres tão simples. Ali só existe amor, verdade e beleza.

Essas outras vaidades só existem no meio dos seres humanos, por isso é que nos afastámos dos outros seres, da natureza. Por isso é que perdemos a consciência. ( passamos por cima de todos os outros seres da natureza só por ganância, não temos amigos )

Caminhar e meditar no meio da natureza é muito bom, e ajuda, de facto. Confirmo-o por experiência própria.

Mas é no meio dos homens que estamos realmente à prova. Aquele que só se sente liberto na natureza não é livre. Apenas se dá a si próprio um pouco de descanso.

Darmo-nos algum tempo para nós mesmos diáriamente é muito importante. Nem necessita de ser no meio da natureza, pode ser no silêncio do quarto, por exemplo, embora uma paisagem natural seja sempre melhor. Mas esse tempo é o repouso para restaurar forças. A nossa missão é junto com as outras pessoas. É o trabalho que liberta.

Não chega pensar na hora do repouso. O realmente importante é o trabalho que possa ser útil para outrém e/ou para nós próprios. A iluminação é obtida pelo trabalho útil, não por técnicas ou rituais solitários. As técnicas podem ser úteis, mas a motivação que ilumina é a motivação que vem do coração que ama e que, por isso, quer servir.

É a minha realidade dim-dim

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 08 de Novembro de 2009, 13:35

Citar
Caminhar e meditar no meio da natureza é muito bom, e ajuda, de facto. Confirmo-o por experiência própria.

Mas é no meio dos homens que estamos realmente à prova. Aquele que só se sente liberto na natureza não é livre. Apenas se dá a si próprio um pouco de descanso.

Darmo-nos algum tempo para nós mesmos diáriamente é muito importante. Nem necessita de ser no meio da natureza, pode ser no silêncio do quarto, por exemplo, embora uma paisagem natural seja sempre melhor. Mas esse tempo é o repouso para restaurar forças. A nossa missão é junto com as outras pessoas. É o trabalho que liberta.

Não chega pensar na hora do repouso. O realmente importante é o trabalho que possa ser útil para outrém e/ou para nós próprios. A iluminação é obtida pelo trabalho útil, não por técnicas ou rituais solitários. As técnicas podem ser úteis, mas a motivação que ilumina é a motivação que vem do coração que ama e que, por isso, quer servir.

É a minha realidade dim-dim

bem haja

----------------------------------
Olá Vitor Santos

Tenho que concordar pelas duas pequenas frases lá em cima. Porque presumo que o meu amigo já sentiu esse amor e essa perda de importância própria que se consegue com alguma facilidade no meio da natureza.

Mas quando se vive absorvido pelas responsabilidades, que todos temos, sem descanso sem reflexão e só vendo dinheiro e interesses materiais, usando e abusando do consumismo sem preocupação nenhuma para com os restantes seres. Aí amigo Vitor não conheço melhor meio de nos conscientizar-mos.

Claro que virar um ermita não tem liberdade nenhuma, vivemos em sociedade, mas para a entendermos faz falta fazer como o pastor, subir a um morrinho para ter melhor visão de todo o rebanho.

É o que sinto

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 14:00
Olá amigos,

Retirei esse trecho de O Livro dos Espíritos afim de refletirmos, baseados em Kardec, nesse Estudo do Pensamento, à luz do Espiritismo


Como os Espíritos podem influenciar o nosso pensamento


O LIVRO DOS ESPÍRITOS


Allan Kardec


Parte Segunda – Capítulo 9

Intervenção dos espíritos no mundo corporal
Como os Espíritos podem penetrar nossos pensamentos – Influência oculta dos Espíritos sobre nossos pensamentos e nossas ações – Possessos – Convulsivos – Afeição dos Espíritos por certas pessoas – Anjos de guarda; Espíritos protetores, familiares ou simpáticos – Pressentimentos – Influência dos Espíritos sobre os acontecimentos da vida – Ação dos Espíritos sobre os fenômenos da natureza – Os Espíritos durante os combates – Pactos – Poder oculto. Talismãs. Feiticeiros – Bênção e maldição


Como os Espíritos podem penetrar nossos pensamentos

456 Os Espíritos vêem tudo o que fazemos?
– Eles podem ver, porque vos rodeiam incessantemente. Cada um vê apenas as coisas sobre as quais dirige sua atenção. Não se preocupam com o que lhes é indiferente.

457 Os Espíritos podem conhecer nossos mais secretos pensamentos?
– Freqüentemente conhecem o que gostaríeis de esconder de vós mesmos. Nem atos, nem pensamentos lhes podem ser ocultados.

457 a Assim, é mais fácil esconder uma coisa de uma pessoa viva do que fazer isso a essa mesma pessoa após a morte?
– Certamente, e, quando acreditais estarem bem escondidos, tendes muitas vezes uma multidão de Espíritos ao vosso lado que vos observam.

458 O que pensam de nós os Espíritos que estão ao nosso redor e nos observam?
– Isso depende. Os Espíritos levianos riem dos pequenos aborrecimentos que vos causam e zombam de vossas impaciências. Os Espíritos sérios lamentam vossos defeitos e se empenham em vos ajudar.

Influência oculta dos Espíritos sobre nossos pensamentos e nossas ações?

459 Os Espíritos influem sobre nossos pensamentos e ações?
– A esse respeito, sua influência é maior do que podeis imaginar. Muitas vezes são eles que vos dirigem.

460 Temos pensamentos próprios e outros que são sugeridos?
– Vossa alma é um Espírito que pensa; não ignorais que muitos pensamentos vos ocorrem às vezes ao mesmo tempo sobre um mesmo assunto e freqüentemente bastante contrários uns aos outros; pois bem, nesses pensamentos há sempre os vossos e os nossos. Isso vos coloca na incerteza, porque, então, tendes duas idéias que se combatem.

461 Como distinguir os pensamentos próprios daqueles que são sugeridos?
– Quando um pensamento é sugerido, é como uma voz falando. Os pensamentos próprios são em geral os do primeiro momento. Além de tudo, não há para vós um grande interesse nessa distinção e muitas vezes é útil não sabê-lo: o homem age mais livremente. Se decidir pelo bem, o faz voluntariamente; se tomar o mau caminho, há nisso apenas maior responsabilidade.

462 Os homens de inteligência e de gênio tiram suas idéias de sua natureza íntima?
– Algumas vezes as idéias vêm de seu próprio Espírito, mas freqüentemente são sugeridas por outros Espíritos que os julgam capazes de compreendê-las e dignos de transmiti-las. Quando não as encontram em si, apelam à inspiração. Fazem, assim, uma evocação sem o suspeitar.
☼ Se nos fosse útil distinguir claramente nossos próprios pensamentos dos que nos são sugeridos, Deus nos teria dado o meio de o fazer, como nos deu o de distinguir o dia da noite. Quando uma coisa é vaga, é porque convém que assim seja.

463 Diz-se, a respeito do pensamento, que o primeiro impulso é sempre bom; isso é exato?
– Pode ser bom ou mau, de acordo com a natureza do Espírito encarnado que o recebe. É sempre bom para aquele que ouve as boas inspirações.

464 Como distinguir se um pensamento sugerido vem de um bom ou de um mau Espírito?
– Estudai o caso. Os bons Espíritos apenas aconselham o bem; cabe a vós fazer a distinção.

465 Com que objetivo os Espíritos imperfeitos nos conduzem ao mal?
– Para vos fazer sofrer como eles.

465 a Isso diminui seus sofrimentos?
– Não, mas fazem isso por inveja, por saber que há seres mais felizes.
465 b Que natureza de sofrimentos querem impor aos outros?
– Os mesmos que sentem os Espíritos inferiores afastados de Deus.

466 Por que Deus permite que Espíritos nos excitem ao mal?
– Os Espíritos imperfeitos são instrumentos que servem para pôr à prova a fé e a constância dos homens na prática do bem. Vós, como Espíritos, deveis progredir na ciência do infinito, e por isso passais pelas provas do mal para atingir o bem. Nossa missão é vos colocar no bom caminho e, quando as más influências agem sobre vós, é que as atraístes pelo desejo do mal, porque os Espíritos inferiores vêm vos auxiliar no mal, quando tendes a vontade de praticá-lo; eles não podem vos ajudar no mal senão quando quereis o mal.
Se sois inclinados ao homicídio, pois bem! Tereis uma multidão de Espíritos que alimentarão esse pensamento em vós. Mas tereis também outros Espíritos que se empenharão para vos influenciar ao bem, o que faz restabelecer o equilíbrio e vos deixa o comando dos vossos atos.
☼ É assim que Deus deixa à nossa consciência a escolha do caminho que devemos seguir e a liberdade de ceder a uma ou outra das influências contrárias que se exercem sobre nós.

467 Pode o homem se libertar da influência dos Espíritos que procuram arrastá-lo ao mal?
– Sim, porque apenas se ligam àqueles que os solicitam por seus desejos ou os atraem pelos seus pensamentos.

468 Os Espíritos cuja influência é repelida pela vontade do homem renunciam às suas tentativas?
– O que quereis que façam? Quando não há nada a fazer, desistem da tentativa; entretanto, aguardam o momento favorável, como o gato espreita o rato.

469 Como se pode neutralizar a influência dos maus Espíritos?
– Fazendo o bem e colocando toda a confiança em Deus, repelis a influência dos Espíritos inferiores e anulais o domínio que querem ter sobre vós. Evitai escutar as sugestões dos Espíritos que vos inspiram maus pensamentos, sopram a discórdia e excitam todas as más paixões. Desconfiai, especialmente, daqueles que exaltam o vosso orgulho, porque vos conquistam pela fraqueza. Eis por que Jesus nos ensinou a dizer na oração dominical: “Senhor, não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal!”

470 Os Espíritos que procuram nos induzir ao mal e colocam assim à prova nossa firmeza no bem receberam a missão de fazê-lo? E se é uma missão, têm responsabilidade por isso?
– Nenhum Espírito recebe a missão de fazer o mal. Quando o faz, é de sua própria vontade e sofre as conseqüências. Deus pode deixá-lo fazer isso para vos pôr à prova, mas não ordena que o faça, e cabe a vós rejeitá-lo.

471 Quando experimentamos um sentimento de angústia, de ansiedade indefinível ou de satisfação interior sem causa conhecida, isso decorre unicamente de uma disposição física?
– São quase sempre, de fato, comunicações que tendes inconscientemente com os Espíritos, ou que tivestes com eles durante o sono.

472 Os Espíritos que querem nos induzir ao mal apenas se aproveitam das circunstâncias ou podem também criá-las?
– Aproveitam as circunstâncias, mas freqüentemente as provocam, oferecendo-vos ou levando-vos inconscientemente ao objeto de vossa cobiça. Assim, por exemplo, um homem encontra no caminho uma quantia de dinheiro; não acrediteis que os Espíritos levaram o dinheiro para esse lugar, mas podem dar ao homem o pensamento de se dirigir a esse ponto e, então, sugerir o pensamento de se apoderar dele, enquanto outros lhe sugerem o de restituir o dinheiro a quem pertence. O mesmo acontece com todas as outras tentações.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: juliborboleta em 08 de Novembro de 2009, 15:16
Olá dim-dim

Citar
Toda vez que temos que agir temos sempre as duas opções, raramente optamos pela mais simples, a verdade. Preferimos quase sempre a mais complicada que não esclarece nada, mas é o que pensamos que os outros esperam ouvir. Estamos sempre preocupados com a nossa auto-imgem. Nunca somos reais.

Esse impulso que tive ( do xamanismo ) de viver o mais possível com a natureza foi libertador para acabar com a auto-imagem.

Quando se caminha umas horas no meio da natureza sem pessoas isso termina logo. Não faz sentido defendermos auto-imagens, importâncias próprias, vaidades e fingimentos, perante seres tão simples. Ali só existe amor, verdade e beleza.

Essas outras vaidades só existem no meio dos seres humanos, por isso é que nos afastámos dos outros seres, da natureza. Por isso é que perdemos a consciência. ( passamos por cima de todos os outros seres da natureza só por ganância, não temos amigos )

Caminhar e meditar no meio da natureza é muito bom, e ajuda, de facto. Confirmo-o por experiência própria.

Mas é no meio dos homens que estamos realmente à prova. Aquele que só se sente liberto na natureza não é livre. Apenas se dá a si próprio um pouco de descanso.

Darmo-nos algum tempo para nós mesmos diáriamente é muito importante. Nem necessita de ser no meio da natureza, pode ser no silêncio do quarto, por exemplo, embora uma paisagem natural seja sempre melhor. Mas esse tempo é o repouso para restaurar forças. A nossa missão é junto com as outras pessoas. É o trabalho que liberta.

Não chega pensar na hora do repouso. O realmente importante é o trabalho que possa ser útil para outrém e/ou para nós próprios. A iluminação é obtida pelo trabalho útil, não por técnicas ou rituais solitários. As técnicas podem ser úteis, mas a motivação que ilumina é a motivação que vem do coração que ama e que, por isso, quer servir.

É a minha realidade dim-dim

bem haja

Caro Vitor, acredito realmente que meditação e autoconhecimento são as únicas chaves para alcançar o mínimo de felicidade que este plano oferece. E o contato com a natureza nos permite reconhecer a verdadeira beleza.
Paz e Luz.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 08 de Novembro de 2009, 15:26
[Olá amigo Taprobana.

Com a vida sim! Só não consigo é encontrar uma correlação com a morte. ( ou vida após a morte).

Vou aproveitar esta oportunidade para embarcar para o lado da morte transportando comigo os importantes conhecimentos que somente são possíveis obter quando a nossa atenção se centra na vida e naquilo que ela nos pode assegurar.

Assim, ficamos a saber que:

- O universo mental é todo uma propriedade da vida orgânica.

- A física quântica está a caminho de entender de que forma as realidades tidas como metafisicas com são exemplo as emoções, os sentimentos, a consciência de si, os pensamentos e a razão são afinal do domínio da própria física, portanto perfeitamente cognoscíveis.

Todo e qualquer tipo de postura que em nome daquilo que constitui o universo da crença individual ignore a realidade que a vida nos vai revelando, não esta em conformidade com a legitimidade do pensamento elaborado à luz do espiritismo, pois atropela a seu principio basilar que é a sua indispensável conformidade com o que é demonstrado através do método cientifico.

Assim, quando através de processos mediúnicos obtemos as “revelações” podemos com uma competência que Kardec não podia assegurar à época, verificar acerca da sua legitimidade como hipótese de verdade.

A minha vontade de conviver com o estudo do espiritismo é suportada na lógica racional com que esta doutrina explica a morte.

Conceitos como fluido cósmico universal e princípio inteligente da matéria individualizado são aparentemente indispensáveis para que a vida possa ser entendida à luz da própria vida.

Os seus princípios básicos como sejam a existência de Deus, a imortalidade da alma, a reencarnação e a pluralidade de mundos habitados parecem ser inevitável verdade sem os quais a vida seria de todo incompreensível.

Quando me questionam acerca da identidade do meu espiritismo a resposta a esta questão está assente na manifesta insustentabilidade racional que as terias Darwinistas transportam como justificação dos processos evolutivos da vida ou seja mesmo que fosse possível (e penso ser) que no DNA esteja inscrito um principio inteligente individualizado nada mais seria do que uma forma de reencarnação que em nada alteraria os princípios doutrinários do espiritismo, antes pelo contrario,  seria descoberta a forma como se liga o famoso cordão perespiritual à matéria no momento da concepção.

Já quanto à comunicabilidade com os espíritos, e da forma como esta se processa confronta-se com serias reservas suportadas pelos inúmeros factos que a desacreditam pelo menos quanto à assertividade da forma como esta é processada, ou seja, existem contradições graves e incontornáveis perante uma observação descomprometida com qualquer tipo de vontade de proveniência egoística ou dogmática acerca da natureza da consciência alargada da mente, propriedade de onde parece provir o sentido da mediunidade.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 15:56
Citar
Taprobana: - O universo mental é todo uma propriedade da vida orgânica.

Olá Tap.

Ontem mesmo, antes de dormir, estava lendo umas páginas do livro Triunfo Pessoal de Joanna de Ângelis e ela dizia que a mente faz parte do Espírito e não do corpo...

Agora fiquei em dúvida...

abçs

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 08 de Novembro de 2009, 16:19
Olá Taprobana

Citar
- A física quântica está a caminho de entender de que forma as realidades tidas como metafisicas com são exemplo as emoções, os sentimentos, a consciência de si, os pensamentos e a razão são afinal do domínio da própria física, portanto perfeitamente cognoscíveis

A ciência explica o pensamento com base em processos quimico-fisicos. E a consciência de si de que fala é a consciência do próprio corpo de carne e não a consciência da natureza espiritual do homem, que é do que trata o espiritismo. São planos diferentes do conhecimento.

As suas palavras parecem ir de encontro ao que diz a ciência, apesar de a mecânica quântica nada descrever em termos de emoções, sentimentos, etc. Que estudos cientificos anda o amigo a consultar que dizem tal coisa?

Na minha modesta opinião, entender os mecanismos do pensamento, da memória que ultrapassa o cerebro e que permanece para além dele,  das emoções que não são apenas sinais do corpo de carne (visando a sua conservação), é possivel. Mas não para nós que estamos limitados à ligação a um corpo de carne tão precário. É areia demais para camiões tão pequenos.

O que o amigo parece defender aqui chama-se materialismo, o que o amigo pensa na realidade não sei. Ainda não consegui entender. Perdoe-me se é defeito meu, mas perco-me nas suas divagações e já desisti de as tentar entender.

O espiritismo é claramente dualista e idealista, não é monista nem materialista. A compreensão da doutrina está dependente da razão, mas a predisposição para aprender depende do que nos diz o coração.

Chegar à doutrina através da fisica, quimica e biologia é uma tarefa impossivel, de momento.

Essas ciências poderão contribuir confirmando que há fenómenos que sugerem como provável uma explicação retirada do ensino dos espiritos e da observação do fenómenos espiritas. Mas não acredito que um dia destes apareça por aí uma fórmula da qual se deduz Deus ou a imortalidade da alma.

Citar
Wikipédia

Em filosofia, materialismo é o tipo de fisicalismo que sustenta que a única coisa da qual se pode afirmar a existência é a matéria; que, fundamentalmente, todas as coisas são compostas de matéria e todos os fenômenos são o resultado de interações materiais; que a matéria é a única substância. Como teoria, o materialismo pertence à classe da ontologia monista. Assim, é diferente de teorias ontológicas baseadas no dualismo ou pluralismo. Em termos de explicações da realidade dos fenômenos, o materialismo está em franca oposição ao idealismo.
 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 16:36
Olá

Citar
Vitor Santos: As suas palavras parecem ir de encontro ao que diz a ciência, apesar de a mecânica quântica nada descrever em termos de emoções, sentimentos, etc. Que estudos cientificos anda o amigo a consultar que dizem tal coisa?

“O Erro de Descartes”, António Damásio :D (Tap, dei uma lida no cap. Sobre Phineas Gage, não acha que um dos pressupostos do método científico é a universalidade dos experimentos?? Afinal, há outros casos como o de Gage, ou toma-se Gage para fundar um novo ponto de vista sobre o cérebro e o pensamento; os sentimentos e a emoções. Até o título do capítulo é suspeito nesse sentido: “Por que Phineas Gage”?


Citar
Vitor Santos: O que o amigo parece defender aqui chama-se materialismo, o que o amigo pensa na realidade não sei. Ainda não consegui entender. Perdoe-me se é defeito meu, mas perco-me nas suas divagações e já desisti de as tentar entender.

Pois é, o Tab é espírita, mas tem esse posicionamento em torno do materialismo. (Tab. Continuarei a ler o Erro de Descartes)



Citar
Vitor Santos: O espiritismo é claramente dualista e idealista, não é monista nem materialista. A compreensão da doutrina está dependente da razão, mas a predisposição para aprender depende do que nos diz o coração.

Pois é Vitor, o Espiritismo é dualista. Não era para ser, porque afinal, a matéria é só um estado transitório, ou seja, é efeito e não causa. O que justifica, no entanto, o dualismo Espírita, é que Deus está sempre a “criar”, e nesse sentido, os mundos materiais seriam perpetuamente necessários. De um ponto de vista filosófico pois, ele deveria ser monista, mas de um ponto de vista prático ele é dualista.

Citar
Vitor Santos: Chegar à doutrina através da fisica, quimica e biologia é uma tarefa impossivel, de momento.Essas ciências poderão contribuir confirmando que há fenómenos que sugerem como provável uma explicação retirada do ensino dos espiritos e da observação do fenómenos espiritas. Mas não acredito que um dia destes apareça por aí uma fórmula da qual se deduz Deus ou a imortalidade da alma.

À imortalidade da alma, a ciência um dia vai chegar. A Deus nunca, todavia, pois que jamais poderá ser observado. Ele é o maior dogma, entre todos os outros.

Abcs,

Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 08 de Novembro de 2009, 16:51

Olá!

Amigo Taprobana agora ao ver as dúvidas do nosso amigo Renato lembrei-me destes vídeos percepção além da matéria, são dois.

Gosto muito de Física e mais ainda de Química, mas quando toca a sentir vou para o meio da natureza e tento esquecer tudo o que sei. ( não me tenho dado mal )

Taprobana não temos brincado como no mês passado ( no consciência ) à moda do Porto...

Renato temos que fazer aí outra brincadeira daquelas com a música, um dia bem cedo...

Agora vamos refletir nestes dois vídeos, científicos, a ver o que eles nos dizem:

Adeus bons amigos
http://www.youtube.com/watch?v=bWt0A7zj9qA&feature=PlayList&p=D2349F1277D86FC2&index=0&playnext=1 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWJXdDBBN3pqOXFBJmFtcDtmZWF0dXJlPVBsYXlMaXN0JmFtcDtwPUQyMzQ5RjEyNzdEODZGQzImYW1wO2luZGV4PTAmYW1wO3BsYXluZXh0PTE=)


http://www.youtube.com/watch?v=mfK4pDi18x4&feature=PlayList&p=D2349F1277D86FC2&index=1&playnext=2&playnext_from=PL (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PW1mSzRwRGkxOHg0JmFtcDtmZWF0dXJlPVBsYXlMaXN0JmFtcDtwPUQyMzQ5RjEyNzdEODZGQzImYW1wO2luZGV4PTEmYW1wO3BsYXluZXh0PTImYW1wO3BsYXluZXh0X2Zyb209UEw=)

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 08 de Novembro de 2009, 17:07
Olá a todos os amigos do fórum

Oi Nelson, respondi mais algumas, mas olha é o que eu penso!!!!!.

Zeni obrigado por procurar definir o que é pensamento em sua opinião.
Citação de: zeni em Ontem às 16:55
Zeni- Eu penso que o pensamento e energia o qual estamos cercado dela por todas os lugares,assim como acredito que os espíritos, mas que se não soubermos usar, teremos reações adversa  nossa mente, por não saber controlar essa emoção,não sei se fui clara.

Em minhas palavras, entendi que pensamento como “energia” expressa uma visão unidimensional, ou seja da esfera inferior de vibração para a superior, e que a questão é como lidamos com esta “energia”, como ela interage com nossa mente, e capacidade de perceber, reconhecer, refletir e enfim agir (com vontade) pelo livre arbítrio. Se estiver correto, fica mais fácil contribuir com seu trabalho.

Penso que já concordamos que:

1 O pensamento depende da percepção do espírito.
Zeni Nos podemos perceber, mas quem manda é o pensamento a força criadora que atua em tudo e em todas as coisas da criação, orai e vigiai os pensamentos.

Podemos concordar que em última instancia a inteligência do espírito deve direcionar seu esforço de vontade para alterar e ampliar sua percepção de si e do universo que o rodeia?
Zeni Em ultima instancia não!!!, Eu diria em primeira instancia, porque através da minha inteligência, bons pensamentos boa vontade eu posso trilhar por caminhos bem melhores.

Sendo isso o grande poder do pensamento para o espírito?
Zeni Está na força de vontade e na inteligência, que podem atuar em conformidade, quando procuramos seguir os caminhos de Deus, quando buscamos trilhar pelos ensinamentos dele, aos poucos se consegue associar toda essa gama de sentimentos  anulado em nós.

Concordamos?

Podemos então discutir, neste tema, razoes para que apesar de todos terem capacidade de “pensamento”, nem todos conseguem construir para seu ambiente mental, condições de viver o Amor e a Paz que nos acenou Jesus?
Zeni Sim eu acredito que boa parte da humanidade, vivem como crianças distraídas esse trecho está postado aqui no tópico,  estudo de novembro, não estão agindo com as determinações de Jesus que é ter bons pensamentos agindo com boa vontade e inteligência, e cultivar bons sentimentos, para que possamos viver em paz com as pessoas e com o universo.

Neste sentido fica a relevância do fato que Jesus, não nos disse “pense”, e sim “Ame”, então como saímos do pensamento para o Amor?
 Zeni Porque para amar alguém é preciso estar fortalecido nos bons pensamentos com boa vontade, sentimentos, moral, para dissernir o que é certo ou errado, porque temos livre arbítreo, para escolher sendo assim,  só com esses sentimentos conquistados em nós, nos levam amar a Deus e ao  próximo.


Abraço a todos.

Zeni.
   



Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 17:23
Olá dim-dim,

Vou assistir os vídeos depois.
 
Quanto ao Espiritismo, as suas bases estão fundadas exclusivamente no pensamento filosófico e científico ocidental. É bonito o monismo ubaldiano e o oriental também. Tenho um verdadeiro fascínio por desenvolver aqueles estudos lá.

Mas o Espiritismo, como disse o Vitor, é dualista. Eu diria, que ele não é cartesiano, é newtoniano. Porque os cartesianos vão fazer a separação ab-rupta entre pensamento res cogitam (coisa ou matéria pensante) e res extensa, a matéria como extensão. O Espiritismo portanto, vem de uma tradição newtoniana (embora ele tenha sido ditado pelo CUEE), em que os newtonianos vão dizer que entre  pensamento e matéria, existe uma matéria intermediária que é "corpo de Deus", o Éter, ou FCU.

É uma questão para se deixar a pulga atrás da orelha, porque entra a velha questão do Panteísmo - criador e criatura são uma mesma coisa (misticismo oriental, monismo) - versus a visão espírita, que assevera ser Deus, uma coisa, e a criação outra. O dualismo espírita se justifica pois, através da criação incessante: sabemos que o Universo deveria ser monista, pois a matéria não existe, mas se Deus cria incessantemente os Espíritos (simples e ignorantes), então a matéria terá que existir perpetuamente, já que é ela que oferece campos gigantescos para o desenvolvimento do Espírito (André Luiz, em Evolução em Dois Mundos). A única justificativa, segundo André Luiz, para a existência do Universo de matéria-luminosa é essa.

A não ser que exista uma  outra interpretação, para OLE. Vejam o que dizem os Espíritos  a Kardec:

Origem e natureza dos Espíritos
76 Que definição se pode dar dos Espíritos?
– Pode-se dizer que os Espíritos são os seres inteligentes da Criação. Eles povoam o universo, fora do mundo material.
☼ Nota: A palavra Espírito é empregada aqui para designar a individualidade e não mais o elemento inteligente universal.

77 Os Espíritos são seres distintos da Divindade ou seriam somente emanações ou porções da Divindade e chamados, por essa razão, filhos de Deus?
– Meu Deus! São obras de Deus. Exatamente como um homem que faz uma máquina, essa máquina é a obra do homem, mas não é ele próprio. Quando o homem faz uma coisa bela, útil, a chama sua filha, sua criação. Pois bem! Ocorre o mesmo com Deus: somos seus filhos, porque somos sua obra.

78 Os Espíritos tiveram um princípio, ou são como Deus, de toda a eternidade?
– Se os Espíritos não tivessem tido um princípio, seriam iguais a Deus. São sua criação e submissos à Sua vontade. Deus existe de toda a eternidade, isso é incontestável. Mas saber quando e como nos criou, não sabemos nada. Podeis dizer que não tivemos princípio, se entenderdes com isso que Deus, sendo eterno, tem criado sem descanso. Mas quando e como cada um de nós foi criado, repito, ninguém o sabe: esse é o mistério.

79 Uma vez que há dois elementos gerais no universo: o inteligente e o material, pode-se dizer que os Espíritos são formados do elemento inteligente, como os corpos inertes são formados do elemento material?
– É evidente. Os Espíritos são a individualização do princípio inteligente, como os corpos são a individualização do princípio material. A época e o modo dessa formação é que são desconhecidos.

80 A criação dos Espíritos é permanente, ou só ocorreu no início dos tempos?
– É permanente, Deus nunca parou de criar.

81 Os Espíritos se formam espontaneamente, ou procedem uns dos outros?
– Deus os cria, como a todas as outras criaturas, por sua vontade. Mas, repito mais uma vez, sua origem é um mistério.

82 É exato dizer que os Espíritos são imateriais?
– Como podemos definir uma coisa quando não temos termos de comparação e com uma linguagem insuficiente? Pode um cego de nascença definir a luz? Imaterial não é bem a palavra, incorpóreo seria mais exato, porque deveis compreender bem que o Espírito, sendo uma criação, deve ser alguma coisa. É uma matéria puríssima, mas sem comparação ou semelhança para vós, e tão etérea que não pode ser percebida pelos vossos sentidos.
☼ Dizemos que os Espíritos são imateriais, porque sua essência difere de tudo o que conhecemos como matéria. Uma comunidade de cegos não teria termos para exprimir a luz e seus efeitos. O cego de nascença acredita ter todas as percepções pela audição, pelo olfato, pelo paladar e pelo tato. Ele não compreende as idéias que lhe dariam o sentido que lhe falta. Do mesmo modo, em relação à essência dos seres sobre-humanos, somos como verdadeiros cegos. Podemos defini-los somente por comparações sempre imperfeitas, ou por um esforço de nossa imaginação.
 
83 Compreende-se que o princípio de onde emanam os Espíritos seja eterno, mas o que perguntamos é se sua individualidade tem um fim e se, num dado momento, mais ou menos longo, o elemento do qual são formados se dispersa e retorna à massa de onde saiu, como acontece com os corpos materiais. É difícil compreender que uma coisa que começou não possa acabar. Os Espíritos têm um fim?
– Há coisas que não compreendeis, porque a vossa inteligência é limitada. Mas isso não é razão para serem rejeitadas. A criança não compreende tudo o que seu pai compreende, nem o ignorante tudo o que compreende o sábio. Nós vos dizemos que a existência dos Espíritos não acaba; é tudo o que, por agora, podemos dizer.

No entanto, na pergunta 82, os Espíritos  parecem se contradizer (vide o trecho em negrito) aonde dizem que o Espírito é “uma matéria puríssima” e “tão etérea que não pode ser percebida pelos vossos sentidos” (não sei se ele está falando do perispírito ou do Espírito propriamente dito.

Bom, essas são as minhas dúvidas, sobre Pensamento e matéria.

Abcs,  

Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 17:36
alguns comentários sobre o post anterior

Citar
O Livro dos Espíritos: é tudo o que, por agora, podemos dizer.

Reparem, que a Revelação é restrita. Eles não dizem tudo. E também falam no contexto da ciência do século XVIII (nem do século XIX é!!), pois a sua concepção, de pensamento e matéria, é aquela baseada na antiga querela entre cartesianos e newtonianos.

No comentário da pergunta 82, Kardec esclarece que nós não temos sentidos (nem a razão é suficiente para tal) para compreender a natureza do pensamento e dos Espíritos.

E outra coisa: se um Espírito puro, permanece com o seu perispírito após a perfeição - ainda que de matéria tenuíssima - é de se supor, nesse caso, o monismo, já que a matéria acompanha o Espírito até seu último grau de evolução.

No entanto,  para clarear esse debate, precisaríamos ter um conceito bem delimitado do que é  pensamento, e o que é  matéria.

Se entedermos matéria como tudo aquilo que afeta os sentidos naturais  e artificiais  é uma coisa. Se entendermos que a matéria varia em grau, até estados em que a não conhecemos (matéria e energia escura e outras  mais) aí  já é outra coisa.

abçs,

Renato


Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 08 de Novembro de 2009, 17:38

Olá a todos os pensadores!

Amigo Renato assim não brinco ( o amigo não viu os vídeos ), porque eu queria dizer-lhe que tudo é percepção. ( e não há eu nem tu nem nada )

Agora, quando esse assunto entendido, a única coisa que podemos falar é sobre quem nos está a sonhar.

Depois de entendermos quem nos está a sonhar ( não disse descobrirmos ) podemos falar muito da maneira que se podem mudar essas percepções. ( que é através da intenção )

Estou a ficar contente com a elevação que estamos a dar às nossas consciências.

Obrigado amigos

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 17:57
Citar
dim-dim: Amigo Renato assim não brinco ( o amigo não viu os vídeos ), porque eu queria dizer-lhe que tudo é percepção. ( e não há eu nem tu nem nada )

Para não dizer que fui desonesto, fui lá e assisti os vídeos.

Estais a brincar não é??  :D :D

Eu malemá falo e leio o português, que dizer do inglês...

Sem chance... se encontrar uma versão aí em português ou espanhol prometo que vou assistir os vídeos  diligentemente  ;)

abçs,

Renato



Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 08 de Novembro de 2009, 17:59

Olá!

Amigo Renato então essa atenção.

No canto inferior direito ativam-se as legendas na nossa lingua amigo.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 08 de Novembro de 2009, 18:12
Olá

Em primeiro lugar há que esclarecer que não há uma ciência materialista e uma ciência idealista. A ciência actual, representada pela comunidade cientifica que trabalha nos centros de investigação, e registada nas revistas cientificas qualificadas para o efeito, vê a realidade de uma forma materialista.

O video chega à conclusão lógica que tem de existir o espirito e que tem de existir Deus. O espiritismo também chegou às mesmas conclusões há muitos anos. Eu também aceito incondicionalmente que assim é.

Mas a não existência da realidade material não é comprovada no video. repare-se que acreditar na realidade material não é ser materialista. Ser materialista é acreditar que a  realidade material é a única realidade.

A acreditar na não existência da realidade material, se vendarmos e hipnotizarmos um individuo e o pusermos a caminhar para um precipício, sem que ele se aperceba fisicamente de forma alguma, ele deixará de se estatelar? Se o precipio é uma ilusão material...Ou será que tudo não passa de uma cena do "filme" dos que encaminham o homem para o precipicio?

É certo que a realidade não tem de ser exactamente aquilo que nós pensamos, pois estamos, de facto, dependentes do corpo de carne, que só deixa chegar ao espirito a informação que os seus orgãos são capazes de captar. Mas há uma clara coincidência na observação do mesmo objecto por pessoas diferentes.

Se também as pessoas fisicas são uma ilusão, seremos espiritos a viver uma experiência similar aquela dentro do computador, sem contacto e independentes uns dos outros. Cada qual está a viver a sua própria realidade ficticia?

- Não posso acreditar nem vejo provas nenhumas de tal coisa. nem sequer foram mencionados estudos cientificos, apenas era dito no video que era conclusões cientificas, mas não foram citados nenhuns estudos em concreto. Para mim as pessoas que vejo são espiritos, como eu, encarnados nos seus veiculos provisórios.

Conclusão:

- Esta abordagem pode ser sugestiva para as pessoas que têm apenas uma curiosidade intelectual, e que não têm o coração aberto para abraçar uma doutrina como a espirita, por exemplo.

- Trata-se de uma doutrina espiritualista que tem em comum com a doutrina espirita a crença em Deus e na imortalidade da alma, mas que não descreve o universo da mesma forma. A doutrina espirita crê que a matéria existe, apesar de aconselhar o não apego exagerado à mesma (ou seja, ver para além da matéria).

- Deus criou os espiritos simples e ignorantes. Enquanto encarnados, com o seu trabalho, promovem a transformação da matéria, e desenvolvem assim a sua inteligência. A sua inteligência faz nascer neles o senso moral, o senso moral leva-os a uma nova percepção do universo, vendo em si mesmos mais do que simples matéria. A nova perspectiva aperfeiçoa o ser até que ele deixa de ter de encarnar, continuando a sua caminhada a servir de outra forma.

- Mas o mais estranho é que é feito um raciocinio com base na realidade fisica do cérebro, dos sinais eléctricos nos nervos, etc. Mas depois é dito que tudo isso não existe realmente. Se isso não existe, não é lógico encaminhar o raciocinio por aí. É o mesmo que demonstrar um teorema matemático, com base em outros teoremas não válidos. É um vicio de raciocinio, em suma.

bem hajam
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 18:32
Citar
Vitor Santos: - Mas o mais estranho é que é feito um raciocinio com base na realidade fisica do cérebro, dos sinais eléctricos nos nervos, etc. Mas depois é dito que tudo isso não existe realmente. Se isso não existe, não é lógico encaminhar o raciocinio por aí. É o mesmo que demonstrar um teorema matemático, com base em outros teoremas não válidos. É um vicio de raciocinio, em suma.

Pois é Vitor,
Obrigado por assistir o vídeo e traduzir para nós. (ainda não temos uma língua universal, alguns não entendem isso  :), mas tudo bem).

Essa coisa de que a matéria não existe, também tem a sua interpretação na ciência ocidental (mas que "ciência ocidental" o que!! só existe uma ciência!!!), de que ela existe, e se encontra em diversos estados, sólido, líquido, gasoso e imponderável. Devia ter feito o meu último post aqui: o Espiritismo foi escrito  para pessoas cujos raciocínios e forma de ver o mundo, foram moldadas pela ciência e pelo pensamento ocidental. Mas eu vou transpor o meu post que fiz lá no Tópico do CUEE, porque talvez ele possa contribuir de alguma forma para se entender essa problemática entre Espiritismo X Espiritualismo oriental
.


Lidando com ciências humanas, sou suspeito. A ciência, ainda que seja prática, tem um conjunto de representações eminentemente simbólico, e a única realidade possível é essa que é construída e representada simbolicamente pela razão. O Espiritualismo em geral eu não sei, mas o Espiriitismo em particular, não foge a essa regra.

Mesmo nas minhas observações dos astros celestes, minha razão diz que o que eu vejo não é real. Aquilo que os astrônomos vêem no céu, precisam depois ser interpretados e representados simbolicamente. É a ciência, através do poderoso formalismo e matemático, e através da razão simbólica que constrói um mundo á sua imagem e semelhança (BACHERLARD, 1953).

Assim se dá com o Espiritismo também: sem a teoria e a nossa representação simbólica acerca dos Espíritos e suas relações com os vivos, a prática fica desorientada. E, as diversas representações – pois nem sempre são unívocas – vão refletir na prática.

Talvez aqui, se justifique o posicionamento desses espiritualistas  orientais: não seria a razão, a estabelecer um critério para  a verdade. Não seria o pensar, mas sim o sentir. Ainda ontem assisti um pequeno vídeo sobre um desses orientais, em que ele diz, que a verdade, é aquela que se manifesta dentro de cada um pelo sentir. E tanto mais será verdadeira quanto mais esse sentimento for de amor por tudo e por todos.

Está aí pois um confronto entre “pensar” e “sentir”, que é o que alguns estão discutindo lá no tópico sobre o Pensamento.

Eu acho que o sentir, a intuição, o insight, antecipa a “verdade”, ou seja, ela é um caminho mais fácil, do que a razão. Daí a aprovação de Emmanuel à Grande Síntese: ela foi escrita para aqueles que conhecem as verdades, apenas pela razão, e é nesse sentido que está a sua importância.

A Revelação Espírita foi  dada ao mundo ocidental, em códigos decifráveis pela razão, e não pelo insight ou pela  intuição, porque a representação da vida e da “realidade” pelo homem ocidental, foi moldada pela razão.

Por isso, às vezes nos ressentimos, que uma pessoa (e eu já conhecia dessas pessoas) venham resumir em poucas frases  tudo aquilo que lemos e estudamos em anos ou décadas.

A linguagem dos Espíritos portanto, é “teórico-racional”, ou seja, é  um discurso preparado para  ser assimilados por pessoas que utilizam como forma de conhecimento, o pensamento científico ou racional.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 08 de Novembro de 2009, 18:39

Olá a todos os pensadores!

Amigo Vitor nem Kardec, Cristo ou Krishna iam contra estes vídeos porque eles mostram-nos a nossa essência.

Eles, os vídeos, estão a dizer-nos que somos tudo. Kardec e todos os outros que eu disse estão na percepção ( dentro das nossas cabeças ), tudo o que existe é percepção.

Krishna ainda muito antes de Cristo já nos mostrava isto, e agora continuam a dizer-nos o mesmo.

O mundo é uma ilusão, o que existe ( tudo é energia consciente que nos manipula ), o xamanismo chama-lhe o mar escuro da consciência. ( o xamanismo é a primeira ciência do homem apoiada apenas na observação da natureza. ( os xamãs sempre souberam e sabem que tudo é consciência )

Kardec se por aqui estiver, ou se tiver alguma forma de fazer luz nas nossas consciências, não vai discordar de nada disto.

Nós é que nos entretemos a discutir conceitos e ideias ( andamos como os mosquitos que caem dentro de um copo de leite com nata, não têm peso suficiente para ir ao fundo beber, nem têm força suficiente para sair de lá. ( então só lhes resta morrer )

Desculpem-me amigos sou muito lento a escrever

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 08 de Novembro de 2009, 18:56
Olá Aldebaran

Houve grandes sábios no Oriente, como houve no Ocidente.

Eu simpatizo com as ideias do Budismo Tibetano (1), de vou conhecendo através do Dalai Lama, por exemplo. E não vejo nessa doutrina essa ideia de que a matéria não existe, mas a aconselhar o desapego à matéria, como os espiritos nos aconselham pela mão de kardec.

Nota (1)
Apesar de não me identificar com os rituais e com a profissionalização dos monges, pois em alguns casos parece-me que são jovens a serem sustentados por pessoas muito pobres e mais velhas, quando devia ser ao contrário
_____________

É o apego à matéria que está em jogo quando se fala em ilusão. A ilusão é pensar que o homem é só o corpo fisico e não pensar que a matéria não existe mesmo.


O legado dos grandes mestres é universal. A sua interpretação pode depender da cultura. E da época em que foram publicados. Mas se virmos bem, eles não se contradizem assim tanto. As grandes contradições são resultado de más interpretações, ou então não estamos a falar de grandes mestres.

Uma coisa é o que os grandes mestres disseram, outra o que os outros dizem que eles disseram.  É o dia da noite, por vezes. veja-se a igreja católica em relação a Jesus, por exemplo.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 08 de Novembro de 2009, 19:06

Olá amigos do pensamento!

http://www.youtube.com/watch?v=L8_uZd9XDbQ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUw4X3VaZDlYRGJR)

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 08 de Novembro de 2009, 19:27

Citar
Houve grandes sábios no Oriente, como houve no Ocidente.

Eu simpatizo com as ideias do Budismo Tibetano (1), de vou conhecendo através do Dalai Lama, por exemplo. E não vejo nessa doutrina essa ideia de que a matéria não existe, mas a aconselhar o desapego à matéria, como os espiritos nos aconselham pela mão de kardec.
 -----------------------------------------------

Olá amigo Vitor

Mas é mesmo o que todos nos ensinam porque todos sentem que enquanto não conseguirmos esse desapego à matéria ( essa ilusão não nos deixa percepcionar mais nada a não ser essa matéria ).

Os xamãs dizem que é tudo uma questão de frequência. ( como num rádio tem vários postos mas enquanto estivermos a ouvir uma frequência não conseguimos ouvir outra, isso não quer dizer que a outra ou outras não estejam lá. ) Temos é que mudar de frequência com fé e com intenção permanentemente, e com muita disciplina.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 19:32
Pois é, dim-dim, muito bons os vídeos.

Na verdade, é isso realmente o que a ciência pensa, mas é lógico que a ciência irá dizer que o cérebro é que produz esse mundo que julgamos material.

Essa questão é difícil de ser respondida, porque ainda que os 5 sentidos + razão não nos mostre a verdadeira realidade, há os sentidos artificiais (= ciência) que os vêem.

Eu diria, ao contrário do mostra o vídeo, que a matéria existe, mas em estados ignorados. Não é somente uma percepção do Espírito, como mostra o vídeo.

O ouvido humano ouve apenas alguns sons, numa determinada freqüência . Nâo ouvimos os sons que um cão ouve, da mesma maneira que não exergamos os raios luminosos além do ultra-violeta e aquém dos infravermelhos. Assim, como não vemos os raios X que são emanados pelas grandes fontes de Raio X, como a galáxia NGC 5128 na constelação do Centauro. Mas temos instrumentos de observação para isso.

Ora, se os nossos instrumentos captam realidades que escapam ao cérebro, seria exato então dizer que esses instrumentos têm também um centro de processamento cerebral?? Não! Sabemos que eles construídos pelo cérebro, ou pelo ser que pensa através do cérebro.

O vídeo portanto, não comprova que a matéria não exista, mas apenas reproduz aquilo que a ciência já sabe e aquilo que Kardec recebeu dos Espíritos, a saber, que a realidade que percebemos, só existe porque existe os sentidos. Mas outros seres que tivessem outros sentidos, estariam vendo outros aspectos dessa mesma realidade.

O que podemos dizer, à luz do Espiritismo é que a matéria não existe senão como meio, e não como fim, e nesse sentido ela é ilusória.

Mas esse assunto ainda dá pano para a manga.

Vamos ouvir a opinião dos demais amigos.

Abcs,

Renato

OS: muito bom o vídeo!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 19:38
Citar
dim-dimMas é mesmo o que todos nos ensinam porque todos sentem que enquanto não conseguirmos esse desapego à matéria ( essa ilusão não nos deixa percepcionar mais nada a não ser essa matéria ).
Os xamãs dizem que é tudo uma questão de frequência. ( como num rádio tem vários postos mas enquanto estivermos a ouvir uma frequência não conseguimos ouvir outra, isso não quer dizer que a outra ou outras não estejam lá. ) Temos é que mudar de frequência com fé e com intenção permanentemente, e com muita disciplina.

Mas, isto é óbvio. Quanto aos Xamãs, a ciência também prega o mesmo.

Citar
Vitor Santos: É o apego à matéria que está em jogo quando se fala em ilusão. A ilusão é pensar que o homem é só o corpo fisico e não pensar que a matéria não existe mesmo.

Isto é o que eu penso também


abçs ,


Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 19:45
Olá.
Ouçam essa palestra de Divaldo Franco

http://www.youtube.com/watch?v=WOuWP43bfaw (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVdPdVdQNDNiZmF3)

Há também uma palestra muito boa, do Divaldo, chamada O Universo na Visão Espírita, muito boa para confrontar com esses vídeos disponibilizados pelo amigo dim-dim, mas eu não encontrei ela na internet.

abçs,

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: marthacristina em 08 de Novembro de 2009, 22:11
Quando pensamos iniciamos algo que começa a viver em nós, se pensamos coisas boas, começamos a viver momentos bons e belos. Se pensamos algo ruim, começamos também a viver esse momento negativo, se realizamos esse pensamento ruim nos tornamos responsáveis duas vezes, pois o erro começou em nosso pensamento e concretizou-se com o nosso ato.
Miramez diz: que é bom o médio antes de entrar em transe, procurar reviver tudo quanto lhe possa despertar alegria favorável ao bem, tudo que possa lhe abrir a visão para as realidades espirituais, tudo o que possa dignificá-lo com o amor. É pelo pensamento que nós criamos o ambiente favorável ou desfavorável, que nos perturba ou garante a estabilidade para as grandes realizações.

Abraços virtuais carregados de luz...

Martha
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 08 de Novembro de 2009, 23:30
Vítor Santos:  :D

Citar
A ciência explica o pensamento com base em processos quimico-fisicos. E a consciência de si de que fala é a consciência do próprio corpo de carne e não a consciência da natureza espiritual do homem, que é do que trata o espiritismo. São planos diferentes do conhecimento... etc e tal... tu és materialista e mais não sei quê...

Olha meu amigo... eu vinha com um grande melão para casa porque o Porto perdeu, mas já recuperei a boa disposição quando li este teu texto.

Nada disso Vítor!  :P
O que aqui afirmas não tem qualquer tipo de nexo e é desmentido ao longo de dezenas de páginas nos estudos mensais de Outubro e Novembro. Tenho todo o interesse em debater contigo esta matéria mas não podes ficar caladinho quando os suportes argumentativos da razão são expostos e depois aqui isolares uma frese ao acaso e proferires afirmações como esta que há mais de vinte anos é um disparate. Para o poderes fazer terás de ter a amabilidade de refutar a base de argumentação que expus e não preguiçosamente lançares afirmações gratuitas.

Vou-te dar uma ajuda para que possas entender aquilo do que falo:

http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg62927/#msg62927 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg62927/#msg62927)

http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg62932/#msg62932 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg62932/#msg62932)

http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg63139/#msg63139 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg63139/#msg63139)

http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg63266/#msg63266 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg63266/#msg63266)

http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg63402/#msg63402 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/consciencia-18017/msg63402/#msg63402)

Nunca utilizaste a palavra para refutar as evidências descritas nestes locais.

Para além disso mesmo quando trocamos argumentos entre nós simplesmente calaste-te como é exemplo aqui:

http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/pensamento-estudo-de-novembro-2009-18735/msg67327/#msg67327 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/pensamento-estudo-de-novembro-2009-18735/msg67327/#msg67327)

Como é possível ainda assim de novo te dirigires a mim ignorando por completo aquilo que eu argumento repetindo de forma zunzundona as mesmas ideias do tempo do rei Artur? Dizes que não entendes o que eu digo porque estás cristalizado num conhecimento anacrónico da vida. E por muito que te custe acreditar eu sou espírita.

Um abraço Vítor.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 23:35
Citar
Taprobana: Olha meu amigo... eu vinha com um grande melão para casa porque o Porto perdeu, mas já recuperei a boa disposição quando li este teu texto.

Tap, você está mais para vendedor de melão com esse seu novo avatar aí  :D

abçs,

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 08 de Novembro de 2009, 23:49
Citar
“O Erro de Descartes”, António Damásio  (Tap, dei uma lida no cap. Sobre Phineas Gage, não acha que um dos pressupostos do método científico é a universalidade dos experimentos?? Afinal, há outros casos como o de Gage, ou toma-se Gage para fundar um novo ponto de vista sobre o cérebro e o pensamento; os sentimentos e a emoções. Até o título do capítulo é suspeito nesse sentido: “Por que Phineas Gage”?

Olá Renato.

Ainda vais na introdução…  >:(

Claro que não vai ser tomada a parte pelo todo… os processos de causalidade estudados durante a obra demonstram indícios seguros da sua universalidade. Aliás dá para notar que te surpreendeu esse caso e isso é um indicio seguro que vais com toda a certeza obter instrução útil nessa leitura.

Abraço.

Ps. Tá bom... vou trocar!  :D
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 08 de Novembro de 2009, 23:53
Citar
Taprobana: Ps. Tá bom... vou trocar!

Não, não faça isso, ficou bem assim. Está engraçado e bem descontraído. Se eu fosse você não trocava. Tá parecendo o gandula do porto  :D  (daí você vai vendo que pode ser útil ao seu time heheheee  ;))

_______

É que eu já conhecia a estória do Phineas, numa palestra de Divaldo Franco, por isso comecei a leitura por aquele capítulo. Amanhã vou ver se leio pelo menos uns 3 capítulos do livro, e aí a gente discute um pouco aqui.

Até lá,


abçs,

Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 09 de Novembro de 2009, 00:15

Olá!

Amigo Taprobana agora ao ver as dúvidas do nosso amigo Renato lembrei-me destes vídeos percepção além da matéria, são dois.

Gosto muito de Física e mais ainda de Química, mas quando toca a sentir vou para o meio da natureza e tento esquecer tudo o que sei. ( não me tenho dado mal )

Taprobana não temos brincado como no mês passado ( no consciência ) à moda do Porto...

Pois não dim-dim... tu andas por ai a navegar pelas paragens do etereo e eu tenho andado por aqui em baixo na vindima... :D

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 09 de Novembro de 2009, 04:07
Tap, que sacanagem é essa?? Pô meu! ce tava bem com aquela cara de vendedor de melão, e agora eu entro aqui, e vejo esse avatar de cantora gostosa de música americana, o que eu vou pensar de você??

Enfim, você acha que essa mudança brusca e constante de avatares é uma demanda do ego  :D (espero que não  ;D ;D ;D) ou uma deliberação do pensamento??

Eis aí um tema profundo para se avaliar o papel da mente no que tange à processar o pensamento, o que achas?? hehheee  ;)

abçs,

PS: tira esse avatar daí que vai dar o que pensar hein rsrsrs  ;D ou como dizem vocês portugueses: "vai dar pano para a manga" heheeeee

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: lmazevedo em 09 de Novembro de 2009, 11:03
Olá dim-dim.

Sinto isso também:  o sentimento é que nos une a todos e a tudo. Seu exemplo lembra bem a influência dos meus sentidos e emoções sobre meus pensamentos ao receber os estímulos do bem, do belo a minha volta.

Para aumentar esta boa troca de "idéias" (pensamentos) aqui no fórum, acredito que o cuidado sugerido nos livros amigos, aplicam-se principalmente aos momentos em que saimos do modo "passivo" e entramos no modo "ativo" ... digo, quando colocamos em prática nossos desejos refletindo-os em nossos pensamentos.

O que acha?  ;)


como sempre, "Muita paz e fiquem em bons pensamentos".
Luciana



Olá!

Amigos quando falo em sentir ( sentimento ) é porque é o que nos une a todos e a tudo.

Um animal, qualquer, quando nos aproximamos dele ele sabe, sem pensamentos, e nós também, as nossas intenções, ou foge ou abana o rabo.

As plantas as árvores igual apenas têm uma intensidade de sentir com outra velocidade, podemos comunicar com elas não podemos é esperar respostas imediatas elas são mais lentas.

Isto para situar o entendimento.

com carinho

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Marcio J. Melo em 09 de Novembro de 2009, 11:06
Como poderia me referir ao pensamento senao sendo a extençao do proprio espirito, ou em poucas palavras sua voz.
Se me permite um comentario gostaria que entrasse em contato comigo pelo email:
 marcio-j-melo@hotmail.com
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Marluci Brasil em 09 de Novembro de 2009, 11:43
Acredito que o PENSAMENTO é irmão gêmeo da IDÉIA. São parecidos, tem praticamete a mesma genetica, mas não são iguais.

Ouvi uma vez a frase de que só não muda DE ideia quem não tem ideia. Acho que ai está a grande diferença. Você muda DE ideia, e muda O pensamento.

Vou tentar responder os questionamentos sugeridos no mote deste estudo.
1- O que é o pensamento? Para mim é a manifestação racional do espirito, encarnado ou desencarnado. Se pensamos, logo existimos.... isso nos leva a crer que o pensamento é a chave da existencia humana. Se pensar nos difere dos demais animais, então pensamento é o DNA na condição da racionalidade. Tanto que quando alguem age "sem pensar" sofre as consequencias, e é tido como incapaz naquele momento.

2- Pensar é desejar? Acredito que não. Podemos pensar sem desejar, embora não possamos desejar sem pensar no objeto do desejo. Por exemplo eu posso pensar no desencarne sem estar desejado que ele ocorra naquele instante.

3- Qual a origem do pensamento? Acredito que está no espaço que existe entre o espirito e o perispirito. Acredito que ele acontece nesse espaço, ai ele nasce.

4- Qual a função do pensamento no perispirito? Acredito que é o de determinar as ações e reações que deverão acontecer no físico. ( isso porque acredito que tudo primeiro passa pelo filtro do perispirito).

5- O pensamento positivo ou negativo influencia no desenvolvimeno espiritual e moral? Acredito que sim, Acredito que vai alem de influeciar, Acredito que o pensamento DITA , MOLDA, o desenvolvimento espirtual e moral.

um abraço


Marluci Brasil
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 09 de Novembro de 2009, 11:51
Olá Taprobana

Pronunciei-me em relação a um post que tinhas acabado de escrever. A minha reflexão não caiu do céu, tem fundamento.

Como já te disse tenho dificuldade de entender o que escreves. Faço mea culpa e admito que há a possibilidade de a incapacidade de compreender ser resultado de defeito ou falta de capacidade minha.

Contudo no post em questão percebi uma concepção materialista do mundo. Por vezes pareces admitir a existência do espirito, mas como mais um tipo de matéria e não como a essência que pré-existe e pode existir sem corpo de carne. É uma visão monista, independentemente se está certa ou errada. É um assunto complexo demais para eu poder confirmar ou rejeitar a visão das outras pessoas. O que digo não passa de uma opinião pessoal.

Uns dizem que a matéria é ilusão e só o espirito existe, outros dizem-nos que tudo é matéria e que o espirito é que é uma ilusão. Se calhar no meio é que estará a resposta: existe o espirito e existe a matéria.

A doutrina espirita é claramente dualista, e este fórum existe essencialmente para debatermos o espiritismo, e não outras visões espiritualistas ou materialistas da vida, mas há um tema "Outras doutrinas espiritualistas", em que cabe esse tipo de debate e não num tema que visa o estudo conjunto do espiritismo e não a sua negação. Quem não quer participar do estudo, não participa, mas não é apropriado, neste contexto, o debate sobre se a visão espirita da vida é correcta ou incorrecta. Como eu já disse há um tema só para isso.

Citar
Livros dos espiritos

24. Espírito é sinônimo de inteligência?

“A inteligência é um atributo essencial do Espírito. Uma e outro, porém, se
confundem num princípio comum, de sorte que, para vós, são a mesma coisa.”

25. O Espírito independe da matéria, ou é apenas uma propriedade desta, como as
cores o são da luz e o som o é do ar?

São distintos uma do outro; mas, a união do Espírito e da matéria é necessária para
intelectualizar a matéria.”

a) - Essa união é igualmente necessária para a manifestação do Espírito?
(Entendemos aqui por espírito o princípio da inteligência, abstração feita das
individualidades que por esse nome se designam.)

É necessária a vós outros, porque não tendes organização apta a perceber o Espírito
sem a matéria
. A isto não são apropriados os vossos sentidos.”

26. Poder-se-á conceber o Espírito sem a matéria e a matéria sem o Espírito?

“Pode-se, é fora de dúvida, pelo pensamento.”

27. Há então dois elementos gerais do Universo: a matéria e o Espírito?

Sim e acima de tudo Deus, o criador, o pai de todas as coisas. Deus, espírito e matéria constituem o princípio de tudo o que existe, a trindade universal. Mas ao elemento material se tem que juntar o fluido universal, que desempenha o papel de intermediário entre o Espírito e a matéria propriamente dita, por demais grosseira para que o Espírito possa exercer ação sobre ela. Embora, de certo ponto de vista, seja lícito classificá-lo com o elemento material, ele se distingue deste por propriedades especiais. Se o fluido universal fosse positivamente matéria, razão não haveria para que também o Espírito não o fosse. Está colocado entre o Espírito e a matéria; é fluido, como a matéria, e suscetível, pelas suas inumeráveis combinações com esta e sob a ação do Espírito, de produzir a infinita variedade das coisas de que apenas conheceis uma parte mínima. Esse fluido universal, ou primitivo, ou elementar, sendo o agente de que o Espírito se utiliza, é o princípio sem o qual a matéria estaria em perpétuo estado de divisão e nunca adquiriria as qualidades que a gravidade lhe dá.”

a) - Esse fluido será o que designamos pelo nome de eletricidade?

“Dissemos que ele é suscetível de inúmeras combinações. O que chamais fluido
elétrico, fluido magnético, são modificações do fluido universal, que não é, propriamente
falando, senão matéria mais perfeita, mais sutil e que se pode considerar independente.”

28. Pois que o Espírito é, em si, alguma coisa, não seria mais exato e menos sujeito
a confusão dar aos dois elementos gerais as designações de - matéria inerte e matéria
inteligente?

“As palavras pouco nos importam. Compete-vos a vós formular a vossa linguagem de maneira a vos entenderdes. As vossas controvérsias provêm, quase sempre, de não vos
entenderdes acerca dos termos que empregais, por ser incompleta a vossa linguagem para
exprimir o que não vos fere os sentidos.

 

bem hajas
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 12:15

Olá dim-dim.

Sinto isso também:  o sentimento é que nos une a todos e a tudo. Seu exemplo lembra bem a influência dos meus sentidos e emoções sobre meus pensamentos ao receber os estímulos do bem, do belo a minha volta.

Para aumentar esta boa troca de "idéias" (pensamentos) aqui no fórum, acredito que o cuidado sugerido nos livros amigos, aplicam-se principalmente aos momentos em que saimos do modo "passivo" e entramos no modo "ativo" ... digo, quando colocamos em prática nossos desejos refletindo-os em nossos pensamentos.

O que acha? 


como sempre, "Muita paz e fiquem em bons pensamentos".
Luciana
----------------------------
Olá amiga Luciana!

Concordo amiga e sinto que é quando passamos a esse modo " ativo ", se não houver imparcialidade e transparência, só vamos é corromper o conhecimento, que por exemplo nos deixou Kardec.

Quando lemos por exemplo Kardec temos que nos ( fundir ) com o espírito dele e só aí faz sentido as palavras dele porque estamos no mesmo sentir, não vamos fazer interpretações a nosso belo prazer.

é o que sinto amiga se bem compreendi a questão.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: mariiia em 09 de Novembro de 2009, 12:50
"Examina bem os teus pensamentos, e se os vires puros, puro será também o seu coração." (Confúcio)

 ??? :o
"O pensamento é a nossa dignidade. Tratemos, por conseguinte, de pensar bem, pois aí é que está o princípio da moral." (Blaise Pascal)


Muita paz!!!!!!! ;)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: mariiia em 09 de Novembro de 2009, 13:08

Olá amigos

[/color"Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Como nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo." (Buda)]


   Muita paz
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 13:19

Olá mariiia!

São bonitas frases, qualquer das mensagens, mas é muito pouco ficar por aí o nosso entendimento.

Temos que vê-las como metáforas, ( desmontá-las ) abrir-mo-nos ao seu entendimento, que foi o que os seus autores quiseram dizer-nos.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Anderson Pasti em 09 de Novembro de 2009, 13:30
Nosso pensamento pode nos orientar ai temos nosso livre arbitrio para fasermos o que bem entender basta nos escolher o caminha certo
com a força do pensamento podemos muitas conquistas
Abraço.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: vianapatricio em 09 de Novembro de 2009, 13:36
O pensamento,
Sua força é de uma grandeza ainda inesplicável, dependendo de como utilizemos nossos pensamentos, e direcionemos a forma de pensar/analizar, podemos mudar o transcurso de várias coisas.
As vezes nos prendemos apenas que nossos atos nos trarão consequências, mas esquecemos que a essencia de nossos atos está em nossos pensamentos,
se policiar e vigiar os pensamentos é a melhor opção para assim alcançar a plenitude.
E qual a palavra que poderia ser utilizada para demonstrar a grandeza e força do pensamento, acredito que a FÉ seja a palavra que melhor simbolise a força e intensidade de um pensamento.
Mas ter FÉ, não é acreditar, por assim ter que acreditar, pois assim se torna uma fé cega, se tornando um pensamento, intenso as vezes, mas não completo, por deixar espaços vagos. Perante a filosofia, sabemos que não há nada que se possa colocar um ponto a finalizar determinado assunto ou pensamento, pois tudo está em aberto sempre a novas colocações e modificações, que sempre existiram, mas vamos percebendo aos poucos, mediante a nossa evolução, mental e espiritual.
A verdadeira força do pensamento , assim da Fé, vem daquele pensar investigativo, daquele pensar que em essência principal se dirija a Deus, e tendo como exemplos de sua divindade, Jesus, mestre dos mestres, que aqui veio e nos deixou em transcedência a divina obra do amor e da caridade. Assim, poderemos e devemos dirigir nossos pensamentos sempre à esse belo exemplo, que se assim sempre que buscarmos pensar, tenhamos a certeza, que esse pensar nos ajudará no agir.

Viana Patricio
vianapatricio@hotmail.com


Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 13:44

Citar Taprobana
Pois não dim-dim... tu andas por ai a navegar pelas paragens do etereo e eu tenho andado por aqui em baixo na vindima...

-----------------------

Olá!

Pois é amigo quando entendermos o reino da Terra temos que passar ao dos Céus...

Está aí o S. Martinho que proves o bom vinho!

Aguardo por ti aqui no etéreo amigo Taprobana...

Namasté

 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: lmazevedo em 09 de Novembro de 2009, 13:46

Olá dim-dim.

Sinto isso também:  o sentimento é que nos une a todos e a tudo. Seu exemplo lembra bem a influência dos meus sentidos e emoções sobre meus pensamentos ao receber os estímulos do bem, do belo a minha volta.

Para aumentar esta boa troca de "idéias" (pensamentos) aqui no fórum, acredito que o cuidado sugerido nos livros amigos, aplicam-se principalmente aos momentos em que saimos do modo "passivo" e entramos no modo "ativo" ... digo, quando colocamos em prática nossos desejos refletindo-os em nossos pensamentos.

O que acha? 


como sempre, "Muita paz e fiquem em bons pensamentos".
Luciana
----------------------------
Olá amiga Luciana!

Concordo amiga e sinto que é quando passamos a esse modo " ativo ", se não houver imparcialidade e transparência, só vamos é corromper o conhecimento, que por exemplo nos deixou Kardec.

Quando lemos por exemplo Kardec temos que nos ( fundir ) com o espírito dele e só aí faz sentido as palavras dele porque estamos no mesmo sentir, não vamos fazer interpretações a nosso belo prazer.

é o que sinto amiga se bem compreendi a questão.

Namasté



________


E fica tudo uma sintonia.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: hcancela em 09 de Novembro de 2009, 13:47
Olá amigos(as)

"O pensamento é o gerador dos infracorpúsculos ou das linhas de força do mundo subatômico, criador de: correntes de bem ou de mal, grandeza ou decadência, vida ou morte, segundo a vontade que o exterioriza e dirige."

Do livro "Roteiro" Emmanuel


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: mariiia em 09 de Novembro de 2009, 13:53
Olá amigo Dim-Dim,

Com certeza precisamos compreender e acima de tudo praticar...usar todas essas "metáforas" como meio para nos ajudar a limpar a nossa casa mental...com humildade lembrando sempre do que disse o grande Sócrates: "Só sei que nada sei"

Tudo que sabemos é muito pouco diante do que precisamos aprender

LUZ!!!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 13:57

Olá amiga Luciana!

Sintonia é uma boa palavra que reflete o espírito.

Quando nos limitamos a sentir tudo é fácil amiga,

a complicação vem quando o pensamento começa a interpretar.

com carinho

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Carlos Cunha em 09 de Novembro de 2009, 14:20
Olá à todos que estão participando deste fórum e do ótimo tema proposto para o estudo do mês de Novembro - O Pensamento, criado pela Irmã Zeni.

Agradeço à todos pelas excelentes explicações e espero também contribuir - de forma positiva - para o estudo deste mês.

Abraços fraternos à todos e fiquem com Deus,

Carlos.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: c barros em 09 de Novembro de 2009, 14:33
Primeiramente quero agradecer por fazer parte dessa comunidade, e desejar a tdos um dia de muita luz, irradiando-se através do pensamento sintonizado com as Leis Divinas.
Um filósofo da antiguidade já nos dizia: - "conheça-te a ti mesmo". Necessitamos nos conhecer verdadeiramente, a fim de avaliarmos como estamos lidando com a nossa atual existência?
Por ser ainda um planeta considerado como de provas e expiações onde ainda reina o egoísmo, a inveja, o ciume, o preconceito, etc., é para nós um grande desafio superarmos essa psicosfera.
Mas, como nos dizem os Espíritos, é aqui onde justamente devemos "provar"  a nossa evolução, buscando sempre que possível fazer a diferença!
C Barros
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 09 de Novembro de 2009, 14:35
Citar
Vitor Santos: A doutrina espirita é claramente dualista, e este fórum existe essencialmente para debatermos o espiritismo, e não outras visões espiritualistas ou materialistas da vida, mas há um tema "Outras doutrinas espiritualistas", em que cabe esse tipo de debate e não num tema que visa o estudo conjunto do espiritismo e não a sua negação. Quem não quer participar do estudo, não participa, mas não é apropriado, neste contexto, o debate sobre se a visão espirita da vida é correcta ou incorrecta. Como eu já disse há um tema só para isso.

Olá a todos...

Sabem? Eu não ia dizer nada sobre isso, mas já que se tocou no assunto.

Eu acho que o Vitor tem razão, porque se há um tópico específico para se debater o Espiritualismo,  acho que não há razão para esta presença ostensiva e de alguns pressupostos do Espiritualismo e até do materialismo.

Parece que não, mais atrapalha. Não podemos ter conivência, em nome da democracia e da liberdade de idéias, com certas interpretações de Kardec, e principalmente com certos posicionamentos irredutíveis, como é o caso de se quererem doutrinar aqui, sobre a questão da “matéria como ilusão”.

Se o fórum é espírita, o que deve prevalecer é a visão espírita da coisa. Temos respeitado todos os irmãos de outra denominação religiosa, mas por outro lado, eu também acho que, entrar aqui para vir ensinar o papa a rezar a missa é muita pretensão.

Abcs

Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Carlos Cunha em 09 de Novembro de 2009, 14:48
Citar
Aldebaran
Olá a todos...
Sabem? Eu não ia dizer nada sobre isso, mas já que se tocou no assunto.
Eu acho que o Vitor tem razão, porque se há um tópico específico para se debater o Espiritualismo,  acho que não há razão para esta presença ostensiva e de alguns pressupostos do Espiritualismo e até do materialismo.
Parece que não, mais atrapalha. Não podemos ter conivência, em nome da democracia e da liberdade de idéias, com certas interpretações de Kardec, e principalmente com certos posicionamentos irredutíveis, como é o caso de se quererem doutrinar aqui, sobre a questão da “matéria como ilusão”.
Se o fórum é espírita, o que deve prevalecer é a visão espírita da coisa. Temos respeitado todos os irmãos de outra denominação religiosa, mas por outro lado, eu também acho que, entrar aqui para vir ensinar o papa a rezar a missa é muita pretensão.

Abcs

Renato

Também concordo com irmão Renato e o irmão Vitor Santos. Ao receber mensagens de outra linha de pensamento, o estudo acaba por se tornar um debate entre duas correntes diferentes e mesmo que sem querer, acaba por se querer provar quem está certo. O que, na minha modesta opinião não é sadia para o tópico de estudo em si.

Fiquem com Deus,

Carlos.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 15:07

Olá!

Amigo Carlos Cunha, se estamos ( numa ) de concordância vamos todos concordar e dizemos à nossa amiga zeni para fechar o tópico.

Um estudo não se faz só pelas concordâncias.

Aí que apresentar o que sabemos sobre esse estudo, independentemente, de concordâncias. O amigo ainda não apresentou o seu saber, as suas experiências, a todos estes irmãos que aqui andam a criar entendimento.

É fácil a concordância bem como a discordância feita na base do respeito por tudo e por todos amigo.

com respeito amigo

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 09 de Novembro de 2009, 15:21
Olá dim-dim.

Excelente a contribuição que os teus vídeos deram para a compreensão daquilo que por aqui debatemos.

Gostaria de acrescentar que outros processos relacionados com a componente mental do indivíduo se processam exactamente da mesma forma, ou seja, a emoção, o sentimento, a consciência, o pensamento e à razão (e porque não mediunidade?) são também criadas através de mecanismos do mesmo tipo do que são descritos nesses vídeos para a visão, audição, paladar olfacto e tacto.

Dim-dim aqui vai um desafio à moda do Porto!

Aquilo que de é desconcertante e entusiasmante para o exercício deste tarefa que aqui partilhamos que é a paixão pelo saber, é ser legítimo deduzir que as próprias conclusões que a razão descobre acerca dos mecanismos do cérebro e que são descritas nestes vídeos, são elas próprias também uma consequência desse mundo de ilusão que descreve, ou seja, são também fruto dos mecanismos cerebrais, ou seja, se o circuito eléctrico fosse desligado, a própria causa que determina este tipo de entendimento deixaria de existir não estando portanto de forma alguma ilibada de suspeitas acerca da sua caracterização ilusória. E esta heim?

Taprobana (desesperadamente à procura de um avatar que seja do agrado do Renato)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 15:44

Olá a todos os pensadores!

É uma boa reflexâo amigo Taprobana, sem dúvida.

Mas só porque o autor desta maravilha que é a vida assim o quis. ( e nós espíritos ainda andamos à procura dessa coisa que é capaz de criar ). ( intenção )

Perdemo-nos a tentar descobrir o mistério da vida em vez de primeiro entendermos o seu funcionamento.

Se compararmos a existência da Terra ( como um relógio nós humanos chegamos aqui acima no último minuto, portanto a natureza, plantas, animais, é tudo mais velho que nós ). Muito temos a aprender com esta observação.

Amigo por mim o avatar que mais gostei foi o do camelo! o Renato que diga de sua justiça!

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Carlos Cunha em 09 de Novembro de 2009, 16:01
Citar
dim-dim

Minha opinião não foi bem entendida. É dícifil debater sobre um tema em que a outra parte tem uma visão completamente diferente. No final, sempre acontece que cada um quer provar que o seu modo esta correto.

Eu li todas as páginas deste estudo e nas últimas páginas o que tenho visto é que ao invés do tema Pensamento, o que se tem debatibo não é sobre o referido tema.

Eu, de mim mesmo, tenho pouco a acrescentar a tudo o que já foi exposto sobre o Pensamento neste estudo, motivo pelo qual não apresentei o "meu saber".

Está bem destacado que este fórum é Espírita.

Respeito a opinião de todos continuo afirmando que o tópico é para estudo do Pensamento pela ótica da Doutrina Espírita.

Não entrei para criar desentendimentos e concordo que é facil criar uma concordância desde que uma das partes procure perceber que está tentando impor o seu modo de pensar dizendo inclusive que o pensamento atrapalha desenvolvimento do ser.

Frisando novamente, o tópico é sobre o pensamento pela ótica Espírita.

Fiquem com Deus,

Carlos.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 16:41

Olá a todos os pensadores!

É fácil perceber por todas as minhas mensagens que não pertenço a nada nem a ninguém, que não idolatro absolutamente nada. ( apareci cá em cima sózinho, nasci, e vou-me embora sózinho, morro )

Como é fácil perceber por todas as minhas mensagens que me considero a mim e ao Planeta e mesmo ao Universo um único espírito, uma Eterna consciência. ( a ilusão é nós nos sentirmos únicos, fragmentados )

Como é fácil perceber que tento me valer de todos os conhecimentos e saberes, independentemente de que cultura venha. ( já ultrapassei toda essa fragmentação, só há uma vida, ela é todo o nosso Planeta com tudo o que contêm cá em cima tanto visível como invisível )

Se agora é com Kardec que cresço, pois graças lhe sejam dadas.

Se também cresço com todos os outros pensadores, orientais ou ocidentais, pois graças lhes sejam dadas. ( não me auto-limito )

Tenho por hábito chamar a isto liberdade de percepção.

Com todo o respeito faço estes esclarecimentos de como é o pensamento para mim. ( se for para auto-limitá-lo a um só ponto de vista serei o primeiro a sair )

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Lourival Soares em 09 de Novembro de 2009, 16:54
“Para alcançar a maturidade espiritual, precisamos aprender a nos educar quanto à maneira de pensar e sentir. “Vigiai e orai”, “Os olhos só vêem do que está cheio o coração”, disse-nos Jesus. A nossa percepção da realidade pode ser distorcida pelos nossos sentimentos, daí julgamos como mal tudo o que contraria nossa vontade e como bom tudo que nos traga benefício imediato. Todas as vezes que pensamos sobre os dados que percebemos, a imaginação pode nos levar a uma interpretação errônea, criando uma ilusão e nos afastamos da realidade tal qual ela exatamente é. Às vezes alimentamos pensamentos de mágoa ou de ódio contra pessoas ou situações por conta de julgamentos preestabelecidos. Os pensamentos alimentam nossos sentimentos e vise-versa educá-los é um exercício que exige determinação e muita força de vontade”. 

Viva com vitalidade – Uma abordagem espírita sobre como manter o equilíbrio físico e mental – capítulo “O pensamento e o sentimento” Autor: Gibsom Bastos Ed. Leon Denis.
 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 09 de Novembro de 2009, 17:32

No fim das contas o dissenso acaba sendo importante. Eu só fiz coro com o Vitor, porque eu já vi alguns espiritualistas por aqui (não neste tópico) nesse fórum, fazendo uma outra interpretação de Kardec.  Exemplo: "O Espírito só goza de livre-arbítrio quando está na erraticidade; depois que reencarnou, não tem mais o livre-arbítrio". E eu perguntei: ora, um suicida que está na erraticidade, tem o seu livre-arbítrio? e ele não soube responder. Perguntou-me aonde eu tinha lido isso. Gente, como dizem vocês  mesmos, portugueses: "não se reinventa a roda aos que se comprazem em andar a pé". Se uma pessoa está num fórum espírita e não sabe responder uma questão simples como essa, é porque não estudou o Espiritismo.
Acho, portanto, que tudo o mais é válido, mas sem um conhecimento sólido da doutrina espírita, sempre se termina por dizer coisas que não raro, fogem ao bom senso, e se auto-contradizem...  que se continue o dissenso, porque assim, pelo menos se há ensejo de ensinar o Espiritismo para aqueles que o julgam conhecer  ;)

abçs


Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: DomingosPS em 09 de Novembro de 2009, 20:00
Sou iniciante e ainda estou lendo os livros básicos da doutrina espírita, mas pelo que já li em o livro dos espíritos e o livro dos médios. O pensamento é a expressão de nossa verdade e mesmos se tivermos a intenção de fantasiar uma historia, nos entregamos em pensamento.
Por isso, os espíritos muito antes de pronunciarmos as palavras já sabem exatamente o que realmente queremos dizer.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 09 de Novembro de 2009, 20:14
Olá Domingos

Para iniciante fala bem e depressa! Seja bem vindo ao fórum.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 09 de Novembro de 2009, 20:19
Sou iniciante e ainda estou lendo os livros básicos da doutrina espírita, mas pelo que já li em o livro dos espíritos e o livro dos médios. O pensamento é a expressão de nossa verdade e mesmos se tivermos a intenção de fantasiar uma historia, nos entregamos em pensamento.
Por isso, os espíritos muito antes de pronunciarmos as palavras já sabem exatamente o que realmente queremos dizer.

Olá Domingos,

Começou com o pé direito na Doutrina. Sugiro ler também O Evangelho Segundo o Espiritismo, A Gênese e Obras Póstumas, além de O Céu e o Inferno. E após isso, ou concomitante, pode ir lendo obras e romances mediúnicos de Chico Xavier e Divaldo Pereira Franco, com os de Emmanuel, André Luiz, Victor Hugo, Manoel Philomeno de Miranda, Joanna de Ângelis etc etc e tal ...

Boa leitura, e seja bem-vindo.

abçs   



Renato



Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: guedesrosa em 09 de Novembro de 2009, 20:59
Excelente as abordagens para a elucidação do tema. Acredito que os pensamentos em nós encarnados, tem em sua essencia o que somos enquanto espíritos, e modificam-se para melhor ou pior, devido ao tipo de vivencia que temos durante a encarnação. Relativamente a prece, que é um produto do pensamento, esta passa pelo mesmo processo. No meu entendimento, todas são escutadas, e todas são respondidas, de acordo com o nosso merecimento e para o nosso aprendizado.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 21:10

Olá amigos do pensamento!

Sobre a verdade já senti neste tópico mais atrás.

Agora vou sentir sobre o amor.

Sobre o amor não é preciso dizer muita coisa amigos, tenho sentido ( tal como num livrinho bem velho que tenho, O Evangelho Segundo o Espiritismo de Allan Kardec editado pela Federação Espirita Brasileira em 1913 com retificações em 1915 da edição 57 traduzido por Guillon Ribeiro da terceira edição francesa ) que a Doutrina assenta, tem por base, o amor desse grande homem que por aqui passou há dois mil anos sensivelmente, Jesus Cristo.

Não vou fazer citações porque não há necessidade basta entrarmos aqui no fórum para ver com que amor as pessoas se tratam. ( desde o inicio que o apreciei ( o amor ) e divulguei a todos aquando da minha entrada nas primeiras mensagens que enviei. )

E também o partilho ( o amor ) e gosto de cá estar. ( participo com o que sei melhor, com toda a ignorância necessária à minha compreensão, que é a minha vivência )

O que é mais importante ( não esqueçam que o tópico é pensamento, da nossa amiga zeni mas estamos a falar de amor ) senti-lo ou, adjetivá-lo, classificá-lo, dividi-lo? ( bom mau feio bonito muito pouco ou grande ou pequeno )

Respeitando toda a minha ignorância digo que é senti-lo, únicamente. ( vivê-lo vinte e quatro horas por dia intensamente )

Assim vivido já não há lugar a falar de humildade que ele já a comporta. ( este é o meu entendimento do amor que Jesus Cristo nos alertou para não nos esquecermos dele, o amor )

Digo que Jesus Cristo nos alertou para não nos esquecermos do amor porque Jesus sabia ( como nós sabemos ) que o amor é o sentimento por excelência mais elevado, vital. ( sentimentos são energia, luz, que quanto mais aglomerada, mais densa se torna e mais luz emite para ser captada pelos diversos recetores, esses recetores, nós por exemplo, somos luz aglomerada com densidade suficiente para ser visível ). ( transmite-se pelo ar constantemente ligando tudo e todos, nada fica de fora )

É livre não é de ninguém em particular, não tem dono, é o protetor, é benfeitor. ( por isso não idolatro nada a não ser o amor )

Luz que sempre nos banhou e banha a todo o momento, o amor, que está em todo lado ao mesmo tempo, a dar-nos sabedoria através de senti-lo. Está aqui é só senti-lo.

O que podemos dizer mais é que a luz é tudo em várias etapas de densidade, e assim torna-se ela própria o emissor e o recetor. Daqui a unidade não o amor dual por que nos matamos a defender teorias. ( estes conceitos podem ser integrados na física na química por qualquer religião e por Kardec, Cristo, Krishna, Krishnamurti, Buda e por todo o mundo porque é a luz a interagir consigo própria em diversas fases de densidade.

Mais ainda, só daqui sai o entendimento sóbrio quanto a qualquer Doutrina ou Evangelho. ( senão somos como o tal mosquito )

É o que a luz diz

Namasté

 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: DomingosPS em 09 de Novembro de 2009, 21:12
Obrigado pelas palavras de incentivo.
Sei que para compreender o espiritismo, o segredo é o estudo, e este estudo obrigatoriamente passa por todos estes livros e artigos, devagar eu chego lá.
Por enquanto já li O que e o espiritismo, O livro dos espírito e estou lendo O livro dos médiuns, e sempre que posso estarei lendo este fórum.

Abrçs
Domingos
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: nelsonmt em 09 de Novembro de 2009, 21:38
Olá Zeni, e demais amigos do fórum,


Já defendi aqui, no tema passado, a importância de buscar conceitos (palavras) para expressar com mais exatidão o que ocorre dentro do universo mental de cada um. Estudar o cérebro e seus conceitos funcionais é de grande valia para o espírita, pois deste estudo, sim, poder discutir e formar opinião sobre o espírito.  Concordo que não seja o único, mas pode ser a forma, a ponte que aproxime pessoas ao tema espírita. Não podemos fechar os olhos negando a existência da ciência e seus conceitos, repetindo erros do tempo de Galileu. Neste sentido penso ser muito útil o debate a partir dos conceitos da ciência e do cérebro neste tema, e em qualquer outro, mas sabendo que ele se restringe ao objeto de estudo e o espiritismo continua.

Zeni,  não podemos ser “meio espírita”, ou “meio cristão”, devemos concentrar toda nossa vontade por viver esta proposta em nosso pensamento. No entanto,  adotar uma atitude fanática, não constroi o futuro que desejamos, onde não desenvolvemos mecanismos de reflexão e de auto avaliação. Encontrar um ponto no meio é o foco da questão, e considerar nossa atenção concentrada no pensamento que o espírita trabalha para alterar sua base de percepção,(*) significa, em minha opinião, aceitar que o pensamento deve trabalhar a convicção para uma mudança constante de si. Onde ouvir pessoas e dialogar com elas é parte essencial, assim como orar, meditar e estudar como penso que estamos fazendo agora. Talvez seja uma forma de compreender os versos de Raul Seixas, “sou uma metamorfose ambulante”, ou mesmo de Dim-Dim, mas tendo um eixo sob qual giro e ascendo, em espiral.

Por opção, meu eixo é a doutrina dos espíritos, sendo o processo de alteração da percepção que adotei é a prática da mediunidade em caridade cristã. Toda e qualquer outra forma que conheci de desenvolvimento da percepção sem as condições de treinamento e supervisão de instrutor capacitado é um risco, que deve ser levado em consideração. Pessoalmente sou um “gato escaldado”, e tenho mesmo, medo de água fria, ou seja, errar em vincular meus pensamentos e a atenção de minha consciência em algo que pensava ser “bom e inofensivo. Desta forma suspeito de qualquer manual de auto ajuda que indica a “força”  do pensamento como a simples solução de problemas. Sim ele é, mais uma força da natureza, e o ideal é que seja manejado dentro das Leis de Deus com inteligência, e não a serviço dos egos e egoístas em desequilíbrio, meta esta que desejamos todos.

Formar uma equipe com a espiritualidade, aprender a duras penas, manter minimamente o campo necessário para este trabalho, deixando os frutos ocorrerem. Pensamentos alteram campo vibratório, dificultando ou facilitando a comunicação, e os seus frutos. Assim “pensamento” tem uma qualidade vibracional, como todos sabem, e assim ele se torna algo “concreto” no laboratório mental de um médium.

Como contribuição ao tema, sugiro o estudo e prática da Cromoterapia de Rene Nunes. Nesta técnica desenvolvida em um grupo espírita de Brasília (Instituto Irmã Maria Luiisa), por instrução espiritual, é uma ferramenta tanto no auxílio da técnica de passes quanto do uso do pensamento e da percepção simultaneamente. É uma ferramenta segura de treinamento da mente, sua concentração e disciplina.

Download:

http://www.scribd.com/doc/12277381/-Compendio-Cientifico-de-Cromoterapia-Rene-Nunes (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5zY3JpYmQuY29tL2RvYy8xMjI3NzM4MS8tQ29tcGVuZGlvLUNpZW50aWZpY28tZGUtQ3JvbW90ZXJhcGlhLVJlbmUtTnVuZXM=)

Um abraço fraternal e muita Paz

Nelson

(*) Conforme André Luiz, já citado
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 09 de Novembro de 2009, 22:10


dim-dim, aproveitando o seu post sobre o "sentir", deixo aqui um questionamento: no ESE, é dito que a prece não pode ser feita em outras línguas, que não a nossa que falamos. Ora, com isso, é de se supor que o PENSAMENTO é que desempenha papel primordial, ou seja, ele viria antes do "sentir". O que acham os amigos??



abçs

Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 22:47

Olá amigos do pensamento!

Amigo Renato pensei que já tinhamos saído da fase da cristalização. ( matéria )

Que já nos tinhamos elevado ao etéreo, como muito bem disse o nosso amigo Taprobana.

Á luz é o que lhe interessa, o Todo.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 09 de Novembro de 2009, 22:56
Olá amigos do pensamento!
Amigo Renato pensei que já tinhamos saído da fase da cristalização. ( matéria )
Que já nos tinhamos elevado ao etéreo, como muito bem disse o nosso amigo Taprobana.
Á luz é o que lhe interessa, o Todo.
Namasté

rsrsrs pois meu amigo, eu ainda não saí não. (ou será que é só para jogar papo fora) Acho que não. é uma dúvida mesmo que eu tenho, e não sei se ela me foi respondida.

Sempre gosto de confrontar as opiniões, você sabe disso, do contrário ir logo de cara aceitando um teoria, sem antes a confrontar com outras, seria uma atitude dogmática, que eu rejeito.

abçs


Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 23:16

Olá amigos do pensamento!

Renato a luz emite conforme a sua densidade, e cria a ilusão de estar separada da sua própria essência, que é o que nos acontece quando chegarmos ao Todo deixamos de emitir em seperado.

Eu sei que não posso ajudar o meu amigo nem ninguém ( neste aspecto ) porque só nós  ( indivíduos ) podemos nos ajudar a nós próprios, querendo.

O entendimento alcançado por estas percepções essenciais não deixa espaço a dúvidas amigo.

Namasté

não sei dizer de outra forma

Namasté

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 09 de Novembro de 2009, 23:23
Cada movimento que o corpo faz tem necessariamente oculta toda uma complexidade de intervenções que determinam a vontade em o realizar. Um simples movimento de um braço, pode ter como consequência a manutenção da vida, ou ser a causa da morte, consoante a vontade expressa pela inteligência que o criou.

Existe um conjunto de factores, que criam um modelo de conduta e de moral.
Quando o princípio inteligente encarna e com ele transporta o fel da inveja, da maledicência e da bajulação, vai experimentar um determinado mundo mental que a matéria lhe proporciona e este tipo de individualidade tanto pode ser manifesta de forma ostensiva na figura de um déspota, como camuflada na figura de um espírita.

A evidencia da existência de alma é suportada em factos que advêm da observação da capacidade ou incapacidade desse principio inteligente aproveitar a oportunidade que a vida lhe dá, para através da seu universo mental cujos pensamentos são moldados pela vontade que um livre-arbitrio se exprime como resultante de um conjunto de factores, cujo principio inteligente que transporta a caracterização da capacidade, da competência, da preparação, para que um padrão de vida seja ele mesmo caracterizado pelo sucesso da aprendizagem adquirida ou pelo fracasso da cristalização estática num padrão comportamental característico de níveis elementares da criação.

O pensamento é expresso pela palavra e através da palavra é possível elevar a vida ou reduzi-la à sua mais ínfima expressão.

Aqueles que se encontram numa fase em que vivenciam um mundo mental no qual a insegurança, a incerteza, que proporciona a manifestação de uma personalidade débil, devem estar despertos e atentos à palavra que expressam formas-pensamento que tentam castrar, intimidar, submeter à sua vontade, ostentando as mais diversas insígnias de um poder ridículo conseguido à custa da vassalagem que prestam a múltiplas formas de poder instituído que tanto pode ser apresentado sob a mascara de um estado ou de um simplório imbuído de poderes ilusórios.

Assim, o pensamento venenoso expresso sob a forma de palavras pode ter consequências lamentáveis para quem a recebe, quando transmite ideias e conteúdos, que impedem que a própria vida se desenrole pelo seu caminho traçado, ou pode, por outro lado, ser essa mesma palavra gerada no pensamento, a responsável por o recuperar de todo um sentido algures perdido no tempo, como um farol que ilumina todo um percurso de vitória e gloria.

Antes de utilizar esta poderosa ferramenta que é o pensamento, devemos ter plena consciência da responsabilidade que é agir de uma determinada forma, ou de falar de uma determinada maneira, pois os outros vêm as suas possibilidades na nossa realidade. Sejamos pois um modelo para todos. Antes de o fazer devemos questionar se essa acção ou essa palavra eleva ou diminui a vida na que á sua expressão se refere.

Aqueles que acreditam tal como o espiritismo preconiza, que o pensamento é uma forma viva que age e interage com todos os que o rodeiam e que chega mais longe ainda e com um impacto maior e por mais seres pressentido, podendo atingir distâncias inimagináveis que o caracterizam como uma das maiores forças vivas e activas na sociedade espiritual, sejam espíritos em forma livre sejam em forma de encarnados ainda mais responsabilidade têm quando for avaliado aquilo que essa sua arma produziu na defesa ou na castração da vida.

Por esse motivo as sociedades no seu conjunto, são altamente influenciadas pelo que pensam cada um dos seus indivíduos e pelo tipo de interesses que movem os seus pensamentos.

Ainda que inconscientemente é através do pensamento que efectivamente nos caracterizamos a propósito das nossas ideias e intenções, do tipo de envolvimento que temos ou não com a vida, que pensamos que não controlamos, quando na realidade, tudo o que existe é produto da vontade do pensamento individual de cada um.

Há pois a necessidade de antes de tudo, de termos a perfeita noção dos pensamentos, actos ou palavras que proferimos, pois dai advém a responsabilidade que temos de assumir perante a vida e portanto perante Deus.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luzceano em 09 de Novembro de 2009, 23:30
O que é o pensamento?

O pensamento e um atributo da inteligencia, quando utilizado de forma verdadeira, com educação sem o orgulho e sem o egoismo promove a evoluçao espiritual.

Pensar é desejar?

Estou lendo o livro Seara dos Mediuns de Chico e Emanuel e concordo com isto:

Desejando, sentes.
Sentindo, pensas.
Pensando, realizas.
Realizando, atrais.
Atraindo, refletes.

Concordo que o sentimento vem antes do pesamento, porque todos os seres vivos sentem, mas nem todos pensam


Qual a origem do pensamento?

A origem do pensamento vem daquilo que nos sentimos


Qual a função do pensamento no perispírito?

Evolução


O pensamento positivo ou negativo influência n o desenvolvimento espiritual e moral?

Sim

Estas respostas foram feitas com base de estudo; O Livro dos Espiritos e o livro Seara dos Mediuns

Muita paz muita luz em nossa mente em nosso coração
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: jeL.ATHAYDE em 09 de Novembro de 2009, 23:33
O   PENSAMENTO   FORÇA   UNIVERSAL

O PENSAMENTO COMANDA A TUDO, NA VIDA, ESCOLHAS, SUCESSOS, CAMINHOS.   COMANDA   O   BEM   E   O   MAL.
O PENSAMENTO LHE TRÁS COISAS BOAS OU RUINS. ENFIM, SUA VIDA, É O PENSAMENTO. É O QUE PENSAS
VOCE É O PENSAMENTO É O PENSAMENTO, É O QUE PENSAS E CRIA PARA SI. TUDO QUE TENS NA VIDA, E PASSASTES, VÓS QUEREIS, VÓS PENSASTES   PARA    SI.
O PENSAMENTO VIAJA, CHEGA ONDE MENOS IMAGINA. ATÉ LÁ NOS ABISMOS.   ONDE    QUASE   NÃO   HÁ   LUZ.
SE PENSAS ALGO DE RUIM, RECEBE-O DE VOLTA. SE PENSAS ALGO NEGATIVO,   RECEBE-O   DE   VOLTA.
SE PENSAS O BEM, RECEBE O BEM, SE PENSAS O AMOR, RECEBE O AMOR. SE PENSAS COMPREENSÃO, TOLERANCIA  RESPEITO, FÉ, RECEBE-O DE VOLTA. PENSE AMOR, LUZ, PROSPERIDADE.
SAUDE, FELICIDADE, ALEGRIA. AMOR MUITO AMOR. RECEBERÁ DE VOLTA.
 RECEBEMOS O QUE PENSAMOS. SOMOS O QUE PENSAMOS.
PENSE E CRIE IMAGENS, DE FELICIDADE QUE ESTAIS BEM, TENS BOA SAÚDE.
SE PENSAS EM DOENÇAS, FICARÁ DOENTES.
O PENSAMENTO ATRAI PARA SI O QUE QUERES.
 ENTÃO PENSE NA PAZ, TRANQUILIDADE, SERENIDADE. E TERÁ SUA VIDA, PACÍFICA, TRANQUILA E SERENA
O UNIVERSO INTEIRO CONSPIRA A NOSSO FAVOR, SE QUERES TUDO DE BOM PARA SI, PENSE  E TERÁ, POIS O UNIVERSO
INTEIRO, ESTA A LHE OUVIR. A ESCUTAR SEUS MAIS ÍNTIMOS PENSAMENTOS. E LHE MANDA DE VOLTA PRA TI, TUDO QUE DESEJAS.
 PENSAMENTO É ENERGIA, LUZ, VIBRAÇÃO, LUZ, AMOR. FORÇA.
UM SÓ PENSAMENTO DE PEDIDO DE AJUDA, ARREPENDIMENTO,PERDÃO.DE AMOR. TE SALVA DE VIVER ANOS E ANOS PRESOS EM SI MESMO.
 PENSE E ACREDITE EM SI MESMO.
PENSAR É PODER, É DESEJO, PENSAR É CRER. PENSAR É AMOR. PENSAR É SER.
ENVIEM SEMPRE PENSAMENTOS DE AMOR, PARA OS NECESSITADOS DESTE SENTIMENTO, DE PAZ, DE LUZ, PARA ILUMINAR, OS CAMINHOS ESCUROS, SEM LUZ, DOS QUE VIVEM NAS TREVAS.
PENSE NO PERDÃO. PENSE EM VIDA. PENSE EM BONS SENTIMENTOS
ÀS VEZES, VIBRAR, OU IRRADIAR, PENSAMENTOS DE SALVAÇÃO PARA AQUELES IRMÃOS QUE ESTÃO NO MUNDO ESPIRITUAL INFERIOR. ELES MAIS TARDE IRÃO LHE AGRADECER, POIS SEU PENSAMENTO O AJUDOU.
PENSEM PELOS MUITOS QUE VIVEM NAS TREVAS DO ORGULHO E EGOISMO. EMITAM PENSAMENTOS DE AMOR, E DE DESPRENDIMENTO. OU PARA AQUELES QUE VIVEM NAS TEIAS DO MAL,
OBSEDIANDO O IRMÃO INDEFESO, LEVANDO AO ALCOOLISMO, AS DROGAS....EMITAM PENSAMENTO DE AMOR,PEDINDO A DEUS QUE O AMPARE TANTO,O ENCARNADO QUANTO O DESENCARNADO.
ÀS VEZES, SE TENS ALGUM TIPO DE OBSESSÃO, SÃO OS VOSSOS PENSAMENTOS.QUE ESTÁ A LHE CAUSAR,DIGAMOS,ESSE RELACIONAMENTO.SOMOS NÓS MESMOS OS RESPONSAVEIS,PELA OBSESSÃO QUE ESTAMOS,ATRAVÉS DOS NOSSOS PENSAMENTOS.DO QUE PENSAMOS.OU ATÉ PODEMOS ORAR,PELO IRMÃO,AINDA INFERIOR,QUE ESTÁ A VIVER DO SEU LADO.POIS ELE NÃO CONHECE,O AMOR.ENTÃO QUANDO PUDERES E TIVER OPORTUNIDADE,ORE POR ELE.ENVIE-LHE PENSAMENTO DE AMOR,MUITO AMOR.LUZ,PARA QUE ELE ENXERGUE O CAMINHO, QUE O LEVA A DEUS
.





Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 23:47

Olá amigos do pensamento!

Taprobana  Luzceano  e  ATHAYDE

Boa partilha    com carinho

perdoem a outra mensagem falhou

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 09 de Novembro de 2009, 23:55

Olá!

Olá amigo nelsonmt, li a mensagem. No mês passado no consciência andámos sempre à volta destes conceitos.

Um abraço amigo

vamos a participar

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luzceano em 10 de Novembro de 2009, 00:07
OI dim-dim

Voce não acha que tanto o pesamento como o sentimento podem ser maleficos quando utilizados de forma maldosa
E quando utilizados de forma boa sao beneficos e promovem nossa evolução
Por exemplo todas essas coisas boas que voce escreveu foram escrita com o seu pensamento aliado ao seus sentimentos

Muita paz muita luz
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 10 de Novembro de 2009, 00:14
Pois é meus caros amigos, tudo é uma ilusão...

Citar
dim-dim: Amigo por mim o avatar que mais gostei foi o do camelo! o Renato que diga de sua justiça!

Eu ainda fico com o "vendedor de melão", na porta do estádio, na hora da partida entre Porto X Palmeiras  :D

abçs,

Renato

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 10 de Novembro de 2009, 00:17
Olá!

É claro que ( acho ) sei amigo Luzciano não tem como ser de outra forma.

A verdade como a luz ou o amor como lhe queiramos chamar é sempre o mais simples.

Não vamos complicar com sentimentos e pensamentos fora do amor.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luzceano em 10 de Novembro de 2009, 00:24
concordo din-din
Gosto de voce, a luz esta nas coisas simples da vida
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Rafa em 10 de Novembro de 2009, 02:37
Tem alguns exemplos que considero clássicos e são, pra mim, muito esclarecedores quando refletimos sobre eles:

Quando no atemos ao cristianismo temos Jesus dizendo que uma pequena fé do tamanho do grão de mostarda, move montanhas. A fé nada mais é do que o nosso pensamento convicto, concentrado, perseverante.

Gosto do termo egrégora, afinal submete a origem dos nossos idiomas ocidentais, o grego (além do latim). Mas encontrei muitas outras formas de nomeá-la, como formas-pensamento, pensamentos em massa. Afinal, se nos atentarmos, sempre existiu e sempre vai existir inúmeras egrégoras que podem tanto nos beneficiar como nos prejudicar. É um dos ensinamentos do Cristo: "onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles". Podemos substituir facilmente palavra "reunidos" por "pensando".

Se recorrermos ao budismo, teremos a dissertação sobre a vontade e o desejo, que considero um cadenciamento do pensamento. Se nos atentarmos nas literaturas posteriores a Buda (praticamente todas as que li, com exceção do Tao e do Bhagavad Guita) os autores não confunde os dois conceitos e sempre associam pensamento a vontade não ao desejo, respondendo assim uma das primeiras questões colocada nesse estudo (Pensamento é desejar?).

No espiritismo, através de Alexander Aksakof, temos a animismo definido como manifestação da alma: é a maneira que nosso corpo rudimentar consegue expor o sublime da nossa própria alma. Como sabemos que ela é o princípio ativo no nosso corpo, quanto mais pensarmos de forma a aprender com isso, mais exercitamos nossa capacidade de melhorar nosso pensamento, ainda no corpo. Isso se reflete diretamente nos depoimentos que temos dos desligamentos do corpo, quando se emancipa o espirito e o véu do personismo cai por terra, ficando somente o nosso real, o que somos. O que realmente pensávamos se manisfesta nesse momento, sem máscaras, sem véu e num espelho cristalino, onde nos vemos como realmente somos, seres esses cultivados no pensamento que nos alimentou durante nossa existência sútil e física.

Também notei associações sobre pensamento, percepção e sentimento. Na minha opinião são consequências um do outro. Explico: para sentir, na plenitude do sentimento, seja bom ou ruim, tenho antes que ter percebido algo que me disperta o raciocínio e me faz pensar. Uma vez que concluo um pensamento, por menor que ele seja ou por mais rápida que seja a conclusão, isso gera um sentimento e pensamentos bem resolvidos para nós se tornarnam sentimentos permanentes. Sendo assim, quando simplesmente consigo sentir algo sem precisar elaborar um pensamento a respeito, como por exemplo o amor de filhos e pais, é porque aquele sentimento já está consolidado mas, anteriormente a este sentimento, ele precisou ser percebido e pensado.

E, sem querer gerar polêmicas, vou deixar minha impressão sobre o espiritismo, do qual leio sempre suas obras e respeito muito. Pra mim, Kardec foi um enviado que teve a missão de trazer ao ocidente materialista, o lado oriental da vida. Não que o Oriente é perfeito, mas estava espiritualmente mais envolvido com o Universo. Um exemplo simples do que digo é que no oriente não se define Deus como fez Michelangelo numa pintura. Para eles é algo inconcebível. Para o ocidente, Deus era palpável, tanto que ao sermos criados a sua imagem e semelhança, caracterizamos Deus com um corpo físico. O Espiritismo veio trazer esse lado espiritual do oriente e agregou a isso a caridade. Kardec mostrou pra que veio quando concluiu que fora da caridade não há salvação.

O estudo que os espíritas tanto se vangloriam de ter é muito importante, concordo, mas sem a prática atrelada a este estudo, ele se torna inútil. A melhor maneira de exercitarmos o nosso pensamento em busca de algo melhor é associarmos o estudo à prática, e conseguirmos tirar nossas próprias conclusão disso tudo.

Portanto, devemos nos ater aos nossos pensamentos para podermos nos conhecer. Sermos sinceros e honesto pelo menos conosco, pois só assim poderemos perceber, refletir e concluir nossos pensamentos claramente, em busca de nossos objetivos.

Muito obrigado pelo espaço.

Fiquem em Paz.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: MARIADCHAVES em 10 de Novembro de 2009, 03:07
oi o nosso pensamento e como nosso guia se pensamos coisas boas fazemos coisas boas e vice versa
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luzceano em 10 de Novembro de 2009, 10:49
Oi Rafa concordo com o que voce disse
Kardec foi mesmo um enviado e foi enviado por Jesus, Kardec é o consolador prometido

1. O Evangelho de João registra da seguinte forma a promessa de Jesus relativa ao Consolador: "Se me amais, guardai meus mandamentos. E rogarei a meu Pai e ele vos dará  outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco: o Espírito da Verdade que o mundo não pode receber, porque não o vê e absolutamente não o conhece. Mas, quanto a vós, conhecê-lo-eis, porque ficará  convosco e estará em vós" (João, 14:15 a 17).

2. Um pouco mais adiante, o mesmo Evangelista atribui a Jesus as seguintes palavras: "Eu vos tenho dito estas coisas enquanto permaneço convosco. Mas o Paráclito, o Santo Espírito, que meu Pai vos enviará em meu nome, vos ensinará  todas as coisas e vos fará  lembrar o que vos disse" (João, 14:25 e 26). (N.R.: Paráclito ou paracleto significa mentor, defensor, protetor.)

3. Verifica-se por essas palavras que o Consolador prometido por Jesus, também chamado de Santo Espírito e de Espírito da Verdade, seria enviado à Terra com a missão de consolar, lembrar o que ele dissera e ensinar todas as coisas.

4. O Consolador, como Espírito da Verdade, teria, pois, de dar ao homem o conhecimento de sua origem, da necessidade de sua estada na Terra e do seu destino, espalhando por todo o lado a consolação que advém da fé e da esperança.

Este texto não é de minha autoria

 Muita paz muita luz
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luzceano em 10 de Novembro de 2009, 11:49
"Somos donos de nossos atos, mas não donos de nossos sentimentos; Somos culpados pelo que fazemos, mas não somos culpados pelo que sentimos; Podemos prometer at..." com relação a este poema de Mario quintana poderemos ser "punidos"por certos pensamentos?
ou so somos responsáveis pelo q fazemos?

muita paz

Vou tentar responder de acordo com o que eu aprendi

Se somos donos de nossos atos, nos tambem somos donos de nossos sentimentos, poque nos sentimos o mundo que nos criamos a nossa volta atraves de nossos atos
Seremos punidos por nossos maus pensamentos se nos o alimentarmos ou continuarmos a pensar no mal ( é normal que um mal pesamento surja em nossa mente, o mal esta em continur a pensar naquilo )


Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 10 de Novembro de 2009, 12:05

Olá amigos do pensamento!

É isso tudo amigo Luzceano, também gostei da mensagem do Rafa.

Quando somos governados pelo sentimento do amor e nos sentimos iguais a um insecto ou ao universo, temos a verdade do nosso lado, Deus.

Nunca mais temos que temer nada meu amigo pois é uma verdade transcendente, irrefutável. O protetor ou benfeitor tudo fará para que assim seja.

A luz não se pode revoltar contra a luz!

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luzceano em 10 de Novembro de 2009, 12:29
Olá amigos do forum!

Quero propor uma questão em cima do estudo.
Qual o caminho mais indicado para se chegar a um objetivo:

Através da fé = sentimento        
 
           ou

Através do pensamento = imagem

Um independe do outro? Ou tem de estar necessáriamente interligados?

Abraços fraternos do Fraterno  ;)

Pra mim o caminho mais indicado para se chegar a um objetivo e ligar os bons sentimentos com os bons pensamentos pois como disse nosso amigo Rafa e tambem nosso amigo Chico e Emanuel quando nos sentimos, siguinifica que nos atraimos e quando nos atraimos nos geramos um pensamento para sabermos se o que atraimos é bom ou ruim é assim podemos escolher as coisas boas que permitem realizar os nossos objetivos

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 10 de Novembro de 2009, 13:14

Olá amigos do pensamento!

Esta é uma mensagem que bem podia chamar-se Fórum Espírita.

Andamos aqui a falar de amor e verdade o que é extremamente salutar para nos entendermos.

Mas quantas vazes não estamos por aí a enviar mensagens ( às carradas sem lermos tampouco o que os outros disseram ) sem esclarecer nada nem ninguém.

Nem temos o cuidado de as formatar convenientemente.

Consciência reflexão!

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 10 de Novembro de 2009, 18:40
Olá a todos os amigos e amigas do Fórum.


Para atingir um estado de bons sentimentos regado de felicidade plena, precisamos estar numa condição evolutiva favorável bem conquistada, pois nossa imperfeição não nos deixam ainda, atingir esse estado de felicidade, sem antes escorregarmos pelas formas pensamento que nos são suje ridos ou criados de acordo com nossa vibração e evolução.
Continuo minha jornada em constante aprendizado e tropeçando bastante mas a cada tropeço,  levanto-me com mais força para continuar minha trajetória estudando e principalmente juntamente com todos que aqui, nos deixam suas mensagens, saibam que sou uma grande curiosa para entender esse processo que é o ( pensamento), ele é o vilão da minha vida ultimamente, por isso foi que o escolhi como estudo de Novembro, para poder me aproximar um pouco mais desse assunto, que no fundo apesar de todas as informações que nos é dada através da doutrina, e outras correntes, penso que é limitado por ser  as coisas de Deus..


Beijussssss carinhosos a todos daqui.

Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Laurikytta em 10 de Novembro de 2009, 20:18
 Pensamento e nós     
       Certo dia, ao chegar da escola, o pequeno Zeca entrou em casa batendo forte os pés no assoalho.
        Seu pai, que saía para o quintal a fim de fazer alguns serviços na horta, ao ver aquilo chamou o menino para uma conversa.
        Zeca, de oito anos de idade, o acompanha um tanto desconfiado.
        Porém, antes que seu pai dissesse alguma coisa, o menino falou irritado:
        Pai, estou com muita raiva! O Juca não deveria ter feito aquilo comigo!
        Eu desejo tudo de ruim para ele.
        Seu pai, um homem simples, mas portador de grande sabedoria, escuta calmamente o filho que continua a reclamar:
        O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Eu não aceito isso! Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir para escola.
        O pai escuta calado o desabafo do filho, enquanto caminha até um abrigo, onde guardava um saco cheio de carvão.
        Tomou o saco de carvão e pediu ao menino que o acompanhasse até o fundo do quintal. O menino o acompanhou, sem entender bem o que estava acontecendo.
        O pai abriu o saco e, antes mesmo que o filho pudesse fazer alguma pergunta, propôs algo:
        Filho, está vendo aquela camisa branquinha estendida ali no varal para secar? Pois bem, faça de conta que ela é o seu amiguinho Juca, e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu, endereçado a ele.
        Quero que você jogue todo esse carvão naquela camisa, até o último pedaço, como se fosse tiro ao alvo. Quando terminar, avise-me, que eu volto para ver como ficou.
        O menino achou a brincadeira divertida e pôs mãos à obra. Todavia, o varal com a camisa estava longe, e por esse motivo, poucos pedaços acertavam o alvo.
        Após mais ou menos uma hora, o garoto concluiu a tarefa e gritou por seu pai.
        O pai aproximou-se devagar, olhou para a camisa e perguntou:
        E então, filho, como está se sentindo agora?
        O filho respondeu prontamente:
        Estou cansado mas feliz porque acertei muitos pedaços de carvão no Juca, quero dizer, na camisa.
        O pai olhou para o menino, que ficou sem entender a razão daquela brincadeira, e lhe falou com carinho:
        Venha comigo até meu quarto, quero lhe mostrar uma coisa.
        Ambos se dirigiram até o quarto e o menino foi colocado na frente de um grande espelho, onde pôde ver seu corpo por inteiro.
        Que susto! Só se conseguia enxergar seus dentes e seus olhinhos.
        Então o pai lhe disse com ternura:
        Filho, você viu que a camisa quase não sujou, mas olhe para você...
        O mal que desejamos aos outros é como o que lhe aconteceu. Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos maus pensamentos, a borra, os resíduos, a fuligem, ficam sempre em nós mesmos.
        Zeca sorriu envergonhado e falou:
        Vou tomar um banho e depois... lavar uma certa camisa.

*   *   *

        Quando um pensamento infeliz sai da nossa mente, abre espaço para ali se instalarem miasmas de enfermidades.
        Ao contrário, quando nossos pensamentos são nobres, é como se suave bálsamo penetrasse nossa alma, inundando-a de tranqüilidade e paz.

        Pensemos nisso.



Redação do Momento Espírita, com base em história
publicada na Revista Espírita Allan Kardec,
nº 34, ano IX.
Em 18.08.2008.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 10 de Novembro de 2009, 20:51
Olá Laurikytta

Que linda e oportuna história nos trouxe.

E é mesmo assim, eu posso confirmar. Eu aprendi às minhas próprias custas o que essa história significa. E foi o espiritismo que me abriu os olhos para a necessidade de perdoar.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Laurikytta em 10 de Novembro de 2009, 23:53
Olá Vitor!

Concordo quando diz: " Eu aprendi às minhas próprias custas o que essa história significa. E foi o espiritismo que me abriu os olhos para a necessidade de perdoar".

Tenho tbm aprendido muito com essa doutrina de Luz... Ela tem ampliado meus horizontes da mente! Essa história tbm comprovei, como a ti, na prática... Bom, nada melhor do que a prática para tornar nosso aprendizado mais eficaz!!!...não é?!... rsrs...

Bjus... Laurikytta!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: hcancela em 10 de Novembro de 2009, 23:55
Olá amigos(as)

Para desanuviar um pouco, deixo-vos um conjunto de pensamentos interessantes. :-* :-*


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Laurikytta em 11 de Novembro de 2009, 00:02
    Pensamento e ação

        Conta a literatura Zen-budista que um discípulo acompanhava seu mestre numa caminhada que os levaria a um rincão distante, onde passariam a noite.
        Conversavam tranqüilamente enquanto andavam a passos cadenciados, quando se detiveram diante de uma ponte que havia caído.
        Observaram por alguns minutos a situação e perceberam que, se quisessem prosseguir, teriam que atravessar pelo leito do rio.
        Testaram a profundidade e perceberam que seria possível atravessá-lo, embora tivessem que fazê-lo com a água pela cintura.
        Ao se prepararem para a travessia, uma voz desesperada de mulher fez com que ambos se detivessem.
        A mulher também precisava atravessar o rio, mas não se sentia em condições de enfrentar os perigos da correnteza.
        Discípulo e mestre se entreolharam e, após alguns momentos, o mestre tomou a mulher em seus braços e adentrou no rio a passos firmes.
        O discípulo, um tanto assustado, seguiu-os.
        Chegando à outra margem, a mulher agradeceu comovida o gesto do seu benfeitor, despediu-se e se foi.
        Novamente discípulo e mestre caminharam a sós, por quase toda a tarde, trocando apenas algumas palavras.
        Chegaram ao local onde passariam a noite. Quando se recolheram para dormir, o discípulo muniu-se de coragem e perguntou ao mestre:
        Senhor, desculpe minha intromissão, mas gostaria de uma explicação. O senhor carregou uma mulher nos braços e isso é contra nossos princípios. O que o senhor tem a dizer?
        O mestre contemplou o discípulo com olhar sereno e aproveitou para lhe ministrar um grande ensinamento:
        Meu filho, eu carreguei a mulher nos braços de uma margem à outra do rio e a deixei lá, e você a conservou no pensamento até agora. Quem de nós feriu os princípios?
        O discípulo abaixou a cabeça e, um tanto retraído, pediu permissão para se recolher.

                                                    *   *   *

        Muitas vezes, sem mais detidas reflexões, costumamos agir como discípulo inexperiente.
        Percebemos uma situação que, aos nossos olhos, merece repúdio e não hesitamos em lançar o veneno da calúnia sobre os que pensamos agirem em desacordo com os nossos princípios.
        As Leis Divinas, que são de amor e justiça, julgam sempre pela intenção e não pelas aparências.
        Assim sendo, é importante que prestemos atenção às mais secretas intenções que movem os nossos atos.
        Nós até podemos mascarar, aos olhos dos homens, o móvel das nossas ações, mas as Leis Divinas jamais conseguiremos enganar, por estarem escritas em nossa consciência.

                                                 *   *   *

        Jesus tratou desse tema, quando falou do adultério por pensamento.
        O Mestre de Nazaré deixou bem claro que o que é levado em conta pelas Leis de Deus é o nosso pensamento, ou seja, os sentimentos que agasalhamos no fundo da alma.
        Dessa forma, vale a pena ficarmos mais atentos aos nossos pensamentos e atos, do que nos dos outros, porque Jesus também assegurou que cada um de nós responderá por si, e não pelos outros.


Redação do Momento Espírita, com base em história narrada em palestra pública pelo orador espírita Divaldo Pereira Franco.
Em 11.07.2008.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: sirena em 11 de Novembro de 2009, 01:12
Segundo estudos acerca desse assunto temos cerca de 50 mil pensamentos a cada dia, o que nos leva a crer que ativamos a nossa imaginação sempre. Segundo o terapeuta transpessoal  Todashi Kadomoto, em seu livro Ninguém Tropeça em Montanha, uma pesquisa feita nos Estados Unidos sobre o tema e revela dados importantes: 40% de nossas preocupações dizem respeito a fatos que jamais acontecerão; 30% relacionam-se com coisas que já aconteceram; 12% referem-se a questões de saúde; 10% são sobre assuntos insignificantes; 8% das preocupações têm base real.
A conclusão desse estudo é a de que desperdiçamos muito tempo pensando em temas de pouca importância, ou seja, que não trarão benefícios para nós ou para as pessoas que fazem parte da nossa vida. Portanto, devemos reeducar nossos pensamentos usando a máxima de Jesus Cristo “ Orai e vigiai”.

Com base em artigo publicado na Revista Cristã de Espiritismo, edição 24

Muita paz!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 11 de Novembro de 2009, 11:53
    Mente e Corpo.
Olá meus grandes mais Uma simples pergunta para embasar mais um pouco a questão:

         A MENTE CRIA O CERÉBRO, OU O  CERÉBRO CRIA A MENTE?

Pela visão reflexionista o pensamento vem da capacidade de estar consciênte, ou seja o pensamento é um efeito de estar consciênte ou vise-versa?

     Neste parametro se ve que, de uma forma ou outra, nossa realidade fluidica é muito que complexa, (claro, ainda somos que crianças) deste modo se percebe na fundição entre e pensar e ser consciênte.

     Ser consciênte é ter noção de ser, existir, então sentido isso eu escolho (livre-arbitrio) e nesta forma se apercebe-se que o pensamento toma espaço, pois quem escolhe é o nosso simples mas glorioso ato de pensar.

    "SOMOS TUDO O QUE PENSAMOS. COMO NOSSOS PENSAMENTOS CRIAMOS O MUNDO."
                       BUDA.

          Com esta frase poder refletir um pouco mais. Este grande ser Buda afirma que nosso pensamento é poder e que nossa realidade material é nada mais que um resultados de pensamentos. Ou seja, uma verdade, pois nossa realidade mateiral é nada mais que energia densa mas bem densa, sendo neste plano a realização mais densa do pensar. Buda afirma que podemos conquistar tudo pelo simples ato do pensar, mas o pensar com o coração. A fisica quantica explica a crição do nosso universo através do Big Bang, sim, eles afirmam que essa explosão ocorreu por causa de uma reação de um plano Quadridimensional que entrou em coalizão de formas desconhecidas, assim deste efeito foi liberdado o fluido Universal, o qual formou o hidrogenio....Assim a energia fluidica tornou-se grosseira.

                           POR ISSO PENSE O AMOR E SERÁS O AMOR.
                           PENSE A ALEGRIA E SERÁS A ALEGRIA.
                           PENSE EM DEUS E SERÁ PREENCHIDO POR DEUS.



Muiot obrigado,
desculpe-me de excessos.
DEUS ESTÁ CONOSCO. BJS.

      Mas no relato de que devemos nós pensar com o coração começo eu outro assunto, nossos sentimentos são resultado do pensar, ou seja, um feed back, pensamos e nosso sentimentos e emoções nos dizem a respeito da elevação ou inferiorização do nosso pensar.








                                
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 11 de Novembro de 2009, 12:31
Olá

Os últimos posts têm sido para mim um ensinamento para a mente, um consolo para o coração e uma maravilha para a vista.

Registo em especial o do amigo Cancela que, não desfazendo nos outros, é uma colecção tão rica de pensamentos de tantos sábios que passaram neste mundo. A verdadeira inteligência não nos faz negar Deus, mas compreende-lo um pouco melhor.

Por favor, continuem!

bem hajam
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 11 de Novembro de 2009, 12:57
Boa tarde.

Rafa:
Citar
Tem alguns exemplos que considero clássicos e são, pra mim, muito esclarecedores quando refletimos sobre eles:

Quando no atemos ao cristianismo temos Jesus dizendo que uma pequena fé do tamanho do grão de mostarda, move montanhas. A fé nada mais é do que o nosso pensamento convicto, concentrado, perseverante.

A fé é um processo racional suportada naquilo que o nosso princípio inteligente conclui como sendo verdade tendo em conta um determinado universo mental que caracteriza o indivíduo que por sua vez é gerado através da percepção que tem do mundo que lhe é descrita pelos sentidos externos do corpo, como também por aquilo que lhe é sugerido pelos seus sentidos internos nos quais estão incluídos as emoções, o sentimento, a consciência de si, o pensamento e a razão.

Sendo certo que sabemos de que forma chegam ao cérebro estímulos provenientes através da visão, da audição, do olfacto, do gosto, ou do tacto, já aqueles que desencadeiam os processos dos seus sentidos internos, não sendo possível determinar de forma empírica a sua causalidade, abre caminho para que a suspeita de ser o espírito, a alma ou o principio inteligente da matéria, conforme for mais aprazível ser denominado, o responsável pelo desencadear destes processos vulgarmente designados pela imaginação ou pela capacidade que o Homem tem de criar.

No entanto, não podemos ignorar o facto que a manifestação deste tipo de sensibilidade está dependente da disponibilidade que a matéria oferece para que a sua concretização seja viável, ou seja, da mesma forma que os olhos são indispensáveis para ver, também determinados sistemas cerebrais e que estão identificados de forma empírica, são indispensáveis para que o Homem tenha a capacidade de manifestar as suas emoções e sentimentos, para que lhe seja possível ter consciência de si, para que possa “ver” as imagens provenientes do seu processo imaginativo, para que possa pensar e utilizar a sua faculdade racional ou inteligente que lhe permite entre outros inúmeros atributos que o caracterizam ser ou não um Homem de fé.

Assim, no que à vida diz respeito, não é de todo possível conceber a alma no sentido cartesiano do termo, ou seja, quando a morte acontecesse, deixam de existir todos estes suportes que são garantes indispensáveis para a existência do Homem enquanto ser racional concebido de acordo com aquilo que conhecemos ser, ou seja, a manifestação desse princípio inteligente quando liberto da matéria, terá forçosamente de ser levada a cabo através de outro tipo de realidade, e a esta questão a doutrina espírita responde com uma sustentabilidade cognoscível surpreendente.

Claro que os seus pressupostos são ainda especulativos quando confrontados com a vida, no entanto, a ciência através da física quântica e através da astronomia, caminham num sentido convergente para a existência dos principais elementos indispensáveis que sustentam a sua verdade, ou seja, tanto as propriedades quânticas da matéria como a aparente inevitabilidade da existência de matéria não bariónica (não fundamentalmente constituída por protões e neutrões), são perfeitamente compatíveis com os atributos dados ao espírito, perespirito e ao fluido cósmico universal revelados na doutrina espírita.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 11 de Novembro de 2009, 13:43
Rafa:
Citar
Gosto do termo egrégora, afinal submete a origem dos nossos idiomas ocidentais, o grego (além do latim). Mas encontrei muitas outras formas de nomeá-la, como formas-pensamento, pensamentos em massa. Afinal, se nos atentarmos, sempre existiu e sempre vai existir inúmeras egrégoras que podem tanto nos beneficiar como nos prejudicar. É um dos ensinamentos do Cristo: "onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles". Podemos substituir facilmente palavra "reunidos" por "pensando".

É indesmentível a verdade acerca da possibilidade de identificar uma clara identidade que caracteriza uma sociedade. No entanto, o acto de transformar uma identidade numa entidade carece de uma observação mais detida.

Tendo em conta aquilo que expus na minha anterior intervenção neste tópico, a existência da Egrégora é neste momento ainda impossível de ser determinada através da observação da vida.

Podem dizer: Pois é Taprobana, mas tu disseste que a vida não é só aquilo que os nossos sentidos externos nos fazem querer que é, mesmo que os sentidos internos estejam dependentes da matéria para serem experimentados, nada disso implica que não seja possível a existência de formas-pensamento, tanto individuais como resultado do somatório da vontade colectiva.

Se assim o fizerem afirmam uma verdade indesmentível, é possível que assim seja, no entanto transformar uma suspeita numa verdade que sustenta a nossa própria vida e que condiciona o nosso universo de vontade, cujas consequências estão expressas muitas das vezes numa atitude auto-mutiladora é pouco recomendável na perspectiva da vida.

Por outro lado, é também perfeitamente possível que o Egrégora não seja um entidade, mas sim nada mais do que o resultado dos processos imensamente poderosos que a linguagem como forma de comunicação tem para a caracterização de uma cultura. Isso é evidente ao nível da organização social no nosso planeta. A impossibilidade de comunicar através da palavra é a responsável primeira para que a identidade cultural dos povos se concretize.

Esta evidência está também ela expressa no fenómeno de globalização que se observa no planeta consequência do derrube de barreiras até aqui intransponíveis que se afiguravam sob a forma de distância e sob a forma de analfabetismo.

No entanto também pode acontecer que ambas as convivam em simultâneo, no entanto a primeira deverá estar arquivada no local que lhe é devido ou seja na pasta das hipóteses que aguardam confirmação por parte da vida e a segunda como um facto indesmentível perante a vida (entre outros mais que não nomeei que se somam à linguagem como factor caracterizante de uma sociedade).

Se até lá não for possível nesta encarnação responder de forma satisfatória a este tipo de questões filosóficas, com toda a certeza teremos tempo de o fazer quando desencarnarmos e então legitimamente observar a morte com os sentidos da própria morte. (Claro que alguns, teimosos e eternamente insatisfeitos com aquilo que as coisas lhe proporcionam vão andar por lá a especular acerca do que é a vida, aposto!  :D )

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Jorge em 11 de Novembro de 2009, 14:35
Olá amigos(as)

Para desanuviar um pouco, deixo-vos um conjunto de pensamentos interessantes. :-* :-*


SAUDAÇÕES FRATERNAS

Grande Cancela  ;)

Realmente um balão de oxigénio ...  :D

Quão gratificante foi ver essas belas fotos de borboletas ...

By the way, ainda há pouco meditava no bailado de algumas borboletas num campo perto do meu emprego e me questionava: Onde acaba o instinto e começa a inteligência destes belos insectos?

O vento soprava forte mas as borboletas contornavam inteligentemente este obstáculo pois imprimiam diversos rumos, segundo suas vontades, para manter as suas belas posturas de voo!
Pensava então eu: - Ahhh ... isto é impossível ter surgido do nada ou de uma simples grande explosão térmica ...

De repente, olhava para o céu e algumas gaivotas voavam rumo ao mar, e admirado via que as mesmas se alinhavam num "V" perfeito (esta situação tem um nome que não me lembro agora) e esse "V" terá a sua razão de existir, pensava eu! Quem teria ensinado isto a esses pássaros que dominam a arte do voo como nenhum outro?

Já repararam na graciosidade do voo de uma gaivota independentemente das condições climatéricas? Mantêm sempre uma suavidade de voo profundamente admirável!

Instinto? Inteligência? Onde acaba um para começar o outro?

Pensava eu então que a incomensuravel sabedoria do Criador da Vida está impressa em tudo e após este pensamento resolvi regressar atento ao chão, não fosse eu esmagar algum insecto onde estivesse impressa essa Infinita Sabedoria de Deus!  :D

Amigo hcancela, obrigado por partilhares esse belo pps!  :)

Grande Vitor, mais uma vez, em sintonia ...  :)

Abraços.
Jorge
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 11 de Novembro de 2009, 14:38
D@n
Citar
A MENTE CRIA O CERÉBRO, OU O  CERÉBRO CRIA A MENTE?

Pela visão reflexionista o pensamento vem da capacidade de estar consciênte, ou seja o pensamento é um efeito de estar consciênte ou vise-versa?

Sendo a visão reflexionista por auto-definição uma forma de observar a coisas baseadas no método científico convencional, parto do princípio que o discurso que suporta toda a argumentação metafísica da vida é assumidamente do domínio da especulação pura pois caso contrario estaríamos perante um paradoxo inconcebível.

Esta questão que o d@n levanta é interessante quando abordada numa visão kantiana da inversão da relação objecto observador.

No entanto, ao contrario daquilo que acontece na critica da razão pura, aqui a minha razão está bloqueada numa aparente irracionalidade.

A proposta de que as coisa se passem na matéria barionica de forma idêntica ou que André Luiz descreve através de Francisco Xavier que acontece no mundo fluidifico da morte, terá de responder a esta questão básica: de que forma a vida seria possível ser explicada como o resultado do somatório de todas as forças criativas que a vontade individual expressa de forma distinta? Ou seja como um conjunto de mentes que convivem num espaço determinado criem um mundo comum onde todas convivem socialmente?  :-\

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 11 de Novembro de 2009, 17:24
Citar
A proposta de que as coisas se passem na matéria barionica de forma idêntica ou que André Luiz descreve através de Francisco Xavier que acontece no mundo fluidifico da morte, terá de responder a esta questão básica: de que forma a vida seria possível ser explicada como o resultado do somatório de todas as forças criativas que a vontade individual expressa de forma distinta? Ou seja como um conjunto de mentes que convivem num espaço determinado criem um mundo comum onde todas convivem socialmente?

Aqui vai mais um exercício da razão especulativa:

No entanto, o mesmo tipo de questão se coloca quando lemos as descrições que André Luiz faz da vida no mundo da morte.

Assim, é realmente difícil de conceber de que forma a realidade em que vivem cada um espíritos tendo em conta que, segundo os relatos dos mesmos em obras tidas como complementares, e também segundo aquilo que esta descrito na obra da codificação espírita, essa mesma realidade é construída segundo aquilo que a vontade de cada um determina, sendo que as propriedades da matéria subtil permitem que exista uma interacção entre espírito e fluidos de forma a tornar tangível aos sentidos do espírito o mundo em que ele habita.

É isto que serve de base de sustentação aquilo que é descrito na obra “O céu e o inferno”, ou seja, consoante o estado em que se encontra o “mundo mental” do espírito assim é determinada a realidade que o envolve.

Partindo deste pressuposto, ou seja admitindo que é assim que as coisas se passam, é perfeitamente lógica a possibilidade de cada um dos espíritos viver num mundo que lhe é completamente particular, ou seja, a possibilidade de não existir qualquer tipo de relação social em as almas.

Se estas hipóteses fossem verdade, aos relatos por exemplo de André Luiz, corresponde o seu mundo particular, onde mesmo as personagens que com ele interagem somente existem fruto da sua própria vontade, do seu pensamento, ou seja, o mundo dos mortos seria uma experiencia algo semelhante aquilo que experimentamos quando sonhamos.

No entanto, a doutrina espírita, afirma que fruto do processo evolutivo da alma, chega o dia em que esta interdependência entre espírito e matéria que sustenta ambas as existências, deixa de ser necessária, ou seja, o espírito não mais encarna e não mais necessita do seu invólucro perespiritual, ou seja, passaria a habitar o mundo divino, tendo finalmente adquirido a sua própria identidade enquanto ser imortal, perfeito e semelhante a Deus, tendo então consciência de si enquanto ser que se encontra para além do mundo dos vivos e dos mortos.

Assim, este exercício levaria às seguintes suspeitas:

- O mundo dos vivos é uma experiencia social.
- O mundo dos mortos é uma experiencia privada.
- O mundo dos “deuses” (ou dos anjos ou dos espíritos superiores, ou dos santos, ou dos profetas, ou dos etc,) existe para além da vida e da morte e seria para aí que os espíritos evoluiriam inevitavelmente a partir da fase em que neste momento se encontram.

Podem perguntar: Olha lá ò Taprobana e então a mediunidade o que é hein?

É uma realidade tão empírica como qualquer outro sentido da vida. É sem dúvida do domínio da mente, ou seja é um sentido interno que o espírito encarnado experimenta, que por hipótese, tanto pode ser uma forma de tornar consciente a identidade alargada do seu princípio inteligente, ou seja, de tornar conscientes experiencias que a sua própria existência lhe proporcionou desde que foi criado por Deus, como pode ser também uma forma de comunicação entre espíritos quer estejam encarnados ou não.

Ah… pois…  então o mundo dos mortos não é privado? Estás a contradizer-te! - Podem com legitimidade afirmar.

Pois meu amigos… é aqui que se encontra ancorada a minha ignorância. De facto se o mundo dos espíritos fosse uma realidade completamente privada, poderiam de alguma forma manifestarem-se através da mediunidade que é um processo social?

A resposta seria sim, desde que esses espíritos tenham também eles uma forma de mediunidade ou seja a capacidade de experimentar sensações provenientes de fora do seu próprio mundo mental.

Assim existiriam três atributos daquilo que constitui a mediunidade:
- A possibilidade de comunicar com o mundo divino. (Revelações)
- A possibilidade de comunicar entre os universos privados dos espíritos. (“Conversas” sociais)
- A possibilidade de obter uma consciência alargada de si para além dos limites da vida presente. (O sentir de que a Susana por aqui nos “ensina”, ou seja a tal frase “Saber não é sentir”)

A observação da forma como o espiritismo justifica a vida e a morte é de uma consistência tal em termos cognoscíveis e racionais que terá de estar para além deste tipo de suspeita, ou seja, tem de haver uma forma da razão especulativa o justificar.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 11 de Novembro de 2009, 17:35
Olá a todos do Fórum.

Amigos e com muito carinho e atenção que leio todas as mensagem aqui postadas, pois a proposta é se Estudar em conjunto sobre o tema ( pensamento), o qual nos faz unirmos em bons sentimentos emoções, colocando a vista de todos aqueles que se interessam em estudar mais a fundo sobre o tema proposto, sei que cada pessoa tem sua preferência em temas que foge as vezes, um pouco da proposta da codificação Espírita, mas devo acrescentar também, que se a união for para o mesmo ideal a fim de se conquistar conhecimento sabedoria com raciocínio lealdade humildade moralidade e sentimentos positivos sobre a questão, peço a Deus e todos os mentores que nos assistem para nos amparar e nos elevar como verdadeiros irmãos e dar seqüência a esse, e a novos estudos que ainda estão para vir.

Abraço forte a todos.

Zeni.


O pensamento, força viva e atuante, cuja velocidade supera a da luz.

Para os Espíritos, o  pensamento e a vontade são o que é a mão para o homem.

O processo pelo qual se opera o fenômeno  pensamento é problema que a ciência oficial não pôde até hoje desvendar.


Quando o  pensamento está em alguma parte, a alma também aí está, pois que é a alma quem pensa.  O pensamento é um atributo


“Credes que a faculdade de pensar reside no perispírito? É absolutamente como se perguntásseis se o pensamento reside no vosso corpo.”


Poder-se-á conceber o Espírito sem a matéria e a matéria sem o Espírito?
"Pode-se, é fora de dúvida, pelo  pensamento."   
O pensamento é, sem dúvida, força criadora de nossa própria alma e, por isto mesmo, e a continuação de nós mesmos. Através dele, atuamos no meio em que vivemos e agimos, estabelecendo o padrão de nossa influência, no bem ou no mal.
- André Luiz
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 11 de Novembro de 2009, 18:06
Olá

Citar
Amigos e com muito carinho e atenção que leio todas as mensagem aqui postadas, pois a proposta é se Estudar em conjunto sobre o tema ( pensamento), o qual nos faz unirmos em bons sentimentos emoções, colocando a vista de todos aqueles que se interessam em estudar mais a fundo sobre o tema proposto, sei que cada pessoa tem sua preferência em temas que foge as vezes, um pouco da proposta da codificação Espírita, mas devo acrescentar também, que se a união for para o mesmo ideal a fim de se conquistar conhecimento sabedoria com raciocínio lealdade humildade moralidade e sentimentos positivos sobre a questão, peço a Deus e todos os mentores que nos assistem para nos amparar e nos elevar como verdadeiros irmãos e dar seqüência a esse, e a novos estudos que ainda estão para vir.

Tem toda a razão, amiga. Assim seja!

As suas palavras são sábias e bons conselhos para todos nós. E a sua oração será ouvida, porque decerto foi dita com o coração aberto.

A opinião pessoal de cada um é só a opinião pessoal de cada um, não vincula os outros.

O ideal é cada um sentir-se livre para pensar, sem se sentir oprimido pelas ideias alheias e estudar por si mesmo, para evitar o diz que disse. Muito ruido evitaremos. Muito tempo pouparemos para colocar aqui mais coisas bonitas e inspiradoras para todos nós.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Jorge em 11 de Novembro de 2009, 18:11
O ideal é cada um sentir-se livre para pensar, sem se sentir oprimido pelas ideias alheias e estudar por si mesmo, para evitar o diz que disse. Muito ruido evitaremos. Muito tempo pouparemos para colocar aqui mais coisas bonitas e inspiradoras para todos nós.


Deveria haver aqui um bonequinho a acenar com a cabeça para cima e para baixo e a dizer: sim senhor, sim senhor ...  ;)

Eu gostaria de colocar esse bonequinho aqui ...

Fica aqui o alerta para a administração do fórum!  ;)

Abraços.
Jorge
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 11 de Novembro de 2009, 18:34
Olá a todos os amigos e amigas do Fórum.


A residência da alma permanece situada no manancial de seus próprios pensamentos.
 
Emmanuel

        Nosso espírito residirá onde projetarmos nossos pensamentos, alicerces vivos do bem e do mal.  Por isto mesmo, dizia Paulo, sabiamente: - "Pensai na coisas que são de cima."
 
Emmanuel

        Pensar é criar. A realidade dessa criação pode não exteriorizar-se, de súbito, no campo dos efeitos transitórios, mas o objeto formado pelo poder mental vive no mundo íntimo, exigindo cuidados especiais para o esforço de continuidade ou extinção.
 
Emmanuel

Abraço forte a todos.

Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Marta81 em 11 de Novembro de 2009, 19:02
FELICIDADE

O Homem está incessantemente á procura da felicidade, que lhe escapa a todo o instante,
porque a felicidade sem mescla não existe na Terra.
Entretanto, apesar das vicissitudes que formam o inevitável desta vida,ele poderia pelo menos gozar de uma felicidade relativa.
Mas ele a procura nas coisas superficiais,nos gozos materiais, em vez de ir buscar nos gozos da alma, que constituem uma antecipação  das alegrias celestes.
Em vez de ir buscar a paz do coração, única felicidade verdadeira neste mundo, ele procura com avidez tudo o que pode agita lo e perturba lo.Parece criar de propósito os tormentos,
que só a ele cabe evitar.
Haverá maiores tormentos do que os causados pela inveja e o ciúme?
Para o invejoso e o ciumento não existe repouso...sofrem ambos de uma febre incessante.
Os sucessos dos rivais lhe provocam vertigens,toda a sua alegria consiste em provocar nos insensatos como eles,a cólera do ciúme.

Tema para Estudo: (  O PENSAMENTO )

Trago um tema o qual tenho muito a aprender sobre este verdadeiro tesouro nos deixado por Deus, que para mim em particular, é uma função muito importante no espírito, dos encarnados e desencarnados.

SEGUE ALGUMAS PERGUNTAS:
O que é o pensamento?
Pensar é desejar?
Qual a origem do pensamento?
Qual a função do pensamento no perispírito?
O pensamento positivo ou negativo influência n o desenvolvimento espiritual e moral?

"A FORÇA DO PENSAMENTO INFLUENCIA O PRÓPRIO DESTINO HUMANO.

 O ato de pensar é um dos mais poderosos recursos do indivíduo; é a própria capacidade da mente de transfortmar ondas energéticas, dando-lhes solidez, forma e sentido. A matéria mental é o instrumento sutil da vontade, atuando na manutenção e na estrutura do corpo físico."
Hammed / Francisco do Espírito Santo Neto

 Lendo alguns testos na internet estava este (A MENTE HUMANA E SEU PODER DE REALIZAÇÃO)
O que você grava na mente subconsciente, está programado para se tornar realidade física. O pensamento dá a ordem e o subconsciente cumpre. Por isso, você é o resultado dos seus pensamentos. Seu pensamento é sua verdadeira oração. Todo pensamento que o subconsciente aceita como verdadeiro, ele move céus e terra para realizá-lo.

O PODER DE PENSAR

Como é o pensamento que aciona o poder do subconsciente, na verdade pensar é poder. Acredite que você e Deus formam uma só unidade todo-poderosa e por isso você irradia paz para todas as pessoas. Não deve existir lugar para tristeza, mágoas, ressentimentos, solidão e nervosismo. Esse enlace com a força divina nos fortalece para enfrentar a vida. Isso é mudar o padrão dos pensamentos e, conseqüentemente, mudar os rumos da própria vida.



Aqui é algo do livro QUALIDADE DE VIDA
E ESPIRITISMO Jose Carlos Leal. Página 19  André Luiz:"
Compreendemos assim, perfeitamente, que a matéria mental é o instrumento
sutil da vontade, atuando nas formações da matéria física, gerando as motivações de
prazer ou desgosto, alegria ou dor, otimismo ou desespero, que não se reduzem
efetivamente a abstrações, por representarem turbilhões de força em que a alma cria os
seus próprios estados de mentação indutiva, atraindo para si mesma os agentes (por
enquanto imponderáveis na Terra), de luz ou de sombra, vitória ou derrota, infortúnio
ou felicidade." (Idem, IV, "Matéria Mental", p. 47.)
É nesse sentido que se pode dizer que somos resultado do que pensamos. Com
os nossos pensamentos construímos o céu ou o inferno. Lembremos as palavras de Jesus
a nos dizer: "O Reino do Céu está em vós." Pelo pensamento atraímos para o nosso lado
as boas ou más companhias que conosco partilham a mesma esfera mental. Jesus em seu
Evangelho disse certa vez: "Orai e Vigiai." E, parafraseando Jesus, podemos dizer: orai
e vigiai-vos, ou seja, orar é importante, muito importante mesmo, mas é necessário
também fiscalizar a qualidade do que pensamos e do que recebemos mentalmente.
Não podemos perder de vista também que o pensamento é uma instância
criativa. Emitindo uma idéia, falando ou mesmo escrevendo, essa idéia pode se
corporificar e se manter na intensidade e na força com que a sustentamos. É disso que se
está falando quando nos referimos as formas-pensamento. Com elas, o homem pode
talhar os degraus na escada da própria evolução ou as algemas que o mantém preso aos
estados inferiores da vida espiritual.

AÇÃO DA PRECE. - TRANSMISSÃO DO PENSAMENTO

No capítulo XXVII página 373 do  Evangelho Segundo o Espiritismo de  Allan Kardec

9. A prece é uma invocação, mediante a qual o homem entra, pelo pensamento, em
comunicação com o ser a quem se dirige. Pode ter por objeto um pedido, um agradecimento,
ou uma glorificação. Podemos orar por nós mesmos ou por outrem, pelos vivos ou pelos
mortos. As preces feitas a Deus escutam-nas os Espíritos incumbidos da execução de suas
vontades; as que se dirigem aos bons Espíritos são reportadas a Deus. Quando alguém ora a
outros seres que não a Deus, fá-lo recorrendo a intermediários, a intercessores, porquanto
nada sucede sem a vontade de Deus.
10. O Espiritismo torna compreensível a ação da prece, explicando o modo de
transmissão do pensamento, quer no caso em que o ser a quem oramos acuda ao nosso apelo,
quer no em que apenas lhe chegue o nosso pensamento. Para apreendermos o que ocorre em
tal circunstância, precisamos conceber mergulhados no fluido universal, que ocupa o espaço,
todos os seres, encarnados e desencarnados, tal qual nos achamos, neste mundo, dentro da
atmosfera. Esse fluido recebe da vontade uma impulsão; ele é o veículo do pensamento, como
o ar o é do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, ao passo que as
do fluido universal se estendem ao infinito. Dirigido, pois, o pensamento para um ser
qualquer, na Terra ou no espaço, de encarnado para desencarnado, ou vice-versa, uma
corrente fluídica se estabelece entre um e outro, transmitindo de um ao outro o pensamento,
como o ar transmite o som.
A energia da corrente guarda proporção com a do pensamento e da vontade. E assim
que os Espíritos ouvem a prece que lhes é dirigida, qualquer que seja o lugar onde se encontrem; é assim que os
Espíritos se comunicam entre si, que nos transmitem suas inspirações, que relações se
estabelecem a distância entre encarnados.
Essa explicação vai, sobretudo, com vistas aos que não compreendem a utilidade da
prece puramente mística. Não tem por fim materializar a prece, mas tornar-lhe inteligíveis os
efeitos, mostrando que pode exercer ação direta e efetiva. Nem por isso deixa essa ação de
estar subordinada à vontade de Deus, juiz supremo em todas as coisas, único apto a torná-la eficaz.


 PENSAMENTO – INFORMAÇÃO
 
DO LIVRO DOS ESPÍRITOS [1] destaco as seguintes passagens:
 
Ítem V da Introdução: “Em certos casos, as respostas revelam tal cunho de sabedoria, de profundeza e de oportunidade; exprimem pensamentos tão elevados, tão sublimes, que não podem emanar senão de uma Inteligência superior, impregnada da mais pura moralidade.”
 
Ítem XIII da Introdução: “Os Espíritos superiores não se preocupam absolutamente com a forma. Para eles, o fundo do pensamento é tudo.”.
 
Frase contida no primeiro parágrafo da questão 100 sobre Escala Espírita: “Para eles, o pensamento é tudo.”
 
Comentário de Kardec à questão 462: “Se fora útil que pudéssemos distinguir claramente os nossos pensamentos próprios dos que nos são sugeridos, Deus nos houvera proporcionado os meios de o conseguirmos, como nos concedeu o de diferençarmos o dia da noite. (...)”
 
Comentário de Kardec à questão 662: “O pensamento e a vontade representam em nós um poder de ação que alcança muito além dos limites da nossa esfera corporal. (...)”
 
Questão 835: “835. Será a liberdade de consciência uma conseqüência da de pensar?
 
“A consciência é um pensamento íntimo, que pertence ao homem, como todos os outros pensamentos.”
 


DO LIVRO A GÊNESE [2], destaco as seguintes passagens:
 
Ítem 14 do Cap. XIV: “Para os Espíritos, o pensamento e a vontade são o que é a mão para o homem. Pelo pensamento, eles imprimem àqueles fluidos tal ou qual direção, os aglomeram, combinam ou dispersam, organizam com eles conjuntos que apresentam uma aparência, uma forma, uma coloração determinadas; (...). É a grande oficina ou laboratório da vida espiritual. (...) Por análogo efeito, o pensamento do Espírito cria fluidicamente os objetos que ele esteja habituado a usar.”
 
Ítem 16 do Cap. XIV: “Sendo esses fluidos o veículo do pensamento e podendo este modificar-lhes as propriedades, é evidente que eles devem achar-se impregnados das qualidades boas ou más dos pensamentos que os fazem vibrar, modificando-se pela pureza ou impureza dos sentimentos.”
            




BIBLIOGRAFIA:

[1] -   KARDEC, O LIVRO EVANGELHO SEGUNDO ESPIRITISMO ALLAN KARDEC.
[2].-  QUALIDADE DE VIDA  E ESPIRITISMO Jose Carlos Leal..
[3] -  A. GÊNEZE
[4] - O. LIVRO DOS ESPÍRITOS

FILMES SOBRE O TEMA:

O SEGREDO.
QUEM SOMOS NÓS.


SITES RELACIONADOS:

http://www.paginaespirita.com.br/o_pensamento.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wYWdpbmFlc3Bpcml0YS5jb20uYnIvb19wZW5zYW1lbnRvLmh0bQ==)
 
http://www.oespiritismo.com.br/textos/ver.php?id1=107 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5vZXNwaXJpdGlzbW8uY29tLmJyL3RleHRvcy92ZXIucGhwP2lkMT0xMDc=)

http://www.comunidade-espiritual.com/blog.php?sub_section=view&id=11444 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jb211bmlkYWRlLWVzcGlyaXR1YWwuY29tL2Jsb2cucGhwP3N1Yl9zZWN0aW9uPXZpZXcmYW1wO2lkPTExNDQ0)

PALESTRA ESPIRITA PENSAMENTO:

http://www.youtube.com/watch?v=bAO6r-YOkbY (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWJBTzZyLVlPa2JZ)


Abraços a todos Zeni.



[/quote]
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 11 de Novembro de 2009, 19:45

Olá amigos do pensamento!


Como é que o pensamento vê o espírito?

e

Como é que o espírito vê o pensamento?


Vamos pensar

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Regina Prins em 11 de Novembro de 2009, 22:24
SOMOS O QUE PENSAMOS.
 
qua, 16 de outubro, 2002

Nesse mesmo fim de semana tivemos, no FORESPE (Fórum espírita de Pernambuco) a palestra de Divaldo Pereira Franco, atualmente o maior expoente do espiritismo aqui na Terra, após o desencarne de Chico Xavier. Enfim, ele nos falou de como a ciência comprovou a vida fora do corpo, citando nomes, datas e experiências que infelizmente não pude decorar.

E deu uma excelente dica de como manter uma vida saudável: cultivando bons pensamentos sempre! Ele falou "Nós somos o que pensamos". Nos lembra o "penso, logo existo" (Cogito, ergo sum) num sentido mais espiritual e menos cartesiano. E ainda disse o porquê: quando nossos pensamentos estão elevados, obviamente nos conectamos com as egrégoras superiores, e a captação de energia vital (que fazemos a toda hora, através dos chakras) se dá de forma mais pura. E o cérebro acaba produzindo, de forma sutilizada, fótons, que nada mais é que luz. Isso se dá porque, quanto maior a vibração (velocidade), mais a matéria se aproxima da luz (física elementar). Essa luz, que não está em nosso estado físico, (ou nossos órgãos internos brilhariam como o ET de Spielberg) se irradia pelo corpo, corrigindo distorções e fortalecendo as defesas do organismo. Ele comparou esse fenômeno a uma barra de ferro, com seus átomos bagunçados, dispostos em várias direções, que, ao passar nele uma corrente elétrica, alinha todos os seus átomos num único sentido.

Em contrapartida, o pensamento negativo, depressivo, além de atrair energias semelhantes, faz o cérebro produzir elétrons. Tais elétrons se espalham pelo corpo e desestabilizam o que já era eletricamente harmonioso por natureza. Hoje se sabe que o princípio do câncer está nos radicais livres, que são "sobras" de elétrons que se agregam a outras moléculas, tirando-as da sua carga elétrica normal. Isso provoca velhice precoce também. Diz-se que vitamina C é ótimo pra evitar radicais livres, mas o melhor mesmo é um estado mental saudável.

Isso não quer dizer que nos tornaremos Polianas, vendo beleza em tudo (muito embora deveríamos), mas sim vigiar nossos pensamentos todo o tempo, e evitar alimentar pensamentos negativos até como forma de auto-sobrevivência. O poder do pensamento explica o porque de nos livros espíritas encontrarmos almas moldadas em forma antropomórfica. Se uma pessoa sente culpa ou orgulho no fato de ser "esperto como uma raposa", ou "perigoso como uma cobra", ao longo do tempo o pensamento inconsciente imanta magneticamente as células do perispírito, que, por serem maleáveis, assumem qualquer forma que o pensamento queira. Essas acabam carregando este estigma na sua veste espiritual por muito tempo.

Referência: Magnetismo físico.
http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2002/10/somos_o_que_pen.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5zYWluZG9kYW1hdHJpeC5jb20uYnIvYXJjaGl2ZXMvMjAwMi8xMC9zb21vc19vX3F1ZV9wZW4uaHRtbA==)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 12 de Novembro de 2009, 01:00
SOMOS O QUE PENSAMOS.
 
qua, 16 de outubro, 2002

Nesse mesmo fim de semana tivemos, no FORESPE (Fórum espírita de Pernambuco) a palestra de Divaldo Pereira Franco, atualmente o maior expoente do espiritismo aqui na Terra, após o desencarne de Chico Xavier. Enfim, ele nos falou de como a ciência comprovou a vida fora do corpo, citando nomes, datas e experiências que infelizmente não pude decorar.

E deu uma excelente dica de como manter uma vida saudável: cultivando bons pensamentos sempre! Ele falou "Nós somos o que pensamos". Nos lembra o "penso, logo existo" (Cogito, ergo sum) num sentido mais espiritual e menos cartesiano. E ainda disse o porquê: quando nossos pensamentos estão elevados, obviamente nos conectamos com as egrégoras superiores, e a captação de energia vital (que fazemos a toda hora, através dos chakras) se dá de forma mais pura. E o cérebro acaba produzindo, de forma sutilizada, fótons, que nada mais é que luz. Isso se dá porque, quanto maior a vibração (velocidade), mais a matéria se aproxima da luz (física elementar). Essa luz, que não está em nosso estado físico, (ou nossos órgãos internos brilhariam como o ET de Spielberg) se irradia pelo corpo, corrigindo distorções e fortalecendo as defesas do organismo. Ele comparou esse fenômeno a uma barra de ferro, com seus átomos bagunçados, dispostos em várias direções, que, ao passar nele uma corrente elétrica, alinha todos os seus átomos num único sentido.

Em contrapartida, o pensamento negativo, depressivo, além de atrair energias semelhantes, faz o cérebro produzir elétrons. Tais elétrons se espalham pelo corpo e desestabilizam o que já era eletricamente harmonioso por natureza. Hoje se sabe que o princípio do câncer está nos radicais livres, que são "sobras" de elétrons que se agregam a outras moléculas, tirando-as da sua carga elétrica normal. Isso provoca velhice precoce também. Diz-se que vitamina C é ótimo pra evitar radicais livres, mas o melhor mesmo é um estado mental saudável.

Isso não quer dizer que nos tornaremos Polianas, vendo beleza em tudo (muito embora deveríamos), mas sim vigiar nossos pensamentos todo o tempo, e evitar alimentar pensamentos negativos até como forma de auto-sobrevivência. O poder do pensamento explica o porque de nos livros espíritas encontrarmos almas moldadas em forma antropomórfica. Se uma pessoa sente culpa ou orgulho no fato de ser "esperto como uma raposa", ou "perigoso como uma cobra", ao longo do tempo o pensamento inconsciente imanta magneticamente as células do perispírito, que, por serem maleáveis, assumem qualquer forma que o pensamento queira. Essas acabam carregando este estigma na sua veste espiritual por muito tempo.

Referência: Magnetismo físico.
http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2002/10/somos_o_que_pen.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5zYWluZG9kYW1hdHJpeC5jb20uYnIvYXJjaGl2ZXMvMjAwMi8xMC9zb21vc19vX3F1ZV9wZW4uaHRtbA==)


Olá Regina.

Muito boa esta exposição e em conformidade com aquilo que é possível acontecer observando as propriedades que a  matéria parece ter.

No entanto, penso ser importante reflectir acerca das causas que se escondem por detrás de um mundo mental negativo responsável pelas desgraças acima descritas.

Para que um indivíduo se sinta feliz, é necessário que a sua vontade de poder não seja negada por aqueles que exigem uma conduta condizente com aquilo que é determinado como felicidade e salvação.

Se observamos um leão a perseguir uma gazela, o que significa a felicidade para o leão significa a tragédia para a gazela, ou seja, se ele não a mata fica com fome e não alimenta a sua família, se pelo contrário a mata, fica a gazela privada da vida e assim os seus filhos condenados à morte.

Tenho como certo que concorda que estas leis naturais foram cridas por Deus, como tal e independentemente da avaliação que o Homem dela faça é com toda a certeza justa.

Este simples exemplo tem como finalidade reflectir acerca da legitimidade que tem um indivíduo de considerar que os seus conceitos de justiça e felicidade e que ao próprio correspondem uma harmonia biológica caracterizada por um comportamento saudável do ponto de vista quântico do seu organismo, sejam eles mesmo a receita ideal para o seu vizinho do lado.

Assim, para que a felicidade se sinta no seio de cada ser, é necessário que a vontade de cada um seja cumprida, só assim é possível encontrar a estabilidade quântica no seu organismo e evitar que a doença se instale seja no seu corpo físico seja no seu corpo fluidifico.

Nesse caso, como poderemos por um lado afirmar que o pensamento negativo é responsável pela desgraça instalada na vida e ao mesmo tempo impor um tipo de vida caracterizada por uma tabela de valores que determinam e medem e pesam a própria vida, ou seja, impedem que a vontade de cada um seja livremente expressa naquilo que levaria à felicidade e bem-estar interior?

Falamos de caridade… fora da caridade não há salvação… mas que tipo de caridade é essa que amedronta aqueles que não querem ser caridosos ao ponto de os tornar infelizes obrigando a sua vontade a ceder em nome da afirmação de uma virtude que por si mesmo é impiedosa para com aqueles que não a possuem, ou seja é a responsável por uma vida envolta em pensamentos negativos onde o medo impera? Não estará o médico a receitar estricnina ao paciente?

Porque motivo o Leão não pode ser caridoso para com a Gazela? Porque as leis da natureza não o permitem ser. Quantos de nós não serão “Leões” a morrer à fome pois são obrigados a ser caridosos com as “Gazelas”? Não será caridade deixar que o Leão se alimente e alimente os seus filhos?

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: MARIO13 em 12 de Novembro de 2009, 01:49
Sempre,  desde minha primeira experiencia com a dor,  a dor de perder a mãe para a depressão e ver aos cinco anos de idade,  o sofrimento do pai, que ficou com 03 filhas para dar continuidade da vida,  independente de todas as adversidades que as circunstâncias iriam oferecer,  desenvolvi a prática de dialogar com o pensamento, e nestes colóquios eu comprovava a interação de irmãos,  os quais eu os denominava de IRMÃOS DE LUZ,  pois sempre me alertavam, sopravam sugestões, e hoje cultivo mais ainda este contato,  pois minha alma gêmea,  meu grande amor partiu há pouco tempo...
E  apesar de saber vários ensinamentos,  não consigo libertá-lo,  fico a atraí-lo e sinto que assim ele se sente seguro,  perto de mim...  a aguardar-me...       
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Obed em 12 de Novembro de 2009, 03:59
Creio que o pensamento seja uma função da mente e, assim, ferramenta indispensável do espírito.  Tal função seria a de dar forma às idéias e impressões que nos cheguem à consciência.  Afinal, estamos sujeitos a um sem fim de estímulos, sejam eles percepeções de nossa realidade mediata ou remota, objetiva ou subjetiva e para que tudo isso possa ser assimilado e processdo por nosso limitado raciocínio humano é indispensável que assuma alguma forma que lhe seja compreensível.

Porém, não se pode esquecer que nossa vontade é um autoestímulo e, assim, a ela cabe, como exercício do livre arbítrio, afastar más influências que gerem pensamentos indesejáveis e atrair outras que que inspirem pensamentos salutares.  Da mesma forma, é nossa vontade capaz de criar nossos próprios pensamentos que, em si, são a força motora de nossa atuação na vida.

Sem pretender desmentir a citação que diz que "somos o que pensamos", havemos de nos lembrar que somos, na verdade, o que decidirmos pensar, porque se ficarmos ao sabor de pensamentos avulsos e sem propósito benéfico e consequente, acabaremos sendo instrumento inútil ou pernicioso à evolução.

Portanto, antes de mais nada, é preciso fazer a opção sincera de aderir ao bem e, a partir disso, vigiar os pensamentos para que eles se alinhem com tal escolha.

(http://obed.fotoblog.uol.com.br/images/thumb_photo20090908042817.jpg)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 12 de Novembro de 2009, 12:43

Enviada: Ontem às 19:45

Olá amigos do pensamento!


Como é que o pensamento vê o espírito?

e

Como é que o espírito vê o pensamento?


Vamos pensar

Namasté

----------------------------
Olá!

Então amigos já que ninguém responde ao saber simples, digo-vos eu:

O meu pensamento só vê o espírito quando eu sinto o espírito, primeiro tenho que sentir o espírito.

O meu espírito não vê nem quer ver o pensamento.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 12 de Novembro de 2009, 12:58

Olá amigos do pensamento!

Posso não saber utilizar o pensamento para fazer grandes palestras. Ainda bém!

Mas sei utilizar a mãe Terra para nela ver todos os espíritos.

Este ser vivo protegido como todos os seus seres por um grande casulo de energia a andar a alta velocidade pelo universo. A mãe Terra.

Esta aparente bola de energia a alta velocidade como tudo o mais no universo criando a ilusão do estacionário.

Meditemos na beleza do nosso protetor do nosso benfeitor, a mãe Terra!

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 12 de Novembro de 2009, 13:57
Então amigos já que ninguém responde ao saber simples, digo-vos eu:

O meu pensamento só vê o espírito quando eu sinto o espírito, primeiro tenho que sentir o espírito.

O meu espírito não vê nem quer ver o pensamento.

Dim-dim, apesar do teu espírito não querer ver o pensamento, faz um esforço para o dominares e tenta ter em conta este texto pois gostava de ouvir a tua opinião, entre todas as daqueles que o queiram fazer como é óbvio.

Foi aqui afirmado varias vezes neste estudo e nunca foi contestado, que o pensamento é o resultado do conjunto de estímulos tanto provenientes do meio externo como do meio interno do ser, imagens que são geridas através de uma outra capacidade que tem o organismo humano que é a razão.

Raciocinar é portanto, observar e avaliar tudo aquilo que evocamos, ou seja tudo aquilo para onde a nossa atenção é dirigida num determinado momento, ou seja raciocinar é tomar uma decisão que está suportada nos múltiplos elementos que a nossa capacidade de pensar nos disponibiliza.

Esse acto, tem uma ajuda preciosa proveniente de automatismos que são independentes da nossa vontade designados por marcadores somáticos, que excluem logo à partida um conjunto infindável de possibilidades que resultam da conjugação das múltiplas hipóteses de decisão perante um determinado cenário, pois se assim não fosse, transformariam o acto de raciocinar uma tarefa impossível pois entraria numa espiral alucinante de infinitas hipóteses de opção que o tornavam incapaz de agir com eficácia e em tempo útil perante as circunstancia que se lhe deparam.

Esta questão dos marcadores somáticos é muito importante e penso que merece a nossa atenção. Os neurologistas tenderem a suspeitar que a sua origem se encontra algures no DNA que geneticamente é transmitido ao individuo, justificando assim que a experiencia adquirida ao longo do processo evolutivo, para o caso da ciência através da aceitação dos processos darwinistas mas que podem ser perfeitamente através dos processos evolutivos e reencarnatorios do espiritismo, sendo que o mais provável é que a verdade esteja no somatório desses dois factores, a causa do desenvolvimento desta capacidade orgânica.

Assim, mesmo o princípio inteligente individualizado, ao gerir uma determinada conduta que se concretiza na acção, tem o seu livre arbítrio condicionado por estes marcadores somáticos, ou seja, o leque de opções que se deparam ao indivíduo para ter em conta numa tomada de decisão, estão determinados e circunscritos pela matéria.

Desconcertante…

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luzceano em 12 de Novembro de 2009, 14:22

Como é que o espírito vê o pensamento?


O espirito ve o pensamento quando ele tem um grau elevado de evoluçao.
Eu ja li nos livros de Chico Chavier que espiritos conseguem ver os pensamentos, imagens, sons e ate sentimentos de outros espiritos e de espiritos encarnados tambem
Tambem temos o caso de pessoas que conseguem ler a mente os pensamentos de outras pessoas, tudo esta relacionado com o nosso grau de evoluçao
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 12 de Novembro de 2009, 14:32

Olá amigos do pensamento!

Taprobana desde o tópico consciência que sou um admirador da destreza mental do meu amigo, por entenderes a ciência ao seu mais alto nível neste mundo ilusório colectivo, e no nosso em particular. Eu também o entendo perfeitamente apesar de não ter a destreza que tu tens em esgrimir argumentos, que em ultima analise não me faz mais falta depois de ter o entendimento.

Senão continuamos a esgrimir argumentos sem parar, por certo interessantes, mas que só por si não nos fazem sair da ilusão, a tal dos vídeos.

Daí eu dizer que o meu espírito não quer saber do pensamento, porque para estar aqui a argumentar com o meu amigo fui ( obrigado ) a procurar a ação. Tive que fazer como o tal pastor, subir a um morrinho para ter a percepção mais ampla do rebanho. ( da ilusão )

a vida é simples

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luzceano em 12 de Novembro de 2009, 14:36

Como é que o pensamento vê o espírito?


Na minha opiniao o pensamento nao ve o espirito
Quem ve o espirito e o espirito
O pesamento é formado quando nos sentimos algo ou vemos algo
O pensamento ele é um veiculo e nao um ser que pode ver

Voces acham que o pensamento pode ver algo?
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 12 de Novembro de 2009, 14:52
Creio que o pensamento seja uma função da mente e, assim, ferramenta indispensável do espírito.  Tal função seria a de dar forma às idéias e impressões que nos cheguem à consciência.  Afinal, estamos sujeitos a um sem fim de estímulos, sejam eles percepeções de nossa realidade mediata ou remota, objetiva ou subjetiva e para que tudo isso possa ser assimilado e processdo por nosso limitado raciocínio humano é indispensável que assuma alguma forma que lhe seja compreensível.

Porém, não se pode esquecer que nossa vontade é um autoestímulo e, assim, a ela cabe, como exercício do livre arbítrio, afastar más influências que gerem pensamentos indesejáveis e atrair outras que que inspirem pensamentos salutares.  Da mesma forma, é nossa vontade capaz de criar nossos próprios pensamentos que, em si, são a força motora de nossa atuação na vida.

Sem pretender desmentir a citação que diz que "somos o que pensamos", havemos de nos lembrar que somos, na verdade, o que decidirmos pensar, porque se ficarmos ao sabor de pensamentos avulsos e sem propósito benéfico e consequente, acabaremos sendo instrumento inútil ou pernicioso à evolução.

Portanto, antes de mais nada, é preciso fazer a opção sincera de aderir ao bem e, a partir disso, vigiar os pensamentos para que eles se alinhem com tal escolha.

Boa tarde Obed. Muito gosto em travar consigo conhecimento.

Senti vontade de partilhar uma ou outra impressão que parecem enquadradas com a linha de opinião que nos oferece.

Para ser possível ir além das palavras, e experimentar aquilo que é a convivência com os pensamentos salutares, será imprescindível que a vontade de cada um possa ter condições de ser expressa de forma livre.

Essa vontade advém daquilo que caracteriza a individualidade de cada ser, que preexiste ao seu nascimento, e que deveria ter a possibilidade de livremente experimentar a vida em conformidade com aquilo que ele é.

As formulas educacionais que a sociedade detém, são aquelas resultantes das tabelas de valores suportadas numa noção de virtude completamente imposta pelos padrões de um devir castrante e mutilante para a vida, fruto da imposição da vontade daqueles que detiveram o poder de construir a vida à imagem e semelhança dos seus interesses pessoais e daquilo que para eles mesmo acreditaram ser a felicidade e bem estar pessoal, que para ser concretizado, necessitaram de que o trabalho que gera a riqueza fosse levado a cabo de forma submissa pelos seus semelhantes.

Para que tal objectivo fosse concretizado, utilizaram todas as armas de intimidação e de medos que estavam ao seu alcance, entre elas e no que se refere à sociedade ocidental, o aproveitamento da figura de Jesus e de Sócrates para assim criarem uma moral baseada na ameaça do castigo e da desgraça que seria inevitável para aqueles que não submetessem a sua vontade à uma formula de virtude por eles criada que era aquela que mais convinha ás suas próprias vontades.

É este o panorama que hoje se nos depara quando observamos a vida. Por este motivo as massas continuam a percorrer insanos os caminhos da sua mente no sentido de encontrar a sua identidade amordaçada pela castração da sua vontade de poder.

O Obed, sugere um remédio para esse mal, mas que outra forma pode efectivar esse seu propósito que não seja aquela que permite que as almas se libertam e que assim possam expressar a sua identidade única numa experimentação feliz e frutuosa de uma existência.

O espírito não é um elemento de um coro. O espírito é um solista, canta a solo. Todos os espíritos são diferentes e a igualdade que a sociedade adopta como um valor é uma mentira descarada.

A igualdade não pode ser entendida como uma fórmula de transformar cada espírito numa coisa que deve ser assim mesmo igual aos outros.

A igualdade deve ser entendida como sendo a fórmula que permite que cada ser se expresse individualmente consoante aquilo que ele é, consoante aquilo que a sua vontade determina, livre e não submisso, aquele que voa e não aquele que rasteja.

Só assim será possível o emergir de uma vida positiva

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 12 de Novembro de 2009, 15:03

a vida é simples

Namasté

Pois é. Um destes dias vou ai ter contigo para visitar o teu mundo.

De momento apetece-me andar por aqui mesmo de espada em punho, a lutar contra o vento.  >:(

Abraço amigo.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 12 de Novembro de 2009, 15:08
Olá amigos do pensamento!

É verdade amigo Luzceano que o pensamento tem dificuldades em ver o espírito, pelo menos na vida mediocre que nós levamos.

Mas, pelo sentir profundamente o pensamento pelo menos fica a saber o que é o espírito.

O medo da escuridão no meio do nada a sós com o espírito é esclarecedor.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 12 de Novembro de 2009, 15:17

Olá amigos do pensamento!

Taprobana é uma luta inglória amigo!

Recebo-te de braços abertos amigo...

O meu mundo é o mundo de todos nós mais muita natureza mais muito amor e respeito por este bem amado que é a Terra que me ensina tudo isto sem ilusões, porque a natureza não as tem.

Esquecemo-nos que o nosso primeiro entendimento foi , e é, como os restantes seres da natureza que apesar de não terem uma linguagem comunicam entre eles todos e nós. Nós apenas nos julgamos superiores e sem tempo para fazermos amizade com uma árvore e comunicar com ela. A ilusão fez-nos esquecer essa linguagem, do sentir.

é simples assim

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 12 de Novembro de 2009, 15:34
Taprobana é uma luta inglória amigo!

Uma luta sem fim, tal como a vida.

O metafísico está para a vida como o carvão para a locomotiva. É sempre destruído pelo fogo que gera mas sem ele aquilo não anda.

Enquanto o fogo o consome, filosofo gera energia.  :D
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 12 de Novembro de 2009, 15:47

Olá amigos do pensamento!

Taprobana a vida só é uma luta sem fim como dizes até caír-mos na real amigo.

Depois tem que ser alegria e amor sem fim.

Lembro-me logo de um livrito que muito gosto, ( Osho - vida amor e riso ).

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 12 de Novembro de 2009, 16:44
Olá a todos os amigos do Fórum.

Dim - Dim

Esquecemo-nos que o nosso primeiro entendimento foi , e é, como os restantes seres da natureza que apesar de não terem uma linguagem comunicam entre eles todos e nós. Nós apenas nos julgamos superiores e sem tempo para fazermos amizade com uma árvore e comunicar com ela. A ilusão fez-nos esquecer essa linguagem, do sentir.



O sentir no ser humano é uma dádiva de Deus, aquele que busca a sua reforma de corpo e alma dentro dos valores  deixado por Jesus, é um ser que caminha para a iluminação, nesse estágio a faculdade de sentir é esplendida, por que passa a ver a vida, as pessoas os animais a natureza e todas as outras coisas da terra com os olhos do amor, em tudo vê a grandeza gerada por Deus, eu mesma já mencionei em outro tópico, que até uma folha seca que cai no chão tem seu valor e sua essência, imagine as arvores as flores, as aves,as montanhas em fim é infinita as maravilhas que Deus nos proporciona, só que precisamos também estar em conformidade com o coração a mente o pensamento firme nos caminhos de Deus, para podermos sentir e reconhecer o quanto é belo tudo e todos, esse é o verdadeiro sentimento que luto para conquistar, devo te dizer que também sei reconhecer a energia boa que sinto perto das arvores cachoeiras em fim na natureza em geral amo tudo isso porque tudo está ligado a Deus, por isso é essa atração que reflete em nós, basta estarmos alerta para esse chamado, do verdadeiro caminho que nos levará a Deus, foi escrito  de coração.

Abraço a todos.

Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 12 de Novembro de 2009, 17:01

Olá amigos do pensamento!

Obrigado amiga zeni.

Esses são os sentimentos mais altruistas, amor, respeito e carinho por tudo e por todos, que nos ensina Jesus Cristo, Deus.

Mesmo o que nós estudamos aqui é isso na essência que nos ensinam, Kardec, Cristo, Krishnamurti, Krishna, todos. Enfim boa amiga zeni numa palavra amor.

com carinho

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: rwer em 12 de Novembro de 2009, 23:05
Oi, Zeni, prazer em te ver orientando o povo.

Ontem, tirei uma hora pra ler seu estudo.  Li-o até a página 9, à excessão dos comentários e citações desmedidamente longos.

Mas deu pra ter uma ideia.  Ainda vou ler o restante, porém a impressão que as primeiras nove páginas me deram foi de:  caos!   :D   Vi muita coisa interessante, contanto que a gente se abstraia do termo "estudo".  E alguns dizeres e cópias bem do tipo estudo, o que não significa que me agradaram em cheio. 

De um modo geral, gostei de ver a sua participação e a de vários colegas.  Depois de terminar a leitura, talvez entre aqui pra provocar os "calores espíritas".

Abraços a todos,
RW

- "Sem pensamento, sem pensamento".  (Eckhart Tolle)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: ednartes em 13 de Novembro de 2009, 00:55
Tem uma musiquinha do CD Cancioneiro Espírita e que na evangelização lá do centro espírita quando o assunto é o pensamento cantamos assim para as crianças:


Somos o que pensamos.
Pensamento é criador.
Maldade atrai a sombra,
Gerando tristeza e dor
Bondade sempre constante
Gera o belo, a cor e a luz
Ações nobres construir o arco-íris de luz
Ligando a Terrra e o Céu ao encontro de Jesus
Com pensamentos bons vamos criar cor e luz
Desde a cor da linda rosa e verde das águas{bis
Ou o azul dos olhos de Jesus{bis


Muita Paz amigos!!!!


Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: sirena em 13 de Novembro de 2009, 01:51
Amigos,

Não podemos perder de vista que "o nosso pensamento cria a vida que procuramos, através do reflexo de nós mesmos, até que nos identifiquemos, um dia, no decurso de milênios, com a sabedoria infinita e com o infinito Amor, que constituem o Pensamento e a Vida de nosso Pai".(Emmanuel psicografado por Francisco Cândido Xavier)
E nesse sentido, está em nossas mãos o poder de escolha entre fazermos da presente existência uma oportunidade de nos aproximarmos da sabedoria e do amor divino ou não.

Muita paz!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: hcancela em 13 de Novembro de 2009, 10:39
Olá amigos(as)

O pensamento é força (electromagnética)criativa que se exterioriza  da criatura que o gera, por intermédio de ondas subtis em circuitos de reacção no tempo...

Como força (electromagnética) que se irradia em ondas e que age sobre tudo a que é direccionado, o pensamento do ser inteligente pode influenciar sem dúvida o próprio homem ou o meio, quer seja vegetal, quer seja animal.

Quando o pensamento é bom, a onda emitida é boa e a sensação recebida é semelhante.

Um pensamento mau, seja ele qual for, gera uma sensação desagradável, às vezes na forma de um arrepio ou de um mal-estar não localizado que sabemos ser desagradável. Outras vezes sentimo-lo na dor de cabeça inesperada, no bocejo sucessivo e repentino, na moleza ou no enfraquecimento manifestado.


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: mariiia em 13 de Novembro de 2009, 14:44

olá amigos


    [...] o que o homem pensa é aquilo que pretente; o que faz pode ser pretexto.
Sem que ele ausculte seu pensamento mais íntimos, jamais saberá quem é.


Irmão José
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 13 de Novembro de 2009, 15:24


Olá amigos do Fórum.

Um pensamento mau, seja ele qual for, gera uma sensação desagradável, às vezes na forma de um arrepio ou de um mal-estar não localizado que sabemos ser desagradável. Outras vezes sentimo-lo na dor de cabeça inesperada, no bocejo sucessivo e repentino, na moleza ou no enfraquecimento manifestado.


Olá Hcancela,  amigo já senti na pele e ainda sinto todos estes mal estares, as vezes me pergunto porque de estar tão cansada com tantos bocejos, mas porque não quero dar o braço a torcer para espíritos zombeteiros, quando estou bem comigo faço uma prece e tudo caminha na perfeita paz, mas quando entro na deles tenho que apelar para analgésicos, e assim sigo a vida é claro sempre me fortalecendo em bons pensamentos e orando muito buscando sempre a Deus, e seguindo com os compromissos terreno.

Abraço forte a todos.
Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: giceliocalixto em 13 de Novembro de 2009, 20:46
Olá amigos! Que o senhor  nos ilumine.O pensamento é um mecanismo de forças elétricas- mentomagnéticas, pelo o qual podemos criar um mundo de felicidades ou de angustias a depender de cada um de nós.Se codicionar a nossa mente nas ações nobres a serviço do bem, com certeza teremos uma vida plena,mais se baixar a nossa sintonia e vibrar no mundo dos vicios da promiscuidade desmedida,viveremos um inferno,um só pensamento em oração continua,pode mudar e transformar todo um conjunto em torno de nós.


Abraços fraterno do irmão menor Gicélio.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Edna☼ em 13 de Novembro de 2009, 23:35
       “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude e se há algum louvor, nisso pensai.” — Paulo. (FILIPENSES, CAPÍTULO 4, VERSÍCULO 8.)
 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 14 de Novembro de 2009, 10:32

Olá a todos amigos do prnsamento!

Citação de zeni

Um pensamento mau, seja ele qual for, gera uma sensação desagradável, às vezes na forma de um arrepio ou de um mal-estar não localizado que sabemos ser desagradável. Outras vezes sentimo-lo na dor de cabeça inesperada, no bocejo sucessivo e repentino, na moleza ou no enfraquecimento manifestado.

----------------------

Pois é amiga zeni,

Tal como podemos dizer que um pensamento bom nos deixa leves e cheios de alegria, a viver nas nuvens. O que é verdade.

Mas, para mim claro está, o ideal é nos mantermos no caminho do meio, não dando importância nenhuma a esses pensamentos maus ou bons. Simplesmente ficarmos numa posição de observador a vê-los passar.

Momentânemente, enquanto eles passam, nós sentimo-los no nosso interior mas não deixamos transparecer nada para o exterior. Podemos estar a ver a coisa mais terrificante ou a mais divinal mas o nosso rosto mantêm-se tranquilo independentemente do que nos passe no interior.

Isso é o tal desapego ou o desprendimento. A liberdade de percepção.

Neste caminho do meio jamais teremos dores de cabeça ou outras quaisqueres porque passamos nós a ter o controle. As coisas só ganham vida quando lhes damos importância.

Se não dermos importância a nada tudo passa a ser igual.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Obed em 14 de Novembro de 2009, 11:17
   

     Deus, princípio originário de todas as coisas, exerce sua vontade de forma inteligente. Essa afirmação eu poderia fundamentar coletando trechos dos vários livros que compõem a obra básica da doutrina espírita. Contudo, acho que tal propositura é tão evidente, é tão óbvia, que não carece de confirmação com o que quer que seja.  Basta alinhar-se com o universo para perceber que ele não é obra do acaso, mas reflexo de um plano estruturado.

     Ora! Se Deus é uma vontade inteligente e o universo uma manifestação de tal vontade, nós, que somos centelhas e reflexos de tal circunstância, representando "sua imagem e semelhança", também detemos essas faculdades da vontade e do agir inteligente.

     Rafirmo que o pensamento é uma função dessas nossas faculdades, assim como o é o sentimento.  O pensamento, em si, não é um ser que age, mas um reflexo da ação dos seres pensantes.

     Assim, o pensamento não vê, não ouve, não sente. O espírito é que vê, que ouve e que sente e, nesses contexto, vale-se do pensamento para traduzir suas impressões, registrá-las, processá-las e promover alguma elaboração que possa contribuir com sua própria evolução.

     A intuição, por exemplo, não é um pensamento.  É uma função do espírito, também!Ou seja, o pensamento não reina como única função do espírito.  Nós, uma vez encarnados, é que damos a tal função peso e valor tal que a faça parecer algo que possa nos distinguir daquilo que não pensa.  Se isso é uma verdade e denota que somos mais evoluídos que outras manifestações divinas, certamente em outros planos há outros atributos que fogem à nossa realidade encarnada que colocam o pensamento num patamar bem inferior do que imaginamos que ele possa ter.

     A fé a e vontade não precisam necessariamente do pensamento para existirem e se manifestarem.  A fé não vê, a fé sabe. A vontade não se sujeita, ela é que tem o poder de sujeitar aquilo sobre o que se lance.  O pensamento é uma ferramenta de apoio e auxílio de nossa vontade e de nossa fé.

     Entretanto, desprezar o pensamento, diminuir-lhe o valor que tem, não nos torna mais elevados.  Fosse assim, os alienados mentais seriam os seres mais evoluídos deste planeta. Em outros planos, nada impede que um ou outro o seja, mas isso não é uma marca que distingue positivamente a ninguém de forma obrigatória.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 14 de Novembro de 2009, 11:59
Olá

Citar
Sou novo por aqui e, sinceramente, não compreendi se, de fato, o objetivo básico deste fórum é realmente o debate.  Digo "debate" no sentido salutar de troca de idéias e não de embate entre vaidades. Um debate não é uma disputa, mas uma confluência de pontos de vista que, nem sempre, são concordantes. E é a da discordância que nasce eventualmente a dúvida; da dúvida nasce a reflexão; e, enfim, da reflexão brota a evolução do saber.

Bem vindo ao fórum, amigo.

Não se iluda, para depois não se desiludir, amigo.

O fórum espirita é um local na internet que foi criado para debater e divulgar a doutrina espirita, mas o que ele é na realidade depende das pessoas que nele participam.

Como ninguém é perfeito, a imperfeição manifesta-se no fórum espirita, como em qualquer outro lugar fisico ou virtual da terra. Ou seja, manifestam-se as boas qualidades das pessoas, mas também as suas imperfeições e más inclinações.

Mas há uma forma eficaz de melhorar isto. Cada um de nós pode esforçar-se individualmente para ter participações cada vez menos imperfeitas. Isso depende de cada um de nós, sem excepção. Não devemos é exigir que os outros sejam perfeitos, senão queremos entrar em ilusão. Se eu não sou perfeito, como posso exigir isso a alguém?

Mas a par das nossas imperfeições humanas, também temos boas qualidades. E essas boas qualidades também estão bem patentes aqui. Há aqui bons corações que escrevem mensagens muito positivas, que nos aclaram o raciocinio e nos motivam para o amor e para a visão global do homem, que vai para para além desta encarnação.

Cabe a cada um de nós aceitar para si mesmo o que é bom e rejeitar o que achar que não presta. Penso que é isso que se chama "usar o livre-arbítrio".

Quem não tiver capacidade de distinguir o trigo do joio está sempre sujeito ao erro, seja aqui no fórum, seja em qualquer outra situação da vida.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 14 de Novembro de 2009, 12:55

Olá amigos do pensamento!

Amigo Obed participe sempre para aprendermos algo mais.

Quanto àquele assunto se isto é debate ou não, eu pessoalmente gosto de apresentar a experiência directa do que aprendo na vida. Mas mais atrás já debatemos todos os pensamentos e a sua proveniência, ilusória ou não.

Por isso amigo todo pensamento tratado com todo o respeito é sempre salutar, independentemente das divergências.

vamos a participar

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: bnojh em 14 de Novembro de 2009, 14:35
No pensamento que é gerado pela mente de nós mesmos quanto espiritos que somos está a chave de nossos infortúnios e venturas. Através de nossas construções mentais projetamos a essência do que somos; portanto; segundo os mentores espirituais, somos responsáveis por cada projeção mental. O sentimento, que é uma manifestação das emoções que por sua vez é resultante da projeção da própria construção mental do espírito, não é independente e fruto da matéria. Sabemos que a matéria sem o que somos, (ESPÍRITOS), não se sustenta. Estudos revelam que as nossas projeções mentais estão intimamente relacionadas com nossa vitalidade; resultando em desequilíbrio desamorniza o sistema orgânico, causando muitas vezes distúrbios muitas vezes de difícil tratamento.
André Luiz, em seus livros, nos traz um patrimônio inefável quanto ao resultante de nossas produções mentais. Diz-se que tudo passa pelo pensamento e é este que devemos dominar no sentido da edificação de nós mesmos quanto espiritos imortais. Sabemos que nossa evolução passa pela tal reforma íntima e que esta não se faz dominando ou pelo menos procurando dominar todas nossas más inclinações que passa necessariamente pela educação daquilo que pensamos.
Sócrates, mais ou menos 470 anos antes de Jesus já utilizava a inscrição dos pórticos do templo de Apolo, "CONHECE-TE A SI MESMO" e espalhava esse pensamento na esperança de abrir consciências.
Portanto, munindo-nos do conhecimento aprofundado de nós mesmos e colocando esse conhecimento em prol de nosso próprio pensamento que é fruto do nosso próprio ser, produziremos projeções mentais salutares que resultarão em um períspirito menos denso e mais etéreo na dimensão fora da matéria.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: carlossm em 14 de Novembro de 2009, 18:25

Olá amigos de ideal
Em primeiro lugar queria dar os parabéns à coordenadora do estudo pelo excelente tema que nos trouxe.
Ainda não li o estudo todo mas já deu para perceber o quanto este estudo é importante para todos nós.
Na realidade somos o que pensamos!!!
A psicologia diz-nos que o Pensamento é uma função psicológica racional, que estabelece relações de ordem comportamental entre conteúdos representativos, através da utilização de categorias como: verdadeiro ou falso, ou como: certo ou errado, etc
A ciência diz que o pensamento abstrato torna-se, assim, um poderoso estimulador do aprendizado, do conhecimento e da potencialidade de memorização.
A ciência diz que o pensamento é uma energia, porque o ato de pensar consome oxigênio e glicose cerebral, portanto o pensamento não é uma coisa abstrata, simbólica, e sim, uma energia capaz de movimentar a química do cérebro.

A neurociência comprova cientificamente hoje o que os psicólogos estudam há anos, confirmando o que já era verdade a mais de mil anos noutras culturas: somos o resultado do que pensamos!
A ciência diz-nos que pelo facto de modelarmos positivamente nossos pensamentos teremos condições de lidar com tudo que vivemos de forma mais gratificante e produtiva.
Sentimo-nos melhores. As pessoas ao nosso redor também sentem e passam a reagir conforme nossas atitudes. É a base para o comportamento operante. Os estudos da Psicologia Comportamental demonstram que podemos condicionar nosso próprio comportamento e dos demais com as atitudes que queremos.
Por isso, não basta apenas pensar positivamente para ter algum resultado prático. É necessário agir.
Então pense, reflicta e promova pequenas acções em seu dia-a-dia. Deixe de lado os velhos e ineficazes paradigmas, dogmas e pré-conceitos.
Experimente diariamente coisas novas. Abra sua mente para novas possibilidades. Arrisque! Desfrute as novas oportunidades. Comece pensando positivamente sobre você e tudo que está a sua volta.

Trataremos agora o pensamento na óptica espírita.

O espiritismo compatibiliza-se com a ciência e com a filosofia e constata através dos seus sentidos e das informações espirituais, o que a ciência afirma,
Mas vai mais longe trazendo-nos informações do plano espiritual  ainda não disponíveis nas ciências humanas.

O pensamento é uma faculdade do espírito e o homem não é mais que um espírito encarnado, daí a importância do pensamento como factor de comunicação e sintonia entre os espíritos encarnados e desencarnados.

O homem pelo pensamento contínuo, pensa, age, transforma, sintoniza-se de acordo com a sua vontade e tem livre-arbítreo para tomar as decisões sendo responsável por elas.

O espiritismo é o consolador prometido, conforme foi anunciado por Cristo.

Cristo deu as primeiras noções das leis divinas, falou no amor ao próximo e falou já nos pensamentos e falou também de sintonia, embora de forma velada.
Hoje através do espiritismo sob o tríplice aspecto ciência filosofia e religião são explicadas essas leis.

 Portanto percebemos que Jesus ao recitar o pai nosso quando diz Senhor! Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal., estava a ensinar-nos a lei de sintonia, que agora a doutrina espírita explica de forma mais explícita.

Percebemos noutra passagem quando diz: ouvistes o que foi dito aos antigos, não cometereis adultério, eu porém vos digo que se olhares para uma mulher com mau pensamento para com ela já cometestes adultério com ela em seu coração”.

Jesus, muitas vezes empregou a palavra adulterio com um significado mais amplo, para designar o mal, o erro moral e todos os maus pensamentos.

A verdadeira pureza não está somente nos atos. Está, também, no pensamento, porque aquele que tem puro o coração, nem sequer pensa no mal.

Todo mau pensamento é, portanto, o resultado da imperfeição moral da alma. Mas, de acordo com o desejo que ela tenha de depurar-se, até este mau pensamento torna-se para ela um motivo de evolução, porque o repele com energia.

 
Ou seja Jesus amplia a moral que foi estabelecida por Moisés, pois não basta não concretizar o ato de adultério é importante não pensar nele, pois se assim o fizermos já estaremos cometendo o mal, entrando portanto perante sintonia mental

Em qualquer mau pensamento, contra o nosso próximo estamos a agir de forma contrária e em desarmonia com as Leis Divinas.


Vemos assim como as Três Revelações, estão relacionadas, e a cada nova revelação acrescenta-se sempre algo mais às revelações anteriores.

Moisés imprimiu o princípio moral, proibindo o adultério,
Jesus estende esse conceito proibindo mesmo os maus pensamentos, mas não explicou de que forma esse acto se concretizava.

Hoje o espiritismo como o Consolador prometido explica de que forma ocorre essa transgressão às leis divinas, explicando como se processa a força do pensamento.

Se formos analisar todas as nossas acções verificamos que são fruto do nosso pensamento, pois antes de as executarmos já as plasmamos na nossa mente.

No evangelho segundo espiritismo kardec explica no cap. XXVII , item 10

”O Espiritismo torna compreensível a ação da prece, explicando o modo de transmissão do pensamento, …para apreendermos o que ocorre em tal circunstância, precisamos conceber mergulhados no fluido universal, que ocupa o espaço, todos os seres, encarnados e desencarnados, tal qual nos achamos, neste mundo, dentro da atmosfera. Esse fluido recebe da vontade uma impulsão; ele é o veículo do pensamento, como o ar o é do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, ao passo que as do fluido universal se estendem ao infinito.

Os espíritos responderam a kardec que:

“Os bons Espíritos, suscitam bons pensamentos, desviam os homens da senda do mal, protegem na vida os que se lhes mostram dignos de protecção”

“Eles ouvem o som da nossa voz, entretanto nos compreendem sem o auxílio da palavra, somente pela transmissão do pensamento.”


 “Muitas vezes chegam a conhecer o que desejaríeis ocultar de vós mesmos. Nem
atos, nem pensamentos se lhes podem dissimular.”

 “Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que
vos dirigem.”
Os espíritos afirmaram portanto; que estamos imersos no cosmo universal, onde existe um tráfego psíquico proveniente do conjunto dos pensamentos de todos os encarnados e desencarnados o qual não sofre barreiras, e cujo meio de propagação é o fluído cósmico.

É importante constatar a diferença entre o entendimento do espiritismo e da ciência.
A ciência admite a influência dos encarnados, e o espiritismo amplia essa influência aos desencarnados, ou espíritos.
Não podemos portanto impedir que os maus pensamentos cruzem os céus em todas as direcções, mas podemos evitar que eles se alojem na nossa mente, buscando uma outra sintonia.
Somos portanto responsáveis pelos nossos pensamentos e pela nossa sintonia.
Através dos nossos pensamentos construímos a nossa vida e o nosso destino, podemos escolher a felicidade ou a infelicidade e a sintonia fará o resto.
Pelo pensamento influenciamos e somos influenciados, daí a importância de cultivarmos sempre o optimismo e os bons pensamentos e os bons sentimentos.
Se enviarmos maus sentimentos para alguém estamos a prejudicar-nos a nós em primeiro lugar e prejudicamos os outros, isto porque os pensamentos vão sempre acompanhados dos sentimentos que os geraram.
O fluido cósmico universal é responsável pela transmissão do pensamento, assim como o ar transmite o som, eles não possuem em si mesmos qualidade nem boas nem más, mas com actuação do sentimento pode adquirir composições atómicas pesadas causando prejuízos ao emissor e receptor.
Nas pessoas envolvidas em amor seus  pensamentos terão cores suaves e formas de pétalas por exemplo.
O pensamento é atributo da mente.
A mente é um órgão do espírito, embora acoplada ao cérebro órgão do corpo físico

André Luiz diz que a mente é um núcleo de forças inteligentes que geram plasma subtil a exteriorizar-se incessantemente em nós. Sob o comando dos nossos próprios desígnios, ou seja, de acordo com os nossos interesses ou sentimentos

O cérebro, com as células especiais que lhe são próprias, produzindo correntes que se exteriorizam, no espaço e no tem¬po, conservando mais amplo poder na aura da per-sonalidade em que se exprime, através de acção e reacção permanentes

Sendo o pensamento força sutil e inexaurível do Espírito, podemos categorizá-lo, assim, à conta de corrente viva e exteriorizante

É pensamento contínuo, fluxo energético incessante, revestido de poder cria¬dor inimaginável.
Nasce das profundezas da mente, em circuns¬tâncias por agora inacessíveis ao nosso conhecimento

A corrente mental — que se espraia sobre o cosmo celular em que se manifesta, mantendo a fábrica admirável das uni¬dades orgânicas

A corrente mental, vitaliza, particularmente, todos os centros da alma e, con-sequentemente, todos os núcleos endócrinos e jun¬turas plexiformes da usina física, em cuja urdidura dispõe o Espírito de recursos para os serviços da emissão e recepção, ou exteriorização dos próprios pensamentos e assimilação dos pensamentos alheios.
André Luiz diz que a mente num processo comparável ao da respiração, absorve fluido universal transforma-o restituindo-o ao meio ambiente com as características que a natureza da nossa actividade mental lhe imprime.
A matéria mental por nós produzida tem uma constituição atómica própria de acordo com o cabedal que dispomos e que lhe imprimimos.
Inspiramos e expiramos: analogamente recebemos fluido cósmico impregnado com os pensamentos de todos, encarnados e desencarnados
Emmanuel no livro Pensamento e vida diz que “a mente actua como um espelho reflector de estímulos cujo reflexo esboça a emotividade, esta plasma a ideia e a ideia determina a atitude, a palavra e a emotividade que nos comandam as acções.
A emotividade plasma a ideia.
A ideia é um ser vivo, é um ente que irradia energia imprimida pela nossa vontade.
A ideia accionada é sustentada pala nossa vontade sob a nossa responsabilidade, sendo constituída por uma composição atómica que lhe é própria.”
Essa imagem produzida e enviada é transformada em sinais mentais emitidos em frequências sustentadas pela nossa vontade que vai ser recebida por outras mentes que estejam na mesma sintonia ou frequência mental.
Pelo teor dos nossos pensamentos atraímos aqueles que se afinam connosco e portanto somos compelidos para o bem ou para o mal.
(somos responsáveis pelos pensamentos emitidos que influenciam os outros e somos responsáveis pela sintonia que possibilita a assimilação dos pensamentos dos outros)
O Espírito é chamado a servir no bem, isto é, a servir no benefício de todos, sob pena de conturbar a circulação das próprias energias mentais, agravando os estados de tensão.
Se nos detemos pelo arrastamento da paixão ou na sombra do vício, sofremos a aproximação de correntes mentais arra¬sadoras, oriundas dos seres empenhados à cruel-dade, por ignorância — encarnados ou desencar¬nados —, que, nos vampirizam a existência, impondo disfunções e enfermidades de variados matizes, segundo os pontos vulneráveis que apre¬sentem, criando no mundo vastas províncias de alienação e de sofrimento.
A sintonia segundo A.L. verifica-se á semelhança de uma frequência de rádio:
O rádio emite numa determinada frequência e só quem está nessa sintonia recebe essa mensagem

No rádio se mudarmos a frequência, por pouco que seja já passamos a sintonizar outra emissora: assim também é o pensamento no homem.
Só recebemos os pensamentos que estão a circular na frequência que nos é própria
Se mudarmos o padrão mental, já não recebemos a influencia dessa frequência mental
Emmanuel no livro pensamento e vida diz que :


Quando nos detemos nos defeitos e fal¬tas dos Outros, o espelho de nossa mente reflete-os, de imediato, como que absorvendo as imagens deprimentes de que se cons¬tituem, Pondo-se nossa imaginação a dige¬rir essa espécie de alimento, que mais tarde se incorpora aos tecidos Sutis de nossa alma.

Com o decurso do tempo nossa alma não raro passa a exprimir, pelo seu veículo de manifestação o que assimilará fazendo-o seja pelo corpo carnal, entre os homens, seja pelo corpo espiritual de que nos servimos, depois da morte.

É por esta razão que geralmente os cen¬sores do procedimento alheio acabam praticando as mesmas acções que condenam no próximo, porquanto, interessados em descer às minúcias do mal, absorvem-lhe incons¬cientemente as emanações, surpreendendo-se, um dia, dominados pelas forças que o representam.

Por exemplo se criticamos alguém de forma sistemática entramos em sintonia com esse modo de proceder e com os que se lhe assemelham, (encarnados e desencarnados) recebendo então essa influência que nos levará invariavelmente a cometer os mesmos erros por nós criticados.
O espiritismo explica então que para uma regra moral trazida por Jesus, há por base uma lei natural que a justifica.
Pela lei de indução mental percebemos, a máxima  “não julgueis para não seres julgados”.
Ao princípio básico que o regula, e ao conhecimento prático da regra soma-se o conhecimento teórico trazido pelo espiritismo que eleva e completa o nível de conhecimento.
Emmanuel no livro pensamento e vida diz que as :
“Nossas emoções, pensamentos e atos são elementos dinâmicos de indução.Todos exteriorizamos a energia mental, configurando as formas sutis com que in-fluenciamos o próximo, e todos somos afe¬ctados por essas mesmas formas, nascidas nos cérebros alheios.
Cada atitude de nossa existência pola¬riza forças naqueles que se nos afinam com o modo de ser, impelindo-os à imitação cons¬ciente ou inconsciente.
É que o princípio de repercussão nos comanda a actividade em todos os passos da vida.”
Somos portanto responsáveis pela nossa ligação com as forças construtivas do bem ou com as forças deprimentes do mal.
André Luiz explica que ao pensarmos absorvemos fluido universal ( esse fluido universal é constituído pela matéria mental existente proveniente do pensamento de encarnados e desencarnados).
Ao absorver esse fluido universal, vamos transformar essa energia em matéria mental, pelo acto de pensar, através da mente que é um órgão do espírito, que vai ser transformada com os recursos que temos e com as ideias que nos são próprias.
A energia mental é produzida pela mente que é um órgão do espírito, e essa matéria mental produzida vai vitalizar o nosso corpo espiritual ou perispírito que é constituído por órgãos.
Entre esses órgãos temos os centros de força principais e muitos outros por nós ainda desconhecidos que fazem parte dessa estrutura semi-material que é o corpo espiritual ou perispírito.
Essa estrutura do corpo espiritual que podemos por analogia imaginar que seja semelhante ao complexo aparelho circulatório, com canais que percorrem todas as células do corpo físico, vão vitalizar “alimentar” “nutrir” o corpo perispíritual através dessa matéria mental produzida pela mente.
Da qualidade da matéria mental produzida e por nós assimilada no corpo fisiopsicossomático “físico e espiritual” vamo-nos alimentar ou nutrir espiritualmente, ou seja, o corpo físico e espiritual receberá a influência da vitalização construída sob nossa responsabilidade “pelo nosso pensamento” na qualidade que nos é própria.
Assim como o corpo físico precisa de uma boa alimentação, também o corpo espiritual precisa de alimentar-se em qualidade, e este alimento que é produzido na mente é designado de energia vital.
Assim analogamente quando preparamos a nossa alimentação, temo cuidado com a qualidade dos alimentos e com a sua confecção para não sofrermos as consequências, do mesmo modo, ocorre no corpo perispíritual.
O aparelho digestivo através dos seus órgãos transforma alimentos em energia, que é distribuída pelo corpo através dos seus órgãos próprios.

Da mesma forma, através do pensamento ( a mente - órgão perispíritual) transforma a energia proveniente do fluido cósmico, em matéria mental que vai “alimentar” ou vitalizar o corpo perispíritual através dos órgãos próprios ( órgãos perispírituais que regulam o sistema fisiopsicossomático).

Este conhecimento teórico ajuda a perceber as leis.
O espiritismo revela Leis e capacita-nos para um novo nível de conhecimento, fazendo-nos compreender que os preceitos morais de Cristo estão sustentados por leis naturais às quais todos estamos vinculados como espíritos imortais que somos.

Como dissemos a nossa emotividade plasma a ideia
A ideia tem uma constituição atómica própria e é “ um ser organizado pelo nosso espírito a que o pensamento dá forma e ao qual a vontade imprime movimento e direcção”

Essa capacidade que o pensamento tem de levar e fazer influenciar outras mentes com as ideias que lhe são próprias é que se designa por indução mental.

Consequentemente pelas nossas ideias estabelecemos para nós mesmos o ambiente especifico que nos é particular agindo e reagindo, uns sobre os outros constituindo a nossa existência.


O preceito “orai e vigiai” é explicado pelo espiritismo, como uma lei de sintonia à qual estamos vinculados.

Orai é portanto a sublimação de sentimentos estendidos às esferas mais altas da vida e o vigiai deve ser entendido como a atenção que devemos ter às influências a que estamos submetidos constantemente.

Abraços Fraternos
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 14 de Novembro de 2009, 20:02
Olá todos os amigos do Fórum. e a todos os participantes desse Estudo.



Mas, para mim claro está, o ideal é nos mantermos no caminho do meio, não dando importância nenhuma a esses pensamentos maus ou bons. Simplesmente ficarmos numa posição de observador a vê-los passar.

Olá Dim- Dim, muitas das vezes minha imperfeição ainda me faz escrava dos meus pensamentos, lógico não com muita freqüência quero dizer, para isso tento me corrigir na medida do possível, mas uma vez ou outra tenho uma recaída, só não me deixo abater, é como sempre falo, quando se tem Deus presente em nossas vidas com ele achamos a solução para todos os problemas, por mais grave que seja, basta estarmos em sintonia e no caminho certo da verdadeira sublimação.

Abraço forte a todos.
Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 14 de Novembro de 2009, 20:27
Por culpa de Darwin e da sua teoria evolucionista, cuja lógica de tal forma servia os interesses daqueles que afirmaram a morte de Deus, em nome da afirmação do Homem como detentor do poder da vida, os fundamentos em que se suportaram durante décadas múltiplas áreas do saber ficaram seriamente comprometidos e a braços com o grave embaraço que é a evidência do design inteligente da matéria.

O universo microscópico forneceu provas irrefutáveis acerca da falência da teoria da evolução das espécies.

O dogma estabelecido pela ciência, de que qualquer motivo que não o acaso pudesse justificar a vida, foi completamente ridicularizado através de evidências empíricas. De novo a figura do criador surge como inevitável, mais fortalecido do que nunca.

No entanto uma grande transmutação ocorre acerca da sua natureza. Um dos seus atributos, a inteligência, foi demonstrado de forma empírica como irrefutavelmente necessária, ou seja pela primeira vez o Homem pode enquanto ser vivo experimentar Deus socorrendo-se dos seus próprios sentidos e da sua própria razão.

Para além disso, essa mesma inteligência é cognoscível e reconhecível pelo Homem ou seja, esse atributo de Deus é partilhado pelo Homem e assim uma outra revelação extraordinária a vida nos dá: pelo menos comungamos com um dos atributos que o criador detém.

Se assim não fosse seria de todo impossível compreender de que formas são construídas e concebidas das suas máquinas moleculares.

A existência de Deus é provada não através do axioma da causalidade que é insuficiente pois o próprio Deus desmente a sua universalidade, mas sim através da inevitabilidade comprovada através dos sentidos do Homem da existência de um design inteligente na matéria, logo de todo impossível que tenha sido gerado pelo acaso.

No entanto, nada disso é prova que para além da inteligência, qualquer outro atributo seja propriedade do espírito, antes pelo contrário, pelos motivos que já expus está provado de forma empírica que emoção, sentimento, consciência, pensamento e razão são um atributo da vida, ou seja, impossíveis de serem experimentados sem a comunhão com a matéria.

Para além da inteligência, nenhum outro atributo pode ser atribuído a Deus através dos sentidos do Homem, como tal nenhum outro atributo que não a inteligência pode o espírito comprovadamente deter.

O seu AMOR é para nós impossíveis de ser experimentado.

Não entendemos porque é legitimo o Leão matar a Gazela, não entendemos esse acto do AMOR de Deus.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: rwer em 14 de Novembro de 2009, 20:44
Querida Zeni, queridos amiguinhos, ainda não consegui ler todas as páginas, mas resolvi compilar alguma coisa do que alguns perguntaram ou afirmaram. Passei todos para negrito, deixando meus comentários com letra normal.

Zeni perguntou:
"O que é o pensamento?"  Simples registro da memória, utilização das experiências gravadas. É o único lugar onde se encontra algum passado ou futuro. Fora do pensamento, só existe o Presente de Deus.  É impossível "pensar no presente".

"Pensar é desejar?"  Não.  O pensamento provém da memória que, na experiência humana, deve ficar no corpo mental.  O desejo surge vibratoriamente mais abaixo, no corpo astral (perispírito).  É o pensamento que ativa os desejos. O muito pensar numa coisa gera o apego (fixação mental afetiva) e o apego gera o desejo (vontade emocionada de ser, fazer, abarcar e obter).

"Qual a origem do pensamento?"   O mau hábito que tenho de abstrair-me do Presente, pra viver das lembranças e de suas mil combinações. Essas combinações causam a ilusão de ser novas - mais é tudo velho, passado.

"Qual a função do pensamento no perispírito?"  A mesma já descrita ali em cima. É um recurso maravilhoso, um dispositivo ou ferramenta.  Não é errado pensar, quando o pensamento tem função.

"O pensamento positivo ou negativo influencia no desenvolvimento espiritual e moral?" No desenvolvimento moral, sim, tornando a personalidade menos complicada, menos intoxicada. Assim, o Espírito pode infiltrar-se na pessoa, no ego, tornando-o mais leve e obediente.

Dim-Dim escreveu:
"Todos estes "pensadores", Allan Kardec, Cristo, Krishnamurti, Buda, Krishna, etc, só obtiveram todo o conhecimento que nos legaram quando deixaram de lado o pensamento, para sentirem a sua essência."  Claro, Dim-Dim:  "conhecimento" é compreensão, que nada tem a ver com pensamento.

Luz13
"Somos o que pensamos.Tudo o que somos surge com nossos pensamentos.    Como nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo.  (Buda)"   Isso mesmo, Luz.  O pensamento é o ego, a personalidade e o mundo (bem entendido, o mundo criado pelo homem).  A pessoa (nossa máscara) e seu mundo são o resultado do "viver pensando".

SB (Suzana Bernardo)
"Deus pensa?"  Não e sim.  "Não", se a gente se refere à Divindade em si mesma. Onisciência não é lembrar de tudo. É conhecer tudo instantaneamente, é compreender.  "Sim", quando Deus em nós experimenta o pensar. Afinal, somos Deuses.

Laurikytta, gostei muito da historinha Zen que você trouxe. (#212 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/pensamento-estudo-de-novembro-2009-18735/msg68668/#msg68668), 11.11.09)

Abraços e desculpem escrever alguma coisa que ainda me é fugidia, dado o mau hábito de pensar e pensar... ;)
RW
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 14 de Novembro de 2009, 20:59
Olá atodos do Fórum.



O preceito “orai e vigiai” é explicado pelo espiritismo, como uma lei de sintonia à qual estamos vinculados.

Orai é portanto a sublimação de sentimentos estendidos às esferas mais altas da vida e o vigiai deve ser entendido como a atenção que devemos ter às influências a que estamos submetidos constantemente.

Olá Carloss, obrigada por partilhar, bem extenso mas rico em ensinamentos.

Abraço forte e fiquem com Deus.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 15 de Novembro de 2009, 03:04
Parabéns pelo post carlossm.

O certo será revê-lo várias vezes, pois há muitos esclarecimentos ali  importantes e oportunos. Um  pouco longo, mas isso a gente supera.

Citar
Por exemplo se criticamos alguém de forma sistemática entramos em sintonia com esse modo de proceder e com os que se lhe assemelham, (encarnados e desencarnados) recebendo então essa influência que nos levará invariavelmente a cometer os mesmos erros por nós criticados.

Este trecho me chamou a atenção particularmente. Acho que é uma boa explicação, sobre aquele conhecido ditado em que, "somos aquilo que pensamos" e "quando criticamos alguém de maneira contumaz", é porque temos em nós esse defeito, o de cometer os mesmos erros por nós criticados. Ex: quando dizemos que alguém é arrogante, é porque nos identificamos com esse tipo de postura, e não raro essa pessoa se torna como um espelho para nós, a saber que também somos arrogantes.

 

abçs,

Renato


Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 15 de Novembro de 2009, 16:40
Olá a todos do Fórum.

Por exemplo se criticamos alguém de forma sistemática entramos em sintonia com esse modo de proceder e com os que se lhe assemelham, (encarnados e desencarnados) recebendo então essa influência que nos levará invariavelmente a cometer os mesmos erros por nós criticados.


Este trecho me chamou a atenção particularmente. Acho que é uma boa explicação, sobre aquele conhecido ditado em que, "somos aquilo que pensamos" e "quando criticamos alguém de maneira contumaz", é porque temos em nós esse defeito, o de cometer os mesmos erros por nós criticados. Ex: quando dizemos que alguém é arrogante, é porque nos identificamos com esse tipo de postura, e não raro essa pessoa se torna como um espelho para nós, a saber que também somos arrogantes.

Olá Carlossm, o Aldebaram leu meus pensamentos “pois” vim pensando nesse exato trecho escrito acima, que também chamou-me atenção, quando criticamos um ser o qual não nos causam simpatia por algum motivo, dependendo a intensidade da crítica e principalmente se a pessoa não está presente para se defender, isso parece que vem com tanta intensidade malfazeja para  quem criticou que é impressionante, mas quando se tem algum entendimento da doutrina principalmente, passa a saber lidar com essas situações imperfeitas, não se deixando levar por esses caminhos que contribui para lentidão do que realmente se quer conquistar que é nossa reforma superação rumo a nossa evolução.

Abraço forte a todos.
Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 15 de Novembro de 2009, 17:02
Olá a todos os amigos do Fórum.

Olá Ram-Wer obrigada pela atenção, segue algumas questões, dando continuidade aos estudos.

Questões sobre o pensamento na evocação: Livro dos médiuns

•Como podem os Espíritos, dispersos pelo espaço ou pelos diferentes mundos, ouvir as evocações que lhes são dirigidas de todos os pontos do Universo ?
R - Muitas vezes são prevenidos pelos Espíritos familiares que vos cercam e que os vão procurar.  Porém, aqui se passa um fenômeno difícil de vos ser explicado porque ainda não podeis compreender o modo de transmissão do pensamento entre os Espíritos. O que te posso afirmar é que o Espírito evocado, por muito afastado que esteja, recebe, por assim dizer, o choque do pensamento como uma espécie de comoção elétrica que lhe chama a atenção para o lado de onde vem o pensamento que o atinge. Pode dizer-se que ele ouve o pensamento, como na Terra ouves a voz.
[17b pág.358 it.282] (questão 5ª)

•Será o fluido universal o veículo do pensamento, como o ar o é do som ?
R - Sim, com a diferença de que o som não pode fazer-se ouvir senão dentro de um espaço muito limitado, enquanto que o pensamento alcança o infinito. O Espírito, no Além, é como o viajante que, em meio de vasta planície, ouvindo pronunciar o seu nome, se dirige para o lado de onde o chamam.
[17b pág.358 it.282] (questão 5ª - a)

•Dar-se-á que o pensamento do evocador seja mais ou menos facilmente percebido, conforme as circunstâncias ?
R - Sem dúvida alguma. O Espírito é mais vivamente atingido, quando chamado por um sentimento de simpatia e de bondade. É como uma voz amiga que ele reconhece. A não se dar isso, acontece com freqüência que a evocação nenhum efeito produz. O pensamento que se desprende da evocação toca o Espírito; se é mal dirigido, perde-se no vácuo.  Dá-se com os Espíritos o que se dá com os homens; se aquele que os chama lhes é indiferente ou antipático, podem ouvi-lo, porém, as mais das vezes, não o atendem.
[17b pág.358 it.282] (questão 7ª)

•Reunidos em comunhão de pensamentos e de intenções, dispõem os homens de mais poder para evocar os Espíritos ?
R - Quando todos estão reunidos pela caridade e para o bem, grandes coisas alcançam.  Nada mais prejudicial ao resultado das evocações do que a divergência de idéias.
[17b pág.358 it.282] (questão 14ª)

A cadeia, dando-se todos as mãos, alguns minutos antes de começar a reunião, é um meio material, que não estabelece entre vós a união, se esta não existe nos pensamentos; mais conveniente do que isso é unirem-se todos por um pensamento comum, chamando cada um, de seu lado, os bons Espíritos.  Não imaginais o que se pode obter numa reunião séria, de onde se haja banido todo sentimento de orgulho e de personalismo e onde reine perfeito o de mútua cordialidade.
[17b pág.358 it.282] (questão 15ª)

•Quando se evoca pelo pensamento o Espírito de uma pessoa, esse Espírito vem, ainda mesmo que não haja manifestação pela escrita, ou de outro modo ?
R - A escrita é um meio material, para o Espírito, de atestar a sua presença, mas o pensamento é que o atrai e não o fato da escrita.
[17b pág.358 it.282] (questão 24ª)

Abraço a todos.
Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: carlossm em 15 de Novembro de 2009, 18:41
Olá companheiros de ideal

Deixo aqui uma pérola de luz!!!

FORMAÇÃO DAS IDEIAS

A formação das ideias escapa, por vezes, à ciência humana, e influencia por demais o corpo físico, que a mesma ciência ignora.

O poder dos pensamentos, no que se refere à vida somática, chega a raias inconcebíveis, tanto quanto o organismo social é força preponderante do homem para as coisas.

E de alma para alma é a maior energia até então conhecida entre os próprios homens, pelo menos no seio de todos os espíritos criados por Deus.

A ciência da configuração das ideias germina nas sutilezas do raciocínio e promana em todas as direções, como ondas de variados biótipos, levando a mensagem à consciência, de modo a ser aprovada ou relegada à margem do mundo mental.

Se não serve, é descarregada no solo pelas portas dos pés, causando grandes estragos no império somático. Se nobre, toma outras estéticas, como viva orquestra a harmonizar todo o cosmo orgânico.

Toda imposição de ideias novas, em velha mente deseducada, gera perturbação psíquica e biológica. Nada na vida obedece ao bem sem esforço e sacrifício.

A Poluição da mente na humanidade chega ao clímax, e a dor dá o alarme de socorro, com urgência acelerada. Do mesmo modo como se apresentam no mundo externo, encontram-se no templo do pensamento inversões de valores, poluição de elementos, que anunciam próximas reformas com clarões da libertação espiritual.

O desenho de sinais na mente é o princípio da comunicação entre as criaturas, e a formação dos pensamentos é uma arte divina, onde o espírito, como co-criador, em sua maior parte.

A responsabilidade é, portanto, muito grande para as almas que formulam ospensamentos, influenciando as criaturas, pois, pela lei, haverão de receber, de volta, ideias com as mesmas emoções, e vibrações com as mesmas estruturas.

Quando as almas são congéneres na arte de pensar e idênticas nos sentimentos, dá-se o grande fenómeno da vida de dois espíritos: o amor, em verdadeira simbiose, circulando, por canais invisíveis, energias de que um alimenta o outro.

Quanto mais puros os sentimentos, quanto maiores e mais elevados forem os ideais de fraternidade e de perdão, com mais fulgor se expressará a vida, e aconsciência  não  encontrará barreiras, tornando as duas almas uma só, com todas as suas divisões.


Se desejamos nos confundir com os benfeitores de alta hierarquia espiritual, é preciso que a educação da mente seja o primeiro passo.
A disciplina deverá surgir como mostra de um esforço dinâmico da alma, e raios de luz, como relâmpagos nos céus da aura do candidato, anunciarão novos dias. Está a luta travada, entre as trevas e a luz, entre o eu inferior e o superior. Se assim podemos dizer, entre a carne e o espírito.

A concatenação das ideias obedece a uma lei que. muitas vezes, o seu criador esconhece. Todavia, é impulsionada para ininterruptas formações de pensamentos, que expressam o que é e as vias percorridas na escala evolutiva.

Nós somos o que somos, e o que Deus tinha de fazer em nosso favor já fez desde o princípio, esperando a. nossa vez, a nossa parte. A açâo do Senhor se processa por leis irretorquíveis, na medida dos nossos esforços.

A harmonização da mente não se dá sem a cooperação dos nossos semelhantes, principalmente daqueles que não simpatizam conosco.

Como aprender a perdoar sem sermos ofendidos?
Como conhecer o valor do amor, sem antes provarmos o tétrico ambiente do ódio?
E a saúde, sem sentirmos o guante da dor?
São estímulos de fora, que vêm para o nosso socorro, criando tempestades no nosso mundo mental, agitando os mares dos sentimentos, para que tomemos as devidas providências, analisando no laboratório da razão e nas sensibilidades do coração.

E a ordem do dia indica reforma.
Se ouvirdes piadas picantes, não deixeis que elas criem imagens na vossa mente
que, ao serem passadas para os outros, nelas vão o vosso carimbo de responsabilidade.

Se alguém vos calunia, não revideis, para que não vivais na mesma dimensão do caluniador, e respondais pelo estrago da energia deturpada que desprende de vós pelo infinito afora. E assim por diante.

A formação das vossas ideias leva a vossa própria imagem, ofertando e recebendo de conformidade com a lei, pois os semelhantes se agrupam com os seus iguais em toda a profusão da vida universal.

O grifo é meu

Livro: Horizontes de Mente
Psicografia: João Nunes Maia
Espirito: Miramez

Abraços faternos

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 15 de Novembro de 2009, 18:57
Pensar a fé.

Augusto Cury, afirma a fé como a sendo o limite para além do qual o conhecimento se torna impossível, isto porque a fé ao transcender a lógica impõem a ausência de dúvida.

Sem que a dúvida se instale o conhecimento é impossível e assim é desnecessária e mesmo nada conveniente qualquer tipo de abordagem dialogante ou mesmo reflectiva acerca daquilo que é do domínio da fé.

Segundo os evangelhos Jesus afirmou a necessidade de crer sem duvidar.

No entanto, essa fé não pode ser confundida com medo, submissão, automutilação, negação...

Aquilo a que se chama fé, é um processo racional que conclui o que mais interessa para preservação da vida e da estabilidade emocional do indivíduo, que confrontado com a incapacidade de viver de acordo com aquilo que a sua vontade de poder determina, desiste da vida e encontra na fé a caverna, um local de onde não mais terá vontade de sair.

Não é essa a atitude que podemos observar em Jesus de acordo com aquilo que está escrito. No decurso da sua vida a coragem assina a afirmação da sua vontade de viver e a fé é consequência de um processo inteligente da acção, da afirmação, que triunfa sobre a negação e a vontade de morrer.

Jesus através do seu exemplo, demonstrou que a vida não é uma prisão intelectual ou mental. Demonstrou que a fé está para além da lei, aquela que não veio negar, mas a que nunca se submeteu quando proferida pela boca dos homens, mas sim quando entendida através da sua inteligência superior e vivida de acordo com a sua vontade de poder.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 15 de Novembro de 2009, 19:18

Olá amigos pensantes!

O pensamento é o pensamento, o entreter-se com os pormenores é que nos estorva a percepção do todo. Mas ele absorve-se.

não sei se já alguém o disse

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Silvio Danilo em 16 de Novembro de 2009, 00:22
O benfeitor Emmanuel, também muito nos fala sobre a importância do pensamento, veículo principal da concentração, conforme segue:

  “A energia mental é fermento vivo que improvisa, altera, constringe, alarga, assimila, desassimila, integra, pulveriza ou recompõe a matéria em todas as dimensões. Por isso mesmo, somos o que decidimos, possuímos o que desejamos, estamos onde preferimos e encontramos a vitória, a derrota ou a estagnação, conforme imaginamos”

  “Os acontecimentos obedecem às nossas intenções e provocações manifestas ou ocultas. Encontraremos o que merecemos, porque merecemos o que buscamos. A existência, pois, para nós, em qualquer parte, será inevitavelmente segundo pensamos.”

  “O progresso mental é o grande doador de renovação ao equipamento do espírito, em qualquer plano de evolução".

Quem mais pensa, dando corpo ao que idealiza, mais apto se faz, à recepção das correntes mentais invisíveis, nas obras do bem ou do mal.(3)

O Espírito Vianna de Carvalho, também nos esclarece a respeito do assunto asseverando: “A concentração, por isso mesmo, deve ser um estado habitual da mente em Cristo e não uma situação passageira em Cristo.”(4)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 16 de Novembro de 2009, 00:58
O pensamento é uma das manifestações da inteligência através da matéria orgânica.
 
A inteligência foca a sua atenção nas coisas que lhe interessam e consoante o universo da realidade que a mente lhe proporciona decide as acções, que vão por sua vez desencadear através dos processos de causalidade uma efectiva influencia na construção do universo.

Sendo verdade que a matéria determina o mundo da inteligência, também esta é responsável pela sua “qualidade” em termos de eficácia e abrangência. Tal como os músculos, o pensamento ou melhor, a capacidade de pensar, pode ser desenvolvida através da sua utilização prática.

E não só a interiorização, aqui neste espaço muito evocada por motivos de identidade filosófica entre muitos dos participantes, é passível de ser exercitada.

Outro tipo de universo de conhecimento é revelado à consciência se para isso a vontade da inteligência o determinar, ou seja, utilizar a dor, as frustrações, como meio revelador do saber que num determinado momento se disponibiliza perante a inteligência, para que a experimentação da emoção e do sentimento não reconfortante potencie a oportunidade para que sejam desencadeados múltiplos processos causais, que determinarão uma vivencia cujo resultado será aquilo que é observado como proveito ou perda. É esse processo de avaliação da vida que não pode ser negado á inteligência através da negação da sua vontade de poder.

A coragem e a determinação surgem enquadradas com as mais variadas oportunidades circunstanciais, entre as quais se encontra o grito que liberta da submissão, seja ele dirigido a um qualquer valor opressor da vontade, proporcionando assim à inteligência a oportunidade de experimentar a responsabilidade de agir em conformidade com aquilo que a sua criação livre reclama como legitimo.

Muitos dos que aqui escrevem afirmam a necessidade de se amar a si mesmo para assim ter condições de amar o próximo.

Jesus, para demonstrar o AMOR, em alguma circunstância submeteu sua vontade a algo mais que não fosse a sua própria inteligência?

O seu objectivo não era de certo provar a sua natureza divina, mas sim, explicar através do seu exemplo aquilo que cada um de nós é.

Jesus não se elevou perante a vida. Nós é que nos rebaixamos.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 16 de Novembro de 2009, 02:19
O desejo de criar.

O desejo de romper com a ditadura do “bem”, o “belo”, da virtude que mutila, é um acto criativo.

Jesus expressou a sua vontade, não reagindo mas agindo… não negou o deus de Moisés mas afirmou o seu Pai. Não ofereceu a Verdade, revelou-a e ocultou-a simultaneamente, e assim, libertou a vida, oferecendo-a virgem a seus irmãos.

Nunca esta, nas suas palavras, é avaliada e medida. Sempre permitiu e incentivou a acção e a afirmação das inteligências que com ele conviveram e quando desencarnou, nada mais nos legou do que um enorme e infinitamente fértil terreno, que pode receber tudo aquilo que cada um pretenda semear. 

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Nery de Lima Pereira em 16 de Novembro de 2009, 02:24
    Olá..Meus Irmãos..
   
   Segundo a ciência o ser humano tem a capacidade e faz uso de 600.000 mil pensamentos por dia, e só aproveita,  2% ... o restante guarda no seu inconsciente....
   Pensamentos são energias, pairam no ar.....
   Lembremos e meditemos o que nosso Mestre disse : "Estai atento e vigiai"
   Que o Senhor nos ampare...
   Nery
   
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 16 de Novembro de 2009, 02:44
Um outro exemplo que podemos observar acerca daquilo que é o pensamento humano, tem a ver com a função da memória.

Existem dois tipos de memória. Aquela que utilizamos para decorar o numero do telefone de uma amigo e aquela na qual estão gravadas as recordações da(s) nossa(s) vida(s).

Enquanto a primeira, enquanto disponível conscientemente, é rigorosa acerca daquilo que contem, a segunda é reconstrutiva, ou seja, a inteligência intervém nesse processo evocatório, ou seja, tem disponíveis um conjunto de dados que lhe permite o emergir de uma lembrança, que está a ser reavaliada por aquilo que o nossa inteligência determina como necessário e as impressões que nos causam são diversas daquelas que eclodiram aquando da experiencia vivida no passado.

Assim, o pensamento, ou seja aquilo que constitui os elementos que a inteligência experimenta no decurso da sua vida mental, tem na memória, não um acesso àquilo que erroneamente foi tido como posse cultural, mas sim um recurso adicional para a reconstrução da vida que permite uma reavaliação inteligente das experiencias passadas, proporcionando assim que as acções ou resoluções tomadas em forma de atitude, evolua para experiencias mentais diversas perante um mesmo ou idêntico quadro circunstancial o que permite uma possibilidade sempre presente de que a inteligência reformule a acção em conformidade com aquilo que identifica como proveito.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 16 de Novembro de 2009, 03:00
Memoria e formas-pensamento

Tendo em conta a propriedade acima descrita, e retomando o uso da razão especulativa, através da utilização da memoria é possível a criação de novas formas-pensamento que terão a potencialidade de reparar uma acção que no passado tenha sido desencadeada e por vontade do principio inteligente entretanto modificada através do seu processo evolutivo.

Assim, talvez seja por este meio possível resgatar as preocupantes dividas Karmicas que parecem condicionar o bem-estar espiritual, ou seja, na medida que a própria vida se desenrola e a inteligência evolui, a caracterização do seu universo mental por si mesmo se encarregará de pagar aos nossos credores honrando assim esses compromissos de forma menos penosa do que aquele autentico panorama catastrófico que é a exigência de que a vida seja regulada pela lei de talião.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: bnojh em 16 de Novembro de 2009, 08:37
Caros irmãos,

Venho deixar minhas humildes desculpas a quem quer que tenha se ofendido com o que escrevi.
Desculpe também ao moderador do forum por ter gerado esse desconforto e estar ocupando o espaço com retratação, que a meu ver é inútil.

Ao enteressado segue algumas palavras.

Notanto sua perspicácia em me inferir agressividade com relação ao pequeno artigo que postei no fórum onde expressei as minhas reflexões sobre o aturdido tema baseado nas instruções dos espiritos elevados que está inserido nos livros da codificação, nos complementares de André Luiz, Emmanuel, Joana D'Angelis, Revista espírita entre outros; gostaria de dizer-lhe que compreendo todos temos certo grau de desenvolvimento espiritual, que não me cabe julgar ninguém, assim como aprendi dos mentores que tenho a felicidade de ter contato.

Devo esclarecer também em vista da ênfase que tendes feito, que; os ensinos dos espiritos são claros quanto ao esforço que cada um deve realizar para elevação de si próprio bem como da situação evolutiva do planeta.

O que noto em tudo isso e nos ambientes onde tenho a felicidade de colocar as minhas idéias entre pessoas de idéias é que quando há pouco estudo doutrinário ou até mesmo inexiste, a condição com relação ao entendimento que se faz do que se lê e se ouve é que permanece somente no âmbito das percepções sensoriais da matéria assumindo uma relação; dentro-fora  quando para um total entendimento deveria ser o contrário. As instruções dos bons espiritos devem ser entendidas na óptica da essência ao qual nos é endereçado e não a partir das idéias pré-concebidas que adquirimos diante o mundo ainda muito imperfeito em que vivemos e se estamos aqui ainda é porque ainda nos encontramos muito imperfeitos, aliás, se o amigo se detiver no livro dos espiritos poderá constatar nas respostas dos amigos espirituais que tiveram o labor de nos deixar esse conjunto subrime de conceitos que em todos os momentos reportam-se a Kardec dizendo que a muitas coisas que ainda não somos capazes de entender.

Mas, então, poderíamos dizer:

Se mesmos os espiritos que são benevolentes não nos condenam, porque pessoas se acham no direito de serem tão altruístas?

Então vem uma pergunta que me faço todos os dias.

Consideremos que a doutrina diz que devemos aceitar as pessoas na medida de suas limitações, o que concordo plenamente; então; pergunto-me:

Será então que devemos nos esforçar o menos possível, já que somos seres ainda tão imperfeitos alongando a duração das provas a que necessariamente temos que transpor?

Não sei, sinceramente acho que todo esforço que faço ainda é muito pouco.

Quanto à internet ser um local de livre pensamento, foi a partir desse mesmo principio pelo qual me dispus a colocar a minha singela reflexão sobre o assunto.

Porém compreendo que se gerou desconforto quanto a ter atingido seus sentimentos de alguma forma, pesso-lhe que me perdoe e que entenda que o referido texto foi em âmbito geral.

Jesus quando falava entre os Fariseus também tinham seus detratores.

Paz irmão, é o que rogo ao pai de todos nós a você, pedindo que o amparo dos benfeitores do mundo maior lhe envolvam num hálito de amor e bem estar iluminando seu caminho, hoje e sempre.

Fique na paz que lhe esta destinado.

Assim seje.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 16 de Novembro de 2009, 09:42
Olá bnojh

Amigo, não entendo o que você quer dizer. Tem a certeza que está a responder no tópico certo?

bem haja

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Edna☼ em 16 de Novembro de 2009, 10:03
Bom dia amigos,

"... o nosso pensamento cria a vida que procuramos, através do reflexo de nós mesmos, até que nos identifiquemos, um dia, no curso dos milênios, com a Sabedoria Infinita e com o Infinito Amor, que constituem o Pensamento e Vida de nosso Pai."
(Palavras de Emmanuel).

Maravilhosa semana pra todos.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 16 de Novembro de 2009, 12:04
Meus Caros, venho eu COMPLICAR ou AJUDAR mais um pouco:

Nosso pensamento vem da capacidade de estar consciênte, desta capacidade vem o pensar eo sentir que é a manifestação da liberdade pois:
  
       conciência = pensar/sentir = escolher.

Nos somo seres pensantes, "Cogito, ergo sun" Decartes, esta capacidade é de nossa ônus, pois nunca paramos de pensar, o pensar somos nós, somos nós a forma individualizada do pensamento Universal (Deus). Deste pensar mescla-se o sentir, sentir é dar forma, vivificar algo, pois o pensar ergue, o sentir dá o "sopro da vida"!

                "Somos o que pensamos. Tudo que somos surgue com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos Criamos o Mundo"  BUDA.


Com esta frase BUDA, nos faz romper com a ignorância de sermos apenas o que vemos, e sermos sim algo além da compreenção. O teor desta frase reluz a um simples reflexão, temos liberdade de pensarmos, semor o que bem quisermos, temos uma capacidade criativa latente na qual o pensamentos continuo em um objetivo o faz real, materializa coisas(pensamentos), mostra nossa interferência na ordem mundial e Universal, pois com nossa atitude mental temos uma fisica, porque o pensar permite-me ser o que eu quero ser, desta forma com um pensar antiquado temos atitudes antiquadas.


               "O que somos é consequência do que pensamos."BUDA.

Desta forma BUDA explica que somos nada mais efeito de nossos pensamentos, a nossa capacidade de pensar é a causa de minha atitude, minha vida, meu existir.


              "A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta."BUDA.

Buda afirma que a paz, a alegria, o amor, a fé, o sucesso não se encontra por estas imensidões  celestes, mas está num local ao alcançe de cada um, EM SI MESMOS, como Jesus; "Teu maior tesouro encontra-se onde está o seu coração, pois este tesouro nenhuma traça roi e nenhum ladrão rouba."



   Dominus Vobiscum.       Muito Origado pela atenção,            
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 16 de Novembro de 2009, 12:30

Olá amigos do pensamento!

O amigo coloca assim: ( conciência = pensar/sentir = escolher. )

Consciência é o todo Deus. Depois somos uma sensação primeiro que pensar. Sentir.

Quando somos recém encarnados só há sentir. Não há ainda pensamento.

Células simplesmente sentem.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 16 de Novembro de 2009, 17:45

Olá amigos do pensamento!

Quando encarnamos apenas somos consciência, uma extensão dessa grande consciência, Deus. Sentir.

Aí então começa-se a desenvolver o pensamento ditado por todos os que nos rodeiam e participam na nossa educação.

Se for entre canibais seremos canibais. Se for entre mendigos seremos mendigos. E assim sucessivamente, já que esse apreender do pensamento dá-se por imitação e lógicamente sempre dependerá da ilusão que esses nossos mestres vivam. É no que nos tornamos.

É este o conhecimento que todos os homens que o entenderam nos têm legado. No intento de o entendermos, por só assim o podermos abandonar. O pensamento.

Quando o entendemos acontece a liberdade de percepção e a sabedoria de todos os tempos, já não somos mais fragmentos dessa consciência mas sim a própria consciência.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 16 de Novembro de 2009, 18:10

Olá!

Sobre o pensamento ser possessivo e nunca se calar como se costuma pensar, isto só acontece porque lhe damos importância. Temos medo dele apesar dele ser uma criação ilusória.

Quando praticamos uma posição de yoga, por exemplo sentados numa posição confortável e costas direitas, começamos a ver o que é o pensamento a chegar encadeados uns nos outros à espera que nós lhes façamos caso, dando-lhes importância.

Se lhe dermos essa importância, devido ao medo, perdemos a batalha e levantamo-nos a dizer que temos uma perna dormente ou outra "patétisse" qualquer. O pensamento ganhou outra vez, o que seria uma posição de yoga para nos mantermos horas termina ao fim de poucos minutos.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 16 de Novembro de 2009, 18:33

Olá!

Se nunca vencermos esse medo o pensamento vai-se então materializar.

Começamos a intensificar mais ainda esse pensamento por exemplo da perna dormente, mais tudo o que se passa nos mídia sobre saúde, terminaremos por desenvolver problemas arteriais ou outros quaisqueres.

O melhor remédio é rirmo-nos de nós próprios e não dar importãncia a nada, ao fim de alguma prática ele, o pensamento, não aguenta mais o vexame e vai-se embora para sempre com as suas vaidades e orgulhos, a sua mentira criada ilusóriamente. Foi descoberto, ficamos livres do medo.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 16 de Novembro de 2009, 18:48
Olá

Na minha opinião são as nossas obras a favor do bem comum e dos outros que ditam quem nós somos. E se pudéssemos comparar as obras dos homens objectivamente, estou convicto que entre duas obras semelhantes a do homem que nasceu em condições mais difíceis pesa mais. Mas ninguém está condenado à fatalidade.

Todos podem dar a volta por cima. E a realidade diz-nos que o que nasceu num ambiente muito pobre pode vir a ter mt dinheiro, que o que nasceu num ambiente e com pais pouco dotados do ponto de vista da inteligência pode vir a ser muito inteligente, que aquele que nasceu num ambiente hostil, onde a crueldade imperava pode vir a ser um bom homem.

Nós não vamos ser Deus um dia. Nós somos seres independentes e a ligação entre nós e Deus é o amor de Deus. Se nós passássemos a ser "A Consciência", isto é, Deus, deixaríamos de ser nós próprios e isso, no meu limitado entendimento, seria o mesmo que morrer.

De que me adiantaria o meu corpo de carne tornar-se imortal se lhe mudassem o cerebro? Era a minha carne, mas já não era eu, ou seja o espirito que me anima já teria abandonado a carne.

Ora, se eu perdesse a minha consciência e integrasse a consciência divina, a minha consciência teria desaparecido, já não seria eu, como o meu corpo já não seria eu no exemplo anterior.

O que eu penso que nos acontece, é o que diz a doutrina espirita, no meu entender, é que ao percebermos integralmente as leis da vida, seremos espíritos puros. Sintonizados com Deus, porém independentes, com a nossa individualidade e consciência próprias. Deixaremos, isso sim, de nos sentirmos motivados por interesses individuais, trabalharemos sempre para o bem comum, naturalmente, motivados pelo amor a Deus e aos outros. E penso que é isso que os mestres da antiguidade quereriam dizer.

Mas esse estado  decerto não se atinge na terra. Na terra pode conquistar-se a vontade de evoluir para melhor. Podem, contudo, encarnar na terra seres muito mais evoluídos do que nós, em missão, que já superaram  largamente o nosso nível intelectual e moral, e são esses é que podem ser os tais iluminados de que se fala.

O espirito que ainda é uma criança espiritual, por mais que leia, por mais que ore, por mais que faça, não se transforma num espirito puro. Simplesmente pode dar alguns passitos nesse sentido, por ser dócil e se deixar conduzir para o lado do bem.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 16 de Novembro de 2009, 19:41

Olá!

O Amor, o sentimento por excelência só o conhecemos na sua plenitude fora do pensamento, da ilusão. Senão não era necessário esses mestres andarem-nos a falar de caminhos e de salvações.

Quando olhamos para um recém-nascido uma criança, um gato, uma planta por exemplo, é os momentos de Amor mais intenso que sentimos, porque sentimos aquela inocência no caso da criança ainda sem pensamentos. Aqueles olhos belos de Amor que nos estremece interiormente, aquela beleza toda no caso de uma plantinha. Isso é o ideal é puro.

Mas se olhamos a mesma criança com o pensamento a funcionar ficamos cheios de medo com o que lhe possa acontecer, porque é nosso filho, neto ou um irmão qualquer não queremos que nada de mal lhe aconteça. A plantinha olhada através do pensamento até a podemos adorar já com a finalidade de ser comida.

Isto já é um Amor efêmero.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 16 de Novembro de 2009, 19:54
Olá

Citar
Quando olhamos para um recém-nascido uma criança, um gato, uma planta por exemplo, é os momentos de Amor mais intenso que sentimos, porque sentimos aquela inocência no caso da criança ainda sem pensamentos. Aqueles olhos belos de Amor que nos estremece interiormente, aquela beleza toda no caso de uma plantinha. Isso é o ideal é puro.

o sentimento que sentimos por esses seres é ternura, mas não se trata do estado ideal e puro.

Eles são inocentes porque não têm a liberdade de fazer o mal nem lhe podiamos imputar o mal que eventualmente fizessem, mas o ideal é eles chegarem a espiritos puros.

Aí não terão maus sentimentos porque já adquiriram a sabedoria e para eles não fará sentido tê-los. Neste último caso, ter optado por fazer o bem já decorre da vontade e da inteligência e não da incapacidade de ser de outra forma, segundo imagino.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 16 de Novembro de 2009, 20:17

Olá!

Eles são inocentes porque o Amor é puro e ideal, não sabe o que é o bem e o mal.


Depois de se entender o pensamento não mais faz sentido os maus pensamentos. Vive-se no meio em que se viva com esse entendimento nada mais.

Se é que há diferenças é só no ter reconhecido a ilusão aparentemente real, aparente porque construí-mo-la a todo momento, a vida a magia.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 17 de Novembro de 2009, 00:33
O meu pensamento do dia...

Será que somos mesmo assim tão ignorantes e de tal forma imperfeitos que não nos seja possível caminhar com as nossas próprias pernas?

Será que os frutos da nossa própria vontade, da nossa própria racionalidade, da nossa própria capacidade inteligente são sempre pequenos, imperfeitos, amargos ou poderes?

Se afirmamos criações da razão especulativa, porque motivo as nossas conclusões, as nossas suspeitas, as nossas opiniões, têm de ser sempre preteridas, ignoradas em favor dos sábios muito antigos, antigos, pouco antigos sempre que uma nova verdade contrarie de forma sustentada uma mentira antiga?

Tal atitude nega a natureza evolutiva dos espíritos… teríamos de ser muito pouco favorecidos por Deus no que se refere à inteligência se com aquilo que hoje sabemos acerca da sua criação através do conhecimento científico e tendo nas nossas mãos o resultado de séculos de esforços filosóficos levados a cabo por inúmeras inteligências que foram capazes de discernir acerca da vida tendo ao seu dispor um diminuto mundo de conhecimentos empíricos, se ainda assim nos tivéssemos de vergar perante tal autoridade de saber.

No entanto, esse complexo de inferioridade é notório. Sempre tendemos a considerar as nossas criações filhos de um deus menor, indignas de serem expostas perante a vida…

Seremos incapazes de assumir uma atitude madura perante a vida, sem nos socorrermos de forma sistemática da protecção daqueles que dizemos serem os sábios como as crianças o fazem em relação aos seus pais?

Até quando esta necessidade de que as nossas afirmações tenham de ser suportadas pelas inteligências dos outros?

Não é este o exemplo que Jesus nos deixou… ou alguns de nós pensam que sim?

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Edna☼ em 17 de Novembro de 2009, 11:27
"Pensamos demasiadamente e sentimos muito pouco.
Necessitamos mais de humildade que de máquinas.
Mais de bondade e ternura que de inteligência.
Sem isso, a vida se tornará violenta e tudo se perderá".
Charles Chaplin  
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 17 de Novembro de 2009, 11:46
Olá Taprobana

Citar
Seremos incapazes de assumir uma atitude madura perante a vida, sem nos socorrermos de forma sistemática da protecção daqueles que dizemos serem os sábios como as crianças o fazem em relação aos seus pais?

Até quando esta necessidade de que as nossas afirmações tenham de ser suportadas pelas inteligências dos outros?

Não é este o exemplo que Jesus nos deixou… ou alguns de nós pensam que sim?

Na história da humanidade, em todas as áreas do conhecimento, detectam-se pessoas de uma inteligência acima do vulgar, que são capazes de revolucionar os conhecimentos anteriores, mas mesmo esses estudam o que deixaram os seus predecessores e partem daí. Se começassem todos do zero, a humanidade não progredia. Nesta medida estamos sempre dependentes da inteligência dos outros.

Ao falar de Jesus, o amigo parece suportar a sua opinião na inteligência de Jesus (na inteligência dos outros...)

Na minha opinião o problema não é ignorar ou deixar de ignorar o que os outros sabem, mas de ter espirito critico e saber distinguir o trigo do joio. E antes disso saber seleccionar o melhor possivel aquilo que devemos estudar, pois não podemos ler e estudar tudo o que existe. Numa época em que a informação é muita, é mais importante do que nunca saber seleccionar o que realmente nos interessa, saber-se gerir no meio de tanta coisa.

Na verdade eu noto que muita gente, mesmo dotada de boa inteligência, segue as ideias dos outros de uma forma cega, por preguiça de pensar. E nesse sentido você tem razão, para distinguir o trigo do joio é indispensável usar a nossa própria inteligência.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 17 de Novembro de 2009, 12:19
Olá amiga Edna

Citar
"Pensamos demasiadamente e sentimos muito pouco.
Necessitamos mais de humildade que de máquinas.
Mais de bondade e ternura que de inteligência.
Sem isso, a vida se tornará violenta e tudo se perderá".
Charles Chaplin

A elevação intelectual precede a evolução moral. Aquele que é moralmente evoluído é sempre mais inteligente e mais desenvolvido intelectualmente do que aquele que é moralmente atrasado. Mas isto deve ser visto de um ponto de vista espiritual.

A aparência com que se nos apresentam as pessoas encarnadas pode disfarçar a sua inteligência, se não tiveram acesso à instrução e se o corpo onde se lhe foi dado encarnar não tiver condições para a manifestação exterior da inteligência. O poder e o sucesso material nem sempre é conquistado através inteligência. Muitas vezes é conseguido através da prepotência e da má fé.

É através do desenvolvimento intelectual que um dia os seres começam a ganhar o senso moral, e depois a levá-lo a sério e a aplicá-lo na vida. Tudo é preciso e nada se perde. Ninguém evolui imediatamente da ignorância até à bondade de coração. Demora muitas encarnações.

O coração abre a porta, a razão filtra o trigo do joio, deixando passar pela porta apenas aquilo que interessa. Só o coração (sentir) é pouco, só a razão é pouco. A razão é um processo lento, é um trabalho de sapa, a inspiração e a motivação vem do coração, mas sem o crivo da razão, a inspiração fácilmente se converte em ilusão.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zuleica em 17 de Novembro de 2009, 12:44


O pensamento, força viva e atuante, cuja velocidade supera a da luz.  


O pensamento é, sem dúvida, força criadora de nossa própria alma e, por isto mesmo, e a continuação de nós mesmos. Através dele, atuamos no meio em que vivemos e agimos, estabelecendo o padrão de nossa influência, no bem ou no mal.

O pensamento é o gerador dos infracorpúsculos ou das linhas de força do mundo subatômico, criador de correntes de:

bem ou de mal, 

grandeza ou decadência, 

vida ou morte, segundo a vontade que o exterioriza e dirige. 

 - Emmanuel




O processo pelo qual se opera o fenômeno  pensamento é problema que a ciência oficial não pôde até hoje desvendar.



       Nosso espírito residirá onde projetarmos nossos pensamentos, alicerces vivos do bem e do mal.  Por isto mesmo, dizia Paulo, sabiamente: - "Pensai na coisas que são de cima."  



No pensamento normal a excitação dos “átomos mentais inteiros” produzirá ondas muito longas. Em estado de atenção ou tensão pacífica, provocada pelos “elétrons mentais”, em virtude de reflexão ou oração natural, o campo dos  pensamentos exprimir-se-á em ondas de comprimento médio.  



Em situações extraordinárias da mente, excitação dos diminutos “núcleos atômicos mentais”, quais sejam as emoções profundas, as dores indivisíveis, as laboriosas e aturadas concentrações de força mental ou as súplicas aflitivas o domínio dos  pensamentos emitirá raios muito curtos, teoricamente semelhantes aos que se aproximam dos raios gama.




       Os maus pensamentos corrompem os fluidos_espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar respirável. Os fluidos que envolvem os Espíritos_maus, ou que estes projetam são, portanto, viciados, ao passo que os que recebem a influência dos bons_Espíritos são tão puros quanto o comporta o grau da perfeição moral destes.





Se estamos querendo conversar com os mensageiros de DEUS, sinalizamos através da qualidade dos nossos pensamentos.



        O Nosso  pensamento cria a vida que procuramos, através do reflexo de nós mesmos, até que nos identifiquemos, um dia, no curso dos milênios, com a Sabedoria Infinita e com o Infinito Amor, que constituem o  pensamento e a Vida de Nosso Pai.

Abrçs.
 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 17 de Novembro de 2009, 12:51
Ao falar de Jesus, o amigo parece suportar a sua opinião na inteligência de Jesus (na inteligência dos outros...)

Exactamente Vítor.

Na verdade eu noto que muita gente, mesmo dotada de boa inteligência, segue as ideias dos outros de uma forma cega, por preguiça de pensar. E nesse sentido você tem razão, para distinguir o trigo do joio é indispensável usar a nossa própria inteligência.

Não. Qualquer ser vivo o pode fazer sem ser dotado de inteligência... nem de cerebro necessita para exercer essa função.

Taprobana

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 17 de Novembro de 2009, 13:12
Olá

Citar
Não. Qualquer ser vivo o pode fazer sem ser dotado de inteligência... nem de cerebro necessita para exercer essa função.

Quer dizer que uma planta ou um insecto distingue o trigo do joio? Esses seres não optam, só têm um caminho possível. O que as forças da natureza lhe permitem ter.

O que não tem inteligência não é dotado espirito. E a minha frase estava no âmbito das coisas do espirito.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 17 de Novembro de 2009, 13:38
Quer dizer que uma planta ou um insecto distingue o trigo do joio? Esses seres não optam, só têm um caminho possível. O que as forças da natureza lhe permitem ter.

Sim uma planta, um insecto ou mesmo uma ameba sabe distinguir o trigo do joio. Os caminhos que se lhes deparam são múltiplos e a identidade de cada um vai ditar tipos de opções infinitamente diversas, tanto percorrendo os caminhos do trigo, como os do joio quando optam de forma não condizente com aquilo que lhes convém. Quando isso acontece aprendem através da experiência. Ninguém os impede de optar pelo joio quando a sua vontade o determina.

As forças da natureza determinam um percurso do qual nenhum ser vivo pode evitar pois são aquilo que ele é.

O que não tem inteligência não é dotado espirito. E a minha frase estava no âmbito das coisas do espirito.

Não consigo imaginar como seria possível um ser vivo não ter um principio inteligente.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 17 de Novembro de 2009, 20:23
Olá a todos do Fórum.

Nunca esta, nas suas palavras, é avaliada e medida. Sempre permitiu e incentivou a acção e a afirmação das inteligências que com ele conviveram e quando desencarnou, nada mais nos legou do que um enorme e infinitamente fértil terreno, que pode receber tudo aquilo que cada um pretenda semear. 

Taprobana



 "A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta."BUDA.

Buda afirma que a paz, a alegria, o amor, a fé, o sucesso não se encontra por estas imensidões  celestes, mas está num local ao alcançe de cada um, EM SI MESMOS, como Jesus; "Teu maior tesouro encontra-se onde está o seu coração, pois este tesouro nenhuma traça roi e nenhum ladrão rouba."

Olá D@n, luto bastante no dia a dia para tentar alcançar essa tão sonhada riqueza que está em cada um de nós, muitos já conseguiram enxergar esse tesouro e estão desfrutando desse amor, que nos foi dado por Deus, mas estou no caminho a procura e com muita luta muita disciplina e amor, um dia hei de sentir em meu coração, o que Deus tenta a todos os momentos me mostrar, porque é com esse sentimento educado reformado pensado treinado transformado,  é que iremos reconhecer o verdadeiro amor de Deus em nós e ao próximo.




Autor Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier

.

Muitas vezes, disse-nos o Senhor:

- “O Reino de Deus está próximo.”

E até hoje milhares de criaturas aguardam-lhe a vinda, através de espetaculosos eventos exteriores.

Muitos esperam-no, por intermédio de cataclismos inomináveis e mentalizam telas fantasmagóricas, incompatíveis com a Divina Misericórdia que nos preside os destinos...

Trovões ribombando no firmamento...

Maremotos e terremotos...

Raios destruidores a se derramarem do céu...

Multidões amotinadas promovendo devastações e ruínas...

Fluidos comburentes na atmosfera, transformando-a em fogo devorador...

Bombas fulminantes aniquilando nações inteiras...

E contam, quase sempre, com o absurdo e com o fantástico, para que se sintam no portal da grande transformação.

Sem dúvida que semelhantes flagelos podem sobrevir a qualquer momento na experiência das criaturas e no campo da natureza, contudo, longe de significarem o Reino Divino apenas revelam imperativos de nova luta e com serviço mais áspero para quantos se enfileiram nos quadros evolutivos da Humanidade.

O Reino de Deus está próximo, sim, mas, antes de tudo, em nossa capacidade de construí-lo por dentro de nós, através do céu que possamos oferecer à alma do próximo.

Atendamos ao cumprimento do dever que a vida nos atribui, colaborando quanto possível pela vitória do bem a atender o amor que o Mestre nos legou e alcançaremos, com a urgência possível, o clima celestial para nós e para os outros.

É por isso que Jesus igualmente foi positivo e justo quando afirmou:

“Quando se vos disser o Reino de Deus permanece ali ou acolá não acrediteis, porque, em verdade, o Reino de Deus está dentro de vós.”


Livro: Irmão - Psicografia de Francisco Cândido Xavier


Abraço a todos.

Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: maria@nazare em 17 de Novembro de 2009, 21:07
O pensamento pode nos levar a reflectir sobre nossas acções, sobre nossos comportamentos, sobre nossas condutas. Pode ser bastante prejudicial sem que a gente se aperceba, pois sem querer já pensamos algo de errado. Eu gostava de poder controlar mais os meus pensamentos. O pensamento faz parte de nós, do nosso íntimo é algo que está sempre a acontecer no nosso dia-a-dia. Mas também é através dele que podemos orar, elevar a nossa mente ao nosso Senhor, sentir os seus fluidos positivos nos preenchendo. E podemos imaginar coisas belas e maravilhosas e observá-las como se fossem reais.

E como o define Allan Kardec  no livro da Prece:

<< Meus amigos! Sei quanto é doloroso tudo isto que vos digo, pois que cada um dos meus pensamentos é uma dor que atinge profundamente o meu Espírito. Sei que as vossas consciências sentem perfeitamente todo o peso das verdades que vos exponho. Mas, eu vos disse ao começar: — temos responsabilidades e compromissos tomados, dos quais procuramos desobrigar-nos por todos os meios ao nosso alcance! >>

Um bem haja para todos!  :D
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 18 de Novembro de 2009, 00:40
Pensamento do dia.

A doutrina espírita, contem em si mesmo os fundamentos hipotéticos mais cognoscíveis e lógicos que até hoje me foram dados a conhecer, ou seja, responde-me de forma intelectualmente satisfatória à totalidade das questões que a vida me coloca em termos metafísicos.

No entanto, esse facto não obsta a que sejam possíveis de encontrar incoerências, contradições, imprecisões e mesmo falsidades quando observada em pormenor através de um espírito critico isento de dogmatismo e da crença fundamentada na submissão da razão a uma suposta natureza divina da obra.

Estes anos de estudo que experimento nesta área do saber, revelam ao meu olhar conclusões que se aproximam muito da suspeita, de que, pelo menos muito daquilo que foi escrito ou ditado nessas obras, não é fruto de qualquer tipo de conhecimento de facto, ou seja empírico, mas sim, proveniente de hipóteses especulativas alicerçadas por bases argumentativas provenientes da inteligência, de forma idêntica aquilo que acontece em todas as restantes áreas do conhecimento humano.

Esta suspeita a estar correcta, abre novos horizontes ao espiritismo, libertando-lhe as mãos de amarras dos constrangimentos intelectuais provenientes de aspectos menos claros daquilo que ele contem, abrindo os seus caminhos para que o seu objecto de conhecimento filosófico e científico esteja livre para rectificar aquilo que as evidencias exigem, deixando que estas possam falar por si mesmo. Este é um valor indispensável à razão. O direito à contradição.

Do ponto de vista científico, quando mais do que uma teoria explica uma mesma evidência, ou ambas estão erradas ou existe necessariamente uma terceira que as contém, justificando-as como manifestações diferentes de uma mesma realidade.

Estou convicto que algo de muito idêntico acontece no que se refere à equação da vida e à da morte. Terá de existir uma terceira que as justifique como realidade una.

O princípio inteligente é o meu principal e de momento único suspeito.

Contém em si mesmo todos os atributos que o podem identificar como coisa que pode evoluir, interagir com a matéria nos seus mais diversos estados de existência possível, sejam estes tangíveis ou intangíveis, ou seja, quer se relacionem ou não entre si, e quando se manifesta em forma de inteligência individualizada tem a capacidade de a experimentar e entender.

Esta suposição só é possível ser levada a cabo, aceitando como verdade a hipótese exposta pelo espiritismo através da qual é afirmado que tanto os princípios inteligentes como as inteligências individualizadas nunca estão de facto num estado incorpóreo, ou seja, independentemente de experimentar aquilo que é a vida ou aquilo que é a morte necessitam da matéria, e quando o seu estágio evolutivo determina a sua individualização, poderem experimentar a consciência de si e o universo mental, tanto na vida como na morte, ou seja através da matéria orgânica comum ou através do seu corpo espiritual.

O nosso conhecimento empírico, proveniente da vida, tem em si mesmo os ingredientes que sustentam esta suspeita como possível ou provável. Cerca de 25% do universo é constituído por matéria escura, ou seja, matéria não constituída por protões, neutrões e electrões. Apesar de ser ponderável (nunca foi possível obter provas empíricas da sua existência, somente comprovada de forma indirecta através da observação do comportamento da luz ao atravessar por exemplo um espaço galáctico, assim como através da avaliação da massa necessária para justificar o  movimento verificado nas galáxias a que corresponde a necessidade inevitável da existência de muito maior quantidade de matéria do que aquela que é visível ou detectável) se através de um exercício da imaginação pudéssemos colocar na nossa mão um pedaço dessa matéria ela a trespassaria como se a dita mão lá não estivesse.

Onde é que eu já ouvi falar de algo parecido com isto?  ::)

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Edna☼ em 18 de Novembro de 2009, 01:04
Olá amigo Vitor Santos,

Vale dizer que, você colocou muito bem as palavras.

Precisamos do conhecimento na primeira fase, desenvolver a inteligência, aprender a discernir, preparar o campo para alcançar a transformação interior, atingindo, assim, a maturidade.

O conhecimento deveria caminhar com a presença do amor, entretanto, nem sempre isso ocorre, é um processo lento, obra do tempo, um dia chegaremos lá.

O importante é que estamos caminhando.

Abraços fraternos,
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 18 de Novembro de 2009, 01:17

Olá!

Uma célula de um homem, de uma planta ou de um insecto quando vistas pela química são iguais nas suas reações de sentir

As células, micróbios, plantas, insectos vivem do conhecimento directo ou do conhecimento silencioso. Em silêncio sabe-se tudo o que é preciso para sobreviver.

Isso está garantido pela vida pela consciência.

Se sentir-mos a astucia duma planta, em criar beleza e odores, percepção, verdadeiramente belos para atrair alguém que as polinize. É consciência. Cada uma delas especialista em determinada presa, tornando-se irresistivel mesmo para nós, que insconscientes as cheiramos e tocamos, e conscientes as exploramos para as indústrias cosméticas.

Elas como estão agarradas à terra valem-se dos animais, incluindo o homem, do vento dos insectos paras se polinizarem. Uma planta se for retirada do seu habitat rápidamente sente o novo habitat e se adapta. Tal como toda a restante vida que por sinal é bem mais velha que o ser humano.

Isto é percepção directa, não há pensamento, é-se objectivo.

A diferença é que elas nunca reflectiram sobre isso ao extremo de criar o pensamento como nós. Mas a maior parte do tempo na terra do ser humano era como elas. A mente racional, o pensamento que nos desconectou desse conhecimento silencioso é bastanre recente.

Em ultima análise se as escutássemos elas diriam que por causa do homem ter aprendido a falar com ele próprio tem destruido toda a vida no Planeta.

Namasté



Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 18 de Novembro de 2009, 01:39

Olá!

Fala-se em matéria e mais matéria. Mas o que é a matéria? Nada. Simples ilusão.

Há dois séculos talvez fizesse sentido falar em matéria e massa.

Hoje a química por exemplo desmonta a dita matéria à não matéria. Só fica a luz, a nossa essência.

O que se deveria falar é em aglomerados de luz, mais nada.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 18 de Novembro de 2009, 02:05

Olá!

Esses aglomerados de luz comunicam pelo sentir, as emoções são a sua fala.

Foi a primeira fala do ser humano quando apareceu cá na terra.

Esse aglomerado de luz que chamamos de ser humano nada mais é que todas as frequências de luz cada uma dessas frequências transmitindo uma emoção, uma sensação. Calor, frio etc.

É consensual dizer que o ser humano é um aglomerado de sentimentos.

Por isso se diz que tudo está dentro de nós próprios, porque no universo tudo é luz e toda a luz está aglomerada de alguma forma, por exemplo a forma humana, que é a própria luz aglomerada por electromagnetismo. Essa forma humana é composta pela mesma luz que está fora dela, o próprio electromagnetismo é luz.

Então o que somos afinal?

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luizahelena em 18 de Novembro de 2009, 02:24
Olá Pessoal!!!

Aqui vai um pouquinho de Leon Denis:

[i]"Não há assunto mais importante que o estudo do pensamento, seus poderes e ação. E a causa inicial de nossa elevação ou de nosso rebaixamento; prepara todas as descobertas da Ciência, todas as maravilhas da Arte, mas também todas as misérias e todas as vergonhas da Humanidade. Segundo o impulso dado, funda ou destrói as instituições como os impérios, os caracteres como as consciências. O homem só é grande, só tem valor pelo seu pensamento; por ele suas obras irradiam e se perpetuam atavés dos séculos."[/i]

Livro: O Problema do Ser, do destino e da dor - Léon Denis ( O Apóstolo do Espiritismo)

Abreijos a todos;

Luiza.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 18 de Novembro de 2009, 02:32

Olá!

Esses aglomerados de luz em que predomine a frequência que causa o medo, se os encontrarmos aí no meio do campo pela noite mesmo sem o sentido visual ficamos gelados no mesmo sítio. Cheios de medo, porque o medo que veio de fora intensifica o mesmo medo que está aglomerado.

Dentro de uma cidade o smog é um aglomerado danoso para a vida que o sentido visual só o deteta em grandes concentrações. Aglomera-se na atmosfera em tais concentrações que a luz que embate no solo não consegue sair para o espaço.

Quando reflete no solo e não consegue sair causa o aquecimento do Planeta.

O maior estorvo é a combustão dos hidrocarbonetos, fábricas e automóveis por exemplo.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 18 de Novembro de 2009, 08:26

Olá!

O que essas culturas antigas nos podem dizer mais é que o homem hoje vive desconectado desse saber, desse sentir.

Já não se deita a olhar para o céu, já não o sente bem como não sente o mundo à sua volta. Essa abertura de horizontes, o olhar para o céu, faz-nos falta para obter esse entendimento primordial que é o sentir.

Já não se olha o céu nem se o imagina a ponto de sonhá-lo, para se descobrir quem é que sonha o quê.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luzceano em 18 de Novembro de 2009, 11:03
Olá a todos do Fórum.


 "A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta."BUDA.

Buda afirma que a paz, a alegria, o amor, a fé, o sucesso não se encontra por estas imensidões  celestes, mas está num local ao alcançe de cada um, EM SI MESMOS, como Jesus; "Teu maior tesouro encontra-se onde está o seu coração, pois este tesouro nenhuma traça roi e nenhum ladrão rouba."

Olá D@n, luto bastante no dia a dia para tentar alcançar essa tão sonhada riqueza que está em cada um de nós, muitos já conseguiram enxergar esse tesouro e estão desfrutando desse amor, que nos foi dado por Deus, mas estou no caminho a procura e com muita luta muita disciplina e amor, um dia hei de sentir em meu coração, o que Deus tenta a todos os momentos me mostrar, porque é com esse sentimento educado reformado pensado treinado transformado,  é que iremos reconhecer o verdadeiro amor de Deus em nós e ao próximo.




Autor Emmanuel / Médium Francisco Cândido Xavier

.

Muitas vezes, disse-nos o Senhor:

- “O Reino de Deus está próximo.”

E até hoje milhares de criaturas aguardam-lhe a vinda, através de espetaculosos eventos exteriores.

Muitos esperam-no, por intermédio de cataclismos inomináveis e mentalizam telas fantasmagóricas, incompatíveis com a Divina Misericórdia que nos preside os destinos...

Trovões ribombando no firmamento...

Maremotos e terremotos...

Raios destruidores a se derramarem do céu...

Multidões amotinadas promovendo devastações e ruínas...

Fluidos comburentes na atmosfera, transformando-a em fogo devorador...

Bombas fulminantes aniquilando nações inteiras...

E contam, quase sempre, com o absurdo e com o fantástico, para que se sintam no portal da grande transformação.

Sem dúvida que semelhantes flagelos podem sobrevir a qualquer momento na experiência das criaturas e no campo da natureza, contudo, longe de significarem o Reino Divino apenas revelam imperativos de nova luta e com serviço mais áspero para quantos se enfileiram nos quadros evolutivos da Humanidade.

O Reino de Deus está próximo, sim, mas, antes de tudo, em nossa capacidade de construí-lo por dentro de nós, através do céu que possamos oferecer à alma do próximo.

Atendamos ao cumprimento do dever que a vida nos atribui, colaborando quanto possível pela vitória do bem a atender o amor que o Mestre nos legou e alcançaremos, com a urgência possível, o clima celestial para nós e para os outros.

É por isso que Jesus igualmente foi positivo e justo quando afirmou:

“Quando se vos disser o Reino de Deus permanece ali ou acolá não acrediteis, porque, em verdade, o Reino de Deus está dentro de vós.”


Livro: Irmão - Psicografia de Francisco Cândido Xavier


Abraço a todos.

Zeni.


Concordo plenamente Zeni é a pura realidade de muitas mentes

Esta parte é magnifica;
O Reino de Deus está próximo, sim, mas, antes de tudo, em nossa capacidade de construí-lo por dentro de nós, através do céu que possamos oferecer à alma do próximo.


Muta paz Muito amor em nossa mente em nosso coração
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 18 de Novembro de 2009, 21:34

Olá!

Como a disciplina, aprender, não ocupa lugar!

(Bhagavad Gita, II.62,63,65)

O pensar em objetos dos sentidos                               
Fará com que você se apegue a eles.
Fique apegado e tornar-se-á viciado;
Impeça os seus vícios e ficará colérico;
Fique irado e sua mente tornar-se-á confusa;
Conturbe sua mente e esquecerá a lição da experiência;
Esqueça a experiência e perderá o discernimento;
Perca o discernimento e perderá o único objetivo da vida.
A mente descontrolada
Não percebe que o Atman está presente:
Como pode ela meditar?
Sem a meditação, onde estará a paz?
Sem paz, onde estará a felicidade?


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 19 de Novembro de 2009, 00:13
Pensamento do dia.

Segundo o registo Bíblico Mateus 6, as boas obras, a caridade e a oração devem ser uma causa e não uma consequência do universo mental.

Esses actos são levados a cabo quando é a inteligência que determina que a acção seja concretizada de forma condizente com aquilo que esta escritura descreve ou seja, as boas obras são edificadas, a caridade é exercida e a oração expressa de forma não consciente.

Citar
3 Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita;
4 para que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.

Assim, não é disto que se trata quando as boas obras, a caridade e a oração são efeitos do universo mental que vai determinar uma conduta cuja origem está nas emoções e nos sentimentos que através do pensamento são geridos por uma inteligência submissa ao ego, de forma a assim encontrar um meio de adequar uma conduta através da qual a esperada recompensa ou pagamento seja feito em forma de felicidade futura.

As preocupações dos dias do amanhã não devem ser causas impeditivas para que a experiencia necessária ao processo evolutivo individual seja cumprido no dia de hoje.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: rwer em 19 de Novembro de 2009, 00:35
Oi, Zeni e amigos,

Vou dar um exemplo do "viver sem pensar" que, certamente, vocês já experimentaram.

Bem criança, lá pelos 3 ou 4, lembro-me de que acordar de manhã era um momento mágico. Nenhuma "palavra" me vinha à mente.  De nada me lembrava ou queria lembrar.
Era tipo: - "Oba, acordei". Sem palavras.  Sem lembranças.

Então, vagarosamente, vinha chegando a memória:  eu sou este, ah!, meu nome, filho daquela moça e daquele homem, seus nomes... Ah! mamãe e papai, moro aqui, tenho irmã e irmão... e aí vinham outros nomes, situações, etc.

À medida em que eu crescia, o "download" do meu programa ocorria mais e mais rápido. Atualmente, de vez em quando acontece um maravilhoso hiato na hora de acordar.  Mas é raro.

Pois é justamente esse "branco", essa deliciosa "amnésia", é isto o que os instrutores da Verdade nos têm ensinado a cultivar.  Se você nunca leu alguma coisa de Krishnamurti ou de Eckhart Tolle, pode pensar:  -"Esquisitices! Mais uma seita estranha visando a alienar as pessoas".  Pois eles são a antítese de qualquer seita.  São apenas irmãos que descobriram a verdade e a verdade os libertou.  

É impossível estar atento, plenamente presente, com pensamento.  Tente estar de todo presente e pensar...  Viu como não dá?  É isso mesmo:  pensou, deixou de viver um pedaço de vida.  Se conseguiu estar presente, parabéns!  Isto é meditação.

O pensamento tem seu lugar, claro.  Nosso erro é a identificação com ele.

Abraços, RW

[youtube=425,350]<object width="425" height="344"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/pnaKVI-nsX4&color1=0xb1b1b1&color2=0xcfcfcf&hl=pt_BR&feature=player_embedded&fs=1"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowScriptAccess" value="always"></param><embed src="http://www.youtube.com/v/pnaKVI-nsX4&color1=0xb1b1b1&color2=0xcfcfcf&hl=pt_BR&feature=player_embedded&fs=1" type="application/x-shockwave-flash" allowfullscreen="true" allowScriptAccess="always" width="425" height="344"></embed></object>[/youtube]
10ª parte (final) da palestra "No fim da aflição está a paixão".  Krishnamurti aos 90 anos, em 1985, em Washington. Tradução simultânea em português por GibaExtremo.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 19 de Novembro de 2009, 18:19

Olá a todos os amigos do Fórum.

Pensamento e Vida

O homem pode ser considerado o pensamento que exterioriza, fomenta e nutre.
Conforme a sua paisagem mental, a existência física será plasmada, face ao vigor da energia direcionada.
O pensamento é a manifestação do anseio espiritual do ser, não uma elaboração cerebral do corpo.
Sendo o Espírito o agente da vida, nos intrincados painéis da sua mente se originam as idéias, que se manifestam através dos impulsos cerebrais, cujos sensores captam a onda pensante e a transformam, dando-lhe a expressão e forma que revestem o conteúdo e que se faz portadora.
O homem de bem, pensando corretamente como conseqüência da sua realidade interior, progride, adicionando forças à própria estrutura.
A criatura de constituição moral frágil, por efeito das suas construções mentais infelizes, envolve-se nas teias dos pensamentos perturbadores e passa a estados tumultuados, doentios.
Como resultado, conclui-se que o Espírito e não o corpo, é fraco ou forte, conforme o conteúdo dos pensamentos que elabora e a que se entrega.
O pensamento é força.
Por isso, atua de acordo com a direção, a intensidade e o significado próprios.
A duração dele decorre da motivação que o constitui, estabelecendo a constância, a permanência e o direcionamento do que possui como emanação da aspiração íntima.
O pensamento são os fenômenos cognitivos que procedem do ser real.
*
Pensa no amor; e te sentirás afável.
Cultiva a idéia do progresso, e terás estímulo para porfiar, logrando êxito nos empreendimentos.
Sustenta a idéia do bem, e descobrirás quão ditoso és como fruto do anelo vitalizado.
*
Se pensas no medo, ele assoma e te domina. Se dás atenção ao pessimismo, tornas-te incapaz de realizações ditosas.
Se te preocupas com o mal, permanecerás cercado de temores e problemas.
Se agasalhas as idéias enfermiças, perderás a dádiva da saúde.
*
Tudo pode ser alterado sob a ação do pensamento.
Vibração que sintoniza com ondas equivalentes, o teu pensamento é o gerador das tuas ações, e estas, as modeladoras da tua vida.
Pensamento e vida, pois, são termos da equação existencial do ser humano.
*
Pensando na necessidade de ascensão, os heróis, os cientistas, os mártires, os educadores e os santos edificaram o mundo melhor, que ainda não alcançou o seu ápice, porque tu e outros ainda não vos convencestes de pensar bem, agindo melhor; para conquistardes a vitória sobre as paixões, a dor e a infelicidade.
* * *
Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Momentos de Felicidade.
Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis.
Salvador, BA: LEAL, 1990.

Abraço a todos.

Zeni.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 19 de Novembro de 2009, 18:58

Olá!

Não há maior objetivo na vida que o dominio do espírito. A disciplina.

Fazê-lo sentir-se igual a tudo e a todos. Respeito pela vida.

Sem julagamentos e sem comparações somos livres.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: carlossm em 19 de Novembro de 2009, 23:12
PODER DA MENTE

O poder da mente ultrapassa nossas acanhadas concepções terrenas. Nela estão germe de criações indescritíveis e o princípio de belezas imortais porque, por seu intermédio, flui o poder fantástico de Deus.

Se assim podemos dizer, a mente humana é a mente do Criador na sua mais baixa vibração cósmica, no que diz respeito ao princípio da consciência.
No entanto, para nós outros, é o mais alto grau de evolução terráquea, tanto expressando a engrenagem da razão como ampliando os instintos para um caminho sobremaneira divino a fraternidade.

Aproveitar esse dom maravilhoso é sinal de grandeza da alma. Educar os impulsos inferiores é sintoma de que o espírito começa a acordar Para a luz.
Iniciar o uso das faculdades, no serviço grandioso do amor e da caridade, é sinal de que a liberdade despertou o coração, para tornar o espírito imortal livre em todos os campos do saber.
A mente é como o chuveiro da alma. Aquilo em que pensais firmemente cairá sobre vós mesmos, de modo a vos libertar ou a vos encarcerar, dependendo do teor dos sentimentos que impulsionam as ideias.
Querendo e sabendo, podereis revigorar vossas forças todos os dias, através de pensamentos construtivos, esforçando-vos para que eles'plasmem as ideias, de modo a torná-las visíveis pêlos fatos.

É muito justo que estudeis, com atenção, obras que vos levem à educação dos impulsos mentais, mas que, juntamente, tenhais, ao lado, um companheiro que nunca falte, experimentado nas lides das reformas morais, consciente dos deveres perante as leis e sempre pronto a trocar experiências, que são tesouros imortais do coração.

A amizade pura faz germinar o amor e esse amor desata a vida em variadas direções. Apresentai-vos como candidatos, meus filhos, para a mudança da vida que levais. Mesmo que tenhais atingido elevado posto na conduta, um reaperto a mais nunca faz mal a ninguém.
Conferi os pontos a que já atingistes, e esforçaivos mais um pouquinho. Medi as forças e andai mais um passo, que a ajuda nunca faltará para o vosso trabalho.
Sabemos que a imposição é filha do desespero. Todavia, somos cientes de que o convite é irmão gémeo de grandes esperanças.
A nossa intenção é somente expor, para os amigos da mesma frequência, o que temos em mãos para ser usado: o poder estuante da mente, que poderá realizar fenómenos indescritíveis em nosso favor, transformando-nos de simples almas vegetativas, em espíritos vivificantes, de animais inconscientes, em super-homens espirituais, de escravos do mundo, em filhos livres de Deus, dependendo do modo pelo qual usarmos os dons que nos foram entregues pela Suprema Majestade do Universo.

Jesus transformou a água em vinho, nas bodas de Cana, mostrando aos seus discípulos, no simbolismo que Lhe era peculiar, que pela necessidade evolutiva das criaturas, eles deveriam fazer o mesmo, nos caminhos que haveriam de percorrer passar, de águas que eram, a vinhos que deveriam ser, para que os convidados do banquete divino da Sua doutrina pudessem sentir o sabor inigualável da essência do amor.
O homem superior é uma mensagem viva do otimismo que ele mesmo acelera na engrenagem da mente, deixando-o filtrar em todas as expressões do corpo, já que todos os órgãos correspondem a esse ingente esforço, com harmonia qualitativa, na regência da alegria.

O homem superior é aquele que desconhece o ódio, que esquece a ofensa, que perdoa sem condições a todos os ataques que, porventura, a ignorância lhe desfechar. É bom, sincero e justo. Conhece o poder que tem e sabe usá-lo tanto para seu benefício como para o conforto dos seus semelhantes. Respeita todas as leis, por saber que elas lhe asseguram a felicidade. Quando fala, parece que de sua boca sai algo encantador, usando o verbo como veículo mensageiro de esperança, de saúde e de coragem aos que o ouvem.
Nunca é atingido pelo meio ambiente, por saber espiritualizar os fins. A sua mente é uma fonte qual a que o Cristo usou para dar de beber â samaritana: quem tomar de sua água nunca mais terá sede e essa fonte jamais se extinguira. É superior ao tempo e ao espaço em todos os quadrantes da Criação. Mas, para atingir isso, é preciso educar o poder da mente.

Do Livro:  Horizontes da mente, de João Nunes Maia, pelo Espírito Miramez
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: bnojh em 20 de Novembro de 2009, 01:12
Leiam:

O livro dos espiritos;
A gênese;
O céu e o inferno:
Evolução em dois mundos;
Exilados de capela;

Isso para não falar em outros.

Conhecimento evita que se utilize da pena, ou, que nos nossos dias, do teclado para derramar tanto conceito errôneo e ainda voltado a valores epistêmico cognitivos.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Diegas em 20 de Novembro de 2009, 03:16
Sim uma planta, um insecto ou mesmo uma ameba sabe distinguir o trigo do joio....'

Olá, Taprobana.

Por acaso, voces estão a falar por parábolas ?

Uma planta, um inseto ou animal movimentam-se no cenário por meio de um instinto oculto, conforme o grupo que pertença. Desde que o mundo é mundo, o joão-de-barro constrói a sua casinha da mesma maneira, assim como, as tartaruguinhas apos o nascimento, correm desesperadas rumo ao mar ou rio, em busca do ambiente apropriado. Alem disso, são dotados de sentidos fisicos - olfato, tato, visão, paladar, propriocepção, a sensação de calor e outros. Num nivel acima, temos o cavalo e o cachorro que se destacam por possuirem rudimentos de inteligencia.

O que não tem inteligência não é dotado espirito...'


O animal é dotado de um espirito, despossuido do corpo mental - que o difere do homem. Mas como tudo na criação, evolui para se tornar um Arcanjo.



Abç
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 20 de Novembro de 2009, 09:29

Olá!


Amigo bnojh, se já leu todos esses livros e perante a minha ignorância esclareça por favor todos esses conceitos errôneos e esses valores epistêmico cognitivos? para utilizar as suas palavras.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 20 de Novembro de 2009, 12:54
Olá Diegas.

Aquilo que denominas instinto oculto será sinónimo de princípio inteligente individualizado. Será então esse “instinto oculto” que difere infinitamente de tartaruga para tartaruga. Todas elas se dirigem para o mar, no entanto se observadas com minúcia cada uma delas possui um comportamento próprio que as distingue das demais. Essas diferenças, vão tornando-se mais óbvias na medida que a tartaruga cresce e as suas vontades vão sendo cumpridas de forma diversa entre si, tal como acontece no Homem.

O mesmo se passa nos seres ainda aparentemente mais “simples” como por exemplo os unicelulares.

As minhas suspeitas vão no sentido de que quando esse princípio inteligente encarna num organismo dotado de cérebro, dependendo da complexidade da mente que tem de gerir, encontra um universo diferente de experimentação, que lhe proporciona condições evolutivas que lhe permitem enfim atingir o grau evolutivo que neste momento nos serve de aferição para designar por inteligente o ser.

Penso que estamos de acordo nesta matéria pois tu mesmo afirmas algo neste sentido quando comentas o parágrafo do Vítor Santos.

Um abraço
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Diegas em 20 de Novembro de 2009, 15:09
Essas diferenças, vão tornando-se mais óbvias na medida que a tartaruga cresce e as suas vontades vão sendo cumpridas de forma diversa entre si, tal como acontece no Homem.

O mesmo se passa nos seres ainda aparentemente mais “simples” como por exemplo os unicelulares.


Olá, Taprobana


Realmente, cada ser, no mecanismo de morrer e voltar a viver, evolui dentro da própria espécie até atingir o limite dessa espécie. Em seguida, num processo ininterrupto, retorna em outra espécie de maior grau evolutivo, sucessivamente. Como voce bem observou dentro da mesma especie há caracteristicas que se diferenciam - há Neros que se misturam e convivem com Franciscos de Assis.  Seria uma evolução das espécies-espirituais - que Darwin ficaria maravilhado, caso tivesse ele se ocupado em investigar o aspecto espiritual.


Os organismos pluricelulares, desde os espongiários até os homideos, há um sistema nervoso, a principio rudimentar e simples, para depois alcançar a mais alta complexidade no homem, que além da parte motora e sensitiva, tem as funções nobres da mente - inteligencia, pensamentos, juízos, imaginação, sobretudo os estados de consciencia em suas variadas expressões.


Citar
As minhas suspeitas vão no sentido de que quando esse princípio inteligente encarna num organismo dotado de cérebro, dependendo da complexidade da mente que tem de gerir, encontra um universo diferente de experimentação, que lhe proporciona condições evolutivas que lhe permitem enfim atingir o grau evolutivo que neste momento nos serve de aferição para designar por inteligente o ser.

As suas suspeitas vão no sentido exato, pois uma encarnação nunca será igual a outra, as experiencias renovam-se - várias provas experimentam-nos a temperatura espiritual. Mas tudo se faz de forma harmoniosa, a passagem para o reino hominal não se faz abruptamente, pois entre os animais e o reino hominal, ainda encontra-se os elementais - que são espécies de embriões humanos, em que o corpo mental inicia o ajuste perispiritual.


O caminho a percorrer é longo - por isso estamos a debater a formação e extensão do pensamento.



Abç
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: bnojh em 20 de Novembro de 2009, 21:28
Caro amigo Dim Dim.

Creio que o espaço não se faz como forma de debate, todavia, devo esclarecer que nos livros citados, desde que se propõe a "dialogar" com base na doutrina espírita, não devemos esquecer a codificação e quanto menos os complementares que por si só já nos dá um amplo conhecimento de fatores que outras ciências, não menos profundas, tratam de forma a nos remeter ao plano físico.
Se formos analisar de maneira totalmente imparcial: a História, a Filosofia e a Psicologia, veremos que apesar de muitos não conceberem a idéia de Deus, acabam no final chegando num mesmo ponto; que é o aprimoramento do ser humano.
Fala-se muito aqui em filosofia e psicologia; os livros de Joana D'Angelis, por exemplo, fazem uma ponte entre Jung e a psicologia atual; se formos analisar os antigos filósofos, desde os pré-socráticos até Aristóteles, iremos nos deparar com conceitos muito semelhantes ao da doutrina dos espiritos.
Quanto aos termos; usei no que concerne à filosofia e a psicologia.
Quanto a lhe esclarecer o que quis exprimir, sempre temos a oportunidade da pesquisa.
Quanto à concordância de pensamento; não tenho a pretensão de que todos me ouçam e que concordem comigo.
Com a austeridade que sempre me habituei em relação ao conhecimento, talvez, possa lhe dizer com base no que os devotados do bem que se diguinaram a nos passar através do codificador e do nosso venerável Chico Xavier, Divaldo, entre outros é que devemos nos esforçar para o entendimento de nós mesmos, buscando nos instruir.
Portanto se pesquisares a respeito dos termos meditando em seus significados de maneira imparcial deixando de lado o asco a que me diriges e se detendo de maneira ampla não se prendendo a forma irá compreender o que lhe digo.

Que Jesus, nosso divino mestre, que nos deixou os maiores ensinamentos, maiores que toda essa discução, lhe ampare e lhe proteja.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 20 de Novembro de 2009, 21:38
Olá Diegas

Citar
Seria uma evolução das espécies-espirituais - que Darwin ficaria maravilhado, caso tivesse ele se ocupado em investigar o aspecto espiritual.

Esta frase está muito feliz, amigo. Gostei muito.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 21 de Novembro de 2009, 01:45
Olá Diegas.

A teoria evolucionista de Darwin é satisfatória em vários aspectos no que se referem à evolução das espécies.

No entanto, é evidentemente insuficiente para explicar a existência de estruturas biológicas cujos mecanismos moleculares apresentam uma complexidade irredutível, que segundo um número cada vez maior de cientistas é impossível de serem explicados através do passos incrementais do darwinismo como é exemplo o flagelo bacteriano.

Mesmo que todos os elementos destas máquinas moleculares pré-existissem na natureza, seria necessária a existência de um guia de instruções para a sua montagem que terá de ser precisa e sequencial tal como acontece quando um relojoeiro monta uma máquina, ou seja terá de haver uma coordenação exacta de instruções de montagem.

O próprio Darwin afirmou que caso existissem órgãos complexos cuja sua formação não pudesse ser explicada por sucessivas modificações progressivas a sua teoria ruiria. No seu tempo, não poderia imaginar que tais seres existem no universo microscópico.

Na biologia existem duas grandes questões: Como se conseguem novas estruturas da vida já existente e como a vida se originou na terra.

Darwin passou toda a sua vida a responder à primeira questão, mas a segunda ficou de fora da “Origem das Espécies”, a origem da primeira célula viva.

Alexander Oparin propôs que a evolução química fosse a chave do problema utilizando para tal os princípios darwinistas cujo acaso seria responsável pela formação da primeira célula viva.

Dean Kenyon investigou esta hipótese. A primeira dificuldade foi explicar como as proteínas (os elementos básicos da célula responsáveis por todas as suas funções para além da armazenagem da informação genética, cujo responsáveis são o DNA e o RNA), surgiram através do acaso.

As proteínas são constituídas por aminoácidos que formam longas correntes estruturais de grande complexidade.

Existem 20 tipos diferentes de aminoácidos que formam as correntes proteicas num número incrivelmente grande de combinações possíveis que terão de ser exactas e precisas obedecendo a sequências que no seu conjunto somente funcionam se esses elementos estiverem precisamente montados. Basta que um deles esteja fora do local para que a proteína seja destruída.


Existem 30.000 tipos distintos de proteínas cada uma formada por uma combinação diferente de 20 aminoácidos, formado moléculas com uma forma tridimensional precisa que vai interagir com outras que coexistem nas células com encaixes perfeitos que vão determinar um número enorme de funções celulares.

A teoria de predestinação bioquímica, foi abandonada pelo seu próprio autor pois não explica como as primeiras proteínas foram montadas sem a ajuda das intrusões genéticas que estão armazenadas na molécula do DNA que não pode ser explicada através dos processos naturais, elas não são capazes de se organizarem sem a presença desta molécula.

A selecção natural só pode ser levada em conta após a existência da primeira célula viva, pois ela só pode agir através de células equipadas com DNA que assim se poderão reproduzir, sem o qual não existe selecção natural. Assim não se pode explicar a selecção natural sem que o DNA pré-exista.

O conceito do design inteligente, ou seja, a existência de uma inteligência por detrás da vida que substitui o acaso de Darwin é assim uma hipotese enorme nos dias de hoje.

Esta breve explicação é fundamental para alicerçar as minhas suspeitas acerca da natureza dessa inteligência que está necessariamente por detrás do design da matéria. Os cientistas não têm nunca em conta a existência dos princípios inteligentes da matéria que o espiritismo encontra como base especulativa a ser estudada como hipótese resolutiva desta questão.

E que grande hipótese esta doutrina contém… simplesmente indica um caminho completamente satisfatório do ponto de vista intelectual através do qual são possíveis explicar a natureza destes enigmas.

O grande problema que temos de superar é sermos capazes de perspectivarmos a vida inteligente como sendo um atributo não quantificável através dos parâmetros com os quais a avaliamos, ou seja, partirmos do principio que o nosso próprio estado evolutivo é a inteligência em si mesmo, quando provavelmente não passa de um principio inteligente característico ao Homem enquanto ser complexo e mental que tem a sua própria função dentro dos mecanismos da vida que não é necessariamente aquele que a determina, mas sim uma componente tão necessária e legitima como qualquer outra.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 21 de Novembro de 2009, 01:52

Olá!

Não amigo bnojh não sustento sentimentos de asco nem tão pouco me zango com ninguém, bem como a mensagem que lhe enviei não contém nenhuns desses sentimentos que o amigo presumiu.

A razão da mensagem, é o bnojh colocar uns poucos de livros e dizer "Leiam", em vez de apresentar o seu entendimento. Só isso.

Bem como há uns dias ter-se desculpado, numa mensagem que enviou, que não se entendeu as desculpas. Que nem sei o porquê das desculpas.

Até um amigo lhe perguntou se o amigo não se tinha enganado no tópico, porque como eu também nessa altura não entendi a mensagem.

É só amigo

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 21 de Novembro de 2009, 02:13
Diegas:

Citar
Os organismos pluricelulares, desde os espongiários até os homideos, há um sistema nervoso, a principio rudimentar e simples, para depois alcançar a mais alta complexidade no homem, que além da parte motora e sensitiva, tem as funções nobres da mente - inteligencia, pensamentos, juízos, imaginação, sobretudo os estados de consciencia em suas variadas expressões.

Neste ponto não estou em absoluto acordo contigo. Penso que a inteligência é um atributo do espírito, o seu único atributo, ou seja, preexiste à mente humana e a ela sobrevive após a morte.

Os estados de consciência, os pensamentos, os juízos, a imaginação, são inequivocamente efeitos cuja causa se encontra na experiencia da comunhão com a matéria pelos motivos já exaustivamente expostos.

Do ponto de vista espírita, considero perfeitamente possível e até razoável, que este tipo de experimentação mental possa ser proporcionada através da matéria fluidica que comporá o nosso corpo espiritual após a morte, no entanto, neste momento, a aceitação desta verdade é ainda do domínio da fé ou da intuição ou então da crença em que os livros espíritas são de natureza divina e portanto afirmam uma revelação irrefutável, uma vez que os processos mediúnicos estão também eles pendentes de certificação empírica acerca da sua real natureza.

Este tipo de pressupostos de fé ou convicção dogmática, não é questionável através da razão pois está para além de qualquer tipo de abordagem empírica, como tal não passível de ser objecto de debate ou troca de ideias.

Assim, é um facto que pelo menos no que se refere ao Homem, aquilo que lhe é devida, é a ambição de que a afirmação da sua vontade de poder não seja inibida por qualquer tipo de causa cuja proveniência seja não legitima, como é o caso da obrigatoriedade da sua submissão aos valores impostos por uma civilização profundamente alicerçada e construída, para a satisfação dos desejos daqueles que por diversos motivos detiveram nas suas mãos a espada do poder e a balança da justiça, e criaram um mundo cuja virtude não é mais do que a expressão das suas próprias vontades.

A origem da tragédia mental em que se encontra uma boa parte da humanidade está na aniquilação das vontades das inteligências encarnadas que assim vêm a sua expressão ser reduzida a um desolador nada. Muito menos do que aquilo que a inteligência das células que compõem o seu organismo são capazes de manifestar.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 21 de Novembro de 2009, 04:48

Olá!

Esse é o desafio, quando entendemos e superamos a submissão e a tragédia mental, ficamos livres igual a não submissos.

É preciso ser-se valente  para viver, o submisso tem medo por isso não é livre.

E quem não é livre vive preso na submissão igual a ilusão. E naquele momento fica-se ali preso sem vislumbrar nada mais.

Sendo-se livre tem-se conhecimento da e das ilusões e que são movimentadas e criadas pela intenção. A partir daí entra-se e sai-se de qualquer ilusão dessas livremente, sem necessidade de ficar preso a alguma.

A natureza é frugal come do mundo mas não se deixa comer pelo mundo.

Amigo Taprobana utilizei e divaguei sobre duas ou tres palavras tuas. Tudo de bom para todo mundo.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 21 de Novembro de 2009, 13:40
Citar
As suas suspeitas vão no sentido exato, pois uma encarnação nunca será igual a outra, as experiencias renovam-se - várias provas experimentam-nos a temperatura espiritual. Mas tudo se faz de forma harmoniosa, a passagem para o reino hominal não se faz abruptamente, pois entre os animais e o reino hominal, ainda encontra-se os elementais - que são espécies de embriões humanos, em que o corpo mental inicia o ajuste perispiritual.

Olá Diegas.

Sinto necessidade de introduzir um elemento mais nesta nossa tertúlia, que até aqui tenho evitado para que o foco de atenção não seja desviado.

No entanto, este tipo de solução que aqui descreves, tem de ultrapassar vários problemas que se lhe colocam.

As teorias evolutivas da vida, contêm em si mesmo um factor que lhe é próprio mas que poderá não ter correspondência idêntica no mundo espiritual. Refiro-me à dimensão tempo.

Do ponto de vista espírita, partindo do pressuposto de que a hipótese de inteligências desencarnadas possam participar daquilo que são os processos mediúnicos, o que é legitimado por sugestões empíricas resultantes da sua pratica, dai resulta a evidente dificuldade comunicativa quando o factor tempo surge na “conversa”, sendo possível observar uma dessincronização no que se refere á sua percepção em cada um dos dois estados.

De toda a forma, essa percepção somente poderá ocorrer se e só se o espírito for dotado de consciência de si, portanto de um sentido interno que lhe permite vivenciar essa dimensão temporal.

No que se refere á vida, sabemos que essa dimensão não é possível de ser experimentada sem a participação da matéria.

No mundo espiritual, poderemos supor que o corpo espiritual, proporcionará de alguma forma um tipo de “consciência” na qual a dimensão tempo possa estar presente.

No entanto aqui surge uma questão: Como pode conviver a teoria da evolução dos princípios inteligentes através do tempo, num local em que este não existe? Ou seja, a partir do momento que a matéria não concorre para a construção de um mundo mental, seja ele encarnado ou desencarnado, deixa de existir essa dimensão temporal que é indispensável para a noção evolutiva.

Assim sendo, algo não bate certo, ou seja, a realidade (qualquer ele seja) só se depara ao princípio inteligente quando este se encontra em comunhão com a matéria, pois caso contrário apesar de existir de alguma forma, não tem qualquer tipo de consciência de si enquanto ser que habita num espaço e num tempo determinado.

Assim, a dimensão temporal não será necessariamente um percurso de um sentido único, ao seja, com uma trajectória apontada ao futuro, mas sim um local onde passado, presente e futuro coexistem num potencial infinito de probabilidades de experimentação.

Como equacionar estes dois elementos de forma a justificar este princípio basilar espírita, ou seja, a evolução irreversível do espírito?

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 21 de Novembro de 2009, 14:05

Olá Taprobana!


O tempo é ilusório. O tempo nada mais é que o encadeamento de todos os pensamentos, de forma linear dá a ilusão de real.

Se entrarmos na percepção espíritual podemos lá ficar eternidades e à percepção racional é como se tivesse passado apenas alguns minutos.

No mundo espiritual o tempo não é como no mundo racional, no espiritual ele é intensidade, numa fração de segundo sente-se o equivalente a muitas vidas no racional.

Coisas do pensamento!

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 21 de Novembro de 2009, 14:23

Olá!

O pensamento leva a pensar que ser mediúnico é algo paranormal, porque não se auto-analisa.

Se cada um fizer psicanálise verá com simplicidade que ser mediúnico é saber a intenção do outro.

Até os animais , que lhes chamam de inferiores, fazem isso sem pensar!

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: sensitive em 21 de Novembro de 2009, 15:03
Ola!

O pensamento é o espelho do nosso ser ( do eu inferior ou egoismo)que forma a nossa personalidade.
Basta fazer atençao ou escutar os nossos pensamentos(estemos constantemente  a pensar)para saber identificarmos ou classificarmos.
O pensamento mostra não só a nossa identidade como ser humano como também
mostra a nossa vontade de agir ou criar como seres divinais.
Somos deuses atraves do pensamento. ;)

Abraço

Sensitive
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 21 de Novembro de 2009, 16:33

Olá a todos os amigos do Fórum.

O poder do pensamento
 
A força do pensamento é de vital importância para o nosso dia-a-dia, pois podemos ser felizes ou infelizes, alegres ou tristes, vencer obstáculos ou ser derrotados por eles, obter grandes realizações ou cair em profunda depressão.
Para que possa ter uma idéia dessa energia emanada pelo pensamento, iremos descrever um texto de Allan Kardec, em A Gênese: "Há mais: criando imagens fluídicas, o pensamento se reflete no envoltório perispirítico, como num espelho; toma nele corpo e aí de certo modo se fotografa. Tenha um homem, por exemplo, a idéia de matar a outro: embora o corpo material se lhe conserve impassível, seu corpo fluídico é posto em ação pelo pensamento e reproduz todos os matizes deste último; executa fluidicamente o gesto, o ato que intentou praticar. O pensamento cria a imagem da vítima e a cena inteira é pintada, como num quadro, tal qual se lhe desenrola no espírito. Desse modo é que os mais secretos movimentos da alma repercutem no envoltório fluídico; que uma alma pode ler noutra alma como num livro e ver o que não é perceptível aos olhos do corpo. Contudo, vendo a intenção, pode ela pressentir a execução do ato que lhe será a conseqüência, mas não pode determinar o instante em que o mesmo ato será executado, nem lhe assinalar os pormenores, nem, ainda, afirmar que ele se dê, porque circunstâncias ulteriores poderão modificar os planos assentados e mudar as disposições. Ele não pode ver o que ainda não esteja no pensamento do outro; o que vê é a preocupação habitual do indivíduo, seus desejos, seus projetos, seus desígnios bons ou maus".
Veja o quanto é importante o estado de vigília, pois podemos nos enganar uns aos outros no mundo material, mas não podemos enganar as entidades do mundo espiritual. A partir do momento que pensamos algo errôneo, criam-se as imagens fluídicas e, mesmo que não venhamos a praticá-las, fica registrado nossos mais íntimos sentimentos e segredos.
O que pensamos durante o dia será fruto de nossos atos durante o momento do sono. Assim, ao mentalizarmos coisas boas, ouvirmos boa música, termos conversas sadias, astral positivo, iremos durante o sono encontrar com espíritos ou encarnados que estejam na mesma sintonia. Da mesma forma serão os pensamentos viciosos, como a maledicência, o ódio, a ira, as injúrias, o negativismo etc. Além de reverter para si mesmo a energia destes pensamentos, iremos nos encontrar no momento do sono com outros que estão na mesma freqüência.
É através dos pensamentos que iremos atrair espíritos elevados ou obsessores que venham agravar a mente de seu emissor. No mundo espiritual existem falanges que pretendem fazer o mau, muitas vezes, pelo prazer de praticar tal ato. A válvula de escape que eles precisam são os nossos pensamentos. Joanna de Angelis, em Dias Gloriosos, psicografado por Divaldo Pereira Franco, descreve que "muitas vezes enfrentarás campos psíquicos minados por cargas viciadas e perigosas, imantadas por seres espirituais perversos e doentios que se utilizam de outras pessoas para te alcançar e prejudicar. Somente poderás conduzir-te nessas batalhas com os recursos morais que provêm das tuas energias psíquicas. Como não temem outros recursos, será através das tuas vigorosas emissões vibratórias que a eles escaparás".
A televisão e seus programas sensacionalistas são uma fonte inesgotável para o indivíduo se deixar levar pelas más notícias, criando em sua mente imagens fluídicas que irão provocar alguns distúrbios, entre eles, doenças. Muitas vezes, após ir ao médico, fazer alguns exames, não será diagnosticado a raiz do problema. Por isto, a importância de uma programação sadia, alegre, descontraída.
Conforme Joanna de Ângelis, "a sementeira do ódio, do ciúme, da inveja, da ira e de outros anestésicos do espírito, produz vírus e vibriões psíquicos que atacam o próprio, como o organismo daquele que, desprevenido, inspirou a produção dessas ondas devastadoras que a mente produz e direciona conforme a sua estrutura moral. Ao mesmo tempo, ideoplastias sustentadas pelo pensamento fixo em idéias perturbadoras e agressivas, contribuem para o surgimento de toxinas que invadem o organismo desarticulando-lhe a estrutura vibratória, enfermando-o, e trabalhando para matar-lhe as defesas, os fatores imunológicos".
 
Sintonia mental
A inércia é algo que venha a fortalecer os maus pensamentos. Quando não estamos ativos, sem uma determinada atividade, a mente cria indagações e pensamentos diversos que não levará a nada, pelo contrário, conforme a sintonia poderá trazer vários problemas psíquicos que poderão prejudicar seu emocional, sua vida familiar e social.
Alguns estudos revelam que temos em média 50 mil pensamentos por dia. Assim, devemos utilizar a imaginação criativa a todo instante. O terapeuta transpessoal, Todashi Kadomoto, em seu livro Ninguém Tropeça em Montanha, comenta sobre uma pesquisa feita nos Estados Unidos sobre o tema e revela dados importantes: 40% de nossas preocupações dizem respeito a fatos que jamais acontecerão; 30% relacionam-se com coisas que já aconteceram; 12% referem-se a questões de saúde; 10% são sobre assuntos insignificantes; 8% das preocupações têm base real. São dados realmente impressionantes, afinal constata que dos 50 mil pensamentos diários, apenas 8% são relevantes, por isto, devemos utilizá-lo melhor, reeducá-lo, diariamente, para que possamos cada vez mais aproveitá-los de uma forma útil e prazerosa para nós e todos os que nos cercam.
Grandes cientistas usaram seus pensamentos em prol da humanidade. Graças à forma de seus pensamentos chegamos ao progresso atual e para o futuro ainda iremos progredir muito.
Hoje temos todo tipo de informação que precisamos, seja pelos livros, internet, televisão, podemos literalmente conhecer o mundo sem sair do lugar. Usemos essas informações para um aprendizado e conhecimento que venham a engrandecer nosso ser. Assim, criamos em nossa volta uma energia coesa com nossos pensamentos e nossa conduta moral. Estando em estado de vigília constante saberemos destinar melhor a mente para pensamentos relevantes.
 
Prece e caridade
E não devemos esquecer que a melhor forma de nos manter em sintonia com a espiritualidade Maior é através da prece, da reforma íntima, da pratica da caridade, pois assim, estaremos criando sempre bons pensamentos
 
Este artigo foi publicado na Revista Cristã de Espiritismo, edição 24

Abraço a todos Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 21 de Novembro de 2009, 17:09
Se entrarmos na percepção espíritual podemos lá ficar eternidades e à percepção racional é como se tivesse passado apenas alguns minutos.

No mundo espiritual o tempo não é como no mundo racional, no espiritual ele é intensidade, numa fração de segundo sente-se o equivalente a muitas vidas no racional.

Olá Dim-dim.

Mesmo assim vai dar ao mesmo, ou seja, independentemente da percepção que exista do tempo para que ele seja vivido o espírito terá de ter consciência de si.

O que me intriga é a forma como essa consciência pode ser manifesta.

O espiritismo, indica a existência de um corpo perespiritual que pode ser a causa desse tipo de efeito temporal que descreves, a que corresponde um universo mental e uma consciência de si, que é uma probabilidade que a própria vida suporta aquando da verificação de estados da matéria diversos daquela que percepcionamos directamente.

No entanto, aquilo que não tenho qualquer tipo de suspeita é acerca da forma como o principio inteligente pode evoluir na sua própria essência ou seja, numa realidade atemporal, ou seja, sem a existência de passado nem futuro falar de evolução não é possível.

Algo não bate certo aqui  :-\

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: sirena em 21 de Novembro de 2009, 20:24
Nossa essência é feita de energia e somos formados por espírito e matéria, intelecto e perispírito, emoção e corpo físico, elementos que vivem em constante interação entre si.
Assim, o que ocorre com qualquer membro que faz parte desse todo, afeta aos demais de alguma forma, ou seja, se houver uma ação perturbadora, lamentavelmente, os demais componentes entrarão em desalinho e em conseqüência disso, abrirão as portas para os PENSAMENTOS desordenados e pessimistas e emoções descontroladas que representam uma porta aberta para as doenças.
Entretanto, a ação dos pensamentos sadios e de gestos edificantes possuem o poder de revigorar as células e trazer toda a energia equilibrada e edificante de que tanto precisamos.

Referência Bibliográfica
ANGELIS, Joana. FRANCO Divaldo. Doenças Psicossomáticas. Disponível na Internet via http://geal-ba.blogspot.com/2008/05/doenas-psicosomticas-por-joanna-de.html, (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2dlYWwtYmEuYmxvZ3Nwb3QuY29tLzIwMDgvMDUvZG9lbmFzLXBzaWNvc29tdGljYXMtcG9yLWpvYW5uYS1kZS5odG1sLA==) acessado em 21.11.2009.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 21 de Novembro de 2009, 20:26

Olá Taprobana!

Eu também não entendo nada disso nem a teoria da evolução pela lei do mais forte me elucida porque deixa muitos furos sem resposta. Os dinossauros voaram com asas, é um facto, porque o intentaram. Nós hoje temos aparelhos a voar por imitação, mas será que a unica alternativa a voar serão as asas, como seria se os dinossauros tivessem tido outra intenção?

Se o espírito for visto como o sensível, o que percebe tudo ao mesmo tempo, e que existe um ponto para onde é afunilado todo esse perceber, e que esse ponto é consciente porque seleciona esse perceber para enfatizar o que se faz necessário à percepção do mundo da vida diária por exemplo. Faz sentido.

Mas o que é ignorado pela ênfase aconteceu ao mesmo tempo e o homem simplesmente o ignora, todo o gasto de energia é direcionado para o perceptível. Seja ele qual for.

Antes quero sentir que o homem já apareceu com esta forma humana, e os espíritos do nosso mundo paralelo já apareceram assim sem essência visível mas tão reais como nós. E a porta para o mundo deles são os sonhos.

A energia desses mundos espirituais tem ligação direta com cada uma das nossas emoções, com a energia liberada pelas nossas emoções.

Quando se sente sabe-se, quando se tenta explicar confunde-se que é o meu caso amigo.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 21 de Novembro de 2009, 21:21
Olá

Darwin fala do que viu e do que conhece, ou seja, o mundo material.

Há uma intenção inteligente por detrás da criação que determinou que a natureza ía evoluir assim. O universo, não é assim por acaso, mas porque Deus quis que ele assim fosse. Não havia outra forma possível, por isso não há acaso.

Eu acredito na teoria da selecção natural, porque me parece que há evidências cientificas da mesma, mas ela deixa muitas interrogações no ar.

As explicações actuais da geração da vida na terra também procuram explicação no acaso para a origem da vida. Eu acredito que, através do estudo da vida e dos registos históricos, não se consiga encontrar outra solução e que pareça mesmo que foi assim. Falta encontrar o que motivou a vida a desenvolver-se assim e não de outra forma. Mas não creio que esse elo se vá encontrar numa visão materialista do universo e da vida.

Contudo não sou fã das teorias que indicam que Deus é que veio aqui directamente criar a vida. Na minha modesta opinião ele criou o universo, e a vida é uma consequência dessa criação e não necessariamente resultado de uma intervenção directa de Deus, ou dos espíritos. É a máquina natural, que Deus criou, a trabalhar para os fins que Deus lhe impôs.

se essa máquina teve de levar alguns empurrões, para além do inicial, não sei, mas não me parece, porque aquilo que saiu das "mãos" de Deus, e que é matéria bruta, não precisa de empurrões. É uma máquina perfeita.

Os seres inteligentes, como nós, é que precisam de uns empurrões, porque têm poder de decisão, não são máquinas. Portanto têm de aprender, até se desenvencilharem por si mesmos sem empurrões. Mas é o espirito que precisa dos empurrões e não o corpo de carne.

Mas, na verdade, não me lembro bem da época em que a vida se originou na terra. Por isso peço desculpa se estiver errado  :)

bem hajam
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Diegas em 21 de Novembro de 2009, 21:45
A teoria evolucionista de Darwin é satisfatória em vários aspectos no que se referem à evolução das espécies...'

Olá, Taprobana


Darwin foi aquele que mais se aproximou de uma explicação racional/logica com a teoria evolucionista das espécies, assim como Freud foi aquele que também conseguiu desvendar alguns mistérios dos estados de consciencia. Tanto um como outro cientista, nas respectivas areas que atuaram, trouxeram novas luzes, outros entendimentos, mas é evidente que eles, observaram e se apegaram somente aos aspectos superficiais dos eventos que se debruçaram.

Deixaram muitas lacunas, que necessitam ser preenchidas. Mas temos de reconhecer o meritorio trabalho desenvolvido por esses dois grandes missionarios, que prenderam-se a uma visão materialista do mundo, o meio cientifico da época. Caso tivessem eles o conhecimento que hoje desfrutamos, com a Doutrina Espirita, por certo teriamos uma melhor qualidade e aprofundamento dos assuntos.


Citar
Na biologia existem duas grandes questões: Como se conseguem novas estruturas da vida já existente e como a vida se originou na terra.

Não deixe de ler o livro 'Evolução em dois mundos', de Francisco Candido Xavier. O livro, brilhantemente sintetiza e vem ao encontro de responder aos naturalistas e pesquisadores, muitas dessas duvidas colocadas por voce. Todo o trabalho de pesquisa, portanto, tá ali delineado e abreviado, poupando alguns cientistas, que buscam a gloria e a promoção por novas descobertas.

Citar
PRIMÓRDIOS DA VIDA — Procurando fixar idéias seguras acerca do corpo espiritual, será preciso remontarmos, de algum modo, aos primórdios da vida na Terra, quando mal cessavam as convulsões telúricas, pelas quais os Ministros Angélicos da Sabedoria Divina, com a supervisão do Cristo de Deus, lançaram os fundamentos da vida no corpo ciclópico do Planeta. A matéria elementar, de que o eletrão é um dos corpúsculos-base, na faixa de experiência evolutiva sob nossa análise, acumulada sobre si mesma, ao sopro criador da Eterna Inteligência, dera nascimento à província terrestre, no Estado Solar a que pertencemos, cujos fenômenos de formação original não conseguimos por agora abordar em sua mais íntima estrutura.

A imensa fornalha atômica estava habilitada a receber as sementes da vida e, sob o impulso dos Gênios Construtores, que operavam no orbe nascituro, vemos o seio da Terra recoberto de mares mornos, invadido por gigantesca massa viscosa a espraiar-se no colo da paisagem primitiva.

Dessa geléia cósmica, verte o princípio inteligente, em suas primeiras manifestações...T

Trabalhadas, no transcurso de milênios, pelos operários espirituais que lhes magnetizam os valores, permutando-os entre si, sob a ação do calor interno e do frio exterior, as mônadas celestes exprimem-se no mundo através da rede filamentosa do protoplasma de que se lhes derivaria a existência organizada no Globo constituído.

Séculos de atividade silenciosa perpassam, sucessivos...


E, segue o livro ensinando-nos o processo de cada etapa evolutiva. Observe que os livros da Codificação referem-se a essa geleia cosmica. E, quando da leitura, atente que sempre houve a intervenção do plano espiritual na formação das espécies. Ou seja, a resposta sobre o elo perdido, de especie para especie, de reino para reino, encontra-se no plano espiritual - local em que se faz a intervenção de todo o processo transformista. Ilusão (como diria um forista) é tentar encontrar o elo neste nosso paraiso, pois a ciencia e os cientistas que laboram são de outra esfera, a evolução desenvolve-se nos dois mundos.



Abç



Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 21 de Novembro de 2009, 21:51

Olá!

Mas se há uma intenção inteligente por detrás da criação eu também assim creio, só não quero crer que houvesse um determinismo para a natureza evoluir assim.

Mas mesmo que assim fosse nós temos acesso a essa intenção para a focarmos onde bem queiramos construir o nosso mundo perceptível. Por isso há sempre outras formas possíveis.

As evidências cientificas para a seleção natural é uma teoria que lhe falta todas as mais convincentes evidências, os elos de ligação, a passagem de quadrúpede a bipede. Temos musculos e ossos característicos de bipedes que não existem nem mesmo nos nossos parentes mais próximos. Essa fase intermédia parte todas as teorias.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 22 de Novembro de 2009, 00:08
Boa noite.

Este tema trás a debate uma realidade para muitos inimaginável, nomeadamente junto daqueles que acreditam que a ciência está acima da vida, ou seja, não é regida pelas mesmas forças regem a política, a justiça, a saúde, a educação… mentira. A ciência é também ela mesma vitima da mordaça dos degenerados da vida.

A ciência não é livre de procurar respostas e levantar questões, de prosseguir linhas de raciocínio.

O biólogo evolucionista Richard Sternberg sofreu serias represálias pessoais e particulares levadas a cabo pelo Museu Smithsonian de historia natural porque questionou os poderes instituídos ao publicar um artigo de Stephen Meyer que tiveram como resultado o seu afastamento.

Colocar em causa o Darwinismo através de evidências empíricas foi a crime que cometeu. Passou a ser acusado de terrorista intelectual por dar a conhecer a teoria do Design Inteligente aos leitores desta publicação.

Para além disso múltiplos exemplos idênticos a este são possíveis de serem encontrados um pouco por todo o mundo académico e científico. Porque motivo o simples facto de proferir as palavras “Design Inteligente” provoca a perseguição e a desmoralização? Porque motivo as portas se lhes fecham na cara? Passam de brilhantes e promissores profissionais e em múltiplas áreas do conhecimento a excomungados… porque motivo? Aqueles que dicidem abordar esta hipótese de estudo têm de o fazer na clandestinidade. Que mistério encerra esta religião neo-medieval chamada Darwinismo?

A primeira pista denomina-se criacionismo… imaginem algo idêntico ao medo que os revolucionários sentem ao ouvir expressões que lhes façam levantar suspeitas de qualquer tipo acerca do retorno do ditador. O criacionismo é esse ditador e o “Design Inteligente” coloca na memória da ciência, o retorno à devoção cega a um Deus criador e ao mesmo tempo mutilante do saber.

Nunca aquele ditado “Nunca sirvas a quem te serviu nem nunca peças a quem te pediu” é aqui tão bem empregue. O mutilado assume o papel do carrasco ainda com mais competência e prazer.

É incrível como este tipo de argumento é utilizado por uma comunidade que sempre imaginei estar acima da vulgaridade. As evidências são evitadas ao olhar e assim o rei vai nu, com uns tampões nos ouvidos para não o saber.

Assim, mesmo que os próprios cientistas que estudam esta consistente e inevitável verificação, afirmem que essa inteligência não é necessariamente Deus, e que a Bíblia em nada para aqui é chamada, mas que simplesmente é um mínimo compromisso para detectar uma causa, são expulsos e perseguidos.

Afinal o espiritismo tem uma longa fila de espera à sua frente!  :D

A questão não é a competência daquilo que a teoria de Darwin contém, a questão é que ela não resolve tudo e a partir do momento que entra em colapso perante evidencias irrefutáveis terá de se confrontar com outras mais teorias mais competentes e confortáveis para a razão,  tal como as teorias de Newton da Física tiveram de conviver com Einstein.

O problema é que a ciência afinal é também ela uma religião… a religião que afasta ferozmente de si qualquer tipo de ideias que não sejam submissas a um poderoso e cruel deus:  “O acaso”, o gerador de tudo o que existe… e é fundamentalista… de um fundamentalismo incrivelmente feroz e cruel.

Darwin e os darwinistas não conseguem de forma alguma explicar como foi possível a formação da primeira coisa viva. O darwinismo limita-se a explicar de que forma uma espécie com o tempo vai sofrendo ligeiras mutações, mas isso meus amigos, qualquer criador de pombas o consegue fazer sem sair do seu pombal em meia dúzia de anos.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 22 de Novembro de 2009, 00:36
Citar
E, segue o livro ensinando-nos o processo de cada etapa evolutiva. Observe que os livros da Codificação referem-se a essa geleia cosmica. E, quando da leitura, atente que sempre houve a intervenção do plano espiritual na formação das espécies. Ou seja, a resposta sobre o elo perdido, de especie para especie, de reino para reino, encontra-se no plano espiritual - local em que se faz a intervenção de todo o processo transformista. Ilusão (como diria um forista) é tentar encontrar o elo neste nosso paraiso, pois a ciencia e os cientistas que laboram são de outra esfera.

Olá Diegas.

Sim… o espiritismo contem um conjunto de interessantes especulações que respondem potencialmente a este tipo de questões. Apesar de não parecer, porque sofro de dogmátofobia ( :D ) eu sou espírita convicto, ultra não ortodoxo.

Por exemplo, a ideia de que a vida e a morte não são parte de um mesmo plano é para mim completamente inimaginável, ou seja, a vida e a morte fazem parte da mesma equação e por isso terá de ser possível encontrar essa formula que as resolve aqui mesmo, neste “nosso paraíso”, e de tal forma estou convicto disto, que aposto uma vitória do FC Porto numa final da Champions a favor desta hipótese.  >:(

A doutrina espírita, da forma como eu a perspectivo, não é o livro das revelações, mas sim um conjunto de hipóteses especulativas de uma razão com a qual eu empatizo profundamente, reservando sempre o direito de reavaliar tudo aquilo que as evidencias vão negando.

Abraço amigo.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Diegas em 22 de Novembro de 2009, 00:43
'...Darwin e os darwinistas não conseguem de forma alguma explicar como foi possível a formação da primeira coisa viva. O darwinismo limita-se a explicar de que forma uma espécie com o tempo vai sofrendo ligeiras mutações, mas isso meus amigos, qualquer criador de pombas o consegue fazer sem sair do seu pombal em meia dúzia de anos...'

Olá, Taprobana


Mas também Darwin teve de conviver com a não-aceitação de sua teoria, e isto ainda de forma mais feroz, pois não foi a comunidade cientifica que deixou de apoiá-lo, mas o combate deu-se no enfrentamento com os poderosos da Igreja Romana - os defensores do criacionismo. Inclusive, não podemos esquecer que a furia dos religiosos era tamanha que os livros de Kardec foram queimados em Barcelona.

O desenvolvimento de novas luzes, neste imenso planeta-escuridão, se faz aos poucos, aos trancos e barrancos, tendo todo dia que matar um leão na esquina, no sacrificio de poucos heróis e rarissimos santos.



Abç
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Diegas em 22 de Novembro de 2009, 01:14
'...A doutrina espírita, da forma como eu a perspectivo, não é o livro das revelações, mas sim um conjunto de hipóteses especulativas de uma razão com a qual eu empatizo profundamente, reservando sempre o direito de reavaliar tudo aquilo que as evidencias vão negando...'

Olá, Taprobana


Eu penso que há tres momentos na historia da Humanidade, que marcam o antes e o depois:

- Moises
- Jesus
- Kardec

Com kardec e o advento do Consolador Prometido, para desespero de muitos, houve uma substancial reforma no mundo. A Doutrina Espirita revela-nos o mundo espiritual e o modo que esse plano interage conosco; tem por finalidade libertar as consciencias das bizarrices mundanas. Diria que Kardec propiciou a globalização do conhecimento, causando um maior numero de desocupados, pois a partir da Codificação tudo que existia ou se conhecia em termos de Ciencia, Filosofia e Religião teve de ser jogado no lixo.

Hoje, por exemplo, não há como falar em evolução sem passar pelo estudo da Doutrina Espirita - extensivo a todas as areas do saber humano. O fato é que a ciencia mundana apenas detecta, com anos de atraso, aquilo que a ciencia transcendental cria. Nossa ciencia é incapaz de criar algo que já não houvera pensado antes, em outras épocas e mundos,  milhares de individuos/espiritos.

Engana-se aquele que acredita que suas ideias são originais, o destaque a fazer é o tipo de interpretação que se consegue fazer de uma ideia - alguns floreiam mais, necessitam de uma enciclopedia para pintá-la, procedimento que seria realizado por outra pessoa utilizando-se de apenas duas ou tres palavras. A ideia é uma só, os pensamentos traduzidos em palavras variam conforme o cabedal de cada um.

---------------

Pontos a analisar:

1- O surgimento de todos os primeiros seres no planeta (momento estatico, apos a formação do planeta)

2- O surgimento de novos seres no planeta (momento dinamico, em constante evolução)



Abç
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 22 de Novembro de 2009, 11:17

Olá Diegas!

Reconheço a sabedoria de Kardec, mas não é como o amigo diz que antes dele temos que jogar tudo para o lixo.

Como já o disse mais atrás o xamanismo é a primeira ciência do homem pelo confronto direto com a natureza e o universo, e complementa-se perfeitamente com Kardec.

Eu por exemplo cheguei a este entendimento pelo xamanismo, pelo contacto direto com a natureza, e hoje ao ler Kardec os meus conhecimentos não se repelem, antes pelo contrário complementam-se.

Para o xamanismo a vida sempre foi e é uma manifestação espiritual, daí o complementar-se com a visão espiritual de Kardec.

O xamanismo é a ciência por excelência do ser espiritual, o xamã vê o lado espiritual em toda a natureza, senão com os olhos, com augúrios presságios e com todos os sentires que o mundo nos proporciona.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 22 de Novembro de 2009, 11:54

Olá Diegas!

Isso é o que tenho andado a verificar com o Taprobana, essa idolatria a algo ou a alguém, essa submissão que nos rouba a liberdade de percepção, que nos torna submissos.

Tal como não digo que a doutrina espirita veio revelar-nos o mundo espiritual, ele já era há muito, desde sempre.

Agora concordo que tem por finalidade libertar-nos a consciência das bizarrices mundanas. Mas podia ser de outra forma.

A minha liberdade de percepção não me permite afirmar que hoje não há como falar de evolução sem passar pela doutrina espirita.

Se nós tomarmos a vida como uma casa essa afirmação aí de cima não nos traria liberdade, apenas sairiamos de um quarto para passar para outro quarto. E o que eu pretendo é ver os quartos todos sem idolatrá-los para de seguida sair para a rua. Liberdade.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 22 de Novembro de 2009, 12:30

Olá!

Amigos, isto para dizer que não me agarro nem ao Kardec nem a ninguém, nem eles iam querer ser idolatrados, já que foram os próprios a dizer-nos que apenas temos que ir ter com o Pai.

Gosto é de beber de todos os conhecimentos desses homens, sem os adorar mas respeitando-os, para fortificar o meu caminho em direção ao Pai.

As verdades, as mentiras, o bem, o mal, o inferior, o superior, e assim por diante já eliminei do meu vocabulário, não estou mais preocupado com isso.

Apenas me serve ao entendimento a natureza sábia das coisas ou das pessoas sem adjetivá-las, sem classificá-las.

Quando não lhes sinto entendimento passo à frente sem considerações nem quezílias.

É a liberdade pela qual opto.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Novembro de 2009, 12:48
Olá dim-dim

Fazendo uma comparação com a ciência material, os livros de kardec são o livro cientifico mais actualizado. Não invalida os mais antigos, mas é um caminho mais directo, objectivo e sintético. Esses livros fizeram-me muito bem, e por isso agradeço a Deus.

Mas mais do que ser a versão mais actualizada, de momento, eles vieram ajudar-nos a aclarar os conhecimentos já existentes, especialmente os evangelhos de Jesus.

Nos livros de Kardec não está tudo escrito. Não são uma versão definitiva. Ao longo do tempo, penso que virão outros livros que vão ser, à época em que aparecerem os mesmos, os mais actualizados. A história indica-nos que isso é o mais provável.

Mas penso que tudo o essencial para o progresso espiritual está escrito nos livros de Kardec, e é isso que me interessa. Para quê ir procurar nos dados antigos quanto os tenho recentes e estão de acordo com o meu coração e passam em mim o crivo da razão?

Quantas vezes não reconheço em obras antigas o conhecimento que Kardec nos passou, mas de uma forma complicada e tortuosa, como que a falar de uma verdade mal conhecida.

Do ponto de vista cultural interessam-me mais livros do que os de Kardec, óbviamente, mas do ponto de vista do crescimento espiritual, bastam-me, para já, os de Kardec, até chegar a um ponto em que o meu coração me indique outros melhores. Com o que ensinam os livros de Kardec é preciso agora ir passando os mesmos à prática da minha vida.

Estou convicto que esta minha estadia neste planeta não deixará de ser proveitosa por falta de conhecimentos teóricos, mas pela incapacidade de os aplicar à vida, que é o mais dificil, mas tb o mais proveitoso.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 22 de Novembro de 2009, 12:56

Olá Vitor Santos!


De acordo amigo eu também já lhe reconheci todos esses valores que o Vitor acaba de reconhecer.

Mas não posso ficar impávido quando vejo afirmações como ter que deitar toda a ciência antes de Kardec para o lixo. Não é falar verdade.

Penso que compreendeu as minhas mensagens.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 22 de Novembro de 2009, 16:35
Olá dim-dim

Citar
Mas não posso ficar impávido quando vejo afirmações como ter que deitar toda a ciência antes de Kardec para o lixo. Não é falar verdade.

Se as afirmações de que fala vieram de mim, então exprimi-me mal. Peço desculpa.

Eu penso que a obra de Kardec são os compêndios de estudo mais actuais, mais claros e objectivos. Mas nunca disse que eram os únicos válidos. Nem que substituíam tudo o que existe. Nem que lá vem tudo escrito. Nem que não venham a ser actualizados no futuro.

Cada um se pode agarrar aos alfarrábios que muito bem entender. desde que cresça espiritualmente está a atingir o objectivo, ou seja, a encontrar o que é melhor para si mesmo.

Para mim, pessoalmente, para o meu crescimento espiritual basta-me kardec. O que me falta não são mais teorias, mas por em prática na minha vida, as que já conheço.

do meu ponto de vista, Kardec e os evangelhos de Jesus têm a teoria necessária e suficiente para crescer espiritualmente, mas isso não quer dizer que não haja outras teorias igualmente válidas.

Do ponto de vista cultural, porém, não há limites, e o saber não ocupa lugar, como se costuma dizer. Tudo o que possa ser útil e der prazer ler, é bom.

bem haja
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 22 de Novembro de 2009, 16:42

Olá!


Nada disso amigo Vitor Santos, as afirmações estão numa mensagem do nosso amigo Diegas e eu estive a comentá-las.

Só isso

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luiz Vera em 22 de Novembro de 2009, 17:57
Caros amigos e irmãos em Jesus,
Gostaria de participar e comentar o questionamento: O QUE É O PENSAMENTO"?.
Emmanuel no livro "Pensamento e Vida" , psicografia de Francisco Cândido Xavier, no primeiro capítulo nos diz: "A mente é o espelho da vida em toda a parte..., à feição do diamante bruto, que arrancado ao ventre obscuro do solo, avança, com a orientação do lapidário, para a magnificência. Nos primitivos aparece sobre a ganga do instinto, nas almas humanas surge entre as ilusões que salteiam a inteligência, e revela-se nos Espíritos Aperfeiçoados por brilhante precioso a retratar a Glória Divina".
Mais a frente nos ensina: Respiramos no mundo das imagens que projetamos e recebemos. Por elas, estacionamos sob a fascinação dos elementos que provisóriamente nos escravizam, e através delas, incorporamos o influxo renovador dos poderes que nos induzem à purificação e ao progresso.
Resumindo: tem um velho ditado que modificado serve para o estudo.
"DIGA-ME O QUE PENSAS E EU TE DIREI QUEM TE ACOMPANHA".
Abraços a todos
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Marccello em 22 de Novembro de 2009, 19:18
Olá Amigos,

É verdade dim-dim...a sua linha de raciocínio está bastante coerente...entre o sentir e o pensar... remetendo aos outros reinos: animais, vegetais, penso que é a exemplificação muito singela do desenvolvimento do Princípio Inteligente (P.I.) que se tornará no futuro um Espírito.

Desculpem não vamos nos afastar do tema!

Grande abraço!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Felipa em 23 de Novembro de 2009, 15:58
Caros amigos e irmãos em Jesus,
Gostaria de participar e comentar o questionamento: O QUE É O PENSAMENTO"?.
Emmanuel no livro "Pensamento e Vida" , psicografia de Francisco Cândido Xavier, no primeiro capítulo nos diz: "A mente é o espelho da vida em toda a parte..., à feição do diamante bruto, que arrancado ao ventre obscuro do solo, avança, com a orientação do lapidário, para a magnificência. Nos primitivos aparece sobre a ganga do instinto, nas almas humanas surge entre as ilusões que salteiam a inteligência, e revela-se nos Espíritos Aperfeiçoados por brilhante precioso a retratar a Glória Divina".
Mais a frente nos ensina: Respiramos no mundo das imagens que projetamos e recebemos. Por elas, estacionamos sob a fascinação dos elementos que provisóriamente nos escravizam, e através delas, incorporamos o influxo renovador dos poderes que nos induzem à purificação e ao progresso.
Resumindo: tem um velho ditado que modificado serve para o estudo.
"DIGA-ME O QUE PENSAS E EU TE DIREI QUEM TE ACOMPANHA".
Abraços a todos


Olá amigos!!!

Muitos dizem que o que diferencia o homem do animal é que o homem tem poder de raciocínio. Quer dizer, o homem é um ser pensante, embora muitas vezes as atitudes de alguns seres humanos nos deixem com dúvidas a este respeito.  Pensamentos bons ou ruins, falamos conosco mesmo o tempo todo.
Muitos desses pensamentos acabam por direcionar nossas atitudes, humor, sentimentos durante o dia. Esses pensamentos muitas vezes são influenciados por circunstâncias corriqueiras do dia, algo não muito agradável que aconteceu logo de manhã com nosso esposo, filhos ou pais, um desentendimento, uma palavra ríspida que nos magoou e permitimos que aquilo ocupe nosso pensamento por tempo além do necessário ou do saudável.
Em seu livro, “Amando a Deus de todo o seu entendimento”, Elizabeth George, faz uma comparação de nossos pensamentos com um vírus, como estes que nos deixam gripadas. Ela diz:
“Assim como um vírus, nossos pensamentos conseguem exaurir nossa energia e enfraquecer nossa capacidade. Por outro lado podem constituir uma fonte de força…”.
Para que nossos pensamentos sejam fontes de força a palavra de Deus nos exorta a ocuparmos eles com tudo que é verdadeiro, respeitável, justo, puro, amável, aquilo que é louvável, naquilo em que há virtude, da importância de buscar a Deus e permitir que Ele nos encha com sua presença, através.
O pensamento é fundamental no processo de parendizagem e construtivo no conhecimento, sendo o principal veículo de conscientização o pensar confere ao homem “asas” para mover-se no mundo e “raízes” para aprofundar-se na realidade, pensar significa avaliar o peso de alguma coisa em sentido amplo, podemos dizer que o pensamento tem como missão tornar-se avaliador da realidade.
Segundo DESCARTES (1596-1650), filósofo de grande importância na história do pensamento, "a essência do homem é pensar". Por isso dizia: "Sou uma coisa que pensa, isto é, que duvida, que afirma, que ignora muitas, que ama, que odeia, que quer e não quer, que também imagina e que sente".
O pensamento faz a grandeza ou a pequenez do homem. A grandeza decorre do pensamento bem pensado, que avalia a multiplicação do real e se esforça para desvendá-lo atentamente, saboreando sua riqueza e diversidade. Tal pensamento aprendeu a filosofar: a desejar amorosamente a verdade, a amar a sabedoria.
A pequenez humana decorre do pensamento obscuro, mesquinho que desconhece o sabor da busca do saber. Esse tipo de pensamento transforma-se em meio de ocultação da realidade. Por meio dele a atividade pensante, em vez de servir à liberdade pode transforma-se em instrumento de dominação social.


maria47
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 24 de Novembro de 2009, 01:10
A pequenez humana decorre do pensamento obscuro, mesquinho que desconhece o sabor da busca do saber. Esse tipo de pensamento transforma-se em meio de ocultação da realidade. Por meio dele a atividade pensante, em vez de servir à liberdade pode transforma-se em instrumento de dominação social.

Olá Maria47.

A sua intervenção evoca à minha memória que poder e autoridade, tal como define James C. Hunter, não são sinónimos.

O poder quando exercido de forma continuada torna-se insuportável, intolerável, impossível de ser exercido pois gera a ruptura que surge na exacta medida em que a avaliação do oprimido tende em considerar preferíveis as perdas potenciais resultantes da revolta, à submissão continuada a um poder que não “serve à liberdade” e que se transforma sempre “em instrumento de dominação social”.

Enquanto o poder pode ser adquirido, comprado, conquistado, usurpado, herdado, a autoridade é uma consequência do exercício continuado da acção que converte em vontade o dever, é uma característica que pré-existe, determina a acção, e que está inscrita na inteligência e não na mente.

É a sua presença ou ausência, que por exemplo diferencia a atitude de um adolescente revoltado com o poder paternal com a do debutante equilibrado pela autoridade paternal.

Enquanto o primeiro cumpre as ordens que advêm do poder desautorizado o segundo cumpre as ordens de uma autoridade que pode se necessário exercer o poder.

No entanto, sempre e quando o poder tem de ser exercido, a causa desta necessidade está do lado na liderança e nunca no liderado. O poder é uma ferramenta idêntica a um corrector que vai através da imposição da ameaça de castigo emendar um acto de autoridade falhado.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 24 de Novembro de 2009, 02:45
Taprobana,

você escreve difícil meu caro  :D anda lendo muita coisa da "santa e científica universidade" ou já faz parte dela??

Vamos lá...

O poder é o "conjunto dos meios pelos quais um ator social, sujeita outrem, mesmo contra  a vontade deste último" (Max Weber)

"conjunto de meios pelos quais se obtém alguma vantagem" (Hobbes).

"posse dos meios pelos quais se exerce a coação física com objetivo a atingir certos fins" (Hobbes, O Leviatã)

A autoridade, é uma conseqüência do poder, ou seja, ela  representa apenas um "conjunto de meios pelos quais se exerce o poder". (Exemplos: exército, polícia, posse dos meios de produção e dos aparelhos de difusão ideológica)



Abçs,

Renato

pS: pessoal, me desculpem pelo offi-topic.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 24 de Novembro de 2009, 03:11
Oi amigão.  :D
A autoridade, é uma conseqüência do poder, ou seja, ela  representa apenas um "conjunto de meios pelos quais se exerce o poder". (Exemplos: exército, polícia, posse dos meios de produção e dos aparelhos de difusão ideológica)

Esqueceste de assinar esta afirmação ou é tua?

Se é onde cabe aqui a autoridade moral de que fala o espiritismo?

Vamos sair dos jogos de linguagem, amigo.

Um conjunto de meios pelos quais se exerce o poder é designado por despotismo, tirania, e outras coisas feias assim, que afirmam aos gritos: Eu sou a autoridade! Ouviram? Quem não está de acordo? QUEM NÃO ESTÁ DE ACORDO QUE FALE AGORA OU CALE-SE PARA SEMPRE!  ;D

Digo eu: EU NÃO RECONHEÇO A TUA AUTORIDADE DÉSPOTA!

Diz ele: AUTORIDADE POLICIAL AVANÇA COM O CACETE! O EXERCITO TAMBÉM, ESSA AUTORIDADE AINDA MAIOR!

Acreditas que seria possível transformar assim o meu dever na minha vontade, ou seja, exercer sobre mim aquilo que é a autoridade? Renato... na primeira oportunidade leva-va com um tacho na careca!  :D

Taprobana (falando barato)



 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 24 de Novembro de 2009, 03:42
hehehheehe boa tentativa Tap.
Vamos lá então (correr contigo 2 mil passos  :D)

Tipologias do poder em Aristóteles:
1- Poder paterno: em que o poder é exercido em favor dos filhos.
2- Poder Despótico: em que o déspota exerce o poder em favor de si mesmo
3- Poder Político: em que o governante exerce o poder em favor dos governados (isto somente para as formas corretas de governo).


Tipologia moderna do poder:
1- Poder Econômico: posse dos meios de produção, que coagem aqueles que não os possuem à agir conforme os ditames dos proprietários de tais meios
2- Poder ideológico: posse dos meios de difusão das idéias dominantes, com o fito de conformar os governados com a forma de poder vigente e,
3- Poder político: posse dos meios pelos quais se exerce a coação física, em benefício de quem governa e de quem é governado (só para formas corretas de poder)

(são  palavras minhas, mas essa é a Teoria Clássica e Contemporânea do Poder) E o que tem a ver com Pensamento e Espiritismo??? hehheheheee


Essa eu deixo para vc responder  ;)


abçs



Renato
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 24 de Novembro de 2009, 05:01
Citar
Aldebaran: A autoridade, é uma conseqüência do poder, ou seja, ela  representa apenas um "conjunto de meios pelos quais se exerce o poder". (Exemplos: exército, polícia, posse dos meios de produção e dos aparelhos de difusão ideológica)

Tap, vc perguntou: qual a autoridade da DE?

Disse bem: "autoridade". Se tivesse dito "qual o poder da DE"? eu responderia: nenhum.

Está claro no OLE que "a presença dos Espíritos Superiores nenhum constrangimento provoca" etc e tal.

De fato, a doutrina não é proclamada e nem divulgada de um ponto de vista do poder: ao contrário, ela é livre, ou seja, aceita-se de bom grado, ao contrário de outras confrarias religiosas que se valem do poder ideológico: "se você não fizer isso ou aquilo, arderá nas chamas do inferno; se não pagar o dízimo está contra as escrituras (a Bíblia não é a palavra de Deus?)

Ou seja, é um poder ideológico. Felizmente esse tipo de poder não existe na DE, mas nas casas espíritas não é raro encontrar algum tipo de poder ideológico, sobretudo quando se acredita na autoridade do palestrante ou do médium.
Veja, pois, que a autoridade, nesse caso,  é um meio de cumprimento das demandas do poder.

abçs


Renato






Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Edna☼ em 24 de Novembro de 2009, 09:01
Bom dia a todos! :D

"Pensamento é fermentação espiritual. Em primeiro lugar estabelece atitudes, em segundo gera hábtios e, depois, governa expressões e palavras, através das quais a individualidade influencia na vida o mundo."
(Emmanuel)

Abraços,  
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 24 de Novembro de 2009, 09:34

Olá!


O pensamento não preciso dele para nada.

O que me dá o auto-conhecimento da vida e de Deus, é vivê-la, senti-la com todo o meu ser. A isto chamo união.

Quando me ponho a pensar fico baralhado, confuso, e quando lhe dava importância surgia logo a vaidade e o orgulho que me roubava a claridade mental.

Abaixo o ego, viva Deus.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Haga em 24 de Novembro de 2009, 10:16
Já dizia Huberto Rhoden:

"Muitas pessoas precisam de fatores externos para encontrar Deus dentro de
si. Outras vivem um vasto período de análise intelectual sem se permitirem
um momento se quer de intuição espiritual. Nós não podemos chegar à
verdadeira experiência de Deus somente por meio da análise mental. Isto é
apenas uma preliminar que deve ser ultrapassada para poder se alcançar uma
certeza espiritual. A análise mental é como um grande labirinto sem saída."
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 24 de Novembro de 2009, 13:30
Renato, estar a disparar para outro alvo que não é o meu.

A questão que evoco é acerca da forma como o poder é exercido e da relação que existe entre o seu método e aquilo que define uma autoridade.

Ser autoridade, pode ser uma autopromoção desqualificada em nome do poder, mas nada disso lhe adianta quando quem exerce um dever não o leva a cabo através da vontade de o fazer.

Assim, se quiseres utilizar a palavra “autoridade” para descrever o conjunto dos meios através do qual o poder é exercido, eu digo que existem inúmeras formas de exercer a autoridade.

Quando esta é exercida tendo no poder a única formula resolutiva estamos na presença de um universo mental cujo princípio inteligente é obviamente pouco dotado, pois os seus resultados são mínimos e ineficazes quando ao seu objecto, para além de potencialmente serem insustentáveis através do tempo, tal como eu tentei explicar na intervenção acima e que não tiveste em conta (vai lá ler com atenção).

Quando um princípio inteligente entende que aquilo que determina acção não é a sua vontade própria mas sim a forma como ela é exercida para o consumar do objectivo determinado, facilmente verifica que o exercício do poder é apenas um recurso que servirá para corrigir os actos falhados da sua autoridade, denominando aqui autoridade aquilo que advém da legitimidade do exercício da liderança ser uma consequência daquilo que define o seu princípio inteligente que naturalmente transforma o dever de fazer em vontade de fazer, ou seja transforma a opressão em liberdade.

Assim, e explicando de que forma esta matéria está enquadrada com o tópico, no exercício da liderança, o universo mental que a constitui, está dependente da característica do principio inteligente que o gere, ou seja, a caracterização da vida que se gera á sua volta e do qual ele é responsável depende da competência que tem ou não a sua inteligência.

Assim, enquanto o poder pode ser adquirido, a autoridade é uma qualificação conquistada.

Um óptimo exemplo que define um local onde a autoridade terá de ser exercida com um diminuto exercício de poder, é quando o dever é exercido de forma voluntaria.

A autoridade moral que é descrita através do espiritismo, é aquela que advém da superioridade moral cuja acção está independente do exercício do poder, ou seja, decorre através da vontade, ou seja daquilo que falo aqui.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Jorge Paulo em 24 de Novembro de 2009, 16:01
O pensamento parece ser algo fugidio, que sempre escapa do controle. Tenho me esforçado para controlar meus pensamentos, mas quando vejo estou pensando coisas que atrapalham as boas vibrações. É como se eu estivesse sintonizado numa certa frequência e, de repente, por causa de maus pensamentos, perdesse a sintonia...

Acho que são poucos que conseguem manter atenção integral o tempo todo, estando blindados contra os maus pensamentos.

Abraço a todos!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Delphus em 24 de Novembro de 2009, 23:03
O pensamento não preciso dele para nada.
O que me dá o auto-conhecimento da vida e de Deus, é vivê-la, senti-la com todo o meu ser. A isto chamo união.

Quando me ponho a pensar fico baralhado, confuso, e quando lhe dava importância surgia logo a vaidade e o orgulho que me roubava a claridade mental.

Abaixo o ego, viva Deus.

Dim-Dim, penso que quando você diz que não precisa do pensamento para nada, deve ser pelo fato de você já estar no mundo feliz, não é????

Não me lembro o nome, mas tem um ilustre desconhecido que disse algo mais ou menos assim.... PENSO LOGO EXISTO.....

Analise o que diz André Luiz na obra Missionários da Luz - As ações produzem efeitos, os sentimentos geram criações, os pensamentos dão origem a formas e conseqüências de infinitas expressões.

Não é por nada não, mas acho que te falta tento, uma mensagem descabrida dessa deveria ser deletada pelo moderador do estudo...

tenho dito....
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Delphus em 24 de Novembro de 2009, 23:06
O pensamento parece ser algo fugidio, que sempre escapa do controle. Tenho me esforçado para controlar meus pensamentos, mas quando vejo estou pensando coisas que atrapalham as boas vibrações. É como se eu estivesse sintonizado numa certa frequência e, de repente, por causa de maus pensamentos, perdesse a sintonia...

Acho que são poucos que conseguem manter atenção integral o tempo todo, estando blindados contra os maus pensamentos.

Abraço a todos!

Jorge Paulo, parabéns... com essa auto-analise você com certeza está exercitando e praticando o auto-conhecimento.... SOMOS O QUE PENSAMOS... nos dizem vários benfeitores espirituais.... na verdade PENSAMOS E SOMOS AQUILO QUE NOS OFERECE NOSSO RESERVATÓRIO MORAL...

abraços fraternais.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Vitor Santos em 24 de Novembro de 2009, 23:29
Olá amigo Delphus

Eu penso que é mais nós sentimos, logo existimos. Porque é o coração que dá ou impede o uso da razão.

As emoções: o medo, a forte preocupação, a mágoa, e também as emoções positivas condicionam a forma de vermos a realidade. Quantas vezes, cansados, começamos a ver tudo mais negro, e no outro dia, ao acordar, já vemos tudo de forma mais optimista e positiva? Neste caso nós não mudámos a forma de raciocinar, mas de sentir a mesma realidade.

Daí o Livro: "O Erro de Descartes", do cientista e neurocirurgião, António Damásio. Apenas através do estudo do cérebro ele viu que as emoções condicionam a nossa forma de ver o mundo. Mesmo sem admitir que o homem é mais do que uma máquina biológica. A emoção bloqueia ou dá acesso ao uso da razão.

Eu não sei se o exemplo que vou dar a seguir será esse caso, mas lembro-me sempre de quando vou no carro, cheio de pressa. Parece-me que há muito mais obstáculos do que nos outros dias, mas não, sou eu que estou mais atento aos obstáculos porque tenho pressa. Porque havia o transito estar sempre pior quando tenho pressa?

É por experiência da vida que digo isso. Nem preciso do António Damásio. A minha leitura da realidade depende do estado emocional em que estou. Não sei se será assim com as outras pessoas, comigo é....

bem haja





 

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 24 de Novembro de 2009, 23:43

Olá!

Enviada: Hoje às 23:06 Delphus

Dim-Dim, penso que quando você diz que não precisa do pensamento para nada, deve ser pelo fato de você já estar no mundo feliz, não é?

Não me lembro o nome, mas tem um ilustre desconhecido que disse algo mais ou menos assim.... PENSO LOGO EXISTO.....

Analise o que diz André Luiz na obra Missionários da Luz - As ações produzem efeitos, os sentimentos geram criações, os pensamentos dão origem a formas e conseqüências de infinitas expressões.

Não é por nada não, mas acho que te falta tento, uma mensagem descabrida dessa deveria ser deletada pelo moderador do estudo...

tenho dito....

------------------------------

Olá!

Delphus eu não quero saber das obras do André Luiz nem de ninguém, todas as pessoas merecem respeito, mas eu tenho que ser eu não tenho que andar a repetir o que os outros me disseram.

O que ai escrevi é o que sinto e sei.

O amigo pode confrontar-me a respeito dessas afirmações que faço, agora falar em falta de tento e deletar mensagens isso não é de espírita amigo. Isso não tem liberdade.

Estou à sua inteira disposição para esclarecer o que for preciso.

Quanto ao ser feliz, pode crer amigo que sou. Tenho tudo o que Deus me deu, porque é que não ia ser feliz.

Só se me odiasse a mim mesmo! Que não é o caso, gosto de ser como sou.

Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Aldebaran em 24 de Novembro de 2009, 23:46
Já dizia Huberto Rhoden:

"Muitas pessoas precisam de fatores externos para encontrar Deus dentro de
si. Outras vivem um vasto período de análise intelectual sem se permitirem
um momento se quer de intuição espiritual. Nós não podemos chegar à
verdadeira experiência de Deus somente por meio da análise mental. Isto é
apenas uma preliminar que deve ser ultrapassada para poder se alcançar uma
certeza espiritual. A análise mental é como um grande labirinto sem saída."

Concordo com você meu amigo Haga, mas se fosse levar ao pé da letra essa sua teoria, a ciência ainda estaria na idade da pedra.

abçs ,

Renato

 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Diegas em 25 de Novembro de 2009, 01:56
'...Reconheço a sabedoria de Kardec, mas não é como o amigo diz que antes dele temos que jogar tudo para o lixo...'


Olá, dim-dim

Penso ter exagerado, pois realmente não foi necessário que reinventassem a roda. Portanto, compreenda a minha afirmativa como poética, tal como 'arranca o olho se o mal residir no olhar'

Comentava sobre as ciencias que tem uma relação direta com o ser humano, e voce há de considerar que com Kardec até o Xamanismo perdeu a graça - a ciencia oculta popularizou-se. Hoje, indistintamente, temos acesso ao conhecimento sobre o mundo invisivel e como lidar com as forças ocultas, misterio e privilegio de poucos iniciados. Os livros da Codificação são didaticamente perfeitos - não é necessário muitas elucubrações para compreender o mundo espiritual, e como ele interage conosco. De leitura simples, livra-nos de multidões de simbolismos e rituais, tão proprios das doutrinas secretas (da era pré-kardequiana).



Abç

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: sirena em 25 de Novembro de 2009, 01:57
Olá pessoal,
Com o intuito de ilustrar o nosso fórum, resolvi postar um trecho de uma música do Cidade Negra chamada "Pensamento":

Você precisa saber
O que passa aqui dentro
Eu vou falar pra você
Você vai entender
A força de um pensamento
Pra nunca mais esquecer

Pensamento é um momento
Que nos leva a emoção
Pensamento positivo
Que faz bem ao coração
O mal não
O mal não

Que a paz de Cristo esteja com vocês!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Diegas em 25 de Novembro de 2009, 02:17
Tal como não digo que a doutrina espirita veio revelar-nos o mundo espiritual, ele já era há muito, desde sempre...'

Olá, dim-dim


Na realidade, a Doutrina Espirita traduz numa linguagem popular aquilo que encontrava-se escondido entre paredes, a quatro chaves - antes de Kardec vivia-se o obscurantismo-feudal das ciencias ocultas. Kardec libertou o conhecimento de todas as algemas mundanas; realizou uma reforma profunda, que altera o pensamento filosofico, cientifico e religioso. O cientista que quiser estudar o ser humano, em toda extensão e seriedade, tem de passar pelo conhecimento da Doutrina Espirita.

Caso este estudioso não preocupe em analisar a influencia do mundo espiritual, bem como saber da relação de causa-efeito, da sobrevivencia do espirito, a pluralidade das existencias e dos mundos habitados, certamente estará fadado a tornar-se um teórico fracassado, um espantalho de suas proprias verdades.

Como diria um sábio: de bem-intencionados o inferno tá lotado !!



Abç
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 25 de Novembro de 2009, 07:47

Olá Diegas,

Entendido amigo!

-----------------------

" O pensamento não preciso dele para nada ", como o estudo é o pensamento fiz esta afirmação para nos situarmos nas variantes do pensamento, e para dizer porque não preciso dele para nada.

Mas o amigo Delphus respondendo a esta afirmação foi claro em mostrar o porquê de eu não gostar do pensamento.

Pensamento, este, sustentado pelas emoções.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 25 de Novembro de 2009, 16:48

Olá!

Isto é assim agora mesmo, se se abdicar da palavra.

http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-espiritos/comunicacao-entre-os-espiritos-desencarnados/msg70044/#msg70044 (http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-espiritos/comunicacao-entre-os-espiritos-desencarnados/msg70044/#msg70044)

( Esse estado foi alternado de momentos de lucidez e de sonolência, durante os
quais eu recobrava e perdia a consciência do meu "eu". Pouco a pouco as minhas idéias adquiriram mais lucidez, a luz que entrevia, por denso nevoeiro, fez-se brilhante; e eu comecei a compreender-me, a reconhecer-me, compreendendo e reconhecendo que não mais pertencia a esse mundo. Certamente, se eu não conhecesse o Espiritismo, a ilusão perduraria por muito mais tempo. O meu invólucro material não estava ainda inumado e eu o olhava com piedade, felicitando-me pela separação, pela liberdade. Pois se eu era tão feliz por me haver enfim desembaraçado! Respirava livremente como quem sai de uma atmosfera nauseante; indizível sensação de bem-estar penetrava todo o meu ser, a presença dos que amara alegrava-me sem me surpreender, antes parecendo-me natural, como se os encontrasse depois de longa viagem.( Uma coisa me admirou logo: o compreendermo-nos sem articular uma palavra! Os nossos pensamentos transmitiam-se pelo " olhar " somente, como que por efeito de uma penetração fluídica. ) Eu não estava, no entanto, completamente livre das preocupações terrenas, e, como para realçar mais a nova situação, a lembrança do que padecera me ocorria de vez em quando à memória.
Sofrera corporal e moralmente, sobretudo moralmente, como alvo que fui da maledicência, dessas infinitas preocupações mais acerbas talvez que as desgraças reais, quando degeneraram em perpétua ansiedade. )


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 25 de Novembro de 2009, 17:05

Olá a todos os amigos do Fórum.

Desde que começou este estudo tenho procurado ler e entender todas as mensagens aqui postadas, principalmente as que focam bem sobre o pensamento, tenho  pensado muito a respeito do tema e chego a conclusão que é realmente bem extenso este assunto, mas continuo na busca e no desafio de tentar se melhorar adquirindo bons pensamentos que por conseqüência me trará bons sentimentos e assim por diante.

 Dim-Dim - como o estudo é o pensamento fiz esta afirmação para nos situarmos nas variantes do pensamento, e para dizer porque não preciso dele para nada.

Zeni – Dim-Dim Eu gostaria de saber agir, sentir. até mesmo raciocinar,  sem pensar, mas não consigo, para mim ainda é muito difícil saber esta técnica, mas gostaria muito de saber controlar meus pensamentos, mas cultivo em mim uma fé grande de que um dia eles possam ser somente pensamentos bons através da  minha evolução.

Jorge Paulo - Acho que são poucos que conseguem manter atenção integral o tempo todo, estando blindados contra os maus pensamentos.

Zeni – Jorge Paulo Devo te dizer que também fico feliz por saber que pessoas já possam controlar bem seus pensamentos, pois quem consegue isso, pode-se dizer que está bem adiantado na sua escala evolutiva.

Pensando sobre o pensamento

Clélia - GEE Bezerra de Menezes

Partindo deste raciocínio, não permita que os pensamentos tomem conta de você, de uma forma desordenada e intempestiva.
Estudando as obras da Codificação Kardequiana, é sabido que, muitas vezes, em nossos pensamentos existem outras mentes operando, através de nós.
Mesmo que não tenhamos a sensibilidade para perceber esta verdade doutrinária, ainda assim tomamos atitudes e formalizamos situações que na realidade estão muito aquém do nosso ser.
É importante que o Homem, como criatura milenar que é, tomar para sua vida esta verdade doutrinária, observando-se com lucidez, a fim de perceber-se e poder ordenar e comandar seus próprios pensamentos.
É através do pensamento que são geradas as boas e as más atitudes.
Muita coisa pode mudar em sua vida se você, neste instante e sem idéias preconcebidas, passar a fazer uso da idéia de tomar conta de si mesmo.
Raciocinemos, então: Estar bem é igual a pensar bem.
Pensar bem, com grandeza, é igual a estar bem.
Estar bem proporciona o bem!"

Abraço a todos.
Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Paulo Reinaldo em 25 de Novembro de 2009, 17:59
Boa tarde!

                  Pensar é tudo... Simples, sem forma , leve....

                  Sua origem é tão distante para nós como a origem de Deus.

                  O importante é que ele existe...
                 
                  Porem, seu uso é uma grande responssabilidade nossa...

                 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Debmota em 25 de Novembro de 2009, 22:47
Caro irmão Delphus,
Que a fé raciocinada continue sendo o seu guia!!
Como aluna no curso mediúnico aqui em BH, através de estudos realizados durante esse ano, creio que o pensamento sendo um atributo do espírito, sendo o veículo pelo qual os espíritos superiores se comunicam,sendo o instrumento de co-criação utilizada pelos seres superiores, e sendo através do pensamento que cosntruímos e damos forma ao nosso mundo íntimo, criando o céu ou o inferno dentro de nós, não resta a menor dúvida quanto à sua origem divina.
Acredito sinceramente que a moderação e o bom senso sempre deverão nortear nossos queridos confrades ao caminho da compreensão!
E como disse nosso irmão maior Emmanuel Sabedoria sem Amor, é como um anjo sem uma das suas asas!
Luz e Paz!
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: yuriautran em 25 de Novembro de 2009, 22:54
Boa noite a todos,

Sou iniciante no Espiritismo e neste fórum, mas não pude deixar de notar esse debate sobre pensamento e sentimento. Do pouquinho que eu sei, esses dois pontos são apenas palavras, e como disse Kardec:
"Para designar coisas novas são necessárias palavras novas; assim exige a clareza de uma língua, para evitar a confusão que ocorre quando uma palavra tem múltiplo sentido."

Portanto, acho que devemos nos apegar a idéia, deixemos as palavras de lado, elas são imperfeitas para designar algo que ainda não está tão simples de ser compreendido por todos.

Yuri Autran
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 25 de Novembro de 2009, 23:01

Olá!


O Livro dos Médiuns
Do maravilhoso e do sobrenatural

A explicação dos fatos que o Espiritismo admite, de suas causas e conseqüências morais, forma toda uma ciência e toda uma filosofia, que reclamam estudo sério, perseverante e aprofundado.
 
O Espiritismo não pode considerar crítico sério, senão aquele que tudo tenha visto, estudado e aprofundado com a paciência e a perseverança de um observador consciencioso; que do assunto saiba tanto quanto qualquer adepto instruído; que haja, por conseguinte, haurido seus conhecimentos algures, que não nos romances da ciência; aquele a quem não se possa opor fato algum que lhe seja desconhecido, nenhum argumento de que já não tenha cogitado e cuja refutação faça, não por mera negação, mas por meio de outros argumentos mais peremptórios; aquele, finalmente, que possa indicar, para os fatos averiguados, causa mais lógica do que a que lhes aponta o Espiritismo. Tal crítico ainda está por aparecer.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Edna☼ em 25 de Novembro de 2009, 23:09
Boa noite amigos,  


Olá a todos os amigos do Fórum.

Desde que começou este estudo tenho procurado ler e entender todas as mensagens aqui postadas, principalmente as que focam bem sobre o pensamento, tenho  pensado muito a respeito do tema e chego a conclusão que é realmente bem extenso este assunto, mas continuo na busca e no desafio de tentar se melhorar adquirindo bons pensamentos que por conseqüência me trará bons sentimentos e assim por diante.
... "
 

Zeni , concordo com você, também busco constantemente, adquirir e manter bons pensamentos, entretanto, essa tarefa nem sempre é fácil.

No estado evolutivo em que nos encontramos, muitos de nós. temos pensamentos desordenados, passamos de um para outro com muita rapidez, algumas vezes os pensamentos são fixos, outras vezes, há dificuldades de concentração.

Temos de aprender a disciplinar o pensamento, daí voltamos sempre ao mesmo ponto “conhecer a si mesmo”, escutar nossos sentimentos, para renovar é preciso conhecer.

A Doutrina Espírita nos oferece precioso manancial para nossa reforma íntima, e, consequentemente, a renovação mental, se somarmos boa vontade e esforço pessoal, aprenderemos através do exercício constante da meditação, a pensar de forma equilibrada e consciente.

Abraços,
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 26 de Novembro de 2009, 10:38

Olá!

O pensamento Hipócrita e demagogo, aquele que não é real, verdadeiro, o fingido, o traiçoeiro, o mascarado, o que faz criticas indiretas, o que não assume a responsabilidade, vaidoso, orgulhoso, mesquinho, ignorante sem o reconhecer, sem sóbriedade, sem clareza, sem amor, foi, é, e será sempre, o pior inimigo da vida, da verdade, do homem, da natureza, e por conseguinte de Kardec.

Que não haja medo de chamar as coisas pelos nomes, discordar quando é necessário, dizer não, dizer sim, mas sem mandar ninguém para a fogueira.

Desmistificar com verdade, com conhecimento, com compreensão, com amor.

Valorizemos e respeitemos pois Kardec com a verdade, não com subterfúgios e palavras veladas.

Não vamos contribuir para a desvalorização de Kardec e de sua sabedoria, não vamos contribuir, através dessa baixeza de pensamentos, para desvirtuar o espiritismo, é hora, com inteligência, de o valorizar como ciência do ser humano.

Com a hipocrisia, a demagogia, e o falso pensamento, apenas o elevamos a mais uma " seita ", e ele não merece.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 26 de Novembro de 2009, 14:38

Olá!

O Livro dos Espíritos

Coloca no início do livro a cepa de vinha que te desenhamos*, como emblema do trabalho do Criador; todos os princípios materiais que podem melhor representar o corpo e o Espírito estão nela reunidos: o corpo é a cepa; o Espírito é o licor; a alma ou o Espírito unido à matéria é o bago da uva. O homem purifica o Espírito pelo trabalho e tu sabes que é somente pelo trabalho do corpo que o Espírito adquire conhecimento.

--------------------

( Pensamentos )

459. Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos?

“Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que
vos dirigem.”


465. Com que fim os Espíritos imperfeitos nos induzem ao mal?

“Para que sofrais como eles sofrem.”

a) - E isso lhes diminui os sofrimentos?

“Não; mas fazem-no por inveja, por não poderem suportar que haja seres felizes.”

----------------------

( Não nos podemos esquecer que os espíritos somos nós, que não os vejamos como coisas separadas. )

----------------------


“As qualidades da alma17, isto é, as qualidades morais, são as do Espírito que está encarnado em nós; desse modo, o homem de bem é a encarnação do bom Espírito, e o homem perverso a de um Espírito impuro.”


“O Espírito não é, portanto, um ser abstrato, indefinido, que somente o pensamento pode conceber; é um ser real, definido, que, em alguns casos, pode ser reconhecido, avaliado pelos sentidos da visão, da audição e do tato.”


“O mundo espírita é o mundo normal, primitivo, eterno, preexistindo e sobrevivendo a tudo.”

“Os Espíritos vestem temporariamente um corpo material perecível, cuja destruição pela morte lhes devolve a liberdade.”

“A alma é um Espírito encarnado, sendo o corpo apenas o seu envoltório.”



Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Taprobana em 26 de Novembro de 2009, 16:12
O amor é um sentimento ou um comportamento? O amor é aquilo que o amor é ou aquilo que o amor faz?

As reflexões que se seguem são suportadas no pensamento de James C. Hunter.

O amor é sempre fundamentado na vontade. Quando as intenções não são consumadas em acções, são desprovidas de conteúdo, não são nada, ou seja, quando um universo mental se manifesta em fundamentos cujas emoções que desencadeiam em sentimentos que determinam uma intenção, é imperioso que esta seja consumada numa acção.

Assim a vontade é uma intenção consumada em acção.

A vontade é o principio primeiro da escolha do comportamento. É através da vontade que escolhemos amar, ou seja, identificar as necessidades (não os desejos) daqueles a quem devemos amar, sendo para isso necessário existir uma predisposição para o serviço e o sacrifício em prol do semelhante. É este acto que define uma autoridade, uma influência, a preparação de uma sementeira que resultará na colheita daquilo que é semeado.

A vontade suporta o amor. O amor é um comportamento de serviço e sacrifício, um exemplo que determina um modelo de autoridade e liderança, que é sinónimo da identificação e satisfação das necessidades (não dos desejos) dos nossos semelhantes.

Diz Vince Lombardi que o sentimento de “gostar ou não de alguém” não é tido em conta no exercício do amor. O amor é lealdade, é o respeito pela dignidade e individualidade.

Jesus quando nos aconselha a amar os nossos inimigos, refere-se à acção e não ao sentimento. O amor é geralmente confundido com sentimentos positivos dedicados a alguém, seja em forma de forte afeição, ligação amigável ou sentimentos provenientes dos impulsos sexuais.

Diz James C. Hunter que muito daquilo que é o novo testamento foi escrito em grego, que utiliza várias palavras para descrever vários significados de amor. “Eros” quando se refere ao amor baseado na atracção sexual e desejo ardente, “Storgé” quando se refere ao amor afectivo entre familiares, “Philo” que é fraternidade, ou amor recíproco onde a acção amorosa exige um pagamento levado a cabo na mesma moeda e finalmente “ Ágape” que descreve o amor incondicional, demonstrado em acções comportamentais para com os semelhantes sem que nada seja exigido em troca, uma escolha deliberada.

O amor que está escrito no novo testamento proferido pela boca de Jesus está denominado de “Ágape”.

O amor “ágape” não é aquilo que os sentimentos traduzem internamente mas sim aquilo que ele mesmo faz sob a forma de vontade, ou seja, sob a forma da acção, uma acção paciente, bondosa, humilde, respeitosa, generosa, que perdoa, honesta e comprometida.

Taprobana
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 26 de Novembro de 2009, 16:58
 
  Olá para todos.
 
   Os espiritos tambem afirmaram, Namasté, que a máteria é algo tão sem "importância", que se fosse destruida "nenhuma" diferença seria sentida pelo espirito.

    Alendo mais, O PENSAMENTO É TUDO, as formas só existem então por causa do PENSAR.

     E em relação de os espiritos interferirem nos nossos pensamentos há uma célebre frase que diz: 
             
                 SEUS PENSAMENTOS REVELAM OS SEU COMPANHEIROS OCULTOS.
 
Muito Obrigado.

 Dominus Vobiscun.

   
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Fernando B. em 26 de Novembro de 2009, 17:30
(http://www.rcespiritismo.com.br/conteudo_site/imagens/pensamento.gif)

O poder do pensamento   
Como treinar a mente para obter sonhos cada vez mais lúcidos e realizar projeções astrais

A força do pensamento é de vital importância para o nosso dia-a-dia, pois podemos ser felizes ou infelizes, alegres ou tristes, vencer obstáculos ou ser derrotados por eles, obter grandes realizações ou cair em profunda depressão.

Para que possa ter uma idéia dessa energia emanada pelo pensamento, iremos descrever um texto de Allan Kardec, em A Gênese: "Há mais: criando imagens fluídicas, o pensamento se reflete no envoltório perispirítico, como num espelho; toma nele corpo e aí de certo modo se fotografa. Tenha um homem, por exemplo, a idéia de matar a outro: embora o corpo material se lhe conserve impassível, seu corpo fluídico é posto em ação pelo pensamento e reproduz todos os matizes deste último; executa fluidicamente o gesto, o ato que intentou praticar. O pensamento cria a imagem da vítima e a cena inteira é pintada, como num quadro, tal qual se lhe desenrola no espírito. Desse modo é que os mais secretos movimentos da alma repercutem no envoltório fluídico; que uma alma pode ler noutra alma como num livro e ver o que não é perceptível aos olhos do corpo. Contudo, vendo a intenção, pode ela pressentir a execução do ato que lhe será a conseqüência, mas não pode determinar o instante em que o mesmo ato será executado, nem lhe assinalar os pormenores, nem, ainda, afirmar que ele se dê, porque circunstâncias ulteriores poderão modificar os planos assentados e mudar as disposições. Ele não pode ver o que ainda não esteja no pensamento do outro; o que vê é a preocupação habitual do indivíduo, seus desejos, seus projetos, seus desígnios bons ou maus".

Veja o quanto é importante o estado de vigília, pois podemos nos enganar uns aos outros no mundo material, mas não podemos enganar as entidades do mundo espiritual. A partir do momento que pensamos algo errôneo, criam-se as imagens fluídicas e, mesmo que não venhamos a praticá-las, fica registrado nossos mais íntimos sentimentos e segredos.

O que pensamos durante o dia será fruto de nossos atos durante o momento do sono. Assim, ao mentalizarmos coisas boas, ouvirmos boa música, termos conversas sadias, astral positivo, iremos durante o sono encontrar com espíritos ou encarnados que estejam na mesma sintonia. Da mesma forma serão os pensamentos viciosos, como a maledicência, o ódio, a ira, as injúrias, o negativismo etc. Além de reverter para si mesmo a energia destes pensamentos, iremos nos encontrar no momento do sono com outros que estão na mesma freqüência.

É através dos pensamentos que iremos atrair espíritos elevados ou obsessores que venham agravar a mente de seu emissor. No mundo espiritual existem falanges que pretendem fazer o mau, muitas vezes, pelo prazer de praticar tal ato. A válvula de escape que eles precisam são os nossos pensamentos. Joanna de Angelis, em Dias Gloriosos, psicografado por Divaldo Pereira Franco, descreve que "muitas vezes enfrentarás campos psíquicos minados por cargas viciadas e perigosas, imantadas por seres espirituais perversos e doentios que se utilizam de outras pessoas para te alcançar e prejudicar. Somente poderás conduzir-te nessas batalhas com os recursos morais que provêm das tuas energias psíquicas. Como não temem outros recursos, será através das tuas vigorosas emissões vibratórias que a eles escaparás".

A televisão e seus programas sensacionalistas são uma fonte inesgotável para o indivíduo se deixar levar pelas más notícias, criando em sua mente imagens fluídicas que irão provocar alguns distúrbios, entre eles, doenças. Muitas vezes, após ir ao médico, fazer alguns exames, não será diagnosticado a raiz do problema. Por isto, a importância de uma programação sadia, alegre, descontraída.

Conforme Joanna de Ângelis, "a sementeira do ódio, do ciúme, da inveja, da ira e de outros anestésicos do espírito, produz vírus e vibriões psíquicos que atacam o próprio, como o organismo daquele que, desprevenido, inspirou a produção dessas ondas devastadoras que a mente produz e direciona conforme a sua estrutura moral. Ao mesmo tempo, ideoplastias sustentadas pelo pensamento fixo em idéias perturbadoras e agressivas, contribuem para o surgimento de toxinas que invadem o organismo desarticulando-lhe a estrutura vibratória, enfermando-o, e trabalhando para matar-lhe as defesas, os fatores imunológicos".

Sintonia mental

A inércia é algo que venha a fortalecer os maus pensamentos. Quando não estamos ativos, sem uma determinada atividade, a mente cria indagações e pensamentos diversos que não levará a nada, pelo contrário, conforme a sintonia poderá trazer vários problemas psíquicos que poderão prejudicar seu emocional, sua vida familiar e social.

Alguns estudos revelam que temos em média 50 mil pensamentos por dia. Assim, devemos utilizar a imaginação criativa a todo instante. O terapeuta transpessoal, Todashi Kadomoto, em seu livro Ninguém Tropeça em Montanha, comenta sobre uma pesquisa feita nos Estados Unidos sobre o tema e revela dados importantes: 40% de nossas preocupações dizem respeito a fatos que jamais acontecerão; 30% relacionam-se com coisas que já aconteceram; 12% referem-se a questões de saúde; 10% são sobre assuntos insignificantes; 8% das preocupações têm base real. São dados realmente impressionantes, afinal constata que dos 50 mil pensamentos diários, apenas 8% são relevantes, por isto, devemos utilizá-lo melhor, reeducá-lo, diariamente, para que possamos cada vez mais aproveitá-los de uma forma útil e prazerosa para nós e todos os que nos cercam.

Grandes cientistas usaram seus pensamentos em prol da humanidade. Graças à forma de seus pensamentos chegamos ao progresso atual e para o futuro ainda iremos progredir muito.

Hoje temos todo tipo de informação que precisamos, seja pelos livros, internet, televisão, podemos literalmente conhecer o mundo sem sair do lugar. Usemos essas informações para um aprendizado e conhecimento que venham a engrandecer nosso ser. Assim, criamos em nossa volta uma energia coesa com nossos pensamentos e nossa conduta moral. Estando em estado de vigília constante saberemos destinar melhor a mente para pensamentos relevantes. 

Prece e caridade

E não devemos esquecer que a melhor forma de nos manter em sintonia com a espiritualidade Maior é através da prece, da reforma íntima, da pratica da caridade, pois assim, estaremos criando sempre bons pensamentos

Marco Tulio Michalik
Revista Cristã de Espiritismo, edição 24


Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 26 de Novembro de 2009, 18:33

Olá!


Pois é amigo D@n quando conhecemos o pensamento, esses companheiros ocultos, tornam-se no que realmente são, espíritos, sem mais interferências.

Encontramo-nos no mesmo nível, acabam-se os obsessores ou lá o que seja, nada nos afeta, desses medos deste mundo que nascemos a ouvi-los.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: rwer em 26 de Novembro de 2009, 20:22
Querida Zeni, queridos amiguinhos, Sinceramente, trago esses "autores estranhos" até aqui apenas para tentar enriquecer o estudo. Abraços, RW ;)

Krishnamurti - Liberte-se do Passado - Trechos do Capítulo XIII - Livro da Editora Cultrix (peguei na Web.  Nunca o havia lido antes.)

"É realmente muito interessante observar as operações de nosso próprio pensar, observar, simplesmente, como pensamos, a fonte de onde brota essa reação que chamamos pensar.  Essa fonte é, obviamente, a memória. Existe de fato um começo do pensamento?  Se existe, podemos achá-lo? - isto é, o começo da memória, porque, se não tivéssemos memória, não teríamos pensamento.

"Já vimos como o pensamento sustenta e dá continuidade a um prazer que ontem fruímos, e como o pensamento também sustenta o contrário do prazer, o medo e a dor; de modo que o experimentador, que é o pensador, é o prazer e a dor, e também a entidade que lhes dá nutrimento.

"O pensador separa o prazer da dor. Não percebe que na própria exigência de prazer está atraindo a dor e o medo.  O pensamento, nas relações humanas, está sempre a exigir prazer, exigência que ele disfarça com palavras tais como lealdade, auxílio, dádiva, amparo, serviço.

"Pergunto-me: Por que queremos servir aos outros? O posto de gasolina oferece bons serviços. Que significam estas palavras: auxílio, dádiva, serviço?  Que finalidade tem isso?  

"Uma flor, cheia de beleza, de luz, de encantamento, essa flor diz: "Eu estou dando, ajudando, servindo"? Ela é, e porque não está procurando fazer coisa alguma, ela abarca toda a Terra.

"O pensamento é tão sutil, tão hábil, que deforma todas as coisas para sua própria conveniência. O pensamento, com sua exigência de prazer, traz sua própria servidão. O pensamento é o criador da dualidade, em todas as nossas relações: há, em nós, violência, a qual nos proporciona prazer, mas há também o desejo de paz, o desejo de ser bondoso, delicado.

"O pensamento não só cria em nós essa dualidade, essa contradição, mas também acumula nossas inumeráveis memórias de prazer e de dor e dessas memórias renasce. Assim, o pensamento é o passado; o pensamento, como já disse, é sempre velho. (...)

"Os que pensam muito são autênticos materialistas, porque o pensamento é matéria.  O pensamento é matéria, tanto quanto o soalho, a parede, o telefone, são matéria. A energia que funciona num padrão se torna matéria.  Há energia e há matéria. É só isso que a vida é. Podeis pensar que o pensamento não é matéria; mas é.

"O pensamento, como ideologia, é matéria. Onde há energia, esta se converte em matéria. Matéria e energia estão relacionadas entre si. Uma não pode existir sem a outra. E quanto mais harmonia há entre ambas, tanto mais equilíbrio existe e tanto mais ativas estão as células cerebrais.

"O pensamento estabeleceu o padrão de prazer, de dor, de medo e dentro dele vem funcionando há milhares de anos, e não pode quebrá-lo, porque foi ele quem o criou.

"Um fato novo não pode ser percebido pelo pensamento. Posteriormente, pode ser compreendido pelo pensamento, verbalmente, porém, a compreensão de um novo fato não é a realidade para o pensamento. O pensamento jamais resolverá um problema psicológico.  (...) O velho cérebro não pode resolver o enorme problema do viver.

"O pensamento é tortuoso, porque pode inventar tudo e ver coisas que não existem. É capaz dos mais extraordinários truques e, portanto, não merece confiança.

"Mas, se puderdes compreender toda a sua estrutura, porque pensais, as palavras que empregais, o vosso comportamento na vida diária, vossa maneira de falar com as pessoas e de tratá-las, vossa maneira de andar, de comer - se perceberdes todas essas coisas, então a vossa mente não vos enganará, então não haverá nada para enganar-nos. A mente não é então uma entidade que exige, que julga; torna-se sumamente quieta, flexível, sensível, só, e nesse estado não há engano de espécie alguma.

"Já notastes que, ao vos achardes num estado de completa atenção, o observador, o pensador, o centro, o "eu" deixa de existir"? Nesse estado de atenção, o pensamento começa a definhar."
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 26 de Novembro de 2009, 21:11

Olá!

Amigo Ram-Wer eu também aprecio este autor, ele e a vida dele tem por lema a liberdade.


Krishnamurti

Para uma mente de fato religiosa, é importantíssimo compreender aquilo que transcende a palavra, que transcende o pensamento e toda experiência. E, para compreender isso, para estar com o que se acha além de toda experiência, para perceber isso profundamente e num lampejo, a mente deve estar livre. Idéia, conceito, padrão, opinião, julgamento ou qualquer disciplina organizada impedem a liberdade da mente. Essa liberdade traz a sua própria disciplina – não a disciplina da submissão, da repressão ou do ajustamento, mas a disciplina que não é produto do pensamento, que não tem motivo.

Seguramente que, num mundo confuso, com tanto conflito e miséria, é mais do que urgente entender que a liberdade é o primeiro requisito da mente humana - não o conforto nem o fugaz momento de prazer nem a continuidade desse prazer, mas uma liberdade total, que é a única origem da felicidade. A felicidade não é um fio em si mesma; como a virtude. É um subproduto da liberdade. Uma pessoa livre é virtuosa; mas o homem que pratica a virtude, submetendo-se a um padrão estabelecido pela sociedade, jamais saberá o que é liberdade e, por isso, jamais será virtuoso.


Namasté

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: sirena em 27 de Novembro de 2009, 00:58
Olá pessoal do fórum.

O nosso pensamento ocasiona ondas mentais. Essas ondas carregam consigo as vibrações de tudo aquilo que está sendo objeto de nosso pensamento, podendo oscilar entre faixas altas e baixas, conforme a frequencia que sintonizamos como se fossemos acessar um rádio.
Nesse sentido, no momento em que nossas ondas mentais estabelecem um contato com ondas da mesma faixa de sintonia, ocorre a influência, que é chamada por ANDRÉ LUIZ de "hálito mental".

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 27 de Novembro de 2009, 12:30

Olá!

Quando mais atrás disse que o objetivo, nosso, tem que ser o dominio e o esclarecimento, o entendimento do espírito, é devido a isto:

O Livro dos Espíritos

102 Décima classe. Espíritos Impuros – São inclinados ao mal e fazem dele o objeto de suas preocupações. Como Espíritos, dão conselhos falsos, provocam a discórdia e a desconfiança e se mascaram de todas as formas para melhor enganar. Eles se ligam às pessoas de caráter mais fraco, que cedem às suas sugestões, a fim de prejudicá-los, satisfeitos em poder retardar o seu adiantamento e fazê-las fracassar nas provas por que passam.

Nas manifestações, esses espíritos são reconhecidos pela linguagem. A trivialidade e a grosseria das expressões, entre os Espíritos como entre os homens, é sempre um indício de inferioridade moral ou intelectual. Suas comunicações revelam a baixeza de suas inclinações e, se tentam enganar ao falar de uma maneira sensata, não podem sustentar esse papel por muito tempo, e acabam sempre por denunciar a sua origem.

Alguns povos fizeram desses Espíritos divindades malfazejas; outros os designaram sob o nome de demônios, maus gênios, espíritos do mal.

Quando estão encarnados, são inclinados a todos os vícios que geram as paixões vergonhosas e degradantes: a sensualidade, a crueldade, a mentira, a hipocrisia, a cobiça e a avareza sórdida. Fazem o mal pelo prazer de fazê-lo e, muitas vezes, sem motivos e por ódio ao bem, escolhem quase sempre suas vítimas entre as pessoas honestas. São flagelos para a humanidade, seja qual for a posição da sociedade a que pertençam, e o verniz da civilização não os livra da baixeza e da desonra.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Andressa Munik em 27 de Novembro de 2009, 15:53
 ;) é INTERESSANTE POIS O TEMA DE ESTUDO É O QUE MAIS VENHO PENSANDO NESSES ULTIMOS MESES. CONCORDO COM O QUE VCS FALAM E ME CHAMA ATENÇÃO O QUE A lUZ 13 COMENTOU. nO ENTANTO GOSTARIA DE COMPLEMENTAR DIZENDO QUE PENSAMENTO E AÇÃO CAMINHAM JUNTOS....
cOM VCS FALANDO ENTENDO QUE AINDA TENHO MUITO QUE APRENDER COM VCS. :-X
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Delphus em 27 de Novembro de 2009, 20:18
através do pensamento que construímos e damos forma ao nosso mundo íntimo,

criando o céu ou o inferno dentro de nós, não resta a menor dúvida quanto à sua origem divina.

Acredito sinceramente que a moderação e o bom senso sempre deverão nortear nossos queridos confrades ao caminho da compreensão!

Querida irmã e companheira Deb.
 Kardek não podia extender-se por demais nas questões propostas ao grupo do Espírito de Verdade (Jesus), por isso de uma forma simplista ele resumiu em - Espírito/Perispírito e corpo físico. Porém na revista espírita ele já fala da duplo etérico. Hoje em dia já se sabe que podemos estudar mais alguns corpos; entre eles o corpo mental (fonte de todo o pensamento do espírito). O que pensamos e/ou fazemos fica deleteriamente gravado em nosso perispírito (memória mnemonica), porém a idéia se desenvolve no corpo mental e o pensamento dá formas e direcionamento para a mesma. Assim criamos e vivenciamos nossos ceus e infernos particulares, jutamente com nossos companheiros de trabalho (sérios) ou de diversão (folgazães).

Muita Luz e Paz
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 28 de Novembro de 2009, 18:33

Olá a todos do Fórum.

Olá Sr. Delfhus segundo Kardeck, o espírito é quem possui a sede da memória pois ele é o ser inteligente, pensante e eterno, mas quanto a memória (Mnmônica), fiquei interessada pois ainda não tive a oportunidade de saber ou ler sobre o assunto.


Abraço forte a todos.

Zeni.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luz13 em 28 de Novembro de 2009, 22:59


   "Eu quero saber como DEUS criou este mundo.Não estou interessado neste ou naquele fenomeno,no espectro deste ou daquele elemento.Eu quero conhecer os pensamentos Dele,o resto são detalhes."


     (Albert Einstein)


      Abraços.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 29 de Novembro de 2009, 16:46
Olá a todos do Fórum.

Luz13, sobre a criação do mundo eu lhe sugeria, ler a Gênese, é um bom começo, mas para você que quer saber da criação deste mundo, te envio este pequeno texto, mas talvez haja outras respostas para você ok amiga.

O Espiritismo acompanha as teorias da ciência a respeito da formação da Terra, exceto na questão do acaso.
Não foi o acaso que criou o universo, nem o planeta Terra, foi Deus. Mas também não foi miraculosamente como a criação em seis dias, mas através de leis perfeitas, que no decorrer dos milênios foram completando a criação. Não foi um simples faça-se a luz – faça-se o elemento árido, e tudo foi feito assim num piscar de olhos. Deus semeou o universo de mundos em tempos diferentes.
O nosso mundo pode ter sido parte da matéria que compõem o sol e numa explosão afastou-se do núcleo e esfriou e seguiu todas as etapas. Surgiu a água, firmou-se a trajetória do movimento de translação, as algas marinhas os primeiros tipos de vida, os anfíbios, os animais terrestres e tudo o mais, até surgir o homem. Mas não foi o acaso, foram espíritos superiores, engenheiros siderais, que seguindo as instruções do criador, construíram essa maravilha que é o universo, onde a Terra está inserida, dentro de uma fabulosa galáxia que é a via-láctea.


Fonte:Portal do Espírito.

Abraço forte a todos.
Zeni
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: rwer em 29 de Novembro de 2009, 20:04
Oi, Zeni e amiguinhos, Quero trazer um exemplo de como o "viver pensando" não é a forma correta de viver.  Vamos ver se baixa alguma inspiração...

Você já reparou nas crianças pequenas, quando estão se divertindo com alguma coisa? Quando assistem a um filminho ou escutam uma música?   Às vezes os pais têm vontade de dizer:
"Chega, queridos!  Vocês já viram esse filme 50 vezes! Não se cansam, não?"

De fato, quem está cansado é o adulto, que olha pra qualquer coisa conhecida e diz: - "Já vi.  Já conheço."  Devido ao vício de "viver pensando", a gente acha que "é tudo igual".  A gente não vê, realmente, porém olha para o pensamento (memória) que tem aquilo gravado.

Quando se está num lugar lindo, natural, nada desfaz mais o encantamento do que o "dar nome" às coisas.  - "Aquilo é uma tamarindeira".  Pronto... ferrou.  Em vez de olhar e sentir aqueles seres, olhamos pro pensamento a respeito deles, começando pelo nome.

Nada é igual!  Absolutamente nada se repete.  Se estamos presentes, somos novos. E tudo é novo.  Você já ouviu falar de um nascer ou pôr-do-Sol "iguais"? Alguém te convida pra ver as nuvens, iluminadas no ocaso, e você diz: - "Já conheço"?  Pois é:  assim somos nós.  Perdemos a pureza, o frescor e a novidade que tínhamos na tenra infância.  

Crianças vendo o Backyardigans ou o Lazi Town pela milésima vez - é isto: Presença. Elas sabem que já assistiram, mas isto não interessa, no momento.  Elas estão presentes, vendo, vivendo. Tudo é novo, inocente.  Viver não cansa.  A Beatrizinha (3) e o Brando (4) sabem que já viram aquela cena antes.  Mas, e daí?  Estão vendo de novo (novo, limpo, inocente).  

Mas essa fase dura pouco, infelizmente.  Devido à "educação" e ao próprio convívio com os mais velhos, a criança vai perdendo essa pureza.  Em breve estará no tédio da adolescência.  E aí começam o "já vi" e o "já conheço".  Já era. Caiu no mundo do pensamento.

Mais tarde, alguns percebem ter perdido algo fundamental.  E, já adultos, saem pelo mundo em busca de meditação, Yoga (união com Deus), Religião (religar-se com Deus) tentando recuperar o estado de novidade.  E, para nos ajudar, Jesus enviou à Terra instrutores bem lúcidos, tipo Eckhart Tolle e Krishnamurti (os dois mais badalados).

Não é errado pensar, se isto tem função no momento.  E quase nunca tem. A gente pensa por vício, por compulsão.  Deixa de viver plenamente, pra viver parcialmente.  A gente se aliena da vida e pensa que pensar é viver.

Abraços, RW
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: dim-dim em 29 de Novembro de 2009, 21:19

Olá!

Zeni, gostei da forma como geriu o estudo, obrigado.

Adoro o pensamento, parece que me contradigo, mas o de Deus. Livre e simples.

Amiga zeni, foi bom, e é, ter a liberdade de colocar em palavras aquilo que melhor sei, sentir. Tudo é sentir.

É-me difícil encontrar palavras que elucidem o que sinto, é difícil expressar sensações, mas dramatizando, ou não, mais ou menos sinto-me com o " dever " cumprido.

Obrigado a todos e a todo mundo, estou feliz e contente.


Namasté
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Luz13 em 29 de Novembro de 2009, 22:23
Olá a todos do Fórum.

Luz13, sobre a criação do mundo eu lhe sugeria, ler a Gênese, é um bom começo, mas para você que quer saber da criação deste mundo, te envio este pequeno texto, mas talvez haja outras respostas para você ok amiga.

O Espiritismo acompanha as teorias da ciência a respeito da formação da Terra, exceto na questão do acaso.
Não foi o acaso que criou o universo, nem o planeta Terra, foi Deus. Mas também não foi miraculosamente como a criação em seis dias, mas através de leis perfeitas, que no decorrer dos milênios foram completando a criação. Não foi um simples faça-se a luz – faça-se o elemento árido, e tudo foi feito assim num piscar de olhos. Deus semeou o universo de mundos em tempos diferentes.
O nosso mundo pode ter sido parte da matéria que compõem o sol e numa explosão afastou-se do núcleo e esfriou e seguiu todas as etapas. Surgiu a água, firmou-se a trajetória do movimento de translação, as algas marinhas os primeiros tipos de vida, os anfíbios, os animais terrestres e tudo o mais, até surgir o homem. Mas não foi o acaso, foram espíritos superiores, engenheiros siderais, que seguindo as instruções do criador, construíram essa maravilha que é o universo, onde a Terra está inserida, dentro de uma fabulosa galáxia que é a via-láctea.


Fonte:Portal do Espírito.

Abraço forte a todos.
Zeni



  Olá Zeni...bem haja pela sua atenção....apenas achei palavras interessantes,não são minhas!!!

    Abraços.
Título: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: besantor besantorum em 30 de Novembro de 2009, 20:44
 Estando toda a existência mergulhada no fluido universal e ligada por vibrações e comprimentos de onda infinitos, é com lógica que dizemos que o pensamento é tudo e é verdadeiramente o que mais importa.
 Diariamente muita gente tem noção disso, mas diáriamente 99 % da humanidade também se esquece disso, ficando as nossas forças, e as nossas eneergias presas em questões fúteis como o território, e quando falo em território, refiro-me a território social, cultural, politico, emocional e geográfico (entre outros tipos de territorio não contemplados neste pequeno post), que diariamente lavram tempo e causam desgaste á verdadeira causa humana, a evolução espírito-mental.
 Se observarmos, o pensamento decide guerras, tanto o começo, como o fim das mesmas, comanda causas humanitárias ou cruzadas sanguinárias, elabora obras de arte, ou máquinas de guerra, é capaz de produzir as mais belas melodias ou causar a mais horrenda sinfonia de gritos...e acima de tudo, é a única coisa que sobrevive ao aniquilamento da matéria....é o que verdadeiramente existe em todos os universos e em todas as orbes... Através dele comunicamos com espíritos que ja partiram e com aqueles que ainda estão encarnados neste orbe...O espírito é o pensamento, e o pensamento é tudo o que interessa...
  Portanto façam o vosso pensamento vibrar, em frequencias altas e em uníssono, e sirvam-se do pensamento para o bem, e assim conseguiremos quintessenciarmo-nos, rodeando-nos de amor e compreensão universal.

Bem haja.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Siegmund Beulke em 01 de Dezembro de 2009, 12:11


   "Eu quero saber como DEUS criou este mundo.Não estou interessado neste ou naquele fenomeno,no espectro deste ou daquele elemento.Eu quero conhecer os pensamentos Dele,o resto são detalhes."


     (Albert Einstein)


      Abraços.



Gostaria de colaborar neste pensamento.

(Albert Einstein) , creio , estava buscando o pensamento de Deus para alcançar a origem.

Fica muito difícil , no meu entender, responder a tal questão.Pode-se sugerir, mas afirmar...
Mas vamos a alguns detalhes da criação deste mundo.

Segundo o autor de Gênesis em a Bíblia, o mundo foi criado em sete dias. " Gn 2:1 - Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército.
2  E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito.
.

Vamos supor que deu-se o início da criação da terra. Redonda. Girando. ok
No primeiro dia foi criado a Luz.

a) Se foi criado a luz, como era  o dia e a noite uma vez que a noite é apenas a sombra do lado oposto do sol na terra?
b) Porque foi criado o sol no quarto dia , se já tinha luz?
c) Uma vez iniciado o processo de giro, a cada 24 horas (no calendário atual) se completaria um dia. Então o segundo, terceiro , mil, milhão de dias foi conseqüência do primeiro e não precisaria mais ser criado e ainda, como seria criado o segundo até o sétimo se um dia é  conseqüência um do outro?
A idéia de períodos de criação nos parece mais óbvio.
Ainda no texto bíblico está escrito "  Houve tarde e manhã" e acrescentava o dia realizado.
O que o autor queria dizer da palavra "dia, tarde e manhã"? Teriam os mesmo significados que entendemos hoje???

Parece-me ainda , que podemos entender, que esse não era o pensamento de Deus.
Veja ainda que a terra sempre foi "redonda" e gira em torno de si e do sol. Creio que em determinado momento na eternidade iniciou este processo e até agora é assim.
Mas ao povo que viveu a centenas de anos atrás, por falta de informação, acreditavam
que a Terra era uma superfície plana , circular, limitada, qual uma mó
de moinho, estendendo-se a perder de vista na direção horizontal. Dai a
expressão ainda em uso: Jr ao fim do mundo. Desconheciam-lhe os limites, a
espessura, o interior, a face inferior, o que lhe ficava por baixo.
E nós , no dia de hoje, realmente já sabemos todo o funcionamento da terra , seu giro, inclinação, velocidade, suspensão no universo, etc, etc.???

Entendo que para entender um pouquinho, mais um pouquinho mesmo da mente de Deus , é preciso que nós entendamos primeiramente o nosso próprio pensamento numa amplitude máxima.
Nós realmente conhecemos a verdade ou parte da verdade como verdade?
Porque pensamos assim ou assado. É por entendimento ou é por palavras ou frases lançadas.
Porque agimos de dessa ou daquela maneira.
Porque nós somos assim como somos??.
Qual o nosso nível de consciência plena de nós mesmos???
Isto já seria um ensaio para entender um pouquinho do pensamento de DEus....

E assim vai. Meu amigo, nosso pensamento é um grão de areia em um grande deserto.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 01 de Dezembro de 2009, 17:47

Olá a todos do Fórum.

Quero agradecer, a todos os amigos e amigas, que aqui participaram e postaram suas mensagens, as quais me ampliaram um pouco mais o conhecimento a respeito do tema Pensamento, creio que não só a mim, mas a todos que aqui participaram, o estudo e a perseverança em se instruir é algo de muito belo no ser, obrigada a todos, e segue um ultimo texto o qual também gostei muito.

Abraço forte a todos.

Zeni.
 

Deus cria sem cessar! Dentre todas as sublimes criações divinas, destaca-se a da nossa criação, concedendo cada um de nós um figurativo reinado, no qual somos soberanos absolutos.

Nesse reinado, o rei é o Espírito e o reino, o do pensamento.

Na origem, cada “rei” tem a mesma constituição, características e meios de todos os demais incontáveis “reis” criados por Deus, aos quais invariavelmente a todos dá idênticas, intransferíveis e inexoráveis condições de progresso e alcance da felicidade, destinação essa pela qual respondem de forma integral.

Assim, em cada reino, tudo de bom ou de mau que existiu, existe ou existirá, tem como responsável único o rei, o qual, num efeito que promana do “escalão superior”, também cria sem cessar, utilizando os seguintes instrumentos:

- a mente: age qual dínamo gerador, proporcionando força criativa;
- a vontade: é uma usina, cuja função é armazenar e distribuir a força gerada por aquele dínamo (a mente);
- o cérebro: instrumento que traduz a mente e gerencia não só a formação dos pensamentos, como também sua ação, física ou extrafísica;
- os sentimentos: são os consultores e indutores na criação dos pensamentos;
- as emoções: resultam da expedição ou recepção dos pensamentos, próprios ou captados;
- as idéias: são as elaborações originais do pensamento.

a. Características das criações do rei:
- utilizando a fonte inesgotável do fluido cósmico universal, o rei cria súditos até mesmo quando está dormindo... tais súditos são chamados de pensamentos, os quais estão em contato ininterrupto com o pensamento de Deus;
- sem forçar uma definição, talvez nos seja permitido ao menos depreender que os pensamentos podem ser considerados como subprodutos do fluido cósmico universal, que emana de Deus (1); no mesmo instante em que nascem, os pensamentos se tornam algo palpáveis (passam a ter vida própria), podendo ser bons ou maus, dependendo da disposição do rei no momento que os criou (2);
- dentro desses dois parâmetros — bem e mal — os pensamentos agem quais súditos extremamente fiéis e podem durar um segundo ou ir para a eternidade;
- todos os pensamentos são fotografados no nascedouro (3) e em seguida recebem uma ficha individual que é guardada num arquivo perpétuo, chamado memória;
- alguns desses súditos permanecem no reino, outros são remetidos a um reino com endereço declarado, mas quase sempre, a maioria deles é arremessada coletivamente em todas as direções;
- como no mundo existem bilhões de Espíritos, a emitirem trilhões de pensamentos, é inexorável que pela força invencível de atração (sintonia) todos aqueles que trafegam em ondas de igual vibração se ajuntem, passando a perambular pela psicosfera;
- assim, ao léu, acoplados, formam torrentes vibratórias poderosíssimas, não raro se tornando autônomas... e desobedientes...;
- os pensamentos que permanecem no interior do reino são aqueles que gravitam apenas em torno do próprio rei; quase sempre saem de cena e dão lugar a novos colegas; se ao contrário, permanecerem ativos e em período integral, muito além de um período razoável, transformam-se em “idéias fixas”;
- quando as idéias fixas são de boa natureza, podem gerar boas realizações; contudo, se forem de natureza perturbada — e é isso que geralmente ocorre —, geram obsessão;
- se um pensamento em particular passa a gravitar na mente do rei, repetindo sua elaboração, além de se tornar uma “idéia fixa” assumirá a forma de criatura viva, daí ser chamado de “forma-pensamento”(4);
- quanto aos pensamentos que são enviados para um determinado “reino”, depois de terem se tornado “idéia fixa” e de terem assumido forma, estarão animados de grande força, quase invencível, além de possuírem a incrível capacidade de se deslocar e chegar ao destino com velocidade muito superior à da luz (5);
- forçoso será admiti-lo: todos os pensamentos enviados a determinado destino (outro Espírito), independentemente de serem ou não “recebidos” pelo destinatário, tornam-se reverberantes, isto é, retornam como “recibos infalíveis” à fonte emissora, nela produzindo as sensações de que se equipavam (6);
- as formas-pensamento que se transformam em figuras vivas propagam-se e se adaptam à emoção de quem as capta. Exemplos: um católico ajoelhado diante de uma imagem de Nossa Senhora emite uma vibração, cuja onda, ao alcançar um espírita, poderá induzi-lo a mentalizar Jesus; num mulçumano, Alá; no hindu, Krishna; no oriental, Buda, e assim por diante;
- os pensamentos têm peso(!) no campo da mente, conforme a sua natureza, para o bem ou para o mal (7);
- todos os deslocamentos se dão por ondas vibratórias e têm livre trânsito, tanto no plano físico como no extrafísico; quando os pensamentos são benignos, levam bem-estar, alegria; saúde; ao contrário, carreiam angústias, tristeza, doenças (8);
- com referência aos deslocamentos físicos ou extrafísicos dos pensamentos, sabe-se que a única barreira que pode impedir de alcançarem o destino é a falta de sintonia, por parte do destinatário, cuja vibração mental seja inversa à que tenta visitar-lhe;
- havendo sintonia, o pensamento é contagioso, tanto quanto uma nota musical tocada no piano ou o som de um violino ressoarão em instrumentos semelhantes, desde que tenham a mesma afinação;
- citada sintonia se dá pela lei das atrações, unindo vibrações similares, as quais se fixam numa ou mais de uma das infinitas hastes (reencarnações) que compõem o leque moral do destinatário;
- é dessa forma que nascem todas as construções, de amor ou de ódio, do perdão ou da vingança;
- o maior cuidado que nos assiste na criação de formas-pensamento reside no perigo delas se transformarem em verdadeiros carcinomas (...) monstruosos seres automatizados e atuantes (...) capazes, em certos casos, de subsistir até por milênios inteiros de tempo terrestre (9).

b. Viagens do rei:
- o rei (Espírito) faz permanentes viagens de ida e volta, seja ao plano físico, seja ao espiritual, para estágios de aperfeiçoamento, em períodos nem sempre iguais;
- quando viaja para uma ou outra dimensão o rei leva consigo todos os cidadãos do seu reino (os pensamentos); a única diferença nesses estágios alternados é que quando estão no plano espiritual esses cidadãos ficam nus... Dizendo de outra forma: desvestem-se da roupagem terrena que os encobria e ficam expostos à visão dos demais transeuntes daquele plano... É por esse pequeno detalhe que quando a “comitiva real” chega àquele plano, é imediatamente identificada, quanto à sua condição moral...(10)
- quando o rei retorna à dimensão física traz os súditos, adormecidos; aos poucos, vai despertando e reconhecendo-os e logo trata de vesti-los com trajes fornecidos não só pelas chamadas “convenções sociais”, mas principalmente pelo gosto, enraizado...

c. Utilizando a bênção de poder pensar:
- de posse dos conhecimentos acima, o Espírito poderá utilizar a dádiva divina que é a capacidade de elaborar pensamentos, não necessitando de grande esforço para integrar-se à grande obra de Deus, que visa o bem de toda a Humanidade;
- um exercício que se mostrará de grande utilidade é criar o hábito da auto-análise, imaginando que a consciência é um espelho, perguntando-lhe (e estando preparado para as respostas...):
— de onde me veio esse pensamento?
— o que estou pensando é bom? (11)
(havendo sinceridade, logo o diagnóstico surgirá...).
- durante o sono o Espírito poderá (no “plano astral”) empregar seus conhecimentos e sua boa-vontade a benefício próprio e do próximo: para si, freqüentando cursos de conteúdo moral elevado e para o próximo, integrando-se como doador voluntário do seu potencial energético (ectoplasmático) às caravanas socorristas que atuam caridosamente nos dois planos;
- ninguém jamais está só: antes da presente existência, cada Espírito teve muitas vidas, muitas famílias... Assim, em algum lugar, Espíritos encarnados ou desencarnados seus conhecidos estarão também caminhando rumo à evolução; se forem deixadas abertas as portas da casa mental, é certo que esses amigos o visitarão, seja na vigília, ou principalmente durante o desdobramento do sono;
- o espírita compreende que discussões estéreis e sonhos quiméricos constituem tremendos exaustores de energia mental e por isso os evita;
- tudo o que tiver que ser feito deverá buscar a melhor maneira possível e isso só será conseguido quando o agente estiver concentrado apenas naquilo que faz;
- na Terra, a Natureza faz com que o Sol brilhe todos os dias e as estrelas surjam todas as noites na tela celeste (isso, há mais de 4 bilhões de anos!); raciocinando nisso não fica difícil desenvolver o sentimento da fé em Deus;
- jamais permitir que na casa mental se hospedem a cólera, a impaciência, a irritabilidade, a ironia ou o ciúme: sabe-os inquilinos arruaceiros da boa ordem espiritual;
- o minuto caridoso — material (doação), oral (palavra) ou mental (prece em favor do necessitado) —, é chance imperdível;
- os tigres adormecidos do atavismo (germens psíquicos do mal) não devem ser acordados pelas revivescências no presente: pelo exaustivo treinamento da reforma moral devem ser considerados proveitosas lições do passado, para jamais repeti-las;
- ao pensarmos em alguém, elejamos apenas suas boas qualidades (se não as tem, vamos criá-las e endereçá-las a ele, onde formarão alicerce na casa mental).



(1) e (2) = Evolução Em Dois Mundos, Cap XIII, p. 95 e 100;
(3) = A Gênese, Cap XIV, item 15
(4) = Nos Domínios da Mediunidade, Cap 1
(5) e (6) = Ação e Reação, Cap 4
(7) e (8) = Nos Domínios da Mediunidade, Cap 5 e 19
(9) = Universo e Vida, Cap 5
(10) = Ação e Reação, Cap 5
(11) = O Livro dos Espíritos, questão n° 459.

Eurípedes Kühl: Eurípedes Kühl, 1934, paulista, casado, 2 filhos. Oficial do Exército, pára-quedista militar, na Reserva Remunerada, após 31 anos de carreira castrense. Bacharel em Administração de Empresas e Economia. Espírita de berço. Médium psicógrafo e escritor espírita. Vinte e dois livros editados. Doze, psicografados, e dez, de lavra própria. Palestrante espírita, responsável por vários cursos sobre Espiritismo, articulista e colaborador de vários órgãos de divulgação espíritas, inclusive "O REFORMADOR", da Federação Espírita Brasileira.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: hcancela em 01 de Dezembro de 2009, 17:59
Olá Zeni :)


Por minha parte agradeço atenção dispensada, e pelo teu tempo á nossa disposição.. :-*

Bjussssssssssssssssssss :-*


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Siegmund Beulke em 01 de Dezembro de 2009, 22:50

Olá a todos do Fórum.

Quero agradecer, a todos os amigos e amigas, que aqui participaram e postaram suas mensagens, as quais me ampliaram um pouco mais o conhecimento a respeito do tema Pensamento, creio que não só a mim, mas a todos que aqui participaram, o estudo e a perseverança em se instruir é algo de muito belo no ser, obrigada a todos, e segue um ultimo texto o qual também gostei muito.

Abraço forte a todos.

Zeni.
 

Deus cria sem cessar! Dentre todas as sublimes criações divinas, destaca-se a da nossa criação, concedendo cada um de nós um figurativo reinado, no qual somos soberanos absolutos.

Nesse reinado, o rei é o Espírito e o reino, o do pensamento.

Na origem, cada “rei” tem a mesma constituição, características e meios de todos os demais incontáveis “reis” criados por Deus, aos quais invariavelmente a todos dá idênticas, intransferíveis e inexoráveis condições de progresso e alcance da felicidade, destinação essa pela qual respondem de forma integral.

Assim, em cada reino, tudo de bom ou de mau que existiu, existe ou existirá, tem como responsável único o rei, o qual, num efeito que promana do “escalão superior”, também cria sem cessar, utilizando os seguintes instrumentos:

- a mente: age qual dínamo gerador, proporcionando força criativa;
- a vontade: é uma usina, cuja função é armazenar e distribuir a força gerada por aquele dínamo (a mente);
- o cérebro: instrumento que traduz a mente e gerencia não só a formação dos pensamentos, como também sua ação, física ou extrafísica;
- os sentimentos: são os consultores e indutores na criação dos pensamentos;
- as emoções: resultam da expedição ou recepção dos pensamentos, próprios ou captados;
- as idéias: são as elaborações originais do pensamento.

a. Características das criações do rei:
- utilizando a fonte inesgotável do fluido cósmico universal, o rei cria súditos até mesmo quando está dormindo... tais súditos são chamados de pensamentos, os quais estão em contato ininterrupto com o pensamento de Deus;
- sem forçar uma definição, talvez nos seja permitido ao menos depreender que os pensamentos podem ser considerados como subprodutos do fluido cósmico universal, que emana de Deus (1); no mesmo instante em que nascem, os pensamentos se tornam algo palpáveis (passam a ter vida própria), podendo ser bons ou maus, dependendo da disposição do rei no momento que os criou (2);
- dentro desses dois parâmetros — bem e mal — os pensamentos agem quais súditos extremamente fiéis e podem durar um segundo ou ir para a eternidade;
- todos os pensamentos são fotografados no nascedouro (3) e em seguida recebem uma ficha individual que é guardada num arquivo perpétuo, chamado memória;
- alguns desses súditos permanecem no reino, outros são remetidos a um reino com endereço declarado, mas quase sempre, a maioria deles é arremessada coletivamente em todas as direções;
- como no mundo existem bilhões de Espíritos, a emitirem trilhões de pensamentos, é inexorável que pela força invencível de atração (sintonia) todos aqueles que trafegam em ondas de igual vibração se ajuntem, passando a perambular pela psicosfera;
- assim, ao léu, acoplados, formam torrentes vibratórias poderosíssimas, não raro se tornando autônomas... e desobedientes...;
- os pensamentos que permanecem no interior do reino são aqueles que gravitam apenas em torno do próprio rei; quase sempre saem de cena e dão lugar a novos colegas; se ao contrário, permanecerem ativos e em período integral, muito além de um período razoável, transformam-se em “idéias fixas”;
- quando as idéias fixas são de boa natureza, podem gerar boas realizações; contudo, se forem de natureza perturbada — e é isso que geralmente ocorre —, geram obsessão;
- se um pensamento em particular passa a gravitar na mente do rei, repetindo sua elaboração, além de se tornar uma “idéia fixa” assumirá a forma de criatura viva, daí ser chamado de “forma-pensamento”(4);
- quanto aos pensamentos que são enviados para um determinado “reino”, depois de terem se tornado “idéia fixa” e de terem assumido forma, estarão animados de grande força, quase invencível, além de possuírem a incrível capacidade de se deslocar e chegar ao destino com velocidade muito superior à da luz (5);
- forçoso será admiti-lo: todos os pensamentos enviados a determinado destino (outro Espírito), independentemente de serem ou não “recebidos” pelo destinatário, tornam-se reverberantes, isto é, retornam como “recibos infalíveis” à fonte emissora, nela produzindo as sensações de que se equipavam (6);
- as formas-pensamento que se transformam em figuras vivas propagam-se e se adaptam à emoção de quem as capta. Exemplos: um católico ajoelhado diante de uma imagem de Nossa Senhora emite uma vibração, cuja onda, ao alcançar um espírita, poderá induzi-lo a mentalizar Jesus; num mulçumano, Alá; no hindu, Krishna; no oriental, Buda, e assim por diante;
- os pensamentos têm peso(!) no campo da mente, conforme a sua natureza, para o bem ou para o mal (7);
- todos os deslocamentos se dão por ondas vibratórias e têm livre trânsito, tanto no plano físico como no extrafísico; quando os pensamentos são benignos, levam bem-estar, alegria; saúde; ao contrário, carreiam angústias, tristeza, doenças (8);
- com referência aos deslocamentos físicos ou extrafísicos dos pensamentos, sabe-se que a única barreira que pode impedir de alcançarem o destino é a falta de sintonia, por parte do destinatário, cuja vibração mental seja inversa à que tenta visitar-lhe;
- havendo sintonia, o pensamento é contagioso, tanto quanto uma nota musical tocada no piano ou o som de um violino ressoarão em instrumentos semelhantes, desde que tenham a mesma afinação;
- citada sintonia se dá pela lei das atrações, unindo vibrações similares, as quais se fixam numa ou mais de uma das infinitas hastes (reencarnações) que compõem o leque moral do destinatário;
- é dessa forma que nascem todas as construções, de amor ou de ódio, do perdão ou da vingança;
- o maior cuidado que nos assiste na criação de formas-pensamento reside no perigo delas se transformarem em verdadeiros carcinomas (...) monstruosos seres automatizados e atuantes (...) capazes, em certos casos, de subsistir até por milênios inteiros de tempo terrestre (9).

b. Viagens do rei:
- o rei (Espírito) faz permanentes viagens de ida e volta, seja ao plano físico, seja ao espiritual, para estágios de aperfeiçoamento, em períodos nem sempre iguais;
- quando viaja para uma ou outra dimensão o rei leva consigo todos os cidadãos do seu reino (os pensamentos); a única diferença nesses estágios alternados é que quando estão no plano espiritual esses cidadãos ficam nus... Dizendo de outra forma: desvestem-se da roupagem terrena que os encobria e ficam expostos à visão dos demais transeuntes daquele plano... É por esse pequeno detalhe que quando a “comitiva real” chega àquele plano, é imediatamente identificada, quanto à sua condição moral...(10)
- quando o rei retorna à dimensão física traz os súditos, adormecidos; aos poucos, vai despertando e reconhecendo-os e logo trata de vesti-los com trajes fornecidos não só pelas chamadas “convenções sociais”, mas principalmente pelo gosto, enraizado...

c. Utilizando a bênção de poder pensar:
- de posse dos conhecimentos acima, o Espírito poderá utilizar a dádiva divina que é a capacidade de elaborar pensamentos, não necessitando de grande esforço para integrar-se à grande obra de Deus, que visa o bem de toda a Humanidade;
- um exercício que se mostrará de grande utilidade é criar o hábito da auto-análise, imaginando que a consciência é um espelho, perguntando-lhe (e estando preparado para as respostas...):
— de onde me veio esse pensamento?
— o que estou pensando é bom? (11)
(havendo sinceridade, logo o diagnóstico surgirá...).
- durante o sono o Espírito poderá (no “plano astral”) empregar seus conhecimentos e sua boa-vontade a benefício próprio e do próximo: para si, freqüentando cursos de conteúdo moral elevado e para o próximo, integrando-se como doador voluntário do seu potencial energético (ectoplasmático) às caravanas socorristas que atuam caridosamente nos dois planos;
- ninguém jamais está só: antes da presente existência, cada Espírito teve muitas vidas, muitas famílias... Assim, em algum lugar, Espíritos encarnados ou desencarnados seus conhecidos estarão também caminhando rumo à evolução; se forem deixadas abertas as portas da casa mental, é certo que esses amigos o visitarão, seja na vigília, ou principalmente durante o desdobramento do sono;
- o espírita compreende que discussões estéreis e sonhos quiméricos constituem tremendos exaustores de energia mental e por isso os evita;
- tudo o que tiver que ser feito deverá buscar a melhor maneira possível e isso só será conseguido quando o agente estiver concentrado apenas naquilo que faz;
- na Terra, a Natureza faz com que o Sol brilhe todos os dias e as estrelas surjam todas as noites na tela celeste (isso, há mais de 4 bilhões de anos!); raciocinando nisso não fica difícil desenvolver o sentimento da fé em Deus;
- jamais permitir que na casa mental se hospedem a cólera, a impaciência, a irritabilidade, a ironia ou o ciúme: sabe-os inquilinos arruaceiros da boa ordem espiritual;
- o minuto caridoso — material (doação), oral (palavra) ou mental (prece em favor do necessitado) —, é chance imperdível;
- os tigres adormecidos do atavismo (germens psíquicos do mal) não devem ser acordados pelas revivescências no presente: pelo exaustivo treinamento da reforma moral devem ser considerados proveitosas lições do passado, para jamais repeti-las;
- ao pensarmos em alguém, elejamos apenas suas boas qualidades (se não as tem, vamos criá-las e endereçá-las a ele, onde formarão alicerce na casa mental).



(1) e (2) = Evolução Em Dois Mundos, Cap XIII, p. 95 e 100;
(3) = A Gênese, Cap XIV, item 15
(4) = Nos Domínios da Mediunidade, Cap 1
(5) e (6) = Ação e Reação, Cap 4
(7) e (8) = Nos Domínios da Mediunidade, Cap 5 e 19
(9) = Universo e Vida, Cap 5
(10) = Ação e Reação, Cap 5
(11) = O Livro dos Espíritos, questão n° 459.

Eurípedes Kühl: Eurípedes Kühl, 1934, paulista, casado, 2 filhos. Oficial do Exército, pára-quedista militar, na Reserva Remunerada, após 31 anos de carreira castrense. Bacharel em Administração de Empresas e Economia. Espírita de berço. Médium psicógrafo e escritor espírita. Vinte e dois livros editados. Doze, psicografados, e dez, de lavra própria. Palestrante espírita, responsável por vários cursos sobre Espiritismo, articulista e colaborador de vários órgãos de divulgação espíritas, inclusive "O REFORMADOR", da Federação Espírita Brasileira.



Esse é um estudo muito em colocado. Obrigado. Parabéns.
Siegmund
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 02 de Dezembro de 2009, 11:17
Meus caros Amigos venho eu expor uma cousa que rompe com o covencional da psicologia, psiquiatria e psicanalise.


(http://img25.imageshack.us/img25/3152/mgangelo1.th.jpg) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2ltZzI1LmltYWdlc2hhY2sudXMvaS9tZ2FuZ2VsbzEuanBnLw==)



   August Cury em sua obra a INTELIGÊNCIA MULTIFUNCIONAL, diz o seguinte (resumo):

   A psique (mente, alma) humana tem uma caracteristica que impede que sempre sejamos a mesma coisa sempre, algo que faz parte de nosso ser e que é impossivel de controlar, Cristo e Buda, mesmo sendo mais evoluidos possuiam o CAOS.

  Ele não é algo ruim, porém nada neste mundo é ruim (lembro-me de uma explicação no livro A Cabana de Willian P Young.), só se torna ruim quando a definimos de maléfico, mas até o Mal tem utilidade, sim eles nos destroem (atrasam) mas nós também aprendemos com ele. O Caos é uma situação psiquica onde a mente está sempre em constante movimento, sempre pensando, nunca alg é definido, sempre é alterado, isso nos permite o seguinte: alguem lhe pergunta algo mas você se esquece, saibás que em tua mente esta resposta já veio a tona milhoes de vezes, até mesmo de coisas que nunca estudamos nos vem a resposta. Este Caos ajuda a fazer cada um ser diferente do outro e por isso especial, lhe é impossivel impor rédeas, sua função é benéfica, sempre nos permite ir atrás do novo, de formas inovadoras.

      Em relação ao pensamento, August Cury também afirma que desde o feto até o ultimo intate do desencarne a pisique está a trabalhar, ou seja, um feto de 2 meses está a sonhar com formas criadas por sua psique (o que eles sonham?), na morte relances de nossa vida como de outras cousas nos passam pela "cabeça".


     Deste modo se percebe que em todo momento nosso espirito está em plena atividade, nunca descansa, pois seu descanso é dar juz ao sua existência.


Muito Obrigado.               (http://img227.imageshack.us/img227/8143/eosgreekmythology570318.th.jpg) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2ltZzIyNy5pbWFnZXNoYWNrLnVzL2kvZW9zZ3JlZWtteXRob2xvZ3k1NzAzMTguanBnLw==)          


Dominus Vobiscun.

    
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Siegmund Beulke em 02 de Dezembro de 2009, 21:01
Muito bom a mensagem.
Parabéns meu amigo por esta lembrança verdadeira.

Eu também tenho conseguido ensaiar em minha vida esta posição. Nada é ruim. Tudo flui para nossa evolução.

O problema não é o problema, mas o modo como se vê o problema é que é problema.

Siegmund
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 03 de Dezembro de 2009, 10:27
Bom Dia, meus caros amigos  ;D :D.

Sim meu caro Siegmund, a vida fisico-quimica é complexa, mas nós a complicamos, pois disemos que algo é mal enquanto na realidade é bom assim já temos nossa vida como exemplo.

   Muito bem, a construção de pensamentos tem um ambito muito que complexo, é algo de mistério, muitissimo fascinante, porém, na atualidade acontece uma situação, o ser humano conhece bem o minúsculo átomo, e descobre o infinito Universo, mas para si ele é um estranho, porque ele não se descobre, ele pouco se preocupa em descobrir os segredo dos infinitos salãoes da psique.

   São poucas s pessoas que se INTERIORIZAM-SE, ou seja, sempre privilegiam o mundo Extrapsiquico e atrofiam o mundo Intrapsiquico, este por ultimo é o criador do mundo à nossa volta, algo que muitos fisicos (esqueci seus nomes) alegam ser: "A mente humana é muito mais infinita e complexa do que o próprio Universo em si, pois se calcular o movimento de astros no céu sempre ele cumprirá a posição previstas pelos calculos, porém, a mente humana tem mil e um jeitos de se virar".

   Temos necessidades Psicossociais, mas esquecemo-nas, temos necessidades psiquicas, porém esquecemos, do que adianta ser um notável possuior de certos conhecimentos se o individuo não consegue romper alquele saber, pois atrofiou a Intrapsique.

 Então, vamos mergulharmos no nosso mundo, pouco emporta o que está sociedade corrupta diz, necessitamos do dinheiro, sim , pois com ele conseguiremos nosso subsistência, mas não cobiçai pelo ouro, e sim pelo maiior tesouro Divino que não dorme, que está em pleno movimento, mas está reprimido, ai está nosso direito não dever, de acordar este deleite e nos elevarmos às alturas Celestiais. Nunca esqueças de si mesmo, nunca seja seu próprio estranho.



Muito Obrigado.


Dominus Vobiscun.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Siegmund Beulke em 03 de Dezembro de 2009, 14:25
Bom dia a todos

É isso mesmo Dominus. Poucas palavras. Profundo ensinamento. Também penso assim.

PENSAMENTO

Se te queixes do pouco que te garante a vida,
Pensa na criancinha que adormeceu com fome;
No amigo sem trabalho, vendo os filhos sem pão,
Na mulher esmolando para o filho doente,
Reflete nos que sofrem muito mais que nós mesmos.
E, meditando em ti, darás graças a Deus.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 04 de Dezembro de 2009, 10:36
Bom meu caro Siegmund, me fizeste lemba de algo de suma importância.

        Já parou e pensou (todos, não me refiro só a vc Siegmund) em como você ve os nossos Irmãos Africanos, como você entende seu funcionamento mental.

        Na nossa sociedade, parece ser ensinado que os Africanos não pensam, não sentem são simplismente carne passando fome. Mas nós sabemos que não!

         Possuem eles o mesmo funcionamento psiquico, o memo que nos permite pensar, sentir. Os alunos de Harvad não melhores que eles, ou seja, se dissermos que um individuo é um ser intelectulal estarei afirmando que eu tambèm não o sou, pois o outro possui um conhecimento que eu não tenho. Mas intelectualidade não depende de saber um devido saber, todo somo intelectuais, claro, em formas diferentes.

    Os Africano são um povo oprimido pela fome, miséria, injustiça, por um governo ausente (veja minha inocência, sempre acreditei que na Africa não existia Estado, Governo Centralizado.) que se importa apenas com eles mesmo (como se no Brasil fosse diferente), é um assunto interresante, os politicos são ótimos intelectuais, pois seguem um ramo filosófico de Maquieval , da sua obra literária "O Principe", seguem em um 100 está frase: OS FINS JUSTIFICAM OS MEIOS.





Muito Obrigado.



Dominus Vobiscun.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Siegmund Beulke em 04 de Dezembro de 2009, 16:36
Sim amigo Dominus.

É um povo em sacrifício e muita luta.
Tem todas as necessidades que nós temos.

E mais.

Ali também tem uma alma em evolução, como qualquer um de nós.

Quando igualarmos estas diferenças , não só com esse povo, mas tantos outros, teremos construído uma nova nação de amor e misericórdia.

Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 04 de Dezembro de 2009, 18:25
Meus caros, vamos complementar as palavras de nossa querida Zeni:

      Somos Reis absolutistas em nosso reino, então fassamos o melhor pelo nosso súditos, que eles usufluam da melhor sintonia, que em nosso chão psiquico nasça a mais bela flor, que em nosso céu intrapsiquico reluza as mais magnificas estrelas, e que nossos sentimentos fazar derramar Psicossomáticamente no nosso corpo para elevar alma e carne em plenitude de nossa Divindade.

    Somo Reis em nosso dominios mentais, mas não é por isso que não seremos pressionados, que não seremos exigidos, pois nossos súditos pedirão e implorarão para o bem maior, porque assim o  é e assim o será,sempre pressionados ao progresso em encontro da Divindade que nos aguada com braços abertos.

              Deus se manifesta de forma única e totalizada para cada um de seus filhos, de forma que nenhum fica excluido de sua atenção, acreditar que Deus nos esqueceu é duvidadar de sua Onopotência, Oniciência e Onipressença.

            Assim direi que o amor está no todo eo tudo éo amor, pois estamos a correr nos dominios da Divindade, aflutuando no vazio intigador de Olbrei, no plano curvo de Eisntein,(Obrei e Enstein são os descobridores) estamos nos Dominios da Divindade, do Amor, da Perfeição.


Muito Obrigado.

Dominus Vobiscun.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 06 de Janeiro de 2010, 17:11
 
    Trago para aqueles se interressaram-se pela musica dos slids.

     Tradução:

Now we are free
  
Anol Shalom
Anol sheh lay komud de ne um (Shaddai)
Flavum
Nom
de leesh
Ham de nam
La um de
Flavne...  
We de ze zu  
bu  
We de sooo a ru  
Un va-a pesh a lay  
Un vi-i bee  
Un da la  
pesh ni sa (Aaahh)  
Un di-i lay na day  
Un ma la pech a nay  
mee di nu ku  
(Fast tempo, 4 times)  
La la da pa da le na da na  
Ve va da pa da le na da dumda  
Anol Shalom  
Anol Sheh ley  
Kon-nud de ne um  
Flavum  
Flavum  
M-ai shondol-lee  
Flavu... (live on)  
Lof flesh lay  
Nof de lis  
Ham de num um dass  
La um de Flavne...  
Flay  
Shom de nomm  
Ma-lum des  
Dwondi  
Dwwoondi  
Alas Sharum du koos  
Koot-tum  
  

Agora Nós Estamos Livres

 Nós lamentamos nossos pecados
 Mas nós tecemos nosso próprio destino
 E sob o meu rosto
 Eu permaneço frágil
 Sob meu rosto
 eu sorrio
 Mesmo sozinho/ amedrontado
 Sob Meu rosto eu estarei
 Esperando
  
 Corra comigo agora soldado de Roma
 Corra e brinque nos campos com os pôneis
 Corra comigo agora soldado de Roma
 Corra e brinque nos campos com os pôneis
 Corra comigo agora soldado de Roma
 Corra e brinque nos campos com os pôneis
 Corra comigo agora soldado de Roma
 Corra e brinque nos campos com os pôneis
  
 Liberdade Poderosa
 Libertadora da alma
 Descanse agora
 E imagine
 descansando em paz no final
 É adorável esse lugar
 É adorável, ninguém pode acreditar ou entender
 Como vim de tão longe somente pela família
 Minha família
 eu deveria estar lá com eles quando o mundo desabou
 Mas agora eles descansam comigo
 Eu nunca esquecerei
 Como senti aquele momento
 Eu me libertarei
 
 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 07 de Janeiro de 2010, 18:23

     Somos energia mais densa, nosso pensamento é energia fluidica, livre da matéria, o fato de sua liberdade é dada pela sua invisibilidade, pois quando pensamos em algo, nosso pensamento envolve a coisa pensada, seje pessoa, objeto, animal, et cetera.

      Como se sabe o pensamento é um atributo do espirito, e não o espirito, isso conforme o livro dos espiritos.

  Muito Grato.

 Dominus Vobiscum.
 
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 08 de Janeiro de 2010, 11:20
CONTROLE DA CRIAÇÃO INTERIOR


Em um estado constante nossa mente se reorganiza, avalia-se e reestrutura.

Sempre está, em ação infinita criando idéias, desejos, antecipando, recordando e estruturando  memória,complexos e embustes psicoemocionais.

 Então, o melhor a reagir em prol do melhor funcionamento desse nosso atributo, podemos praticar simples atos chamados de MEDITAÇÃO.

   1º. Meditação Simples.

   Sente-se e conte até quatro, 5 ou 6 e aspire, segure o ar com respeito a contagem inicial, então expire o ar com a mesma contagem inicial.
 
  Aumenta a concentração e a circulação, ajudando no metabolismo e alimentação dos tecidos com mais oxigênio.

2º. Meditação Básica.

 Sente-se na posição da flor de Lótus, e como primeiro ato aspire o ar até sentir todo seu corpo cheio do ar, e, por conseguinte expire o ar concentrado que com o ar que se vai irá acompanhar todos os males psicossomáticos. Em questão dos pensamentos que virão sem nossa vontade, aja com eles com paciência, não os force para ir embora, mas os deixe ir livremente dando mais atenção à respiração. Lembre-se é um controle sobre os pensamentos.

  Como segundo ato imagine que do mais profundo lugar do Universo vem um cordão frio de pura energia (cor de sua preferência) que lhe toca o topo da cabeça e escorre como liquido sobre seu corpo preenchendo todo se corpo com essa pura energia, sinta essa energia descer por cada vértebra e preencher cada órgão e membro assim irá se sentir livre e leve, se tornar uma luz. Quando fortes acordar abra calmamente os olhos.

3º. Meditação Avançada.

  Nesta o inicio é idêntico a anterior desde a aspiração à expiração e controle dos pensamentos intrometidos.

  Porém, a diferença se encontra no seguinte, na Meditação Básica imagina-se um cordão de luz vindo do Universo, só que agora será este com mais um, este agora que virá da Terra. Imagine que no lugar onde se encontra sentado saia uma raiz ou um cordão de luz mais denso e úmido que sobe pela coluna, preenchendo cada vértebra, órgão, membro, então as duas energias se encontrarão e formarão uma deleitosa sensação, onde as duas se mesclarão e formaram uma única irradiação, e novamente se torna uma estrela, uma Super-Nova.


Bom meus caros, é apenas estes 3 tipos de meditação que conheço, espero que gostem.

Muito Grato.

Dominus Vobiscum.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 12 de Janeiro de 2010, 10:50

CORAÇÕES AMOROSOS
AÇÕES BONDOSAS.


Nosso ser sente falta de puro sentimento, tem a necessidade de fé, amor, alegria (sincera).

Quando estamos com nosso estado psiquicoemocional decadente, ocorrem atitudes que indicam este vazio. A entidade se envolve em ações libidinosas, gananciosas, orgulhosas e ignorantes.

São nada mais que vítimas de suas próprias necessidades emotivas, presas fáceis de más influencias, seres fracos que tentam ocultar sua decrépitividade, sua inferioridade.

Timidez antagônica ao Orgulho, e seu intermediário é a Humildade.
As imperfeições são nada mais que extremos ou faltas de certas qualidades.

Nosso estado psíquico sempre está sendo refletido em nosso corpo físico, em nossas ações, em nossa caligrafia, andado, em nossa voz, olhar, sorriso, penteado, roupas, postura, expressões, isto é:

“Somos o que pensamos. Tudo o que surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos criamos o Mundo.”

Pensai bem e serás bom, pensai mau e serás mau. Pense alegria, e aja alegria, esbalde alegria, faça a alegria ser algo real, e então nossa Lei (pensamento) irão homologar e promulgar nossos desejos.

     Muito Grato.

      Dominus Vobiscum.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Zefiro em 12 de Janeiro de 2010, 17:36

              

                       Está é a musica da Enya.


  http://www.youtube.com/watch?v=rzpW7P83sb4 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXJ6cFc3UDgzc2I0)
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: Siegmund Beulke em 12 de Janeiro de 2010, 22:38
Olá a todos


"Se tiver que amar, ame hoje. Se tiver que sorrir, sorria hoje. Se
tiver que chorar, chore hoje. Pois o importante é viver hoje. O ontem
já foi, e o amanhã talvez não venha."
André Luis por Chico Xavier.


Abraços Fraternais
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: zeni em 19 de Janeiro de 2010, 20:40

Olá! a todos.


Pensar  e  querer

Scheilla

O homem foi capaz de desenvolver sofisticados radares para detectar presença estranha a longa distância, mas ainda não conseguiu estabelecer um sistema de vigilância em torno da própria mente.

Todo pensamento estabelece uma sintonia. Pensando a criatura interage sobre seus semelhantes, estabelecendo ligações, conform o campo mental que a envolve. Se a situação é gerada por pensamentos infelizes, estabelecem-se as presenças indesejáveis, oriundas do plano extrafísico, consolidando, assim, o início de processos obsessivos que poderão aprisionar a pessoa em dolorosos processos de subjugação.

Entretanto cabe ressaltar que, entre a abordagem do pensamento infeliz e a sua aceitação em nosso campo mental, há uma distância a ser percorrida.

No mundo, pensamentos infelizes nos ocorrem a todos. Cabe-nos, porém, a devida vigilância, para rebatê-los com o escudo do bom senso, a fim de que nossa vida interior se desenvolva em base de equilíbrio desejável.

Pensa com amor, e a luz do teu pensamento te iluminará por dentro.

 

 

-Livro:“A mensagem do dia”
 
Abraço a todos.
Título: Re: Pensamento - Estudo de Novembro, 2009.
Enviado por: FRANCISCO Sá em 24 de Agosto de 2011, 14:47
Ola amigos. Pensamento, tema q q venho pesquisando. Segue interessante estudo:


O Pensamento
Para os estudiosos vinculados às escolas mecanicistas, que conceberam o cérebro como uma máquina complexa, dotada de estados internos, o pensamento seria um desses estados semelhantes aos sentimentos. As diversas justaposições desses estados, produzidas pela ação de um estímulo específico, provocariam as mais variadas possibilidades de atuação humana; o livre-arbítrio, nessa teoria, seria uma simples ilusão.
As informações da jornalista Rita Carter, no livro já anteriormente citado, faz entender a mecânica do pensamento dentro da moderna visão da neurociência:
“Pensar não é apenas um termo genérico para o conjunto de aptidões abrigadas no cérebro. Envolve muitas delas: recordar e imaginar, em particular. Mas inclui algo que não faz parte de nenhuma outra função: o autoconhecimento. Tal aspecto do pensamento é capturado na palavra que é muitas vezes usada paro o descrever: reflexão.
“O processamento de pensamentos é de uma certa maneira como os estágios posteriores do processamento sensorial. Assim como as várias partes de uma imagem - local, cor, formato, tamanho e assim por diante – são reunidas e integradas num todo, também nós reunimos diversas memórias e imagens e as colocamos juntas para criar um novo conceito. A grande diferença é que, enquanto a construção sensorial é inconsciente, o processamento de pensamentos é feito conscientemente. Quando o córtex frontal realiza suas tarefas, ele monitora o que está fazendo. Portanto, enquanto uma imagem simplesmente ‘chega à consciência, um conceito traz consigo o conhecimento de como veio a ser’”.
Segundo os estudos mais recentes, o pensamento, nos seus aspectos práticos, que são a manutenção de idéias e a suas manipulação, ocorrem em uma região do córtex pré-frontal dorsolateral (lado superior), que é também a região da chamada memória operacional. Nesta área são feitos os planejamentos e as escolhas das várias ações possíveis da criatura.
Dentro da abordagem espírita, o pensamento é um atributo do espírito (“O Livro dos Espíritos”, perg 89), sendo, portanto, uma ação da própria essência do ser.
Ainda do ponto de vista espiritista, o pensamento é um tipo de matéria formada por partículas de características próprias, modificando-se de conformidade com a sua individualidade, quantidade, tipo, qualidade e aplicação. É responsável pela psicosfera que envolve o espírito, interferindo no corpo físico. Portanto, teria uma expressão mais material do que se consegue perceber, sendo o agente criador de uma dimensão diferente da que trata a Física, expressando ao redor da criatura aquilo que habita em sua intimidade.
Essas partículas são manipuláveis e, de acordo com a inteligência que as conduz, podem se comportar e se direcionar de formas diversas.
O pensamento se encontra sujeito à vontade daquele que o origina. André Luiz, no livro “Evolução em Dois Mundos”, afirma:
“A partícula do pensamento, embora viva e poderosa na composição em que se derrama do espírito que a produz, é igualmente passiva perante o sentimento que lhe dá forma e natureza para o bem e o mal”.
O pensamento emitido pode vibrar em diferentes faixas, dependendo do sentimento que o gerou. Os de vibrações mais elevadas são de alta freqüência, mais etéricos, energéticos, de pequeno comprimento de onda e são originários de sentimentos derivados do amor verdadeiro, produzindo criações de expressão superior. Os de baixo padrão vibratório são mais densos, com menor teor de energia, de grande comprimento de onda e estão ligados aos sentimentos vinculados aos vícios e à matéria, presentes na maioria dos encarnados e daqueles que, desencarnados, comungam dessa esfera, mantendo uma realidade mais sombria e, provavelmente ligada ao surgimento das chamadas formas alucinatórias, observadas pelos portadores de transtornos mentais.
Segundo os estudos da Teosofia, os pensamentos criam uma série de vibrações na substância do corpo mental. Este, por sua vez, exterioriza uma fração de si mesmo, o qual vai atrair, no meio etéreo, substâncias semelhantes a si.
Quando emitem pensamentos, as estruturas sutis do espírito, em especial o corpo mental, utilizam forças, as quais demandam maior ou menor esforço, segundo as suas naturezas mais intrínsecas, produzindo resíduos de partículas mentais. Esses resíduos vão atuar tanto no próprio perispírito quanto no ambiente e nas individualidades que o sentirem. Se eles são de maior densidade, portanto, vinculados às questões mais materiais apresentarão resíduos mais tóxicos, provocando alterações ao nível do perispírito ou materializando formas-pensamentos que, pela sua inferioridade, atingirão as estruturas mais densificadas do próprio espírito ou de terceiros sintonizados com os mesmos princípios morais.
Os pensamentos de alto teor vibratório, por sua leveza e superioridade, atuam como higienizadores, causando harmonização, podendo levar à renovação do próprio perispírito, reestruturando-lhe as áreas comprometidas, proporcionando maior estado de saúde e sentimento de bem-estar.