Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: manuel Altino em 31 de Janeiro de 2010, 17:05

Título: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: manuel Altino em 31 de Janeiro de 2010, 17:05
Estudo Fórum Espírita: "Caridade" (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PThncFlBZUxzTkxNI3dz)
Amigos e companheiros de IDEAL ESPIRITA é com muito carinho que vamos começar este mês um ESTUDO  sobre A CARIDADE segundo o ESPIRITISMO.

Apenas me move o sentido de aprofundar este tema para que possamos todos juntos aprender e reflectir um pouco dando a oportunidade a todos de reflectir um pouco como podemos fazer Caridade para com todos e principalmente para com cada um de nós.

Como  Kardec nos ensinou, a Caridade é muito importante para a nossa evolução pessoal. Não pretendo esgotar o tema, mas sim aprofundar um pouco. Contamos com a participação de todos e deixo algumas questões em aberto:
-Como entendemos a palavra CARIDADE?
-Como a podemos praticar?
-O que temos de fazer para que a CARIDADE seja um processo de evolução pessoal?
-Temos que ser primeiro caridosos connosco?


Para melhor entender vamos ler a questão 627 de O Livro dos Espíritos e um power point/vídeo onde S. Paulo nos fala da Caridade.

Estamos abertos às vossas opiniões com muito carinho e dedicação. Todos podemos aprender com este estudo.

     627. Uma vez que Jesus ensinou as verdadeiras leis de Deus, qual a utilidade do
ensino que os Espíritos dão? Terão que nos ensinar mais alguma coisa?

Jesus empregava amiúde, na sua linguagem, alegorias e parábolas, porque falava de
conformidade com os tempos e os lugares. Faz-se mister agora que a verdade se torne
inteligível para todo mundo. Muito necessário é que aquelas leis sejam explicadas e
desenvolvidas, tão poucos são os que as compreendem e ainda menos os que as praticam.
A nossa missão consiste em abrir os olhos e os ouvidos a todos, confundindo os orgulhosos e desmascarando os hipócritas: os que vestem a capa da virtude e da religião, a fim de ocultarem suas torpezas. O ensino dos Espíritos tem que ser claro e sem equívocos, para que ninguém possa pretextar ignorância e para que todos o possam julgar e apreciar com a razão. Estamos incumbidos de preparar o reino do bem que Jesus anunciou.
Daí a necessidade de que a ninguém seja possível interpretar a lei de Deus ao sabor de suas paixões, nem falsear o sentido de uma lei toda de amor e de caridade.


http://www.youtube.com/watch?v=x4SqkwJeN_g# (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXg0U3Frd0plTl9nIw==)


Sugerimos ainda a votação na questão no topo deste tópico.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Bluemoon em 31 de Janeiro de 2010, 17:30
Todas as vossas coisas sejam feitas com caridade.
Paulo, Cor. I - 16:14


Ainda existe muita gente que não entende outra caridade, além daquela que se veste de trajes humildes aos sábados ou domingos para repartir algum pão com os desfavorecidos da sorte, que aguardam calamidades públicas para manifestar-se ou que lança apelos comovedores nos cartazes da imprensa.

Não podemos discutir as intenções louváveis desse ou daquele grupo de pessoas; contudo, cabe-nos reconhecer que o Dom sublime é de sublime extensão.

Paulo indica que a caridade, expressando amor cristão, deve abranger todas as manifestações de nossa vida.

Estender a mão e distribuir reconforto é iniciar a execução da virtude excelsa. Todas as potências do espírito, no entanto, devem ajustar-se ao preceito divino, porque há caridade em falar e ouvir, impedir e favorecer, esquecer e recordar. Tempo virá em que a boca, os ouvidos e os pés serão aliados das mãos fraternas, nos serviços do bem supremo.

Cada pessoa, como cada coisa, necessita da contribuição da bondade, de modo particular. Homens que dirigem ou que obedecem reclamam-lhe o concurso santo, a fim de que sejam esclarecidos no departamento da casa de DEUS, em que se encontram. Sem amor sublimado, haverá sempre obscuridade, gerando complicações. Desempenha tuas mínimas tarefas com caridade, desde agora. Senão encontras retribuição espiritual no domínio do entendimento no sentido imediato, sabes que o Pai acompanha todos os filhos devotadamente.

Há pedras e espinheiros? Fixa-te em Jesus e passa.

Francisco Cândido Xavier. Da obra: Pão Nosso. Ditado pelo Espírito Emmanuel.

Bonito isto que o nosso irmao Emmanuel falou, não é?

Beijinhos e muita Luz para todos...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: kanga em 31 de Janeiro de 2010, 18:04
meu irmao de ideal, acho o tema para este mes muito bom. pois cada vez mais sentimos e temos necessidade de a praticar... obrigada.  eu sou aprendiz nesta nova tecnologia, e prinipalmente nisto da internet, estou a deixar-me levar pela vontade apenas...por favor como posso saber :dias, horario... JESUS o abençoe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: kanga em 31 de Janeiro de 2010, 18:13
para todos os irmaos (as) eu desejo muita paz. e que DEUS nosso PAI nos abençoe e, nos sustente na fe ,de suportarmos nossa provas com segurança e buscando ,nos ensinamentos do CRISTO, tudo o que necessitamos para tal intento. nos resguardemos na oraçao, para o conçolo nos momentos mais complicados . abraço fraterno para todos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: manuel Altino em 31 de Janeiro de 2010, 18:15
meu amigo é com muita paz que lhe digo que a caridade tem de estar sempre na nossa vida pois assim podemos evoluir um pouco. Quanto aos estudos lhe digo temos o evangelho no chat todos os domingos pelas 20 e 3o de Portugal e 18 3 30 do Brasil . e temos ainda estudo todas a quintas feiras ás 18 horas de Portugal e 16 do Brasil estes horários do Brasil são de Brasilia  muita paz
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: kanga em 31 de Janeiro de 2010, 18:23
obrigado.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 31 de Janeiro de 2010, 18:54

Olá!

Caridade é o que Deus tem para com os seus filhos humanos. Os seus filhos humanos, egoistas, não sabem o que é a caridade.


" Allan Kardec "

Toda a gente admira a moral evangélica; todos lhe proclamam a sublimidade e a necessidade; muitos, porém, assim se pronunciam por fé, confiados no que ouviram dizer, ou firmados em certas máximas que se tornaram proverbiais. Poucos, no entanto, a conhecem a fundo e menos ainda são os que a compreendem e lhe sabem deduzir as conseqüências.

A raça humana é constituída tanto de Espíritos bons quanto de maus, que estão encarnados neste planeta, e como a Terra é um dos mundos menos avançados, nela se encontram mais Espíritos maus do que bons; por isso há tanta perversidade aqui.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mariachaves em 31 de Janeiro de 2010, 19:11
Fico muito feliz que agora que conheci o forum, vou poder participar de estudo de extrema relevancia.
Confesso que tenho dúvida sobre o que é caridade e nem mesmo consigo detectar momentos em que estou praticando a caridade. É uma reflexão difícil, pois a caridade penso deve se iniciar no coração.
Gosto de auxiliar as pessoas, mas mostrando caminhos para que elas mesmo possam melhorar, ajuda material só nos momentos de necessidade, não sou do tipo que saio por aí distribuindo alimentos, mas se essa caridade auxiliar os espiritos edificarem , fico feliz por aqueles que a praticam, sempre havera necessitados. Enfim quero aproveitar o mes para aprender com a "caridade" de vcs.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 31 de Janeiro de 2010, 19:35
EM ORAÇÃO E SERVIÇO

    Não paralises o impulso do amor fraterno, diante dos companheiros que te parecem errados.
Aquele que hoje carrega na praça o nome de malfeitor pode ser amanhã o apoio a que te arrimes.
    Reprovaste o motorista que se envolveu em grave desastre, e, ao vê-lo em posição difícil na estrada, propões-te, de início, lançá-lo à própria sorte, seguindo indiferente.
    Entretanto, vence a repulsão e assegura-lhe o socorro preciso.
    É possível seja ele, mais além, o amigo certo que te livrará de males maiores.
    Viste com desprazer o homem público que se tornou repentinamente odiado, à face de erros clamorosos que se viu na conjuntura de cometer ou endossar, na esfera administrativa, e, no momento justo de considerar-lhe as obras deficitárias, inclinas-te à censura.
    Cala, porém, a crítica destrutiva e pronuncia o verbo que lhe sirva de reconforto.
    Provavelmente, muito breve será ele o interventor providencial na solução de teus problemas.
    Conheces o rapaz transviado, autor de faltas confessas pela carência de educação com que foi rudemente prejudicado, através do tempo, e, ao surpreendê-lo embriagado na rua, dispões-te, instintivamente, a passar de largo.
    Contudo, deixa que a bondade te inspire o coração e dá-lhe simpatia.
    Pode acontecer, em futuro próximo, seja ele a pessoa indicada a salvar-te em amargos perigos.
    Fitaste com desprezo a jovem menos feliz que se arrojou a costumes indesejáveis por falta de assistência no lar, em que se desenvolveu ao sabor dos próprios caprichos, e, encontrando-a enredada nas teias da delinqüência, tendes a incriminá-la com palavras condenatórias.
No entanto, reflete na compaixão e ampara-lhe o reajuste.
Talvez amanhã esteja ela no quadro de teus familiares mais queridos, por injunções de casamento.
    Para isso, não te sintas superior.
    Lembra-te, acima de tudo, de que, pelas imperfeições que ainda trazemos, todos somos delinqüentes potenciais e de que, se não vigiarmos em oração e serviço, junto das tentações que nos visitam as fraquezas, ainda hoje o lugar dos irmãos caídos pode ser igualmente o nosso.

Emmanuel
Do livro: Justiça Divina
Psicografia: Francisco Cândido Xavier
Parte 1ª, cap. III, item 15


Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 31 de Janeiro de 2010, 19:47
Fico muito feliz que agora que conheci o forum, vou poder participar de estudo de extrema relevancia.
Confesso que tenho dúvida sobre o que é caridade e nem mesmo consigo detectar momentos em que estou praticando a caridade. É uma reflexão difícil, pois a caridade penso deve se iniciar no coração.
Gosto de auxiliar as pessoas, mas mostrando caminhos para que elas mesmo possam melhorar, ajuda material só nos momentos de necessidade, não sou do tipo que saio por aí distribuindo alimentos, mas se essa caridade auxiliar os espiritos edificarem , fico feliz por aqueles que a praticam, sempre havera necessitados. Enfim quero aproveitar o mes para aprender com a "caridade" de vcs.

Que à Paz e o Amor de Deus permaneçam em todos os corações.
Seja muito bem vinda Maria Chaves, e nós é que devemos agradecer-te à DIVINA oportunidade, de prestar-lhe um auxílio, caso haja alguma dúvida.
Muita Paz.

Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: manuel Altino em 31 de Janeiro de 2010, 19:56
é com muita serenidade que li estas mensagens e o texto de andré luiz é  muito importante para a nossa edificação e temos que compreender que a Caridade é uma grande lição de vida para todos nòs e tendo como S.Paulo nos diz A Caridade faz parte da nossa vida pois se não houver caridade onde está a minha Fé?  a minha doação para com os outros,?  mas é importante que a Caridade comece para cada um de nós , TERMOS CARIDADE PARA COMNOSCO MESMO  um abraça fraterno e muita PAZ
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 31 de Janeiro de 2010, 20:02

Companheiros, gostaria de complementar minha resposta da enquete.
Penso que quase nenhuma caridade, sem estar embasada em uma oração verdadeira, ou comunhão constante (o que não deixa de ser uma oração) com o plano espiritual, não fluirá 100%. Por isso marquei a 1ª; porém acho que à caridade está presente há todo momento em nossas vidas. À começar pelo nosso lar, com nossos entes queridos, sejam esposas, filhos e etc...
Muita Paz à todos.

Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Lucivanda em 31 de Janeiro de 2010, 20:09
                             Caridade, a grande Virtude



Toda moral ensinada por Jesus, se resume em duas simples palavras: Caridade e Humildade, isto é, nas duas maiores virtudes em que devemos concentrar todas as nossas forças em desenvolvê-las, se pretendemos erradicar de nosso espírito o egoísmo que até hoje nos mantém presos às teias da ignorância.

Em tudo que ensinou, chamou-nos a atenção apontando essas duas virtudes como sendo as que poderão nos conduzir de encontro à eterna e verdadeira felicidade. Falou-nos ele: “Bem-aventurados os pobres de espírito, isto é os simples, os humildes, porque deles é o reino dos céus; e continuou a nos ensinar; bem-aventurados os que têm puro o coração; bem-aventurados os que são brandos e pacíficos; bem-aventurados os que são misericordiosos; amai o vosso próximo como a vós mesmos; fazei aos outros o que gostaria que vos fizessem; amai os vossos inimigos; perdoai as ofensas, se quiserdes ser perdoados; praticai o bem sem ostentação; julgai-vos a vós mesmos, antes de julgardes os outros; não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita”. Em todas estas passagens de seus ditos se pode tirar o ensinamento maior resumindo em caridade e humildade, eis o que não cessa de recomendar e exemplificar em todas as suas ações. Em tudo que pregou em sua passagem pelo nosso planeta, não cansou de combater o orgulho e o egoísmo que são sem dúvida as duas grandes chagas a corroer a humanidade.

O Mestre maior de todos nós não se limitou apenas a recomendar a caridade, põe-na como condição absoluta para a conquista da felicidade futura, assegurando-nos que as ações empreendidas pelos caridosos com certeza lhes assegurarão uma melhor posição no futuro quando a justiça divina nos chamar para a prestação de contas, como nos ensinou também em outra oportunidade “a cada um segundo as suas obras”.

Na Parábola do Bom Samaritano, considerado herético, mas que naquele momento pratica o amor ao próximo, Jesus coloca-o acima do ortodoxo que falta com a caridade. Não considera, portanto, a caridade apenas como uma das condições para a salvação, mas designa como condição única. Se outras houvesse que a substituíssem ele as teria ensinado. Desde que coloca a caridade em primeiro lugar, é que ela implicitamente abrange todas as outras: a humildade, a brandura, a benevolência, a indulgência, a justiça, etc., e também porque significa a negação absoluta do orgulho e do egoísmo naquele que a pratica.

O Espiritismo sendo o Cristianismo Redivivo, ou seja o cristianismo na sua pureza inicial, vem reafirmar os ensinos do seu criador com a máxima: “Fora da caridade não há salvação”, máxima essa que consagra o princípio da igualdade perante Deus, e da liberdade de consciência, deixando a todos a escolha da maneira como queiram seguir adorando o Pai Celestial, não pregando que fora do espiritismo não há salvação, pois bem sabe que o Cristo não fundou nenhuma religião, por isso mesmo respeita a liberdade de crença de todos os seus irmãos em humanidade, pois em qualquer corrente religiosa a que pertença o homem, terá aí mesmo a oportunidade de seguir os ensinamentos de Jesus.

Dediquemo-nos portanto meus irmãos à prática da caridade ensinada no evangelho de Jesus, pois ela nos ajudará não só a evitar a prática do mal, mas também nos impulsionará em direção ao trabalho no bem, e para a prática do bem uma só condição se faz indispensável: a nossa vontade, pois para a prática do mal basta apenas a inércia e a despreocupação, agradeçamos pois a Deus nosso Pai, por nos permitir encontrar em nossa estrada evolutiva a bênção de gozar da luz do Espiritismo.

Não significa achar que só os espíritas serão salvos; é que ajudando-nos a melhor compreensão dos ensinos do Cristo, ele nos faz, se seguirmos seus ensinos, melhores cristãos, confirmando por nossas ações que verdadeiros espíritas e verdadeiros cristãos são uma só e a mesma coisa, pois todos quantos praticam a caridade são discípulos de Jesus, não importando para tanto, que pertençam a esta ou àquela seita religiosa.  

 :D :DAutor: Francisco Rebouças :D :D
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: LuizaoRodrigues em 31 de Janeiro de 2010, 20:13
Caridade é um tema interessante e sempre atual, eu acredito que a caridade está nos gestos de auxilio desinteressados que partem do coração. Quando dizem que a caridade material não é a única possível concordo plenamente, mas as vezes é a primeira a ser feita. Fica difícil por vezes, falar ao coração de alguém estando seu estomago vazio. A caridade da palavra deve ser levada sempre que sintamos na necessiade do irmão, mesmo que seja para lançar a semente entre os espinheiros da incompreensão. A caridade do calar, deve igualmente ser utilizada quando a palavra, possa de alguma maneira causar dissabores, cala-se agora para mais a frente novamente exercitar a caridade da palavra. Devemos compreender que somos todos irmãos e como irmãos cooperar para a evolução do nosso lar, nos amando e exercitando sempre este amor com a caridade.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Lucivanda em 31 de Janeiro de 2010, 20:25
                            Caridade, a grande Virtude



Toda moral ensinada por Jesus, se resume em duas simples palavras: Caridade e Humildade, isto é, nas duas maiores virtudes em que devemos concentrar todas as nossas forças em desenvolvê-las, se pretendemos erradicar de nosso espírito o egoísmo que até hoje nos mantém presos às teias da ignorância.

Em tudo que ensinou, chamou-nos a atenção apontando essas duas virtudes como sendo as que poderão nos conduzir de encontro à eterna e verdadeira felicidade. Falou-nos ele: “Bem-aventurados os pobres de espírito, isto é os simples, os humildes, porque deles é o reino dos céus; e continuou a nos ensinar; bem-aventurados os que têm puro o coração; bem-aventurados os que são brandos e pacíficos; bem-aventurados os que são misericordiosos; amai o vosso próximo como a vós mesmos; fazei aos outros o que gostaria que vos fizessem; amai os vossos inimigos; perdoai as ofensas, se quiserdes ser perdoados; praticai o bem sem ostentação; julgai-vos a vós mesmos, antes de julgardes os outros; não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita”. Em todas estas passagens de seus ditos se pode tirar o ensinamento maior resumindo em caridade e humildade, eis o que não cessa de recomendar e exemplificar em todas as suas ações. Em tudo que pregou em sua passagem pelo nosso planeta, não cansou de combater o orgulho e o egoísmo que são sem dúvida as duas grandes chagas a corroer a humanidade.

O Mestre maior de todos nós não se limitou apenas a recomendar a caridade, põe-na como condição absoluta para a conquista da felicidade futura, assegurando-nos que as ações empreendidas pelos caridosos com certeza lhes assegurarão uma melhor posição no futuro quando a justiça divina nos chamar para a prestação de contas, como nos ensinou também em outra oportunidade “a cada um segundo as suas obras”.

Na Parábola do Bom Samaritano, considerado herético, mas que naquele momento pratica o amor ao próximo, Jesus coloca-o acima do ortodoxo que falta com a caridade. Não considera, portanto, a caridade apenas como uma das condições para a salvação, mas designa como condição única. Se outras houvesse que a substituíssem ele as teria ensinado. Desde que coloca a caridade em primeiro lugar, é que ela implicitamente abrange todas as outras: a humildade, a brandura, a benevolência, a indulgência, a justiça, etc., e também porque significa a negação absoluta do orgulho e do egoísmo naquele que a pratica.

O Espiritismo sendo o Cristianismo Redivivo, ou seja o cristianismo na sua pureza inicial, vem reafirmar os ensinos do seu criador com a máxima: “Fora da caridade não há salvação”, máxima essa que consagra o princípio da igualdade perante Deus, e da liberdade de consciência, deixando a todos a escolha da maneira como queiram seguir adorando o Pai Celestial, não pregando que fora do espiritismo não há salvação, pois bem sabe que o Cristo não fundou nenhuma religião, por isso mesmo respeita a liberdade de crença de todos os seus irmãos em humanidade, pois em qualquer corrente religiosa a que pertença o homem, terá aí mesmo a oportunidade de seguir os ensinamentos de Jesus.

Dediquemo-nos portanto meus irmãos à prática da caridade ensinada no evangelho de Jesus, pois ela nos ajudará não só a evitar a prática do mal, mas também nos impulsionará em direção ao trabalho no bem, e para a prática do bem uma só condição se faz indispensável: a nossa vontade, pois para a prática do mal basta apenas a inércia e a despreocupação, agradeçamos pois a Deus nosso Pai, por nos permitir encontrar em nossa estrada evolutiva a bênção de gozar da luz do Espiritismo.

Não significa achar que só os espíritas serão salvos; é que ajudando-nos a melhor compreensão dos ensinos do Cristo, ele nos faz, se seguirmos seus ensinos, melhores cristãos, confirmando por nossas ações que verdadeiros espíritas e verdadeiros cristãos são uma só e a mesma coisa, pois todos quantos praticam a caridade são discípulos de Jesus, não importando para tanto, que pertençam a esta ou àquela seita religiosa.  

 :D :D :D :D
Autor: Francisco Rebouças
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: psi em 31 de Janeiro de 2010, 20:57
Olá amigos

Tenho visto muitos espíritas discutindo sobre como é a vida na espiritualidade, se existem ou não colônias espirituais, estudando os processos obssessivos, os tipos de mediunidade, de passes, debatendo a constituição íntima do perispírito e sua relação com o corpo físico, etc., etc. Tudo isso é importante? Sem dúvida, pois faz parte do nosso aperfeiçoamento espiritual. 

Mas eu me pergunto: não estariam alguns espíritas se apegando demais ao estudo doutrinário e científico e se esquecendo de sua verdadeira obrigação?

Caridade e amor. Sim, acho que essa deveria ser a verdadeira discussão dos espíritas. Como praticar, do melhor modo, o amor em forma de caridade.

Ser espírita, por si só, não é amor e nem caridade.

Ser espírita é ser ação. E qual a melhor forma de agir senão amando ao próximo?

Mas para amar precisa ser espírita? De forma alguma. Para amar basta existirmos. E existimos.

Deixemos de lado a discussão e as afirmações de que ser espírita é isso ou aquilo. Não fiquemos apenas nas discuções acadêmicas dos postulados doutrinários. Amemos. Trabalhemos. Descortinemos o coração para o verdadeiro amor que Jesus ensinou. Não há regras, apenas amor. Seremos todos espíritas quando descobrirmos esse amor.

Alguns espíritas se preocupam muito em “Ser Espírita” e se esquecem do principal: o trabalho, o amor, a caridade.

Muito mais importante que ser espírita é ser caridoso. E tem muita gente por aí que não é espírita e é mais caridoso do que muitas espíritas.

Deus não se importa com que religião professamos, mas sim com quais são os nossos sentimentos e atitudes para com o próximo.

Estudemos, portanto, a doutrina e os livros espíritas, mas ponhamos também em prática a maior das Leis de Deus, a Lei do Amor e da Caridade.

Acho que quando o espírita compreender isso, o espiritismo vai realmente romper fronteiras, mas as fronteiras do coração, não a das religiões.

Quando o espírita for trabalho, amor e caridade, ele vai ser reconhecido pelas suas obras e não apenas pelas suas crenças doutrinárias na reencarnação e na comunicação com os espíritos desencarnados.

Estudo e trabalho, este é o binômio que temos de conquistar.

Um abraço

PSI.



Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 31 de Janeiro de 2010, 21:05

Olá!

" Allan Kardec "

643 Há pessoas que, pela sua posição, não têm a possibilidade de fazer o bem?

– Não há ninguém que não possa fazer o bem; somente o egoísta nunca encontra ocasião. Bastam as relações sociais com outros homens para encontrar ocasião de fazer o bem, e cada dia de vida dá a oportunidade a quem não esteja cego pelo egoísmo; porque fazer o bem não é somente ser caridoso(...)

647 Toda a lei de Deus está contida no ensinamento de amor ao próximo ensinado por Jesus?

– Certamente esse ensinamento contém todos os deveres dos homens entre si; mas é preciso vos mostrar sua aplicação, senão deixareis de o cumprir como fazeis até hoje; aliás, a lei natural compreende todas as circunstâncias da vida e esse ensinamento é apenas uma parte da lei.(...)


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 31 de Janeiro de 2010, 21:34
Olá amigos

Tenho visto muitos espíritas discutindo sobre como é a vida na espiritualidade, se existem ou não colônias espirituais, estudando os processos obssessivos, os tipos de mediunidade, de passes, debatendo a constituição íntima do perispírito e sua relação com o corpo físico, etc., etc. Tudo isso é importante? Sem dúvida, pois faz parte do nosso aperfeiçoamento espiritual. 

Mas eu me pergunto: não estariam alguns espíritas se apegando demais ao estudo doutrinário e científico e se esquecendo de sua verdadeira obrigação?

Caridade e amor. Sim, acho que essa deveria ser a verdadeira discussão dos espíritas. Como praticar, do melhor modo, o amor em forma de caridade.

Ser espírita, por si só, não é amor e nem caridade.

Ser espírita é ser ação. E qual a melhor forma de agir senão amando ao próximo?

Mas para amar precisa ser espírita? De forma alguma. Para amar basta existirmos. E existimos.

Deixemos de lado a discussão e as afirmações de que ser espírita é isso ou aquilo. Não fiquemos apenas nas discuções acadêmicas dos postulados doutrinários. Amemos. Trabalhemos. Descortinemos o coração para o verdadeiro amor que Jesus ensinou. Não há regras, apenas amor. Seremos todos espíritas quando descobrirmos esse amor.

Alguns espíritas se preocupam muito em “Ser Espírita” e se esquecem do principal: o trabalho, o amor, a caridade.

Muito mais importante que ser espírita é ser caridoso. E tem muita gente por aí que não é espírita e é mais caridoso do que muitas espíritas.

Deus não se importa com que religião professamos, mas sim com quais são os nossos sentimentos e atitudes para com o próximo.

Estudemos, portanto, a doutrina e os livros espíritas, mas ponhamos também em prática a maior das Leis de Deus, a Lei do Amor e da Caridade.

Acho que quando o espírita compreender isso, o espiritismo vai realmente romper fronteiras, mas as fronteiras do coração, não a das religiões.

Quando o espírita for trabalho, amor e caridade, ele vai ser reconhecido pelas suas obras e não apenas pelas suas crenças doutrinárias na reencarnação e na comunicação com os espíritos desencarnados.

Estudo e trabalho, este é o binômio que temos de conquistar.

Um abraço

PSI.


Sábias palavras companheiro PSI!
Muita Paz.

Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Bluemoon em 31 de Janeiro de 2010, 21:39
Amigo PSI, concordo plenamente consigo em tudo que disse!

Vamos agir na Caridade!!!

Um grande abraço amigo. Fique com Deus...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 31 de Janeiro de 2010, 21:52
A CARIDADE.

Que é Deus?
Que é a matéria?
Que é o Espaço Universal?
Que é Vida? – Que é Morte?
Que são os Seres Vivos?
Que é a Inteligência Universal?
Que é Inteligência? – Que é Instinto?
Que é o Fluido Cósmico Universal?
Que é o Espírito?
Que é Vida de Relação?
Que é Providência Divina?
Que é Previdência?
Que é a Humanidade?
Que sou Eu?
Que importa de onde venho?
Que é Ética?
Que desejo ser amanhã?
Que Consolo?
Que Esperar?

Porque tantos Que’s?
continuo no proximo post para não exceder limite conforme norma.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 31 de Janeiro de 2010, 21:53
Porque tantos Que’s?
Não os criei, a humanidade os formulou ao longo de um longo caminho evolutivo.
O Livro dos Espíritos contém um breviário de cada uma dessas perguntas e respostas...
É a suprema caridade que folgo conhecer...
Vejo-O como um espelho a me mostrar o caminho, o rumo, a didática pedagógica segura para não me perder... e, aprender embora associando outros estudos a Ele (Livro dos Espíritos), sempre volto na busca de um retorno ao rumo de estudos que devo seguir.
Paulo, embaixador excelente da caridade, disse bem, acerca da caridade.
Considerado por muitos cristãos como o mais importante discípulo de Jesus...
Erudito, diferentemente dos demais apóstolos, grego por ascensão materna, com justa razão introduziu nos meios cristãos as máximas acerca da caridade anteriormente refletidas pela civilização grega.
Prova máster de que erudição não significa melhoria evolucional, coube-lhe a missão de interligando o nascente Cristianismo a outra erudição, a Judaica, no conjunto com a romana, levando o evangelho ao paganismo.
Porém outro apóstolo, nem tanto erudito quanto Paulo, compreendeu a maior de todas as caridades, e como o Cristo, não pode aclarar melhor o que precisava ser esclarecido, mas fez questão de salientar em sua obra a promessa do Consolador que haveria  de vir em tempo certo para tal mister.
JOÂO – O Evangelista...
A associação dos ensinamentos Cristãos, ao que dantes só era conhecida pelos doutos e pelos iniciados, é a meu ver a maior de todas as caridades que veio em seu tempo para guiar o vulgo, os sem privilégio de Casta, ou Obedientes de dogmas que mantinham sob juramento SEGREDOS que aplicados lhes renderiam poder.
Essa associação só se deu por modos pacíficos por que fora predita, obviamente sem nenhuma nesga de acidentalidade ou ocasionalidade.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 31 de Janeiro de 2010, 21:54
Então nesse estudo quero participar refletindo em João, o evangelista,  à luz da codificação, por Ele predita no cap.14 aprendendo como conceber com maior clareza o conceito CARIDADE, sem nenhum desmerecimento às demais reflexões até pelo contrário também com elas aprendendo...
Se me o permitir o amado obreiro dirigente deste estudo.
Que a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja em todos os corações.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mecame em 31 de Janeiro de 2010, 21:58
Agradeço a todos pela graça de exaltar essa linda ação chamada caridade que é a expressão atitudinal do amor, sentimento mais nobre do espírito. A paz
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 31 de Janeiro de 2010, 22:09
João o Evangelista, tendo compreendido o que era a veradeira caridade, desencarnou repetindo "amados, amai uns aos outros". Há caridade maior que amarmos uns aos outros? Fazer a outrem o que desejaríamos para nós mesmos?
João não criou essa idéia, mas a focou para sí dos ensinamentos do Mestre, como contemporâneo.
João como o próprio Cristo, não pôde esclarecer tudo que estava para ser esclarecido, mas pôde predizer que o mestre dos mestres providenciaria para isto se desse.
E, em se dando é o guia seguro do esclarecimento fator que nos conduz a apreciação e entendimento da verdadeira caridade.
João é o elo a ligação do Espiritismo com o Cristianismo.
Saúde e Paz a Todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 31 de Janeiro de 2010, 22:36
Queridos Amigos!

Peço licença para transcrever o que expus em outro tópico e que,  assim o considero, tem muito a ver com o tema e com o que disse o Amigo Psi (http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-espiritos/aspectos-morais-da-doutrina/ (http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-espiritos/aspectos-morais-da-doutrina/))

ABSTER-SE DO MAL NÃO BASTA

Considerando que a experiência do ser nos evos da evolução o faz progredir, uma vez atingida a noção de si mesmo e a consciência plena da do acerto ou desacerto das atitudes, nasce para ele a responsabilidade por tudo o que faz ou que deixa de fazer.

642. Será suficiente não se fazer o mal, para ser agradável a Deus e assegurar uma situação futura?
– Não: é preciso fazer o bem, no limite das próprias forças, pois cada um responderá por todo o mal que tiver ocorrido por causa do bem que deixou de fazer.
(O Livro dos Espíritos)

Ainda mais rigorosa é a Lei, porquanto assevera que o mérito pelo bem que se faça mede-se pela dificuldade de realizá-lo.

646. O mérito do bem que se faz está subordinado a certas condições, ou seja, há diferentes graus no mérito do bem?
– O mérito do bem está na dificuldade; não há nenhum em fazê-la sem penas e quando nada custa. Deus leva mais em conta o pobre que reparte o seu único pedaço de pão, que o rico que só dá do seu supérfluo. Jesus já o disse, a propósito do óbolo da viúva.
(O Livro dos Espíritos)

O ÓBOLO DA VIÚVA
E estando Jesus assentado defronte donde era o gazofilácio, observava ele de que modo deitava o povo ali o dinheiro; e muitos, que eram ricos, deitavam com mão larga. E tendo chegado uma pobre viúva, lançou duas pequenas moedas, que importavam um real. E convocando seus discípulos, lhes disse: Na verdade vos digo, que mais deitou esta pobre viúva do que todos os outros que deitaram no gazofilácio. Porque todos os outros deitaram do que tinham na sua abundância; porém esta deitou da sua mesma indulgência tudo o que tinha, e tudo o que lhe restava para seu sustento. (MARCOS, XI l: 41-44-LUCAS, XXI: 1-4).

Aqueles cuja intenção está isenta de qualquer idéia pessoal, devem consolar-se da impossibilidade em que se vêem de fazer todo o bem que desejariam, lembrando-se de que o óbolo do pobre, do que dá privando-se do necessário, pesa mais na balança de Deus do que o ouro do rico que dá sem se privar de coisa alguma. Grande seria realmente a satisfação do primeiro, se pudesse socorrer, em larga escala, a indigência; mas, se essa satisfação lhe é negada, submeta-se e se limite a fazer o que possa. Aliás, será só com o dinheiro que se podem secar lágrimas e dever-se-á ficar inativo, desde que se não tenha dinheiro? Todo aquele que sinceramente deseja ser útil a seus irmãos, mil ocasiões encontrará de realizar o seu desejo. Procure-as e elas se lhe depararão; se não for de um modo, será de outro, porque ninguém há que, no pleno gozo de suas faculdades, não possa prestar um serviço qualquer, prodigalizar um consolo, minorar um sofrimento físico ou moral, fazer um esforço útil. Não dispõem todos, à falta de dinheiro, do seu trabalho, do seu tempo, do seu repouso, para de tudo isso dar uma parte ao próximo? Também aí está a dádiva do pobre, o óbolo da viúva.

(O Evangelho Segundo o Espiritismo – págs. 216/217).
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 31 de Janeiro de 2010, 22:38
Da mesma forma:

ADORAÇÃO INERTE

A adoração, enquanto elevação do pensamento, pressupõe que o ser esteja no enfrentamento de sua Vida cumprindo com o bom combate, lutando em seu dia-a-dia na edificação de seu aperfeiçoamento, cumprimento de suas tarefas, bem suportando as vicissitudes que lhe surjam no caminho.

A inércia de uma vida contemplativa, sem realizações e sem o esforço de aprimoramento perante a humanidade não tem maior valia para a alma.

657. Os homens que se entregam à vida contemplativa, não fazendo nenhum mal e só pensando em Deus, têm algum mérito aos seus olhos?
– Não, pois se não fazem o mal, também não fazem o bem e são inúteis. Aliás, não fazer o bem já é um mal. Deus quer que se pense nEle, mas não que se pense apenas nEle, pois deu ao homem deveres a serem cumpridos na Terra. Aquele que se consome na meditação e na contemplação nada faz de meritório aos olhos de Deus, porque sua vida é toda pessoal e inútil para a Humanidade. Deus lhe pedirá contas do bem que não tenha feito.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 31 de Janeiro de 2010, 22:40
 É bem nesse contexto que, segundo imagino, devemos entender:

886. Qual é o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entende Jesus?
– Benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições alheias,
perdão das ofensas.
O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, porque amar ao
próximo é fazer-lhe todo o bem possível, que desejaríamos que nos fosse feito. Tal é
o sentido das palavras de Jesus: “Amai-vos uns aos outros, como irmãos”.
A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, mas abrange todas as
relações com os nossos semelhantes, quer se trate de nossos inferiores, iguais ou
superiores
. Ela nos manda ser indulgentes porque temos necessidade de indulgência,
e nos proíbe humilhar o infortúnio, ao contrário do que comumente se pratica. Se
um rico nos procura, atendemo-la com excesso de.consideração e atenção, mas se é
um pobre, parece que não nos devemos incomodar com ele. Quanto mais,
entretanto, sua posição é lastimável, mais devemos temer aumentar-lhe a desgraça
pela humilhação. O homem verdadeiramente bom procura elevar o inferior aos seus
próprios olhos, diminuindo a distância entre ambos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 31 de Janeiro de 2010, 22:43
eita irmão marco, ó nóis aí de novo... concordando...
o cito para me justificar... posso?
"Considerando que a experiência do ser nos evos da evolução o faz progredir, uma vez atingida a noção de si mesmo e a consciência plena da do acerto ou desacerto das atitudes, nasce para ele a responsabilidade por tudo o que faz ou que deixa de fazer".


Primeira dica de João para os Cristãos, que é desde sempre a questão primeira de todos os pensadores, e que o Espírito da verdade esclareceu com simplicidade e imensa sabedoria.
João, logo de cara disse que Deus não era Jesus... Bem como que Jesus NÃO era Deus...
Todos pensadores têm sêde de saberem... “Que é Deus”.
Kardec também o queria, e quando pôde fez a primeira pergunta...
A verdadeira caridade é esclarecedora, para que pelo esclarecimento tenhamos plena condição de assimilar o que em verdade é a verdade, e evoluir pelo conhecimento, além o que há outra máxima “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”...
João 1, 1....10
No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
2 Ele estava no princípio com Deus.
3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
4 Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.
5 E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.
6 Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.
7 Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele.
8 Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz.
9 Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo.
10 Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.

Que isto tem a ver com a caridade?
Ora a verdadeira caridade é amar ao próximo como a si mesmo, então caridade de verdade com o próximo é esclarecer tanto quanto possível ao próximo, o que coaduna com o meu voto.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 31 de Janeiro de 2010, 23:07
eita irmão marco, ó nóis aí de novo... concordando...
o cito para me justificar... posso?
[...]

Amigo, fico feliz em estarmos sempre por aqui. Ajudemo-nos uns aos outros, estudando e compartilhando nossas cogitações.

Um grande abraço!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Clarita em 31 de Janeiro de 2010, 23:42
Rogativa de Servidor

Jesus!
Reconheço que a Tua vontade é sempre o melhor para cada um de nós,mas, se me permites algo pedir-Te, rogo me auxilies a ser uma bênção para os outros,

Emmanuel/Chico Xavier
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Sorrisinhos em 31 de Janeiro de 2010, 23:49
http://www.youtube.com/v/Pm7NNsSW8Gc (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS92L1BtN05Oc1NXOEdj)



A caridade é um gesto que cada um de nós deve cultivar.
Não é preciso dar no sentido material...por um vezes um pequeno gesto de carinho,um sorriso valem mais que mil moedas no bolso.
Por isso mãos à obra...
Pensem que cada acto de amor será recompensado com mais amor.

Abraços com muito Amor,Luz e Paz
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 00:44

    Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.

    Irmãos alguns apregoam-se a desculpas do tipo: "Se eu der vai tomar tudo de “cachaça”!"
    O importante é a sua benevolência; o que o outro irmão fará com sua doação, quem irá responder é ele. Estou falando exclusivamente do lado material, ou melhor, financeiro.
    Obviamente se pudermos dar um prato de comida e diálogos edificantes, será o ideal, e ainda que isto tudo venha com o tempero do amor verdadeiro, como já fora exposto pelos companheiros do fórum.
    Muita Paz à todos.


    Irmão Hauch

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 01 de Fevereiro de 2010, 00:58
E Prossegue João o evangelista a nos posicionar acerca da NÃO divindade de Jesus, mas que mesmo não sendo Ele, deus, estava com Deus, pela sua posição de puro Espírito...

João 1,
10 Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.
11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.
12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;
13 Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.
14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.
15 João testificou dele, e clamou, dizendo: Este era aquele de quem eu dizia: O que vem após mim é antes de mim, porque foi primeiro do que eu.
16 E todos nós recebemos também da sua plenitude, e graça por graça.
17 Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.
18 Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou.
19  E este é o testemunho de João, quando os judeus mandaram de Jerusalém sacerdotes e levitas para que lhe perguntassem: Quem és tu?
20 E confessou, e não negou; confessou: Eu não sou o Cristo.
21 E perguntaram-lhe: Então quê? És tu Elias? E disse: Não sou. És tu profeta? E respondeu: Não.
22 Disseram-lhe pois: Quem és? para que demos resposta àqueles que nos enviaram; que dizes de ti mesmo?
23 Disse: Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías.
24 E os que tinham sido enviados eram dos fariseus.
25 E perguntaram-lhe, e disseram-lhe: Por que batizas, pois, se tu não és o Cristo, nem Elias, nem o profeta?
26 João respondeu-lhes, dizendo: Eu batizo com água; mas no meio de vós está um a quem vós não conheceis.
27 Este é aquele que vem após mim, que é antes de mim, do qual eu não sou digno de desatar a correia da alparca.
28 Estas coisas aconteceram em betânia, do outro lado do Jordão, onde João estava batizando.
29 No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.
30 Este é aquele do qual eu disse: Após mim vem um homem que é antes de mim, porque foi primeiro do que eu.
31 E eu não o conhecia; mas, para que ele fosse manifestado a Israel, vim eu, por isso, batizando com água.
32 E João testificou, dizendo: Eu vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele.
33 E eu não o conhecia, mas o que me mandou a batizar com água, esse me disse: Sobre aquele que vires descer o Espírito, e sobre ele repousar, esse é o que batiza com o Espírito Santo.
34 E eu vi, e tenho testificado que este é o Filho de Deus.
35 No dia seguinte João estava outra vez ali, e dois dos seus discípulos;
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 01 de Fevereiro de 2010, 01:00
36 E, vendo passar a Jesus, disse: Eis aqui o Cordeiro de Deus.
37  E os dois discípulos ouviram-no dizer isto, e seguiram a Jesus.
38 E Jesus, voltando-se e vendo que eles o seguiam, disse-lhes: Que buscais? E eles disseram: Rabi (que, traduzido, quer dizer Mestre), onde moras?
39 Ele lhes disse: Vinde, e vede. Foram, e viram onde morava, e ficaram com ele aquele dia; e era já quase a hora décima.
40 Era André, irmão de Simão Pedro, um dos dois que ouviram aquilo de João, e o haviam seguido.
41 Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse-lhe: Achamos o Messias (que, traduzido, é o Cristo).
42 E levou-o a Jesus. E, olhando Jesus para ele, disse: Tu és Simão, filho de Jonas; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro).
43  No dia seguinte quis Jesus ir à Galiléia, e achou a Filipe, e disse-lhe: Segue-me.
44 E Filipe era de Betsaida, cidade de André e de Pedro.
45 Filipe achou Natanael, e disse-lhe: Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José.
46 Disse-lhe Natanael: Pode vir alguma coisa boa de Nazaré? Disse-lhe Filipe: Vem, e vê.
47 Jesus viu Natanael vir ter com ele, e disse dele: Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo.
48 Disse-lhe Natanael: De onde me conheces tu? Jesus respondeu, e disse-lhe: Antes que Filipe te chamasse, te vi eu, estando tu debaixo da figueira.
49 Natanael respondeu, e disse-lhe: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel.
50 Jesus respondeu, e disse-lhe: Porque te disse: Vi-te debaixo da figueira, crês? Coisas maiores do que estas verás.
51 E disse-lhe: Na verdade, na verdade vos digo que daqui em diante vereis o céu aberto, e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem.

Penso que, esclarecendo que Jesus NÂO é Deus, mas está em comunhão intima em Deus, é caridade pura e perfeito consolo, crermos que todos, mas todos nós mesmos, quando o queiramos, e quando o merecermos, estaremos também em idêntica posição, posto que em sendo Jesus o filho, nós também o somos.
Saúde e Paz a todos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 01 de Fevereiro de 2010, 01:09

   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.

    Irmãos alguns apregoam-se a desculpas do tipo: "Se eu der vai tomar tudo de “cachaça”!"
    O importante é a sua benevolência; o que o outro irmão fará com sua doação, quem irá responder é ele. Estou falando exclusivamente do lado material, ou melhor, financeiro.
    Obviamente se pudermos dar um prato de comida e diálogos edificantes, será o ideal, e ainda que isto tudo venha com o tempero do amor verdadeiro, como já fora exposto pelos companheiros do fórum.
    Muita Paz à todos.


    Irmão Hauch



Querido irmão, Hausch...
Deixa eu pegar uma garupa com o seu post e acrescentar o que tenho a dizer acerca do assunto?

Que é a matéria?
Questão que o LE nos dá belas dicas, e vejam foi publicado em 1857, de lá para cá quanto a cieência já acrescentou ao assunto...
Que é a matéria?
João e todo o capitulo 2 de seu evangelho...
Jesus e João passando algum esclarecimento...
Questão que Nem Jesus, nem João o Evangelista poderiam esclarecer naquele tempo... Daí a promessa do Paráclito, a vinda do Espírito da Verdade que desmistificaria possíveis ganhos em conhecimentos científicos, base primeira da nossa própria busca, para só depois de termos feito o esforço específico para aquilatar conhecimentos, é que esses conhecimentos precisariam de certo ajuste.
Naquela época o que Ele poderia fazer era mostrar que matéria é algo que o Espírito evoluído pode manipular. Na primira  parte do cap.2 João testifica:
Em havendo acabado o vinho, a alegria de comemorarem-se as bodas, estaria prejudicada, então unindo o útil ao agradável, a demonstração recebe as bênçãos do Altíssimo, e o Cristo demonstra que toda matéria é simples agregação de moléculas.
Uma bela demonstração de que caridade é produzir ensino, mas também o é proporcionar alegria nos episódios alegres do nosso viver na matéria.
Jesus que amava incondicionalmente seu próximo, não quis que aquela alegria saudável e plenamente justificável tivesse interrupção naquele instante... Então aproveitou esse fato para ensinar um outro.

Vejamos aí nessa passagem há ensino caridoso, aliado ao que era possível demonstrar em termos de conhecimento o que é a matéria.
Com a devida vênia do meu amado irmão Hauch, o uso que se fará da bebida é que incide ou não o erro... A bebida em sí nada tem de perversa...
Saúde e Paz a todos!

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 01 de Fevereiro de 2010, 01:21
Na segunda parte do cap. 2 - João testifica como contemporâneo que era do Mestre, que Jesus asseverou que não é pela imolação ou manipulação da matéria que se dará o enriquecimento do filho de Deus, mas pelo propósito no amor...
Derribem esse templo que o reeguerei em 3 dias...
Foi o que bastou para o Mestre, em tendo sido derribado no infame madeiro, se reergueu ao terceiro dia...
Esse gesto, marcou o nascedouro do Cristianismo...
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Carmen.gbi em 01 de Fevereiro de 2010, 01:32
Olá, Manuel.

Bom dia , Amigos

Pois é Manuel, um tema muito interessante e difícil, não é? CARIDADE... parece que é fácil "ser caridoso" , quando não se tem a noçao do verdadeiro sentido do que a mesma signifique.

Pra mim a caridade seria  fazer algo sem nem ao menos se sentir que se está fazendo, não apenas um ato automático  e sim como um sentimento que saisse de dentro de nós, sem ser percebido, espontâneo.
É dar sem se esperar retribuição.É auxiliar a quem precisa em qualquer que seja o aspecto.É  perceber , sentir a necessidade do outro, ser presente. É  participar da necessidade do amigo, do irmão , do conhecido, do desconhecido, e   estar com ele , não apenas "dar" . É doar-se . É tentar minimizar um deconforto , uma necessidade e não se sentir com isso uma pessoa melhor do que quem está recebendo.
Na verdade a caridade é uma consequência do "amor".

Acho que essa mensagem abaixo nos mostra significativamente muito sobre o tema que será estudado  esse mês.



Caridade, A Meta


Guarda, na mente, que a caridade em teus atos deve ser a luz que vence a sombra.
Enquanto não compreendas que a caridade é sempre a bênção maior para quem a realiza, ligando o benfeitor ao necessitado, estarás na fase primária da virtude por excelência.

Poderás repartir moedas, a mãos-cheias; todavia, se não mantiveres o sentimento da amizade em relação ao carente, não terás logrado alcançar a essência da caridade.

Repartirás tecidos e agasalhos com os desnudos; no entanto, se lhes não ofertares compreensão e afabilidade, permanecerás na filantropia.

Atenderás aos enfermos com medicação valiosa; entretanto, se não adicionares ao gesto a gentileza fraternal, estarás apenas desincumbindo-te de um mister de pequena monta.

Ofertarás o pão aos esfaimados; contudo, se os não ergueres com palavras de bondade, não alcançaste o sentido real da caridade.

Distribuirás haveres e coisas com os desafortunados do caminho; não obstante, sem o calor do teu envolvimento emocional em relação a eles, não atingiste o fulcro da virtude superior.

A caridade é algo maior do que o simples ato de dar.

Certamente, a doação de qualquer natureza sempre beneficia aquele que lhe sofre a falta. Todavia, para que a caridade seja alcançada, é necessário que o amor se faça presente, qual combustível que permite o brilho da fé, na ação beneficente.

A caridade material preenche os espaços abertos pela miséria sócio-econômica, visíveis em toda parte.

Além deles, há todo um universo de necessidades em outros indivíduos que renteiam contigo e esperam pela luz libertadora do teu gesto.

A indulgência, em relação aos ingratos e agressivos;

a compaixão, diante dos presunçosos e perversos;

a tolerância, em favor dos ofensores;

a humildade, quando desafiado ao duelo da insensatez;

a piedade, dirigida ao opressor e déspota;

a oração intercessória, pelo adversário;

a paciência enobrecida, face às provocações e à irritabilidade dos outros;

a educação, que rompe as algemas da estupidez e da maldade que se agasalham nas furnas da ignorância gerando a delinqüência e a loucura...

A caridade moral é desafio para toda hora, no lar, na rua, no trabalho.

Exercendo-a, recorda também da caridade em relação a ti mesmo.

Jesus, convivendo com os homens, lecionou exemplificando todas as modalidades da caridade, permanecendo até hoje como o protótipo mais perfeito que se conhece, tornando-a a luz do gesto, que vence a sombra do mal, através da ação do amor.

Caridade, pois, eis a meta.
 
* * *


Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Vigilância.
Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis.
1a edição. Salvador, BA: LEAL, 1987.
[/b] [/b]
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: lipeolv em 01 de Fevereiro de 2010, 05:21
Caridade é dar um pouquinho de si sem esperar nada em troca. Mas a recompensa quase sempre vem, em forma de um sorriso ou de uma palavra de gratidão.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: llua em 01 de Fevereiro de 2010, 06:51
http://www.youtube.com/watch?v=byXz18ALlsA (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWJ5WHoxOEFMbHNB)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: llua em 01 de Fevereiro de 2010, 06:52
http://www.youtube.com/watch?v=wiFq8WfvqQo&feature=fvsr (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXdpRnE4V2Z2cVFvJmFtcDtmZWF0dXJlPWZ2c3I=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: llua em 01 de Fevereiro de 2010, 06:56
http://www.youtube.com/watch?v=66GtBRttT_A&feature=related (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTY2R3RCUnR0VF9BJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQ=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: llua em 01 de Fevereiro de 2010, 07:30
http://www.youtube.com/watch?v=P1dLWpqusVg&feature=related (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVAxZExXcHF1c1ZnJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQ=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: llua em 01 de Fevereiro de 2010, 07:32
http://www.youtube.com/watch?v=fVtxifyVyBI (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWZWdHhpZnlWeUJJ)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 08:55

Olá!

É apenas os ensinamentos do espiritismo "verdadeiro" ditado pelos Espiritos Superiores e codificado por Allan Kardec.


" Allan Kardec "

886 Qual é o verdadeiro sentido da palavra caridade como a entendia Jesus?

– Benevolência com todos, indulgência com as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.


827 A obrigação de respeitar os direitos dos outros tira do homem o direito de ser senhor de si?

– De jeito nenhum, porque esse é um direito que a natureza lhe concede.

886 Qual é o verdadeiro sentido da palavra caridade como a entendia Jesus?

– Benevolência com todos, indulgência com as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.

880 Qual o primeiro de todos os direitos naturais do homem?

– O de viver. Ninguém tem o direito de atentar contra a vida de seu semelhante nem fazer o que possa comprometer sua existência física.

875 Como se pode definir a justiça?

– A justiça consiste no respeito aos direitos de cada um.

☼ A lei de amor e de justiça, ao ensinar que devemos fazer aos outros o que quereríamos que nos fizessem, condena, por isso mesmo, todo meio de ganho contrário a essa lei.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 08:57

Olá!

" Allan Kardec "

Liberdade de pensar

833 Há no homem alguma coisa livre de qualquer constrangimento e da qual desfruta de uma liberdade absoluta?

– É pelo pensamento que o homem desfruta de uma liberdade sem limites, porque o pensamento desconhece obstáculos. Pode-se deter seu vôo, mas não aniquilá-lo.

834 O homem é responsável por seu pensamento?

– É responsável diante de Deus; somente Deus, podendo conhecê-lo, o condena ou o absolve segundo Sua justiça.

Liberdade de consciência

835 A liberdade de consciência é uma conseqüência da de pensar?

– A consciência é um pensamento íntimo que pertence ao homem, como todos os outros pensamentos.

836 O homem tem direito de colocar obstáculos à liberdade de consciência?

– Não, nem à liberdade de pensar. Pertence apenas a Deus o direito de julgar a consciência. Se os homens regulam por suas leis as relações de homem para homem, Deus, pelas leis da natureza, regula as relações do homem com Deus.


Para se assegurar da unidade no futuro, uma condição é indispensável, é que todas as partes do conjunto da Doutrina sejam determinadas com precisão e clareza, sem nada deixar no vago; para isso fizemos de modo que os nossos escritos não possam dar lugar a nenhuma interpretação contraditória, e trataremos que isso seja sempre assim. Quando se tiver dito, com firmeza e sem ambigüidade, que dois e dois são quatro, ninguém poderá pretender que se quis dizer que dois e dois fazem cinco. Poderão, pois, se formar, ao lado da Doutrina, seitas que não lhe adotem os princípios, ou todos os princípios, mas não na Doutrina pela interpretação do texto, como se formaram tão numerosas sobre o sentido das próprias palavras do Evangelho. Aí está um primeiro ponto de uma importância capital.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 09:02

Olá!

" Allan Kardec "

Os sofrimentos aqui da Terra, algumas vezes, independem de nós, mas muitos são as conseqüências da nossa vontade, e se buscarmos as origens constataremos que, em sua maior parte, resultam de causas que poderíamos evitar. Quantos males, quantas enfermidades o homem não deve aos seus excessos, à sua ambição, às suas paixões? O homem que sempre tivesse vivido sobriamente, que não tivesse cometido abusos, que sempre tivesse sido simples em seus gostos, modesto em seus desejos, se pouparia de muitos sofrimentos. O mesmo acontece com o Espírito: as angústias que enfrenta são a conseqüência da maneira como viveu na Terra. Sem dúvida, não terá mais artrite nem reumatismo, mas terá outros sofrimentos que não são menores. Temos visto que os sofrimentos que sente são causados pelos laços que ainda existem entre ele e a matéria e, quanto mais se desmaterializa, menos tem sensações dolorosas. Portanto, depende do homem querer libertar-se dessa influência já em vida; tem seu livre-arbítrio e, conseqüentemente, a escolha entre fazer e não fazer. Que ele dome suas paixões brutais, não tenha ódio, inveja, ciúme, nem orgulho; que purifique sua alma pelos bons sentimentos; que faça o bem; que dê às coisas deste mundo a importância que merecem; então, ainda no corpo físico, já estará purificado, desprendido da matéria, e quando o deixar não sofrerá mais sua influência. Os sofrimentos físicos que experimentou não deixarão nenhuma lembrança dolorosa; não restará nenhuma impressão desagradável, porque afetou apenas o corpo e não o Espírito. Ficará feliz por estar livre delas, e a calma de sua consciência o livrará de todo sofrimento moral.



Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 09:04

Olá!

" Allan Kardec "

1. Há um Deus, inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas.

A prova da existência de Deus está no axioma: Não há efeito sem causa. Vemos incessantemente uma multidão inumerável de efeitos, cuja causa não está na Humanidade, uma vez que a Humanidade está impossibilitada de reproduzi-los, e mesmo de explicá-los: a causa está, pois, acima da Humanidade. É a essa causa que se chama Deus, Jeová, Alá, Brama, Fo-hi, Grande Espírito, etc., segundo as línguas, os tempos e os lugares.

Esses efeitos, de nenhum modo, não se produzem ao acaso, fortuitamente e sem ordem; desde a organização do menor inseto, e do maior grão, até à lei que rege os mundos circulando no espaço, tudo atesta um pensamento, uma combinação, uma previdência, uma solicitude que ultrapassam todas as concepções humanas. Essa causa é, pois, soberanamente inteligente.

2. Deus é eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom.

-------------------

Dito isto, apenas me resta aquiescer aos desígnios de Deus. Esta é a minha caridade. Este é o meu livre arbítrio.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 09:08

Olá!

" OSHO "
Ego - o falso centro

Se alguém disser: "Não há nada", imediatamente começa a briga porque você também sente que não há nada. O outro o torna consciente desse fato.
O ego é falso, ele não é nada.

E você também sabe isso.

Como você pode deixar de saber isso? É impossível! Um ser consciente - como pode ele deixar de saber que o ego é simplesmente falso? E então os outros dizem que não existe nada - e sempre que os outros dizem que não existe nada, eles batem numa ferida, eles dizem uma verdade - e nada fere tanto quanto a verdade.
Você tem que se defender, porque se você não se defende, se não se torna defensivo, onde estará você?
Você estará perdido.

A identidade estará rompida.

Assim, você tem que se defender e lutar - este é o conflito. Um homem que alcança o eu nunca se encontra em conflito algum. Outros podem vir e entrar em choque com ele, mas ele nunca está em conflito com ninguém.
Aconteceu de um mestre Zen estar passando por uma rua. Um homem veio correndo e o golpeou duramente.

O mestre caiu. Logo se levantou e voltou a caminhar na mesma direção na qual estava indo antes, sem nem ao menos olhar para trás.

Um discípulo estava com o mestre. Ele ficou simplesmente chocado. Ele disse:
"Quem é esse homem? O que significa isso? Se a gente vive desta maneira, qualquer um pode vir e nos matar. E você nem ao menos olhou para aquela pessoa, quem é ela, e por que ela fez isso?"

O mestre disse: "Isso é problema dela, não meu."

Você pode entrar em choque com um iluminado, mas esse é seu problema, não dele. E se você fica ferido nesse choque, isso também é problema seu. Ele não o pode ferir. É como bater contra uma parede - você ficará machucado, mas a parede não o machucou.
O ego sempre está procurando por algum problema. Por quê? Porque se ninguém lhe dá atenção o ego sente fome.
 
Ele vive de atenção.

Assim, mesmo se alguém estiver brigando e com raiva de você, mesmo isso é bom pois pelo menos você está recebendo atenção. Se alguém o ama, isso está bem. Se alguém não o está amando, então até mesmo a raiva servirá. Pelo menos a atenção chega até você. Mas se ninguém estiver lhe dando qualquer atenção, se ninguém pensa que você é alguém importante, digno de nota, então como você vai alimentar o seu ego?

A atenção dos outros é necessária.

Você atrai a atenção dos outros de milhões de maneiras; veste-se de um certo jeito, tenta parecer bonito, comporta-se bem, torna-se muito educado, transforma-se. Quando você sente o tipo de situação que está ocorrendo, você imediatamente se transforma para que as pessoa lhe dêem atenção.

Esta é uma forma profunda de mendicância. Um verdadeiro mendigo é aquele que pede e exige atenção. Um verdadeiro imperador é aquele que vive em sua interioridade; ele tem um centro próprio, não depende de mais ninguém.

Buda sentado sob sua árvore Bodhi... se o mundo inteiro de repente vier a desaparecer, isso fará alguma diferença para Buda? - nenhuma. Não fará diferença alguma, absolutamente. Se o mundo inteiro desaparecer, não fará diferença alguma porque ele atingiu o centro.

Mas você, se sua esposa foge, se ela pede divórcio, se ela o deixa por outro, você fica totalmente em pedaços - porque ela lhe dava atenção, carinho, amor, estava sempre à sua volta, ajudando-o a sentir-se alguém. Todo o seu império está perdido, você está simplesmente despedaçado. Você começa a pensar em suicídio. Por quê? Por que, se a esposa o deixa, você deveria cometer suicídio? Por que, se o marido a deixa, você deveria cometer suicídio? Porque você não tem um centro próprio. A esposa estava lhe dando o centro; o marido estava lhe dando o centro.

É assim que as pessoas existem. É assim que as pessoas se tornam dependentes umas das outras. É uma profunda escravidão. O ego tem que ser um escravo. Ele depende dos outros. E somente uma pessoa que não tenha ego é, pela primeira vez, um mestre; ela deixa de ser uma escrava. Tente entender isso.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dOM JORGE em 01 de Fevereiro de 2010, 09:13
                                                          VIVA JESUS!


                                        Bom-dia! queridos irmãos em Cristo.


      A ignorância espiritual de um ser afastá-o de toda e qualquer possibilidade de evolução.     
      Torna-o refém de seus próprios equivocos e obsta seus passos de tal forma, que se crava num plano em que não vislumbra sequer um horizonte.
      Tudo que vê é de somenos importância, pois parte do principio que aquilo que tem, aquilo que sofre é de acordo com sua posição assumida, isto é, a de estar no mundo contabilizando mais um número em sua grandeza.
      Então todas as escolhas possíveis lhe são vedadas na origem, por serem natimortas.
      É muito cruel a vida de uma pessoa que não tem seu suporte espiritual, pois é uma folha a singrar o espaço ao sabor do vento.
      Portanto, sejamos denunciadores do conhecimento, distribuamos o mesmo a todo aquele que sequer demonstre um esgar de solicitude para conosco. Tentemos furar esse bloqueio que jaz em nosso semelhante como uma cacra que incrustrada não se dá por vencida, e ferreteia seu hospedeiro.
      Sejamos mais atentos a esses irmãos que estão à margem de si mesmos, e não perpetuemos a máxima que julgo canhestra de dizer: “cada qual a seu tempo”.
      Muita coisa pra acontecer carece de um catalizador pra seu desiderato. Então, que possamos descerrar o véu que empana o olhar do nosso semelhante. Isto é CARIDADE.



                                                                  PAZ, MUITA PAZ!

                                                                           dOM JORGE
         
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 09:25

Olá!

Nunca é demais referir a Liberdade do Espiritismo, já que o que por aí anda mais parecem máximas católicas.

Ah!! Deve ser a doutrina brasileira...

" Allan Kardec "

O Espiritismo é uma doutrina filosófica que tem conseqüências religiosas, como toda doutrina espiritualista; por isso mesmo toca forçosamente às bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma e a vida futura; mas não é, uma religião constituída, tendo em vista que não tem nem culto, nem rito, nem templo, e que, entre os seus adeptos, nenhum tomou ou recebeu o título de sacerdote ou de sumo-sacerdote. Essas qualificações são pura invenção da crítica.

O Espiritismo proclama a liberdade de consciência como um direito natural: reclama-a para os seus, como para todo o mundo. Respeita todas as convicções sinceras, e pede para si a reciprocidade.


Para se assegurar da unidade no futuro, uma condição é indispensável, é que todas as partes do conjunto da Doutrina sejam determinadas com precisão e clareza, sem nada deixar no vago; para isso fizemos de modo que os nossos escritos não possam dar lugar a nenhuma interpretação contraditória, e trataremos que isso seja sempre assim. Quando se tiver dito, com firmeza e sem ambigüidade, que dois e dois são quatro, ninguém poderá pretender que se quis dizer que dois e dois fazem cinco. Poderão, pois, se formar, ao lado da Doutrina, seitas que não lhe adotem os princípios, ou todos os princípios, mas não na Doutrina pela interpretação do texto, como se formaram tão numerosas sobre o sentido das próprias palavras do Evangelho. Aí está um primeiro ponto de uma importância capital.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Zefiro em 01 de Fevereiro de 2010, 10:23
            Bom dia, meus caros amigos.

           Fora da caridade não há salvação.
 
           Este é a virtude mais elevada dentro dos Campos Elisios do Amor, pois este é o amor que se doa, o amor que se entrega.

           A Caridade pode ser definida de duas formas:

      A Caridade Material:   Se executa a caridade material quando se priva de um bem material ou cede aquilo que mais tem para quem não o possui, também é a dita humildade na qual não se entrega ao chacais a pessoa pela sua miserável condição.

      A Caridade Moral:    Se faz presente nos momentos de dificuldade para o consolo, nos quais cingimos os que amamos e lhe dedicamos palavras deleitosas para fortalecer, se manifesta também, quando na corrigenda de uma erro de outrem, no qual não nos lançamos como feras em cima de seus defeitos, mas planamos deliciosamente em torno de suas qualidades para que enxergue o lado bom da vida.
      

           A caridade é o amor doado, um amor selado com ação verdadeira, na qual se vê a indulgência, a capacidade de ocupar o lugar de outrem para que este possa se livrar de algo que muito o incomoda.

           Rogar pelos que sofrem e à eles irradiar doce balsámo de fé. Aliviar sus pisques do tormento aflitante de seus remorços e eleva-los através do amor, do amor que dedica,do amor que se doa.

              Muito Grato.

             Dominus Vobiscum.

            Quid Pax et Dominus cum Tuo  
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Victor Passos em 01 de Fevereiro de 2010, 10:30
Ola muita paz e harmonia companheiros

Ajuda e Passa



                Estende a mão fraterna ao que ri e ao que chora:
                O palácio e a choupana, o ninho e a sepultura,
                Tudo o que vibra espera a luz que resplendora,
                Na eterna lei de amor que consagra a criatura.

                Planta a bênção da paz, como raios de aurora,
                Nas trevas do ladrão, na dor da alma perjura;
                Irradia o perdão e atende, mundo afora,
                Onde clame a revolta e onde exista a amargura.

                Agora, hoje e amanhã, compreende, ajuda e passa;
                Esclarece a alegria e consola a desgraça,
                Guarda o anseio do bem que é lume peregrino...

                Não troques mal por mal, foge à sombra e à vingança,
                Não te aflija a miséria, arrima-te à esperança.
                Seja a bênção de amor a luz do teu destino.


 Livro: Parnaso de Além-Túmulo
Alberto de Oliveira & Francisco Cândido Xavier

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Victor Passos em 01 de Fevereiro de 2010, 11:04
Ola Amigo Altino
Muita paz

  Tem pela frente um Tema excelente e do qual muito se pode proporcionar, mesmo aos mais ceticos.
   Amigos a caridade não tem extrato na raça, , no sexo, na sabedoria, no extrato social, nem tem nome. Ela gere-se por si mesma, o amor na sua enorme fluidez transporta em si a dadiva, sem quantificação, porque nao se pesa e não se mede, ela é silenciosa e humilde.
   A grandeza das almas no apreço da caridade deve fazer por permanecer nas raizes infimas de cada Ser, ou seja começa em cada de nós, porque se não formos capazes de doar a caridade a nós mesmos , não saberemos doar aos outros. O conhece-te a ti mesmo é um passo de enormidade para a projeção do amor pelo proximo e pelas estãncias que se nos propicionam todos os dias.
   Os primeiros necessitados dela somos nós, e quando soubermos a esencia do amor conseguiremos transformar o Universo que nos envolve, porque a caridade não é passiva , mas activa e proliferadora de solidariedade, respeito e fraternidade, porque sua essencia é viuva de ambição, orgulho e egoismo, só dessa forma é que teremos caridade, então tomemos o rumo do amor , proporcionando a resposta que todos temos que dar à natureza existencial,  e estaremos a ser o espelho real da sublimidade e da vida, sim , no amor sincero, e não naquele que cobra por visão minuscula da sua ternidade....
Amem, mas amem de verdade...

Muita paz

Victor Passos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ramon em 01 de Fevereiro de 2010, 11:21

PSICOLOGIA DA CARIDADE                              

                                               
         Provavelmente, não existe em nenhum tópico da literatura mundial figura mais expressiva que a do samaritano generoso, apresentada por Jesus para definir a psicologia da caridade.
        Esbarrando com a vítima de malfeitores anônimos, semimorta na estrada, passaram dois religiosos, pessoas das mais indicadas para o trato da beneficência, mas seguiram de largo, receando complicações.
        Entretanto, o samaritano que viajava, vê o infeliz e sente-se tocado de compaixão.
        Não sabe quem é. Ignora-lhe a procedência.
        Não se restringe, porém, à emotividade.
        Pára e atende.
        Balsamiza-lhe as feridas que sangram, coloca-o sobre o cavalo e condu-lo à uma hospedaria, sem os cálculos que o comodismo costuma traçar em nome da prudência.
        Não se limita, no entanto, a despejar o necessitado em porta alheia. Entra com ele na vivenda e dispensa-lhe cuidados especiais.
        No dia imediato, ao partir, não se mostra indiferente. Paga-lhe as contas, abona-o qual se lhe fora um familiar e compromete-se a resgatar-lhe os compromissos posteriores, sem exigir-lhe o menor sinal de identidade e sem fixar-lhe tributos de gratidão.
        Ao despedir-se, não prende o beneficiado em nehuma recomendação e, no abrigo de que se afasta, não estadeia demagogia de palavras ou atitudes, para atrair influência pessoal.
        No exercício do bem, ofereceu o coração e as mãos, o tempo e o trabalho, o dinheiro e a responsabilidde. Deu de si o que podia por si, sem  nada pedir ou perguntar.
        Sentiu e agiu, auxiliou e passou....
       Sempre que interessados em aprender a praticar a misericórdia e a caridade, rememoremos o ensinamento do Cristo e façamos nós o mesmo.

 Emmanuel/Chico Xavier/Livro de Esperanca.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Zefiro em 01 de Fevereiro de 2010, 11:34
             Caridade, grande deleite da alma, egrégia Virtude, adormecida em uns, latente em outros e plenas em muitos.

              No cerne de cada espírito se encontra esta Poderosa manifestação do amor.

             Caridade dispensa credo, cor, sexo, condição financeira, social.

             Para a caridade não há o mais importante, nem o mais humilhante, e sim o que mais necessita, pois nenhum diploma encanta e nenhum óbolo ela ambiciona.

            A caridade apenas se ambiciona ajudar, acima de tudo cooperar, ser o suporte do fraco, o educador dos humildes, o desbravador de horizontes aos aflitos.

           Para a caridade só existe o amor, e tudo nele se encontra mesclado, e por isso, cinge a todos, e respeitando a Liberdade leva para os Salões da Alegria aqueles que dela aceitam o propósito de lutar, de se impor por um dia de paz, um dia de amor, de fraternidade.

          Abre as portas da esperança e na plenitude do amor se cinge de Caridade a Nobre alma, e transmite seu bem a todos, pois sua maior alegria e ver alegria verdadeira nos que a rodeiam, e este somos todos nós.

               Muito Grato.

               Quid Pax et Dominus cum Tuo.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Bluemoon em 01 de Fevereiro de 2010, 11:44
                        … se indagardes, ainda hoje, quanto à solução dos problemas que vos afligem a atualidade terrestre, a resposta-síntese ainda é aquela de há quase de dois mil anos – “caridade de uns para com os outros”.

                        Caridade que se vos expresse em respeito e entendimento fraternal no relacionamento de cada dia. caridade que se torne gentileza diante da agressividade; paciência para com o desequilíbrio; fé viva perante as chamadas desilusões do caminho; otimismo à frente das provas; benção para com todos aqueles que amaldiçoam; auxílio para com os mais jovens na experiência física, em forma de bondade e compreensão das lutas que porventura carreguem; reconforto em favor de quantos se vejam transitoriamente detidos na madureza avançada do corpo em marcha perante a renovação…

                        Caridade dos que sabem, ajudando fraternalmente os que ignoram; dos que usufruem saúde corpórea diante de quantos se vejam corroídos pelos agentes da enfermidade; dos mis fortes, sustentando os fracos e indecisos; doa que entesouraram esperança em socorro dos que jazem exaustos nos problemas inquietantes da vida; dos que podem distribuir, pelo menos, migalhas de auxílio, no amparo aos que se viram encarcerados em abatimento e penúria; dos que são apoiados pela realização dos próprios ideais na sustentação dos que choram na angústia; de todos os que podem auxiliar, desse ou daquele modo, para construir o Mundo Melhor

Tão somente na caridade – luz divina – a fluir de nós na direção dos outros, conseguiremos melhorar o que somos e o que temos, para sermos o que nos cabe ser e alcançar os valores que desejamos.

 
Dr. BEZERRA DE MENEZES

Psicografia de CHICO XAVIER
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 11:45
    Que à Paz e o Amor de DEUS permaneçam em nossos corações.
    Companheiros é de suma importância, no que diz respeito a caridade, notem irmãos que, quanto mais pensamos que sabemos sobre o espiritismo, vemos que nada sabemos, e voltando, um dos lados mais importantes deste tema como dizia é, por mais que nos alegremos em doar, ajudar e auxiliar, de qualquer forma que o seja, não devemos fazê-lo só para recebermos um reconhecimento de DEUS, como já o disse esta caridade deve provir fruto de nosso Amor e Consciência. Pior que isto é, que mesmo a caridade (sempre entendam caridade, por tudo que englobe “amai ao próximo como a ti mesmo” e “não faça ao próximo, o que não gostaria que fosse feito à você”) sendo realizada com todo o amor e benevolência, ou felicidade em ajudar ao próximo, não devemos nos orgulhar, ou comentar com alguém, que cairíamos nos 2 princípios básicos e negativos da doutrina: Orgulho e Vaidade.
    Em verdade vos digo que, estas 3 últimas frases  do parágrafo anterior, só às conquistamos depois de muita prática, estudo e renúncia.
    Por isso companheiros, comecemos ontem na prática da caridade, Day by Day, minute by minute and second by second (traduzindo: dia após dia, minuto à minuto e segundo à segundo)! Vivamos desde já, principalmente os companheiros conhecedores da Doutrina, dentro de uma consciência espírita, seja no trabalho, no lar ou na casa espírita que freqüentem. Reparem que a bondade DIVINA é tão grande, que caso não procurem a caridade, DEUS a coloca em nossos “caminhos”. Então irmãos, estejamos atentos sempre para que não às deixemos passar.
Muita Paz.

    Amigos só usei este trecho para que irmãos de outros países saibam que conhecemos vossos idiomas.

 
Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ramon em 01 de Fevereiro de 2010, 11:52

A CARIDADE DA DIVULGAÇÃO DA DOUTRINA ESPÍRITA,
NUMA POPULAÇÃO ALVO COM ARGUMENTOS CONTRÁRIOS DIVERSOS

Doutrina Espirita divulgada em site não espírita.
Ajudem-nos a atravessar a fronteira - divulgando

http://juli.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=1987995 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2p1bGkucmVjYW50b2Rhc2xldHJhcy5jb20uYnIvdmlzdWFsaXphci5waHA/aWR0PTE5ODc5OTU=)

UMA TAREFA DIFICIL
QUEM DUVIDAR FAÇA A EXPERIÊNCIA.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 01 de Fevereiro de 2010, 12:30
Caríssimos irmãos estudantes,
Eis um exemplo de que é Caridade Pura, esclarecer como o Espiritismo faz que a vida continua mesmo após o desenlace da matéria bruta...

É uma piada, mas, com um fundo de verdade inexprimível pela singeleza.
Quem me mandou essa piada, foi uma querida irmã evangélica que classificou assim o episodio:
“Além de simpática e vivida, a bela senhora é muiiittto sinceraaaaa!!!!!”
“Todos os seres Humanos deveriam viver como esta boa e adorável senhorinha!”

Aí eu digo:  NÂOOOOOOOOOO!!!!!
Peço perdão pela xuleza, ao final, mas para ser piada é preciso ser fiel.

Na missa das seis horas do domingo passado, na Igreja de S.Paulo Apóstolo, em Copacabana, o Padre Eusébio perguntou aos fiéis, ao final da homilia:
- Quantos de vocês já conseguiram perdoar seus inimigos?
A maioria levantou a mão. Alguns tibiamente... Não todos.
Para Reforçar a resposta do grupo, ele voltou a repetir a mesma pergunta ao que então todos levantaram a mão.
Menos uma pequena e frágil velhinha, que estava na segunda fileira, apoiada numa enfermeira particular.
Padre Eusébio então perguntou:
- Dona Mariazinha, a senhora não está disposta a perdoar seus inimigos ou suas inimigas?
- Eu não tenho inimigos!
Respondeu ela docemente.
Padre Eusébio exclamou:
- Oh! Mas isto é muito raro, dona Mariazinha...! Quantos anos a senhora tem?
Ao que ela respondeu também docemente:
-98 anos.
A turma presente na Igreja se levantou e aplaudiu a idosa entusiásticamente.
Cessados os aplausos, o Padre Eusébio prosseguiu:
- Doce dona Mariazinha, será que a sra. Poderia vir aqui na frente contar para todos nós como se vive 98 anos e não se ter inimigos?
Doce dona Mariazinha respondeu:
- Com prazer!
Aí aquela gracinha de velhinha se dirigiu lentamente ao altar, amparada pela sua acompanhante e ocupou o púlpito.
Virou-se de frente para os fiéis, ajustou o microfone com suas mãozinhas trêmulas e então disse em tom solene, olhando firmemente para todos os presentes vivivelmente emocionados:

- Porque já morreram todos... Aqueles filhos da puta!

Para desanuviar os "ânimus" em tema bastante complicado!
 
Saúde e Paz a todos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: manuel Altino em 01 de Fevereiro de 2010, 12:35
Saudaçôes Fraternas a todos e como muito carinho estou maravilhado como a participãção ddetodos os companheiros. Para melhor meditarmos neste estudo da Caridade é importante sabermos que toda a caridade nos faz sentir muito bem e cito um texto para entendermos  um pouco as nossas doações espirituas.
Feliz daquele que destaca uma parcela do que possui, a benefício dos semelhantes! Bem-aventurado aquele que dá de si próprio! Através de todos os filtros do bem, o amor é sempre o mesmo, mas, enquanto as dádivas materiais, invariavelmente benditas, suprimem as exigências exteriores, as doações de espírito interferem no íntimo, dissipando as trevas que se acumulam no reino da alma. Dolorosa a tortura da fome, terrível a calamidade moral. Divide o teu pão com as vítimas da penúria, mas estende fraternas mãos aos que vagueiam mendigando o esclarecimento e o consolo que desconhecem. Não precisas procurá-los, de vez que te cercam em todos os ângulos do caminho... São amigos e por vezes te ferem com supostas atitudes de crueldade, quando apenas te esmolam conforto, comunicando-te, em forma de intemperança mental, as chamas de sofrimento que lhes calcinam os corações; categorizam-se por adversários e criam-te problemas, não por serem perversos, mas porque lhes faltam ainda as luzes do entendimento; aparecem por pessoas entediadas, que dispõem de todas as vantagens humanas para serem felizes, mas a quem falta uma voz verdadeiramente amiga, capaz de induzi-las a descobrir a tranquilidade e a alegria, através da sementeira das boas obras; surgem na figura de criaturas consideradas indesejáveis e viciosas, cujo desequilíbrio nada mais é que a expectativa frustrada do amparo afectivo que suplicaram em vão!...
Para atender aos que carecem de apoio físico, é preciso bondade; no entanto, para arrimar os que sofrem necessidades da alma, é preciso bondade com madureza.
Se já percebes que nem todos estamos no mesmo degrau evolutivo, auxilia com a tua palavra ou com o teu silêncio, ou com o teu gesto ou com a tua decisão no plantio da união e da concórdia, da esperança e do optimismo, no terreno em que vives!...
Compreender e compreender para a sustentação da lavoura do bem que se cobrirá de frutos para a felicidade geral.
Não te digas em solidão para fazer tanto...
Reflectindo em nossos deveres, antes as doações espirituais, lembremo-nos de Jesus.
Nos dias de fome da turba inquieta, reunia-se o Divino mestre com os amigos para beneficiar a milhares; entretanto, na hora do extremo sacrifício, quando lhe cabia socorrer as vítimas da ignorância e do ódio, da violência e do fanatismo, ele sozinho fez o donativo de si mesmo, em favor de milhões.
(Do livro "Estude e Viva"
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 13:01

A CARIDADE DA DIVULGAÇÃO DA DOUTRINA ESPÍRITA,
NUMA POPULAÇÃO ALVO COM ARGUMENTOS CONTRÁRIOS DIVERSOS

Doutrina Espirita divulgada em site não espírita.
Ajudem-nos a atravessar a fronteira - divulgando

http://juli.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=1987995 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2p1bGkucmVjYW50b2Rhc2xldHJhcy5jb20uYnIvdmlzdWFsaXphci5waHA/aWR0PTE5ODc5OTU=)

UMA TAREFA DIFICIL
QUEM DUVIDAR FAÇA A EXPERIÊNCIA.


    Capítulo XVIII – MUITOS OS CHAMADOS, POUCOS OS ESCOLHIDOS.........Pág. 287, “O Evangelho Segundo o Espiritismo.”
    Irmão Ramon, não sei se o entendi bem, mas caso o tenha, não percas teu tempo, fluidos emocional e vital, com céticos de coração. O PAI mandou seu próprio FILHO, ainda assim, como o trataram!?
    Como o MESTRE disse aos seus discípulos de uma forma figurada: “...se não forem bem recebidos naquela cidade, saiam e limpem até à poeira dos teus pés...” (poeira neste caso tem várias conotações). Entra aí vosso livre arbítrio, porém reitero, e isto não é falta de caridade, “não daí pérolas aos porcos”.
    Muita Paz.

    Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 13:07
Olá!

" Allan Kardec "

Compreende-se facilmente toda a diferença que existe entre a obsessão simples e a fascinação; compreende-se também que os Espíritos que produzem esses dois efeitos devem diferir de caráter. Na primeira, o Espírito que se agarra à pessoa não passa de um importuno pela sua tenacidade e de quem aquela se impacienta por desembaraçar-se. Na segunda, a coisa é muito diversa. Para chegar a tais fins, preciso é que o Espírito seja destro, ardiloso e profundamente hipócrita, porquanto não pode operar a mudança e fazer-se acolhido, senão por meio da máscara que toma e de um falso aspecto de virtude.

Os grandes termos - caridade, humildade, amor de Deus - lhe servem como que de carta de crédito, porém, através de tudo isso, deixa passar sinais de inferioridade, que só o fascinado é incapaz de perceber. Por isso mesmo, o que o fascinador mais teme são as pessoas que vêem claro. Daí o consistir a sua tática, quase sempre, em inspirar ao seu intérprete o afastamento de quem quer que lhe possa abrir os olhos. Por esse meio, evitando toda contradição, fica certo de ter razão sempre.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Victor Passos em 01 de Fevereiro de 2010, 13:08
Ola muita paz e harmonia Amigos (as)

Caridade: amor em ação

Você já pensou a respeito do amor ao próximo, recomendado por todas as grandes religiões do Mundo?

Certamente quando pensamos no amor-sentimento, como uma forte afeição, confiança plena, deduzimos que é difícil amar os próprios amigos, e quase impossível amar os inimigos.

No entanto, vale a pena refletir sobre os vários significados da palavra amor.

Paulo de Tarso, quando escreveu aos Coríntios, no capítulo 13, falou da caridade como sendo o amor em ação.

Disse o apóstolo: "A caridade é paciente, é benéfica; não é invejosa nem temerária; não se ensoberbece, não é ambiciosa, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal, não é injusta, apóia a verdade; tudo desculpa, tudo crê, tudo espera."

Interessante refletir sobre o amor por esse ângulo.

No dicionário encontramos mais uma definição de amor: "Sentimento de caridade, de compaixão de uma criatura por outra, inspirada pelo sentido de sua relação comum com Deus."

Assim fica mais fácil compreender o amor e praticar o amor para com os semelhantes.

Pois se é verdade que nem sempre você consegue controlar o que sente por outra pessoa, pode perfeitamente escolher o seu comportamento com relação a ela.

Se uma pessoa age mal, se é agressiva, desonesta, você pode escolher agir com respeito, paciência, honestidade, mesmo que ela aja de maneira inversa.

Assim se expressa o amor-ação, o amor-atitude, o amor-comportamento.

Podemos deduzir, pelas palavras de Paulo de Tarso, que foi a esse amor que ele se referiu, em sua Carta aos Coríntios.

E faz mais sentido se entendermos que foi esse amor-atitude que Jesus recomendou que praticássemos para com nossos inimigos.

Não podemos sentir ternura sincera por alguém que nos agride ou que fere um afeto nosso, mas podemos ter atitudes de tolerância, perdão, compaixão.

Como todos ainda somos imperfeitos e sujeitos a cometer equívocos, devemos ter, uns para com os outros, atitude de benevolência, que é uma faceta do amor-ação.

Assim sendo, sempre que se deparar com situações que lhe exijam fazer escolhas, você poderá escolher ter uma atitude amorosa, sem que para isso precise sentir amor pelo próximo.

Ter atitudes de paciência, bondade, humildade, respeito, generosidade, é escolha de quem deseja cultivar a paz.

Além disso, agir com serenidade diante das situações adversas, é uma escolha sábia, faz bem para a saúde física e mental e não tem contra-indicação.

Mas se reagimos com agressividade, ódio, descontrole, estaremos minando nossa saúde de maneira desastrosa.

Não é por outra razão que, após uma crise dessas, surgem as dores de cabeça, de estômago, de fígado, dores lombares, e outras mais.

Vale a pena refletir sobre tudo isso e procurar agir como quem sabe o que está fazendo, e não como quem aceita toda provocação e reage conforme as circunstâncias, infelicitando-se ainda mais.

Pense nisso!

A calma na luta é sempre um sinal de força e de confiança; a violência, ao contrário, denota fraqueza e dúvida de si mesmo.

Agir com calma é atitude de quem tem controle sobre a própria vontade.

Lembre-se: Agir com calma é agir com caridade.

E há a caridade em pensamentos, em palavras e em ações.

Ser caridoso em pensamentos é ser indulgente para com as faltas do próximo.

Ser caridoso em palavras, é não dizer nada que possa prejudicar seu próximo.

Ser caridoso em ações é assistir seu próximo na medida de suas forças.

Pense nisso, e coloque seu amor em ação.

Redação do Momento Espírita, com
 pensamento extraído do item 3, do
 capítulo XIX de O evangelho segundo
 o espiritismo, de Allan Kardec, ed. Feb.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 01 de Fevereiro de 2010, 13:12
Queridos irmãos estudantes,
Que beleza de tema, não?
A guiza de ilustração, repasso a mensagem que acabo de receber da mesma irmãzinha evangélica ferrenha que me mandou a piada antes postada.
Espero que apreciem, como apreciei.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 01 de Fevereiro de 2010, 14:01
Queridos irmãos estudantes,
A correlação entre o Evangelho de João e a Codificação do LE é pura manifestação de caridade ministrada em forma de subsídios para nosso entendimento pessoal.
Não creio em cooptação de adeptos.
Creio firmemente na própria busca de evolução e entendo que toda aplicabilidade só é válida quando feita a nós mesmos, com profundo, caridoso e amoroso respeito ao tempo dos meus pares e semelhantes...
Do capitulo 3 ao 12 João descreve as relações entre o mundo espiritual e o mundo material, os percalços encontrados pelos humanos na vida de relação e pode-se ler nas entrelinhas de todas as passagens que Jesus mostrava com suas ações quanto com as explicações tanto quanto fosse possível, para a época, o céu e a terra.
Também essa foi a tarefa do codificador em o LE em toda sua parte segunda e terceira.
Na primeira parte do capitulo 3 do Evangelho de João, Jesus desmistifica os ensinos que eram básicos das castas superiores judaicas, aproveitando a visita que lhe fez um príncipe de Israel o já tão estudado colóquio entre Jesus e Nicodemos.
Simplificar e tornar compreensíveis as coisas pseudo-maravilhosas, é caridade pura, é tornar passível de compreensão algo antes ensinado como ou tido por miraculoso, ou oculto para o vulgo, para este também poder saciar sua sede, compreender e crescer tanto quanto o erudito. É o que se pode ler nas entrelinhas do colóquio entre Jesus e a mulher samaritana, descrito por João.

Todo o conjunto do ensinamento ministrado por Jesus, e declarado por João do capitulo 3 ao 12 encontra em seu epílogo o chamamento ao vulgo para compreender que não há privilégios para quem aceita buscar o auto conhecimento...
A codificação exarada no LE também caminha na mesma didática, quando encerra a terceira parte salientando os aspectos do auto-conhecimento, o fazendo de forma menos erudita tanto quanto seja possível, para falar de algo bastante complexo.
Ele o Rabi simples filho de um carpinteiro, de origem humilde como poderia ser filho de Deus, ensinar como filho de Deus?

Ainda é conceito comum de que só os eruditos têm a primazia de conhecer e ensinar as coisas do céu...
Todavia o Cristo, como se pode ler nas entrelinhas do testemunho de João, o Evangelista, mostra claramente tanto quanto a codificação publicada em numero arredondados 2.000 anos depois, imenso respeito às manifestações dos que vivem na matéria, posto que embora tenha demonstrado humildade sem par permitiu-se auto nomear “O BOM PASTOR”, interferir no passamento do amigo Lázaro, ter seus próprios pés ungidos por Maria, vivenciar sua entrada triunfal em Jerusalém, mas foi além;
Predisse o próprio martírio, mas lava os pés dos discípulos da primeira hora...
Predisse a traição que sofreria, mas mantém junto de si o próprio que o trairia...
E mesmo nas últimas considerações prediz a negação de Pedro e ainda o mantém como um dos seus bem amados...
Então predisse seu retorno e renova as promessas de que não nos deixaria órfãos, após seu martírio, e faz mais predisse o retorno do Consolador que nos faria recordar tudo quanto Ele nos ensinara...
Também a Codificação do LE encerra em sua quarta parte nos aclarando sobre as Esperanças e Consolações...
Portanto, que quiser caminhar pelo auto conhecimento encontrará nesse conjunto um guia seguro e simples, para aprender...
Mas, não se trata de matéria para ensinar.
Ninguém ensina nada a ninguém que não queira aprender.
É caridade pura reconhecer assim.
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 15:26

“CUIDEM DOS DOENTES, LIMPEM OS LEPROSOS E EXPULSEM O MAU. LEVEM APENAS O CAJADO COM VOCÊS, NEM ROUPAS, NEM COMIDA, NEM DINHEIRO...”

(JESUS P/ DISCÍPULOS = CARIDADE).


Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Tolomei em 01 de Fevereiro de 2010, 15:29
Caridade Segundo Jesus ? É BIP ...BIP ,  Benevolencia , Indulgência, Perdão... vide pergunta 886 Livro dos Espíritos - Kardec.

886. Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus? “Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.” O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus:
Amai-vos uns aos outros como irmãos.
A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores. Ela nos prescreve a indulgência, porque de indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer. Apresente-se uma pessoa rica e todas as atenções e deferências lhe são dispensadas. Se for pobre, toda gente como que entende que não precisa preocupar-se com ela. No entanto, quanto mais lastimosa seja a sua posição, tanto maior cuidado devemos pôr em lhe não aumentarmos o infortúnio pela humilhação. O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa.

abraços,
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 15:42
“QUANDO FOREM EM ALGUMA CIDADE OU ALDEIA, PROCUREM ALGUÉM VIRTUOSO E FIQUEM COM ELE; E SE EM ALGUM LUGAR NÃO OS RECEBEREM OU OUVIREM, LIMPEM A POEIRA DOS SEUS PÉS ANTES DE SAÍREM. SODOMA E GOMORRA NO DIA DO JULGAMENTO PASSARÁ A SER UM LUGAR MELHOR.”

(JESUS P/ DISCÍPULOS = CARIDADE).



Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 16:26

“ESTOU ENVIANDO VOCÊS COMO UM CORDEIRO ENTRE OS LOBOS. SEJAM PRUDENTES COMO AS SERPENTES E INOFENSIVOS COMO OS POMBOS."

“NÃO SE PREOCUPEM COM O QUE VÃO DIZER, OU COMO IRÃO FALAR, NÃO SERÃO VOCÊS QUEM VÃO FALAR, MAS O ESPÍRITO DE SEU PAI ATRAVÉZ DE VOCÊS.”

“VOCÊS RECEBERAM DE GRAÇA, AGORA DÊEM DE GRAÇA O QUE RECEBERAM.”

(JESUS P/ DISCÍPULOS = CARIDADE).



Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ramon em 01 de Fevereiro de 2010, 16:43
Ami

A CARIDADE DA DIVULGAÇÃO DA DOUTRINA ESPÍRITA,
NUMA POPULAÇÃO ALVO COM ARGUMENTOS CONTRÁRIOS DIVERSOS

Doutrina Espirita divulgada em site não espírita.
Ajudem-nos a atravessar a fronteira - divulgando

http://juli.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=1987995 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2p1bGkucmVjYW50b2Rhc2xldHJhcy5jb20uYnIvdmlzdWFsaXphci5waHA/aWR0PTE5ODc5OTU=)

UMA TAREFA DIFICIL
QUEM DUVIDAR FAÇA A EXPERIÊNCIA.


    Capítulo XVIII – MUITOS OS CHAMADOS, POUCOS OS ESCOLHIDOS.........Pág. 287, “O Evangelho Segundo o Espiritismo.”
    Irmão Ramon, não sei se o entendi bem, mas caso o tenha, não percas teu tempo, fluidos emocional e vital, com céticos de coração. O PAI mandou seu próprio FILHO, ainda assim, como o trataram!?
    Como o MESTRE disse aos seus discípulos de uma forma figurada: “...se não forem bem recebidos naquela cidade, saiam e limpem até à poeira dos teus pés...” (poeira neste caso tem várias conotações). Entra aí vosso livre arbítrio, porém reitero, e isto não é falta de caridade, “não daí pérolas aos porcos”.
    Muita Paz.

    Irmão Hauch

Companheiro,
faça uma visita e leia os comentários e verá que NÃO É BEM ASSIM. SÓ PODEMOS DISTINGUIR PORCOS E NÃO PORCOS DEPOIS DE SEMEAR. AÍ SIM, NÃO DEVEMOS PERDER TEMPO.
VEJA QUE HÁ UM BOM TERRENO, ONDE SE PODE SEMEAR. MAS É PRECISO ESCOLHER BOAS SEMENTES. Um não espírita pode estar em melhores condições do que espíritas psudo-sábios, "espirita trapalhão que adora confusão". Devo estar julgando o outro por mim, diz a psicologia!
Ramon
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 17:05

Olá!

" Allan Kardec "

A raça humana é constituída tanto de Espíritos bons quanto de maus, que estão encarnados neste planeta, e como a Terra é um dos mundos menos avançados, nela se encontram mais Espíritos maus do que bons; por isso há tanta perversidade aqui.


911 Não existem paixões tão vivas e irresistíveis que a vontade não tenha o poder de superá-las?

– Há muitas pessoas que dizem: Eu quero, mas a vontade está apenas nos lábios. Querem, mas estão bem satisfeitas que assim não seja. Quando o homem não acredita poder vencer suas paixões, é que seu Espírito se satisfaz nisso por conseqüência de sua inferioridade. Aquele que procura reprimi-las compreende sua natureza espiritual; vencê-las é, para ele, uma vitória do Espírito sobre a matéria.

912 Qual o meio mais eficaz de combater a predominância da natureza corporal?

– Praticar o desprendimento.

913 Entre os vícios, qual se pode considerar o pior?

– Já dissemos várias vezes: é o egoísmo; dele deriva todo mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos existe egoísmo. Vós os combatereis inutilmente e não conseguireis arrancá-los enquanto não tiverdes atacado o mal pela raiz, enquanto não tiverdes destruído a causa. Que todos os vossos esforços tendam para esse objetivo, porque aí está a verdadeira chaga da sociedade. Aquele que deseja se aproximar, já nesta vida, da perfeição moral, deve arrancar de seu coração todo sentimento de egoísmo, por ser incompatível com a justiça, o amor e a caridade: ele neutraliza todas as outras qualidades.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 17:11
    Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
    Companheiros, o capítulo do filme de Dr. Bezerra que mais me comoveu, foi quando ele retirou seu anel de formatura, e o deu para uma Mãe chorando ao ver sua filhinha queimando em febre.
    Muitos companheiros podem pensar: É impossível ser como Bezerra, Chico ou até o mestre JESUS. Digo que é possível. Como? Vamos reler todas as respostas e citações deste tópico e segui-las, sem deslizes.
    Ficarão tão dignos quanto eles, e ainda, Dr. Bezerra após o desencarne, foi convidado (não me lembro por que espírito, de alta magnitude, só recordo ser “mulher”. Quem lembrar pode citar-me por favor), por sua condição de espírito benfeitor e elevação, para deixar a Terra indo para outros planetas mais evoluídos, ele recusou-se dizendo: “Enquanto houver 1 (uma) só alma precisando de meu auxílio e/ou amparo, aqui eu ficarei.”
     Isto que é caridade!
    Muita Paz.


    Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 17:23

Olá!

" Tomás de Kempis "
Imitação de Cristo

Oh! Quanta confiança terá aquele moribundo que não tem afeição a coisa alguma do mundo. Mas desprender assim o coração de tudo, não o compreende o espírito ainda enfermo, bem como o homem carnal não conhece a liberdade do homem interior. Entretanto, se quiser ser verdadeiramente espiritual, cumpre-lhe renunciar aos estranhos como aos parentes e de ninguém mais se guardar do que de si mesmo. Se te venceres perfeitamente a ti mesmo, tudo o mais sujeitarás com facilidade. Pois a perfeita vitória é triunfar de si mesmo. Porque aquele que se domina a tal ponto, que os sentidos obedeçam à razão e a razão lhe obedeça em todas as coisas, este é realmente vencedor de si mesmo e senhor do mundo.

Se aspiras a galgar estas alturas, cumpre-te começar varonilmente e pôr o machado à raiz, para que arranque e cortes o secreto e desordenado apego que tens a ti mesmo, e a todo bem particular e sensível. Deste vício do amor excessivo e desordenado que o homem tem a si mesmo provém quase tudo que radicalmente se há de vencer; vencido este e subjugado, logo haverá grande paz e tranqüilidade estável. Mas já que poucos tratam de morrer a si mesmos e desapegar-se de si, por isso ficam presos em si mesmos e não se podem erguer em espírito acima de si. A quem, todavia, deseja livremente seguir-me, cumpre-lhe mortificar todos os seus maus e desordenados afetos, e não se prender, com amor apaixonado, a criatura alguma.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 17:31
Ami

A CARIDADE DA DIVULGAÇÃO DA DOUTRINA ESPÍRITA,
NUMA POPULAÇÃO ALVO COM ARGUMENTOS CONTRÁRIOS DIVERSOS

Doutrina Espirita divulgada em site não espírita.
Ajudem-nos a atravessar a fronteira - divulgando

http://juli.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=1987995 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2p1bGkucmVjYW50b2Rhc2xldHJhcy5jb20uYnIvdmlzdWFsaXphci5waHA/aWR0PTE5ODc5OTU=)

UMA TAREFA DIFICIL
QUEM DUVIDAR FAÇA A EXPERIÊNCIA.


    Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
    Concordo plenamente irmão Ramon, até por isso, ponderei no início do post se realmente valia a pena, ou se havia entendido ao certo, pois fico tão entretido em nosso fórum, que não pude averiguar. Porém se DEUS e JESUS nunca desistiram de nós, e você diz ser uma causa meritória, como ainda coloquei; mas existe o livre arbítrio, era isto que queria dizer, e não pré-julgando os irmãos, somente pelo fato de estarem em outro site; afinal:
     Isto também é caridade!
     Muita Paz.

     Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 17:37
    Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
    Concordo plenamente irmão Ramon, até por isso, ponderei no início do post se realmente valia a pena, ou se havia entendido ao certo, pois fico tão entretido em nosso fórum, que não pude averiguar. Porém se DEUS e JESUS nunca desistiram de nós, e você diz ser uma causa meritória, como ainda coloquei; mas existe o livre arbítrio, era isto que queria dizer, e não pré-julgando os irmãos, somente pelo fato de estarem em outro site; afinal:
     Isto também é caridade!
     Muita Paz.

    Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 17:38
Olá!

" Allan Kardec "

Lembra-te que os bons Espíritos somente assistem aos que servem a Deus com humildade e desinteresse e repudiam todo aquele que procura no caminho do céu um degrau para conquistar as coisas da Terra; eles se distanciam dos orgulhosos e ambiciosos. O orgulho e a ambição serão sempre uma barreira entre o homem e Deus; são um véu lançado sobre as claridades celestes, e Deus não pode se servir do cego para fazer compreender a luz.”

São João Evangelista, Santo Agostinho, São Vicente de Paulo,
São Luís, O Espírito da Verdade, Sócrates, Platão,
Fénelon, Franklin, Swedenborg, etc.

* A cepa (ramo de parreira) que se vê na pág. 41 é a reprodução fiel da que foi desenhada pelos Espíritos (Nota de Kardec).


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 01 de Fevereiro de 2010, 17:40

" Allan Kardec "

827 A obrigação de respeitar os direitos dos outros tira do homem o direito de ser senhor de si?

– De jeito nenhum, porque esse é um direito que a natureza lhe concede.

828 Como conciliar as opiniões liberais de certos homens com a tirania que, muitas vezes, eles mesmos praticam no lar e com os seus subordinados?

– Eles têm da lei natural só a compreensão, porém contrabalançada pelo orgulho e egoísmo. Quando esses princípios não são uma comédia calculadamente representada, o homem tem a perfeita noção de como deveria agir, mas não o faz.

828 a Como serão considerados na vida espiritual os que procederam assim neste mundo?

– Quanto mais inteligência tenha um homem para compreender um princípio, menos é desculpável por não aplicá-lo a si mesmo. Eu vos digo, em verdade, que o homem simples, mas sincero, está mais avançado no caminho de Deus do que aquele que quer parecer o que não é.


A vaidade de alguns homens que acreditam saber tudo e querem explicar tudo à sua maneira fará surgir opiniões divergentes, mas todos que tiverem em vista o grande princípio de Jesus vão se irmanar num mesmo sentimento de amor ao bem e se unir por um laço fraternal que abrangerá o mundo inteiro. Eles deixarão de lado as disputas mesquinhas de palavras para apenas se ocupar das coisas essenciais, e a Doutrina será sempre a mesma, quanto ao fundo, para todos aqueles que receberem as comunicações dos Espíritos Superiores.



Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mecame em 01 de Fevereiro de 2010, 18:24
"Eu tive fome e me deram de comer, tive sede e me deram de beber, tive frio e me deram o que vestir, estive preso e me foram me visitar, estive doente e foram me ver." Toda vez que fizerem isso para um desses na terra, será para ,mim que estarão fazendo. " Que amou a Deus e a seu próximo como a si mesmo cumpriu todas as leis e todas as professias" "Amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei" "O amor cobre todos os pecados e as fraquezas" - palavras atribuidas a Jesus, segundo o livro bíblico Novo Testamnento. Por isso amem e reflitam no grande poder do amor, pois a caridade é a ação do amor. A paz
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 01 de Fevereiro de 2010, 19:36
Queridos e amados irmãos estudantes,
Que a Paz de Nosso Senhor Jesus o Cristo, esteja em todos os corações, ajudando-nos a compreender.

Deus, nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade, dai força àquele que passa pela provação, dai luz àquele que procura a verdade; ponde no coração do homem a compaixão e a caridade! 

Que é a Humanidade?
Que sou Eu?
Que importa de onde venho?

Meus irmãos,
Reconhecer a dificuldade de responder a estas perguntas é a primeira chave para abrir a porta do progresso interior.
Essa chave, meus irmãos não abre de maneira nenhuma portas alheias, que não a própria porta do seu próprio caminho...

Eu tenho refletido assim:
A humanidade, sob a égide da MAIS PERFEITA JUSTIÇA E CARIDADE, nasce como deve ser sob a égide do signo do LEITÃO.
Já vimos como o leitão se comporta?
Abram a foto anexa... obtida de google.
Isso mesmo, meus irmãos... Não nascemos sob o sígno do leão, não...
Nascemos todos sob o signo do LEITÃO.
Ser leitão é errado não... É simplesmente natural... mesmo já estando vestido com carne de gente... se for temporária...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 01 de Fevereiro de 2010, 19:37
Isso mesmo, meus irmãos... nascemos todos assim... pois é assim que aprouve ao Criador nos criar... simples e ignorantes... e só recebemos o passaporte para integrar a humanidade quando fomos eficientes no quesito em sermos leitões...
Se não formos eficientes leitões... Não seríamos ativos para a vida de relação,  e pereceríamos... enquanto não alcançamos a evolução...
Se não formos eficientes leitões... Seríamos atávicos, inertes, lesmas, mas, mesmo as lesmas é vida, é criatura de Deus... Mas, ineficientes leitões...
O ladrão é um leitão... grande preguiçoso...
O assaltante a mão armada é um leitão mais guloso e mais ganancioso que o ladrão comum...
Quem mata para roubar, é o anterior com acréscimo de impiedoso, cruel.
Quem chafurda no vício, é leitão medroso de perder a teta...
Quem é irado é leitão revoltado...
Quem chafurda na luxúria, é leitão deslumbrado... Reprimido... Recalcado...
Quem explora o próximo, seja em qualquer situação, é leitão que pensa que é mais esperto que os demais...
Enfim:
DEIXARMOS A ERA DO LEITÃO... É nossa tarefa única, enquanto menos esclarecidos...
Só há um meio de deixarmos de ser leitões...
ASSIMILAR ESCLARECIMENTO...BUSCAR A LUZ... ENFRENTAR AS PROVAÇÕES... DEIXAR ENTRAR NO CORAÇÃO A COMPAIXÃO E A CARIDADE.
Só há um meio de ensinarmos a outrem a deixar de ser leitões...
PELO EXEMPLO...
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 01 de Fevereiro de 2010, 19:41
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações!

   Ouvir falar de Kardec, “O Codifcador da Doutrina Espírita”,  é ouvir  falar de  alguém que  soube  trazer  a mensagem do mundo  espiritual para  a Terra;  alguém que percebeu o ideário do mundo elevado e que, envolvendo o planeta em vibrações elevadas, procura trazer à  humanidade  a  paz,  o  equilíbrio,  a  visão  do mundo além  da matéria,  enfim,  o mundo  espiritual. Quando nos  recordamos de  sua figura humana,  sentimos que, homem  comum  aos  olhos  do mundo,  ele  soube  ser diferente  aos  olhos  dos  bons  espíritos  e  de  Jesus.
   Trazendo  a visão da  espiritualidade, pôde mostrar  à sociedade de então, como vem mostrando até os dias de hoje, o que ocorre nas cidades espirituais em torno do planeta e,  também, as consequências dos nossos atos como encarnados.
   E a nossa caravana seguirá. Kardec, naturalmente, à frente de todos os encarnados, com a Doutrina. Todos os  que  estão  degredados,  com  a Doutrina.  Todos  os que estão degredados na Terra encontrarão alívio nesta abençoada Doutrina, conduzida pelas mãos abençoadas desse homem altamente caridoso.
   Agradecidos, diremos, assim: Seguimos a caravana imensa, na direção de Deus, o Pai. Kardec nos trouxe a noção da vida espiritual, é certo, mas trouxe para todos nós, sem sombra de dúvida, a certeza da existência de Deus, para que assim possamos sentir Deus, o Pai; Deus, o Criador de todas as coisas; Deus, o grande Criador de nós mesmos, a quem devemos o fato de existirmos.
   Que isso fique claro em todos os corações, para que ninguém se julgue superior e capaz de conduzir a própria existência sozinho!
   Muita paz, meus irmãos!
   Que Deus nos ajude a encontrar o caminho da confiança em seu amor e a manter a certeza da paz, em meio a tanto sofrimento em busca da paz permanente!

   Muita Paz!


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Regina Oliveira2 em 01 de Fevereiro de 2010, 19:51
A Caridade é um assunto sempre em pauta em todas as obras codificadas por Kardec. Segundo o dicionário Aurélio, caridade pode ser definida da seguinte maneira:

1. O amor que move a vontade à busca efetiva do bem de outrem

2. A prática da caridade(1), beneficência, filantropia

3. Benevolência, complacência

4. (Religião) Uma das três virtudes teologais FÉ-ESPERANÇA- CARIDADE

Já os espíritos concedem a Kardec a seguinte resposta quando indagados ...

Perg.886. Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus ?
“Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.”

Podemos verificar que consultando dicionários, mesmo as obras básicas, teremos como viga mestra da caridade ‘a busca efetiva do bem de outrem’.

Há dois tipos de Caridade, a caridade material e a caridade moral.
Uma, a primeira supre as necessidades imediatas do corpo físico, matando a fome, aquecendo o corpo do frio... Esta de certa maneira até que nos é fácil de cumprir, pois raras são as vezes que retiramos algo que realmente nos fará falta. De certo em quase todos os momentos, para praticar a caridade material, nos desfazemos daquilo que nos sobra ou ainda, que não nos mais é útil.

A Caridade Moral, esta já é um tanto mais complexa quando a caridade material. Pois que requer de nós a humildade, a paciência. A caridade moral está em saber estender a mão ao irmão ‘hoje’ necessitado, mas sem fazer com que este sinta o peso desta doação nas costas, sem que este que já se encontra em situação dura e de provação sofra mais, pela tua falta de compaixão no coração. Sendo que a caridade moral não deva ser empecilho para a prática conjunta com a caridade material; permitis que ao estenderes as mãos para atender às necessidades materiais de um irmão em sofrimento saia também pela tua boca, palavras de carinho, de amor e que estas venham do fundo de tua alma envoltas nos mais sublimes sentimentos de ternura advindos do Criador.

Fazendo assim, permitimos que um irmão sofra menos, sinta-se confortado e mais confiante em sua jornada. Mas também fazendo com que nós mesmos aprendamos a lição do amor.

O ensinamento e a prática da caridade iniciam-se no lar. Com aqueles que mais próximos de nós encontram-se.

A caridade não constitui-se em um ato grandioso, o simples sentar e ouvir um irmão nosso já é grande ato.

Vemos hoje na mídia a grande apologia feita ao crime, ao sofrimento. Já nos disse os espíritos; os bons são tímidos, os maus é que promovem o alarde.

Se todos nós fizemos um ato bom a uma pessoa e esta o passasse adiante e assim sucessivamente, em dado momento, todos estariam praticando a Caridade.

  Achei maravilhoso e por isso divido com vcs.
  
  Retirado do  PORTAL PANORAMA ESPIRITA.

   Um beijo muito carinhoso a todos.

   Regina
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: hcancela em 01 de Fevereiro de 2010, 21:17
Olá amigos(as)

Manuel Altino um forte abraço(vizinho) e muita paz para este mês.

Seja muito bem vindo aos tópicos mensais. ;D ;D ;D ;D ;D


A função primordial do Centro Espírita: ensinar, educar, divulgar, estudar... são caracteres da verdadeira caridade, sem prejuízo daquela a que todos nos envolvemos com mais facilidade que é a caridade material.


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Christy em 01 de Fevereiro de 2010, 21:30
Penso ser um grande desafio nos dias de hoje fazer  caridade desinteressadamente, mesmo porque somos cobrados em nossas atitudes a todo momento, mas para mim sinto que não devo desistir jamais e seguir em frente mesmo com todas as diversidades do caminho, pois se me espelhar no Cristo fica bem mais fácil não desistir.
abraços e muita paz!!!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mecame em 01 de Fevereiro de 2010, 22:00
E é com muito prazer que desejo participar deste debate. A paz de Cristo
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 01 de Fevereiro de 2010, 22:26
....CARIDADE,palavra tão simples mas,com um sentido tão grande,com muitos significativos:Para muitos,doando bens materiais já é suficientes para dizer que já cumpriu com seu dever cristão,mas,a realidade é bem outra,apesar do que eu penso tenho certeza que tenho muito que aprender ainda.....CARIDADE é acima de tudo ,AMOR,PERDÃO,FÉ,HUMILDADE,COMPAIXÃO ,começando com Amor ao nosso próximo,um perdão sincero de coração,já que não é fácil este sentimento principalmente quando temos mágoas profundas,tudo isso envolve essa maravilhosa palavra CARIDADE que é a máxima que Deus  deixou,pois nela engloba muitas outras que por ai vai...

 .....Peço que me desculpe ,talvez não consegui me expressar bem,me oriente onde precisar.....
      bjs fraternos a todos,e tmbém para dizer que estou muito feliz por participar do grupo de estudo.    obrigada. ??? ??? :-*
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 01 de Fevereiro de 2010, 22:30

[...]
Quando deixar o coração se abrir ao pedido do primeiro infeliz que vos estende a mão; quando lhe der, sem perguntar se sua miséria não é fingida, ou se o mal num vício lhe é causa; quando deixar toda justiça nas mãos divinas; quando deixar o castigo das misérias mentirosas ao Criador; enfim, quando fizer a caridade tão-só pela felicidade que
ela proporciona, e sem procurar a sua utilidade, então, sereis os filhos que Deus amará e que ele chamará para si.
[...]
(Revista Espírita - 1858 - pág. 149 - São Vicente de Paulo)

[...]
A prece, eu entendo a prece real, a do coração, a que é ditada por uma verdadeira caridade, leva o Espírito ao arrependimento, desenvolve nele bons sentimentos; ela o esclarece, fá-lo compreender a felicidade daqueles que estão acima dele; leva-o a fazer o bem, a se tomar útil, porque os Espíritos podem fazer o bem e o mal; ela tira-o, de alguma forma, do desencorajamento no qual se entorpece; fá-lo entrever a luz. Pelos seus esforços, portanto, pode sair do lamaçal onde está mergulhado; assim é que a mão de socorro que se lhe estende pode abreviar-lhe os sofrimentos.
[...]
(Revista Espírita - 1859 - pág. 218)

[...]
Amai-vos sempre uns aos outros como irmãos; prestai-vos um apoio mútuo, e que o amor ao próximo não seja para vós uma palavra vazia de sentido.
Lembrai-vos de que a caridade é a mais bela das virtudes, e que, de todas, é a mais agradável a Deus; não somente essa caridade que dá um óbolo aos infelizes, mas aquela que vos faz compadecer de nossos irmãos infelizes; que vos faz partilhar suas dores morais, aliviar os fardos que os oprimem, a fim de lhes tornar a dor menos viva e a vida mais fácil.
Lembrai-vos de que o arrependimento sincero obtém o perdão de todas as faltas, tanto a bondade de Deus é grande, o remorso nada tem de comum com o arrependimento. O remorso, meus irmãos, é já o prelúdio do castigo; o arrependimento, a caridade, a fé, vos conduzirão às felicidades reservadas aos bons Espíritos.

[...]
(Revista Espírita - 1860 - pág. 110)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 01 de Fevereiro de 2010, 22:32
    Seja bem vindo Mecame,entre neste debate e nos oriente tmbém
    bjs fraternos em teu coração.



 ;)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 01 de Fevereiro de 2010, 22:35
Esse trecho, acho-o muito significativo:

17. O que é a caridade?
É o atributo especial da alma que, em suas ardentes aspirações no bem, esquece-se de si mesma e se consome em esforços para a felicidade do próximo.

(Revista Espírita - 1860 - pág. 161 - DE GRAND-BOULOGNE)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 01 de Fevereiro de 2010, 22:40

"Amemo-nos uns aos outros e façamos a outrem o que gostaríamos que nos fizes-sem." Toda a religião, toda amoral se encontram encerradas nestes dois preceitos; se fossem seguidos neste mundo, seríamos todos perfeitos: não mais de ódio, não mais ressentimentos; eu diria mais ainda: não mais de pobreza, porque do supérfluo da mesa de cada rico, muitos pobres se alimentariam, e não veríeis mais, nos sombrios bairros que habitei durante a minha última encarnação, pobres mulheres arrastando atrás delas mise-ráveis crianças com falta de tudo.
[...]
A caridade moral consiste em se suportar uns aos outros, e é o que menos fazeis, neste mundo em que estais encarnados no momento. Sede, pois, caridosos, porque a-vançareis mais no bom caminho; sede humanos e suportai-vos uns aos outros. Há um grande mérito em saber se calar para deixar falar um mais tolo do que agente e aí está um gênero de caridade. Saber ser surdo quando uma palavra zombeteira escapa de uma boca habituada a escarnecer; não ver o sorriso desdenhoso que acolhe a vossa entrada na casa de pessoas que, freqüentemente erradas, se crêem acima de vós, ao passo que, na vida espírita, a única real, eles estão disso algumas vezes bem longe; eis um mérito, não de humildade, mas de caridade, porque não notar os erros de outrem, eis a caridade moral. Passando junto de um pobre enfermo, o olhar com compaixão, tem sempre maior mérito do que o de lançar, com desprezo, o seu óbolo.
[...]

(Revista Espírita - 1860 - pág. 226)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 01 de Fevereiro de 2010, 22:49


"Para mim, disse ele, sei que todos os pobres são meus irmãos e que não posso, sem uma inexcusável dureza, lhes recusar o fraco socorro que me pedem. A maioria são de vagabundos, nisto convenho; mas conheço muito as penas da vida para ignorar por quantas infelicidades o honesto homem pode se encontrar reduzido à sua sorte. E como poderia eu estar seguro de que o desconhecido que vem implorar, em nome de Deus, minha assistência, não é talvez esse honesto homem prestes a perecer de miséria e que minha recusa vai reduzir ao desespero? Quando a esmola que se lhes dá não fosse para eles um socorro real, é pelo menos um testemunho de que se toma parte em suas dificul-dades, um abrandamento à dureza da recusa, uma espécie de saudação que se lhes dá."

(Rousseau, citado em Revista Espírita de 1865 - pág. 165)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 01 de Fevereiro de 2010, 22:51

Tantas citações anteriores que tomei a liberdade de postar devem-se a um aspecto que considero muito importante.

A Caridade, tenha-se o conceito que se tiver, no meu modo de ver jamais deverá abstrair o auxílio assistencial...

A Caridade Moral é mais difícil e árdua... Mas o faminto não tem tempo para meditar; precisa comer...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Bluemoon em 01 de Fevereiro de 2010, 23:14
FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO.

Necessidade da caridade, segundo S. Paulo.

    Ainda quando eu falasse todas as línguas dos homens e a língua dos próprios anjos, se eu não tiver caridade, serei como o bronze que soa e um címbalo que retine;

    Ainda quando tivesse o dom de profecia, que penetrasse todos os mistérios, e tivesse perfeita ciência de todas as coisas;

    Ainda quando tivesse a fé possível, até o ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, nada sou.

    E, quando houver distribuído os meus bens para alimentar os pobres e houvesse entregado meu corpo para ser queimado, se não tivesse caridade, tudo isso de nada me serviria.


    Boa noite irmãos. Que a Paz esteja convosco!
    Deixo aqui um trechosinho, muito bonito e importante também, para que comentem...estão à vontade.
   
    Muita Luz e muito Amor nos vossos corações...


 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ere em 01 de Fevereiro de 2010, 23:41
Citar
Rita Cassia, adorei a mensagem em vídeo sobre a caridade, leve e profunda, anima e desperta a vontade de agir!
A caridade é um gesto que cada um de nós deve cultivar.
Não é preciso dar no sentido material...por um vezes um pequeno gesto de carinho,um sorriso valem mais que mil moedas no bolso.
Por isso mãos à obra...
Pensem que cada acto de amor será recompensado com mais amor.

Um abraço fraterno a todos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ere em 02 de Fevereiro de 2010, 00:00
Querido Irmão Manuel Altino meus cumprimentos pela escolha do tema, que instiga a todos nós a AGIR, REALIZAR, MUDAR...

Gostaria de ampliar o debate sobre a frase bíblica:
"Que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita"



Um abraço a todos

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: psi em 02 de Fevereiro de 2010, 00:02
Olá, amigos

A oração abaixo simboliza para mim todo o amor que alguém pode manifestar ao próximo na forma de caridade.

http://www.youtube.com/watch?v=M8Y-q3S6fWA (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PU04WS1xM1M2ZldB)


Um abraço

PSI
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: darcilia em 02 de Fevereiro de 2010, 00:04
Acredito que a caridade, é uma pratica do di-a-dia começado com voce em primeiro lugar,ser caridoso,é algo que ja vem com a sua essencia divina,ao contrario de ficar caridoso apenas para colher elogios.Caridade se pratica tambem com pesamntos bons,orientaçoes,oraçoes.Adorei este tema
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Bluemoon em 02 de Fevereiro de 2010, 00:14
Boa noite amiga Ere, que a Paz esteja consigo irmã.

É isso aí:   "Que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita"

Ajudar-mos alguém e não fazermos um alarido disso, também é caridade.

Ajudar sem esperar nada em troca, ser caridoso com quem precisa. Se andarmos por aí a dizer a meio mundo que fizemos isto ou aquilo por alguém, para além de humilharmos quem ajudámos, não estamos de todo a praticar a caridade.

Um abraço irmã, muita Luz e muita Paz no seu coraçao.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ere em 02 de Fevereiro de 2010, 00:23
Irmão PSI, compartilho a tua visão sobre o Amor descrita nessa linda oração de São Francisco, realmente profunda e difícil de ser realizada, mas se servir como tema diário da vida de cada um de nós certamente poderemos construir um mundo melhor.

Qualquer um poderá comear agora e fazer um novo fim..Chico Xavier

Voltando à questão: "Que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita", lembro o que está acontecendo com as doações para o Haiti, onde personalidades públicas anunciam a doação de milhoes de dólares... o fato de ser divulgado na mídia diminui a importância das mesmas? Os bons exemplos não podem incentivar outras pessoas a doarem?

De outra parte, aqueles que trabalham anonimanente no dia - a dia, indo a hospitais, atendendo os pobres na ruas, teriam realizado um ato de verdadeira caridade? Se pode misurar a diferença entre uma e outra?

UMA PRPOSTA
O maior objetivo deste tópico poderia ser aumentar o nível de doadores para organizações que trabalham para a melhoria dos cidadãos carentes desse planeta.

   A proposta é sair da contemplação e ir para a ação.
   A pergunta, objetiva e direta, nesta segunda feira e sempre, é:

VOCÊ COLABORA COM ALGUMA INSTITUIÇÃO PARA O CRESCIMENTO DIGNO DAS PESSOAS E DEMAIS SERES?

(E o caso não é escrever aqui se doa ou não doa. É INCENTIVAR a ajuda, o auxílio, é aumentar o exercício de suavizar o caminho dos mais necessitados.)

Um abraço fraterno a todos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ere em 02 de Fevereiro de 2010, 00:28
Obrigada Bleumoon, concordo com você...assim não estaríamos "praticando de todo a caridade". Muita paz e luz para você
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 02 de Fevereiro de 2010, 00:32
http://www.webfrases.com/mostrar_frases.php?id_frases=69 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy53ZWJmcmFzZXMuY29tL21vc3RyYXJfZnJhc2VzLnBocD9pZF9mcmFzZXM9Njk=)
Para quem gosta de frases prontas...
CARIDADE:
"Não há bolsa melhor que a caridade."
( Miguel de Cervantes )
"Na caridade não há excessos. "
( Francis Bacon )
"Caridade ensinada melhora os ouvidos. Caridade praticada aprimora os corações. "
( Emmanuel )
"Caridade é perdoar, não transigir."
( Manuel Tamayo y Baus )
"As obras de caridade que se praticam com tibieza e como que a medo, nenhum mérito, nem valor têm. "
( Miguel de Cervantes )
"Aquele que tem caridade no coração tem sempre qualquer coisa para dar. "
( Santo Agostinho )
"Aprendemos e ensinamos caridade em todos os temas da necessidade humana. Façamos dela o pão espiritual da vida."
( Emmanuel )
"Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, se não tiver caridade, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine."
( São Paulo )
"A verdadeira lei do progresso moral é a caridade. "
( Camilo Castelo Branco )
"A verdadeira caridade é impalpável como a luz e invisível como o perfume: dá o calor, dá o aroma, mas não se deixa tocar nem ver."
( Henrique Maximiano Coelho Neto )
"A soberba gera divisão. A caridade, a comunhão. "
( Santo Agostinho )
"A obra da caridade tudo transforma em favor do bem."
( Emmanuel )
"A fingida caridade do rico não passa, da sua parte de mais um luxo; ele alimenta os pobres como cães e cavalos."
( Jean-Paul Sartre )
"A caridade só é uma virtude na medida em que é um sacrifício."
( Den Bosch )
"A caridade não tem pátria."
( Severo Catalina del Amo )
"A caridade é o único tesouro que se aumenta ao dividí-lo."
( Cesare Cantú )
"A caridade é o processo de somar alegrias, diminuir males, multiplicar esperanças e dividir a felicidade para que a Terra se realize na condição do esperado Reino de Deus."
( Emmanuel )
"A caridade é o amor, é o sol que Nosso Senhor fez raiar claro e fecundo; alegrando nesta vida a existência dolorida dos que sofrem neste mundo! "
( Casimiro Cunha )
"A caridade é a felicidade dos que dão e dos que recebem."
( Camilo Castelo Branco )
"A caridade é a beleza da alma. "
( Frei Luis de Léon )
"A caridade cobre com um véu os defeitos dos homens. "
( René Descartes )
"Virtude sem caridade não passa de nome."
( Isaac Newton )
"Sermos bons com os outros e com nós próprios, ajudá-los a viver, ajudarmo-nos a viver, eis a verdadeira caridade."
( Émile-Auguste Chartier )
"Que caridade é essa que não tem pudor face a um miserável e que antes de o ajudar, começa por lhe espezinhar o amor-próprio."
( Pierre Marivaux )
"Onde não há caridade não pode haver justiça."
( Santo Agostinho )
"O pobre faz mais bem ao rico, aceitando a sua caridade, do que rido faz o pobre oferecendo-a."
( Talmude )
"Nas coisas necessárias, a unidade; nas duvidosas, a liberdade; e em todas, a caridade."
( Santo Agostinho )
"Não olvides que caridade é o coração no teu gesto."
( Meimei )
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 02 de Fevereiro de 2010, 00:33
COMPAIXÃO:

"Não há nada tão digno de compaixão quanto um infeliz que já conheceu a felicidade."
( Cícero )
"Melhorar o mundo é melhorar os seres humanos. A compaixão é a compreensão da igualdade de todos os seres, é o que nos dá força interior. Se só pensarmos em nós mesmos, nossa mente fica restrita. Podemos nos tornar mais felizes e , da mesma forma, comunidades, países, um mundo melhor. A medicina já constatou que quem é mais feliz tem menos problemas de saúde. Quando cultivamos a compaixão temos mais saúde."
( Dalai Lama )
"Deixa que a compaixão te aclare os olhos e lubrifique os ouvidos, a fim de que possas ver e escutar em louvor do bem."
( Emmanuel )
"Da compaixão espera tudo, exceto auxílio. "
( Emanuel Wertheimer )
"A compaixão sofre com o sofrimento do outro, enquanto a doçura se recusa a produzi-lo ou aumentá-lo."
( André Comte-Sponville )
"A compaixão pelos animais está intimamente ligada a bondade de caráter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem”.
( Arthur Schopenhauer )
"A compaixão ocupa-nos tão exclusivamente, que nada resta para socorro."
( Emanuel Wertheimer )
"A compaixão não é um sentimento que transforma os outros em seres inferiores."
( Dalai Lama )
"A compaixão é um sentimento natural que, ao moderar a violência do amor pelo próprio ego em cada indivíduo, contribui para a preservação de toda a espécie. É ela que nos impele a consolar imediatamente aqueles que estão sofrendo sem que tenhamos pensado sobre isso antes."
( Jean-Jacques Rousseau )
"A compaixão é que nos torna verdadeiramente humanos e impede que nos transformemos em pedra, como os monstros de impiedade das lendas."
( Anatole France )
"Vai tanta distância da compaixão à caridade como da intenção à justiça."
( Marie de Beausacq )
"Todos os seres vivos buscam a felicidade; direcione sua compaixão para todos."
( Mahavamsa )
"Todas as almas nobres têm como ponto comum a compaixão."
( Friedrich Schiller )
"Só pela compaixão se pode ser bom."
( Joseph Joubert )
"Quando nos concentramos em esclarecer o que está sendo observado, sentido, e necessário ao invés de diagnosticar e julgar, descobrimos a profundidade de nossa própria compaixão. "
( Marshall B. Rosenberg )
"O destino é cruel e os homens são dignos de compaixão."
( Arthur Schopenhauer )
"Nossa tarefa deveria ser nos libertarmos... aumentando o nosso círculo de compaixão para envolver todas as criaturas viventes, toda a natureza e sua beleza. "
( Albert Einstein )
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 02 de Fevereiro de 2010, 00:36
Caros irmãos estudantes,

Há diferença entre Caridade e Compaixão?

Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ere em 02 de Fevereiro de 2010, 00:47


Caros Irmão e Querido filhodobino:
Eu acredito que é muito comum confundirmos pena com compaixão. A pena é passiva; a compaixão é ativa. A pena é um gesto de indiferença solidária, onde não há qualquer espécie de comprometimento. A compaixão é um ato de amor. Exercer a compaixão é solidarizar-se profundamente com aquele que sofre, sem julgamentos nem discriminações, sem tomar partido nem buscar causas. E a caridade é a consumação da compaixão.



Quando diziam a Madre Teresa de Calcutá que ela não deveria dar peixes, mas ensinar a pescar, lembrando a frase cristã, ela respondia que muitos daqueles necessitados não tinham forças nem para segurar a vara de pesca. A compaixão e a caridade são os pontos altos da solidariedade humana, é a consciência de que não somos ilhas e que o beneficiado de hoje poderá ser o colaborador de amanhã, assim como talvez tenhamos sido no passado. Todos nós pertencemos a uma só raça, a raça humana, e tudo que diz respeito ao seu próximo também o diz a você.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Denize Moreira em 02 de Fevereiro de 2010, 01:20
    Dia desses, lendo uma mensagem linda,com o nome " Vocabulário da Vida", dizia assim,   CARIDADE:  É  QUANDO A GENTE ESTÁ COM FOME SÓ TEM UMA BOLACHA E REPARTE...
    Quando doamos o supérfluo, estamos ajudando.
    Quando doamos o indispensável...penso que estamos fazendo caridade.
               Muita paz....
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: psi em 02 de Fevereiro de 2010, 01:42
Olá, amiga Ere. Permita-me discordar da amiga.

Na minha concepção; compaixão, piedade, pena, dó, e comiseração são sinônimos, e representam o sentimento de pesar em relação ao sofrimento físico ou moral de nossos irmãos.

Já a caridade, envolve ação. Por exemplo, eu posso sentir compaixão ou pena de alguém que sofra, mas se nada fizer para aliviar esse sofrimento, não fui caridoso.

Eu diria para a amiga que a compaixão é a semente que vai germinar a verdadeira caridade. A caridade, portanto, se manifesta através de um ato. Pode ser uma oração por alguém, uma palavra de consolo, um sorriso, uma doação material, um carinho, etc. etc.etc.

É preciso também deixar claro que muitos atos, supostamente caridosos, por não envolverem o amor, a compaixão, torna-se uma pseudo-caridade. Nesse caso, o que importa é a verdadeira intenção ao praticar-se o ato de caridade.

Vou lhe dar um exemplo. A pessoa para o carro no sinal, e aparece-lhe um pedinte solicitando-lhe uns trocados. A pessoa lhe dá uma nota, mas pensa : _ Que vagabundo! Por que não vai trabalhar? Nesse caso, apesar de existir o ato, não há amor, nem piedade.

Dessa forma, creio que a verdadeira caridade é o ato cujo combustível é o amor, a compaixão, a piedade.

Um abraço

PSI


  
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ere em 02 de Fevereiro de 2010, 01:53
Oi amigo PSI, a discordância também é muito importante por nos oportunizar a reflexão, a revisão de idéias. Mas nesse caso em particuçar não creio que haja contradição entre o que dissemos... veja:
" E a caridade é a consumação da compaixão" foi a frase que escrevi... enquanto você disse: "a compaixão é a semente que vai germinar a verdadeira caridade"
Discordamos somente em relação à concepção de pena e compaixão.

http://www.bezerramenezes.org.br/estudos/artigos/Caritas.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5iZXplcnJhbWVuZXplcy5vcmcuYnIvZXN0dWRvcy9hcnRpZ29zL0Nhcml0YXMuaHRt)

A Prece de Cáritas é conhecidíssima, principalmente no meio espírita.


Ela é uma oração que foi recebida pela médium madame W. Krell, num círculo espírita de Bordéus, França, na noite de Natal de 1873, época em que o Espiritismo já dava seus primeiros passos.

Chega-se, inclusive, a fazer-se dela um amuleto ou pronunciá-la mecanicamente como se fosse uma fórmula mágica para acalmar os espíritos ou alcançar o que se poderia chamar graça, sem se compreender sua sublimidade e beleza.

Mas, façamos uma reflexão em torno dela.

Abaixo segue o que se pode chamar de um início de reflexões em torno desta bela prece, pois cada um pode refletir sobre ela e tirar suas próprias conclusões, exercitando, assim, a fé raciocinada e sempre encontrando algo novo no mesmo texto:

Deus, nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade, dai força àquele que passa pela provação, dai luz àquele que procura a verdade, ponde no coração do homem a compaixão e a caridade..."

Todo aquele que tem fé sempre procura na prece o contato com Deus. Tendo em vista o Poder e a Bondade a ele creditados, é Nele que se busca a força para suportar uma provação e ultrapassar mais uma etapa da trajetória evolutiva.

Aquele que procura a verdade é aquele que está em constante busca de conhecimento, procurando melhorar-se a cada dia. Por isso, o conhecimento é luz a se acender em nosso caminho.

Compaixão e caridade são duas consequências da busca do conhecimento. Aquele que passa a conhecer suas fraquezas e busca melhorá-las até suprimi-las, terá condições de compreender o próximo que ainda não atingiu as condições de também melhorar-se.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 02:10
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
   Companheiros, não são poucos os que botam a caridade em 2º plano, em detrimento ás buscas de bens materiais.
   É importante ressaltar que, a riqueza é uma das piores provas que o espírito tem de enfrentar!
   O plano espiritual nos coloca que, nos é dado para consumo material, à exata quantidade; se dividido igualmente, para todos os seres obterem ou consumirem todos  os bens materiais em iguais porcentagens.
   Esta enorme desigualdade social que presenciamos, é fruto da ganância e falta de caridade para com nossos irmãos.
   Meditemos...
   Muita Paz a todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 02:18
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
   Aqui no Brasil vem chegando o “carnaval = a carne nada vale”, vejo as casas espíritas promoverem encontros maravilhosos e elucidativos. Querem saber o que ocorre? Os Centros Espíritas ficam vazios; sedentos de trabalhadores e irmãos que poderiam prestigiar os eventos; enquanto estes vão para às regiões dos lagos ou praianas; ”apenas para descansar.”
   Amigos vamos concretizar, não adianta criarem “rótulos” para o Irmão Hauch, quando sabemos que o que digo é a pura realidade. Lugar de espírita Kardecista é no trabalho edificante.
   Para finalizar, contarei um fato narrado por Divaldo, quando questionou à nossa querida “Joanna de Ângelis”, sobre um descanso, que provavelmente deveria ser de 1 final de semana no máximo. Palavras de Joanna: “Você não tem tempo nem para 1 cafezinho...”
   Reitero, citar-me ou rotular-me de nada adiantará, como bem disse o companheiro “Filho do Bino”,ou Marcello, devemos AGIR na prática da caridade e no trabalho edificante.
   Muita Paz a todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Regina Oliveira2 em 02 de Fevereiro de 2010, 02:41
   Ere, bom dia.
   Voce me fez pensar, no que se refere a ajuda ao Haiti.
    O fato de ser divulgado, na midia,  a doação das celebridades, eu prefiro ver da forma como voce colocou. " A divulgação não é por vaidade e sim por caridade." Divulgar a atitude de servir e com isso conseguir mais doações.
   Obrigada, Ere, agora já vejo de forma diferente.
   Bjs,
Regina
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: rubensomar em 02 de Fevereiro de 2010, 02:42
Algo para se pensar:
Em verdade, quando fazemos "Caridade", fazemos para quem? Para quem realmente, à fazemos, em última instância? Para aquele que sofre? Ou para nós mesmos?!
Pensem nisso...
Abraços à todos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Regina Oliveira2 em 02 de Fevereiro de 2010, 02:52
   Rubens,
    A grande benção está na oportunidade de servir.
    É assim que penso.......
    Bjs,
    Regina
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ere em 02 de Fevereiro de 2010, 02:58
Obrigada Regina e concordo com você:
"Que os testemunhos de nossas boas ações sejam inspiração para o mundo e que Deus nos permita não fazermos a mesma propaganda de nossos erros mas que mesmo assim estes erros sirvam, sim, de exemplo de COMO NÃO FAZER ou tornar a cometê-los
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Regina Oliveira2 em 02 de Fevereiro de 2010, 03:13
Caridade e Você

Acredita você que só a caridade pode salvar o mundo; entretanto, não se demore na posição de comentarista.



Não nos diga que é pobre e incapaz de contribuir na campanha renovadora da sublime virtude.



Senão vejamos: Se você destinar a quantia correspondente a um refrigerante ou um aperitivo em cinco doses, segundo os seus hábitos, aos serviços de qualquer hospital, no fim de um mês haverá mais decisiva medicação para certo doente.



Se você renunciar ao cinema de uma vez em cada cinco, endereçando o dinheiro respectivo a uma creche, ao término de duas ou três semanas, a instituição contará com mais leite em favor das crianças necessitadas.



Se você suprimir um maço de cigarros em cada cinco de seu uso particular, dedicando o fruto dessa renúncia a uma casa erguida para os irmãos distanciados do conforto doméstico, em breve tempo o agasalho devido a eles será mais rico.



Se você economizar as peças do vestuário, guardando a importância equivalente a uma delas em cada cinco, para socorro ao próximo menos feliz, no fim de um ano disporá você mesmo de recursos suficientes para vestir alguém que a nudez ameaça.



Não espere pela bondade dos outros.



Lembre-se daquela que você mesmo pode fazer.



É possível que você nos responda que o supérfluo é seu próprio suor, que não nos cabe opinar em seu caminho e que o copo e o filme, o fumo e a moda são movimentados à sua custa.



Você naturalmente está certo na afirmativa e não seremos nós quem lhe contestará semelhante direito.



A vontade é sagrado atributo do espírito, dádiva de Deus a nós outros, para que decidamos, por nós, quanto à direção do próprio destino.



Todavia, nosso lembrete é apenas uma sugestão aos companheiros que acreditam na força da caridade e só ganhará realmente algum valor se houver algum laço entre a caridade e você.





Autor: André Luiz
Psicografia de Chico Xavier. Da obra: O Espírito da Verdade
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mecame em 02 de Fevereiro de 2010, 05:44
Caridade é ação do amor. Podemos dizer que o amor é o pensamento e que a caridade é a concretização deste pensamento. LInda explicação irmã Ere
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: vera5lucia em 02 de Fevereiro de 2010, 10:13
Realmente precisamos despertar nossas consciência para o verdadeiro sentido da palavra caridade. Ela abrnge como principal meta o ensinamento cristão através de um diálogo fraterno, e tb como um envio de uma oração e um pensamento de amor, uma vez que são vivos.
Como mensagem de Divaldo Pereira Franco, o centro espirita que ainda vive de distribuição de cestas básicas como meta de caridade vive no século XIX. Não que não possa distribuir, porém, que seja em segundo plano. O primeiro deve ser o ensino e exemplo de toda a codificação.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 10:33
Algo para se pensar:
Em verdade, quando fazemos "Caridade", fazemos para quem? Para quem realmente, à fazemos, em última instância? Para aquele que sofre? Ou para nós mesmos?!
Pensem nisso...
Abraços à todos

   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
   Irmão Ruben, tive esta dúvida com meu professor da “mocidade” (na casa espírita onde trabalho, os estudo se seguem de acordo com sua idade: creche até 04 anos, evangelização até 12 anos, mocidade são mais 02 ou 03 anos e enfim estudo das obras básicas de Kardec). Naquela época achava uma contradição; como fazer caridade sempre, se não estou com vontade, e ainda, tem que haver um sentimento caridoso, e não simplesmente, doar seus finais de semana, por prática e pelos irmãos desafortunados, isto tinha que vir de dentro, paralelo há um sentimento puro de amor pela assistência fraterna?! Questionei-o; mas não sinto esta vontade atualmente, apesar de querer muito ajudar? Ele me disse: “A caridade, como tudo na vida, passa pelo crivo da razão, e somente com a prática no bem, fará que esta brote do seu coração.”
   Hoje quando consigo ajudar ao próximo, sinto uma felicidade incomensurável, só mesmo quem sente isto pode falar. Há isto denominamos consciência espírita.

   Muita Paz a todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: hamiltonjose em 02 de Fevereiro de 2010, 10:59
Olá companheiros.

Em 2003 escreví um artigo sobre caridade, vejam em: http://cecamor.sites.uol.com.br/art_hjout03.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2NlY2Ftb3Iuc2l0ZXMudW9sLmNvbS5ici9hcnRfaGpvdXQwMy5odG1s)

Abraço!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: xistoloiola em 02 de Fevereiro de 2010, 11:07
Prezado Hauch
Muita Paz
           Desculpe interferir na sua dúvida,  tenho o intuíto de ajudar, simplesmente.o Irmão Rubens já lhe deu o roteiro 'A caridade, como tudo na vida, passa pelo crivo da razão, e somente com a prática no bem, nascerá em nosso coração.” A Razão lhe mostra as necessidades, você tem o mecanismo do conhecimento, mesmo sem àquela sensibilidade toda já terá elementos suficientes para tranquilizar sua consciência. Francisco de Assis, diz-nos: Comece fazendo o que é possível, depois o necessário e de repente você estara fazendo o impossível. Lembre-se, Se não entrarmos na piscina nunca vamos aprender a nadar.Devemos olhar para a luz, ou seja, seguir as sugestões dos bons espíritos caso contrário, insconscientemente, estaremos ao lado dos espíritos infelizes que detestam a caridade.Abraços.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 02 de Fevereiro de 2010, 11:15
   Vamos fazer uma votação? É só copiar Ctrl +C, marcar um (x) na resposta e postar, Ctrl+V:

(   ) Acho o Hauch radical demais.
(   ) Acho o Hauch um pouco radical.
(   ) Acho o Hauch espiritamente correto nas suas postagens.
(   ) Concordo com os seus pensamentos, mas não os praticaria.

   Entendam irmãos esta abordagem não é vaidosa e nem autopunitiva; apenas estou pesquisando para ponderar quando for realizar uma palestra; apesar das palestras deverem ter normalmente, um cunho, um pouco mais radical, há de se ter um meio termo. Se puderem ajudar-me!
   Muita Paz a todos.


   Irmão Hauch


Coloque essas interrogações ao seu interior amigo, a Deus. Só Ele lhe pode responder com acerto.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Raja em 02 de Fevereiro de 2010, 11:18
Em primeiro lugar todos nós temos que  analisar, para depois efetuarmos a tão falada caridade. Por que ? Porque sempre pensamos em fazer  caridade com hora e dia marcados, onde ficamos todos envolvidos com aquela tarefa. chegando ao ponto de deixar que ela nos envolva esquecendo que temos tarefas domiciliares para com nossos filhos e esposas ( para os casados ) , ou, até esquecemos de nossos familiares em função da caridade com hora marcada. Onde vamos em equipes , em grupos , chegamos  a fazer poses pois aquela foto vai para o jornal x ou revista  y. Entendo que caridade não tem dia, hora marcada, a qualquer momento podemos fazê-la, seja em casa, serviço, clube, casa espírita..... . Observando o que está a nosso redor , o que nos apresenta no dia- a-dia temos muito onde efetuar a caridade. Pense muito sobre estes fatores, pois até chegamos ao ponto de sairmos de nossos lares, que nos apresenta problemas sérios (doença, filhos, pais...) para irmos para a tão falada caridade de hora marcada.  Pensem, reflitam,
Fraternalmente,
Raja.'.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Zefiro em 02 de Fevereiro de 2010, 11:36
      Muito Boa colocação meu caro Raja.

      A caridade não aguarda horário, pois o tempo é continuo e é o homem que o quer controlar, mas as virtudes que fazem de homens anjos, estas nos indicam que a hora é todo momento, em casa com os familiares, nas pequenas coisas, como um simples ajudar, ou em grandes, como servir de ombro amigos nos momentos de necessidades.

      Seja a fé, o amor, a alegria, estas não tem momentos de manifestações, pois cada vez mais espontâneo mais o espirito possui da Virtude em seu ser.

            Muito Grato.

            Quid Pax et Dominus cum Vos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 11:47
Prezado Hauch
Muita Paz
           Desculpe interferir na sua dúvida,  tenho o intuíto de ajudar, simplesmente.o Irmão Rubens já lhe deu o roteiro 'A caridade, como tudo na vida, passa pelo crivo da razão, e somente com a prática no bem, nascerá em nosso coração.” A Razão lhe mostra as necessidades, você tem o mecanismo do conhecimento, mesmo sem àquela sensibilidade toda já terá elementos suficientes para tranquilizar sua consciência. Francisco de Assis, diz-nos: Comece fazendo o que é possível, depois o necessário e de repente você estara fazendo o impossível. Lembre-se, Se não entrarmos na piscina nunca vamos aprender a nadar.Devemos olhar para a luz, ou seja, seguir as sugestões dos bons espíritos caso contrário, insconscientemente, estaremos ao lado dos espíritos infelizes que detestam a caridade.Abraços.

   Irmão Loiola, não retiro nem um acento do seu post, está corretíssimo, somente gostaria de elucidar que, o crivo da razão à que você se referiu está correto; eu que me expressei mal, e peço desculpas; porém minha razão naquela época era "negativa", eu não tinha maturidade o suficiente, por isso não estava muito afim de praticar caridade. Não sei se me fiz entender?!

   Muita Paz a todos.


  Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 12:00
Coloque essas interrogações ao seu interior amigo, a Deus. Só Ele lhe pode responder com acerto.

Namasté

   Tem razão companheiro Dim-Dim, quando estava postando, isto me veio à mente!
   Muito Obrigado Irmão.

   Abraços Fraternos.


  Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: gilzsanc em 02 de Fevereiro de 2010, 12:07
Acredito que o principal prodígio demonstrado ao HOMEM, na passagem de nosso amado IRMÃO JESUS foi à caridade. Logicamente, os prodígios descritos no evangelho como a transformação da água em vinho e a multiplicação dos pães foram alegorias, se me permitem o termo, pois não quero nem devo menosprezar os atos necessários para despertar os mais incrédulos para os ensinamentos de amor e fraternidade.
Para os detentores do poder e cultura da época, que foram arrebanhados pela palavra e pelos gestos de caridade e compaixão, exemplos que foram muitos e trouxeram ao convívio do cristianismo com maior e melhor eficácia pessoas que não seriam abaladas em suas crenças com efeitos mágicos ou até de forças ocultas.
Da mesma forma hoje, em nosso cotidiano temos diversas formas de desvio da realidade com a força da mídia e os descaminhos quem nos são fornecidos e aceitos de forma fácil e banal.
A Caridade, este elemento de doação, compartilhamento e de tão sofrido despertar, digo sofrido porque para realidade que nos avizinha, nem sempre nos damos conta de olhar ao lado e vermos que não é só aquele que jaz e sarjetas e mios-fio imundos, aguardando uma migalha jogada ao largo, mas em nossos próprios familiares e próximos ao nosso relacionamento, que tem a mesma condição velada de necessidade, mas não a necessidade do pão, mas a necessidade de um gesto de amor, uma pequena gentileza, a real caridade em dar e receber amor.
Um simples sorriso, uma palavra amiga, algo mesmo em que se sinta envolvido em um abraço reconfortante de amor, um carinho que você sente mesmo num colinho de mãe.
Este é um gesto que me traz a imagem de nosso irmão JESUS quando o vejo em gravuras e o que me faz sentir no fundo da alma, e que foi a maior ferramenta na busca e captura de mais e mais irmãos a causa do amor.
Esta caridade que vemos e sentimos, não se faz presente em nosso cotidiano, em que estamos mais voltados aos resultados de curto prazo, sim, curto prazo mesmo pois estamos tratando de nossos irmãos, de nosso próximo como em um ambiente corporativo de frias paredes dentro de nossos escritórios.
A Caridade incondicional, em que não sonhamos com o retorno pois estou dando algo a alguém, aquela em que não estou aparecendo como benfeitor, em que minha imagem se faz necessária em ser veiculada como paga por meus préstimos é exigida, porque este não é de forma alguma um gesto de Caridade e sim de troca por aquilo que eu Homem tento conseguir como penitencia e redenção por minhas faltas, mas sim o dar sem olhar aquém e sem permitir que o eu seja levado em conta e o doar seja sentido com prazer e retribuição.
 A Caridade de um sorriso, de uma palavra, de um gesto de amor.
Paz, amor e fraternidade a todos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Raja em 02 de Fevereiro de 2010, 12:09
Meu caro Hauch,
Meus sinceros agradecimentos pelas colocações. Mas como palestrantes devemos sempre ter em mente o que nossos irmãos necessitam. E no dia-a-dia sempre somos tomados por questo~es que os irmãos nos trazem e que nos servem de exemplos.
Um abraço de seu irmão aprendiz,
Raul Jarbas.'. ( Raja )
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Te em 02 de Fevereiro de 2010, 12:16
ca.ri.da.de
(lat caritate) sf 1 Bondade, compaixão. 2 Esmola.
Quando não julgamos ou criticamos nossos irmãos por esse ou aquele erro, estamos praticando caridade.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: andrejoga em 02 de Fevereiro de 2010, 12:44
Quando perguntado por Kardec sobre a caridade segndo entendia Jesus, O Espírito da Verdade responde (questão 886 de "O Livro dos Espíritos"):
- Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições alheiasm perdão das ofensas.
Significa dizer que devemos tratar as pessoas da forma pela qual gostaríamos de ser tratados.
O Codoficador foi muito feliz no Evangelho, quando fala sobre caridade material e moral. Caridade material é facil, e a moral exercita nossa paciência e abnegação.
Abraços a todos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: gilmarsantos1 em 02 de Fevereiro de 2010, 13:04
A caridade em principio é um sentimento germinado, ela aparece ainda quando criança, por que não dizer bebê? Quando adulto ela se torna uma àrvore, e o doar é o fruto. Uma coisa eu posso afirmar com toda certeza, quando uma pessoal esta realmente necessitada, ela vem até voce Espiríta; Por que? O que não precisa pede para qual quer pessoa, menos para o Espiríta; devido o campo vibracional ela não consegue se aproximar de vós, mas quando realmente necessita, o plano Espirítual abre o campo para que ela possa lhe visualizar.
Sendo assim, este realmente necessita de seu auxilio.
De sua àrvore, um fruto matará sua fome.
E voce, comece a ver com os olhos da verdade.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Rose - Orai e Vigiai em 02 de Fevereiro de 2010, 13:16
Caridade Moral
Desejo que compreendais bem o que pode ser a caridade moral, a que cada um pode praticar, a que nada custa materialmente e, entretanto, a que é mais difícil de pôr em prática;
A caridade moral consiste em suportar uns aos outros, e é o que menos praticamos nesse mundo.
Há um grande mérito, em saber se calar para deixar falar um mais tolo; e ainda aí está um gênero de caridade.
Saber ser surdo quando uma palavra de zombaria escapa de uma boca habituada a escarnecer;
Não ver o sorriso de desdém que acolhe a vossa entrada entre pessoas que, freqüentemente, erradamente, se crêem acima de vós, mas que, na vida espiritual, algumas vezes estão bem longe disso;
Eis ai um mérito, não de humildade, mas de caridade; porque não anotar os erros do outro é caridade moral.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: N em 02 de Fevereiro de 2010, 13:43
Grande parte dos religiosos de qualquer doutrina, inclusive adeptos do espíritismo, não observaram ainda, a amplitude do significado desta condição. Sim, porque, para ser caridoso é necessário vibrar num estado especial de alma, e requer posicionamento. Pois, quem se propõe a ser caridoso, já o é, consigo próprio; e tendo experimentado as asperezas da vida, gostaria de minimizar as agruras alheias, seja de que ordem fôr. Então, alguns se propõe abrir mãos, de umas poucas moedas para estar com sua consciência mais abrandada; outros oferecem um pouco de seu tempo para visitas hospitalares; outros ainda, oferecem o ombro amigo a pessoas desempregadas ou desesperadas. Tudo muito louvável, demonstrando assim, o avanço que possuem, para sua elevação. Gostaria, porém, de enfatizar algumas atitudes, que ordináriamente não percebemos, e até acreditamos, estarem à conta de obrigações. Quantas pessoas ignoram, o tempo dispendido de nossos pesquisadores à procura da cura de enfermidades mil? Cujos resultados ajudam enfêrmos, a terem uma melhor qualidade de vida? Quantas pessoas também, ignoram o trabalho produtivo de nossos lavradores procurando melhorar a qualidade de nossos legumes? E quantas pessoas ainda, ignoram as penúrias que mães de famílias, por vezes numerosas, esquecem-se de sí próprias, oferecendo o seu melhor, aos familiares? Observamos a partir daí, que, TODOS que oferecem o seu trabalho de uma forma prazeirosa em prol da comunidade, estará automaticamente praticando a caridade. Alguns poderão dizer que, estes tais que me referi, se locupletam com os lucros advindos destas atividades; mas direi: este é um dos fatores, mas não o  primordial; pois, como seria, se ninguém se oferecesse para exercer tais atividades? Não teríamos que nós mesmos, providenciá-las? Então, queridos confrades e confreiras, aqueles que se acham melhores preparados, procurem "semear" conforme a parábola do semeador, o seu melhor; uma vez que o "campo" (a mente e o coração humanos) está ressequido, e requer que os "agricultores" de boa vontade, possam semear: o perdão a renúncia e o amor; porque esta trindade resume com muita propriedade, o verdadeiro sentido da caridade que deve ser oferecida sem distinção, e extendida à todos, elevada ao gráu infinito. Um abraço. Néje.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: gilmarsantos1 em 02 de Fevereiro de 2010, 13:57
Néje Armindo Hueb

Meu caro irmão, essa é afinalidade deste forum, cada um de nós entra com uma condição de olhar diferente no emprego da caridade, como todos que ja passaram por aqui a sua questão também é lovavél, parabéns.
Até a abertura do próximo estudo, todos nós teremos e faremos difente no duar da caridade.
Continuem esplanando os seus pensamentos e orintações, assim estaremos aprendendo mais com cada um.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 15:01
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
   Dentro da casa espírita, estaremos sendo semeadores ou usurpadores das verdades doutrinárias? Dentro da casa espírita, estaremos plantando sementes e protegendo-as para que elas frutifiquem, como deve ser o caso de todos aqueles que aceitam os companheiros recém chegados, para estimulá-los à sua própria semeadura e ao seu próprio crescimento ou estaremos sendo aquelas pessoas que se julgam donas do saber, proprietárias do serviço, trabalhadoras para si mesmas? Ou será que a nossa capacidade de não aceitar o outro é tão severa, tão endurecida, que não se deixa nem mesmo que a pessoa que chegue demonstre se será ou não uma semente de paz?
   Meus amigos, devemos estar sempre antenados de que o trabalho é para Jesus; e será que Jesus analisa quem pode ou não trabalhar em Sua Seara? Será que auxiliamos nossos amigos que chegam, a refletir, a educarem a si mesmos? Essa capacidade numa casa espírita demonstra o quanto ela está ligada a Jesus.
   Muita Paz à todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 15:15
    Companheiros; a grandeza de Jesus na casa espírita mede-se pela transformação moral que ela consegue apresentar, dar e construir naqueles que a frequentam.
    Que as instituições, em nome do amor de Deus, mas também, principalmente, em amor de Jesus, procurem estimular esses sentimentos. É bem verdade que muitos não aprendem, muitos estão no caminho. É bem verdade que muitos não conseguem praticar o amor em plenitude; entretanto, já têm o conhecimento dele.

    Muita Paz à todos.


    Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 15:23
Meu caro Hauch,
Meus sinceros agradecimentos pelas colocações. Mas como palestrantes devemos sempre ter em mente o que nossos irmãos necessitam. E no dia-a-dia sempre somos tomados por questo~es que os irmãos nos trazem e que nos servem de exemplos.
Um abraço de seu irmão aprendiz,
Raul Jarbas.'. ( Raja )

   Com certeza irmão Raja, à caminho da evolução aprendemos todos os dias!
   Agradeço a DEUS poder contar com vossas ponderações...
   Muito Obrigado e muita paz!


  Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Victor Passos em 02 de Fevereiro de 2010, 15:44
Ola Amigos muita paz

   Companheiro Hueb "Sim, porque, para ser caridoso é necessário vibrar num estado especial de alma, e requer posicionamento[/i].
    A caridade não necessita de um estado especial de alma para ser realizada.
    Não podemos confundir atitude de operar para conservação da vida , com caridade, pois a essencia dela em todas as circunstâncias prende-se sempre com o amor sincero e humildade.

Segundo Paulo a Caridade;


"E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse caridade, nada seria."

" E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso me aproveitaria".    

"A caridade é sofredora, é benigna; a caridade não é invejosa; não trata com leviandade; não se ensoberbece".

"Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal. Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade".

"Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta".

"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade. Mas a maior destas é a caridade" ( Paulo, I Coríntios, cap. XIII, vers. 1 ao 13).

"Todos os deveres do homem se encontram resumidos na máxima: Fora da caridade não há salvação" (Allan Kardec, Evang. S. Esp., cap.XV, item 5).

"Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para domar suas más inclinações". (Allan Kardec, E.S.E., XVII, 4).

Não adianta  ser belo na palavra e pobre de ações. O exemplo de mudança íntima, de luta constante contra as imperfeições, deve fazer parte da vida. Conhece-se a árvore pelos frutos, alertou Jesus. A caridade gritada, chama à atenção, mas não muda os coração e a inteligência a quem se direciona.
O conhecimento espiritual não faz de nós seres caridosos.

A fé também não é sinônimo de caridade, pois sem obras é morta, segundo o apóstolo Tiago, em sua Epístola, cap. II, vers. 17.

O apóstolo mostra que a verdadeira caridade traz a resignação, que é o entendimento das dificuldades da vida como obstáculos a serem vencidos, objetivando o progresso espiritual. Alia a bondade para com todos, independente do momento, pois a vingança e o ódio corroem o sentimento e turbam os sentidos racionais, enquanto o perdão enobrece o ser. Diz ainda que a prudência deve fazer parte de quem busca a caridade, pois ser leviano traz conseqüências inesperadas, e o orgulho do homem pode contribuir para o afastamento de Deus.
Em um mundo onde o que mais vale é a satisfação pessoal, mesmo em detrimento da paz alheia, a caridade busca decência e fraternidade. O público precisa ser levado a refletir sobre de que adianta levarmos vantagem em tudo se alguém estiver sofrendo com isso? Com certeza, esta dor do próximo será revertida em desespero, rancor, violência, que mais cedo ou mais tarde, acabará voltando-se contra nós mesmos, nossos filhos ou amigos.
Irritar-se é a melhor forma de perdermos a razão, por isso a paciência e a sensatez fazem parte da caridade, levando o homem a pensar antes de agir. É a verdade prevalecendo, e só ela pode nos libertar da ignorância, disse Jesus.
Tudo tem sua hora. Saber esperar é próprio da caridade. Quando o ser amplia sua visão além da vida material, vê no horizonte a luz necessária para manter-se animado e vivo. Busca na sabedoria cristã o esclarecimento para suas dúvidas, deixando de lado o desespero. É o caminho do equilíbrio proporcionado pela caridade.
Mudança íntima, humildade, obras, exemplo, doação desinteressada, resignação, bondade, perdão, prudência, decência, razão, tranqüilidade, sabedoria, justiça, amor ao próximo como a si mesmo. Agora é o momento de mostrar ao assistente o que verdadeiramente Paulo diz sobre o que é a caridade: um conjunto de atributos morais e intelectuais, que fará do Espírito ser dono de seu próprio destino.

 Jesus nunca disse que esta ou aquela doutrina deveria ser seguida. Mas sim, resumiu a Lei e os profetas em: Amar a Deus sobre tudo e ao próximo como a si mesmo. Este é o lema do Espiritismo:
 Nem Paulo, nem Jesus e muito menos a Doutrina Espírita quer que sejamos santos. Os Espíritos superiores sabem de nossas limitações e os ensinamentos cristãos são exatamente para ajudar-nos a superá-los. O que se espera do verdadeiro espírita, ou cristão, que têm o mesmo sentido, é o esforço constante em analisar-se moralmente. E sempre que se perceber fora dos atributos que constituem a caridade, que erga a cabeça, recomece novamente o caminho, sem desesperos ou pressa, mas a passos firmes e corajosos.


Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 15:47
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em nossos corações.

    Seja lá qual tenha sido o motivo porque adentramos na casa espírita, uma coisa é certa: vibra nela um quê de amor, paz e acolhimento. Aqui nos sentimos bem, aqui recarregamos nossas forças. À medida que nos agregamos de corpo e alma a ela, vamos percebendo o amparo, vamos aprendendo, melhorando-nos. Tudo isso porque esse lar espírita é a materialização da vontade de fazer o bem daqueles que iniciaram essa Obra Divina, e dos que nela continuam o trabalho, certamente, sob os olhos serenos de nosso grande amigo Jesus Cristo.
    De uma maneira geral, podemos observar duas ocasiões, não necessariamente disjuntas, em nossa relação com a casa espírita.
    Na primeira, enquanto ainda precisamos muito de auxílio, da assistência, ficamos admirados com a casa, com sua capacidade de confortar os corações. O clima fraternal, as amizades e cada sorriso nos cativa. Como é bom sentir todo esse carinho! Sentir a presença dos amigos espirituais a nos incentivar: “Prossegue! Não desanima! Avante, alma querida!”
    E aí, amigos, chega o mais airoso dos momentos. É a hora, em que agradecidos pelo aconchego, vamos nos ligando mais firmemente ao trabalho, reverberam em nós os ecos do chamamento de Jesus, quando nos convoca: “Segue-me tu”. E sentimos esse apelo quando percebemos as dificuldades que chegam, tanto em nossas vidas pessoais, quanto no próprio trabalho.
   Trabalhar para uma casa espírita é, antes de tudo, trabalhar para Jesus. E essa tarefa pode parecer um tanto penosa, se não estivermos com um ponto de vista elevado. Se nos incomodamos com alguma coisa ou alguém, decorrente das atividades, precisamos refletir, já que nesse caso o personalismo está falando mais alto. Nessa integração com a Casa, já não teremos simplesmente o trabalhador José, mas um representante da mesma, e suas atitudes devem ser coerentes com os valores morais que ela semeia.

   Muita Paz à todos!


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 02 de Fevereiro de 2010, 15:51
Irmão Manuel, Congratulações.... "O Estudo está bombando - como dizem na gíria".
Está começando a ficar dificil, o meu pczinho acessar....
Demorei, mas estou aqui....
então vamos mais?
Companheiros,
Vamos continuar refletindo?
Sem nenhuma pretensão de esgotar o texto:
QUE DIFERENÇAS HÁ ENTRE: CARIDADE, COMPAIXÃO e SOLIDARIEDADE?

A bíblia que uso é uma Tradução para o Português de:
JOÃO FERREIRA DE ALMEIDA.
66ª impressão de 1987 – JUERP/Imprensa Bíblica Brasileira – RJ.
Na secção CONCORDÂNCIA BÍBLICA há:
28 referências com indicação de livro, capítulo e versículo para o vernáculo: CARIDADE.
Todas as referências à palavra caridade se encontram no NOVO TESTAMENTO.
14 referências idem  para o vernáculo: COMPAIXÃO.
Há 6 referências à palavra compaixão no NTest - 8 no ATest.
Há 2 referências à palavra SOLÍCITOS – no NTest.
Há 1 referência à palavra SOLICITUDE – no ATest.
Nenhuma referência à palavra SOLIDARIEDADE.

Os conceitos de: Caridade, Compaixão e Solidariedade e Conduta Ética na vida de relação, para o povo Hebreu, não encontrava ressonância em seu livre proceder, pela dureza dos seus corações... Todos esses conceitos, portanto, tiveram que ser definidos como lei por Moisés.
Portanto, todas as nossas definições concernentes aos termos supra referidos tidos para nós como de livre aplicabilidade, para eles, estavam todos contidos no tora(torah, como queiram, leis....) vide o LEVÍTICO.
A cada definição de proceder era sempre seguido o termo (Eu sou Javé).
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 02 de Fevereiro de 2010, 15:58
Excelente sítio de pesquisa: http://www.febnet.org.br/site/az/AZ-Vocabulos-e-Conceitos.php (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5mZWJuZXQub3JnLmJyL3NpdGUvYXovQVotVm9jYWJ1bG9zLWUtQ29uY2VpdG9zLnBocA==) - Segundo Espiritismo de A a Z - Publicado pela FEB....
Em todas as referências há transcrição, indicação do texto, publicação etc...etc...

Lá encontrei 61 definições do vocábulo: CARIDADE
Na mesma publicação há 4 definições para a palavra COMPAIXÃO...
Na mesma publicação há 8 definições para a palavra SOLIDARIEDADE.

http://www.espirito.org.br/portal/doutrina/vocabulario/letra-c.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2RvdXRyaW5hL3ZvY2FidWxhcmlvL2xldHJhLWMuaHRtbA==)

Caridade [do latim: caritate] - 1. No vocabulário cristão, o amor que move a vontade à busca efetiva do bem de outrem e que procura identificar-se com o amor de Deus. 2. Conforme ensino dos Espíritos nobres, Jesus entendia a caridade como "benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições alheias, perdão das ofensas”.
Postulado básico do espiritismo que tem como uma de suas leis áureas a seguinte afirmação: "fora da caridade não há salvação". Necessidade básica de todo espírito. Seja ele encarnado ou não, conhecedor do espiritismo e da verdade do mundo espiritual ou não, evoluído ou não. Enfim, trata-se da prática do bem, abnegado e livre de quaisquer interesses materiais. Calcados nos sublimes ensinamentos do mestre Jesus, o espiritismo reafirma a importância da caridade como o único e verdadeiro caminho para a evolução e o progresso espiritual. Pois o espiritismo afirma: "a quem muito dá, muito será dado".A caridade é um dever de todos.Porém o espírita não desconhece que sua responsabilidade perante a caridade é maior, pois ele é detentor de verdades que outros não possuem.Verdades que não são dogmáticas, porém são incontestáveis pela lógica e pela razão.E como Kardec nos ensina, "aos espíritas muito será cobrado, pois muito lhes foi dado", é importante ao espírita realizar que, senhor de toda uma gama de informações que o torna um privilegiado, se faz imprescindível agir de acordo com as leis de Deus.O espírita não ignora que agir pela caridade e pelo amor fraternal ao próximo significa a sua própria evolução.Mas a caridade é um dever de todos.E se a humanidade pudesse tomar consciência dessa realidade todas as chagas e flagelos que hoje atormentam o gênero humano, desapareceriam. E o mundo banhar-se-ia com toda a luz que emana da bondade do Cristo, quem nos trouxe a filosofia do amor e da própria caridade. (Leitura básica: "O evangelho segundo o espiritismo" de Allan Kardec, "Conduta espírita" psicografado p/ Waldo Vieira e ditado p/ espírito André Luiz, "Busca e Acharás" psicografado por Francisco Cândido Xavier e ditado pelos espíritos Emmanuel e André Luiz, "O Novo Testamento" (todos os livros que o compõem) e muitos outros livros espíritas).
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 02 de Fevereiro de 2010, 16:00
Do dicionário galego....
Caridade s. f.
(1) Virtude teologal que inclina a vontade a amar Deus por si e o próximo por amor de Deus.
(2) Acto de beneficência que exclui qualquer direito do beneficiário e é independente do interesse do benfeitor.
(3) Bondade, generosidade, compaixom: ter muita caridade.
(4) Beneficência, esmola: viver da caridade.
 
Sinóns. Amor, beneficência, liberalidade.
 
[lat. caritate]
Compaixom- s. f.
Dor que nos causa o mal alheio.
 
Sinóns.
Comiseraçom, dó, pesar, piedade.
 
Antóns.
Dureza, indiferença.
 
[lat. compasione]

Significações em inglês da palavra CARIDADE:
Não esgotando o texto.


charity  -
1.   (n) A foundation created to promote the public good (not for assistance to any particular individuals)
Fundação criada para promover o bem público. (Não para assistência a indivíduos em particular).
2.   (n) A kindly and lenient attitude toward people.
Uma atitude amável e leve para povos.
3.   (n) An activity or gift that benefits the public at large.
Uma atividade ou um presente que beneficiem o grande público.
4.   (n) pinnate-leaved European perennial having bright blue or white flowers.
Perennial europeu pinnate- com folhas que tem flores azuis ou brancas brilhantes.
5.   (n) an institution set up to provide help to the needy.
Uma instalação da instituição para fornecer a ajuda ao carente.
Synonym(s)
charity usage(s)
1.   After 18 months, she left the mayor's office to head up the Chicago office of a new charity that was forming: Public Allies, which helps place young people at nonprofits.
1. Após 18 meses, deixou o escritório mayor'(secretaria municipal) a dirigir acima do escritório de Chicago de uma caridade nova que desse forma: Aliados públicos, (sem fins lucrativos – ONG’s) - que ajudam jovens do lugar.
2.   A charity concert scheduled at Althorp on June 27 will also contribute.
2. Um concerto programado para 27 de junho em Althorp, igualmente contribuirá para caridade.

Significações em Alemão da palavra CARIDADE:
Não esgotando o texto.
Nächstenliebe
O termo vem de uma exigência contida no Tora;
Você deve amar seu seguinte como você; Eu sou JHWH. (União Europeia do lev 19.18):
Genérico do amor fraternal como a prontidão de uma pessoa para ajudar seus próximos e para trazer as vítimas para ela, (compreendê-las).
Espírito altruísta da conciliação e do auxiliar ao próximo.
Está inserida no comportamento humano no mundo inteiro e na maioria das religiões como base motriz que personifica a ética. 
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 02 de Fevereiro de 2010, 16:07
Irmãos estudantes,
Com estes posts anteriores, quiz mostrar nossa evolução pela aceitabilidade expontânea no que tange à Caridade, pelo menos em pensamento...
Agora é passar à ação...
Isso é Evolução...
Paz e Saúde a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 02 de Fevereiro de 2010, 16:31
                    ....CARIDADE...palavra tão simples de pronunciar,mas com um sentido tão imenso com grandes significativos.
.........CARIDADE,talvez a máxima que Deus deixou,pois nela engloba muitas outras,como: HUMILDADE,SIMPLICIDADE,TOLERÂNCIA,PERDÃO,DOÇURA,SERENIDADE,e de tempero, regado com muito AMOR...
         bjs fraternos a todos do grupo.... :-* ;)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: manuel Altino em 02 de Fevereiro de 2010, 16:36
Companheiros do Ideal Espirita é com muito emoção que li e reli todas as mensagens postadas é muito bom tudo o que foi dito, muito importante para sabermos que a Caridade é algo de muito importante nas nossas vidas , Pois a caridade não está onde nós queremos ,mas sim onde é preciso e temos que sentir que é na humildade e na simplicidade que a devemos fazer , mas além de ser uma acção muito positiva e feita no silêncio, sinto que depois de tudo o que nós sabemos ,penso que mais importante ainda  é vermos a caridade no sentido de ser feita para cada um de nòs , PARA DENTRO DE NÓS, Será que todos nós já pensamos que temos que exercer uma Caridade para comnosco, cada um  que se interrogue a sí próprio . Será que sou caridoso para comigo ? . è que pensamos muito de dentro para fora, ou seja para o exterior , mas e Nós temos Caridade dentro de nós? pois sei e sinto que deve começar primeiro dentro de cada um, para depois a exercermos no SILêncio na Humildade para com os outros, è que como nos ensinou O Mestre Jesus devemos fazer a caridade de forma que a nossa mão direita não saiba o que fez a mão esquerda, Aqui fica mais uma achega para impulsionar este estudo. Muita paz e com muito carinho vamos continuar e colocar os nossos  sentimentos ,pois assim todos ficamos mais valorizados , Obrigada a todos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: rtozoni em 02 de Fevereiro de 2010, 16:39
Eu acredito que existe uma diferença muito grande entre atos caritativos e o sentimento de caridade. Os atos caritativos podem ser feitos sem que sintamos caridade verdadeiramente, por isso e muito facil cair na ilusão de que somos caridoros. Por outro lado sentir o sentimento de caridade e que nos faz realmente melhores, porem para isso nos precisamos trabalhar os nossos sentimentos de uma forma  mais audaciosa e perseverante. Mergulharmos profundamente nos nossos sentimentos e valores para assuirmos quem nos realmentre somos e transformar os nossos sentimentos doentes em sentimentos mais saudaveis....
Na minha opinião quando o apostolo Paulo fala em fazer tudo com caridade ele quer dizer fazer tudo com o sentimento de caridade, so quando nos passamos do pensamento ou intelecto para o sentimento e que se faz a real transformação. Um abraço a todos e que Jesus e Maria sempre estejam em nossos pensamentos e sentimentos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 02 de Fevereiro de 2010, 17:15
...Não podemos inovar o mundo,nem os homens,apenas difundir pela vida,a alegria pura,a amizade sincera,a fé sem covardia,a piedade sem hipocresia,a Caridade sem trocas e Amor sem barreiras...A fé e a Caridade é um patrimônio comum a todos,que Deus existe,que o céu é uma realidade e que somos eternos na eternidade do Pai Celestial....

     abraços fraternos a todos  ;) :)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: evelinda em 02 de Fevereiro de 2010, 17:38
Olá, sou nova no forum espirita e estou muito feliz de poder ler essas mensagens e estudar mais sobre o Espiritismo.
Acredito que a verdadeira caridade é a ajuda que damos sem esperar recompensas, está auda não importa se é uma conversa amiga ou alimento, sempre podemos abrir nossos corações e ajudar a quem precisa sem esperar recompensa.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 02 de Fevereiro de 2010, 17:56
    Companheiros sei que não condiz muito com o tema do estudo, porém é muito interessante, ficando para uma próxima vez, por favor, não postem à respeito deste assunto. Continuemos com este glorificante tema!

http://www.seuhistory.com/br/series/thats-impossible.html?program-uri=bd7b0d10-e66f-11de-9931-001d09fb6852 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5zZXVoaXN0b3J5LmNvbS9ici9zZXJpZXMvdGhhdHMtaW1wb3NzaWJsZS5odG1sP3Byb2dyYW0tdXJpPWJkN2IwZDEwLWU2NmYtMTFkZS05OTMxLTAwMWQwOWZiNjg1Mg==)


    Muita Paz à todos.


    Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ere em 02 de Fevereiro de 2010, 18:14
Querido Amigo Victor Passos, concordo plenamente com a tua brilhante exposição e destaco:
Citar
[/qNão adianta  ser belo na palavra e pobre de ações. O exemplo de mudança íntima, de luta constante contra as imperfeições, deve fazer parte da vida. Conhece-se a árvore pelos frutos, alertou Jesus. A caridade gritada, chama à atenção, mas não muda os coração e a inteligência a quem se direciona.
O conhecimento espiritual não faz de nós seres caridosos.

A fé também não é sinônimo de caridade, pois sem obras é morta, segundo o apóstolo Tiago, em sua Epístola, cap. II, vers. 17.uote]

Acrescento também o texto que encontrei ao abrir hoje o Evangelho:

Citar
A piedade
17. A piedade é a virtude que mais vos aproxima dos anjos; é a irmã da caridade, que vos conduz a Deus. Ah! deixai que o vosso coração se enterneça ante o espetáculo das misérias e dos sofrimentos dos vossos semelhantes. Vossas lágrimas são um bálsamo que lhes derramais nas feridas e, quando, por bondosa simpatia, chegais a lhes proporcionar a esperança e a resignação, que encanto não experimentais! Tem um certo amargor, é certo, esse encanto, porque nasce ao lado da desgraça; mas, não tendo o sabor acre dos gozos mundanos, também não traz as pungentes decepções do vazio que estes últimos deixam após si Envolve-o penetrante suavidade que enche de jubilo a alma. A piedade, a piedade bem sentida é amor; amor é devotamento; devotamento é o olvido de si mesmo e esse olvido, essa abnegação em favor dos desgraçados, é a virtude por excelência, a que em toda a sua vida praticou o divino Messias e ensinou na sua doutrina tão santa e tão sublime.

Quando esta doutrina for restabelecida na sua pureza primitiva, quando todos os povos se lhe submeterem, ela tomará feliz a Terra, fazendo que reinem aí a concórdia, a paz e o amor.

O sentimento mais apropriado a fazer que progridais, domando em vós o egoísmo e o orgulho, aquele que dispõe vossa alma à humildade, à beneficência e ao amor do próximo, é a piedade! piedade que vos comove até às entranhas à vista dos sofrimentos de vossos irmãos, que vos impele a lhes estender a mão para socorrê-los e vos arranca lágrimas de simpatia. Nunca, portanto, abafeis nos vossos corações essas emoções celestes; não procedais como esses egoístas endurecidos que se afastam dos aflitos, porque o espetáculo de suas misérias lhes perturbaria por instantes a existência álacre. Temei conservar-vos indiferentes, quando puderdes ser úteis. A tranqüilidade comprada à custa de uma indiferença culposa é a tranqüilidade do mar Morto, no fundo de cujas águas se escondem a vasa fétida e a corrupção.

Quão longe, no entanto, se acha a piedade de causar o distúrbio e o aborrecimento de que se arreceia o egoísta! Sem dúvida, ao contacto da desgraça de outrem, a alma, voltando-se para si mesma, experimenta um constrangimento natural e profundo, que põe em vibração todo o ser e o abala penosamente. Grande, porém, é a compensação, quando chegais a dar coragem e esperança a uni irmão infeliz que se enternece ao aperto de uma mão amiga e cujo olhar, úmido, por vezes, de emoção e de reconhecimento, para vós se dirige docemente, antes de se fixar no Céu em agradecimento por lhe ter enviado um consolador, um amparo. A piedade é o melancólico, nas celeste precursor da caridade, primeira das virtudes que a tem por irmã e cujos benefícios ela prepara e enobrece. - Miguel. (Bordéus, 1862)
Abraço fraterno
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ere em 02 de Fevereiro de 2010, 18:18
Obrigada Amigo Manuel Altino pelas palavras de amor e incentivo.
Acrescento ao nosso debate fraterno o capítulo ao qual me referi acima, através do link:
http://www.espirito.org.br/portal/codificacao/es/es-13.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2NvZGlmaWNhY2FvL2VzL2VzLTEzLmh0bWw=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Gomes em 02 de Fevereiro de 2010, 19:21
Fico muito feliz que agora que conheci o forum, vou poder participar de estudo de extrema relevancia.
Confesso que tenho dúvida sobre o que é caridade e nem mesmo consigo detectar momentos em que estou praticando a caridade. É uma reflexão difícil, pois a caridade penso deve se iniciar no coração.
Gosto de auxiliar as pessoas, mas mostrando caminhos para que elas mesmo possam melhorar, ajuda material só nos momentos de necessidade, não sou do tipo que saio por aí distribuindo alimentos, mas se essa caridade auxiliar os espiritos edificarem , fico feliz por aqueles que a praticam, sempre havera necessitados. Enfim quero aproveitar o mes para aprender com a "caridade" de vcs.

Quarida amiga.
Sabe,  amiga, eu também tenho dificuldade em saber o que é caridade.Fico muitas vezes pensando, quando ouço alguem falar que para progredir "É PRECISO FAZER CARIDADE", tenho uma impreassão de barganha. Vou fazer caridade para ganhar o "céu".
Caridade se faz e pronto. Caridade não é dever. Caridade é simplesmente amor.
Já ouvimos dizer, hoje estou feliz fiz minha boa ação. Feliz por que?  se o que fez deve ser o normal de todo dia, toda hora.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 02 de Fevereiro de 2010, 21:42

Olá!

" Allan Kardec "

Livre-arbítrio
843 O homem tem sempre o livre-arbítrio?

– Uma vez que tem a liberdade de pensar, tem a de agir. Sem o livre-arbítrio o homem seria como uma máquina.

844 O homem desfruta de seu livre-arbítrio desde seu nascimento?

– Há liberdade de agir desde que haja a liberdade de fazer. Nos primeiros tempos da vida a liberdade é quase nula; ela vai evoluindo e seus objetivos mudam de acordo com o desenvolvimento das faculdades. A criança, tendo pensamentos relacionados com as necessidades de sua idade, aplica seu livre-arbítrio às escolhas que lhe são necessárias.

845 As predisposições instintivas que o homem traz ao nascer não são um obstáculo ao exercício do livre-arbítrio?

– As predisposições instintivas são do Espírito antes de sua encarnação; conforme é mais ou menos adiantado, podem levá-lo a praticar atos condenáveis, e ele será auxiliado nisso pelos Espíritos com essas mesmas tendências, mas não há arrebatamento irresistível quando se tem a vontade de resistir. Lembrai-vos de que querer é poder. (Veja a questão 361.)

846 O organismo tem influência sobre os atos da vida? E se tem, ela não acaba anulando o livre-arbítrio?

– O Espírito está certamente influenciado pela matéria que o pode entravar em suas manifestações; eis por que, nos mundos onde os corpos são menos materiais, as faculdades se desenvolvem com mais liberdade. Porém, não é o instrumento que dá as faculdades. Além disso, é preciso separar aqui as faculdades morais das intelectuais; se um homem tem o instinto assassino, é seguramente seu próprio Espírito que o possui e o transmite, e não seus órgãos. Aquele que canaliza o pensamento para a vida da matéria torna-se semelhante ao irracional e, pior ainda, porque não pensa mais em se prevenir contra o mal, e é nisso que é culpado, uma vez que age assim por sua vontade. (Veja a questão 367 e segs. – “Influência do organismo”.)

847 A anormalidade das faculdades tira do homem o livre-arbítrio?

– Aquele cuja inteligência é perturbada por uma causa qualquer não é mais senhor de seu pensamento e assim não tem mais liberdade. Essa anormalidade é, muitas vezes, uma punição para o Espírito que, numa outra encarnação, pode ter sido fútil e orgulhoso e ter feito mau uso de suas faculdades. Ele pode renascer no corpo de um deficiente mental, como o escravizador no corpo de um escravo e o mau rico no de um mendigo. Porém, o Espírito sofreu esse constrangimento com perfeita consciência. Está aí a ação da matéria. (Veja a questão 371 e seguintes)

848 Os desatinos das faculdades intelectuais causadas pela embriaguez é desculpa para atos condenáveis?

– Não, porque o bêbado voluntariamente se privou de sua razão para satisfazer paixões brutais; em vez de uma falta, comete duas.

849 No homem primitivo, a faculdade dominante é o instinto ou o livre-arbítrio?

– É o instinto, o que não o impede de agir com total liberdade em certas circunstâncias; como a criança, ele aplica essa liberdade às suas necessidades e ela se desenvolve com a inteligência. Porém, como vós, sois mais esclarecidos do que um selvagem e também mais responsáveis pelo que fazeis.

850 A posição social não é, algumas vezes, um obstáculo à total liberdade dos atos?

– O mundo tem, sem dúvida, suas exigências. Deus é justo e tudo leva em conta, mas vos deixa a responsabilidade do pouco esforço que fazeis para superar os obstáculos.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 02 de Fevereiro de 2010, 21:50

Olá!

" Allan Kardec "

☼ Quando estivermos no mundo dos Espíritos e nosso passado se mostrar a descoberto, o bem e o mal que fizemos serão igualmente conhecidos. Em vão aquele que fez o mal tentará escapar à visão de suas vítimas: sua presença inevitável será um castigo e um remorso incessante até que tenha reparado seus erros, enquanto o homem de bem, pelo contrário, só encontrará em toda parte olhares amigos e benevolentes. Para o mau não existe maior tormento na Terra do que a presença de suas vítimas; é por isso que as evita sem cessar. O que será dele quando, dissipada a ilusão das paixões e tendo compreendido o mal que fez, vir seus atos mais secretos revelados, sua hipocrisia desmascarada e não puder fugir à visão desses fatos?

Enquanto a alma do homem perverso está atormentada pela vergonha, o desgosto e remorso, a do justo desfruta de uma serenidade perfeita.

978 A lembrança das faltas que a alma cometeu, quando era imperfeita, não perturba sua felicidade, mesmo após estar depurada?

– Não, porque resgatou suas faltas e saiu vitoriosa das provas a que se submeteu com esse objetivo.

979 As provas que restam a suportar para terminar a purificação não são para a alma uma apreensão pesarosa que perturba sua felicidade?

– Para a alma que ainda está impura, sim; por isso não pode desfrutar de uma felicidade perfeita senão quando estiver completamente pura; mas para a alma que já se elevou, o pensamento das provas que restam a suportar não tem nada de pesaroso.

☼ A alma que atingiu certo grau de pureza já desfruta da felicidade. Um sentimento de doce satisfação a penetra e fica feliz com tudo que vê, com tudo que a cerca; ergue-se para ela o véu que encobria os mistérios, e as maravilhas da Criação e as perfeições divinas se mostram em todo o seu esplendor.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 02 de Fevereiro de 2010, 21:53

Olá!

" Krishnamurti "

Para uma mente de fato religiosa, é importantíssimo compreender aquilo que transcende a palavra, que transcende o pensamento e toda experiência. E, para compreender isso, para estar com o que se acha além de toda experiência, para perceber isso profundamente e num lampejo, a mente deve estar livre. Idéia, conceito, padrão, opinião, julgamento ou qualquer disciplina organizada impedem a liberdade da mente. Essa liberdade traz a sua própria disciplina – não a disciplina da submissão, da repressão ou do ajustamento, mas a disciplina que não é produto do pensamento, que não tem motivo.

Seguramente que, num mundo confuso, com tanto conflito e miséria, é mais do que urgente entender que a liberdade é o primeiro requisito da mente humana - não o conforto nem o fugaz momento de prazer nem a continuidade desse prazer, mas uma liberdade total, que é a única origem da felicidade. A felicidade não é um fio em si mesma; como a virtude. É um subproduto da liberdade. Uma pessoa livre é virtuosa; mas o homem que pratica a virtude, submetendo-se a um padrão estabelecido pela sociedade, jamais saberá o que é liberdade e, por isso, jamais será virtuoso.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 02 de Fevereiro de 2010, 22:03

Olá!

SWAMI VIVEKANANDA
A MEDITAÇÃO E SEUS MÉTODOS

A ARMADILHA DE MAYA

Certa vez, Narada (um grande sábio) disse a Krishna: "Senhor, mostre-me Maya (Ilusão Cósmica)". Alguns dias se passaram e Krishna convidou Narada para um passeio pelo deserto e, depois de andarem algumas milhas, Krishna disse: "Narada, estou com sede; você pode trazer-me um pouco d'água?" "Partirei imediatamente, senhor, para buscar sua água." Assim, Narada partiu.

Não muito longe havia uma aldeia; entrou nela à procura de água e bateu numa porta, que foi aberta por uma linda mocinha. Ao vê-la, ele se esqueceu, imediatamente, que seu Mestre esperava pela água, talvez morrendo de sede. Esqueceu tudo e começou a conversar com a moça. Decorrido o dia todo, ele não voltou ao seu Mestre. No dia seguinte, lá estava ele de novo a conversar com a mocinha.
 
A conversa transformou-se em amor; ele pediu a garota em casamento e eles se casaram e tiveram filhos. Passaram-se assim doze anos. Seu sogro faleceu e ele herdou sua propriedade. Vivia, como pensava, uma vida muito feliz com sua esposa e filhos, com seus campos e o gado e assim por diante. Então, houve uma enchente.

Certa noite, o rio encheu-se até transbordar e inundar toda a aldeia. As casas caíram, homens e animais foram arrastados e afogados e tudo flutuava na violência da torrente. Narada teve de fugir. Com uma das mãos segurava sua mulher e com a outra dois de seus filhos; outro filho estava em seus ombros e ele tentava atravessar aquela tremenda inundação. Após dar alguns passos, viu que a corrente estava forte demais e a criança que estava em seus ombros caiu e foi carregada pelas águas. Narada soltou um grito de desespero. Ao tentar salvar a criança, largou uma das outras, que também se perdeu.

Finalmente, sua mulher, que ele agarrara com toda sua força, foi arrebatada pela torrente e ele foi arremessado às margens, chorando e soluçando com amargas lamentações.

Atrás dele surgiu uma voz delicada: "Meu filho, onde está a água? Você foi procurar um bocado d’água e estou esperando por você. Já faz meia-hora que você partiu." "Meia-hora!", exclamou Narada. Doze anos tinham se passado em sua mente e todas essas cenas aconteceram em meia hora! É isto que é Maya.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 02 de Fevereiro de 2010, 22:06

Olá!

" Krishnamurti "

Para mim, revolução é sinônimo de religião. Com a palavra “revolução” não me refiro a imediatas reformas econômicas ou sociais, porém a uma revolução na própria consciência. Todas as outras formas de revolução, seja comunista, seja capitalista, seja qual for, são puramente reacionárias. Uma revolução na mente — que significa total destruição do que foi, para que a mente se torne capaz de ver sem deformação e sem ilusão o que é verdadeiro — essa é a ação própria da religião. Penso que a mente real, a verdadeira mente religiosa, existe, pode existir. E ela pode ser descoberta por quem nisso penetrou com profundeza. A mente que deitou abaixo, que destruiu todas as barreiras, todas as mentiras que lhe impôs a sociedade, a religião organizada, o dogma, a crença, e passou além para descobrir o verdadeiro, essa é a verdadeira mente religiosa.


Nessas condições, para descobrir o que é verdadeiro, ou qual é a finalidade da vida, ou para achar a verdade relativa à reencarnação ou a qualquer problema humano, aquele que investiga, que busca a verdade, que deseja conhecer a verdade, precisa estar absolutamente certo de suas intenções. Se estas consistem em procurar a segurança, o conforto, então é bem evidente que ele não deseja a verdade; porque a verdade pode ser uma das coisas mais devastadoras e desconfortáveis. O homem que busca o conforto, não deseja a verdade: deseja apenas segurança, proteção, um refúgio onde não seja perturbado. Já o homem que busca a verdade, tem de, abrir a porta às perturbações, às tribulações; porque só nos momentos de crise há o estado de alerta, há vigilância, ação. Só então aquilo que é pode ser descoberto e compreendido.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: zeni em 02 de Fevereiro de 2010, 22:10
Olá a todos os amigos e amigas do Fórum.

E também ao Sr. Manuel Altino, com o tema (Caridade).
Para mim a caridade pode ser realizada de várias formas, desde que seja feita com amor, e em secreto.

Abraço a todos.

Caridade

Caridade é , sobretudo, amizade.



Para o faminto - é o prato de sopa.



Para o triste - é a palavra consoladora.



Para o mau - é a paciência com que nos compete auxiliá-lo



Para o desesperado - é o auxílio do coração.



Para o ignorante - é o ensino despretensioso.



Para o ingrato - é o esquecimento.



Para o enfermo - é a visita pessoal.



Para o estudante - é o concurso no aprendizado.



Para a criança - é a proteção construtiva.



Para o velho - é o braço irmão.



Para o inimigo - é o silêncio.



Para o amigo - é o estímulo.



Para o transviado - é o entendimento.



Para o orgulhoso - é a humildade.



Para o colérico - é a calma.



Para o preguiçoso - é o trabalho.



Para o impulsivo - é a serenidade.



Para o leviano - é a tolerância.



Para o deserdado da Terra - é a expressão de carinho.


Caridade é amor, em manifestação incessante e crescente. É o sol de mil faces, brilhando para todos, e o gênio de mil mãos, amparando, indistintamente, na obra do bem, onde quer que se encontre, entre justos e injustos, bons e maus, felizes e infelizes, por que, onde estiver o Espírito do Senhor aí se derrama a claridade constante dela, a benefício do mundo inteiro.




Autor: Emmanuel
Psicografia de Psicografia de Chico Xavier. Da obra: Viajor
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 02 de Fevereiro de 2010, 23:48
   oi Zeni ,bem traduzida  suas palavras menina,agora acredito que não ficou nenhuma falha,parabéns linda...beijo fraterno em teu coração.....continui nos presentiando com suas palavras. :-* ;)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: macili em 03 de Fevereiro de 2010, 00:50
A Caridade para com o próximo que está ao nosso lado ou para conosco mesmo, se faz de várias maneiras: orando, assistindo nas necessidades, ouvindo, esclarecendo, confortando, compreendendo, amparando, servindo, enfim... amando incondicionalmente.
O retorno é maravilhoso!

"Todo o gesto de amor se converte em semente de luz que, lançada sobre a alma humana, um dia germinará, favorecendo a colheita de bençãos".

"Caridade, gentileza, auxílio, calma, perdão, são as preces mais sublimes no teu altar de oração".      (Gotas de Luz)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: marcioschenckel em 03 de Fevereiro de 2010, 01:45
 :)  A maior Força do espiritismo é a Caridade, que é o amor incondicional.
     Em seguida vem a crença divina consciente, racional, que ultrapassa a Fé, remetendo-nos à certeza divina, com suas hierarquias universais. Explico melhor... Quando acreditamos profundamente em algo temos fé, mas quando temos a certeza, deixamos de ter fé. Essa certeza surge e multiplica-se conforme aprendemos a entender e perceber os infinitos acontecimentos divinos que nos cercam que são diretamente direcionados a nós, pessoalmente e também, universalmente.
     O espiritismo através do mais alto sentimento e força universal, que é o AMOR, unindo a ciência e a religião principalmente, com auxílio da multiplicidade de conhecimentos humanos e espirituais “todos seres pensantes”, mantendo o livre arbítrio – objetiva-se a entender o universo e aperfeiçoar a nossa existência. Por isso, engloba o maior número de respostas universais, aliando o passado histórico com as mais recentes descobertas, se readaptando e aperfeiçoando infinitamente.
     Mas existem múltiplos acontecimentos presentes e mistérios do passado, que ainda ultrapassam a compreensão do espiritismo, sendo necessários múltiplos estudos aprofundados em cada fato e matéria existente, obviamente o que remete também a infinitas experiências de vida (de cada ser pensante). O que faz mister a necessidade de estudarmos e conhecermos juntamente outros segmentos religiosos e científicos... Mas principalmente conhecermos a nós mesmo.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: marcioschenckel em 03 de Fevereiro de 2010, 01:47
 ??? O que canso de ver nas escolas, na faculdade, nos fóruns e aqui também, frases ou pensamentos simplesmente copiados, muitas vezes usados sem a devida reflexão. O espiritismo é uma boa escola para aprendermos a pensar por nós mesmo. Como por exemplo, dizer que se um ser, não promove nem o bem nem o mal, ele será (julgado), é um inútil”.  Isso é uma colocação absurda, sem um mínimo de reflexão; pois  ninguém vive isolado no mundo, sem alguém ao redor, se ele não faz o mal, é sinal que pelo menos, á sua família ou amigos ele promove, ou pelo menos projeta, boas energias e conhecimentos! Não é? 
     E precisamos sim nos conhecer e nos engrandecer, pessoalmente primeiro, assim, conforme vamos evoluindo, vamos automaticamente transbordando conhecimentos e boas energias, com isso, um despertar de querer repassar esses conhecimentos e energias nos impregna naturalmente, exteriorizando aos outros; mas cada um com seus limites de personalidade e aptidões, quero dizer, uns promovem seus conhecimentos à uma grande quantidade de pessoas, outros apenas aos seus contatos mais próximos.
     Uns dão insignificantes esmolas, outros dão tudo o que possuem, mas o que importa é o sentimento interior a esse ato; um rico pode dar uma única moeda, mas se for o equivalente em sentimento a um pobre que entrega tudo que possui, qual é a diferença? Só se for aos olhos dos outros, mas para si mesmo não!!!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 03 de Fevereiro de 2010, 10:17
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.

   Caros irmãos, estarei fora por algumas horas, por favor, mantenham a paz, o amor e a consciência espírita!

   De qualquer forma, estarei vibrando benéficamente.

   Muita Paz à todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Anton Kiudero em 03 de Fevereiro de 2010, 10:50
Texto relacionado >>>  http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/a-compreensao-intelectual-e-o-verdadeiro-ser/
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 03 de Fevereiro de 2010, 12:17

KHALIL GIBRAN KHALIL

AS DÁDIVAS

E ele respondeu:

"Vós pouco dais quando dais de vossas posses.
É quando dais de vós próprios que realmente dais.
Pois, o que são vossas posses senão coisas que guardais,
por medo de precisardes delas amanhã?

E amanhã, que trará o amanhã ao cão ultraprudente,
que enterra ossos na areia movediça
enquanto segue os peregrinos até a cidade santa?

E o que é o medo da necessidade senão a própria necessidade?
Não é vosso medo da sede, quando vosso poço está cheio,
a sede insaciável?

Há os que dão pouco do muito que possuem,
e o fazem para serem elogiados,
e seu desejo secreto desvaloriza suas dádivas.

E há os que pouco têm e o dão inteiramente.
Esses confiam na vida e na generosidade da vida,
e seus cofres nunca se esvaziam.

E há os que dão com alegria, e essa alegria é sua recompensa.
E há os que dão com pena, e essa pena é seu batismo.
E há os que dão sem sentir pena nem buscar alegria
e sem pensar na virtude: dão como, no vale, o mirto espalha
sua fragrância pelo ar.

Pelas mãos de tais pessoas, Deus fala;
e através de seus olhos Ele sorri para o mundo.
É belo dar quando solicitado; é mais belo, porém,
dar sem ser solicitado, por haver apenas compreendido;

E, para os generosos, procurar quem recebe é uma alegria
maior ainda que a de dar.
E existe alguma coisa que possais guardar?

Tudo que possuís será um dia dado.
Dai agora, portanto, para que a época da dádiva seja vossa
e não de vossos herdeiros.

E vós que recebeis - e vós todos recebeis -
não assumais nenhum encargo de gratidão,
para não pordes um jugo sobre vós
nem sobre os vossos benfeitores.
Antes, erguei-vos, junto com eles,
sobre asas feitas de suas dádivas;
Pois se ficardes em demasia
preocupados com vossas dividas,
estareis duvidando da generosidade
daquele que tem a terra liberal por mãe e Deus por pai.

Vós dizeis muitas vezes: "Eu daria, mas somente a quem merece".
As árvores de vossos pomares não falam assim,
nem os rebanhos de vossos pastos.
Dão para continuar a viver, pois reter é perecer.
Certamente, quem é digno de receber seus dias e suas noites
é digno de receber de vós qualquer coisa mais.

E quem mereceu beber do oceano da vida,
merece encher sua taça em vosso pequeno córrego.
E que mérito maior haverá do que aquele
que reside na coragem e na confiança,
mais ainda, na caridade de receber?

E quem sois vós para que os homens
devam expor seu intimo e desnudar seu orgulho,
a fim de que possais ver
o mérito deles despido, e o amor-próprio rebaixado?

Procurai ver, primeiro, se mereceis ser doadores
e instrumentos do dom.
Pois, na verdade, é a vida que dá a vida,
enquanto vós, que vos julgais doadores,
sois simples testemunhas.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: manuel Altino em 03 de Fevereiro de 2010, 13:12
Companheiros do Ideal espirta é com muita paz que estou a aprender muito com tudo o que se está dizendo neste estudo. E continuo  a dizer que é preciso muita Caridade para cada um de nós para sentir-mos muita paz  pois a verdadeira caridade está sempre dentro de nós e é pelo pensamento que nos doámos todos uns aos outros , mas tudo isso é verdade se primeiro fizermos CARIDADE para comnosco próprios. Amigos vou incluir um texto para meditar e podermos refectir muito sobre4 a  CARIDADE




Caridade é, sobretudo, amizade
Para o faminto, é o prato de sopa.
Para o triste, é a palavra consoladora.
Para o mau ,é a paciência com que nos compete auxiliá-lo.
Para o desesperado é o auxilio do coração.
Para o ignorante é o ensino despretensioso.
Para o ingrato é o esquecimento da ingratidão.
Para o enfermo, é a visita pessoal.
Para o estudante, é o concurso no aprendizado.
Para a criança, é a protecção construtiva.
Para o velho, é o abraço irmão.
Para o inimigo, é o perdão.
Para o amigo, é o estímulo.
Para o transviado é o entendimento.
Para o orgulhoso, é a humildade.
Para o colérico, é a calma.
Para o preguiçoso, é o trabalho.
Para o impulsivo, é a serenidade.
Para o leviano, é a tolerância.
Para o deserdado da Terra, é a expressão de carinho.

Caridade é amor, em manifestação incessante e crescente. É o sol de mil faces, brilhando para todos, e o génio de mim mãos,
amparando, indistintamente, na obra do bem, onde quer que se encontre.
entre justos e injustos, bons e maus, felizes e infelizes,
porque, onde estiver o Espírito do Senhor aí se derrama a caridade constante dela, a benefício do mundo inteiro.

(Emmanuel/Francisco Cândido (Chico) Xavier) - Livro "Viajor".

Abraços fraternos a todos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: URBIETA em 03 de Fevereiro de 2010, 13:45
"Fora da caridade não há salvação" - Esta é a máxima das leis, depois do livre arbítrio e ação e reação que Deus nos concede como misericórdia e aprendizado constante. Sejamos mais persistentes que a preguiça, o ócio e a falta de compaixão e olhemos mais para o próximo. Em nossa residência, nossa escola, faculdade, trabalho, meio social sempre há um irmão necessitando de atenção, crinho, ajuda, oração e até mesmo um simples gesto que seja sincero de amor...Trabalhemos nossa consciência para exercitar cada vez mais o amor ao próximo.


Abraços fraternos a todos.

Ana Urbieta.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Paty Bolonha em 03 de Fevereiro de 2010, 15:34
 Livro Evangelização Infantil - Missionarinhos do Futuro - Paty Bolonha

Capítulo VI
 
Na caravana de resgate lá foram eles de carona, vibrando em compaixão pelo espírito convalescido que ía na câmara de recuperação.
Rumo a outra dimensão, colônia "Seara Bendita", de refúgio e alento, aguardavam-lhes para a visita.
 
Aos poucos o ar denso ia rareando, luzes espraiavam-se de um foco universal, refletidas em sete cores, energizando todo o espaço como um magnífico cristal.
Já de  longe avistavamos  irmãos vestidos de branco a nos saudarem naquele espetaculoso cenário boreal.
Uma paz indescritível tomou conta daquela hora, e antes da chegada uma alma agradecida proferiu uma prece sem demora.
 
- Obrigada Pai querido, do fundo de meu coração pela oportunidade de resgatarmos mais um irmão. Pedimos-lhe a força e a coragem necessárias para continuar, pois sabemos que a sua luta moral está apenas a recomeçar.
Amparados e confiantes, pedimos as tuas bençãos Pai generoso e amigo, guia-nos no bom caminho, livrando-nos do perigo.
A cada pequenino saibamos compreender sem julgar, aprendamos sempre contigo apenas o amor multiplicar.
Que assim seja !
 
Adentramos o espaço com serenidade e íntimo recolhimento, vibrando em nossos melhores pensamentos, pois sabiamos que a higienização da mente era o remédio para tantas almas que alí encontravam-se em sofrimento.
 
Um ambiente plácido e harmonioso, organizado com perfeição.
 
- Quem construiu tudo isso ? - Chico perguntou com  extrema admiração.
 
- Caro amigo, aquí está a prova de que só se faz perfeito quando a razão encontra-se com a emoção.
 
- Todo o plano universal é formado pela massa pensamental, projetada e edificada por aqueles que compartilham das mesmas intenções.
 
- Uma espécie de cimento ?
 
- Sim, elaborado com bom ou mal material provindo do pensamento .
 
- Uma obra se conhece pelo seu fino acabamento, não precisa ser de luxo, mas é importante ter segurança e excelente fundação, por isso para ter bom material não basta usar só o coração .
 
- Caridade não se faz usando só a emoção , é preciso também fazer o bom uso da razão. Essas duas quando juntas formam massa tão compacta que a obra não se abala nem com forte furacão.
 
- Então como se faz caridade ? Pois sabemos que ela deve ser incondicional .
 
- Deve ser Chico, mas deve ser praticada de forma racional. Não basta que seja apenas uma ação momentanea e assistencial. Pois as vezes não passa de troca proposital, então não será perfeita e pode até acabar sendo prejudicial.
 
- O irmão desvalido a quem se oferece a mão pode nos enxergar como um anjo-amigo ou apenas nos enxergar como um banco de provisão.
Nesse caso é como um cliente exigente e para ele o esforço e  gratidão são desnecessários , quer apenas ter alguém que lhe forneça de graça o pão.
Não há atitude de melhoramento, sentir-se-á injustiçado o dia que o pão faltar e o que era pra ser o bem mal poderá acabar .
 
- Veja este lugar ! É um hospital de socorro mas não acolhe ninguém a revelia das intenções, pois se assim o fosse muitos riscos correria pois talvez desse guarida a espíritos em contradições.
 
- Somente vem para cá aqueles que com sinceridade e vontade, outro sentido  a vida pretendem dar. Nesse caso vale o ditado popular :
  " Não forneça sempre o peixe, dê a vara e ensine a pescar"
 
- Nesse caso como definir Caridade Incondicional ?
 
- É aquela que não tem preconceito e a todo deve-se oferecer, porém só será caridade e deve ser continuada para aquele que demonstra aceitação e faz disso uma razão para mudar e crescer.
 
- Tampouco deve-se confundir aceitação com espera de eterna gratidão, caridoso é aquele que apenas se compraz em ver o ser auxiliado em uma melhor condição. Não pede nada em troca, tem sempre mais para ofertar e o faz com incrível satisfação.
 
- Mas e aquele cujo não conhecemos o que vai no fundo do coração ?
 
- Se tua razão confiar, faça o que mais de correto achar, por que o que uma mão dá sequer a outra Deus deu olhos pra enxergar. Quem deu com amor ainda que mal usado por aquele que recebeu Deus reconhece o valor .
 
- E aquele que faz disso motivo de promoção ?
 
- Caridade feita pelo verdadeiro bem , não necessita de glórias ou da divulgação de alguém.


(Continua)
 
 
(Paty Bolonha - 2008 )
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: manuel Altino em 03 de Fevereiro de 2010, 17:16
         Sendo tolerantes e compreessivos,estamos a fazer CARIDADE.......nunca esquecendo que temos que ter CARIDADE por nós próprios.Abraço Fratrno a todos.



                           Maria  Antónia..Portugal
                                                                                                       
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ros em 03 de Fevereiro de 2010, 17:34
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Como fazer CARIDADE? Isso realmente é muito amplo.
Digo que a forma de pesquisa foi eliminatória e só pode votar numa opção. Mas digo que isso não mostra bem a realidade, pois muitas vezes o votante necessita de votar em mais de uma opção, como foi o meu caso e deve ser o caso de muitos participantes deste Fórum.
Paz plena... Rosário.  
  
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 03 de Fevereiro de 2010, 17:46

Olá!

Caridade é o que Deus tem para com os seus filhos.

Os humanos não sabem o que é caridade. São apenas imitadores.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: gilmarsantos1 em 03 de Fevereiro de 2010, 17:54
"...EU SINTO QUE HÁ UMA DIFICULDADE MUITO GRANDE EM ALGUNS IRMÃOS NO QUE SE REFERE A CARIDADE..."


É MUITO INTERESANTE, ESTAMOS EM UM FORUM TROCANDO EXPERIÊNCIA DE CONVIVIO; E A MAIORIA, NÃO EXPÕE O SEU SENTIMENTO DE CARIDADE.
COM ISSO, VOCE PERDE UMA GRANDE CHANCE DE ESTORNAR ESTE SENTIMENTO MARAVILHOSO E ACABA COLOCANDO UM TEXTO QUE PRATICAMENTE TODOS JA LERAM; E DE ALGUMA FORMA TAMBÉM JÁ ESTUDARAM EM SEUS CENTROS ESPIRÍTAS, FEDERAÇÕES OU CURSOS ON LINE.
E SINTO UM FRIO, QUANDO DEVERIA ESTAR SENTINDO UM CALOR GOSTOSO, ACONCHEGANTE E AMOROSO.
CADE A CARIDADE GENTE, OS LIVROS ENSINAM; NÓS PRATICAMOS.

QUE O PLANO ESPIRÍTUAL COLOQUE MUITAS TAREFAS DE CARIDADES EM NOSSA EXISTÊNCIA.

FIQUEM COM O NOSSO AMADO IRMÃO JESUS.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: gilmarsantos1 em 03 de Fevereiro de 2010, 17:56
OU ESTOU ENGANADO?????
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Anton Kiudero em 03 de Fevereiro de 2010, 18:01
Caridade é fazer ao proximo o que gostariamos que o proximo fizesse conosco. Ou seja, deixa-lo fazer o que desejar fazer. Todo o mais será fruto sempre de nossa mente e portanto descaridade.

Se é o Pai quem da a cada um segundo o seu merecimento, jamais o ser humano "faz" alguma caridade ou descaridade. Será sempre o instrumento de que se serve o Pai para dar a cada um o que merecia naquele instante.

Não pensem portanto, nem um simples instante, que fazendo algo, seja la o que for este algo, estão sendo caridosos porque não estão. Se pensarem que foram caridosos é esta a prova pela qual devem passar, a pova da satisfação do desejo de afirmar o "eu". Nada alem disto.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ros em 03 de Fevereiro de 2010, 18:07
Paz plena... dim-dim, um grande e fraternal abraço.
Citar
Olá!

Caridade é o que Deus tem para com os seus filhos.

Os humanos não sabem o que é caridade. São apenas imitadores.

Namasté
Uma frase como essa fica até difícil de comentarmos alguma coisa. Já ouvi muitos padres falarem assim: "Tudo de bom que fazemos, não somos nós que fazemos mas é Deus que age por nosso intermédio, nosso mesmo só é o pecado".
Agora pode-se ter a caridade de falar com um catador de papel e de ouví-lo; pode fazer a caridade da dar um copo d'água a quem estiver com sede; fazer a cadidade de dar uma palestra em alguma casa espírita; fazer a caridade de dar uma ajuda a quem nos pede, sem procurar fiscalizar o que a pessoa vai fazer com aquela pequena ajuda; ter a caridade para receber uma pessoa em nosso lar e ter tempo para ouv-lo e etc.  
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 03 de Fevereiro de 2010, 18:10
Anton

Caridade é fazer ao proximo o que gostariamos que o proximo fizesse conosco.
Ou seja, deixa-lo fazer o que ele desejar fazer.
Todo o mais será fruto sempre de nossa mente e portanto descaridade.

Bom!
tem próximo que quer fazer tantas coisas conosco e se assim o permitrimos
estaremos numa fria.
verifiquemos os criminosos, os dissimulados, os levianos,os egoístas, os orgulhosos,os vaidosos...

Na verdade, segundo eu entendo,
 Jesus nos ensinou tudo aquilo que se refere a ação amar.


Logo ao próximo, a caridade , se realiza pela prática da empatia...

mas sempre com a luz do amor.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: gilmarsantos1 em 03 de Fevereiro de 2010, 18:14
    
Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
« Responder #172 em: Hoje às 21:07:08 »
   Responder com citaçãoCitar
Paz plena... dim-dim, um grande e fraternal abraço.
Citar
Olá!

Caridade é o que Deus tem para com os seus filhos.

Os humanos não sabem o que é caridade. São apenas imitadores.

Namasté
_______________________________________________________________
Uma frase como essa fica até difícil de comentarmos alguma coisa. Já ouvi muitos padres falarem assim: "Tudo de bom que fazemos, não somos nós que fazemos mas é Deus que age por nosso intermédio, nosso mesmo só é o pecado".
Agora pode-se ter a caridade de falar com um catador de papel e de ouví-lo; pode fazer a caridade da dar um copo d'água a quem estiver com sede; fazer a cadidade de dar uma palestra em alguma casa espírita; fazer a caridade de dar uma ajuda a quem nos pede, sem procurar fiscalizar o que a pessoa vai fazer com aquela pequena ajuda; ter a caridade para receber uma pessoa em nosso lar e ter tempo para ouv-lo e etc.  

O QUE POSSO DIZER, OBRIGADO ROSÁRIO, É DISSO QUE EU ESTAVA FALANDO!!!!!!!!!!!!!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 03 de Fevereiro de 2010, 18:22

Olá!

Caridade é o que Deus tem para com os seus filhos humanos. Os seus filhos humanos, egoistas, não sabem o que é a caridade.


" Allan Kardec "

Toda a gente admira a moral evangélica; todos lhe proclamam a sublimidade e a necessidade; muitos, porém, assim se pronunciam por fé, confiados no que ouviram dizer, ou firmados em certas máximas que se tornaram proverbiais. Poucos, no entanto, a conhecem a fundo e menos ainda são os que a compreendem e lhe sabem deduzir as conseqüências.

A raça humana é constituída tanto de Espíritos bons quanto de maus, que estão encarnados neste planeta, e como a Terra é um dos mundos menos avançados, nela se encontram mais Espíritos maus do que bons; por isso há tanta perversidade aqui.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 03 de Fevereiro de 2010, 18:26
Olá!

" Allan Kardec "

1. Há um Deus, inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas.
A prova da existência de Deus está no axioma: Não há efeito sem causa. Vemos incessantemente uma multidão inumerável de efeitos, cuja causa não está na Humanidade, uma vez que a Humanidade está impossibilitada de reproduzi-los, e mesmo de explicá-los: a causa está, pois, acima da Humanidade. É a essa causa que se chama Deus, Jeová, Alá, Brama, Fo-hi, Grande Espírito, etc., segundo as línguas, os tempos e os lugares.

Esses efeitos, de nenhum modo, não se produzem ao acaso, fortuitamente e sem ordem; desde a organização do menor inseto, e do maior grão, até à lei que rege os mundos circulando no espaço, tudo atesta um pensamento, uma combinação, uma previdência, uma solicitude que ultrapassam todas as concepções humanas. Essa causa é, pois, soberanamente inteligente.

2. Deus é eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom.

_____________________________________________________________-

Dito isto, apenas me resta aquiescer aos desígnios de Deus. Esta é a minha caridade. Este é o meu livre arbítrio.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: zeni em 03 de Fevereiro de 2010, 18:32
Sinto muito, por ainda não estar tão evoluída intelectualmente, a ponto de colocar neste Fórum, palavras e pensamentos meus, ainda sinto necessidade de recorrer a aqueles que já estão um pouco mais adiantados na escala evolutiva, admiro sim e respeito aqueles que podem, e gostam de compartilhar suas mensagens e ensinamentos, de acordo com o grau do intelecto a que já conquistaram, sejam encarnados ou desencarnados.

Caridade.
Dentre as maravilhas ensinadas por Jesus de Nazaré, o homem que dividiu a nossa História, está a caridade.
Um costume muito comum aos fariseus, era o de tentar o Mestre, fazendo-Lhe perguntas que julgavam embaraçosas. Todavia, Jesus a todas respondia com presteza e sabedoria.
Certo dia, um deles, que era doutor da lei, propôs a seguinte questão: ”Mestre, qual o grande mandamento da lei?”
Jesus lhe respondeu: “Amarás o senhor teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu espírito. Esse o maior e o primeiro mandamento.
Eis o segundo, que é semelhante ao primeiro: amarás o teu próximo, como a ti mesmo. E acrescentou: toda lei e os profetas se acham contidos nesses dois mandamentos.”
Como é fácil perceber, Jesus sintetizou a Lei e todos os ensinos dos profetas nestes dois mandamentos: Amar a Deus e ao próximo.
Se um não for cumprido, o outro também não será, ou seja, não se pode amar a Deus, sem amar Seus filhos, ou amar os filhos sem amar o Pai.
Podemos compreender com isso, que Jesus falava da caridade, pois na seqüência da resposta Ele narrou a parábola do samaritano.
A parábola faz referência a três pessoas que se depararam com um homem ferido no caminho, e ressalta que quem se compadeceu e o socorreu foi um samaritano, considerado herético, mas que pratica o amor ao próximo, acima do ortodoxo que falta com a caridade.
Percebemos nos ensinos de Jesus, que a prática da caridade é uma condição para a conquista da felicidade.
Vejamos que a caridade não é somente dar coisas, mas doar-se ao próximo, condição que não requer recursos financeiros nem influência social. Todos podemos fazê-la.
O apóstolo Paulo fala da caridade com as seguintes palavras: “Ainda que eu tivesse a linguagem dos anjos; tivesse o dom da profecia que penetrasse todos os mistérios; tivesse toda a fé possível, até ao ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, nada sou.”
E prossegue dizendo: “E, quando houvesse distribuído os meus bens para alimentar os pobres e houvesse entregado meu corpo para ser queimado, se não tivesse caridade, tudo isso de nada me serviria.”
Está bem claro nos ensinos de Paulo, que o fato de distribuir os bens materiais não é suficiente, ou não é só nisso que consiste a verdadeira caridade.
A caridade material é apenas uma faceta, a outra é a caridade moral. Não basta ter fé, não precisa ser profitente desta ou daquela religião, é preciso ter caridade como a entendia Jesus: “Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas”.
É, em resumo, fazer ao próximo todo o bem que desejamos que o próximo nos faça.
*  *  *
”Nos caminhos claros da inteligência, muitas vezes as rosas da alegria completa produzem os espinhos da dor, mas, nas sendas luminosas da caridade, os espinhos da dor oferecem rosas de perfeita alegria”.

Redação do Momento Espírita, com base no item 4 do  cap. XV   de  O evangelho segundo o espiritismo, de Allan Kardec, ed. Feb e no verbete Caridade do livro Dicionário da alma, Espíritos diversos, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb

Abraço a todos.
Zeni.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Anton Kiudero em 03 de Fevereiro de 2010, 18:53
tem próximo que quer fazer tantas coisas conosco e se assim o permitrimos estaremos numa fria. verifiquemos os criminosos, os dissimulados, os levianos,os egoístas, os orgulhosos,os vaidosos...
Na verdade, segundo eu entendo, Jesus nos ensinou tudo aquilo que se refere a ação amar.
Logo ao próximo, a caridade , se realiza pela prática da empatia... mas sempre com a luz do amor.

Se voce quer dar ao proximo aquilo que voce acha que é certo e bom, saiba que isto não é caridade mas apenas a satisfação intima de "ter dado algo". No entanto, o Pai, mesmo que este algo, seja la o que for, tenha vindo por motivo não caridoso, aproveitara o que vier, conduzindo-o a quem precisar deste algo naquele preciso instante.

A lei sempre se cumpre. Quem dá responderá pela intenção do ato, independentemente de quem receba. Por isto que a mão esquerda não saiba o que fez a mão direita. E que a sua mente não perceba o que fazem ambas mãos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vendramin em 03 de Fevereiro de 2010, 19:04
Que tema de estudo interessante e difícil de praticá-lo.

CARIDADE : É o amor que move a vontade à busca do bem de outrem, e procura identificar-se com o próprio amor de DEUS.

Ser caridoso é ser BENEVOLENTE = Que tende a fazer o bem, é ser bondoso,ser benfeitor.

Ser caridoso é ser INDULGENTE = Aquele que está pronto para perdoar, ser tolerante para com o próximo.

 Na questão 642 do Livro dos espíritos - Bastará não fazer o mal para ser agradável a Deus
e assegurar a sua posição futura?

RESP - Não. É preciso fazer o bem no limite de suas forças. Porque cada um responderá por todo o mal que resulte do bem que não haja feito.

Caridade é dar de igual para igual. É ajudar sem esperar nada em troca.

Dar alguns trocados na rua, não é caridade, é mera esmola.

Dar um prato de comida a quem nos pede, não é caridade, è só para saciarmos a fome daquela criatura.

Caridade é pedir ajuda ao nosso MESTRE, quando uma ambulância passa por nós.

Caridade é conversar com aquela criatura que está em desespero, ansiosa, com problemas emocionais.

Caridade é ajudar um irmão que está caído na rua, sem pré-julgamento.

Portanto meus irmãos, a caridade é o amor que move a vontade à busca do bem de outrem.

Quantos de nós, estamos praticando a caridade conforme os ensinamentos de Jesus?

Muita PAZ a todos.

Vendramin

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 03 de Fevereiro de 2010, 19:10
"...EU SINTO QUE HÁ UMA DIFICULDADE MUITO GRANDE EM ALGUNS IRMÃOS NO QUE SE REFERE A CARIDADE..."


É MUITO INTERESANTE, ESTAMOS EM UM FORUM TROCANDO EXPERIÊNCIA DE CONVIVIO; E A MAIORIA, NÃO EXPÕE O SEU SENTIMENTO DE CARIDADE.
COM ISSO, VOCE PERDE UMA GRANDE CHANCE DE ESTORNAR ESTE SENTIMENTO MARAVILHOSO E ACABA COLOCANDO UM TEXTO QUE PRATICAMENTE TODOS JA LERAM; E DE ALGUMA FORMA TAMBÉM JÁ ESTUDARAM EM SEUS CENTROS ESPIRÍTAS, FEDERAÇÕES OU CURSOS ON LINE.
E SINTO UM FRIO, QUANDO DEVERIA ESTAR SENTINDO UM CALOR GOSTOSO, ACONCHEGANTE E AMOROSO.
CADE A CARIDADE GENTE, OS LIVROS ENSINAM; NÓS PRATICAMOS.

QUE O PLANO ESPIRÍTUAL COLOQUE MUITAS TAREFAS DE CARIDADES EM NOSSA EXISTÊNCIA.

FIQUEM COM O NOSSO AMADO IRMÃO JESUS.

   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
   Companheiro Gilmar, se cada companheiro do fórum for dar um exemplo próprio de prática da caridade, entraremos no campo da vaidade, "não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita."
   Vamos imaginar que comecemos à postar, eu fiz isto, fulano fez aquilo, e daí por diante. Entendo e respeito completamente sua colocação, porem temos que ponderar antes de verbalizar.
   Exemplificar os nossos atos caridosos terá as seguintes conotações: Quem muito pratica e expor, além do rótulo de vaidoso, que é da natureza humana "rotular", fará com que os iniciantes omitam-se, ao ponto que tanta contribuição nos podem dar, e os estudiosos porém menos praticantes, se indignarão. Enfim irmão Gilmar, CARIDADE é também aceitar e saber conviver com nossas imperfeições de seres ainda errantes que somos.
   Com carinho fraterno e muita paz!


  Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 03 de Fevereiro de 2010, 19:15

Olá!

No estudo do mês passado deixei esta estória sobre caridade.

Há aquela estória de um ser humano cheio de caridade que ao ver um caracol a atravessar a estrada, movimentada de carros, o agarrou e voltou a colocá-lo no sitio de onde ele tinha partido.

O caridoso, ser humano cheio de compaixão, pensou apenas que salvava o caracol de morte por atropelamento.

Desconsiderou as Leis de Deus;1- não considerou o poder do caracol em atravessar a estrada sem ser atropelado. 2- não considerou que o caracol poderia estar a fugir a uma morte certa por envenenamento do sítio onde comia. 3- Por ultimo, ao ser caridoso e interferir na jornada, vida do caracol, acabou-lhe com a vida!

Deus e as suas Leis é que precisam de compreensão e respeito, não eu que sou igual a um simples caracol.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Estrázulas em 03 de Fevereiro de 2010, 19:24
A caridade difere, diametralmente, da esmola; eleva, estimula, engrandece, enobrece e amplifica o sentimento de amor a Deus e ao próximo. A esmola humilha, diminui, espezinha e fere!
Mas a caridade não pode ser feita na sexta-feira com a intenção de ser noticiada nos jornais de domingo! [Mt 5 - 1 a 4]
Faz mais caridade quem abre o coração e despeja sorrisos sobre aqueles que já nem sabem mais sorrir, ou quem distribui abraços desmedidamente entre os desdenhados que sequer lembram do calor de um coração amigo, do que aquele que distribui dinheiro, objetos e superficialidade, não como jeito de agradecer a Deus pelo que possui, mas de mostrar aos homens o que tem.
Em minhas palestras costumo dizer que um sorriso e um aperto de mão podem valer mais do que mil dinheiros!
Mesmo uma pessoa de pouquíssimas posses e de pouca saúde, não raro sensibiliza-se e comove-se mais com um sorriso que recebe do que de bens materiais que lhe possam, de alguma forma, aliviar os males.
Mas até o sorriso e o aperto de mão têm que vir recheados de Amor; ou não terá sabor de Caridade!
Paz e Luz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: gilmarsantos1 em 03 de Fevereiro de 2010, 19:25
CONCORDO PLENAMENTE COM VOCE IRMÃO HAUCH, E NEM QUERO QUE CITEM SEUS ATOS CARIDOSOS.
REFIRO-ME AO FATO DE EXEMPLIFICAREM O APRENDIZADO COM RESPOSTAS LITERARIAS, ISSO É MUITO FACIL; REFIRO-ME A RESPOSTAS INTERIORES, E NÃO RESPOSTAS TIRADAS DAS CODIFICAÕES E LITERATURAS PSICOGRAFADAS DE OUTREM.
NÃO QUERO, E ESPERO QUE NÃO FAÇAM CITAÇÕES A RESPEITO.

DESCULPEM-ME TODOS DO FORUM, SE EU PASSEI ESSA INTERPRETAÇÃO.

NOS MEUS ESTUDOS EVANGELICOS E DOUTRINARIOS NA FEESP/SP, ME ESFORÇO PARA RESPONDER OS QUESTIONÁRIOS DA MESMA FORMA QUE ORO, ESPONTANEAMENTE.
SEM DAR RESPOSTAS COPIADAS DOS TEXTOS, SE NÃO, NÃO APRENDI NADA, E SIM, DECORADO O TEXTO.

ABRAÇOS FRATERNOS A TODOS.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: marcioschenckel em 03 de Fevereiro de 2010, 19:35
"Fora da caridade não há salvação"
Se trocarmos por (Fora da caridade não há Iluminação, grande Evolução), poderemos entender mais profundamente o pensamento de Jesus. Mas, se escolhemos o mais perfeito de todos os seres na questão Caridade, o que/quanto isso bastará?! Um estado iluminativo, de nirvana que venceu todos os carmas, necessita de incontáveis conhecimentos e superação, o que faz ser a caridade apenas uma das práticas básicas que temos que ter.
Eu creio que precisamos primeiro evoluir pessoalmente, é a principal razão da nossa existência e também a mais difícil, fazendo o maior esforço possível para compartilhar e divulgar aos outros também, apesar que a felicidade de um é diferente da do outro. O principal segredo da convivência social é aceitar e compreender as diferenças, pois não existe seres inteligentes iguais.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 03 de Fevereiro de 2010, 19:36
Caridade!

Caridade é claridade
Clariadde esta, que clareia o nosso entendimento
entendimento este, que beneficia o nosso discernimento
discernimento este,que remete-nos ao caminho
caminho este,que nos conduz ao bem
bem este, que nos conduz ao próximo
próximo este, que nos auxlia a necessidade
necessidade esta que nos coloca como irmãos
irmãos estes, nós, que vivamos a caridade
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 03 de Fevereiro de 2010, 19:44

Olá!

Todos repetem o nome  do Cristo, quantos dentre estes saberão explicar aqui como esse homem se fez um mestre iluminado?

Só esses saberão o que é caridade.

Eis a minha visão sem colagens.

Esperarei cheio de caridade.

Fiquem com Deus


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 03 de Fevereiro de 2010, 19:46
Companheiros do Ideal espirta é com muita paz que estou a aprender muito com tudo o que se está dizendo neste estudo. E continuo  a dizer que é preciso muita Caridade para cada um de nós para sentir-mos muita paz  pois a verdadeira caridade está sempre dentro de nós e é pelo pensamento que nos doámos todos uns aos outros , mas tudo isso é verdade se primeiro fizermos CARIDADE para comnosco próprios. Amigos vou incluir um texto para meditar e podermos refectir muito sobre4 a  CARIDADE




Caridade é, sobretudo, amizade
Para o faminto, é o prato de sopa.
Para o triste, é a palavra consoladora.
Para o mau ,é a paciência com que nos compete auxiliá-lo.
Para o desesperado é o auxilio do coração.
Para o ignorante é o ensino despretensioso.
Para o ingrato é o esquecimento da ingratidão.
Para o enfermo, é a visita pessoal.
Para o estudante, é o concurso no aprendizado.
Para a criança, é a protecção construtiva.
Para o velho, é o abraço irmão.
Para o inimigo, é o perdão.
Para o amigo, é o estímulo.
Para o transviado é o entendimento.
Para o orgulhoso, é a humildade.
Para o colérico, é a calma.
Para o preguiçoso, é o trabalho.
Para o impulsivo, é a serenidade.
Para o leviano, é a tolerância.
Para o deserdado da Terra, é a expressão de carinho.

Caridade é amor, em manifestação incessante e crescente. É o sol de mil faces, brilhando para todos, e o génio de mim mãos,
amparando, indistintamente, na obra do bem, onde quer que se encontre.
entre justos e injustos, bons e maus, felizes e infelizes,
porque, onde estiver o Espírito do Senhor aí se derrama a caridade constante dela, a benefício do mundo inteiro.

(Emmanuel/Francisco Cândido (Chico) Xavier) - Livro "Viajor".

Abraços fraternos a todos.


   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações!
   Companheiro Altino, o que faz, ou não, o “sucesso” de um tópico e/ou estudo mensal, não é  sua incessante presença, pois todos temos nossos afazeres diários; mais sim seu bom magnetismo e suas vibrações de paz e amor, reconhecidos pelo “Plano Espiritual”!
   Parabéns...
   Muita Paz a todos.

   
   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 03 de Fevereiro de 2010, 19:56
CONCORDO PLENAMENTE COM VOCE IRMÃO HAUCH, E NEM QUERO QUE CITEM SEUS ATOS CARIDOSOS.
REFIRO-ME AO FATO DE EXEMPLIFICAREM O APRENDIZADO COM RESPOSTAS LITERARIAS, ISSO É MUITO FACIL; REFIRO-ME A RESPOSTAS INTERIORES, E NÃO RESPOSTAS TIRADAS DAS CODIFICAÕES E LITERATURAS PSICOGRAFADAS DE OUTREM.
NÃO QUERO, E ESPERO QUE NÃO FAÇAM CITAÇÕES A RESPEITO.

DESCULPEM-ME TODOS DO FORUM, SE EU PASSEI ESSA INTERPRETAÇÃO.

NOS MEUS ESTUDOS EVANGELICOS E DOUTRINARIOS NA FEESP/SP, ME ESFORÇO PARA RESPONDER OS QUESTIONÁRIOS DA MESMA FORMA QUE ORO, ESPONTANEAMENTE.
SEM DAR RESPOSTAS COPIADAS DOS TEXTOS, SE NÃO, NÃO APRENDI NADA, E SIM, DECORADO O TEXTO.

ABRAÇOS FRATERNOS A TODOS.



   Sábias colocações companheiro; sábias colocações.
   Muita Paz a todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Selma em 03 de Fevereiro de 2010, 20:00
Eu diria que ser caridoso vai muito além da caridade material, que é o primeiro tipo de caridade que pensamos em fazer. Há outros tipos de caridade que aparentemente mais fáceis, acabam se tornando mais difíceis de serem realizadas.
O bom dia que se dá para os amigos do trabalho, da escola, da rua onde moramos é uma caridade e tanto. A paciência na fila do banco, o respeito com os idosos, a calma e afabilidade no  atender ao telefone são exemplos de caridade que muitas vezes pecamos por não fazer.

A atenção que pode ser dada a nossa mãe ou outro parente que nos procura para desabafar problemas. Atenção ao nosso filho que cometeu erro grave e vem a nossa procura. Ao vendedor insistente que bate à nossa porta. Ao carteiro.

Uma oração para os que morrem nas guerras, nos terremotos, no trânsito, nos hospitais. Tudo é a divina caridade!

Realmente, fora da caridade não há salvação.

Um grande abraço à todos! :)

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 03 de Fevereiro de 2010, 20:31
Caros irmãos estudantes,

Sinto uma enorme alegria interior em ler e participar deste estudo sem par.
Percebo com imensa satisfação, que estamos evoluindo... Independentemente de tantos óbices e empecilhos... Estamos caminhando!!!

Hoje discutimos abertamente fórmulas de expressar livremente a caridade...

Em números redondos há 2.000 anos, o mestre sintetizou tudo quanto precisávamos em duas frases:

Amar a Deus o primeiro mandamento e o segundo
Amar ao próximo como a si mesmo...

2.000 anos antes, Moisés precisou definir tudo isto no torah...
Vide o LEVÍTICO...
Onde ao término de cada norma... Insistiu Eu Sou Javé...

E Hoje esta maravilha de discursão...

Não deixem de assistir o que está aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=LUsABXRo6Ik (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUxVc0FCWFJvNklr)


Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Portas em 03 de Fevereiro de 2010, 22:14
Não só pelas definições de caridade, nem pela forma de o fazer, gostava de abordar um outro prisma convosco:

E quando as pessoas cegas de orgulho não querem ser ajudadas? Quando não se querem humildar e aceitar uma mão, um pão, um sorriso? Como fica o nosso "trabalho"? Acaba por aí? Como contornar isso?

Espero que estas questões complementem este estudo também.

Tudo de bom para todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 03 de Fevereiro de 2010, 22:20
Não só pelas definições de caridade, nem pela forma de o fazer, gostava de abordar um outro prisma convosco:

E quando as pessoas cegas de orgulho não querem ser ajudadas? Quando não se querem humildar e aceitar uma mão, um pão, um sorriso? Como fica o nosso "trabalho"? Acaba por aí? Como contornar isso?

Espero que estas questões complementem este estudo também.

Tudo de bom para todos!
Primeiro nunca as rotulemos...
Oremos em secreto por essas pessoas.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 03 de Fevereiro de 2010, 22:29

Olá!

E quando os espiritas cegos de orgulho não entendem que os outros não lhes pediram nem querem ajuda?

Como ficamos? Quem é que vai orar ao Senhor?


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: ram-wer em 03 de Fevereiro de 2010, 22:31
Alô, Manuel e amiguinhos (prazer em conhecê-lo, Manuel),

Terminei de ler tudo, desde o tópico.  Pulei alguma coisa, principalmente os textos muito longos e "em bloco" (cansam minha visão). E assisti a quase todos os vídeos. Algumas observações:


Marcioschenckel escreveu: "O espiritismo é uma boa escola para aprendermos a pensar por nós mesmos. Como, por exemplo, dizer que se um ser não promove nem o bem nem o mal, ele será (julgado), é um inútil. Isso é uma colocação absurda, sem um mínimo de reflexão;..."

Também vejo assim, Márcio.  Talvez tenha faltado alguma Caridade ao Espírito que ditou esse conselho.  A velha mania do Bem e do Mal.  E a ânsia por "fazer", talvez para fugir.


Zeni (citando Emannuel): "Caridade é, sobretudo, amizade."

Oi, Zeni, tudo bão, querida? Realmente, é o amor desinteressado o que embeleza a vida. Amizade é o Amor Divino, o amor dos santos.  Vamos ser amigos e o resto se resolve por si mesmo.


Carmen.gbi: "Pra mim a caridade seria  fazer algo sem nem ao menos sentir que se está fazendo, não apenas um ato automático  e sim como um sentimento que saísse de dentro de nós, sem ser percebido, espontâneo."

Você disse tudo, Carmen.  Virtude só tem do tipo espontâneo, natural.  Se a gente se esforça por ser virtuoso, a Virtude diz tchau!


Abraços e divirtam-se, RW.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: J em 03 de Fevereiro de 2010, 22:37
 :(Vamos praticar sempre a caridade!! É com amor e caridade que resolvemos grande parte dos nossos problemas!...Muita paz a todos!!!...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 03 de Fevereiro de 2010, 23:10

Olá!

E quando os espiritas cegos de orgulho não entendem que os outros não lhes pediram nem querem ajuda?

Como ficamos? Quem é que vai orar ao Senhor?


Namasté
.............Rótulos....nada mais que rótulos....
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: hcancela em 03 de Fevereiro de 2010, 23:12
Olá amigos(as)

CARIDADE ESSENCIAL
"E a caridade é esta: que andemos segundo os seus mandamentos. Este é o
mandamento, como já desde o principio ouvistes; que andeis nele." - João. (II JOÃO, 6.)
Em todos os lugares e situações da vida, a caridade será sempre a fonte divina das
bênçãos do Senhor.
Quem dá o pão ao faminto e água ao sedento, remédio ao enfermo e luz ao
ignorante, está colaborando na edificação do Reino Divino, em qualquer setor da
existência ou da fé religiosa a que foi chamado.
A voz compassiva e fraternal que ilumina o espírito é irmã das mãos que alimentam
o corpo.
Assistência, medicação e ensinamento constituem modalidades santas da caridade
generosa que executa os programas do bem. São vestiduras diferentes de uma virtude
única. Conjugam-se e completam-se num todo nobre e digno.
Ninguém pode assistir a outrem, com eficiência, se não procurou a edificação de si
mesmo; ninguém medicará, com proveito, se não adquiriu o espírito de boa-vontade para
com os que necessitam, e ninguém ensinará, com segurança, se não possui a seu favor os
atos de amor ao próximo, no que se refira à compreensão e ao auxílio fraternais.
Em razão disso, as menores manifestações de caridade, nascidas da sincera
disposição de servir com Jesus, são atividades sagradas e indiscutíveis. Em todos os
lugares, serão sempre sublimes luzes da fraternidade, disseminando alegria, esperança,
gratidão, conforto e intercessões benditas.
Antes, porém, da caridade que se manifesta exteriormente nos variados setores da
vida, pratiquemos a caridade essencial, sem o que não poderemos efetuar a edificação e a
redenção de nós mesmos. Trata-se da caridade de pensarmos, falarmos e agirmos,
segundo os ensinamentos do Divino Mestre, no Evangelho. É a caridade de vivermos
verdadeiramente nEle para que Ele viva em nós. Sem esta, poderemos levar a efeito
grandes serviços externos, alcançar intercessões valiosas, em nosso benefício, espalhar
notáveis obras de pedra, mas, dentro de nós mesmos, nos instantes de supremo
testemunho na fé, estaremos vazios e desolados, na condição de mendigos de luz.

Emmanuel


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 03 de Fevereiro de 2010, 23:13
Não só pelas definições de caridade, nem pela forma de o fazer, gostava de abordar um outro prisma convosco:

E quando as pessoas cegas de orgulho não querem ser ajudadas? Quando não se querem humildar e aceitar uma mão, um pão, um sorriso? Como fica o nosso "trabalho"? Acaba por aí? Como contornar isso?

Espero que estas questões complementem este estudo também.

Tudo de bom para todos!
Primeiro nunca as rotulemos...
Oremos em secreto por essas pessoas.
Saúde e Paz!


Olá!

E quando os espiritas cegos de orgulho não entendem que os outros não lhes pediram nem querem ajuda?

Como ficamos? Quem é que vai orar ao Senhor?


Namasté
.............Rótulos....nada mais que rótulos....


" EPÍSTOLA AOS HEBREUS "

12 Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e näo de sólido mantimento.
 
13 Porque qualquer que ainda se alimenta de leite näo está experimentado na palavra da justiça, porque é menino.
 
14 Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razäo do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal.



Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 03 de Fevereiro de 2010, 23:16

Olá!

E quando os espiritas cegos de orgulho não entendem que os outros não lhes pediram nem querem ajuda?

Como ficamos? Quem é que vai orar ao Senhor?


Namasté
.............Rótulos....nada mais que rótulos....

Muitos desses rótulos são simplesmente espelhos...
Quando vejo, alguém muito antipático....
Na verdade a antipatia está em mim.... EU Percebí a antipatia... logo não está no outro....
Quando me permito conhecer quem rotulei de antipático, melhor... Na grande maioria das vezes... vi que estava enganado... Até que era um cara legal....
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 03 de Fevereiro de 2010, 23:23

Olá!

Todos repetem o nome  do Cristo, quantos dentre estes saberão explicar aqui como esse homem se fez um mestre iluminado?

Só esses saberão o que é caridade.

Eis a minha visão sem colagens.

Esperarei cheio de caridade.

Fiquem com Deus


Namasté

Olá!

E quando os espiritas cegos de orgulho não entendem que os outros não lhes pediram nem querem ajuda?

Como ficamos? Quem é que vai orar ao Senhor?


Namasté
.............Rótulos....nada mais que rótulos....

Muitos desses rótulos são simplesmente espelhos...
Quando vejo, alguém muito antipático....
Na verdade a antipatia está em mim.... EU Percebí a antipatia... logo não está no outro....
Quando me permito conhecer quem rotulei de antipático, melhor... Na grande maioria das vezes... vi que estava enganado... Até que era um cara legal....
Saúde e Paz!

" Allan Kardec "

O homem é, muitas vezes, infeliz apenas pela importância que dá às coisas deste mundo; é a vaidade, a ambição e a cobiça frustradas que fazem sua infelicidade. Se ele se coloca acima do círculo estreito da vida material, se eleva seus pensamentos ao infinito, que é a sua destinação, as contingências da humanidade lhe parecem, então, mesquinhas e fúteis, como as tristezas de uma criança que se aflige com a perda de um brinquedo que representava sua felicidade suprema.

Aquele que vê felicidade apenas na satisfação do orgulho e dos apetites grosseiros fica infeliz quando não pode satisfazê-los; no entanto, aquele que não se interessa pelo supérfluo fica feliz com o que tem e que os outros considerariam uma grande desgraça, uma insignificância.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 03 de Fevereiro de 2010, 23:27
Irmão dim...dim,
Também penso assim...
Mas como humano que sou, incapaz de conhecer em verdade o que meus sentidos me privam de testar...
Fico na minha...nem creio nem descreio...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ros em 03 de Fevereiro de 2010, 23:59
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Um dos maiores hinos à CARIDADE foi escrito por Paulo de Tarso na epístola 1Coríntios 13.
Com esse início:
"Ainda que eu falasse línguas, as dos homens e as dos anjos, se eu não tivesse a caridade, seria como um bronze que soa ou como um címbalo que tine" (1Cor 13, 1).
E termina assim:
"Agora, portanto, permanecem fé, esperança, caridade, estas três coisas.
A maior deles, porém, é a caridade" (1Cor 13, 13).  
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: giceliocalixto em 04 de Fevereiro de 2010, 00:10
Olá irmãos em Cristo!! A Caridade é uma das maiores virtudes mais só  torna grandiosa quando praticamos com amor  a caridade material muitas vezes fere a nossa sucetibilidade, se torna humilhante para quem recebe.  A caridade moral enobrece o nosso espirito reeducando mostrando novos caminhos, para A sua edificação espiritual.quantos irmãos que se encontra nos vicios, das drogas proibidas ou permitidas, que estão A beira do sucidio ,da separação ,da delinquencia, e renova suas atitudes inpensadas com uma palavra edificante ,do conselho amigoda da  Evangelhoterapia atravez da palavra .       Se tivermos A corajem de educar os encarnados teremos um mundo espiritual mais feliz    um abraço  do irmão menor Gicelio
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 04 de Fevereiro de 2010, 09:33
   Que a Paz e o Amor de CRISTO permaneçam em todos os corações.

   Companheiros, muitas das vezes, e dependendo do grau evolutivo do espírito, principalmente o encarnado, a caridade não vêm seguida de espontaneidade. Seria como o dizer que procuramos “O Consolador”, por amor ou pela dor. Sabendo-se que a palavra “dor”, neste caso, toma várias conotações; são problemas, muitas vezes até financeiro, perda de um ente querido ou o fim de um relacionamento, e daí em diante...
   Assim nestes casos recomendamos o trabalho edificante no bem, onde estaremos em comunhão com mentores e bons espíritos da erraticidade, e dando início a cura de um processo enfermiço, como também estaremos ocupando a mente de nossos irmãos, para que não fiquem com pensamentos negativos.
   Nestes casos supracitados, somente os estudos e os trabalhos (caridade) fraternais, unidos a prece, promoverão a melhoria de um irmão enfermo.
   Enfim em casos assim e até mais tranqüilos, a caridade inicia-se com a prática no trabalho fraterno, que irá despertar a espontaneidade do ser.
   Muita Paz.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 10:07

Olá!

" Allan Kardec "

7. - Não dependendo a felicidade futura do trabalho progressivo na Terra, a facilidade com que se acredita adquirir essa felicidade, por meio de algumas práticas exteriores, e a possibilidade até de a comprar a dinheiro, sem regeneração de caráter e costumes, dão aos gozos do mundo o melhor valor.

Mais de um crente considera, em seu foro íntimo, que assegurado o seu futuro pelo preenchimento de certas fórmulas ou por dádivas póstumas, que de nada o privam, seria supérfluo impor-se sacrifícios ou quaisquer incômodos por outrem, uma vez que se consegue a salvação trabalhando cada qual por si.

Seguramente, nem todos pensam assim, havendo mesmo muitas e honrosas exceções; mas não se poderia contestar que assim pensa o maior número, sobretudo das massas pouco esclarecidas, e que a idéia que fazem das condições de felicidade no outro mundo não entretenha o apego aos bens deste, acoroçoando o egoísmo.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Anton Kiudero em 04 de Fevereiro de 2010, 10:26
" Allan Kardec "
7. - Não dependendo a felicidade futura do trabalho progressivo na Terra, a facilidade com que se acredita adquirir essa felicidade, por meio de algumas práticas exteriores, e a possibilidade até de a comprar a dinheiro, sem regeneração de caráter e costumes, dão aos gozos do mundo o melhor valor.
Mais de um crente considera, em seu foro íntimo, que assegurado o seu futuro pelo preenchimento de certas fórmulas ou por dádivas póstumas, que de nada o privam, seria supérfluo impor-se sacrifícios ou quaisquer incômodos por outrem, uma vez que se consegue a salvação trabalhando cada qual por si.
Seguramente, nem todos pensam assim, havendo mesmo muitas e honrosas exceções; mas não se poderia contestar que assim pensa o maior número, sobretudo das massas pouco esclarecidas, e que a idéia que fazem das condições de felicidade no outro mundo não entretenha o apego aos bens deste, acoroçoando o egoísmo.

Diria que a quase totalidade dos seres humanos ocidentais devotos de todas as religiões pensa assim.  E por isto não conseguem sair deste circulo vicioso de encarnar/desencarnar sem sair do mesmo lugar....
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 04 de Fevereiro de 2010, 10:39
   Que a Paz e o Amor de CRISTO permaneçam em todos os corações.

   Companheiros, muitas das vezes, e dependendo do grau evolutivo do espírito, principalmente o encarnado, a caridade não vêm seguida de espontaneidade. Seria como o dizer que procuramos “O Consolador”, por amor ou pela dor. Sabendo-se que a palavra “dor”, neste caso, toma várias conotações; são problemas, muitas vezes até financeiro, perda de um ente querido ou o fim de um relacionamento, e daí em diante...
   Assim nestes casos recomendamos o trabalho edificante no bem, onde estaremos em comunhão com mentores e bons espíritos da erraticidade, e dando início a cura de um processo enfermiço, como também estaremos ocupando a mente de nossos irmãos, para que não fiquem com pensamentos negativos.
   Nestes casos supracitados, somente os estudos e os trabalhos (caridade) fraternais, unidos a prece, promoverão a melhoria de um irmão enfermo.
   Enfim em casos assim e até mais tranqüilos, a caridade inicia-se com a prática no trabalho fraterno, que irá despertar a espontaneidade do ser.
   Muita Paz.


   Irmão Hauch


É irmão Hauch,... Na mosca...

É sabido desde a antiguidade que cabeça vazia é morada do diabo...

Então a terapêutica do trabalho social, é extremamente sábia:

Quando o sofrimento assume conotações patológicas, por exemplo, a fascinação, é preciso mudar o rumo dos pensamentos do sofredor, para que o sofredor tenha um mínimo de possibilidade de vencer a tendência de suas elucubrações mentais.
Em persistindo no vicio de dar guarida à torrente de pensamentos deletérios nosso irmão em processo de fascinação podem o levar a um estado patológico da fascinação, que frequentemente levam o fascinado à obsessão, à depressão, ao suicídio.
A Casa Espírita tem ao longo do tempo, ajudado milhares de irmãos em situação semelhante seguindo uma metodologia inteligente que segue mais ou menos o seguinte escopo:
O ato de pensar é tipicamente um ato ligado às leis da afinidade...
Quem sofre pensa afinizado com as idéias de autopunição, totalmente contrários às idéias da caridade para consigo próprio.
Nós temos lido que quem escolhe como prova a pobreza, doenças severas, é sempre assistido por anjos guardiões mais capazes, do que um outro que escolhe, por exemplo, a prova da riqueza.
Quando o irmão em processo de fascinação, assume trabalhos no campo da assistência a esses irmãos em provação difícil, ele começa a se afinizar seus próprios pensamentos aos pensadores mais evoluídos que estão interessados na boa conclusão das provas escolhidas na pobreza, nas doenças severas, etc.
Então quando o irmão em processo de fascinação, assume trabalhos no campo da assistência ele passa a ter oportunidades sem igual em mudar para melhor o rumo dos seus pensamentos deletérios para pensamentos criadores de vida plena.
Lógico, não são todos que assumem trabalhos sociais por causa da dor...
Há muitos que o fazem por amor...
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 04 de Fevereiro de 2010, 10:55
   Que a Paz e o Amor de CRISTO permaneçam em todos os corações.

   “Quando nos referirmos aos mundos superiores, recordemos que a Terra, um dia, formará entre eles, por estância divina. Atualmente, no entanto, apesar das magnificências que laureiam as civilizações em todos os continentes, não podemos alhear-nos do preço que pagará pela promoção.
   Sem dúvida os campos ideológicos da vida internacional entrarão em conflito, encarniçados pelo domínio. As nuvens de ódio que se avolumam, na psicosfera do planeta, rebentarão em tormentas arrasadoras sobre as comunidades terrestres...”
 
   Muita Paz.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: URBIETA em 04 de Fevereiro de 2010, 11:01
Confiemos então na sabedoria Divina né irmão Hauch?...

Abraços

Ana Urbieta.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 04 de Fevereiro de 2010, 11:11
   Que a Paz e o Amor de CRISTO permaneçam em todos os corações.

   Companheiros, muitas das vezes, e dependendo do grau evolutivo do espírito, principalmente o encarnado, a caridade não vêm seguida de espontaneidade. Seria como o dizer que procuramos “O Consolador”, por amor ou pela dor. Sabendo-se que a palavra “dor”, neste caso, toma várias conotações; são problemas, muitas vezes até financeiro, perda de um ente querido ou o fim de um relacionamento, e daí em diante...
   Assim nestes casos recomendamos o trabalho edificante no bem, onde estaremos em comunhão com mentores e bons espíritos da erraticidade, e dando início a cura de um processo enfermiço, como também estaremos ocupando a mente de nossos irmãos, para que não fiquem com pensamentos negativos.
   Nestes casos supracitados, somente os estudos e os trabalhos (caridade) fraternais, unidos a prece, promoverão a melhoria de um irmão enfermo.
   Enfim em casos assim e até mais tranqüilos, a caridade inicia-se com a prática no trabalho fraterno, que irá despertar a espontaneidade do ser.
   Muita Paz.


   Irmão Hauch


É irmão Hauch,... Na mosca...

É sabido desde a antiguidade que cabeça vazia é morada do diabo...

Então a terapêutica do trabalho social, é extremamente sábia:

Quando o sofrimento assume conotações patológicas, por exemplo, a fascinação, é preciso mudar o rumo dos pensamentos do sofredor, para que o sofredor tenha um mínimo de possibilidade de vencer a tendência de suas elucubrações mentais.
Em persistindo no vicio de dar guarida à torrente de pensamentos deletérios nosso irmão em processo de fascinação podem o levar a um estado patológico da fascinação, que frequentemente levam o fascinado à obsessão, à depressão, ao suicídio.
A Casa Espírita tem ao longo do tempo, ajudado milhares de irmãos em situação semelhante seguindo uma metodologia inteligente que segue mais ou menos o seguinte escopo:
O ato de pensar é tipicamente um ato ligado às leis da afinidade...
Quem sofre pensa afinizado com as idéias de autopunição, totalmente contrários às idéias da caridade para consigo próprio.
Nós temos lido que quem escolhe como prova a pobreza, doenças severas, é sempre assistido por anjos guardiões mais capazes, do que um outro que escolhe, por exemplo, a prova da riqueza.
Quando o irmão em processo de fascinação, assume trabalhos no campo da assistência a esses irmãos em provação difícil, ele começa a se afinizar seus próprios pensamentos aos pensadores mais evoluídos que estão interessados na boa conclusão das provas escolhidas na pobreza, nas doenças severas, etc.
Então quando o irmão em processo de fascinação, assume trabalhos no campo da assistência ele passa a ter oportunidades sem igual em mudar para melhor o rumo dos seus pensamentos deletérios para pensamentos criadores de vida plena.
Lógico, não são todos que assumem trabalhos sociais por causa da dor...
Há muitos que o fazem por amor...
Saúde e Paz a todos!

"Mente vazia e mãos desocupadas denunciam um coração ocioso."
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Sheiladumom em 04 de Fevereiro de 2010, 11:12
Bem, quando se estuda o evangelho, em especial, o evangelho primitivo, fica muito claro que a caridade é uma qualidade dos ser humano que deve ser alimentada para que cada um possa, de fato, evoluir. Ora, caridade é um "estar disponibilizado" para um irmão, e, para isso não há necessidade de dinheiro, poder material ou qualquer outro atributo de nosso mundo físico. Mesmo quando aquele que nos estende a mão precisa de algo concreto sempre poderemos dar ou ensinar algo que se transforme em uma solução para aquela situação. Então, no meu modesto entendimento, caridade é disponibilidade para ser útil a quem precisa, da forma mais equilibrada para que, pela vontade de ajudar, não alimentemos atitudes viciosas de nossos irmãos pelo comodismo ou ignorância espiritual.
Paz e fraternidade!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 11:15
" Allan Kardec "
7. - Não dependendo a felicidade futura do trabalho progressivo na Terra, a facilidade com que se acredita adquirir essa felicidade, por meio de algumas práticas exteriores, e a possibilidade até de a comprar a dinheiro, sem regeneração de caráter e costumes, dão aos gozos do mundo o melhor valor.
Mais de um crente considera, em seu foro íntimo, que assegurado o seu futuro pelo preenchimento de certas fórmulas ou por dádivas póstumas, que de nada o privam, seria supérfluo impor-se sacrifícios ou quaisquer incômodos por outrem, uma vez que se consegue a salvação trabalhando cada qual por si.
Seguramente, nem todos pensam assim, havendo mesmo muitas e honrosas exceções; mas não se poderia contestar que assim pensa o maior número, sobretudo das massas pouco esclarecidas, e que a idéia que fazem das condições de felicidade no outro mundo não entretenha o apego aos bens deste, acoroçoando o egoísmo.

Diria que a quase totalidade dos seres humanos ocidentais devotos de todas as religiões pensa assim.  E por isto não conseguem sair deste circulo vicioso de encarnar/desencarnar sem sair do mesmo lugar....

Nem mais...

A doutrina dos espiritos é bem clara.

Já a doutrina das espiritas é materialista.

" Allan Kardec "

Sabendo ser transitória a vida corporal e que as tribulações que lhe são inerentes constituem meios de alcançarmos melhor estado, os Espíritos mais se afligem pelos nossos males devidos a causas de ordem moral, do que pelos nossos sofrimentos físicos, todos passageiros.

Pouco se incomodam com as desgraças que apenas atingem as nossas idéias mundanas, tal qual fazemos com as mágoas pueris das crianças.

Vendo nas amarguras da vida um meio de nos adiantarmos, os Espíritos as consideram como a crise ocasional de que resultará a salvação do doente. Compadecem-se dos nossos sofrimentos, como nos compadecemos dos de um amigo. Porém, enxergando as coisas de um ponto de vista mais justo, os apreciam de um modo diverso do nosso. Então, ao passo que os bons nos levantam o ânimo no interesse do nosso futuro, os outros nos impelem ao desespero, objetivando comprometer-nos.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Kee Marcello em 04 de Fevereiro de 2010, 11:37

A doutrina dos espiritos é bem clara.

Já a doutrina das espiritas é materialista.


Sei, mas isso muda alguma coisa?? Quais as conseqüências de ser espiritualista ou materialista?????

Respondam, mas sem usar argumentos metafísicos e sofísticos ok??

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 11:39

A doutrina dos espiritos é bem clara.

Já a doutrina das espiritas é materialista.


Sei, mas isso muda alguma coisa?? Quais as conseqüências de ser espiritualista ou materialista?????

Respondam, mas sem usar argumentos metafísicos e sofísticos ok??



" Allan Kardec "

916 O egoísmo, longe de diminuir, aumenta com a civilização, que parece excitá-lo e mantê-lo; como a causa poderá destruir o efeito?

– Quanto maior o mal, mais se torna horrível. Será preciso que o egoísmo cause muito mal para fazer compreender a necessidade de extingui-lo.

“Tudo em a Natureza se encadeia por elos que ainda não podeis apreender. Assim, as coisas aparentemente mais díspares têm pontos de contacto que o homem, no seu estado atual, nunca chegará a compreender. Por um esforço da inteligência poderá entrevê-los; mas, somente quando essa inteligência estiver no máximo grau de desenvolvimento e liberta dos preconceitos do orgulho e da ignorância, logrará ver claro na obra de Deus. Até lá, suas muito restritas idéias lhe farão observar as coisas por um mesquinho e acanhado prisma. Sabei não ser possível que Deus se contradiga e que, na Natureza, tudo se harmoniza mediante leis gerais, que por nenhum de seus pontos deixam de corresponder à sublime sabedoria do Criador.”


" C.G.Jung "

Se, porém, a estrutura do complexo do ego é bastante forte para resistir ao assalto dos conteúdos inconscientes, sem que se afrouxe desastrosamente sua contextura, a assimilação pode ocorrer. Mas, neste caso, há uma alteração não só dos conteúdos inconscientes, mas também do ego. Embora ele se mostre capaz de preservar sua estrutura, o ego é como que arrancado de sua posição central e dominante, passando, assim, ao papel de um observador passivo a quem faltam os meios necessários para impor sua vontade em qualquer circunstância, o que acontece não tanto porque a vontade se acha enfraquecida em si mesma, quanto, sobretudo, porque certas considerações a paralisam. Quer dizer, o ego não pode deixar de descobrir que o afluxo dos conteúdos inconscientes vitaliza e enriquece a personalidade e cria uma figura que ultrapassa de algum modo o ego em extensão e em intensidade. Esta experiência paralisa uma vontade por demais egocêntrica e convence o ego de que, apesar de todas as dificuldades, é sempre melhor recuar para um segundo lugar, do que se empenhar em combate sem esperança, o qual termina invariavelmente em derrota. Deste modo a vontade enquanto energia disponível se submete paulatinamente ao fator mais forte, isto é, à nova figura da totalidade que eu chamei de self.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Claudia Condeixa em 04 de Fevereiro de 2010, 11:53
"Fora da caridade não há salvação " . Creio que caridade seja amor em movimento, ação. Esse amor incondicional que nosso mestre vem ao longo das eras tentando nos mostrar. A caridade, ao meu ver, é a expressão desse amor, é através e por meio dela que praticamos esse amor.  Não importa a maneira que encontremos de "dar movimento" a esse amor, por meio de palavras, de ajuda material, de apoio, o que conta realmente é o quanto de você está envolvido na ação de amar. O Pai ama a todos sem distinção, ao que dá e ao que recebe da mesma forma e na mesma intensidade. A única diferença reside na capacidade que cada um tem de compreender a imensidão deste gesto de amor. É notório e sabido que muitos praticam caridade ainda com os "olhos" voltados unicamente  ao registro material do ato, ou seja, esperando receber reconhecimento pela caridade praticada. Olhando sob o prisma da eternidade, o que dá mesmo com intenções menos dignas pode estar perdendo a oportunidade de amar a seu irmão de forma pura e simples, mas o que recebe também tem que estar "preparado" para reconhecer este ato de amor que poderá vir de qualquer forma, a qualquer hora, de qualquer um. O Pai não pune nem castiga ninguém, só nos ama incondicionalemente, mas como bom Pai que é sabe que só através da experiência aprenderemos e até nesse momento mostra seu amor: caridade é doação de amor, independente da forma,.
Claudia S.Condeixa de Azevedo
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: N em 04 de Fevereiro de 2010, 12:48
Minha querida Sofia; lí hoje a sua preocupação, quanto a realizar de bom grado a caridade, e nem sempre ser bem recebida; porém, posso lhe adiantar o seguinte:
O nosso bom Deus, não nos dotou do livre arbítrio? Quem seríamos nós, para contestar este divino atributo? Se a necessidade nos oferecer a oportunidade de extender um pequeno auxílio, seja ele de que ordem fôr, e se, de alguma forma formos impedidos de o realizar, seja, pelo excesso de orgulho, ou da "não aceitação" desta ajuda, cabe a nós, pelo esfôrço de melhorar as condições humanas, nos esforçarmos, oferecendo ao "necessitado" o que tivermos de MELHOR. Se a pessoa a quem extendermos a mão, ou qualquer outro benefício, não aceitar a ajuda, estaremos em paz com a nossa consciência e teremos a certeza de ter podido oferecer as bençãos deste benefício. Cabe ao "auxiliado" aceitar, ou nao! Um abraço. Néje
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 04 de Fevereiro de 2010, 13:54
Confiemos então na sabedoria Divina né irmão Hauch?...

Abraços

Ana Urbieta.

   Que a Paz e o Amor de CRISTO permaneçam em todos os corações.

   Sim amiga Urbieta, de tempos em tempos, trago ao fórum algum texto do livro que estou lendo, somente quando os acho relevantes para todos os companheiros do fórum, reiterando o pedido de não responderem, ou citarem, para que não percamos o foco do estudo mensal. Posto aqui por ser o tópico de mais visualizações!

   “Quando nos referirmos aos mundos superiores, recordemos que a Terra, um dia, formará entre eles, por estância divina. Atualmente, no entanto, apesar das magnificências que laureiam as civilizações em todos os continentes, não podemos alhear-nos do preço que pagará pela promoção.
   Sem dúvida os campos ideológicos da vida internacional entrarão em conflito, encarniçados pelo domínio. As nuvens de ódio que se avolumam, na psicosfera do planeta, rebentarão em tormentas arrasadoras sobre as comunidades terrestres. Contudo, as vibrações do sofrimento coletivo funcionarão por radioterapia na esfera da alma, sanando a alienação mental dos povos que sustentam as chagas da miséria, em nome da idéia de DEUS das próprias cogitações. Engenhos de extermínio desintegrarão os quistos raciais e as cadeias que amordaçam o pensamento, remediando as agonias econômicas da humanidade e dissipando as correntes envenenadas do materialismo, a estender-se por afrodisíaco da irresponsabilidade moral.
   Enunciando, porém, semelhantes verdades, é forçoso dizer que não somos profetas do belicismo, nem Cassandras do terror.
   Examinamos simplesmente o quadro escuro que as nações poderosas organizaram e que lhes atormenta, hoje, os gabinetes de governança, ainda mesmo quando se esforçam por disfarçá-lo nos banquetes políticos e nos votos de paz...
   Abrindo as estradas do espírito para essa era de luz, abracemos a charrua do suor, pela vitória do bem, seja qual seja o nosso setor de ação.
   Obreiros da imortalidade, contemplaremos os habitantes da Terra a emergirem de todos os escombros com que pretendam sepultar-lhes as esperanças, elevando-se em direitura de outras *plagas do Universo! E, enquanto nos empenhamos, cada vez mais, em largas dívidas para com a Ciência que nos rasga horizontes e traça caminhos novos, vivamos na retidão da consciência, fiéis ao CRISTO, no serviço incessante de burilamento da alma, na certeza de que, se a glorificação chega por fora, a verdadeira felicidade é obra de dentro.


Emmanuel

*(regiões, países, lugares)Hauch.

Do livro: Justiça Divina
Psicografia: Francisco C. Xavier

   Muita Paz.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Portas em 04 de Fevereiro de 2010, 14:31
filhodobino, dim-dim, peço desculpa se as minhas palavras foram mal interpretadas, não pretendo de forma alguma rotular seja quem for, ou o que for. Tal como disse, somente pretendia que os restantes membros me dessem a sua opinião relativamente a esta questão de não aceitar caridade. Como nós ficamos, como lidar com isso? Mais uma vez peço desculpas se me fiz entender mal.

Néje, muito obrigada pela sua resposta, bastante iluminada para mim. Obrigada.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Kee Marcello em 04 de Fevereiro de 2010, 14:41
A caridade é o maior desafio. A caridade consigo mesmo, e em conseqüência com os demais, é a mais difícil.

_______________________

Dim-dim

A gente já conhece esse velho debate. Mas olha, vc nunca sentiu aquela sensação de "vazio" ao perceber que as coisas materiais que nos cercam são ilusórias??

Eu acho que os bens materiais tem a sua função, que é serem vistos como meios e não como fins.

Não residirá aí toda a problemática?? e essa problemática é a da caridade também.

O verdadeiro espírita também deveria ser aquele que têm consciência das suas limitações e não se cobra tanto, logo, não cobra tanto dos outros.

abçs

Marcello

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: ram-wer em 04 de Fevereiro de 2010, 14:47
É comum, no Ocidente cristão, dar-se suma importância à atividade mundana, inclusive como forma de a Caridade (Deus) fazer-se presente no mundo, melhorando as coisas e impulsionando o progresso.

Fomos acostumados ao "fazer", ao "progresso", em detrimento da verdadeira ação e da evolução verdadeira.

Segundo Ramatis (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lZGNvbmhlY2ltZW50by5jb20uYnIvZGVmYXVsdC5hc3A/bWFpbj0xMQ==), Jesus decidiu que chegara o hora (século XX) de a sabedoria do Oriente espalhar-se pelo Ocidente.  Do mesmo modo, temos visto que a praticidade ocidental invadiu as nações orientais.  Realmente, são dois mundos que têm muito o que aprender um com o outro.

Minha santa favorita é Ananda Moyi Ma (Mãe Inundada de Beatitude).
Viveu na Índia (1896-1982). Foi ela quem disse, bem ao gosto da sabedoria oriental:


"Muitos sentem a necessidade de criar um mundo novo e melhor. Em vez de permitir aos seus pensamentos que se demorem neste assunto, você deveria concentrar-se Naquele em Cuja contemplação há esperança de perfeita paz.  É dever do homem procurar Deus ou a Verdade."    Ananda Moyi Ma, no livro Autobiografia de um Iogue


Se você acha isto algo estranho, talvez não encontrando similaridade com o Evangelho, vou relembrar Jesus, segundo São Lucas (10:38-42):


"Ora, quando iam de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa.  Tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, sentando-se aos pés do Senhor, ouvia a sua palavra.

"Marta, porém, andava preocupada com muito serviço; e aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá que minha irmã me tenha deixado a servir sozinha? Dize-lhe, pois, que me ajude. Respondeu-lhe o Senhor:


"Marta, Marta, estás ansiosa e perturbada com muitas coisas; entretanto poucas são necessárias, ou mesmo uma só; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada". (Tradução de João Ferreira de Almeida)

(http://www.anandamayi.com/Images/Ma.gif)
Ananda Moyi Ma
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 04 de Fevereiro de 2010, 15:02
Caros irmãos estudantes,
Os óbices e tropeços que encontramos no caminho da aplicabilidade da caridade, são de monta relevante...
Não devem jamais ser vistos como motivos para gerar desânimo em nosso espírito...
Porém... Cabe-nos outrossim estarmos atentos...

Mateus 5:11
Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós.
Mateus 5:12
Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim
perseguiram aos profetas que viveram antes de vós.

Mateus 10:16
Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas.
Pombas são criaturas inocentes, são gentis, dóceis, sem maldade, sem más intenções.
Os lobos simbolizam as pessoas maliciosas, dotadas de más intenções, que sem compreensão, perseguem e humilham.
A serpente simboliza neste contexto a maldade, o mais sagaz de todos os animais, mas também simboliza a inteligência.
Para a agirmos na pratica do trabalho assistencial deveremos procurar ter discernimento, não devemos ser provocadores, mas procurar ser sábio nas atitudes reconhendo um e agirmos com prudência.
AGIR  COM  SABEDORIA.

Exemplo:
“SEM DE MODO ALGUM ESTAR EMITINDO JUÍZO DE VALOR”

Nossos irmãos que foram presos na fronteira do Haiti, levando crianças para fora do país... Amplamente noticiado pela imprensa...
Os fins não justificam os meios....
Devemos em todas as nossas ações agirmos rigorosamente dentro da legalidade.
Quantos enganos são cometidos dentro de asilos, creches, etc...

Também é caridade pura divulgarmos alertas como os do anexo, o qual eu APELO que auxiliem na divulgação... Com pedido de aquiescência dos dirigentes deste site e do irmão Manuel Altino.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: amely em 04 de Fevereiro de 2010, 15:11
meus irmaos e facil e facil falar palavra caridade mas e tao dificil pratica la para mim a caridade tem que começar dentro de nosso lar quantos irmaos fazem a caridade na rua toda  a gente ve que eles sao caridosos e no entanto dentro do lar e uma autentica desgraça vivem se momentos lastimaveis dentro de alguns lares  por isso vamos fazer os possiveis para começarmos a caridade dentro do nosso lar  um grande abraço ao meu irmao
ALTINO
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 04 de Fevereiro de 2010, 15:52
filhodobino, dim-dim, peço desculpa se as minhas palavras foram mal interpretadas, não pretendo de forma alguma rotular seja quem for, ou o que for. Tal como disse, somente pretendia que os restantes membros me dessem a sua opinião relativamente a esta questão de não aceitar caridade. Como nós ficamos, como lidar com isso? Mais uma vez peço desculpas se me fiz entender mal.

Néje, muito obrigada pela sua resposta, bastante iluminada para mim. Obrigada.

Cara colega estudante,
Não se desculpe, seu post ajudou e muito e a mim mesmo, vou lhes contar algo que viví:
Eu nascí pedra de tropeço...
Tudo quanto eu fazia era para testar meu semelhante...
Se meu interlocutor era simpatizante da ARENA, eu era PMDB...
Quando encontrava outro que era simptizante do PMDB, eu virava a casaca...
Adjetiva, tudo e todos...artistas, políticos, igreja, padres, pastores, etc e etc...
Até que encontrei pedra de tropeço maior que eu era...
Me fiz refletir... e refletindo notei que todos os adjetivos que eu colocava nas outras pessoas que eu nem conhecia, eram na verdade enormes espelhos, bem polidos, que refletiam exatamente o que eu era...
Por experiência própria, eu lhe aconselhei o que eu próprio aconselho a mim todos os dias, pois ainda, às vezes sem pensar ajo assim...A gente não pensa, nem age concientemente dessa forma.
Fico observando, nos encontros sociais dos quais participo, basta que uma das madames que lá se encontram, dizer de alguma dificuldade com a arrumação da casa, e ocorre uma enchente de maldizeres de suas empregadas...
Depois as vejo dando boas referências das mesmas, para outros empregos...
Igualmente os homens, axincalham os políticos, colegas de trablho, chefes etc e tal... Depois esquecem e os ouço elogiando quem dantes não prestava.

Então quando eu ainda me surpreendo assim eu retiro mental e imediatamente o rótulo, e oro...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 17:03

Dim-dim

A gente já conhece esse velho debate. Mas olha, vc nunca sentiu aquela sensação de "vazio" ao perceber que as coisas materiais que nos cercam são ilusórias?? 

O verdadeiro espírita também deveria ser aquele que têm consciência das suas limitações e não se cobra tanto, logo, não cobra tanto dos outros.

abçs
Marcello

Essa idéia revela que as mensagens que deixei de Allan Kardec não foram compreendidas.

Se eu tenho o infinito e o eterno, a minha essência, Deus absoluto, para que me vou auto-limitar com esses pensamentos e essa visão terrena. Não.

Quero liberdade de percepção. O infinito é a única visão que me liberta o espirito.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 04 de Fevereiro de 2010, 17:21
Caridade....como já disse,é palavra tão simples mas com muitos significados e valores grandiosos para uns,que," doando bens materiais e se vangloriando depois do que fez",a verdadeira caridade é acima de tudo AMOR, amar ao próximo como a ti mesmo,porque somente quem se ama verdadeiramente tem esse amor e sabe doar-se,com humildade como nosso amado jesus nos ensinou.Se pudermos doar bens materiais,"correto", mas,tem algo que o ser humano ainda falta aprender é tbém saber ouvir,dar uma palavra amiga,um abraço fraterno sem maldade ,porque as vezes um pouco de calor humano,um amparo,um carinho,até mesmo uma palavra pode clarear uma mente que esta confusa,por pensamentos nebulosos,e somente este amor fraterno,essa caridade sem preconceito pode faze-lo seguir adiante.Podem não acreditar mas,a fome de carinho,amor,solidariedade,compeenssão as vezes é mais forte que a fome física.
Perdoe-me se não consegui me expressar direito mas estou aqui para aprender com vocês tbém.   bjs fraternos a todos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Angelresende em 04 de Fevereiro de 2010, 19:18
Está aí um tema interessante, quantos de nós realmente praticamos a caridade?
Quantos de nós levamos a sério a máxima: "FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO"?
A nossa maior provação para exercer a caridade começa em nosso lar, com nossos familiares mais próximos, e quantas inumeras vezes nós deixamos a desejar?
Aquele que ler essas perguntas e parar para analisar seu dia-a-dia, vai achar as respostas.
A maior caridade que podemos fazer depois dessa reflexão é para conosco mesmo, quando deitarmos a cabeça em nossos travesseiros, e dizermos em nossa conversa intima com Deus - Senhor, hoje eu fiz tudo o que pude de melhor para meu próximo, fiz a caridade que me foi permetida, mas espero que amanhã eu possa fazer mais!!
Essa conversa meus queridos irmãos, essas palavras simples, são a maior mostra de humildade, são os verdadeiros principios que todo espirita, acima disso, todo cristão deve adotar, humildade e caridade.

Paz a todossss.....

Bjosss
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: gilmarsantos1 em 04 de Fevereiro de 2010, 20:06
IRMÃOS,

SINTO QUE ESSE FÓRUM AGORA ESTA EXEMPLIFICANDO O SENTIMENTO DO QUE É CARIDADE. OS ESTUDOS É MUITO IMPORTANTE, É A BASE NECESSÁRIA PARA IMPULSIONAR OS ATOS DE CADA UM, NÃO IMPORTA QUE ATO SEJA.
SABEM POR QUÊ?

...Deus está nos observando em todos os momentos, de nossa vida, e ele sabe quantos fios de cabelos, tem em nossa cabeça, então certamente ele sabe, e sente o seu coração, ou seja, o seu sentimento...

... Quem recebe o usa para outros fins não lícitos no campo do bem a si próprio, aí já não é de responsabilidade sua,  e nem de Deus, é do ser e do livre arbítrio que ele tem de escolher entre o bem e o mal...


ESSAS SÃO AS PALAVRAS DA IRMÃ ZENI EM UMA CONVERSA PARTICULAR QUE TIVEMOS, COMO SOU UM SER EM DESINVOLVIMENTO, IGUAL À VOCES, TENHO A NECESSIDADE DE ME ORIENTAR COM QUEM TEM RESPALDO A OFERECER.
SEI QUE NESTE FÓRUM PODEI APROVEITAR MUITO DAS EXPERIÊNCIAS DE OUTREM, E FICO GRATO PELO ACOLHEMENTO DE TODOS.

OBRIGADO (A).
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 21:25

Olá!

Caridade, sem se ficar consciente do ego e de tudo se fazer para o extinguir, não existe.

A caridade que o ego pratica é puro orgulho e vaidade, já que o ego se alimenta de atenção. Adora  ser reconhecido, gosta de "dar nas vistas" e não sabe ser discreto, apenas imita.

" Allan Kardec "

917 Qual o meio de destruir o egoísmo?

– De todas as imperfeições humanas, a mais difícil de extinguir é o egoísmo, porque se liga à influência da matéria da qual o homem, ainda muito próximo de sua origem, não se pode libertar. Tudo concorre para manter essa influência: suas leis, sua organização social, sua educação.


" C.G.Jung "

Para aqueles que estão familiarizados com a psicologia complexa talvez pareça uma pura perda de tempo insistir na diferença, há muito tempo introduzida, entre "tornar-se consciente" e "realizar-se a si mesmo" (individuação). Mas observo cada vez mais que se confunde o processo de individuação com o processo de tornar-se consciente, e que o ego é, conseqüentemente, identificado com o self, o que naturalmente acarreta uma irremediável confusão entre os conceitos, pois com isto a individuação se transforma em mero egocentrismo e auto-erotismo. Ora, o self compreende infinitamente muito mais do que apenas o ego, como no-lo mostra o simbolismo desde épocas imemoriais: significa tanto o self dos outros, ou os próprios outros, quanto o ego. A individuação não exclui o mundo; pelo contrário, o engloba.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 04 de Fevereiro de 2010, 21:30
:)Li com atenção todos os textos e uma parte me chama sempre atenção.
"Não se esqueça   de fazer caridade para si mesmo."
Muitas vezes por ajudar alguém passamos do nosso limite e nos prejudicamos seriamente.
Na observação da vida, por experiência própria e por assistir inúmeros casos de pessoas se subjugarem ao amigo, ou ao irmão, ao cônjuge ou a quem quer que seja,  por não terem coragem de abandoná-los em hora difícil , não dão o basta na hora devida.
Entendo por "Amar ao próximo como a ti mesmo" é ter o mesmo respeito por você que oferece ao outro. É não fazer com outro aquilo que não quer pra você, ou não permitir que o outro faça com você aquilo que não seria bom pra ele.
Não estou fugindo do assunto, apenas acho que a caridade para conosco, o amor próprio, o respeito tem que ser observado com cuidado.
Na ênfase de ajudar a quem amamos, às vezes prejudicamos a pessoa por conceder demais.
Amar, nunca é demais, doar também, porem com serenidade, utilizando a razão.
Como exemplo clássico do que estou dizendo, cito o pai que passa a mão na cabeça do filho e o ajuda sempre quando este comete um erro, não deixando que este espírito assuma seus próprios erros, criando assim um adulto indeciso ou voluntarioso que com certeza sofrerá mais tarde.
Casais, onde a esposa se submete a maus tratos, à traição e a humilhação para não desmanchar o lar e abandonar o marido que ela tanto ama, submete à família a uma completa desorganização e fazendo com que este marido nunca sinta o peso do que está cometendo aos seus.
Pessoas pobres, com dificuldades sérias financeiras na vida, deixando de dar o pão em casa porque tem que dar o dízimo à Igreja que frequenta por amor a Deus.
A verdadeira caridade deve e tem que existir cada vez mais. Mas Deus não exige de nós que nos violentemos.
Entenda bem, não endureci com a vida, até porque sempre tive anjos que me cercaram nas horas mais difíceis, e foram muitos, mas aprendi a observar o meu limite às duras penas, precisei passar por muita coisa, e assisto hoje ainda pessoas cometerem este mesmo erro.
Podendo estender a mão, jamais me nego, mas tenho sempre em mente que uma pessoa não pode se prejudicar ao ajudar a outra, pode repartir o pão sim, mas não ficar sem para dar ao outro.
Entendo também que a vida é uma eterna troca, hoje você ajuda, amanhã, você será ajudado não necessariamente por quem você ajudou. É a lei da causa e efeito.
E jamais ajude visando retorno ou gratificação se envaidecendo do que fez. Faça a caridade com o coração.
Um grande abraço
Hebe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vbento em 04 de Fevereiro de 2010, 21:33
Olá a todos!!!
Fico feliz em participar de um forum deste nível. O tema Caridade é oportuno e atual.
A caridade começa em nós mesmos, aumenta de proporção, no nosso contato diário com os nossos familiares, transporta-se para a comunidade que participamos e se integra de uma maneira decisiva em ações salutares na convivência diária na sociedade em que vivemos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 21:39

Olá!

"Mikhail Naimy "

Eis por que Adão respondeu a Deus, quando Deus o chamou, depois de os seus olhos terem sido abertos: "Eu ouvi a tua voz no jardim, e eu tive medo porque eu estava nu e eu me escondi".

Como também " a mulher que tu me deste para minha Companheira, ela me deu do fruto da árvore, e eu o comi ".

Eva não era mais do que carne e ossos de Adão. Pensai , porém, neste novo eu de Adão, o qual, depois de os seus olhos terem sido abertos " principiou a se ver como algo diferente, separado e independente de Eva, de Deus e de toda a criatura de Deus ".

Este eu era uma ilusão. Uma ilusão dos olhos recém abertos, era esta personalidade desligada de Deus. Não tinha substância nem realidade. Havia sido criada para que, após a sua morte, o Homem pudesse conhecer seu Ser real, que é o Ser de Deus. Este eu falso desaparecerá quando os olhos externos se apagarem, e o olho interno for iluminado.

Não esperes por nenhum milagre que vos salve de vós próprios, nem receis a dor; a Compreensão nua converterá a vossa dor em um perene extase de alegria.


" Krishnamurti "

Peço-vos que "experimenteis" realmente o que se está dizendo. Escutai de maneira que vejais a coisa diretamente, com ela estejais diretamente em contato. Se vos achais em contato com alguma coisa, vossa mulher, vossos filhos, o céu, as nuvens, qualquer facto, no momento em que o pensamento intervém perde-se o contato. O pensamento nasce da memória. A memória é a imagem, e daí é que olhais e, por conseguinte, verifica-se uma separação entre o observador e a coisa observada.

Isso precisa ser compreendido muito profundamente. É essa separação entre o observador e a coisa observada que faz e observador desejar mais experiência, mais sensações, e o impele a uma busca perene. É necessário compreender, cabalmente, que, enquanto existir o observador, a entidade que está em busca de experiência, enquanto existir o censor, que avalia, julga, condena, não pode haver contato direto com o que é. Quando sentis dor, dor física, há percebimento direto; não há um "observador" que sente a dor; há só dor. E, porque não existe observador, há ação imediata. Não há primeiro a idéia e depois a ação, porém só ação, quando se sente dor, porque, aí, há um contato físico direto. A dor sois vós; está em vós. Enquanto isso não for plenamente compreendido, percebido, elucidado, e sentido profundamente; enquanto não se aprender integralmente, não intelectual ou verbalmente, que o observador é a coisa observada, a vida continuará a ser toda de conflito e contradição entre desejos opostos: o que deveria ser e o que é. Só é possível essa compreensão quando percebemos que estamos olhando uma coisa como "observador" - uma flor, uma nuvem, qualquer coisa. Se a entidade que olha o objeto, o está observando com seus conhecimentos, não há contato com ele.



Namasté!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 04 de Fevereiro de 2010, 21:45

A doutrina dos espiritos é bem clara.

Já a doutrina das espiritas é materialista.


Sei, mas isso muda alguma coisa?? Quais as conseqüências de ser espiritualista ou materialista?????

Respondam, mas sem usar argumentos metafísicos e sofísticos ok??



" Allan Kardec "

916 O egoísmo, longe de diminuir, aumenta com a civilização, que parece excitá-lo e mantê-lo; como a causa poderá destruir o efeito?

– Quanto maior o mal, mais se torna horrível. Será preciso que o egoísmo cause muito mal para fazer compreender a necessidade de extingui-lo.

Tudo em a Natureza se encadeia por elos que ainda não podeis apreender. Assim, as coisas aparentemente mais díspares têm pontos de contacto que o homem, no seu estado atual, nunca chegará a compreender. Por um esforço da inteligência poderá entrevê-los; mas, somente quando essa inteligência estiver no máximo grau de desenvolvimento e liberta dos preconceitos do orgulho e da ignorância, logrará ver claro na obra de Deus. Até lá, suas muito restritas idéias lhe farão observar as coisas por um mesquinho e acanhado prisma. Sabei não ser possível que Deus se contradiga e que, na Natureza, tudo se harmoniza mediante leis gerais, que por nenhum de seus pontos deixam de corresponder à sublime sabedoria do Criador.”


" C.G.Jung "

Se, porém, a estrutura do complexo do ego é bastante forte para resistir ao assalto dos conteúdos inconscientes, sem que se afrouxe desastrosamente sua contextura, a assimilação pode ocorrer. Mas, neste caso, há uma alteração não só dos conteúdos inconscientes, mas também do ego. Embora ele se mostre capaz de preservar sua estrutura, o ego é como que arrancado de sua posição central e dominante, passando, assim, ao papel de um observador passivo a quem faltam os meios necessários para impor sua vontade em qualquer circunstância, o que acontece não tanto porque a vontade se acha enfraquecida em si mesma, quanto, sobretudo, porque certas considerações a paralisam. Quer dizer, o ego não pode deixar de descobrir que o afluxo dos conteúdos inconscientes vitaliza e enriquece a personalidade e cria uma figura que ultrapassa de algum modo o ego em extensão e em intensidade. Esta experiência paralisa uma vontade por demais egocêntrica e convence o ego de que, apesar de todas as dificuldades, é sempre melhor recuar para um segundo lugar, do que se empenhar em combate sem esperança, o qual termina invariavelmente em derrota. Deste modo a vontade enquanto energia disponível se submete paulatinamente ao fator mais forte, isto é, à nova figura da totalidade que eu chamei de self.

Namasté

   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em nossos corações.

   Como coloquei em evidência, na frase de nosso companheiro acima, nossa matéria ainda é muito "animalizada" e pouco etéril, assim também como o é nosso intelecto.
   Nas obras básicas de Kardec, por inúmeras vezes os espíritos nos falam a mesma frase e supracitada.
   Assim como JESUS não poderia falar para os Apóstolos, pois estes não teriam condições de compreender, que, a Terra gira em torno de seu próprio eixo, em um sistema planetário, e que, todos estes planetas giram em torno do Sol, apenas os disse: "Há muitas moradas na casa de meu PAI." (Que abrange também várias interpretações). Fazendo uma analogia rápida, os espíritos há todo momento diziam: "Pobreza do vocabulário humano...", ou "Basta para você...o intelecto humano ainda não...", e coisas deste tipo.
   A consciência espírita de caridade, se enquadra muito na parábola do livro "O Evangelho Segundo o Espiritismo - O Homem de Bem", observem, que, no final os espíritos ainda nos alertam, de que ali não estavam expostas todas, mas só algumas das virtudes do homem de bem.
   Tentemos nos enquadrar naquelas virtudes, e então, saberemos com certeza que estaremos praticando a caridade, à cada ato de nossas vidas.
   Muita Paz a todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: sirena em 04 de Fevereiro de 2010, 21:55
Irmãos em Cristo,
Podemos praticar a caridade por meio de pequenos gestos, até um sorriso ou com um pensamento edificante pelos nossos companheiros de jornada. E é tão bom o sentimento que fica conosco!

Muita paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 22:04

Olá!

" Allan Kardec "

“Tudo em a Natureza se encadeia por elos que ainda não podeis apreender.  Assim, as coisas aparentemente mais díspares têm pontos de contacto que o homem, no seu estado atual, nunca chegará a compreender. Por um esforço da inteligência poderá entrevê-los; mas, somente quando essa inteligência estiver no máximo grau de desenvolvimento e liberta dos preconceitos do orgulho e da ignorância, logrará ver claro na obra de Deus. Até lá, suas muito restritas idéias lhe farão observar as coisas por um mesquinho e acanhado prisma. Sabei não ser possível que Deus se contradiga e que, na Natureza, tudo se harmoniza mediante leis gerais, que por nenhum de seus pontos deixam de corresponder à sublime sabedoria do Criador.”
----------------------------------------------

Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em nossos corações.

   Como coloquei em evidência, na frase de nosso companheiro acima, nossa matéria ainda é muito "animalizada" e pouco etéril, assim também como o é nosso intelecto.   Nas obras básicas de Kardec, por inúmeras vezes os espíritos nos falam a mesma frase e supracitada.
   Assim como JESUS não poderia falar para os Apóstolos, pois estes não teriam condições de compreender, que, a Terra gira em torno de seu próprio eixo, em um sistema planetário, e que, todos estes planetas giram em torno do Sol, apenas os disse: "Há muitas moradas na casa de meu PAI." (Que abrange também várias interpretações). Fazendo uma analogia rápida, os espíritos há todo momento diziam: "Pobreza do vocabulário humano...", ou "Basta para você...o intelecto humano ainda não...", e coisas deste tipo.
   A consciência espírita de caridade, se enquadra muito na parábola do livro "O Evangelho Segundo o Espiritismo - O Homem de Bem", observem, que, no final os espíritos ainda nos alertam, de que ali não estavam expostas todas, mas só algumas das virtudes do homem de bem.
   Tentemos nos enquadrar naquelas virtudes, e então, saberemos com certeza que estaremos praticando a caridade, à cada ato de nossas vidas.
   Muita Paz a todos.

   Irmão Hauch
_______________________________________________________________________


Então o amigo apenas sublinhou aquela frase a vermelho porquê? Não se quer esforçar para ver esta que eu sublinhei agora a azul?


Namasté   
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 22:22

Olá!

Não sei que doutrina ensinam nessas casas espiritas nem que livros lêm, que só incentivam a ignorância, as paixões materiais, orgulho, vaidades, caprichos e sei lá eu mais o quê.

Como é que não hão-de andar no lodaçal humano por milhentas reencarnações como diz Kardec. Pois ninguém quer o desprendimento que os espiritos recomendam para se libertarem do egoismo, das paixões materiais e da visão terrena.

Nem Cristo compreendem e repetem-lhe o nome sucessivamente com palavras de amor e caridade que são impossiveis de compreender pelo o egoismo.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Jo em 04 de Fevereiro de 2010, 22:27
............Lembro de Emmanuel no Livro Pão Nosso " ...Queremos fazer a caridade a 100, a 1000 e esquecemos daqueles que estão proximos de Nós e nem percebemos o quanto estão necessitados de auxilio....."
            Lembremos dos dois Grandes Mandamentos:
          "Amar a DEUS sobre todas as coisas e ao PROXIMO como a SI mesmo"[/b]
           Lebremos tambem de que quando exercitamos a CARIDADE o maior beneficiado somos NÓS, pois nesse momento estamos deixando um pouco para trás as nossas maiores vicissitudes: ORGULHO E VAIDADE
           Então Irmãos vamos cada vez mais exercitar a caridade, pois creio que só assim conseguiremos um dia sermos mais AMOR e menos maldade, aí sim estaremkos caminhando para o mundo de Regeneração!
                                 Que Deus nos abençõe!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 23:01

Olá!

" Allan Kardec "

Em algumas pessoas, os laços materiais são ainda muito fortes, para que o espírito se desprenda das coisas terrenas. O nevoeiro que as envolve impede-lhes a visão do infinito. Eis por que não conseguem romper facilmente com os seus gostos e os seus hábitos, não compreendendo que possa haver nada melhor do que aquilo que possuem.

A crença nos Espíritos é para elas um simples fato, que não modifica pouco ou nada as suas tendências instintivas. Numa palavra, não vêem mais do que um raio de luz, insuficiente para orientá-las e dar-lhes uma aspiração profunda, capaz de modificar-lhes as tendências. Apegam-se mais aos fenômenos do que à moral, que lhes parece banal e monótona. Pedem aos Espíritos que incessantemente as iniciem em novos mistérios, sem indagarem se tornaram dignas de penetrar os segredos do Criador. São, afinal, os espíritas imperfeitos, alguns dos quais estacionam no caminho ou se distanciam dos seus irmãos de crença, porque recuam ante a obrigação de se reformarem, ou porque preferem a companhia dos que participam das suas fraquezas ou das suas prevenções.
Não obstante, a simples aceitação da doutrina em princípio é um primeiro passo, que lhes facilitará o segundo, numa outra existência.
_____________________________________________________________________

Bem que podem esperar sentados os espiritas dos contos "fantasiosos e maravilhosos".


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vbento em 04 de Fevereiro de 2010, 23:18
Pois é , o que define a caridade?
Podemos estar atentos e sabedores de todas as teorias e filosofias em concordância com esta ou aquela religião...Mais se não  tivermos a caridade, mesmo em aceitar o ponto de vista contrário ao nosso, de nada valeria ...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 04 de Fevereiro de 2010, 23:21

Um rabisco feito com carvão...
Eis aí do homem a semelhança com Deus...
Mas... não é o diamante, preso ao pó dos sonhos seus,
Também na essência o carvão em solidão?

O sopro de Deus arde o todo em cinzas!
Doa a quem pede, e a quem doa, a forja,
A transformação, idas e vindas, até que o carvão,
Indo adiante, seja brilho, brilho seja, diamante!



Senhor Deus de Infinita Paz e Misericórdia,
Seja de minha vida a Luz e o Caminho,
Não retire uma só pedra de minha senda
Mas esteja, Pai, comigo em cada passo...
Peço, Senhor meu Deus, que me ajude nas escolhas,
Que me alivie o fardo do livre arbítrio, tão perigoso,
Que me permita ver, muito mais que enxergar,
Saber, muito mais do que conhecer,
Ouvir, muito mais do que escutar,
Vivenciar, muito mais do que experimentar,
Amparar, muito mais do que ajudar...
Senhor Deus de infinita Bondade e Misericórdia,
Ampara-me, Pai, para que eu aprenda a Amar...


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 04 de Fevereiro de 2010, 23:27

Olá!

Não sei que doutrina ensinam nessas casas espiritas nem que livros lêm, que só incentivam a ignorância, as paixões materiais, orgulho, vaidades, caprichos e sei lá eu mais o quê.

Como é que não hão-de andar no lodaçal humano por milhentas reencarnações como diz Kardec. Pois ninguém quer o desprendimento que os espiritos recomendam para se libertarem do egoismo, das paixões materiais e da visão terrena.

Nem Cristo compreendem e repetem-lhe o nome sucessivamente com palavras de amor e caridade que são impossiveis de compreender pelo o egoismo.


Namasté


   Nota-se que o companheiro também não leu "O Homem de Bem" do Evangelho, só pelo postado acima, ou será que cometeu o mesmo erro que eu? Ou ainda, será que é de imensa perfeição, espírito perfeito, nunca erra?!
   Não entendo estas casas que se dizem Espíritas Kardecistas, e seus "médiuns" não são embuídos a prática da assistência fraterna, e caridades externas.
   Só estudar; reitero, "Fora da Caridade Não Há Salvação" e discordar desta máxima faz parte do livre arbítrio EQUIVOCADO! Reforço minha tese, de que, alguns companheiros só vem ao fórum para praticar e promover a discórdia.
   Muita Paz a todos

   
   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 04 de Fevereiro de 2010, 23:30
Pois é , o que define a caridade?
Podemos estar atentos e sabedores de todas as teorias e filosofias em concordância com esta ou aquela religião...Mais se não  tivermos a caridade, mesmo em aceitar o ponto de vista contrário ao nosso, de nada valeria ...

Você tem toda a razão, Amigo Vbento...

Muitas vezes nos colocamos em profundas indagações filosóficas, debruçados nos textos e nos ensinamentos, assim como alunos menos atentos ao aprendizado do que ao ensejo de regurgitar aforismos, máximas, princípios, ou mera iconoclastia...

[...]
A mais iluminada Alma que esteve neste Planeta nasceu em uma manjedoura e cercou-se de pessoas simples. Ensinou que devemos Amar, fundamentalmente Amar a todos e ver em todos irmãos que nos acompanham na Vida. Ensinou a perdoar e a ter boa-vontade. Ensinou a sublimar a dor e a viver com alegria.
[...]

Benevolência, Indulgência e Perdão...

Esses três valores magnos da alma só têm sentido se traduzirem uma efetiva atitude, ação, realização...

A pérola no interior da ostra, no seio do mar, que valor tem?
O diamante, no seio da crosta, oculto da luz, que brilho tem?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 23:35

Olá!

" Allan Kardec "

O Espiritismo é uma doutrina filosófica que tem conseqüências religiosas, como toda doutrina espiritualista; por isso mesmo toca forçosamente às bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma e a vida futura; mas não é, uma religião constituída, tendo em vista que não tem nem culto, nem rito, nem templo, e que, entre os seus adeptos, nenhum tomou ou recebeu o título de sacerdote ou de sumo-sacerdote. Essas qualificações são pura invenção da crítica.

O Espiritismo proclama a liberdade de consciência como um direito natural: reclama-a para os seus, como para todo o mundo. Respeita todas as convicções sinceras, e pede para si a reciprocidade.

Toda a gente admira a moral evangélica; todos lhe proclamam a sublimidade e a necessidade; muitos, porém, assim se pronunciam por fé, confiados no que ouviram dizer, ou firmados em certas máximas que se tornaram proverbiais. Poucos, no entanto, a conhecem a fundo e menos ainda são os que a compreendem e lhe sabem deduzir as conseqüências.

A raça humana é constituída tanto de Espíritos bons quanto de maus, que estão encarnados neste planeta, e como a Terra é um dos mundos menos avançados, nela se encontram mais Espíritos maus do que bons; por isso há tanta perversidade aqui.


Para se assegurar da unidade no futuro, uma condição é indispensável, é que todas as partes do conjunto da Doutrina sejam determinadas com precisão e clareza, sem nada deixar no vago; para isso fizemos de modo que os nossos escritos não possam dar lugar a nenhuma interpretação contraditória, e trataremos que isso seja sempre assim. Quando se tiver dito, com firmeza e sem ambigüidade, que dois e dois são quatro, ninguém poderá pretender que se quis dizer que dois e dois fazem cinco. Poderão, pois, se formar, ao lado da Doutrina, seitas que não lhe adotem os princípios, ou todos os princípios, mas não na Doutrina pela interpretação do texto, como se formaram tão numerosas sobre o sentido das próprias palavras do Evangelho. Aí está um primeiro ponto de uma importância capital.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 04 de Fevereiro de 2010, 23:46

Olá!

" Allan Kardec "

1. Há um Deus, inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas.

A prova da existência de Deus está no axioma: Não há efeito sem causa. Vemos incessantemente uma multidão inumerável de efeitos, cuja causa não está na Humanidade, uma vez que a Humanidade está impossibilitada de reproduzi-los, e mesmo de explicá-los: a causa está, pois, acima da Humanidade. É a essa causa que se chama Deus, Jeová, Alá, Brama, Fo-hi, Grande Espírito, etc., segundo as línguas, os tempos e os lugares.

Esses efeitos, de nenhum modo, não se produzem ao acaso, fortuitamente e sem ordem; desde a organização do menor inseto, e do maior grão, até à lei que rege os mundos circulando no espaço, tudo atesta um pensamento, uma combinação, uma previdência, uma solicitude que ultrapassam todas as concepções humanas. Essa causa é, pois, soberanamente inteligente.

2. Deus é eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom.
_____________________________________________________________________

Se eu sou filho de Deus, sou isto tudo. Uma consciência infinita e eterna que não me posso auto-limitar com uma mente finita.

Essa mente finita ilusória é a separação de Deus, o homem querer ser um mini deus, o filho fugido do Pai.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mecame em 04 de Fevereiro de 2010, 23:56
Que mania temos de querer saber o significado das palavras. Temos a mania de discutir o significado do significante. É sábio isso, acreditem. É importante, o único problema é que as vezes o ser humano fica tão preso aos significados que não agem. Pensam que para agir tem que saber que significado tem. E muitos só procuram agir se o significado parecer bom. Mas, o que é bom? Podiamos lembrar que numa comunidade de língua muito escassa, sem esse monte de substantivos e adjetivos que temos, existe o amor, existe a comunhão, existe a fraternidade e o interesse coletivo. Corremos atrás do conhecimento e tão poucos praticam o que descobrem aqui neste forum ou em outro lugar. Antes das palavras, antes das ideologias, antes de conhecermos o espiritismo ou qualquer outro conhecimento já eramos espíritos e, acreditem que muito conta a nossa ação e atitude. Por isso eu acredito que a caridade é o amor que se materializa. Então, o irmão pergunta qual a diferença entre caridade, compaixão e solidariedade e a resposta é fácil de encontrar. Basta amar e vai senti vontade de doar e conhecerá a caridade, vai sentir vontade de ficar nú e ceder a blusa para alguém com frio e conhecerá a solidariedade, vai sentir vontade de chorar quando ver o irmão sofrendo e aí conhecerá a compaixão. Mas, eu pergunto: É melhor saber ou vivenciar? A paz de Cristo
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: S em 05 de Fevereiro de 2010, 00:04
Amigo Namasté,

Também sinto que o seu ponto de vista é o mais correto. Demasiada fé e religiosidade são louváveis como forma de se chegar a Deus, dentro do repertório de cada um, mas acabam embotando e inibindo o raciocínio lógico daqueles que intuem a Deus da mesma forma, mas por vias diferentes. Entendo que Kardec tentou nos passar isso ao ele próprio admitir que escrevia palavras de seu tempo, com o conhecimento próprio à sua época e pedia lógica ao invéz de crença e raciocínio ao invéz de fé cega. Sendo assim, entendo por Caridade a afinidade total com nosso semelhante. Nossa participação na solução de suas dúvidas e problemas e no amparo recíproco de todos por todos. Estamos longe disso, obviamente. Cada vez mais longe. Mas creio que o simples fato de falar em Caridade, já nos torna orgulhosos demais para ter algum merecimento ao praticá-la.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 05 de Fevereiro de 2010, 00:13

O Homem de Bem
           
     O verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a lei de justiça, de amor e caridade, na sua maior pureza. Se interroga a sua consciência sobre os próprios atos, pergunta se não violou essa lei, se não cometeu o mal, se fez todo o bem que podia, se não deixou escapar voluntariamente uma ocasião de ser útil, se ninguém tem do que se queixar dele, enfim, se fez aos outros aquilo que queria que os outros fizessem por ele.
     Tem fé em Deus, na sua bondade, na sua justiça e na sua sabedoria; sabe que nada acontece sem a sua permissão, e submete-se em todas as coisas à sua vontade.
     Tem fé no futuro, e por isso coloca os bens espirituais acima dos bens temporais.
     Sabe que todas as vicissitudes da vida, todas as dores, todas as decepções, são provas ou expiações, e as aceita sem murmurar.
     O homem possuído pelo sentimento de caridade e de amor ao próximo faz o bem pelo bem, sem esperar recompensa, paga o mal com o bem, toma a defesa do fraco contra o forte e sacrifica sempre o seu interesse à justiça.
     Encontra usa satisfação nos benefícios que distribui, nos serviços que presta, nas venturas que promove, nas lágrimas que faz secar, nas consolações que leva aos aflitos. Seu primeiro impulso é o de pensar nos outros, antes que em si mesmo, de tratar dos interesses dos outros, antes que dos seus. O egoísta, ao contrário, calcula os proveitos e as perdas de cada ação generosa.
     É bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças nem de crenças, porque vê todos os homens como irmãos.
     Respeita nos outros todas as convicções sinceras, e não lança o anátema aos que não pensam como ele.
     Em todas as circunstâncias, a caridade é o seu guia. Considera que aquele que prejudica os outros com palavras maldosas, que fere a suscetibilidade alheia com o seu orgulho e o seu desdém, que não recua à idéia de causar um sofrimento, uma contrariedade, ainda que ligeira, quando a pode evitar, falta ao dever do amor ao próximo e não merece a clemência do Senhor.
     Não tem ódio nem rancor, nem desejos de vingança. A exemplo de Jesus, perdoa e esquece as ofensas, e não se lembra senão dos benefícios. Porque sabe que será perdoado, conforme houver perdoado.
     É indulgente para as fraquezas alheias, porque sabe que ele mesmo tem necessidade de indulgência, e se lembra destas palavras do Cristo: “Aquele que está sem pecado atire a primeira pedra”.
     Não se compraz em procurar os defeitos dos outros, nem a pô-los em evidência. Se a necessidade o obriga a isso, procura sempre o bem que pode atenuar o mal.
     Estuda as suas próprias imperfeições, e trabalha sem cessar em combatê-las. Todos os seus esforços tendem a permitir-lhe dizer, amanhã, que traz em si alguma coisa melhor do que na véspera.
     Não tenta fazer valer o seu espírito, nem os seus talentos, às expensas dos outros. Pelo contrário, aproveita todas as ocasiões para fazer ressaltar a vantagens dos outros.
     Não se envaidece em nada com a sua sorte, nem com os seus predicados pessoais, porque sabe que tudo quanto lhe foi dado pode ser retirado.
     Usa mas não abusa dos bens que lhe são concedidos, porque sabe tratar-se de um depósito, do qual deverá prestar contas, e que o emprego mais prejudicial para si mesmo, que poderá lhes dar, é pô-los ao serviço da satisfação de suas paixões.
     Se nas relações sociais, alguns homens se encontram na sua dependência, trata-os com bondade e benevolência, porque são seus iguais perante Deus. Usa sua autoridade para erguer-lhes a moral, e não para os esmagar com o seu orgulho, e evita tudo quanto poderia tornar mais penosa a sua posição subalterna.
     O subordinado, por sua vez, compreende os deveres da sua posição, e tem o escrúpulo de procurar cumpri-los conscientemente. (Ver cap.XVII, nº 9)
     O homem de bem, enfim, respeita nos seus semelhantes todos os direitos que lhes são assegurados pelas leis da natureza, como desejaria que os seus fossem respeitados.
     Esta não é a relação completa das qualidades que distinguem o homem de bem, mas quem quer que se esforce para possuí-las, estará no caminho que conduz às demais.


    Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vbento em 05 de Fevereiro de 2010, 00:16
Belas palavras Became.
Devemos diferenciar a atitude da palavra sempre que falarmos em caridade. Jesus é o maior exemplo a ser seguido.
abraço fraterno
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 00:20

Olá!

Não sei que doutrina ensinam nessas casas espiritas nem que livros lêm, que só incentivam a ignorância, as paixões materiais, orgulho, vaidades, caprichos e sei lá eu mais o quê.

Como é que não hão-de andar no lodaçal humano por milhentas reencarnações como diz Kardec. Pois ninguém quer o desprendimento que os espiritos recomendam para se libertarem do egoismo, das paixões materiais e da visão terrena.

Nem Cristo compreendem e repetem-lhe o nome sucessivamente com palavras de amor e caridade que são impossiveis de compreender pelo o egoismo.


Namasté


   Nota-se que o companheiro também não leu "O Homem de Bem" do Evangelho, só pelo postado acima, ou será que cometeu o mesmo erro que eu? Ou ainda, será que é de imensa perfeição, espírito perfeito, nunca erra?!
   Não entendo estas casas que se dizem Espíritas Kardecistas, e seus "médiuns" não são embuídos a prática da assistência fraterna, e caridades externas.
   Só estudar; reitero, "Fora da Caridade Não Há Salvação" e discordar desta máxima faz parte do livre arbítrio EQUIVOCADO! Reforço minha tese, de que, alguns companheiros só vem ao fórum para praticar e promover a discórdia.
   Muita Paz a todos

   
   Irmão Hauch

Nunca entrei em qualquer casa espirita, e depois de ver o que aqui vejo, quero é fugir delas todas tenham elas o nome que tiverem.

Nas igrejas católicas entre quando não está lá o padre. São fresquinhas no verão...

Por isso amigo não estou nada preocupado com casas espiritas nem com médiuns nem com materialismos, nada disso tem liberdade.

Quero consciência livre de tudo isso e o desprendimento material. Caridade e amor é o que sinto e tenho no meio da natureza. Coisa dificil no meio do egoismo e de todas as mascaras da hipócrisia.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 05 de Fevereiro de 2010, 00:27
Livro dos Espíritos

766. A vida social está em a Natureza?
“Certamente. Deus fez o homem para viver em sociedade. Não lhe deu inutilmente a
palavra e todas as outras faculdades necessárias à vida de relação.”
767. É contrário à lei da Natureza o insulamento absoluto?
“Sem dúvida, pois que por instinto os homens buscam a sociedade e todos devem
concorrer para o progresso, auxiliando-se mutuamente.”
768. Procurando a sociedade, não fará o homem mais do que obedecer a um
sentimento pessoal, ou há nesse sentimento algum providencial objetivo de ordem mais
geral?
“O homem tem que progredir. Insulado, não lhe é isso possível, por não dispor de
todas as faculdades. Falta-lhe o contacto com os outros homens. No insulamento, ele se
embrutece e estiola.”
Homem nenhum possui faculdades completas. Mediante a união social é que elas
umas às outras se completam, para lhe assegurarem o bem-estar e o progresso. Por isso é
que, precisando uns dos outros, os homens foram feitos para viver em sociedade e não
insulados.

769. Concebe-se que, como princípio geral, a vida social esteja na Natureza. Mas,
uma vez que também todos os gostos estão na Natureza, por que será condenável o do
insulamento absoluto, desde que cause satisfação ao homem?
“Satisfação egoísta. Também há homens que experimentam satisfação na
embriaguez. Merece-te isso aprovação? Não pode agradar a Deus uma vida pela qual o
homem se condena a não ser útil a ninguém.”
770. Que se deve pensar dos que vivem em absoluta reclusão, fugindo ao pernicioso
contacto do mundo?
“Duplo egoísmo.”
a) - Mas, não será meritório esse retraimento se tiver por fim uma expiação,
impondo-se aquele que o busca uma privação penosa?
“Fazer maior soma de bem do que de mal constitui a melhor expiação. Evitando um
mal, aquele que por tal motivo se insula cai noutro, pois esquece a lei de amor e de
caridade.”


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mecame em 05 de Fevereiro de 2010, 00:31
Não julgue seus irmãos amigo Dim dim. Não pense que descobriu a chave de toda sabedoria. É justamente no meio do egoismo que você vai aprender também, para também quebrar o seu egoismo. Somos todos iguais , mistérios no mistério. Se por acaso você encontrou a sabedoria divina, então saia e ofereça a todos nós, porque somos sedentos. Mas, se nada encontrou, aprenda junto com seus irmãos egoistas porque tirará grandes lições da vida. Não entrou em casa espírita e nem precisa entrar. Nós somos o que somos dentro ou fora de qualquer meio de busca metafísica. Mas, receba o meu amor egoista que te deseja a paz.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vbento em 05 de Fevereiro de 2010, 00:58
Oi dim dim, tudo bem?
Vc se refere a religião como algo a ser evitado e este seu ponto de vista me pertubou muito...
Devemos lembrar que o livre pensar não o livra da convivência com católicos, espíritas, protestantes. Uma religião será boa ou ruim na medida que o seu seguidor praticar a caridade em sua essência.
De seu amigo, nesta encarnação espírita
Vbento
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:00

Olá!

" Allan Kardec "

621 Onde está escrita a lei de Deus?

– Na consciência.

632 O homem, sujeito ao erro como está, não pode se enganar no julgamento do bem e do mal e acreditar que faz o bem quando, na realidade, faz o mal?

– Jesus disse: “o que quereis que os homens vos façam, fazei-o também vós a eles”. Tudo está aí resumido. Vós não vos enganareis.
_____________________________________________________________________

Eu não faço bem nem mal a nada nem a ninguém e não quero que me façam bem nem mal. Não quero interferir nem quero interferências.( dessas caridades egoistas )

A caridade, a solidariedade e o amor está no próprio ciclo da natureza, tudo ligado e dependente. Eu preciso da árvore bem como ela precisa de mim, mas não a quero levar para casa nem ela quer que eu durma com ela. Somos livres de apegos.

Por haver medo da liberdade do desconhecido e da solidão é que o egoismo não desaparece, e em desespero de causa martirizam uns e outros.

Deus julga pelas intenções de cada um, por isso não lhes dê procupação a minha liberdade.

Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:03
Oi dim dim, tudo bem?
Vc se refere a religião como algo a ser evitado e este seu ponto de vista me pertubou muito...
Devemos lembrar que o livre pensar não o livra da convivência com católicos, espíritas, protestantes. Uma religião será boa ou ruim na medida que o seu seguidor praticar a caridade em sua essência.
De seu amigo, nesta encarnação espírita
Vbento

" Krishnamurti "

Para uma mente de fato religiosa, é importantíssimo compreender aquilo que transcende a palavra, que transcende o pensamento e toda experiência. E, para compreender isso, para estar com o que se acha além de toda experiência, para perceber isso profundamente e num lampejo, a mente deve estar livre. Idéia, conceito, padrão, opinião, julgamento ou qualquer disciplina organizada impedem a liberdade da mente. Essa liberdade traz a sua própria disciplina – não a disciplina da submissão, da repressão ou do ajustamento, mas a disciplina que não é produto do pensamento, que não tem motivo.

Seguramente que, num mundo confuso, com tanto conflito e miséria, é mais do que urgente entender que a liberdade é o primeiro requisito da mente humana - não o conforto nem o fugaz momento de prazer nem a continuidade desse prazer, mas uma liberdade total, que é a única origem da felicidade. A felicidade não é um fio em si mesma; como a virtude. É um subproduto da liberdade. Uma pessoa livre é virtuosa; mas o homem que pratica a virtude, submetendo-se a um padrão estabelecido pela sociedade, jamais saberá o que é liberdade e, por isso, jamais será virtuoso.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:11

Olá!

Consciência

Quando o homem está consciente de si próprio como entidade separada, continuamente busca o exterior para encontrar auxilio, para sua subsistência, para seu bem-estar; e desse modo cria ele desordem em lugar de ordem, e por causa dessa desordem surgem as superstições, as ilusões, as cerimônias.

Trata-se, portanto, da maneira, do processo mediante o qual cada um pode realizar essa realidade interior que assegura a tranqüilidade da vida, não a estagnação, não a paz que obscurece, que destrói, porém essa tranqüilidade que é a fonte da compreensão viva e eterna.

É somente por meio do esforço individual que a verdade pode ser realizada, não por meio de associações de qualquer espécie que sejam. Não podereis, por via de uma instituição, encontrar a verdade, pois a verdade habita em vós mesmos e as instituições não podem ajudar o indivíduo a encontrar a verdade. Não importam quais sejam elas. Todas tendem a tornarem-se cada vez mais formalistas e a verdade cada vez mais delas se distancia. Precisais buscar a verdade por vós mesmos, como indivíduos; visto que ela mora em vós, não no exterior. Quando o individuo se houver compreendido a si mesmo, viverá num ambiente de perfeita harmonia e não contribuirá para a desordem do mundo.

A partir do momento em que vós, como indivíduos, tende resolvido vosso problema particular, tenhais realizado a verdade por vós mesmos, não mais contribuireis para a crueldade, para as guerras, para a espantosa tirania e desgraça que imperam no mundo.

É importante que cada individuo compreenda, não os adornos superficiais da vida, mas como, pelo continuamente deixar de parte a consciência que cria a separação, se pode ele tornar apercebido dessa realidade interior que reside em todas as coisas.

Krishnamurti

Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:14

Olá!

Consciência

A mente religiosa, pois, não é escrava do tempo. Onde existe o tempo — ontem, com todas as suas lembranças, movendo-se através de hoje e criando, assim, o futuro e condicionando a mente — não existe aquela desordem criadora. A mente religiosa, portanto, é uma mente que não tem futuro, não tem passado, e tampouco não está vivendo no presente, compreendido como oposto de ontem e de amanhã, porquanto nesta mente religiosa não está contido o tempo. Não sei se estais entendendo.

A mente, pois, pode alcançar aquele estado religioso. Estou empregando a palavra “religioso” com um novo sentido, indicando algo não relacionado com as religiões do mundo, todas elas mortas, moribundas, decadentes. Assim, a mente religiosa é aquela que só pode “viver com a morte”, com a extraordinária e poderosa energia do amor. Não traduzais isto. Não façais perguntas sobre o “amar um” ou “amar todos”; isto é infantil. Só a mente religiosa pode voltar-se para dentro; e esse “voltar-se para dentro” não está em relação com o tempo e o espaço. É ilimitado, infinito, não pode ser medido por uma mente aprisionada no tempo. E só a mente religiosa resolverá os nossos problemas, porque ela não tem problemas. E só a mente que não tem problemas, uma mente realmente religiosa, pode resolver todos os problemas. Essa mente, por conseguinte, está em relação íntima com a sociedade; mas a sociedade não está em relação com ela.

Assim, no sentido da palavra “religioso”, é necessária uma revolução em cada um de nós — revolução total e não parcial. Toda reação é parcial; e a revolução a que nos referimos não é parcial e, sim, uma coisa total. E só essa mente pode ter intimidade com a Verdade. Só essa mente pode ter “amizade” com Deus — ou o nome que preferirdes. Só essa mente pode participar da Realidade.

Krishnamurti

Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 05 de Fevereiro de 2010, 01:17
....eu preciso da árvore como ela precisa de mim......tudo ligado e dependente.....por haver medo da liberdade do desconhecido e da solidão....é que você corre para os braços da nossa irmã natureza meu lindo,somente por não haver a tal cobrança depois por parte "dela" claro pois aí sim esta o verdadeiro medo,...(medo dessas caridades egoistas) ....e isso é liberdade?
....liberdade é amar a natureza,e quem ama a natureza verdadeiramente ama a si mesmo e ao próximo meu amigo.bjs fraternos em teu coração... :-*
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vbento em 05 de Fevereiro de 2010, 01:19
Eu revirencio o seu Deus, também!!!
Toda a palavra pautada em sofisma e embaraços nos proporciona debates e entendimentos falsos a respeito de pessoas e situações. Não quero de forma nenhuma interferir na sua liberdade de pensar, isso é contra a CARIDADE lembra, mas a partir do momento em que instituições e nomes são desrespeitados não tenho como me calar...Respeito seu livre pensar desde que vc não se sinta ofendido com esta manifestação sincera...
 Não sou Allan Kardec e sim procuro seguir os ensinamentos de Jesus através de Allan Kardec.

abraços
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: ram-wer em 05 de Fevereiro de 2010, 01:20
Alô, amiguinhos,

Por falar em Jiddu Krishnamurti, trago algo desse divino irmão sobre Caridade e Filantropia. Pesquei no sítio da ICK (Instituição Cultural Krishnamurti).


Pergunta: Que pensais da caridade e da filantropia social?

Krishnamurti: A filantropia social restitui à vítima um pouco daquilo que o filantropo violentamente lhe arrancou. Primeiro, vós a explorais, (…) amontoando grande riqueza (…), e depois voltai-vos com magnanimidade, e dais um pouco à pobre vítima.

Talvez não sejais astutos, hábeis, violentos o bastante para amontoar riquezas; (…) porém, espiritualista e idealisticamente amontoais aquilo que chamais conhecimento. A caridade é inconsciente de si própria; não há acúmulo prévio nem distribuição consecutiva. É semelhante a uma flor: natural, aberta, espontânea.
(Palestras no Brasil, pág. 60)

Pergunta: Desejo auxiliar e servir meus semelhantes. Qual a melhor maneira de fazê-lo?

Krishnamurti: A melhor maneira é começar por compreender-vos e modificar-vos. No desejo de auxiliar e servir a outrem, oculta-se o orgulho e a vaidade. Se tiverdes amor, auxiliareis. A ajuda clamorosa nasce da vaidade.

(…) Como podereis saber quais as necessidades de outrem, sem conhecer-vos? Se não compreenderdes a vós mesmos, não podereis compreender nem servir a outrem. Faltando-vos autoconhecimento, agireis com ignorância (…).
(Autoconhecimento, Correto Pensar, Felicidade, pág. 80)


Não é espírita, mas é o Espírito da Verdade.
(http://1.bp.blogspot.com/_Br_tbxZ3Rhs/SLVhrdk8hcI/AAAAAAAAARU/6Ps3-FWNt1k/s320/Krishnamurti.bmp)
Jiddu Krishnamurti
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vode em 05 de Fevereiro de 2010, 01:28
Para mim, o mais representativo da caridade, do que foi exposto é:

- tudo suporta, tudo crê, tudo espera, tudo sofre.

- é a negação absoluta do orgulho e do egoísmo.

-independe de toda crença particular.

- é paciente e benigna.

" E quando houver distribuído todos os meus bens para os pobres.... Se não tivesse caridade, tudo isso de nada me serviria".

A caridade deve ser exercitada em todos os momentos da nossa vida. Eu pratico a caridade quando escuto aquele irmão falar sem parar sobre os seus problemas; pratico a caridade quando entendo e não revido o momento de ira de outro ser humano; pratico a caridade quando me sento em silêncio e rogo a Deus a paz em nossos corações,....
Infelizmente, para a maioria das pessoas a caridade se resume às coisas materiais, mas a verdadeira caridade é a espiritual.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:31

Olá!

" Carl Jung - A Estrutura da Alma "

Como reflexo do mundo e do homem, a alma é de tal complexidade que pode ser observada e analisada a partir de um sem-número de ângulos.

Com a psique acontece justamente o mesmo que acontece com o mundo: porque uma sistemática do mundo está fora do alcance humano, temos de nos contentar com simples normas artesanais e aspectos de interesse particular.

Cada um elabora para si seu próprio segmento do mundo e com ele constrói seu sistema privado para seu próprio mundo, muitas vezes cercado de paredes estanques, de modo que, algum tempo depois, parece-lhe ter apreendido o sentido e a estrutura do mundo.

Ora, o finito não pode jamais apreender o infinito.

Embora o mundo dos fenômenos psíquicos seja apenas uma parte do mundo como um todo, é justamente por esta razão que parece mais fácil apreender uma parte do que o mundo inteiro.

Mas deste modo estar-se-ia esquecendo que a alma é o único fenômeno imediato deste mundo percebido por nós e por isto mesmo a condição indispensável de toda experiência em relação ao mundo.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:34

Olá!

" Aldous Huxley - Portas da percepção "

A virtude e a inteligência pertencem aos seres humanos como indivíduos livremente interligados com outros indivíduos em pequenos grupos.

O pecado e a imbecilidade também.

Mas a ausência subumana de espírito a que o demagogo dirige o seu apelo, a imbecilidade moral em que se apoia quando induz as suas vitimas à ação, são características não dos homens e das mulheres como indivíduos, mas dos homens e das mulheres em multidão.

A ausência de espírito e a estupidez moral não são atributos especificamente humanos; são sinais de envenenamento gregário.

Nas mais altas religiões de todo o mundo, a salvação e a iluminação são para os indivíduos.

O reino dos céus está no íntimo de uma pessoa, não dentro da demência coletiva de uma multidão.

Cristo prometeu estar presente onde dois ou três se encontrassem reunidos.

Nada disse sobre a sua presença onde milhares de pessoas se envenenam umas às outras com tóxico gregário.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:36

Olá!

Camille Flammarion - Deus Na Natureza

Essa força mental é a base mesma e a condição de toda a esperança legítima, e se é verdade que a esperança é o perfume da vida, o poder mental há-de ser a raiz dessa planta preciosa.

Ainda mesmo que as esperanças se desvaneçam e a criatura sucumba nos seus esforços, resta-lhe a satisfação de haver trabalhado para vencer e, sobretudo, que, longe de ser escrava da matéria, manteve-se fiel às regras por vezes árduas, que a honestidade impõe.

Haverá espetáculo mais belo e digno de elogios que o de um homem a lutar energicamente com a sorte, a demonstrar que lhe palpita no seio uma força imperecível, a triunfar pela grandeza de caráter e a prosseguir corajoso e resoluto, ainda “quando lhe fraquejam as pernas e sangram os pés”?


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:37

Olá!

Olá!

OSHO - Vida - Amor e Riso
SER LOUCO É SER SÃO

O mundo tem conhecido pessoas tão bonitas, tão loucas! Na verdade todas as grandes pessoas no mundo foram um pouco loucas – aos olhos da multidão. Suas loucuras tiveram expressão porque elas não eram miseráveis, elas não tinham medo da morte, elas não estavam preocupadas com o trivial.

Elas estavam vivendo cada momento com totalidade e intensidade e, por causa dessa totalidade suas vidas se tornaram uma linda flor –elas estavam cheias de fragrância, de amor, de vida e de riso. Mas isso certamente fere milhões de pessoas que estão ao seu redor. Elas não podem aceitar a idéia de que você tenha alcançado alguma coisa que elas perderam; elas tentarão de todas as maneiras torna-lo infeliz.

A condenação delas nada mais é do que o esforço em torna-lo infeliz, para destruir sua dança, tirar a sua alegria – de medo que você possa voltar ao rebanho. É preciso reunir coragem e, se as pessoas disserem que você é louco, divirta-se com a idéia. Diga a elas: “Você está certo, neste mundo somente pessoas loucas podem ser alegres e felizes.

Eu optei pela loucura juntamente com a alegria, com o êxtase, com a dança; você optou pela sanidade com a angústia, com o inferno – nossas opções são diferentes. Continue são e pareça miserável; deixe-me só na minha loucura. Não se sinta ofendido. Eu não estou me sentindo ofendido por todos vocês – tantas pessoas sãs, equilibradas no mundo e eu não estou me sentindo ofendido”.

É apenas uma questão de pouco tempo... Breve, uma vez que elas o tenham aceitado como louco, elas não o perturbarão mais; então você pode se revelar à plena luz com seu ser original – você pode abandonar todas as suas falsidades.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 05 de Fevereiro de 2010, 01:41
Já foi dito neste fórum que todas as religiões têm uma essência em comum.
Não importa se entramos em casa espírita ou em igrejas católicas ou qualquer outro templo que pregam a palavra de Deus. Se o local que frequentamos, ou ate mesmo o estudo dentro de nossa casa nos levam a evolução, é valido.
 A religião ou a filosofia que adotamos é a que nos reporta com mais clareza aos ensinamentos fazendo-nos evoluir. Nos templos ou em grupos de estudos podemos interagir com outros espíritos ajudando-nos na nossa evolução. Portanto a religiões são válidas sim. Todas elas sem exceção.
A linguagem pode ser diferente, mas o conteúdo  é praticamente o mesmo. Falo em religião e não em fanatismo religioso ou em fé cega.
A caridade o amor ao próximo é fator comum  em todas. Porque não podemos escolher a que tem  mais clareza para nossa compreensão?
Fui criada dentro do catolicismo e só compreendi a  palavra de Cristo quando  li Allan Kardec.
A partir daí comecei a frenquentar  Centros e aprendi muito, e estou longe de saber tudo ou de poder criticar esta ou aquela religião.
Tenho sede de saber cada vez mais, perguntar e ouvir cada vez mais, pois melhorei muito depois que parei de rezar texto decorado cegamente com medo de Deus me castigar se eu não o fizesse.
Não há mistério na Doutrina. Tudo é muito claro e fácil de ser compreendido. Nós é que somos ignorantes ainda, portanto humildemente agradeço a todos que estão participando deste fórum às belas mensagens e o respeito com que as colocações são feitas. Tudo tem sido de grande valia.
Boa noite a todos.
Hebe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:44

Olá!

Leon Denis o Grande Enigma

Não é sem razão que os fatos mais consideráveis da história religiosa se têm passado sobre os cimos. O Merom, o Gaya (27), o Sinai, o Nebo, o Tabor e o Calvário são os altares soberbos de onde sobe, em poderoso transporte, a prece dos iniciadores.
 
Nas almas de escol, a majestade dos grandes espetáculos desperta os sentidos íntimos, as faculdades psíquicas, e a comunhão com o Invisível se estabelece. Mas, em graus diversos, quase todos sentimos essa influência. Nesses momentos, o que há de artificial ou de vulgar, em nossa existência, desaparece para dar lugar a impressões sobre-humanas.

E qual clareira que se abre no meio de nossas trevas, através das densas fumaradas que nos escondem habitualmente o céu e asfixiam as mais belas inteligências. Em um instante percebemos o mundo superior, celeste, infinito. Então, as irradiações do pensamento divino descem, qual benéfico orvalho, à maravilhada Alma. Longe dos preconceitos e das rotinas sociais, a Alma se expande livremente; encontra o seu gênio peculiar: o "awen" dos druidas.

Suas seguras intuições lhe dizem que todos os sistemas são estéreis e que somente a grande mãe-natureza, o grande livro vivo, nos pode ensinar a verdade e a beleza perfeitas. Nas horas de recolhimento profundo, seja quando o Sol lança a prodigalidade de sua púrpura sobre a assembléia dos montes, seja quando a Lua derrama sua luz argêntea no meio do silêncio formidável, um diálogo solene se estabelece entre a Alma e Deus.

Esses grandes pousos da vida são indispensáveis para que nos retemperemos, nos reconheçamos, para que possamos ver o fim supremo e nos orientemos, em passo seguro, para esse fim. Então, à semelhança dos profetas, descemos dos cimos, engrandecidos, iluminados de uma claridade interior.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:48

Olá!

 - Pietro Ubaldi -

Falei com o coração ao homem de coração. Falarei agora à inteligência.

Tendes, ó homens, a liberdade de vossas ações, nunca a de suas conseqüências. Sois senhores de semear alegria ou dor em vosso caminho, e não o sois de alterar a ordem da vida. Podeis abusar, porém, se abusardes, a dor reprimirá o abuso. De cada um de vossos males, fostes vós mesmos que semeastes as causas.
O maior erro de vossos tempos é a ignorância da realidade moral, íntima orientação da personalidade, que é o fundamento da vida social.

O homem moderno se aproxima de seu semelhante para tomar-lhe alguma coisa, nunca para beneficiá-lo. A vossa civilização, que é econômica, está baseado no princípio "do ut des", que é a psicologia do egoísmo. É a força econômica sempre a reger o mundo. A psicologia coletiva não é senão a soma orgânica dessas psicologias individuais. A riqueza se acumula onde a força a atrai, e não onde a necessidade ou superiores exigências a reclamam; não constitui instrumento de uma vida de justiça e de bem, mas, sim, máquina de poder, representando, em si mesma, um objetivo. A lei de equilíbrio é constantemente violada e impões reações. Não dominais a riqueza, conduzindo-a a fins mais elevados: é a riqueza que vos domina.

Trabalhai, mas que o escopo do vosso trabalho não se reduza apenas a proveitos isolados e egoístas, e sim a frutificar no organismo social; somente então se formará aquela psicologia coletiva, que é a única base estável da sociedade humana.
Fazei o bem, todavia, lembrai-vos de que o pobre não deseja propriamente o supérfluo de vossas riquezas, mas que desçais até ele, que partilheis de sua dor e, até, que a tomeis para vós, em seu lugar.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 01:49

Olá!

A Imitação de Cristo - Tomás de Kempis
Da imitação de Cristo e desprezo de todas as vaidades do mundo

1. Quem me segue não anda nas trevas, diz o Senhor (Jo 8,12). São estas as palavras de Cristo, pelas quais somos advertidos que imitemos sua vida e seus costumes, se verdadeiramente queremos ser iluminados e livres de toda cegueira de coração. Seja, pois, o nosso principal empenho meditar sobre a vida de Jesus Cristo.

2. A doutrina de Cristo é mais excelente que a de todos os santos, e quem tiver seu espírito encontrará nela um maná escondido. Sucede, porém, que muitos, embora ouçam frequentemente o Evangelho, sentem nele pouco enlevo: é que não possuem o espírito de Cristo. Quem quiser compreender e saborear plenamente as palavras de Cristo é-lhe preciso que procure conformar à dele toda a sua vida.

3. Que te aproveita discutires sabiamente sobre a SS. Trindade, se não és humilde, desagradando, assim, a essa mesma Trindade? Na verdade, não são palavras elevadas que fazem o homem justo; mas é a vida virtuosa que o torna agradável a Deus. Prefiro sentir a contrição dentro de minha alma, a saber defini-la. Se soubesses de cor toda a Bíblia e as sentenças de todos os filósofos, de que te serviria tudo isso sem a caridade e a graça de Deus? Vaidade das vaidades, e tudo é vaidade (Ecle 1,2), senão amar a Deus e só a ele servir. A suprema sabedoria é esta: pelo desprezo do mundo tender ao reino dos céus.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mecame em 05 de Fevereiro de 2010, 01:56
Enquanto as palavras existirem, existirão muitos faladores. Mas, o que importa não é o conhecimento alheio que cospem, mas sim a essencia que deixa escapara daquilo que pensa. Por isso sou muito mais o ato, a ação, o gesto do que a palavra. A palavra deve acompanhar a ação e vice- versa. Cada um conforme-se com a sua própria consciencia. Mas, que procurem trabalhar a humildade do aprender no ambito coletivo. A paz de Cristo
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: S em 05 de Fevereiro de 2010, 02:33
Sabem, acredito que a opinião do amigo Namasté pode parecer estranha e perturbadora, mas eu a entendo e concordo. Quando se criam associações cria-se juntamente um padrão comum de pensamento e isso leva para longe da verdade, pois a verdade é diferente para cada pessoa e os meios de alcançá-la também.

Sérgio
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mecame em 05 de Fevereiro de 2010, 02:54
Namaté é um agradecimento que significa mais ou menos: "Sou o seu humilde servo", muito utilizada no oriente como um cumprimento inicial ou final. Por isso o irmão escreve no final de suas postagens Namasté. ( não é o nome e nem o apelido do irmão? ) Só para exlarecer. A paz de Cristo
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vode em 05 de Fevereiro de 2010, 02:56
Olá,

"Muito ajuda quem não atrapalha".

A caridade, em nível físico, pressupõe ajuda. Mas, a caridade é serviço, é do nível espiritual. Nós temos a tendência de querer ajudar sem saber se será benéfico para o indivíduo ou se vai atrapalhá-lo no seu desenvolvimento espiritual.
Nós só podemos servir se estivermos conectados com nossa alma (Eu Superior) porque é ela que sabe o que a outra alma precisa e nos intuirá no que deverá ser feito.
Todos nós que estamos encarnados no planeta Terra temos nossos "maus pedaços" a passar e se eu quero praticar a caridade ajudando vou, com certeza, interferir nos passos do outro.
A caridade é serviço, não é ajuda. Como diz Paulo: Posso distribuir minha riqueza (ajuda), mas se não tiver caridade (serviço) de nada servirá.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vode em 05 de Fevereiro de 2010, 03:05
Oi Mecame,

Namastê é uma palavra (em sânscrito) que significa "O Deus que habita dentro de mim saúda o que vive em você".

Abraços
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: macili em 05 de Fevereiro de 2010, 03:32
Gostei dessa frase: A caridade é semelhante a uma flor: natural, aberta, espontânea.
Porque ela vem naturalmente de dentro do ser, da sua alma, pela vontade do espírito, que se sente muito bem em poder servir a todo o próximo que está ao seu lado e sendo praticada com pureza de coração, com amor, sua energia positiva é aberta e muito bem absorvida por todos aqueles que a necessitam.
 :-*
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Luluz em 05 de Fevereiro de 2010, 04:38
A caridade é pura e simplesmente a maior demonstração de amor, para não dizer o próprio amor. Pequenos gestos de companherismo, uma oração em benefício de um irmão, um olhar meigo e aconchegante na hora difícil, uma palavra de conforto num momento turbulento, tudo abrange esta forma de amor. Nos pormos no lugar do nosso irmão, nos dá uma idéia de como gostaríamos de ser ajudados e compreendidos , podendo ver nascer dentro de nós, de forma espontânea e natural, este sentimento tão sublime, que depois de transformado em ato, nos enche de paz e contentamento interior, fazendo-nos sentir tocados pelo amor de Deus.  ;)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Jay em 05 de Fevereiro de 2010, 05:42
"Todas as vossas coisas sejam feitas com caridade." - Paulo. (I Coríntios,16:14.)

Ainda existe muita gente que não entende outra caridade, além daquela que se veste de trajes humildes aos sábados ou domingos para repartir algum pão com os defavorecidos da sorte, que aguarda calamidades públicas para manifestar-se ou que lança apelos comovedores nos cartazes da imprensa.
 Não podemos discutir as intenções louváveis desse ou daquele grupo de pessoas;contudo, cabe-nos reconhecer que o dom sublime é de sublime extensão.
 Paulo indica que a caridade, expressando amor cristão, deve abranger todas as manifestações da nossa vida.
 Estender a mão e distribuir reconforto é iniciar a execução da virtude excelsa. Todas as potências do espírito, no entanto, devem ajustar-se ao preceito divino, porque há caridade em falar e ouvir, impedir e favorecer, esquecer e recordar.
 Tempo virá em que a boca,os ouvidos e os pés serão aliados das mãos fraternas nos serviços do bem supremo.
 Cada pessoa, como cada coisa, necessita da contribuição da bondade, de modo particular.
Homens que dirigem ou que obedecem reclamam-lhe o concurso santo, a fim de que sejam esclarecidos no departamento da Casa de Deus, em que se encontram. Sem amor sublimado, haverá sempre obscuridade, gerando complicações.
 Desempenha tuas mínimas tarefas com caridade, desde agora. Se não encontras retribuição espiritual, no domínio do entendimento, em sentido imediato, sabes que o Pai acompanha todos os filhos devotadamente.
 Há pedras e espinheiros? Fixa-te em Jesus e passa.

                                                                               Emmanuel
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Jay em 05 de Fevereiro de 2010, 06:09
Caridade irmãos!

Uma das mais belas e eficientes ferramentas para o caminho da evolução.
 Não podemos pois encontrar a felicidade sem a prática desta, uma vida sem um olhar ao próximo, sem gestos de afecto, sem o estender a mão, torna-se uma vida sem sentindo, sem luz ao fim do túnel. Quantos meus amigos, nesta vida, possuem tantos bens terrenos, riquezas inúmeras, e ainda assim dão fim a sua jornada na Terra por se acharem infelizes. Ninguém consegue a verdadeira felicidade encerrado no orgulho e no egoísmo, mesmo com a glória terrena aos seus pés nada serão sem o amor que se recebe no ato de amar o próximo, sem as irradiações de carinho que se absorve ao amparar um irmão sofrido, sem a alegria de saber que você fez alguém feliz pelo simples ato de lhe dar um alegre Bom Dia, cheio  de vida e contentamento!
 Caridade está em todos os atos meus irmãos, de um simples toque à um gesto extremo de amor.

Abraços! :-*
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 09:22

Olá!

Vê, amiga, o quão rápido alterou, com a sua interpretação, o sentido da mensagem que eu enviei. Isso é o que se faz à doutrina dos espiritos e é o que têm feito em toda a história aos evangelhos.

Isso é o que chamam de caridade...? Isso é o que tira a liberdade.

Eu não tenho medos, sou realista e pragmático. Gosto da liberdade sem falsas interpretações. Não preciso de pieguices.
_____________________________________________________________________

   
Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
« Responder #256 em: Hoje às 01:17 »
Cleusa Carminatti

" ....eu preciso da árvore como ela precisa de mim......tudo ligado e dependente.....por haver medo da liberdade do desconhecido e da solidão....é que você corre para os braços da nossa irmã natureza meu lindo,somente por não haver a tal cobrança depois por parte "dela" claro pois aí sim esta o verdadeiro medo,...(medo dessas caridades egoistas) ....e isso é liberdade?
....liberdade é amar a natureza,e quem ama a natureza verdadeiramente ama a si mesmo e ao próximo meu amigo.bjs fraternos em teu coração... :-* "
_____________________________________________________________________

A natureza não é egoista...Os egos é que são.

Está aqui a minha mensagem:
http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/o-que-e-a-caridade/msg85092/#msg85092 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/o-que-e-a-caridade/msg85092/#msg85092)

Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: lucidio em 05 de Fevereiro de 2010, 10:05
Bom dia,

A caridade está bem definida na Carta de Paulo como agape = amor doação, virtude ativa por excelência.
Concordo que pensar o bem, desejar o bem e orar são também agir.

Ao mesmo tempo, agir no bem sem motivação real nessas disposições íntimas é caridade oca, mera aparência.

Oportuno lembrar, quando tantos (des+)entendem o Espiritismo como negação de si mesmos e fazem elogio do sofrer, um dito popular:
_ A caridade começa em casa!

Não é possível amar o próximo sem amar-se a si próprio. Um pouco de auto-indulgência e de auto-aceitação são fundamentais.
Não é preciso anular-se para ser caridoso com os demais, até porque com eles formamos um todo, a família universal.

Saudações,

Lucídio
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Maria Xavier em 05 de Fevereiro de 2010, 11:14
Bom dia...
A caridade abrange varios temas ,pois ela é extença,ela  é as chaves dos céus,chaves que temos em nossas maõs...A caridade é a virtude fundamental sobre há de repousar todo o edificio das virtudes terrenas.Gente! sem a caridade ñ há como esperarmos melhor sorte,ñ há interesse moral q nos guie;sem a caridade ñ há fé,pq a fé ñ  é mais do que pura luminosidade que torna brilhante uma alma caridosa.
A caridade é a eterna âncora de salvação;é a mais pura emanação do proprio criador...
 paz e luz
Eu sou uma aprendiz ,mas é onde encontro resposta para tudo...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Vbento em 05 de Fevereiro de 2010, 11:31
Psi , parabéns pelas sábias palavras. o que realmente importa nãó é sermos desta ou daquela religião e sim praticar a caridade para termos a paz tão almejada e a conciência tranquila...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Bernardo Geraldes em 05 de Fevereiro de 2010, 11:43
Amigos,


Caridade sem amor não tem valor, será?
O inicio... não esta no exercício?
 "Caridosos" até  atingirmos este estagio se passaram ou passarão muitas encarnações...
De tanto praticar não podemos despertar coisas boas em nós?
Estimular a pratica do bem não importa a quem é uma forma de caridade.
Todos nós precisamos de motivação, minha proposta é: vamos  motivar através de exemplos: este comportamento que nomeie de "ETIQUETA DO BEM" boas conduta em todos os instantes:  dar passagem, auxiliar um vizinho, nos amar profundamente,e expor  este sentimento aos que cruzam nosso caminho, influenciando sempre com pensamentos positivos, um grande beijo e um fraterno abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cl em 05 de Fevereiro de 2010, 12:00
Estou inscrita no forum mas nunca participei efetivamente.Agradeço a caridade dos bonsEspiritos, que nao desistiram de me intuir na busca do estudo.
Todas as fomas de caridade tem relevancia ja que faz com que o homem divida aquelo que tem com o irmao.Bens materiais, conhecimeto que o ajude a evoluir esprituamente e materiamente. a caridade da prece quando nos deparamos com irmãos em dores tao profunda que ja nao coseguem nem mesmo fazer uma prece.
A caridade de ouvir sem criticas, sem querer que o outro mude segundo a nossa opinião.Que bom seria se soubecemos praticar a caridade em todos os sentidos!
Certamente estarimos bem mais evoluidos.Mas Jesus veio ensinar para nos mostrar o caminho caminho e os bons Espiritos estao ai a nos ajudar a percorre-lo.Sejamos caridos conosco mesmo e mãos a obra. ???
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 05 de Fevereiro de 2010, 12:20
Lembro a todos uma frase de Chico Xavier muito sábia. " Se tivessem me falado que o único caminho para chegar a Deus era o espiritismo eu jamais me denominaria espírita."
Sem dúvida Cristo é um grande espírito de luz que seguimos como  exemplo até hoje pautando nossas vidas em seus ensinamentos. Mas não podemos esquecer de outros que estiveram na crosta e que tem tanto valor quanto. BUDA, MAOMÉ,..
O homem ás vezes interpreta mal ou deturpa os ensinamentos em proveito próprio. Já afirmei antes e continuo dizendo, seguimos aquilo que nos é mais familiar, a forma que consideramos mais esclarecedora até chegar a Deus, não podemos negar a influencia positiva de outros profetas que estiveram na Crosta e que foram tão importantes para humanidade quanto Cristo. Todos foram espíritos muito iluminados.
A diferença é o que os seus ditos seguidores fazem com o que eles ensinaram e em nome deles.
Sigo Cristo mas discordo da afirmativa de que "A doutrina de Cristo é mais excelente que a de todos os santos".
A denominação Santo já me assusta. Prefiro espíritos de luz, evoluidíssimos com um conhecimento acima e nós, que vieram para nos guiar e nos mostrar que podemos chegar um dia a alcançar todo os seus conhecimentos  e evolução .  É para isso que estamos aqui, para melhorar, para seguir adiante, senão não tem sentido nem este estudo.
Não gosto de fanatismo e não vou me cegar em achar que só em Cristo encontro a verdade da vida.
Meu Deus, vamos ler um pouquinho as verdades ditas por outros profetas. O quanto tem de bom no Alcorão, o quanto são preciosos os ensinamentos de BUDA e assim por diante.
Saudações
Hebe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 12:44
Lembro a todos uma frase de Chico Xavier muito sábia. " Se tivessem me falado que o único caminho para chegar a Deus era o espiritismo eu jamais me denominaria espírita."
Sem dúvida Cristo é um grande espírito de luz que seguimos como  exemplo até hoje pautando nossas vidas em seus ensinamentos. Mas não podemos esquecer de outros que estiveram na crosta e que tem tanto valor quanto. BUDA, MAOMÉ,..
O homem ás vezes interpreta mal ou deturpa os ensinamentos em proveito próprio. Já afirmei antes e continuo dizendo, seguimos aquilo que nos é mais familiar, a forma que consideramos mais esclarecedora até chegar a Deus, não podemos negar a influencia positiva de outros profetas que estiveram na Crosta e que foram tão importantes para humanidade quanto Cristo. Todos foram espíritos muito iluminados.
A diferença é o que os seus ditos seguidores fazem com o que eles ensinaram e em nome deles.
Sigo Cristo mas discordo da afirmativa de que "A doutrina de Cristo é mais excelente que a de todos os santos".
A denominação Santo já me assusta. Prefiro espíritos de luz, evoluidíssimos com um conhecimento acima e nós, que vieram para nos guiar e nos mostrar que podemos chegar um dia a alcançar todo os seus conhecimentos  e evolução .  É para isso que estamos aqui, para melhorar, para seguir adiante, senão não tem sentido nem este estudo.
Não gosto de fanatismo e não vou me cegar em achar que só em Cristo encontro a verdade da vida.
Meu Deus, vamos ler um pouquinho as verdades ditas por outros profetas. O quanto tem de bom no Alcorão, o quanto são preciosos os ensinamentos de BUDA e assim por diante.
Saudações
Hebe

Eu também gosto de pensamento livre amigo, mas repare que há por aí uns espiritas católicões, fanáticos, que são adesivos, não largam, e gostam de perseguições e de puxar as orelhas.  ::)

Mas a verdadeira caridade não teme a caridade dos espiritas humanizados e cheios de paixões. É livre.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 05 de Fevereiro de 2010, 12:49
Amados do meu coração,
Companheiros desse estudo,
Acautelai-vos, quem põe mão à charrua, no campo da Caridade, encontra sempre forte oposição, mantenham-se firmes em pensamento e em oração, não se deixem levar por aparências, antes, porém testem em seu íntimo, sem nescessáriamente exteriorizar se tudo que lêm vem de Deus...
Lhes deixo pequeno guia à guisa de sugestão para reforço de seu pensar...

Isaías
Capítulo 11
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
6   O lobo habitará com o cordeiro, e o leopardo se deitará junto ao cabrito; o bezerro, o leão novo e o animal cevado andarão juntos, e um pequenino os guiará.
Isaías
Capítulo 65
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
25   O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o SENHOR.
Jeremias
Capítulo 5
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
6   Por isso, um leão do bosque os matará, um lobo dos desertos os assolará, um leopardo estará à espreita das suas cidades; qualquer que sair delas será despedaçado; porque as suas transgressões se multiplicaram, multiplicaram-se as suas perfídias.
Ezequiel
Capítulo 22
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
27   Os seus príncipes no meio dela são como lobos que arrebatam a presa para derramarem o sangue, para destruírem as almas e ganharem lucro desonesto.
Habacuque
Capítulo 1
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
8   Os seus cavalos são mais ligeiros do que os leopardos, mais ferozes do que os lobos ao anoitecer são os seus cavaleiros que se espalham por toda parte; sim, os seus cavaleiros chegam de longe, voam como águia que se precipita a devorar.
Sofonias
Capítulo 3
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
3   Os seus príncipes são leões rugidores no meio dela, os seus juízes são lobos do cair da noite, que não deixam os ossos para serem roídos no dia seguinte.
Mateus
Capítulo 7
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
15   Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores.
Mateus
Capítulo 10
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
16   Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas.
Lucas
Capítulo 10
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
3   Ide! Eis que eu vos envio como cordeiros para o meio de lobos.
João
Capítulo 10
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
12   O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então, o lobo as arrebata e dispersa.
Atos
Capítulo 20
Versão João F. Almeida Revista e Atualizada
29   Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes.
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: marisa alves em 05 de Fevereiro de 2010, 13:11
Que assunto "forte" para analisarmos: sempre pergunto-me se realmente consigo praticar a caridade, tão reforçado na Moral do CRISTO. Ele foi o iniciador da moral mais pura e mais sublime: a moral evangelico-cristão que deve renovar o mundo. Aproximar os homens e torná-los irmãos; que deve fazer jorra de todos os corações humanos a caridade e o amor ao proximo. Pois toda a moral do Cristo se resume na Caridade e na humildade, duas virtudes totalmente contrarias ao egoismo e o orgulho. Jesus não fez da caridade uma das condições de salvação,mas a única. Se coloca a caridade no primeiro plano das virtudes, é porque ela encerra, todas as outras: humildade, a doçura, a benevolencia....etc. É porque ela, é a negação absoluta do orgulho e do egoismo.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 05 de Fevereiro de 2010, 13:27
Dim Dim,
Assim com  existem católicos não fanáticos e usam a religião como forma de expressão e caridade , assim como existem espiritas seríssimos que seguem a doutrina de forma serena e correta sem fanatismos e sem afirmações do tipo só o espiritismo é válido.
Não gosto de rótulo e nem muito menos de falta de respeito sobre a crença do outro. Somos inteligentes o suficiente para extrairmos o que tem de bom em qualquer religião. Acredito que por isso Deus deu ao homem o livre arbitrio, a capacidade de raciocinar, sentir, criar e experimentar para  sua evolução.
Agredir, rotular, dizer o que é certo ou errado em termos religiosos é absurdo.
A finalidade não é essa, se for, bateremos palmas para as guerras Santas, terra prometida, raça pura, homem bomba, inquisição e mais uma série de deturpações e atrocidades  que assistimos ao longo da história praticadas pelo homem até hoje para garantir poder e dinheiro.
Namasté, Shalom, que Deus o abençoe,
Hebe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Luzinha em 05 de Fevereiro de 2010, 13:37
Caridade é tão grande, abrange tanto que nem se consegur definir bem o quão grande ela é. Mas para quem interioriza já o conceito de Amor a Caridade é o Amor na sua prática e são infinitas as formas de pôr esse Amor em acção. O Amor na sua forma mais pura não pensa é um impulso, é um gesto que ja´é natural em nós e esse é o caminho, quando se dá sem pensar, quando nos esquecemo-nos de nós para apenas ver os outros irmãos de caminhada. Foi assim que me encontrei. Perguntar-me-iam se pelo facto de me esquecer de mim para me dar aos outros nao seria tambem uma falta de caridade para comigo? Pois eu responderia que o que se recebe é muito mais do que se dá e assim o que recebo é muito maior do que caridade que distribuo pois o que recebo é uma felicidade, amor e paz, todos estes sentimentos que preenchem toda a minha alma....
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 13:49

Olá!

hemcogliatti

Compreendo e respeito tudo isso, mas não podemos esquecer que isto é um fórum espirita com os principios da doutrina dos espiritos.

É Allan Kardec quem melhor nos alerta para a liberdade do espiritismo.
_____________________________________________________________________

" Allan Kardec "

O Espiritismo é uma doutrina filosófica que tem conseqüências religiosas, como toda doutrina espiritualista; por isso mesmo toca forçosamente às bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma e a vida futura; mas não é, uma religião constituída, tendo em vista que não tem nem culto, nem rito, nem templo, e que, entre os seus adeptos, nenhum tomou ou recebeu o título de sacerdote ou de sumo-sacerdote. Essas qualificações são pura invenção da crítica.

O Espiritismo proclama a liberdade de consciência como um direito natural: reclama-a para os seus, como para todo o mundo. Respeita todas as convicções sinceras, e pede para si a reciprocidade.

Toda a gente admira a moral evangélica; todos lhe proclamam a sublimidade e a necessidade; muitos, porém, assim se pronunciam por fé, confiados no que ouviram dizer, ou firmados em certas máximas que se tornaram proverbiais. Poucos, no entanto, a conhecem a fundo e menos ainda são os que a compreendem e lhe sabem deduzir as conseqüências.

A raça humana é constituída tanto de Espíritos bons quanto de maus, que estão encarnados neste planeta, e como a Terra é um dos mundos menos avançados, nela se encontram mais Espíritos maus do que bons; por isso há tanta perversidade aqui.


Para se assegurar da unidade no futuro, uma condição é indispensável, é que todas as partes do conjunto da Doutrina sejam determinadas com precisão e clareza, sem nada deixar no vago; para isso fizemos de modo que os nossos escritos não possam dar lugar a nenhuma interpretação contraditória, e trataremos que isso seja sempre assim. Quando se tiver dito, com firmeza e sem ambigüidade, que dois e dois são quatro, ninguém poderá pretender que se quis dizer que dois e dois fazem cinco. Poderão, pois, se formar, ao lado da Doutrina, seitas que não lhe adotem os princípios, ou todos os princípios, mas não na Doutrina pela interpretação do texto, como se formaram tão numerosas sobre o sentido das próprias palavras do Evangelho. Aí está um primeiro ponto de uma importância capital.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Elyani em 05 de Fevereiro de 2010, 14:42
Boa tarde!

Entendo a caridade como o dom de servir trabalhando pela evolução do mundo, todos nós podemos fazer a caridade, amando e respeitando o ar a água, os animais, os seres humanos. Habituarmo-nos a olhar todas as coisas e ver a possibilidade e plantar o amor é o sentimento de caridade, mas precisamos exercitar os olhos para olhar e ver a criação de Deus.

Pergunta 886 Livro dos Espíritos
Qual é o verdadeiro sentido da palavra caridadade, como a entende Jesus?
-Benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições alheias, perdão das ofensas.


Abraços!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 05 de Fevereiro de 2010, 14:46
Dim Dim
Acho que voce não me compreendeu ou eu não o entendi.
Sou adepta ao espiritismo, sou cristã por escolha e não só por ter sido criada dentro do cristianismo.
Procuro estudar e  seguir o envangelho na minha vida em todos os momentos, em casa, no trabalho, nas minha relações de amizade, porque  foi com os   livros de Kardec que me identifiquei.
Não foi no catolicismo que fui criada e nem no protestantismos que são religiões Cristãs , porem não penso que só existe este caminho e nem condeno quem segue outro. É simples assim...
Vou ao Centro sempre que posso, faço o culto em casa assim como o mulçumano vai no seu templo, o judeu na sinagoga, não sou melhor do que eles porque adotei o Cristianismo ou porque sou espirita. Todos são filhos de Deus, todos podem ter comportamento edificante ou pessimo por livre escolha independente da religião que sigam.
Em todas as religiões o amor ao proximo, a caridade, o respeito a Deus é enaltecido.
Este é o fundamento de Cristo  
Um abraço
Hebe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 05 de Fevereiro de 2010, 14:47
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
   
   Quem vos fala é nossa querida Joanna de Ângelis, espírito de alta magnitude, e por muitas vezes, principal mentora do nosso bondoso médium Divaldo P. Franco. Espero que este companheiro, mereça o crédito dos "incrédulos", e que, todos aproveitem!

   Allan Kardec, o grande responsável pela codificação do Espiritismo, perguntou aos Sábios do espaço onde estão escritas as leis de Deus. E eles responderam: na consciência.
   Dessa forma, todos os seres humanos trazem consigo, esculpidas na própria consciência, as leis divinas.
   Todavia, embora estejam escritas, nem todos conseguem ler e interpretar essas leis e praticá-las. Para isso é necessário o desenvolvimento do senso moral.
   Essa conquista é fruto do esforço pessoal, do estudo, da meditação, dos pensamentos nobres.
   O despertar da consciência é efeito natural do processo evolutivo, e essa conquista permitirá ao ser avaliar fatores profundos como o bem e o mal, o certo e o errado, o dever e a irresponsabilidade, a honra e a desonra, o nobre e o vulgar, o lícito e o irregular, a liberdade e a libertinagem.
   Essa consciência não é de natureza intelectual, atividade dos mecanismos cerebrais. É força que os impulsiona, porque nascida nas experiências evolutivas, a exteriorizar- se em forma de ações.

   Encontramo-la em pessoas incultas intelectualmente, e ausente em outras, portadoras de conhecimentos acadêmicos.
   Especialistas em problemas respiratórios, por exemplo, que conhecem os danos provocados pelo tabagismo, pelo alcoolismo e por outras drogas, e que, apesar disso, usam, eles próprios, qualquer um desses flagelos, demonstram que ainda não desenvolveram a consciência plena.
   Os seus dados culturais são frágeis de tal forma, que não dispõem de valor para manter uma conduta saudável.
   Por outro lado, há indivíduos que não têm conhecimento intelectual mas possuem lucidez para agir diante dos desafios da existência, elegendo um comportamento não agressivo e digno, mesmo que a custa de sacrifícios.
   A consciência pode ser treinada mediante o exercício dos valores morais elevados, que objetivam o bem do próximo e, por conseqüência, o próprio bem.
   Caso deseje iluminar sua consciência, eis algumas breves regras que vão ajudar você a alcançar esse propósito:
   Administre os seus conflitos. O conflito psicológico é inerente à natureza humana e todos o sofrem.
   Evite eleger homens-modelo para seguir. Eles também são falíveis e, às vezes, se comprometem, o que, de maneira alguma deve constituir desestímulo.
   Permita- se maior dose de confiança nos seus valores, esforçando- se para melhorar sempre e sem desânimo. Se errar, repita a ação, se acertar, siga adiante.
   Não fuja ao enfrentamento de problemas usando desculpas falsas, comprometedoras, que o surpreenderão mais tarde com dependências infelizes.
   Reaja à depressão, trabalhando sem auto-piedade nem acomodação preguiçosa.
   Tenha em mente que os seus não são os piores problemas. Eles pesam o volume que você lhes dá.
   Liberte- se da queixa pessimista e medite mais nas fórmulas para perseverar e produzir.
   Nunca ceda espaço à hora vazia, que se preenche de tédio, mal- estar ou perturbação.
   Lembre-se que você é humano e o processo de conscientização é lento. Você adquirirá segurança e lucidez através da ação contínua e firme.
   Pense nisso!
   A existência terrena é toda uma oportunidade para enriquecimento contínuo.
   Cada instante é ensejo de nova ação propiciadora de crescimento, de conhecimento, de conquista.
   Saber utilizá-la é desafio para a criatura que aspira por novas realizações.
   Pense nisso, mas pense agora!


   Muita Paz.

   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Antonio Marcio em 05 de Fevereiro de 2010, 14:54
Como o amigo afirma com tanta veemencia que existem espiritos Bons e espiritos maus ?... bom pelo que eu entendo na bíblia, existe apenas um Espírito Bom.. e esse é o Espírito de Deus, chamado também de Espírito Santo (Ele é único e não vários).. os demais espíritos foram afastados de Deus devido a queda do homem... e que só quem crer em Jesus, é que é justificado... os demais espíritos que são consultados são demônios que se dizem de espíritos bons, e realmente, eles imitam até mesmo a letra dos que já morreram, fatos e acontecimentos, timbre da voz.. tudo isso para enganar os irmaos... caso queiram que eu prove isso... é só me enviar um e-mail para marciocosta2002@hotmail.com que explicarei com detalhes aos irmãos.. quanto a caridade.. bem.. chamo de obras acompanhado de amor para com o próximo.. e que devemos sim praticar como Jesus ensinou.. mas não esquecendo que as obras são mortas sem a fé em Jesus Cristo e vice-versa.

Apenas para adiantar o assunto da consulta aos espíritos (mais detalhes, responderei pelo e-mail que citei acima):

Durante milhares de anos, e em várias partes do mundo, algumas pessoas têm buscado revelações especiais, tentando contatar os mortos. Há alguns que crêem firmemente que os mortos retornam para avisá-los de perigos, ou para guiá-los em suas vidas e decisões, ou para assombrá-los e ameaçá-los. Muitas pessoas procuram médiuns que alegam facilitar seu contato com os mortos.

Todos os esforços para comunicar com os mortos, sejam diretamente ou através de médiuns, são contra a vontade de Deus e resultarão em condenação. A necromancia, ou comunicação com os mortos, foi explicitamente proibida juntamente com várias outras falsas práticas religiosas, quando os israelitas foram resgatados da escravidão egípcia (Deuteronômio 18:9-14). Tais práticas foram a razão pela qual Deus rejeitou as nações que tinham ocupado a terra de Canaã. Ele advertiu seu povo a não imitar esses pecados, porque eles sofreriam a mesma punição de expulsão da terra.

O contexto desta proibição em Deuteronômio 18 ajuda a ver por que a necromancia é abominável a Deus. Depois de uma lista de várias fontes de revelação desaprovadas (18:9-14), encontramos o contraste claro com a fonte aprovada, a Palavra de Deus (18:15). Esta passagem aponta explicitamente para Jesus Cristo, o profeta que seria levantado por Deus. Entender este princípio nos ajuda a ver porque todas as formas de idolatria, advinhação, astrologia, feitiçaria e necromancia são erradas. Procurar revelação de tais fontes é rejeitar a autoridade do Filho de Deus.

Muitas pessoas citam o exemplo do Rei Saul (1 Samuel 28) para justificar a necromancia. Um estudo deste capítulo e da história subseqüente (no fim do livro) mostra que Saul desobedeceu frontalmente a lei de Deus. A revelação que lhe foi feita não o ajudou a ter melhor sorte, mas mostrou-lhe que ele morreria no dia seguinte, devido aos seus pecados contra Deus.

O Novo Testamento condena explicitamente a idolatria (Romanos 1:22-23; 2 Coríntios 6:14 - 7:1) e a feitiçaria (Gálatas 5:20). Jesus é a fonte de revelação de Deus ao homem de hoje (Hebreus 1:1-2). Ele está acima de todos e merece plena honra (Colossenses 1:13-18). É errado buscar orientação espiritual de outras fontes (Colossenses 2:8-9,20-23; 3:1-3).


Olá!

Caridade é o que Deus tem para com os seus filhos humanos. Os seus filhos humanos, egoistas, não sabem o que é a caridade.


" Allan Kardec "

Toda a gente admira a moral evangélica; todos lhe proclamam a sublimidade e a necessidade; muitos, porém, assim se pronunciam por fé, confiados no que ouviram dizer, ou firmados em certas máximas que se tornaram proverbiais. Poucos, no entanto, a conhecem a fundo e menos ainda são os que a compreendem e lhe sabem deduzir as conseqüências.

A raça humana é constituída tanto de Espíritos bons quanto de maus, que estão encarnados neste planeta, e como a Terra é um dos mundos menos avançados, nela se encontram mais Espíritos maus do que bons; por isso há tanta perversidade aqui.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 05 de Fevereiro de 2010, 14:56
Dim Dim
Acho que voce não me compreendeu ou eu não o entendi.
Sou adepta ao espiritismo, sou cristã por escolha e não só por ter sido criada dentro do cristianismo.
Procuro estudar e  seguir o envangelho na minha vida em todos os momentos, em casa, no trabalho, nas minha relações de amizade, porque  foi com os   livros de Kardec que me identifiquei.
Não foi no catolicismo que fui criada e nem no protestantismos que são religiões Cristãs , porem não penso que só existe este caminho e nem condeno quem segue outro. É simples assim...
Vou ao Centro sempre que posso, faço o culto em casa assim como o mulçumano vai no seu templo, o judeu na sinagoga, não sou melhor do que eles porque adotei o Cristianismo ou porque sou espirita. Todos são filhos de Deus, todos podem ter comportamento edificante ou pessimo por livre escolha independente da religião que sigam.
Em todas as religiões o amor ao proximo, a caridade, o respeito a Deus é enaltecido.
Este é o fundamento de Cristo   
Um abraço
Hebe

   Sábias e ponderadas palavras companheira Hebe.
   Estes também são meus princípios.
   Muita Paz.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 05 de Fevereiro de 2010, 15:00
Irmão Hauch
Muito obrigada pela mensagem. Já tenho conhecimento do texto que você citou.
É só isso mesmo que importa.
Um abraço
Hebe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 05 de Fevereiro de 2010, 15:12
Estimados amigos:

Concordando, na generalidade, com as mensagens que li nesta secção, quero deixar aqui uma outra faceta do assunto: a verbalização dos conceitos espíritas para não-espíritas.

A palavra "caridade", como muitas outras relativas ao nosso foro mais íntimo e religioso, tem uma área semântica muito alargada, não significando o mesmo para cada pessoa.

A mim preocupa-me, por um lado, o vocabulário rigoroso que devemos usar no contexto socio-cultural espírita, mas ainda me preocupa mais a forma como nós, espíritas, verbalizamos a mensagem espírita para aqueles que desconhecem a nossa doutrina. Por isso, por um lado, devemos usar a terminologia espírita mas, por outro lado, devemos tentar perceber se quem nos ouve entendeu o que dissemos. A mesma palavra não ecoa do mesmo modo no cérebro de cada pessoa.

Suponho que, para a maioria dos portugueses, caridade é assim como que um favorzinho que se faz ao pobrezinho quando este mais precisa. Então, se estivermos a esclarecer alguém sobre a importância fulcral da caridade no relacionamento humano, devemos ter cuidado com a utilização da palavra. Na primeira oportunidade, devemos explicar de forma simples ao nosso interlocutor, que "caridade é amor em acção". Quando se explicam as coisas a partir de frases simples que encerram um grande conteúdo, as pessoas entendem, e podemos usar essas expressões sem risco de sermos mal compreendidos.

Não sei onde é que li ou ouvi essa definição de caridade: amor em acção. Deve ter sido em Kardec, em Andre Luís ou Emmanuel; não me lembro. Sei que a frase não é da minha autoria, e que, sendo admiravelmente simples, nos remete à profundidade dos sábios, que dizendo pouco, atingem-nos a alma com delicadeza, provocando uma sensação de luminosidade e bem-estar.

Depois, há que dar exemplos àqueles que não têm informação nenhuma sobre espiritismo, explicando que quando fazemos algo pelos outros, sem pensarmos sequer em qualquer proveito próprio, isso é caridade. Simples e eficiente.

Um abraço.

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 15:26
Como o amigo afirma com tanta veemencia que existem espiritos Bons e espiritos maus ?...

Olá!

Caridade é o que Deus tem para com os seus filhos humanos. Os seus filhos humanos, egoistas, não sabem o que é a caridade.


" Allan Kardec "

Toda a gente admira a moral evangélica; todos lhe proclamam a sublimidade e a necessidade; muitos, porém, assim se pronunciam por fé, confiados no que ouviram dizer, ou firmados em certas máximas que se tornaram proverbiais. Poucos, no entanto, a conhecem a fundo e menos ainda são os que a compreendem e lhe sabem deduzir as conseqüências.

A raça humana é constituída tanto de Espíritos bons quanto de maus, que estão encarnados neste planeta, e como a Terra é um dos mundos menos avançados, nela se encontram mais Espíritos maus do que bons; por isso há tanta perversidade aqui.


Namasté

E porque o amigo não dá atenção ao que está escrito e ao autor?

Mas digo-lhe que aceito e concordo plenamente com essas palavras. Não fui eu que as disse mas faço-as minhas. E mais, eu sou um dos mais maus que por aqui anda, só que tenho consciência disso. É a única diferença, se é que há diferenças.


Namasté
_____________________________________________________________________
PS: Obrigado Hauch pela atitude e aviso.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 15:44
Estimados amigos:

Concordando, na generalidade, com as mensagens que li nesta secção, quero deixar aqui uma outra faceta do assunto: a verbalização dos conceitos espíritas para não-espíritas.

A palavra "caridade", como muitas outras relativas ao nosso foro mais íntimo e religioso, tem uma área semântica muito alargada, não significando o mesmo para cada pessoa.

A mim preocupa-me, por um lado, o vocabulário rigoroso que devemos usar no contexto socio-cultural espírita, mas ainda me preocupa mais a forma como nós, espíritas, verbalizamos a mensagem espírita para aqueles que desconhecem a nossa doutrina. Por isso, por um lado, devemos usar a terminologia espírita mas, por outro lado, devemos tentar perceber se quem nos ouve entendeu o que dissemos. A mesma palavra não ecoa do mesmo modo no cérebro de cada pessoa.

Suponho que, para a maioria dos portugueses, caridade é assim como que um favorzinho que se faz ao pobrezinho quando este mais precisa. Então, se estivermos a esclarecer alguém sobre a importância fulcral da caridade no relacionamento humano, devemos ter cuidado com a utilização da palavra. Na primeira oportunidade, devemos explicar de forma simples ao nosso interlocutor, que "caridade é amor em acção". Quando se explicam as coisas a partir de frases simples que encerram um grande conteúdo, as pessoas entendem, e podemos usar essas expressões sem risco de sermos mal compreendidos.

Não sei onde é que li ou ouvi essa definição de caridade: amor em acção. Deve ter sido em Kardec, em Andre Luís ou Emmanuel; não me lembro. Sei que a frase não é da minha autoria, e que, sendo admiravelmente simples, nos remete à profundidade dos sábios, que dizendo pouco, atingem-nos a alma com delicadeza, provocando uma sensação de luminosidade e bem-estar.

Depois, há que dar exemplos àqueles que não têm informação nenhuma sobre espiritismo, explicando que quando fazemos algo pelos outros, sem pensarmos sequer em qualquer proveito próprio, isso é caridade. Simples e eficiente.

Um abraço.

João José Santos


É verdade amigo Goano esse conceito de "pobrezinho" "favorzinho", de coitadinho, irmãozinho, desgraçadinho, ignorantezinho, é intolerável para mim, que o associo logo aos católicos.

E não vejo o espiritismo dessa maneira, antes pelo contrário, vejo-o como libertador de todos os preconceitos. Amo a liberdade sem idéias preconcebidas.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 05 de Fevereiro de 2010, 15:59

   ...Amigo dim-dim,desculpe se minha interpretação alterou o sentido de tua mensagem,não foi esta minha intenção ,quis dizer que por mais que falem quando alguém ama a natureza,altomaticamente ama si mesmo e tbém a caridade já se faz presente,por isso te peço desculpas e não vou te amar menos por isso..bjs fraterno em teu coração.... ;)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: odraci em 05 de Fevereiro de 2010, 16:06
Senhores,

Caridade em atos verdadeiros,
o coração precisa ser bom?
ou apenas o ato vale?
 

obrigada
odraci
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 05 de Fevereiro de 2010, 16:20
Neste caso, não se trata tanto de ser católico ou espírita, trata-se do significado das palavras.
Há católicos que, fazendo (verdadeira) caridade, não consideram os seus actos de benevolência como caridade, dizendo apenas que ajudaram os outros. É uma questão de palavras.

A nossa sociedade (portuguesa) está fortemente influenciada pela cultura católica, e assim, mesmo as pessoas que não têm interesse nenhum por religião, têm um conceito de "caridade" que é o do jeitinho aos pobrezinhos. Não quer dizer, que elas mesmas não sejam caridosas, mas não usam a palavra "caridade" no mesmo sentido em que nós a usamos.

O problema é que, quando o espírita vai falar com o não-espírita, ambos se têm que entender por palavras. Se o espírita fala em caridade, e o não-espírita não tem o mesmo conceito da palavra, a mensagem não passa.
A questão não é tanto explicar o que é a caridade, porque toda a gente tem o conceito de ajuda, benevolência, amor, que estão contidos no conceito de caridade.
O que é importante é que, quando nós falamos de caridade, os outros entendam bem qual é o nosso conceito.

O mesmo acontece com a palavra "amor" e muitas outras.
Se um homem disser a uma mulher que a ama, é natural que ela entenda que se trata de um sentimento de exclusividade, com uma forte componente física.

As palavras são muito, muito importantes. Elas são a ponta do iceberg dos conceitos.
Por isso, não se deve pensar "são apenas palavras", porque é sobretudo por elas que nos relacionamos com a maior parte das pessoas.
Kardec sempre teve uma grande atenção na definição rigorosa e na utilização precisa das palavras. É um erro grave julgar que basta amar os outros para que tudo corra bem. A maior parte dos conflitos têm uma componente de falta de entendimento. Essa é uma das muitas razões pelas quais me dedico ao esperanto. Mas isso já está fora desta discussão.

Um abraço,

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: babell em 05 de Fevereiro de 2010, 16:21
Em paz. Partilho um pouco o que penso sobre o tema. Que tipo de caridade pratico mais ? Ouvir as pessoas, prestando atenção de verdade. Sorrir, ser gentil, sendo tolerante, fazer agindo em vez de falar: que o meu gesto praticado seja digno de ser seguido e multiplicado. Respeitar que cada um está no seu grau de evolução, tendo digamos compaixão por ele. Praticar simplesmente começando com pequenas gentilezas: sorrir, ceder o assento no ônibus, segurar ou carregar as compras de alguém, estimular o que alguém tem de bom e não exaltar seus 'defeitos', dar passagem a algum carro na frente do seu...é de evolução pessoal no momento em que entendo que o outro não é melhor, nem pior que eu, e que apenas estamos em nívies diferentes de aprendizado: eu no jardim de infância em relação a uns e na pós graduação em relação a outros. Acredito que sim, tenho que ser caridosa primeiro comigo, pois se nem eu mesma me perdoar, me respeitar, me doar a mim mesma, com generosidade, amor, entendimento, sem excessos de auto crítica nem permissividade. Ai sim estou preparada para me colocar no lugar do outro e ser caridosa, até sem correr o risco de o outro se sinta humilhado. Já vivi muito isso: eu fiz algo que uma comunidade precisava, uma doação, de coração, mas o orgulhoso recebe como ofensa, humilhação. É bem verdade o que dizem: cada um dá o que tem no coração e cada um recebe com o que o coração está cheio.  Obrigada.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 05 de Fevereiro de 2010, 16:30
   ...minha linda ,o que é caridade em atos verdadeiros?
   ...o coração precisa ser bom?
   ...ou apenas o ato vale?

.....creio que não existe caridade em atos verdadeiros,
existem os verdadeiros atos de caridade que estão nas boas ações que praticamos no decorrer do dia a dia conosco mesmo e com nossos irmãos.
   bjs fraternos para vc linda...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 05 de Fevereiro de 2010, 16:43
Estimada Odraci:

A sua mensagem é tão curta, e no entanto tão complexa. :)

Pergunta a Odraci se o coração precisa de ser bom, ou se basta o acto para valorizar as nossas acções.

Em primeiro lugar, não há corações essencialmente maus, porque Deus não gera monstros.
Em segundo lugar, nenhum de nós, habitantes do planeta, tem um coração integralmente bom, porque isso é uma conquista, uma construção, que é feita ao longo das reencarnações, com trabalho, estudo, reflexão, quedas e... amor.

O acto em si, se é bom, não se perde. Porém, o espiritismo é uma doutrina que valoriza muito a intencionalidade. Não é a única. Grandes sistemas filosóficos, como o de Kant, também centram a ética na intenção. E, ao fim e ao cabo, os nossos sistemas jurídicos também valorizam sobretudo a intenção.

Perante um homícidio, o juiz julgará, entre outras coisas, se o arguido teve a intenção de matar. E isso é o mais importante. Qualquer um de nós pode acidentalmente matar um ser humano, mas poucos de nós preparariam um crime até à sua execução.

Quando se faz uma acção positiva, sucede o mesmo. Por um simples acaso, uma acção nossa pode ser favorável a outra pessoa. Qual é o mérito que temos nessa boa acção? Pouco. Mas se, pelo contrário, alguém lutou e penou para salvar alguém, mas a pessoa morreu, a positividade da acção não está no sucesso da sua execução, mas na intenção em ajudar. Não falo numa intenção que se ficasse apenas no plano mental, que ainda assim vale alguma coisa, mas na tentativa de ajudar o próximo, ainda que sem sucesso.

Já os Gregos da Ilíada diziam que o trabalho e o esforço é do homem, mas que o sucesso dos empreendimentos dependem dos deuses.

Amiga Odraci, não é muito importante questionarmo-nos se somos bons ou maus.
Basta sabermos que somos filhos de Deus; logo, somos seres muito especiais, quaisquer que sejam as asneiras que tenhamos feito nesta ou noutra reencarnação.
Não é importante julgar a acção, é importante que, cada vez mais nos sintamos como elementos conscientes da obra divina. Ajudemos os outros como pudermos. Não porque isso seja importante para nós (apesar de o ser), mas porque essa é a atitude de um ser humano que começa a vislumbrar as maravilhas da criação divina.

Um abraço e muito optimismo!
("optimismo" com P, à maneira portugesa ;) )

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 05 de Fevereiro de 2010, 16:51
Muito bom, João José
O sentimento é tudo.
Nem sempre vibramos bem quando socorremos alguem,às vezes ajudamos por obrigação social, para prestar contas a alguem etc...
A ajuda verdadeira vem de dentro, vem com amor, é espontânea, desinteressada, descompromissada.
Esse sentimento é importante , é a verdadeira doação.
Um abraço
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Gamaliel em 05 de Fevereiro de 2010, 16:53
Boa tarde a todos,
Aconselhar aquelas pessoas que em momentos de fraqueza desejam mal, rogam pragas, criam conflitos entre amigos, fazer uma oração, pedir auxilio por pessoa nesse estado é um grande exemplo de caridade. Um abraço,
Fiquem com Deus o criador
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 05 de Fevereiro de 2010, 16:57
Estimados amigos:

Concordando, na generalidade, com as mensagens que li nesta secção, quero deixar aqui uma outra faceta do assunto: a verbalização dos conceitos espíritas para não-espíritas.

A palavra "caridade", como muitas outras relativas ao nosso foro mais íntimo e religioso, tem uma área semântica muito alargada, não significando o mesmo para cada pessoa.

A mim preocupa-me, por um lado, o vocabulário rigoroso que devemos usar no contexto socio-cultural espírita, mas ainda me preocupa mais a forma como nós, espíritas, verbalizamos a mensagem espírita para aqueles que desconhecem a nossa doutrina. Por isso, por um lado, devemos usar a terminologia espírita mas, por outro lado, devemos tentar perceber se quem nos ouve entendeu o que dissemos. A mesma palavra não ecoa do mesmo modo no cérebro de cada pessoa.

Suponho que, para a maioria dos portugueses, caridade é assim como que um favorzinho que se faz ao pobrezinho quando este mais precisa. Então, se estivermos a esclarecer alguém sobre a importância fulcral da caridade no relacionamento humano, devemos ter cuidado com a utilização da palavra. Na primeira oportunidade, devemos explicar de forma simples ao nosso interlocutor, que "caridade é amor em acção". Quando se explicam as coisas a partir de frases simples que encerram um grande conteúdo, as pessoas entendem, e podemos usar essas expressões sem risco de sermos mal compreendidos.

Não sei onde é que li ou ouvi essa definição de caridade: amor em acção. Deve ter sido em Kardec, em Andre Luís ou Emmanuel; não me lembro. Sei que a frase não é da minha autoria, e que, sendo admiravelmente simples, nos remete à profundidade dos sábios, que dizendo pouco, atingem-nos a alma com delicadeza, provocando uma sensação de luminosidade e bem-estar.

Depois, há que dar exemplos àqueles que não têm informação nenhuma sobre espiritismo, explicando que quando fazemos algo pelos outros, sem pensarmos sequer em qualquer proveito próprio, isso é caridade. Simples e eficiente.

Um abraço.

João José Santos


   Companheiro "Goano" ou João, não há o que descordar em suas palavras.
   Assim como já nos havia dito também o irmão Mecame, "Caridade é o Amor em ação."
   Até porque, o verdadeiro amor, engloba todos estes sentimentos puros, caridade, benevolência, carinho, amizade e etc...
   Nosso comportamento no fórum, seria, teoricamente este, chegarmos à um conceito comum a todos e dirimir dúvidas de iniciantes, sequiosos por compreender nossa maravilhosa Doutrina, ou sentimentos referentes há perda de entes queridos.
   No que diz respeito à prática da caridade, cada qual sabe, quanto tempo ainda quer permanecer, “provando e espiando” na atmosfera terrena, ou adiantar-se, evoluindo espiritualmente, na prática incondicional da caridade eterna, e interna, pois a mesma deve sair de nossos corações, com benevolência, indulgência e tantas outras virtudes que qualificam um espírito, encarnado ou desencarnado, como pelo menos mediano.
   
   Muita Paz a todos.

 
   Irmão Hauch
 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 05 de Fevereiro de 2010, 17:02
É verdade, Gamaliel!

E isso não é fácil.
Orar por aqueles que cometeram crimes, mas que não nos tocaram pessoalmente, até nem é difícil.
Mas orar por aqueles que nos atingiram na nossa individualidade, sobretudo quando as coisas estão ainda quentes, demonstra uma grande elevação espiritual, porque isso só é possível, se o indivíduo já passou a fase do melindre.

É muito importante reflectir acerca do melindre. O melindre é o ficar ofendido, magoado, desapontado. O melindre nasce do orgulho, de uma falsa noção de que sejamos tão importantes que ninguém deveria ousar desiludir-nos.
Vencer o melindre, vencer o orgulho pela compreensão de que a nossa importância é absoluta em Deus, mas relativa em relação aos outros homens, é o caminho para o perdão incondicional.

Um abraço,

João josé Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 05 de Fevereiro de 2010, 17:23
Acrescento um pouquinho mais ao que foi dito por orgulho ( grande mal).
Quando há a intenção de magoar ou não corresponder a ajuda que foi dada, o agressor só alcança seu objetivo se a pessoa que o ajudou estiver vibrando na mesma sintonia. Orar por quem nos ofende, ou por quem não entende a nossa ajuda no auge do acontecimento,  só é possível quando entendemos que a nossa ajuda não foi necessariamente para gerar agradecimentos. Portanto se não nos envaidecemos do feito e compreendemos que o outro não conseguiu alcançar por limitação espiritual o bem que quisemos fazer e se cegou em sua ignorância, somos capaz de pedir a Deus que o ilumine para que na próxima oportunidade aproveite a chance que lhe está sendo dada.
Desta forma não absorvemos a ofensa e nem nos consideramos lesados.
Preste atenção, não estou falando em nos considerarmos melhor que o outro e sim compreender que apesar do que foi mostrado a este individuo ele não consegue ainda alcançar a plenitude do ato em si. O perdão desta forma vem imediatamente. E a ofensa não existe porque é vazia, não encontra respaldo em consciência tranquila.
Saudações.
 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Victor Passos em 05 de Fevereiro de 2010, 17:27
Ola bons Amigos muita paz e harmonia
Excelente estudo

  Existe um contexto que nos diz, é bom falar ao vento porque no minimo ele não nos abafa, com sua suavidade. Cravo
   Existem também , aqueles que fazem entender que o espelho é para os outros, mas a reflexão recaí em seu mostroario de fragilidade.
  Na realidade as palavras bonitas, caiem bem na esencia dos corações mais debeis, porém, a dignidade do Ser não se faz pelo que não consegue ser, mas pelo aquilo que consegue vencer.
  Quando falamos de melindre, estamos como que a tomar o assedio negativo, por mera sinfonia de amor, mas isso faz parte do crescimento do espirito, o nãop amofinar os outros pois os telhados são de vidro.
  Razão tem o espirito que pela sua ignorãncia consegue admitir que todos somos imperfeitos e que nada devemos apontar, o melindre advém sempre daqueles que se julgam intocavéis, na sua interiorização, nas suas palavras , mas que na pratica, sim, aí são deslocados da verdade , estando m uitas das vezes enganando-se a si mesmos.
  Mas a grandeza de uma alma , está no assumir da sua fragilidade e não tornar-se omissa , porque pensamento com melindre, é luz que ofusca o jugo de si mesma...então nesse sentido deixo aqui falando de caridade estas reflexões excelsas de verdade;

CARIDADE

Deus tem mais em conta o pobre que reparte seu único pedaço de pão, do que o rico não dá senão o seu supérfluo.
L. E. pg 264

O homem reduzido a pedir esmola se degrada moral e fisicamente: ele se embrutece. Numa sociedade baseada sobre a lei de Deus e a justiça, deve-se prover a vida do fraco sem humilhações para ele. Ela deve assegurar a existência daqueles que não podem trabalhar, sem deixar sua vida à mercê do acaso e da boa vontade.
L. E. pg 342

O homem de bem, que compreende a caridade segundo Jesus, se antecipa ao infeliz sem esperar que lhe estenda a mão.
L. E. pg 342

A verdadeira caridade é sempre boa e benevolente; ela está mais no gesto que no fato.
L. E. pg 342

É preciso distinguir a esmola propriamente dita da benevolência. O mais necessitado não é sempre aquele que pede; o receio de uma humilhação retém o verdadeiro pobre e, freqüentemente, ele sofre sem se lamentar. É a este que o homem, verdadeiramente humano, sabe ir sem ostentação.
L. E. pg 343

A caridade sublime, ensinada por Jesus, consiste também na benevolência constante, e em todas as coisas, para com o próximo.
E. S. E. pg 138

O benefício sem ostentação tem o duplo mérito: além da caridade material, constitui caridade moral, pois contorna a suscetibilidade do beneficiado, fazendo-se aceitar o obséquio sem lhe ferir o amor próprio e salvaguardando a sua dignidade humana, pois há quem aceite um serviço mas recuse a esmola.
E. S. E. pg 153

A verdadeira caridade, deve ser delicada e habilidosa para dissimular o benefício e evitar até as menores possibilidades de melindre, porque todo choque moral aumenta o sofrimento provocado pela necessidade.
E. S. E. pg 154

Aquele que deseja sinceramente tornar-se útil para os seus irmãos, encontra mil ocasiões de fazê-lo. Que as procure e as encontrará. Se não for de uma maneira, será de outra, pois não há uma só pessoa, no livre gozo de suas faculdades, que não possa prestar algum serviço, dar uma consolação, amenizar um sofrimento físico ou moral, tomar uma providência útil.
E. S. E. pg 156

Fora da caridade não há salvação.
E. S. E. pg 183

Ajude ao que erra; seus pés pisam o mesmo chão, e, se você tem possibilidade de corrigir, não tem o direito de censurar.
A. C. pg 28

Ajude com sua oração a todos os irmãos, que exibem o realejo da desculpa para todas as faltas.
A. C. pg 30

Auxilie o ofensor com os seus bons pensamentos. Ele nos ensina quão agressivo e desagradável somos ao ferir alguém.
A. C. pg 58

Não murmure contra os jovens menos responsáveis. Ajude-os, quanto estiver ao seu alcance, recordando que você já foi leviano para muita gente.
A. C. pg 83

A criança desprotegida que encontramos na rua não é motivo para revolta ou exasperação, e sim um apelo para que trabalhemos com mais amor pela edificação de um mundo melhor.
S. V. pg 28

O auxílio ao próximo é seu melhor investimento.
S. V. pg 64

Não nos esqueçamos de que a gentileza e o respeito, no trato pessoal, também significam caridade.
S. V. pg 67

Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: odraci em 05 de Fevereiro de 2010, 17:55
Boa tarde,

Acho o fato de estudar a doutrina
espirita não me faz uma espirita,
o que sentimos dentro da gente é que
nós faz uma pessoa boa, e o conhecimento
às vezes não muda as pessoas, caridade para
mim é uma coisa bem maior que palavras,
se alguém não sabe algo,  diz isso  pede a ajuda
de outros, não se fazer de coitados e sim ser
humilde diante daquele que se acha conhecedor,

obrigada
odraci
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cravo do Poeta em 05 de Fevereiro de 2010, 17:56
***Boa tarde e muito amor em nossos corações


FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO


Necessidade da caridade, segundo S. Paulo


6. Ainda quando eu falasse todas as línguas dos homens e a língua dos próprios

anjos, se eu não tiver caridade, serei como o bronze que soa e um címbalo que retine; -

ainda quando tivesse o dom de profecia, que penetrasse todos os mistérios, e tivesse

perfeita ciência de todas as coisas; ainda quando tivesse a fé possível, até o ponto de

transportar montanhas, se não tiver caridade, nada sou. - E, quando houver distribuído

os meus bens para alimentar os pobres e houvesse entregado meu corpo para ser

queimado, se não tivesse caridade, tudo isso de nada me serviria.



A caridade é paciente; é branda e benfazeja; a caridade não é invejosa; não é
temerária, nem precipitada; não se enche de orgulho; - não é desdenhosa; não cuida de
seus interesses; não se agasta, nem se azeda com coisa alguma; não suspeita mal; não se
rejubila com a injustiça, mas se rejubila com a verdade; tudo suporta, tudo crê, tudo
espera, tudo sofre.


Agora, estas três virtudes: a fé, a esperança e a caridade permanecem; mas,
dentre elas, a mais excelente é a caridade (S. PAULO, 1ª Epístola aos Coríntios, cap.
XIII, vv. 1 a 7 e 13.)


7. De tal modo compreendeu S. Paulo essa grande verdade, que disse:


Quando mesmo eu tivesse a linguagem dos anjos; quando tivesse o dom de profecia, que

penetrasse todos osmistérios; quando tivesse toda a fé possível, até ao ponto de

transportar montanhas, se nãotiver caridade, nada sou. Dentre estas três virtudes: a fé, a

esperança e a caridade, a mais excelente é a caridade.


Coloca assim, sem equívoco, a caridade acima até da fé.


É que a caridade está ao alcance de toda gente: do ignorante, como do sábio, do rico, como do pobre,e independe de qualquer crença particular.


Faz mais: define a verdadeira caridade, mostra-a não só na beneficência, como

também no conjunto de todas as qualidades do coração, na bondade e na benevolência

para com o próximo.


Evangelho
Cap.XV


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cravo do Poeta em 05 de Fevereiro de 2010, 18:05
***Boa tarde e muita luz em nossos corações.




INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS


Fora da caridade não há salvação


10. Meus filhos, na máxima: Fora da caridade não há salvação, estão encerrados os

destinos dos homens, na Terra e no céu; na Terra, porque à sombra desse estandarte eles

viverão em paz; no céu, porque os que a houverem praticado acharão graças diante do

Senhor.


Essa divisa é o facho celeste, a luminosa coluna que guia o homem no deserto da

vida, encaminhando-o para a Terra da Promissão.


Ela brilha no céu, como auréola santa, nafronte dos eleitos, e, na Terra, se acha gravada

no coração daqueles a quem Jesus dirá: Passaià direita, benditos de meu Pai.


Reconhecê-los-eis pelo perfume de caridade que espalham emtorno de si Nada exprime com

mais exatidão o pensamento de Jesus, nada resume tão bem os deveres do homem, como

essa máxima de ordem divina.


Não poderia o Espiritismo provarmelhor a sua origem, do que apresentando-a como regra,

por isso que é um reflexo do mais puro Cristianismo.


Levando-a por guia, nunca o homem se transviará. Dedicai-vos, assim,

meus amigos, a perscrutar-lhe o sentido profundo e as conseqüências, a descobrir-lhe, por

vós mesmos, todas as aplicações. Submetei todas as vossas ações ao governo da caridade

e a consciência vos responderá.



Não só ela evitará que pratiqueis o mal, como também fará que pratiqueis o bem,

porquanto uma virtude negativa não basta: é necessária uma virtude ativa.



Para fazer-se o bem, mister sempre se torna a ação da vontade; para se não praticar o

mal, basta as mais das vezes a inércia e a despreocupação.


Evangelho
CAP.XV



CAPÍTULO XV

Meus amigos, agradecei a Deus o haver permitido que pudésseis gozar a luz do Espiritismo.

Não é que somente os que a possuem hajam de ser salvos; é que, ajudando-vos a

compreender os ensinos do Cristo, ela vos faz melhores cristãos. Esforçai-vos, pois, para

que os vossos irmãos, observando-vos, sejam induzidos a reconhecer que verdadeiro

espírita e verdadeiro cristão são uma só e a mesma coisa, dado que todos quantos

praticam a caridade são discípulos de Jesus, sem embargo da seita a que pertençam.


Paulo, o apóstolo.
(Paris,1860.)

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cravo do Poeta em 05 de Fevereiro de 2010, 18:12
***Boa tarde e muito amor em nossos corações.



***Caridade Moral


***Caridade Material




***Angelina Jolie***


ANEXO PPS





Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 05 de Fevereiro de 2010, 18:13
Nem Paulo de Tarso, nem Kardec, nem nenhum respeitável autor espírita negou alguma vez a importância do estudo, do conhecimento, do saber. Muito pelo contrário, todos eles o valorizaram.

O saber, em si mesmo, não tem nada de mal, e tem tudo de bom.
O saber ilumina o caminho e dá-nos a compreensão das relações humanas, desenvolve-nos a inteligência e mostra-nos com clareza por onde devemos ir.

Há espíritos muito ignorantes e muito maus. Há espíritos inteligentes e ainda maus. O que não há, meus amigos, é espíritos superiores ignorantes.
A evolução de uma alma que atingiu um patamar ético elevado teve que, pelo caminho, se maravilhar pelo saber.

O conhecimento parte do desejo do ser em compreender a obra de Deus. Maravilhamo-nos com ela, estudamo-la e aprendemos a amar os homens que fizeram o percurso antes de nós, e que escreveram livros que nos deliciam.

Não, meus amigos. Paulo de Tarso nunca disse que saber línguas fosse mau para a evolução. Ele mesmo sabia várias línguas. Ele nunca disse, que saber línguas seria um obstáculo a tornar-se um homem de bem. O que ele disse, é que não basta saber línguas, é preciso amar, e meter em acção o saber e o amor. Foi o que ele fez.

Infelizmente, alguns espíritas, usam aquele texto belíssimo de Paulo de Tarso como arma de arremesso aos que gostam de estudar, como se estudar e saber fosse pecado. É sempre mais fácil não nos empenharmos e criticarmos os que se empenharam.

Um fim de semana muito tranquilo!

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Victor Passos em 05 de Fevereiro de 2010, 18:37
Ola muita paz meus bons Amigos

  As dissertações aqui expressas tem o condão de mostrar que na realidade a caridade, não tem raça, não tem estatuto , ela é simples, verdadeira , ativa no amor e no respeito pelo proximo.
  O saber como diz o Amigo Goano é importante, mas isso não é sinonimo de caridade e superioridade, porque existem agnostos que tem mais moral que nós todos juntos, assim como existem sabios cientistas e estudiosos que apenas vivem pelo orgulho da saliencia dos seus atos maliciosos.
   Realmente o estudo é base fundamental para o crescimento, mas qual a sua importãncia se não for acompanhada de moral?!
   A razão assistida pela caridade é simples, sincera, humilde e pratica, não importa se sou espirita ou não, se  sou rico ou não, se sou sábio ou não, o importante é que essa caridade seja sentida, sincera e acima de tudo comportando o amor pelo amor.
  A caridade não se mostra, dá-se, não se vende, oferece-se, não se enaltece, humilda-se, porque só com o sentimento de amor poderemos perceber quanto tem a sua importãncia...
   E ela meus amigos começa em nós mesmos, porque se não conseguirmos admitir em nós as fragilidades , não estamos a ser caridosos com nós proprios...
    O Amor , não se detem nas excepções, não se detem, nos melindres, não se detem na sabedoria, não se detem, na cor, não se detem no erro, ela sempre avança rumo ao maor, porque a caridade é amor ....
    Amigos amem , vivam ..sorriam, aliviem -se ,que todos somos carecidos de caridade, daí a grandiosidade do Pai, pela infinita justiça , nos legar a oportunidade de podrmos crescer com a compartilha mutua e o reviver de novas vidas, apelando sempre aos corações generosos para acolher a simplicidade...esta é a palavra, esta é a vida, este é o amor que todos necessitamos,em caridade...
Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 18:59

Olá!

" Allan Kardec "

Anjos e demônios

128 Os seres a que chamamos anjos, arcanjos, serafins formam uma categoria especial de natureza diferente dos outros Espíritos?

– Não. São os Espíritos puros. Estão no mais alto grau da escala e reúnem todas as perfeições.

☼ A palavra anjo desperta, geralmente, a idéia de perfeição moral. Entretanto, aplica-se, muitas vezes, a todos os seres bons e maus que estão fora da humanidade. Diz-se: o bom e o mau anjo, o anjo de luz e o anjo das trevas. Nesse caso, é sinônimo de Espírito ou de gênio. Nós a tomamos aqui na sua significação de bom.

☼ A palavra demônio nos dias atuais significa e nos dá idéia de mau Espírito, porém a palavra grega daimôn, de onde se origina, significa gênio, inteligência, e se emprega para designar seres incorpóreos, bons ou maus, sem distinção.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: mecame em 05 de Fevereiro de 2010, 19:02
Victor Passos, parabéns meu irmão. Triste é ver homens citando Paulo, Kardec, Cristo e etc...Mas, não sabem nem se quer o valor da essencia do que estes homens ensinaram. É realmente muito triste. A ignorancia julgadora e fria, sem nenhuma lucidez. Todos sabemos a importancia dos estudos e dos cohecimentos, mas estudo não é sinonimo de moral e de dignidade. Se fosse, todo especialista da doutrina seria um exemplo de espirito encarnado. Mas, bem sabemos que muitos envergonham o espiritismo, como acontece em toda religião. A paz
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 05 de Fevereiro de 2010, 19:36

Olá!

" Allan Kardec "

300 Dois Espíritos perfeitamente simpáticos6, uma vez reunidos, o serão pela eternidade, ou podem se separar e se unir a outros?

– Todos os Espíritos são unidos entre si. Falo daqueles que atingiram a perfeição. Nas esferas inferiores, quando um Espírito se eleva, já não tem mais a mesma simpatia por aqueles que deixou para trás.

301 Dois Espíritos simpáticos são o complemento um do outro, ou essa simpatia é o resultado de uma identidade perfeita?

– A simpatia que atrai um Espírito ao outro é o resultado da perfeita concordância de suas tendências, de seus instintos; se um tivesse que completar o outro, perderia sua individualidade.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 05 de Fevereiro de 2010, 19:39
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.

   Irmãos, o que Paulo de Tarso quis dizer, além de tudo que já postaram, é que, o estudo é base e o início de tudo, porém, nem as pedras ficam inertes, como nos disse JESUS, os ensinamentos, que na época eram de Abrahão, foram por ele “modificados” com a “Boa Nova”.
   Enfim caros amigos não vamos pensar, que, somente saber a Doutrina, “de cor e salteado”, sem pô-la em prática, nos levará a alguma evolução, e sim ao “desperdício” de uma encarnação inteira, pois nada do que o plano espiritual nos deu, foi posto em prática.
Nosso querido espírito, Eurípedes de Bassanufo, de tanta evolução, tinha a capacidade da bicorporiedade (efeito de desdobramento do espírito, podendo estar presente em um local, deslocando seu espírito para outro, acordado), e em um destes “desdobramentos”, encontrou--se com o MESTRE JESUS, em uma paisagem lindamente verde e bucólica; ao aproximar-se notou que NOSSO MESTRE chorava, indagando-o:  - Por que choras MESTRE? Continuou – Pelos irmãos que não conhecem sua Doutrina? Respondeu JESUS. – Não, estes são dignos de pena!  Continuou o MESTRE. – Choro pelos que a conhecem, e não a cumprem!
   Então irmãos que sigamos todos juntos nesta grande jornada, até a evolução!
 
   Muita Paz a todos.

   
   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: danalmeida em 05 de Fevereiro de 2010, 19:47
olá, na minha visão caridade é quando deixamos teoria e paratimos para a pratica, não importa o meio que usamos, e sim o que oferecemos.
Caridade é quando um espirito que encarnado ou desencarnado doa o melhor que tem para outro espirito. caridade é o amor em ação,
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Victor Passos em 05 de Fevereiro de 2010, 20:05
Ola Amigos muita paz e harmonia

 Mecane - Hauch -Dim-Dim.- danalmeida e Restantes Amigos, na razão que assiste a cada um todos terão a sua visão interior do conceito de caridade, e se todos juntarmos os conceitos tal como Hauch  e Danameida, verificaremos que a caridade se resume a quatro letras; AMOR.

Sem ela não existirá salvação, o amor nos faz crescer  e é por ele que subiremos os degraus da evolução.
No Livro dos Espiritos de Allan Kardec tem uma visão clara do que é a caridade;

Capítulo XI

Lei de Justiça, amor e Caridade

III - Caridade e Amor ao Próximo

886. Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?

— Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições alheias, perdão das ofensas.

O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, porque amar ao próximo é fazer-lhe todo o bem possível, que desejaríamos que nos fosse feito. Tal é o sentido das palavras de Jesus: — "Amai-vos uns aos outros, como irmãos".

A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, mas abrange todas as relações com os nosos semelhantes, quer se trate de nossos inferiores, iguais ou superiores. Ela nos manda ser indulgentes, porque temos necessidade de indulgência, e nos proíbe humilhar o infortúnio, ao contrário do que comumente se pratica. Se um rico nos procura, atendemo-lo com excesso de consideração e atenção, mas se é um pobre, parece que não nos devemos incomodar com ele. Quanto mais, entretanto, sua posição é lastimável, mais devemos temer aumentar-lhe a desgraça pela humilhação. O homem verdadeiramente bom procura elevar o inferior aos seus próprios olhos, diminuindo a distância entre ambos.

887. Jesus ensinou ainda: "Amai aos vossos inimigos". Ora, um amor pelos nossos inimigos não é contrário às nossas tendências naturais, e a inimizade não provém de uma falta de simpatia entre os Espíritos?

— Sem dúvida não se pode ter, para com os inimigos, um amor terno e apaixonado. E não foi isso que ele quis dizer. Amar aos inimigos é perdoá-los e pagar-lhes o mal com o bem. É assim que nos tornamos superiores, pela vingança nos colocamos abaixo deles.

888. Que pensar da esmola?

— O homem reduzido a pedir esmolas se degrada moral e fisicamente: se embrutece. Numa sociedade baseada na lei de Deus e na justiça, deve-se prover a vida do fraco, sem humilhação para ele. Deve-se assegurar a existência dos que não podem trabalhar sem deixá-los à mercê do acaso e da boa vontade.

888-a. Então condenais a esmola?

— Não, pois não é a esmola que é censurável, mas quase sempre a maneira por que ela é dada. O homem de bem, que compreende a caridade segundo Jesus, vai ao encontro do desgraçado sem esperar que ele lhe estenda a mão.

A verdadeira caridade é sempre boa e benevolente; tanto está no ato quanto na maneira de fazê-la. Um serviço prestado com delicadeza tem duplo valor; se o for com altivez, a necessidade pode fazê-lo aceito mas o coração mal será tocado.

Lembrai-vos ainda de que a ostentação apaga aos olhos de Deus o mérito do benefício. Jesus disse: "Que a vossa mão esquerda ignore o que faz a direita". Com isso, ele vos ensina a não manchar a caridade pelo orgulho.

É necessário distinguir a esmola propriamente dita da beneficência. O mais necessitado nem sempre é o que pede; o temor da humilhação retém o verdadeiro pobre, que quase sempre sofre sem se queixar. É a esse que o homem verdadeiramente humano sabe assistir sem ostentação.

Amai-vos uns aos outros, eis toda lei, divina lei pela qual Deus governa os mundos. O amor é a lei de atração para os seres vivos e organizados, e a atração é a lei de amor para a matéria inorgânica.

Não olvideis jamais que o Espírito, qualquer que seja o seu grau de adiantamento, sua situação como reencarnado ou na erraticidade, está sempre colocado entre um superior que o guia e aperfeiçoa e um inferior perante o qual tem deveres iguais a cumprir. Sede portanto caridosos, não somente dessa caridade que vos leva a tirar do bolso o obolo que friamente atirais ao que ousa pedir-vos, mas ide ao encontro das misérias ocultas. Sede indulgentes para com os erros dos vossos semelhantes. Em lugar de desprezar a ignorância e o vício, instruí-os e moralizai-os. Sede afáveis e benevolentes para com todos os que vos são inferiores; sede-o mesmo para com os mais ínfimos seres da Criação, e tereis obedecido à lei de Deus.

São Vicente de Paulo.

889. Não há homens reduzidos à mendicidade por sua própria culpa?

— Sem dúvida. Mas se uma boa educação moral lhes tivesse ensinado a lei de Deus, não teriam caído nos excessos que os levaram à perda. E é disso, sobretudo, que depende o melhoramento do vosso globo. (Ver item 707).

Muita paz e harmonia bons Amigos

Victor Passos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: EmBuscaDaLuz em 05 de Fevereiro de 2010, 21:49
Este tema é importantíssimo para ser debatido nos dias de hoje em que a maioria das pessoas só pensam em si mesmas e perdem a oportunidade de ajudar seu semelhante.
Para praticar a verdadeira caridade temos que estar despidos dos dois maiores inimigos da nossa evolução espiritual, que são o egoísmo e o orgulho.
Que tenhamos muita luz e perseverança para cada vez mais praticar a caridade em todas as suas formas.

Paz para todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Agnus em 05 de Fevereiro de 2010, 22:35
Olá meus irmãos, pela primeira vez participo do fórum, e o tema é extremamente instigante, a verdadeira caridade não tem medida, tem sentido....serve como balsamo para o necessitado e fluido energizante para o doador.....sendo um amor sem medida por menor que seja o gesto traz consigo o Amor sublime do Pai Celestial, criando esculturas divinas na longa jornada da vida. Fraternal abraço a todos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: ram-wer em 05 de Fevereiro de 2010, 23:09
Seja bem-vindo, Agnus.

Lucídio: "Não é possível amar o próximo sem amar-se a si próprio. Um pouco de auto-indulgência e de auto-aceitação são fundamentais."

Elyani:  "Pergunta 886, Livro dos Espíritos: Qual é o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entende Jesus?  -Benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições alheias, perdão das ofensas."

É mesmo, Lucídio. Indulgência para com os outros e não para comigo mesmo é hipocrisia. Perdão das ofensas sem me perdoar pelas besteiras que faço, também é hipocrisia. Ou estaria fingindo para mim, ou para os demais.

Filho do Bino: "Isaías, Capítulo 11 (...) 6:  O lobo habitará com o cordeiro, e o leopardo se deitará junto ao cabrito; o bezerro, o leão novo e o animal cevado andarão juntos, e um pequenino os guiará.  Capítulo 65-25:   O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o SENHOR."

"Jeremias, Capítulo 5-6:  Por isso, um leão do bosque os matará, um lobo dos desertos os assolará, um leopardo estará à espreita das suas cidades; qualquer que sair delas será despedaçado;"


Ô, amiguinho, você misturou um profeta com o outro e criou uma nova escritura.  Isaías, no texto acima, anuncia a nova era de paz e mansidão, após o Fim-dos-Tempos.  As próprias palavras finais dizem tudo.  Ninguém fará mal a ninguém, tampouco aos animais.  E as espécies hoje ferozes serão amansadas pelo homem, ao ponto de conviverem com suas antigas presas. (Hoje já se veem vários exemplos disto.)

Taí, a sua transcrição bíblica me inspirou:

Caridade é ser vegetariano. Não por motivos higiênicos (que são importantíssimos) mas por amar os bichinhos.

Abraços, RW
(http://veja.abril.com.br/especiais/agronegocio_2004/imagens_conteudo/pecuaria1.jpg)
Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz
o Senhor.


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Jay em 05 de Fevereiro de 2010, 23:35
      Muito se fala em caridade, em fazer o bem ao próximo.

        Para muitos, isso pode parecer sinônimo de atitudes complexas, envolvendo, na maioria das vezes, a doação de bens materiais.

        Mas há um tipo básico de beneficência ao alcance de todos, da qual habitualmente se esquece.

        Trata-se do cuidado de ocultar dos outros os próprios aborrecimentos, a fim de auxiliar.

        Talvez você haja iniciado o dia sob a intromissão de contratempos que lhe espancaram a alma.

        À vista disso, se exibir a figura da mágoa, na palavra ou na face, ela se expande, como um tóxico mental.

        Um mal que só a você atingia passa a afligir todos que o rodeiam.

        Quando a poeira invade seu reduto doméstico, obriga-o a limpar e a recuperar a pureza do ambiente que freqüenta.

        O mesmo ocorre se você se desequilibrar e comportar-se asperamente, em face dos transtornos habituais da vida.

        Será necessário despender força e diligência para reparar os estragos que a sua intemperança causou.

        Inúmeros pedidos de desculpas deverão ser formulados, dentre diversas outras reparações que se façam indispensáveis.

        Muitas sensibilidades podem ser afetadas por sua rudeza, pondo a perder amizades e simpatias preciosas.

        Se o desequilíbrio for um hábito em sua vida, tanto pior.

        Afinal, todos tendem a ser menos compreensivos com alguém que adota de forma costumeira condutas deselegantes.

        Entretanto, você pode escolher pairar acima de desgostos e inquietações, mantendo tranqüilidade e bom ânimo.

        Sua mensagem de otimismo e renovação também prosseguirá adiante, espalhando bênçãos e paz.

        A energia positiva que você espalha, angaria em seu favor simpatia e cooperação.

        Os estados negativos da mente, como tristeza e azedume, angústia e inconformidade, constituem sombras que o entendimento e a bondade são chamados a dissipar.

        Talvez o esforço silencioso para domar o próprio mau gênio não chame a atenção de ninguém.

        Isso pode frustrar, de algum modo, eventual expectativa de parecer virtuoso aos olhos alheios.

        Mais importante do que parecer é ser.

        Constitui equívoco evidente a idéia de que a caridade se resume em esmolas, de preferência visíveis a terceiros.

        Isso não passa, na maioria das vezes, de manifestação de um psiquismo desequilibrado, de um ego inflado.

        Por certo, a caridade material é valiosa, mas o móvel de quem deseja fazer o bem deve ser o de auxiliar o próximo, e não o de brilhar.

        Sob esse enfoque, avulta de importância o esforço em colaborar para a paz do mundo, mediante uma vontade firme, aplicada no domínio dos próprios desequilíbrios.

        Os homens sofrem muito mais pelo contato recíproco com os vícios de seus semelhantes do que com as condições materiais do planeta que habitam.

        Fossem todos generosos, compreensivos, pacíficos e honestos e a Terra logo se converteria em um paraíso.

        Em um mundo carente de paz, todos são chamados a colaborar para o equilíbrio geral.

        Assim, a benefício coletivo, evitemos solenizar obstáculos e conflitos, aflições ou desencantamentos que nos surpreendem a marcha.

        Permaneçamos sempre conscientes de que a única fórmula para o exercício dessa elementar beneficência da paz é esquecer o mal e fazer o bem.

        Na verdade, somente a criatura consagrada a trabalhar, servindo ao próximo, não dispõe de recursos para entediar-se e nem encontra tempo para ser infeliz.

        Pensemos nisso.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 05 de Fevereiro de 2010, 23:40
Ola Amigos muita paz e harmonia

 Mecane - Hauch -Dim-Dim.- danalmeida e Restantes Amigos, na razão que assiste a cada um todos terão a sua visão interior do conceito de caridade, e se todos juntarmos os conceitos tal como Hauch  e Danameida, verificaremos que a caridade se resume a quatro letras; AMOR.

Sem ela não existirá salvação, o amor nos faz crescer  e é por ele que subiremos os degraus da evolução.
No Livro dos Espiritos de Allan Kardec tem uma visão clara do que é a caridade...

Muita paz e harmonia bons Amigos

Victor Passos

  Avi Victor, é uma brincadeira companheiro; porém, estou de pleno acordo!
  O mais interessante é a quantidade de novos acessos e visitantes, ou até, novos membros.
  Acho que posso falar em nome dos companheiros, o quanto estamos felizes, ausentes de orgulho, claro, felizes em poder disseminar por todo o mundo, nossa Amada Doutrina, consequentemente, nosso Querido Consolador!
  Muita Paz a todos

  
  De Todos os Irmãos do Fórum. Graças a JESUS e Sobretudo, Graças a DEUS!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: macili em 06 de Fevereiro de 2010, 00:08
O sol como centro do macrocosmo (nosso sistema solar) é sinônimo de coração - chacra cardíaco - do microcosmo (o homem). Com sua ativação melhoraremos nossos relacionamentos pessoais, nos tornando pequenos "sóis" e espalhando a energia do amor. É um sentimento universal tão necessário em nossos dias. O amor faz verdadeiros milagres, um deles é espalhar a caridade em todos os seres.
Que na nossa caminhada possamos espalhar luz e conhecimento de forma cada vez mais corajosa e consciente, ajudando assim todos os irmãos de caminhada. :D
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 00:31

Olá!

" Allan Kardec "

O bem como o mal são voluntários e facultativos: livre, o homem não é fatalmente impelido para um nem para outro.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: karinakeury em 06 de Fevereiro de 2010, 00:33

           Caridade não é simplesmente doar algo ao próximo e sim doar-se em favor do próximo!As pessoas geralmente praticam a caridade quando lhe é convencional e façil, porém a verdadeira caridade e aquela em que temos que nos esforçar as vezes até sacrificar algo que gostamos ou precizamos, dispormos até de um tempo que não temos, é superar as nossas dificuldades e defiencias humanas e mesmo assim sentirmos prazer em saber que contribuimos para um objetivo maior que tudo que conhecemos. abraços fraternos Karina.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 00:37

Olá!

" Allan Kardec "

O bem como o mal são voluntários e facultativos: livre, o homem não é fatalmente impelido para um nem para outro.

33º - Em que pese à diversidade de gêneros e graus de sofrimentos dos Espíritos imperfeitos, o código penal da vida futura pode resumir-se nestes três princípios:

1º - O sofrimento é inerente à imperfeição.

2º - Toda imperfeição, assim como toda falta dela promanada, traz consigo o próprio castigo nas conseqüências naturais e inevitáveis: assim, a moléstia pune os excessos e da ociosidade nasce o tédio, sem que haja mister de uma condenação especial para cada falta ou indivíduo.

3º - Podendo todo homem libertar-se das imperfeições por efeito da vontade, pode igualmente anular os males consecutivos e assegurar a futura felicidade.

A cada um segundo as suas obras, no Céu como na Terra: - tal é a lei da Justiça Divina.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 00:46
Olá!

" Allan Kardec "

31º - As penas que o Espírito experimenta na vida espiritual ajuntam-se as da vida corpórea, que são conseqüentes às imperfeições do homem, às suas paixões, ao mau uso das suas faculdades e à expiação de presentes e passadas faltas. É na vida corpórea que o Espírito repara o mal de anteriores existências, pondo em prática resoluções tomadas na vida espiritual. Assim se explicam as misérias e vicissitudes mundanas que, à primeira vista, parecem não ter razão de ser. Justas são elas, no entanto, como espólio do passado - herança que serve à nossa romagem para a perfectibilidade. (1)

(1) Vede 1ª' Parte, cap. V, "O purgatório", nº 3 e seguintes; e, após, 2ª Parte, cap. VIII, "Expiações terrestres". Vede, também, O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. V, "Bem-aventurados os aflitos".


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 01:00

Ô, amiguinho, você misturou um profeta com o outro e criou uma nova escritura.  Isaías, no texto acima, anuncia a nova era de paz e mansidão, após o Fim-dos-Tempos.  As próprias palavras finais dizem tudo.  Ninguém fará mal a ninguém, tampouco aos animais.  E as espécies hoje ferozes serão amansadas pelo homem, ao ponto de conviverem com suas antigas presas. (Hoje já se veem vários exemplos disto.)

Taí, a sua transcrição bíblica me inspirou:

Caridade é ser vegetariano. Não por motivos higiênicos (que são importantíssimos) mas por amar os bichinhos.

Abraços, RW
Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz
o Senhor.


Então amigo,
Aquele que põe mão à charrua nas obras da caridade, precisa estar atento que está lidando com filhos de Deus, suscetíveis de se sentirem amedrontados, ... logo a necessidade dos cuidados...Observãncia às determinações legais, éticas, etc...
Os fins não justificam os meios...
Sem emitir nenhum juizo de valor... Veja o caso recente em que obreiros foram detidos saindo do Haití com aqueles menores...
A pureza da pomba aliada à sagacidade da serpente, levará um trabalho no campo da caridade a um final satisfatório. Apaziguar ânimos  exaltados é de suma importância, pois no final com bom senso e prudencia aliados à razão geram sempre um final feliz...
como o próprio amigo sugeriu no seu próprio post.
Por isso, não percebo criação de nova escritura.
Então longe de desanimar, o trabalhador conciente, mesmo diante de óbices, agindo assim, estará contribuindo e muito para o sucesso de sua empreza.
Ao primeiro olhar, algo pode parecer uma coisa, mas um olhar caridoso e atento pode mostrar coisa bem diversa....
Eu compreendo a dificuldade de interpretação que vc teve, pois talvez vc não acompanhou o desenvolvimento dos meus estudos desde o inicio, daí ser natural seu alerta.
Tenho por hábito nunca ensinar... Em todas as práticas evangelizadoras que participo em meu grupo de trabalho, procuro sistematicamente sugerir que meus companheiros de estudo reflitam por sí... e nunca reflitam comigo. Sou adepto sistemático da Fé raciocinada.
Sempre que coloco uma tese, ofereço em conjunto a antitese, para que quem comigo estuda realize ele mesmo a sua síntese. Estamos todos na carne para aprender... Nunca para ensinar...
A propósito, sempre quando falo da nossa necessidade de nos abster de nos nutrir de carne,
ofereço em contrapartida uma idéia que ajude aos meus irmãos carentes, uma opção mais barata, para para obtenção de proteína que os nutrirá e substituirá a da carne. - Principalmente aos bichinhos menos assistidos por nossa sociedade injusta, nossos amados irmãos humanos mais pobres.
Hoje eu poderia sugerir:
Especialista afirma que ovo é fonte de proteína superior à carne...vide este endereço:
www.agrosoft.org.br/agropag/212024.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hZ3Jvc29mdC5vcmcuYnIvYWdyb3BhZy8yMTIwMjQuaHRt) -
Suinocultura Industrial ≈ Ovo: Fonte de proteína superior à carne...vide este endereço:
www.suinoculturaindustrial.com.br/.../ovo-fonte-de-proteina-superior-a-carne,20091008090156_Q_129,2008111809085 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5zdWlub2N1bHR1cmFpbmR1c3RyaWFsLmNvbS5ici8uLi4vb3ZvLWZvbnRlLWRlLXByb3RlaW5hLXN1cGVyaW9yLWEtY2FybmUsMjAwOTEwMDgwOTAxNTZfUV8xMjksMjAwODExMTgwOTA4NQ==)...
Acrescento novo paradigma a essa sugestão:
A carne suculenta de primeira qualidade dos Nelores intensamente bem nutridos por aquele pasto maravilhoso, por certo renderão muitos euros a mais para o Agronegócio... Então substituamo-lo por um ovo e ou por uma feijoada, que ficaremos com as proteínas e de quebra muitos euros entrarão em nosso país.
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 06 de Fevereiro de 2010, 01:33
Os melhores autores já foram citados,
Grandes conhecedores da doutrina já falaram e chegamos sempre ao mesmo ponto. AMOR
 O Amor que nos move à caridade.
Quero colocar uma questão que considero importante. Como seres imperfeitos que somos muitas vezes nos cegamos diante das oportunidades que nos apresentam para colocarmos  em pratica toda esta teoria que absorvemos nos estudos.
Enxergamos com facilidade  quando não estamos envolvidos emocionalmente na situação e varias vezes vemos regastes de relações não realizados, como relacionamentos entre pais e filhos, brigas entre casais, desentendimento entre amigos.
Varias situações se apresentam para evolução dos espíritos e são desperdiçadas por orgulho, medo, ego inflado, magoa, falta de perdão.
A dificuldade está em como ter a clareza da chance  que  nos está sendo apresentada sem nos embaralharmos em nossas emoções confusas e colocarmos tudo a perder?
Temos mentores espirituais que nos intuem no caminho certo.
Não basta conhecermos a doutrina senão nos depusermos a ouvi-los e a praticar o que está sendo ensinado.
A caridade deve existir sempre em todos os nossos atos, em todas as nossas relações.  
Que Deus nos ilumine
Hebe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 01:45
Saúde e Paz a todos!,
Sábias palavras nobre irmã minha conterrânea das Minas Gerais...
É vero, tudo que vc postou acima...
Mas, o caminho para qualquer filho de Deus alcançar esse desiderato é muito simples basta acreditar que Deus está presente em nossos corações o justo tempo que mantivermos o fito da doação dirigindo os nossos sentidos.
Nós os humanos encarnados no planeta Terra, salvo honoráveis excessões, somos do sígno do Leitão, e não do leão... Precisamos sugar tudo que pudermos da nossa mãe leitoa, (sabedoria Univrsal) que só permanecerá deitada ao nosso lado se não a afastarmos com o nosso orgulho, nossa vaidade, nossa prepotencia, e como os leitões servirão de nutrientes para outros, ela nos nutre aos borbotões a nós todos indistintamente, cultos/incultos - pobres/ricos - etc e tal...
Só pra desanuviar...
Saúde e Paz!
Título: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: A_S em 06 de Fevereiro de 2010, 07:34
Oito letras apenas, iniciadas pela "3ª do nosso código de entendimento liguístico".
É por sua falta em mim que aqui estou.
Difícil de interiorizar sob a forma prática, na conformidade com os ensinos de Paulo de Tarso, de Kardec e de Jesus, O MESTRE.
Junto-me a este grupo, para "falando", sacudir um pouco mais do sujo mulitimilenar entranhado, e dar espaço novo para os valores que a Caridade propõe para todos e cada um de nós, na lição proposta.
Li atentamente o tema, e, das opiniões expressas, logo me senti identificado com diversas, sorrindo diante dessa identificação natural, no sentimento de pertença ao grupo. Há pois imenso trabalho a fazer... concluo. No inquérito inicial, sob que forma de prática, escolher como predominante a caridade, poderia dizer e sublinhar todas, pois em todas está patente. Sob suas diferentes formas está sempre presente nos actos humanos, quando a nortear cada ação estão os princípios que Jesus nos ensinou. No entanto, acho que o que faço, e da forma como faço, pouco tem de caridoso ainda. Não tanto pela atitude do outro, mas pela minha própria leitura interior. Esta inquietação, mantém em mim um clima constante de procura da Verdade.
Eurípedes Barsanulfo num encontro Divino no colégio Kardec em Sacramento, sentiu Jesus chorar e o questionou -porque choras Senhor?
Amoroso, Jesus disse: - choro por todos aqueles que me conhecem e não me cumprem.
Esta a base do meu dilema de hoje.
Um dia Viveremos em PAZ!
Com um agradecimento sincero por esta vossa iniciativa
Bem hajam.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: igor rj em 06 de Fevereiro de 2010, 09:23
Bom dia.."Caridade"
Podemos dizer que somos caridoso, e temos a caridade ou achamos que somos e temos.
Caridade pode sim ser materialista pois o corpo precisa as vezes, mais a caridade do coração com as palavras sempre terá muito mais peso quando for dada..
amemos uns aos outros como a nos mesmo.. sermos  caridoso com nossos irmãos como temos que ser com nos mesmo.
Ao ponto final.
caridade não é sinônimo de palavra com som de maldade ou algo que prende nosso corpo como vicio, seja caridoso mais que a caridade venha do coração e não para trazer apenas beneficio próprio..     
QUE DEUS NOSSO PAI NOS ILUMINE.... 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Marya em 06 de Fevereiro de 2010, 10:18
Irmãos, Paz e Luz em nome de Jesus
Este tema é ótimo. Caridade, quem de nós poderá dispensá-la. Nosso grau evolutivo mostra o quanto somos ainda necessitados de desenvolver esta divina virtude. Jesus, o excelso benfeitor divino, exemplificou a verdadeira caridade. Ele é o nosso modelo, assim sendo, para vivenciarmos esta virtude somos convidados por Jesus para imitá-lo, quando ele nos diz: 'Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vai ao Pai senão por mim'; Jesus mostra-nos o caminho que necessitamos percorrer, os exemplos que Ele deixou através da prática diária, as palavras que foram ditas, e registradas pelos apóstolos, os momentos de orações para nos ligarmos com o nosso Pai Celestial. O sacrifício, a renúncia, o perdão. São as verdades que nos tornam livres. A vida, a verdadeira vida, a do Espírito, ensinando-nos que somos eternos, exemplificando uma vez mais, voltando a ser visto e até tocado por Tomé no terceiro dia. Todas estas expressões de caridade e ainda ressaltando a caridade para consigo próprio quando assumindo sua posição de Governador Planetário jamais demonstrando vaidade por ter alcançado este estágio evolutivo, muito pelo contrário, olhando para os apóstolos, que se degladeavam com palavras para saber quem seria o primeiro, mais uma vez Jesus resplandece na Caridade ativa e diz, aquele que quer ser o primeiro que seja o servo de todos, e lavou os pés dos discípulos. Assim sendo, para sentirmos em nós a certeza de que estamos praticando a Caridade, Estudemos Jesus, Observemos Jesus e Imitemos Jesus e certamente estaremos desenvolvendo em nós esta virtude filha do Amor.
Paz e Luz em nome de Jesus
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 06 de Fevereiro de 2010, 11:24
   Que a Paz e o Amor de DEUS Permaneçam em Todos os Corações!

MEDO DE AMAR

   A insegurança emocional responde pelo medo de amar.
   Como o amor constitui um grande desafio para o Self, o indivíduo enfermiço, de conduta transtornada, inquieto, ambicioso, vítima do egotismo, evita amar, a fim de não se desequipar dos instrumentos nos quais oculta a debilidade afetiva, agredindo ou escamoteando-se em disfarces variados.
   O amor é mecanismo de libertação do ser, mediante o qual, todos os revestimentos da aparência cedem lugar ao Si profundo, despido dos atavios físicos e mentais, sob os quais o ego se esconde.
   O medo de amar é muito maior do que parece no organismo social. As criaturas, vitimadas pelas ambições imediatistas, negociam o prazer que denominam como amor ou impõem-se ser amadas, como se tal conquista fosse resultado de determinados condicionamentos ou exigências, que sempre resultam em fracasso.
   Toda vez que alguém exige ser amado, demonstra desconhecimento das possibilidades que lhe dormem em latência e afirma os conflitos de que se vê objeto. O amor, para tal indivíduo, não passa de um recurso para uso, para satisfações imediatas, iniciando pela projeção da imagem que se destaca, não percebendo que, aqueles outros que o louvam e o bajulam, demonstrando-lhe afetividade são, também, inconscientes, que se utilizam da ocasião para darem vazão às necessidades de afirmação da personalidade, ao que denominam de um lugar ao Sol, no qual pretendem brilhar com a claridade alheia.
   Vemo-los no desfile dos oportunistas e gozadores, dos bulhentos e aproveitadores que sempre cercam as pessoas denominadas de sucesso, ao lado das quais se encontram vazios de sentimento, não preenchendo os espaços daqueles a quem pretendem agradar, igualmente sedentos de amor real.
   O amor está presente no relacionamento existente entre pais e filhos, amigos e irmãos. Mas também se expressa no sentimento do prazer, imediato ou que venha a acontecer mais tarde, em forma de bem-estar. Não se pode dissociar o amor desse mecanismo do prazer mais elevado, mediato, aquele que não atormenta nem exige, mas surge como resposta emergente do próprio ato de amar. Quando o amor se instala no ser humano, de imediato uma sensação de prazer se lhe apresenta natural, enriquecendo-o de vitalidade e de alegria com as quais adquire resistência para a luta e para os grandes desafios, aureolado de ternura e de paz.
   O amor resulta da emoção, que pode ser definida como uma reação intensa e breve do organismo a um lance inesperado, a qual se acompanha dum estado afetivo de concentração penosa ou agradável, do ponto de vista psicológico. Também pode ser definida como o movimento emergente de um estado de excitamento de prazer ou dor.
   Como conseqüência, o amor sempre se direciona àqueles que são simpáticos entre si e com os quais se pode manter um relacionamento agradável. Este conceito, porém, se restringe à exigência do amor que se expressa pela emoção física, transformando-se em prazer sensual.
   Sob outro aspecto, háo amor profundo, não necessariamente correspondido, mas feito de respeito e de carinho pelo indivíduo, por uma obra de arte, por algo da Natureza, pelo ideal, pela conquista de alguma coisa superior ou transcendente, para cujo logro se empenham todas as forças disponíveis, em expectativa de um prazer remoto a alcançar...(CONTINUA)

     
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 06 de Fevereiro de 2010, 11:26
   As experiências positivas desenvolvem os sentimentos de afetividade e de carinho, as desagradáveis propõem uma postura de reserva ou que se faz cautelosa, quando não se apresenta negativa.
   No medo de amar, estão definidos os traumas de infância, cujos reflexos se apresentam em relação às demais pessoas como projeções dos tormentos sofridos naquele período.
   Também pode resultar de insatisfação pessoal, em conflito de comportamento por imaturidade psicológica, ou reminiscência de sofrimentos, ou nos seus usos indevidos em reencarnações transatas.
   De alguma forma, no amor, há uma natural necessidade de aproximação física, de contato e de contigüi¬dade com a pessoa querida.
   Quando se é carente, essa necessidade torna-se tormentosa, deixando de expressar o amor real para tornar-se desejo de prazer imediato, consumidor. Se for estabelecida uma dependência emocional, logo o amor se transforma e torna-se um tipo de ansiedade que se confunde com o verdadeiro sentimento. Eis porque, muitas vezes, quando alguém diz com aflição eu o amo, está tentando dizer eu necessito de você, que são sentimentos muito diferentes.
   O amor condicional, dependente, imana uma pessoa à outra, ao invés de libertá-la.
   Quando não existe essa liberdade, o significado do eu o amo, o transforma na exigência de você me deve amar, impondo uma resposta de sentimento inexistente no outro.
   O medo de amar também tem origem no receio de não merecer ser amado, o que constitui um complexo de inferioridade.
   Todas as pessoas são carentes de amor e dele credoras, mesmo quando não possuam recursos hábeis para consegui-lo. Mas sempre haverá alguém que esteja disposto a expandir o seu sentimento de amor, sintonizando com outros, também portadores de necessidades afetivas.
   O medo, pois, de amar, pelo receio de manter um compromisso sério, deve ser substituído pela busca da afetividade, que se inicia na amizade e termina no amor pleno.
   Tal sentimento é agradável pela oportunidade de expandir-se, ampliando os horizontes de quem deseja amigos e torna-se companheiro, desenvolvendo a emoção do prazer pelo relacionamento desinteressado, que se vai alterando até se transformar em amor legítimo.
   Indispensável, portanto, superar o conflito do medo de amar, iniciando-se no esforço de afeiçoar-se a outrem, não gerando dependência, nem impondo condições.
   Somente assim a vida adquire sentido psicológico e o sentimento de amor domina o ser.


Joanna de Ângelis - Psicografado por Divaldo P. Franco

   Muita Paz a Todos.

   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cravo do Poeta em 06 de Fevereiro de 2010, 11:35
***Bom dia a todos, e muito amor em nossos corações.

***Um ótimo final de semana para todos.


***Bom dia Hauch, que a luz te ilumine hoje, amanhã e sempre.





CHAMO-ME CARIDADE!!! - (Psicofonia de Caritas)



Chamo-me Caridade!

Hoje, visitei os lares pobres onde crianças esquálidas, de estômagos atormentados pela fome, solicitavam em preces infantis o pão farto que nunca lhes chegou.


Chamo-me Caridade!

Sondei os corações maternos agoniados que, de mãos vazias, só podiam ofertar as próprias lágrimas às suas criancinhas envoltas em panos pobres.


Chamo-me Caridade!

Durante a noite, presenciei famílias inteiras depositadas a beira de pontes, como se estas fossem os únicos abrigos que pudessem lhes proteger do frio da noite.


Chamo-me Caridade!

Fui de encontro aos asilos, onde velhos de toda sorte, imploravam em preces fervorosas, a palavra que nunca lhes chegou, na visita dos parentes que estão somente na memória de suas lembranças quase esquecidas.

Sondei-lhes a alma e compartilhei com eles suas dores, suas incertezas, suas angústias.
Tentei eu, em minha pobreza, soprar aos seus ouvidos:  -Coragem! Coragem! Ninguém está esquecido.

O Coração do Criador a todos se manifesta. O corpo pode estar alquebrado, mas seus sentimentos permanecem vivos como nunca.

Em teus olhos vejo o brilho da vida que as rugas trabalharam. 

Coragem! Coragem!


Chamo-me Caridade!

Ví adolescentes e jovens falando em morte, tentando valer-se da ausência do seu meio familiar, para buscar no consolo do sepulcro, apagar do próprio interior, as labaredas que lhes consome o mundo íntimo.

Disse-lhes: - Vai meu filho!


Busca rumo diferente... Não faça de tua vida uma porção de entulho inútil.


Deus te criou para superar a ti próprio. Tens todo um futuro que te sorri. Não termines assim.


Não limites tua existência, tão nobre, tão grande, a uns punhados de ervas que só te multiplicam as dores...


Chamo-me Caridade!

Fui de encontro a algumas famílias cujo trabalho faltava. Ví homens honestos, suplicando a benção de uma remuneração digna, para que pudessem suprir, perante aqueles a quem amam, o básico de uma existência pobre.


Chamo-me Caridade!

Ví mulheres, cuja maquiagem exibia em meio às vestes, a imagem nítida da opulência e da vitória, mas cujos corações estavam encharcados pelo pranto amargo de não serem amadas e compreendidas.

Ouve o conselho meu e encontre na maternidade, minha querida, as forças maiores que te possam realizar. Ainda que o homem tente dominar-te os anseios mais profundos e desviar-te os passos da senda do Amor, cerra teus ouvidos a estes apelos.

Vê nos braços pequeninos, no sorriso inocente, a grande tarefa a que o Senhor te conduziu.



Continuação...




Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cravo do Poeta em 06 de Fevereiro de 2010, 11:39


***Continuação...


Chamo-me Caridade!

Hoje estou aqui, diante de vocês, apresentando-me como mendigo, implorando de cada um:


-Não esqueçam a ninguém.


A grandeza do existir não se resume à disputa estéril, do berço ao túmulo.


Estou aqui para dizer a você mãezinha, que tem essa criança ao colo, nos seus braços amigos, que saiba conduzí-la com carinho na trajetória da honestidade, da decência, do Amor ao próximo.


Vim aqui implorar aos homens:


- Não esqueçam de conceder às suas companheiras o carinho e o valor que elas merecem, porque somente assim podereis formar um verdadeiro Lar.


Imploro a misericórdia a todos aqueles que perambulam na noite da vida, esquecidos e atormentados. Imploro às suas mãos, ainda que frágeis, para lhes socorrer, mesmo que, por um minuto, em suas tragédias.


Hoje mesmo, ao teu lado, está o companheiro que chora, aquele que se vê envolvido em dores infindáveis. Não é um desconhecido anônimo, é alguém que, como tu, luta para amar e ser amado.


Chamo-me Caridade!

E estarei onde os olhos humanos não conseguirem me ver....


Chamo-me Caridade!

Sou a única via de acesso à verdadeira felicidade. Por isso, venho vos convidar a participar da grande festa dos anjos, através do desprendimento de si próprios, porque a lágrima do outro é a nossa própria e a dificuldade do outro é  nosso grande desafio.


Chamo-me Caridade!

Conto com o apoio de todos.

Chamo-me Caridade!
 



Mensagem obtida por psicofonia pelo Médium Marcio R.Horii através do Espírito Cáritas,
em reunião pública, na Sociedade de Estudos Espíritas Allan Kardec–SBC-SP
em 11/02/2007em Áudio original.



"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade.

Mas a maior destas é a caridade"

[Paulo, I Coríntios]


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 11:41

Olá!

" Allan Kardec "

1 - O homem, seja qual for a escala de sua posição social, desde selvagem tem o sentimento inato do futuro; diz-lhe a intuição que a morte não é a última fase da existência e que aqueles cuja perda lamentamos não estão irremissivelmente perdidos. A crença da imortalidade é intuitiva e muito mais generalizada do que a do nada.

Entretanto, a maior parte dos que nele crêem apresentam-se-nos possuídos de grande amor às coisas terrenas e temerosos da morte! Por quê?


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 11:57
Saúde e Paz, irmão Hauch...
Concordo plenamente com a oportunidade da inserção da reflexão de Joana de Angelis - Psicografia de Divaldo Franco.
O amor é o único móvel da vida...
Movimenta-se em nós ao sabor do nosso livre arbítrio...
Quem teme amar ao seu próximo como a sí mesmo não fica de maneira alguma inerte no amar...
Exemplo:
Vemos em alguns um amor extremoso, às vezes altamente exagerado pelos animais...(estamos falando dos exageros)...
Dizem os entendidos que isso é o extravasamento do amor ao próximo, contido, represado, que inunda o ser repressor do amor ao próximo, como uma imensa represa em tempo de chuvas intensas...
Como a  criatura humana foi feita para amar...
Quando retém esse amor por um lado... chega ao ponto de não mais o conseguir conter... Dezágua  por outro vertedouro e incoscientemente também ama...
Melhor seria aproveitar para sí esse benefício que é lei da vida e, agir concientemente no amar...
E caridade pura, criar oportunidades para reflexão, pois se somos o que pensamos os pensamentos conscientes são mais proveitosos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 11:57
Olá!

Fora da Liberdade não há salvação.

O Espiritismo é Libertário.

Liberdade é o abandonar toda a história humana, evangelhos, filosofias, teorias, preconceitos, tudo o que é conhecido. "Nascer de novo", desprezando o mundo terrestre para alcançar o mundo espiritual.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 12:05

Olá!

" Allan Kardec "

O bem como o mal são voluntários e facultativos: livre, o homem não é fatalmente impelido para um nem para outro.


4. - Para libertar-se do temor da morte é mister poder encará-la sob o seu verdadeiro ponto de vista, isto é, ter penetrado pelo pensamento no mundo espiritual, fazendo dele uma idéia tão exata quanto possível, o que denota da parte do Espírito encarnado um tal ou qual desenvolvimento e aptidão para desprender-se da matéria.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 06 de Fevereiro de 2010, 12:10
 ;)Este texto foi no momento muito bem colocado.
Estamos falando de caridade e concluimos que sem o verdadeiro amor, a caridade no sentido pleno não existe.
A dificuldade em ter uma auto-estima elevada faz com que o espírito desconfie do amor do próximo e gere uma expectativa enorme em relação ao outro.
As distorções materiais impostas pela sociedade como dinheiro e poder confundem e cegam o espírito para o verdadeiro sentimento, como exemplo a solidão dos grandes ídolos que se perdem em sua fama e por não se conhecerem acham que estão sempre sendo assediados pelo o que representam e não pelo que são.  Fecham-se em gaiolas de ouro e se negam à entrega. Ou espíritos que para se completarem afetivamente erradamente se relacionam por interesse, por migalhas de carinho, por satisfação sexual, encontrando eternamente um grande vazio afetivo ocasionando uma  busca onde nada o satisfaz.
Ora, em tamanho desequilíbrio emocional como pode o espírito praticar a caridade  e evoluir no sentido pleno.  Seus atos serão sempre em busca de satisfação pessoal, interesse, troca de favores.
O autoconhecimento é ponto de partida para o espírito começar a evoluir.
O desenvolvimento  da auto-estima, o respeito por si mesmo, o perdão por suas próprias falhas, o aprendizado em situações  difíceis , o reconhecimento de seu valor como filho de Deus é fundamental para que possa interagir de forma saudável com os outros espíritos, só assim a troca , a caridade o amor será alcançado em toda plenitude.
“Ame ao próximo como a ti mesmos”
Você não pode doar o que não tem.
Bom dia
 Fiquem com Deus.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 12:20
Salve,
Como dizia meu amigo:
Quem não dá valor ao que tem e corre atrás do que não tem... Não está apto a receber o que não tem, e aí até o que tem ser-lhe-á tirado pois não o tendo valorizado, fica sem nada... perdido no vazio...
Vide Parábola dos Talentos...
Não enterremos os tesouros que nos foram confiados...
A única oportunidade de exercitar o verbo AMAR, que os seres humanos têm é amando o que em realidade têm...
A encarnação tem um objetivo específico que é viver encarnado...
Desprezar a encarnação e buscar enquanto encarnado, utopias criadas para se autojustificar no medo de amar... é enterrar um talento que foi recebido das mãos do criador...
Mais sábio é se realizar no amor aqui e agora, que deixar para amanhã...
Amanhã pode ser muito tarde... Hoje Cristo te quer libertar...
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 12:34

Olá!

" Allan Kardec "

O Espírito, que lê o pensamento, julga se a questão que lhe propõem merece resposta séria e se a pessoa que lha dirige é digna de recebe-la. A não ser assim, não perde seu tempo em lançar boas sementes em cima de pedras e é quando os Espíritos levianos e zombeteiros entram em ação, porque, pouco lhes importando a verdade, não a encaram de muito perto e se mostram geralmente pouco escrupulosos, quer quanto aos fins, quer quanto aos meios.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 12:37
Salve,
O Espiritismo cristão, para quem o deseja abraçar, é excelente opção para em torno Dele, (Cristo e nós), nos reunirmos em Caridade sob todos os angulos que se queira visualizar, para realizarmos enquanto humanos na arte de AMAR...
Sim o Espiritismo é libertário...
Nos liberta dos sectarismos, das utopias que não temos condições de entender, por nos faltarem sentido para tal...
O Próprio que gerenciou a construção da vida neste planeta, deu o exemplo mór...
"E O VERBO SE FEZ CARNE E HABITOU ENTRE NÓS"...
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 12:48

Olá!

" Allan Kardec "

22. Ao lado da dos materialistas propriamente ditos, há uma terceira classe de incrédulos que, embora espiritualistas, pelo menos de nome, são tão refratários quanto aqueles. Referimo-nos aos incrédulos de má-vontade. A esses muito aborreceria o terem que crer, porque isso lhes perturbaria a quietude nos gozos materiais. Temem deparar com a condenação de suas ambições, de seu egoísmo e das vaidades humanas com que se deliciam. Fecham os olhos para não ver e tapam os ouvidos para não ouvir. Lamentá-los é tudo o que se pode fazer.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Anton Kiudero em 06 de Fevereiro de 2010, 12:51
O espiritismo é libertário? Não, o espiritismo não é libertario. O espiritismo é apenas informativo, informa ao ser humano que ele não é um ser humano porem um espirito encarnado. Mas o ser humano, informado pelo espiritismo, é escravo da razão. Tudo deve ser racional.

E é aí que mora o perigo...

A realidade não pode ser compreendida pela razão. A mente é o maior inimigo do espirito. É a mente que cria todas as ilusões nas quais acredita (sem pensar  :D ). Para começar a despertar, o espirito deve matar o seu inimigo, a mente e a razão, e isto é a libertação.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ana Paula M Rocha em 06 de Fevereiro de 2010, 12:54
Bem, qualquer tema abordado na doutrina espírita sempre será de extrema importância, pois aqui aprendemos a realizar nossa auto-reforma, e então, poderemos na amplitude dos ensinamentos de DEUS pratica-lo. Não podemos ser caridosos com outros se não aprendermos a ser caridosos conosco, nem perdoar se não nos perdoamos. a caridade , o amor, a fé, a humildade, benevolência...tudo tem início em cada um de nós e só então, essa energia automaticamente reverterá a todo universo espiritual e material. que possamos enxergar nossas dificuldades, realizar nossas transformações... com certeza estaremos transferindo a todos em nossa volta.  que DEUS abençoe a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 06 de Fevereiro de 2010, 12:57
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
   Companheiros do fórum, posto aqui meus sinceros pedidos de desculpas, principalmente aos Irmãos Portugueses, pois, desde 1500 D.C., nossa irmandade é tão grande, inclusive no idioma, tornando-me cego, e Graças ao Nosso Bom DEUS, tenho uma mediunidade que me dá alguns “puxões de orelha”, e desta forma, consigo manter-me, pelo menos ao meu ver, a caminho da evolução.
   Sabemos que nada é por acaso, e este é um dos princípios do Kardecismo, não é por acaso que existam tantas citações também, nem discordâncias, porém, como me foi “soprado” ontem, durante minha prece noturna, e eu não havia percebido (sei que muitos irão falar: caridade é caridade, em qualquer lugar do mundo), não devemos comparar caridade no Brasil, com a mesma em Portugal. Amigos a caridade no Brasil, está em cada esquina, quando não, me bate há porta (sobretudo onde moro, no RJ, onde 90% da população é pobre). Estou falando de caridade em assistências fraternas. Neste ponto nós Brasileiros, à vista dos companheiros Portugueses, damos uma falsa impressão de “beatismo”.
   Amigos, aqui no RJ, em nossa geografia, temos o que chamamos de: “Cinturão de Favelas” (quem não viu o filme do BOPE), e não é ficção é fato, ou seja, as favelas (condições de vida abaixo do nível da pobreza), nos dão esta imensa condição de caridade, e eu não havia atentado para isto! Portanto, a partir de hoje, irei racionalizar, e principalmente, traduzir o tema de estudos.
   Enfim reitero minhas desculpas, mas, olhemos pelo lado positivo, conseguimos ter vários pontos de vista sobre um mesmo assunto! Continuemos em rumos conjuntos, porém, antes de discordar do companheiro e/ou citá-lo, ponderemos.

   Muita Paz a todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ta em 06 de Fevereiro de 2010, 13:13
Bom dia à todos, penso que a Caridade é toda forma de confortar um irmão necessitado, vai deste a oração, um diálogo edificante ou apenas ouvir, sem sequer dizer um palavra pode ajudar a aliviar a angustia de alguém. A ajuda financeira é apenas uma das infinitas formas de se ajudar o próximo. Fiquem com Deus.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 13:18
Salve,
Nos ensina o espírito da verdade,
Pelo fruto conhecereis a arvore...
Pelo efeito conhecereis a causa...
O quanto a civilização humana evoluiu pelos caminhos que o Cristianismo permaneceu? Criamos em meio a nós oportunidades ímpares de vivenciarmos nossas encarnações em condições mais favoráveis...
Elaboração de vacinas, (não falo das cópias do que estava pesquisado, descoberto, elaborado, estudado, testado, pronto para uso, sem ter nem ao menos participado de nenhuma dessas etapas), bem como da eletricidade, do telefone, das comunicações, dos melhoramentos geneticos e de correção dos solos para produzir alimento em maior abundância e mais baratos...
Houve erros mas... Convenhamos os erros só podem ser creditados aos próprios humanos...
O amor ao próximo, Caridade é, também e mais apropriadamente é, criar na medida do possível, condições de uma vida na carne mais suavizada, para melhor cumprirmos nosso desiderato enquanto humanos, para nós mesmos e para o desfrute de quem o buscar e merecer...
As utopias foram criadas pelas mentes humanas, muito antes das verdade Crísticas.
A fuga do enfrentamento ao amor ao próximo, buscaram os superiores imagináveis, desprovidos da realidade palatável ao humano, soluções mágicas. Entraram por labirintos intermináveis, dos quais até hoje não lograram sair. Então não tiveram tempo para cumprir a missão do amor enquanto encarnados, posto que estavam fortemente ocupados em vivenciar o que seria vivenciado à posterior.
Sou humano, e vejo-me como humano, regido sob a égide do sígno do leitão...
Mas não sou bobo não... Mamo em todas as tetas da sabedoria, e sei que não me faltará o maná pois é como o Cristo me ensinou... Posso em recebendo, caridosamente repartir... Mamo para repartir, NÂO quero guardar na meia não... Dá Zebra... Seca a teta...
Sempre há e haverá quem possa me ensinar... Sempre há e sempre haverá com quem eu possa repartir, desde que nunca ensinando, nada criticando e tudo filtrando para ser sal e luz sobre o candeeiro, pelos exemplos que produzir...Nunca pelo que tentar ensinar...
Eis o que penso. Penso logo, existo.
Não quero concordância. Muito menos desejo discordância, menos ainda disputa.
Estimo reflexão...
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 06 de Fevereiro de 2010, 13:23
Estou morando em Minas há 8 anos , mas sou carioca também, e assisti a degradação tomando conta das favelas através do trafico, a omissão das classes privilegiadas em socorrê-los.
Só atentaram para o que estava acontecendo quando  os tiros chegaram às janelas dos aptos  da Zona Sul e começaram a perder seus filhos com bala perdida e over dose.
Fico triste porque fiz parte desta sociedade e me dói ver a minha cidade tão querida entregue a este desgoverno. Mas devo ressaltar que temos muitas ações e voluntariados preciosos ajudando as comunidades. Acho que nunca vimos uma movimentação tão grande neste sentido. A sociedade carioca sofre muito por sua omissão, mas  é extremamente solidaria quando é solicitada.
Que Deus ilumine o povo carioca  que sempre recebeu a todos deste país de braços abertos para que cada vez mais consiga limpar esta cidade destes espíritos de trevas que se infiltraram em sua gente humilde através da droga expandindo este mal para toda sociedade.  
Que o espírito de solidariedade seja cada vez maior. Que os dirigentes desta cidade não se corrompam com o dinheiro do tráfico.  
Assim seja
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 13:27
 

   Irmão Hauch

Alô maninho...
Há erro não... Desde que há caridade no coração...
Sigamos SEM temor...
Voce mesmo concluiu... e bem...
Só assim assimilaremos pureza da pomba e sagacidade da serpente...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: llua em 06 de Fevereiro de 2010, 13:54
http://www.youtube.com/watch?v=fVtxifyVyBI&feature=PlayList&p=0A6E50941E4404DF&index=189 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWZWdHhpZnlWeUJJJmFtcDtmZWF0dXJlPVBsYXlMaXN0JmFtcDtwPTBBNkU1MDk0MUU0NDA0REYmYW1wO2luZGV4PTE4OQ==)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 13:55
Olá!

" Allan Kardec "

O bem como o mal são voluntários e facultativos: livre, o homem não é fatalmente impelido para um nem para outro.


O puro materialista tem para o seu engano a escusa da boa-fé; possível será desenganá-lo, provando-se-lhe o erro em que labora. No outro, há uma determinação assentada, contra a qual todos os argumentos irão chocar-se em vão. O tempo se encarregará de lhe abrir os olhos e de lhe mostrar, quiçá à custa própria, onde estavam seus verdadeiros interesses, porquanto, não podendo impedir que a verdade se expanda, ele será arrastado pela torrente, bem como os interesses que julgava salvaguardar.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 19:54

Olá!

" Allan Kardec "

No Espírito atrasado a vida material prevalece sobre a espiritual. Apegando-se às aparências, o homem não distingue a vida além do corpo, esteja embora na alma a vida real; aniquilado aquele, tudo se lhe afigura perdido, desesperador.

Se, ao contrário, concentrarmos o pensamento, não no corpo, mas na alma, fonte da vida, ser real a tudo sobrevivente, lastimaremos menos a perda do corpo, antes fonte de misérias e dores. Para isso, porém, necessita o Espírito de uma força só adquirível na madureza.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 06 de Fevereiro de 2010, 19:55
http://www.youtube.com/watch?v=fVtxifyVyBI&feature=PlayList&p=0A6E50941E4404DF&index=189 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWZWdHhpZnlWeUJJJmFtcDtmZWF0dXJlPVBsYXlMaXN0JmFtcDtwPTBBNkU1MDk0MUU0NDA0REYmYW1wO2luZGV4PTE4OQ==)

   Companheira llua e Bino, que bom, e acredito que os outros companheiros também, captaram a mensagem.

   Muita Paz a todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Nino Denani em 06 de Fevereiro de 2010, 19:59
Olá amigos!

Essa é minha primeira mensagem no fórum, cujo conheci por acaso em buscar na internet por download do Evangelho Segundo o Espiritismo.

Gostaria de deixar minha impressão sobre o tema. A Caridade é o respeito aos dois principais mandamentos de Deus: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo. A caridade é somente uma das vias que levam ao amor e o todo sempre é maior que suas partes. Então, falar de caridade é, obrigatoriamente, falar de amor.

O amor desperta em nós a vontade de auxiliar. Se amamos ao próximo, então sua ruína não nos é interessante. Seu prejuízo não nos é, tampouco, interessante.

Acho válida a discussão e queria levantar um ponto aberto pelo nosso amigo Hauch: "Penso que quase nenhuma caridade, sem estar embasada em uma oração verdadeira, ou comunhão constante (o que não deixa de ser uma oração) com o plano espiritual, não fluirá 100%." Eu só discordo desse ponto se formos abranger o conceito de caridade para o mundo todo, não só para a esfera de nossos centros, nossas casas de caridade. Muitos exemplos temos de pessoas que não comungam com religião, não se afinam com o conceito de oração ou prece, mas ainda assim se compadecem da miséria alheia e praticam a caridade pura: despropositada.

É só uma outra faceta de nossas discuções, espero e nem quero ser rude ou intolerante.

Abs.

nino denani
www.artefolk.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hcnRlZm9say5jb20uYnI=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 06 de Fevereiro de 2010, 20:16
Nino,
Concordo com esta afirmativa, não é necessário um grande conhecimento espírita para praticar a caridade. Também já vi pessoas extremamente caridosas  não se familiarizam com orações, cultos e preces. Simplesmente levam a vida de maneira justa e correta e se comovem com o sofrimento alheio ajudando muito desinteressadamente, porém quando temos um conhecimento maior sobre a vida espiritual, principalmente na hora da dor, nos sentimos profundamente amparados.
Normalmente pessoas sem o amparo do conhecimento espirita, apesar de boas e caridosas, consideram-se injustiçados na hora da dor, na hora da perda de um ente querido e se revoltam  muito.Vão em busca de ajuda para compreender melhor o que se passa com elas.
Muitas  vezes se perdem em depressão ou em vicios colocando por terra todo seu crescimento. Se isolam da vida. Com certeza o caminho é mais longo.
Um grande abraço
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Nino Denani em 06 de Fevereiro de 2010, 20:25
Concordo hemcogliatti.

Na verdade meu argumento foi puramente retórico. Acho, realmente, que o conhecimento da espiritualidade (se não o conhecimento, pelo menos o contato mínimo), é muito mais edificante e reconfortador, só quis explicitar que não devemos levar em conta, somente, um pelo outro.

A doutrina espírita ajuda, e muito, nisso. A religião, seja qual for, também. Mas a caridade não pode depender disso para se manifestar.

Pelo menos, é o que eu acho.

Abs.

nino denani
www.artefolk.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hcnRlZm9say5jb20uYnI=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 20:33
Nino,
Concordo com esta afirmativa, não é necessário um grande conhecimento ...(para não alongar...

Na mosca, é é o ponto...
Os Estudos e o conhecimento espírita, teológo, filosófico, metafísico, etc e tal não produzem por sí os efeitos necessários para o bom desempenho da obra...
Este só é alcançado quando colocamos mãos à massa...
Isoladamente, pouco fazemos...
Por isso o exemplo das casas espíritas, que aproveitam a obra para que o obreiro também se sirva em entendimento...
Começamos nos manicômios...Lembran-se... ainda estamos lá...
mas as idéias de lugar de louco é no seio da família já é ampla...
Outro grupos se formam todos os dias...
Então caminhemos...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: zeni em 06 de Fevereiro de 2010, 20:45
Olá a todos os amigos(as) do Fórum.

Pode-se dizer também que para praticar a caridade, é preciso  estar em paz consigo mesmo, porque tudo e qualquer atitude que se toma, tem que ser com amor porque a caridade brota do bom sentimento do coração, se dou algo tem que ter amor, se dou uma palavra amiga tem que ter amor, se visito alguém que está enfermo, tem que ter amor, se convive com alguém difícil, tem que dar amor, a caridade é amor é se entregar no momento em que se ajuda alguém faminto de amor.

"A caridade é o processo de somar alegrias, diminuir males, multiplicar esperanças e dividir a felicidade para que a Terra se realize na condição do esperado Reino de Deus." (Emmanuel)

Abraço a todos.
Zeni.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Nino Denani em 06 de Fevereiro de 2010, 20:49
Oi Filho do Bino!

concordo... mas não entendi sua última parte:

Por isso o exemplo das casas espíritas, que aproveitam a obra para que o obreiro também se sirva em entendimento...
Começamos nos manicômios...Lembran-se... ainda estamos lá...
mas as idéias de lugar de louco é no seio da família já é ampla...
Outro grupos se formam todos os dias...
Então caminhemos...

o que vc quer dizer com isso? a maneira que vc escreveu ficou esquisita.

Abs.

nino denani
www.artefolk.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hcnRlZm9say5jb20uYnI=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: hcancela em 06 de Fevereiro de 2010, 20:51
Olá amigos(as)

O verdadeiro sentido da palavra caridade:

Benevolência para com todos,  

indulgência para as imperfeições dos outros,  

perdão das ofensas.

        O amor e a caridade são o complemento da lei_de_justiça, pois amar_o_próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito.

        Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.

        A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles...

nossos inferiores,  

nossos iguais,  

ou nossos superiores.  

        Ela nos prescreve a indulgência, porque da indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer.

Apresente-se uma pessoa rica e todas as atenções e deferências lhe são dispensadas.  

Se for pobre, toda gente como que entende que não precisa preocupar-se com ela. No entanto, quanto mais lastimosa seja a sua posição, tanto maior cuidado devemos pôr em lhe não aumentarmos o infortúnio pela humilhação.

        O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa.

  Sede, pois, caridosos, praticando, não só a caridade que vos faz dar friamente o óbolo que tirais do bolso ao que vo-lo ousa pedir, mas a que vos leve ao encontro das misérias ocultas.  Sede indulgentes com os defeitos dos vossos semelhantes.  Em vez de votardes desprezo à ignorância e ao vício,...

instruí os ignorantes  

e moralizai os viciados.

        Sede brandos e benevolentes para com tudo o que vos seja inferior. Sede-o para com os seres mais ínfimos da criação e tereis obedecido à lei de Deus.

 

SÃO VICENTE DE PAULO


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Nino Denani em 06 de Fevereiro de 2010, 20:52
oi Zeni!

Concordo!

nino denani
www.artefolk.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hcnRlZm9say5jb20uYnI=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: hcancela em 06 de Fevereiro de 2010, 20:52
Olá amigos(as)

Caridade é uma palavra tão simples quanto as outras, mas, se for traduzida em ação, será sempre uma luz no caminho.    

  

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: hcancela em 06 de Fevereiro de 2010, 20:54
Olá amigos(as)

  Todo serviço da caridade desinteressada é um reforço divino na obra da fraternidade humana e da redenção universal.

        Urge, contudo, que os espiritistas sinceros, esclarecidos no Evangelho, procurem compreender a feição educativa dos postulados doutrinários, reconhecendo que o trabalho imediato dos tempos modernos é o da iluminação interior do homem, melhorando-se-lhe os valores do coração e da consciência.

        Dentro desses imperativos, é licito encarecermos a excelência dos planos educativos da evangelização, de modo a formar uma mentalidade espírita-cristã, com vistas ao porvir.

        Não podemos desprezar a caridade material que faz do Espiritismo evangélico um pouso de consolação para todos os infortunados; mas não podemos esquecer que as expressões religiosas sectárias também organizaram as edificações materiais para a caridade no mundo, sem olvidar os templos, asilos, orfanatos e monumentos. Todavia, quase todas as suas obras se desvirtuaram, em vista do esquecimento da iluminação dos Espíritos encarnados.

        A Igreja Romana é um exemplo típico. Senhora de uma fortuna considerável e havendo construído numerosas obras tangíveis, de assistência social, sente hoje que as suas edificações são apenas de pedra, porquanto, em seus estabelecimentos suntuosos, o homem contemporâneo experimenta os mais dolorosos desenganos.

        As obras da caridade material somente alcançam a sua feição divina quando colimam a espiritualização do homem, renovando-lhe os valores íntimos, porque, reformada a criatura humana em Jesus_Cristo, teremos na Terra uma sociedade transformada, onde o lar genuinamente cristão será naturalmente o asilo de todos os que sofrem.

        Depreende-se, pois, que o serviço de cristianização sincera das consciências constitui a edificação definitiva, para a qual os espiritistas devem voltar os olhos, antes de tudo, entendendo a vastidão e a complexidade da obra educativa que lhes compete efetuar, junto de qualquer realização humana, nas lutas de cada dia, na tarefa do amor e da verdade.


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Nino Denani em 06 de Fevereiro de 2010, 20:57
já que vc citou isso, cito também o livro " Melhor Coisa do Mundo", do pastor Henry Drummond. Não vou escrever aqui, já que o livro inteiro pode ser lido em 2 horinhas.

Muito bom. Uma ótima dissertação sobre o amor.

Abs.

nino denani
www.artefolk.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hcnRlZm9say5jb20uYnI=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 21:55

Olá

" Budismo " Iniciando a prática zen

Minha cadela não se preocupa com o significado da vida. Ela pode se preocupar em receber ou não a refeição pela manhã, mas não se senta preocupada em conseguir ou não a realização, a libertação, a iluminação. Desde que receba um pouco de comida e afeto, a vida lhe corre bem. Porém nós, seres humanos, não somos como os cães. Temos mentes centradas em si mesmas que nos remetem a muitos problemas. Se não entendermos o equívoco em nossa forma de pensar, nossa autopercepção, que é nossa maior bênção, torna-se também nossa perdição.

Ninguém acredita que sua vida é perfeita. No entanto, existe no íntimo de cada um uma dimensão que sabe que somos ilimitados, infinitos. Vemo-nos presos à contradição de encontrar a vida em meio a um quebracabeça muito desconcertante, capaz de nos causar muitos sofrimentos; ao mesmo tempo, temos uma vaga consciência da natureza ilimitada, infinita da vida. Desta maneira, começamos a procurar uma resposta a esse enigma.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 21:58

Olá!

" Allan Kardec "

Compreende-se facilmente toda a diferença que existe entre a obsessão simples e a fascinação; compreende-se também que os Espíritos que produzem esses dois efeitos devem diferir de caráter. Na primeira, o Espírito que se agarra à pessoa não passa de um importuno pela sua tenacidade e de quem aquela se impacienta por desembaraçar-se. Na segunda, a coisa é muito diversa. Para chegar a tais fins, preciso é que o Espírito seja destro, ardiloso e profundamente hipócrita, porquanto não pode operar a mudança e fazer-se acolhido, senão por meio da máscara que toma e de um falso aspecto de virtude. Os grandes termos - caridade, humildade, amor de Deus - lhe servem como que de carta de crédito, porém, através de tudo isso, deixa passar sinais de inferioridade, que só o fascinado é incapaz de perceber. Por isso mesmo, o que o fascinador mais teme são as pessoas que vêem claro. Daí o consistir a sua tática, quase sempre, em inspirar ao seu intérprete o afastamento de quem quer que lhe possa abrir os olhos. Por esse meio, evitando toda contradição, fica certo de ter razão sempre.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 06 de Fevereiro de 2010, 22:04
   Que a Paz e o Amor de DEUS Permaneçam em Todos os Corações.

   Companheiros para variar, trago-lhes um tema um pouco diferente, porém é Ciência.
   Nossos cientistas tentando reproduzir a vida na Terra!


   http://www.seuhistory.com/br/series/how-the-earth-was-made.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5zZXVoaXN0b3J5LmNvbS9ici9zZXJpZXMvaG93LXRoZS1lYXJ0aC13YXMtbWFkZS5odG1s)


   Muita Paz.

   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 06 de Fevereiro de 2010, 22:22

Olá!

" Allan Kardec "

5 Que conclusão podemos tirar do sentimento intuitivo que todos os homens trazem em si mesmos da existência de Deus?

– A de que Deus existe; de onde lhes viria esse sentimento se repousasse sobre o nada? É ainda uma conseqüência do princípio de que não há efeito sem causa.

6 O sentimento íntimo que temos em nós da existência de Deus não seria o efeito da educação e das idéias adquiridas?

– Se fosse assim, por que vossos selvagens teriam também esse sentimento?

☼ Se o sentimento da existência de um ser supremo fosse o produto de um ensinamento, não seria universal. Somente existiria naqueles que tivessem recebido esse ensinamento, como acontece com os conhecimentos científicos.

7 Poderemos encontrar a causa primária da formação das coisas nas propriedades íntimas da matéria?

– Mas, então, qual teria sido a causa dessas propriedades? Sempre é preciso uma causa primária.

☼ Atribuir a formação primária das coisas às propriedades íntimas da matéria seria tomar o efeito pela causa, porque essas propriedades são elas mesmas um efeito que deve ter uma causa.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 23:22
Amado irmãos estudantes,
Acabo de receber, muitos de voçes tmbém devem te-la recebido mas, por ser pertinente peço licença para reproduzir aqui...

        O Caos Social: o que fazer?
        Carlos Augusto Parchen.

        www.carlosparchen.net (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jYXJsb3NwYXJjaGVuLm5ldA==)
        c_a_parchen@yahoo.com.br
        http://www.cele.org.br/ocaossocial050707.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jZWxlLm9yZy5ici9vY2Fvc3NvY2lhbDA1MDcwNy5odG1s)    

        

        "Reconhece-se o Homem de Bem pelo esforço que faz em melhorar-se"....
        "... e em melhorar a sociedade".    
Violência, desonestidade, falta de ética, injustiça social, fome, desnutrição infantil, falta de atendimento a saúde.
Difícil situação. Angustiante sensação frente ao caos ético, moral e social que vemos brotar nos noticiários televisivos, na imprensa, nas conversas sociais.        
        Tal estado de coisas não nos pode ser indiferente. Somos afetados direta e indiretamente por tudo isso. Exige-nos, tal situação, um forte posicionamento pessoal, sob pena de nos tornarmos cúmplices dela.
        Em primeiro lugar, nos cabe o dever de não multiplicar a vibração energética do erro e das coisas erradas. Para isso, devemos retirar tal tipo de situação do foco de nossas conversas e atenções. Não devemos multiplicar esses fatos e essas vibrações energéticas negativas. Isso não significa ignorar, mas apenas dar ao mal, ao erro, a sua devida dimensão, ou seja, deve servir apenas para nossa auto-avaliação e para não incorrermos nos mesmos erros. Tomemos conhecimento, mas deixemos o assunto "morrer" ali.  
        Em segundo lugar, devemos tomar as medidas que nos cabem para mudar tal estado de coisas, pois não podemos nos omitir na luta contra o mal, contra o erro, contra a injustiça, contra a falta de ética, contra a falta de amor. Para isso é preciso tomar atitudes. Positivas e afirmativas. Dentre muitas dessas atitudes, podemos relacionar:  
            •     Exemplificar o ser correto, ético, honesto e solidário em todos os atos da vida;
            •     Não transigir com o respeito a legalidade e a honestidade, praticando isso e exigindo isso em toda a nossa esfera de influência, mesmo nas menores coisas e atos do cotidiano;
            •     Votar melhor, eleger melhor e cobrar mais dos Legisladores e Governantes, exigindo que façam bem e honestamente àquilo para que receberam mandato e delegação da Sociedade;
            •     Participar efetivamente nas Organizações e Instituições que visam resolver ou amenizar problemas conjunturais e estruturais da sociedade. Isso inclui o voluntariado e as contribuições materiais e financeiras para as entidades filantrópicas, assistenciais, educacionais e de melhoria do meio ambiente;
            •     Posicionar-se claramente a favor da ética, da honestidade e da eqüidade social, sempre que se apresentar ocasião propícia para tal;
            •     Posicionar-se claramente contra atos que infrinjam a ética, a honestidade e a legalidade, dentro do limite ditado pela prudência, evitando o confronto inútil e improdutivo, em equilíbrio com o não omitir-se e não tornar-se cúmplice.
        Isso tudo está ao nosso alcance, dentro das possibilidades de todos nós, independente das condições financeiras, sociais e culturais. Temos que evitar o terrível erro da omissão, muitas vezes agravada pela crítica vazia e inócua, feita de forma errada, no local errado e para as pessoas erradas.
        Como colocou Kardec, "....reconhece-se o Homem de Bem pelo esforço que faz em melhorar-se...", poderíamos parafraseá-lo com o adendo: "...e em melhorar a sociedade...".
        Façamos a nossa parte. Não podemos permitir que o botão de desligar de nossa televisão seja também o botão de desligar de nossa consciência.
        * * *
 
        Com esta mensagem eletrônica
        seguem muitas vibrações de paz e amor
        para você
        ---------
        http://aeradoespirito.sites.uol.com.br/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2FlcmFkb2VzcGlyaXRvLnNpdGVzLnVvbC5jb20uYnIv)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 06 de Fevereiro de 2010, 23:41
Amados do meu coração,
Quem não dá o devido valor ao que tem e corre atráz do que não tem...
Saindo por aí afora, viajando na maionese e deixar o dever de casa por fazer...
Pode acabar em tendo seu cérebro sendo utilizado como cluster em naves alienígenas como a descrita nesse artigo do Cesar que acabo receber...
Quem avisa amigo é...
Haja, imaginação....
A coluna "Cesar Brod" desta semana traz o artigo
"Ficção Científica? #10".

O artigo na integra encontra-se em
http://www.Dicas-L.com.br/brod/brod_20100202.php (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5EaWNhcy1MLmNvbS5ici9icm9kL2Jyb2RfMjAxMDAyMDIucGhw)

:.: Resumo :.:
Quando todos julgavam que Cesar Brod havia abandonado definitivamente sua saga interplanetária, lá vem ele com mais um capítulo.
Agora, certamente, todos já esqueceram tudo o que aconteceu nos anteriores. Então aí vai um resumo:
Uma guria tri nojenta, que odeia ter em seu corpo qualquer DNA alheio ao dela,
acaba*** com um tipão peludo em um planeta distante. O tipo acaba revelando-se um cientista de mais de 600 anos com um treinamento avançadíssimo que o permite armazenar mentes alternativas nos 85% que não ocupa de seu cérebro. Uma viagem! Os computadores das naves são formados por clusters de cérebros humanos modificados. No planeta onde eles estão, onde se planta, tudo dá, com um dia havia sido a Terra.
Neste novo capítulo, rolam uns lances meio telepáticos, o cientista velhinho fala
pela primeira vez depois de 600 anos e, uma revelação acontece! (ao menos
para aqueles que não acharem tudo muito previsível)

RSS: http://www.Dicas-L.com.br/brod/index.xml (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5EaWNhcy1MLmNvbS5ici9icm9kL2luZGV4LnhtbA==)

Obrigado,
Rubens

Aká Rubens.... *** suprimí um tikinho, para evitar maledicências tá?

Prudencia e caldo de galinha nunca fizeram mal a ninguem... Pés no chão é sempre bom...
Checar e verificar tudo com o potencial que Deus nos deu é legítimo para não cairmos em trapalhadas...
Só pra desanuviar um "tikinhu"... uai sô ninguem tamem é de ferro né?
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 07 de Fevereiro de 2010, 00:09

Olá!

AGUIA OU GALINHA? reflexão e motivação
http://www.youtube.com/watch?v=Pv2ub3366qs&feature=related (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVB2MnViMzM2NnFzJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQ=)


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: quiteria2010 em 07 de Fevereiro de 2010, 00:42
caridade, palavra maravilhosa que nos ensina a amar, praticar a caridade é reconhecer que somos filhos de DEUS. Levar uma palavra amiga a quem necessitar, Tantas pessoas estão passando por problemas morais e financeiros e não sabem como lidar com seus problemas, chegando ao desespero e ao suicídio, será nesse momento que uma palavra amiga e com muito amor e compreensão fará a diferença. Valorizar mostrar as pessoas o valor da vida e o segredo de nossa missão a nós confiada pelo Pai. Neste mundo em que vivemos não temos tempo de olhar para o lado e perceber que nosso irmão necessita de uma palavra amiga. Neste caso teremos que rever nosso conceito em relação a caridade e amor. Pois aquele que pratica a caridade encontrara o tempo necessário para atingir o coração humano, valorizar a vida, tocar a alma com a certeza da vitória e esperança.                                                                                 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Marli Pacheco em 07 de Fevereiro de 2010, 00:58
             A CARIDADE 
A Caridade consiste em fazer o bem e evitar o mal.
Estudando
a vida espiritual, descobriu-se
que os Espíritos felizes são
aqueles que viveram na Terra fazendo o bem, isto é, praticando a Caridade.
Se é preciso fazer o bem para a gente ser feliz, devemos adotar a regra: fora
da Caridade não há salvação.
Esta é a norma que o Espiritismo apresenta para todos os encarnados de boa
vontade, que trabalham para o seu progresso.
Submetendo nossa vida à lei da Caridade, nós nunca nos desviaremos do
caminho do Dever e entraremos no mundo espiritual com a consciência tranquila.
A pessoa caridosa é paciente, é bondosa, é honesta e trabalhadora. Não tem
inveja de ninguém; não prejudica ao seu próximo; não é soberba e não tem orgulho
nem vaidades.
A pessoa caridosa não é ambiciosa; não é egoísta; não se irrita e não fala
mal dos outros.
Quando precisa repreender alguém o faz com ternura, sem magoar.
A pessoa caridosa é verdadeira e sincera; ama a justiça e a verdade.
A pessoa caridosa não se vinga e não guarda ódio; combate o mal, os
vícios, os preconceitos e a hipocrisia.
Enfim, a pessoa caridosa faz aos outros somente aquilo que desejaria que os
outros lhe fizessem.
A prática da Caridade transformará a Terra em um paraíso; é por isso que o
Espiritismo aponta como o caminho da felicidade a lei: Fora
da Caridade não há
salvação.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Marli Pacheco em 07 de Fevereiro de 2010, 01:06
  COMO PRATICAR A CARIDADE

À medida que formos ingressando na vida ativa e trabalhosa que nos
aguarda, muitas vezes precisamos dos outros e os outros precisarão de nós.
Há uma porção de irmãos nossos que necessitam de auxílio. Deus os
colocou ao nosso lado para que os amparássemos e fôssemos aprendendo a exercer a
Caridade.
Os benefícios que podemos fazer aos nossos irmãos são: ensiná-los;
curá-los;
aconselhá-los; emprestar-lhes
alguma coisa; arranjar-lhe
empregos; livrá-los
dos vícios; ajudá-los
nas dificuldades e muitos outros.
Se tivermos boa vontade e bom coração, sempre arranjaremos um meio de
auxiliar um irmão.
Quando tivermos ocasião de prestar um beneficio, tenhamos o cuidado de
não humilhar quem o recebe. Nunca contemos aos outros os favores que fazemos e
os auxílios que damos.
Há grande dor no coração do irmão necessitado e não devemos aumentar-lhe
o sofrimento, humilhandoo
diante de todos.
Não façamos um benefício esperando uma recompensa; os hipócritas é que
fazem assim.
Ajudemos a todos desinteressadamente e Deus, que tudo vê, saberá dar a
cada um de nós o prêmio de nossa boa ação.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MARCUSCHI em 07 de Fevereiro de 2010, 01:09
QUESTÃO 886. Do “LIVRO DOS ESPIRITOS”
Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a  entendia Jesus?
“Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.”
O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça,pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras  de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.
A caridade, segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes, sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores. Ela nos prescreve a indulgência, porque de indulgência precisamos nós mesmos, e nos proíbe que humilhemos os desafortunados, contrariamente ao que se costuma fazer. Apresente-se uma pessoa rica e todas as atenções e deferências lhe
são dispensadas. Se for pobre, toda gente como que entende que não precisa preocupar-se com ela. No entanto, quanto mais lastimosa seja a sua posição, tanto maior cuidado devemos pôr em lhe não aumentarmos o infortúnio pela humilhação. O homem verdadeiramente bom procura elevar, aos seus próprios olhos, aquele que lhe é inferior, diminuindo a distância que os separa.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MARCUSCHI em 07 de Fevereiro de 2010, 01:15
QUESTAO 887. DO “livro dos espiritos”
887. Jesus também disse: Amai mesmo os vossos inimigos.Ora, o amor aos inimigos não será contrário às nossas tendências naturais e a inimizade não provirá de uma falta de simpatia entre os Espíritos?
“Certo ninguém pode votar aos seus inimigos um amor terno e apaixonado. Não foi isso o que Jesus entendeu de dizer. Amar os inimigos é perdoar-lhes e lhes retribuir o mal com o bem. O que assim procede se torna superior aos seus inimigos, ao passo que abaixo deles se coloca, se procura tomar vingança.”

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Marli Pacheco em 07 de Fevereiro de 2010, 01:17
       NÃO JULGUEMOS

O hábito de julgar os outros constitui uma das imperfeições de nosso
caráter. É preciso que empreguemos todos os nossos esforços para ficarmos livres
dessa imperfeição.
Julgar os outros é uma das maneiras de a gente ser orgulhosa, porque quem
julga pensa que é superior a seus irmãos.
Reparar na vida alheia; falar mal de nossos colegas, de nossos amigos e de
nossos parentes; criticar os atos dos outros; fazer intrigas; contar para todos as faltas
que viu alguém cometer; tudo isso é julgar os outros.
Quem assim procede não compreende o mandamento “amemonos
uns aos
outros” e falta com o dever da caridade.
Não podemos reparar nos defeitos de nosso próximo porque nós também
estamos cheios de defeitos.
O direito de julgar pertence a Deus. Só nosso Pai sabe julgar com justiça os
erros de seus filhos.
Um modo fácil que nos ajudará a ficar livres desse defeito é ter por regra o
seguinte: “Falar e pensar somente bem de todos; quando não pudermos falar bem,
fiquemos quietos ou desviemos a conversa”.
Há muitos assuntos belíssimos que merecem nossa atenção sem que
precisemos criticar a vida dos outros.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MARCUSCHI em 07 de Fevereiro de 2010, 01:19
QUESTAO 888. DO “livro dos espíritos”
888. Que se deve pensar da esmola?
“Condenando-se a pedir esmola, o homem se degrada física e moralmente: embrutece-se. Uma sociedade que se baseie na lei de Deus e na justiça deve prover à vida do fraco, sem que haja para ele humilhação. Deve assegurar a
existência dos que não podem trabalhar, sem lhes deixar a vida à mercê do acaso e da boa vontade de alguns.”
a) — Dar-se-á reproveis a esmola?
“Não; o que merece reprovação não é a esmola, mas a maneira por que habitualmente é dada. O homem de bem, que compreende a caridade de acordo com Jesus, vai ao encontro do desgraçado, sem esperar que este lhe estenda a mão.“A verdadeira caridade é sempre bondosa e benévola;
está tanto no ato, como na maneira por que é praticado. Duplo valor tem um serviço prestado com delicadeza. Se o for com altivez, pode ser que a necessidade obrigue quem o recebe a aceitá-lo, mas o seu coração pouco se comoverá.
“Lembrai-vos também de que, aos olhos de Deus, a ostentação tira o mérito ao benefício. Disse Jesus: ‘Ignore a vossa mão esquerda o que a direita der.’ Por essa forma, ele vos ensinou a não tisnardes a caridade com o orgulho.
“Deve-se distinguir a esmola, propriamente dita, da beneficência. Nem sempre o mais necessitado é o que pede. O temor de uma humilhação detém o verdadeiro pobre, que muita vez sofre sem se queixar. A esse é que o homem verdadeiramente humano sabe ir procurar, sem ostentação.
“Amai-vos uns aos outros, eis toda a lei, lei divina, mediante a qual governa Deus os mundos. O amor é a lei de atração para os seres vivos e organizados. A atração é a lei de amor para a matéria inorgânica.
“Não esqueçais nunca que o Espírito, qualquer que sejam o grau de seu adiantamento, sua situação como reencarnado, ou na erraticidade, está sempre colocado entre um superior, que o guia e aperfeiçoa, e um inferior, para com o qual tem que cumprir esses mesmos deveres. Sede, pois,caridosos, praticando, não só a caridade que vos faz dar friamente o óbolo que tirais do bolso ao que vo-lo ousa pedir, mas a que vos leve ao encontro das misérias ocultas.
Sede indulgentes com os defeitos dos vossos semelhantes.
Em vez de votardes desprezo à ignorância e ao vício, instruí os ignorantes e moralizai os viciados. Sede brandos e benevolentes para com tudo o que vos seja inferior. Sede-o para com os seres mais ínfimos da criação e tereis obedecido à lei de Deus.”
SÃO VICENTE DE PAULO
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MARCUSCHI em 07 de Fevereiro de 2010, 01:21
Capitulo XII- LIVRO DOS  ESPIRITOS COMO FAZER A CARIDADE:
10. Meus amigos, a muitos dentre vós tenho ouvido dizer:
Como hei de fazer caridade, se amiúde nem mesmo do necessário disponho?
Amigos, de mil maneiras se faz a caridade. Podeis fazê-la por pensamentos, por palavras e por ações. Por pensamentos, orando pelos pobres abandonados, que morreram sem se acharem sequer em condições de ver a luz. Uma prece feita de coração os alivia. Por palavras, dando aos
vossos companheiros de todos os dias alguns bons conselhos, dizendo aos que o desespero, as privações azedaram o ânimo e levaram a blasfemar do nome do Altíssimo: “Eu era como sois; sofria, sentia-me desgraçado, mas acreditei no Espiritismo e, vede, agora, sou feliz.” Aos velhos que vos
disserem: “É inútil; estou no fim da minha jornada; morrerei como vivi”, dizei: “Deus usa de justiça igual para com todos nós; lembrai-vos dos obreiros da última hora.” Às crianças já viciadas pelas companhias de que se cercaram e que vão pelo mundo, prestes a sucumbir às más tentações,
dizei: “Deus vos vê, meus caros pequenos”, e não vos canseis de lhes repetir essas brandas palavras. Elas acabarão por lhes germinar nas inteligências infantis e, em vez de vagabundos, fareis deles homens. Também isso é caridade. Dizem, outros dentre vós: “Ora! somos tão numerosos na Terra, que Deus não nos pode ver a todos.” Escutai bem
isto, meus amigos: Quando estais no cume da montanha, não abrangeis com o olhar os bilhões de grãos de areia que a cobrem? Pois bem: do mesmo modo vos vê Deus. Ele vos deixa usar do vosso livre-arbítrio, como vós deixais que esses grãos de areia se movam ao sabor do vento que os dispersa. Apenas, Deus, em sua misericórdia infinita, vos pôs no fundo do coração uma sentinela vigilante, que se chama consciência. Escutai-a, que somente bons conselhos ela vos dará. Às vezes, conseguis entorpecê-la, opondo-lhe o espírito do mal. Ela, então, se cala. Mas, ficai certos de que a
pobre escorraçada se fará ouvir, logo que lhe deixardes aperceber-se da sombra do remorso. Ouvi-a, interrogai-a e com freqüência vos achareis consolados com o conselho que dela houverdes recebido.
Meus amigos, a cada regimento novo o general entrega um estandarte. Eu vos dou por divisa esta máxima do Cristo: “Amai-vos uns aos outros.” Observai esse preceito, reuni-vos todos em torno dessa bandeira e tereis ventura e consolação. – Um Espírito protetor. (Lião, 1860.)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: RuyLFreitas em 07 de Fevereiro de 2010, 01:38
Não resta dúvida alguma é fazendo a caridade (O Amor em Ação) que se evolui, e creia, uma só palavra que levante seu irmão que está desorientado, auxiliar um cego para que não bata no poste ou atravessar a rua, um simples aperto de mão parabenizando alguém por ter feito aniversário, ou algo benéfico, é caridade.

Outrossim, caso você more numa rua onde alguém foi atropelado, e você desesperado chama seu vizinho qual é Médico para auxiliar nos primeiros socorros, e ele se negar, para mim o diploma dele não vale nada deveria se destinar a lata de lixo, ele é um egoísta, simplesmente lançou longe um momento em que você apontou onde ele podia usar do amor em ação (CARIDADE), e creia, usemos a simbologia: quando os Ateus fazem o bem Jesus dá um sorriso largo, quando um Religioso presta a caridade, Jesus sorri normalmente, mas, você pode me indagar por que tal divergência? Respondo:

É que o Ateu ele faz de coração, enquanto muitos Religiosos sabem que prestando a caridade os eleva, mas não são todos que pensam assim, mas muitos só faltam gritar aos quatro ventos:

"Viu Jesus a benevolência que fiz?" - Creia que tal feito muito pouco valeu para ele, enquanto o Ateu faz sem o mínimo interesse, e isto é o que faz sentido. Não precisa acreditar em Jesus, Deus e outros, basta sermos bons de coração, e creia até me incluo, pois quem sabe presto a caridade impulsionado pelo meu subconsciente? Caridade anunciada não é caridade.

Um forte abraço, cheio de Paz e Luz.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: shirley 45 em 07 de Fevereiro de 2010, 02:28
a caridade é a mas sublime maxima do cristo,ela abre o caminho para todas as outras virtudes,quem a pratica de coração,já conhesse o verdadeiro amor e já se despojou do materialismo.que deus nos abençoe e nos guarde no seu coração.que asim seja.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Marli Pacheco em 07 de Fevereiro de 2010, 02:29
    A CARIDADE EM PESSOA

Eis como Allan Kardec nos ensina a ser uma pessoa de bem:
A verdadeira pessoa de bem é a que cumpre a lei da justiça, do amor e da
caridade na sua maior pureza.
Interrogando sua consciência sobre seus próprios atos, a si mesma
perguntará se não praticou o mal, se faz todo o bem que podia.
Tem fé em Deus.
Sabe que sem a permissão de Deus nada lhe pode acontecer.
Aceita sem se queixar os sofrimentos, porque sabe que são necessários ao
seu progresso espiritual.
Faz o bem pelo bem, sem esperar recompensas.
Paga o mal com o bem e coloca a justiça acima de tudo.
Sente-se
feliz em poder servir os outros.
A pessoa de bem é boa, humana e benevolente para com todos. Não faz
distinção de raças nem de crenças nem de nacionalidades porque sabe que todos são
seus irmãos.
O seu guia é a caridade e evita magoar ou prejudicar os outros, porque não
merece a clemência de Deus quem não sabe ser clemente para com seus irmãos.
Não alimenta ódios, nem rancores, nem desejos de vingança.
Não se compraz em descobrir os defeitos alheios.
Estuda suas próprias imperfeições e trabalha em combatêlas.
Não se
envaidece de suas riquezas, nem de seu poder.
Não se orgulha de suas vantagens pessoais, de seu saber ou de sua força.
Evita tudo o que possa tornar mais penosa a situação de seus irmãos que
estão em posições inferiores.
Finalmente, uma pessoa de bem respeito seus semelhantes como também
quer ser respeitada.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Luluz em 07 de Fevereiro de 2010, 04:14
Várias maneiras há de fazer-se a caridade, que muitos dentre vós confundem com a esmola: Diferença grande vai, no entanto, de uma para outra. A esmola, meus amigos, é algumas vezes útil, porque dá alívio aos pobres; mas é quase sempre humilhante, tanto para o que dá , como para o que recebe. A caridade, ao contrário, liga o benfeitor ao beneficiado e se disfarça de tantos modos! Pode-se ser caridoso, mesmo com os parentes e com os amigos, sendo uns indulgentes para com os outros, perdoando-se mutuamente as fraquezas, cuidando não ferir o amor-próprio de ninguém. Vós, espíritas, podeis sê-lo na vossa maneira de proceder para com os que não pensam como vós, induzindo os menos esclarecidos a crer, mas sem os chocar, sem investir contra a suas convicções e, sim, atraindo-os amavelmente às nossas reuniões, onde poderão ouvir-nos e onde saberemos descobrir nos seus corações a brecha para neles penetrarmos. Eis aí um dos aspectos da caridade. Evang. Seg. Esp.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 07 de Fevereiro de 2010, 07:48

Olá!

" Krishnamurti "

Enquanto fingirem que estão à procura de algo mais que de simples compensação, não poderão ver a questão com clareza. A primeira coisa a descobrir, portanto, é se estão realmente à procura, fundamentalmente à procura da verdade.

Um homem que procura a verdade não é um discípulo da verdade. Suponham que me dizem: “Não tive amor na minha vida; foi uma vida pobre, uma vida de constante sofrimento; por isso, para obter conforto, procuro a verdade.” Devo então chamar a atenção para o facto de que a vossa procura de conforto é uma total ilusão. Na vida não existe isso de conforto e segurança. A primeira coisa a perceber é que devem ser absolutamente francos.

Mas vocês próprios não estão certos do que realmente querem: querem conforto, consolação, compensação, e no entanto, ao mesmo tempo, querem algo que é infinitamente maior que a compensação e o conforto. A vossa mente está tão confusa que num momento vocês confiam numa autoridade que lhes oferece compensação e conforto e, no momento seguinte, voltam-se para outra que lhes nega conforto. A vossa vida portanto torna-se numa refinada e hipócrita existência, uma vida de confusão. Tentem descobrir o que realmente pensam; não finjam pensar o que acham que devem pensar.


Namasté

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Virgilino em 07 de Fevereiro de 2010, 10:33
 De repente pensamos que caridade é dar esmolas ou ajudar alguém em dificuldade. Mas o conceito de caridade é bem mais amplo. Então o que seria caridade? Entendo que caridade é:
 - Amar as pessoas com que convivemos no dia a dia,
- Executar da melhor forma possivel, aliás alem disso, as nossas atribuições do nosso trabalho;
- Participar da vida ativa da comunidade ondo nos situamos;
- Participar ativamente das atvidiades da casa espirita que frequentamos;
- Estar sempre estudando e nos aprofundando nos ensinamentos espiritas;
- Dar apoio moral e/ou material àqueles que necessitam;
- Conduzir-se dentro dos padrões morais e éticos na vida em sociedade;
- Orar por todos aqueles que passam por problemas ou dificuldades;
- .......

Na verdade a lista não se esgota aqui, mas dá para exemplificar o que entendo por caridade.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: igor rj em 07 de Fevereiro de 2010, 12:09
CARIDADE DE TRASMITIR PALAVRAS DE CARINHO E DE SUSTENTABILIDADE, PALAVRAS QUE LEVEM FORÇA E AO MESMO TEMPO ABRA OS OLHOS.
E PALAVRAS DE DEUS.
E EM TERMOS MATERIAS ASSIM QUE POSSO SEMPRE CONTRIBUO COM ALGO..

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MARCUSCHI em 07 de Fevereiro de 2010, 12:14
Quando se faz referencia aos ditos de " Krishnamurti ", temos a sensação de que obtivemos respostas a nossas questões internas. Entretanto o que ocorre é uma dilatação do tamanho da dúvida. Certamente que, esta, é uma grande colaboração que ele nos proporciona com suas palestras, porque, creio, o único que consegue, realmente, saber o que quer dizer é Ele próprio. Com as obras de Allan Kardec, podemos iniciar uma compreensão raciocinada e mais objetiva das questões eternamente abordadas sobre a natureza humana. " Krishnamurti " nos “encuca” Kardec nos esclarece.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 07 de Fevereiro de 2010, 12:28
Citar
Olá!
AGUIA OU GALINHA? reflexão e motivação
Namasté

Que a Paz do Divino Mestre, esteja no coração de todos nós, estudantes da Caridade!

Então...
Nos idos 1963, eu morava em um internato dirigido por padres, e estudava no Colégio Pio XII, de orientação católica, com o advento da revolução de 1964, foram fechados, lamentavelmente, (não importa aqui o porquê), e aprendi lá uma outra versão da estorieta da águia e da galinha.
Em determinado ponto da evolução da vida do filhote de águia, o criador de galináceos reparou um sumiço de pintinhos mais novos...
Separou o filhote de Águia em outro compartimento do galinheiro, e os pintinhos deixaram de simplesmente desaparecer...
Treinou o filhote de Águia a buscar comida como Águia e a soltou tranquilamente sem a atirar do alto de um elevado penhasco... A águia planou e foi viver seu período de encarnação como Águia...
O criador reconheceu pela prova das perdas de filhotes de pintinhos, que havia cometido um erro de lesa-natureza tendo retirado uma criatura de Deus de seu habitat natural e a obrigado pelas circunstâncias a viver como galináceo.
Seu coração caridoso, em reconhecendo o erro o reparou na conformidade da orientação natural, pois compreendeu que a vida embora sendo movimento... Tem movimento próprio e natural.
Empregar inteligência para cooptar é fazer proselitismo...
Empregar inteligência para cooptar pelo medo é terrorismo...
Enfiar teoria goela abaixo em local diverso do próprio é no mínimo desrespeitoso para com a inteligência alheia...
Despachos, trabalhos com o emprego de magia negra é idem...
Toda interferência imprópria é risco de lesa-natureza.
Há estorietas mil, criadas ao sabor do interesse em cooptar adeptos...

Irmãos,
João (o Evangelista) nos chama atenção para os cuidados em examinar tudo com o crivo da razão.
O Espiritismo e Kardec ao compilar a codificação trazem inúmeros alertas caridosos a todos nós...
Constrange-me o coração, quando ouço a frase: “Eu te amarro em nome de Jesus”.
Falta-nos o sentido de análise crítica para avaliar se quem está sendo amarrado, precisa realmente ser amarrado ou simplesmente Evangelizado.
Quem será o responsável em descer às furnas e desamarrar uma pobre e simples criatura que apenas queria atenção e se aproximou de outrem sem intenção de prejudicar ou lesar?
Constrange-me o coração quando doutrinadores afoitos em mostrar serviço, agem sem caridade dos serviços de desobsessão...
Paulo adverte: Todos tudo podem, mas é mais sensato, filtrar o que nos convém...
Quem põe mão à charrua, principalmente no que tange a caridade é preciso estar atento.
Viajar na maionese é divagar sem análise prévia de local de pouso adequado...
Sem submeter o que se ouve, vê, compreende, sente, ao crivo da razão,  
Buscar evolução, sem opção de submeter o que sugerimos aos sentidos da razão impede de aprecia-la, livremente,  Aí é preciso nem crer, nem descrer, filtrar somente o de melhor e ir...
O afã de repassar a outrem o que compreendemos de bom para nós, sem fornecer opções de análise pela razão, é retirar um filhote de águia de seu ninho e tentar criá-lo como galináceo...
O afã de proteger crianças órfãs, sem cuidados legais necessários, é temerário...
Olvidar leis reguladoras e reunir crianças sem seus pais, idosos sem estruturas adequadas, captar recursos sem clara e ampla prestação de contas é dês-servir a Caridade, gera desconfiança nos provedores...
Os fins não justificam os meios...
Constrange-me o coração ver também, este espaço gratuito, onde o objeto é o estudo da CARIDADE, ser usado, embora sem intenção (reconheço), para o exercício de merchadising. Uma coisa é atribuir crédito de autoria...
Aclararei melhor só através de mensagem privada.

Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 07 de Fevereiro de 2010, 13:05

Olá!

De facto a estória da galinha lembra a domesticação que o homem fez à galinha, colocou-a dentro de galinheiros para se alimentar quando quisesse.

As religiões têm feito o mesmo aos homens, mantêm-nos domesticados e aprisionados pelo medo e pela ignorância para se alimentarem de suas consciências a seu belo prazer.

O medo e a estupidez das galinhas observa-se quando se lhes abre a porta e elas insistem em ir de encontro às paredes de rede, de tão cegas que estão.

É um bom termo de comparação, pois o homem está na mesma fase das galinhas, cheios de medo da liberdade.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 07 de Fevereiro de 2010, 13:09
Então...
O único engano é forçar a barra em local inadequado...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 07 de Fevereiro de 2010, 14:26
AMIGOS, bom dia e bom fim de semana.
Não entendo porq tanta discussão sobre a caridade. Ela não está suficientemente clara nos livros da codificação e em particular nas palavras de Paulo, nas suas cartas? Por tudo q ali está compreende-se q CARIDADE é AMOR; essas duas virtudes são uma só. Quem não possui uma delas não possue a outra, já q são apenas dois diferentes termos q significam a mesma coisa.
Atentem para o q cita o amigo DIM-DIM. É profundo e verdadeiro mas muitos não entendem porq citações são explicações incompletas, esparsas. Tem-se q conhecer as obras de Krishnamurti para verificar sua sabedoria e suas grandes lições.
Voltando ao amor, nós sabemos o q é o AMOR? Ou só entendemos afeto, apego, deslumbramento, entusiasmo, paixão, afeição profunda, por outrem, seja pessoa, anmal, ou qualq outra coisa? E ficamos tão apegados q não podemos nos afastar do objeto, ou de praticar aquela ação ou ato amado; portanto, ficamos deles dependentes. O verdadeiro amor não conhece dependencias, como não conhece condições; é apenas um ato natural q se econtra no íntimo de cada um, mas q não conseguimos externar a não ser qdo achamos q "DEVEMOS" fazê-lo nas várias situações de nossa vida. E o q signofica, aí, a palavra "devemos"? O q é  DEVER? Não é obrigação, ou mesmo imposição? Todas as doutrinas recomendam o amor, e nós, não querendo desrespeitar ou descumprir o preceito, 'tentamos' realizá-lo em nossas ações e pensamentos. Mas se "tentamos" isso é amor genuino? Todas as virtudes são apenas forçadas, prematuras, falsas ou imitação daqueles q as recomendaram ou q as praticaram. Enquanto não se tem a experiencia de "conhecer a verdade" nenhuma virtude é verdadeira, genuina, natural. Alguem amaria o estuprador e assassino de sua filhinha de 4 anos?! Não vai considerar isso uma verdadeira loucura? Porém, aquele q chegou à verdade "dará a outra face". Não concordam? Por isso mesmo Paulo disse: "A sabedoria de Deus é loucura para os homens". Não devemos pensar um pouco? Tudo q fazemos por dever pode ser bom para os demais, mas para quem o faz, nada representa; não significa q caminho sequer um passo na direção de Deus. 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MARCUSCHI em 07 de Fevereiro de 2010, 15:05
Irmão Coronel,
Estará a "caridade" e suas implicaçoes nas atitudes de cada instante inseridas em suas palavras, será o orgulho um reflexo de "caridade?
Abraço fraterno.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Nino Denani em 07 de Fevereiro de 2010, 15:35
Concordo com o Coronel: Caridade é só uma das facetas do Amor.

Agora, gostaria de trazer uma questão à tona: qual é a fundamental questão deste tópico do fórum? Parece-me que, ou ficou dispersa, ou se perdeu verdadeiramente.

Qual é a discussão em questão? Caridade? Acho mto abrangente.
que tal especificarmos mais isso?

Abs.

nino denani
www.artefolk.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5hcnRlZm9say5jb20uYnI=)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 07 de Fevereiro de 2010, 15:50
Companheiro DENANI,
Para minha maneira de pensar, esse tópico é muito importante e, suponho, não necessita de maiores especificações. Como vc mesmo disse, caridade é uma das facetas do amor. Para mim é um homonimo de amor. E amor está claramente especificado nas obras da codificação, nas escrituras etc.
Me interessei pelo tópico porq me permitiu a tentativa de expor o q tantos sábios e iluminados ensinaram sobre o amor. Q se deve "buscar, em primeiro lugar, o reino de Deus..." ou o "conhecimento da verdade" q é a mesma coisa. Antes desse encontro, toda virtude é forçada, incompleta, imitação. Somente com o "Conhecer a verdade..." nosso coração se abrirá a todas as virtudes, naturalmente, expontaneamente.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 07 de Fevereiro de 2010, 16:01
Companheiro MARCUSCHI,
O amigo me perdoe, mas, siceramente não compreendi suas palavras nem sua pergunta. É provavel q para minha cabeça seja necessária mais clareza, não sei.
Mas, como poderiamos considerar o 'orgulho' reflexo da caridade? O orgulho não representa o enaltecimento do proprio ego, considerar-se melhor q os outros? Logo, o orgulho procura elevar o egoismo e isso é, simplesmente, o oposto do amor, ou estou enganado? A caridade, como o amor, são incondicionais e independentes de tudo, logo são o oposto do egoismo.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 07 de Fevereiro de 2010, 16:06
Então,
O Único incomodo é forçar a barra em local inadequado.
Estou registrado por exemplo no Terra Espiritual e vários outros...
Não fico entrando lá pra mostrar o que sei de cá...
É no minimo desrespeito à nossa capacidade de discernimento...
Postem, uma, duas, tres vezes, tudo bem...mas....
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 07 de Fevereiro de 2010, 16:17

Olá!

" Allan Kardec "

647 Toda a lei de Deus está contida no ensinamento de amor ao próximo ensinado por Jesus?

– Certamente esse ensinamento contém todos os deveres dos homens entre si; mas é preciso vos mostrar sua aplicação, senão deixareis de o cumprir como fazeis até hoje; aliás, a lei natural compreende todas as circunstâncias da vida e esse ensinamento é apenas uma parte da lei.(...)


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 07 de Fevereiro de 2010, 16:35
Então voltemos ao estudo da Caridade!
Me afinizo com os métodos de trabalho das casas espiritas porque nelas o estudo ganha conotação de prática e estão a maioria imbuídos do proposito que estamos no planeta terra para aprendermos... NUNCA para ensinarmos...
Caridade Plena é aquela que não visa o angariar de coisas materiais...
Não se plenifica na crítica ao maior valor que podemos perceber que é o ser humano...
Compreende que a natureza não dá saltos no vazio... Antes segue uma marcha natural...
Ensina amar os irmãos em processo de prova e expiação por conveniencia do próprio livre arbítrio... Embora estejam esquecidos...
Propõe ajudá-los porém em processo de interação... Ombrando como Cirineu a cruz no calvário de cada um...
Prefere, como o Cristo exemplificou... Ensinar pelo exemplo...
Penso que já muitos de nós humanos já temos muita inteligência arquivada...
Penso que já muitos de nós humanos NÃO temos amor em quantidade equivalente à inteligência.
Ninguém aprende amar... só estudando...
Ninguém aprende amar... só praticando sem entender porque pratica.
É preciso somatizar em inteligência e em pratica, o amor, se quisermos continuar evoluindo...
Algo maior nos espera... Precisamos estar atentos para não repetir de ano no quesito amor.
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 07 de Fevereiro de 2010, 16:41

Olá!

" Allan Kardec "

837 Qual o resultado dos obstáculos postos à liberdade de consciência?

– Constranger os homens a agir de modo diferente do que pensam, torná-los hipócritas. A liberdade de consciência é uma das características da verdadeira civilização e do progresso.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 07 de Fevereiro de 2010, 16:55
Irmão dim-dim,
Saúde e Paz!
Bem colocado...Muito Obrigado!
Por favor analise também a questão 839...
Não precisa postar a resposta... Desde que não o queira... Só lhe peço análise...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 07 de Fevereiro de 2010, 17:00

Olá!

" Allan Kardec "

" Allan Kardec "

O Espiritismo é uma doutrina filosófica que tem conseqüências religiosas, como toda doutrina espiritualista; por isso mesmo toca forçosamente às bases fundamentais de todas as religiões: Deus, a alma e a vida futura; mas não é, uma religião constituída, tendo em vista que não tem nem culto, nem rito, nem templo, e que, entre os seus adeptos, nenhum tomou ou recebeu o título de sacerdote ou de sumo-sacerdote. Essas qualificações são pura invenção da crítica.

O Espiritismo proclama a liberdade de consciência como um direito natural: reclama-a para os seus, como para todo o mundo. Respeita todas as convicções sinceras, e pede para si a reciprocidade.

Toda a gente admira a moral evangélica; todos lhe proclamam a sublimidade e a necessidade; muitos, porém, assim se pronunciam por fé, confiados no que ouviram dizer, ou firmados em certas máximas que se tornaram proverbiais. Poucos, no entanto, a conhecem a fundo e menos ainda são os que a compreendem e lhe sabem deduzir as conseqüências.

A raça humana é constituída tanto de Espíritos bons quanto de maus, que estão encarnados neste planeta, e como a Terra é um dos mundos menos avançados, nela se encontram mais Espíritos maus do que bons; por isso há tanta perversidade aqui.


Para se assegurar da unidade no futuro, uma condição é indispensável, é que todas as partes do conjunto da Doutrina sejam determinadas com precisão e clareza, sem nada deixar no vago; para isso fizemos de modo que os nossos escritos não possam dar lugar a nenhuma interpretação contraditória, e trataremos que isso seja sempre assim. Quando se tiver dito, com firmeza e sem ambigüidade, que dois e dois são quatro, ninguém poderá pretender que se quis dizer que dois e dois fazem cinco. Poderão, pois, se formar, ao lado da Doutrina, seitas que não lhe adotem os princípios, ou todos os princípios, mas não na Doutrina pela interpretação do texto, como se formaram tão numerosas sobre o sentido das próprias palavras do Evangelho. Aí está um primeiro ponto de uma importância capital.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 07 de Fevereiro de 2010, 18:06
Queridos irmãos estudantes,
Que a Paz de Nosso Senhor Jesus O Cristo, esteja em todos os corações.
Não a paz que o mundo conhece... Mas a paz verdadeira que brota de dentro de um coração plenificado pelo amor ao seu próximo como a sí mesmo...

Então,
Estudando a Caridade,
Tenho me deparado centenas de vezes com a seguinte frase:
"QUE DEUS LHE DÊ EM DOBRO, TUDO QUE A MIM TIVERES DESEJADO".
Quando reproduzo esta frase, pensando que meu próximo me desejará amor, amizade, saúde, paz, o resultado que espero com esse pensamento será bom...

Agora, quando reproduzo essa frase, como forma de defesa por um pseudo-ataque que imagino que sofrerei, por parte do meu irmão, estou de ante-mão criando uma guerra...
Imaginem, desejar antes que aconteça doença em dobro, inimizade em dobro, desamor em dobro, ao meu irmão, antes mesmo que ele algo disso esteja a me desejar?
Não é mesmo?...
Embora muito já tenhamos falado em termos de caridae, sempre há algo a refletir.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Carol Grell em 07 de Fevereiro de 2010, 20:28
Caridade para mim, não é simplesmente exemplificar ações ou dizer - eu faço caridade... a caridade é aquela em que fazemos dela o bem para nosso próximo, ajudando nosso semelhante, seja com um abraço, uma palavra verdadeira de consolo, um olhar direto nos olhos para aquele irmão que precisa se levantar, obter ânimo e dar a volta por cima.
Aos amigos e irmãos, que todos fiquem na Paz do Senhor! nos falaremos novamente em breve.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 07 de Fevereiro de 2010, 21:12
Olá, Carol!

Quando se diz que caridade é amor em acção, parte-se do princípio que uma prece é acção, um bom pensamento é acção, um olhar de compreensão é acção. No fundo, qualquer actividade humana é acção.

O tipo de acção a praticar depende do que a situação exigir.
Agir da forma adequada em resposta à solicitação de Deus, no tempo certo, do modo certo, é uma arte e uma ciência, que só estão ao alcance daqueles que já fizeram o caminho, dos espíritos superiores. Para isso, é preciso saber amar, e amar o saber, e ainda já ter evoluído nos dois campos, de modo significativo.

Quanto a nós, quanto à maior parte dos habitantes do planeta, vamos praticando a arte e a ciência extraordinárias de colaboradores do bem. Somos neófitos bem intencionados. Chegaremos lá.

Um abraço,

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MARCUSCHI em 07 de Fevereiro de 2010, 21:29
Irmao Coronel,
Neste mundo precisamos do bom para entender o mau; do belo para entender o feio; da caridade para entender o orgulho; necessitamos da noite para compreender o dia. Nos arrazoamos de afirmaçoes dogmaticas- ("Não entendo porq tanta discussão sobre a caridade. Ela não está suficientemente clara nos livros da codificação e em particular nas palavras de Paulo, nas suas cartas?"),- para depois perceber que o juizo nao é questao nossa. Dispomos apenas de nossa própria experiencia o saldo é conhecimento adquirido.
Abraço
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Dalila... em 07 de Fevereiro de 2010, 21:42
O perdão uma das + belas formas de caridade.
Sei q dificil dizer eu perdôo, mas só com muita fé em Jesus e uma verdadeira escolha em viver da melhor forma o evangelho , poderemos chegar nessa maravilhosa dádiva, a caridade.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 07 de Fevereiro de 2010, 23:43
Companheiro MARCUSCHI,
Agradeço por sua resposta mas, digo ao amigo q ainda não consegui compreender esta sua mensagem e pergunta: "Estará a "caridade" e suas implicaçoes nas atitudes de cada instante inseridas em suas palavras, será o orgulho um reflexo de "caridade?"
Por isso foi q tentei responder fazendo uma relação entre os contrários: orgulho/egoismo e caridade/amor.
Desculpe-me o irmão, mais uma vez, porq tb qto à sua intervenção mais recente, não entendi. Vc fala q: "Neste mundo precisamos do bom para entender o mau; do belo para entender o feio; da caridade para entender o orgulho; necessitamos da noite para compreender o dia. Nos arrazoamos de afirmaçoes 'dogmaticas" e, então, cita o q eu falei: "Não entendo porq tanta discussão sobre a caridade. Ela não está suficientemente clara nos livros da codificação e em particular nas palavras de Paulo, nas suas cartas?" e, ainda, vc continua com palavras suas: "... para depois perceber que o juizo nao é questao nossa. Dispomos apenas de nossa própria experiencia o saldo é conhecimento adquirido".
Sinceramente, gostaria de q o amigo, me explique, pois não entendi mesmo.
Outra coisa: desconheço porq sempre q nos ensinam dizem isso q vc disse: "precisamos da escuridão para entender a luz, da caridade para entender o amor etc". Será isso uma verdade ou apenas um artificio sutil de se fazer compreender? Porq digo isso? Porq, se for uma verdade, então uma mãe precisaria conhecer o dasamor para amar seus filhos..., não é cocorda? E porq uma mãe não precisa conhecer o desamor? Porq ela já o tem em si, naturalmente, expontaneamente; não precisa se esforçar para amar. Portanto, não necessitamos conhecer o desamor para amar; precisamos é conhecer a 'verdade q é ela q nos libertará' de todas as dependencias, inclusive do desamor.  
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: jsfprr em 08 de Fevereiro de 2010, 01:13
Caridade, este tipo de sentimento e ação tão nobre que o mestre tanto praticou e fez questão de nos ensinar, é uma pena que à mais de 2000 anos, ainda tem muitos de nós que nem se quer a entendemos, más um dia chegaremos lá, afinal é este o objetivo, o nosso pai tem muita paciência e não nos abandona: A caridade é algo que veem de dentro de nós e que às vezes exercemos disprovido de qualquer interesse, é um exercicio claro, más não tenahmos pressa ela vai surgir degrau à degrau de acordo com a nossa evolução.........

abraços, muita luz e uma boa semana...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MARCUSCHI em 08 de Fevereiro de 2010, 01:21
Irmão Coronel,
Tentarei expor com palavras, sentimento que só a auto observação poderá  lhe esclarecer.
As implicações da caridade estão diretamente refletidas em nossas atitudes de cada instante. Se usar palavras que “manifestam” conhecimento superior , não revelado por  autenticidade, estará promovendo a impressão de estar  exercendo autoridade. Por isto copiei sua frase: "Não entendo porq tanta discussão sobre a caridade. Ela não está suficientemente clara nos livros da codificação e em particular nas palavras de Paulo, nas suas cartas?"
Tive a impressão de que o irmão se entediava com  as refutações contidas nas inúmeras mensagens postadas e por isto dava uma resposta que pretendia dar a questão por resolvida, como se fosse proprietário da verdade. Uma vez que nem todos os forenses podem ter conhecimento dos livros da codificação e das cartas de Paulo. Por isto lhe falei do orgulho, que representa um sentimento de superioridade. Tudo isso com o intuito de fazer o irmão refletir e não ofende-lo.
Espero que tenha me compreendido.
Quanto aos contrários que o irmão se refere, creio que se trata de um artifício não muito feliz que utilizamos. Poderíamos deixá-los de lado porque não passam de alegorias.
O que interessa disto tudo é refletir se estamos realmente entendendo o que estamos falando, que no momento é sobre a caridade.
Abraço fraterno.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Felipa em 08 de Fevereiro de 2010, 02:06
Caridade:

 É a virtude que, com a justiça, regula o procedimento moral dos homens para com os outros seres e, especialmente para com os outros homens. Baseia-se na frase: "Fazermos aos outros o que gostaríamos que nos fosse feito".
A caridade é paciente; é branda e benfazeja; a caridade não é invejosa; não é temerária, nem precipitada; não se enche de orgulho; - não é desdenhosa; não cuida de seus interesses; não se agasta, nem se azeda com coisa alguma; não suspeita mal; não se rejubila com a injustiça, mas se rejubila com a verdade; tudo suporta, tudo crê, tudo espera, tudo sofre.
Não significa achar que só os espíritas serão salvos; é que ajudando-nos a melhor compreensão dos ensinos do Cristo, ele nos faz, se seguirmos seus ensinos, confirmando por nossas ações que verdadeiros espíritas e verdadeiros cristãos são uma só e a mesma coisa, pois todos quantos praticam a caridade são discípulos de Jesus, não importando para tanto, que pertençam a esta ou àquela seita religiosa
 Como se sabe sobejamente, pelos ensinamentos espíritas, a caridade pode ser espiritual e/ou material e isso se aplica tanto a uma pessoa em particular como a um grupo maior ou menor de pessoas.
Na programação reencarnatória de todos está presente tanto uma como outra forma de caridade, desde a vida em família como a vida em sociedade.
O que varia de um para outro indivíduo é a particularidade da tarefa, seja em função de prova, de reparação, ou de ambos.No estágio evolutivo em que nos encontramos, ninguém se considerará missionário, no sentido religioso da palavra. Entretanto, quedar indiferente em relação às necessidades do próximo, se se pode de alguma forma ajudar, representa culposa omissão, da qual um dia se haverá de prestar contas.
A Doutrina Espírita, com o seu tríplice e indispensável aspecto, enfatizando a prática da caridade como condição para o desenvolvimento espiritual e moral, ser espírita verdadeiro e buscar ser verdadeiro cristão.
a o caminho a ser seguido pelos que já a compreendem.

abços

maria47

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 08 de Fevereiro de 2010, 02:30
Amigo MARCUSCHI,
Agradeço, ao amigo, a clareza. Concordo com voce. Mas não estou, como o amigo diz, 'manisfestando' qualq autoridade ou conhecimento superior. (Até mesmo o apelido 'coronel' foi uma palavra usada porq, no momento de lidar com informática, onde sou tremendo neófito, foi o q me veio à cabeça). De modo algum fico entediado com as respostas dos outros. Muito ao contrário, pois fico entusiasmado, porq tenho oportunidade, normalmente rara, de apresentar meu ponto de vista. De modo algum me julgo proprietario da verdade, porq só a tem aquele q chegou 'lá'; sou apenas um buscador de Deus. Quase todo meu estudo e pesquisas, por quase 60 anos, foi e é, ainda hoje, nesse sentido. Agora tenho ainda mais tempo para isso porq estou aposentado há muitos anos. E fiquei feliz de encontrar, por acaso, este forum pois posso questionar com vários companheiros.  
Qto à questão do orgulho, já falamos sobre isso. Como vc diz representa um sentimento de superioridade q, aquele q busca, deve compreender q é o oposto do amor. Mas o considero, o amor, tb, uma virtude q, antes de se conhecer a verdade, é prematura, imitação, incompleta e até falsa. Não adianta forçar aquilo q não somos. É certo q beneficiamos os outros, mas pela minha observação de tantos anos, não nos leva um passo q seja na direção de Deus. Só o conhecimento da verdade pode fazer isso. E mais uma coisa: o objetivo do forum não é trazer esclarecimento aos participantes? Todos os foristas não estão tentando fazer isso ao revelarem sua compreensão dos assuntos? É isso q tento fazer; dar minha parcela de ajuda, se possivel, na tentativa de expor meu ponto de vista, na esperança de q alguem o compreenda. Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 08 de Fevereiro de 2010, 09:43


  ....resumindo tudo,AMOR E CARIDADE...é vida ,é estarmos vivos,acredito
que se não fosse o Amor e a Caridade de Deus,não estaríamos aqui agora
participando e trocando idéias como irmãos;e isto já é o suficiente para
amarmos uns aos outros como irmãos fraternos que somos.....bjs fraternos a
todos....fiquem na paz ...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: manuel Altino em 08 de Fevereiro de 2010, 11:30
Companheiros da seara Espírita  é com muita alegria que tenho lido todos os textos postados e é bom saber que estamos todos a aprender muito , é muito bom,  apenas queria dizer que este estudo sobre a Caridade nos leva muitas vezes a pensar que a Caridade passa por vezes em fazer aos outros o que não queremos que nos façam, mas eu sinto que a Caridade passa  também pelas nossas atitudes de estar na vida, em sermos caridosos pela forma como tratamos o nosso próximo em actos e palavras e não apenas só por pensamentos . Vamos analisar que em todos os centros Espíritas  há sempre uma vertente Social de ajuda e que vai ao encontro da caridade para com todos por palavras e actos , mas ainda mais é importante sermos caridosos para connosco próprios , pois a verdadeira Caridade deve começar dentro de nós e para nós . É uma forma de sentir-mos que temos que ser muito benevolentes e caridosos sendo  então um exemplo de ajuda para com todos . Tudo o que tem sido dito é muito bom mesmo,  e fico mais atento,  e aprendo muito mais . com muitas saudações fraternas para todos com um grande abraço  Manuel Altino . 
    Me desculpem mas é apenas um sentimento meu de que a caridade deve ser feita por palavras de carinho para com todos e ainda uma ajuda  material, pelo menos quando for precisa   Obrigada pelo carinho e estudo que muito me ajuda a Evoluir
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: lidiane em 08 de Fevereiro de 2010, 11:58
Meus irmãos, essa é a prieira vez que participo do fórum...Gostaria de dizer que estou muito feliz pois encontro aqui pessoas que cmo eu buscam o entendimento dos ensinamentos cristãos.

Quando o estudo nos traz o tema CARIDADE analiso que durante o cotidiano em muitos momentos a exercitamos, mesmo não tendo a consciencia do que estamos fazendo, e quantas vezes então deixamos de fazê-la conscientimente....? Nos apegando a rancores e tristezas que nunca nos trarão a tranquilidade e nem a paz.

Mas, ao escutar a mensagem onde fica claro ser a caridade ser alcançada por todos, independente de escolha religiosa ou nível cultural, abrangendo e estando proxima a todos que delas quiserem exercitar-se, observamos a materialização do amor de Deus. Permitindo-nos que na sua efeitvação possamos nos melhorar, evoluir, modificar e avaliar a nossa participação neste mundo de prova e expiação.

Espero ter sido clara em minhas palavras.

A todos uma semana de muita paz e aprendizagem.

Muita Luz.

 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 13:22
Caros irmãos estudantes,
Que a Paz de N.S.J. o Cristo, esteja em todos os corações, Que não seja a paz como o mundo a conhece... Mas, a paz verdadeira.
Então,
Conta certa lenda,
que estavam duas crianças patinando num lago congelado.
Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam despreocupadas.
De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou.
A outra, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins
e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim
quebrá-lo e libertar o amigo.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido,
perguntaram ao menino:
 - Como você conseguiu fazer isso?
É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!
Nesse instante, um ancião que passava pelo local, comentou:
 - Eu sei como ele conseguiu!
Todos perguntaram:
 - Pode nos dizer como?
 - É simples - respondeu o velho.
 - Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz.

As estorietas são ferramentas muito boas para explicar melhor o que pensamos, então lançamos mãos das mesmas de acordo com o que se nos apresenta a necessidade da nossa manifestação...
Fazer ou não fazer algo só depende de nossa vontade. Do nosso livre arbítrio...
Então,
Estamos aprendendo que o molde da nossa vontade, é a forma que permitimos que os nossos pensamentos façam ninho em nossas mentes...
Se, aceitássemos que primeiro precisaremos alcançar a verdade para em seguida lançarmos mãos à charrua, no campo da CARIDADE, estaríamos engessando nossa livre disposição ao movimento em favor do próximo...
Se, aceitássemos e nos entregássemos com amor e confiança de que somos dirigidos nos rumos do bem maior de conformidade com a vontade do Criador e não pelo que nós julgássemos que seria o justo, o “modus operandi” da nossa força de ação NÂO estaria condicionada única e tão somente ao que conhecemos...
Convenhamos...
É ínfimo ainda o nosso conhecimento de nós mesmos, menor ainda o que sabemos do Todo.
Ensinam-nos, os estudos do Espiritismo Cristão, que devemos estar vigilantes e em preces...
Para abrirmos nosso coração e nossa predisposição em ajudar, posto que Deus capacita seu filho na justa medida do seu livre arbítrio...
Penso, logo existo!
Se eu ficar esperando alcançar a perfeição, a verdade, a luz, para começar a ajudar...
Quando começarei?
Estou vivendo o aqui e o agora, então no momento em que se apresentar a oportunidade de agir... AGIR.
Devo me resguardar e vigiar para agir de conformidade com a minha confiança no BEM Supremo, que conhece melhor que eu a legalidade e o melhor para a maioria... Inclusive para eu mesmo.

DEUS CAPACITA O INCAPAZ – De acordo com a oportunidade.
 
 Confiemos...

As coisas acontecem na hora certa. Exatamente quando devem acontecer!
Momentos felizes,... Louvemos a Deus!
Momentos difíceis,... Busquemos a Deus!
Momentos silenciosos,... Reflitamos em Deus!
Momentos dolorosos,... Confiemos em Deus!
Cada momento,... Agradeçamos a Deus!  

 Mt 22:14-
 Porque muitos são chamados
MAS POUCOS OS ESCOLHIDOS
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miucha em 08 de Fevereiro de 2010, 13:24
olhe tenho me perguntado sempre  o que  seja caridade.lembro sempre de paulo quando diz que posso dar tudo materialmente, mas se não tiver a caridade dentro do coração  nada somos.tenho feito esta caridade material. mas e a caridade moral.a verdadeira.como será? saber ouvir,falar.mas e a benevolencia, a bondade .não a temos.ainda somos impacientes, irritados.então o que será esta caridade.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 13:29
Cara irmã Miucha,
Saúde e Paz!
Ensinam-nos a codificação e o Espirito da Verdade, que basta nos predispormos, nos mantermos de coração aberto, vigilantes e em preces, que chegado o momento seremos ferramentas úteis no exato e estrito interesse do próximo, que estivermos o mais próximos...
Fique em Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miucha em 08 de Fevereiro de 2010, 13:40
 Que Deus o abençoe pela mensagem inspirada que nos passou.esperamos sempre sermos ferramentes uteis nas mãos dos benfeitores.ficaremos confiantes fazendo sempre o melhor que pudermos.Que as bençãos do Cristo lhes envolvam  sempre.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 08 de Fevereiro de 2010, 13:43
Companheiros da seara Espírita  é com muita alegria que tenho lido todos os textos postados e é bom saber que estamos todos a aprender muito , é muito bom,  apenas queria dizer que este estudo sobre a Caridade nos leva muitas vezes a pensar que a Caridade passa por vezes em fazer aos outros o que não queremos que nos façam, mas eu sinto que a Caridade passa  também pelas nossas atitudes de estar na vida, em sermos caridosos pela forma como tratamos o nosso próximo em actos e palavras e não apenas só por pensamentos . Vamos analisar que em todos os centros Espíritas  há sempre uma vertente Social de ajuda e que vai ao encontro da caridade para com todos por palavras e actos , mas ainda mais é importante sermos caridosos para connosco próprios , pois a verdadeira Caridade deve começar dentro de nós e para nós . É uma forma de sentir-mos que temos que ser muito benevolentes e caridosos sendo  então um exemplo de ajuda para com todos . Tudo o que tem sido dito é muito bom mesmo,  e fico mais atento,  e aprendo muito mais . com muitas saudações fraternas para todos com um grande abraço  Manuel Altino . 
    Me desculpem mas é apenas um sentimento meu de que a caridade deve ser feita por palavras de carinho para com todos e ainda uma ajuda  material, pelo menos quando for precisa   Obrigada pelo carinho e estudo que muito me ajuda a Evoluir


Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações!
Companheiro Altino, é certo que, para podermos ser caridosos com o próximo, temos que estar com uma boa vibração mental, com consciência espírita, e, muitas vezes, os espíritos mentores, ou guias espirituais, que inevitavelmente sempre nos acompanham, precisarão encontrar serenidade, e paz de espírito em nosso corpo, para que possam fazer uma “sintonia”, nenhum destes fatos ocorrerão, caso não estejamos nas condições em que você nos exemplifica.  Estes mesmos amigos que nos guiam, também nos dizem sempre: “Primeiro auxilia, nas bases do amor, depois questiona...”, ainda, costumamos não atentar para este fato; porem, NOSSO MESTRE JESUS, em seus ensinamentos, sempre se colocou na 2ª pessoa. “Amai ao próximo como a ti mesmo.” Este é um exemplo clássico, mas para uma criatura, como nós, iniciar na verdadeira prática da caridade, já terá que ter passado por todas estas etapas que você colocou. Note que falei “verdadeira”, quem a pratica por troça, ou por desencargo, seria melhor que não a tivesse feito.
Muita Paz a todos.


Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 13:57
Então meus amados irmãos,
É por isso, que penso que as buscas justas e preciosas que realizamos para aquilatar melhor o nosso condicionamento mental, devem ser aplicadas unica e tão somente a nós...
No campo da ajuda ao próximo, que chamamos caridade seja de que estirpe que se nos apresentar, deve ser praticada com entrega absoluta e total na confiança em Deus...
Para ajudar ao próximo, não podemos condicionar ao que sabemos, ou pensamos que sabemos... O que é tão pouco, e que talvez não atenderá a contento ao que necessita nosso próximo...
Com vigilância e prece nosso "modus operandi", se ajustará ao que o nosso próximo precisa e não ao que precisamos ou podemos...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miucha em 08 de Fevereiro de 2010, 14:01
Obrigada irmão hautch pelo esclarecimento.trabalharemos  sempre buuscando um dia exercer essa verdadeira caridade.Temos conosco que ainda não sofremos pelo cristo e portando ainda não compreendemos verdadeiramente o que seja  praticar o bem, a caridade.abraços fraternos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 14:17
Estudar o tema CARIDADE, é refletir para condicionar melhor a vigilância... e Orar para que quando lancarmos mãos à obra, não precisarmos ficar pre-ocupados com o que estiver por vir...
Então a maravilhosa oportunidade deste estudo, não deve ficar restrita ao que já sabemos por nós mesmos...
Devemos abrir nossos corações para aprendermos mais sobre aquilo que ainda não havíamos tido a oportunidade de aprender...
NÃO devemos nos posicionar para ensinar...
Externar nosso conhecimento com humildade sem tentar impô-lo como didática única e infalível para os outros é no mínimo, pouco caridoso...
Abrir o nosso coração para aprender... é no mínimo imensa caridade para conosco mesmos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 08 de Fevereiro de 2010, 14:27

Olá!

" Allan Kardec "

O que é o Espiritismo

Pode-se defini-lo assim:

O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, da origem e da destinação dos Espíritos, e das suas relações com o mundo corporal.

O Espiritismo proclama a liberdade de consciência como um direito natural: reclama-a para os seus, como para todo o mundo. Respeita todas as convicções sinceras, e pede para si a reciprocidade.

Para se assegurar da unidade no futuro, uma condição é indispensável, é que todas as partes do conjunto da Doutrina sejam determinadas com precisão e clareza, sem nada deixar no vago; para isso fizemos de modo que os nossos escritos não possam dar lugar a nenhuma interpretação contraditória, e trataremos que isso seja sempre assim. Quando se tiver dito, com firmeza e sem ambigüidade, que dois e dois são quatro, ninguém poderá pretender que se quis dizer que dois e dois fazem cinco. Poderão, pois, se formar, ao lado da Doutrina, seitas que não lhe adotem os princípios, ou todos os princípios, mas não na Doutrina pela interpretação do texto, como se formaram tão numerosas sobre o sentido das próprias palavras do Evangelho. Aí está um primeiro ponto de uma importância capital.



Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 15:33
Caros companheiros de estudo,
Sei que naturalmente muitos de vcs já devem ter recebido esse email da Era do Espírito, mas por certo, outros não...
Como o assunto explica a propriedade e correta temporalidade de nosso estudo, e acrescenta objetos de raciocínio, peço licença para o reprouzir aqui...

        Sociedade solidária, Comunidade saudável
        Denizard de Souza
        http://www.espirito.org.br/portal/artigos/diversos/assistencia/sociedade-solidaria.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2FydGlnb3MvZGl2ZXJzb3MvYXNzaXN0ZW5jaWEvc29jaWVkYWRlLXNvbGlkYXJpYS5odG1s)
         
        Pode parecer estranho, identificar na solidariedade social, o caminho para a saúde e o bem-estar dos indivíduos, no entanto, esta é a conclusão que inúmeros estudiosos do comportamento humano estão chegando, ao lidarem com a violência, o stress, a doença do pânico, a dependência química, os conflitos familiares, a ansiedade e a insatisfação emocional que caracterizam a vida social neste final de século.
         
        Há muito que o processo de modernização da sociedade transformou a experiência coletiva em espaço do "interesse econômico", da "luta pela sobrevivência", da "Cultura de consumo", da "incontrolável corrida tecnológica" e da "disputa por poder político, ideológico e social". Este lugar exótico de "convívio social", também chamado de "megalópoles ou grandes centros urbanos", esta "Arca de Noé globalizada" parece ter integrado ao seu mundo pessoas, trabalho, capital, objetos de consumo, tecnologias, desigualdades econômicas, sem no entanto, preocupar-se em incluir neste espaço de relações humanas as normas da solidariedade e da fraternidade.
         
        Este vácuo de solidariedade, no dia-a-dia dos grandes centros urbanos, pode ser identificado facilmente na intolerância com as minorias étnicas, econômicas e sexuais, na indiferença com os desassistidos na saúde e educação, na violência do trânsito, na fome e na miséria extremas, na apatia social com relação ao suicídio, a solidão e a dor emocional, que passam ignoradas. Trata-se do conhecido divórcio entre a sociedade (lugar dos interesses materiais) e a sua face comunitária na qual os indivíduos resgatam os laços da solidariedade, da empatia, da afetividade, da cooperação e dos valores societários.
         
        Apesar disso, parece que o puro legalismo como fator de manutenção do equilíbrio social e o predomínio exclusivo do trato jurídico na regulação do relacionamento dos indivíduos, grupos e da coletividade, começam a dar sinais de sua incompletude e ineficácia quando ocorrem isolados dos valores da solidariedade. Neste caso, não bastam a busca pela equalização econômica, a aplicação rigorosa da lei e a racionalização na distribuição dos benefícios sociais. É necessário algo muito maior e mais significativo na conquista da justiça social e da felicidade coletiva: a sociedade solidária.
         
        continua para atender limitação necessária.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 15:37
Como reconhece Goleman(1995) é fundamental levar "civilidade às ruas, inteligência às emoções e envolvimento à comunidade". Ou seja, cada vez mais obtém-se a certeza que as questões sociais e o desafio do bem-estar psico-emocional dos indivíduos, devem ser equacionados em contextos de solidariedade, diálogo, fraternidade e valorização das diferenças.
         
        Sendo assim, a questão social é redefinida, passando de uma visão estratégico-instrumental, onde os problemas sociais são vistos como demandas puramente materiais, passíveis de solução técnica e ajuste econômico, para a consideração dos aspectos comunitários e éticos da problemática social. Trata-se da emergência de uma consciência social, que identifica no envolvimento da comunidade, na inteligência das emoções e na solidariedade, a saída mais eficiente para os desafios da sociedade moderna: o desemprego, a delinqüência juvenil, a criminalidade, a fome, a exclusão social, os conflitos familiares e as drogas.
         
        Partindo deste modelo de solidariedade social, é possível identificar algumas experiências bem sucedidas como o SOS cidadania, as parcerias do setor privado com entidades de assistência e promoção social, a Comunidade Solidária, a ação das instituições religiosas, os grupos que defendem os direitos das minorias, as ONGs ligadas à proteção da natureza e do meio ambiente, a ação de voluntários que formam grupos no interior de empresas, escolas, universidades e nos espaços da mídia.
         
        Toda esta rede, que atende a fome, o deficiente físico, o dependente químico, a família carente, a criança abandonada, que resgata a cidadania das minorias sexuais, raciais e étnicas, que oferece qualificação profissional para desempregados, que preserva a natureza, realiza um gigantesco trabalho de solidariedade fora do orçamento oficial do governo e do aparato público.
         
        Os resultados alcançados pelo chamado terceiro setor, a sociedade civil organizada, atuando como uma terceira via (além do estado e do mercado), vem comprovando na prática a eficácia de ações sociais organizadas pela solidariedade e pelo envolvimento da comunidade. É a força de um movimento de solidariedade que assume as questões sociais a partir de valores éticos (ñ-estratégico-econômico), tais como a valorização da vida, o amor, a cidadania e o espírito de respeito-mútuo.
         
        A diferença fundamental destes modelos solidários é que eles motivam uma relação ética no processo de promoção social, sendo que todos os envolvidos( voluntários, técnicos e grupos assistidos) se relacionam como sujeitos co-responsáveis pelo sucesso dos projetos sociais. Somente ações sociais baseadas no respeito ao indivíduo e na fraternidade são capazes de concretizar as metas de uma sociedade justa e equilibrada.
         
        Este novo paradigma, do envolvimento direto da comunidade nas questões sociais, tem suscitado significativas conclusões, também na área da saúde.
         
        Cada vez mais psicólogos, Terapeutas familiares, Etnopsiquiatras, psicanalistas e médicos que lidam com as "doenças incuráveis", observam os efeitos salutares, sobre a imunologia e as condições psico-emocionais, em pacientes que se dedicam a atividades de cunho social. Tais pacientes têm demonstrado, segundo a American Association Medical, significativa recuperação de sua situação imunológica, psicológica e emocional em contato com o trabalho de solidariedade social.
         
        Nesta última década do século XX, observa-se um crescimento significativo de projetos, tecnologias, instituições e modelos de ação social que, superando velhas tradições políticas, econômicas e ideológicas, convergem para um mesmo campo de realizações: o desenvolvimento de alternativas para os problemas sociais baseadas na difusão do espírito da Solidariedade social. Neste momento histórico, em que parece surgir efetivamente a "Sociedade mundial", deflagrada pela força do processo de globalização econômica e tecnológica (sociedades-em-rede), um paradigma novo se apresenta: a certeza que os caminhos que levam a uma comunidade justa e saudável, passa pela formação da Sociedade solidária.
         
        Denizard de Souza (DF)
        E-mail: denizard@persocom.com.br
         
         
         
         
         
        Com esta mensagem eletrônica
        seguem muitas vibrações de paz e amor
        para você
        ---------
        http://aeradoespirito.sites.uol.com.br/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2FlcmFkb2VzcGlyaXRvLnNpdGVzLnVvbC5jb20uYnIv)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 15:48
Então, amados do meu coração,
A magnifica oportunidade que se nos apresenta com este estudo, deve ser integralmente aproveitada no ambito da informação e elucidação das nossas mentes no verdadeiro interesse da nossa vida presente...
Não desjamos nem intencionamos desmerecer as prerrogativas de interesse filosófico, religiosos etc e tal... Apenas nos manifestamos para que o foco permaneça no perfeitamente exequivel para os interesses das necessidades preentes no nosso dia-a-dia, aproveitando todas as luzes, mas resistindo quando os ditames de luzes que podem nos redirecionar para objetivos aleatórios e divergentes do que seja o aqui e agora de todo nós, enquanto humanos que somos, ainda...
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 15:56
Amados,
Atendendo a um legítimo interesse no âmbito da divulgação de excelente Caridade,
sugiro que visitem o blog do Jorge Hessen, e aproveitem o que julgarem que seja de melhor para contiuarmos discutindo o tema CARIDADE...
Doar orgãos, quando sua conciência o permitir é CARIDADE PURA...
Esclarecer-nos para tal também o é...
http://jorgehessenestudandoespiritismo.blogspot.com/2010/02/transplante-de-orgaos-e-valiosa.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2pvcmdlaGVzc2VuZXN0dWRhbmRvZXNwaXJpdGlzbW8uYmxvZ3Nwb3QuY29tLzIwMTAvMDIvdHJhbnNwbGFudGUtZGUtb3JnYW9zLWUtdmFsaW9zYS5odG1s)
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 08 de Fevereiro de 2010, 16:02

Olá!

" Krishnamurti "

Seguramente que, num mundo confuso, com tanto conflito e miséria, é mais do que urgente entender que a liberdade é o primeiro requisito da mente humana - não o conforto nem o fugaz momento de prazer nem a continuidade desse prazer, mas uma liberdade total, que é a única origem da felicidade. A felicidade não é um fio em si mesma; como a virtude. É um subproduto da liberdade. Uma pessoa livre é virtuosa; mas o homem que pratica a virtude, submetendo-se a um padrão estabelecido pela sociedade, jamais saberá o que é liberdade e, por isso, jamais será virtuoso.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 16:16
repetindo porque é muito importante para entendermos a objetividade deste espaço magnifico que nos disponibiliza essa maravilha de estudo...
        Cada vez mais psicólogos, Terapeutas familiares, Etnopsiquiatras, psicanalistas e médicos que lidam com as "doenças incuráveis", observam os efeitos salutares, sobre a imunologia e as condições psico-emocionais, em pacientes que se dedicam a atividades de cunho social. Tais pacientes têm demonstrado, segundo a American Association Medical, significativa recuperação de sua situação imunológica, psicológica e emocional em contato com o trabalho de solidariedade social.
         
        Nesta última década do século XX, observa-se um crescimento significativo de projetos, tecnologias, instituições e modelos de ação social que, superando velhas tradições políticas, econômicas e ideológicas, convergem para um mesmo campo de realizações: o desenvolvimento de alternativas para os problemas sociais baseadas na difusão do espírito da Solidariedade social. Neste momento histórico, em que parece surgir efetivamente a "Sociedade mundial", deflagrada pela força do processo de globalização econômica e tecnológica (sociedades-em-rede), um paradigma novo se apresenta: a certeza que os caminhos que levam a uma comunidade justa e saudável, passa pela formação da Sociedade solidária.
         
        Denizard de Souza (DF)
        E-mail: denizard@persocom.com.br
o que mais falta a todos que organizam esses eventos são voluntários para por mãos à obra...
o que mais sobra a todos que organizam esse eventos são voluntários para tentar ensinar o que fazer...sem nada fazer...
Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 08 de Fevereiro de 2010, 16:22

Olá!

" Allan Kardec "

Compreende-se facilmente toda a diferença que existe entre a obsessão simples e a fascinação; compreende-se também que os Espíritos que produzem esses dois efeitos devem diferir de caráter. Na primeira, o Espírito que se agarra à pessoa não passa de um importuno pela sua tenacidade e de quem aquela se impacienta por desembaraçar-se. Na segunda, a coisa é muito diversa. Para chegar a tais fins, preciso é que o Espírito seja destro, ardiloso e profundamente hipócrita, porquanto não pode operar a mudança e fazer-se acolhido, senão por meio da máscara que toma e de um falso aspecto de virtude.

Os grandes termos - caridade, humildade, amor de Deus - lhe servem como que de carta de crédito, porém, através de tudo isso, deixa passar sinais de inferioridade, que só o fascinado é incapaz de perceber. Por isso mesmo, o que o fascinador mais teme são as pessoas que vêem claro. Daí o consistir a sua tática, quase sempre, em inspirar ao seu intérprete o afastamento de quem quer que lhe possa abrir os olhos. Por esse meio, evitando toda contradição, fica certo de ter razão sempre.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Oliva Prado em 08 de Fevereiro de 2010, 17:41
Olá!

Nunca é demais referir a Liberdade do Espiritismo, já que o que por aí anda mais parecem máximas católicas.

Paz a todos os amigos do fórum
Só hoje entrei no fórum e fiquei já aqui na página4, para ser franca acho que para mim que estou a ter oportunidade nesta vida  de melhorar espiritualmente pelo esclarecimento que a doutrina espírita me dá estou muito aquém de poder vivenciar plenamente a Caridade tal qual ela é pedida e até falar muito acerca.

Li sua afirmação Namasté sem desmérito ou contradição do que a doutrina espirita esclarece estava mesmo a pensar naquela passagem de S.Paulo tão famosa e que faz parte do CAP. XV do Evangelho segundo o Espiritismo ". Ainda quando eu falasse todas as línguas dos homens e a língua dos próprios anjos, se eu não tiver caridade, serei como o bronze que soa e um címbalo que retine; -ainda quando tivesse o dom de profecia, que penetrasse todos os mistérios, e tivesse perfeita ciência de todas as coisas; ainda quando tivesse a fé possível, até o ponto de transportar montanhas, se não tiver caridade, nada sou. - E, quando houver distribuído os meus bens para alimentar os pobres e houvesse entregado meu corpo para ser queimado, se não tivesse caridade, tudo isso de nada me serviria."

e relendo o seguinte paragrafo do mesmo capitulo
Meus amigos, agradecei a Deus o haver permitido que pudésseis gozar a luz do Espiritismo. Não é que somente os que a possuem hajam de ser salvos; é que, ajudando-vos a compreender os ensinos do Cristo, ela vos faz melhores cristãos. Esforçai-vos, pois, para que os vossos irmãos, observando-vos, sejam induzidos a reconhecer que verdadeiro espírita e verdadeiro cristão são uma só e a mesma coisa, dado que todos quantos praticam a caridade são discípulos de Jesus, sem embargo da seita a que pertençam. Paulo, o apóstolo. (Paris, 1860.).253

Depois novamente no capítulo XX aparece uma nova alusão à vivência em caridade.

Como muitos aqui dizem e tal como a sondagem do fórum demonstra de uma forma ou outra muito pessoal  lá vamos conseguindo fazer a tal de caridade, lá vamos tentando integrar esse Amor Incondicional, mas intelectivo, claro. Porque é preciso amar a vida manifestada e conhecendo Jesus Cristo, compreendendo e interiorizando as trilogias( no Plural) do,  Pai  Filho e Espírito Santo,  Lá chegaremos.
 Como eu costumo dizer O Espírito Santo  do qual somos todos formados e através do qual somos capazes de perdoar, esquecer ofensas e ainda arranjar forças para continuar amando e como o Evangelho também nos ensina  é só não nos rebaixarmos  à condição do agressor mas sim orar pela sua cura desejar a sua reabilitação etc etc etc.....mas eu seria muito hipócrita se disse-se que tudo isso é fácil de realizar todos sabemos que não é, e se estivermos com uma obsessão em cima ainda pior, portanto vamos tentando já que também começamos agora a desvendar este Grande Mundo Novo da Realidade Espiritual, da nossa Futura Libertação. E se me permitem poder até afirmar que em alguns locais deste planeta o Espiritismo ainda reluz com bastantes dificuldades.  As vezes começa bem dentro  do nosso lar. 
Abraços O. P.                                                                                                                                  
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 08 de Fevereiro de 2010, 17:53

Olá!

" Allan Kardec "

266 Não parece natural escolher as provas menos dolorosas?

– Para vós, sim; para o Espírito, não. Quando se está liberto da matéria, a ilusão cessa e a forma de pensar é outra.

☼ O homem na Terra, sob a influência das idéias terrenas, vê nas suas provas apenas o lado doloroso. Por isso lhe pareceria natural escolher as que, em seu ponto de vista, pudessem se conciliar com os prazeres materiais. Porém, na vida espiritual, compara esses prazeres ilusórios e grosseiros com a felicidade inalterável que percebe, e, então, nenhuma importância dá aos sofrimentos passageiros da Terra. O Espírito pode, em vista disso, escolher a prova mais rude e, conseqüentemente, a mais angustiosa existência, na esperança de atingir mais depressa um estado melhor, como o doente escolhe muitas vezes o remédio mais desagradável para se curar mais depressa. Aquele que deseja ver seu nome ligado à descoberta de um país desconhecido não escolhe um caminho florido; sabe dos perigos que corre, mas também sabe da glória que o espera se for bem-sucedido.

A doutrina da liberdade na escolha de nossas existências e das provas que devemos suportar deixa de causar espanto ou surpresa, se considerarmos que os Espíritos livres da matéria apreciam as coisas de maneira diferente da nossa. Percebem que há um objetivo, bem mais sério do que os prazeres ilusórios do mundo e, após cada existência, vêem o passo que deram e compreendem o que ainda lhes falta de pureza para atingi-lo. Eis por que se submetem voluntariamente a todas as alternâncias e às dificuldades da vida corporal, pedindo, eles mesmos, aquelas que lhes permitam alcançar mais prontamente o objetivo a que almejam. Não há, portanto, motivo de estranheza no fato de o Espírito não escolher uma existência mais suave. No estado de imperfeição em que se acha, o Espírito não pode querer uma existência feliz, sem amargura; ele a pressente e antevê, e é para atingi-la que procura melhorar-se.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 08 de Fevereiro de 2010, 18:05
Caros amigos:

No meio espírita, não é frequente que os indivíduos atinjam os outros directamente.
Em cada espírita há um sábio pronto a dar aulas gratuitas da sua sabedoria, através de textos muito longos e repetitivos, feitos geralmente de colagens e de "ouvir dizer". Se a conversa é pessoal, um arzinho de humildade, mesclado com gestinhos que lembram tempos muito antigos, ajudam a transmitir a impressão de que o orador (sim, porque em cada espírita há um Divaldo!) é um mensageiro de Deus na Terra.
Infelizmente, pelo meio do discurso, escrito ou falado, com frequência, vão as liçõezinhas, as críticas, algumas vezes bastante ofensivas, mas que passam sempre por lições da melhor moral, porque a crítica é misturada com palavrinhas melífluas, tais como "meu irmão", "amor", ""caridade" e muitas outras. A agressividade mal dissimulada de uns, e o silenciozinho vingativo de outros, gozam um prazer íntimo ao ver alguém levar a reprimenda, ainda que não conheçam a pessoa.
Não digo isto por me sentir ofendido, porque tais atitudes deixaram de me ofender. Leio-as e ouço-as, umas vezes com tristeza, outras com bonomia.

Ando a ler um livro espírita, bem devagar, porque os bons alimentos devem ser apreciados com lentidão. O livro chama-se "Reforma íntima" de Ermance Dufaux.
Grande livro! Começo a desconfiar que o livro nunca mais chega ao fim por eu me recusar a acabá-lo, pois um livro assim não deveria ter fim.
As reflexões sobre as doenças anímicas características dos espíritas estão muito bem feitas, mas a autora não se fica pela análise, pois rapidamente dá o remédio para a cura. Trata-se de um verdadeiro manual de psicologia aplicado aos espíritas.
Quem não estiver cego pelo orgulho, lê e vê-se ao espelho, muitas vezes. Mas rapidamente a autora leva o leitor ao crescimento espiritual, mostrando o caminho à alma amargurada por reconhecer os seus próprios defeitos.
Não sei se o livro também é eficiente para quem não tenha defeitos. ;)
(continua)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 08 de Fevereiro de 2010, 18:06

Ah! Importantíssimo! O livro está bem escrito, num português correcto (uma coisa que já não se usa!), onde a língua portuguesa se mostra generosa, veiculando os conceitos que nos podem catapultar para além dos nossos defeitos.

Nunca houve, meus amigos, vez nenhuma em que eu falasse de línguas no meio espírita, que alguém muito sábio não me viesse citar o Paulo de Tarso na sua 2.ª epístola aos Coríntios.
A coisa acaba por ter graça, porque há 30 anos (quando conheci o espiritismo), isso enfurecia-me, mas agora faz-me sorrir. Quero acreditar que evolui um bocadinho.

Os espíritas, na generalidade, perdoam o criminoso, perdoam a adúltera, perdoam o ladrão, chamando irmão a todos eles. Infelizmente, acham intolerável que alguém se dedique ao estudo. Sentem essa pessoa como uma ameaça, como um transviado, e vêem em todas as acções da pessoa provas da sua vaidade e da sua inferioridade espiritual. Entendem que, se a pessoa se dedica ao estudo, logo não aposta na evolução moral, mas só na sua vaidade intelectual. Do mesmo modo alguns julgam "a priori", que as mulheres bonitas não pensam. O estudioso, invejado e incompreendido, é assim discriminado, atirado para uma solidão que o desgraçado tem que suportar toda a vida. Não julguem que exagero. Só falo nisto porque há muito tempo ultrapassei a dor do ostracismo.

Todos lemos que os espíritas estão a chegar ao mundo espiritual de coração vazio, indigentes de cabedais espirituais, desiludidos... Mas não oiço ninguém reflectir nas razões do porquê. Só os que chegam lá, é que reflectem, porque os que estão cá, estão mais preocupados a dar chazadas aos outros, mostrando uma superioridade que não têm, do que exercitar, DE FACTO, o caminho para a sua redenção.

Não é o que diz "Senhor, Senhor" que atinge a almejada virtude. O caminho é solitário e silencioso, muitas vezes de profunda amargura.
Quanto mais consciência temos dos nossos erros, mais eles nos doem. Quanto mais trabalhamos por nós e pelos outros, mais nos invejam, mais nos criticam, e só nos dão algum descanso, quando a sociedade reconhece em nós algum valor. Valor efémero, mas que tem o condão de transformar alguns críticos em admiradores. Nem uma coisa, nem a outra é desejável. Quem trabalha e está centrado nos seus afazeres, só quer, em bom português, que não o chateiem, que lhe dêem espaço para trabalhar. Por vezes, após um processo penoso, em que o indivíduo sincero começa a perguntar onde está, o que anda a fazer e porque o faz, só mesmo uns amigos espirituais é que o amparam, e impedem-no de atingir a loucura. Porque entretanto ele olhou para trás e questionou se alguma vez teve um único amigo.
Lembro-me, a propósito, das lamentações da Yvonne Pereira no seu percurso glorioso, mas solitário e triste.

"Homo lupus hominis", diziam os romanos, i.e. "o homem é o lobo do próprio homem".
Nós espíritas não somos diferentes. O espiritismo não nos transforma, por milagre, em seres perfeitos. O espiritismo dá-nos um entendimento das coisas, dá uma visão do universo que é fundamental à evolução de alguns espíritos, mas enquanto não trilharmos o caminho, continuamos a ser os mesmos.

Com um abraço a todos,
mas mesmo a todos,

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: macili em 08 de Fevereiro de 2010, 18:19
Gostei muito do blog do Sr. Jorge Hessen. Com muito conteúdo da doutrina espírita, fala muito da caridade, além de outros tópicos importantes relativos ao Espiritismo, nos leva a estudar e refletir. Obrigada pela sua divulgação.  :D
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Oliva Prado em 08 de Fevereiro de 2010, 19:04
Relendo alguns textos que imprimi, concordo com o que Zeni escreve.
 Como dar alegria se estivermos infelizes, como consular alguém se estivermos inconsolável...
O mais importante será se pudermos, evitar distratar os outros e dar do que tenhamos com sinceridade.
Por isso é que é tão difícil  a Caridade.
Abraços a todos
O. P.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 08 de Fevereiro de 2010, 19:13

Olá!

" Allan Kardec "

Todos os Espíritos dizem que, na espiritualidade, pesquisam, estudam e observam para fazer sua escolha. Não temos um exemplo desse fato na vida corporal? Não procuramos freqüentemente, durante anos, a carreira em que fixamos livremente nossa escolha, por acreditarmos ser a mais apropriada para fazermos nosso caminho? Se fracassamos numa, escolhemos outra. Cada carreira que abraçamos é uma fase, um período da vida. Cada dia não é empregado para planejar o que faremos no dia seguinte? Portanto, o que são as diferentes existências corporais para o Espírito senão etapas, períodos, dias de sua vida espírita, que é, como sabemos, sua vida normal, uma vez que a corpórea é apenas transitória e passageira?


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 08 de Fevereiro de 2010, 19:19
Amigo DIM-DIM,
O amigo já questionou o porq da vida do encarnado, transitória e passageira, ser plena de sofrimento?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 08 de Fevereiro de 2010, 19:27
   Pergunta: Que tipo de caridade pratica com mais frequência?

   Através da oração e pensamento.
 
 
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.
   
   Por isso meu Irmão Bino, optei por esta resposta na enquete. Seja do menor ao mais laboroso serviço no bem, ou, caso prefiram, na prática da caridade, devemos estar sempre sintonizados, em oração constante, mentalizando a imagem do MESTRE JESUS.
   É importante ressaltar, que, muitas vezes recorremos aos Espíritos mais sublimes, e é certo que nos ouvem; mas na maioria das vezes, quando fazemos uma oração ou presse do fundo de nossas almas, por pior que estejam nossas situações mentais, neste momento da prece, conseguimos canalizar nossas mentes com bons pensamentos, abrindo assim, uma maravilhosa oportunidade, para que, não estes espíritos mais sublimes, "Dr. Bezerra", "André Luis", "Emmanuel", que, por um pequeno vício do catolicismo, temos ainda de beatificarmos; mas sim para nossos, igualmente sublimes, e porque não, Guias e Mentores Espirituais, que praticam a caridade de acompanhar-nos diariamente, e, estando nós tão apressados e arraigados com os afazeres diários, não nos damos conta de suas companhias.
    Enfim meus irmãos, pensemos mais um pouco, nestes companheiros imediatos, que abdicam de vários trabalhos, nas "Esferas Superiores", para acompanhar-nos, incessantemente, dia após dia, hora após hora, muitas vezes lembrando-nos de pequenas coisas; uma carteira que iríamos esquecer, ou nos aconselhando, ao qual muitos atribuem há "voz da consciência", são eles, muitas vezes entes queridos; mas eles não estão preocupados com os méritos de serem reconhecidos, mas apenas, com nossa sintonia e consciência no bem, para que, desta forma, possam melhor cumprir suas funções, ou seja, proteger-nos!

   Muita Paz.


  Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 19:39
Então Irmão Hauch,

Não há secura no cano que transporta agua...
Ao abrirmos nossas torneiras para que sedentos saciem, a agua em nossas caixas se renova constantemente...
Nenhum temor...
Nenhum lamento...
Essa é a paz que o mundo não tem capacidade de dar... Só o Cristo Jesus.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 08 de Fevereiro de 2010, 19:43

Olá!

Coronel

Claro que sim amigo. O homem vive possuído pelo ego, a mente finita que tem início com o nascimento e termina com a morte do corpo, sem nunca descobrir a verdade que é a mente infinita, eterna, o verdadeiro ser.

A mente finita nunca poderá ver a mente infinita a não ser pelo silêncio e a meditação. Libertar-se de toda a história preconceituosa, depois de compreendida. Essas idéias preconcebidas por mentes finitas que continuam a manter o espirito com a visão dirigida para a Terra sem ver mais nada.

Não há liberdade de percepção enquanto não "nascermos" a cada momento, enquanto não olharmos para cada momento que se aproxima com olhos livres do passado.


Namasté

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 08 de Fevereiro de 2010, 19:56
Então irmão Hauch,
Como na parabola da samaritana à beira do poço de Jacó...
O Cristo, demonstrou inequivocamente,
Quem vai ao poço, buscando unicamente para sí... Apanha unicamente a agua cujo vasilhame couber...
Quem vai ao poço da AGUA VIVA, para servir ao semelhante, apanha para sí e para o semelhante... e ainda sobra para quem mais estiver sedento.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 08 de Fevereiro de 2010, 20:17

Olá!

" Allan Kardec "

913 Entre os vícios, qual se pode considerar o pior?

– Já dissemos várias vezes: é o egoísmo; dele deriva todo mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos existe egoísmo. Vós os combatereis inutilmente e não conseguireis arrancá-los enquanto não tiverdes atacado o mal pela raiz, enquanto não tiverdes destruído a causa. Que todos os vossos esforços tendam para esse objetivo, porque aí está a verdadeira chaga da sociedade. Aquele que deseja se aproximar, já nesta vida, da perfeição moral, deve arrancar de seu coração todo sentimento de egoísmo, por ser incompatível com a justiça, o amor e a caridade: ele neutraliza todas as outras qualidades.

916 O egoísmo, longe de diminuir, aumenta com a civilização, que parece excitá-lo e mantê-lo; como a causa poderá destruir o efeito?

– Quanto maior o mal, mais se torna horrível. Será preciso que o egoísmo cause muito mal para fazer compreender a necessidade de extingui-lo. (...)


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 08 de Fevereiro de 2010, 20:27
Amigo DIM-DIM,
Voce já deve ter percebido q questiono tudo q leio ou q me falam. É apenas troca de idéias q nos leve a uma maior compreensaõ das coisas. Aprecio tb suas participações. Concordo com vc qdo diz q somente podemos conhcecer a mente infinita no silencio da meditação, nascer ou morrer a cada instante, como ensinam Krishnamurti e outros sábios; portanto esquecer totalmente o passado. Assim pergunto: porq a mente vive possuida pelo ego? E, por isso mesmo sofre? Porq iniciamos a existencia dominados pelo ego e, portanto, destinados a sofrer tanto, como vemos no mundo? Veja, pela doutrina espirita fomos criados simples e ignorantes, concepção q certamente as demais doutrinas professam. Mas, foi criada a lei carmica e locais para expiação e provas (verdadeiras prisões, portanto) para nos corrigir através de sofrimentos, muitas vezes inenarraveis q, como diz a doutrina, são educativos e demonstram o soberado amor de Deus para com os homens. O amigo compreende, dentro dessas explicações, o porquê do sofrimento? Está certo q o egoismo está aí, mas a pergunta é: porq o homem sofre se foi criado assim com essa tremenda inclinação para o egoismo, voltado mais para o mal do q para o bem? Católicos e protestantes nenhuma resposta têm a dar sobre estas questões. A doutrina espirita diz q é pelo fato de o homem ter essa inclinação para o mal e, então virá outra perguna: porq maior inclinação para o mal? Dá para compreender essa tremenda confusão? O amigo já chegou a alguma resposta satisfatória? Todo esse sofrimento, sendo q a experiencia mística ou a experiencia de Deus nos mostrará uma verdade bem diferente dessa, pois nos trará bemaventurança, sabedoria e compreensão.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 08 de Fevereiro de 2010, 21:01
Companheiro DIM-DIM, novamente estou aqui.
Em Kardec está, como vc citou, q "todo o mal nasce do egoismo, q é a maior chaga da humanidade' (não será a maior chaga das criaturas pois q a humanidade é formada pelas criaturas de Deus q as criou, o Criador?); 'q todos os vícios nascem do egoismo; q o devemos destruir atacando o mal pela raiz, destruir sua causa; q devemos arrancar do coração todo sentimento egoista, por ser contrário à justiça e ao amor". E afirma, ainda, q "será preciso q o egoismo se torne muito mal para fazer compreender a necessidade de extingui-lo" (isto seria uma afirmação ou uma pergunta?). Não há aí, para o amigo (para minha compreensão há), enormes paradoxos ou estranhezas? Se começamos a existencia ignorantes e, portanto, imperfeitos, e na caminhada da vida praticamos tantos erros, evidentemente, em face da ignorancia e imperfeição, qual a razão das punições ditas 'educativas'? Porq este mundo de expiação e provas? E a obra de Kardec diz q devemos destruir a causa do egoismo, mas nada diz sobre como podemos fazer isso!
Deu para o amigo entender o q expus, ou fui confuso?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: T em 08 de Fevereiro de 2010, 21:08
 ;DSobre a caridade do amigo(a) Psi, concordo. Me lembrei de uma conferência em que estavam Frei Leonardo Boff e Dalai Lama. E Leonardo Boff pergunta ao Dalai Lama qual a melhor religião? O Dalai responde que a melhor religião é a que te faz um ser melhor. Isso é sabedoria. Penso que não importa qual religião seguimos, ou se seguimos alguma, importa sim, se o que nós seguimos nos torna seres amáveis, sensíveis, melhores para conosco mesmos e para com os outros. Deus é um só. Independentemente de onde estivermos somos todos ovelhas de seu rebanho. O Espiritismo traz um saber que outras religiões ou desconhecem ou escondem. Mas penso que não é o saber que nos faz melhores, mas sim o amor. E o amor não tem fronteiras.
Beijos a todos
Téa
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 08 de Fevereiro de 2010, 22:01
Estimada Téa:

Sobre a sua frase "Mas penso que não é o saber que nos faz melhores, mas sim o amor."

A Téa, tal como muitos outros espíritas, despreza o saber e o estudo. Como se o estudo não fosse uma alavanca poderosa e indispensável para a elevação moral da criatura. Kardec e os espíritos nunca colocaram a questão desse modo.

A história da humanidade está cheia de crimes por... amor. Então não basta amar. É preciso saber amar, e para saber amar, é preciso... saber.

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 08 de Fevereiro de 2010, 22:02
Então Irmão Hauch,

Não há secura no cano que transporta agua...
Ao abrirmos nossas torneiras para que sedentos saciem, a agua em nossas caixas se renova constantemente...
Nenhum temor...
Nenhum lamento...
Essa é a paz que o mundo não tem capacidade de dar... Só o Cristo Jesus.

   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações!
  
   Sábias colocações companheiro Bino, desta forma figurada, torna-se mais fácil para os amigos, que ainda não tiveram a oportunidade de conhecer nossa doutrina, entende-la.
   Ainda não adquiri o dom de falar em "Parábolas"!  :D
  
   Muita Paz a todos.

  
   Irmão Hauch

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 08 de Fevereiro de 2010, 22:33
Olá amigo Coronel!

O homem é uma consciência, criada simples e com o conhecimento silencioso, que é a essência da consciência, do todo. O homem na maior parte da sua história viveu com esta percepção de maneira intuitiva. Sem doenças, misérias, e todos esses males que hoje o atormentam.

O que é o homem? O homem é na sua essência um aglomerado de sentimentos, que está aqui para percaber, sentir. Os diversos sentimentos garantem-lhe a subsistência e a sobrevivência no meio de um universo predador.

E, sendo um aglomerado de sentimentos não tem a solidez, a materialidade que lhe têm feito perceber, cheia de sofrimentos e misérias, que ele intenta desde que nasce, dando importância a esses sentimentos miseráveis que se "materializam", porque todos à sua volta intentam os mesmos sentimentos. Essa ilusão é que é a causa de todos os males que o homem sofre.

É o ego, ou a mente finita que obstruiu a mente infinita, esse conhecimento silencioso, esse conhecimento de Deus pela intuição. Esse conhecimento é imediato e sem palavras, daí a meditação, o calar a conversa da mente para o escutarmos.

O mundo, a vida, é pensamento, e são todas as consciências que o sustentam pela intenção e vontade. No caso da Terra está-se a sustentar todas estas ilusões miseráveis e sofredoras, a criar o mundo como o conhecemos. Mas não é imutável esta situação. Quando se compreende a intenção, compreende-se o funcionamento e vê-se que basta não ter uma mente finita a dizer-lhe que ele, o homem, vair ser isto ou aquilo, e que se mudar a ênfase nos sentimentos e der importância a outros sentimentos o mundo muda em conformidade.

Já não precisa ver o mundo sempre da mesma maneira. É livre para intentar os mundos que queira ou que consiga. Já se desfez da mente que o comandava com a ilusão que lhe ensinaram. É alegre contente e senhor de si. É livre. tem a liberdade de percepção que pode dirigir pela intenção para aglomerar mundos mais felizes e sem materialidade e males físicos. É o que se espera da Terra. Tudo é percepção.

Desta maneira pode-se compreender a doutrina, devido à época em que apareceu e para o mundo que estava e está a ser intentado, não poderia conter outras palavras.

Não pensa assim, amigo Coronel?


Namasté    
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 08 de Fevereiro de 2010, 22:53
Companheiro GOANO
Concordo com vc qdo diz q 'o estudo e o saber são poderosa alavanca pois q auxiliam a elevação moral'. Mas, o q o ser humano sabe? Nada, enqto não conquistar o 'conhecimento da verdade'. Assim, o estudo apenas nos pode despertar a curiosidade, a atenção, o entusiasmo, a vontade de ir mais além e, se possivel, o q é de extrema importancia, pode nos motivar para a busca da verdade, ou do reino ("Buscai em primeiro lugar..."). Só esta verdade pode nos trazer o saber. Então, este saber fará 'ressuscitar', ou nascer em nós, o 'homem novo'. Mais uma coisa, amigo, qdo vc se refere a q 'a humanidade está cheia de crimes por 'amor', perceba q isso não é amor. Isso é apenas apego, afeto, afeição, possessividade, entusiasmo por alguem ou alguma coisa, da qual ficamos dependentes e não admitimos perdê-la ou q tirem de nós. O amor verdadeiro, como qualquer outra virtude, só se consegue ao conhecer a verdade; enqto não se conhecer, o amor, e todas as dmeais virtudes são apenas prematuras, parciais, incompletas, falsas, forçadas ou imitação daqueles q nos deixaram os exemplos de amor etc. É evidente q, mesmo sendo imitação, poderá beneficiar a outrem, mas não nos fará avançar um passo sequer na direção de Deus. Observe se não é assim. Forçando ou imitando, isto é, 'treinando' o amor, nosso coração se encherá de amor?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: adrianamangarosa em 09 de Fevereiro de 2010, 00:27
A caridade é algo difícil de pratica-la na integra, acredito q poucos de nós estejam realmente prontos para dizer q a fazem verdadeiramente. Saber o que é fica fácil,mas doar-se de corpo e alma aos nossos irmãos, ouvi-los qdo precisam falar deixando de lado nossos próprios problemas, estar em uma lanchonete e só ter dinheiro para um lanche e qdo o irmão lhe pede você  dividir com ele, mesmo sabendo que o proximo q sentar ali tambem dara um pedaço do seu, quer dizer o faminto ali, ganhará mais q vc, mas seu coração não consegue imaginar isto e sim, q o proximo nao terá pena e vc é o unico q pode abrandar um pouquinho q não tem o que comer. È abrir o armário e dividir o seu agasalho, pra q 2 se vc é só 1, aquela peça no armário poderia aquecer aquele q não tem nada para se proteger do frio, o que mais posso dizer caridade é dividir o amor, é ser solidario, é dar a vara e ensinar a pescar e não comprar so peixe ao faminto, é dividir o seu lar adotando uma criança orfão, é abrir o coração e não esperar recompensas,é fazer algo por alguem e se sentir tao, mas tao feliz, que te basta. MAs como é dificil deixar o egoismo ,o orgulho, as coisas materiais r se doar por inteiro.
Acho q estamos no caminho certo e nao pretensão dizer q tenho certeza q um dia todos nós conseguiremos,com certeza através de muito estudo, esforço e querer, mas graças ao Pai  nossa oportunidade está aqui e agora é só começar.
Muita paz e muita busca é o que desejo a todos nós.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 09 de Fevereiro de 2010, 00:35
Amigo DIM-DIM,
Compreendo o q vc quer dizer. E q a ilusão, isto é, a ignorancia, é a causa do sofrimento de todos. Mas, o amigo diz q "o homem é uma consciencia "criada" simples e destituida ainda de conhecimento" e q "o homem está aqui para perceber esse aglomerado de sentimentos e assim se livrar deles" e q, "dessa maneira se entende a doutrina". Pois é aqui q reside minha pergunta. Essa consciencia foi criada ou "se formou" simples etc? Vc está afirmando, então, q existe uma finalidade, um objetivo 'para q o homem perceba os sentimentos nocivos e se livre deles'. Isso não está conflitando com a doutrina? Percebo q vc leu, pensou, pesquisou bastante para discorrer como fez. Mas, pela doutrina espirita, o homem não sofre por sua ignorancia e sim por sua rebeldia às leis divinas e, particularmente, por sua maldade. (para mim, e julgo q, tb, para vc, tudo isso é apenas ignorancia e não responsabilidade, não é?). O homem sofre por ser ignorante. Vejo q o amigo não pensa assim como a doutrina ensina, nesse aspecto, não é? Vc, me parece, está inclinado às concepções dos misticos. Nestas não há explicação para sofrimento dentro de uma criação divina. O homem sofre pela razão q vc expos: ignorancia. E, somente pela meditação, afasta-se a ignorancia porq a mente q a contem é afastada. Então  homem 'conhecerá a verdade', o q ele é e quem ele é e, isso, como Jesus afirmou, certamente por sua experiencia pessoal, o libertará de todos os sofrimentos pois q o liberta de toda ignorancia. Essa é minha compreensão das coisas. Mas não é a do espiritismo, concorda?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Virgilino em 09 de Fevereiro de 2010, 00:37
Estarei praticando a Caridade quando voltar para dentro do meu ser, reconhecer as mazelas em mim ainda existentes, verificar os tantos erros cometidos, relembrar das das pessoas que feri ou machuquei, do bem que deixei de praticar por preguiça ou indiferença e, a partir de então, tentar dar outro norte para minha xistência.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Marli Pacheco em 09 de Fevereiro de 2010, 00:52
Não concordo contigo Adriana, a partir do instante que nos dedicamos a esta caminhada de Reforma Intima e de Diciplina diária as coisas fluem normalmente.
Eu sou só um grão de areia neste Universo mas faço a minha parte, e tenho a certeza que um dia todos nós chegaremos lá.
O mais importante é o querer compartilhar, é o semear o bem, incondicionalmente.
Que Deus seja com todos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: ceceloo em 09 de Fevereiro de 2010, 01:48
A caridade é a doação em prol do proximo, é "esquecer de si" por alguns minutos, para lembrar e praticar o que Jesus nos ensinou, amar ao proximo como a ti mesmo, onde o termo "esquecer de si" significa saber que você está pronto para doar, é se auto-conhecer a ponto de ter segurança para passá-la aos outros e se livrar de sentimentos primários e primitivos. Podemos praticar a Caridade no dia-a-dia, com leveza e limpeza de pensamentos, mantendo-se em oração nos princípios do orai e vigiai, sem nos deixar influenciar por essa atmosfera pesada atual da nossa nave-mãe Terra. Se começarmos a caridade pela doação de bons pensamentos nos ambientes da vida, já estaremos dando um passo inicial muito bom, pois a Terra está precisando! Tentar entender o próximo e suas fraquezas também é uma boa dica. Vamos fazer um mundo melhor, irmãos ! Temos que nos  unirmos nesse ideal. Que Deus esteja com todos!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 02:23

Olá!

Concordo, amigo Coronel.

O ser criado simples e com o conhecimento silencioso não significa que seja ignorante, aliás, a ignorância é o resultado do não entendimento do ser real, o espirito. Se a questão está naquilo a que se dá importância, podemos dar importância aqui e ali ao mesmo tempo que não faz mal.


Mas se o homem é um efeito, uma sensação, é o que percebe, "o percebedor" está cá para perceber tudo, e extrair o que mais lhe importa à sua liberdade. O conhecimento é livre, é o pensamento sem fronteiras ou barreiras de qualquer espécie.

Com conhecimento da meditação aprofunda-se a compreensão do livro dos Espiritos. A meditação é intentar ficar consciente no sono, e entrar no mundo espiritual sem perdas de consciência. É morte presa por um fio, mas só assim se conhece o desconhecido.

O Espiritismo contém a liberdade, mas não tem a chave, tem que se ir buscar a outro lado qualquer. Alguém disse "vai-se comendo um pouco do mundo sem se deixar comer por ele".


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: ram-wer em 09 de Fevereiro de 2010, 02:33
Alô, pessoal,

Manuel, permita-me desviar a atenção dos leitores para um tópico com
dicas para os recém-chegados.

Notei que o atual estudo trouxe muita gente nova ao FE.  Creio que vão gostar
do desvio rápido. 

Tempo de leitura garantido: menos de 2 minutos.  ;)

Tá logo ali (http://www.forumespirita.net/fe/apresentacao/dicas-para-os-novatos/msg60885/#msg60885).

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: RuyLFreitas em 09 de Fevereiro de 2010, 03:05
Oi! Prezado Ram-Wer.
Excelente a sua dica, e absorvi de imediato. Não costumo escrever texto longos, mas as vezes somos falhos e daí extrapolamos.
Parabéns! Por sua iniciativa para com todos nós quais estamos começando agora.

Um forte abraço, cheio de Paz e Luz.
 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Reijane em 09 de Fevereiro de 2010, 04:10

      ::)Amigos do Fórum Espírita: ;D ;D

   Eu particularmente vejo e entendo a Caridade,como algo que deveria ser inerente á todos os Seres Humanos! Contudo,sabemos que o que acontece atualmente, muito difere do que espera-se de semelhantes para com semelhantes! Quando dedico o meu tempo, em prol do meu irmão ouvindo-o e aconselhando-o, num momento de tristeza e desespero estou certamente sendo Caridoso! Esta foi a resposta postada por mim,no Fórum! Sempre procuro um Tempo para ouvir as pessoas! Independente de serem conhecidas ou não! Gosto de ouvir pessoas e ajudá-las com bons conselhos! Já livrei muito gente,de muita encrenca!Ouvir me faz bem! Isso é tão raro  hoje em dia! Porém,o que acontece sempre,é que quando estou com problemas,quase nunca encontro ninguém de "Carne e osso!"Antes,isso me incomodava! Hoje não mais! Converso com Deus!Não existe ouvinte mais fiel do que Ele! Sei que aconselhar as pessoas,faz parte da Minha Missão aqui na Terra!   

                          Beijos aos Amigos do Fórum Espírita!


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 09 de Fevereiro de 2010, 09:42
Olá, Coronel:

O que é isso de "o conhecimento da verdade"? Uma quimera.

O conhecimento da verdade é a perspectiva do próprio Criador acerca da verdade. Ao espírito resta a tarefa de se ir aproximando sempre mais e mais dessa verdade sem nunca a atingir, aproximando-se sempre de um +infinito intocável e inacessível à criatura.
Ainda que assim não seja, e que eu esteja enganado, já algum de nós conversou com um espírito puro para saber como são as coisas lá nas altas esferas?

Cada um de nós vai aproximando-se cada vez mais dessa verdade divina, à medida que evolui. Mas quem pode afirmar que está mais próximo dela?

João José Santos

PS: Em esperanto, quando não se pode usar o caracter "ĝ", deve usar-se "gh", portanto "Ghoano", que se lê [djoano], ne "Goano", que se leria [goano], se a palavra existisse.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 09 de Fevereiro de 2010, 10:50
Alô, pessoal,

Manuel, permita-me desviar a atenção dos leitores para um tópico com
dicas para os recém-chegados.

Notei que o atual estudo trouxe muita gente nova ao FE.  Creio que vão gostar
do desvio rápido. 

Tempo de leitura garantido: menos de 2 minutos.  ;)

Tá logo ali (http://www.forumespirita.net/fe/apresentacao/dicas-para-os-novatos/msg60885/#msg60885).


   Companheiro Ram-Wer, sem pejorar.  Sabemos que os irmãos querem deixar o mais explícito possível, suas respostas, porém, não só achei importantíssimas suas “colocações”, como devíamos, de fato, procurar segui-las.
Certas vezes queremos acompanhar o “debate”, mas são por demais longos!
   Reitero que, cada qual tem sua maneira de expressar-se, porém, se atermo-nos as dicas do irmão Ram, todos sairemos ganhando.

   Muita Paz.


   Irmão Hauch


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 09 de Fevereiro de 2010, 12:32
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações!

AUTOCRÍTICA

   Paralelamente ao desenvolvimento da mediunidade, o médium deve esforçar-se para desenvolver a autocrítica...
   Desenvolver e mantê-la ao longo das atividades mediúnicas.
   Preservar a lucidez na tarefa, para que a vaidade não lhe crie ilusões.
   Conquistar o indispensável discernimento com que se norteie o caminho.
   O médium sem autocrítica expõe-se, com facilidade, ao ridículo.
   Ao contrário, exercitando-se no sincero conhecimento de si mesmo, o médium capitula diante dos próprios equívocos, preservando-se do desequilíbrio.
   No entanto, a autocrítica não deve ser severa ao ponto de anulá-lo em sua real capacidade de servir. Tudo em excesso, mesmo a autocrítica, é contraproduzente.
   Aliás, uma das táticas que os espíritos obsessores igualmente utilizam para impedir o médium de trabalhar é fazê-lo acreditar-se incapaz.
   Autocrítica, discernimento, sinceridade, boa  intenção, desinteresse pessoal, disciplina, perseverança e idealismo. Eis alguns dos requisitos básicos para o médium que aspire à mediunidade com JESUS nas bênçãos da Doutrina Espírita. É lógico que todos estes requisitos são interdependentes, mas todos eles revelam a sua absoluta dependência de um outro requisito que, propositalmente, citamos à parte: estudo!
   O médium sem estudo é apenas instrumento, ao passo que o médium esclarecido é coadjuvante dos espíritos no complexo mecanismo do intercâmbio espiritual.
   Quem deseje, pois, dar início ao desenvolvimento de suas faculdades mediúnicas, comece estudando a Doutrina pelo “Pentateuco Kardequiano”.


Odilon Fernandes

Do Livro: Somos Todos Médiuns
Psicografia: Carlos Antônio Baccelli
Editora: DIDIER

   Muita Paz a todos.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 12:50

Olá!

A razão só sabe explicar o mundo conhecido da ilusão, é limitada e finita. Não sabe explicar, não percebe nem vê o mundo espiritual.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Rubem Setubal em 09 de Fevereiro de 2010, 13:07
Caridade, benevolência para com todos, indulgência para as imperfeiçoes dos outros, perdoar as ofensas.Segundo Jesus, não se restringe à esmola, abrange todas as relações humanas, independente da posição social e força nossa razão a não humilhar os desafortunados. É fonte de felicidade, ainda neste mundo. é a origem das virtudes e base da ordem social. Caridade se aplica em pensamentos, em palavras, em ações. Evitar de falar algo que prejudique, que machuque, que cause tristeza. Evitar de falar verdades dolorosas e importunas, que venham a desequilibrar, a matar a esperança. É o sentimento cheio de sublimidade, por conter a compaixão e o amor no seu mais elevado significado, sendo discreta e misericordiosa, rica de abnegação e paz. FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO, máxima decorrente do ensino dos Espíritos, pedra angular do edifício cristão, assenta num princípio universal, abre a todas criaturas acesso à suprema felicidade, consagrando o princío de igualdade entre todos perante DEUS e da liberdade de consciência.
Obrigado pela oportunidade,
Rubem Setúbal
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 09 de Fevereiro de 2010, 13:14
Olá, Dim-dim:

A sua opinião de que a razão é incompetente para percepcionar o mundo dos espíritos contrasta completamente com o racionalismo de Kardec, em que assenta o espiritismo.

O caminho espírita é racional. Poderá haver outros e muito dignos, mas esses não são o caminho espírita.

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 09 de Fevereiro de 2010, 13:26
Caros irmãos estudantes,
Seria letra morta a assertiva base do Espiritismo?
"Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade".
Não ... não pode ser letra morta.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Carmen.gbi em 09 de Fevereiro de 2010, 13:36

Bom dia!

Olá Manuel

Oi, Ram-Wer
Achei perfeita essa sua colocação e volto a citá-la como já fizeram outros amigos.E adorei o "desvio rápido".

Alô, pessoal,

Manuel, permita-me desviar a atenção dos leitores para um tópico com
dicas para os recém-chegados.

Notei que o atual estudo trouxe muita gente nova ao FE.  Creio que vão gostar
do desvio rápido. 

Tempo de leitura garantido: menos de 2 minutos.  ;)

Tá logo ali (http://www.forumespirita.net/fe/apresentacao/dicas-para-os-novatos/msg60885/#msg60885).


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 13:46
Olá, Dim-dim:

A sua opinião de que a razão é incompetente para percepcionar o mundo dos espíritos contrasta completamente com o racionalismo de Kardec, em que assenta o espiritismo.

O caminho espírita é racional. Poderá haver outros e muito dignos, mas esses não são o caminho espírita.

João José Santos

Olá!

É racional para entender a ilusão e o principio espiritual. A doutrina não podia falar de outra maneira sem ser pela apreensão da realidade ilusória que o mundo vive.

A razão é para se compreender a ilusão. Kardec mostra que a entrada no mundo espiritual faz-se através dos sonhos ou do êxtase, que não se serve da razão ou do pensamento.

Também nos diz para não nos apegarmos ao mundo das aparências, e para se colocar o  pensamento no mundo espiritual, que para a razão é o abstrato, o desconhecido.

Tudo depende dos pontos em que se focaliza a atenção na doutrina. O mundo espiritual é o real. O material podia deixar de existir sem alterar o mundo espiritual.

O mundo espiritual percebe-se pelo pensamento, mas não o pensamento ilusório.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 09 de Fevereiro de 2010, 14:08
Caros irmãos estudantes,
O Espiritismo nos ensina que não temos condições de compreender (exceto pelo pensamento), o que é Espirito.
Sou espirito encarnado, humano, mesmo desencarnado, ainda radicado no planeta Terra, humano.
Como humano pode evoluir buscando o que lhe é impossível compreender?
Caridade comigo mesmo é viver o que Deus me facultou viver e buscar evoluir com o que eu posso compreender...
Por isto dou razão ao meu amigo que diz...
Quem não dá valor ao que tem, e busca o que não tem, fica sem o que tem pois não lhe deu valor, e pela desídia de não ter valorizado o que tinha, não pode merecer o que não tem...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 14:09
Caros irmãos estudantes,
Seria letra morta a assertiva base do Espiritismo?
"Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade".
Não ... não pode ser letra morta.
Saúde e Paz!

Sim. A razão serve para acabar com essa fé inabalável, mas perante o desconhecido mundo espiritual nada vale.

Para se compreender esse mundo desconhecido tem que ser com aquele sentimento íntimo como nos diz a doutrina, isto é, sem pensamentos racionais.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 09 de Fevereiro de 2010, 14:13
Caro companheiro Dim-Dim,
Como compreender sem o aval do julgamento, da razão, do raciocínio, sem incorrer no risco de viajar na maionese?
Só pela fé cega.
Contrária ao que ensina o Espiritismo.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 14:16
Caros irmãos estudantes,
O Espiritismo nos ensina que não temos condições de compreender (exceto pelo pensamento), o que é Espirito.
Sou espirito encarnado, humano, mesmo desencarnado, ainda radicado no planeta Terra, humano.
Como humano pode evoluir buscando o que lhe é impossível compreender?
Caridade comigo mesmo é viver o que Deus me facultou viver e buscar evoluir com o que eu posso compreender...
Por isto dou razão ao meu amigo que diz...
Quem não dá valor ao que tem, e busca o que não tem, fica sem o que tem pois não lhe deu valor, e pela desídia de não ter valorizado o que tinha, não pode merecer o que não tem...
Saúde e Paz!

Quem apenas queira ver a doutrina pelo ESE jamais poderá vê-la como está na verdadeira doutrina, como é, e está, no livro dos Espiritos

" Allan Kardec "

6 O sentimento íntimo que temos em nós da existência de Deus não seria o efeito da educação e das idéias adquiridas?

– Se fosse assim, por que vossos selvagens teriam também esse sentimento?

☼ Se o sentimento da existência de um ser supremo fosse o produto de um ensinamento, não seria universal. Somente existiria naqueles que tivessem recebido esse ensinamento, como acontece com os conhecimentos científicos.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 09 de Fevereiro de 2010, 14:21
Então...
Se já tenho, como humano, o sentimento íntimo que preciso e compreendo, o que vou encontrar buscando o que não compreendo, sem incorrer no risco de viajar na maionese e ficar como meu cãozinho que corre atráz do próprio rabo, quando quer fazer graça para mim?
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 14:29
Então...
Se já tenho, como humano, o sentimento íntimo que preciso e compreendo, o que vou encontrar buscando o que não compreendo, sem incorrer no risco de viajar na maionese e ficar como meu cãozinho que corre atráz do próprio rabo, quando quer fazer graça para mim?
Saúde e Paz!

" Allan Kardec "

22. Ao lado da dos materialistas propriamente ditos, há uma terceira classe de incrédulos que, embora espiritualistas, pelo menos de nome, são tão refratários quanto aqueles. Referimo-nos aos incrédulos de má-vontade. A esses muito aborreceria o terem que crer, porque isso lhes perturbaria a quietude nos gozos materiais. Temem deparar com a condenação de suas ambições, de seu egoísmo e das vaidades humanas com que se deliciam. Fecham os olhos para não ver e tapam os ouvidos para não ouvir. Lamentá-los é tudo o que se pode fazer.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 09 de Fevereiro de 2010, 14:46
Então,
É caridade insistir tanto, nisso, num estudo da caridade?
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 14:50
Então,
É caridade insistir tanto, nisso, num estudo da caridade?
Saúde e Paz!

É. A verdadeira caridade é mostrar o caminho espiritual aos homens que apenas se focalizam no corpo, no material.

Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Carmen.gbi em 09 de Fevereiro de 2010, 14:56
Bom dia !


Olá, amigos


Tentando responder às perguntas de Manuel eu acredito que :


COMO ENTENDEMOS A PALAVRA CARIDADE?

A caridade é um ato que não deveríamos nem perceber quando o fazemos, porque  seria como fazer a nós mesmos . Não deveria ser visto nem como algo a ser feito a outrem, não como uma obrigação de um filho de Deus para com seus irmãos e sim uma coisa normal, espontânea, uma complementação de nós mesmos.Somente quando tivermos a clareza e inserido o amor , como Jesus o  pregou, é que saberemos verdadeiramente o sentido dessa palavra CARIDADE.

“A caridade segundo Jesus não se restringe  à esmola , abrange todas as relações em que nos achamos com os nossos semelhantes , sejam eles nossos inferiores, nossos iguais, ou nossos superiores.” (Allan Kardec : O livro dos Espíritos , questão 886)


COMO PODEMOS PRATICAR?

Sendo altruístas antes de tudo . Tentando ajudar sem olhar a  quem, em todos os sentidos, naquilo que cada um irmão estiver precisando naquele momento. Não deixar pra depois, não esperar, não achar que outros virão e ajudarão . Ser uma pessoa impar na vida de cada um, e não apenas mais um na multidão.


O QUE PODEMOS FAZER PARA QUE A CARIDADE SEJA UM PROCESSO DE EVOLUÇÃO PESSOAL?

Se a cada dia , mesmo indo contra os nossos impulsos naturais de restrições e  de antipatias, conseguirmos fazer um pouquinho, mas sabendo que é apenas  ”um pouquinho” , porque a humildade tem que prevalecer, e  aos poucos inserir esse sentimento em nós de forma que nem percebamos que o praticamos, acredito que estaremos  avançando sempre em nossa caminhada.


TEMOS QUE SER PRIMEIRO CARIDOSOS CONOSCO?

Para podemos conhecer bem esse sentimento, é preciso que primeiro conheçamos a nós mesmos, nos autoconheçamos. È essa a caridade que temos que ter conosco, Manuel?

Beijos

Carmen
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 09 de Fevereiro de 2010, 15:14
Companheiro GHOANO (= djoano = ghoano; não aprendi ainda como colocar o sinal sobre o G), bom dia.
O amigo me perdoe porq, como tenho para mim q devemos questionar tudo, venha de onde vier, vou tb questionar o q vc disse.
Disse: "conhecer a verdade é uma quimera", isto é, produto da imaginação, absurdo, fantasia. Será? Essas palavras vieram do Cristo, das quais veio o espiritismo. E ele afirmou "Conhecereis a verdade e...", não "SE conhecerdes...". Então o homem "conhecerá". Não é utopia, ou imaginação de Jesus! É afirmação. Ou Jesus estaria enganado? Não creio e vc tb não crê, tenho certeza. Diz tb q "ao espirito resta a tarefa de ir se aproximando infinitamente sem nunca atingi-la". Isso não está desmentido na vida de Jesus? E de tantos outros iluminados q chegaram 'lá'? Essa pergunta de conhecer espiritos puros, o amigo não acha q deve ser feita à doutrina espirita? Veja qtos aceitam tudo q lêem, q falam, q aprendem como se fosse verdade absoluta e integral e nada questionam, talvez, por julgarem a fonte digna de confiança! E vc tem razão, ninguem pode afirmar q está mais proximo da verdade, pois qdo ela vem, não é aos poucos, mas num repente e ilumina integralmente ("Como um relampago q vem do nascente...")
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 09 de Fevereiro de 2010, 15:43
Amiga CARMEN.GBI, boa tarde.
Vc disse q devemos "praticar" a caridade, 'tentando' fazê-la sem olhar a quem, sendo 'altruistas', indo mesmo 'contra' nossos impulsos 'naturais', assim inserindo 'aos pouquinhos' virtude em nós. Será possivel q, por 'treinamento', adquiramos alguma virtude genuina, nos tornaremos altruistas, cheios de amor?  Ou será, como dizem os sábios, q as virtudes são prematuras, incompletas, forçadas e até imitação daqueles q nos deram exemplos, enqto não 'conhecermos a verdade'? Será q não precisamos questionar essas coisas? O treinamento vale para realizarmos, com mais eficiencia ou até mecanicamente, uma ação, trabalhos ou coisas q dependam do exercicio da memória pelo decorar, isto é pela repetição ou, como disse vc, aos pouquinhos.
E outra coisa: indo contra nossos impulsos 'naturais'; esta colocação permite a questão de "porq nossos impulsos 'naturais' não são direcionados para a pratica da caridade?"
Tenha uma boa semana.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 09 de Fevereiro de 2010, 15:53
Então Prezado irmão Ghoano,
Muito me sensibilizou seu post, dizendo acerca do silencio de outrem para conosco, então no estudo da caridade, vc que diz ter sentido isso na pele, me mostre, há o que fazer que não seja ignorar e calar?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 16:06
Caro companheiro Dim-Dim,
Como compreender sem o aval do julgamento, da razão, do raciocínio, sem incorrer no risco de viajar na maionese?
Só pela fé cega.
Contrária ao que ensina o Espiritismo.
Saúde e Paz!

" Allan Kardec "

13 Quando dizemos que Deus é eterno, infinito, imutável, imaterial, único, todo-poderoso, soberanamente justo e bom, não temos uma idéia completa de seus atributos?

– Do vosso ponto de vista, sim, porque acreditais abranger tudo. Mas ficai sabendo bem que há coisas acima da inteligência do homem mais inteligente e que a vossa linguagem, limitada às vossas idéias e sensações, não tem condições de explicar. A razão vos diz, de fato, que Deus deve ter essas perfeições em grau supremo, porque se tivesse uma só de menos, ou que não fosse de um grau infinito, não seria superior a tudo e, por conseguinte, não seria Deus. Por estar acima de todas as coisas, Ele não pode estar sujeito a qualquer instabilidade e não pode ter nenhuma das imperfeições que a imaginação possa conceber.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 09 de Fevereiro de 2010, 16:22
Companheiro GHOANO (= djoano = ghoano; não aprendi ainda como colocar o sinal sobre o G), bom dia.
O amigo me perdoe porq, como tenho para mim q devemos questionar tudo, venha de onde vier, vou tb questionar o q vc disse.
Disse: "conhecer a verdade é uma quimera", isto é, produto da imaginação, absurdo, fantasia. Será? Essas palavras vieram do Cristo, das quais veio o espiritismo. E ele afirmou "Conhecereis a verdade e...", não "SE conhecerdes...". Então o homem "conhecerá". Não é utopia, ou imaginação de Jesus! É afirmação. Ou Jesus estaria enganado? Não creio e vc tb não crê, tenho certeza. Diz tb q "ao espirito resta a tarefa de ir se aproximando infinitamente sem nunca atingi-la". Isso não está desmentido na vida de Jesus? E de tantos outros iluminados q chegaram 'lá'? Essa pergunta de conhecer espiritos puros, o amigo não acha q deve ser feita à doutrina espirita? Veja qtos aceitam tudo q lêem, q falam, q aprendem como se fosse verdade absoluta e integral e nada questionam, talvez, por julgarem a fonte digna de confiança! E vc tem razão, ninguem pode afirmar q está mais proximo da verdade, pois qdo ela vem, não é aos poucos, mas num repente e ilumina integralmente ("Como um relampago q vem do nascente...")


   Que a Paz de DEUS permaneça em todos os corações.
   
   Companheiros e irmão Coronel é importante colocar, que, conforme está designado na evolução de nosso planeta e também de nossa própria evolução, à medida em que evoluímos espiritualmente, e consequentemente, nos purificamos; a vida vai tornando-se mais compreensiva, e também “fácil”, de acordo com o nosso entendimento, é claro.
   Contrariamente, as provas à que somos submetidos, até para que às ratifiquemos, e às marquemos perispiridicamente, vão sendo mantidas, e muitas vezes obtêm um certo e leve acréscimo, reitero, à medida que evoluímos.

   Muita Paz.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: odraci em 09 de Fevereiro de 2010, 16:37
Boa tarde,

"Aprendemos e ensinamos caridade em todos os temas da necessidade humana. Façamos dela o pão espiritual da vida."
(Emmanuel, psicografado por Chico Xavier)

Caridade é simples quando feita sem interesse...

odraci martins
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 09 de Fevereiro de 2010, 16:40
Caro Filhodobino:

O que há a fazer é crescer para Deus à luz do evangelho e sobretudo do espiritismo.
Digo "sobretudo do espiritismo" porque a mensagem do evangelho, tendo sido transmitida à 2000 anos, num contexto cultural muito diferente do do mundo de hoje, carece de interpretações, linguísticas e doutrinais. Kardec está mais perto de nós do que Jesus, no tempo e na evolução, e por isso fala-nos de modo mais inteligível ao nosso eu racional.

Perdoar as ofensas ou, melhor ainda, racionalizarmos as ofensas para as eliminar à partida, esse é um aspecto importantíssimo do caminho a seguir. É este um dos meus grandes desafios: não chegar a ser ofendido, mesmo quando exista intenção de outrém em fazê-lo. Não se trata de desprezar o outro, não valorizando as suas acções, trata-se de compreender que tudo isto é passageiro, que eu mesmo já ofendi muita gente injustamente, que eu mesmo já fiz coisas que hoje não faria, e que o aparente inimigo de hoje é o filho querido de amanhã.

Tornarmo-nos intocáveis, inacessíveis à ofensa, esse deve ser um estado fantástico, porque nos abre horizontes de felicidade espiritual. Ainda não estou lá, mas consigo vislumbrar isso. Quando conseguirmos isto, então nem precisamos de perdoar, porque o perdão passará a existir aprioristicamente.

Sentirmos que Deus é justo, que nada poderemos sofrer sem a Sua permissão, e que somos incomensuravelmente importantes aos olhos de Deus (auto-estima), mas que em simultâneo somos tão importantes como um número infinito de espíritos no Universo (humildade verdadeira), conseguirmos entender isto e praticá-lo deve ser algo de extraordinário.

Como se consegue? Deixe-me brincar um pouco. Consegue-se conseguindo :) . Isto é, experimentado. O caminho espírita é o da racionalização. Entendemos, esforçamo-nos, conseguimos. Tentamos de novo e falhamos. Levantamo-nos com coragem e voltamos à carga. Pode-nos parecer que estamos sempre a cair pelas mesmas razões e que não estamos a evoluir, mas quando passado uns anos (nada no tempo universal) olhamos para trás e tentamos lembrar-nos de nós mesmos, sorrimos ao ver um indivíduo que tinha umas atitudes que hoje nos parecem estranhas. Até é engraçado. Olhamos para o nosso passado com a bonomia com que olhamos para os erros de uma criança.

Um abraço,

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 09 de Fevereiro de 2010, 16:46
Compreendi irmão ghoano,
Agradeço...
Aí reflito... Então quando eu fui pedra de tropeço, eu era o instrumento que colocava em prova meus irmãos...
Jesus! me vem à mente outra: Ai daquele que seja causa de escândalo...
Olha o espelho ai... O que me irrita no meu irmão é o que preciso, exercitar em evolução.
Deus lhe pague!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 09 de Fevereiro de 2010, 16:48
Companheiro HAUCH,
Como o amigo já percebeu, para melhor compreender questiono tudo q me vem às mãos. Talvez me torne chato por isso. Mas me perdoe, q aí vai questionamento:
Conforme vc disse, à medida q evoluimos as provas se tornarão mais fáceis, menos duras etc. E minha pergunta é: então, no inicio dessa jornada evolutiva, eram mais dificeis, mais duras? Ou houve um momento em q ela 'começou' a se tornar mais dificil, e após muito caminharmos, vai aos poucos se tornando mais fácil? Alguem até ja disse q nossa inclinação para o mal é 'natural'! Q por isso sofremos. Então fomos criados mais inclinados para o mal? E se fomos criados simples e ignorantes, igualmente inclinados para o mal qto para o bem, porq a inclinação para o mal, q é natural, prospera e a inclinação para o bem, tb natural, não prospera? Ou porq, de repente, praticariamos tanto o mal q ficariamos sujeitos à uma vida mais dificil? Será q temos respostas para estas questões? Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Kee Marcello em 09 de Fevereiro de 2010, 16:55
Então,
É caridade insistir tanto, nisso, num estudo da caridade?
Saúde e Paz!

É. A verdadeira caridade é mostrar o caminho espiritual aos homens que apenas se focalizam no corpo, no material.

Namasté

Sei, sei... a verdadeira caridade é mudar o outro ...

Tá bom. O guru falou, tá falado.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 09 de Fevereiro de 2010, 16:56
A fé raciocinada vem na medida em que vamos tomando conhecimento da vida espiritual.
Cada vez compreendemos mais que não existem milagres, que Santos nada mais são do que espíritos iluminados, que podemos desenvolver a nossa capacidade e evolução tanto quanto nossos mestres. Que Jesus falava através de parábolas para ficar mais fácil a compreensão do povo na sua época quando encarnado.
Através da mediunidade evoluída sentimos a presença de espíritos, ouvimos , falamos,psicografamos, pictografamos e até vemos, portanto  não é tão abstrato assim.
O que mais me atraiu no Espiritismo, foi exatamente a falta do "mistério". A maneira clara como era analisado o evangelho , diferente das outras religiões Cristãs.
A compreensão da causa e efeito, a compreensão do karma, saber que ao desencarnar não iremos necessariamente para o "Céu ou Inferno", e nem nos tornaremos diferente do que somos.
Que estamos na terra para evoluir, crescer, resgatar, aprender a amar porque somos imperfeitos e Deus na sua infinita bondade nos coloca esta chance. E principalmente, Deus não castiga ninguém, por isso não precisamos teme-lo.
Saudações
Hebe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 17:03
Então,
É caridade insistir tanto, nisso, num estudo da caridade?
Saúde e Paz!

É. A verdadeira caridade é mostrar o caminho espiritual aos homens que apenas se focalizam no corpo, no material.

Namasté

Sei, sei... a verdadeira caridade é mudar o outro ...

Tá bom. O guru falou, tá falado.



Mudar? Não sabe ler? Ou gosta de sustentar o orgulho dando umas moedas aos "coitadinhos"?


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 09 de Fevereiro de 2010, 17:08
Olá, Coronel:

««Companheiro GHOANO (= djoano = ghoano; não aprendi ainda como colocar o sinal sobre o G)»»
Diga [djoano], com as vogais abertas, e escreva "Ĝoano" ou "Ghoano".
Se vai começar a usar o esperanto, dar-lhe-ei informações precisas para meter os acentos em Windows e em Linux (os dois SO que uso). Se não vai escrever em esperanto, basta usar o sistema proposto pelo próprio Zamenhof, quando precisar de citar alguma palavra ou frase:
ĉ=ch / ĝ=gh / ĥ=hh / ĵ=jh / ŝ=jh / ŭ=u -- Fácil, não é?

««O amigo me perdoe porq, como tenho para mim q devemos questionar tudo, venha de onde vier, vou tb questionar o q vc disse.»»
À vontade.

««Disse: "conhecer a verdade é uma quimera", isto é, produto da imaginação, absurdo, fantasia.»»
Sim, é uma quimera do ponto de vista espírita e kantiano. Vejo muita relação entre o espiritismo e o kantismo, tanto na ética como na gnoseologia.

««Será? Essas palavras vieram do Cristo, (...)»»
Jesus tem que ser interpretado com cuidado. Ele falou para os homens do seu tempo. Kardec precisou de estruturar o "Evangelho Segundo o Espiritismo" num sistema de explicação dos passos mais importantes dos evangelhos, porque sentiu que as palavras de Jesus deviam ser interpretadas á luz do espiritismo.
Na época de Jesus, faltava ainda muito para que o racionalismo cartesiano nascesse, e faltava ainda mais tempo para que Kant viesse fazer a sua revolução coperniciana na gnoseologia. Ou seja, Jesus falou para o público de então.
Quando Ele diz que conheceremos a verdade e que ela nos libertará, Ele pretende abrir-nos os olhos para a realidade espiritual, pois Ele nunca poderia pretender dizer que nós havíamos de conhecer a verdade tão bem quanto a própria Divindade a conhece.

««Diz tb q "ao espirito resta a tarefa de ir se aproximando infinitamente sem nunca atingi-la". Isso não está desmentido na vida de Jesus? E de tantos outros iluminados q chegaram 'lá'?»»
De modo nenhum. Jesus é um espírito puro, mas não é Deus. Se Ele conhecesse a verdade tal como Deus, Jesus e Deus seriam o mesmo ser. A criatura evolui infinitamente entendendo mais e mais da obra de Deus. É um acto de humildade da nossa parte entendermos que por muito que evoluamos nunca seremos tão evoluídos como o próprio Criador.

Espero ter explicado objectivamente o modo como encaro o assunto.

Um abraço,

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 09 de Fevereiro de 2010, 17:26
Sobre a expressão de Kardec: Igual propensão para o bem e para o mal.

Vejo o assunto assim:
À partida, a propensão de todas as almas é para o bem, já que, no fim, todas chegarão ao estado de espírito puro.
Mas pelo meio, ai Jesus! acontece tanta coisa! ;)

À medida que experienciamos a relação com o mundo material e com os outros, vamos aprendendo e... cometemos erros. Aprendemos a defender-nos e exageramos. Passamos a usar o ataque como defesa e tornamo-nos seres mais ou menos... intragáveis. Depois, aprendemos mais, experienciamos mais, ficamos cansados de sofrer, começamos a olhar para cima em vez de olharmos para o nosso umbigo. Começamos a ganhar consciência de que somso espíritos, seres imortais, e percebemos qual é o nosso lugar no Universo e como as leis universais funcionam.

Uns percebem mais cedo, outros mais tarde. Uns optam mais cedo pelo caminho do bem, outros optam mais tarde.

Acho, que é assim que deve ser interpretada essa frase de Kardec.
Essa igual propensão para o bem e para o mal mostra que a escolha do caminho é nossa, e não que uns se tornariam bons e outros maus.

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 09 de Fevereiro de 2010, 17:32
Então,
ai Jesus...
oh pá...
vc me fez lembrar que hoje é dia de Joaquim... Ele demorou dez anos para perceber que estava "dando varada n'agua", tentado ensinar o que é ego, espirito e etc... Agora começou explicar o que é DEVA... logo mais vou prá lá sô...uai...tem base?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: ismael peres dos santos em 09 de Fevereiro de 2010, 17:41
olá amigos, o tema é bastante sugestivo, vamos praticar
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 17:42

Olá!

" Allan Kardec "

7. - Não dependendo a felicidade futura do trabalho progressivo na Terra, a facilidade com que se acredita adquirir essa felicidade, por meio de algumas práticas exteriores, e a possibilidade até de a comprar a dinheiro, sem regeneração de caráter e costumes, dão aos gozos do mundo o melhor valor.

Mais de um crente considera, em seu foro íntimo, que assegurado o seu futuro pelo preenchimento de certas fórmulas ou por dádivas póstumas, que de nada o privam, seria supérfluo impor-se sacrifícios ou quaisquer incômodos por outrem, uma vez que se consegue a salvação trabalhando cada qual por si.

Seguramente, nem todos pensam assim, havendo mesmo muitas e honrosas exceções; mas não se poderia contestar que assim pensa o maior número, sobretudo das massas pouco esclarecidas, e que a idéia que fazem das condições de felicidade no outro mundo não entretenha o apego aos bens deste, acoroçoando o egoísmo.



“Tudo em a Natureza se encadeia por elos que ainda não podeis apreender. Assim, as coisas aparentemente mais díspares têm pontos de contacto que o homem, no seu estado atual, nunca chegará a compreender. Por um esforço da inteligência poderá entrevê-los; mas, somente quando essa inteligência estiver no máximo grau de desenvolvimento e liberta dos preconceitos do orgulho e da ignorância, logrará ver claro na obra de Deus. Até lá, suas muito restritas idéias lhe farão observar as coisas por um mesquinho e acanhado prisma. Sabei não ser possível que Deus se contradiga e que, na Natureza, tudo se harmoniza mediante leis gerais, que por nenhum de seus pontos deixam de corresponder à sublime sabedoria do Criador.”


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Carmen.gbi em 09 de Fevereiro de 2010, 18:05
  Boa tarde!



Vejam que forma mais linda de definir e explicar o que seja a CARIDADE

CARIDADE

Caridade é a mão terna e compassiva
Que ampara os bons e aos maus ama e perdoa,
Misericórdia , a qual para ser boa,
De bens paradisíacos se priva.

Mão radiosa , que traz a verde oliva
Da paz, que acaricia e que abençoa,
Voz da eterna verdade que ressoa
Por toda a parte , promissora e ativa

A caridade é o símbolo da chave
Que abre as portas do céu claro e suave,
Das consciências libertas da impureza;
É a vibração do espírito divino, Em seu labor fecundo e peregrino,
Manifestando as glórias da Beleza!...


Cruz e Souza
(retirado do livro Estudo Sistematizado da Doutrina espírita  - FEB)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 09 de Fevereiro de 2010, 19:02
HEMCOGLIATTI, companheiro de busca,
Exato, milagres não existem. Chamamos de milagres porq, para nossa compreensão imperfeita, tudo aquilo q Jesus, discipulos e outros q 'compreenderam' produziram está contra as leis naturais, não é? Hoje até a ciencia, alicerçada em suas experiencias e nas visões do misticismo milenar, afirma o mesmo. Nos condicionamos a determinadas soluções para nossos problemas e não sabemos q existem 'muitas' outras q não conhecemos.
Agora, 'alguns' santos talvez sejam espiritos iluminados. Mas muitos se 'tornaram' santos por decreto papal, como sabemos.
Vc tem razão ao dizer q o espiritismo é diferente; das três cristãs é a doutrina q mais nos dá respostas. Mas, amigo, observe qtos tremendos mistérios ainda existem nela. Porq existimos, porq temos passar para evoluir, por isso q denominamos vida, morte, por inenarraveis sofrimentos? Pedimos para ser criados? Impossivel, por q não existiamos! Então, a criação nos foi imposta; não pedimos  e estamos sujeitos, obrigatoriamente, a tanto sofrimento porq somos ignorantes e não evoluimos como deveriamos (!?). Temos como ou a quem nos queixar se estivermos aqui contra nossa vontade ou sofrendo? O Criador, Todo Poderoso e onisciente, sabedor portanto de tudo q suas criaturas fariam, nos criou e tb criou locais para expiarmos nossos erros pois sabia q errariamos e deveriamos sofrer por isso?! Se o Pai não permitiu o mal, quem o permitiu? São as criaturas q se punem por serem ignorantes e imperfeitas? Não há nisso muitas estranhezas e incoerencias? As explicações sobre todas essas coisas, para mim, não são essas q as doutrinas cristãs dão. Devem ser totalmente diferentes e nos mostrarão, aí sim, um Deus de amor e justiça.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: zeni em 09 de Fevereiro de 2010, 20:31
Olá! A todos do Fórum.

Citar DimDim

Claro que sim amigo. O homem vive possuído pelo ego, a mente finita que tem início com o nascimento e termina com a morte do corpo, sem nunca descobrir a verdade que é a mente infinita, eterna, o verdadeiro ser.

A mente finita nunca poderá ver a mente infinita a não ser pelo silêncio e a meditação. Libertar-se de toda a história preconceituosa, depois de compreendida. Essas idéias preconcebidas por mentes finitas que continuam a manter o espirito com a visão dirigida para a Terra sem ver mais nada.

Não há liberdade de percepção enquanto não "nascermos" a cada momento, enquanto não olharmos para cada momento que se aproxima com olhos livres do passado.


Querido amigo sua mensagem, me fez lembrar de alguém muito próximo a mim, quando falo qualquer coisa que tem haver com espírito espiritualidade, essa pessoa assovia, desconversa troca de assunto, fico sem graça diante dele, mas cada um segue a vida conforme se sente melhor, essa pessoa é meu companheiro,vivo a 20 anos, respeita minha escolha mas não adota para ele, pelo menos penso eu posso estar errada, mas é uma pessoa boa dentro de suas limitações, confesso também que no dia a dia é muito complicado o convívio, por termos gostos e atitudes diferentes,  um do outro, acredito que isso acontece comigo, é  para que eu pratique a caridade ensinada por Jesus, mas repito é muito difícil, por mais que eu evite ser possuída pelo ego, tem que haver uma resistência muito grande digo gigante para viver e vencer todas as provas diárias, isso só no lar em que habito, imagine fora do portão da minha casa, com o trabalho, família, amigos, situações, pessoas que aparecem em nosso caminho, conclusão graças a Deus, ele me mostrou –me um caminho bem melhor para seguir , a medida que vou estudando me educando vou conquistando minhas melhoras também há momentos de reprovações que tento verificar onde errei e recomeço, e sempre com a esperança de que algo muito melhor um dia virá, algo fora da existência humana, onde e quando não pertence a mim saber, mas sinto  que vai valer a pena praticar os ensinamentos de Jesus,  ser caridosa é uma delas,  a luta por vencer o ego segue e sei que vou sair vitoriosa, tenho fé em Deus,  que me assiste a  tudo, e em mim que estou em prova.
Espero que tenham entendido o que eu quis passar.

Abraço a todos.

Zeni.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: ram-wer em 09 de Fevereiro de 2010, 20:41
Obrigado RuyLFreitas, Irmão Hauch e Carmen.gbi, pelo gentil retorno
nos comentários 467 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/o-que-e-a-caridade/msg86153/#msg86153), 470 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/o-que-e-a-caridade/msg86168/#msg86168) e 476 (http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/o-que-e-a-caridade/msg86199/#msg86199).

Abraços, RW
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 20:55

Amigo Coronel,

Agora vou eu questioná-lo sobre a aparição do ego, em que época e porquê?

Essa ilusão que fez o espirito ficar possuído até hoje. Será que foi quando o homem se sedentarizou? Ou foi possuído por alguma mente desse universo predador?

Será que há um predador que nos mantém na ignorância aqui neste planeta para se "alimentar" das nossas consciências?

Tem alguma idéia disto amigo?


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 09 de Fevereiro de 2010, 20:58
Meus amigos, minha gente,
Agora eu sei...
NUNCA fui pedra de tropeço pra nimguém....EU SOU SANTO!!!! SANTOS!!! enão sabia...
Pelo fruto conhecerei a arvore... quero isso pra mim de jeito nenhum... Ah.neim sô... é margoso pra daná...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 09 de Fevereiro de 2010, 21:00
Amigo GHOANO,
Qto ao esperanto, agradeço; já estudei alguma coisa mas esqueci completamente.
Pode ser, não me recordo nos mais de 60 anos q o estudo, q, para o espiritismo o "conhecer a verdade" é uma ilusão. E, pelo q vc disse, se Jesus falou aos homens de seu tempo usando essas palavras teria querido dizer outra coisa q, então, não compreenderiam? E se Kardec lhes deu nova estrutura dizendo q deveriam ser interpretadas à luz do espiritismo, qual teria sido o motivo de Jesus afirmar aquilo a homens de menor compreensão? Vc diz q conhecer a verdade é abrir nossos olhos para a realidade espiritual. E q, conhecer a verdade é uma quimera do ponto de vista espírita e kantiano. Q vê muita relação entre o espiritismo e o kantismo, tanto na ética como na gnoseologia". Amigo, muitos sábios escreveram tb coisas q se relacionam perfeitamente com o cristianismo e, por consequencia, ao espiritismo. Mas, se vc me perdoa, vamos ficar restritos ao espiritismo.  
Qto a "Conhecereis a verdade...", diz q "o q Jesus disse tem que ser interpretado com cuidado. Ele falou para os homens do seu tempo. Kardec precisou de estruturar o "Evangelho Segundo o Espiritismo" num sistema de explicação dos passos mais importantes dos evangelhos, porque "sentiu" que as palavras de Jesus deviam ser interpretadas á luz do espiritismo". Será possivel q seja necessário q alguém, de menor conhecimento e compreensão, interprete o q Jesus ensinou e à luz de uma doutrina q, como todas demais, se diz a única certa? E será q Kardec "sentiu" q deveriam ser interpretadas à luz do cristianismo ou isso não foi mais q uma "adaptação", como a igreja romana sempre fez à sua conveniencia?

<<Quando Ele diz que conheceremos a verdade e que ela nos libertará, Ele pretende abrir-nos os olhos para a realidade espiritual, pois Ele nunca poderia pretender dizer que nós havíamos de conhecer a verdade tão bem quanto a própria Divindade a conhece".
Amigo, vamos analisar: vc está dizendo q em nosso universo (e acima ou além dele) existe algo mais além de Deus; Deus e alguma coisa mais? Deus "lá" e nós "aqui"?
««Vc diz tb q "ao espirito resta a tarefa de ir se aproximando infinitamente sem 'nunca' atingir a verdade q isso não está desmentido na vida de Jesus. Pois Jesus é (apenas) um espírito puro, mas não é Deus. Se Ele conhecesse a verdade tal como Deus, Jesus e Deus seriam o mesmo ser. A criatura evolui infinitamente entendendo mais e mais da obra de Deus. É um acto de humildade da nossa parte entendermos que por muito que evoluamos nunca seremos tão evoluídos como o próprio Criador.
O amigo vai entender um dia q no universo só existe Um; só existe a divindade, e q tudo o mais é apenas ilusão. "Eu e o Pai somos UM".

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: pati em 09 de Fevereiro de 2010, 21:03
Saudações a todos!!
Venho muito pouco, aqui, nete site. Quando retorno, leio os depoimentos e comentários do estudo do mes. Fico encantada com a fluência das palavras, idéias e pensamentos. Confesso que engatinho, apesar dos quase vinte anos de estudos da Doutrina dos Espíritos. A melhor forma que encontrei de exercitar o dom da Caridade, foi me conhecendo. Só há uns poucos anos é que realmente despertei: sem o autoconhecimento não se consegue ir muito adiante, não se respeita o outro, não vemos outra coisa a não ser nós mesmos. Somente assim, se conhecendo, vendo os erros com mais humildade, "dando o braço a torcer", como se diz, consegui melhorar e ver o outro como irmão. A Zeni falou muito bem, qdo disse ser difícil a convivência com os q não compactuam com nossas idéias. Aí é que digo: o conhecimento de mim mesma fez,de mim, pessoa menos egoísta, orgulhosa; por causa disso me relaciono melhor com pessoas de idéias diferentes, no meu dia-a-dia. Falta longo caminho a ser seguido, mas já tenho ciência do  que preciso e quero fazer, daqui pra diante. Muito obrigada a todos pelos depoimentos, aprendemos com isso, também.
Fiquem com Deus.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 09 de Fevereiro de 2010, 22:02
Amiga PATI,
Voce está dizendo q o "autoconhecimento" é q nos faz ver o outro como irmão. Concordo com vc. Mas, para nós, ver o outro como irmão nas circunstancias mais dificeis vc não acha dificilimo? Reconhecer como irmão o estuprador e assassino de nossa única filhinha, sempre risonha, de 4 aninhos, cabelinhos encacheados?! Veja como dar a outra face é dificil, não?! Mas, aquele q chegou "lá", ao ápice, q conheceu a verdade, q "conheceu quem ele realmente é", isto é, q chegou ao "autoconhecimento", compreende todos os atos dos demais e os considera irmãos, incondicionalmente,  pois vê q 'erram" por não conheceram a si mesmos, por não conhecerem a verdade. Mas, então, o q é o autoconhecimento? Jesus ensinou q "o conhecimento da verdade nos libertará de todas as dependencias"; Buda disse q "a iluminação é o fim de todo o sofrimento" e outros iluminados q "conhecer a verdade é a bemaventurança, a serenidade, a felicidade total". Como os antigos filosofos gregos diziam: "Conhece-te a ti mesmo e serás Deus"; Jesus disse "Vós sois deuses", "O reino de Deus está dentro de vós"; Paulo "Vós sois o templo do Altissimo", "O Senhor habita em vossos corações", e tantos outros afirmaram coisas  nesse mesmo sentido. Nas palavras de Davi, nos Salmos, está: "Aquieta-te e sabe: eu sou Deus".  
Amiga, esse é o autoconhecimento; conhecer o que e quem realmente somos, q nos vem pelo conhecimento da verdade q liberta, como ensinou Jesus. E, portanto, considero vc uma pessoa mais feliz, porq está caminhando para uma maior compreensão de quem vc realmente é.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: zeni em 09 de Fevereiro de 2010, 22:19
Olá  a todos os amigos(as) do Fórum

Paty reconheço que a ciência que encontrou , é o Amor, é Deus, a frente ,do nosso esforço, para que a cada dia ele, nos conduza, por caminhos retos , sabendo que só o esforço em nos melhorar,  e a prática do bem viver, perante a todos os nossos irmãos da terra, é que nos fará  livre forte,  e merecedor do seu  amor incondicional.

Deus é forte, Deus é vida
Deus é caminho, é luz
Deus é o ser que nos guia
Nos dirige, nos conduz.

Abraço a todos.

Zeni.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 22:29

Olá!

Ego, o falso centro
- OSHO -

O primeiro ponto a ser compreendido é o ego. Uma criança nasce sem qualquer conhecimento, sem qualquer consciência de seu próprio eu. E quando uma criança nasce, a primeira coisa da qual ela se torna consciente não é ela mesma; a primeira coisa da qual ela se torna consciente é o outro. Isso é natural, porque os olhos se abrem para fora, as mãos tocam os outros, os ouvidos escutam os outros, a língua saboreia a comida e o nariz cheira o exterior. Todos esses sentidos abrem-se para fora.
O nascimento é isso.

Nascimento significa vir a este mundo, o mundo exterior. Assim, quando uma criança nasce, ela nasce neste mundo. Ela abre seus olhos, vê os outros.
O "outro" significa o tu.
Ela primeiro se torna consciente da mãe. Então, pouco a pouco, ela se torna consciente de seu próprio corpo. Este também é o outro, também pertence ao mundo. Ela está com fome e passa a sentir o corpo; quando sua necessidade é satisfeita, ela esquece o corpo.
É desta maneira que a criança cresce.

Primeiro ela se torna consciente do você, do tu, do outro, e então, pouco a pouco, contrastando com você, tu, ela se torna consciente de si mesma. Essa consciência é uma consciência refletida. Ela não está consciente de quem ela é. Ela está simplesmente consciente da mãe e do que esta pensa a seu respeito. Se a mãe sorri, se ela aprecia a criança, se diz: "Você é bonita", se ela a abraça e a beija, a criança sente-se bem a respeito de si mesma.
Agora um ego está nascendo.

Através da apreciação, do amor, do cuidado, ela sente que é boa, ela sente que tem valor, ela sente que tem importância. Um centro está nascendo.
Mas esse centro é um centro refletido. Ela não é o ser verdadeiro. A criança não sabe quem ela é; ela simplesmente sabe o que os outros pensam a seu respeito.

E esse é o ego: o reflexo, aquilo que os outros pensam. Se ninguém pensa que ela tem alguma utilidade, se ninguém a aprecia, se ninguém lhe sorri, então, também, um ego nasce - um ego doente, triste, rejeitado, como uma ferida; sentindo-se inferior, sem valor. Isso também é o ego. Isso também é um reflexo.

Primeiro a mãe - e mãe, no início, significa o mundo. Depois os outros se juntarão à mãe, e o mundo irá crescendo. E quanto mais o mundo cresce, mais complexo o ego se torna, porque muitas opiniões dos outros são refletidas.

O ego é um fenômeno acumulativo, um subproduto do viver com os outros. Se uma criança vive totalmente sozinha, ela nunca chegará a desenvolver um ego. Mas isso não vai ajudar. Ela permanecerá como um animal. Isso não significa que ela virá a conhecer o seu verdadeiro eu, não.

O verdadeiro pode ser conhecido somente através do falso, portanto, o ego é uma necessidade. Temos que passar por ele. Ela é uma disciplina. O verdadeiro pode ser conhecido somente através da ilusão. Você não pode conhecer a verdade diretamente. Primeiro você tem que conhecer aquilo que não é verdadeiro.

Primeiro você tem que encontrar o falso. Através desse encontro, você se torna capaz de conhecer a verdade. Se você conhece o falso como falso, a verdade nascerá em você.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 09 de Fevereiro de 2010, 22:31
Companheiro HAUCH,
Como o amigo já percebeu, para melhor compreender questiono tudo q me vem às mãos. Talvez me torne chato por isso. Mas me perdoe, q aí vai questionamento:
Conforme vc disse, à medida q evoluimos as provas se tornarão mais fáceis, menos duras etc. E minha pergunta é: então, no inicio dessa jornada evolutiva, eram mais dificeis, mais duras? Ou houve um momento em q ela 'começou' a se tornar mais dificil, e após muito caminharmos, vai aos poucos se tornando mais fácil? Alguem até ja disse q nossa inclinação para o mal é 'natural'! Q por isso sofremos. Então fomos criados mais inclinados para o mal? E se fomos criados simples e ignorantes, igualmente inclinados para o mal qto para o bem, porq a inclinação para o mal, q é natural, prospera e a inclinação para o bem, tb natural, não prospera? Ou porq, de repente, praticariamos tanto o mal q ficariamos sujeitos à uma vida mais dificil? Será q temos respostas para estas questões? Um abraço.

Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em nossos corações.

Amigo Coronel, quando alguém lhe diz que nascemos tendenciados para o bem e/ou o mal, na verdade, quer dizer, que, ambos os sentimentos, encontram-se inatos em nosso interior, ou seja, só depende de você decidir pra que lado irá, ou, qual dos sentimentos usará!
Vou dar-lhe um exemplo pessoal, por favor, só não pense que é orgulho ou vaidade, pois graças a DEUS e a espiritualidade amiga, já quase que sublimei estes sentimentos, porém minha esposa não; apesar de acreditar na espiritualidade e estudar, tanto quanto eu, têm uma frase feita: “Ah, deixa pra próxima encarnação!”.  Então tenho que calar-me (pressuponham quantas vezes já conversamos há respeito), sigo um caminho e ela outro, o problema maior é o financeiro. Certa vez, tinha que fazer um curativo em uma “úlcera de perna – hansêmica”, de uma assistida, ou ela teria que amputá-la! Não pensei 2 vezes em vender meu cordão e pulseira de ouro, para compra de curativos importados, “hydrocolóides”, e outras medicações.
Não preciso falar da crise conjugal, né!? Esta opção materialista é exclusivamente dela, em contrapartida, não fiz mais que minha obrigação!
Enfim estes sentimentos começam nos primórdios de nossa criação irmão, e não pense, que, por este feito, não estou mais sujeito a errar. Todos os dias policio-me, seja em relação à vaidade, orgulho e outros sentimentos negativos...
Uma dica, quando bater-lhes estes sentimentos, mentalizem JESUS.
OBS: Quando estava indo vender às jóias, e pensando sobre o assunto (todos somos seres ainda errantes, não é fácil), tentaram me assaltar no carro, e quase fico sem elas. Tudo de acordo com nossa vibração mental!

Muita Paz.


Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 22:45

Olá!

Ego, o falso centro
- OSHO -

Ele vive de atenção.

Assim, mesmo se alguém estiver brigando e com raiva de você, mesmo isso é bom pois pelo menos você está recebendo atenção. Se alguém o ama, isso está bem. Se alguém não o está amando, então até mesmo a raiva servirá. Pelo menos a atenção chega até você. Mas se ninguém estiver lhe dando qualquer atenção, se ninguém pensa que você é alguém importante, digno de nota, então como você vai alimentar o seu ego?

A atenção dos outros é necessária.

Você atrai a atenção dos outros de milhões de maneiras; veste-se de um certo jeito, tenta parecer bonito, comporta-se bem, torna-se muito educado, transforma-se. Quando você sente o tipo de situação que está ocorrendo, você imediatamente se transforma para que as pessoa lhe dêem atenção.

Esta é uma forma profunda de mendicância. Um verdadeiro mendigo é aquele que pede e exige atenção. Um verdadeiro imperador é aquele que vive em sua interioridade; ele tem um centro próprio, não depende de mais ninguém.

Buda sentado sob sua árvore Bodhi... se o mundo inteiro de repente vier a desaparecer, isso fará alguma diferença para Buda? - nenhuma. Não fará diferença alguma, absolutamente. Se o mundo inteiro desaparecer, não fará diferença alguma porque ele atingiu o centro.

Mas você, se sua esposa foge, se ela pede divórcio, se ela o deixa por outro, você fica totalmente em pedaços - porque ela lhe dava atenção, carinho, amor, estava sempre à sua volta, ajudando-o a sentir-se alguém. Todo o seu império está perdido, você está simplesmente despedaçado. Você começa a pensar em suicídio. Por quê? Por que, se a esposa o deixa, você deveria cometer suicídio? Por que, se o marido a deixa, você deveria cometer suicídio? Porque você não tem um centro próprio. A esposa estava lhe dando o centro; o marido estava lhe dando o centro.

É assim que as pessoas existem. É assim que as pessoas se tornam dependentes umas das outras. É uma profunda escravidão. O ego tem que ser um escravo. Ele depende dos outros. E somente uma pessoa que não tenha ego é, pela primeira vez, um mestre; ela deixa de ser uma escrava. Tente entender isso.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: João José Santos em 09 de Fevereiro de 2010, 23:07
Ó meu caro Dim-Dim!

Não critique tanto o ego, que até nos faz sentir ainda pior do que já somos! ;)
Aquilo a que você chama ego, eu chamo de ego egocêntrico, pois o ego é simplesmente o eu, a individualidade, o ser, a alma.
Bem, mas isso é apenas uma questão de palavras. Na realidade, a palavra "ego" não pertence ao vocabulário mais técnico da doutrina espírita.

Ao contrário de si, eu digo a todos:
tomem banho muitas vezes, sintam-se cheirosos e bonitos, vistam aquilo que gostam, e sejam muito, mas mesmo muito felizes, mesmo com todos os defeitozinhos que cada um de nós tem.

É comum ouvirmos os espíritas criticar o egoismo, a vaidade e todas as paixões humanas, fazendo grandes exortações à virtude.
Amigo e amigos!
Nós somos o que somos. Não somos seres transviados, monstros reencarnados ou outra coisa qualquer ainda pior. Essa maneira de pensar só nos pode trazer depressões e tristezas.

Deus criou-nos para que fôssemos felizes.
Os leões devem ser criticados por matarem animais para sobreviver? O gato é um malvado por caçar o rato?
Cada qual está no seu nível de evolução. Não critiquemos ninguém, nem a nós mesmos. Preocupemo-nos apenas em identificar algumas das nossas mazelas, e procuremos evoluir.

Acreditem que todo o processo já é suficientemente doloroso mesmo sem as nossas críticas aos outros e recriminações a nós mesmos.
Às vezes é difícil. É natural que não gostemos do convívio com pessoas cujos defeitos nos são difíceis de tolerar. Afastemo-nos então e oremos por elas. Mas entendamos que cada um de nós ocupa um lugar neste universo complexo.

Uma boa noitinha cheia de coisas boas!

João José Santos
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 09 de Fevereiro de 2010, 23:18
Ó meu caro Dim-Dim!

Não critique tanto o ego, que até nos faz sentir ainda pior do que já somos! ;)
Aquilo a que você chama ego, eu chamo de ego egocêntrico, pois o ego é simplesmente o eu, a individualidade, o ser, a alma.
Bem, mas isso é apenas uma questão de palavras. Na realidade, a palavra "ego" não pertence ao vocabulário mais técnico da doutrina espírita.

Ao contrário de si, eu digo a todos:
tomem banho muitas vezes, sintam-se cheirosos e bonitos, vistam aquilo que gostam, e sejam muito, mas mesmo muito felizes, mesmo com todos os defeitozinhos que cada um de nós tem.

É comum ouvirmos os espíritas criticar o egoismo, a vaidade e todas as paixões humanas, fazendo grandes exortações à virtude.
Amigo e amigos!
Nós somos o que somos. Não somos seres transviados, monstros reencarnados ou outra coisa qualquer ainda pior. Essa maneira de pensar só nos pode trazer depressões e tristezas.

Deus criou-nos para que fôssemos felizes.
Os leões devem ser criticados por matarem animais para sobreviver? O gato é um malvado por caçar o rato?
Cada qual está no seu nível de evolução. Não critiquemos ninguém, nem a nós mesmos. Preocupemo-nos apenas em identificar algumas das nossas mazelas, e procuremos evoluir.

Acreditem que todo o processo já é suficientemente doloroso mesmo sem as nossas críticas aos outros e recriminações a nós mesmos.
Às vezes é difícil. É natural que não gostemos do convívio com pessoas cujos defeitos nos são difíceis de tolerar. Afastemo-nos então e oremos por elas. Mas entendamos que cada um de nós ocupa um lugar neste universo complexo.

Uma boa noitinha cheia de coisas boas!

João José Santos


Amigo Ĝoano,

Isto sevirá para aqueles que se queiram tornar conscientes e conhecer a verdade.

Os que queiram ainda em vida libertarem-se das ilusões e ingressarem no mundo espiritual conscientes.

Servirá também para que depois de desencarnarem não continuem agarrados às ilusões da terra, como obsessores, por exemplo, e falando através da doutrina.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: froes em 10 de Fevereiro de 2010, 00:04
olá, se não somos caridosos, precisamos começar a condicionar este ato.
O condicionamento se dá atraves da repetição dos atos.
Passado certo tempo, que pode ser nesta estadia, dependendo da intensidade, ou numa outra existência ou na erraticidade, nos tornaremos caridosos e nem peceberemos que nos tornamos tal. Não é de um dia para outro que vamos adquirir esta virtude, mas estamos aqui exatamente para aprendermos.
A caridade é doação total, é interesar-nos pelo outro antes de pensar em nós próprios.
A caridade podemos realizar através de diversas maneiras: um sorriso, um abraço fraterno, uma delicadeza, uma prece, respeitar a posição de alguém que pense diferente de nós, enfim através de diverssas maneiras.
Mas não vamos esquecer que devemos amar ao próximo como a nós mesmos e se nós não soubermos amar e ou respeitar os nossos limites não conseguiremos seguir adiante.
Num momento deste eterno agora, através do codicionamento, nos tornaremos seres caridosos como devemos realmente ser.
muita paz para todos.


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 10 de Fevereiro de 2010, 00:41
Então meus irmãos,
É caridade assentar os pés no chão e não ficar criando fantasias para atrair esse ou aquele...
Se eu fosse esse produto do acaso, eu teria soprado o leite de minha mãe...
Eu sou produto da evolução lenta e contínua, por isso suguei o leite e me nutrí...
Se separo o conjunto sou parte... Parte não é conjunto e não está ligado a nada...
Sou filho de Deus e do Universo, irmão das estrelas e das arvores, resultado de um imenso caminho evolutivo que me custou milêncios em esforço.
Preciso ser caridoso comigo mesmo e me conhecer como sou em o que sou e não me imaginar uma fantasia para depois voltar e ser eu de novo.
É caridade também, devo admitir... Quem quiser ser fantasia para se justificar...que o seja, mas saíba depois haverá de recair em sí... para prosseguir...
Haja imaginação para não admitir o obvio da natureza.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 10 de Fevereiro de 2010, 00:55

Olá!

Imitação de Cristo - Tomás de Kémpis -
Da instabilidade do coração e que a intenção final se há de dirigir a Deus

Jesus: Filho, não te fies nos teus afetos atuais, que depressa em outros se mudarão. Enquanto viveres, estarás sujeito ao variável, ainda que não queiras; ora te acharás alegre, ora triste, ora sossegado ora perturbado, umas vezes fervoroso, outras tíbio, já diligente, já preguiçoso, agora sério, logo leviano. O sábio, porém, e instruído na vida espiritual, está acima desta inconstância, não cuidando dos seus sentimentos, nem de que parte sopra o vento da instabilidade, mas concentrando todo o esforço de sua alma no devido e almejado fim. Porque assim poderá permanecer sempre o mesmo e inabalável, dirigindo a mim, sem cessar, a mira de sua intenção, entre todas as vicissitudes que lhe sobrevierem.

Quanto mais pura for tua intenção, porém, tanto mais constante serás durante as diversas tempestades. Mas em muitos se escurece o olhar da pura intenção, porque depressa o volvem para qualquer objeto deleitável que se lhes depare. Poucos há inteiramente livres da pecha do egoísmo. Assim, os judeus foram um dia a Betânia, em casa de Maria e Marta, não só por amor de Jesus, mas também para verem a Lázaro (Jo 12,9). Cumpre, pois, purificar a intenção, para que seja simples e reta e se dirija a mim acima de tudo que há de permeio.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 10 de Fevereiro de 2010, 01:00
Irmão,
Tomás fala por ele. Tú deves falar por tí. Eu falo por mim. Meu irmão fala por sí.
Isso é simples e não transmite idéias Impávidas, Colossais, o simples é CARIDADE.
Graças lhe dou, meu bom Pai, em ensinar as coisas do céu aos simples e humildes e deixar que os doutos e prudentes as busquem...
O conjunto não se desfará e não deixará de ser o que é porque pensam que não são.
Evolução é razão... Tendencias são o resultado do instinto em mim... A Caridade comigo mesmo, na simplicidade e na humildade me farão conhecer o REAL.
Quando eu estiver pronto para tal.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 10 de Fevereiro de 2010, 01:58
Companheiro HAUCH,
Vc afirma q "Amor e mal são inatos em nosso coração. Só depende de nós decidir para q lado vamos".
Pois, meu amigo, embora não tenha dado respostas às minhas questões, aqui vai outra: se amor e mal nos são inatos porque, num certo ponto do caminho, um decide ir para a esquerda e outro para a direita? Se só depende de nós escolher, porq um escolhe o bem e o outro, o mal? Se fomos criados em identicas condições, qual fator concorreu para a diferença de pensamentos, ou de escolhas, entre eles? Caminhavam juntos; porq se separaram?
Qto aos fatos citados por vc, suas ações já mostram uma maior compreensão. No entanto, se age assim, forçadamente (não digo, é evidente, q seja o seu caso; é apenas um exemplo), mas se está forçando sua natureza ou sua compreensão para agir assim, tudo não passa de imitação, ou desejo de atender aos ensinamentos dos grandes, não concorda? Ou podemos 'treinar' para termos mais amor pelos demais? Como a obra, citada por Dim-dim, q nos aconselha a imitarmos o Cristo. Então essa virtude será ou falsa ou parcial ou imitação. O amor, ou caridade, tem q ser expontâneo senão não é amor.
Naturalmente todos devemos nos policiar, embora nosso poder nesse sentido, seja muito pequeno. É o q Jesus recomendou: "Orai e vigiai...". Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Cleusa Carminatti em 10 de Fevereiro de 2010, 09:52
......Caridade,é essa quantidade de pessoas participando,focalizando
   os pensamentos num mesmo ideal,que é a fraternidade,o amor e procurando
em cada resposta diferente a nossa própria melhora...

                  bjs fraternos em seus corações. :D
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 10 de Fevereiro de 2010, 10:38

Olá!

Ego, o falso centro
- OSHO -

O ego é uma necessidade; é uma necessidade social, é um subproduto social. A sociedade significa tudo o que está ao seu redor, não você, mas tudo aquilo que o rodeia.

Tudo, menos você, é a sociedade. E todos refletem. Você irá para a escola e o professor refletirá quem você é. Você fará amizade com outras crianças e elas refletirão quem você é. Pouco a pouco, todos estão adicionando algo ao seu ego, e todos estão tentando modificá-lo, de tal forma que você não se torne um problema para a sociedade.

Elas não estão interessados em você.
Eles estão interessados na sociedade.

A sociedade está interessada nela mesma, e é assim que deveria ser. Elas não estão interessados no fato de que você deveria se tornar um conhecedor de si mesmo. Interessa-lhes que você se torne uma peça eficiente no mecanismo da sociedade. Você deveria ajustar-se ao padrão.

Assim, estão tentando dar-lhe um ego que se ajuste à sociedade.
Ensinam-lhe a moralidade. Moralidade significa dar-lhe um ego que se ajustará à sociedade. Se você for imoral, você será sempre um desajustado em um lugar ou outro.

É por isso que colocamos os criminosos nas prisões - não que eles tenham feito alguma coisa errada, não que ao colocá-los nas prisões iremos melhorá-los, não. Eles simplesmente não se ajustam. Eles criam problemas. Eles têm certos tipos de egos que a sociedade não aprova. Se a sociedade aprova, tudo está bem.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 10 de Fevereiro de 2010, 11:40
Companheiro HAUCH,
Vc afirma q "Amor e mal são inatos em nosso coração. Só depende de nós decidir para q lado vamos".
Pois, meu amigo, embora não tenha dado respostas às minhas questões, aqui vai outra: se amor e mal nos são inatos porque, num certo ponto do caminho, um decide ir para a esquerda e outro para a direita? Se só depende de nós escolher, porq um escolhe o bem e o outro, o mal? Se fomos criados em identicas condições, qual fator concorreu para a diferença de pensamentos, ou de escolhas, entre eles? Caminhavam juntos; porq se separaram?
Qto aos fatos citados por vc, suas ações já mostram uma maior compreensão. No entanto, se age assim, forçadamente (não digo, é evidente, q seja o seu caso; é apenas um exemplo), mas se está forçando sua natureza ou sua compreensão para agir assim, tudo não passa de imitação, ou desejo de atender aos ensinamentos dos grandes, não concorda? Ou podemos 'treinar' para termos mais amor pelos demais? Como a obra, citada por Dim-dim, q nos aconselha a imitarmos o Cristo. Então essa virtude será ou falsa ou parcial ou imitação. O amor, ou caridade, tem q ser expontâneo senão não é amor.
Naturalmente todos devemos nos policiar, embora nosso poder nesse sentido, seja muito pequeno. É o q Jesus recomendou: "Orai e vigiai...". Um abraço.


   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em nossos corações.

   Companheiro Coronel e Irmãos do Fórum, como já nos colocou um companheiro; na prática da caridade (mesmo que no início seja forçosamente), vai purificando-nos, tornando-nos mais aptos à vibrações, companhias e sentimentos, cada vez mais puros, tornando-se isto uma constante. Comece simplesmente pelo pensamento. Tornou-se natural (não para um verdadeiro espírita), ao avistar uma mulher na rua, os homens (heterossexuais sem preconceitos), olharem à criatura de cima, à baixo, dando-lhe uma nota, é tão verdade, que tornou-se até automático em nosso país; sem demagogias, estou mentindo?! Pois então, isto não pode, e, não deve acontecer. Muitos até assoviam. Isto é um domínio do extinto animal, desejo, reciprocamente para o sexo feminino. Não estou falando que seja seu caso irmão, mas quem o faça, deve parar já! (...continua)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 10 de Fevereiro de 2010, 11:45
“Domínio do Pensamento, e, Reforma do Caráter”. Estes 2 (dois) ensinamentos fazem parte do livro: “O Problema do Ser, Destino e da Dor – Léon Dennis”. (...continua)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 10 de Fevereiro de 2010, 11:51
   Agora, referente às outras questões, devemos considerar o fato, de uns espíritos, poderem estar encarnados como nossos filhos, porém, serem séculos mais velhos que nós.   Não esqueça que estamos em um planeta de provas e expiações, ainda, e graças a DEUS que o estamos. Já estão sendo dadas, oportunidades, à espíritos de esferas inferiores a Terra, de aqui reencarnarem (por isso não devemos julgar companheiros mais “animalizados”), em contrapartida, também já estão sendo expurgos vários de nosso planeta, para esferas menos desenvolvidas, para lá, servirem de molas impulsionadoras de outros seres. Amigo só através do estudo sério, inicialmente e preferencialmente, do “Pentateuco Kardequiano”, obterá estas respostas, às quais se sente sequioso; mas comece ontem. Nestas semanas de Carnaval, e após ele, as várias Casas Espíritas no Rio, iniciam encontros, dando-os prosseguimento após o mesmo. Esta escolha entre o bem, e/ou, o mau, pode ser, porém geralmente não é uma grande escolha, só em casos de crimes e outros vários exemplos, mas geralmente o é, a soma de várias escolhazinhas, ou pensamentozinhos, durante toda uma encarnação!
   Escolha sempre o bem, à verdade, o “difícil” (parábola das portas)...
   Qualquer dúvida, caso eu saiba, é só perguntar.
   Que DEUS abençoe a todos nós.

   Muita Paz.



   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 10 de Fevereiro de 2010, 12:25

Olá!

O Sermão da Montanha - Huberto Rohden -

A impureza consiste na ilusão de que o pequeno ego humano realize coisas espirituais e possa produzir a redenção do homem, como pensava aquele ego luciférico que tentou ao Cristo, no deserto. Egoísmo é impureza, e tanto mais vulnerável é o homem quanto mais impuro, e tanto menos vulnerável quanto mais puro de coração.
Essa pureza do coração nasce do conhecimento da verdade, ao passo que a impureza nasce da ilusão.
Nenhum homem purificado pelo conhecimento da verdade sobre si mesmo se orgulha da sua espiritualidade, mas agradece humildemente a Deus por essa dádiva, porque sabe que não foi ele, seu ego físico-mental, que produziu esse efeito, mas que foi a graça de Deus.

Nenhum homem purificado pelo conhecimento da verdade sobre si mesmo se sente ofendido por atos, palavras ou opiniões injustas dos outros, porque sabe que essas ofensas não atingem o seu verdadeiro Eu divino, senão apenas o seu falso eu humano. Sabe que nenhum mal que outros lhe fazem lhe faz mal, porque não o faz mau.
Se alguém ofende o paletó ou a blusa que visto, não ofende a mim, porque eu não sou o paletó nem a blusa; isto é meu, mas não sou eu; é algo que eu tenho, mas não o que eu sou. Da mesma forma, quem ofende o ego da minha persona — que quer dizer “mascara” não ofende a mim, porque eu não sou essa máscara da personalidade. Eu sou a minha divina individualidade, que é absolutamente invulnerável pelo lado de fora, pelas adversidades da natureza ou pelas perversidades dos homens! Quem me pode ofender é só aquele que está do lado de dentro, isto é, o meu ego humano. Quem vulnera o Eu é o ego; quem peca Contra a divina individualidade do Eu é a humana personalidade do ego —Lúcifer versus Lógos!


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 10 de Fevereiro de 2010, 13:28
  “Há mais alegria no Céu por um pecador que se arrepende do que por cem justos que perseveram.”

  "A disciplina do pensamento e a reforma do caráter.
   O pensamento...é criador. Não atua somente em torno de nós, influenciando nossos semelhantes para o bem ou para o mal; atua principalmente em nós; gera nossas palavras, nossas ações e, com ele, construímos, dia a dia, o edifício grandioso ou miserável de nossa vida presente e futura. Modelamos nossa alma e seu invólucro com os nossos pensamentos; estes produzem formas, imagens que se imprimem na matéria sutil, de que o corpo fluídico é composto. Assim, pouco a pouco, nosso ser povoa-se de formas frívolas ou austeras, graciosas ou terríveis, grosseiras ou sublimes; a alma se enobrece, embeleza ou cria uma atmosfera de fealdade. Segundo o ideal a que visa, a chama interior aviva-se ou obscurece-se.
   Não há assunto mais importante que o estudo do pensamento, seus poderes e sua ação. É a causa inicial de nossa elevação ou de nosso rebaixamento; prepara todas as descobertas da Ciência, todas as maravilhas da Arte, mas também todas as misérias e todas as vergonhas da humanidade. Segundo o impulso dado, funda ou destrói as instituições como os impérios, os caracteres como as consciências. O homem só é grande, só tem valor pelo seu pensamento; por ele suas obras irradiam e se perpetuam através dos séculos.
   O Espiritualismo experimental, muito melhor que as doutrinas anteriores, permite-nos perceber, compreender toda a força de projeção do pensamento, que é o princípio da comunhão universal. Vemo-lo agir no fenômeno espírita, que facilita ou dificulta; seu papel nas sessões de experimentação é sempre considerável. A telepatia demonstrou-nos que as almas podem impressionar-se, influenciar-se a todas as distâncias; é o meio de que se servem as humanidades do espaço para comunicarem entre si através das imensidades siderais. Em qualquer campo das atividades sociais, em todos os domínios do mundo visível ou invisível, a ação do pensamento é soberana; não é menor sua ação, repetimos, em nós mesmos, modificando constantemente nossa natureza íntima.
   As vibrações de nossos pensamentos, de nossas palavras, renovando-se em sentido uniforme, expulsam de nosso invólucro os elementos que não podem vibrar em harmonia com elas; atraem elementos similares que acentua as tendências do ser. Uma obra, muitas vezes inconsciente, elabora-se; mil obreiros misteriosos trabalham na sombra; nas profundezas da alma esboça-se um destino inteiro; em sua ganga o diamante purifica-se ou perde o brilho.
   Se meditarmos em assuntos elevados, na sabedoria, no dever, no sacrifício, nosso ser impregna-se, pouco a pouco, das qualidades de nosso pensamento. É por isso que a prece improvisada, ardente, o impulso da alma para as potências infinitas, tem tanta virtude. Nesse diálogo solene do ser com sua causa, o influxo do Alto invade-nos e desperta sentidos novos. A compreensão, a consciência da vida aumenta e sentimos, melhor do que se pode exprimir, a gravidade e a grandeza da mais humilde das existências. A oração, a comunhão pelo pensamento com o universo espiritual e divino é o esforço da alma para a beleza e para a verdade eternas; é a entrada, por um instante, nas esferas da vida real e superior, aquela que não tem termo. (...continua)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 10 de Fevereiro de 2010, 13:38

   "...Se, ao contrário, nosso pensamento é inspirado por maus desejos, pela paixão, pelo ciúme, pelo ódio, as imagens que cria sucedem-se, acumulam-se em nosso corpo fluídico e o entenebrecem. Assim, podemos à vontade fazer em nós a luz ou a sombra, o que afirmam tantas comunicações de além-túmulo. Somos o que pensamos, com a condição de pensarmos com força, vontade e persistência. Mas, quase sempre, nossos pensamentos passam constantemente de um a outro assunto. Pensamos raras vezes por nós mesmos, refletimos os mil pensamentos incoerentes do meio em que vivemos. Poucos homens sabem viver do próprio pensamento, beber nas fontes profundas, nesse grande reservatório de inspiração que cada um traz consigo, mas que a maior parte ignora. Por isso criam um invólucro povoado das mais disparatadas formas. Seu Espírito é como uma habitação franca a todos os que passam. Os raios do bem e as sombras do mal lá se confundem, num caos perpétuo. É o combate incessante da paixão e do dever, em que, quase sempre, a paixão sai vitoriosa. Antes de tudo, é preciso aprender a fiscalizar os pensamentos, a discipliná-los, a imprimir-lhes uma direção determinada, um fim nobre e digno.
   A fiscalização dos pensamentos implica a fiscalização dos atos, porque, se uns são bons, os outros sê-lo-ão igualmente, e todo o nosso procedimento achar-se-á regulado por uma concatenação harmônica. Todavia, se nossos atos são bons e nossos pensamentos maus, apenas haverá uma falsa aparência do bem e continuaremos a trazer em nós um foco malfazejo, cujas influências, mais cedo ou mais tarde, derramar-se-ão fatalmente sobre nossa vida.
   Às vezes observamos uma contradição surpreendente entre os pensamentos, os escritos e as ações de certos homens, e somos levados, por essa mesma contradição, a duvidar de sua boa-fé, de sua sinceridade. Muitas vezes não há mais do que uma interpretação errônea de nossa parte. Os atos desses homens resultam do impulso surdo dos pensamentos e das forças que eles acumularam em si no passado. Suas aspirações atuais, mais elevadas, seus pensamentos mais generosos traduzir-se-ão em atos no futuro. Assim, tudo se combina e explica quando se consideram as coisas do largo ponto de vista da evolução; ao passo que tudo fica obscuro, incompreensível, contraditório, com a teoria de  uma vida única para cada um de nós.
   É bom viver em contato pelo pensamento com os escritores de gênio, com os autores verdadeiramente grandes de todos os tempos e países, lendo, meditando suas obras, impregnando todo o nosso ser da substância de sua alma. As radiações de seus pensamentos despertarão em nós efeitos semelhantes e produzirão, com o tempo, modificações de nosso caráter pela própria natureza das impressões sentidas.
   É necessário escolhermos com cuidado nossas leituras, depois amadurecê-las e assimilar-lhes a quintessência. Em geral lê-se demais, lê-se depressa e não se medita. Seria preferível ler menos e refletir mais no que se leu. É um meio seguro de fortalecer nossa inteligência, de colher os frutos de sabedoria e beleza que podem conter nossas leituras. Nisso, como em todas as coisas, o belo atrai e gera o belo, do mesmo modo que a bondade atrai a felicidade, como o mal atrai o sofrimento.
   O estudo silencioso e recolhido é sempre fecundo para o desenvolvimento do pensamento. É no silêncio que se elaboram as grandes obras. A palavra é brilhante, mas degenera demasiadas vezes em conversas estéreis, às vezes maléficas; com isso, o pensamento se enfraquece e a alma esvazia-se. Ao passo que na meditação o Espírito se concentra, volta-se para o lado grave e solene das coisas; a luz do mundo espiritual banha-o com suas ondas. Há em volta do pensador grandes seres invisíveis que só querem inspirá-lo; é à meia-luz das horas tranqüilas ou então à claridade discreta da lâmpada de trabalho que melhor podem entrar em comunhão com ele. Em toda parte e sempre uma vida oculta mistura-se com a nossa."(...continua)


   
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 10 de Fevereiro de 2010, 13:41
   "...Evitemos as discussões ruidosas, as palavras vãs, as leituras frívolas. Sejamos sóbrios em relação aos jornais, pois a sua leitura, fazendo-nos passar continuamente de um assunto para outro, torna o Espírito ainda mais instável. Vivemos numa época de anemia intelectual, que é causada pela raridade dos estudos sérios, pela procura abusiva da palavra pela palavra, da forma enfeitada e oca, e, principalmente, pela insuficiência dos educadores da mocidade. Apliquemo-nos a obras mais substanciais, a tudo o que pode esclarecer-nos a respeito das leis profundas da vida e facilitar nossa evolução. Pouco a pouco, edificar-se-ão em nós uma inteligência e uma consciência mais fortes e nosso corpo fluídico iluminar-se-á com os reflexos de um pensamento elevado e puro.
   Dissemos que a alma oculta profundezas onde o pensamento raras vezes desce, porque mil objetos externos ocupam-no incessantemente. Sua superfície, como a do mar, é muitas vezes agitada; mas por baixo se estendem regiões inacessíveis às tempestades. Aí dormem as potências ocultas, que esperam nosso chamamento para emergirem e aparecerem. O chamamento raras vezes se faz ouvir e o homem agita-se em sua indigência, ignorante dos tesouros inapreciáveis que nele repousam.
   É necessário o choque das provações, as horas tristes e desoladas para fazer-lhe compreender a fragilidade das coisas externas e encaminhá-lo para o estudo de si mesmo, para a descoberta de suas verdadeiras riquezas espirituais.
É por isso que as grandes almas se tornam tanto mais nobres e belas quanto mais vivas são suas dores. A cada nova desgraça que as fere têm a sensação de se haverem aproximado um pouco mais da verdade e da perfeição, e com esse pensamento experimentam uma espécie de volúpia amarga. Levantou-se no céu de seu destino uma nova estrela, cujos raios trêmulos penetram no santuário de sua consciência e lhe iluminam os recônditos. Nas inteligências de cultura elevada faz sementeira a desgraça: cada dor é um sulco onde se levanta uma seara de virtude e beleza.
   Em certas horas de nossa vida, quando morre nossa mãe, quando se desmorona uma esperança ardentemente acariciada, quando se perde a mulher, o filho amado, cada vez que se despedaça um dos laços que nos ligavam a este mundo, uma voz misteriosa eleva-se nas profundezas de nossa alma, voz solene que nos fala de mil leis augustas, mais veneráveis que as da Terra, e entreabre-se todo um mundo ideal. Mas os ruídos do exterior abafam-na bem depressa e o ser humano recai quase sempre em suas dúvidas, em suas hesitações, na vulgaridade de sua existência..."

   Muita Paz.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 10 de Fevereiro de 2010, 14:40

Olá!

O Sermão da Montanha - Huberto Rohden -

O   homem profano é impuro no meio dos impuros. O homem místico é puro longe dos impuros.
O   homem crístico é puro no meio dos impuros, assim como a luz é pura no meio das impurezas.
O   impuro no meio dos impuros é, geralmente, ruidosamente social.
O   puro longe dos impuros é silencíosamente Solitário.
O   puro no meio dos impuros é serenamente solidário.

Por via de regra, para que o homem possa ser serenamente solidário com toda a humanidade, solidamente crístico, é necessário que tenha passado pelo estágio da solidão silenciosa, profundamente mística, longe da sociedade dos impuros, ruidosamente profanos. E nesse período da mística solitária que o homem lança os alicerces inabaláveis para o seu edifício crístico de solidariedade universal. Uma vez que o homem ultrapassou certa fronteira interna de experiência de Deus em si mesmo, está definitivamente imunizado contra as velhas enfermidades do homem profano — cobiça, luxúria, vanglória, egoísmo, desejo de aplausos e admiração, expectativa de resultados palpáveis, medo de castigo ou esperança de prêmio — de todas essas doenças convalesceu para sempre o homem que chegou ao conhecimento da verdade sobre si mesmo, seu verdadeiro Eu divino, e não mais corre perigo de recair nessas misérias, porque a verdade o libertou de toda a ilusão e escravidão. Ele é livre e puro como a luz.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 10 de Fevereiro de 2010, 15:10
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em nossos corações.
   
   Companheiros do Fórum e Visitantes.
   Tomando por base o filme “Corrente do Bem”; acho que é este o nome, corrijam-me, por favor, caso não o seja. Ainda com tantos “cataclismas” no mundo, o que poderíamos fazer, na prática, para ajudar nossos irmãos, focando obviamente, um país?
   
   Muita Paz.


   Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 10 de Fevereiro de 2010, 15:12

Olá!

todos somos um: a realidade é uma ilusão
http://www.youtube.com/watch?v=L8_uZd9XDbQ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUw4X3VaZDlYRGJR)


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: CRYSTY em 10 de Fevereiro de 2010, 16:18
olá! este tema deste mes é mto interessante,pois mtas das vezes nem percebemod o qto é importante praticar a caridade.o egoísmo noss afasta desta açao e segumdo os ensinamente nao podemos nos deixar levar pelas situaçoes da sociedade ou mesmo interesse pessoal e negando este ato.é preciso praticar a caridade faz bem para a pessoa que pratica qunato para que recebe.....saude e paz
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 10 de Fevereiro de 2010, 16:21
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em nossos corações.
  
   Companheiros do Fórum e Visitantes.
   Tomando por base o filme “Corrente do Bem”; acho que é este o nome, corrijam-me, por favor, caso não o seja. Ainda com tantos “cataclismas” no mundo, o que poderíamos fazer, na prática, para ajudar nossos irmãos, focando, obviamente, um país de cada vez?!
   Lembrando Irmãos, somos mais de 30.000 (trinta mil membros).
 
   Muita Paz.


   Irmão Hauch

http://www.youtube.com/watch?v=SFy2fX-vFD8 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVNGeTJmWC12RkQ4)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ter em 10 de Fevereiro de 2010, 16:24
A Caridade -
Após a leitura dos textos,algumas respostas e também ver os vídeos, quero expressar que o aprendizado foi muito bom.
Então compreendi que só estudando o assunto passamos a ser "conhecedores" quaisquer que seja o assunto.
Pensava eu, que fazendo caridade material, principalmente com familiares, já estava de bom tamanho. Que ledo engano o meu! Vejo que não faço mais que a minha obrigação. A caridade maior é a paciência em ouvir, compreender o irmão, sem orgulho, sem egoismo. Vou continuar estudando um pouco mais. Por ora registro apenas que houve um despertar :). Obrigada
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: CRYSTY em 10 de Fevereiro de 2010, 16:29
 Caridade é amor, em manifestação incessante e crescente.
É o sol de mil faces, brilhando para todos, e o gênio de mil mãos,
amparando, indistintamente, na obra do bem, onde quer que se encontre,
entre justos e injustos, bons e maus, felizes e infelizes,
porque, onde estiver o Espírito do Senhor aí se derrama a claridade constante dela,
a benefício do mundo inteiro.

(Emmanuel / Francisco Cândido (Chico) Xavier)
Livro "Viajor"

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: CRYSTY em 10 de Fevereiro de 2010, 16:31





Caridade é, sobretudo, amizade.
Para o faminto -- é o prato de sopa.
Para o triste -- é a palavra consoladora.
Para o mau -- é a paciência com que nos compete auxiliá-lo.
Para o desesperado -- é o auxílio do coração.
Para o ignorante -- é o ensino despretensioso.
Para o ingrato -- é o esquecimento da ingratidão.
Para o enfermo -- é a visita pessoal.
Para o estudante -- é o concurso no aprendizado.
Para a criança -- é a proteção construtiva.
Para o velho -- é o braço irmão.
Para o inimigo -- é o perdão.
Para o amigo -- é o estímulo.
Para o transviado -- é o entendimento.
Para o orgulhoso -- é a humildade.
Para o colérico -- é a calma.
Para o preguiçoso -- é o trabalho.
Para o impulsivo -- é a serenidade.
Para o leviano -- é a tolerância.
Para o deserdado da Terra -- é a expressão de carinho.
 
 



Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: CRYSTY em 10 de Fevereiro de 2010, 16:35
Um Momento

Antes de negar-se aos apelos da caridade, medite um momento nas aflições dos outros... Imagine você no lugar de quem sofre.
 
Observe os irmãos relegados aos padecimentos da rua e suponha-se constrangido à semelhante situação.
 
Repare o doente desamparado e considere que amanhã, provavelmente seremos nós, candidatos ao socorro na via pública.
 
Examine o ancião fatigado e reflita que se a desencarnação não chegar em breve, não escapará você da velhice.
 
Contemple as crianças necessitadas, lembrando os próprios filhinhos.
 
Quando a ambulância deslize rente ao seu passo, conduzindo o enfermo anônimo, pondere que talvez um parente nosso extremamente querido se encontre a gemer dentro dela.
 
Escute pacientemente os companheiros entregues à sombra do grande infortúnio e recorde que em futuro próximo, é possível estejamos na travessia das mesmas dificuldades.
 
Fite a multidão dos ignorantes e dos fracos cansados e infelizes, julgando-se entre eles, e mentalize a gratidão que você sentiria perante a migalha de Amor que alguém lhe ofertasse.
 
Pense um momento em tudo isso!!! E você reconhecerá que a caridade para nós todos é simples obrigação!!!
 




Autor:
André Luiz, psicografado por Chico Xavier


 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 10 de Fevereiro de 2010, 18:37
Olá DIM-DIM (não parece uma sinetinha de Natal?).
Novamente estou aqui para aplaudir vc. Agora, pela citação de Huberto Rohden, clara e elucidativa.
Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Oliva Prado em 10 de Fevereiro de 2010, 18:45
Boas tardes amigos do fórum
Sim , como alguém já tinha escrito aqui, todos nós precisamos dela.
Mas é triste e sofredor  ver que este mundo tem duas realidades a ser vividas e que fazem toda a diferença dependendo das nossas escolhas porque a desmoralização que é um infortúnio muito vivido nos dias de hoje está para a violência , como a moral está para a humanização do homem.
Por isso é tão importante termos oportunidade de crescer com o espiritismo, porque nos ilumina o que não significa deixar de entender outras fontes de conhecimento como também já foi aqui comentado. (Eu deduzo que é com o desenvolvimento gradual de interpretar o conhecimento no geral é que se forma o nosso pensamento abstracto aquele que nos faz compreender o todo pelas partes.)
Abraços a todos O. P.
e obrigada por tantos pensamentos construtivos.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 10 de Fevereiro de 2010, 19:16
eu diria que caridadade também é reforma intima.
Fora da caridade não há salvação. Não podemos buscar a salvação sem a reforma intima. Através dela aprenderemos a praticar a caridade com o próximo.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 10 de Fevereiro de 2010, 19:26
se praticarmos a reforma intima juntamente com a aplicação do evangelho, seremos mais amaveis, compreensivo, atencioso, etc.. e principalmente mais caridosos. Muitos confundem caridade com a doação de bens materiais, acredito que caridade vai muito além, sem contar que muitas vezes a doação meterial é a doação do que sobra, não doação de nós mesmos. Caridade vem de dentro, carregado de amor fraternal.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: ram-wer em 10 de Fevereiro de 2010, 19:31
Alô, amiguinhos,

Zeni: "Querido amigo, sua mensagem me fez lembrar de alguém muito próximo a mim, quando falo qualquer coisa que tem a ver com espírito, espiritualidade, essa pessoa assovia, desconversa, troca de assunto, fico sem graça diante dele, mas cada um segue a vida conforme se sente melhor,(...)"

Querida Zeni, talvez com o filme "Nosso Lar", que estreará em setembro, o seu amigo veja algo que nunca quis ler.  (Dica: nem fale com ele sobre o filme, se não já era :D).

Dim-Dim (citando Osho): "A atenção dos outros é necessária. Você atrai a atenção dos outros de milhões de maneiras; veste-se de um certo jeito, tenta parecer bonito, comporta-se bem, torna-se muito educado, transforma-se. Quando você sente o tipo de situação que está ocorrendo, você imediatamente se transforma para que as pessoas lhe deem atenção.

"Esta é uma forma profunda de mendicância. Um verdadeiro mendigo é aquele que pede e exige atenção. Um verdadeiro imperador é aquele que vive em sua interioridade; ele tem um centro próprio, não depende de mais ninguém."


É verdade, Dim-Dim.  Nossa Civilização chegou ao ridículo ponto em que TODOS querem ser famosos.  O mestre Osho foi bem no ponto: eu, você, todos aqui: quem não gosta de atenção?
A gente cresce mas continua um adolescente barulhento.

Prof. João José: "Ao contrário de si, eu digo a todos: tomem banho muitas vezes, sintam-se cheirosos e bonitos, vistam aquilo que gostam e sejam muito, mas mesmo muito felizes, mesmo com todos os defeitozinhos que cada um de nós tem."

Boa, Professor.  Quem não tem gosto por si mesmo, ficará mais desgostoso a cada dia, pois o desamor próprio adoece, enfeia... é oposto à Caridade.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 10 de Fevereiro de 2010, 19:42
Ola Ram-Wer, concordo com vc. Caridade é antes de tudo amar a nós mesmos.
Olhar para o nosso intimo e ver que tudo o que somos e possuimos é uma dadiva divina. Se eu não conseguir amar meu corpo, meu eu, meus pensamentos, minha vida, nada serei e jamais farei a caridade. A verdadeira caridade começa no nosso intimo, depois a exteriorizamos para todos em nossa volta.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 10 de Fevereiro de 2010, 19:56

Olá!

O Sermão da Montanha - Huberto Rohden -

Se é difícil a “pobreza pelo espírito”, muito mais difícil é a “pureza do coração”. O desapego dos bens externos é o abandono de algo que não fez, nem jamais poderá fazer parte integrante do homem algo que nunca foi nem pode ser realmente “seu” - ao passo que o ego personal faz parte integrante do homem, é “seu”, embora não seja ele mesmo; e por isso a renúncia à sua personalidade físico-mental em prol da sua individualidade espiritual é, incomparavelmente, mais difícil do que a renúncia à cobiça dos bens externos. Parece ser uma morte para o homem que ainda não descobriu o seu eterno Eu. Mas essa morte é indispensável para a ressurreição. A coragem de arriscar ou não arriscar esse salto mortal do ego humano para o Eu divino é que divide a humanidade em dois campos: em profanos e iniciados, nos de fora e nos de dentro, em cegos e videntes, em inexperientes e experientes, em insipientes e em sapientes. É necessário que o homem sofra tudo isso para, assim, entrar em sua glória...


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 10 de Fevereiro de 2010, 20:06
Concordo com vc dim-dim, mas acredito que a necessidade do sofrimento do ser humano vem de sua ignorancia em relação ao divino e à vida espiritual. Muitos tem o conhecimento, mas ao ver a porta estreita preferem desviar do caminho. Acredito que o sofrimento também é reflexo do livre-arbitrio.  É a lei da causa e efeito.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 10 de Fevereiro de 2010, 20:17
AMIGOS.
Apenas estou intervindo para uma questão. Talvez todos os adeptos da doutrina, inclusive o amigo Miguel.Rodrigues, em sua resposta abaixo, se referem ao lema "Fora da caridade não há salvação", nascido da doutrina, não das palavras do Mestre Jesus. O q Jesus ensinou é q "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará", isto é, o conhecimento da verdade é q liberta, q salva. É evidente q para conhecer a verdade temos q já ter passado a fase da caridade, senão nossa mente ainda não terá amor e o desamor não permitirá uma mente pura e tranquila para a experiencia da verdade. O desamor enche a mente de inveja, ciumes, ambição, desejo de vingança, de passar à frente dos demais etc e, essas imperfeições, por mais leves q sejam, não deixarão a mente tranquila, silenciosa, porq só no absoluto silencio, q a tranquilidade ajuda a nascer, é possivel conhecer a verdade. Não concordam?      
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Rubem Setubal em 10 de Fevereiro de 2010, 20:19
O raciocínio enriquecido pelo conhecimento que liberta o homem da ignorância, conjugado com o sentimento purificado, sem preconceitos, sem egoismos, sem vaidades e intolerâncias, com fé neste Criador que Os Espíritos de luz através de Allan Kardec nos confirmou, com todos os seus atributos, nos abre de maneira bastante clara e sem sofismas o mundo espiritual, real e constante em todos os momentos de nosso eterno viver.
Rubem Setúbal
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 10 de Fevereiro de 2010, 20:20
Amados companheiros de estudo...
Queridos irmãos estudantes da CARIDADE,
Cito unicamente porque é didático, nenhum outro sentimento me move a não ser servir de exemplo para boa aquilatação do que seja caridade.
Perdoem-me se for mal interpretado, no que vou dizer no próximo parágrafo, mas aceitem como prova de que não quero absolutamente nada a não ser informar.
 ¬ - “Não peço, preces, conforto, muito menos comiseração” – Quero apenas informar.

Há dois anos estou afastado do trabalho em tratamento de um câncer no testículo direito.
O tratamento fluiu bem, não gastei um único centavo, fui atendido no Hospital Mário Pena de Belo Horizonte, e estou sendo assistido pelo SUS e todos os exames, medicamentos, médicos que me assistiram, tudo foi absolutamente gratuito.
Há cerca de um ano comecei a sentir uma espécie de tontura que me fazia andar para os lados “como siri na praia”, quando me dava conta estava esbarrando no muro ou saindo da guia e andando na rua, associado com uma enorme perda auditiva no ouvido direito.

Consultei com um clinico que me encaminhou para um otorrino, fizemos todos os exames Audiometria, BERA, tomografia e exames clínicos completos inclusive dosagens dos agentes anti-cancerígenos, todos os exames neurológicos e nenhum resultado que indicasse a causa da tontura, os zumbidos , os enjôos e o deambular feito siri na praia.

Segunda feira próxima passada, fui ao centro e pedi no passe, ajuda.
Durante a palestra percebi enorme calor do lado esquerdo da face...
Fiquei intrigado, pois o ouvido doente é o direito...
Retornei ao Otorrino para levar mais exames e ele pediu para rever a tomografia.
Hoje ele detectou uma sinusite crônica muito antiga que absolutamente não me incomoda, nem com dor, nem produz exsudato.
Fizemos o antibiograma e foi detectada uma colônia de bactérias que estão afetando o nervo auditivo do ouvido direito e o labirinto, mas que está instalada no sino-paranasal do lado esquerdo da minha face.
Então racionalizo:
Porque não foi visto antes?
Como não associar o passe e o direcionamento mental do médico para rever uma tomografia já vista dezenas de vezes, por ele e pelo neurologista, bem como pelo Fonoaudiólogo que fez o BERA e duas audiometrias?
EU PEDI AJUDA! Só posso concluir assim.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 10 de Fevereiro de 2010, 20:27
Concordo com vc Coronel. Uma mente sem amor nos leva a todos os flagelos da sociedade (inveja, orgulho, ciumes, ambição, egoisto, etc, etc), como vc mesmo disse, mas para passarmos a fase da caridade para podermos conhecer a verdade é preciso conhecer o amor, sendo assim creio que a caridade é sinomimo de amor, sendo assim ser caridoso no seu verdadeiro sentido não é, também, conhecer a verdade? Poderia me ajudar com esta dúvida?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 10 de Fevereiro de 2010, 20:27
Queridos irmãos,
Somos filhos de Deus, irmãos das estrelas e arvores...
Fazemos parte de um enorme conjunto chamado VIDA e estamos cumprindo nossa etapa como humanos no planeta Terra.
Vivamos nossa humanidade de conformidade com o que é nosso objetivo aqui.
Não nos iludamos, sozinhos não poderemos ir ali, nem acolá.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 10 de Fevereiro de 2010, 20:31
MIGUEL.RODRIGUES, companheiro de jornada.
Me parece q é a primeira vez q nos encontramos.
Pergunto a vc o seguinte: Porq o amigo diz q a necessidade do sofrimento vem da ignorancia do homem em relação ao divino e à vida espiritual? Porq o sofrimento, se a ignorancia não é culpa do homem? Ele apenas ignora porq o ponto em q está na escola da vida ainda não o levou a não ter ignorancia, não concorda? E qual a razão de, ao ver a porta estreita, mesmo tendo conhecimento, uns preferem desviar-se e outros não?  
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 10 de Fevereiro de 2010, 20:47
Queridos irmãos,
Somos filhos de Deus, irmãos das estrelas e arvores...
Fazemos parte de um enorme conjunto chamado VIDA e estamos cumprindo nossa etapa como humanos no planeta Terra.
Vivamos nossa humanidade de conformidade com o que é nosso objetivo aqui.
Não nos iludamos, sozinhos não poderemos ir ali, nem acolá.
Saúde e Paz!

" Allan Kardec "

837 Qual o resultado dos obstáculos postos à liberdade de consciência?

– Constranger os homens a agir de modo diferente do que pensam, torná-los hipócritas. A liberdade de consciência é uma das características da verdadeira civilização e do progresso.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 10 de Fevereiro de 2010, 20:57
Novo amigo MIGUEL.RODRIGUES,
É certo o q vc disse. Caridade e amor são palavras com o mesmo significado; se já passamos da fase da caridade significa q já conquistamos o amor. E são virtudes incompletas, prematuras, forçadas e até imitação (daqueles q nos deram tantos exemplos e aos quais desejamos seguir) enqto não se tem o conhecimento da verdade q, conforme o Mestre Jesus, é q nos liberta, q nos salva. Se imitamos estamos apenas 'tentando' ser amorosos ou caridosos, concorda? E tentar não é treinar? Será q pelo 'treinamento' encheremos o coração de amor? O treinamento pode nos trazer à memória, qdo deparamos com algo q necessite de nosso amor, o q 'devemos' fazer conforme os ensinamentos q já temos, mas isso, ainda, não é amor genuino. Aí, nós o estaremos encarando como dever, obrigação, imposição, mas o amor é expontaneo. Para aquele q o tem faz parte de sua natureza, é natural e não forçado. Qdo imitamos podemos estar trazendo benificios a quem necessite de amor, mas não nos leva um passo sequer na direção de Deus.
Não sei se consegui responder sua pergunta.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 10 de Fevereiro de 2010, 22:25
Queridos irmãos,
Somos filhos de Deus, irmãos das estrelas e arvores...
Fazemos parte de um enorme conjunto chamado VIDA e estamos cumprindo nossa etapa como humanos no planeta Terra.
Vivamos nossa humanidade de conformidade com o que é nosso objetivo aqui.
Não nos iludamos, sozinhos não poderemos ir ali, nem acolá.
Saúde e Paz!

" Allan Kardec "

837 Qual o resultado dos obstáculos postos à liberdade de consciência?

– Constranger os homens a agir de modo diferente do que pensam, torná-los hipócritas. A liberdade de consciência é uma das características da verdadeira civilização e do progresso.


Namasté
Irmão,
Essa é a diferença entre querer ensinar e simplesmente informar.
Quando queremos ensinar, comparamos...
Quando comparamos, rotulamos...
Quando rotulamos, criamos um espelho, enorme bem polido...
Então vemos-nos refletidos no que rotulamos...
Então Caridade pura não é ensinar... É aprender...
A todo momento podemos aprender...
Quando queremos ensinar limitamos-nos ao que sabemos o que não é grande coisa...
Informar é nossa missão enquanto humanos, para que caso queira meu irmão, usar como se lhe apouver...
Se ele não quiser usar... que não use que importa...
Ore... por ele... Não compare... Não rotule, e não verás nenhum efeito refletido.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: rovea em 10 de Fevereiro de 2010, 22:35
Todos que são ou se julgam espiritas estão mais do que intruidos sobre o que é caridade. Acho que o que deveria ser motivo de estudo neste ou em outros forun seria o porque não praticamos se temos conhecimento , pratica esta  livre de preconceitos e bem mais alem do proximo.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 10 de Fevereiro de 2010, 22:43
Queridos irmãos,
Somos filhos de Deus, irmãos das estrelas e arvores...
Fazemos parte de um enorme conjunto chamado VIDA e estamos cumprindo nossa etapa como humanos no planeta Terra.
Vivamos nossa humanidade de conformidade com o que é nosso objetivo aqui.
Não nos iludamos, sozinhos não poderemos ir ali, nem acolá.
Saúde e Paz!

A liberdade ensinada na doutrina dos Espiritos não permite constrangimentos, por isso mesmo é libertária.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 11 de Fevereiro de 2010, 00:31
FILHODOBINO, companheiro de jornada,
Um abraço afetuoso para vc. Meu desejo é que consiga vencer todos os seus problemas.
Revendo sua última resposta, faço pequena reparação, de acordo com meu ponto de vista.Todas as religiões, em geral, inclusive as vindas do cristianismo, infundem medo aos seus fiéis: purgatorio, inferno, umbral, planeta de expiação e provas, vale de lágrimas, carma, reencarnações dolorosas ou em seres inferiores da escala evolutiva, juizo final, assédio do 'inimigo', de obsessores, encosto e outras coisas. E, como o amigo disse, ensinam q sozinhos não podemos nos libertar. Tudo isso no deixa dependentes daquela q consideramos a melhor (muitas vezes mesmo sem conhecer as outras), a q mais nos oriente para q possamos nos livrar dessas punições/educativas (?), eternas ou temporárias. Mas será isso uma verdade? O Deus de amor e misericordia, conhecedor de tudo, Todo Poderoso teria criado criaturas destinadas a sofrimentos, muitas vezes inenarraveis e por longuissimo tempo? Vc não acha q não é bem assim? Q as interpretações corretas nos darão a visão de q todos os problemas do mundo tenham outra explicação? E q a 'salvação'  do homem dependa apenas de conhecer essa nova visão, conhecer a verdade como afirmou o Mestre: "Conhecereis a verdade e..."? O Mestre nunca afirmou q sozinhos não podemos nada, nem q fora da caridade não há salvação. O q ele ensinou foi "Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará".
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 11 de Fevereiro de 2010, 03:01
AMIGOS,
Alguem afirmou, talvez citando palavras de outros, q, "Caridade é antes de tudo amar a nós mesmos. Olhar para o nosso intimo e ver que tudo o que somos e possuimos é uma dadiva divina. Se eu não conseguir amar meu corpo, meu eu, meus pensamentos, minha vida, nada serei e jamais farei a caridade".
Será isso uma verdade? Caridade e amor são apenas duas palavras com o mesmo significado. Se "antes de tudo, devemos amar a nós mesmos" isso não significa egoismo? E egoismo não é o oposto do amor? Essas palavras, sempre citadas, podem ser bonitas, inspiradoras, consoladoras mas, para q haja amor genuino, o ego deve ser afastado, seus interesses e desejos deverão ser esquecidos, ficar para trás. Só haverá olhos para o serviço aos demais. E esse amor não vem com o 'treinamento', mas só com o conhecimento da verdade.
E tudo q somos e possuimos será mesmo dádiva divina? Ignorancia, incompreensão, dores, sofrimentos inenarráveis, inveja, ciumes, ódio, miséria, fome, desamor, enfermidades dolorosas, perdas etc podemos considerá-los dádivas de Deus? Devemos analisar e buscar compreender o q é tudo isso. Se é dadiva divina, onde estarão a misericordia e o amor do Criador?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hauch em 11 de Fevereiro de 2010, 13:14
   Que a Paz e o Amor de DEUS permaneçam em todos os corações.

   A Doutrina Espírita é libertária, ao passo que, cada vez mais, nos comprometemos com a caridade e/ou amor de seus ensinamentos.

  Muita Paz.


  Irmão Hauch
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 11 de Fevereiro de 2010, 13:25
Citar – Coronel – post 561 – de 11.02.2010 – às 00.31h.
FILHODOBINO, companheiro de jornada,

Retribuo o abraço afetuoso, com muito prazer!
Então irmão,
Vou tentar lhe responder por partes já que foram colocadas várias questões.
Responder não é bem o termo, o que faço com gosto, é expor o que penso, para que meu interlocutor não interprete como ensinamento. Então como o prezado companheiro citou minha pessoa, minha exposição tem caráter de resposta, mas estimaria que o amigo não a visse assim.
O amigo afirmou: “Todas as religiões, em geral, inclusive as vindas do cristianismo, infundem medo aos seus fiéis: purgatorio, inferno, umbral, planeta de expiação e provas, vale de lágrimas, carma, reencarnações dolorosas ou em seres inferiores da escala evolutiva, juizo final, assédio do 'inimigo', de obsessores, encosto e outras coisas”.
Eu penso assim: Foi (veja bem, no passado), CARIDADE que tenha sido mostrado assim, como o amigo afirma, mas, para os que já se elevaram do estágio de ignorância inicial, já não precisa que seja entendido dessa forma.
EX.: Antes de Moisés, ensinos esparsos, pouco elucidativos é que norteavam um povo gregário tentando se fixar, todavia almas brutas a serem lapidadas (polidas), e o primeiro código foi por Moisés colocado e para que fosse aceito precisou que o mesmo tivesse conotação divina para que fosse aceito e obedecido.
Todos os conceitos de CARIDADE que hoje discorremos com espontaneidade e os aceitamos como aplicáveis livremente, estão nas linhas do LEVÍTICO, e, a cada linha Moisés acrescentou: EU SOU JAVÉ, para patentear a autoridade divina.
O amigo já é livre para não aceitar pensar com essa figura. É óbvio que o amigo já encontrou outros termos para pensar.
Mas o amigo sabe que Deus cria sempre. Então sempre haverá pessoas mais adiantadas e outras menos adiantadas que nós. Para os novatos (aqueles que saíram das mãos do Creador depois de nós), as religiões ainda acham que devem continuar no mesmo diapasão. Funcionou no passado conosco, nos trouxe aqui, como em time que está ganhando, não se mexe, nos cabe respeitar. O trabalho deles é o trabalho deles, se gostamos que respeitem o nosso trabalho, justo, justíssimo, se faz que respeitemos os trabalhos deles, e o mínimo que temos a fazer é não criticar.
Agora o amigo é totalmente livre para mostrar o seu pensamento, e desde que não venha recheado de critica eu serei o primeiro a me alegrar e refletir com ele, pois sou sedento de saber e como o amigo, desejo evoluir.

Continua do próximo post.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 11 de Fevereiro de 2010, 13:29
O amigo afirmou: “o amigo disse, ensinam q sozinhos não podemos nos libertar.”
O amigo interpretou diferente o que eu disse.
Eu disse: Sozinhos não podemos ir ali nem acolá. Precisamos de ajuda. Pensamento meu.
Eu NÂO disse que ENSINAM que sozinhos não podemos nos libertar – não citei  Pensamento das religiões.
Confirmo o que disse, e esclareço mais: Sozinhos não podemos nos mover sob pena de sermos arrastados na imensa correnteza das incertezas que nos proporcionarão enormes atrasos... Se formos ao poço de Jacó, apanharmos água unicamente para nós, como a samaritana, apanharemos apenas o que o nosso vasilhame couber. Se formos a busca da água viva, para nossos irmãos traremos para ele, para nós e ainda há de sobrar para quem mais o quiser. Ou seja o cano que transporta água, nunca fica seco. É de caridade que estava falando.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 11 de Fevereiro de 2010, 13:30
O amigo afirmou: “Mas será isso uma verdade? O Deus de amor e misericordia, conhecedor de tudo, Todo Poderoso teria criado criaturas destinadas a sofrimentos, muitas vezes inenarraveis e por longuissimo tempo? Vc não acha q não é bem assim?”
Negativo irmão, hoje eu NÃO penso assim, aliás tenho absoluta certeza de que não é bem assim... Explico como penso hoje, aliás, como venho colocando desde o início deste estudo, muito embora, no passado eu tenha pensado como o amigo disse:
_ Sou filho de Deus e do Universo, irmão das estrelas e arvores...
Isto quer dizer que sou Espírita Cristão, evolucionista.
Evolucionista que crê na EVOLUÇÃO ASSISTIDA. Descarto para o meu pensamento evolucionismo espontâneo, pois não me acho filho do acaso. Então creio firmemente que posso ser ajudado, indo ao centro pedir humildemente, no passe, que me ajudem.
Estudo sistematicamente ainda misticismo com a ordem Rosa Cruz... Bem como tudo que me caia às mãos sem nenhum preconceito e firmemente interessado em compreender.
Exemplo: O sincretismo antigo das religiões afro-brasileiras.
                 O sincretismo da moda: oriental-ocidental.
Nada ainda me demoveu da idéia de que somente quando estou interessado em ajudar meu próximo, é que receberei acima da medida do meu pote. ((como afirmei em post anterior): Quando peço para distribuir, e não para guardar para mim, na meia).
Justifico aí meu imenso amor por este estudo da caridade, como base do meu pensamento, para que eu sendo, ainda imperfeito como sou, ter condições de com ajuda,  me elevar... ELEVANDO... Ser caminho e caminheiro... Ser luz no candeeiro, pelo exemplo que estiver no nível da minha evolução, sem nenhuma pretensão de exemplificar o que ainda não posso compreender... Racionalizar.
Minha crença diz: “Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a RAZÃO, em todas as épocas da Humanidade.”
Continua....
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 11 de Fevereiro de 2010, 13:32
O amigo postou:
“Q as interpretações corretas nos darão a visão de q todos os problemas do mundo tenham outra explicação? E q a 'salvação'  do homem dependa apenas de conhecer essa nova visão, conhecer a verdade como afirmou o Mestre: "Conhecereis a verdade e..."? O Mestre nunca afirmou q sozinhos não podemos nada, nem q fora da caridade não há salvação. O q ele ensinou foi "Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará".
Eu penso assim: Que a interpretação de que todos os problemas do mundo tenham outra explicação, a explicação da evolução assistida.
Que abri os olhos para mundo muito antes de ser humano, e lá para chegar a merecer o status de humano, percorri longa era evolutiva sempre assistido por um Deus Bondoso, Amoroso e sumamente Justo. No percurso para chegar aqui precisei adotar princípios e hábitos automáticos que sem os quais eu não teria evoluído. Darwin e companheiros compreender quase toda a verdade, as conclusões é que tiveram síntese com engano.
O aprendizado do instinto, não se perde de repente.
Permanece em nós, e cabe a cada um de nós adaptar ao hominal o que foi animal.
Isso é tarefa individual, lenta, progressivo e ainda assim assistida.
A parábola do Jovem mancebo bem a representa. Cumprir os mandamentos é caminho para evolução sim, mas uma frase resume toda excelência da parábola, e prestamos muito pouca atenção a ela:
Disse Jesus: QUERES SER PERFEITO? – Vá venda o que tens, vem e me segue...
Jesus promete a perfeição àquele que abre mão de tudo e o segue nas lidas da CARIDADE maior que o nosso planeta já pode assistir.
O QUERES SER PERFEITO? Resume toda excelência da vida, vida em função do ELO:
Esclarecendo: Ombrando com o irmão o peso da cruz na busca da evolução pelo expurgo do instinto. (CARIDADE).
Deus criou o instinto para o involuído evoluir, nos animais ele é útil, como também o é útil em milhares de outras ações nossas enquanto humanos...
Quando fui posto ao seio de minha mãe para me nutrir, eu não soprei o maná divino daquela deusa de amor que foi minha mãe... Antes, eu suguei, fortemente, ruidosamente, por isto estou aqui vivendo essa experiência maravilhosa, que tenho a obrigação de valorizar, pois quem não valoriza o que tem e corre atrás do que não tem, alem perder o que tem por não o ter valorizado, fica sem o que não tem pois quem não é probo no pouco, também não o será no muito.
Outras facetas do instinto, não são boas para o hominal, embora como Paulo nos asseverou, tudo podemos, mas nem tudo nos convém...
Exemplo pessoal: Fui glutão – Sou obeso, diabético, hipertenso, ancioso, psicótico- compulsivo, etc e outros eteceteras que não cito para não alongar-me.
Reconhecer-me como tal foi o primeiro passo. O seguinte é por mãos à massa: Deus me proporcionou através do EGO, que eu me encontrasse nessa existência no meio adequado para viver as experiência que me farão refletir pelo soma o que devo aprender.
Então quando fui pedra de tropeço, eu era instrumento para que meus irmãos se vissem em mim.
Quando as dores me fizeram compreender meu engano, passei a racionalizar-me.
Racionalizando, precisei de julgamentos. Julgando, rotulei. Rotulando, apliquei enormes espelhos bem polidos que refletiam meus instintos no rotulo que dei ao meu irmão de jornada. Mirando-me no meu irmão o meu próprio reflexo, (vixe que redundência, portaça não, talvez seirva para esclarecer melhor), compreendi que, ajudando-me,  amando-me, esclarecendo-me, instruindo-me, eu poderia melhorar e diminuir o meu sofrer... Racionalizando com Kardec, Jesus e a CARIDADE, compreendi que posso em servindo de canal ao amor universal, dentro do meu acanhado potencial, poderia unir o que meu pote busca no poço de Jacó para mim, aumentar para meu irmão que ainda não conhece o caminho do poço, e ainda sobrar para quem mais QUIZER se dessedentar.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 11 de Fevereiro de 2010, 14:28
Companheiro FILHODOBINO,
Li suas intervenções últimas. Apenas desejo lhe dar, se posso, um pequeno conselho: não perca seu tempo, com os estudos da AMORC (vc se refere à essa RosaCruz, não? Os estudo dela podem acrescentar alguma coisa, mas pouca. Por mais de trinta anos fuir 'frater' e, ao final, percebi q não dei um só passo para frente e posso lhe dizer as razões talvez em mensagem pessoal. Apenas isso tenho a lhe dizer.
Tb, como vc, no geral, não cito pensamentos de religiões. Devemos usar nosso raciocinio, questionando o q nos chega. Mas veja, essa idéia de q sozinhos não chegaremos a nada, no caminho da verdade, foi incutida pela religiões populares, mas totalmente desmentida por todo os misticismo de seculos e milenios antes de Jesus, e até por Jesus q chegou lá sozinho, sem depender de qualq religião. Está certo q para os primeiros passos, para q despertemos de nosso sonho, para q tivéssemos a curiosidade e a atenção e, depois a motivação necessária, mestres, cultura, tradições nos ajudam. Mas para o "Conhecer a Verdade..." é cada um por si. Ninguem vai ajudar-nos nesse intento. Por isso ensinam os iluminados: "Não ponha outra cabeça acima da sua!" Pense e busque "em PRIMEIRO lugar o reino de Deus...".
Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 11 de Fevereiro de 2010, 14:49
Companheiro FILHODOBINO,
Li suas intervenções últimas. Apenas desejo lhe dar, se posso, um pequeno conselho: não perca seu tempo, com os estudos da AMORC (vc se refere à essa RosaCruz, não? Os estudo dela podem acrescentar alguma coisa, mas pouca. Por mais de trinta anos fuir 'frater' e, ao final, percebi q não dei um só passo para frente e posso lhe dizer as razões talvez em mensagem pessoal. Apenas isso tenho a lhe dizer.
Tb, como vc, no geral, não cito pensamentos de religiões. Devemos usar nosso raciocinio, questionando o q nos chega. Mas veja, essa idéia de q sozinhos não chegaremos a nada, no caminho da verdade, foi incutida pela religiões populares, mas totalmente desmentida por todo os misticismo de seculos e milenios antes de Jesus, e até por Jesus q chegou lá sozinho, sem depender de qualq religião. Está certo q para os primeiros passos, para q despertemos de nosso sonho, para q tivéssemos a curiosidade e a atenção e, depois a motivação necessária, mestres, cultura, tradições nos ajudam. Mas para o "Conhecer a Verdade..." é cada um por si. Ninguem vai ajudar-nos nesse intento. Por isso ensinam os iluminados: "Não ponha outra cabeça acima da sua!" Pense e busque "em PRIMEIRO lugar o reino de Deus...".
Um abraço.
Querido irmão,
Quando digo, que precisamos de ajuda, falo de ajuda na matéria!
Quando falo de Espiritualidade, falo de compreender com sinceridade tudo quanto estiver ao meu dispor... e racionalizar por mim...
A religião é útil e bondosa para quem precisa e depende ainda dela... Todas são boas, úteis e respeitosas para quem as adote...
O aprendizado não vem de fora, vem pelo que estudamos em teoria, e pelo que somatizamos no sentir... Ela brilha e reluz de dentro para  fora e não o contráro... Aí a parceria no campo da CARIDADE, é agua viva que o Cristo disse à samaritana...e Quem servir de cano para transportar agua, não viverá na secura...
Então juntos, na CARIDADE, evoluiremos melhor, mais seguros e mais rápido, que sozinhos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 11 de Fevereiro de 2010, 15:17

Olá!

O Sermão da Montanha - Huberto Rohden _

Que falta ao crer para culminar em saber?
Falta o mais apertado de todos os caminhos, falta a mais estreita de todas as portas — falta que o homem passe pelo “fundo da agulha”, despojando-se de tudo que ele tem e ficando só com aquilo que ele é. “Quem quiser ser meu discípulo renuncie a tudo que tem.”
Esse desnudo SER, livre de todas as impurezas do TER, é que é o passo mortífero que leva à vida eterna.
Todo homem que passa por essa morte mística entra na vida eterna.
Todo homem que se recusa a passar por essa morte mística cai vítima da morte eterna...


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 11 de Fevereiro de 2010, 15:31

Olá!

O Sermão da Montanha - Huberto Rohden _

Que falta ao crer para culminar em saber?
Falta o mais apertado de todos os caminhos, falta a mais estreita de todas as portas — falta que o homem passe pelo “fundo da agulha”, despojando-se de tudo que ele tem e ficando só com aquilo que ele é. “Quem quiser ser meu discípulo renuncie a tudo que tem.”
Esse desnudo SER, livre de todas as impurezas do TER, é que é o passo mortífero que leva à vida eterna.
Todo homem que passa por essa morte mística entra na vida eterna.
Todo homem que se recusa a passar por essa morte mística cai vítima da morte eterna...


Namasté
Então querido irmão,
Concordo... Racionalizo assim:
Esse é o dedal de agua viva, que buscamos na fonte universal para nós(o poço de Jacó da parábola), é verdadeiramente útil, para quem assim o quer.
Respondendo ao jovem mancebo Cristo asseverou:
QUERES SER PERFEITO?
Junte-se aos da CARIDADE e terás um pote enorme para sí e para distribuir com os irmãos que quiserem e com todos que estiverem com sêde.
Huberto Rohden, também escreveu assim.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 11 de Fevereiro de 2010, 15:43

Olá!

O Sermão da Montanha - Huberto Rohden _

Que falta ao crer para culminar em saber?
Falta o mais apertado de todos os caminhos, falta a mais estreita de todas as portas — falta que o homem passe pelo “fundo da agulha”, despojando-se de tudo que ele tem e ficando só com aquilo que ele é. “Quem quiser ser meu discípulo renuncie a tudo que tem.”
Esse desnudo SER, livre de todas as impurezas do TER, é que é o passo mortífero que leva à vida eterna.
Todo homem que passa por essa morte mística entra na vida eterna.
Todo homem que se recusa a passar por essa morte mística cai vítima da morte eterna...


Namasté
Então querido irmão,
Concordo... Racionalizo assim:
Esse é o dedal de agua viva, que buscamos na fonte universal para nós(o poço de Jacó da parábola), é verdadeiramente útil, para quem assim o quer.
Respondendo ao jovem mancebo Cristo asseverou:
QUERES SER PERFEITO?
Junte-se aos da CARIDADE e terás um pote enorme para sí e para distribuir com os irmãos que quiserem e com todos que estiverem com sêde.
Huberto Rohden, também escreveu assim.
Saúde e Paz!

Isso é a interpretação do amigo. Já a mim diz-me que tenho que me desapegar do TER, a ilusão do mundo material, para me tornar apenas no verdadeiro SER, espiritual.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ana Belo em 11 de Fevereiro de 2010, 16:10

Olá!

O Sermão da Montanha - Huberto Rohden _

Que falta ao crer para culminar em saber?
Falta o mais apertado de todos os caminhos, falta a mais estreita de todas as portas — falta que o homem passe pelo “fundo da agulha”, despojando-se de tudo que ele tem e ficando só com aquilo que ele é. “Quem quiser ser meu discípulo renuncie a tudo que tem.”
Esse desnudo SER, livre de todas as impurezas do TER, é que é o passo mortífero que leva à vida eterna.
Todo homem que passa por essa morte mística entra na vida eterna.
Todo homem que se recusa a passar por essa morte mística cai vítima da morte eterna...


Namasté
Então querido irmão,
Concordo... Racionalizo assim:
Esse é o dedal de agua viva, que buscamos na fonte universal para nós(o poço de Jacó da parábola), é verdadeiramente útil, para quem assim o quer.
Respondendo ao jovem mancebo Cristo asseverou:
QUERES SER PERFEITO?
Junte-se aos da CARIDADE e terás um pote enorme para sí e para distribuir com os irmãos que quiserem e com todos que estiverem com sêde.
Huberto Rohden, também escreveu assim.
Saúde e Paz!

Isso é a interpretação do amigo. Já a mim diz-me que tenho que me desapegar do TER, a ilusão do mundo material, para me tornar apenas no verdadeiro SER, espiritual.


Namasté

Olá.
Tudo Bem ?

A primeira coisa que sei, é que a minha pobre cabeça, não consegue alcançar
 a profundidade do muito que Jesus disse com tão poucas palavras.

Então Interrogo-me ?
Eu, alma humana, o que tenho ?
Encontro um ego humano com muitas coisas a abandonar :
Orgulhos, vaidades, prazeres, vícios vários, e muitas formas de ignorancia.
Porque pensamos "apenas" (entre comas) no sentido materialista, fisíco ? Racional ?

Como abandonar a minha (grande ) ignorancia ?
Francamente não consigo.
Creio que teria de preencher esse imenso vazio... e não sei como !
De momento reconheço ser o meu ego a comunicar, e seria melhor estar em silêncio.

Tudo de bom !
 B´jinhos

 Ana Belo
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: gustavo siqueira em 11 de Fevereiro de 2010, 16:28
A caridade é algo sublime, onde podemos não só ajudar a nós mesmos como ajudar aquele a quem precisa, na caridade aprendemos como cada pessoa é especial, assim como o que Deus criou é maravilhoso, a caridade representa o que o ser humano tem de bom para com o outro e com sigo mesmo, a caridade que de tanto menciono não é so a caridade feita por doações mas, aquela caridade espiritual, em uma prece, até mesmo em um pensamento positivo, contudo sou um aprendiz como todos outros habitantes dessa terra de provas e espiações.
Atenciosamente,
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 11 de Fevereiro de 2010, 17:04
Citação de: Ana Belo link=topic=21477.msg86705#msg86705 dat
[/quote

Olá.
Tudo Bem ?

A primeira coisa que sei, é que a minha pobre cabeça, não consegue alcançar
 a profundidade do muito que Jesus disse com tão poucas palavras.

Então Interrogo-me ?
Eu, alma humana, o que tenho ?
Encontro um ego humano com muitas coisas a abandonar :
Orgulhos, vaidades, prazeres, vícios vários, e muitas formas de ignorancia.
Porque pensamos "apenas" (entre comas) no sentido materialista, fisíco ? Racional ?

Como abandonar a minha (grande ) ignorancia ?
Francamente não consigo.
Creio que teria de preencher esse imenso vazio... e não sei como !
De momento reconheço ser o meu ego a comunicar, e seria melhor estar em silêncio.

Tudo de bom !
 B´jinhos

 Ana Belo
Olá !

Se nós somos o princípio inteligente do mundo real que é o mundo invisível, espiritual, não somos ignorantes, andamos é iludidos com este nosso mundinho ilusório. É preciso, como diz a doutrina, colocar a atenção no mundo do pensamento, ao contrário do que fazemos que é colocar a atenção no mundo material.

" Allan Kardec "

134 b As almas e os Espíritos são, portanto, uma e a mesma coisa?

– Sim, as almas são os Espíritos. Antes de se unir ao corpo, a alma é um dos seres inteligentes que povoam o mundo invisível e se revestem temporariamente de um corpo carnal para se purificar e se esclarecer.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: rovea em 11 de Fevereiro de 2010, 17:29
Estou  agradecido a amiga ana belo pela resposta que me enviou, porque foi verdadeira e não leu em nenhum livro ou citou de qualquer escritor. Foi introspectiva e muito mas muito verdadeira .
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Ana Belo em 11 de Fevereiro de 2010, 18:21
Olá.
A gente, (eu pelo menos), nunca sabe a importancia que tem
na vida das outras pessoas.

Não enviei para ninguém em especial, mas agradeço a sua gentileza.

De um ou outro geito creio que quis expressar de que o melhor
é começarmos por nós. Apenas isso.


 Tudo de bom !

   Ana Belo
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 11 de Fevereiro de 2010, 20:10

Olá!

O Sermão da Montanha - Huberto Rohden -

Entretanto, é difícil e doloroso abrir mão das nossas posses materiais, dos nossos prazeres sensuais, dos elogios e da estima de nossos semelhantes, porque estas coisas se referem, não ao nosso Eu espiritual — que é, para a maior parte dos homens, uma grande incógnita, talvez um objeto de crença, mas, para pouquíssimos experiência própria — mas ao pequeno ego. Aqui se requer “disciplina”, a arte de aprender, de ser aprendiz ou discípulo. E psicologicamente claro que o homem não pode gostar de algo que ignora e que não pode ter facilidade de algo que não praticou; faltam os trilhos alinhados e falta, também, o volante da máquina que suavize os movimentos. E “porta estreita e caminho apertado”.

Os grandes mestres espirituais conheciam de experiência própria, de prática diuturna, essa zona maravilhosa, e, em face da sua fascinante grandeza e beleza, perdiam o interesse pelas coisas primitivas do mundo externo, que, para os ignorantes e inexperientes, forma o cobiçado alvo da lufa-lufa cotidiana. Eles são os sapientes e universitários do espírito —nós, os insipientes e analfabetos da grande realidade. Os verdadeiros “realistas” são esses grandes iniciados no mundo da suprema e única Realidade — nós os “irrealistas” ou “pseudo-realistas”. Todo homem fascinado pelo mundo objetivo é irrealista, embora, lá na sua profunda ignorância, ele se tenha em conta de realista e considere o homem espiritual como irrealista e sonhador de miragem.
Um homem boçal, habituado a se divertir em tavernas infectas e clubes de ínfima categoria, não compreenderia o “mau gosto” dos que se deliciassem em uma sociedade de artistas ou filósofos; não possui antena receptiva para tão altas vibrações.



Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 11 de Fevereiro de 2010, 21:01
Paz!
Desejo a todos a paz amorosa, caridosa, que N.S.J. o Cristo, manifestou entre nós.
O Rei dos Reis, manifestou sua majestade, entre os pobres, humildes, homens do povo. Comeu, conviveu, ensinou pelo exemplo, curou os cegos, aleijados, perseguidos por por espiritos trevosos, viveu e morreu entre os simples e ignorantes elevou os humildes e rebaixou os sábios e doutos.
Um evolucionista, Espírita-Cristão, dá sua mão esquerda ao que vai na dianteira, e a direita ao que vem na retaguarda, para que juntos, em amor e Caridade caminhem juntos na senda.
Então longe de fazer excessão de pessoas, afiniza os próprios passos aos dos tais para juntos irem...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MarcoALSilva em 11 de Fevereiro de 2010, 22:13

[...]
Não olvideis jamais que o Espírito, qualquer que seja o seu grau de adiantamento, sua situação como reencarnado ou na erraticidade, está sempre colocado entre um superior que o guia e aperfeiçoa e um inferior perante o qual tem deveres iguais a cumprir. Sede portanto caridosos, não somente dessa caridade que vos leva a tirar do bolso o óbolo que friamente atirais ao que ousa pedir-vos, mas ide ao encontro das misérias ocultas. Sede indulgentes para com os erros dos vossos semelhantes. Em lugar de desprezar a ignorância e o vício, instruí-os e moralizai-os. Sede afáveis e benevolentes para com todos os que vos são inferiores; sede-a mesmo para com os mais ínfimos seres da Criação, e tereis obedecido à lei de Deus.
[São Vicente de Paulo - LE - pág. 327]


A Beleza é um atributo da perfeição... A conduta caridosa há de ser, além de tudo o mais, essencialmente bela... Não se trata de religiosidade; trata-se de cidadania cósmica...


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 00:46
Oh! Alma cansada e triste,
Não estiola horas a fio em lamentos,
Não firas a ti com o dedo em riste,
Apontando feridas, ainda abertas, sentimentos
No frater ainda infante.

Oh! Alma cansada e triste,
Olha a vida à volta e sente
Crê no Pai, ame, alimente, assiste,
Do charco nasce a semente
Que se eleva, busca a luz e existe.

Oh! Alma cansada e triste,
Erga sua fronte, levante,
Tome à destra o leme e ruma
Ao longe por certo existe,
Outra alma ainda mais triste...
Consola...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 01:22
AMIGOS, boa noite.
Disseram: "Todas as religiões são boas, úteis e respeitosas para quem as adota".
Isso será uma verdade? Pode ser q aquele q adota uma religião acredite q ela seja útil, boa, respeitosa; tanto se diz q as religiões apenas são diferentes caminhos a levam ao mesmo objetivo, a Deus, q muitos crêem nisso. Várias, senão muitas, enchem o homem de fantasias, de ilusões, crenças, esperanças em tantas promessas q nem sabemos se realmente algum dia vão acontecer! Qual religião nos dá respostas às eternas perguntas dos homens de modo q nos deixe DEFINITIVAMENTE livres de quaisquer dúvidas? Alguma faz isso? Veja quantas contradições, opiniões e interpretações diferentes existem em todas elas! As escrituras e doutrinas foram manipuladas por tantos visando interesses vários, de poder, ou para justificar atos errados (de poderosos ou lideres religiosos) consumados, de modo q o mundo pensasse serem corretos!? Quantas vezes a verdade foi distorcida!? As religiões encheram os homens de tantas ilusões q sábios iluminados afirmam q: "Aquele q se liga às religiões populares é imaturo. Está ainda no 'jardim da infancia' e dificilmente chegará à graduação universitária"; q: "As religiões impedem o acesso à verdade", são obstaculos à realização espiritual.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Rogerio A Oliveira em 12 de Fevereiro de 2010, 01:33
Olá amigos

Caridade é para mim, a arte de ajudar, transformando pré-conceitos em conceitos de forma tal, que possa sempre através da ajuda refletir o bem, dentro das leis máximas da natureza, no rumo da elevação maior.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 01:37
AMIGOS,
Quanto as religiões enganaram o homem! É possivel q muito foi feito com boa intenção, mas muito foi por interesse. Então, amigos, a melhor religião está em nossa mente, em nossa compreensão q não está imovel mas é dinamica, sempre buscando algo, q muitas vezes não compreendemos, na tentativa de preencher o vazio q sentimos em nosso interior. Se os amigos estudarem e bem analisarem perceberão q os hebreus foram enganados desde o tempo de Moisés, e os cristãos desde alguns séculos depois de Cristo.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: CRYSTY em 12 de Fevereiro de 2010, 02:21
DESPRENDIMENTO



Ajuda, sem esperar ajuda.
Ama, sem esperar amor.
Agasalha, sem esperar o agasalho.
Aquece, sem esperar ser aquecido.
Deixa o amor entrar em ti, em teu coração.
Aqui, deixamos nosso orgulho de lado e amparamos, aconselhamos, acalentamos, sem esperar nada em troca."
Aí, deves fazer o mesmo, só assim estarás, um dia, aqui.
Ama, pois serás amado.
Abre o teu coração e serás recebido em nossos corações.
O Pai está sempre com todos nós, aproveita e segue a luz; aí então, iremos juntos até Ele.
E O saudaremos com pureza e amor, prontos para nos esquecermos, prontos para o mundo e todo o universo.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: CRYSTY em 12 de Fevereiro de 2010, 02:22
CARIDADE (3)



Quando praticamos a caridade estamos fazendo caridade a nós mesmos. É uma sensação de paz, harmonia que sentimos. Mas caridade não é só praticarmos o bem para mostrarmos ao mundo o quanto somos caridosos, a caridade começa dentro de nossa casa, com nossa família, respeitando cada um que está perto de nós. Sermos tolerantes, pacientes, saber ouvir, falar e criticar também. Quando conseguimos fazer isso de coração, sem rancor, ódio, inveja, dentro de nossa casa, estaremos preparados para fazer caridade fora de nosso lar, ou seja estaremos felizes em receber amor, carinho, amizade. Não estaremos doando e sim recebendo. A partir do momento que somos humildes e aceitamos todos como são, nossa vida melhora e muito. Nós crescemos espiritualmente e sempre continuaremos a crescer. Vamos ser caridosos conosco mesmo. Vamos aproveitar a oportunidade de amar e sermos amados. Todos somos irmãos, filhos do mesmo Pai, não há necessidade de rivalidade, somos nós que dirigimos nossa vida para evolução maior.
Não tenhamos medo de nada, a fé que possuímos nos levará ao caminho do bem.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: MASSMARIA em 12 de Fevereiro de 2010, 03:22
Olá a todos. Estou chegando agora e estou conhecendo um pouco como funciona o FÓRUM. Gostei muito do debate e vou também dar minha opinião em breve.
Obrigada pela atenção.
MASSMARIA
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 04:15
Amigo(a) CRYSTY,
Seu conselho: "Não tenhamos medo de nada, a fé que possuimos nos levará ao caminho do bem", é interessante e como seria bom poder segui-lo. Digo isso porq o homem é dominado e movido pelo medo, na sua mais elevada ou mais insignificante expressão. Medo de perder a saude, de falir, de perder afetos, amores, posses, filhos, familiares, cargo, posição, poder; medo do assalto, da bala perdida, do acidente, da violencia, da guerra, dos exploradores, das leis humanas, inundação, terremoto, tsunami, tempestade, raios etc. Medo de não conseguir algo e se consegue, medo de perdê-lo; medo de injustiça, calunia, difamação, medo de praticar atos errados, de infringir a lei divina, de incorrer em  carma negativo, de perder a paciencia, o controle, do umbral; medo da dor, sofrimento, da miséria, fome, doenças. Observe e perceba q toda necessidade traz o medo de não poder concretizá-la. O homem sempre procura segurança, fisica ou psicologica, mas segurança não existe em nenhum lugar ou situação. O proprio trabalho ou profissão é fuga do medo de não poder suprir a si e a dependentes. Mas, tudo é incerto, tudo: saúde, afeto, riqueza, alegria etc. Vejam o tsunami; quem daqueles milhares de vitimas poderiam supor q praias tão lindas se transformariam, de repente, em palco de tamanha trajédia! E tudo isso é também impermanente e pode cessar a qualquer instante, qdo menos esperarmos. Foi essa incerteza e impermanencia de todas coisas q deu origem à filosofia do Buda. O medo vem de nossa ignorancia da verdade; esta liberta-nos de todos os medos e nos traz bemaventurança. Pela aquisição de sabedoria compreendemos q não existe nada a temer.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 11:16
Oh! Alma cansada e triste,
Não estiola horas a fio em desencanto,
Não firas a ti com o dedo em riste,
Apontando feridas, ainda abertas, sentimentos
No frater ainda infante.

Oh! Alma cansada e triste,
Olha a vida à volta e sente
Crê no Pai, ame, assiste, alimente
Do charco nasce a semente
Que se eleva, busca a luz e existe.

Oh! Alma cansada e triste,
Erga sua fronte, levante, se re-encante
Creia o amor existe, abandone o desencanto
Tome à destra o leme e ruma
Ao longe por certo existe,
Outra alma ainda mais desencantada...
Consola...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 12 de Fevereiro de 2010, 11:30

Olá!

Também penso assim, como escreveu aí em cima, amigo Coronel.
Um abraço!

Todo o homem que queira ser uno com Deus tem que enxotar e abandonar todos os pensamentos dos outros, sejam de Kardec de Cristo ou de Buda, pois não lhe pertencem. Tem que ficar a sós e ser franco com o seu pensamento. Isto é liberdade, é estar em Deus.

Só assim se é uno com Deus. Só assim se é caridoso/amoroso.

Se não se enxotar e abandonar todos os outros pensamentos, é-se um espirito fascinado que não sabe o que é caridade nem amor, está possuído. É iludido. Vive e morre assim em múltiplas reencarnações, sem ser consciente de Deus.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 12:10
ANIGOS, bom dia.
Um companheiro disse: "O aprendizado não vem de fora: vem do estudo da teoria e do q somatizamos no sentir. Ele vem de dentro". Não, amigo, esse aprendizado não é o q nos leva`ao "Conhecereis a verdade..."; aquele q vem do estudo da teoria e do sentir é o aprendizado comum, de todos, do dia-a-dia e vem de fora sim, pois a teoria está fora de nós, o sentir tb é produto de nossas reações ao q observamos externamente. O aprendizado q 'vem de dentro' é aquele q descobrimos qdo, em total silencio mental, 'entramos' em nosso proprio interior. Como muitos ensinaram, entre eles Teresa de Ávila, hoje doutora teologal da igreja romana mas q quase foi executada nas fogueiras da 'santa' inquisição por palavras como estas, dirigidas às noviças de seu convento: "É insensato, irmãs, voces desejarem entrar no reino dos céus sem primeiro entrar dentro de voces mesmas, pois é aí q Deus está, e somente aí podemos encontrá-lo e compreendê-lo". Esse é o ensinamento de todo o misticismo oriental e ocidental, desde seculos ou milenios antes de Jesus. Jesus encontrou o reino dentro dele mesmo tanto q muitas vezes disse coisas como esta: "Vós sois deuses", "O reino de Deus está dentro de vós", e Paulo: "Vos sois o templo do Altissimo", "O Senhor habita em vossos corações" etc. Paulo tb disse q somos semelhantes a Jesus: "Somos coerdeiros", "Se não ressucitarmos nem Jesus ressucitou" e muito mais. O aprendizado verdadeiro vem do conhecer a verdade q liberta tanto q o Mestre afirmou: "Eu e o Pai somos um". O aprendizado pelo estudo vem de fora, sim, e o do sentir tb; vem da observação do sentir em relação às coisas q observamos externamente. O aprendizado q leva a Deus já está dentro de nós; só nos falta percebê-lo.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 12 de Fevereiro de 2010, 12:23
Bom dia a todos,
agora compreendo o sentido daquela frase de Jesus: "vos sois deuses, o que faço tb podeis fazer". É ainda estamos muito longe do verdadeiro aprendizado. O mais dificil, acredito, é a pratica do amor.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 12:31
ANABELO, companheira de jornada,
Vc diz: "...Encontro (em mim) um ego humano com muitos defeitos a abandonar. Como abandonar minha ignorancia? Francamente, não consigo".
Realmente é dificilimo superar nossa ignorancia. Ela é a causa de todos os problemas nossos e do mundo. Mas existe, sim, uma maneira de abandoná-la e de conquistar seu oposto, q é a sabedoria. É "conhecer a verdade". E isso não se consegue antes de 'entrarmos' em nós mesmos, deixando o ego, q é onde está toda ignorancia, para trás. Então nos virá sabedoria além daquela q o mundo conhece, e amor incondicional, um amor diferente de apego, afetos, deslumbramento, admiração, dependencia, mas um amor q não exige nem reconhecimento, nem reciprocidade; um amor não forçado, nem imitação dos exemplos dos mestres, mas expontaneo, natural, pois estará, então, em nossa propria natureza. 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 12 de Fevereiro de 2010, 12:40
é;mexe com o nosso ego, quebrar nosso orgulho, fazer reforma intima na busca do aprimoramento tendo como referencia o evangelho de Cristo, ser um novo ser, é muito dificil. Tenho uma adminração muito grande pela historia de Saulo de Tarso; o querido Paulo, por ele ter conseguido de uma maneira radical, efetuar mudanças em seu intimo. Quem já leu o livro Paulo e Estevão compreende o que estou dizendo. É muito dificil efetuarmos mudança que nos leve ao desprendimento e à quebra de nosso orgulho e egoismo..
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 12:44
AMIGOS do Forum,
Apenas complementando o que disse MIGUEL.RODRIGUES.  
Jesus ensinou: "Vós sois deuses, o que faço vós tambem podeis fazer 'e coisas melhores ainda". Vejam, 'coisas melhores ainda vós podeis fazer'!
Essa afirmação do Mestre não merecerá nossa análise, nosso questionamento, para uma maior compreensão?

E, vale a pena repetir a pergunta: Qual a razão de ser dificil quebrarmos nosso orgulho e egoismo? Porq somos orgulhosos e goistas?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 12 de Fevereiro de 2010, 12:55
Concordo com vc amigo Coronel. Acredito que uma analise profunda sobre essa afirmação do Mestre nos levará a reconhecermos nossos erros. Ultimamente venho me questionando sobre essa afirmação, acho ela muito poderosa no sentido de nos colocar intimos ao Mestre. Que mudanças fariamos em nós se agissemos como o Mestre? Acho que essa afirmação seria um bom tema para estudo.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 12:55
Amigo DIM.DIM,
Como poderemos desnudar o 'ser' livrando-nos das impurezas do 'ter'. Será pela prática, pelo treinamento, pela repetição de atos q possam levar, como supomos, à purificação do 'ser'?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 13:16
Companheiro MIGUEL.RODRIGUES,
É assim q tb penso: comparar-nos ao q os mestres eram, observar nossos erros, mas sem qualquer julgamento, pois nem sabemos porq erramos; apenas, para perceber que ainda não conhecemos a verdade, só por isso.
Mas a frase tem sentido ainda mais profundo. O Mestre está afirmando que somos todos iguais a ele, tanto que podemos fazer 'coisas melhores' do que aquelas que ele fez! Apenas não percebemos essa nossa 'capacidade' porque não conhecemos a verdade. E, vejam uma tremenda consequencia dessa e de outras palavras de Jesus: Jesus percebeu que "Eu e o Pai somos um", não? E se somos iguais a ele o que seremos em relação ao Pai? Vale a pena analisar para tentar compreender.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 13:21
O LIMITE DE CADA UM
Redação do Momento Espírita
http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=1495&let=L&stat=0 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tb21lbnRvLmNvbS5ici9wdC9sZXJfdGV4dG8ucGhwP2lkPTE0OTUmYW1wO2xldD1MJmFtcDtzdGF0PTA=)
 
O garoto olhava as gotas de chuva que batiam suavemente na janela.
 
Embora seu olhar estivesse fixo, sua mãe podia perceber que seu pensamento estava muito longe dali.
 
Aproximou-se do pequeno e, afagando seus cabelos, perguntou com doçura:
 
“Algum problema, meu filho?”
 
O menino aconchegou-se à mãe e sussurrou baixinho:
 
“Nada, não.”
 
Embora a resposta negasse, a atitude dele demonstrava que algo não ia bem.
 
A mãe conhecia muito bem o seu rebento.
 
Sabia que alguma coisa o incomodava.
 
Abraçou-o com carinho e esperou que ele mesmo começasse a falar.
 
O fato de estar disponível e atenta a ele era uma motivação para que ele se abrisse espontaneamente.
 
Não tardou para que ele ficasse um tanto inquieto naquele abraço e dissesse à mãe, sem levantar os olhos:
 
“Não quero participar da apresentação do teatro este ano.”
 
A mãe pegou-o pela mão e, sentando-se, colocou o pequenino no seu colo.
 
“Por que, meu filho?”
 
Amuado, ele escondeu o rosto no ombro materno, evitando a resposta.
 
“Você não acha que vai ser legal?” – insistiu a mãe.
 
Balançando a cabeça timidamente, ele respondeu:
 
“Eu acho, mas é que um dos meus colegas disse que eu nunca vou conseguir decorar todas as falas.”
 
A mãe estreitou o menino nos braços e disse com ternura:
 
“E você, meu filho? Você concorda com ele? Você acredita que não é capaz de decorar as falas?”
 
Seu tom de voz era sereno.
 
O menino levantou os olhos e encontrou os da mãe que o fitavam carinhosamente.
 
“Sabe, durante sua vida, muitas pessoas vão tentar convencê-lo a respeito do que você pode ou não pode fazer.
 
Tentarão fazer acreditar que elas sabem mais de você do que você mesmo.
 
Dirão muitas coisas legais, e outras muito chatas.
 
Na maior parte das vezes, essas pessoas poderão estar fazendo isso por inveja, por ciúme, ou por simples ignorância.
 
Elas não têm como saber tudo, nem como conhecer tanto os outros.
 
Muitos apenas falam por falar, ou para magoar.
 
O importante, meu filho, é que você tenha a capacidade de não se influenciar por essas palavras.
 
Se elas são certas, ou não, somente você poderá dizer.
 
O seu limite apenas você é capaz de estabelecer.
 
Você, somente você, pode dizer aonde seu trabalho e seu esforço poderão lhe fazer chegar.”
 
Os olhos do garoto estavam cheios de lágrimas, emocionado pela confiança que foi transmitida.
 
Beijou suavemente o rosto da mãe e agradeceu sorrindo pela mensagem que haveria de ficar para sempre gravada em seu coração.
 
* * *
 
A mídia nos indica os padrões em voga.
 
Ídolos passageiros ditam modas e jargões.
 
Todos, de repente, consideram-se legitimados a julgar os outros e apontar os seus destinos.
 
No entanto, segue essa onda desatinada apenas quem quer.
 
Quem não se dá ao trabalho de refletir e de manter-se firme em suas convicções pode ser arrastado por essas sandices.
 
Mas esse não é o caso de quem conhece a si mesmo e traça seus próprios objetivos.
 
Esses últimos estabelecem seus próprios limites e perseguem seus sonhos com garra e determinação.
 
Suas fragilidades poderão ser motivo de mais empenho e dedicação, mas nunca serão fatores impeditivos impostos por terceiros.
 
Cada qual é responsável por seus próprios erros e acertos.
 
É nisso que reside o mérito de cada ser.
 
Equipe de Redação do Momento Espírita.
 
www.momento.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tb21lbnRvLmNvbS5icg==)
 
* * *
 
 
 
Com esta mensagem eletrônica
seguem muitas vibrações de paz e amor
para você
-------
http://aeradoespirito.sites.uol.com.br/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2FlcmFkb2VzcGlyaXRvLnNpdGVzLnVvbC5jb20uYnIv)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 12 de Fevereiro de 2010, 13:35
Realmente Coronel, se parassemos para analisar o que seremos em relação ao Pai, teriamos muito o que pensar em refazer nosso modo de viver. Como podemos errar tanto; ainda mais quando temos toda a verdade nua e crua à nossa frente? Porque vivemos na ignorancia moral quando foi nos deixado há 2000 anos o receituario para uma vida melhor? Porque gostamos tanto de sofrer? Praticar a caridade é também saber discernir o certo do errado, é também aprimorar o ser.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 13:50
Amigo FILHODOBINO,
Voce não acha que essas citações muitas vezes nos deixam prevenidos ou acautelados, sempre com 'um pé atrás' em relação ao q outros possam fazer ou dizer? Essa citação é muito bonita, ilustrativa com relação as coisas da vida; prepara-nos para que não acreditemos em tudo que nos dizem, que estejamos preparados contra a malicia, a má fé, a má intenção, a astucia e velhacaria ; que usemos nossa propria cabeça e 'não coloquemos outra acima da nossa'. Infelizmente, tb nos transmite a ideia de que muitos que vamos encontrar pela frente são, em algum sentido, 'perigosos' e, com isso, o amor ao proximo enfraquece, concorda? Todos que podemos encontrar, sejam bons ou maus, são viajantes do mesmo barco em que viajamosa. Erram porque desconhecem a verdade, como nós erramos, mas somos todos iguais.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 12 de Fevereiro de 2010, 14:08

Todo o homem que queira ser uno com Deus tem que enxotar e abandonar todos os pensamentos dos outros, sejam de Kardec de Cristo ou de Buda, pois não lhe pertencem. Tem que ficar a sós e ser franco com o seu pensamento. Isto é liberdade, é estar em Deus.

Só assim se é uno com Deus. Só assim se é caridoso/amoroso.

Se não se enxotar e abandonar todos os outros pensamentos, é-se um espirito fascinado que não sabe o que é caridade nem amor, está possuído. É iludido. Vive e morre assim em múltiplas reencarnações, sem ser consciente de Deus.


Namasté


O único mundo real é o espiritual. Para os espiritos o pensamento é tudo.

Um espirito para ser dono e senhor de si próprio, do seu pensamento, não pode permitir pensamentos seja de quem for misturados com os seus.

Os espiritos são indivíduos com a sua personalidade.

Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 14:09
Amigo FILHODOBINO,
Voce não acha que essas citações muitas vezes nos deixam prevenidos ou acautelados, sempre com 'um pé atrás' em relação ao q outros possam fazer ou dizer? Essa citação é muito bonita, ilustrativa com relação as coisas da vida; prepara-nos para que não acreditemos em tudo que nos dizem, que estejamos preparados contra a malicia, a má fé, a má intenção, a astucia e velhacaria ; que usemos nossa propria cabeça e 'não coloquemos outra acima da nossa'. Infelizmente, tb nos transmite a ideia de que muitos que vamos encontrar pela frente são, em algum sentido, 'perigosos' e, com isso, o amor ao proximo enfraquece, concorda? Todos que podemos encontrar, sejam bons ou maus, são viajantes do mesmo barco em estamos. Erram porque desconhecem a verdade, como nós erramos, mas somos todos iguais.
Se o nobre amigo, acha que devo parar para que o amigo continue a nos dizer que estamos cegos, surdos, mudos, insensíveis ao Deus do nosso coração...que o que o nobre amigo propaga é que é o correto...
Sempre entro no Terra Espiritual, Evolução Humana... e nunca disse lá que alguém estava errado seguindo isso ou aquilo... só coloco meus posts aqui...
Se sua resposta for sim... Paro imediatamente.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 14:09
Companheiro MIGUEL.RODRIGUES,
Devemos comparar-nos ao que Jesus foi, ao que supomos ser o Pai, mas sem julgar-nos, sem entristecer ou nos desesperar por sermos como somos. Julgamento é apenas avaliação e as avaliações muitas vezes são contraditorias.
Voce diz "Como podemos errar tanto, ainda mais qdo temos a verdade nua e crua à nossa frente? Porque vivemos na ignorancia moral...?"
Veja, amigo, fomos criados, não há duvidas, ignorantes. Não sabemos porq. E, por isso, 'erramos' tanto (e, por errarmos, sofremos!?). A verdade não está à nossa frente; está dentro de nós. Sofremos não pelos erros, mas pela incompreensão ou ignorancia. Somente o 'conhecer a verdade' nos dará luz para saber o porq disso tudo, e essa sabedoria nos encherá de serenidade e amor, nos tirará todas as dúvidas porq nos fará compreender, nos dará todas as respostas, embora, então, não haja necessidade nem de perguntas nem de respostas.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 14:19
FILHODOBINO,
Me perdoe, mas, sinceramente, não entendi sua mensagem última, 'seu recado'. Não quer torná-lo mais claro para minha cabeça?
Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 12 de Fevereiro de 2010, 14:35

Olá!

" Allan Kardec "

– Durante a vida, o homem sujeita tudo ao seu corpo; mas, após a morte, pensa de outro modo e, como já dissemos, a vida do corpo é pouca coisa; um século de vosso mundo é um relâmpago na eternidade. Portanto, os sofrimentos que sentis por alguns meses ou alguns dias não são nada, são um ensinamento para vós e servirão no futuro. Os Espíritos, que preexistem e sobrevivem a tudo, compõem o mundo real. (Veja a questão 85.) Esses são filhos de Deus e objeto de toda a sua solicitude; os corpos são apenas trajes sob os quais aparecem no mundo. Nas grandes calamidades que destroem os homens, é como se um exército tivesse durante a guerra seus trajes estragados ou perdidos. O general tem mais cuidado com seus soldados do que com as roupas que usam.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 14:37
Amigo GUSTAVO SIQUEIRA,
Uma frase sua: "Sou um aprendiz...desta terra de expiação e provas".
O companheiro já se perguntou porq o Criador teria criado locais, como esta terra, para expiações dos erros cometidos? Sabia, antecipadamente, desde sempre, tudo q suas criaturas fariam,  q errariamos nisto e naquilo, qdo e em q circunstancias e q, em consequencia, seriamos punidos (punições/educativas, como dizem). Não há aí alguma coisa estranha?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Arnaldo Leite dos Santos em 12 de Fevereiro de 2010, 15:28
A caridade ensinada aos espíritas, encera manifestação primeira a espargir o bem. Aprendemos a amar de verdade e a compreender que tudo é criação de Deus e que temos que respeitar tudo como parte dessa criação, e que essa criação é motivação para compreendermos melhor Nosso Criador. Somos parte integrante desse conjunto universal como os órgão e cada célula é parte integrante do nosso corpo. Se amarmos nosso corpo em espírito e verdade, estaremos nos projetando para dentro de nós mesmos. Organizando-o, preparando-o para bem cumprir nossas mazelas e sofrimentos (benditos) que eleva para frente e para o alto. Mas, para isso é preciso amar com todas as nossas forças, iniciando por nós mesmos, aprender como é bom, ser bom. Ajudar nosso corpo a ter saúde, material, mental e espiritual, preparando-nos para bem cumprir os desígnos de Deus, e mesmo em sofrimentos, torná-los benditos. Quando conseguirmos mentalizar o bem, na prática do amor para com a natureza - aí eu incluo não só os seres viventes como a natureza "inerte"; e então agradecer a Deus porque sofremos aí estaremos no "caminho" para frente e para Deus. Procedendo assim estaremos "impregnados" de caridade e possamos as distribuir, e quanto mais as distribuimos, mas as teremos em nós e mais seremos felizes.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 12 de Fevereiro de 2010, 15:32

Olá!

" Allan Kardec "

84 Os Espíritos constituem um mundo à parte, fora daquele que vemos?

– Sim, o mundo dos Espíritos ou das inteligências incorpóreas.

85 Qual dos dois é o principal na ordem das coisas: o mundo espiritual ou o mundo corporal?

– O mundo espiritual, que preexiste e sobrevive a tudo.

89 a O pensamento não é a própria alma que se transporta?

– Quando o pensamento está em algum lugar, a alma está também, uma vez que é a alma que pensa. O pensamento é um atributo da alma.

835 A liberdade de consciência é uma conseqüência da de pensar?

– A consciência é um pensamento íntimo que pertence ao homem, como todos os outros pensamentos.

836 O homem tem direito de colocar obstáculos à liberdade de consciência?

– Não, nem à liberdade de pensar. Pertence apenas a Deus o direito de julgar a consciência. Se os homens regulam por suas leis as relações de homem para homem, Deus, pelas leis da natureza, regula as relações do homem com Deus.

621 Onde está escrita a lei de Deus?

– Na consciência.

621 a Uma vez que o homem traz inscrita na consciência a lei de Deus, há necessidade que lhe seja revelada?

– Ele a esqueceu e a menosprezou; Deus quis que ela fosse lembrada.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Oliva Prado em 12 de Fevereiro de 2010, 15:44
Boas tardes
Gostei bastante destas suas palavras, Arnaldo Leite dos Santos
e vou aproveitar para colocar estas outras palavras desse novo código que surgiu pelas mãos de Allan Kardec sob orientação do Espírito da Verdade.
789 O progresso reunirá um dia todos os povos da Terra numa única nação?
– Não numa única nação, isso é impossível, uma vez que da diversidade dos climas nascem costumes e necessidades diferentes que constituem as nacionalidades; é por isso que sempre precisarão de leis apropriadas a esses costumes e necessidades. Mas a caridade não conhece diferenças nem faz distinção entre os homens pela cor. Quando a lei de Deus for a base da lei humana em todos os lugares, os povos praticarão a caridade entre si, como os indivíduos, de homem para homem; então, viverão felizes e em paz, porque ninguém fará mal a seu vizinho, nem viverão à custa uns dos outros.
(Esta imagem estava no tema do fórum do mês passado)
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 16:51
Amigo FILHODOBINO,
Voce não acha que essas citações muitas vezes nos deixam prevenidos ou acautelados, sempre com 'um pé atrás' em relação ao q outros possam fazer ou dizer? Essa citação é muito bonita, ilustrativa com relação as coisas da vida; prepara-nos para que não acreditemos em tudo que nos dizem, que estejamos preparados contra a malicia, a má fé, a má intenção, a astucia e velhacaria ; que usemos nossa propria cabeça e 'não coloquemos outra acima da nossa'. Infelizmente, tb nos transmite a ideia de que muitos que vamos encontrar pela frente são, em algum sentido, 'perigosos' e, com isso, o amor ao proximo enfraquece, concorda? Todos que podemos encontrar, sejam bons ou maus, são viajantes do mesmo barco em que viajamosa. Erram porque desconhecem a verdade, como nós erramos, mas somos todos iguais.

Dizer às pessoas que o que elas sabem não as levará a lugar nenhum, que enquanto não fizerem como eu fiz ou faço é que é o melhor, suscita no aprendiz do amor e liberdade um natural desejo de discordar...
Um Espírita Cristão ama a liberdade e exercita-a também INFORMANDO...
NUNCA ENSINANDO...
Daí...
Postamos: O LIMITE DE CADA UM
Redação do Momento Espírita
http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=1495&let=L&stat=0 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tb21lbnRvLmNvbS5ici9wdC9sZXJfdGV4dG8ucGhwP2lkPTE0OTUmYW1wO2xldD1MJmFtcDtzdGF0PTA=)
 
Como posto agora para refltirmos:

De Google –
China pressiona EUA a cancelar reunião entre Obama e Dalai Lama
O Globo - ‎há 3 horas‎
PEQUIM/WASHINGTON (Reuters) - A China exortou os Estados Unidos nesta sexta-feira a cancelar o encontro do presidente Barack Obama com o Dalai Lama na próxima semana, um novo capítulo na nas já tensas relações sino-americanas. A Casa Branca disse nesta ...
Governo no exílio demonstra satisfação com reunião de Obama e ... G1.com.br
China pede que Obama cancele encontro com dalai-lama Estadão
SRZD - Último Segundo - Tudo Global (Blogue) – AFP

Um Espírita Cristão que crê na liberdade não se queda em omissão, e, no mínimo se ergue em preces. Pede a Deus, que um diálogo razoável surja do embate...

Apontar quem está certo ou errado, não conduz à paz... fomenta a discordância...

Oh! Alma cansada e triste,
Não estiola horas a fio em CRITICAS,
Não firas a ti com o dedo em riste,
Apontando feridas, ainda abertas, sentimentos
No frater ainda infante.

Oh! Alma cansada e triste,
Olha a vida à volta e sente
Crê no Pai, ame, alimente, assiste,
Do charco nasce a semente
Que se eleva, busca a luz e existe.

Oh! Alma cansada e triste,
Erga sua fronte, levante,
Tome à destra o leme e ruma
Ao longe por certo existe,
Outra alma ainda mais triste...
Consola...
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 12 de Fevereiro de 2010, 17:00
Boas tardes
Allan Kardec sob orientação do Espírito da Verdade.
(...) Quando a lei de Deus for a base da lei humana em todos os lugares, os povos praticarão a caridade entre si, como os indivíduos, de homem para homem; então, viverão felizes e em paz, porque ninguém fará mal a seu vizinho, nem viverão à custa uns dos outros.


Muito feliz esta citação, Oliva Prado.

Só que para isto, necessário é, o respeito profundo por essas leias que temos gravadas na consciência. Extinguir o egoísmo. Isto é, cada homem compreender o que é o ego.

Sermos profundamente conscientes e respeitadores das Leis de Deus.
Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: miguel.rodrigues em 12 de Fevereiro de 2010, 17:01
Obrigado pelas suas colocações coronel, sempre enriquece nosso conhecimento.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 12 de Fevereiro de 2010, 17:09
Olá!

" Allan Kardec "

221 É a uma lembrança retrospectiva que o homem deve, mesmo no estado selvagem, o sentimento instintivo da existência de Deus e o pressentimento da vida futura?

– É uma lembrança que conservou do que sabia como Espírito antes de encarnar; mas o orgulho muitas vezes sufoca esse sentimento.

221 a É a essa lembrança que se devem certas crenças relativas à Doutrina Espírita e que se encontram em todos os povos?

– Essa Doutrina é tão antiga quanto o mundo; eis por que pode ser encontrada em toda parte, sendo uma prova de que é verdadeira. O Espírito encarnado, conservando a intuição de seu estado como Espírito, tem, instintivamente, a consciência do mundo invisível, freqüentemente falseada pelos preconceitos, acrescida da ignorância que a mistura com a superstição.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 17:23
Irmão dim-dim... quando posta o 221...
Concordo plenamente com o irmão...
Há buscas as mais variadas que o imaginário pôde inventar...
Haverá outras tantas mais, pois a criatividade humana não conhece limites...
Informar é um processo salutar de praticar a CARIDADE...

Reflitam por sí mesmos...
http://pessoas.hsw.uol.com.br/santo-daime.htm?__akacao=227856&__akcnt=e82343a0&__akvkey=461a&utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=santo+daime (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3Blc3NvYXMuaHN3LnVvbC5jb20uYnIvc2FudG8tZGFpbWUuaHRtP19fYWthY2FvPTIyNzg1NiZhbXA7X19ha2NudD1lODIzNDNhMCZhbXA7X19ha3ZrZXk9NDYxYSZhbXA7dXRtX3NvdXJjZT1ha25hJmFtcDt1dG1fbWVkaXVtPWVtYWlsJmFtcDt1dG1fY2FtcGFpZ249c2FudG8rZGFpbWU=)
Cada filho de Deus encontra um caminho... quando apontamos o certo ou o errado, interferimos negativamente em seu caminho evolutivo...
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 12 de Fevereiro de 2010, 17:28

Olá!

" Allan Kardec "

6 O sentimento íntimo que temos em nós da existência de Deus não seria o efeito da educação e das idéias adquiridas?

– Se fosse assim, por que vossos selvagens teriam também esse sentimento?

☼ Se o sentimento da existência de um ser supremo fosse o produto de um ensinamento, não seria universal. Somente existiria naqueles que tivessem recebido esse ensinamento, como acontece com os conhecimentos científicos.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Rubem Setubal em 12 de Fevereiro de 2010, 20:19
Ninguem nasce para sofrer. A evolução espiritual depende unicamente de cada um, do desejo de aprender, do empenho em executar as tarefas que a vida nos apresenta, por ser uma escolha nossa para, e/ou para corrigir situações vividas anteriormente com intensos erros. Para evoluir, necessitamos nos libertar do domínio das influências da matéria (que são intensas, deliciosas e ilusórias). Normalmente escolhemos, utilizando o livre arbítrio, o caminho a seguir. Ao escolhermos, se atendemos às necessidades exclusivas da matéria, criamos vínculos problemáticos e compromissos que mais adiante nos serão cobrados dolorosamente. Para evoluir, a dor é necessária , mas o sofrimento é opcional.
"À cada ação corresponde uma reação, de mesma intensidade, de  mesma direção e sentido contrário". Uma lei Newtoniana aplicada inicialmente à matéria tangível, mas que tem aplicabilidade nos sentimentos, nas emanações dos pensamentos, estejamos no corpo físico ou fora dele.
Rubem Setúbal
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 12 de Fevereiro de 2010, 20:20
Olá!

" Allan Kardec "

De dois povos chegados ao topo da escala social, o único que pode se dizer civilizado, na verdadeira acepção da palavra, é aquele em que não se encontra egoísmo, cobiça e orgulho; em que os hábitos são mais intelectuais e morais do que materiais; em que a inteligência pode se desenvolver com mais liberdade; em que há mais bondade, boa fé, benevolência e generosidade recíprocas; em que os preconceitos de casta e de nascimento são menos enraizados, porque são incompatíveis com o verdadeiro amor ao próximo; em que as leis não consagram nenhum privilégio e são as mesmas para o último como para o primeiro; em que a justiça é exercida com imparcialidade; em que o fraco encontra sempre apoio contra o forte; em que a vida do homem, suas crenças e opiniões são respeitadas; em que há menos infelizes e, enfim, em que todo homem de boa vontade esteja sempre seguro de não lhe faltar o necessário.

794 A sociedade poderia ser regida só pelas leis naturais sem a colaboração das leis humanas?

– Poderia se as compreendesse bem, se o homem tivesse vontade suficiente para praticá-las; mas a sociedade tem suas exigências e precisa de leis particulares.

795 Qual a causa da instabilidade das leis humanas?

– Nos tempos da barbárie, são os mais fortes que fazem as leis, e as fazem para se beneficiarem. Foi preciso modificá-las muito, à medida que os homens compreenderam melhor a justiça. As leis humanas são mais estáveis quanto mais se aproximam da verdadeira justiça, isto é, conforme sejam as mesmas e iguais para todos e se identifiquem com a lei natural.

☼ A civilização criou para o homem novas necessidades, relativas à posição social em que vive. Devem-se regular os direitos e os deveres dessa posição por leis humanas. Mas sob a influência de suas paixões, freqüentemente, criou direitos e deveres imaginários que a lei natural condena e que os povos apagam de seus códigos à medida que progridem. A lei natural é imutável, é a mesma para todos; a lei humana é variável e progressiva; somente pôde consagrar, na infância das sociedades, o direito do mais forte.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 21:25
AMIGOS, foi dito:
"Quando apontamos o certo ou o errado, interferimos 'negativamente' no caminho evolutivo das pessoas... Dizer às pessoas que o que elas sabem não as levará a lugar nenhum, suscita no aprendiz do amor 'desejo de discordar'...O Espírita ama a liberdade e exercita-a também INFORMANDO (o q é salutar pratica da Caridade)...NUNCA ENSINANDO...; não se omite. Apontar quem está certo ou errado, não conduz à paz... fomenta a 'discordância".
Amigo, me perdõe discordar. Todas as crenças e religiões estão, o tempo todo, 'apontando o certo ou o errado', não concorda? E essa é a função delas. Todas elas, então, estão interferindo 'negativamente' no caminho evolutivo de alguém? Interferem sim, mas porq 'negativamente'? A doutrina espirita não está apontando sempre o 'certo' e, por consequencia, o 'errado'?
Concordo qdo o amigo diz q 'dizer q o q as pessoas sabem não as levará a lugar nenhum, só desperta o desejo de discordar'. E é exatamente esse meu objetivo: q discordem e, por discordar, questionem. Porq cremos em tudo sem discordar de nada? Estará tudo certo, e integralmente verdadeiro, só porq confiamos na fonte de onde vieram? Quantas contradições encontramos em todas as doutrinas!
E mais uma coisa: INFORMAR objetiva o que? INFORMAR, se o amigo bem analisar, significa ENSINAR, ou estou enganado? Pois, qual a finalidade deste Forum? É apenas permitir conversas inconsequentes, dar nossa opinião sem procurar, se possivel, abrir os olhos dos companheiros? Se alguem não age assim, não estará se omitindo?
Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 12 de Fevereiro de 2010, 21:58
ARNALDO, companheiro de jornada,
Me perdoe por tentar colocar pequenos reparos e questionamentos no q vc disse.
"Aprendemos a amar de verdade e a compreender que tudo é criação de Deus". "Se amarmos nosso corpo em espírito e verdade...', '... preparando-o para bem cumprir nossas mazelas e sofrimentos (benditos)...'.
Será q essas afirmações são a verdade? Ou representam, apenas, o ideal?
O amigo não estará apenas querendo dizer "aprendemos q 'devemos' amar de verdade?"
E veja, disse q TUDO é criação de Deus. Esse TUDO abrange q coisas? TUDO mesmo? Não esqueçamos q o Pai é criador de TODAS as coisas!
E qual o significado de amar nosso corpo em 'espirito e verdade'? Não são apenas palavras bonitas, q nos parecem elevadas, q nos fazem bem, tantas vezes citadas nas obras espiritas e das religiões originárias do cristianismo; palavras q podem até mesmo consolar, inspirar etc, mas o q significam?
O amigo diz tb q "os sofrimentos são 'benditos', abençoados. Se percorrermos hospitais, leprosários, prisões, o lixão e as pontes onde vivem familias inteiras, os manicomios, a miséria, a fome, os abandonados, os q se arrastam pelo chão sujos e esfomeados, os amputados a sangue frio para, qdo adultos, não sejam vingadores capazes, os q não mais vêem sentido na vida, os q não crêem em nada devido às suas desgraças, a filhinha de 4 aninhos estuprada e assassinada, as vitimas dos tsunamis, de doenças q trazem sofrimentos inenarraveis e tantas coisas mais, vamos realmente considerar tudo isso abençoado? Será q aqueles q estão vivendo essas dores as julgarão abençoadas? Porq é q aceitamos tudo q nos ensinam como verdade completa, verdade integral? Não poderão ser verdades, mas verdades incompletas, parciais?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 12 de Fevereiro de 2010, 22:04
Questionem tudo para o melhor entendimento.
O pensamento construtivista nos leva longe.
Não podemos simplesmente aceitar os que nos é dito sem termos compreensão do que está sendo dito.
Neste caso cairemos na crença dos mistérios, milagres, falsos profetas, céu, inferno, curandeiros e por ai a fora. A palavra de Cristo é clara.
A essência é que deve ser compreendida.
O caminho a seguir é limpo.
Cabe a nós com nosso livre arbítrio trilharmos o que for melhor para nós.
E só nós decidimos a carga que devemos carregar. O problema não é o sofrimento que nos surpreende e sim a maneira como encaramos e lidamos com ele.
Diante do falecimento de um ente querido, por exemplo, muitos são os que caem em depressão e param de viver. Estacionam se revoltam ou se anulam. Outros compreendem a perda com sofrimento  e dor , mas seguem a diante, sabendo que a sua vida é independente e única, a sua história não acabou com seu ente querido que se foi e assim por diante com  tudo na vida.
Hebe
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 22:49
Nobre companheiro de estudos, CORONEL,
Saquei do seu post, a seguinte linha do seu raciocínio, para dialogarmos... Esse é o ponto.
Todas as crenças e religiões estão, o tempo todo, 'apontando o certo ou o errado', não concorda? E essa é a função delas.
Concordo inteiramente, se quem ouve professa a mesma religião de quem a pronuncia.
Se quem a pronuncia deixa antever que não professa a mesma religião de quem ouve, ela toma outro sentido. O Da critica.
Mas, parece que estamos começando a nos entender.
Há algo muito importante para ser dito neste estudo e possivelmente em outro que está ficando muito subliminarmente e precisa ser aflorado, para que este estudo ganhe um padrão muito salutar.
Seria a visão oriental do Orar e Vigiar e do que seja em verdade a Reforma Intima.
Ambos assuntos são ditos em verso e prosa nos centros pelo Brasil afora, mas na verdade, ninguém consegue exteriorizar de forma didática e simples essa idéia.
Eu a compreendo, mas não tenho nenhuma condição de liderar essa discursão pois me falta em muito a cultura necessária para isso.
O nobre amigo, ameaça começar a explicar e targiversa noutro rumo, preferindo mostrar o erro, ao invés de mostrar o que é certo, mas com linguagem que o ocidental aceita pela sua cultura.
A frase acima está certa e errada ao mesmo tempo...
Depende da posição religiosa dos interlocutores, e vc que já militou as esquadras dos frates e catolicos sabe bem do que estou falando...
Estou muito ancioso, para que os nossos companheiros de estudo, que contatei por mensagem particular, compreendam o que quiz dizer e nos premiem com um estudo desse timbre. Nele eu e vc caro amigo teriamos muito a ganhar...
Aguardemos e confiemos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 22:56
Hebe

Então amado irmão,
É esse seu post um fiozinho, que penso que deva ser a direção do estudo, que visa mostar com simplicidade e conceitos orientais, para que ocidentais possam assimilar.
Venho insistindo, para que não permaneçamos apontando erros, mas mostrando acertos, para mior participação e evolução em linha ascendente.
Esperemos e confiemos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 23:08
Ninguem nasce para sofrer. A evolução espiritual depende unicamente de cada um,
Rubem Setúbal

Prezado companheiro de estudos,
Saúde e Paz!
Concordo plenamente, e muito me preocupa que essa linha de raciocinio não encontre eco nos estudos da verdadeira caridade...
Reputo essa idéia como a base fundamental para a humanidade no momento presente muito mais que segurança, educação, e outras necessidades mais.
ESSA È A MAIOR FOME DO NOSSO POVO...
Não que essas não sejam importantes, são e muito...
Mas com certeza essa idéia bem divulgada com didatica simples e acessível e aplicada de forma que não criasse rejeições, reduziria num percentual monumental nosso gasto governamental com saúde, educação, segurança etc, e nosso povo viveria mais feliz.
Por isso essa idéia não deve ser guardada como antigamente aos iniciados, e escolhidos, nem ser reservada apenas para os cultos...
Esperemos e confiemos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: filhodobino em 12 de Fevereiro de 2010, 23:27
Peço Vênia ao amigo, Paulo Setúbal, para clonar sua frase e refletir um pouco mais acerca dela...
Ninguém nasce para sofrer. A elevolução espiritual depende de cada um.

Essa é uma constatação, que está inserida em quase todos os livros de auto-ajuda que me chegou às mãos...
Muita gente a repete, mas é estatisticamente insignificante o numero de pessoas que a compreende com a profundidade que ela merece e menor ainda o numero de pessoas que as coloca em prática.
A razão é muito simples...
Ela vem sempre seguida de uma enorme lista do que não se deve fazer para alcancá-la.
Os estudiosos orientais, teem um jeito diferente de demonstrar que é possivel seu entendimento e sua aplicabilidade, que, aplicados a nossa cultura poderia redundar a médio e longo prazo numa ferramenta maravilhosa no campo da CARIDADE.
Eu comecei a compreender. Não tenho infelizmente cabedal para ir à frente.
Estou tentando sensibilizar companheiros que vejam essa possibilidade para que possamos ocidentalizar esse conceito, o da reforma intima e o conceito do orar e vigiar...
Esperemos e cofiemos.
Saúde e Paz!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 12 de Fevereiro de 2010, 23:33

Olá!

O homem preocupado com a vida material apenas dá 'atenção' ao corpo, é só o que ele conhece, quando vai dormir apaga-se a consciência. É a morte.

Mas o homem pode colocar essa 'atenção' no espirito, no abstrato, no desconhecido. Como? Habituar-se, por exemplo, a contemplar o céu à noite todos os dias durante uma certo tempo, sozinho sem nenhuma preocupação, apenas observa sem pensar.

Isto é o princípio da meditação, o diálogo interno vai-se abrandando e surge o silêncio interior. O silêncio interior é a 'atenção' do espirito. Com esta 'atenção' desenvolvida dormir é só a dormência do corpo, sem perdas de consciência.

-------------------------------------------------

" Allan Kardec "

403 Por que nem sempre nos lembramos dos sonhos?

– O que chamais de sono é apenas o repouso do corpo, mas o Espírito está sempre ativo e durante o sono recobra um pouco de sua liberdade e se corresponde com os que lhe são caros, neste mundo ou em outros. Sendo o corpo uma matéria pesada e grosseira, dificilmente conserva as impressões que o Espírito recebeu, visto que o Espírito não as percebeu pelos órgãos do corpo.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 00:18
Amiga HEMCOGLIATTI,
Concordo qdo a amiga diz q devemos questionar tudo, na busca de maior entendimento.
Não me considere chato pois vou questionar alguma coisa. Como vc, penso que devemos questionar tudo, buscar as razões do porq alguem disse isso ou aquilo, sobretudo no q se refere a questões tão sérias como compreender a vida e qual nosso papel nela, e o futuro tb.
Vc diz q "O caminho a seguir é limpo". Será isso mesmo, ou é repleto de obstaculos devido sobretudo à nossa ignorancia q não nos deixa 'conhecer a verdade'? Observe q a vida é luta constante, repleta de compromissos difíceis e desgastantes. Lutas de todo tipo: pela saúde; para conseguir ‘aquele’ emprego; para se habilitar a uma profissão; para criar os filhos; para suprir a família; para atender às obrigações profissionais. E mais lutas para disputar afetos e os primeiros lugares nessa competição sem fim, do dia-a-dia, de tentarmos nos igualar, ou ultrapassar os que têm mais do que nós e tantas coisas mais que a inveja, a ambição, a capacidade de inventar e o enorme desejo de imitação do homem trouxeram... Tudo é incerto e impermanente. A única certeza é a morte q nos espreita à frente.
Continuo nossa conversa a seguir.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 13 de Fevereiro de 2010, 00:56
Coronel,
Quando digo que o caminho é limpo. Quero dizer fácil de entender o que Cristo falou.
Em seguida me referi, que a vida pesa e o sofrimento tem o peso que nós damos a ele dependendo da maneira como lidamos com ele.
Logicamente não é fácil viver porque como você citou acima, a inveja, o orgulho, as conquistas materiais que tomam lugar em nossa mente priorizando nosso pensamento ao invés das conquistas espirituais e crescimentos pessoais.
Olha, já passei por muita coisa e pesada, tive muitas perdas em todos os sentidos. Sei que mais coisas virão, mas confesso a você que hoje, olhando um pouquinho para trás e vendo a carga e o peso que eu coloquei na ocasião, se eu tivesse o conhecimento que tenho hoje talvez o meu sofrimento tivesse sido bem menor em várias situações. As perdas materiais hoje não tem mais a mesma importância, o perdão hoje é para mim  mais fácil. Descobri que não sou nem o cargo que eu ocupo e nem o dinheiro que tenho.
A corrente de amor e amizade que tive em volta nos meus momentos difíceis me fez ver claramente a extensão do amor que tenho em volta e valorizei muito mais a todos que me são caros.
O luto que tive na ocasião da  perda de filho e marido, hoje é por mim mais compreendido, a dor não me imobiliza mais.
A alegria de ver meus filhos seguindo o caminho deles de forma integra apesar de terem passado muito cedo pela perda do pai e perda financeira me faz sentir amparada por Deus. E agradeço todos os dias por isso.
O recomeço na vida profissional em uma cidade diferente e numa profissão diferente, foi e está sendo um desafio e tanto e a cada dia mais aprendo com isso.
Quando escrevo neste fórum, falo de vivencias minhas que passei a compreendê-las à medida que me aproximei e estudei mais ainda o Kardecismo. Os livros espíritas hoje não são para mim apenas objetos de estudo, mas aplico na minha vida.
Desculpe-me em entrar num ângulo tão pessoal, mas acho válido na medida em que estamos estudando caridade e eu tive e senti a caridade de todas as formas em torno de mim.
Não vou citar salmos, nem parágrafos de livros. Falo de vivencia e de compreensão de cada episódio que eu passei.
Nós somos ainda muito imperfeitos.
Pretendo aprender ainda mais para estar preparada para o que vier

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: rogerio de lelis em 13 de Fevereiro de 2010, 01:14
Boa noite a todos,

Saúde e paz!

Não tenho a intenção de definir caridade, ou explicar a caridade, já que todas as palavras já ditas no seio da Humanidade, apenas puderam nos dar uma pálida noção dessa virtude.

Gostaria apenas de fazer uma pequena colocação. A razão da existência do Espiritismo, e no imo, de todas as religiões, é a de reformar o homem.
Se o homem necessita de reformas, é porque ainda se apresenta equivocado, em erro, desequilibrado, desajustado, enfim, imperfeito.
A caridade foi apresentada aos seres humanos para ser um contraponto do egoísmo, do orgulho, do apego do homem às coisas do próprio homem.
Não compreendemos até o momento, pelo menos a imensa maioria de nós, que o nosso papel nesse mundo é o de nos treinarmos para sermos condutores, mestres de outros como nós, numa só palavra, de sermos co-criadores.
Para seguirmos na senda da caridade, antes de mais nada, devemos ser generosos conosco mesmo, caridosos mesmo. Somente após conseguirmos extirpar de nosso âmago, os nossos desejos e apegos, é que nos tornaremos pessoas mais puras, mais corretas, estando assim, um passo mais próximo da angelitude.
Então, para a caridade ser boa, antes, deveríamos nos modificar, nos transformar, buscando conviver 24 horas, com bons pensamentos, boas intenções, bons modos, bons atos, boas palavras, estabelecendo para nós nada mais que a justiça, alicerçada nos ensinamentos do Mestre Divino: "Amai-vos uns aos outros como a ti mesmo!".
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 01:39
Amiga HEMCOGLIATTI, continuando,
Vc disse: "Cabe a nós com nosso livre arbítrio trilharmos o que for melhor para nós".
Minha amiga, já analisou o q é o livre-arbitrio? É escolher se faço isto ou aquilo, o bem ou o mal, sem pensar? Veja, vamos por uma estrada q de repente se bifurca; por qual continuar imaginando q as duas vão ao mesmo lugar? Vc faria essa escolha num estalar de dedos, como num jogo de 'cara-ou-coroa'? Tenho certeza q não. Nnguem faz escolhas assim. Analisamos qual deve ser mais agradavel, a mais vantajosa, qual não está cheia de lama, não tem a ponte quebrada, não é? E como temos capacidade de analisar? Pelas experiencias pelas quais passamos no aprendizado da vida; deduzimos qual a melhor e qual a pior. Só não escolhem assim, e decidem sem pensar, os desesperados, os dementados, os q perderam o controle de sua capacidade intelectual e assim cometem os absurdos q vemos no mundo. Logo, sempre escolhemos a solução q julgamos seja melhor trilhar, de acordo com a compreensão a q já chegamos. Então, minha amiga, a escolha, o chamado livre arbitrio, não é livre; está alicerçada, acorrentada, presa ao q já aprendemos; a escolha é de acordo com a compreensão q já temos.
"Uns se revoltam com perdas; outros compreendem a perda e seguem adiante". E aí vai nova questão: Porq uns se revoltam e outros não? Porq uns são compreensivos (ou bons) e outros são revoltados (ou maus)? A amiga HEBE tem as respostas?


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: marluce@ss em 13 de Fevereiro de 2010, 01:48
Caridade é a grande ponte para chegarmos ao aperfiçoamento, é o amor em ação.
òtimo tema!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Hebe M C em 13 de Fevereiro de 2010, 01:55
Coronel,
Estas questões acho que ja respondi na minha ultima mensagem.
Concordo com você que nossas escolhas são pautadas em experiencias de vida. Quanto mais vivencia, mais sábio nos tornamos.
Porque uns escolhem errado e outros não? exatamente por isso, uns  espiritos são mais evoluidos, outros não, escolhem errado por ignorancia. Sabemos que até nossos filhos podem ser espiritos mais velhos e mais sábios que nós.
O bebe quando engatinha pode enfiar o dedo na tomada sem saber que vai lhe causar um choque enorme, o faz por ignorancia, concorda? Provavelmente se levar o choque não colocará ali o dedo de novo. O adolescente se não orientado pode se envolver com drogas, e até mesmo depois de orientados pode partir para esta escolha. Vai aprender quando sua vida ruir diante da ma escolha.
Outros são tão cegos que não enxergam o proprio erro e insitem nele. Precisarão ter algo que os freie para que possam enxergar.
Entra ai a lei da causa e efeito. Quantas vezes entramos em discordia com uma determinada pessoa e só quando passamos pela mesma situação em posição inversa entendemos que estavamos errados, sentindo na propria pele o que o outro sentiu?
Voce já respondeu a estas questões no seu proprio texto.
Saudações.

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: CRYSTY em 13 de Fevereiro de 2010, 02:10
amigo coronel!
boa noite!
gostei mto de sua resposta quando se referiu ao libre arbítrio,achei mto sábia sua respostas .eu ainda nao tinha pensado com tanto equilibrio neste livre arbitrio.......vale!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: CRYSTY em 13 de Fevereiro de 2010, 02:12
valeu!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 02:53
Amiga HEMCOGLIATTI,
Mas é justamente aí q está a questão q fiz:
Se as escolhas são pautadas pelas experiencias da vida e, por isso aquele q está mais à frente na caminhada, por ser mais experiente, já aprendeu mais e, então, erra menos e, em consequencia, a lei carmica lhe é mais suave; porque aquele menos experiente, q ainda está lá atrás, e por isso erra mais, a lei cármica lhe é mais pesada? A criatura de Deus sofre por não ter ainda as experiencias q lhe são necessárias? Por suas escolhas mal feitas? Isso não é algo q deve ser questionado para tentarmos compreender?
Tenha uma boa noite.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 04:30
Amigo FILHODOBINO,
O amigo diz concordar q todas as crenças e religiões estão, o tempo todo, 'apontando o certo ou o errado'; q essa é a função delas. Mas, ao mesmo tempo diz:
"Mas só concordo se quem ouve professa a mesma religião de quem a pronuncia. Se quem a pronuncia deixa antever que não professa a mesma religião de quem ouve, ela toma outro sentido. O Da critica".
Porq, nessa concepção, aqueles q estão separados, se este for o caso, pelos grupos de crenças diferentes não podem se fraternizar, unir-se no proprosito de aprender ou de informar? Pelo fato de serem de crenças diferentes, devem se omitir naquilo q julgam importante para todos? Amigo, pensar q existe esse outro sentido, o da critica, não pode ser apenas fruto de preconceito? O amigo não concorda q é válido questionar tudo, fazendo comparações, analisando, mesmo q seja, como vc diz, de religião diferente? Quem se ofenderia com isso? A finalidade deste Forum não é, além de trazer a opinião, tentar esclarecer, informar ou tentar abrir olhos de alguem mais? Aquele q deseja fazer isso deve, por acaso, na sua concepção, ser excluido? Tenho certeza de q seu pensamento não é nesse sentido. O Mestre aconselhou: "Não ponha sua luz sob o alqueire, mas sobre o velador paraq ilumine a todos". E o q é a luz senão conhecimento? Porq temos de acreditar q só o q aprendemos nesta ou naquela religião é q está certo, q somente essa doutrina contem a verdade completa? Não poderá ser uma verdade incompleta? Penso tb, pelo q vemos no Forum, q aqui não há lider; há apenas pessoas q dão sua visão ou o q pensam saber sobre os assuntos em estudo.
Disse tb: "O amigo, ameaça começar a explicar e tergiversa noutro rumo, preferindo mostrar o erro, ao invés de mostrar o que é certo". Absolutamente, não é essa minha intenção. Ao contrário, é mostrar q devemos questionar tudo q nos vem para procurar compreender melhor e não aceitar simplesmente como interpretado perfeitamente.
"A frase acima está certa e errada ao mesmo tempo...". Se eu fui eu o autor dessa frase (sinceramente, não me recordo) apenas desejava mostrar q estaria em parte certa e em parte incorreta, pelo meu ponto de vista evidentemente.
O amigo tb disse: "vc que já militou as esquadras dos frates e catolicos sabe bem do que estou falando...". Honestamente, não sei qual o sentido dessa sua fala. E estou certo q terei muito a ganhar com sua iniciativa, pois somos todos ainda de curta compreensão.
Um abraço ao companheiro.
E boa noite.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 06:05
Olá!

" Swami Vivekananda "

Antes de entrar na parte prática, cuidaremos de mais uma questão intelectual. Até aqui a lógica tem sido tremendamente rigorosa. Se o homem raciocina, não há lugar onde possa ficar até que chegue a isto: que há somente uma Existência, que tudo o mais nada é. Não há outro ponto de vista para a humanidade racional a não ser esse. Mas como se explica que o que é infinito, sempre perfeito, sempre abençoado, Existência-Conhecimento-Bem-aventurança Absoluta, viesse a ficar sob tais ilusões? É a mesma pergunta que tem sido feita em todo o recanto do mundo. Na forma vulgar a questão é assim proposta: "Como veio ter ao mundo o pecado?" Essa é a forma mais vulgar e sensória da pergunta, e a outra é a forma mais filosófica: mas a pergunta é a mesma. A mesma pergunta tem sido feita em vários graus e maneiras, mas em suas formas inferiores não encontra solução, porque as histórias de maçãs, serpentes e mulheres não fornecem uma explicação. Nesses estágios a pergunta é infantil, e infantil é a resposta.

Há outra resposta que não fica assim em plano filosófico tão alto. Pode qualquer realidade produzir ilusão? Certamente não. Vemos que uma ilusão produz outra, e assim por diante. É sempre a ilusão que produz ilusão. É a doença que produz doença e não a saúde que produz doença. A onda é a mesma coisa que a água; o efeito é a causa sob outra forma. O efeito é ilusão, portanto, a causa deve ser ilusão. Que produziu essa ilusão? Outra ilusão. E assim vai, sem princípio. A única pergunta que vos resta fazer, é: "Não rompe nosso monismo o fato de termos duas existências no universo - uma o Eu, e a outra a ilusão?" A resposta é: "A ilusão não pode ser chamada uma existência. Milhares de sonhos entram em vossa vida, mas não formam qualquer parte de vossa vida. Os sonhos vêm e vão: não têm existência. Chamar existência à ilusão seria sofisma. Há, portanto, apenas uma Existência indivisível no universo, sempre livre e sempre abençoada, e é isso que sois". É essa a última conclusão a que chegaram os advaitistas.


O Eu, o Conhecedor, o Senhor de tudo, o Ser real, é a causa de toda a visão que existe no universo, mas Lhe é impossível ver a si próprio, exceto através de reflexo. Vós não podeis ver vossa própria face a não ser num espelho, e assim o Eu não pode ver Sua própria natureza enquanto ela não for refletida, e todo este universo, é, portanto, o Eu tentando compreender-se. Esse reflexo é reproduzido primeiro do protoplasma depois de plantas e animais, e assim por diante, cada vez de melhores refletores, até que o melhor refletor - o homem perfeito - é alcançado. Tal como um homem que, desejando ver seu próprio rosto, olha primeiro para uma pequena poça de água lodosa, e apenas vê um contorno, depois vai para a água limpa e vê melhor imagem, e a seguir, diante de um pedaço de metal brilhante vê imagem ainda melhor, para, finalmente, colocando-se diante de um espelho, ver-se tal qual é. Portanto, o homem perfeito é o mais alto reflexo desse Ser, que, ao mesmo tempo, é substância e objeto.

Agora, descobrireis por que o homem instintivamente cultua tudo, e por que o homem perfeito é instintivamente cultuado como Deus em cada país. Podeis dizer o que quiserdes, mas são eles que se destinam a ser cultuados. Por isso os homens cultuam Encarnações, tais como o Cristo ou Buda. Elas são as mais perfeitas manifestações do Eu eterno. Estão muito acima de todas as concepções de Deus que vós e eu podemos fazer. Um homem perfeito é muito maior do que essas concepções. Nele, o círculo se completa, e a substância e o objeto fazem-se um. Nele, as ilusões se desvanecem, e em lugar delas vem a compreensão de que sempre foi aquele Ser perfeito.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 06:28

Olá!

" Swami Vivekananda "

Até aqui isso está certo, intelectualmente, mas é preciso que venha a prática. É necessária alguma prática para compreender essa Unidade? Positivamente, sim. Não quer dizer que ireis tornar-vos aquele brâmane. já o sois. Não quer dizer que ides tornar-vos Deus ou ser perfeito: já sois perfeitos, e sempre que Pensais não o ser será uma ilusão. Essa ilusão que diz serdes vós o Sr. ou a Sra. Fulano de Tal pode desaparecer através de outra ilusão. O fogo engolirá o fogo, e podeis usar uma ilusão para dominar outra ilusão. Uma nuvem virá e afastará para longe outra nuvem, e depois ambas irão embora.

Que são essas práticas, então? Devemos sempre ter em mente que não iremos ser livres, mas já somos livres. Toda a idéia de que somos prisioneiros é ilusão. Toda a idéia de que somos felizes ou infelizes é uma tremenda ilusão, e outra ilusão virá, a que temos de trabalhar e cultuar e lutar, para sermos livres. Esta expulsará a primeira ilusão, depois ambas terão terminado.

Estamos mais ou menos na mesma situação. Dizer que somos imperfeitos é uma alucinação, e tomaremos outra, que diz termos de praticar para nos tornarmos perfeitos. Então uma anulará a outra, como podemos usar um espinho para extrair outro e depois atirar ambos fora. Há pessoas para as quais é suficiente como conhecimento o fato de ouvirem: "Tu és isto". Num relance este universo desaparece e a natureza real resplandece. Mas outras têm de lutar duramente para se livrarem da idéia de aprisionamento.

Primeiro, renúncia a todos os frutos do trabalho e a todos os gozos desta ou de outra vida. Se sois o Criador do universo, tereis o que desejardes, porque criareis para vós mesmos o que desejardes, é apenas uma questão de tempo. Alguns conseguem imediatamente, outros têm os samskaras, impressões passadas, a erguerem-se no caminho de seus desejos. Damos o primeiro lugar ao desejo de prazeres, nesta ou em outra vida. Negais que exista uma vida qualquer, porque a vida é apenas o outro nome da morte. Negais que sois um ser vivo. Quem se importa com a vida? A vida é uma dessas alucinações, e a morte é a sua réplica. A alegria é uma parte dessas alucinações, e a angústia outra parte, e assim por diante. Que tendes vós com a vida ou com a morte? Tudo isso não passa de criações da mente. A isso se chama abandonar os desejos de prazeres, nesta ou em outra vida.

Depois vem o controle da mente, acalmando-a de tal maneira que ela não se desfaça em ondas e tenha toda a sorte de desejos. Manter a mente firme, sem permitir que ela vacile através de causas externas ou internas, controlar a mente perfeitamente, apenas pelo poder da vontade. O jnane-yogue não recebe qualquer auxílio interno ou externo. Os instrumentos em que acredita são o raciocínio filosófico, o conhecimento, e sua própria vontade.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: rovea em 13 de Fevereiro de 2010, 11:42
              Pronome pessoal
 Verbo Amar
             Preterito " Mais Que Perfeito "

Eu     Amareia   Deus e o proximo como a eu  mesmo
Tu     Amaras    Deus e o proximo como a ti   mesmo
Ele    Amara      Deus e o proximo como a ele mesmo
Nos   Amaremos Deus e o proximo como a nos mesmo
Vos   Amareis    Deus e o proximo como a vos mesmo
Eles   Amarão    Deus eo proximo como  a eles mesmo

Condicional: tenho que gostar de mim estar bem comigo mesmo

Pronome Possesivo

Meu        Deus /Pai
Teu         Deus/pai
Nosso      Deus/Pai
Dele/Dela Deus/Pai

Condicional: deus não tem dono é unico

Jesus não pede que deixe a mãe, pai os bens o conforto apenas quer que voce de menos importancia as coisas transitorias e ame a deus  o proximo  a si mesmo como ele amou.

Condicional: Voce não tem que perder nada para seguir jesus e ser caridoso

Conclussão; Para ser caridoso Não ame mais os bens terrenos que a criaturas e naturalmente praticaremos a caridade


Um grande Abraço
 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 12:27
Olá, amigo DIM-DIM, bom dia.
Vc citou Kardec: "6 O sentimento íntimo que temos da existência de Deus não seria o efeito de idéias adquiridas?".
Resp: " Se fosse assim, por que selvagens teriam também esse sentimento?".
E veja o natural questionamento: Ao homem, no inicio de sua existencia, deve ter nascido, com certeza, medo daqueles fenômenos q não compreendia, mas que o impressionavam e inquietavam: o escuro e estranho firmamento repleto de pontos luminosos, o sol aquecendo e espantando a escuridão da noite cheia de medo e predadores, o frio e o calor, a fúria das tempestades, dos terremotos, dos vulcões, das inundações, a fome, a destruição de suas fontes de alimentos, as doenças, as dores, etc.
Primeiro deve ter sentido medo; depois, por sua ignorância, deve ter mostrado respeito, chegando mesmo a reverenciar aquilo que desconhecia, mas que era tão poderoso. E, por isso, deve ter buscado explicações que lhe apaziguassem a mente.
A imaginação, as superstições, as ilusões, as crenças sem fundamento devem tê-lo perturbado por muito tempo. Tentou agradar, bajular e chegou até a "ENDEUSAR" aquelas forças que não compreendia; não há como duvidar que sempre, por trás de tudo isso, estava o medo nascido de sua absoluta impotência frente àquelas poderosas forças. Assim, sofreu e viveu por longas eras, cheio de ansiedade e angústia.    
A submissão, adorações e súplicas, não traziam a tranqüilidade de que nessitava. As superstições, com certeza nascidas da imaginação sobre tudo aquilo, cresceram e dominaram o homem. Com o tempo, surgiram crenças, sem qualquer fundamento e, com elas, a suposição de que os ‘DEUSES’ deveriam ser agradados. Criaram-se, então, rituais e cerimônias para isso e, depois, locais para a realização dessas cerimônias. Deve ter sido assim que nasceram as primeiras religiões e templos. Sacrificou animais e também seres humanos iguais a si mesmo, e se martirizou na tentativa de apaziguar ‘a ira dos DEUSES’. Mas as ações dos DEUSES eram implacáveis e continuavam. Essa é a historia do homem; o medo do q observava foi q lhe trouxe a idéia da existencia de seres terriveis porq mais poderosos do q ele, q matavam e destruiam, seres q mais tarde foram chamados de DEUSES. Não será essa a explicação correta? Porq o homem 'enDEUSou' e  adorou o sol, a força dos relampagos, os animais amedontradores, a chuva etc etc?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: hcancela em 13 de Fevereiro de 2010, 12:40
Olá amigos(as)

A caridade não é somente um sentimento, mas a capacidade de agir mediante a expressão profunda do desejo de exercer o bem ao próximo.

Caridade é uma das virtudes teologais e uma das sete virtudes. Tem o mesmo significado que o Ágape.

É um sentimento que pode ter dois sentidos, o sentimento para si mesmo, e ao próximo.

O Cristianismo afirma que a caridade é o "amar ao próximo como a si mesmo". E afirma que se uma pessoa não se amar adulterando e mentindo à si mesma sobre as coisas que a rodeia, defendendo somente o seu ponto de vista sem pensar no ponto de vista divino, pode estar "amando" o seu próximo, mas da sua maneira, pois quanto mais buscar o esclarecimento divino sobre como amar à si mesma, maior poderá ser o amor desta pessoa pelo seu próximo.

E afirma que nos dias actuais muitos estão buscando a Cristo, mas da sua "maneira", não procurando arrepender de suas acções, pois em si mesmos não acham culpa alguma, pois defendem os seus próprios pontos de vista. Esquecem-se que o salário de pecado é a morte, e quem não se ama (caridade) peca, pois quem exerce a caridade, não peca, pois acaba amando à Deus mais do que a si mesma, ouvindo assim a sua voz e colocando em prática a Verdade que recebe. Dizendo, que quem ama a Cristo, confirma também o Senhorio de Cristo sobre a si mesma, abandonando tudo por Ele, pois um Servo abandona tudo pelo seu Senhor, vivendo somente para ele.

Aliás, Jesus Cristo ordenou: "Amar a Deus sobre todas as coisas", isto para os cristãos constitui a parte fundamental da caridade.

Quem tem o amor, prova, não somente com palavras mas sim com acções. Abrindo mão dos costumes dos gentios por amar a Deus sobre todas as coisas, seguindo a sua voz e os seus mandamentos.

Paulo disse disse que, de todas as virtudes, "o maior destas é o amor" (ou caridade). O Amor é também visto como uma "dádiva de si mesmo" e "o oposto de usar".

SAUDAÇÕES FRATERNAS

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 13:05
AMIGOS,
Alguem, não me lembro quem, citou Kardec:
"Antes de se unir ao corpo, a alma é um dos seres inteligentes q povoam o mundo invisivel e se revestem, temporariamente, de um corpo material para se purificar e se esclarecer".
Essa resposta não suscita um questionamento (não me julguem chato, maçante pelos meus frequentes questionamentos, pois a intenção é compreender melhor): Porq devem se revestir de corpo carnal para se purificar e se esclarecer (aprender)? Então já se achavam impuras no mundo invisivel? Quando teve inicio a impureza da alma? E, no mundo invisivel, não poderiam aprender?!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 13:14

Olá!

Essa é a visão xamã, que o medo é o primeiro inimigo a vencer, e eu também concordo, amigo Coronel.

Os xamãs vencem o medo pela visão da morte. A morte para eles é uma companheira e uma conselheira 24horas por dia, cada acto é executado como se fosse uma e a última batalha na face da terra, o que lhes dá um senso de respeito profundo pelas leis naturais. Essa presença da morte termina com o barulho da mente, trás silêncio interior.

É verdade o que o amigo Coronel diz sobre o medo. Ainda hoje é ele o responsável pela ignorância do homem, é ele que impede a verdade e é ele que por isso mesmo mantém toda a espécie de sofrimentos, apesar de ilusórios.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 13:31
Amigo DIM-DIM,
O amigo citou Huberto Rohden:
"Entretanto, é difícil e doloroso abrir mão das  posses materiais, dos prazeres sensuais, dos elogios e da estima de nossos semelhantes, porque estas coisas se referem, não ao nosso Eu espiritual (que é, para a maior parte dos homens, uma grande INCOGNITA, talvez um objeto de crença, mas, para pouquíssimos experiência própria) mas ao pequeno ego. Aqui se requer disciplina, a arte de ser aprendiz ou discípulo. E o homem não sabe o q terá à frente, se todo esse sacrificio valerá a pena. Está é porta estreita e o caminho apertado", q o homem tem receio de adentrar.
Concordo com sua citação, e lembro que, por todo esse esforço e sacrificio, aquele que busca Deus é considerado, por muitos, como ocioso, tolo, irrealista, sonhador de miragens, louco. É que todos nos esquecemos de que "a sabedoria de Deus é loucura para os homens".
Namaste.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 14:11

Olá!

" Huberto Rohden "

Antes de iniciar a sua vida pública, fez Jesus 40 dias de silêncio e meditação no deserto. E a primeira mensagem que, logo no principio, dirigiu ao povo é o chamado “Sermão da Montanha”, proferido nas colinas de Kurun Hattin, ao sudoeste do lago de Genezaré.
          Estas palavras podem ser consideradas como a “plataforma do Reino de Deus”, como diríamos em linguagem política. Representam o programa da mística divina e da ética humana, visando a total auto-realização do homem.
          Logo de início, vêm as oito beatitudes, onde o Mestre proclama felizes precisamente aqueles que o mundo considera infelizes: os pobres, os puros, os mansos, os sofredores, os perseguidos, etc. Esta distinção entre felicidade e gozo, entre infelicidade e sofrimento vai através de todo o Evangelho do Cristo, e só pode ser compreendida por aqueles que despertaram para a Realidade do seu Eu espiritual.

O Sermão da Montanha representa o mais violento contraste entre os padrões do homem profano e o ideal do homem iniciado. Para compreender tão excelsa sabedoria deve o homem ultrapassar os ditames do seu intelecto analítico e abrir a alma para uma experiência intuitiva. O homem profano acha absurdo amar os que nos odeiam, fazer bem aos nossos malfeitores, ceder a túnica a quem nos roubou a capa, sofrer mais uma injustiça em vez de revidar a que já recebeu — e da perspectiva do homem mental tem ele razão. Mas a mensagem do Mestre é um convite para o homem se transmentalizar e entrar numa nova dimensão de consciência, inédita e inaudita, paradoxalmente grandiosa.



Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 14:14
Amigo HCANCELA.
Citando voce:
"O Cristianismo afirma que... e, nos dias actuais, muitos estão buscando a Cristo, mas da sua "maneira", não procurando arrepender de suas acções, pois em si mesmos não 'acham' culpa alguma, pois defendem os seus próprios pontos de vista. Esquecem-se que o salário de pecado é a morte, pois um Servo abandona tudo pelo seu Senhor, vivendo somente para ele".
Meu companheiro de jornada, me perdoe pois vou trazer algumas questõs: Vc disse que não se arrependem de suas ações, pois em si mesmo não 'acham' culpa alguma. E pergunto, o q significa 'não achar'? Achar não tem aí o sentido de 'não ver', de 'não saber' q os atos q praticou estão errados, em relação aos mandamentos? Se o homem 'não sabe' não é por ser ainda ignorante de q aquilo é 'pecado'? Que não tem, ainda, compreensão suficiente para perceber isso? Porq então seu salário 'é a morte' (ou o sofrimento, não é)? Por não ter aprendido ainda na escola da vida?
Disse tambem: "Aliás, Jesus Cristo ordenou: 'Amar a Deus sobre todas as coisas', isto para os cristãos constitui a parte fundamental da caridade". E pergunto; o que é amar a Deus sobre todas as coisas? Não conhecemos o Criador, como amá-lo se, na concepção das doutrinas vindas do cristianismo, ele promulgou leis q sabia q não seriam cumpridas, tanto q criou locais para expiação e provas? Este nosso mundo não é um exemplo? Permitiu, portanto, sofrimentos inenarraveis para suas criaturas ignorantes, ou quem os permitiu? Não acha que devemos questionar se as religiões estão corretas nessa explicação que oferecem a todas essas questões? A explicações não serão outras, estas sim esclarecedoras , porq conterão a verdade e não a suposição?
Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 14:36
DIM-DIM,
Novamente gostei de sua intervenção. Em particular sua lembrança acerca da meditação. Muitos tem receio da pratica ou mesmo do estudo da meditação, porq sua origem é oriental, como se a origem torne a meditação ou outras coisas absurdas. Esquecemos que todas as religiões tiveram sua origem no Oriente. Aos poucos os homens perceberão q a meditação nada tem a ver com religiões, não é contrária a nenhuma delas. Muito ao contrário, auxiliarão na compreensão da vida e de seus problemas. A meditação é uma pratica que nada tem a invocar: nem santos, mestres, gurus, entidades etc. Ela é, apenas, uma abertura, uma entrega total ao que vier e, sempre, o q vem é mais compreensão. Nós ocidentais temos até receio das coisas q lembram o Oriente com toda sua sabedoria vinda da meditação dos misticos; olhamos com suspeita as vestimentas e atitudes dos q procuram Deus, julgando tudo isso estranho e que, por diferir da doutrina que professamos, não merece nossa atenção.
Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 14:57
AMIGOS,
Tenho certeza absoluta q sempre devemos questionar tudo, como muitas vezes tenho afirmado. Há tantas interpretações diferentes com relação às crenças e religiões! Observe em quantas partes se dividiu o cristianismo e cada uma das religiões que nasceram dele! Qtos grupos de fiéis cada uma delas possui devido, em geral, a essas diferentes interpretações! É evidente que há outras razões de alguem se filiar a esta ou a aquela religião.
Por isso temos q questionar, sem preconceitos e sem medo de q alguem se magoe por isso. Tanto isso é verdade que no tópico "Alma dos Animais" o companheiro Vitor Santos se referindo a Emmanuel, afirma que este mentor tão respeitado e sábio da doutrina espirita, aconselha: "Se eu (Emmanuel) disser algo em contradição com Jesus e os livros de Kardec, rejeitem o que eu disse".
Por essas palavras nos vem outro questionamento: Os amigos evidentemente já perceberam quanta contradição existe entre a obra de Kardec e o que Jesus, Paulo e outros grandes ensinaram. O que devemos fazer, então? Rejeitar os ensinamentos de quem, se neles houver contradição? Em quem devemos depositar mais confiança?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 14:58

Olá!

" L. Tolstói "

"Não faças aos outros o que não queres que te seja feito" não precisa ser demonstrado com a ajuda de milagres e não exige um ato de fé, porque é convincente por si mesmo e satisfaz simultaneamente a inteligência e o instinto humanos, enquanto a divindade de Cristo precisava ser provada com milagres absolutamente imcompreesíveis.

Quanto mais obscura era a noção da doutrina de Cristo, mais elementos milagrosos eram nela infiltrados.

Quanto mais se afirmava energicamente a infalibilidade da interpretação oficial, menos possível se torna penetrar no verdadeiro sentido da doutrina.

Já no tempo de Constantino ela reduzia-se a uma síntese confirmada pelo poder secular- síntese das discussões que ocorreram no concílio- o símbolo da fé, onde isto é dito: "Creio nisto...nisto...nisto, e finalmente numa igreja universal, sagrada e apostólica, ou seja, na infalibilidade das pessoas que se dizem a igreja."

De tal modo que tudo foi feito para que o homem não creia mais nem em Deus, nem em Cristo tal como eles se revelaram, mas somente no que a igreja ordena que se acredite.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 15:01

Olá!

Jean Guitton com Grichka Bogdanov e Igor Bogdanov irmãos:
DEUS E A CIÊNCIA

Segundo a física, nós não observamos o mundo físico; participamos nele. Os nossos sentidos não são separados do que existe "em si", mas estão intimamente implicados num processo complexo de feedback cujo resultado final é de facto, criar o que está "em si".

Sonhamos o mundo. Sonhamo-lo como qualquer coisa de durável, de misterioso, de visível, de omnipresente no espaço e de estável no tempo.

"O espírito humano reflecte um universo que reflecte o espírito humano". Assim não podemos dizer, simplesmente, que o espírito e a matéria coexistem, eles existem um através do outro. De certo modo, através de nós, o universo está portanto em vias de se sonhar a si próprio: o meta-realismo começa no próprio momento em que o sonhador toma consciência de si próprio e de seu sonho.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 15:14
Amigo DIM-DIM,
Aprecio muito suas citações de sábio misticos, grandes pensadores e homens q tiveram experiencias notaveis como este a q, agora há pouco, vc se referiu, Tolstoi.
E é muito interessante sua citação da obra "Deus e a ciência": "não observamos o mundo: participamos dele". Essa é a visão atual de nossa mais avançada ciencia: nunca podemos ter uma imagem correta do mundo; será sempre ima imagem falsa porq, pelo simples ato de observar, modificamos a natureza. E participamos do mundo e do universo pois, este e nós realizamos o ato final da criação de todos os objetos, do universo, enfim. Não houvesse a observação de seres sencientes, o universo não seria manifestado. É como se o Criador criasse e nós déssemos o retoque final nessa criação.
Infelizmente, entre muitos há preconceitos que não permitem a aceitação destas verdades.
Um abraço.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 15:19

Olá!

" Ramacharáca "

"A atenção foi definida como focalização da consciência. Podemos compará-la à acção da lente, por meio da qual os raios solares são concentrados num objecto, de que resulta que o calor se acumula num pequeno ponto dado, e este calor pode aumentar sua intensidade por muitos graus, até que venha a acender um pedaço de lenha, ou fazer a água ferver e evaporar. Se os raios não tivessem sido focalizados, os mesmos raios e o mesmo calor haver-se-iam estendido por uma grande superfície, e o efeito e o poder seriam diminuídos. E assim se dá com a mente. Se se lhe permite estender-se por todo campo de um objecto, poderá exercer somente pouco poder, e os resultados serão fracos.
Se, porém, passa pela lente da atenção e se focaliza primeiro a uma parte da matéria, depois a outra, e assim por diante, dominará toda a matéria minuciosamente e obterá um resultado que parecerá quase maravilhoso a quem não conhece o segredo.

Parece que a atenção cava um túnel pelo qual flúi o saber. Ela aumenta e robustece os poderes de percepção, auxiliando muito o emprego das faculdades perceptivas."

____________________________________________________________________

" Krishnamurti "

"A pergunta sobre se há Deus, verdade, ou realidade ou como se queira chamá-lo - jamais será respondida pelos livros, pelos sacerdotes, filósofos ou salvadores. Ninguém e nada pode responder a essa pergunta, porém somente vós mesmo, e essa é a razão por que deveis conhecer-vos. Só há falta de madureza na total ignorância de si mesmo. A compreensão de si próprio é o começo da sabedoria."

"Nós, entes humanos, somos os mesmos que éramos há milhões de anos - enormemente ávidos, invejosos, agressivos, ciumentos, ansiosos e desesperados, com ocasionais lampejos de alegria e afeição. Somos uma estranha mistura de ódio, medo e ternura; somos a um tempo a violência e a paz. Têm-se feito progressos, exteriormente, do carro de boi ao avião a jato, porém, psicologicamente, o indivíduo não mudou em nada, e a estrutura da sociedade, em todo o mundo, foi criada por indivíduos. A estrutura social, exterior, é o resultado da estrutura psicológica, interior, das relações humanas, pois o indivíduo é o resultado da experiência, dos conhecimentos e da conduta do homem, englobadamente. Cada um de nós é o depósito de todo o passado. O indivíduo é o ente humano que representa toda a humanidade. Toda a história humana está escrita em nós."


Namasté

Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 15:36

Olá!

Coronel, é como diz amigo, sobre os preconceitos e o medo que nos mantêm aprisionados na ignorância.

Mas o homem é 'percebedor', está cá para perceber, e tem o universo inteiro para adquirir conhecimento, venha ele donde vier.

Afinal o que o homem precisa é de liberdade de perceber.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: rovea em 13 de Fevereiro de 2010, 16:45
Coisas tão simples que apenas poucas palavras ou pequenas frases definiriam. Entre a razão e a loucura passa uma tenue linha, verdades ou mentiras que jamais haverá consenso. ser caridoso  é tão somente amar apenas isso
 
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 17:30

Olá!

" Huberto Rohden "

Não adianta analisar esse documento máximo da experiência crística. Só o compreende quem o viveu e vivenciou.
E, para preludiar o advento do reino de Deus sobre a face da terra, é necessário que cada homem individual realize dentro de si mesmo esse reino; que reserve cada dia, de manhã cedo, meia hora para se interiorizar totalmente no seu Eu Divino, no seu Cristo Interno, pela chamada meditação.

Durante a meditação, o homem se esvazia de todos os conteúdos de seu ego humano sem nada sentir, nada pensar, nada querer, expondo-se incondicionalmente à invasão da plenitude divina.
Onde há uma vacuidade acontece uma plenitude. O homem vazio de si é plenificado por Deus.

Mas, não se iluda! Quem vive 24 horas plenificado pelas coisas do ego — ganâncias, egoísmos, luxúrias, divertimentos profanos — não pode esvaizar-se desegoficar-se, em meia hora de meditação; esse se ilude e mistifica a si mesmo por um misticismo estéril. É indispensável que o homem que queira fazer uma meditação fecunda e eficiente, viva habitualmente desapegado das coisas supérfluas e se sirva somente das coisas necessárias para uma vida decentemente humana. Luxo e luxúria são lixo e tornam impossível uma vida em harmonia com o espírito do Cristo e do Evangelho.

O homem que queira ser crístico, não apenas cristão, necessita de viver uma vida 100% sincera consigo mesmo, e não se iludir com paliativos e camuflagens que lhe encubram a verdade sobre si mesmo.
Vai, leitor, conhece-te a ti mesmo! Realiza-te a ti mesmo! e serás profundamente feliz.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Dalila... em 13 de Fevereiro de 2010, 17:52
Primeiramente quero agradecer a Deus por nosso irmão Manoel, por está aqui junto de nós, passando pra td com td simplicidade e humildade o seu conhecimento.
Falar da caridade , poderia ser facil, poderíamos citar o q São Paulo nos deixou atraves da 1ª epístola aos Coríntios, procurar n dicionário, teríamos rapido a resposta.
Mas acredito q o nosso irmão Manoel quer nos passar, n so seu aprendizado, como fazer q cada um de nós reflita sobre o tema.
Caridade, amiga, irmã nossa, ensinando o melhor caminho pra nossa evolução
Caridade, esperança, de tantos irmãos aflitos,esquecidos por td nossa planeta
Caridade, amor,saber respeitar nosso próximo, não os separando por classe social, religião, cor, etc
Caridade,benção nos dada do céu,um presente q cabe a cada um de nós procurar trabalha-la n só para nosso crescimento espiritual, como poder dividir como nossos irmãos suas necessidades.
Caridade, perdão, aos nossos inimigos, aqueles q hj nós fazem infelizes,com a traição, mentiras,injustiças, q tanto nos leva ao desregramento d ser humano, causada pelo ódio q sentimos deles(considerad0s inimigos)
Caridade, paciência, por td os nossos irmãos q estão tão longe d evangelho, de um pouco conhecimento, por mim, q estou descobrindo agora a verdade, a doutrina,pela falta d meu conhecimento aqui n site, e se eu fizer algo q seja errado de certa maneira, possa ter de voces meus irmãos a correção e desculpas pelos erros aqui cometidos.
Caridade, minha irmã, esteja sempre em minha vida, e q Deus possa a cada dia me da o dicernimento, sabedoria para saber tê-la junto de mim, para minha evolução e para dividir o meu amor com o próximo.
Caridade, palavra para muitos, só + uma palavra, mas para mim, a maior prova de amor de Deus por nós.
Paz a td meus irmãos!!!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Dalila... em 13 de Fevereiro de 2010, 18:20
Irmãos,

Tenho refletido muito sobre a caridade dentro de nossos lares.
E q venho descobrindo a cada dia q, devemos revestir-nos de paciência,amor, e um grande devotamento ao bom ânimo para aqueles q dentros de nossos lares trazem tantas desiluções, aborrecimento a nós.
Aprendendo venceremos, e chegaremos a paz doméstica,afinal o lar é a nossa 1ª escola da vida,q nos reabilita a cada vez + ao no reajuste n evolução.

O acaso n existe nas obras d Criador,e se a presença de alguem dentro de nossos lares for motivo de peso, anulemos os nossos implusos negativos, e devemos procurar q a relação com esse parente,seja mais amena, entregarmos de verdade a caridade, para q esse desajuste possa ser n futuro uma sementeira de amor, paz e luz.
Paz a td !!!
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 19:33

Olá!

" Swami Vivekananda "

Ouvimos dizer que um grande rei foi certa vez a uma floresta e ali encontrou um sábio. Conversou um pouco com ele e ficou muito satisfeito com a sua pureza e sabedoria. Desejou então que o sábio aceitasse dele um presente, o que o outro recusou, dizendo: "Os frutos da floresta são alimento bastante para mim. As puras correntes de água que fluem da montanha dão-me bastante de beber. As cascas das árvores fornecem-me cobertas, e as grutas da montanha formam o meu lar. Por que receberia eu presentes de vós ou de quem quer que seja?"
O rei falou: "Apenas para me ser agradável, senhor, recebei, por favor, algo de minhas mãos, e por favor, vinde comigo à cidade, ao meu palácio".
Depois de muita insistência, o sábio consentiu, por fim, em fazer o que o rei desejava, e acampanhou-o até o palácio.
Antes de oferecer o presente ao sábio, o rei fez suas orações nestes termos: "Senhor, dai-me mais filhos. Senhor, dai-me mais riqueza. Senhor, dai-me mais território. Senhor, mantende meu corpo em melhor saúde. . . " E assim por diante.
Antes que o rei terminasse de fazer sua oração, o sábio se havia levantado e saído caladamente do aposento. Vendo aquilo, o rei ficou perplexo e começou a segui-lo, exclamando: "Senhor, estais indo embora! Não recebestes ainda os meus presentes!"
O sábio voltou-se para ele e disse: "Não mendigo de mendigos. Nada mais sois do que um mendigo. Assim, como podeis me dar alguma coisa? Não sou tolo para pensar em tomar seja o que for de um mendigo como vós. Ide daqui, Não me sigais".
Fica bem estabelecida a distinção entre simples mendigos e reais amantes de Deus. Mendicância não é linguagem de amor.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 20:14
Amigo DIM-DIM,
Foi tão boa essa sua colocação de Uberto Rohden, que vou citar novamente um trecho com pequeno acréscimo:
"Não adianta analisar ou tentar entender ou explicar essa expériencia máxima do ser humano. A experiencia de conhecer a verdade. Só a compreende quem a viveu e vivenciou.
E, para preparar o advento do reino de Deus sobre a face da terra, é necessário que cada homem individualmente realize dentro de si mesmo esse reino; que reserve cada dia, de manhã cedo ou à tarde, meia hora para, em silencio externo e interno, se interiorizar totalmente no seu Eu Divino, no seu Cristo Interno, pela chamada meditação.
Durante a meditação, o homem se esvazia de todos os conteúdos de seu ego humano sem nada sentir, nada pensar, nada querer, numa abertura e entrega total para o que vier, mas sem expectativas, expondo-se incondicionalmente à invasão da plenitude divina. Com o cessar das operações do ego abre-se um espaço, um vazio, uma vacuidade.
E onde há uma vacuidade acontece uma plenitude. O homem vazio de si (o pobre de espirito) é plenificado por Deus.
Mas, não se iluda! Quem vive 24 horas plenificado pelas coisas do ego, desejos, ganâncias, egoísmos, luxúrias, ciumes, inveja, odio, (aquelas coisas às quais as religiões cristãs dão nome de pecados) não pode esvaizar-se, livrar-se do ego, limpar a mente em meia hora de meditação; esse se ilude e engana a si mesmo. É indispensável que o homem que queira fazer uma meditação fecunda e eficiente, viva habitualmente desapegado das coisas supérfluas e se sirva somente das coisas necessárias para uma vida decentemente humana.
Vai, amigo, conhece-te a ti mesmo! Percebe o que e quem, na realidade mais profunda, tu és! Realiza-te a ti mesmo e serás profundamente feliz".


Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 20:23

Olá!

" Swami Vivekananda "

Assim o homem, depois de procurar em vão os vários deuses fora de si próprio, completa o ciclo e volta ao ponto do qual iniciou sua busca - a alma humana. E descobre que aquele Deus procurado sobre montes e vales, que buscava encontrar em cada livro, em cada templo, nas igrejas e nos céus, aquele Deus que ele imaginava sentado no paraíso, a governar o mundo, era seu próprio Eu. Eu sou Ele, e Ele é Eu. Só Eu era Deus e o pequeno "eu" jamais existiu.

Entretanto, como pode iludir-se esse perfeito Deus? Nunca o foi. Como poderia um deus perfeito estar sonhando? Nunca sonhou. A verdade jamais sonha. A própria indagação de onde surgiu essa ilusão é absurda. A ilusão surge apenas da ilusão. Não haverá ilusão desde que a verdade seja vista. A ilusão sempre repousa na ilusão, jamais repousa em Deus, na Verdade, no Alman. Jamais estais em ilusão, é a ilusão que está em vós, diante de vós. Uma nuvem aqui está. Outra vem, expulsa a primeira e toma o seu lugar. Vem uma terceira, que por sua vez expulsa essa. Assim como diante do céu eternamente azul nuvens de várias tonalidades e colorações surgem, permanecem por um. pequeno espaço de tempo, e desaparecem, deixando o mesmo e eterno azul, vós sois, eternamente, puros, perfeitos.

Sois os verdadeiros Deuses do universo. Não, não há dois, só há um. É um engano dizer "vós" e "eu". Sou eu quem está comendo através de milhões de bocas. Portanto, como posso ter fome? Sou eu quem trabalha através de um número infinito de mãos. Como posso estar inativo? Sou eu quem vive a vida de todo o universo. Onde está a morte para mim? Eu estou acolá da vida, acolá de toda a morte. Onde procurarei a liberdade, se sou livre por minha natureza? Quem pode constranger-me, a mim, o Deus do universo? As escrituras do mundo não passam de pequenos mapas, desejando delinear a minha glória, pois sou a única existência do universo. Então, que representam esses livros para mim? Assim fala o advaitista .

"Conhece a verdade e liberta-te num momento.` Toda a treva desaparecerá, então. Quando o homem se tiver visto como ..um- com o Ser infinito do universo, quando toda a separação cessar, quando todos os homens e mulheres, todos os deuses e anjos, todos os animais e plantas, e todo o universo, se tiverem desvanecido nessa Unidade, então o medo desaparecerá. Posso magoar-me? Posso matar-me? Posso injuriar-me? A quem posso temer? Podeis temer a vós mesmos? Então, todo o desgosto desaparecerá. Quem me pode causar desgosto? Eu sou a Existência única do universo. Então, todos os ciúmes desaparecerão. De quem terei ciúmes? De mim próprio? Então, todos os maus sentimentos desaparecerão. Contra quem terei maus sentimentos? Contra mim mesmo? Não há ninguém no universo a não ser eu.

Esse é o único caminho, dizem os vedantistas, para o conhecimento. Matai as diferenciações, matai essa superstição de que existem muitos. "O que está neste mundo de muitos, vê aquele Único. O que está nesta massa de inconsciência, vê aquele único Ser consciente. Quem está neste mundo de sombras, aprende aquela Realidade - e nela está a paz eterna e em ninguém mais, "em ninguém mais."


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 20:37

Olá!

" Huberto Rohden "

O Sermão da Montanha, Base da Harmonia Espiritual

          Há séculos que as igrejas cristãs do ocidente se acham divididas em partidos, e, não raro, se digladiam ferozmente — por causa de quê?
          Por causa de determinados dogmas que elas identificam com a doutrina de Jesus —infalibilidade pontifícia, batismo, confissão, eucaristia, pecado original, redenção pelo sangue de Jesus, unicidade e infalibilidade da Bíblia, etc.

          No entanto, seria possível evitar todas essas polêmicas e controvérsias — bastaria que todos os setores do Cristianismo fizessem do Sermão da Montanha o seu credo único e universal. Essa mensagem suprema do Cristo não contém uma só palavra de colorido dogmático-teológico — O Sermão da Montanha é integralmente espiritual, cósmico, ou melhor, “místico-ético”; não uma teoria que o homem deva “crer”, mas uma realidade que ele deve “ser”.

   E neste plano não há dissidentes nem hereges. A mística é o “primeiro e maior de todos os mandamentos”, o amor de Deus; a ética é o segundo mandamento” o amor de nossos semelhantes. E, nesta base, é possível uma harmonia universal.

Quem é proclamado “bem-aventurado” feliz? Quem é chamado “filho de Deus”? Quem é que “verá a Deus”? De quem é o ‘reino dos céus”?

Será de algum crente no dogma “A”, “B” ou “C”?
Será o adepto da teologia desta ou daquela igreja ou seita?
Será o partidário de um determinado credo eclesiástico?
Nem vestígio disto!

Os homens bem-aventurados, os cidadãos do reino dos céus, são os “pobres pelo espírito”, são os “puros de coração”, são os ‘mansos”, os que “sofrem perseguição por causa da justiça”, são os ‘pacificadores”, são os “misericordiosos” e “os que choram”, são os que “amam aos que os odeiam” e “fazem bem aos que lhes fazem mal”.

No dia e na hora em que a cristandade resolver aposentar as suas teologias humanas e proclamar a divina sabedoria do Sermão da Montanha como credo único e universal, acabarão todas as dissensões guerras de religião e excomunhões de hereges e dissidentes.

Isto, naturalmente, supõe que esse documento máximo de espiritualidade, como Mahatma Gandhi lhe chama, seja experiencialmente vivido, e não apenas intelectualmente analisado.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 20:54
AMIGOS,
Tentar ajudar alguém a abrir os olhos para as coisas espirituais nada mais é do que caridade. Então cito:
"Bem-aventurados os humildes de espírito, os que choram, os mansos, os que têm sede de justiça, os misericordiosos, os limpos de coração, os pacificadores, os que são perseguidos por causa da justiça, os que são caluniados e perseguidos por causa do meu nome. Alegrai-vos e exultai porque é grande vossa recompensa nos céus... " (esses são os que chegaram ou estão chegando ‘lá’, ao conhecimento da verdade. à experiencia mais sublime e transformadora; são considerados, pelos demais, como tolos, ultrapassados, ridículos, fracos, loucos; mas, na realidade, são bem-aventurados; sua recompensa é grande: descobriram a jóia oculta e estão cheios de felicidade; nada lhes abala o ânimo...; eles são a luz do mundo e o sal da terra) (Mt 5).
"Vós sois o sal da terra, a luz do mundo..." (vós, isto é, os que chegaram lá, pois dão sentido às coisas. Os sábios afirmam: a vida só tem significado quando se chega lá, isto é, quando se tem a percepção daquilo que realmente somos. Enquanto não se chega lá, enquanto não se tem o percebimento da verdade, isto é, da verdade do que realmente somos, somos apenas subumanos e a vida é fútil, confusa, sem sentido e cheia de sofrimentos).  
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 21:11
AMIGOS,
Outra citação que espero os amigos apreciem e analisem:
      "Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue (que segue meus ensinamentos) de modo algum andará em trevas; pelo contrário, terá a luz da vida". (o caminho, para se seguir Jesus, é para dentro de nós, em direção ao nosso mais íntimos, ao lugar onde pensamos que está nosso 'eu'. Como afirmaram Jesus, Paulo e muitos outros sábios e misticos do Oriente e do Ocidente, 'o reino de Deus está dentro de nós'. Para aquele que chegou onde está Deus não haverá mais trevas; somente luz e bem-aventurança. Pela iluminação o mundo não mudará, mas nossa visão do mundo será totalmente mudada para melhor, para a realidade, e teremos, não mais a escuridão da ignorância, mas a ‘luz da vida’).
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Rubem Setubal em 13 de Fevereiro de 2010, 21:31
Companheiro Filhodobino, quem sou eu para ser confundido com Paulo Setúbal, eu sou simplesmente Rubem Setúbal.
Realmente, o entendimento de termos a consciência de crescer espiritualmente é muito difícil, ainda estamos sujeitos às impressões muito marcantes das influências materiais, mas temos de nos esforçar, principalmente se entendemos que a verdadeira vida é a espiritual, e a vida física é um breve instante de oportunidade para testarmo-nos, recuperarmo-nos de alguns compromissos e avançarmos quem sabe, uma pequena fração de 1 passo de ascenção moral, principalmente.
Trabalhemos para isso.
Paz para todos,
Rubem Setúbal
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 21:36

Olá!

" Huberto Rohden "

No terreno social das organizações eclesiásticas acresce ao primeiro, outro fator, aparentemente mais justificável: o homem altamente espiritualizado é sempre uma espécie de exceção da regra, é um pioneiro que abandonou as velhas estradas conhecidas e batidas pela turbamulta dos crentes e rasga caminhos novos, “por mares nunca dantes navegados”, por ignotas florestas, por ínvios desertos que poucos conhecem. Esse homem ultrapassa, quase sempre, os caminhos tradicionais do passado, e até do presente, e abre novas rotas para o futuro. Toda e qualquer inovação, por mais verdadeira, é, no principio, considerada como erro, e até como perigo social.

Ora, é sabido que, no mundo espiritual, todo homem se sente grandemente inseguro, porque esse mundo lhe é desconhecido, como tudo que apenas se crê, sem dele ter experiência imediata. Nenhum crente sabe o que é o reino de Deus assim como um cego de nascença não sabe o que é a luz, o que são cores, embora tenha decorado as mais verdadeiras teorias sobre esses assuntos. A única coisa que nos dá certa segurança ao homem inexperiente é o fato de que milhares e milhões de outros homens trilham esses mesmos caminhos, já por séculos e milênios, e muitos deles são bons e relativamente felizes.

De maneira que o fator “massa” e o fator “tradição” nos dão uma espécie de segurança e firmeza, no meio da insegurança e incerteza que, naturalmente, experimentamos por entre as trevas ou penumbras da vida espiritual. E isto nos faz bem.

Quando então aparece um homem que parece não necessitar desses elementos de segurança garantidos pela massa e tradição, dá-se uma espécie de terremoto que abala as instituições antigas. E os que ainda necessitam dos elementos massa e tradição começam a afastar-se desse revolucionário iconoclaste, a fim de não perderem o seu senso de segurança. Mesmo na hipótese de que esse iconoclasta possua verdadeira segurança interior, graças à sua experiência direta, essa segurança não é transferível aos outros, e assim é compreensÍvel que estes, não tendo a mesma experiência, prefiram apegar-se firmemente às tradições antigas que a massa professa.

E o arrojado bandeirante do Infinito fica só, ou faz parte de uma pequenina elite, que não representa 1% da humanidade. Em caso algum pode esse homem apelar para uma longa tradição no passado; nunca houve grande massa de homens espirituais que fizesse tradição estratificada, e os poucos que houve ou há são praticamente desconhecidos da parte da humanidade-massa, que decide pela tradição.

Por isso , as sociedades religiosas organizadas, que contam sempre com o fator massa e tradição, dão grito de alerta e de alarme, e previnem seus filhos contra o perigoso inovador, o herege, o demolidor, o apóstata. Quando as sociedades religiosas possuem suficiente poder físico, eliminam do número dos vivos o perigoso demolidor das tradições, e isto “pela maior glória de Deus e salvação das almas”. Quando não possuem esse poder, procuram neutralizar a ação do herege matando-o moralmente, isolando-o por meio de campanhas sistemáticas de difamação e calúnia. E como, segundo eles, o fim justifica os meios, e como o fim é (ou parece ser) bom, todos os meios são considerados lícitos e bons, mesmo os maiores atentados à verdade, à justiça, à caridade.

Donde se segue que o homem espiritual vive em uma relativa solidão. A massa não simpatiza com ele se não lhe é positivamente antipático, mantém pelo menos uma atitude de apatia e desconfiança em face dele.
Para o homem espiritual, porém, o fator “massa” é sobejamente compensado pelo fator “elite” ou mesmo pelo simples testemunho da sua consciência em plena solidão.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Conforti em 13 de Fevereiro de 2010, 21:49
AMIGOS, espero que analisem:
"Quando orardes, entrai no vosso quarto (dentro de vós mesmos) e, fechada a porta (cessada a ação dos sentidos e da mente) orai a vosso Pai que vos ouve em oculto" (no mais íntimo de vosso ser; orai em silêncio, a ORAÇÃO de RECOLHIMENTO, ensinada por  Teresa de Ávila e pelos místicos, oração sem palavras ou pensamentos, em que todos os sentidos e a memória são RECOLHIDOS, isto é, ocultados, esquecidos, afastados, para que não haja qualquer movimento da mente; se esse recolhimento for bem feito pode resultar na ORAÇÃO de QUIETUDE (não mais 'ação' nossa, mas do 'sagrado'), na qual há completo silêncio mental, o ego cessa ('ou eu, ou Deus'), a mente se aquieta, sem esforço ou expectativa ("Aquieta-te e sabe: Eu sou Deus!"), abre-se 'espaço' e a "coisa" pode acontecer.
Também não se deu importância às palavras do profeta, do Velho Testamento, citadas acima: "Aquieta-te e sabe: Eu sou Deus". Qual será o significado dessas palavras? Lembrem-se que Jesus ensinou que, quando quisermos falar ao Pai, devemos nos 'fechar em nosso quarto e, em oculto (isto é, sozinhos, em silêncio, quietos, aquietados), falar ao Pai que, em oculto, nos ouve'. Será essa uma sugestão para fechar as portas e janelas de madeira, ou o que seja, e ficarmos isolados em um cômodo da casa, de modo que ninguém saiba de nossa conversa com Deus? Será que isso facilitaria a comunicação? Ou seria 'fechar' nossa mente, isto é, tentar não ouvir, não ver, não exercitar os sentidos objetivos, nem a imaginação, nem a memória; enfim, trazer 'silêncio' à mente, calar a mente ou, como ensinou o profeta do Velho Testamento, 'aquietar a mente'?
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 13 de Fevereiro de 2010, 23:34

Olá!

" OSHO "- Ego o Falso Centro -

O problema se multiplica, porque há pessoas que querem ajudar, estando no mesmo barco. E elas gostariam de ajudar, porque quando você ajuda alguém, o ego se sente muito bem, porque você é um grande salvador, um grande guru, um mestre; você está ajudando tantas pessoas! Quanto maior a multidão de seus seguidores, melhor você se sente.
Mas você está no mesmo barco - você não pode ajudar.
Pelo contrário, você prejudicará.
Pessoas que ainda têm os seus próprios problemas não podem ser de muita ajuda.
Somente alguém que não tenha problemas próprios o pode ajudar. Somente então existe a clareza para ver, para ver através de você. Uma mente que não tem problemas próprios pode vê-lo, você se torna transparente.
Uma mente que não tem problemas próprios pode ver através de si mesma; por isso ela torna-se capaz de ver através dos outros.
No ocidente existem muitas escolas de psicanálise, muitas escolas, e nenhuma ajuda está chegando às pessoas, mas em vez disso, causam danos. Porque as pessoas que estão ajudando as outras, ou tentando ajudar, ou pretendendo ser de ajuda, encontram-se no mesmo barco.
É difícil ver o próprio ego.
É muito fácil ver o ego dos outros. Mas esse não é o ponto, você não os pode ajudar.
Tente ver o seu próprio ego.
Simplesmente observe.
Não tenha pressa de o abandonar, simplesmente observe. Quanto mais você observa, mais capaz você se torna. De repente, um dia, você simplesmente percebe que ele desapareceu. E quando ele desaparece por si mesmo, somente então ele realmente desaparece. Não existe outra maneira. Você não o pode abandonar prematuramente.
Ele cai exatamente como uma folha seca.
A árvore não está fazendo nada - apenas uma brisa, uma situação, e a folha seca simplesmente cai. A árvore nem mesmo percebe que a folha seca caiu. Ela não faz qualquer barulho, ela não faz qualquer anúncio - nada.
A folha seca simplesmente cai e se despedaça no chão, apenas isso.
Quando você tiver amadurecido através da compreensão, da consciência, e tiver sentido com totalidade que o ego é a causa de toda a sua infelicidade, um dia você simplesmente vê a folha seca caindo.
Ela pousa no chão e morre por si mesma. Você não fez nada, portanto você não pode afirmar que você a deixou cair. Você vê que ela simplesmente desapareceu, e então o verdadeiro centro surge.
E este centro verdadeiro é a alma, o eu, o deus, a verdade, ou como o quiser chamar.


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 14 de Fevereiro de 2010, 00:29

Olá!

Dentro de mim existem dois cães em luta. Um é bom e fiel, o outro é cruel e traiçoeiro. Vencerá a luta aquele que eu alimentar.

(Provérbio indígena)


Namasté
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: Gerson Jose em 14 de Fevereiro de 2010, 02:41
Como entendemos a palavra caridade?

A meu ver, a palavra caridade por ser  sinonimo de beneficência que é o ato de fazer o bem ou beneficiar traduz todas as nossas atitudes verdadeiras em prol do auxílio e progresso tanto do outro como de nós mesmos.

Como a podemos praticar?

De muitas formas, contudo todas elas devem partir do desejo inicial de praticar o bem incondicionalmente.
Mesmo quando somos severos com alguém, podemos estar praticando a caridade, basta que naquele momento seja exatamente isto que a pessoa precise para rever seus conceitos ou refletir sobre si mesmo. Podemos assim reverter uma trajetória de destruição ou estagnação pela qual nosso irmão optou.

O que temos de fazer para que a CARIDADE seja um processo de evolução pessoal?

Agir com o amor incondicional no coração, sem calcular ou premeditar , sem sentir-se superior, com humildade e profundo respeito aquele ao qual beneficiamos.

Temos que ser primeiro caridosos connosco?

Temos que ser caridosos sempre , inclusive com nós mesmos, não importando a ordem mas sim a motivação.
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: odraci em 14 de Fevereiro de 2010, 06:01
Bom dia,


A caridade é feita sem intenção de ser bom, ou
quando fazermos algo sem esperar nada em troca, mas apenas
seguir o coração,

Coronel gostaria de sua opinião,


Jesus ilumine toda a humanidade,

odraci martins
Título: Re: Caridade [Estudo Fevereiro 2010]
Enviado por: dim-dim em 14 de Fevereiro de 2010, 11:50

Olá!

" Huberto Rohden "

Quando o homem consegue cruzar essa misteriosa fronteira, do pequeno ego humano para o grande Eu divino, então toda a vida dele se transforma e ilumina com inefável força e claridade. Então entra ele num novo céu e em uma nova terra. Então vive ele o seu céu aqui mesmo, aqui, agora, e para sempre, e por toda a parte — e o seu inferno não existe mais em parte alguma. Então nada mais o entristece, o molesta, o ofende, o pert