Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: Moises de Cerq. Pereira em 13 de Novembro de 2017, 14:40

Título: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 13 de Novembro de 2017, 14:40
...

JESUS

Olá a todos

Que Deus nos abençoe,nos ilumine e nos ampare

Retomemos os nossos estudos
Retomemos as nossas indagações
Retomemos os nossos aprendizados

Estudar também é investigar
Estudar também é apreciar
Estudar necessariamente não é obrigatório concordar
Estudar não é impor
Estudar é também compartilhar

Conversando com a direção do "Fórum Espírita"
Nos foi permitido dar nova continuidade aos estudos

Não que fôssemos impedidos
Isso não!
Pelo contrário!
O espaço para o diálogo sempre nos foi permitido
Pois todos somos testemunhas destas oportunidades

Bem na verdade somos movidos por ânimos e por oportunidades
Há também as questões das disposições
Como também as questões tempo disponível

Mas tudo bem!
Vamos nos compreender
E vamos sim

A vida neste campo que nos leva as questões das crenças
Possuí variadas nuances
E somos muitas vezes entusiasmos puro
Já outras vezes,  tememos o continuar dos nossos próprios passos

Mas tudo bem!
É assim mesmo

Convoquemo-nos sempre ao progresso
Retomemos as nossas lições
Retomemos os nossos aprendizados

Afiemos o nosso pensar
E permitamo-nos a certas indagações
Isso sim nas oportunidades discordantes e concordantes

Que assim consigamos

Proponho pela oportunidade presente

Falarmos de Jesus
Estudarmos Jesus
Pesquisarmos jesus
Questionarmos jesus
Entendermos jesus

Trago o Divino mMessias para o campo dos estudos
Proponho conhecermos O HOMEM

Vamos conhecer Jesus pela nossa óptica
Vamos conhecer Jesus pelos nossos recursos
vamos conhecer Jesus pela visão espírita doutrinária
Vamos conhecer Jesus pelos personalidades da nossa humanidade
Vamos conhecer Jesus pela linguagem dos místicos
Vamos conhecer Jesus pelo verbo dos que O negam
vamos conhecer Jesus por Jesus mesmo

Vamos sim

Convido a todos
Sejamos participantes

Questionemos

Mas sejamos sucintos
Sejamos breves e cautelosos
Sejamos o menos repetitivo possível

Procurarei conduzir este estudo com esforços
E com gratidão também

Pois então!
Assim faremos
De comum acordo

Jesus!

O nosso tema
O nosso foco
A nossa lição

Que os bons Espíritos que conduzem esta "Casa" virtual noa abençoem

Que assim seja!

Abraços!

Moisés

Graças a Deus!






Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 13 de Novembro de 2017, 14:55
Biografia de Jesus Cristo
Por Dilva Frazão

Jesus Cristo foi o grande profeta, a figura central do Cristianismo.

As principais fontes de informação sobre a vida de Jesus são os quatro Evangelhos Canônicos, pertencentes ao Novo Testamento e escritos originalmente em grego, em diferentes épocas, pelos seguidores dos discípulos Mateus, Marcos, João e Lucas.

Jesus, filho do carpinteiro José e de Maria, nasceu nos arredores da Palestina, provavelmente no ano 6 a.C., no governo do imperador Augusto, quando Roma dominava a Palestina.

A diferença entre o nascimento "real" de Jesus e o “ano zero” do calendário cristão se deve a um erro de cálculo, quando a Igreja através do monge Dionísio Exíguo, resolveu reformular o calendário, no século VI.

A data do nascimento de Jesus é uma incógnita, 25 de dezembro era a data em que os romanos celebravam sua festa de solstício de inverno, a noite mais longa do ano. Quase todos os povos comemoravam esse acontecimento, desde o início da civilização.

O dia em que Jesus nasceu não consta na Bíblia, foi uma escolha da igreja V séculos depois, para coincidir com as festas de fim de ano, a semana entre o Natal e o Ano Novo.

Segundo o evangelho de Lucas, Jesus nasceu em Belém porque na época, o imperador Augusto obrigou seus súditos a se registrarem no primeiro censo do império, dessa forma todos deveriam retornar à cidade de origem para se alistar.

Como a família de José era de Belém, ele voltou para sua cidade, levando Maria já grávida.

No Evangelho de Lucas, o anjo Gabriel apareceu na casa de Maria, em Nazaré, e anunciou que ela daria a luz a um futuro rei, e que o "Filho de Deus" se chamaria “Jesus”.

Maria era prometida a José, e o anjo anunciou que o filho seria concebido pelo Espírito Santo.

No relato de Mateus, José soube em sonho que Maria daria a luz a um menino concebido pelo Espírito Santo.

Quando Jesus nasceu, os reis magos (integrantes de uma casta de sábios da Pérsia) seguiram uma estrela que os conduziu à Belém.

Jesus foi levado pela família para o Egito, em seguida vai morar em Nazaré, na Galileia, onde foi criado.

Essa fuga para o Egito, segundo relata Mateus, foi para escapar de uma sentença de morte anunciada por Herodes, que ao saber do nascimento do "Filho de Deus", manda matar todas as crianças de até 2 anos, nascidos em Belém.

Jesus passa a infância e a juventude em Nazaré na Galileia.

O Evangelho de Lucas conta que aos 12 anos ele viajou com os pais, de Nazaré para Jerusalém, para celebrar o Pessach - a Páscoa Judaica.

Quando estavam no caminho de volta para Nazaré, José e Maria perceberam que Jesus não estava com eles.

Procuraram durante 3 dias e decidiram voltar ao Templo de Jerusalém, local sagrado para os judeus, onde encontraram Jesus discutindo com os sacerdotes. Segundo Lucas "Todos que o ouviam se admiravam com sua inteligência".

Com 13 anos, Jesus celebrou o barmitzvah, ritual que marca a maioridade religiosa dos judeus.

No Evangelho de Marcos, o mais antigo, Jesus é chamado de Tekton, que no grego do século I se referia a um pedreiro.

Os evangelhos de Marcos e Mateus citam que Jesus tinha 4 irmãos: Thiago José, Simão e Judas, além de 2 irmãs, não nomeadas.

Segundo a historiadora Paula Fredriksen, da Universidade de Boston, os 4 irmãos de Jesus tinham o nome de fundadores da nação de Israel.

Seu próprio nome em aramaico, Yeshua, recordava o homem que teria sido o braço direito de Moisés e liderado os israelitas no êxodo do Egito.

Há um consenso entre os pesquisadores, que aos 20 anos, Jesus seguia a seita dos essênios, uma entre tantas outras que os judeus se dividiram para ir contra os romanos, uma vez que Pôncio Pilatos, que assumiu o governo da Judeia, desdenhava da fé dos judeus por acreditarem em um Deus único.

Existe semelhança entre a seita dos essênios e a que Jesus fundaria - ambas viviam sem bens privados, em regime de pobreza voluntária e chamavam Deus de "pai".

Essa hipótese foi reforçada com a descoberta dos manuscritos do Mar Morto em 1947. Eles continham detalhes de uma comunidade ligada aos essênios.

Os escritos sagrados relatam que João Batista fazia suas pregações e usava o batismo como forma de purificar seus seguidores, que deveriam confessar seus pecados e fazer votos de uma vida honesta.

Jesus, já adulto, por volta dos 30 anos, aparece nas escrituras pedindo a João para ser batizado.

Depois de purificado nas águas do rio Jordão, Jesus parte para sua vida de pregações e milagres.

Tal como João Batista, Jesus via o mundo dividido entre forças do bem e do mal.

E que Deus logo viria intervir para acabar com o sofrimento.

Ambos, segundo pesquisadores, eram "Profetas apocalípticos".

Jesus, já com seus 12 discípulos, em plena pregação, recebeu a notícia da morte de João Batista, ordenada pelo Rei Herodes Antipas, filho de Herodes, o Grande, em vingança pela atitude de João haver condenado publicamente o rei, que havia violado o 10º mandamento da lei judaica.

Mateus relata que "Jesus retirou-se para um lugar deserto e o povo saiu em sua direção".

Logo em seguida Jesus realiza o milagre dos 5 pães e dos 2 peixes, matando a fome da multidão de seguidores.

Jesus rumou com seus discípulos para o Templo de Jerusalém, para celebrar a Páscoa.

Ao entrar foi aclamado como filho de Deus.

Logo que chegou causou tumulto destruindo barracas que estavam na frente do Templo, usadas para trocar moedas estrangeiras dos romeiros, por dinheiro local, cobrando comissão.

Era ofensa praticar comércio em pleno Templo.

Jesus celebrava a Páscoa com seus apóstolos "A Última Ceia", quando anunciou que seria traído por um dos presentes, Judas Escariotes.

Na mesma noite, Jesus segue para o Jardim de Getsêmani, na encosta do Monte das Oliveiras, para orar, em companhia de Pedro, Tiago e João.

A traição de Judas foi confirmada.

Por 30 moedas de prata e um beijo na testa, Jesus foi revelado e preso.

Os soldados levaram Jesus para o encontro de Caifás.

Jesus foi acusado de desordem no Templo e quando confirmado que era o "Filho de Deus" e rei dos Judeus, foi acusado de blasfêmia.

Em seguida foi levado à presença de Pôncio Pilatos, governador da Judeia, depois, por ser da Galileia, foi levado a Herodes Filho, que governava a Galileia. Herodes zombou de Jesus e devolve-o a Pilatos.

Levado para a punição carrega sua cruz, é crucificado, morto e colocado em um túmulo, fechado com uma grande pedra.

Os Evangelhos contam que em visita ao túmulo, Maria encontra a pedra aberta e o sepulcro vazio.

Depois Jesus teria aparecido a Maria confirmando sua ressurreição.

Vários relatos contam a ascensão de Jesus.

Marcos e Lucas relatam que depois de ter se encontrado com seus discípulos, "Jesus sobe aos céus e se assenta à direita de Deus".
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 13 de Novembro de 2017, 15:08
Jesus de Nazaré
Por: Paulo Magno da Costa Torres

A vida de Jesus é conhecida graças aos Evangelhos, que o apresentam como um Messias pacífico, distante da linguagem antirromana e violenta do momento em que viveu.

Jesus e sua pregação

A mensagem de Jesus rompia tanto com o ponto de vista estrito do cumprimento da Tora, que defendiam os fariseus, quanto com o papel de máxima importância que os saduceus outorgavam ao templo.

Tampouco se ajustava aos estritos modos de vida dos essênios.

Ele se apresenta como mestre espiritual e pregador que, depois de ter superado uma série de provas ascéticas, se converteu num personagem cada vez mais popular e ganhou um grande número de seguidores – entre os quais se destacavam 12 mais chegados, chamados “apóstolos”, palavra grega que quer dizer “enviados”.

Depois de pregar por toda a Galileia, Jesus entrou em Jerusalém provavelmente no ano 30, para celebrar a festa da Páscoa com seus seguidores.

Ali, na cidade que constituía o centro da vida religiosa judaica, sua presença e o que pregava confrontaram as autoridades judaicas e os que lhes obedeciam.

Na véspera da Páscoa, Jesus celebrou uma ceia com os apóstolos.

Essa celebração se converteria no fundamento no qual se baseia o sacramento cristão da eucaristia, que continuou sendo realizado no cristianismo primitivo e segue como o ritual central da missa cristã até os dias de hoje: a comunhão.

Os apóstolos


Os apóstolos eram 12, como as tribos de Israel. Seus nomes aparecem nos Evangelhos em diferentes lugares, como no seguinte texto do Evangelho de Mateus (10, 2-4):

Os nomes dos doze apóstolos são estes: o primeiro Simão, ao que chamam Pedro, e seu irmão André; Santiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; Felipe e Bartolomeu, Tome e Mateus, o arrecadador; Tiago, filho de Alfeu, e Judas Tadeu, Simão, chamado o Zelota, e Judas Iscariotes, foi o que o entregou.

De maneira muito similar se narra esse episódio em Marcos 3, 1 3-19 e Lucas 6, 1 2-1 6. A grande semelhança entre os três fragmentos pode ser explicada como consequência de os três Evangelhos sinóticos beberem de uma fonte comum anterior.

A morte de Jesus

Traído por Judas Iscariotes, um dos apóstolos, Jesus ‘oi feito prisioneiro pelos guardas do sumo sacerdote e levado ante o conselho religioso judaico, o sinédrio.

Foi declarado culpado de blasfêmia e entregue às autoridades romanas para que fosse aplicada a pena :e morte. Então, o governador romano da Judeia, Pôncio Pilatos, atendendo a solicitação das autoridades judaicas, condenou Jesus à morte por crucificação.

Os seguidores de Jesus afirmaram que ele ressuscitou no terceiro dia de sua morte e que era o Messias com o qual se cumpriam as profecias. Os 11 apóstolos disseram que ele lhes apareceu e ordenou que pregassem sua mensagem a todo o mundo.

Ao enfocar que Jesus era o Messias e que havia “ressuscitado, os cristãos foram se separando progressivamente da tradição judaica ao longo das décadas seguintes.

Além disso, depois da destruição do templo de Jerusalém no ano 70 e.c, a religião judaica foi se tomando cada vez menos variada, tendendo para as interpretações farisaica e rabínica.

Os cristãos terminaram criando uma religião distinta e nova.
Título: Re: Jesus
Enviado por: Edna☼ em 14 de Novembro de 2017, 17:25
Olá Moisés,

Parabéns por retomar os Estudos Mensais.

É sempre muito gratificante falar sobre Jesus, o nosso governador planetário, que está na direção da Terra desde a sua  formação, conforme diz o Espírito Emmanuel, na obra "A Caminho da Luz".

Encarnou aqui e trouxe a segunda grande Revelação para alavancar o progresso da humanidade,  mostrar o sentido da vida e o necessário respeito e cuidado na relação entre os homens,  ensinou e exemplificou  a Lei Maior, a Lei do Amor.

Que Deus abençoe o estudo do mês para que seja muito proveitosos a todos!

Abraços fraternos,

Edna  ;)
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Novembro de 2017, 08:52
Obrigado Edna

Estudemos o Mestre por nós aceito

E busquemos fazer destes estudos verdadeiras propostas para o nosso progresso íntimo e coletivo

Abraços
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Novembro de 2017, 09:12
Trago um texto interessante
Um estudo de pontuação

Mas com o objetivo de trazer citações Bíblicas

Profecias sobre Jesus Cristo no Antigo Testamento
(perspectiva evangélica)
Autor: Marcelo Reinaldo

O MESSIAS – O PRIMOGÊNITO DA CRIAÇÃO

Profecia

Provérbio 8:24-25 – Antes de haver abismo, eu nasci e antes ainda de haver fontes carregadas de águas. Antes que os montes fossem firmados, antes de haver outeiros, eu nasci.

Cumprimento

Colossenses 1:15  e João 1:14-15 3:16 – Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda criação.

 

O MESSIAS PARTICIPOU COM DEUS NA CRIAÇÃO DO MUNDO

Profecia

Provérbio 8:29-30 Gênesis 1:26 – quando fixava ao mar o seu limite, para que as águas não traspassassem os seus limites; quando compunha os fundamentos da terra; então eu estava com ele e era seu arquiteto, dia após dia, eu era as suas delícias, folgando perante ele em todo tempo.

Cumprimento

João 1:10 1:3 – O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. 

 

O MESSIAS SERIA DESCENDENTE DE ABRAÃO

Profecias         

Gênesis 18:18 12:3 – Visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação e nele serão benditas todas as nações da terra?

Cumprimento

Atos 3:25 Mateus 1:1 Lucas 3:34 – Vós sois os filhos dos profetas e da aliança que Deus fez com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão benditas todas as nações da terra.

 

O MESSIAS SERIA DESCENDENTE DE ISAQUE

Profecias

Gênesis 17:19 – Deus lhe respondeu. Na verdade, Sara, tua mulher, te dará um filho, e lhe porás o nome de Isaque, com ele estabelecerei a minha aliança, aliança perpetua para sua descendência depois dele.

Cumprimento

Mateus 1:2 – Abraão gerou Isaque, Isaque gerou a Jacó, Jacó gerou Judá e a seus irmãos.

 

O MESSIAS SERIA DESCENDENTE DE JACÓ

Profecia feita em 1300 anos antes de Cristo.

Números 24:17 Gênesis 28:14 – Vê-lo-ei mas não agora; contemplar-lo-ei, mas não de perto. Uma estrela procederá de Jacó, e de Israel subirá um cetro que quebraras as têmporas de Moabe e destruirá todos os filhos de Sete.

Cumprimento

Lucas 3:34 Mateus 1:2-3 – Filho de Jacó, filho de Isaque, filho de Abraão, filho de Terá, filho de Naor.

 
O MESSIAS DESCENDERIA DA TRIBO DE JUDÁ

Profecias

Gênesis 49:10 – O cetro não arredará de Judá, nem o bastão de autoridade de entre seus pés, até que venha Siló e a ele obedecerão os povos.

Cumprimento

Lucas 3:33 Mateus 1: 2-3 – Filho de Animadabe, filho de Admim, filho de Arni, filho de Esrom, filho de Farés, filho de Judá.
 

SERIA HERDEIRO DO TRONO DE DAVI

Profecia feita em 700 anos ... em 625 à 586 anos e outra em quase 1000 anos antes de Cristo.

Isaías 9:7 11:1-5 2Samuel 7:13 Jeremias 23:5 Salmo 132:11– Do aumento do seu governo e paz não haverá fim. Reinará sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o fortificar em retidão e justiça, desde agora para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isto.

Cumprimento

Mateus 1:1 1:6 – Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, livro de Abraão.
 

UM MENSAGEIRO ANUNCIARIA A VINDA DO MESSIAS

Profecia feita em 800 anos de Cristo.

Isaías 40:3 – Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus.

Cumprimento

Mateus 3:1 – Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da judéia e dizia: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.

 
A ÉPOCA DE NASCIMENTO DO MESSIAS

Profecias

Daniel 9:25 – Sabe e entende: desde de saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até o Ungido, o Príncipe, sete semanas e setenta e duas semanas. As praças e as tranqueiras se edificaram mais em tempos angustiosos.

Cumprimento

Lucas 2:1-2 Lucas 2:3-7 – Naqueles dias saiu um decreto da parte de César Augusto, ordenando o recenseamento de todo mundo habitado. Este primeiro recenseamento foi feito sendo Quirino governador da Síria.


O LUGAR DE NASCIMENTO DO MESSIAS

Profecia feita em 738 a 698 antes de Cristo.

Miquéias 5:2 – Mas tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá aquele que há de reinar em Israel e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.

Cumprimento

Mateus 2:1 Lucas 2:4-7 – Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, no tempo do reis Herodes, vieram uns magos do Oriente a Jerusalém.


O MESSIAS NASCERIA DE UMA VIRGEM

Profecia feita em 800 anos antes de Cristo.

Isaías 7:14 – Portanto o mesmo Senhor vos dará um sinal: A virgem conceberá e dará a luz um filho e será o seu nome Emanuel.

Cumprimento

Mateus 1:18 Lucas 1:26-35 - Ora, o nascimento de Jesus foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes coabitassem, achou-se grávida pelo o Espírito Santo.

 
O MESSIAS SERIA HOMENAGEADO PELOS REIS

Profecia feita a quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmos 72:10 - Paguem-lhe tributos os reis de Tarsis e das ilhas; os reis de Sabá e de Seba lhe ofereçam presentes.

Cumprimento

Mateus 2:1-2 – Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém. E perguntaram: Onde esta o recém nascido Rei dos Judeus? Porque vimos a estrela no Oriente e viemos adorá-lo.
 

OS PRESENTES TRAZIDOS AO MESSIAS

Profecia feita em 800 anos antes de Cristo.

Isaías 60:6 – A multidão  de camelos te cobrirá, os dromedários de Midiã e de Efá: todos virão de Sabá; trarão ouro e incenso e publicarão os louvores do Senhor.

Cumprimento

Mateus 2:11 – Entretanto na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se adoraram e abrindo os tesouros, entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra. 
 

A MATANÇA DOS MENINOS

Profecia feita em 600 anos antes de Cristo

Jeremias 31:15 – Assim diz o Senho: Ouviu-se um clamor em Ramá, lamentação e choro amargo: Raquel chora a seus filhos e não se deixa consolar por eles, porque já não existem.

Cumprimento

Mateus 2:16 2:17-18 – Então Herodes, vendo-se iludido pelos magos, irritou-se muito e mandou matar a todos os seus arredores de dois anos para baixo, segundo o tempo que diligentemente inquiria dos magos.

 
A FUGA PARA O EGITO

Profecias


Oseias 11:1 – Quando Israel era menino, eu o amei e do Egito chamei a meu filho.

Cumprimento

Mateus 2:14 2:15 – Levando-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe e foi para o Egito.

 
O MESSIAS RECEBERIA DO ESPÍRITO DE DEUS

Profecia a quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 42:1 – Eis aqui o meu servo, a quem te sustento; o meu escolhido, em que minha alma se compraz; pus sobre ele o meu Espírito e ele promulgará o direito aos gentios.

Cumprimento


Marcos 1:9-11 – Naqueles dias, veio Jesus de Nazaré da Galiléia e por João foi batizado no rio Jordão. Logo ao sair da água, viu os céus rasgarem-se e o Espírito descendo como pomba sobre ele. Então foi ouvida uma voz dos céus: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo.
 

O MINISTÉRIO DO MESSIAS NA GALILÉIA

Profecia feita em 800 anos antes de Cristo.

Isaías 9:1-2 – Mas para os que estavam aflitos não haverá mais obscuridade. No passado ele envileceu a terra de Zebulom e a terra de Naftali, mas nos últimos a enobreceu junto ao caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia das nações. O povo que andava em trevas viu uma grande luz; sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz.

Cumprimento

Mateus 4:12-16 – Quando Jesus ouviu que João estava preso, voltou para a Galiléia. Deixando Nazaré, foi morar em Cafarnaum, cidade situada a beira do mar, na região de Zebulom e Naftali; para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías: Terra de Zebulom, terra de Naftali, caminho do mar, além do Jordão, Galiléia dos gentios – o povo que estava em trevas viu grande luz e aos que estavam na região da sombra da morte, raiou-lhes a luz.
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Novembro de 2017, 09:17
O MESSIAS SERIA PROFETA

Profecias

Deuteronômio 18:15 – O Senhor teu Deus te suscitará um profeta como eu, do meio de ti, de teus irmãos. A ele ouvirás.

Cumprimento

João 6:14 1:45 Atos 3:19-26 – Vendo os homens o milagre que Jesus fizera, disseram: Este é verdadeiramente o profeta que deveria vir ao mundo.
 

O MESSIAS SERIA SACERDOTE, COMO MELQUISEDEQUE

Profecia feita em a quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 110:4 – Jurou o Senhor e não se arrependerá: Tu és sacerdote eterno, segundo a ordem de Melquisedeque.

Cumprimento

Hebreus 6:20 5:5-6 7:15-17 – Aonde Jesus, como precursor, entrou por nós, feito sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque. 

 
O MESSIAS E SUA ENTRADA TRIUNFAL

Profecia feita em 500 anos antes de Cristo.

Zacarias 9:9 Isaías 62:11 – Alegra-te muito, ó filha de Sião! Exulta, ó filha de Jerusalém! Vê! O teu rei virá a ti, justo e Salvador, humilde, montado em jumento, num jumentinho, filho de jumenta.

Cumprimento

João 13:13-14 Mateus 21:1-11 João 12:12 – Tomaram ramos de palmeiras e saíram ao seu encontro, gritando: Hosana! Bendito é aquele que vem em nome do Senhor! Bendito é o rei de Israel! Jesus encontrou um jumentinho e montou nele, como esta escrito.
 

O MESSIAS FALARIA POR PARÁBOLAS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 78:2 – Abrirei os meus lábios em parábolas e publicarei enigmas dos tempos antigos.

Cumprimento

Mateus 13:34 – Todas estas coisas disse Jesus as multidões por parábolas e sem parábolas nada dizia;
 

O MESSIAS REALIZARIA MILAGRES

Profecia feita em 700 anos antes de Cristo.

Isaías 35:5-6 32:3-4 – Então, se abrirão os olhos dos cegos e se desimpedirão os ouvidos dos surdos; os coxos saltarão como cervos e a língua dos mudos cantará; pois águas arrebentarão no deserto e ribeiro, no ermo.

Cumprimento

Mateus 11:4-5 9:32-33 – E Jesus respondendo, disse-lhes: Ide e anunciai a João o que estais ouvindo e vendo: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados e aos pobres está sendo pregado o evangelho.
 

O MESSIAS TERIA ZELO PELO O TEMPLO DO SENHOR

Profecia feita a quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmos 69:9 – Pois o zelo da sua casa me consumiu e as injúrias dos que te ultrajam caem sobre mim.

Cumprimento

João 2:14 a 16 – E encontrou no Templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas e também os cambistas assentados; tendo feito um azorrague de cordas, expulsou a todos do templo, bem como as ovelhas e os bois, derramou pelo chão o dinheiro dos cambistas, virou as mesas e disse aos que vendiam as pombas: tirai daqui estas cousas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio.


O MESSIAS SERIA DESPREZADO POR PARTE DOS JUDEUS


Profecia feita em 800 anos e a outra em quase 1000 anos antes de Cristo.

Isaías 53:3 Salmo 2:2 – Era desprezado e o mais indigno entre os homens, homem de dores e experimentado no sofrimento. Como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado e não fizemos dele caso algum.

Cumprimento

João 1:11 5:43 Lucas 4:29 17:25 23:18 – Veio para o que era seu mas os seus não o receberam.

 
O MESSIAS SERIA TRAÍDO POR UM AMIGO

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo

Salmo 41:9 – Até meu próprio amigo íntimo, em quem eu confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim seu calcanhar.

Cumprimento

Marcos 14:10 Mateus 26:14 a 16  Marcos 14:43 a 45 – Então Judas Iscariotes, um dos doze, foi ter com os principais sacerdotes, para lhes entregar Jesus.
 

O MESSIAS SERIA VENDIDO POR TRINTA MOEDAS DE PRATAS

Profecia feita em 500 antes de Cristo.

Zacarias 11:12 11:13 – Eu lhes disse: Se parece bem aos vossos olhos, dai-me o que me é devido, se não deixa-o. Pesaram pois o meu salário, trinta moedas de prata.

Cumprimento

Mateus 26:15 27:3 a 10 – E disse: Que me quereis dar e eu vo-lo entregarei? E pagaram-lhe trinta moedas de prata.
 

AS 30 MOEDAS SERIAM LANÇADAS NO TEMPLO PARA COMPRAR O CAMPO DE OLEIRO

Profecia feita em 500 anos depois de Cristo.

Zacarias11:13 – O Senhor me disse: Arroja isso ao oleiro, esse belo preço em que fui avaliado por eles. Tomei as trintas moedas de prata e as arrojei ao oleiro na casa do Senhor.

Cumprimento

Mateus 27:6-7 27:3-5 8:10 – E os príncipes dos sacerdotes, tomando as moedas de prata, disseram: Não é lícito coloca-las no cofre das ofertas, pois é preço de sangue. Depois de deliberarem, compraram com elas o campo do oleiro, para a sepultura dos estrangeiros.
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Novembro de 2017, 09:20
O LUGAR DE JUDAS DEVIA SER OCUPADO POR OUTRO

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 109:7-8 – Quando for julgado, saia condenado e em pecado se lhe torne a sua oração. Sejam poucos os seus dias; outro tome o seu ofício.

Cumprimento

Atos 1:18-20 1:16-17 – Ora, este adquiriu um campo com a recompensa da iniqüidade e precipitando-se, rompeu-se pelo meio e todas as suas entranhas se derramaram. E todos os que habitam em Jerusalém ficaram sabendo do acontecido, de maneira que na sua própria língua esse campo se chama acéldama, isto é, Campo de Sangue. Pois no livro dos salmos está escrito: Fique deserta a sua habitação e não haja quem nela habite e tome outro a sua liderança.

 
O MESSIAS SERIA ABANDONADO PELOS DISCÍPULOS

Profecia feita em 500 anos antes de Cristo.

Zacarias 13:7 – Desperta, ó espada, contra o meu pastor e contra o homem que é o meu companheiro, diz o Senhor dos Exércitos; fere o pastor  e as ovelhas ficarão dispersas; mas volverei a mão para os pequeninos.

Cumprimento

Mateus 26:56 26:31 Marcos 14:50 – Tudo isto, porém, aconteceu, para que se cumprissem as Escrituras dos profetas. Então os discípulos todos, deixando-o fugiram.
 

O MESSIAS SERIA ACUSADO POR FALSAS TESTEMUNHAS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 35:11 109:7-8 - Levantam-se iníquas testemunhas e me arguém de coisas que eu não sei.

Cumprimento

Mateus 26:60-61 – E não acharam, apesar de se terem apresentado muitas testemunhas falsas. Mas, por fim, chegaram duas, afirmando: Este disse: Eu posso derrubar o templo de Deus e edificá-lo em três dias.
 

O MESSIAS PERMANECERIA EM SILÊNCIO QUANDO ACUSADO

Profecias feita em 800 anos e outra a quase 1000 anos antes de Cristo.

Isaías 53:7 Salmo 38:13-14 – Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu sua boca, como cordeiro foi levado ao matadouro e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu sua boca.

Cumprimento

Mateus 27:12-14 26:62-63 – E, sendo acusado pelos principais sacerdotes e pelos anciãos, nada respondeu. Então lhe perguntou Pilatos: Não ouve quantas acusações te fazem? Jesus não respondeu uma palavra, vindo com isto admirar-se grandemente o governador.
 

O MESSIAS SERIA AÇOITADO E FERIDO

Profecia feita em 800 anos antes de Cristo.

Isaías 53:3 - Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele e pelas suas pisaduras fomos sarados.

Cumprimento

Mateus 27:26 - Então Pilatos lhes soltou Barrabás e após haver açoitado a Jesus, entregou-o para ser crucificado.
 

O MESSIAS SERIA GOLPEADO E CUSPIDO

Profecia feita em 800 anos antes de Cristo.

Isaías 50:6 – As minhas costas dei aos que me feriam, as minhas faces aos que me arrancavam os cabelos,, não escondi a minha face dos que me afrontavam e me cuspiam.

Cumprimento

Marcos 14:65 15:17 João 19:1-3 18:22 – Então alguns começaram a cuspir nele, a cobrir-lhe o rosto, a dar-lhes murros e a dizer-lhe: Profetiza! E os guardas o levaram e davam-lhe bofetadas.

 
O MESSIAS SERIA ESCARNECIDO

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 22:6-8 – Mas eu sou verme e não homem, opróbrio dos homens e desprezado do povo. Todos os que me vêem zombam de mim: afrouxam os lábios e mexem a cabeça: Confiou no Senhor! Livre-o ele, salve-o, pois nele tem prazer.

Cumprimento

Mateus 27:41-43 João 19:2-3 – De igual modo os principais sacerdotes, com os escribas e anciãos, escarnecendo, diziam: salvou os outros, a si mesmo não pode salvar-se. É rei de Israel! Desça da cruz e creremos nele. Confiou em Deus; pois venha livrá-lo agora, se fato lhe quer bem: porque disse: Sou Filho de Deus.
 

O MESSIAS SERIA ODIADO SEM MOTIVO

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmos 69:4 109:3-5 – Aqueles que me odeiam sem causa são mais do que os cabelos da minha cabeça; aqueles que procuram destruir-me, que me atacam com mentiras, são poderosos. Tenho que resistir o que não furtei.

Cumprimento

João 15:23-25 – Aquele que me odeia, odeia também a meu pai. Se eu não tivesse feito entre eles o que nenhum outro fez, não teriam pecado. Mas agora viram e odiaram a mim e a meu Pai. Mas é para que se cumpra a palavra que esta escrita na sua lei: Odiaram-me sem motivo.
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Novembro de 2017, 09:27
AS MÃOS E OS PÉS DO MESSIAS SERIAM TRASPASSADOS

Profecia feita em quase 1000 anos e a outra em 500 anos antes de Cristo.

Salmo 22:16 Zacarias 12:10 – Cães me rodearam; o ajuntamento de malfeitores me cercou, trespassaram-me as mãos e os pés.

Cumprimento

João 20:27 19:37 20:25-26 – Então disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo: vê as minhas mãos. Chega a tua mão e põe-na no meu lado. Não sejas incrédulo, mas crente.

 
O MESSIAS SERIA CRUCIFICADO COM OS MALFEITORES

Profecia feita em 800 antes de Cristo.

Isaías 53:12 – Foi contado com os transgressores, contudo levou sobre si o pecado de muitos...

Cumprimento

Mateus 27:38 Marcos 15:27-28 Lucas 23:33 – E foram crucificados com ele dois assaltantes, um a direita e outro a esquerda. 
 

O MESSIAS INTERCEDERIA PELOS SEUS ALGOZES

Profecia feita em 800 anos e outra em quase 1000 anos antes de Cristo.

Isaías 53:12 Salmo 109:4 – ... levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu.

Cumprimento


Lucas 23:34 Hebreus 9:24  1 João 2:1 – Jesus, porém, dizia: Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem. Repartindo as vestes dele, lançaram sortes.
 

SEUS AMIGOS CONTEMPLARIAM DE LONGE O MESSIAS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 38:11 – Os meus amigos e companheiros afastam-se da minha praga e os meus parentes ficam de longe.

Cumprimento

Lucas 23:49 – Entretanto todos os conhecidos de Jesus e as mulheres que o tinham seguido desde a Galiléia, permaneceram a contemplar de longe estas coisas.
 

O POVO REPROVARIA O MESSIAS COM UM GESTO DE CABEÇA

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 109:25 – Tornei-me para eles objeto de opróbrio, quando me vêem meneiam a cabeça.

Cumprimento

Mateus 27:39-40 27:41-44 Marcos 15:29-32 João 19:2-3 – Os que passavam, blasfemavam dele, maneando a cabeça e dizendo: Tú, que destrói o templo e em três dias o reedificas, salva-te a ti mesmo! Se és Filho de Deus, desce da cruz.

 
O MESSIAS ATRAIRIA A CURIOSIDADE PÚBLICO

Profecia feita a quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmos 22:17 – Posso contar todos os meus ossos; eles me olhando e encarando em mim.

Cumprimento

Lucas 23:35 – o povo esta ali e tudo observava...
 

AS VESTES DO MESSIAS FORAM REPARTIDAS E SORTEADAS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 22:18 – Repartem entre si as minhas vestes e lançam sortes sobre minha túnica.

Cumprimento

Marcos 15:24 João 19:24 – E eles o crucificaram. Repartindo entre si as vestes dele, lançaram sorte, para o ver o que cada um levaria.

 
O MESSIAS SENTIRIA SEDE

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo

Salmos 22:15 69:21 – Secou-se o meu vigor, como um caco de barro e a língua se apega ao céu da boca...

Cumprimento

João 19:28 19:29 Mateus 27:34-48 - ... Jesus... disse: tenho sede!
 

DARIAM VINAGRE E FEL PARA O MESSIAS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo

Salmo 69:21 – Por alimento me deram fel e na minha sede me deram a beber vinagre.

Cumprimento

João 19:29 Mateus 27:34-48 – Estava ali um vaso cheio de vinagre. Embeberam uma esponja, colocaram-na numa vara de hissopo e chegaram-na à sua boca.
 

O MESSIAS SE SENTIRIA ABANDONADO POR DEUS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 22:1 – Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

Cumprimento

Mateus 27:46 – Por volta da hora nona, clamou Jesus em alta voz, dizendo Eli, Eli, lemá sabactâni, que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?
 

ENTREGARIA SEU ESPÍRITO A DEUS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 31:5 – Nas tuas mãos entrego o meu espírito; tu me remiste, Senhor, Deus da verdade.

Cumprimento

Lucas 23:46 – Então Jesus clamou em alta vós: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito! E, dito isto, expirou.
 

OS OSSOS DO MESSIAS NÃO SERIAM QUEBRADOS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 34:20 Êxodo 12:46 – Ele lhe preserva todos os seus ossos, nem sequer um deles será quebrado.

Cumprimento

João 19:32, 33 – Os soldados foram e quebraram as pernas do primeiro e ao outro que com ele tinha sido crucificado; chegando-se porém, A Jesus, como vissem que já estava morto, não lhe quebraram as pernas.
 

UMA LANÇA FERIRIA O CORAÇÃO DO MESSIAS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 22:14 – Derramei-me como água e todos os meus ossos se desconjuntaram; meu coração fez como cera, derreteu-se dentro de mim.

Cumprimento

João 19:34 – Contudo, um dos soldados traspassou-lhe o lado com uma lança e imediatamente saiu sangue e água.
 

HAVERIA TREVAS SOBRE A TERRA

Profecia feita 800 anos antes de Cristo.

Amós 8:9 – Sucederá que naquele dia, diz o Senhor Deus, farei o sol se ponha ao meio-dia e entenebrecerei a terra em dia claro.

Cumprimento

Mateus 27:45 - Desde a hora sexta até a hora nona houve trevas sobre a terra.
 

O MESSIAS SERIA SEPULTADO COM RICO

Profecia feita em 800 antes de Cristo.

Isaías 53:9 – Deram-lhe sepultura com os ímpios, mas com o rico esteve na sua morte, embora nunca tivesse cometido injustiça, nem houvesse engano na sua boca.

Cumprimento

Mateus 27:57-60 – Chegada a tarde, veio um homem rico de Arimatéia, chamado José, que também era discípulo de Jesus. Este foi ter com Pilatos e lhe pediu o corpo de Jesus. Então Pilatos mandou que lhe fosse entregue. E José, tomando o corpo, envolveu-o num pano limpo de linho e o depositou no seu sepulcro novo, que havia aberto na rocha. Rolou uma grande pedra para a entrada do sepulcro e se retirou.
 

O CORPO DO MESSIAS NÃO FICARIA EM DECOMPOSIÇÃO E RESSUSCITARIA

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo.

Salmo 16:10 – Porque não deixara a minha alma no inferno, nem permitirás que teu santo veja corrupção.

Cumprimento

Lucas 24:39 – Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e verificai, porque um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho.

 
O MESSIAS SUBIRIA AOS CÉUS

Profecia feita em quase 1000 anos antes de Cristo

Salmo 68:18 – Quando subiste ao alto, levaste cativo o cativeiro, recebeste dons dos homens e até dos rebeldes, para que o Senhor Deus habitasse entre eles.

Cumprimento

Lucas 24:50-51 Atos 1:9 – Então Jesus os levou para Betânia e levantando as mãos, os abençoou. Abençoando-os ele, apartou-se deles e foi levado ao céu. 
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 17 de Novembro de 2017, 08:24

"Josefo e Jesus" ou "Um dos relatos mais antigos que provam a existência de Jesus"

Por Paul L. Maier, o Professor Russell H. Seibert Professor de História Antiga, da Western Michigan University

Flávio Josefo (37 dC -. C 100) foi um historiador judeu nascido em Jerusalém quatro anos após a crucificação de Jesus de Nazaré, na mesma cidade. Devido a essa proximidade com Jesus em termos de tempo e lugar, seus escritos têm uma qualidade de testemunha “ocular” uma vez que eles se relacionam com todo o fundo cultural da era do Novo Testamento. Mas seu escopo é muito maior do que este, abrangendo também o mundo do Antigo Testamento. Suas duas maiores obras são Antiguidades Judaicas, revelando a história hebraica desde a Criação até o início da grande guerra com Roma em 66 d.C., enquanto a sua Guerra Judaica , embora tenha sido escrito primeiro, traz o registro da destruição de Jerusalém e da queda de Masada em AD 73.

Josefo é a fonte primária mais abrangente sobre a história judaica que sobreviveu desde a antiguidade, tendo permanecido praticamente intacta apesar da sua natureza volumosa (o equivalente a 12 volumes). Por causa do patrocínio imperial pelos imperadores Flavian em Roma, Vespasiano, Tito e Domiciano - Josefo foi capaz de gerar incríveis detalhes em seus registros, um “luxo” que foi negado aos escritores dos Evangelhos. Eles parecem ter sido limitados a um rolo cada uma vez que os primeiros cristãos não eram ricos. Assim, Josefo sempre foi considerado um recurso extra-bíblico crucial, já que seus escritos não apenas correlacionam bem com o Antigo e o Novo Testamento, mas muitas vezes fornecem evidências adicionais sobre personalidades, como Herodes, o Grande, e sua dinastia, João Batista, Tiago, o meio-irmão de Jesus, os sumos sacerdotes Anás e Caifás e seu clã, Pôncio Pilatos, e outros.

Neste contexto, devemos certamente esperar que ele iria se referir a Jesus de Nazaré, e ele faz -duas vezes, na verdade. Em Antiguidades 18:63, no meio de informações sobre Pôncio Pilatos (AD, 26-36), Josefo oferece a maior referência secular a Jesus de qualquer fonte do primeiro século. Mais tarde, quando ele relata eventos da administração do governador romano Albino (AD 62-64), em Antiguidades 20:200, ele volta a mencionar Jesus em conexão com a morte do meio-irmão de Jesus, Tiago, o Justo, de Jerusalém. Essas passagens, juntamente com outrasreferências não-bíblicas e não-cristãs a Jesus de fontes do primeiro século - entre elas Tácito (Anais 15:44), Suetônio (Cláudio 25), e Plínio, o Jovem (carta para Trajano ) - prova conclusivamente que qualquer negação da historicidade de Jesus é divagar sensacionalismo para desinformados e/ou desonestos.

Uma vez que as referências acima a Jesus são embaraçosas para tal, elas foram atacadas por séculos, especialmente as duas instâncias de Josefo, que provocaram uma grande quantidade da literatura acadêmica. Elas constituem o maior bloco de evidências do primeiro século para Jesus fora de fontes bíblicas ou cristãs, e podem muito bem ser a razão que as obras vastas de Josefo sobreviveram quase intactas a transmissão de manuscritos através dos séculos, quando outras grandes obras da antiguidade foram totalmente perdidas. Examinemos cada um, por sua vez.

Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 17 de Novembro de 2017, 08:26
Antiguidades 18:63

O texto padrão de Josefo diz o seguinte:

Sobre este tempo viveu Jesus, um homem sábio, se é que podemos chama-lo de um homem. Pois ele foi o realizador de feitos extraordinários e era um professor daqueles que aceitam a verdade com prazer. Ele conquistou muitos judeus e muitos dos gregos. Ele era o Messias. Quando ele foi indiciado pelos principais homens entre nós e Pilatos condenou-o para ser crucificado, aqueles que tinham vindo a amá-lo originalmente não deixará de fazê-lo, pois ele lhes apareceu no terceiro dia ressuscitou, como os profetas de a Divindade havia predito essas e inúmeras outras coisas maravilhosas a respeito dele, e da tribo dos cristãos, assim nomeada após ele, não desapareceu até hoje. (Todas as citações de Flávio Josefo, exceto o próximo, são do PL Maier, ed / trans..Josefo-As obras essenciais (Grand Rapids: Kregel Publications, 1994).

Embora esta passagem encontra-se assim redigida nos manuscritos de Josefo do terceiro século (tão cedo quanto o historiador da igreja Eusébio), os estudiosos já suspeitavam de uma interpolação cristã, uma vez que Josefo não poderia ter acreditado que Jesus era o Messias ou em sua ressurreição e manter-se, como ele fez, um judeu não-cristão. Em 1972, contudo, o professor Schlomo Pines, da Universidade Hebraica de Jerusalém anunciou a descoberta de um tradição manuscrita diferente dos escritos de Josefo escrita no décimo século pelo historiador melquita Agapius, que diz o seguinte em Antiguidades 18:63:

Neste momento, havia um homem sábio chamado Jesus, e sua conduta era boa, e ele era conhecido por ser virtuoso. Muitas pessoas entre os judeus e as outras nações se tornaram seus discípulos. Pilatos condenou-o para ser crucificado e morrer. Mas aqueles que se tornaram seus discípulos não abandonaram seu discipulado. Eles relataram que ele lhes havia aparecido três dias após sua crucificação e que ele estava vivo. Assim, ele talvez fosse o Messias, sobre quem os profetas relataram maravilhas. E a tribo dos cristãos, assim nomeada após ele, não desapareceu até hoje.

Aqui, claramente, é a linguagem que um judeu poderia ter escrito sem a conversão ao cristianismo. (Schlomo Pines,An Arabic Version of the Testimonium Flavianum and its Implications [Jerusalem: Israel Academy of Sciences and Humanities, 1971.])

Estudiosos se dividem em três campos básicos sobre Antiguidades 18:63:
1) A passagem original é totalmente autêntica, uma posição minoritária;
2) é inteiramente uma falsificação cristã - uma posição minoritária ainda muito menor, e
3) que contém interpolações cristãs no que era o material original de Josefo, material autêntico sobre Jesus, a posição da grande maioria, hoje, especialmente tendo em vista o texto Agapian (imediatamente acima), que não mostra sinais de interpolação.

Josefo deve ter mencionado Jesus no material do núcleo autêntico 18:63 uma vez que esta passagem está presente em todos os manuscritos gregos de Josefo, e a versão Agapian concorda bem com sua gramática e vocabulário utilizada em outros lugares. Além disso, Jesus é retratado como um "homem sábio" [sophos aner], uma frase não utilizada por cristãos, mas empregada por Josefo para personalidades como Davi e Salomão na Bíblia hebraica.

Além disso, sua afirmação de que Jesus conquistou "muitos dos gregos" não está fundamentada no Novo Testamento e, portanto, dificilmente seria uma interpolação cristã, mas sim algo que Josefo teria notado em seus dias. Finalmente, o fato de que a segunda referência a Jesus no Antiguidades 20:200, que segue, apenas o chama de Christos [Messias] sem mais explicações sugere que a identificação dele mais completa, já havia ocorrido anteriormente. Se Jesus apareceu pela primeira vez em um ponto mais tarde, no registro de Josefo, ele muito provavelmente teria introduzido uma frase como "... irmão de um certo Jesus, que foi chamado o Cristo."

Antiguidades 20:200

Esta é uma passagem extremamente importante, pois tem tantos paralelos impressionantes para o que aconteceu na Sexta-feira da paixão, e ainda assim parece ser largamente ignorado entre os estudiosos revisionistas do Novo Testamento. Ela fala da morte do meio-irmão de Jesus, Tiago, o Justo, de Jerusalém, sob o sumo sacerdote Ananus, filho do ex-sumo sacerdote Anás e cunhado de Caifás, ambos bem conhecidos a partir dos Evangelhos. O texto de Josefo diz o seguinte:

Tendo tal caráter ["imprudência e ousadia" no contexto], Ananus pensou que com a morte de Festus e com Albino ainda no caminho, ele teria a oportunidade adequada. Convocando os juízes do Sinédrio, ele trouxe diante deles o irmão de Jesus, que foi chamado de Cristo, cujo nome era Tiago e alguns outros. Ele os acusou de terem transgredido a lei e os entregou para ser apedrejados. Mas dos moradores da cidade que eram consideradas os mais justos e que estavam em estrita observância da lei ficaram ofendidos com isso. Assim, eles secretamente contataram o rei [Herodes Agripa II], instando-o a ordenar Ananus a desistir de quaisquer outras ações dessas, pois ele não tinha justificado naquilo que já tinha feito. Alguns deles foram até mesmo ao encontro de Albinus, que estava a caminho de Alexandria, e informaram-lhe que Ananus não tinha autoridade para convocar o Sinédrio sem o seu consentimento. Convencido por essas palavras, Albinus escreveu com raiva para Ananus, ameaçando-o com uma punição. E o rei Agripa, por causa disso, o depôs do sumo sacerdócio, no qual ele havia governado por três meses.

Esta, segunda referência de Josefo a Jesus, não mostra qualquer adulteração no texto e está presente em todos os manuscritos de Josefo. Se tivesse havido uma interpolação cristã aqui, mais material sobre Tiago e Jesus teria sem dúvida sido apresentado além dessa breve passagem. Tiago provavelmente teria sido envolto em linguagem laudatória e “estilada” ",o irmão do Senhor", como o Novo Testamento define ele, ao invés de "o irmão de Jesus." Nem poderia o Novo Testamento ter servido como fonte de Josefo, uma vez que não fornece nenhum detalhe sobre a morte de Tiago. Para Josefo definir Jesus mais para frente como aquele "que foi chamado de Christos " era credível e mesmo necessário, tendo em conta os outros vinte “Jesuses” que ele cita em suas obras.

Assim, a grande maioria dos acadêmicos contemporâneos considera esta passagem como genuína em sua totalidade, e concordam com a classificação do especialista em Josepo, Louis H. Feldman, em sua notação na Biblioteca Clássica Loeb edição de Josefo: "... poucos têm dúvidas sobre a autenticidade desta passagem de Tiago"(Louis H. Feldman, tr. Josephus , IX [Cambridge, MA: Harvard University Press, 1965], 496).

A preponderância da evidência, então, sugere fortemente que, de fato, Josefo menciona Jesus em ambas as passagens. Ele fez isso de uma maneira totalmente congruente com os retratos do Novo Testamento de Cristo, e sua descrição, do ponto de vista de um não-cristão, parece extremamente justa, especialmente tendo em vista sua tendência conhecida de “taxar” messias falsos como miseráveis que induziam ao erro as pessoas e trouxeram em guerra aos romanos.

Além disso, sua segunda citação relacionada com as atitudes do sumo sacerdote e do Sinédrio contra a do governador romano espelha perfeitamente as versões dos evangelhos dos dois lados opostos no evento Sexta-feira da Paixão. E essa evidência extrabíblica não vem de uma fonte cristã tentando fazer “Os Evangelhos” ter a aparência de bom, mas de um autor totalmente judaico que nunca se converteu ao cristianismo.


Para uma discussão mais aprofundada de Josefo e sua importância para a pesquisa bíblica, consulte Paul L. Maier, ed / trans, Josephus – The Essential Works (Grand Rapids: Kregel Publications, 1994).

..............................

texto extraido do blog:
de
Johannes G. Janzen

....é professor de engenharia na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Possui doutorado em Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo com período sanduíche na Universidade de Karlsruhe, Alemanha. Tem experiência na área de Engenharia Civil e Ambiental com ênfase em Fenômenos de transporte e Hidráulica.


http://www.origemedestino.org.br/blog/johannesjanzen/?post=174
Título: RE: Jesus
Enviado por: Edna☼ em 18 de Novembro de 2017, 17:01
As profecias da vinda do Messias

 “O inevitável progresso intelecto-moral traz a necessidade de novas revelações espirituais e Deus a tudo prevê e provê. Assim, Moisés, Isaías e outros profetas já anunciavam a vinda do Messias, o Cristo.

No Novo Testamento, especialmente nos evangelhos de Mateus e de Lucas, encontraremos os relatos mais completos sobre o nascimento de Jesus. João falará de modo simbólico sobre a vinda de Jesus. Marcos é omisso a respeito, apresentando Jesus quando já adulto.

O nascimento está, também, previsto, no Novo testamento, onde o anjo Gabriel surge a Maria e faz a anunciação de que conceberá e darás a luz a um filho e porá o nome de Jesus."



Com base na obra "Jesus o Cristo, Therezinha Oliveira.

Compartilhado trecho do capítulo para fins de estudo.

Título: Re: Jesus
Enviado por: Edna☼ em 18 de Novembro de 2017, 17:12
A genealogia de Jesus Cristo

Mateus inicia o seu Evangelho (Mt:1-17), traçando-nos a genealogia de Jesus. É uma genealogia de pouca significação e que nada acrescenta à glória de Jesus. O certo é que um homem vale por si mesmo e pelas suas realizações; e não pelo que foram ou pelo que fizeram seus ascendentes.

Jesus conviveu com os pequeninos das margens do lago e com os pobres dos subúrbios de Jerusalém; ensinava nas vilas e andava a pé pelas estradas. A vida humilde que viveu demonstra-nos que nunca se importou com as grandezas do mundo nem com os poderosos de seu tempo; por conseguinte, muito menos se preocuparia por seus antepassados.

Quanto à sua obra, não precisamos voltar a encarecer a importância dela: a influência que não cessa de exercer, o influxo que continuamente transmite às realizações nobres da humanidade, o abrandamento do caráter e a moralização dos costumes de todos os que a estudam de coração e o sentimento de fraternidade que há dois milênios desenvolve na Terra, lhe conferem excepcional valor.

Jesus foi um médium de Deus. Diretamente inspirado pelo Altíssimo, tornou conhecido dos homens o código divino, pelo qual a Terra se ilumina espiritualmente cada dia mais.”


Fonte: O Evangelho dos Humildes, Eliseu Rigonatti

Compartilhado trecho do capítulo para fins de estudo.

Título: Re: Jesus
Enviado por: Edna☼ em 18 de Novembro de 2017, 17:34
Entretanto, é oportuno lembrar que, antes do advento do Cristo os tempos eram muito difíceis diante da ignorância e brutalidade humana, onde vigorava a lei do mais forte que subjugava o mais frágil. A barbárie imperava!

A história registra a triste trajetória da Palestina cujo povo foi feito escravo por várias civilizações... O povo hebreu tem grande destaque na história da humanidade terrestre ao trazer a ideia do Deus único e as importantes regras de conduta moral contidas no decálogo. A figura de Moises foi fundamental como princípio de educação do homem, inclusive das regras básicas de higiene e convívio social.

Eles ficam, também, sob o jugo romano... Entretanto, o amparo divino se faz presente e surge a figura (frágil) de Caio Júlio César Otávio, que passa governar de forma mais harmônica, humana e justa, era uma época de esperança de dias melhores e paz para todos, que fortaleciam e preparava o caminho a vinda do Messias, conforme noticia o Espírito Humberto de Campos, na obra Boa Nova.

Era o início de uma grande Era para a humanidade!


Um abraço fraterno,

Edna ;)
Título: Re: Jesus
Enviado por: Edna☼ em 19 de Novembro de 2017, 20:36
Quando ocorreu o nascimento de Jesus?  ???

Confirmando as profecias, Jesus nasceu na Terra, em um ambiente de lutas e conspirações. Viveu na Palestina durante o reinado de Herodes Antipas (4 a. C. – 37 d. C.) 

O Espírito Joanna de Ângelis diz que: “O mundo era, então imensurável cadeia de aflições. O instinto animal lutando por domínio e a inteligência sonhando pela fixação do sentimento e da razão. A História revela por si só que é preciso rios de lágrimas para lavar as feridas que as paixões humanas produzem, ensejando o nascer da saúde moral. Talvez por isso, Voltaire declarou ser a História “uma coleção de crimes, loucuras e desgraças”, olvidando as estruturas que arrancaram o homem, a duras penas, da animalidade a civilização. Também eram tormentosos aqueles dias... No fragor de mil angustias e cruentas lutas, no solstício do inverno do ano 1 a.C., nasceu Jesus.” 

Em suas pesquisas Therezinha de Oliveira esclarece que: “não se sabe ao certo em que dia e mês ocorreu, pois o dia 25 de dezembro foi fixado pelo Papa Júlio I, a partir do século IV d.C. (360), para substituir comemorações pagãs por motivos e hábitos cristãos. Do nascimento de Jesus começou-se a contar uma Nova Era: a cristã (a.C. e d.C.), mas dizem estudiosos que Jesus pode ter nascido de 8 anos antes a 4 anos depois da data fixada.”

Neste sentido, Edgard Armond, acrescenta que, “ao narrar a vida de Jesus e devido a divergência existente nos calendários; para simplificar as coisas e evitar interpretações diferentes, adotamos o sistema de considerar o ano 1 o primeiro a partir do nascimento do Cristo; ano 33 o de sua crucificação, etc., desprezando o calendário oficial, que considera tenha ele se verificado no ano 7 da nossa Era e 747 da fundação de Roma."


* * * * * * * *


Respeitadas as divergências, cumpre notar que a vinda de Jesus é um divisor de águas, o calendário que passa a viger (a.C. e d.C.), inaugura uma nova Era para a humanidade, pela busca da razão, do amor, da justiça e da caridade.

Abraços fraternos,

Edna ;)


Fonte:  "Estudos Espíritas", Espírito Joanna de Ângelis, psicografia Divaldo P. Franco. "Jesus o Cristo", Therezinha Oliveira. "O Redentor", Edgard Armond.

Trechos em itálico retirados das referidas obras para fins de estudo.

Título: Re: Jesus
Enviado por: Edna☼ em 26 de Novembro de 2017, 14:35
O nascimento de Jesus Cristo

[attachimg=1 align=left width=350]"Mateus (I:18-25) descreve no  em linguagem simbólica, como se preparou o ambiente terreno onde se encarnaria Jesus. Ao escrever o seu Evangelho, Mateus compreendeu a inspiração que lhe vinha do Alto, de que um Espírito virginal tinha sido escolhido para vir ser a mãe do Mestre.

Um Espírito virginal é aquele que, através de sucessivas e incontáveis reencarnações, torna-se isento das máculas da matéria. Conquanto ainda não tenha alcançado as esferas divinas, próprias dos Espíritos perfeitos, contudo, vive em planos muito superiores. Os Espíritos virginais só se encarnam na Terra para o desempenho de missões de benefício geral.

Maria e José eram Espíritos virginais. O casal veio para facilitar a encarnação de Jesus, o qual, sendo um Espírito de extrema pureza, requeria um ambiente adequado, para evitar as graves perturbações que um ambiente sem espiritualidade acarreta a um Espírito evoluido.

Avisado, intuitivamente de que por intermédio deles se estava processando a encarnação do Messias prometido ao mundo pelos antigos profetas de Israel, a principio José não crê que Maria fosse digna de tal missão. É quando intervém um mensageiro espiritual para advertir José de que Maria já tinha alcançado a pureza de alma suficiente para servir de tão nobre instrumento E José, sem duvidar mais, redobra de cuidados para que o ambiente doméstico se mantivesse puríssímo durante a concepção de Maria.

Os ensinamentos que temos recebido de elevados mentores espirituais, consubstanciados na já numerosa literatura espírita, nos dizem que Deus não quebra a harmonia das leis que regulam a natureza. E o característico principal de nossos irmãos altamente colocados na hierarquia espiritual é o da obediência absoluta à Vontade Divina, da qual são os intérpretes e os executores. Ora, porque haveria Jesus de se corporificar em nosso planeta, desrespeitando a lei biológica e, portanto, desobedecendo às leis que regem nossa esfera?   ???  Seria um triste começo para tão nobre missão!

A vinda de Jesus ao nosso plano operou-se pelos meios absolutamente comuns a todos nós; precisou do concurso de dois entes que se amavam: do amparo de José e da ternura de Maria."


Fonte: O Evangelho dos Humildes, Eliseu Rogonatti. Ed. Pensamento.

Compartilhado trecho para fins de estudo.
Título: Meu bom José
Enviado por: Edna☼ em 26 de Novembro de 2017, 14:43
Meu bom José, na voz de Elizabete Lacerda


http://www.youtube.com/watch?v=q6GtPTdt2Ko#ws

Cante junto:

"Olha o que foi meu bom José
Se apaixonar pela donzela
Entre todas a mais bela
De toda a sua Galileéa
Casar com Deborah ou com Sarah
Meu bom José você podia
E nada disso acontecia
Mas você foi amar Maria
Você podia simplesmente
Ser carpinteiro e trabalhar
Sem nunca ter que se exilar
De se esconder com Maria
Meu bom José você podia
Ter muitos filhos com Maria
E teu oficio ensinar
Como teu pai sempre fazia
Porque será…
Me lembro as vezes de você
Meu bom José meu pobre amigo
Que desta vida só queria
Ser feliz com sua Maria"

Compositores: Georges Moustaki / Nara
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 26 de Novembro de 2017, 23:54
Frases de Jesus Cristo

"E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará."

"Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem."

"Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim nunca morrerá."

"De que serve ao homem conquistar o mundo inteiro se perder a alma?"

"A boca fala do que está cheio o coração."

"Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua Justiça, e as demais coisas vos serão acrescentadas."

"Pois que aproveita ao homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua vida?"

"O Senhor oculta algumas coisas aos sábios, mas as revela aos pequeninos.'

"Ame o próximo, como a ti mesmo."

"Não temas, eu venci o mundo!"

"Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês a minha carga e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração e vocês encontrarão descanso interior. Pois a minha carga é suave e leve."

"Eu sou o caminho, a verdade e a vida."

"O olho é a lâmpada do corpo. Se teu olho é bom, todo o teu corpo se encherá de luz. Mas se ele é mau, todo teu corpo se encherá de escuridão. Se a luz que há em ti está apagada, imensa é a escuridão."

"Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça."

"Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei."

"Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: Ame o seu próximo como a si mesmo."

"Ama a Deus sobre todas as coisas."

"Nem só de pão viverá o Homem, mas de toda palavra de Deus!"

"Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que esteja morto viverá."

"Estarei contigo até o final dos tempos."

"Quem de mim se alimenta por mim viverá."

"Eu sou o pão da vida;
o que vem a mim jamais terá fome;
e o que crê em mim jamais terá sede."

"Não julgueis para não serdes julgados. Pois com o julgamento com que julgais sereis julgados, e com a medida com que medis sereis medidos."
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 27 de Novembro de 2017, 00:03
..

"Há mais felicidade em dar do que receber."

"Tudo é possível ao que crer."

"Se me amas guardarás os meus mandamentos."

"Por tuas palavras, serás condenado."

"Aquele que não renuncia tudo não é digno de ser chamado Discípulo!"

"A cada dia basta o seu cuidado."

"O olho é a lâmpada do corpo. Se teu olho é bom, todo o teu corpo se encherá de luz. Mas se ele é mau, se encherá de escuridão."

"A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz."

"Que mérito vocês terão se amarem aos que os amam? Até os pecadores amam aos que os amam."

"Quem ama a sua vida, perdê-la-á, mas quem odeia a sua vida neste mundo, guarda-la-á para a vida eterna."

"Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus."

"Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração."

"Veja, se eu o enviar para dormir no meio dos lobos, seja esperto como as serpentes e inofensivo como os pombos."

"Aquele que crê em mim nunca estará sozinho."

"Deus não lhe dá mais do que você pode carregar."

"Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo."

"Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo."

"Bem aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus."

"Bem-aventurados os que choram, pois serão consolados."

"O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância."

"A vida é mais importante do que a comida, e o corpo, mais do que as roupas."

"Se alguém te der um tapa, oferece o outro lado da face para outro tapa."

"Quem a si mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado."

"Com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também."

"Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito."
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 27 de Novembro de 2017, 00:19
...

"Agora que vocês sabem estas coisas, felizes serão se as praticarem."

"Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que pedirem?"

"Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito!"

"Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o reino de Deus."

"Ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a guardar todas as coisas que Eu vos tenho ensinado."

"Se acreditas em mim, não temas. E mesmo que morras agora, ainda hoje estarás comigo no paraíso."

"Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido."

"Não existe amor maior do que dar a vida por um amigo."

"Se o teu inimigo quer fazer-te caminhar uma légua, vai com ele duas."

"Quem nunca cometeu um pecado que atire a primeira pedra."

"O homem bom traz coisas boas do bem que carrega em seu coração, e o homem mau revela coisas malignas da maldade que carrega em seu coração. E, ao abrir seu coração, a boca fala."

"Amai os que vos odeiam. Se você ama somente aos que o amam, que diferença terá dos que vos odeiam?"

Amai vossos inimigos, fazei o bem e emprestai sem esperar coisa alguma em troca. Será grande a vossa recompensa, e sereis filhos do Altíssimo."

"Brilhe a sua Luz!"

"Quem não está comigo, está contra mim; e aquele que comigo não colhe, espalha."

"Negue a si mesmo..."

"Quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos com ele, então se assentará no trono da sua glória."

"Qualquer que, nesta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos.'

"Para isto eu nasci e vim ao mundo, para dar testemunho da verdade; todo o que está pela verdade, ouve a minha voz."

"Para isto eu nasci e vim ao mundo, para dar testemunho da verdade; todo o que está pela verdade, ouve a minha voz."

"Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês."

"Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele, isso é que contamina o homem."

"Não se atiram pedras em árvores que não dão frutos."

"Limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de intemperança."

"E a ninguém na terra chameis de vosso pai, pois um só é o vosso Pai, aquele que está nos céus."

"Portanto vigiai, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir."

"Felizes vocês, se forem insultados e perseguidos, e se disserem todo tipo de calúnia contra vocês, por causa de mim. Fiquem alegres e contentes, porque será grande para vocês a recompensa no céu."

"Deixai vir a mim as criancinhas, pois delas é o reino de Deus."

"Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim;
e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora."

"O amor nunca falha, havendo profecias serão aniquiladas, havendo ciências cessarão."

"Os farei pescadores de homens!"

"Olhai os Lírios do Campo que não trabalham e nem fiam e no entanto, nem Salomão em toda a sua glória jamais se vestiu como um deles.
Olhai as aves do céu que não plantam e nem semeiam mas Deus as alimenta e as veste, quanto mais não há de alimentar a vós homens de pouca fé?"

"Porque é pela qualidade da fruta que sabemos se uma árvore é boa ou não presta."

"Vinde a mim todos os cansados e oprimidos que eu vos aliviarei."

"Não dê aos cães o que é sagrado; e não jogue aos porcos as suas pérolas, mas que eles não as pisoteiem e se voltem para atacá-lo."

"Ninguém pode dizer que me segue se não obedece aos mandamentos da Lei de meu Pai.'

"Bem-aventurados os pobres de espírito pois é deles o reino dos céus."

"E se guiar os cegos outro cego, ambos cairão em uma vala."

"Aquele que crer em Mim ainda que esteja "morto" viverá."

"Ninguém acende uma lâmpada e a coloca num lugar onde ficará escondida, ou sob uma tigela. Ao invés disso, coloca-se ela de pé, assim aquele que entrar pode enxergar a luz."

"Tudo o que vocês pedirem em oração, creiam que já o receberam, e assim sucederá."

"O reino de Deus está dentro de você."

"Das ovelhas que meu Pai me confiou, nenhuma se perderá."
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 27 de Novembro de 2017, 00:32
...

"Seja o teu falar: sim, sim; não, não. O que passa disto é de má procedência."

"A candeia do corpo são os olhos. Quando, pois, os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; mas quando forem maus, o teu corpo será tenebroso. Vê então que a luz que há em ti não sejam trevas."

"Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me."

"Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia."

"Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus."

"Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos."

"Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal."

"As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça."

"Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus."

"É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus."

"Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra."

"Peçam, e será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta será aberta."

"De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia."

"Assim como o Pai, que vive, me enviou, e igualmente eu vivo pelo Pai, também quem de mim se alimenta por mim viverá."

"Se vocês tiverem fé do tamanho de uma semente de mostarda, podem dizer a essa montanha: 'Vá daqui para lá', e ela irá. E nada será impossível para vocês."

"A letra que mata serve de véu ao espírito que só vivifica."

"Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes, tenham medo daquele que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno."

"Se eu não te lavar, não tens parte comigo."

"Eu vim pôr fogo na terra, e quero que esse fogo se alastre e tenho pressa que isto aconteça."

"O Reino do Céu é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo. Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E se torna uma árvore, de modo que os pássaros do céu vêm e fazem ninhos em seus ramos."

"O Reino do Céu é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado"

"Eu os estou enviando como ovelhas no meio de lobos. Portanto, sejam astutos como as serpentes e sem malícia como as pombas"

"Quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo, e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo."

"Eu sou a luz que veio ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas."

"Não acumuleis para vós outros tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde ladrões arrombam para roubar."

"A fé remove montanhas."

"Entrem pela porta estreita, porque é larga a porta e espaçoso o caminho que levam para a perdição, e são muitos os que entram por ela!  Como é estreita a porta e apertado o caminho que levam para a vida, e são poucos os que a encontram!"

"Nem todo aquele que me diz ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino do Céu. Só entrará aquele que põe em prática a vontade do meu Pai, que está no céu"

"Assim, se vocês não forem dignos de confiança em lidar com as riquezas deste mundo ímpio, quem lhes confiará as verdadeiras riquezas?"

"As pessoas que têm saúde não precisam de médico, mas só as que estão doentes. Aprendam, pois, o que significa: ‘Eu quero a misericórdia e não o sacrifício’. Porque eu não vim para chamar justos, e sim pecadores."

"Não há nada encoberto que não venha a ser revelado; nem oculto, que não venha a ser conhecido"

"Convertam-se, porque o Reino do Céu está próximo."

"Vocês são o sal da terra. Ora, se o sal perde o gosto, com que poderemos salgá-lo? Não serve para mais nada; serve só para ser jogado fora e ser pisado pelos homens."

"Vocês são a luz do mundo. Não pode ficar escondida uma cidade construída sobre um monte."

"Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazer o mesmo, será considerado o menor no Reino do Céu. Por outro lado, quem os praticar e ensinar, será considerado grande no Reino do Céu."

"Dê a quem lhe pedir, e não vire as costas a quem lhe pedir emprestado"

João 21-24,25

"Este é o discípulo que testemunha a respeito desses acontecimentos e que os escreveu; e sabemos que o seu testemunho é conforme a verdade. Jesus realizou ainda muitas outras maravilhas. Se todas elas fossem escritas uma por uma, acredito eu que nem mesmo o mundo inteiro seria capaz de conter os livros que se escreveriam."
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 27 de Novembro de 2017, 09:54
Siga o exemplo de Jesus Cristo.
Compartilhe Sua Luz
Sirva como Ele serviu.

Siga o exemplo de Jesus Cristo. Compartilhe Sua Luz — sirva como Ele serviu. (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVdjY2F5RDQ1eGdBIw==)
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 27 de Novembro de 2017, 11:19
Jesus para o homem

“E achado em forma como homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz.” – Paulo. (Filipenses, 2:  8 )

O Mestre desceu para servir,

Do esplendor à escuridão...

Da alvorada eterna à noite plena...

Das estrelas à manjedoura...

Do infinito à limitação...

Da glória à carpintaria...

Da grandeza à abnegação...

Da divindade dos anjos à miséria dos homens...

Da companhia dos gênios sublimes à convivência dos pecadores...

De governador do mundo a servo de todos...

De credor magnânimo a escravo...

De benfeitor a perseguido...

De salvador a desamparado...

De emissário do amor à vítima do ódio...

De redentor dos séculos a prisioneiro das sombras...

De celeste pastor à ovelha oprimida...

De poderoso trono à cruz do martírio...

Do verbo santificante ao angustiado silêncio...

De advogado das criaturas a réu sem defesa...

Dos braços dos amigos ao contato de ladrões...

Do doador da vida eterna a sentenciado no vale da morte...

Humilhou-se e apagou-se para que o homem se eleve e brilhe para sempre!

Oh! Senhor, que não fizeste por nós, a fim de aprendermos o caminho da Gloriosa Ressurreição no Reino?


Autor: Emmanuel
Psicografia de Chico Xavier. Do livro: Pão Nosso
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 28 de Novembro de 2017, 16:03
Questão nº 625, de O Livro dos Espíritos
Qual o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem para lhe servir de guia e de modelo?

Respostas

_ Vede Jesus.

Comentário de Kardec:

Jesus é para o homem o tipo de perfeição moral a que pode aspirar a Humanidade na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ele ensinou é a mais pura expressão de sua lei, porque ele estava animado do espírito divino e foi o ser mais puro que já apareceu na Terra.

Se alguns dos que pretenderam instruir os homens na lei de Deus algumas vezes se desviaram para falsos princípios, foi por se deixarem dominar por sentimentos demasiado terrenos e por terem confundido as leis que regem as condições da vida da alma com as que regem a vida do corpo.

Muitos deles apresentaram como leis divinas o que era apenas leis humanas, instruídas para servir às paixões e dominar os homens.
Título: Re: Jesus
Enviado por: Edna☼ em 29 de Novembro de 2017, 11:21
O nascimento de Jesus

[attachimg=1 width=350 align=center]

Diz Lucas, “que a gestação de Maria aproximava-se do final quando o Imperador Cesar Augusto ordenou que se realizasse o recenseamento do povo judeu, e cada um ia alistar-se a sua própria cidade, e José subiu da Galileia a Belém (casa e família de Davi), a fim de alistar-se com sua mulher, Maria, que estava gravida, e ali deu a luz numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem". (Lc, 2:1-7)

Herculano Pires acredita que esse deslocamento do casal teria sido uma tentativa de acomodar o nascimento de Jesus na cidade de Belém, porque lá é que nasceria o Messias, como profetizado por Miqueias (5:2). E, acrescenta que “para nós, porém não importa tanto a exatidão de local, dia, mês e ano em que Jesus tenha nascido, e sim que esse Espírito altamente evoluído veio a Terra, para nos orientar espiritualmente."


Fonte da consulta: 
A Bíblia de Jersusalém.
Jesus o Cristo, Therezinha Oliveira.

Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 03 de Dezembro de 2017, 22:58
Jesus

O que as pessoas dizem sobre ele !

“Jesus de Nazaré . . . é sem dúvida o personagem que mais se destacou na história.”
— H. G. Wells, historiador inglês.

“Cristo se destaca como . . . único e exclusivo entre todos os heróis da história.”
— Philip Schaff, teólogo e historiador suíço.

Quem tem as credenciais para ser chamado de o maior homem que já viveu?
Como se avalia a grandeza de um homem?
Por sua habilidade militar?
Sua força física?
Sua capacidade mental?
Ou pela extensão com que suas palavras e ações afetam as pessoas e pelo exemplo que ele estabelece para outros?

Note o que historiadores, cientistas, eruditos, escritores, líderes políticos e outros do passado e do presente  disseram sobre o homem de Nazaré, Jesus Cristo:

“É preciso ter uma imaginação bastante fértil para dizer que a figura mais influente, não apenas nestes dois milênios, mas em toda a história humana, não tenha sido Jesus de Nazaré.”
— Reynolds Price, escritor e erudito bíblico americano.

“Um homem que era totalmente inocente se entregou como sacrifício pelo bem de outros, incluindo seus inimigos, e se tornou o resgate do mundo. Foi um ato perfeito.”
— Mohandas Gandhi, líder político e espiritual da Índia.

“Quando eu era criança, fui instruído tanto na Bíblia como no Talmude. Sou judeu, mas fico fascinado pela personalidade brilhante do nazareno.”
— Albert Einstein, cientista alemão.

“Para mim, Jesus Cristo é a personalidade mais notável de todos os tempos, de toda a história, como Filho de Deus e como Filho do Homem.
Tudo o que ele disse ou fez tem valor para nós hoje, e isso é algo que você não pode dizer sobre qualquer outro homem, vivo ou morto.”
— Sholem Asch, ensaísta polonês conforme citado na revista The Christian Herald; o grifo é deles.

“Por trinta e cinco anos eu fui, no pleno sentido da palavra, niilista, um homem que não acreditava em nada.
Comecei a ter fé cinco anos atrás.
Acreditei na doutrina de Jesus Cristo e toda minha vida passou por uma transformação repentina.”
— Conde Leo Tolstoi, romancista e filósofo russo.

“[Jesus] foi a pessoa mais influente que já viveu neste planeta e sua influência continua aumentando.”
— Kenneth Scott Latourette, historiador e autor americano.

“Devemos supor que a história da vida de Jesus é mera ficção?
Realmente, meu amigo, ela não parece ficção.
Pelo contrário, a história de Sócrates, que ninguém ousa duvidar, não é tão bem documentada como é a de Jesus Cristo.” — Jean-Jacques Rousseau, filósofo francês.

Fica claro que, se alguém merece ser modelo para nós, esse alguém é Jesus Cristo.

Paulo, um homem instruído do primeiro século, escolhido por Jesus para ser Seu seguidor e para falar sobre Ele a todas as nações, nos exorta a ‘olhar atentamente’ para Jesus. (Hebreus 12:2; Atos 9:3)

 "Conseguir inventar ou criar a história de uma vida como a de Jesus seria um milagre maior do que foi Sua existência real."
- Rousseau:

 "Com todos os meus exércitos e generais, por um quarto de século não consegui subjugar nem um único continente. E esse Jesus, sem a força das armas, vence povos e culturas por dois mil anos."
- Napoleão, que cobriu de guerra a metade da Europa, escreveu em seu diário ao final de sua vida:

Ao conhecido historiador H. G. Wells foi perguntado: quem mais influenciou e marcou a história? Ele respondeu que, considerando a grandeza de uma personalidade conforme os aspectos históricos, a pessoa de Jesus Cristo está em primeiro lugar.

E o historiador Kenneth Scott Latourette afirmou: "Quanto mais o tempo passa, mais óbvio se torna que Jesus, por Sua influência na história, viveu neste planeta a vida de maior significado para a humanidade. E Sua influência parece aumentar mais e mais".

Ernst Renan fez a seguinte observação: "Na área religiosa, Jesus é a figura mais genial que jamais viveu. Seu brilho é de natureza eterna e Seu reinado jamais acaba. Ele é único em qualquer sentido e não pode ser comparado a ninguém. Sem Cristo não se entende a história."

A Bíblia nos ensina que Jesus Cristo é maior que tudo. Só na Epístola aos Hebreus encontramos as seguintes afirmações:

Jesus é maior que os anjos
(Hebreus 1.1 a 3.19). 

Jesus é maior que o sacerdócio de Arão
(Hebreus 4.1 a 6.20).

Jesus é maior que as revelações do Antigo Testamento
(Hebreus 7.1 a 8.13).

Jesus é maior que todos os santuários e sacrifícios do Antigo Testamento
(Hebreus 9.1 a 10.39).

Jesus é o Autor e Consumador de toda a fé
(Hebreus 11.1 a 12.3).

(textos colhidos na internet)
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 03 de Dezembro de 2017, 23:03
Jesus Alegria dos Homens

(Coral em Português)

Jesus Alegria dos Homens (Coral em Português) (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTBORnM0TnpTODJFIw==)
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 03 de Dezembro de 2017, 23:23
JESUS

Por;
CHICO XAVIER E HERCULANO PIRES:



Do que posso pessoalmente compreender, dos ensinamentos dos Espíritos Amigos, consideramos Jesus Cristo como sendo Espírito de evolução suprema, em confronto com a evolução dos chamados terrícolas que somos nós outros.

Não o senhor do sistema solar, com todo o respeito que temos à personalidade sublime de Jesus, mas consideramo-lo como supremo orientador da evolução moral do Planeta.

E os Espíritos como Buda, como Zoroastro, como aqueles outros grandes instrutores da índia e da Grécia, por exemplo, que eram considerados orientadores ou chefes de grandes movimentos mitológicos, serão ministros do Cristo, pois não temos ainda outra definição para classificá-los, dentro nossos parcos conhecimentos a respeito da nossa História no lado espiritual da vida. 

Vemos que Jesus convidou doze discípulos, Eram discípulos humanos tanto quanto nós, para que não fôssemos instruídos por anjos, pois senão nada entendei da Doutrina do Cristo.

Teríamos de entender a discípulos também humanos, frágeis portadores de deficiências como as nossas, embora respeitemos, nos doze, personalidades eminentemente elevadas em nossa posição atual na Terra.

Mas, do plano espiritual Ministros do Senhor cooperaram, cooperam e cooperarão sempre para que a nossa personalidade se consolide cada vez mais no plano físico. 

Nós estamos, vamos dizer, no limiar da era do espírito, mas estamos ainda sacudidos por grandes calamidades psicológicas, como a Terra no seu início, como habitação sólida, esteve movimentada por grandes convulsões. 

Psicologicamente estamos sacudidos por esses movimentos que dificultam a nossa compreensão.

Mas os Ministros do Senhor estão cooperando para que alcancemos a segurança, com a estabilidade precisa, para que o Planeta seja realmente promovido a mundo de paz e felicidade para todos os seus habitantes. (Não sei se expliquei bem). 

O Criador, a nosso ver, conforme ensinam Espíritos Amigos que nos visitam — é o Criador.

Não podemos ainda ter outra definição de Deus mais alta do que aquela de Jesus Cristo quando o chamou de Pai Nosso.

Além disso, a nossa mente vagueia como se estivéssemos em águas demasiadamente profundas, sem recursos para tatear a terra sólida.

Pai Nosso, Deus Criador do Universo. Então, a força que Deus representa ter-se-ia manifestado em Jesus Cristo para que ele, como um grande engenheiro, de mente quase divina, pudesse realizar prodígios sob a inspiração de Deus na plasmagem, na estruturação do mundo maravilhoso que habitamos.

Mas não consideramos Jesus como criador, conquanto o respeito que lhe devemos. Acho formidável o que o Prof. Herculano Pires disse.

Quer dizer que Jesus seria o demiurgo da Terra.

E o demiurgo do sistema solar será, então, um demiurgo da mais alta potência construtora.

A esse respeito peço licença para dizer que certa feita, indagando de Emmanuel qual a posição de Jesus no sistema solar, ele me respondeu que ficasse, a respeito de Deus, com a expressão do Pai Nosso dita por Jesus e não perguntasse muito, porque eu não tinha mente capaz de entrar no domínio desses conhecimentos com a segurança precisa.

Eu insisti e ele então desdobrou um painel à minha vista, num fenômeno mediúnico. Apareceu então a Terra na Comunidade dos Mundos do nosso sistema evolutivo em torno do Sol.

O nosso Sol, depois, em outra face do painel, evoluindo para a constelação que se não me engano, é chamada de Andrômeda.

Depois, essa constelação, arrastando o nosso sistema e outros, evoluía em direção a outra constelação que já não tinha nome na minha cabeça.

Essa outra constelação avançava para outra muito maior dentro da nossa galáxia.

Depois, apareceu a nossa galáxia, imensa, como se uma lente de alta potencialidade estivesse entre os meus olhos e o painel.

E a nossa galáxia evoluía com outras galáxias em torno de uma nebulosa enorme e que Emmanuel me disse que passava a evoluir, em torno de outras nebulosas.

Então, a minha cabeça ficou cansada e eu pedi para voltar, como se tivesse saído de um foguete da Terra e me perdesse pelo espaço a fora e sentisse uma vontade louca de voltar a ser gente e ficar outra vez no meu lugar.

Porque tudo está dentro da Ordem Divina. Cada mundo, cada sistema, cada galáxia, orientados por Inteligências Divinas, e Deus para lá disso tudo, sem que possamos fazer-lhe uma definição.

Senti uma vontade enorme de voltar para a minha cama e tomar café quente!

Chico Xavier

.............

A explicação de Chico Xavier vale por uma definição da posição espírita ante o problema do Cristo.

O chamado “Dogma de Cristo” é uma criação da teologia cristã, mas não dos Evangelhos, onde a posição de Jesus é bem clara, considerando-se ele mesmo como filho de Deus e nosso irmão, pois também se chamava a si próprio de filho do homem.

O Natal de Jesus, portanto, não é o Natal de Deus. A visão mediúnica do Cosmos, descrita por Chico Xavier, dá-nos a ideia grandiosa do Criador através da sua obra.

A posição espírita no assunto é considerada herética pelas religiões cristãs que chegam mesmo a negar ao Espiritismo a sua natureza cristã.. Com mais razão, com mais lógica, os espiritistas consideram herética a doutrina que faz de Jesus a encarnação de Deus.

Mas nem por isso os espiritistas deixam de participar das comemorações do Natal que consideram como o dia da fraternidade humana por excelência, traduzida em caridade efetiva na assistência aos necessitados.

Assim, o princípio do amor supera as divergências teológicas, unindo todos os cristãos na adoração espiritual do Cristo e no cumprimento da sua lei única: a de amarmos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.

O fundamento do Universo é uma lei única: a lei do amor. Dela derivam todas as leis conhecidas e desconhecidas. Deus é amor, definiu João no seu Evangelho. E Jesus resumiu toda a Lei e os Profetas na lei áurea do amor. É o poder do amor que faz as galáxias girarem no infinito e as constelações atômicas girarem no infinito.

Irmão Saulo ( Pseudônimo de Herculano Pires)


Do livro “Na Era do Espírito”. Psicografia de Francisco C. Xavier e Herculano Pires.
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 08 de Dezembro de 2017, 18:54
A PEDAGOGIA DE JESUS
por J. HERCULANO PIRES

O pensamento pedagógico, orientador dos processos educacionais superiores, resulta da reflexão sobre os problemas da educação. Jesus não era um educador no sentido comum da palavra. Não possuía, como homem, nenhum experiência educativa. Sua profissão era a do pai, segundo a tradição familiar: carpinteiro. Deixando de lado os problemas referentes à sua origem e natureza divinas e encarando humanamente os fatos poderíamos falar numa Pedagogia de Jesus?

A História nos mostra o aparecimento de gênios que superaram por si mesmos as deficiências de sua formação cultural e deram lições aos mestres qualificados. Esse é um capítulo que constitui verdadeiro mistério da Ontogênese, a ciência que trata da formação dos seres. Mas no Espiritismo o problema se esclarece facilmente com a lei da reencarnação.

Esta lei nos explica que os espíritos se encarnam em diferentes graus de evolução, o que por sua vez explica as vocações que superam o meio cultural em que nascem certas criaturas e consequentemente resolve o problema da genialidade.

O que revela a existência de um pensamento pedagógico na orientação educacional dada por um mestre não são os seus títulos, são as coordenadas e a estrutura do seu ensino. Toda pedagogia se funda numa filosofia. No caso de Jesus a filosofia básica é a dos Evangelhos. Essa filosofia, que é a própria essência do Cristianismo, fornece a Jesus as diretrizes e dela resulta o reconhecimento, já largamente efetuado no plano pedagógico, de uma verdadeira Pedagogia de Jesus.

Francisco Arroyo, em sua monumental "História Geral da Pedagogia", sustenta o seguinte: "Com o Cristianismo aparece um novo tipo histórico de educação. –– Jesus é o modelo perfeito do mestre cristão. Clemente de Alexandria chama-o de Pedagogo da Humanidade". O mesmo autor nos fornece esta breve mas expressiva lista de obras a respeito: "Cristo como mestre e educador, de S. Raue, Berlim, 1902; "Didática de Cristo", Metzler, publicado em Kempton, 1908; "Jesus, educador de seus apóstolos", G. Delbrel, Paris, 1916".

Os historiadores da Educação e da Pedagogia, entre os quais Monroe, Hubert, Luzuriaga, Marrou, Riboulet, Messer, Bonatelli, todos reconhecem a existência de uma Pedagogia de Jesus que deu origem às várias formas da Pedagogia Cristã, nascida, como nota Arroyo, entre as formas pedagógicas da Humanitas latina e da Paidéia grega. Não se trata, pois, de uma novidade ou de um problema controverso, mas de assunto pacífico no campo pedagógico.


Fundamentos pedagógicos


Os fundamentos pedagógicos do ensino de Jesus estão na sua concepção do mundo, abrangendo o homem e a vida. Essa cosmovisão se opõe à concepção pagã e à concepção judaica. Jesus, assim, não é apenas um reformador religioso, mas um filósofo na plena acepção da palavra.

Ele modifica a visão antiga do mundo e essa modificação atinge a todas as filosofias do tempo, não obstante os pontos de concordância existentes com várias delas. Bastaria isso para nos mostrar, à luz da Ciência da Educação, a legitimidade da tese que inclui Jesus entre os grandes educadores e pedagogos, colocando-o mesmo à frente de todos. Não se trata de uma posição religiosa, mas de uma constatação científica.

A comparação entre a idéia de Deus do Velho Testamento e a idéia de Deus do Novo Testamento mostra-nos a diferença entre o mundo judeu e o mundo cristão. O Deus de Jesus é o pai de todas as criaturas, sem distinção de raças ou posições sociais. Essa paternidade universal determina a fraternidade universal.

O Deus-Pai do Evangelho não é vingativo nem irado, não comanda exércitos para destruir povos e nações, mas ama a todos os seus filhos, quer a salvação de todos e a todos concede o seu perdão generoso. Como diria Paulo mais tarde, o tempo da lei e da força fora substituído pelo tempo da graça e do amor.

Os deuses olímpicos, cheios de paixões humanas, e os deuses brutais dos fenícios e dos babilônios, os deuses monstruosos dos egípcios, dos indianos e dos chineses são substituídos pelo Deus-amor e paternal do Evangelho. O próprio Jeová irascível dos judeus, ciumento e vingativo, perde o seu poder sobre o mundo. Os pobres, os doentes, os sofredores, os escravos deixam de ser os condenados dos deuses e passam à categoria de bem-aventurados.

Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 08 de Dezembro de 2017, 18:57
Os deuses olímpicos, cheios de paixões humanas, e os deuses brutais dos fenícios e dos babilônios, os deuses monstruosos dos egípcios, dos indianos e dos chineses são substituídos pelo Deus-amor e paternal do Evangelho.

O próprio Jeová irascível dos judeus, ciumento e vingativo, perde o seu poder sobre o mundo. Os pobres, os doentes, os sofredores, os escravos deixam de ser os condenados dos deuses e passam à categoria de bem-aventurados. A virtude não está mais na bravura e no heroísmo sangrento de gregos e romanos, mas na paciência e no perdão. Dar é melhor do que conquistar, humilhar-se é melhor do que vangloriar-se, responder ao mal com o bem é a regra da verdadeira pureza espiritual .

Os mortos não estão mortos, nem mergulhados nas entranhas da terra à espera do juízo final, mas estão mais vivos que os vivos.
Da velha lei judaica não é modificado um só ponto referente ao bom procedimento do homem da Terra, mas tudo o mais é substituído pelo contrário. O culto a Deus é virado pelo avesso: nada mais de sacrifícios materiais, de rituais simbólicos, de privilégios sacerdotais.

O único sacrifício é o das más paixões, do orgulho, da arrogância, da cupidez. A vaidade e a ambição devem dar lugar à humildade e à renúncia. A ignomínia da cruz transforma-se em santificação. As pitonisas e os oráculos são substituídos pelas manifestações mediúnicas das reuniões evangélicas, como vemos em Paulo, I Coríntios.

O objetivo da vida humana não é mais a conquista do céu pelo violência, mas a implantação do Reino de Deus na Terra. As riquezas e o poder não são coisas desejáveis e invejáveis, mas fascinações perigosas que podem levar a criatura humana à perdição. As crianças não são desprezíveis, mas as preferidas de Deus, e para nos tornarmos dignos d'Ele temos de nos fazer crianças. Matar os pequeninos, os inocentes, os indefesos não é prova de valentia e de coragem, mas crime aos olhos de Deus.

Não se consegue a salvação pela obediência à lei e pelos rituais do culto (as obras da lei), mas pelo aperfeiçoamento do espírito, pela purificação do coração, pela educação integral da criatura. Por isso é preciso nascer de novo –– não em forma simbólica, mas naquele sentido que Nicodemos não podia compreender: nascer da água e do espírito (a água era o símbolo da matéria, do poder fecundante e gerador), nascer para se redimir, não da desobediência de Adão e Eva, mas dos seus próprios erros, como aconteceu ao cego de Jericó, como sucedera a Elias reencarnado em João Batista.

A pedagogia da esperança

Desses princípios fundamentais resultava logicamente a Pedagogia da Esperança. A educação não era mais o ajustamento do ser aos moldes ditados pelos rabinos do Templo, a imposição de fora para dentro da moral farisaica, mas o despertar das criaturas para Deus através dos estímulos da palavra e do exemplo. A salvação pela graça não era um privilégio de alguns, mas o direito de todos. Jesus ensinava e exemplificava e seus discípulos faziam o mesmo.

Chamava as crianças a si para abençoá-las e despertar-lhes, com palavras de amor, os sentimentos mais puros. Nem os apóstolos entenderam aquela atitude estranha: um rabi cheio da sabedoria da Torá perder tempo com as crianças ao invés de ensinar coisas graves aos homens. Mas Jesus lhes disse: "Deixai vir a mim os pequeninos, porque deles é o Reino dos Céus".

Sua condição de mestre é afirmada por ele mesmo: "Vós me chamais mestre e senhor, e dizeis bem, porque eu o sou". Sim, ele é o mestre do Mundo, o senhor dos homens, de todos os homens, sem qualquer distinção. Cada criatura humana é para ele um educando, um aluno, como escreveu o Dr. Sérgio Valle: "matriculado na Escola da Terra". Assim, a Terra não é mais o paraíso dos privilegiados e o inferno dos condenados. É a grande escola em que todos aprendemos, em que todos nos educamos. A Pedagogia da Esperança oferece a todos a oportunidade de salvação, porque a salvação está na educação.

Vejamos este expressivo trecho de Francisco Arroyo em sua "História Geral da Pedagogia":

"Jesus possui todas as qualidades do educador perfeito. Os recursos pedagógicos de que se serve conduzem o educando, com feliz e profunda alegria, à verdade essencial dos seus ensinos. Por isso pode sacudir e despertar a consciência adormecida do seu próprio povo, asfixiado sob o peso excessivo da lei mosaica e da política imperialista da época".

"Os ensinos de Jesus são sempre adaptados aos ouvintes. Ele pronuncia as suas palavras de forma compreensível para todos, sempre nas ocasiões mais oportunas. Recorre freqüentemente às imagens e parábolas, dando maior plasticidade às suas idéias".

"A Pedagogia do mestre é também gradual. Não cai jamais em precipitações que possam fazer malograr o aprendizado. Semeia e espera que as sementes germinem e frutifiquem: Tenho ainda muito a vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora".
"Como todo educador genial, Jesus emprega em alto grau a arte de interrogar, de expor, de excitar o interesse dos discípulos. Seus colóquios decorrem sempre num ambiente de incomparável simpatia. É digno, severo, paciente, segundo as circunstâncias e os interlocutores".

Os seus ensinos são claros e intuitivos. Cria figuras literárias e busca exemplos da vida cotidiana para esclarecer o seu pensamento. Aperfeiçoou a forma da parábola e revestiu-a de incomparável esplendor" (Riboulet).

"Seus ensinos têm um toque de autoridade (Eu sou o caminho , a verdade e a vida, todo o poder me foi concedido). Mas exerce com suavidade a sua autoridade. Responde com bondade aos contraditores de boa fé e com energia aos que querem combatê-lo".

A revolução pedagógica

Este quadro da didática de Jesus (aplicação da sua pedagogia) mostra-nos as raízes da revolução pedagógica do Cristianismo. Costuma-se dizer, e com razão, que Rousseau produziu uma revolução copérnica na educação. Mas a seiva de toda a Pedagogia de Rousseau foi bebida na Pedagogia de Jesus.

O "Emílio" começa por esta frase: "Tudo está certo ao sair das mãos do Criador". Os homens, para Rousseau, nascem bons e puros, pois Deus é bondade e pureza. Mas ao entrarem nas relações sociais do mundo sofrem a queda na maldade e na impureza. É o dogma judeu da queda de Adão e Eva racionalizado numa interpretação cristã. Para Jesus a criança é pura e boa, mas o contato com os homens vai deformá-la e os homens precisam voltar a ser crianças para entrar no Céu.

A descoberta copérnica da psicologia infantil por Rousseau corresponde à diferença estabelecida por Jesus entre a criança e o homem. A respeito de Rousseau pelo desenvolvimento natural e gradual da criança, que não deve ser perturbado por exigências prematuras do ensino, eqüivale à condenação de Jesus para todos aqueles que violentarem "um desses pequeninos".

A educação natural de Rousseau, seguindo a graduação necessária do desenvolvimento psicológico e orgânico, lembra o respeito de Jesus pelas condições evolutivas do homem nos seus vários estágios, guardando os ensinos mais profundos para mais tarde. É o que Arroyo chama "o método agógico da Pedagogia de Jesus".
Uma comparação mais rigorosa e pormenorizada provaria de sobejo que é Jesus o pai e o verdadeiro inspirador da Pedagogia Moderna.

Houve naturalmente o interregno do medievalismo, quando as interpretações errôneas do Cristianismo e as infiltrações de idéias judaicas e pagãs na escola cristã a deformaram. Mas essa fase já havia sido prevista pelo Mestre e esse fenômeno confirma o seu respeito pelas leis naturais da evolução humana.

A parábola do grão de trigo, ensino dialético do processo histórico, é suficiente para demonstrar isso. A parábola do fermento que leveda a farinha é outra confirmação.

E dessas duas parábolas, reforçadas pela promessa do Espírito da Verdade, que seria enviado ao mundo para restabelecer os seus ensinos, ressalta que a Pedagogia Espírita é a própria ressurreição, no tempo devido e previsto no Evangelho, da Pedagogia de Jesus. A Educação Espírita que renasce em espírito e verdade.

................

http://www.sociedadedosespiritos.com/2017/04/a-pedagogia-de-jesus-por-j-herculano.html
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 08 de Dezembro de 2017, 19:47
“E ele lhes disse:
Vamos às aldeias vizinhas para que eu ali também pregue; porque para isso vim.
(MARCOS, capítulo 1, versículo 38.)


Neste versículo de Marcos, Jesus declara ter vindo ao mundo para a pregação.

Todavia, como a significação do conceito tem sido erroneamente interpretada, é razoável recordar que, com semelhante assertiva, o Mestre incluía no ato de pregar todos os gestos sacrificiais de sua vida.

Geralmente, vemos na Terra a missão de ensinar muito desmoralizada.

A ciência oficial dispõe de cátedras, a política possui tribunas, a religião fala de púlpitos.

Contudo, os que ensinam, com exceções louváveis, quase sempre se caracterizam por dois modos diferentes de agir.

Exibem certas atitudes quando pregam, e adotam outras quando em atividade diária.

Daí resulta a perturbação geral, porque os ouvintes se sentem à vontade para mudar a “roupa do caráter”.

Toda dissertação moldada no bem é útil. Jesus veio ao mundo para isso, pregou a verdade em todos os lugares, fez discursos de renovação, comentou a necessidade do amor para a solução de nossos problemas.

No entanto, misturou palavras e testemunhos vivos, desde a primeira manifestação de seu apostolado sublime até a cruz.

Por pregação, portanto, o Mestre entendia igualmente os sacrifícios da vida.

Enviando-nos divino ensinamento, nesse sentido, conta-nos o Evangelho que o Mestre vestia uma túnica sem costura na hora suprema do Calvário.

EMMANUEL
Livro: CAMINHO, VERDADE e VIDA
pelas mãos de Chico Xavier
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 13 de Dezembro de 2017, 22:42
A REALEZA MORAL DE JESUS

A história do Mestre Jesus é uma das mais belas da humanidade. Desde o seu nascimento vemos a sua presença amorosa iluminando simbolicamente o nosso mundo de dor, no desejo de resgatar o homem dos enganos e erros em que se metera, ignorando, voluntariamente, dos primeiros profetas às mais antigas civilizações, o Deus que há de trazer a juízo toda obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau, conforme exorta a Bíblia em Eciesiastes (12:14).

Sua presença fraterna e humilde, simples e majestosa, firme e poderosa, lembra a visita de uma estrela brilhante em meio ao mar revolto e ameaçador.

Todavia, paradoxalmente, sua história de vida na Terra e sua grandiosa missão de amor estão recheadas de episódios tristes e injustos que o desatino humano não deixou de provocar. Incompreendido, repudiado, perseguido, só encontrou obstáculos, humilhações, dificuldades e hipocrisia daqueles que viera salvar e despertar para as luzes espirituais do reino de Deus; e cujas almas decidira elevar para o mundo superior através dos ensinamentos da fraternidade, do amor e da caridade.

O reino que Jesus veio apresentar e chefiar na Terra, na qualidade de embaixador da Paz, não era e continua não sendo deste mundo. Sua realeza jamais esteve representada pelos títulos honoríficos dos estados políticos humanos, mas pela moral evangélica da qual se fazia iluminado portador. "( ... ) a realeza moral se prolonga e mantém o seu poder, governa, sobretudo, após a morte': explicam os Espíritos em O Evangelho Segundo o Espiritismo (capítulo 2, A realeza de Jesus, item 4).

Pela sua grandeza, Jesus não é um beneficiado do Pai no sentido de pertencer a uma espécie diferente da criação. Nem foi criado já virtuoso e perfeito. Como todos os seres da Criação, certamente fez sua majestosa caminhada nas estradas comuns dos mundos materiais, espalhados pelo Universo, de onde saiu vitorioso na livre escolha dos caminhos por onde passou e emancipou-se espiritualmente.

Modelo único na Terra, no sentido de apresentar as maiores virtudes já presenciadas pelo homem, inigualável no exemplo, imbatível nas provas, mestre nas lições e irmão na dor, as virtudes que o animam correspondem à vitória do espírito sobre a matéria, da alma sobre o mundo, do amor sobre o ódio, da consciência limpa e em paz sobre os tormentos íntimos.

Para o ser vulgar, que constitui a realidade de todos os homens na Terra, a existência humana é de trabalho incessante e os derradeiros sofrimentos são a coroa do testemuunho (apóstolo Paulo in Paulo e Estevão, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, pág. 450). Já para Jesus, ela é a representação do amor no seu grau maior em perfeita sintonia com o Criador.

Caso tenhamos dúvida sobre o porquê de nossa presença neste planeta e do objetivo da vida, eis o humilde carpinteiro, presença viva, espelho e exemplo perenes para os nossos corações, impulsionando nossa alma para o aprendizado regenerador.

A felicidade, segundo ensinou, está ao alcance de todos, necessitando apenas que cada um caminhe na sua direção, buscando-a como objetivo maior de vida. Não a felicidade terrena de consolo passageiro, personificada pelas aquisições que a Terra fornece e permite, mas a da alma livre que após percorrer a sua estrada de Damasco, nas provas da vida, emancipa-se no sofrimento, desperta na dor e realiza-se na humildade. Eis a escrita que reconhecemos e a única com poder de nos impulsionar ao progresso do próprio ser. O bom combate, como nos define o bondoso Emmanuel.

Aprendemos ainda com a espiritualidade que o Espírito para chegar à perfeição deve saber de tudo, (O Livro dos Espíritos, questão 898), o que nos dá a nossa medida no mundo e impõe silêncio aos orgulhosos e egoístas. Muito nos falta ainda para adquirir a nossa emancipação espiritual e conquistar os próprios sentimentos e pensamentos.

Ao invés de nos sentirmos derrotados, seja isso motivo de desafio para a nossa alma rebelde, necessitada de disciplina e de muito trabalhar nas aquisições morais do Bem. Com o alerta de que a moral sem as ações é a semente sem trabalho (LE, questão 905).

E quando falamos em ações, voltamos à fonte inesgotável do exemplo crístico que vivenciou cada lição, exemplificou cada ensinamento. O Mestre da Galiléia permanece vivo, pois a sua realeza está calcada no cumprimento da lei de Deus. A mesma a qual estamos todos subordinados infinita e eternamente.

Entender esta lei e cumpri-la está no destino universal de todos os seres.

Cabe hoje ao Espiritismo revelá-la em sua grandeza, dando ao homem da Terra a sua natureza divina e espiritual e explicando que somente com muito amor no coração e sincero arrependimento na alma se evolui. Ou como define a espiritualidade: É preciso fazer o bem no limite de suas forças, porque cada um responderá por todo o mal que resulte do bem que não tiver feito, (LE, questão 642).

Por:
Eliana Thomé
Em;
O Semeador - julho/07
Título: Re: Jesus
Enviado por: lconforjr em 15 de Dezembro de 2017, 15:49
Não há dúvida alguma que o homem chamado Jesus demonstrou uma realeza moral digna de ser imitada por todos; mas porq conseguiu ele chegar a esse estado moral tão elevado e nós, tb filhos de Deus como ele, estamos tão distantes desse nível moral a que ele chegou?
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Dezembro de 2017, 23:11
Não há dúvida alguma que o homem chamado Jesus demonstrou uma realeza moral digna de ser imitada por todos; mas porq conseguiu ele chegar a esse estado moral tão elevado e nós, tb filhos de Deus como ele, estamos tão distantes desse nível moral a que ele chegou?

Olá Iconforjr!
Sua resposta foi brilhantes
Realmente não há dúvidas
E em nós há ainda muitas dúvidas

E realmente todos somos filhos de Deus
E sua colocação éerfeita
E estamos sim
Distantes deste nível moral

Mas veja a bondade do Cristo
Veio nos ensinar em exemplos e palavras

É isso ai!

muito obrigado pela sua ponderação
Digna mesmo de um estudioso

Agora!

Resta-nos caminhar na senda do bem

Abraços!
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Dezembro de 2017, 23:15
Elevação Espiritual


A elevação espiritual não se nos incorpora à vida:

nem pela prosperidade;

nem pela carência;

nem pelo renome;

nem pela obscuridade;

nem pela cultura intelectual;

nem pela insipiência;

nem pela autoridade humana;

nem pela condição de subalternidade;

nem pelo ajustamento à vida considerada normal;

nem pelos conflitos psicológicos que se carregue;

nem pelos amigos;

nem pelos adversários;

nem pelo elogio;

nem pelo desapreço da injúria.

A elevação íntima depende unicamente de nossa reação pessoal ao aceitar e usar para o bem tudo isso.


Albino Teixeira
(In: ‘Mãos marcadas’ - Francisco Cândido Xavier)
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 15 de Dezembro de 2017, 23:57
NOS PASSOS DO MESTRE

NOS PASSOS DO MESTRE - FILME COMPLETO (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWdzdWNTUFh1dFJvIw==)


Filme sobre a obra de Jesus Cristo, realizado por meio de pesquisa espírita com uma visão inédita. Ele mostra Jesus como um educador e pacifista por excelência e levanta dúvidas sobre trechos polêmicos, como a virgindade de Maria, a Ressurreição de Lázaro e do próprio Jesus e a traição de Judas. Filmado em Israel, Egito, Turquia, Itália e no Brasil, o longa apresenta dramatizações de trechos da vida de Jesus Cristo e de Allan Kardec, fundador do espiritismo.
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 16 de Dezembro de 2017, 20:45
JESUS

Reis, juizes, heróis, generais e tiranos,
Entre o ouro e o poder, de vitória em vitória,
Comandaram na Terra a vida transitória,
Erguendo sobre o povo os braços soberanos.

E passaram fremindo, arrojados e insanos,
Ébrios de ostentação e famintos de glória,
Detendo-se, porém, nos túmulos da História,
Relegados à dor de cruéis desenganos.

Mas o Cristo, na palha, humilde e pequenino,
Traz consigo somente o Coração Divino,
Na exaltação do bem que ilumina e socorre...

E, brilhando por sol generoso e fecundo,
Em todas as Nações que engrandecem o mundo
É sempre o Excelso Rei do amor que nunca morre.

Amaral Ornellas
Francisco Cândido Xavier
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 25 de Dezembro de 2017, 16:35
Falando a Jesus no Natal

(A mensagem de Natal do ano de 1990)

Já se tornou tradição, no Movimento Espírita do Brasil — abençoada tradição! — a mensagem de Natal psicografada, todos os anos, pelo querido companheiro Francisco Cândido Xavier, que a imprensa espírita divulga amplamente e as instituições mandam imprimir para farta distribuição.

Apressamo-nos a publicar a mensagem de Natal, psicografada em 29 de setembro de 1990, no Grupo Espírita da Prece, em Uberaba, Minas Gerais.

Nosso objetivo é brindar os leitores com a leitura do soneto de nossa benfeitora Maria Dolores, com eles dividindo a alegria de conhecer a linda e espiritualizada produção.

1 Senhor, o Teu Natal de novo se descerra…
Ouve-se mais de perto as vozes cristalinas
Dos pastores que ouviram as palavras divinas:
— “Glória a Deus no alto céu e paz na Terra!…”

2 Proclamando a verdade que não erra,
Amas, trabalhas, sofres mas ensinas…
Não possuis arma alguma, entretanto, dominas,
Com a força do bem que a Tua vida encerra.

3 Conquistadores passam nos milênios,
Carrascos, sob a máscara de gênios,
Ficas, porém, conosco, em nosso amor profundo!…

4 Cantamos Teu Natal, sobre guerras e povos,
Sabendo que és, com Deus, também nos tempos novos
A esperança da paz e a luz do amor no mundo.

Maria Dolores

Chico Xavier — Mandato de amor — Autores diversos — 3ª Parte

(Fonte: “O Espírita Mineiro”, número 213, maio/agosto de 1990.)
Título: Re: Jesus
Enviado por: Dothy em 29 de Dezembro de 2017, 20:23
Boa noite amigos do Fe.. que a paz envolva seus corações neste cantinho de estudo e reflexão


Boa noite amigo  Moisés... Que lindo tema para o estudo deste mês


Jesus

Chegou ao mundo nos braços de uma tecelã e de um modesto carpinteiro, cercado pela moldura da natureza em festa.

A Sua vida se desenvolveu, desde cedo, demonstrando a que viera, quando dialogou com os doutores do templo, aos 12 anos de idade, conforme rezam as tradições. Conviveu com todos os tipos de criaturas, exaltando a simplicidade e a alegria de viver, a fidelidade ao bem e a fraternidade, a responsabilidade nos atos e o amor.

Falou sobre o bem, sentindo-o.

Ensinou o bem, vivenciando-o e a ele se entregando.

Passou pela Terra como a brisa que sopra na primavera, deixando o aroma da Sua passagem, numa verdadeira floração de bênçãos variadas.

Esteve no mundo como um marco de permanente esperança, insuflando coragem nas almas aterradas de pavor ante as próprias deficiências.

Viveu no planeta entre a luz do Céu e as almas umbrosas da Terra, buscando levantar o coração humano para as altitudes felizes, onde vibram os seres angélicos dos quais Ele fazia parte.

Aquilo que afirmou como fundamental à alegria e à paz tratou de expressar em Sua vida, na condição de Modelo e de Guia de todos nós, por isso amou os Seus e por eles deu a própria vida; atendeu às necessidades das almas enfermas que O buscaram; ofereceu a água fresca da Sua dedicação, a fim de que não mais sede tivesse quem dela bebesse; saciou a fome de entendimento, de conhecimento e de carinho, tudo havendo transformado no sublime pão da vida; apresentou-Se atencioso e verdadeiro para com Seus discípulos, ajustado à posição de Mestre inigualável.

Acompanhando os movimentos da Humanidade através das eras, identificamos nobres e respeitáveis almas que, na postura de líderes ou de condutores sociais, pregaram o bem, o bom e o belo para os seus liderados, que os exalçam pelos tempos afora.

Quando, diante da indagação de Allan Kardec aos Imortais acerca de qual era o Espírito mais perfeito oferecido ao mundo, para servir de Guia e Modelo à Humanidade, os Mentores planetários ripostaram dizendo que era Jesus.

Como Ele foi, então, o maior dentre todos os que à Terra foram enviados para anunciar o Reino dos Céus aos aturdidos filhos do Grande Pai, isso significa que todos os demais, por mais dignos e respeitáveis que tenham sido, são, contudo, menores do que Ele. Mensageiros da Divindade, todos os demais vieram atender aos programas do Criador atidos às épocas, às culturas, às inclinações morais. Jesus, porém, trouxe os matizes da Lei que a todos alcança, sem choques essenciais com nenhum deles, embora o formato próprio às realidades psico-antropológico-sociais de cada um.

Somente Jesus Cristo conseguiu ensinar e exemplificar com Seu viver as lições que nos passou, e se hoje, quando evocamos o Seu luminoso Natal, nos vemos engolfados nessas ondas de felicidade, é porque o Senhor de Nazaré, mais e melhor do que qualquer outro, transformou-Se em Caminho, em Verdade e em Vida para todos nós, em todos os tempos e em todas as dimensões da vida terrestre.

J. Raul Teixeira. Pelo Espírito Camilo. Mensagem psicografada pelo médium J. Raul Teixeira, na Sociedade Espírita Fraternidade, Niterói-RJ. (fonte: www.feparana.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5mZXBhcmFuYS5jb20uYnI=)).

Título: Re: Jesus
Enviado por: Dothy em 29 de Dezembro de 2017, 20:28
Jesus, Médico de Almas e Homens

Quando falta amor, falta harmonia, daí vem o desequilíbrio em nossas vidas, e ficamos doentes, e a enfermidade é apenas uma maneira da natureza, do universo falar conosco…

Nunca devemos tratar apenas os sintomas de nossas enfermidades, sem que a causa ou as causas que a desencadearam também sejam tratadas e extintas, porque na realidade a cura se processa de dentro pra fora, do interior para o exterior …

Quando for ao médico, diga a ele que seu peito dói, mas diga que sua dor, é de angustia, decepção e tristeza, diga também que você anda com azia, e que também desconfia que o motivo pode ser o seu gênio irracional, que por isso aumenta a produção de ácidos e enzimas no estômago …

Diga a seu médico que por causa da rebeldia, da teimosia, você está obeso, provavelmente hipertenso e com diabetes, porém, não deixe de dizer também que não está encontrando mais alegrias nem doçura em sua vida e que essa amargura torna muito difícil suportar o peso de suas frustrações …

Já que o paciente não deve esconder nada de seu médico, então mencione a ele que você sofre de enxaqueca, dores de cabeça horríveis que te privam da luz em detrimento da escuridão, mas não deixe de confessar que sofre de uma neurose feroz, com seu perfeccionismo, com sua autocrítica, e que é sensível demais a critica alheia e que é muito ansioso, que ataca a geladeira quando ninguém está observando, que come e bebe coisinhas proibidas!

Ninguém gosta de sofrer, todos querem se curar, mas poucos são aqueles, que estão dispostos a neutralizar em si o ácido da calúnia, o veneno da inveja, o bacilo do pessimismo e o vírus do egoísmo.

Diante da possibilidade da morte, alguns até prometem mudar de vida, procuram a cura de um câncer, mas não tem coragem de abrir mão de uma simples mágoa.

Quantos sofrem do coração e pretendem a desobstrução das artérias coronárias, mas, querem continuar com o peito fechado pelo rancor, pela agressividade, e até pela vingança!
Almejam a cura de problemas oculares, alguns ficam cegos pelo ódio, tropeçam na vaidade que lhes obscurece a visão, todavia não retiram dos próprios olhos, o argueiro, o obstáculo da crítica e da maledicência…

E a depressão então, o mal do século, a síndrome do pânico, quantos pedem a solução para esses problemas, entretanto não abrem mão do orgulho ferido e do forte sentimento de decepção, que lhes abate a existência, em relação às perdas experimentadas no trajeto da vida…
Suplicam auxilio para os problemas tão comuns de tireóide, mas não cuidam de suas frustrações, de seus ressentimentos, observam as horas, os dias passarem, a vida se vai e não levantam a voz para expressarem suas legítimas necessidades …

Imploram a cura de um nódulo de mama, de um câncer na próstata, que lhes frustra toda perspectiva exatamente no fulcro da vida, todavia insistem em manter bloqueada a ternura e a afetividade, por conta das feridas emocionais do passado…
A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma.
O resfriado ocorre e o nariz escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope, provoca a afonia quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde, queima, provoca indigestões quando as raivas não podem ser digeridas.
O diabetes amarga, invade o corpo quando a solidão dói demais.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta, e a esperança rareia …

A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste, bate fora de rumo quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.
O câncer mata quando não se perdoa e ou cansa de viver.

E as dores caladas ? Como falam em nosso corpo?
A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção.
O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas equívocos, existem semáforos chamados amigos, luzes de precaução chamadas família, e ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada decisão, um potente motor chamado amor, um bom seguro chamado fé, e um abundante combustível chamado paciência.

Mas principalmente um maravilhoso Condutor chamado DEUS …

A peregrinação aos consultórios é extenuante, mas não para por aí, depois, em último lugar, apelam para Deus, clamam pela intercessão divina, em certos lugares blasfemam, gritam, porém permanecem surdos aos pedidos de socorro que partem de pessoas muito próximas de si.
Toda cura é sempre uma autocura, começa na alma, no perispírito, refletindo para o corpo físico e o evangelho de Jesus é a farmácia onde encontramos os remédios que nos curam por dentro e por fora!
Há dois mil anos esses medicamentos estão à nossa disposição, quando nos decidiremos?

Fonte: Do livro “O Médico Jesus”, de José Carlos de Lucca.
Mensagem escrita e modificada sob a ótica e emoção de Reinaldo Mendes da Silva.
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Janeiro de 2018, 09:02
Jesus e a Moral Cristã

Jesus, vivendo o seu tempo, construiu valores universais únicos, que, pela profundidade e extensão, modificaram os aspectos culturais, sociais, políticos e econômicos da humanidade. Para o Espiritismo, esses valores são conceitos fundamentais, sendo a moral cristã o eixo de sua visão de mundo e interpretação da realidade.

O Espiritismo entende que o significado de Jesus encontra-se em seu exemplo de vida, fazendo e demonstrando a viabilidade de um padrão de comportamento. Foi a força de seu exemplo que deu significado à sua existência e não a série de mitos, interpretações e dogmas que foram agregados ao entendimento de sua mensagem. Portanto, é fundamental que o espírita possa fazer essas distinções.

Para a Doutrina Espírita, Jesus, como todo ser humano, nasceu da união entre um homem e uma mulher e não de uma forma sobrenatural. De origem humilde, não era descendente de Davi e não possuía nenhuma pretensão ao poder temporal.

O Espiritismo não recorre à idéia de milagre, que não existe para a Doutrina, para justificar algumas situações da existência de Jesus. Este, ao colocar em prática o seu conhecimento e a sua capacidade mediúnica, foi interpretado, pelo desconhecimento das pessoas ao seu redor, como o realizador de acontecimentos maravilhosos e fantásticos.

Para entender Jesus, o Espiritismo não precisa utilizar a idéia de messias, salvador ou cordeiro de Deus. Não é importante como Jesus nasceu ou morreu, mas, sim, como viveu. Seu significado não se encontra nas condições de sua morte — não há necessidade de entendê-la como um sacrifício para salvar a humanidade ou tentar transformá-la em exceção através da idéia de ressurreição.

Apesar de sua importância, Jesus não se confunde com Deus. Não é a Sua encarnação. Era filho de Deus como todas as criaturas o são. Deixar de confundir Jesus com Deus permite reconhecer o valor desse espírito que alcançou, pelo exercício de seu conhecimento, a compreensão do amor como lei fundamental do Universo, a que nenhum homem até então havia alcançado. Considerar Jesus como divino é retirar dele uma característica fundamental: a de um ideal possível de ser alcançado, uma referência exeqüível para a humanidade.

Jesus, para a Doutrina, é um espírito que tem uma história ao longo da qual foi construindo seu conhecimento, diferenciando-se do nível médio da cultura terrena. Na medida em que vivenciou, em que desenvolveu experiências de vida, foi se fazendo presente, através da força de seu exemplo, da intensidade de sua coerência, da inovação e clareza do conhecimento que alcançou. O significado da síntese que construiu a respeito da existência, do ser humano, da vida, pode ser avaliado em um pequeno resumo de suas idéias:

Deus único é o pai de todos (todos são iguais perante Deus)

Ame a Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o espírito, e ame seu próximo como a si mesmo, essa é toda a lei e todos os profetas estão contidas nela.

Trate todos os homens da mesma forma que você gostaria de ser tratado

Ame seus inimigos e faça o bem àqueles que o odeiam e ore por aqueles que o perseguem e caluniam

Aquele dentre vocês que não tiver errado, que atire a primeira pedra

Eu não digo que deva perdoar ao seu irmão até sete vezes, mas até setenta vezes sete vezes

Reconcilie-se com seu adversário enquanto estiver com ele no caminho

Não julgue a fim de que não seja julgado

Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo

O homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida pela de muitos

Por que vê um cisco no olho de vosso irmão, você que não vê uma trave no seu olho?

Que a sua mão esquerda não saiba o que faz a sua mão direita

Não se acende uma candeia para colocá-la sob o alqueire, mas sobre o candeeiro a fim de que ela clareie todos aqueles que estão na casa

Não há nada de secreto que não deva ser descoberto, nem nada de oculto que não deva ser conhecido

Fora da caridade não há condições de se alcançar um conhecimento maior de si mesmo e da vida.

Bem aventurados os que choram, porque serão consolados; os que tem fome e sede de justiça porque serão saciados; os humildes porque deles é o reino dos céus; aqueles que tem o coração puro porque verão a Deus; aqueles que são brandos porque possuirão a Terra; os pacíficos, porque eles serão chamados de filhos de Deus; aqueles que são misericordiosos porque eles próprios obterão misericórdia

Jesus, em sua existência cósmica, é o caminho, a verdade, a vida em sua multiplicidade, diversidade, alteridade.

Seus ensinamentos, seu comportamento e os exemplos de outras pessoas que se identificaram com sua proposta, foram desenhando, construindo, um código, um padrão de referência fundamentado na unidade da humanidade e na igualdade entre os seres, e, em decorrência, no amor ao próximo, na solidariedade, na tolerância, na responsabilidade pessoal, na liberdade de consciência e na moral como defesa, promoção da vida. Jesus é padrão de comportamento aberto para auxiliar as pessoas na construção de seu próprio futuro.

Jesus é exemplo claro de comportamento moral que reflete a identidade do ser com o Universo e com Deus.

Copyright: Todos os direitos reservados. A SBEE autoriza a reprodução dos textos para fins não comerciais desde que seja mencionada a fonte
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Janeiro de 2018, 09:13
A Desfiguração do Cristo
Autor: J. Herculano Pires

O interesse em desfigurar o Cristo vem dos planos inferiores do mundo espiritual e se manifesta de várias formas: pelas comunicações mediúnicas inferiores, pelas intuições dadas a adeptos do Cristianismo e do Espiritismo para introduzirem teorias e práticas ridicularizantes no meio doutrinário, sempre atribuindo a Jesus posições, palavras e atitudes que o coloquem em situação crítica pelas pessoas de bom senso. Para isso, as entidades mistificadoras se aproveitam da ignorância e da vaidade de criaturas autoritárias e arrogantes, que facilmente se deixam levar por elogios e posições lisonjeiras que podem exaltá-las na instituição a que pertencem.

A gigantesca luta empreendida pelo apóstolo Paulo, após a sua conversão, para preservar a pureza dos ensinos de Jesus e da sua excelsa figura, em meio aos próprios apóstolos do Mestre, revela de maneira eloqüente, a dificuldade dos homens para compreenderem a Verdade Cristã.

Os gnósticos-docetas do primeiro século sustentavam que Jesus não tinha realidade física, que o seu corpo era apenas aparente.

Sua posição contrariava as teses da encarnação do Cristo, apresentando-o como uma espécie de Deus mitológico, sob a influência das idéias helenísticas.

O Docetismo exerceu grande influência em Alexandria, propagando-se a Éfeso, onde o apóstolo João instalara a sua Escola Cristã.

João refutou a tese doceta como herética, pois além de não corresponder à realidade histórica, transformava o Cristo num falsário.

A fábula dos docetas ( como o apóstolo Paulo a classificou) apresentava-se como uma das mais estranhas desfigurações do Cristo, fornecendo elementos ricos e valiosos aos mitólogos para negarem a existência real e histórica de Jesus de Nazaré.

Essa teoria absurda reapareceu na França, através de uma obra confusa e carregada de pesado misticismo ridicularizante. Um advogado de Bordeaux, Jean Baptiste Roustaing, elaborou essa obra através de comunicações mediúnicas atribuídas a Moisés, os Apóstolos e os Evangelistas.

Um grupo místico do Rio de janeiro adotou com entusiasmo essa obra, conseguindo apossar-se da Federação Espírita Brasileira, e até hoje a propaga e sustenta, contra a maioria das instituições espíritas do Brasil e do mundo.

É inacreditável o fanatismo dos roustainguistas, o que se justifica pela sua mentalidade anti-racional, apegada aos resíduos do passado mágico e mitológico, portanto contrária à posição racional do Cristianismo e do Espiritismo.

Esses defensores do absurdo chegam a citar a obra mistificadora Os quatro evangelhos, como uma das dez mais importantes da literatura mundial, e Roustaing, como uma das maiores figuras da Humanidade.

Kardec condenou essa obra, o que provocou um revide de Roustaing.

Hoje só existe um símbolo para o Cristo: o da Ressurreição.

Provada cientificamente a existência do corpo espiritual, provada a continuidade da vida triunfante após a morte, provada a herança de Deus na imensidade do Cosmos povoado de mundos, provada a ineficácia das instituições religiosas e seus métodos para levar os homens a Deus, pois que a maioria se afastou de Deus e o considera como superstição estúpida, só a figura do Cristo Ressuscitado, triunfando sobre a veleidade do poderes terrenos e confirmando em si mesmo a verdade dos seus ensinos, poderá libertar as consciências do apego às coisas perecíveis, dando-lhes a confiança no poder superior do espírito.

Se somos espíritos não apenas um corpo material, e se temos a certeza de que o Cristo continua vivo e a nos inspirar em nossas lutas no caminho do bem, por que cultivamos a morte e até mesmo as imagens de um cadáver que não foi encontrado no túmulo?

A desfiguração do Cristo atingiu o máximo nessas imagens frias que dormem o ano inteiro nas criptas das Igrejas, à espera do seu enterro anual, com luto, choro e velas acesas.

O sadismo humano se revela num automatismo consciencial que o perpetua nas gerações sucessivas.

Chegou o momento de compreendermos que o Cristo está diante de nós, na plenitude de sua vida e seu poder, procurando despertar-nos do pesadelo da morte.

Harmonia - Revista Espírita nº 64 - Fevereiro/2000
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Janeiro de 2018, 09:33
JESUS GUIA E MODELO DA HUMANIDADE
Publicado em 18 de janeiro de 2016 por rosanemerat

Introdução:

Desde os tempos mais remotos da humanidade, que o homem precisa aprender a lidar com os seus medos, suas inseguranças, angústias e de todos os tipos de dificuldades encontrados na sua caminhada.

De acordo com a questão 625 do Livro dos Espíritos, Kardec pergunta aos espíritos qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem, para lhe servir de guia e modelo?  “JESUS”.

Para o homem, Jesus constitui o tipo da perfeição moral a que a Humanidade pode aspirar na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ensinou é a expressão mais pura da lei do Senhor, porque, sendo ele o mais puro de quantos têm aparecido na Terra, o Espírito Divino o animava.

Jesus não veio destruir a lei, isto é, a lei de Deus; veio cumpri-la, isto é, desenvolvê-la, dar-lhe o verdadeiro sentido e adaptá-la ao grau de adiantamento dos homens.

Combatendo constantemente o abuso das práticas exteriores e as falsas interpretações, por mais radical reforma não podia fazê-las passar, do que as reduzindo a esta única prescrição:

“Amar a Deus acima de todas as coisas e o próximo como a si mesmo”, e acrescentando: aí estão a lei toda e os profetas.

Mas, o papel de Jesus não foi o de um simples legislador moralista, tendo por exclusiva autoridade a sua palavra.

Cabia-lhe dar cumprimento às profecias que lhe anunciaram o advento; a autoridade lhe vinha da natureza excepcional do seu Espírito e da sua missão divina.

Ele viera ensinar aos homens que a verdadeira vida não é a que transcorre na Terra e sim a que é vivida no reino dos céus; viera ensinar-lhes o caminho que a esse reino conduz, os meios de eles se reconciliarem com Deus e de pressentirem esses meios na marcha das coisas por vir, para a realização dos destinos humanos.

O Cristo Consolador:

Vinde a mim, todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei.

Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei comigo que sou brando e humilde de coração e achareis repouso para vossas almas, pois é suave o meu jugo e leve o meu fardo.
(S. MATEUS, cap. XI, vv. 28 a 30.)

Todos os sofrimentos: misérias, decepções, dores físicas, perda de seres amados, encontram consolação em a fé no futuro, em a confiança na justiça de Deus, que o Cristo veio ensinar aos homens.

Sobre aquele que, ao contrário, nada espera após esta vida, ou que simplesmente duvida, as aflições caem com todo o seu peso e nenhuma esperança lhe mitiga o amargor.

Foi isso que levou Jesus a dizer: “Vinde a mim todos vós que estais fatigados, que eu vos aliviarei.”

Entretanto, faz depender de uma condição a sua assistência e a felicidade que promete aos aflitos. 

Essa condição está na lei por ele ensinada.

Seu jugo é a observância dessa lei; mas, esse jugo é leve e a lei é suave, pois que apenas impõe, como dever, o amor e a caridade.

Jesus promete outro consolador: o Espírito de Verdade, que o mundo ainda não conhece, por não estar maduro para o compreender, consolador que o Pai enviará para ensinar todas as coisas e para relembrar o que o Cristo há dito.

Se, portanto, o Espírito de Verdade tinha de vir mais tarde ensinar todas as coisas, é que o Cristo não dissera tudo; se ele vem relembrar o que o Cristo disse, é que o que este disse foi esquecido ou mal compreendido. 
(S. JOÃO, cap. XIV, vv. 15 a 17 e 26.)

O Espiritismo vem, na época predita, cumprir a promessa do Cristo: preside ao seu advento o Espírito de Verdade.

Ele chama os homens à observância da lei; ensina todas as coisas fazendo compreender o que Jesus só disse por parábolas.

Advertiu o Cristo: “Ouçam os que têm ouvidos para ouvir.”

O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porquanto fala sem figuras, nem alegorias; levanta o véu intencionalmente lançado sobre certos mistérios. Vem, finalmente, trazer a consolação suprema aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, atribuindo causa justa e fim útil a todas as dores.
Disse o Cristo: “Bem-aventurados os aflitos, pois que serão consolados”. 

O Espiritismo mostra a causa dos sofrimentos nas existências anteriores e na destinação da Terra, onde o homem expia o seu passado.

Mostra o objetivo dos sofrimentos, apontando-os como crises salutares que produzem a cura e como meio de depuração que garante a felicidade nas existências futuras.

O Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança.

A Pedagogia do Cristo:

Jesus é o nosso modelo moral por excelência.

Destituído de todos os apetrechos míticos com que os séculos o enfeitaram, ele reaparece, à luz do Espiritismo, na sua grandeza de Espirito Puro, que veio a Terra para nos mostrar o caminho da evolução.

Surge aos nossos olhos não mais como Rei, Salvador, segunda pessoa de uma trindade irracional, mas como Irmão mais adiantado, Espirito perfeito com o único titulo que aceitou em vida: o de Mestre.

E Mestre é Jesus da humanidade.

Ele é o pedagogo da nossa educação espiritual.

Professor das almas matriculadas na escola da Terra, Ele representa o “ caminho, a verdade e a vida” para o nosso progresso.

Deus, em seu infinito poder e sabedoria, como Causa inteligente e Providencia de todo o universo, é o princípio e o alvo de todas as coisas.

Manifesta-se por suas Leis imutáveis, por seu habito de amor, no qual tudo está mergulhado, pela vontade criadora que anima a evolução. 

Acima de nossas definições e de nossa compreensão, sabemos que Ele é e que esta na origem de nós mesmos e do todo universal.

Os espíritos puros que atingiram a perfeição moral e a sabedoria celeste, são seus colaboradores na criação e na manutenção do universo.

Jesus é um desses Espíritos, responsável pela Terra, guia da humanidade e ninguém de nos pode chegar ao Pai senão por ele!

As virtudes de Jesus:

Sua autoridade moral é absoluta, porque já atingiu a perfeição; pelo menos, a perfeição acessível ao nosso entendimento.

Jesus encarnou-se na Terra não em poder e glória terrenos, mas na pobreza e na obscuridade.

Podia revelar seu poder espiritual, impondo-se as multidões, vencer os adversários de sua obra, fulminar os hipócritas – mas como pedagogo perfeito exerceu apenas um poder: o poder do amor.

Um poder que não se impõe, mas convida; que não violenta, mas converte e transforma os Espíritos, acordando-os para a evolução; um poder que não pune o mal, mas sacrifica-se pelo Bem, tomando sobre si todas as dores e serviços, para a todos arrastar pelo exemplo.

Era humilde, sem fraqueza ou servilismo. Enérgico com os hipócritas, firme com os falsos sábios que conduziam os simples segundo seus interesses, Jesus foi padrão de firmeza e dignidade. Sua serenidade diante dos algozes é também coragem e nobreza; seu perdão e sua doçura são manifestações de sua infinita superioridade.

A Pedagogia do Amor

Quando se pensa no amor de Jesus pela humanidade, fundamento de sua Pedagogia divina, pode-se imaginar que seja um amor difuso, impessoal, em que os homens sejam vistos como massa.

Mas não é assim, pois o amor é sempre uma relação de Espírito a Espírito.

As próprias palavras e atitudes de Jesus demonstram de sobejo que ele conhece cada um de seus pupilos e esta sempre disponível à nossa aproximação, ao nosso desejo de educação espiritual. 

Quanto mais ascendermos e nos depurarmos, mais direto será o nosso contato com sua mente poderosa e com seu coração afetuoso.

Não disse ele que haveria alegria no céu por cada ovelha tornada ao aprisco?

Não relatou a consoladora parábola do filho pródigo, onde fala do acolhimento generoso do Pai ao Espírito que volta à trilha do Bem?

Nada disso teria sentido se não fôssemos indivíduos perante Jesus, como somos indivíduos mesmo diante da grandeza de Deus.

O universo não é frio e impessoal. A Lei não é apenas justiça, mas amor. E o amor se manifesta de ser para ser.

Não só as palavras de Jesus demonstram essa verdade, mas sua ação pedagógica é assim desenvolvida. Ele visita a alma de Madalena, devassando-lhe o passado impuro e elevando-a ao amor purificado; sabe das potencialidades e intenções de Zaqueu, antes que esse lhe respondesse do alto do sicômoro; busca pessoalmente os apóstolos na Galiléia e depois Saulo à portas de Damasco, vendo de antemão as suas possibilidades; dirige-se a cada um que Dele se aproxima, sabendo quem é, seu passado espiritual e suas promessas futuras.

Em sua lucidez, sabe que Judas vai trai-lo e que Pedro fraquejará, ainda assim acolhe-os em seu amor e não os desampara.

E sua liderança espiritual na Terra não é devida apenas ao seu exemplo imortal.

Sua aura de amor envolve a Humanidade e basta querermos captá-la, na oração e na prática do Bem, para sentirmos seu influxo. Esse amor é o ponto de apoio de nossa evolução.

Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Janeiro de 2018, 09:33
Assim, dentro dos limites das imperfeições humanas, cada educador deve fazer de seu próprio afeto uma âncora de evolução para aquele a quem deseja educar.

Não foi o amor de Jesus, seu sacrifício por nós, que levou os mártires a morrerem nos círculos , os santos e apóstolos de todos os tempos a procurarem seguir seu exemplo ?

Não é porque nos sentimos amados e sustentados por Ele, que adquirimos a força de nos sobrepormos à mesquinharias terrenas, vencendo dores e espinhos, avançando embalados por sua Luz ?

Ainda somos deficitários na compreensão da Divindade, a figura mais próxima e mais acessível de Jesus nos reconforta e nos facilita inclusive o entendimento do amor de Deus.

E assim também, embora a Humanidade possua seu Mestre maior em Jesus, cada indivíduo não dispensa seus mestres menores, seus guias e seus exemplos mais próximos da moralidade, inteligência e elevação.

A Didática do Mestre

Jesus não ensinou em cátedras, não fez parte de corporações científica, não se revestiu de nenhum título terreno e não fundou escolas ou instituições, nem mesmo nelas ensinou.

E foi o maior dos Mestres. Seu local de ação era a casa de Pedro, eram as praças, os montes, as margens do lago de Genesaré e sua mensagem atingia a todos indistintamente.

Ensinava sem nenhum outro instrumento a não ser seus atos de amor, suas palavras simples e sua autoridade divina.

Jesus curava, servindo o povo, aliviando-lhe as dores, conquistando-lhe o coração pelo seu devotamento, e ensinava por histórias.

Em seu sermões e parábolas, usou o poder da síntese e a linguagem poética para atingir seus ouvintes. Pelas parábolas, adequava-se as linguagens do povo, aproveitava as situações do cotidiano, e portanto, a experiência diária dos que o ouviam.

Não dava aula de metafísica abstrata, mas ensinava por histórias compreensíveis princípios claros de moralidade. Eis uma capacidade didática imprescindível: a de saber se achegar ao educando, em seu nível de interesse, de vivência e de compreensão.

Libertação pelo Amor

Jesus, o Homem, fez-se o exemplo mais vívido do amor de que o mundo tem notícias.
Submetido à injunções porque passam todas as criaturas, a Sua trajetória fez-se assinalada pelas mais vigorosas páginas de compreensão e brandura para com todos, exercendo autoridade e carinho em perfeita harmonia, mesmo nas situações mais chocantes, sem perder o equilíbrio nem a afetividade.

Quando austero, educava amorosamente e com energia; quando meigo orientava com ternura e segurança; ante a hipocrisia insidiosa e perversa, assumia a atitude de enfrentamento sem descer à condição infeliz do seu antagonista, repreendendo-o e desmascarando-o com o objetivo de educá-lo.

Jesus, na condição de peregrino do amor, demostrou como é possível curar as feridas do mundo e dos seres humanos com a exteriorização do amor em forma de compaixão, de bondade, de carinho e de entendimento.

Quando os pobres eram tidos por desprotegidos de Deus e os enfermos graves eram expulsos das cidades, porque se encontravam mortos, tendo os seu nomes cancelados do Livro dos vivos, Ele os exaltou em inesquecível bem aventurança, principalmente àquele que o forem de espírito de avareza e de paixões inferiores.

Nunca se apartou dos doentes e odiados, visitando os samaritanos detestados e oferecendo-lhes os bens eternos da Sua mensagem confortadora e rica de paz.

Jamais temeu os poderosos, os intrigantes, os fariseus odientos e ingratos, os saduceus materialistas e utilitaristas, sem porém os detestar, lamentando o estado em que se encontravam, longe de Deus e de si mesmos, intoxicados pelo orgulho e vencidos pela avareza, infelicitadores, porque infelizes em si mesmos, sem se permitirem lugar propício ao despertamento para a realidade espiritual.

É graças ao amor que os relacionamentos atingem a sua plenitude, porque o egoísmo cede lugar ao altruísmo e o entendimento de respeito como de confiança alicerça mais os sentimentos que se harmonizam, produzindo bem-estar em quem doa tanto quanto em quem recebe.

Referências Bibliográficas

XXII COMEERJ – EVANGELIZAR É MISSÃO DO BRASIL – Módulo II – Pedagogia de Jesus.
KARDEC, Allan — O Livro dos Espíritos — edição nº 86 — Editora FEB (Federação Espírita Brasileira) – Questões:  625 até 627 —Rio de Janeiro/2005.
KARDEC, Allan — A Gênese — edição nº 39 — Editora FEB (Federação Espírita Brasileira) – Capítulo 15:  Os Milagres do Evangelho —Rio de Janeiro/2000.
KARDEC, Allan — O Evangelho Segundo o Espiritismo — Edição:  125, Editora:  FEB (Federação Espírita Brasileira), Rio de Janeiro/2006.

Centro Espírita João Batista – Visconde de Itaboraí – Itaboraí – RJ
Expositora:  Rosane Merat
Título: Re: Jesus
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 21 de Janeiro de 2018, 23:03
A sentença que condenou Jesus

João Batista Pereira, advogado de renome em São Paulo, desencarnado nesta Capital em 21 de setembro de 1956, foi presidente do Conselho Deliberativo da Sociedade Metapsíquica de São Paulo, tendo exercido a presidência da FEESP de 20 de novembro de 1938 a 10 de dezembro de 1939.

Orador fluente, pronunciou, certa vez, uma conferência na FEESP, sobre o tema A sentença que condenou Jesus, documento que patenteia um dos mais flagrantes erros de justiça da História da Humanidade, escrito em hebreu e que se supõe teria sido lavrado por Anás. O documento mereceu a atenção de Rui Barbosa, que o comentou, num de seus escritos.

Após a apresentação da sentença, diz João Batista Pereira: “Era mister que se encontrasse algum fundamento, frágil que fosse, para que se consumasse a horrorosa condenação do inocente. Isso acontece, sempre, na justiça dos homens iníquos da Terra, consoante a fábula do lobo e do cordeiro, de La Fontaine: “Se não foi você que turvou as águas, foi algum de seus parentes. E devorou o cordeiro...”

Teor da sentença
No ano XIX de Tibério César, o imperador romano de todo o mundo, monarca invencível, na Olimpíada de CXXI e na Élida XXIV, na criação do mundo, segundo o número e o cômputo dos hebreus quatro vezes mil cento e oitenta e sete, da progênie do romano império no ano LXXIII e da liberdade do cativeiro da Babilônia no ano MCCVII, sendo governador da Judeia Quinto Sérvio, sob o regime e o governo da cidade de Jerusalém, presidente gratíssimo Pôncio Pilatos; regente da Baixa Galileia, Herodes Ântipas; Pontífice do sumo sacerdócio, Caifás; Alis Almael, magno do Templo; Roban Achabel, Franchino Centaurio, cônsules romanos da cidade de Jerusalém; Quinto Cornélio Sublima e Sexto Pompílio Rusto; no mês de março e dia 25 do mesmo. Eu,  Pôncio Pilatos, aqui Presidente do Império Romano, dentro do palácio da arqui-residência, julgo, condeno e sentencio à morte Jesus, chamado pela plebe Cristo Nazareno e Galileu de nação, homem sedicioso contra a lei mosaica, contrário ao grande imperador Tibério César. Determino e ordeno por esta que se lhe dê a morte na cruz, sendo pregado com cravos como os réus, porque congregando e ajuntando aqui muitos homens ricos e pobres não tem cessado de promover tumultos por toda a Judeia, dizendo-se filho de Deus, rei de Israel, ameaçando com a ruína de Jerusalém e do sacro templo, negando o tributo a César, tendo ainda o atrevimento de entrar com ramos e em triunfo e com parte da plebe dentro da cidade de Jerusalém e no seu sacro templo. E mando que seja conduzido Jesus Cristo pela cidade de Jerusalém ligado e açoitado e que seja vestido de púrpura e coroado de alguns espinhos com a própria cruz aos ombros, para que sirva de exemplo a todos os malfeitores ; e quero juntamente com ele sejam conduzidos dois ladrões homicidas; e sairão pela porta Jargada, hoje Antoniana, e que se conduza Jesus Cristo ao monte público da Justiça, chamado Calvário, donde crucificado e morto ficará seu corpo na cruz como espetáculo para todos os malvados e que sobre a cruz seja posto este título em três línguas (hebraica, grega e latina): Jesus Nazarenus, Rex Judeorum. Mando também que nenhuma pessoa de qualquer estado ou condição se atreva temerariamente a impedir a justiça por mim mandada, administrada e executada com todo o rigor, segundo os decretos e leis romanas e hebraicas, sob as penas de rebelião contra o império romano.

Seguem-se os nomes das testemunhas.

Comentários de Rui Barbosa
Em vão alguns desavisados tacham Rui Barbosa de materialista e ateu. Os pronunciamentos que fez em várias oportunidades provam que ele acreditava num Ser Supremo, criador de todas as coisas. É dele esta belíssima afirmação: “Deus é a necessidade das necessidades; Deus é a chave inevitável do Universo; Deus é incógnita dos grandes problemas insolúveis.”


Rui traduziu a obra O Papa e o Concílio, de Janus (Editora Leopoldo Machado, Londrina - PR), tendo escrito um prefácio maior do que a própria obra.

Rui era crente em Deus. E não sabemos a que ponto da sua vida se tornou espírita. Na vasta biblioteca deixada por ele, foram encontradas as Obras da Codificação Espírita. Seu notável escrito A Oração dos Moços – pode ser classificada como uma peça espírita. Vejamos alguns comentários de Rui Barbosa à sentença que condenou Jesus:

“Repontava a manhã, quando à sua primeira claridade se congregava o Sinedrin. Era o plenário que se ia celebrar. Reunira-se o conselho inteiro. In universo concilio, diz Marcos. Deste modo, se dava a primeira satisfação às garantias judaicas. Com a deliberação da assembleia judicial, o requisito da competência. Era essa a ocasião judaica. Esses eram os juízes legais. Mas juízes que tinham comprado testemunhas contra o réu, não podiam representar senão uma infame hipocrisia da justiça. Estavam mancomunados, para condenar, deixando ao mundo o exemplo, tantas vezes depois imitado até hoje, desses tribunais que se conchavam de véspera nas trevas, para simular, mais tarde, na assentada pública, a figura oficial do julgamento.”

Prossegue Rui Barbosa nos seus comentários, revividos por João Batista Pereira, em sua palestra: “O Sinedrin não tinha poderes para decretar a pena de morte. Era uma espécie de júri, cujo veredito, porém, antes opinião jurídica do que julgado, não obrigava os juízes romanos. Pilatos estava, portanto, de mãos livres, para condenar ou absolver. Não querendo ser executor num processo que não conhecera, pretende evitar a dificuldade, entregando a vítima. O fim é a morte, e sem a  morte não se contenta a depravada justiça dos perseguidores.”

Prossegue Rui: “Aqui, já o libelo se trocou. Não é mais de blasfêmia contra a lei sagrada, mas de atentado contra a lei política. Jesus não é o impostor que inculca a lei de Deus; é o conspirador, que se coroa Rei da Judeia. ‘Meu Reino não é deste mundo.’A resposta de Cristo frustra, ainda uma vez, a manhã dos caluniadores. Seu reino não era deste mundo. Não ameaçava a segurança das instituições nacionais, nem a estabilidade da conquista romana. ‘Ao mundo vim, para dar testemunho da verdade.’ ‘Mas o que é a verdade?’ pergunta, cinicamente, Pilatos. Não cria na verdade, mas a da inocência de Cristo até o fundo sinistro dessas almas, onde reinava o poder absoluto das trevas. ‘Não acho delito neste homem’, disse o procurador romano, saindo outra vez ao meio dos judeus.”

Finalmente, diz Rui: “Devia estar a salvo o inocente. Não estava. A opinião pública faz questão da sua vítima. Jesus tinha agitado o povo, não só ali, no território de Pilatos, mas desde a Galileia, de Herodes Ântipas, com quem estava de relações cortadas o governador da Judeia. Excelente ocasião para Pilatos, de lhe reaver a amizade, pondo-se, ao mesmo tempo, de boa avença com a multidão inflamada pelo príncipe dos sacerdotes. A Galileia era o fórum originis do Nazareno. Pilatos envia o rei a Herodes, lisonjeando-lhe, com essa homenagem, a vaidade. Desde aquele dia, um e outro se fizeram amigos, de inimigos que eram.”

Obs: Desta sentença existem apenas duas cópias antigas e em pergaminho, uma no Arquivo da Real Academia de História da Espanha, em Madrid, e, outra na cidade de Áquila na Itália.
Textos para pesquisa. Jo 18.13; Mt 27.27 – 31; Jo 19.5 – 16; Mc 15.15 - 20 e MT 17.25.
Título: Re: Jesus
Enviado por: Antonildo Cordeiro em 22 de Abril de 2018, 20:01
Olá Moisés!
maravilhosas informações de Jesus que compartilhas conosco mais uma frase que jesus falou
segundo vc cita  "Se acreditas em mim, não temas. E mesmo que morras agora, ainda hoje estarás comigo no paraíso."

Vc conseguiria identificar uma palavra nesta frase que vc não atribui aos ensinamentos de Jesus ou não teria correlação aos seus ensinamentos onde esta palavra não fui nunca repetida ou não esta em nem uma outra parte nos quatro evangelhos. com isso não poderíamos alegar que esta frase não fui nunca dita por jesus? 
Título: Re: Jesus
Enviado por: Diegas em 25 de Abril de 2018, 17:37
Olá Moisés!
maravilhosas informações de Jesus que compartilhas conosco mais uma frase que jesus falou
segundo vc cita  "Se acreditas em mim, não temas. E mesmo que morras agora, ainda hoje estarás comigo no paraíso."

Vc conseguiria identificar uma palavra nesta frase que vc não atribui aos ensinamentos de Jesus ou não teria correlação aos seus ensinamentos onde esta palavra não fui nunca repetida ou não esta em nem uma outra parte nos quatro evangelhos. com isso não poderíamos alegar que esta frase não fui nunca dita por jesus?


Talvez, essa palavra seja Paraíso !!

Embora louvemos os credos religiosos dogmáticos no seu trabalho de assistência ao próximo e no serviço do Cristo a favor dos párias do mundo, somos obrigados a salientar o Espiritismo, pois além de sua tarefa socorrista e de estímulo espiritual, é doutrina de esclarecimento consciente. As exortações doutrinárias cujo "pano de fundo" são as fogueiras do Inferno ou o PARAÍSO do Céu podem fazer compreender quanto às vantagens de ser bom e ser premiado; porém, de modo algum, dão ao homem aquele discernimento moral, subsistente, apoiado na meditação que considera, deduz, compara e o habilita a saber qual o rumo mais certo e seguro que lhe convém seguir na jornada da sua evolução como espírito imortal.


Abç
Título: Re: Jesus
Enviado por: EsoEstudos em 11 de Agosto de 2018, 00:25
    A Imitação de Cristo - Tomás de KempisLIVRO PRIMEIRO -AVISOS ÚTEIS PARA A VIDA ESPIRITUAL  CAPÍTULO 1 - Da imitação de Cristo e desprezo de todas as vaidades do mundo  1. Quem me segue não anda nas trevas, diz o Senhor (Jo 8,12). São estas as palavras de Cristo, pelas quais somos advertidos que imitemos sua vida e seus costumes, se verdadeiramente  queremos ser iluminados e livres de toda cegueira de coração. Seja, pois, o nosso principal empenho meditar sobre a vida de Jesus Cristo.
Desde o início da jornada evolucionária humana neste planeta, de tempos em tempos um Mestre vem à vida física ordinária para ministrar, por meio  de sua vida e seu exemplo, os Ensinos Superiores, seja renovando-os, aclarando-os, ou mesmo agregando novos valores da Cosmoética. Da mais remota Antiguidade e sempre o homem se vê confrontado com os Ensinos. Quando da vinda do Cristo Planetário ao Plano das Formas, foi na sublime pessoa de Jesus  que, por três anos, viveu entre os espíritos aqui humanizados em árdua missão de esclarecimento quanto à conduta a se alcançar por esforço de auto-aperfeiçoamento.Bem por isso foi destacado por Kempis o “principal empenho” de “meditar sobre a vida de Jesus Cristo”.
Título: Re: Jesus
Enviado por: lconforjr em 15 de Fevereiro de 2019, 19:08
Qual é a interpretação q devemos dar a estas palavras de Jesus: "Ninguém vem a mim, se o Pai q me enviou não o mandar a mim" ?