Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: M.Altino em 01 de Junho de 2015, 11:15

Título: Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo I – Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 01 de Junho de 2015, 11:15
[attach=1]
Amigos e companheiros deste cantinho onde vamos iniciar o Estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo, e onde desde já convido a todos a participar com os seus debates para que possamos ter um bom estudo e ajude muitas pessoas sobre este livro onde a parte Moral da Doutrina é mais desenvolvida.....Faremos este estudo capitulo a capitulo para melhor entender .....
Assim com muito carinho e muita paz dou as boas vindas a todos com o Meu Bom Dia e vamos participar...
Podemos dividir as matérias contidas nos Evangelhos em cinco partes:
1) Os atos comuns da vida do Cristo;
2) Os milagres;
 3) As profecias;
 4) As palavras que serviram para o estabelecimento dos dogmas da Igreja;
5) O ensino moral.
Se as quatro primeiras partes têm sido objeto de discussões, a última permanece inatacável.
Diante desse código divino, a própria incredulidade se curva.
 É o terreno em que todos os cultos podem encontrar-se, a bandeira sob a qual todos podem abrigar-se, por mais diferentes que sejam as suas crenças.
 Porque nunca foi objeto de disputas religiosas, sempre e por toda parte provocadas pelos dogmas. Se o discutissem, as seitas teriam, aliás, encontrado nele a sua própria condenação, porque a maioria delas se apegaram mais à parte mística do que à parte moral, que exige a reforma de cada um.
Para os homens, em particular, é uma regra de conduta, que abrange todas as circunstâncias da vida privada e pública, o princípio de todas as relações sociais fundadas na mais rigorosa justiça.
 É, por fim, e acima de tudo, o caminho infalível da felicidade a conquistar, uma ponta do véu erguida sobre a vida futura.
É essa parte que constitui o objeto exclusivo desta obra.
Todo o mundo admira a moral evangélica; todos proclamam a sua sublimidade e a sua necessidade; mas muitos o fazem confiando naquilo que ouviram, ou apoiados em algumas máximas que se tornaram proverbiais, pois poucos a conhecem a fundo, e menos ainda a compreendem e sabem tirar-lhe as consequências.
A razão disso está, em grande parte, nas dificuldades apresentadas pela leitura do Evangelho, ininteligível para a maioria.
A forma alegórica, o misticismo intencional da linguagem, fazem que a maioria o leiam por descargo da consciência e por obrigação, como lêem as preces sem as compreender, o que vale dizer sem proveito.
Os preceitos de moral, espalhados no texto, misturados com as narrativas, passam desapercebidos.
Torna-se impossível apreender o conjunto e fazê-los objeto de leitura e meditação separadas.
Para evitar esses inconvenientes, reunimos nesta obra os trechos que podem constituir, propriamente falando, um código de moral universal, sem distinção de cultos.
Nas citações, conservamos tudo o que era de utilidade ao desenvolvimento do pensamento, suprimindo apenas as coisas estranhas ao assunto.
Além disso, respeitamos escrupulosamente a tradução original de Sacy, assim como a divisão por versículos.
Mas, em vez de nos prendermos a uma ordem cronológica impossível, e sem vantagem real em semelhante assunto, as máximas foram agrupadas e distribuídas metodicamente segundo a sua natureza, de maneira a que umas se deduzam das outras, tanto quanto possível. A indicação dos números de ordem dos capítulos e dos versículos permite recorrer à classificação comum, caso se julgue conveniente.
Esta obra é para o uso de todos; cada qual pode dela tirar os meios de conformar sua conduta à moral do Cristo.
Os espíritas nela encontrarão, além disso, as aplicações que lhes concernem mais especialmente. Graças às comunicações estabelecidas, de agora em diante, de maneira permanente, entre os homens e o mundo invisível, a lei evangélica, ensinada a todas as nações pelos próprios espíritos, não será mais letra morta, porque cada qual a compreenderá, e será incessantemente solicitado a colocar  em prática, pelos conselhos de seus guias espirituais.
 As instruções dos Espíritos são verdadeiramente as vozes do céu que vêm esclarecer os homens e convidá-los à prática do Evangelho.
Depois desta breve introdução, vamos dar inicio ao primeiro capitulo...
[attach=2]
Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim para destruí-los, mas para dar-lhes cumprimento.
Porque em verdade vos digo que o céu e a Terra não passarão, até que não se cumpra tudo quanto está na lei, até o último jota e o último ponto.
(Mateus, V: 17- 18)
Amigos então Moisés depois de longa caminhada no deserto e vendo que o seu povo estava e entrar em desajuste com a Lei de Deus, Moisés pensou e se retirou para o Monte de Sinai para meditar e ao mesmo tempo receber intuição de Deus para disciplinar o seu povo...... foi então que recebeu as Tábuas da lei para que o seu povo fosse mais disciplinado e obedecesse as leis do seu Deus.
[attach=3]
MOISÉS
Há duas partes Distintas na lei mosaica:
A de Deus, promulgada sobre o Monte Sinal, e a lei civil ou disciplinar, estabelecida por Moisés.
Uma é invariável, a outra é apropriada aos costumes e ao caráter do povo, e se modifica com o tempo.
A lei de Deus está formulada nos dez mandamentos seguintes:
Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão.
Não terás deuses estrangeiros diante de mim.
 Não farás para ti imagens de escultura, nem figura alguma de tudo o que há em cima no céu, e do que há em baixo na terra, nem de coisa que haja nas águas debaixo da terra.
Não adorarás nem lhes darás culto.
Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão.
Lembra-te de santificar o dia de sábado.
Honrarás a teu pai e a tua mãe, para teres uma dilatada vida sobre a terra que o Senhor teu Deus te há de dar.
Não matarás.
Não cometerás adultério.
Não furtarás.
Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.
Não desejarás a mulher do próximo.
Não cobiçarás a casa do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem outra coisa alguma que lhe pertença.
Esta lei é de todos os tempos e de todos os países, e tem, por isso mesmo, um carater divino.
Todas as demais são leis estabelecidas por Moisés, obrigado a manter pelo temor um povo naturalmente turbulento e indisciplinado, no qual tinha de combater abusos arraigados e preconceitos adquiridos durante a servidão do Egito.
Para dar autoridade às leis, ele teve de lhes atribuir uma origem divina, como o fizeram todos os legisladores dos povos primitivos.
A Autoridade do homem devia apoiar-se sobre a autoridade de Deus.
Mas só a ideia de um Deus terrível podia impressionar homens ignorantes, em que o senso moral e o sentimento de uma estranha justiça estavam ainda pouco desenvolvidos.
É evidente que aquele que havia estabelecido nos seus mandamentos: “não matarás” e “não farás mal ao teu próximo”, não poderia contradizer-se, ao fazer do extermínio um dever.
 As leis mosaicas, propriamente ditas, tinham, portanto, um carater essencialmente transitório.
Então reparem como eram Leis duras, mas as necessárias para aquele podo ainda num estado muita primitivo e que era preciso saber respeitar o seu Deus.
Depois de passados muitos anos e com a vinda do Cristo que também era Judeu e da casa de José teve o cuidado dizer uma das coisas mais importantes da sua caminha terrena..
[attach=4]
Jesus não veio destruir a lei, o que quer dizer: a lei de Deus.
Ele veio cumpri-la, ou seja: desenvolvê-la, dar-lhe o seu verdadeiro sentido e apropriá-la ao grau de adiantamento dos homens.
Eis porque encontramos nessa lei o princípio dos deveres para com Deus e para com o próximo, que constitui a base de sua doutrina.
 Quanto às leis de Moisés propriamente ditas, ele, pelo contrário, as modificou profundamente, no fundo e na forma.
Combateu constantemente o abuso das práticas exteriores e as falsas interpretações, e não podia fazê-las passar por uma reforma mais radical do que as reduzindo a estas palavras:
“Amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmo”, e ao acrescentar:
 “Esta é toda a lei e os profetas”.
 Por estas palavras:
“O céu e a terra não passarão, enquanto não se cumprir até o último jota”, Jesus quis dizer que era necessário que a lei de Deus fosse cumprida, ou seja, que fosse praticada sobre toda a terra, em toda a sua pureza, com todos os seus desenvolvimentos e todas as suas consequências.
Pois de que serviria estabelecer essa lei, se ela tivesse de ficar como privilégio de alguns homens ou mesmo de um só povo?
Todos os homens, sendo filhos de Deus, são, sem distinções, objetos da mesma solicitude.
Mas o papel de Jesus não foi simplesmente o de um legislador moralista, sem outra autoridade que a sua palavra.
Ele veio cumprir as profecias que haviam anunciado o seu advento.
A sua autoridade decorria da natureza excecional do seu Espírito e da natureza divina da sua missão.
Ele veio ensinar aos homens que a verdadeira vida não está na Terra, mas no Reino dos Céus, ensinar-lhes o caminho que os conduz até lá, os meios de se reconciliarem com Deus, e os advertir sobre a marcha das coisas futuras, para o cumprimento dos destinos humanos.
Não obstante, ele não disse tudo, e sobre muitos pontos limitou-se a lançar o germe de verdades que ele mesmo declarou não poderem ser então compreendidas. Falou de tudo, mas em termos mais ou menos claros, de maneira que, para entender o sentido oculto de certas palavras, era preciso que novas ideias e novos conhecimentos viessem dar-nos a chave.
Essas ideias não podiam surgir antes de um certo grau de amadurecimento do espírito humano.
A ciência devia contribuir poderosamente para o aparecimento e o desenvolvimento dessas ideias.
Era preciso, pois, dar tempo à ciência para progredir.
Amigos a vamos ficar hoje por aqui para escutar os vossos comentários que serão muito bem vindos e assim continuarmos este lindo estudo...................
Com um carinhoso abraço de muita amizade a todos e comentam.....
[attach=5]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: macili em 02 de Junho de 2015, 00:38
Olá Amigo Manuel Altino...

Sempre muito bom estudarmos o Evangelho Segundo o Espiritismo, mapa que nos nortea o caminho rumo à nossa felicidade.

Conforme palavras de Emmanuel, na Introdução da obra Vinha de Luz...

"O Evangelho é o Sol da Imortalidade que o Espiritismo reflete, com sabedoria, para a atualidade do mundo".


(http://1.bp.blogspot.com/-szjKxtOTK_g/VJ9Ux_dxJuI/AAAAAAAAQZw/xmsIOyXK7DI/s150/Jesus.anjodeluz.jpg)


Não vim destruir a lei


Jesus proferiu este ensinamento - Não vim destruir a lei - no início de seu messianato, quando, no Sermão da Montanha, após as bem-aventuranças, Ele informa ao povo que o ouvia, que não vinha destruir as Leis Mosaicas, porém, dar-lhe cumprimento, execução.

Explicando esta afirmativa de Jesus, Kardec nos traz, em O Evangelho Segundo o Espiritismo - capítulo I -, que na Lei Mosaica há duas partes distintas a saber: a Lei de Deus, promulgada no Monte Sinai, contida nos dez mandamentos; e a lei civil ou disciplinar, decretada por Moisés.

A Lei de Deus é de todos os tempos e de todos os povos e tem, por isso mesmo, caráter divino. Todas as outras são leis que Moisés decretou, obrigado que se via a conter, pelo temor, um povo de seu natural turbulento e indisciplinado. Para imprimir autoridade as suas leis, Moisés lhe atribuía origem divina, conforme o fizeram todos os legisladores dos povos primitivos.

Jesus não veio destruir a Lei de Deus, veio cumpri-la, desenvolve-la, dar-lhe o verdadeiro sentido e adaptá-la ao grau de adiantamento dos homens de sua época.

Por exemplo: em relação aos dois primeiros mandamentos da Lei de Deus, o primeiro, em que Deus se apresenta ao povo Hebreu e o segundo, em que Ele manda não pronunciar em vão o nome do senhor vosso Deus, Jesus nos apresenta Deus como um pai amoroso, sábio, misericordioso e bom, como na oração do Pai Nosso - onde nos apresenta Deus como um Pai, no Sermão da Montanha - "olhai as aves do céu, que não plantam, nem colhem, nem ajuntam em celeiros, e Deus as alimenta"; na Parábola do Filho Pródigo - "Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou." e em outras tantas lições ao longo do Evangelho.

Em relação ao terceiro mandamento: "Lembrai-vos de santificar o dia de sábado", Jesus nos ensina: "O sábado foi feito para o homem e não o homem para o sábado.", uma vez que o povo Judeu ainda tratava com muito rigor a necessidade de nada fazer no dia de sábado.

Em relação ao quarto mandamento: "Honrai a vosso pai e a vossa mãe", Jesus ratifica o mandamento divino, determinando o seu cumprimento, conforme anotado no Evangelho de Mateus, capítulo 15, versículos 3 a 9. E amplia a noção de laços de família quando nos ensina: "Porque todo aquele que fizer a vontade do Pai, que está nos céus, este é meu irmão e minha irmã e minha mãe.", e os espíritos nos dizem que com esta lição, Jesus faz a distinção entre a família corporal e a família espiritual.

Quanto ao quinto mandamento - "Não mateis", Jesus nos ensina em Mateus, cap. 5, vv. 21 e 22: "Ouvistes o que foi dito aos antigos: não matarás; quem matar, será réu de julgamento. Pois eu vos digo: quem se encolerizar contra seu irmão, será réu de julgamento. Quem chamar seu irmão de patife, será réu perante o Sinédrio, e quem o chamar de tolo, será réu do inferno de fogo." Jesus amplia assim, extraordinariamente, a responsabilidade de nossos atos em relação ao nosso próximo.

Em relação aos sexto e nono mandamentos, "Não cometais adultério" e "Não desejeis a mulher do vosso próximo", respectivamente, Jesus nos ensina: "Ouvistes o que foi dito: Não cometerás adultério. Pois eu vos digo: todo aquele que lançar um olhar de cobiça sobre uma mulher, já cometeu adultério em seu coração." (Mateus, cap. 5, vv. 27 e 28). Nos advertindo, assim, da responsabilidade que temos quanto aos nossos pensamentos.

Em relação aos sétimo e décimo mandamentos, "Não roubeis" e "Não cobiceis a casa do vosso próximo...", Jesus nos ensina que não devemos acumular riquezas na terra, onde a traça e a ferrugem corroem e os ladrões assaltam e roubam, mas devemos ajuntar riquezas no céu.

E quanto ao oitavo mandamento: "Não presteis testemunho falso contra o vosso próximo.", Jesus nos ensina que nosso dizer deve ser "sim, se for sim; não se for não", nos alertando do valor da verdade.

Vemos, pelos exemplos citados, que Jesus vem ampliar o entendimento dos dez mandamentos recebidos de Deus por Moisés.

E, assim como o Cristo disse: "Não vim destruir a lei, porém cumpri-la", também o Espiritismo diz: "Não venho destruir a lei cristã, mas dar-lhe execução." Nada ensina em contrário ao que ensinou o Cristo; desenvolve, completa e explica, em termos claros e para toda gente, o que foi dito apenas sob forma alegórica. Vem cumprir, nos tempos preditos, o que o Cristo anunciou e preparar a realização das coisas futuras. Ele é pois, obra do Cristo, que preside, conforme igualmente o anunciou, à regeneração que se opera e prepara o reino de Deus na Terra.


por Marcos de Oliveira Vianna, do Centro Espírita Caminheiros do Bem.
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: macili em 02 de Junho de 2015, 00:49
Olá Amigos,


Compartilho o estudo do Evangelho, promovido pela FEBtv Brasil, que aborda o 1º Capítulo do ESE - Não vim destruir a lei.


Estudo do Evangelho - Não vim destruir a lei (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXpOeExpUnhPN0JRIw==)



O novo mandamento

"Um novo mandamento vos dou: - Que vos ameis uns aos outros, como Eu vos amei."- Jesus. (João, 13:34.)

A leitura despercebida do texto induziria o leitor a sentir nessas palavras do Mestre absoluta identidade com o seu ensinamento relativo à regra áurea.

Entretanto, é preciso salientar a diferença.

O "ama a teu próximo como a ti mesmo" é diverso do "que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei".

O primeiro institui um dever, em cuja execução não é razoável que o homem cogite da compreensão alheia. O aprendiz amará o próximo como a si mesmo.

Jesus, porém, engrandeceu a fórmula, criando o novo mandamento na comunidade cristã. O Mestre refere-se a isso na derradeira reunião com os amigos queridos, na intimidade dos corações.

A recomendação "que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei" assegura o regime da verdadeira solidariedade entre os discípulos, garante a confiança fraternal e a certeza do entendimento recíproco.

Em todas as relações comuns, o cristão amará o próximo como a si mesmo, reconhecendo, contudo, que no lar de sua fé conta com irmãos que se amparam efetivamente uns aos outros.

Esse é o novo mandamento que estabeleceu a intimidade legítima entre os que se entregaram ao Cristo, significando que, em seus ambientes de trabalho, há quem se sacrifique e quem compreenda o sacrifício, quem ame e se sinta amado, quem faz o bem e quem saiba agradecer.

Em qualquer círculo do Evangelho, onde essa característica não assinala as manifestações dos companheiros entre si, os argumentos da Boa Nova podem haver atingido os cérebros indagadores, mas ainda não penetraram o santuário dos corações.


Emmanuel  &  Francisco C. Xavier
Obra: Caminho, verdade e vida.
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Kazaoka em 02 de Junho de 2015, 03:14
Boa noite Altino e demais companheiros que visitam este estudo.

É muito boa esta oportunidade que o nosso companheiro está criando para que possamos, com mais propriedade, estudarmos e discutirmos sobre os temas evangélicos;
-Conforme anunciados pelos seus reveladores,
-Conforme a análise dos Espíritos e de Kardec,
-Conforme a contextualização destes ensinamentos nos dias atuais.

Em relação às Leis Mosáicas, estas tiveram o propósito de disciplinar os povos truculentos da época em que foram reveladas. Esta é a interpretação dada pelos Espíritos Codificadores e Kardec. E, nos dias atuais, o homem ainda corrompido, necessita de normas e diretrizes que norteie seu progresso. Em relação à época de Moisés o homem avançou esplendidamente no campo das ciências traduzindo o progresso intelectual adquirido ao longo das experiências. Já, no aspecto moral ou disciplinar, a marcha ascensional destoa da marcha da inteligência. O que deveria ser um dos mais importantes fatores de agregamento dos indivíduos, aquela que, para exemplo, vivenciaria em sua plenitude a Lei de Amor, na verdade, tem se constituído em relevante fator de desunião e conflitos; A religião.

http://www.youtube.com/watch?v=8DXNWa1JOdc
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 02 de Junho de 2015, 12:06
Amigos e dedicados companheiros deste cantinho de estudo do Evangelho é com muita emoção que agradeço a presença da nossa amiga Macili que com as suas lindas colocações vem ajudar todos os que nos visitam.. assim como o meu estimado e grande amigo Kazaoka pelo carinho a ajuda neste capitulo do Evangelho lhe fico muito grato e todos serão bem vindos.......
Assim como muito carinho e alegria fraterna dou os meus bons dias sinceros a todos e vamos continuar este nosso debate que pode ajudar muitas pessoas a compreender este maravilhoso Evangelho e este capitulo.........
O Espiritismo é a nova ciência que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e suas relações com o mundo material.
Ele nos mostra esse mundo, não mais como sobrenatural, mas, pelo contrário, como uma das forças vivas e incessantemente atuantes da natureza, como a fonte de uma infinidade de fenómenos até então mal compreendidos, e por essa razão rejeitados para o domínio do fantástico e do maravilhoso.
É a essas relações que o Cristo se refere em muitas circunstâncias, e é por isso que muitas coisas que ele disse ficaram ininteligíveis ou foram falsamente interpretadas.
O Espiritismo é a chave que nos ajuda a tudo explicar com facilidade.
A lei do Antigo Testamento está personificada em Moisés, a do Novo Testamento, no Cristo.
O Espiritismo é a terceira revelação da lei de Deus.
Mas não está personificado em ninguém, porque ele é o produto do ensinamento dado, não por um homem, mas pelos Espíritos, que são as vozes do céu, em todas as partes da Terra e por inumerável multidão de intermediários.
Trata-se, de qualquer maneira, de uns seres  coletivos, compreendendo o conjunto dos seres do mundo espiritual, cada qual trazendo aos homens o tributo de suas luzes, para fazê-los conhecer esse mundo e a sorte que nele os espera.
 Da mesma maneira que disse o Cristo:
“Eu não venho destruir a lei, mas dar-lhe cumprimento”.
Também diz o Espiritismo:
 “Eu não venho destruir a lei cristã, mas dar-lhe cumprimento”.
Ele nada ensina contrário ao ensinamento do Cristo, mas o desenvolve, completa e explica, em termos claros para todos, o que foi dito sob forma alegórica.
Ele vem cumprir, na época predita, o que o Cristo anunciou, e preparar o cumprimento das coisas futuras.
Ele é, portanto, obra do Cristo, que o preside, assim como preside ao que igualmente anunciou: a regeneração que se opera e que prepara o Reino de Deus sobre a Terra................
Como podemos compreender Jesus pelo seu exemplo de vida e forma de sentir que só o Amor pode unir os homens tudo fazia com seriedade e honestidade fazendo sentir que todos deviam amor o próximo como a si mesmo..... e o fez exemplificando ao mesmo tempo que ajudava todos a serem tolerantes uns com todos..e temos que compreender também hoje que a Ciência e a Religião são as duas alavancas da inteligência humana.
Uma revela as leis do mundo material, e a outra as leis do mundo moral.
Mas aquelas e estas leis, tendo o mesmo princípio, que é Deus, não podem contradizer-se.
Se umas forem a negação das outras, umas estarão necessariamente erradas e as outras certas, porque Deus não pode querer destruir a sua própria obra.
A incompatibilidade, que se acredita existir entre essas duas ordens de ideias, provém de uma falha de observação, e do excesso de exclusivismo de uma e de outra parte.
Disso resulta um conflito, que originou a incredulidade e a intolerância.
São chegados os tempos em que os ensinamentos do Cristo devem receber o seu complemento; em que o véu lançado intencionalmente sobre algumas partes dos ensinos deve ser levantado; em que a Ciência, deixando de ser exclusivamente materialista, deve levar em conta o elemento espiritual; e em que a Religião, deixando de desconhecer as leis orgânicas e imutáveis da matéria, essas duas forças, apoiando-se mutuamente e marchando juntas, sirvam uma de apoio para a outra.
Então a Religião, não mais desmentida pela Ciência, adquirirá uma potência indestrutível, porque estará de acordo com a razão e não se lhe poderá opor a lógica irresistível dos fatos.
A Ciência e a Religião não puderam entender-se até agora, porque, encarando cada uma as coisas do seu ponto de vista exclusivo, repeliam-se mutuamente.
Era necessária alguma coisa para preencher o espaço que as separava, um traço de união que as ligasse. Esse traço está no conhecimento das leis que regem o mundo espiritual e suas relações com o mundo corporal, leis tão imutáveis como as que regulam o movimento dos astros e a existência dos seres.
Uma vez constatadas pela experiência dessas relações, uma nova luz se fez: a fé se dirigiu à razão, esta nada encontrou de ilógico na fé, e o materialismo foi vencido.
Mas nisto, como em tudo, há os que ficam retardados, até que sejam arrastados pelo movimento geral, que os esmagará, se quiserem resistir em vez de se entregarem.
É toda uma revolução moral que se realiza neste momento, sob a ação dos Espíritos.
Depois de elaborada durante mais de dezoito séculos, ela chega ao momento de eclosão, e marcará uma nova era da humanidade.
São fáceis de prever as suas consequências: ela deve produzir inevitáveis modificações nas relações sociais, contra o que ninguém poderá opor-se, porque elas estão nos desígnios de Deus e são o resultado da lei do progresso, que é uma lei de Deus..... assim queridos amigos aqui também vemos que a lei do progresso é importante para a nossa evolução e conseguirmos pelo Amor continuarmos a Exemplo de Jesus nos dias de hoje....
Com um grande e sincero abraço sereno de muita paz..
[attach=1]
Manuel Altino

Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Kazaoka em 03 de Junho de 2015, 02:40
Fica até difícil tecer qualquer comentário sobre um texto tão esclarecedor quanto este do Evangelho, que fala da importância da união da ciência com a religião para que ambas atendam ao propósito pelo qual foram Criadas por Deus.

É com muito pesar que observamos dentro dos movimentos religiosos (com o Espiritismo não é diferente) o estudo das bases ficarem comprometidos, ou pela inclinação dos adeptos ao imediatismo milagreiro e místico. Ou pela tendência de algumas religiões de massificar seus seguidores, ajustando estes àquilo que suas religiões pregam e que, no fundo, buscam com estes ajustes, atenderem seus próprios interesses.

A nossa fé deve ser fortalecida, não pela força da crença, mas pelo conhecimento racional daquilo em que se crê.   
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 03 de Junho de 2015, 12:58
Amigos e companheiros deste cantinho de muita paz e onde podemos estudar este primeiro capitulo do Evangelho é com muito carinho que agradeço a colocação do amigo Kazaoka e ao mesmo tempo dou o meu bom dia sereno de muita paz e vamos continuar este estudo meditando nestas comunicações dos Espíritos Elevados para melhor compreender este capitulo.

A Nova Era

Deus é único, e Moisés o Espírito que Deus enviou com a missão de fazê-lo conhecer, não somente pelos hebreus, mas também pelos povos pagãos.
O povo hebreu foi o instrumento de que Deus se serviu para fazer sua revelação, através de Moisés e dos Profetas, e as vicissitudes da vida desse povo foram feitas para chocar os homens e arrancar-lhes dos olhos o véu que lhes ocultava a divindade.
Os mandamentos de Deus, dados por Moisés, trazem o germe da mais ampla moral cristã.
Os comentários da Bíblia reduziam-lhes o sentido, porque, postos em ação em toda a sua pureza, não seriam então compreendidos.
Mas os Dez Mandamentos de Deus nem por isso deixaram de ser o brilhante frontispício da obra, como um farol que devia iluminar para a humanidade o caminho a percorrer.
A moral ensinada por Moisés era apropriada ao estado de adiantamento em que se encontram os povos chamados à regeneração.
E esses povos, semi -selvagens quanto ao aperfeiçoamento espiritual, não teriam compreendido a adoração de Deus sem os holocaustos ou sacrifícios, nem que se pudesse perdoar a um inimigo. Sua inteligência, notável no tocante às coisas materiais, e mesmo em relação às artes e às ciências, estava muito atrasada em moralidade, e eles não se submeteriam ao domínio de uma religião inteiramente espiritual.
Necessitavam de uma representação semi-material, como a que então lhes oferecia a religião hebraica.
Os sacrifícios, pois, lhes falavam aos sentidos, enquanto a ideia de Deus lhes falava ao espírito.
Jesus  foi o iniciador da mais pura moral, a mais sublime: a moral evangélica, cristã, que deve renovar o mundo, aproximar os homens e torná-los amigos; que deve fazer jorrar de todos os corações humanos a caridade e o amor do próximo, e criar entre todos os homens uma solidariedade comum.
Uma moral, enfim, que deve transformar a Terra, fazê-la morada de Espíritos superiores aos que hoje a habitam.
É a lei do progresso, a que a natureza está sujeita, que se cumpre, e o Espiritismo é a alavanca de que Deus se serve para elevar a humanidade.
São chegados os tempos em que suas ideias morais devem desenvolver-se, para que se realizem os progressos que estão nos desígnios de Deus.
Elas devem seguir o mesmo roteiro que as ideias de liberdade seguiram, como suas precursoras. Mas não se pense que esse desenvolvimento se fará sem lutas.
Não, porque elas necessitam, para chegar ao amadurecimento, de agitações e discussões, a fim de atraírem a atenção das massas.
Uma vez despertada a atenção, a beleza e a santidade da moral tocarão os Espíritos, e eles se dedicarão a uma ciência que lhes traz a chave da vida futura e lhe abre a porta da felicidade eterna. Foi Moisés quem abriu o caminho; Jesus continuou a obra; o Espiritismo a concluirá.
Um dia, Deus em sua inesgotável caridade, permitiu ao homem ver a verdade através das trevas. Esse dia foi o do advento de Cristo.
Depois do vivo clarão, porém, as trevas se fecharam de novo.
O mundo, após alternativas de verdade e obscuridade, novamente se perdia. Então, semelhantes aos profetas do Antigo Testamento, os Espíritos começaram a falar e a vos advertir.
O mundo foi abalado nas suas bases: o trovão ribombará; sede firmes!
O Espiritismo é de ordem divina, pois repousa sobre as próprias leis da natureza.
E crede que tudo o que é de ordem divina tem um objetivo elevado e útil. Vosso mundo se perdia. A ciência, desenvolvida com o sacrifício dos interesses morais, vos conduzia unicamente ao bem-estar material, revertendo-se em proveito do espírito das trevas.
Vós o sabeis, cristãos: o coração e o amor devem marchar unidos à ciência.
O Reino do Cristo, ai de nós! Após dezoito séculos, e apesar do sangue de tantos mártires, ainda não chegou.
Cristãos, voltai para o Mestre que vos quer salvar.
Tudo é fácil para aquele que crê e que ama: o amor o enche de gozo inefável.
Sim, meus filhos, o mundo está abalado.
Os bons Espíritos vos dizem sempre.
Curvai-vos sob o sopro precursor da tempestade, para não serdes derrubados.
Quero dizer: preparai-vos e não vos assemelheis às virgens loucas, que foram apanhadas desprevenidas à chegada do esposo.
[attach=1]
A revolução que se prepara é mais moral do que material.
Os grandes Espíritos, mensageiros divinos, insuflam a fé, para que todos vós, obreiros esclarecidos e ardentes, façais ouvir vossa humilde voz.
Porque vós sois o grão de areia, mas sem os grãos de areia não haveria montanhas.
Assim, portanto, que estas palavras: "Nós somos pequenos", não tenha sentido para vós.
A cada um a sua missão, a cada um o seu trabalho.
A formiga não constrói o seu formigueiro, e animais insignificantes não formam continentes?
A nova cruzada começou: apóstolos da paz universal, e não da guerra,  olhai para a frente e marchai!
A lei dos mundos é a lei do progresso.
Santo Agostinho é um dos maiores divulgadores do Espiritismo.
Ele se manifesta por quase toda parte, e a razão disso a encontramos na vida desse grande filósofo cristão.
Pertence a essa vigorosa falange dos Pais da Igreja, a que a Cristandade deve as suas mais sólidas bases.
Como muitos, ele foi arrancado ao paganismo, ou melhor diremos, à mais profunda impiedade, pelo clarão da verdade.
Quando, em meio de seus desregramentos, ele sentiu na própria alma a estranha vibração que o chamava para si mesmo e lhe fez compreender que a felicidade não estava nos prazeres enervantes quando, enfim, na sua Estrada de Damasco, ele também ouviu a santa voz que lhe clamava: "Saulo, Saulo, por que me persegues?"
 Exclamou:
"Meu Deus! Meu Deus, perdoa-me, eu creio, sou cristão!"
E desde então se tornou um dos mais firmes pilares do Evangelho.
Podemos ler, nas notáveis confissões desse eminente Espírito, as palavras características e proféticas, ao mesmo tempo, que ele pronunciou ao ter perdido Santa Mónica:
 "Estou certo de que minha mãe virá visitar-me e dar-me os seus conselhos, revelando-me o que nos espera na vida futura".
Que lição nestas palavras, e que brilhante previsão da futura doutrina!
É por isso que hoje, vendo chegada a hora de divulgação da verdade, que ele já havia pressentido, faz-se o seu ardente propagador, e se multiplica, por assim dizer, para atender a todos os que o chamam.
 Santo Agostinho vem, por acaso, modificar aquilo que ensinou?
Não, seguramente, mas como tantos outros, ele vê com os olhos do espírito o que não podia ver como homem.
Sua alma liberta percebe claridades novas, e compreende o que antes não compreendia.
Novas ideias lhe revelaram o verdadeiro sentido de certas palavras.
Quando na Terra, julgava as coisas segundo os conhecimentos que possuía; mas, quando uma nova luz se fez para ele, pode julgá-las com maior clareza.
Agora, que o Cristianismo lhe aparece em toda a sua pureza, ele pode, sobre certos pontos, pensar de maneira diversa de quando vivia, sem deixar de ser o apóstolo cristão.
Pode, sem renegar a sua fé, fazer-se o propagador do Espiritismo, porque nele vê o cumprimento das predições.
Ao proclamá-lo, hoje, nada mais faz do que conduzir-nos a uma interpretação mais sã e mais lógica dos textos.
Assim também acontece com outros Espíritos, que se encontram numa posição semelhante.....
Amigos é assim com este comentários e esclarecimentos que vamos continuar a ser fortes nesta dura caminhada e ao mesmo tempo acreditar que com uma Fé Raciocinada podemos compreender que Jesus Não Veio Destruir a Lei mas sim dar mais força com os seus ensinamentos e fazer a separação entre o Reino de Deus e de César.........
Lindos amigos com um abraço de muita paz e vamos meditar e comentar.....
[attach=2]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Antonio Renato em 03 de Junho de 2015, 17:21
Meus irmãos de estudo bom dia,dando continuidade ao nosso estudo neste capítulo I do
Evangelho segundo o Espiritismo, gostaria de afirmar o que foi colocado pelo nosso irmão
Altino,em que a ciência e a religião são às duas alavancas da inteligência humana,em que
uma revela as leis máterias e a outra às leis morais.Vejam bem irmãos,quando Moisés no
monte Sinai recebeu do pai a intuição de criar as primeiras leis morais,em que Moisés deu
a elas um sentido divino,para que elas fossem aceitas por aquele povo ainda embrutecido
e desorganizado,isso sem contestação,numa forma de imposição,colocando o mêdo e o
castigo pelo não cumprimento das leis apresentadas,pois havia necessidade na época de
serem colocadas assim.Nos tempos atuais,com o melhor desenvolvimento do intelecto os
povos do mundo inteiro,isso porque essas leis foram se estendendo,têm uma melhor
compreesão do que seja cumprir às leis.A ciência por sua vez que no ceticismo da sua
exatidão,se colocava de uma forma antagônica por não aceitar que o entendimento moral
seria o sustentáculo da sua razão,por muito tempo se colocou assim.
Apartir do meado do século XIX,quando então Kardec,um estudioso,um homem ligado a
ciência e às letras,apresentou ao mundo o que os espíritos haviam lhes revelados do seu
mundo com os seus acontecimentos,e que este mundo tinha uma estreita relação com o
nosso mundo.Isto já foi um passo para que a ciência passar-se a ver às leis morais de
uma forma diferente.Hoje no mundo atual,a ciência já encontra respostas pelo que por
muito tempo ela combatia.
Fiquem na paz.
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: macili em 04 de Junho de 2015, 00:13
Olá Amigo Manuel Altino e companheiros de estudo...

Para a nossa reflexão compartilho alguns comentários feitos pelo Espírito Hammed, psicografia de Francisco do Espírito Santo Neto, das mensagens dos itens 4 e 5, do Cap. I, do Evangelho Segundo o Espiritismo...  na esperança de que possamos renovar nossas atitudes sob a inspiração de Jesus Cristo.

Abraços fraternos...


(http://3.bp.blogspot.com/_hqvBxpX_rmY/S_hzR7Mp6MI/AAAAAAAAAVg/r3qqLYNYKkg/s220/111111.bmp)


. Cristo

Preceptor das almas



"Mas o papel de Jesus não foi simplesmente o de um legislador moralista, sem outra autoridade que a sua palavra; ele veio cumprir as profecias que haviam anunciado sua vinda; sua autoridade decorria da natureza excepcional de seu Espírito e de sua missão divina..." - (Cap. I, item 4.)


Ele andou pelos caminhos terrenos desprovido de qualquer apego, consideração ou aplausos.

Ensinou a excelência da mensagem do amor em sua grandeza superlativa e, ao mesmo tempo, percorreu os caminhos, desacompanhado de seus pais ou parentes, solicitando, todavia, a presença espontânea de amigos amorosos que lhes absorveram as lições inesquecíveis.

Não tinha sequer onde reclinar a cabeça, despojado de qualquer bem material; nunca tomava decisões precipitadas em face de atitudes positivas ou negativas que aconteciam em seu redor, mas sempre reflexionava com sua estrutura divina, pois tinha plena consciência de sua missão terrena em favor da educação de uma humanidade ignorante e sofredora.

Ele afirmava que todos deveriam ser vistos como irmãos ou amigos, porque sabia que em potencial poderiam vir a ser pais, filhos, cônjuges ou irmãos, visto que é da lei universal a reencarnação e a caminhada a um só rebanho e a um só Pastor.

Independente de tudo e de todos, conhecia a estrada a ser percorrida, pois estava seguro em Si mesmo; dessa forma, fez sua trajetória livre de convenções e padrões preestabelecidos, não aceitando preconceitos de qualquer matiz, porquanto sabia transitar com grandeza e dignidade pelos caminhos do mundo.

Criatura magnífica, retinha na mente poderes que lhe permitiam manipular desde a intimidade da matéria até as essências mais sutis da alma humana.

Homem generoso, sempre voltado à Natureza, com a qual se integrava em plenitude.

Amava os lírios dos campos, os pássaros dos céus, os montes arborizados, as brisas da manhã, as águas dos lagos, os trigais, e a própria natureza divina que existe em tudo e em todos.

Ele exemplificou as belezas naturais terrenas, comparando-as com o Reino dos Céus, fazendo dessa forma um elo divino, isto é, uma ligação de amor entre os Céus e a Terra.

Ensinou-nos a respeitar inicialmente as coisas da Terra, para que pudéssemos, então, amar as coisas da Vida Maior.

Aparentemente fracassado na cruz, mostrou-nos logo após que venceu o mundo em todos os aspectos.

Jesus podia "ver" com absoluta facilidade por trás das cortinas do teatro da vida humana e tinha a nítida percepção das intenções mais secretas.

Os seres humanos, para Jesus, eram verdadeiros "livros abertos": seu olhar penetrava o âmago das almas, onde conseguia alcançar seus pontos fracos.

Não sufocava com a força de sua personalidade aqueles que O procuravam; ao contrário, afirmava: "Tudo depende de ti", ou mesmo, "A tua fé te curou". Em outras ocasiões, aconselhava-os: "Vai e não peques mais", convidando-os para uma vida autêntica e oferecendo apoio e incentivo para construírem a "Casa sobre a rocha".

Foi Mestre por excelência, porque se manteve longe dos excessos nos relacionamentos: do excesso de "convites", que promove desmedido envolvimento pessoal, dificultando a ajuda real, e do excesso de "indiferença", que provoca falta de compaixão e posicionamento frio.

Preceptor das Almas, levou-nos à reflexão íntima, ou melhor, à interiorização de nós mesmos, quando assegurou: "Eu estou no Pai e o Pai está em mim"¹, formalizando assim a necessidade do nosso autoconhecimento como base vital para alcançarmos o Reino dos Céus.

Sigamos Jesus, Ele é a Luz do Mundo, o Sol Fulgurante que aquece as almas do frio interior, da desilusão e da desesperança.

Busquemos Jesus agora e sempre, porque só assim estaremos caminhando ao encontro da paz tão almejada.

______________
¹  João 14:11.


#


O Espiritismo


"O Espiritismo é a nova ciência que vem revelar aos homens, por provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual, e suas relações com o mundo corporal; ele no-lo mostra, não mais como uma coisa sobrenatural, mas, ao contrário, como uma das forças vivas e incessantemente ativas da Natureza..." (Cap. I, item 5.)


Uma visão sobre a Vida Maior renasce no século XIX na França: verdadeiro ato heróico fez o notável professor Allan Kardec, ao trazer toda uma ideia sobre espiritualidade para o Velho Mundo, até então adormecido pelas doutrinas materialistas e lucrativas vigentes na época.

O Estado e as classes sociais dominadoras transformavam os interesses de alguns em necessidade de todos. Para assegurar privilégios e poder, usavam dos instrumentos possíveis, desde as religiões, meios de comunicação e até a escola, como difusão de crenças e valores que lhes garantissem a ordem social e seus ideais como verdades de todos.

A religião como instituição sagrada se convertia em instrumento e, ao mesmo tempo, vítima do processo.

Os sacerdotes eram os donos das almas há séculos, e os destinos das criaturas estavam circunscritos às decisões eclesiásticas, que detinham o cetro "divino" da absolvição ou da condenação.

Acreditava-se que as consciências não tinham estrutura de fato para fazer avaliações sobre o certo e o errado; por isso eram manipuladas por crenças autoritárias e arbitrárias, ditadas por homens intransigentes e fanáticos.

A missão imposta às escolas e às universidades era a de contribuir para a difusão/consolidação de ideologias criadas por esses grupos detentores da decisão, formando consciências submissas e servis, tementes a Deus, ao Rei e ao Estado e impondo-se com argumentos incompatíveis com a ordem divina, para atender a necessidades camufladas pelos herdeiros privilegiados e arrogantes de uma sociedade absolutista.

O eminente educador Rivail, homem de uma religiosidade missionária, traz à França, em meio ao positivismo de Augusto Comte, a ideia imortalista do Espiritismo.

Apesar de a crença na reencarnação ter sido banida do movimento religioso pelos concílios ecumênicos da Antiguidade, Kardec a apresenta ao mundo sob a supervisão dos Espíritos Superiores, estabelecendo assim novos rumos à sociedade, presa a conceitos de superioridade de nascimento e graças especiais entre os escolhidos.

Os preconceitos de classe social, cor e sexo caem por terra, já que pela roda das encarnações sucessivas poderemos habitar os mais diferentes corpos e pertencer às mais diversas castas da sociedade; a família patriarcal e possessiva já não tem razão de ser e a servidão da mulher toma conotação de crença despótica e machista.

Faz-se então uma verdadeira revolução nos costumes medievais que ainda vigoravam na época, a qual encontra consideração por parte de alguns, pela lógica e discernimento da vida como um todo, e oposição sistemática por parte de outros,pelo grau de imaturidade psicológica deles e por mexer em valores íntimos de convencionalismo e superstição arraigados em suas consciências através dos tempos.

O Espiritismo fez renascer nas almas a compreensão da verdadeira natureza do homem e a percepção de que seu destino é fruto de suas escolhas.

Imortalidade da alma e vidas sucessivas são algumas das bases sólidas que abalaram os alicerces de toda uma coletividade estruturada numa visão distorcida da verdade universal. A nova ideologia estabelece por crença indispensável a fraternidade, como concepção de vida real a ser incorporada pelos indivíduos e grupos à medida que suas necessidades espirituais forem tomando aspectos de ascensão e conhecimento.

A Doutrina Espírita é um método extraordinário de educação. A sobrevivência após a morte, a preexistência e a evolução das almas ainda são quase que totalmente desconhecidas pelos povos com ares de hegemonia. Porém, ao tempo certo, delas tomarão consciência, conforme afirma o apóstolo Paulo, quando escreve às igrejas da Galácia: "... porque a seu tempo tudo ceifaremos..."¹

_______________
¹  Gálatas 6:9

Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Antonio Renato em 04 de Junho de 2015, 01:47
Meus irmão de estudo boa noite.Baseado no texto que a nossa irmã Macili nos trouxe,podemos
colocar que o Cristo Jesus não veio ao mundo para se dizer Rei ou reclamar para si um trono ao
qual pudesse sentar,ele veio sim para falar de Deus e das suas leis.Jesus proclamado Rei dos
Reis,não pelo poder absoluto,mas pela sua força moral,pois com muita humildade e muita
simplicidade ele foi mostrando para aquele povo incrédulo quem era o verdadeiro Rei.
O Espiritismo veio à afirmar o que Jesus tinha anuciado,que todos nós eramos filhos de um
mesmo pai,que deveriamos seguir as suas leis,que o verdadeiro mundo não era este e que para
chegar ao pai deveriam acompanha-lo.A Doutrina Espirita que através das codificações do
Kardec vem nos colocando,o porque de seguir Jesus e os seus ensinamentos para chegarmos
aos reinos de Deus.
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 04 de Junho de 2015, 16:31
Amigos e companheiros deste Estudo do Evangelho capitulo Um para todos o meu bom dia de muita serenidade e dar as boas vindas ao meu amigo António Renato Barbosa pela sua participação que foi muito esclarecedora quanto ao tema explanado e agradecer a  amiga Macili por mais um lindo texto sobre Jesus e o Espiritismo.
Mas vamos voltar ao assunto e dizer que aquelas Leis foram as melhores para o povo da época os tornar mais disciplinados e respeitar Deus.....por isso mesmo é que Jesus disse Não vim destruir a Lei, mas ao mesmo tempo acrescentar que temos que nos Amar uns aos outros e essa foi uma das causas que foi condenado pelos sacerdotes judaicos... e temos que entender que ainda hoje os Judeus esperam a vinda do Messias..
Não penseis que eu tenha vindo destruir a lei ou os profetas: não os vim destruir, mas cumpri-los: - porquanto, em verdade vos digo que o céu e a Terra não passarão, sem que tudo o que se acha na lei esteja perfeitamente cumprido, enquanto reste um único iota e um único ponto.
As Três Revelações
A Primeira Revelação: Moisés
Quem Eram Os Hebreus?
Significado: “ Gente do outro lado do rio” (rios Eufrates);
Clã de pastores chefiados por patriarcas;
Principais patriarcas: Abraão (o primeiro patriarca), Isaac, Jacó (também chamado Israel, daí o nome israelita), Moisés e Josué;
Por volta de 1750 A. C. uma terrível seca atingiu a Palestina.
Os hebreus foram obrigados a deixar a região e buscar melhores condições de sobrevivência no Egito.
Permaneceram no Egito, cerca de 400 anos, até serem perseguidos e escravizados pelos faraós.
Liderados então, por Moisés, os hebreus abandonaram o Egito em 1250 a.C., retornando à Palestina.
Tribos: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Zebulom, Issacar, Dã, Gade, Aser, Naftali, Benjamim, Manassés e Efraim.
Dos Espíritos degredados na Terra, foram os hebreus que constituíram a raça mais forte e mais homogénea, mantendo inalterados os seus caracteres através de todas as mutações”;
Consciente da superioridade de seus valores, nunca perdeu oportunidade de demonstrar a sua vaidosa aristocracia espiritual, mantendo-se pouco acessível à comunhão perfeita com as demais raças”;
A sua existência histórica, contudo, é uma lição dolorosa para todos os povos do mundo, das consequências nefastas do orgulho e do exclusivismo”;
Moisés – O Legislador
O grande legislador hebreu saturando-se de todos os conhecimentos iniciáticos, no Egito antigo, onde o seu espírito recebeu primorosa educação,…”
Médium extraordinário, realiza grandes feitos ante os seus irmãos e companheiros maravilhados.”
É quando então recebe, de emissários do Cristo, no Sinai, os dez sagrados mandamentos que, até hoje, representam a base de toda a justiça do mundo.”
As Leis...
As Leis de Deus – Os 10 Mandamentos:
Eu sou o Senhor, vosso Deus, que vos tirei do Egito, da casa da servidão. Não tereis, diante de mim, outros deuses estrangeiros.
Não fareis imagem esculpida, nem figura alguma do que está em cima do céu, nem em baixo na Terra, nem do que quer que esteja nas águas sob a terra. Não os adorareis e não lhes prestareis culto soberano;
Não pronunciareis em vão o nome do Senhor, vosso Deus;
Lembrai-vos de santificar o dia do sábado;
Honrai a vosso pai e a vossa mãe, a fim de viverdes longo tempo na terra que o Senhor vosso Deus vos dará;
Não mateis;
Não cometais adultério;
Não roubeis;
Não presteis testemunho falso contra o vosso próximo;
Não desejeis a mulher do vosso próximo;
Não cobiceis a casa do vosso próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu asno, nem qualquer das coisas que lhe pertençam.
O Pentateuco...
As Leis Morais de Moisés:
1.0 Livros do Pentateuco (Torá)
1.1 Génesis
1.2 Êxodo
1.3 Levítico :
Basicamente é um livro teocrático, isto é, tem carater legislativo; apresenta em seu texto o ritual dos sacrifícios, as normas que diferenciam o puro do impuro, a lei da santidade e o calendário religioso entre outras normas e legislações que regulariam a religião.
Contém os discursos de Moisés ao povo, no deserto, durante seu êxodo do Egito à Terra Prometida por Deus.
Os discursos contidos nesse livro, em geral, reforçam a ideia de que servir a Deus não é apenas seguir sua lei.
O título provém do grego e quer dizer:
 Segunda Lei, ou melhor, Repetição da Lei.
Em Êxodo, Levítico e Números, as leis foram dadas, conforme a necessidade da ocasião, a um povo acampado no deserto.
Em Deuteronómio, essas leis foram repetidas a uma geração que, dentro em breve, moraria nas casas, vilas e cidades da terra prometida.
A Segunda Revelação: Jesus
“E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”
 “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.
Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”
A Segunda Revelação: Jesus
 “Terminados os triunviratos, eis que ia cumprir-se a missão do Cristo, depois de instalados os primeiros Césares do Império Romano.”
“A aproximação e a presença consoladora do Divino Mestre no mundo era motivo para que todos os corações experimentassem uma vida nova, ainda que ignorassem a fonte divina daquelas vibrações confortadoras.
Em vista disso, o governo de Augusto decorreu em grande tranquilidade para Roma e para o resto das sociedades organizadas do planeta .” PAX ROMANA.
O Cristo
Mas, o papel de Jesus não foi o de um simples legislador moralista, tendo por exclusiva autoridade a sua palavra.
Cabia-lhe dar cumprimento às profecias que lhe anunciaram o advento; a autoridade lhe vinha da natureza excecional do seu Espírito e da sua missão divina.
Ele viera ensinar aos homens que a verdadeira vida não é a que transcorre na Terra e sim a que é vivida no reino dos céus; viera ensinar-lhes o caminho que a esse reino conduz, os meios de eles se reconciliarem com Deus e de pressentirem esses meios na marcha das coisas por vir, para a realização dos destinos humanos.
Entretanto, não disse tudo, limitando-se, respeito a muitos pontos, a lançar o gérmen de verdades que, segundo ele próprio o declarou, ainda não podiam ser compreendidas.
Falou de tudo, mas em termos mais ou menos implícitos.
Para ser apreendido o sentido oculto de algumas palavras suas, mister se fazia que novas ideias e novos conhecimentos lhes trouxessem a chave indispensável, ideias que, porém, não podiam surgir antes que o espírito humano houvesse alcançado um certo grau de madureza.
A Ciência tinha de contribuir poderosamente para a eclosão e o desenvolvimento de tais ideias. Importava, pois, dar à Ciência tempo para progredir. “
A Promessa De Jesus…
O Consolador Prometido
"Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei a meu Pai e ele vos enviará um outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco:
O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque o não vê e absolutamente o não conhece. Mas, quanto a vós, conhecê-lo-eis, porque ficará convosco e estará em vós.
 Porém, o Consolador, que é o Santo Espírito, que meu Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará recordar tudo o que vos tenho dito."
A Terceira Revelação: Espiritismo
“Aproximavam-se os tempos em que Jesus deveria enviar ao mundo o Consolador, de acordo com as suas auspiciosas promessas.”
 “Um dos mais lúcidos discípulos do Cristo baixa ao planeta, compenetrado de sua missão consoladora, e, dois meses antes de Napoleão Bonaparte sagrar se imperador, obrigando o papa Pio VII a coroá-lo na igreja de Notre Dame, em Paris, nascia Alan Kardec, aos 3 de outubro de 1804, com a sagrada missão de abrir caminho ao espiritismo, a grande voz do Consolador prometido ao mundo pela misericórdia de Jesus-Cristo.”
 “O Espiritismo é a ciência nova que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e as suas relações com o mundo corpóreo.”
 “Assim como o Cristo disse:
"Não vim destruir a lei, porém cumpri-la", também o Espiritismo diz:
"Não venho destruir a lei cristã, mas dar-lhe execução."
Nada ensina em contrário ao que ensinou o Cristo; mas, desenvolve, completa e explica, em termos claros e para toda gente, o que foi dito apenas sob forma alegórica.
 Vem cumprir, nos tempos preditos, o que o Cristo anunciou e preparar a realização das coisas futuras.
Ele é, pois, obra do Cristo, que preside, conforme igualmente o anunciou, à regeneração que se opera e prepara o reino de Deus na Terra.”
A revolução que se apresta é antes moral do que material...”
Assim amigos é que vamos conhecendo estas verdades e ao mesmo tempo entender  que o Jesus disse estava certo ....e o Espiritismo é o continuar dessa verdade ou seja O Cristianismo Redivivo e temos de o viver na sua totalidade com o Amai -vos uns aos outros como Eu vos Amei........
Queridos amigos com um grande e carinhoso abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Kazaoka em 04 de Junho de 2015, 16:57
Esta composição artística com a música Nabucco (Verdi) homenageia o povo Hebreu durante a escravidão egípcia. Ópera nabucco de verdi com legendas em português (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUZKOEpSRDR4Vm1RIw==)
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Kazaoka em 04 de Junho de 2015, 17:12
Em toda época da história humana temos as provas de que se mede o caráter do homem dando-lhe poderes. A nossa história está recheada de eventos onde de perseguidos passamos a perseguidores, de vítimas a verdugos, escravos a escravizantes. Mas o que vale a pena lembrar é que estamos num processo de aprimoramento e que tudo depende da nossa postura espiritual adaptada ao momento que vivemos e, acima de tudo, sempre alinhada com o conhecimento que já tenhamos alcançado em relação a Deus.
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 05 de Junho de 2015, 11:17
Amigos e dedicados companheiros deste cantinho de Estudo do Evangelho capitulo Um +e com muita serenidade que a todos que nos visitam o meu bom dia de muita paz e quero mais uma vez agradecer pelas lindas colocações e pelo excelente video que relata um pouco a história do povo Judeu.............. e vamos continuar esta caminhada no estudo com mais dissertações sobre o tema em pauta......A lei de Deus está formulada nos Dez Mandamentos.
Eu sou o Senhor teu Deus, não terás outros deuses, não farás imagem de escultura, não adorarás nem lhes darás culto.
Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão.
Lembra-te de santificar o Sábado
Honrarás a teu Pai e tua Mãe.
Não matarás.
Não cometerás adultério.
Não furtarás
Não dirás falso testemunho contra teu próximo
Não desejarás a mulher do próximo
Não cobiçarás a casa, o servo, o boi ou cousa alguma do teu próximo.
Jesus não veio destruir a lei, o que quer dizer: a lei de Deus.
Ele veio cumpri-la, ou seja, desenvolve-la, dar-lhe o seu verdadeiro sentido e apropria-la ao grau de adiantamento dos homens.
Eis porque encontramos nesta lei o princípio dos deveres para com Deus e para com o próximo, que constitui a base de sua doutrina.
O espiritismo é a nova ciência que vem revelar aos homens, por meio de provas irrecusáveis, a existência e a natureza do mundo espiritual e suas relações com o mundo material.
São chegados os tempos em que as ideias morais devem desenvolver-se, para que realizem os progressos que estão nos desígnios de Deus.
Foi Moisés quem abriu o caminho, Jesus continuou a obra, o Espiritismo a concluirá. A lei dos mundos é a lei do progresso.
Entendo que a evolução dos homens e dos mundos segue as leis divinas, naturais e imutáveis, que não podem ser compreendidas no seu conjunto senão de acordo com o grau de adiantamento de cada época.
Assim a revelação dessas leis é gradual, atravessa as gerações e os séculos e surge quando os olhos se abrem para ver e os ouvidos para ouvir, foi assim com Moisés ao receber os 10 mandamentos e outros sábios em outras regiões do universo, quando também receberam a sabedoria.
http://www.youtube.com/watch?v=PSjDI7SSYwE
Jesus veio trazer uma nova forma de enxergar as Leis Divinas, complementando-as, aprofundando os temas e demonstrando o amor verdadeiro.
Da mesma forma, como Ele próprio prometera, o Consolador trouxe-nos uma revelação ainda mais abrangente mostrando os mecanismos do intercâmbio com o plano espiritual.
Assim, a Lei é uma só porém os princípios se desdobram em infinitos temas e elucidações apropriados.
Ainda hoje existem intérpretes da Lei que são apegados a conceitos antigos e à letra dos textos, ao invés de sentir a Lei, o Evangelho.
Jesus assim concluiu diante de Nicodemos.
Jesus não era Senhor do sábado?
Não tiraria a ovelha do buraco em dia de sábado? Estaria infringindo a Lei?
Ora, as Leis de Deus são escritas no coração com tinta irremovível e letra nunca mais se apaga.
Assim vamos entendendo que a Lei do Progresso é uma forma de evoluirmos no caminho da perfeição..
Com um abraço de muita paz e sempre confiando num Mundo Melhor pois tudo começa em cada um de nós..........
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Antonio Renato em 05 de Junho de 2015, 12:25
Meus irmãos bom dia.Assim como muitas religiões e seus seguidores apregoam que Jesus
veio ao mundo para salvar a todos,a Doutrina Espirita esclarecedora,coloca para todos o
verdadeiro papel de Jesus,que era de ensinar,e assim o fez,como se deveria fazer para que
todos pudessem chegar ao pai e aos seus reinos.Em todos os papéis desempenhado por
Jesus,e com todos os seus atributos,em nenhum deles encontramos o de salvador do
mundo colocado pelas diversas religiões cristã.Cumprir e exercitar as leis divinas é antes
de tudo um dever de todos nós,pois elas nos obrigam,sim,porque sem essa obrigação não
poderiamos avançar na nossa evolução. o nosso mestre Jesus com muita propiedade veio
a nós,enviado pelo nosso pai,para que tivessemos a oportunidade de aprender.O Espiritismo
através da Doutrina Espirita,tem nos ensinado como avançar no progresso moral,pois sem
ele não poderiamos caminhar para encontrar o nosso verdadeiro lar nos reinos de Deus.
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 06 de Junho de 2015, 10:31
Amigos e dedicados companheiros deste cantinho onde meditamos no Capitulo Um do Evangelho é com muito carinho e emoção que agradeço a vossa colaboração ara que este estudo fique mais rico no debate sério que estamos a ter ............. assim com muita amizade o Meu Bom Dia sereno a todos e continuando este nosso debate vamos entender que Jesus durante a sua estadia juntos dos homens procurou sempre cumprir a Lei de Moisés mas sempre procurando acrescentar algo de novo que era muito importante..fazer prevalecer o Amor entre os homens.... assim é que O Espiritismo deve continuar a ser o sentimento de todos nós tentando Amor a todos e os compreendendo muitas vezes fazer a separação do erro do homem e vamos meditar neste video para compreendermos que tudo depende de cada um de nós para vivermos o Cristianismo Redivivo....
http://www.youtube.com/watch?v=LbftQhZuS7Y
Conforme nos ensina o Evangelho, o Espiritismo é o Consolador prometido há 2000 anos .
A Doutrina Espírita é isenta de dogmas.
Não veio para contestar o que foi ensinado por Jesus, e sim para auxiliar a humanidade na compreensão e cumprimento de suas lições.
Não se pretende como Doutrina única e possuidora exclusiva da verdade.
Mas é o Espiritismo a Doutrina que esclarece sobre a continuidade da vida do espírito após a morte do corpo físico, assim como explica a reencarnação e as leis de provas e expiações.
 Sendo uma Doutrina muito recente, às vésperas de completar 150 anos, o Espiritismo ainda terá muito que caminhar com a humanidade.
No mundo todo há bilhões de pessoas que ainda não acreditam na "vida a pós a vida", quanto mais na possibilidade de comunicação com a espiritualidade, o que se dirá sobre a reencarnação.
Daí a importância de fazermos um esforço para entendermos o primeiro capítulo de O Evangelho Segundo o Espiritismo, porque este terá que ser, não apenas lido e relido muitas vezes, mas também será necessário que os espíritas entendam sua responsabilidade sobre o que conhecem, e que tenham a humildade para não fazer serem vaidosos.
 O Capítulo Primeiro do Evangelho serve para nos despertar para uma época de esclarecimento, caridade e fraternidade, e para que não sejam repetidos tantos erros do passado.
Deus permita que possamos seguir o exemplo de Paulo de Tarso e que diante do nosso Caminho de Damasco, ouçamos também o chamado de Jesus e tenhamos a coragem de atendê-lo.....
Amigos mas que bom seria cada um de nós poder dizer como disse Paulo e termos sempre Jesus no nosso coração e como muitas vezes acontece só o temos junto da boca.....Vamos meditar e pensar quantas vezes eu faltei ............então que neste debate do Evangelho seja para cada um de nós uma nova forma de sabermos viver e ajudar os outros Amando e Perdoando sempre....
Com um carinhoso abraço de muita paz e um obrigado a todos pelos comentários lindos.......
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Vitor Santos em 06 de Junho de 2015, 13:53
Olá amigo Manuel Altino

Este estudo é muito interessante e foi bem preparado.

A Doutrina Espirita, para mim, é uma crença que me dá esperança. A esperança de encontrar motivação para viver esta vida, para compreender porque razão vale a pena estar aqui, para compreender como devemos aproveitar a estadia neste mundo duro para todos. Para uns mais do que para outros, mas raro ou inexistente será aquele que tem razão para dizer ser feliz, todo o tempo, durante a vida.

Mas pior do que dura, a vida neste mundo, de um ponto de vista de quem se crê apenas um corpo de carne e nada mais, corresponde a viver na escravidão em relação às necessidades da carne. Os prazeres da carne são temporários, sendo amostras pouco duradouras de felicidade, que nos deixam insatisfeitos por serem curtos. Não justificam, por si só, a vida.

Assim, não está em jogo a vida futura, por enquanto, mas a vida presente, o aqui e agora. E ainda que, por absurdo, possamos estar errados (e formos apenas máquinas naturais e mortais de carne), se, por toda a vida, temos fé na imortalidade da alma, até ao último suspiro, isso já é o bastante para ter valido a pena. Nunca saberemos a verdade, mas enquanto vivemos alimentámos a esperança e isso levou-nos a ter uma vida sem sentido, mas que é como se tivesse sentido. Todavia espero que possamos saber, após a morte carnal, que a vida depois de vida é uma realidade. 

Que a Doutrina Espirita não é dogmática, isso já não posso concordar. As bases da Doutrina não são evidências comprováveis, mas afirmações que médiuns ostensivos nos transmitiram e que, para quem crê nisso, são afirmações dos espiritos. Pelo facto de a informação ser provinda de espiritos não deixa de ser dogmática. Se os dogmas são comunicados por espiritos, através de médiuns, por profetas, por lideres religiosos que dizem ter tido visões, vai dar ao mesmo.

Há quem fale em fé raciocinada. Isso é o mesmo que dizer: trata-se de uma teoria que nos parece lógica e coerente. Mas uma obra de ficção também pode parecer lógica e coerente. Se Allan Kardec achasse que não se tratava de fé, mas de conhecimento, porque utilizar a palavra fé?

O que não é dogmático é aquilo que é aceite porque existem evidências cientificas comprováveis de que assim é. Do que temos evidências é de que existem fenómenos paranormais, mas ainda a necessitar de uma comprovação cientifica, universal, que envolva a generalidade dos centros de investigação cientifica e não apenas alguns, por muito bons que sejam.

Por não se tratar de algo cientificamente comprovado, a Doutrina Espirita tem na mesma o seu valor e é uma crença digna, e avançada, em relação a muitas outras. Talvez mesmo a mais avançada, juntamente com os conhecimentos do Yoguis que estão na linha de Patanjali.

Bem haja

   
         
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Kazaoka em 07 de Junho de 2015, 00:04
O Espiritismo fundamenta-se na sobrevivência da Alma e no seu retorno à experiência carnal, doutrinariamente chamada reencarnação.
Se há um dogma na doutrina este é o da reencarnação. Só que este sentimento de sobrevivência da Alma e o seu retorno ao mundo físico, não surgiu com o Espiritismo. Essa é uma crença, ou dúvida, que o homem traz consigo desde o paganismo, fazendo da vida após a morte física e a possibilidade do retorno, além da possibilidade de comunicabilidade entre os dois estados, as bases em que assentam todo ensinamento Espírita e que surgiu muito depois do nascimento destes sentimentos no homem. Portanto, embora a palavra reencarnação sirva de base para todo ensinamento Espírita, o que ela significa já é sentimento inato do homem, não vindo a ser um dogma da doutrina e, sim, um sentimento natural de todo ser humano, mesmo para os que dizem não aceitá-lo ou não crer nisso.
O Espiritismo tem uma intenção audaciosa, que é a de auxiliar o homem no seu desejo instintivo de melhorar e ser feliz. Para isso não impõe regras, a não ser a de que o indivíduo deve buscar melhorar-se e que faça isso aprendendo a viver em sociedade, com princípios que visam o progresso de todos.
Pelo o que observamos da realidade que vivemos isso parece ser uma utopia. Mas sabemos que, embora pareça impossível; o que diz o Cristianismo e todas as demais religiões nos soam como sendo o caminho a seguir para que alcancemos a tão desejada felicidade plena. Sentimento que é comum a todos e fato que não pode ser contestado.
Ainda que não consigamos viver a plenitude dos grandes ensinamentos, isso não nos desabilita do direito de difundir o que cremos ser o melhor para todos.
A comprovação de tal crença vem através da experimentação dos resultados que podemos alcançar se vivermos, ao menos em parte, aquilo que o evangelho nos ensina.
Título: Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Edna☼ em 07 de Junho de 2015, 16:47
Olá Manuel, excelente tema!

Ao afirmar que "não vim destruir a lei, mas vim para cumprir", Jesus fez distinção entre as leis humanas (transitórias) e as divinas (perfeitas e imutáveis).

Importante lembrar que, o Pentateuco cuida das leis civis e disciplinares (parte social), e o Decálogo é a primeira grande Revelação que cuida da parte moral.

Porque Moisés teve que colocar leis civis naquele povo?  ???
Porque careciam de conhecimento (intelectual e moral), eram rudes e indisciplinados. Era preciso firmar a crença no Deus único e aguardar o concurso do tempo, para que o progresso individual e coletivo permitissem a humanidade compreender, um pouco mais, sobre o sentido da vida.

Em cumprimento as profecias, Jesus vem ao mundo através do berço de palha onde nos dá a primeira lição de humildade, seguidas dos exemplos de simplicidade, caridade, perdão e amor ao próximo, entretanto, foi incompreendido por muitos, e resumiu os mandamentos da lei em:  “Amarás o Senhor teu Deus de todo o coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contêm toda a lei e os profetas." (Mateus, XII: 34-40).

Temos ai a segunda grande Revelação Divina, que aguardava, ainda, a evolução da humanidade, onde o Mestre semeou no Espírito do homem o amor para a vinda do Consolador prometido no seu último discurso, a qual cumpriu-se com o advento do Espiritismo (1857), que veio no momento oportuno instruir e consolar a descrente humanidade que por milhares de anos sofreu perseguição e intolerância em nome de dogmas e da fé cega, entretanto, inaugurava-se, ai, o período de luz à humanidade, uma grande passo à evolução!


Deixo a todos uma reflexão:

O que estamos fazendo para merecer a oportunidade do momento presente que nos oferece ensejo a observar a lei divina para  iluminar as nossas consciências e os nossos corações?  ???


Sigamos com Jesus e bons estudos a todos!

Abraços fraternos,

Edna ;)

Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: lconforjr em 07 de Junho de 2015, 20:27
.............

      A amiga Edna disse: "... temos aí a segunda grande revelação divina...".

      Como temos de raciocinar para entender a doutrina, como ela mesma nos recomenda, perguntamos: Porq denominá-la de "segunda revelação divina"? A de Moisés, denominada "primeira revelação", foi também "divina", ou apenas a chamamos assim porq a história (?), a doutrina espírita, ou as doutrinas cristãs (?), a chamam assim e nós, então, nos acostumamos de chamá-la assim?

.............
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 08 de Junho de 2015, 12:01
Amigos e companheiros deste Estudo onde debatemos o capitulo Um do Evangelho é com muito carinho que dou as boas vindas para Edna amiga e aos restantes companheiros que aqui debatemos para o nosso aprendizado... Como é bom estarmos sintonizados para o tema ............ mas temos que ter a certeza que as palavras de Jesus nos alertou muito para compreendermos esta maravilhosa  da Doutrina que é sempre sempre viva e não ficava só na codificação e sempre que a ciência descobre algo novo que seja para a nossa Evolução e Progresso a Doutrina aceita sempre ...... aqui penso dar uma resposta ao nosso amigo Vitor Santos e por esta razão tudo está sempre em constante Evolução e meditarmos muito nas palavras do Codificador ......
Se temos na Codificação deixada pelo professor e mestre Alan Kardec “O Livro dos Espíritos” como principal obra, temos em “O Evangelho Segundo o Espiritismo” nosso livro mais popular.
E quando estudamos “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, iremos notar que logo no primeiro capítulo nos deparamos com o seguinte título: “Não vim destruir a lei”; e logo no seu tópico primeiro, encontramos a assertiva: “Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim para destruí-los, mas para dar-lhes cumprimento.
Porque em verdade vos digo que o céu e a Terra não passarão, até que não se cumpra tudo quanto está na lei, até o último jota e o último ponto.
(Mateus, V: 17- 18)”.
Muitos de nós deixamos passar batido essa importante passagem de nosso Mestre Nazareno.
Notemos que Jesus nos afirma que não veio para destruir a lei nem os profetas, mas para dar cumprimento.
Todos nós sabemos que antes do advento de Jesus Cristo, vivíamos sobre a lei de talião (legislação do “olho por olho, dente por dente”).
Vivíamos sobre a lei do homem primitivo; e com a vinda do nosso governador espiritual, começamos a compreender que ele aqui encarnou para nos mostrar que a vida não pode ser regida sob a lei do “pagar o mal com o mal”; do duelo e do ódio.
Com a vinda do Cristo, começamos a vislumbrar uma nova aurora, em que perdíamos aos poucos aquelas vestes de homem selvagem, e passávamos a entrar numa era nova – de provas e expiações.
E Jesus, ao frisar que “o céu e a Terra não passarão, até que não se cumpra tudo quanto está na lei, até o último jota e o último ponto”, mostra-nos que tudo gira em torno dos desígnios do Pai, que é Deus.
Nós, entretanto, não tínhamos entendimento suficiente para compreender o que hoje podemos compreender e aceitar.
Tudo era muito difícil; ao passo que hoje, com todo esse avanço e progresso, já notamos que de fato tudo na vida passa.
Nós nos prendemos em futilidades, e precisamos nos libertar dessas amarras que só nos prendem ao atraso.
Em certa ocasião perguntaram a Jesus:
“Mas os fariseus, quando ouviram que Jesus tinha feito calar a boca dos saduceus, juntaram-se em conselho.
E um deles, que era doutor da lei, tentando-o, perguntou-lhe:
Mestre, qual é o maior mandamento da lei?
Jesus lhe disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, este é o maior primeiro mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.
Estes dois mandamentos contêm toda a lei e os profetas.
(Mateus, XXII: 34-40)”.
Como se pode ver, com toda a sabedoria, Jesus nos mostra o caminho a ser seguido, a receita de qual é o maior mandamento.
Se seguirmos este rumo do Cristo podemos ter certeza que iremos dar conta de mudar e reparar o que é necessário dentro de nós, com a chamada “reforma íntima”.
Vamos começar a ver em nosso Mestre e Senhor Jesus porque ele se auto denominou “Eu sou o caminho a verdade e a vida”............
Assim queridos amigos ainda hoje nos nossos dias temos sempre em muitos momentos tristes pensar em Jesus e saber que o temos sempre ao nosso lado.....vos deixo este video para meditarmos um pouco...
http://www.youtube.com/watch?v=7LCgMTOKXTU
Amigos como é bom sentirmos que estas palavras nos podem dar muita força na nossa dura caminhada e vos dou um abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 09 de Junho de 2015, 11:09
Amigos e ternos companheiros deste cantinho onde estamos a debater o capitulo Um do Evangelho é com este carinho que para todos saúdo com o Meu Bom Dia de muita paz e esperando os vossos comentários para ajudar este debate...........
Então amigos é muito importante termos sempre presente as palavras de Jesus ... Eu Não Vim Destruir a LEI ...
para ficarmos atentos a grande mudança que Jesus colocada na vida dos homens fazendo sentir que só pelo Amor os homens seriam felizes e perdoariam tudo uns aos outros .... e ficamos a entender como Jesus dizia que O Meu Reino NÃO É Deste Mundo..........
  Porque Jesus diz lá que “para entrar no reino dos céus somente como uma criança”.
 As coisas estão acontecendo as atribulações estão ai nós sabemos disso mas eles estão aí com a sua simplicidade sua humildade levando isso daí na maior alegria, na maior satisfação.
É tudo aquilo que Deus preparar.
É tudo aquilo que Deus direcionar.
 E se nós orarmos a Ele, se nós pedirmos a Ele, Ele vai nos apontar o melhor caminho e aí a gente está livre da personalidade nosso personalismo que pode atrapalhar tudo.
E Ele prepara justamente para essa noite o primeiro capítulo do livro “O evangelho segundo o espiritismo”, e se vocês prestaram atenção, não tem como, as vezes a gente não presta atenção, porque a emoção é muito forte e a gente acaba se envolvendo muito no que eles estão cantando que eles estão cantando naquela hora.
 Mas ali está no primeiro capítulo do “O evangelho segundo o espiritismo”, com o título, com o tema central de “Eu não vim destruir a lei”, e nós pegamos através desse título central o assunto para que nós possamos aqui compartilhar trocar experiência trazer uma forma daquilo que a gente tem mas vocês tem todo direito toda liberdade para poder compartilhar connosco também, porque se não teria nenhum mérito isto daqui.
Somos todos iguais, todos irmãos buscando caminho, todo mundo buscando a evolução, cada um na sua responsabilidade e cada um tem a sua responsabilidade sim.
Desde uma oração, entregue por essas crianças de uma forma que eu não tenho dúvida nenhuma que as preces deles foram ouvidas.
Não tenho dúvida.
http://www.youtube.com/watch?v=Myi6VcVptS0
E nesse tema central do primeiro capítulo do “O evangelho segundo o espiritismo”, é preciso que a gente dê uma recorrida àquilo que está escrito lá no evangelho.
No evangelho ele começa justamente iniciando sobre a diferença entre as duas leis mosaicas, as duas leis, que vieram através de Moisés.
 A primeira foi aquela que ele recebeu lá no monte Sinai.
 Ele recebe através de Deus os dez mandamentos.
As leis de Deus.
E aí Moisés resolve promulgar a sua lei civil.
 Que é essa lei que nós utilizamos até hoje no nosso planeta.
Porque lá também diz que matar é crime.
 Quanto a lei de Deus, diz que matar, nós estamos aí em pecado vamos dizer assim, fechar um pouco a palavra pecado ......
Amigos parece que nos repetimos .... mas não estamos apenas e dar relevo ás palavras de Jesus que foram muito complicadas naquele tempo e levaram Jesus para o seu Calvário... embora hoje possamos entender que com a ciência nos dá motivos de que esta Doutrina não é inerte ............ mas sim dinâmica e atual ..................
Esperando os vossos lindos comentários e com um grande abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 10 de Junho de 2015, 16:45
Amigos e companheiros deste Estudo do Evangelho capitulo Um é com muito carinho que a todos os que nos visitam a minha boa tarde de muita paz e meditam nas palavras de Jesus que disse Eu Não Vim Destruir a Lei....vejam a seu valor no ambiente que tinha demonstrando uma grande superioridade moral...............
Mais tarde o Codificador o expressou muito bem na Génese fazendo uma grande diferença na Superioridade Moral de Jesus para explicar muitos fenómenos provocados pela igreja desmitificando os milagres......
Então os  fatos relatados no Evangelho, que têm até agora sido considerados como miraculosos, pertencem, em sua maior parte, à ordem dos fenómenos psíquicos, isto é, daqueles que têm por causa primária, as faculdades e os atributos da alma.
Se os aproximarmos daqueles que são descritos e explicados no capítulo anterior, sem esforço se reconhece que há entre eles identidade de causa e de efeito.
É certo que se pode contestar sobre este ponto, a veracidade da História; porém, hoje, eles se produzem sob nossos olhos, por assim dizer à vontade, e por indivíduos que nada têm de excecional.
Só o fato da reprodução de um fenómeno, em condições idênticas, é suficiente para provar que ele é possível e submetido a uma lei, e que portanto não é miraculoso.
O princípio dos fenómenos psíquicos repousa, como já o vimos, sobre as propriedades do fluido perispiritual que constitui o agente magnético; sobre as manifestações da vida espiritual durante a vida e depois da morte; enfim, sobre o estado constitutivo dos Espíritos e seu papel como força ativa da Natureza.
Conhecidos esses elementos e constatados os seus efeitos, sua consequência é fazer admitir a possibilidade de certos fatos que antes eram rejeitados, a menos que se lhes atribuísse uma origem sobrenatural.
Sem querer julgar em nada a natureza do Cristo, cujo exame não entra no quadro desta obra, e não o considerando, por hipótese, senão como um Espírito superior, não se pode impedir que se reconheça nele um daqueles da ordem mais elevada, e que é colocado por suas virtudes bem acima da humanidade terrestre.
Pelos imensos resultados que produziu, sua encarnação neste mundo não podia deixar de ser uma das missões que somente são confiadas aos mensageiros diretos da Divindade, para a realização de seus desígnios.
 A supor que ele não fosse o próprio Deus, mas um enviado de Deus para transmitir sua palavra, seria mais que um profeta, pois seria um Messias divino.
Como homem, tinha a organização dos seres encarnados; mas como Espírito puro, destacado da matéria, devia viver na vida espiritual mais que na vida corporal, da qual não tinha as fraquezas.
 A superioridade de Jesus sobre os homens não era relativa às qualidades particulares de seu corpo, mas às de seu Espírito, que dominava a matéria de maneira absoluta, e ao seu perispírito alimentado pela parte a mais quintessenciada dos fluidos terrestres .
Sua alma não devia estar ligada ao corpo senão por laços estritamente indispensáveis; constantemente separada, ela devia lhe dar uma vista dupla não só permanente como também de uma penetração excecional e por outro modo muito superior àquela que se encontra nos homens comuns.
O mesmo devia acontecer com todos os fenómenos que dependem dos fluidos perispirituais ou psíquicos.
A qualidade de tais fluidos lhe dava um imenso poder magnético, secundado pelo desejo incessante de fazer o bem.
E podemos compreender assim como Jesus não julgava ninguém como este caso da mulher adúltera e como era confrontado pelos sacerdotes do Templo para terem formas de o condenar...........
http://www.youtube.com/watch?v=6FfLCNZLU_E
Assim Jesus ensinava que pelo Perdão todos seriam salvos....
Nas curas que operava, agia como médium?
Pode-se considerá-lo como um poderoso médium curador?
Não; pois o médium é um intermediário, um instrumento do qual se servem os Espíritos desencarnados.
Ora, o Cristo não tinha necessidade de assistência, ele que assistia e auxiliava os demais; agia pois por si mesmo, em vista de seu poder pessoal, tal como o podem fazer os encarnados em certos casos, e na medida de suas forças.
Aliás, qual seria o Espírito que ousaria insuflar-lhe seus próprios pensamentos e encarregá-lo de os transmitir?
Se ele recebesse um influxo estranho, não poderia ser senão de Deus; segundo a definição dada por um Espírito, era o médium de Deus.
Amigos meditem nestas palavras e vejam como Jesus nos ensina a saber Perdoar e pelo amor que temos de ter e sentir por todos.......
Com um carinhoso abraço de muita paz esperando vossos comentários a estas Palavras de Jesus no capitulo Um do Evangelho e que ainda hoje e no futuro tem muita força na nossa Evolução.....
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 11 de Junho de 2015, 12:27
Amigos é com muito carinho que vamos continuar este nosso debate do Evangelho capitulo Um e do valor que Jesus colocou nas suas palavras Eu Não Vim Destruir a Lei ........mas dar muito valor ao Amor e Perdão a todos e como tal aconteceu nesse tempo .........hoje tem de acontecer na mesma .......Assim com todo o carinho o meu bom dia lindo de muita paz e sintam que este estudo é ativo e de muito debate vamos entender que o Codificador colocou do Livro dos Espíritos muitas questão sobre a Lei Natural para que possamos compreender  que essa Lei ainda pode e deve ser aplicado em todos os tempos.............Deus proporcionou a todos os homens os meios de conhecerem a sua lei?
Todos podem conhecê-la, mas nem todos a compreendem; os que melhor a compreendem são os homens de bem e os que desejam pesquisá-la.
Não obstante, todos um dia a compreenderão, porque é necessário que o progresso se realize.
 A justiça da multiplicidade de encarnações do homem decorre deste princípio. pois a cada nova existência sua inteligência se torna mais desenvolvida e ele compreende melhor o que é o bem e o que é o mal.
 Se tudo tivesse de se realizar numa só existência, qual seria a sorte de tantos milhões de seres que morrem diariamente no embrutecimento  ou nas trevas da ignorância, sem que deles dependa o próprio esclarecimento?
O Perdão Momento Espirita (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWRUdHhibDBSbkVvIw==)
Precisamos firmar mais na mente que Deus é Pai amoroso e que jamais ama um filho mais que outro. O Seu amor é universal em todos os aspectos da vida eterna. Como compreender um Deus egoísta, orgulhoso, se Ele é unidade, é harmonia perfeita?
Devemos sempre consultar o Evangelho de Jesus, que logo notamos o que é Deus, ante a Sua paternidade Universal.
Deus facultou a todas as criaturas conhecerem as leis criadas por Ele.
Os homens, quando fazem uma lei, não a divulgam para que todos possam conhecê-la?
O conhecimento é uma advertência para que possamos respeitar as leis, entrementes, não é dado a todos a perceberem como elas são, devido à posição espiritual de cada ser.
Mas, aí chega a misericórdia divina, servindo de instrumento aos mais sábios, para orientar os que ignoram as verdades espirituais.
As religiões têm esse dever de tornar visíveis as leis de Deus e induzir os homens à sua prática, para que esses sejam mais felizes.
O avanço desses conhecimentos depende muito de cada ser, da sua boa vontade de aprender, de melhorar suas condições espirituais.
Jesus, como Governador do planeta, não esqueceu de enviar, bem antes da Sua vinda, grandes missionários, entregando aos homens revelações de leis mais claras; e Ele viria depois, para confirmar tudo o que foi dito por eles.
O Mestre não veio destruir a lei, mas apenas confirmá-la com mais claridade.
Ele não veio mudar a lei imutável criada por Deus, mas dar-lhe cumprimento, como fez a Doutrina dos Espíritos, pelas comunicações mediúnicas.
Nada está sendo mudado, da maneira que se possa entender como mudanças, apenas abrindo mais os olhos das criaturas, para verem mais de perto as leis naturais, criadas e estabelecidas por Deus.
Depois que Jesus deu a conhecer o que os homens já poderiam assimilar, a responsabilidade aumentou, e Ele mesmo acentuou para o nosso bem, conforme anotado por Mateus, no capítulo sete, versículo dois:
Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados; e com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também.
Pelo crescimento dos Espíritos na ascensão espiritual, as responsabilidades passam a crescer igualmente, mas o Mestre não esquece as normas que devemos seguir e nos livrar do mal.
Se observarmos a lei dentro da sua perfeita justiça, seremos livres do mal.
Vejamos a esperança que "O Livro dos Espíritos" nos traz, quando esclarece sobre o conhecimento das leis de Deus:
Todos, entretanto, a compreenderão um dia, porquanto forçoso é que o progresso se efetue.
Reconhecemos que Deus é amor, pois não esquece os homens e, muito mais, move  o progresso para que esse faça dos seres de outros reinos os próprios homens.
O ensejo de crescer é para todos, sem exceção, para a glória da vida.
Ao leitor que nos 'acompanha, vamos ter pressa em dizer que está sendo chamado e escolhido para o crescimento espiritual.
Faz a tua parte, pois Deus e Cristo já fizeram a Sua, e os Espíritos benfeitores te ajudarão, se te ajudares a ti mesmo.
Não esqueças a advertência do Cristo:
Não julgar, para não seres julgado, sentença de luz, para a luz da consciência.
Amigos é com muita alegria e serenidade que vos dou um  forte e carinhoso abraço de muita paz esperando que fiquem bem e vamos debater  .
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: lconforjr em 11 de Junho de 2015, 14:44
Re: Evangelho Segundo o Espiritismo... Capitulo Um... Não Vim     Destruir a Lei

      Ref resp #15 em: 110615, às 10:31, de MAltino

      Olá, Altino, me perdoe fazer alguns questionamentos referentes à sua resp #15; vamos refletir um pouco como a DE manda.

      Se, como vc disse, tudo depende de cada um de nós para vivermos o Cristianismo Redivivo, qual é a causa de, mesmo depois de mais de 2.000 anos da chegada do cristianismo à Terra, depois da chamada Primeira Revelação que chegou vários milênios antes de Cristo, nem os mandamentos do Decálogo, nem as lições de Amor que Jesus nos deixou, são seguidos? Os homens, nós, ainda agimos de modo o oposto ao que ensinam os Dez Mandamentos e do que ensinou Jesus, e tantos mentores espirituais que estão sempre nos ajudando a entender a vida, e a tentar viver melhor!! 

      Se tudo depende de cada um, porq cada um não faz sua parte no trabalho do progresso espiritual e moral? Há explicação para isso?
..................
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: Antonio Renato em 12 de Junho de 2015, 01:54
Meus irmãos de estudos,boa noite,dando continuidade ao nossos estudos,vejam o que nos diz
sobre o Espiritismo.
O Espiritismo é a nova ciência que vem revelar aos homens,por meio de provas irrecusáveis,a
existência e a natureza do mundo espiritual e suas relações com o mundo material.Ele nos
mostra esse mundo,não mais como sobrenatural,mas,pelo contrário,como uma das forças
vivas e incessantemente atuantes da natureza,como a fonte de uma infinidade de fenômenos
até então incompreendidos,e por essa razão rejeitados para o domínio do fantástico e do
maravilhoso.É a essas relações que o Cristo Jesus se refere em muitas circunstâncias,e é por
isso que que muitas coisas que ele disse ficaram ininteligíveis ou foram falsamente
interpretadas.O Espiritismo é a chave que nos ajuda a tudo explicar com facilidade.
A lei do antigo testamento está personificada em Moisés,a do novo testamento no Cristo.O
Espiritismo é a terceira revelação da lei de Deus.Mas não está personificado em ninguém,
porque ele é o produto do ensinamento dado,não por um homem,mas pelos espíritos,que
são as vozes do Céu,em todas as partes da terra e por inumerável multidão de
intermediários.Trata-se de qualquer maneira de uns seres coletivos,compreendendo o
conjunto dos seres do mundo espiritual,cada qual trazendo aos homens o tributo das suas
luzes,para fazê-los conhecer esse mundo e a sorte que nele os espera.
Da mesma maneira que disse Jesus:"Eu não venho destruir a lei,mas dar-lhe cumprimento".O
Espiritismo diz também:"Eu não venho destruir a lei cristã,mas dar-lhe cumprimento".Ele
nada ensina contrário ao ensinamento do Cristo,mas desenvolve,completa e explica,em
termos claros para todos o que foi dito sob forma alegórica.Ele vem cumprir na época predita,
o que o Cristo anunciou,e preparar o cumprimento das coisas futuras.Ele é portanto,obra do
Cristo que o preside,assim como preside ao que igualmente anunciou:A regeneração que se
opera e que prepara o reino de Deus sobre a terra.
- Tradução do Evangelho Segundo O Espiritismo de Allan Kardec,por José Herculano Pires.
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 12 de Junho de 2015, 11:06
Amigos e companheiros deste Estudo do Evangelho capitulo Um é com muito carinho que a todos dou o meu bom dia sereno e ao mesmo tempo tentar responder a várias questões aqui colocadas..... tudo depende de cada um de nós para vivermos o Cristianismo Redivivo,......
Eu digo sempre que nós temos que fazer a nossa parte no que estiver junto de nós e acontece se vivermos os preceitos da Doutrina tal como Jesus nos ensina como  serenidade e respeito por todos ...assim Amar todos como irmãos ... o que nem sempre acontece ...mas é sempre pela nossa vontade ..então podemos demorar muitos anos a compreender e fazer o melhor....e temos de entender que o Livro dos Espíritos é uma grande ajuda para todos nós ......O Espírito, antes de sua união com o corpo, compreende melhor a lei de Deus do que após a encarnação?
 Ela a compreende segundo o grau de perfeição a que tenha chegado e conserva a sua lembrança intuitiva após a união com o corpo; mas os maus instintos do homem frequentemente fazem que ele a esqueça.
Antes da união com o corpo, o espírito tem mais lucidez das leis naturais do que quando encarnada; no entanto, é justo que observemos em primeiro lugar a sua evolução espiritual, ou seja, o seu despertar para as qualidades da vida.
É claro que não podemos generalizar, porquanto existem muitos Espíritos encarnados que compreendem as leis de Deus bem mais do que muitos dos Espíritos fora da carne.
Isso, como já dissemos, depende da sua elevação, mas, no comum, a carne esconde os poderes do espírito, e faz que ela esqueça o que traz na consciência profunda.
Porém, a bondade de Deus é infinita e, instintivamente o homem percebe raios de lembranças das leis que dirigem a todos.
A consciência sempre marca para todos o que não deve ser feito, mas ela é qual um computador divino, que somente funciona quando tocado.
Depois do erro é que a consciência acusa. Não há julgamento antes da falta; esse trabalho pertence à razão, que deve analisar e escolher o caminho a percorrer.
 Como já falamos, as leis são para todos do mesmo modo, entrementes, cada um as assimila de forma diferente.
Em tudo é necessário o saber, pois com ele o amor é mais puro, assegurando, assim, a verdade.
O corpo é uma veste mais grosseira e impede a alma de certas lembranças, porque em muitos casos, tais recordações podem prejudicar o Espírito.
Deus não tem pressa; Ele não deixa de operar constantemente.
A lei é constante, embelezando cada vez mais a vida pelos mesmos instrumentos, e o ser humano, já dotado de razão e de outros princípios mais sutis, deve esforçar-se todos os dias para o seu auto-aperfeiçoamento espiritual.
Os maus instintos do ser humano agridem seus sentimentos, e nessa fusão de forças é que te destinas a andar.
O ambiente da Terra é agressivo, até certa evolução das criaturas.
Depois de passar por determinado grau, já não é preciso mais a violência, que, como podemos observar, vai diminuindo seu comando na intimidade da criatura.
Estamos nos fins dos tempos maus, não no fim do planeta, ou no fim da vida - isso é para os falsos profetas.
Nada morre, apenas muda de expressão, mas a mesma vida continua cada vez mais expressiva, compreendendo Deus com mais pureza de sentimentos.
O Espírito devedor, quando retorna à carne na Terra, é por duras provações, expiando certas faltas que se enquadram no contexto do despertar do espírito. Quando se livra destas, não mais precisa dessas agressões exteriores nem de conflitos internos, passando a viver, depois das ventanias, um clima de paz, paz de consciência, onde começa a felicidade verdadeira.
Se já encontraste a Doutrina dos Espíritos, observa seus conceitos, analisa tua vida e passa a modificar teus atos - que são mutáveis, não as leis de Deus - que alteram os caminhos que estavam sendo percorridos pela tua falta de vigília .
 Podes buscar, por tua vontade, a intuição das leis de Deus na consciência, pelos canais da oração com Jesus.
Tudo que o homem faz é mutável, pela sua posição de desequilíbrio na escala a que pertence, mas, as leis de Deus são eternas como Ele, porque Deus é Perfeição.
Os maus instintos são somente para os maus Espíritos.
Se ainda conservas a maldade em ti, certamente que ela te perseguira. Vamos conhecer a Deus mais um pouco, e a Sua justiça, que o mais nos vem por acréscimo de misericórdia.
Enquanto perseguirmos, seremos perseguidos; enquanto injuriarmos, seremos injuriados; enquanto vermos os defeitos alheios, esquecendo os nossos, seremos visados por eles e caluniados.
Não podemos proceder desta forma, somente vendo o mal nos outros, enquanto a nossa vida palmilha no erro. Vejamos o que nos diz Mateus, refletindo Jesus:
Ou como dirás a teu irmão:
Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens uma trave no teu?
(Mateus, 7:4)
busquemos  na justiça, que essa justiça nos libertará, nos dando mais vida.
Assim amigos é com tudo isto que nos resta continuar a viver com uma certeza Jesus apenas veio cumprir a Lei dos Profetas e completar essa Lei com uma ainda ais importante que é Amor todos como irmãos.
E Sinta neste pequeno video como temos de esquecer o passado e viver o presente com Amor e Perdão a todos começando por cada um de nós..........
http://www.youtube.com/watch?v=4e4EXxPSVZc
Então companheiros amigos é com muito carinho que vos dou um grande abraço sincero de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 13 de Junho de 2015, 11:40
Amigos e dedicados companheiros deste cantinho onde debatemos o Estudo do Evangelho capítulo Um é com muita alegria que a todos dou o meu bom dia sereno e meditando nas palavras de Jesus vamos tomando consciência e dando o seu valor para sentir que tudo está dentro de cada um de nós.................  Então somos sempre responsáveis pelos nossos atos e ao mesmo tempo entender que tudo é para cada um de nós ...
Onde está escrita a lei de Deus?
 Na consciência’.
 Desde que o homem traz na consciência a lei de Deus, que necessidade tem de que lha revelem?
 Ele a tinha esquecido e desprezado:
Deus quis que ela lhe fosse lembrada.
Então agora sabemos que a  lei de Deus se encontra escrita na consciência; o Senhor a escreveu com todo o Seu amor, na qualidade de Pai que ama profundamente Seus filhos.
Muitos dos nossos companheiros pesquisam, querendo saber onde fica a consciência e qual a sua engrenagem espiritual.
Já falamos, com a humildade que pensamos ter, que não podemos viver no futuro, se precisamos do presente para aprendermos o que ele pode nos dar.
Falta paciência nos aflitos, porque o aprendizado melhor é aquele feito passo a passo.
A própria lei de Deus nos ensina que o Pai é Amor, e sendo Ele amor, tudo que Lhe pedimos com sinceridade e necessidade,
Ele nos dá, e dá com abundância.
Se o Mestre é o revelador de todas as leis do Pai que está no céu da nossa intimidade e fora de nós, como não acreditar nas Suas palavras que são vida, verdade e o verdadeiro caminho?
A lei de Deus, diz "O Livro dos Espíritos", se encontra escrita na consciência, e logo o raciocínio nos pede explicações desta referência: se ela está escrita na consciência, não precisamos que ninguém nos fale sobre Ela, se já a temos.
 Mas, a intuição nos revela com sabedoria que a alma, movendo-se na carne, perde certas sensibilidades, de modo a esquecer-se da própria irradiação dos conhecimentos doados por Deus, pela escrita de luz no centro do Espírito e que, com a maturidade, vão nos chegando ao coração, que passa a ser ar que podemos respirar.
O desprezo do que temos connosco não é por conveniência.
Ninguém, em sã consciência, joga fora o tesouro que possui.
São modalidades da própria vida, para o despertar gradativo dos talentos divinos que todos temos.
 Essa conversa sobre a consciência e as íeis de Deus pode ser estendida ao infinito. Avançamos nesses conhecimentos de acordo com a nossa elevação.
Se queres saber mais, procura Jesus, do modo que Ele nos ensinou a procurá-Lo, tomando a nossa cruz e seguindo Seus passos, o que desperta o mais profundo sentimento de Amor.
Deus, na Sua bondade, quis e quer nos lembrar sempre sobre Suas leis, e para tanto envia os grandes benfeitores para instruir a humanidade e fazer lembrar o que Ele disse.
Para conhecê-los, basta analisar suas vidas, comparando-as com a vida do Mestre.
Assim podes sentir de onde eles vieram e quais as suas missões junto aos homens.
É profunda a pergunta de numero seiscentos e vinte e um:
 "Onde está escrita a lei de Deus?"
A resposta é muito mais profunda, nos dando segurança em todas as direções, quando o benfeitor sintetiza, usando a sua cultura universal:
"Na consciência".
Se queremos melhorar a nossa vida, vamos orar vigiando, pensar sempre no melhor, porque nesse interesse, o melhor, por afinidade, nos virá nas ondas de luz que as bênçãos de Deus desprende em favor dos que O buscam......
Assim lindos amigos sabemos que tudo está dentro de cada um de nós e partilho esta mensagem com meus amigos para conhecermos muito bem como é importante sermos serenos e calmos em todos os momentos da vida é o que Joana de Angeliz nos diz ..... vamos saborear e meditar para melhor vivermos....
http://www.youtube.com/watch?v=T2Ysi7hLChc
Então depois de vermos esta mensagem enaltecedora vamos sentir que o debate é importante neste nosso aprendizado....
Com um carinhoso abraço muito sincero de paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: lconforjr em 14 de Junho de 2015, 04:43

      Certamente, Jesus pode dizer isso: "Eu não vim destruir a lei...!" Ele sabia o que era certo e o que era errado.

      Mas, e nós, as criaturas de Deus, os irmãos de criação de Jesus, porq não podemos dizer simplesmente nem mesmo isto: "Eu sigo os ensinamentos de Jesus!"?

      Afinal, porq não seguimos Jesus (e mesmo sendo o desejo sincero de muitos, não podemos segui-lo ), nem suas leis, os capítulos da Lei de Deus que ele nos ensinou, seus conselhos e mandamentos, sendo ele, como a doutrina ensina: o modelo a ser seguido por todos?

       O que é que nos impede de segui-lo, se sempre a doutrina, as religiões, a lógica, a sabedoria nos incentivam a que o sigamos? Porq andamos na contra-mão do caminho que leva a Deus, ao aperfeiçoamento? Não cremos nos ensinamentos que o mestre nos deixou?? Será isso?!!

......................
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 15 de Junho de 2015, 10:43
Amigos e dedicados companheiros de sempre estão aqui para junto de nós debater e meditar neste estudo do Evangelho capitulo Um ...é para para vós amigos que nos visitam que os saúdo com um bom dia sincero de muita paz e esperando sempre que possamos continuar este debate que nos ajuda a compreender melhor o valor de Jesus nas nossas vidas....e dando continuidade penso que sempre tudo depende da nossa vontade e confiando ............ mas por vezes as informações são tantas e não temos o poder de saber filtrar o que achamos melhor e por isso ficamos baralhados ...penso ter respondido ao nosso amigo ........... mas então vejamos como tudo acontece e o nosso Guia principal que é o Livro dos Espíritos nos ensina realmente o quanto ainda remos de estudar....
Deus indicou a alguns homens a missão de revelar a sua lei?
 Sim, certamente; em todos os tempos houve homens que receberam essa missão.
São Espíritos superiores, encarnados com o fim de fazer progredir a Humanidade.
Amigos então sabendo que sempre podemos confiar em Deus e no seu filho Jesus temos aqui esta mensagem linda que nos ajuda a entender a sua grandeza em todos os momentos da nossa vida e sermos sempre confiantes...........
http://www.youtube.com/watch?v=GyhOSfTt6Z0
Deus confiou a certos homens a missão de ajudar a humanidade a sentir e compreender as leis imutáveis que garantem a vida e sustentam a paz em todos os reinos, e essas leis devem ser respeitadas pelas criaturas.
Em todos os tempos, houve homens que tiveram essa tarefa de revelar as leis já estabelecidas pelo Criador.
É conveniente que busquemos estudar todas as vidas nobres que já passaram pelo planeta, para encontrarmos nelas os princípios desta ordem estabelecida pela Divindade.
Como fazer progredir a humanidade, a não ser por esse incentivo santo, o respeito pela harmonia em forma de íeis que nos ajudam na nossa disciplina espiritual?
Em um planeta não encarnam somente almas de determinada evolução; as escalas a que pertencem são variáveis, porque as operações são inúmeras.
Cada um se encontra em uma faixa, desempenhando missão diferente mas, sob a direção das mesmas leis; porém, a obediência é de acordo com a faixa a que pertence.
Deus é amor, e Ele ama a Seus filhos, sem que o amor saia da justiça.
Ele dá tudo a todos, na mesma dimensão que a fraternidade nos mostra.
Podes verificar a grandeza de Deus, pelos pais da Terra, que diante do Senhor servem de pálida expressão.
É o próprio Evangelho que nos interroga desta maneira:
Se assim podemos analisar, o raciocínio nos responde que a bondade de Deus é tão grande que não cabe na dimensão estreita das nossas comparações.
 E passamos a confiar em Deus mais do que antes.
Ele escapa ao nosso raciocínio, passa pela intuição, deixando rastros de luz, a nos dizer sem palavras que no amanhã, poderemos entendê-Lo com mais profundidade, porque agora nos faltam faculdades para tal compreensão, que confundem até os Anjos.
O espírita, diante de tantas ofertas no aprendizado, deve ponderar nas suas perguntas, por vezes exageradas, e ir pacientemente nos caminhos da verdade, porque ela, a verdade, liberta, mas, no exagero confunde.
Qualquer escada que nos leve para o alto é bom que seja galgada de degrau a degrau, para alcançarmos, assim, o cimo com confiança e maior segurança no que estamos fazendo.
A luz é indispensável em todos os trabalhos dos homens e a nós outros da espiritualidade, no entanto, ela, em excesso, nos ofusca, confundindo nossos sentidos.
 Como ver a Deus face a face, se não suportamos ainda nem a luz do Sol mais de perto?
 E esta estrela que nos alimenta, diante de Deus, pode-se dizer que não existe, dada a sua pequenez em relação à grandeza do Pai.
Deus confiou Jesus como Pastor para nos guiar desde o princípio das coisas na Terra.
Ele, para nós, é verdadeiramente o caminho, a verdade e a vida.
Deveremos passar por Ele para encontrarmos a paz de consciência e os nossos esforços receberão prémios de luz pela nossa movimentação no bem e na caridade.
Deus confiou a Jesus nos orientar, e Jesus confiou igualmente essa tarefa a milhares de obreiros sinceros: a missão de caminhar connosco nos roteiros do mundo cheios de espinhos, nos dando exemplo de confiança, adquirindo experiências para a nossa libertação espiritual.
Respeitamos, pois, a todos que trabalham para o bem comum e, muito mais, a quem nos ensina a amar por amor a Jesus, porque a segurança de todos nós se encontra na vivência, copiando quem viveu a verdade.
Amigos como podemos compreender tudo está em cada um de nós .....Assim com um carinhoso abraço de muita paz e vamos continuar a debater
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 16 de Junho de 2015, 11:23
Amigos e ternos companheiros desta caminhada de Estudo do Evangelho capitulo Um...é com especial carinho que a todos os que nos visitam o meu bom dia sereno e confiança ............. para que possamos ter um dia pleno de muita paz.
Como vimos debatendo e cada vez mais se torna importante o estudo e termos confiança em Jesus e nos Seus Enviados como o Livro dos Espíritos nos aconselha......Esses que pretenderam instruir os homens na lei de Deus não se enganaram algumas vezes e não os fizeram transviar-se muitas vezes através de falsos princípios?
 Os que não eram inspirados por Deus e que se atribuíram a si mesmos, por ambição, uma missão que não tinham certamente os fizeram extraviar; não obstante, como eram homens de génio, em meio aos próprios erros ensinaram frequentemente grandes verdades.
Aqui podemos compreender a grande força que temos de ter para saber o que é de Deus e o que é falso....
Os falsos princípios podem nascer até dos génios; depende do momento, e em que se inspiram para dizer à humanidade.
 Existem os missionários de Deus e os que se fazem missionários, entretanto, quando são homens de génio, o Senhor aproveita sua boa vontade para transmitir aos homens a Sua mensagem.
Porém, esses missionários que se fizeram podem torcer algumas verdades e certamente influenciar algumas pessoas, entretanto, Deus deixa que eles prossigam, por existir em suas vidas alguma mensagem de grande valor.
Como é um preparo para o seu auto-aperfeiçoamento espiritual, nas mãos de Deus nada se perde, e tudo se transforma.
Os verdadeiros profetas, como eram chamados em tempos idos, os agora missionários, enviados por Deus para darem sequência à verdade sempre anunciada, em tudo dão exemplos nobres; a sua vida é rastro de claridades imortais, que dá esperança e alimenta a fé naqueles que os admiram.
A mensagem na sua pureza imaculada, vinda de Deus, somente um a trouxe em toda a sua plenitude de amor, e esse foi Jesus.
Ele propiciou à humanidade aberturas maiores para um aprendizado sem retrocesso.
Cabe a nós, anunciarmos outra vez, ou quantas vezes forem necessárias, que Jesus, O Cristo de Deus, foi o maior Espírito que pisou no solo terreno, pelos processos que o Seu próprio rebanho ainda, ignora e discute com falsas interpretações.
Todos nós sabemos que o falso profeta é responsável pelas sementes que semeia nas mentes que o escutam, bem assim pela sua presença enganadora; não obstante, o falso somente tem sintonia com o seu semelhante.
Bem sabemos que o elemento nobre não se mistura com aqueles que não vibram na mesma faixa de vida.
Tanto quem fala, como quem ouve, estão em processos de despertar espiritual, e algum dia o falso será verdadeiro e o que escuta mal, com a maturidade, passará a escutar bem.
As lições são diferentes para cada alma, mas, todas são lições que nos fazem aprender onde quer que passamos ou estagiemos.
A vida nos oferta conjunções variadas, e sempre nessas oportunidades aprendemos alguma coisa.
Quem se encontra mais ou menos desperto para a luz deve pedir e saber como convém pedir, porque Deus nada dá de mal para Seus filhos.
Sendo Ele harmonia, todas as Suas dádivas são de luz.
Os princípios falsos anunciados não têm força de duração.
Somente a verdade ficará de pé, anuncia o Evangelho de Jesus Cristo.
Eles falam contra si mesmos. Ficamos com os falsos, enquanto a verdade não chega.
A mentira é qual a bruma aos raios do sol, ou as trevas diante da luz.
Mesmo que queiramos, nunca torcemos para sempre a verdade; quando chegamos a iludir, esse alguém somos nós mesmos, e ao descobrirmos isso, aguçamos a seleção dos fatos, usando o raciocínio, juntamente com todos os outros dons que possuímos.
Aprendamos com Jesus, que somente a verdade liberta a alma.
Então lindos amigos temos que Estudar e ao mesmo tempo compreender entre o verdadeiro e o falso para sabermos a verdade e ao mesmo tempo não nos deixarmos enganar.
Que este video aqui colocado seja para cada um de nós uma força de confiança e sermos fortes........
http://www.youtube.com/watch?v=vQmFoU0HaKQ
Amigos aqui está mais um pouco para debatermos e vejam como é na confiança total em Jesus e nos Espíritos Elevados que podemos acompanhar a Lei do Progresso.....
Com um grande e sincero abraço de muita paz e vamos debater este Estudo .......
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 18 de Junho de 2015, 12:19
Amigos e lindos companheiros deste Estudo do Evangelho capitulo Um é com muita serenidade que vos dou o Meu Bom Dia de muita paz e esperando que todos participem  neste debate vamos continuar com este pensamento de podermos compreender qual o sentido do verdadeiro profeta e não acreditarmos em tudo o que nos dizem ..... tendo sempre em mente que estamos debater ainda o que Jesus nos ensinou ....Eu Não vim destruir a Lei........ Qual é o caráter do verdadeiro profeta?
O verdadeiro profeta é um homem de bem, inspirado por Deus.
 Podemos reconhecê-lo por suas palavras e por suas ações.
Deus não se serve da boca do mentiroso para ensinar a verdade.
Desabafo (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXRCYjV2M1hfN1o4Iw==)
Amigos será que ainda nós temos estas situações na vida e não tentamos dar a volta com um grande sentido de saber Perdoar e sentir o Amor de Jesus na nossa vida...
O verdadeiro profeta é de caráter nobre, dentro da nobreza de Deus, porque somente fala a verdade, e por vezes ela lhe custa a própria vida física, como sucedeu ao Divino Amigo Jesus.
É fácil de ser reconhecido o homem de bem, pela sua vida, que ajuda outras vidas.
É ele o homem que ama e em todos os seus passos ele prega e vive o amor.
Todas as religiões são dignas de respeito, alguns dos religiosos é que são falsos dentro da própria comunidade.
O Espírito, para ser elevado, não precisa certamente de frequentar muitas religiões, mas que faça a caridade com amor.
O missionário legítimo é aquele homem que respeita aos outros, que não fere, que não insulta, que não critica, que não tem ódio, que não tem inveja nem ciúmes, que perdoa sempre as ofensas alheias, que segue a linha de Jesus, vivendo os Seus preceitos, que o Evangelho registou pelo poder do amor dos Seus discípulos.
O Mestre partiu para planos superiores, mas enviou falanges e mais falanges de Espíritos puros, para a carne e fora dela, a fim de dar continuidade à Sua mensagem de fraternidade universal.
 E esse trabalho continua a ser feito pelo poder dos anjos; notadamente aparece na França o Consolador prometido por Jesus há quase dois mil anos, na forma de uma Doutrina, para ensinar as mesmas coisas que disse Jesus e, ainda mais, o que o povo de Sua época não suportaria ouvir.
 Esse Cristianismo renascente se chama Doutrina Espírita, filosofia abençoada pela Luz, que somente nos traz paz e trabalho, nos traz luz e entendimento.
Nesse processo de maturidade das almas, nos vinte séculos passados, volta Jesus para levantar os caídos, alimentar os famintos e instruir os ignorantes, curar os enfermos e tranquilizar os corações sofredores.
É bom que anotemos o feito do passado, para nos inteirarmos do que ele pode fazer no presente, nas claridades modernas, face a face com a razão.
É o "educar e instruir" do Espiritismo, doutrina ditada pelo Espírito de Verdade que, por onde passa, liberta.
E esse é o caráter do verdadeiro cristão, que passa abençoando e servindo, aprendendo e ensinando, amando e perdoando, falando das vidas sucessivas e mostrando que ninguém morre, e o que semeamos colhemos, que com a mesma medida que medirmos seremos medidos, amando a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.
Esse é o verdadeiro profeta, que esquece o mal e somente vive no bem, que esquece o ódio e vive no amor, que esquece a injúria e vive no perdão.
O verdadeiro espírita se encontra integrado na luz do Cristo e em si faz brilhar o Cristo de Deus, porque essas coisas são motivos de glória da vida e pela vida.
Então o que precisamos par acreditar quando pelos seus atos de bondade e amor nos falam de Jesus e do seu pensamento quando disse Amai - vos uns aos outros e praticai a Caridade e o Perdão.
Amigos será que todos estamos nesse caminho ou ainda precisamos muito de evoluir..... aqui deixo para debatermos..
Com um abraço de muita serenidade e paz ........... e vamos debater
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: lconforjr em 18 de Junho de 2015, 17:30
Estudo mensal o evagelho

      Ref resp #31 em: 180615, às 12:19, de MAltino

      O querido amigo MAltino escreveu: “O verdadeiro profeta é um homem de bem, inspirado por Deus. Podemos reconhecê-lo por suas palavras e por suas ações. Deus não se serve da boca do “mentiroso” para ensinar a verdade”.

      Meu Deus! Porq é que não consigo entender tantas coisas sensatas e que parecem tão claras que os amigos dizem, que as escrituras, as religiões, os que estudam a doutrina dizem?!

    Aí está novamente o amigo Altino nos trazendo algumas frases de cuja verdade não posso duvidar, pois estão perfeitamente de acordo com meus pensamentos, com minha compreensão, e são lógicas, evidentes, coerentes.

      Mas, para mim falta (talvez não falte para os amigos) alguma coisa que considero muito importante: é uma verdade, inclusive das leis da física, que todo e qualquer efeito tem uma causa; assim, portanto, é mais do que evidente que também tem uma causa o fato de uns serem verdadeiros e de outros serem mentirosos.

      Mas, qual é essa causa?! Uns asseguram que a causa está no mau uso do livre-arbítrio, que, podendo escolher entre ser verdadeiros e ser mentirosos, escolhemos ser mentirosos! Mas, para meu modo de entender, esse esclarecimento não resolve minha dúvida pois porq é que por termos livre-arbítrio escolhemos ser mentirosos se podemos escolher ser verdadeiros?!
...................
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 19 de Junho de 2015, 11:15
Amigos e ternos companheiros deste lugar onde o Estudo é importante e ajuda a compreender muitas coisas da vida e neste capitulo Um Eu não vim destruir a Lei vamos compreendendo a grande luta que teve Jesus naquele tempo e ainda hoje continua perante tanta mentir e falsos profetas.....
Assim com muita serenidade dou o meu bom dia de muita paz e ....amigo Inconforjr as suas dúvidas são as mesmas de muitas pessoas que algumas preferem o mais fácil para compreender ..do que aceitar as verdades que o Evangelho nos diz ...... e aceitam tudo pelo seu livre arbítrio ..... embora mais tarde irão entender o erro............... assim para muitos só temos que ter uma Prece e que um dia sejam alertados para os erros que cometem em seguir falsos profetas....
http://www.youtube.com/watch?v=bycn-aFV0K4
Amigos que cada um de nós possa meditar e compreender a maravilha quando temos Fé e Determinação perante as dificuldades e sentir em Jesus a nossa Força e também nos Espíritos Elevados que sempre nos ajudam em todos os momentos da vida.............
Amigos com este certeza e Fé vos dou um carinhoso abraço de muita serenidade
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo I – Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 23 de Junho de 2015, 10:31
Amigos e companheiros deste cantinho onde continuamos com o nosso Estudo do Capitulo Um Eu não vim destruir a Lei ... com foram sábias as palavras de Jesus diante de todos.. mais tarde o Espiritismo veio confirmar esta máxima e progresso nos vai dando provas desta realidade. E também sabermos entender quais os profetas de hoje que nos falam verdade.. Então antes de continuar o Meu Bom Dia sereno de muita paz e fico sempre na esperança dos vossos comentários para ajudar este debate....... Qual o tipo mais perfeito que Deus ofereceu ao homem para lhe servir de guia e de modelo?
Jesus.
 Jesus é para o homem o tipo de perfeição moral a que pode aspirar a Humanidade na Terra.
Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ele ensinou é a mais pura expressão de sua lei, porque ele estava animado do espírito divino e foi o ser mais puro que já apareceu na Terra.
Se alguns dos que pretenderam instruir os homens na lei de Deus algumas vezes desviaram para falsos princípios, foi por se deixarem dominar por sentimentos demasiado terrenos e por terem confundido as leis que regem as condições da vida da alma com as que regem a vida do corpo.
Muitos deles apresentaram como leis divinas o que era apenas leis humanas, instruídas para servir às paixões e dominar os homens.
http://www.youtube.com/watch?v=9sv9--4dWFU
Sintam neste video como temos nos momentos menos bons da vida sentir que estamos a ser ajudados e ao mesmo tempo confiar...
"Qual o tipo mais perfeito que Deus tem oferecido ao homem, para lhes servir de guia e modelo?"
E o mensageiro do céu, dominando o verbo de luz, serve de canal para o próprio Criador, respondendo de modo a ressoar em todo o mundo, para os ouvidos de toda a humanidade, com uma só palavra:
-"JESUS".
O Mestre dos mestres é, realmente, o modelo no qual todos os homens devem se inspirar, no sentido de caminhar com passos firmes em direção à luz.
Certamente que o fez  da pergunta passou seus pensamentos por todos os grandes personagens da história universal, testando um e outro, por vezes sem segurança, em afirmações do seu próprio raciocínio; não obstante, o Mensageiro de Deus encarregado de fazer reviver o Cristianismo na Terra, limpou todas as dúvidas, dizendo que somente Jesus era e é o guia de todos os povos.
Essa certeza espiritual de que Jesus é o Pastor de todo o rebanho humano se encontra nas consciências de todos os seres, vibra em todos os reinos da natureza e os anjos cantam na atmosfera da Terra.
Por esse motivo é que sempre falamos que a Doutrina Espírita sem Jesus perde seu valor, e desfaz-se nas brumas do tempo, esquecendo a sua fonte sustentadora de vida.
Vejamos há quanto tempo o amor do Cristo acompanha essa casa terrestre, formando a sua estrutura, preparando seu ambiente para receber a humanidade que, igualmente, estava sendo firmada para a vida pelas suas mãos generosas.
Jesus é, pois, a perfeição moral em todos os rumos de todos os entendimentos e o maior fenómeno que ocorreu na face do planeta foi a Sua vinda a ele.
Quanto aos grandes mensageiros que vieram ao mundo como instrutores da humanidade antes do Cristo de Deus, suas doutrinas têm relação com a doutrina de Jesus; é certo que têm, pois, foi Jesus quem os enviou, depois que passou para eles o ensinamento divino, de modo a eles o interpretarem e divulgarem junto aos homens. Esses emissários transmitiram a mensagem divina parcialmente, esquecendo muitos conceitos, mas fizeram alguma coisa, e somos gratos pelos seus esforços em conjunto.
A razão não pode tomar outro caminho, se analisarmos Seus grandes feitos, nunca antes comparados, pelo Seu verbo iluminado, tornando-O uno com o Pai.
Amigos então vejamos como só Jesus é o grande profeta........ e nós hoje temos que entender que só quem disser as verdades que Jesus dizia podemos sentir a Sua presença......... com um carinho abraço de muita paz e vamos debater..
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo I – Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 24 de Junho de 2015, 10:57
Amigos e companheiros deste Estudo do capitulo Um do Evangelho Eu não vim destruir a Lei é com muita amizade que a todos dou o Meu Bom Dia sereno de muita paz e ao mesmo tempo vamos meditar neste video que os dá muita coragem e conhecimento da Doutrina Espirita como um Luz nas nossas vidas.......
Assim com esta maravilha e neste dia especial a todos os que nos visitam o meu sincero bom dia e muita serenidade e façam o favor de comentar...
http://www.youtube.com/watch?v=PSjDI7SSYwE
As leis divinas e naturais só foram reveladas aos homens por Jesus e antes dele só foram conhecidas por intuição?
Não dissemos que elas estão escritas por toda a parte?
Todos os homens que meditaram sobre a sabedoria puderam compreendê-las e ensiná-las desde os séculos mais distantes.
Por seus ensinamentos, mesmo incompletos, eles prepararam o terreno para receber a semente.
Estando as leis divinas escritas no livro da Natureza, o homem pôde conhecê-las sempre que desejou procurá-las.
Eis porque os seus princípios foram proclamados em todos os tempos pelos homens de bem, e também porque encontramos os seus elementos na doutrina moral de todos os povos saídos da barbárie, mas incompletos ou alterados pela ignorância e a superstição.
As leis de Deus foram reveladas aos popucos em toda a Terra, por meio de todos os povos, todavia, passaram por Jesus, levando Seu calor aos corações dos missionários encarregados desta missão.
Somente Ele foi capaz de revelar aos homens a doutrina na sua pureza.
Os Seus seguidores não o conseguiram, por falta de capacidade espiritual no comando das ideias, e por lhes faltar maturidade divina na vivência do que falavam.
Ao Espírito, mesmo o de certa elevação, quando internado na carne, lhe falta sensibilidade apurada para a filtragem dos conceitos mais requintados, como distribuía o Mestre dos mestres.
Os missionários da verdade somente anunciam de acordo com a capacidade dos que ouvem. Em todos os tempos houve alertas admiráveis, em todos os países do mundo, no que se refere à vida espiritual, mas os ouvidos não registaram do modo que era anunciado, por lhes faltar a  preparação para tal entendimento.
Os tempos passaram, mas a verdade não passa; ela fica por ser verdade, e no momento certo nasce nos corações, de maneira a fazer ambiente para outros pregadores mostrarem o que os homens devem ouvir.
É por isso que se encontram muitas verdades adulteradas em todo o mundo, entre todos os povos, mas como agora estamos mais amadurecidos, a verdade está chegando, como luz a despertar os corações para o céu dentro de cada ser.
As leis de Deus, tornamos a dizer, está escrita em todas as consciências, como igualmente em todas as coisas.
Basta ao homem interessar-se pela sua descoberta, que ela vai aparecendo para os de boa vontade.
As leis se expressam em todos, desde o vírus até os Espíritos puros que estão em torno da Divindade.
A diferença é que o vírus somente assimila o que pode, e o anjo, dentro da sua capacidade espiritual, entende do modo que o seu tamanho admite.
É bom que prestemos atenção, pois bem junto de nós, convivendo connosco todos os dias, há sempre alguém que nos revela as leis de Deus, à sua maneira, porém de modo inteligível. Por nossa vez, fazemos a mesma coisa, embora às vezes não o percebamos.
Somos instrumentos de Deus para a felicidade de todos.
Graças a Deus, o Cristo já é conhecido por toda parte corno Mestre e Guia; falta a vivência dos Seus luminosos preceitos, para a verdadeira integração com a luz da verdade.
Os tempos são chegados, e esses tempos mostrar-nos-ão em plena claridade que Jesus é o nosso Guia, para encarnados e desencarnados, e que nos assistiu desde o nosso princípio, quando despertamos para a razão.
Jesus, sendo o Guia e Protetor da Terra, na Sua plenitude espiritual, certamente que usa uma grande falange de Espíritos elevados para a disseminação das verdades que deve anunciar e mesmo para reviver as que já foram anunciadas e reavivar a luz nos corações, ou seja, fazer o Evangelho brilhar novamente, pelos processos mediúnicos, onde a vida cresce e a esperança mostra a alegria de viver no amor.
Jesus é o amor de Deus a se derramar sobre todas as criaturas da Terra, e as que caminham com ela sem o corpo físico.
As revelações são constantes, mas pacientes, obedecendo à maturidade das almas, para não violentarem seus sentimentos.
Essa é a vida, que modifica com a  paz de consciência.
Amigos enfim o que será preciso mais dizer para entendermos que Jesus é o Eleito de Deus...
Com grande carinho e muita amizade para todos e sintam que é na vossa partilha e debate que vamos crescendo.......
[attach=1]
Manuel Altino
 
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo I – Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 26 de Junho de 2015, 12:11
Amigos e lindos companheiros deste Estudo onde meditamos muito nas palavras de Jesus quando disse Eu não vim destruir a Lei vamos meditar que apenas Jesus ao falar dessa maneira queria dizer que a respeitava e lhe dava mais força com O Amor por todos não fazendo escolhas ......mas vendo cada homem como um irmão .......... assim  ainda hoje no mundo muito conturbado em que estamos as palavras de Jesus não tem o efeito desejado pela vaidade e orgulho de muitos homens..
Então com um  grande carinho o meu bom dia sincero e esperando que este tema seja debatido entre todos nós...... pois assim ficamos mais ricos com os comentários de todos.....
Desde que Jesus ensinou as verdadeiras leis de Deus, qual e a utilidade do ensinamento dado pelos Espíritos?
Têm eles mais alguma coisa para nos ensinar?
 O ensino de Jesus era frequentemente alegórico e em forma de parábolas, porque ele falava de acordo com a época e os lugares, faz-se hoje necessário que a verdade seja inteligível para todos.
E preciso, pois. explicar e desenvolver essas leis, tão poucos são os que as compreendem e ainda menos os que as praticam.
Nossa missão é a de abrir os olhos e os ouvidos para confundir os orgulhosos e desmascarar os hipócritas: os que afetam exteriormente a virtude e a religião para ocultar as suas maldades .
O ensinamento dos Espíritos deve ser claro e sem equívocos afim de que ninguém possa dizer que pela sua ignorância e cada um possa julgá-lo e apreciá-lo com sua própria razão.
Estamos encarregados de preparar o Reino de Deus anunciado por Jesus, e por isso é necessário que ninguém possa interpretar a lei de Deus ao sabor de suas paixões, nem falsear o sentido de uma lei que é toda amor e caridade.
http://www.youtube.com/watch?v=Tsp2BNGw2kM
Então amigos que neste video passamos entender que mesmo quando estamos tristes ou algo nos corre mal .temos sempre a nossa lado Jesus e seus Bons Espíritos estão sempre ao nosso lado para nos dar aquela força e coragem que precisamos para mantermos a calma e serenidade sempre..........
A verdade é uma só, em todas as direções que se possa dar na casa paterna, no entanto, ela nos aparece de acordo com a elevação da alma. O despertar do Espírito é que regula o que deve aprender sobre as leis naturais e eternas de Deus.
Podemos comparar a verdade sobre as leis que nos assistem a todos com o sol físico: a sua luz é vida e alimento para a humanidade, não obstante, seus raios sofrem transformações variadas até chegarem aos homens, à Terra e mesmo a certos Espíritos.
Jesus foi o medianeiro máximo entre nós e Deus.
Ele sentia a verdade na mais pura expressão, porém, não poderia nos revelar essa verdade do modo que recebia.
Assim como tens nas linhas elétricas transformadores para regular as forças virgens que se aproximam dos lares, assim é o Mestre na parte espiritual: Ele é, por excelência, um transformador divino, que regula as verdades eternas para que os homens possam conceber e aproveitar os conceitos das leis espirituais.
O Mestre pregava amiúde em parábolas, revestindo certas verdades com a letra, por não ser tempo de serem conhecidas, a não ser por alguns a quem Ele mesmo explicava Seus segredos.
As comunicações dos Espíritos superiores têm a finalidade de fazer reviver Jesus não para superar Seus ensinamentos, por nos faltar elevação para tal empreendimento, mas para dar cumprimento ao que Ele mesmo disse, que enviaria outro Consolador, a fim de dizer o que Ele mesmo não poderia falar na época em que viveu no mundo.
Somos, todos nós, na atmosfera da Terra, Seus agentes, e fazemos a Sua vontade.
Jesus é o nosso Mestre, e nós somos Seus discípulos.
Estamos todos na mesma escola, mesmo que seja em diferentes cursos.
A Doutrina Espírita não tem a pretensão de querer superar Jesus; ninguém pensa desta forma nos departamentos da Terra, quer seja entre encarnados ou desencarnados.
A ordem que temos, vinda de Deus, é para acompanhar Jesus e fazer o que Ele determinar. O Cristo é o Cientista e o Sábio, é o Santo e o Místico, na resolução de todas as equações que a elevação para nós pode mostrar.
As palavras de Jesus estão fundamentadas na verdade, mas é necessário que interpretemos essas verdades ditas por Ele.
Precisamos fazer a nossa parte. Qual o mérito de recebermos tudo sem esforço próprio? Jesus, para nós, é o sol da verdade, que nos aquece e nos aumenta, que nos ajuda e nos instruí.
A nossa missão maior é a de abrir os olhos e os ouvidos de todos sobre o que sabemos a Seu respeito, para que possamos entrar em maior sintonia com a Sua força divina, sentindo mais a necessidade de viver o que Ele nos ensinou.
Se gostamos muito de dominar a Ciência, o nosso gosto, em se falando da moral, deve ser maior. A fonte de toda moral é o amor. Não é com isso que podemos dizer que estamos revelando tudo para a humanidade; longe disso, quanto mais sabemos, mais encontramos verdades para saber; os segredos de Deus são infinitos e somente Ele mesmo conhece tudo.
Jesus Cristo é o Seu medianeiro de confiança.
A Doutrina Espírita não é doutrina de discussões, debates e de separação; é uma Doutrina de Amor, e quem ama não pode sofrer restrições no que toca ao bem da coletividade.
A nossa missão é fazer relembrar Jesus em toda a Sua feição divina e humana, para que a terra de provações e expiações passe com brilho para a Terra de Regeneração, onde a luz possa nascer com todo o seu fulgor, tendo como base amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a nós mesmos.
Amigos depois de tudo o que dissemos vamos sentir que é Jesus que nós ajuda sempre e nos dá aquela força que precisamos para manter a unidade entre todos nós ..... embora muitas vezes pelo nosso orgulho e vaidade fazemos e dizemos coisas que não são as melhores.....então vamos manter mais disciplina e Fé para dizermos que nesta doutrinar temos que dar bons exemplos de vida no trabalho e no lar...........
Com um grande e sincero abraço de muita paz e esperando os vossos comentários
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo I – Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 28 de Junho de 2015, 11:07
Amigos e companheiros deste lugar de Estudo do Evangelho capitulo Um Eu não vim destruir a Lei.......... como é bom sentirmos nesta palavras de Jesus toda a verdade que os homens devem ser todos iguais e serem amados com nós nos amamos e entendendo que estas palavras são ainda hoje a grande força da vida e sempre atuais...........
Com um abraço sincero dou o Meu Bom Dia a todos desejando que o Estudo tenha produzido e fazendo entender muitas verdades que por vezes ainda hoje não são conhecidas de todos.....
Por que a verdade não esteve sempre ao alcance de todos?
 E necessário que cada coisa venha no seu tempo.
 A verdade é como a luz: é preciso que nos habituemos a ela pouco a pouco, pois de outra maneira nos ofuscaria.
Jamais houve um tempo em que Deus permitisse ao homem receber comunicações tão completas e tão instrutivas como as que hoje lhe são dadas.
Havia na Antiguidade, como sabeis, alguns indivíduos que estavam de posse daquilo que consideravam uma ciência sagrada e da qual faziam mistério para os que consideravam profanos.
 Deveis compreender, com o que conheceis das leis que regem esses fenómenos, que eles recebiam apenas verdades esparsas no meio de um conjunto equívoco e na maioria das vezes alegórico.
Não há, entretanto, para o homem de estudo, nenhum antigo sistema filosófico, nenhuma tradição, nenhuma religião a negligenciar, porque todos encerram os germes de grandes verdades, que, embora pareçam contraditórias entre si, espalhadas que se acham entre acessórios sem fundamento, são hoje muito fáceis de coordenar, graças à chave que vos dá o Espiritismo de uma infinidade de coisas que até aqui vos pareciam sem razão, e cuja realidade vos é agora demonstrada de maneira irrecusável.
Não deixeis de tirar temas de estudo desses materiais.
São eles muito ricos e podem contribuir poderosamente para a vossa instrução.
A lei de Deus está escrita na consciência do homem como a assinatura do artista na sua obra
Comparar esta resposta com a mensagem do Espírito de Verdade colocada por Kardec como prefácio de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”.
 Como se vê, desde os primeiros momentos, os Espíritos anunciaram que a finalidade da doutrina era o restabelecimento do Cristianismo.
Os textos sagrados das grandes religiões, como a Bíblia e os Vedas, os sistemas de antigos filósofos, as doutrinas de velhas ordens ocultas ou esotéricas, todos encerram grandes verdades nas suas contradições aparentes.
Os espíritas não devem recuar diante desses sistemas ou ver-lhes apenas as contradições, quando possuem a chave do Espiritismo, com a qual estão aptos a decifrar-lhes os enigmas, descobrindo seus poderosos motivos de esclarecimento. Também nos sistemas modernos de filosofia ou de ciência, por mais contrários que pareçam aos espíritas, uma análise verdadeiramente espírita poderá revelar a existência de grandes verdades...........
Amigos como podemos entender ainda hoje as verdades enunciadas por Jesus são hoje ainda e para o futuro um grande ensinamento para todos....
Com um grande e verdadeiro carinho a todos um abraço de muita paz a todos que nos visitam .
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo I – Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 29 de Junho de 2015, 10:58
Amigos e companheiros dedicados deste estudo do Evangelho onde sempre temos motivos para meditar na nossa evolução e sentirmos que apenas estamos no começo de uma viagem para a eternidade......... Assim com um sincero abraço de muita paz o meu bom dia sereno e vamos falar das coisas que nos são reveladas aos poucos para entendermos melhor este evangelho de Amor....Pouco a pouco a razão nos mostra com bastante clareza que as verdades tinham de ser reveladas do modo que o foram gradual.
A luz em excesso pode cegar.
 Quem mandou os primeiros instrutores à Terra foi Jesus, antes da Sua vinda ao planeta, mas a Sua sabedoria restringiu o que Ele deveria falar e fazer ante a massa humana inconsciente e ainda em plena ignorância.
Observemos como nasce uma árvore: não é de uma noite para o dia; há uma sequência e obedece a determinadas leis, onde a harmonia sempre está presente.
Compete a nós outros observarmos essas leis que regulam tudo na vida, como a nós mesmos. O despertar das criaturas é, igualmente, de passo a passo; ninguém violenta as leis, nem as leis violentam os Espíritos.
É nesse sentido que os espíritos têm maior tolerância com os homens, e os homens sábios a têm com os animais, por saberem que todos estão na mesma marcha para Deus, que os criou.
Deus não permitiu que os nossos ancestrais recebessem comunicações iguais às que os homens recebem hoje, no século vinte, por faltar a eles capacidade de assimilação como a que têm atualmente.
Agora estão sendo chamados e escolhidos para um melhor entendimento da verdade, não de toda a verdade, pois ela continua na sua divina gradação espiritual.
Podemos dizer que ela nasce e renasce constantemente, em variadas freqüências de vida, para dar mais vida às criaturas de Deus.
Os homens do passado recebiam algumas verdades esparsas, ainda assim, somente os que estavam preparados para tal iniciação, e em muitos casos elas chegavam a eles envolvidas em roupagens onde as letras perduravam escondendo o Espírito que vivifica.
A Doutrina dos Espíritos veio superar todas as filosofias do mundo por não ter nascido dos homens, nem ser dirigida por eles.
Ela avança com os homens ou sem eles, por ser a vontade de Deus, pelas mãos do Cristo.
Jesus não tem aflições e nem faz propaganda das verdades espirituais; a Sua pregação vem por maturidade das criaturas. O éter cósmico que a tudo interpenetra na criação, são ondas de luz que obedecem a Deus, Seu criador, e por ele, ou elas, fala o Senhor, e Jesus é o semeador das vidas por Deus formadas.
Ninguém pode fugir à verdade, que são leis eternas na eternidade do próprio Deus.
Entendemos, e podes observar, que todas as religiões do mundo e as filosofias de vida modernas e antigas, tiveram e têm seus valores para certa gama de pessoas do seu nível.
As instruções vêm para todas as criaturas, de acordo com seu despertar espiritual.
Deves analisar uma universidade: ela tem vários departamentos de ensino, e os alunos se reúnem por afinidade de saber.
As criaturas são as mesmas, com as mesmas necessidades físicas, todas irmãs umas das outras, no entanto, no que toca às variáveis das verdades que devem conhecer, elas são apresentadas de maneiras diversas.
Podemos comparar cada sala de aula como uma religião, fornecendo aos seus seguidores o que eles merecem pela sua evolução espiritual.
Assim é a universidade divina.
Preciso é que os homens aprendam a amar a seu próximo como a si mesmos, para que não haja discórdia quanto ao que devem aprender sobre a vida e sobre as leis. Disse Jesus:
 Nem só de pão vive o homem.
Precisamos de tudo .para viver bem, porque tudo foi feito por Deus, desde quando tenhamos bom senso ao escolhermos o que nos serve hoje e do que vai nos servir amanhã.
http://www.youtube.com/watch?v=Im6fMMzd_MI
Assim amigos vamos meditar nestas mensagens que vos trago e ao mesmo tempo sentir como ainda temos muita que evoluir .........
Com um grande abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
 

 
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo I – Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: M.Altino em 30 de Junho de 2015, 10:36
Amigos queridos é com esta disposição de felicidade que chegamos ao final do Estudo Eu não vim destruir a Lei e fico contente por ter muitos visitantes que sentiram neste estudo o conforto do conhecimento e para todos os que participaram e os visitantes é com muito carinho e serenidade que lhes dou o Meu Bom Dia de muita paz e vamos continuar esta caminhada ......pois não fica encerrado o estudo .... e quero agradecer comeste poema que para muitos pode ser conhecido ... mas é a melhor forma de agradecer a vossa presença nesta nossa caminhada.........
http://www.youtube.com/watch?v=JX3xQ9FRQVk
Muito obrigado e vamos trabalhar já no próximo estudo do nosso amigo Kazaoka que vai ser muito construtivo para todos nós .
Com um sincero abraço de muita paz e um grande obrigado pela vossa adorada companhia durante este Estudo
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo I – Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: lconforjr em 30 de Junho de 2015, 18:02
Amigos,

Antes que este tópico do MAltino seja esquecido, lembro aqui uma msg/resp que postei e que não lhe foi dada atenção, como se não a tivessem visto. E, para mim, que tento entender a doutrina como vejo que muitos a entendem, é necessário que eu a entenda, pelo menos na questão que faço nessa msg/resp.

Responder #32 em: 18 de Junho de 2015, 17:30 »

Ref: Estudo mensal o evagelho

Ref resp #31 em: 180615, às 12:19, de MAltino

O querido amigo MAltino escreveu: “O verdadeiro profeta é um homem de bem, inspirado por Deus. Podemos reconhecê-lo por suas palavras e por suas ações. Deus não se serve da boca do “mentiroso” para ensinar a verdade”.

Meu Deus! Porq é que não consigo entender tantas coisas sensatas e que parecem tão claras que os amigos dizem, que as escrituras, as religiões, os que estudam a doutrina dizem?!

Aí está novamente o amigo Altino nos trazendo algumas frases de cuja verdade não posso duvidar, pois estão perfeitamente de acordo com meus pensamentos, com minha compreensão, e são lógicas, evidentes, coerentes.

Mas, para mim falta (talvez não falte para os amigos) alguma coisa que considero muito importante: é uma verdade, inclusive das leis da física, que todo e qualquer efeito tem uma causa; assim, portanto, é mais do que evidente que também tem uma causa o fato de uns serem verdadeiros e de outros serem mentirosos.

Mas, qual é essa causa?! Quem a conhece? Uns asseguram que a causa está no mau uso do livre-arbítrio; que, podendo escolher entre ser verdadeiros e ser mentirosos, escolhemos ser mentirosos! Mas, para meu modo de entender, esse esclarecimento não resolve minha dúvida pois porq é que por termos livre-arbítrio escolhemos ser mentirosos, se podemos escolher ser verdadeiros e se essa escolha será melhor para nós mesmos e pra os nossos semelhantes?!
...................

Título: Re: Evangelho Segundo o Espiritismo ...... Capitulo Um ... Não Vim Destruir a Lei
Enviado por: jose da silva de jesus em 07 de Julho de 2015, 00:35
Estudo mensal o evagelho

      Ref resp #31 em: 180615, às 12:19, de MAltino

      O querido amigo MAltino escreveu: “O verdadeiro profeta é um homem de bem, inspirado por Deus. Podemos reconhecê-lo por suas palavras e por suas ações. Deus não se serve da boca do “mentiroso” para ensinar a verdade”.

      Meu Deus! Porq é que não consigo entender tantas coisas sensatas e que parecem tão claras que os amigos dizem, que as escrituras, as religiões, os que estudam a doutrina dizem?!

    Aí está novamente o amigo Altino nos trazendo algumas frases de cuja verdade não posso duvidar, pois estão perfeitamente de acordo com meus pensamentos, com minha compreensão, e são lógicas, evidentes, coerentes.

      Mas, para mim falta (talvez não falte para os amigos) alguma coisa que considero muito importante: é uma verdade, inclusive das leis da física, que todo e qualquer efeito tem uma causa; assim, portanto, é mais do que evidente que também tem uma causa o fato de uns serem verdadeiros e de outros serem mentirosos.

      Mas, qual é essa causa?! Uns asseguram que a causa está no mau uso do livre-arbítrio, que, podendo escolher entre ser verdadeiros e ser mentirosos, escolhemos ser mentirosos! Mas, para meu modo de entender, esse esclarecimento não resolve minha dúvida pois porq é que por termos livre-arbítrio escolhemos ser mentirosos se podemos escolher ser verdadeiros?!
...................

amigo, Icoforjr
acho que tudo se resume no livre arbítrio, a maneira que voce costuma expor sua visão de livre arbítrio é como se fossemos semelhantes a máquinas que estariam programadas para ter livre arbítrio, sendo que algumas das máquinas agiriam de uma forma e outras máquinas agiriam de outra forma, mas todas pré programadas para agir "aleatóriamente" segundo variáveis razoavelmente imprevisíveis quando visualizadas de fora

mas não é assim que são os seres que possuem livre arbítrio, os seres com livre arbítrio possuem liberdade real de agir e não uma pré programação ou um nivel mais ou menos elevado de imprevisibilidade
seres realmente dotados de livre arbítrio possuem liberdade total para agir da forma que bem entenderem e por isto mesmo estão sujeitos a sofrer as consequencias boas ou más do seus atos, por isto existe justiça na lei de Deus

pela forma que voce entende o livre arbítrio é como se os seres fossem cria de Deus e suas atitudes também fossem derivadas da vontade de Deus, o que significa na prática que eles estariam agindo de forma programada por Deus e não existiria real liberdade, portanto Deus seria injusto por punir uns pelo desvio de suas leis ja que ele os criou para agirem de forma pré programada
isto não é livre arbítrio real, para que Deus seja justo é preciso que ele ofereça liberdade real de ação, nós somos criados por Deus mas nossas atitudes são livres, Deus não controla nossas vontades e nosso livre arbítrio, Deus pode prever por dedução as nossas atitudes futuras mas Deus não possui poder algum sobre elas, agimos de forma totalmente livre e independente da vontade de Deus, ele criou seres independentes por esta é a unica maneira destes poderem estar sujeitos a sofrer de forma justa as consequencias boas ou más de seus atos e a unica maneira de alcançarem a elevação moral

negar que Deus tenha dado independencia aos seres e entender que Deus possa controlar as ações de suas criaturas é o mesmo que atrelar nossas atitudes a um programa pré definido por Deus, negando o livre arbítrio, sem livre arbítrio somos apenas máquinas, vivendo em um mundo 100% material, o plano espiritual seria apenas uma outra dimenção desconhecidas mas ainda material, negar o livre arbitrio e a independecia de nossas ações é o mesmo que negar a existencia do espirito