Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: M.Altino em 01 de Novembro de 2015, 17:44

Título: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 01 de Novembro de 2015, 17:44
Amigos e companheiros é com muita alegria que venho iniciar mais um estudo mensal e onde todos podem participar para que possamos entender O verdadeiro Consolador que é Jesus Cristo que sempre está junto de cada um de nós em todos os momentos desta nossa vida..........
Assim com muito carinho a minha boa tarde de muita paz para todos os meus queridos amigos e companheiros e lhes deixo este video para o começar do estudo...........
http://www.youtube.com/watch?v=Qa4Gd4jNyH0
Vinde a mim, todos os que andais em sofrimento e vos achais carregados, e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas.
 Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.
(Mateus, XI:28-30).
Todos os sofrimentos: misérias, decepções, dores físicas, perdas de seres queridos, encontram sua consolação na fé no futuro, e na confiança na justiça de Deus, que o Cristo veio ensinar aos homens. Sobre aquele que, pelo contrário, nada espera após esta vida, ou que simplesmente duvida, as aflições pesam com todo o seu peso, e nenhuma esperança vem abrandar sua amargura.
Eis o que levou Jesus a dizer:
"Vinde a mim, vós todos que estais fatigados, e eu vos aliviarei".
Jesus, entretanto, impõe uma condição para a sua assistência e para a felicidade que promete aos aflitos.
Essa condição é a da própria lei que ele ensina: seu jugo é a observação dessa lei. Mas esse jugo é leve e essa lei é suave, pois que impõe como dever o amor e a caridade.
Se me amais, guardai os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro consolador, para que fique eternamente convosco, o Espírito da Verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece. Mas vós o conhecereis, por que ele ficará convosco e estará em vós. _ Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito. (João, XIV: 15 a 17; 26).
Jesus promete outro consolador: é o Espírito da Verdade, que o mundo ainda não conhece, pois que não está suficientemente maduro para compreendê-lo, e que o Pai enviará para ensinar todas as coisas e para fazer lembrar o que Cristo disse.
Se, pois, o Espírito da Verdade deve vir mais tarde, ensinar todas as coisas, é que o Cristo não pôde dizer tudo. Se ele vem fazer lembrar o que o Cristo disse, é que o seu ensino foi esquecido ou mal compreendido.
O Espiritismo vem, no tempo assinalado, cumprir a promessa do Cristo.
O Espírito da Verdade preside ao seu estabelecimento.
Ele chama os homens à observância da lei; ensina todas as coisas, fazendo compreender o que o Cristo só disse em parábolas.
O Cristo disse: "que ouçam os que têm ouvidos para ouvir".
O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porque ele fala sem figuras e alegorias.
Levanta o véu propositadamente lançado sobre certos mistérios, e vem, por fim, trazer uma suprema consolação aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, ao dar uma causa justa e um objetivo útil a todas as dores.
Disse o Cristo:
"Bem-aventurados os aflitos, porque eles serão consolados".
Mas como se pode ser feliz por sofrer, se não se sabe por que se sofre?
O Espiritismo revela que a causa está nas existências anteriores e no próprio destino da Terra, onde o homem expia o seu passado.
Revela também o objetivo, mostrando que os sofrimentos são como crises salutares que levam à cura, são purificação que assegura a felicidade nas existências futuras.
O homem compreende que mereceu sofrer, e acha justo o sofrimento.
Sabe que esse sofrimento auxilia o seu adiantamento, e o aceita sem queixas, como o trabalhador aceita o serviço que lhe assegura o salário.
O Espiritismo lhe dá uma fé inabalável no futuro, e a dúvida pungente não tem mais lugar na sua alma. Fazendo-o ver as coisas do alto, a importância das vicissitudes terrenas se perde no vasto e esplêndido horizonte que ele abarca, e a perspectiva da felicidade que o espera lhe dá a paciência, a resignação e a coragem para ir até o fim do caminho.
Assim realiza o Espiritismo o que Jesus disse do consolador prometido: conhecimento das coisas, que faz o homem saber de onde vem, para onde vai e porque está na Terra, lembrança dos verdadeiros princípios da lei de Deus, e consolação pela fé e pela esperança.
Amigos é desta forma que podemos compreender o sentido de termos sempre Crista na nossa vida.
Com um grande abraço de muita paz e vamos debater este lindo tema do evangelho
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Kazaoka em 02 de Novembro de 2015, 01:15
Boa noite estimado Altino e demais seguidores deste tópico. Que a paz de Deus faça presente neste ambiente de estudo Cristão.

A vida eterna do Espírito serve para que se dê o tempo necessário para que cada Espírito atinja sua perfeição, sua angelitude. À medida que o conhecimento avança faz-se necessário que critérios morais balizem as ações perpetradas pela inteligência cada vez mais capacitada.
Já passamos por algumas etapas recentes, tais como; o paganismo, monoteísmo e suas ramificações, dentre estas o Cristianismo com sua moral a sinalizar os caminhos da acensão moral daqueles que o seguem.

Jesus foi o Espírito enviado por Deus para que trouxesse aos homens um modelo de conduta que ajustaria às condições e às necessidades da ordem social daquela época. Era o primeiro momento de uma grande revelação. Era o momento da levedura que faria crescer um pensamento que seria capaz de reformar a estrutura moralmente adoecida.

O consolador prometido seria o seu evangelho redivivo a se manifestar em movimentos profundamente comprometidos com o Cristianismo e sua pureza original, assim como se tem buscado com o Espiritismo bem compreendido.
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 02 de Novembro de 2015, 10:51
Amigos e ternos companheiros deste cantinho de muita paz é para todos o meu bom dia sereno a que Jesus esteja sempre na nossa vida e nos ajude a vencer as nossas faltas......
Vinde a mim, todos vós que estais aflitos e sobrecarregados, que eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei comigo que sou brando e humilde de coração e achareis repouso para vossas almas, pois é suave o meu jugo e leve o meu fardo.
 Todos os sofrimentos: misérias, decepções, dores físicas, perda de seres amados, encontram consolação em a fé no futuro, em a confiança na justiça de Deus, que o Cristo veio ensinar aos homens.
Sobre aquele que, ao contrário, nada espera após esta vida, ou que simplesmente duvida, as aflições caem com todo o seu peso e nenhuma esperança lhe mitiga o amargor. Foi isso que levou Jesus a dizer: "Vinde a mim todos vós que estais fatigados, que eu vos aliviarei.
"Entretanto, faz depender de uma condição a sua assistência e a felicidade que promete aos aflitos.
Essa condição está na lei por ele ensinada. Seu jugo é a observância dessa lei; mas, esse jugo é leve e a lei é suave, pois que apenas impõe, como dever, o amor e a caridade.
Neste capitulo, vamos entender o que o Cristo queria dizer com Consolador. A palavra consolador, nos faz lembrar de alivio de dor, ser confortado.
Então Ele nos diz que todos os sofrimentos, misérias, desceções, dores físicas, perdas de entes queridos, encontram sua consolação, na fé do futuro e na confiança na justiça de Deus, que o Cristo veio nos ensinar e exemplificar aos homens.
Sobre aquele que, ao contrário, nada espera após esta vida, ou que simplesmente duvida, as aflições caem com todo o seu peso e nenhuma esperança lhe traz.
Foi isso que levou Jesus a dizer: "Vinde a mim todos vós que estais fatigados, que eu vos aliviarei." Se nós nao acreditamos numa vida futura, ou se duvidamos que Deus realmente esta ali em todo momento, auxiliando, em tudo o que fazemos, como nós iríamos nos sentir confortável, consolável, diante de tudo que nós sofremos? Dentre elas qualquer exemplo que pegarmos no começo do evangelho, como dor física, perdas de entes queridos, problemas financeiros ou espiritual, diante de qualquer problema, como podemos nos sentir bem, se a gente não acreditar que o amanha será melhor?
Entretanto Jesus coloca uma condição para sua   felicidade que promete aos aflitos, esta condição esta na lei que ele ensina, que é o amor e a caridade.
Ou seja a partir do momento que  ama seu próximo e que pratiquemos a caridade começamos entender todas as palavras que Jesus nos ensinou.
Como entender o sofrimento do meu próximo, que entendo a ignorãncia do meu próximo, que estou tendo mais calma com o meu próximo, que não sinto ódio, nem amargura, nem rancor , nem raiva , nem remorso diante das coisas ou palavras que meu próximo me fizer, alem disso estou tendo a oportunidade de ajuda-lo a melhorar.
Como vou fazer isso, se eu não entender o que meu próximo esta passando?
Se eu não compreender o porque ele esta agindo assim?
Porque ele esta me magoando?
 Porque esta magoando os outros?
Porque ele esta agindo errado?
E ao mesmo tempo porque EU estou fazendo as coisas erradas, porque eu magoo os outros, porque não tenho calma, diante do pouco que  conheço do Evangelho de Jesus?
Este é o entendimento que devemos ter do próximo e que paralelamente, nos faz sondar o nosso interior igualmente.
E quando começamos a entender o próximo, nos vamos perceber que todas as aflições que passamos na vida, são sofrimentos que todos passam nesta vida.
E se nós acreditarmos em Deus e tivermos fé de que realmente Deus esta presente, teremos mais confiança, e mais coragem para nos redimirmos, e enfrentar todas as nossas aflições sem reclamar, sem blasfemar.
E com o Evangelho de Jesus nos guiando os passos, teremos a certeza que são sofrimentos que nós mesmo pedimos para passar, para provar que aprendemos e que somos mais pacientes ou ainda para reparar um erro do passado.
Só que nós não viemos aqui para reparar nossos erros sozinhos, assim como não viemos aqui para observar os outros apenas, reparando seus erros sozinhos.
Se fosse assim teríamos reencarnado num planeta sozinho, não teria necessidade de habitar um mundo com bilhões de pessoas.
Não teria motivo para conviver dentro de um lar rodeado de uma família.
Não iria ter razão para termos amigos.
Quando Ele diz vinde a mim, não quer dizer ir até Ele, ver a Jesus pessoalmente, não é isso, mas sim, aceite as minhas palavras, entenda a Lei de Deus que eu coloquei a todos.
Quando lemos e entendemos as leis de Deus, e começamos a praticar a gente esta indo em direção a Ele.
E assim vamos seguir no nosso estagio evolutivo, por isso estamos todos aqui neste planeta, uns aprendendo com os outros.
Vivendo em comunidade, dividindo, multiplicando. Porque cada um de nós temos que passar por estas dificuldades, pois elas são as nossas provas para saber se realmente entendemos as palavras de Jesus.
Quando todos estiverem praticando a lei do amor e da caridade, estaremos indo para Jesus, e quando nos sentirmos cansados,
O Mestre nos aliviará.
O consolador nos confortará.
Jesus pede para que aprendemos a ser manso e humilde de coração como Ele foi, o Mestre, se aproximava, dos escribas, , dos sacerdotes, dos imperadores, de Pilatos, da mesma forma, com o mesmo amor e carinho com que Ele se aproximavam dos leprosos, dos pobres e estropiados, doentes, viajantes da estrada, Ele não fazia diferença, Jesus amava todos da mesma forma.
Isso é humildade, não ver diferença nos outros e nem achar que desejamos seja melhor do que ninguém.
E Ele termina dizendo que acharei descanso para as vossas almas.
Porque que nos vivemos preocupados, agitados?
Porque estes sofrimentos que passa incomodamos.
E quando deixamos estes nossos defeitos de lado, viver em plena comunhão com a espiritualidade e com nosso crescimento pelos dos ensinos de Jesus, perceberemos que todas as nossas aflições são passageiras.
Todos os problemas do dia a dia, vão deixar de te atingir, de ter importãncia.
Todos os dias aprendemos e crescemos, e o que fazíamos antes de errado, deixamos de fazer automaticamente.
Pois quando se aprende, a gente cresce, e quando evolui não se volta atrás, não retrocedemos, só progredimos.
Amigos aqui temos como quando dizemos para Jesus nos ajudar estamos a entender que pelo conhecimento do Evangelho podemos estar mais livres e serenos para ajudar ..............
Com um carinhoso abraço de muita paz.
[attach=2]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Augusto Nogueira em 02 de Novembro de 2015, 15:02
Jesus como o consolador prometido e responsavel pela Terra, está acima de religioes, mesmo porque ele nao veio criar o Cristianismo, Jesus é ecumenico , ampara ao humano . Todos somos filhos de um unico Pai, Jesus é o nosso Melhor irmao,
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 03 de Novembro de 2015, 03:37
Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref msg inicial de MAltino

      Altino postou:... Jesus sempre está junto de cada um de nós em todos os momentos desta nossa vida... e lhes deixo este vídeo para o começar o estudo...

      Conf: meu querido amigo, vc, que é estudioso da doutrina, pode explicar qual é a vantagem de Jesus estar sempre junto de nós, se isso em nada contribui para que deixemos de continuar, livremente, fazendo deste mundo, um abismo de violências, egoísmos, crimes os mais hediondos, ações imorais e perversas, e que existam cerca 7 bilhões de espíritos por Deus sentenciados a penas que podem se estender por milhões de anos?

      O vídeo diz: sou a luz, o amor, o que leva paz e a cura ao mundo, o caminho e o amor q navega no mundo, o magnetismo e a fé que nos guia à felicidade, que dá e não cobra, enche de calma, de força e alegrias suas moradas, que destrói o orgulho, o egoísmo e a vaidade, a esperança q estanca o choro nos presídios

      Conf: comentando o vídeo: se Jesus traz paz e cura ao mundo, porq o mundo é um antro de violências, desentendimentos, conflitos, guerras sem fim, entre países, grupos, famílias e dentro delas, e nem mesmo existe paz na cabeça de tantos?

      Segundo estatísticas não houve um só dia, na história do mundo em que não houvesse uma guerra. Entre 1740 e 1974, o planeta assistiu a 366 (maior número de guerras – 366 – do que de anos – 234) guerras de grandes dimensões, morrendo nelas 85 milhões de irmãos nossos!

      Texto: Vinde a mim, todos os que andais em sofrimento e vos achais carregados, e eu vos aliviarei.

      Conf: é isso que vemos no mundo, que os que estão carregados de sofrimentos, qdo buscam Jesus, ou em oração lhe pedem, são
aliviados?!!

      Texto: Todos os sofrimentos: misérias, decepções, dores físicas, perdas de seres queridos, encontram consolação na fé no futuro, e na confiança na justiça de Deus. Sobre aquele que, pelo contrário, nada espera após esta vida, ou que simplesmente duvida, as aflições pesam com todo o seu peso, e nenhuma esperança vem abrandar sua amargura.

     Conf: se a consolação, para os mais desesperadores sofrimentos, está na fé no futuro, e na confiança na justiça de Deus, como fazer para ter fé e confiança em Deus, se o que vemos no mundo são tantos sofrimentos e tantas vezes tão insuportáveis que, cada ano, de 20 a 40 milhões de irmãos escolhem se suicidar?! E, mais coisa: como podemos ter fé e confiança em Deus, se fé e confiança não dependem de nós, de nossa vontade, nem do nosso esforço?!
.................
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 03 de Novembro de 2015, 11:00
Amigos com um bom dia de muita paz e as boas vindas a este estudo mensal dos nossos queridos amigos Augusto Nogueira e Iconfortr para dinamizar este tema importante para todos, digo ao nosso amigo Iconfotr que as desigualdades que ainda hoje persistem na sociedade são muitas vezes provocadas pela falta de vigilãncia dos homens e pelo seu Livre Arbítrio que o leva a cometer estes descalabros muitas vezes inúteis .... mas o jugo é leve diz o nosso amigo Jesus e vinde todos a Mim que Eu os aliviarei ...portanto amigo os homens não entendem este pedido de jesus e então tudo de mal acontece pois Jesus disse venho, como outrora, entre os filhos desgarrados de Israel, trazer a verdade e dissipar as trevas.
Escutai-me.
O Espiritismo, como outrora a minha palavra, deve lembrar os incrédulos que acima deles reina a verdade imutável: o Deus bom, o Deus grande, que faz germinar as plantas e que levanta as ondas. Eu revelei a doutrina divina; e, como um segador, liguei em feixes o bem esparso pela humanidade, e disse: "Vinde a mim, todos vós que sofreis!"
Mas os homens ingratos se desviaram da estrada larga e reta que conduz ao Reino de meu Pai, perdendo-se nas ásperas veredas da impiedade.
 Meu Pai não quer aniquilar a raça humana.
Ele quer que, ajudando-vos uns aos outros, mortos e vivos, ou seja, mortos segundo a carne, porque a morte não existe, sejais socorridos, e que, não mais a voz dos profetas e dos apóstolos, mas a voz dos que se foram, faça-se ouvir para vos gritar:
Crede e orai!
Porque a morte é a ressurreição, e a vida é a prova escolhida, durante a qual vossas virtudes cultivadas devem crescer e desenvolver-se como o cedro.
Homens fracos, que vos limitais às trevas de vossa inteligência, não afasteis a tocha que a clemência divina vos coloca nas mãos, para iluminar vossa rota e vos reconduzir, crianças perdidas, ao regaço de vosso Pai.
Estou demasiado tocado de compaixão pelas vossas misérias, por vossa imensa fraqueza, para não estender a mão em socorro aos infelizes extraviados que, vendo o céu, caem nos abismos do erro. Crede, amai, meditai todas as coisas que vos são reveladas; não mistureis o joio ao bom grão, as utopias com as verdades.
Espíritas: amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instruí-vos, eis o segundo.
Todas as verdades se encontram no Cristianismo; os erros que nele se enraizaram são de origem humana; e eis que, de além-túmulo, que acreditáveis vazio, vozes vos clamam:
Irmãos!
Nada perece.
Jesus Cristo é o vencedor do mal; sede os vencedores da impiedade!
Então amigos porque esperamos para aceitar Jesus nas nossas vidas.............
Com um sincero abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 03 de Novembro de 2015, 17:20
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #5 em: 03 11 15, às 11:00, de MAltino

      Altino escreveu: digo ao nosso amigo Iconfotr que as desigualdades que ainda hoje persistem na sociedade são muitas vezes provocadas pela falta de vigilãncia dos homens e pelo seu Livre arbítrio que o leva a cometer estes descalabros muitas vezes inúteis...

      Conf: bom-dia, amigo Altino, obrigado pela explicação que vc me deu, mas não é esse o ensinamento que procuro; o que procuro é a explicação do porq, se todos somos “perfeitamente iguais” no instante de nossa criação, o que faz que nos tornemos gigantescamente desiguais fazendo que uns sigam o caminho do mal e das mais extremas infelicidades, e outros o do bem, e da felicidade ou boas-aventuranças prometidas?

      Abraços e uma boa semana para vc e os seus!

.............................
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 04 de Novembro de 2015, 10:18
Bom dia meus irmãos e colegas de estudos.
Entendo que a consolação se da pelo cumprimento daquilo que Jesus ensinava.
Mais do que o tradicional "salvador", Jesus exemplificou com seus atos aquilo que nos ensinava com palavras.
E é esse exemplo, que nos mostra que é possível sim chegar ao seu grau de evolução, a ser "brando e humilde de coração", e como ele "vencer o mundo".
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 04 de Novembro de 2015, 11:17
Amigos e companheiros deste local de estudo é com muita serenidade que a todos saúdo e dou as boas vindas ao meu amigo Gustavo Rettenmaier pelas suas belas palavras e que sempre colabore neste tema lindo e vamos agora comentar o jugo é leve
Para que possamos entender esta parábola, vamos ver o que seria Jugo suave?
Meu Jugo é suave, disse Jesus.
A palavra Jugo quer dizer: condições de seguir as leis.
Então Jesus tinha condições de seguir as Leis de Deus, para ele era suave, fácil, pois Jesus era amoroso, caridoso, humilde, sereno, pois Ele era um espírito de Luz, portanto muito fácil de agir segundo as leis de Deus.
E o fardo é leve como disse Jesus.
O que seria o fardo leve?
É o peso do sofrimento, por isso que quando ele foi maltratado, sofreu todo martírio, foi coroado com espinhos, as humilhações que passou, ele não soltou nenhum ai, porque Ele disse que para Ele seria leve.
Porque Jesus sabia que a vida não seria só aqui, que Ele continuaria vivo após a morte física, que Ele estava aqui somente de passagem, assim como nós que não ficamos bravos com nada, não nos revoltamos com nada, tratamos a todos com muita serenidade, pois temos certeza da vida após morte não é? Pois é como nós deveríamos nos comportar.
Todos os sofrimentos: misérias, decepções, dores físicas, perda de seres amados, encontram consolação em a fé no futuro, em a confiança na justiça de Deus, que o Cristo veio ensinar aos homens.
Por este motivo que o fardo de Jesus era leve.
Ele confiava em Deus, E sabia que veio aqui somente para ensinar, só para exemplificar de que maneira deveríamos nos comportar.
Jesus sabia que aqui era apenas uma passagem.
Jesus iria entrar numa sala de aula planeta terra, para dar uma aula, e teria que sair e esperar que nos tenha entendido.
 Nós estamos aqui preocupados com o dia de amanha, nosso fardo diário que muito insignificante perto do que Jesus passou, para nós é um tormento.
Uma dor no pé é um tormento, uma humilhação, uma palavra diferente, um olhar estranho, tudo para nós é enorme, e deveria ser diferente, saber que amanha será outro dia muito melhor.
E por saber disso não vou guardar magoa de ninguém, nem rancor, não vou tratar mau, vou ter calma, pois amanha posso não estar mais aqui, e isso tudo nada vai me valer para crescer.
Por isso ele diz na cruz:
Pai perdoa-os eles não sabem o que estão fazendo, eles não sabem que sou Jesus, que sou filho de Deus, que eles também são teus filhos, que não deveriam ser assim revoltados, então te peço que os perdoa, pois não vou levar magoa de ninguém.
Entretanto sobre aquele que, ao contrário, nada espera após esta vida, ou que simplesmente duvida, as aflições caem com todo o seu peso e nenhuma esperança lhe traz para alivio do amargor.
Foi isso que levou Jesus a dizer:
"Vinde a mim todos vós que estais fatigados, que eu vos aliviarei.
Quando teu fardo for muito pesado, quando  não aguentar mais, Jesus esta dizendo vinde a mim, me chama, porque Eu pela  minha historia, do que ensinei e exemplifiquei eu vou te aliviar.
Basta me escutar, ler, entender, obedecer e ter fé e acreditar em mim em tudo que falei.
Se  não acredita em mim, não adianta me procurar, porque não terei como te confortar, nem aliviar,  ira continuar penando no seu sofrimento.
Agora se  acredita em Deus, em Jesus, na justiça divina, com certeza  ira encontrar um alivio para suas dores, basta  me ouvir, compreender e colocar em pratica em sua vida, pois só assim os teus sofrimentos, os tuas dores serão consolados.
O teu fardo não será tão pesado será mais leve, se  seguir a Jesus da maneira como Ele explicou, o teu Jugo, a sua maneira de encarar as leis divinas, vai ser leve também.
Se eu estou passando por esta humilhação, é porque eu preciso para crescer, eu preciso resgatar, eu preciso pagar.
Jesus não devia nada para ninguém, Ele veio só para ensinar, mais ele veio no meio de um covil, nós!
Ele sabia das nossas revoltas, das nossas faltas, Ele sabia que teria dificuldades para ensinar e teria que passar por tudo o que passou, por isso Ele diz:
O meu jugo é leve eu sei o que tenho que passar, mas não vou levar magoa de ninguém, porque sei que não estão prontos para entender tudo o que estou explicando.
Entretanto, faz depender de uma condição a sua assistência e a felicidade que promete aos aflitos.
Essa condição está na lei por ele ensinada.
Seu jugo é a observância dessa lei; mas, esse jugo é leve e a lei é suave, pois que apenas impõe, como dever, o amor e a caridade.**
Amigos dá para meditarmos um pouco neste texto para sentirmos como o nosso jugo é leve comparados a Jesus.......
Com um carinhoso abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 04 de Novembro de 2015, 18:41
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #7 em: 04 11 15, às 10:18, de Gustavo Rettenmaier

      Gustavo escreveu: Entendo que a consolação se dá pelo cumprimento daquilo que Jesus ensinava.

      Conf: primeiramente,meu amigo Gustavo, quem é que sabe como fazer para cumprir os ensinamentos de Jesus? Vc sabe?!

      Ninguém sabe, meu amigo, pois se soubéssemos e os cumpríssemos não estaríamos mais neste mundo de expiações!

      Ou sabemos e, teimosamente, não os cumprimos, fato que significa que somos desequilibrados mentais pois estamos, como loucos ou masoquistas, escolhendo sofrer!!!

      Veja só: nem mesmo sabemos como cumprir o ensinamento que nos aconselha a ser bons!! E como, se somos egoístas ou orgulhosos, deixar de sermos egoístas ou orgulhosos?! Quem é que sabe?! Fique certo de que ninguém sabe!

      Afinal, se soubéssemos, porq é que vc, eu e bilhões estamos sentenciados, por Deus, a viver neste mundo de sofrimentos desesperadores e que podem se estender por milhões de anos? Seria uma loucura total, concorda?

.............
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 05 de Novembro de 2015, 10:26
meu caro coronel, Jesus cumpriu o que ensinou, ele fazia o que pregava, praticava o que ensinava, provou que é possivel fazer o que é correto, provou que é possivel ser "manso e humilde e ainda assim vencer o mundo".
Mostrou que as injustiças são fruto da ignorância dos homens e que é possivel supera-las amparando-se nos seus ensinamentos.
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 05 de Novembro de 2015, 11:01
Amigos e  companheiros deste cantinho de muita paz é sempre com alegria e paz que a todos desejo um bom dia e continuando vamos verificar o valor das palavras de Jesus sobre o Amor e a Caridade
Veja a importãncia destas palavras.
Entretanto Ele coloca uma condição para sua ajuda e a felicidade para os aflitos, e esta condição esta na lei que Ele ensina que é Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.
Ou seja se eu amo as pessoas e as aceito como são respeitando-as, jamais farei mal algum a ninguém e nem prejudicar, nem falar mau.
E se eu amo verdadeiramente eu não vou guardar magoa, nem rancor, como Ele fazia com todos nós.
Por maior que fosse a humilhação
e por tanto sofrimento que teve que passar Jesus não guarda magoa de nós, pelo contrario nos perdoou a todos.
Devemos ver todos os nossos sofrimentos como um pagador.
Paguei, ta pago não devo mais nada, não se rebelando, se desprendendo da matéria e dos bens materiais é tudo mais fácil.
Não se apegue a sua matéria, ela não é a única, serão bilhões que  vai ter ou que já teve. Não diga é meu corpo é a minha vida!
Sua vida verdadeira é a interna, a espiritual,  veio para se ajustar com todos aqueles que estão ao seu redor.
Esta é a lei, amar seu próximo como a si mesmo, da maneira como eles são, aceita-los como eles são.
E  mais ele é ignorante! e dai?  também já foi..
Hoje porque  tem um pouco mais de esperteza se acha superior?
Isso é falta de humildade então esta na hora de ser humilhado para assentar mais a sua vaidade e diminuir o seu orgulho. Sofremos as provas dos nossos próprios atos, e sempre reclamamos.
E quando nos dói, quer dizer que estamos sendo burilados, para deixar vir a tona o seu brilho que é o amor e a caridade com que  foi criado, que esta ai dentro de si mesmo.
E só tirando esta casca grossa que te envolve é que vai fazer brilhar.
E onde esta este brilho?
Esta dentro de cada um de nós.
Todo o conhecimento e sabedoria que teve em outra vidas  em encarnações passadas, esta ai dentro de  adormecida, aguardando que  tire sua casca grossa para vir a tona.
Se as pessoas que te rodeiam são insuportáveis e não sabe um pouco do que  sabe, infelizmente é problema delas não seu.
E se  sabe um pouco mais do que eles, cabe-lhe o dever de entende-los.
Imagine se Jesus, não tivesse tido calma com a gente?
Ou tivesse desistido de todos nós?
E Jesus era e é muito superior a toda humanidade.
E no então se humilhou e nos tratou a todos igualmente, dando amor e caridade.
Quando Jesus veio ate nós se fossemos comparar, éramos formiguinhas diante dele.
Exemplificando:
E o mestre colocava a mãos sobre mim e dizia, filha vai pela direita, e eu ia pela esquerda. Não filha é por aqui, eu tomava rumo ao contrario, Filha este aqui é o caminho, e eu tomava outro lado diferente.
Por isso estou aqui encarnada hoje, depois de 2000 mil anos, tamanha foi minha teimosia e ignorãncia em não querer ouvi-lo naquele tempo.
Ele já vem me guiando, orientando e me ensinando desde aquela época para cá, e eu não aprendi a lição.
Hoje estou aqui lendo e estudando com todos para ver se consigo aprender um pouquinho de tudo o que o Mestre nos passou. Porque são 2000 mil anos perdidos nas minhas novas reencarnações.
Reaprovada muitas vezes porque não dei ouvidos a Jesus.
De cem aulas que tive posso dizer que aprendi 5.
É muito difícil seguir a Jesus, pois temos que ser resignados a vontade do Pai, amando e respeitando as pessoas como elas são..............
Amigos dá para meditar a grande Amor de Jesus para cada um de nós e vamos aprender com os nossos erros..........
Com um sincero abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino

Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 05 de Novembro de 2015, 16:52
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #10 em: Hoje às 10:26, de Gustavo

      Gustavo disse: Jesus cumpriu o que ensinou, ele fazia o que pregava, praticava o que ensinava, provou que é possivel fazer o que é correto, provou que é possivel ser "manso e humilde e ainda assim vencer o mundo".

      Mostrou que as injustiças são fruto da ignorância dos homens e que é possível supera-las amparando-se nos seus ensinamentos.

      Conf: mas, meu querido amigo Gustavo, se Jesus é verdadeiramente o Mestre dos Mestres, o Sábio mais sábio, qual é a causa de não ter conseguido nos ensinar isso que tentou ensinar? Pois, mesmo passados mais de 2 mil anos que ele tentou ensinar, e 150 que a doutrina tb tenta, ainda não aprendemos suas lições e por isso continuamos a fazer do mundo esse abismo de perversidades, perversões, egoísmos, ignorância e sofrimentos desesperadores!!

      E, depois, meu amigo Gustavo, quem é que sabe “como fazer” para cumprir os ensinamentos de Jesus? Vc sabe?! Se vc sabe, porq é que continua sofrendo a condenação que Deus lhe deu, que o obriga a viver num mundo de sofrimentos insuportáveis? Novamente é dito apenas “o que fazer” e, novamente, não é dito o “como fazer”!!

      Ninguém sabe, meu amigo, pois, se soubéssemos e os cumpríssemos, não estaríamos mais neste mundo de expiações! E qual será a causa de tantos não saberem “como fazer” para ser correto, para ser "manso e humilde”, para vencer o mundo?

      Ou sabemos e, teimosamente, não os cumprimos, fato que significa que somos desequilibrados mentais pois estamos, como loucos ou masoquistas, escolhendo sofrer!!!

      Veja só: nem mesmo sabemos como cumprir o ensinamento de Jesus que nos aconselha a ser bons!! E como, se somos egoístas ou orgulhosos, deixar de ser egoístas ou orgulhosos?! Quem é que sabe?! Fique certo de que ninguém sabe!

      Afinal, se soubéssemos, porq é que vc, eu e bilhões, estamos ainda cumprindo a sentença a que Deus nos condenou, de viver neste mundo de sofrimentos desesperadores e que podem se estender por milhões de anos? Seria uma loucura total, concorda?

      Um abraço!
................................
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 06 de Novembro de 2015, 10:41
Amigos e dedicados companheiros deste cantinho onde temos o Estudo e meditamos no Cristo consolador é com muita serenidade e paz que a todos os que nos visitam dou o meu bom dia sereno e vamos meditar como este Cristo nos transforma a vida quando acreditamos.
Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco:
O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque o não vê e absolutamente o não conhece. Mas, quanto a vós, conhecê-lo-eis, porque ficará convosco e estará em vós.
 Porém, o Consolador, que é o Santo Espírito, que meu Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará recordar tudo o que vos tenho dito.
E  eu rogarei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador.
Ou seja Jesus já era um consolador, que veio nos explicar e exemplificar, como amar o nosso próximo e a Deus sobre todas as coisas e de que maneira deveriamos agir, como deveriamos nos comportar.
E ele enviou diversos, e continua enviando, e a gente não vai atrás, não procura saber, não procura entender, porque o mais importante ( para nós) na vida é a vida física e material.
( E PENSAMOS ASSIM)
A vida espiritual pode esperar ate eu completar 50 anos em diante.
Agora jovem não preciso me preocupar.
 Quando eu tiver velha eu vou atrás.. meus filhos nem precisa saber.. coitados são crianças e agora o mais importante é brincar, quando eu ficar velha eu ensino eles.
(TRISTE ENGANO!).
Este consolador que Ele continua nos enviando nos ensinara e nos relembrara de tudo o que ele nos disse.
 E ele estará dentro de nós, a maioria não pode conhecer, e nem vai conhecer agora. Mas nós iremos porque ele estara dentro de nós. Que o Mestre quis nos dizer com isso:
Mas veio um que nos faz relembrar com clareza tudo o que Jesus nos ensinou por parábolas e nos exemplificou e foi Kardec, escrevendo todas as suas obras, através de pesquisas, estudos, e de todos os espíritos que ele tinha contato de muitos países diferentes que mantinha ligação, Kardek fazia as perguntas e as milhares de cartas recebidas com maior semelhanças de conteúdo ele foi colocando num livro para que todos entender com clareza as lições do Mestre.
Resumindo minuciosamente, traduziu para que pudesse chegar a todos os povos e assim entender.
Então quando Ele diz que nos iriamos entender e ele estaria dentro de nós, é porque  temos um pouco de base.
E todos este ensinamento já esta dentro de nós adormecido, precisando ser reativado.
 Nós já viemos de 2000 mil anos atrás, rastejando aos pés do Mestre e errando, como hoje a gente ainda erra, mas nós já temos um pouco de conhecimento, então todas as palavras do Mestre entra dentro de nós e esta aqui dentro, a única coisa que precisamos é colocar em pratica e para isso precisa coragem e desprendimento.
Então  pensa: quer dizer que terei que doar tudo o que tenho aos pobres?
Não! é dar menos valor aos seus bens materiais.
Nada te pertence, tudo lhe é emprestado e a qualquer momento  terá que partir e tudo ficará aqui.
E  terá que seguir adiante por mais caro que lhe seja tudo, casa, carro.
Tudo o que  tem hoje é apenas para facilitar a sua estadia neste planeta. Fazer com que  tenha facilidade para se ajustar com os teus e te colocar a prova sua calma, sua abnegação a Deus.
Se  se irritar com as pessoas por causa de um bem que lhe é emprestado,  só conseguiu angariar magoas, rancores, já tinha tantas, conseguira mais uma.
E viemos para diminuir tudo isso.
Faça tudo para quando  sair daqui do planeta, as pessoas que ficarem chorem de saudades de .
A  sua estadia no planeta é  um processo.
Saiu daqui começa uma outra etapa, um novo aprendizado e assim sucessivamente.
Faça com que tenha pessoas no plano espiritual que venham te receber de braços abertos e te aplaudindo porque  conseguiu passar com louvor em 50% dos teus compromissos assumidos.
E dar graças a Deus!
Não arrependida em ter perdido mais um século dentre estes 2000 mil anos perdidos.
Tenta encontrar nestes nossos consoladores que derramaram sobre o planeta, paz, ternura, amor,  caridade, e tenta entende-los e aprende com eles a executar em  tudo o que eles ensinaram.
Sem se exaltar, sem ficar nervoso, sem levar rancor, sem se magoar.
Faça um exercício quando chegar em casa. Abra sua porta e olha cada item que  tem e fala para  mesmo:
Isso não me pertence, esta emprestado para mim, mas agradeço a Deus, por ter conseguido, me favorecendo nesta encarnação, facilitando a minha vida.
Que Deus continua a me dar força, coragem e saúde para que eu possa continuar trabalhando em beneficio de mim mesmo e dos outros.
Mantenha-me calmo e sereno, para que eu possa trabalhar para o meu crescimento  espiritual amando e compreendendo os meus  semelhantes.
Meditemos e vamos ser mais fortes a aprender que é com Jesus que podemos evoluir mais um pouco nesta vida.
Com um terno abraço de muita paz
 [attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Antonio Renato em 06 de Novembro de 2015, 11:58
Meu irmão Altino, parabéns pelo tema que está com certeza sendo bem conduzido.
Meus irmãos de estudos bom dia. Quando o Cristo Jesus disse para aqueles que o
seguiam, pois via os seus sofrimentos, disse-lhes então: Bem aventurado os que
sofrem, pois serão por mim consolados, bem aventurado os mansos e os pobres
de espírito, que serão também consolados. Colocava-se então dessa maneira como
sendo ele o consolador. Mesmo hoje, após 20 séculos, temos dele o consolo nas
horas mais difíceis da nossa vida, sendo assim o anjo guardião de todos nós. O
Espiritismo tem sido para nós espiritas, o consolador que Jesus nos prometeu
antes da sua partida para o mundo espiritual. Tem sido assim, pois através da
Doutrina Espirita que tanto esclarece, a certeza de que não estamos sozinhos nessa
caminhada. 
Fiquem na paz.
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 07 de Novembro de 2015, 10:27
Amigos e companheiros deste cantinho de muita paz a todos o meu bom dia e obrigado amigo António Renato pelas suas belas palavras de confiança e vamos continuar este tema...........
www.youtube.com/watch?v=P5rlTKw1lQk (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVA1cmxUS3cxbFFrIw==)
Assim como a vinda de Jesus à Terra marcou o inicio de uma Nova Era, o advento do Espiritismo veio trazer novas luzes e um imenso manancial de consolo para a humanidade.
A maturidade necessária para entender os ensinamentos do Cristo, em espírito e verdade, tinha que esperar pelo despertar da mente para as realidades do Espírito.
Não foi por acaso que a codificação da Doutrina dos Espíritos teve seu ponto decisivo na pátria da declaração dos direitos humanos, da liberdade de pensamento, da pesquisa e do método científico por excelência.
A França, na sua tarefa de trazer novos rumos à mente humana trouxe em seu plano de expansão, no século das luzes a missão de abrigar a Codificação e como celeiro do conhecimento, que marcou toda uma época, editá-la para o mundo inteiro.
Cumprindo a promessa do Cristo, o Espiritismo chama os homens a observância das Leis Naturais do Progresso, de Ação e Reação e de Intercâmbio entre os dois planos da vida.
Que consolo maior podem ter  o pai ou a mãe que, através das comunicações espíritas, recebem as mensagens autênticas dos filhos que partiram transmitindo-lhes a esperança e a certeza do reencontro ?
As penas eternas que tanto fustigam os corações sensíveis são revisadas por ótica salutar.
O sofrimento, por mais duradouro que pareça, terá fim um dia. Deus, a extrema misericórdia, dá a seus filhos, através do resgate justo, nas vidas de expiação e provas, a possibilidade de cobrir com o bem, no presente, os grandes débitos do passado.
A Lei de Ação e Reação nos ensina que o destino pode ser mudado todos os dias com atos que praticamos. Por isso o retro-agir é uma máxima dentro dos postulados Espíritas.
O consolo contido nas Bem-Abenturanças do Sermão da Montanha é explicitado através das explicações do porquê do ser, do destino e da dor.
Os sofrimentos são analisados em seus objetivos didáticos-pedagógicos: "a cada um segundo as suas obras", "o que semeia ventos colhe tempestades", "o que semeia a bonança colhe a calmaria", tudo tem uma finalidade útil.
As crises salutares dos sofrimentos humanos têm uma função só: aliviar o homem de seus fardos acumulados ao longo das vidas sucessivas de desmandos e desmandos.
Trazer alívio, o planeamento de novas rotas a bem da própria criatura e de toda a humanidade. Isto, consequentemente gera mais aceitação para com as diferenças sociais e maior desempenho na luta individual, pois a felicidade futura pode ser alcançada de imediato na sementeira do bem, no dia a dia de cada um.
A certeza de que a morte não existe com extinção de vida é outro grande consolo da Doutrina dos Espíritos.
Esta certeza colabora para a aceitação dos reveses e das perdas dos entes amados. Por outro lado, a reencarnação como chance preciosa para a recuperação do tempo perdido, traça novo perfil para o entendimento do "renascer da água e do espírito".
Não somente um novo corpo, mas novas perspectivas de aprender e crescer com as verdades espirituais, pois uma infância tão longa em planos como os nossos funciona como o tempo necessário a nova sementeira nas almas reencarnantes.
O papel da educação em bases moralizantes é o alvo dos ensinamentos espíritas.
A influênciação espiritual que acompanha o ser reencarnado do berço ao túmulo mostra a veracidade da interpenetração entre os dois mundos: o material e o espiritual. Ninguém está só.
A mediunidade, com Jesus e Kardec, dentro dos aspectos propostos pela Doutrina dos Espíritos, cumpre seu papel de ponte entre os dois planos. Através do exercicío sério e disciplinado da mesma as profecias, os ensinamentos, o socorro através da cura, da assistência espiritual benéfica traçam novos horizontes para a humanidade sofredora.
Enfim, se alguém ainda não se convenceu do papel da Doutrina Espírita como o CONSOLADOR PROMETIDO reflita:
A Doutrina Espírita restaura o Cristianismo na Terra.
A Doutrina Espírita, como fé raciocinada por excelência, lança luzes sobre TODOS os pontos e revelações do Evangelho de Jesus Cristo.
"A Doutrina Espírita é Sol nas almas, ensinado o homem a viver".
A Doutrina Espírita prova que a morte não existe como extinção de vida.
A Doutrina Espírita estabelece correio seguro entre os dois lados da vida.
A Doutrina Espírita está a frente da Ciência da Terra na comprovação das realidades do Espírito e do Universo.
Só a Doutrina Espírita é Ciência, Filosofia, Fé e Religião, consolação prometida há dois mil anos por Jesus, diretriz da humana perfeição.
Amigos aqui temos com Jesus Cristo modifica a nossa vida se O aceitarmos na sua plenitude e consolador de todos os nossos males..
Com um carinhoso abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 07 de Novembro de 2015, 20:45
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #13 em: 06 11 15, às 10:41, de MAltino

      Altino citou palavras de Jesus: Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco.

      Conf: primeiramente pergunto: como amar (a Jesus ou quem for) se, a amar e a ter amor em nosso coração para oferta-lo a quem dele necessite, ninguém ensina e ninguém aprende nem com conselhos, nem com ensinamentos, nem com exemplos de quem quer que sejam?       

      Altino:... o Consolador, que meu Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará recordar tudo o que vos tenho dito. Ou seja Jesus já era um consolador, que veio nos explicar e exemplificar, como amar o nosso próximo e a Deus sobre todas as coisas e de que maneira deveríamos agir, como deveríamos nos comportar.

      Conf: e qual é a causa, de mesmo que o Consolador esteja nos ensinando por tanto tempo, ainda tantos não terem aprendido suas lições? Qual é a causa de não ter conseguido nos ensinar?

      Altino: E ele enviou diversos, e continua enviando, e a gente não vai atrás, não procura saber, não procura entender, porque o mais importante ( para nós) na vida é a vida física e material.

      Conf: o amigo se puder me explique por favor: Deus nos criou, além de simples e ignorantes, tb desequilibrados, deficientes mentais, imbecis a ponto de, erradamente, escolhermos sofrer dando maior importância à vida material do que a espiritual?

      Um abraço!
.................
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 08 de Novembro de 2015, 10:30
Amigos é com muito carinho que a todos saúdo com o meu bom dia de muita paz e ao amigo lconforjr tenha as suas respostas pelas suas dúvidas...........
"Jesus Cristo disse: Enviarei o Consolador. E ele já veio, mas o mundo ainda não o sabe!"
Estas palavras foram proferidas por um dos mais notáveis escritores contemporâneos, sir Arthur Conan Doyle, na sessão de abertura do Congresso Espírita Internacional, realizado em Londres, de 7 a 12 de Setembro de 1928.
O que é esse Consolador, prometido por Jesus?
É aquele Espírito de esclarecimento e de justiça, que viria lembrar o que Jesus ensinara, completar o seu ensino, e guiar o homem "a toda a verdade".
E quem disse essas coisas a seu respeito, senão o próprio mestre, como vemos em João, 14 e 16? Há quem afirme que Jesus ensinou tudo e nada deixou para outros ensinarem.
Mas, quem pode ter autoridade para desmentir o mestre, uma vez que foi ele mesmo quem afirmou:
"Tenho ainda muito o que vos dizer, mas não o podeis suportar agora; quando vier, porém, aquele Espírito de Verdade, ele vos guiará a toda a verdade". (João, 16:12-13).
Quem disse, pois, que não havia completado o seu ensino, foi o próprio Senhor.
E fez mais, prometendo o Espírito de Verdade, para o completar.
Os teólogos explicam, por várias maneiras, esta passagem, ajustando-a a seus diversos sistemas. Mas Kardec acentua, no capítulo sexto de O Evangelho segundo o espiritismo, com simplicidade e clareza:
"Se o Espírito de Verdade deve vir mais tarde, para ensinar todas as coisas, é que nem tudo foi dito por Jesus Cristo; e se vem recordar o que Ele disse, é porque isso foi esquecido ou mal compreendido".
Em João, 16:12, a razão da vinda do Espírito da Verdade está bem esclarecida.
Jesus afirma que os homens do seu tempo ainda não podiam suportar a verdade em sua plenitude. Isso é tão claro como a luz meridiana.
 E a história nos mostra que assim era, de fato, pois os homens acabaram misturando os ensinos de Jesus com religiões e filosofias pagãs, para construírem sistemas de cultos e de teologia que não foram ensinados pelo mestre.
A Reforma Protestante foi um grande esforço para libertar o Cristianismo dos enxertos pagãos.
E foi também o primeiro sinal do Espírito de Verdade, que viria logo mais, fora das igrejas e das organizações sacerdotais, exatamente como acontecera na vinda de Jesus, para lembrar aos homens a essência dos ensinos do mestre e dar-lhes a explicação exata do processo da vida.
Compreende-se, assim, a expressão de Conan Doyle.
O grande escritor lamentava a incompreensão da maioria dos homens, que repetem em nossos dias a mesma atitude dos judeus no tempo de Jesus.
O Espírito da Verdade veio ao mundo na hora precisa.
E é ainda Kardec quem melhor o esclarece, no seu livro A génese.
Porque foi necessário que os homens trabalhassem durante quase dois milénios, aprimorando seus conhecimentos e elevando o seu mental, para se tornarem capazes de o compreender.
Quem ensina, pois, através do Espiritismo, não é Kardec nem são os kardecistas, mas o Espírito de Verdade, entidade angélica, superior, enviada do Cristo, seguida por uma grande falange de Espíritos do Senhor.
A promessa se cumpriu, e felizes os que têm olhos para ver a sua realização na Terra!
O mais curioso, porém, em tudo isso, é que as acusações formuladas a Jesus, aos seus discípulos e à sua doutrina, por judeus, gregos e romanos, são repetidas hoje, por cristãos e não-cristãos, ao Espírito de Verdade e seus servidores.
O espiritismo é acusado, inclusive de não possuir um sistema ético, quando esse sistema é o do próprio Cristo.
A moral espírita não é outra senão a moral evangélica, como qualquer pessoa desapaixonada pode ver, na simples leitura de O livro dos espíritos e de O evangelho segundo o espiritismo.
Os espíritos são acusados de bruxos, de feiticeiros, como os cristãos primitivos o foram.
E nega-se a filosofia espírita, da mesma maneira por que os estoicos, os epicuristas e os céticos negavam a filosofia cristã, e os sacerdotes judeus e pagãos negavam valor filosófico a Jesus e aos seus seguidores.
Graças a Deus, os espíritos estão aprendendo a sua doutrina, penetrando mais a fundo na essência poderosa do Evangelho de Jesus, que os ajuda a se transformarem, e assim já não aceitam esses desafios anti fraternos.
Preferem manter-se firmes em seus princípios, confiantes na força da verdade, e responder às agressões com esclarecimentos.
Não consideramos as interpretações evangélicas dos outros, as formas religiosas alheias, como simples formas de divertimento.
Aprendemos, no Evangelho, a respeitar os sentimentos e as convicções dos demais.
Aquele que nos ensinou o amor como base da vida espiritual, e nos mandou amar até os inimigos, não aprovaria, certamente, nossas agressões sectárias a irmãos de outras crenças.
Mas, quando irmãos de outras crenças vêm bater, ansiosos e aflitos, à nossa porta, não podemos recusar-lhes a hospitalidade.
Que Jesus nos ampare, a fim de não nos desviarmos, nunca, do nosso objetivo, que é revelar, a todos os que se interessam pela verdade, aquilo que o Espírito de Verdade nos ensinou, através da doutrina consoladora do espiritismo......
Amigos com um grande abraço de muita paz
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 09 de Novembro de 2015, 10:36
Amigos e companheiros deste cantinho de muita paz e onde todos devemos estar unidos para meditar neste tema lindo que Jesus nos diz para irmos a Ele que nos aliviará pois pelo Seu Amor nos dá muita coragem na vida.................assim os saúdo com um bom dia sincero e vamos todos partilhar e colaborar neste linda estudo mensal ..........pois
A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS:
O Espiritismo revela o objetivo da dor, mostrando que os sofrimentos são como crises salutares que levam à cura, são as purificações que asseguram a felicidade nas existências futuras. O Homem compreende que mereceu sofrer, e acha justo o sofrimento.
O Cristo Consolador
Este tema tem o objetivo de esclarecer sobre o papel da doutrina Cristã em relação à consolação dos nossos sofrimentos.
É um alerta sobre a necessidade da dor e da procura da solução para erradicá-la da nossa existência.
O JUGO LEVE:
"Vinde a mim, todos os que andais em sofrimento e vos achais sobrecarregados, e Eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas.
Porque meu jugo é suave e o meu fardo é leve".
(Mateus XI – 28 a 30)
Jesus nos convida para irmos até Ele, pois seremos aliviados.
O que é ir até Jesus.
Não basta só ir ao templo religioso, pois apenas a presença física não significa nada.
É muito importante estarmos lá em espírito também, já que só assim iremos receber os verdadeiros remédios para as nossas dores.
Diga que existem pessoas que vão ao Centro, às Igrejas, esperando milagres.
Querem receber sem se esforçar para isso.
E quando estão ouvindo a palestra, o pensamento delas está longe dos ensinos do Mestre, e próximo ao relógio, aguardando ansiosamente a hora de ir embora.
É necessário salientar que a prática destes ensinos é vital para a nossa saúde espiritual, e que é preciso aprender a ser manso e humilde durante o dia-a-dia, para recebermos o alívio que Jesus nos promete.
E a responsabilidade que Jesus nos exige é o aprendizado da Lei de Deus, e o seu fardo é a prática desta Lei.
Por isso que Ele diz que seu jugo é suave e o seu fardo é leve.
assim queridos amigos aqui neste lugar também lemos muitas coisas sobre o Cristo Consolador..mas parece que tudo passa ao lado e meditem somos também testemunhas destas palavras e temos o dever de as comentar ......... pois assim muitos ficariam mais ricos quando temos vários comentários........... meditem caros amigos com um abraço de muita paz ....
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 09 de Novembro de 2015, 20:10
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #17 em: 08 11 15, às 10:30, de MAltino

      Conf: amigo Altino, vamos raciocinar:

      Altino escreveu:... ao amigo lconforjr tenha as suas respostas pelas suas dúvidas... "Jesus Cristo disse: Enviarei o Consolador. E ele já veio, mas o mundo ainda não o sabe!". Palavras de sir Arthur Conan Doyle.

      O que é esse Consolador, prometido por Jesus? É aquele Espírito de esclarecimento e de justiça, que viria lembrar e completar o que Jesus ensinara, e guiar o homem "a toda a verdade".

      Mas, quem tem autoridade para desmentir o mestre, uma vez que foi ele mesmo quem afirmou: "Tenho ainda muito a vos dizer, mas não o suportareis agora; quando vier, porém, aquele Espírito de Verdade, ele vos guiará a toda a verdade". (João, 16:12-13).

      Conf: mas, meu amigo Alt, não entendo: o Consolador veio com uma missão e não conseguiu cumpri-la?! Pois veio nos guiar à verdade, à luz, e continuamos a caminhar na escuridão!!

      Alt: Kardec acentua, no ESE, com simplicidade e clareza: Jesus afirma que os homens do seu tempo ainda não podiam suportar a verdade em sua plenitude. Isso é tão claro como a luz meridiana.

      Conf: e agora, 2 mil anos passados da vinda de Jesus e século e meio da vinda da codificação, os homens já podem suportá-la em sua plenitude? É isso que vemos no mundo? Se já podemos suportar a verdade em sua plenitude, porq que a DE afirma que tais e tais coisas ainda não podemos entender?!

      Alt:... E foi também o primeiro sinal do Espírito de Verdade, que viria logo mais, fora das igrejas e das organizações sacerdotais, exatamente como acontecera na vinda de Jesus, para lembrar aos homens a essência dos ensinos do mestre e dar-lhes a explicação exata do processo da vida.

      Conf: mas o Consolador trouxe mesmo a exata explicação do processo da vida?! Vejam porq não consigo entender isso: se trouxe, porq nem mesmo sabemos, ou bilhões ainda não sabem, qual é a causa de uns serem bons e outros, maus? O amigo sabe?

      Ou porq, como a doutrina diz, uns, desde o princípio, tomam o caminho do bem absoluto, eqto outros, tb desde o princípio, tomam o caminho do mal absoluto? Esta é uma afirmação que, para mim, contradiz o ensinamento de que “no princípio” somos todos iguais!

      Alt: compreende-se, assim, a expressão de Conan Doyle. O grande escritor lamentava a incompreensão da maioria dos homens, que repetem em nossos dias a mesma atitude dos judeus no tempo de Jesus.

      Conf: isso quer dizer, que além de termos sido criados simples e ignorantes, também fomos criados desequilibrados mentais, tão estúpidos que, mesmo depois de 20 séculos, ainda repetimos a mesma atitude dos judeus, romanos e gregos no tempo de Jesus?!! 

      Alt: E é ainda Kardec quem melhor o esclarece, em A Génese... Porque foi necessário que os homens trabalhassem durante quase dois milénios, aprimorando seus conhecimentos e elevando o seu mental, para se tornarem capazes de o compreender.

      Conf: mas, Altino, se é tão difícil compreender, pois já trabalhamos 2 milênios para aprimorar nossos conhecimentos para nos tornarmos capazes de compreender, qual é a causa de nossos sofrimentos nesses 2 milênios e milhões de anos antes deles, desde que o homem chegou ao mundo, se ainda não compreendíamos e, mesmo até agora, não compreendemos??!!

      Alt: A promessa se cumpriu, e felizes os que têm olhos para ver a sua realização na Terra!

      Conf: qual é a promessa que se cumpriu, se o mundo e nossos corações continuam sendo um abismo de egoísmo, orgulho, crimes os mais cruéis, vícios sem fim, ignorância e terríveis sofrimentos?!

      Alt: O mais curioso, porém, em tudo isso, é que as acusações formuladas a Jesus, aos seus discípulos e à sua doutrina, por judeus, gregos e romanos, são repetidas hoje, por cristãos e não-cristãos, ao Espírito de Verdade e seus servidores. Graças a Deus, os espíritos estão aprendendo a sua doutrina, penetrando mais a fundo na essência poderosa do Evangelho de Jesus, que os ajuda a se transformarem, e assim já não aceitam esses desafios anti fraternos.

      Conf: repito uma pergunta: se graças a Deus os espíritos estão aprendendo a sua doutrina, porq demoraram 20 séculos para, só  agora, começarem a aprender? Porq sofreram nesses 20 séculos e antes deles se só agora os espíritos estão aprendendo a doutrina?!

      Abraços a todos os amigos!
..........
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 10 de Novembro de 2015, 10:47
Amigos e companheiros deste cantinho de muita serenidade e onde debatemos o tema de O Cristo Consolador então para todos com muita paz o meu bom dia sincero..........
http://www.youtube.com/watch?v=31FwLbgDmYk&list=PL5CB50830A84F41D9
Se me amais, guardai os meus mandamentos, e eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro consolador, para que fique eternamente convosco, o Espírito de Verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece.
Mas vós conhecereis, porque ele ficará convosco e estará em vós.
Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo que vos tenho dito.
(João XIV – 15-17 a 20)
Jesus prometeu um novo consolador no seu último discurso aos apóstolos, no Monte das Oliveiras, um pouco antes de ser preso e crucificado.
Nesta promessa, o Mestre maior nos informa o que esse Consolador Prometido irá fazer no futuro em relação a Doutrina Cristã.
Que relembrará tudo aquilo que Ele tinha dito.
Fale aos presentes então, que se será necessário relembrar, é porque o Cristianismo verdadeiro iria ser esquecido ou distorcido por dogmas ou práticas estranhas, como realmente aconteceu.
E este Consolador viria adotar as verdadeiras práticas Cristãs.
Nesta passagem temos ainda a informação que o Consolador Prometido seria o Espírito Santo e que iria ficar eternamente connosco.
Com isso, podemos deduzir que não seria um homem ou uma individualidade, mas sim uma doutrina, pois uma ideia, um ensinamento, é eterno.
E o Espírito Santo simboliza uma falange de bons espíritos, responsáveis por esses novos ensinamentos.
Mostre, então, a Doutrina Espírita consegue cumprir com todos estes aspectos que Jesus disse do Consolador Prometido.
Que ela tem como tarefa mais importante, propagar os ensinos de Jesus de sua forma mais simples e primitiva, ou seja, sem dogmas ou rituais.
Relembra o que o Mestre nos ensinou, ou seja, um código de renovação moral, que deve ser aplicado no dia a dia , transportando a verdadeira religião do confinamento dos Templos para a prática da reforma íntima do ser.....
Amigos então temos sempre de tentar fazer uma mudança intima em cada um de nós para termos a ajuda do Consolar prometido.....
Com um sincero abraço de muita paz...
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Antonio Renato em 10 de Novembro de 2015, 13:49
Meus irmãos  bom dia. Eis aí que o nosso irmão altino nos faz lembrar do cristianismo
redivivo, relembrando as palavras do mestre Jesus: Vinde a mim que vos consolarei, não
lamenteis pela minha partida, pois deixarei para vós um consolador, esta tem sido a missão
da espiritualidade. O esclarecimento da própria vida nos é colocado pela espiritualidade superior através da Doutrina Espirita, que muito tem nos dado um fortalecimento para que
possamos caminhar com segurança na nossa caminhada evolutiva. Quando Kardec colocou
para o mundo o conhecimento de um mundo diferente do nosso, não o fez tão somente
isto, mais muito mais, trouxe-nos os ensinamentos dos espíritos de como buscar consolo
para as nossas dores e sofrimentos. Sendo assim meus irmãos, quanto mais adentramos
no estudo da  nossa Doutrina Espirita, mais fortalecidos estaremos.
Fiquem na paz.
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 11 de Novembro de 2015, 10:26
[attach=1]
Amigos e companheiros deste cantinho de muita paz é com muito carinho que dou o meu bom dia a todos e vamos continuar a debater este lindo tema que o Evangelho Segundo o Espiritismo nos coloca de O Cristo Consolador.....
O Espiritismo revela o objetivo da dor, mostrando que os sofrimentos são como crises salutares que levam à cura, são as purificações que asseguram a felicidade nas existências futuras.
O Homem compreende que mereceu sofrer, e acha justo o sofrimento.
(O Evangelho Segundo o Espiritismo – VI – 4)
Vamos demonstrar aqui que a Doutrina Espírita vem nos responder as grandes questões filosóficas da humanidade, como por exemplo:
De onde viemos?
Para onde vamos?
O que somos?
Por que sofremos?
O que estamos fazendo aqui?
A Doutrina só vai cumprir a promessa de Jesus de nos consolar perante as nossas dificuldades, se estudarmos as explicações racionais para estas perguntas e cada um de nós perceber sobre as verdadeiras causas dos nosso problemas, que estão dentro de nós em forma das nossas imperfeições e limitações.
Temos que divulgar que a característica do verdadeiro espírita, e consequentemente do verdadeiro cristão, é ser constantemente consolado.
Alan Kardec nos informa como reconheceremos o verdadeiro seguidor da Doutrina Espírita.
No Evangelho Segundo o Espiritismo ele diz que:
Reconhece-se o verdadeiro espírita pelo esforço que faz constantemente para combater as suas más tendências.
Esta é a bandeira maior da nossa Doutrina, pois faz cumprir a promessa de Jesus de ser o verdadeiro Consolador, que veio após o Mestre para ensinar e relembrar a pureza de seus ensinos..
Amigos como seria muito bom cada um de nós conhecer esta doutrina e encontrar as resposta que muitas vezes queremos ter e não as temos devido a não estudarmos esta doutrina...............
Com um grande abraço de muita paz..
[attach=2]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 11 de Novembro de 2015, 13:55
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #20 em: 10 11 15, às 10:47, de MAltino     
   
      Conf: amigos, como já percebi que dificilmente os companheiros do fórum se dispõem a responder as questões que faço (talvez devido a serem muitas, e estarem sempre inseridas em msgs muito compridas) vou fazer esta resposta curta e colocar nela apenas 1 questão:

      Questão: qual é a causa pela qual devemos/temos de fazer uma mudança íntima (Reforma Íntima, é isso?)? Tudo que necessita de ser reformado é porq foi deformado, concorda?  Então, a questão: o que foi que deformou nosso íntimo para que, agora, necessite ser reformado?!

      Boa-tarde, Altino!
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 11 de Novembro de 2015, 14:27
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #20 em: 10 11 15, às 10:47, de MAltino

      Altino (texto trazido pelo amigo Altino): Se me amais, guardai os meus mandamentos, e eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro consolador, para que fique eternamente convosco, o Espírito da Verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece.

      Conf: são palavras de Jesus, mas o Mestre não nos disse, e, nas religiões ninguém antes ou depois dele disse, o “como fazer” para amá-lo ou amar a quem quer que seja; disse somente: “se me amais”!

      E onde estará esse ensinamento de “como fazer” para amar? Quem sabe onde está e já o conhece, por favor, nos diga onde está ou como fazer para aprender a amar?

      Qdo somos criados não temos ainda amor em nosso coração, certo? E ninguém, absolutamente ninguém, aprende ou ensina a amar, ou como fazer para que exista amor em seu coração, nem com conselhos, nem com ensinamentos, nem com exemplos , mesmo que sejam de Jesus!! Todas as doutrinas cristãs, inclusive a espírita, apenas dizem "o que fazer": ame, perdoe, seja humilde, não seja egoísta etc etc, mas, como todos podem ver, ninguém diz o "como fazer"!

      Um abraço!
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 11 de Novembro de 2015, 15:00
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #21 em: 10 11 15, às 13:49, de ARenato:

      Aos amigos e ao amigo Renato, boa-tarde.

      Conf: querido e jovem amigo Renato, vou lhe trazer apenas uma única questão sobre sua resp #21:

      Altino disse:... O esclarecimento da própria vida nos é colocado pela espiritualidade superior através da Doutrina Espirita, que muito tem nos dado um fortalecimento para que possamos caminhar com segurança na nossa caminhada evolutiva.

      Conf: aqui vai a questão: não consigo entender que a espiritualidade superior através da doutrina nos traz esclarecimentos sobre a própria vida, se nem mesmo nos permite conhecer o básico dos básicos que precisamos que nos seja esclarecido para  que possamos entender a doutrina e a vida: qual é a causa de uns serem bons e outros serem maus?

      Abraços para todos!
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 11 de Novembro de 2015, 15:41
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #22 em: 11 11 15, às 10:26, de MAltino

      Alt citou: O Espiritismo revela o objetivo da dor, mostrando que os sofrimentos são como crises salutares que levam à cura, são as purificações que asseguram a felicidade nas existências futuras. O Homem compreende que mereceu sofrer, e acha justo o sofrimento.

      Conf: amigo da Terra de Camões, como prometi a mim mesmo, apenas uma questão obre este assunto: quem ou o que nos tornou enfermos? Porq necessitamos ser purificados se não éramos impuros? E as más tendências, como as adquirimos se, antes, não as possuíamos?   

      Abç!
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Antonio Renato em 11 de Novembro de 2015, 18:22
Meu nobre(nobre na alma)irmão lconforjr. O amor é um sentimento, efêmero por natureza,
ele é sentido por qualquer um, não se aprende nem se ensina em nenhuma escola. Ele nos
vem por aproximação, por simpatia por alguém ou por alguma coisa, que com o tempo se transforma em amor, assim eu entendo, você teria outra explicação?.
Quanto ao seu outro questionamento, veja bem: A espiritualidade ou seja os espíritos
superiores que auxiliaram Kardec nas codificações,tem nos dado conhecimentos da vida,
através das respostas que foram dadas aos questionamentos do Kardec, aceitar ou não
como ensinamento está em cada um de nós.
Fique na paz.
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 12 de Novembro de 2015, 01:52
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #27 em: 11 11 15, às 18:22, de ARenato.

      Renato disse: O amor é um sentimento, efêmero por natureza, ele é sentido por qualquer um, não se aprende nem se ensina em nenhuma escola. Ele nos vem por aproximação, por simpatia por alguém ou por alguma coisa, que com o tempo se transforma em amor, assim eu entendo, você teria outra explicação?

      Conf: meu amigo Renato, sinceramente sinto muito em ter de discordar de vc. Mas, antes de mais nada, vou comentar suas argumentações: primeiramente, porq é que vc diz que o amor é sentido por qualquer um? É isso que vc vê no mundo? Olhe o mundo, meu nobre amigo, e vc verá bilhões de espíritos que, como vc e eu, descumpriram a lei divina do amor e, hoje, estão, tb como nós,  sentenciados por Deus a viver num mundo de sofrimentos terríveis, desesperadores, insuportáveis?!!

      Vamos a outro comentário: como ensina a doutrina, absolutamente todos os efeitos, tudo que acontece no mundo, seja por obra nossa ou de Deus, tem suas causas (pela doutrina, somente Deus não as tem!). E se amor não se aprende e nem se ensina, como eu disse, e vc mesmo está dizendo, qual é a causa que leva uns a serem bons e a agirem com amor, eqto leva outros a serem maus e a agirem com ódio?!!

      Renato: Quanto ao seu outro questionamento, veja bem: A espiritualidade, ou seja, os espíritos superiores que auxiliaram Kardec nas codificações, tem nos dado conhecimentos da vida, através das respostas que foram dadas aos questionamentos do Kardec, aceitar ou não como ensinamento está em cada um de nós.

      Conf: meu amigo, como afirmar que os espíritos, que colaboraram na feitura da codificação, nos deram o conhecimento da vida se nem mesmo podemos entender a doutrina, pois eles não nos permitem conhecer porq uns são bons e outros são maus, como tb não nos permitem conhecer porq, se éramos perfeitamente iguais (inclusive, portanto, qto a todos os quesitos que interessam à evolução) nos tornamos tão gigantesca e assustadoramente desiguais!!

      Um forte abraço para vc!
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 12 de Novembro de 2015, 11:00
[attach=1]
Amigos e dedicados companheiros deste cantinho para todos com muita paz o meu bom dia e vamos meditar mais uma vezes neste lindo tema que nunca se esgota..... Amigo lconforjr quanto a suas perguntas penso que o amigo podia meditar e fazer uma mudança interior a si mesmo e não colocar muitas dúvidas pois todas elas dependem quase sempre de cada um de nós e a Reforma Intima de cada um de nós é sempre a melhor maneira de nos valorizarmos.
Vamos mais uma vez relembrar a história de Jesus;
Veio ao mundo, anunciado pelos profetas, várias passagens de sua existência reveladas nos Livros da Lei foram confirmadas na vida real.
Como Messias, surgiu no seio da religião dominante, educado conforme as normas religiosas vigentes, participando com seus progenitores de todos os eventos religiosos que aconteciam na época; veio cumprir o programa do Pai, cumprir a sua missão.
Estabelecer uma nova ordem, estabelecer a Lei do Amor.
Os homens sempre pedem aos céus os sinais, as evidências pelas quais possam reconhecer aqueles que vem cumprir na Terra, os desígnios do Criador.
Os sinais são enviados, as evidências ocorrem e os missionários enviados cumprem a vontade do Pai; que geralmente, não é a vontade dos que dominam.
Os homens se impõem e isto é contra as Leis naturais que se estabelecem harmonizando e equilibrando.
Então para não serem aceitas as suas Verdades e não serem convenientes as suas propostas; apesar de todos os sinais e da beleza de sua mensagem, não foi reconhecido como o Messias pelos sacerdotes da Revelação de Moisés.
Apesar de tudo, surgiriam aqueles, que sensíveis à Nova Revelação, souberam absorver as lições do Mestre e identificados com os seus propósitos e princípios, abraçaram a missão de propagar a Boa Nova a todas as criaturas.
Surgindo então o movimento conhecido como o Cristianismo.
Antes do seu desencarne, Jesus deixou registado entre seus apóstolos, que após a sua partida, eles não ficariam desamparados e descreveu algumas características, daquele que deveria dar continuidade à sua Missão na Terra. Passamos a transcrever os registos referentes a este episódio, que extraímos de “A Bíblia Sagrada”.
 E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre;
O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.
Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo o que tenho dito.
E  disse mais tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora.
Mas quando vier aquele Espírito de Verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.
Então precisamos de demonstrar que 2000 anos depois os fatos se repetem com os mesmos componentes demonstrados por ocasião da vinda do Cristo.
Manifesta-se em Paris em 1857 o Espírito de Verdade e apresenta ao Mundo a Doutrina dos Espíritos no seio das Religiões dominantes conforme prometido pelo Cristo.
De novo, no seio das religiões estabelecidas, por meio de seus adeptos, Deus revela conforme a promessa de Jesus.
Mas a Revelação Divina, apesar de seu conteúdo não atende aos anseios daqueles que dominam e não querem abrir mão do poder conquistado.
E novamente, aqueles sensíveis a mais esta Revelação Divina são os responsáveis por trazer até os dias de hoje.
Apesar de, nos dias atuais, a Doutrina dos Espíritos ser divulgada com ampla liberdade e ter a seu dispor todos os meios de comunicação disponíveis; existem ainda alguns sacerdotes e pastores que insistem em vinculá-la ao demónio insuflando àqueles menos informados, certo temor em examinar o conteúdo do Espiritismo.
Além daqueles que ainda frequentam as Casas Espíritas “escondidos” dos seus pares.
Sem esquecer que, de vez em quando, voltamos a escutar aquele velho chavão de que; os espíritas não são cristãos.
Então o nosso objetivo aqui é provar que Jesus designou o seu sucessor como sendo o Consolador Espírito de Verdade e pelas características apontadas pelo Cristo, o Espiritismo é este Consolador Prometido.
Em Paris, 1860, o Espírito de Verdade dirige-se aos espíritas:
Espíritas!
Amai-vos, este o primeiro ensinamento;
Instruí-vos, este o segundo.
No Cristianismo se encontram todas as verdades; são de origem humana os erros que nele se enraizaram.
Eis que do Além-túmulo, que julgáveis o nada, vozes vos clamam:
Irmãos!
Nada perece.
Jesus – Cristo é o vencedor do mal, sede os vencedores da impiedade.
Duas condições, apontadas pelo Cristo em João transcritas acima, estão ai evidenciadas:
1 – O Espírito de Verdade;
2 – Não falará de si mesmo.
Enumeramos abaixo as condições
3 – Consolar e
4 – Esclarecer.
Como podemos ver esta Doutrina nos esclarece e nos fala de Jesus como O Consolador Prometido e cada de nós deve meditar  estas palavras de amor.........
Com um carinhoso abraço de muita paz
[attach=2]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 12 de Novembro de 2015, 13:04
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #29 em: 12 11 15, às 11:00, de MAltino

      Altino escreveu:... lconforjr, quanto a suas perguntas penso que o amigo podia meditar e fazer uma mudança interior a si mesmo e não colocar muitas dúvidas pois todas elas dependem quase sempre de cada um de nós e a Reforma Intima de cada um de nós é sempre a melhor maneira de nos valorizarmos.

      Conf: meu querido Altino, novamente lhe agradeço o trabalho que tem tido para me ajudar a entender a doutrina do mesmo que vc e tantos outros estão entendendo, se é que estão entendo mesmo; vc está, meu amigo? Por exemplo, Altino, vc conhece quais são as causas mais remotas, mais profundas, que têm como efeito o fato de uns serem bons e outros, maus??

      Qto ao seu conselho sobre “meditar”, tenha certeza que tenho feito essas meditações, questionamentos etc, desde 70 anos atrás. Deve ser por isso mesmo que me surgiram tantas dúvidas, que tento desfazer com as questões que apresento.

      Mas, lhe pergunto (já devo ter perguntado antes) porq é que precisamos fazer uma “reforma íntima” (é isso que vc quer diz com ‘mudança interior’?). Tudo que necessita “ser reformado”, vc há de concordar, é porq, por algum motivo, foi “deformado”, concorda?

      Portanto, meu querido amigo de Portugal, o que foi que nos “deformou” o íntimo para que, agora, tenhamos de “reformá-lo”? E qual é a causa de, na vida de todos, o trabalho para se reformar vir sempre acompanhado por desesperadores, e mesmo insuportáveis sofrimentos que milhões de irmãos, por não suportá-los, escolhem acabar com a própria vida?

      Mas, será esse mesmo o método ou processo de ensino criado por Deus, fazer sofrer insuportavelmente para aprender a amar??!!

      Alt: Vamos mais uma vez relembrar a história de Jesus;... Os homens sempre pedem aos céus os sinais, as evidências pelas quais possam reconhecer aqueles que vem cumprir na Terra, os desígnios do Criador. Os sinais são enviados, as evidências ocorrem e os missionários enviados cumprem a vontade do Pai; que geralmente, não é a vontade dos que dominam.

      Conf, amigo, 2 perguntas: 1) quais são esses “sinais” que Deus envia para nós? 2) Qual é a causa de “geralmente a vontade ‘dos que dominam’ não ser a vontade de Deus”?!
 
     Amigo Alt, a partir daqui, para não encompridar esta msg, vou apenas trazer questões sobre o que vc escreveu na resp referida acima:

      - porq (= qual é a causa de) os homens se impõem, se colocando ou agindo “contra as Leis naturais”?

      - porq uns são mais sensíveis à “Nova Revelação”, souberam absorver as lições do Mestre e abraçaram a missão de propagar a Boa Nova aos semelhantes, ao passo que com tantos outros nada disso aconteceu?

      Paro por aqui pois prometi que não traria mais tantas perguntas, nem faria msgs longas!

      Alt: Passamos a transcrever os registos referentes a este episódio, que extraímos de “A Bíblia Sagrada”.

      Conf: meu amigo, não resisti e trago mais uma pergunta: porq se referir à Bíblia Sagrada”? Ela possui credibilidade dentro do espiritismo? Digo isso, porq numerosos ensinamentos nela contidos, são considerados, pelo espiritismo, como inverdades?

      Um abraço de amigo para vc!
 
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 13 de Novembro de 2015, 10:10
Amigos e companheiros deste cantinho de estudo para todos com grande carinho o meu bom dia sereno de muita paz e vamos debatendo com muita serenidade estas verdades que o Cristo Consolador nos ajuda a compreender por esta maravilhosa Doutrina...
Em quais situações o Espiritismo consola?
Perda de entes queridos, a morte não existe; como o nascimento; é a ligação do Espírito e seu corpo incorruptível (Paulo), ao corpo físico; a morte é o desligamento deste Espírito do corpo material que não reúne mais condições de permitir-lhe as manifestações.
Retornando ao Plano Espiritual, como Jesus, plenamente vivo e imortal.
Animais não são seres à parte da criação, mas o Princípio Espiritual com uma alma em sua trajetória evolutiva.
Sentimento de Antipatia entre alguns familiares, retorno ao mesmo palco na condição de familiar, daqueles que em reencarnações passadas viveram situações de conflito, com o objetivo de reconciliação na vida presente.
Pobreza e Riqueza, provas na vida presente que devemos vencê-las com resignação e caridade para aproveitarmos a vida atual.
Parentes de Criminosos, nosso ente querido paga a pena com a sociedade e não está condenado ao inferno; sua consciência culpada o conduzirá ao reajuste em nova existência com aquele que houver prejudicado na vida atual, quando, a partir de então, poderá seguir livre rumo à perfeição.
 Em quais situações o Espiritismo esclarece?
Adão e Eva: o ser humano, como os animais e todos os seres vivos, são produtos do processo evolutivo realizado nos mundos criados por Deus e que consistem o nosso Universo, repleto de mundos habitados e onde a vida se expressa de diferentes modos materiais e imateriais.
Permitindo ao Espírito de homens e mulheres, criados da mesma forma, simples e ignorantes, moldar sua perfectibilidade.
Mundo em seis dias: condizente com as provas geológicas, o Espiritismo mostra que os mundos foram formados em bilhões de anos e que as eras geológicas são condizentes com a forma poética que a Escritura descreve aos habitantes daquela época segundo sua capacidade de entendimento.
Nascimento e Morte: são processos naturais de preparação, ligação, vivência e evolução, desligamento e retorno do ser imaterial à sua pátria de origem, o mundo espiritual.
Meu reino não é deste Mundo: descrição, amostras, experiências e constatações sobre a vida espiritual, seus habitantes e constituição.
Reencarnação: pluralidade das existências permitindo nossa evolução, aprendizado, reajuste e justiça de Deus, tornando-nos artífices de nossa perfeição.
Ficaríamos escrevendo eternamente, não fosse a necessidade de afirmar, peremptoriamente:  o Espiritismo é o Consolador prometido por Jesus.
Aqueles que enfrentaram todas as vicissitudes para permitir que esta doutrina chegasse até nós de forma tão clara e abundante de provas, são os verdadeiros Cristãos responsáveis por identificar e preservar o Cristianismo Redivivo.
Pelo exposto, de forma consciente, coloquemos de uma vez por todas as coisas nos seus devidos lugares, sem necessidade de privarmos nossos filhos do convívio do Consolador Prometido, obrigando-os a cumprir rituais e dogmas a que fomos vinculados no passado. Quando ouvirmos os velhos e superados chavões contra os Espíritas, tenhamos em mente as palavras de Jesus:
Conhecereis a Verdade e a Verdade vos Libertará.
Pois amigos é esta verdade que cada um de nós deve aceitar com Fé raciocinada e não uma Fé cega .pois só conhecendo estas verdades podemos entender melhor o Cristo que sempre está junto de cada um de nós....
Com um sincero abraço carinhoso de muita paz este vosso amigo
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 14 de Novembro de 2015, 10:57
[attach=1]
Amigos e lindos companheiros deste cantinho de muita paz é com este carinho que lhes dou o meu bom dia e ao mesmo tempo vamos meditar e debater este personagem que é Jesus que sempre está ao nosso lado para nos ajudar.
Se me amais, guardai os meus mandamentos; e eu rogarei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco: 
O Espírito de Verdade, que o mundo não pode receber, porque o não vê e absolutamente o não conhece. Mas, quanto a vós, conhecê-lo-eis, porque ficará convosco e estará em vós.
Porém, o Consolador, que é o Santo Espírito, que meu Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará recordar tudo o que vos tenho dito.
Jesus promete outro consolador: o Espírito de Verdade, que o mundo ainda não conhece, por não estar maduro para o compreender, consolador que o Pai enviará para ensinar todas as coisas e para relembrar o que o Cristo há dito.
Se, portanto, o Espírito de Verdade tinha de vir mais tarde ensinar todas as coisas, é que o Cristo não dissera tudo; se ele vem relembrar o que o Cristo disse, é que o que este disse foi esquecido ou mal compreendido.
O Espiritismo vem, na época predita, cumprir a promessa do Cristo: preside ao seu advento o Espírito de Verdade.
Ele chama os homens à observância da lei; ensina todas as coisas fazendo compreender o que Jesus só disse por parábolas.
Advertiu o Cristo:
"Ouçam os que têm ouvidos para ouvir."
O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porquanto fala sem figuras, nem alegorias; levanta o véu intencionalmente lançado sobre certos mistérios.
Vem, finalmente, trazer a consolação suprema aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, atribuindo causa justa e fim útil a todas as dores. Disse o Cristo:
"Bem-aventurados os aflitos, pois que serão consolados."
Mas, como há de alguém sentir-se ditoso por sofrer, se não sabe por que sofre?
O Espiritismo mostra a causa dos sofrimentos nas existências anteriores e no destino da Terra, onde o homem expia o seu passado.
Mostra o objetivo dos sofrimentos, apontando-os como crises salutares que produzem a cura e como meio de depuração que garante a felicidade nas existências futuras.
O homem compreende que mereceu sofrer e acha justo o sofrimento. Sabe que este lhe auxilia o adiantamento e o aceita sem murmurar, como o obreiro aceita o trabalho que lhe assegurará o salário.
O Espiritismo lhe dá fé inabalável no futuro e a dúvida pungente não mais se lhe apossa da alma. Dando-lhe a ver do alto as coisas, a importância das vicissitudes terrenas some-se no vasto e esplêndido horizonte que ele o faz descortinar, e a perspectiva da felicidade que o espera lhe dá a paciência, a resignação e a coragem de ir até ao termo do caminho.
Assim, o Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança."
Amigos aqui podemos começar a entender esta maravilhosa doutrina que nos consola.
Com  um abraço de muita paz este vosso amigo
[attach=2]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 15 de Novembro de 2015, 01:43
............

      Para entender, tenho de fazer uma pergunta ao amigo Altino: porq é que vc, como outros, cita em sua msg/resp palavras de Paulo se a doutrina e, consequentemente, seus seguidores desprezam tantos ensinamentos que devem ser extremamente importantes desse apóstolo?

.............
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 15 de Novembro de 2015, 10:36
Amigos e companheiros deste cantinho de muita paz e onde continuámos o nosso tema para todos o meu bom dia sereno ... e vamos tentar verificar como Kardec nossa seus livros nos fala do Cristo Consolador....
 A Génese:
Anunciação do Consolador
 Se me amais, guardai os meus mandamentos - e eu pedirei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador, a fim de que fique eternamente convosco: - O Espírito de Verdade que o mundo não pode receber, porque não o vê; vós, porém, o conhecereis, porque permanecerá convosco e estará em vós.
 Entretanto, digo-vos a verdade: Convém que eu me vá, porquanto, se eu não me for, o Consolador não vos virá; eu, porém, me vou e  O  enviarei.
 E, quando ele vier, convencerá o mundo no que respeita ao pecado, à justiça e ao juízo: - no que respeita ao pecado, por não terem acreditado em mim; - no que respeita à justiça, porque me vou para meu Pai e não mais me vereis; no que respeita ao juízo, porque já está julgado o príncipe deste mundo.
Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas presentemente não as podeis suportar. Quando vier esse Espírito de Verdade, ele vos ensinará toda a verdade, porquanto não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tenha escutado e vos anunciará as coisas que virão.
 Esta predição, não há contestar, é uma das mais importantes, do ponto de vista religioso, porquanto comprova, sem a possibilidade do menor equívoco, que Jesus não disse o que tinha a dizer, pela razão de que não o teriam compreendido nem mesmo seus apóstolos, visto que a eles é que o Mestre se dirigia.
Se lhes houvesse dado instruções secretas, os Evangelhos fariam referência a tais instruções.
Ora, desde que ele não disse tudo a seus apóstolos, os sucessores destes não terão podido saber mais do que eles, com relação ao que foi dito; teriam  possivelmente enganado, quanto ao sentido das palavras do Senhor, ou dado interpretação falsa aos seus pensamentos, muitas vezes velados sob a forma parabólica.
As religiões que se fundaram no Evangelho não podem, pois, dizer-se possuidoras de toda a verdade, porquanto ele, Jesus, reservou para si a completação ulterior de seus ensinamentos.
O princípio da imutabilidade, em que elas se firmam, constitui um desmentido às próprias palavras do Cristo. Sob o nome de Consolador e de Espírito de Verdade, Jesus anunciou a vinda daquele que havia de ensinar todas as coisas e de lembrar o que ele dissera.
Logo, não estava completo o seu ensino.
E, ao demais, prevê não só que ficaria esquecido, como também que seria desvirtuado o que por ele fora dito, visto que o Espírito de Verdade viria tudo lembrar e, de combinação com Elias, restabelecer todas as coisas, isto é, estariam de acordo com o verdadeiro pensamento de seus ensinos.
 Quando terá de vir esse novo revelador?
É evidente que se, na época em que Jesus falava, os homens não se achavam em estado de compreender as coisas que lhe restavam a dizer, não seria em alguns anos apenas que poderiam adquirir as luzes necessárias a entendê-las.
Para a inteligência de certas partes do Evangelho, excluídos os preceitos morais, faziam-se mister conhecimentos que só o progresso das ciências facultaria e que tinham de ser obra do tempo e de muitas gerações.
Se, portanto, o novo Messias tivesse vindo pouco tempo depois do Cristo, houvera encontrado o terreno ainda nas mesmas condições e não teria feito mais do que o mesmo Cristo. Ora, desde aquela época até os nossos dias, nenhuma grande revelação se produziu que haja completado o Evangelho e elucidado suas partes obscuras, indicio seguro de que o Enviado ainda não aparecera.
 Qual deverá ser esse Enviado?
Dizendo: «Pedirei a meu Pai e ele vos enviará outro Consolador», Jesus claramente indica que esse Consolador não seria ele, pois, do contrário, dissera: «Voltarei a completar o que vos tenho ensinado.» Não só tal não disse, como acrescentou:
A fim de que fique eternamente convosco e ele estará em vós.
Esta proposição não poderia referir-se a uma individualidade encarnada, visto que não poderia ficar eternamente connosco, nem, ainda menos, estar em nós; a compreender, porém, muito bem com referência a uma doutrina, a qual, com efeito, quando a tenhamos assimilado, poderá estar eternamente em nós.
O Consolador é, pois, segundo o pensamento de Jesus, a personificação de uma doutrina soberanamente consoladora, cujo inspirador há de ser o Espírito do Verdade.
 O Espiritismo realiza, como ficou demonstrado  todas as condições do Consolador que Jesus prometeu.
Não é uma doutrina individual, nem de concepção humana; ninguém pode dizer-se seu criador.
É fruto do ensino coletivo dos Espíritos, ensino a que preside o Espírito de Verdade.
Nada suprime do Evangelho: antes o completa e elucida.
Com o auxílio das novas leis que revela, conjugadas essas leis às que a Ciência já descobrira, faz se compreenda o que era ininteligível e se admita a possibilidade daquilo que a incredulidade considerava inadmissível.
Teve precursores e profetas, que lhe pressentiram a vinda.
Pela sua força moralizadora, ele prepara o reinado do bem na Terra.
A doutrina de Moisés, incompleta, ficou circunscrita ao povo judeu; a de Jesus, mais completa, se espalhou por toda a Terra, mediante o Cristianismo, mas não converteu a todos; o Espiritismo, ainda mais completo, com raízes em todas as crenças, converterá a Humanidade.
A palavra Espiritismo, ao contrário, não lembra nenhuma personalidade; encerra uma ideia geral, que ao mesmo tempo indica o caráter e o tronco multíplice da doutrina.
 Dizendo a seus apóstolos: «Outro virá mais tarde, que vos ensinará o que agora não posso ensinar», proclamava Jesus a necessidade da reencarnação.
Como poderiam aqueles homens aproveitar do ensino mais completo que ulteriormente seria ministrado; como estariam aptos a compreendê-lo, se não tivessem de viver novamente?
Jesus houvera proferido uma coisa inconsequente te se, de acordo com a doutrina vulgar, os homens futuros houvessem de ser homens novos, almas saídas do nada por ocasião do nascimento.
Admita-se, ao contrário, que os apóstolos e os homens do tempo deles tenham vivido depois; que ainda hoje revivem, e plenamente justificada estará a promessa de Jesus. Tendo-se desenvolvido ao contacto do progresso social, a inteligência deles pode presentemente comportar o que então não podia.
Sem a reencarnação a promessa de Jesus fora ilusória.
 Se disserem que essa promessa se cumpriu no dia de Pentecostes, por meio da descida do Espírito Santo, poder o  responder que o Espírito Santo os inspirou, que lhes desanuviou a inteligência, que desenvolveu neles as aptidões mediúnicas destinadas a facilitar-lhes a missão, porém que nada lhes ensinou além daquilo que Jesus já ensinara, porquanto, no que deixaram, nenhum vestígio se encontra de um ensinamento especial.
O  Espírito Santo, pois, não realizou o que Jesus anunciara relativamente ao Consolador; a não ser assim, os apóstolos teriam elucidado o que, no Evangelho, permaneceu obscuro até ao dia de hoje e cuja interpretação contraditória deu origem às inúmeras seitas que dividiram o Cristianismo desde os primeiros séculos. "
"  O Mestre disse que o Consolador 'não faria por si mesmo"  (não é o próprio Deus), 'mas DIRÁ TUDO O QUE TIVER OUVIDO (é  um mensageiro) e vos anunciará as coisas que hão de vir'.
No meu entender: maior consolo, proporcionado pelas comunicações das falanges do Consolador com os homens, é exatamente a de dar a certeza da imortalidade da alma. Ministrar ao viajante do caminho terreno o alento necessário de que é um espírito imortal, reencarnado, e que o seu destino final é  a perfeição, dentro do Universo'. ..........
Amigos assim aqui fica mais uma explicação peno eu muito fácil de entender a missão do Cristo como nosso Consolador..........
Com um carinhoso abraço de muita paz este vosso amigo
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Antonio Renato em 15 de Novembro de 2015, 14:39
Meus irmão de estudos bom dia. O que seria verdadeiramente o consolador prometido por
Jesus a todos nós? O povo que o seguiam na época da sua passagem entre nós, ficou
temeroso quando ele noticiou a sua partida, para acalmar a todos ele prometeu que iria
deixar para todos um consolador,para amenizar as dores e os sofrimentos de todos, seria
este um espírito da verdade, ou um conjunto de espíritos que pudessem orientar a todos
no percurso das nossas vidas material?. O Espiritismo tem sido para nós espiritas esse
consolador, seria então para todos ou tão somente que buscam nele os conhecimentos
da vida? Gostaria da opinião dos companheiros.
Fiquem na paz.
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 15 de Novembro de 2015, 17:25
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #35 em: 15 11 15, às 14:39, de ARenato

      Renato (meu querido amigo sempre presente), escreveu: O que seria verdadeiramente o consolador prometido por Jesus a todos nós? O povo que o seguia na época da sua passagem entre nós, ficou temeroso quando ele noticiou a sua partida; para acalmar a todos ele prometeu que iria deixar para todos um consolador, para amenizar as dores e os sofrimentos de todos...

      Conf: meu caro Renato, já lhe fiz pergunta semelhante a q faço agora, mas que, nem o amigo, nem outro companheiro de estudos deste FE, até este instante, conseguiu responder: se todos os efeitos têm suas causas, qual é a causa que tem como efeito tantos (bilhões só neste planeta) possuírem dores e sofrimentos, os quais o Consolador viria amenizar? 

      Que a nova semana seja ótima para vc e seus queridos!
.............
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 16 de Novembro de 2015, 11:20
Amigos e companheiros deste debate para todos com muito carinho o meu bom dia e vamos meditar assim desta forma sobre o chamado Pentecostes.
O Consolador: Espiritismo.......
Aquela ceia, positivamente, foi marcada pela tristeza.
Nem bem ela começara e o Mestre declarou ser a última vez que comeria com seus amigos, até que estivesse cumprida a Sua missão.
 E mais: afirmou que dentre os presentes um O haveria de trair.
Muito perturbados, os presentes protestaram inocência, reafirmando sua fidelidade ao Messias.
Mas o traidor, por sua vez traído pela consciência, não teve ânimo para ali permanecer, retirando-se.
E ao sair ainda ouviu de Jesus o pedido revelador da imensa tristeza que Lhe começava a toldar a alma: - o que tens de fazer, faz logo.
Com efeito, essa angústia foi tão grande que provocaria, mais tarde, o famoso "suor de sangue", fenómeno este que a medicina psicossomática denomina de hematidrose.
Este é um fenómeno que ocorre em estados de profunda angústia e que consiste numa grande vasodilatação dos capilares, que se rompem ao nível das glândulas sudoríparas fazendo com que o sangue aflore misturado ao suor.
Uma prova a mais de que o corpo de Jesus era de carne.
Saiu, pois, o Iscariotes, e já era noite . E a noite era de Lua cheia, visto que a Páscoa se aproximava.
O disco lunar, brilhando no céu claro, deve ter feito com que aquele homem seguisse rente às paredes, tentando esconder nas sombras o peso da culpa que levava.
E no coração de todos ficou o amargor da dúvida a aumentar o desconforto daquela noite fria.
Estava-se em Abril e o inverno já acabara naquela região que praticamente só conhece duas estações por ano. Mas embora o dia seguinte, sexta-feira, fosse de um calor intenso (Em Há Dois Mil Anos Emanuel faz pelo menos nove referências ao calor daquele dia), a noite da última ceia foi fria.
Aos discípulos o Mestre parecia mais enigmático ainda que de costume, falando coisas cujo sentido não captavam de pronto.
Tão logo Judas saiu, Jesus fez um longo discurso, iniciando por dizer que para onde ia os apóstolos não poderiam acompanhá-Lo.
 Inquieto, Pedro ainda arriscou uma pergunta: - Senhor, para onde vais tu? Por que não te posso seguir agora?
Eu daria minha vida por ti!
Pois bem.
Foi nesse clima de frio, de medo e de incerteza que em seu discurso de despedida Jesus afirmou:
Eu rogarei ao Pai e Ele vos dará outro Consolador para que fique eternamente convosco. 
Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.
E assim falando Jesus saiu dali com os onze restantes e atravessou o ribeiro do Cedron, rumo ao Jardim da Oliveiras, enquanto o luar emoldurava de prata aquele triste grupo.
E o Mestre prosseguiu falando:
 Eu tenho ainda muitas coisas para vos dizer, mas vós não as podeis suportar agora.
Quando vier, porém, aquele Espírito de Verdade, ele vos ensinará todas as verdades, porque ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido.
Dali a instantes Jesus estaria preso e no entardecer do dia seguinte morreria a morte na cruz, castigo que Roma reservava aos réus de mais ínfima classe.
No amanhecer do domingo, contudo, o Senhor da Vida estaria de novo entre seus discípulos. Quarenta dias depois, elevar-se-ia no ar, desaparecendo.
Tanto o Catolicismo quanto os duzentos e tantos ramos do Protestantismo asseveram que a vinda do Consolador que Jesus prometera deu-se no dia chamado de Pentecostes, que é 50º dia após a Páscoa. No capítulo 2 dos Atos dos Apóstolos temos a descrição do que ocorreu naquela data. Vamos, então, rememorar o que ali se descreve.
Logo depois da ascensão de Jesus, portanto a pouco mais de quarenta dias após ter feito a promessa do envio do Consolador, estavam os discípulos reunidos em uma casa quando um grande ruído se fez ouvir. Logo após surgiram no ar umas luminescências e os apóstolos começaram a falar em línguas que desconheciam. Acontece que Jerusalém estava cheia de gente de várias procedências: árabes, medos, partos, elamitas, gregos, etc. e os discípulos, que eram galileus e na maioria incultos, falavam a essas pessoas em suas próprias línguas, o que as deixava admiradas.
 É claro que não poderia deixar de haver quem desse uma explicação "lógica" para o fenómeno, alegando que eles assim falavam porque estavam bêbados.
Como se o álcool tivesse o dom de ensinar línguas!
Se naquele tempo já existissem parapsicólogos, por certo diriam que os apóstolos falavam em línguas que desconheciam porque o "talento do inconsciente" permitia que garfassem no inconsciente dos ouvintes as línguas em que falavam.
De qualquer forma, o dia de Pentecostes ficou sendo, para os vários ramos em que se dividiu o Cristianismo, como o dia em que Jesus enviou o Consolador que prometera.
Só o Espiritismo diz que não.
O Consolador prometido não veio no dia de Pentecostes e sim Dezanove séculos mais tarde, pois que o Consolador é o próprio Espiritismo.
Sendo duas opiniões contraditórias, uma pelo menos deve estar errada.
Então qual será a certa?
Examinemos com atenção o que Jesus disse após a última ceia, em paralelo com os fenómenos ocorridos naquele dia de Pentecostes e vejamos se têm razão católicos e protestantes.
Dissera Jesus que o Espírito de Verdade ensinaria todas as verdades e relembraria tudo que Ele, Jesus, havia dito.
Muito bem. Se o Consolador viria para ensinar todas as verdades é porque Jesus não as havia ensinado na totalidade, coisa que Ele próprio afirmou .
Na data de Pentecostes houve alguma revelação nova?
Não.
Ao menos a Bíblia não diz que houve.
 Na edição da Bíblia publicada pela Enciclopédia Barsa está escrito o seguinte comentário:
Esta vinda do Espírito Santo é o cumprimento da promessa de Cristo.
O Seu principal efeito foi aumentar a graça santificante dos apóstolos e fiéis sobre os quais desceu de forma sensível.
Outros efeitos foram: o carisma de falar outras línguas, a coragem de pregar abertamente e um conhecimento extraordinário da doutrina cristã.
Mas não foi nada disto que o Cristo prometeu.
O Consolador deveria vir para ensinar todas as verdades e não apenas para aumentar a compreensão sobre as verdades já conhecidas.
Viria também para lembrar o que o Cristo dissera.
Assim estamos a desvendar um pouco esta versão que muitos ainda acreditam mas dá para meditar que Jesus quando disse Eu vos enviarei o Consolador estava a prometer uma nova vida que naquele tempo os homens ainda não estavam preparados para a receber......
Com um abraço de muita paz este vosso amigo sincero .....
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Antonio Renato em 16 de Novembro de 2015, 13:07
Meu nobre(nobre na alma)irmão lconforjr, eu acho que você não entendeu bem o que
eu coloquei no meu texto. Pedi que os irmãos, inclusive você, colocassem a sua opinião
a respeito do consolador prometido por Jesus ao povo daquela época, antes da sua
partida, e não responder a um questionamento seu.
Fique na paz.

Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 17 de Novembro de 2015, 10:54
Amigos e companheiros deste estudo para todos o meu bom dia sereno e vamos continuar a debater  o Consolador prometido..
O Consolador Prometido Para isso seria preciso que o que Ele havia ensinado estivesse esquecido ou adulterado.
Mas fazia apenas 50 dias que aquela promessa fora feita e não mais que dez dias que deixara os apóstolos, pela ascensão.
Por que, nesse caso, um emissário especial para recordar tudo aquilo que era tão recente?
Mas Jesus também dissera que tinha muitas coisas para ensinar ainda, mas que não poderiam ser compreendidas ou suportadas então.
Como admitir que apenas 50 dias depois já essas coisas pudessem ser ensinadas, entendidas ou suportadas?
E que ensinos tão importantes seriam esses que os Atos dos Apóstolos não revelam?
O Cristo prometera verdades novas e não coragem para divulgar as antigas, já ensinadas.
E como é possível que esses ensinos complementares o próprio Jesus não os tenha querido fazer a seus discípulos, que não os poderiam suportar, para que, poucos dias após, os mesmos discípulos os fizessem e para pessoas que nem ao menos haviam conhecido os ensinos precedentes de Jesus?
Se os ensinos de Jesus precederam os do Consolador é porque o conhecimento daqueles era um pré-requisito para o conhecimento destes.
E se os apóstolos falavam línguas que não compreendiam, esses ensinamentos complementares não só iam cair em ouvidos alheios a toda a anterior mensagem cristã, como também os próprios mensageiros, isto é, os discípulos, continuariam a ignorá-los, visto que desconheciam o que falavam. Não é tudo muito incoerente?
Agora vejamos, à luz do Espiritismo, o que terá, de fato, ocorrido no dia de Pentecostes: nada mais do que a eclosão das mediunidades de efeitos físicos e de psicofonia xenoglóssica. O barulho que se ouviu e as luminescências que surgiram são fenómenos comuns àquela forma de mediunidade. As "línguas de fogo" são simples manifestações ectoplasmáticas.
O célebre físico-químico William Crookes, designado que foi pela Sociedade Dialética de Londres para estudar os fenômenos do Espiritismo, escreveu a certa altura de seu relatório:
 Vi pontos luminosos saltarem de um e outro lado e repousarem sobre a cabeça de diferentes pessoas.
Mas aquelas "línguas" também poderiam ser simples fenómenos elétricos ou magnéticos decorrentes do preparo do ambiente por entidades espirituais
O falar línguas estrangeiras nada mais é que a mediunidade xenoglóssica, de que há tantos exemplos nos anais do Espiritismo. E tanto é verdade que aquele fenómeno foi meramente mediúnico, que o apóstolo Pedro, vendo o espanto das pessoas, explicou-lhes o que se passava repetindo as palavras do profeta Joel:
acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que eu derramarei do meu Espírito sobre toda a carne: e profetizarão vossos filhos e vossas filhas, e os vossos mancebos terão visões e os vossos anciãos sonharão sonhos.
 O mais curioso de tudo é que são as próprias religiões que aceitam o Pentecostes como a vinda do Consolador prometido que, paradoxalmente, renegam a mediunidade, atribuindo-a ao demônio, à fraude ou a fatores meramente psicológicos, negando assim a própria explicação de Pedro.
Tudo isso parece deixar patente que a vinda do Consolador não se deu na data de Pentecostes, visto que as coisas que o Cristo disse que seriam feitas não sucederam, na verdade.
Quando Allan Kardec recebeu a notícia da missão que lhe cabia, quis saber qual o nome do Espírito sob cuja égide aqueles ensinos se dariam e obteve a seguinte resposta: -Para ti chamarei  A Verdade. Na época nem Kardec, nem ninguém, parece ter percebido a enormidade desta revelação.
Seria este o Paráclito que Jesus ficara de enviar mais tarde?
A ser assim esse "mais tarde" teria demorado não aqueles absurdos 50 dias, mas dezanove séculos, pois só então as pessoas, consideradas globalmente, estariam em condições de receber os demais ensinamentos que Jesus não quis dar por ser muito cedo para que fossem entendidos ou suportados. Se tais ensinos, que não puderam ser dados pelo próprio Cristo, houvessem sido trazidos e aceitos apenas alguns dias depois, isto faria de Jesus um professor bem medíocre, incapaz de transmitir aquilo que daí a pouco seria ensinado por outro, com sucesso.
 Não.
Foram necessários 19 séculos, mesmo, para que as pessoas pudessem assimilar verdades maiores.
E ainda assim, quantos de nós não as podemos suportar nem agora...
E note-se: Jesus disse que o Espírito de Verdade não falaria por si, mas sim que falaria de tudo o que ouvira dizer.
Esses ensinos, portanto, seriam o resultado não de uma opinião pessoal, mas de um consenso.
Ora, o Espiritismo se estriba exatamente sobre a universalidade do ensino dos Espíritos e Kardec não se cansou de chamar a atenção sobre isto.
O Espiritismo não é fruto de uma ou de algumas opiniões isoladas, quer de homens quer de Espíritos, e nisto está a maior garantia de sua veracidade.
Assim sendo, se para muitos o dia de Pentecostes foi o dia em que Jesus mandou o Consolador que prometera, para os espíritas esse dia só chegaria com a difusão do Espiritismo.
O Espiritismo, sim, a par do consolo que derrama, trouxe novas verdades que, sem contraditar nada do que o Cristo ensinara, ampliou-Lhe os preceitos e restabeleceu as verdades mutiladas ao longo dos séculos. Como a verdade deverá ir sendo revelada à medida em que formos adquirindo condições de assimilá-la, é necessário que o Paráclito permaneça connosco "para sempre", tal como dito por Jesus. O Espiritismo veio e aí está, enquanto que o fenômeno de Pentecostes foi uma ocorrência isolada, não obstante as consequências que teve na época.
Vemos por esta forma que o Espiritismo está absolutamente conforme a promessa de Jesus feita naquela noite fria e triste da Palestina, quando a Lua brilhou nas gotas de sangue que uma enorme angústia fez verter de Sua fronte atormentada pela perspectiva do suplício que sofreria nas mãos dos que se julgavam detentores da verdade e monopolizadores do bom-senso.
Aos que assim não pensam, cabe provar o contrário....
Amigos por favor debatem este tema e com um abraço de amizade este vosso amigo.
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 18 de Novembro de 2015, 16:46
Amigos e companheiros deste estudo é com muita alegria que os saúdo com a minha boa tarde de muita paz e temos que meditar neste Cristo o Consolador que em todos os momentos da nossa vida está sempre presente para nos der muita força nos momentos menos bons da vida pois é o O Cristianismo está fundamentado, sim, na lei do AMOR.
Mas nada disso nega o fato de havia verdades para serem reveladas. E também o Consolador precisaria relembrar a lei do amor, pois os homens se esqueceram e passar a ver em Cristo o Deus que se fez carne para tirar o pecado do mundo e não o modelo e exemplo que todos os cristãos devem ter para seguir para Deus.
http://www.youtube.com/watch?v=osMHXLU3Bqg
Amigos que ao som desta música podemos meditar e ao mesmo tempo compreender que O Consolador deve ser escutado por todos nós...........
Com um abraço de muita paz este vosso amigo
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 18 de Novembro de 2015, 19:34
      Amigo Altino, preciso entender isso! Não consigo entender que o cristianismo e/ou a doutrina espírita esteja fundamentada na lei do amor! Pois o que vemos no mundo é falta de amor, perversidades, perversões, egoísmo, inveja, vingança, crimes os mais violentos, exploração do homem pelo homem, injustiças e atrocidades sem fim, sofrimentos, segundo a DE, impostos por Deus, terríveis, desesperadores e de tão insuportáveis que podem levar milhões a escolherem fugir da vida pela porta do suicídio!...

..............



Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 19 de Novembro de 2015, 10:53
Amigos e companheiros deste cantinho de muita paz é com muita serenidade que a todos dou o meu bom dia sereno e vamos continuar a tentar entender este Cristo que nos ajuda e consola em todos os momentos da vida.........
O JUGO LEVE:
"Vinde a mim, todos os que andais em sofrimento e vos achais sobrecarregados, e Eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas. Porque meu jugo é suave e o meu fardo é leve".
(Mateus XI – 28 a 30)
Jesus nos convida para irmos até Ele, pois seremos aliviados.
Explique ao público o que é ir até Jesus.
Não basta só ir ao templo religioso, pois apenas a presença física não significa nada.
É muito importante estarmos lá em espírito também, já que só assim iremos receber os verdadeiros remédios para as nossas dores.
Diga que existem pessoas que vão ao Centro, às Igrejas, esperando milagres.
Querem receber sem se esforçar para isso. E quando estão ouvindo a palestra, o pensamento delas está longe dos ensinos do Mestre, e próximo ao relógio, aguardando ansiosamente a hora de ir embora.
É necessário salientar que a prática destes ensinos é vital para a nossa saúde espiritual, e que é preciso aprender a ser manso e humilde durante o dia-a-dia, para recebermos o alívio que Jesus nos promete.
 E a responsabilidade que Jesus nos exige é o aprendizado da Lei de Deus, e o seu fardo é a prática desta Lei.
 Por isso que Ele diz que seu jugo é suave e o seu fardo é leve............
Amigos como podemos compreender temos de estudar e ter sempre a presença de Cristo nas nossas vidas
Com um carinhoso abraço de muita paz e serenidade este vosso amigo.
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 20 de Novembro de 2015, 00:43
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #18 em: 09 11 15, às 10:36, de Altino

      Conf: Amigo Altino, como tento entender a doutrina do modo que vc e os demais estão entendendo, tenho de fazer novas perguntas:

      Alt escreveu: O Espiritismo revela o objetivo da dor, mostrando que os sofrimentos são como crises salutares que levam à cura, são as purificações que asseguram a felicidade nas existências futuras. O Homem compreende que mereceu sofrer, e acha justo o sofrimento.

      Conf: sinceramente, meu amigo, não consigo entender isso, pois, se o objetivo da dor é nos levar à cura das imperfeições, porq nos tornamos imperfeitos se antes não éramos e se essa cura implica sofrimentos desesperadores? E, se temos o livre-arbítrio, porq é que nos tornamos imperfeitos apesar de saber que, por nos tornarmos imperfeitos, teremos de passar por intensas dores, sofrimentos desesperadores e mesmo insuportáveis?!! Será que temos, vc, eu, todos sem exceção, desejo de sofrer? Seremos todos nós mentalmente desequilibrados?!!

............
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 20 de Novembro de 2015, 10:44
Amigos para todos com muito carinho o meu bom dia sincero e para responder coloco mais esta questão.........
Se me amais, guardai os meus mandamentos, e eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro consolador, para que fique eternamente convosco, o Espírito de Verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece.
Mas vós conhecereis, porque ele ficará convosco e estará em vós.
Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo que vos tenho dito.
(João XIV – 15-17 a 20)
Jesus prometeu um novo consolador no seu último discurso aos apóstolos, no Monte das Oliveiras, um pouco antes de ser preso e crucificado. Nesta promessa, o Mestre maior nos informa o que esse Consolador Prometido irá fazer no futuro em relação a Doutrina Cristã. Que relembrará tudo aquilo que Ele tinha dito.
Fale aos presentes então, que se será necessário relembrar, é porque o Cristianismo verdadeiro iria ser esquecido ou distorcido por dogmas ou práticas estranhas, como realmente aconteceu.
E este Consolador viria adotar as verdadeiras práticas Cristãs.
Nesta passagem temos ainda a informação que o Consolador Prometido seria o Espírito Santo e que iria ficar eternamente connosco.
Com isso, podemos deduzir que não seria um homem ou uma individualidade, mas sim uma doutrina, pois uma ideia, um ensinamento, é eterno.
E o Espírito Santo simboliza uma falange de bons espíritos, responsáveis por esses novos ensinamentos.
Mostre, então, a Doutrina Espírita consegue cumprir com todos estes aspectos que Jesus disse do Consolador Prometido.
Que ela tem como tarefa mais importante, propagar os ensinos de Jesus de sua forma mais simples e primitiva, ou seja, sem dogmas ou rituais. Relembra o que o Mestre nos ensinou, ou seja, um código de renovação moral, que deve ser aplicado no dia a dia, transportando a verdadeira religião do confinamento dos Templos para a prática da reforma íntima do ser....
Como podemos compreender o Cristianismo é para ser vivido na sua pureza ao longo dos tempos e esta Doutrina nos faz sentir isso mesmo.....
Amigos com um grande e sincero abraço de muita paz este vosso amigo.....
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Antonio Renato em 20 de Novembro de 2015, 15:32
Meu irmão Altino e demais irmãos de estudo, vejam bem. Em pouco tempo o espiritismo
tem demonstrado ser o consolador prometido pelo nosso mestre Jesus, pois ao longo
dos seus 150 anos a Doutrina Espirita só nos tem colocado verdades, incontestáveis, sem
mascaras, sem fantasias, sem dogmas que nos limita o livre pensar. Os espíritos que na
verdade orientaram Kardec, tinham essa missão atendendo a um desejo de Jesus em
deixar para todos que o seguiam, um consolador. Agora, está em nós procurarmos
entendê-la melhor para então compreender de verdade o que foi ensinado pelo nosso
mestre Jesus.
Fiquem na paz.
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 21 de Novembro de 2015, 10:57
Amigos e lindos companheiros deste  cantinho onde temos este estudo e debate para todos com  muita serenidade o meu bom dia de muita paz .....
A DOUTRINA DOS ESPÍRITOS:
O Espiritismo revela o objetivo da dor, mostrando que os sofrimentos são como crises salutares que levam à cura, são as purificações que asseguram a felicidade nas existências futuras.
O Homem compreende que mereceu sofrer, e acha justo o sofrimento.
(O Evangelho Segundo o Espiritismo – VI – 4)
Vamos demonstrar aqui que a Doutrina Espírita vem nos responder as grandes questões filosóficas da humanidade, como por exemplo:
De onde viemos?
Para onde vamos?
O que somos?
Por que sofremos?
O que estamos fazendo aqui?
A Doutrina só vai cumprir a promessa de Jesus de nos consolar perante as nossas dificuldades, se estudarmos as explicações racionais para estas perguntas e nos conscientizarmos sobre as verdadeiras causas dos nosso problemas, que estão dentro de nós em forma das nossas imperfeições e limitações.
Temos que divulgar que a característica do verdadeiro espírita, e consequentemente do verdadeiro cristão, é ser constantemente consolado.
Allan Kardec nos informa como reconheceremos o verdadeiro seguidor da Doutrina Espírita. No Evangelho Segundo. o Espiritismo ele diz que:
Reconhece-se o verdadeiro espírita pelo esforço que faz constantemente para combater as suas más tendências.
Esta é a bandeira maior da nossa Doutrina, pois faz cumprir a promessa de Jesus de ser o verdadeiro Consolador, que veio após o Mestre para ensinar e relembrar a pureza de seus ensinos....
Então amigos vamos ter muita Fé nunca duvidar desta Doutrina que personifica o Consolador prometido por Jesus há dois mil anos............
Com um abraço de muita paz este vosso amigo sincero
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: lconforjr em 21 de Novembro de 2015, 18:42
Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:

      Ref resp #46 em: 21 11 15, às 10:57, de MAltino

      Conf: Sinceramente, amigo Altino, não sei a quem devo recorrer para entender a doutrina espírita, como me parece que vc e os amigos estão entendendo, pelas respostas e explicações, citações que nos dão neste fórum!

      Vc escreveu que o Espiritismo revela o objetivo da dor, mostrando que os sofrimentos são como crises salutares que levam à cura, são as purificações que asseguram a felicidade nas existências futuras e sou obrigado a perguntar:

      - qual é o objetivo da dor? Porq estamos todos destinados a passar por ela e tantas vezes de um modo cruel, desesperador, insuportável?

      - porq é que precisamos nos purificar? O que é que nos faz impuros se antes não éramos?

      - como entender o que vc diz que “o homem compreende que mereceu sofrer, e acha justo o sofrimento”? É isso que vc vê no mundo, todos compreendendo e achando justos seus sofrimentos? Se estão compreendendo, porq continuam a cometer males recheados de maldades as mais monstruosas, co o mundo nos mostra? Se acham justos seus sofrimentos, porq tantos se voltam contra Deus por não suportá-los, lançando-Lhe ofensas de toda espécie?

      O amigo tb diz que a Doutrina Espírita vem nos responder as grandes questões filosóficas da humanidade, como por exemplo, as das questões que colocou em sua resposta e que pretendo questionar em particular “o que somos?”, “por que sofremos?” e “o que estamos fazendo aqui?”!

      A doutrina diz o que somos: somos filhos de Deus que nos tornamos talvez o oposto do que nosso Criador é: Ele Amor, Justiça e Sabedoria Infinitos! Nós, desamor e ódio, perversos e pervertidos, afinal, os causadores de todos os males que fazem sofrer os nossos irmãos! 

      A doutrina diz porq sofremos: sofremos porq, mesmo possuindo o livre-arbítrio e, portanto, podendo escolher entre o bem e o mal, teimamos em escolher, sem que não se saiba porq, fazer o mal em vez do bem.

      Afinal, 7 bilhões de humanos, portanto toda a população só deste mundo, escolheram e continuam escolhendo, de propósito e conscientemente, como deficientes mentais e imbecis, fazer o mal e não o bem, o que significa que, como se fôssemos loucos e dementados, escolhemos ser extremante infelizes e sofrer os mais assustadores e insuportáveis sofrimentos, quando temos o poder de escolher o contrário: sempre fazer o bem e ser gloriosamente felizes!

      A doutrina diz o que estamos fazendo aqui: estamos aqui para aprender a deixar as imperfeições, imperfeições que adquirimos aqui mesmo. Viemos a esta escola para aprender a nos desprender das das imperfeições, na mesma escola onde aprendemos a nos prender a elas!

      Estamos aqui para sofrer terrivelmente pois os sofrimentos, por mais desesperadores e insuportáveis que sejam, são a resposta de Deus a quem, de propósito, erra! Mas devemos, como a doutrina manda, entender isso! Mas como entender a doutrina, ter uma “fé raciocinada, se nem mesmo conhecemos, até hoje, aquilo que é fundamental para que entendamos a DE: o porq uns são bons e outros são maus!!

      O amigo Altino já a entende? Se entende, com certeza, saberá responder essa pergunta!

.............
.....
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 22 de Novembro de 2015, 11:13
Amigos e companheiros deste cantinho para todos o meu bom dia e um domingo com muita paz e vamos tentar comentar este Consolador que é  Cristo dizendo que...
Vamos provar que Jesus designou o seu sucessor como sendo o Consolador Espírito de Verdade e pelas características apontadas pelo Cristo, o Espiritismo é este Consolador Prometido.
Em Paris, 1860, o Espírito de Verdade dirige-se aos espíritas:
Espíritas! Amai-vos, este o primeiro ensinamento;
Instruí-vos, este o segundo.
No Cristianismo se encontram todas as verdades; são de origem humana os erros que nele se enraizaram.
Eis que do Além-túmulo, que julgáveis o nada, vozes vos clamam:
Irmãos!
Nada perece.
Jesus – Cristo é o vencedor do mal, sede os vencedores da impiedade.
 Duas condições, apontadas pelo Cristo em João transcritas acima, estão ai evidenciadas:1 – O Espírito de Verdade;
 2 – Não falará de si mesmo.
Enumeramos abaixo as condições 3 – Consolar e 4 – Esclarecer.
Em quais situações o Espiritismo consola?
Perda de entes queridos, a morte não existe; como o nascimento; é a ligação do Espírito e seu corpo incorruptível (Paulo), ao corpo físico; a morte é o desligamento deste Espírito do corpo material que não reúne mais condições de permitir-lhe as manifestações.
Retornando ao Plano Espiritual, como Jesus, plenamente vivo e imortal.
Animais não são seres à parte da criação, mas o Princípio Espiritual com uma alma em sua trajetória evolutiva.
Sentimento de Antipatia entre alguns familiares,retorno ao mesmo palco na condição de familiar, daqueles que em reencarnações passadas viveram situações de conflito, com o objetivo de reconciliação na vida presente.
Pobreza e Riqueza, provas na vida presente que devemos vencê-las com resignação e caridade para aproveitarmos a vida atual.
Parentes de Criminosos, nosso ente querido paga a pena com a sociedade e não está condenado ao inferno; sua consciência culpada o conduzirá ao reajuste em nova existência com aquele que houver prejudicado na vida atual, quando, a partir de então, poderá seguir livre rumo à perfeição.
Em quais situações o Espiritismo esclarece?
Adão e Eva: o ser humano, como os animais e todos os seres vivos, são produtos do processo evolutivo realizado nos mundos criados por Deus e que consistem o nosso Universo, repleto de mundos habitados e onde a vida se expressa de diferentes modos materiais e imateriais.
Permitindo ao Espírito de homens e mulheres, criados da mesma forma, simples e ignorantes, moldar sua perfectibilidade.
Mundo em seis dias: condizente com as provas geológicas, o Espiritismo mostra que os mundos foram formados em bilhões de anos e que as eras geológicas são condizentes com a forma poética que a Escritura descreve aos habitantes daquela época segundo sua capacidade de entendimento.
Nascimento e Morte: são processos naturais de preparação, ligação, vivência e evolução, desligamento e retorno do ser imaterial à sua pátria de origem, o mundo espiritual.
Meu reino não é deste Mundo: descrição, amostras, experiências e constatações sobre a vida espiritual, seus habitantes e constituição.
Reencarnação: pluralidade das existências permitindo nossa evolução, aprendizado, reajuste e justiça de Deus, tornando-nos artífices de nossa perfeição.
Ficaríamos escrevendo eternamente, não fosse a necessidade de afirmar, peremptoriamente:  o Espiritismo é o Consolador prometido por Jesus.
Aqueles que enfrentaram todas as vicissitudes para permitir que esta doutrina chegasse até nós de forma tão clara e abundante de provas, são os verdadeiros Cristãos responsáveis por identificar e preservar o Cristianismo Redivivo.
Pelo exposto, de forma consciente, coloquemos de uma vez por todas as coisas nos seus devidos lugares, sem necessidade de privarmos nossos filhos do convívio do Consolador Prometido, obrigando-os a cumprir rituais e dogmas a que fomos vinculados no passado. Quando ouvirmos os velhos e superados chavões contra os Espíritas, tenhamos em mente as palavras de Jesus:
Conhecereis a Verdade e a Verdade vos Libertará.
Assim queridos amigos aqui temos já muitas coisas que apenas podem levar os menos esclarecidos e fazer juízos errados desta maravilhosa Doutrina por esta razão Kardec nos aconselhou.
Espíritas Estudai e Amai
com um grande e sereno abraço de muita paz este vosso amigo
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 23 de Novembro de 2015, 10:41
Amigos e companheiros deste estudo é sempre com muito carinho que venho neste dia de muito frio dar o meu bom dia quentinho e continuar este debate tentando fazer uma retrospetiva do tema para melhor ser compreendido.....
Consolador Prometido
1. INTRODUÇÃO
O objetivo deste estudo é mostrar que a doutrina codificada por Alan Kardec ajusta-se perfeitamente ao texto do evangelista João sobre o Consolador Prometido.
Para que possamos entender o alcance daquelas palavras, convém refletirmos sobre os ensinamentos trazidos por Jesus e o que os homens fizeram deles ao longo do tempo.
2. AS TRÊS REVELAÇÕES
Até o advento do Espiritismo, tínhamos duas revelações:
1.ª) Moisés e o Decálogo;
2.ª) Jesus Cristo e a Lei do Amor.
Estas duas primeiras revelações foram pessoais e locais.
Há, por exemplo, duas partes distintas na lei mosaica: a lei de Deus, promulgada sobre o Monte Sinai, e a lei civil ou disciplinar, estabelecida por Moisés; uma invariável; a outra, apropriada aos costumes e ao caráter do povo, que se modifica com o tempo. 
Jesus não veio destruir a lei de Deus; ele veio cumpri-la, que dizer, desenvolvê-la, dar-lhe o seu verdadeiro sentido, e apropriá-la ao grau de adiantamento dos homens.
Na realidade, os seus ensinamentos constituem o 11.º mandamento, expresso nos seguintes dizeres: "Amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmo".
A 3.ª revelação, que é o Espiritismo, não foi nem local e nem pessoal.
Foram os Espíritos que a ditaram. Alan Kardec foi apenas o Codificador, o organizador.
3. O TEXTO EVANGÉLICO
"Se vós me amais, guardai meus mandamentos; e eu pedirei a meu Pai, e ele vos enviará um outro Consolador, a fim de que permaneça eternamente convosco: o Espírito de Verdade que o mundo não pode receber, porque não o vê e não o reconhece.
Mas quanto a vós, vós o conhecereis porque permanecerá convosco e estará em vós. Mas o Consolador, que é o Santo-Espírito, que meu Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará relembrar de tudo aquilo que eu vos tenha dito". (São João, cap. XIV, v. 15 a 17 e 26)
Se, pois, o Espírito de verdade deve vir mais tarde ensinar todas as coisas, é que o Cristo não disse tudo; se ele vem fazer recordar aquilo que o Cristo disse, é porque isso foi esquecido ou mal compreendido.
4. O ESPÍRITO DE VERDADE
O Espírito de Verdade diz: "Espírita! Amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instruí-vos, eis o segundo.
Todas as verdades se encontram no Cristianismo; os erros que nele se enraizaram são de origem humana".
Mas o que se deve entender como Espírito de verdade?
De acordo com J. H. Pires, em Revisão do Cristianismo, "O Espírito da verdade não é uma entidade definida, uma criatura humana ou espiritual, mas simplesmente a essência do ensino de Jesus, que se restabeleceria através dos homens que mais rapidamente se aproximassem da sua verdadeira compreensão".
 A breve síntese do texto, que se expressa em "ensinar e relembrar", mostra que a visão do Mestre abrangia todo o panorama das transformações históricas de um longo futuro.
5. O CRISTIANISMO
O Cristianismo surge na confluência do misticismo oriental, do messianismo judeu, do pensamento grego e do Universalismo romano.
O núcleo da doutrina cristã é a fé num Deus revelado como Trindade, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, crença comum a todas as igrejas.
É uma religião monoteísta que coloca em primeiro plano a comunhão com Deus, o Pai, por intermédio de seu filho Jesus Cristo, o Salvador da Humanidade.
O Cristianismo, religião dos cristãos, está centrado na vida e obra de Jesus Cristo.
À semelhança de Sócrates, Cristo não nos deixou nada escrito.
Os seus ensinamentos são anotados pelos apóstolos e passam, mais tarde, a constituir os Evangelhos.
A palavra Evangelho, no singular, representa a unidade do pensamento de Jesus, ou seja, o alegre anúncio; no plural, a diversidade de interpretação dos evangelistas. Por isso, dizemos o Evangelho segundo Mateus, o Evangelho segundo Lucas, o Evangelho segundo Marcos e o Evangelho segundo João.
AMBIENTE POLÍTICO-RELIGIOSO
O povo judeu, ao qual Jesus e os apóstolos pertenciam, fazia parte do grande império romano que estendia as asas das suas águias do Atlântico ao Índico.
O jugo romano, porém, pesava de modo especial sobre a Palestina ao contrário dos outros povos.
O ambiente histórico-religioso em que o Evangelho nasceu é o do judaísmo formado e alimentado pelos livros sacros do Antigo Testamento, condicionado pelos acontecimentos históricos, pelas instituições nas quais se encontrou inserido e pelas correntes religiosas que o especificaram.
Embora o cristianismo seja uma religião revelada, diferente da judaica, apareceu historicamente como continuação e aperfeiçoamento da revelação dada por Deus ao povo de Israel. Jesus era um judeu, que nasceu e viveu na Palestina.
Os apóstolos eram todos da sua gente e da sua religião.
Por isso, nos Evangelhos encontramos descrições, alusões e referências a pessoas, instituições, ideias e práticas religiosas do ambiente judaico, frente às quais Jesus e os apóstolos tomaram posição, aceitando-as ou rejeitando-as.
A divulgação do Evangelho, desde as suas primeiras manifestações, não foi tarefa fácil.
 A começar pela construção desses conhecimentos realizada sob um clima de opressão , pois o jugo romano, como vimos anteriormente, pesava de maneira especial sobre a Palestina.
As mortes dos primeiros cristãos, nos circos romanos, ainda ecoa de maneira indelével em nossos ouvidos.
Além disso, tivemos que assistir à ingerência política em muitas questões de conteúdo estritamente religioso.
Fomos desfigurando o Cristianismo do Cristo para aceitarmos o Cristianismo dos vigários, como disse o Padre Alta.
A fé, o principal alimento da alma, torna-se dogmática nas mãos de políticos e religiosos inescrupulosos.
Para ganhar os céus, tínhamos que confessar as nossas culpas, pagar as indulgências e obedecermos aos inúmeros dogmas criados pela Igreja: o dogma do pecado original, o dogma da infalibilidade papal, o dogma da Santíssima Trindade etc. Este desvirtuamento da pureza religiosa que o Cristo nos trouxe, retirou da religião quase tudo o que ela tinha de divino, sobrando apenas as injunções humanas, limitadas e repletas de interesses pessoais.
ESPIRITISMO
"O Espiritismo vem, no tempo marcado, cumprir a promessa do Cristo: o Espírito de Verdade preside a sua instituição, chama os homens à observância da lei e ensina todas as coisas em fazendo compreender o que o Cristo não disse senão por parábolas.
O Cristo disse: "Que ouçam os que têm ouvidos de ouvir"; o Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porque fala sem figuras e sem alegorias; ele ergue o véu deixado propositadamente sobre certos mistérios, vem, enfim, trazer uma suprema consolação aos deserdados da Terra e a todos aqueles que sofrem, dando uma causa justa e um fim útil a todas as dores".
Debruçando-nos sobre o princípio da reencarnação, encontramos explicações para todos os nossos sofrimentos: se nos falta uma perna, podemos supor que numa encarnação passada a usamos de modo indevido; se sofremos a prova da pobreza, podemos imaginar que já fomos ricos em outras oportunidades e não soubemos usar o dinheiro a favor do próximo.
7. CONCLUSÃO
O Espiritismo tem resposta para todas as nossas dúvidas e consolo para todos os nossos dissabores. É preciso, pois, penetrar nele com um sentimento de humildade e de agradecimento a Deus......
Amigos aqui vemos como a Doutrina Espírita nos ajuda a compreender como O Cristo é pelos Espíritos de Verdade e Terceira Revelação...............
Com um carinho abraço de muita paz este vosso amigo sincero
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 24 de Novembro de 2015, 11:38
Amigos e companheiros deste tema e estudo é com muito carinho que a todos saúdo com o meu bom dia sincero e vos trago este video para podermos entender a maravilha do Cristo Consolador que sempre nos ajuda e compreende nos momentos mais complicados da vida......... e se muitas vezes erramos o fazemos sempre pelo nosso Livre Arbítrio e nos leva a situações menos boas ..
http://www.youtube.com/watch?v=we7kPw_LeBk
Amigos meditem e podemos continuar este debate com situações de cada um de nós e mantermos a confiança em Cristo que está sempre pronto em nos aliviar as nossas faltas quando o pedimos com sinceridade e Fé......
Com um grande e sincero abraço de muita paz este vosso amigo sincero
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 25 de Novembro de 2015, 11:02
Amigos e companheiros deste cantinho de muita paz é sempre com carinho que os saúdo com o meu bom dia de muita paz e entrando neste belo temo do Cristo O Consolador vamos entender que o Espírito da Verdade que é o Consolador prometido por Jesus.QUEM É O ESPÍRITO DE VERDADE?
No livro Obras Póstumas, no capítulo intitulado:
A minha primeira iniciação no
Espiritismo, Allan Kardec conta como foi seu primeiro encontro com o que chamava de Espírito
familiar, e faz uma observação: “nessa época, ainda se não fazia distinção nenhuma entre as
diversas categorias de Espíritos simpáticos.
Dava-se-lhes a todos a denominação de Espíritos familiares
Foi no dia 25 de março de 1856, tendo por médium a senhorita Baudin, que Kardec
agradeceu a presença do “Espírito familiar” e perguntou, educadamente:
– Consentirás em dizer-me quem és?
– Para ti, chamarei  A Verdade todos os meses, aqui, durante um quarto de hora,
estarei à tua disposição.
E o diálogo continua e, como era da personalidade de Kardec, não se bastar com as
perguntas enquanto não se desse por satisfeito com as respostas, isso observamos em toda a
Codificação, ele volta a indagar:
–O nome Verdade, que adotaste, constitui uma alusão à verdade que eu procuro?
– Talvez; pelo menos, é um guia que te protegerá e ajudará.
Kardec volta a questionar, buscando identificar o Espírito:
– Terás animado na Terra alguma personagem conhecida?
– Já te disse que, para ti, sou a Verdade; isto, para ti, quer dizer discrição; nada mais
saberás a respeito.
Na reunião de 9 de Abril de 1856, o diálogo com o O Espírito da Verdade termina com a
pergunta de Allan Kardec sobre a proteção que teria:
– Disseste que serás para mim um guia, que me ajudará e protegerá.
Compreendo essa
proteção e o seu objetivo, dentro de certa ordem de coisas; mas, poderias dizer-me se essa
proteção também alcança as coisas materiais da vida?
– Nesse mundo, a vida material é muito de ter-se em conta; não te ajudar a viver seria
não te amar.
Nas belas e exatas respostas do Espírito da Verdade, Kardec informa em nota, a qual
transcrevo, na íntegra, pelos esclarecimentos que proporciona:
“A proteção desse Espírito, cuja superioridade eu então estava longe de imaginar,
jamais, de fato, me faltou.
A sua solicitude e dos Espíritos que agiam sob suas ordens, se manifestou em todas as
 circunstâncias da minha vida, quer a me remover dificuldades materiais,
quer a me facilitar a execução dos meus trabalhos, quer, enfim, a me preservar dos efeitos da
malignidade dos meus antagonistas, que foram sempre reduzidos à impotência.
Se as
tribulações inerentes à missão que me cumpria desempenhar não me puderam ser evitadas,
foram sempre suavizadas e largamente compensadas por muitas satisfações morais gratíssimas.”
Por esse comentário, entende-se que, no momento certo o Espírito da Verdade
identificou-se para Kardec, que guardou a discrição que lhe foi solicitada, entretanto, deixou as
pistas, identificando o Espírito da Verdade como Jesus Cristo, em vários momentos, nas obras
da Codificação.
E, por fim, A Terceira Revelação
A Lei da Caridade – com o Espiritismo, ostentando a bandeira:
Fora da caridade não há
salvação, coordenado por Ele, como nome Espírito de Verdade, o Consolador...
Amigos assim temos aqui muitas provas que O Espírito da Verdade é o Consolador que muitos ainda hoje não O aceitam......mas com os estudos da codificação podemos compreender  melhor...........
Com um abraço de muita paz este vosso amigo
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 26 de Novembro de 2015, 10:30
Amigos e companheiros deste cantinho de estudo e debate onde procuramos falar do Espírito da Verdade como o Consolador prometido...... então com muito carinho e paz o meu bom dia sereno e vamos tentar debater para compreender esta verdade que a Doutrina nos ensina com a Fé raciocinada de cada um de nós..............
IDENTIDADE PROFÉTICA DA DOUTRINA ESPÍRITA 
A identidade profética da Doutrina Espírita permeia o histórico da conexão entre o plano físico e o espiritual.
No Antigo Testamento da Bíblia encontramos as profecias relativas ao momento da Transição Planetária em que as Estrelas do Céu ( os Espíritos do Senhor, são destacados como exércitos para uma abordagem programada pela Espiritualidade ).
Entre tantas citações confira:
“Depois disso … Vossos  filhos e as vossas filhas profetizarão”…
O fluxo dos fenómenos mediúnicos  que tomou conta no século das luzes, anunciando os novos tempos e ao mesmo tempo chamando a atenção de estudiosos como O Prof Rivail, que viria a ser o codificador Allan Kardec. 
Agora, neste momento de Transição Planetária a mediunidade desponta, de forma intensa e ostensiva, como fatalidade evolutiva, chamando as criaturas a novos rumos.
Virão dias, diz o Senhor, em que eu farei nova aliança com a casa de Israel (…) todos me conhecerão”...
A aliança entre Deus, Cristo e Caridade com todos  os peregrinos da jornada evolutiva.
E no Novo Testamento a confirmação dessa intenção de esclarecimento e veiculação da Verdade que aclara os caminhos e redime as almas:
“Mas o Paráclito, o Espírito Santo,   a quem o Pai enviará, em meu nome  vos ensinará  todas as coisas que vos tenho dito.
 Quando ele vier, o Espírito de   Verdade, vos guiará no caminho da verdade integral (…) anunciar-vos-á  as coisas que estão por vir”…
“Mas o Consolador,  o Espírito Santo,  a quem o Pai enviará, em meu nome,  esse vos ensinará  todas as coisas  e vos fará lembrar de tudo o que vos  tenho dito.”
Nada mais lógico do que a conclusão de que O Consolador  é A Doutrina Espírita que em todos os seus mecanismos lembra o que Jesus ensinou; esclarece as máximas do Cristo; consola e conforta os que sofrem.
O Espírito de Verdade  é  o condutor do processo  da Codificação; Kardec,  o instrumento do Alto para completar  a mensagem do Cristo. E sem sombra de dúvidas, a obra grandiosa e gigantesca de Francisco Cândido Xavier surge como o desdobramento da Codificação. Consolida os conceitos ali esposados e traz novas revelações para a sedimentação da fé raciocinada, “a única capaz de enfrentar a razão face a face, em todas as épocas da Humanidade.”
Assim como o próprio Cristo conduziu a implantação do Cristianismo Primitivo através da rede de comunicação em que se transformaram as Cartas de Paulo, ditadas ao Espírito de Estevão e inspiradas a Paulo de Tarso e sua Equipe de escribas, assim também conduziu, como afirma Leon Denis “sob sua direção oculta e sob seu apoio (direção e apoio de Jesus) é que se opera essa nova revelação”, referindo-se ao trabalho incansável de Allan Kardec.
Uma mensagem recebida em maio de 1864,  direcionada à Allan Kardec,  e assinada pelo Espírito de Verdade, é muito clara ao se referir à edição de Imitação do Evangelho, o nome de O Evangelho Segundo o Espiritismo  em sua primeira versão: “Um novo livro acaba de aparecer; é uma luz mais brilhante que vem clarear o vosso caminho.
Há dezoito séculos eu vim, por ordem de meu Pai, trazer a palavra de Deus aos homens de boa vontade.
Esta palavra foi esquecida pela maioria, e a incredulidade, o materialismo, vieram abafar o bom grão que eu tinha depositado sobre a vossa Terra .
Amigos aqui temos a grande verdade que pelo Evangelho nos diz que o Consolador é a Doutrina Espírita .........pois já no Sermão da Montanha Jesus nos diz ........ Vinde a Mim que Eu vos aliviarei ...........
Amigos com um grande abraço de muita paz este vosso amigo sincero
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 27 de Novembro de 2015, 10:39
Amigos e companheiros deste cantinho onde o estudo e debate se torna muito importante para entendermos um pouco esta linda Doutrina e o Seu Evangelho.... assim com muito carinho o meu bom dia sereno de muita paz e continuamos este debate ameno e sincero onde todos podem colocar as suas dúvidas..........“Mas o Consolador,  o Espírito Santo,  a quem o Pai enviará, em meu nome,  esse vos ensinará  todas as coisas  e vos fará lembrar de tudo o que vos  tenho dito.”   
Nada mais lógico do que a conclusão de que O Consolador  é A Doutrina Espírita que em todos os seus mecanismos lembra o que Jesus ensinou; esclarece as máximas do Cristo; consola e conforta os que sofrem.
O Espírito de Verdade  é  o condutor do processo  da Codificação; Kardec,  o instrumento do Alto para completar  a mensagem do Cristo. E sem sombra de dúvidas, a obra grandiosa e gigantesca de Francisco Cândido Xavier surge como o desdobramento da Codificação. Consolida os conceitos ali esposados e traz novas revelações para a sedimentação da fé raciocinada, “a única capaz de enfrentar a razão face a face, em todas as épocas da Humanidade.”
http://www.youtube.com/watch?v=nAh3LYI3vzk
Então que agora mais este video nos possa dar mais um pouquinho de entendimento a coragem onde sempre temos O Cristo Consolador que está sempre ao nosso lado para nos aliviar as dificuldades da vida.....
Amigos aqui temos a nossa confiança em Jesus e temos ter de ter muita força para vencermos as dificuldades.
Com um abraço carinhoso de muita esperança e sinceridade este vosso amigo de sempre
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 28 de Novembro de 2015, 11:04
[attach=1]
Amigos é com muito carinho que aqui neste estudo e debate venho dar o meu bom dia sincero e ao mesmo tempo fazer sentir que temos de manter a força e coragem para sentirmos que é com O Consoladora que nos ajuda em todos os moimentos da vida quando acreditamos neste bela Doutrina e nos ajuda a Amar e estudar cada vez mais.
Neste sentido é que este estudo nos dá muita coragem para continuarmos este nosso debate assim vos deito uma mensagem de coragem para não desanimarmos  nos momentos mais complicados da vida e termos sempre na Prece a Ajuda do Cristo este Consolador prometido que está sempre junto de cada um de nós ....
http://www.youtube.com/watch?v=8UZqegVoJbc
Amigos aqui temos este video na voz do Chico Xavier para nos dizer para sempre confiarmos no Consolador e não perdermos a Esperança que um dia vamos beneficiar desta ajuda em toda a sua plenitude ..........
Com um grande carinho de muita paz este vosso amigo
[attach=2]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 29 de Novembro de 2015, 11:27
Amigos e  companheiros deste cantinho de muita paz é com muito carinho que os saúdo com o meu bom dia sereno e venho neste momento mais uma vez dizer que a Doutrina Espírita é a Terceira Revelação e como tal o Consolador Prometido por Jesus há dois mil anos que disse que ia para Seu Pai e nos enviaria o Consolador que sempre estaria ao n osso lado .......
Desse modo, Kardec , reafirmando o que ele já havia dito em dado momento, relaciona o Consolador a uma doutrina soberanamente consoladora, qual seja, o Espiritismo, cujo inspirador foi o Espírito de Verdade.
Portanto, fica claro, para nós, que Kardec também separa um do outro, o que nos leva a concluir que o Espírito de Verdade não é o Consolador, o qual, ele mesmo, nessa sua fala acima, identifica como sendo o Espiritismo.
O que fica ainda mais nítido com estas suas duas outras falas:
Assim, o Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança.
 reconhece-se que o Espiritismo realiza todas as promessas do Cristo a respeito do Consolador anunciado.
Ora, como é o Espírito de Verdade quem preside ao grande movimento da regeneração, a promessa do seu advento se encontra realizada, porque, de fato, é ele o verdadeiro Consolador.
Caracteriza, portanto, o Espiritismo como sendo o Consolador prometido, ao qual lhe atribui a realização da promessa de Jesus quanto a seu envio, o que mostra claramente a separação que Kardec fazia entre Espírito de Verdade e o Consolador.
Amigos com um sincero abraço de muita paz este vosso amigo
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Antonio Renato em 29 de Novembro de 2015, 14:44
Meus irmãos de estudos bom dia. Para muitos, na sua maioria os céticos, pela sua maneira
de ser, não levam a crença de que seja o espiritismo o consolador prometido por Jesus, até
mesmo por seguidores da Doutrina Espirita encontramos alguns confrades que ainda têm
essa dúvida. Ora meus irmãos, consolar não significa tão somente amparar ou mesmo está
presente nas horas de dores e sofrimentos, mas, esclarecer do porque dessas dores e sofrimentos. Jesus na sua trajetória de vida material, experimentou dores e sofrimentos,
sejam físicos ou moral, mas não se deixou abater, pois tinha uma missão a cumprir, no
entanto, diferente de nós, não necessitava de um consolador, pois sendo então um
espírito da verdade, já sabia de tudo que iria acontecer. Assim eu penso.
Fiquem na paz.
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: M.Altino em 30 de Novembro de 2015, 10:34
Amigos e companheiros deste cantinho de muita serenidade e paz é com muita alegria e confiança que todos os nossos companheiros de caminhada e aos nossos visitantes que lhes desejo um dia de muita tranquilidade e tenham esta certeza quando temos sempre Jesus ao nosso lado tudo é mais fácil pois Jesus nunca faltou com o auxilio a quem lhe era pedido e nos deu uma confiança serena para vencermos todas as dificuldades da vida......embora muitas vezes pelo nosso Livre Arbítrio vamos pelo caminho errado.................então precisamos de fazer todos os dias uma Mudança Interior para podermos estar sempre com O Consolador que é Jesus no nosso coração........então é mesmo do coração que daqui onde estou agradeço sinceramente a todos os que nos visitaram e saborearam este nosso estudo e a quem nele Participou que foram muitos eu lhes agradeço com muita emoção o vosso contributo para nós todos e vos deixo esta mensagem de serenidade para sentirmos que é nesta Doutrina que encontramos respostas lúcidas e concretas sobre muitas coisas que agora estamos a compreender....
http://www.youtube.com/watch?v=O686R61hYSQ
Assim e com muito carinho dou as boas vindas ao nosso amigo Kazaoka que nos vai brindar com o próximo estudo e lhe desejo muita paz neste seu trabalho de ajuda a todos nós..
Com um sincero abraço de muita paz e carinho este vosso amigo sincero
[attach=1]
Manuel Altino
Título: Re: Estudo Mensal Capítulo VI O Cristo Consolador:
Enviado por: Kazaoka em 30 de Novembro de 2015, 14:04
Bom dia a todos!!! Bom dia Altino!
Agradeço pelo estudo de Novembro e pelos votos de sucesso no mês de estudos que estamos por iniciar. Mas lembro a todos, também, que o sucesso de um estudo está no efetivo alcance dos bons resultados que se almeja. E, neste caso, precisamos muito da ajuda da espiritualidade amiga e da contribuição moral dos Espíritos encarnados e desencarnados que se interessarem por este trabalho. Então, muito obrigado pelos votos de sucesso. Isso sem dispensar a sua presença e ajuda, bem como de todos os colaboradores e frequentadores do fórumespírita.net.