Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: Aline Alarcão Lemos em 05 de Fevereiro de 2014, 11:59

Título: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 05 de Fevereiro de 2014, 11:59



Discorreremos este mês sobre a Evangelização Espírita, uma ação altamente importante na seara de trabalho que nós espíritas possuímos. O objetivo do mesmo é justamente atentar à esta importância, e a importância de nós, conhecedores (um tanto limitados) desta Doutrina repleta de esclarecimentos sobre as verdades espirituais, estarmos ligados 24 horas por dia, na nossa função de Semeadores...
Semeadores das sementes destes esclarecimentos... Para as crianças (do Centro e de nossa família), para os jovens, para os adultos...
Estudo Mensal Evangelização Espírita (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUdYMGlZRDlZNTRvIw==)
Que possamos nos envolver com o estudo, lançando esclarecimentos, questionando, e acima de tudo absorvendo, de forma que possamos ao final deste mês, termos uma visão mais ampla sobre o assunto, e que passemos a ter uma postura de jardineiro, sempre plantando, regando e arrancando as pragas de nosso jardim, diariamente...
Um abraço grande a todos e vamos juntos!!!!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 05 de Fevereiro de 2014, 12:29
"Desde o fim do segundo milênio que tantas transformações trouxe à humanidade terrestre, e às portas de um novo ciclo evolutivo cujo alcance escapa às nossas mais arrojadas previsões, impõem-se alguns questionamentos.
Em que ritmo se desenvolverá o avanço da Ciência?
O progresso moral acompanhará este ritmo?
Se não acompanhar, como enfrentaremos tão perigoso descompasso?
O panorama atual da sociedade humana, embora reconhecido como de transição, não é nada tranquilizador pelas características de que se reveste.
A excessiva diversidade do pensamento que não encontra um fulcro onde se apoiar para traçar rumos e diretrizes que colaborem para a paz e a felicidade de todos, o imediatismo avassalador que impede uma visão de futuro mais ampla e o egoísmo cego que faz a criatura sentir-se o centro do Universo, limitando-lhe os horizontes, constituem circunstâncias negativas nas quais o Espírito se envolve e as quais deve superar."

Levando em conta a babel de conceitos, preconceitos, opiniões e diretrizes que constituem o pensamento moderno, em todas as áreas do saber humano... Convidamos os leitores à reflexão voltada diretamente às nossas crianças humanas do século XXI...
 
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Kazaoka em 05 de Fevereiro de 2014, 14:27
Bom dia Aline e a todos que se fizerem presentes neste estudo de Fevereiro. Desejo que  haja bastante interesse dos participantes não só no acompanhamento mas, também, e principalmente, opinando e dando pareceres que, com certeza, trarão enriquecimentos para o desenvolvimento de nossos conceitos sobre o tema proposto: Evangelização Espírita.

Allan Kardec em seu comentário sobre a Lei de Trabalho em OLE diz que os grandes problemas que afligem a humanidade têm suas origens na má educação dos indivíduos. E afirma, também, que não se trata daquela educação adquirida através dos livros ou nos bancos das academias de ensino. Mas daquela educação que é formada à partir da coleção de hábitos que adquirimos. E isso começa em casa, na família, cabendo aos pais ou responsáveis os primeiros passos dessa tarefa.

Quando trabalhamos com a evangelização de crianças estamos trabalhando de forma preventiva. Quando este trabalho é feito com adultos o que acontece na maioria dos casos é que passamos a trabalhar no sentido de estancar algo que já está corrompido. E só por isso nota=se o quanto devemos dar de importância à tarefa de evangelização de nossas crianças. E que essa tarefa começa com a aquisição de hábitos salutares no seio familiar desde o princípio da infância.

Os Espíritos que povoam a Terra são aqueles que um dia saíram daqui e que agora, voltando do plano espiritual, vêm estes mesmos Espíritos repovoá-la. Então, se queremos Espíritos melhores povoando nosso planeta, temos que mandarmos Espíritos melhorados à fonte que nos abastece. Se queremos melhorar moralmente a população terrena temos que, primeiro, povoar o plano espiritual com Espíritos já melhorados. E esse é o objetivo da Evangelização, tanto da Espírita como a de outras doutrinas e religiões. Enfim, é uma missão para todos; família, sociedade e religiões.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 05 de Fevereiro de 2014, 15:50

Os Espíritos que povoam a Terra são aqueles que um dia saíram daqui e que agora, voltando do plano espiritual, vêm estes mesmos Espíritos repovoá-la. Então, se queremos Espíritos melhores povoando nosso planeta, temos que mandarmos Espíritos melhorados à fonte que nos abastece. Se queremos melhorar moralmente a população terrena temos que, primeiro, povoar o plano espiritual com Espíritos já melhorados. E esse é o objetivo da Evangelização, tanto da Espírita como a de outras doutrinas e religiões. Enfim, é uma missão para todos; família, sociedade e religiões.

Olá Kazaoka... Seja muito bem vindo ao nosso estudo...
E que colocação oportuna heim rapaz??!! Eu saliento de que devemos lembrarmos sempre de que deveremos 'prestar contas' a cerca do que fizemos com os filhos que nos foram dados... E que devemos priorizar SIM a vida e os valores espirituais de nossas crianças, sejam elas nossos filhos, sejam nossos irmãos em Cristo.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Antonio Renato em 05 de Fevereiro de 2014, 17:20
Minha querida irmã Aline , meu irmão Kazaoka e demais irmãos que com certeza irão participar deste tema tão importante,vejamos bem.A leis divinas colocadas por Deus     para todos nós,e que no exercício delas pudessemos melhor evoluir,dentre elas a lei   
do trabalho,faz-no pensar e atentar para esta responsabilidade,pois quando falamos
evangelização evidenciamos esta lei.Vivemos neste mundo em um momento de transi-
-ção,e se faz necessário como espiritas,de estarmos mais bem preparados,e preparar
também aqueles menos esclarecidos.Quando dizemos menos esclarecido não significa
que estes não tenham nenhum conhecimento,pois os espíritos que estão retornando
a esta nossa orbe,já trazem em sua bagagem conhecimentos de outras encarnações,
faltando-lhes apenas quem os orientem melhor,é o caso da evangelização infantil.Eis
aí o nosso desafio e a nossa missão.Com o nosso fortalecimento através da Doutrina Espirita,estaremos mais bem preparados para tal.
Fiquem na paz e bons estudos para todos.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 05 de Fevereiro de 2014, 18:03
Olá

Gostaria de saber se o tema do tópico
é
Evangelização Espírita
ou
Evangelização Espírita Infantil ?

Pois se for Infantil
deveria ser acrescentado no titulo do tópico
para direcionar melhor o tema...

Abraços
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 05 de Fevereiro de 2014, 18:15
Olá caro amigo Antônio Renato, seja muito bem vindo a este estudo e permaneça conosco!!!!
É exatamente isso Antônio, achamos que por serem intelectualmente perspicazes, nossas crianças, esquecemos de que a condição moral deles necessita de cuidado. Justamente porque um ser humano extremamente inteligente, porém sem valores morais pode fazer um estrago social extremo...
Abraço fraterno!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: macili em 05 de Fevereiro de 2014, 18:28
Olá Amiga Aline e demais Amigos...

Parabéns pela escolha do tema, tão importante principalmente nos dias atuais.

Unamo-nos em prol da educação e da evangelização de nossos irmãos, mesmo que de forma tão diminuta, plantando sementes mas que se cultivadas e regadas em solo fértil certamente darão bons frutos.

Abraços a todos e bom estudo...
Macili

***

Pensamento de Amélia Rodrigues

"Quando você ensina, transmite.
Quando você educa, disciplina.
Mas, quando você evangeliza, salva."


***


A primeira escola espírita no Brasil


Escola Espírita: A Escola que Educa (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PVFyVFpWNWpkUWU4Iw==)


***

Evangelização Infantil

A Evangelização é uma tarefa espiritual de grande envergadura, que visa não só beneficiar a geração presente, mas tem perspectiva muito mais ampla: É uma preparação para a vinda de Espíritos que deverão erguer, no futuro, a bandeira do amor do Cristo em toda a parte.

A criança é o Espírito eterno que ora reinicia a sua aprendizagem no mundo, trazendo consigo ao renascer uma bagagem de experiências multimilenares, mas carregando também o germe de seu aperfeiçoamento.

Seu objetivo na Terra: evoluir, desenvolver sua potencialidade interior, compreender a si mesma e ao mundo que a cerca, corrigir os erros cometidos no passado, superar os próprios defeitos, desenvolvendo assim, gradativamente, o germe da perfeição que carrega em si, como herança Divina.

A Espiritualidade tem ressaltado frequentemente a importância da Evangelização Infantil, neste amplo e abrangente processo de evangelização da Humanidade, na obtenção da harmonia e equilíbrio do Ser.


Bezerra de Menezes (Espírito)

Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 05 de Fevereiro de 2014, 18:31
Olá Moisés... Seja muito bem vindo ao nosso estudo e continue conosco, para somarmos....

Então, considerando-se a infância dividida em fases...
Considerando-se que o Espírito dos habitantes da Terra são já bem vividos, independente da idade física...
E por fim considerando que somos eternos aprendizes dos assuntos evangélicos, até atingirmos a perfeição, ora tão distante...

Creio que se focarmos e mudarmos o nome do tema para 'Evangelização Espírita Infantil", perderíamos a chance de tocar nos assuntos da juventude também. E se nos colocarmos na posição de 'semeadores', como estudiosos da boa nova, independente da idade física da pessoa que nos cerca, estaremos agindo, em todos os lugares... E é isso que nosso Pai Celeste espera de nós, trabalhadores da última hora não é mesmo?!  ;)
Abraço fraterno e tenha uma abençoada semana!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: lconforjr em 05 de Fevereiro de 2014, 20:01
      Amigos,

      Aline « ref #6 em: 050214 às 18:15 »

      A DE aconselha a todos terem uma "fé raciocinada".

      Nosso amigo, o moderador Kazaoka espera que todos participem.

      Assim, pergunto: posso já trazer uma questão?

      A amiga Aline a provocou ao dizer: "Justamente porque um ser humano extremamente inteligente, porém sem valores morais pode fazer um estrago social extremo".

      É evidente que todos necessitam de uma evangelização profunda; e há quem por ela se interesse e há quem dela zombe, devido a ainda não ter percebido que com a evangelização mundo pode se tornar melhor. É ela, certamente, que pode contribuir para que muitos assimilem a necessidade de desenvolver seus valores morais. (como fazer isso, deve ser tema para outros tópicos).

      A pergunta é esta: qual é causa que tem como efeito haver seres humanos destituídos de qualquer valor moral? O que é que os faz assim? A evangelização poderá corrigi-los?

................
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 05 de Fevereiro de 2014, 21:36
"Educai a criança e não será preciso punir o adulto".
Não lembro quem disse isso, mas concordo.
A base da educação se dá nos primeiros anos, e é feita com aquilo que os educadores possuem de valores.
Por educadores devemos ter em mente primeiramente a família. É na família que as coisas começam, e é ali que o fator mais importante da educação e do aprendizado se faz presente: o exemplo.
Para ensinar, basta saber, mas para educar, é preciso ser.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 05 de Fevereiro de 2014, 22:19
Olá Moisés... Seja muito bem vindo ao nosso estudo e continue conosco, para somarmos....

Então, considerando-se a infância dividida em fases...
Considerando-se que o Espírito dos habitantes da Terra são já bem vividos, independente da idade física...
E por fim considerando que somos eternos aprendizes dos assuntos evangélicos, até atingirmos a perfeição, ora tão distante...

Creio que se focarmos e mudarmos o nome do tema para 'Evangelização Espírita Infantil", perderíamos a chance de tocar nos assuntos da juventude também. E se nos colocarmos na posição de 'semeadores', como estudiosos da boa nova, independente da idade física da pessoa que nos cerca, estaremos agindo, em todos os lugares... E é isso que nosso Pai Celeste espera de nós, trabalhadores da última hora não é mesmo?!  ;)
Abraço fraterno e tenha uma abençoada semana!!!


Obrigado Aline

Valeu!

Vou me esforçar
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Brenno Stoklos em 06 de Fevereiro de 2014, 04:21
"Educai a criança e não será preciso punir o adulto".
Não lembro quem disse isso, mas concordo.
A base da educação se dá nos primeiros anos, e é feita com aquilo que os educadores possuem de valores.
Por educadores devemos ter em mente primeiramente a família. É na família que as coisas começam, e é ali que o fator mais importante da educação e do aprendizado se faz presente: o exemplo.
Para ensinar, basta saber, mas para educar, é preciso ser.


A frase, amigo Gustavo,

Aliás muito bem lembrada, é atribuída à Pitágoras.

Cabe, aqui, uma outra frase atribuída ao mesmo:

"Purifica o teu coração antes de permitires que o amor entre nele, pois até o mel mais doce azeda num recipiente sujo".
 
                                                                                  Pitágoras


Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 06 de Fevereiro de 2014, 09:41
     
      A pergunta é esta: qual é causa que tem como efeito haver seres humanos destituídos de qualquer valor moral? O que é que os faz assim? A evangelização poderá corrigi-los?

................

Olá Lconforjr, seja muito bem vindo ao nosso estudo, permaneça conosco!
A DE nos explica que Deus criou o espírito simples e ignorante e que a cada encarnação, este espírito vai adquirindo conhecimento o que gradativamente, com o passar das encarnações o faz evoluir. Quando adquire o raciocínio lógico, o lívre-arbítrio e passa a partir de então a chamar-se Espírito, com a letra E maiúscula, o ser prossegue com  o seu desenvolvimento ascendente, de forma que, agora, em virtude do livre arbítrio, pode ser cobrado por sua moralidade. O Espírito atinge sua perfeição (o q está longe de nós aqui ainda) quando desenvolve todo o seu potencial moral (sem qualquer paixão, maldade ou sentimento de natureza inferior) concomitante ao seu desenvolvimento intelectual.

Bom, Espíritos milenares que somos, encarnados em um planeta de provas e expiações (em transição para um mundo de regeneração), estamos aqui, para desenvolvermos nossos potenciais, intelectuais e morais. Na escala evolutiva dos mundos, estamos no segundo de baixo para cima, na frente somente dos mundos primitivos, então meu amigo, acho que já deu para você concluir de onde saem estes seres ainda tão distantes dos valores morais, né?  ;)  O que os faz assim, é o fato de ainda não terem se atentado às verdades espirituais mostradas a nós por Cristo, um dia a hora deles chegará. E o ponto chave da Evangelização é justamente este, apresentar Jesus com toda a sua magnitude de Espírito Puro a quem queira conhecê-lo.
A Gênese trás em seu último capítulo um texto fantástico sobre a nova geração, que aliás sugiro a leitura por todos, e os Espíritos altamente instruídos intelectualmente estão encarnando para trabalhar no mundo de Regeneração, porém lá fica claro que são propensos ao bem, e que necessitam de um direcionamento neste sentido, logo a Evangelização entra justamente aí...
Espero ter colaborado...
Mas se restar dúvidas ainda neste sentido, sugiro a leitura do Livro dos Espíritos, na parte que fala da escala de progressão dos Espíritos e dos mundos... ( questão 100 para frente...)

Abraços fraternos e tenha uma quinta feira abençoada!!!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 06 de Fevereiro de 2014, 09:56
"Educai a criança e não será preciso punir o adulto".
Não lembro quem disse isso, mas concordo.
A base da educação se dá nos primeiros anos, e é feita com aquilo que os educadores possuem de valores.
Por educadores devemos ter em mente primeiramente a família. É na família que as coisas começam, e é ali que o fator mais importante da educação e do aprendizado se faz presente: o exemplo.
Para ensinar, basta saber, mas para educar, é preciso ser.

Oi Gustavo, seja muito bem vindo às nossas reflexões deste estudo, permaneça conosco!!!
É aquilo que falamos em outro tópico outro dia, é muito válido, mas não basta nós pais espíritas levarmos nossas crianças e adolescentes às evangelizações e obrigá-los, se na maioria dos casos, em casa não praticamos os ensinamentos da Doutrina na parte de vivência cotidiana principalmente... Palavras convencem, mas os exemplos arrastam! É isso, e para finalizar, Provérbios 22: 6 - "Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele" !!!

Abraço fraterno, tenha uma quinta feira iluminada!!!!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 06 de Fevereiro de 2014, 10:14
Oi Brenno Stoklos, seja bem vindo ao nosso estudo, permaneça conosco e colabore sempre...
Abraço fraterno e tenha uma quinta feira abençoada!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 06 de Fevereiro de 2014, 10:40
Boooomm Diiiiaa!!!!!! Meus queridos amigos e irmãos deste Fórum abençoado!!!

"Do ponto de vista espírita, a educação não começa no berço e nem termina no túmulo, mas antecede ao nascimento e sucede à morte do corpo físico.
É a ação constante, ininterrupta, que ajuda a modificar os seres, auxiliando-os na escalada evolutiva, rumo à perfeição, na esteira infinita do tempo.
Aquele que se educa tem pela frente tempo suficiente para atingir o ideal da educação à luz do Espiritismo. Persegue objetivos de longo curso. Põe em ação todo o seu potencial com vistas ao alcance dos mais puros ideais de vida. Sabe aonde vai... E quem sabe para onde se encaminha, por certo, dará passos mais seguros e contornará muitos obstáculos.

As noções de imortalidade, de progresso contínuo, de livre-arbítrio, de lei de causa e efeito e de vidas sucessivas, mediante a reencarnação, nas quais se deve fundamentar a filosofia da educação que o Espiritismo revela, terão forças capazes de educar, por oferecer uma argumentação muito forte em favor da necessidade do progresso espiritual e por conter uma motivação, igualmente vigorosa, para a busca desse progresso."

# Macili minha flor linda, agradeço pela participação e vídeo... Ótima colaboração, e agradeço também minha camélia do Jardim do Fórum   :-* :-* :-*!!!

# Amigos tenhamos uma quinta feira de muita absorção de conhecimentos!!!!!! Abençoada por Deus!!!! Abraços fraternos a todos!!!!   
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 06 de Fevereiro de 2014, 10:43
"Educai a criança e não será preciso punir o adulto".
Não lembro quem disse isso, mas concordo.
A base da educação se dá nos primeiros anos, e é feita com aquilo que os educadores possuem de valores.
Por educadores devemos ter em mente primeiramente a família. É na família que as coisas começam, e é ali que o fator mais importante da educação e do aprendizado se faz presente: o exemplo.
Para ensinar, basta saber, mas para educar, é preciso ser.


A frase, amigo Gustavo,

Aliás muito bem lembrada, é atribuída à Pitágoras.

Cabe, aqui, uma outra frase atribuída ao mesmo:

"Purifica o teu coração antes de permitires que o amor entre nele, pois até o mel mais doce azeda num recipiente sujo".
 
                                                                                  Pitágoras
Outra frase verdadeira...
Mas acho que é importante uma reflexão nesse assunto e nesse estudo.
Ambas as citações, corretas e profundas, nos remetem a um entendimento de educação, não apenas de ensinamento.
Ja postei aqui, não sei em qual tópico, que para ensinar, basta saber, mas para educar é preciso ser.
E quando falamos em educação, em formar crianças e jovens evangelizados, melhores, por mais que entenda e defenda a importancia do ensino, o primordial é a educação.
Ensino da conhecimento, mas somente a educação nos da a base moral para bem utilizar o conhecimento.
E é ai que vejo a importância da DE, da evangelização, não apenas de crianças e adolescentes, mas de adultos tambem.
O conhecimento é importante, mas a educação, o entemento moral, nos dias de hoje, é o que faz, ou pode fazer a diferença.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Ramon em 06 de Fevereiro de 2014, 11:39
Kardequizar ...
O primeiro ato de domínio (materialista) exige que o dominado esqueça o seu nome, perca a memória do seu passado, não mais se lembre de sua dignidade. Sem a educação do caráter nos primeiros anos ficará difícil trabalhar depois valores ético-morais na universidade. Na universidade o materialismo está tão difundido que a discussão calorosa sobre criacionismo e evolucionismo consegue transformar alunos “religiosos” em materialistas. Não basta a “evangelização”, ela terá que ser espírita (verdadeira). Fé inabalável é somente aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da humanidade. Muitos alunos não desenvolveram valores (espirituais) no período infantil, o que torna o trabalho universitário, nesse sentido, pouco atraente. Há que se trabalhar a "Inteligência Espiritual" (QS) já no período infantil.
http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/para-a-nossa-cura/msg348276/?topicseen#msg348276
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Edna☼ em 06 de Fevereiro de 2014, 12:02
Olá Aline e demais membros,

O assunto é de fundamental importância.

A evangelização infanto-juvenil é um caminho que leva a criança e o jovem ao conhecimento da moral tão importante para formação do adulto consciente, responsável, saudável, amoroso, justo e fraterno, uma vez que, obtém diretrizes para compreender e melhorar a si mesmo e ao mundo!

Bons estudos a todos!

Abraços fraternais,

Edna ;)
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Edna☼ em 06 de Fevereiro de 2014, 15:40
A grande missão dos pais

Citar
Compreendei que, quando gerais um corpo, a alma que se encarna vem do espaço para progredir. Tomai conhecimento dos vossos deveres, e ponde todo o vosso amor em aproximar essa alma de Deus: é essa a missão que vos está confiada e da qual recebereis a recompensa, se a cumprirdes fielmente. Vossos cuidados, a educação que lhe derdes, auxiliarão o seu aperfeiçoamento e a sua felicidade futura.”


Santo Agostinho
Paris, 1862




Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 06 de Fevereiro de 2014, 16:18
Kardequizar ...
O primeiro ato de domínio (materialista) exige que o dominado esqueça o seu nome, perca a memória do seu passado, não mais se lembre de sua dignidade. Sem a educação do caráter nos primeiros anos ficará difícil trabalhar depois valores ético-morais na universidade. Na universidade o materialismo está tão difundido que a discussão calorosa sobre criacionismo e evolucionismo consegue transformar alunos “religiosos” em materialistas. Não basta a “evangelização”, ela terá que ser espírita (verdadeira). Fé inabalável é somente aquela que pode encarar a razão face a face, em todas as épocas da humanidade. Muitos alunos não desenvolveram valores (espirituais) no período infantil, o que torna o trabalho universitário, nesse sentido, pouco atraente. Há que se trabalhar a "Inteligência Espiritual" (QS) já no período infantil.
http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/para-a-nossa-cura/msg348276/?topicseen#msg348276

Olá Ramon, seja muito bem vindo ao nosso estudo, sinta-se a vontade para somar conosco seus conhecimentos...
É por estas e outras Ramon que nosso saudoso codificador Kardec deixou o famoso "Amai-vos e Instruí-vos", porque na realidade, muitos companheiros nossos se esquivam da disciplina de um grupo de estudos, não se munindo adequadamente para convencer nossas crianças e nossos jovens a cerca desta doutrina tão importante. Estamos lidando com seres altamente instruídos e que não é qualquer blá, blá, blá que convence. Devemos estudar diariamente, conhecedores que somos de que não sabemos quase nada, e que o pouco que sabemos temos dificuldade de colocar em prática diariamente.
Mas a idéia é essa, aqui em nosso grupo só pode ir para a função de Evangelizador quem estiver integrado e assíduo em algum grupo de estudo, é chato às vezes ter que cobrar isso em reuniões mensais que fazemos, porém é bem mais efetivo a aplicação dos conteúdos e os resultados nas crianças e nos jovens...
Dos males o menor, já devemos render graças ao Pai que os Espíritas em geral já se atentaram à seriedade da questão, agora é só uma questão de pouco tempo...
Abraço fraterno e tenha uma tarde abençoada!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: lconforjr em 06 de Fevereiro de 2014, 16:22
Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita

      Amigos,        (ref msg "13, da Aline, de 060214, às 09:41 »

      Conf (msg anterior): Qual é causa que tem como efeito haver seres humanos sem qualquer valor moral? O que é que os faz assim? A evangelização poderá corrigi-los?
...
      Conf: agradeço à amiga Aline pela excelente colaboração. Apenas me permitam, ela e os amigos, completar meu raciocínio com algumas outras perguntas, sempre baseado no que a doutrina diz, e no que Aline disse nessa sua última msg. Como recomenda a DE, devemos  ter uma “fé raciocinada”! Vamos lá:

      - nós, espíritos, somos criados “simples e ignorantes”;

      - vimos à matéria para “gradativamente adquirir conhecimento e evoluir”, aprendizado que pode “se estender por multiplicadas encarnações e por milhões de anos”, tanto que, como lembra a amiga, “a perfeição está longe de nós ainda”, certo?

      - Nessas encarnações “desenvolvemos todo o nosso potencial moral e, ao mesmo tempo, o intelectual”;

      - Como estamos ainda “só um degrau acima dos mundos primitivos,  podemos concluir que aí está o motivo da existência de seres ainda tão distantes dos valores morais”

      - O que nos faz assim “é o fato de ainda não termos atentado para as verdades espirituais mostradas a nós por Cristo, um dia a nossa hora chegará”. 

     A Aline também lembra que, como ensina a DE, fica claro que todos somos propensos ao bem, e que necessitamos de um direcionamento neste sentido, pois sozinhos não somos capazes de seguir o caminho do bem; e que é aí que entra a Evangelização...

      De tudo isso que está acima (como eu disse, sempre baseado nas palavras da doutrina e nas da amiga Aline), lhes trago a pergunta: qual é a causa de haver seres humanos sem valores morais? E, ainda, onde estão aí as transgressões às leis de Deus que são, conforme a DE, a justificativa para a imposição das terríveis, torturantes, desesperadoras conseqüências da terrível e divina lei de causa e efeito?

      Pois, conforme a doutrina e, em face de uma perfeita justiça divina, todos os nossos sofrimentos são sempre “merecidos” e “justos”! No entanto, pelo que vemos, tão bem explicado pela amiga, e sempre de acordo com a doutrina, nós espíritos estamos ainda aprendendo; o aprendizado é difícil , aprendizado que é gradativo e dificultado pela ignorância com que somos criados; estamos muito longe, ainda, da perfeição, e que daí é que saem esses seres, como muitos de nós, ainda tão distantes dos valores morais etc!

      Então, renovo a pergunta: se é perfeitamente natural e compreensível que existam seres humanos sem qualquer valor moral, qual é a causa de sofrerem se não os possuírem? Ou melhor ainda: "qual é a causa dos sofrimentos dos homens?"

      Todos os nossos erros são devidos ao nível evolutivo em que estamos, ou estou enganado? Sendo assim, onde está a culpa ou responsabilidade dos homens por sofrerem devido a ainda não possuírem valores morais? Não é isso que está na msg da Aline, que está de pleno acordo com o que ensina a doutrina?!

      Qual é a causa dos sofrimentos dos homens?
...
      Também, para a amiga, para os amigos e os seus queridos mando abraços fraternos e desejo que todos tenham uma ótima quinta feira.

...............
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 06 de Fevereiro de 2014, 17:07
Qual é a causa dos sofrimentos dos homens?

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/estudos-mensais/estudo-fevereiro-evangelizacao-espirita/15/#ixzz2sYsec3id

Os nossos sofrimentos são consequência de ações nossas, não é de hoje que Deus é Deus, e que homem é homem, nossa natureza animalesca ainda ruge dentro de nós, basta algo nos atingir diretamente, e se não a frearmos com os conceitos Crísticos, prosseguiremos agindo de forma errônea e sofrendo as consequencias destas ações. Somos criaturas fadadas à evolução e se não vamos, se paramos e não agimos da maneira adequada, não há mais ninguém a culpar do que a nós mesmos através de nossas fraquezas.
Por isso devemos esclarecer nossos jovens e crianças, para que não semeiem errado e tenham que colher depois os frutos de uma semeadura infeliz...
Caro lconforjr, não são minhas as palavras, é o que está em minha cabeça de conceitos adquiridos nas bases da DE, ninguém é detentor da verdade a não ser o próprio Cristo, e quanto mais nos colocarmos na postura de vítima perante nossos sofrimentos, mais deixamos de nos preocupar com as pessoas que estão do nosso lado e deixamos de praticar os preceitos ensinados por Ele e reforçados pela DE...

Muita paz nesta tarde!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Antonio Renato em 06 de Fevereiro de 2014, 17:19
Meus irmãos.É muito comum  se ouvir dizer em reuniões diversas,a respeito das dificul-
-dades de se educar uma criança no mundo de hoje,em vista das facilidades nos meios
de comunicação em que eles têm acesso,seja através da televisão,do celular,ou do computador.Todas essas ferramentas tiram dos resposáveis direto,os pais,um pouco da sua autoridade sobre esses filhos,pois o que deveria ser uma ferramenta  de auxílio
torna-se uma arma contra esses pais.As crianças de hoje têm um comportamento bem
 diferente das de 40 anos antes,só para situar,poderia se dizer até que elas são mais inteligentes,pela maneira rápida em que elas absolvem os ensinamentos.Entretanto se por um lado é bom,por outro irá dificultar a quem for evangeliza-las e aceitarem um doutrina a seguir.Todos esses adventos do mundo moderno,dá aos jovens,sejam elas crianças ou adolecentes,uma sensassão de liberdade,e elas não querem abrir mão disto,
daí vem as dificuldades dos educadores e dos evangelizadores,Assim eu penso.
Fiquem na paz.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 06 de Fevereiro de 2014, 17:58
"A Evangelização Espírita, que põe em ação os ideais educativos do Espiritismo, cumpre sua missão quando procura promover a integração do educando consigo mesmo, com o próximo e com Deus, e quando lhe proporciona o conhecimento da lei natural que rege o Universo, bem como o da natureza, origem e destino dos Espíritos e de suas relações com o mundo corporal.
E desdobrando esses objetivos gerais de longo prazo em objetivos específicos, atingíveis a médio e curto prazos, a evangelização espírita infanto-juvenil vai seguindo sua trajetória, oferecendo às mentes infantis e juvenis os recursos de uma eficiente educação, porque embasada na filosofia espírita, que considera o educando durante, antes e depois da experiência corpórea, e lhe aponta sólidos motivos para desejar a realização da maior cota possível de progresso, dentro das oportunidades que lhe são oferecidas por Deus na trajetória terrena."

Do livro: Pelos Caminhos da Evangelização - Cecília Rocha
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 06 de Fevereiro de 2014, 18:28
Antônio, na verdade, trabalho (profissionalmente) em um colégio, e vejo que os pais é que proporcionam essas facilidades do mundo moderno aos seus filhos como subterfúgios, para desviar a atenção deles, como mecanismos de compensação. Sem querer sem invasiva, mas qual a necessidade disso para nossas crianças? O mundo tecnológico, é um mundo ingrato, onde tudo que se faz foge totalmente ao nosso controle, e os pais não exercem a função de disciplinar (ação esta prevista pelo Estatuto da Criança inclusive) para evitar essa liberdade precoce.

Os pais de uma maneira geral não estão preparados para assumir uma tarefa tão sublime e importante, e na maioria das vezes, mete os pés pelas mãos, e ainda colocam a culpa na juventude, esquecendo-se de a responsabilidade total dos filhos que ofertamos ao mundo é nossa enquanto pais e que se, somente se, fizermos tudo, absolutamente tudo o que estiver em nosso alcance para edificar moralmente falando este Espírito, e ainda assim, falharmos... Fizemos o que tinha de ser feito, e todos sem excessão serão analisados segundo as suas obras...
Abração irmão!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: lconforjr em 06 de Fevereiro de 2014, 19:39
Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita

      Aline  « ref #23 em: 060214, às 17:07 »

      Conf (msg ant): Qual é a causa dos sofrimentos dos homens?

      Aline respondeu: Os nossos sofrimentos são conseqüência de ações nossas... nossa natureza animalesca ainda ruge dentro de nós, basta algo nos atingir diretamente, e se não a frearmos com os conceitos Crísticos, prosseguiremos agindo de forma errônea e sofrendo as conseqüências destas ações.

      Conf: como manda a doutrina e, sem dúvida, todos os que são sensatos, vamos raciocinar para tentar compreender. Veja o que vc disse e que está na msg anterior, tudo perfeitamente de conformidade com o que ensina a doutrina, certo? Veja, também, o que vc está dizendo nessa sua última msg e o que vamos dizer nesta.

      Na sua última msg:

      - vc disse:... que nossa natureza animalesca ainda ruge dentro de nós...

      E lhe pergunto: cabe-nos responsabilidade pelo fato de nossa natureza ser ainda animalesca? De onde nos vem essa natureza? Nós mesmos a trouxemos para nós? Onde está, aí, a transgressão à lei de Deus?

      - vc diz:... basta algo nos atingir diretamente e, se não nos frearmos, vamos continuar agindo de forma errônea e sofrendo as conseqüências destas ações...

      E, de novo, lhe pergunto: e isso, não é causado pela natureza animalesca, da qual não nos cabe culpa ou responsabilidade por tê-la?

      Na msg anterior dissemos, a doutrina, vc e eu, isso que vai resumido abaixo:

      - criados “simples e ignorantes”; somente, aos poucos, adquirimos conhecimento, pois essa aquisição é difícil e dificultada devido a nossa natural ignorância, natural pois vinda de como Deus nos fez; tão difícil que pode “se estender por multiplicadas encarnações e por milhões de anos”; “a perfeição está longe de nós ainda”, estamos “só um degrau acima dos mundos primitivos, motivo do fato de existirem muitos sem valores morais; não atentamos, ainda, para as verdades espirituais.... 

      Percebeu, minha amiga, a que conclusões nos leva tudo isso que constatamos ser verdade, nessas nossas msgs? Percebeu que nossas ações erradas são causadas pelo fato de sermos assim como somos, não por nossa vontade de ser, mas devido a todas aqueles fatos citados acima?!

      Assim, onde estão as justificativas para nossos sofrimentos, devido a ações erradas que praticamos, se todas elas provêm dos fatos que vimos acima? Se, conforme a doutrina, todos os sofrimentos são aplicados com perfeita justiça e só merecem sofrer aqueles que transgridem as leis divinas? As ações erradas que praticamos devido aos fatos que vimos acima, são transgressões nossas à lei de Deus?!
 

..........
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Vinícius Costa em 06 de Fevereiro de 2014, 20:39
Boa tarde a todos...Herculano Pires trata com muita propriedade e sabedoria sobre o tema tratado no seu livro Pedagogia Espirita, do qual retiro essa parte abaixo:

"Descuidar da educação espírita dos filhos é negar-lhes a verdade. O maior patrimônio que os pais podem legar aos filhos é o conhecimento de uma doutrina que vai garantir-lhes a tranqüilidade e a orientação certa no futuro. Os pais que temem dar educação espírita às crianças não têm uma noção exata do Espiritismo e por isso mesmo não confiam no valor da doutrina que esposam.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 07 de Fevereiro de 2014, 09:27
Oi Edna... Seja muito bem vinda a este estudo, desculpe-me pela demora em respondê-la  ;D e permaneça conosco, colaborando sempre...
Santo Agostinho faz uma referência a esta importância de sermos pais e mães, pois hoje como é de conhecimento de todos a grande maioria das pessoas assumem este papel e tentam levar de qualquer jeito e os frutos desta ação não são nada bons...
Os esforços que empregamos na educação moral das crianças, sejam elas nossas ou não, renderão frutos positivos sempre, um dia esta sementinha plantada eclode e desabrocha... Trabalhemos!!!!!!
Abraço e bom final de semana!!!!! :-*

Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Antonio Renato em 07 de Fevereiro de 2014, 12:03
Minha querida irmã Aline,há de se concordar com você quando diz que a maioria dos pais não
estão preparados para esta grande tarefa que Deus colocou em suas mãos,que é cuidar bem
dos seus filhos e prepara-los para que possam caminhar sozinhos.Na verdade minha irmã,em
tempo algum,nunca estiveram,e neste nosso mundo atual modernizado pelas tecnogias cria-
-das para facilitar e dá melhor qualidade de vida às pessoas,as coisas se complicaram mais
ainda,pois essas facilidades se voltam contra os pais,vejamos então:Em uma sociedade mo-
-derna o casal para uma melhor qualidade de vida buscam os dois,atividades de trabalho,po-
-is em outros tempo era só tarefa do homem ser o mantedor,hoje não mais,por outro lado a
mulher conquistou o seu espaço se qualificando e se especializando para o mercado de tra-
-balho,tendo assim as mesmas oportunidades que o homem.Para que a família tenha acesso
as facilidades do mundo moderno, em geral os dois trabalham,dão aos filhos para que eles
tenham ocupação e ao mesmo tempo venha compensar pela ausência dos dois,esses objetos,
cabendo em muitas das vezes,por iniciativa própria,aos professores como é o seu caso.a tare-
-fa de educar,gerando assim uma inversão de responsabilidades,pois a educação é obrigação
dos pais,aos mestres compete complementar com ensinamentos.Assim eu penso.
Fique na paz. 
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Renato.Oliv em 07 de Fevereiro de 2014, 12:17
Olá Aline e amigos!

Tema muito importante. Evangelizar é aplicar os ensinamentos da Boa Nova, manual de construção do Reino de Deus em nossos corações. Jesus foi o maior evangelizador, edificando almas e trazendo esperança aos corações.
O evangelizador sempre deve buscar se evangelizar antes de querer evangelizar os outros, isso é fundamental. Vigiar, orar, trabalhar no bem, lutar contras as próprias imperfeições.
Exemplificar é o melhor caminho para ensinar.
Amar ao próximo como a si mesmo. Sem amor = sem construção de luz nos corações.
A humildade, também deve sempre ser lembrada, pois evangelizar jamais será colocar um muro, separando evangelizador dos evangelizandos. Sorrir com os evangelizandos, aprender junto com eles, trocar experiências, tudo com equilíbrio e discernimento.
A presunção intelectual infelizmente ainda é muito comum, enraizada na vaidade, só traz problemas. Um evangelizador deve lutar contra todo o orgulho e investir sempre na humildade.

Abraço fraterno!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 07 de Fevereiro de 2014, 12:28
Claro Antônio...
Só faltou a sua conclusão, pois a argumentação está perfeita.
Alguns questionamentos para nossa reflexão:
- O que está mais importante hoje, o TER ou o SER? Lembrando que estamos tratando de seres espirituais.

- O que é necessário para um desenvolvimento saudável de uma criança?

- Até que ponto devemos facilitar o acesso de nossos filhos às novidades tecnológicas? Isso é realmente necessário?

# Há de se priorizar o Equilíbrio em qualquer ação humana. Seja no trabalho, seja no uso de qualquer coisa inclusive da tecnologia, e isso cai como uma luva para nós adultos...

Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 07 de Fevereiro de 2014, 13:00
Olá Aline e amigos!

Tema muito importante. Evangelizar é aplicar os ensinamentos da Boa Nova, manual de construção do Reino de Deus em nossos corações. Jesus foi o maior evangelizador, edificando almas e trazendo esperança aos corações.
O evangelizador sempre deve buscar se evangelizar antes de querer evangelizar os outros, isso é fundamental. Vigiar, orar, trabalhar no bem, lutar contras as próprias imperfeições.
Exemplificar é o melhor caminho para ensinar.
Amar ao próximo como a si mesmo. Sem amor = sem construção de luz nos corações.
A humildade, também deve sempre ser lembrada, pois evangelizar jamais será colocar um muro, separando evangelizador dos evangelizandos. Sorrir com os evangelizandos, aprender junto com eles, trocar experiências, tudo com equilíbrio e discernimento.
A presunção intelectual infelizmente ainda é muito comum, enraizada na vaidade, só traz problemas. Um evangelizador deve lutar contra todo o orgulho e investir sempre na humildade.

Abraço fraterno!

Olá Renato, seja bem vindo e prossiga conosco...
Colocação importante a sua, pois ressalta justamente um ponto já abordado em outro post, que nos remete a este ponto que vc tocou da humildade.
Não se poderá ofertar a ninguém o que não se possui, justamente pelo fato de que palavras convencem, mas o exemplo... O exemplo é fundamental.
Com o passar do tempo há pessoas, infelizmente, dentro da DE que acham que não precisam mais estudar, ou assumir o caráter essencialmente progressista da doutrina, o que gera este bloqueio para certas coisas, tipo frequentar os estudos, trabalhar...
E é lamentável ver que  muitos companheiros de Doutrina consideram o trabalho da Evangelização semelhante ao trabalho de uma babá em nossa casa...  Atitude que por si só já demonstra a ausência de estudos sérios...
O Evangelizador deve antes de qualquer coisa interiorizar que está lidando com seres únicos, inteligentes, Espíritos milenares, mas que ora está apto a receber novos conceitos morais, e se preparar para tal tarefa, afinal de contas, este trabalhador, como qualquer outro na Seara do Pai é muito importante e deve acima de tudo se comportar como uma criatura, que luta diariamente para servir ao seu Criador.

Abraço fraterno Renato, tenha um abençoado fim de semana e siga conosco!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Kazaoka em 07 de Fevereiro de 2014, 14:16
Não concordo muito com as afirmativas contundentes de que os pais são culpados pelos desregramentos que vemos hoje. O que há é uma carga de responsabilidade que deve ser distribuída equitativamente entre os segmentos da sociedade. O modelo atual sugestiona que o indivíduo seja bem preparado em todos os sentidos pois isso lhe proporcionará maiores chances de sucessos no futuro profissional e familiar. Só que esse é um processo que tomou corpo à partir dos meados do século passado e que agora é que começamos a ver os primeiros resultados dessa verdadeira revolução social. Na verdade, nós que estamos na faixa etária dos 50 e 60 anos somos uma geração que testemunhou essa mudança e que, também, somos dela os primeiros resultados. Temos nessa existência a oportunidade de viver os dois modelos de formação familiar, somos as testemunhas vivas dessa mudança. E, por isso mesmo, considero a nossa geração como uma geração que sofreu um choque moral muito grande. Tivemos que aprender a educar nossos filhos dentro de um contexto muito diferente daquele que tínhamos como modelo.
Antes dessa geração as famílias e a forma de educar os filhos seguiam uma metodologia secular. Nós, os cinquentões, brincamos como os mesmos brinquedos que brincaram nossos pais e avós. Gozamos da representatividade dos pais como a manifestação viva dos rigores morais e das regras que deviam sempre ser obedecidas e que eram padrão para a maioria das famílias. Da sempre presença da mãe desamarrotando nossos corações infantis quando nos encontrávamos vivenciando os primeiros contatos com as adversidades daquele mundo que começávamos a conhecer. Hoje essas coisas não perderam em nada o seu valor, mas as responsabilidades foram repassadas assim como as obrigações de trabalho multiplicadas pela demanda das necessidades novas que foram surgindo no seio das famílias, fazendo a multiplicação das necessidades surgir a divisão das responsabilidades para procurar atendê-las a contento.
Não temos que ficar tentando resgatar um modelo que não se ajusta mais às imposições do momento social que vivemos. Mas temos que encontrar meios para dar sustentabilidade moral para essa nova geração que está formando e que tem o compromisso de levar adiante o processo natural de evoluir em todos os sentidos. E é nesse aspecto que a evangelização tem que trabalhar, buscando unir os homens e aproximá-los de Deus.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 07 de Fevereiro de 2014, 15:30

O conhecimento de si mesmo

O conhecimento de si mesmo é a chave do progresso individual. (O livro dos Espíritos - q. 919)

O conhecimento de si mesmo é a base da compreensão do ser, do destino e da finalidade da vida. Redireciona nossa ação, fortalecendo a energia volitiva para os caminhos do bem.
O homem precisa compreender que é um Espírito imortal, reencarnado a evoluir pelos milênios afora. Filho de Deus, seu destino é a perfeição em mundos mais elevados. Necessita compreender as Leis Divinas que regem os seres e os mundos, a Lei de Causa e Efeito que impulsiona a evoluir e as consequências morais dos seus atos, compreender que tem compromissos em nosso Planeta, a serviço do Senhor da Vida.

Quem sou? De onde vim? Onde estou? O que faço aqui? Para onde vou?

A Doutrina Espírita possui elementos essenciais para que cada educando responda a essas perguntas de maneira satisfatória, dentro de seu próprio nível de compreensão.
Assim, o conteúdo básico da evangelização não pode ser outro senão a própria Doutrina Espírita, que tem como alicerce fundamental as obras de Kardec.

#Sugestão de leitura:
O Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Educação do Espírito - Walter Oliveira Alves - Cap. 7 - IDE
Prática Pedagógica na Evangelização - Walter Oliveira Alves -Cap. 2 - IDE
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Antonio Renato em 07 de Fevereiro de 2014, 16:39
Peço desculpas aos irmãos que participam deste estudo pela minha pouca habilidade com esta
ferramenta chamada computador,na minha mensagem anterior não ficou bem colocado,e até
mesmo a conclusão não saiu,a nossa irmã Aline me chamou à atenção.Muito embora o nosso
irmão Kazaoka venha discordar um pouco da minha posição,em que os pais  sejam  culpados
em não acompanhar bem a educação dos filhos,Muito embora os seus argumentos sejam con-
-vincentes, em dizer que nós sessentões(no caso meu e dele),somos os percusores de uma
certa forma,desta modernidade.Volto a dizer que a grande parcela de culpa é dos pais mesmo,
que se utilizam desses objetos na ilusão de que dando aos seus filhos,estão de acordo com o
que é de moderno e atual e que irão mantê-los ocupados,compensando assim a sua pouca
presença na sua educação,tranferindo em muitas das vezes essa responsabilidade para os pro-
-fessores nas escolas.Essa foi a minha posição anterior,não sou autoridade neste assunto,mas
me baseio também pelos relatos da minha esposa que a mais de 40 anos trabalha na área de
ensino,atualmente minha filha também.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Edna☼ em 07 de Fevereiro de 2014, 16:51
Santo Agostinho faz uma referência a esta importância de sermos pais e mães, pois hoje como é de conhecimento de todos a grande maioria das pessoas assumem este papel e tentam levar de qualquer jeito e os frutos desta ação não são nada bons...
Os esforços que empregamos na educação moral das crianças, sejam elas nossas ou não, renderão frutos positivos sempre, um dia esta sementinha plantada eclode e desabrocha... Trabalhemos!!!!!!

Olá Aline,

Concordo, pois a ausência da educação moral, dependendo da condição espiritual do ser pode levar ao materialismo e suas funestas consequências.

Na mesma instrução ele acrescenta que:

A tarefa não é tão difícil como podereis pensar. Não exige o saber do mundo: o ignorante e o sábio podem cumpri-la, e o Espiritismo vem facilitá-la, ao revelar a causa das imperfeições do coração humano. Desde o berço, a criança manifesta os instintos bons ou maus que traz de sua existência anterior. É necessário aplicar-se em estudá-los. Todos os males têm sua origem no egoísmo e no orgulho. Espreitai, pois, os menores sinais que revelam os germens desses vícios e dedicai-vos a combatê-los, sem esperar que eles lancem raízes profundas. Fazei como o bom jardineiro, que arranca os brotos daninhos à medida que os vê aparecerem na árvore. (Santo Agostinho)

Sim. Trabalhemos!

Abraços,

Edna
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 07 de Fevereiro de 2014, 18:38
Por que a para que educar?

"Quando pensamos em realizar uma tarefa da importância da educação, acodem à nossa mente duas questões fundamentais: por que e para que educar?
A primeira questão, por evidências, dispensa maiores comentários.
A segunda, todavia, envolve as mais sérias implicações de ordem filosófica e sua abrangência está irreversívelmente ligada a essas implicações, entre as quais se avulta o conceito que se faz daquele que se educa. Quem é o educando? Como defini-lo, como entendê-lo e como situá-lo no processo educativo?

As respostas a essas perguntas são decisivas, pois dependendo da concepção filosófica que se tem do ser - objeto da educação - é que se podem definir os fins lucrativos que nortearão os procedimentos necessários à consecução desses mesmos fins.
Examinemos apenas três correntes que definem o educando:

1° - O educando é um ser apenas material, dotado de cérebro inteligente, com capacidade para aprender, capacidade que varia enormemente de um para outro indivíduo, com aptidões inatas e cujo destino é a morte com sua extinção total. Seguirá o caminho do bem ou do mal de acordo com suas tendências naturais porque os motivos que se lhe oferecem não são molde a incliná-lo à vivência do bem.
Tendo em vista essa definição de educando, a educação fixa os seus fins que visam, preferencialmente, a conferir-lhe uma formação que o capacite a desfrutar a existência física da melhor maneira possível, no que respeita ao conforto e à evid~encia social. Uma cultura utilitarista, uma profissão rendosa, além de valores imediatistas ou circunscritos ao tamanho de uma existência terrena, constituem os fins da educação embasada no conceito materialista do homem. (...)

#Continuo com este artigo mais tarde para evitar a fadiga da leitura longa...  ;)
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Renato.Oliv em 07 de Fevereiro de 2014, 19:09
Olá amigos.

Trecho do Evangelho Segundo o Espiritismo que apresenta uma das mais importantes razões de se trabalhar na educação do Espírito recém-reencarnado:

"A partir do nascimento, suas idéias retomam gradualmente o seu desenvolvimento, acompanhando o crescimento do corpo. Pode-se assim dizer que, nos primeiros anos, o Espírito é realmente criança, pois as idéias que formam o fundo do seu caráter estão adormecidas. Durante o tempo em que os seus instintos permanecem latentes, ela é mais dócil, e por isso mesmo mais acessível às impressões que podem modificar a sua natureza e fazê-la progredir, o que facilita a tarefa dos pais." - (Deixai vir a mim os pequeninos - item 4 - Cáp. 8 - Bem-aventurados os puros de coração)

O ambiente impressiona muito e eles vão registrando as informações boas ou más. A infância é uma fase que não se deve investir na ilusão de que o filho é um novo brinquedo que se ganha, onde se pode dar banho, comidinha, vestir e controlar à vontade. Trata-se de uma etapa onde ocorre a modelagem, o direcionamento válido do caminho mais propenso que o Espírito seguirá durante a existência terrena.

Pesquisei e encontrei algumas coisas que podem ajudar, se evitando, no trato com crianças, durante a evangelização ou até mesmo no lar. Deve-se evitar:

- Gritar com a criança.
- Ameaçar tomar uma atitude para com elas e acabar não cumprindo.
- Ceder à indisciplina da criança, achando que ela ficará sentida ou chateada, que criará algum obstáculo, etc. Pois poderão ficar resistentes aos limites impostos.
- Recompensas, por exemplo, falar que se a criança fizer determinada coisa vai ganhar outra como recompensa. Ela acabará achando que na vida tudo se resolve negociando.
- Demonstrar impaciência e insegurança. Saber dizer 'não'. É mais seguro, sugerir que, o que ela fez foi errado e é melhor não se repetir.
- Demorar demais explicando algo. O ideal é procurar ser claro e objetivo, adaptando a explicação à capacidade de compreender dela.
- Realizar ações simples no lugar dela, deve-se deixar a criança tentar desenvolver uma certa atitude, mesmo que ínfima, desde cedo, isso ajuda no progresso da mesma; obviamente com acompanhamento.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 08 de Fevereiro de 2014, 15:45
O Evangelho segundo o Espiritismo nos chama a atenção para uma questão vital que é a compreensão da responsabilidade inalienável dos pais, no que diz respeito ao re-direcionamento destes Espíritos no palmilhar do Bem, da Paz e do Amor.

Vejamos então o que dizem os Bem feitores Espirituais acerca disso:

“Quantos pais são infelizes com seus filhos, porque não combateram suas más tendências no princípio! Por fraqueza ou indiferença, deixaram se desenvolver neles os germes do orgulho, do egoísmo e da tola vaidade que secam o coração; depois, mais tarde, recolhendo o que semearam, se espantam e se afligem, da falta de respeito e a ingratidão.” O ESE cap.V item 4

E ainda na Revista Espírita de 1864 Allan Kardec nos assevera;

“Desde que é conhecido que o egoísmo e o orgulho são as fontes da maioria das misérias humanas; que, enquanto reinarem na Terra, não se pode esperar nem a paz, nem a caridade, nem a fraternidade; então, é preciso atacá-los no estado de embrião, sem esperar que fiquem vivazes."

Fiquemos  portanto,  com estas reflexões em nossas mentes e que possamos  no decorrer desta semana, repensar nestas questões de cunho íntimo e individual:
•   Estou conseguindo identificar as más tendências dos meus filhos?
•   Como posso identificar neles essas  más tendências ?
•   Se já as identifico, estou sabendo combate-las com amorosidade ?
•   Identifico as minhas próprias más tendências ?
•   O que eu sinto quando identifico uma má tendência no meu filho ?

     Muita Paz!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 08 de Fevereiro de 2014, 16:19
"Não concordo muito com as afirmativas contundentes de que os pais são culpados pelos desregramentos que vemos hoje."
Particularmente discordo de qualquer afirmação que seja contundente, ainda que concorde com a tese.
Acho que ser muito contundente, na maioria das vezes reflete mais orgulho do que convicção.
Mesmo assim, devemos respeitar.
Quanto ao fato de os pais seres os principais responsáveis, para mim é obvio, mas, que a sociedade como um todo deixa a desejar, tambem me parece obvio.
Cito um exemplo banal, mas pessoal.
Certa feita estava com minha esposa em um mercadinho e um menino, não mais do que 2 anos destruindo as pencas de banana da fruteira, depois de observar por alguns instantes sem que um pai ou responsÁvel pelo "pivete" aparecesse, tomei a iniciativa de fazer parar o "espetáculo" da falta de educação e respeito.
Não somos obrigados a aceitar a falta de educação e respeito dos outros.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Agela Maria em 08 de Fevereiro de 2014, 17:16
Oi pessoal,eu sou nova neste forum,mas já tenho um certo conhecimento da doutrina
espirita, pois tenho estudado os livros da codificação do kardec.Gostaria de participar
deste estudo,pois o acho muito interessante ,sendo então a evangelização espirita
uma necessidade tanto para a criança como também o adulto pois dara uma condição
melhor de vida pelo conhecimento  que iram  adquirir .
Assim eu penso.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Kazaoka em 09 de Fevereiro de 2014, 02:08
Me desculpe Aline por estar fazendo esta postagem fugindo um pouquinho do direcionamento que você está querendo dar ao tópico. Mas faço essa apenas para justificar a colocação que fiz sobre a parcela de responsabilidades dos pais na má formação moral que notamos em nossas crianças e jovens.

O modelo atual de sociedade e de família induz os pais a tomarem uma postura que atenda aquilo que o mundo fora da família exige deles. Muito daquilo que fazemos hoje em relação aos filhos não fazemos porque vivenciamos as experiências daquilo que estamos tendo que passar para nossos filhos. Quem exige isso, de nós pais, é o mundo contemporâneo.

Existem valores que devem e precisam ser preservados, mas existe uma gama de impulsos inovadores da atualidade que precisamos nos adequarmos a eles. Isso porque o momento presente os reivindicam de nós de forma justa pelas necessidades da sociedade moderna, e precisamos aprender a estabelecer um equilíbrio entre os valores destas duas épocas de nossas vidas.

Para estes Espíritos que estão chegando a este orbe nas últimas três décadas esta formatação do mundo é a natural e comum a eles. A globalização, a revolução tecnológica imposta pelo evento da informatização, etc.. Tudo isso é coisa comum e natural para eles. Não há nada surpreendentemente novo para estas novas gerações que nascem em berços embalados por essa realidade. Só para nós é uma novidade.

O progresso da intelectualidade precede a da moral e isso já vem sendo dito desde a Codificação. Então, este momento que estamos vivendo não tem nada de anormal e o que precisa ser feito é dar o impulso no progresso moral dos homens de nossa época como a que tem sido dada pelos Espíritos que vieram com a missão do impulso intelectual e que têm feito seus trabalhos muito bem. Precisamos fazer o nosso também. E o nosso deve ser feito de forma progressista como progressista tem sido o momento atual do mundo físico e da intelectualidade que o povoa.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Edna☼ em 09 de Fevereiro de 2014, 13:39
Qual é, para o Espírito, a utilidade de passar pela infância?  ???

      —Encarnando-se com o fim de se aperfeiçoar, o Espírito é mais acessível durante esse tempo às impressões que recebe e que podem ajudar o seu adiantamento, para o qual devem contribuir os que estão encarregados da sua educação.

in, OLE


“Os pais e os professores espíritas devem ponderar sobre este item...  O Espiritismo vem abrir um novo capítulo da psicologia infantil e da pedagogia, mostrando a importância da educação da criança não apenas para esta vida mas para a sua própria evolução espiritual. "

J. Herculano Pires
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 10 de Fevereiro de 2014, 09:19
Oi Ângela... Minha quase conterrânea (goiana como eu)...  :D Seja muito bem vinda a nosso estudo, permaneça conosco...
A Evangelização é uma necessidade e um bálsamo para nós em qualquer momento da vida... Jesus não nos abandona no meio do caminho e é só através Dele que conseguiremos deixar de nos arrastar pelo chão de nossos defeitos morais. Independente da idade que nos apresentem Ele com Seus ensinamentos...
Abraços fraternos e dia 1° estarei por aí...
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 10 de Fevereiro de 2014, 09:24
Me desculpe Aline por estar fazendo esta postagem fugindo um pouquinho do direcionamento que você está querendo dar ao tópico. (...)
O progresso da intelectualidade precede a da moral e isso já vem sendo dito desde a Codificação. Então, este momento que estamos vivendo não tem nada de anormal e o que precisa ser feito é dar o impulso no progresso moral dos homens de nossa época como a que tem sido dada pelos Espíritos que vieram com a missão do impulso intelectual e que têm feito seus trabalhos muito bem. Precisamos fazer o nosso também. E o nosso deve ser feito de forma progressista como progressista tem sido o momento atual do mundo físico e da intelectualidade que o povoa.
Oi Kazaoka, não há o que se desculpar, até porque o seu enfoque é pertinente para nosso entendimento e nossa reflexão de pais contemperâneos...
E este seu último parágrafo está fantástico! Dispensa qualquer comentário.
Abraço fraterno e tenhamos uma semana iluminada!!!!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 10 de Fevereiro de 2014, 09:53
Bom Dia a todos!!!! Abençoada manhã a todos!!!!
Prossigo aqui com o artigo iniciado no post 38:

"(...) 2° - O Educando é um ser espiritual e material, criado por Deus no ato do seu nascimento, destinado eternamente, após a morte do corpo físico, às alegrias do paraíso ou ao sofrimento do inferno. Deverá agir no bem para gozar as delícias do céu, mas, se por desgraça se inclinar para o mal, estará irremediavelmente perdido. Há, sem dúvida, uma motivação para agir no bem, porém não existem incentivos para reparar o mal.
De acordo com esse conceito de educando, a educação estabelece os fins que visam a oferecer-lhe, no curto período de uma existência, os recursos educativos para formar-lhe a personalidade, definitivamente destinada ao gozo de uma felicidade perene ou à agonia de sofrimentos intérminos.

3° - O Educando é um ser espiritual, criado por Deus, ora vivendo no plano do Espírito, ora respirando num corpo material. Suas tendências e inclinações procedem dele próprio e constituem conquistas acumuladas ao longo de sua caminhada evolutiva. Seu destino é toda a perfeição de que é suscetível e, para isso, conta com o tempo necessário, pois que seu esforço de aperfeiçoamento não se circunscreve apenas a uma existência terrena. No corpo e fora dele, dá continuidade ao seu aperfeiçoamento e à sua caminhada na conquista da felicidade. O Céu e o Inferno são problemas de consciência, os quais ele vai resolvendo à medida que evolui.

Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Anton Kiudero em 10 de Fevereiro de 2014, 10:52
Relacionado ao estudo do mes.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 10 de Fevereiro de 2014, 11:05
Olá Anton Kiudero, agradeço a colaboração, seja bem vindo ao nosso estudo e permaneça conosco no decorrer do mês...
Abraço fraterno e tenha uma abençoada semana!!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 10 de Fevereiro de 2014, 11:57
* Finalizando o artigo iniciado no post 38...

"(...) Com base no conceito espírita de educando (3°), a educação formula seus fins que visam, acima de tudo, o seu progresso espiritual, oferecendo-lhe o conhecimento de sua origem e de sua destinação; uma destinação que transpõe os estreitos limites de uma existência terrena ou de uma felicidade não reduzida à contemplação eterna, num céu a que muitos dos seus entes queridos nunca terão acesso.
Os sofrimentos, interpretados à conta de sua própria conduta no passado, serão mais bem-aceitos pelo educando, que obterá por meio deles resultados mais satisfatórios no seu esforço de auto-aprimoramento; terá suas vistas voltadas para a felicidade que irá conquistar, seguramente, com o concurso do tempo e de novas oportunidades que lhe serão concedidas por leis sábias emanadas de Deus, Pai e Criador de todos e de tudo.
Essa educação, que considera o educando um indivíduo em trânsito pelo mundo, com um passado que se perde na esteira do tempo e um futuro que não se consegue descortinar com precisão, tem seus horizontes e os seus limites alargados, fixando seus fins acima de quaisquer interesses imediatistas. É a educação na visão espírita: ampla, profunda, nitidamente espiritual e, indiscutivelmente, religiosa."
Cecília Rocha

#Que possamos refletir neste dia sobre a importância da educação do Espírito através da Evangelização. 
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Renato.Oliv em 10 de Fevereiro de 2014, 14:03
Olá Aline e amigos!

Achei essa mensagem psicografada pelo Espírito de Guillon Ribeiro, eminente trabalhador espírita do inicio do século passado, tradutor das obras de Kardec, que também veio a ser presidente da FEB durante vários anos.

EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA

É através da evangelização que o Espiritismo desenvolve seu mais valioso programa de assistência educativa ao homem.
A escola de letras continua a informar e instruir a fim de que a Ciência se fortaleça no seio das coletividades. Entretanto, é a educação religiosa que vem estimulando a moral ilibada de modo a libertar a criatura humana para os altiplanos do amor, de consciência despertada e vigilante junto aos  imperativos da vida.
Aliando sabedoria e amor alcançaremos equilíbrio em nossa faina educativa.
Eduque-se o homem e teremos uma Terra verdadeiramente transformada e feliz!
Contemplamos, assim, com otimismo e júbilo, o Movimento Espírita espraiando-se, cada vez mais, nos desideratos da evangelização, procurando, com grande empenho, alcançar o coração humano em meio ao torvelinho da desenfreada corrida do século... Tão significativa semeadura na direção do porvir!
Mestres e educadores, preceptores e pais colaboram, ao lado uns dos outros, em meio às esperanças do Cristo, dinamizando esforços em favor de crianças e jovens, na mais nobre intenção de aproximá-Ios do Mestre e Senhor Jesus.
Urge que assim seja, porque o tempo mais propício à absorção das novas idéias, que mais favorece a tarefa educativa do homem, é o seu período de infância e juventude. Sem dúvida que a maturidade exibe a valiosa soma das experiências adquiridas, embora tantas vezes amargue o dissabor das incrustações perniciosas absorvidas ao longo do caminho. . .
Eis, pois, o Amor convocando servidores do Evangelho para a obra educativa da Humanidade!
Abençoados os lidadores da orientação espírita, entregando-se afanosos e de boa vontade ao plantio da boa semente! (...)
(...) É imperioso se reconheça na evangelização das almas tarefa da mais alta expressão na atualidade da Doutrina Espírita. Bem acima das nobilitantes realizações da assistência social, sua ação preventiva evitará derrocadas no erro, novos desastres morais, responsáveis por maiores provações e sofrimentos adiante, nos panoramas de dor e lágrima que compungem a sociedade, perseguindo os emolumentos da assistência ou do serviço social, públicos e privados.
Evangelizemos por amor!
Auxiliemos a todos, favorecendo sobretudo a criança e ao jovem um melhor posicionamento diante da vida, em face da reencarnação.
Somente assim plasmaremos desde agora os alicerces de uma nova Humanidade para o mundo porvindouro.
É de suma importância amparar as almas através da evangelização, colaborando de forma decisiva junto à economia da vida para quantos deambulam pelas estradas existenciais.
E não tenhamos dúvidas de que a criança e o jovem evangelizados agora serão, indubitavelmente, aqueles cidadãos do mundo, conscientes e alertados, conduzidos para construir, por seus esforços próprios, os verdadeiros caminhos da felicidade na Terra.


(Página recebida em 1963, durante o 1o Curso de Preparação de Evangelizadores - CIPE, realizado
pela Federação Espírita do Estado do Espírito Santo, pelo médium Júlio Cezar Grandi Ribeiro.)
____________
Evangelização Espírita infanto-juvenil. Separata do Reformador. Mensagem de Guillon Ribeiro (Espírito). Pg. 26 a 29.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 10 de Fevereiro de 2014, 14:47
Excelente artigo Renato... Sempre agradecendo a colaboração... Tenha uma semana abençoada!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Brenno Stoklos em 11 de Fevereiro de 2014, 06:00


De um "amigo virtual":

Waldenir Aparecido Cuin em O Consolador.


                                                Educar pelo exemplo
 
383. Qual, para este, a utilidade de passar pelo estado de infância?

“Encarnado, com o objetivo de se aperfeiçoar, o Espírito, durante esse período, é mais acessível às impressões que recebe, capazes de lhe auxiliarem o adiantamento, para o que devem contribuir os incumbidos de educá-lo".

                                                    O Livro dos Espíritos



Ensinar teoricamente, fazendo uso de conceitos e palavras, tem, sim, grande valor e importância no campo educacional das crianças, mas exemplificar é fundamental.

Recebendo, essa geração infantil, a quantidade de conhecimentos diários que estão à disposição dela, concluímos, sem sombra de dúvida, que a mente e o raciocínio desses pequenos trabalham numa velocidade espantosa, ampliando, pelo exercício contínuo, a capacidade de armazenamento de informações.

Assim nos deparamos quotidianamente com um público infantil que nos surpreende a cada instante, desafiando os nossos mais sofisticados e atuais métodos de educação. Tal situação nos remete a profundas reflexões, buscando encontrar os caminhos mais adequados e seguros, visando direcionar a vida pelas veredas do que é correto e ideal.

Não temos qualquer dúvida de que os Espíritos retornam ao palco da Terra, em seguidas reencarnações, com a proposta de realizar progresso e aprimoramento. Dessa forma, aos pais ou responsáveis cabe uma quota enorme de responsabilidade ao receber, sob sua guarda, as crianças que Deus lhes confia.

Surgem em forma infantil para que, no período da infância, possam receber as correções de que necessitam, uma vez que na postura adulta dificilmente aceitariam quaisquer mudanças em suas vidas. Sendo Espíritos buscando por evolução, é claro que ainda carregam consigo uma imensa gama de defeitos e imperfeições, que esperam diminuir através da educação que os adultos têm o dever e a obrigação de lhes oferecer.

Plenamente consciente dessa insofismável realidade, incontestavelmente, o exemplo digno, sublime e moralizado é a maior ferramenta à disposição dos adultos que realmente amam e desejam corretamente educar as crianças que estão sob as suas responsabilidades.

Vale pouco falar da necessidade do respeito ao próximo se em nossas atitudes diárias mostramos o contrário. Fica sem valor a nossa palavra de reprimenda ao filho por ter agredido a um colega de classe se no trânsito mostramos irritabilidade e intolerância e em casa deixamos claro a nossa revolta e incompreensão ante qualquer situação que nos desagradou.

Nossas palavras ficam vazias e sem fundamento quando informamos aos nossos filhos os malefícios decorrentes do uso do álcool, fumo ou de outras substâncias tóxicas se eles nos veem fumando e bebendo, mesmo que sob o disfarce de o fazer socialmente.

As crianças aprenderão que as coisas materiais deverão ser adquiridas com os recursos financeiros obtidos pelo trabalho honesto e digno, quando identificam os adultos, principalmente os pais ou responsáveis diretos, laborando com perseverança quotidianamente.

Falar é importante, exemplificar é indispensável.

Quando a providência divina coloca uma criança sob os nossos cuidados e guarda, expressa imensa confiança em nosso potencial, esperando que tudo façamos para que esse Espírito reencarnante, cheio de esperança e novos ideais, realmente concretize seus sonhos e projetos de redenção e aprimoramento, pelos novos caminhos do mundo.

Falir nessa gigantesca e valiosa tarefa, por certo será plantar uma lavoura de decepções cuja colheita de sofrimentos será farta.

A infância, a adolescência e a juventude refletirão, inapelavelmente, aquilo que nós adultos a elas oferecermos.

Reflitamos...

                                                xxxxxxxxxxxxxxxxx

208. Nenhuma influência exercem os Espíritos dos pais sobre o filho depois do nascimento deste?

“Ao contrário: bem grande influência exercem. Conforme já dissemos, os Espíritos têm que contribuir para o progresso uns dos outros. Pois bem, os Espíritos dos pais têm por missão desenvolver os de seus filhos pela educação. Constitui-lhes isso uma tarefa. Tornar-se-ão culpados, se vierem a falir no seu desempenho".

                                                  O Livro dos Espíritos

Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 11 de Fevereiro de 2014, 10:31
Me desculpe Aline por estar fazendo esta postagem fugindo um pouquinho do direcionamento que você está querendo dar ao tópico. (...)
O progresso da intelectualidade precede a da moral e isso já vem sendo dito desde a Codificação. Então, este momento que estamos vivendo não tem nada de anormal e o que precisa ser feito é dar o impulso no progresso moral dos homens de nossa época como a que tem sido dada pelos Espíritos que vieram com a missão do impulso intelectual e que têm feito seus trabalhos muito bem. Precisamos fazer o nosso também. E o nosso deve ser feito de forma progressista como progressista tem sido o momento atual do mundo físico e da intelectualidade que o povoa.
Oi Kazaoka, não há o que se desculpar, até porque o seu enfoque é pertinente para nosso entendimento e nossa reflexão de pais contemperâneos...
E este seu último parágrafo está fantástico! Dispensa qualquer comentário.
Abraço fraterno e tenhamos uma semana iluminada!!!!!!

Estamos de acordo meus caros.
O progresso intelectual se faz ao natural, até pela própria curiosidade do ser humano, mas estamos em uma época que o progresso moral se faz urgentemente necessário.
Acho que esse é o grande desafio de quem quer que tenha Jesus como modelo e guia, pois seus ensinamentos foram essencialmente de cunho moral.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 11 de Fevereiro de 2014, 12:08
Excelente dia a todos com as bênçãos do Pai envolvendo-nos em muita luz e nos amparando, transmitindo-nos força em nossa caminhada diária!!!

Limites da educação

O processo de aperfeiçoamento requer a ação do próprio indivíduo disposto a realizá-lo. A educação é, em última análise, um esforço auto-educativo, pois que só se educa quem deseja educar-se.
Possuindo o livre-arbítrio, a criatura decide seguir este ou aquele caminho, eleger determinado lema de vida, perseguir este ou aquele ideal. Dependem, pois, do indivíduo, e só dele, o tipo de vida que cultiva e os propósitos que norteiam a sua caminhada.
Cumpre notar que essas afirmativas não constituem opinião pessoal, porque todos podem chegar a essas conclusões observando a variação de conduta dos indivíduos, que, recebendo os mesmos recursos educativos no seio de sua família, têm os procedimentos mais diversos.
Dentro dessa linha de raciocínio, poderíamos perguntar:
Com respeito ao que já foi dito, como fica a ação educativa?
Como se justificam os esforços que se despendem para educar as novas gerações?
E os exemplos e os estímulos que se oferecem aos educandos, a par dos conhecimentos morais e culturais com que se lhe enriquece a mente?
É desnecessária a educação, uma vez que o indivíduo, dispondo de seu livre-arbítrio, segue os ditames de sua própria vontade?
É claro que a educação é força capaz de impulsionar o progresso do homem em todos os aspectos, e que os estímulos que ela oferece às criaturas muito contribuem para o seu aperfeiçoamento.
Não obstante livre para decidir, a criatura humana é sensível às sugestões que emanam dos ambientes que a cercam e, não fora isso, não encontraria os recursos necessários ao seu auto-aperfeiçoamento; da emsma forma, é sensível às sugestões negativas com as quais entra em contato. Os bons e os maus exemplos, as boas ou as más sugestões podem influir no comportamento do indivíduo, que deverá seguir uns ou outros, segundo o veredito de sua própria consciência.
A noção do bem e do mal, existentes no íntimo de cada homem, concede-lhe os recursos para decidir quanto ao que se deve inclinar; mas essa noção não diminui o valor da educação, porque esta o estimula, o impele, por assim dizer, a renovados raciocínios, encaminhamdo-o para a aquisição de novos valores morais e espirituais, descortinando-lhe mais dilatados horizontes de vida.
É, pois, de grande importância o concurso da educação no progresso do homem, porque constitui um apreciável reforço à sua vontade e decisão de evoluir. O que se quer evidenciar é que a educação não pode agir contra a vontade daquele que se educa, resultando daí a responsabilidade de cada um na grande caminhada da própria evolução.
Cecília Rocha

# Agradeço a todos os amigos que estão colaborando com mensagens que engrandecem e tornam nosso estudo mais interessante... Abraço a todos e continuem conosco...  :-*
Aos visitantes também!!!
Sigamos o dia com vibrações de muita paz!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 11 de Fevereiro de 2014, 13:29
Boa tarde a todos...Herculano Pires trata com muita propriedade e sabedoria sobre o tema tratado no seu livro Pedagogia Espirita, do qual retiro essa parte abaixo:

"Descuidar da educação espírita dos filhos é negar-lhes a verdade.
O maior patrimônio que os pais podem legar aos filhos é o conhecimento de uma doutrina que vai garantir-lhes a tranqüilidade e a orientação certa no futuro.
Os pais que temem dar educação espírita às crianças não têm uma noção exata do Espiritismo e por isso mesmo não confiam no valor da doutrina que esposam.

Bom !
Acompanhando de leve
lendo e relendo alguns posts
gostei muita desta frase citada acima,
nos oferecida pelo Vinicius
e até postei em minha página no FACE..

Valeu
Abraços
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 11 de Fevereiro de 2014, 14:46
É verdade Moisés... Herculano Pires sempre vale a pena dar uma analisada, o cara estudou muito e contribuiu demais para nossos estudos...
Agora quanto a você caro amigo, tô gostando de ver sua assiduidade por aqui, você disse que ia tentar e tá ficando...  :) Fico feliz...
Continue conosco e colabore sempre que puder e quiser...
Abraço!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 11 de Fevereiro de 2014, 14:52
Para descontrair um pouco...  ;D
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 11 de Fevereiro de 2014, 15:14
Nós da Evangelização somos do grupo C!!!!! É trabalhoso, exige preparação, estudo, o assunto é sério, porém temos que ser felizes em nossas funções!!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 11 de Fevereiro de 2014, 15:39
   A maior parte das dificuldades e obstáculos que os espíritas encontram a todos os momentos na sua tarefa, pode-se  dizer  que  são  devidas  aos  problemas domésticos.  É  tarefa  imprescindível  manter primeiramente  a  integridade  da  família  espírita, justamente  porque  os  espíritos  inimigos  da  Doutrina insuflam  desarmonias,  oriundas  sempre  do  ciúme,  da inveja  e  do  orgulho,  germe  peçonhento  que  lavra  em todos  os  corações  que  habitam  ainda  este  mundo inferior.
   Muitos  outros  obstáculos  interpõem-se  á  nossa marcha,  como  o  respeito  humano,  o  preconceito,  o amor  ao  dinheiro  e  outras  tantas  barreiras  que  tanto
têm prejudicado, infelizmente, os filhos de Deus. "

Cairbar Schutel
O Espirito do Cristianismo
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Marden em 11 de Fevereiro de 2014, 15:53
Bom Dia,
Aline.
E parabéns pela forma que está conduzindo o estudo: Com simplicidade, cortezia e conhecimento útil.

Gostaria de dixar aqui uma obnservação que venho fazendo ao longo dos anos. A quase totalidade (quase) das casas espíritas que trabalham com evangelização infantil, usam uma metodologia  em que se fala muito pouco nos postulados doutrinários. Têm muitas atividades, ensinam muitas cantigas infantis, festinhas mas, assuntos como reencarnação e tantos outros de importância, ficam pra mais tarde nas mocidades espíritas. Às vezes lembram mais a escolas dominicais ou os catecismos da minha infância....nada contra métodos católicos ou evangelicos mas vivenciamos uma outra experiência, concordam? É claro que temos que usar uma linguagem adequada, uma metodologia diferente para abordar esses temas, pra falar com nossas crianças mas ....Gostaria de ouvir opiniões sobre isto.
Fraterno Abraço a todos!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 11 de Fevereiro de 2014, 16:30
Olá Marden... Seja muito bem vinda ou bem vindo??? rs Enfim, e continue conosco...

Esta questão que abordou realmente é muito comum, aqui em Goiás nós priorizamos, veja bem priorizamos, mas nem sempre é possível... A incersão dos evangelizadores aos grupos de estudo da casa, e a treinamentos específicos. É um assunto delicado, mas segundo dados da FEEGO (federação estadual) o nível de conhecimento das crianças têm aumentado, em nossa casa por exemplo, adotamos o Livro dos Espíritos para crianças, nas crianças de 7 anos acima, abaixo disso não tem como aprofundar pois a maturidade deles ainda não consegue absorver muita coisa, mas já deve ser abordado temas como corpo, Espírito, Deus, Jesus, anjos da guarda...
Mas isso depende da prioridade que os dirigentes da casa dá à Evangelização, dos médiuns mais instruídos e dispostos ao trabalho, prepararem estes evangelizadores com seminários, por exemplo,e também dos evangelizadores em absorver, catar a enxada e ir para o campo trabalhar com afinco, porque uma coisa é certa se não evangelizarmos nossas crianças, quem irá nos suceder em nossas funções no Centro?? São os trabalhadores de amanhã, e a responsabilidade é nossa SIM, quer muitos achem o contrário, enquanto pais, enquanto médiuns, enquanto conhecedores das verdades espirituais, temos que passar para frente o que conhecemos, ou seremos aquele que recebe o tesouro e enterra para entregar ao seu senhor, da Parábola dos Talentos, né??!!
Se quiser podemos aprofundar nossa conversa mande-me uma mensagem com seu email, se for de seu interesse. E não fique desmotivada seja qual for a forma das aulinhas em seu centro, se há a intenção e há a apresentação de Cristo para as crianças já está de bom tamanho, temos que agradecer...
Do mais agradeço sua presença por aqui e permaneça conosco...
Abraços fraternos!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 11 de Fevereiro de 2014, 16:48
kkkkkkkkk me perdoem amigos mas tive que postar... Prometo não colocar mais tirinhas por hoje...  ;D

Mas são perguntas típicas de crianças que pensam que entendem de alguma coisa e na verdade elas entendem mesmo... E aí o que responder??  ;)

É importante o estudo por parte dos Evangelizadores para não cair nessas saias justas e nossas crianças contemporâneas estão terríveis, elas perguntam meeeesmo e não se convencem com respostas sem fundamentação...
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: wender100%espirita em 12 de Fevereiro de 2014, 00:07
se hoje sou o que sou, devo a minha mae que me levou desde cedo na comunhao espirita crista do nosso chico xavier, aqui em uberaba, devo tudo a evangelizacao Espirita ! paz  e luz
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 12 de Fevereiro de 2014, 09:56
Bom Dia!!!!! Olá Wender, seja bem vindo ao nosso estudo, continue conosco...
Devemos meu amigo, devemos...
Iniciei também nos bancos da escolinha de evangelização, e olha só que da minha geração de mulheres (dos 30), sei bordar a mão, costurar e cozinhar, graças aos cursos oferecidos pela Fundação Nova Era em Quirinópolis Goiás, onde minha avó, que na época trabalhava, me levava para as oficinas.
É um marco crucial na vida de uma criança uma orientação adequada...
Não poupa de sofrimentos, mas que sustenta a gente sustenta demais. Agradeço a Deus todos os dias e oferto aos meus filhos porque sei que mais cedo ou mais tarde eles terão que andar com suas próprias pernas e que saberão pelo menos o que é certo ou errado...
Abraço fraterno e prossiga conosco!!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 12 de Fevereiro de 2014, 10:26
Uma abençoada manhã a todos e que possamos passar o dia envolvidos nessas luzes misericordiosas que vem de nosso Pai para nós, criaturas no orbe terrestre...

Planejamento de trabalho na Evangelização:

Trabalhando com o Livro dos Espíritos

Ao invés de trabalharmos com temas, em forma de aulas isoladas do tipo: Deus, Jesus, A Prece, Amor ao próximo, Bondade, etc., sugerimos trabalharmos com conteúdos integrados, seguindo a própria ordem de O Livro dos Espíritos que oferece caminho natural para todo o conteúdo doutrinário, avançando com segurança pela imensa literatura espírita.
Trabalhar com conteúdo de cada parte, iniciando pela primeira:

As Causas Primeiras:
Deus - Elementos Gerais do Universo - Criação - Princípio Vital.
Consultar também A Gênese que dá sequência ao mesmo assunto e outras obras como: A Caminho da Luz, de Emmanuel; Estudos Espíritas, de Joanna de Ângelis; Estude e Viva, de Emmanuel e André Luiz; No Limiar do Infinito, de Joanna de Ângelis.
A partir deste estudo, planejam-se as atividades adequadas para as diversas turmas de crianças. Os grupos trabalham com o mesmo conteúdo, de forma diferente. É necessário filtrar e dosar o conteúdo, oferecendo as experiências adequadas às etapas de desenvolvimento de cada grupo (* postarei as etapas de desenvolvimento amanhã!), analisando o que poderíamos oferecer às crianças em cada período de seu desenvolvimento.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Kazaoka em 12 de Fevereiro de 2014, 10:32
Bom Dia!!!!! Olá Wender, seja bem vindo ao nosso estudo, continue conosco...
[...]
É um marco crucial na vida de uma criança uma orientação adequada...
Não poupa de sofrimentos, mas que sustenta a gente sustenta demais. Agradeço a Deus todos os dias e oferto aos meus filhos porque sei que mais cedo ou mais tarde eles terão que andar com suas próprias pernas e que saberão pelo menos o que é certo ou errado...
Abraço fraterno e prossiga conosco!!!!


A tarefa de formar a base para que a personalidade da criança desenvolva dentro de um padrão adequado é o sonho de todos que fazem parte da comunidade humana sequiosa por uma sociedade mais justa.

Estamos sempre lutando para passarmos aos nossos filhos ou tutelados as nossas experiências adquiridas ao longo de nossa vida aqui na Terra. E, muitas vezes, sentimos nossos filhos refratários em relação àquilo que desejamos lhes passar em forma de chamada de atenção para situações com as quais já tivemos nossas próprias experiências. Com a tarefa de evangelização não é diferente!

Mas essa vontade de passar nossas experiências adiante é um sentimento natural, é como que uma necessidade. Não importa se há essa refrataridade por parte daquele a quem endereçamos a nossa bagagem de experiências, principalmente se forem nossas crianças. Haverá o momento em que não estaremos fisicamente presentes ao lado deles e eles terão que tomarem suas próprias decisões. São nesses momentos que aquelas orientações recebidas lá atrás e que pareciam ter sido em vão, podem, naquele momento, fazer toda a diferença. 
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 12 de Fevereiro de 2014, 10:48
Trabalhando com O Livro dos espíritos nas diferentes turmas:

3 a 6 anos: - não pode der levada à compreensão abstrata de Deus. Iniciaremos, pois colocando a criança em contato direto com a obra de deus, levando-a a compreender Deus-Criador da natureza, dos minerais, das plantas, dos animais, sentindo Deus como Pai que muito nos ama. Iniciar com um passeio ao campo, chácara ou fazenda. As crianças em contato direto com a Natureza, poderão sentir a presença de Deus em suas obras, provar frutos, sentir o perfume das flores, observar os pássaros, os animais, etc. Poderão plantar flores em pequenos vasinhos, preparar chás e provar diversos alimentos retirados diretamente da Natureza. Observar e provar os alimentos derivados de outros produtos da natureza.
As artes plásticas oferecerá ótimas oportunidades de trabalho.
A literatura poderá ser fartamente explorada.
Da mesma forma, o teatro, a dança e a música, em conjunto ou separados, oferecerão ótimas oportunidades de trabalhar as mais diversas tendências e aptidões das crianças, dentro do conteúdo.

# Adapte-se à realidade da Casa Espírita, e mãos à obra!!!

7 a 12 anos - poderá trabalhar noções mais profundas através de material concreto. Pode-se iniciar também com a observação direta das obras de Deus, através do passeio ao campo ou parque, mas ampliando o conteúdo até a formação dos Mundos, formação dos Seres Vivos, Diversidade das Raças, etc.
Através da construção de maquetes, a criança poderá reconstruir toda a trajetória evolutiva do Planeta, maquetes representando a vida nos mares, as grandes vegetações, os anfíbios, répteis, voadores, mamíferos, os primeiros antropóides, os primeiros seres humanos, as grandes civilizações, as diversas raças, etc.
Da mesma forma pode-se usar o teatro de fantoches, a dramatização, a caracterização das diversas raças, etc.
A música, a dança, a literatura, as artes plásticas, o teatro estarão sendo trabalhados dentro do mesmo conteúdo.

#Distribui-se o conteúdo programático o ano todo, ao final do ano, o resultado será fantástico para expor aos pais, tanto em materiais confeccionados, quanto em conteúdo doutrinário!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 12 de Fevereiro de 2014, 12:07
Uma questão ímpar, ao meu ver, para a exemplificação a infancia e a juventude
é os serviços assistenciais aos necessitados, praticas de fundamental importância.
Claro que quando ocorrem estas oportunidades, nas Casas que se dedicam a estas oportunidades...
exemplos como;
Auxiliar
Observar
Dialogar
Dividir
Amparar...

Os jovens observam com muias acuidade e aprendem o valor da aproximação, doam seus próprios pertences, sentem prazer quando surge a oportunidade de instruir...dicas de limpeza, cuidado com as crinaças mais necessitadas...


Oportunidades vivas para trabalhos edificantes
Sopas assistênciais
Kists para recém nascidos
Campanha das cestas de alimentação
Integração social

Mas, há no meio espírta muitos que condenam estas ações, desestimulam tais atividades,
criam um elitismo intelectual e formam grupos de cadeiras e cançadas reuniões...


Abre-se mãos de repensar o Mundo onde vivem
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 12 de Fevereiro de 2014, 12:14
As turmas maiores de 12 anos - aprofundarão o estudo, procurando com cautela encaminhar o jovem ao desenvolvimento do pensamento abstrato, procurando compreender a definição "Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas". Aprofunda-se o estudo da criação através de A Gênese e de livros como A Caminho da Luz, buscando compreender melhor os temas Elementos Gerais do Universo e Princípio Vital. O tema Pluralidade dos Mundos poderá ser ampliado estudando-se por exemplo o livro Cartas de uma morta, de Maria João de Deus. Ao mesmo tempo pode-se realizar uma visita a um observatório astronômico.

Todos os grupos trabalham a primeira parte de O Livro dos Espíritos: As causas primeiras, mas cada um segundo as suas possibilidades, o que somente poderá ser definido pelo grupo de evangelizadores que conhece as crianças.
Em seguida trabalha-se as demais partes de O Livro dos Espíritos: Mundo Espírita, Leis Morais e Esperanças e Consolações.

Como o estudo é progressivo, a criança, ao amadurecer, trabalhará com o mesmo conteúdo em níveis cada vez mais elevados, conforme o seu próprio desenvolvimento e compreensão.
As atividades devem ser dinâmicas, estimulantes por si, construtivas e não trabalhadas como 'aulas frias', expositivas, teóricas. As crianças devem entrar em contato com a Natureza, com materiais práticos e estimulante, com os grupos, com atividades artísticas, etc.
Atividades vivenciadas que propiciam o desenvolvimento da razão e do sentimento, de forma gradual, natural e progressiva, levando a criança, em seu processo evolutivo, do egocentrismo, natural nos primeiros anos, à plena autonomia moral e intelectual na juventude.
Em todas as turmas o ambiente deve ser de cooperação em clima de afeto e respeito mútuo, preservando a criança e o jovem do orgulho e do egoísmo.
As atividades deverão ser interessantes, dinâmicas, ativas, energizantes e desafiadoras, para levar a criança a construir suas estruturas mentais em níveis majorados, cada vez mais superiores, da mesma forma aprimorando seus sentimentos e ampliando seu padrão vibratório em níveis cada vez mais elevados.
A interação com o meio social onde vive, com o educador, com os colegas, com os objetos e materiais, em atividades dinâmicas, propiciam o desenvolvimento da potências interiores.
Mas a interação vertical também se amplia, a partir das experiências em grupos, com o respeito ao outro, com o espírito de colaboração, com os instantes de prece, através da meditação em que os amigos espirituais aproveitam para agir, bem como através das artes, que propiciam excelente oportunidade de interação vertical com os sentimentos superiores que vibram em nível mais alto.
Na medida em que o ser evolui, em que se desenvolve o sentimento e a razão, amplia-se a capacidade vibratória, aumentando a interação com as esferas superiores da vida.
O processo é dinâmico por excelência, estimulando-se a vontade do educando, o agir, o participar. A vivência é indispensável ao processo evolutivo. Cada Espírito constrói a si mesmo num avançar progressivo e natural.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 12 de Fevereiro de 2014, 12:34
Uma questão ímpar, ao meu ver, para a exemplificação a infancia e a juventude
é os serviços assistenciais aos necessitados, praticas de fundamental importância.
(...)
Mas, há no meio espírta muitos que condenam estas ações, desestimulam tais atividades,
criam um elitismo intelectual e formam grupos de cadeiras e cançadas reuniões...

Abre-se mãos de repensar o Mundo onde vivem

Bom Dia Moisés!
Na verdade não estamos a caminho para agradar os demais confrades espíritas, porque se a ideia fosse esta estaríamos enrrolados meu caro, nós somos críticos e enjoados demaaais....  ;D
A sua colocação é muito importante, cada Centro possui uma particularidade de funcionamento, de prioridades e de trabalhos, que variam desde o assistencialismo puro ( o que em geral é combatido pelos confrades) até obras de grande ação e importantíssimas para a sociedade aonde está inserido o Centro.
E devemos sim engajar nossas crianças a todos os trabalhos, na prática, pois o Espírito evolui na vivência com o outro, é aonde aplica-se os conceitos adquiridos com os estudos teóricos.
Não tem muito médium por aí que só 'trabalha' em alguma reunião e largou os estudos doutrinários que o centro oferece, porque que as crianças e jovens só devem estudar e não praticar?????? Claro que dentro de sua potencialidade de ação... Crianças são fantásticas para trabalharmos juntos, quem tiver curiosidade, carrega uma meia dúzia delas para um sopão ou um bazar por exemplo, faz os devidos esclarecimentos (de disciplina, importância do trabalho e tal) e veja os resultados... Só que adianto logo, trabalhar com elas exige rigor da gente, porém é altamente viciante as energias emanadas por elas.... Dificilmente você conseguirá parar!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Renato.Oliv em 12 de Fevereiro de 2014, 14:54
Crianças são fantásticas para trabalharmos juntos, quem tiver curiosidade, carrega uma meia dúzia delas para um sopão ou um bazar por exemplo, faz os devidos esclarecimentos (de disciplina, importância do trabalho e tal) e veja os resultados... Só que adianto logo, trabalhar com elas exige rigor da gente, porém é altamente viciante as energias emanadas por elas.... Dificilmente você conseguirá parar!
[/size][/font]

Realmente! Elas possuem muita energia sobrando, o que naturalmente faz parte do processo de reencarnação, em fase de finalização.
Empolgam e contagiam à todos, bem legal! Podem realizar façanhas em conjunto, se orientadas corretamente. Ao contrário de nós adultos que temos problemas para juntar ideias e opiniões no trabalho em equipe, as crianças geralmente se juntam sem problemas e realizam o processo de uma maneira unida e muito bonita.
A Evangelização Infanto-Juvenil é realmente fundamental na construção de um futuro melhor.

Já para os que já saíram da infância-juventude há algum tempo, resta o estudo contínuo da Doutrina e do Evangelho, pois sempre é tempo de aprender, melhorar e dar o exemplo.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Edna☼ em 12 de Fevereiro de 2014, 16:12
Citar
Qual é, para o Espírito, a utilidade de passar pela infância?

      —Encarnando-se com o fim de se aperfeiçoar, o Espírito é mais acessível durante esse tempo às impressões que recebe e que podem ajudar o seu adiantamento, para o qual devem contribuir os que estão encarregados da sua educação. (in, OLE)


"Diante da resposta dada pelos Espíritos à pergunta feita por Kardec , não podemos endossar a atitude de comodismo daqueles que não levam as crianças às aulas de Educação Espírita Infantil, dizendo que, depois, com mais idade, poderão optar pela religião que desejarem. Quem não conhece nenhuma, não terá base para escolher. Será facilmente induzido por caminhos tortuosos aquele que não recebeu uma educação baseada em princípios que coloquem à altura para ouvir, julgar e escolher, conscientemente, o que é melhor para si. A Doutrina Espírita possui argumentos suficientes para conscientizar a criança e o jovem em relação aos grandes problemas que estão tirando a tranquilidade das famílias, principalmente aqueles que envolvem os vícios, as drogas. Em O Consolador, Emmanuel nos falas que as funções religiosas, como exemplificação dos mais altos deveres da vida, constituem a base de toda a educação no sagrado instituto da família."

Fonte: Família e Espiritismo, Autores Diversos

Abraços fraternos,

Edna
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 12 de Fevereiro de 2014, 17:36
“A melhor escola ainda é o lar, onde a criatura deve receber as bases do sentimento e do caráter”. Emmanuel
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Felipa em 13 de Fevereiro de 2014, 00:10

 Aline parabéns pelo tema escolhido...

“A Criança ainda é o sorriso do futuro na face do presente. Evangelizá-la é, pois, espiritualizar o porvir, legando-lhe a lição clara e pura do ensinamento cristão, a fim de que, verdadeiramente, viva o Cristo nas gerações de amanhã.”
 Francisco Spinelli


A Importância da Evangelização Infantil

"É possível a renovação do mundo em que habitamos, além da reforma interior de cada um para o bem, sem darmos à criança de hoje o embasamento evangélico?

Sem a renovação espiritual da criatura para o bem, jamais chegaríamos ao nível superior que nos compete alcançar. Ajudar a criança, amparando-lhe o desenvolvimento, sob a luz do Cristo, é cooperar na construção da reforma santificante da humanidade, na direção do mundo redimido de amanhã." (Emmanuel, Encontros no Tempo, 5. ed., perg. 42)

Por que o período infantil é o mais importante para a tarefa educativa?
“Encarnando, com o objetivo de se aperfeiçoar, o Espírito, durante esse período, é mais acessível às impressões que recebe, capazes de lhe auxiliarem o adiantamento, para o que devem contribuir os incumbidos de educá-lo.” (Allan Kardec, O livro dos espíritos,76. ed., perg. 383).

“A delicadeza da idade infantil os torna brandos, acessíveis aos conselhos da experiência e dos que devam fazê-los progredir. Nessa fase é que se lhes pode reformar os caracteres e reprimir os maus pendores.” [...]. (Allan Kardec, O livro dos espíritos, 76. ed., perg. 385).
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Felipa em 13 de Fevereiro de 2014, 00:12

Por que a escola de evangelização espírita infantil antes dos 7 anos de idade?

“109. O período infantil é o mais importante para a tarefa educativa?


- O período infantil é o mais sério e o mais propício à assimilação dos princípios educativos.

- Até aos sete anos, o Espírito ainda se encontra em fase de adaptação para a nova existência que lhe compete no mundo. Nessa idade, ainda não existe uma integração perfeita entre ele e a matéria orgânica. Suas recordações do plano espiritual são, por isso, mais vivas, tornando-se mais suscetível de renovar o caráter e estabelecer novo caminho, na consolidação dos princípios de responsabilidade, […].

- Passada a época infantil, credora de toda vigilância e carinho por parte das energias paternais, os processos de educação moral, que formam o caráter, tornam-se mais difíceis com a integração do Espírito em seu mundo orgânico material,[...].”

(Emmanuel, O Consolador, 15. ed., perg. 109).


Qual deve ser o conteúdo espírita a ser estudado pela criança na escola de evangelização?

“Temos ouvido o espírito de Emmanuel há muitos anos com respeito a estes assuntos, […]. Nós sempre nos desvelamos em nossas casas, no ensino da bondade, do perdão, das atitudes evangélicas em si, mas precisávamos descobrir um meio de comunicar à criança, algum ensina-mento em torno da Lei de Causa e Efeito, mostrando determinados tópicos dos mais expressivos para o mundo infantil, com respeito à reencarnação, um problema da imortalidade da alma.

Muitas vezes, nós esquecemos de conduzir a criança para este tipo de lição, para este tipo de comentários, com receio de apressar na mente das crianças determinados pensamentos com relação a morte do corpo.

Precisávamos estudar quais os meios de começar a oferecer à criança, bases para que ela se conheça no mundo em que está vivendo e naquele mundo social em que ela vai viver.”

(Emmanuel , A Terra e o semeador, 7. ed., perg. 101)
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 13 de Fevereiro de 2014, 09:33
Oi Maria... Seja bem vinda e permaneça conosco, colaborando sempre que puder...
Quanto às suas postagens qualquer comentário de minha parte seria insuficiente, a mensagem por si só já fala tudo...
Continue colaborando....
Abraço fraterne e tenha um iluminado dia nos fluidos emanados pelo Pai!!!!  :-*
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 13 de Fevereiro de 2014, 12:25
Conhecidas as causas do egoísmo, o remédio se apresentará por si mesmo. Só restará então destruí-las, senão totalmente, de uma só vez, ao menos parcialmente, e o veneno pouco a pouco será eliminado. Poderá ser longa a cura, porque numerosas são as causas, mas não é impossível. Contudo, ela só se obterá se o mal for atacado em sua raiz, isto é, pela educação, não por essa educação que tende a fazer homens instruídos, mas pela que tende a fazer homens de bem.

A educação, convenientemente entendida, constitui a chave do progresso moral. Quando se conhecer a arte de manejar os caracteres, como se conhece a de manejar as inteligências, conseguir-se-á corrigi-los, do mesmo modo que se aprumam plantas novas. Essa arte, porém, exige muito tato, muita experiência e profunda observação. É grave erro pensar-se que, para exercê-la com proveito baste o conhecimento da Ciência. Quem acompanhar, assim o filho do rico, como o do pobre, desde o instante do nascimento, o observar todas as influências perniciosas que sobre eles atuam, em conseqüência da fraqueza, da incúria e da ignorância dos que os dirigem, observando igualmente com quanta freqüência falham os meios empregados para moralizá-los, não poderá espantar-se de encontrar pelo mundo tantas esquisitices. Faça-se com o moral o que se faz com a inteligência e ver-se-á que, se há naturezas refratárias, muito maior do que se julga é o número das que apenas reclamam boa cultura, para produzir bons frutos.

 

O LIVRO DOS ESPÍRITOS

Trecho da nota de Allan Kardec em relação a resposta da questão 917
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 13 de Fevereiro de 2014, 13:03
"A tarefa de Evangelização Espírita a ser desenvolvida pelo Centro Espírita com a atenção especial de sua diretoria e com o apoio dos órgãos de unificação do Movimento Espírita local, estadual e nacional é, sem dúvida, importante realização para a qual devem voltar as vistas todos aqueles que se preocupam com o futuro do nosso Movimento, além de se inteessarem profundamente pela formação espírita das novas gerações.
Sem considerar, neste momento, a ação junto à criança e ao jovem na sua importância maior, que é a da evangelização à luz do Espiritismo, vamos enfocar o aspecto continuidade e qualidade do Movimento Espírita que, em futuro próximo, estará nas mãos dos que hoje frequentam, na condição de crianças e de adolescentes, as Escolas de Evangelização Espírita mantidas pelos Centros.
As exigências da vida atual, no que tange à organização e ao funcionamento das Casas Espíritas, ao estudo metódico da Doutrina Espírita e às demais atividades desenvolvidas, estão a apontar maior complexidade no futuro, o que implica a necessidade de preparar os obreiros dos novos tempos com conhecimentos e firmeza de convicções tais que o capacitem a enfrentar, com segurança e eficiência, esse futuro que já aponta com características claramente perceptíveis.
Em razão disso, podemos concluir que a atividade de Evangelização Espírita no Centro é um empreendimento que está desafiando os dirigentes, não só pela sua importância e oportunidade, como, principalmente, pela sua complexidade, pois exige uma equipe com habilitação específica para que possa ser desenvolvido.
Esse fator não deve, entretanto, servir de empecilho intransponível à sua realização. É preciso, sim, mediante um plano elaborado com a participação de todos os trabalhadores do Centro que se criem condições para as atividades de evangelização. Essas condições consistem em reunir pessoas interessadas no trabalho; em procurar os órgãos de unificação do Movimento Espírita para obter programas de ensino, planos de aula e outras informações, mais fáceis de serem encontradas nesses órgãos. Deve haver um envolvimento geral de toda a diretoria da Casa no sentido de seu interesse pelo novo trabalho, gerando um clima propício à sua instalação e posterior desenvolvimento.
Criada a tarefa, parte-se em busca do seu constante aprimoramento, pois quem se dedica ao ensino da Doutrina Espírita às crianças e ao jovem precisa estar sempre atualizado em relação a métodos e processos de ensino, sem falar na necessidade dos conhecimentos doutrinários e da conduta condizente com a incumbência que lhe está afeta.
O Centro Espírita consciente, pois, de sua missão deve envidar todos os esforços não só para a criação das Escolas de Evangelização Espírita Infanto-juvenil, como também para seu pleno funcionamento, considerando a sua importância em termos de formação moral das novas gerações e de preparação de futuros obreiros da Casa e do Movimento Espírita.
Cecília Rocha

#Tenhamos um abençoado dia!!!!!!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Felipa em 14 de Fevereiro de 2014, 00:13

Importância da Evangelização Infanto- Juvenil

A principal finalidade de o Espírito retornar em um corpo infantil é ser educado novamente. As impressões positivas que recebe durante a infância podem ser determinantes em sua existência atual e em próximas vidas. Exatamente por causa do estado de semi-consciência do Espírito encarnado, num corpo infantil, suas barreiras de defesa psíquica estão neutralizadas: ele está brando, mais receptivo, mais maleável, mais aberto a todas as influências...
Daí a importância da Evangelização Espírita, pois evangelizar é preparar o ser humano para enfrentar todos os momentos e adversidades da vida nos postulados do Evangelho. É o único meio de cultivar no Espírito da criança, desde o alvorecer da vida, o entendimento da prática das boas obras, a aquisição da moral e do saber, para que ela atinja o crepúsculo físico consciente de suas conquistas espirituais, conhecendo a si mesma e situando-se no Universo como colaboradora da Divindade Suprema.
Inútil improvisar escoras regenerativas para obrigar o endireitamento de árvores que envelheceram tortas. As escoras só asseguram o crescimento correto das plantas novas, evitando que seus caules se desviem do rumo certo.
Assim ocorre também como os seres humanos. Depois que as pessoas consolidam tendências e as transformam em viciações, que acabam por tornar-se numa segunda natureza, tudo fica sempre muito difícil quando se cogita de reformas de procedimento, em sentido profundo.
É preciso cuidemos, portanto, da criança e do jovem, plantas em processo de crescimento, ainda amoldáveis e direcionáveis para o bem maior.
(Campo Fértil, Leopoldo Machado
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Felipa em 14 de Fevereiro de 2014, 16:07

Quais são os pré-requisitos para Evangelizar?
Além de estar freqüentando o Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita e ter disponibilidade de horário e responsabilidade para a atividade proposta, cabe salientar as características do evangelizador, segundo Helena Bertoldo da Silva, Coordenadora do Setor de Infância do DIJ/FERGS.

Amor - o amor, sendo o sentimento por excelência, é condição primeira para a tarefa de evangelizar;

Conhecimento doutrinário - o evangelizador vai ensinar (facilitar) o conhecimento espírita, portanto, ele tem que conhecer os postulados doutrinários, para tanto, além do esforço individual, na busca desse conhecimento, deve freqüentar o Grupo de Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita (ESDE) em uma Casa Espírita;

Exemplificação - o evangelizador deve vivenciar ou, pelo menos, lutar para vivenciar os ensinos de Cristo, porque o exemplo ainda é o melhor argumento e para que o ato de evangelizar não se vulgarize no "faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço", é importante que o evangelizador seja para a criança e o jovem modelo de vivência daquilo que ele ensina;

Consciência da tarefa - é importante que o evangelizador esteja convencido de que a Evangelização é um meio de educação da geração futura, e que o ato de evangelizar exige que ele se qualifique cada vez mais;

Entusiasmo - é fundamental que o evangelizador esteja totalmente envolvido no processo da Evangelização, cativado por esse processo ele terá que "transbordar" entusiasmo, no falar, no agir, no olhar, no vivenciar, etc;

Ser flexível, receptivo - o evangelizador, em nenhum momento, deve ter a pretensão de que tudo sabe, que faz o melhor e que já está "pronto", mas deve estar aberto, receptivo a novos conhecimentos, aceitar a avaliação do seu trabalho, ser flexível às mudanças, quando se fizerem necessárias. É imprescindível que o evangelizador busque continuadamente aprimorar-se;

Conhecer o Currículo - sendo o Currículo para as Escolas Espíritas de Evangelização Infanto-Juvenil, rumo norteador da Evangelização Espírita, o evangelizador deverá conhecê-lo e saber a função do mesmo e da sua inserção no Movimento Espírita;

Saber escolher metodologias adequadas - é importante que o evangelizador conheça as metodologias que possibilitem ao evangelizando a elaboração e a construção do seu conhecimento; noções de didáticas, técnicas de ensino, psicologia, literatura, música, teatro auxiliam no desempenho da tarefa;

Saber avaliar - a avaliação é primordial em todo e qualquer processo e não poderia ser diferente na Evangelização. O evangelizador deve avaliar, sempre, a si mesmo e ao evangelizando, fazendo o feed-back, retomando (se necessário) por novos caminhos, para alcançar os objetivos propostos no seu planejamento;

Auto-aprimoramento - o evangelizador não deve descuidar da sua transformação moral, buscando conhecer-se através de auto-avaliação e, dentro da orientação cristã, detectar suas tendências viciosas e lutar para transformá-las em virtudes.

"(...) Esse elemento é a educação, não a educação intelectual, mas a educação moral. Não nos referimos, porém, à educação moral pelos livros e sim à que consiste na arte de formar os caracteres, à que incute hábitos porquanto a educação é o conjunto dos hábitos adquiridos."

Comentário de Allan Kardec em O Livro dos Espíritos, questão 685.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Felipa em 15 de Fevereiro de 2014, 22:41

EVANGELIZAÇÃO – TAREFA SUBLIME

A Doutrina Espírita representa, hoje, elevada escola de educação do Espírito, com a grandiosa tarefa da edificação do Reino de Deus na Terra, reino esse que se inicia no interior de cada um.
A tarefa de evangelização da criança e do jovem assume um caráter da mais alta importância em todo o Movimento Espírita.
Precisamos olhar a criança em sua verdadeira natureza de Espírito imortal, filho de Deus, dotado do germe da perfeição, que renasce para evoluir, para desenvolver suas potencialidades.
A evangelização deve optar por uma metodologia ativa, dinâmica, onde a criança seja co-participante de seu próprio processo educativo, vivenciando as experiências, sentindo, compreendendo e vibrando em cada atividade, desenvolvendo, assim, gradualmente suas potencialidades, encaminhando-se para a sua autonomia moral e intelectual, como ser que pensa, sente e age no bem.
Evangelizar é também um processo natural de espiritualização do ser, de desenvolvimento das potências anímicas do ser espiritual que somos todos nós. Espíritos imortais, filhos de Deus, à caminho da perfeição – em síntese: o desenvolvimento do Reino de Deus dentro de cada um, atendendo ao fabuloso apelo de Jesus: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus, e tudo o mais virá por acréscimo...”
Para isso destaca-se também a importância da arte no processo de evangelização, tanto da literatura, das artes plásticas, do teatro, da dança e da música. Muitas vezes apenas o intelecto, a razão, não consegue atingir certos estados vibratórios superiores. As artes, em especial a música, o teatro e a dança nos permitem oferecer à criança e a jovem a oportunidade de ingresso em freqüências de nível elevado.
A Evangelização, pois, assume um caráter da mais alta importância no momento evolutivo em que vivemos, como mola propulsora de todo o progresso para uma Nova Era, que necessita do trabalho, esforço, dedicação e amor de todos nós, de todos os Espíritos que aqui renascerão e que precisam encontrar apoio e ambiente necessário nessa fabulosa escola do Espírito: o Centro Espírita.
Necessitamos, pois, prestar toda a colaboração possível nas atividades da evangelização da criança e do jovem.

Trechos do Jornal Vida Espírita ( Valter Oliveira Alves ) – Panorama Espirita
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: lconforjr em 16 de Fevereiro de 2014, 03:16
Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita

      Maria47  (ref #81 em: 140214, 16:07)

      A amiga Maria trouxe texto sobre os requisitos necessários ao verdadeiro Evangelizador preencher.

      Texto: "Quais são os pré-requisitos para Evangelizar?

      "As características do evangelizador... : ter Amor - o amor, sendo o sentimento por excelência, é condição primeira para a tarefa de evangelizar.".
...

      Minha gente, temos de raciocinar, trabalhar, queimar as pestanas. Vejam que sempre e sempre, o Amor está em primeiro lugar! Neste tema é “condição primeira”!

      Temos de procurar encontrar aquilo que coloque Amor em nosso íntimo! Temos de procurar saber como fazer para que o Amor exista em nós, como fazer para que haja em nossa natureza Amor bastante para que, com ele, afaguemos os semelhantes, os necessitados, os que precisam de consolo, os que sofrem!!

      Temos de, forçosamente, procurar ter Amor! Como a própria doutrina diz, é sua bandeira, “Fora da caridade não há salvação”, evidentemente caridade no seu sentido mais sublime que é o Amor! Mas, como nem religiões, nem religiosos sabem como fazer para ter amor ou para amar, elas também não sabem ensinar e ninguém aprende isso nem com conselhos, ensinamentos, com palavras escritas ou faladas, com o ler mensagens elevadas, inspiradoras, nem com os exemplos de quem quer que sejam.

      Se é assim, como deve fazer quem se dispõe a evangelizar se deseja cumprir essa missão, não para adquirir méritos, não para ser bem visto pelos demais, mas para espargir Amor?

      Amor não é expressão facial, não é manifestação exterior de ações bondosas, não é a palavra, o conselho suave, o consolo que que se pode dar.

      Amor é sentimento que deve ser encontrado nas “profundezas mais profundas” de nosso coração, que deve mesmo ser parte de nossa natureza de filhos de Deus.   

      Sendo assim, como fazer para encontrá-lo e fazer que preencha nosso coração?
....................
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: lconforjr em 16 de Fevereiro de 2014, 13:51
............

      Bom domingo.

      Amigos          (ref #83, 160214)

      Amor é sentimento que deve ser encontrado nas “profundezas mais profundas” de nosso coração, que deve mesmo ser parte de nossa natureza de filhos de Deus.   

      Sendo assim, como fazer para encontrá-lo e fazer que preencha nosso coração?

      A solução está bem aqui, perto de nós, aqui no Livro dos Médiuns, cap 3, item 35.

....................

Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 17 de Fevereiro de 2014, 10:35
" O Espiritismo é forte porque assenta sobre as próprias bases da religião: Deus, a alma, as penas e as recompensas futuras; sobretudo, porque mostra que essas penas e recompensas são colorários naturais da vida terrestre e, ainda, porque, no quadro que apresenta do futuro, nada há que a razão mais exigente possa recusar. O Livros dos Espíritos, conclusão, item V."
"A moral que os Espíritos ensinam é a do Cristo, pela razão de que não há outra melhor. (...)" A Gênese - cap. I, item 56.


O Programa de Evangelização Espírita da Infância e da Juventude deverá estar integralmente baseado nessas assertivas expressas por Allan Kardec em A Gênese, no capítulo que trata do caráter da revelação espírita, e na conclusão de O Livro dos Espíritos.
Fornecendo ao evangelizando os novos conceitos de Deus, de alma, de penas e recompensas futuras, de religião, que o Espiritismo oferece, já de início estabelece um elo de ligação do educando com Deus, porque Deus lhe é apresentado dentro da concepção espírita, que elucida todo tipo de dificuldade que alguém possa ter no que concerne ao entendimento da existência de Deus e de sua paternidade.
Estabelacido esse elo de ligação, por meio da fé raciocinada, das mais lógicas explicações dos mecanismos pelos quais se manifesta a Justiça Divina (lei de causa e efeito), o evangelizando dá o primeiro e decisivo passo na estrada que deverá percorrer em busca do seu auto-aperfeiçoamento moral.
Pos sentir-se filho de Deus, que é a suprema bondade, a sabedoria, o amor e a justiça, o criador do mundo em que vivemos, e de todos os mundos que povoam o Universo infindável, admitirá, facilmente e sem vacilações, a ideia de sua sobrevivência e de sua sobrevivência e de sua destinação. Reconhecer-se-á como um ser imortal e perfectível, a caminho do pleno progresso espiritual, pelo seu esforço próprio e pelas oportunidades que, para isso, o Pai lhe concede.
Realmente o Espiritismo é forte e se fundamenta, também, na religião, entendida de acordo com seus esclarecimentos. Assim como modificou os conceitos de Deus, da alma, de penas e recompensas futuras, também deu novas dimensões ao conceito de religião que, à sua luz, é despojada de todo e qualquer adereço exterior ou formalístico para representar tão somente a ideia de ligação da criatura com o Criador.
Ao lado dos ensinamentos que o Espiritismo oferece, destaca-se a moral evangélica que, segundo Kardec, é a moral que os Espíritos recomendam, pela razão de que não existe outra melhor.
Fica, mais uma vez, justificada a denominação dada à tarefa que se realiza junto às crianças e aos jovens. Também fica evidenciado que se o programa se desenvolve junto às novas gerações estiver em perfeito acordo com as conclusões do Codificador do Espiritismo, a respeito da importância e da abrangência das lições do Evangelho de Jesus Cristo. (...) Continuo mais tarde...

Abençoada manhã a todos!!!!!!! :-*
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: chenrique.vr em 17 de Fevereiro de 2014, 19:00
Boa tarde a todos;
Gostaria de deixar minha contribuição no sentido de lembrar uma passagem do nosso ESE.

(...) compreendei agora o grande papel da Humanidade; compreendei que, quando produzis um corpo, a alma que nele encarna vem do espaço para progredir; inteirai-vos dos vossos deveres e ponde todo o vosso amor em aproximar de Deus essa alma; tal a missão que vos está confiada e cuja recompensa recebereis, se fielmente a cumprirdes. (...)
O Evangelho segundo o Espiritismo, cap. XIV.

Abraço fraterno.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 17 de Fevereiro de 2014, 19:07
Olá chenrique.vr, boa contrubuição... Faça isso sempre que puder para engrandecer nosso estudo... Abraço e tenha uma iluminada semana!!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Felipa em 17 de Fevereiro de 2014, 23:45

Escola de Evangelização

"A missão educativa do Espiritismo junto às almas é tarefa por demais intensa, contínua e crescente, buscando revelar a verdadeira luz e estimulando a fé junto aos panoramas regenerativos da Terra, onde somente um Mestre, que é Jesus, há de inspirar cada criatura em sua própria iluminação."
(Bezerra de Menezes)

Evangelização da criança
Evangelização é auxiliar a criança a conhecer a si mesmos e às Leis Divinas que regem os mundos e os seres, desenvolvendo o sentimento de amor, influenciando de forma positiva o relacionamento entre os familiares, com o próximo em geral e com as criaturas da natureza.
A criança evangelizada será, o espírito esclarecido, vibrando em sintonia com as Leis Universais e colaborando conscientemente com Deus na grande obra da Criação Infinita.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 18 de Fevereiro de 2014, 17:44
Boa tarde a todos, abençoado dia a todos!!!!
# Continuação do post anterior...
(...) Todavia, à medida que o trabalho se desenvolve, novas formas de ação, novos enfoques e novos procedimentos didáticos são adotados de acordo com a exigências da época; mas o fundamento, que é o ensino dos princípios espíritas e da moral evangélica, continuará subsistindo como alicerce irremovível da edificação espiritual de crianças e jovens.
Trabalhando sobre as bases acima enunciadas, podemos ficar tranquilos quanto à colheita dos frutos. Não duvidemos do valor desse esforço, que se  realiza por inspiração dos Espíritos Superiores.
Por isso mesmo, cumpre destacar que, mediante a adequada e persistente aplicação desse programa, nas Casas Espíritas, atendendo às necessidades mais prementes dos seres que compõem as gerações novas e dos que lhes vierem reforçar as fileiras, no porvir, o mundo se beneficiará com as transformações dos indivíduos, os quais se revelarão aptos a integrar e a representar na Terra um anova ordem social.
"(...) O essencial está em que o ensino dos espíritos é eminentemente cristão; apoia-se na imortalidade da alma, nas penas e recompensas futuras, na justiça de Deus, no livre-arbítrio do homem, na moral de Cristo. Logo, não é anti-religioso." O Livro dos Espíritos - parte II, cap. V. - fragmentos.(...)

Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 18 de Fevereiro de 2014, 17:51
"Palavras convencem... Exemplos arrastam..."
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: GersonTavares em 19 de Fevereiro de 2014, 00:13
Olá, boa noite!

Gostaria de aproveitar o tópico e pedir ajuda aos amigos do fórum.

Ainda esse ano iremos falar de cristianismo para as crianças, na evangelização. Gostaria de indicações de livros que abordasse os antecedentes de Jesus, Moisés, João Batista...

Alguém tem um bom para indicar?  :D
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Felipa em 19 de Fevereiro de 2014, 01:16

“FAZ-SE URGENTE O RETORNO DE JESUS À FAMÍLIA". - aconselha Joanna de Ângelis

Não através de imagens, amuletos, etc., mas através do estudo do Evangelho, e da vivência de seus ensinamentos.
O que vem ocorrendo nos lares é que a maioria dos pais e mães estão despreparados para enfrentar as dificuldades do trabalho educativo e acabam por tomar atitudes erradas, tanto na prevenção quanto na terapêutica, para corrigir os problemas que surgem. Como disse André Luiz:“Na fase atual evolutiva do planeta, existem na esfera carnal raríssimas uniões de almas gêmeas, reduzidos matrimônios de almas irmãs ou afins, e esmagadora porcentagem de ligações de resgate. O maior número de casais humanos é constituído de verdadeiros forçados, sob algemas.” Portanto, diante dos ajustes de seus próprios problemas, os filhos tornam-se, muitas vezes, mais problemas. Muitos pais tentam compensar o tempo que ficam fora trabalhando ou por estarem separados comprando coisas para os filhos, fazendo suas vontades e não colocando limites. Com isso, muitos estragam seus filhos porque os liberam demais, outros prendem demais, outros os ignoram, transferindo a responsabilidade de educar para outras pessoas, ou então, superprotegem, transformando-os em egoístas, orgulhosos, frágeis diante dos problemas. Fazendo tudo para nossos filhos, eles acostumarão e acharão que todos terão que fazer o mesmo. Fraquejarão no primeiro obstáculo. Os meninos acharão que suas esposas deverão fazer tudo para eles e que eles não devem ajudar. E as meninas serão péssimas organizadoras do lar, e irão querer empregadas para mínimas coisas, ou dependerão dos pais para tudo. Resumindo, provavelmente, terão um casamento fracassado. Não os carreguemos nos braços, caminhemos com eles. Porque “Aquele que estraga seus filhos com mimos terá que pensar as feridas.”(Eclesiástico, 30:7).
 Rudymara
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 19 de Fevereiro de 2014, 13:06
Olá, boa noite!

Gostaria de aproveitar o tópico e pedir ajuda aos amigos do fórum.

Ainda esse ano iremos falar de cristianismo para as crianças, na evangelização. Gostaria de indicações de livros que abordasse os antecedentes de Jesus, Moisés, João Batista...

Alguém tem um bom para indicar?  :D

Olá Gerson, bom dia!!!
Nas Federações Estaduais existem os DIJ - Departamento da Infância e da Juventude, aonde você pode obter, planejamentos de aulas, exemplos de oficinas, qualificação de evangelizadores...
Fora isso, eu não indicaria que trabalhasse os antecedentes de Jesus com as crianças, pois são assuntos complexos para a maturidade deles, isso elas estudarão conforme passarem os anos e elas chegarem aos grupos de estudo dos adultos; o ideal, é que se trabalhe Deus e Jesus! Em linguagem adequada à idade deles.
E subsidie-se sempre em O Livro dos Espíritos, para que essas crianças possam absorver os princípios doutrinários, para todos os assuntos já a vida de Jesus, está toda no Novo Testamento... O Evangelizador que esteja estudando as obras básicas, terá em sua mente as informações necessárias e a partir daí conseguirá abordar de uma forma segura e eficaz com as crianças.
Utilizo com minhas crianças de 7 anos acima, O Livro dos Espíritos para crianças em 4 volumes, que possui os conteúdos fiéis com uma linguagem diferenciada e pertinente para elas, com atividades fantásticas que xeroco e passo para elas fazerem na aula.
Enfim... É isso...
Boa sorte no trabalho e conte sempre com o apoio dos amigos espirituais em sua tarefa...
Abraço fraterno!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: chenrique.vr em 19 de Fevereiro de 2014, 15:10
“FAZ-SE URGENTE O RETORNO DE JESUS À FAMÍLIA". - aconselha Joanna de Ângelis

Olá Maria47;
A passagem de Joana de Ângelis foi lembrada por você com muita propriedade. Ela cabe sem dúvida ao nosso assunto "Evangelização Espírita".

O significado da palavra evangelizar é: pregar o evangelho.

Dentre várias maneiras e oportunidades que temos de pregar o evangelho, existe uma que não pode ser esquecida; a prática semanal do estudo do Evangelho do Cristo no Lar, colocando-nos de frente com os ensinamentos de Jesus.
Oportunidade que a família tem de se evangelizar, além de proporcionar  momento de harmonia, unindo e fortalecendo os laços da convivência.

Bons estudos.


Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Mourarego em 19 de Fevereiro de 2014, 16:08
Muito se fala em evangelizar no meio do MEB, mas Kardec falou nisso?
ando a crer, já que o codificador, nunca tenha se manifestado a respeito, fosse contrário até mesmo por duas razões simples: A primeira é que ele não via a DE como nova religião, a segunda é que tendo trazido à estudo dos Espíritos a obra O ESE, ali colocou tudo oque ele e os Espíritos Superiores entendiam com de bom alvitre para o aprimoramento moral. Por isso mesmo o nome da obra não foi outro senão O Evangelho Segundo O Espiritismo.
mas o que se vê nas casas espíritas? algo em torno do que kardec estipulara? Não, amigos sem bem que haja algumas casas que trabalhem segundo a DE, mas a maioria apenas encontra na evangelização outra espécie de catequese.
Esta a minha visão.
Abraços,
Moura
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 19 de Fevereiro de 2014, 16:24
Até que enfim heim mano Moura... Achei que fosse fazer desfeita, rs...
E você tem razão no que diz, infelizmente... Muitas pessoas trazem à DE várias condutas e posturas de outras religiões... Mas se pensarmos que dos males, o menor, pelo menos há a tentativa de apresentar Jesus às crianças, o que já tá valendo.
Agora, 'old mano', como vc diz, quanto a Kardec, em OLE e outras obras já citadas neste estudo, há os toques dele nos alertando para esta atenção com nossas crianças, não com a palavra Evangelização, mas como 'ensinai', 'esclarecei', 'responsabilidade dos pais', etc, etc, etc. E como para um bom entendedor, um pingo é letra, nós enquanto estudantes, pais, médiuns, enfim, trabalhadores não podemos deixar estes Espíritos, ora crianças sob nossa tutela, cresçam 'deixando a vida' levá-las, sem orientação nem direcionamento, né?!
Abração, e tenha uma iluminada semana!!!! :-*
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 19 de Fevereiro de 2014, 16:34
Muito oportuno seu comentário também chenrique.vr, o culto do Evangelho no Lar é fundamental para a harmonização fluídica do recinto doméstico, bem como para que os pais possam semear em seus filhos os ensinamentos de Cristo, além de um momento de reflexões o que sempre é bom para nós todos...
Abraço e tenha uma boa semana...
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 19 de Fevereiro de 2014, 17:16
Allan Kardec, ao longo de sua atividade espírita, quer por meio de seus livros, quer por seus artigos na Revue Spirite, enfatizou sempre a necessidade da formação moral do homem embasada nos ensinamentos do Cristo.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Mourarego em 19 de Fevereiro de 2014, 17:18
Adoro conversar contigo Aline,
porque você mostra que estuda a DE e que é inteligente a ponto de compreender bem e por isso saca os vocábulos esclarecer e ensinar. Este os deveres dos pais.
Agora que se note que o esclarecimento há de ser na totalidade que o termo tras, não somente na parte moral, onde O ESE é o fiel da balança, mas o que se vê? Eu mesmo já tive o desprazer de ver professoras de evangelização sacaram da bíblia e comentarem as passagens segundo Emmanuel Joanna e outros, e ficou brava comigo quando lhe perguntei onde estavam as respostas destes Espíritos na obra fundamental...
Sabemos todos que os vícios existem e que grassam junto com as tendencias de cada um que não tenha na DE o fulcro de suas convicções. e disso vão sofrer aqueles que lhes dêem crédito.
E não me venham responder colocando o Chico como mentiroso, ele foi o que foi e o foi da melhor maneira que já vi, um médium, pois médium algum pode modificar, interpolar ou transformar a idéia que lhe foi passada por um Espirito em coisa diferente do ditado.
Sendo assim a conscientização há de ser no amplexo propagado pela obra doutrinária e não sacada de outra fonte que não passou pelo CUEE.
Abração amiga!
Moura
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Mourarego em 19 de Fevereiro de 2014, 17:22
Veja amiga Aline,
como nós mesmos, por vezes acabamos repetindo uma idéia errônea, de tanto a ouvir ou ler. Em sua resposta ao amigo  chenrique.vr, você fala em culto,. quando o codificador foi bastante claro ao afirmar que a DE não o contempla sob forma alguma.
Imagine então se nós que estudamos a DE por vezes escorregamos oque e que mal fará na cabeça de crianças um ensino feito de modo errado?
abração,
Moura
Muito oportuno seu comentário também chenrique.vr, o culto do Evangelho no Lar é fundamental para a harmonização fluídica do recinto doméstico, bem como para que os pais possam semear em seus filhos os ensinamentos de Cristo, além de um momento de reflexões o que sempre é bom para nós todos...
Abraço e tenha uma boa semana...

Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Edna☼ em 19 de Fevereiro de 2014, 17:38
Olá Aline e demais amigos,

O importante tema do mês será discutido em Portugal, quem estiver na região vale a pena prestigiar a abordagem que será feita por  Tânia Menezes.


Tânia Menezes é a responsável pelo DIJ (dos 3 aos 12 anos) do Centro Espírita Caminho da Redenção (Mansão do Caminho), e estará em Portugal.


Nos dias 8 e 9 de Março estará na FEP (Federação Espírita Portuguesa), na Praceta Casal de Cascais, 4 r/c - Alto da Damaia, com o seguinte programa:

Sábado dia 8, às 15h

As Crianças da Nova Era (limites, desafios, mundo virtual...)

Domingo dia 9, das 9.30h às 17h

O Evangelizador
A importância da Família
Metodologias
Vivências de atividades em grupos específicos

Para saber mais contacte a Federação Espírita Portuguêsa, em fep.dij@gmail.com



* * * * *


No dia 16 de Março, domingo, na sede da Associação Espírita de Leiria, na Rua da Cervas, nº 135 - Barosa - Leiria.

Os trabalhos decorrerão das 9.30h às 17h, e têm o seguinte programa:

A importância da Evangelização hoje
A importância da Família
Metodologias
Vivências de atividades em grupos específicos.


Fonte: FEP e ADEP


Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/portugal/as-criancas-da-nova-era-tania-menezes/#ixzz2tn3S621z

Abraços fraternos,

Edna ;)
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 19 de Fevereiro de 2014, 17:44
Veja amiga Aline,
como nós mesmos, por vezes acabamos repetindo uma idéia errônea, de tanto a ouvir ou ler. Em sua resposta ao amigo  chenrique.vr, você fala em culto,. quando o codificador foi bastante claro ao afirmar que a DE não o contempla sob forma alguma.
Imagine então se nós que estudamos a DE por vezes escorregamos oque e que mal fará na cabeça de crianças um ensino feito de modo errado?
abração,
Moura
Muito oportuno seu comentário também chenrique.vr, o culto do Evangelho no Lar é fundamental para a harmonização fluídica do recinto doméstico, bem como para que os pais possam semear em seus filhos os ensinamentos de Cristo, além de um momento de reflexões o que sempre é bom para nós todos...
Abraço e tenha uma boa semana...

[/size]

Mano Moura, são palavras, e não sei se sabe, nunca fui de outra religião, sempre soube que se chama assim as nossas reuniões semanais em casa. Mas são palavras e palavras o vento leva, nós Espíritas devemos nos preocupar com a nossa conduta. Independente do nome que se dê, até porque, se as palavras perdem o sentido conforme a traduzimos para vários idiomas, imagina no plano espiritual o quão insignificante elas são... Conduta mano Moura, não nos apeguemos às letras... É só exemplificar para elas que é a melhor forma de ensino...
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 19 de Fevereiro de 2014, 18:17
Adoro conversar contigo Aline,
(...)
Sendo assim a conscientização há de ser no amplexo propagado pela obra doutrinária e não sacada de outra fonte que não passou pelo CUEE.
Abração amiga!
Moura

Agradeço mano e tenho aprendido bastante com seus posicionamentos aqui e no face. Agora com relação aos embasamentos que estou usando para o estudo aqui, não fujo ao que determina a DE em nada, e se fizer isso é por desconhecimento, e peço que me orientem neste sentido. No caso do CUEE, é um órgão ativo ainda?
Tenho muito cuidado no embasamento dos planejamentos que faço tanto para cá quanto para as aulas de Evangelização aqui no Centro.
Entendo perfeitamente seu posicionamento, respeito e admiro sua postura fidedigna à DE, mas, mano, vc sabe sou do time dos 'progressistas' e tenho uma visão diferenciada para certos assuntos, como a Evangelização por exemplo... O que não me faz diferente dos espíritas mais 'old',  :D, tá na nossa hora de "grudar no chifre do boi e fazer o bicho andar", e estamos trabalhando e muito para manter a sensação de dever cumprido, estudando e passando para frente...
Fico feliz, gosto de falar contigo tb!!!! Aprendo muito!
Abração!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Antonio Renato em 19 de Fevereiro de 2014, 23:49

Minha querida irmã Aline,com a sua permissão,fugindo um pouco do debate,gostaria que a
nossa irmã Edna nos desse notícias de restabelecimento do nosso irmão Altino,Grande e-
-vangelizador,esse é fera.Brigadão minha querida irmã Aline.
Fique na paz.
Ps.Mano Moura,nordestino como eu,até que enfim deu o ar da sua graça,como sempre com a palmatória na mão,kkkkkkkkk.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 20 de Fevereiro de 2014, 00:42
Veja amiga Aline,
como nós mesmos, por vezes acabamos repetindo uma idéia errônea, de tanto a ouvir ou ler. Em sua resposta ao amigo  chenrique.vr, você fala em culto,. quando o codificador foi bastante claro ao afirmar que a DE não o contempla sob forma alguma.
Imagine então se nós que estudamos a DE por vezes escorregamos oque e que mal fará na cabeça de crianças um ensino feito de modo errado?
abração,
Moura
Muito oportuno seu comentário também chenrique.vr, o culto do Evangelho no Lar é fundamental para a harmonização fluídica do recinto doméstico, bem como para que os pais possam semear em seus filhos os ensinamentos de Cristo, além de um momento de reflexões o que sempre é bom para nós todos...
Abraço e tenha uma boa semana...


Creio que o culto espírita existe
e se embasa na DE

É o que entendo
Pois o mesmo é religião
Essa é a educação da DE.

Não afirmo para alimentar polêmica mas para
evidenciar a DE.


Desde que há a lei de adoração
há o culto para o cumprimento da adoração.

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////


 649. Em que consiste a adoração?

     — E a elevação do pensamento a Deus. Pela adoração o homem aproxima de Deus a sua alma.

     650. A adoração é o resultado de um sentimento inato ou produto de um ensinamento?

     —Sentimento inato, como o da Divindade. A consciência de sua fraqueza leva o homem a se curvar diante daquele que o pode proteger.

     651. Houve povos desprovidos de todo sentimento de adoração?

     — Não, porque jamais houve povos ateus. Todos compreendem que há, acima deles, um ser supremo.

     652. Pode-se considerar a adoração como tendo sua fonte na lei natural?

     — Ela faz parte da lei natural, porque é o resultado de um sentimento inato no homem; por isso a encontramos entre todos os povos, embora sob formas diferentes.

Esta claro esta questão
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Kazaoka em 20 de Fevereiro de 2014, 01:20
Se não existe a recomendação expressa do "Culto no Lar" nas obras da codificação, por outro lado ela recomenda o recolhimento à prece em várias passagens destas mesmas obras. E o Culto do Evangelho no Lar nada mais é do que a prece em família.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Edna☼ em 20 de Fevereiro de 2014, 02:08
Olá Aline, peço licença para responder...

Minha querida irmã Aline, com a sua permissão, fugindo um pouco do debate, gostaria que a  nossa irmã Edna nos desse notícias de restabelecimento do nosso irmão Altino, Grande evangelizador, esse é fera.
Brigadão minha querida irmã Aline.
Fique na paz.

Querido irmão Renato,

Hoje mesmo o Altino deixou uma carinhosa mensagem aos amigos.

Agradeceu as preces e informou que saiu do Hospital e continuará trabalhando pela sua recuperação, e conta com nossas vibrações e apoio do Mestre Jesus.

E, como é um homem gentil deixou estas lindas flores como prova da sua amizade sincera.

[attachimg=1 width=300]

Vamos vibrar com muito carinho pelo querido amigo Altino, para que tenha forças, se recupere e volte ao nosso convívio!

Abraços,

Edna


Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 20 de Fevereiro de 2014, 10:35
Abençoado dia a todos!!!!! Dia lindo!!!!
Não há o que pedir licença Edna e Antônio... Fico feliz pelas notícias do Altino, continuemos em vibrações...


Ps.Mano Moura,nordestino como eu,até que enfim deu o ar da sua graça,como sempre com a palmatória na mão,kkkkkkkkk.

Antônio, como haveria de ser diferente??? kkkkkkkkkkkk Mano Moura é fera!  :D Ri demais da palmatória... kkkkkk

Moisés, estou em total concordância contigo nas suas colocações a respeito do Evangelho do lar.

Tenham um excelente e proveitoso dia!!!!!!
Abração!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 20 de Fevereiro de 2014, 11:00
"A Humanidade tem realizado, até o presente, incontestáveis progressos. Os homens, com a sua inteligência, chegaram a resultados que jamais haviam alcançado, sob o ponto de vista das ciências, das artes e do bem-estar material. Resta-lhes ainda um imenso progresso a realizar: o de fazerem que entre si reinem a caridade, a fraternidade, a solidariedade, que lhes assegurem o bem-estar moral. (...)"¹


Evangelho e DE, esse binômio que se funde em síntese de conhecimentos perenes e redentores, serão os elementos promotores da renovação moral e social da humanidade, que, nos albores do século XXI, ainda se debate nas angústias das guerras fratricidas, da fome, da opressão, das discriminações de várias ordens, da degenerescência dos costumes...

É novamente com o Mestre de Lyon que buscamos respaldo para as nossas assertivas:

O Espiritismo realiza, como ficou demonstrado (cap. I, nº 30) todas as condições do Consolador que Jesus prometeu. Não é uma doutrina individual, nem de concepção humana; ninguém pode dizer-se seu criador. É fruto do ensino coletivo dos Espíritos, ensino a que preside o Espírito de Verdade. Nada suprime do Evangelho: antes o completa e elucida. (...)"²

"Demais, se se considerar o poder moralizador do Espiritismo, pela finalidade que assina a todas as ações da vida, por tornar quase tangíveis as consequências do bem e do mal, pela força moral, a coragem e as consolações que dá nas aflições, mediante inalterável confiança no futuro, pela ideia de ter cada um perto de si os seres a quem amou, a certeza de que tudo quanto de fez, quanto se adquiriu em inteligência, sabedoria, moralidade, até a última hora da vida, não fica perdido, que tudo aproveita ao adiantamento do Espírito, reconhece-se que o espiritismo realiza todas as promessas do cristo a respeito do consolador anunciado. (...)" ³



Acreditamos, pelo exposto, que um programa de ensino, cujas bases estão alicerçadas nas lições do Evangelho e nos fundamentos do Espiritismo, tem condições, se bem aplicado, de oferecer aos Espíritos que se encontram neste mundo, na fase da infância e da adolescência, os recursos necessários ao seu auto-aprimoramento, levando-os a desenvolver o raciocínio, a inteligência, e a burilar os sentimentos.


¹ - A Gênese - Allan Kardec - Cap. XVIII (fragmentos).
² - A Gênese - Allan Kardec - Cap XVII (fragmentos).
³ - A Gênese - Allan Kardec - Cap. I (fragmentos).
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 20 de Fevereiro de 2014, 11:49
"Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo." Jesus (Marcos, 13:33.)

Não estou em condições de evangelizar! Quem sou eu para assumir tão sério compromisso! São expressões que se ouvem por parte daqueles que são convidados a colaborar nas tarefas de evangelização de crianças e adolescentes. Isto quando simplesmente não ignoram o convite achando esta tarefa por demais simples para médiuns.

Não obstante ser o 'tempo' diferente para cada um de nós, o certo é que a humanidade chegou a um patamar de evolução que já pode compreender o seu papel na sociedade deste planeta que caminha para dias melhores.

Acontece que, somente o olhar atento, o vigiar e o orar podem indicar o tempo de cada um. Que não percamos o nosso tempo individual pois, além de ser um enorme prejuízo para nós próprios, é, também para as gerações que estão retornando às lides terrenas, contando com a nossa colaboração ao seu esforço evolutivo. Oremos e meditemos.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Antonio Renato em 20 de Fevereiro de 2014, 12:52
Gostei dessa última parte minha irmã Aline. Os que alegam falta de preparo,são na verdade
omissos e não assumem verdadeira postura de um espirita,pois para evangelizar não se faz
necessário ter o dom da palavra,mas a vontade de dizer o que sabe para aqueles que nada
sabem.Os que dizem ser uma tarefa muito simples para um médium,são egoistas,vaidosos
que não conseguem dominar o seu ego.Diferente do eles pensam,evangelizar é uma tarefa
para os grandes.
Fique na paz.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 20 de Fevereiro de 2014, 23:20
Se não existe a recomendação expressa do "Culto no Lar" nas obras da codificação, por outro lado ela recomenda o recolhimento à prece em várias passagens destas mesmas obras. E o Culto do Evangelho no Lar nada mais é do que a prece em família.
Mano Kazaoka, cito sua postagem para colocar meus pitacos.
Conheço o esforço que as casas espíritas fazem para disseminar a prática do Evangelho no Lar, que nada mais é, pelo menos nas casas em que já trabalhei e ainda trabalho, o incentivo a prática do recolhimento para a prece e o estudo do Evangelho Segundo o Espiritismo, em família.
Quanto a expressão culto, citada, entendo que a DE é muito clara quanto a inexistência de paramentos, fórmulas e rituais mas, como o amigo cita, fomenta de forma ampla situações como o recolhimento, a meditação, o estudo e a prece, para os quais algumas pessoas, possuem sistemáticas, que podem ser consideradas ritualísticas, o que é de foro íntimo de cada um.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Joao Manuel Santos em 21 de Fevereiro de 2014, 09:17
21 fevereiro 2014

Afastado que tenho estado só hoje pude tomar conhecimento do tema do estudo proposto para o mês em curso, por sinal já mais perto do seu final.

Como fiquei com uma dúvida a pairar gostaria de obter esclarecimento, caso possível, sobre o título do estudo.

 "Evangelização Espírita"

Qual o real significado a atribuir a este título?

O que é Evangelizar?

O que é ser Espírita?

Creio ser muito importante o esclarecimento para melhor se entender o está em causa e, no seguimento da troca de odeias sobre o estudo todos ficarmos mais ricos de conhecimento.

Não gostaria de ver a Doutrina dos Espíritos cair na alçada das várias igrejas Evangélicas nascidas do desentendimento de Martinho Lutero com a hierarquia de Roma, o qual, excomungado mas recebido pelos senhores da Europa central e norte deu origem ao movimento, mais tarde Igreja Luterana a qual de cisão em cisão deu origem à miríades de igrejas evangélicas como temos conhecimento.

Antecipadamente fico grato e subscrevo-me dos meus caros Irmão de Ideal com desejos de muita Luz, muita paz.

Um abraço fraterno

João Manuel Santos 
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 21 de Fevereiro de 2014, 11:37
21 fevereiro 2014

Afastado que tenho estado só hoje pude tomar conhecimento do tema do estudo proposto para o mês em curso, por sinal já mais perto do seu final.

Como fiquei com uma dúvida a pairar gostaria de obter esclarecimento, caso possível, sobre o título do estudo.

 "Evangelização Espírita"

Qual o real significado a atribuir a este título?

O que é Evangelizar?

O que é ser Espírita?

João Manuel Santos

Bom Dia! Abençoada manhã a todos... Com votos de um excelente final de semana...
Seja muito bem vindo João Manuel...
Temos como único e exclusivo objetivo de esclarecer, com a ajuda dos amigos aqui do Fórum sobre a necessidade de direcionamento à moralização dos Espíritos que ora se encontra na infância. Período este, propício para que se possamos mostrar-lhes o que é certo e o que é errado. Apresentar-lhes Jesus com todos os Seus ensinamentos. Para que quando este Espírito recobrar à memória todas as suas tendências (arraigadas a seu Espírito), quando deixar de ser criança, ele tenha condições de discernir sobre seus atos e atitudes, usando de seu livre arbítrio... Isso seria o evangelizar...
E ser espírita meu caro é uma tarefa por demais pesada, é ter conhecimento das Leis Universais (ensinadas e exemplificadas por Cristo), é lutar diuturnamente contra nossas más tendências, é pôr em prática estes conhecimentos adquiridos através do estudo, é estudar muito, é ter disciplina perante a vida e com nossas atitudes... É estar ligados 25 horas por dia em nossa conduta, já que sabemos que 'uma nuvem de testemunhas' nos cerca.....
Enfim, meu amigo é assim que vejo esta situação...
Mas cada um tem os seus conceitos e peço aos demais amigos e visitantes que colaborem com os seus...
Abraço fraterno a todos e vamos que vamos firmes em mais um dia....
Vai dar tudo certo!!!!!  :-* :-* :-*
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Kazaoka em 21 de Fevereiro de 2014, 14:45

O que é Evangelizar?

O que é ser Espírita?


Evangelizar é aprimorar o conhecimento através do ensinamento que repassamos. E ser Espírita é crê nos Espíritos, saber distingui-los e seguir os ensinamentos dos bons.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Joao Manuel Santos em 21 de Fevereiro de 2014, 21:07
Evangelizar é aprimorar o conhecimento através do ensinamento que repassamos.
E ser Espírita é crer nos Espíritos, saber distingui-los e seguir os ensinamentos dos bons.

Irmão Kazaoka

Evangelho = a Boa Nova logo, Evangelizar será !!!!!!!!!!
Ser Espírita é crer nos Espíritos?
       Mas os espiritualistas também creem nos espíritos e não são epíritas.

Pode p.f. explicar melhor?

Grato e um abraço fraterno

João Manuel Santos


Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Kazaoka em 21 de Fevereiro de 2014, 22:12
O Espiritismo é uma doutrina espiritualista, isso pelo o que há de comum entre os espiritualistas, ou seja, a crença de que existe algo além da matéria. Até ai há esse ponto comum entre todos os espiritualistas. Entre os espiritualistas há os que creem na reencarnação e os que não concebem esta ideia. O Espiritismo se encaixa no primeiro grupo e vários outros pensamentos espiritualistas na segunda. É por ai que começa as diferenciações entre as religiões e seitas espiritualistas.

E evangelizar é colocar a luz sobre o candeeiro, como o próprio evangelho de Jesus nos ensina.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 21 de Fevereiro de 2014, 23:07
(...)
Ser Espírita é crer nos Espíritos?
       Mas os espiritualistas também creem nos espíritos e não são epíritas.

Pode p.f. explicar melhor?

Grato e um abraço fraterno

João Manuel Santos

João,

O espírita ou espiritista é todo aquele que é adepto da doutrina espírita. Todo espírita é um espiritualista porque acredita na existência de Espíritos, mas nem todo espiritualista é um espírita, porque crer na existência de Espíritos é apenas um dos princípios que definem o espírita.

Abraço,

 
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Joao Manuel Santos em 22 de Fevereiro de 2014, 17:36
Obrigado pelas prontas respostas.

Irmão Kazaoka, a sua resposta não sofre qualquer contestação quanto ao facto espiritualista e conheço bem a diferença de há muito tempo pelo que estamos em sintonia neste campo.
Quanto ao evangelizar, como tem sido apresentado, tenho entendido quase como uma obrigação de procurar ganhar adeptos para o movimento o que vai contra os princípios do mestre de Lion. Me penitencio antecipadamente se fiz uma interpretação errada, possível porque humano sou e, por isso, sujeito às vicissitudes da matéria.

Irmão Gustavo, quanto a esta sua colocação apenas transmito a minha própria opinião, que não afirmação peremptória: para e quanto a mim, Doutrina dos Espíritos.

"O espírita ou espiritista é todo aquele que é adepto da doutrina espírita. "

Desejos de muita paz
 João Manuel Santos
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Kazaoka em 22 de Fevereiro de 2014, 17:59
A proposta do Espiritismo com a tarefa da evangelização, principalmente a infantil, não é arrebanhar futuros adeptos à Doutrina. O objetivo é divulgar os ensinamentos morais de Jesus despidos das crendices, cujo ensinamento é o modelo moral adotado pelo Espiritismo.

O Espiritismo é formado, basicamente, por indivíduos dissidentes de outras doutrinas e ou religiões, e que viram nos princípios Espíritas uma base mais satisfatórias às suas dúvidas quanto a natureza e destinação do homem.

O Espiritismo prega a fé raciocinada que faz com que o crente creia porque compreende aquilo em que está crendo. O papel da evangelização Espírita é exatamente esse, o de oferecer a possibilidade de uma fé apoiada na razão.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 22 de Fevereiro de 2014, 19:03
A proposta do Espiritismo com a tarefa da evangelização, principalmente a infantil, não é arrebanhar futuros adeptos à Doutrina. O objetivo é divulgar os ensinamentos morais de Jesus despidos das crendices, cujo ensinamento é o modelo moral adotado pelo Espiritismo.

O Espiritismo é formado, basicamente, por indivíduos dissidentes de outras doutrinas e ou religiões, e que viram nos princípios Espíritas uma base mais satisfatórias às suas dúvidas quanto a natureza e destinação do homem.

O Espiritismo prega a fé raciocinada que faz com que o crente creia porque compreende aquilo em que está crendo. O papel da evangelização Espírita é exatamente esse, o de oferecer a possibilidade de uma fé apoiada na razão.
Faço minhas as suas palavras meu caro.
Acho que a base espírita esta sim na razão, no raciocínio, creio por que compreendo, e a evangelização é iluminar o caminho das pessoas.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: 1Berto em 23 de Fevereiro de 2014, 00:06
Aline e demais companheiros, boa noite.

Gostaria de saber quais são as propostas fundamentais da chamada "evangelização  infantil"?
Foi Allan Kardec que cunhou essa expressão "evangelização"?

Abraço fraterno
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Kazaoka em 23 de Fevereiro de 2014, 02:57
Uma das cinco obras que lastreiam a Doutrina Espírita chama-se O Evangelho Segundo o Espiritismo e esse título é auto explicativo e sugestivo sobre o que propõe esta obra dentro do Movimento Espírita mundial que é o que os Espíritos queriam que fosse feito com ela.

Quando da terceira revelação, esta tinha como alvo os homens maduros e em condições de recebê-la e compreendê-la nos seus princípios. Este era o público alvo e está era a pedra fundamental de uma obra que estava por iniciar.

Uma vez com os adultos compreendendo os ensinamentos dados pelos Espíritos, passou a caber a estes a sua divulgação e propagação. E nos dias de hoje já há uma estrutura doutrinária capaz de levar a base do Espiritismo, principalmente no que concerne à moral, aos jovens e crianças que nascendo em berços de famílias preocupadas em darem a seus filhos uma orientação moral, vêm na tarefa da evangelização, a oportunidade de oferecerem a seus filhos os ensinamentos da moral Cristã compatíveis com suas faixas etárias e condições de compreensão. A evangelização infantil é, portanto, mais uma pedra colocada sobre a primeira e que tem o fito de contribuir na construção deste edifício de redenção da Alma humana.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: meggiolaro em 23 de Fevereiro de 2014, 18:21
Comentamos todos nós sobre os efeitos benéficos de um de nossos deveres como indivíduos viventes, que é enquadrarmo-nos no ciclo da educação: "aprendemos aqui e ensinamos acolá", sempre, seja consciente ou inconscientemente.

Vale lembrar que nossas criancinhas, ainda enquanto "inocentinhos pequeninos", sob nossa responsabilidade e cuidados possuem livre arbítrio e informação pretéritas em seu arquivo mental. Desde então, mesmo com ensinamentos bondosos, conselhos carinhosos e exemplificação cristã podem eles às vezes incorrer nos caminhos menos felizes...

Isso não remove o mérito e a importância de estarmos atentos e ativos na prática da exemplificação e ensinamento do evangelho, é de verdadeira e grande importância.

A semente pode cair em diferentes terrenos, e vezes demorar mais ou menos para dar fruto... Uma vez ouvida a palavra e recebido o ensinamento de Jesus, uma vez advertido que apenas o cumprimento da Lei Divina leva à harmonia e felicidade, fica arquivado nos recantos da mente tais vivências. Então podemos "sair" e errar ou acertar, msa quando  Lei de Causa e Efeito "bate o martelo" por sobre as ações boas ou más de um indivíduo (nós)  o subconciente pode agir fazendo a consciencia tentar entender por que estamos passando por tais vivências. O desejo de evolução moral pode decorrer daí, e seja como for, ou com quanto tempo for... o progresso acontece. Ou seja, a sementinha plantada na evangelização infantil nunca é perdida, ela brota muito cedo ou muito tarde (apesar de nunca ser tarde), para fornecer à sociedade (encarnada e desencarnada) os frutos da PAZ. Grande Exemplo:

(No livro "Há 2000 mil anos..."- Espír. Emmanuel, (psicog. Chico Xavier)- Quando o Senador Publius Lentulus (Emmanuel) buscara Jesus, ele não deu importância às observações sublimes do Mestre. Quando vieram os problemas e vicissitudes, veio o sofrimento, aquele velho companheiro, aquela velha ferramenta das Leis que depura todos nossas imperfeições e nos conduz à felicidade... Publius já no fim da existencia recorreu ao Cristianismo nascente, então veio à tona a imagem Sagrada Daquele Lindo Espirito, Daquele Grande Mestre próximo ao Tiberíades, e a lembrança daquela sementinha que havia sido plantada anos antes... Pensemos nisso !!

A prevenção da educação é o melhor a fazermos, mas se tudo não sair conforme planejamos não nos preocupemos. Deus já planejou tudo.... a lá na frente a semente do Bem não será desperdiçada.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Felipa em 24 de Fevereiro de 2014, 00:22

Visões da Evangelização
agosto/2013 - Por Cezar Braga Said

Não há mais lugar nesse mundo para as ideias de paraíso e de inferno eterno.
Vemos na imensidade apenas seres que perseguem sua própria educação e que
se elevam pelos seus esforços no seio da harmonia universal.
Léon Denis (Depois da Morte, 2ª parte, cap. 12)
 
Durante muitos anos ouvimos dizer e também divulgamos que a evangelização salva.
Salvar é uma palavra que pode ter um cunho teológico, mas também um sentido literal de livrar do perigo, colocar-se ou colocar alguém em lugar seguro, protegido. No âmbito da medicina, os médicos diariamente salvam vidas, auxiliam criaturas no restabelecimento da saúde, preservam-nas da morte. Também no mundo dos negócios, quando alguém paga uma dívida para outrem ou empresta certa quantia num instante de desespero, de aperto financeiro, diz-se que fulano salvou o outro.
Do ponto de vista espírita a salvação não tem um caráter miraculoso, mas um sentido de autoeducação, que resulta numa transformação de nossos impulsos e hábitos, fazendo nascer dos escombros do homem velho um ser renovado e mais feliz. E isso dá trabalho e demanda tempo.
O Espiritismo, pois, não salva ninguém. Auxilia a cada um a salvar-se a si mesmo, no esforço íntimo, no silêncio da superação das próprias limitações.1
Quando afirmamos que a evangelização salva, devemos entender que ela instrumentaliza para o processo de salvação que é individual e que terá características, fases, ritmo e tempo diferenciado em cada Espírito.
Não se trata apenas de uma questão de palavras, mas de reforçar ou não os atavismos que trazemos do passado, que acabam fazendo com que vejamos coisas novas com lentes antigas.
Essa questão conceitual, por si só, leva-nos a pensar em diferentes abordagens que podemos fazer à tarefa de evangelizar, a partir de algumas visões estudadas na educação acadêmica.
Há quem atribua um caráter de redenção para a evangelização, que é exatamente essa visão salvacionista tradicional.
Acredita-se que bastará transmitirmos as lições evangélicas durante uma hora por semana, para fazermos o contraponto com o caráter meramente instrutivo de algumas escolas, com o descaso das mídias e com o alheamento e despreparo de muitos pais. Esses outros agentes educativos tendem a massificar o comportamento, condicionando crianças e jovens rapidamente, até mesmo pelo tempo de convivência e exposição aos mesmos.
Nesse sentido, precisamos relativizar o papel da evangelização para que a expectativa de resultados rápidos não nos frustrem, levando-nos a acreditar que não estamos nos esforçando, devidamente, nem fazendo o nosso melhor pela infância e pela juventude.
Essa visão redentora pretende preparar o Espírito principalmente para a vida após a morte, depositando em seu cerne informações que lhe permitam resistir às tentações existentes em nosso mundo. Resistir nem sempre tem o sentido de entender para poder evitar, mas afastar-se porque algo é ruim, nem sempre se explicando por que tal coisa é prejudicial ou procurando saber se o evangelizando compreendeu, alcançou o que estamos querendo lhe dizer.
Naturalmente que a evangelização tem esse sentido preventivo, preparador, mas seu foco deve ser a vida terrena, com vistas à vida espiritual e não o contrário, pois o sucesso ou o fracasso nesta é que determinará a felicidade ou a desventura naquela.
Não se trata de dar menos valia à vida espiritual, mas, sim, de dar um pouco mais valor à vida terrena, equivocadamente vista, muitas vezes, como uma mera passagem e não uma oportunidade preciosa de trabalho, aprendizagem e crescimento espiritual.
Na verdade, uma rica oportunidade de desfazermos erros, desatarmos nós, ampliar laços, desenvolver as faculdades latentes, aperfeiçoar as que já estejam afloradas, melhorando nossa condição intelecto-moral.
Continua....
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Felipa em 24 de Fevereiro de 2014, 00:24
Continuação...

Outra abordagem possível é aquela centrada na reprodução.
Ela se manifesta quando afirmamos que a evangelização visa preparar os futuros trabalhadores do centro, os dirigentes do amanhã, para que as atividades não sofram solução de continuidade. Com essa afirmação, reproduzimos nas instituições espíritas um dos fins das políticas educacionais, que é a formação para o mercado de trabalho. Com a diferença de que no nosso caso trata-se de mão de obra para as nossas instituições.
Nada contra uma possível e até saudável articulação dos fins perseguidos pela educação nacional, com os fins perseguidos pela evangelização espírita, caso apresentem pontos de convergência. É importante, inclusive, que estabeleçamos em nossos centros espíritas estratégias de preparação dos futuros trabalhadores. No entanto, reduzir a evangelização espírita a isso, seria desconhecer a profundidade e a amplitude da sua proposta.
Uma terceira abordagem é aquela que identifica na evangelização o seu caráter de transformação.
O evangelizador tem consciência dos limites do seu trabalho, sabe que os educandos estão sob diversas influências durante toda a semana e percebe-se como mais um desses agentes educativos, com o diferencial de ser aquele que apresenta um conteúdo transcendental, revolucionário, que deve ser contextualizado e que pode ser reconstruído na relação com seus evangelizandos.
Essa visão não incorre no risco de repetição dos objetivos de algumas religiões tradicionais e não se limita a trazer para o centro de forma acrítica, metodologias, conteúdos e abordagens adotadas na educação de um modo geral, produzindo uma reprodução ou enxerto. Antes, promove uma releitura desses fatores e desenvolve um modo próprio de conceber e operacionalizar a evangelização espírita.
Visa à transformação do mundo, simultaneamente à transformação do Espírito. Entende que o mundo e o ser estão numa relação dialética, isto é, numa via de mão dupla, um exercendo influência sobre o outro. Logo, não se concebe apenas que a sociedade só será melhor quando todos nos tornamos melhores, a sociedade e o homem se melhoram num processo contínuo, por meio das interações que se dão nos grupos e nas instituições sociais.
Para que a evangelização tenha esse sentido transformador, é preciso que mais do que um trabalho de reprimir imperfeições, ela seja uma tarefa de despertar potencialidades.Mais do que condicionamento para as ideias espíritas, ela se volte para o desenvolvimento do senso crítico, inclusive para que os evangelizandos aprendam a separar o joio do trigo nos próprios conteúdos que são apresentados como sendo espíritas. Que reforce a individualidade, o autoconhecimento, mas nunca o individualismo e quaisquer ilusões do Espírito acerca de si mesmo e da vida como um todo.
Ela precisa estar voltada para a construção da autonomia, que se dá a partir do autoconhecimento e do exercício correto do livre-arbítrio.
Também é oportuno lembrar que acenamos muitas das vezes, mais com as terríveis consequências que se voltam para quem pratica o mal, do que para as alegrias que visitam aqueles que fazem o bem.
Desse modo, muitos acabam fazendo o bem pelo medo do umbral ou pelo sonho de estar numa boa colônia espiritual, quando o prazer do bem já é em si um ganho, uma recompensa sem precedentes.
Mais do que pensar em preparar trabalhadores, a evangelização espírita precisa oferecer elementos para que o Espírito vá construindo, de forma sólida, a sua felicidade, que poderá, mais tarde, não se dar exclusivamente na frequência a um centro espírita.
Se o poeta e escritor libanês, Khalil Gibran, disse que os filhos não pertencem a seus pais, parafraseando-o, diremos que os evangelizandos não pertencem ao centro espírita nem aos evangelizadores que os orientam, mas a Deus e ao Universo que lhes cabe de forma autônoma, crítica e solidária, desvendar e transformar.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: meggiolaro em 24 de Fevereiro de 2014, 04:08
Adorei a mensagem de esclarecimento maria47; Eu sou pai de "primeira viajem" nessa exitencia terrena... e a inexperiencia casa sempre bem com conselhos instrutivos como esses. ME chamou atenção principalmente duas citações. Primeira a que é mostrado como não devemos preparar só o amanhã espiritual, pois vivemos na Terra hoje e tornar nosso mundo melhor é muito importante. Enfim, se vivemos para evoluir aqui então devemos fazer o bem aqui, devemos nos relacionar com as coisas do mundo sempre de forma mais "Espiritualizada". E outro ponto que chama atenção é quando diz que devemos fazer bem apenas pelo bem... isso resume o bem em si. Embora nossos instintos de recompensa e medo da punição sejam mecanismos de leis físicas e naturais, as vezes também instintos ou mecanismos da mente para nos incitar a procurar sempre o melhor... uma "armadilha boa". Mas devemos sempre evoluir, fazer o bem conforme nossa evolução permite para aprender no passo a passo os sentimentos mais nobres.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 24 de Fevereiro de 2014, 10:45
Bom Dia amigos.... Agradeço aos companheiros colaboradores que aprovaram as mensagens e aos que compartilharam com nosso estudo...

A Tarefa

É de se notar a extraordinária ação que exerce, na formação moral do educando, essa aula semanal que denominamos Evangelização.
Ela se assemelha a agente catalizador das melhores influências, inclinando ao bem, ao desejo sincero de desenvolver qualidades nobres e atitudes verdadeiramente elevadas.
É evidente que se fala em tese, porque muitas criaturas permanecem insensíveis aos mais valiosos estímulos, não apresentando nenhuma reação positiva ante os ensinamentos evangélico-doutrinários.
Mas, em geral, a mensagem cristã espírita veiculada em nossas Escolas de Evangelização tem frutificado da maneira mais alentadora. Algumas vezes exige o concurso de tempo mais dilatado; outras vezes cai em terrra fértil, produzindo mil por um.
Ainda que a ação dos Espíritos Orientadores do progresso da Humanidade seja a mais significativa, a ação humana dirigida nesse sentido é fundamental, porque sem esta não se exerceria a influência direta do esforço de evangelização.
É sem dúvida, a ação dos Espíritos Evangelizadores que imprime a essa tarefa a força modificadora e modeladora do caráter, que nos causa, por sua pujança, verdadeira admiração.
É em Allan Kardec, o codificador, que encontramos explicação para esse fato quando ele afirma: "Devendo a prática geral do Evangelho determinar grande melhora no estado moral dos homens, ela, por isso mesmo, trará o reinado do bem e acarretará a queda do mal. (...)" ¹ 
Mas como ocorrerá a prática do bem por toda a Humanidade? Aconteceria algum fato insólito marcando de maneira ostensiva essa transformação? O Céu se encherá de cartazes luminosos alusivos à nova era? Anjos anunciarão os novos tempos, enchendo o mundo inteiro com a grata notícia?
Por certo que não. Essa transformação será fruto da ação paulatina da prática do Evangelhjo, que atingirá consciências e corações, no esforço perseverante e contínuo do esclarecimento. É a semente de agora a transformar-se em fruto amanhã. É o esforço ingente de hoje, contribuindo para o advento da nova era. (...)

¹ - A Gênese - Allan Kardec - Cap. XVII - Predições do Evangelho - Sinais precursores, item 58.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 24 de Fevereiro de 2014, 11:09
(...) Todos estão sendo chamados, pois não há discriminações por parte do comando do Divino Mestre. Nem todos, todavia, atenderão ao apelo, pois preferirão os interesses imediatistas. " (...) Mas, todos os que tiverem em vista o grande princípio de Jesus se confundirão num só sentimento: o do amor ao bem e se unirão por um laço fraterno, que prenderá o mundo inteiro. (...)" ²
A Evangelização Espírita põe em ação esses ideais e cumpre sua missão quando procura promover a integração do evangelizando consigo mesmo, com o próximo e com Deus, e quando lhe proporciona o conhecimento da lei natural que rege o Universo.
Não poucos os que ignoram o poder transformador desse trabalho, e até  os que nele estão empenhados por vocação podem não estar perfeitamente esclarecidos a respeito. Que diremos? Só os Espíritos têm planos completos da obra a ser realizada nesse sentido.
O reconhecimento do valor da tarefa é o primeiro passo, ainda não é completo esse reconhecimento, mas já é significativo. Cumpre-nos, portanto, continuar, com o mesmo empenho, a demonstrar o seu alcance e a sua profundidade.
A tarefa se apresenta modesta, despretensiosa, semelhante à violeta que se esconde entre as demais flores, mas recende tal perfume que inunda o jardim, evidenciando sem o desejar sua presença.
Realizada no anonimato, vai, devagar, penetrando o evangelizando e nele assentando os alicerces do homem adulto. Sua influência ativa e benéfica, sob todos os pontos de vista, só mais tarde será percebida pela maioria dos espíritas.
Não é trabalho com data pré-fixada para seu término. O tempo aliado à perseverança na ação evangelizadora, consegue transformações extraordinárias. É necessário agir sempre, no mesmo ritmo de amor e de eficiência dos primeiros momentos, pois o trabalho não é para os que têm pressa e não têm paciência: antes é uma semeadura realizada com sementes que exigem adubagem e cuidados permanentes.
A continuidade da ação, ao longo do tempo, representa, portanto, uma das colunas mestras da tarefa em foco.

² - O Livro dos Espíritos - Allan Kardec - Prolegômeros.
 
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Dothy em 24 de Fevereiro de 2014, 14:13
Bom dia queridos amigos,
Bom dia Aline, super importante este tema, parabéns pela escolha
 a tarefa de evangelizar almas é urgente e na infância é o perido ideal onde os espiritos estão propicios e receptivos para assimilar os ensinamentos de Jesus

deixo aqui uma historinha que escrevi, animada pela ilustração do nosso querido amigo Mrcelo
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 24 de Fevereiro de 2014, 16:36
Oi Dothy... Demorou para aparecer por aqui... Gostei da tirinha... Pode postar sem moderação, ok?!...  ;D
Abraços querida e apareça mais por aqui...
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 25 de Fevereiro de 2014, 10:48
Adorei a mensagem de esclarecimento maria47; Eu sou pai de "primeira viajem" nessa exitencia terrena... e a inexperiencia casa sempre bem com conselhos instrutivos como esses. ME chamou atenção principalmente duas citações. Primeira a que é mostrado como não devemos preparar só o amanhã espiritual, pois vivemos na Terra hoje e tornar nosso mundo melhor é muito importante. Enfim, se vivemos para evoluir aqui então devemos fazer o bem aqui, devemos nos relacionar com as coisas do mundo sempre de forma mais "Espiritualizada". E outro ponto que chama atenção é quando diz que devemos fazer bem apenas pelo bem... isso resume o bem em si. Embora nossos instintos de recompensa e medo da punição sejam mecanismos de leis físicas e naturais, as vezes também instintos ou mecanismos da mente para nos incitar a procurar sempre o melhor... uma "armadilha boa". Mas devemos sempre evoluir, fazer o bem conforme nossa evolução permite para aprender no passo a passo os sentimentos mais nobres.

Olá Meggiolaro... Muito bom tempo este que você dedica à obtenção destes ensinos a cerca da criação de seu bebê... Sabemos se tratar de um Espírito milenar em um corpinho de bebê, que chegou a vocês por necessidades evolutivas mútuas... E todo o tempo 'perdido' com o bem é muito precioso... E vamos semear o que já sabemos sobre as leis universais...
Abraço fraterno!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 25 de Fevereiro de 2014, 11:09
O Tarefeiro

Quantas vezes ouvimos questionar o termoevangelizador. Os questionadores desejavam encontrar uma denominação mais modesta para designar aqueles que se empenham na árdua, mas gratificante, tarefa de evangelizar. Resultou infrutífera essa busca, porquanto não é o nome que dá importância à tarefa, mas esta é que atribui valor ao nome.
Quem evangeliza, queira ou não se autodenominar evangelizador, nem por isso deixará de exercer uma missão de alta relevância.
Ele é muito mais que um monitor - é o companheiro, o amigo, o conselheiro, aquele que dá vida e dinamismo à aula, aquele que impregna os conteúdos da lição com o calor da certeza que tem na tarefa que realiza. Não é um mero transmissor de informações. Os conhecimentos por ele veiculados guardam a pujança da sua fé e do seu ideal. Vale-se dos recursos técnicos-pedagógicos indispensáveis, mas utiliza o amor como técnica por excelência.
Os evangelizadores espíritas, cada vez mais conscientizados da importância do seu trabalho, estudam a Doutrina Espírita, aprofundando conhecimentos doutrinários; e se aperfeiçõam ou se preparam em técnicas de ensino, para melhor atender às exigências do processo ensino-aprendizagem.
Há toda uma programaçãode trabalho, que vai desde o preparo técnico-doutrinário do evangelizador até a elaboração de currículos e planos de ensino, envolvendo equipes de planejamento e de execução bem maiores do que se poderia imaginar.
Tecnologia, conhecimento espírita e evangélico, dedicação, consciência da necessidade de auto-aperfeiçoamento são os pré-requisitos que o evangelizador espírita sabe que deve adquirir para o bom desempenho de sua tarefa.
Acrescente-se, ainda, que essa é uma postura de consenso entre todos os que militam nesse tipo de atividade, pois não há mais dúvida de que a evangelização espírita da criança e do jovem tem por objetivo a formação moral das novas gerações, embasada nos ensinamentos do Espiritismo e do Evangelho. Também isto não constitui novidade para aqueles que têm acompanhado o esforço de quantos se dedicam a esse mister.
Cecília Rocha

Que tenhamos um abençoado dia, envoltos na luz que irradia do alto, mantendo-nos em sintonia elevada o máximo possível, por mais este dia....
Abraços a todos!!!
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Dothy em 25 de Fevereiro de 2014, 16:21
Boa tarde queridos amigos
oi Aline, grata pela recepção, bem a seu jeitinho
e continuando...

4. Importância da Evangelízação

Inútil improvisar escoras regenerativas para obrigar o endireitamento de árvores que envelheceram tortas. As escoras só asseguram o crescimento correto das plantas novas, evitando que seus caules se desviem do rumo certo.

É preciso cuidemos, portanto, da criança e do jovem, plantas em processo de crescimento, ainda amoldáveis e direcionáveis para o bem maior. (Campo Fértil, Leopoldo Machado)
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Rodolpho Souza Liberal em 25 de Fevereiro de 2014, 20:30
Olá Aline
É a primeira vez que participo e, a exemplo de outra citação, também não lembro onde li a seguinte colocação:
"Quando as crianças são trabalhadas na evangelização, ainda que, futuramente, elas não lembrem das lições recebidas, nós, espíritos desencarnados, podemos numa situação de emergência, agir em sua mente, trazendo à lembrança o ensinamento arquivado e evitando, muitas vezes, uma situação difícil ou um mal maior".
Parabéns pelo tema...simplesmente maravilhoso.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 26 de Fevereiro de 2014, 11:53
Olá Aline
É a primeira vez que participo e, a exemplo de outra citação, também não lembro onde li a seguinte colocação:
"Quando as crianças são trabalhadas na evangelização, ainda que, futuramente, elas não lembrem das lições recebidas, nós, espíritos desencarnados, podemos numa situação de emergência, agir em sua mente, trazendo à lembrança o ensinamento arquivado e evitando, muitas vezes, uma situação difícil ou um mal maior".
Parabéns pelo tema...simplesmente maravilhoso.

Oi Rodolpho... Sinta-se à vontade para participar, e já vi esta citação também, não me lembro se é Bezerra?! Sei não...  ;D (eu e minha cabeça, oca... rs)
Quanto ao tema, eu sou muito suspeita para comentar a respeito, porque sou l-i-t-e-r-a-l-m-e-n-t-e apaixonada por ele, por este trabalho, pelas crianças e jovens... Escolhi trabalhar profissionalmente no meio deles e na Seara de nosso Pai também... E amoooooooooo!
As crianças e os jovens são os nossos sucessores e o direcionamento correto (intelectual e moral) delas depende de nós, sejam eles nossos filhos ou não. Já que temos condições espirituais (esclarecimentos) de fazer isso... 
Abraço fraterno querido e seja muito bem vindo ao time dos Semeadores!  :)
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 26 de Fevereiro de 2014, 12:46
" A vida espiritual é a vida normal do Espírito: é eterna; a vida corporal é transitória e passageira: não é mais do que um instante na eternidade."¹

A vida terrena é um instante da vida imortal do Espírito e deve ser muito bem aproveitada no sentido do seu aprimoramento. O objetivo fundamental da nossa encarnação é o progresso intelecto-moral. Aperfeiçoar a inteligência e o sentimento constitui o fim último de nossa estada na vida corpórea.
Tudo o que acontece na experiência física visa a essa finalidade. assim, atividade profissional, evidência social, abastança, pobreza, títulos, diplomas, amizades, solidão constituem circunstâncias que nos auxiliam na busca do aperfeiçoamento espiritual. Cada Espírito, na existência terrena, defronta, pois, com opotunidades que se manifestam como obstáculos ou facilidades, conforme o tipo de experiência que deverá, com vistas ao seu progresso. E todos, sem exceção, reencarnam para progredir, recebendo, para isso, da Providência Divina, os recursos de que necessitam.
A criatura humana, todavia, usando do seu livre-arbítrio, costuma infringir a Lei Maior e desconhecer a sua própria destinação como ser imortal a caminho da perfeição de que é suscetível.
Para os espíritas, conhecedores dos princípios do Espiritismo, o que acaba de ser dito é obvio. Entretanto, poucos de nós realizam, durante a jornada no corpo de carne, um roteiro de vida compatível com esses conhecimentos.
Distraídos com as solicitações do mundo, envolvidos com os conceitos de valor do imediatismo terreno, esquecemos os compromissos e, ainda que alertados pela Revelação Espírita, permanecemos a serviço dos interesses puramente transitórios, não realizando, portanto, a cota de progresso que a jornada terrena nos poderia proporcionar.

"Quando um Espírito empregou mal uma existência, isto é, quando nenhum progresso realizou na senda do bem, essa existência lhe resulta sem proveito, ele tem que a recomeçar em condições mais ou menos penosas, por efeito da sua negligência ou má vontade." ²

Como vemos, uma existência terrena é, realmente, de grande importância no progresso evolutivo de cada Espírito e não deve, de forma alguma, ser desperdiçada, sob pena de assumirmos graves compromissos perante a Lei.

¹ - Obras Póstumas - Allan Kardec - Profissão de fé espírita raciocinada - item 20.
² - Obras Póstumas - Allan Kardec - Profissão de fé Espírita raciocinada - item 25.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 27 de Fevereiro de 2014, 11:15
# Bom Dia a todos que estão por aqui... Que possamos passar por este dia envoltos nas energias salutares provindas da figura meiga e bondosa de Jesus, nosso Mestre e evangelizador por excelência, que Ele nos ampare em nosso trabalho!


"E fazeis veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja se não desvie inteiramente, antes seja sarado."¹


Preocupados em tornar a mensagem evangélico-doutrinária interessante e acessível às crianças e aos adolescentes, muitos evangelizadores lançam mão de recursos completamente inadequados aos objetivos da evangelização.
O ensino do Espiritismo em si é assunto sério pela sua própria natureza, visto que lança sementes que modificarão o indivíduo e, em consequência, a sociedade. Não pode, a qualquer título, ser tratado com leviandade.
Utilizar recursos didáticos, para o ensino, não condizentes com a seriedade de que ele se reveste é, fora de dúvida, trocar o principal pelo secundário ou, explicitando, valorizar mais a metodologia do que a mensagem espírita.
O importante, na opinião de determinado grupo de evangelizadores, é oferecer o ensino mediante recursos bastante divertidos, copiando e adaptando ao seu trabalho certos programas de televisão, por exemplo, nos quais predominam a vulgaridade, a malícia e a irreverência.
Sala cheia e assembléia buliçosa não significam aprendizado. É preciso saber se houve, caros evangelizadores, assimilação de alguma mensagem de teor evangélico-doutrinário.
Outros, ocupam o horário destinado ao aprendizado doutrinário com atividades de artesanato, valendo-se de oportunidades ocasionais de ensino. Atendendo, entretanto, a grupos muito diversificados na idade (cronológica) e nos interesses, não conseguem com essa metodologia um resultado satisfatório.
Incontestavelmente, as atividades artesanais são de grande valor na educação das crianças e dos adolescentes, por despertar-lhes o amor ao trabalho e propiciar-lhes desenvolvimento psicomotor e emocional, mas não podem substituir o ensino espírita, sob pena de cometer-se lamentavel equívico em relação às necessidades reais do espírito reencarnado.
O ensino espírita não deve ser apenas ocasional. Há que se destinar um horário preestabelecido para o desenvolvimento de um programa de estudos que obedeça a uma sequência lógica de informações doutrinárias e evangélicas, ministrado adequadamente às diversas faixas etárias da clientela que busca as Instituições Espíritas.

¹ - Bíblia Sagrada - Paulo (Hebreus, 12: 13)
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 27 de Fevereiro de 2014, 11:42
As demais  atividades desenvolvidas na evangelização, que identificamos como complementares - em que pesem opiniões contrárias - são as oportunidades de pôr-se em prática os conhecimentos adquiridos no ensino formal. São as atividades de tabalho nas áreas de assistência e promoção social, de artesanato ou de arte, propriamente ditas.
As atividades referidas são os meios; o aprendizado dos conteúdos doutrinários constitui os objetivos a que devemos visar.
Os objetivos não podem ser confundidos com os meios, nem a estes se subordinarem.
A influência dessas ideias em nossas vidas é de tal monta que, há pouco, grupos de companheiros ligados às tarefas de evangelização preparavam o programa de um Encontro e se confessavam preocupadíssimos com a montagem das oficinas (técnica pedagógica), sem terem antes definido os objetivos e os conteúdos, elementos principais de qualquer programação espírita.
Não se pretende invalidar, com esses comentários, a importância das técnicas didáticas aplicadas à evangelização. É evidente que o seu uso é indispensável à tarefa do evangelizador, mas daí a ocupar o primeiro lugar na hierarquia dos elementos a serem considerados  no planejamento de aulas, ou na montagem de programas doutrinários diversos, vai muita distância.
A ideia de modernidade apregoada em muitos setores da sociedade, trazida para algumas áreas de trabalho do movimento espírita precisa ser bem analisada. Ninguém negará, por certo, a existência de novos enfoques, nem o alargamento da visão humana e consequente amadurecimento intelectual, mas isso não significa que se menosprezem os fundamentos da Doutrina e do Evangelho, sólidos alicerces sobre os quais se tem erigido o progresso moral da Humanidade.

Sem Doutrina e sem Evangelho as atividades programadas podem até ser boas e agradáveis, mas não serão espíritas.

Busque-se reforço para esse pensamento em Emmanuel:

"Toda crença é respeitável.
No entanto, se buscaste a Doutrina Espírita, não lhe negues fidelidade. (...)
E a Doutrina do Cristo é a doutrina do aperfeiçoamento moral em todos os mundos.
Guarda-a, pois, na existência, como sendo a tua responsabilidade mais alta, porque dia virá em que serás naturalmente convidado a prestar-lhe conta."



Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Le em 27 de Fevereiro de 2014, 14:14
Tema de estudo do mês amanhã termina.

Podem os companheiros fazer o favor de me indicar a Obra Doutrinária que refere o tema
"EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA"?

Antecipadamente grato com os meus desejos de paz para todos.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 27 de Fevereiro de 2014, 16:18
Olá Le seja bem vinda... Já está no finalzinho... Mas estude conosco...

Tema de estudo do mês amanhã termina.

Podem os companheiros fazer o favor de me indicar a Obra Doutrinária que refere o tema
"EVANGELIZAÇÃO ESPÍRITA"?

Antecipadamente grato com os meus desejos de paz para todos.
[/size][/font]

Então, durante o mês estudamos muito a cerca do tema, e há fragmentos das obras básicas de Kardec em muitas citações... Inclusive onde cheguei a responder perguntas estilo a sua.
Você não encontrará tudo 'mastigadinho', deverá analisar as mensagens do ESE, especialmente as que estão nos capítulo XIV, XVII, XX, XXIV. Em todo O Livro dos Espíritos e A Gênese.
Após a análise destas obras, perceberemos a grande, a imensa responsabilidade de nós, enquanto estudantes da DE, nos subsidiar e empenhar nossos melhores esforços em esclarecer outros Espíritos, através da aplicação do que sabemos, teoricamente, em nossa conduta, sejam estes Espíritos que nos rodeiam, encarnados, desencarnados, nossos familiares, crianças, jovens, adultos, ou idosos, amigos ou inimigos. Nunca é tarde! E a nossa obrigação enquanto Espíritas é esta, quer a gente queira quer não, pois é isso que concluímos quando estudamos. O objetivo do estudo é justamente este.
O trabalho com a Evangelização é pontual, contínuo e com resultados a longo prazo, e deve ser levado bem a sério, a pessoa tem que saber que como em todas as outras atividades dentro do Centro, exige disciplina, seriedade e estudo, além, claro do fato de ter que gostar de trabalhar com as crianças, pois elas são peculiares...  :)
Do mais... Eu me sensibilizei, afinizei e diante de meus estudos não consigo não trabalhar com isso, mas isso é uma coisa pessoal, e cada um tem as suas funções a serem desempenhadas na seara bendita de nosso Pai amado, que vai despertando conforme a gente fica pronto para o trabalho.
Mas vale à pena o estudo, pois se não trabalhamos enquanto evangelizadores, temos nossas obrigações enquanto pais e mães, e destas não dá para desvencilharmos...
Espero ter colaborado com sua dúvida... Continuo por aqui...
Abraço fraterno e tenha um abençoado dia!!!

 
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 27 de Fevereiro de 2014, 18:12
Como educar os filhos?

Diversas teorias sobre educação preocupam pais e educadores na época atual, quando surgem tantos questionamentos e contestações sobre princípios, até agora, considerados inquestionáveis.
No aspecto de não direcionar o pensamento do educando, quer seja filho ou aluno, e no que tange à conduta de ensinar a pensar e não o que pensar, as opiniões se dividem. Esse ponto, que num exame superficial pareceria de menor importãncia para nós espíritas, às voltas com as transcendentais questões da nossa sobrevivência e da nossa destinação, não o é, todavia, se considerarmosa influência que o tema em foco exerce na educação das novas gerações.
Ninguém mais tem dúvidas sobre a necessidade de ensinar a pensar. Numa sociedade onde a pletora de conhecimentos, de informações chega a culminâncias inimagináveis, ensinar a pensar tornou-se, de fato, uma imposiçãp nos métodos educativos.
Não basta e nem é conveniente encher a cabeça do estudante de informações, sem lhe ensinar a raciocinar sobre elas, dando-lhes condições de selecionar esse material e sobre ele emitir juízos de valor. Os conhecimentos devem funcionar como um reativo intelectual e não se destinar, apenas, a armazenamento de dados, como se o cérebro humano não passasse de um simples depósito. O ensino, pois, deve ser conduzido no sentido de forçar o educando a refletir e a formar opinião própria, a partir das informações que lhe são fornecidas ou dos dados que a sua observação selecionou.
Sobre o ensinar a pensar, todos são unânimes em admitir sua total validade. É, porém, no aspecto de não fornecer o que pensar às crianças e aos adolescentes, sob nossa tutela educativa, que surgem as divergências. Se por um lado é mister dar ênfase ao primeiro , por outro, não se deve deixá-los sem orientação, em contato com a sociedade, representada pela escola, pelos amigos, vizinhos...
Os meios de comunicação, mesmo não intencionalmente saturam mentes imaturas de informações, tornando difícil, nessa fase de crescimento, o processo de seleção, mesmo porque não há, ainda, parâmetros para tal.
A educação familiar, isto é, aquela que orienta a formação do caráter, é da alçada dos pais e deve estar impregnada dos valores por eles aceitos. Portanto, à família e à escola cabem oferecer o tipo de material que servirá de base à atividade de reflexão do educando. Este receberá sempre influências externas e opostas, muitas vezes, às recebidas na família, mas haverá, com certeza, preval~encia dos valores e dos conceitos que a família lhe tenha oferecido.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Le em 27 de Fevereiro de 2014, 18:55
Obrigado Aline pela pronta resposta.

Como pude constatar no seu texto de facto nada há no conjunto das obras da doutrina dos Espíritos que fale na Evangelização Espírita.

Evidentemente o verbo evangelizar deriva de Evangelho e este termo na sua origem quer dizer Boa Nova pelo que, como diz, e bem, ao longo dos textos básicos encontramos muitas mensagens da Boa Nova que nos trouxe o nosso Mestre JESUS, Joxuá ou ajuda, o Cristo, Christos, o escolhido ou o ungido.

Quanto às nossas crianças, essas são, apenas e só crianças no que ao físico diz respeito, e a nós adultos, principalmente aos progenitores, porque escolhidos para isso, cumpre de facto fazer o que nos compete dando a possibilidade ao espírito poder cumprir a missão que se propôs ao solicitar nova encarnação.

Uma vez mais os meus agradecimentos pela resposta e meus parabéns pela excelente condução do estudo.

Desejos de muita luz, muita paz, toda a ajuda necessária ao cumprimento da sua missão.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 27 de Fevereiro de 2014, 20:09
Torna-se necessário, assim, que os pais compreendam que lhes cabe, sem sombra de dúvida, a atribuição natural da seleção de valores e de informações que devem dar aos seus filhos e das quais não podem abrir mão. sem descuidar do aspecto e da necessidade de ensinar a pensar, os pais devem, ao mesmo tempo, oferecer aos filhos o que pensar, até que eles, atingida a maturidade, escolham seu próprio material.
Enquanto não chega este momento, cabe-lhes encaminhá-los nos complicados meandros do raciocínio e do discernimento. Realizada essa tarefa, os pais estarão quites com as suas obrigações, uma vez que cada um tem o seu livre-arbítrio e toma as suas decisões, quando atinge a maturidade.
No que concerne à educação religiosa, a postura é a mesma. Impossível delegar a outrem a tarefa de orientar os filhos nesse importante ponto. Não há argumentos que convençam do contrário.
Em razão disso, é por demais evidente que os pais espíritas, como todos os outros pais pertencentes a outras correntes de pensamento, têm o dever do orientar os filhos dentro do princípio éticos, religiosos ou filosóficos que orientam seus próprios passos na trajetória terrena.
O pai espírita, portanto, que é indiferente à orientação da prole dentro dos ensinamentos do espiritismo, não está sendo coerente com os seus princípios, e demonstra grande e perniciosa indiferença em relação ao que é mais importante aos próprios filhos. Ele só não deve intervir na orientação dos filhos se estes já tiverem atingido a maturidade. fora disso, é sua obrigação intransferível transmitir os conhecimentos espíritas à família, educando-a de acordo com a concepção de vida que o espiritismo descortina.
Nenhum pretenso escrúpulo de cerceamento da liberdade de pensar deve diminuir a determinação dos pais nesse sentido, pois já vimos que as vacilações na escolha do tipo de educação religiosa a ser seguida têm favorecido a interfer~encia de terceiros numa tarefa que é de exclusiva responsabilidade da família.
Conscientizemo-nos de que os espíritos que reencarnam num lar espírita necessitam, mais do que tudo, da orientação que o Espiritismo pode oferecer. De outro modo, teríamos que admitir que retornamos à Terra sem nenhum planejamento, navegando no mar da vida, ao sabor das ondas, sem rumo, sem bússula, sem futuro para refazermos o passado e avançar para o futuro de passo firme e certo.
O Espiritismo, que revive as lições de Jesus, é a melhor herança a ser deixada aos filhos, se na realidade já entendemos o alcance que a Doutrina Espírita tem na reconstrução da sociedade humana, cada vez mais carente de compreensão e de paz.
Eduquemos, com o maior empenho, nossos filhos, dentro dos princípios espíritas, sem receios, sem vacilações, convencidos de que estamos colaborando para a sua efetiva felicidade e para a regeneração do mundo.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 27 de Fevereiro de 2014, 20:25
Agradeço Le pelas vibrações, são verdadeiramente recíprocas... Missão? Não... Sou só uma semeadora no jardim imenso da Terra, estudando e pelejando com essa vida pesada que temos que arrastar ainda... Mas com as bênçãos do nosso Pai, conseguiremos sair daqui melhor do que chegamos...
Abraço fraterno com votos de um boa noite...
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 28 de Fevereiro de 2014, 11:27
Atitudes dos pais espíritas

O espírita convicto, para o qual o conhecimento do Espiritismo se transforma em norma de vida a orientar-lhe os passos em todas as decisões, não pode educar os filhos sem levar em conta o fundamento espírita, que deve embasar a educação que a eles ministra.
Essa atitude, a mais importante na tarefa dos pais junto aos filhos, deve ser convenientemente analisada para que conclusões apressadas, que expressam o pensamento de alguns, não venham a enfraquecê-la.
Observa-se que a falta de maior aprofundamento do assunto tem levado muitos pais espíritas a declarar que não influenciam ou não inclinam os filhos ao estudo do Espiritismo sob a alegação de não pretenderem cercear-lhes a liberdade de pensar, deixando-lhes a escolha, na fase adulta, do rumo a seguir.
Essa posição, entretanto, tem duas falhas fundamentais: em primeiro lugar, a educação espírita não visa somente ao ensino da Doutrina Espírita, mas envolve toda uma postura filosófica em relação às necessidades do educando, principalmente no que se refere a valores morais; e, em segundo lugar, os pais - que em todas as ciscunstâncias influem nas decisões dos filhos, considerando a sua imaturidade, na questão religiosa, tão importante e decisiva - não se devem abster, sob nenhum pretexto.
De fato, os pais espíritas, que são depositários da confiança de Deus no encaminhamento dos Espíritos que retornam à vida terrena, que têm o conhecimento mais profundo da origem e destinação desses Espíritos, que admitem que o mundo é uma escola cujo curso deve ser bem aproveitado, que sabem que os bens espirituais e eternos têm prevalência sobre os bens materiais e transitórios, não podem oferecer aos filhos outra educação senão aquela que o Espiritismo apregoa. Ademais, qualquer omissão nesse sentido não encontra respaldo no bom senso nem na lógica.
Educar, pois, dentro da concepção espírita é não só oferecer os conhecimentos do Espiritismo, como também envolver o educando numa atmosfera de responsabilidade, de respeito à vida, de fé em Deus, de consideração e amor aos semelhantes, de valorização das oportunidades recebidas, de trabalho construtivo e de integração consigo, com o próximo e com Deus, único programa compatível com as convicções que a  Doutrina Espírita já formou em cada um de nós.
Agir contrariamente é colocar-se em situação de flagrante incoerência perante aquilo em que se crê ou que se admite como certo, e o que se faz ou se induz os outros a fazerem.
Não pode haver entre os pais espíritas uma dicotomia tão grande entre as suas convicções e o modo como educam os filhos.
Ainda mais quando os pais, não comandando a educação dos filhos, dão chance a que outros assumam esse papel, portanto em sociedade todos interagem e se influenciam mutuamente.
Princípios perniciosos, fins utilitaristas, conceitos materialistas de vida podem afetar a formação moral dos filhos, arruinando-lhes a experiência física, por omissão dos pais, inconcebível omissão, tratando-se de pais espíritas.
Pelo exposto, deve-se concluir que a educação à luz do espiritismo é medida inadiável e, também, insubstituível para a redenção da Humanidade.
Portanto, em lugar de justificativas infundadas, uma ação corajosa e coerente se impõe a todos nós, que nos identificamos como espíritas e que, como tais, precisamos agir.
 
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 28 de Fevereiro de 2014, 13:36
É com um sentimento de gratidão imenso que encerramos hoje nosso estudo mensal sobre a Evangelização Espírita. Sentimento de paz!

Segundo palavras de Divaldo Pereira Franco, "nós somos o futuro que caminha nos pés da juventude.” Todo e qualquer investimento na criança, no jovem, no homem é uma inseminação em favor da era melhor no espírito imortal.

Quem educa plasma hábitos quem instrui prepara para a vida, quem evangeliza salva. A Humanidade sempre se desenvolveu através da obra emérita da educação infanto- juvenil. Jesus elegeu como único título o de Mestre, porque Ele o era. Kardec discípulo do extraordinário Pestalozzi fez-se também mestre.

Este estudo é um pontapé inicial a uma gama de informações que podemos adquirir com o intuito único de esclarecer a quem quer que cruze nossos caminhos e o dedico de coração:

A todas as crianças que passaram pelas nossas vidas, que nos fizeram sentir a presença de JESUS.

A todos os evangelizadores que depositam com amor a sementinha de luz da mensagem de Jesus nos corações das crianças amadas. Que possam entender sua função, instruir-se e confiar nos amigos espirituais que conduzem  nossos trabalhos com muito amor.

A todos os pais e mães que vieram a este mundo colaborar na educação dos seres espirituais milenares que lhes foram confiados como filhos nesta vida, que possam ter sabedoria e confiança na Providência Divina que a ninguém desampara, mostrando através do exemplo, que o bem sempre vale a pena ainda que dolorosamente...

E a todos os visitantes, amigos e colaboradores do FE que me auxiliaram nos momentos de dificuldade e ausência, meu abraço bem forte  :-*.

Encerro com uma mensagem que ouvia muito de meu pai e que me serve muito:

"O certo é certo ainda que ninguém o faça.
O errado é errado ainda que todo mundo faça..."

Obrigada Pai por mais esta etapa concluída!
Desejo um feriado de muito discernimento, equilíbrio e sensatez, ajudem-nos a vibrar positivamente pelo planeta neste momento, onde muitos fatos desagradáveis estão por ocorrer com o advento do Carnaval, que possamos colaborar com a equipe espiritual que ampara nosso planeta, com muita paz, muita alegria, muita responsabilidade com nossos atos e atitudes, preces diárias e confiança, pois estamos nas mãos de quem nunca desistirá de nós...

Que assim seja!




Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Dothy em 28 de Fevereiro de 2014, 14:14
Bom dia amigos do estudo mensal...Muita paz a todos
amiga Aline,mas uma mensagem direcionada ao tema

MENSAGEM ESPÍRITA
COMO TRATAR A CRIANÇA NO REGIME HABITUAL DE EDUCAÇÃO ?

Vemos que a natureza não dispensa a disciplina em momento algum
Se quisermos um jardim ou se esperamos rendimento mais amplo de um pomar, cogitamos de geometria, irrigação, apoio e preparação; em vista disso, acreditamos que a criança não prescinde de educação através de muito amor, aliado à disciplina, reconhecendo-se que no período da infância estamos vindo ou retornando do Mundo Espiritual com as nossas próprias necessidades de aperfeiçoamento
Este é um ponto de vista do Espiritismo Cristão; na condição de criança, procedemos do Mais Além, com certos obstáculos de ordem espiritual
Se não encontrarmos criaturas que nos concedam amor e segurança, paz e ordem, será muito difícil o proveito da nova reencarnação que estejamos encetando

Espírito: EMMANUEL
Médium: Francisco Cândido Xavier
Associação Médico-Espírita do Estado de Goiás - Copyright 2010 - Goiânia-Goiás

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/poesia/um-conto-infantil-(lembrancas)/555/#ixzz2ucrLICFz
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Aline Alarcão Lemos em 28 de Fevereiro de 2014, 19:31
PEDAGOGIA DO OLHAR RUBEM ALVES (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTIwSVJBT29qY3hjIw==)

Vale à pena... Pedagogia do olhar.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Antonio Renato em 01 de Março de 2014, 02:00
Meus irmãos,ao reencarnar o espírito está desorientado,muito embora possa ele ser milenar,
irá necessitar quem os oriente,lhes dê uma direção e um sentido verdadeiro.Estando este
espírito nessa nossa orbe, irá ele como criança dá os primeiros passos nesta nova fase de aprendizado,para que ele possa somar aos que já adqueriu em outras encarnações.Educar,
ensinar,orientar,preparar,formar,são fases necessária para que o educador dê a esse espíri-
-to uma razão maior da sua existência material.Naturalmente esse espírito novo por assim
dizer,irá necessitar de um ensinamento doutrinário para que ele possa então caminhar me-
-lhor no processo da sua evolução.A todos nós espiritas,cabe uma maior parcela de respon-
-sabilidade,maior porque,porque temos em nossa consciência o conhecimento,e esse deve
ser repassado.
Fiquem na paz.
Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Brenno Stoklos em 04 de Março de 2014, 19:42



Lembrai-vos que de cada pai de a cada mãe será requerido: Que fizeste do filho confiado à vossa guarda? Se por vossa culpa ele se conservou atrasado, tereis como castigo vê-lo entre os Espíritos sofredores, quando de vós dependia que fosse ditoso.

Então, vós mesmos, assediados de remorsos, pedireis vos seja concedido reparar sua falta. Solicitareis, para vós e para ele, outra encarnação em que o cercareis de melhores cuidados e em que ele, cheio de reconhecimento, vos retribuirá com o seu amor.

Criança que repele a mãe… Não a escorraceis, nem àquela que vos paga com a ingratidão; Imperfeita intuição do passado se revela, do qual podeis deduzir que um ou outro já odiou muito, ou foi muito ofendido; Que um ou outro veio para perdoar ou para expiar.

A criança é edificação espiritual dos responsáveis por ela. É imprescindível o abrigo moral que assegure ao espírito renascente o clima de trabalho necessário à sua sublimação. Muitos pais garantem o conforto material dos filhinhos, mas lhes relegam a alma a lamentável abandono.

Deveres dos Pais Devem compreender antes de tudo, que seus filhos, primeiramente, são filhos de Deus. Desde a infância, devem prepará-los para o trabalho e para a luta que os esperam.

Não existe criança que não solicite amor e auxílio, educação e entendimento. Devem sentir os filhos de outros pais como se fossem os seus próprios, sem guardar, de modo algum, a falsa compreensão de que seus filhos são melhores que os dos outros.

Na meninice corpórea, o Espírito encontra ensejo de renovar as base da própria vida. Cada pequenino, conquanto seja, via de regra, um espírito adulto, traz um cérebro extremamente sensível pelo fato de estar reiniciando o trabalho de reencarnação. E.S.E.-cap.XIV- Sto. Agostinho.

Instrução e Educação.  A instrução relaciona-se com o intelecto. É adquirir conhecimentos sobre um ou vários ramos científicos O intelectualismo não supre o cultivo dos sentimentos. A edução abrange a instrução. Educar é formar caráter. Desenvolvendo os poderes do espírito, não só na aquisição do saber, como especialmente na formação e consolidação do caráter.

Basear a educação no apelo constante da razão e do bom senso Manter sempre o diálogo informal, franco e oportuno; Que a criança se sinta a vontade para expressar seus pensamentos; Que as experiências sejam aquelas do momento; Estar atento as atividades da criança, a partir delas, possam sair informações úteis a sua educação; Que nos momentos em que a criança denote as más tendências, a correção seja feita na hora, com tato, carinho, mas demonstrando firmeza nas palavras, ressaltando o lado positivo e nunca o negativo.

Exercício de disciplina mental “O mal não merece ser comentado”.

Não basta ter coração, é preciso ter bom coração. Hilário Ribeiro Razão e coração devem marchar unidos na obra de aperfeiçoamento do espírito, pois em tal importa o senso da vida. Descurar a aprendizagem da virtude, deixando-se levar pelos deslumbramentos da inteligência é erro de funestas consequências.

Consciência religiosa Corresponde ao fator principal na formação dos caracteres. Por essa designação entendemos o domínio interior da moral pura, universal e imutável , conforme foi ensinada e exemplificada por Jesus Cristo. Consciência religiosa importa em um modo de ser, e não em um modo de crer.

Revelador da Lei, expoente máximo, neste mundo, da Vontade Divina…

“Onde há o Espírito do Cristo, aí há liberdade” (Paulo, o apóstolo).
Jesus jamais constrangeu alguém a crer deste ou daquele modo. Tocava o íntimo do homem, procurando despertar o que ali havia de bom. Salvava pela educação, despertando os poderes latentes do Espírito, dirigindo-os à conquista desse ideal de perfeição, e pelo qual tanto anseia nossa alma ainda cativa e obscura.

“Ensina a criança no caminho que deve andar, e mesmo quando for velho não se desviará dele” Provérbios,22:6.

O Evangelho de Jesus é uma Dádiva Suprema do Céu; Roteiro para a ascensão de todos os Espíritos em luta, o aprendizado na Terra para os planos superiores do Ilimitado. De sua aplicação decorre a luz do Espírito.

Quando os filhos são rebeldes e incorrigíveis, impermeáveis a todos os processos educativos, como devem proceder os pais?

Depois de movimentar todos os processos de amor e energia, é justo que os pais, sem descontinuidade de dedicação e do sacrifício, esperem a manifestação da Providência Divina. Compreendendo que essa manifestação deve chegar através de dores e de provas acerbas, de modo a semear-lhes , com êxito, o campo da compreensão e do sentimento.

Como despertar no íntimo do filho rebelde as noções sagradas do dever e das obrigações para com Deus, de que, somos filhos? Esgotando todos os recursos a bem dos filhos e depois da prática sincera de todos os processos amorosos e enérgicos pela sua formação espiritual; Se mesmo assim, se tornarem adultos que não lhes apreenderam as palavras e a exemplificação, compreendam que estes filhos, são irmãos indiferentes ou endurecidos de sua alma, comparsas do passado delituoso, que é necessário entregar a Deus, para que sejam naturalmente trabalhados pelos processos tristes e violentos da educação do mundo.

Pais! Abraçai o filho que vos dá desgostos… “ O Pai não impõe a reforma a seus filhos: esclarece-os no momento oportuno. Não percas tempo em discutir o que não seja razoável (….) e trabalha em silêncio”.

A dor… Tem possibilidades desconhecidas para penetrar os Espíritos, onde a linfa do amor não conseguiu brotar, não obstante o serviço inestimável do afeto paternal, humano.

Eis a razão pela qual em certas circunstâncias da vida, faz-se necessário que os pais estejam revestidos de suprema resignação, reconhecendo no sofrimento que persegue os filhos a manifestação de uma bondade superior, cujo buril oculto, constituído por sofrimentos, remodela e aperfeiçoa com vistas ao futuro espiritual.

Imaturidade: Os homens amadurecidos atingiram um bom nível de relacionamento consigo mesmos e,consequentemente, com os outros. O indivíduo que não aceita a responsabilidade por seus atos e, constantemente, cria álibis e recorre a dissimulações, culpando os outros , é denominado imaturo.

“Deixai vir a mim os pequeninos, e não os impeçais, porque deles é o reino de Deus” Lc, 18:16.

http://pt.slideshare.net/gespiritacristao/ante-os-pequeninos


Título: Re: Estudo Fevereiro - Evangelização Espírita
Enviado por: Airton Silva de Souza em 18 de Março de 2014, 03:25
Evangelizar é preciso e obrigação de todo aquele que crê em Deus e nos ensinamentos de Cristo, seu filho, que venho a nós para ensinar a obra de nosso Pai Maior.
Cristo disse para seus apóstolos que divulgassem a boa nova e, cabe a nós seus seguidores, continuar esta evangelização. Precisamos sim, desenvolver em nós, em nosso íntimo esse amor ao próximo, destituído de desejo de retribuição ou reconhecimento e a partir de então, evangelizarmos, levar a palavra e o amor de Deus à todos os habitantes de planeta Terra, principalmente às nossas crianças e jovens, pois é lá na infância e na juventude que será formado o caráter, o amor e o respeito ao seu semelhante, é nesse momento que devemos impregnar e reavivar nesses espíritos toda a bagagem já adquirida em reencarnações anteriores e, fazer desses espíritos seres com maior progresso, com mais amor, compreensão, solidariedade, enfim espíritos que retornem ao mundo espiritual bem mais purificados, para que ao aqui retornarem façam deste lugar um mundo melhor, mais habitável e cheio do amor de Deus, um planeta menos denso, menos materialista, com mais amor e compreensão entre seus semelhantes. Espero com esta minha colocação ter contribuído e entendido a proposta do estudo. Um abraço a todos os participantes e que a luz de Deus nos ilumine sempre.