Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: Gigii em 01 de Agosto de 2009, 22:05

Título: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 01 de Agosto de 2009, 22:05
A PRECE

Seus efeitos para o Homem, o planeta e o universo

Caros companheiros, por norma já todos um dia dirigiram uma prece ao Alto. Mesmo aqueles que se dizem des-crentes no Criador experimentaram , num momento de aflição, o desejo intimo de serem auxiliados por alguém que os proteja.

No entanto, muitas são as dificuldades que a maioria dos homens sentem ainda em orar diáriamente. Uns porque não sabem como fazê-lo, outros porque não entendem o seu real valor.

Nestes tempos agitados de mudança e reequilibrio que vivencia o nosso orbe terrestre, mais do que nunca, a prece pode ser o agente para a Paz no mundo.

O estudo deste mês tem como objectivos, não só compreender a importância da prece para o ser humano, mas também conhecer-lhe os efeitos, demonstrar a sua eficácia e reformular pre-conceitos que associam a prece únicamente á religião institucionalizada.

Organizamos este estudo por etapas com base na proposta do Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, cap. XXVII:

1 – O que é a prece

2 - Qualidade da prece

3 – Eficácia da prece

4 – Acção da prece

Pretendemos assim, em cada semana do mês de Agosto debater um destes items. A participação é livre, pelo que desde já estão convidados a colocar questões e a expôr as suas dúvidas.

Gostaria de salientar, que mais do que expôr teorias, é nossa preocupação partilhar ideias e incentivar a  que cada um descubra dentro de si a Fé e a Vontade de se unir ao Pai Celestial, através da prece.

Para promover a discussão, deixamos duas imagens que sugerem uma interpretação, as quais deixamos à vossa reflexão...
http://www.youtube.com/watch?v=rCNMPj1H6k0 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXJDTk1QajFINmsw)
(http://2.bp.blogspot.com/_G9IPY5AXskI/SE_P4WDXF0I/AAAAAAAAAv8/YjVEJU7FpQw/s400/prece.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/_G9IPY5AXskI/SE_P48MTPkI/AAAAAAAAAwE/UCxa1jmBQXE/s400/prece%2Bmenina.jpg)


No nosso estudo consultamos...

Bibliografia:

Calligaris, Rodolfo, O Sermão da Montanha

Dénis, Léon, Depois da Morte

Kardec, Allan, O Livro dos Espíritos, Q. 323, 479, 658, 997

Kardec, Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo, XXVII

Kardec, Allan, O Livro dos Médiuns, Q.189

Xavier, Francisco C., Boa Nova


EM ANEXO UM POWERPOINT ILUCIDATIVO SOBRE O TEMA...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 01 de Agosto de 2009, 23:31
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: MarcoALSilva em 01 de Agosto de 2009, 23:49
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?

Olá Carlos.

Em minha opinião a prece não se presta essencialmente às rogativas comuns de nossos anseios, ainda que seja assim que comumente muitos procedam. A prece é um momento de elevação do tom vibratório, ou, em palavras menos pedantes, um momento de recolhimento e desnudamento interior, quando nos colocados diante de Mais Alto com absoluta sinceridade em busca de comunhão com a Luz.

Ademais, é do livre-arbítrio pedir, desde que se peça com sinceridade e sem auto-corrupções  ---  pedi e obtereis, batei e abrir-se-vos-á.

Abraço!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Taprobana em 02 de Agosto de 2009, 00:00
Olá Gigi Bigskirt!  :)

Cumprindo com a ordem de trabalhos proposta tenho todo o gosto em emitir a minha posição actual acerca do que esta significa.

Sendo que pode surgir sob múltiplas formas, conscientes ou inconscientes, acompanha cada um de nós em todos os instantes da vida. Se não analisemos:

Quando estamos à espera do metro na estação, estamos o orar para que o próximo a chegar seja aquele que nos leva ao destino, para que este não venha muito cheio, que haja lugares sentados, etc…

Esta prece pode ser de carácter optimista, portanto positiva ou pessimista, portanto negativa.

Analisemos dois exemplos de pensamentos divertidos de forma a prespectivar esta proposta de um prisma menos usual:
1   A esta hora, penso que facilmente vou ter lugar sentado, do lado da janela e vai ser muito agradável ouvir musica no meu mp3 enquanto leio este livro que aqui trago comigo.
2   Eia tanta gente… e se não há lugares sentados? O mais certo é ter de ficar de pé e a esta hora é quase certo que vou ter a meu lado alguém com um odor desagradável… o melhor é ir de táxi. Além do mais é uma sorte não apanhar a gripe A neste ambiente abafado. E se o taxista é que está gripado?

Tendo em conta este exemplo, podemos descrever aquilo que pode ser entendido por prece, ou seja, uma forma de evocar um força com poder determinativo que coloque o destino em conformidade com os nossos desejos.

Diria que passamos a maior parte da nossa vida a orar no sentido de que as coisas nos vão surgindo na vida em consonância com aquilo que pensamos ser o melhor para cada um.

É possível encontrar serias analogias entre este tipo de pedidos com aqueles que são levados a cabo dentro dos templos ou igrejas, ou à noite antes de adormecer. Pedimos neste caso e de forma consciente ao nosso Deus que as coisas da vida nos possam ser agradáveis tanto para nós mesmo, como para os nossos ou mesmo para toda a humanidade.

No entanto, cada um de nós pede as coisas que considera o bem… e essa noção não é a mesma para todos. Pode muito bem acontecer que eu esteja a pedir que me saia o Euromilhões e a minha esposa a pedir para que não me saia e em simultâneo… eu posso muito bem pensar que ficar rico é um bem e ela que é uma desgraça.

Nos desenhos que apresenta, sublinha a importância que tem a compenetração e por outro lado aborda a questão que parece ser de fulcral importância. Os dois sentidos que tem a oração… o pedido e o agradecimento. No entanto tanto um como outro na mais das vezes caracterizam uma espécie de exigência ou ultimato que é feito de forma camuflada ao criador… habitualmente somente agradecemos quando nos acontece algo que pensamos ser bom e por outro lado chegamos mesmo ao ponto de tentar negociar o futuro através de promessas que somente cumprimos se Deus levar as coisas de acordo com as nossas exigências. Caso contrário já não vamos a Fátima a pé mas sim de carro e aproveitamos para lanchar à sombra das árvores, ou então já não colocamos as moedas no mealheiro do Santo e coisas análogas.

No entanto a prece pode ser também vista como uma forma de introspecção avaliativa em que este tipo de negócios não façam sentido, ou seja, a prece pode ser também uma forma de comunhão com o AMOR, o seja com DEUS, conscientes de que a vida é da nossa exclusiva responsabilidade e que temos em nós mesmo escrita na nossa consciência os mapas do nosso rumo.

Para já fico por aqui. Um abraço amiga!  :)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 02 de Agosto de 2009, 12:23
A prece! Ah!... como são tocantes as palavras que saem da boca daquele que ora! A prece é o orvalho divino que aplaca o calor excessivo das paixões. Filha primogênita da fé, ela nos encaminha para a senda que conduz a Deus. Santo Agostinho em E.S.E, Cap.XXVII - item 23

Carlos, em resposta à tua colocação vou citar R. Calligaris:

Primeiramente, a razão do "pedir" não é informar a Deus do que havemos mister, nem lembrá-Lo de algo que, porventura, tenha esquecido, porque, de facto, Ele sabe de tudo a nosso respeito e não é de sua natureza fazer-se rogado para derramar-nos as Suas bençãos.

Com o "pedir", confessamos nossa indigência, nossa fraqueza, e, com esse acto de humildade e de fé, criamos aquelas condições de receptividade indispensáveis para que a graça divina possa actuar sobre nós, fortalecendo-nos o ânimo, de modo a levarmos a bom termo os nossos empreendimentos, inspirando-nos soluções adequadas aos problemas que nos aflijam, assim como infundindo-nos paciência e resignação, quando se trata de vencermos uma prova difícil.


O caminho certo é nada pedir, no entanto, existe um grupo de espíritos que embuidos do orgulho se julgam auto-suficientes, e afirmam nada pedir porque não precisam do apoio de ninguém. Não nos referimos a estes sentimentos.

Se Deus a tudo e todos assiste na sua Bondade e Misericórdia, e se temos essa confiança interior, necessáriamente não precisamos nada mais do que já temos (no aspecto fisico e material), porém, tal como refere Calligaris e Allan Kardec O que Deus lhe concederá sempre, se ele o pedir com confiança, é a coragem, a paciência, a resignação.(E.S.E. XXVII- item 7)

...tal como o MarcoALSilva falou...a prece não se presta essencialmente às rogativas comuns de nossos anseios...ou pelo menos não deveria.

Taprobana...Esta prece pode ser de carácter optimista, portanto positiva ou pessimista, portanto negativa.

Não sei se entendi  bem a questão da prece ser pessimista...mas confesso que nunca tinha pensado por esse prisma. Mas apreciei muito a sua reflexão.

Se compreendi...resumia que a prece feita pelos outros ou para os outros, parte sempre de um julgamento a-priori que corre o risco de "contrariar" os designios de Deus, e o caminho traçado para o "outro".

Pensamos, na nossa opinião, que para evitá-lo nada mais simples que afirmar interiormente:

Seja feita a vossa vontade Senhor, a vossa e nunca a minha!

O Carlos levantou a questão, muito pertinente, da utilidade da prece, mas eu preferia adiar a resposta, ok amigo, para antes debatermos em que consiste a prece.

Beijitos




Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: MariadeF em 02 de Agosto de 2009, 14:21
Nos desenhos apresentados, percebi que ambos falam com Deus: o primeiro de forma dispersa, pois ao mesmo tempo que está fazendo sua prece tem o pensamento ligado em outra coisa. Seria esta uma forma correta de elevar nosso pensamento ao alto?
O segundo está bem concentrado, haja vista que faz a prece de forma serena. No meu modo de pensar, é assim que devemos elevar nosso pensamento a Deus, seja para pedir seja para agradecer.
A prece não é feita apenas para pedirmos, mas se este for o caso que peçamos principalmente sabedoria para sabermos discernir entre o certo e o errado.

Um abraço faterno a todos!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: sensitive em 02 de Agosto de 2009, 21:33
Olá!

A prece para mim significa conversar com DEUS.
Não há horas marcadas, nem locais próprio para o fazer.

Basta elevar o nosso pensamento e falar com DEUS como se estivesse mesmo ao nosso lado.
Não rezo o Pai Nosso ou outro tipo de oração
 uso palavras simples que vem do meu coração.

Abraço

Sensitive

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 02 de Agosto de 2009, 21:52
Nos desenhos apresentados, percebi que ambos falam com Deus

A prece para mim significa conversar com DEUS.

Pedro, enquanto orares pedindo ao Pai , a satisfação de teus desejos e caprichos, é possível que te retires da prece inquieto e desalentado. Mas, sempre que solicitares as bençãos de Deus, a fim de compreender a sua vontade justa e sábia, a teu respeito, receberás pela oração os bens divinos do consolo e da paz. in Boa Nova de F.C.Xavier

Boa noite Fátima e Sensitive!

Sendo a prece uma conversa com Deus, subentende-se uma resposta? O que acham sobre isso?

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: sensitive em 02 de Agosto de 2009, 22:43
Olá Gigi!

Sim, acredito que podemos receber uma resposta de Deus.
Pode ser do exterior, através dos nossos cinco sentidos,
ou pode ser do interior, através da nossa intuição.

para ouvir uma resposta temos que saber escutar o silencio.

Abraço

Sensitive
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Zuleica em 03 de Agosto de 2009, 00:20
 
 O Evangelho Segundo o Espiritismo

 Eficácia da Prece

            5 – Por isso vos digo: todas as coisas que vós pedirdes orando, crede que as haveis de ter, e que assim vos sucederão. (Marcos, XI: 24)

            6 – Há pessoas que contestam a eficácia da prece, entendendo que, por conhecer Deus as nossas necessidades, é desnecessário expô-las a Ele. Acrescentam ainda que, tudo se encadeando no universo através de leis eternas, nossos votos não podem modificar os desígnios de Deus.

            Há leis naturais e imutáveis, sem dúvida, que Deus não pode anular segundo os caprichos de cada um. Mas daí a acreditar que todas as circunstâncias da vida estejam submetidas à fatalidade, a distância é grande. Se assim fosse, o homem seria apenas um instrumento passivo, sem livre arbítrio e sem iniciativa. Nessa hipótese, só lhe caberia curvar a fronte ante os golpes do destino; sem procurar evitá-los; não deveria esquivar-se dos perigos. Deus não lhe deu o entendimento e a inteligência para que não os utilizasse, a vontade para não querer, a atividade para cair na inação. O homem sendo livre de agir, num ou noutro sentido, seus atos têm, para ele mesmo e para os outros, conseqüências subordinadas às suas decisões. Em virtude da sua iniciativa, há portanto acontecimentos que escapam, forçosamente, à fatalidade, e que nem por isso destróem a harmonia das leis universais, da mesma maneira que o avanço ou atraso dos ponteiros de um relógio não destrói a lei do movimento, que regula o mecanismo do aparelho. Deus pode, pois, atender a certos pedidos sem derrogar a imutabilidade das leis que regem o conjunto, dependendo sempre o atendimento da sua vontade.

            7 – Seria ilógico concluir-se, desta máxima: “Aquilo que pedirdes pela prece vos será dado”, que basta pedir para obter, e injusto acusar a Providência se ela não atender a todos os pedidos que lhe fazem, porque ela sabe melhor do que nós o que nos convém. Assim procede ao pai prudente, que recusa ao filho o que lhe seria prejudicial. O homem, geralmente, só vê o presente; mas, se o sofrimento é útil para a sua felicidade futura, Deus o deixará sofrer, como o cirurgião deixa o doente sofrer a operação que deve curá-lo.

            O que Deus lhe concederá, se pedir com confiança, é a coragem, a paciência e a resignação. E o que ainda lhe concederá, são os meios de se livrar das dificuldades, com a ajuda das idéias que lhe serão sugeridas pelos Bons Espíritos, de maneira que lhe restará o mérito da ação. Deus assiste aos que se ajudam a si mesmos, segundo a máxima: “Ajuda-te e o céu te ajudará”, e não aos que tudo esperam do socorro alheio, sem usar as próprias faculdades. Mas, na maioria das vezes, preferimos ser socorridos por um milagre, sem nada fazermos. (Ver cap. XXV, nº 1 e segs.)

            8 – Tomemos um exemplo. Um homem está perdido num deserto; sofre horrivelmente de sede; sente-se desfalecer e deixa-se cair ao chão. Ora, pedindo a ajuda de Deus, e espera, mas nenhum anjo vem lhe dar de beber. No entanto, um Bom Espírito lhe sugere o pensamento de levantar-se e seguir determinada direção. Então, por um impulso instintivo, reúne suas forças, levanta-se e avança ao acaso. Chegando a uma elevação do terreno, descobre ao longe um regato, e com isso retoma a coragem. Se tiver fé, exclamará: “Graças, meu Deus, pelo pensamento que me inspiraste e pela força que me deste”. Se não tiver fé, dirá: “Que boa idéia tive eu! Que sorte eu tive, de tomar o caminho da direita e não o da esquerda; o acaso, algumas vezes, nos ajuda de fato! Quanto me felicito pela minha coragem e por não me haver deixado abater!”.

            Mas, perguntarão, por que o Bom Espírito não lhe disse claramente:”Siga este caminho, e no fim encontrarás o que necessitas”? Porque não se mostrou a ele, para guiá-lo e sustentá-lo no seu abatimento? Dessa maneira o teria convencido da intervenção da Providência. Primeiramente, para lhe ensinar que é necessário ajudar-se a si mesmo e usar as próprias forças. Depois, porque, pela incerteza, Deus põe à prova a confiança e a submissão à sua vontade. Esse homem estava na situação da criança que, ao cair, vendo alguém, põe-se a gritar e espera que a levantem; mas, se não vê ninguém, esforça-se e levanta-se sozinha.

            Se o anjo que acompanhou a Tobias lhes houvesse dito: “Fui enviado por Deus para te guiar na viagem e te preservar de todo perigo”, Tobias não teria nenhum mérito. Foi por isso que o anjo só se deu a conhecer na volta.


 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: M em 03 de Agosto de 2009, 00:46
A conversa íntima com Deus, os pensamentos positivos a todo instante são fundamentais.
E é impressionante e fascinante como a alegria e a paz toma conta de si quando elevamos nosso pensamento por inteiro.
Essa já é a primeira resposta de Deus!
Que seja feita a tua vontade Sempre!
Abraços a todos!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Giselle_Sanches em 03 de Agosto de 2009, 00:52
Boa noite a todos,

A prece, na minha opinião, é o contato primeiro com a espiritualidade superior, desde que feita de coração aberto e de forma objetiva, e há sim, quando a prece é feita em forma de conversa, respostas, do espiritos amigos que nos rodeiam. Os pedidos que fazemos sao atendidos de acordo com o merecimento de cada um, e cada qual no tempo que somente o Cristo pode definir.

Que Jesus nos abençoe , ilumine e ampare sempre.

Giselle
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 03 de Agosto de 2009, 11:29
Olá amigos(as)

- A Prece é sempre agradável a Deus quando ditada pelo coração, porque a intenção é tudo para ele. A prece do coração é preferível à que podes ler, por mais bela que seja, se a leres mais com os lábios do que com o pensamento. A prece é agradável a Deus quando é proferida com fé, com fervor e sinceridade. Não creias que Deus seja tocado pelo homem vão, orgulhoso e egoísta, a menos que a sua prece represente um ato de sincero arrependimento e de verdadeira humildade.

A prece torna melhor o homem?

- Sim, porquanto aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. É este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.

Como é que certas pessoas, que oram muito, são, apesar disso, de mau caráter, ciumentas, invejosas, impertinentes, carentes de benevolência e de indulgência e até mesmo viciosas?

- O essencial não é orar muito, mas orar bem. Essas pessoas supõem que todo o mérito está na lonjura da prece e fecham os olhos para os seus próprios defeitos. Fazem da prece uma ocupação, um emprego do tempo, nunca, porém, um estudo de si mesmas. Não é o remédio que é ineficaz, neste caso, mas a maneira de aplicá-lo.

Pode-se pedir eficazmente a Deus o perdão das nossas faltas?

- Deus sabe discernir o bem do mal; a prece não esconde as faltas. Aquele que a Deus pede perdão de suas faltas só o obtém mudando sua conduta. As boas ações são a melhor prece, porque os atos valem mais que as palavras.
Pode-se orar utilmente pelos outros?

- O Espírito daquele que ora atua pela sua vontade de praticar o bem. Pela prece atrai a si os bons Espíritos e estes se associam ao bem que deseja fazer.

O pensamento e a vontade representam em nós um poder de ação que alcança muito além dos limites da nossa esfera corporal. A prece que façamos por outrem é um ato dessa vontade. Se for ardente e sincera pode chamar os bons Espíritos em auxílio daquele por quem pedimos, afim de lhe sugerirem bons pensamentos e lhe darem a força necessária para seu corpo e sua alma. Mas, ainda aqui, a prece do coração é tudo, a dos lábios nada vale.


Podem as preces, que por nós mesmos fizermos, mudar a natureza das nossas provas e desviar-lhes o curso?

- As vossas provas estão nas mãos de Deus e algumas há que têm de ser suportadas até ao fim; mas, Deus leva sempre em conta a resignação. A prece traz para junto de vós os bons Espíritos e, dando-vos estes a força de suportá-las corajosamente, menos duras elas vos parecem. Já o dissemos: a prece nunca é inútil, quando bem feita, porque fortalece aquele que ora, o que já constitui grande resultado. Ajuda-te a ti mesmo e o céu te ajudará, bem o sabes. Aliás, não é possível que Deus mude a ordem da Natureza ao sabor de cada um. Porque aquilo que é um grande mal, do vosso ponto de vista mesquinho, para a sua vida efêmera, é quase sempre um grande bem na ordem geral do Universo. Além disso, de quantos males o homem é o próprio autor por sua imprevidência ou pelas suas faltas? Ele é punido naquilo em que pecou. Todavia, as súplicas justas são atendidas mais vezes do que supondes. Julgais que Deus não vos ouviu porque não fez um milagre a vosso favor, quando Ele vos assiste por meios tão naturais que vos parecem obra do acaso ou da força das circunstâncias. Muitas vezes também Ele vos sugere a idéia que vos fará sair da dificuldade pelo vosso próprio esforço."

Podemos orar aos Espíritos?

- Pode-se orar aos bons Espíritos como sendo os mensageiros de Deus e os executores de Suas vontades. O poder deles, porém, está em relação com a superioridade que tenham alcançado e emana sempre do Senhor de todas as coisas, sem cuja permissão nada se faz. Eis por que as preces que se lhes dirigem só são eficazes, se bem aceitas por Deus.

Será útil que oremos pelos mortos e pelos Espíritos sofredores? E, neste caso, como podem as nossas preces lhes proporcionar alívio e abreviar os sofrimentos? Têm elas o poder de abrandar a justiça de Deus?

- A prece não pode ter por efeito mudar os desígnios de Deus, mas a alma por quem se ora experimenta alívio, porque recebe assim um testemunho do interesse que inspira àquele que por ela pede e também porque o infeliz é sempre consolado, quando encontra almas caridosas que se compadecem de suas dores. Por outro lado, mediante a prece, aquele que ora ajuda no despertar do infeliz para o arrependimento e o desejo de fazer o que é necessário para ser feliz. Neste sentido é que se lhe pode abreviar a pena, se, por sua parte, o infeliz contribui com sua boa-vontade. O desejo de melhorar-se, despertado pela prece, atrai para junto do Espírito sofredor Espíritos melhores, que o vão esclarecer, consolar e dar-lhe esperanças. Jesus orava pelas ovelhas desgarradas. Com isso vos mostrava que sereis culpados se nada fizerdes pelos que mais necessitam das vossas preces.

DO LIVRO DOS ESPÍRITOS


SAUDAÇÕES FRATERNAS


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 03 de Agosto de 2009, 12:11
Paz plena... Irmãos e irmãs foristas, um grande e fraternal abraço.
Na realidade a PRECE é uma expressão da sabedoria pela humildade, pois pela PRECE reconhecemos que existe pelo menos UM SER acima da gente.
A ESSE SER eu o chamo de DEUS, AQUELE que me deu a VIDA e a LIBERDADE de viver bem a própria VIDA.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: somalopa em 03 de Agosto de 2009, 13:23
Queridos companheiros,

No Evangelho Segundo o Espiritismo , Instruções dos Espíritos, encontrei uma observação  no que diz respeito à prece.

A prece é toda boa ação.

Toda boa ação é atitude de amor. Toda atitude de amor, nos conduz a patamares mais elevados, pela sintonia em relação aos Benfeitores

Muitas vezes, estamos mais nos ajudando  no processo de nossas conquistas particulares, com atitudes positivas, de amor, colaborativas, do que se nos fecharmos  em nosso mundo interior, e ficarmos pedindo, sem contribuir, e consequentemente, não haverá merecimento. O trabalhador recebe sempre de acordo com a qualidade do seu trabalho.

Assim a prece é um dos recursos que nos auxiliam a evoluir.

Um abraço fraterno,

Sonia Maria

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 03 de Agosto de 2009, 14:20
Paz plena... Márcia Azevedo, um grande abraço.
Citar
A conversa íntima com Deus, os pensamentos positivos a todo instante são fundamentais.
E é impressionante e fascinante como a alegria e a paz toma conta de si quando elevamos nosso pensamento por inteiro.
Essa já é a primeira resposta de Deus!
Que seja feita a tua vontade Sempre!
Abraços a todos!
Apenas para esclarecer o assunto em função do conhecimento da Doutrina Espírita, que nos revela os mistérios sobre o plano espiritual ou sobre os espíritos. Muita gente confunde Deus com os espíritos, que nos são afins, que foram e ainda são chamados de "Espírito Santo pelos cristãos", como sendo um só espírito.
Quando comecei a viver as experiências mediúnicas (1980), eu ainda não sabia nada sobre a Doutrina Espírita, então julguei que estava recebendo intuições e orientações diretas do Espírito Santo, que era a 3ª pessoa do Mistério da Santíssima Trindade.
Quando comecei a estudar a Codificação de Kardec pude entender que o Espírito Santo era o conjunto ou a união de todos os espíritos desencarnados e ai tudo foi ficando muito claro e lógico para mim com relação ao plano espiritual.
Quando estamos rezando ou fazendo alguma prece, então elevamos o nosso padrão vibracional e passamos a nos sintonizar com entidades mais evoluídas e isso pode nos causar uma ótima sensação ou até vibrações no corpo físico, que nos faz emocionar muito. Julgamos então que estamos em sintonia perfeita com o único Espírito Santo, mas na realidade o Espírito Santo é o conjunto de todos os espíritos, que estão livres da matéria bruta: os corpos de carne.      
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 03 de Agosto de 2009, 14:37
Paz plena... Carlos Ribeiro, um grande abraço.  
Citar
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?
Você disse uma grande verdade, ois Deus, por ser onisciente, sabe de tudo. Agora Deus também respeita plenamente a liberdade todos, então mesmo que Ele saiba de nossas necessidades Ele não age se nós não lhe pedimos, pois temos que pedir ou agradecer.
Veja que Jesus nos ensinou como devemos fazer as nossas orações (Mateus 6, 7 a 13).
Vou citar aqui apenas o 1º versículo:
"Nas vossas orações não useis de vãs repetições, como os gentios, porque imaginam que é pelo palavreado excessivo que serão ouvidos" (Mt 6, 7).
Penso que muitos líderes religiosos não vêem esse versículo, pois tocam músicas tão altas e falam tanto pelos microfones, como se isso tudo fosse necessário para acordar a Deus.
Deus age com amor, simplecidade e no silêncio de cada coração e não ao som dos tambores e altofalantes. Estes nos fazem entrar em estado alterado de consicência e tudo pode acontecer, quanto estamos meio em transe ou em estado alterado de consciência.    
Título: [Estudo] A Prece
Enviado por: Pramos em 03 de Agosto de 2009, 15:16
Olá a todos,

A prece é um acto de Adoração.
A adoração pressupõe a rendição incondicional à Essência Divina para a qual todos, cada qual no seu ritmo, caminhamos.
Ao deixar-mos que o Espirito trabalhe em nós, nos molde, nos aperfeiçoe, submetemo-nos  a Ele que  em nós habita.
Entregamos todos os nossos pensamentos e actos para que estes sejam filtrados pelo próprio Espirito, por forma a atingir a Perfeição.
Essa conversa é constante não tem interrupções.
A essa rendição incondicional a DEUS eu chamo também PRECE.
Muita Paz e Muita Luz.
Paulina
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: CLAUDIA TELES em 03 de Agosto de 2009, 15:35
Olá amigos......


Creio que a prece é um dízimo dado a Deus que sai de nosso coração. O melhor momento de nosso dia. A nossa entrega.
É um ato de amor sublime e envolvente que nos transporta ao lado Daquele que nos criou.
Prece não é sinônimo de pedir.
Prece é graça. Prece é luz. Prece é Paz. Prece são as palavras que usamos para nos comunicarmos com Deus.
É a certeza da existência  Dele; quando fechamos os nossos olhos e nos dirigimos a Ele, entregando-nos como meninos em busca da proteção do Pai, sabendo que ele fará o melhor por nós.
Pronunciar uma Prece é confirmar a existência de Deus em nossas vidas.

Obrigado pela oportunidade.
Abraços a todos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 03 de Agosto de 2009, 16:02
Paz plena... CláudiaTeles, um grande abraço.
Código: [Seleccione]
Creio que a prece é um dízimo dado a Deus que sai de nosso coração.
O melhor momento de nosso dia. A nossa entrega.
É um ato de amor sublime e envolvente que nos transporta ao lado
Daquele que nos criou.
Prece não é sinônimo de pedir.
Deus não precisa de nossas preces ou do nosso louvor, mas a VIDA e os seres humanos sim, pois pela prece passamos a reconhecer que não somos egoisticamente os senhores absolutos do universo, mas aceitamos que existem SERES acima de nós e com os quais estamos em sintonia constante.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Jos em 03 de Agosto de 2009, 17:53
Prezadas(os) Senhoras(es),

Este Fórum é mesmos especial, só trás assuntos maravilhosos.

A Prece...

Oh! Quanto ainda temos que aprender sobre este assunto...

Acredito que, quando tivermos maior controle sobre os nossos pensamentos, nossas preces serão mais eficazes. Isso não quer dizer que Deus não ouve todas elas, claro que sim! Mas elas só serão agradáveis a Deus quando proferida com SINCERIDADE, Fé e Fervor... Aí esta a chave!... Temos que aprender a ser sinceros!

Muita Paz a todos,
Zé Geraldo[/color]
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 03 de Agosto de 2009, 18:57
Caro Carlos!
Li certa vez uma colocação feita por simonete, que acho muito oportuna para sua indagação.
Ele informa que mesmo Deus sabendo das nossas necessidades, temos nosso livre arbitrio e precisamos nos movimentar, ele faz a seguinte comparação:
Se alguém "morto de sede" entrar dentro de uma piscina cheia e não abrir a boca para ingerir a água ele vai morrer de sede.
abraços a todos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 03 de Agosto de 2009, 19:00
É verdade Rosélio. Eu já li isso num livro de Simonetti embora não me recorde qual.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Paulo Maia em 03 de Agosto de 2009, 19:32
Boa tarde Gigi. Muita paz em seu coração.
O estudo sobre prece, traz muitas reflexões, por se tratar de um dialogo entre DEUS e você, traz outras tantas quando é realizada em público e por eles. Assim sendo deixo apenas uma colocação pessoal, de que os mensageiros de JESUS, certamente levarão a ELE nossos apelos e solicitudes.
O estudo é bom e estarei acompanhando!
Abraços fraternos,
Paulo Maia
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: gilda ramos em 03 de Agosto de 2009, 19:34
Olá boa tarde a todos!!!
Eu oro todos as noite, mas passei a fazer isso porque estou desempregada e acho que esta situação me colocou mais próxima de Deus, todos os domingos faço o evangelho no meu lar com meu marido e sinto uma coisa maravilhosa de dentro de mim, uma força no coração e mesmo quando vou orar para dormir.
Hoje quando oro sinto uma força enorme de dentro de mim e sei que o que estou pedindo ou agradecendo chegara até Deus sei que meu mentor esta comigo e crescendo junto comigo, isso para mim também é muito bom saber.
Eu oro e acredito na oração sei que ela chega até Deus sempre não é porque ele esta em todos os lugares que não precisamos falar eu acho que é isso que nos liga a ele e é importante não da para não conversar com ele... é o que eu acho.

Beijos para todos!!!


A prece! Ah!... como são tocantes as palavras que saem da boca daquele que ora! A prece é o orvalho divino que aplaca o calor excessivo das paixões. Filha primogênita da fé, ela nos encaminha para a senda que conduz a Deus. Santo Agostinho em E.S.E, Cap.XXVII - item 23

Carlos, em resposta à tua colocação vou citar R. Calligaris:

Primeiramente, a razão do "pedir" não é informar a Deus do que havemos mister, nem lembrá-Lo de algo que, porventura, tenha esquecido, porque, de facto, Ele sabe de tudo a nosso respeito e não é de sua natureza fazer-se rogado para derramar-nos as Suas bençãos.

Com o "pedir", confessamos nossa indigência, nossa fraqueza, e, com esse acto de humildade e de fé, criamos aquelas condições de receptividade indispensáveis para que a graça divina possa actuar sobre nós, fortalecendo-nos o ânimo, de modo a levarmos a bom termo os nossos empreendimentos, inspirando-nos soluções adequadas aos problemas que nos aflijam, assim como infundindo-nos paciência e resignação, quando se trata de vencermos uma prova difícil.


O caminho certo é nada pedir, no entanto, existe um grupo de espíritos que embuidos do orgulho se julgam auto-suficientes, e afirmam nada pedir porque não precisam do apoio de ninguém. Não nos referimos a estes sentimentos.

Se Deus a tudo e todos assiste na sua Bondade e Misericórdia, e se temos essa confiança interior, necessáriamente não precisamos nada mais do que já temos (no aspecto fisico e material), porém, tal como refere Calligaris e Allan Kardec O que Deus lhe concederá sempre, se ele o pedir com confiança, é a coragem, a paciência, a resignação.(E.S.E. XXVII- item 7)

...tal como o MarcoALSilva falou...a prece não se presta essencialmente às rogativas comuns de nossos anseios...ou pelo menos não deveria.

Taprobana...Esta prece pode ser de carácter optimista, portanto positiva ou pessimista, portanto negativa.

Não sei se entendi  bem a questão da prece ser pessimista...mas confesso que nunca tinha pensado por esse prisma. Mas apreciei muito a sua reflexão.

Se compreendi...resumia que a prece feita pelos outros ou para os outros, parte sempre de um julgamento a-priori que corre o risco de "contrariar" os designios de Deus, e o caminho traçado para o "outro".

Pensamos, na nossa opinião, que para evitá-lo nada mais simples que afirmar interiormente:

Seja feita a vossa vontade Senhor, a vossa e nunca a minha!

O Carlos levantou a questão, muito pertinente, da utilidade da prece, mas eu preferia adiar a resposta, ok amigo, para antes debatermos em que consiste a prece.

Beijitos





Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: balupi em 03 de Agosto de 2009, 20:36
um trecho muito interessante do livro "missionários da luz", que esclarece um pouco sobre o poder da oração e o grande bem que este ato nos proporciona.

""(...)

-Não tenha dúvida - prosseguiu o orientador -, a oração é o mais eficiente antídoto do vampirismo. A prece não é movimento mecânico de lábios, nem disco de fácil repetição no aparelho da mente. É vibração, energia, poder. A criatura que ora, mobilizando as próprias forças, realiza trabalhos de inexprimível significação. Semelhante estado psíquico descortina forças ignoradas, revela a nossa origem divina e coloca-nos em contacto com as fontes superiores. Dentro dessa realização, o Espírito, em qual quer forma, pode emitir raios de espantoso poder.

Após breve intervalo, Alexandre considerou, imprimindo mais força ao ensinamento:

-E você não pode ignorar que as próprias formas inferiores da Terra se alimentam quase que integralmente de raios. Descem sobre a fronte humana, em cada minuto, bilhões de raios cósmicos, oriundos de estrelas e planetas amplamente distanciados da Terra, sem nos referirmos aos raios solares, caloríficos e luminosos, que a ciência terrestre mal começa a conhecer. Os raios gama, provenientes do elemento rádio que se desintegra incessantemente no solo, e os de várias expressões emitidos pela água e pelos metais, alcançam os habitantes da Terra pelos pés, determinando consideráveis influenciações. E, em sentido horizontal, experimenta o homem a atuação dos raios magnéticos exteriorizados pelos vegetais, pelos irracionais e pelos próprios semelhantes.

A admiração impusera-me silêncio, mas o orientador prosseguiu, após ligeiro intervalo:

-E as emanações de natureza psíquica que envolve a Humanidade, provenientes das colônias de seres desencarnados que rodeiam a Terra? Em cada segundo, André, cada um de nós recebe trilhões de raios de vária ordem e emitimos forças que nos são peculiares e que vão atuar no plano da vida, por vezes em regiões muitíssimo afastadas de nós. Nesse círculo de permuta incessante, os raios divinos, expedidos pela oração santificadora, convertem-se em fatores adiantados de cooperação eficiente e definitiva na cura do corpo, na renovação da alma e iluminação da consciência. Toda prece elevada é manancial de magnetismo criador e vivificante e toda criatura que cultiva a oração, como devido equilíbrio do sentimento, transforma-se, gradativamente, em foco irradiante de energias da Divindade.

As elucidações do instrutor calaram-me profundamente no ser. Desejando, contudo, certificar-me quanto a outro pormenor da sublime experiência, interroguei:

-Bastará, porém, o recurso da esposa para que o nosso doente restaure o equilíbrio psíquico?

Alexandre sorriu e respondeu:

-O socorro de Cecília é valioso para o companheiro, mas o potencial de emissão divina pertence a ela, como fruto incorruptível dos seus esforços individuais. Significa para ele o "acréscimo de misericórdia" que deverá anexar, em definitivo, ao patrimônio de sua personalidade, através do trabalho próprio. Receber o auxílio do bem não quer dizer que o beneficiado seja bom. Nosso amigo precisa devotar-se, com fervor, ao aproveitamento das bênçãos que recebe, porque, inegavelmente, toda cooperação exterior pode ser interrompida e cada filho de Deus é herdeiro de possibilidades sublimes e deve funcionar como médico vigilante de si mesmo.""

 

Do livro “Missionários da Luz”. Espírito André Luiz. capítulo 6.

Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

abraço à todos!  ;)

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 03 de Agosto de 2009, 21:08

para ouvir uma resposta temos que saber escutar o silencio.


Sensitive, achei muito interessante a sua observação, tanto que gostaria de sublinhá-la.

Por vezes oramos á espera de algo: material ou espiritual. Ou porque pedindo ajuda para concretizar um projecto, ou simplesmente pedindo protecção e inspiração serena,e ficamos como que a aguardar uma resposta... E será que estamos preparados para ouvir, sentir, a resposta do Pai divino?

Zuleica, agradeço-lhe a citação de O Evangelho Segundo o Espiritismo que vem engrandecer o nosso estudo. Porém, eu abstinha-me de momento em reflectir sobre a eficácia da prece, pois pretendiamos aprofundar na 3ª semana de Agosto, tendo em conta a proposta de trabalho do estudo mensal.



Nesta semana propunhamos debater o que é a prece, e como tal, o que não é verdadeiramente a prece...

Existirá uma prece verdadeira? Isso significaria que podemos orar (ou "rezar") sem atingir o sentido da prece?


A conversa íntima com Deus, os pensamentos positivos a todo instante são fundamentais.
E é impressionante e fascinante como a alegria e a paz toma conta de si quando elevamos nosso pensamento por inteiro.

Márcia...que lindo... a sua visão é de que a prece é um estado de alma constante?

A prece, na minha opinião, é o contato primeiro com a espiritualidade superior

Giselle...você expressou, com simplicidade uma ideia que partilho.

O acto de adorar a divindade é intuitivo desde os primórdios da humanidade. A História e a arqueologia mostram-nos que ainda primitivo, já o homem fazia culto a tudo o que não sabia explicar -chamava-lhes deuses aos agentes da natureza.

Essa ideia inata induzia-lhes temor ao desconhecido e uma vontade intima de pedir aos deuses proteção e satisfação das suas necessidades. Como forma de agradecimento entregavam oferendas materiais para que continuassem a atendê-los.

Este ritual, que depressa se tornou cultural, foi o germen para os primeiros contactos entre o ser humano e a espiritualidade.
É interessante por isso analisar que a vontade de rogar a Deus, é algo que nasce connosco.

Concordam?

Continuamos de seguida.



Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 03 de Agosto de 2009, 21:35

- A Prece é sempre agradável a Deus quando ditada pelo coração



- O essencial não é orar muito, mas orar bem.


-O pensamento e a vontade representam em nós um poder de ação que alcança muito além dos limites da nossa esfera corporal.



- As vossas provas estão nas mãos de Deus e algumas há que têm de ser suportadas até ao fim


- A prece não pode ter por efeito mudar os desígnios de Deus, mas a alma por quem se ora experimenta alívio

DO LIVRO DOS ESPÍRITOS


Cancela... destaquei estes items, pois parecem-me os mais pertinentes. Na verdade resumem o nosso estudo, falam sequencialmente sobre o que é a prece, a qualidade da prece, sua eficácia e acção.


Na realidade a PRECE é uma expressão da sabedoria pela humildade

Rosário ... se entendo, você quer dizer que a prece é um sentimento de humildade, certo?

Sabedoria nem sempre está em parceria com a humildade, e ...será que a humildade pode ser racionalizada ou aprendida pela razão? Pensei agora nisto...que acha?

A prece é toda boa ação.

Toda boa ação é atitude de amor. Toda atitude de amor, nos conduz a patamares mais elevados, pela sintonia em relação aos Benfeitores

(...)O trabalhador recebe sempre de acordo com a qualidade do seu trabalho.

Assim a prece é um dos recursos que nos auxiliam a evoluir.


Sónia... Veja só que instrumento maravilhoso temos ao nosso alcance a toda a hora,em todos os momentos da vida, não é?

Pela prece evoluimos...

Paz plena... Carlos Ribeiro, um grande abraço. 
Citar
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?
Você disse uma grande verdade, ois Deus, por ser onisciente, sabe de tudo. Agora Deus também respeita plenamente a liberdade todos, então mesmo que Ele saiba de nossas necessidades Ele não age se nós não lhe pedimos, pois temos que pedir ou agradecer.
   

Rosário...talvez você não se expressasse correctamente ou eu interpretei mal, mas não é possível imaginar o que seria se Deus só agisse se nós pedissemos... Seria como se Deus andasse ao sabor da nossa vontade. Certamente Ele não seria o Criador, não concorda amigo?

A essa rendição incondicional a DEUS eu chamo também PRECE.

Paulina achei lindissima esta sua expressão...deveras tocante e mais profunda do que imaginamos.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: avilez em 03 de Agosto de 2009, 21:51
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?
Citar
   Entendo que a prece é uma forma de nos religarmos com o criador, quando oramos,nossas energias são enviadas ao cosmo e trasformadas em outras energias e encaminhadas aos que estão passando por dificuldades.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 03 de Agosto de 2009, 21:57
Creio que a prece é um dízimo dado a Deus que sai de nosso coração. O melhor momento de nosso dia. A nossa entrega.
É um ato de amor sublime e envolvente que nos transporta ao lado Daquele que nos criou.

Claudia... a Prece é dar, como você bem quis expressar...e nem todos ainda percebemos isso, visto que quando oramos o primeiro pensamento é pedir...

José Geraldo...seja bem vindo!! A nossa gratidão pelo seu carinho e participação.

O estudo sobre prece, traz muitas reflexões, por se tratar de um dialogo entre DEUS e você, traz outras tantas quando é realizada em público e por eles. Assim sendo deixo apenas uma colocação pessoal, de que os mensageiros de JESUS, certamente levarão a ELE nossos apelos e solicitudes.

Olá Paulo! Você veio lembrar que a prece é comunicação também, e que por isso ela chega a toda a parte...

Vou-lhe contar uma passagem pessoal que poderá ilustrar certo sentimento de duvida que por vezes nos invade: será que Jesus escuta a nossa prece? E Deus ouvirá os nossos sentimentos mais profundos?

Desde criança eu tinha vontade de orar, e fazia-o de forma espontanea pois nunca frequentei nenhuma igreja, nem professava nenhuma religião. Nasci num lar feliz, mais interessado em filosofia que em religião. Uma sortuda, como vê!
Eu orava a Deus sempre, e só a Ele dirigia as minhas preces infantis...até conhecer o espiritismo. Assim que li O Livro dos Espíritos, uma dor cresceu dentro de mim...Deus de repente ganhava outra grandiosidade... E se antes eu orava, "Pai"...eu agora ficava a sentir que ele estava longe, pois eu era tão pequenina...

Durante anos eu até andei meio afastada das preces...parecia-me que me tinham tirado o Pai, aquele homenzinho Bom e Justo que estava ali ao meu lado todos os dias.
Já viu que curioso?

Só muitos anos depois, posso dizer até que recentemente, eu percebi o que faltava... e isso é descoberta de cada um... :)

Gilda...realmente não dá para ficar indiferente ao Amor de Deus!

Balupi...esta obra que nos trouxe tem passagens muito educativas sobre o processo reencarnatório de um espirito, e a sua missão na terra. E o que seria desse projecto grandioso individual sem a Prece dos benfeitores da humanidade? Veja como Alexandre se refere á grandiosidade dos efeitos da Prece...avassalores...tanto que ficamos a cada passo surpreendidos.





Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: sidney em 03 de Agosto de 2009, 22:30
Que a Paz seja com todos!...Boa noite!...Como devo proceder para me inscrever nos estudos (A Prece), por gentileza, me orientem sobre todos os procedimentos que devo tomar. Sem mais agradeço à todos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: louisse em 03 de Agosto de 2009, 22:59
A prece é uma forma de nos conectarmos com o criador, quando oramos com fé humildade sentimos a presença de Deus em nós, é o exemplo das duas figuras, uma  a pedir coisas materiais, que não tem a ver, a criança já ora diferente, ora com o coração. O amor do Pai por todos nós é imenso, uma prece sincera será ouvida pelos seus mensageiros. As pessoas precisam aprender a orar e entender as respostas que Deus nos dá, pois nem sempre aquilo que pedimos é o melhor, somente Ele sabe o que nos convém. Devemos orar agradecendo e louvando este Pai maravilhoso que temos pedindo a força para continuarmos a nossa caminhada sem jamais perder a nossa fé. Abraços fraternos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Aline Beneduce em 03 de Agosto de 2009, 23:56
A grande maioria das pessoas só recorrem à oração quando estão com problemas de ordem material ou por motivo de doença.
E sempre aguardando passivamente uma solução imediata para aquilo que as afligem.
Se o atendimento demora, se revoltam, não acreditando na eficácia da oração.
Geralmente esperam por um milagre, e não desprendem um mínimo esforço para a realização do que foi solicitado.
Em geral, só vemos o presente, o imediatismo.
Não queremos e não gostamos de sofrer. Mas, se o sofrimento é de utilidade para a nossa felicidade futura, com certeza Deus deixará sofrermos por algum tempo. Entretanto, os Benfeitores Espirituais estarão do nosso lado nos dando força, confiança, coragem, paciência e a resignação, desde que a fé esteja abrigada em nossos corações.
E se sabemos de tudo isso, ou parcialmente como respondemos: Por que não oramos frequentemente?
Surgem apartir daí várias respostas, mais nehuma plausível:

(1)   “Não tenho tempo. Ando muito cansado. Como posso orar dessa maneira?” E não orando, acabamos sendo vencidos pelo stress, pelo desânimo. A oração poderia nos ser útil para conseguirmos a energia necessária que nos falta para esses momentos.


(2)   “A oração é para os momentos difíceis e de provação”.   E quando vivenciamos a dor, dizemos: “Como posso orar com um sofrimento desses? Orem por mim!”.
A prece nos dá a sustentação necessária para suportar a dor com resignação e paciência, encarando este momento como um aprendizado.  


(3)   “Mas a oração é para ser feita nos momentos em que estamos bem. Assim a realizamos com mais eficácia”.     E por estarmos felizes, esquecemos ou não temos tempo para a prece.


Deus só entra em nossas vidas se assim O desejarmos e permitirmos. E este caminho é através da oração.

Beijo a todos.. :-*

Aline Beneduce
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 04 de Agosto de 2009, 00:32
Olá amigos do fórum espírita, boa noite

A Prece é um ato de EMISSÃO.
Quando pensamos dirigimos nossos energias à reflexão e às emoções intrínsecas a elas. Cada emoção dá uma característica de qualidade de vibração a energia emitida conjunta ao pensamento. Quanto mais concentrado nosso pensamento mais energia emitimos.

A Prece é fruto de uma cultura social, como já foi dito aqui no fórum e mais: é um "bem" adquirido pelo espírito em suas romagens reencarnacionistas. Quanto mais dotado, quanto mais "exercitada" pelo espírito, saberá se situar intuitivamente na cultura de cada época adequadamente.

A Prece é então fruto da cultura social e da intuição individual. O ato de rezar não é fruto da razão científica, e sim de uma experiência pessoal e intransferível. Como digo sempre: quem nunca provou vinho madeira não sabe dizer nada de seu sabor. Com a prece é a mesma coisa: explore possibilidades de Fé com a Prece.

A Prece não é uma barganha.
A Prece não é ato de poder: você pede e "Deus" obedece.

A Prece é um ato de criação pessoal e quando a emitimos, conscientes ou não, enviamos nossa carga de emoções e de pensamentos íntimos. Inevitavelmente somos transparentes, e então em cada prece ocorre um julgamento. Não podemos fazer, ou ser mais do realmente somos. Ele sabe disso.

Saibamos aprender a saber.
Saibamos aprender a pedir.
Saibamos aprender a agradecer
Saibamos aprender a louvar
Saibamos aprender a amadurecer espiritualmente.



Muita Paz a todos

Nelson



Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: ketinunkantim em 04 de Agosto de 2009, 02:11
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?
Carlos, imagino que percebas que a prece é atendida quando feita com propósito, intenção e fervor. Nós, humanos, por muitas vezes nos encontramos aqui apenas em graças e agradavelmente vivemos, mas quando algo nos aborrece, perturba ou irrita, a ponto mesmo de não suportarmos seja o sentimento, seja uma humilhação, algo parecido, elevamos nossos pensamentos nesse rôgo quase inconsciente, mas sentido, e recebemos o alívio.
Portanto acho extremamente útil e informativo que se estude o assunto.
Deus nos deu uma vida, livres arbítrios e escolhas e também a capacidade de interagirmos com os nossos irmãos aqui encarnados, o que nem sempre tem podido se chamar de convivência harmônica e a isso deveríamos, todos, aprendermos a pedir: harmonia, real fraternidade, e amor, desinteressado e preocupado, pelos nossos irmãos.

A prece é a escada para o céu, digamos assim, e poderás compreender que sim, podemos chegar lá sem a escada, mas precisamos dela para construir os foquetes e para que os foquetes não explodam na subida.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: VELUPO em 04 de Agosto de 2009, 03:23
Olá amigos!!

No livro "Entre a Terra e o Céu" (Chico Xavier) esp. Andre Luiz  nos mostra o poder da prece e suas aplicações. Mt bom. :)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Marlabs em 04 de Agosto de 2009, 03:43
A Prece é um ato de EMISSÃO.
Quando pensamos dirigimos nossos energias à reflexão e às emoções intrínsecas a elas. Cada emoção dá uma característica de qualidade de vibração a energia emitida conjunta ao pensamento. Quanto mais concentrado nosso pensamento mais energia emitimos.


Caro Nelson,

destaquei este paragrafo que escreveu pois etendo que quando oramos transcendemos a realidade humana, penetrando em dimensões além do que podemos compreender.

O escritor Djalma Argollo em seu livro Ensina-nos a orar nos diz que quando um individuo se coloca a orar, abram-se canais, que ainda temos dificuldades de entender, mas que nos ligam a fontes primordiais da vida.

Os grandes genios espirituais são resultado da eficacia da prese. Jesus por exemplo costumava passar as noites em oração e também sugeria aos seus seguidores que orassem constantemente.

Muitos martires foram para a morte em oração.

A prece é tão necessária a alma quanto o alimento para o corpo. Se não praticamos caimos nos desespero e na angustia.

Se exercitamos continuamente a oração, revitalizamos,superamos conflitos e dificuldades.

A pratica da oração exige recolhimento e tranquilidade para atingir seus objtivos essenciais, trazendo conforto, iluminação e conhecimento ao praticante.

Nos livros de Chico Xavier encontramos várias preces, escritas por espiritos que nos remetem a emoções superiores, recebendo inspirações renovadoras, as quais nos apoiam nas soluções de problemas do cotidiano.

Um abraço fraterno! :-X
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Aluena em 04 de Agosto de 2009, 10:17
Um MODELO de prece
Para Kardec o Pai Nosso é modelo de prece

Há muito temos notado um pequeno impasse junto aos trabalhadores espíritas, quanto à questão de como se deve abrir os trabalhos evangélicos e mediúnicos na casa espírita.
 A questão que se impõe é:
 a prece deve ser improvisada ou deve-se realizar o Pai Nosso?

A questão é interessante, pois ela tem perturbado a muitos sem uma conclusão definitiva nos pontos de vista apresentados.
A corrente que defende o direito da livre expressão acredita na prece improvisada, segundo a emoção do momento e de quem a realiza.
Outra corrente busca em Jesus o seu aval, já que ele nos deixou como parâmetro e modelo de oração o “Pai Nosso”. (Mateus, 6:9-13 e Lucas, 11:1-4).

Sem querer impor qualquer norma de conduta pessoal, temos por hábito, na qualidade de espírita, consultar os livros da Codificação para melhor entender a vida e as nossas atividades doutrinárias, como é o caso aqui.
 Não discutiremos a eficácia da prece, já comprovada quando idealizamos Deus dentro de nós através da fé.
A busca parte de uma invocação que nos coloca em relação mental com o mais alto
(ou com aquele a quem nos dirigimos), partindo da força interior de cada um, traduzida na energia do pensamento e no poder da vontade, conforme nos ensina o Evangelho.

O que nos interessa verdadeiramente é a importante observação do Codificador no que se refere à oração dominical, como é chamado o Pai Nosso. Ressalta ele que os Espíritos recomendaram que, encabeçando a coletânea de preces do capítulo, pusesse a Oração dominical, não somente como prece, mas também como símbolo, pois, explica Kardec, de todas as preces, é a que colocam em primeiro lugar, seja porque procede do próprio Jesus, seja porque pode suprir a todas, conforme os pensamentos que se lhe conjuguem
 ("O Evangelho Segundo o Espiritismo", capítulo 28, item 2).

Para Kardec a prece dominical é o mais perfeito modelo de concisão, verdadeira obra-prima de sublimidade na simplicidade.
Ele explica:
 Com efeito, sob a mais singela forma, ela resume todos os deveres do homem para com Deus, para consigo mesmo e para com o próximo. Encerra uma profissão de fé, um ato de adoração e de submissão; o pedido das coisas necessárias à vida e o princípio da caridade. Quem a diga, em intenção de alguém, pede para este o que pediria para si.”
Interessante o embasamento doutrinário de Kardec sobre o Pai Nosso:

de todas as preces é a que os Espíritos colocam em primeiro lugar, é considerada como um símbolo, procede do próprio Jesus, pode suprir a todas existentes (isso implica também até as que são improvisadas), é o mais perfeito modelo de concisão, verdadeira obra-prima de sublimidade na simplicidade, destaca-se das demais pela forma singela, resume todos os deveres do homem para com Deus, para consigo mesmo e para com o próximo, encerra uma profissão de fé, um ato de adoração e de submissão, contém o pedido das coisas necessárias à vida e o princípio da caridade.
"O Evangelho Segundo o Espiritismo" é claro quando afirma no capítulo 28 (item 1) que os Espíritos não prescrevem nenhuma fórmula absoluta de preces. As que constam na coletânea do referido capítulo foram colocadas para orientar nossas idéias, assim como chamar a atenção do leitor e do estudioso sobre certos princípios da doutrina espírita, e acrescentaríamos, particularmente no trato com a morte que vemos como a libertação da alma e não como o fim de tudo.

Apesar da grandeza das justificativas em relação ao Pai Nosso, muitos acreditam que a oração torna-se maquinal uma vez proferida, já que é de conhecimento de todos.
Pois é justamente aí o ponto extraordinário dessa oração: poder conjugar a todos num mesmo pensamento e numa mesma vontade.

A maneira de orar na verdade vai da fé de cada um, que pode estar colocando ou não o seu coração nas palavras que profere.
O importante é que ricos ou pobres, o Pai Nosso é a prece da humanidade inteira, sem exceção.

Não há quem não a conheça ou não a tenha realizado em algum momento de sua vida. Prova disso encontramos em "O Evangelho Segundo o Espiritismo", capítulo 27, item 15, que diz: a prece em comum tem ação mais poderosa, quando todos os que oram se associam de coração a um mesmo pensamento e colimam o mesmo objetivo. Imaginemos aí o quanto não pode uma oração como o Pai Nosso que já está inscrita em cada coração humano e cujas palavras são verdadeiras pérolas em louvor e reconhecimento a Deus.


Nas instruções sobre a maneira de orar, o Espírito V. Monod coloca em mensagem deixada em 1862, em Bordeaux, que ela deve ser profunda, uma vez que nossa alma tem de elevar-se para o Criador, de transfigurar-se, como Jesus no Tabor, a fim de lá chegar nívea e radiosa de esperança e de amor ("O Evangelho Segundo o Espiritismo", capítulo 27, item 22).

Na mesma direção associa-se Santo Agostinho quando liga a fé à prece, dizendo que a primeira leva à segunda ("O Evangelho Segundo o Espiritismo", capítulo 27, item 23).


Em Mateus, encontramos o Pai Nosso logo após o ensino das bem-aventuranças, ocasião em que Jesus, vendo a multidão ao redor, sobe ao monte; e, tendo se assentado e se aproximado os seus discípulos, põe-se a ensiná-los a orar no tocante ao comportamento e às palavras a serem ditas: "E, quando orardes, não sejais como os hipócritas; pois gostam de orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa. Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque pensam que pelo seu muito falar serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes. Portanto, vós orareis assim..."


Cumpre a Jesus deixar-nos o exemplo de como devemos nos dirigir a Deus.

 Em "O Novo Testamento" vemos os apóstolos ressaltarem as inúmeras vezes em que ele, recolhido junto à Natureza para as suas reflexões íntimas, liga-se a Deus em colóquios de grandiosa fé. O silêncio é a marca maior de todas as passagens.


Devemos, pois, ensurdecer-nos para os barulhos do mundo seja na prece dominical, seja na prece que o nosso coração ditar no momento. Lembrando, como ensina o Evangelho, que a principal qualidade da prece é a clareza. Ela deve ser simples e concisa, sem fraseologia inútil ou excesso de adjetivação ("O Evangelho Segundo o Espiritismo", capítulo 28, item 1).
Nada mais cansativo do que frases floreadas numa suposta poesia do coração.

O PAI NOSSO é, portanto, o nosso grande recurso, em todas as horas; mas caso seja feita a opção da improvisação, sejamos simples à imagem do Cristo que sempre buscou Deus com humildade e reconhecendo-lhe ao mesmo tempo a majestade, lança no éter do Universo a sua devoção, dizendo com fervor: Pai Nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome!... 

IN: http://www.jornaldosespiritos.com/2007.3/col9.12.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5qb3JuYWxkb3Nlc3Bpcml0b3MuY29tLzIwMDcuMy9jb2w5LjEyLmh0bQ==)

AUTORA:   
ELIANA THOMÉ é jornalista, dirigente e expositora espírita.

::::::::::. HUMILDE PRECE pedindo VIBRAÇÕES a TODOS OS IRMÃOS :::::::::::::::::
Humildemente clamo por socorro do alto aos queridos Benfeitores dos 2 lados da vida ::: Sou internada a 11 e operada a 12 de Agosto, vai ser retirado todo o útero e anexos e adenopatia do baixo ventre irá tudo para análise e tenho fé que tudo vai ser a tempo, solicito e agradeço a todos vibrações de protecção, discernimento para equipe médica e que os médicos do Plano Espíritual ligados ao Cristo auxiliem os médicos da Terra e a todos os doentes em especial, para: Maria Manuela Silva Neves, Hospital CUF Infante Santo ,LISBOA, Portugal.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Jorge em 04 de Agosto de 2009, 10:28
Olá amiga Gi,

Antes de mais Parabéns pelo tema: A Prece

De facto a prece deveria estar sempre presente nas nossas vidas, pois tal como o corpo físico precisa de alimento o espírito precisa de Pão Espiritual!

Ahhh ... e há tanta carência por esse mundo fora. Tanta carência de Pão Espiritual!

Desde miúdo que sempre senti uma vontade inata de orar. Lembro-me de ter sido submetido a uma intervenção cirúrgica ao apêndice com 11 anos e de ter orado antes e depois da mesma com um tal fervor que cheguei a beijar vezes sem conta o menino Jesus do presépio do hospital onde me encontrava.

Já Jesus nos tinha dito:
- Orai e vigiai

Conselhos que a serem colocados em práctica seriam uma fantástica mola impulsionadora na trajectória evolutiva.

A Prece verdadeiramente sentida, que sai do coração, é um potente sinal emissor que quebras todas as barreiras e encontra o receptor desejado. É uma ponte que se coloca entre nós e os irmãos que se encontram à nossa frente nesta caminhada rumo à perfeição.

E não há excepções porquanto Deus assiste todo aquele que orar com fervor.
Embora Deus já saiba de tudo quanto se passa no nosso íntimo, o agradecimento por tudo quanto Ele nos dá (e esse tudo é ...tanto), é um acto de comunhão do Filho com o Pai.

Costuma-se dizer que Deus escreve direito por linhas tortas!
Portanto não nos queixemos por pedirmos coisas nas nossas preces que não nos são concedidas!

A Prece dá-nos uma resistência incrível para ultrapassarmos os obstáculos que a vida prodigamente coloca em nossos caminhos, obstáculos esses aliás, criados por nós mesmos. Mas DEus infinitamente misericordioso concede-nos a todos nós este potente meio de auxílio: A Prece

Foi esta resistência incrível doada pela Prece que concedeu por exemplo aos primeiros Cristãos mártires cantarem numa situação tenebrosa perante fogo e feras no circo romano!

Amiga Gi, assim de repente, foi isto que me ocorreu escrever!

Abraços para todos.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Vitor Santos em 04 de Agosto de 2009, 11:34
Olá Giggi

- Parabéns pela excelente exposição do tema.

Olá a todos

Venho colocar uma questão a debate, que me surgiu ao ler as várias respostas.

- Até que ponto não é também a prece uma mensagem para nós mesmos? Não estaremos a pedir aos bons espíritos fé, coragem e aceitação da nossa situação presente, e a prometer nós mesmos que estamos dispostos a trabalhar para atingir os objectivos a que nos propomos?

bem hajam
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Aiene Brasil em 04 de Agosto de 2009, 11:43
DEUS é PAI, AMIGO e sabe exactamente aquilo que precisamos. Mas nós também temos nossa missão aqui neste mundo. Quando reencarnamos, assumimos o compromisso de corrigir nossas erros passados, e diante disso, diante das dificuldades em que nos deparamos aqui, precisamos orar, porque na Prece, clamamos ajuda de Deus e da Espiritualidade, para que nossos caminhos sejam iluminados e para que tenhamos força para continuaarmos em busca de nossa tão almejada perfeição. A Prece é mesmo a busca da FORÇA que precisamos e também uma forma de fazermos chegar até à aqueles que amamos, a mesma Força que pedimos para nós. É assim que penso.

Um abraço a todos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Jorge em 04 de Agosto de 2009, 12:01
Olá Giggi

- Parabéns pela excelente exposição do tema.

Olá a todos

Venho colocar uma questão a debate, que me surgiu ao ler as várias respostas.

- Até que ponto não é também a prece uma mensagem para nós mesmos? Não estaremos a pedir aos bons espíritos fé, coragem e aceitação da nossa situação presente, e a prometer nós mesmos que estamos dispostos a trabalhar para atingir os objectivos a que nos propomos?

bem hajam

Sem dúvida amigor Vitor,

Não vale a pena tentar enganar Deus! Podemos recitar milhões de preces com palavras muito bonitas mas se o nosso tipo de conduta não for pautada pelo esforço de auto-aprimoramento ... são apenas palavras ocas que o vento facilmente dissipará ...  :-\

Abraços.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: sidney em 04 de Agosto de 2009, 12:07
Bom dia e muita Luz à todos. De imediato agradeço-vos pelo envio de resposta a minha primeira e anterior solicitação, potanto não será mais necessário envio de mensagens abordando  a referida solicitação, agradeço-vos mais uma vez, desejando a todos muita produtividade nos dias que se seguem!...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Solimar em 04 de Agosto de 2009, 12:13
Muita paz Gigi!

A prece é uma companheira constante em todos os momentos da vida, ela nos ilumina e nos coloca em harmonia com os amigos espirituais, nos dá a certeza que não estamos sozinhos.
E que independente das experiências que estamos vivendo, tudo passa. A prece tem o dom de unir e de acrescentar, de fazer amigos verdadeiros, nos mostra sem máscaras e sem verniz, tal como somos.
Não importa se ajoelhamos ou se estamos em lágrimas, o tamanho nem as palavras que ecoa através dos pensamentos, em que parte de nós mesmo nos recolhemos, a resposta vem e a solução aparece conforme nossos merecimentos.
A prece conduz a natureza até o ser e devolve a proporção que somos capazes de nos doar, é a maior e melhor prova do amor e nos conduz ao perdão.
Sua definição é de acordo com nossas vivências, a prece é o meio mas eficaz de romper as fronteiras, remover as barreiras, representante direta da paz.
Cada oração um encontro, uma visita, uma luz.
Que Jesus ilumine e abençoe a todos.
Muita luz.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Jorge em 04 de Agosto de 2009, 12:22
" Feliz quem todos os dias escreve uma pagina de amor no livro da vida."

Olá amiga Solimar,

Chamou-me a atenção essa sua bela mensagem!

Felicidades para você!

Abraços.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 04 de Agosto de 2009, 12:55
Paz plena... Pramos, um grande e fraternal abraço.
Citar
Essa conversa é constante não tem interrupções.
A essa rendição incondicional a DEUS eu chamo também PRECE.
OEspírito de Deus não deseja pessoas rendidas, mas pessoas que levem em frente a mensagem perfeito do AMOR e da convivência perfeita entre todos os seres humanos.
A lógica da rendição a Deus ou à vontade de Deus é muito boa para os líderes religiosos, que vivem às custas da própria religião ou da ignorância dos outros em torno da própria Religião.
A rendição a Deus é muito boa aos lobos vestidos com peles de ovelhas, que usam o nome de Deus em vão e são, na realidade profissionais religiosos, pois ganham para pregar a palavra de Deus.  
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Lucia Calixto em 04 de Agosto de 2009, 13:13
 
 O Evangelho Segundo o Espiritismo

 Eficácia da Prece

            5 – Por isso vos digo: todas as coisas que vós pedirdes orando, crede que as haveis de ter, e que assim vos sucederão. (Marcos, XI: 24)

            6 – Há pessoas que contestam a eficácia da prece, entendendo que, por conhecer Deus as nossas necessidades, é desnecessário expô-las a Ele. Acrescentam ainda que, tudo se encadeando no universo através de leis eternas, nossos votos não podem modificar os desígnios de Deus.

            Há leis naturais e imutáveis, sem dúvida, que Deus não pode anular segundo os caprichos de cada um. Mas daí a acreditar que todas as circunstâncias da vida estejam submetidas à fatalidade, a distância é grande. Se assim fosse, o homem seria apenas um instrumento passivo, sem livre arbítrio e sem iniciativa. Nessa hipótese, só lhe caberia curvar a fronte ante os golpes do destino; sem procurar evitá-los; não deveria esquivar-se dos perigos. Deus não lhe deu o entendimento e a inteligência para que não os utilizasse, a vontade para não querer, a atividade para cair na inação. O homem sendo livre de agir, num ou noutro sentido, seus atos têm, para ele mesmo e para os outros, conseqüências subordinadas às suas decisões. Em virtude da sua iniciativa, há portanto acontecimentos que escapam, forçosamente, à fatalidade, e que nem por isso destróem a harmonia das leis universais, da mesma maneira que o avanço ou atraso dos ponteiros de um relógio não destrói a lei do movimento, que regula o mecanismo do aparelho. Deus pode, pois, atender a certos pedidos sem derrogar a imutabilidade das leis que regem o conjunto, dependendo sempre o atendimento da sua vontade.

            7 – Seria ilógico concluir-se, desta máxima: “Aquilo que pedirdes pela prece vos será dado”, que basta pedir para obter, e injusto acusar a Providência se ela não atender a todos os pedidos que lhe fazem, porque ela sabe melhor do que nós o que nos convém. Assim procede ao pai prudente, que recusa ao filho o que lhe seria prejudicial. O homem, geralmente, só vê o presente; mas, se o sofrimento é útil para a sua felicidade futura, Deus o deixará sofrer, como o cirurgião deixa o doente sofrer a operação que deve curá-lo.

            O que Deus lhe concederá, se pedir com confiança, é a coragem, a paciência e a resignação. E o que ainda lhe concederá, são os meios de se livrar das dificuldades, com a ajuda das idéias que lhe serão sugeridas pelos Bons Espíritos, de maneira que lhe restará o mérito da ação. Deus assiste aos que se ajudam a si mesmos, segundo a máxima: “Ajuda-te e o céu te ajudará”, e não aos que tudo esperam do socorro alheio, sem usar as próprias faculdades. Mas, na maioria das vezes, preferimos ser socorridos por um milagre, sem nada fazermos. (Ver cap. XXV, nº 1 e segs.)

            8 – Tomemos um exemplo. Um homem está perdido num deserto; sofre horrivelmente de sede; sente-se desfalecer e deixa-se cair ao chão. Ora, pedindo a ajuda de Deus, e espera, mas nenhum anjo vem lhe dar de beber. No entanto, um Bom Espírito lhe sugere o pensamento de levantar-se e seguir determinada direção. Então, por um impulso instintivo, reúne suas forças, levanta-se e avança ao acaso. Chegando a uma elevação do terreno, descobre ao longe um regato, e com isso retoma a coragem. Se tiver fé, exclamará: “Graças, meu Deus, pelo pensamento que me inspiraste e pela força que me deste”. Se não tiver fé, dirá: “Que boa idéia tive eu! Que sorte eu tive, de tomar o caminho da direita e não o da esquerda; o acaso, algumas vezes, nos ajuda de fato! Quanto me felicito pela minha coragem e por não me haver deixado abater!”.

            Mas, perguntarão, por que o Bom Espírito não lhe disse claramente:”Siga este caminho, e no fim encontrarás o que necessitas”? Porque não se mostrou a ele, para guiá-lo e sustentá-lo no seu abatimento? Dessa maneira o teria convencido da intervenção da Providência. Primeiramente, para lhe ensinar que é necessário ajudar-se a si mesmo e usar as próprias forças. Depois, porque, pela incerteza, Deus põe à prova a confiança e a submissão à sua vontade. Esse homem estava na situação da criança que, ao cair, vendo alguém, põe-se a gritar e espera que a levantem; mas, se não vê ninguém, esforça-se e levanta-se sozinha.

            Se o anjo que acompanhou a Tobias lhes houvesse dito: “Fui enviado por Deus para te guiar na viagem e te preservar de todo perigo”, Tobias não teria nenhum mérito. Foi por isso que o anjo só se deu a conhecer na volta.


 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: petronilia em 04 de Agosto de 2009, 13:38
a oração é bençao e oportunidade de refazimento
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Epitacio Sobreira em 04 de Agosto de 2009, 13:47
Na minha opnião, a prece é como se fosse uma conversa com nosso pai terrestre quando somos ainda crianças. Conversamos sobre nossos medos, nossos sonhos, nossos desejos. Para o Pai Celestial, somos crianças ainda. Assim como confiamos em nossos pais terrestres, devemos ter confiança no nosso Pai Celestial e, também, contar nossos medos, angustias, aspirações, nesta conversa informal a que chamamos de prece. Com certeza Ele saberá nos orientar para o nosso melhor caminho.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: arlindoCODINHA em 04 de Agosto de 2009, 14:10
Muito bom dia

A prece além de ser meio de rogativa e agradecimento ou momento em que entramos em sintonia com a divindade aumentando o nosso estado vibratório (beneficiando desde logo e contagiando o ambiente que nos circunda), é principalmente acção, trabalhar no bem, é
fazer tudo o que pudermos para que o mundo seja bem melhor, tornando-nos melhores pessoas, (na prespectiva de Joanna de Ângelis orar é sinónimo de arar).
Podemos concluir que a prece é uma exteriorização de amor ( é o amor dinâmico de Paulo de Tarso), daqui podemos entender que a prece é algo mais do que proferir palavras é essencialmente acção.

arlindo codinha
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Pramos em 04 de Agosto de 2009, 14:29
Boa tarde a todos
Vitor Santos
Muito a propósito a sua observação.
A Prece é (sem dúvida alguma para mim) um acto de aperfeiçoamento, uma limpeza constante e profunda, de nós mesmos.

Rosário
A rendição nada tem de disfarce, a rendição é o acto mais subilime de aceitação da doutrina Divina.
A aceitação implica transformação e constante renovação, pelo que não há lugar para o disfarce na nossa relação com Deus.
Nssa relação existe apenas a consciência plena e aceitação dos preceitos divinos, de modo que temos a certeza de que ainda não estamos no nível de Deus, mas que pela Prece lá chegaremos.
Muita Paz e muita Luz
Obriga pela oportunidade de participação neste fórum.
Paulina Ramos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Lusborges em 04 de Agosto de 2009, 15:22
Bom Dia!
Gostei muito do material!
Uma das gravuras chama  atenção que sem um ambiente  tranquilo fica difícil fazer uma prece eficaz. Tendo em vista que a finalidade da prece é entrarmos em sintonia elevada e assim renovarmos a força para continuarmos a vida.
O que não quer dizer que não possamos pedir algo. Afinal, o evangelho nos traz o capítulo Pedi e Obtereis. De acordo com esse capítulo, devemos saber o quê como pedir, lembrando sempre que a vontade e a sabedoria de Deus sempre saberá o que é melhor.

Muita Paz
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 04 de Agosto de 2009, 15:28
Olá amigos do fórum espírita, e Mariabs

Concordo com todos sobre a oportunidade bendita deste tema. Parabens Gigi.
Orgulho ou o que for eu não recorro à prece assiduidamente.
Não me faltam experiencias ou estudos suficientes. Recorro aos meus pensamentos e compreenções. Lamento muito por isso. Gostaria de poder cair em prece a cada instante instintivamente e automaticamente, para agradecer, louvar, e pedir pelos irmãos necessitados.
Ainda estou longe disso, mas me esforço.
Não sei pedir por mim, mas peço luz e sabedoria para vencer esta encarnação. Sou um enigma a mim mesmo, aprendiz do sentimento de amor, e da Fé.
Tenho certeza que o tempo do Pai me trarão estas consquistas não como dádivas, mas por merecimento na seara da verdade, da caridade, e da justiça.
Aqui dou meu testemunho tambem que me é muito útil este espaço com os confrades e bem como com as obras dos espiritos. Meu carinho e reconhecimento a todos.


Acabo de receber um "pps" de com a musica de roberto carlos: Quando Quero  Falar com Deus   e é muito linda. Para quem gosta da musica vale a pena ver as sequencias de imagens e acompanhar a letra. Deixo em Anexo

Muita Paz

Nelson

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Lusborges em 04 de Agosto de 2009, 15:36
Adorei. Bem Completa a sua resposta.
Muita Paz Lusborges
Olá amigos(as)

- A Prece é sempre agradável a Deus quando ditada pelo coração, porque a intenção é tudo para ele. A prece do coração é preferível à que podes ler, por mais bela que seja, se a leres mais com os lábios do que com o pensamento. A prece é agradável a Deus quando é proferida com fé, com fervor e sinceridade. Não creias que Deus seja tocado pelo homem vão, orgulhoso e egoísta, a menos que a sua prece represente um ato de sincero arrependimento e de verdadeira humildade.

A prece torna melhor o homem?

- Sim, porquanto aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. É este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.

Como é que certas pessoas, que oram muito, são, apesar disso, de mau caráter, ciumentas, invejosas, impertinentes, carentes de benevolência e de indulgência e até mesmo viciosas?

- O essencial não é orar muito, mas orar bem. Essas pessoas supõem que todo o mérito está na lonjura da prece e fecham os olhos para os seus próprios defeitos. Fazem da prece uma ocupação, um emprego do tempo, nunca, porém, um estudo de si mesmas. Não é o remédio que é ineficaz, neste caso, mas a maneira de aplicá-lo.

Pode-se pedir eficazmente a Deus o perdão das nossas faltas?

- Deus sabe discernir o bem do mal; a prece não esconde as faltas. Aquele que a Deus pede perdão de suas faltas só o obtém mudando sua conduta. As boas ações são a melhor prece, porque os atos valem mais que as palavras.
Pode-se orar utilmente pelos outros?

- O Espírito daquele que ora atua pela sua vontade de praticar o bem. Pela prece atrai a si os bons Espíritos e estes se associam ao bem que deseja fazer.

O pensamento e a vontade representam em nós um poder de ação que alcança muito além dos limites da nossa esfera corporal. A prece que façamos por outrem é um ato dessa vontade. Se for ardente e sincera pode chamar os bons Espíritos em auxílio daquele por quem pedimos, afim de lhe sugerirem bons pensamentos e lhe darem a força necessária para seu corpo e sua alma. Mas, ainda aqui, a prece do coração é tudo, a dos lábios nada vale.


Podem as preces, que por nós mesmos fizermos, mudar a natureza das nossas provas e desviar-lhes o curso?

- As vossas provas estão nas mãos de Deus e algumas há que têm de ser suportadas até ao fim; mas, Deus leva sempre em conta a resignação. A prece traz para junto de vós os bons Espíritos e, dando-vos estes a força de suportá-las corajosamente, menos duras elas vos parecem. Já o dissemos: a prece nunca é inútil, quando bem feita, porque fortalece aquele que ora, o que já constitui grande resultado. Ajuda-te a ti mesmo e o céu te ajudará, bem o sabes. Aliás, não é possível que Deus mude a ordem da Natureza ao sabor de cada um. Porque aquilo que é um grande mal, do vosso ponto de vista mesquinho, para a sua vida efêmera, é quase sempre um grande bem na ordem geral do Universo. Além disso, de quantos males o homem é o próprio autor por sua imprevidência ou pelas suas faltas? Ele é punido naquilo em que pecou. Todavia, as súplicas justas são atendidas mais vezes do que supondes. Julgais que Deus não vos ouviu porque não fez um milagre a vosso favor, quando Ele vos assiste por meios tão naturais que vos parecem obra do acaso ou da força das circunstâncias. Muitas vezes também Ele vos sugere a idéia que vos fará sair da dificuldade pelo vosso próprio esforço."

Podemos orar aos Espíritos?

- Pode-se orar aos bons Espíritos como sendo os mensageiros de Deus e os executores de Suas vontades. O poder deles, porém, está em relação com a superioridade que tenham alcançado e emana sempre do Senhor de todas as coisas, sem cuja permissão nada se faz. Eis por que as preces que se lhes dirigem só são eficazes, se bem aceitas por Deus.

Será útil que oremos pelos mortos e pelos Espíritos sofredores? E, neste caso, como podem as nossas preces lhes proporcionar alívio e abreviar os sofrimentos? Têm elas o poder de abrandar a justiça de Deus?

- A prece não pode ter por efeito mudar os desígnios de Deus, mas a alma por quem se ora experimenta alívio, porque recebe assim um testemunho do interesse que inspira àquele que por ela pede e também porque o infeliz é sempre consolado, quando encontra almas caridosas que se compadecem de suas dores. Por outro lado, mediante a prece, aquele que ora ajuda no despertar do infeliz para o arrependimento e o desejo de fazer o que é necessário para ser feliz. Neste sentido é que se lhe pode abreviar a pena, se, por sua parte, o infeliz contribui com sua boa-vontade. O desejo de melhorar-se, despertado pela prece, atrai para junto do Espírito sofredor Espíritos melhores, que o vão esclarecer, consolar e dar-lhe esperanças. Jesus orava pelas ovelhas desgarradas. Com isso vos mostrava que sereis culpados se nada fizerdes pelos que mais necessitam das vossas preces.

DO LIVRO DOS ESPÍRITOS


SAUDAÇÕES FRATERNAS



Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 04 de Agosto de 2009, 15:45
Companheiros...que alegria sentir que tantos de nós já entendemos a prece como um valor essencial na nossa vida.

Obrigada Sidney, Louisse, Aline, Nelson, Ketinunkantim, Velupo, Marlabs, Aluena, Jorge, Vitor Santos, Aiene, Solimar, Lucia, Petromilia, Epitacio, Arlindo e Lusborges pelas respostas tão educativas, e por participarem connosco neste estudo.

Dada a grande participação neste estudo, não sei se conseguirei comentar todas as intervenções,mas tentarei pelo menos conciliar as opiniões e responder a duvidas.

Beijitos

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 04 de Agosto de 2009, 15:56
A grande maioria das pessoas só recorrem à oração quando estão com problemas de ordem material ou por motivo de doen-ça.
(...)
Em geral, só vemos o presente, o imediatismo.
 


Aline...eis um dos motivos da escolha deste tema.

A nossa visão sobre a prece é ainda tão limitada que a vemos como um recurso imediato para a simples satisfação de desejos pessoais.

E como podemos constatar pelas reflexões individuais, bem como pelas transcriçoes de textos proferidos por espiritos elevados,a prece é muito mais que isso...
Daí que preguiçosamente, usamos a prece levianamente...Que quero eu dizer com isto...
Que acredito que há preces que "incomodam" Deus e os benfeitores, ao invés de agradar. Já pensamos nisto? Como será isso possível?

Há quem distinga prece de reza...poderiam ajudar a ilucidar as diferenças?
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 04 de Agosto de 2009, 16:12

- Até que ponto não é também a prece uma mensagem para nós mesmos?

Amigo Vitor, se entendi bem a questão, será a prece também um compromisso que fazemos com nós próprios...
Eu considero esta pergunta uma optima base para reflexão conjunta.

Aquele que pede, poderia pedir sem esforço para alcançar o que pede? Aquele que agradece poderia faze-lo sem amar verdadeiramente?

Alguém aqui já afirmou, por outras palavras, que a prece é uma chave para a evolução do ser... teremos de descobrir o segredo de como usá-la devidamente para que abra todas as portas...

E alguém irá perguntar..mas que portas?

 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 04 de Agosto de 2009, 16:43
Paz plena... Gigi Bigskirt, um grande e fraternal abraço.
Citar
Rosário ... se entendo, você quer dizer que a prece é um sentimento de humildade, certo?

Sabedoria nem sempre está em parceria com a humildade, e ...será que a humildade pode ser racionalizada ou aprendida pela razão? Pensei agora nisto...que acha?
A verdadeira sabedoria está sempre relacionada á humildade, pois o verdadeiro sábio aprende a ser humilde e sabe ouvir a todos, até aos mais simples e àqueles, que fazem os serviços considerados mais humilhantes.
Agora quando estamos fazendo uma prece nos colocamos numa posição de aceitação de que existe um SER acima da gente. E quem é esse SER? Um "espírito" é lógico.
Qualquer espírito que aproxima da gente e quando sentimos a presença dele ficamos julgando tratar-se do próprio Espírito de Deus e quem vai nos dizer que não é o próprio Espírito de Deus, só mesmo o "espírito" e isso a maioria quase absoluta dos espíritos não o fizeram antes de Kardec, pois não havia jeito mesmo, pois a época certa ainda não tinha chegado.
Mas quando chegou a hora certa o Kardec conseguiu desvendar o mistério de como agem os espíritos e Deus também é o Espírito Incriado (Joao 4,24), mas Deus sabe esperar a hora certa para agir e aproximar do profeta para o momento certo de todo processo evolutivo, pois Deus não faz acepção de pessoas e sempre quer o melhor para todos.
Veja o que está escrito em Mateus 5, 45: "desse modo vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o seu sol igualmente sobre maus e bons e cair a chuva sobre justos e injustos".
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 04 de Agosto de 2009, 16:52
Olá a todos.
Uma das minhas maiores duvidas em relação a este assunto é a quem nos devemos dirigir quando queremos orar. Será que é a mesma coisa nos dirigirmos para Deus, para Jesus, para Nossa Senhora, para o nosso anjo da guarda ou para um santo da nossa preferência, para pedirmos algo, para louvarmos ou agradecer?
Será mais eficaz se "falarmos" directamente com Deus sem recorrermos a "intermediários"? Ou o que conta apenas é a sinceridade que sai do nosso coração e a humildade com que temperamos a oração?
Aguardo vossas participações agradecendo a todos e em especial á Gigi a forma como tem decorrido este estudo.
Obrigado.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: kiria em 04 de Agosto de 2009, 16:55
   
SENHOR, ESCUTAI AS NOSSAS PRECES!

    No meu entendimento, a prece deve ser feita sempre que possível de voz alta, ou que pelo menos a própria pessoa a escute,
    Ao escutarmos os nossos pedidos, podemos refletir a cerca dos mesmos e das suas reais necessidade pois embora achamos momentaneamente que aquele pedido é importante para nós, pode ser simples fruto de nossa egoística vontade, esta que muitas vezes saciada, pode gerar consequências desastrosas na vida do outro e até mesmo na nossa, uma vez que pedido pode de fato materializar-se no astral e depois no plano físico. Isso, claro,  para que aprendamos com nossas próprias escolhas.
   É bem certo que Deus sabe o melhor para nós, mas precisamos aprender a fazer nossas próprias escolhas. Errando em nossas escolhas aprendemos a fazer as certas.
   No momento  da prece saibamos pedir o melhor para nós e para os outros, escutando nossas palavras, sentindo se cada uma delas vai de acordo com nossa verdadeira necessidade, avaliando também suas consequências e só então possamos aquietar  o nosso ser , convictos que fizemos a  melhor escolha. E nessa frequência de vibrações sinceras escutemos o que Deus nos revela intimamente dentro de cada um de nós.
Sabedoria a todos!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 04 de Agosto de 2009, 16:55
Paz plena... Gigi Bigskirt, um grande abraço.  
Mais comentários:
Citar
Citar
Paz plena... Carlos Ribeiro, um grande abraço.
Citar
Citacão de carlos Ribeiro:
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?
Você disse uma grande verdade, pois Deus, por ser onisciente, sabe de tudo. Agora Deus também respeita plenamente a liberdade todos, então mesmo que Ele saiba de nossas necessidades Ele não age se nós não lhe pedimos, pois temos que pedir ou agradecer.
Rosário...talvez você não se expressasse correctamente ou eu interpretei mal, mas não é possível imaginar o que seria se Deus só agisse se nós pedissemos... Seria como se Deus andasse ao sabor da nossa vontade. Certamente Ele não seria o Criador, não concorda amigo?
Essa é a grande verdade sobre Deus, pois Deus sempre respeitou, respeita como sempre irá respeitar a vontade de todos, até daqueles que agem contra o Projeto Dele, que é para que todos sejam felizes e perfeitos.
Agora Deus não anda ao sabor da nossa vontade, mas Ele sabe esperar a hora certa para agir no momento certo e para que seja o mais útil possível a todos os seres humanos, como também a tudo e todos os seres vivos no Planeta Terra e em todo o COSMO.
Tem até um ditado popular que diz isso com muita sabedoria: "Deus só entra em minha casa se eu abrir a porta da mesma".
Agora quem atende a maioria das preces não é o próprio Espírito deDeus mas um espírito pertencente à Espiritualidade, que a maioria absoluta julga ser o próprio Deus.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 04 de Agosto de 2009, 17:05
Paz plena... Paulina Ramos, um grande e fraternal abraço.
Muito obrigado pela sua complementação.
Citar
Rosário
A rendição nada tem de disfarce, a rendição é o acto mais subilime de aceitação da doutrina Divina.
A aceitação implica transformação e constante renovação, pelo que não há lugar para o disfarce na nossa relação com Deus.
Na realidade não existe disfarce em todas as nossas relações com qualquer espírito, pois na realidade são eles que nos dirigem (Vide OLE perguntas 456 a 557).  
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 04 de Agosto de 2009, 17:52
Olá amigos(as)

Tudo beleza ;D



Que todos e tudo sejam por nós sentido no acto da prece. Como a extensão no espaço e no tempo, de nosso próprio eu, que é uma centelha de DEUS.

"PRECE UM ACTO DE LIGAÇÃO COM DEUS"


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Epitacio Sobreira em 04 de Agosto de 2009, 17:55
Concordo com voce. A que eu me referi foi mais a forma de rezar do que propriamente a prece.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Silviacaporale em 04 de Agosto de 2009, 18:14
Olá amigos,

Refleti sobre a questão posta pelo Carlos sobre a Prece. Entendo, que da mesma forma que os pais de Pedrinho sabem que o filho precisa tomar água e se alimentar para sobreviver, Nosso Pai também conhece as nossas necessidades, sejam elas morais, materiais e/ou espirituais. Porém, da mesma maneira que em algumas situações é preciso que o Pedrinho manifeste as suas necessidades para que seus pais possam atendê-lo, assim somos nós com o Pai, no que diz respeito a Prece (no sentido de pedir). Em alguns momentos é necessário que em primeiro lugar sintamos a necessidade de auxílio e também, nos prepararmos para recebê-lo. Não há dúvida de que a Providência Divina sempre vem ao nosso encontro.

Grande abraço amigos, muita luz e amor.
Silvia
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 04 de Agosto de 2009, 18:17
Citar
Agora quem atende a maioria das preces não é o próprio Espírito deDeus mas um espírito pertencente à Espiritualidade, que a maioria absoluta julga ser o próprio Deus.
- Rosário
E quem é esse espírito, Rosário?    ???
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: shlip em 04 de Agosto de 2009, 18:58
Na minha opinião, baseado no que venho aprendendo junto a codificação espirita e aliado a minha experiência particular. A prece é o meio pelo qual podemos elevar o pensamento ao alto, ao guia espiritual, aos espíritos familiares,aos espíritos superiores, à Jesus, à Deus, agradecendo ou solicitando amparo... a si mesmo ou à outros... e naquele momento íntimo de fé em nossos corações, percebermos o refrigerio do contato com o plano superior que nos inunda em vibrações de luz , amor e serenidade de acordo com a harmonia, a  sintonia que se consegue estabelecer para esse encontro.
Não sei se me fiz entender... :)
Abraço fraterno

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 04 de Agosto de 2009, 19:04
Muito bem Shlip e já agora seja bem vinda.
Mas então como eu tinha perguntado anteriormente, será que orar a Deus, a Jesus, a Nossa Senhora ou a um santo tem a mesma eficácia?
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: em 04 de Agosto de 2009, 20:08

Deus gosta quando nos lembramos Dele e é atráves da prece que elevamos o nosso padrão vibratório, que entramos em contato com o bem não permitindo que entremos em padrão vibratório negativo.Beijos e obrigada. Estes estudos serão de muita ajuda.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Eliane Revoredo em 04 de Agosto de 2009, 20:48
Ola queridos,
E um prazer participar deste estudo delicioso com vcs, desejo muita paz a todos...
"A MELHOR ORACAO E O AMOR", acredito realmente nisto, e quanto a forma de orar...  todos os ensinamentos cristaos nos mostram que:humildade, resiguinacao, simplicidade, sinceridade e amor; sao essenciais para uma oracao eficaz.
E sublime o momento em elevamos nossos mais sinceros sentimentos a Deus, e particularmente, acho ate dificil pedir alguma coisa pois a sensacao de prazer e tao grande que so posso agradecer...



 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 04 de Agosto de 2009, 21:15
Paz plena... Carlos Ribeiro, um grande e fraternal abraço.
Citar
Citar
Citação de Rosário: Agora quem atende a maioria das preces não é o próprio Espírito deDeus mas um espírito pertencente à Espiritualidade, que a maioria absoluta julga ser o próprio Deus.
- Rosário
E quem é esse espírito, Rosário?    Huh
Não existe um espírito especifico, pois cada espírito encarnado possui os seus companheiros invisíveis desde o nascimento, uns são considerados como guardas (o anjo de guarda por exemplo) e outros mentores.
Veja o que está escrito em OLE na pergunta 456 e a resposta, e veja também a de número 459, que está a seguir:
459 - Os Espíritos influem sobre os nossos pensamentos e as nossas ações?
Resposta: A esse respeito sua influência é maior do que credes porque, frequentemente, são eles que vos dirigem.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: kobor33 em 04 de Agosto de 2009, 21:37
A prece é um apoio para a alma; porém é preciso que quem a faz tenha por base uma fé viva na bondade de Deus.
Achei essa definição sucinta e verdadeira. Abraços a todos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: heliana em 04 de Agosto de 2009, 22:00
Ninguém é obrigado a rezar ou fazer uma prece, pois todos nós temos o livre arbitrio para decider o que é bom ou mal nós mesmos. Entretanto para os que realmente acreditam que ao fazer uma prece se sente melhor, mais socegada, aliviada,amparada pela espiritualidade maior, por que não?
A prece não é só um pedido que fazemos ao Altissímo (DEUS), mais uma conversa em que podemos dizer o que pensamos, como nos sentimos, o que desejamos, e nos conectatar não só com Deus , mais sim com nós mesmos.
Eu não saberia viver sem estar sempre fazendo uma oração ou uma prece, não faço só para pedir, mais para agradecer e para pedir por outros, então nesse casos sou muito feliz desse jeito.
 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: angela_maria em 04 de Agosto de 2009, 22:11
Sei que Deus está sempre comigo e por isso a prece acontece quando me lembro de agradecer algo que me está a acontecer e me deixa feliz e acontece quando leio o Evangelho e aí é uma prece estudada mais formal .
Tenho muita sorte ,porque tenho sido sempre atendida quando peço em momentos de aflição .
Tenho muita sorte prque creio Nele ,sei que não estou sózinha e por isso muita vezes converso parece que sózinha ,mas não,sei que estou a sr escutada e por vezes recebo respostas atraves da intuição .
Muita luz para todos vós.
Bem-hajam.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 04 de Agosto de 2009, 22:22
Olá Carlos e amigos

Sobre esta interesante pergunta...

Mas então como eu tinha perguntado anteriormente, será que orar a Deus, a Jesus, a Nossa Senhora ou a um santo tem a mesma eficácia?

eis minha opinião...

Amigo Carlos nestes tempos atuais globalizados alguma biografia ou obra comove seus sentimentos a graus de despertar pura beleza interior? Se nada lhe colocar em extase busca na natureza a montanha, a cachoiera ou a mata. Faça contato seja pela historia dos homens seja pela grandesa do firmamento estrelado. Budha e Jesus encontraram dentro de sí mesmos a motivação e fonte corretas. Faça o mesmo. A tudo que dirigires o pensamento e suas preces é Deus.
Lhe desejo uma boa escolha.

Muita paz

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Taprobana em 04 de Agosto de 2009, 22:33
Ao invés do que sucede em aspectos relacionados com a razão, tais como a tomada de um partido perante a vida, a prece é universalmente utilizada. Não existe nenhum Homem na face da terra que não ore a cada instante da sua existência.

Por outras palavras: a oração é tão intuitiva como o piscar de olhos.

A prece, tal como a intuição de Deus, acompanham o Homem desde os primeiros instantes da sua existência terrena.

Portanto penso que podemos afirmar sem grande margem de erro que a oração é algo de tão indefinível e misterioso como a nossa própria génese.

Dois exemplos:

1 - Sendo eu neste momento agnóstico, ou seja, acredito que a prova da existência de Deus nunca foi nem nunca será feita, todos os dias utilizo a oração tanto de forma inconsciente no desenrolar das coisas mais banais da vida, como conscientemente sempre que disso sinto necessidade ou mesmo todos os dias antes de adormecer. E esta oração é sempre e conscientemente dirigida a Deus.

2 - O Ateu, visto de acordo com o conceito vulgarmente usado, que é incompleto e parcial pois ser Ateu não significa não ter religião, ou seja, aquele que não acredita na existência de Deus, nem de Deuses, inevitavelmente reza… é impossível evitar esses momentos introspectivos em que questionamos o desconhecido acerca daquilo que se vai passar nos instantes futuros e fazer votos para que tudo corra de acordo com as melhores expectativas. Isto significa orar na verdadeira acepção da palavra.

Queria sublinhar para evitar mal entendidos entre nós, que ser agnóstico não significa não crer em Deus.

Tenho uma grande vontade de ultrapassar esta fase de definição do objecto de estudo mas a Gigi Bigskirt não deixa!  >:(
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 04 de Agosto de 2009, 23:47
Uma das minhas maiores duvidas em relação a este assunto é a quem nos devemos dirigir quando queremos orar.

Querido amigo...impossível falar de prece sem sentir a quem se destina o louvor ou adoração...

O que nos dizem os espíritos benfeitores, é que a prece deve ser dirigida a alguém que amamos.
Se conseguirmos nos dirigir ao Criador, ele envia os seus mensageiros que sintonizamos, para que nos façam sentir o seu Amor universal.

Francisco Cândido Xavier dizia que tinha uma grande devoção por Nossa Senhora de Fátima, e a ela orava com fervor. Outros dirigem a sua prece a este ou aquele espírito por quem sentem carinho.

Será que uma prece sentida se perde no espaço, sem atingir o seu destino? Não...a prece é uma emissão de um pensamento juntamente com uma vibração inexplicável, que se espalha pelo cosmos.
A verdade é que a prece dirigida ao mestre Jesus, ou a outros mentores, está sempre na sintonia do Pai Celestial.

Existem filosofias de vida que fazem preces pelo universo, sem outro destinatário senão o Todo, e a sua eficácia pode ser tal qual a prece destinada ao Criador ou ao santo da sua predilecção.

No fundo, mais que valorizar a quem oramos, é sentirmos verdadeiramente porque oramos e como oramos.
É sentir a prece dentro de nós sem racionalizar tanto e amar mais...

Espero ter ajudado a esclarecer.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: psi em 04 de Agosto de 2009, 23:49
A prece é elevar o pensamento em direção a um espírito superior, seja o Deus criador, seja
um santo, um guia espiritual, enfim, entrar momentaneamente na faixa de vibração de um espírito elevado, seja para pedir algo em nosso interesse ou de terceiros, seja para agradecer alguma graça recebida por nós ou por um ente querido que esteja aqui entre nós ou nas dimensões extra-físicas.Podemos também endereçar uma oração de louvor a um espírito elevado ao qual nos sentimos ligado espiritualmente.Quanto maior a fé e o fervor,com maior intensidade o pensamento chega ao seu objetivo.

Um abraço a todos.
  
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 04 de Agosto de 2009, 23:57
Em alguns momentos é necessário que em primeiro lugar sintamos a necessidade de auxílio e também, nos prepararmos para recebê-lo.

Olá Silvia...associado à prece está o estado de alma de quem faz a prece.

Como nos sentimos quando oramos? Á espera de algo? Em ansiedade? Tranquilos? Com fé? Com esperança?

De que forma este estado de alma influencia a prece? poderiamos reflectir sobre isto companheiros?

A prece é o meio pelo qual podemos elevar o pensamento ao alto, ao guia espiritual, aos espíritos familiares,aos espíritos superiores, à Jesus, à Deus, agradecendo ou solicitando amparo... a si mesmo ou à outros... e naquele momento íntimo de fé em nossos corações, percebermos o refrigerio do contato com o plano superior que nos inunda em vibrações de luz , amor e serenidade de acordo com a harmonia, a  sintonia que se consegue estabelecer para esse encontro.

Ora aí está uma resposta Shlip á minha questão  :)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 00:21

Tenho uma grande vontade de ultrapassar esta fase de definição do objecto de estudo mas a Gigi Bigskirt não deixa!  >:(


Olá Taprobana...eu sou terrível mesmo...desculpe...mas passo a explicar a razão, logo depois de comentar a sua reflexão.

Concordo com o que diz, pois é demais evidente que crer na divindade é algo inato. Mesmo o materialista convicto tem medo da morte...e porque teria receio do fim, se tudo realmente terminasse... Porque ele antes viveu outras vidas, que ignora, mas o espirito registou o sentimento de que algo o aguarda, de que existe um julgamento, do qual ele não consegue se libertar.

Dizer-se agnóstico, ateu ou religioso, em nada altera as Leis da Natureza, ou melhor dizendo, universais... apenas transforma o intimo de cada um perante cada situação que surge no trajecto de vida.

Eu tive um amigo ateu, que bastou ter um problema de dependencia grave de quimicos, para procurar auxilio e descobrir num mês que afinal tudo tinha explicação, que Deus existia, etc, etc...

Num aparte que tenho de fazer, é preocupante nos dias de hoje, o total alheamento dos pais na educação moral dos filhos. Quantos pais oram em conjunto, em familia? Quantos falam de Deus com a mesma naturalidade que falam do Cristiano Ronaldo...

Falam de Deus, do Nosso Pai, baixinho, no centro, na igreja, no seu quarto...com vergonha...como se sentir filhos de Deus fosse um desvio à normalidade. Porquê?
E não importa a religião que professamos, a filosofia que partilhamos...a questão fulcral é...porque não assumimos que somos filhos de Deus e só a ele devemos adorar?

De que temos medo?

Em resposta à minha proposta controladora... :)...se cada um seguir o seu rumo de reflexões, com tantos participantes (e que bom que assim é!), perderiamos a breve tempo o fio à meada e não nos entenderiamos. Assim, serve também para treinarmos a humildade em escutar tudo o que cada um tem para dizer sobre o assunto, dando a mesma oportunidade aos lentos e aos apressadinhos...  :)

Beijitos e resto de noite feliz


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Aline Beneduce em 05 de Agosto de 2009, 00:31
Deus existe...........

Era uma vez um homem que foi ao barbeiro.

Enquanto tinha seus cabelos cortados conversava com o barbeiro.

Falava da vida e de Deus.

Dai a pouco, o barbeiro incrédulo não agüentou e falou:

Deixa disso, meu caro, Deus não existe!

Por que?

Ora, se Deus existisse não haveria tantos doentes, mendigos, pobres, etc...Olhe em volta e veja quanta tristeza. E só andar pelas ruas e enxergar!

Bem, esta é a sua maneira de pensar, não e?

Sim, Claro!

O freguês pagou o corte e foi saindo, quando avistou um maltrapilho imundo, com longos e feios cabelos, barba desgrenhada, suja, abaixo do pescoço.

Não agüentou, deu meia volta e interpelou o barbeiro:

Sabe de uma coisa? Não acredito em barbeiros!

Como?!

Sim,se existissem barbeiros, não haveria pessoas de cabelos e barbas compridas!

Ora, existem tais pessoas porque evidentemente não vem a mim!

Que bom. Agora, você entende...

Quantas pessoas meus irmãos que não conhecemos, que já passaram por nossa vida com esse mesmo pensamento? é triste mais verdadeiro,encotramos pessoas como esta, quase sempre. Então cabe a cada um de nós fazer a diferença, ajudar a todos que não conseguem nem entender que precisam de auxilio, mas digo não da máteria, mais sim do alimento para o éspirito... por que tudo na vida dura o tempo suficiente para o nosso bem, para a nossa construção como seres humanos q nós somos.. Não sejamos um "barbeiro" e sim como esse cliente ..
 Abraço fraterno a todos..
Aline Beneduce.



Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: De Assis_RN em 05 de Agosto de 2009, 02:06
Boa Noite a todos!!

Eis um assunto que nos traz muitas reflexões... em verdade, a prece, este mecanismo de conversa, gratidão e compromisso com Deus, muitas vezes é utilizado como instrumento de barganha como se Deus fosse "negociável". Averso ao que nos orientam os benfeitores espirituais e tão bem ensinado por Jesus quando ensinou aos seus discípulos e à humanidade que orar não é simplesmente um pronunciar de palavras, mas, um pronunciar de sentimentos um diálogo que deve ser feito com o coração.

Independente de credo religioso a oração será sempre o elo de união entre a criatura e o criador.

É isso...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Verde em 05 de Agosto de 2009, 04:00
 ::)A Prece quando vem com uma entrega total de quem a faz, alivia, ilumina, encoraja,sustenta,impulsiona, e eleva aquele que dela nescessita e também aqueles que por perto se encontram. É um facho de luz atigindo  em cheio o ambiente onde pessoas, vegetação e animais se encontram. Ah!!como é doce essa ferramenta de que dispomos em abundância, basta amor ao Alto e um pouquinho de meditação.  Abraços  fraternos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: ram-wer em 05 de Agosto de 2009, 04:32
É verdade, PSI (comentário 77).

Muito bem lembrado. Também eram eficazes as preces que os romanos enviavam fervorosamente a Júpiter ou aos milhões de deuses menores.  Todo deus é um representante de Deus.

Aline Beneduce (nome bonito e sorriso idem),

Existe um ditado oriental (com várias versões ocidentais) que explica o barbeiro incrédulo:

"Se você não busca Deus no verão da sua vida, dificilmente ele virá no inverno".

Deus sempre quer vir, mas se a gente não se acostumar a chamá-Lo...

Abraços,
RW
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: J.souza em 05 de Agosto de 2009, 04:45
                Boa noite Companheiros.
        Obrigado pelas respostas, sobre o estudo da Prece. No momento estou simplesmente
    feliz pelas repostatas inteligentes e precisas e cada dia que passa, noto que sou um mero
    aprendiz da nossa   Querida  Doutrina Espirita . No meu próximo contato, irei expor as mi-
    nhas opiniões sobre o Assunto em pauta.
                                                        
                                                                       Abraços Fraternos.
                                                                            
                                                                               SOUZA
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: JosinaldoLima em 05 de Agosto de 2009, 05:08
Acreditava estar só, nessa seara de dialética e puro apuro da palavra.

Parabéns a todos, de verdade mesmo!
Mas o sopro de SOMALOPA, finalmente, me aliviou com a vela posta ao vento que busco navegar, neste mar sobre o qual o mestre andou e pregou:

"A prece é toda boa ação", parabéns...

Afinal, pedir forças para resistir aos maus pendores, às tentações vís e fortalecimento de nossa humildade é válido; pois só Ele nos nutre. Mas tudo retorna sempre ao mérito e SUBLIMIDADE DA AÇÃO, afinal não nos foi dito: A CADA UM SEGUNDO AS SUAS OBRAS?
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Elektra em 05 de Agosto de 2009, 05:18
A prece é um bálsamo para quem ora e para quem recebe, pois alivia as aflições, nos dão alento e alegria no momento em que estamos tristes e até mesmo alegres e é uma entrega de coração é uma benção salutar !!! Nunca deixo de fazer as minhas tanto de manhã e à noite e sempre oro por todos, não só para mim.
Fiquem com Jesus,
Elektra
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: HelenaBeatriz em 05 de Agosto de 2009, 09:45
Bom dia, amigos!

Antes de tudo quero parabenizar nossa querida Gi pela exposição e condução deste tema: "A prece".

Estou adorando ler a opinião de todos a respeito. Para mim isso tudo se configura também uma espécie de prece (comunitária?) em favor de um mundo melhor.

Para mim prece seria esta ligação que fazemos com as forças motrizes da espiritualidade maior, nossos amigos do outro plano. Entretanto, como alguns colocacaram, qualquer gesto, palavra ou pensamento de amor dirigido a quem quer que seja já é uma prece.

Enfim, cada qual a vê de forma peculiar, mas em comum temos este sentimento de rendição ao Absoluto, a Deus, à Força Criadora.

Muito bom, muito bom mesmo!!

Com carinho,
Helena Beatriz


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 05 de Agosto de 2009, 12:27
Paz plena... Irmãos e irmãs foristas, um abraço.
Vou divulgar aqui uma mensagem que recebi do meu espírito mentor e uma prece que fiz num dia de minha vida e a escrevi.
1º - Eis a mensagem recebida:
D   E   U   S
Deus não está lá nas alturas
No infinito inacessível,
Oculto de todas as criaturas.
Deus não é inatingível...  Insensível,
Mas Deus está aqui como água pura,
Para matar a sede de toda criatura.
Deus está aqui ao lado de você,
Como um Pai, como uma Mãe,
Cheio de amor para amar você,
Um filho, uma filha, um pai, uma mãe.
Para receber o amor de Deus e sua ternura,
Não precisa ser uma raça eleita e pura,
Pois Deus ama toda criatura...

Rosário Américo de Resende. Belo Horizonte, 08/06/1989.

2º - A Prece:
PRECE DE AGRADECIMENTO E RECONHECIMENTO
É muito bonito, ó meu Deus,
Ver a vossa luz em tudo e também nos olhos meus.
É muito bonito, é muito lindo
Ver a vossa presença em tudo que está vindo e indo,
Em tudo aquilo que é e que será...
E saber que nada pode representar a vossa perfeição.
É para mim uma grande responsabilidade,
Apesar da minha pouca idade,
Ser a vossa imagem, nesta imensa eternidade...
É muita responsabilidade ensinar a humanidade
Tudo... Tudo... Tudo, apesar de ser o que ainda sou,
Para encontrar o caminho da verdade...
E assim ir a busca da liberdade;
Para que todos vêem a vossa bondade
E tornando-se, em todo lugar, vossa identidade.
Ó meu humilde e poderoso Deus,
Vós, ó meu Deus, sois tão bom e perfeito
Que até deixais vossos filhos
Pensarem que são os melhores em tudo
E que até são os únicos que podem governar
Os povos, o planeta e o cosmo.
Mas, quando cada filho vosso for evoluído,
Então entenderá que a cima de todas as sabedorias
Está, ó meu Deus, a vossa sabedoria.
Vós podeis estar em mim ou nos outros,
Mas, vós, ó meu Deus, respeitais imensamente a liberdade
De todos os vossos filhos... De todos os “Eu Sou”.
Eu sou um “Eu Sou”,
Então sou livre, livre e livre,
Pois, vós, ó meu Deus, respeitais a minha liberdade,
A minha pequenez, a minha identidade,
Vivendo em comunidade nesta humanidade.....
Rosário Américo de Resende, ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, 19/07/1996).

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 13:48

Não sejamos um "barbeiro" e sim como esse cliente ..
 

Aline...a história que nos trouxe, sem duvida, pretende demonstrar que Deus não se explica por uma equação matemática, mas que podemos conhecê-Lo pela Obra..que é tudo o que existe.

O que o espiritismo nos trouxe como novidade, dentro do crescimento moral do planeta, é que ninguém nos pode forçar a compreender a Vida e suas Leis... cada ser, no seu devido tempo de esforço e aperfeiçoamento chegará pela sua própria vontade.
Assim, diriamos que tanto o barbeiro como o cliente, tem as suas verdades construidas nas experiências que tiveram. Estão todos no bom caminho...provavelmente o cliente chegará mais depressa á felicidade...isso não invalida que não tenhamos de aceitar que existem muitos barbeiros sem desejo nem vontade de despertar...

Citar
"Se você não busca Deus no verão da sua vida, dificilmente ele virá no inverno".

Este ditado deve ser interpretado sob o ponto de vista do sugeito e não do Criador...certo? Porque Deus está sempre presente...seja em que estação fôr...


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 13:55

Enfim, cada qual a vê de forma peculiar, mas em comum temos este sentimento de rendição ao Absoluto, a Deus, à Força Criadora.

Querida Beatriz...eis o sentimento fulcral da prece...agora imaginemos a humanidade rendendo-se a esse Amor, pela Prece, ao Pai Celeste?

Seria uma força inimaginável...

Deixo em forma de poesia isto de que falamos:

PRECE DO SEMEADOR

Senhor, se devo semear o chão
Para colher os frutos da alegria;
Se, do nasc er do Sol ao fim do dia,
Devo servir no bem, sem exaustão...
Se devo, por igual, partir o pão
Da crença que em Teu verbo se irradia;
Se devo me inspirar na poesia
Do Amor que nos legaste ao coração...
Se devo ser arrimo ao desamparo,
Consolo e paz ao sofrimento amaro,
Busc ando estar Contigo, aonde estejas.. .
Abençoa- me , Jesus, na exc elsa lida
De engrandecer e sublimar a vida,
De mim fazendo tudo o que desejas! ...

(Carlos A. Bac c elli por Euríc ledes Formiga. in: Caminheiro)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: leandro_manzo em 05 de Agosto de 2009, 13:57
Olá à todos...
Vou fazer uma comparação que pode parecer estranha, porém para tentar expressar o que penso ser a prece.
Costumo compará-la a um carregador de baterias de um celular(telemóvel) por exemplo. O aparelho funciona normalmente até que se acabe a carga, a partir daí ele precisa dessa energia que fica armazenada em sua bateria para poder funcionar por mais algum tempo.
Assim também funciona com o homem. Quando nossa fé esta fraca e para acabar, é preciso "recarregarmos as baterias da fé". E para isso nada melhor que a prece, o nosso "carregador de fé".
É o encontro íntimo com Deus, onde pedimos, agradecemos as coisas boas e as coisas "ruins" que nos aconteçam e principalmnente nos aproximamos Dele para nos sentirmos melhores.
Abração à todos e fiquem com Deus!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: amandamsreinaldo em 05 de Agosto de 2009, 14:20
A prece nos conecta com Deus e eleva nossos pensamentos até o Pai. Se pensarmos bem estamos continuamente em prece quando agradecemos pela oportunidade da reencarnação, quando fazemos o bem e não fazemos o mal. Sempre que buscamos a reforma intima sincera. Nos momentos de reculhimento devemos acordar agradecendo e dormir da mesma forma. Fácil? Nada disso, mas devemos ter fé, esperança e praticar a caridade nesse sentido. Devemos ser sempre melhores do que no dia anterior esse é o planejamento Divino e cabe a nós caminhar nesse sentido.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Aluena em 05 de Agosto de 2009, 15:14
Humildemente clamo por socorro do alto aos queridos Benfeitores dos 2 lados da vida
 ::: 

Sou internada a 11 e operada a 12 de Agosto, vai ser retirado todo o útero e anexos e adenopatia do baixo ventre, irá tudo para análise e tenho fé que tudo vai ser a tempo, solicito e agradeço a todos vibrações de protecção discernimento da equipe médica e que os médicos do Plano Espíritual ligados ao Cristo auxiliem os médicos da Terra e a todos os doentes em especial, para: Maria Manuela Silva Neves, Hospital CUF Infante Santo ,Lisboa,Portugal. Cirurgia a 12 de Agosto.
Assim seja.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: dOM JORGE em 05 de Agosto de 2009, 16:22
                                                     
                                                        VIVA  JESUS !

                           COMO PEDES ?

              " Até agora, nada pedistes em meu nome; pedi, e
               
                recebereis, para que o vosso gozo se cumpra. "

                Jesus
                                                        ( João, 16:24 )




                        Em muitos recantos, encontramos criaturas desencantadas da oração.

                             Não prometeu Jesus a resposta do Céu aos que pedissem no seu no

                        me? Muitos corações permanecem desalentados porque a morte lhes rou

                        bou um ente amigo, porque desastres imprevistos lhe surgiram na estrada

                        comum.

                             Entretanto, repitamos, o Mestre Divino ensinou que o homem deveria

                        solicitar em seu nome.

                             Por isso mesmo, a alma crente, convicta da própria fragilidade, deveria

                        interrogar a consciência sobre o conteúdo de suas rogativas ao Supremo

                        Senhor, no mecanismo das manifestações espirituais.

                             Estará suplicando em nome do Cristo ou das vaidades do mundo? Re-

                        clamar, em virtude dos caprichos que obscurecem os caminhos do cora -

                        ção, é atirar ao Divino Sol a poeira das inquietações terrenas; mas pedir,

                        em nome de Jesus, é aceitar-lhe a vontade sábia e amorosa, é entregar-

                        se-lhe de coração para que nos seja concedido o necessário.

                             Somente nesse ato de compreensão perfeita do seu amor sublime en-

                        contraremos o gozo completo, a infinita alegria.

                             Observa a substância de tuas preces. Como pedes? Em nome do mun-

                             do ou em nome do Cristo? Os que se revelam desanimados com a ora-

                             ção confessam a infantilidade de suas rogativas.


                                                      ( extraído do livro: " Caminho, Verdade e Vida "

                                                        Francisco Cândido Xavier- espírito Emmanuel )



                                                                       PAZ, MUITA PAZ !


                                                                                               dOM  JORGE

                       
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Sarah Senna em 05 de Agosto de 2009, 16:23

Ademais, é do livre-arbítrio pedir, desde que se peça com sinceridade e sem auto-corrupções  ---  pedi e obtereis, batei e abrir-se-vos-á.

Abraço!
[/quote]

Concordo plenamente com a questão do livre arbítrio, mas o que me fez refletir hoje é : Se temos o livre arbitrio de escolher e se Deus sabe o que precisamos e nos dá conforme o que realmente PRECISAMOS para nossa elevação, para que pedirmos? PORQUE  ou PARA QUE  o direito de escolha se teremos somente o que nos cabe pedindo ou não?
Fiquem em paz SARAH SENNA
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 05 de Agosto de 2009, 17:06
A prece é um meio de comunicação;
Sendo feita com humildade e devoção,
Renovamos energias nessa sintonia,
Nas mais diversas horas de nossa vigília.

Quem souber orar cria forte ligação,
De paz, inspiração e harmonia;
Nas horas de nossa provação,
É um momento que nos ilumina…

 Na minha opinião, a prece é um conforto de termos sempre o meio de comunicação e o auxílio de quem nos pode auxiliar sem corrermos o risco de levarmos com a porta na cara. Deus como Pai celestial jamais abandona um filho quando deprimido ou injustiçado.
Abraços fraternos e muita paz.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 17:33
Olá Leandro...a sua metáfora é interessante...isso significaria, na sua opinião que sem a prece o homem ficaria sem energia? Ou melhor, que a prece é energia vivificante para o homem?

Aluena querida...vamos aproveitar a oportunidade excelsa deste grupo de estudo se unir em pensamento à manuela, e enviar-lhe as nossas vibraçoes amorosas no dia 12 de Agosto apoiando assim a equipe que assistirá á cirurgia. Concordam companheiros?


Citar
Observa a substância de tuas preces. Como pedes? Em nome do mundo ou em nome do Cristo?

Pois é Dom Jorge...esta é a interrogativa que tentamos aqui pôr à reflexão.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 17:38
Amigo Nelson...já tinhamos em comum o sermos aquarianos e benfiquistas... :)...e agora de acordo com...

Deus como Pai celestial jamais abandona um filho quando deprimido ou injustiçado.

E eu acrescentaria...jamais abandona um filho em situação alguma, pois ele ama o ignorante tanto como o sábio, o infeliz tanto como o confiante...

Ora, se sentimos que há um Pai sempre por perto, como poderemos nos sentir esquecidos, sós ou injustiçados? Já pensamos nisso?

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: ram-wer em 05 de Agosto de 2009, 17:48
Gigi, imagino que você está ocupadíssima com a tarefa, daí não ter visto o que eu escrevera logo abaixo do comentário.

                                                                                                                       

Existe um ditado oriental (com várias versões ocidentais) que explica o barbeiro incrédulo:

"Se você não busca Deus no verão da sua vida, dificilmente ele virá no inverno".

Deus sempre quer vir, mas se a gente não se acostumar a chamá-Lo...


Respondendo à sua pergunta: Sim, certo.

Abraços,
RW


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 05 de Agosto de 2009, 17:53
   Verdade amiga, concordo consigo.
Uma vez que encontramos o nosso "EU", tudo se torna mais fácil de estarmos nessa sintonia através da prece com Deus.
   Sabe amiga Gigi, uma característica que se destaca nos Aquariános é a honestidade :).
 Muita paz  ;)

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 05 de Agosto de 2009, 19:10
Será que tudo o que pedirmos em oração nós recebemos? Jesus disse: "Tudo o que pedires em oração, crendo, recebereis." Será mesmo tudo?
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 19:11
Gigi, imagino que você está ocupadíssima com a tarefa, daí não ter visto o que eu escrevera logo abaixo do comentário.


Meu Deus Ram-Wer...desculpe companheiro...eu fixei-me no provérbio...daí que o meu espírito, meio rebelde perdeu-se no espaço...

Sorry...beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 19:29
Será que tudo o que pedirmos em oração nós recebemos? Jesus disse: "Tudo o que pedires em oração, crendo, recebereis." Será mesmo tudo?

Boa pergunta meu amigo Carlos!

Complementando-a, Jesus até foi mais além e disse: pedi e obtereis.

Responder-te vai levar o estudo ao item seguinte que é a eficácia da prece, e que gostariamos de adiar um pouco mais, no entanto, suncintamente daremos a nossa opinião com base no que nos diz Allan Kardec em comentário no Evangelho Segundo o Espiritismo, eficácia da prece, item 7. já aqui transcrito.

Todos somos livres de pedir, a questão é saber se é preciso pedir alguma coisa e/ou se aquilo que pedimos é aquilo que precisamos.

Já muitos disseram aqui (ver. ESE, Cap.XXVII) que Deus é quem nos conhece, pois foi quem nos criou. Por isso mesmo, sabe quais as nossas necessidades.

Então se eu pedir saúde e continuar doente, Deus é injusto?

Vamos ver: se eu peço algo, aguardo resposta positiva e se não recebo conforme o que peço, isso leva-me ao desanimo, á revolta...

Se eu não peço nada, e creio firmemente que tudo o que tenho, doença por exemplo, é bom para mim eu fico confiante que recebi o que merecia. A isso chamamos fé.

Por outro lado, como posso saber o que preciso, se eu mal conheço as minhas dificuldades interiores, se desconheço o meu passado?

Sabendo que Deus é Justo e Bom, ele não deixa de atender...mas a saúde só vem quando o espirito está saudável, e na hora que Deus sabe estarmos preparados para a receber.

Portanto...recebemos tudo o que precisamos, mas nem sempre o que pedimos, porque nem sempre o que pedimos é o que precisamos.

Espero ter ajudado na reflexão.

beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 05 de Agosto de 2009, 19:31
Olá Carlos e restantes amigos.
   Na minha opinião nem tudo o que pedirmos em oração, somos merecedores ou é o melhor para a nossa evolução moral, pois o nosso mundo é um mundo onde o sofrimento ainda esta bastante destacado. O sofrimento sem duvida que é essencial nesta fase de transição para mundos mais evoluídos, pois através dele nos tornarmos mais humildes e é também uma forma de sermos chamados por Ele (Deus)! E por esse mesmo motivo Deus muitas vezes não nos concede tudo que pedimos em oração, pelo facto de não ser o ideal para nosso aprimoramento espiritual. Mas nunca Deus nos deixa desamparados, pois ele nos transmite coragem para passarmos pelas nossas provações, (Deus nunca nos daria uma cruz mais pesada com aquela que seriamos capazes de suportar). Esta é a minha opinião, concordam comigo?
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Selma em 05 de Agosto de 2009, 19:39
Há cerca de um mês no Rio de Janeiro, uma menina de 13 anos morreu no dia de seu aniversário, após comprar seu presente, atingida por uma bala perdida disparada durante uma briga entre bandidos e policiais.
A mãe da menina entrou em desespero e na frente do hospital disse" Meus Deus, não deixa ela morrer, devolve ela para mim." Infelizmente a menina morreu no mesmo dia e na mesma hora. Isso me aborreceu profundamente. Apesar de ter grande fé em Deus, nas preces e no Espiritismo, um profundo vazio tomou conta de mim.
Sei que estamos nesse planeta para cumprir os desígnios de Deus. Mas confesso que a prece desesperada da mãe e a morte da menina me impressionaram de maneira especial.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Vitor Santos em 05 de Agosto de 2009, 20:06
Olá Selma

Há que ter fé e confiança em Deus e na sua infinita bondade.

Não temos possibilidade de compreender aqui na terra as verdadeiras razões do desencarne da menina.

Para além disso a morte não é uma castigo. É uma coisa natural, a que ninguém aqui na terra escapa. Até pode ser um alivio para quem parte.

A dor da perda é muito dura. Mas também é uma oportunidade de provar a nossa fé e a nossa confiança em Deus. Há que superar essa prova, mesmo com cicatrizes profundas no coração. O momento do reencontro vai compensar os sofrimentos, se soubermos sofrer sem nos suicidarmos nem nos revoltarmos contra Deus. A nossa revolta é que nos faz mal (não é Deus que nos faz mal por causa da revolta, porque Deus não faz mal em circunstância alguma)

bem haja
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 05 de Agosto de 2009, 20:35
Citar
Na minha opinião nem tudo o que pedirmos em oração, somos merecedores ou é o melhor para a nossa evolução moral, pois o nosso mundo é um mundo onde o sofrimento ainda esta bastante destacado.
- Nelson
Sem duvida, amigo Nelson. Nem sempre recebemos aquilo que pedimos, porque nem sempre o que pedimos é o melhor para nós, e além disso há sempre que ter em conta a questão do merecimento.
No Evangelho Segundo o Espiritismo tem esta passagem que eu acho importante:

7. Desta máxima: “Concedido vos será o que quer que pedirdes pela prece”, fora
ilógico deduzir que basta pedir para obter e fora injusto acusar a Providência se não acede a
toda súplica que se lhe faça, uma vez que ela sabe, melhor do que nós, o que é para nosso
bem. É como procede um pai criterioso que recusa ao filho o que seja contrário aos seus
interesses. Em geral, o homem apenas vê o presente; ora, se o sofrimento é de utilidade para a sua felicidade futura, Deus o deixará sofrer, como o cirurgião deixa que o doente sofra as dores de uma operação que lhe trará a cura.
O que Deus lhe concederá sempre, se ele o pedir com confiança, é a coragem, a
paciência, a resignação.
Também lhe concederá os meios de se tirar por si mesmo das dificuldades, mediante idéias que fará lhe sugiram os bons Espíritos, deixando-lhe dessa
forma o mérito da ação.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 05 de Agosto de 2009, 21:08
Citar
Sei que estamos nesse planeta para cumprir os desígnios de Deus. Mas confesso que a prece desesperada da mãe e a morte da menina me impressionaram de maneira especial.
- Selma
Amiga, as pessoas encontrariam mais consolo quando morre uma criança se lessem estas sábias palavras que estão no Evangelho Segundo o Espiritismo:

Perda de pessoas amadas. Mortes prematuras
21. Quando a morte ceifa nas vossas famílias, arrebatando, sem restrições, os mais
moços antes dos velhos, costumais dizer: Deus não é justo, pois sacrifica um que está forte e tem grande futuro e conserva os que já viveram longos anos cheios de decepções; pois leva os que são úteis e deixa os que para nada mais servem; pois despedaça o coração de uma mãe, privando-a da inocente criatura que era toda a sua alegria.
Humanos, é nesse ponto que precisais elevar-vos acima do terra-a-terra da vida, para
compreenderdes que o bem, muitas vezes, está onde julgais ver o mal, a sábia previdência
onde pensais divisar a cega fatalidade do destino. Por que haveis de avaliar a justiça divina
pela vossa? Podeis supor que o Senhor dos mundos se aplique, por mero capricho, a vos
infligir penas cruéis? Nada se faz sem um fim inteligente e, seja o que for que aconteça, tudo tem a sua razão de ser. Se perscrutásseis melhor todas as dores que vos advêm, nelas
encontraríeis sempre a razão divina, razão regeneradora, e os vossos miseráveis interesses se tornariam de tão secundária consideração, que os atiraríeis para o último plano.
Crede-me, a morte é preferível, numa encarnação de vinte anos, a esses vergonhosos
desregramentos que pungem famílias respeitáveis, dilaceram corações de mães e fazem que
antes do tempo embranqueçam os cabelos dos pais. Freqüentemente, a morte prematura é um grande benefício que Deus concede àquele que se vai e que assim se preserva das misérias da vida, ou das seduções que talvez lhe acarretassem a perda. Não é vítima da fatalidade aquele que morre na flor dos anos; é que Deus julga não convir que ele permaneça por mais tempo na Terra.
É uma horrenda desgraça, dizeis, ver cortado o fio de uma vida tão prenhe de
esperanças! De que esperanças falais? Das da Terra, onde o liberto houvera podido brilhar,
abrir caminho e enriquecer? Sempre essa visão estreita, incapaz de elevar-se acima da
matéria. Sabeis qual teria sido a sorte dessa vida, ao vosso parecer tão cheia de esperanças? Quem vos diz que ela não seria saturada de amarguras? Desdenhais então das esperanças da vida futura, ao ponto de lhe preferirdes as da vida efêmera que arrastais na Terra? Supondes então que mais vale uma posição elevada entre os homens, do que entre os Espíritos bem-aventurados?
Em vez de vos queixardes, regozijai-vos quando praz a Deus retirar deste vale de
misérias um de seus filhos. Não será egoístico desejardes que ele aí continuasse para sofrer
convosco? Ah! essa dor se concebe naquele que carece de fé e que vê na morte uma
separação eterna. Vós, espíritas, porém, sabeis que a alma vive melhor quando
desembaraçada do seu invólucro corpóreo. Mães, sabei que vossos filhos bem-amados estão
perto de vós; sim, estão muito perto; seus corpos fluídicos vos envolvem, seus pensamentos dores desarrazoadas os afligem, porque denotam falta de fé e exprimem uma revolta contra a vontade de Deus.
Vós, que compreendeis a vida espiritual, escutai as pulsações do vosso coração a
chamar esses entes bem-amados e, se pedirdes a Deus que os abençoe, em vós sentireis fortes consolações, dessas que secam as lágrimas; sentireis aspirações grandiosas que vos mostrarão o porvir que o soberano Senhor prometeu. - Sanson, ex-membro da Sociedade Espírita de Paris. (1863.)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: angela_maria em 05 de Agosto de 2009, 21:34
Aluena amiga ,eu tambem me submeti há 2 anos a uma cirurgia como a sua.Não tenha receio pois vai correr tudo bem.Tente adormecer calma aquando da anestesia ,pense em algo agradavel,pois o acordar é identico ao adormecer,o ultimo pensamento é o primeiro quando acordamos.Tente descansar no pos-operatório ,ponha sua leitura em dia ,mime-se muito e verá que passa tudo rapidamente.
                       muita luz e sorte!!!!!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 05 de Agosto de 2009, 21:49
Olá amigos(as)

Do livro " O ESPÍRITO DA VERDADE ", de CHICO XAVIER.

" Senhor Jesus, abençoa, por misericórdia, o lar que nos deste ao serviço da oração.
Reúne-nos aqui em teu amor e ensina-nos a procurar-Te para que não nos percamos à margem do caminho.
Nos instantes felizes, sê nossa força, para que a alegria não nos torne ingratos e insensíveis.
Nos momentos amargos, sê nosso arrimo, para que a tristeza não nos faça abatidos e inúteis.
Nos dias claros, concede-nos a bênção do suor no trabalho digno.
Nas noites tempestuosas, esclarece-nos o espírito para que entendamos a advertência.
Inclina-nos a pensar sentindo, para que não guardemos gelo no cérebro, e induze-nos a sentir pensando para que não tenhamos fogo no coração.
Ajuda-nos para que a caridade em nossa existência não seja vaidade que dilacere os outros e para que a humildade em nossos dias não seja orgulho rastejante!...
Auxilia-nos para que a nossa fé não se converta em fanatismo e para que o nosso destemor não se transforme em petulância.
Amorável Benfeitor, perdoa as nossas faltas.
Mestre Sublime, reergue-nos para a lição.
E, sobretudo, Senhor, faz que entendamos a Divina Vontade, a fim de que, aprendendo a servir contigo, saibamos dissolver a sombra de nossa presença na glória de tua luz!


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 05 de Agosto de 2009, 21:59
Eu nos momentos de oração sinto-me sintonizado também fisicamente com Deus, pelos sintomas que me faço acompanhar nesses momentos, dos quais só tenho que agradecer a Deus pela sua criação e sabedoria. Encontrei resposta desses mesmos sintomas no livro de C. Torres Pastorino -técnica da mediunidade. Onde abreviadamente transcrevo que, tem como causa nossa fé e emoção no momento de oração (aumento de vibração). Portanto é uma capacidade ao alcance de todos, desde que a oração seja efectuada com devoção no imenso poder de Deus, no nosso mestre Jesus ou mesmo no nosso mentor. Deus não deserda nenhum dos seus filhos.
Abraços fraternos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 05 de Agosto de 2009, 22:58
Ola Amiga GiGi
Muita paz e harmonia em seu coração

   Antes demais quero dar-lhe os parabens pelo tema excelente que escolheu e pela forma como esta a conduzi-lo.

.Valor da prece

Revista Espírita, agosto de 1862

A mesma pessoa da qual o fato precedente foi questão, teve, um dia, a comunicação espontânea seguinte, da qual não compreendeu imediatamente a origem:

'Vós não me esquecestes, e jamais vosso Espírito teve um sentimento de perdão para mim. E verdade que vos fiz muito mal; mas disso sou punida há muito tempo. Não parei de sofrer. Vejo-vos seguir os deveres que cumpris com tanta coragem, para prover às necessidades de vossa família, a inveja não parou de me devorar o coração. Vossa... (Aqui, paramos para perguntar o que isso poderia ser. O Espírito acrescenta: "Não me interrompas; me nomearei quando tiver acabado.")... resignação, que segui, foi um dos meus maiores males. Tende um pouco de piedade de mim, se sois realmente discípulo do Cristo. Eu estava muito sozinha sobre a Terra, embora no meio dos meus, e a inveja foi meu maior vício. Foi pela inveja que dominei vosso marido. Parecíeis retomar o império sobre ele quando vos conheci, e me coloquei entre vós. Perdoai-me e tende coragem: Deus terá piedade de vós a seu turno. Minha irmã, que oprimi durante minha vida, é a única que tem orado por mim; mas são as vossas preces que me faltam. As outras não têm para mim o selo do perdão. Adeus, perdoai-me.

ANGÈLE ROUGET."

Aquela senhora acrescenta: "Lembrei-me então perfeitamente da pessoa morta, há vinte e cinco anos, e na qual não havia pensado desde muitos anos. Pergunto-me como ocorre que as preces de sua irmã, virtuosa e doce criatura, devotada, piedosa e resignada, não sejam mais frutíferas do que as minhas. Entretanto, pensai que, depois disto, orei e perdoei."

Resposta. - O Espírito deu-lhe a explicação quando disse: "As preces dos outros não têm para mim o selo do perdão." Com efeito, sendo essa senhora a principal ofendida, e sendo a que mais sofreu com a conduta daquela mulher, em sua prece havia perdão, o que deveria mais tocar o Espírito culpado. Sua irmã, orando, não fazia, por assim dizer, senão cumprir um dever; do outro lado, havia ato de caridade. A ofendida tinha mais direito e mérito para pedir graça; seu perdão deveria, pois, tranqüilizar muito mais o Espírito. Ora, sabe-se que o principal efeito da prece é agir sobre o moral do Espírito, seja para acalmá-lo, seja para conduzi-lo ao bem; conduzindo-o ao bem apressa a clemência do Juiz supremo, que sempre perdoa ao pecador arrependido.

A justiça humana, toda imperfeita que ela é em comparação com a justiça divina, nos oferece freqüentes exemplos semelhantes. Que um homem seja levado ante os tribunais por uma ofensa contra alguém, ninguém não agradará mais em seu favor, e não obterá mais facilmente a sua graça do que o próprio ofendido vindo generosamente retirar a sua queixa.

Esta comunicação, tendo sido lida na Sociedade de Paris, deu lugar à seguinte pergunta, proposta por um de seus membros:

"Os Espíritos reclamam sem cessar as preces dos mortais; é que os bons Espíritos não oram também pelos Espíritos sofredores, e nesse caso porque as dos homens são mais eficazes?"

A resposta seguinte foi dada na mesma sessão, por Santo Agostinho; médium, Sr. E. Vézy:

Orai sempre, filhos; já vos disse: a prece é um orvalho benfazejo que deve tornar menos árida a terra seca. Venho vo-lo repetir ainda, e acrescento-lhe algumas palavras em resposta à pergunta que dirigis. Por que, pois, dizeis, os Espíritos sofredores vos pedem preces de preferência a nós? As preces dos mortais são mais eficazes do que as dos bons Espíritos? - Quem vos disse que nossas preces não tinham a virtude de espalhar a consolação e dar força aos Espíritos fracos que não podem ir a Deus senão com dificuldade e, freqüentemente, com desencorajamento? Se imploram vossas preces, é que têm o mérito das emanações terrestres subindo voluntariamente a Deus, e que, aqueles, gostam sempre delas, vindo de vossa caridade e de vosso amor.

Para vós, orar, é abnegação; para nós, é dever. O encarnado que ora por seu próximo cumpre a nobre tarefa dos puros Espíritos; sem ter sua coragem e força, realiza suas maravilhas. É o próprio de nossa vida, cabe a nós, consolar o Espírito em dificuldade e sofredor; mas uma de vossas preces, de vós, é o colar que tirais de vosso pescoço para dar ao indigente; é o pão que retirais de vossa mesa para dá-lo a quem tem fome, e eis porque vossas preces são agradáveis àqueles que as ouvem. Um pai não aquiesce sempre à prece do filho pródigo? Não chama todos os seus servidores para matar o vitelo gordo ao redor do filho culpado? Quanto não faria mais ainda por aquele mesmo que viesse aos seus joelhos dizer-lhe: "Ó meu pai, sou muito culpado; não vos peço graça, mas perdoai ao meu irmão arrependido, mais fraco e menos culpado do que eu!" Oh! é então que o pai se enternece; é então que ele arranca de seu peito tudo o que pode conter de dons e de amor. Ele diz: "Tu eras cheio de iniqüidades, te disseste criminoso; mas, compreendendo a enormidade de tuas faltas, não me pediste graça para ti; aceitas o sofrimento de meu castigo, e malgrado tuas torturas, tua voz tem bastante força para pedir por teu irmão!" Pois bem! o pai não quer menos caridade do que o filho: ele perdoa a ambos; a um e ao outro estenderá as mãos para que possam caminhar direito no caminho que conduz à sua glória.

Eis, meus filhos, porque os Espíritos sofredores que vagam ao vosso redor imploram as vossas preces; nós devemos orar, nós; vós podeis orar. Prece do coração, tu és a alma das almas, se posso me exprimir assim; quintessência sublime que sobe sempre casta, bela e radiosa na alma mais vasta de Deus!

SANTO AGOSTINHO.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: leandro_manzo em 05 de Agosto de 2009, 22:59
Olá Gigi...
Eu acredito sim que a prece é uma poderosa carga de energia para podermos encarar as dificuldades da vida carnal.
Imagine se ninguém tivesse o conhecimento da prece como o mundo seria diferente.
Ela revigora nossa alma de maneira esplêndida, trás novas forças para a fé não se dissipar.
Quando não utilizamos a prece paulatinamente deixamos de lado a fé que temos no Criador, pois aí tudo fica da boca pra fora, e, a verdadeira vontade do coração não consegue fluir.
Até porque a fé remove montanhas, e, para se remover montanhas precisa-se de força e essa força vem da prece.
Abração e fique com Deus!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 05 de Agosto de 2009, 23:04
OLa muita paz companheiros

Dom de curar

1. Restituí a saúde aos doentes, ressuscitai os mortos, curai os leprosos, expulsai os demônios. Dai gratuitamente o que gratuitamente haveis recebido. (S. MATEUS, cap. X, v. 8.)

"Dai gratuitamente o que gratuitamente haveis recebido", diz Jesus a seus discípulos. Com essa recomendação, prescreve que ninguém se faça pagar daquilo por que nada pagou. Ora, o que eles haviam recebido gratuitamente era a faculdade de curar os doentes e de expulsar os demônios, isto é, os maus Espíritos. Esse dom Deus lhes dera gratuitamente, para alívio dos que sofrem e como meio de propagação da fé; Jesus, pois, recomendava-lhes que não fizessem dele objeto de comércio, nem de especulação, nem meio de vida.

Preces pagas

  Disse em seguida a seus discípulos, diante de todo o povo que o escutava: -Precatai-vos dos escribas que se exibem a passear com longas túnicas, que gostam de ser saudados nas praças públicas e de ocupar os primeiros assentos nas sinagogas e os primeiros lugares nos festins - que, a pretexto de extensas preces, devoram as casas das viúvas. Essas pessoas receberão condenação mais rigorosa. (S. LUCAS, cap. XX, vv. 45 a 47; S. MARCOS, cap. XII, vv. 38 a 40; S. MATEUS, cap. XXIII, v. 14.)

  Disse também Jesus: não façais que vos paguem as vossas preces; não façais como os escribas que, "a pretexto de longas preces, devoram as casas das viuvas", isto é, abocanham as fortunas. A prece é ato de caridade, é um arroubo do coração. Cobrar alguém que se dirija a Deus por outrem é transformar-se em intermediário assalariado. A prece, então, fica sendo uma fórmula, cujo comprimento se proporciona à soma que custe. Ora, uma de duas: Deus ou mede ou não mede as suas graças pelo número das palavras. Se estas forem necessárias em grande número, por que dizê-las poucas, ou quase nenhumas, por aquele que não pode pagar? E falta de caridade. Se uma só basta, é inútil dizê-las em excesso. Por que então cobrá-las? É prevaricação.

  Deus não vende os benefícios que concede. Como, pois, um que não é, sequer, o distribuidor deles, que não pode garantir a sua obtenção, cobraria um pedido que talvez nenhum resultado produza? Não é possível que Deus subordine um ato de demência, de bondade ou de justiça, que da sua misericórdia se solicite, a uma soma em dinheiro. Do contrário, se a soma não fosse paga, ou fosse insuficiente, a justiça, a bondade e a demência de Deus ficariam em suspenso. A razão, o bom senso e a lógica dizem ser impossível que Deus, a perfeição absoluta, delegue a criaturas imperfeitas o direito de estabelecer preço para a sua justiça. A justiça de Deus é como o Sol: existe para todos, para o pobre como para o rico. Pois que se considera imoral traficar com as graças de um soberano da Terra, poder-se-á ter por lícito o comércio com as do soberano do Universo?

 Ainda outro inconveniente apresentam as preces pagas: é que aquele que as compra se julga, as mais das vezes, dispensado de orar ele próprio, porquanto se considera quite, desde que deu o seu dinheiro. Sabe-se que os Espíritos se sentem tocados pelo fervor de quem por eles se interessa. Qual pode ser o fervor daquele que comete a terceiro o encargo de por ele orar, mediante paga? Qual o fervor desse terceiro, quando delega o seu mandato a outro, este a outro e assim por diante? Não será isso reduzir a eficácia da prece ao valor de uma moeda em curso?
Mercadores expulsos do templo

  Eles vieram em seguida a Jerusalém, e Jesus, entrando no templo, começou por expulsar dali os que vendiam e compravam; derribou as mesas dos cambistas e os bancos dos que vendiam pombos: - e não permitiu que alguém transportasse qualquer utensílio pelo templo. - Ao mesmo tempo os instruía, dizendo: Não está escrito: Minha casa será chamada casa de oração por todas as nações? Entretanto, fizestes dela um covil de ladrões! - Os príncipes dos sacerdotes, ouvindo isso, procuravam meio de o perderem, pois o temiam, visto que todo o povo era tomado de admiração pela sua doutrina. (S. MARCOS, cap. XI, vv. 15 a 18; - S. MATEUS, cap. XXI, vv. 12 e 13.)

  Jesus expulsou do templo os mercadores. Condenou assim o tráfico das coisas santas sob qualquer forma. Deus não vende a sua bênção, nem o seu perdão, nem a entrada no reino dos céus. Não tem, pois, o homem, o direito de lhes estipular preço.
Mediunidade gratuita

  Os médiuns atuais - pois que também os apóstolos tinham mediunidade -igualmente receberam de Deus um dom gratuito: o de serem intérpretes dos Espíritos, para instrução dos homens, para lhes mostrar o caminho do bem e conduzi-los à fé, não para lhes vender palavras que não lhes pertencem, a eles médiuns, visto que não são fruto de suas concepções, nem de suas pesquisas, nem de seus trabalhos pessoais. Deus quer que a luz chegue a todos; não quer que o mais pobre fique dela privado e possa dizer: não tenho fé, porque não a pude pagar; não tive o consolo de receber os encorajamentos e os testemunhos de afeição dos que pranteio, porque sou pobre. Tal a razão por que a mediunidade não constitui privilégio e se encontra por toda parte. Fazê-la paga seria, pois, desviá-la do seu providencial objetivo.

 Quem conhece as condições em que os bons Espíritos se comunicam, a repulsão que sentem por tudo o que é de interesse egoístico, e sabe quão pouca coisa se faz mister para que eles se afastem, jamais poderá admitir que os Espíritos superiores estejam à disposição do primeiro que apareça e os convoque a tanto por sessão. O simples bom senso repele semelhante idéia. Não seria também uma profanação evocarmos, por dinheiro, os seres que respeitamos, ou que nos são caros? E fora de dúvida que se podem assim obter manifestações; mas, quem lhes poderia garantir a sinceridade? Os Espíritos levianos, mentirosos, brincalhões e toda a caterva dos Espíritos inferiores, nada escrupulosos, sempre acorrem, prontos a responder ao que se lhes pergunte, sem se preocuparem com a verdade. Quem, pois, deseje comunicações sérias deve, antes de tudo, pedi-las seriamente e, em seguida, inteirar-se da natureza das simpatias do médium com os seres do mundo espiritual. Ora, a primeira condição para se granjear a benevolência dos bons Espíritos é a humildade, o devotamento, a abnegação, o mais absoluto desinteresse moral e material.

A par da questão moral, apresenta-se uma consideração efetiva não menos importante, que entende com a natureza mesma da faculdade. A mediunidade séria não pode ser e não o será nunca uma profissão, não só porque se desacreditaria moralmente, identificada para logo com a dos ledores da boa-sorte, como também porque um obstáculo a isso se opõe. E que se trata de uma faculdade essencialmente móvel, fugidia e mutável, com cuja perenidade, pois, ninguém pode contar. Constituiria, portanto, para o explorador, uma fonte absolutamente incerta de receitas, de natureza a poder faltar-lhe no momento exato em que mais necessária lhe fosse. Coisa diversa é o talento adquirido pelo estudo, pelo trabalho e que, por essa razão mesma, representa uma propriedade da qual naturalmente lícito é, ao seu possuidor, tirar partido. A mediunidade, porém, não é uma arte, nem um talento, pelo que não pode tornar-se uma profissão. Ela não existe sem o concurso dos Espíritos; faltando estes, já não há mediunidade. Pode subsistir a aptidão, mas o seu exercício se anula. Daí vem não haver no mundo um único médium capaz de garantir a obtenção de qualquer fenômeno espírita em dado instante. Explorar alguém a mediunidade é, conseguinte-mente, dispor de uma coisa da qual não é realmente dono. Afirmar o contrário é enganar a quem paga. Há mais: não é de si próprio que o explorador dispõe; é do concurso dos Espíritos, das almas dos mortos, que ele põe a preço de moeda. Essa idéia causa instintiva repugnância. Foi esse tráfico, degenerado em abuso, explorado pelo charlatanismo, pela ignorância, pela credulidade e pela superstição que motivou a proibição de Moisés. O moderno Espiritismo, compreendendo o lado sério da questão, pelo descrédito a que lançou essa exploração, elevou a mediunidade à categoria de missão. (Veja-se: O Livro dos Médiuns, 2ª Parte, cap. XXVIII. - O Céu e o Inferno, 1ª Parte, cap. XI.)

 A mediunidade é coisa santa, que deve ser praticada santamente, religiosamente. Se há um gênero de mediunidade que requeira essa condição de modo ainda mais absoluto é a mediunidade curadora. O médico dá o fruto de seus estudos, feitos, muita vez, à custa de sacrifícios penosos. O magnetizador dá o seu próprio fluido, por vezes até a sua saúde. Podem pôr-lhes preço. O médium curador transmite o fluido salutar dos bons Espíritos; não tem o direito de vendê-lo. Jesus e os apóstolos, ainda que pobres, nada cobravam pelas curas que operavam.

Procure, pois, aquele que carece do que viver, recursos em qualquer parte, menos na mediunidade; não lhe consagre, se assim for preciso, senão o tempo de que materialmente possa dispor. Os Espíritos lhe levarão em conta o devotamento e os sacrifícios, ao passo que se afastam dos que esperam fazer deles uma escada por onde subam.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 23:41
Sei que estamos nesse planeta para cumprir os desígnios de Deus. Mas confesso que a prece desesperada da mãe e a morte da menina me impressionaram de maneira especial.

Querida Selma...penso que os companheiros já lhe deram algumas respostas para acalmar a esta sua angústia, e acredito que alguns dos textos aqui transcritos e reflectidos, vão mostrar-lhe uma outra visão da Prece.

Recordo uma passagem da minha vida, ainda não há muito tempo, talvez uns 5/6 anos em que eu tive um relacionamento amoroso complicado. Não interessa a história em si, mas digamos que parecia coisa de filmes, com perseguições e tudo...Eu gostava do meu namorado, e no meio de enormes confusões, cheguei a casa e em lágrimas, pedi a Deus que tudo desse certo, que tudo se resolvesse de forma tranquila, e sobretudo que nós pudessemos viver juntos em paz.

No dia seguinte desabou um terramoto...ou seja...algo surgiu para definitivamente terminarmos aquele relacionamento. Triste, mas conformada, segui o meu caminho, e meses depois eu já estava a agradecer ao Pai, precisamente por não ter me dado ouvidos, pois na hora percebia que o melhor para mim era mesmo afastar-me daquela situação.

Quantas vezes isto não nos acontece? Já pensamos nisto?

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 05 de Agosto de 2009, 23:47
Sei que estamos nesse planeta para cumprir os desígnios de Deus. Mas confesso que a prece desesperada da mãe e a morte da menina me impressionaram de maneira especial.

Querida Selma...penso que os companheiros já lhe deram algumas respostas para acalmar a esta sua angústia, e acredito que alguns dos textos aqui transcritos e reflectidos, vão mostrar-lhe uma outra visão da Prece.

Recordo uma passagem da minha vida, ainda não há muito tempo, talvez uns 5/6 anos em que eu tive um relacionamento amoroso complicado. Não interessa a história em si, mas digamos que parecia coisa de filmes, com perseguições e tudo...Eu gostava do meu namorado, e no meio de enormes confusões, cheguei a casa e em lágrimas, pedi a Deus que tudo desse certo, que tudo se resolvesse de forma tranquila, e sobretudo que nós pudessemos viver juntos em paz.

No dia seguinte desabou um terramoto...ou seja...algo surgiu para definitivamente terminarmos aquele relacionamento. Triste, mas conformada, segui o meu caminho, e meses depois eu já estava a agradecer ao Pai, precisamente por não ter me dado ouvidos, pois na hora percebia que o melhor para mim era mesmo afastar-me daquela situação.

Quantas vezes isto não nos acontece? Já pensamos nisto?


Olá GIGII ;)


Muito elucidativa a sua observação.

Tudo passa neste mundo, e por vezes com a ância de termos as coisas à nossa maneira ,estragamos tudo...Se confiarmos em DEUS com FÉ, as coisas ficam sempre bem, pode é demorar e não termos paciência para esperarmos.

Quem sabe que as dificuldades não serão provas de paciência que DEUS nos oferece...Quem sabe, né ;D


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 23:54
Obrigada amigo Victor Passos pelas transcrições que nos trouxe.

Ambas reportam para a qualidade da prece que será subtema a debater, e certamente com tanto para estudar e observar.

E levantam uma questão pertinente:

A prece dita/sentida pelo próprio tem mais, menos ou igual valor, que a prece dita por/para outrem?

Vamos pensar nisto?

Beijitos e resto de noite feliz!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 05 de Agosto de 2009, 23:58

Se confiarmos em DEUS com FÉ, as coisas ficam sempre bem, pode é demorar e não termos paciência para esperarmos.

É isso aí meu amigo...Com-cordo...que significa...de acordo!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Nadi em 05 de Agosto de 2009, 23:59
Observando as duas imagens percebemos a diferença entre a prece feita apenas com os lábios, que aparece na primeira, e aquela feita com o coração que aparece na segunda.
Não necessitamos de palavras ou frases bonitas para elevarmos nosso pensamento no momento de pedir ou agradecer, mas sim, silenciar a nossa mente e fazer a nossa prece com sinceridade, com fé e com o pensamento elevado.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 06 de Agosto de 2009, 00:12
Caros amigos, aproveito para relatar um caso verídico que foi mencionado numa palestra no centro que frequento a dois domingos atrás, do qual me emocionou de alegria apesar de tudo. Uma mãe tinha dado a luz um filho com trissomia 21, a mãe se questionava e dizia mesmo que se calhar, era melhor não ter sobrevivido para não ter que sofrer, após ter mencionado essas palavras, seu filho com apenas pouco mais de dois anos de idade, olhou para sua mãe como se tivesse entendido dirigindo-se para ela sorrindo reconfortando sua mãe, (lembremos que muitas das vezes somos nós mesmos que escolhemos antes da encarnação essa provação para nossa evolução)… essa mãe disse que após esse momento jamais trocaria esse filho por nada deste mundo, sendo o orgulho de sua vida! Deus tudo criou com a máxima sabedoria.
Abraços fraternos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 06 de Agosto de 2009, 00:30
Citar
A prece dita/sentida pelo próprio tem mais, menos ou igual valor, que a prece dita por/para outrem?

Olá amiga Gigi...
   Penso que cada um de nós tem que buscar o EU interior, e nesse sentido a prece dita/sentida pelo próprio tenha um valor especial,  cabe a cada um de nós a nossa própria evolução. O percurso da nossa evolução quando mais moral mais curta de aprovações será, quanto mais material mais longa e consequentemente mais dolorosa pelas provações que teremos que passar…

Boa noite a todos e muita paz...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Cico em 06 de Agosto de 2009, 04:31
No momento em que a aflição nos atinge so nos resta pedir ao Pai celestial para alcamar.A prece é funciona,no qual devemos pedir ao nosso Pai celestial no mais profundo sentimento com respeito e sinceridade para estirpar do nosso coração essa agústia.Obrigado.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: EMILIA NELLY em 06 de Agosto de 2009, 04:44
Considerando a familia um laboratorio para a evolução espiritual.
A PRECE EM TORNO DELA (FAMILIA)  SEMPRE RENOVA
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 06 de Agosto de 2009, 10:13
Gigi e amigos do fórum

Carregamos a impressão mental que somos parte isolada de um todo. Nosso eu interior (espírito) e o universo a nossa volta, isolados um do outro pela matéria de nosso corpo carnal. Pensamos ser esta uma imagem da realidade, mas é uma idéia fixada pela nossa insuficiente acuidade visual e um erro do processo verdadeiro quando nos deparamos com as descrições dos planos superiores. Alem da idéia de corpos, somos fonte operadoras da energia que nos circunda. Somos espíritos imersos em energia, que é operada pelas nossas criações mentais expressas pelos nossos desejos.
Desta forma a mensagem de Bhuda e de Jesus são a mesma. O Amor é a ausência de desejos (pessoais), e a contemplação da Lei que mantém o universo.

Pela Lei todo desejo pessoal deverá ser vivido, até mesmo o mais cruel, para aprendermos suas conseqüências e sua inutilidade. Vivemos hoje as conseqüências, a Lei, de desejos de outrora. Todo Desejo traz uma consequencia em nosso meio energético. O desejo pessoal que nos afasta do Amor é a fonte do sofrimento.

"Olhai os lírios do campo..." disse Jesus. Estudemos o Sermão da Montanha.

Isto posto, seu tema para discussão é:



E levantam uma questão pertinente:

A prece dita/sentida pelo próprio tem mais, menos ou igual valor, que a prece dita por/para outrem?

A base de toda questão é o Desejo contido nas rogativas, diante da Lei. Sabemos que o merecimento justo disponibiliza não apenas as energias do pensamento de quem emite, mas também pode mobilizar outras inteligências a serviço e socorro deste pedido. Esta é a base do livro “Entre o Céu e a Terra”, onde os recursos de um Ministro de Nosso Lar partem em processo de atendimento a intricado conflito que envolve muitos indivíduos. Aprendemos nessa leitura que o Justo é o cumprimento da Lei.

Podemos mobilizar apenas nossas energias sem merecer a ajuda de um Ministro. Mas a questão que fica implícita em todas as possibilidades de sua pergunta é da oportunidade de se cumprir a Lei através desta carga de energias. Aprendemos sendo espíritas que estas oportunidades benditas de cura dos Desejos se constroem com a dor da transformação e amadurecimento de ideais emocionais e mentais, e do processo de reencarnação, no ajuste entre o carrasco e a vitima do passado, pelo amor e perdão.

Justifico assim minha opinião que o valor de ambas é igual, salvo o pressuposto acima.

Muita Paz

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 06 de Agosto de 2009, 12:01
Ola Gigi e companheiros
Muita paz

          Amigos , toda a prece quando sentida , e com ligação sincera e humilde, toca sempre todos aqueles que nos envolvem, e nos amam, mesmo aqueles que sendo refratarios a sentem, pois ela tem uma força enorme.
   O que temos é de ser sinceros ao nos ligarmos a Deus ou a alguém em pedido, porque as palavras ditas sem sentimento sincero aos olhos dos irmãos espirituais são como a insalubridade da água.
   O amor e a fé fervorosa , que não cega mas racionada dentro dos valores do bom senso são sempre luz nos corações necessitados...ninguém imagina o oder curativo, duma prece...
    Quando fazemos uma prece, não podemos sentir-nos abafados pela aquilo que ela transporta , mas a leveza do amor sincero e da v profunda de que ela tome a direção desejada, não são palavras apenas proferidas ou balbucionadas  só porque naquele momento necessitados, a melhor prece são os nossos atos, a ligação se fara com mais fiabilidade e conforme o merecimento,e aqui , entendo que nenhum companheiro nega uma ressalva de apoio por muito mau que sejamos...Exsite sempre um balsamo , no minimo para nos amparar, porque a partir dai, teremos que ser nós a seguir o rumo conciso da verdade, caminho e vida , atraves dos valores Cristicos...

Muita paz e harmonia

Entrar em Prece


Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

          Sempre que possível, luariza-te com a oração.

          Faze espaços mentais e busca as Fontes da Vida, onde haurirás energias puras e paz.

          Todos os santos e místicos que alteraram o rumo moral da Humanidade para melhor, no Oriente como no Ocidente, são unânimes em aconselhar a prece como o recurso mais eficaz para preservar-se ou conquistar-se a harmonia íntima.

          Jesus mantinha a convivência amiga com os discípulos e o povo, no entanto, reservava momentos para conversar com Deus através da oração, exaltando a excelência desses colóquios sublimes.

          Sai, portanto, do turbilhão em que te encontras mergulhado e segue no rumo do oásis da prece para te refazeres e te banhares de paz.


[/color]

VICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 06 de Agosto de 2009, 12:51
Paz plena... Selma, um grande e fraternal abraço.
Citar
Há cerca de um mês no Rio de Janeiro, uma menina de 13 anos morreu no dia de seu aniversário, após comprar seu presente, atingida por uma bala perdida disparada durante uma briga entre bandidos e policiais.
A mãe da menina entrou em desespero e na frente do hospital disse" Meus Deus, não deixa ela morrer, devolve ela para mim." Infelizmente a menina morreu no mesmo dia e na mesma hora. Isso me aborreceu profundamente. Apesar de ter grande fé em Deus, nas preces e no Espiritismo, um profundo vazio tomou conta de mim.
Sei que estamos nesse planeta para cumprir os desígnios de Deus. Mas confesso que a prece desesperada da mãe e a morte da menina me impressionaram de maneira especial.
Aqui eu me calo e penso naqueles ensinamentos de JESUS: "É necessáro que venham os escândalos, mas aí daquele por quem vem o escândalo".
E também busco nesse versículo: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" (João 8,32), a compreensão, que me veio por intermédio da Doutrina Espírita, que conheci a partir de Março de 1981.  
O acaso não existe, então para tudo tem que haver uma razão lógica e racional.
Minha mãe desencarnou em 1948 e deixou 11 filhos vivos. Eu tinha apenas 3 anos e 2 meses e tenho um irmão que é 1 ano e 5 meses mais novo do que eu. Isso nunca foi algo bom e perfeito, então nunca foi divino.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 06 de Agosto de 2009, 13:28
Ola muita paz e harmonia
Amiga Rosario

  Não deve ficar assim, pois se nós pudeessmos salvar todos que pedimos ajuda, seria também uma amalgama para a existencia, porque se existe,
fome ,mais haveria,
 porque se existe egoismo, mais existiria,
se existe guerra,mais haveria,
se incompreensão mais haveria.....Sabe é que o seu trabalho foi feito, deu de si com amor, para ajudar , e a importãncia esta ai, conquistou concerteza mais uma amparo do outro lado, mais um ago, ou amiga....
"Dar de graça o que de graça temos ", sempre nos faz demonstrar o valor do "Ajuda-te e o ceu te ajudara"....

Não se sinta portanto assim, mas sinta que cumpriu de sua parte...E que lhe irá ser adicionado aos bons prestimos da vida que por aqui passa...

Muita paz beijo em sua alma

Veja este texto...

COMO CONSERTAR O MUNDO



          Um cientista vivia preocupado com os problemas do mundo e estava resolvido a encontrar meios de minorá-los. Passava dias em seu laboratório em busca de respostas para suas dúvidas.

          Certo dia, seu filho de sete anos invadiu o seu santuário decido a ajudá-lo a trabalhar.

          O cientista, nervoso pela interrupção, tentou fazer com que o filho fosse brincar em outro lugar. Vendo que seria impossível removê-lo, o pai procurou algo que pudesse ser oferecido ao filho com o objetivo de distrair sua atenção.

          De repente deparou-se com o mapa do mundo, o que procurava! Com auxílio de uma tesoura, recortou o mapa em vários pedaços, e junto com um rolo de fita adesiva, o entregou ao filho dizendo:

          -Você gosta de quebra cabeça? Então vou lhe dar o mundo para consetar. Aqui está o mundo todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho! Faça tudo sozinho.

          Calculou que a criança levaria dias para rcompor o mapa.

          Algumas horas depois, ouviu a voz do filho que o chamava calmamente:

          -Pai, já fiz tudo. Consegui terminar tudinho.

          No princípio o pai não deu crédito às palavras do filho.

          Seria possível na sua idade ter conseguido recompor o mapa que jamais tinha vista. Relutante, o cientista levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança. Para sua surpresa o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colados nos devidos lugares.

          Como seria possível? Como o menino havia sido capaz? -Você não sabia como era o mundo, meu filho, como consegui? -Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel da revista para recortar, eu vi que do outro lado havia uma figura de um homem. Quando voce me deu o mundo para consertar, eu tenti mas não consegui. Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem que eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo.

"Gilberto"
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 06 de Agosto de 2009, 15:32
Paz plena... Victor Passos, um grande e fraternal abraço.
Eu cometi um pequeno erro na minha postagem anterior, pois escrevi:"deixei" ao invés de "deixou" e isso pode lhe ter levado a uma compreensão não correto do que disse.
Eu sou um dos 9 filhos homens que a minha mãe deixou aqui e tenho duas irmãs, então éramos 11 ao todo, que ficaram aqui, após a desencarnação de minha mãe em 1948 e eu tinha apenas 3 anos e 2 meses de vida.
Em Janeiro de 1980, aceitei a reencarnação como verdade e passei a ser um perscrutador e divulgar da VERDADE, que liberta. Só passei a entender bem o meu processo e até a Bíblia após conhecer a Doutrina Espírita a partir de Março de 1981.

A partir de 1986 passei a defender um Estado de Paz Plena no Planeta Terra, mas isso só será compreendido por quem conseguiu entender bem a VERDADE, que liberta (João 8,32), então passei também a ser um defensor e divulgador da VERDADE. E é isso que estou fazendo nesse Fórum Espírita.
No dia 12/01/1980, quando estava dentro da Clínica Pinel e para onde fui levado em função do início público das minhas vivências mediúnicas, recebi uma orientação do plano astral de que havia um prazo de 20 anos.
 
Agora digo que não entendi bem a sua observação para com o que postei, pois disse o que disse em função do que escreveu a nossa amiga Selma:
Citar
Sei que estamos nesse planeta para cumprir os desígnios de Deus. Mas confesso que a prece desesperada da mãe e a morte da menina me impressionaram de maneira especial.
Veja bem o que eu escrevi já com a correção do verbo para "deixou":
Citar
Aqui eu me calo e penso naqueles ensinamentos de JESUS: "É necessáro que venham os escândalos, mas aí daquele por quem vem o escândalo".
E também busco nesse versículo: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" (João 8,32), a compreensão, que me veio por intermédio da Doutrina Espírita, que conheci a partir de Março de 1981.  
O acaso não existe, então para tudo tem que haver uma razão lógica e racional.
Minha mãe desencarnou em 1948 e deixou 11 filhos vivos. Eu tinha apenas 3 anos e 2 meses e tenho um irmão que é 1 ano e 5 meses mais novo do que eu. Isso nunca foi algo bom e perfeito, então nunca foi divino.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 06 de Agosto de 2009, 17:20
Belo relato Nelson Castro que nos trouxeste, e que mais uma vez nos demonstra que nada sabemos sobre as razões de tudo o que nos acontece, daí que o melhor é aceitarmos tudo com confiança e harmonia interior.

Dizia Pascal que o coração tem razões que a própria razão desconhece, prossupondo que os sentimentos assentariam em premissas que os seres não tinham acesso.

Estes exemplos de vida, anteriormente narrados, podem ser bons motivos para reflexão de como por vezes nos enganamos ao julgar que esta pessoa é infeliz, que aquele sofre, etc...
Nós pouco sabemos de nós, como podemos saber dos outros...

A mãe que chora aflita em desespero porque a filha sofreu um acidente, não sabe se não é por causa deste acidente que ela será feliz.

E há medida que tentamos apreender em que consiste a prece,mais ficamos cientes que o sentimento que a antecede só pode ser de aceitação. Concordam?
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 06 de Agosto de 2009, 17:33
A base de toda questão é o Desejo contido nas rogativas, diante da Lei. Sabemos que o merecimento justo disponibiliza não apenas as energias do pensamento de quem emite, mas também pode mobilizar outras inteligências a serviço e socorro deste pedido.

nelsonmt... a meu ver, o seu pensamento responde e resume tudo a o que temos dito!


          Amigos , toda a prece quando sentida , e com ligação sincera e humilde, toca sempre todos aqueles que nos envolvem, e nos amam, mesmo aqueles que sendo refratarios a sentem, pois ela tem uma força enorme.

Victor...assim sendo a prece é muito mais que uma expressão da alma que se eleva e pede consolo, ela contagia, pelo pensamento e pela vontade, todos os que são atingidos pelas suas vibrações. Não é?   
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 06 de Agosto de 2009, 17:42
Minha mãe desencarnou em 1948 e deixou 11 filhos vivos. Eu tinha apenas 3 anos e 2 meses e tenho um irmão que é 1 ano e 5 meses mais novo do que eu. Isso nunca foi algo bom e perfeito, então nunca foi divino.

Caro Rosário...tudo o que vem de Deus é Bom e perfeito, mesmo que aparentemente não compreendamos as suas causas...

Certamente a vida que teve, enfrentando as responsabilidades de um lar numeroso onde faltou a progenitora querida ainda cedo, tiveram por trás razões que mais tarde entenderá serem as mais desejáveis para o progresso moral e espiritual de toda a família.

Mas continuemos com a prece... deixando aqui um trecho de Léon Dénis:

Se meditarmos em assuntos elevados, na sabedoria, no dever, no sacrifício, o nosso ser impregna-se,pouco a pouco, das qualidades do nosso pensamento. É por isso que a prece improvisada, ardente, o impulso da alma para as potências infinitas, tem tanta virtude.

Nesse diálogo solene do Ser com sua causa, o influxo do Alto invade-nos e desperta os sentimentos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 06 de Agosto de 2009, 18:15

Olá caros amigos...

A educação doutrinária é extremamente importante, penso que todos os Pais devem incentivar seus filhos, a confiarem e a acreditar na existência de Deus desde a mais tenra idade, pois os ensinamentos de Jesus transcritos pela inspiração de homens a mais de 2000 mil anos atrás, continuam sem margem para dúvidas muito actualizados na actualidade, pois é inquestionável a sua enorme fonte de sabedoria, para o nosso bem-estar, assim como na resposta para muitas das nossas incertezas e amparo nos momentos mais constrangedores. A oração é por tanto, um elo que nos une ao Criador e consequentemente o alicerce para a edificação de uma vida mais saudável em todos os aspectos…
Abraços fraternos...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Giocardi em 06 de Agosto de 2009, 19:46
Olá,
Acho interessante este tema, visto que muita gente sente-se confusa,não sabendo como se dirigir a Deus(muitas vezes sinto-me assim também).
Mas,gosto de escolher uma hora em particular para estar a sós com Ele e colocar todas as minhas questões e agradecimentos, depois fico em silêncio meditativo e sinto a paz descer sobre mim.Jesus não disse para "meditai e orai a toda a hora."?
Durante o dia converso com Ele através dos meus guias,obtenho sempre, respostas quando tenho dúvidas;amor quando me sinto desamada;perdão quando me sinto culpada;força quando me sinto fraca;faz-me ver o sofrimento dos outros quando sinto pena de mim mesma.

Com Amor
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nifertari em 06 de Agosto de 2009, 20:06
Olá Pessoal!
Gostaria de saber se quando oramos os espíritos guardiões estão ali ao nosso lado nos escutado, digamos, eles seriam um emissário de Deus, tanto para nos acalmar nos momento de aflição e também nos sugerir através de pensamentos os melhores caminhos para resolver determinado problemas que nos surgem?
Obrigado pessoal fique com Deus, muita luz.
Nifertari
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 06 de Agosto de 2009, 21:11
Olá amiga
Olá Pessoal!
Gostaria de saber se quando oramos os espíritos guardiões estão ali ao nosso lado nos escutado, digamos, eles seriam um emissário de Deus, tanto para nos acalmar nos momento de aflição e também nos sugerir através de pensamentos os melhores caminhos para resolver determinado problemas que nos surgem?
Obrigado pessoal fique com Deus, muita luz.
Nifertari

Sem dúvida alguma, que quando oramos e pedimos orientação ao nosso “anjo da guarda”, ele esta presente, acontece que muitas das vezes não estamos preparados para saber interpretar seus conselhos, orientação, ajuda etc. … Ele é um ser espiritual  que pertence a uma ordem elevada! Ele nos acompanha antes do nosso nascimento e muitas das vezes após o nosso desencarne, ele tem a missão de como um pai para um filho…
Abraço fraterno
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 06 de Agosto de 2009, 22:03
Ola Amiga Rosario
Muita paz

  Paz em seu coração, sem inequescências, Amiga, talvez palavras mneos percebidas, no entanto todos somos herdeiros do Pai;

Herdeiro de Deus


          Considerando-se a tua ascendência divina, já te deste conta de que és herdeiro de Deus?

          Ele criou o Universo e a vida, enriqueceu a Sua Obra de sabedoria e beleza, colocando-te, por amor, como parte integrante dessas maravilhas e facultando-te fruí-las todas.

          Por direito natural possuis tudo que é dele, bastando somente que desenvolvas os dons em ti latentes, a fim de que possas desfrutar de toda essa opulência e grandeza.

          Amado por Deus, és também herdeiro das idéias sublimes, que te proporcionam conquistar espaços, penetrar o mecanismo da vida e decifrar os enigmas desafiadores que te aguardam.

          O teu dever é fazeres-te receptivo ao pensamento divino em tudo e em todos presente, de modo a captá-lo e pô-lo em ação à medida que o conquistes.

          Dispões de todos os bens e poderes, que estão ao teu alcance. Todavia, são importantes, senão imprescindíveis para lográ-los, a confiança e a fé, bem como o esforço para desdobrares as capacidades adormecidas em ti, mediante as quais saberás usar esses tesouros com edificação e integridade.

          Tudo que te falte, não é valioso, porquanto o essencial à vida é a sabedoria para conduzi-la, a fim de conseguires, não apenas coisas, senão lograres a plenitude e a abundância que o teu direito de herdeiro põe à tua disposição.

          Se permaneces na infância espiritual não podes usufruir, por não saberes utilizar, de todos os bens; todavia, se adquires a maioridade, irás utilizando-te e felicitando-te com todos os tesouros da Criação, como filho de Deus, portanto, Seu herdeiro ditoso.


Livro: Filho de Deus
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Muita paz e harmonia

VICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 06 de Agosto de 2009, 22:08
OLa Amiga Gi
Muita paz e harmonia

   Sabe minha boa Amiga , cada vez que entro neste estudo sinto uma paz enorme, sinal, que o amor se faz presente e as ondas fluidicas são bem generosas...
 
Citar
Victor...assim sendo a prece é muito mais que uma expressão da alma que se eleva e pede consolo, ela contagia, pelo pensamento e pela vontade, todos os que são atingidos pelas suas vibrações. Não é? 
[/font][/color]

  Sim minha boa Amiga bem explikcado por si...é uma força maior que contagia e nos faz sentir como me sinto neste topico..parabens..que beleza...

VICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 06 de Agosto de 2009, 22:14
Ola Amigo (a) NIfertari
muita paz

       
Citar
Gostaria de saber se quando oramos os espíritos guardiões estão ali ao nosso lado nos escutado, digamos, eles seriam um emissário de Deus, tanto para nos acalmar nos momento de aflição e também nos sugerir através de pensamentos os melhores caminhos para resolver determinado problemas que nos surgem?

     Os Anjos guardiões sempre que estamos em sintonia com o bem, sendo pensamentos atos, e sentimentos, estão de contento junto de nós e felizes, principalmente se pedimos por aqueles que ninguém se lembra, por aqueles que por inerencia no mal são nosso algozes, mas acima de tudo se comparazem com nosso amor pelo próximo, bem como o pai e todos os bons Espiritos...Claro que alem de emissários serão sempre luzes no nosso pensamento...

Anjos Guardiães

Livro: Momentos Enriquecedores
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

          Os anjos guardiães são embaixadores de Deus, mantendo acesa a chama da fé nos corações e auxiliando os enfraquecidos na luta terrestre.

          Quais estrelas formosas, iluminam as noites das almas e atendem-lhes as necessidades com unção e devotamento inigualáveis.

          Perseveram ao lado dos seus tutelados em toda circunstância, jamais se impacientando ou os abandonando, mesmo quando eles, em desequilíbrio, vociferam e atiram-se aos despenhadeiros da alucinação.

          Vigilantes, utilizam-se de cada ensejo para instruir e educar, orientando com segurança na marcha de ascensão.

          Envolvem os pupilos em ternura incomum, mas não anuem com seus erros, admoestando com severidade quando necessário, a fim de lhes criarem hábitos saudáveis e conduta moral correta.

          São sábios e evoluídos, encontrando-se em perfeita sintonia com o pensamento divino, que buscam transmitir, de modo que as criaturas se integrem psiquicamente na harmonia geral que vige no Cosmo.

          Trabalham infatigavelmente pelo Bem, no qual confiam com absoluta fidelidade, infundindo coragem àqueles que protegem, mantendo a assistência em qualquer circunstância, na glória ou no fracasso, nos momentos de elevação moral e naqueloutros de perturbação e vulgaridade.

          Nunca censuram, porque a sua é a missão de edificar as almas no amor, preservando o livre-arbítrio de cada uma, levantando-as após a queda, e permanecendo leais até que alcancem a meta da sua evolução.

          Os anjos guardiães são lições vivas de amor, que nunca se cansam, porquanto aplicam milênios do tempo terrestre auxiliando aqueles que lhes são confiados, sem se imporem nem lhes entorpecerem a liberdade de escolha.

          Constituem a casta dos Espíritos Nobres que cooperam para o progresso da humanidade e da Terra, trabalhando com afinco para alcançar as metas que anelam.

          Cada criatura, no mundo, encontra-se vinculada a um anjo guardião, em quem pode e deve buscar inspiração, auscultando-o e deixando-se por ele conduzir em nome da Consciência Cósmica.

          Tem cuidado para que te não afastes psiquicamente do teu anjo guardião.

          Ele jamais se aparta do seu protegido, mas este, por presunção ou ignorância, rompe os laços de ligação emocional e mental, debandando da rota libertadora.

          Quando erres e experimentes a solidão, refaze o passo e busca-o pelo pensamento em oração, partindo de imediato para a ação edificante.

          Quando alcances as cumeadas do êxito, recorda-o, feliz com o teu sucesso, no entanto preservando-te do orgulho, dos perigos das facilidades terrestres.

          Na enfermidade, procura ouvi-lo interiormente sugerindo-te bom ânimo e equilíbrio.

          Na saúde, mantém o intercâmbio, canalizando tuas forças para as atividades enobrecedoras.

          Muitas vezes sentirás a tentação de desvairar, mudando de rumo. Mantém-te atento e supera a maléfica inspiração.

          O teu anjo guardião não poderá impedir que os Espíritos perturbadores se acerquem de ti, especialmente se atraídos pelos teus pensamentos e atos, em razão do teu passado, ou invejando as tuas realizações... Todavia te induzirão ao amor, a fim de que te eleves e os ajudes, afastando-os do mal em que se comprazem.

          O teu anjo guardião é o teu mestre e amigo mais próximo.

          Imana-te a ele.

          Entre eles, os anjos guardiães e Deus, encontra-se Jesus, o Guia perfeito da humanidade.

          Medita nas Suas lições e busca seguir-Lhe as diretrizes, a fim de que o teu anjo guardião te conduza ao aprisco que Jesus levará ao Pai Amoroso.



Muita paz e harmonia em seu coração

VICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 06 de Agosto de 2009, 23:12
Querido Victor Passos...a proposito do seu sentir sereno... faço um breve parentisis no estudo, e vou partilhar consigo e com os restantes companheiros o porquê da escolha do tema.

Eu havia preparado um tema de o Livros dos Espíritos, mas ao estudá-lo, duvidas assaltaram-me em como haveria de orientá-lo sem provocar discussões inúteis.

Nas minhas orações pedi inspiração, sobre qual o caminho a seguir, pois não sentia  vontade para dar seguimento aquela minha ideia inicial. E eis que surge na mente a seguinte mensagem:

nestes momentos conturbados que se vivem, não há melhor estudo que o da Prece...ele une as pessoas ao invés de afastá-las, ele traz à tona o melhor que cada um tem dentro de si, ele prepara o homem novo para todas as dificuldades vindouras...e além disso, propiciará um pensamento de sintonia num Bem maior e Universal.

E por isso aqui estamos...porque Deus assim quis.

nifertari penso que os amigos Nelson e Victor já ajudaram na sua dúvida... mas vejamos o que nos diz O Livro dos Espíritos

666. Pode-se orar aos Espíritos?

“Pode-se orar aos bons Espíritos, como sendo os mensageiros de Deus e os
executores de Suas vontades. O poder deles, porém, está em relação com a superioridade
que tenham alcançado e dimana sempre do Senhor de todas as coisas, sem cuja permissão
nada se faz. Eis por que as preces que se lhes dirigem só são eficazes, se bem aceitas por
Deus.”


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 06 de Agosto de 2009, 23:37
Ola Amiga Gi
Muita paz

Oração

          A oração é divino movimento do espelho de nossa alma no rumo da Esfera Superior, para refletir-lhe a grandeza.

          Reportamo-nos aqui ao apelo vivo do espírito às Potências Celestes, quer vestido na fórmula verbal, quer absolutamente sem ela, na silenciosa mensagem da vibração.

          Imaginemos a face de um espelho voltada para o Sol, desviando-lhe O fulgor na direção do abismo.

          Esta, na essência, é a função da prece, buscando o Amor Divino para concentrar-lhe a claridade sobre os vales da ignorância e do sofrimento, da miséria e do ódio, que ainda se estendem no mundo.

          Graduada, desde o mais simples desejo, a exteriorizar-se dos mais ínfimos seres, até a exaltação divina dos anjos, nada se faz na Terra sem o impulso da aspiração que orienta o passo de todas as criaturas...

          No corpo ciclópico do Planeta, a oração é o movimento que o mantém na tela cósmica; no oceano, é o fenômeno da maré, pelo qual as águas aspiram ao grande equilíbrio. Na planta, é a chamada fototaxia ou anseio com que o vegetal se levanta para a luz, incorporando-lhe os princípios; no animal, é o instinto de curiosidade e indagação que lhe alicerçam as primeiras conquistas da inteligência, tanto quanto, no homem comum, éa concentração natural, antes de qualquer edificação no caminho humano.

          O professor planeando o ensinamento e o médico a ensimesmar-se no estudo para sanar determinada moléstia, o administrador programando a execução desse ou daquele serviço, e o engenheiro engolfado na confecção de uma planta para certa obra, estão usando os processos da oração, refletindo na própria mente os propósitos da educação e da ciência de curar, da legislação e do progresso, que fluem do plano invisível, à feição de imagens abstratas, antes de se revelarem substancialmente ao mundo.

          Orar é identificar-se com a maior fonte de poder de todo o Universo, absorvendo-lhe as reservas e retratando as leis da renovação permanente que governam os funda­mentos da vida.

          A prece impulsiona as recônditas energias do coração, libertando-as com as imagens de nosso desejo, por intermédio da força viva e plasticizante do pensamento, imagens essas que, ascendendo às Esferas Superiores, tocam as inteligências visíveis ou invisíveis que nos rodeiam, pelas quais co­mumente recebemos as respostas do Plano Divino, porqüanto o Pai Todo-Bondoso se manifesta igualmente pelos filhos que se fazem bons.

          A vontade que ora, tange o coração que sente, produzindo reflexos iluminativos através dos quais o espírito recolhe em silêncio, sob a forma de inspiração e socorro íntimo, o influxo dos Mensageiros Divinos que lhe presidem o território evolutivo, a lhe renovarem a emoção e a idéia, com que se lhe aperfeiçoa a existência.

          Dispomos na oração do mais alto sistema de intercâmbio entre a Terra e o Céu.

          Pelo divino circuito da prece, a criatura pede o amparo do Criador e o Criador res­ponde à criatura pelo princípio inelutável da reflexão espiritual, estendendo-lhe os Braços Eternos, a fim de que ela se erga dos vales da vida fragmentária para os cimos da Vida Vitoriosa.

Livro: Pensamento e Vida - 26
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 07 de Agosto de 2009, 00:59
Paz plena... Gigi Bigskirt, um grande e fraternal abraço.
Citar
Caro Rosário...tudo o que vem de Deus é Bom e perfeito, mesmo que aparentemente não compreendamos as suas causas...

Certamente a vida que teve, enfrentando as responsabilidades de um lar numeroso onde faltou a progenitora querida ainda cedo, tiveram por trás razões que mais tarde entenderá serem as mais desejáveis para o progresso moral e espiritual de toda a família.
Esclarecendo digo que eu fui um dos filhos mais novos, o vice caçula, então que teve o maior drama foi o meu pai, que ficou com 11 filhos para tomar conta, sendo que 6 deles tinham menos de 10 anos. Isso nunca foi resultado de ação divina. 
Até 1980 eu pensava que tudo realmente vinha de Deus, mas quando comecei a viver intensamente os fenômenos mediúnicos em Janeiro de 1980 e a estudar a Doutrina Espírita pude entender que aprendemos muitas coisas erradas sobre Deus.
Deus dirige tudo sim, mas sempre respeita em plenitude a liberdade de todos, até daqueles que enganam e agem contra o Projeto Perfeito de Deus, onde todos irão ser perfeitos.
Agora muitos acontecimentos, que causam dores a um ou mais ser, nunca vieram de Deus, mas de espírito encarnados ou desencarnados, que agem em causa própria ou em função do grupo deles. Esses espíritos podem fazer muito mal aos seres vivos ou a outros espíritos e por ignorância, os sofredores ficam pensando que tudo vem de Deus.   
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 07 de Agosto de 2009, 01:21
Paz plena... Victor Passos, um grande e fraternal abraço.
Que a LUZ do esclarecimento posso nos ajudar a entender um pouco mais a obra perfeita de Deus.
O termo herdeiro do Pai não é adequado para falar do processo da criação, pois só se herda alguma coisa, quando o Pai já não está no nosso meio e Deus nunca nos deixará orfãos.  
Citar
Ola Amiga Rosario
Muita paz

  Paz em seu coração, sem inequuesc~encias, Amiga, talvez palvras mneos percebidas, no entanto todos somos herdeiros do Pai;
Volto a dizer, sou seu amigo e não amiga.
Veja essa mensagem que já escrevi há alguns anos atrás:
MENSAGEM DE PAZ E LIBERDADE
Eu quero que todos sintam
O que agora estou sentindo:
Paz plena no meu interior.
Quero que também o exterior
Sinta o que está no meu interior.
Quero que sinta cada ser,
O que está sentindo o meu ser,
Pois tenho o coração pleno de amor.
Só com muito amor, seremos um libertador
De toda forma de sofrimento e dor.
Quero trazer para a terra o céu,
Que todos buscam no futuro infinito.
Já vivo o céu aqui agora no finito.
Céu não é um lugar oculto no infinito,
Mas céu é um estado de espírito, vivido no presente.
Jesus já nos ensinou, dando-nos um grande presente,
E com muito amor já até nos perdoou:
“Que o Reino de Deus está dentro de nós”.
Só descobrimos essa verdade,
Após conhecermos a plena verdade
E com o coração pleno de amor,
Desejando a todos muita paz e liberdade.
Só teremos liberdade,
Quando cada um encontrar a sua verdade
 E temos que respeitar a liberdade
De cada ser e com muita sinceridade.
Assim seremos realmente o libertador
De tudo aquilo que nos causa medo e dor.
O grande e eterno libertador é DEUS.
Eu sou um enviado do meu Deus,
Para que cada um encontre dentro de si,
Aquilo que deseja fora de si:
Paz, amor e luz para todos; esse é o desejo meu
E também revelo que é o desejo do Deus meu.
Cada um deve encontrar este meu Deus
E divulgá-lo entre os amigos seus.
Assim transformaremos esta terra
Em céus e cada um terá a sua terra
Para viver em paz e abundância a vida.
Vida plena de amor, de paz e de DEUS.
“Felizes os puros de coração, porque verão a DEUS”.
R.A.R., ex-professor da UFMG. Belo Horizonte, (11/04/1998).
 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Jorge em 07 de Agosto de 2009, 10:52
Querida amiga Gi,

Permite-me que possa colocar aqui o link para podermos assistir a uma palestra do nosso querido amigo Divaldo Pereira Franco, palestra essa que se intitula:

Divaldo P. Franco - Evangelho e Vida - O Poder da Oração

Então aí vaí:

http://universoespirita.multiply.com/reviews/item/148 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3VuaXZlcnNvZXNwaXJpdGEubXVsdGlwbHkuY29tL3Jldmlld3MvaXRlbS8xNDg=)

------------------------------------------

Com carinho,
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: clemente silva em 07 de Agosto de 2009, 14:38
 :-* A prece é o falar com o coração, mais doar que pedir, mais sentir que raciocinar, é a aceitação e a submissão ao poder divino em seus designios supremos, mesmo que não consigamos entende-los, por nossa incapacidade de sentir sem questionar, de tudo querer explicar,quando ainda não conseguimos explicar a nos mesmos.
muita paz a todos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 07 de Agosto de 2009, 15:20
:-* A prece é o falar com o coração, mais doar que pedir, mais sentir que raciocinar, é a aceitação e a submissão ao poder divino em seus designios supremos, mesmo que não consigamos entende-los, por nossa incapacidade de sentir sem questionar, de tudo querer explicar,quando ainda não conseguimos explicar a nos mesmos.
muita paz a todos.


Olá amigo Clemente Silva, concordo com tudo o que disse; mas gostaria de acrescentar que caminhamos na direcção onde o destino é o “conhecimento”, que cada vez mais é extenso.
    O que outrora desconhecíamos, com base no estudo, partilhas de ideias, conversando com os que muitos sabem, ouvindo os que pouco sabem; mas que nos podem inspirar ideias e até mesmo bons conhecimentos, pois todo o ser humano é dotado de instinto e inspiração! Acrescentemos a experiencia adquirida através do processo de reencarnação, no qual cada vez mais observamos crianças de tenra idade, dotadas de uma inteligência acentuada… A oração é um momento que nos propicia a meu modo de ver essa dita inspiração.
Abraços fraternos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 07 de Agosto de 2009, 15:26
Ola Amigo Rosario
Muita paz


  Desta vez não enganei...
   Penso que é uma questão de interpretação, porque nós podemos herdar em vida ...ou não...!!!???

  O amor é a solicitude a todo crescimento, no entanto, estamos ainda na fase em que pedimos muito e damos pouco...


Oração e Renovação


                "Holocaustos e oblações pelo pecado não te agradaram." - PAULO. (HEBREUS, 10:6.)

          É certo que todo trabalho sincero de adoração espiritual nos levanta a alma, elevando-nos os sentimentos.

          A súplica, no remorso, traz-nos a bênção das lágrimas consoladoras. A rogativa na aflição dá-nos a conhecer a deficiência própria, ajudando-nos a descobrir o valor da humildade. A solicitação na dor revela-nos a fonte sagrada da Inesgotável Misericórdia.

          A oração refrigera, alivia, exalta, esclarece, eleva, mas, sobretudo, afeiçoa o coração ao serviço divino. Não olvidemos, porém, de que os atos íntimos e profundos da fé são necessários e úteis a nós próprios.

          Na essência, não é o Senhor quem necessita de nossas manifestações votivas, mas somos nós mesmos que devemos aproveitar a sublime possibilidade da repetição, aprendendo com a sabedoria da vida.

          Jesus espera por nossa renovação espiritual, acima de tudo.

          Se erraste, é preciso procurar a porta da retificação.

          Se ofendeste a alguém, corrige-te na devida reconciliação.

          Se te desviaste da senda reta, volta ao caminho direito.

          Se te perturbaste, harmoniza-te de novo.

          Se abrigaste a revolta, recupera a disciplina de ti mesmo.

          Em qualquer posição de desequilíbrio, lembra-te de que a prece pode trazer-te sugestões divinas, ampliar-te a visão espiritual e proporcionar-te consolações abundantes; todavia, para o Senhor não bastam as posições convencionais ou verbalistas.

          O Mestre confere-nos a Dádiva e pede-nos a iniciativa.

          Nos teus dias de luta, portanto, faze os votos e promessas que forem de teu agrado e proveito, mas não te esqueças da ação e da renovação aproveitáveis na obra divina do mundo e sumamente agradáveis aos olhos do Senhor.

Livro: Vinha de Luz
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Magge em 07 de Agosto de 2009, 20:31
A prece é nossa ligação direta com Deus.
O remédio eficaz para nossas aflições.
A resposta do Alto para nossas necessidades, mesmo que nem sempre seja aquela que esperamos. Não dispensemos recurso tão valioso!
Magge 07/08/2009
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: pattyanato em 07 de Agosto de 2009, 23:10
OLÁ
SEMPRE EM MINHAS ORAÇÕES SENTIA QUE NÃO CONSEGUIA UMA SINTONIA COM DEUS. ORAVA APENAS A NOITE ANTES DE DORMIR E  ACABAVA ADORMECENDO OU FALANDO PALAVRAS AUTOMÁTICAS AS QUAIS (MUITAS VEZES PELO CANÇASO) NEM CONSEGUIA ME LEMBRAR.
UM DIA HAVIA COLOCADO MINHA FILHA DE 7 ANOS PARA DORMIR DEI UM BEIJO E DISSE :BOA NOITE NÃO ESQUEÇA DE ORAR. ELA ENTÃO ME PEDIU PARA FICAR AO SEU LADO PARA ORARMOS JUNTAS
E VI COM LÁGRIMAS NOS OLHOS AQUELA CRIANÇA FALANDO DIRETAMENTE COM O CORAÇÃO COM SUAS PALAVRINHAS SIMPLES CONSEGUINDO EXPRESSAR TUDO O QUE SENTIA, E NÃO PEDIU NADA SÓ AGRADECEU A DEUS POR TUDO QUE ELA TEM.
A PARTIR DESSE DIA APRENDI O VERDADEIRO SIGNIFICADO DA ORAÇÃO.
FIQUEM COM DEUS,
MUITA PAZ.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Regina Prins em 07 de Agosto de 2009, 23:56
BREVES REFLEXÕES SOBRE A EFICÁCIA DA PRECE



"A mediunidade curadora não vem suplantar a medicinae os médicos; vem simplesmente provar que há coisas que eles não sabem e os convidar para estudá-las; que a natureza tem recursos que eles ignoram; que o elemento espiritual que elesdesconhecem, não é uma quimera, e que, quando o levarem emconta abrirão novos horizontes à ciência e terão mais êxitos do que agora".

(1) Existem pesquisas sobre os efeitos da prece na saúde das pessoas. Uma delas foi realizada pelo Laboratório de Imunologia Celular da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília, com a participação ativa de mais de cinqüenta e dois estudantes de medicina durante o período de 2000 a 2003. A pesquisa, segundo divulgação no final de outubro, nos principais jornais do País, apresentou resultados positivos que se materializam no aumento da estabilidade celular dos indivíduos que receberam a prece.De acordo com o estudo em foco um dos principais mecanismos de defesa do organismo - a fagocitose(*) - pode ter a função estabilizada com preces feitas à distância. "Na análise dos cinqüenta e dois voluntários, a cada semana, uma dupla fornecia amostras de sangue e respondia a um questionário sobre estresse. Encaminhava-se uma foto do voluntário, identificada apenas pelo nome, a um grupo de dez religiosos de diferentes credos, que, por uma semana, faziam preces para aquela pessoa. Coordenada pelo professor de imunologia Carlos Eduardo Tosta, a pesquisa demorou três anos para ser concluída.

(2) A prece atua sobre indivíduos sadios, influenciando o sistema imunológico, segundo estudo pioneiro realizado no ano de 1988, no Hospital Geral de São Francisco, na Califórnia. Nesse hospital "foi possível comprovar que os pacientes que receberam preces apresentaram significativas melhoras, necessitando inclusive de menor quantidade de medicamentos".

(3) Para nós, espíritas, ela se reveste de características especiais, pois "a par da medicação ordinária, elaborada pela Ciência, o magnetismo nos dá a conhecer o poder da ação fluídica e o Espiritismo nos revela outra força poderosa na mediunidade curadora e a influência da prece"

(4) Allan Kardec, ao emitir seus comentários na questão 662 de O Livro dos Espíritos, afirma que "o pensamento e a vontade representam em nós um poder de ação que alcança muito além dos limites da nossa esfera corporal".

(5) A rigor "a eletricidade é energia dinâmica; o magnetismo é energia estática; o pensamento é força eletromagnética"

(6) .Considerando-se a propriedade do fluido magnético para que nos influenciemos mutuamente, e "reconhecendo-se a capacidade do fluido magnético para que as criaturas se influenciem reciprocamente, com muito mais amplitude e eficiência atuará ele sobre as entidades celulares do Estado Orgânico - particularmente as sanguíneas e as histiocitárias -, determinando-lhes o nível satisfatório, a migração ou a extrema mobilidade, a fabricação de anticorpos ou, ainda, a improvisação de outros recursos combativos e imunológicos, na defesa contra as invasões bacterianas e na redução ou extinção dos processos patogênicos (...)" Muito se tem dito a respeito da prece, mas muito pouco ainda conhecemos do seu mecanismo de funcionamento. Por isso mesmo, pouco a valorizamos, e por vezes até a esquecemos. É até um procedimento compreensível, uma vez que o Espiritismo é uma Doutrina relativamente jovem com aproximadamente 150 anos, e a análise de seus aspectos científicos requer conhecimentos básicos, sem os quais não entenderíamos as suas explicações, precisaríamos então ter noções de física, ciências, biologia, fluidos, magnetismo, eletromagnetismo, eletricidade, telecomunicações, etc. Mas, uma coisa é clara, a prece não pode mudar a natureza das provas pelas quais o homem tem que passar, ou até mesmo desviar-lhe seu curso, e isto porque elas estão nas mãos de Deus e há as que devem ser suportadas até o fim, mas Deus leva sempre em conta a resignação. Muitas vezes surgem aqueles que contestam a eficácia da prece, alegando que, pelo fato de Deus conhecer as necessidades humanas, torna-se dispensável o ato de orar, pois sendo o Universo regido por leis sábias e eternas, as súplicas jamais poderão alterar os desígnios do Criador. No entanto, não pode perder de mira a assertiva do Mestre "O que quer que seja que pedirdes na prece crede que obtereis, e vos será concedido".

(7)Embora as preces que fazemos não irão desviar-nos de nossos problemas e desilusões, elas são um bálsamo reconfortante para a nossa alma enfermiça, pois faz-nos penetrar em estados de suave sossego e gozos que somente aquele que ora é capaz de decifrar. Tem, assim, a prece o inefável dom de dar-nos forças para suportarmos lutas e problemas, internos e externos, de colocar-nos em posição de vencermos obstáculos que, antes, pareciam irremovíveis. Kardec dava tanta importância ao ato de pensar que um dia escreveu no livro "A Gênese": "O pensamento produz uma espécie de efeito físico que reage sobre o moral: é isso unicamente o que o Espiritismo poderia fazer compreender".

(8)É o pensamento que dá qualidade curativa aos fluidos, que existem em estado natural ao nosso redor. É ele que transforma o fluido inerte em energia capaz de recompor um tecido doente ou reduzir os males de ordem espiritual que afetam os indivíduos. É o pensamento também o fio que nos permite estabelecer um relacionamento positivo com os espíritos, que participam das atividades curadoras. Mas, ao mesmo tempo em que nos permite tudo isso, ele também poderá nos ligar a espíritos cuja presença será prejudicial ao ato de curar. Toda moeda tem dois lados, as leis da natureza são estradas de duas mãos. A mente é fonte de energia curativa ou de energia destruidora. A prece é, sem dúvida, um dos meios pelos quais a cura de um mal pode ser alcançada. Mas é, também, um meio dos mais difíceis, haja vista a pequena capacidade mental que temos para orar. Isto porque a oração tem sido um ato mecânico, que se realiza pelos lábios. Contudo, a prece é algo que depende enormemente do pensamento e da vontade. Sem esses dois requisitos, a prece se transforma em algo sem maior valor. Destarte, cremos que a temática prece deveria se constituir em matéria de constante estudo nos centros espíritas, porém, estudo sério e não se tornar objeto de considerações puramente místicas, que impedem alcançar a sua essência e importância.

Jorge HessenE-Mail: jorgehessen@gmail.comSite: http://jorgehessen.net/ (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2pvcmdlaGVzc2VuLm5ldC8=) FONTES:1- Kardec, Allan. Revista Espírita, novembro de 1866.2- Publicado no Jornal Folha de São Paulo em 09.Julho de 2004.3- Artigo de Kátia Penteado intitulado Efeitos da Prece na Saúde : a Ciência confirma a Doutrina Espírita - Nov/20044- Kardec, Allan. Evangelho Segundo o Espiritismo, Rio de Janeiro: Ed FEB, 2004, Cap28, item77.5- Kardec, Allan. O Livro dos Espíritos, Rio de Janeiro: Ed FEB, 2000, questão 662.6- Xavier, Francisco Cândido. Pensamento e Vida, 9ª ed. Rio de Janeiro: FEB, 1991. P.167- Marcos 11:24(*) Incorporação de partículas sólidas por uma célula mediante o envolvimento daquelas por esta. [Esse processo não implica penetração da membrana celular e serve à nutrição e de defesa contra elementos estranhos ao organismo.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 08 de Agosto de 2009, 00:04
Boa noite companheiros...quantas definições profundas de Prece...temos aqui um manancial enorme que nos esclarece e inspira.

Amanhã farei um pequeno texto com algumas das impressões que nos deixaram sobre a questão: O que é a Prece?

pattyanato...você fez-me lembrar uma situação que aconteceu comigo.

Um dia fui fazer uma palestra sobre Mediunidade infantil, a convite de um centro espírita, e um assistente perguntou-me: como faço para ensinar a orar o meu filho? Ele nunca tem vontade!

Eu respondi: Ore com ele!

É que nós educadores/pais muitas vezes caimos no erro de dizer para fazer, sem sermos nós o exemplo que instiga a que os outros façam. Não é mesmo?



Proposta de trabalho

Propunha a todos os companheiros que acompanham este estudo, que após cada conclusão da semana, tirem os seus apontamentos, para que cada um prepare um powerpoint ou pequeno texto, para no final do estudo, todos partilharem connosco e/ou divulgarem junto dos amigos, ou até proporem fazer uma palestra sobre este tema no centro onde colaboram.
Fica aqui a 1ª sugestão. Estamos abertos a outras.



Uma boa noite a todos...beijitos luminosos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Regina Prins em 08 de Agosto de 2009, 00:30
COLETÂNEA DE FRASES SOBRE A PRECE.

Pela prece pode-se propor três coisas: louvar, pedir e agradecer. L. E. pg 268

O essencial não é orar muito, mas orar bem. L. E. pg 268

Aquele que pede a Deus o perdão de suas faltas, não o obtém senão mudando de conduta. L. E. pg 268

Se o homem ora a Deus e ao seu bom gênio com sinceridade, os bons Espíritos virão certamente em sua ajuda, porque é sua missão.
L. E. pg 350

Não há nenhuma palavra sacramental, nenhum sinal cabalístico, nenhum talismã que tenha uma ação qualquer sobre os Espíritos, porque estes são atraídos pelo pensamento e não pelas coisas materiais. L. E. pg 235

Quando orares entra no teu aposento, e fechada a porta, ora a teu Pai em secreto; e teu Pai, que vê o que se passa em secreto, te dará a paga. E. S. E. pg 275

O que Deus lhe concederá, se pedir com confiança, é a coragem a paciência e a resignação. E ainda o que lhe concederá, são os meios de se livrar das dificuldades, com a ajuda das idéias que lhe serão sugeridas pelos bons Espíritos, de maneira que lhe restará o mérito da ação. E. S. E. pg 277
 
Desde que o culpado chame por misericórdia, Deus o ouve e lhe concede a esperança. Mas o simples remorso não basta: é necessário a reparação da falta. E. S. E. pg 284

Inútil pedir ao Senhor que abrevie a vossa prova, ou que vos dê alegrias e riquezas. Pedi-lhes antes os bens mais preciosos da paciência, da resignação e da fé. E. S. E. pg 285

Faça cada qual a sua prece de acordo com as suas convicções, e da maneira que mais lhe agrade, pois um bom pensamento vale mais do que numerosas palavras que não tocam o coração.E. S. E. pg 288

A oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. (TIAGO, do livro: A CARTA DE TIAGO para os Cristãos de todos os tempos).

A ORAÇÃO é o mais forte estímulo de que a alma pode dispor para plenificar-se. (Joanna de Angelis)

A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. (TIAGO, do livro: A CARTA DE TIAGO para os Cristãos de todos os tempos).

A oração neutraliza qualquer força negativa. Cultive a prece. (Pastorino)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 08 de Agosto de 2009, 03:20
Olá amigos, aqui está o meu trabalho power point baseado na mensagem que nossa amiga Regina nos deixou. Espero que gostem…
Abraços fraternos…
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 08 de Agosto de 2009, 10:25
Amigos, tal como havia proposto, a 1ª semana do nosso estudo, teve como objectivo falarmos sobre o que é a Prece.

Agradeço desde já a participação carinhosa e atenta de tantos companheiros.

Tendo em conta tudo o que foi dito, deixo em forma de resumo, algumas frases que nos deixaram e que representam o que todos sentem em relação à Prece.



A prece para mim significa conversar com DEUS. Sensitive

A Prece é sempre agradável a Deus quando ditada pelo coração, porque a intenção é tudo para ele. A prece do coração é preferível à que podes ler, por mais bela que seja, se a leres mais com os lábios do que com o pensamento. A prece é agradável a Deus quando é proferida com fé, com fervor e sinceridade. Hcancela

A prece é toda boa ação.
Toda boa ação é atitude de amor. Toda atitude de amor, nos conduz a patamares mais elevados, pela sintonia em relação aos Benfeitores. Somalopa


A prece é um acto de Adoração.
A adoração pressupõe a rendição incondicional à Essência Divina para a qual todos, cada qual no seu ritmo, caminhamos.
Ao deixar-mos que o Espirito trabalhe em nós, nos molde, nos aperfeiçoe, submetemo-nos  a Ele que  em nós habita. Pramos

É um ato de amor sublime e envolvente que nos transporta ao lado Daquele que nos criou. Claudia Teles

Mas elas só serão agradáveis a Deus quando proferida com SINCERIDADE, Fé e Fervor... José Geraldo

A prece não é movimento mecânico de lábios, nem disco de fácil repetição no aparelho da mente. É vibração, energia, poder. Balupi

Devemos orar agradecendo e louvando este Pai maravilhoso que temos pedindo a força para continuarmos a nossa caminhada sem jamais perder a nossa fé. Louisse

A Prece é um ato de EMISSÃO. Nelsonmt

A prece é a escada para o céu. ketinunkantim

A prece é tão necessária a alma quanto o alimento para o corpo. Marlabs

A maneira de orar na verdade vai da fé de cada um, que pode estar colocando ou não o seu coração nas palavras que profere. Aluena

A Prece dá-nos uma resistência incrível para ultrapassarmos os obstáculos que a vida prodigamente coloca em nossos caminhos, obstáculos esses aliás, criados por nós mesmos. Mas DEus infinitamente misericordioso concede-nos a todos nós este potente meio de auxílio: A Prece. Jorge

Prece é mesmo a busca da FORÇA que precisamos e também uma forma de fazermos chegar até à aqueles que amamos, a mesma Força que pedimos para nós. Aiene Brasil

A prece conduz a natureza até o ser e devolve a proporção que somos capazes de nos doar, é a maior e melhor prova do amor e nos conduz ao perdão. Solimar

a prece é uma exteriorização de amor. Arlindocodinha

E nessa frequência de vibrações sinceras escutemos o que Deus nos revela intimamente dentro de cada um de nós. Kiria

A prece é um apoio para a alma; porém é preciso que quem a faz tenha por base uma fé viva na bondade de Deus. Kobor33

A prece, tal como a intuição de Deus, acompanham o Homem desde os primeiros instantes da sua existência terrena. Taprobana

Independente de credo religioso a oração será sempre o elo de união entre a criatura e o criador. De Assis_RN

A Prece quando vem com uma entrega total de quem a faz, alivia, ilumina, encoraja,sustenta,impulsiona, e eleva. Verde

em comum temos este sentimento de rendição ao Absoluto, a Deus, à Força Criadora. Helena Beatriz

a prece, o nosso "carregador de fé". leandro_manzo

nossa fé e emoção no momento de oração  - resulta – num aumento de vibração. Nelson Castro

a prece é um orvalho benfazejo que deve tornar menos árida a terra seca.
(...)
Orar é identificar-se com a maior fonte de poder de todo o Universo, absorvendo-lhe as reservas e retratando as leis da renovação permanente que governam os funda¬mentos da vida.
Victor Passos


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 08 de Agosto de 2009, 10:50
Olá amigos, aqui está o meu trabalho power point baseado na mensagem que nossa amiga Regina nos deixou. Espero que gostem…
Abraços fraternos…


Adorei Nelson!! Esperemos no final ter um conjunto de trabalhos que promoverá a divulgação da Prece!

Mas amigos, não pensemos que prece é estudo, compreensão e conhecimento...para sabermos e sentirmos verdadeiramente a Prece, nada mais que fazê-la. Assim, surge a nossa segunda proposta de trabalho: que organizemos uma prece conjunta no decorrer da próxima semana em prol da Paz no Mundo, e porque não, do Universo!

Entretanto segue-se um novo tema de debate em torno da prece:

A Qualidade da Prece.

Quando orardes, não vos assemelheis aos hipócritas, que, afetadamente, oram de pé nas sinagogas e nos cantos das ruas para serem vistos pelos homens. _ Digo-vos em verdade, que eles já receberam sua recompensa. _ Quando quiserdes orar, entrai para o vosso quarto e, fechada a porta, orais a vosso Pai em secreto; e vosso Pai, que vê o que se passa em secreto, vos dará a recompensa.
Não cuideis de pedir muito nas vossas preces, como fazem os pagãos, os quais imaginam que pela multiplicidade das palavras é que serão atendidos. Não vos torneis semelhantes a eles, porque vosso Pai sabe do que é que tendes necessidade, antes que lho peçais.
S. Mateus, cap.VI,vv.5 a 8.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 08 de Agosto de 2009, 11:45
Ola regina. Mais uma vez parabéns pela forma como o estudo està a ser acompanhado. Em relação à qualidade da prece, este tema faz-me lembrar certas pessoas que vao para uma igreja recitar em voz alta o pai nosso ou o terço vezes sem conta. O que serà mais agradável para Deus: dizer o pai nosso 20 ou 30 vezes seguidas em voz alta, ou elevar nosso pensamento a Deus e dizer "Obrigado Senhor, por me teres dado a bênção da vida"?   
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Antonio Jose Fernandes em 08 de Agosto de 2009, 15:09
A Prece é o caminho para o Criador. Efectivamente, o ser humano está aberto ao Ser transcendente, ao Ser divino. Ele tem implantado nele a centelha divina que o faz procurar, o Homem sente a necessidade de ter certezas, de ser feliz, de ter paz e descobre que só o conseguirá se buscar Deus nele.
A propósitode busca de Deus, Florbela Espanca escreveu:
« Queria tanto saber porque sou Eu!
Quem me enjeitou neste caminho seguro?
Queria tanto saber porque seguro
Nas minhas mãos o bem que não é meu.

Quem me dirá, lá no alto, o céu
Também é para o mau, para o perjuro?
Para onde vai a alma, que morreu?
Queria encontrar Deus. Tanto o procuro!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 08 de Agosto de 2009, 16:18
Olá amigos(as)

A qualidade da Prece... :-*

A AÇÃO DA PRECE: Quando oramos,  ou estamos agradecendo a algo, ou pedindo algo, para nós ou para outrem, ou pelos vivos ou pelos mortos. Mas a resposta sempre dependerá de Deus e da sua vontade. Claro pelo merecimento também.

A ação da prece se faz pela transmissão do pensamento. A prece pode ser de um desencarnado para um vivo ou mesmo vice-versa. Quando você ora, no momento, estabelece entre você e a quem é dirigida a prece, um fluido, uma corrente, assim como o ar transmite o som.

Dependendo da vontade dessa prece, é a força que essa corrente terá. Ou mais forte ou mais fraca. Se você a dirige a um espírito desencarnado, ele a receberá.

A prece é recomendada por todos os espíritos, renunciar a ela, é desconhecer a bondade de Deus, ou renunciar-se a si mesmo.

O poder da prece é no pensamento. Ela não se prende a palavras, nem local e nem momento em que é feita. Pode-se orar em qualquer lugar, a qualquer hora, só ou junto a alguém. O local ou o tempo da prece é apenas detalhe de momento em que você terá para orar com mais fervor ou menos. Quantidade de pessoas ou locais nada tem a haver e sim se a prece é do coração ou não.

A prece tem que ser de fácil compreensão. Por isto é que palavras ditas a esmo ou sem sentidos nada tem de valor.

A MANEIRA DE ORAR: quase todos nós oramos mas poucos sabem orar. A Deus não importa necessariamente as frases repetidas que fazemos todos os dias. Isso é hábito, um dever que a gente acaba fazendo quase que mecanicamente, então isso não é correto.

A prece deve ser humilde, profunda e de gratidão pelo que está falando, enfim, uma prece do coração e não mecânica e igual todos os dias.

Nós na prece sempre devemos pedir realmente de acordo com nossas necessidades, mas uma necessidade real. Não adianta pedir alivio às nossas provas, pedir alegrias e riqueza e coisas que dependem de nós mesmos. Teremos sempre de acordo com nosso merecimento. Na verdade deveríamos sempre pedir pela paciência, pela resignação e pela fé, porque tendo isso, saberíamos passar nossos dias mais felizes.

Quando oramos, nenhuma prece se perde. Todas são encaminhadas mas nem todas recebem retorno. Há muitas coisas nisso, a maneira de orar, o que pedimos etc...

A QUALIDADE DA PRECE: Quando oramos, não devemos se colocar em evidencia, mas sim, orar secretamente. Não é preciso ficar orando, orando....não é a quantidade de prece ou palavras que fará que sejamos atendidos, mas sim a sinceridade. Antes da gente orar, é preciso, caso tenhamos algo contra alguém, perdoar porque senão, a prece não será agradável a Deus, se não partir de um coração puro de todos os sentimentos contrários à caridade.

Interessante é notar que há pessoas que defendem o seguinte: se você trabalhar dignamente, praticar a bondade para com o semelhante, não necessita orar, fazer a prece etc.... ignora eles que a prece é uma ação mental e capaz até de auxiliar alguém a distância, conforta a nós mesmo.

Nós analisamos a prece. Há na própria ciência algo também que diz: Freud disse que nós temos uma zona que não temos como definir e nem chegar nela (id) que nem a nossa consciência atinge, e que lá está a emoções não resolvidas, recalques do superego e que se conseguíssemos atingir a isto e eliminar, recomporíamos melhor a nossa personalidade. Então, a prece (analisada num aspecto cientifico) faria com que aliviássemos tensões, seria ela um desabafo etc...

Eu diria ainda sobre a prece, voltando à doutrina, que ao orarmos e ao pedirmos algo, devemos agir com bom senso. Pergunte-se a si mesmo se o que está pedindo você é merecedor? Se o que você está pedindo, deveria vir para você de graça?

Texto da neT: Autor Desconhecido

 
SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 08 de Agosto de 2009, 17:05
Ola Amigos muita paz e harmonia

Hoje deixo uma resposta, mostrando a alguns companheiros que a melhor prece é saber renunciar, começando pela não critica, daquilo que os outros fazem ou como fazem...

   Não critique a forma de orar do outro....
   Não importa a forma , mas o sentimento...
   Não coloque a religião à frente do caminho da prece...
   Não negue aos outros a vontade de falar com Deus...
   Não existem formulas especificas para orar....
   Não existe posição,nem local especifico para orar
   abstenha-se do negativismo, ore pelos outros, para outros e depois para si...
   Amem-se...deixem que os outros orem, com as mãos , com canticos, com palmas, mas que se sintam em consciência sentida pelo amor e respeito pelo sentimento dos que nos ajudam e são nossa luz constante, deixem que eles sejam felizes.
    Uma oração, protestante, catolica, Espirita, Bahai ou de outra Filosofia , desde que feita com o devido sentimento , fé e respeito é igual em todo lado, é a forma de falarmos com Deus...e não esqueçamos, a melhor prece são os nossos atos....

   Bem-hajam...Amigos aproveitem orem todos pelos que ninguém se lembra deles....

Muita paz e harmonia

VICTOR PASSOS
   
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: edith em 08 de Agosto de 2009, 17:22
A PRECE É UMA LUZ QUE ACENDEMOS EM NOSSAS ALMAS       
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 08 de Agosto de 2009, 17:32
Olá amigos(as)

Lembrei agora? ;D

Tinha por aqui um video muito bonito. :-*

Fiquem com DEUS.


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: MarcoALSilva em 08 de Agosto de 2009, 20:27

O impulso que nos encaminha à ascensão é a onipresença do Criador, o abraço carinhoso com que o Pai Eterno nos convida à Luz que emana de sua essência que tudo permeia. O estudo nos afaga o intelecto na bênção das conquistas da razão, mas sempre e sempre o inefável ímpeto de uma pressentida bem-aventurança só a comunhão, através da prece, nos pode doar.

Não busque na cátedra o conforto da alma, senão o assento do ego indômito no burilamento de si mesmo.

Tenha o alimento para sua fome de saber, mas sobretudo rogue pela cristalina fluidez do carinho divino que sempre aliviará sua sede. Somente os que sabem têm noção do que o conhecimento comporta... Mas só os que Amam comportam a Sabedoria de que sequer têm noção.

Seja, pois, Sábio: Ame, fundamentalmente Ame tudo o que o seu coração possa abarcar, para só então lançar os olhos do crivo severo com que a razão se impõe.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: EMILIA NELLY em 08 de Agosto de 2009, 20:41
Essa PRECE é como um mantra, faça diariamente que com certeza o PAI ajudará para que cheguemos à esse merecimento.

Pai,
envolve-nos em Teu amor e
em Tua misericórdia.
Tende compaixão de nossa arrogância
e de nossa pouca humildade,
quando tratamos de assuntos relativos
à vida, à qual nos julgamos donos.
Esteja conosco PAI, nos amparando
e intuindo, se assim for do nosso merecimento.


FIQUEM COM DEUS
HOJE E SEMPRE
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edna☼ em 08 de Agosto de 2009, 23:33
Boa noite a todos !!!!  :D

Gigi, que tema suave e envovente que você escolheu.

Falando em qualidade da prece, vale lembrar que:

Jesus não se preocupou em ensinar preces específicas: a única coisa que nos deixou em palavras suas foi a "oração dominical", ou melhor o "Pai Nosso".

No mais,  disse que quando tivéssemos de orar, entrássemos para o nosso quarto e, em segredo, nos dirigíssemos a Deus.

Afirmou que, mais valia a prece do publicano sincero e humilde e de nada servia a oração  pomposa do fariseu hipócrita.

Ressaltou ainda, que precisávamos bater para que se abrissem para nós as portas.

Fiquem com Deus,

Abraços fraternos,   :)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: csilva em 08 de Agosto de 2009, 23:54
Olá amigos, aqui está o meu trabalho power point baseado na mensagem que nossa amiga Regina nos deixou. Espero que gostem…
Abraços fraternos…


Amigo Nelson n\ao poderei gravar o ficheiro em pps em vezde ppsx para poder visualizar.

grato e bem haja

CSilva
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Taprobana em 09 de Agosto de 2009, 00:10
Será possível avaliar a prece? Como afirmar que esta ou aquela forma de orar é mais eficaz, tem mais valor, é mais acolhida por Deus?

Poderá Deus ter mais simpatia pela prece de alguns em desfavor de outros, consoante este ou aquele se “comporte” de forma mais semelhante aquilo que o criador espera de nós? E que espera de nós o criador senão que façamos aquilo que em cada instante podemos e queremos fazer?

Estará alguém à altura de definir e avaliar este tipo de questões?
A resposta é um objectivo não.

Independentemente da forma ou do conteúdo toda a prece tem exactamente o mesmo efeito, ou seja, consoante o proveito individual que cada um possa ter em prol da sua vontade assim se conjuga a realidade que caracteriza cada momento de vida.

A prece não é passível de ser estruturada em estratos de qualidade, pelo simples motivo de ser iminentemente intuitiva, indissociável, de cariz único e diferenciado em cada espírito, sendo portanto uma característica intrínseca a cada um que somente no próprio indivíduo produz significação e/ou acção.

Taprobana
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 09 de Agosto de 2009, 00:20
Olá amigo C.Silva, na verdade eu gravei o documento power point como pps, mas na verdade não consegui introduzir no fórum pois deu erro e só consegui nesse formato, tentei a pouco de novo e dá a indicação de erro, se você quiser mando para o seu e-mail, e pedir-lhe-ia se após poderia tentar você colocar o trabalho do seu computador para que todos o possam visualizar?
Se sim diga-me se o seu e-mail é o que indica no fórum?


Abraços Fraternos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: csilva em 09 de Agosto de 2009, 00:46
Claro que sim amigo Nelson, envie-me para o E-mail que esta no forum e tentarei converter de ppsx para pps e  colocarei o seu trabalho no forum.


Cumprimentos

CSilva
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 09 de Agosto de 2009, 00:47
Independentemente da forma ou do conteúdo toda a prece tem exactamente o mesmo efeito, ou seja, consoante o proveito individual que cada um possa ter em prol da sua vontade assim se conjuga a realidade que caracteriza cada momento de vida.

Caro amigo Taprobana, a meu modo de ver a prece não tem o mesmo valor, quando por exemplo, sabemos as preces decoradas e que caprichosamente oramos as mesmas como vãs repetições. Muitas das vezes como se tivéssemos decorado a letra da música que mais gostamos… Eu nasci e cresci Católico, tenho baptismo, tenho 1ª  2ª comunhão e Crisma. Sou o único de uma extensa família que senti necessidade de ser espírita, sentia que para mim não funcionava as “x” Avés Marias e as “y” Glorias e as “w” Salve Rainhas pois não facilitava a minha concentração no propósito da prece, muitas vezes até começava a dizer as orações em repetição com tamanha rapidez só para terminar mais depressa, outras vezes dizia como se fosse um gravador sem sentir o aumento da vibração. Não estou a dizer com isto que a religião Católica não nos leva ao Pai! Não estou a dizer que as outras são inferiores! Apenas que a melhor forma de Orar é estarmos cientes de como expomos nossos pensamentos!
Pensemos!
Se Jesus aparecesse a nossa frente, e fosse a nosso oportunidade de pedirmos o que queremos, iríamos dizer-lhe uma ave Maria?
Iríamos dizer-lhe ou pedir-lhe um Credo?
Ou iríamos falar com Ele como falamos com nossos irmão encarnados?
Abraço Fraterno
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Diegas em 09 de Agosto de 2009, 03:15
Olá.

Uma prece somente deveria ser aceita como tal quando trouxesse um teor de gratidão ao Criador. Fora desta definição que empresto à prece, observa-se muitos queixumes, apelos dramatizados,  e/ou desesperados para a solução de nossas dores e questões domésticas. Há àquelas situações mecanizadas pelos lábios ou viciadas por hábitos seculares: Há quem acredite não ter orado se não fizer o sinal da cruz, sendo que este simbolo já era cultuado por povos pagãos.

Quem já não se pegou de sopetão, de joelhos, a pechinchar ou mercadejar com Deus, tentando transformá-Lo num camelô do Espaço, um boy a serviço de nossa vontadezinha ?


Abç
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 09 de Agosto de 2009, 12:14
Será possível avaliar a prece? Como afirmar que esta ou aquela forma de orar é mais eficaz, tem mais valor, é mais acolhida por Deus?




Não busque na cátedra o conforto da alma, senão o assento do ego indômito no burilamento de si mesmo.


Olá Taprobana...parece-me que o Marco respondeu à sua pergunta...

A questão não é alguém julgar ou avaliar se a prece de outrem tem mais ou menos valor, mas sim, se a prece que fazemos é realmente uma prece, e não apenas uma hábito mental ou um choradinho de criança mimada e revoltada.

É uma análise pessoal...que aqui comentada em partilhada em grupo pode servir de alerta.
Ontem tive até uma experiência interessante sobre o tema que passo a relatar.

Fui dar uma palestra a um centro fora do cidade onde vivo, e como sempre faço, ao invés de fazer uma palestra em tom de monólogo, sugiro que façam perguntas sobre o tema, ou então eu mesma faço perguntas aos assitentes para que se desinibam.

A dada altura fiz referência sobre a importância de os pais orarem junto com os filhos, e do valor da prece para harmonizarmos com Deus.

Uma senhora, com timidez, levantou o braço e comentou o seguinte:eu detesto orar. Desde miuda que sentia que me obrigavam e eu não gostava. Agora deito-me e faço a correr a oração, mas depois fico a pensar que Deus não deve gostar, porque eu digo que o amo, mas não sinto nada disso. É só da boca para fora.

Pensei, mas não disse em público: a cara amiga, é das pessoas mais honestas que aqui está, pois duvido que alguém tivesse tamanha humildade de reconhecê-lo.

Entretanto, em conversa chegamos à conclusão, que ela tinha aprendido a rezar o terço, sistemáticamente, de forma incompreensivel, a causa da sua confusão, sobre o real valor da prece.

Olá Diegas sê bem vindo ao nosso estudo! As tuas palavras irónicas, surtem o seu efeito...na verdade como nos reconhecemos deuses, capazes de ser tão fantásticos como o Criador, procedemos em sentimento para com Ele, da mesma forma que procedemos com os outros irmãos espirituais...
Um dia teremos de sentir que o nosso valor na Criação é igual ao de uma formiguinha...Não é o tamanho ou a inteligência que ditam a evolução.

Beijitos

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 09 de Agosto de 2009, 12:18
Ola bom dia companheiros
Muita paz

   Deixo aqui este texto, que servirá para perceber, o que realmente é a prece...

Orar é banhar-se de Luz

          Infelizmente, para muitas pessoas, a oração é um despropositado recitativo de palavras sonoras, destituídas de qualquer significação para a criatura.

          Organizada por mentes mais intelectualizadas, a prece. geralmente, não responde em conteúdo emocional nem em compreensão das necessidade do ser.

          Por isso que, na sua expressiva totalidade, a oração deve ser espontânea, para que produza sintonia entre quem busca a paz e a fonte geradora da harmonia. Sendo apenas uma fórmula esvaziada de significação pessoal, não corresponde aos anseios do sentimento nem às necessidades da mente.

          A oração é o mecanismo-ponte que une a criatura ao seu Criador através do infinito abismo da evolução. Constitui recurso sem palavras, em que o homem se libera das paixões, esquecendo-se da trivialidade para agigantar-se, enriquecendo-se de valores de alto porte.

          Sendo o homem um transceptor, sua mente tanto recebe como emite raios e vibrações, ondas e idéias que se irradiam na direção dos fulcros nos quais fixam os seus interesses, dali recebendo as respostas compatíveis com os desejos, a intensidade do apelo e a coordenada mental.

          Justo, portanto, como apregoou Jesus, que se dê a "cada um conforme as suas obras", já que o problema da sintonia resulta da vinculação que se prefira, na mesma faixa haurindo o que se vitaliza. Todavia, não considerando as deficiências do orante, os Centros de Registros e Avaliação das rogativas humanas, espalhados pelas Províncias próximas da Terra, recebem as solicitações que até ali chegam, consideram-na urgência e a significação das mesmas, respondendo conforme as circunstâncias e as vantagens de profundidade eterna para o ser, mediante o dulcificar, o lenir da angústia, a esperança, a renovação do apelante, o intercâmbio psíquico com as mentes generosas e sublimes em nome da providencial misericórdia de acréscimo do Pai, que a todos e a tudo vitaliza, socorre e sustenta.

          É certo, que nem sempre são atendidos os apelos consoante as formulações enviadas, desde que, na infância espiritual da vida, genericamente os homens somente. conhecem o que os interessa do ponto de vista egoístico e atender-lhes as súplicas vazadas nas questiúnculas da mesquinhez, seria dilatar-lhes a ignorância atual para uma aflição mais demorada neles mesmos, posteriormente...

          O ato de orar é um conúbio de amor.

          O espírito que ora emite vibrações teledinâmicas que se dirigem à máxima quantidade do Universo e retornam carregadas de peso específico, nele penetrando com vigor e dominando-o.

          O grande benefício, da oração se patenteia no momento mesmo da prece, pelo soerguer-se da situação penosa e aflitiva, a fim de planar-se nas ondas benéficas) reconfortantes do pensamento otimista) que passa a receber inspiração, conforto e apoio.

          Condicionados negativamente, os homens oram vez que outra, apenas quando açodados por problemas, distantes do hábito de comungar com as forças vivas e pu1santes da Vida.

          Nesses momentos, a mente desajustada não ora, antes reclama, exige, desconserta-se mais, vitimada pela irritação. pela ansiedade, em detrimento das necessárias condições para o êxito, tais como: confiança, amor, submissão à vontade superior.

          A oração é fonte de inexauríveis recursos, cuja ação se desenvolve em torno daquele que os busca.

          Quem prefere o regato cristalino para o banho se renova e asseia com a linfa reconfortante.

          Orar é banhar-se de luz.

          A vibração da mente em oração sincroniza com as ondas telediI1àmicas do Mundo Espiritual Superior, articulando benefícios insuspeitáveis quanto atraindo atenção e interesse dos Espíritos encarregados do equilíbrio na Terra.

          O sintonizar com as ondas do bem produz benefícios físio-psicossomáticos surpreendentes, desde que a idéia mental, geradora da prece, se mantenha em freqüência constante e intensidade harmônica, do que resultam mudança da psicosfera e aquisição de forças específicas próprias para a vida humana.

          Ainda não tem sido valorizada a oração nem colocada no seu devido significado, mesmo entre os religiosos.

          Não se trata de "orar muito", mas de orar bem, despojando-se a criatura da arrogância e da presunção para, desnudado de ambições pueris, anelar pelo equilíbrio ante as leis do amor universal.

          A prece propicia resultados imunológicos e profiláticos, quanto terapêuticos por harmonizar o tom vibratório do indivíduo, impedindo o contágio de bactérias perniciosas, de germens deletérios que não encontram campo para a erupção dos males que propiciam, corno gerando uma aura de energia específica que envolve o homem, constituída de vibrações especiais próprias para rechaçar as "formas-pensamento", os "vibriões-mentais", as "larvas-psíquicas", ao mesmo tempo em que revitaliza o metabolismo, no perispírito, rearmonizando o campo das moléculas, no que redunda em ação salutar.

          A oração harmoniza o ambiente onde se manifesta e é exercida, criando uma psicosfera balsâmica, agradável, calmante.

          Orar é inundar-se de forças poderosas do mundo invisível para atuar com segurança no mundo das formas visíveis.



Livro: Calvário de Libertação
Victor Hugo & Divaldo P. Franco
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edna☼ em 09 de Agosto de 2009, 15:01

            Oração é louvor, pedido e agradecimento. Assim aprendemos.

            De um modo geral, nós mais pedimos do que louvamos ao Senhor da vida ou lhe agradecemos pela generosidade, que nos alcança diariamente.

            E, quando pedimos, às vezes somos assaltados por dúvidas acerca do que pedir, ou como pedir.

            O Sábio de Nazaré, quando interrogado a respeito, legou à humanidade a oração que ficou conhecida como Pai Nosso.

            Reconhece e exalta a grandeza do Pai de todas as criaturas, traduz humildade e prega a fraternidade.

            As rogativas são para as necessidades mais essenciais das pessoas, o pão da alma e do corpo, o perdão das ofensas.

            Quem pode viver sem alimento físico e sem combustível que lhe preencha os anseios do espírito, sem tolerância e perdão das próprias faltas?

            Roga o socorro para evitar a queda e propõe reflexões em torno do perdoar ao outro, na medida em que almeja o mesmo para si.

            Uma oração completa. Perfeita.

            Depois dele, muitos espíritos igualmente deram suas sugestões, nesse nobre intuito de nos ensinar a orar.

            Uma dessas sugestões chama-se "Oração para não incomodar", e diz assim:

            “Senhor!

            Concede-me, por misericórdia, o dom de me contentar com o que tenho, a fim de fazer o melhor que posso.

            Ensina-me a executar uma tarefa de cada vez, no campo de minhas obrigações, para que eu não venha a estragar o valor do tempo.

            Livra-me da precipitação e da insegurança, de modo que não busque aflições desnecessárias ante o futuro, nem me entregue à inutilidade do presente.

            Dá-me a força de esperar com paciência a solução dos problemas que me digam respeito sem tumultuar o caminho dos que me cercam.

            Ajuda-me a praticar o esquecimento de mim mesmo, auxiliando-me a fazer pelo menos um benefício aos outros, cada dia, sem contar isso a ninguém.

            Se este ou aquele companheiro me aborrece, induze-me a olvidar o que se passou, sem dar conhecimento do assunto aos que me rodeiam.

            Ensina-me a não condenar seja a quem for e, quando algum apontamento injurioso ou alguma nota de crítica malévola vierem-me à cabeça, ampara-me a fim de que tenha recursos de dissipá-los em silêncio.

            Impele-me a calar toda queixa, em torno das provas e empecilhos da vida, para que eu não perturbe os que me compartilham a estrada.

            Auxilia-me a conservar boa aparência tanto quanto o espírito isento de culpa;

            A falar com voz calma, a sustentar bons modos;

            A perder o hábito de impor minhas idéias ou de contradizer as dos outros sem necessidade.

            E ajuda-me, Senhor, a viver na obediência aos meus deveres e compromissos, trabalhando e servindo, para não incomodar a ninguém.”


***
           
A prece constitui também momento de reflexão, oportunidade de refazer caminhos e renovar atitudes.

            Prece é vivência. Os lábios falam do que se encontra repleta a alma.

            Pensem nisso!  ;)

Texto da Equipe de Redação Momento Espírita, com base no cap. 11, do Espírito André Luiz, do livro Diálogo dos Vivos, de autoria de Espíritos diversos, pela mediunidade de Francisco Cândido Cavier, ed. Geem.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: sidney em 09 de Agosto de 2009, 19:53
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?

Olá Carlos.

Em minha opinião a prece não se presta essencialmente às rogativas comuns de nossos anseios, ainda que seja assim que comumente muitos procedam. A prece é um momento de elevação do tom vibratório, ou, em palavras menos pedantes, um momento de recolhimento e desnudamento interior, quando nos colocados diante de Mais Alto com absoluta sinceridade em busca de comunhão com a Luz.

Ademais, é do livre-arbítrio pedir, desde que se peça com sinceridade e sem auto-corrupções  ---  pedi e obtereis, batei e abrir-se-vos-á.

Abraço!
Não são as pessoas que fazem a afirmativa acima mencionada, e sim o próprio Sr Jesus desde a sua estadia em nosso meio corpóreo, vamos por assim dizer. E, a mais de um século atrás, são os Espíritos que não se cansam em reafirmá-la, contudo tem por útil a prece, ser digamos, a senha que nos abre as portas para a sublimidade do mundo extra-corpóreo, que nos permite estarmos de comunhão com o criador Divino, é a prece o caminho de se estar na razão da verdadeira vida, ou da existência de onde enfim somos originariamente habitantes, no plano Espiritual, a nossa real pátria, de onde viemos e para lá sempre voltamos a cada viagem que fazemos. A prece é ainda mais útil, quando aqui temos necessidades em quaisquer situações, de nos refazermos em energias, que certamente nos conduz e nos mantém no caminho do progresso evolutivo Espiritual, etc!...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: yochy em 09 de Agosto de 2009, 20:01
Bom dia  para todos!
Eu acho que a prese está sempre na nossa mente, quando agradecemos o alimento,a saúde, a felicidade e tudo o que Deus nos dá de bom todos os dias .O problema é quando temos uma aflição e queremos pedir a sua intervenção, e vem a tormenta ele não existe ,tu não mereces a sua ajuda por isto e por aquilo ,ou tens que sofrer para ficar melhor.E eu pergunto como sair desta confusão.Beijo
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Vitor Santos em 09 de Agosto de 2009, 20:21
Olá yochy

A doutrina espirita ensina que devemos aceitar a nossa realidade, primeiro que tudo. E que depois  devemos tentar superar todos os nossos problemas através da inteligência, da imaginação e de todos os meios de que Deus nos dotou para o efeito.

Ficar parado ou a estrebuchar, reclamando, nada resolve. A lógica diz-nos isso, nem é preciso nenhum doutrina.

Devemos agradecer a Deus em todas as situações e compreender que Deus é bondade e amor. Todas as experiências são úteis para o nosso crescimento espiritual. E Deus é infinitamente bom e quer o bem de todos nós.

bem haja
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 09 de Agosto de 2009, 20:25
Bom dia  para todos!
Eu acho que a prese está sempre na nossa mente, quando agradecemos o alimento,a saúde, a felicidade e tudo o que Deus nos dá de bom todos os dias .O problema é quando temos uma aflição e queremos pedir a sua intervenção, e vem a tormenta ele não existe ,tu não mereces a sua ajuda por isto e por aquilo ,ou tens que sofrer para ficar melhor.E eu pergunto como sair desta confusão.Beijo

Olá amigo, yochy …
Espero tentar ajudar um pouco na sua questão através do livro dos espíritos de Allan Kardec.
Citar
Questão 115.
Dos Espíritos, uns terão sido criados bons e outros maus?
Resposta dos espíritos:

“Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, isto é, sem saber. A cada um deu determinada missão, com o fim de esclarecê-los e de os fazer chegar progressivamente à perfeição, pelo conhecimento da verdade, para aproximá-los de si. Nesta perfeição é que eles encontram a pura e eterna felicidade. Passando pelas provas que Deus lhes impõe é que os Espíritos adquirem aquele conhecimento. Uns aceitam submissos essas provas e chegam mais depressa à meta que lhes foi assinada. Outros só a suportam murmurando e, pela falta em que desse modo incorrem, permanecem afastados da perfeição e da prometida felicidade.”

Abraço Fraterno
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 09 de Agosto de 2009, 23:27
O problema é quando temos uma aflição e queremos pedir a sua intervenção, e vem a tormenta ele não existe ,tu não mereces a sua ajuda por isto e por aquilo ,ou tens que sofrer para ficar melhor.E eu pergunto como sair desta confusão.Beijo

Olá Yochy... A sua dúvida é partilhada pela maioria dos seres humanos, pela simples razão de que só quando surge a tormenta, nos momentos de aflição, percebemos o quanto somos impotentes ante as forças divinas...

A postura perante as dificuldades, em lado algum ouvimos os espiritos benfeitores afirmarem que as provas são para sofrermos. Ninguém vem á terra com o objectivo de sofrer...é um erro de julgamento dada a nossa visão restrita e limitada da vida imortal.

O objectivo é o aperfeiçoamento intímo, a reforma de sentimentos e atitudes em todos os momentos da vida, sejam alegres ou dificeis.

Assim sendo, a prece pode dar-nos o equilibrio e a lucidez espiritual de aceitarmos o que é "bom" e o que é "mau", da mesma forma: com serenidade, fé e confiança.

Quando dizemos na oração Pai Nosso, seja feita a Vossa vontade, que é isso senão aceitarmos tudo o que nos acontece como o melhor para nós?

A opção é sempre nossa: ou nos revoltamos e somos infelizes, ou aceitamos e ultrapassamos com tranquilidade esses momentos mais dificeis.

Quando propomos o debate sobre a qualidade da prece, é analisarmos, cada um, até que ponto a prece que fazemos ao Pai Celeste, é tudo aquilo que em teoria, reflectimos antes.

É fácil dizer como orar, a prece é assim, mas...como é a nossa prece?

Uma questão levantada pelo Taprobana é se qualquer prece, seja dita da boca para fora, seja dita com sentimento, seja lida e decorada ou seja intuida na hora, chega ao Criador do mesmo modo? Teria os mesmos efeitos?
Que dizem sobre isto?

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 09 de Agosto de 2009, 23:35
Citar
Uma questão levantada pelo Taprobana é se qualquer prece, seja dita da boca para fora, seja dita com sentimento, seja lida e decorada ou seja intuida na hora, chega ao Criador do mesmo modo? Teria os mesmos efeitos?
Que dizem sobre isto?
Olá Gi. Eu penso já ter colocado este tipo de questão, embora com outras palavras.
Na minha modesta opinião, o que conta é a a prece que sai com sentimento e sinceridade do coração. Se assim não for, nem ao tecto chega, quanto mais ao céu...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: MAROCHA em 10 de Agosto de 2009, 00:09
Gigi , parabéns! Este tópico está sendo prestigiado e acrescento: graças a Deus!
A importância da prece para mim é tal que não viveria sem ela. É a minha conexão com o espiritual , neste mundo , muitas vezes , atormentado.
Creio que o mais importante é ter o coração aberto para conversar com Deus ou com a espiritualidade. Também penso que agradecer é uma forma de mostrar que temos um coração fervoroso e aberto às decisões do Alto, que cremos nos designios de Deus. Então oro agradecendo , tentando pedir menos, para não virar um petitório.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: dOM JORGE em 10 de Agosto de 2009, 01:24
                                                   VIVA  JESUS !


                  O DIÁLOGO DO HOMEM COM DEUS


       Homem- Pai nosso que estais no céu..

       Deus- Sim, estou aqui.

       Homem- Por favor, não me interrompa porque estou rezando

       Deus- Mas você me chamou.

       Homem- Pai nosso que estais no céu...

       Deus- Olha, você fez de novo, me chamou. Você disse : Pai nosso que estais no céu.

                Estou aqui. Como é que eu posso ajudá-lo?

       Homem- Ah, mas eu não quis dizer isso. É que eu estou rezando. Eu rezo o Pai Nosso

                   assim. É como se fosse um dever. Eu não me sinto bem até cumpri-lo

       Deus- Mas como pode dizer Pai Nosso sem lembrar que todos são seus irmãos. Como

                pode dizer que estais no céu, se você não sabe que o céu é a paz, e que o céu

                é amor.

       Homem- É, realmente eu ainda não havia pensado nisso.

       Deus- Mas prossiga a sua oração.

       Homem- Santificado seja vosso nome.

       Deus- Espere aí. O que é que você quer dizer com isso?

       Homem- É, quero dizer; é...é, quero dizer...É, sei lá o que significa. Como é que eu vou

                   saber? - Faz parte da oração, é só isso.

       Deus- Santificado significa digno de respeito. Santo, sagrado.

       Homem-  Ah, agora entendi. Mas nunca havia pensado no sentido dessa palavra Santi-

                    ficado venha a nós o vosso reino e seja feita a vossa vontade, assim na Ter-

                    ra como no céu.

       Deus- Você está falando sério?

       Homem- Claro, por que não?

       Deus- E o que você faz para que isso aconteça?

       Homem- O que eu faço?- É, nada. É porque isso faz parte da oração e, além disso, se-

                   ria bom se o Senhor tivesse o controle de tudo o que acontecesse no céu   e

                   na terra.

       Deus- Eu tenho o controle sobre você.

       Homem- Bem, na verdade, eu frequentei a igreja.

       Deus- Não foi isso que eu perguntei. Eu tenho o controle sobre você. Que tal o jeito

                que você trata seus irmãos. A maneira como você gasta o seu dinheiro. O muito

                tempo que você dá a televisão. As propagandas que você corre atrás, e o pou

                co tempo que você dedica a mim

       Homem- Ah, por favor, pare de me criticar, viu !

       Deus- Desculpe, eu pensei que você estava pedindo para que fosse feita a minha von-

                tade. Se isto for acontecer, tem que ser com aqueles que rezam, mas aceitam

                a minha vontade. O frio, o sol, a chuva, a natureza, a comunidade.

       Homem- É, é, é, ... tá certo, tem razão. É, eu acho que nunca aceito a vontade tua,

                   porque eu reclamo de tudo. Se tu manda a chuva eu peço sol. Se manda o

                   sol eu reclamo do calor. Se manda frio eu continuo reclamando. Se eu estou

                   doente, peço saúde, mas não cuido dela, deixo de me alimentar , ou como mui

                   to.

       Deus- É ótimo reconhecer tudo isso. Vamos trabalhar juntos, eu e você. Mas, olhe, va

                mos ter vitórias e derrotas. Eu estou gostando dessa nova atitude tua.

       Hiomem- Olha, Senhor, eu preciso terminar agora essa oração, ela está demorando mui

                    to, mais do que costuma ser. É, eu vou, eu vou. Ah, tá, tá demorando muito

                    não é?- Eu vou continuar.

       Deus- Continue.

       Homem- O pão nosso de cada dia dai-nos hoje...

       Deus- Pára aí, pára aí. Você está me pedindo pão material?

       Homem- Parar, parar por quê?

       Deus- Não só de pão vive o homem, mas também da minha palavra. Então, quando

                me pedires o pão, lembre-se daqueles que nem conhecem o pão material. Po

                des me pedir o que quiseres, desde que me sejas como a um pai amoroso.

                Eu estou interessado na próxima parte da sua oração. Continue.

       Homem- Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem

                   ofendido.

       Deus- E o seu irmão desprezado?        

       Homem- Está vendo, o Senhor já está criticando de novo. Várias vezes, e agora não

                   consigo perdoar. Eu quero é me vingar.

       Deus- Mas e a sua oração? O que quer dizer a sua oração? Você me chamou, eu estou

                aqui e quero que saia daqui transfigurado. Eu estou gostando de você ser hones

                to. Mas não é bom carregar o peso da ira dentro de um ser, você não acha?

       Homem- É, eu acho que me sentiria melhor se me vingasse.

       Deus- Não, não iria não. Vai é se sentir pior. A vingança não é tão boa quanto parece.

                Pense na tristeza que me causaria, pense na sua tristeza agora. Eu posso mudar

                tudo para você. Basta você querer.

       Homem- Pode. Mas como? Como?

       Deus- Perdoe a seu irmão, eu perdoarei a você, e te aliviarei.

       Homem- Mas Senhor, eu não posso perdoá-lo. Eu não posso.

       Deus- Então não peças para que te perdoes também.

       Homem- É, hum, mas...hum, mais uma vez o Senhor está certo. É, o Senhor está certo

                   Mais do que querer vingar-me , eu quero é a paz com o Senhor. Tá bem! Eu

                   perdôo a todos, mas ajude-me Senhor, mostre-me o caminho certo para mim

                   e para os meus inimigos.

       Deus- Isso que você pede é maravilhoso. Estou feliz com você, e você, como está se

                sentindo?

       Homem- Bem,bem,muito bem. Olha, para falar a verdade eu nunca havia me sentido

                   assim. É muito bom falar com Deus.

       Deus- Ainda não terminamos a oração. Prossiga.

       Homem- E não nos deixe cair em tentação, mas livrá-nos do mal...

       Deus- Ótimo, ótimo, vou fazer justamente isso, mas não se ponhas em situações que

                possas ser tentado.

       Homem- O que o senhor quer dizer com isso agora?

       Deus- Eu quero dizer o seguinte: Deixe de andar na companhia de pessoas que o levam

                a participar de coisas sujas, de intrigas, de fofocas, abandone a maldade, o ódio

                porque isso tudo vai levá-lo para o caminho errado. Não use tudo isso como saí

                da de emergência.

       Homem- Eu não estou entendendo.

       Deus- Claro que entende, você já fez isso comigo várias vezes. Entra no erro, e de -

                pois corre para pedir socorro.

       Homem- É, agora o Senhor me encabulou. Eu estou com muita vergonha. Me perdoa,

                   me perdoa, Senhor.

       Deus- Claro que eu o perdôo. Eu sempre perdôo a quem está disposto a perdoar tam -

                bém. Mas não esqueça quando me chamar, não esqueça de nossa conversa, e

                medite cada palavra que fala. Vá, termina a tua oração.

       Homem- Terminar, terminar. Ah, termino sim, tá. Amém !

       Deus- E o que quer dizer Amém ?

       Homem- Eu não sei. É o final da oração.

       Deus- Você só deve dizer amém, quando aceita fazer tudo que eu quero. Quando con

                 corda com a minha vontade e quando segue os mesu mandamentos, porque

                 amém quer dizer: Assim seja! concordo com tudo que orei.

       Homem- É senhor, muito obrigado, muito obrigado mesmo, por ensinar-me esta oração

                   E agora, muito obrigado mais ainda por fazer-me compreendê-la.

       Deus- Há, há, há, há,...Eu amo cada um dos meus filhos, e amo mais ainda aqueles

                que querem sair do erro. Aqueles que querem ser livres do pecado. Abencôo-te

                e fica com a minha paz.

       Homem- Muito obrigado, Senhor. Eu estou muito feliz em saber que és um amigo.


                                                                 ( Autor desconhecido )




                                                                         PAZ ,  MUITA  PAZ !





      
                


        


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Hamilton em 10 de Agosto de 2009, 01:48
Os efeitos da prece
"Recomendam-na todos os Espíritos. Renunciar alguém à prece é negar a bondade de Deus; é recusar para si, a sua assistência e, para com os outros, abrir mão do bem que lhes pode fazer."

" Está no pensamento o poder da prece, que por nada depende dem das palavras, nem do lugar, nem do momento em que seja feita. Pode-se, portanto, orar em toda parte e a qualquer hora, a sós ou em comum. A influência do lugar ou do tempo só se faz sentir nas circustâncias que favoreçam o recolhimentol. A prece em com tem ação mais poderosa, quando todos os que oram se associam de coração a um mesmo pensamento e colimam o mesmo objetivo, porquanto é como se muitos clamassem juntos e em unissono. Mas, que importa seja grande o número de pesssoas reunidas para orar, se cada uma atua isoladamente e por conta propria?! Cem pessoas juntas podem orar como egoistas, enquanto duas ou três, ligadas por uma mesma aspiração, orarão quais verdadeiros irmãos em Deus, e mais força terá a prece que lhe dirijam do a das cem outras."
Evangelho Segundo o Espiritismo   
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Taprobana em 10 de Agosto de 2009, 01:52
Amigo Nelson Castro, Gigi, Carlos Ribeiro e demais.

De facto para além daquilo que me foi permitido expressar, ou seja, a constatação de que a prece faz parte da própria natureza humana, não sinto capacidade para avaliar qualitativamente a prece, ou seja, não me parece possível determiná-la no uso da razão ou do conhecimento.

Assim entramos no domínio da fé e independentemente da forma o efeito terá forçosamente de ser similar.

Pelo facto de a alguns de nós nos parecer desadequada a utilização das orações decoradas e muitas das vezes nem sequer compreendidas ao nível do que estas contêm em termos do seu próprio significado, não é de todo conclusivo acerca dos efeitos que produzem no intimo de cada um que as profere que é então a sua finalidade ultima e única e também não sabemos que tipo de efeito provocam junto de quem é evocado.

Neste ponto deparamo-nos então com uma encruzilhada de matérias que são objecto de estudo diferenciado e de complexidade elevada, como são as noções de karma, destino, livre arbítrio, determinismo, etc…, que culminam na incapacidade de demonstrar a existência de Deus e muito menos a sua natureza e portanto saber o tipo de consequência que a prece tem.

Afirma-se pela boca dos espíritos a materialização dos pensamentos e das vontades em formas vivas e interactivas. Se assim for, a prece não é mais do que uma dessas formas e independentemente de como são geradas provocarão os seus efeitos, tanto sobre aquele que as origina como junto daqueles a quem são dirigidas.

Continuando a suportar este raciocínio nesta hipotética verdade, a causa dessas formas não estão na palavra mas sim no pensamento e portanto se não sintonizadas, as primeiras são sem significado causal, ou seja, independentemente daquilo que a nossa boca profere as intenções serão infinitamente variadas e a palavra não é mais do que um instrumento de concentração num determinado objectivo.

Será que estas formas chegam a Deus? Eu acredito que sim, e testemunho a minha necessidade pessoal da sua utilização consciente, no entanto do ponto de vista do saber, penso que a resposta a esta questão é impossível de ser obtida.

Taprobana
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edelvis em 10 de Agosto de 2009, 02:05
A Prece...
Como é importante para nossa vida!
A prece é ofio codutor que nos liga a Deus, através dela nos conectamos com Ele e com os Bons Espíritos que nos assistem.
Após ter entrado no Fórum e lido os tópicos fiquei meditando sobre tudo o que foi dito e depois li um email que recebi de um amigo e o assunto: A Fé e a Prece.
Vou repassar a mensagem a vocês, que talvez a conheçam, mas ela me toca muito, quando a leio, ela me faz renovar a confiança na Providência Divina e me lembrar que sempre devemos cultivar nossa Fé.

UMA HISTÓRIA REAL
Essa tradução do Reverendo Oscar Lehenbauer, de uma história acontecida com uma missionária americana que atuava em pleno coração africano, nos revela um final emocionante. E como Deus preocupa-se com a gente...

...
Certa noite eu estava fazendo de tudo para ajudar uma mãe em trabalho de parto. Apesar do esforço ela não resistiu e nos deixou com um bebê prematuro e uma filha de dois anos em prantos.
Era muito complicado manter o bebê vivo sem uma incubadora (não tínhamos eletricidade para ativar a incubadora). Também não tínhamos recursos adequados de alimentação. Mesmo morando na linha do equador, as noites eram, frias com aragens traiçoeiras. Uma das aprendizes de parteira foi buscar a caixa que reservávamos a tais bebês e os panos de algodão para envolvê-lo.
Uma outra, foi acender o fogo para aquecer uma chaleira com água, para a bolsa de água quente.
Sem demora, retornou desconsolada pois a bolsa disponível, havia rompido.Borracha estraga fácil em clima tropical. "Era nossa última bolsa", disse-me.
Assim como no ocidente se diz que "não adianta chorar sobre o leite derramado", na África Central poderia ser que “não adianta chorar sobre bolsas estragadas”. Elas não crescem em árvores, e não existem farmácias no meio das florestas...
"Muito bem", eu disse, coloque o bebê em segurança o mais próximo quanto possível do fogo e durmam entre a porta e o bebê para protegê-lo das rufadas de vento frio. Precisamos manter o bebê aquecido.
Na manhã seguinte, fui orar com as órfãs que se dispuseram a reunir comigo. Fiz uma série de sugestões que pudessem despertá-las a orar e, também, contei-lhes sobre o bebê.
Expliquei nossa dificuldade em manter o bebê aquecido, em função da única bolsa de água que havia estourado, e que o bebê poderia morrer de frio.
Mencionei a irmãzinha de 2 anos, que não parava de chorar, pela perda e ausência da mãe.
Durante as orações, uma das meninas de 10 anos, uma de nossas crianças africanas, orou:
“ Por favor, Deus, manda-nos uma bolsa de água quente. Amanhã talvez já vai ser tarde, Deus, porque o bebê pode não agüentar. Por isso, manda a bolsa ainda hoje, meu pai”
Enquanto eu ainda procurava recuperar o ar diante de tamanha demonstração de fé, ela acrescentou:
"E já que está cuidando disso, Deus, por favor, manda junto uma boneca para a irmãzinha dela, para que ela saiba que o senhor a ama de verdade.”
Fiquei em apuros. Eu poderia simplesmente dizer “Amém”. Eu, honestamente, não podia acreditar, que Deus atenderia àquele pedido. A bíblia nos ensina, que a fé, não tem limites.
O único jeito de realizar esse pedido, seria por encomenda à minha terra natal, via correio. Eu estou na África, há quatro anos e jamais havia recebido uma encomenda postal de casa. De qualquer forma, se alguém enviasse algo, mandaria uma bolsa de água quente? Eu morava na linha do Equador.
À tarde, durante uma aula da escola de enfermagem, veio um recado dizendo que um carro estacionara no portão de minha casa. Corri...Ao chegar em casa, o carro havia partido, mas deixara um pacote de 11 kg na varanda.
Chorei. Não consegui abrir o pacote sozinha, e pedi que algumas crianças do orfanato me ajudassem. Tudo foi feito com muito cuidado, para que nada fosse danificado. Os corações batiam forte.
Os olhos, acompanhavam arregaladamente cada ação. A camada de cima, era composta de roupas coloridas e cintilantes. O silêncio tomava conta, à medida que ía tirando as novidades. Havia ataduras para leprosos, caixinhas de uva-passas, farinha, que daria um gostoso bolo no fim de semana.
Quando pus as mãos de novo na caixa, pasmem... “Uma bolsa de água quente, novinha em folha”. Eu gritei ! Eu não havia feito nenhuma encomenda neste sentido. Ruth, que estava perto, saltou e começou a gritar:
"Se Deus mandou a bolsa, ele também mandou a boneca.”
Enfiando as mãos na caixa, procurava pela boneca.E lá estava ela maravilhosamente vestida. Ruth nunca duvidara. Olhando para mim, perguntou:
“Posso ir junto, levar a boneca para aquela menina, para que ela saiba que Jesus também a ama muito?”
Este pacote estivera a caminho por 5 meses. Foi uma iniciativa da minha ex-professora de escola bíblica, que atendeu a voz do Senhor de enviar uma bolsa de água quente. Uma das meninas da turma, decidiu mandar junto uma boneca, cinco meses antes !!! em resposta a uma oração, de outra menina de 10 anos que acreditou fielmente que Deus atenderia a sua oração, ainda naquela tarde.
“Eu darei a eles o que desejam, antes mesmo de Me pedirem.”
(Is 65.24) Tradução da BÍBLIA VIVA

A oração que se segue leva menos de 1 minuto.
Ore-a. É só o que peço, nada mais.

"Pai, peço que abençõe a todos que lêem esta oração".
Onde houver dor, concede paz e misericórdia.
Onde houver dúvidas, renova a confiança de que podes agir por meio deles.
Onde houver cansaço e esgotamento, dá força e orientação, para se colocarem sob a Tua liderança.
Onde houver estagnação espiritual, peço-Te que o renove, e mostre que queres que se aproximem de ti, e busquem intimidade contigo.
Onde houver medo, revela Teu amor, e conceda Tua coragem.
Onde houver qualquer pecado criando bloqueios, dá-lhes o poder de enxergá-lo, para que as amarras se soltem em favor de quem confia em Tí.
Abençoa tudo o que somos e temos, abrindo nossos olhos e coração para onde a necessidade nos orientar.
Dá-nos discernimento para reconhecer os obstáculos e a superá-los pelo Teu poder e amor.

Te peço isso, meu Pai, em nome de Teu Santo Filho, Jesus “
Amém !!

 :)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 10 de Agosto de 2009, 02:47
Caro amigo ,Taprobana.
Pela sua capacidade de argumentação entendo que você tem fácil percepção do que tento transcrever.
     Não discordo de si, pois o que seria de uma velhinha, que não sabe ler nem escrever; mas que na sua grandiosa Fé sabe de cor as inúmeras preces?
    -Não deixa portanto de ter mérito as mesmas perante o Criador! Quanto aos que Oram com palavras que se soletram do seu “Eu” interior, como inspiração, para mim, tem um efeito salutar, pela razão que facilita na minha opinião e sublinho na minha humilde opinião, a elevação da vibração.

Eu tinha citado anteriormente o seguinte:

[size=10pt][/size]
Citar
Não estou a dizer com isto que a religião Católica não nos leva ao Pai! Não estou a dizer que as outras são inferiores! Apenas que a melhor forma de Orar é estarmos cientes de como expomos nossos pensamentos!

   Tudo o que o amigo mencionou, eu concordo! Como penso que o amigo concordará comigo... se não, no mínimo encontrará uma causa, que consequentemente possa levar ao efeito…
Amigo se a sua Fé são as preces decoradas e quando pronunciadas sejam emotivas, quem sou eu para dizer que as minhas se elevam mais alto! No entanto deixei aqui o meu ponto de vista e da forma mais capacitada de momento, devido ao estado evolutivo que me encontro…
Abraço Fraterno…
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Vitor Santos em 10 de Agosto de 2009, 12:52
Olá

A doutrina espirita ensina que os nosso pensamentos se propagam, através do fluido cósmico universal. Desta forma podem ser escutados por qualquer espirito que esteja aberto a isso.

Aqui já é uma hipótese minha:

Eu penso que os pensamentos são encapsulados nos sentimentos e o que chega aos outros espiritos, encarnados e desencarnados, é, primeiro que tudo, a cápsula da mensagem (o sentimento que a anima) e depois a mensagem.

Por isso, as palavras só são importantes se a mensagem for recebida. Os espiritos só recebem as mensagens que estão abertos para receber. Se a cápsula exterior (os sentimentos ou emoções) estiver de acordo com os sentimentos do espirito receptor, ele poderá aceitar a mensagem, senão rejeita-a. Penso que se trata até de um mecanismo automático.

Eu penso isto, porque é o que se passa connosco, espiritos encarnados aqui na terra.

António Damásio, investigador português, de renome mundial, residente nos EUA, chegou a estas conclusões experimentalmente. Até escreveu um livro que se chama o "Erro de Descartes".

Descartes dizia: penso, logo existo.

Damásio diz: sinto, logo existo.

As emoções são filtros da informação, que permitem que ela seja analisada rápidamente. Damásio diz que isso é só a nivel cerebral. Nós, espiritas, sabemos que o pensamento tem origem no espirito, embora nos seja traduzido pelo corpo fisico, que é uma lente quase opaca.

É a emoção que determina primeiro a acção e não a razão. A razão é o segundo nivel (também muito importante), mas a análise racional só é possivel após a filtragem das emoções.

Imagino assim: As emoções são como óculos de várias cores e niveis de opacidade. A razão funciona, mas vê a realidade através dos óculos, que são as emoções.

A minha hipótese explica porque é que as preces das pessoas que estão a orar de forma pouco racional (a repetir palavras, por exemplo), podem chegar ao alvo. É o sentimento que envolve a mensagem que determina a sua natureza e que a vai tornar acessivel aos outros espiritos. Ou seja, uma pessoa muito racional, mas fria, que não está a sentir o que diz, pode não conseguir levar os seus pensamentos aos bons espiritos, enquanto que uma prece dita de forma pouco racional, mas cheia de bons sentimentos, pode chegar aos bons espiritos.

Contudo, há que salvaguardar que não há milagres nisto.

Se foi atendido o pedido e nos chega um bem material, é porque o nosso pensamento foi sugerido, directamente ou através dos bons espiritos, a outra pessoa. E essa pessoa providencia esse bem material, como a intuição lhe sugere.

os espiritos podem transportar objectos materiais, mas isso é muito pouco comum (e tb não é um milagre, é um fenómeno bem explicado no Livro dos Médiuns, de Kardec).

A regra é que as pessoas, perante o pensamento que lhes é sugerido, levem o objecto material. A excepção pode ser um fenómeno de transporte, se houver médiuns adequados para isso (conscientes ou não). Mas é muito raro reunirem-se as condições para isso.

As leis da natureza não podem ser violadas. Não há nada sobrenatural. Podem é haver leis da natureza que ainda não conhecemos. Deus criou o universo e o universo não age fora da vontade do Criador, que criou as leis da natureza.

As mensagens são sempre recebidas por alguns espiritos, mas os bons espiritos rejeitam as que não têm sentimentos nobres por detrás. Assim, as preces mal intencionadas vão chegar a espiritos pouco recomendáveis.

bem hajam
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Selma em 10 de Agosto de 2009, 14:16
Esse estudo sobre a prece está sendo maravilhoso, e agradeço de coração a todos que responderam ao meu post.
Faz sete anos que convivo com pessoas que não acreditam em Deus (ateus). Como fazem parte da família, não há como evitar a convivência. Sabendo que sou Espírita, sempre estão a debater comigo assuntos referentes à religião. Os ateus são em sua grande maioria muito inteligentes e sempre encontram respostas para negar tudo aquilo que creditamos a Deus.
Tal convivência não abalou  minha crença, mas sempre surge uma segunda voz a me questionar sobre o que penso.
Estou aqui com vocês para ter convivência sadia  com Espíritas, para manter dentro de mim acesa a chama do Espiritismo e do poder da prece.
Um grande abraço.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 10 de Agosto de 2009, 14:40
Olá Dom Jorge...obrigada por partilhar connosco esse diálogo tão ilucidativo, de como usamos a prece levianamente, sem entendermos o seu real sentido.

De facto para além daquilo que me foi permitido expressar, ou seja, a constatação de que a prece faz parte da própria natureza humana, não sinto capacidade para avaliar qualitativamente a prece, ou seja, não me parece possível determiná-la no uso da razão ou do conhecimento.

Olá Taprobana... não será pela razão que conseguiremos "avaliar" a prece... entendo a sua dúvida,mas certamente podemos discernir entre uma prece vazia de sentimentos, de outra profundamente ligada à divindade.

Em tempos fiz um curso de teatro, e na altura o nosso professor/coordenador, fez alguns exercicios onde diziamos várias palavras isentas de sentimentos, tipo - carro, lápis, pedra, etc, e propunha que as dissessemos alto, com temor,com paixão, com alegria, com tristeza.
Naturalmente percebemos que os sentimentos que passamos para os outros, não vêm das palavras proferidas, mas o que exprimimos, seja vibracional, seja emocional, naquele momento.

A preocupação de cada um não deveria ser tanto em relação aos efeitos da prece,mas se esta é sincera ou se limita a cumprir uma obrigação.

Muitos afirmam: eu oro todos os dias de manhã e à noite. Outros, apenas quando sentem vontade ou necessidade.
O que pretendemos que se reflicta é se temos consciencia que orar muito pode não significar orar bem...
Isto tudo é relativo...concordo consigo...mas há um caminho a percorrer, pelo que fugir dessa reflexão é alimentar a ilusão de que tanto faz desde que se ore...se éque me faço entender...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 10 de Agosto de 2009, 14:51
Citar
Este pacote estivera a caminho por 5 meses. Foi uma iniciativa da minha ex-professora de escola bíblica, que atendeu a voz do Senhor de enviar uma bolsa de água quente. Uma das meninas da turma, decidiu mandar junto uma boneca, cinco meses antes !!! em resposta a uma oração, de outra menina de 10 anos que acreditou fielmente que Deus atenderia a sua oração, ainda naquela tarde.

Olá Edelvis...e ainda há quem duvide que o acaso não existe, e que muito na nossa vida não está pre-destinado.
Como Deus poderia saber que a menina iria orar, e assim depois atender-lhe a súplica?

Não estaremos perante um caso bem sugestivo de que Deus sabe de tudo o que precisamos e nada precisamos pedir?
Pois...se a criança não tivesse orado, a bolsa de água ea boneca não teriam chegado na mesma?

O que acham?

Beijitos

 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Haga em 10 de Agosto de 2009, 17:35
Jesus disse "pedi e obtereis" mas esse pedido não é de coisas materias. Da oração apenas recebemos benefícios espirituais tais como  energias, a luz, a inspiração ,enfim um estado de espirito para suportarmos os acontecimentos que deus nos coloca na frente.

O interno é o mundo real que pode ser alterado atraves da oração, e nao o externo, esse aí está na mão de Deus.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 10 de Agosto de 2009, 17:50
Ola muita paz companheiros

Orar é banhar-se de Luz


Livro: Calvário de Libertação
Victor Hugo & Divaldo P. Franco

          Infelizmente, para muitas pessoas, a oração é um despropositado recitativo de palavras sonoras, destituídas de qualquer significação para a criatura.

          Organizada por mentes mais intelectualizadas, a prece. geralmente, não responde em conteúdo emocional nem em compreensão das necessidade do ser.

          Por isso que, na sua expressiva totalidade, a oração deve ser espontânea, para que produza sintonia entre quem busca a paz e a fonte geradora da harmonia. Sendo apenas uma fórmula esvaziada de significação pessoal, não corresponde aos anseios do sentimento nem às necessidades da mente.

          A oração é o mecanismo-ponte que une a criatura ao seu Criador através do infinito abismo da evolução. Constitui recurso sem palavras, em que o homem se libera das paixões, esquecendo-se da trivialidade para agigantar-se, enriquecendo-se de valores de alto porte.

          Sendo o homem um transceptor, sua mente tanto recebe como emite raios e vibrações, ondas e idéias que se irradiam na direção dos fulcros nos quais fixam os seus interesses, dali recebendo as respostas compatíveis com os desejos, a intensidade do apelo e a coordenada mental.

          Justo, portanto, como apregoou Jesus, que se dê a "cada um conforme as suas obras", já que o problema da sintonia resulta da vinculação que se prefira, na mesma faixa haurindo o que se vitaliza. Todavia, não considerando as deficiências do orante, os Centros de Registros e Avaliação das rogativas humanas, espalhados pelas Províncias próximas da Terra, recebem as solicitações que até ali chegam, consideram-na urgência e a significação das mesmas, respondendo conforme as circunstâncias e as vantagens de profundidade eterna para o ser, mediante o dulcificar, o lenir da angústia, a esperança, a renovação do apelante, o intercâmbio psíquico com as mentes generosas e sublimes em nome da providencial misericórdia de acréscimo do Pai, que a todos e a tudo vitaliza, socorre e sustenta.

          É certo, que nem sempre são atendidos os apelos consoante as formulações enviadas, desde que, na infância espiritual da vida, genericamente os homens somente. conhecem o que os interessa do ponto de vista egoístico e atender-lhes as súplicas vazadas nas questiúnculas da mesquinhez, seria dilatar-lhes a ignorância atual para uma aflição mais demorada neles mesmos, posteriormente...

          O ato de orar é um conúbio de amor.

          O espírito que ora emite vibrações teledinâmicas que se dirigem à máxima quantidade do Universo e retornam carregadas de peso específico, nele penetrando com vigor e dominando-o.

          O grande benefício, da oração se patenteia no momento mesmo da prece, pelo soerguer-se da situação penosa e aflitiva, a fim de planar-se nas ondas benéficas) reconfortantes do pensamento otimista) que passa a receber inspiração, conforto e apoio.

          Condicionados negativamente, os homens oram vez que outra, apenas quando açodados por problemas, distantes do hábito de comungar com as forças vivas e pu1santes da Vida.

          Nesses momentos, a mente desajustada não ora, antes reclama, exige, desconserta-se mais, vitimada pela irritação. pela ansiedade, em detrimento das necessárias condições para o êxito, tais como: confiança, amor, submissão à vontade superior.

          A oração é fonte de inexauríveis recursos, cuja ação se desenvolve em torno daquele que os busca.

          Quem prefere o regato cristalino para o banho se renova e asseia com a linfa reconfortante.

          Orar é banhar-se de luz.

          A vibração da mente em oração sincroniza com as ondas telediI1àmicas do Mundo Espiritual Superior, articulando benefícios insuspeitáveis quanto atraindo atenção e interesse dos Espíritos encarregados do equilíbrio na Terra.

          O sintonizar com as ondas do bem produz benefícios físio-psicossomáticos surpreendentes, desde que a idéia mental, geradora da prece, se mantenha em freqüência constante e intensidade harmônica, do que resultam mudança da psicosfera e aquisição de forças específicas próprias para a vida humana.

          Ainda não tem sido valorizada a oração nem colocada no seu devido significado, mesmo entre os religiosos.

          Não se trata de "orar muito", mas de orar bem, despojando-se a criatura da arrogância e da presunção para, desnudado de ambições pueris, anelar pelo equilíbrio ante as leis do amor universal.

          A prece propicia resultados imunológicos e profiláticos, quanto terapêuticos por harmonizar o tom vibratório do indivíduo, impedindo o contágio de bactérias perniciosas, de germens deletérios que não encontram campo para a erupção dos males que propiciam, corno gerando uma aura de energia específica que envolve o homem, constituída de vibrações especiais próprias para rechaçar as "formas-pensamento", os "vibriões-mentais", as "larvas-psíquicas", ao mesmo tempo em que revitaliza o metabolismo, no perispírito, rearmonizando o campo das moléculas, no que redunda em ação salutar.

          A oração harmoniza o ambiente onde se manifesta e é exercida, criando uma psicosfera balsâmica, agradável, calmante.

          Orar é inundar-se de forças poderosas do mundo invisível para atuar com segurança no mundo das formas visíveis.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: LuisMartins em 10 de Agosto de 2009, 18:24
Caros,

Entendo a prece como a forma de nos "limparmos" deste mundo material e através dela entrarmos em contacto com os espíritos superiores e com Deus. Após rezarmos sentimo-nos leves, realizados, atentos e com todos os nossos sentidos despertos.

Penso que é após a prece que nos sentimos mais aptos para melhor visualizarmos o caminho a seguir e corrigir as opções menos correctas.

beijocas

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: janne em 10 de Agosto de 2009, 22:23
 :) Orar é se colocarem sintonia com a espiritualidade com Deus e  também consigo mesmo , acalmar nossos pensamentos silenciar nossos gritos interiores ...
     

Se um dia te encontrares em situações tão dificieis que a vida te paraça um carcere

sob o cerco de perseguidores,

aparentemente imbativeis,

sofrendo intrigas e compirações no meio doméstico,
 
ou te encontrares no campo de moléstias consideradas irreversiveis,no laço das paixões que te conturbem a mente ,

debaixo de provas que te induzam à desolação e ao desânimo,

sob a pressão de hábitos infelizes,

Qualquer que seja o problema ora e confia  porque Deus tem estradas , onde o mundo não tem caminhos.

E por isso a tempestado pode rugir à noite, mas não existem forças na Terra que impeçam, cada dia a chegada de novo amanhecer



(  Do livro Amizade  - Chico & Meimei
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Taprobana em 11 de Agosto de 2009, 01:00
Amigo Nelson Castro

Entendo e agradeço a partilha de opinião que amavelmente disponibilizou.

Olá Gigi!

Sim amiga, entendo e consigo deslocar-me até ao ponto de observação em que se encontra e focalizar a minha atenção para aquilo que transmite, ou seja, que a emotividade é uma emanação espiritual que afecta de forma visível aqueles que a testemunham e parece ser evidente que uma oração sentida e envolta em sentimentos elevados de bem e amor poderá ser “ouvida” por quem quer que esteja de serviço aos choramingas pedinchões, seja o próprio Deus ou alguém por ele indicado. (Não resisti à brincadeira. Peço desde já perdão aqueles que não acharam graça nenhuma a esta piada.)   :-[

Apesar de pessoalmente não me enquadrar com este tipo de experiencia, já assisti a terapias pelo riso em que numa sala todos começam a rir de forma desmedida e passado pouco tempo o riso forçado transforma-se em gargalhadas sinceras.

Da mesma forma todos nós á passamos pela experiencia de assistir a uma cena de violência que os nossos sentidos captam de forma extremamente emotiva.

No entanto, amiga, convidando-a a passear comigo um pouco à volta do tema em debate e desloquemo-nos para outro ponto de observação, no qual é possível ver que independentemente do tipo de emotividade que é expressa por este ou aquele individuo, ou mesmo se independentemente da presença ou ausência dessa emotividade de facto a intenção da prece esta sempre presente. Daqui podemos observar que apesar de diferentes em termos de forma e de conteúdo, a vontade de poder foi emanada e se houver destino para umas terá forçosamente de haver para outras. Se assim não fosse parece ser mais carente de ajuda o que não sabe pedir do que aquele que já de si mesmo é um espírito de luz experiente e ficaz nestas coisas de dar a volta a Deus. (Outra piada escusada!)  :-X

Vou terminar por hoje. Estou com o meu espírito envolto em vontade de humor que pode não ser conveniente.

Um abraço amiga!  ;)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: susudeazevedo em 11 de Agosto de 2009, 02:32
Na minha opinião a prece é uma maneira intíma de praticar a fé.
Um momento único e muito particular de se abrir com Deus
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edna☼ em 11 de Agosto de 2009, 12:31
Senhor...
Ajuda-me a dizer a verdade diante dos fortes
e a não dizer mentiras  para ganhar o aplauso dos fracos.
Se ne dás fortuna, não me tires a razão.
Se me dás o sucesso, não me tires a humildade.
Se me dás humildade, não me tires a dignidade.
Ajuda-me a enxergar o outro lado da moeda.
Não me deixes acusar o outro por traição aos demais, apenas por não pensar igual a mim.
Ensina-me a amar aos outros como a mim mesmo.
Não deixes que me torne orgulhoso se triunfo, nem cair em desespero se fracasso.
Mas recorda-me que o fracasso é a experiência que precede ao triunfo.
Ensina-me que perdoar é um sinal de grandeza e que a vingança é um sinal de baixeza.
Se não me deres o êxito, dá-me forças para aprender com o fracasso.
Se eu ofender às pessoas, dá-me a coragem para desculpar-me,
e se as pessoas me ofenderem, dá-me a grandeza de perdoá-las.
Senhor, se eu me esquecer de ti , nunca te esqueças de mim.
 
(Recebido como de Gandhi ???)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 11 de Agosto de 2009, 12:52
Lindissimo, este texto.
Obrigado por partilhares, amiga Edna.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Dina39 em 11 de Agosto de 2009, 13:16
Prezados participantes do forum,

Estou entrando pela primeira vez no forum e escolhi o tema prece pois é um assunto que me interessa bastante.
Tenho lido muitas coisas sobre prece / oração, mas sinto muita dificuldade em me dirigir a Deus e/ou Jesus para orar. Admiro muito as pessoas que conseguem orar.
Sabendo Deus tudo pq orar ???. Ele sabe quando estamos contentes, tristes, doque necesitamos......

Desculpem algum erro de portugês. Sorry
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Carlos Ribeiro em 11 de Agosto de 2009, 13:21
Citar
Tenho lido muitas coisas sobre prece / oração, mas sinto muita dificuldade em me dirigir a Deus e/ou Jesus para orar. Admiro muito as pessoas que conseguem orar.
Olá Dina, seja bem vinda.
Não fique preocupada com sua dificuldade. Eu também tenho essa dificuldade e oro muito menos do que devia. Mas penso que a oração não deve ser forçada mas sim feita quando sentimos mesmo necessidade de falar com Deus.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Dina39 em 11 de Agosto de 2009, 13:31
Eu sei que deveria orar mais, ter mais contato com Deus. Sempre ouvi dalar que é importante, mas eu não sinto isso.
Vc tem razão não deve ser forçado, mas foi o que sempre aconteceu em minha vida, então acredito que agora me seja dificil aceitar e entender a necessidade que o ser humano ter de estar em "constante" communicação com o Senhor.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 11 de Agosto de 2009, 14:20

a oração deve ser espontânea, para que produza sintonia entre quem busca a paz e a fonte geradora da harmonia.

Olá meu amigo Victor, do texto que partilhou connosco cito esta frase pois encerra algo,a meu ver importante.

Talvez pudessem auxiliar na reflexão sobre a mesma:porque a oração espontânea atinge mais rapidamente os objectivos pretendidos, que são...sintonizarmo-nos com o Mundo Maior, com Deus, o Pai de todos nós...?

Olá LuisMartins seja bem vindo ao forum e ao nosso estudo! Não posso deixar de lhe enviar um beijinho em especial pois reparei que você é da terra mais linda de Portugal, ou não fosse a terra da minha mãe e meus avós adorados. Vivi aí...que saudades...em breve estarei de visita à família.

convidando-a a passear comigo um pouco à volta do tema em debate

Por sinal Taprobana, até me vi a passear consigo... :) e dada a sua boa disposição foi muito agradável. No entanto, devido ao encantamento da companhia e do local, acho que me perdi nos pormenores, e fiquei um pouco sem entender o que quis dizer.
Entendi que seja qual for a prece,seja qual for a ocasião ou o local, desde que nasça vontade de a fazer dentro do ser ela sempre atinge o Criador. É isso?

Sendo assim, seria para si indiferente a prece ter ou não qualidade...?

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 11 de Agosto de 2009, 14:34
Assim orava Gandhi :


Olá Edna... a oração é linda, mas julgo não pertencer a Mahatma Gandhi, mas sim a um escritor islâmico...não sei se Allahu Akbar...mas é questão de averiguar... A net tem destas confusões...
Se ler o livro M.Gandhi de Huberto Rohden, verá que não é o tipo de oração que ele faria...além disso ele não era um homem de palavras feitas...
Num aparte...existe um poema inglês, que circula na net (um dia você aprende...) como sendo de Shakespeare, quando na verdade pertence a uma poetisa inglesa.

O que não retira a profundidade da mensagem.

Querida Dina39...bem vinda ao nosso estudo. Sim...por sabermos dessa dificuldade pretendemos reflectir juntos sobre o tema. Recomendo-lhe que leia desde o inicio, para depois nos acompanhar colocando as suas dúvidas.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: jociane em 11 de Agosto de 2009, 15:22
Acho q a Oração tem q ser feita com fé, sinceridade

temos q reservar um tmpinho para conversar com DEUS ..
Quando estivermos orando, temos q nos concentrar na oraçaõ e não no q aconteceu durante o dia.... :P :D
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: kricca em 11 de Agosto de 2009, 16:03
Em qualquer posição de desequilíbrio, lembra-te de que a prece pode trazer-te sugestões divinas, ampliar-te a visão espiritual e proporcionar-te consolações abundantes...A prece  tecida de inquietação e angústia não pode distanciar-se dos gritos desordenados de quem prefere a aflição e se entrega à imprudência, mas a oração tecida de harmonia e confiança é força imprimindo direção à bússola da fé viva, recompondo a paisagem em que vivemos e traçando rumos novos para a vida superior. (Emmanuel).

A prece para mim é um consolo, um alívio e uma maneira de podermos vibrar por todos que necessitam.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Fife em 11 de Agosto de 2009, 16:40
Boa tarde, irmãos. Esta é  a minha primeira participação nesse fórum, o que me faz muito honrada. Nasci católica. Creio que o era na outra encarnação, pois desde menina sinto-me "em casa" dentro da igreja e nunca tive dificuldades em rezar. Sou muito devota de Maria, a Mãe de Jesus, e ela me ensinou a rezar o terço. Sempre conversava um pouquinho com Deus e com ela nos intervalos dos mistérios. No final, rezava a oração de Santo Agostinho pedindo o Espírito Santo. Acreditem: aos 37 anos recebi o Espírito que tanto roguei. Um livro espírita apareceu na minha mesa no local onde trabalho. Sou estudiosa, cientista, sempre me dediquei aos livros e como não poderia deixar de ser, li o livro que me foi "ofertado". Simplesmente sabia tudo o que ele dizia. Comecei compulsivamente a comprar livros de Allan Kardec e foi como se relembrasse o que já sabia. Nunca tive dúvidas sobre a minha religião. Não tenho dúvidas agora. Simplesmente eu sei...
Continuo rezando meu terço. Acho que no mundo de expiação que estamos é importante uma oração repetida, pois funciona como um mantra e me ajuda na concentração. Tenho certeza que Maria sabe disso quando nos recomenda essa reza. Sei que quando eu estiver em um mundo feliz minhas orações serão diferentes e eu não precisarei mais repeti-las. Por enquanto, elas me fazem forte e me aproximam de Deus. Compartilho com vocês a oração que sempre rezei de Santo Agostinho:
"Espírito Santo, Deus de amor, concede-me uma inteligência que Te conheça, uma angústia que Te procure, uma sabedoria que Te encontre... Uma vida que Te agrade e uma perseverança, enfim, que Te possua."
Fiquem com Deus. Amo todos vocês. Filomena.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: susudeazevedo em 11 de Agosto de 2009, 16:58
Ola Dina!!!
Tudo é questão de costume e prática  nós não estamos acostumados a orar.
É muito mais facil reclamar da vida...rssrs
Por isso temos que aprender que Deus esta do nosso lado. Da mesma forma que se uma pessoa está do seu lado, pra ela falar com você muitas vezes você tem que lhe dirigir a palavra.
Eu ja passei por essa fase, mas  que entendi que essa aproximação com Deus pode realmente fazer a diferença.


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: jociane em 11 de Agosto de 2009, 17:28
Adorei a resposta....

Muito interessante, simples e objetiva ;)

bjuxx

wleu!!!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 11 de Agosto de 2009, 19:02
Olá amigos(as)


Oração de AMMA as Durga


Sonho da Amma:

"Todo mundo deveria poder dormir sem medo ao menos por uma noite. Todo mundo deveria poder saciar sua fome por ao menos um dia. Deveria haver ao menos um dia em que os hospitais não precisassem atender casos de violência. Todos deveriam servir aos pobres e necessitados por ao menos um dia. Esta é a oração da Amma. Que este pequeno sonho se torne realidade."

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 11 de Agosto de 2009, 19:26
OLa muita paz e harmonia companheiros

Parabens pela interessante postura neste estudo enormemente importante.

Quando falamos em algo apelativo, quando assumismo aquilo que bem de dentro, estamos a tomar consciência e a ser espontaneos, não existem formulas ,nem rituais e a aplicar toda uma sensibilidade , que faz de nós seres mais sensivéis ...digamos estamnos a abrir as portas do amor ,porque uma prece dirigida aalguém é uma conversa que estamos a ter , e não um dialogo de rua...Carece de respeito, de sublimidade , dentro do contexto do maor.A prece é uma doação de dentro para fora e de fora para dentro...É Caridade com os outros e com nós mesmos.

Doação imaterial

Caridade é doação afectiva, desinteressada, espontânea. Traz aos destinatários um bem-estar real, não um gozo periférico. O espírito Emmanuel, numa mensagem ensina que ficamos apenas com o que damos.

Caridade é a fraternidade que acompanha o gesto, a atitude interior. Não é o gesto visualizado. Este pode apenas querer parecer, para merecer o aplauso mundano, conforme descreve o Evangelho.

Pensar nos outros, nas suas dificuldades. Ajudar... sem atrapalhar.

Neste cenário, contudo, quando uma mão se estende para auxiliar, torna-se necessário, em geral, que haja uma mão que queira receber. Este é um dos maiores entraves ao processo de aproximação que envolve a caridade. Os espíritos mais sábios sabem «convencer» o necessitado a aceitar a contribuição fraterna, ao cativá-lo, sensibilizando-o.

A caridade vai-se sedimentando no nosso comportamento tanto mais quanto mais o quisermos, sem angústias ou pressas. E começa nas mais pequeninas coisas. Às vezes ajuda reflectir no lado bom das pessoas mais próximas, em casa, no trabalho, na rua, ou das circunstâncias. Pensar na caridade sem ser de cima para baixo, como sendo eu o bom e o outro o desgraçado. Somos seres que caminhamos lado a lado, todos necessitados do amparo recíproco. Temos momentos melhores umas vezes, de outras têm os outros.

O que não resulta, por certo, é fazer cobranças a outrem, porque é melhor convencermo-nos, em benefício próprio, que ninguém - mas mesmo ninguém - tem qualquer obrigação de ser caridoso connosco, mas, de facto, nós próprios temos a maior obrigação de ser caridosos com os demais, entendendo-os, perdoando o que houvesse a perdoar, agradecendo a quota de generosidade com que de uma forma ou de outra nos beneficiam...

E aí, caridade pode ser o silêncio de alguém que nos tolera algum desassossego.


Muita paz e harmonia


VICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 11 de Agosto de 2009, 20:14
Antes de orardes, se tiverdes qualquer coisa contra alguém, perdoai-lhe, visto que a prece não pode ser agradável a Deus, se não parte de um coração purificado de todo sentimento contrário à caridade.in Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec

Tal como o Victor diz, é dificil dissociar a prece da caridade. E de que caridade falamos?

O conceito caridade encerra virtudes, que na opinião dos espíritos benfeitores são a essencia da transformação individual. Por isso a máxima do Espirito de verdade, fora da caridade não há salvação!

E que virtudes? Humildade, fraternidade, paciência, tolerância...

Mas a verdadeira caridade implica um desapego pelos desejos materiais, e uma entrega total, de Fé e Confiança, no Pai Celestial.

Quando falamos na qualidade da prece pretendemos entender melhor se uma prece habitual, memorizada, a pensar na prestação bancária para pagar, ou na rebeldia de um filho, ou na discussão com o namorado, é verdadeiramente uma prece.
E se esta é a prece que fazemos, porque ainda não sentimos aquela vontade interior de orar com o coração, poderiamos tentar mudar esse momento de prece?

Por exemplo...se ao invés de orarmos assim todos os dias, porque não fazê-lo apenas quando há uma grande vontade?

Ou então...a prece repetida, não poderá auxiliar a aumentar a vontade?

O que dizem sobre isso?

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 11 de Agosto de 2009, 20:24
E já que falamos no Gandhi vejamos o que ele diz sobre a oração:

Orar é ser um com Deus. Súplicas, adoração, oração, não são superstição. São actos mais reais que o comer, o beber, o repousar ou o caminhar.
Não é exagero dizer que eles são actos reais e que os demais são irreais.

A oração não é um passatempo ocioso de velhinhas. Entendida no seu valor, e usada justamente, é o meio mais potente de acção...A oração requer, sem dúvida, uma fé viva em Deus.

É preciso apresentar-se a Deus com as mãos vazias e uma atitude de completo abandono. É mais importante pôr na oração o próprio coração que dizer palavras sem coração.

A minha paz muitas vezes causa inveja. Ela vem-me da oração. Eu não sou um homem de ciência, mas creio, com toda a humildade, ser um homem de oração.
Título: Gandhi - frases
Enviado por: Rosa Mar em 11 de Agosto de 2009, 21:52
"A única revolução possível é dentro de nós.”

 
 "Creio poder afirmar, sem arrogância e com a devida humildade, que a minha mensagem e os meus métodos são válidos, em sua essência, para todo o mundo.”

 
 "A minha vida é um Todo indivisível, e todos os meus atos convergem uns nos outros; e todos eles nascem do insaciável amor que tenho para com toda a humanidade.”

 
 "Não desejo morrer pela paralisia progressiva das minhas faculdades como um homem vencido. A bala de um assassino poderia por fim a minha vida. Acolhe-la-ia com alegria”

 
 "A regra de ouro consiste em sermos amigos do mundo e em considerarmos como uma toda a família humana. Quem faz distinção entre os fiéis da própria religião e os de outra, deseduca os membros da sua religião e abre caminho para o abandono, a irreligião.”

 
 "O meu patriotismo não é exclusivo. Engloba tudo. Eu repudiaria o patriotismo que procurasse apoio na miséria ou na exploração de outras nações. O patriotismo que eu concebo não vale nada se não se conciliar sempre, sem exceções, com o maior bem e a paz de toda a humanidade.”

 
 "Acredito na essencial unidade do homem, e portanto na unidade de todo o que vive. Desse modo, se um homem progredir espiritualmente, o mundo inteiro progride com ele, e se um homem cai, o mundo inteiro cai em igual medida.”

 
 "A não-violência não existe se apenas amamos aqueles que nos amam. Só há não-violência quando amamos aqueles que nos odeiam. Sei como é difícil assumir essa grande lei do amor. Mas todas as coisas grandes e boas não são difíceis de realizar? O amor a quem nos odeia é o mais difícil de tudo. Mas, com a graça de Deus, até mesmo essa coisa tão difícil se torna fácil de realizar, se assim queremos.”

 
 "Mas creio que a não-violência é infinitamente superior à violência, o perdão é mais nobre que a punição. O perdão enobrece um soldado. Mas a abstenção só é perdão quando há o poder para punir; não tem sentido quando pretende proceder de uma criatura desamparada. Um camundongo dificilmente perdoa um gato que o dilacera. Compreendo os sentimentos daqueles que clamam pela punição condigna do General Dyer e outros iguais. Haveriam de esquartejá-lo, se pudessem. Mas não creio que a Índia seja desamparada. Não me considero uma criatura desamparada. Apenas quero usar a força da Índia e a minha própria para um propósito melhor.”

 
 "Só quando se vêem os próprios erros através de uma lente de aumento, e se faz exatamente o contrário com os erros dos outros, é que se pode chegar à justa avaliação de uns e de outros.”

 
 "O mundo não é totalmente governado pela lógica: a própria vida envolve certa espécie de violência, e a nós nos nos compete escolher o caminho da violência menor.”

 
 "Ao rejeitar a espada, não tenho senão a lâmina do amor para oferecer àquele que investiu contra mim. É ao oferecer-lhe esta lâmina que espero sua aproximação. Não posso conceber um estado de hostilidade permanente entre um homem e outro. Pois, crendo na reencarnação, vivo na esperança que, se não nesta vida humana mas numa outra, poderei cingir toda a humanidade num fraternal abraço.”

 
 "O amor é a força mais abstrata, e também a mais potente, que há no mundo.”

 
 "O Amor e a verdade estão tão unidos entre si que é praticamente impossível separá-los. São como duas faces da mesma medalha.”

 
 "Só podemos vencer o adversário com o amor, nunca com o ódio.”

 
 "Só se adquire perfeita saúde vivendo na obediência às leis da Natureza. A verdadeia felicidade é impossível sem verdadeira saúde, e a verdadeira saúde é impossível sem rigoroso controle da gula. Todos os demais sentidos estarão automaticamente sujeitos a controle quando a gula estiver sob controle. Aquele que domina os próprios sentidos conquistou o mundo inteiro e tornou-se parte harmoniosa da natureza.”

 
 "A civilização, no sentido real da palavra, não consiste na multiplicação, mas na vontade de espontânea limitação das necessidades. Só essa espontânea limitação acarreta a felicidade e a verdadeira satisfação. E aumenta a capacidade de servir.”

 
 "É injusto e imoral tentar fugir às conseqüências dos próprios atos. É justo que a pessoa que come em demasia se sinta mal ou jejue. É injusto que quem cede aos próprios apetites fuja às conseqüências tomando tônicos ou outros remédios. É ainda mais injusto que uma pessoa ceda às próprias paixões animalescas e fuja às conseqüências dos próprios atos.”

 
 "A Natureza é inexorável, e vingar-se-á completamente de uma tal violação de suas leis.”

 
 "Aprendi, graças a uma amarga experiência, a única suprema lição: controlar a ira. E do mesmo modo que o calor conservado se transforma em energia, assim a nossa ira controlada pode transformar-se em uma função capaz de mover o mundo. Não é que eu não me ire ou perca o controle. O que eu não dou é campo à ira. Cultivo a paciência e a mansidão e, de uma maneira geral, consigo. Mas quando a ira me assalta, limito-me a controlá-la. Como consigo? É um hábito que cada um deve adquirir e cultivar com uma prática assídua.”

 
 "O silêncio já se tornou para mim uma necessidade física espiritual. Inicialmente escolhi-o para aliviar-me da depressão. A seguir precisei de tempo para escrever. Após havê-lo praticado por certo tempo descobri, todavia, seu valor espiritual. E de repente dei conta de que eram esses momentos em que melhor podia comunicar-me com Deus. Agora sinto-me como se tivesse sido feito para o silêncio.”

 
 "Aqueles que têm um grande autocontrole, ou que estão totalmente absortos no trabalho, falam pouco. Palavra e ação juntas não andam bem. Repare na natureza: trabalha continuamente, mas em silêncio.”

 
 "Aquele que não é capaz de governar a si mesmo, não será capaz de governar os outros.”

 
 "Quem sabe concentrar-se numa coisa e insistir nela como único objetivo, obtém, ao cabo, a capacidade de fazer qualquer coisa.”

 
 "A verdadeira educação consiste em pôr a descoberto ou fazer atualizar o melhor de uma pessoa. Que livro melhor que o livro da humanidade?”

 
 "Não quero que minha casa seja cercada por muros de todos os lados e que as minhas janelas esteja tapadas. Quero que as culturas de todos os povos andem pela minha casa com o máximo de liberdade possível.”

 
 "Nada mais longe do meu pensamento que a idéia de fechar-me e erguer barreiras. Mas afirmo, com todo respeito, que o apreço pelas demais culturas pode convenientementemente seguir, e nunca anteceder, o apreço e a assimilação da nossa. (...) Um aprendizado acadêmico, não baseado na prática, é como um cadáver embalsamado, talvez para ser visto, mas que não inspira nem nobilita nada. A minha religião proíbe-me de diminuir ou desprezar as outras culturas, e insiste, sob pena de suicídio civil, na necessidade de assimilar e viver a vida.”

 
 "Ler e escrever, de per si, não são educação. Eu iniciaria a educação da criança, portanto, ensinando-lhe um trabalho manual útil, e colocando-a em grau de produzir desde o momento em que começa sua educação. Desse modo todas as escolas poderiam tornar-se auto-suficientes, com a condição de o Estado comprar os manufaturados.”

 
 "Acredito que um tal sistema educativo permitira o mais alto desenvolvimento da mente e da alma. É preciso, porém, que o trabalho manual não seja ensinado apenas mecanicamente, como se faz hoje, mas cientificamente, isto é, a criança deveria saber o porquê e o como de cada operação.”

 
 "Os olhos, os ouvidos e a língua vêm antes da mão. Ler vem antes de escrever e desenhar antes de traçar as letras do alfabeto”.

 
 "Se seguirmos este método, a compreensão das crianças terá oportunidade de se desenvolver melhor do que quando é freada iniciando a instrução pelo alfabeto.”

 
 "Odeio o privilégio e o monopólio. Para mim, tudo o que não pode ser dividido com as multidões é "tabu".

 
 "A desobediência civil é um direito intrínseco do cidadão. Não ouse renunciar, se não quer deixar de ser homem. A desobediência civil nunca é seguida pela anarquia. Só a desobediência criminal com a força. Reprimir a desobediência civil é tentar encarcerar a consciência."

 
 "Quem busca a verdade, quem obedece a lei do amor, não pode estar preocupado com o amanhã."

 
 "Minha missão não se esgota na fraternidade entre os indianos. A minha missão não está simplesmente na libertação da Índia, embora ela absorva, em prática, toda a minha vida e todo o meu tempo. Por meio da libertação da Índia espero atuar e desenvolver a missão da fraternidade dos homens".

 
 "O meu patriotismo não é exclusivo. Engloba tudo. Eu repudiaria o patriotismo que procurasse apoio na miséria ou na exploração de outras nações. O patriotismo que eu concebo não vale nada se não se conciliar sempre, sem exceções, com o maior bem e a paz de toda a humanidade."

 
 "Orar não é pedir. Orar é a respiração da alma."

 
 "A oração salvou-me a vida. Sem a oração teria ficado muito tempo sem fé. Ela salvou-me do desespero. Com o tempo a minha fé aumentou e a necessidade de orar tornou-se mais irresistível... A minha paz muitas vezes causa inveja. Ela vem-me da oração. Eu sou um homem de oração. Como o corpo se não for lavado fica sujo, assim a alma sem oração se torna impura."

 
 "O Jejum é a oração mais dolorosa e também a mais sincera e compensadora."

 
 "Quem venceu o medo da morte venceu todos os outros medos."

 
 "Uma civilização é julgada pelo tratamento que dispensa às minorias."

 
 "A regra de ouro consiste em sermos amigos do mundo e em considerarmos como uma toda a família humana. Quem faz distinção entre os fiéis da própria religião e os de outra, deseduca os membros da sua religião e abre caminho para o abandono, a irreligião."
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 11 de Agosto de 2009, 23:14
boa noite companheiros...agradeço tanta participação carinhosa, com textos para estudarmos, mas para que o estudo em grupo não se perca, pedia a gentileza que apenas trazerem excertos de textos, em forma de sintese ou resumo, relacionados directamente com as questões colocadas.

Posso contar com a vossa colaboração?

Assim sendo, peço que tentem dar a vossa opinião sobre...e passo a repetir...

Quando falamos na qualidade da prece pretendemos entender melhor se uma prece habitual, memorizada, a pensar na prestação bancária para pagar, ou na rebeldia de um filho, ou na discussão com o namorado, é verdadeiramente uma prece.
E se esta é a prece que fazemos, porque ainda não sentimos aquela vontade interior de orar com o coração, poderiamos tentar mudar esse momento de prece?

Por exemplo...se ao invés de orarmos assim todos os dias, porque não fazê-lo apenas quando há uma grande vontade?

Ou então...a prece repetida, não poderá auxiliar a aumentar a vontade?

Obrigada desde já.
Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 12 de Agosto de 2009, 00:23
Olá amigos(as)

16 – Se eu pois não entender o que significam as palavras, serei um bárbaro para aquele a quem falo; e o que fala, sê-lo-á para mim do mesmo modo. Porque se eu orar numa língua estrangeira, verdade é que o meu espírito ora, mas o meu entendimento fica sem fruto. Mas se louvares com o espírito, o que ocupa o lugar do simples povo como dirá Amém sobre a tua benção, visto não entender ele o que tu dizes? Verdade é que tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado. (Paulo, I Coríntios, XIV: 11 – 14,  16-17).

17 – A prece só tem valor pelo pensamento que a informa. Ora, é impossível ligar um pensamento àquilo que não se compreende, pois o que não se compreende não pode tocar o coração. Para a grande maioria, as preces numa língua desconhecida não passam de mistura de palavras que nada dizem ao espírito. Para que a prece toque o coração, é necessário que cada palavra revele uma idéia, e se não a compreendermos, ela não pode revelar nenhuma. Podemos repeti-la como simples fórmula, cuja virtude estará apenas no menor ou maior número das repetições. Muitos oram por dever, alguns, mesmo, para seguir o costume; eis porque eles se julgam quites com o dever, depois de uma prece repetida por certo número de vezes e segundo determinada ordem. Mas Deus lê no íntimo dos corações; perscruta o nosso pensamento e a nossa sinceridade; e considerá-lo mais sensível à forma do que ao fundo seria rebaixá-lo. (Ver cap. XXVIII, nº 2)

Evangelho Segundo o Espiritismo
Tradução de José Herculano Pires


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Taprobana em 12 de Agosto de 2009, 01:45
Citar
Por sinal Taprobana, até me vi a passear consigo...  e dada a sua boa disposição foi muito agradável. No entanto, devido ao encantamento da companhia e do local, acho que me perdi nos pormenores, e fiquei um pouco sem entender o que quis dizer.
Entendi que seja qual for a prece,seja qual for a ocasião ou o local, desde que nasça vontade de a fazer dentro do ser ela sempre atinge o Criador. É isso?

 :)

Parcialmente sim Gigi… o que eu vejo, observando a questão deste ponto em que nos encontramos no percurso do passeio, é que avaliar qualitativamente uma prece seria o mesmo que avaliar qualitativamente um espírito, ou seja, sendo a prece uma característica intrínseca e independentemente da formula que seja visível junto dos demais, não parece ser qualitativamente possível identificar um padrão que possa de forma racionalmente ser mais ou menos qualificada. Também não sei, porque não sou capaz de o saber, se o criador ouve ou não as nossas preces, no entanto acredito que se ouve as de alguém nesse caso ouve as de todos.

Citar
Sendo assim, seria para si indiferente a prece ter ou não qualidade...?

Não se trata de indiferença mas sim de não conseguir discernir nada que possa distinguir uma prece do ponto de vista da qualidade de outra. Sob o ponto de vista cultural não faz sentido, sob o ponto de vista da elevação é uma característica indefinível, sob o ponto de vista da intenção, se não é por “bem” então não se trata de uma oração mas de uma praga :D

Um abraço amiga.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edna☼ em 12 de Agosto de 2009, 02:16
Amigo Carlos Ribeiro, é uma alegria partilhar o texto com vocês.

Gigi querida, agradeço sua informação sobre a linda oração que pensava  ??? ser de autoria do memorável "Gandhi" a quem aprecio muito, mas vou averiguar sim.

O poema que você mencionou "Um dia você aprende", ao que parece é de autoria de "Veronica A. Shoffstall".

Rosa Mar, adorei as frases de Ghandi.

Abraços a todos,  :)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Jos em 12 de Agosto de 2009, 05:12
Prezada Gigi,

Você tem toda razão... podemos começar exercitando a nossa vontade com as preces repetidas... sendo a mais importante, a oração dominical, ensinada pelo nosso guia e modelo (Jesus).

Para ilustrar a idéia, temos aqui no Rio de Janeiro, uma rádio com o mesmo nome (Rádio Rio de Janeiro – 1400 AM), que tem um programa diário, de segunda a sexta-feira, das 21 às 22 horas, chamado: Luz na Penumbra, o qual, é o programa que deu origem a Rádio, inicialmente apresentado pelo próprio fundador, Geraldo de Aquino (já desencarnado), que traz em seu encerramento, uma prece, na voz do próprio fundador, a qual, por gostar muito dela, transcrevo-a abaixo:

Muita Paz a todos!

P.S.: Para quem mora fora da cidade do Rio de Janeiro, informo que a Rádio Rio de Janeiro pode ser ouvida pela Internet (Web), através da seguinte endereço:
http://www.radioriodejaneiro.am.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5yYWRpb3Jpb2RlamFuZWlyby5hbS5icg==)


Prece de encerramento do Programa Luz na Penumbra da Rádio Rio de Janeiro:

Jesus dá-nos coragem para luta,
Piedade com os insultos e misericórdia para as injustiças e ingratidões,
Limpa nossa alma de inveja e ambições mesquinhas,
De ódio e de vingança o nosso caminho.
E que dentro em pouco, ao recolhermos de novo ao calor do nosso leito,
Para que o sono nos dê a paz e o esquecimento das tristezas humanas,
Possamos sentir Senhor,
No mais intimo de nosso ser,
A doçura indefinível do teu amor,
E a grandeza incomparável da Tua divina presença.
Que assim seja.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 12 de Agosto de 2009, 12:28
Ola Muita paz companheiros

  Não sendo um legado de conhecimento estou sempre interessado em aprender e este tema tem uma profundidade que parece por vezes não ser entendida...

   Querido Amigo Tabropana, vou dirigir-me a si ,não com sentido de desvirtuar o raciocínio da orientadora do estudo..mas para tentar dar um ponto de vista...você diz;
       
Citar
Sendo assim, seria para si indiferente a prece ter ou não qualidade...?

Não se trata de indiferença mas sim de não conseguir discernir nada que possa distinguir uma prece do ponto de vista da qualidade de outra. Sob o ponto de vista cultural não faz sentido, sob o ponto de vista da elevação é uma característica indefinível, sob o ponto de vista da intenção, se não é por “bem” então não se trata de uma oração mas de uma praga Cheesy

Companheiro quanto a qualidade ,penso que talvez os termos nºao estejam a ser bem usados...no entanto você por exemplo não vai fazer uma prece de "cigarro na boca" ou sem um a postura de respeito pelo ato que está a produzir, lembro que ao orar está a irradiar energias...E essas sim tem sua qualidade, as de serem sentidas, de serem lucidas, de serem beneficas, de serem sinceras...
Claro que se você não estiver em sintonia generosa com o ato , não está a encaminhar energias beneficas, mas apenas a ser refratario ao que está a emanar...
Agora se me disser que a forma, , o colorido das palavras, ou o enfase da volumetria da mesma , não tem importãncia aí estamos de acordo...porque a oração é uma luz namente de cada um, seja pobre, rico, negro ou branco, a importância é a humildade , o sentido de respeito , a fé que impoe e acima de tudo a sinceridade das palavras....porque tão boa é uma prece dum catedratico, como de um analfabeto, o que importa é ao que vai, ....
Claro que todas as preces são direcionadas , no entanto não é por isso que elas possam ser atendidas , o merecimento, a importância da direcção que se pretende ter , e na oração meu Amigo não detem sentido cultural...mas espiritual...no entanto continuo a dizer que a melhor prece é os nossos atos...

Muita paz e harmonia em vossos corações

VICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: joserodrigues em 12 de Agosto de 2009, 13:18
Olá!!!

Como sabemos a PRECE é um momento íntimo em que entramos mais absoluta harmonia com o CRIADOR. é uma oportunidade para reflexão e comunhão com DEUS. A Prece deve ser simples e de coração, pois como disse o Divino Mestre Jesus não sejais como os hipócritas que muito bradam, mas como os humildes que oram em seus quartos, quando Jesus mandou que nos recolhessemos é para que realmente entremos em comunhão com o ALTÍSSIMO.

José Rodrigues
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 12 de Agosto de 2009, 13:46
Obrigada hcancela, você auxiliou muito trazendo estas transcrições para serem reflectidas...

16 – Se eu pois não entender o que significam as palavras, serei um bárbaro para aquele a quem falo; e o que fala, sê-lo-á para mim do mesmo modo. Porque se eu orar numa língua estrangeira, verdade é que o meu espírito ora, mas o meu entendimento fica sem fruto. Mas se louvares com o espírito, o que ocupa o lugar do simples povo como dirá Amém sobre a tua benção, visto não entender ele o que tu dizes? Verdade é que tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado. (Paulo, I Coríntios, XIV: 11 – 14,  16-17).

O que quer dizer Paulo com isto? Aparentemente a ideia é simples: se um emissor usa uma linguagem cujo receptor desconhece como descodificá-la, será que a mensagem é entendida?
Mas Paulo usa o exemplo das palavras para abordar a prece pública. Aquele que ora deve ter consciencia que nem sempre o que pensa e sente, é partilhado pelos outros que acompanham na prece. Daí o apelo á prece de palavras simples, sem ornamentos, para que seja sentida e interpretada por todos.

Muitos oram por dever, alguns, mesmo, para seguir o costume; eis porque eles se julgam quites com o dever, depois de uma prece repetida por certo número de vezes e segundo determinada ordem. Mas Deus lê no íntimo dos corações; perscruta o nosso pensamento e a nossa sinceridade; e considerá-lo mais sensível à forma do que ao fundo seria rebaixá-lo.

Mais uma vez se chama a atenção de que o essencial é o sentimento (o conteudo) da prece e não a forma.

Seria possivel fazermos uma prece sem pensarmos em nada?
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 12 de Agosto de 2009, 13:53
sob o ponto de vista da intenção, se não é por “bem” então não se trata de uma oração mas de uma praga :D

Meu amigo Taprobana, agora entendi... Mas você tocou exactamente no ponto de discussão: você tem a capacidade de diferenciar se a intenção é ou não verdadeira e se esta poderá atingir ou não o objectivo da oração.

Ou seja, mais do que a acção,a intenção marca a diferença. Concorda?

O Victor Passos, explicou bem, a meu ver, esta distinção.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 12 de Agosto de 2009, 14:08
De forma a sermos mais objectivos, coloco aqui duas imagens que contêm duas formas de prece, para que cada um reflicta sobre as mesmas e se possível, colaborem  dando a sua opinião...quem sabe até narrar situações pessoais relacionadas com o tema...

(http://nessacountry.zip.net/images/prece.jpg)

(http://jane.bluehosting.com.br/sao_francisco.jpg)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 12 de Agosto de 2009, 15:20
Olá amiguinhos...
   Nestas fotos os textos adjacentes, nos diz muito sem dúvida, agora esse bebé lindo e fofo, mesmo não estando pedindo o que alimenta o espírito e sim o que sacia na carne (prazeres terrenos), ele não deixa de ser um fofo que gostaria de pegar ele no colo ehehehe  :-*
    Na minha opinião a oração ilustrada com o Santo Francisco de Assis (espírito puro) é uma oração que expressa o valor da caridade e também a base da humildade, onde o egoísmo simplesmente não existe. Penso que todos somos conhecedores dessas virtudes… resta-nos com nosso livre-arbitro executa-las.
Abraço Fraterno
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 12 de Agosto de 2009, 15:29
Ola muita paz e harmonia meus Amigos...


Oremos Agindo

          Vigiai e orai para que não entreis em tentação... - Jesus (Marcos, 14:38)

          Diante da prova ora, envidando meios de transformá-la em experiência benéfica.

          Diante da penúria orar, desenvolvendo serviço que a desfaça.

          Diante da ignorância orar, acendendo luz que lhe dissipe a sombra.

          Diante da enfermidade orar, procurando medicação que lhe afaste os prejuízos.

          Diante do desastre orar, empreendendo ações que lhe anulem os afetos.

          Diante da dificuldade orar, aproveitando a lição dos obstáculos de modo a evitá-los futuramente.

          Diante do sofrimento orar, construindo caminhos para a devida libertação.

          Diante da discórdia orar, edificando recursos para o estabelecimento da paz.

          Orar sempre, mas agir cada vez mais para que se realize o melhor.

          Disse-nos o Senhor: vigiai e orai para que não entreis em tentação... e, realmente, acima de tudo vigiam e oram aqueles que ativamente se esforçam para que, em tudo, se faça o bem que nos cabe fazer.



Emmanuel & Francisco Cândido Xavier

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 12 de Agosto de 2009, 18:37
Obrigada hcancela, você auxiliou muito trazendo estas transcrições para serem reflectidas...

16 – Se eu pois não entender o que significam as palavras, serei um bárbaro para aquele a quem falo; e o que fala, sê-lo-á para mim do mesmo modo. Porque se eu orar numa língua estrangeira, verdade é que o meu espírito ora, mas o meu entendimento fica sem fruto. Mas se louvares com o espírito, o que ocupa o lugar do simples povo como dirá Amém sobre a tua benção, visto não entender ele o que tu dizes? Verdade é que tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado. (Paulo, I Coríntios, XIV: 11 – 14,  16-17).

O que quer dizer Paulo com isto? Aparentemente a ideia é simples: se um emissor usa uma linguagem cujo receptor desconhece como descodificá-la, será que a mensagem é entendida?
Mas Paulo usa o exemplo das palavras para abordar a prece pública. Aquele que ora deve ter consciencia que nem sempre o que pensa e sente, é partilhado pelos outros que acompanham na prece. Daí o apelo á prece de palavras simples, sem ornamentos, para que seja sentida e interpretada por todos.

Muitos oram por dever, alguns, mesmo, para seguir o costume; eis porque eles se julgam quites com o dever, depois de uma prece repetida por certo número de vezes e segundo determinada ordem. Mas Deus lê no íntimo dos corações; perscruta o nosso pensamento e a nossa sinceridade; e considerá-lo mais sensível à forma do que ao fundo seria rebaixá-lo.

Mais uma vez se chama a atenção de que o essencial é o sentimento (o conteudo) da prece e não a forma.

Seria possivel fazermos uma prece sem pensarmos em nada?
Olá GIGI

Uma boa pergunta, de difícil resposta(pelo menos para mim). ;)
Estar 100% concentrado penso que nos é complicado!...pensamos em muitas coisas ao mesmo tempo....Somos uma cabecinhas pensadoras(pensamos muita bobeira) ;D

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 12 de Agosto de 2009, 18:48
agora esse bebé lindo e fofo, mesmo não estando pedindo o que alimenta o espírito e sim o que sacia na carne (prazeres terrenos), ele não deixa de ser um fofo que gostaria de pegar ele no colo ehehehe  :-*

É mesmo Nelson...eu achei irresistivel, mas foi propositado, pois muitas vezes pegamos no nosso "ar" angelical, mas que não passa de aparência, e acabamos por nem sentir o que dizemos.

 Penso que todos somos conhecedores dessas virtudes… resta-nos com nosso livre-arbitro executa-las.

Exactamente essa a proposta deste estudo...é darmos este passo em frente!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 12 de Agosto de 2009, 19:00

Estar 100% concentrado penso que nos é complicado!...pensamos em muitas coisas ao mesmo tempo....Somos uma cabecinhas pensadoras(pensamos muita bobeira) ;D

Mas então meu amigo, como vamos fazer? Deixarmo-nos levar por esses pensamentos bobos? Vamos adiar?

Bem...aqui vai uma sugestão...

Como temos vindo a perceber, orar exige de nós entrega e também concentração.
Essa concentração pode ser alcançada através da meditação. Mas não me refiro à meditação oriental própriamente dita, com mantras ou outros rituais.
Falamos de um relaxamento do corpo, cujo objectivo fundamental é retirar do nosso pensamento todos os problemas diários, preocupações que acabam por nos distrair do essencial: unirmo-nos a Deus.

Deepak Chopra (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wb3NzaWJpbGlkYWRlcy5jb20uYnIvbWVkaXRhY2FvL21lZGl0X2F0ZW5jaW9zYS5hc3A=) sugere este exercício muito simples que pode ajudar. Mas certamente cada um encontrará uma forma muito própria de se preparar para orar.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 12 de Agosto de 2009, 19:08
Olá GIGI

Desistir nunca :D
Com treino lá chegamos, mas de inicio nas nossas concentrações(meditações)começa por dar uma coceira, que dá vontade de fugir ;)

Agora uma coisa é certa, consegue-se com muito treino, muita persistência, e ao fim de alguns anos, lá se vai levando a água ao moinho(isto á bom Portuga) :)


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 12 de Agosto de 2009, 20:40
Gigi e amigos do forum,



Quando falamos na qualidade da prece pretendemos entender melhor se uma prece habitual, memorizada, a pensar na prestação bancária para pagar, ou na rebeldia de um filho, ou na discussão com o namorado, é verdadeiramente uma prece.
E se esta é a prece que fazemos, porque ainda não sentimos aquela vontade interior de orar com o coração, poderiamos tentar mudar esse momento de prece?

Por exemplo...se ao invés de orarmos assim todos os dias, porque não fazê-lo apenas quando há uma grande vontade?

Ou então...a prece repetida, não poderá auxiliar a aumentar a vontade?


Enfim a questão da prece memorizada. Praticamente todos os manuais são contra. Será que podemos dizer algo a favor dela? É o que pretendo a seguir:

Um argumento muito válido é uso da prece como um mantra. Neste argumento o som é poder, é energia lançada no astral.

O que poderia modificar seu alcance? O sentimento e o desejo consciente ou não embutido nela, e isto já foi discutido neste fórum. Mas fundamentalmente nesta questão estamos discutindo a atenção focada no ato da prece. Para um maior alcance devemos estar com nosso espírito presente no significado das palavras.

Porem um aspecto ainda não cogitado, neste fórum é a percepção intuitiva do “sagrado” que as palavras ensinadas por Mestre Jesus podem despertar nas mentes. O sagrado é um ícone que eleva inconscientemente a padrões de pureza. Talvez precisemos discutir isso aqui.

Estes dois aspectos da questão: a atenção focada disciplinadamente e o sagrado foi testado por um grupo de neurologistas americanos em tomografias das áreas cerebrais em atividade do ato de meditação de monges tibetanos e, na execução de oração de um terço mariano em um grupo de mulheres católicas que se reúnem há 30 anos para a reza do terço a favor de necessitados. As áreas encontradas são as mesmas. Esta pesquisa foi publicada no Brasil pela revista Super Interessante há alguns anos. Procurarei citá-la melhor aqui brevemente.

Portanto onde está a sua mente no ato de oração? Atento ou não, eis a questão! Disto depende a energia e as qualidades de sua prece. Porem sempre é uma forma de energia.

Mohamed resolveu esta questão com sabedoria na sociedade mulçumana. Paremos tudo o estamos fazendo e vamos todos ao templo rezar. Todos os dias 5 vezes. Devemos rezar quando temos vontade dentro do coração. Mas devemos encontrar outros motivos para orar, e não só para pedir. Podemos desejar saudar cada nascer do sol e cada noite que chega ao nosso dia. Ouso dizer que se você não é capaz de orar sempre é por que não encontrou o Amor em sua vida, e nem a função da prece. Qual função teve a Jesus as preces em que fazia retirado e a sós? Elas lhe deram forças para suportar dificuldades em paz de espírito, e não para afastar este cálice. Estudemos a Paixão de Jesus:

Mateus 26:39 E adiantando-se um pouco, prostrou-se com o rosto em terra e orou, dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.
Mateus 26:42 Retirando-se mais uma vez, orou, dizendo: Pai meu, se este cálice não pode passar sem que eu o beba, faça-se a tua vontade.
João 18: 11 Disse, pois, Jesus a Pedro: Mete a tua espada na bainha; não hei de beber o cálice que o Pai me deu?

Ainda no Jardim das Oliveiras Mestre Jesus ensina:

Mateus 26: 40 Voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Assim nem uma hora pudestes vigiar comigo? 41 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.

Gigi qual será o significado para as palavras “espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca”?

Minha opinião é que toda oração vale a pena, e é útil. A atenção nela fortalece o desejo, aumentando seu alcance. Devemos empreender a tarefa de tornar nossos “espíritos prontos”, para merecermos sermos discípulos de Jesus. Alem disso, devemos aprender a tornar nossa vontade forte sobre a carne fraca. Disciplina. Orai e vigiai sempre ao lado de Jesus.

Muita Paz a todos

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Taprobana em 13 de Agosto de 2009, 00:19
Olá amigo Victor Passos. É com um sentimento de satisfação que de novo tenho oportunidade de trocar pontos de vista consigo.

Olá Gigi!

(Todas as citações são do amigo Victor Passos.)

Citar
Companheiro quanto a qualidade ,p enso que talvez os termos não estejam a ser bem usados...no entanto você por exemplo não vai fazer uma prece de "cigarro na boca" ou sem um a postura de respeito pelo ato que está a produzir, lembro que ao orar está a irradiar energias...

Penso que por este tópico estar a ser muito participado, torna-se não praticável ter disponibilidade de estar a par de todos os pormenores que vão sendo expostos.

Eu entendo que a prece pode também e perfeitamente ser levada a cabo de forma não consciente ou seja, de cigarro na boca podemos estar em profundo introspecção meditativa e rogamos para que as coisas corram de feição com aquilo que vai de encontro ás nossas pretensões na crença que este ou aquele efeito e para nós mesmo o “bem” ou o “bem-estar”, sem que para tal estejam a ser evocadas de forma consciente as intenções e os destinatários da prece. Ou seja, apesar de não haver consciência do acto, de facto estamos em prece, sem que a questão do respeito que evoca faça neste caso qualquer tipo de sentido e sendo que as energias irradiadas são independentes da intenção.

É observando esta questão deste ponto, ou seja, que a prece é algo que acompanha de forma intrínseca e inata o indivíduo, que o faz mesmo que não o queira fazer, que é uma função involuntária tal como o bater do nosso coração, que estão suportadas as reflexões que são objecto da sua amável análise que desde já lhe agradeço.

Tentando ser mais claro, a prece parece ser muito mais abrangente, com um campo de utilização que vai muito para além daquilo que usualmente consideramos, ou seja, feita de forma consciente e identificável tanto para quem ora como para quem observa a oração.

Citar
E essas sim tem sua qualidade, as de serem sentidas, de serem lucidas, de serem beneficas, de serem sinceras...
Claro que se você não estiver em sintonia generosa com o ato , não está a encaminhar energias beneficas, mas apenas a ser refratario ao que está a emanar...

Convém antes de mais dizer que eu não contrario esta e outras observações que são feitas deste assunto em debate pois são claras e óbvias. O que coloco em análise e a proposta que faço é que este ponto de vista seja alterado e que passemos para um outro local de observação em que é possível entender que para além daquilo que comummente caracteriza a prece existem muitos mais aspectos que devem ser reflectidos e que tornam este tema com uma dimensão muito mais abrangente do que aquela que parece ter.

Ou seja, o que é se não uma prece as evocações que em cada instante fazemos enquanto a vida se desenrola?
 
Que diferença existe entre este tipo de conexão com Deus e uma outra forma qualquer? Podemos entrar em estado de prece a qualquer instante da nossa vida sempre que disso sintamos necessidade independentemente de nos deslocar a uma igreja, nos coloquemos de joelhos ou estejamos a tomar banhos de sol e a ouvir um mp3 com musica da Madonna. E o que vai determinar a “qualidade” da prece? As nossões de justo e injusto? De falso ou verdadeiro? De elevado ou sofredor? De mais ou menos devoto? De mais ou menos compenetrado? De ser mais ou menos merecedor?

Talvez a única característica que pode determinar a qualidade da prece é esta ser Amor. No entanto, quando assim é a acção do indivíduo é necessariamente uma prece permanente e infinita. Não é disto que aqui estamos a falar como todos sabemos.

Quanto ao resto estamos de acordo.

Taprobana
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 13 de Agosto de 2009, 00:48
Amigos do forum espírita

Conforme disse anteriormente o trabalho de estudo da reação cerebral nas orações memorizadas e dos monges é de Andrew Newberg. Vi artigo na revista super interessante, mas encontrei citação mais acessível a todos em http://br.geocities.com/vicerap/Poder.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2JyLmdlb2NpdGllcy5jb20vdmljZXJhcC9Qb2Rlci5odG1s) veja a matéria completa

Reportagem:  Programa Globo Reporter, exibido no dia 09/04/2004

Na Universidade da Pensilvânia, o cientista Andrew Newberg colocou monges  budistas e freiras católicas em uma máquina e fez uma tomografia do cérebro  deles. Descobriu que no momento mais profundo da meditação, ou da oração, os  cérebros de budistas e de católicos têm a mesma atividade elétrica,  característica da experiência espiritual.
"O cérebro humano tem a capacidade inata de experimentar a presença de Deus ou  de algo que pode ser descrito como puro espírito", afirma o cientista.
Quando a pessoa se concentra para meditar ou rezar, a parte da frente do cérebro  - que fica atrás da testa - se torna muitoo ativa. É a área da consciência, da  atenção. Dali saem impulsos que ativam o centro do cérebro, que comandam as  reações involuntárias, inconscientes. Em seguida, são ativadas as áreas  responsáveis pela visão. E é desativada a região posterior do cérebro que  responde pela orientação espacial.
A pessoa tem a visão de um mundo sobrenatural e a sensação de perda de limites.  O "eu" se confunde com o universo. É a experiência de uma realidade espiritual  superior, descrita pelos místicos. Ao mesmo tempo, sinais são enviados para o  corpo para acalmar todo o sistema nervoso e criar uma sensação intensa de  prazer. Tudo isso acontece nos dois lados do cérebro.

Mais informação é só procurar por Andrew Newberg na net eseu trabalho é bem visivel. Mas tudo isso é para dizer que todo tipo de oração vale a pena. seja pelo sagrado invocado, seja pelo espírito preparado. Porem apenas cai a folha  ser for da vontade Dele, Nosso Pai Maior

Muita Paz

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edna☼ em 13 de Agosto de 2009, 02:55
Boa noite a todos !!!

Orar é um momento de nossa intimidade com Deus, através do recolhimento interior, no silêncio do nosso coração.

Quando calamos nossas vozes interiores nosso pensamento se eleva, e nos ligamos as energias superiores, que nos envolvem nas vibrações de paz e luz, nos intuindo, esclarecendo, consolando, com certeza é alimento para o espírito.

Essa ligação com Deus é simples e perene, se manifesta espontaneamente, pois na nossa vida de relação, estamos sempre vivenciando ou presenciando situações diversas, que nos comovem ou nos alegram, e um pensamento de amor, de compaixão, com certeza é uma prece.

Abraços,
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 13 de Agosto de 2009, 09:40
Ola Amigo Taprobana
Muita paz e harmonia

     Começo a perceber a sua intenção e penso que está correta em determinado ponto, mas noutro escapa ao sentido do ato;Além de haver apenas uma diferença de palavras, ou seja de semantica...


Vejamos;

QUALIDADE DA PRECE

Quando orardes, não vos assemelheis aos hipócritas, que fingem orar conservando-se em pé nas sinagogas e nos cantos das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade, vos digo que já receberam as suas recompensas. Mas, quando quiserdes orar, entrai no vosso o quarto e, fechando a porta, orai a vosso Pai em segredo; e o vosso Pai, que vê tudo o que se passa em segredo, vos dará a recompensa.

Não afeteis orar muito em vossas preces, como fazem os pagãos, julgando que pela qualidade de palavras serão atendidos. Não vos torneis semelhantes a eles, porque vosso Pai sabe do que necessitais antes de lho pedirdes.(Mt.Cap. VI, 5 a 8).

Quando vos aprestardes para orar, se tiverdes alguma queixa contra alguém, perdoai-lha a fim de que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe também os pecados. Se não lhe perdoardes, vosso Pai, que está nos céus, também não perdoará os vossos pecados. (Mc.Cap. XI, 25 e 26).

Propôs também esta parábola aos que confiavam em si, como se fossem justos e desprezavam os outros:

Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu, publicano o outro. O fariseu, de pé, orava intimamente desta forma: Meu Deus, graças vos dou por não ser como o resto dos homens, que são ladrões, injustos e adúlteros, nem mesmo como este publicano; jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo o que possuo.

O publicano, pelo contrário, conservando-se afastado, nem mesmo ousava levantar os olhos para o céu, mas batia no peito, dizendo: Meu Deus, tende piedade de mim, que sou pecador.

Eu vos declaro que este voltou para sua casa, justificado, e o outro não; porque aquele que se exalta será humilhado e aquele que se humilha será exaltado.(Lc.Cap.XVIII, 9a 14).

As qualidades da prece foram, assim, distintamente definidas por Jesus. Quando quiserdes orar, disse ele, evitai que vos vejam; orai secretamente; evitai orar muito, pois não é pela multiplicidade das palavras que sereis atendidos, mas pela sinceridade da prece. Se, antes de orar, tiverdes algum ressentimento contra alguém, perdoai-lhe, porque a prece deixa de ser agradável a Deus, quando não parte de um coração puro de todo o sentimento contrário à caridade. Orai, enfim, com humildade, como o publicano, e não com orgulho, como o fariseu; examinai as vossas faltas e não as vossas qualidades, e, quando vos comparardes aos outros , procurai o que de mal existe em vós.


Muita paz e harmonia

Abraço

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Pramos em 13 de Agosto de 2009, 11:26
Bom dia a Todos.
Gigi um cumprimento para si em especial, e parabéns pela forma como tem conduzido este estudo.
Não percebi logo de inicio, quem orientava o estudo.

Quanto à qualidade da prece como propunha atrás eu sou a dizer;
 
Só quando conseguir-mos que todos os nossos actos espontâneos ou não, sejam a expresão de uma prece ininterrupta, poderemos dizer que temos uma prece de qualidade.

Aí não é mais o instinto o pensamento a emoção ou até mesmo a expressão de uma necessidade, mas sim a Essência (Espirito Divino) que em nós ora.

Muita Paz e Muita Luz

Paulina


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 13 de Agosto de 2009, 11:49
OLa Amiga Paulina
Muita paz


                               Penso que estamos aos poucos a chegar a um entendimento ,retiram-se as palavras colocam-se os atos, abrem as portas do coração, clareia-se a mente e partimos ao encontro do Excelso....e Oramos...;

   Em Prece

          "Endireitai os caminhos do Senhor, como disse o profeta Isaías." - João Batista. (João, 1:23.)

          Mãos unidas e coração alçado ao amor.

          Mente murmurando aos Ouvidos Divinos e todo o ser convertido em círio votivo a clarear por dentro - eis a atitude para a oração.

          O homem que ora se alça do abismo propínquo onde se demora aos horizontes claros e longínquos onde se engrandece.

          A oração é veículo sutil que transporta, enquanto renova sentimentos e emoções, criando panoramas vivos nos anseios superiores da alma.

          Por isso, orar é alar-se.

          Quem ora, elabora programas de sublimação.

          A prece acalma, reanima e aquece a frieza do ceticismo, inflamando a fé e fortalecendo-a.

          A prece é manifestação divina que propicia colóquio íntimo com o Criador.

          Quando se ora, esquecem-se as paixões, anulam-se as mágoas, aquietam-se os tumultos nas praias sem fim das necessidades espirituais.

          A oração é cofre de luz a derramar as fortunas do amor e da ventura para quem se ergue, em espírito, buscando os ricos pórticos da Caixa Forte do Bem incessante, onde jazem, valiosas.

          O homem necessita de orar quanto vibra e sente. Orando, a mente encontra roteiro, o espírito consolação...

          Ora, pois, sempre, como recomenda o Apóstolo do Senhor.

          Ora e solicita bênçãos.

          Ora e ilumina a alma.

          Ora e agradece as dádivas.

          Orar é viver.

          Viver é comungar com Deus através da prece, modificando os quadros da existência, para que se registem as mais nobres manifestações do céu, procurando conduzir o espírito na Terra.

          Quem ora, vive mais em profundidade, porque haure, na prece, as energias vivificantes para prosseguir e libertar-se...

          Buscar o Senhor pela oração e senti-Lo na oração, eis o intercâmbio salutar em que se diluem as brumas da carne e fulguram as luzes da imortalidade.

          Alça-te ao amor de Deus, orando, e convive com as criaturas, servindo.

          Orando, Jesus comungou com o Pai, antes do Calvário, para, amando e perdoando, deixar-se prender à cruz, a fim de seguir os homens pelos tempos sem fim, ensejando a Era Nova no íntimo de cada coração, em sublimes intercâmbios de amor.
   
Livro: Depoimentos Vivos
Ivon Costa & Divaldo P. Franco


Muita paz e harmonia
beijo em sua alma

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Jayana em 13 de Agosto de 2009, 12:57
"E tudo o quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis" (Mt 21.22

Muita Paz para Todos,

A prece é um momento de conexão que se faz com a Espiritualidade Maior e acima de tudo com Deus. Sabemos que existem várias formas de orar. Oramos para agradecer, para pedir, para aclamar, etc., porém, a prece mais valiosa é aquela que sai do fundo do coração, que flui do Espírito. Todas as preces são registradas na espiritualidade, mesmo aquelas que pensamos não ser tão importantes. Os Espíritos encarregados do registro de preces, observam as necessidades espirituais de cada espírito, bem como, do merecimento de cada um e vai organizadamente, fazendo as devolutivas que, com certeza, sempre são positivas, mesmo que assim não pareça.
Enfim, orar é um ato de amor, pois, é nesse momento que nos mostramos humildes a vontade de Deus.

Que Jesus abençõe a todos.

Jayana
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edilmar em 13 de Agosto de 2009, 13:52
A ORAÇÃO É UMA FORÇA EM NOSSA VIDA
E PODE TORNAR MELHOR A HUMANIDADE
( EDILMAR AMARAL)



A principal obra da doutrina espírita dedica um capítulo especial à lei de adoração e à prece, de-finindo esta como um legítimo ato de adoração ao Criador da vida, o qual tem para nós, seres humanos, uma importância muito grande e bem superior à que geralmente imaginamos. “Orar a Deus – ensina o Espiritismo – é pensar n’Ele; é aproximar-se d’Ele; é pôr-se em comunicação com Ele.” (“O Livro dos Espíritos”, item 659.)
   Ensinada por Jesus e pelos Espíritos Superiores, a prece é uma manifestação da alma em busca da Presença Divina ou de seus prepostos; é uma conversa com o Criador ou com seus emissários e, por isso, deve ser despida de todo e qualquer formalismo.
   A prece não pode ser paga, porque “é um ato de caridade, um lance do coração". A prece deve ser secreta, não precisa ser longa e deve ser antecedida do ato do perdão. A prece deve ser espontânea, objetiva, robusta de sentimentos elevados, que precisam ser cultivados sempre, porque não aparecem como por encanto só nos momentos de oração.

Requisitos da prece - A forma da prece nada vale, mas sim o conteúdo. A atitude daquele que ora é íntima, eminentemente espiritual. Atitudes convencionais, posição externa e rituais são vestes dis-pensáveis ao ato de orar. Pela força do pensamento, após estarmos concentrados, procuramos traduzir nossa vontade com o melhor dos nossos sentimentos por uma prece, que não deve ser formulada segundo um esquema pré-fabricado. A prece deve traduzir o que realmente estamos sentindo, pensando e queren-do naquele momento, de uma forma precisa, sem que isso constitua uma repetição de termos que, na maioria das vezes, são ininteligíveis para quem os profere.
A prece deve ser o primeiro ato no nosso retorno às atividades de cada dia e, por isso, precisa ser cultivada diariamente. O Espírito de Monod assim o recomenda expressamente em lição constantes do capítulo 27, item 22, de "O Evangelho segundo o Espiritismo".
   O exemplo da prece do fariseu e a do publicano, narrado no Evangelho, é expressivo e mostra que a humildade e a sinceridade são requisitos fundamentais na oração. O outro requisito essencial é o esquecimento e o perdão que devemos conceder aos que nos tenham prejudicado. Jesus recomenda re-conciliar-nos com os adversários, antes de orarmos.

Mecanismo e tipos de prece - O mecanismo da prece é este: estamos engolfados no fluido uni-versal que ocupa o espaço. Esse fluido, que é o veículo do pensamento, recebe a impulsão da vontade. Quando o pensamento é dirigido a um ser qualquer, na Terra ou no espaço, de um encarnado a um de-sencarnado, ou vice-versa, estabelece-se uma corrente fluídica que liga um e outro. É dessa maneira que os Espíritos podem ouvir-nos o apelo e transmitir, pelas vias do pensamento, sua resposta.
Como se sabe e a experiência comprova, os Espíritos podem não apenas ler, mas, de certa forma, ouvir nossos pensamentos. Não é preciso dizer que, com relação aos desencarnados, é vã toda tentativa de iludi-los, porque o que nos vai na alma não lhes pode ser ocultado.
Três coisas podemos fazer por meio da prece: louvar, pedir e agradecer (O Livro dos Espíritos, item 659). Louvar é reconhecer e enaltecer a Deus por tudo o que Ele criou. Significa aceitar com alegria tudo o que nos rodeia, que, no tocante à participação do Senhor em nossa vida, é sempre justo, equili-brado e perfeito.
Exemplo de prece de louvor é o Salmo 23 de Davi:
   "O Senhor é o meu Pastor,
Nada me faltará.
Deitar-me faz em verdes pastos,
Guia-me mansamente
A águas mui tranqüilas.
Refrigera minh'alma,
Guia-me nas veredas da justiça
Por amor do seu nome.
   Ainda que eu andasse
Pelo vale das sombras da morte,
Não temeria mal algum
Porque Tu estás comigo...
A tua vara e o teu cajado me consolam.
Preparas-me o banquete do amor.
Na presença dos meus inimigos,
Unges de perfume a minha cabeça..."

A prece nas reuniões espíritas - Allan Kardec nos ensina: "É, sem dúvida, não apenas útil, po-rém necessário rogar, através de uma invocação especial, por uma espécie de prece, o concurso dos bons Espíritos. Essa prática predispõe ao recolhimento, condição especial a toda a reunião séria" ("Viagem Espírita em 1862", cap. XI, pág. 144).
   No início e no término das reuniões espíritas fazemos a prece para que o ambiente espiritual seja favorável e tenhamos a presença de Espíritos elevados, que a prece atrai, o que será uma garantia de pro-teção contra o mal. No decurso da sessão mediúnica, a oração será utilizada em benefício dos compa-nheiros e dos Espíritos, pelo potencial de forças fluídicas que a prece consegue aglutinar.
   A prece, contudo, será sempre mais poderosa se partir de uma alma elevada, de um Espírito de conduta ilibada, de uma criatura de bons sentimentos. Há pessoas que, por haverem conseguido libertar-se das paixões animalizantes e dos interesses egoísticos da Terra, fazem de sua vida uma prece perma-nente. A prece nelas é cultivada com naturalidade e eficiência extraordinária, enquanto que nós temos ainda que nos esforçar para que nossa rogativa atinja o objetivo colimado.
Despojados da ignorância e da perturbação que o mal engendra em nós, iremos aos poucos des-cobrindo que pela prece muita coisa pode ser conseguida em nosso benefício espiritual e das pessoas que nos cercam. Entenderemos então que a prece é uma manifestação espontânea e pura da alma, e não ape-nas uma repetição formal de termos alinhados convencionalmente, como se fosse uma fórmula mágica para afastar o sofrimento e os problemas. (Leia nos artigos ao lado uma síntese dos ensinamentos espíritas sobre a prece e a opinião do dr. Alexis Carrel a respeito da importância da prece em nossa vida.)


A mais bela prece da literatura espírita

Todas as pessoas, salvo uma ou outra exceção, formulam preces de pedido, mas são poucos os que sabem realmente orar e, por isso, pedem às vezes o que não se deve. Não devemos pedir, por exem-plo, o afastamento da dor, mas as forças e a compreensão para suportá-la.
Emmanuel nos dá, a propósito disso, em "Recados do Além", um modelo extraordinário de prece de pedido:
   "Jesus! Reconheço que a Tua vontade é sempre o melhor para cada um de nós; mas se me permi-tes algo pedir-Te, rogo me auxilies a ser uma bênção para os outros."
   Outro exemplo notável de prece de pedido é esta, muito utilizada pelos voluntários do C.V.V. – Centro de Valorização da Vida, com o nome de Oração da Serenidade, de autoria desconhecida:
   "Concedei-nos, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modifi-car; coragem para modificar aquelas que podemos, e sabedoria para distinguir umas das outras."

A prece feita por Estêvão, o mártir do Cristianismo - Várias preces são conhecidas e enalteci-das por sua beleza e profundidade. A Oração Dominical, modelo de concisão, diz tudo o que precisamos dizer numa prece. A Oração de São Francisco de Assis e a prece de Cáritas, também. Mas, é impressio-nante a beleza da prece que Abigail fez na agonia e morte de seu pai Jochedeb e, depois, de seu irmão Estêvão ("Paulo e Estêvão", págs. 42 e 162), beleza que advém não só da poesia, mas da elevação e ro-bustez de sentimentos de que a prece se reveste:
   "Senhor Deus, pai dos que choram,
Dos tristes, dos oprimidos
Fortaleza dos vencidos,
Consolo de toda a dor,
Embora a miséria amarga
Dos prantos de nosso erro,
Deste mundo de desterro,
Clamamos por vosso amor!
Nas aflições do caminho,
Na noite mais tormentosa
Vossa fonte generosa
É o bem que não secará...
Sois, em tudo, a luz eterna
Da alegria e da bonança
Nossa porta de esperança
Que nunca se fechará.
Quando tudo nos despreza
No mundo da iniqüidade,
Quando vem a tempestade
Sobre as flores da ilusão!
Ó Pai, sois a luz divina,
O cântico da certeza,
Vencendo toda aspereza,
Vencendo toda aflição.
No dia da nossa morte,
No abandono ou no tormento,
Trazei-nos o esquecimento
Da sombra, da dor, do mal!
Que nos últimos instantes,
Sintamos a luz da vida
Renovada e redimida
Na paz ditosa e imortal".

Para quem ainda não leu o livro “Paulo e Estêvão”, de Emmanuel, lembramos que Abigail, irmã de Estêvão, estava praticamente noiva de Saulo de Tarso quando assistiu o querido irmão nos derradeiros momentos de sua existência, após o apedrejamento que o levou à morte. O fato ocasionou o rompimento da relação com Saulo, que mais tarde teria seu nome inscrito na história do Cristianismo como Paulo de Tarso, o Apóstolo dos Gentios.

As boas ações constituem a melhor prece

Nas questões 658 a 666 de “O Livro dos Espíritos”, de Allan Kardec, os imortais fizeram reve-lações importantes a respeito da prece. Eis sinteticamente o que eles nos ensinam:
1) A prece é sempre agradável a Deus, quando ditada pelo coração. É, assim, preferível ao Senhor a prece vinda do íntimo à oração lida, por mais bela que seja, se for lida mais com os lábios do que com o coração.
   2) A prece é um ato de adoração, com o qual podemos propor-nos três coisas: louvar, pedir, a-gradecer.
   3) A prece torna melhor o homem, porque aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo.
4) O essencial não é orar muito, mas orar bem. Existem pessoas, no entanto, que supõem que todo o mérito está na longura da prece e fecham os olhos para os seus próprios defeitos. Essas criaturas fazem da prece uma ocupação, um emprego do tempo, nunca um estudo de si mesmas.
5) Podemos pedir a Deus que nos perdoe as faltas, mas só obteremos o perdão mudando de pro-ceder, porque as boas ações são a melhor prece e os atos valem mais que as palavras.
6) As provas por que passamos estão nas mãos de Deus e há algumas que têm de ser suportadas até o fim; mas Deus leva sempre em conta a resignação. A prece traz para junto de nós os bons Espíritos, que nos dão a força de suportá-las corajosamente.
7) A prece nunca é inútil, quando bem feita, porque fortalece aquele que ora.
8) A prece não pode ter por efeito mudar os desígnios de Deus, mas a alma por quem oramos ex-perimenta alívio e sente sempre um refrigério quando encontra pessoas caridosas que se compadecem de suas dores.
9) Pode-se orar pelos Espíritos e aos bons Espíritos, porque estes são os mensageiros de Deus e os executores de suas vontades. O poder deles está, porém, relacionado com a superioridade que tenham alcançado e dimana sempre do Senhor, sem cuja permissão nada se faz.  


O mundo necessita como nunca de orar

Fisiologista e cirurgião francês, o dr. Alexis Carrel (1873-1944), laureado com o Prêmio Nobel de Medicina de 1912, notabilizou-se não apenas por suas experiências sobre enxerto de tecidos e de órgãos e sua sobrevida fora do corpo, mas também por suas obras filosóficas, dentre as quais se destaca “O ho-mem, esse desconhecido”, best-seller na América do Norte em 1935.
Em fevereiro de 1942, a revista Seleções do Reader’s Digest revelou outra faceta do grande mé-dico e pensador: sua fé em Deus e sua crença no valor incomensurável da oração, que ele define como sendo “uma invisível emanação do espírito de adoração do homem, a forma de energia mais poderosa que ele é capaz de gerar”.
Eis, resumidamente, o que diz sobre a prece o notável médico francês:
1) A prece marca com os seus sinais indeléveis as nossas ações e conduta.
2) A oração é uma força tão real como a gravidade terrestre. A influência da prece sobre o corpo e sobre o espírito humano é tão suscetível de ser demonstrada como a das glândulas secretoras.
   3) Muitos enfermos têm-se libertado da melancolia e da doença graças à prece. É que, quando oramos, ligamo-nos à inexaurível força motriz que aciona o universo e, no pedir, nossas deficiências humanas são supridas e erguemo-nos fortalecidos e restaurados.
   4) Não devemos, no entanto, invocar Deus tendo em vista meramente a satisfação dos nossos desejos. Maior força colhemos da prece quando a empregamos para suplicar-lhe que nos ajude a imitá-lo.
   5) Toda vez que nos dirigimos a Deus, melhoramos de corpo e de alma. Não tem, porém, sentido orar pela manhã e viver como um bárbaro o resto do dia.
   6) Hoje, mais do que nunca, a prece é uma necessidade inelutável na vida de homens e povos. É a falta de intensidade no sentimento religioso que acabou por trazer o mundo às bordas da ruína.

A PRECE E SEUS EFEITOS

LIVRO: “OS MENSAGEIROS”, DE ANDRÉ LUIZ.
13. Os enfermos da Guerra - O ambiente espiritual na Terra, por causa dos combates que se desenvolviam na Crosta, era muito pesado. Alfredo sugere que Aniceto e seus companheiros pernoitem no Posto, porque os aparelhos indicavam aproximação de grande tempestade magnética para aquele dia. Os combates na Terra eram intensos e poucas pessoas cultivavam a espiritualidade superior. Natural, pois, que se intensificassem, ao longo do planeta, espessas nuvens de resíduos mentais dos encarnados invigilantes, multiplicando as tormentas destruidoras. Os Postos de Socorro de várias colônias ligadas ao Campo da Paz já estavam superlotados de europeus desencarnados violentamente. Os mentores espirituais mais elevados decidiram remover pelo menos 50% dos desencarnados na guerra para os núcleos espirituais americanos. Ali mesmo encontravam-se mais de 400 espíritos. Aniceto pergunta pelas dificuldades de linguagem e Alfredo esclarece que, para cada grupo de cinqüenta infelizes, as colônias do Velho Mundo fornecem um enfermeiro-instrutor, com quem eles se entendem de modo direto. Essa remoção visava a proteger a coletividade dos Espíritos encarnados nas regiões de origem, porque essas aglomerações de desencarnados determinariam focos pestilenciais de origem transcendente, com resultados imprevisíveis. (Cap. 18, pp. 97 a 100)

14. O farol de Bristol - O valor da prece nos tempos de guerra ainda mais se acentua. Alfredo relatou então a curiosa experiência que ele presenciou em Bristol, na Inglaterra. A cidade estava sendo sobrevoada por alguns aviões pesados de bombardeio. As perspectivas de destruição eram assustadoras. No seio da noite, destacava-se, porém, à visão espiritual, um farol de intensa luz. Seus raios faiscavam no firmamento, enquanto as bombas eram arremessadas ao solo. O grupo de Espíritos desceu ao ponto luminoso. Verificou-se então, com surpresa, que eles se encontravam numa igreja, cujo recinto devia ser quase sombrio para o olhar humano, mas altamente luminoso para os olhos espirituais. Alguns cristãos corajosos reuniam-se ali e cantavam hinos. O ministrante do culto lera a passagem dos Atos em que Paulo e Silas cantavam à meia-noite, na prisão, e as vozes cristalinas elevavam-se ao Céu, em notas de fervorosa confiança. Enquanto as bombas explodiam lá fora, os cristãos cantavam, unidos, em celestial vibração de fé viva. O chefe do grupo mandou que Alfredo e seus companheiros se conservassem de pé, diante da-quelas almas heróicas, em sinal de respeito e reconhecimento. E disse "que os políticos construiriam os abrigos antiaéreos, mas que os cristãos edificariam na Terra os abrigos antitrevosos". (Cap. 18, pp. 101 e 102)

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 13 de Agosto de 2009, 15:15
Olá amigos, olá a todos sem excepção.
     -Caro amigo Victor Passos, vejo que o meu amigo nos traz os textos apropriados para a devida conexão do entendimento e sou grato por isso. Sabemos que muitas vezes os hábitos, sejam rituais de oração sejam por maior afinidade a nossa personalidade, ou simplesmente como cultura, não é fácil o desapego desses costumes, e vou deixar um pequeno exemplo.
     Eu estive em Marrocos num trabalho temporário do qual éra técnico de fabricação de painéis. Presenciei o “Ramadão”… nas ruas, eles tinham altifalantes dos quais nas horas de oração se faziam ouvir nas ruas a bom som, as ruas se esvaziavam pelo facto desse povo se recolher nas suas casas, também com o intuito de um ritual de limpeza espiritual, em que consiste banhar partes dos seus corpos com uma ordem ritualizada da qual já não me recordo, na hora em que me encontrava dentro da fábrica penso que pelas 10h00 Am eles abandonavam seus lugares de trabalho e se dirigiam a uma divisão da fabrica, para mais uma vez cumprirem seus rituais… Confesso que me passou mil e uma ideias pala cabeça, sobre a utilidade daquele aglomerados rituais. Para fazer-me entender onde quero chegar, termino este meu raciocínio levantando duas questões! Quem sou eu para mudar a mentalidade daquele povo? Será que aquele imenso povo ao me ouvir não zombaria da minha crença religiosa ou doutrinaria?
Abraços Fraternos…
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 13 de Agosto de 2009, 15:30
Boa tarde a todos! Com tantas colaborações generosas, vai ser um pouco difícil traçarmos um fio condutor para gerir tantas opiniões e contributos...Mas vamos lá!

Taprobana...pelo que compreendi a sua visão da prece pretende-se mais abrangente...você estaria assim de acordo com a expressão usada no powerpoint inicial, de que a prece é a respiração da alma.
Ou seja, em todas as horas do dia o homem pode estar em prece, mesmo sem perceber que o faz.

Penso que isto é uma questão de conceitos, talvez pouco esclarecidos. Tudo depende do que consideramos prece ou oração (e por isso o debatemos logo de inicio). É claro que cada um tem o seu conceito próprio, mas para dar seguimento a um estudo em grupo, faz se necessário que tenhamos um caminho que conduza cada um ao mesmo ponto de encontro, que é, a saber, a união com a divindade.

Assim sendo, podemos meditar sobre a vida material, podemos relaxar e pensar no mundo, na familia, nos anjos,no que for, mas não estarmos, necessáriamente a fazer uma prece.
E porquê?
Porque Prece implica um sentimento de despreendimento e de união ao Amor (como você bem falou) e ao Bom (ou Bem) Universal.

Veja...um pensamento que vagueia pelos desejos materiais, nunca poderemos chamá-lo verdadeiramente de Prece.
Ou seja, num exemplo talvez exagerado:

Humm...quem me dera ter aquele Audi A8...topo de gama...que bem que eu passeava...as miudas não me largavam...

Daí que se faz essencial defenir que tipo de pensamento e sentimento está na raíz de uma Prece, aconselhada pelos espíritos superiores, como o Bálsamo para a Vida...

Agora...da qualidade da Prece depende directamente a sua eficácia, como depois poderemos perceber.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 13 de Agosto de 2009, 15:50
olá Nelsonmt...

Citar
Portanto onde está a sua mente no ato de oração? Atento ou não, eis a questão! Disto depende a energia e as qualidades de sua prece. Porem sempre é uma forma de energia.

Eis uma proposta para reflexão, que tudo tem a ver com o que temos vindo a falar.
Obrigada companheiro, pela reportagem interessante que partilhou connosco.
Há algum tempo que os médicos têm vindo a demonstrar curiosidade nos efeitos terapeuticos da prece. E os dados aí estão para demonstrá-lo.

Sabemos que quem ora, eleva o espírito, mas mais que isso, aumenta a sua Confiança,a sua Fé de que vai ficar melhor,ou que o Criador lhe dará a protecção que precisa.
Essa vibração, uma forma de energia cuja "qualidade" não somos capazes ainda de definir, tem tal poder, que pode restruturar as células, a ponto de sarar qualquer doença.

Se a prece combate o desanimo e a inércia, automáticamente, não permite que se aloje no ser a depressão ou a vontade desistir da vida.
Ela dá ânimo ao ser...

A ponto que, como diz a Paulina: "Aí não é mais o instinto o pensamento a emoção ou até mesmo a expressão de uma necessidade, mas sim a Essência (Espirito Divino) que em nós ora."


Se após a prece estamos na mesma,se apesar do ritual, nada sentimos dentro de nós que se alterou..então pergunto: será que se orou?

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 13 de Agosto de 2009, 16:11
Olá Nelson Castro...

O teu depoimento lembra-nos das diferentes formas com que a prece é sentida pelo Mundo fora, de acordo com a cultura e religião de cada povo.

Será que os árabes oram melhor? Será que os orientais atingem maior plenitude nas suas preces? será que os europeus são quem ora com mais fervor?

Não podemos dizer... Mas sabemos que aquele que ora, colocando-se nas mãos de Deus, sentindo verdadeiramente: Seja feita a vossa Vontade Senhor - que não há sofrimento que o atinja, nem dor que o derrote.

Provávelmente Nelson, no meio dessas centenas de homens ajoelhados em oração a Alá, uma dezena distingue o ritual da verdadeira adoração.
O mesmo acontece com todas as outras religiões e seus rituais. Em todas elas temos pessoas que oram o terço por hábito, sem sentir nada do que diz os seus lábios, e outras, em cada palavra vibra o amor pelos semelhantes e pelo Pai Celeste.

Por isto, os espíritos superiores ainda sugerem orações para aqueles que ainda não sabem como "começar", mas incentivam a que a prece seja uma rogativa do coração, espontanea e sentida.

beijitos

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 13 de Agosto de 2009, 20:19
Queridos amigos...

Com alguma tristeza - pois não aprecio faltar aos compromissos - terei de me afastar do forum por alguns dias, por motivos de saúde.
Amanhã, bem cedinho, irei fazer uma pequena cirurgia, nada de mais, mas que não me permitirá vir ao computador por uns dias, espero que poucos...

Será para mim, a oportunidade de pôr em prática tudo aquilo que aqui temos estudado, não é mesmo? Benditas oportunidades, pois então.

Sendo assim, o estudo passará a ser acompanhado por outros moderadores, que gentilmente acederam a dar continuidade a este debate tão franco e harmonioso, até à minha volta.

Estando um pouco atrapalhada com tarefas de última hora, não respondo ainda a você Nelsonmt, mas prometo no final da noite, deixar aqui um resumo de tudo o que foi dito sobre a reflexão desta semana.

Até logo!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 13 de Agosto de 2009, 20:31
Amiga Gigi será o momento de nos unirmos em orações (amigos de estudo/prece), nossas vibraçoes em fraternidade a si, desejando uma cirurgia com sucesso e rápidas melhoras. Será um benefício poder faze-lo por si, pois sei que da semente que plantar, colherei respectivos frutos.
Abraço Fraterno.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 13 de Agosto de 2009, 22:14
Muito obrigada pelo carinho Nelson...

Venho fazer uma sugestão, não só a todos os companheiros que acompanham o estudo mas também a todos os membros do forum:

Dada a importância da Prece como já percebemos e sentimos, abrimos um tópico específico para criar um GRUPO DE ORAÇÃO (http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/grupo-de-oracao-pelo-planeta/new/).

Está nas nossas mãos exemplificar aquilo que já aprendemos, e ao mesmo tempo contribuir para harmonizar o pensamento em torno do planeta, auxiliando os benfeitores na tarefa de transformação que vivemos no momento.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 13 de Agosto de 2009, 22:41
 “Os espíritos hão dito sempre: “ A forma nada vale, o pensamento é tudo. Ore, pois, cada um segundo suas convicções e da maneira que mais o toque. Um bom pensamento vale mais do que grande número de palavras com as quais nada tenha o coração.” E.S.E. cap.XXVIII, 1.


Assim...em forma de resumo sobre a qualidade da prece

não sou capaz de o saber, se o criador ouve ou não as nossas preces, no entanto acredito que se ouve as de alguém nesse caso ouve as de todos. Taprobana

a oração é uma luz namente de cada um, seja pobre, rico, negro ou branco, a importância é a humildade , o sentido de respeito , a fé que impoe e acima de tudo a sinceridade das palavras....porque tão boa é uma prece dum catedratico, como de um analfabeto...Victor Passos

Portanto onde está a sua mente no ato de oração? Atento ou não, eis a questão! Disto depende a energia e as qualidades de sua prece.Nelsonmt

Talvez a única característica que pode determinar a qualidade da prece é esta ser Amor. Taprobana

Só quando conseguir-mos que todos os nossos actos espontâneos ou não, sejam a expresão de uma prece ininterrupta, poderemos dizer que temos uma prece de qualidade.Pramos

a prece mais valiosa é aquela que sai do fundo do coração, que flui do Espírito. Todas as preces são registradas na espiritualidade, mesmo aquelas que pensamos não ser tão importantes.Jayana

Há pessoas que, por haverem conseguido libertar-se das paixões animalizantes e dos interesses egoísticos da Terra, fazem de sua vida uma prece perma-nente. A prece nelas é cultivada com naturalidade e eficiência extraordinária, enquanto que nós temos ainda que nos esforçar para que nossa rogativa atinja o objetivo colimado.Edilmar

Amigos, deixamos ainda como lembrança, a nossa sugestão de irem guardando anotações para no final do estudo cada um participar com um powerpoint ou pequeno trabalho, para futura divulgação.

nelsonmt...obrigada...

Beijinhos a todos e até breve! Bons estudos!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Taprobana em 13 de Agosto de 2009, 23:58
Olá Victor Passos, amigo.

Citar
As qualidades da prece foram, assim, distintamente definidas por Jesus. Quando quiserdes orar, disse ele, evitai que vos vejam; orai secretamente; evitai orar muito, pois não é pela multiplicidade das palavras que sereis atendidos, mas pela sinceridade da prece. Se, antes de orar, tiverdes algum ressentimento contra alguém, perdoai-lhe, porque a prece deixa de ser agradável a Deus, quando não parte de um coração puro de todo o sentimento contrário à caridade. Orai, enfim, com humildade, como o publicano, e não com orgulho, como o fariseu; examinai as vossas faltas e não as vossas qualidades, e, quando vos comparardes aos outros, procurai o que de mal existe em vós.

Em completo acordo consigo. Também concordo que as palavras e o seu significado são uma forma de comunicação de tal modo complexo que se manifestam insuficientes e de significado multi-complexo, nomeadamente quando abordamos assuntos de cariz metafísico.

No entanto, tal como sempre, temos necessidade de entender o significado que essas mesmas palavras e metáforas detêm em si mesmo, que sabemos terem sido utilizadas num determinado tempo e espaço pretéritos, que requereram a utilização de imagens entendíveis e sintonizantes com um universo cultural onde as crenças e os custumes fortemente erraizados não permitiam que de outra forma fossem explicadas.

O mesmo fazemos hoje quando iniciamos com as nossas crianças a reeducação da sua nova estrutura material e temos então necessidade de estratificadamente ir introduzindo os conceitos que a priori reconhecem mas repetindo de forma sistemática e rápida toda a vivencia que já experimentaram ao longo da sua existência real. Assim elas vão evoluindo e neste caso as palavras de Jesus são um excelente exemplo para dar inicio à sua consciencialização do significado da prece que entretanto vai evoluindo para novas e reedificantes formas de auto-compreensão.

Olá Gigi.

Peço desculpa por não ter aberto a apresentação que aconteceu por motivos técnicos. De momento tenho necessidade de gerir com alguma severidade o tráfego muito limitado que temporariamente possuo.

Citar
Assim sendo, podemos meditar sobre a vida material, podemos relaxar e pensar no mundo, na familia, nos anjos,no que for, mas não estarmos, necessáriamente a fazer uma prece.
E porquê?
Porque Prece implica um sentimento de despreendimento e de união ao Amor (como você bem falou) e ao Bom (ou Bem) Universal.

Estamos completamente de acordo, mas…  :-[

Para que esta questão fique resolvida para mim necessito de obter as três definições às três pré-condições que são fortes fundamentos desta nossa aventura que é tentar conhecermo-nos. Se o conseguirmos será a primeira vez a faze-lo na história da humanidade.

O que é o Amor?

O que é o Bom (ou Bem) Universal?

Desprendimento de quê? Da vida? Da matéria? Será isso o que devemos fazer de facto? Se assim fosse porque encarnaríamos? Não deveríamos viver a vida em todo o esplendor que esta nos proporciona? Não teremos nunca o direito de abolir o medo que castra a vontade? Até que ponto esse desprendimento não é pecado no sentido de ter de votar a repetir tudo de novo pois ao desprender-se da vida esta deixa de ser útil?

Gigi, peço que leia as minhas dúvidas como isso mesmo e não subentenda nas entrelinhas afirmações que não sei fazer. Estas questões são-no de facto.

Citar
Humm...quem me dera ter aquele Audi A8...topo de gama...que bem que eu passeava...as miudas não me largavam...

Daí que se faz essencial defenir que tipo de pensamento e sentimento está na raíz de uma Prece, aconselhada pelos espíritos superiores, como o Bálsamo para a Vida...

Sim amiga… é uma prece tão valida como qualquer outra de cariz idêntico tais como:

Humm… quem me dera que a minha sogra fosse saudável… e já agora que não houvesse doença no mundo e que todos se alimentassem pelo menos duas vezes por dia… assim eu era feliz.

Agora colocar no inicio ou no fim a palavra Deus é relevante para a finalidade que procuramos? A prece (tal como o Victor Passas refere expondo as passagens de Jesus) pode ser também um acto de humildade, mas entre nós será tão raro como os campeonatos que o Benfica ganha.  8) Rezamos para obter benefício e tanto podemos dirigirmo-nos a Deus como a nós mesmo ou seja:

1 - Meu Deus faz com que aconteça … eu prometo que nunca mais me porto mal…

2 – Tenho de conseguir encontrar uma forma de financiar este projecto. Espero que tudo corra bem… já chega de azar agora vai ser a minha vez… eu sei eu sinto…

Etc…

Uma vez mais peço que atendam ao principio que anteriormente expus. Este ponto de vista que de momento defendo, não passa disso mesmo, de um entre muitos pontos de observação que não desmentem a verdade daquilo que cada um dos nossos amigos expõe. Estamos de acordo.

Um abraço minha amiga! E obrigado pelo sua extraordinária capacidade de dar. Até breve e uma rapida recuperação  :)

Taprobana
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edna☼ em 14 de Agosto de 2009, 01:14
Gigi, estaremos vibrando para que corra tudo bem, e que você tenha uma rápida recuperação.
Que Jesus te acompanhe.
Abraços,
Edna
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Eduardo-GEEG em 14 de Agosto de 2009, 02:09
          Para que você possa pesquisar sobre o assunto, esta é uma aula para crianças na escola de evangelização.    Espero que ajude a responder sua duvida.




PLANO DE AULA
1. TEMA: A Prece - seu valor
2. OBJETIVO: A criança deverá reconhecer que a prece é de valor inestimável na vida da criatura, por trazer-lhe alento nas horas de tristeza, alívio nos momentos de dor, esclarecimento nas situações de dúvida, ajuda na necessidade.
3. BIBLIOGRAFIA:
Mt, 6: 5 a 13; 26: 41.
ESE, cap. 27; LE, itens 658 a 666.
Nosso Lar (André Luiz / F. C. Xavier), caps. 1 e 2; Entre a Terra e o Céu (André Luiz / F. C. Xavier), caps.1
e 2; Ação e Reação (André Luiz / F. C. Xavier), cap. 19; Missionários da Luz (André Luiz / F. C. Xavier),
cap 5; Voltei (Irmão Jacob / F. C. Xavier), cap. “Em Posição Difícil”; Almas em Desfile (Hilário Silva / F.
C. Xavier e ValdoVieira), cap. 6.

b) Desenvolvimento: Exposição.
Em ciclos anteriores, já estudamos o que é a prece: é a ligação mental de uma criatura com Deus, com
Jesus, ou com os Bons Espíritos. Todos podemos e devemos orar, por nós mesmos e pelos outros. Podemos orar
para pedir, agradecer e louvar.
Qual o valor da prece em nossas vidas? Muitas pessoas oram sem entender ou perceber o significado real da prece, apenas repetindo palavras inconscientemente como se fossem as de um recitativo. Julgam que, pela simples repetição de palavras decoradas, como se fossem uma fórmula mágica, as soluções para os seus problemas chegarão de forma automática. Não, a prece verdadeira não é isso! A prece verdadeira é uma comunhão com as Forças Superiores da Vida. Feita assim, a prece, além de movimentar recursos dos Bons Espíritos em nosso favor, ou em favor de alguém por quem pedimos, alimenta-nos espiritualmente, fortalecendo-nos a resistência às investidas do mal. Um resultado imediato da prece pode ser constatado tão logo a terminamos, pelo bem-estar que sentimos, além da disposição tranqüila para o enfrentamento de situações adversas, ou a tranqüilidade necessária à aceitação de situações que não conseguimos modificar.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 14 de Agosto de 2009, 09:27
Ola bom dia Amigos muita paz

Antes demais fica aqui um voto de respeito e de amor pela Amiga quue vai fazer a cirurgia.
Longe de queremos substituir sua generosidade e bondade, longe de estarmos à sua altura vamos todos juntos levar a bom caminho este estudo, que é por demais importante como o são todos os outros.
Então deixo aqui uma prece para vibração por esa nossa Irmã , para que a cirurgia de corra bem e ela recupere bem depressa...não esquecendo também todos aqueles que neste momento estas em situações de doença fragilizados também...;

ORAÇÃO E HUMILDADE


Meu Deus, sei que ainda sou um ser em evolução e que muitas vezes fujo dos objetivos que o Senhor traçou para que eu alcance a minha felicidade.

Sei também que nem sempre consigo fazer o bem que desejo, e muitas são as vezes que faço o mal que já não gostaria mais de fazer.

Por isso venho a ti, Senhor, para rogar forças, coragem e lucidez para acertar mais vezes do que me equivocar, e quando me equivocar, que seja por fraqueza ou ignorância, mas nunca por deliberação.

Venho a ti para pedir que não permita, em tempo algum, que eu perca a vontade de viver, apesar dos momentos de dor e de sofrimento, que por certo terei que passar.

Pedir ajuda para cultivar o otimismo, mesmo que o futuro não seja tão promissor.

Para que me ensine a desenvolver o romantismo, ainda que em meu peito o coração pareça ter emudecido.

Senhor, ajuda-me a não perder a fé na amizade, mesmo que às vezes os amigos me traiam ou me abandonem nos momentos em que mais precisar deles.

Ajuda-me a cultivar o hábito e a alegria de ajudar as pessoas, ainda que muitas delas sejam ingratas e incapazes de retribuir.

Ensina-me a manter o equilíbrio até nos momentos de grandes abalos, em que tudo conspire para que eu perca o rumo.

Senhor, ajuda-me a amar sem esperar retribuição nem reconhecimento dos seres amados.

A observar a vida com brilho no olhar, até nos momentos em que a escuridão turbe os meus olhos.

A enfrentar os desafios da vida com garra e disposição, mesmo sabendo que as derrotas são inevitáveis no meu caminho.

Permita-me usar sempre a razão e o bom senso, ainda que o apelo dos vícios seja forte, insistente e constante na minha intimidade.

Sobretudo, Senhor, ajuda-me a elevar o sentimento de justiça acima dos meus próprios interesses.

Permita-me conservar o amor pela família, mesmo que ela me exija imensos esforços e árduas renúncias em prol da sua harmonia.

Ensina-me a ver sempre o lado bom e belo das coisas, apesar das lágrimas que brotam amargas do fundo da minha alma.

Senhor, que eu jamais perca a vontade de herdar as estrelas, mesmo habitando um planeta pequeno e de categoria inferior.

E, acima de tudo...

Que eu jamais esqueça que o Senhor é a inteligência suprema do universo e que me ama infinitamente...

Que provê minhas necessidades, ampara-me sempre e só quer o meu aperfeiçoamento.

Que eu possa entender as pessoas que são mais frágeis que eu...

A não julgar o meu semelhante...

A educar meus sentimentos e desenvolver minha inteligência...

E, por fim, que eu nunca esqueça que sou um espírito imortal... E que minha felicidade é uma conquista minha...

* * *

Nos dias em que a tristeza se apresentar, dissimulada e insistente em sua janela, recolha-se por alguns instantes...

Busque sintonizar com as forças do bem, que pairam acima das nuvens densas que envolvem a terra, e alimente sua intimidade com a harmonia celeste.

Não se deixe envolver pela tristeza, pois ela lhe impedirá de ver a esperança que insiste em lhe acenar com a certeza de que um novo e lindo dia surgirá.

www.momento.com.br (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5tb21lbnRvLmNvbS5icg==)

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 14 de Agosto de 2009, 09:44
Ola Amigo Taprobana
Muita paz e harmonia em seu coração

    Geralmente ,temos tendencia , de questionar , aquilo que já foi respondido diversas vezes  no entanto, entre linhas , palavras, enxertos e duvidas e razões , existe sempre algo que salta à primeira vista, todos seja em que momento for, nos apegamos a Deus como moleta de salvação.
     Quando queremos falar em Amor , temos que entender o que é renuncia, perdão, tolerância, indulgência, e muitos outros valores que nos são ensinados pela ordem de relação com todos os Mundos, ou seja o Amor em caridade, o desprendimento de nós mesmos, o diferenciar do real para o irreal, sim ,porque todos sem excepção tem dentro de si um santuário, o qual funciona consoante os valores que teu livre-arbitrio toma como escolha.
Então o que é Amor?
       
Vejamos este enxerto que lhe dara resposta;

O que é o amor?

Já falou-se tanto em amor, amizade e paixão...

Que tal falarmos do que NÃO é amor ?

Se você precisa de alguém para ser feliz, isso não é amor.

É carência.

Se você tem ciúme, insegurança e faz  qualquer coisa para conservar alguém ao seu lado, mesmo sabendo que não é amado, e ainda diz que confia nessa pessoa, mas não nos outros, que lhe parecem todos rivais, isso não é amor.

É falta de amor próprio.

Se você acredita que "ruim com ela(e), pior sem ela(e)", e sua vida fica vazia sem essa pessoa; não consegue se imaginar sozinho e mantém um relacionamento que já acabou só porque não tem vida própria - existe em função do outro - isso não é amor.

É dependência.

Se você acha que o ser amado lhe pertence; sente-se dono(a) e senhor(a) de sua vida e de seu corpo; não lhe dá o direito de se expressar, de ter escolhas, só para afirmar seu domínio, isso não é amor.

É egoísmo.

Se você não sente desejo; não se realiza sexualmente; prefere nem ter relações sexuais com essa pessoa, porém sente algum prazer em estar ao lado dela, isso não é amor.

É amizade.

Se vocês discutem por qualquer motivo; morrem de ciúmes um do outro e brigam por qualquer coisa; nem sempre fazem os mesmos planos; discordam em diversas situações; não gostam de fazer as mesmas coisas ou ir aos mesmos lugares, mas sexualmente combinam perfeitamente, isso não é amor.

É desejo.

Se seu coração palpita mais forte; o suor torna-se intenso; sua temperatura sobe e desce vertiginosamente, apenas em pensar na outra pessoa, isso não é amor.

É paixão.

Agora, sabendo o que não é amor, fica mais  fácil analisar, verificar o que está acontecendo e procurar resolver a situação.

Ou se programar para atrair alguém por quem sinta carinho e desejo; que sinta o mesmo por você, para que possam construir um relacionamento equilibrado no qual haja, aí sim, este é o verdadeiro e eterno AMOR.

Meu pai disse-me um dia:

"Filho... você terá três tipos de pessoa na sua vida:

- Uma AMIGA, aquela pessoa que você terá sempre em grande estima, que você sabe que poderá contar sempre; que bastará você insinuar que está precisando de ajuda e a ajuda está sendo dada;

- Uma AMANTE, aquela pessoa que faz o seu coração pulsar; que fará com que você flutue e nada importará quando vocês estiverem juntos;

- Uma PAIXÃO, aquela pessoa que você amará, desejará incondicionalmente, às vezes nem lhe importanto se ela lhe quer ou não, e talvez ela nem fique sabendo disso.

Mas, se você conseguir reunir essa três pessoas numa só - pode ter certeza meu filho - Você terá encontrado a felicidade."

(Augusto Schimanski - 1928/1973)


Espero que tenha sido lucido este trecho, mas todos podem querer ve-lo de outra forma, mas não tenham duvidas, ele encerra toda a verdade Ensinada por nosso Mestre Jesus ...


Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: gecol em 14 de Agosto de 2009, 14:46
Somente conseguiremos nos mantermos em constante oração quando realmente sentirmos Deus fazendo parte de nós, de nossas vidas. Assim, abriremos os olhos ao amanhecer e imediatamente nossa mente se voltará ao Pai em agradecimento pelo dom da vida e a oportunidade bendita de estarmos nessa experiência maravilhosa que é vivermos e convivermos!
Um grande abraço para todos.
Rosangela

Seus efeitos para o Homem, o planeta e o universo

Caros companheiros, por norma já todos um dia dirigiram uma prece ao Alto. Mesmo aqueles que se dizem des-crentes no Criador experimentaram , num momento de aflição, o desejo intimo de serem auxiliados por alguém que os proteja.

No entanto, muitas são as dificuldades que a maioria dos homens sentem ainda em orar diáriamente. Uns porque não sabem como fazê-lo, outros porque não entendem o seu real valor.

Nestes tempos agitados de mudança e reequilibrio que vivencia o nosso orbe terrestre, mais do que nunca, a prece pode ser o agente para a Paz no mundo.

O estudo deste mês tem como objectivos, não só compreender a importância da prece para o ser humano, mas também conhecer-lhe os efeitos, demonstrar a sua eficácia e reformular pre-conceitos que associam a prece únicamente á religião institucionalizada.

Organizamos este estudo por etapas com base na proposta do Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, cap. XXVII:

1 – O que é a prece

2 - Qualidade da prece

3 – Eficácia da prece

4 – Acção da prece

Pretendemos assim, em cada semana do mês de Agosto debater um destes items. A participação é livre, pelo que desde já estão convidados a colocar questões e a expôr as suas dúvidas.

Gostaria de salientar, que mais do que expôr teorias, é nossa preocupação partilhar ideias e incentivar a  que cada um descubra dentro de si a Fé e a Vontade de se unir ao Pai Celestial, através da prece.

Para promover a discussão, deixamos duas imagens que sugerem uma interpretação, as quais deixamos à vossa reflexão...
http://www.youtube.com/watch?v=rCNMPj1H6k0 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXJDTk1QajFINmsw)
(http://2.bp.blogspot.com/_G9IPY5AXskI/SE_P4WDXF0I/AAAAAAAAAv8/YjVEJU7FpQw/s400/prece.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/_G9IPY5AXskI/SE_P48MTPkI/AAAAAAAAAwE/UCxa1jmBQXE/s400/prece%2Bmenina.jpg)


No nosso estudo consultamos...

Bibliografia:

Calligaris, Rodolfo, O Sermão da Montanha

Dénis, Léon, Depois da Morte

Kardec, Allan, O Livro dos Espíritos, Q. 323, 479, 658, 997

Kardec, Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo, XXVII

Kardec, Allan, O Livro dos Médiuns, Q.189

Xavier, Francisco C., Boa Nova


EM ANEXO UM POWERPOINT ILUCIDATIVO SOBRE O TEMA...
[/color]
[/quote]
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 14 de Agosto de 2009, 15:27

Taprobana, Vitor Passos e amigos do Fórum

Peço licença aos amigos, para comentar o que senti após ler as palavras a respeito das sinceras perguntas abaixo:

Citar

O que é o Amor?

O que é o Bom (ou Bem) Universal?

Desprendimento de quê? Da vida? Da matéria? Será isso o que devemos fazer de facto? Se assim fosse porque encarnaríamos? Não deveríamos viver a vida em todo o esplendor que esta nos proporciona? Não teremos nunca o direito de abolir o medo que castra a vontade? Até que ponto esse desprendimento não é pecado no sentido de ter de votar a repetir tudo de novo, pois ao desprender-se da vida esta deixa de ser útil?


Pode parecer simples e banal, mas faltou dizer que o Amor é e dá o sentido a nossa vida.

Aqueles já chamados a vivê-lo, não sentem o “apego” à matéria, fazem uso dela. Todo desprendimento proposto deve ser natural e nunca violência. Nunca se violente, mas aprenda que existem hábitos e vícios mentais que precisam do seu carinho e atenção cuidadosa. Eles não devem guiar sua vida. A sabedoria exercida em batalhas de erros e acertos guiarão nossas escolhas, junto com uma guiança superior que nos coloca onde somos necessários. Oremos por isso.

Somos co-criadores com Deus. Ele nos usa em processo de reajuste uns com os outros, na evolução de todos. Lembremos da parábola dos talentos, com olhos espíritas:

Mateus 25: 14 Porque é assim como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes entregou os seus bens:15 a um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade; e seguiu viagem.16 O que recebera cinco talentos foi imediatamente negociar com eles, e ganhou outros cinco;17 da mesma sorte, o que recebera dois ganhou outros dois;18 mas o que recebera um foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.19 Ora, depois de muito tempo veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.20 Então chegando o que recebera cinco talentos, apresentou-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco que ganhei.21 Disse-lhe o seu senhor: Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.22 Chegando também o que recebera dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis aqui outros dois que ganhei.23 Disse-lhe o seu senhor: Muito bem, servo bom e fiel; sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.24 Chegando por fim o que recebera um talento, disse: Senhor, eu te conhecia, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste, e recolhes onde não joeiraste;
25 e, atemorizado, fui esconder na terra o teu talento; eis aqui tens o que é teu.26 Ao que lhe respondeu o seu senhor: Servo mau e preguiçoso, sabias que ceifo onde não semeei, e recolho onde não joeirei?27 Devias então entregar o meu dinheiro aos banqueiros e, vindo eu, tê-lo-ia recebido com juros.28 Tirai-lhe, pois, o talento e dai ao que tem os dez talentos.29 Porque a todo o que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundância; mas ao que não tem, até aquilo que tem ser-lhe-á tirado.30 E lançai o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.31 Quando, pois vier o Filho do homem na sua glória, e todos os anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória;32 e diante dele serão reunidas todas as nações; e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos;33 e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos à esquerda.34 Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;35 porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me acolhestes; 36 estava nu, e me vestistes; adoeci, e me visitastes; estava na prisão e fostes ver-me.37 Então os justos lhe perguntarão: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?

Muita Paz a todos

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 14 de Agosto de 2009, 17:09
Queridos amigos... :)

Certamente devem surpreender-se por já me ver aqui de volta tão animada. Na verdade, algo aconteceu, graças à Bondade do Pai.

Partilho, assim, convosco o que aconteceu:

No inicio deste ano, surgiram-me nos olhos pequenos quistos, que apareciam e desapareciam sem explicação.

O médico oftalmologista, depois de uns exames, disse que era uma doença crónica, portanto sem cura, e não sendo infecciosa nem contagiosa, não acarretaria grande mal a não ser para o próprio. No entanto, sinalizou um quisto no olho esquerdo, já cristalizado, que teria de ser removido por cirurgia.

No espaço de 2 semanas, fui contactada (apenas na 3ªfeira) para fazer esta pequena cirurgia, nada de grave, mas que me impediria por, pelo menos, durante 3/4 dias de ver televisão, de ler, de vir ao computador. Por isso mesmo, eu fiz este aviso aqui no estudo, pois seriam muitos dias sem acompanhá-lo. Achei que deveria me justificar com vocês, e penso que foi o mais correcto.

Ontem à noite, ao deitar, nas minhas preces eu tive este pensamento: "querido Pai, a verdade é que se a espiritualidade pudesse remover isto seria coisa de segundos, mas tenho que aceitar que a medicina terrena é por ora a solução, e se assim é, pois vou confiante que é coisa simples, nada demais..." e adormeci muito tranquila.
 
Ao acordar de manhã, ao fazer a minha higiene, eis que reparei que o quisto não estava visivel como antes,mas confesso não ter dado importancia e segui para o hospital.

Estava eu já de bata nas mãos para mudar de roupa, e vem dois médicos para fazerem o exame antecedente. Eles viram, reviram....e um deles perguntou:
"mas onde disse o médico que tinha os quistos?"
Eu disse: no olho esquerdo.

Ele pediu para o outro ver, e este diz: "Mas não tem nada...absolutamente nada. Em nenhum dos olhos...Assim não vamos operar. Até porque não tem nada para operar"... e riu-se.
Vendo a minha cara de espanto,ao mesmo tempo de alegria, ele ainda disse: "talvez algum tratamento que tenha feito tenha dado resultado. Se isso aparecer de novo venha á urgencia..." 

E aqui estou, para dar continuidade aos compromissos . Agradeço as palavras tão carinhosas, bem como o vosso pensamento de boa recuperação, pois que certamente chegaram ao Alto, visto que Deus achou que eu ia aproveitar para tirar férias ao invés de ir trabalhar... :D Obrigada!!!

Como nada acontece por acaso, surge este acontecimento simples,nesta altura em que estudamos juntos a prece, para me demonstrar quanta gratidão devemos ter pelo nosso Pai, e que só devemos confiar...

Desculpem trazer para o forum este relato, tão pessoal, mas dada a situação, achei que deveria partilhá-lo com todos.

Vamos ao nosso estudo.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Anton Kiudero em 14 de Agosto de 2009, 18:04
O que é o Bom (ou Bem) Universal?
Desprendimento de quê? Da vida? Da matéria? Será isso o que devemos fazer de facto? Se assim fosse porque encarnaríamos? Não deveríamos viver a vida em todo o esplendor que esta nos proporciona? Não teremos nunca o direito de abolir o medo que castra a vontade? Até que ponto esse desprendimento não é pecado no sentido de ter de votar a repetir tudo de novo pois ao desprender-se da vida esta deixa de ser útil?

Ola amigo Taprobana,

Casualmente respondi a questão semelhante em outro tópico. Para não fazer repetecos, passo o link >> http://www.forumespirita.net/fe/lei-de-causa-e-efeito/qual-e-o-papel-da-doenca/msg55347/#msg55347

Abraço,
Anton
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 14 de Agosto de 2009, 18:54

O que é o Amor?

O que é o Bom (ou Bem) Universal?

Desprendimento de quê? Da vida? Da matéria?

Meu amigo Taprobana, obrigada por partilhar connosco as suas dúvidas. Provávelmente, eu não serei capaz de lhe dar respostas, mas espero pelo menos, que as encontre dentro ou fora de si, durante este estudo.

Pelo que me tem dado a perceber, a sua ângustia em entender a vida, não é nada que lhe tire o sono, pois aparenta ser um homem tranquilo, mas deixa-o cheio de incertezas que lhe embaraçam as decisões íntimas.

Estas questões que colocam desembocam todas no mesmo ponto: a existência de Deus.
Não é por acaso que O Livro dos Espíritos começa com a pergunta: Que é Deus?
Não O ou quem, mas que...

Sem compreendermos os seus atributos, e as razões da existência de O Criador, dificilmente conseguiremos conhecer-nos ou entender quem somos nós, de onde vimos e para onde vamos.

Mas perguntará: e quem não é crente em Deus não ora?

Diz-nos a ob.cit. :

649. Em que consiste a adoração?
“Na elevação do pensamento a Deus. Deste, pela adoração, aproxima o homem sua
alma.”

650. Origina-se de um sentimento inato a adoração, ou é fruto de ensino?
“Sentimento inato, como o da existência de Deus. A consciência da sua fraqueza
leva o homem a curvar-se diante daquele que o pode proteger.”

651. Terá havido povos destituídos de todo sentimento de adoração?
“Não, que nunca houve povos de ateus. Todos compreendem que acima de tudo há
um Ente Supremo.”

Atente-se na resposta dos espíritos quanto ao homem ser ou não ateu...o espírito na sua condição espiritual, não encarnado, tem consciencia da sua imortalidade, e de que foi criado por Deus, mas ao viver uma vida material ele tem a possibilidade e o livre arbitrio de: ou se entregar ao desanimo (não crer em nada) ou ser um homem de Fé (confiar no criador).

As respostas às suas perguntas, penso eu, só surgirão dentro de si, quando aceitar interiormente que Não há efeito sem causa...ou seja que Deus existe e que não estariamos aqui sem a providência do Pai.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 14 de Agosto de 2009, 18:59
Somente conseguiremos nos mantermos em constante oração quando realmente sentirmos Deus fazendo parte de nós, de nossas vidas.

Gecol...você resumiu, de certa forma, o que tentei expressar ao companheiro Taprobana.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Katia Pelli em 14 de Agosto de 2009, 19:08
Boa Tarde!
Como bem lembrou nossa colega a prece é toda boa ação! Um recurso e ferramenta para nossa evolução. Portanto a prece deve estar sempre em todos os momentos em nossas vidas em forma de atitudes conscientes, ou seja, de acordo com as leis divinas, pois assim estaremos em consonancia com o Criador. Abraços
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: gecol em 14 de Agosto de 2009, 19:09
Na verdade amiga, as indagações são necessárias para nosso crescimento.
Somente nos tornando seres mais andaciosos, curiosos e criativos sairemos da preguiça mental em que nos encontramos.
Vivemos há muito num primitivismo doentio e necessitamos voltarmos a mente para o Pai na conquista de valores mais nobres e felizes.
A Prece é o instrumento de renovação das energias divinas que reside em nós,somente no exercício da oração sincera encontraremos a força e a coragem de lutarmos por um Homem melhor e renovado.
Que a Paz fique com todos!
Um grande abraço. Rosangela
 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 14 de Agosto de 2009, 22:05
Olá amigos(as)

Encontrei este texto que achei interessante para o tema ;)

Estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília demonstra a ação das orações sobre as células humanas. CONTATO Professor Carlos Eduardo Tosta .

Ciência e religiosidade

Efeitos da prece na saúde

Estudo da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília
demonstra a ação das orações sobre as células humanas
 
Médico e professor titular de Imunologia da Faculdade de Medicina (FMD) da Universidade de Brasília (UnB), Carlos Eduardo Tosta não se considera um religioso no sentido convencional do termo. Mesmo assim, uniu ciência e religiosidade em uma pesquisa que desenvolveu durante três anos (de 2000 a 2003) no Laboratório de Imunologia Celular da FMD. A finalidade: estudar o efeito da prece sobre a saúde das pessoas. Ele usou como referência um estudo pioneiro de 1988, desenvolvido na Califórnia, no Hospital Geral de São Francisco. O médico Randolph Byrd pesquisou um grupo de 393 pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) coronariana que recebiam o mesmo tratamento médico. Eles foram divididos em dois grupos e um deles recebia prece intercessória a distância. Os resultados da pesquisa mostraram que, após receberem preces, os doentes melhoravam em alguns aspectos. Eles necessitavam de menos medicamentos como antibiótico e diurético, sofriam menos edema de pulmão e insuficiência cardíaca e quase não precisavam ser entubados para manutenção da respiração.

Na pesquisa realizada na FMD, o diferencial foi o envolvimento de pessoas sadias, no lugar de enfermos. Participaram 52 estudantes de medicina, divididos em pares do mesmo sexo e da mesma idade. A idéia era verificar se a prece intercessória a distância poderia alterar a função de células de defesa, como os monócitos e os neutrófilos. Para a satisfação da equipe, os resultados revelaram que as células de defesa sofreram influência da prece. Quando os indivíduos que receberam a prece foram comparados com os que não receberam, ou o mesmo indivíduo foi comparado antes e depois de ser alvo da prece,  comprovou-se que a prece aumentou a estabilidade da função celular, o que quer dizer que as células funcionaram melhor. “Quando interpretamos os dados, observamos que a prece teve o papel de induzir equilíbrio e isso faz sentido, já que em medicina equilíbrio é sinônimo de saúde”, explica o pesquisador responsável pelo estudo.

Outra descoberta importante foi a demonstração de que, embora o estresse deprima a função das células estudadas, a prece não reduziu o nível de estresse. “Antes da pesquisa imaginávamos que o nível de estresse daqueles que recebiam as preces diminuiria, mas isso não aconteceu”, comenta o pesquisador.

METODOLOGIA – A metodologia adotada foi segura e rigorosa: estudo duplo cego (nem os participantes do projeto nem os pesquisadores sabiam quem recebia a prece) e com duplo controle (ora um grupo funcionava como controle, ora outro). “Falei para os membros da equipe que devíamos ser muito mais rigorosos que nos projetos de pesquisa convencionais”, comenta o professor Tosta.

O estudo foi dividido em duas fases. No primeiro dia, um par de estudantes preenchia um questionário sobre estresse e o quadro clínico, e tinham suas amostras de sangue colhidas. O material servia para verificar a capacidade de defesa das células (monócitos e neutrófilos) contra agentes estranhos. Durante sete dias, um dos estudantes recebia prece diária e o outro não. No sétimo dia, eles deveriam preencher novo questionário médico e de estresse e tornavam a retirar o sangue para testar a função celular. Após 30 dias de intervalo, todos os procedimentos eram repetidos, com a diferença de que quem havia recebido a prece deixava de recebê-la e vice-versa.

O grupo dos intercessores, formado por 10 pessoas de diferentes religiões, recebia a foto e o nome de uma das pessoas do par que seria alvo da prece. Eles se comprometiam a rezar durante sete dias pelo indivíduo, da maneira como sempre costumavam fazer, e anotar em um formulário se a qualidade da prece foi boa, média ou ruim.

Os resultados do estudo já foram apresentados na 55ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, em Recife (julho 2003) e no Encontro Gaúcho de Espiritualidade e Qualidade de Vida, organizado pela  Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em outubro de 2003.

Para desenvolver a pesquisa, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Medicina da UnB,  o professor contou com uma equipe constituída por cinco  estudantes de medicina da UnB: Luciana Arnaut, Patrícia Taíra, Paula Nascimento, Flávia Medeiros e Luciana Muniz.


SAUDAÇÕES FRATERNAS

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gomes em 14 de Agosto de 2009, 23:45
Quando criança, peralta, levado, se fizesse alguma traquinagem, se arrumava "encrenca" fazia arte e não sabia resolver, como quase sempre, corria para o colo de meu pai pedindo ajuda, contando o que fizera, isto é, mais ou menos, querendo sempre me livrar da culpa. Bom, isso ele já sabia, mas, com amor e carinho me corrigia, e me fazia compreender o erro e que eu tinha o dever de consertá-lo e não mais repetí-lo.
Hoje, adulto, quando tenho dificuldades, problemas, sejam familiares, financeiros, pessoais, morais, etc., corro para sentar no colo, não mais do pai  que gerou meu corpo, mas corro para o Pai que me criou como espírito. Como se flosse criança, conto a Ele minhas dificuldades, meus problemas e peço ajuda para esclarece-los, não para fugir deles. Sei que ele sabe de tudo, mas eu é que me sinto melhor Lhe contando, reconhecendo sua Divindade e Grandeza, só que agora eu  não posso contar mais ou menos, tenho de sentar no colo D'Ele e abrir meu coração com desprendimento e humildade.
Esse é meu modo de fazer minhas preces.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Taprobana em 15 de Agosto de 2009, 01:36
Olá Victor Passos.

Citar
(…)
Ou se programar para atrair alguém por quem sinta carinho e desejo; que sinta o mesmo por você, para que possam construir um relacionamento equilibrado no qual haja, aí sim, este é o verdadeiro e eterno AMOR.

No que não é amor estamos entendidos… não de acordo.  :D

Todos os atributos mencionados, apesar de não ser amor na sua concepção bilateral, ou seja a dois, portanto de génese egoística, são parte integrante do espírito humano e que cada um de nós inevitavelmente transporta. Foi assim que Deus nos criou. Fará sentido então, que todos tenhamos de reprimir, anular, amordaçar, castrar a natureza com que fomos criados em nome de um sentido de Bem, de Certo, de Perfeito criados pelo Homem em nome de Deus e que por detrás escondem e mascaram uma panóplia de interesses que representam a organização dos estados e das sociedades de consumo, ou seja de poder opressor?

Para evitar cair em dogmas e crenças que nos amarram durante um tempo indeterminado e nos impedem de forma sistemática de viver, portanto evoluir em todos os sentidos, importa que essas noções tão do agrado daqueles que podem, sejam demonstradas de forma inequivocas como imperfeições do espírito o que não acontece. Está muito longe disso. Por outro lado nada nos indica que mesmo sendo imperfeições tenham necessariamente de ser eliminadas. Porque não aceitar com naturalidade esssas características intrínsecas e entender que evoluem também elas na direcção de Deus tornando assim compreensível um percurso cuja génese é admitida mas cujo objectivo final se encontra infinitamente distante de tal forma que justifica a própria natureza imortal do Homem e simultaneamente a perfeição da obra de Deus?

Este trecho da citação do autor que adopta é um exemplo daquilo que não pode ser Amor na acepção divina desta palavra:

Citar
Meu pai disse-me um dia:

"Filho... você terá três tipos de pessoa na sua vida:

- Uma AMIGA, aquela pessoa que você terá sempre em grande estima, que você sabe que poderá contar sempre; que bastará você insinuar que está precisando de ajuda e a ajuda está sendo dada;

- Uma AMANTE, aquela pessoa que faz o seu coração pulsar; que fará com que você flutue e nada importará quando vocês estiverem juntos;

- Uma PAIXÃO, aquela pessoa que você amará, desejará incondicionalmente, às vezes nem lhe importanto se ela lhe quer ou não, e talvez ela nem fique sabendo disso.

Mas, se você conseguir reunir essa três pessoas numa só - pode ter certeza meu filho - Você terá encontrado a felicidade."

A menos que a totalidade da criação divina possa representar uma e só uma unidade, o seu Amor não pode ser bilateral… não faz o mínimo sentido. Esta definição será uma forma de definir amor conjugal, que pertence a disciplinas de análise do egocentrismo.

Olá amigo Nelson

Aproveito a sua amável e excelente intervenção para de novo reafirmar que não estou de forma alguma a negar a evidente razão que o assiste. Não é esse o foco da minha atenção na procura das respostas a estas questões mas sim endereçar um convite para que tentemos ir além dessas noções genéticas de amor escritas em memória de Jesus. Ir para além dessas noções de caridade de fraternidade e entender que na medida que evoluímos tremos então capacidade de ir para além do Bem e do Mal, e encontrar a expressão livre, leve e solta daquele que não carrega com os dogmas que pelo temor incutido pelo deus pós-socrático lhe inspira.

Lembra aquele exemplo do que ensina a pescar? Se o semelhante não quer aprender não está n seu direito? E devemos pescar para ele? É isto a caridade? É isto que queremos para o nossos filhos terrenos? Qual o sentido desta mensagem de Jesus?

Olá amigo Anton Kiudero. É um prazer de novo reencontra-lo.

Mais uma excelente visão daquilo que é o Amor… Mas sabemos que é de todo insuficiente para expressar a universalidade da definição. Sendo tudo Amor teremos de encontrar também no reverso dessa medalha a seu sentido na criação divina. Se isso não fosse possível encontraríamos sob suspeita a inevitável natureza infinitamente perfeita de Deus.

Olá Gigi amiga! Um grande sorriso, feliz por estar de novo consigo.

Citar
As respostas às suas perguntas, penso eu, só surgirão dentro de si, quando aceitar interiormente que Não há efeito sem causa...ou seja que Deus existe e que não estariamos aqui sem a providência do Pai.

Obrigado amiga. Felizmente para mim no universo da minha fé em Deus nosso pai e a crença na imortabilidade da alma e a certeza da “perfeição” futura não existe ponta da dúvida que instalaria o pavor pela vida. Disse Salman Rushdie algo como isto (desculpe por não me dar ao trabalho de encontrar a frase textual, mas está algures dentro do livro “Os Versiculos Satânicos” que é muitíssimo grosso >:( )  ""a intranquilidade instala-se não naquele que firmemente não acredita em Deus, mas sim naquele que vive na duvida.""

No entanto exactamente porque não sinto a dúvida dentro de mim, não tenho também o mínimo de receio em questionar de forma frontal a veracidade daquilo que nos vai sendo apresentado como “verdade” ou “revelação” pois independentemente do que acontecer, no final deste percurso encontraremos inevitavelmente Deus. Mesmo se essa fórmula basilar que pretende demonstrar de forma inequívoca a existência de Deus contiver uma contradição que a desqualifica e que se encontra na natureza do próprio Deus que é efeito sem causa, como aliás já tive oportunidade de referir por aqui algures.

No entanto, ser de momento agnóstico não coloca em questão a fé inabalável em Deus. Mas não passa disso mesmo. De fé.

Taprobana
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Ros em 15 de Agosto de 2009, 02:03
Paz plena... Victor Passos, um grande e fraternal abraço.
Citar
O amor é a solicitude a todo crescimento, no entanto, estamos ainda na fase em que pedimos muito e damos pouco...
A verdadeira prece é aquela que brota do nosso interior sem nenhuma forma prefixado ou decorada.
Veja essa poesia, que escrevi após a visita a um Centro de Magia e fui seguido por alguma entidade do local. Nesse local é usada uma forma de falar bem complicada, pois no final de cada palavra eles colocam a sílaba "dor" e por isso na poesia foram usadas muitas palavras que terminam com a sílaba "dor", mas de verdade e não um acréscimo, começando com o título: 
O LIBERTADOR
Aqui estou em paz...
Está tudo em paz...
Eu sou o pacificador
E para um bom entendedor
Em mim não existe dor.

Eu sou... E isso me basta.
De tudo o que existe e eu sou um amador...
Sem sentir dor
Já que estou pleno de amor.
Eu sou um libertador

Para todos que, sem amor,
Estão sob o poder de um ditador,
Que só espalha dor.
Eu sou um Criador,
Mas eu não criei a dor.

Para um bom conhecedor
É fácil dizer que o verdadeiro Libertador
Não é o Grande Homem do passado,
Mas é o Grande Homem do presente,
Que no futuro irá receber a grande coroa, um vencedor.

Muitos querem a coroa, como usurpador.
Mas os verdadeiros homens sabem quem é o indicador
Do grande vencedor,
Que receberá a coroa, sem dor.

Eu sou... E tudo sei,    
Então sou um conhecedor.
Só pede perdão, quando é pecador
E quem peca é aquele que causa sua dor.

Tudo na vida se aprende, até ser um enganador.
Um enganador não pode ser um instrutor,
Pois ele ainda fala para todos com dor,
Mas, no íntimo, quer ser um Criador
E assim criou a sua dor...
De todo tipo de dor
Eu sou o libertador.
R. A. R., ex-professor da UFMG. B. Hte, 07/01/1997.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mind em 15 de Agosto de 2009, 02:51
Excerto do livro dos médiuns :
[size=10pt]
Citar
13. Assim, o Espiritismo não aceita todos os fatos considerados maravilhosos, ou sobrenaturais. Longe disso, demonstra a impossibilidade de grande número deles e o ridículo de certas crenças, que constituem a superstição propriamente dita. É exacto que, no que ele admite, há coisas que, para os incrédulos, São puramente do domínio do maravilhoso, ou por outra, da superstição. Seja. Mas, ao menos, discuti apenas esses pontos, porquanto, com relação aos demais, nada há que dizer e pregais em vão.
Atendo-vos ao que ele próprio refuta, provais ignorar o assunto e os vossos argumentos erram o alvo.
Porém, até onde vai a crença do Espiritismo? Perguntarão. Lede, observai e sabê-lo-eis. Só com o tempo e o estudo se adquire o conhecimento de qualquer ciência.
Ora, o Espiritismo, que entende com as mais graves questões de filosofia, com todos os ramos da ordem social, que abrange tanto o homem físico quanto o homem moral, é, em si mesmo, uma ciência, uma filosofia, que já não podem ser aprendidas em algumas horas, como nenhuma outra ciência.

Existem doutrinas, crédulos religiosos, temos livre-arbitro, liberdade de escolha.
Muitos são os que buscam respostas em desespero… Muitos são os que optam por caminhos mais longos; mas tenho a certeza, que num momento mais íntimo, seja de desespero, ou de obscuridade psíquica, o homem se deparará com impotência absoluta e a única palavra que se pronunciara será “MEU DEUS”. 
Abraços fraternos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 15 de Agosto de 2009, 09:28
OLa Amigo Tabropana
Muita paz

  Ou se programar para atrair alguém por quem sinta carinho e desejo; que sinta o mesmo por você, para que possam construir um relacionamento equilibrado no qual haja, aí sim, este é o verdadeiro e eterno AMOR.

Este é o amor fisico , e de atração realacional...quando falo em Amor , ligo sempre o Amor sublime...e esse...estamos muito longe de o atingir...Falo do amor espiritual, sem fronteiras, sem barreiras...sem , hostes que possam crivar e dizimar as vidas em corpo e e claro espirito..

Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 15 de Agosto de 2009, 13:05
Seja o que for que peçais na prece, crede que o obtereis e concedido vos será o que pedirdes.S.Marcos, cap.XI, v.24


Vamos então dar seguimento ao estudo, agora abordando a Eficácia da Prece...

Esta frase, sem dúvida, tem de ser analisada, para não criemos a ilusão que Deus anda ao sabor dos nossos caprichos.

“Meu Deus, preciso tanto que me saia o euromilhões. Com esse dinheiro eu ajudava a minha mãe, os meus primos, a vizinha, as crianças abandonadas, etc...”
Só Deus sabe, se ter ou não fortuna é um bem para nós e se será motivo de crescimento espiritual passar por estas experiências.

Estamos a dar como exemplo a riqueza material, pois sabemos que nesta época de crise económica esta “necessidade” ofusca o pensamento da maioria.

Porque haveremos de pedir dinheiro, se a nossa prova agora é passar pela pobreza?

Diz Kardec  em O Evangelho Segundo o Espiritismo,

7. Desta máxima: “Concedido vos será o que quer que pedirdes pela prece”, fora
ilógico deduzir que basta pedir para obter e fora injusto acusar a Providência se não acede a toda súplica que se lhe faça, uma vez que ela sabe, melhor do que nós, o que é para nosso bem. É como procede um pai criterioso que recusa ao filho o que seja contrário aos seus interesses. Em geral, o homem apenas vê o presente; ora, se o sofrimento é de utilidade para a sua felicidade futura, Deus o deixará sofrer, como o cirurgião deixa que o doente sofra as dores de uma operação que lhe trará a cura.

Sendo assim, porque haveremos de pedir alguma coisa?

Diz um espírito (V.Monod.) no E.S.E (maneira de orar):

“A vossa prece deve conter o pedido das graças de que necessitais, mas de que necessitais em realidade. Inutil, portanto pedir ao Senhor que vos abrevie as provas, que vos dê alegrias e riquezas. Rogai-lhe que vos conceda os bens mais preciosos da paciência, da resignação e da fé."

Diz Rodolfo Calligaris:

“Com o pedir, confessamos a nossa indigência, nossa fraqueza, e, com esse acto de humildade e de fé, criamos aquelas condições de receptividade indispensáveis para que a graça divina possa actuar sobre nós, fortalecendo-nos o ânimo, de modo a levarmos a bom termo os nossos empreendimentos, inspirando-nos soluções adequadas aos problemas que nos aflijam, assim como infundindo-nos paciência e resignação, quando se trate de vencermos prova dificil.”

Fica assim exposto o mote de reflexão para esta semana!



Relembramos que no final do nosso estudo, os membros podem fazer um trabalho como resumo de tudo o que falamos, em powerpoint ou texto, para que cada um o use para divulgação ou exposição no centro que frequenta.



Beijitos e votos de um sábado muito prazenteiro  8)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Atma em 15 de Agosto de 2009, 14:07
Olá companheiros!
Excelente temática.
Paz, luz e harmonia.

 A legítima acepção do vocábulo orar não é apenas...

suplicar,  
louvar,  
reclamar  

ou requerer; é sobretudo sintonizar pensamentos e emoção, construir fecundas conjugações mentais, estabelecer circuitos de poderosas energias construtivas.

        Quando o Divino Preceptor nos aconselhou a orar, ...
não intentou incitar-nos à recitação improdutiva de fórmulas cediças,  
nem pretendeu induzir-nos à atitude estéril de interesseiros rogadores;  
visou, isto sim, a nos fazer partícipes ativos da grande comunhão celeste, incentivando-nos a utilizar nossos poderes mentais para felizes contactos com as Esferas Mais Altas, de onde emanam as luzes puras da virtude e da graça.

        Sabedores agora de que é o teor das nossas idéias que determina a qualidade das nossas companhias espirituais e a natureza da nossa própria atmosfera psíquica, podemos hoje compreender melhor o elevado alcance do conselho messiânico.

        Em verdade, o ato de pensar já é, em si mesmo, uma prece, porque pensando expedimos para fora de nós ondas de força mentelétrica, carregadas de peculiar magnetismo, que sensibilizam outras mentes ajustadas no mesmo plano de sentimentos e interesses.

        Nascem daí simpatias, alianças e compromissos que varam, por vezes, os milênios, semeando atos e fatos que marcam destinos e produzem extraordinárias conseqüências.

        Como o pensamento contínuo é faculdade natural comum a todos os seres humanos, os desejos, as esperanças e as expectativas de cada coração representam preces contínuas, invocações poderosas, dirigidas a todos quantos vibrem na mesma faixa de entendimento e de vontade.

        Assim, a invocação dos irresponsáveis e dos maus se dirige permanentemente aos gênios trevosos, em apelos repetidos, de que eles se valem para multiplicar, no mundo, os instrumentos de suas iniqüidades.

        Orar, portanto, longe de ser atitude esporádica de alguns poucos, é exercício de todos, a todos os instantes, força de conexão que mantém as sintonias em ação, que forja acontecimentos, muitas vezes de importância e de conseqüências imprevisíveis.

        Daí a necessidade de vigilância mental dos discípulos do Senhor, porque as palavras enunciadas, na verbalização das preces, muito amiúde nada têm a ver com a essência das forças postas em movimento pelas mentes em atividade.

        Seja, pois, a nossa vida uma oração perene, dirigida ao Altíssimo, pela essência viva de nossas idéias e de nossos atos, na ação de cada minuto, porque é no trabalho incessante do Bem que havemos de conseguir a união verdadeira com o Mais Alto.

        Desejando paz, formulamos votos carinhosos de prosperidade espiritual e vos almejamos saúde da alma e vitória em Cristo.

André (Espírito)

CORREIO ENTRE DOIS MUNDOS - Hernani T. Sant´Anna - Diversos Espíritos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Atma em 15 de Agosto de 2009, 14:15
Olá companheiros!
Para elucidar mais, este assunto:

Na fria atmosfera de vossa Terra, glacial e refratária à vida espiritual, não sabeis quanto é mantida pela prece freqüente a relação magnética entre o vosso espírito e os guias, que esperam a petição para transmiti-la. Oraríeis mais ainda se soubésseis que rica bênção espiritual a prece traz. O laço se aperta por um freqüente uso, a intimidade pela associação mútua. Os vossos sábios eruditos discutiram muito sobre o valor da prece. A ignorância deles os fez tatear em um labirinto de opiniões confusas. Nada souberam; como poderiam sabê-lo? Anjos mensageiros sempre prontos a ajudar o espírito que grita pelo seu Deus, eles experimentaram medir os efeitos da prece, comparar os resultados, mas essas coisas escapam à ciência humana, por serem espirituais e variarem conforme os casos.
        Muitas vezes a petição inarticulada, que não parece ter sido ouvida, traz à alma que ora abundantes bênçãos. O apelo íntimo do ser oprimido, que se atira no espaço, e o grito arrancado por uma dor amarga produzem um alívio desconhecido até então. A alma é aliviada; não sabeis por quê. Seria preciso ver, como nós, os guias trabalhando para derramarem na alma aflita o bálsamo de consolação, e saberíeis então donde vem essa estranha paz, que faz penetrar no espírito a certeza de que existe um Deus misericordioso. A prece executou a sua obra, atraiu um amigo invisível, e o coração intumescido, macerado, é reconfortado por uma angélica simpatia.
        A simpatia_magnética, da qual podemos rodear aqueles que estão em íntima comunhão conosco, é um dos efeitos benditos da ardente invocação que uma alma humana dirige ao seu Deus.
        A plenitude das relações espirituais não pode ser realizada em outras condições. Só o ente espiritualizado pode penetrar as misteriosas mansões dos anjos. É da alma que vive em freqüente comunhão conosco, que melhor podemos aproximar-nos; é isso uma outra face da imutável lei que governa as nossas relações com o vosso mundo. Para a alma espiritualizada, os dons espirituais. O homem, em sua ignorância, espera às vezes uma outra resposta ao seu pedido, mas o deferimento seria muitas vezes cruel; o pedido formulado em sua prece é abandonado, mas a prece pôs a sua alma em comunicação com uma inteligência pronta a aproveitar-se dessa ocasião oportuna para aproximar-se dele a fim de fortificá-lo e consolá-lo.
        Os homens deveriam tomar a resolução de orar com mais freqüência, de ter uma vida de prece. Não essa vida de devoção mórbida, que consiste em abandonar o dever e em consumir as horas preciosas de tirocínio, para atrofiar-se indolentemente a fim de se submergir em investigações prejudiciais, para se perder em imaginária contemplação ou em súplicas impostas. A vida de prece é inteiramente outra. A prece real é o grito espontâneo do coração à procura dos amigos invisíveis. A invenção de uma prece cochichada aos ouvidos de um Deus sempre presente, e disposto a responder a um pedido caprichoso, modificando leis inalteráveis, tem desacreditado a idéia de prece. Não penseis desse modo. A prece, impulso da alma para seu Deus, não se ostenta exteriormente, não tem nenhuma necessidade de preparação formal. Petição inarticulada, levam-na os agentes desvelados de altura em altura até a um poder que possa responder a ela.

-A verdadeira prece é a voz sempre pronta da alma comunicando com a alma;
-o apelo aos invisíveis amigos com os quais ela tem costume de conversar;
-a centelha ao longo da linha magnética, que transmite uma súplica e, rápida como o     pensamento, traz uma resposta.
-É unir uma alma sofredora a um Espírito que pode tranqüilizar e curar.
        
          Essa prece não requer nem palavras, nem atitude, nem forma; é mais verdadeira sem formalidades nem aparatos, e só tem necessidade de sentir-se próxima de um guia, de ser levada à comunhão. Para atingir essa meta, ela deve ser habitual; de outro modo, como o membro muito tempo privado do uso, ela ficaria paralisada. Assim, aqueles dentre vós que vivem mais em espírito penetram nos mistérios ocultos; podemo-nos aproximar deles. Fazemos vibrar as cordas secretas da sua natureza, as quais ressoam somente sob o nosso influxo, insensíveis às influências desse mundo. São eles que se elevam mais alto durante a vida terrestre, pois sabem já comungar em espírito e nutrir-se do pão espiritual; os mistérios, ocultos aos seres materiais, abrem-se diante deles, e a sua perpétua prece lhes permite pelo menos que, sem ser isentos de sofrimentos e de penas, vivam entretanto acima deles, pois sabem-nos necessários ao seu desenvolvimento.
        Ah! Falamos do que é pouco conhecido. Se essa grande verdade fosse mais bem compreendida, o homem, por sua atitude espiritual, afastaria de si as perniciosas influências que muitas vezes assaltam os que, sem a isso ser autorizados, querem aprofundar mistérios muito acima da sua inteligência. As melhores almas nem sempre estão ao abrigo de penosos assaltos; mas se essa grande verdade não pode livrar do perigo, assegura a proteção para afrontá-lo, fortifica, purifica os motivos, santifica os atos e é a força auxiliar da comunhão espiritual. (Ver: Antídodo do vampirismo)
        Orai então, mas sem formalidade, sem desatenção, sem súplica vã. Comungai conosco na comunhão do espírito; observai os efeitos dessa comunhão sobre o vosso próprio ser; o resto virá oportunamente. Deixai as questões abstratas e inquietadoras de controvérsia teológica humana e aproximai-vos das verdades centrais que afetam tão intimamente o bem-estar do vosso espírito. As fúteis perplexidades, de que o homem rodeou a simplicidade da verdade, são múltiplas. Não vos compete separar nem decidir o que é ou não essencial. Sabereis mais tarde que o que considerais hoje como verdade essencial é apenas uma forma transitória de ensinamento, empregada quando necessária. A fraqueza humana impele-vos a precipitar-vos para a finalidade. Demais, deveis demorar-vos, amigo, demorar-vos muito antes de atingir a meta. Tendes muitas noções falsas a retificar antes de poder estudar todos os mistérios. Poderíamos dizer muito mais sobre esse assunto; mas é bastante, presentemente. Possa o Supremo guiar-nos, assim como a vós, e permitir-nos conduzir-vos de tal modo que enfim a verdade venha a brilhar em vossa alma obscura e a paz possa nela manifestar-se.

Espirito, † Imperator
ENSINOS ESPIRITUALISTAS - FEB - Obra mediúnica - William Stainton Moses.(*05/11/1839 - +05/9/1892)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edna☼ em 15 de Agosto de 2009, 18:18
 
"....todo o problema da oração está em edificarmos o reino do céu entre os sentimentos de nosso íntimo, compreendendo que os atributos divinos se encontram também em nós."

(pelo Espírito Humberto de Campos)

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: yochy em 15 de Agosto de 2009, 19:08











Obrigada por esta resposta tão linda!
Que me encheu a alma de luz .










Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 15 de Agosto de 2009, 22:44
Boa noite a todos! Tantas contribuições maravilhosas...

Venho, no entanto, pedir a vossa colaboração para o seguinte: para que o estudo mantenha a organização inicial, e de forma a não repetirmos o que já foi debatido antes, eu peço a gentileza de antes de participarem no estudo, relerem o que está para trás.

A saber: na 1ª semana falamos sobre o que é a prece, na 2ª semana a qualidade da prece, e agora esta semana iniciamos a reflexão sobre a eficácia da prece.

O objectivo é não nos perdermos no rumo deste estudo, que como qualquer outro, tem uma orientação sequencial.

Assim, caso os companheiros tenham textos interessantes a partilhar, dentro do subtema da semana, peço que façam um resumo, ou coloquem o link a remeter para a sua leitura noutra página.

Exemplo: coloco ao contrário os parentesis para ser visivel

]url= link[Eficácia da prece ]/url[
 
Isto facilitará em muito, a promoção do debate, que se pretende participativo por todos.

Se eu não tiver sido suficientemente esclarecedora, não hesitem em questionar-me, ok?




Atma...o texto que nos trouxe mostra bem o quanto somos desconhecedores dos efeitos sublimes da prece.

Quantos de nós não afirma diáriamente a prece é essencial para manter-me unido aos irmãos maiores, mas porém, quantas vezes levantamos os braços ao Alto numa prece sentida?

Quem se dispõe a trocar uma ida ao café com os amigos, ou a ver a telenovela, por um momento edificante fazendo uma prece pelo planeta?

Vamos pensar nisto?

Edna...nessa obra tão simples e ao mesmo tempo de mensagens profundas,vamos encontrar em cada página, verdadeiros ensinamentos do Mestre Jesus.

Porque esperamos então em mudar algo dentro de nós?
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Haga em 16 de Agosto de 2009, 09:03
Citar
Diz um espírito (V.Monod.) no E.S.E (maneira de orar):

“A vossa prece deve conter o pedido das graças de que necessitais, mas de que necessitais em realidade. Inutil, portanto pedir ao Senhor que vos abrevie as provas, que vos dê alegrias e riquezas. Rogai-lhe que vos conceda os bens mais preciosos da paciência, da resignação e da fé."

Ninguem gostaria de dizer obrigado meu Deus pelas decepções, pelas ilusões ,pelos problemas financeiros, problemas de saúde, pelos nossos obsessores,etc, mas este agradecimento deve estar incluido porque todos esses "males" são um bem para nossa aprendizagem..Se tudo fosse rosas ficariamos estagnados na evolução.

Para que a prece seja eficaz é preciso que haja sinceridade nela. Acho que é só isso.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: yochy em 16 de Agosto de 2009, 15:01
Ola eu sou a  yochi!
E gosto muito de ler  o que escrevem mas só tenho computador depois de ter tido um cancro á tres anos e pela insistencia dos meus filhos ,tenho 58 anos  e não tenho muitos estudos só com muita força é que faço o que faço,por isso peço as pessoas que intervêm para terem um pouco de paciencia para com  nôs os principiantes.
Pois há certas abreviações que eu não  sei descodificar  e fico desanimada,e por isso as vezes não respondo. desculpem  o desabafo,mas é sincero um beijo.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: lucineide.c em 17 de Agosto de 2009, 05:14
Boa noite a todos, eu gostaria de deixar a minha opinião a respeito da prece. Para mim a prece é aquela conversa especial que estabelecemos com Deus , seja para agradecer ou pedir. Há quem diga que não é necessário pedir, já que Deus sabe o que precisamos.Mas acho que deveremos sempre elevar nosso pensamento a Deus pedir o que queremos com fé , sempre deixando claro que a vontade dEle será aceita por nós . Hoje visitei uma pessoa que sempre visito quando meu pensamento me pede. Ela me falou de prece com muita fé: seu filho havia estado doente há alguns dias e ela não tinha o medicamento que ele tem que tomar todos os dias.Ela então vendo seu filho morrendo em seus braços , trava uma conversa com Deus, onde relata a história de seu filho desde quando ele estava na sua barriaga até os dias atuais. No final daquela conversa que pra ela era um monólogo, ela pede aDeus que não tire seu filho sem que amanheça o dia, período em que ela poderia pedir ajuda e tentar ajudar seu filho. Ela me falou:'Sabe, Deus realmente ouviu meu pedido de mãe, pois ao terminar minha conversa , meu filho estava dormindo e tinha voltado ao normal e eu nem me dei conta de quando ele foi melhorando." alí não era um monólogo, foi o que eu lhe repondi, pois através da prece entramos realmente em sintonia com Deus e só não o escutamos pela nossa falta de fé.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 17 de Agosto de 2009, 10:32

Para que a prece seja eficaz é preciso que haja sinceridade nela. Acho que é só isso.

Olá Haga...Sim, sinceridade é a rampa de lançamento para a nossa transformação...em tudo na vida.

O mais dificil é mesmo algo correr menos bem, e mesmo assim mantermos em oração este pensamento: obrigado Senhor por tudo o que me dás!! Este tudo resume toda a nossa confiança.

Olá Yochi...perdoe amiga se por acaso eu disse algo que não entendesse. Você tem razão, ás vezes esquecemos que nem todos estão dentro do espiritismo ou do movimento espírita.
Por favor, em caso de dúvida não hesite em perguntar. Fez bem em alertar. Obrigada!

Lucineide...a história que nos relata demonstra bem o que falamos sobre a eficácia da prece.
O seu amor de mãe, transmitiu a serenidade necessária para que o seu filho pudesse descansar e partir de forma tranquila.

Será que isso aconteceu porque Deus enviou os seu mensageiros, ou o amor materno, a sua fé que proporcionou aquele momento de confiança?

O que acham amigos?

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 17 de Agosto de 2009, 10:40
Ola muita paz companheiros

OBTERÁS

Obterás o que pedes.
Não olvides, contudo, que a vida nos responde aos requerimentos, conforme a nossa conduta na petição. Sedento, se buscas a água do poço, vasculhando-lhe o fundo, recolherás tão-somente nauseante caldo do lodo. Faminto, se atiras lama ao vaso que te alimenta, engolirás substância corrupta. Cansado, se procuras o leito, comunicando-lhe fogo à estrutura, deitar-te-ás numa enxerga de cinzas. Doente, se injurias a medicação que se te aconselha, alterando-lhe as doses, prejudicarás o próprio organismo. Isso acontece porque a fonte, encravada no solo, é constrangida a guardar os detritos com que lhe poluem o seio; o prato é forçado a reter os resíduos que se lhe imponham à face; o colchão é impelido a desintegrar-se ao calor do incêndio, e o remédio, aplicado com desrespeito, pode exercer ação contrária a seus fins. Ocorre o mesmo, em plena analogia de circunstâncias, na esfera ilimitada do espírito. Desesperado ou infeliz, desanimado ou descrente, não te valhas do irmão de que te socorres, tentando convertê-lo em cobaia para teus caprichos, porque toda alma é um espelho para outra alma, e teremos nos outros o reflexo de nós mesmos. Sombra projetada significa sombra de volta. Negação cultivada pressagia a colheita de negação. Se aspiras a desembaraçar-te das trevas, não desajustes a tomada humilde, capaz de trazer-te a força da usina. Oferece-lhe meios simples para o trabalho certo e a luz se fará correta na lâmpada. Clareia para que te clareiem.
Auxilia para que te auxiliem.
Estuda, servindo, para que o cérebro hipertrofiado não te resseque o coração distraído. Indaga, edificando, para que a inércia te não confunda. Fortaleçamos o bem para que o bem nos encoraje. Compreendamos a luta do próximo, a fim de que o próximo nos entenda igualmente a luta. Lembra-te, pois, da eficácia da prece e ora, fazendo o melhor, para que o melhor se te faça, sem te esqueceres jamais de que toda rogativa alcança resposta segundo o nosso justo merecimento.

Emmanuel

Do Livro: Religião dos Espíritos
Psicografia: Francisco Cândido Xavier
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 17 de Agosto de 2009, 10:42
Ola muita paz e harmonia companheiros

Eficácia da Prece

Existem aqueles que contestam a eficácia da prece, alegando que, pelo fato de Deus conhecer as necessidades humanas, torna-se dispensável o ato de orar, pois sendo o Universo regido por leis sábias e eternas, as súplicas jamais poderão alterar os desígnios do Criador. No entanto, o ensinamento de Jesus vem esclarecer que a justiça divina não é inflexível a ponto de não atender os que lhe fazem súplicas. Ocorre que existem determinadas leis naturais e imutáveis que não se alteram segundo os caprichos de cada um. Porém, isso não deve levar à crença de que tudo esteja submetido à fatalidade. O homem desfruta do livre-arbítrio para compor a trajetória de sua encarnação, pois Deus não lhe concedeu a inteligência e o entendimento para que não os utilizasse.

Existem acontecimentos na vida atual aos quais o homem não pode furtar-se; são conseqüências de falhas e deslizes de passado que necessitam de reajustes; é a aplicação da Lei de Causa e Efeito e isto explica porque alguns alegam que pedem benefícios a Deus, mas que nunca são concedidos; o que parece, a princípio, contrariar o ensinamento de Jesus citado em Marcos C11:V24 “O que quer que seja que pedirdes na prece, crede que obtereis, e vos será concedido”.

Muitas coisas que na vida presente parecem úteis e essenciais para a felicidade do homem, poderão ser-lhe prejudiciais e esta é a razão por que elas não lhe são concedidas. Contudo, o egoísmo e o imediatismo não permitem que ele perceba com exatidão a eficácia da prece.

Porém, seus efeitos ocorrem segundo os desígnios divinos: A curto prazo na medida em que consola, alivia os sofrimentos, reanima e encoraja; a médio e longo prazo porque pelo pensamento edificante dá-se a aproximação das forças do bem a restaurar as energias de quem ora.

Àquele que pede, Deus está sempre pronto a conceder-lhe a coragem, a paciência, a resignação para enfrentar as dificuldades e os dissabores inerentes à natureza humana, com idéias que lhes são sugeridas pelos Espíritos benfeitores, deixando-nos contudo o mérito da ação, e isto porque não se deve ficar ocioso à espera de um milagre, pois a Providencia Divina sempre ampara os que se ajudam a si mesmos, como asseverou o Mestre: “Ajuda-te e o céu te ajudará” (ESE, Cap. 27, item 7).

Portanto, de tudo o que foi dito anteriormente, podemos concluir que a eficácia da prece está na dependência da renovação íntima do homem, em que deve prevalecer a linguagem do amor, do perdão e da humildade para que ele possa assim, de coração liberto de sentimentos negativos, agradecer a Deus a dádiva da vida.

“Vigiai e Orai” nos recomendou o Mestre (Mateus C26:V41).
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: smilim em 17 de Agosto de 2009, 12:36
Bom dia a todos.
Me chamo Gisele, sou de Santos.
Estou no forum a pouco tempo, mas sempre lendo o que todos escrevem.
Muitas vezes fico com vergonha de responder a um topico, mas resolvi responder a este em especial.
Para mim a prece é um momento de agradecimento de conversa com Deus e não de pedidos.
Deus sabe de tudo que precisamos na medida certa, nem mais nem menos. Nas minhas preces costumo agradecer por tudo que ele tem me dado, pela minha familia, filho, amigos, parentes, por mais um dia de trabalho, por mais uma batalha vencida.
Não tenho hora certa para fazer minhas preces, não sei se é um erro, mas procuro fazer sempre que acho um espaço tranquilo no meu dia a dia corrido. Se deixo para afzer a noite quando vou me deitar, me disperço muito com meus pensamentos e acabo por nunca termina-la, sempre pegando no sono antes (não sei porque isso acontece).
Acho que é isso.... obrigado a todos, pelas paravras que escrevem, sempre me ajudam muito no meu dia a dia.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: gecol em 17 de Agosto de 2009, 13:40
Quanto a sua pergunta Gigi acho que as duas coisas. O amor de mãe faz nascer em nós uma força que a gente muitas vezes nem sabe que tem. Tem muita coisa ainda entre o Céu e a Terra que desconhecemos e uma delas é a força que temos. Jesus nos disse:"Vós sois Deuses." E não acreditamos nisso. Preferimos achar, pelas culpas que carregamos, que não somos merecedores de nada e assim, não acreditamos de verdade em nossos pedidos. Mas quando pedimos com o coração e colocamos toda a nossa energia, nossa força nesse pedido e sabemos que somos merecedores nos entregamos ao amor Divino e por isso as coisas acontecem.
A Fé é proveniente da consciência tranquila,pois aquele que se esforça para a modificação, sabe que se for para o bem ,nosso e daqueles que estão envolvidos no processo, Deus enviará a ajuda necessária.
Em minha vida pude conprovar isso várias vezes. Situações que não conseguia ver saída e a porta se abria de uma forma nunca inaginada por mim e por todos a volta.
Confiar, esperar, acreditar, ainda que os olhos não veem.
Um grande abraço,
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Pramos em 17 de Agosto de 2009, 14:42
Boa tarde,
Da nossa rendição incondicional a Deus resulta uma Prece, poderosa, que nos eleva e nos purifica.
Filtramos o nosso viver pela Luz Divina, as nossas intenções são desnudadas, conhecemos desta forma o nosso interior.
Sabemos assim  que a nossa prece é boa, pois os seus frutos (os nossos pensamentos e actos) são bons.
A prece que resulta da  aceitação dos preceitos Divinos, reflecte-se na transformação das ciscunstâncias à nossa volta, na forma de nos relacionar-mos  com o mundo material e espiritual, comprovamos desta forma a eficácia da mesma, é a visivel transformação do nosso viver neste plano e acerteza da evolução para um plano superior.
Para concluir, diria que a Prece é excelente se virmos os seus bons frutos manifestarem-se no plano material e espiritual.
Muitas Paz e Muita Luz.
Abraços fraternos
Paulina Ramos
 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Elsamar em 17 de Agosto de 2009, 16:00
Olá a todos.
Correndo o risco de repetir alguém, porque voltei agora de um período de descanso e ainda não li o que já foi escrito neste estudo, mesmo assim, deixo-vos esta prece, simples e bonita:

SENHOR,

No silêncio desta prece,
Venho pedir-te a paz, a sabedoria, a força;
Quero olhar o mundo
Com os olhos cheios de amor;
Quero ser paciente, compreensivo, prudente,
Quero ver além das aparências
Teus filhos, como Tu mesmo os vês;
E assim, Senhor, ver somente o bem
Em cada um deles...
Fecha-me os ouvidos a todas as calúnias,
Guarda a minha língua de todas as maldades,
Para que só de bênçãos
Se encha a minh’alma...
Que eu seja tão bom e tão alegre,
Que todos os que se aproximarem de mim,
Sintam a Tua presença.
Reveste-me de Tua Beleza, Senhor,
E que durante a minha vida na Terra
Eu te revele a todos!

Que assim seja


Puxa, vamos ver se consigo acompanhar este estudo, vocês escrevem que se fartam!! :D
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 17 de Agosto de 2009, 20:01
Ola Amiga Paulina
Muita paz e harmonia

A prece não faz evoluir ninguém, apenas pode reforçar a baixa vibratória, porque de resto sem atos e mudança de conduta a prece pouco ou nada vale..

Muita paz e harmonia

victor passos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Seareira em 17 de Agosto de 2009, 20:18
                                       Boa tarde, companheiros de doutrina

Muitos que duvidam da eficácia da prece talvez não tenham ainda compreendido que aquilo que julgamos que seria o ideal para nós, nem sempre é, motivo pelo qual nosso Pai não nos concede.
Fraternais abraços.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 17 de Agosto de 2009, 21:17
Gigi, e amigos espíritas

A eficácia da Prece. O que acrescentar ao que já foi dito? No tema desta semana tenho pouco a dizer e muito a aprender neste estudo. Penso colaborar com todos com duas observações para seus comentários:

1  Minhas preces assim como meus pensamentos, atos e convicções serão alvo de julgamento na minha passagem para o mundo espiritual. Exata eficácia de minhas preces saberei apenas quando me for esclarecido lá. Não posso medir "eficácia" pelo que recebo ou não recebo aqui neste plano.

Imagino que se retificando nas zonas umbralinas se encontrem pessoas que recorreram a fórmulas de orações, inclusive espíritas, e estas bem como o restante de seus atos não foram então eficazes para aquilo que é da natureza do espírito.

A vida não encerra aqui e temos muito a seguir rumo a libertação final. Base da filosofia espírita. Então devemos procurar fazer uso de nossas preces também por nós e nossa guiança superior. Penso que devemos buscar eficiência em compreender nossa tarefa aqui. O equivoco deve ser diminuído por nosso constante apelo ao plano superior e a providencia divina, para que nos dê o necessário ao espírito para sua vítória.


2   Possíveis diferenciais para a eficácia de uma prece:

2.1  Uma prece que despertaria compaixão e intercessão de espíritos em favor de nossas rogativas ?

2.2 Concentração, força mental. Será outro?

2.3   Sabemos do bônus hora. Seria ele um aspecto do diferencial da eficácia de uma prece?

2.4   Diz o ditado que: “apenas uma andorinha não faz verão”. Portanto muitas andorinhas chegarão juntas ao destino de seu verão. Comparando então a eficácia de uma prece por um pedido feito por uma pessoa isolada e outra coletiva, ou seja várias pessoas orando juntos por um mesmo objetivo. Temos evidencias que isto interfere na eficiência da prece?  Sinceramente, não me ocorre nenhuma neste momento, ou eu não sei, mas gosto de pensar que sim

Alguém sugere algo mais?

Muita paz a todos

Nelson

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 17 de Agosto de 2009, 23:42
Ola muita paz companheiros

   Todos sabemos que a prece tem uma força enorme, mas será que ela resolve tudo?!
   Quanto à sua eficácia;

A Prece

José Argemiro da Silveira

de Ribeirão Preto, SP

"Quando quiserdes orar entrai para o vosso quarto e, fechada a porta, orai ao Pai, no íntimo, e o Pai que vê no íntimo, vos recompensará" - Jesus (Mateus 6:6)

Há pessoas que duvidam da eficácia da prece, achando que, se Deus conhece nossas necessidades, não é preciso expô-las. Entretanto, embora o Criador de fato conheça tudo o que vai no nosso íntimo, bem como o de que necessitamos, a prece proporciona, a quem ora, um bem-estar muito grande. E sempre contribui para a solução de nossos problemas, para minorar as dores de quem sofre.

Nem sempre recebemos o que pedimos, mas a prece não fica sem resposta. Informam os benfeitores espirituais que a resposta de nossas orações vêm para atender nossas reais necessidades, e não de acordo com o pedido, pois, às vezes, o que pedimos não é o que mais nos convém. Diz Emmanuel (Livro da Esperança, lição n.° 88): "Pediste em oração a cura de doentes amados e a morte apagou-lhes as pupilas; solicitaste o afastamento da prova e o acidente ocorreu; suplicaste a sustação da moléstia e a doença chegou; imploraste suprimentos materiais e a carência te bate à porta". Mas prossegue o instrutor espiritual: "Se não abandonares a prece, aliada ao exercício das boas obras, granjearás paciência e serenidade para entender que a desencarnação foi socorro providencial; o desastre se constituiu em medida de emergência para evitar algo pior; e a mutilação física é defesa da própria alma contra quedas morais". Isto significa que os infortúnios da vida, que queremos tanto evitar, muitas vezes são as lições de que necessitamos para o nosso aperfeiçoamento espiritual. Assim, a prece não os removerá, mas nos trará o entendimento, a compreensão necessária para os aceitarmos, entendendo o benefício que eles nos proporcionam. A sabedoria popular diz "há males que vêm para o bem", e é verdade. Se os problemas continuam, mesmo com as orações, é bom insistir na prece que ela pode não afastar o fardo do ombro do sofredor, mas lhe dará forças e bom ânimo para carregá-lo. Jesus nos recomenda orar sempre e nunca deixar de orar. Para nos esclarecer bem a respeito do assunto, contou-nos a parábola do Juiz Iníquo.

Uma pobre viúva explorada por um ricaço prepotente, procura o juiz e lhe pede: Faze-me justiça contra meu adversário. O juiz, porém, que não observa as Leis de Deus, nem respeita homem algum, não quer atendê-la. A viúva insiste e, mesmo não sendo atendida, continua a insistir, a tal ponto que, por fim, o Juiz resolve atendê-la, não por causa dela, mas para se livrar da importunação. (Lucas, 18:1 e seguintes). Parece estranha a parábola, será que Deus seria como aquele juiz iníquo? Certamente que não, mas nós, muitas vezes achamos que sim. Achamos que Deus não nos ouve. Então Jesus nos recomenda a, mesmo assim, não desistir da oração.

Entretanto, alguém poderá argumentar: E por que essa necessidade de pedir, se Deus é onisciente, e sabe perfeitamente de que necessitamos, mesmo antes de lho pedirmos? Ocorre que a oração não tem por fim lembrar Deus que precisamos disto ou daquilo. A finalidade da prece é fazer modificação em nós mesmos; criar em nós uma atitude tal que Deus nos possa atender, pois só "quando o discípulo está pronto o Mestre aparece".

Se vamos ao mar pegar água, pegaremos determinada quantidade conforme o tamanho de nossa vasilha. quanto maior a vasilha, maior a quantidade de água. Se consigo pegar pouca água, ou mesmo quase nenhuma, isto ocorre pelo tamanho de minha vasilha pequena, ou mesmo porque não levo nada para recolher a água. E não pelo oceano que é imenso. Poderíamos comparar o oceano com a misericórdia do Pai celestial, e as vasilhas são as nossas condições desiguais; cada um detém uma certa receptividade, possui a vasilha de determinado tamanho. O pedir, orar, buscar, bater, têm por fim alargar cada vez mais o recipiente humano.

Se alguém estiver, em pleno meio-dia, numa sala às escuras, e quiser receber um pouco de claridade, deverá abrir uma porta, ou uma janela, para que entre a luz solar. O sol não é afetado por isto. A misericórdia divina jorra com abundância, em favor de todos. Mas para recebê-la precisamos criar condições, receptividade em nós. Vamos conseguindo isto, se não abandonarmos a prece, aliada ao exercício das boas obras.

(Jornal Verdade e Luz Nº 172 de Maio de 2000)

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: SHEILATERE em 18 de Agosto de 2009, 13:07
A PRECE

Seus efeitos para o Homem, o planeta e o universo

Caros companheiros, por norma já todos um dia dirigiram uma prece ao Alto. Mesmo aqueles que se dizem des-crentes no Criador experimentaram , num momento de aflição, o desejo intimo de serem auxiliados por alguém que os proteja.

No entanto, muitas são as dificuldades que a maioria dos homens sentem ainda em orar diáriamente. Uns porque não sabem como fazê-lo, outros porque não entendem o seu real valor.

Nestes tempos agitados de mudança e reequilibrio que vivencia o nosso orbe terrestre, mais do que nunca, a prece pode ser o agente para a Paz no mundo.

O estudo deste mês tem como objectivos, não só compreender a importância da prece para o ser humano, mas também conhecer-lhe os efeitos, demonstrar a sua eficácia e reformular pre-conceitos que associam a prece únicamente á religião institucionalizada.

Organizamos este estudo por etapas com base na proposta do Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, cap. XXVII:

1 – O que é a prece

2 - Qualidade da prece

3 – Eficácia da prece

4 – Acção da prece

Pretendemos assim, em cada semana do mês de Agosto debater um destes items. A participação é livre, pelo que desde já estão convidados a colocar questões e a expôr as suas dúvidas.

Gostaria de salientar, que mais do que expôr teorias, é nossa preocupação partilhar ideias e incentivar a  que cada um descubra dentro de si a Fé e a Vontade de se unir ao Pai Celestial, através da prece.

Para promover a discussão, deixamos duas imagens que sugerem uma interpretação, as quais deixamos à vossa reflexão...
http://www.youtube.com/watch?v=rCNMPj1H6k0 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXJDTk1QajFINmsw)
(http://2.bp.blogspot.com/_G9IPY5AXskI/SE_P4WDXF0I/AAAAAAAAAv8/YjVEJU7FpQw/s400/prece.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/_G9IPY5AXskI/SE_P48MTPkI/AAAAAAAAAwE/UCxa1jmBQXE/s400/prece%2Bmenina.jpg)


No nosso estudo consultamos...

Bibliografia:

Calligaris, Rodolfo, O Sermão da Montanha

Dénis, Léon, Depois da Morte

Kardec, Allan, O Livro dos Espíritos, Q. 323, 479, 658, 997

Kardec, Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo, XXVII

Kardec, Allan, O Livro dos Médiuns, Q.189

Xavier, Francisco C., Boa Nova


EM ANEXO UM POWERPOINT ILUCIDATIVO SOBRE O TEMA...

BOM DIA cara GIGI!SOU UMA APRENDIS NESTE FÓRUM,MAS ESTOU MUITO FELIZ DE PARTICIPAR E APRENDER.
QUANTO A PRECE,DESDE CRIANÇA MINHA EMBORA¨"CATOLICA"SEMPRE ME ENSINOU QUE NÃO SERIA NECESSARIO USAR DAQUELAS PALAVRAS DECORADAS MECANICAMENTE PARA SER ATENDIDA PELO "PAI",POIS ELE SABIA O QUE IA EM NOSSOS CORAÇÕES,ENTÃO,ELA SEMPRE DISSE QUE SERIA MELHOR CONVERSAR COM DEUS USANDO NOSSAS PRÓPRIAS PALAVRAS ASSIM,ELE SABERIA DE NOSSA SINCERIDADE...
QUANDO CRESCI E CONHECI ENFIM A BENÇÃO DA DOUTRINA ESPIRITA LA ESTAVA AS PALAVRAS DE MINHA MÃE...FALE COM O CORAÇÃO,COM A ALMA E DEUS SE FOR PARA O SEU BEM TE CONCEDERÁ O QUE PEDISTE,CASO CONTRÁRIO TE MOSTRARÁ DE FORMA SUTIL OS CAMINHOS E SINAIS DE QUE NEM SEMPRE O QUE PEDIMOS É O QUE REALMENTE PRECIAMOS,ENFIM,SE NÃO SABEMOS AO CERTO O QUE PEDIR JÁ QUE O  SER HUMANO PEDI TANTO...NÃO ESQUEÇA ANTES DE TUDO AGRADECER  O MUITO QUE RECEBES TODOS OS DIAS E NEM PERCEBEMOS.
POR HORA ESTAS SÃO MINHAS PALAVRAS AMIGA,DESCULPE SE ME ESTENDI,TENHO QUE CORRIGIR ISTO,POIS SEMPRE FALO DEMAIS!
FIQUE COM A LUZ DIVINA!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 18 de Agosto de 2009, 14:02
Citar
Lembra-te, pois, da eficácia da prece e ora, fazendo o melhor, para que o melhor se te faça, sem te esqueceres jamais de que toda rogativa alcança resposta segundo o nosso justo merecimento.

Victor Passos… é este confiar que é necessário desenvolver dentro de nós. Jamais pensemos que tudo o que pedimos obteremos.

Citar
Contudo, o egoísmo e o imediatismo não permitem que ele perceba com exatidão a eficácia da prece.

Se não recebemos o que pedimos, duvidamos da Bondade e Justiça de Deus. Quantos de nós já não o fizemos?

Recordo-me de um primo meu. Ele era um anjo de adolescente. Um jovem que não bebia, não fumava, tinha montes de amigos, e ajudava todos que precisavam.Um dia o pai, meu tio, adoeceu gravemente com um cancro.
O meu primo chegou a dar sangue ao pai em tentativas de ele ficar bem. Dizia que rezava todos os dias…
Quando o pai desencarnou, lembro bem esse dia, ele olhou-me nos olhos e disse: eu odeio Deus! Tirou-me tudo! Deus não existe!
Começou a beber, a levar uma vida leviana, e fugiu de toda a família.

Está nas nossas mãos viver estas situações com fé e confiança, ou com desanimo e desespero. Sei que um dia ele compreenderá que não foi Deus o culpado de nada…nem ele, nem ninguém…tudo são provas da vida, para que possamos crescer espiritualmente na Fé e no Amor ao Criador.



Citar
Porém, seus efeitos ocorrem segundo os desígnios divinos: A curto prazo na medida em que consola, alivia os sofrimentos, reanima e encoraja; a médio e longo prazo porque pelo pensamento edificante dá-se a aproximação das forças do bem a restaurar as energias de quem ora.

A prece torna-se eficaz, não pelo que ela promove em acção, mas o efeito que tem nos sentimentos interiores. Quanto mais nobres esses sentimentos, mais mensageiros do Bem se agradam na nossa companhia. Esses benfeitores celestes ligam-se a nós pela vibração amorosa, e fortalecem-nos com energias vivificantes.
Para aqueles que têm mediunidade e já experimentaram “receber” uma prece de um desses espíritos elevados moralmente, sentirá um bem estar indescritível, sem qualquer precedente ou comparação com os sentimentos terrenos…será quase como a expressão…”estar nas nuvens”.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 18 de Agosto de 2009, 14:21
Citar
Não tenho hora certa para fazer minhas preces, não sei se é um erro…


Olá smilim…na minha opinião você está certa…para orar é só necessária a vontade interior, nada mais que isso…sem vontade, certamente não há oração.

Citar
Confiar, esperar, acreditar, ainda que os olhos não veem.

Olá Gecol… você disse tudo!!

Citar
A prece que resulta da  aceitação dos preceitos Divinos, reflecte-se na transformação das circunstâncias à nossa volta, na forma de nos relacionar-mos  com o mundo material e espiritual.

Olá Pramos…como disse o Victor, a Prece muda primeiro algo dentro de nós e depois, sem dúvida gera um ambiente novo, revigorado.
Não é por acaso que o Mahatma Gandhi dizia orar a toda a hora, aliás ele dizia que vivia num estado permanente de oração. E porquê?
Para envolver-se na protecção do Pai…a prece constante elevava também a todo o momento o seu pensamento, transmitindo-lhe serenidade, sem julgar ninguém, confiando totalmente em Deus.

Mas Kardec perguntou aos espíritos em O Livros dos Espíritos, se aqueles que nada fazem e passam o dia em oração traziam algum beneficio, ao que responderam (não o tenho aqui comigo para citar textualmente) que a Fé sem obras pouco adiantava. Isto é, não significa que aqueles monges que oram pela humanidade,não estejam a contribuir para um Mundo melhor,mas que de nada adianta orar, se saem do templo e depois fazem escravos os seus irmãos de castas inferiores (dei o exemplo do Tibete).

Elsamar…bem vinda amiga ao nosso estudo!

Seareira…não hesite em participar!

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 18 de Agosto de 2009, 14:26
Citar
Não posso medir "eficácia" pelo que recebo ou não recebo aqui neste plano.

Olá Nelsonmt…você não se importa de desenvolver este seu pensamento?

E já agora…o que quer dizer com os Possíveis diferenciais para a eficácia de uma prece
Fiquei um pouco sem perceber, desculpe, se é para responder ou colocar a reflexão, pode ser amigo?

Beijitos
Título: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 18 de Agosto de 2009, 14:41
Gigi e amigos do fórum,

De "Eficácia" entendí "eficiencia". A eficiencia de uma prece? Esta foi a pergunta que me fiz.

Gostei da citação de Vitor Passos, do Jornal Verdade e Luz de minha cidade, onde ele coloca que a eficiencia se alcança tambem com a insistencia. Lembrei de minha avó e suas novenas às almas...

Se alcancei compreender o significado do estudo desta semana, desejaria o comentário de todos sobre aquilo que modifica a eficiencia da prece, e sua eficacia. Apenas citei alguns pensamentos sobre isso. Portanto modifique o que desejar.

Muita Paz

Nelson

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Pramos em 18 de Agosto de 2009, 14:58
Olá
Victor
Talvez me tenha explicado mal, a prece em sí não faz evoluir ninguém, é certo.
A Prece, para mim é diária e constante.
Se na prece apenas apresentarmos as nossas necessidades, a prece não é completa.
Se na nossa prece,  no nosso diálogo, em vez de pedir apenas, a nossa atitude for de pedido aceitação e alteração, temos uma prece que resulta num abandono de velhos comportamentos, e o abandono de velhos comportamentos crenças ou limites resulta, em último, na nossa evolução.
Se nada fizermos neste plano material, não evoluimos.
Faça o favor de me corrigir se estiver enganada.
Paz e Luz
Paulina
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: j. rOBERTO em 18 de Agosto de 2009, 18:38
Amados irmãos de luta.
Lembro de uma passagem quando fazia Escola de Aprendizes do Evangelho no Grupo Socorrista Dr. Bezerra de Menezesm quando, em uma aula o tema era sobre a Prece. Muitos de meus irmãos de turma, apresentavam as mais variadas definições e formas de fazer uma prece.
Foi quando, o nosso amigo e expositor Edgar, ponderou a discussão com a seguinte explicação:
- "Ninguem ensina ninguem a rezar. É algo que fazemos naturalmente toda vez que elevamos nosso pensamento ao nosso Pai maior. Tenho como conduta fazer minha prece duas vezes ao dia: a primeira, antes de dormir, agradeçendo ao nosso Pai maior, ao meu mentor e a todos aqueles, de que alguma forma dividiram comigo aquele dia que estava se encerrando. E a segunda, de manhã quando acordo, e agradeço a Pai pela oportunidade que me foi dado para que possa viver mais um dia, e que esse dia seja de muita paz, compreenção, paciência, perseverança, e principalmente de muito amor, para que possa dar os passos certos rumo ao aprendizado e elevação do meu espírito".
Sabem, faço o mesmo e aprendi que quando estamos certos da proteção do nosso Pai maior, do nosso Mentor e tantos outros que nos orientam o nosso dia a dia terreno, sinto que minhas atitudes e comportamento são mais equilibrados. Encontrei o que a muito tempo tinha dificuldade de compreender: o significado das palavras amor e paz.
Saudações Fraternas a todos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 18 de Agosto de 2009, 20:05
Ola companheiros muita paz e harmonia



   Antes de mais quero dar aqui uma palavra de apreço penso que é Smilin, ou seja Gisele,
Amiga aqui é um local de compartilha, não deve sentir-se inibida, fique sempre à vontade porque muitas das vezes não é só a nossa vontade a compartilhar...
   Já é uma prece vermos tantos companheiros em dialogo ameno e saudavel...bem-haja

    Amigos falamos...falamos...vocês já repararam que vamos todos ao mesmo sitio, ou seja com semantica ou não diferente, com visão individual ou não, existe algo em que todos estamos ligados e isso é inerente à ligação da prece..."a sintonia"  "amor"  " sentido"  " direção"
" vontade" "Crer" " respeito" "Humildade"...agora acrescento..primeiro para os outros....depois para os outros e só depois para nós, éis a razão de que a prece tem um volume de eficacia que está fora do alcance de cada um, de cada palavra, de cada gesto, ...o envolvimento fuidico , e o merecimento faz-se  pelo gerar de causa e efeito, porque a oração é causa e efeito...esta é a eficacia...cada um segundo suas obras, amai, vivei, mas olhai sempre para o proximo, mesmo aquele que nos são mais caros, orque aí sim a prece passa a ter a grandeza do amor que ela encerra dependente do individuao...do grau de moral, de si mesmo....

Muita paz e harmonia

VICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Seareira em 18 de Agosto de 2009, 20:13
A prece é o ato que praticamos quando nos elevamos espiritualmente e mantemos contacto com nosso Pai.
Nesse momento ocorrem alterações fisiológicas que mesmo contra a vontade a Ciência teve que admitir, uma vez que  foram comprovadas.
Assim como podemos sentir os fluidos e o carinho da espiritualidade para conosco.

Em termos de qualidade penso, salvo melhor juízo, que vai depender de uma série de fatores, como o horário (depois do almoço é quase improdutiva), do grau de espiritualidade (tem quem reza dezenas de terços diariamente e nunca conversou com o Pai), do nível de intimidade e conscientização pessoal.
Sabemos que nem sempre aquilo que desejamos e rogamos obter pode ser o melhor e não seremos atendidos.

A eficácia da prece e sua ação abstenho-me sugerindo que assistam ou leiam o Globo Reporter (Globo)  intitulado “Tabu da Ciência”, acessando o seguinte link: ]http://globoreporter.globo.com/Globoreporter/0,19125,VGC0-2703-9657-3-153770,00.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2dsb2JvcmVwb3J0ZXIuZ2xvYm8uY29tL0dsb2JvcmVwb3J0ZXIvMCwxOTEyNSxWR0MwLTI3MDMtOTY1Ny0zLTE1Mzc3MCwwMC5odG1sWy9p)[/url]

A terapia da prece -Revista Veja  Edição 1834 . 24 de dezembro de 2003
http://veja.abril.com.br/241203/p_120.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3ZlamEuYWJyaWwuY29tLmJyLzI0MTIwMy9wXzEyMC5odG1s)

Luz e Paz
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: gecol em 18 de Agosto de 2009, 20:20
LIvro:Convites da vida- Divaldo Franco
CONVITE À ORAÇÃO
“Senhor, ensina-nos a orar.”
(Lucas: capítulo 11º, versículo 1.)
Nenhum motivo, por mais ponderável, conforme suponhas, pode constituir impedimento.
Razões expressivas não há que se transformem em empeço.
Atribulações que te assoberbem não significarão óbise ao ministério renovador.
Todas as coisas sob a sua claridade mudam de aspecto e as características antes deprimentes, sombrias, sofrem significativas transformações, ressurgindo com tonalidades mui diversas.
Ante a dúvida ou a ulceração moral constitui-se segurança e bálsamo refazente.
Mister, porém, fazer uma pausa no turbilhão, permitindo que o carro do desespero continue correndo, sem brida para encontrar o local de realizá-la.
Exige, como todas as coisas, condições adequadas para culminar o objetivo superior de que se encarrega.
É possível improvisá-la qual se fora um atendimento de urgência, em situação de combate.
Terapêutica preciosa, porém, solicita maior dosagem de cuidados para colimar resultados mais poderosos.
Esse antídoto, a qualquer mal, é a oração, a pausa refazente em que o espírito aturdido salta as barreiras impeditivas colocadas pelas turbações de toda ordem, a fim de alcançar as usinas inspirativas do Mundo Excelso.
Arrimo dos fracos, amparo dos combalidos, sustento dos sofredores, dínamo dos heróis, vitalidade dos santos, perseverança dos sábios, coragem dos mártires, a oração é o interfone por meio do qual o homem fala aos Ouvidos Divinos e por cujos fios recebe as sublimes respostas.
Faze um intervalo nas lutas quanto te permitam as possibilidades e convida-te à oração, a fim de poderes prosseguir íntimorato pelo caminho da redenção. Lobrigarás, então, melhor entendimento sobre coisas, fatos e pessoas.

Um abraço para todos. Rosangela


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 18 de Agosto de 2009, 22:08
Ola muita paz e harmonia
Amiga Seareira

  É realmente verdade e comprovo-o comigo, que quando estamos em prece se altera o halo que nos envolve, ou seja ao estar a orar esta a alterar os fluidos , e é natural muitas das vezes sentir um calor generoso,uma serenidade e paz intrior enorme parecendo estarmos a crescer,são os fluidos a serem moldados , pois como sabem a prece é um pensamento e ele projeta energias...

 A Prece é o melhor antídoto para retomar o equilíbrio e a limpidez dos pensamentos.
 A prece é um belo instrumento. Mas podemos pensar nas orientações de Jesus: "Orai e vigiai"
A prece é positiva por vários motivos. Utilizando um pensamento positivo, pois não há sentido em se fazer uma prece para prejudicar alguém ou algo que o valha, entramos em sintonia com nosso protetor espiritual, ficamos receptivos aos bons conselhos, recebemos o alívio que precisamos, nesta sintonia com o mais alto.

Agora, a prece não pode ser feita maquinalmente, como uma simples rotina. Falamos da prece sentida, com envolvimento. Eu sinceramente, normalmente só realizo prece assim nos momento de dor.

Com a fé raciocinada, com a compreensão que temos sobre o alcance que o pensamento pode ter, que o pensamento é criador, onde o fluido cósmico universal é o meio de propagação dos nossos pensamentos, que o pensamento atinge as almas que sofrem, podendo auxiliá-las, haja vistos tantos depoimentos que encontramos no Livro "O Céu e o inferno" de Allan Kardec, percebemos que a prece deve ser muitíssimo utilizada, a despeito de alguns segmentos que se dizem espíritas, mas que negam este precioso recurso, ou que sequer o valorizam, destoando dos ensinamentos dos Espíritos, que são os verdadeiros responsáveis pelo consolador prometido.


Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 19 de Agosto de 2009, 04:04
Gigi

Não consegui compreender toda a sua pergunta. Desculpe a pressa....

Citar
Não posso medir "eficácia" pelo que recebo ou não recebo aqui neste plano.

…você não se importa de desenvolver este seu pensamento?
 


Imagino agora que sua duvida pode não estar na palavra “eficácia” , e sim em “Não posso medir..”

Como já disse Vitor, estamos em uma relação de ação e reação. Indivíduo orando em comunhão com a Divina Providência. Muito já foi discutido aqui sobre isso, porem quis chamar a atenção de todos que a alem da percepção sensorial ou concreta (como caso de sua cirurgia) que temos ou não temos de uma resposta à nossa súplica, toda implicação real e verdadeira daquilo que aspiramos obter somente saberemos avaliar e compreender após nossa passagem para o mundo espiritual.

Um exemplo: Aqui no Brasil temos até uma música da história do homem que conversa com Jesus sobre sua vida aqui na terra. Jesus lhe mostra a jornada por passos na areia da praia. No inicio vê-se marcas de duas pessoas lado a lado. Jesus conta que caminhou junto com o homem. Chegam os momentos difíceis da vida deste homem e nesta hora vê-se apenas a pegada de uma pessoa na areia. Nesta hora ele pensa que estava sozinho e que Jesus lhe havia abandonado. Mas Jesus lhe conta então que aquelas pegadas que ele vê na areia não eram dele caminhado só, e sim de Jesus o sustentando nos braços.

Por não sabemos exatamente a realidade a que estamos ligados, nós faremos aqui um julgamento equivocado dos talentos recebidos (ou não) em momentos de prece ao Nosso Senhor.

Muita Paz a todos

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 19 de Agosto de 2009, 10:22
Ola Amigo Nelson
Muita paz e harmonia

     Quando estamos a orar existe a cumplicidade de quase todos orarem a figuras!, Mas orar não tem que ser obrigatoriamente às ditas figuras, você pode chamar até si e deve até a Natureza que o envolve, o ar que respira, a luz do sol que recebe...Tudo o resto figurado, ou não é os nossos sentimentos a projecão da doçura e os pensamentos a energia ,a qual podemos moldar pela ideoplastia ( criação de imagens ) que nossa mente projeta , pela entrega ao serviço do amor durante a  Prece, todos podemos direcionar para aquilo que nos faz bem interiormente, que nos liga a algo que permite termos confiança e a leveza de nos harmonizarmos com nosso interior.
   Ame-se amando a vida, mas o que é a vida?! Tudo aquilo que nos envolve e projeta energia..

Muita paz e harmonia

VICTOR PASSOS

   
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 19 de Agosto de 2009, 14:19
Amigos do Fórum espírita,


Temos que considerar, espíritas que somos, que muitos dos fatos nos foram encaminhados, e por considerados bençãos de nossas orações já estavam a caminho antes mesmo de tormarmos consciencia destas aflições. Outras bençãos nos foram concedidas por misericórdia divina. Outras bençãos que nem nós demos conta aconteceram em nossas vidas, pois tudo pareceu ser natural, e não pelo nosso extraordinário poder de sermos atendidos pela providencia de Deus.

Não estamos sós. Bons espírtos velam por nós e por caridade e boa vontade nos ajudam. Aqui não se trata da eficiencia da prece, mas da eficiencia do Amor.

Devemos agradecer por tudo que temos. Sempre.

Muita paz a todos

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 19 de Agosto de 2009, 14:33
Queridos amigos...algumas considerações...

Citar
Amigos falamos...falamos...vocês já repararam que vamos todos ao mesmo sitio


Olá Victor Passos…Que maravilha, não é meu amigo? Significa que intuitivamente todos nós sentimos a necessidade da prece. Hoje ao ler e reler, alguns dos testemunhos e troca de opiniões e textos, pensei nisto mesmo: interiormente o ser humano crê na divindade e sente desejo de adorar o Criador. Este sentimento deveria impelir-nos cada vez mais a deixar-nos levar pelo Amor a Deus e a todos os nossos irmãos espirituais. Pergunto, o que nos impede de senti-lo verdadeiramente, fazê-lo, hoje, agora mesmo?

Citar
Em termos de qualidade penso, salvo melhor juízo, que vai depender de uma série de fatores, como o horário (depois do almoço é quase improdutiva)


 Olá seareira…amiga, nunca ouvi falar nisto,pode explicar um pouco mais? Agradecia…

Achei interessante deixar aqui uma breve citação do artigo que nos deixou:

“Mais de setenta das 125 escolas de medicina dos Estados Unidos oferecem, em sua grade curricular, cursos que estudam as interações entre a espiritualidade e a saúde. Há dez anos eram apenas quatro.”

Esta curiosidade crescente pela medicina denota um sinal: é que a medicina materialista está a chegar aos seus limites… Veja-se a exemplo com a psicologia, que agora renasce na psicologia transpessoal (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3B0Lndpa2lwZWRpYS5vcmcvd2lraS9Qc2ljb2xvZ2lhX3RyYW5zcGVzc29hbA==), com uma nova visão do ser humano:  abrange o ego, como as demais escolas de psicologia, e os estados além do ego (transpessoal). Ou seja, o corpo e o espírito.

Citar
Eu sinceramente, normalmente só realizo prece assim nos momento de dor.


Sabe Victor as poucas preces em que me senti verdadeiramente unida aos mensageiros de Deus, foram totalmente espontâneas…recordo em especial estar junto à natureza, num parque ecológico, e de repente fazer uma prece de agradecimento pelo cheiro dos pinheiros, pela tranquilidade do vento, enfim…acredite que nunca tinha sentido nada igual… Mas realmente, é frequente nos momentos de desanimo, unirmos as mãos em súplica para que o Pai nos encha de força para prosseguir, no entanto nesses momentos, estamos tão focados naquela tristeza, que apesar da serenidade que nos inunda o ser, muito pouco ainda somos capazes de apreender da Bondade Infinita do Excelso Pai, e não sejamos nós a quebrar a corrente que nos liga aos desejos fisícos, e a prece ficará por ali mesmo…
Não sei se me fiz entender...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 19 de Agosto de 2009, 14:42
Citar
Por não sabemos exatamente a realidade a que estamos ligados, nós faremos aqui um julgamento equivocado dos talentos recebidos (ou não) em momentos de prece ao Nosso Senhor.


Olá Nelsonmt, agora entendi o que quis dizer…obrigada por clarificar.

Bom, eu penso que talvez isso não nos deve preocupar..veja…não podemos fazer uma prece a pensar no que vamos obter, ou se vamos obter alguma coisa… Se a Prece é entrega, adoração e doação de amor, não importa nada mais que o sentimento que se instala naquele momento dentro de nós. É nesse sentimento imediato que reside a eficácia da prece.
Como avaliá-lo? Será que temos de avaliar? Não sei…digam-me…

 
Citar
Ame-se amando a vida, mas o que é a vida?! Tudo aquilo que nos envolve e projeta energia..

Oh Victor…isto é a Prece!

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: aurarosa em 19 de Agosto de 2009, 15:55
"E tudo quanto pedirem
em meu nome, isso farei..."
- Jesus (João 14, v. 13)


Através da prece  mantemos nossa conexão com Jesus e os benfeitores espirituais,organizamos nossa mente,restabelecemos nossa paz, nossa harmonia interior,não somente aquela a qual pedirmos por nós. Possamos incluir todos nossos irmãos de caminhada em nossas preces diárias, no Culto do evngelho no lar.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 19 de Agosto de 2009, 23:49
Orar não é rezar em um determinado momento pré-determinado não é dizer palavras bonitas em certos momentos, mas é vivenciar no dia a dia os sentimentos que a oração traz.

Como disse o nelsonmt, orar deve ser um agradecimento constante por tudo aquilo que temos, por tudo aquilo que nos acontece!

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 20 de Agosto de 2009, 00:56
Orar não é rezar em um determinado momento pré-determinado não é dizer palavras bonitas em certos momentos, mas é vivenciar no dia a dia os sentimentos que a oração traz.
 

Gigi e amigos do fórum

Penso que chegamos a um ponto culminante com esta sua frase.
Muito obrigado e parabéns. Você lapidou nossos esforços com sucesso.

Recentemente ouvi de Divaldo Franco – médium de disciplinada vontade de praticar a sua reforma íntima – que recentemente “vive plenamente a alegria de viver”.

Com sua frase encontrei outra tradução para o olhar de Divaldo comentando este simples e singelo fato. Um espírito maduro e consciente de si mesmo.

Muitas felicidades e bençãos a todos com a Paz que um espírito constrói em volta de si.

Nelson



Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Miguel Drago em 20 de Agosto de 2009, 11:51

 Devo confessar que não li todas as 21 páginas escritas até agora, tendo apenas dado uma vista de olhos em cada uma para entender o rumo geral da conversa, pedindo desde já desculpa se não sou o primeiro a falar sobre o tema da prece como forma de apaziguar não só o nosso interior e ter a certeza de que poderemos alcançar tudo o que pedirmos com fé mas também como forma de "pagar" ou aplacar a fúria de espíritos obsessores contra nós.

  Este é um tema que me é muito caro, o das obsessões ligadas às doenças psiquiatricas ou mediunidade mal educada como já alguém mencionou. Eu e julgo que isso acontece com a maioria das pessoas, não tenho a faculdade de ver, ouvir ou falar com os desencarndos no entanto acredito que poderei conversar com os meus obssessores e apesar de não me recordar do mal que lhes fiz, poderei oferecer preces pelas suas Almas como prova de arrependimento, mudança e amizade. Nesse sentido a prece pode ser uma prenda que se dá a alguém. O que acham da ideia?

Deus vos proteja 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: gecol em 20 de Agosto de 2009, 12:14
Caro amigo Miguel, aqueles que nos acompanham nos conhecem, talvez até melhor do que nós, e se estão em sofrimento pelos nossos atos de ignorância, com certeza a prece os ajudará e muito, principalmente a reconhecer que já estamos a caminho da mudança. Mas, não podemos esquecer que ela deverá vir acompanhada de sentimentos e atos nobres.
Um abraço.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 20 de Agosto de 2009, 15:54

 Devo confessar que não li todas as 21 páginas escritas até agora...

prece como forma de apaziguar não só o nosso interior .... mas também como forma de "pagar" ou aplacar a fúria de espíritos obsessores contra nós. ... no entanto acredito que poderei conversar com os meus obssessores ..... poderei oferecer preces pelas suas Almas como prova de arrependimento, mudança e amizade.   

Olá Miguel e amigos do fórum


Quando li a proposta de estudo deste mês fiquei desmotivado a participar, por considerar um tema simples. Ledo engano meu. Por isso Miguel, convido-o  a ler melhor as mensagens deixadas, pois me surpreenderam e aprendi muito.

Esta função da prece que você propõe é importantíssima e útil, porem nesta questão é preciso acrescentar, a meu ver, algumas observações para deixar claro a leitores iniciantes no espiritismo, pois não bastaria apenas orar por nossos inimigos encarnados e descarnados, mas por estes últimos, incluiria:

A freqüente ida ao Centro Espírita, para passes e palestras;
Participação dos estudos e a prática do evangelho no lar;
Busca sincera e verdadeira de transformação interior para um “ser melhor”.

Ainda sobre a questão da função da prece, talvez seja necessário registrar também, quando a prece, um diálogo com Deus, serve de “cartase”. Pois podemos ser capazes de receber inspiração de nosso problema e de ocorrer o mesmo que ocorre em um atendimento psicológico, ou seja melhorar o nosso autoconhecimento.

Muita Paz a todos

Nelson

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 20 de Agosto de 2009, 17:21
Ola companheiros muita paz

               
No Silêncio da Prece


          Em ti, no silêncio da prece mental, sem que tenhas necessidade de ver ou perceber, em sentido direto, o coração bate sem cessar na cadência admirável da vida.

          Movimenta-se o sangue, por mil canalículos diversos.

          Intestinos trabalham independentes de tua vontade sustentando-te a nutrição.(...) Miríades e miríades de unidades de vida microscópica palpitam na concha da boca.

          Em torno de ti, no silêncio de tua prece, os átomos se agitam em vórtices intermináveis na estrutura material da roupa que te veste e dos sapatos que te calçam.

          A eletricidade vibra esfuziante por quilômetros e quilômetros de fios, transformando-se, não longe de ti, em força, luz e calor.(...)

          O planeta faz giros velozes carregando-te, em paz e segurança, sem que tomes qualquer conhecimento.

          Igualmente, no silêncio de tua prece, acionas vasto mecanismo de auxílio e socorro na atmosfera que te rodeia, comparável a imenso laboratório invisível.

          O teu influxo emocional dirige-se além de teus sentidos para onde te sintonizes, através de insondáveis elementos dinâmicos.

          Não descreias da oração por não lhe marcares fisicamente os resultados imediatos.

          O firmamento não é impassível porque te pareça mudo. No silêncio de tua prece mental, podes expressar até mesmo com mais veemência do que um discurso de mil palavras, o hino vibrante do amor puro, a ecoar pelo Infinito, assimilando no âmago do ser a Divina Luz, que te sublimará todos os anseios e esperanças, na renovação do destino.

Livro: Opinião Espírita
André Luiz & Waldo Vieira
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 21 de Agosto de 2009, 10:40
Citar
Quando li a proposta de estudo deste mês fiquei desmotivado a participar, por considerar um tema simples. Ledo engano meu. Por isso Miguel, convido-o  a ler melhor as mensagens deixadas, pois me surpreenderam e aprendi muito.

Olá Nelsonmt...você entendeu o objectivo deste estudo!

Porque quando falamos de prece, dizem: ah eu sei, tenho de orar todos os dias, eu faço isso; que mais há para saber sobre isso?

Se fizermos uma análise de todas as intervenções neste estudo, provávelmente notará que, a maioria, foram dadas com carinho, por iniciantes na doutrina espírita...isto significa mais do que se imagina.

Posto isto, vamos continuar.

Parece-me que ficou esclarecida a Eficácia da Prece, pelo que passaremos a falar sobre a Acção da Prece. Para isso deixo o texto para reflectirmos em conjunto.



10. O Espiritismo torna compreensível a ação da prece, explicando o modo de
transmissão do pensamento, quer no caso em que o ser a quem oramos acuda ao nosso apelo, quer no em que apenas lhe chegue o nosso pensamento. Para apreendermos o que ocorre em tal circunstância, precisamos conceber mergulhados no fluido universal, que ocupa o espaço, todos os seres, encarnados e desencarnados, tal qual nos achamos, neste mundo, dentro da atmosfera.

Esse fluido recebe da vontade uma impulsão; ele é o veículo do pensamento, como o ar o é do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, ao passo que as do fluido universal se estendem ao in inito. Dirigido, pois, o pensamento para um ser qualquer, na Terra ou no espaço, de encarnado para desencarnado, ou vice-versa, uma corrente fluídica se estabelece entre um e outro, transmitindo de um ao outro o pensamento, como o ar transmite o som.

A energia da corrente guarda proporção com a do pensamento e da vontade. E assim
que os Espíritos ouvem a prece que lhes é dirigida, qualquer que seja o lugar onde se encontrem; é assim que os Espíritos se comunicam entre si, que nos transmitem suas inspirações, que relações se estabelecem a distância entre encarnados.

Essa explicação vai, sobretudo, com vistas aos que não compreendem a utilidade da
prece puramente mística. Não tem por fim materializar a prece, mas tornar-lhe inteligíveis os
efeitos, mostrando que pode exercer ação direta e efetiva. Nem por isso deixa essa ação de
estar subordinada à vontade de Deus, juiz supremo em todas as coisas, único apto a torná-la eficaz.
Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap.XXVII


Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: zeni em 21 de Agosto de 2009, 13:58
Olá! A todos.

A prece para mim é o meu momento mais intimo para com Deus, onde exponho os meu problemas e onde agradeço o que recebo , sei que as vezes dependendo a ocasião meus pedidos ficam meio confusos pois muitas das vezes surgem coisas inesperadas a qual corremos para Deus e ele sempre está ali para nos confortar e acalentar nossos corações, eu mesma não tenho nenhuma fórmula especial para dirigir-me a ele uso somente o amor que vem de dentro do meu coração, e sei que sempre ele me ouve e me da as coisas no momento certo graças a Deus.

Zenilda.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: JeffersonPalu em 21 de Agosto de 2009, 14:38
Na minha opinião a melhor maneira para rezar é aquela em que você realmente eleva os pensamentos e fala diretamente com Deus sem usar palavras decoradas e sim palavras que realmente saem da alma. Não importa a hora nem o local, basta mentalizar e fazer.

Fiquem na paz de Jesus

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: sonho em 21 de Agosto de 2009, 15:36
Olá Gigi e a todos os que nos acompanham!

Que delicia este tema, ainda mais guiado de forma tão terna...!

Vim de férias e só agora voltei a navegar de forma mais activa e, assim que pude, vim oferecer um pouco da minha experiência quanto à prece.

Para mim a prece é como o ar que respiro, sem ela não consigo viver. Todos os dias me vejo a dialogar com  Deus e os meus mentores, pedindo e agradecendo pelo que tenho, pelo que preciso de superar, pelo que tenho de decidir, etc. Principalmente, tento todas as noites emitir os melhores pensamentos para o nosso planeta, pedindo paz no mundo, muito amor e acima de tudo muita tolerância, para que nos possamos respeitar uns aos outros em toda a nossa plenitude.

Como menciona o texto acima,postado pela "nossa" Gigi, a prece é um veiculo do pensamento universal, por isso é tão importante que possamos exercitar a prece todos os dias para nosso benefício e para todos os que se encontram no Universo!

Bem haja a todos!

Sonho :)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 21 de Agosto de 2009, 16:55

Amigos do forum espírita

O foco de nossa atenção desta semana de estudo sobre tema Prece, é exatamente aquilo que estou pesquisando nos últimos meses. Desde que propus debater com os amigos do fórum um tema livre sobre a “Partícula de Deus”, onde procuramos entender onde a ciência se encontra na compreensão daquilo a DE denominou como “fluido universal”.



1    Para apreendermos o que ocorre em tal circunstância, precisamos conceber mergulhados no fluido universal, que ocupa o espaço, todos os seres, encarnados e desencarnados, tal qual nos achamos, neste mundo, dentro da atmosfera.

2    Esse fluido recebe da vontade uma impulsão; ele é o veículo do pensamento, como o ar o é do som, com a diferença de que as vibrações do ar são circunscritas, ao passo que as do fluido universal se estendem ao infinito. Dirigido, pois, o pensamento para um ser qualquer, na Terra ou no espaço, de encarnado para desencarnado, ou vice-versa, uma corrente fluídica se estabelece entre um e outro, transmitindo de um ao outro o pensamento, como o ar transmite o som.

3    Nem por isso deixa essa ação de estar subordinada à vontade de Deus, juiz supremo em todas as coisas, único apto a torná-la eficaz.


Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap.XXVII


Junto com os amigos encontramos as teorias da física mais aceitas pela comunidade científica, bem como aquelas mais recentes e, portanto as mais discutidas e discutíveis sobre a base fundamental da matéria. A ciência procura por ela, para tanto recentemente inaugurou o maior aparelho acelerador de partículas sub atômicas. Descobrimos que mesmo em todas as teorias propostas, o comportamento da matéria sub atômica dentro do núcleo é dinâmico com muitas ações de movimento, como se fossem um organismo vivo regido por leis fisiológicas.

Isto é máximo que podemos afirmar sem sermos levianos. Supomos, no entanto que com o pensamento ou a prece,  a força da vontade sobre o fluido universal seja capaz de modificar a organização fisiológica que mantém a matéria modificando-a seja nos nível físico, seja nos planos sutis (pela visão espírita).

No tema livre paramos aí. Pouco sabemos sobre a composição interna da matéria sutil alem do fluido universal que também a envolve (existe uma tabela periódica similar à nossa de elementos da matéria sutil ou são apenas criações mentais?) . Procuro estas referencias nos livros da doutrina ou de outros autores. Para isso peço ajuda aos leitores deste tema que me indiquem caso saibam de alguma.

Posso contribuir com o tema com algumas experiências práticas que fizemos apenas para comprovar o que já foi dito. Mas continuo isto depois para não me alongar demais agora.

Muita Paz

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 21 de Agosto de 2009, 23:58
Olá Sonho...obrigada...receba a minha enorme gratidão pelas suas palavras tão gentis...espero ser merecedora da sua confiança e carinho...assim deixo-lhe o convite para que integre o nosso  grupo de oração (http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/grupo-de-oracao-pelo-planeta/msg56044/#new) pelo Planeta, aqui lançado no forum.

Nelsonmt..que optimo podermos tê-lo aqui connosco nest estudo!

Confesso-lhe que a física não é o meu forte...além disso raramente me pronuncio sobre temas que não conheço com alguma profundidade, mas seria bom que pudesse nos esclarecer sobre isto um pouco mais. Ficaria muito grata.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 22 de Agosto de 2009, 16:51
Ola muita paz e harmonia
Amigo Nelson

   Sei onde quer chegar e formar ideia, e quer entrar nos fluidos, e na sua moldagem pelos valores do amor, sentimentos , emoções, e pensamentos,das quais a prece como vibração transmite e pois eles transferem e alteram as caracteriticas por nossa vibração, tal como no envolvimento mediunico...mas se quer material para perceber e estudar a tematica aqui vai..Além da Codificação espirita tem

http://www.espirito.org.br/portal/artigos/orson/os-fluidos.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2FydGlnb3Mvb3Jzb24vb3MtZmx1aWRvcy5odG1s)
http://www.espirito.org.br/portal/artigos/gebm/os-fluidos-espirituais.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2FydGlnb3MvZ2VibS9vcy1mbHVpZG9zLWVzcGlyaXR1YWlzLmh0bWw=)
http://www.espirito.org.br/portal/artigos/unidual/fcu.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2FydGlnb3MvdW5pZHVhbC9mY3UuaHRtbA==)
http://www.espirito.org.br/portal/artigos/fep/deus-cria.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2FydGlnb3MvZmVwL2RldXMtY3JpYS5odG1s)
http://www.espirito.org.br/portal/artigos/diversos/fluidos/fluidos-jacob-mello.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2FydGlnb3MvZGl2ZXJzb3MvZmx1aWRvcy9mbHVpZG9zLWphY29iLW1lbGxvLmh0bWw=)
http://www.espirito.org.br/portal/doutrina/allan-kardec-e-as-obras-basicas.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0by5vcmcuYnIvcG9ydGFsL2RvdXRyaW5hL2FsbGFuLWthcmRlYy1lLWFzLW9icmFzLWJhc2ljYXMuaHRtbA==)

Estes estudos talvez o possam ajudar

Muita paz e harmonia

VICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Buzanca em 22 de Agosto de 2009, 19:07
Deus sabe de nossas necessidades, mas através da prece demonstramos a quebra de nosso orgulho, debruçando-se sobre nossas dificuldades e rgamos ao Pai que nos auxilie. Quando nos achamos onipotentes não nos humilhamos em pedirmos ajuda, pois ninguém é tão forte que não precise de ajuda. Por este motivos pedios muitas vezes em nossa conversa com Deus (prece) o que precisamos. Deus que Pai as vezes não nos dá o que pedimos, mas apenas o que precisamos. Abraços.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Vera Castanho em 22 de Agosto de 2009, 21:59
Olá, caros novos amigos,
Esta é minha primeira participação neste forum e até agora estava só conhecendo o site, e aqui está minha contribuição para o estudo do mês.
Na nossa Casa Espírita estamos estudando os livros de André Luiz que traz grandes esclarecimentos sobre o assunto "Prece".  Em "Entre a Terra e o Céu" aprendemos que nenhuma prece é perdida, pois no caso de orarmos a um espírito que não esteja em condições de nos atender, por estar ainda numa vibração inferior, como no caso narrado nesse livro, a prece elevada atravessa as zonas de baixa vibração e vai atingir os espíritos elevados trazendo o auxílio necessário. Os mentores chamam esta de "prece refratada".  Por aí vemos que nenhuma prece se perde.
Em outro capítulo, aprendemos que o auxílio espiritual está presente em todo lugar onde haja elevação de pensamentos.  Uma entidade encarregada do auxílio nas Igrejas Católicas, diz que “o culto da oração é o meio mais seguro para a nossa influência. A mente que se coloca em prece estabelece um fio de intercâmbio natural conosco. (....) e, quanto mais alto é o teor de qualidades nobres na criatura, mais ampla é a zona lúcida de que se serve para registrar o socorro espiritual.”

Em “Missionários da Luz”, outro livro da série André Luiz, o capítulo 6 é todo sobre a Prece, e nos ensina o efeito purificador e restaurador da oração.  Nos mostra claramente que quando uma pessoa eleva seu pensamento a Deus com fervor e confiança, todo o seu espírito se transforma, todo o seu corpo se ilumina e seu coração se torna um foco de luz e essa luz é energia curadora para aqueles que estão ao seu redor, tanto encarnados quanto desencarnados.  Então no caso de estarmos sendo acompanhados por alguma entidade ainda pouco esclarecida , as nossas orações também vão beneficiá-la.  Isso vai fazer com que ela entenda que estamos procurando elevar o nosso padrão vibratório e se insistir em querer nos acompanhar, vai precisar se elevar também, o que vai ser muito bom para ela.  

Nesse livro mostra o caso de uma esposa, ao se deitar à noite, orando pelo marido que está doente ao seu lado, na cama, e durante a prece que ela faz por ele, seu corpo se enche de energia curadora que vai beneficiar o marido.

E aí vemos que a prece não é simplesmente um movimento mecânico dos lábios.  É vibração, energia, poder.  E essa energia é tão poderosa que transforma até o ambiente, impregnando toda a casa de fluidos benéficos.  A gente sente quando entra num local, a qualidade dos fluidos bons ou pesados, não é mesmo?  Isso também acontece com as casas onde se pratica o Evangelho no Lar, que também é um dos grandes mecanismos para mantermos a paz, o equilíbrio e a harmonia.  
Por enquanto é só ... acho que já "falei" demais. Desculpem se ficou muito longo. Mas é que me empolgo quando o assunto é Doutrina Espírita.
Abraços fraternos a todos vocês, nesta ponte Brasil-Portugal.  :-*
Vera  



Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: zeni em 22 de Agosto de 2009, 22:18
Olá amiga Vera Castanho e todos os amigos do Fórum.


Gostei muito da sua mensagem, também fico muito feliz em estudar  a doutrina espírita, beijuuuuuuuuus e sempre com Deus.

Zeni.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: conceicao ventura em 22 de Agosto de 2009, 22:36
boa noite a todos do forum e que a paz de DEUS esteja com todos vós
gostei muito dos ensinamentos da Vera o muito obrigada)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Victor Passos em 23 de Agosto de 2009, 11:58
Ola muita paz e harmonia


A Prece recompõe

                "E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos." - (ATOS, 4:31.)

          Na construção de simples casa de pedra, há que despender longo esforço para ajustar ambiente próprio, removendo óbices, eliminando asperezas e melhorando a paisagem.

          Quando não é necessário acertar o solo rugoso, é preciso, muitas vezes, aterrar o chão, formando leito seguro, à base forte.

          Instrumentos variados movimentam-se, metódicos, no trabalho renovador.

          Assim também na esfera de cogitações de ordem espiritual.

          Na edificação da paz doméstica, na realização dos ideais generosos, no desdobramento de serviços edificantes, urge providenciar recursos ao entendimento geral, com vistas à cooperação, à responsabilidade, ao processo de ação imprescindível.

          E, sem dúvida, a prece representa a indispensável alavanca renovadora, demovendo obstáculos no terreno duro da incompreensão.

          A oração é divina voz do espírito no grande silêncio.

          Nem sempre se caracteriza por sons articulados na conceituação verbal, mas, invariavelmente, é prodigioso poder espiritual comunicando emoções e pensamentos, imagens e idéias, desfazendo empecilhos, limpando estradas, reformando concepções e melhorando o quadro mental em que nos cabe cumprir a tarefa a que o Pai nos convoca.

          Muitas vezes, nas lutas do discípulo sincero do Evangelho, a maioria dos afeiçoados não lhe entende os propósitos, os amigos desertam, os familiares cedem à sombra e à ignorância; entretanto, basta que ele se refugie no santuário da própria vida, emitindo as energias benéficas do amor e da compreensão, para que se mova, na direção de mais alto, o lugar em que se demora com os seus.

          A prece tecida de inquietação e angústia não pode distanciar-se dos gritos desordenados de quem prefere a aflição e se entrega à imprudência, mas a oração tecida de harmonia e confiança é força imprimindo direção à bússola da fé viva, recompondo a paisagem em que vivemos e traçando rumos novos para a vida superior.

 Livro: Vinha de Luz - 98
Emmanuel & Francisco Cândido Xavier
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: hcancela em 23 de Agosto de 2009, 13:24
Olá amigos(as)

Do livro " VIDA FELIZ " pelo Espírito JOANNA DE ÂNGELIS, psicografado por Divaldo P. Franco:

"Ante as dificuldades do caminho e as rudes provas da evolução, resguarda-te na prece ungida de confiança em Deus, que te impedirá resvalar no abismo da revolta.
Um pouco de silêncio íntimo e de concentração, a alma em atitude de súplica, aberta à inspiração, eis as condições necessárias para que chegue a apaziguadora resposta divina.
Cria o clima de prece como hábito, e estarás em perene comunhão com Deus, fortalecido para os desafios da marcha."


SAUDAÇÕES FRATERNAS


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edna☼ em 23 de Agosto de 2009, 14:16
Bom dia a todos !!!!  :)

"Está no pensamento o poder da prece, que será tanto maior quanto mais positivo for aquele.

Pelo pensamento expressamos a nossa vontade, o nosso desejo e fazemo-los chegar aos bons Espíritos (receptores diretos) e a Deus  (receptor indireto) como  a nossa mensagem, para pedir, agradecer, louvar.

O pensamento expressa a vontade e esta gradua a energia da corrente.

Temos, assim, na prece, os seguintes elementos: fonte, a mente humana, que emite raios mentais, mais ou menos poderosos, conforme sua elevação e pureza, que são captados pelos bons Espíritos; caratcterísticos - ato que congrega pensamento, vontade, sentimento, devendo ser consciente, volitivo, responsável; contato com os Espíritos prepostos de Deus e, indiretamenbte, com este.

A respeito, Cícero Marcos Teixeira, afiança: "Analisados os componentes da prece, sua procedencia, o mérito ou demérito de quem a proferiu, medidas e providências da mais alta transcendência são tomadas em benefício daquele qua formula".

(A íntegra deste artigo "Conceito Espírita da prece", pode ser lida na Revista Informação, Ano XXXII, nº 384, páginas 12 a 14).

Tenham todos um lindo domingo !!!!  ;)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: gudu em 24 de Agosto de 2009, 18:07
Eficácia da prece

5. O que quer que pedirdes através da prece, crede, conseguireis. (Marcos, XI:24)
6. Há pessoas que contestam a eficácia da prece entendendo que, por conhecer Deus as nossas necessidades, torna-se inútil expô-las a Ele. Acrescentam ainda que, como tudo se encadeia no universo por meio das leis eternas, nossas rogativas não podem mudar os desígnios de Deus.

Sem dúvida alguma, há leis naturais e imutáveis que Deus não pode anular segundo os caprichos de cada um. Mas daí a acreditar que todas as circunstâncias da vida estejam submetidas à fatalidade, a distância é grande. Se assim fosse, o homem seria apenas um instrumento passivo, sem livre arbítrio e sem iniciativa. Nessa hipótese, só lhe caberia curvar a fronte aos golpes de todos os acontecimentos, sem procurar evitá-los. Não deveria esquivar-se dos perigos. Deus não deu ao homem o entendimento e a inteligência para não serem utilizadas; a vontade para não querer; a atividade para ficar na inação. Sendo o homem livre para agir, num ou noutro sentido, seus atos têm, para ele mesmo e para os outros, conseqüências subordinadas às suas decisões. Por sua iniciativa, há portanto, acontecimentos que escapam, forçosamente, à fatalidade, e que nem por isso destroem a harmonia das leis universais, assim como o avanço ou o atraso dos ponteiros do relógio não destrói a lei do movimento, sobre o qual está estabelecido o mecanismo. Deus pode, então, atender a certos pedidos sem derrogar a imutabilidade das leis que regem o conjunto, dependendo sempre da Sua vontade.

7. Seria, pois, ilógico concluir-se desta máxima: “Aquilo que pedirdes através da prece vos será concedido”, que basta pedir para obter, é injusto acusar a Providência se ela não atender a todos os pedidos que lhe fazem, pois ela sabe melhor do que nós o que nos convém. Assim acontece a um pai prudente, que se recusa a dar ao filho o que lhe seria prejudicial. O homem, normalmente, só vê o presente. Ora, se o sofrimento é útil à sua felicidade futura, Deus o deixará sofrer, como o cirurgião deixa o doente passar por uma cirurgia que deve curá-lo.

E o que Deus lhe concederá, se for pedido com confiança, é a coragem, a paciência e a resignação. O que Ele lhe concederá ainda são os meios de livrar-se dos problemas, com a ajuda das idéias que os bons Espíritos lhe sugerem, deixando-lhe assim, o mérito da ação. Deus assiste aqueles que se ajudam a si mesmos, segundo esta máxima: “Ajuda-te e o céu te ajudará”, e não os que tudo esperam do socorro alheio, sem usarem as suas próprias faculdades. Mas na maior parte do tempo, preferimos ser socorridos por um milagre, sem nada fazermos. (Ver Cap. XXV, nº 1 e seguintes).

8. Tomemos um exemplo: Um homem está perdido num deserto; sofre terrivelmente de sede; sente-se desfalecer, cai ao chão; pede a Deus que o ajude, mas nenhum anjo vem lhe trazer água. Entretanto, um bom Espírito lhe sugere levantar-se, e seguir determinada direção. Então, com um movimento instintivo, reúne suas forças, levanta-se e, caminha ao acaso. Chegando a uma elevação, ele descobre, ao longe, um regato e com isso coragem. Se tiver fé, dirá: “Obrigado, meu Deus, pelo pensamento que me inspiraste e pela força que me deste.” Se não tiver fé, dirá: “Que ótima idéia eu tive! Que sorte eu tive, em tomar o caminho da direita ao invés do caminho da esquerda; o acaso, algumas vezes, nos ajuda de fato! Como eu estou feliz pela minha coragem e por não ter me deixado abater!”

Mas, dir-se-á, por que o bom Espírito não lhe disse claramente: “Siga este caminho, e no fim encontrarás o que tens necessidade!” Por que não lhe apareceu para guiá-lo e sustentá-lo no seu abatimento? Dessa forma, o teria convencido da intervenção da Providência. Primeiramente, para lhe ensinar que é preciso ajudar-se a si mesmo e fazer uso de suas próprias forças, depois, porque, por incerteza, Deus coloca à prova a confiança e a submissão à sua vontade. Esse homem estava na situação da criança que, ao cair, vendo alguém, põe-se a gritar esperando que alguém a levante; Mas, se não vê ninguém, esforça-se e levanta-se sozinha.
Se o anjo que acompanhou Tobias lhe houvesse dito: “Eu fui enviado por Deus para guiar-te em tua viagem e te preservar de todo perigo”, Tobias não teria nenhum mérito. Foi por isso que o anjo somente se deu a conhecer na volta.


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Nadi em 24 de Agosto de 2009, 18:34
Obrigada pelos ensinamentos Vera
Estou aprendendo bastante com o estudo no Forum.

Deus abençõe a todos vcs.

abrãços.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 24 de Agosto de 2009, 21:03
Boa noite companheiros!

Querida Vera...todos nós ficamos imensamente agradecidos com o seu contributo neste estudo.
Vou sublinhar algumas citações do texto que partilhou e comentá-las, se me permite:

nenhuma prece é perdida

Durante este pequeno estudo vimos que a prece é um recurso permanente de comunhão ininterrupta com Deus. Não é preciso hora, nem lugar especial para orar. Basta a vontade e a fé para unirmo-nos ao Criador.
Sendo assim, não existe prece que não seja eficaz, desde que esta cumpra os requisitos que temos falado.

Uma conversa simples com Deus é uma Prece; a confidência simples das nossas dificuldades maiores ao Pai, regenera energias, transmite força e coragem para enfrentar qualquer adversidade.
Sendo assim, nada se perde (-como diria Lavoisier-transforma-se) e prossegue os caminhos que Deus decidiu como sendo bom para nós.

o auxílio espiritual está presente em todo lugar onde haja elevação de pensamentos

quando uma pessoa eleva seu pensamento a Deus com fervor e confiança, todo o seu espírito se transforma, todo o seu corpo se ilumina e seu coração se torna um foco de luz e essa luz é energia curadora para aqueles que estão ao seu redor, tanto encarnados quanto desencarnados

Sabemos que estamos rodeados 24h por dia por espiritos, encarnados e desencarnados. Não há um momento na vida em que estamos sós, e isto é talvez tão certo como o sabermos que para viver na terra é necessário respirar.

Se na oração o nosso ser se eleva em beneficio próprio e do próximo, quem de bom carácter e de elevação moral, não desejaria nos acompanhar ou estar por perto?
Sempre que temos um pensamento bom, algo brilha dentro de nós, como uma chama que ilumina na escuridão. Essa luzinha, ainda pequena e meio tremida, chama a atenção de quem deseja o nosso bem. Nasce assim a vibração amorosa que une os seres, e que é fio condutor para intuições e recomendações dos mensageiros divinos.
Se essa chama se mantém acesa durante todo o dia, e toda a noite, também será durante todo esse tempo que teremos a companhia serena e pretectora desses gentis amigos.

A oração é divina voz do espírito no grande silêncio

Querido Victor...esta expressão, a meu ver, é simplesmente magnifica. É de uma beleza que comove.

A voz do espírito, sem duvida não é fácil de entender, pois estando encarnados mil e uma ocupações materiais ofuscam a nossa mente, não permitindo a que o espirito se conheça e compreenda a ponto de se soltar e fazer chegar a sua voz até Deus.
Eis o que a Prece pode proporcionar: despojarmo-nos dos desejos materiais e simplesmente Confiar na Bondade Celeste.

Essa Bondade, esse Amor Universal que não compreendemos, nem ainda sentimos, é o “silêncio”...Um dia, ele será tudo para nós...

Está no pensamento o poder da prece, que será tanto maior quanto mais positivo for aquele

Querida Edna...realmente o pensamento ainda é a força que usamos para comunicar com o Alto, no entanto, na minha opinião, o poder da Prece está no sentimento.

Diz Léon Dénis que  “O nosso pensamento, quando é atuado por grande força de impulsão, por uma vontade perseverante, vai impressionar as almas a distâncias incalculáveis.”

Ou seja, por trás do pensamento existe algo que lhe dá o impulso.

Os nossos pensamentos, mesmo que bons, na maioria das vezes ainda se encontram em desiquilibrio. Estes fixam-se criando telas mentais que perturbam a nossa consciência, uma vez que a projecção dos pensamentos é feita pela mente.
Ora como sabemos a mente cria imagens de acordo com a nossa estrutura espiritual. Se estamos em permanente ocupação mental com preocupações fúteis, dificilmente conseguimos que estas imagens mudem sem a acção de algo mais. É portanto a vontade.
E eu acrescento...o sentimento.

Eu deixaria como sugestão, que todos comentassemos a seguinte expressão do espírito Miramez:

“ O homem que ora, conhecendo a importância da oração, entra em estado de graça, sente o ambiente divino a pulsar no seu mundo humano.” (in, Horizontes da Mente, J.Nunes Maia)

Beijitos



Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Indy em 24 de Agosto de 2009, 21:26
"...a prece não é simplesmente um movimento mecânico dos lábios.  É vibração, energia, poder."
É assim que entendo a comunicação com Deus.. Conseguimos através desta comunicação, que sendo realmente sentida, mudar toda a energia que nos rodeia e até mesmo, de certa forma, o modo como as coisas vão decorrer. Temos de acreditar, rezar constantemente, não apenas quando precisamos...  Agradecer e pedir também.. Mas sobretudo acreditar!

Abraços para todos.
Esta é a minha primeira participação.. Acho muito interessante e importante a contribuição deste fórum, pela informação e conhecimentos que transmite e pela troca de opiniões sempre saudável.

Muita paz
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Luizahelena em 25 de Agosto de 2009, 05:00
Olá Amigos!!!

Aluena estou orando pra você. Que os bons espíritos possam ajudá-la nesse momento especial pra você e os seus. ´

Gigi e vc? Está melhor?

Parabéns pelo tema e pela introdução, ficou lindo e emocionante.

Abreijos;

Luiza.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Luizahelena em 25 de Agosto de 2009, 05:06
Se Eu Quiser Falar Com Deus

Composição: Gilberto Gil - 1980

Se eu quiser falar com Deus
Tenho que ficar a sós
Tenho que apagar a luz
Tenho que calar a voz
Tenho que encontrar a paz
Tenho que folgar os nós
Dos sapatos, da gravata
Dos desejos, dos receios
Tenho que esquecer a data
Tenho que perder a conta
Tenho que ter mãos vazias
Ter a alma e o corpo nus

Se eu quiser falar com Deus
Tenho que aceitar a dor
Tenho que comer o pão
Que o diabo amassou
Tenho que virar um cão
Tenho que lamber o chão
Dos palácios, dos castelos
Suntuosos do meu sonho
Tenho que me ver tristonho
Tenho que me achar medonho
E apesar de um mal tamanho
Alegrar meu coração

Se eu quiser falar com Deus
Tenho que me aventurar
Tenho que subir aos céus
Sem cordas pra segurar
Tenho que dizer adeus
Dar as costas, caminhar
Decidido, pela estrada
Que ao findar vai dar em nada
Nada, nada, nada, nada
Nada, nada, nada, nada
Nada, nada, nada, nada
Do que eu pensava encontrar

Essa composição é maravilhosa e compartilho com vcs.

Com carinho;

Luiza.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Luizahelena em 25 de Agosto de 2009, 05:10
A ORAÇÃO UNIVERSAL

SEVERINO CELESTINO DA SILVA

O principal sentido da oração deve ser a de evidenciar a nossa humildade diante da grandeza de Deus.
   Temos o costume de realizar nossas orações com a finalidade precípua de pedir sempre alguma coisa a Deus. É comum realizarmos as nossas orações solicitando a Deus algo pessoal e esquecendo das necessidades gerais dos que nos cercam.
   Na questão 659 do Livro dos Espíritos, os Espíritos Superiores nos informam que a três coisas podemos nos propor por meio da prece: louvar, pedir e agradecer.
    O Sidur, livro de orações judaicas, classifica a oração em quatro tipos e a oração de pedidos é apenas um desses quatro tipos existentes. As outras são as orações de agradecimento, louvor a Deus e as preces de introspecção e confissão. Na verdade o verbo hebraico rezar – lehitpalel- não significa “rogar” ou “suplicar” a Deus, como muitos imaginam. Ele provém de um radical hebraico “palel” que significa “julgar”; portanto “lehitpalel” (rezar) pode ser traduzido também como “julgar a si mesmo”.
   Não devemos esquecer que Jesus era judeu e, na sua condição judaica, Ele nos ensina no “Sermão do Monte”, contido no Evangelho de Mateus, em seu capítulo 6, versículos 9 a 13, como deve ser realizada a nossa oração.
   Inicialmente, nos orienta que quando realizarmos as nossas orações, elas não sejam como a oração dos hipócritas que oravam, segundo Jesus, nas esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Mas recomenda que entremos em nosso quarto, fechemos a porta e oremos a Deus em secreto, pois Ele, que tudo vê, em secreto nos recompensará. Recomenda ainda, que não é pela repetição das palavras ou pelo barulho que seremos escutados, pois que Deus conhece o que nos é necessário e o que merecemos.
   Apresentaremos aqui o “Pai Nosso” traduzido diretamente do texto hebraico para que você possa comparar a diferença de conteúdo frente às traduções do texto grego e do latim. 
   O texto hebraico aqui utilizado foi extraído do Novo Testamento da “Society for Distributing the Holy Scriptures to the Jews”- London.
   
TEXTO HEBRAICO

                                               ûniybo'

                                 :§emøH   WadaqÚtiy  £iyamoHÐabeH  ûniyibo'
 :£iyamoHÐab  hoWÜvan reHÜ'Ðak ¦ÕrÃ'ÐÃb §ÙnôcÙr hÕWÓvÕy §ÕtûkølÑm '²bÃt
 :ûnÐEqØx £exel £ôyah ûnol-¤eÐt
ûnEtomüHa'-te' ûnol-xalüsû
     : ûnol ûmüHo' reHÜ'Ðal ûnüxanÜ' £yixül×s reHÜ'Ðak
 hoÐsam yEdyil ûnE'yibÐüt-la'üw
   :voroh -¤im ûnElyicah-£i' yiÐk
¤ema'

O PAI NOSSO

Tradução

Pai nosso dos Céus, Santo é Teu nome,
Venha o Teu reino, Tua vontade se faz na terra,
como também nos Céus.
Dá-nos hoje nossa parte de pão.
Perdoa as nossas culpas, quando tivermos perdoado
a culpa dos nossos devedores.
Não nos deixes entregues a provação,
porque assim nos resgatas do mal.
Amém.
A pronúncia hebraica é assim:

Avinu shebashamaim
itkadash shemechá
tavô malekutechá
ie'assé rtsonechá baárets
kaasher naassá bashamaim
ten-lanu haiom léchem chuknu
uslách-lanu et-ashmatenu
caasher solchim anachnu laasher ashmu lanu
veal-tevienu lidei massá
ki im-hatsilenu min-hará'
amén

   Apresentamos a seguir as explicações referentes ao texto traduzido por nós, comparando-as com o texto tradicional.

   Pai nosso= Jesus ensina como, humildemente, devemos nos dirigir a Deus. Observe que Ele não diz “Meu Pai”, mas “Pai Nosso”. Pai Nosso significa Pai de todos. Estamos no mesmo nível de necessidades. Falamos como se estivéssemos pedindo para todos e não apenas para “Mim”. Jesus nos orienta neste sentido humilde de nos dirigirmos a Deus.
Pai nosso dos céus: e não, pai nosso que estás nos céus, como se tem dito até hoje. Deus está em toda parte, Ele é senhor de tudo, dos Céus e também da terra, e não de uma região geográfica restrita, circunscrita, limitada e determinada. Pode ser dito também “Pai Nosso que és dos Céus” mas nunca,  que estás nos Céus.
Santo é teu nome ou Santo será Teu nome: e não, santificado seja o vosso nome. Deus já é santo independente de que desejemos ou não, que ELE SEJA. Na frase, o verbo hebraico – kidesh – Santificar, Consagrar, colocado no incompleto ou futuro, nos transporta para o sentido de que Deus será Santo, Será consagrado. No entanto, como para Deus não existe passado, presente ou futuro, ficamos com a tradução, Santo é Teu Nome. A Expressão – Itkadash shmchá – “Santo é o Teu Grande Nome”, está no Cadish, que é a oração recitada pelos Judeus enlutados e que consta do Sidur, o livro de orações judaicas.
Venha o teu reino: e não venha a nós o vosso reino. A preposição hebraica refere-se à segunda pessoa do singular (tu)  malecutechá (teu reino). O Verbo Bá=Vir está colocado no texto hebraico, no incompleto ou futuro (tavô). No entanto, ele substitui o Bô que é a primeira pessoa do imperativo relativo (tsivui), que exprime o desejo da Tua vinda: VENHA! Portanto, Venha o teu reino, indistintamente para todos os seres do planeta. Aqui, ensina-nos Jesus que o Reino Divino vem indistintamente para os animais, plantas, aves, peixes, os seres vivos como um todo e não apenas para NÓS, os humanos. “Queira Ele estabelecer o Seu Reino e determinar o ressurgimento da Sua redenção e apressar o advento do Seu Ungido”. Esta é outra expressão incluída no Cadish, citado acima, e  que parece ter sido aqui utilizada por Jesus para identificá-lo como o UNGIDO que em hebraico significa O MESSIAS, o HAMASHIÁCH   -  ( axyiHAmah).
Tua vontade se fará na terra como (quando) também nos céus: e não seja feita a vossa vontade assim na terra como nos céus. A vontade d`Ele é suprema e irreversível, independente do nosso consentimento, ela se fará. O que Deus determinou, desde a criação do mundo, continuará inalterável. Aqueles que, por ventura, se desviem da harmonia colocada por Ele no universo, colherão este desvio nas proporções que o provocaram.

Dá-nos hoje nossa parte de pão: e não o pão nosso de cada dia nos dai hoje. Utilizando-se o pão nosso de cada dia nos dai hoje, tem-se a impressão de que estamos pedindo o pão de todos os dias, para hoje. Só Deus sabe do que precisamos e também quando devemos e merecemos receber. Recordemos o que diz Cristo:  “Não vos preocupeis com vossas vidas: que beber ou comer?” ... Olhai as aves dos céus: elas não semeiam, não ceifam, nem armazenam em celeiros. Mas vosso pai dos Céus as alimenta”. (Mateus 6,25 e 26). O texto hebraico fala (lechém chuknu) parte de pão. Portanto, devemos pedir só uma parte do que merecemos, ou daquela que Deus decidiu nos dar, como gesto de humildade e até porque se recebermos só uma parte, sobrará alguma coisa para aqueles que não possuem, ainda, o sustento necessário.

Perdoa as nossas culpas quando perdoarmos as culpas dos nossos devedores: e não, perdoa as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores.  Aqui está condicionado que o nosso perdão vem como conseqüência natural do perdão prévio que nós já realizamos. É a lei de causa e efeito. É a colheita natural da nossa semeadura. Este sentido é confirmado no versículo 14 deste capítulo 6. Deus não premia e não pune, cada um colhe o que plantou.
Temos ainda a certeza de que, ao atingirmos a perfeição, no reino da plenitude evolutiva, ninguém deve nada a ninguém. Todos estão em pleno estado de harmonia pela evolução atingida e nenhuma dívida a mais nos será cobrada. 
“Apressa-te em te reconciliar com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que ele não te entregue ao juiz e o juiz te enviará para a prisão ou cárcere. E Eu verdadeiramente te digo: não subirás dali até que tenhas pago o último prutá”.  (Mateus 5:25 e 26.)
Não nos deixes entregues à provação: Diferente de não nos deixeis cair em tentação como se tem traduzido até hoje. A expressão hebraica “lidei massá” significa para as mãos da provação. A palavra hebraica que está aplicada no texto é “massá”. E “massá” significa prova, provação e não tentação. É a mesma palavra que se encontra em Gênesis 22:1, onde Iahvéh põe à prova Abraão. Ele não tenta Abraão ao lhe propor o sacrifício do seu filho Isaac. Iahvéh põe à prova o povo de Israel, e não o tenta. Veja as provas que Ele coloca em seu caminho Ex. 15:25; 17:7; 20:20; Dt. 6:16; 13:4; 33:7;  Jó cap. 1 e 2; Mt. 4:1-11 (provação do Cristo). Passar por provações não é fácil, por isso o Cristo nos ensina solicitar de Deus toda assistência possível, frente a elas, pedindo que Ele não nos abandone nas horas da provação, ou seja, não nos deixe entregue à nossa própria sorte.
Porque assim nos resgatas do mal: Se tivermos a assistência de Iahvéh pela nossa sintonia com Ele, durante as provações, com certeza resgataremos todo o mal. A expressão “hatsilenu min-hará’” significa nos resgatará do mal ou nos libertará do mal. Assim, fica entendido que se soubermos pedir a assistência de Iahvéh durante as provações e Ele estiver conosco através da nossa sintonia, haveremos de superar todo o mal.

Amén – Palavra hebraica que significa desejo de que se cumpra o nosso pedido. Que aconteça segundo o nosso pedido. Que assim seja.

http://www.febnet.org.br/comunicacao/content,,,2533.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5mZWJuZXQub3JnLmJyL2NvbXVuaWNhY2FvL2NvbnRlbnQsLCwyNTMzLmh0bWw=)

Luiza.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: luciana f. campos em 25 de Agosto de 2009, 05:19
Olá írmãos, a prece para mim é compartilhar, pedir, sentir que estou sendo assistida por um ser de luz que pode mudar meu estado de tristeza e que compartilha das minhas alegrias. É o meu diário da consciência. Abraços... Fiquem na paz!
Luciana
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Aluena em 25 de Agosto de 2009, 09:58

Queridos irmãos,  :-*

Grata pelas vibrações.
Fui operada a 12 de Agosto, a cirurgia correu bem,
já estou em casa e recuperando muito bem.
Só dia 31 vou ter resposta sobre a análise que está sendo feita ao que foi retirado,
 mas SINTO-ME CONFIANTE.

GRATA ao CRISTO "Senhor da Vida", a TODOS OS BENFEITORES dos 2 lados da vida
que têm enviado vibrações de muito amor,
ao Dr. Bezerra de Menezes e sua falange de companheiros
GRATA por todo o auxílio.

Que Deus nos abençoe, proteja e fortaleça.

Abraços fraternos,  :-*

Maria Manuela Neves
Lisboa - Portugal
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nfermagem em 25 de Agosto de 2009, 15:06
boa noite a todos do forum e que a paz de DEUS esteja com todos vós
gostei muito dos ensinamentos da Vera o muito obrigada)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: sonho em 25 de Agosto de 2009, 18:43
Citação da Gigi:
"Eu deixaria como sugestão, que todos comentassemos a seguinte expressão do espírito Miramez:

“ O homem que ora, conhecendo a importância da oração, entra em estado de graça, sente o ambiente divino a pulsar no seu mundo humano.” (in, Horizontes da Mente, J.Nunes Maia)"

Olá Gigi e a Todos!

Quando li esta frase identifiquei-me com o que autor sente na hora da oração.

Quando estou a orar tenho a sensação que, naquele momento, eu me desprendo do corpo fisico e que consigo ir para onde o meu pensamento me leva!!! É uma sensação maravilhosa!

Não há dúvida que, naquele instante, parece que consigo sentir "o ambiente divino a pulsar no meu mundo... o mundo humano." Dá-nos o poder de acreditar que tudo é possivel, que a força da prece é poderosa e que com a acção da mesma estamos a construir um mundo melhor!

Esta foi a minha interpretação desta frase.

Abraços a todos
Sonho :)  
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mourarego em 25 de Agosto de 2009, 18:54
Menos sonho, muito menos, quase nada, amiga!
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: sonho em 25 de Agosto de 2009, 19:03
Caro Moura!

Todos temos direito à nossa interpretação e foi o que fiz, por solicitação da mediadora deste estudo.

Talvez, companheiro Moura, fosse mais positivo que desse a sua opinião sobre a frase, e não tanto sobre uma postagem de quem emitiu apenas a sua opinião pessoal!!!

Abraços

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mourarego em 25 de Agosto de 2009, 19:45
Amiga Sonho,
eu sigo somente a doutrina, não o que diz este ou aquele Espírito sem a aprovação anterior do CUEE.
Razão: sou muito burro! Se for sair seguindo este ou outro, acabo me enrolkando mais doque seguindo a doutrina e já me enrolo bastante hehehe

Interpretando segundo a doutrina: estar em sintonia com Deus ou estar mais perto Dele, não quer dizer que se esteja em estado de graça, mas apenas que se pode, na intimidade que se apresentou, apreender mais detidamente a não de moral que as coisas de Deus denotam e dimanam.
Nota: Meu post foi apenas mais uma das minhas brincadeiras de sempre!
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Vera Castanho em 25 de Agosto de 2009, 22:27
Olá amigos,
Enviei uma mensagem há dois dias atrás, mas parece que não chegou ! Acho que teve problemas pelo caminho  :D - então, aqui vai de novo...
NO CLIMA DA ORAÇÃO
A oração nem sempre nos retira do sofrimento, mas sempre nos reveste de forças para suportá-lo.
Não nos afasta os problemas do cotidiano, entretanto, nos clareia o raciocínio, a fim de resolvê-los com segurança.
Não nos modifica as pessoas difíceis dos quadros de convivência, no entanto, nos iluminam os sentimentos, de modo a aceitá-las como são.
Nem sempre nos cura as enfermidades, contudo, em qualquer ocasião, nos fortalece para o tratamento preciso.
Não nos imuniza contra a tentação, mas nos multiplica as energias para que lhe evitemos a intromissão, sempre a desdobrar-se através de influências obsessivas.
Não nos livra da injúria e da perseguição, entretanto, se quisermos,  ei-la que nos sugere o silêncio, dentro do qual deixaremos de ser instrumentos para a extensão do mal.
Não nos isenta da incompreensão alheia, porém, nos inclina à tolerância para que a sombra do desequilíbrio não nos atinja o coração.
Nem sempre nos evitará obstáculos e as provações do caminho que nos experimentem por fora, mas sempre nos garantirá a tranqüilidade, por dentro de nós, induzindo-nos a reconhecer que, em todos os acontecimentos da vida, Deus nos faz sempre o melhor.
(Francisco Cândido Xavier por Meimei. In: Tende Bom Ânimo)



"Deus responde à prece à Sua maneira, não à nossa" - Mahatma Ghandi.
Muita paz a todos.
Abraços,
Vera
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Luizahelena em 25 de Agosto de 2009, 23:22
Querida Vera;

Que oração mais linda e verdadeira. Só podia ser da Meimei mesmo. De uma grandeza espiritual que conhecemos um pouco.

Abraços e muita paz!

Luiza.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Marlabs em 26 de Agosto de 2009, 03:11
 Cara Vera, também concordo que a oração por Memei em Tende Bom Ânimo é muito expressiva, nos dá o verdadeiro alento para enfrentarmos de forma madura e responsavel a vida terrena.

Como também nos dá a possibilidade de cultivarmos novos sentimentos para superar dificuldades por nós adquiridas.

Esta oração nos tras a simplicidade dos principios espiritas, dando-nos a perpectiva de mudança em nossa forma de pensar, um novo sentido mais positivo e fraternos para  esta existência.

Ou seja, nos impulsina para o caminho da evolução gradativa e constante.

Emmanuel através do nosso querido Chico Xavier também nos passa lindas orações através dos ensinamentos para a pratica do Evangelho de forma consistente.

A prece é um instrumento muito importante para trabalharmos as energias, as quais harmonizam os nossos sentimentos e pensamentos, criando um clima adequado para a comunhão mental com os espiritos superiores.

Um fraterno abraço!
 :-X

 
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 26 de Agosto de 2009, 04:30
Gigi, Vitor Passos e demais amigos do fórum

Sobre a Ciência atual, fluido cósmico e ação da prece
Em 1954, Emmanuel tratou, em parte desta questão quando prefaciou André Luiz, em “Nos Domínios da Mediunidade’. Neste texto pouco se acrescenta de relevante, a não ser a atual questão da Matéria Escura. No entanto, o nobre mentor, já nos esclarece sobre a ciência da física e sua relevância para o espírito: Somos “um feixe de energia concentrada”. Mas saber isto não basta e é preciso algo mais:

Raios, Ondas, Médiuns, Mentes...

A Ciência do século 20, estudando a constituição da matéria,
 caminha de surpresa a surpresa, renovando aspectos de sua
conceituação milenar.

Não obstante a teoria de Leucipo, o mentor de Demócrito,
 o qual, quase cinco séculos antes do Cristo, considerava todas
as coisas formadas de partículas infinitesimais (átomos), em
constante movimentação, a cultura clássica prosseguiu detida
nos quatro princípios de Aristóteles, a água, a terra, o ar e o
fogo, ou nos três elementos hipostáticos dos antigos alquimistas,
o enxofre, o sal e o mercúrio, para explicar as múltiplas
combinações no campo da forma.

No século 19, Dalton concebe cientificamente a teoria
corpuscular da matéria, e um maravilhoso período de
investigações se Inicia, através de inteligências respeitabilíssimas,
renovando idéias e concepções em volta da chamada
 “partícula indivisível”.

Extraordinárias descobertas descortinam novos e grandiosos
horizontes aos conhecimentos humanos.

Crookes surpreende o estado radiante da matéria e estuda os
raios catódicos. Röntgen observa que radiações Invisíveis atravessam
o tubo de Crookes envolvido por uma caixa de papelão preto,
e conclui pela existência dos raios X. Henri Becquerel, seduzido
pelo assunto, experimenta o urânio, à procura de radiações do
mesmo teor, e encontra motivos para novas indagações.
O casal Curte, intrigado com o enigma, analisa toneladas
de pechblenda e detém o rádio.

Velhas afirmações científicas tremem nas bases. Rutherford,
à frente de larga turma de pioneiros, inicia preciosos estudos,
em torno da radioatividade. O átomo sofre irresistível perseguição
na fortaleza a que se acolhe e confia ao homem a solução de
numerosos segredos. E, desde o último quartel do século passado,
a Terra se converteu num reino de ondas e raios, correntes e
vibrações. A eletricidade e o magnetismo, o movimento e a
atração palpitam em tudo. O estudo dos raios cósmicos evidencia
as fantásticas energias espalhadas no Universo, provendo os
físicos de poderosíssimo instrumento para a investigação dos
fenômenos atômicos e subatômicos. Bohrs, Planck, Einstein
erigem novas e grandiosas concepções.

O veículo carnal agora não é mais que um turbilhão eletrônico,
regido pela consciência. Cada corpo tangível é um feixe de energia
concentrada. A matéria é transformada em energia, e esta
desaparece para dar lugar à matéria.

Químicos e físicos, geômetras e matemáticos, erguidos à
condição de investigadores da verdade, são hoje, sem o desejarem,
sacerdotes do Espírito, porque, como consequência de seus
porfiados estudos, o materialismo e o ateísmo serão compelidos
a desaparecer, por falta de matéria, a base que lhes assegurava
as especulações negativistas.

Os laboratórios são templos em que a inteligência é concitada
ao serviço de Deus, e, ainda mesmo quando a cerebração se
perverte, transitoriamente subornada pela hegemonia política,
geradora de guerras, o progresso da Ciência, como conquista
divina, permanece na exaltação do bem, rumo a glorioso porvir.

O futuro pertence ao Espírito! (...)

Quanto mais avança na ascensão evolutiva, mais seguramente
percebe o homem a inexistência da morte como cessação da vida.

E agora, mais que nunca, reconhece-se na posição de uma
consciência retida entre forças e fluidos, provisoriamente
aglutinados para fins educativos.

Compreende, pouco a pouco, que o túmulo é porta à renovação,
como o berço é acesso à experiência, e observa que o seu estágio
no Planeta é uma viagem com destino às estações do Progresso
Maior. E, na grande romagem, todos somos instrumentos das
forças com as quais estamos em sintonia. Todos somos médiuns,
dentro do campo mental que nos é próprio, associando-nos às
energias edificantes, se o nosso pensamento flui na direção da
vida superior, ou às forças perturbadoras e deprimentes, se ainda
nos escravizamos às sombras da vida primitivista ou torturada.

Cada criatura com os sentimentos que lhe caracterizam a vida íntima
emite raios específicos e vive na onda espiritual com que se Identifica.
Semelhantes verdades não permanecerão semi-ocultas em nossos
santuários de fé. Irradiar-se-ão dos templos da Ciência como
equações matemáticas. (...)

Todavia, o que destacamos por mais alto em suas páginas é a
necessidade do Cristo no coração e na consciência, para que
não estejamos desorientados ao toque dos fenômenos.

Sem noção de responsabilidade, sem devoção à prática do bem,
sem amor ao estudo e sem esforço perseverante em nosso próprio
burilamento moral, é impraticável a peregrinação libertadora para
os Cimos da Vida.

Cada médium com a sua mente.   

Cada mente com os seus raios, personalizando observações e
Interpretações.

E, conforme os raios que arremessamos, erguer-se-nos-á o
domicilio espiritual na onda de pensamentos a que nossas
almas se afeiçoam.

Isso, em boa síntese, equivale ainda a repetir com Jesus:

—   A cada qual segundo suas obras.

EMMANUEL

Pedro Leopoldo, 3 de outubro de 1954.


Amigos, sobre o fluido sugiro a leitura dos artigos vinculados aos links proposto pelo amigo Vitor Passos. E que cada qual se esforce por procurar compreender a ciencia moderna e os ensinamentos do Cristo. Um pouco de Razão e outro pouco de Sentimento. A verdade está no meio.

Muita Paz

Nelson


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Vera Castanho em 26 de Agosto de 2009, 04:46
Amigos,
Vejam que lindo este vídeo da musica de Roberto Carlos: "QUANDO EU QUERO FALAR COM DEUS".  Se já conhecem, me desculpem, OK ?
Vejam no
http://www.youtube.com/watch?v=x69q2dGViyg&feature=related (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXg2OXEyZEdWaXlnJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQ=)


Abraços fraternos,
Muita paz a todos.
Vera
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Suelen em 26 de Agosto de 2009, 06:34
AÇÃO DA PRECE

Você é o lavrador.
O outro é o campo.
Você planta.
O outro produz.
Você é o celeiro.
O outro é o cliente.
Você fornece.
O outro adquire.
Você é o ator.
O outro é o público.
Você representa.
O outro observa.
Você é a palavra.
O outro é o microfone.
Você fala.
O outro transmite.
Você é o artista.
O outro é o instrumento.
Você toca.
O outro responde.
Você é a paisagem.
O outro é a objetiva.
Você surge.
O outro fotografa.
Você é o acontecimento.
O outro é a notícia.
Você age.
O outro conta.

Auxilie quanto puder.
Faça o bem, sem olhar a quem.
Você é o desejo de seguir para Deus.
Mas, entre Deus e você, o próximo é a ponte.
O Criador atende às criaturas, através das criaturas.
É por isso que a oração é você, mas o seu merecimento está nos outros.

André Luiz
(O Espírito da Verdade, 13, FEB)

===================================
Oi Gigi!
Belo trabalho!

A ação da prece está no pensamento e na nossa vontade, assim atraímos as beneces.
Quando a prece é em comum, e de coração para o mesmo fim, ela também alcança grandes resultados.
A prece é partilha do amor e zelo para a continuidade desse amor.

Quando do rapto da minha filha, de primeiro momento aconteceu o descontrole emocional natural, mas tentando manter o nosso controle e a fé, passei a rezar pelos sequestradores, minha filha foi encontrada dentro da normalidade do momento e o carro roubado, também foi encontrado em seguida. Dos sequestradores não tivemos notícias. Sequelas não ficaram. Graças a Deus!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 26 de Agosto de 2009, 14:39
Boa tarde companheiros!

Obrigada Sonho, por ter respondido ao meu repto! Não posso deixar de dizer que partilho consigo do mesmo sentimento.

eu sigo somente a doutrina, não o que diz este ou aquele Espírito sem a aprovação anterior do CUEE.

Caro Moura...este estudo pretende unir as pessoas numa reflexão conjunta sobre um tema, que como sabe é a prece.
A sua intervenção, aparentemente crítica, que eu agradeço, não levarei em conta, visto que todo o nosso estudo tem se baseado no Livros dos Espíritos e O Evangelho Segundo o Espiritismo.
Trazer citações de outros espíritos, a meu ver, em nada contradiz tudo o que foi dito até agora.
Cada espírito, encarnado ou desencarnado tem a sua opinião, que devemos respeitar. É isto mesmo que fazemos aqui, pois um estudo é isso mesmo: partilha de ideias.

Caso tenha algo a dizer sobre o tema, ficaremos muito agradecidos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 26 de Agosto de 2009, 14:46
Citar
O futuro pertence ao Espírito!

Olá nelsonmt...antes de mais obrigada pelo texto belissimo que nos trouxe!

Quem dera conseguir interiorizar tudo o que li. Há tanto ainda para saber e sentir...
Sem dúvida o futuro nos trará maravilhosas descobertas no campo da espiritualidade. E digo espiritualidade e não ciência, pois acredito que tudo é espirito, vem do espírito e vai para o espírito.

Vamos seguir o seu conselho e estudar um pouco mais. Também o farei,mas preciso de tempo para me preparar.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 26 de Agosto de 2009, 14:50
Amigas...muito obrigada pela preces edificantes que têm partilhado connosco. Certamente servirão a muitos companheiros de incentivo.

Como sabemos, uma prece escrita não tem o mesmo efeito de uma prece espontanea, no entanto, só o lermos um texto rogativo ao Pai divino, a nossa alma se encanta e desperta a novos sentimentos de amor fraterno.

Pode não ser uma prece, mas já é uma elevação do pensamento.

beijitos com ternura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: nelsonmt em 26 de Agosto de 2009, 16:18
Gigi e demais amigos

Citar
O futuro pertence ao Espírito!

Quem dera conseguir interiorizar tudo o que li. Há tanto ainda para saber e sentir...
Sem dúvida o futuro nos trará maravilhosas descobertas no campo da espiritualidade. E digo espiritualidade e não ciência, pois acredito que tudo é espirito, vem do espírito e vai para o espírito.

[/color]

Concordo em todos os sentidos com sua afirmação. A descoberta do espírito é a maior das conquistas.


Terminando sobre a questão do Mecaniosmo de Ação da Prece. Compreendamos junto com o nobre mentor Emmanuel, que podemos apreender do mecanismo de ação da Prece:

“O veículo carnal agora não é mais que um turbilhão eletrônico, regido pela consciência. Cada corpo tangível é um feixe de energia con¬centrada. A matéria é transformada em energia, e esta desaparece para dar lugar à matéria. “

“E, desde o último quartel do século passado, a Terra (e o Universo) se converteu num reino de ondas e raios, correntes e vibrações.”

Estamos livres de modelos e padrões estabelecidos por outrem. Já estamos todos em conexão com o todo e nosso pensamento e sentimento se projeta neste meio, mediante a evolução de cada um. Não sejamos hipócritas e reconheçamos humildemente que existem espíritos mais evoluidos que nós. Aprendamos com os mais experientes a lição do Amor vivenciando a mensagem do Cristo. A prece é poderoso instrumento a colaborar nesta jornada do crescimento a que todos somos impostos. È a água que facilita o burilamento da pedra. Seu mecanismo de ação já é apontado pela ciência: é energia a modificar o nosso reino de “...reino de ondas e raios, correntes e vibrações.”

Muita Paz a todos

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mourarego em 26 de Agosto de 2009, 17:30
Mandou super bem Nelson, participe mais!
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: sbudik em 27 de Agosto de 2009, 21:29
Boa tarde, acredito que a prece foi desenvolvida durante os anos como sendo uma forma de "esclarecer" o homem sobre o seu ser, sobre a sua existência nesse mundo, sobre a imortalidade do espírito, mas o motivo de estarmos aqui é concerteza de imensa importância e esquecer e fundamental e parte do processo, ou projeto pelo qual você esteja incluso. Acho importante uma evolução do ser, eu acredito que a prece foi e é o começo disso tudo.

Que deus esteja em seus pensamentos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Marlabs em 28 de Agosto de 2009, 02:52

Cara Vera, linda esta música do Roberto Carlos!
Fazia muito tempo que não a ouvia.
Hoje ouvindo-a novamente consegui perceber a beleza da letra.
Tem muito do que aprendemos no espiritismo.

Um abraço fraterno!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Raios de Luz em 28 de Agosto de 2009, 12:39
Oi,amigos

Bom dia!

Esse Nick Raios de Luz  é de um grupo que foi formado para coordenar um estudo no chat que acontece às quintas-feiras  ,16 h, horário de Brasília e  20 h , horário de Portugal.
Fazemos estudo de temas diversos à luz do espiritismo.
Como o tópico desse mês de estudo é “A prece”, e já fizemos um estudo a respeito, vamos colocar aqui, o estudo realizado.
Nosso estudo segue o seguinte esquema:
A  prece inicial
O  texto para análise
O estudo
Perguntas
A prece final

Postaremos a seguir , o nosso texto para análise que é uma prece linda , o texto sobre a prece e algumas perguntas que poderemos responder em conjunto.


Beijos


Grupo Raios de Luz
Manuel Altino, dOM JORGE ,Divani, Liu e Carmen


                                             Texto para análise
                                                      PRECE


Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo eu sabendo que as rosas não falam.

Que eu não perca o OTIMISMO,
mesmo sabendo que o futuro que nos espera não é
assim tão alegre.

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER,
mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos,
dolorosa...

Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo, eles
acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver,
reconhecer e retribuir esta ajuda.

Que eu não perca o EQUILÍBRIO,
mesmo sabendo que inúmeras forças querem que eu
caia.

Que eu não perca a VONTADE DE AMAR,
mesmo sabendo que a pessoa que eu amo, pode não
sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ e o BRILHO NO OLHAR,
mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo,
escurecerão meus olhos...

Que eu não perca a GARRA,
mesmo sabendo que a derrota e a perda são dois
adversários extremamente perigosos.

Que eu não perca a RAZÃO,
mesmo sabendo que as tentações da vida são inúmeras
e deliciosas.

Que eu não perca o SENTIMENTO DE JUSTIÇA,
mesmo sabendo que o prejudicado possa ser eu.

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO,
mesmo sabendo que um dia meus braços estarão
fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VER,
mesmo sabendo que muitas lágrimas brotarão dos meus
olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA,
mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigirá
esforços incríveis para manter a sua harmonia.

Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR
que existe em meu coração,
mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e
até rejeitado.

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE,
mesmo sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...
Que eu jamais me esqueça que Deus me ama
infinitamente, que um pequeno grão de alegria e
esperança dentro de cada um é capaz de mudar e
transformar qualquer coisa, pois....

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS E CONCRETIZADA NO
AMOR!





                                                       ESTUDO


A prece é um ato de adoração . Orar a Deus é pensar nele; é aproximar-se dele; é pôr-se em comunicação com ele . A   três coisas podemos propor-nos por meio da prece: pedir, agradecer, louvar. (Allan Kardec: O livro dos espíritos)


Pela prece, obtém o homem o concurso dos bons espíritos que acorrem a sustentá-lo em suas boas resoluções e a inspirar-lhe idéias sãs. (Allan Kardec: O evangelho segundo o espiritismo)

Hà quem conteste a eficácia da prece, com fundamento no princípio de que , conhecendo Deus as nossas necessidades, inútil se torna expor-lhas(...) . Sem dúvida alguma , há leis naturais e imutáveis que não podem ser ab-rogadas ao capricho de cada um; mas , daí a crer –se que todas as circuntâncias da vida , estão submetidas à fatalidade , vai grande distância. Se assim fosse, nada mais seria o homem do que instrumento passivo , sem livre –arbítrio e sem iniciativa (...) .( Allan Kardec: O evangelho segundo o espiritismo)

O espiritismo torna compreensível a ação da prece , explicando o modo de transmissão do pensamento , quer no caso em que o ser a quem oramos acuda ao nosso apelo, que no em que apenas lhe chegue o nosso pensamento. (Allan Kardec: O evangelho segundo o espiritismo)


                                                                                
                                         PERGUNTAS
1.O que é a prece?

2.Como podem ser as preces?

3.Quem atende nossas preces?

4.Explique com  a prece atinge seu objetivo, ou seja , como a mesma é conduzida ao alvo a que se destina



5.A nossa vontade e firmeza de pensamento tem algo a a ver com isso?


6.De que forma os espíritos nos ajudam a vencer as dificuldades?



7.Quando, através da prece, conseguimos nos livrar de algum mal, é porque este foi afastado de nós por algum espírito?

8.Se os espíritos nos dirigem o livre arbítrio,então, não estarão eles, desrespeitando nossa liberdade de agir?
 
    
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 29 de Agosto de 2009, 02:21
Boa noite companheiros... obrigada pela participação atenta e interessada de tantos.

Um agradecimento especial ao grupo de amigos Raios de Luz, que sei que se reunem todas as semanas, cheios de entusiasmo para estudar e atender todos aqueles que precisam.

Estamos quase a chegar ao final deste estudo, e pensamos que deveriamos termina-lo com uma análise, á prece dominical que nos deixou o nosso Mestre Jesus: Pai Nosso!

Pai nosso que estais nos céus, santificado seja o vosso nome.

Temos aqui expressa a noção de divindade, do Criador que habita tudo o quanto existe.
Quando Jesus o chama de Pai Nosso, remete-nos de imediato para a ideia de que ele é o Pai de toda a família universal,
Ou seja , não é Pai dos crentes, dos católicos, ou de alguns escolhidos, mas de TODOS.

Ele ama todos os seus filhos do mesmo modo.
Assim :

Por isso, ó Deus porque sois todo Amor e Bondade, Justiça e Misericórdia, seja o vosso santo nome bendito e louvado por toda a Terra, assim como por todo o Universo,nos astros mais remotos, nos espaços incomensuráveis, onde quer que a vida que provem de vós se haja manifestado, pois não há quem não pressinta a vossa existência e o fim ditoso para que nos criastes! R. Calligaris

Continuamos amanhã...

Beijinhos luminosos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Edna☼ em 29 de Agosto de 2009, 16:01
"A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos." - TIAGO,
5:16

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 30 de Agosto de 2009, 17:49
Ola Companheiros!

Continuando com o Pai Nosso:

Venha a nós o vosso reino

O que é o reino de Deus? Não é um lugar celeste onde se reunem os deuses,  para descansar na eternidade.
O reino de Deus é o nosso intimo. “O reino de Deus não é comida, nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo (consciência)”. Paulo, Romanos, 14:17
É a proposta da descoberta do Cristo interno, do faça-se “ a vontade do Pai”.

Seja feita a vossa vontade, assim como na terra

Para muitos o livre arbitrio de cada ser, poderia contrariar esta lei, no entanto, nada pode estar fora da vontade do criador.
Se um filho nosso, não deseja ir para a escola, vamos deixá-lo ficar em casa, tornando-se analfabeto? Certamente que não.

O Pai, nosso criador, sabe o que é melhor para nós. Como diz Calligaris:

A nossa opção, portanto, não consiste em cumprir ou não cumprir a vontade de Deus, pois ela sempre se cumpriu e jamais deixará de ser cumprida. A alternativa é cumpri-la com alegria e boa-vontade (...), ou cumpri-la dolorosamente (...)

O pão nosso de cada dia, dai-nos hoje

O pão a que se refere Jesus, não é o pão material que nos sustenta o corpo físico, mas tudo o que é indispensável ao crescimento do nosso ser espiritual. Conhecer o Bem e cultivá-lo.
Como disse Jesus “não só de pão vive o homem, mas de toda a palavra de Deus”. Mateus, 4:4

Perdoai, senhor, as nossas ofensas, assim como perdoamos a quem temos ofendido

Estamos perante a lei de “dar e receber”.

Segundo Huberto Rohden, per-doar quer dizer doar completamente, abrir mão de si mesmo.
Não existem assim dividas, nem penas eternas. Também não é um perdão sem a sua remissão de pena, mas um dar em troca de algo que foi feito.

Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos de todo o mal.[/b]

O que pedimos ao Pai, não é que afaste de nós as provas dificeis, mas que as superemos com sucesso, sem ceder á tentação da queda, do desanimo. As tentações, não são obra do diabo, ou de satanás, ou de espíritos obssessores. São provas e obstáculos no caminho com a intenção de serem ultrapassados, para que possamos nos elevar a novas etapas rumo á perfeição.



Queridos amigos, havemos chegado ao fim do nosso estudo deste mês.

É meu desejo sincero que este possa ter contribuido para conhecermos um pouco melhor o que é a Prece e os seus efeitos maravilhosos.

Renovo o convite a que se unem ao grupo de oração pelo planeta, e assim continuarmos, ma prática a contribuir para um mundo melhor.

Qualquer duvida que persista sobre o estudo, estão á vontade para me contactar por mensagem particular, meio mais eficaz para que possa responder atempadamente, pois não estarei tão presente quanto antes neste espaço.

Bem hajam pela vossa colaboração, participação, carinho e empenho.

Recebam o meu abraço sincero de profunda gratidão.

beijitos
Gi
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: JLSBARROS em 30 de Agosto de 2009, 18:02
 ;D
Como os demais colegas já declararam a prece é uma conversa com Deus, seja pra pedir , seja pra agradecer, desabafar e entrar em contato com o plano superior. Considero também uma preparação para o desprendimento que se dá a alma durante o sono. Logo podemos ver que ela se presta a diversos objetivos e isso ninguém pode deixar de considerar, lembrei ainda de mais uns como recarregar as baterias e ainda pra descarregar as energias negativas,  como vemos a prece possui grande importância no que tange a nossa existência seja material ou espiritualmente falando.  :D Muita luz pra todos !
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 30 de Agosto de 2009, 19:43
Caro JLSBarros... caso esteja interessado em saber mais sobre o tema, tem vários textos á sua disposição que foram partilhados aqui durante este mês. São muitas páginas...mas não se desmotive por isso.

Obrigada pela sua partilha de opinião, que está em sintonia com a dos restantes companheiros.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Luizahelena em 01 de Setembro de 2009, 15:18
Valeu Gigi!!! Òtimo tema e que possamos sempre nos unir através da prece dando apoio fraterno aos irmãos em necessidade. É um recurso valioso que temos ás nossas mãos onde quer que estejamos.

Parabéns e muita paz a todos.

Luiza.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Marianna em 15 de Setembro de 2009, 03:54


A ORAÇÃO É FONTE DE INEXAURÍVEIS RECURSOS, CUJA AÇÃO SE DESENVOLVE EM TORNO DAQUELE QUE OS BUSCA.

A. D.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Christian em 28 de Setembro de 2009, 19:51
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?
A prece ou oração poderia ser definida como: dose diaria demédio para o equilibrio da alma, desde que com direção a caridade fraternal e bons pensamentos, ela também ajuda na vigilha do dia a dia, nos dando tranquilidade e paciência, transformando problemas em obstáculos superáveis... etc...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Christian em 03 de Outubro de 2009, 02:42
A PRECE

Seus efeitos para o Homem, o planeta e o universo

Caros companheiros, por norma já todos um dia dirigiram uma prece ao Alto. Mesmo aqueles que se dizem des-crentes no Criador experimentaram , num momento de aflição, o desejo intimo de serem auxiliados por alguém que os proteja.

No entanto, muitas são as dificuldades que a maioria dos homens sentem ainda em orar diáriamente. Uns porque não sabem como fazê-lo, outros porque não entendem o seu real valor.

Nestes tempos agitados de mudança e reequilibrio que vivencia o nosso orbe terrestre, mais do que nunca, a prece pode ser o agente para a Paz no mundo.

O estudo deste mês tem como objectivos, não só compreender a importância da prece para o ser humano, mas também conhecer-lhe os efeitos, demonstrar a sua eficácia e reformular pre-conceitos que associam a prece únicamente á religião institucionalizada.

Organizamos este estudo por etapas com base na proposta do Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, cap. XXVII:

1 – O que é a prece

2 - Qualidade da prece

3 – Eficácia da prece

4 – Acção da prece

Pretendemos assim, em cada semana do mês de Agosto debater um destes items. A participação é livre, pelo que desde já estão convidados a colocar questões e a expôr as suas dúvidas.

Gostaria de salientar, que mais do que expôr teorias, é nossa preocupação partilhar ideias e incentivar a  que cada um descubra dentro de si a Fé e a Vontade de se unir ao Pai Celestial, através da prece.

Para promover a discussão, deixamos duas imagens que sugerem uma interpretação, as quais deixamos à vossa reflexão...
http://www.youtube.com/watch?v=rCNMPj1H6k0 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXJDTk1QajFINmsw)
(http://2.bp.blogspot.com/_G9IPY5AXskI/SE_P4WDXF0I/AAAAAAAAAv8/YjVEJU7FpQw/s400/prece.jpg)

(http://4.bp.blogspot.com/_G9IPY5AXskI/SE_P48MTPkI/AAAAAAAAAwE/UCxa1jmBQXE/s400/prece%2Bmenina.jpg)


No nosso estudo consultamos...

Bibliografia:

Calligaris, Rodolfo, O Sermão da Montanha

Dénis, Léon, Depois da Morte

Kardec, Allan, O Livro dos Espíritos, Q. 323, 479, 658, 997

Kardec, Allan, O Evangelho Segundo o Espiritismo, XXVII

Kardec, Allan, O Livro dos Médiuns, Q.189

Xavier, Francisco C., Boa Nova


EM ANEXO UM POWERPOINT ILUCIDATIVO SOBRE O TEMA...


Alegria

Alegria é o cântico das horas com que Deus te afagaa passagem no mundo.

Em toda parte, desabrocham flores por sorrisos da natureza e o vento penteira a cabeleira do campo com música de ninar.

A água da fonte é carinho liquefeito no coração da terra e o próprio grão de areia, inundado de sol, é mensagem de alegria a falar-te do chão.

Não permitas, assim, que a tua dificuldade se faça de tristeza entorpecente nos outros.

Ainda mesmo que tudo pareça conspirar contra a felicidade que esperas, ergue os olhos para a face risonha da vida que te rodeia e alimenta a alegria por onde passar.

Abençoa e auxilia sempre, mesmo que por entre lágrimas.

A rosa oferece perfume sobre a garra do espinho e a alvorada aguarda, generosa, que a noite cesse para renovar-se diariamente em festa de amor e luz.


[/right]                                                               MEIMEI[/right]
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Marlisinha em 30 de Outubro de 2009, 00:31
Lamentavel que as pessoas ainda não tenham descoberto a força da prece, mas como todos temos o tempo certo para tudo com certeza que ainda não descobriu um dia descobrira!Através da prece ja consegui muita força para super obstaculos que eu achava impossivel de serem superados por mim, através da prece ja consegui imobilizar o inimigo a distância tirando a força que tinah para me prejudicar !Mas muitos diram que é besteira minha, mas vivendo se aprende que a maior proteção não é arma de fogo e sim a fé verdadeira no absoluto!
Obrigada a todos, adorei esse site, muito bom!
Que Deus na sua infinita bondade nos abençoe a todos!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mourarego em 30 de Outubro de 2009, 16:43
Há frases que não se deve escrever sem pensar muto antes... e depois, claro.
Uma delas é esta: "vivendo se aprende que a maior proteção não é arma de fogo e sim a fé verdadeira no absoluto!"
Por favor, insisto tal como o padre Quevedoi: fiquem na freente de uma 9mm e deixem que o assaltante atire. A fé por certo e uma boa prece, irá fazer o projétil mudar seu curso...
Depois me abvisem, na casa espíreita, quando algum médium tiver dado passagem ao Espírito do baleado hehehe.
Frases de efeito têm apenas o condão demostrar o quanto ainda estamos imersos numa onda de milagralices inxistentes.
Não sou contrário nem a prece e nem a fé, mas comjo diz Jesus, fé sem obras é estéril.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 30 de Outubro de 2009, 18:14
Olá Moura!

Pelo que percebi do que diz Marlisinha, é que ter Fé não significa que o tiro não é certeiro, ou que ele se vai desviar por "milagre".
A Fé consiste em estar em frente à arma sentindo que morro se tiver de morrer, fico ferida se tiver de ficar ferida, e como nada acontece por acaso, só acontece o que Deus permite que aconteça!

Essa Fé, que nasce do amor a Deus, é que faz toda a diferença. A arma, o tiro, os acontecimentos são apenas instrumentos de aprendizagem.

É a minha opinião.

Forte abraço a todos os companheiros!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Fernando B. em 30 de Outubro de 2009, 18:15
Há cerca de um mês no Rio de Janeiro, uma menina de 13 anos morreu no dia de seu aniversário, após comprar seu presente, atingida por uma bala perdida disparada durante uma briga entre bandidos e policiais.
A mãe da menina entrou em desespero e na frente do hospital disse" Meus Deus, não deixa ela morrer, devolve ela para mim." Infelizmente a menina morreu no mesmo dia e na mesma hora. Isso me aborreceu profundamente. Apesar de ter grande fé em Deus, nas preces e no Espiritismo, um profundo vazio tomou conta de mim.
Sei que estamos nesse planeta para cumprir os desígnios de Deus. Mas confesso que a prece desesperada da mãe e a morte da menina me impressionaram de maneira especial.

Triste demais um pai perder um filho, não tenho palvras para descrever tal fato, mas estamos em mundo de provas e expiações e não é atoa, algo ainda temos que atravessar para alcançarmos algo melhor!

Até mesmo Jesus teve pedidos negados pelo Pai, quando por exemplo orou no Monte das Oliveiras pedindo ao Pai se era possivel livra-lo daquele fardo que o aguardava e não foi atendido pelo Pai, pois aquele fardo era talvez a sua principal missão aqui na terra, pois será que alguém se lembraria de Jesus se não tivesse sua história sido com foi?

Talvez seja muito facil estar eu aqui falando do assunto, pois não estou sentindo na pele a dor da perda de um filho amado, mas tenho fé que muito em breve esta mãe desesperada encontrará novamente sua amada filha no mundo dos Espiritos! Que Deus de forças a ela até a chegada deste tão esperado momento. Esta é uma separação apenas momentanea!

Fiquem com Deus irmãos!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Gigii em 30 de Outubro de 2009, 18:21

Até mesmo Jesus teve pedidos negados pelo Pai, quando por exemplo orou no Monte das Oliveiras pedindo ao Pai se era possivel livra-lo daquele fardo que o aguardava e não foi atendido pelo Pai, pois aquele fardo era talvez a sua principal missão aqui na terra, pois será que alguém se lembraria de Jesus se não tivesse sua história sido com foi?

Olá Fernando!

Tenho sérias dúvidas de que Jesus, o espírito mais elevado que esteve entre nós, o mentor do nosso planeta, que está junto da Terra desde a sua Criação, sabendo da sua missão antecipadamente, conhecendo bem o que cada ser precisava, ele fosse pedir ao Pai Celeste que o afastasse das provações que ele mesmo escolheu.

A minha razão, bem como o meu coração, diz-me que Jesus, que tinha a Fé que move montanhas saberia como evitar tais sofrimentos fisicos, bem como não cederia face á prova que se avizinhava.
Ele sabia que a sua vinda só faria sentido se ele fosse o exemplo vivo de tudo o que pregou!

Mas é a minha opinião!
Abraços!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Fernando B. em 30 de Outubro de 2009, 18:49
Citar
Tenho sérias dúvidas de que Jesus, o espírito mais elevado que esteve entre nós, o mentor do nosso planeta, que está junto da Terra desde a sua Criação, sabendo da sua missão antecipadamente, conhecendo bem o que cada ser precisava, ele fosse pedir ao Pai Celeste que o afastasse das provações que ele mesmo escolheu.

A minha razão, bem como o meu coração, diz-me que Jesus, que tinha a Fé que move montanhas saberia como evitar tais sofrimentos fisicos, bem como não cederia face á prova que se avizinhava.
Ele sabia que a sua vinda só faria sentido se ele fosse o exemplo vivo de tudo o que pregou!

Mas é a minha opinião!
Abraços!

Olá Gigi, também ja pensei no fato da forma que pensas, no entanto cheguei a conclusão que todo ser humano, e no meu ponto de vista Jesus foi um ser humano, apesar de muito à frente de todos nós, seres fracos e inclinados aos pecados, tem por instinto a preservação de nossas vidas.
Pelos que sei, Jesus pediu ao Pai que se fosse possivel livra-lo do pesado fardo que o aguardava, que o livra-se, mas que fosse feita acima de tudo a vossa vontade e não a dele!

No entanto, este foi só exemplo que coloquei, para exemplificar a nossa amiga Selma que nem sempre somos atendidos e que até mesmo Jesus nem sempre tinha as suas vontades realizadas, não quero aqui mudar o foco da discussão de maneira alguma, mas sinceramente não sei se é ou não verdade esta passagem do nosso Mestre, apenas creio que sim!

Mas então, para exemplificar um outro pedido do Mestre que não pode ser atendido, lembremos de quando perdeu seu pai, José o carpinteiro, e que pediu ao Pai que o devolvesse e não foi atendido, pois são os designios de Deus!

Tenha um ótimo final de semana e fique na paz de Deus e de Jesus Gigi!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Fernando B. em 30 de Outubro de 2009, 18:53
Sobre a prece, creio que vale a pena lembrarmos deste trecho do LE:

Citar
A PRECE      

Livro dos Espíritos - Allan Kardec   


Pergunta 658. Agrada a Deus a prece?

"A prece é sempre agradável a Deus, quando ditada pelo coração, pois, para Ele, a intenção é tudo. Assim, preferível Lhe é a prece do íntimo à prece lida, por muito bela que seja, se for lida mais com os lábios do que com o coração. Agrada-Lhe a prece, quando dita com fé, com fervor e sinceridade. Mas, não creias que O toque a do homem fútil, orgulhoso e egoísta, a menos que signifique, de sua parte, um ato de sincero arrependimento e de verdadeira humildade."

Pergunta 659. Qual o caráter geral da prece?

"A prece é um ato de adoração. Orar a Deus é pensar Nele; é aproximar-se Dele; é pôr-se em comunicação com Ele. A três coisas podemos propor-nos por meio da prece: louvar, pedir, agradecer."

Pergunta 660. A prece torna melhor o homem?

"Sim, porquanto aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. É este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade."
a) - Como é que certas pessoas, que oram muito, são, não obstante, de mau caráter, ciosas, invejosas, impertinentes, carentes de benevolência e de indulgência e até, algumas vezes, viciosas?
"O essencial não é orar muito, mas orar bem. Essas pessoas supõem que todo o mérito está na longura da prece e fecham os olhos para os seus próprios defeitos. Fazem da prece uma ocupação, um emprego do tempo, nunca, porém, um estudo de si mesmas. A ineficácia, em tais casos, não é do remédio, sim da maneira por que o aplicam."

 

Fiquem todos com Deus!
Minha oração a todos do fundo do coração!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Juliana Mazzini em 31 de Outubro de 2009, 09:21
A oração não será um processo de fuga do caminho que nos cabe percorrer, mas constituirá uma abençoada luz em nossas mãos, clareando-nos a marcha.


Não representará uma porta de escape ao sofrimento regenerativo de que ainda carecemos, mas expressará um bordão de arrimo, com o auxílio do qual superamos a ventania da adversidade, no rumo da bonança.



Não será um privilégio que nos exonere da enfermidade retificadora, ambientada em nosso próprio templo orgânico pela nossa incúria e pela nossa irreflexão, no abuso dos bens do mundo, entretanto, comparecerá por remédio balsamizante e salutar, que nos renove as energias, em favor de nossa cura.



Não será uma prerrogativa indébita que nos isente da luta humana, imprescindível ao nosso aperfeiçoamento individual, todavia, brilhará em nossa experiência por sublime posto de reabastecimento espiritual, suscetível de garantirmos a resistência e o valor na tarefa de renunciação e sacrifício em que nos cabe perseverar.



Não será uma outorga de recursos para que os nossos caprichos pessoais sejam atendidos, no jardim de nossas predileções afetivas, contudo, será uma despensação de forças para que possamos tolerar galhardamente as situações mais difíceis, diante daqueles que nos desagradam, em sociedade ou em família, ajudando-nos, pouco a pouco, a edificar o santuário da verdadeira fraternidade, no próprio coração, em cujos altares amealharemos o tesouro da paz e do discernimento.



Ainda mesmo que te encontres no labirinto quase inextrincável das provações inflexíveis, ainda mesmo que a tua jornada se alongue sob o granizo da discórdia e da incompreensão, em plena sombra, cultive a prece, com a mesma persistência a que te induzes na procura da água para a sede e do pão para a fome do corpo. Na dor, ser-te-á divino consolo, na perturbação, constituirá tua bússola.



Não olvides que a permanência na Terra é uma simples viagem educativa de nossa alma, no espaço e no tempo, e não te esqueças de que somente pela oração, descobriremos, cada dia, o rumo que nos conduzirá de retorno aos braços amorosos de Deus.



Emmanuel

Extraído do livro“A Luz da Oração”

Psicografado pelo médium Francisco Cândido Xavier
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Laurikytta em 11 de Novembro de 2009, 02:10
        Olá pessoal!!!

        Sabe? Antes de conhecer o espiristismo, sempre me perguntava: Para que a prece?
        "Hoje posso dizer que em momentos em que mais necessitei foi onde busquei refúgio e posso afirmar que muito consolo e força encontrei... um bálsamo ao meu espirito ainda mto pobre de entendimento... E hoje sempre que necessito é na prece que me recorro... pois sinto um bem estar enorme quando busco Deus em meus pensamentos, tanto p pedir como para agradescer...rsrs... aliás faz parte né?" A prece tbm é uma caridade... Inda mais dirigida com sinceridade a alguém que mto necessite...

        Quando se fala em prece, a imediata imagem que, de um modo geral, vem à mente das pessoas é a de senhoras idosas ajoelhadas em recintos semi-obscuros, numa cantilena ininteligível.
        Será que somente os idosos devem orar? Serão somente os deserdados do mundo, os sofredores os que carecem de oração?
        Oração é um processo dinâmico de dialogar com Deus. É o elevar a mente para sintonizar com as forças superiores, de lá extraindo novas energias, idéias.
        Sem fórmulas prontas, deve ser ditada pelo sentimento. É um abrir do coração ao Pai amoroso e bom.
        Alguns defendem a idéia de que se Deus tudo sabe não há necessidade de se ficar a pedir. Ele dará às Suas criaturas o de que elas necessitam.
        O que não se dão conta tais pessoas é de que o Pai realmente tudo sabe, tudo vê, mas a prece tem a virtude de abrir os canais mentais a fim de que se possa entender a resposta. É o tornar-se receptivo ao auxílio.
        Será que a resposta sempre vem? Recordamos o ensino de Jesus: Tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vos concederá. A resposta sempre vem.
        O que acontece é que, normalmente, não a percebemos. Mesmo porque ela nem sempre nos chega do jeito que se espera.
        A resposta divina, por vezes, é um não. De outras, vem através dos amigos, de uma mensagem, das intuições, e outra vez não nos apercebemos.
        E o que pedir? Eis outra dúvida. Defendem muitos que somente se deve solicitar coisas para o Espírito, jamais coisas materiais.
        Convenhamos que se vivemos no mundo, necessitamos de algumas coisas materiais. Qual o problema de se rogar pela saúde de alguém?
        Qual a dificuldade de se pedir auxílio na busca de um emprego digno, que nos garanta o sustento da carne?
        Qual o inconveniente de se rogar a Misericórdia Divina para a fome que castiga o estômago ou para o frio que tortura o corpo?
        Contudo, oração não é somente um petitório infindável. Antes de tudo é louvor.
        Ao ensinar a orar, Jesus primeiramente louvou o Criador de todas as coisas. Santificado seja Vosso nome.
        E para ensinar a resignação aos planos celestes, estabeleceu: Seja feita a Vossa vontade.
        Só depois é que Ele direcionou a rogativa.
        A oração é alimento diário. Na alegria e na dor. Na saúde e na doença. Ante os sucessos ou enfrentando os fracassos.
        Orar com sinceridade, sabedor que não será pela extensão da oração que ela será melhor ouvida, mas sim pelo seu conteúdo.
        A melhor prece é a do homem de bem.
        Orar a Deus, a Jesus, evitando dirigir pedidos a parentes e amigos desencarnados que poderão não ter condições de atender, o que só lhes aumentará a carga de preocupações.
        Orar por nós, pelos enfermos, pelos desencarnados, pelos suicidas, em especial, pelos que não nos amam. Orar pelos ­amigos, pois que a prece sustenta.
        É do Cristo o ensinamento: Orai uns pelos outros.

* * *

        A oração em favor dos que sofrem constitui sempre uma valiosa contribuição para aquele a quem é dirigida.
        Não resolve o problema, nem retira a aflição, mas suaviza a aspereza da prova.
        Quando a oração é dirigida aos enfermos, ela  estimula os centros atingidos pela doença, restaurando o equilíbrio das células.
        A oração é sempre um bálsamo para a alma, e se torna medicação para o corpo físico.
        A oração acalma, equilibra, dulcifica aquele que ora, propiciando-lhe resultados salutares.

        Aproveitando o tema: " Desejo muita paz e sabedoria para todos!!!"

        Bjus!!!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Laurikytta em 11 de Novembro de 2009, 02:20
OI de novo...rsrs...

Aki vai um slide de uma das preces mais bonitas... Ensinada pelo Mestre!

Bjus para todos!!!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: mariiia em 11 de Novembro de 2009, 11:46
A prece

Disse Jesus em certa ocasião que chegaria o dia em que não seriam necessários templos para adorar a Deus, pois as criaturas aprenderiam que Ele, sendo espírito, deve ser adorado em espírito e verdade, e não em aparências exteriores.
Na verdade, o melhor de todos os templos para se adorar o pai é o templo do coração, a igreje da alma, onde no augusto silêncio da meditação e da prece podemos receber as mais sublimes bênçãos do alto.
Através das revelações e explicações do Espiritismo, começamos a compreender que a verdadeira oração a Deus consiste em procurarmos fazer a sua vontade.
De que adianta frequentarmos igrejas, templos, centro espíritas, etc., se à saída retomamos nossos velhos defeitos morais? De que adianta adentrarmos os templos da nossa fé, se trazemos a mente carregada de maus pensamentos; se o coração não perdoa e as emoções ficam girando em torno dos interesses materiais e das paixões inferiores?
Jesus, todavia, foi muito claro ao dizer: "Antes de entrares no templo para fazeres tua oferenda,vai e reconcilia-te com teu inimigo".
Isso significa que para entrarmos em contato com forças superiores devemos primeiro limpar o coração de todos os ódios, de todas as mágoas e das sujeiras que ali depositamos com nossas atitudes antifraternas.
Se fazemos diariamente a limpeza de nossa casa deveríamos tbm tratar de limpar nossa moradia espiritual, nosso interior. Somos sempre visitados por mensageiros divinos, os bons espíritos, e eles nos enxergam por dentro, vendo nossos sentimentos e pensamentos mais secretos, assim como o lixo que acumulamos através da conduta...

                         Extraído do livro " Para entender  " Nós e mundo espiritual
                                           de Saara Nousiainen
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: mariiia em 11 de Novembro de 2009, 12:08
Olá pessoal

[...] precisamos aprender a orar, não abusando das sublimes dimensões da prece. Esse abuso está nas orações decoradas, recitadas de forma automática; está nos pedidos mesquinhos, egoístas e antifraternos.
 Deus nos ajuda na medida de nossas necessidades, e a prece é, na verdade, muito mais importante para nós próprios, porque abre nossa alma, dinamiza nossa fé e nos permite sintonizar com as faixas mais altas. é por esses canais que os espíritos superiores nos assistem em nome do Pai.
A oração, no entanto, para produzir efeito, precisa sair do fundo da alma, em alta vibração de fé e amor, conduzindo pedidos legítimos.
Mas a melhor das preces é aquela em que solicitamos ao Senhor da Vida ajuda para vencermos nossas imperfeições, e quando lhe agradecemos por tudo que nos dá nesta vida.
[...]É quando pedimos a Deus pelos que sofrem, pelo doente anônimo, pelos viciados e os criminosos; é quando pedimos ao Senhor da vida pela paz na Terra, pela justiça social, pela fraternidade entre todos e por aqueles que governam.
Para falar com Deus não precisamos recitar preces bonitas, nem frases rebuscadas. Ele não se importa com isso, mas sim com a sinceridade dos nossos corações e com os esforços que fazemos para cumprir Sua Lei.

                     Muita Paz a todos!!!!!!
                                           Do livro "Para entender - Nós e o mundo espiritual"
                                                             Saara Nousiainen
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: mariiia em 11 de Novembro de 2009, 12:35

olá mais uma vez... :)
 
 [...] Preto velho era escravo. Por isso não podia entrar na capela. Conhecia a história de Nosso Senhor e amava muito aquele Sinhozinho branco tão bom, que havia morrido na cruz pelo amor que tinha por todas as pessoas.
 Nos dias de domingo, quando a capela se enchia de gente, preto velho ficava de longe, só olhando, mas com muita vontade de tbm entrar para falar com Nosso Senhor. Mas era proibido. ajoelhava-se no meio do matagal, e olhando aqueles vitrais coloridos a cruz ao alto, tirava o chapéu comj muita humildade e respeito, dizendo:"Meu Sinhozinho Jesus Cristo, preto véio tá aqui..."
sem dúvida Nosso Senhor ouvia a prece do velho escravo, envolvendo seu coração em profunda harmonia e paz...
Mas será que Ele ouvia as orações orgulhosas, frias e decoradas da maioria dos que lotavam a capela?
                         Extraído do livro "Para entender - Nós e o mundo espiritual"

                        Tenham todos um bom dia!!!!!!!!!!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Lidia Maria em 11 de Novembro de 2009, 12:36

Muitos rezam para pedir e esquecem de agradecer pelo que tem , pelo que Deus os permitiu desfrutar. Não existe uma formula certa para rezar, não precisamos decorar orações, terços,o simples fato de conversar com Deus de coração aberto ja é uma oração, talvez mais sincera e benefica do que rezar as orações que decoramos.
Rezar não é somente falar palavras, e emitir pensamentos de fé, tudo partindo  de coração aberto em direção a  Deus e mais importante não existe um lugar certo para isso, pode estar no onibus , em casa, indo para o trabalho em qualquer momento pode-se rezar, porque Deus está em todos os lugares.
"Levante uma pedra e me encontraras, corte um pedaço de madeira e lá estarei"
Um grande abraço a todos

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: mariiia em 11 de Novembro de 2009, 13:10
Olà Lídia Maria,

Com certeza, para falarmos com Deus, não precisamos de fórmulas bonitas e rebuscadas; como tbm não devemos só pedir...nem fazer pedidos mesquinhos.
 A prece, é um elo que nos liga a Deus e deve ser feita com humildade e acima de tudo como um agradecimento por tantas maravilhas que temos e as vezes não enxergamos por sermos egoistas...
Tbm não se deve orar fazendo promessas tentando subornar as divindades pois não não estão interessados em favores humanos.
  Devemos orar sim para agradecer, para pedir e para nos harmonizar... mas tbm não devemos ficar revoltados quando não conseguirmos algo que foi pedido  poi, já disse Jesus: " a cada um será dado de acordo com suas obras".

  Orar é abrir nosso interior para a luz de Deus...

              Que aprendamos a orar com o profundo amor e respeito que devemos ao Pai...
                Que assim seja!
 
Título: Oi José, eu sou jesus", e dispóis se vai, por cverto para atender outros como9 e
Enviado por: Mourarego em 11 de Novembro de 2009, 14:16
Vou lhes contar um "causo" que ilustra bem o que é a prece.
José, mineirinho dos confins das Minas Gerais, muito pobre, todo domingo tinha de andar quilometros para chegar na paróquia onde assistia, lá pertinho da porta, a missa.
Não faltava um dia. sua visita porém, era como as do médico, muito rápida. Chegava, ajoelhava, ficava uns breves minutos e ia embora.
O pároco ficava muito curioso em ver tanta rapidez e mesmo não acreditava que José orasse.
Assim, um dia, apressando-se no finalizar da exorttação que fazia, pegou José pela mão e perguntou: José, te conheço de longa data, mas não entendo o que você vem fazer aqui todo domingo...
Chegas, passas uns minutos e vai embora, tu rezas?
E o mineirinho daquele jeitão calmo e tímido respondeu: Uai seu padre, claro que sim! É que eu num sei falá como o senhor, que fala bonito e muito, mas assim mesmo rezo a Deus nosso senhor, para que proteja a mim e a todos.
E como tu rezas, insistiu o padre e José mais uma vez respondeu:
Eu digo, oi Jesus eu sou o Zé, e sei que ele me ouve.
Nesse dia porém, ao sair da igreja, José foi atropelado por um carro em velocidade excessiva e muito ferido foi internado na Santa Casa local
Todos os dias, as tres da tarde, abria-se o horário de visitas, e José, diferentemente dos outros internos, nunca recebia ninguém a não ser a visita da boa freira que condoída coma sua solidão lhe ia levar algumas palavras.
Num desses encontros, José pediu-lhe uma cadeira, ou mesmo um banquinho e ela estranhou mujito...
José, tu não recebes ninguém, para que queres o banquinho?
E o bom mineiro calmamente lhe disse:Eu sempre recebo a visita de jesus, e sei que ele vem
de longe, por isso necessito de uma cadeira ou um banquinho que seja.
A freira desconfiada de que José, estivesse tendo alguns delírios insiste: Mas Jesus vem te ver? O que ele fala contigo?
José então, iluminado pela alegria em poder contar diz-lhe: Jesus é moço muito bão, freirinha, ele vem de longe mas num falta.
Ele chega, me olha cum aqueles zolhão bonito de ver, e me diz: "Oi José, eu sou Jesus", e dispois si vai, por certo para atender a outros como eu.
Moral da história, a importância da prece não está nos atos exteriores, nem na quantidade ou qualidade das palavras, mas sim naquilo que nos enche o coração no ato de orar.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Jorge em 11 de Novembro de 2009, 15:25
Excelente mano Moura!

Obrigado por partilhar essa bela história!  ;)

Abraços.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Jorge em 11 de Novembro de 2009, 15:31
A oração possibilita-nos o intercâmbio espiritual. Devemos fazer uso dela sempre. Vejamos o seu valor a partir da história apresentada pelo Espírito Meimei.

"Num país europeu, certa tarde, muito chuvosa, um maquinista, cheio de fé em Deus, começando a acionar a locomotiva com o trem repleto de passageiros para longa viagem, fixou o céu escuro e repetiu, com muito sentimento a oração dominical.

O comboio percorreu léguas e léguas, dentro das trevas densas, quando, alta noite, ele viu, à luz do farol aceso, alguns sinais que lhe pareceram feitos pela sombra de dois braços angustiados a lhe pedirem atenção e socorro.

Emocionado, fez o trem parar, de repente, e, seguido de muitos viajantes, correu pelos trilhos de ferro, procurando verificar se estavam ameaçados de algum perigo.

Depois de alguns passos, foram surpreendidos por gigantesca inundação que, invadindo a terra com violência, destruíra a ponte que o comboio deveria atravessar.

O trem fora salvo, milagrosamente.

Tomados de infinita alegria, o maquinista e os viajores procuraram a pessoa que lhe fornecera o aviso salvador, mas ninguém aparecia. Intrigados, continuaram na busca quando encontraram no chão um grande morcego agonizante. O enorme voador batera as asas, à frente do farol, em forma de dois braços agitados, e caíra sob as engrenagens. O maquinista retirou-o com cuidado e carinho, mostrou-o aos passageiros assombrados e contou como orara, ardentemente, invocando a proteção de Deus, antes de partir.

E, ali mesmo ajoelhou-se, perante o morcego que acabava de morrer, exclamando em alta voz:

Pai nosso, que estás no Céu, santificado seja o teu nome, venha a nós o teu Reino, seja feita a tua vontade, assim na Terra como no Céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje, perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores, não nos deixes cair em tentação e livra-nos do mal, porque teus são o Reino, o poder e a glória para sempre. Assim seja.

Quando acabou de orar, grande quietude reinava na paisagem.

Todos os passageiros, crentes e descrentes, estavam também ajoelhados, repetindo a prece com amoroso respeito. Alguns choravam de emoção e reconhecimento, agradecendo ao Pai Celestial que lhe salvara a vida por intermédio de um animal que infunde tanto pavor às criaturas humanas. E até a chuva parara de cair, como se o céu silencioso estivesse igualmente acompanhando a sublime oração."
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: renato.assuncao em 11 de Novembro de 2009, 15:38
A oração possibilita-nos o intercâmbio espiritual. Devemos fazer uso dela sempre. Vejamos o seu valor a partir da história apresentada pelo Espírito Meimei:

"Num país europeu, certa tarde, muito chuvosa...
 

... "O Pai sabe aquilo de que necessitamos, mesmo antes de pedirmos". Quando quiser alguma coisa para si, peça-o também para os outros, para todos os que estiverem nas mesmas condições.
No momento da prece, evite o egoísmo.
A prece é a melhor ocasião de demonstrarmos nosso amor.
E pedindo para todos, com amor, seremos os primeiros a receber o benefício.
Quem acende uma Luz, é o primeiro a iluminar-se."
 
 Carlos Torres Pastorino, em Gôtas de Luz.
 
 
Obs: Ouça a "A Prece" efetuando um duplo click no link abaixo:
 
 
   http://espirita.mypodcast.com/2009/11/A_Prece-253987.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL2VzcGlyaXRhLm15cG9kY2FzdC5jb20vMjAwOS8xMS9BX1ByZWNlLTI1Mzk4Ny5odG1s)
 
 

"paz e alegria"
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Fernando B. em 11 de Novembro de 2009, 16:09
Criei um tópico na sessão Mensagens de Animo com
esta mensagem e achei muito oportuno posta-la
aqui também!

Citar
A Prece...

Prece sentimento que ampara, consola e prepara.
Acharás sempre consolo, amparo e serenidade quando te entregares com amor, sentindo a presença amorosa do Senhor.
Nos momentos que te achares frágil e perdido, será o momento que conseguirás chegar até o Pai, com tuas preces, pedindo a permissão de compartilhar a Tua paz.
Toda serenidade, toda paz só será possível quando souberes a tua necessidade em tua vida.
Vigiem mais, orem mais e conhecerás realmente a felicidade, saberás que é chegada a hora de preparar-te para novas missões e também saberás e entenderás o porque deste chamado.
O Senhor confia e espera que todos façam de boa vontade.
A prece será a Luz deste caminho.
Dedica-te, não esqueça o quanto és esperado.

Mensagem recebida pelo Grupo de Estudos de Psicografia da Fraternidade Francisco de Assis em 10/11/2008
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: MarcoALSilva em 11 de Dezembro de 2009, 22:54

Praticamente tudo já foi dito neste tópico. Ainda assim, ofereço mais uma pequena contribuição:

A Lei da Adoração pressupõe a elevação do pensamento, a busca de Deus mesmo nas limitações do homem. O meio mais eficaz do homem elevar suas vibrações é a prece sentida, sincera e meditada com o coração.  Sempre e sempre a intenção é o elemento fundamental da prece, pouco importando fórmulas ou sacramentos. Quando o homem ora com o coração, com sinceridade, põe em movimento a sua preciosa capacidade de ter fé, de confiar, de firmar na busca do Altíssimo a convicção de que o Pai a todos ouve.

658. A prece é agradável a Deus?
– A prece é sempre agradável a Deus, quando ditada pelo coração, porque a intenção é tudo para Ele. A prece do coração é preferível a que podes ler, por mais bela que seja, se a leres mais com os lábios do que com o pensamento. A prece é agradável a Deus quando é proferida com fé, com fervor e sinceridade. Não creias, pois, que Deus seja tocado pelo homem vão, orgulhoso e egoísta, a menos que a sua prece represente um ato de sincero arrependimento e de verdadeira humildade.
(O Livro dos Espíritos)

[...] A prece é um sustentáculo da alma, mas não é suficiente por si só: é necessário que se apoie numa fé ardente na bondade de Deus. [...]
(O Evangelho Segundo o Espiritismo – pág. 108 - grifei)

[...] Qualquer que seja o caso, a prece nunca deixa de dar bom resultado. [...]
(O Livro dos Médiuns – pág. 111)

8ª Podem obter-se curas unicamente por meio da prece?
"Sim, desde que Deus o permita; pode dar-se, no entanto, que o bem do doente esteja em sofrer por mais tempo e então julgais que a vossa prece não foi ouvida."
(O Livro dos Médiuns – pág. 218)

9ª Haverá para isso algumas fórmulas de prece mais eficazes do que outras?
"Somente a superstição pode emprestar virtudes quaisquer a certas palavras e somente Espíritos ignorantes, ou mentirosos podem alimentar semelhantes idéias, prescrevendo fórmulas. Pode, entretanto, acontecer que, em se tratando de pessoas pouco esclarecidas e incapazes de compreender as coisas puramente espirituais, o uso de determinada fórmula contribua para lhes infundir confiança. Neste caso, porém, não é
na fórmula que está a eficácia, mas na fé, que aumenta por efeito da idéia ligada ao uso da fórmula."
(O Livro dos Médiuns – pág. 219)

A prece pode permite louvar, pedir e agradecer, mas fundamentalmente a prece traz ao homem mais força interior na sedimentação de suas convicções pela conduta correta a ser tomada em cada momento da vida.

659. Qual o caráter geral da prece?
– A prece é um ato de adoração. Fazer preces a Deus é pensar nEle, aproximar-se dEle, pôr-se em comunicação com Ele. Pela prece podemos fazer três coisas: louvar, pedir e agradecer.

660. A prece torna o homem melhor?
– Sim, porque aquele que faz preces com fervor e confiança se torna mais forte contra as tentações do mal, e Deus lhe envia bons Espíritos para o assistir. É um socorro jamais recusado, quando o pedimos com sinceridade.
(O Livro dos Espíritos)

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mourarego em 11 de Dezembro de 2009, 23:37
Mano Marco, tenho de te agradecer por este post porque ele comprova uma coisa muito importante:
A maioria de nós não sabe orar.
Boa lembrança!
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Laurikytta em 20 de Dezembro de 2009, 02:30
Olá pessoal!

PRECE POR ENTENDIMENTO

Senhor Jesus!
Auxilia-nos a compreender mais, a fim de que possamos servir melhor, já que somente assim as bênçãos que nos
concedes podem fluir, através de nós, em nosso apoio e em favor de todos aqueles que nos compartilham a existência.
Induze-nos à prática do entendimento que nos fará observar os valores que, porventura, conquistemos, não na condição
de propriedade nossa e sim por manancial de recursos que nos compete mobilizar no amparo de quantos ainda não
obtiveram as vantagens que nos felicitam a vida.
E ajuda-nos, oh! Divino Mestre, a converter as oportunidades de tempo e trabalho com que nos honraste em serviço aos
semelhantes, especialmente na doação de nós mesmos, naquilo que sejamos ou naquilo que possamos dispor, de
maneira a sermos hoje melhores do que ontem, permanecendo em Ti, tanto quanto permaneces em nós, agora e sempre.
Assim seja.
Espírito: EMMANUEL
Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: “Paciência” - Edição C.E.U.

Bjus!!!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Laurikytta em 20 de Dezembro de 2009, 02:34
Olá pessoal!

AÇÃO DA PRECE

Você é o lavrador.
O outro é o campo.
Você planta.
O outro produz.
Você é o celeiro.
O outro é o cliente.
Você fornece.
O outro adquire.
Você é o ator.
O outro é o público.
Você representa.
O outro observa.
Você é a palavra.
O outro é o microfone.
Você fala.
O outro transmite.
Você é o artista.
O outro é o instrumento.
Você toca.
O outro responde.
Você é a paisagem,
O outro é a objetiva.
Você surge.
O outro fotografa.
Você é o acontecimento.
O outro é a noticia
Você age.
O outro conta.
Auxilie quanto puder.
Faça o bem sem olhar a quem.
Voce é o desejo de seguir para Deus.
Mas, entre Deus e você, o próximo é a ponte.
O criador atende às criaturas, através das criaturas.
É por isso que a oração é você, mas o seu merecimento está nos outros.

Espírito: ANDRÉ LUIZ
Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: "O Espírito da Verdade" - EDIÇÃO FEB

Bjus!!!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Privmartins em 30 de Dezembro de 2009, 11:10
 ;)Bom dia à todos!

Só tenho a agradecer vossos esclarecimentos!!!

Um ano novo repleto de saúde e paz à todos!!!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mourarego em 30 de Dezembro de 2009, 16:59
vamos analisar esta prece?
Para isso colocarei abaixo de cada item a minha opinião ok?


Olá pessoal!

PRECE POR ENTENDIMENTO

Senhor Jesus!
Auxilia-nos a compreender mais, a fim de que possamos servir melhor, já que somente assim as bênçãos que nos concedes podem fluir, através de nós, em nosso apoio e em favor de todos aqueles que nos compartilham a existência.
Eu: Ora, tudo isso Deus quer que façamos por nós, afinal dotou-nos de livre arbítrio, razão, inteligência e capacidade de discernimento.
pedir a jesus que nos ajude, é dar-lhe mais um trabalho, ajuntando-o aos muitos que já tem de fazer.
Induze-nos à prática do entendimento que nos fará observar os valores que, porventura, conquistemos, não na condição de propriedade nossa e sim por manancial de recursos que nos compete mobilizar no amparo de quantos ainda não
obtiveram as vantagens que nos felicitam a vida.
EU: Ora, se estamos ainda na condição de pedintes, como poderemos amparar àqueles que necessitem? Para que o possamos haveremos de sair desta condição primária pelo conhecimento e isso só com perseverante e sério trabalho haveremos de conseguir.
E ajuda-nos, oh! Divino Mestre, a converter as oportunidades de tempo e trabalho com que nos honraste em serviço aos semelhantes, especialmente na doação de nós mesmos, naquilo que sejamos ou naquilo que possamos dispor, de
maneira a sermos hoje melhores do que ontem, permanecendo em Ti, tanto quanto permaneces em nós, agora e sempre.
EU: Quer dizer que não queremos fazer nada de ação nossa, mas sim que esperamos ser sempre os bonequinhos aos quais Jesus manipulando os cordéis nos envia para ali ou para alhures.
Basta de nos fazermos crianças, somos crescidos e devemos arcar como ônius de nossa existência pois para isso estamos a reencarnar.
Quanto ao "Senhor" Jesus do início da prece, e tendo em conta que Chamando a Deus de "Pai", e a nós de seus irmãos, o chamativo "Senhor" que demonstra uma submissão irracional à um mando  que Jesus nunca afirmou ter, demonstra que ainda não conseguimos entender o trabalh9o que ele fez para, ai sim, nos ajudar a todos.
Em suma, não acredito que Emmanuel tenha sido o autor desta prece cheia de lugares comuns e ininteligente.
Que vengan las pedras!
Abraços,
Moura
Assim seja.
Espírito: EMMANUEL
Médium: Francisco Cândido Xavier
Livro: “Paciência” - Edição C.E.U.

Bjus!!!


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Luisdago em 31 de Dezembro de 2009, 16:25
Bom Ano Novo a Todos !!!
A prece é um momento de introspecção, uma parada no cotidiano viver para reconeção com as forças sublimares de nossos benfeitores e divinos bálsamos.Não importa a forma, mas sim a intenção, o âmago a que nos levou aquele momento de prece.Nos colocamos em posição de humildade, reconhecendo uma força maior capaz de intervir e auxiliar.Nossas preces sempre são atendidas, no que tange a troca de fluidos energéticos revitalizadores, encorajamento, fé maior.Quando em prol de irmãos que necessitam de ajuda, ganham maior força pela união espiritual.Quando em proveito próprio, com pedidos de cunho pessoal, para modificação de condições que irão intervir no momento atual de vida, serão sempre consideradas, e ao autor delas será dado o entendimento de aceitar ou não o motivo kármico em cumprimento, que pode estar se iniciando, em curso ou finalizando.Portanto as preces são de uma importância muito grande, e cabe lembrar esta importância resaltada pelo Divino Mestre Jesus que na sua tragetória terrestre sempre rezou ao Pai Maior, e nos deixou o Sublime Pai Nosso.
Abraço a todos !
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: lemari em 07 de Janeiro de 2010, 15:21
Posso dizer que "vivo as preces", rs, para mim ela é muito importante, converso com Deus , converso com a espiritualidade,  e o melhor disso tudo é a certeza que tenho de estar sendo ouvida, de ser auxiliada qdo necessário, e não raro de auxiliar também outras pessoas. abraços fraternos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: fantasma em 16 de Janeiro de 2010, 16:58
A prece é o momento em que elevamos o nível da nossa frequência mental e estabelcemos um contato com todos os nossos irmãos que naquele exato momento estão a vibrar na mesma frequência. Este encontro de sentimento e emoções constitui o verdadeiro templo, onde passamos a nos entender como a menor parte indivizível do todo, como se fôssemos e como de facto somos a ENERGIA CRIADORA DA VIDA, tão rara em todo cosmos. Percebemo-la exuberante neste pequeno ponto no universo, biologicamente completa e difícil de ser observada por mais que palmilhemos estas distâncias astronômicas por conta dos valores criativos que lhe são intrinsecos. A prece é o instante em nos descobrimos deuses em processo...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: fantasma em 17 de Janeiro de 2010, 15:12
A prece é um momento em que partilhamos com as consciências encarnadas ou desencarnadas momentos de afinidades vibratórias e trocamos emoções e sentimentos como se as distâncias do vácuo ou da vaziedade absoluta não existissem. Este istante de graça favorece um entendimento de um modelo holográfico do univrso.
Percebemos que a vida é uma energia criadora, que nos sustenta e nos aproxima do Deus em processo que está em nós e além de nós, como se fôssemos a menor parte indivisível do todo, partes integrandes do pensamento da inteligência cósmica.
Aí neste templo de nós mesmos, entendemos que as expansões de nossas consciências abrem as portas de uma percepção diferenciada, pois deixamos de apreciar a concretude dos elementos materiais que nos cercam e passamos a viver momentos em que as palavras não exitem, apenas o silêncio das nossas almas que buscam a ernergia criadora da vida.

abraços fraternos a todos
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 11:17
***Bom dia.


Prece de Cáritas


A prece, denominada De Cáritas, tem sido querida e contritamente orada por
várias gerações de espíritas.


CÁRITAS era um espírito que se comunicava através de uma das grandes médiuns
de sua época


- Mme. W. Krell - em um grupo de Bordeaux (França),

sendo ela uma das maiores psicografas da História do Espiritismo,

em especial por transmitir poesia

(que se constitui no ácido da psicografia),

da lavra de Lamartine, André Chénier,

Saint-Beuve e Alfred de Musset, além do próprio

Edgard Allan Poe.

Na prosa, recebeu ela mensagens de O Espírito

da Verdade, Dumas, Larcordaire, Lamennais,

Pascal, e dos gregos Ésopo e Fenelon.

A prece de Cáritas foi psicografada na noite

de Natal, 25 de dezembro, do ano de 1873,

ditada pela suave Cáritas, de quem são, ainda,

as comunicações:

"Como servir a religião espiritual" e "A esmola espiritual".

Todas as mensagens que Mme. W. Krell psicografada em transe, e, que chegaram até
nos, encontram-se no livro Rayonnements de la Vie Spirituelle, publicado em maio de 1875
em Bordeaux, inclusive, o próprio texto em francês (como foi transmitido)
da Prece de Cáritas.



Esta prece se encontra na obra

"Rayonnements la Vie Spirituelle",

de W. Krell, livro que fez grande sucesso em

seu lançamento e é ainda editado na Bélgica.

Esta prece do Espírito Carita foi psicografada

na noite de 25 de dezembro de 1873, portanto,

há mais de 100 anos.

(do livro Preces Espíritas..Cairbar Schutel)



Prece de Cáritas
************

Deus, nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade,

dai a força àquele que passa pela provação,

dai a luz àquele que procura a verdade;

ponde no coração do homem a compaixão e a caridade!


Deus, dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a


consolação, ao doente o repouso.


Pai, Dai ao culpado o arrependimento,

ao espírito a verdade, à criança o guia,

e ao órfão o pai!


Senhor, que a Vossa Bondade se estenda sobre

tudo o que criastes.


Piedade, Senhor, para aquele que vos não

conhece, esperança para aquele que sofre.


Que a Vossa Bondade permita aos espíritos

consoladores derramarem por toda a parte,

a paz, a esperança, a fé.

Deus!


Um raio, uma faísca do Vosso Amor pode

abrasar a Terra; deixai-nos beber nas fontes

dessa bondade fecunda e infinita,

e todas as lágrimas secarão, todas as dores

se acalmarão.


E um só coração, um só pensamento subirá

até Vós, como um grito de reconhecimento

e de amor.


Como Moisés sobre a montanha, nós Vos

esperamos com os braços abertos, oh Poder!,

oh Bondade!, oh Beleza!, oh Perfeição!,

e queremos de alguma sorte merecer a Vossa

Divina Misericórdia.


Deus, dai-nos a força para ajudar o progresso,

afim de subirmos até Vós; dai-nos a caridade

pura, dai-nos a fé e a razão; dai-nos a

simplicidade que fará de nossas almas o espelho

onde se refletirá a Vossa Divina e Santa Imagem.

Assim Seja.


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 11:21
***Bom dia.


Credo
 

Creio em Deus Pai todo poderoso,

Criador do Céu e da Terra;

e em Jesus Cristo,

seu único Filho, Nosso Senhor;

que foi concebido pelo poder

do Espírito Santo;

nasceu da Virgem Maria;

padeceu sob Pôncio Pilatos;

foi crucificado,

morto e sepultado;

desceu à mansão dos mortos;

ressuscitou ao terceiro dia;

subiu aos Céus;

está sentado à direita

de Deus Pai todo poderoso,

de onde há de vir a julgar

os vivos e os mortos.


Creio no Espírito Santo;

na Santa Igreja Católica;

na Comunhão dos Santos;

remissão dos pecados;

na ressurreição carne;

na vida eterna.

Amém.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 11:32
***Bom dia.


Obrigado Senhor,
 
Pelos meus braços perfeitos,

Quando há tantos mutilados;

Pelos meus olhos perfeitos,

Quando há tantos sem luz;

Pela minha voz que canta,

Quando tantas emudecem;

Pelas minhas mãos que trabalham,

Quanto tantas mendigam.

Maravilhoso Senhor,

Ter um lar para voltar,

Quando há tantos que não têm aonde ir;
Sorrir,

Quando há tantos que choram;
Amar,

Quando há tantos que odeiam;
Sonhar,

Quando há tantos que revolvem em pesadelos;
Viver,

Quando há tantos que morrem antes de nascer;

Sobretudo, ter pouco a pedir,
e tanto a agradecer.

(desconheço autoria)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 11:34
***Bom dia.


Prece do Perdão


Perdôo, livre e plenamente, a todos que,

em qualquer época, me prejudicaram e a

quem eu prejudiquei e o faço em caráter

permanente.


Eu os abençôo sempre que vêm ao pensamento.


Ignoro o passado e dedico toda a minha

atenção a um futuro glorioso de saúde,

harmonia, prosperidade e paz perfeita.


Minha mente esta calma e serena e, nesta

atmosfera de paz e satisfação que me

envolve, sinto-me profundamente fortalecido

e livre de todo o medo.


Sinto, também, agora o amor e a beleza da


Presença Cósmica de Deus.


E tudo o que direciono aos outros de bondade e

amor flui para mim em avalanche de abundância.


Dias após dia fico mais consciente do amor

divino e tudo aquilo que é falso se desvanece.


Consigo agora que o rio Cósmico da

prosperidade, da harmonia e do poder curador

flua através de todo o meu ser.


Descanso, minhas preocupações nos braços da

divina paz imutável.


Sou filho de Deus e também, um elemento divino.


Deus tem necessidade de mim exatamente onde

me encontro, pois, ele guia meus passos.


Sei que aqui me encontro como expressão do


Amor, da vida, da verdade e da beleza divino e

também para fazer aquilo que me compete e

assim contribuir com a humanidade.


Tenho sempre muito a dar; Amor, Alegria,

Satisfação, Cura, Paz e Sabedoria a todas as

pessoas, animais e elemento do Universo Divino.


Aqui me encontro para fazer com que a dádiva

de Deus, existente em meu íntimo se manifeste.


Sou uma jardineira de vida no planeta e colho

tudo o que planto com amor e sabedoria.


Meu espírito obedece às leis cósmicas sem

nunca interferir no livre arbítrio do próximo.


Perdôo a mim mesmo por alimentar pensamentos

negativos e destrutivos e dedico amor e

satisfação a todos que me cercam.


Sei que perdoei a todos e que Deus perdoará a

todos, por tudo o que me fizeram neste ou em

qualquer outra encarnação mesmo que disto não

tenha consciência.


Nada de desagradável ocorre e sinto-me então

feliz e livre para usufruir as Dádivas Divinas.


Estou constantemente colhendo os frutos das

maravilhas que plantei na minha mente

subconsciente e Deus sempre manifesta tudo o

que é de bom e útil ao seu propósito Divino.


Sou sempre divinamente guiado e esclarecido

de tudo o que necessito saber, fazendo somente

o que Deus me permite fazer.

Vivo assim em Paz e em perfeita Hrmonia com as Leis de Deus.

Autor Desconhecido


Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 11:37
***Bom dia.




Deus lhe Abençoe!!!




Pai, Eu vos rogo:


Abençoai nossos amigos,

parentes e as pessoas que nos são queridas

e todas que estejam lendo esta oração neste momento.


Recebei em vosso Reino aqueles entes queridos

que partiram por Vossa Vontade.


Mostrai-nos seu amor e seu poder.


Espírito Santo, peço-vos que

enriqueçais nossos espíritos.


Onde houver dor dá-nos sua Paz e Misericórdia


Onde houver incerteza dá-nos renovada confiança

através de sua infinita graça.

Em nome de Jesus,

Amém.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Cravo do Poeta em 18 de Janeiro de 2010, 11:44
***Bom dia.


Pai Nosso


Pai nosso,

que estais no Céu,

santificado seja o vosso nome,

venha a nós o vosso Reino,

seja feita a vossa Vontade,

assim na Terra como no Céu.

O pão nosso cada dia nos dai

hoje, perdoai as nossas

ofensas, assim como nós

perdoamos a quem nos tem

ofendido; e não nos deixeis

cair em tentação,

mas livrai-nos do mal.

Amém.

*******


PAI   NOSSO



Se em minha vida não ajo como filho de Deus,

fechando meu coração ao amor,

será inútil dizer: PAI NOSSO.



Se os meus valores são representados pelos bens da terra,

será inútil dizer: QUE ESTAIS NO CÉU.



Se penso apenas em ser cristão por medo, superstição e comodismo,

será inútil dizer: SANTIFICADO SEJA O VOSSO NOME.



Se acho tão sedutora a vida aqui, cheia de supérfluos e futilidades,

será inútil dizer: VENHA A NÓS O VOSSO REINO



Se no fundo o que eu quero mesmo é que todos os meus desejos se realizem,

será inútil dizer: SEJA FEITA A VOSSA VONTADE, ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU.



Se prefiro acumular riquezas, desprezando meus irmãos que passam fome,

será inútil dizer: O PÃO NOSSO DE CADA DIA NOS DAI HOJE.



Se não importo em ferir, injustiçar, oprimir e magoar aos que atravessam o meu caminho,

será inútil dizer:

PERDOAI AS NOSSAS OFENSAS, ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS A QUEM NOS TEM

OFENDIDO.



Se escolho sempre o caminho mais fácil, que nem sempre é o caminho do Cristo,

será inútil dizer: E NÃO DEIXEIS CAIR EM TENTAÇÃO.



Se por minha vontade procuro os prazeres materiais e tudo o que é proibido me seduz,

será inútil dizer: MAS LIVRAI-NOS DO MAL....



Se sabendo que sou assim, continuo me omitindo e nada faço para me modificar,

será inútil dizer: AMÉM.




Autor: Edmilson Duarte Rocha
Diálogo com Cristo


********************************************************************
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: jotakoehler em 18 de Janeiro de 2010, 17:43
Hoje acredito ter feito uma prece ao deixar uma pessoa idosa ser atendida primeiro que eu na fila do correio.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mourarego em 18 de Janeiro de 2010, 18:01
Jota, perdoe-me, mas enquanto você e outros entenderem assim a cidadania e a civilidade estarão presas a amarras das quais não se vão livrar nunca....
Mas este pensamento é compreensível, mano.
É tão difícil à maioria de nós agir com civilidade, que ações como a que descreve, ainda os parecem caridade enquanto não passem de atos próprios dos cidadãos educados.
Aliás há lei vigendo no sentido da criação de filas próprias para gestantes, deficientes, e senhores da terceira idade.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: jotakoehler em 19 de Janeiro de 2010, 11:23
Moura!
Desculpe pela minha ignorância mas eu acredito que aquilo que fizemos ao outro mesmo que sendo nossa obrigação não deixa de ser uma prece, é o que acho por enquanto.
Grande abraço.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Moemaa em 13 de Fevereiro de 2010, 02:32
A meu ver, a prece é a voz do coração; é a via mais segura de ligação com o bem; é bálsamo que alivia a dor...
A prece é a voz do criadoe dentro de nós.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: macili em 15 de Fevereiro de 2010, 01:50

Para mim a prece quando feita com o coração, nos transmite serenidade, bálsamos, e, conforme nossa conecção aliada ao nosso merecimento, conseguimos alcançar equilíbrio mental, físico e espiritual para prosseguirmos harmonizados nossa jornada evolutiva aqui na Terra. Sensibilizados e conectados com o a Espiritualidade Amiga, humildemente dirigimos nossos agradecimentos pelas bençãos recebidas e pelas que ainda iremos receber.

Dentro de cada coração há uma vela,
e é dela que se irradia a chama que aquece a luz que ilumina ...
Dentro de cada coração há uma candeia,
o óleo que a alimenta é a nobreza de caráter,
a integridade da alma

(http://)
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: MASSMARIA em 18 de Fevereiro de 2010, 14:58
Boa tarde,
estou iniciando meu contato com o Fórum que achei um meio de expressarmos nossos pensamentos podendo assim aprender muita coisa.

Quanto a prece considero-a fundamental para a nossa paz de espírito. mas não devemos nunca deixar  asntes de agradecer ao Pai Maior por tudo o que recebemos.
Porque tudo o que recebemos é de nosso merecimento. E o Pai Maior sabe como ninguém o que você precisa e quando precisa. Por isso sempre em primeiro lugar agradecer... Os nosso pedidos é claro sempre faremos também e serão estes
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: MASSMARIA em 18 de Fevereiro de 2010, 15:00
perdoe... continuando...
Os nossos pedidos é claro sempre faremos também e estes sim serão merecidamente atendidos.

um abraço

MASSMARIA
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: marcos duarte lemos em 26 de Abril de 2010, 17:26
A prece, uma conversa com Deus.
A prece tem que ser feita com fé , e recolhimento, entregando nosso coração ao pai. Assim as vibrações positivas irão chegar até onde queremos. Não tem hora para rezar. não tem tempo estipulado. Um breve prensamento pode ter mais força que uma ladainha.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mourarego em 26 de Abril de 2010, 19:03
perdoe... continuando...
Os nossos pedidos é claro sempre faremos também e estes sim serão merecidamente atendidos.

um abraço

MASSMARIA
Não Maria, nem todas as escolhas são aceitas e mesmo sendo umas aceitas, nunca o será por merecimento mas sim por mérito.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Roman em 28 de Abril de 2010, 18:18
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?
Deus não necessita da prece. Você é que precisa, faça-a.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: ca em 01 de Maio de 2010, 13:43
eu sei do tanto que é importante a prece e o qual é o seu valor para nossas vidas, porém, tem horas que eu acho que eu não consigo fazer direito. è como se eu tivesse todo conhecimento possível e mesmo assim não bastasse para que eu faça do jeito certo. As vezes acho que me falta sensibilidade pra tanto. Mas estou trabalhando pra conseguir um dia...
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Roman em 01 de Maio de 2010, 16:00
eu sei do tanto que é importante a prece e o qual é o seu valor para nossas vidas, porém, tem horas que eu acho que eu não consigo fazer direito. è como se eu tivesse todo conhecimento possível e mesmo assim não bastasse para que eu faça do jeito certo. As vezes acho que me falta sensibilidade pra tanto. Mas estou trabalhando pra conseguir um dia...
Pai Nosso, que estais no Céu
Santificado seja o Vosso (1) Nome
Venha a nós o Vosso (2) Reino
Seja feita a Vossa (3) Vontade,
Assim na Terra como no Céu
O Pão-Nosso de cada dia dai-nos (4) hoje
Perdoai-nos (5) por nossas ofensas
Assim como nós perdoamos a
Quem nos tem ofendido
E não nos deixeis (6) cair em tentação
Mas livrai-nos (7) do Mal.
Amém

Os pedidos (bençãos) 1, 2 e 3 nos leva em direção à Ele. É a Glória ao Pai, Sua santificação, vinda do Reino e o cumprimento da Sua Vontade.
As súplicas 4,5,6 e 7 são nossas expectativas.
Os pedidos 4 e 5 se referem à nossa vida, no sentido de nutri-la e curá-la do pecado.
Os pedidos 6 e 7 é o nosso combate pela vitória na vida.

Economia da Salvação

O Pai Nosso é o resumo de todo o evangelho. É uma doxologia (fórmula litúrgica de louvor a Deus, geralmente ritmada)
As dificuldades principais no exercício da oração são a distração e a aridez.
Em seu evangelho, Lucas menciona cinco pedidos e Mateus, sete e é como é adotada pelo cristão por ser ecumênica.

A oração supõe um esforço e uma luta contra nós mesmos e contra os embustes dos obscessores.

Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Mourarego em 01 de Maio de 2010, 17:12
Parece-me que há aqui uma grande ascendência do catolicismo, ainda.
As preces Espíritas não seguem liturgia alguma, se as faz do imo de nosso sentimento.
Uma prece grande, ornada de belas e difíceis palavras, se feita apenas na intenção de mostrar tropos de erudição, de nada vale. Lembremo-nos do ensino ministrado em qualquer das obras básicas: "Deus julga pela intenção".
A prece Espírita deve se relacionar àquilo que se está fazendo. Num Estudo por exemplo é perda de tempo de Estudo fazer-se preces inicias imensas onde se peça por este ou por aquele, afinal se está a começar um Estudo e nisso reside a função de pedir da prece inicial.
Pede-se a influência dos Bons Espíritos, pede-se calma e harmonia e é tudo.
ao terminar um simples assim seja encerra a prece, e de nada valem os "assim seja Jesus", Amém Senhor Deus" etc. assim seja quer dizer concordo e aceito a tua vontade. apenas isso.
Ao termino do Estudo também, outra prece simples e pequena agradecendo a presença dos bons espíritos e a harmonia e vontade que todos sentem de se modificarem.
Sem motivo  para que se faça vibrações por mortos, amigos e parentes, isso não existe. Vibração é um trabalho especial e como tal deve ser encarado, até mesmo a preparação e concentração deve tomar moldes afinados com este mister.
Ora este não é o fulcro de um Estudo do Evangelho no Lar percebem, ou mesmo de um Estudo do LE.
Cada coisa no seu lugar, "cada um no seu quadrado", como diz a letra da canção.
ao se responder como assim seja deve-se evitar o que muito se vê, vem outro e faz nova prece, isso é que desestabiliza e desorganiza a reunião.
A prece tem tres matizes que são, Pedir, Louvar e agradecem mas estes não necessariamente devem ser feitos ao mesmo tempo.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Felipa em 01 de Maio de 2010, 21:27
A prece é uma elevação do pensamento a Deus, na qual podemos louvar, agradecer e pedir. Lembremos, portanto, de não apenas fazermos pedidos em nossas preces. O dom da Vida e a oportunidade de uma nova existência corpórea, na qual podemos nos melhorar e reparar erros (“O Livro dos Espíritos”, questão 167), já são dádivas pelas quais devemos sempre ser gratos a Deus.
A prece, sendo um encontro nosso com a Espiritualidade Superior, deve visar a nos modificar, e não necessariamente modificar as provas pelas quais estejamos passando. Nossa sintonia elevada modifica, antes de tudo, o modo como vemos os problemas que devemos resolver. Assim, problemas passam a ser encarados como lições, e nunca castigos, ideia incompatível com Deus infinitamente justo e bom. A este respeito, Kardec orienta [2]: “O que Deus lhe concederá sempre, se ele o pedir com confiança, é a coragem, a paciência, a resignação. Também lhe concederá os meios de se tirar por si mesmo das dificuldades, mediante ideias que fará lhe sugiram os bons Espíritos, deixando-lhe dessa forma o mérito da ação.”


maria
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Roman em 01 de Maio de 2010, 22:09
Mauro e Maria,
Suas palavras são bem vindas. Na tentativa de auxiliar eu estou sendo auxiliado. É a lei da Ação e Reação. Grato.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: deisibelem em 06 de Maio de 2010, 04:00
Olá amigos.
Até não ter experiência real de que a prece remove montanhas tinha dúvidas de sua importancia. Em 2005 fiquei numa uTI durante 1 mês por embolia pulmonar e acabei tendo uma experiência extracorpo. Ao viajar por lugares acabei me deparando num vácuo onde senti uma vibração como se fosse uma grande caixa de som e comecei a sacudir e ao olhar para trás não vi nada ao não ser um eco da nossa grande oração que é O Pai Nosso. Depois de ter saido do coma, soube que em todas as unidades do colégio que trabalhava mais de 5ooo alunos faziam oração além de familiares e amigos. Hoje creio e tenho certeza que quando fazemos uma oração com a intenção de levar amor, paz, serenidade, saúde , discernimento para alguém elas chegam, mas cada um tem que fazer a sua parte também.
Espero que essa experiência ajude aqueles que ainda duvidam do poder da oração.
Abraços,
deisi
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: oracy em 06 de Maio de 2010, 12:23
OI MEUS QUERIDOS IRMÃOS. A PRECE É O NOSSO ALIMENTO PARA A ALMA, POR ISSO TEMOS QUE FAZER SEMPRE TANTO PARA NÓS C FORMOS MERECEDORES COMO PARA OS IRMÃOS ENCARNADOS E DESENCARNADOS.
ABRAÇO FRATERNO.
ORACY
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Aldo Campos em 13 de Maio de 2010, 23:28
A respeito do assunto digo o seguinte: muitos falam de Deus, mas poucos conversam com Deus!

Fraternal Abraço!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Lourdilena em 03 de Junho de 2010, 13:19
Na prece o importante é o que sai espontaneamente do coração nessa conversa íntima, franca com nosso Pai. Claro que Ele nos conhece profundamente, mas no contato consciente com Ele, nossa gratidão, nossas rogativas, nossas dúvidas feitas de modo sincero, atraem para junto  de nós Espíritos que velam por nosso progresso e que vão nos auxiliar a haurir forças diante das dificuldades, nos intuírem nos ajudando em nossas necessidades reais.

A prece é contato consciente e íntimo com a Espiritualidade Maior que sempre vem em nosso auxílio.

Paz e Luz!
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: danielr em 03 de Junho de 2010, 13:34
Bom dia Irmãos,
Que a paz reine em seus corações

Estive lendo esse dias um livro chamado " DEUS CASTIGA?" de Cairbar Schutel ( desculpem se o nome estiver escrito errado, pois o livro não está mais comigo) onde em conversa com um discípulo ele dá uma orientação de como ele rezava.
Ele imaginava um campo com flores e árvores, grama verde e cachoeira, um sol maravilhoso e pássaros, um céu azul.... ao longe avistava uma figura radiante de energia que vinha se aproximando, e à medida que isso acontecia essa energia ia tomando conta e se misturando ao seu perispírito fazendo uma purificação por completo, nesse instante imaginava que sua família e seus amigos estivessem naquele lugar ao seu lado passando por todas essas percepções também, e num ultimo momento que seus inimigos estivessem lá também, onde um por um ele ia ao encontro e dava um abraço fraternal.

Achei bem interessante o jeito dele.

Um abraço a todos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: AKINATON em 12 de Junho de 2010, 19:17
meus parabéns e muito obrigado por essas explicações.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: ketinunkantim em 31 de Julho de 2010, 02:39
Para comecar, muitas pessoas afirmam que sabendo Deus todas as coisas nao faz sentido lhe pedirmos nada uma vez que ele sabe perfeitamente do que necessitamos. Qual a utilidade então da prece?
O Carlos Ribeiro parece trazer a mesma dúvida que eu penso ter esclarecido a mim mesmo.
Com fé, e fervor, a prece a Deus nada mais é que uma súplica, um pedido, ao mesmo tempo de perdão e de reconhecimento, que nossa alma, nosso espírito, nosso eu-desesperado, faz direto a Deus, sem qualquer intermediário.
Evidente que entre nós e Ele há uma enormidade de espaço, mas não nos deixemos enganar que o vazio todo escuro à nossa volta não tem lá o seu valor.
A prece serve para acelerar, no céu, os atendimentos aqui na terra.
A prece serve para ampliar, no fundo de nosso ser, uma convicção eternamente à beira de se perder, tantas são as verdadeiras tentações às nossas voltas.
É através da prece que nos mostramos, desnudos de quaisquer ambições, a Deus.
Título: oracao urgente
Enviado por: anaritadaudt em 31 de Julho de 2010, 05:05
Desculpem se é o local errado, mas preciso de oracao urgente para o meu pai, Luiz Paulo Ruschel Daudt que luta pela vida no hospital Dom Vicente Scherer (Porto Alegre, RS). Ele sofre muito com dores, e esta em estado gravissimo.

Imploro oracoes por ele.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: ketinunkantim em 31 de Julho de 2010, 05:12
Eu diria que o Pai Nosso Celestial se alegra com suas lágrimas mas ao mesmo tempo se entristece de ter que lhe dizer que a sina da vida é termos que um dia retornarmos, e puros e belos, às nossas origens, mas tenho que reconhecer que se você convencer seu pai que o corpo dele é só uma casca, de ovo, pode convencê-lo a pedir ajuda a seu espírito.
Penso que dele deve ser o ato de elevar-se a Deus, em Sua sublime majestade, nunca sei se é com jota ou com gê, e sim, nossas preces, nossos anseios e rôgos se unam aos dele, porque se não for dele, e dentro dele, a fé que lhe move, só Deus saberá julgar e se chegada é a encruzilhada em que nos despedimos de uma vez de todos os nossos amigos, materiais, e se resolvido está que a hora é nossa, podemos aproveitar e agradecer, ainda mais, à graça de nós outros ainda sofrermos com as viagens amigas.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Castello em 02 de Agosto de 2010, 23:37
    Queridos irmãos, muita Paz e Muita Luz.
    A Prece deve ser feita, a partir do momento em que temos realmente a certeza de que ela é a mais profunda e sincera exposição de nossos mais íntimos anceios. Não precisamos, contudo, formar frases bonitas, frases com rebuscado linguajar, poderá ser com palavras desconexas, pois o Pai, sabe exatamente a que nos referimos, Ele é o guardião de nossos mais puros sentimentos e contudo sabe exatamente em que encarnação, teremos a resposta à elas.
    O poder da prece transcende a tudo, tem a força para chegar a todos os lugares e com certeza, nosso Pai estará escutando, sómente há uma exigência, que seja feita com FÉ, Fé em Jesus, pois está escrito que ninguém chegará ao Pai sem ser através de Mim... O poder que uma prece sincera tem é incomenssurável, não há como medir a força de nosso pensamento, ele irradia uma força que o ser humano ainda não sabe usar, ainda temos um longo caminho para percorrer, mas já estamos no caminho certo, muitas pedras encontraremos em nossos caminhos, mas como diz o dito popular "A FÉ REMOVE MONTANHAS..." e assim devemos pensar e agir, sempre pregando a Paz e agradecendo sempre ao Pai, pelas oportunidades que Ele nos dá, de ver toda essa obra que Ele nos ofertou.
Muito obrigado a todos por se dignar a ler essas poucas palavras.
E que Jesus nos abençoe a todos.
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: APRENDIZ Dorot em 17 de Agosto de 2010, 15:17
Quando você faz sua prece, sincera e real, coloca seus sentimentos, desejos e agradecimentos. è como aquela musica, bate, bate, na porta do céu. As vezes, precisamos querer ser ouvido. Não precisa de posição, lugar ou hora.
A prece acalma o espirito, além de ser uma forma de meditar, ou seja, seu encontro com seu EU verdadeiro.
Abraços
Título: Re: [Estudo] A Prece
Enviado por: Zirlene em 19 de Agosto de 2010, 18:52
Agora aprendi o que significa uma prece, o que me ajuda muito,pois
ela tem que ser aquela docoração. Um bom pensamento é uma orãção
As mãos no trabalho é uma oração. E é o único momento  em que podemos
conversar com Deus, e as vezes não precisamos pedir muito pois Ele sabe
o que cada uma das criaturas necessitam..........
É o verdadeiro poder de sentir mais leve.....
Que Deus abençoe à todos.