Forum Espirita

CODIFICAÇÃO => Estudos mensais => Tópico iniciado por: Elsamar em 31 de Agosto de 2009, 17:59

Título: A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 31 de Agosto de 2009, 17:59
Influência dos Espíritos (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWZSb3RJbGtmdzZJIw==)
(Se desejar, clique no pause do vídeo para ler)

Amigas/os,

a proposta de estudo para este mês tem como tema “A Influência dos Espíritos”.

Tendo como base de estudo o LIVRO DOS ESPÍRITOS – SEGUNDA PARTE; CAPÍTULO IX, pretende-se debater as seguintes matérias:

1.PENETRAÇÃO DO ESPÍRITOS NO NOSSO PENSAMENTO
2.INFLUÊNCIA OCULTA DOS ESPÍRITOS NOS NOSSOS PENSAMENTOS E NAS NOSSAS ACÇÕES.
3.AFEIÇÃO DOS ESPÍRITOS POR CERTAS PESSOAS
4.ANJOS DA GUARDA, ESPÍRITOS PROTECTORES, FAMILIARES OU SIMPÁTICOS
5.INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NOS ACONTECIMENTOS DA VIDA
6.INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NOS FENÓMENOS DA NATUREZA

Saber como se processa esta interacção entre os mundos espiritual e material, como os espíritos nos influenciam, como distinguir as influências dos nossos próprios pensamentos, que maneiras temos de nos proteger das influências negativas, que podem levar às obsessão, fascinação e subjugação, poderá ser de grande utilidade para o nosso bem estar e equilíbrio. Poderemos dessa forma também ajudar algumas pessoas ainda pouco despertas para estes fenómenos.

Lanço-vos ainda as seguintes questões:

- Não ficará o nosso livre arbítrio coarctado, ao sermos atingidos constantemente por influências positivas e negativas e ao termos de decidir entre umas e outras?

- Os bebés e as crianças também são alvos dessas influências? Como poderão elas “defender-se”?

- Poderão os espíritos ignorantes e de maus instintos agruparem-se, de modo a conseguirem influenciar toda a população de uma povoação, uma cidade, ou até de um governo?

Em baixo poderão ver três pequenos videos de uma abordagem teatral ao tema:

http://www.youtube.com/watch?v=ktjXBOznPtc# (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWt0alhCT3puUHRjIw==)

http://www.youtube.com/watch?v=K5FCHmj_g-s&feature=related# (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUs1RkNIbWpfZy1zJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQj)

http://www.youtube.com/watch?v=woiQla1N_8k&feature=related# (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXdvaVFsYTFOXzhrJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQj)



         Bibliografia, toda de Allan Kardec:
         - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – SEGUNDA PARTE; CAPÍTULO IX;
         - O LIVRO DOS MEDIÚNS - SEGUNDA PARTE; CAPÍTULOS I E XXIII;
         - O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO – CAPÍTULO XII, pontos 5 e 6;
         - REVISTA ESPÍRITA: -1858 – Outubro; 1859 – Setembro ; 1862 – Dezembro; 1863 –           Janeiro.

Em anexo, uma lista de livros e um ppt relacionados com o tema.

BOM ESTUDO!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: SB em 31 de Agosto de 2009, 18:20
Ora ai está um grande tema!

Penso ser das coisas mais importantes a estudar e compreender, resolvia muitas questões na vida de cada um e muitos estados de espirito...

Estou de saida do escritorio, e pouco posso neste momento falar deste tema, mas aqui voltarei. :)


Beijinhos linda
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: zaq em 31 de Agosto de 2009, 18:24
Olá a todos,

Interessante tema, vou acompanhar com grande interesse.

Abraços fraternos.

Tfer.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 31 de Agosto de 2009, 18:29
Olá de novo,

Espero que as contribuições que todos nós iremos dar ao longo do mês, sejam efectivamente úteis a todos os que por aqui já andamos há algum tempo, mas também, e não menos importante para todos os amigos que porventura visitem este fórum à procura de respostas.

Beijinho pa ti Susaninha. :-*
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Haga em 31 de Agosto de 2009, 19:22
Sugiro como complemento ao estudo deste mês, a palestra do espírito "André" sobre a influência dos espíritos.

http://meeu.com.br/?p=6356 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL21lZXUuY29tLmJyLz9wPTYzNTY=)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: sonho em 31 de Agosto de 2009, 20:52
Olá, Elsamar e a Todos!

Que maravilha de tema. Estou muito interessada em ver o desenvolvimento do tema.

Serei uma observadora e aprendiz atenta!

Querida Susana, que bom tê-la aqui connosco! Espero que nos possa presentear com a sua experiência, pois será certamente muito enriquecedor para todos.

Abraços,
Sonho :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Guilherme D. em 31 de Agosto de 2009, 22:01
Olá, sou mais um a gostar do tema.

Bem, sem prolongar pra não ser cansativo, eu gostaria de já começar falando algo.

- Não ficará o nosso livre arbítrio coarctado, ao sermos atingidos constantemente por influências positivas e negativas e ao termos de decidir entre umas e outras?

Penso que a própria pergunta responde à pergunta. O livre arbítrio!
Para responder com maior precisão, creio que se torna essencial entender o mecanismo da uma obsessão. A obsessão oriunda de espíritos se dá pela afinidade de pensamentos e vibrações do espírito do próprio encarnado com o do obsessor.
O desvirtuamento dos pensamentos, bem como a vida desregrada, faz com que o espírito encarnado rebaixe sua frequência vibratória e deixe seu psiquismo e perispírito vulneráveis à investida dos perseguidores das trevas. Com o perispírito enfermo do encarnado, a entidade trevosa encontra terreno de fácil acesso, e rapidamente promove uma espécie de "conexão". Desta forma, ele passa a influenciar a mente do espírito invigilante.
Por mais que o obsidiado deseje praticar algo bom, a influência que sofre lhe priva desse desejo.
Claro, vendo por este ponto de vista, parece que o livre arbítrio do encarnado não existe mais, porém, isso não é verdade.
O espírito trevoso só logrou dominar a mente do encarnado porque assim este último permitiu e escolheu, visto que foi tudo uma consequência direta de seus atos reprováveis.
Mas sabemos que as trevas não são eternas para ninguém, e logo que o encarnado consiga encontrar uma fresta de luz divina, as trevas em sua volta começam a se dissolver. Assim, dependendo exclusivamente de sua vontade, o encarnado poderá fazer rodear-se de luz através de esforços para praticar o bem e seguir os preceitos do evangelho de Jesus...isso feito, é garantia de desobsessão.

Logo, o livre arbítrio continua existindo em TODO O MOMENTO, do contrário, todos nós estaríamos fadados a viver eternamente nas trevas sob influência dos "doutores" malígnos, afinal, cada um de nós já passou ou um dia passará pelos caminhos tortuosos do mal. Digo isso baseado no ensinamento de espíritos, que dizem que a ordem natural da evolução espiritual faz com que primeiro soframos por praticar o mal antes de nos tornarnos essencialmente bons, visto que o espírito no começo é "imperfeito" e totalmente passível de cometer erros - e por isso precisa aprender, e muitas vezes a única forma de aprender é tentando e errando. Eis a dádiva do Generoso e Bondoso Pai ao criar a Lei de Carma, ou Causa e Efeito, como alguns preferem. Lei que nos encaminha para a evolução angélica, pois nos dá a chance de consertarmos nossos erros do passado ao mesmo tempo em que aprendemos coisas novas.

Espero ter começado contribuindo com algo.

Um abraço a todos.
Paz e Luz.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Taprobana em 31 de Agosto de 2009, 22:46
Boa noite.  :D

Tomando como verdadeira a hipótese de que a mediunidade é um sentido do corpo que potencia a experimentação vivenciada na forma de uma relação comunicativa e dialogante, é então inevitável que tal como acontece aquando das relações sociais do indivíduo, este depare-se também com a sua rede social “invisível”que é representada pelos espíritos que nesse caso com ele convivem e de uma ou outra forma influenciam a sua conduta.

Assim sendo, faz todo o sentido que na medida que a sua rede social é por ele mesmo formada em consonância com a sua vontade, o mesmo se passe com a rede social “invisível”, que comunga dos mesmos níveis de vontades, ou seja, utilizando uma linguagem espírita, que vibra na mesma frequência.

Assim sendo, não parece ser possível imputar qualquer tipo de desresponsabilização pelo acto, atenuada pela possível influencia que o mundo espiritual possa ter no consumar das acções, na medida que este processo somente pode desencadear-se com a anuência de todas as partes envolvidas, de resto tal como acontece no quotidiano da vida.

Parece ser também importante aproveitar a oportunidade para afirmar a falta de sustentação racional que tem a ideia de que existem espíritos malignos e diabólicos que são os responsáveis pelas desgraças que se desencadeiam no percurso individual de vida. Sendo o mundo espiritual o nosso próprio mundo este não pode ter outra forma que não seja aquele que perfeitamente já conhecemos através da nossa vivencia presente que nos apresenta um leque de tipologias de personalidade diversificada.

Assim, ao nosso ciclo de relações visíveis, correspondem de forma inevitável um ciclo de relações invisíveis idêntico.

Taprobana
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 31 de Agosto de 2009, 23:17
Olá Guilherme, bem vindo.

Provavelmente sempre que um mau génio se abeira de uma pessoa e a influencia a ter um mau comportamento, haverá algumas vezes, em simultâneo, um bom génio a influenciar no sentido oposto. Essa pessoa usa o poder de decisão, ao deixar-se influenciar por um ou por outro. Mas será que em alguma ocasião, somos nós a mandar no nosso "destino" ou será que não passamos de um medidor de forças entre os "seres de luz" e os "seres das trevas"?

Será que o nosso arbítrio é mesmo livre?

Elsa
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 31 de Agosto de 2009, 23:40
Olá

Certamente não irei participar muito neste tema, pois tenho dificuldade em acompanhar os Estudos mensais pelo elevado número de mensagens que são postadas, felizmente, e não gosto de intervir se não estou devidamente identificado com tudo o que foi escrito.
No entanto reconheço que este é um tema extremamente importante, para debater e compreender.

Elsa, minha amiga

Os bons Espíritos não influenciam, eles aconselham ( parece a mesma coisa mas não é ). Por isso deixam sempre as decisões para nós mesmos. É igualmente por esta razão que eles não medem forças com os Seres ignorantes.
Para além disso, eles os bons, sabem que para aprendermos temos que viver e, se sofremos más influências, é porque isso é necessário ao nosso aprendizado.
Por vezes dramatizamos demasiado as coisas mas a vida no mundo físico não é nenhum drama, ela é uma escola de aprendizado e de tomada de consciência.

Aqueles que são influenciados por irmãos ignorantes quantas vezes terão influenciado outros, de forma negativa, quando se encontravam no plano Espiritual? A lei de causa e efeito sempre funcionando,

Atlante
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 31 de Agosto de 2009, 23:44
Boa noite Taprobana,

é um gosto revê-lo por aqui.

Concordo consigo quando diz que :

Parece ser também importante aproveitar a oportunidade para afirmar a falta de sustentação racional que tem a ideia de que existem espíritos malignos e diabólicos que são os responsáveis pelas desgraças que se desencadeiam no percurso individual de vida. Sendo o mundo espiritual o nosso próprio mundo este não pode ter outra forma que não seja aquele que perfeitamente já conhecemos através da nossa vivencia presente que nos apresenta um leque de tipologias de personalidade diversificada.  

Até porque a liberdade tem como corolário a responsabilidade. Por isso somos sempre responsáveis pelas escolhas que fazemos.

Elsa
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: sergio rene pina duarte em 01 de Setembro de 2009, 04:28
OLA ELSA,
Sabe que realmente o nosso livre arbitrio, acredito eu  não é tão livre assim, pelo fato de que ele e comandado pela vontade.
Spinoza fala sobre isso.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Kraciunas em 01 de Setembro de 2009, 05:31
Olá Colegas
Um colega médium dizia-me perturbado por uma entidade diariamente. Pior, ele o via constantemente. No trabalho, viu um colega conversando com o chefe e, ao final, abraçá-lo. Logo pensou: esse puxa-saco, com certeza quer aumento ou subir postos de trabalho sem merecimento. Em seguida, esse mesmo colega, veio até ele e perguntou: Você pode me auxiliar por uns dias pois terei que sair mais cedo e tenho receio de deixar algo pendente. Logo ele pensa novamente: pronto, começou a mordomia e nem subiu de cargo oficialmente ainda. Em seguida o colega de trabalho lhe disse: eu agradeceria muito essa caridade, já avisei o chefe e ele permitiu que eu saísse, peço-lhe desculpas por pedir-lhe, mas minha esposa está hospitalizada e como meu plano de saúde não cobre um quarto privativo ó poderei visitá-la no horário estipulado pelo hospital. E continua, ela não está bem, estava grávida de nosso primeiro filho e abortou e.... Não conseguiu terminar prostando-se a chorar. Evidentemente que ele percebeu a situação e abraçou o amigo. Depois disso, pensou consigo, aposto que você está aí, apitando no meu ouvido estes pensamentos ruins. Foi ao Banheiro e realmente, viu seu obssessor, quando deparou com o espelho.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Kraciunas em 01 de Setembro de 2009, 05:58
Desculpem, faltou completar
Devemos olhar no espelho e doutrinar a nós mesmos na maioria das ocasiões e, se tiver "alguém mais" escutando, a palavra também lhe servirá. Quantos médiuns não levam para a psicofonia seus próprios anseios, medos, ciúmes e toda sorte de pensamentos negativos. Quantos de nós, então, não fazemos o mesmo, independente da prática da mediunidade. Sem dúvida a sintonia atrai, bem como, repele. Sabemos que "eles" estão a nossa volta, portanto, cabe-nos assumir uma postura madura de conhecimento e prática do evangelho e do Consolador prometido, contudo, devemos ter o equilíbrio necessário para não acreditarmos que por termos o conhecimento somos melhores ou invuneráveis. Equilíbrio, meus amigos, Equilíbrio é a palavra chave. Nosso livre arbítrio, é sim, respeitado. Quando recebemos as impressões do mundo invisível, cabe-nos aceitar ou não. Mas quando, de fato, tivermos nossa fé renovada, nossa reforma íntima conquistada, o contato com nossos amigos invisíveis e inaudíveis sejam diretos e claros seja para aprender, seja para ao menos tentar fazer progredir os espíritos mais necessitados.
Desculpem me estender.
Kraciunas
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 01 de Setembro de 2009, 10:26
Bom dia Atlante,

há muito tempo que não "falavamos"!!

Eu compreendo a distinção que faz:

Conselho = alvitre, parecer
Influência = interferência, intervenção
Mas amigo será assim tão linear?

Não poderemos nós estar sujeitos a maus conselhos?
Por outro lado não poderá um bom espírito intervir para nos ajudar?

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 01 de Setembro de 2009, 11:04
Olá, Elsamar


Somos informados que o pensamento é a linguagem universal dos espiritos, a vestimenta que cobre ou desnuda, revelando o nível espiritual, desprovido de subterfugios ou camuflagens que falseiam a identidade. Admitida a hipotese de que não há como separar o pensamento do espirito, não há outro caminho que não seja o de sermos aquilo que pensamos. Ou seja, há um sentido nessa rota: materializamos na forma de palavras ou atos aquilo que pensamos e, por sua vez, somente pensamos aquilo que sentimos.

O céu ou o inferno tá dentro de cada um de nós, seja aqui ou acolá, ou em qualquer outro lugar que estiver o nosso pensamento. Estamos constantemente sendo influenciados, positiva ou negativamente, quer seja por encarnados como pelos desencarnados. O importante é que saibamos treinar o pensamento, elevando-o cada vez para o mais alto. Viver com alegria e otimismo, afasta-nos dos entulhos e dos escorpiões sombrios.


Abç
 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: HealTheWorld em 01 de Setembro de 2009, 11:31
Oportuno como sempre os temas mensais deste fórum, e em especial este tema de suma importância. Não vou alargar muito na minha exposição, pois esta temática daria para um dialogo muito vasto e profundo, concerteza haverá muita gente aqui no fórum que poderá esclarecer com muita exatidão todos os liames do pensamento nas suas potencialidades e seus condicionamentos. De facto há uma enorme influência dos espíritos sobre os encarnados, influência essa exercida pelo pensamento. No entanto os seus disabores ou beneficios, consoante o nível vibratório do encarnado iram permitir que essas emanações de ideias possam penetrar e influencia-lo directamente, tudo depende da sintonia e da qualidade da mesma. Aproveito para citar que para alguns as influências negativas, quadro da nossa atenção , e que devemos vigiar permanentemente, não  é justificado exclusivamente pelo espírito que exerce essa influência, como todos sabemos, porque estudamos e entendemos que somos responsáveis integralmente pelos nossos actos, a comunhão de ideias, e de condutas morais que colocamos em prática todos os dias, são como sementes vibratórias que iremos colher no momento mais oportuno.
Com isto pretendo dizer que na minha humilde opinião, a influência dos espíritos sobre os encarnados, só acontece num quadro normal, pelas condutas morais de cada um de nós, ou factores de desiquilibrio do nosso próprio espírito. A influência espiritual é um constante desafio e um apelo ao trabalho intímo de cada um (objectivo primário), o caminho entre o bem e o mal, depende como é obvio do próprio espírito encarnado, o livre abítrio que nos foi dado é ponderante e activo em qualquer influência que nos possa ser imposta. O conhecimento do nosso “eu”, e o trabalho que deverá ser exercido em prol da reparação e depuração de todas as nossas más tendências, são fundamentais. A interferência dos espíritos tem um objectivo preciso, que é ajudar-nos ao progresso intelectual e moral, os maus como é obvio ajudam a retardar e a nos causar problemas nos caminhos da evolução da criatura humana.
Poderia abordar outros factores especialmente daqueles que tem haver directamente com influências carmicas, mas deixarei para outros companheiros exporem seus conhecimentos.

Abraços.

Luís Gomes
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: marqueskdu em 01 de Setembro de 2009, 11:46
Olá irmãos,

Este tema talvez seja mais importante do que possamos julgar. Basta analisarmos nosso dia-a-dia e poderemos ter a compreensão das influências a que somos submetidos.
Se lembrarmos que o dito "a cada um segundo suas obras" é um dos registros mais perfeitos de nossa Doutrina, não vejo qualquer possibilidade de que nosso livre-arbítrio seja arranhado.
Temos a oportunidade de nos dias de hoje, ler, ouvir e ver obras que relatam este assunto de forma clara e precisa, como SEXO E DESTINO de André Luis, quando um dos protagonistas, mesmo sem vontade de beber, é "conduzido" à garrafa de bebida.
Só nos resta vigiar sempre para que soframos a influência sempre da Espiritualidade Maior, com consciência de nossas fraquezas, da nossa atual situação como espíritos eternos para que possamos utilizar tudo como aprendizado que nos levará a evolução.

Grande tema,
Muita PAZ e LUZ!!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Maria Eduarda em 01 de Setembro de 2009, 11:55
Gente...! Bom dia...eu tenho uma foto na qual aparece uma pessoa atras de mim, é muito interessante, porque não tinha como este individuo estar ali. é muito nitida mas não reconheço ela como alguem conhecido, será um espirito ..? alguem pode me responder..? se for relmente uma pessoa que ja desencarnou, será que esta sempre comigo...???e porque...??
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Vitor Santos em 01 de Setembro de 2009, 12:10
Olá

Em primeiro lugar quero dar os parabéns à Elsa pela interessante introdução do tema, que me parece muito bem escolhido e oportuno.

Gostava de deixar aqui um pequeno tópico para o debate:

- Sendo nós influenciados pelos espíritos através do pensamento, sucede que há pensamentos que temos que não parecem nossos. Era interessante reflectirmos sobre isso.

- Será que pessoas mais evoluidas do ponto de vista moral poderão receber pensamentos de espiritos moralmente inferiores (embora rejeitem esses pensamentos, naturalmente)?

É que já tenho lido intervenções em que passa a ideia de que há pessoas (médiuns ou não) imunes a más influências. Quererá isso dizer que a perfeição moral tapa a comunicação aos  espiritos moralmente inferiores ou que estes têm acesso aos pensamentos da pessoa, mas os que tentam o acesso, depois de muito tentar, desistem por verem que a pessoa rejeita os maus pensamentos?

bem hajam
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: SB em 01 de Setembro de 2009, 12:11

Conselho = alvitre, parecer
Influência = interferência, intervenção
Mas amigo será assim tão linear?

Não poderemos nós estar sujeitos a maus conselhos?
Por outro lado não poderá um bom espírito intervir para nos ajudar?


Existem algumas diferenças entre o influenciar e o aconselhar.
E deve dizer respeito á maturidade do proprio espirito, perceber essas diferenças.

O Espirito menos esclarecido, não abservará determinadas situações e poderá facultar essa influenciação, por desconhecimento, contudo a progressão do proprio, leva-o a reconhecer que sabe raciocinar e sentir por ele proprio. Desta forma poderá optar, nas suas escolhas, ao mesmo tempo que pode se sentir sugestionado, sem que para isso opte por tal sugestão ou sim...

A influencia adveem da insegurança, da imaturidade do Espirito.

O conselho pela seu conhecimento de si mesmo, maturidade.

Por esta questao ser tão importante desenvolver o autoconhecimento.

Pois as pessoas agem motivadas por emoções e sentimentos. Por isso, ao analisar questões sobre o que poderá ser nosso ou sugestionado, devemos ter em conta que nao devemos usar apenas a razão. Assim teriamos apenas uma visão parcial das mesmas. Não dá para avaliarmos uma situação deste genero sem compreendermos o que somos, e as transformações interiores necessárias, sem aplicarmos em simultaneo o pensar e o sentir.

Já que Pensar é um acto, Sentir é um facto.

Assim, dependendo das questões morais ou eticas de cada um, poderá baixar ou elevar o o pensamento e em simultaneo o sentir, procurando desta forma, um equilibrio ;)

Abraços

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: SB em 01 de Setembro de 2009, 12:24



- Será que pessoas mais evoluidas do ponto de vista moral poderão receber pensamentos de espiritos moralmente inferiores (embora rejeitem esses pensamentos, naturalmente)?

É que já tenho lido intervenções em que passa a ideia de que há pessoas (médiuns ou não) imunes a más influências. Quererá isso dizer que a perfeição moral tapa a comunicação aos  espiritos moralmente inferiores ou que estes têm acesso aos pensamentos da pessoa, mas os que tentam o acesso, depois de muito tentar, desistem por verem que a pessoa rejeita os maus pensamentos?



As coisas não funcionam dessa forma.

Os espiritos evoluidos, tem um grau de maturidade do conhecimento de si mesmo para perceber com clareza a inferioridade, e que podem por isso sugestionar aos bons conselhos e agirem de acordo com o seu grau de evolução;)

Quanto á primeira pergunta: "- Será que pessoas mais evoluidas do ponto de vista moral poderão receber pensamentos de espiritos moralmente inferiores (embora rejeitem esses pensamentos, naturalmente)?"

Vamos ver as coisas desta forma Vitor.

O mundo espiritual nao é muito diferente do fisico, entao sugiro aqui o seguinte, supondo:

Tu és um espirito (encarnado) evoluido, levas uma vida de bem e regrada, estás no teu local de trabalho (por exemplo) e dentro dos colegas/empregados, encontra-se uma pessoa perdida, desaustinada, confusa, simuladora...contando conversas, entrando em enredos...

Que farias? O teu pensar e sentir, dar-te-iam em simultaneo a tua forma de agir

Sendo evoluido sentir-te-ias afectado?
- Não.

Serias tolerante e aproveitavas para sugestionar melhores pensamentos e sentimentos ;)

Abraços


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 01 de Setembro de 2009, 12:29
Amigo Diegas,

tocou num assunto pertinente quando diz:

Estamos contantemente sendo influenciados,   positiva ou negativamente, quer seja por encarnados como pelos desencarnados.


Em que sentidos se processam as influências espirituais?

- de desencarnados para encarnados
- de encarnados para desencarnados
- de encarnados para encarnados
- de desencarnados para desencarnados

todas estas influências são passíveis de acontecer?

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 01 de Setembro de 2009, 12:41
Olá Vitor,


Em primeiro lugar quero dar os parabéns à Elsa pela interessante introdução do tema, que me parece muito bem escolhido e oportuno.


E eu agradeço, mas contei naturalmente com a ajuda preciosa de alguns amigos espirituais e não só ;), por isso são para eles também os parabéns.

Em relação à tua pergunta:

É que já tenho lido intervenções em que passa a ideia de que há pessoas (médiuns ou não) imunes a más influências. Quererá isso dizer que a perfeição moral tapa a comunicação aos  espiritos moralmente inferiores ou que estes têm acesso aos pensamentos da pessoa, mas os que tentam o acesso, depois de muito tentar, desistem por verem que a pessoa rejeita os maus pensamentos?

As pessoas moralmente mais evoluidas, não estarão completamente imunes às más influências, mas serão de muito mais dificil acesso, isso sem dúvida.

Abracinho :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 01 de Setembro de 2009, 12:43
Bom dia Atlante,

há muito tempo que não "falavamos"!!

Eu compreendo a distinção que faz:

Conselho = alvitre, parecer
Influência = interferência, intervenção
Mas amigo será assim tão linear?

Não poderemos nós estar sujeitos a maus conselhos?
Por outro lado não poderá um bom espírito intervir para nos ajudar?

Abraço.

Olá Elsa

Linear é. Uma influência é uma influência, um conselho é um conselho.
Um conselho é bem intencionado e deixa sempre, mas sempre, a decisão para nós. Numa influência, venha de onde vier, o outro procura sempre tomar a decisão que nos compete.

Verifica que no caso em concreto nós estavamos referindo aquilo que vem dos bons Espíritos ou dos Espíritos ignorantes.
Se recebemos um mau conselho é porque não vem dum bom Espírito, não achas?
Os bons Espíritos ajudam-nos, dando conselhos. Quando procuram decidir ou fazer por nós já deixaram de ajudar.
Ainda aqui será bom distinguir os bons Espíritos dos Espíritos de Luz. Estes então nunca farão rigorosamente nada que seja de nossa competência. Caso contrário não nos estariam ajudando.

Atlante  
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 01 de Setembro de 2009, 12:53
Elzamar e amigos do forum,

Bom tema. Imagino que haverão muitos desdobramentos, porem antes de ser um tema apenas teórico ele tambem faz parte da experiencia de vida de muitos mediuns espíritas. Não seria relevante apontar alguns depoimentos deles?

É relevante registrar tambem que se trata de uma experiencia pessoal reveladora: Quando percebemos por nosso sentidos a tentativa da influencia, ou quando já cedemos a ela. "A ocasião faz o ladrão", diz o ditado popular, porem tambem permite a influencia. Importante então meditar onde e quando estamos abertos a ela. Este conhecimento é fundamental para a sua (e minha) estratégia da rotina de "orar e vigiar". Conhecer seu ponto fraco é saber o rumo necessário de sua providencia imediata de sua ética e arbítrio. Trajetória essa para equilíbrio e harmonia interior.

Sugiro aos amigos alem do estudo a reflexão de sua percepção interior para estes fatos que acomentem a todos nós. Desta decisão estou certo, depende nossa Paz futura.

Nelson


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: FENet em 01 de Setembro de 2009, 12:59
Olá amigos!

Muito interessante  debate.

Deixo aqui a Escala Espírita, que permite reflectirmos que caracteristicas temos e onde nos enquadramos, bem como as nossas companhias espirituais.
Desculpem a extensão do texto.


Escala espírita

Revista Espírita, fevereiro de 1858
TERCEIRA ORDEM - ESPÍRITOS IMPERFEITOS

Caracteres gerais. - Predominância da matéria sobre o Espírito. Propensão ao mal. Ignorância, orgulho, egoísmo e todas as más paixões que lhes são a conseqüência.

Têm intuição de Deus, mas não o compreendem.

Nem todos são essencialmente maus; em alguns, há mais de leviandade, de inconseqüência e de malícia do que de verdadeira maldade. Uns não fazem nem o bem e nem o mal; mas, somente por isso, que não fazem o bem, denotam a sua inferioridade. Outros, ao contrário, se comprazem no mal, e ficam satisfeitos quando encontram oportunidade de fazê-lo.

Podem aliar a inteligência à maldade ou à malícia; mas, qualquer que seja o seu desenvolvimento intelectual, suas idéias são pouco elevadas e seus sentimentos mais ou menos abjetos.

Seus conhecimentos, sobre as coisas do mundo espírita, são limitados, e o pouco que sabem se confunde com as idéias e os preconceitos da vida corporal. Não podem, dela, nos dar senão noções falsas e incompletas; mas, o observador atento, freqüentemente, encontra em suas comunicações, mesmo imperfeitas, a confirmação de grandes verdades ensinadas pelos Espíritos superiores.

Seu caráter se revela pela sua linguagem. Todo Espírito que, em suas comunicações, revela um mau pensamento, pode ser classificado na terceira ordem; conseqüentemente, todo mau pensamento que nos é sugerido vem dum Espírito dessa ordem.

Vêem a felicidade dos bons, e essa visão, para eles, é um tormento incessante, porque experimentam todas as angústias que, a inveja e o ciúme podem produzir.

Conservam a lembrança e a percepção dos sofrimentos da vida corporal e essa impressão, freqüentemente, é mais penosa do que a realidade. Sofrem, pois, verdadeiramente, pelos mates que sofreram e pelos que fizeram os outros sofrer; e, como sofrem por longo tempo, crêem sofrer sempre; Deus, para puni-los, quer que assim creiam.

Podem ser divididos em quatro grupos principais.

Nona classe. ESPÍRITOS IMPUROS. - São inclinados ao mal e dele fazem o objeto das suas preocupações. Como Espíritos, dão conselhos pérfidos, insuflam a discórdia e a desconfiança, e tomam todas as máscaras para melhor enganarem. Ligam-se aos caracteres bastante fracos para ceder às suas sugestões, a fim de compeli-los à sua perdição, satisfeitos em poderem retardar o seu adiantamento, fazendo-os sucumbir nas provas que suportam.

Nas manifestações, são reconhecidos pela sua linguagem; a trivialidade e a grosseria das expressões, nos Espíritos como nos homens, é sempre um indício de inferioridade moral, senão intelectual. Suas comunicações revelam a baixeza das suas inclinações, e se querem fazer que se enganem, falando de modo sensato, não podem sustentar o seu papel por muito tempo e acabam, sempre, por trair a sua origem.

Certos povos fazem deles divindades malfazejas, outros os designam sob o nome de demônios, maus gênios, Espíritos do mal.

Os seres vivos que animam, quando estão encarnados, são inclinados a todos os vícios que engendram as paixões vis e degradantes: a sensualidade, a crueldade, o embuste, a hipocrisia, a cupidez, a sórdida avareza.

Fazem o mal pelo prazer de fazê-lo, o mais freqüentemente, sem motivos, e, pelo ódio ao bem, quase sempre, escolhem as suas vítimas entre as pessoas honestas. São flagelos para a Humanidade, a qualquer classe da sociedade a que pertençam, e o verniz da civilização não os garante do opróbrio e da ignomínia.

Oitava classe. ESPÍRITOS LEVIANOS. - São ignorantes, malignos, inconseqüentes e zombeteiros. Imiscuem-se em tudo, respondem a tudo, sem se importarem com a verdade. Comprazem-se em causar pequenos aborrecimentos, pequenas alegrias, em atormentar, em induzir maliciosamente ao erro através de mistificações e travessuras. A essa classe pertencem os Espíritos vulgarmente designados sob os nomes de duendes, gnomos. Estão sob a dependência de Espíritos superiores, que os empregam, freqüentemente, como o fazemos com os serviçais e operários.

Parecem, mais do que outros, apegados à matéria, e representam ser os agentes principais das vicissitudes dos elementos do globo, seja porque habitam o ar, a água, o fogo, os corpos duros ou as entranhas da Terra. Manifestam, freqüentemente, sua presença por efeitos sensíveis tais como os golpes, o movimento e deslocamento anormal dos corpos sólidos, a agitação do ar, etc., o que se lhes faz dar o nome de Espíritos batedores ou perturbadores. Reconhece-se que, esses fenômenos, não são devidos a uma causa fortuita e natural, quando têm um caráter intencional e inteligente. Todos os Espíritos podem produzir esses fenômenos, mas os Espíritos elevados os deixam, em geral, nas atribuições de Espíritos inferiores, mais aptos às coisas materiais do que às coisas inteligentes.

Em suas comunicações com os homens, sua linguagem, algumas vezes, é espirituosa e engraçada, mas, quase sempre, sem profundidade; ligam as bizarrices e os ridículos que exprimem em tiradas mordazes e satíricas. Se ostentam nomes supostos, mais freqüentemente, é por malícia do que por maldade.

Sétima classe. ESPÍRITOS pseudo-sábios. - Seus conhecimentos são bastante extensos, mas, crêem saber mais do que sabem em realidade. Tendo alcançado algum progresso em diversos pontos de vista, sua linguagem tem um caráter sério que pode enganar sobre as suas capacidades e as suas luzes; mas, o mais freqüentemente, não é senão um reflexo dos preconceitos e das idéias sistemáticas da vida terrestre; é uma mistura de algumas verdades ao lado dos mais absurdos erros, no meio dos quais descobrem a presunção, o orgulho, o ciúme e a teimosia dos quais não puderam se despojar.

Sexta classe. ESPÍRITOS neutros. - Não são nem bastante bons para fazerem o bem e nem bastante maus para fazerem o mal; pendem tanto para um quanto para o outro, e não se elevam acima da condição vulgar da humanidade, tanto pelo moral quanto pela inteligência. Participam das coisas deste mundo, das quais lamentam as alegrias grosseiras.


SEGUNDA ORDEM - BONS ESPÍRITOS

Caracteres gerais. - Predominância do Espírito sobre a matéria; desejo do bem. Suas qualidades e o seu poder para fazerem o bem estão em razão do grau que alcançaram: uns têm a ciência, os outros a sabedoria e a bondade; os mais avançados unem o saber às qualidades morais. Não estando, ainda, completamente desmaterializados, conservam, mais ou menos, segundo sua classe, os traços da existência corporal, seja na forma da linguagem, seja em seus hábitos, onde se encontram mesmo algumas das sua manias; de outro modo, seriam Espíritos perfeitos.

Compreendem Deus e o Infinito, e já gozam da felicidade dos bons. São felizes pelo bem que fazem e pelo mal que impedem. O amor que os une é, para eles, a fonte de uma felicidade inefável que não é alterada nem pela inveja, nem pelos desgostos, nem pelos remorsos, nem por nenhuma das más paixões que fazem o tormento dos Espíritos imperfeitos; mas todos têm, ainda, provas a suportar até que tenham atingido a perfeição absoluta.

Como Espíritos, suscitam bons pensamentos, desviam os homens do caminho do mal, protegem, na vida, aqueles que disso se tornam dignos, e neutralizam a influência dos Espíritos imperfeitos naqueles que não se comprazem em suportá-la.

Aqueles em quem estão encarnados, são bons e benevolentes para com os seus semelhantes; não são movidos nem pelo orgulho, nem pelo egoísmo, nem pela ambição; não sentem nem ódio, nem rancor, nem inveja, nem ciúme, e fazem o bem pelo bem.

A essa ordem pertencem os Espíritos designados, nas crenças vulgares, sob os nomes de bons gênios, gênios protetores, Espíritos do bem. Nos tempos de superstição e de ignorância, deles fizeram divindades benfazejas.

Podem, igualmente, ser divididos em quatro grupos principais.

Quinta classe. ESPÍRITOS BENEVOLENTES. - Sua .qualidade dominante é a bondade; comprazem-se em servir aos homens e protegê-los, mas seu saber é limitado: seu progresso se cumpriu mais no sentido moral do que no sentido intelectual.

Quarta classe. ESPÍRITOS SÁBIOS.- O que os distingue, especialmente, é a extensão dos seus conhecimentos. Preocupam-se menos com questões morais do que com questões científicas, para as quais têm mais aptidão; mas, não encaram a ciência senão sob o ponto de vista da utilidade, e nisso não misturam nenhuma das paixões que são próprias dos Espíritos imperfeitos.

Terceira classe. ESPÍRITOS SENSATOS. - Suas qualidades morais, da mais elevada ordem, formam seu caráter distintivo. Sem terem os conhecimentos ilimitados, são dotados de uma capacidade intelectual que lhes proporciona um julgamento sadio sobre os homens e sobre as coisas.

Segunda classe. ESPÍRITOS superiores.- Reúnem a ciência, a sabedoria e a bondade. Sua linguagem não respira senão a benevolência; é constantemente digna, elevada, freqüentemente sublime. Sua superioridade torna-os, mais do que aos outros, aptos a nos darem as mais justas noções sobre as coisas do mundo in-corpóreo, nos limites do que é permitido ao homem conhecer. Comunicam-se, voluntariamente, com aqueles que procuram a verdade de boa-fé, e cuja alma esteja bastante liberta dos laços terrestres para compreendê-la, mas se afastam daqueles que se animam unicamente pela curiosidade, ou que a influência da matéria afasta da prática do bem.

Quando, por exceção, se encarnam na Terra, é para nela cumprirem uma missão de progresso, e nos oferecem, então, o modelo da perfeição, à qual a Humanidade pode aspirar neste mundo.

PRIMEIRA ORDEM - PUROS ESPÍRITOS

Caracteres gerais. - Influência da matéria nula. Superioridade intelectual e moral absoluta com relação aos Espíritos de outras ordens.

Primeira classe. Classe única. - Percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria. Tendo alcançado a soma de perfeição, da qual a criatura é suscetível, não têm mais a suportar nem provas, nem expiações. Não estando mais sujeitos à encarnação em corpos perecíveis, para eles, é a vida eterna que cumprem no seio de Deus.

Gozam de uma felicidade inalterável, porque não estão sujeitos nem às necessidades, nem às vicissitudes da vida material; mas essa felicidade não é a de uma ociosidade monótona passada numa contemplação perpétua. São os mensageiros e os ministros de Deus, cujas ordens executam para a manutenção da harmonia universal. Comandam a todos os Espíritos que lhes são inferiores, os ajudam a se aperfeiçoarem e lhes assinalam a sua missão. Assistir os homens em sua aflição, excitá-los ao bem, ou à expiação das faltas que os distanciam da felicidade suprema, para eles, é uma doce ocupação. São designados, algumas vezes, sob o nome de anjos, arcanjos ou serafins.

Os homens podem entrar em comunicação com eles, mas bem presunçoso seria aquele que pretendesse tê-los, constantemente, às suas ordens.
ESPÍRITOS ERRANTES OU ENCARNADOS

Sob o aspecto das qualidades íntimas, os Espíritos são de diferentes ordens, que percorrem, sucessivamente, à medida que se depuram. Como estado, podem estar encarnados, quer dizer, unidos a um corpo, num mundo qualquer; ou errantes, quer dizer, desligados do corpo material e esperando uma nova encarnação para se melhorarem.

Os Espíritos errantes não formam uma categoria especial; é um dos estados em que podem se encontrar.

O estado errante ou erraticidade, não constitui uma inferioridade para os Espíritos, uma vez que, nele, podem ser encontrados de todos os graus. Todo Espírito que não esteja encarnado, está, por isso mesmo, errante, com exceção dos Puros Espíritos que, não tendo mais encarnação a suportarem, estão no seu estado definitivo.

A encarnação, não sendo senão um estado transitório, a erraticidade é, na realidade, o estado normal dos Espíritos, e esse estado não é, forçosamente, uma expiação para eles; são felizes ou infelizes segundo o grau de sua elevação, e segundo o bem ou o mal que fizeram.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Maria Eduarda em 01 de Setembro de 2009, 13:24
 :) Gente....talvez eu tenha feito meu questionamento no lugar errado, já que nenhum de voces tentou me esclarecer... :'(. poderiam  talvez me indicar o caminho...??? onde acho respostas...??? desde logo agradeço, desejando paz e alegria a todos.. :D
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Paulo Maia em 01 de Setembro de 2009, 13:56
Elsamar.
Muita paz em seu coração. Estarei observando e participando ao longo do mês. Esse tema é muito importante. Trabalho em reuniões mediúnicas e o conhecimento sobre a influência dos espiritos em nossas vidas é extremamente significativo.
Abraços fraternos.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 01 de Setembro de 2009, 14:12
Olá amigos(as)

Elsamar, seja muito bem vinda aos postes mensais :-*

Berm agora ao tema que é o que interessa ;DSem desmerecer a simpatia das pessoas e a sua paciência para me (aturarem) :D :D :D :D :D :D :-* :-* :-* :-*

Paulo da Silva Neto Sobrinho

Allan Kardec coloca na pergunta 459 do Livro dos Espíritos um questionamento sobre esse assunto nos seguintes termos: “Os espíritos influem sobre os nossos pensamentos e as nossas ações?” Cuja reposta foi: “A esse respeito sua influência é maior do que credes, porque, freqüentemente, são eles que vos dirigem".

Com base nesta resposta poderíamos encontrar no Evangelho alguma passagem que possa demonstrar-nos essa influência dos espíritos em nossas vidas? É claro que sim, pelo menos para aqueles que têm “olhos de ver”.

Vamos, então, ao Evangelho para que possamos confirmar. Em Mateus 8, 16-18, encontramos: “Entardecia, quando lhe trouxeram possessos. Diante disso, ele expulsou os espíritos apenas com uma palavra e curou todos os que estavam passando mal.”

Ora, se Jesus expulsou os espíritos é porque eles de alguma forma estavam a influenciar estas pessoas possessas. Aliás, este termo já em si mesmo sugere que a pessoa estava sob o domínio de um espírito.

Mas sigamos em frente e iremos observar a que ponto poderá chegar esta influência. Busquemos em Marcos 5, 1-20, o seguinte: “Chegaram a outra margem do mar, na região dos gerasenos. Quando desembarcou um homem possesso de um espírito impuro, saindo dos sepulcros, logo foi ao seu encontro. Ele morava nos sepulcros e ninguém conseguia mantê-lo preso, nem mesmo com correntes, pois muitas vezes lhe haviam algemado os pés e as mãos e ele, arrebentava as correntes, quebrando as algemas, e ninguém o dominava. Passava o tempo inteiro nos sepulcros e sobre os montes, gritando e ferindo-se com pedras. Quando viu Jesus de longe, correu e prostrou-se diante dele, e gritou com voz forte: "Que é que tens tu comigo Jesus, Filho de Deus Altíssimo? Em nome de Deus não me atormentes!" É que Jesus lhe tinha dito: "Espírito impuro, sai deste homem!" Depois, ele lhe perguntou: “Qual é o teu nome?” Respondeu-lhe: “Meu nome é legião, porque somos muitos”. Suplicava-lhe então, com insistência, que não o expulsas-se daquela região".

Chamamos a sua atenção, caro leitor, para essa importante passagem, pois mostra-nos, claramente, a que ponto poderá chegar a influência dos espíritos. Um homem comum, sob a in-fluência dos espíritos, passava a ter uma força descomunal a ponto de conseguir arrebentar correntes e quebrar algemas. Além disto, fazia com que esta pobre criatura ferisse a si mesma, bem como o forçava a gritar pelos montes como um louco desvairado. E no diálogo com Jesus, era tanta a influência que passou a respondê-lo, não o possesso, mas sim o espírito que o influenciava. Espírito? Que espírito, se na verdade eram muitos, razão pela qual diz ser seu nome legião.

Perguntou Allan Kardec aos espíritos superiores: Se eles podem influenciar em nossas vidas, por que meios se pode neutralizar a influência dos maus espíritos? A resposta foi: “Fazendo o bem e colocando toda a vossa confiança em Deus, repelis a influência dos espíritos inferiores, e destruís o império que eles querem tomar sobre vós. Evitai escutar as sugestões dos espíritos que suscitam em vós os maus pensamentos sopram a discórdia entre vós e vos excitam todas as más paixões. Desconfiai, sobretudo, daqueles que exaltam vosso orgulho porque vos tomam por vossa fraqueza. Eis por que Jesus nos faz dizer na oração dominical:" Senhor! Não nos deixeis sucumbir à tentação, mas livrai-nos do mal. "

Agindo desta forma estaremos livres de sua má influência.

Retornemo-nos, ao Evangelho na narrativa de Mateus (9, 32-34): “Quando saíam, apresentaram a Jesus um possesso mudo. Logo que o demônio foi expulso o mudo começou a falar. Espantado, o povo dizia: " Nunca se viu coisa igual em Israel".

Neste caso, a influência espiritual causava a mudez àquela pessoa. Espera aí, dirão vocês, nesta passagem não se fala em espírito e sim de demônio. Não há o que contestar, entretanto o que realmente é o demônio? Seria um ser criado para o mal? Com certeza que não. Nunca poderemos aceitar que Deus, o eterno bem, tenha criado um ser dotado para sempre ao mal. Seria porventura, um anjo decaído? Também não, pois o ser espiritual ao qual denominamos de anjo não poderia possuir senão bondade, assim como teria que ser totalmente desprovido de vaidade, que seriam coisas de nós os humanos, não dos anjos. Afinal, o que cearia os demônios? Voltaremos, novamente, ao Evangelho, para elucidar esta importante questão.

Em Mateus, 10, 1, 5-8, encontramos: “Jesus convocou os seus doze discípulos e lhes deu o poder de expulsar os espíritos impuros e de curarem toda espécie de doenças e enfermidades. Jesus enviou esses doze em missão, tendo-lhes dado as seguintes instruções: Não tomeis o caminho que conduz aos pagãos e não entreis em nenhuma cidade dos samaritanos. Ide, de preferência, às ovelhas perdidas da casa de Israel. Pregai, pelo caminho: "O reino dos céus está perto!" Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. Acabai de receber de graça, dai de graça".


Espírito, demônio e espírito impuro.
 

Para o mesmo relato, os evangelistas ora usam espírito impuro, ora demônio, quando não usam os dois termos juntos, ficando, agora, bem claro que o significado deles era o mesmo.

Vejamos o que responderam os espíritos superiores a Kardec, quando lhes dirige a seguinte pergunta: “Há demônios, no sentido que se dá a esta palavra? Resposta: Se houvesse demônios, eles seriam obra de Deus, e Deus seria justo e bom se houvesse criado seres devotados eternamente ao mal e infelizes? Se há demônios, eles habitam em teu mundo inferior e em outros semelhantes. São esses homens hipócritas que fazem de um Deus justo, um Deus mau e vingativo e crêem lhe serem agradáveis pelas abominações que cometem em seu nome”.

Kardec faz as seguintes considerações:

“A palavra demônio não implica na idéia de espírito mau senão na sua significação moderna, porque a palavra grega daimôn, da qual se origina, significa gênio, inteligência, e se emprega para designar os seres incorpóreos, bons ou maus, sem distinção”.

“Por demônios, segundo a significação vulgar da palavra, se entendem seres essencialmente malfazejos. Seriam, como todas as coisas, criação de Deus. Ora, Deus que é soberanamente justo e bom, não pode ter criado seres predispostos ao mal por sua natureza, e condenados por toda a eternidade. Se não são obras de Deus, seriam, pois como ele, de toda a eternidade, ou então haveria várias potências soberanas”.

“A primeira condição de toda doutrina é de ser lógica. Ora, a dos demônios, em seu sentido absoluto, peca por essa base essencial”.

“Compreende-se que na crença de povos atrasados, que não conheciam os atributos de Deus, fossem admitidas as divindades malfazejas, como também os demônios, mas, é ilógico e contraditório para aqueles que fazem da bondade de Deus um atributo por excelência, supor que ele possa ter criado seres devotados ao mal e destinados a praticá-lo perpetuamente, pois isso nega sua bondade. Os partidários da doutrina dos demônios se apoiam nas palavras do Cristo. Não seremos nós quem conteste a autoridade dos seus ensinamentos, pois os desejamos ver mais no coração que na boca dos homens. Mas estarão bem certos do sentido que ele dava à palavra demônio? Não se sabe que a forma alegórica era um dos caracteres distintivos da sua linguagem? Tudo o que o Evangelho contém deve ser tomado ao pé da letra? Não precisamos de outra prova além desta passagem: “Logo após esses dias de aflição, o Sol obscurecerá, e a Lua não derramará mais sua luz, as estrelas cairão do céu e as potências celestes serão abaladas. Digo-vos, em verdade que esta geração não passará sem que todas estas coisas se tenham cumprido” ”.

“Não temos visto a forma do texto bíblico ser contradita pela ciência no que se refere à criação e ao movimento da terra? Não pode ocorrer o mesmo com certas figuras empregadas pelo Cristo, que deveria falar de acordo com os tempos e os lugares? O Cristo não poderia dizer, conscientemente, uma coisa falsa. Assim, pois, se em suas palavras há coisas que parecem chocar a razão, é porque não as compreendemos ou as interpretamos mal”.

“Os homens fizeram com os demônios o que fizeram com os anjos; da mesma forma que acreditaram em seres perfeitos de toda a eternidade, tomaram os Espíritos inferiores por seres perpetuamente maus. Pela palavra demônio devem, pois, se entender os espíritos impuros que, freqüentemente não valem mais do que as entidades designadas por esse nome, mas, com a diferença de que este estado é transitório. São os Espíritos imperfeitos que murmuram contra as provas que devem suportar, e que, por isso, suportam-nas por mais tempo; chegarão, porém, por seu turno, a sair desse estado quando o quiserem. Poder-se-ia aceitar então a palavra demônio com esta restrição. Mas, como é entendida num sentido exclusivo, poderia induzir ao erro fazendo crer na existência de seres especiais, criados para o mal”.

“Com relação a Satanás, é evidentemente a personificação do mal sob uma forma alegórica, pois não se poderia admitir um ser mau a lutar, de potência a potência, com a Divindade e cuja única preocupação seria a de contrariar os seus desígnios. Precisando o homem de figuras e de imagens para impressionar a sua imaginação, ele pintou os seres incorpóreos sob uma forma material, com atributos lembrando as suas qualidades ou os seus defeitos. É assim que os antigos, querendo personificar o tempo, pintaram-no com a figura de um ancião portando uma foice e uma ampulheta; a figura do homem jovem seria um contra-senso”.

“A mesma coisa se verifica com as alegorias da fortuna, da verdade, etc.”.

“Modernamente, os anjos ou Espíritos puros, são representados por uma figura radiosa, com asas brancas, símbolo da pureza; Satanás com dois chifres, garras e os atributos da animalidade, emblemas das paixões inferiores. O vulgo, que toma as coisas pela letra, viu nesses emblemas um indivíduo real, como outrora vira Saturno na alegoria do Tempo”.

Certa feita, numa livraria de BH, vimos em exposição o livro “Possessão Espiritual” da Dra. Edith Fiore. Como o tema desperta-nos certo interesse, compramo-lo achando se tratar de um livro publicado por alguém ligado à Doutrina Espírita. Qual não foi nossa surpresa ao constatar que a autora, psicoterapeuta, doutorada em Psicologia Clínica na Universidade de Miami, não tinha nada de espírita. Entretanto achamos oportuno incluí-lo, neste estudo, justamente por este motivo.

Aliás, é de se admirar que após identificar pacientes com possessão dando, inclusive, aos seus leitores condições de saber quando uma pessoa está possessa e como tratá-la ela ainda diz: “Depois de todos estes anos que passei trabalhando com espíritos, freqüentemente “lutando” com alguns teimosos, confusos, hostis e aterrados ainda não estou cem por cento convencida de que eles não são fantasias da imaginação”. É o grande dilema da maioria das pessoas de não quererem modificar atitudes, comportamentos ou conhecimentos adquiridos anteriormente, é o medo frente ao novo, de encarar algo que não vai de encontro ao que lhe foi ensinado, cuja dúvida consiste em: e se o novo estiver errado o que farei após abraçar essa nova idéia ou pensamento?

Mas voltemos ao livro. A Dra. Edith Fiore utilizava como técnica de terapia a hipnose, baseando-se principalmente na regressão de memória, em busca da solução dos problemas comportamentais de seus pacientes. Foi justamente esta técnica que a colocou frente a frente com o problema da possessão espiritual. Pacientes submetidos à hipnose entravam em transe profundo e “deixavam” submergir comportamentos que em nada tinham a haver com a sua maneira tradicional de agir, parecendo serem outra pessoa. Além disto outros pacientes se queixavam de ter alguém dentro deles, minava-lhes a resolução de fazer regime, de parar de fumar ou de beber, etc.. Conforme ela diz, esses pacientes falavam muito abertamente dos seus conflitos, porque presumiam estar falando de duas partes diferentes da sua personalidade que estariam em guerra dentro deles mesmo. Assim, afirma: “Comecei a ouvir, a interpretar tais observações como indícios possíveis de possessão. Desde que me dei conta desse fenômeno, descobri que pelo menos setenta por cento dos meus pacientes eram possessos e que essa situação lhes causava a moléstia". Aqui, diante deste índice – 70%, nos lembramos da resposta dos espíritos a Kardec sobre a influência dos espíritos; “A esse respeito sua influência é maior de que credes, porque, freqüentemente, são eles que vos dirigem”. Com o livro da Dra. Edith Fiore vemos estes fatos se confirmarem no dia a dia das pessoas.

No capítulo terceiro, cita observações históricas sobre a possessão espiritual, mostrando, primeiramente, passagens do Evangelho onde Jesus expulsava os espíritos (por coincidências já citadas por nós) para depois citar algumas culturas que tinham estas idéias bem definidas, como por exemplo: a China, o Japão e a Índia. Neste último país a antiga religião, cuja base era o livro sagrado Vedas, fala que desencarnados ignorantes ou maldosos saem à procura de pessoas vivas para que possam possuir. Também não deixa de nomear alguns psiquiatras que concordam com essa idéia, o exemplo de: Dr. Carl Wickland, Dr. Arthur Guindaham e Adam Crabtree.

Em seu trabalho, a Dra. Edith Fiore conseguiu identificar a extensão dos efeitos da possessão:

sintomas físicos – fadiga; dores, mais freqüentemente de cabeça, incluindo a enxaquecas; síndrome pré-menstrual com edema (retenção de água); falta de energia ou exaustão; insônia; cãibras; obesidade com hipertensão resultante; asma e alergias, etc.;
problemas mentais – grande quantidade de problemas mentais resulta da intervenção de espíritos;
problemas emocionais – como ansiedade, temores e fobias;
inclinação para as drogas e para o álcool;
inclinação pelo fumo;
problema de peso e obesidade;
problema de relacionamento;
problemas sexuais, inclusive casos de homossexualismo.
A conclusão que a Dra. Edith chegou da influência espiritual é alarmante. A influência dos espíritos atingindo uma pessoa provoca como conseqüência problemas de várias ordens que serão solucionados à medida que se fizer o que ela chamou de “despossessão”, ou seja, fazer com que o espírito deixe de praticar a possessão sobre sua vítima. Ficamos, então, de acordo com a Dra. Edith Fiore quando cita as conseqüências da influência espiritual.

Falaremos um pouco mais dos problemas mentais como conseqüências da influência espiritual.

A ciência oficial tinha que a loucura era proveniente de deficiência orgânica, ou seja, a pessoa louca tinha um problema físico qualquer que era a causa de seu estado mental.

A psiquiatria, ramo da ciência, que se ocupa de estudar, diagnosticar e tratar dos problemas mentais, em sua evolução passou a constatar “loucos” sem qualquer problema orgânico, o que ficava claro que a causa deveria ser de outra natureza.

É aqui que entra o trabalho de alguns médicos, que acima de tudo, tem como preocupação básica a cura de seus pacientes, pouco se importando em gastar o tempo com pesquisas, leitura de livros, etc..

Assim é que iremos citar o Dr. Inácio Ferreira, formado em medicina no Rio de Janeiro, cujo trabalho foi dirigir um sana-tório em Uberaba lá pelo ano de 1.910. O grande desafio a vencer era que o sanatório foi fundado e tinha a orientação de Espíritas, e àquela época a perseguição ao Espiritismo era tremenda.

Apesar de não ser espírita, quando assumiu a direção, foi atento observador do trabalho desenvolvido pelos Espíritas no tratamento de alguns casos de loucura e, diga-se de passagem, os que não tinham como origem problemas físicos. Preocupado em divulgar tudo o que aprendeu neste período lançou o livro “Novos Rumos à Medicina”, volumes I e II, onde aborda claramente a loucura originada por influência espiritual.

Com o passar dos anos, assumiu a postura de ser Espírita, abraçando as técnicas que a Doutrina Espírita se utiliza para tratar destes casos.

Neste período foram curados de influência espiritual 426 indivíduos. Este número é suficiente para comprovar que real-mente a influência espiritual, em alguns casos, pode levar uma pessoa a ter um comportamento de louco.

Aqui ficamos a pensar quantas pessoas não foram levadas ao tratamento por eletrochoques e a ingerir psicotrópicos sem serem realmente loucos, e quantos ainda irão sofrer da mesma maneira. Mas, infelizmente é o preço que a humanidade paga por não aceitar em definitivo que a influência espiritual é uma realidade.

Bibliografia
Novo Testamento. São Paulo, SP, LEB - Edições Loyola, 1984.
O Livro dos Espíritos, Allan Kardec; tradução de Salvador Gentile, revisão de Elias Barbosa. Araras, SP, IDE, 37ª Edição, 1987.
Possessão Espiritual, Dra. Edith Fiore. São Paulo, SP, Editora Pensamento, 9ª Edição, 1995.
Novos Rumos à Medicina, Dr. Inácio Ferreira, FEESP, São Paulo, SP, volume I, 1ª edição, 1990.


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ROSINEI FESTINALLI em 01 de Setembro de 2009, 14:12
Olá Elsamar, que bom tu ter abordado esse assunto, muito interessante, acredito que sofremos mais infuência espiritual do que imaginamos, vou acompanhar de perto......abraços fraternos


ROSINEI :D :D
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 01 de Setembro de 2009, 17:24
Olá a todos,

Antes de mais, quero agradecer todas as mensagens de boas vindas ( hcancela, ROSINEI).
Só mais logo poderei ler com mais atenção todas as vossas colaborações, pois algumas são muito extensas.

Entretanto não queria deixar a amiga Maria Eduarda sem uma resposta.
Efectivamente poderá colocar essa questão no quadro das "Perguntas frequentes", parece-me mais apropriado.

 :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: sbudik em 01 de Setembro de 2009, 20:43
Olá, livre arbítrio é ter oportunidade para escolher o que você “julgar” melhor para você, assim como as pessoas ou espíritos ao seu redor, se você assim permitir estarão sempre contigo.

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 01 de Setembro de 2009, 21:42
Troque, amigo sbudik, "poder" por opção ou oportunidade que a resposta fica correta.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Taprobana em 02 de Setembro de 2009, 00:36
Boa noite.


Somos informados que o pensamento é a linguagem universal dos espiritos, a vestimenta que cobre ou desnuda, revelando o nível espiritual, desprovido de subterfugios ou camuflagens que falseiam a identidade. Admitida a hipotese de que não há como separar o pensamento do espirito, não há outro caminho que não seja o de sermos aquilo que pensamos. Ou seja, há um sentido nessa rota: materializamos na forma de palavras ou atos aquilo que pensamos e, por sua vez, somente pensamos aquilo que sentimos.

Excelente dedução amigo Diegas. Não parece ser possível que, baseado na hipótese que coloca na qual o pensamento é um atributo do espírito, as coisas não se passem de forma exacta e concordante com as afirmações proferidas pela espiritualidade acerca das formas vivas do pensamento.

Assim sendo, à influência que poderá ser exercida pelos espíritos não encarnados terá forçosamente de corresponder também uma influência em sentido oposto, ou seja, dos espíritos encarnados sobre os livres. Portanto, a figura do “obsessor” pode surgir de forma independente da condição do indivíduo, ou seja, de estar ou não encarnado. Por outro lado, a classificação dos espíritos por categorias ou patamares evolutivos é valida tanto para o mundo espiritual como para o mundo material, pois os espíritos que habitam de forma sequencial uma e outra esfera são os mesmos.

Esta sua dedução explica também de forma clara e inequívoca os mecanismos de afinidades que são responsáveis pelas comunidades sociais criadas entre os indivíduos que comungam das mesmas vontades. Parece ser inevitável que não exista outro caminho que não seja de sermos aquilo que pensamos, sendo que, penso que concordará, que fruto de um processo evolutivo, essa indentidade vai sendo alterada pela vivencia e pela experimentação que afecta o individuo, transformando assim as suas formas pensamento e subsequentemente também aquilo que ele é.



O céu ou o inferno tá dentro de cada um de nós, seja aqui ou acolá, ou em qualquer outro lugar que estiver o nosso pensamento. Estaos contantemente sendo influenciados, positiva ou negativamente, quer seja por encarnados como pelos desencarnados. O importante é que saibamos treinar o pensamento, elevando-o cada vez para o mais alto. Viver com alegria e otimismo, afasta-nos dos entulhos e dos escorpiões sombrios.

Ao contrário do que habitualmente acontece hoje estamos em perfeita consonância de pensamentos e ideias.  :D

No entanto surge agora a necessidade de definir estas duas ideias fundamentais que expressa. O que significa elevar o pensamento cada vez mais alto? Viver com alegria e optimismo são objectivos que podem ser atingidos de formas imensamente diversas pois essa alegria e esse optimismo só são possíveis de ser vivenciados quando as vontades individuais de cada um são permitidas pelas noções de bem e de mal adoptadas individual e colectivamente. Assim é necessário determinar aquilo que é o bem e aquilo que é o mal pois será essa noção intima que determinará a vida no céu ou no inferno… e essas vontades são infinitamente diversas.  ::)

Um abraço amigo Diegas.

Taprobana
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: lemari em 02 de Setembro de 2009, 00:58
olá, boa noite à todos!! Esse assunto realmente é interessante, em determinadas situações, geralmente as desagradáveis, como uma discussão com meu marido, por exemplo,  ás vezes percebo que falo coisas que não estou sentindo, assumo uma postura, que de repente eu paro e falo comigo mesmo, opa, não sou eu! Essas idéias não são minhas. é incrível como acontece. Por isso, nada como nosso antigo orai e vigiai, assim temos menos chances de sermos influenciados por irmãozinhos menos felizes.

Muita luz para todos!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Rebeka Morena em 02 de Setembro de 2009, 00:59
vou procurar acompanhar  usto muito me interessa
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 02 de Setembro de 2009, 01:05
Caros amigos e amigas,

ao fim de um dia de estudo podemos já reter algumas ideias:

Diegas
Somos informados que o pensamento é a linguagem universal dos espiritos, a vestimenta que cobre ou desnuda, revelando o nível espiritual, desprovido de subterfugios ou camuflagens que falseiam a identidade. Admitida a hipotese de que não há como separar o pensamento do espirito, não há outro caminho que não seja o de sermos aquilo que pensamos. Ou seja, há um sentido nessa rota: materializamos na forma de palavras ou atos aquilo que pensamos e, por sua vez, somente pensamos aquilo que sentimos.

O céu ou o inferno tá dentro de cada um de nós, seja aqui ou acolá, ou em qualquer outro lugar que estiver o nosso pensamento. Estamos constantemente sendo influenciados, positiva ou negativamente, quer seja por encarnados como pelos desencarnados. O importante é que saibamos treinar o pensamento, elevando-o cada vez para o mais alto. Viver com alegria e otimismo, afasta-nos dos entulhos e dos escorpiões sombrios.

Guilherme D.
O desvirtuamento dos pensamentos, bem como a vida desregrada, faz com que o espírito encarnado rebaixe sua frequência vibratória e deixe seu psiquismo e perispírito vulneráveis à investida dos perseguidores das trevas. Com o perispírito enfermo do encarnado, a entidade trevosa encontra terreno de fácil acesso, e rapidamente promove uma espécie de "conexão". Desta forma, ele passa a influenciar a mente do espírito invigilante.

Taprobana
Parece ser também importante aproveitar a oportunidade para afirmar a falta de sustentação racional que tem a ideia de que existem espíritos malignos e diabólicos que são os responsáveis pelas desgraças que se desencadeiam no percurso individual de vida. Sendo o mundo espiritual o nosso próprio mundo este não pode ter outra forma que não seja aquele que perfeitamente já conhecemos através da nossa vivencia presente que nos apresenta um leque de tipologias de personalidade diversificada.


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 02 de Setembro de 2009, 01:15
Taprobana
Não parece ser possível que, baseado na hipótese que coloca na qual o pensamento é um atributo do espírito, as coisas não se passem de forma exacta e concordante com as afirmações proferidas pela espiritualidade acerca das formas vivas do pensamento.

Assim sendo, à influência que poderá ser exercida pelos espíritos não encarnados terá forçosamente de corresponder também uma influência em sentido oposto, ou seja, dos espíritos encarnados sobre os livres. Portanto, a figura do “obsessor” pode surgir de forma independente da condição do indivíduo, ou seja, de estar ou não encarnado. Por outro lado, a classificação dos espíritos por categorias ou patamares evolutivos é valida tanto para o mundo espiritual como para o mundo material, pois os espíritos que habitam de forma sequencial uma e outra esfera são os mesmos.

Atlante
Os bons Espíritos não influenciam, eles aconselham ( parece a mesma coisa mas não é ). Por isso deixam sempre as decisões para nós mesmos. É igualmente por esta razão que eles não medem forças com os Seres ignorantes.
Para além disso, eles os bons, sabem que para aprendermos temos que viver e, se sofremos más influências, é porque isso é necessário ao nosso aprendizado.
Por vezes dramatizamos demasiado as coisas mas a vida no mundo físico não é nenhum drama, ela é uma escola de aprendizado e de tomada de consciência.

Aqueles que são influenciados por irmãos ignorantes quantas vezes terão influenciado outros, de forma negativa, quando se encontravam no plano Espiritual? A lei de causa e efeito sempre funcionando.
Um conselho é bem intencionado e deixa sempre, mas sempre, a decisão para nós. Numa influência, venha de onde vier, o outro procura sempre tomar a decisão que nos compete.

Susana
A influencia adveem da insegurança, da imaturidade do Espirito.

O conselho pela seu conhecimento de si mesmo, maturidade.

Por esta questao ser tão importante desenvolver o autoconhecimento.

Pois as pessoas agem motivadas por emoções e sentimentos. Por isso, ao analisar questões sobre o que poderá ser nosso ou sugestionado, devemos ter em conta que nao devemos usar apenas a razão. Assim teriamos apenas uma visão parcial das mesmas. Não dá para avaliarmos uma situação deste genero sem compreendermos o que somos, e as transformações interiores necessárias, sem aplicarmos em simultaneo o pensar e o sentir.

Já que Pensar é um acto, Sentir é um facto.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 02 de Setembro de 2009, 01:26

Vou reiterar na sugestão do Vasco e convidar cada um de vós a fazermos um exercício de autoconhecimento.
Analisemos a Escala Espírita e vejamos em que classe de espíritos nos enquadramos.

Uma boa noite para todos. :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Anderson - Brasil em 02 de Setembro de 2009, 02:39
Amigos

Este é um tema muito bom.
Somo influênciados constantemente, segundo os espíritos disseram a Kardec: "tanto que muitas vezes são eles que vos conduzem".

Como notar a influência ?

Um arrepio é uma sensação muito básica e notória.
O perigo quanto a influência negativa é quando misturamos os pensamentos dos irmãos infelizes aos nossos e tomamos a idéia como nossa própria.
Quando estamos estamos cercados por eflúvios de idéias alheias fortemente magnetizadas por desencarnados ficamos mergulhados em sentimentos, nossa mente assiste a argumentos fortes para apoiar a idéia dos interessados espirituais.
A esperteza dos irmãos infelizes está em escolher algo de nossas más tendências que podem lhes facilitar a associação mental. Um vício, a ira, inveja, sexualidade exacerbada. Todos nós temos um calcanhar de aquiles.
Por isso devemos nos conhecer muito para tentar eliminar estas fraquezas.

Anderson Neomar Gomes
São Francisco do Sul -SC - Brasil.
Centro Espírita Caminho da Luz
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: cirlene em 02 de Setembro de 2009, 03:12
É muito importante estarmos sempre estudando o Livro dos Espiritos. Obrigada......Parabéns não sei ao certo como participar corretamente do estudo, mas obrigada...Cirlene
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2009, 03:57
Em que sentidos se processam as influências espirituais?

- de desencarnados para encarnados
- de encarnados para desencarnados
- de encarnados para encarnados
- de desencarnados para desencarnados

todas estas influências são passíveis de acontecer?


Olá, Elsamar

Creio não haver necessidade de muitas elucubrações para compreendermos que o mundo dos encarnados representa uma miniatura do que se passa no plano espiritual, pois aqui convivemos com espiritos em vários estagios evolutivos, desde o mais primitivo até o arcabouço de um espirito de graduação elevada. Não há como neste convivio fingirmos que não sofremos influencia alheia ou que também deixamos de influenciar os outros, servindo de bom ou mau exemplo.  

Não percebo muita diferença entre um encarnado com a condição de um desencarnado, a não ser a de estarmos limitados por uma roupagem adicional. Portanto, todas as situações listadas por voce não são só passíveis de acontecer, mas acontecem naturalmente, e de forma persistente, queiramos ou não.


Abç

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2009, 04:23
'...Portanto, a figura do “obsessor” pode surgir de forma independente da condição do indivíduo, ou seja, de estar ou não encarnado...'

Olá, Taprobana

Às vezes, radicalizo, concluindo que o ser humano torna-se obsessor de si mesmo, tal a insanidade e o desvario da sociedade.  


Citar
'...que fruto de um processo evolutivo, essa indentidade vai sendo alterada pela vivencia e pela experimentação que afecta o individuo, transformando assim as suas formas pensamento e subsequentemente também aquilo que ele é...

Também estou de pleno acordo contigo (milagres existem e devem ser comemorados !!... :D)

Assim como já passamos pela fase infantil, somos mutantes no tempo e no espaço, aprimorando incessantemente a nossa maneira de ser. Em determinados momentos somos aprendizes; noutros, assumimos a postura de instrutores e/ou genitores, colocando em pratica a fórmula evangelica: Dar de graça aquilo que gratuitamente receber.


Abç

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Itam em 02 de Setembro de 2009, 07:06
Irmãos comecei a acompanhar hoje esse tópico das influencias dos espíritos e confesso que mexeu muito comigo me chamando a atenção as coisas que ando fazendo nao que seja coisas ruins mais erro como todo ser humano e me afasto as vezes de procurar melhorar como pessoa e como um espírito encarnado que sei que sou e me entrego as coisas da vida que nao são bom para nós msm muito obrigado espero poder participar mais ! muito obrigado !
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 02 de Setembro de 2009, 12:06
Bom dia a todos.

Vou pegar nas palavras do amigo Anderson,

Somo influênciados constantemente, segundo os espíritos disseram a Kardec: "tanto que muitas vezes são eles que vos conduzem".

Como notar a influência ?

Um arrepio é uma sensação muito básica e notória.
O perigo quanto a influência negativa é quando misturamos os pensamentos dos irmãos infelizes aos nossos e tomamos a idéia como nossa própria.
Quando estamos cercados por eflúvios de idéias alheias fortemente magnetizadas por desencarnados ficamos mergulhados em sentimentos, nossa mente assiste a argumentos fortes para apoiar a idéia dos interessados espirituais.

e agora pergunto-vos: Como distinguem os vossos pensamentos, dos outros, daqueles que vos estão a ser induzidos?
Vou ajudar com um exemplo prático:

Há treze anos atrás conheci uma pessoa, que me marcou, muito positivamente.
Depois, por razões da vida, perdemos o contacto. Nunca me esqueci dessa pessoa durante todos estes anos. Há uma semana atrás, surgiu-me uma ideia: coloquei o seu nome no Google e qual não foi o meu espanto, apareceram algumas referências a esse nome e encontrei um número de telemóvel. Mandei mensagem e voltamos a falar, assim de repente. Venho a saber agora que essa pessoa também se lembrava muitas vezes de mim e tinha muitas saudades.

Eu pergunto, como posso eu saber se a ideia de pesquisar o nome na net foi minha ou se fui conduzida a isso?
Se foi uma influência espiritual, como posso saber, se é uma boa ou má influência? Porque se naquela atura nos separamos, porque é que agora nos voltamos a encontrar?

Espero a vossas opiniões.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ceci em 02 de Setembro de 2009, 12:10
Sempre achei muito interessante este tema. Precisamos nos policiar a todo momento p/ q/ ñ ocorra influencias em nossas atitudes e pensamentos, Olhai e Vigiai sempre.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dodozito em 02 de Setembro de 2009, 12:14
Poderiamos lembrar também que nem tudo é influencia dos espíritos como muita gente faz da infeliz escolhas que fazem, obra de espíritos levianos.


Muita paz!  ;D
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dodozito em 02 de Setembro de 2009, 12:20
Querida Elsamar, dando corda ao caso que te ocorreu, se foi ou não influencia espiritual é uma coisa realmente difícil de se distinguir. Aos Espíritos bons não é de interesse, creio eu, ser reconhecidos pelas boas ações e pensamentos. Se for algo resultante que lhe cause bem, creio eu ser inspiração do Mais Alto sempre, mas idéias diretamente dirigidas nem sempre. Afinal. se não podemos ter nossas próprias idéias, quem seremos do lado de lá se não tivemos condições de ter idéias por nós mesmos? Joguetes a viver escolhendo opiniões?
Bom pra refretir né? :)

Muita paz e seja muito feliz com o reencontro do amigo !
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Ramon em 02 de Setembro de 2009, 13:21
Vamos a um exemplo prático e de fácil observação.
Os espíritos podem influenciar inclusive na sua vida física?
Se podem, como fica a sua vida psicológica e social, depois?
Poucos estão a pensar nas conseqüências espirituais.
Como está sendo a vida do Júlio César depois do que lhe aconteceu?
Sua vivência anterior no movimento espírita lhe dá algum respaldo psicológico?
Por outro lado, veja que se você tomar conhecimento do que aconteceu com o Júlio já terá recebido influência espiritual do encarnado e do desencarnado.
Depois diga-me se você é a mesma pessoa (não foi influenciada) pelo caso descrito no “ACONTECEU COMIGO”.
Se não deseja ser influenciado não clique no endereço abaixo.

http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/aconteceu-comigo/ (http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/aconteceu-comigo/)

Se deseja ver o que aconteceu com ele e comigo, clique. Mas será influenciado e não diga que não avisei.

Ramon
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Ramon em 02 de Setembro de 2009, 13:37

PERCEBERAM QUE JÁ INFLUENCIEI VOCÊS, QUALQUER QUE SEJA A DECISÃO?
MAS, SEM QUERER INFLUENCIAR, MAS JÁ INFLUENCIANDO, COMO DIZ O JÔ, ACHO QUE EXAMINAR O CASO JÚLIO NÃO É BOM NEGÓCIO.

http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/aconteceu-comigo/30/ (http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/aconteceu-comigo/30/)

RAMON 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dodozito em 02 de Setembro de 2009, 13:58
Caro Ramón, creio que qualquer ideia influencia, porém nao ponhamos o cavalo na cela, um fato ou idéia pode sim influenciar mas nunca interfere totalmente na escolha de acreditar ou não, de acatar ou ignorar, de ser ou nao ser...
Se não fosse assim então não seria necessário o aviso para nos vigiarmos, nos policiarmos, pois não haveria razão se tudo nos influenciasse.

Abraços meu amigo :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Ramon em 02 de Setembro de 2009, 14:09

 O bom obsessor não desiste "nunca". "água mole em pedra dura...", lembra?

 Outro exemplo. Ser contra ou à favor do aborto é decisão pessoal, mas os argumentos podem influenciar nessa mudança. Exemplo, mais uma vez prático. Não esqueça que influenciei você a me oferecer resposta, anteriormente.
Agora pergunto: você é contra ou a favor do aborto? O que acha do titânio como solução imediata? Esta é a tecnica!!!! Com isso estou a influenciar outros.

http://www.forumespirita.net/fe/off-topic/titanio-na-prevencao-do-aborto-criminoso/ (http://www.forumespirita.net/fe/off-topic/titanio-na-prevencao-do-aborto-criminoso/)


Ramon

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 02 de Setembro de 2009, 14:26
Olá amigos(as)


Os Espíritos nos influenciam? Como isto se dá? É a todo o momento? E o nosso livre-arbítrio? Será que não pensamos pela nossa própria cabeça? Como distinguir o que é nosso daquilo que os Espíritos nos sugerem? Eis algumas das várias perguntas que se poderia fazer sobre o tema, sem a pretensão de respondê-las, mas somente com o intuito de exercitar o nosso pensamento.

Quem nunca ouviu falar do "Saci-Pererê", do "Homem do Saco" e do "Lobisomem"? Quem nunca ouviu falar de lugares assombrados? Quem nunca ouviu uma história sobre os castelos enfeitiçados? A presença de uma força oculta não é apanágio do dias que correm. Na Antigüidade, os homens da caverna já mantinham contato com o mundo espiritual, denotando que os Espíritos e mediunidade sempre existiram. J. H. Pires, no livro O Espírito e o Tempo, descreve os vários horizontes alcançados pelo homem, relacionando-os à maneira de se tratar com o sagrado e conseqüentemente o modo como fomos sendo influenciados pelos Espíritos ao longo de tempo.

Que os Espíritos nos influenciam não resta dúvida. Mas como separar a idéia sugerida pelo Espírito daquela que é nossa? Às vezes eles nos deixam ver claro, quando o fazem através dos ruídos, batidas, ou mesmo tocando-nos; outras vezes são tão sutis que não conseguimos separar uma coisa da outra. É o caso, por exemplo, de se querer distinguir entre a inspiração e a intuição no campo da mediunidade. Na intuição a idéia é da própria pessoa; enquanto na inspiração é o sopro de um Espírito amigo. Temos um pensamento brilhante: ele foi nosso ou de um amigo? Como assegurarmos com certeza de quem foi?

Somos mais passíveis de receber a influência dos Espíritos inferiores do que a dos Espíritos superiores. Por que? É que o nosso pensamento enovelado nos sentimentos sensíveis não consegue vislumbrar as luzes do mundo mais ditoso. Dado o nosso apego à matéria, os apelos à sensação, ao gozo, à distração são mais fáceis de serem captados. Observe o alcoólatra. Mal levanta, já lhe vem a idéia de beber. É o fenômeno da fixação mental, da idéia fixa, cuja causa inicial foi um descuido, uma abertura de nossa mente para o vício. Depois, enfraquecidos, o Espíritos menos felizes apoderam-se de nossa vontade e dominam-nos sem pena.

Os Espíritos superiores, pelo contrário, não nos molestam e não nos obrigam a fazer isso ou aquilo. Eles simplesmente sugerem-nos pensamentos elevados, que se traduzem na prática do bem. Não é, todavia, uma tarefa fácil, porque incitam-nos a entrar pela porta estreita, visto ser largo é o caminho da perdição e são muitos os que por ele se desviam. Como somos refratários às sugestões do bem, os Espíritos inferiores tomam a dianteira e assim vamos indo de existência em existência.

Sermos influenciados pelos bons ou maus Espíritos depende muito mais de nós do que imaginamos. Perseverando no bem estaremos naturalmente sendo amparados pelos bons Espíritos. Esforcemo-nos por tal empreendimento.


São Paulo, 25/02/1998
Sérgio Biagi Gregório

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dodozito em 02 de Setembro de 2009, 14:31

 O bom obsessor não desiste "nunca". "água mole em pedra dura...", lembra?

 Outro exemplo. Ser contra ou à favor do aborto é decisão pessoal, mas os argumentos podem influenciar nessa mudança. Exemplo, mais uma vez prático. Não esqueça que influenciei você a me oferecer resposta, anteriormente.
Agora pergunto: você é contra ou a favor do aborto? O que acha do titânio como solução imediata? Esta é a tecnica!!!! Com isso estou a influenciar outros.

http://www.forumespirita.net/fe/off-topic/titanio-na-prevencao-do-aborto-criminoso/ (http://www.forumespirita.net/fe/off-topic/titanio-na-prevencao-do-aborto-criminoso/)


Ramon



Será que voce influenciaria minhas opiniões caso eu soubesse da sua intensão? Jamais caso eu nao começasse a conversa pedindo o "concelho".
Será que entao influenciaria caso eu nao soubesse a intensão que voce tem em me passar as idéias ou simplesmente perguntar?
Isso foi o que eu quis dizer, depende muito da minha vigilancia. Quanto a eu te responder, creio que sim, foi por influencia, mas eu acho que nao é de desencarnado pra encarnado como baseia os estudos deste mês.
Bem, estamos aqui para evoluir e então creio que a tudo estamos sujeitos, influenciações é claro existem, só pelo fato de eu ter dito que nao raro as pessoas confundem que sao os espiritos a influenciarem, nao significa que eu generalizei tudo e todas as escolhas das pessoas sendo influenciadas ou não.

:)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mirca em 02 de Setembro de 2009, 14:32
Olá Elsamar  e todos os integrantes!
Bonito este teu nome... tudo o que lembra o mar me dá a impressão de grandioso, intenso, limpo, dinâmico... :-)
É minha estréia neste tipo de estudo virtual e já começo com um tema, que eu acredito, ser de vital importância, a todos os seres (humanos ou não, encarnados ou não).
Meu tempo será curto tanto para ler quanto para participar, mas sempre que puder estarei por aqui.
Isto porque o que mais me chama a atenção em meus esforços por me tornar alguém melhor é a resposta que os Benfeitores deram a Kardec em O Livro dos Espíritos:
459. Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos?
“Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que
vos dirigem.”
Penso que a grande maioria de nós, na nossa ainda tão comprometida consciência, quando tentamos educar nossos sentimentos, adquirir hábitos saudáveis e buscar lucidez mental, temos muita dificuldade em mantermo-nos em equilíbrio justamente por não conseguirmos definir com clareza o que é nosso e o que é influència espiritual (por nós concedida ou merecida). Aliado a isso, também está os compromissos assumidos no passado.
Então, parabéns pelo tema!
Já vislumbro grandes as grandes reflexões que teremos o prazer de ler neste espaço.
Minha singela contribuição neste início é de que a prece nos mantém próximos dos Benfeitores, bem como as atitudes edificantes... mas também é importante lembrar o que nos diz o Espírito Joanna De Ângelis, através da psicografia de Divaldo Franco, que, no início do auto-conhecimento, o principal a fazer é observar, reconhecer e não julgar (culpar ou desculpar) o que tem em nós.
Abraços.
Mirca

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Itam em 02 de Setembro de 2009, 15:08
acho que eles influenciam sim mais nem sempre estamos sobre controle dessa influencia vai do nível espiritual de cada um para se submeter a influencia de acordo com o vídeo que vi é mais ou menos da aquele jeito, se sofremos ou nao vai de cada um saber até onde é influencia ou até onde é atitude e idéia tomada de si pro pio, ah e outra coisa nao podemos esquecer que nosso espírito quando estamos em repouso ele se desprende e procura a evolução, aprender o que vc quando estava acordado nao aprendeu ou sejá ele tem uma caracteristica diferente de agir, no meu ver seguimos na maioria das vezes o que é nos impostos nessas aulas que buscamos quando estávamos desprendida do nosso corpo, se vcs perceberam existe duas perçonalidades o do nosso espírito que quando estamos dormindo busca a evolução e quando estamos acordados que se preocupamos a maioria das vezes nas coisas materiais trabalho etc...., as influencias pode ser as nossas deixada por nosso pro pio espírito no caso da irmã  de repente  em uma dessas viagens atral ela se econtro com essa pessoa dai combinaram de se reencontrar de novo e aproximar a amizade por isso ela foi conduzida a ligar e procurar essa pessoa  abraço a todos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Ros em 02 de Setembro de 2009, 15:11
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Todo fenômeno mediúnico comprova a influência dos espíritos no mundo corporal, mas nem todo mundo vive os fenômenos mediúnicos de forma ostensivas.
Em princípio todo o fundador de religião foi um médium e havia algum espírito não satisfeito com o que ele via no plano dos vivos ou dos espíritos encarnados.  
Veja essa postagem minha em outro tópico - Espíritos nos dirigem:
http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-espiritos/a-influencia-dos-espiritos-sobre-nos/msg57523/#msg57523 (http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-espiritos/a-influencia-dos-espiritos-sobre-nos/msg57523/#msg57523)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Kraciunas em 02 de Setembro de 2009, 15:46
Caros
Mais uma vez, lendo os comentários dos colegas, quero crer que: nem lá, nem cá. Sabemos que "eles" existem e podem nos influenciar, porém, como já comentei anteriormente e, outros colegas também, devemos doutrinar primeiramente o maior de nossos obssessores, aqueles que vemos no espelho toda manhã. Temos nossa personalidade formada por uma predisposição genética e a influência do meio. Se preferirem abordar a predisposição genética como uma tendência espiritual e de necessidade de evolução como as impressões e algumas características de vidas passadas, tudo bem, mas Deus não coloca ninguém no mundo para ser ruim; coloca-o para evoluir, portanto, aprender. Volto a mencionar a necessidade da reforma íntima para que, se captarmos as influências do mundo invísivel, que sejam boas e, se não forem, doutrinemos nossos amigos em pensamento para que eles alcancem a luz.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 02 de Setembro de 2009, 16:09
Olá Dodozito,

Afinal se não podemos ter nossas próprias idéias, quem seremos do lado de lá se não tivemos condições de ter idéias por nós mesmos? Joguetes a viver escolhendo opiniões?
Bom pra refretir né? :)

Foi por ter seguido esse raciocinio que eu perguntei no início, se o nosso arbítrio será assim tão livre.

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: bolaboll em 02 de Setembro de 2009, 16:17
Bom dia!

Li os a maioria dos textos referente a esse estudo do mes e me pareceu que não resta outra saída para modificarmos a sintonia com espiritos de baixa sintonia se estamos no padrão ou na mesma onda.
Mas existe sim, um exemplo é a educação de pai e mãe.
Tomando do ponte de partida esse discução do mes, logo estamos informados da influenciação e como se precessa.
Nós samos pais e mães cientes disso e responsáveis pela educação dos nossos filhos e adjacentes por influência devemos perceber quem esta aos nossos cuidados.
Reconhecendo em nossos filhos falta de indole logo sabemos a gama de sintonia a partir dai trabalhamos modificar essa situação colaborando para que haja dados na criança para foralece-la e repelir influências de baixa sintonia.
E existe outras formas para uma mudança de padrão, inclusive melhora o da casa, da rua, do bairro, da cidade, do país e do nosso planeta.
Quer mudar o mundo perceba o seu filho se puder os que estão a sua volta.
abraço

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 02 de Setembro de 2009, 16:19
Olá Elsamar  e todos os integrantes!
Bonito este teu nome... tudo o que lembra o mar me dá a impressão de grandioso, intenso, limpo, dinâmico... :-)
É minha estréia neste tipo de estudo virtual e já começo com um tema, que eu acredito, ser de vital importância, a todos os seres (humanos ou não, encarnados ou não).


Olá Mirca, seja bem vindo.

Só por curiosidade, posso dizer que Elsamar é a junção de Elsa Margarida, mas obrigada, pois quando tive essa ideia (ou será que não fui eu!! :)), também me lembrei do mar.
Esperamos pelas suas opiniões.

Abraço
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Kraciunas em 02 de Setembro de 2009, 16:25
Sem dúvida
Nossas ações no mundo devem repercutir, educar para o bem, para a verdade, para a justiça. Começamos com nossa família, mas podemos pingar aqui e ali uma sementinha com outros encarnados que não sejam os que nos rodeiam. Como mencionei se o meio e que vivemos influencia positivamente a utopia de um mundo regenerado e melhor pode se tornar realidade. Infelizmente o caos da vida moderna coloca os pais em situação difícil, sem tempo para acompanhar o desenvolvimento de seus filhos, delegam tal responsabilidade as escolas, creches, babas, vizinhos, etc.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 02 de Setembro de 2009, 16:50
olá, boa noite à todos!! Esse assunto realmente é interessante, em determinadas situações, geralmente as desagradáveis, como uma discussão com meu marido, por exemplo,  ás vezes percebo que falo coisas que não estou sentindo, assumo uma postura, que de repente eu paro e falo comigo mesmo, opa, não sou eu! Essas idéias não são minhas. é incrível como acontece. Por isso, nada como nosso antigo orai e vigiai, assim temos menos chances de sermos influenciados por irmãozinhos menos felizes.

Muita luz para todos!!

Amiga Lemara,
nas discussões, o que toma partido mais rapidamente é o instinto e este, sabemos, não raciocina.
Quando aliado a algum fator de nervosismo ou raiva, então ele surge na forma como você descreve, por respostas que achamos não serem nossos.
Por favor, não culpe a ninguém senão a você mesma. todos queremos vencer discussões, e quando estas acontecem no recondito do lar, então , nos vendo livres de maiores problemas, deixamos vazar aquilo que mais escondemos, mesmo que, em estado de calma, saibamos não ser o nosso pensamento real.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 02 de Setembro de 2009, 17:24
olá, boa noite à todos!! Esse assunto realmente é interessante, em determinadas situações, geralmente as desagradáveis, como uma discussão com meu marido, por exemplo,  ás vezes percebo que falo coisas que não estou sentindo, assumo uma postura, que de repente eu paro e falo comigo mesmo, opa, não sou eu! Essas idéias não são minhas. é incrível como acontece. Por isso, nada como nosso antigo orai e vigiai, assim temos menos chances de sermos influenciados por irmãozinhos menos felizes.

Muita luz para todos!!

Amiga Lemara,
nas discussões, o que toma partido mais rapidamente é o instinto e este, sabemos, não raciocina.
Quando aliado a algum fator de nervosismo ou raiva, então ele surge na forma como você descreve, por respostas que achamos não serem nossos.
Por favor, não culpe a ninguém senão a você mesma. todos queremos vencer discussões, e quando estas acontecem no recondito do lar, então , nos vendo livres de maiores problemas, deixamos vazar aquilo que mais escondemos, mesmo que, em estado de calma, saibamos não ser o nosso pensamento real.
Abraços,
Moura

Ou seja amigo Moura,

temos tendência para atribuir os nossos pensamentos e actos errados aos espíritos inferiores, mas quando temos uma boa ideia, por norma e por orgulho, pensamos - Que boa ideia EU tive!
E é aí que muitas vezes nos esquecemos de agradecer ao nosso espírito protector. E ele, embora nunca nos abandone, fica triste, pois claro.

É isso?

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Carlos Ribeiro em 02 de Setembro de 2009, 17:27
Pois é Elsa. Quando fazemos algo de bom, o mérito é nosso. Mas quando erramos, a culpa é dos espíritos. Os espíritos têm as costas largas, coitados...
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Kraciunas em 02 de Setembro de 2009, 17:32
Sem dúvida
Nossas ações no mundo devem repercutir, educar para o bem, para a verdade, para a justiça. Começamos com nossa família, mas podemos pingar aqui e ali uma sementinha com outros encarnados que não sejam os que nos rodeiam. Como mencionei se o meio e que vivemos influencia positivamente a utopia de um mundo regenerado e melhor pode se tornar realidade. Infelizmente o caos da vida moderna coloca os pais em situação difícil, sem tempo para acompanhar o desenvolvimento de seus filhos, delegam tal responsabilidade as escolas, creches, babas, vizinhos, etc.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Carlos Ribeiro em 02 de Setembro de 2009, 17:36
Interessante esta palestra (em anexo) de Raul Teixeira sobre este assunto.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 02 de Setembro de 2009, 17:37
Pois é Elsa. Quando fazemos algo de bom, o mérito é nosso. Mas quando erramos, a culpa é dos espíritos. Os espíritos têm as costas largas, coitados...

Olá Carlos,

costas não têm, mas têm de ter muita paciência para nos aturar, sem dúvida :D

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Sílvia Rtto em 02 de Setembro de 2009, 18:19
Amigos,

Vou expor uma dúvida, desculpem se vcs já tiverem respondido, mas ainda não compreendi direito.

Se somos influenciados muito mais do que pensamos pelos Espíritos, se eles nos dirigem, até que ponto então nós temos o controle da nossa vida? nosso livre arbítrio? Essa é a questão que até agora eu não consegui entender.

Porque se o domínio dos Espíritos sobre o nosso agir e pensar é tão grande assim, como alguém que está sendo acompanhado/dominado por Espíritos inferiores se livrará dessa obsessão? Terá sempre que ter ajuda externa? Já que ele não tem o controle sobre sua vontade... Como resolver isso?

Enfim, acho que o importante é tentarmos sempre manter o pensamento positivo, né? Orar e vigiar sempre.

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Itam em 02 de Setembro de 2009, 18:33
olha tenta entender que eles jogam a influencia e vc interage com isso se vc quiser vc tem o livre arbítrio pra saber o que é certo ou errado ...dessa forma fica facio entender um espírito protetor ou melhor dizendo anjo da guarda esta com a gente até enquanto nao fomos corrompido pelo obiscessor porque a partir do momento que aderimos a influencia do obscesso perdemos o controle de nós msm entendeu depende da gente como um irmão disse ai a pouco Orai e vigiai  abraço a todos !
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 02 de Setembro de 2009, 18:45
Amigos do Fórum

Contribuindo para tempestade cerebral que nos assola a todos neste tema, indico a reflexão do termo SINCRONICIDADE, estabelecido por Karl G Jung.
Da Wikipédia:

Sincronicidade é um conceito desenvolvido por Carl Gustav Jung para definir acontecimentos que se relacionam não por relação causal e sim por relação de significado. Desta forma, é necessário que consideremos os eventos sincronísticos não a relacionado com o princípio da causalidade, mas por terem um significado igual ou semelhante. A sincronicidade é também referida por Jung de "coincidência significativa".

O termo foi utilizado pela primeira vez em publicações científicas em 1929, porém Jung demorou ainda mais 21 anos para concluir a obra "Sincronicidade: um princípio de conexões acasuais", onde o expõe e propõe o início da discussão sobre o assunto. Uma de suas últimas obras foi, segundo o próprio, a de elaboração mais demorada devido à complexidade do tema e da impossibilidade de reprodução dos eventos em ambiente controlado.

Em termos simples, sincronicidade é a experiência de ocorrerem dois (ou mais) eventos que coincidem de uma maneira que seja significativa para a pessoa (ou pessoas) que vivenciaram essa "coincidência significativa", onde esse significado sugere um padrão subjacente.

A sincronicidade difere da coincidência, pois não implica somente na aleatoriedade das circunstâncias, mas sim num padrão subjacente ou dinâmico que é expresso através de eventos ou relações significativos. Foi um princípio que Jung sentiu abrangido por seus conceitos de Arquétipo e Inconsciente coletivo.

Acredita-se que a sincronicidade é reveladora e necessita de uma compreensão, essa compreensão poderia surgir espontaneamente, sem nenhum raciocínio lógico. A esse tipo de compreensão instantânea Jung dava o nome de "insight".


Nelson
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mirca em 02 de Setembro de 2009, 19:21
Olá Rossetto e integrantes do Forum:
Para uma de tuas perguntas, eu tenho um comentário:

Porque se o domínio dos Espíritos sobre o nosso agir e pensar é tão grande assim, como alguém que está sendo acompanhado/dominado por Espíritos inferiores se livrará dessa obsessão? Terá sempre que ter ajuda externa? Já que ele não tem o controle sobre sua vontade... Como resolver isso?

Na minha opinião, baseada em leituras e palestras assistidas, nós ainda somos muito limitados, ainda não temos acesso a inúmeros recursos mentais, isto porque ainda somos muito comprometidos com ações do passado, entre outras coisas, mas o que nos indica Jesus, no orai e vigiai, é justamente que nós, através da oração, busquemos a companhia dos Espíritos Benfeitores, os quais respeitam nosso livre-arbítrio e nunca nos influenciarão negativamente.
Daí, teremos condições de ir, lentamente, expandindo nossa consciência e adquirindo cada vez mais força e proteção contra as influências negativas.
Pensamento positivo, sim, e muito, mas é muito importante modificar hábitos e estudar, para sintonizar com a Espiritualidade Maior.
E quando for o caso das obsessões que impedem de o indivíduo exercer seu livre-arbítrio, a Espiritualidade Superior dá um jeito de amolecer o obsessor, para que tanto o obsidiado, quanto o obsessor possa ter uma chance de se recuperar. Não esquecendo que jamais somos ou seremos vítimas, porque não existe injustiça.

Para ilustrar esta afirmação, colo um trecho do livro LIBERTAÇÃO de André Luiz, onde uma mãe roga a um Benfeitor Espiritual a permissão para auxiliar o filho, que há séculos é um obsessor dos piores que a literatura espírita nos descreve.
Este trecho está no Cap. 3 - Entendimento  (peço desculpas pela grafia, pois meu arquivo é muito antigo):

— Irmão Gúbio, agradeço-te o concurso da-divoso. Creio haver chegado, efetivamente, o instante de aceitar-te a ajuda fraterna, em favor da libertação de meu infortunado Gregório. Espero, há séculos, pela renovação e penitência dele. Im-pressionado pelos imensos recursos do poder, no passado distante, cometeu hediondos crimes da in-teligência. Internado em perigosa organização de transviados morais, especializou-se, depois da mor-te, em oprimir ignorantes e infelizes. Pelo endurecimento do coração, conquistou a confiança de gênios cruéis, desempenhando presentemente a de-testável função de grande sacerdote em mistérios escuros. Chefia condenável falange de centenas de outros espíritos desditosos, cristalizados no mal, e que lhe obedecem com deplorável cegueira e quase absoluta fidelidade. Agravou o passivo de suas dívidas clamorosas, trazidas da insânia terrestre, e vem sendo instrumento infeliz nas mãos de ini-migos do bem, poderosos e ingratos... Há cin-quenta anos, porém, já consigo aproximar-me dele, mentalmente.
Recalcitrante e duro, a princípio, Gregório agora experimenta algum tédio, o que constituí uma bênção nos corações infiéis ao Se-nhor. Já lhe surpreendo no espírito rudimentos de necessária transformação.
Ainda não chora sob o guante do arrependimento benéfico e parece-me lon-ge do remorso salvador; entretanto, já duvida da vitoria do mal e abriga interrogações na mente envilecida. Não é tão severo no comando dos espí-ritos desventurados que lhe seguem as determina-ções e o colapso de sua resistência não me parece remoto.
Nesse instante, notei que a venerável matrona derramava lágrimas discretas, que lhe deslizavam na face como sementes de luz.
Parou por alguns momentos, controlada pelas reminiscências dolorosas, e continuou:
— Irmão Gúbio, perdoa-me o pranto que não significa mágoa ou esmorecimento... Na pauta do julgamento humano comum, meu filho espiritual será talvez um monstro... Para mim, Contudo, é a jóia primorosa do coração ansioso e enternecido. Penso nele qual se houvera perdido a pérola mais linda num mar de lama e tremo de alegria ao considerar que vou reencontrálo. Não é paixão doentia que vibra em minhas palavras. É o amor que o Senhor acendeu em nós, desde o princípio. Estamos presos, diante de Deus, pelo magnetismo divino, tanto quanto as estrelas que se imantam umas às outras, no império universal. Não encon-trarei o Céu, sem que os sentimentos de Gregório se voltem igualmente para a Eterna Sabedoria. Alimentamo-nos na Criação com os raios de vida imperecível que emitimos uns para com os Outros. Como surpreender a perfeita ventura se recebo do filho amado tão sômente raios de forças em desvario?
[/i][/i]



Abraços a todos!
Mirca
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: bolaboll em 02 de Setembro de 2009, 19:28
Gostaria que se refletisse no sentido contrário, como seria nossas vidas sem os espiritos?
Entendo que nós ficariamos meio aéria, meio zumbi, temos que ter essa influêciação é como diz nos livros espiritas "os espiritos faz parte da nureza".
ja pensou se não tivemos ar, colar, chuva, frio, dia e noite, se tivemos a lua para sabermos a hora de dormir, movimentar as mares e como serai a gestação e o ciclo menstrual da que é contado no mes lunar.
Como Moises faria com os Hebreus, como um artista ia pintar, o compostor compo e o egenheiro desenhar uma planta.
E nossas orações que ia nos atender nos avaliar o merecimento.
Definitivamente não da para viver evoluir sem nossos companheiros sejam eles de baixa ou alta, pois se obssessores é porque samos devedores, se zombeterios é porque gostamos de ver cassata e planeta e o panico, etc
Sem eles não temos dimens~eos de futuro.
Não é.
Abraço
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 02 de Setembro de 2009, 19:35
Amigos do fórum

Continuando com a questão de possibilidades:da responder a pergunta de Elzamar:

O que se daria na situação em que Maria, virgem desposada (noiva?), não aceitasse a proposta do Anjo Gabriel que lhe anunciava uma gravidez?

Afinal: por que Maria aceitou ????

O que se faria uma mulher nos dias de hoje a seguinte proposta:

Lucas 1:26 Ora, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré,27 a uma virgem desposada com um varão cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria.28 E, entrando o anjo onde ela estava disse:

Salve, agraciada; o Senhor é contigo.29 Ela, porém, ao ouvir estas palavras, turbou-se muito e pôs-se a pensar que saudação seria essa.30 Disse-lhe então o anjo: Não temas, Maria; pois achaste graça diante de Deus.31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus.32 Este será grande e será chamado filho do Altíssimo; o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai;33 e reinará eternamente sobre a casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.

34 Então Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, uma vez que não conheço varão?

35 Respondeu-lhe o anjo: Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus.36 Eis que também Isabel, tua parenta concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril;37 porque para Deus nada será impossível

.38 Disse então Maria. Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela

.39 Naqueles dias levantou-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá,40 entrou em casa de Zacarias e saudou a Isabel.41 Ao ouvir Isabel a saudação de Maria, saltou a criancinha no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo,42 e exclamou em alta voz:

Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre!43 E donde me provém isto, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor?44 Pois logo que me soou aos ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria dentro de mim.45 Bem-aventurada aquela que creu que se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas.

46 Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor,47 e o meu espírito exulta em Deus meu Salvador;48 porque atentou na condição humilde de sua serva. Desde agora, pois, todas as gerações me chamarão bem-aventurada,49 porque o Poderoso me fez grandes coisas; e santo é o seu nome.




Como se respnde a isso, em nosso atual tema?

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 02 de Setembro de 2009, 19:47
Mirca vou tentar por em visão de doutrina partes da mensagem que não apresentam senão faccioso falatório bontio.

"nós ainda somos muito limitados, ainda não temos acesso a inúmeros recursos mentais,(...)"
Não é do acesso aos processos mentais que precisamos mas sim do conhecimento que a doutrina nos propicia para a transformação.

"E quando for o caso das obsessões que impedem de o indivíduo exercer seu livre-arbítrio(...)"

As obsessões terminam sem poderem agir como no comentário. Só interfeririam de forma plena no livre arbítrio se sua ação fosse perene. Apenas os fascinados e os subjugados estes em grau maior, viram ou podem virar joguetes dos Espíritos e por isso é necessário um tratamento abalizado pela casa espírita e por médiuns conscientes do que fazem.
sobre a mensagem:
"Irmão Gúbio, agradeço-te o concurso dadivoso. Creio haver chegado, efetivamente, o instante de aceitar-te a ajuda fraterna, em favor da libertação de meu infortunado Gregório. Espero, há séculos, pela renovação e penitência dele(...)"
A espera reflete apenas o estado de refratariedade experimentado antes pelo Espírito. Não foi por falta de tentativas dos Espíritos mas sim por causa dele mesmo e nisso residem as penas eternas. Eternas enquanto durem, diria o poeta Vinicius de Morais.

"Ainda não chora sob o guante do arrependimento benéfico e parece-me longe do remorso salvador(...)"

O arrependimento, advindo do conhecimento das faltas e na disposições de transformação não se traduz senão em alegria de um porvir mais tranquilo e alegre. E, não há remorso salvador, a doutrina não prevê salvação. O remorso, advindo do tal conhecimento do fato delituoso  do pretérito, se transforma na alegria o ressurgir transformado mais a frente, por inicia própria do antes adoecido.
É tal como um doente, que antes acamado, hoje anda, brinca e ri, alegremente, não choroso.

"Alimentamo-nos na Criação com os raios de vida imperecível que emitimos uns para com os Outros. Como surpreender a perfeita ventura (...)"

Um erro forte. Pela lei de solidariedade, um princípio Espírita, os afins se atraem, logo, semelhante atrai semelhante. Doente atrai doente, sadio atrai sadio.
Neste caso, o doente é do moral logo, só com o seu concurso, se bem que se escutar os avisos e ensinos dos bons espíritos ele possa encontrar a porta de saída, apenas ela pode abrí-la.
O grande problema que se encontra nessas contribuições alienígenas ao corpo codificado é o da interpretação interpolativa, como se vê bem no ditado de André Luis. Ele interpola a mensagem bíblica de acordo com o seu conhecimento, trazendo notícias rasuradas por sua interpretação.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Sílvia Rtto em 02 de Setembro de 2009, 20:12
Mirca,
obrigada pela resposta, concordo com vc.
Que bom que podemos contar com a bondade dos nossos Amiguinhos mais evoluídos.

:)
Título: Quem tem ouvidos: ouça!
Enviado por: nelsonmt em 02 de Setembro de 2009, 20:18
Amigos do Fórum

Continuando:  Arbítrio, significa Julgamento, então Livre Julgamento é nosso direito, e responsabilidade. Por isso Jesus nos disse:

Quem tem ouvidos, ouça

Mas a verdade está oculta, é preciso algumas condições para OUVI-LA. Hoje podemos dizer que é preciso SINTONIA, com o padrão de pensamento.

No entanto é possível fazer algo para compreendê-la: Estudar.

Estudar porem não é bastante, pois a tentação nos alcançará, é preciso Praticar.

O Estudo, e a Pratica, também não serão suficientes pois será preciso se fortalecer com a Fé.

Porem sem a Maturidade Espiritual, obtida pela sabedoria intuitiva de muitas vidas de resistência teremos nosso julgamento capaz de atitudes como a de Maria de Nazaré, e de tantos abnegados servos de Jesus que resistem em sua seara em todos os planos.

Abaixo segue a lição do Mestre Semeador, muito apropriada para nosso estudo:
 Mateus capítulo 13   A interpretação espírita cabe a cada um.


MATEUS 13: 13 Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e ouvindo, não ouvem nem entendem.14 E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, e de maneira alguma entendereis; e, vendo, vereis, e de maneira alguma percebereis.15 Porque o coração deste povo se endureceu, e com os ouvidos ouviram tardamente, e fecharam os olhos, para que não vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, nem entendam com o coração, nem se convertam, e eu os cure.

16 Mas bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem, e os vossos ouvidos, porque ouvem.17 Pois, em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não o viram; e ouvir o que ouvis, e não o ouviram.18 Ouvi, pois, vós a parábola do semeador.19 A todo o que ouve a palavra do reino e não a entende, vem o Maligno e arrebata o que lhe foi semeado no coração; este é o que foi semeado à beira do caminho.20 E o que foi semeado nos lugares pedregosos, este é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria;21 mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e sobrevindo a angústia e a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza.22 E o que foi semeado entre os espinhos, este é o que ouve a palavra; mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e ela fica infrutífera.23 Mas o que foi semeado em boa terra, este é o que ouve a palavra, e a entende; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta.

24 Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeou boa semente no seu campo;25 mas, enquanto os homens dormiam, veio o inimigo dele, semeou joio no meio do trigo, e retirou-se.26 Quando, porém, a erva cresceu e começou a espigar, então apareceu também o joio.27 Chegaram, pois, os servos do proprietário, e disseram-lhe: Senhor, não semeaste no teu campo boa semente? Donde, pois, vem o joio?28 Respondeu-lhes: Algum inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres, pois, que vamos arrancá-lo?29 Ele, porém, disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis com ele também o trigo.30 Deixai crescer ambos juntos até a ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; o trigo, porém, recolhei-o no meu celeiro.

31 Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda que um homem tomou, e semeou no seu campo;32 o qual é realmente a menor de todas as sementes; mas, depois de ter crescido, é a maior das hortaliças, e faz-se árvore, de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos.

33 Outra parábola lhes disse: O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e misturou com três medidas de farinha, até ficar tudo levedado.

34 Todas estas coisas falou Jesus às multidões por parábolas, e sem parábolas nada lhes falava;35 para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta: Abrirei em parábolas a minha boca; publicarei coisas ocultas desde a fundação do mundo.36 Então Jesus, deixando as multidões, entrou em casa. E chegaram-se a ele os seus discípulos, dizendo:

Explica-nos a parábola do joio do campo.37 E ele, respondendo, disse: O que semeia a boa semente é o Filho do homem;38 o campo é o mundo; a boa semente são os filhos do reino; o joio são os filhos do maligno;39 o inimigo que o semeou é o Diabo; a ceifa é o fim do mundo, e os celeiros são os anjos.40 Pois assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será no fim do mundo.41 Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles ajuntarão do seu reino todos os que servem de tropeço, e os que praticam a iniquidade,42 e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá choro e ranger de dentes.43 Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai.

QUEM TEM OUVIDOS, OUÇA.

44 O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido no campo, que um homem, ao descobrí-lo, esconde; então, movido de gozo, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo.

45 Outrossim, o reino dos céus é semelhante a um negociante que buscava boas pérolas;46 e encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e a comprou.

47 Igualmente, o reino dos céus é semelhante a uma rede lançada ao mar, e que apanhou toda espécie de peixes.48 E, quando cheia, puxaram-na para a praia; e, sentando-se, puseram os bons em cestos; os ruins, porém, lançaram fora.

49 Assim será no fim do mundo: sairão os anjos, e separarão os maus dentre os justos,50 e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá choro e ranger de dentes.51 Entendestes todas estas coisas? Disseram-lhe eles: Entendemos.52 E disse-lhes:

Por isso, todo escriba que se fez discípulo do reino dos céus é semelhante a um homem, proprietário, que tira do seu
tesouro coisas novas e velhas.

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: lemari em 02 de Setembro de 2009, 20:54
Amigo Moura, boa tarde, entendi o que vc disse, concordo que não devemos "culpar"  os espiritos por tudo que fazemos de ruim, é que às vezes , nessas situações, antes mesmo de terminar a discussão, assim, no meio dela, percebo certos exageros, algumas atitudes, que não combinam comigo, não é sempre que acontece, mas mesmo que sejam uma influência, eu jamais "culparia" a espiritualidade, já que se fui influenciada, abri as portas para isso, portanto, assimilei bem a idéia, e pronto, o erro é meu!!

Abraços
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 02 de Setembro de 2009, 21:24

Elzamar e amigos do forum



Eu pergunto, como posso eu saber se a ideia de pesquisar o nome na net foi minha ou se fui conduzida a isso?
Se foi uma influência espiritual, como posso saber, se é uma boa ou má influência? Porque se naquela atura nos separamos, porque é que agora nos voltamos a encontrar?

Espero a vossas opiniões.


Penso que a resposta para sua pergunta está no seu desejo de ser FELIZ.

A motivação que a levou fazer a busca, esta condicionada com a oportunidade de fazê-la e com seu julgamento ético que você tinha este direito (pressuposto da amizade do passado), e que, você não nos conta, mas deve ter tomado cuidado para encontrar palavras para sua reaproximação ser de forma uma conveniente a circunstancia, inclusive para se preservar (orgulho) de uma possível ação negativa dele.

Se estou certo, tudo isso será obra de uma influencia?

Não. Foi você que arquitetou tudo. Mas o impulso de ligar, e vencer tudo aquilo que a impedia antes talvez sim.

Podemos projetar nos outros a culpa de nossas ações. Isto é um erro e leva a uma perda de contato com nossa verdade interior, que pode ser de simplesmente: somos inferiores na tabela de classificação de espíritos. (já publicada aqui). Ser inferior na tabela não é o problema, e sim não fazer nada para alterar isso.

Seja como for, sincronicidade, influencia espiritual (boa ou má), ou simplesmente uma opção, é para nosso crescimento e não fugiremos disso. No final haverá um julgamento: Umbral ou Colônia.

Por que seguimos Jesus, e não Buda?
Por que tomamos coca-cola?
Porque pedimos perdão?
Porque comemos demais alimentos pouco saudáveis?

Influencias estão em toda parte. Capacidade de discernir e a capacidade de Resistir é a questão. Porem atitudes que vem da prática diária. Da humilde rotina e disciplina.

Mesmo com Jesus a seu lado os discípulos não o acompanharam em sua vigília no Jardim das Oliveiras e Pedro o negou 3 vezes antes do galo cantar, por que?

A carne é fraca! Aprendamos esta lição

Muita Paz a todos

Nelson



Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mirca em 02 de Setembro de 2009, 21:53
Moura,
Obrigada pela crítica e pelos esclarecimentos.
Eu sou uma simples estudante, sem didática e/ou grandes conteúdos, que está tentando entender um pouco desse universo de conhecimento espírita.
Me atrevi a escrever o que pensava (e continuo pensando, dentro dos limites do meu entendimento), porque acho que sempre é válido, mesmo quando é uma opinião simplória.

E estabelecer a diferença entre as influências espirituais e conteúdos que são meus ainda é muito complicado para mim.
Da mesma forma como valorizo muito a rogativa feita com amor, como a da mãe no trecho que citei.
Mas eu vou indo, com calma e a paciência... porque acredito que cada um tem seu tempo... e eu não tenho pressa!
Mirca
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Tolomei em 02 de Setembro de 2009, 21:57
Este tema Da Influência dos Espíritos é ótimo , e infinito!

Só agora estamos começando a perceber a importância disto. No caso de bebes e crianças pequenas, acho que podem sim sofrer pertubações espirituais, mas não deixam de ter a proteção espiritual presente. Neste caso , toda a família envolvida está em prova/expiação , e vai atuar para amenizar / resolver a coisa. Coração de mãe aflita em oração ultrapassa todas as barreiras do céu e fazem chegar aos espíritos puros suas súplicas , que sempre serão ouvidas. Mas em nós mesmos , ou ao redor de nossos queridos de jornada terrestre , ou ainda de jornada espiritual, como saber se está ocorrendo influência e qual seria esta influência ? Bem , eu só posso diferenciar meus pensamentos de outros alheios se me conheço bem, idem para meus semelhantes. Por exemplo , simples e não complexo primeiramente, eu não tenho o menor desejo de roubar um carro , nunca tive, não preciso, nunca penso nisto. Se subitamente estou andando na rua , e aparece do nada um pensamento maluco sugerindo claramente : "roube aquele carro..."  eu vou achar tão estranho e vou ter certeza que não é meu pensamento que produziu aquela idéia , vou rejeitar com bastante tranquilidade porque isto não me incomoda , eu nem penso nisto nunca. Neste caso fica fácil, é algum espírito me dando conselhos para me prejudicar e está me experimentando para saber se tenho tendência a praticar este tipo de coisa. Pode ocorrer a nível conciente ou não , incocientemente recuso a idéia e passo adiante a pensar em qualquer outra coisa mais útil. Lógico que não tive afinidade com a proposta então escapei fácil. Mas em geral , o que mais ocorre é o contrário , caímos nas armadilhas aonde somos mais fracos. E mil sugestões ruins nos são sugeridas - pior nos casos aonde sintonizo com a idéia que me agrada um pouco ou muito.

Evangelho de Lucas 12:39 Sabei, porém, isto: se o dono da casa soubesse a que hora havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.

Neste caso os baderneiros e obsessores vão espionar nossos pensamentos e vão nos propor bagunças aonde nós temos ainda , nem que seja ocultamente, os anseios e sintonia para os pensamentos equivocados. Isto é intrigante. Bem, eles acabam nos ajudando a revelar nossas falhas mais ocultas. Eu só posso combater o que vem a superfície, o que vem a tona , e fica evidente!

Mas de quem é a culpa se eu ouvir aquela voz dizendo joga a pedra na vidraça , e eu jogo a pedrada ? é minha porque o outro ( seja encarnado ou não) - apenas sugeriu , mas eu aceitei a idéia e atirei a pedra no vidro alheio.

Como vigiar meus pensamentos se eu não conheço meus pensamentos ? Se eu não sou meus pensamentos porque posso modificá-los , se não sou meus sentimentos que geram meus pensamentos , porque posso modificar meus sentimentos, quem então , ou oque eu sou ? Como eu gero estes sentimentos ? Como eu  gero estes pensamentos e o que está por trás disto? Que valores tenho por trás disto ? Que valores devo mudar porque estão incorrendo em erros ?

Se eu não me conheço , como vou saber que estou sendo manipulado ? Tenho que assumir o controle de minha personalidade atual , se eu ficar sendo conduzido no vai da valsa, ou como na música brasileira do Zeca Pagodinho " Deixa a vida me levar, Vida leva Eu..." não terei nenhum sucesso neste campo de controle mental dos pensamentos.

Santo Agostinho tem uma sugestão para que , antes de deitar a noite, possamos passar o dia em revista, e pensar no que posso mudar para melhor amanha. ISto é difícil fazer todo dia, e ainda mais , se fazermos toda hora. O Conhecer a si mesmo é o primeiro passo para a nossa Transformação Íntima, e Santo Agostinho em resposta à q. 919ª de O Livro dos Espíritos de Allan KArdec, nos oferece uma excelente receita para isto.

Também gosto muito da Série de Livros do Espírito Ermance Dufaux - médium Wanderlei de Oliveira , livros recentes, falando da Reforma Íntima sem Martírios. O Livro Escutando Sentimentos é ótimo - muito bom mesmo e só fala neste assunto.

Bem , outra questão , tanto faz se a influência oculta do pensamento vem de alguém encarnado ou desencarnado - o mecanismo é o mesmo. Basta pensarmos uns nos outros que captamos pelas frequencias de rádio de nosso corpo espiritual , alguns captam mais outros captam menos, de acordo com a maior ou menor sintonia que temos. Telepatia existe.

Somos influenciados pelo ambiente também, ou seja pela média de frequencia vibratória existente aonde estamos ou aonde sintonizamos, ou aonde gostaríamos de estar em um dado momento. Também posso isolar a influência negativa como nos casos necessários de ir a algum lugar amparar ou socorrer alguém pois neste caso temos ajuda espiritual para isto. Nunca estamos sós. Ninguém está só. Pelo pensamento estamos todos conectados cada um na sua faixa de sintonia.

As faculdades do Perispírito explicam estas coisas - capítulo Emancipação da Alma - Livro dos Espíritos - Allan Kardec.

O que concluímos disto tudo ?

Lembramos também o bom combate de Paulo de Tarso , Na Cartas aos Romanos cap.7, 15 a 25 , a seguir :

15 Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço.
16 E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.
17 Agora, porém, não sou mais eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.
18 Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está.
19 Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico.
20 Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.
21 Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo.
22 Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;
23 mas vejo nos meus membros outra lei guerreando contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros.
24 Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?
25 Graças a Deus, por Jesus Cristo nosso Senhor! De modo que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado.




Devo insistir nos bons pensamentos, recusar os equivocados, e melhorar sempre. Devo trocar as más influências pelas boas, devo trocar os ambientes ruins de vibrações densas e pesadas pelos locais mais elevados. Devo me estudar e me conhecer muito para poder separar o que não desejo e transformar em hábito aquilo que quero para meu existir futuro. Um dia só teremos bons hábitos, e neste caso as más influências estarão muito evidenciadas e estarei forte para recusá-las todas! Se alguém ao redor está sob influência ruim posso socorrer enviando influência boa e solicitando o apoio dos espíritos superiores para esta pessoa , mas sabemos que tudo depende muito de nossos esforços por combater as más tendências. Lentamente, me propondo com empenho sincero e vontade firme de melhorar seremos auxiliados e vamos conseguir trocar de faixas de sintonia espiritual. Vamos nos engajar nos serviços do bem , e ao nosso redor sempre tem o que fazer. Temos que ter muita paciência , conosco mesmo, e persistir com muita esperança como no dito popular de que o hábito faz o monge! Um campo de trabalho gigante surge a nossa frente a cada etapa de desenvolvimento espiritual. Se posso me influenciar ao bem, também posso a aqueles ao redor...

Não seria este o bom combate ? o bom combate” apresentado por Paulo de Tarso, em o Carta II de Timóteo 4:7, quando convicto do tempo próximo do seu desencarne e reflexivo quanto aos seus feitos e o muito, ainda, necessário a ser realizado, confessa: Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.

Tema excelente ! Bons estudos a todos! Abraços,


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 02 de Setembro de 2009, 22:55
Olá Mirca

Escreveu e escreveu muito bem. Continue pensando por sua cabeça e construindo-se por si mesma, tentando evitar as más influências espirituais, tanto de encarnados como de desencarnados.

Atlante
Título: Re: Quem tem ouvidos: ouça!
Enviado por: Atlante em 02 de Setembro de 2009, 23:00

Continuando:  Arbítrio, significa Julgamento...


Meu amigo suas lições evangélicas poderão ser muito boas, mas esta é mesma nova para mim.
Sempre pensei que arbítrio significava liberdade de agir por si próprio.

Atlante
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 02 de Setembro de 2009, 23:11

"Alimentamo-nos na Criação com os raios de vida imperecível que emitimos uns para com os Outros. Como surpreender a perfeita ventura (...)"

Um erro forte. Pela lei de solidariedade, um princípio Espírita, os afins se atraem, logo, semelhante atrai semelhante. Doente atrai doente, sadio atrai sadio.
Neste caso, o doente é do moral logo, só com o seu concurso, se bem que se escutar os avisos e ensinos dos bons espíritos ele possa encontrar a porta de saída, apenas ela pode abrí-la.
O grande problema que se encontra nessas contribuições alienígenas ao corpo codificado é o da interpretação interpolativa, como se vê bem no ditado de André Luis. Ele interpola a mensagem bíblica de acordo com o seu conhecimento, trazendo notícias rasuradas por sua interpretação.
Abração,
Moura

É com base nestes supostos erros que o meu amigo desvaloriza as obras de André Luis?
Oh carago, eu não disse carago, carago.

Meu amigo os afins se atraem pela lei da afinidade ou atracção.
Pela lei da solidariedade ou da fraternidade os que mais têm DÃO aos que menos têm, e estas leis também fazem parte da doutrina Espírita.
Como pode verificar, se quiser, o erro é seu e não de André Luis ou da mãe que emite tal pensamento.

Atlante
 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Lui em 02 de Setembro de 2009, 23:14
Penso que  seguindo os principios da Doutrina da pra perceber que o livre arbitrio não é tolhido em hipotese alguma. Tem uma frase que gosto muito: O livre arbitrio é tão importante que até Deus respeita. Nos espiritas temos que contextualizar as obras basicas e parar de ver obsessão e procurar entender e compreender a justiça divina. Não acredito em obsessão mas gosto da ideia de rede de pensamentos. Sou eu o responsavel pelo meu estado atual. Vamos modernizar o Espiritismo gente..... deixar estas ideias no passado e trabalhar um pouco mais a filosofia e a ciencia pra fazer do espiritismo o norte da humanidade. Fiquem em paz.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dhan em 03 de Setembro de 2009, 00:02
Olá, amigos

Muitas coisas esclarecedoras já foram ditas aqui até agora, então, para não repetir o que já foi dito, gostaria de abordar o seguinte: tem surgido muitos casos na Justiça brasileira de pessoas que cometem crimes (simples ou bárbaros) e alegam estar possuídas pelo Demônio, o que de maneira nenhuma é considerado atenuante, afinal a Constituição diz que o país é laico. Para os evangélicos até poder ser atenuante, como no caso do pastor que deu abrigo por alguns dias ao assassino de um italiano, no Rio de Janeiro em 2008, e juntamente com a igreja expulsou a "legião de demônios" dele, convertendo-o ao "amor de Jesus". Depois disso foi com o rapaz até a delegacia, com a Bíblia debaixo do braço, para tentar suavisar a pena do rapaz, afirmando que ele estava sob o domínio maléfico de Exu Caveira e Zé Pilintra e portanto não poderia ser considerado culpado. Conclusão: não adiantou de nada e o pastor ainda foi denunciado por crime de intolerância religiosa, por demonizar Entidades de cultos afro-brasileiros. Notícias como esta aparecem de montão por aqui...

Para concluir deixo partes do seguinte texto, do jornal Paraná Online:

Cúmplices espirituais no assassinato do casal paulista

O crime ocorreu em outubro de 2002. Suzane von Richthofen, então com 19 anos, ajudou a planejar com antecedência de seis meses e facilitou a execução dos próprios pais. Contou com a participação do namorado e do irmão deste, que cometeram o duplo assassinato com barras de ferro enquanto o casal dormia. O motivo teria sido a proibição do namoro. Mas outros ingredientes se fizeram presentes como o uso de drogas e uma mal disfarçada cobiça pela herança. A moça, criada com muito carinho e nunca antes demonstrara qualquer tipo de desequilíbrio mental ou desajuste social, após o crime, revelou-se de uma frieza impressionante. O julgamento dos três está marcado para o mês de junho.

Um psiquiatra atribuiu o ato da jovem a fatores como paixão exacerbada, drogas e deficiências da educação. Somados poderiam levar ao absurdo de exterminar os próprios pais. Uma análise espiritual da questão leva-nos não só a endossar tal opinião como avançar além. Allan Kardec faz notar a necessidade da educação integral do ser humano e não somente a intelectual. Não basta fornecer às crianças e jovens boas escolas particulares e com instrução de alta qualidade. Suzane cursava o primeiro ano de Direito e fala três idiomas. Nada disto impediu o seu lamentável desvio de conduta.

(...) Cada um destes fatores tem sua força e peso no resultado final. Arriscaríamos, porém, conjecturar sobre a possibilidade de uma interferência de outra natureza, mais sutil, invisível e nem por isso menos real e perigosa. Estamos nos referindo às chamadas obsessões, processos de influência espiritual perniciosa, por período de tempo significativo e que podem causar desde pequenos incômodos físicos como cefaléia, irritabilidade, insônia e depressão leve até sintomas muito mais graves, inclusive a loucura.

Não raro, determinados indivíduos, após cometer crimes hediondos, alegam que estavam possuídos pelo demônio, termo impróprio diante dos conhecimentos espíritas, pois a origem de todos os seres é a mesma, denotando somente uma condição temporária de extremo atraso moral daquele espírito. Algumas vezes apelar para esta justificativa não passa de esperteza para fugir à responsabilidade do ato e, mesmo que autêntica, não serve como atenuante. A influência maligna só se instala se a vítima, no caso o criminoso, deixar-se arrastar pelas tentações, ceder às sugestões negativas dos elementos exógenos.

Muitos dos nossos atos resultam da indução de agentes espirituais inferiores. Depende de nós, pela sintonia mental, atrair ou repelir este cerco negativo. Para contrabalançar, há os espíritos bondosos que nos emprestam proteção e orientam no sentido de práticas equilibradas. Este jogo de influências está bem resumido na questão 459 de O Livro dos Espíritos, que esclarece ser a influência dos espíritos bons e maus maior do que supomos, sendo que, “freqüentemente, eles é que nos dirigem”. A escolha é nossa por pensamentos, atos e sentimentos.

As obsessões ocorrem não só de espíritos desencarnados sobre os chamados vivos, mas também destes para aqueles, entre dois desencarnados e finalmente de um encarnado sobre outro. No caso em pauta, possivelmente, além de eventuais falhas no processo de educação da jovem, da paixão descontrolada pelo namorado e uso de drogas, um quarto fator, uma obsessão espiritual, tenha se manifestado. Aliás, os três fatores anteriores funcionariam, eles próprios, como campo aberto a esta ação de natureza espiritual. Principalmente os dois últimos seriam verdadeiras portas escancaradas à entrada de entidades que, tendo ou não razões especiais para agredir (vingança, afinidade, desejo gratuito de praticar o mal, oportunidade pela fraqueza alheia), reforçaram ou até determinaram a deliberação de executar os pais. A paixão patológica com o exercício de um domínio absoluto por parte do rapaz implicaria por si só também numa obsessão.

Quanto às vítimas, difícil arriscar sobre as razões para o seu fim trágico. Simplista o raciocínio de que pela justiça de Deus necessariamente eles teriam que sofrer este tipo de agressão. Deus ter permitido pelo livre arbítrio humano não significa ter desejado, ser de sua vontade, a prática do crime. Teriam eles alguma culpa muito grave desta ou de uma vida pretérita para expiar? É possível. Apenas possível. Se é verdade que nada acontece por acaso e não há nenhum ato que não cause conseqüência, não é menos verdade que muitas coisas que aos olhos dos homens são consideradas desgraças, sob o prisma do espírito imortal podem receber outras interpretações. Uma certeza, porém. Os três autores do crime, quer venham a ser penalizados mais ou menos intensamente pela justiça terrena, não se subtrairão à perfeita justiça divina. O momento e a forma deste processo é que ignoramos.

Coluna de responsabilidade da Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná.
http://www.parana-online.com.br/editoria/mundo/news/175231/?noticia=CUMPLICES+ESPIRITUAIS+NO+ASSASSINATO+DO+CASAL+PAULISTA (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wYXJhbmEtb25saW5lLmNvbS5ici9lZGl0b3JpYS9tdW5kby9uZXdzLzE3NTIzMS8/bm90aWNpYT1DVU1QTElDRVMrRVNQSVJJVFVBSVMrTk8rQVNTQVNTSU5BVE8rRE8rQ0FTQUwrUEFVTElTVEE=)

Abs!

~Dhan

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: soniaelisabete em 03 de Setembro de 2009, 00:40
esse tema é de fundamental importância para que possamos compreender o mundo espiritual e por consequinte suas influências  sobre encarnados despreparados. :-*
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: LILIAN RIBEIRO em 03 de Setembro de 2009, 02:46
Muita paz a todos os irmãos.

Interessante  este tema, pois em nossas limitações de encarnados desconhecedor da doutrina dos espíritos acreditamos que nossos pensamentos são partilhados apenas com nós mesmos, a medida que vamos entendendo a nossa verdadeira pátria, os porquês da vida, percebemos o quanto podemos ser influenciados em nossas attudes e sentmentos de acordo com as vibrações que estamos emtindo naquele momento. Tenho procurado me instruir bastante neste aspecto para não me deixar levar por sentimentos contrários àqueles que estão de acordo com a lei do nosso Pai e percebo o quão é difícil ainda mantermos essa sintonia com o plano espiritual superior, mas felizmente para nós, podemos sempre contar com adivina misericórdia no nosso Pai e no amparo desses querdos amgos benfetores espitruais que sempre estão dispostos a nos ajudar.

Graças a Deus
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Ramon em 03 de Setembro de 2009, 03:30

 Espíritos (encarnados) estão tentando nos influenciar de modo a acreditarmos que o aborto é a solução (ou não é). Vejam:

Paradoja, El Contraste, El Conflicto.

Titanio. Prevención del aborto.

Actualidad   
El Frente Transversal Marcha- Cita: Perú y Av. de Mayo
Marcha Nacional en el Día de la No Violencia hacia la Mujer,

MARCHA NACIONAL de la Campaña Nacional por el Derecho al Aborto Legal, Seguro y Gratuito en el Día de la No Violencia hacia la Mujer

Hoy, Viernes 25 de noviembre marcharemos por:

· EDUCACIÓN SEXUAL PARA DECIDIR

· ANTICONCEPTIVOS PARA NO ABORTAR

· ABORTO LEGAL PARA NO MORIR

http://www.forumespirita.net/fe/espiritismo-espanol/concepcion-inicio-de-la-nueva-vida/msg57538/#new (http://www.forumespirita.net/fe/espiritismo-espanol/concepcion-inicio-de-la-nueva-vida/msg57538/#new)

Não há duvidas quanto à influência. Concordam?

Ramon

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Estudo Esp em 03 de Setembro de 2009, 04:05
Tema Extraordinário...

Gostaria de expressar meu ponto de vista com relação as Influências partindo de alguns princípios básicos para aceitarmos ou não as sugestões de entidades perturbadas e conseqüentemente perturbadoras.

Fazemos nossa escolha de acordo com a interpretação dos pensamentos que nos chegam, saberemos distinguir se o tipo de sugestão vem ou não de um Amigo Espiritual. É aí que vem o livre arbítrio, muitas vezes mesmo sabendo que tal sugestão é incorreta, ainda não agimos conforme seria correto, recebendo a sugestão leviana...

Através do estudo da Codificação, disciplinada e seriedade, aprenderemos a interpretar essas sugestões que nos chegam. A partir do momento que o obsidiador não encontrar um campo de pensamento onde os fluídos não se combinem, certamente se afastará.

E preciso que algumas coisas sejam vivenciadas para que a influência negativa não chegue a nos dominar as ações. Uma das maneiras de afastar esses irmãos desequilibrados é por meio de preces fervorosas, exercício contínuo da paciência, ações de caridade em suas múltiplas instâncias, e um forte desejo de se instruir acerca da Espiritualidade Maior visando o atingir esse conhecimento em benefício do próximo necessitado.

Na medida em que nossa mente é nutrida desses pensamentos voltados para o bem, não daremos oportunidade de qualquer influência negativa nos dominar.

Lembremo-nos que é preciso...

1. Preces fervorosas;
2. Paciência;
3. Caridade;
4. Estudo da Codificação;
5. Interpretação das Sugestões.

Abraço Fraterno a todos...

PS: Não levem em consideração a ordem numérica supracitada.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Suelen em 03 de Setembro de 2009, 04:27
Boa noite a todos!

"Cada alma vive no clima espiritual que elegeu. "(Emmanuel )
“Nosso tesouro estará sempre onde colocarmos o coração”.(Jesus)

Assim, os nossos companheiros em qualquer lugar serão aqueles que escolhemos com os nossos pensamentos/sintonia/vibração..., (Me diga o que pensas que digo quem te acompanha - já escutei essa frase) - então a mente é a base de nosso intercâmbio entre os seres encarnados e desencarnados, somos imã que atrai, de acordo a nossa natureza.

Muita paz!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Victor Passos em 03 de Setembro de 2009, 09:05
Ola bom dia Amigos muita paz

Amiga  Elsamar parabens pelo estudo o qual é importante como todos ps outros...Tentarei também dar o meu contributo...maass dentro das minhas possibilidades...

   Amigos só porque sofremos influ~encia ordinaria dos espiritos, não vamos culpar os espiritos de tudo que nos acontece, ou que fazemos de errado...eles atuam por afinidade ou sintonia como queiram...;

Acontecimentos de nossa vida

          Os acontecimentos exteriores de nossa vida são o resultado direto de nossas atitudes internas.

          A princípio, podemos relutar para assimilar e entender esse conceito, porque é melhor continuarmos a acreditar que somos vítimas indefesas de forças que não estão sob o nosso controle.

          Efetivamente, somos nós mesmos que fazemos os nossos caminhos e depois os denominamos de fatalidade.

          * * * *

          "A fatalidade existe unicamente pela escolha que o Espírito fez, ao encarnar. Escolhendo-a, instituiu para si uma espécie de destino...". (L.E. Resp. a Q.851)

          * * * *

          É inevitável para todos nós o fato de que vivemos, invariavelmente, escolhendo.

          A condição primordial do livre-arbítrio é a escolha e, para que possamos viver, torna-se indispensável escolher sempre. Nossa existência se faz através de um processo interminável de escolhas sucessivas.

Acontecimentos de nossa vida

Livro: As Dores da Alma
Hammed & Francisco do Espírito Santo Neto

          Os acontecimentos exteriores de nossa vida são o resultado direto de nossas atitudes internas.

          A princípio, podemos relutar para assimilar e entender esse conceito, porque é melhor continuarmos a acreditar que somos vítimas indefesas de forças que não estão sob o nosso controle.

          Efetivamente, somos nós mesmos que fazemos os nossos caminhos e depois os denominamos de fatalidade.

          * * * *

          "A fatalidade existe unicamente pela escolha que o Espírito fez, ao encarnar. Escolhendo-a, instituiu para si uma espécie de destino...". (L.E. Resp. a Q.851)

          * * * *

          É inevitável para todos nós o fato de que vivemos, invariavelmente, escolhendo.

          A condição primordial do livre-arbítrio é a escolha e, para que possamos viver, torna-se indispensável escolher sempre. Nossa existência se faz através de um processo interminável de escolhas sucessivas.

Livro: As Dores da Alma
Hammed & Francisco do Espírito Santo Neto

vICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 03 de Setembro de 2009, 11:43

Muito me alegro, de ver tantas participações, todas importantes para o nosso esclarecimento.
Muito obrigada.
E como "uma imagem pode valer mais do que mil palavras", deixo-vos mais estes videos:

http://www.youtube.com/watch?v=vM-UbG_keDI (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXZNLVViR19rZURJ)

http://www.youtube.com/watch?v=jLKTM05EGFM (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWpMS1RNMDVFR0ZN)

http://www.youtube.com/watch?v=vnsOuBwT67U (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PXZuc091QndUNjdV)

Vejam, vale a pena.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Leitor e aluno em 03 de Setembro de 2009, 13:45
UM DITO POPULAR NO BRASIL
Dize-me com quem andas que eu te direi quem és.

No que se refere a estes estudo proposto este dito pode servir de base se fizermos a seguinte modificação: " Dize-me o que pensas que eu te direi com quem andas."

Sendo o pensamento algo real e material.... Tem cor, cheiro, forma etc... Pode ser visto e entendido os convites nele impresso pelos desencarnados afins... com o mesmo grau de evolução moral. ( Existem pesquisas extra Espiritismo, mostrando isto). Um espírito desencarnado ainda muito inferior, além de não reunir as virtudes que ampliam a Liberdade do Ser Imortal, não se interessa por Boas Obras e menos ainda por ações, resultantes, de Pensamentos Nobres. Por não os compreender e perceber.  O Amor é um piloto fiel desta comunicação. Como o Pensamento é linguagem Universal entre as criaturas criadas... Verdade é que nós podemos escolher nossos interlocutores. E é assim que podemos verificar a profundidade do ensino... Orai e Vigiai para não caírdes em tentação. Os espíritos ( e nós somos Espíritos) tentam comunicar-se conosco. Bons e maus. Nós é que decidiremos a quem atender. ainda é claro que nossos desejos, nossos objectivos, nossos bons ou maus propósitos estabelecerão o contacto com os destinatários afins.
ASSIM SENDO:
 Quero ser feliz e livre.... Leio bons livros educativos e de bom teor moral... assisto a excelentes espetáculos teatrais e cinematográficos que me elevam e instruem o ser... Na prece diára emito convite ao Bons Espíritos e me envolvo em suas vibrações fraternas e sutis...E me envolvo em ações de respeito e socorro sempre aos que me cercam.
Quero a desdita e a dor.
Me envolvo em orgias e badernas com arruaceiros... assisto a filmes e leio livros de Sexo Explícito, Guerras e afins...e deixo me levar para os caminhos tortos do prazer passageiro... A minha língua solta me coloca todos os dias na roda de maledicência... Os meus atos são desonestos e a todo custo eu ignoro os apelos dos mais fracos e os leso sempre... os lucros são meus destinos... CONVIDEI E ATENDI AOS pensamentos e intuições que me levarão a dor e a expiação futura... me envolvi com os maus.
Como são muitos os tópicos aqui propostos. Ficarei nestas reflexões  para então posteriormente voltar aos demais que se entrelaçam é verdade..
Nossos pensamentos em torno do BEM ficam blindados da interferência do maus... O mal tem limite... Nossos pensamentos maus ficam passiveis de sofrerem intrevenção dos BOns ... O Bem é livre...
Deixo minhas desculpas por quaisquer deslizes e um fraterno abraço para todos.
 Leitor e aluno.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 03 de Setembro de 2009, 14:39

Parabéns Leitor e aluno,
pela clareza com que expôs as suas ideias.

Sem dúvida que as nossas companhias espirituais serão do mesmo cariz que os nossos pensamentos e acções.

Peço já desculpa se estiver equivocada, mas se bem lembro, num outro tópico, o nosso amigo Moura referiu a propósito, que até Divaldo e Chico Xavier foram obssidiados algumas vezes.

Então como se explica, que duas almas boas (penso que ninguém tem dúvida disso) possam ter dado espaço às influências dos espíritos inferiores?

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Carlos Ribeiro em 03 de Setembro de 2009, 14:46
Citar
Então como se explica, que duas almas boas (penso que ninguém tem dúvida disso) possam ter dado espaço às influências dos espíritos inferiores?
- Elsa
Aqui o problema está no que entendemos por "almas boas". Lembro certa vez que chamaram Jesus de "bom", ele perguntou: "Porque me chamais bom? Bom, somente Deus é."
Por isso, todos nós que estamos neste planeta temos as nossas imperfeições (mesmo Chico e Divaldo), uns mais outros menos, e são essas mesmas imperfeições que muitas vezes atraem espíritos menos bons.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 03 de Setembro de 2009, 15:27
Citar
Então como se explica, que duas almas boas (penso que ninguém tem dúvida disso) possam ter dado espaço às influências dos espíritos inferiores?
- Elsa
Aqui o problema está no que entendemos por "almas boas". Lembro certa vez que chamaram Jesus de "bom", ele perguntou: "Porque me chamais bom? Bom, somente Deus é."
Por isso, todos nós que estamos neste planeta temos as nossas imperfeições (mesmo Chico e Divaldo), uns mais outros menos, e são essas mesmas imperfeições que muitas vezes atraem espíritos menos bons.

Mas Carlos,
para um mundo de provas e expiações, em que há ainda a propensão para o mal, Chico e Divaldo são considerados boas almas (embora não perfeitos), ou não?
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ROSINEI FESTINALLI em 03 de Setembro de 2009, 15:32
Ola bom dia Amigos muita paz

Amiga  Elsamar parabens pelo estudo o qual é importante como todos ps outros...Tentarei também dar o meu contributo...maass dentro das minhas possibilidades...

   Amigos só porque sofremos influ~encia ordinaria dos espiritos, não vamos culpar os espiritos de tudo que nos acontece, ou que fazemos de errado...eles atuam por afinidade ou sintonia como queiram...;

Acontecimentos de nossa vida

          Os acontecimentos exteriores de nossa vida são o resultado direto de nossas atitudes internas.

          A princípio, podemos relutar para assimilar e entender esse conceito, porque é melhor continuarmos a acreditar que somos vítimas indefesas de forças que não estão sob o nosso controle.

          Efetivamente, somos nós mesmos que fazemos os nossos caminhos e depois os denominamos de fatalidade.

          * * * *

          "A fatalidade existe unicamente pela escolha que o Espírito fez, ao encarnar. Escolhendo-a, instituiu para si uma espécie de destino...". (L.E. Resp. a Q.851)

          * * * *

          É inevitável para todos nós o fato de que vivemos, invariavelmente, escolhendo.

          A condição primordial do livre-arbítrio é a escolha e, para que possamos viver, torna-se indispensável escolher sempre. Nossa existência se faz através de um processo interminável de escolhas sucessivas.

Acontecimentos de nossa vida

Livro: As Dores da Alma
Hammed & Francisco do Espírito Santo Neto

          Os acontecimentos exteriores de nossa vida são o resultado direto de nossas atitudes internas.

          A princípio, podemos relutar para assimilar e entender esse conceito, porque é melhor continuarmos a acreditar que somos vítimas indefesas de forças que não estão sob o nosso controle.

          Efetivamente, somos nós mesmos que fazemos os nossos caminhos e depois os denominamos de fatalidade.

          * * * *

          "A fatalidade existe unicamente pela escolha que o Espírito fez, ao encarnar. Escolhendo-a, instituiu para si uma espécie de destino...". (L.E. Resp. a Q.851)

          * * * *

          É inevitável para todos nós o fato de que vivemos, invariavelmente, escolhendo.

          A condição primordial do livre-arbítrio é a escolha e, para que possamos viver, torna-se indispensável escolher sempre. Nossa existência se faz através de um processo interminável de escolhas sucessivas.

Livro: As Dores da Alma
Hammed & Francisco do Espírito Santo Neto

vICTOR PASSOS




Olá amigo, concordo com tua opinião e o livro é execelente....bom dia , Rosinei


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Carlos Ribeiro em 03 de Setembro de 2009, 15:34
Citar
Mas Carlos,
para um mundo de provas e expiações, em que há ainda a propensão para o mal, Chico e Divaldo são considerados boas almas (embora não perfeitos), ou não?
- Elsa
Se tomarmos como ponto de referência nosso mundo de provas e expiações, são sem dúvida "boas almas". Se os compararmos com espíritos que habitam mundos mais evoluídos, serão certamente ainda muito imperfeitos.
De qualquer forma, penso que todas as pessoas que vivem neste mundo estão sujeitas a obsessões se não seguirem o preceito evangélico do "orai e vigiai". E mesmo assim...
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 03 de Setembro de 2009, 15:40
Ainda sobre o livre arbítrio:

Livre Arbítrio
Paulo César Fernandes

...
a) Liberdade
Efetivamente falar de Livre Arbítrio sem falar de liberdade parece um contra-senso, e é. Tanto é que esta aparecerá no bojo do texto, mas sempre como elemento interveniente no processo decisório.
O que deixo de lado aqui, são as inúmeras possíveis digressões que a idéia engendra. Por exemplo, a estreita relação entre a liberdade individual e seu impacto no contexto social. Como isto se relaciona. Este item, por si só já é material suficiente para um outro trabalho de cunho sociológico, daí a necessidade de sua exclusão neste contexto.
Outro aspecto passível de discussão diz respeito às modificações havidas no conceito de liberdade e na própria liberdade individual na evolução do processo civilizatório. Isto é: Como variou o conceito de liberdade entre épocas e povos?
Tudo isto me leva a deixar de tratar este item no presente momento.
b) determinismo genético
Sem dúvida este é outro componente cabível ao tema. Mas por estar trabalhando a questão centrando a atenção no aspecto da decisão em si, nesse momento preciso da tomada de decisão. E por estar pensando no aspecto moral que toda decisão envolve, não pretendo trabalhar este aspecto. Pelo menos nesta versão do trabalho.
3) Lógica como base
Neste ponto, gostaria de solicitar ao leitor, se possível for, a ruptura com as idéias que previamente tenha sobre o tema.
É muito difícil tal atitude, pois requer uma nova postura, de certa forma largamos algo, havendo por certo uma sensação de perda. Isto provoca certa insegurança.
Tal solicitação visa encaminhar o leitor no sentido de uma linha de análise sobre a questão, apesar de Ter claro que outras visões sobre o tema tenham também sua lógica e coesão interna.
Quantas vezes não rejeitamos idéias a priori, sem nos darmos ao trabalho da análise. Ou porque não gostamos do autor, do seu grupo intelectual, e outros tantos motivos que a razão não pode explicar.
Entre tantas outras coisas, Kardec nos deixou o bom senso e o primado da lógica na análise dos fatos e situações. Assim, quanto mais desprovida de paixão for nossa análise, melhor será nosso mergulho nesse tema. Mas afinal ...
Que é a lógica ?
Segundo o Dicionário Oxford lógica é a ciência do raciocínio, da comprovação, do pensamento e da inferência. Ela te ajuda a decompor os teus objetos de análise para com isso descartar argumentos ou tópicos inválidos.
Por outro lado lógica não é uma lei absoluta que governa todo o Universo.
No passado se acreditava que se algo fosse logicamente impossível. Era impossível e ponto final. A geometria Euclidiana reinava absoluta. E ela é consistente logicamente, porém não é universal, há momentos ou lugares onde ela não é válida. Tais como quando trabalhamos com pequenas dimensões ( átomos, moléculas ); com imensas dimensões astronômicas; com corpos em altas velocidades ( por exemplo a velocidade da luz, 300.000 km/s [1] ); ou ainda em campos gravitacionais de grande concentração de massa ( por exemplo os buracos negros do universo, ou ainda as estrelas densas).
Dessa forma busquemos deixar nosso raciocínio mais maleável, embora estribado no bom senso, desvinculando-o de qualquer análise passional.
4) Elementos históricos
Desde os mais remotos tempos o homem se preocupou com o seu destino, porém é no fim da Idade Média, com o surgimento do Iluminismo, que tal preocupação se estrutura como um movimento de amplas proporções. Abarcando diversos países e em cada um deles recebendo sua denominação característica. Dessa forma na Inglaterra o movimento teve o nome de Enlightenement; na França , Ilustration e na Alemanha denominou-se : Aufklärung.
Convém lembrar que em 1728 surge a primeira enciclopédia a “Universal Dictionary of Arts and Science”, editada por Efrain Chambers. Na França sob a coordenação de Diderot e D’Alembert surge a “Encyclopédie ou Dictionnaire Raisonné des Arts, des Sciences et des Metiers”, contando com 17 volumes e 130 colaboradores.
Este movimento deslocou o eixo das preocupações humanas antes focadas em Deus, sob o domínio do clero, para o próprio homem; tendo este em si todas as possibilidades de discernimento e autodeterminação através da razão. O fragmento de texto demonstra o clima daquele momento histórico:
Ao conquistar a Prússia, o Iluminismo assumiu o nome de Aufklärung. Sob o reinado de Frederico II, a Prússia de fato se abriu ao espírito novo, a ponto de saudar Voltaire como um herói. A "vitória" não estava assegurada, o povo não estava "esclarecido", mas o processo estava em andamento. E encontrou em Kant seu arauto. "O que é o Iluminismo, afinal?", escreveu um dia, provocadoramente, um pastor hostil. Kant retrucou prontamente num opúsculo: o Iluminismo, afirmou ele, é em essência o fim do período em que o homem não tinha voragem de se servir do seu entendimento. Até agora o homem era menor, já que recebia instruções de um outro e as aplicava. O cuidado com seu espírito, sua alma e seu corpo não era uma incumbência dele. De certa maneira, ele se beneficiava com isso, já que ser responsável por si implica uma grande parcela de riscos; mas que proveito tiravam seus tutores! Dirigiam-no a seu gosto, como se dirigem as bestas de carga, e podiam usufruir impunemente dos frutos do seu trabalho... [2]

(continua)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 03 de Setembro de 2009, 15:46
(continuação)

Na ciência, o surgimento das idéias de Newton haviam trazido à luz o conceito de um mundo natural determinístico. O homem já havia se assenhoreado de seu destino através da primazia da razão, porém suas concepções ainda eram bastante rígidas.
Por volta de 1920/1930 através de experimentos com átomos e partículas ainda menores, os cientistas perceberam que a velocidade e posição relativa eram propriedades das partículas que não poderiam ser medidas separadamente. Além, disso perceberam que a posição da partícula poderia ser definida com certa exatidão, no entanto sua velocidade só seria mensurada dentro de certos limites, através do estabelecimento de intervalos.
Uma vez descoberto o movimento aleatório das partículas não mais cabia a visão mecanicista da natureza. Uma mudança sensível nas rígidas concepções vigentes.
Assim caminhou o pensamento humano, a partiu inicialmente de concepções rígidas e pela própria força da reelaboração das idéias, foi fazendo sua caminhada no sentido de uma compreensão maior e mais clara do universo que o cerca.
5) Legado do equivoco
E no Movimento Espírita ?
Somos herdeiros do passado. Recebemos uma série de idéias e concepções que são material rico para todo e qualquer contraditor das idéias espíritas.
Vejamos um trecho do texto “A antropologia Kardecista no Brasil” de Ari Antonio da Silva apresentado no CPDoc para análise no ano de 1998. O texto em questão, por razões do autor : desconhecimento ou má fé, atribui o adjetivo kardecista a todos os distúrbios de compreensão encontrados no Brasil. Coloca tudo numa vala comum, sem critério qualquer de busca de uma maior diferenciação e compreensão.
De qualquer forma, nos vale como alerta, pois toca em certos conceitos largamente usados pelo Movimento Espírita tradicional religioso.
12 - O Determinismo Antropológico
Uma característica da antropologia Kardecista é o determinismo que se manifesta na erupção da alma religiosa, que está presa a formas mágicas de ver o mundo e de atuar sobre ele. Percebe-¬se que o homem não é dono de si mesmo, mas continua sendo vítima de forças ocultas (Kardec, 1992a, p.25, § 10). Este homem não vê outra saída a não ser colaborar com estas forças ocultas, acabando assim, por se aniquilar. O homem Kardecista prostra-se ante tudo isso e se torna passivo, sem personalidade própria e procura harmonizar-se com estas forças ocultas, tentando amenizar os efeitos de possíveis influências maléficas das mesmas. As formas de determinismo são a reencarnação, que restringe o acesso do homem a sua própria autonomia frente à natureza e à própria história. Outra forma de determinismo é o fatalismo e a feitiçaria. Dentro da antropologia Kardecista, aparecem correntes que influenciaram pro¬fundamente na postura prática do homem Kardecista. São as seguintes correntes:
a.   a influência das leis do karma;
b.   a influência do cristianismo, que incorpora uma praticidade caritativa, mas de caráter assistencialista, e não na linha da promoção do homem;
c.   a concepção de um homem científico c racional, inspirado em todo o modismo do século 19;
d.   o positivismo cotidiano, que se caracterizou pela romantização da ciência.
12-A questão da liberdade dentro do Espiritismo é um desafio à filosofia e à sociedade. A partir da visão de homem dentro da doutrina Kardecista, é fácil concluir se há ou não a liberdade para o homem. O homem Kardecista está sempre à mercê dos espíritos. O corpo no espiritismo é um mero instrumento do espírito, não existe o eu-sujeito-consciente. Desaparece a personalidade humana e, por conseqüência, a liberdade individual. O que se manifesta é o determinismo antropológico. O homem Kardecista está, portanto, amarrado, e não consegue ser um agente transformador de seu próprio mundo.
13 - A partir da questão antropológica Kardecista que aniquila o homem como ser pensante, livre e autoconsciente, aparece o determinismo antropológico com as suas variantes. Uma das variantes é a reencarnação, que é chamada de "O dogma da reencarnação". Ora , esta restringe o acesso do homem à sua própria autonomia frente a natureza e à própria história. Um dado interessante é que a reencarnação é a alavanca para qualquer resposta que não tenha explicação racional. Uma segunda variante é a visão fatalista da história, que não permite reação alguma, mas conduz a uma passividade enervante, deixando-se guiar por forças ocultas e cegas que, em linguagem popular, são chamadas de azar, sorte ou destino. “
É importante que fique claro ser o texto acima de um padre, cujo único objetivo é denegrir o Espiritismo, fazendo uma mistura intencional com o objetivo de confundir seu público. Mistura conceitos espíritas com não espíritas com tal meta.
Vale a pena notar desse trecho, que muitas das idéias por ele colocadas estão corretas se olharmos a forma de ver e de agir de grande parte do Movimento Espírita constituído.
Nesse sentido, cresce a importância da questão do antagonismo determinismo/livre arbítrio. Sendo este, um entre tantos itens passíveis de uma análise mais acurada, se colocando no rol das idéias a serem revisitadas em nosso momento histórico.
6) Apresentando possíveis visões sobre o tema
Segundo as concepções vigentes duas são as principais formas de nos posicionarmos com relação ao tema : ou somos incompatibilistas ou compatibilistas.
Incompatibilismo
Minhas idéias se fundam na concepção chamada incompatibilismo, segundo o qual não podemos Ter determinismo e livre arbítrio com responsabilidade moral.
Temos dois tipos de incompatibilismo :
a) determinismo radical
propugna ser o determinismo verdadeiro, não tendo o homem vontade própria e nem responsabilidade moral sobre seus atos.
b) Libertarianismo
Temos o livre arbítrio (vontade livre), dessa forma o determinismo não existe.
Compatibilismo (Determinismo suave)
Mesmo que sejamos determinados, continuamos tendo livre arbítrio e responsabilidade moral. A questão que essa corrente coloca é : afinal que é Ter livre arbítrio ?
O libertarianismo diz “você tem livre arbítrio e é responsável por suas ações, poderá sempre se perguntar se poderia Ter agido de outra maneira”.
O compatibilista diz “a responsabilidade moral nada tem a ver com a possibilidade de agir de outra forma”. Acha tolice vincular a responsabilidade moral à possibilidade em agir de outras maneiras. Acreditam ainda que liberdade de ação e responsabilidade moral são perfeitamente compatíveis com o determinismo.
7) Vontade
Gostaria agora que focássemos a atenção no item vontade para elucidação da questão do Livre Arbítrio.
Se fizermos uma pesquisa na Internet sobre o item determinismo, ao seu lado quase sempre aparecerá o item “free will”, que poderíamos traduzir por livre vontade, a expressão da língua inglesa para livre arbítrio.
A língua portuguesa nesta expressão não define tão claramente a idéia. A língua inglesa, em sua praticidade e concisão, em muitos momentos, nos presta grande serviço não só à condução do raciocínio, como na garantia da clareza de conceito.
Algumas questões podem nos servir ao raciocínio :
1.   que queremos dizer quando afirmamos que temos livre arbítrio ( free will = livre vontade ) ?
2.   que é a vontade ?
3.   como seria o mundo se tivéssemos uma vontade não livre ?
4.   as ações humanas têm uma causa ? o que as causa ?
O determinismo advoga que toda ação humana tem uma causa. E mais ainda, que a causa determina precisamente seu conteúdo.
Se o determinismo fosse verdadeiro qual a nossa responsabilidade por nossas ações ?
Nossa vida se tornaria sem sentido, pois por mais esforços que fizéssemos nada poderia mudar nossa trajetória na vida, esta já estaria dada. A meu ver um absurdo.
Não existem ações não voluntárias. Todas as ações humanas tem por base o arcabouço moral do espírito, sempre vinculadas à sua responsabilidade.
Em que casos a vontade do homem estaria restrita ?
1) caso da hipnose
poderia se negar a ser hipnotizado
sua submissão à vontade do hipnotizador é limitada. No momento em que o hipnotizador propõe algo que fira sua moral, este se nega a fazer. Mesmo nesta situação sua vontade está presente.
2) caso de compulsão psicológica ( cleptomania, álcool, ...)
a vontade pode estar obstruída por questões diversas, mas sempre existe a decisão individual de roubar ou não, beber ou não.
há ainda a possibilidade da decisão na procura de um tratamento ou não, seguir as necessárias prescrições ou não, ...
Segundo Gandhi “aquele que pela vontade, dominar os sentidos é o primeiro e mais importante dos homens.” [3] Creio que muito além dos sentidos o homem deve ser capaz de dominar seu destino, definindo metas e estabelecendo objetivos.
É exatamente através da vontade que o homem se torna senhor de seu destino.
Em geral vivemos sem nos dar conta de nossa vontade. Vivemos como se não a tivéssemos, ou melhor dizendo, como se dessa vontade não necessitássemos. Um dia percebemos que dela não nos dissociamos, que tudo o que fazemos e pensamos nada mais é que a representação dessa vontade.
Nesse momento nos damos conta que além de sermos possuidores da vontade, somos conscientes dessa mesma vontade. Nos percebemos capazes de orientar nossos atos, e mesmo nossos pensamentos na direção que melhor nos interesse.
É um momento de descoberta, de insigth.
Todos aqueles que já tiveram um insigth, podem afirmar com segurança que a visão sobre o assunto ou situação desse insigth jamais voltará a ser como era antes. Algo se abriu em nós, se desanuviou, de forma que passamos a ver mais claro aspectos dantes obscuros.
Somos tomados por uma sensação de inteireza, de autoconfiança ou segurança. Não mais somos joguetes na mão de um destino cego, ao revés disto, definimos nosso destino.
À medida em que aprofundamos nossa confiança na própria vontade percebemos o quanto ela é libertadora, nos estabelecendo diretrizes e mesmo canalizando energias.
A vontade é sempre propulsora de realizações, dinâmica, realizadora. Realiza, e arca com as responsabilidades relativas a essas realizações. A ela se contrapondo encontramos a inércia, o comodismo, a apatia, na verdade e no fundo uma fuga da responsabilidade acarretada pela decisão livre e soberana
8) Livre Arbítrio é libertação
O espírito tem em si uma série de leis que não pode sobrepujar. Envolvido na matéria, preso a um organismo, sujeito a leis biológicas, fisiológicas e psíquicas, vinculado a um meio social e a uma raça, um povo, modelado pelo aspecto cultural e pela educação da família, preso enfim a uma Lei Universal, não pode agir sem levar em conta sua natureza perfectível e seu grau de evolução relativa.
Naqueles que não chegaram a um grau de consciência superior sua vontade é quase instintiva, baseando-se nas necessidades de sobrevivência. Na medida porém que tomamos consciência de nossa existência, e sua finalidade, nos convertemos em seres mais reflexivos, inteligentes e racionais, conquistando passo a passo nossa liberdade, que aumenta na medida em que progredimos.
Por esse motivo que o Espiritismo postula que “o livre arbítrio é sempre proporcional ao grau de evolução do espírito”. Quanto maior for nosso grau de evolução maior será nossa liberdade, por conseguinte maior será nossa responsabilidade diante de cada ato.
Nesse sentido a compreensão da questão do livre arbítrio traz um salto de qualidade na nossa vida de relação.
A Idade Média dava ao homem uma única perspectiva de existência, este era temente a Deus e joguete dos interesses da Igreja e conseqüentemente do Estado daquela época.
O Renascimento desloca o eixo, centrando no indivíduo a questão do conhecimento e das próprias decisões. Falta-lhe no entanto uma perspectiva a longo prazo.
O Espiritismo chega ao mundo como esta visão de longo prazo, além disso rompe com as limitantes das idéias Judaico-cristãs, caindo por terra idéias como o pecado e uma série de coisas que apenas trouxeram a infelicidade dos homens.
O livre arbítrio é um desses conceitos libertadores que o Espiritismo é portador.
A partir dele o homem espírita é capaz de tomar decisões, e as toma de forma mais consciente que o homem medieval, que o homem do renascimento, ou qualquer outro homem de seu próprio tempo.
Ciente de sua liberdade plena, faz dessa liberdade linha condutora de sua prática existencial; usando-a no sentido do crescimento individual e colocando-a a serviço do aprimoramento das instituições sociais.
[1] Para termos uma noção do que significa isto, equivale a sete voltas ao Equador terrestre em um segundo.
[2] Soutet, Marc “Um café para Sócrates” pags 123-124
[3] “A essência da vontade”, Martin Claret, 1999, SP, p. 9




Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 03 de Setembro de 2009, 16:11
MISTIFICAÇÃO e mediunidade
“Não vá atrás de pessoas que dizem: você é médium!"
DIVALDO PEREIRA FRANCO
Não vamos atrás dessas pessoas que dizem: você é médium! Tudo isso é mistificação. Como a pessoa pode saber se a outra é médium? Não tem nenhum sinal exterior. Tudo isso é fantasia. Precisamos acabar com muita fantasia e muita mistificação que anda denegrindo o bom nome da mediunidade e do Espiritismo. A pessoa vira para nós e nos diz: "Você tem tanto número de obsessores". Como contou? Ou dizem:" Você tem três obsessores". Como é que sabe? Está no ônibus, na rua olha para nós e dizem que estamos muito carregados. Como é que sabe? São fantasias de pessoas supersticiosas e astutas para nos impressionarem. E o pior é que alguns de nós adoramos essas pessoas.

A Doutrina nos ensina corretamente e nós não gostamos. Mas a essas fantasias nós damos guarida. Não há sinais exteriores de mediunidade. Só a pessoa é que sabe se é ou se não é médium. Se sente a presença dos espíritos, é médium. Se não sente, não é médium. As vezes me perguntam: "Eu sou médium?" Então respondo que não sei.

A verdade é que algumas pessoas com astúcia, levam tudo para o campo da mediunidade. Dizem que sofrem muita dor de cabeça. Mas pode ser uma enxaqueca, um problema orgânico qualquer. Temos corpo e por isso há problemas orgânicos que nada tem há ver com mediunidade ou com obsessão. No entanto, muita gente por precipitação e ignorância espírita, dizem que se trata de mediunidade e tem que desenvolver. Desenvolva o que for, mas se tiver um problema orgânico continuará a ter dor de cabeça.

Afinal, médium também tem dor de cabeça... Chico Xavier tinha dor de cabeça de chorar. Ivone Pereira tinha dor de cabeça ao ponto de desmaiar. Nada há ver com mediunidade. Era uma disfunção orgânica. Vai ao médico, toma remédio e fica bom. Necessitamos usar o bom-senso para acabar com essas fraudes. Quanta gente decepcionada com a mediunidade porque no começo acredita nessas pessoas, se deixa envolver e mais tarde constata com um analgésico – que não afasta obsessores – que era um fenômeno do corpo.

Isso não quer dizer que os espíritos obsessores, a seu turno, não nos provoquem essa sensação. Há sensações de dor de cabeça que são de natureza mediúnica. Mas isso não quer dizer que todas as sensações sejam sinal de mediunidade. Portanto, não nos deixemos ludibriar pelos astutos.

Cuidados com os Super-Médiuns
Assim, quando alguém nos disser que temos tanto número de obsessores, perguntemos como é que ela sabe. Como viu. Ninguém vê obsessor assim. Há muita fantasia na vidência. Tenho ouvido coisas de estarrecer. Pessoas que ficaram super-médiuns da noite para o dia. Pergunto-me a quem a pessoa quer enganar... Só pode ser a si mesma! Os espíritos estão noutra dimensão. A visão é muito etérea. Tenho ouvido as pessoas dizerem que espírito tal fica comigo várias horas. Isso se dá porque são espíritos do mesmo nível. É um espírito inferior. Pode ser a mais elevada cultura da Terra, mas não é moralizada. É um espírito inferior desocupado. Outros dizem que viram um número tal de espíritos. Mas eles não ficam parados para que fotografemos. Eles aparecem como flash, como relâmpagos que a pessoa percebe-os ou não. Mas não dá tempo para contar um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove, dez... Então devemos acabar com essas fantasias de ser médium em ponto de ônibus, em festas...

Vulgarização da mediunidade
Devemos dar a mediunidade uma dignidade, pois está tão barateada, tão vulgar. E a medida que a televisão vai popularizando, o fenômeno vai ficando tão ridículo. Perdendo as características de nobreza, de sensatez, de pudor, que deve revestir a mediunidade.Do contrário, seremos em breve, um bando de pessoas esquisitas, aderindo às posturas ridículas de perturbações, de esquisitices, a ponto de se dizer que a mediunidade tem um grande contingente homossexual. Isso são teorias psicopatas, de pessoas aturdidas.
Os grandes médiuns da humanidade, na área masculina ou feminina, foram de uma sexualidade muito bem organizada. Os que têm distúrbios de comportamento estão nas mãos dos obsessores. Entraram em sintonia. Não é um problema da mediunidade. É um problema de comportamento moral. Isso é uma área de dignidade humana. A mediunidade, pelo contrário, exige um alto comportamento ético. Assim, não nos deixemos ludibriar pelas novidades e observemos Allan Kardec.

Como ajudar aqueles que estão com problemas espirituais?    
Dizer ao obsedado que está sob injunção da obsessão. Nada de panos quentes, de medos, mistérios para que ele não venha a saber. Muita gente não deseja que ele saiba, mas eles não podem tomar o remédio por eles. Alegam que eles não acreditam. Então, sendo assim, ficarão perturbados até acreditar. Não há pressa. Nós não devemos ter a preocupação de fazer que os outros acreditem, pois eles irão morrer um dia e passarão a crer. Devemos ser leais com o obsedado dizendo-lhe que está sob influenciação inferior e, na condição de terapeutas, digamos-lhe o que deve fazer. Mas que deve fazer se desejar fazer. A pessoa não querendo ficar boa, não iremos ficar bons por elas. Cada qual tem que resolver o seu problema. A nossa conduta é ser coerente. Despertar o paciente dizendo-lhe o que deve realizar para alcançar a  libertação e não nos envolvermos emocionalmente, pois a dívida é dele. Agir com o intelecto. A nossa emoção e o amor ajudam. Mas a dívida é da pessoa”.

http://www.jornaldosespiritos.com/2007.3/col2.2.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5qb3JuYWxkb3Nlc3Bpcml0b3MuY29tLzIwMDcuMy9jb2wyLjIuaHRt)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Leitor e aluno em 03 de Setembro de 2009, 16:30
Assédio e Obsessão.
Olá amigos com referência ao "Até Francisco Cândido Xavier e Divaldo Pereira Franco sofreram obsessão...!"
Assédio....
Em um Mundo Inferior como o que estamos ainda residindo... Os equivocados e mentirosos  são muitos... E fica claro que as tomadas mentais funcionam exatamente como as tomadas elétricas que usamos instaladas nas paredes das casas etc... precisam se "encaixar". O assédio será sempre possível em Mundo inferior ... os adversários das ideias do BEM... os nossos adversários e cobradores do ontem onde ainda erravámos muito... os adversários dos nosso diletos e amores mais próximos... tentam se infiltrar em nossas vidas isto é assédio...

Obsessão ( segundo Eu entendi com kardec na Gênese)... é a continuidade destes contactos rápidos e frequentes do assédio... porém temos muitos depoimentos de desencarnados infelizes em trabalhos prtáticos mediúnicos que se dizem frustrados de assediarem as almas hoje boas... ( ontem quem fomos...).. "Dizem este obesessores... " Quem mandou vocês se meterem lá! Ela (ele) agora só quer saber de ler bons livros , orar, ajudar os outros e eu não consigo mais chegar perto dela ( e) ..."

Então os envolvidos hoje no trabalho do BEM e tidos por nós como almas boas... Soprerão assédio... todos sofreremos... não existe regime de exclusão... Joanna de Angeliz  em Rumos Libertadores ... se coloca na condição de assediada e e fala mesmo em Obsessão temporária..." e se incluí.".. Se ela neste Mundo Inferior pode sofrer assédio... O Orai e Vigiai volta a ser o rumo e o Amor o  piloto de direção ...

" Quando um não quer dois não brigam"...
Se num repente eu que detesto café... me sinto fortemente dirigido a tomar café... eu preciso pensar... os ingenuos e maus utilizam-se deste expedientes grosseiros pois, são inteligências limitadas... porém outras mais desenvolvidas se utlizam das análises que fazem de nosso Períspirito, que mostra as matrizes "tomadas" que nós ainda oferecemos aos agressores que não amam ainda. O nosso ontem... ( O amor cobre a multidão dos Pecados... Jesus)
Assim sendo. Não existe regime de excessão para o assédio... porém  a obsessão só se instala se nós permitirmos... Quem se liga ao obsessor é o obsidiado, por suas ações pensamentos e objectivos que estabelece como seus prioritários...
Então ... todos podemos nos libertar das obsessões ... e mesmo sequer permitir que elas se instalem.. Emmanuel no Livro Segue-me... tem uma página excelente Calvário e Obsessão que mostra os diletos seguidores de Jesus envoltos na teia obsessiva na cruxificação do Doce e Meigo Jesus.
Se agimos no bem e lidamos com pessoas boas o assédio virá, porém a obsessão jamais.
Desculpem-me desde já qualquer deslize e deixo a todos um fraterno abraço. Leitor e aluno.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 03 de Setembro de 2009, 16:53
Olá leitor e aluno,
essa resposta final contida numa frase conhecida diz tudo:  "quando um não quer dois não brigam".
Valeu,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Marlabs em 03 de Setembro de 2009, 17:57
Saber como se processa esta interacção entre os mundos espiritual e material, como os espíritos nos influenciam, como distinguir as influências dos nossos próprios pensamentos, que maneiras temos de nos proteger das influências negativas, que podem levar às obsessão, fascinação e subjugação, poderá ser de grande utilidade para o nosso bem estar e equilíbrio.


Vários partiipantes do forum trazem cada um um ponto importante na questão da influência dos espiritos.

Entendo que o mundo espiritual está aqui e que literalmente nos batemos com os espíritos.
São em número bem maior que nós encarnados.

Todo o capitulo IX do LE, os anexos que Lousamar nos enviou como base para o forum e na citação acima, parece-me que é uma questão básica de sintonia e isto pode ocorrer no nosso dia a dia com encarnados e desencarnados.

Vejo que o importante no conhecimento do espiritismo é a base que nos dá para buscarmos diariamente o entendimento de como somos..

A doutrina é muito bela e consoladora!

Conhece-te a ti mesmo é uma indicação do Sócrates e que vale até os dias de hoje.

Quando esse conhecimento acontece, exige de nós perseverança, pois a mudança não se processa assim tão facilmente devido nossas imperfeições de hoje e de ontem.

As nossas dificuldades no dia-a-dia em qualquer situação, se analisarmos vamos tomar conhecimento e sabemos o que é preciso fazer. Aí começam as dificuldades do quanto queremos abrir mão do que temos ou sentimos.

A maturidade do espirito e das condições atuais que vive poderão dar esta direção.

Então como estamos num processo de aprendizagem, acredito que vamos errar muitas vezes, mas também vamos acertar muito. E isto é o que vale, estarmos sempre buscando a perfeição.

Também lembrado por Aristóteles que para alcançar a perfeição teremos que criar o hábito, isto exige esforço e renuncia.

Com isso reduzimos a sintonia com espiritos imperfeitos e nos aproximamos dos espiritos protetores e amigos para termos uma influência mais benefica.

A resposta da pergunta 459 - os espiritos nos influênciam muito mais do que imaginamos.
Que bom! 

Como já foi mencionado devo assumir responsabilidade por aquilo de penso e executo.

Não sou obrigado a plantar, mas se plantar vou ter que colher, por isso orai e vigiai sempre!

Um abraço fraterno!

Título: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 03 de Setembro de 2009, 19:57
Amigos do Forum,

Não consegui encontrar o texto que se referia a obsessão infantil. desculpe não poder citar agora. Confesso que não quis acreditar. Abaixo tem um texto que trata da questão, e realmente parace fazer algum sentido. É muito útil...

Obsessão espiritual infantil
Vitor Ronaldo Costa

“O Espírito mau espera que o outro, a quem ele quer mal, esteja preso ao seu corpo e, assim, menos livre, para mais facilmente o atormentar, ferir nos seus interesses, ou nas suas mais caras afeições.” (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. X, item VI, 24ª edição de bolso. FEB)

(...) Ao se aproveitar da invisibilidade do plano astral, o espírito rancoroso escolhe a melhor maneira de acicatar o seu desafeto, analisa os seus pontos frágeis, psíquicos e orgânicos, para influenciá-lo mentalmente ou inundá-lo de fluidos perniciosos com o propósito de desencadear as mais estranhas doenças, nem sempre diagnosticadas pela ciência convencional. E não importa a idade da vítima encarnada.

Quando o infante é acometido de obsessão, torna-se mais difícil elaborar o diagnóstico espiritual do caso, pois, geralmente, os familiares resistem em admitir tal hipótese. Imaginam que, por ser criança, ela esteja livre do assédio invisível. Eis um engano lamentável de sérias repercussões, visto que, quanto mais demorada a perturbação sofrida, maior a possibilidade de sequelas irreversíveis. De mais a mais, no afã da vingança, o obsessor, em verdade, enxerga na pequena vítima o seu desafeto de outrora, o espírito imortal responsável pelo delito cometido, e não a criança momentaneamente frágil e ingênua da atual reencarnação.

Por vezes, identificamos, em campo experimental mediúnico, cruel investida engendrada pela entidade odienta. Digamos que o alvo pretendido seja o genitor. Então, o obsessor desfecha seus fluidos mórbidos contra um dos filhos, pois, comprometendo-lhe a saúde, compraz-se no sofrimento paterno. É um tipo de obsessão indireta, bem mais freqüente do que se imagina.

Em virtude da sensibilidade, a criança, alvo da ação obsessiva, logo se ressente e manifesta o mal estar de que é vítima por meio do choro, da inquietude, da irritabilidade, do sono perturbado. Todavia, os sintomas decorrentes do assédio espiritual podem confundir o pediatra que vai buscar no organismo as causas mais frequentes de desconforto geral, a exemplo de erupção dentária, otalgia, verminose, distúrbio comportamental etc. Naturalmente os distúrbios infantis requerem urgência nos procedimentos médicos, pois nem sempre sintomas psíquicos ou persistentes derivam exclusivamente de obsessão espiritual. O bom senso adverte: Em primeiro lugar a assistência clínica, depois, o suporte da ciência da espiritualidade nos casos suspeitos.

(...)
Por muito tempo ainda, a obsessão espiritual será uma realidade sinistra a infelicitar o gênero humano. (...)

Partindo de tal raciocínio, é preciso atenção redobrada especialmente com as crianças. Os espíritos bondosos que nos orientam por meio de médiuns confiáveis e honestos sugerem a prática do evangelho no lar, insistem na manutenção de um clima de harmonia em família e aconselham a frequência às aulas de moral cristã nas instituições espíritas, com a finalidade de robustecer as defesas espirituais das crianças. Portanto, diante de um quadro sugestivo de perturbação espiritual infantil, quando os passes e a água fluidificada não surtirem os efeitos previstos, por uma questão de bom senso, não descartemos a hipótese de influenciação espiritual grave, a exigir os procedimentos mais elaborados da desobsessão formal

Leia na integra, in: http://www.oclarim.com.br/?id=7&tp_not=2&cod=917 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5vY2xhcmltLmNvbS5ici8/aWQ9NyZhbXA7dHBfbm90PTImYW1wO2NvZD05MTc=)




Nelson
Título: Re:[Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 03 de Setembro de 2009, 20:22
Amigos do Forum,

Não consegui encontrar o texto que se referia a obsessão infantil. desculpe não poder citar agora. Confesso que não quis acreditar. Abaixo tem um texto que trata da questão, e realmente parace fazer algum sentido. É muito útil...

Obsessão espiritual infantil
Vitor Ronaldo Costa

“O Espírito mau espera que o outro, a quem ele quer mal, esteja preso ao seu corpo e, assim, menos livre, para mais facilmente o atormentar, ferir nos seus interesses, ou nas suas mais caras afeições.” (Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. X, item VI, 24ª edição de bolso. FEB)

(...) Ao se aproveitar da invisibilidade do plano astral, o espírito rancoroso escolhe a melhor maneira de acicatar o seu desafeto, analisa os seus pontos frágeis, psíquicos e orgânicos, para influenciá-lo mentalmente ou inundá-lo de fluidos perniciosos com o propósito de desencadear as mais estranhas doenças, nem sempre diagnosticadas pela ciência convencional. E não importa a idade da vítima encarnada.

Quando o infante é acometido de obsessão, torna-se mais difícil elaborar o diagnóstico espiritual do caso, pois, geralmente, os familiares resistem em admitir tal hipótese. Imaginam que, por ser criança, ela esteja livre do assédio invisível. Eis um engano lamentável de sérias repercussões, visto que, quanto mais demorada a perturbação sofrida, maior a possibilidade de sequelas irreversíveis. De mais a mais, no afã da vingança, o obsessor, em verdade, enxerga na pequena vítima o seu desafeto de outrora, o espírito imortal responsável pelo delito cometido, e não a criança momentaneamente frágil e ingênua da atual reencarnação.

Por vezes, identificamos, em campo experimental mediúnico, cruel investida engendrada pela entidade odienta. Digamos que o alvo pretendido seja o genitor. Então, o obsessor desfecha seus fluidos mórbidos contra um dos filhos, pois, comprometendo-lhe a saúde, compraz-se no sofrimento paterno. É um tipo de obsessão indireta, bem mais freqüente do que se imagina.

Em virtude da sensibilidade, a criança, alvo da ação obsessiva, logo se ressente e manifesta o mal estar de que é vítima por meio do choro, da inquietude, da irritabilidade, do sono perturbado. Todavia, os sintomas decorrentes do assédio espiritual podem confundir o pediatra que vai buscar no organismo as causas mais frequentes de desconforto geral, a exemplo de erupção dentária, otalgia, verminose, distúrbio comportamental etc. Naturalmente os distúrbios infantis requerem urgência nos procedimentos médicos, pois nem sempre sintomas psíquicos ou persistentes derivam exclusivamente de obsessão espiritual. O bom senso adverte: Em primeiro lugar a assistência clínica, depois, o suporte da ciência da espiritualidade nos casos suspeitos.

(...)
Por muito tempo ainda, a obsessão espiritual será uma realidade sinistra a infelicitar o gênero humano. (...)

Partindo de tal raciocínio, é preciso atenção redobrada especialmente com as crianças. Os espíritos bondosos que nos orientam por meio de médiuns confiáveis e honestos sugerem a prática do evangelho no lar, insistem na manutenção de um clima de harmonia em família e aconselham a frequência às aulas de moral cristã nas instituições espíritas, com a finalidade de robustecer as defesas espirituais das crianças. Portanto, diante de um quadro sugestivo de perturbação espiritual infantil, quando os passes e a água fluidificada não surtirem os efeitos previstos, por uma questão de bom senso, não descartemos a hipótese de influenciação espiritual grave, a exigir os procedimentos mais elaborados da desobsessão formal

Leia na integra, in: http://www.oclarim.com.br/?id=7&tp_not=2&cod=917 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5vY2xhcmltLmNvbS5ici8/aWQ9NyZhbXA7dHBfbm90PTImYW1wO2NvZD05MTc=)




Nelson

Nelson, esclareça-me:
"6. Na prática do perdão, como, em geral, na do bem, não há somente um efeito moral:
há também um efeito material. A morte, como sabemos, não nos livra dos nossos inimigos; os Espíritos vingativos perseguem, muitas vezes, com seu ódio, no além-túmulo, aqueles contra os quais guardam rancor; donde decorre a falsidade do provérbio que diz: "Morto o animal, morto o veneno", quando aplicado ao homem. O Espírito mau espera que o outro, a quem ele quer mal, esteja preso ao seu corpo e, assim, menos livre, para mais facilmente o atormentar, ferir nos seus interesses, ou nas suas mais caras afeições. Nesse fato reside a causa da maioria dos casos de obsessão, sobretudo dos que apresentam certa gravidade, quais os de subjugação e possessão. O obsidiado e o possesso são, pois, quase sempre vítimas de uma vingança, cujo motivo se encontra em existência anterior, e à qual o que a sofre deu lugar pelo seu proceder.
Deus o permite, para os punir do mal que a seu turno praticaram, ou, se tal não ocorreu, por haverem faltado com a indulgência e a caridade, não perdoando. Importa, conseguintemente, do ponto de vista da tranqüilidade futura, que cada um repare, quanto antes, os agravos que haja causado ao seu próximo, que perdoe aos seus inimigos, a fim de que, antes que a morte lhe chegue, esteja apagado qualquer motivo de dissensão, toda causa fundada de ulterior animosidade. Por essa forma, de um inimigo encarniçado neste mundo se pode fazer um amigo no outro; pelo menos, o que assim procede põe de seu lado o bom direito e Deus não consente que aquele que perdoou sofra qualquer vingança. Quando Jesus recomenda que nos reconciliemos o mais cedo possível com o nosso adversário, não é somente objetivando apaziguar as discórdias no curso da nossa atual existência; é, principalmente, para que elas se não perpetuem nas existências futuras. Não saireis de lá, da prisão, enquanto não houverdes pago até o último centavo, isto é, enquanto não houverdes satisfeito completamente a justiça de Deus.

Este excerto é haurido do próprio ESE no capítulo indicado pelo amigo e ao número que dá ensejo ao tema Reconciliação com os adversários.
Contudo não encontrei nele, a citação "(...) Ao se aproveitar da invisibilidade do plano astral, o espírito rancoroso escolhe a melhor maneira de acicatar o seu desafeto, analisa os seus pontos frágeis, psíquicos e orgânicos, para influenciá-lo mentalmente ou inundá-lo de fluidos perniciosos com o propósito de desencadear as mais estranhas doenças, nem sempre diagnosticadas pela ciência convencional. E não importa a idade da vítima encarnada". E todo o seguinte do texto, q gostaria que se haurido de outra obra, o amigo mo  a indicasse para que pudesse estudar o ponto na fonte.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ROSINEI FESTINALLI em 03 de Setembro de 2009, 20:32
   Os Espíritos imperfeitos são instrumentos próprios a por em prova a fé e a constância dos homens na prática do bem. Por isso Deus permite que Espíritos nos excitem ao mal. Como Espírito que és, tens que progredir na ciência do infinito. Daí o passares pelas provas do mal, para chegares ao bem. A nossa missão consiste em te colocarmos no bom caminho. Desde que sobre ti atuam influências más, é que as atrais, desejando o mal; porquanto os Espíritos inferiores correm a te auxiliar no mal, logo que desejes praticá-lo. Só quando queiras o mal, podem eles ajudar-te para a prática do mal. Se fores propenso ao assassínio, terás em torno de ti uma nuvem de Espíritos a te alimentarem no íntimo esse pendor. Mas outros também te cercarão, esforçando-se por te influenciarem para o bem, o que restabelece o equilíbrio da balança e te deixa senhor dos teus atos.

        É assim que Deus confia à nossa consciência a escolha do caminho que devamos seguir e a liberdade de ceder a uma ou outra das influências contrárias que se exercem sobre nós.

[9a - página 247 questão 466]

Um Abraço a todos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ROSINEI FESTINALLI em 03 de Setembro de 2009, 20:39
As Muitas Faces da Obsessão
Jorge Hessen

Dentre as muitas psicopatologias graves de origem obsessiva, a que afeta a infância apresenta-se mais constrangedora, principalmente quando os desencarnados adversários acompanham a criança e se apresentam espiritualmente no instante do parcial desprendimento pelo sono, fazendo-a recordar dos deslizes morais de ontem, situação em que recuam para o corpo sob pesadelos atrozes, aos gritos e temores e irão instalando as fixações enfermiças pelo quais as futuras perseguições se tornam subjugações.

A criança obsidiada apresenta comportamento diferente, incontrolável, alternando dos estados agressivos aos de quietude depressiva e muitas vezes tentando a autodestruição. Nesses casos o mecanismo terapêutico é muito complexo em face de uma enorme ausência de cooperação consciente do enfermo infantil. O passe magnético é recomendável por envolver o doente em vibração de bem-estar, de harmonia e neutralizam as descargas magnéticas negativas de os alcançar.

Outras perseguições espirituais complicadas envolvem Espíritos vingadores, conscientes de sua condição de desencarnados, que sabem bem o que fazem e se comprazem nisso. O afastamento dessas criaturas não é nada fácil. Dominados pelo ódio, mostram-se intransigentes, irredutíveis, cristalizados de sentimentos e são refratários a todo tipo de tentativa de esclarecimento.

Muitos obsessores são hábeis e inteligentes, perfeitos estrategistas que planejam cada passo e acompanham as “vítimas” por algum tempo, observando suas tendências, seus relacionamentos, seus ideais. Identificam seus pontos vulneráveis (normalmente na área ligada ao comportamento sexual) e as exploram impiedosos.

Os problemas de saúde física também são campos férteis para semeaduras obsessivas. Como uma máquina nosso corpo se encontra sujeito a desgastes naturais, até porque muitos obsidiados não o usam de forma correta. Nesse sentido os perseguidores do Além exploram sempre à patologia de difícil diagnóstico.

O estado obsessivo procede da intimidade do homem exteriorizando-se em forma de tormentos físicos, mentais e emocionais. Seus ingredientes de causa remontam de vidas passadas de escorregões e quedas morais. Paixões, ódios, fanatismo, avareza e muitos outros fatores são as fontes geradoras da obsessão, que atualmente se constitui num dos mais terríveis flagelos da humanidade.

Visitado pelos obsidiados o Cristo penetrava psiquicamente nas causas da sua inquietude, e, usando de autoridade moral, libertava tanto os obsessores quanto os obsidiados, permitindo-lhes o despertar para a Vida, animados para a recuperação e à pacificação da própria consciência.

Mas o Cristo não libertou os obsidiados sem lhes impor a intransferível necessidade de renovação íntima, nem expulsou, os perseguidores inconsciente, sem fornecer-lhes o endereço de Deus. em qualquer processo de ordem obsessiva a parte mais importante do tratamento está reservado ao paciente. Sua fixação em permanecer no desequilíbrio constitui entraves de difícil remoção na terapia do refazimento. A terapia espírita é a do convite ao enfermo para a responsabilidade, convocando-o a uma auto-análise honesta, de modo a que ele possa destroçar em definitivo suas prevaricações.

Diante das teias das perseguições espirituais, a proposta terapêutica do Evangelho é a única portadora dos elementos da legítima libertação; portanto, o Cristo é o grande libertador a Quem todos devemos recorrer, auxiliando os doentes da alma que transitam, destrambelhados, fora da massa corporal.

Em Sua permanente energia amorosa, cônscio de Sua missão, Jesus ensinou que o mais poderoso antídoto contra a obsessão é o amor, pela experiência da caridade, da abnegação e do acrisolamento dos ideais.

Enquanto as luzes dos archotes culturais parecem esmaecidas pelos desvarios sexuais; pelas substâncias psicoativas; pela sede da posse material a Doutrina Espírita chega ao mundo apontando novos métodos de paz para os que sofrem os ressaibos amargosos da obsessão.

Esforcemo-nos pela vigília constante para que nos libertemos da vergasta das obsessões, no firme propósito de modificação de hábitos e atitudes negativos, ingressando no seio dos valores enobrecedores da vida pela efetiva renovação íntima.

Revista O Espírita - Maio / Agosto de 2000
Título: Re:[Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 03 de Setembro de 2009, 21:59
E todo o seguinte do texto, q gostaria que se haurido de outra obra, o amigo mo  a indicasse para que pudesse estudar o ponto na fonte.

Amigo Moura,

O texto está na íntegra no site da Casa Editora O Clarin, por sinal fundada pelo notório Caibar Shutel em 1905, e que foi publicado em sua Revista Internacional do Espiritismo.
Porem lá não encontrei referencias quanto a data de publicação nem as referencias bibligráficas que nortearam o trabalho de Vitor R. Costa.

No entanto enviei um email aos editores fazendo esta sua solicitação, e tão logo a resposta chegue aprofundaremos juntos a questão. Como sabe o link para o site é:
http://www.oclarim.com.br/?id=8 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5vY2xhcmltLmNvbS5ici8/aWQ9OA==)

um abraço

Nelson

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 03 de Setembro de 2009, 22:27
E todo o seguinte do texto, q gostaria que se haurido de outra obra, o amigo mo  a indicasse para que pudesse estudar o ponto na fonte.

Amigo Moura,

O texto está na íntegra no site da Casa Editora O Clarin, por sinal fundada pelo notório Caibar Shutel em 1905, e que foi publicado em sua Revista Internacional do Espiritismo.
Porem lá não encontrei referencias quanto a data de publicação nem as referencias bibligráficas que nortearam o trabalho de Vitor R. Costa.

No entanto enviei um email aos editores fazendo esta sua solicitação, e tão logo a resposta chegue aprofundaremos juntos a questão. Como sabe o link para o site é:
http://www.oclarim.com.br/?id=8 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5vY2xhcmltLmNvbS5ici8/aWQ9OA==)

um abraço

Nelson



fico-lhe agradecido mano Nelson.
abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Ros em 03 de Setembro de 2009, 23:13
Paz plena... Elsamar, um grande e fraternal abraço.
Citar
Ou seja amigo Moura,
temos tendência para atribuir os nossos pensamentos e actos errados aos espíritos inferiores, mas quando temos uma boa ideia, por norma e por orgulho, pensamos - Que boa ideia EU tive!
E é aí que muitas vezes nos esquecemos de agradecer ao nosso espírito protector. E ele, embora nunca nos abandone, fica triste, pois claro.É isso?
Interessante, como fui educado no seio da Igreja Católica, digo que lá o ensino é diferente, pois já ouvi isso muitas e muitas vezes:
"Tudo de bom que fazemos, não somos nós que fazemos, mas vem de Deus. Nosso só é o pecado".
Agora depois que comecei a viver experiências mediúnicas (1980) e comecei a estudar a Doutrina Espírita na prática e na teoria digo: "que só não aceita a influência dos espíritos em nossas vidas quem não nunca viveu experiências mediúnicos e também não conhece bem a Doutrina Espírita".
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Sarah Senna em 04 de Setembro de 2009, 00:41
" esse puxa-saco, com certeza quer aumento ou subir postos de trabalho sem merecimento.

Caros colegas , boa noite!!!
Ótimas colocação e me fez refletir.

Somos nós seres tão imperfeitos que na maioria das vezes, atos corriqueiros como esse que cito, que acontecem de diversas maneiras em nosso local de trabalho, e quem sem perceber  acabamos por alimentar esses IRMÃO MENOS ESCLARECIDOS E TÃO NECESSITADOS que estão constantemente ao nosso redor. Porém devemos cuidar para que nossa essência ainda bruta e grosseira não seja confundida com obsessão, porque EU POSSO TER ESSA INDOLE ainda não trabalhada em mim, e assim não estarei sendo objeto de obsessão, mas objeto de meu próprio defeito que deverá ser trabalhado constantemente até que o aprendizado seja completo.
 Coloco essa observação porque quando já vi acontecer de muitasd pessoas que começam a frenquentar uma casa espirita e a conhecer os livros da codificação, achar que tudo é culpa ou é por causa do ESPIRITO OBSESSOR.
E devemos sim mantermo-nos em estado de equilibrio apesar da dificuldade que é diante de tantas provações e aprimoramentos pelos quais passamos nesse processo evolutivo, mas se a dificuldade vir deveos nos lembrar sempre do que o Mestre Jesus nos disse em seu Evangelho: "Orai e vigiai constantemente."
Beijos
Fiquem na paz do Mestre Jesus
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: adrianneseixas em 04 de Setembro de 2009, 01:56

- Será que pessoas mais evoluidas do ponto de vista moral poderão receber pensamentos de espiritos moralmente inferiores (embora rejeitem esses pensamentos, naturalmente)?

É que já tenho lido intervenções em que passa a ideia de que há pessoas (médiuns ou não) imunes a más influências. Quererá isso dizer que a perfeição moral tapa a comunicação aos  espiritos moralmente inferiores ou que estes têm acesso aos pensamentos da pessoa, mas os que tentam o acesso, depois de muito tentar, desistem por verem que a pessoa rejeita os maus pensamentos?

Olá pessoal sou nova aqui e estou adorando o tema escolhido.
 Bom, acredito que não há pessoas imunes aos acessos de espíritos inferiores, o que acontece e vemos isso muitas vezes nos livros de Zíbia Gasparetto, é que a pessoa tem um espírito protetor, que todos tem, que não permitem certas influencias, ou seja: Protege a pessoa de influencias negativas. que na verdade são inuteis por que essas pessoas são moralmente maduras e não vão ser persuadidos a agir de forma maléfica tão facilmente. 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 04 de Setembro de 2009, 03:23
'... Bom, acredito que não há pessoas imunes aos acessos de espíritos inferiores, o que acontece e vemos isso muitas vezes nos livros de Zíbia Gasparetto, é que a pessoa tem um espírito protetor, que todos tem, que não permitem certas influencias...'

Olá.


Além deste aspecto da proteção dos mentores, muito bem lembrado por voce, temos a definição de que 'O espirito é uma centelha de luz'. Sendo assim, quanto mais evoluido o espirito maior a intensidade de luz e o campo de atuação que ele projeta de si. E a luz, naturalmente, por sua caracteristica fisica, afasta as sombras. Para verificar a possibilidade dessa ocorrência basta-nos fazer a experiencia de acender uma lampada na escuridão.

Por isso, lermos no Novo Testamento, a manifestação inconformada de uma legião de espiritos que obsediavam um individuo, e que eram obrigados a se afastarem por não suportar a luminosidade radiante que provinha da veste perispiritual de Jesus. A presença do mestre nazareno era suficiente para promover 'verdadeiros milagres', de lançar luzes à distância - o monte Tabor revela-nos essa grandiosidade luminosa, quando da transfiguração.



Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: EMILIA NELLY em 04 de Setembro de 2009, 03:52
Olá Amigos,

Parabéns Elsamar pelo tema escolhido, muitos de nós precisamos de uma

ou milhares de respostas para uma ou milhares de perguntas.


Kardec colocava que o mundo espiritual é o mundo real, verdadeiro, e que o mundo

material é resultado da projeção mental dos espíritos encarnados e desencarnados.

Afirmou ainda, que se o mundo material deixasse de existir, mesmo assim o mundo espiritual

continuaria sua existência normal. O Mundo Material e o Mundo Espiritual são independentes,

e com as leis físicas ou naturais características de cada uma das realidades. No mundo das

manifestações espirituais, vários fatos e fenômenos compõem um vasto conjunto de provas

da existência de uma realidade espiritual e de como essas energias conscientes entram em

contato com o mundo físico. Uma das mais impressionantes manifestações é a formação do

ectoplasma.

Médiuns, todos somos.

Mais ou menos apropriados, cada um de nós, mesmo contra a própria vontade, é sensível e

tem, mesmo não sendo Espírita, intuições, ou inspirações que nos são sugeridas pelos

Espíritos.

A mente, que não é material, recebeu de Deus a capacidade de estruturar a matéria, de

interferir mesmo nas leis físicas ou naturais.

Pela descrição em várias obras espíritas, em especial as de André Luiz, pode-se supor que os

espíritos conseguem, em determinadas situações, dobrar campos dimensionais, aproximando,

tangenciando, contactando, temporariamente, a realidade espiritual da realidade material. Os

espíritos mais evoluídos podem fazer isso pela vontade, pois já manipulam potenciais

energéticos muito intensos. Já os não tão evoluídos, precisam contar com a proximidade de

um médium, para criarem, em conjunto, um fluído espiritual, possibilitando a fusão dos

perispíritos do médium e do espírito desencarnado, que serve de ponte, possibilitando a

interação entre os dois planos.

FONTE: (fragmentos de literaturas espiritas diversas), entendimento puramente meu.

Caso haja alguma interpretação minha que seja contraditória, gostaria que os amigos se posicionassem quanto a questão

FIQUEM COM DEUS

HOJE E SEMPRE

Emilia Nelly
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Leitor e aluno em 04 de Setembro de 2009, 13:57
Espíritos Encarnados obsessores.
Nós os encanrnados podemos influenciar os desencarnados? Podemos também influenciar e mesmo obsidiar os ostros encarnados e desencarnados?
" Olá AMIGO ...  um casal de amigos vai fazer uma festa a fantasia durante um final de semana na sua casa de praia e convidou dezenove mulhres e cinco hmens incluindo a mim e me autorizou a convidar um amigo... e eu lógico aceitei e indiquei você... Vamos tirar a barriga da miséria ! Você vem comigo não vem???
O casal , organizador pode ser simplesmente o par de médiuns utilizados pelas sombras para manipular com inteligências desencarnadas e encarnadas.... porém pode mesmo serem os autores do projeto... O amigo e os outros oconvidados podem ser obsisdiados por ambos os lados ... por seus agressores e inimigos desencarnados e podem ainda serem fruto dao desejo de obsessão de encarnados... Fatos como este até grosseiro... acontecem com uma escala grande e de diferentes formas... Os convitres para determinados filmes, festas, bebidas e comida livres... os presentes que recebemos e oferecemos...!! enfim a nossa invigilância pode nos colocar na condição de obsesores e de obsidiados por nossos AMIGOS encarnados... Tudo posso , mais nem tudo me convém...
Ao pensarmos na influência dos Espíritos e comum nos esquiecermos de que as ALMAS são espíritos e portanto ..... SOMOS Espíritos e agimos e atuamos.... Podemos ilfluiir em direção ao BEM comum e em direção ao MAL...

Assistimos a um dependente em tratemento ...( bebidas alcoólicas) revoltar-se e ofender duramente um outro que o convidava e inssistia firme para que fossem ao Bar da esquina tomar uns goles... revoltado disse ele.... Vá você e me esquece eu não quero mais esta vida de bebum!!!
Aqui tem Espírito familiar? Tem Espírito amigo? Tem Espírito Protetor?? Tem Anjo de Guarda?

Sabe aquela toalha de banho que insistimos em deixar jogada no banheiro após o nosso banho??? Todos os dias... Será que estamos obsidiando alguém??? Será estamos sendo médiuns de alguma obsessão??? Será que se a colocássemos no lugar reservado para ela todos os dias faríamos BEM para outras pessoas???

O certo é que se os Espíritos podem auxiliar, nós podemos também ... somos espíritos... Se eles podem perturbar .... nós podemos também... somos espíritos... E como ninguém está em um Mundo de Prova e Expiação excluído da possibilidade ...sofremos assédio que sem nossa vigilância e empenho pode se transformar em uma obsessão....
Orai e vigiai para não cairdes em tentação... Jesus
Tudo posso naquele que me fortalece...
O AMOR cobre a multidão dos pecados e ainda nos coloca em muito boa sintonia...

Deixo a todos o meu pedido de desculpas por algum deslize e peço que recebam um fraterno abraço....Leitor e aluno.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 04 de Setembro de 2009, 16:01
Paz plena... Elsamar, um grande e fraternal abraço.
Citar
Ou seja amigo Moura,
temos tendência para atribuir os nossos pensamentos e actos errados aos espíritos inferiores, mas quando temos uma boa ideia, por norma e por orgulho, pensamos - Que boa ideia EU tive!
E é aí que muitas vezes nos esquecemos de agradecer ao nosso espírito protector. E ele, embora nunca nos abandone, fica triste, pois claro.É isso?
Interessante, como fui educado no seio da Igreja Católica, digo que lá o ensino é diferente, pois já ouvi isso muitas e muitas vezes:
"Tudo de bom que fazemos, não somos nós que fazemos, mas vem de Deus. Nosso só é o pecado".
Agora depois que comecei a viver experiências mediúnicas (1980) e comecei a estudar a Doutrina Espírita na prática e na teoria digo: "que só não aceita a influência dos espíritos em nossas vidas quem não nunca viveu experiências mediúnicos e também não conhece bem a Doutrina Espírita".

É exatamente assim, mano!
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 04 de Setembro de 2009, 16:03
Fico imensamente feliz em ver que todos compreenderam bem essa questão da influenciação.
Abraços,
Moura
Título: Obsessão infantil
Enviado por: nelsonmt em 04 de Setembro de 2009, 17:43
Amigos do Fórum Espírita,

Estou motivado a saber mais sobre a obsessão infantil, e voltei a ler o caso da reencarnação de Segismundo, em busca de relembrar seus ensinamentos. Nele encontrei esta colocação sobre a alimentação de FORMAS MENTAIS. Esta questão traz ao estudo da Influenciação, elementos novos ao debate deste tema . Alem da Sugestão Espiritual, temos também a Absorção de Matéria Mental.

Missionários da Luz Cap 14 Proteção, pg 239 FEB Apuleio fala a André Luiz:

- Eles se alimentam, diariamente, de formas mentais, sem utilizarem a boca física, valendo-se da capacidade de absorção do organismo perispirítico, mas ainda não sentem a extensão desses fenômenos em suas experiências diárias. No lar, na via pública, no trabalho, nas diversões, cada criatura recebe o alimento mental que lhe é trazido por aqueles com quem convive, temperado com o magnetismo pessoal de cada um. Dessa alimentação dependem, na maioria das vezes, mormente para a imensa percentagem de encarnados que ainda não alcançaram o domínio das próprias emoções, os estados íntimos de felicidade ou desgosto, de prazer ou sofrimento. Segundo você pode observar, também o homem absorve matéria mental, em to¬das as horas do dia, ambientando, adentro de si mesmo, nos círculos mais íntimos da própria estrutura fisiológica.
O chefe dos Construtores fixou-me, bem humorado, a expressão de surpresa, ao lhe receber elucidações tão simples, em assunto tão complexo, e acrescentou:
- Em sua experiência última na Crosta, quando envergava os fluidos carnais, nunca sentiu perturbação do fígado, depois de um atrito verbal? Jamais experimentou o desequilíbrio momentâneo do coração, recebendo uma noticia angustiosa? Por¬que a desarmonia orgânica, se a hora em curso era, muitas vezes, de satisfação e felicidade? É que, em tais momentos, o homem recebe «certa quantidade de força mental» em seu campo de pensamento, como o fio recebe a «carga de eletricidade positiva». O ponto de recepção está efetivamente no cérebro, mas se a criatura não está identificada com a lei de domínio emotivo, que manda selecionar as emissões que chegam até nós, ambientará a força perturbadora dentro de si mesma, na intimidade das células orgânicas, com grande prejuízo para as zonas vulneráveis.



Por ser muito extenso, em nosso espaço, sugiro aos amigos confrontar o caso de Segismundo nos capítulo 13 e 14 da obra com o de Cesarina no cap 15.Fracasso. É importante a comparação dos casos de resgate. O primeiro vitorioso pelo merecimento da criança e pelo amparo da vibração mental elevada da mãe. O segundo caso, muito infeliz, a criança já é vítima no útero da mãe e a gravidez é interrompida.
Imaginava anteriormente que enquanto a criança não amadurecesse seus hormonios sexuais ela ficaria imune e livre às vibrações inferiores devido a sua “pureza infantil”.  Mas começo a ter nova opinião sobre isso. A atmosfera mental da casa não fica restrita aos adultos. Lendo a lição de Apuleio (acima), compreendo, e peço a opinião dos amigos, que:

 1 a criança é indefesa ao ambiente exatamente por não possuir “domínio das próprias emoções”;

 2 ela depende tanto dos cuidados, educação e alimentação, quanto da preservação do nivel de vibratório mental do ambiente onde é criada;

 3 na sua individuação adolescente o jovem se ambientará em padrões emocionais tambem influenciado pelas vibrações mentais de encarnados e desencarnados a sua disposição (do alimento de formas mentais a sua disposição).
 
4 Podendo ser possivel tambem inclusive a obsessão direta e indireta como indica a o texto de Vitor Ronaldo Costa, postado anteriormente. E valida é tambem a sua indacação terapeutica.

5 Referendando o texto que a amiga Rosinei nos ofereceu da revista O Espírita: As Muitas faces da Obsessão, de Jorge Hessen

6 A póssibilidade de danos a saude é possivel pela carga sobre areas vulneraveis do organismo infantil.


Este tema é muito caro e importante na melhora da qualidade vibracional do planeta. Precisa de mais espaço e divulgação na mídia. Multipliquemos nós esta informção.

Muita paz a todos


Nelson

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 04 de Setembro de 2009, 17:46
Deixem-me perguntar: Qual é a matéria que a mente produz? Carne, plantas, madeiras metais, mesmo que quintessenciados?
pensem amigos...
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 04 de Setembro de 2009, 19:08
Amigos do forum espírita

Como saberemos se amanhã não seremos um obsessor?
Infelizmente é o futuro da maioria de nós.
Mesmo para os espíritas.
Nossa caridade e conhecimento nada valerão sem o autodomínio das emoções, e busca incessante do aprimoramento, entre a “a residencia de nossos impulsos automáticos” e a “casa das noções superiores”. Aos olhos do mundo é facil esconder e dissimular nossa real condição. Acertemos o passo para uma marcha constante.  

No Mundo Maior Cap a Casa Mental - Calderaro fala a André Luiz e nos ensina:

— No sistema nervoso, temos o cérebro ini¬cial, repositório dos movimentos instintivos e sede das atividades subconscientes; figuremo-lo como sendo o porão da individualidade, onde arquiva¬mos todas as experiências e registramos os meno¬res fatos da vida. Na região do córtex motor, zona intermediária entre os lobos frontais e os nervos, temos o cérebro desenvolvido, consubstanciando as energias motoras de que se serve a nossa mente para as manifestações imprescindíveis no atual mo¬mento evolutivo do nosso modo de ser. Nos planos dos lobos frontais, silenciosos ainda para a inves¬tigação científica do mundo, jazem materiais de or¬dem sublime, que conquistaremos gradualmente, no esforço de ascensão, representando a parte mais nobre de nosso organismo divino em evolução.

— Não podemos dizer que possuímos três cé¬rebros simultâneamente. Temos apenas um que, porém, se divide em três regiões distintas. Tome¬mo-lo como se fora um castelo de três andares:

no primeiro situamos a «residência de nossos impulsos automáticos», simbolizando o sumário vivo dos ser¬viços realizados;

no segundo localizamos o «domi¬cílio das conquistas atuais», onde se erguem e se consolidam as qualidades nobres que estamos edi¬ficando;

no terceiro, temos a «casa das noções su¬periores», indicando as eminências que nos cumpre atingir.

Num deles moram o hábito e o automatis¬mo; no outro residem o esforço e a vontade; e no último demoram o ideal e a meta superior a ser alcançada. Distribuimos, deste modo, nos três an¬dares, o subconsciente, o consciente e o supercons¬ciente. Como vemos, possuímos, em nós mesmos, o passado, o presente e o futuro.

(..)

. O corpo perispiritual humano, vaso de nossas manifesta¬ções, é, por ora, a nossa mais alta conquista na Terra, no capítulo das formas. Para as almas es¬clarecidas, já iluminadas de redentora luz, repre¬senta ele uma ponte para o campo superior da vida eterna, ainda não atingido por nós mesmos; para os espíritos vulgares, é a restrição indispensável e justa; para as consciências culpadas, é cadeia in¬traduzível, pois, além do mais, registra os erros cometidos, guardando-os com todas as particulari¬dades vivas dos negros momentos da queda. O gênero de vida de cada um, no invólucro carnal, determina a densidade do organismo perispirítico após a perda do corpo denso.

       Ora, o cérebro é o instrumento que traduz a mente, manancial de nos¬sos pensamentos. Através dele, pois, unimo-nos à luz ou à treva, ao bem ou ao mal.

—   Examinamos aqui dois enfermos: um, na carne; outro, fora dela.

Ambos trazem o cérebro intoxicado, sintonizando-se absolutamente um com o outro.

Espiritualmente, rolaram do terceiro an¬dar, onde situamos as concepções superiores, e, en¬tregando-se ao relaxamento da vontade,

deixaram de acolher-se no segundo andar, sede do esforço próprio, perdendo valiosa oportunidade de reerguer-se; caíram,

destarte, na esfera dos impulsos ins¬tintivos, onde se arquivam todas as experiências da animalidade anterior.

Ambos detestam a vida, odeiam-se reciprocamente, desesperam-se, asilam ideias de tormento, de aflição, de vingança.

Em suma, estão loucos, embora o mundo lhes não vis¬lumbre o supremo desequilíbrio, que se verifica no íntimo da organização perispiritual.




Amigos espírtas, confiemos mais em nossas obras de disciplina interior. Nossa caridade nos valerá auxílio mas não livrará da transformação necessária do controle emocional inferior. Contemos mais para nossa salvação e evolução com nossos estudos e esforços de auto aprimoramento do que com a misericórdia e generosidade divina. O Amor existe em Deus, mas tambem Sua Lei e Justiça.

Busquemos a lucidez de nossas mentes a nossa realidade: valorizemos toda atitude que motiva ao bem, mas tambem a resistencia e a força de vontade para a libertação dos vícios e hábitos inferiores. Busquemos compreender as verdades superiores e conviver com ela aqui neste plano. Só assim nossa permanencia na Luz está assegurada.

Muita Paz a todos

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Gigii em 04 de Setembro de 2009, 20:29
Olá amigos, companheiros...

Parabéns querida Elsa pela escolha do tema do estudo deste mês, que certamente motivará muita participação interessada.

É dificil acompanhar o estudo,para quem não tem sido assidua, como eu, como desejaria, tendo em conta a versatilidade do próprio tema.

Há tanto a dizer...

Na minha opinião, não existe momento algum na nossa vida em que estejamos sós. Daí que é impossível pensar que nunca somos influenciados, ou que somos senhores dos nossos pensamentos e vontade.
Diria que existe uma medição de forças...explico...trata-se de resistir ou não a essa influência, vinda não só dos seres desencarnados como encarnados.
Não devemos esquecer que em ambos os casos somos espíritos. Uns vemos, outros nem por isso...

Deixo aqui uma imagem, que pode demonstrar o tipo de influencias a que estamos sugeitos diáriamente, sem percebermos, para a reflexão de todos.

Voltarei depois Nelsonmt para falar sobre o obssessão infantil.

Beijitos...continuação de bom estudo!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 04 de Setembro de 2009, 20:33
Olá amigos(as)

Livro dos Espiritos
531 - A malevolência dos seres que nos fizeram mal sobre a Terra se extingue com sua vida corporal?

Freqüentemente, eles reconhecem sua injustiça e o mal que fizeram. Mas, freqüentemente, também, eles vos perseguem com sua animosidade, se Deus o permite, para continuar a vos experimentar. Pode-se a isso pôr um termo e por que meio? - Sim, pode-se orar por eles, e restituindo-lhes o bem para o mal, acabam por compreender seus danos. De resto, quando se sabe colocar-se acima de suas maquinações, eles cessam vendo que nada ganham com isso. A experiência prova que certos Espíritos perseguem sua vingança de uma existência a outra, e que se expiam assim, cedo ou tarde, os danos que se tenham feito a alguém. 532 - Os Espíritos têm o poder de afastar os males de sobre certas pessoas e de atrair sobre elas a prosperidade? - Não inteiramente, porque há males que estão nos decretos da Providência; mas eles minoram vossa dor, dando-vos paciência e resignação. Eis aqui um lembrete de que estamos em um mundo de expiações e provas. E ainda que as expiações podem ser compulsórias Sabei também que depende freqüentemente de vós afastar esses males ou pelo menos atenuá-los. Deus vos deu a inteligência para servir-vos e é por ela sobretudo que os Espíritos vêm vos ajudar, sugerindo-vos pensamentos propícios. Mas eles não assistem senão os que sabem assistir a si mesmos, é o sentido destas palavras: Procurai e achareis, batei e abrir-se-vos-á. Sabei ainda que aquilo que vos parece um mal não é sempre um mal; freqüentemente, um bem deve surgir, que será maior que o mal, e é isso que não compreendeis, porque não pensais senão no momento presente ou em vossa pessoa. 533 - Os Espíritos podem fazer obter os dons da fortuna, desde que solicitados para esse efeito? - Algumas vezes, como prova, mas, freqüentemente, eles recusam, como se recusa a uma criança, que faz um pedido inconsiderado. - São os bons ou os maus Espíritos que concedem esses favores? - Uns e outros; isso depende da intenção. Mais freqüentemente, são os Espíritos que querem vos arrastar ao mal e que encontram um meio fácil nos prazeres que a fortuna proporciona. Os espíritos nos advertem que as duas mais difíceis provas são justamente a riqueza, pela facilidade com que se perde nos vícios e a pobreza pela falta de resignação 534 - Quando os obstáculos parecem vir fatalmente se opor aos nossos projetos, seria por influência de algum Espírito? - Algumas vezes, os Espíritos; de outras vezes, e o mais freqüentemente, é que nisso escolheis mal. A posição e o caráter influem muito. Se vos obstinais em um caminho que não é o vosso, não é pelos Espíritos, mas por vós que sois o vosso próprio gênio mau. 535 - Quando nos acontece alguma coisa feliz, é ao nosso Espírito protetor que devemos agradecer? - Agradecei sobretudo a Deus, sem cuja permissão nada se faz, pois os bons Espíritos foram seus agentes. - Que aconteceria se se negligenciasse em agradecer? - O que acontece aos ingratos. - Entretanto, há pessoas que não oram, nem agradecem e às quais tudo sai bem? - Sim, mas é preciso ver o fim, pois pagarão bem caro essa felicidade passageira que não merecem, porque quanto mais tenham recebido, mais terão de restituir.

As questões da noite trazem diversos conceito muito importantes e interessantes, essencialmente voltados a maneira pela qual nos relacionamos com os espíritos Nossos desejos, vontades e primordialmente nossa atitude vibratória. Estamos porquanto cercados de espíritos das mais diversas classes de evolução, desde espíritos ainda primitivos, ligados a matéria, espíritos endurecidos no mal, espíritos que nos são semelhantes e mentores que nos são os guardiões e amigos sinceros que nos querem auxiliar a evoluir. Lícito nos é pedir o que quisermos a estes espíritos, entretanto, que fique claro que cada coisa tem um preço, mesmo que atendida ou não. Os mentores podem se sentir desatendidos em suas sugestões mentais, principalmente ao ver-nos pedindo por desejos de cupidez e avareza... A vida é muito rica de momentos onde precisamos fazer tomadas de decisão. Nossa mente, nestes momentos deve sempre, invariavelmente, recorrer da prece Devemos vibrar, e trazer para perto de nós o amigo espiritual que nos dá o bom conselho Não devemos imaginar que isto o vá cansar ou perturbar. É um prazer para ele poder ajudar Lembremos que se trata de um espírito que nos quer bem e raramente temos um espírito guardião em tarefa compulsória E sabendo então deste guardião amigo, devemos elevar nossas vibrações e ouvir-lhe enquanto fala a nossa consciência Muitos irmãos viciam-se na tristeza e desenvolvem tenebroso quadro de depressão Muitos viciam-se na irritação e desenvolvem perigoso quadro de obsessão Muitos viciam-se na cupidez e desenvolvem perigoso quadro de desrespeito a si mesmo e aos que lhe são parceiros Todos estes vícios encontram uma causa comum: tendências naturais e influência de espíritos menos felizes. A manutenção do estado vibratório é justamente isto: Não permanecer irritado, não permanecer triste e assim por diante. Devemos travar intensa batalha contra os estados mentais desequilibrantes e procurar, sobretudo, a PAZ Uma mente em paz consigo mesma e com as demais mentes ao redor tem grande resistência as sugestões menos aconselháveis daqueles que nos desejam perturbar, ou ainda, usar-nos para satisfazer seus próprios vícios e intentos É também esta PAZ interior que nos permitirá guiarmo-nos em direção aos acordos que fizemos antes de nascer O importante aqui é lembrar que a qualquer momento, o futuro pode ser mudado A programação reencarnatória não é destino, pois destino não existe Os espíritos podem sim influenciar nosso futuro, na justa medida que assim permitirmos Busquemos sobretudo a paz de espírito, a manutenção de nosso padrão vibratório, banindo destes as tristezas, a irritação e tantos outros padrões mentais desequilibrantes. Nosso futuro depende exatamente disto: de como nos relacionamos primeiro com nós mesmos e em seguida, com os demais, sejam eles encarnados ou desencarnados Que a PAz do MEstre Jesus esteja sempre em vossos corações (t)

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 04 de Setembro de 2009, 20:39

O texto está na íntegra no site da Casa Editora O Clarin, por sinal fundada pelo notório Caibar Shutel em 1905, e que foi publicado em sua Revista Internacional do Espiritismo.
Porem lá não encontrei referencias quanto a data de publicação nem as referencias bibligráficas que nortearam o trabalho de Vitor R. Costa.

No entanto enviei um email aos editores fazendo esta sua solicitação, e tão logo a resposta chegue aprofundaremos juntos a questão. Como sabe o link para o site é:
http://www.oclarim.com.br/?id=8 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5vY2xhcmltLmNvbS5ici8/aWQ9OA==)


Amigo Moura e demais amigos do Fórum, o texto em questão foi publicado em:

Revista Internacional de Espiritismo:
SUA REVISTA DE ESPIRITISMO

EDIÇÃO: Julho de 2009

Nelson

Obs: Os editores ainda não responderam sobre possiveis referencias bibliografica de suporte ao texto. Est informação veio da amiga do forum Emília Nelly, a lhe sou muito grato
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: T em 04 de Setembro de 2009, 22:41
Olá a todos. Em primeiro lugar, parabéns pela profundidade dos debates.

Sobre um subtema pouco explorado aqui: quando perceber a influência espiritual. Alguém falou até em arrepios, por exemplo. Tenho para mim que simplesmente não o notamos, 98% das vezes. Até porque os espíritos avisam que esta influência é bem maior do que supomos...

Donde vem outra questão: a utilidade de perceber esta influência. A meu ver, a utilidade é bem pouca, pelo menos no sentido de ficarmos investigando. A exceção é quando ela é manifesta, como em casos de obsessão. Claro que esta pode ser difícil de distinguir, e nestes casos o espírito deve ser afastado para que o obsidiado se reequilibre. Mas no comum do dia-a-dia não faz sentido ficamos tentando adivinhar de onde veio tal ou qual pensamento.

Kardec, ao enunciar as regras de uso da mediunidade, foi claro em afirmar que a procedência da mensagem se vê pelo seu teor, e é este que importa, não a assinatura. Com as influências espirituais dá-se o mesmo. Analise-se a idéia, o impulso, a vontade. Se é nosso, se é alheio, pouco importa. É mau? esqueça-se. É bom? Cumpra-se. Abraços.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 04 de Setembro de 2009, 23:01
Amigo Tulio,
na verdade a banda não toca bem assim.
Se é de pouca importancia o reconhecimento dessas influências, num contexto mais amplo, em sentido restrito porém é desse reconhecimento que percebemos, como eu, quando o mentor se apresenta.
No meu caso ele nem fala, faz-se presente por uma vibração de calma e tranquilidade, isso para mim, pois com minha esposa, até seu odor, ou seja, um perfume que ela diz que ele exala quando se faz presente, ela sente.
Geralmente brinco com ela pois não sinto nada de cheiros, digo-lhe que minha mediundade não contém nariz e por isso não sente odores.
Todavia, num processo de estudos vale msempre a pena a investigação de tudo oi que se passa.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 05 de Setembro de 2009, 01:19
Olá meus amigos e amigas,

agradeço desde já, todas as vossas manifestações de agrado pelo tema, mas penso que estamos todos de parabéns, pois é muito importante a colaboração de todos para o "êxito" deste estudo.

Fico imensamente feliz em ver que todos compreenderam bem essa questão da influenciação.

E eu também fico muito feliz, principalmente, por esta partilha de conhecimentos estar a decorrer em absoluta harmonia.

Amigos,

Sabemos então que os espíritos se influenciam uns aos outros através do pensamento. Estas influências podem ocorrer entre desencarnados, entre encarnados e entre uns e outros.
A maioria das influências que sofremos, são assédios, como nos diz o amigo nelsomt :
" O assédio será sempre possível em Mundo inferior ... os adversários das ideias do BEM... os nossos adversários e cobradores do ontem onde ainda erravámos muito... os adversários dos nosso diletos e amores mais próximos... tentam se infiltrar em nossas vidas isto é assédio..."

Mas esses asssédios podem passar a obsessão, continua o nelsomt:
 - "Obsessão ( segundo Eu entendi com kardec na Gênese)... é a continuidade destes contactos rápidos e frequentes do assédio... porém temos muitos depoimentos de desencarnados infelizes em trabalhos prtáticos mediúnicos que se dizem frustrados de assediarem as almas hoje boas... ( ontem quem fomos...).. "Dizem este obesessores... " Quem mandou vocês se meterem lá! Ela (ele) agora só quer saber de ler bons livros , orar, ajudar os outros e eu não consigo mais chegar perto dela ( e) ..."

Até aqui, podemos sempre optar por seguir os bons conselhos dos nossos espíritos protectores e outros espíritos amigos. O nosso livre arbítrio começa a ficar tolhido, se a obsessão simples, passar a fascinação e ficará praticamente aniquilado se nos deixarmos subjugar. No entanto seremos sempre responsáveis pelas nosssas escolhas.


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 05 de Setembro de 2009, 01:58
Linda Giggi,

obrigada pela tuas palavras.
Agradeço-te que venhas então partilhar connosco o tema da Obsessão Infantil, pois é também umas das propostas de estudo.


Somos todos sem excepção, influenciados por espíritos, sejam desencarnados ou encarnados. Por isso também os bebés e crianças sofrem estas influências, certo?
Enquanto adultos, podemo-nos defender destas influências (e claro estou a referir-me às negativas), através da prece, da oração, dos bons pensamentos, vibrando boas energias, pois temos sempre essa opção por sermos detentores do livre arbítrio.

Mas, e em relação às crianças?

A partir de que idade existe livre arbítrio pleno?

Embora os espíritos que habitam aqueles corpos, possam ter (e têm)  já várias  reencarnações, durante esta fase da vida (enquanto bebés e crianças), não têm como se defender dessas influências.

Porque é permitida a obsessão infantil, se os espíritos encarnados, nessa fase da existência ainda não têm como se proteger?

Abraços e  :-* :-*
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 05 de Setembro de 2009, 02:26

Mas, e em relação às crianças?

A partir de que idade existe livre arbítrio pleno?

Embora os espíritos que habitam aqueles corpos, possam ter (e têm)  já várias  reencarnações, durante esta fase da vida (enquanto bebés e crianças), não têm como se defender dessas influências.

Porque é permitida a obsessão infantil, se os espíritos encarnados, nessa fase da existência ainda não têm como se proteger?


Nesta situação não devemos entrar em consideração com o livre arbítrio, pois esta envolvência não resulta de actos praticados na encarnação presente, mas de acções praticadas enquanto desencarnados. Todos nós criamos, ao longo do tempo, inimizades. Todos nós já assediamos outros. Então quando somos assediados é a lei de causa e efeito em acção. Doutra forma entrariamos no campo da injustiça, coisa que não existe no Cosmos.
Apenas o corpo é criança porque todos já somos Almas bem velhas.

Atlante
 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 05 de Setembro de 2009, 03:22
Olá

Gostaria de colocar algumas questões que considero pertinentes, agradecendo que ninguém tome tal facto como menos respeito e consideração pela postura e opinião de cada um. Para mim todos estão bem na condição em que se encontram. Foi o ponto onde conseguiram chegar ou aquilo que, do conhecimento que já têm, lhes é permitido manifestar nesta vida.

Verifico que muitos dos nossos amigos seguem, em relação a Deus e à Espiritualidade, um raciocinio que tem como base a forma de proceder, e de pensar, da maioria das religiões.
Um Deus que faz tudo, tipo deixa, põe, tira, rapa e uma espiritualidade superior que está sempre a ajudar, a proteger e fazendo coisas por nós e para nós. Esta é toda uma postura virada para fora do Ser.

Sucede que esta não é a visão da doutrina Espírita. A doutrina centraliza no Ser tudo aquilo que lhe diz respeito. Nós somos os construtores de nós mesmos. Aquilo que irradia de nós é o que já conseguimos adquirir ao longo de toda a nossa vida, independentemente da condição e plano em que ela se foi processando. Ninguém pode dar o que não tem.
Por outro lado é necessário compreender que a nossa vida presente, e todas as vidas no mundo físico, se processa em face de dois factores. Resgate do passado e construção do futuro.
O resgate do passado verifica-se pela vivência dos efeitos resultante das causas provocadas. A sementeira é livre, a colheita obrigatória.
A construção do futuro faz-se pelas acções praticadas, as quais determinam causas.
Se as acções forem boas as causas serão boas, logo as reacções ou efeitos serão bons. Caso contrário iremos continuar a colheita de fel.

Um outro pormenor, que gostaria de abordar, é a questão do " orai e vigiai ".
Muitos amigos têm postado esta frase de Jesus.
Mas vejam:
- Orar o quê e a quem?
- Vigiar o quê e quem?

Se, como referi antes, nós somos os causadores de todos os nossos males, então a vigilância, que nosso Mestre recomenda, é para conosco. Para nossas acções e para nossos pensamentos ( não pecais por actos ou pensamentos ).
Tudo o que nos chega de fora de nós, chega pela lei da actracção ou afinidade. Se nossa condição de vida for exemplar como poderemos ser assediados por irmãos nossos ignorantes ou maléficos? Não será fácil.

Por outro lado Orar para quê? Isto é extremamente importante compreender.
A maior parte de nossos irmãos ora a Deus ou aos mentores pedindo seja o que for ( não é muito importante estar a considerar aquilo que se pede ).
Sucede que Deus já não tem nada para nos dar. Ele já nos deu rigorosamente tudo o que havia para dar. E para que não tivessemos dúvidas até habita em nós ( Centelha Divina ). Agora cabe-nos descobrir e despertar tudo o que já temos, para passarmos a ser tudo isso.   
E os mentores não podem fazer nada do que nos compete. Apenas lhes é permitido aconselhar, alertar, mas toda a decisão terá que ser nossa, senão onde estaria nosso mérito?
Então como entender a oração?
Pois. É aquele acto que nos eleva, que nos leva à unidade com o Cosmos e as forças superiores da vida, despertando em nós esse grande arcano do universo, que é o Amor.
Este acto provoca a unificação de todas as forças positivas do universo e desencadeia um movimento energético de Amor que tocará todos aqueles que tiverem condiçõas para o recepcionar, despertando nestes, por sua vez, o Amor que já está em si, desde o princípio.

Então entenda-se que nós vivemos em afinidade com nossos amigos. Somos nós que determinamos a sua qualidade.

Há um outro pormenor que temos que levar em atenção, agora para aqueles que trabalham em favor dos nossos amigos em dificuldade de conhecimento e comportamento.
Devemos ter sempre em consideração que o baixo astral não gosta de perder. Para ele todo o conhecimento ou ajuda que chega é uma inimizade. Assim ele irá sempre tentar combater aqueles que se dedicam de Alma e coração a esta tarefa, assediando-os. É desta forma que se justifica o assédio que o Chico e o Divaldo sofreram. Mas isto também foi útil para nossos irmãos, pois permitiu-lhes vivenciar essa experiência e vencerem-na. Jesus também viveu as suas tentações e venceu-as.

Atlante

 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: shirlei em 05 de Setembro de 2009, 04:28
Limpar a Mente

Autor: Miramez (espírito)

Os bons costumes tornam a mente límpida e clareiam o verbo, enriquecendo-o, para que os ouvintes sejam estimulados ao exercício do bem eterno. A poluição mental turva a consciência e conturba o raciocínio, deixando a alma trôpega no vaso da carne. O homem civilizado não tem o costume diário de higienizar o corpo? Pois a mente, na verdade, tem grande necessidade de limpeza, tanto quanto o corpo, por ser o centro da vida que comanda todo a massa somática.

E esse trabalho começa como a chuva: divide-se em bilhões de gotículas, mas farta a humanidade e a natureza, limpa a atmosfera e destampa as minúsculas aberturas das árvores, de onde promana o oxigênio puro, no vigor da própria existência. Assim, a chuva, para a mente, há de surgir nessas mesmas proporções: bilhões ou trilhões de pequenos esforços, somando uma torrente de energias vivas, conduzindo todo o entulho da consciência por canais apropriados. E a pureza do raciocínio faz nascer um clima enriquecido para as belezas imortais do amor, da alegria e da fraternidade. Sugestiona o ser à procura de Deus e a obedecer às leis.

A castidade mental é obra de grande importância para a nossa supremacia espiritual, sem as sutilezas da arrogância e as manobras do orgulho. Devemos nos esforçar todos os dias, a partir do momento em que nos alistamos no exército do Cristo. Como espíritos, mesmo no mundo, mas à procura da luz, compreendamos, na urgência das nossas necessidades, que renovação é tema central da alma - ovelha que reconhece o pastor, atendendo os seus magnânimos convites, pela inteligência e pelo coração.

A elegância dos pensamentos ajusta o meio ambiente em que viveis, para chamados fraternos e para uma conversação sadia, desamarrando do núcleo da vida, a expressão do amor, de modo a participar, na mesma freqüência, a razão. Para que tudo isso se faça, o esforço próprio é imprescindível, dia a dia. A auto-educação haverá de se processar passo a passo, e a vigilância deve arregimentar todas as forças possíveis nessa imensurável batalha que somente termina na pureza espiritual, para começar outros labores, em escalas que escapam ao raciocínio humano.

A vida é um turbilhão de vidas sucessivas, que se associam por lei de esforços e de obediências correlatas. No homem, o começo do sofrimento é princípio de maturidade. É, pois, a força do progresso atingindo a sua farda física, para que o corpo espiritual se atualize nas necessidades maiores. Os grandes golpes na alma clareiam seu caminho para certas mudanças na arte de viver melhor.

Escrevemos para todos, é certo. No entanto, endereçamos nossas mensagens, com mais intimidade, aos despertos, aos companheiros conscientes dos seus deveres ante a escalada do Mestre. Se começais hoje a vos renovar na vida que levais, amanhã sereis torturados impiedosamente pelas forças contrárias, donde resulta a desistência de muitos estudantes da verdade, por ignorarem que o ataque, a maledicência, a injúria, o desprezo são outras tantas forças do bem, revestidas aparentemente de inimigos. Todavia, o que Jesus disse nos conforta sobre maneira: “Aquele que perseverar até o fim, será salvo”.

Associemos nossos esforços aos regimes das leis de Deus, respeitando-as em todas as suas nuances. Se algo faltar de nossa parte, nunca haverá de ser a persistência, como onda de luz a transformar as nossa boas intenções em realidades.

Higienizemos a nossa mente, sem afrontá-la agressivamente. A experiência nos aconselha que o trabalho paciente e constante vencerá obstáculos que se nos afiguram em posição irremovível. Na verdade, a mente plasma o que os olhos vêem, como máquina fotográfica pronta para disparar tendo em mira o objetivo visado. Não obstante, poderemos fechar o diafragma. Assim sucede com os ouvidos, assim se processa na formação das idéias. Orar e vigiar é atitude certa para que a mente não se suje mais. E o trabalho de limpeza deve ser eficiente, diminuindo a carga corrosiva acumulada em muitos séculos. Um pouco de boa vontade vos colocará, com habilidade, nesse saneamento, e o conceitos que propomos nesse livro são, um tanto um quanto, companheiros da limpeza espiritual, convidando a todos para a libertação.  
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: CClaudio em 05 de Setembro de 2009, 04:58
Olá...!

O tema me fez pensar naquele alerta do Mestre:

"ORAI E VIGIAI"

Este alerta nos faz refletir exatamente sobre esse assunto, onde o "Orai" nos inspira a manter um contato espiritual, uma vibração mais elevada através de bons pensamentos, atitudes e tantas outras virtudes que podemos praticar a fim de nos mantermos longe de tais investidas negativas.

'VIGIAI", Nosso comportamento fala por nós, não é uma ou outra vez que nos pegamos pensando na besteira que fizemos quando não conseguimos evitar aquele desentendimento, aquela discussão? Pois bem, o vigiai que o Mestre mensionou deve nos servir de valiosa ferramenta contra essas influências, afinal, quando estamos em busca de equilibrio e conhecimento é natural que sejamos alvos visados pois não é do interesse desses "irmãos" que vejamos a verdade, pois infelizes que são nos querem iguais a eles. Estão infelizes e querem que fiquemos também, mas apenas estão, pois tudo se transforma para o bem, não há conciência que esteja em paz, estando em desequilibrio com as Leis de Deus. Devemos nos vigiar na conduta, no pensamento e no sentimento, não é verdade que o trabalho dignifica o Ser? Trabalhar constantemente na nossa elevação moral é o primeiro grande passo!

PAZ E VIDA!!!


 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Haga em 05 de Setembro de 2009, 09:43
Tema relacionado com este tópico (http://www.forumespirita.net/fe/outros-temas/deus-comanda-todos-os-nossos-atos/)


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 05 de Setembro de 2009, 10:19
Olá

Continuando o raciocinio desenvolvido no post aterior, vamos agora verificar esta questão noutro sentido.

Como podemos verificar, aquilo que nossos amigos, que duma forma geral estão colocando suas opiniões neste tópico, pretendem é verem nossos irmãos, mais ignorantes, bem longe da porta. Tal se deve, aparentemente, ao medo que esses irmãos lhes causam.
Sucede que não devemos temer os nossos amigos menos esclarecidos. Aquele que nós devemos temer somos nós mesmos, porque se nossos actos e nossas consciências estiverem em harmonia e se nos conhecermos de forma conveniente, por forma a não permitirmos suas interferências em nossas decisões e nossos actos, nada temos a temer.
Bem pelo contrário. Temos aqui nossa oportunidade de lhes podermos valer, esclarecendo-os e auxiliando-os, por forma a que possam ascender a planos de melhor condição espiritual.
Certamente não vamos pensar que são aqueles que estão nas mesmas condições, em que eles se encontram, que poderão auxiliá-los no despertar de suas consciências.
Será nesta interacção entre os mais evoluidos e os menos evoluidos que nossa humanidade poderá crescer.
O melhor exemplo está na relação que nossos guias mantêm conosco mesmos. Não nos aconselham eles e não nos chamam a atenção para os nossos comportamentos e atitudes de menor correcção? Então porque não haveremos de proceder com nossos irmãos em maior dificuldade da mesma forma?

Se formos capazes de Amar seremos capazes de auxiliar na transformação, pelo exemplo de vida que transmitirmos aos outros.

Atlante
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Victor Passos em 05 de Setembro de 2009, 11:19
Ola muita paz

Amigo Nelson


  Apenas quero dar uma achega, para responder a sua duvida...todos somos obsessores de nós proprios...srsrsr


Muita paz

Está bem entregue  estudo...

Muita paz e harmonia

VICTOR PASSOS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: sonho em 05 de Setembro de 2009, 12:52

Mas, e em relação às crianças?

A partir de que idade existe livre arbítrio pleno?

Embora os espíritos que habitam aqueles corpos, possam ter (e têm)  já várias  reencarnações, durante esta fase da vida (enquanto bebés e crianças), não têm como se defender dessas influências.

Porque é permitida a obsessão infantil, se os espíritos encarnados, nessa fase da existência ainda não têm como se proteger?


Nesta situação não devemos entrar em consideração com o livre arbítrio, pois esta envolvência não resulta de actos praticados na encarnação presente, mas de acções praticadas enquanto desencarnados. Todos nós criamos, ao longo do tempo, inimizades. Todos nós já assediamos outros. Então quando somos assediados é a lei de causa e efeito em acção. Doutra forma entrariamos no campo da injustiça, coisa que não existe no Cosmos.
Apenas o corpo é criança porque todos já somos Almas bem velhas.

Atlante
 

Olá Elsamar e a todos!

O estudo está óptimo mas são tantas as respostas que estou com alguma dificuldade em acompanhar, mas como estamos a entrar na questão que me apaixona que é a obsessão infantil, aí vai a minha questão:  

Atlante, permita-me que lhe pergunte então se tudo é lei da causa e efeito da acção, não será injusto que estando esse espírito num corpo de uma criança indefesa possa desde logo ser assediada sem capacidade de resposta para tais assédios?

Dizem que por vezes estas situações se devem por causa de débitos de seus pais, mas se nós somos somente responsáveis por nossos actos porque terão que sofrer as crianças  por actos pretéritos de seus pais?

Nota: Dirigi esta resposta ao nosso companheiro Atlante uma vez que o mesmo já abordou o tema com muito acerto mas gostava muito de ler outras opiniões, pois todas têm o seu valor. ;)

Abraços
Sonho :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Leitor e aluno em 05 de Setembro de 2009, 13:08
ESPÍRITOS DE CRIANÇAS
A médium Ivonne do Amaral Pereira no Livro Cânticos do Coração, Volume 2 (são 2 volumes. Esgotado Editora Celd - Brasil) em um capítulo com este nome., me fez uma revelação... eu não conhecia nada sobre isto... Ela em arrebatamento foi levada ao plano espiritual a uma Instituição especializada em receber os Espíritos recém desencarnados  e ainda na fase da infância... No que se refere ao corpo... Este espíritos são recebidos e cuidados por senhoras que reproduzem a vida que eles levavam antes de desencarnar, seus corpos peripirituais são mantidos e ali permanecem até o processo reencanatório se completar... ISTO QUANDO A DESENCARNAÇÂO foi prematura... Para que o planejamento feito da última encarnação seja ainda aproveitado...
    Isto pode talvez ajudar-nos a comprender a obsessão que se abate sobre as crianças.
Sendo repetitivo.. os Espíritos hoje encarnados na fase infantil (crianças) são na realidade espíritos adultos reencarnados e portanto e graças a Deus tendo a oportunidade de durante a ingenuidade  da infãncia rever rumos e acatar orientações....!!
Deixai vir a mim as criancinhas... ! Jesus. E Completa ele o Reino dos Céus é possível para os que a elas se assemelham.
    Assim como ensinamos a comer, beber, andar, desde pequenos podemos ensinar a orar. falar de Deus e mesmo socorrer.
Um fato real.
O casal espírita e médiuns atuantes na instituição que estavam ligados. Dois filhos , o mais velho sem maiores problemas. O mais novo já nesceu com uma deficiência fisica em umas das mãos e ante braço... não  se desnvolveram... as noites ..."todas"... O mais novo acordava aos gritos e se escondia na cama dos pais...!!
Depois de uma visita e um culto no lar um amigo espírita aconselhou aos pais que fizessem toda a noite uma leitura de um trecho embora pequeno do Evangelho e comentassem com os filhos , aproveitassem e incluissem o mais velho... depois fizessem a prece ... impusessem neste instante as mãos sobre o Coronário do mais novo e com difuiculdades ... no decorrer de um mês e meio  o menino passou a dormir muito bem.. e os gritos cessaram. Evangelização do obsidiado e  vigilância  segura para mudança de sua tomadas mentais é recursso para adultos e crianças. Sugerimos  a adoção de literatura infantil adequada e vigilãncia nos programs , joguinhos, e bricadeiras (guerra por exemplo)  das nossas crianças. Foi-se o tempo que amarrávamos cachorros com linguiças e els não as comiam... quem são as companhias encarnadas de nossas crianças? Elas trarão com elas as desencarnadas... Quais as atividades que elas participam? Onde?

FALAR SOBRE O TEMA PROPOSTO E DIREITO CONCEDIDO A TODOS NÓS NESTE FORUM FOI O QUE ENTENDI. PORÉM, JULGAR , CONDENAR , APROVAR, DENEGRIR, OS COMENTÁRIOS E ESCREVER ISTO É OBSESSÃO OU FALTA DE EDUCAÇÃO.
Sou aluno e estou lendo para ver se aprendo alguma coisa.
Desculpem-me todos por quaisquer deslizes e recebam um fraterno abraço. Leitor e aluno.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: isabel SANTOS em 05 de Setembro de 2009, 14:09
Olá pessoal!!!Esse tema é realmente muito importante para nós espíritas,uma vez que nos propusemos a buscar a nossa reforma íntima,devemos estar atentos,muita atenção com o nosso ORAR E VIGIAR,vigiar nossas ações e principalmento e os nossos pensamentos.Cuidamos para não sermos presas fácies daqueles que "ainda" não estão preparados para o esclarecimento da verdade que liberta.Busquemos a ajuda dos mentores amigos,sempre que nos sentirmos ameaçados por pensamentos ou sentimentos que nos gere alguma dúvida.Somos ainda qual crianças começando a andar,precisamos de ajuda e apoio,antes de nos colocarmos de pé,precisamos conhecer os dois lados da vida(material e espíritual) para saber se o que estamos pensando naquele momento é nosso ou não!Muitas vezes somos obsessores de nós mesmos,muitas vezes caímos em armadilhas,armadas por nós!O melindres, a vaidade,o orgulho e a cupidez são caminhos fácies para a influência dos espíritos  mal intencionados.Oremos sempre por esses irmãozinhos,pedindo á jesus muita paz e luz para eles e para nós.
ORANDO E VIGIANDO SEMPRE!!!!!!
Beijokasss para todos,
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 05 de Setembro de 2009, 14:35
Olá Sonho

Não minha amiga não há injustiça nenhuma.
Vê tudo como uma forma de aprendizado. Aquele que assedia um irmão, no inicio do seu processo reencarnatório, vai necessitar de vivenciar a condição contrária, para entender como dói. Assim também devemos entender o assédio que o nosso amigo, que está reiniciando a sua experiência no mundo físico, sofre. Ele, quando no plano espiritual, praticou o mesmo acto. Semeou está colhendo.

Sofrer por causa dos pais nunca. Aí sim entravamos no campo da injustiça.
No entanto devemos entender que, normalmente, as vivências associam-se. Quando nós escolhemos as famílias onde vamos reencarnar é porque necessitamos de vivenciar experiências semelhantes ( cada um na sua condição de filhos, pais, avós ou outra ).
E isto acontece independentemente de já trazermos ligações ou não. Então ao associamos a nossa condição cármica, à desses nossos familiares, essa vivência vai, centralizar-se num dos elementos da família, normalmente aquele que tem maior resgate a efectuar. Então isso dá a ideia que a vivência resulta apenas da condição desse membro de nossa família. Mas não é assim. Cada um necessitava de vivenciar o problema de sua forma.

Então podemos afirmar, neste caso, que se junta o útil ao agradável.
São muitas as situações, em que a envolvência dos filhos, permitiu o despertar dos pais para o conhecimento da vida espiritual, ao acorrerem a um Centro Espírita para ajuda dos filhos.
Da mesma forma, temos verificado situações em que pais se deslocam ao Centro para ajuda dos filhos, quando os mais necessitados são os pais.
No entanto não podemos dizer, em caso algum, que uma coisa aconteceu para chegarmos à outra. O que temos que entender é que tudo se associa para um mesmo fim, o crescimento espiritual do Ser.

Espero ter sido mais esclarecedor.

Atlante
  
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: B... em 05 de Setembro de 2009, 15:12
Não entendo muito sobre obessessão de crianças não, o pouco que entendo refere-se a quando eu ainda era criança e observações que faço no meu dia-a-dia.

Afirmar que crianças são indefesas e não tem livre-arbítrio pleno, para mim, não é o mais correto. É certo que para o mundo dos homens a criança não pode fazer muito, os pais tem grande responsabilidade em alimentar, vestir, escolher o que as crianças vão estar em contato no dia-a-dia (tv, musica, etc) mas creio que no plano espiritual o livre-arbítrio existe sim para a criança igual ao adulto, pois espírito não tem idade, é eterno.

Como alguém já comentou as crianças tem "espíritos de adultos" por assim dizer, elas já tiveram outras reencarnações. A vibração energética que elas emanam que pode atrair ou repelir certos obsessores, na minha opinião, ela tem domínio desde o nascimento e desde sempre. A forma que uma criança reage a determinadas situações da vida infantil reflete esse domínio, existem crianças que reagem das mais diversas maneira quando contrariadas ainda bebes, o que demonstram, de certa forma, seu grau evolutivo e seu livre-arbítrio em reagir de uma forma ou outra ante a situação apresentada (mesmo que seja chorar ou se resignar ante à contrariedade imposta), ainda que de forma menos desenvolvida para vida material, mas com relação a espiritual, seu arbítrio é igual a de um adulto, portanto ela se deixa obsediar não com pensamentos lógicos e racionais, mas através da vibração que produz gerando afeição energética aos obsessores não os repelindo, não é porque não consegue organizar as idéias através de palavras como a gente, que não sente energias e percebe desde cedo que pode controlar as energias internas. Quando a gente tenta "dominar" nosso padrão de vibração energética através de leituras e pensamentos racionais são apenas formas para isso, mas podemos também somente através de sentimentos não racionais dominá-los também lutando contra a indignação por se sentir ruim quando esta nos domina buscando vibrar mais calmamente, não por meio de pensamentos em português (por assim dizer), mas por pensamentos energéticos. Não sei se deu pra entender mas espero que sim.

Aproveito para citar a parte sobre isso do livro que estou lendo no momento - Sexo e Obsessão  de Manoel P. de Miranda Espírito escrito por intermédio de Divaldo Franco - , para ver se ajuda, mas acho que muitos já entenderam o que abaixo está escrito.

"Sabemos que a criança é sempre um Espírito velho, que conduz muitas experiências evolutiva, embora a forma que apresenta. Não obstante, nesse período de infância sempre recebe maior apoio, a fim de que não haja prejuízos e impedimentos ao processo reencarnacionista que está empreendendo. Como se explicam, então, esses processos obsessivos que ora defrontamos?

(...)

- Não ignorássemos que a misericórdia de Deus está presente em toda a Criação, e não seria o ser humano quem marcharia sem a necessária proteção para alcançar a meta que busca no seu desenvolvimento intelecto-moral. Todavia, sabemos, também, que muitos processos de obsessão têm o seu início fora do corpo físico, quando os calcetas e rebeldes, os criminosos e viciados reencontram suas vítimas no Além-Túmulo, que se lhes imantam, nos tentames infelizes e de resultados graves em diversas formas de obsessões. A obsessão na infância muitas vezes é continuidade da ocorrência procedente da Erraticidade. Sem impedir o processo de reencarnação, essa influência perniciosa acompanha o período infantil de desenvolvimento, gerando graves dificuldades no relacionamento entre filhos e pais, alunos e professores, e na vida social saudável entre coleguinhas. Irritação, agressividade, indiferença emocional, perversidade, obtusão de raciocínio, enfermidades físicas e distúrbios psicológicos fazem parte das sindromes perturbadoras da infância, que têm suas nascentes na interferência de Espíritos perversos uns, traiçoeiros outros, vingativos todos eles...
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 05 de Setembro de 2009, 16:18
Na verdade B,
o livre arbítrio nosso também é relativo ao grau de depuração em que estejamos.
assim o das crianças e exatamente pela idade, já que esta dá-lhes um organismo em formação, também não é absoluto. ]como a máquina não está acabada o Espírito mesmo milenar não tem todos os elementos na mão para agir.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Sarah Senna em 05 de Setembro de 2009, 16:25
5.INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NOS ACONTECIMENTOS DA VIDA

Não ficará o nosso livre arbítrio coarctado, ao sermos atingidos constantemente por influências positivas e negativas e ao termos de decidir entre umas e outras?

INFLUÊNCIA DOS ESPIRITOS x LIVRE ARBÍTRIO

Livre-arbítrio
"O Livro dos Espíritos" Questões 843 a 850
CAPÍTULO X, parte 3º da lei de liberdade questões 843 a 850 do Livro dos Espíritos: Livre-arbítrio "Nossa Liberdade é Proporcional ao Nosso Estágio Evolutivo"


   Entre o  que nos ensina os livros da codificação e o que realmente sentimos e necessitamos; onde fica realmente a MINHA vontade e decisão?
Vivi há pouco tempo uma situação onde tive que optar por um caminho que não era o que realmente queria, mas tendo a consciência de que se não o tivesse feito, os resultados seriam muito desastrosos e isso me movimentou para uma reflexão mais direcionada do processo que eu vivia.
   Nisso me questionei muito sobre se o QUE EU REALMENTE PRECISO APRENDER e sobre o QUE REALMENTE NOSSOS AMIGOS ESPIRITUAIS QUEREM MOSTRAR QUE EU PRECISO APRENDER. Assim perguntei a mim mesma: “ Se eu tenho o LIVRE ARBÍTRIO por que então não posso fazer as coisas como quero?” Achei que poderia ter o direito de escolher e decidir as coisas como EU queria e briguei desesperadamente  comigo mesma.

   Amigos, a resposta veio algum tempo depois quando em momento de mais serenidade pude perceber, que não estava sendo OBRIGADA a fazer como nossos amigos espirituais queriam , mas sim , o processo que vivi e ainda vivo, me movimentaram para que eu pudesse buscar o alimento que me faltava no aprendizado e que muitas vezes é dolorido, não só para mim, mas para com todo nós que estamos nesse maravilhoso planeta em processo expiatório.

             Espero que possa ter contribuido de algum modo. Mas na verdade EU é que recebi a maior contribuição, tenho aprendido muito com todos vocês. Obrigada
beijos
Sarah Senna  
Título: A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 05 de Setembro de 2009, 17:23
Amigos do forum espírita,

Este tema é muito abrangente mesmo … e então numa abordagem tentando sintetizar e colaborar com o aprofundamento dele.


 ...todos somos obsessores de nós próprios...srsrsr


Somos mesmo, amigo Vitor, e ninguém que está lendo este fórum está livre de buscar seu aprimoramento interior.

Valerá a pena? O sacrifício e o esforço individual de cada um de nós?

Na ditadura militar do Brasil gritávamos o lema:

Ei! você ai parado, você também é explorado.........e hoje aqui adaptando seria:

Ei! Você ai parado, você também é obsediado!


Na minha opinião, não existe momento algum na nossa vida em que estejamos sós. Daí que é impossível pensar que nunca somos influenciados, ou que somos senhores dos nossos pensamentos e vontade. Diria que existe uma medição de forças...explico...trata-se de resistir ou não a essa influência, vinda não só dos seres desencarnados como encarnados.
 
   

A Lei divina nos coloca onde melhor nos convém, e ... isso se aplica às crianças também.

SE VOCÊ NÃO É PARTE DA SOLUÇÃO É POR QUE É PARTE DO PROBLEMA!


.  Não devemos esquecer que em ambos os casos somos espíritos. Uns vemos, outros nem por isso...

Esta constatação é muito útil…

   

Bem pelo contrário. Temos aqui nossa oportunidade de lhes podermos valer, esclarecendo-os e auxiliando-os, por forma a que possam ascender a planos de melhor condição espiritual. Certamente não vamos pensar que são aqueles que estão nas mesmas condições, em que eles se encontram, que poderão auxiliá-los no despertar de suas consciências. Será nesta interacção entre os mais evoluidos e os menos evoluidos que nossa humanidade poderá crescer.
O melhor exemplo está na relação que nossos guias mantêm conosco mesmos. Não nos aconselham eles e não nos chamam a atenção para os nossos comportamentos e atitudes de menor correcção? Então porque não haveremos de proceder com nossos irmãos em maior dificuldade da mesma forma?

Se formos capazes de Amar seremos capazes de auxiliar na transformação, pelo exemplo de vida que transmitirmos aos outros.


Temos que aceitar as palavras do amigo Atlante, inspiradas pelo espírito cristão de “Amor ao Próximo”. E se próximo estamos de nossos obsessores e “irmãos menos evoluídos” cabe a nós a solução de obsedia-los também com as ideias de Amor, Compaixão, Perdão... somos o outro lado da linha que nos liga e nos deixa próximo. Estamos conectados com o Todo pelo pensamento. Então o valor da oração, e do estudo, do evangelho no lar, da doutrinação...

Não nos cabe medo diante de vibrações menos felizes...


Com as influências espirituais dá-se o mesmo. Analise-se a idéia, o impulso, a vontade. Se é nosso, se é alheio, pouco importa. É mau? esqueça-se. É bom? Cumpra-se.

É verdade. Precisamos de atitudes saudáveis e lúcidas. E se cada um de nós se tornar multiplicador de vibrações resistentes de luz estaremos curando no planeta pouco a pouco, auxiliando o processo transformação de nossa realidade futura. Afinal seremos herdeiros de nós mesmos, da condição planetária que construirmos ... conscientes ou não disso.

Jesus estará errado?...., então todo esforço nosso valerá a pena.

Muita Paz a todos

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 05 de Setembro de 2009, 17:27
Amiga sarashena,
há coisa em que a gente resolve como fazer, contudo há outras em que há de se andar pelas regras:
Exemplos;
Para aprender a dirigir, há de se tomar aulas e fazer a prova; todavia, para se "tocar" um F1, teremos de aprender como fazê-lo e para isso as categorias de base.
Para nos formarmos em advocacia, Medicina e outras árias da ciência, haveremos de nos pautar pelos cursos próprios e entrar neles através das provas que nos habilitam a cursá-los.
Para se jogar futebol, é mister que antes se compreenda as regras do jogo específico e se siga das determinações da FIFA.
Em matéria Espírita o único caminho é o estudo das obras básicas. A única opção e esta após se conhecer a base doutrinária, é a que temos de dar vazão em primeiro plano àquela que nos habilite a compreender bem e profundamente  o traquejo com a qualidade mediúnica que tenhamos ou queiramos utilizar como meio de trabalho.
Fora disse cairemos apenas no terreno espiritualista, e mesmo assim sem o conhecimento necessário para campo tão vasto.
Prudência, paciência, razão, estes os predicados que mais ajudam nesse caminho.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Belinda em 05 de Setembro de 2009, 22:35
 Gostei muito de fazer esta leitura, pois estou começando a me interessar por este assunto.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: sonho em 06 de Setembro de 2009, 01:15
Olá a todos!

Na sequência das respostas dadas pelos companheiros sobre a obsessão infantil, que foram de muita utilidade, pesquisei alguns trabalhos sobre o tema e gostei em particular de um texto da Suely Caldas Shubert. É um pouquinho longo, mas penso que responde, em muito, a certas dúvidas que alguns de nós possuimos.

Obsessão na Infância: Por que Ocorre?

"...todo o berço de agora retrata o ontem que passou." Emmanuell..! Muitas são as perguntas que assomam à mente quanto à questão da obsessão na infância.

(...)

A respeito deste assunto, encontramos em "O Livro dos Espíritos" preciosas elucidações. Vejamos, por exemplo, a afirmação que se segue:
"Aliás, não é racional considerar-se a infância como um estado normal de inocência. Não se vêem crianças dotadas dos piores instintos, numa idade em que ainda nenhuma influência pode ter tido a educação? Algumas não há que parecem trazer do berço a astúcia a felonia, a perfídia, até o pendor para o roubo e para o assassínio, não obstante os bons exemplos que de todos os lados se lhes dão?

"Donde a precoce perversidade, senão da inferioridade do Espírito, uma vez que a educação em nada contribuiu para isso? As que se revelam viciosas, é porque seus Espíritos muito pouco hão progredido. Sofrem, então, por efeito desta falta de progresso, as conseqüências, não dos atos que praticam na infância, mas de suas existências anteriores". (Questão 199-1) (Allan Kardec, O livro dos Espíritos)

Cada Espírito reencarnado evidencia o seu patamar evolutivo. Daí a afirmativa de Emmanuel de que "cada individualidade renasce em ligação com os centros de vida invisível dos quais procede e continuará, de modo geral, a ser instrumento do conjunto em que mantém suas concepções e pensamentos habituais. "(Emmanuel, Roteiro)
Existem, pois, fatores predisponentes que possibilitam não apenas o assédio, mas igualmente a sintonia. Esta se faz automaticamente, por estar o Espírito recém-encarnado na mesma freqüência vibratória daqueles que intentam perturbá-lo. Tanto em adultos quanto em crianças os motivos e as causas são os mesmos.

Sabemos que, nos planos espirituais inferiores, verdadeiras hordas de espíritos necessitados, comprometidos perante as leis divinas, são subjugados por outros de condições ainda inferiores, que os mantêm em regime de escravização mental, sendo manipulados e usados para atender os fins nefastos desses nossos irmãos gravemente enfermos. À medida que esses espíritos, forçados a agir - às vezes contra a própria vontade - apresentem posições mentais receptivas, seja por esgotamento do carma doloroso, seja pelo cansaço e desespero que os levam a pedir socorro a Deus, denotando arrependimento e mudança de faixa mental, são resgatados dos vales de aflições em que se encontram e levados para hospitais adequados às suas novas disposições. Havendo condições e premente necessidade, são encaminhados para o retorno à esfera física, quando novos ensejos lhes são concedidos de ressarcimento e progresso espiritual.

Importa considerar que são quase infinitas as nuances desses processos, que vão desde circunstâncias agravantes quanto atenuantes, a influenciarem decisivamente o conjunto das experiências que cada um dos reencarnantes irá vivenciar.
Embora possam ser muito dolorosas tais vivências no plano terreno, é certo que são bem mais suportáveis que os sofrimentos que esses Espíritos padeciam antes de reencarnar. O novo corpo ameniza bastante os estados aflitivos em que se encontravam, que tinham sua nascente na própria consciência que o remorso calcinava ou no ódio e revolta em que se consumiam. O renascimento e o esquecimento do passado propiciam-lhes considerável alívio, ainda que em situações difíceis por conta de um veículo físico que apresente limitações. Vale dizer que os distúrbios mentais surgem em decorrência dessas mesmas experiências pregressas.

Entretanto, durante o trânsito carnal, as novas oportunidades para a grande maioria desses espíritos reencarnados nessas condições mencionadas, podem ainda  expressar vínculos com aqueles que os atormentavam anteriormente, seja por débitos graves do passado, seja por preferência própria em manter sintonia com tais entidades, tal como elucida Emmanuel, linhas atrás.
Portanto as obsessões na infância trazem raízes profundas no pretérito e podem assomar desde muito cedo na vida dessas crianças. (…)

Suely C. Schubert (Mediunidade e Obsessão em Crianças)

Abraços
Sonho :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Hel em 06 de Setembro de 2009, 14:25
PARABÉNS A TODOS!!!

EXCELENTE SITE, ESTUDO... AMEI!!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: YESNO em 06 de Setembro de 2009, 15:56
Caríssima Elza,

O tema tem grande importância porque a influência acontece por todo o planeta, de modo sutil ou sob a forma de alterações notáveis.

A declaração kardeciana de que " Nesse sentido a sua influência é maior do que supondes, porque muito freqüentemente são eles que vos dirigem." tem corroboração nos livros, estudos e terapias mesmo laterais à Doutrina Espírita.

Explica-nos a Dra Edith Fiore em seu magnífico livro Possessão Espiritual, que muitos sintomas como depressão, fobias e vícios estão relacionados com influências espirituais. E ela nem conhecia Kardec nem espiritismo quando esteve de frente com os fatos.
Ainda sobre a influência espiritual há um relato interessante do físico, Dr. Alexandre Fontes da Fonseca, em http://www.terraespiritual.locaweb.com.br/espiritismo/artigo90.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy50ZXJyYWVzcGlyaXR1YWwubG9jYXdlYi5jb20uYnIvZXNwaXJpdGlzbW8vYXJ0aWdvOTAuaHRtbA==)
Acreditamos que o relaxamento dos costumes, das ligações das famílias, onde os valores estão mais ligados ao consumismo do que o lado espiritual, do aperfeiçoamento moral e ético tem facilitado as aproximações de más companhias encarnadas e invisíveis.

Lentamente, os centros terapêuticos têm-se dado conta de que realmente há uma influência extra-física e que o orai e vigiai sai do terreno da religião e do místico para entrar na prateleira da vida sã. Começa por crer com seriedade e lógica, sem fanatismo.

Disse Charles Richet: "Na história da Metapsíquica, não conheço sequer um caso, nem sequer um, de um observador consciencioso que, após dois anos de estudos, tenha concluído por uma negativa"

Um abraço.

Paz ! (com ela há mais luz nos caminhos)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 06 de Setembro de 2009, 17:58
Adorei teu pensamento Yesno.
Não discordo um til do que disseste.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: louisse em 06 de Setembro de 2009, 23:18
Claro que eles nos influenciam, mas cabe a nós registrar ou não as más influências, isso conseguimos quando estamos trabalhando no bem, a cabeça ocupada com alguma atividade edificante, assim eles bem que tentarão, mas não conseguirão. Aprendamos a ouvir o seu íntimo, o seu coração, aí estará a resposta para a meta a seguir. Deus não nos criou para o mal e sim para sermos felizes, permite que aconteça para que tiremos a lição. Neste nosso mundo de provas e expiações onde existem muitos espíritos que se comprazem com o mal, mantemo-nos no bem.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 07 de Setembro de 2009, 00:33
   Entre o  que nos ensina os livros da codificação e o que realmente sentimos e necessitamos; onde fica realmente a MINHA vontade e decisão?

   Nisso me questionei muito sobre se o QUE EU REALMENTE PRECISO APRENDER e sobre o QUE REALMENTE NOSSOS AMIGOS ESPIRITUAIS QUEREM MOSTRAR QUE EU PRECISO APRENDER. Assim perguntei a mim mesma: “ Se eu tenho o LIVRE ARBÍTRIO por que então não posso fazer as coisas como quero?” Achei que poderia ter o direito de escolher e decidir as coisas como EU queria e briguei desesperadamente  comigo mesma.

Amiga Sarah,

Usamos o livre arbitrio mesmo quando não fazemos as coisas que queremos.
Ao decidirmos não fazer, aquilo que gostaríamos de fazer, estamos também a usar o livre arbítrio. Pois que é certo que nem sempre aquilo que gostaríamos de fazer, é o melhor para nós.

 :-*
Elsa


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 07 de Setembro de 2009, 00:46
Amigos,

deixo aqui algumas passagens de ideias que o amigo Atlante tem partilhado connosco, e que eu acho importante reter:

Atlante
…a vigilância, que nosso Mestre recomenda, é para connosco. Para nossas acções e para nossos pensamentos (não pecais por actos ou pensamentos).
Tudo o que nos chega de fora de nós, chega pela lei da atracção ou afinidade. Se nossa condição de vida for exemplar como poderemos ser assediados por irmãos nossos ignorantes ou maléficos? Não será fácil...

…Então entenda-se que nós vivemos em afinidade com nossos amigos. Somos nós que determinamos a sua qualidade…

…Devemos ter sempre em consideração que o baixo astral não gosta de perder. Para ele todo o conhecimento ou ajuda que chega é uma inimizade. Assim ele irá sempre tentar combater aqueles que se dedicam de Alma e coração a esta tarefa, assediando-os. É desta forma que se justifica o assédio que o Chico e o Divaldo sofreram. Mas isto também foi útil para nossos irmãos, pois permitiu-lhes vivenciar essa experiência e vencerem-na. Jesus também viveu as suas tentações e venceu-as...

…Sucede que não devemos temer os nossos amigos menos esclarecidos. Aquele que nós devemos temer somos nós mesmos, porque se nossos actos e nossas consciências estiverem em harmonia e se nos conhecermos de forma conveniente, por forma a não permitirmos suas interferências em nossas decisões e nossos actos, nada temos a temer.
Bem pelo contrário. Temos aqui nossa oportunidade de lhes podermos valer, esclarecendo-os e auxiliando-os, por forma a que possam ascender a planos de melhor condição espiritual.
Certamente não vamos pensar que são aqueles que estão nas mesmas condições, em que eles se encontram, que poderão auxiliá-los no despertar de suas consciências.
Será nesta interacção entre os mais evoluidos e os menos evoluidos que nossa humanidade poderá crescer.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 07 de Setembro de 2009, 01:08
Caro Yesno,

no seguimento do seu comentário:

Acreditamos que o relaxamento dos costumes, das ligações das famílias, onde os valores estão mais ligados ao consumismo do que o lado espiritual, do aperfeiçoamento moral e ético tem facilitado as aproximações de más companhias encarnadas e invisíveis.

deixo um texto, para continuarmos a reflectir sobre a questão da obsessão infantil,

Delinqüência infantil


Publicado por Marcio-geec em 28/7/2006 (532 leituras) Amílcar Del Chiaro Filho

de Guarulhos - SP

Os adultos estão perplexos com as maldades que muitas crianças são capazes de fazer. Não raro, elas se mostram cruéis, a ponto de assustar até policiais acostumados a combater o crime adulto. Os exemplos são muitos, no estrangeiro, e também aqui em nossa pátria. Mas não vamos enumerá-los, nem demonstrá-los, pois qualquer pessoa que assiste televisão, ouve rádio e lê jornais, está sabendo o que se passa no mundo.

Mas quais são as razões para isso? Estaria certo o pensador que diz que a criatura nasce boa, mas a sociedade a corrompe? Não! Não podemos aceitar essa afirmativa diante do conhecimento espírita. O que ocorre então? É o que vamos tentar analisar.

Sabemos através da Doutrina Espírita, que essa não é a primeira vez que nascemos aqui na Terra. Somos criaturas milenares, já tivemos muitas reencarnações, e construímos uma personalidade, que a cada renascimento objetivamos melhorar.

Cada ser humano que nasce aqui na Terra já traz a maldade ou a bondade sedimentada anteriormente. A misericórdia de Deus faz com que nasçamos pequeninos, completamente dependentes de nossa mãe, pois, entre os mamíferos, somos os únicos seres que, se não formos colocados ao peito, morremos de fome. Nascemos com a aparência da inocência. Passamos pela lei do esquecimento, e as virtudes e defeitos da nossa personalidade ficam em letargia, e se manifestam como tendências e vocações.

Logicamente os exemplos tem um grande peso na formação da personalidade atual. Ela desperta tendências e vocações, embora seja possível resistir à essas tendências. Por exemplo: existem pessoas maravilhosas, dignas, honestas, dedicadas ao bem, no seio de famílias desestruturadas, com elementos maldosos, ruins e desonesto. E também criaturas viciosas e ruins, violentas, criminosas, no seio de famílias bondosas e honestas.

Por tanto, a inocência demonstrada pelas crianças nos primeiros anos de vida, nem sempre é uma superioridade real, mas é a imagem do que elas deveriam ser.

Ao fazê-las assim frágeis e com aparência da inocência, Deus visa também os pais, pois o amor ficaria enfraquecido se a criança demonstrasse um caráter viril, impertinente.

Entretanto, com o crescimento, ela começa demonstrar seu verdadeiro caráter. Se ela não foi educada devidamente, até então, daí para a frente tudo será mais difícil, e a dor passa a ser a educadora. As tendências malvadas, que ficaram ocultas pelo véu da inocência, aparecem com todas as suas cores e matizes.

Existe ainda outra grande utilidade para a infância. Como a finalidade da reencarnação é a evolução, a debilidade dos primeiros anos torna-as flexíveis, acessíveis aos conselhos e exemplos dos que devem fazê-las progredir. Elas podem, então, reformar o seu caráter e reprimir as suas más tendências.

Esse é o dever que Deus confiou aos pais, missão sagrada pela qual terão que responder. O período infantil é uma lei natural de mundos como o nosso, talvez de todos, e a sua utilidade é inquestionável. É por isso que, os reformadores sociais, não encontrarão as respostas completas sobre o porque da criminalidade infantil, da crueldade e viciações apresentadas por muitas crianças.

Embora muitas causas apontadas pelos sociólogos e educadores estejam certas, só a preexistência pode explicar inteiramente.

(Jornal Verdade e Luz Nº 172 de Maio de 2000)

Abraço a todos.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 07 de Setembro de 2009, 03:20
Olá.


Em relação às crianças (até 7 anos de idade) as mesmas contam com uma proteção especifica, acompanhada de modo particular, até que o 'perispirito se assente no organismo físico'.

Causa estranheza ler que crianças até essa idade possam ser acometidas de algum tipo de obsessão. Não estariam os companheiros confundindo alguns sinais infantis incontrolados: gritos, o choro e a irritabilidade com a propria natureza em plena formação fisica-psicologica ? Ou ainda, não seria esse comportamento irritadiço-doentio consequencia das visões bizarras que a criança tem do mundo espiritual (muitas vezes de assustar até um adulto) ?


Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 07 de Setembro de 2009, 11:15

Causa estranheza ler que crianças até essa idade possam ser acometidas de algum tipo de obsessão. Não estariam os companheiros confundindo alguns sinais infantis incontrolados: gritos, o choro e a irritabilidade com a propria natureza em plena formação fisica-psicologica ? Ou ainda, não seria esse comportamento irritadiço-doentio consequencia das visões bizarras que a criança tem do mundo espiritual (muitas vezes de assustar até um adulto) ?


Olá Diegas

Normalmente é esta a situação. Estamos falando de crianças até aos 7 anos de idade.
Toda a criança tem seu comportamento próprio, mas todos os pais pretendem que a criança se comporte como eles desejam e acham ser correcto. Daqui resulta, muitas vezes, o recurso ao psicologo e, algumas vezes, ao Centro Espírita.
Também não podemos ignorar as doenças e as dores próprias da infância.
No entanto outras situações temos que considerar.
Normalmente, toda a criança, brinca ou fala com um, ou mais, amigos imaginários, supostamente. Claro que de imaginários nada têm. Mas isto não as perturba, bem pelo contrário harmoniza-as.
Outras vezes, as crianças, são perturbadas por visões, ou vibrações energéticas, menos agradáveis. Sucede que, não sendo isto uma injustiça para a criança, o problema reside nos pais. A perturbação da criança poderá funcionar como despertar, dos pais, para a vida espiritual.
Nada do atrás referido se poderá considerar obsessão.
No entanto temos tido casos de obsessão sobre crianças com idade inferior a 7 anos. Algumas situações até bastante graves.
Verificamos, no entanto, que, ao contrário do que acontece com os adultos, todos estes casos foram resolvidos com alguma facilidade.

Atlante        
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: YESNO em 07 de Setembro de 2009, 13:35
Olá.


Em relação às crianças (até 7 anos de idade) as mesmas contam com uma proteção especifica, acompanhada de modo particular, até que o 'perispirito se assente no organismo físico'.

Causa estranheza ler que crianças até essa idade possam ser acometidas de algum tipo de obsessão. Não estariam os companheiros confundindo alguns sinais infantis incontrolados:


Abç

Caro Diegas,

Entendemos que, sim, a proteção reencarnatória atende ao mesmo princípio do que desvelamos ao nosso filho que sai à primeira aula na escola, ao primeiro namoro, ao primeiro emprego. Arrumamo-lo na melhor roupa, olhamo-nos juntos ao espelho, animamo-lo ante as hesitações e soltamo-lo ao desafio ensinador.

Mas, como cada encarnação tem particularidades, não uma fórmula matemática, singularidades são percebidas. Em mais de um caso, Dra. Edith Fiore nos relata casos em que bebês recém-nascidos foram conectados a espíritos, não maus, mas desejosos de prestar ajuda, tornaram-se possuidores das ações do indivíduo até depois da adolescência, modificando seus atos e o próprio livre-arbítrio. Curioso o fato, mas parece que não é tão incomum.

A Prof Suely Caldas examina questões interessantes em seus livros cujos temas podem também ser revistos aqui:

http://www.comunidadeespirita.com.br/mediunidade/mediunidadeobscrianca/mediunidade%20e%20obsessao%20em%20criancas.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jb211bmlkYWRlZXNwaXJpdGEuY29tLmJyL21lZGl1bmlkYWRlL21lZGl1bmlkYWRlb2JzY3JpYW5jYS9tZWRpdW5pZGFkZSUyMGUlMjBvYnNlc3NhbyUyMGVtJTIwY3JpYW5jYXMuaHRt)

Mais uma de vez declaramos que, o conhecimento da fenomenologia espírita seria educativa e essencial para nossa compreensão como operários de si mesmos, mas só lenta e progressivamente vai assumindo postos acadêmicos e terapias.

São esses terapeutas com o ferramental do conhecimento kardecista, os mais preparados para separar de que lado vêm e qual a origem dos gritos, os choros e as irritabilidades.

O processo reencarnatório não é individual, como sabemos, mas relacionado a um grupo em ascensão e as provas servem para todos.

Um abraço.

Paz ! (com ela palavras são luzes, não lanças)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Gigii em 07 de Setembro de 2009, 13:41
Oies Diegas...meu amigo, a sua reflexão faz todo o sentido.

Eu não me manifestaria muito sobre a obssessão infantil, pois pelo que tenho estudado, existem poucos estudos com credibilidade para podermos chegar a alguma conclusão.

Recentemente fiz um pequeno trabalho de investigaçao sobre a mediunidade infantil, e devo dizer que tive imensa dificuldade em encontrar dados concretos sobre o assunto.

Allan Kardec dedica apenas um capitulo, pequeno, sobre o tema em O Livro dos Médiuns e depois encontramos referências de Emmanuel, José Herculano Pires, e outros autores espíritas, mas ao de leve.

Assim,sem um estudo objectivo, tudo o que dissermos é mera opinião, perfeitamente aceitável,mas provávelmente divergente.

Como diz o Atlante, confunde-se muito na infância o comportamente normal e espontaneo característico do desenvolvimento psico-social-afectivo, com as influências espirituais.
Desde há muito (Piaget, Freud) que a psicologia refere certos comportamentos na infância, como distanciamento, conversas imaginárias, como uma fuga á realidade (em casos de falta de atenção familiar),ou o jogo simbólico, do faz de conta, que permite vivenciar os papeis dos pais, e assim expressarem os sentimentos dos quais ainda não tomaram consciência.

Ora, como vamos saber se realmente a criança imaginou (criou na sua mente) ou "viu", "ouviu" espíritos?
É muito dificil chegar a alguma conclusão, a não ser que existam dados concretos, como por exemplo, surgir um familiar desencarnado que dá informações que a criança desconhece.
Isto porque é natural na infância,como já disse, este jogo do faz de conta.

Falar de obssessão infantil, é falar de situações raras, pois uma coisa é ver espíritos a toda a hora que lhe provocam medo, apatia, falta de apetite, pesadelos, etc, outra é que os espiritos influenciam de tal modo a criança que ela não age por si.

Pelo que li e estudei, vários espíritos referem que é precisamente na infância que o espirito se encontra mais protegido pelos seus guias espirituais. Deus, nosso Pai, certamente não deixaria entregue um ser em crescimento, ingenuo, nas mãos libertinas e sob a acção de espíritos que ainda não se comprazem em fazer o bem.
Daí que, na minha opinião, o educador (pais, professores, etc), deve encarar a situação com naturalidade.
Conversar com a criança, ao mesmo tempo que está a doutrinar os espiritos, num tom ameno e seguro, de que tudo tem explicação, e que nada acontece para sofremos.

Muito mais haveria para dizer, mas por ora, eis o que penso sobre o assunto.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: louisse em 07 de Setembro de 2009, 14:08
Caro Diegas, lembremos que cada espírito que reencarna trás consigo impresso alguma coisa do seu passado, embora a  criança até 7 anos seja como um barro mole, que cabe aos pais ir moldando, muitas vezes companheiros que ferimos ou magoamos no passado detectam aquele espírito, embora o corpo físico seja de criança, e realmente passam a obsediá-lo ou muitas vezes tem a ver com um dos pais, estes(se são espíritas) tem como perceber isso, a diferença entre as reações normais das crianças e outras que não são, entra aí uma coisa de extrema importância, a evangelização infantil  que irá ajudar aquele espírito a despertar para uma nova visão perante a vida. Abraços
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 07 de Setembro de 2009, 14:28
Olá amigos(as)

Em relação à influência dos espiritos nas crianças, tenho em crer que elas até á sua completa formação fisica, têm uma certa proteção , pelo amigos espirituais(mas isto é apenas a minha opinião)pela leitura e obsevação que tive nestes meus poucos anos de espiritismo ;)de qualquer forma é necessário ter muita paciência com elas e muito pedagogia.


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: YESNO em 07 de Setembro de 2009, 14:31

deixo um texto, para continuarmos a reflectir sobre a questão da obsessão infantil,

Delinqüência infantil

Publicado por Marcio-geec em 28/7/2006 (532 leituras) Amílcar Del Chiaro Filho

de Guarulhos - SP


Caríssima Elza,
Sobre o texto  assinalado:

De belíssima propriedade o texto nos vislumbra a entender o problema de por quê crianças criadas em ambientes semelhantes corrompem-se, escudados no mecanismo reencarnatório.

Mas temos nossa "culpa no cartório", sim senhor, porque confundimos, frequentemente liberdade com irresponsabilidade, tolerância com permissividade e amor com super-proteção e mimo.

Não podemos criar nossos filhos com igualdade, já que são diferentes. A igualdade é totalitária e injusta. Ela só se aplica ao amor que é incondicional.
Mas o amor corrige, diz não quando preciso, repreende, estabelece limites, cobra resultados e fiscaliza.  

Estive, eu e minha esposa, nas mãos de sequestradores adolescentes e, controlando-me, dentro da certeza de que tinha uma proteção maior, entabulei diálogo com os indivíduos e pude descobrir o quanto de valores familiares lhes faltavam. O abandono dos pais, a descrença nos valores das autoridades, o desânimo ante perspectivas sombrias do desemprego, da discriminação e da miséria pessoal. Fiz-lhes ver o quanto construíam o mal para si mesmos, que eram jovens e poderiam ser dignos e admirados e constituir família.
Como resultado, o silêncio perturbador e a soltura aliviadora com - admire-se - pedidos de desculpas. Conclusão: Falta-lhes a ignição para o despertamento e o suporte confiável.

Podemos dizer que, entender só não basta, é preciso que ajamos efetivamente e não fiquemos assistindo encarcerados em casa com cercas pontiagudas e muros altos.

Como fazer isso, como agir ? Conversaremos mais adiante ao longo do estudo.

Um abraço.

Paz ! (deixa-a onde fores e ela ficará contigo)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 07 de Setembro de 2009, 15:38
Exato amigo Yesno.
Acontece o seguinte:
Assaltantes contam com a inação pelo medo que despertam, assim, quando encontram de volta uma palavra calma e arrazoada, perdem-se pois não têm de volta o medo que se acostumaram a sentir nos assaltados e, não raro, voltam atrás.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Suelen em 08 de Setembro de 2009, 00:44
Boa noite a todos!

Partilho com vocês algumas orientações de Divaldo que vem somar ao nosso estudo.

Muita paz!

[youtube=425,350]xlwhqcV32Ew[/youtube]
[youtube=425,350]v0zZJqs6Jcs[/youtube]
[youtube=425,350]MpdVauUFHK8[/youtube]


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 08 de Setembro de 2009, 04:29
Ora, como vamos saber se realmente a criança imaginou (criou na sua mente) ou "viu", "ouviu" espíritos?...'

Oies, Gigii e demais companheiros.

Pelo visto, a constatação é dificil; se a mesma não for relatada pela boca da própria criança ou denunciada por um desencarnado torna-se impossível em descobri-la, como no caso da menina de seis anos - a L.D.M (conforme o estudo de Suely Caldas). Mas ainda, analisando o caso da L.D.M, estaria a menina obsediada ou fazia parte da natureza dela provocar a mãe ? Se o caso dela é de obsessão, então, todos já fomos obsediados ou estamos obsediando constantemente os outros.  Enfim, como identificar ou quantificar (medir) a obsessão, de modo a diferenciá-la de uma singela influencia espiritual ? Não parece haver uma linha tênue entre aquilo que definimos como obsessão e uma simples influenciação ? Cadê o instrumento (obsedômetro ?) para aferir o nível de influenciação ?

Por exemplo, faço-me de criança, e se aparecer na minha cama um espirito medonho, e disser que tá ali para infernizar a minha vida e de todos os que me rodeiam, deverei acreditar que estou obsediado ?


Abç

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Niriellen em 08 de Setembro de 2009, 14:38
 Pessoal, acho ótimo o tema. Penso o seguinte: cabe a nós sermos vigilantes de nossos pensamentos para não darmos a entrada a nenhum pensamento de baixa vibração dos irmãozinhos necessitados que perambulam por aí.

 Aí entra a famosa frase: "orai e vigiai" não devemos apenas ler sobre diversos assuntos de teor espíritas e aprendermos na teoria apenas. Porém quando nos colocarmos frente a alguma dificuldade ou a algum teste de paciência não colocamos em prática o quê aprendemos em nossas leituras, dando oportunidade aos irmãozinhos que talvez queiram nos fazer mal incutindo-nos maus pensamentos e más atitudes, felizmente isso cabe apenas a nós afastarmos estes necessitados e saliento que isto não quer dizer que não possamos orar por eles pela sua melhora e pela sua reforma diante de todas as atrocidades cometidas.

Basta querermos mudar as coisas, que elas mudam por si mas nada na vida é conseguido sem o legítimo esforço. Queridos amigos, que Deus nos dê forças para seguirmos adiante, sempre levantando a cada ponto que fraquejarmos e sempre sempre com força de vontade para o progresso, que seja derramada muita luz em todos nós!





Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Rosina em 08 de Setembro de 2009, 19:12
A intromissão dos Espíritos enganadores nas comunicações escritas é uma das maiores dificuldades do Espiritismo. Sabe-se, por experiência, que eles não têm nenhum escrúpulo em tomar nomes supostos e até mesmo nomes respeitáveis. Há meios de os afastar?
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 08 de Setembro de 2009, 19:47
Há apenas um meio, diz Kardec: Ter o médium uma moral superior a do Espírito que tenta se sobrepor.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: elbereth1 em 08 de Setembro de 2009, 21:35
Boa tarde a tdosem A Influência dos Espíritos 459Allan kardec ao perguntar  se eles influenciam nos nossos pensamentos é respondido: muito mais do que imaginas, pois frequentemente são eles que vos dirige.então, volta mesmo na questão que o Guilherme colocou o "livre arbitrio", que nos permite a escolher naquilo que é bom e no que é mal. Pois um espirito bom sempre vai dar conselhos sérios e necessários, e já os espiritos imperfeitos só nos induzem ao mal para nos fzer sofrer como eles. Pois fzem no por inveja, e mtos servem para por em prova a fé e a constancia do homem no bem, e é claro devido a nossa vibração q os fazem ser mais afins de nós. Pois um espirito mal te incentiva a praticar más açoes é devido a pensamentos seus de vontade de fazer o mau, eles apenas veem ti auxiliar no mau, quando tens vontade. Eles não podem ti ajudar no mau se vc não quiser o mal. Por isso isso Jesus já dizia "Orai e vigiai", temos que trabalhar no bem para que o bem possa nos retornar.

Um beijo a todoss
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Solimar em 09 de Setembro de 2009, 13:21
Bom dia a todos!

É muito comum as influências espirituais. Pois como espíritos nos comunicamos de várias formas com outros, o intercâmbio é necessário para nosso crescimento. As qualidades das influências dependerá da nossa conduta moral. Estamos sempre recebendo intuições, os pensamentos não são cem pocento nossos. Através dos nossos pensamentos que diremos quem somos e com quem nos afinamos.
As influência nos acompanham desde criança, nunca estamos sós, através da prece recebemos orientações dos amigos espirituais, estes seres que estão sempre na torcida pela nossa melhora, as vezes ainda rebeldes escolhemos caminhos que nos conduzem a dor, mesmo assim amparados pelo amor dessa amizade infinita, encontramos sempre o aconchego do retorno.
O caminho está logo a frente.
Luz ou sombra?
A resposta está na construção intíma de cada um.

Abraços
   
Título: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 09 de Setembro de 2009, 15:22
Amigo Moura e demais amigos do Forum,

Nosso confrade Vitor Ronaldo Costa enviou resposta da bibliografia referente ao texto publicado em O Clarim, em julho do corrente ano: Obsessão Infantil, que postamos anteriormente aqui em nosso debate. Segue sua mensagem

Salve prezados confrades.
Os mecanismos obsessivos são bastante diversificados. Os laços imânticos entre o encarnado e o Espírito agressor se apertam à medida que a vítima se fixe em pensamentos inferiores e atitudes nocivas à moral, condições compatíveis com os mesmos sentimentos abastardados dos obsessores. De acordo com este pressuposto é possível identificar na intimidade de cada um, as imperfeições ainda presentes, e que, quando identificadas pelos obsessores, podem ser intensificadas por ação hipnótica, pois não se constiui problema para os Espíritos ardilosos, incentivar uma tendência viciosa no encarnado invigilante e indiferente aos apelos evolutivos sugeridos no Evangelho de Jesus. Não só a extensa bibliografia sobre a temática obsesiva, como a nossa própria experiência de trinta e cinco anos em tarefas assistenciais mediúnicas, nos permitem destacar tais ocorrências, que poderão ser comprovadas em campo experimental mediúnico por gupos bem estruturados no assunto e, que se multiplicam em tantas instituições espíritas brasileiras. Sugerimos a revisão dos seguintes autores:   Allan Kardec, Gênese, cap.XIV, item 15; O Livro dos Espíritos, questão 199-a, 525 e 525-a, 474, 475 e 476; O Livro dos Médiuns, itens: 245, 252, 254 e todo o cap. XXIII; "Tratamento da Obsessão" de Roque Jacinto (EDICEL), especialmente o capítulo "Centros Visados"; "Obsessão e Desobsessão" de Suely Caldas Schubert; "Nos Bastidores da Obsessão" de Divaldo Pereira Franco (FEB) e "Desobsessão & Apometria" de nossa autoria.
Qualquer dúvida permenecemos à disposição.
Fraternalmente,
Vitor Ronaldo Costa
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 09 de Setembro de 2009, 15:34
Amigos do Forum

Ainda colaborando com nosso estudo sobre a influencia dos espíritos, Vitor Ronaldo Costa nos enviou outro texto para estudo, onde se discute a obsessão infantil e a obsessão coletiva, sendo este último um assunto abordado por Kardec. Este texto tambem foi publicado na RIE - Revista Internacional de Espiritismo.

Agradeço aqui o espirito fraterno do confrade e agora amigo Vitor

Sendo o texto longo publicarei aqui em 3 partes:

Parte 1

Prezados confrades, ainda sobre a questão da obsessão em crianças segue um dos nossos artigos publicados na RIE. Espero que agrade.
Abs fraternais
Vitor Ronaldo Costa

“HISTERIA COLETIVA” OU OBSESSÃO EPIDÊMICA?

RECENTE CASO DE “HISTERIA COLETIVA” NO MÉXICO SURPREENDE A OPINIÃO MUNDIAL
 
A imprensa jornalística veiculou recentemente um estranho caso de “histeria coletiva”, acontecido em internato católico na cidade de Chalco, no México. A notícia nos chegou ao conhecimento via Correio WEB, edição de 7/4/2007.
O FATO: Tudo começou em outubro de 2006, no Internato “Villa de las niñas”. Duas meninas foram acometidas, espontaneamente, de vertigens e de uma espécie de “atrofia muscular” nos membros inferiores, seguida da incapacidade de mobilizar as próprias pernas.  Todavia, em março de 2007 , a cifra alcançava o surpreendente número de seiscentas jovens vitimadas pelo estranho mal, para surpresa do corpo diretivo da instituição, integrado por religiosas de origem asiática e estarrecimento da classe médica local. A nota jornalística deixa claro que o grupo não apresentava nenhum problema prévio de saúde, com o qual se pudesse estabelecer relação de causa e efeito com a posterior histeria. As autoridades sanitárias, os profissionais do Hospital Infantil e da Secretaria de Saúde do México não economizaram esforços na investigação, mas a hipótese mais provável é a de que tudo não passa de um notável fenômeno psicológico de “histeria coletiva”. O internato é dirigido por uma congregação de religiosas sul-coreanas, conhecida pela disciplina rígida imposta às crianças. Detalhe significativo: os sintomas misteriosos desaparecem quando as meninas se ausentam do local.
 


continua...
Título: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 09 de Setembro de 2009, 15:38
Continuando o texto de Vitor R. Costa:

Parte 2:

O PONTO DE VISTA MÉDICO: A psiquiatria dedica um capítulo ao estudo da “neurose histérica”, muito embora, na atualidade, essa expressão, já em desuso, tenha sido substituída por transtorno dissociativo ou conversivo. Pois bem. Diríamos, então, que o transtorno conversivo é uma perda parcial ou completa da integração entre a memória, a consciência de identidade e o controle dos movimentos corporais. De acordo com os manuais psiquiátricos, o impulso causador da ansiedade é convertido em sintomas funcionais ou somáticos, que comprometem a mente ou partes do corpo, desencadeando, entre outras manifestações, a perda da função motora, a exemplo da paraplegia circunstancial observada no caso mexicano. Note-se que essas manifestações se efetivam na ausência de qualquer substrato anátomo patológico, sendo a expressão orgânica de conflitos intrapsíquicos. Mas a psiquiatria nos fornece outras informações sugestivas sobre os transtornos conversivos. Há situações em que o sujeito pode apresentar um quadro de personalidade múltipla, de sonambulismo ou até mesmo de escrita automática, tudo creditado na condição de transtorno dissociativo, conquanto, no contexto experimental da ciência espírita, cada uma dessas situações pudesse ser submetida ao crivo da investigação mediúnica. Naturalmente, o parecer da ciência oficial não deixa de se fixar na causa psicológica dos aludidos fenômenos, muito embora, em confronto com as manifestações coletivas de transtorno conversivo, a hipótese espírita nos pareça lógica e inquestionável, pois a sua metodologia investigativa dispõe do instrumental mediúnico humano, o mais adequado para esclarecer o diagnóstico de uma subjugação espiritual.    

Continua...
Título: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 09 de Setembro de 2009, 15:43
Terminando de publicar o texto de Vitor R Costa:

Parte 3:

ANÁLISE ESPÍRITA DO FENÔMENO: Os transtornos dissociativos de caráter epidêmico (obsessões coletivas) são bastante familiares aos estudiosos do Espiritismo. Allan Kardec, em várias oportunidades,  referiu-se às obsessões epidêmicas, disponibilizando-nos um farto material de estudo. Entretanto, para melhor compreensão, relembremos o conceito de subjugação, ponto de partida para o entendimento do inusitado fenômeno. “A subjugação é um envolvimento que produz a paralisação da vontade da vítima, fazendo-a agir malgrado seu. (...) A subjugação pode ser moral ou corpórea. No primeiro caso, o subjugado é levado a tomar decisões freqüentemente absurdas e comprometedoras que, por uma espécie de ilusão, considera sensatas: é uma espécie de fascinação. No segundo caso, o Espírito age sobre os órgãos materiais, provocando movimentos involuntários.”(1)  Os processos obsessivos, apesar de generalizados, fogem à alçada dos bancos acadêmicos, o que, infelizmente, justifica as apreciações incorretas sobre certos fenômenos insólitos. A subjugação espiritual é o exemplo de constrangimento máximo a que o encarnado pode se submeter. Ela interfere tanto no componente moral quanto nos órgãos materiais do ser. Nesse último caso, o sujeito sente-se tomado por uma vontade maior que o compele a agir contra a sua própria vontade. À medida que o envolvimento fluídico se intensifica, os espíritos podem forçar sua vítima a praticar movimentos involuntários, assim como induzir paralisias musculares, pois exercem uma influência capaz de excitar ou inibir os núcleos motores da organização física. E não se pense que a subjugação só atinge um indivíduo por vez, porquanto são inúmeros os exemplos de manifestações coletivas orquestradas pelos maus espíritos. “Aquilo que um Espírito pode fazer a uma criatura, vários deles o podem sobre diversas, simultaneamente, e dar à obsessão um caráter epidêmico. Uma nuvem de maus Espíritos pode invadir uma localidade e aí se manifestarem de várias maneiras. Foi uma epidemia de tal gênero que se alastrou na Judéia, ao tempo de Cristo, e, em nossa opinião, é uma epidemia semelhante que ocorre em Morzine.”(2) A Revista Espírita publicada por Allan Kardec descreve detalhadamente um famoso caso ocorrido na comuna de Morzine, departamento da Alta Sabóia, França e, contra o qual falharam todos os recursos médicos e da religião. Os fatos observados na epidemia obsessiva de Morzine, no século XIX, e os acontecimentos recentes registrados na cidade de Chalco, México, nos permitem algumas deduções. Em ambos, a epidemia insólita incidiu em crianças e jovens. Assim sendo, a nossa percepção nos faz crer que o alvo preferido das nuvens de maus espíritos sejam as crianças, talvez pela incapacidade de melhor se defenderem. Acrescente-se um outro detalhe: as epidemias obsessivas não costumam recair sobre as criaturas letradas e possuidoras de um melhor domínio sobre si mesmas. “Querendo exorcizar estes infelizes, na maioria crianças, o cura mandou trazê-las à igreja, conduzidas por homens vigorosos. Apenas pronunciou as primeiras palavras latinas, produziu-se uma cena terrificante: gritos, saltos furiosos, convulsões, etc.; a tal ponto que mandaram chamar os soldados de polícia e uma companhia de infantaria para restabelecer a ordem.” (3) No nosso entender, a força descomunal demonstrada pelas crianças de Morzine ou a paralisia incapacitante a que elas foram submetidas em Chalco, servem para comprovar o poder da ação subjugadora fluídica, que se abate avassaladora sobre as vítimas.

Não afastamos, em hipótese alguma, a possibilidade de um fenômeno auto-sugestivo motivado pelo espírito de imitação. A mente excitada é capaz de produzir fenômenos extraordinários. Todavia, ao estudarmos as obsessões epidêmicas na obra kardeciana, ressaltam as informações provenientes de mentores categorizados, apontando como causa dos fenômenos incomuns, a influência tenaz de espíritos perturbadores. Ainda sobre Morzine, conforme nos informa a Revista Espírita, pinçamos um relatório da sociedade médica local publicado pela “Gazette Médicale de Lyon”, onde destaca-se sugestiva apreciação: “O dr. Caille concluiu por uma afecção nervosa epidêmica, que escapa a toda espécie de tratamento e de exorcismo. (...) Todos os infelizes obsedados, em suas crises, pronunciam palavras sujas; dão saltos prodigiosos por cima das mesas, trepam em árvores, nos telhados e, às vezes, profetizam.”(4) Ora, a expressão “profetizam” pode ter o significado de simples manifestação mediúnica, o que consagra a tese espírita que defende a interferência dos desencarnados sobre as crianças de Morzine. Observações acuradas apontam outras possibilidades: os casos mais graves de obsessão coletiva costumam atingir a gente simples, ignorante e mais impressionável. “Ninguém ignora que quando o Cristo, nosso muito amado Mestre, encarnou-se na Judéia, sob os traços do carpinteiro Jesus, aquela região havia sido invadida por legiões de maus Espíritos que, pela possessão, como hoje,se apoderavam das classes sociais mais ignorantes, dos Espíritos encarnados mais fracos e menos adiantados...

(5) CONCLUSÃO: Na contemporaneidade, a mídia tem divulgado inúmeras circunstâncias, nas quais subentende-se o fenômeno de obsessão coletiva a manifestar-se sobre criaturas moralmente comprometidas, ignorantes e que dão azo às paixões inferiores descontroladas e primitivas na produção de escândalos sucessivos. Sem maiores dificuldades, identificamos quadros de obsessões coletivas em múltiplas circunstâncias do cotidiano, por exemplo: em meio às convulsões sociais, políticas ou reivindicativas, que resvalam freqüentemente para a violência; em período carnavalesco, quando a TV enfoca desfiles de criaturas desnudas e debochadas, imersas na luxúria e na depravação dos costumes; em festas raves, onde a juventude, ao som da música perturbadora e sob o efeito de drogas tóxicas, cria ambiente propício à atuação dos espíritos maléficos, descambando para a violência explícita e descontrolada. Recordemos, ainda, os tristes espetáculos retransmitidos pela mídia televisiva, envolvendo torcidas esportivas que se digladiam nos estádios e nas vias públicas, em nome da paixão por determinado time, e por aí vai.
Se pudéssemos devassar o campo astral desses grupos sociais, identificaríamos nuvens de espíritos maléficos que controlam com facilidade as mentes desequilibradas dessas criaturas infelizes. Em se tratando da participação de seres invisíveis na gênese das epidemias obsessivas, reconhecemos a ineficácia dos meios médicos e dos exorcismos inúteis, na contenção do problema.

 Só o caráter científico do Espiritismo permite uma posição mais analítica do assunto ao lado de medidas saneadoras úteis ao encaminhamento dos casos. Não está longe o dia em que os profissionais de saúde adeptos do ideário espírita saberão diferençar uma afecção orgânica de uma enfermidade espiritual, seja obsessão individual ou coletiva, de modo a minimizar os equívocos diagnósticos, reduzir os sofrimentos e evitar os gastos inúteis.
 
Bibliografia:
1-KARDEC, Allan . O Livro dos Médiuns, cap. XXIII, item 240.
2-KARDEC, Allan . Revista Espírita, pág. 8, vol. 1, janeiro de 1863, EDICEL.
3-KARDEC, Allan. Revista Espírita, pág. 107, vol. 4, abril de 1862, EDICEL.
4-Idem, pág. 108.
5- Ibidem, pág. 109.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 09 de Setembro de 2009, 15:49
Gigi, Elza e demais amigos do Forum,

Espero que possam comentar este trabalho do confrade Vitor, na possibilidade da pesquisa sobre a mediunidade infantil, e a sua infleuenciação. Existem nele elementos que corroboram?

Muita Paz

Nelson
Título: Re: Obsessão infantil
Enviado por: Mourarego em 09 de Setembro de 2009, 16:21
Amigo Moura e demais amigos do Forum,

Nosso confrade Vitor Ronaldo Costa enviou resposta da bibliografia referente ao texto publicado em O Clarim, em julho do corrente ano: Obsessão Infantil, que postamos anteriormente aqui em nosso debate. Segue sua mensagem

Salve prezados confrades.
Os mecanismos obsessivos são bastante diversificados. Os laços imânticos entre o encarnado e o Espírito agressor se apertam à medida que a vítima se fixe em pensamentos inferiores e atitudes nocivas à moral, condições compatíveis com os mesmos sentimentos abastardados dos obsessores. De acordo com este pressuposto é possível identificar na intimidade de cada um, as imperfeições ainda presentes, e que, quando identificadas pelos obsessores, podem ser intensificadas por ação hipnótica, pois não se constiui problema para os Espíritos ardilosos, incentivar uma tendência viciosa no encarnado invigilante e indiferente aos apelos evolutivos sugeridos no Evangelho de Jesus. Não só a extensa bibliografia sobre a temática obsesiva, como a nossa própria experiência de trinta e cinco anos em tarefas assistenciais mediúnicas, nos permitem destacar tais ocorrências, que poderão ser comprovadas em campo experimental mediúnico por gupos bem estruturados no assunto e, que se multiplicam em tantas instituições espíritas brasileiras. Sugerimos a revisão dos seguintes autores:   Allan Kardec, Gênese, cap.XIV, item 15; O Livro dos Espíritos, questão 199-a, 525 e 525-a, 474, 475 e 476; O Livro dos Médiuns, itens: 245, 252, 254 e todo o cap. XXIII; "Tratamento da Obsessão" de Roque Jacinto (EDICEL), especialmente o capítulo "Centros Visados"; "Obsessão e Desobsessão" de Suely Caldas Schubert; "Nos Bastidores da Obsessão" de Divaldo Pereira Franco (FEB) e "Desobsessão & Apometria" de nossa autoria.
Qualquer dúvida permenecemos à disposição.
Fraternalmente,
Vitor Ronaldo Costa

Obrigado Mano Nelson,
a questão da generalização ai acaba por fazer o autor entrar num tunel de vento, opu seja,  diz Kardec que nos casos das crianças, isso se deve ao baixo teor de moral do Espírito que veste as roupas pueris. Ora, isso não é o mesmo de dizê-las agirem por obsessão. Mas pode haver esse caso? sim pode, mas é dificil pois se a lei geral emana de ser soberanamente bom e soberanamente JUSTO. Ora, se uma criança ainda não tem a inteligência totalmente desenvolvida não pode ser apenada por algo que faça por vontade de outrem, que não é o caso pois ela age por  moral do Espírito que é.
Nota mano, essa é a minha opinião e não a digo correta, mas sim que é assim que entendo o que a obra de Kardec diz.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Quanta Luz em 10 de Setembro de 2009, 04:19
Olá, boa noite!

Que Deus esteja sempre conosco!

Gostei muito do tema, vou procurar acompanhar o estudo. Temos muito a aprender.

Abraço fraterno

Taty ;D
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Ygor em 10 de Setembro de 2009, 05:17
Olá pessoal!

Sou Umbandista de criação, frequento e tenho contato com espiritos desde muito novo. Porém sou novo no estudo do espiritismo.

Tenho conhecimento sobre a influência dos espiritos na nossa vida.

Mas gostaria muito de acompanhar os estudos do tópico.

Agradeço desde já a todos. :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: bolaboll em 10 de Setembro de 2009, 19:01
Boa tarde!
Solimar
Foi o que eu disse outro dia. Sendo os Espiritos uma das forças da natureza logo eles estão independente do nosso querer entre nós, não é uma questão de querer e sim de sintonia em que faixa vibratória eu me encontro seja na minha moral ou a cada hora do meu dia.
Cada hora porque ocilamos, trafegamos pelos estados da nossa mente, hora samos criança, hora samos adolecentes, hora adultos e hora idosos.
Tafegamos por estes estados a nossa vida toda de encarnados e é lógico que encontramos pelo pensamante a gama de espiritos que se encaixa em cada etapa e provavelmente alguns ficarão conosco pela sinpatia e afinidade.
Abraço
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Pollyana em 10 de Setembro de 2009, 19:40
Gostei muito do tema proposto, e mais ainda dos textos postados.
Mas gostaria de saber mais, há como um espírito que se considere meu credor, influenciar ou até mesmo obsediar meus filhos para me atingir?
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernando salem em 10 de Setembro de 2009, 20:29
É muito bom poder acompanhar um estudo,tão importante e tão util ,para sabermos identificar e compreender os nossos pensamentos.obrigado pelo convite e pela oportunidade
que assim seja.... :D
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 10 de Setembro de 2009, 20:33
Sim Pollyana, existe esta possibilidade.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 10 de Setembro de 2009, 23:04
Pollyana,

Concordo com o amigo Moura.

Mas gostaria de saber mais, há como um espírito que se considere meu credor, influenciar ou até mesmo obsediar meus filhos para me atingir?

Esta seria a obsessão indireta, que seria feita tanto por ação direta de espíritos inimigos de outros, quanto por influencia de “formas pensamento” que são mantidas onde vivem as crianças. Em contrapartida existe também a ação direta dos benfeitores espirituais ligados à família e à própria criança que trabalharão para o sucesso dessa reencarnação.

Exemplo de criança vitima de ação indireta está no capítulo 15 Fracasso, de Missionários da Luz, onde a gravidez é interrompida pela ação de obsessores da mãe.  E dela vale registrar a falta de conduta moral. Ação de benfeitores se faz de forma direta pela ação dos espíritos construtores quanto de modo indireto, (Francisca fala a Cesarina) mas não houve sucesso. Vale a pena ler.

Exemplo de influenciação por forma pensamento não encontrei ( se alguém souber, que publique aqui) no livros espíritas, alem do texto de 4 de setembro.

Porem a questão é se somos fácil ou difícil a obsessão e formas pensamento de baixa vibração. E se somos de fato merecedores da influenciação de espíritos elevados.

Muita paz

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 10 de Setembro de 2009, 23:10
Queridos amigos,

quero pedir-vos perdão por estar ausente alguns dias, mas foi por motivos de força maior.
Quero também agradecer-vos as vossas contribuições para manterem o estudo activo.
Agora, primeiro tenho de me actualizar e ler tudo com muita atenção.

Obrigada.

Abraços.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Cidinha Fernandes em 10 de Setembro de 2009, 23:48
  Boa noite, Tenho acompanhado atentamente o estudo , e  gostaria de agradecer aos irmãos ,confesso que pouco sei sobre o espiritismo, mas estou maravilhada .
 Muito obrigada!!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Taprobana em 11 de Setembro de 2009, 01:03
Boa noite.

Citar
Porem a questão é se somos fácil ou difícil a obsessão e formas pensamento de baixa vibração. E se somos de fato merecedores da influenciação de espíritos elevados.

Tendo em conta aquilo que a filosofia espírita contém, não é compreensível que os espíritos elevados somente se ocupem daqueles que já o são. O espiritismo afirma que na medida em que o espírito evolui mantém a capacidade de segundo a sua vontade sintonizar com os níveis vibratórios pelos quais já passou. A ideia expressa nesta citação recupera de forma evidente a ameaça do castigo que pelos séculos foi amedrontando o “povo de Deus”, agora transvestida com a farda do abandono da protecção dos espíritos superiores para aqueles que não se submeterem a sua vontade a noções de bem, de bondade, de moral, de elevação definidas por muitos e muitos mas que entre eles não se encontra Deus em lado algum.

Taprobana
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 11 de Setembro de 2009, 10:46
Olá amigos(as)

Desde os primeiros tempos, o homem sente que a vida não termina com a morte e que os que se foram não estão tão distantes assim.

Inúmeros estudos antropológicos nos mostram que mesmo nas civilizações mais primitivas os homens cultuavam os seus antepassados e tinham seus feiticeiros, pajés e xamãs numa demonstração clara que eles já tinham intuição da existência dos espíritos e da influência dos mesmos em nossas vidas. Com o Espiritismo essa influencia deixou de ser uma mera intuição para ser um fato observado e experimentado com rigores de ciência. Allan Kardec ao pesquisar fenômenos antes atribuídos ao maravilhoso e ao sobrenatural deparou-se com os espíritos, as almas dos que aqui viveram e que ainda continuavam vivos em outra dimensão, mas mesmo assim podiam se comunicar conosco através de pessoas dotadas de uma faculdade denominada mediunidade. Através dos chamados médiuns, indivíduos possuidores da mediunidade, Allan Kardec pôde observar os fenômenos produzidos pelos espíritos e também travar diálogos sobre vários assuntos com eles. Destes diálogos nasceu a 18 de abril de 1857, O Livro dos Espíritos, o livro trás os princípios da Doutrina Espírita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos espíritos e suas relações com os homens.
Estudando as relações dos espíritos com os homens, Allan kardec pergunta a espiritualidade: Os Espíritos influem sobre os nossos pensamentos e as nossas ações? E eles respondem: Nesse sentido a sua influencia é maior do que supondes, porque muito frequentemente são eles que vos dirigem. Allan Kardec prossegue no seu dialogo com a espiritualidade e vai desvendando todos os mecanismos e leis envolvidas no processo de influência dos espíritos. Ele constata a existência da lei de sintonia e afinidade que é quem determina toda interação entre as dimensões físicas e espirituais. A Doutrina Espírita é progressiva e progride pelos ensinamentos dos próprios espíritos através dos tempos. Nos dias de hoje o espírito Hammed nos ensina que sintonia é o estado em que se encontram duas pessoas que se acham numa mesma igualdade de emoção, ponto de vista, crença ou pensamento. Toda interferência espiritual acontece respeitando a afinidade entre os agentes envolvidos no processo. Exemplo: quando pensamos no bem atraímos quem é do bem; quando pensamos no mal atraímos quem é do mal. Por isso, nos ensina o espírito Manoel Philomeno de Miranda: Pelo pensamento, cada um de nós elege a companhia espiritual que melhor nos apraz. Concordando com o que também ensina Hammed: Ninguém simplesmente “pega” energias nocivas ou atrai espíritos infelizes de modo casual ou fortuito. A vida não é injusta. Temos o que merecemos. Não somos vítimas impotentes vivendo um destino impiedoso. Nada é por acaso, e todo efeito tem causa, se estamos sendo foco de algum tipo de obsessão ou perturbação espiritual é por que de alguma forma as provocamos. Escreveu Allan Kardec: É assim que Deus deixa à nossa consciência a escolha da rota que devemos seguir e a liberdade de ceder a uma ou a outra das influências contrárias que se exercem sobre nós.
O aspecto mais importante a sabermos sobre a influência espiritual é que não somos escravos dela e que podemos nos desvencilhar da mesma, bastando para isso apenas nossa própria vontade e determinação. Vejamos novamente o que nos ensina o dialogo de Allan Kardec com a espiritualidade em O Livro dos Espíritos: Pode o homem se afastar da influência dos Espíritos que o incitam ao mal? Sim, porque eles só se ligam aos que os solicitam por seus desejos ou os atraem por seus pensamentos. Ainda insiste Allan Kardec: Pode uma pessoa, por si mesma, afastar os maus espíritos e se libertar do domínio? Sempre se pode sacudir um jugo, quando se tem uma vontade firme. Então, conforme podemos ver, sem dúvida nenhuma, a influencia dos espíritos em nossas vidas existe e podem nos levar a vários caminhos, porém, nós é que escolhemos que caminho e até onde vai esta influência em nossas vidas. Pensemos bem antes de nos colocamos como vítima na vida, pois temos aprendido que nós somos os responsáveis pela felicidade ou infelicidade que estamos vivendo, e o livre-arbítrio é o grande atributo do espírito, é conforme o uso que fazemos dele que impulsionamos ou não, a nossa caminhada rumo à evolução.
Influência é o ato ou efeito de influir. Ação que uma pessoa ou coisa exerce sobre outra. Com relação aos encarnados tanto quanto aos desencarnados, quem vai determinar se vai ou não se deixar influenciar é a própria pessoa. Pensar bem e no bem, deixa de ser uma norma moral ou religiosa, para ser uma atitude profilática ou terapêutica dependendo do caso, no que se refere a viver paz do ponto de vista emocional e espiritual. Para finalizarmos, vejamos o que nos diz o Espírito Hammed: A nossa melhor defesa contra os assédios espirituais é a auto-responsabilidade. Perante as influências negativas, não mais nos tornemos vítimas ou mártires, dizendo: “Sou um pobre coitado! Alguém tem de fazer algo por mim!”, mas, “Como posso transformar essa situação? Como desenvolver minhas potencialidades? Onde está o “ponto de deficiência” que eu preciso mudar? O que posso fazer para ter maior equilíbrio na vida?”. Auto-responsablidade, é assumimos a responsabilidade pelo o que estamos fazendo da nossa existência, é sabermos que Deus já nos deu tudo, é também sabermos que os espíritos não são anjos ou demônios, são apenas seres como nós apenas fora da carne, porém dentro da vida, dando prosseguimento ao próprio processo de evolução.

“Evitar de atribuir à ação direta dos Espíritos todas as nossas contrariedades, que em geral são conseqüência da nossa própria incúria ou imprevidência”. Allan Kardec

José Antonio Ferreira da Silva

Bibliografia:
• O Livro dos Espíritos – Allan Kardec –
• O Livro dos Médiuns – Allan Kardec –
• A Imensidão dos Sentidos – Hammed/Francisco do Espírito Santo Neto –
• Entre os Dois Mundos – Manoel Philomeno de Miranda/Divaldo Franco –

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernando salem em 11 de Setembro de 2009, 12:11
Bom dia a todos.
José Antonio ,muito interessante o comentário que o irmão colocou-nos acima,a participação dos irmãos que tecem neste espaço por este grupo de estudo,é muito esclarecedor.bendito seja esta doutrina em nossa vida atual. :D
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 11 de Setembro de 2009, 13:30
Amigo Taprobana,


Tendo em conta aquilo que a filosofia espírita contém, não é compreensível que os espíritos elevados somente se ocupem daqueles que já o são.

O espiritismo afirma que na medida em que o espírito evolui mantém a capacidade de segundo a sua vontade sintonizar com os níveis vibratórios pelos quais já passou.

 A ideia expressa nesta citação recupera de forma evidente a ameaça do castigo que pelos séculos foi amedrontando o “povo de Deus”, agora transvestida com a farda do abandono da protecção dos espíritos superiores para aqueles que não se submeterem a sua vontade a noções de bem, de bondade, de moral, de elevação definidas por muitos e muitos mas que entre eles não se encontra Deus em lado algum.


Concordo com sua observação, pois a influenciação dos espíritos superiores merecemos todos. Afinal a vibração do bem e de luz também está entre nós. Eu me expressei de forma indevida. Desculpem os leitores.

 Desejei colocar em poucas linhas, é que existem projetos, e reencarnações que de fato estão sob a atenção de espíritos superiores. Exemplos nossos: o projeto de divulgação do espiritismo e a vinda de Chico Xavier a este plano. E existem outros amparando cada faixa de evolução.
 
Agradeço a pertinência e inspiração da observação.

Muita Paz

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 11 de Setembro de 2009, 17:01
A intromissão dos Espíritos enganadores nas comunicações escritas é uma das maiores dificuldades do Espiritismo. Sabe-se, por experiência, que eles não têm nenhum escrúpulo em tomar nomes supostos e até mesmo nomes respeitáveis. Há meios de os afastar?

Boa tarde Rosina,

fica aqui um video que talvez a ajude a esclarecer.

http://www.youtube.com/watch?v=HoqhMXuOQB0 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUhvcWhNWHVPUUIw)

Abraço.
Título: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 11 de Setembro de 2009, 17:44
Amigo Moura e demais amigos do Forum,

Nosso confrade Vitor Ronaldo Costa enviou resposta da bibliografia referente ao texto publicado em O Clarim, em julho do corrente ano: Obsessão Infantil, que postamos anteriormente aqui em nosso debate. Segue sua mensagem

Salve prezados confrades.
Os mecanismos obsessivos são bastante diversificados. Os laços imânticos entre o encarnado e o Espírito agressor se apertam à medida que a vítima se fixe em pensamentos inferiores e atitudes nocivas à moral, condições compatíveis com os mesmos sentimentos abastardados dos obsessores. De acordo com este pressuposto é possível identificar na intimidade de cada um, as imperfeições ainda presentes, e que, quando identificadas pelos obsessores, podem ser intensificadas por ação hipnótica, pois não se constiui problema para os Espíritos ardilosos, incentivar uma tendência viciosa no encarnado invigilante e indiferente aos apelos evolutivos sugeridos no Evangelho de Jesus. Não só a extensa bibliografia sobre a temática obsesiva, como a nossa própria experiência de trinta e cinco anos em tarefas assistenciais mediúnicas, nos permitem destacar tais ocorrências, que poderão ser comprovadas em campo experimental mediúnico por gupos bem estruturados no assunto e, que se multiplicam em tantas instituições espíritas brasileiras. Sugerimos a revisão dos seguintes autores:   Allan Kardec, Gênese, cap.XIV, item 15; O Livro dos Espíritos, questão 199-a, 525 e 525-a, 474, 475 e 476; O Livro dos Médiuns, itens: 245, 252, 254 e todo o cap. XXIII; "Tratamento da Obsessão" de Roque Jacinto (EDICEL), especialmente o capítulo "Centros Visados"; "Obsessão e Desobsessão" de Suely Caldas Schubert; "Nos Bastidores da Obsessão" de Divaldo Pereira Franco (FEB) e "Desobsessão & Apometria" de nossa autoria.
Qualquer dúvida permenecemos à disposição.
Fraternalmente,
Vitor Ronaldo Costa

Obrigado Mano Nelson,
a questão da generalização ai acaba por fazer o autor entrar num tunel de vento, opu seja,  diz Kardec que nos casos das crianças, isso se deve ao baixo teor de moral do Espírito que veste as roupas pueris. Ora, isso não é o mesmo de dizê-las agirem por obsessão. Mas pode haver esse caso? sim pode, mas é dificil pois se a lei geral emana de ser soberanamente bom e soberanamente JUSTO. Ora, se uma criança ainda não tem a inteligência totalmente desenvolvida não pode ser apenada por algo que faça por vontade de outrem, que não é o caso pois ela age por  moral do Espírito que é.
Nota mano, essa é a minha opinião e não a digo correta, mas sim que é assim que entendo o que a obra de Kardec diz.
Abração,
Moura

Eu concordo inteiramente com o amigo Mourarego.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 11 de Setembro de 2009, 17:59
Amigos do Forum

Ainda colaborando com nosso estudo sobre a influencia dos espíritos, Vitor Ronaldo Costa nos enviou outro texto para estudo, onde se discute a obsessão infantil e a obsessão coletiva, sendo este último um assunto abordado por Kardec. Este texto tambem foi publicado na RIE - Revista Internacional de Espiritismo.

Agradeço aqui o espirito fraterno do confrade e agora amigo Vitor


Amigo Nelson,

e eu também agradeço esta bela contribuição a Vitor Ronaldo Costa e a si, Nelson, que muito tem contribuido para este estudo.
Quero também desejar as boas vindas a todos os recém chegados a este fórum e que também já se manifestaram.

Vou pedir que deixemos o texto que refere a "Obsessão colectiva" em stand by e pegaremos nele mais tarde, pois entretanto gostava ainda de abordar o aspecto mais grave da Influência dos Espíritos: a Subjugação.

Subjugação

Manoel Philomeno de Miranda (espírito)

Etapa grave no curso das obsessões, caracterizada pela perda do discernimento e da emoção, o estágio da subjugação representa o clímax do processo ultriz que o adversário desencarnado impõe à sua vítima, em torpe tentativa de aniquilar-lhe a existência física.
A perfeita afinidade moral entre aqueles que experimentam a pugna infeliz, traduz o primarismo evolutivo em que desenvolvem os sentimentos, razão pela qual acoplam-se, perispírito a perispírito, impondo o algoz a vontade dominadora sobre quem lhe padece a ferocidade, por cujo doloroso meio lapida as arestas remanescentes dos crimes perpetrados anteriormente.
A subjugação é o predomínio da vontade do desencarnado sobre aquele que se lhe torna vítima, exaurindo-lhe as energias e destrambelhando-lhe os equipamentos da aparelhagem mental.
Noutras vezes, a irradiação mental perniciosa que lhe é descarregada com pertinácia, alcança-lhe a sede dos movimentos ou o núcleo perispiritual das células, provocando desconsertos que se transformam em paralisias, paresias e distúrbios degenerativos outros de variada etiopatogenia.
O perseguidor enceguecido pelo ódio ou vitimado pelas paixões inferiores longamente acalentadas, irradia forças morbíficas que o psiquismo daquele que lhe infligiu a amargura assimila por identidade vibratória e se torna decodificada no organismo, produzindo os objetivos anelados pelo obsessor.
Em ordem inversa, a onda de amor e de prece, de envolvimento caridoso e fraternal, termina por encontrar receptividade tão logo o paciente se deixe sensibilizar, transformando-a em harmonia e saúde, bem estar e paz.
Todos os fenômenos ocorrem no campo das equivalentes sintonias, sem as quais são irrealizáveis.
Desse modo, a violência registrada nas agressões para a subjugação, somente encontra ressonância por causa da afinidade entre aqueles que se encontram incursos no embate.
Normalmente o processo é lento e persuasivo, provocando danos que se prolongam no tempo, enquanto são minadas as forças defensivas para o tombo irrefragável nas malhas da pertinaz enfermidade espiritual.
O processo cruel da obsessão de qualquer matiz tem suas raízes sempre na conduta moral infeliz das criaturas pelo cultivar da sua inferioridade em contraposição aos apelos elevados da vida, que ruma para a Suprema Vida.
Enquanto permaneçam os Espíritos afeiçoados às heranças do estágio primitivo, mantendo o egotismo exacerbado, graças ao qual humilha e persegue, trai e escraviza, explora e infunde pavor ao seu irmão, permanecerá aberto o campo psíquico para as vinculações obsessivas.
Somente uma radical transformação de conceito ético entre os homens terrestres é que os mesmos disporão de recursos seguros para se prevenirem obsessões.
No entanto, porque vicejem os propósitos inferiores em predomínio em a natureza humana, sucedem-se as complexas parasitoses obsessivas.
Agravada pela alucinação do perseguidor, a subjugação encarcera na mesma jaula aquele que a fomenta.
Emaranhando-se nos fulcros perispirituais do encarnado, termina por fixar-se-lhe emocionalmente, permanecendo presa da armadilha que urdiu.
A subjugação é perversa maquinação do ódio, da necessidade de desforço a que se escravizam os Espíritos dementados pela falta de paz.
Cultivando os sentimentos primários e encerrando a mente nos objetivos da vingança cerram-se na sombra da ignorância, perdendo o contato com a razão e a Divindade, enquanto não se permitem a felicidade que acusam de havê-los abandonado.
Ambos desditosos – o subjugado e o subjugador – engalfinhando-se na peleja sem quartel, não se dão conta que somente o amor consegue interrompê-la.
De tratamento muito delicado e complexo, o resultado ditoso depende da renovação espiritual do paciente, na razão em que desperte para a seriedade da conjuntura aflitiva em que se encontra. Simultaneamente, a solidariedade fraternal, envolvendo ambos enfermos em orações e compaixão, esclarecimentos e estímulos para o futuro saudável, conseguem romper o círculo vigoroso de energias destrutivas, abrindo espaço para a ação benéfica, o intercâmbio de esperança e de libertação.
A subjugação desaparecerá da Terra quando o verdadeiro sentimento da palavra amor for vivido e espraiado em todas as direções, conforme Jesus apresentou e vivenciou até o momento da morte, e prosseguindo desde a ressurreição gloriosa até aos nossos dias.
(Página psicografada pelo médium Divaldo P. Franco, em 28/07/99, no Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador-BA)
(Jornal Mundo Espírita de Fevereiro de 2000)


Até já.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Marccello em 12 de Setembro de 2009, 19:50
Entendemos que não é fácil nos livrarmos de nossos vícios e comportamentos equivocados. São situações trazidas de nossas vidas pretéritas, mas devemos lutar com muita coragem. com a ajuda dos nossos irmãos encarnados e desencarnados que nos querem bem e são nossos amigos, parentes e porque não...todos que fazem este espaço de amizade e estudo juntos nos apoiarmos para  sermos fortes e diminuírmos passo a passo as nossas más tendências.

Conto com todos vocês!

Grande abraço. ;)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 12 de Setembro de 2009, 20:01
A subjugação é o predomínio da vontade do desencarnado sobre aquele que se lhe torna vítima, exaurindo-lhe as energias e destrambelhando-lhe os equipamentos da aparelhagem mental.
Noutras vezes, a irradiação mental perniciosa que lhe é descarregada com pertinácia, alcança-lhe a sede dos movimentos ou o núcleo perispiritual das células, provocando desconsertos que se transformam em paralisias, paresias e distúrbios degenerativos outros de variada etiopatogenia.

Amigos,

Conheço uma menina, que até aos três anos de idade era completamente normal. A partir de certa altura, começou a ficar paralisada e aos poucos foi deixando de andar, de comer e de falar. Os pais têm consultado imensos médicos e nenhum lhe deu uma explicação científica para o caso. Houve um que até recomendou à mãe que a levasse a um centro espírita.

Gostava que os amigos se pronunciassem sobre o seguinte:

- De que forma os espíritos interferem connosco na fase da subjugação, a ponto de conseguirem paralisar uma pessoa?
- Poderão as crianças serem vítimas de subjugação?

Gostava ainda que ficasse mais claro o seguinte:
Poderão as crianças ser alvos de obsessões por erros cometidos pelos pais?


 


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 12 de Setembro de 2009, 20:20
Amiga Elsamar,
O que ganhariam tais Espíritos ao paralizarem uma pessoa\/ nada!
O que eles querem é fazer vassalo da pessoa subjugada, se a acorrentam ao leito nada ganham.
Mesmo no caso da "bronca" deles ser com os pais  ou um dos ois, um encerramento num quarto não atenderiam à sua vontade no mal.
Essa paralização que a doutrina preconiza, é a da mente. quer dizer, eles agem como os hackers, que invadindo centenas de PCs, usam-nos em ataques de negação de serviço, paralizando assim os sites que desejam..
Os Espíritos que empreendem uma subjugação fazem-no depois de estabelecerem vínculo obsessivo com a parte quie querem molestar. Mas o fazem sempre na mente não no físico.
Kardec relata um caso de subjugação onde o homem era obrigado a se atirar aos pés de qualquer mulher, baranga ou gostosona, e depois de sua passagem beijar o chão em que piusaram. como se vêo sujet há de estar ativo e em condição de ser manipulado pelo subjugador, e numa cama ou cadeira de rodas essa ação seria perdida.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 12 de Setembro de 2009, 21:29
A subjugação é o predomínio da vontade do desencarnado sobre aquele que se lhe torna vítima, exaurindo-lhe as energias e destrambelhando-lhe os equipamentos da aparelhagem mental.
Noutras vezes, a irradiação mental perniciosa que lhe é descarregada com pertinácia, alcança-lhe a sede dos movimentos ou o núcleo perispiritual das células, provocando desconsertos que se transformam em paralisias, paresias e distúrbios degenerativos outros de variada etiopatogenia.

Amigos,

Conheço uma menina, que até aos três anos de idade era completamente normal. A partir de certa altura, começou a ficar paralisada e aos poucos foi deixando de andar, de comer e de falar. Os pais têm consultado imensos médicos e nenhum lhe deu uma explicação científica para o caso. Houve um que até recomendou à mãe que a levasse a um centro espírita.

Gostava que os amigos se pronunciassem sobre o seguinte:

- De que forma os espíritos interferem connosco na fase da subjugação, a ponto de conseguirem paralisar uma pessoa?
- Poderão as crianças serem vítimas de subjugação?

Gostava ainda que ficasse mais claro o seguinte:
Poderão as crianças ser alvos de obsessões por erros cometidos pelos pais?


Sim pode perfeitamente acontecer.
Nesse caso aconselharia os Pais a levarem a criança, o mais rápido possível, a um Centro que pratique desobsessão.
Minha amiga o processo de obsesão com crianças funciona rigorosamente como funciona com os adultos.
Muitos de nós trazemos inimizades do passado que nem nos passa pela cabeça. São ligações de ódio profundo. Muitos Espíritos encontram-se imantizados vidas sobre vidas, num processo incrível de vingança. Processo este que continua no plano espiritual e se repete no plano físico uma e outra vez.
E se um agora é a chamada vitima ontem foi ele o agressor. E a situação repete-se num circulo longo. Só quando, pelo menos um deles, forem atingidos pelo Amor este circulo será quebrado.
A ida a um Centro Espírita poderá ser o principio do fim de todo este processo.

Ninguém sofre por causas alheias. A criança sofre por efeito dos seus erros, no passado. Os pais sofrem, duma forma diferente, por efeito dos seus erros do passado. Não pode ser de outra forma.

Atlante  
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Rinaldo em 12 de Setembro de 2009, 23:03
Oi

Meu nome é Rinaldo, sou brasileiro morando em São Vicente/Brasil,

Achei estes vídeos maravilhosos, principalmente para quem está começando na doutrina como eu,
Parabéns

Deus continue te iluminando

Abraços........
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 13 de Setembro de 2009, 01:02
Amigos Mourarego e Atlante em especial e todos em geral,

Vamos tentar esclarecer melhor o seguinte ponto.

À pergunta da Pollyana:

"Mas gostaria de saber mais, há como um espírito que se considere meu credor, influenciar ou até mesmo obsediar meus filhos para me atingir?"

O amigo Mourarego respondeu:

"Sim Pollyana, existe esta possibilidade."

No entanto o amigo Atlante diz:

Ninguém sofre por causas alheias. A criança sofre por efeito dos seus erros, no passado. Os pais sofrem, duma forma diferente, por efeito dos seus erros do passado. Não pode ser de outra forma.

Em que é que ficamos? :-\
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 13 de Setembro de 2009, 02:10
Olá Elsa

É uma questão racional.
Por que haverá alguém de passar por um efeito cuja causa não provocou?
É necessário compreendermos bem as leis que regulam todo o processo reencarnatório essencialmente as seguintes:
- Lei de Causa e Efeito
- Lei da Reencarnação
- Lei da Afinidade/Atracção
- Lei de Acção e Reacção ( que produz a causa e o efeito )
- Lei da Interacção

Na questão apresentada pela nossa irmã (obsediar os filhos exclusivamente para a atingir )  eu diria que não. Caso contrário teriamos alguém sofrendo injustamente, neste caso os filhos da nossa irmâ.

Tudo são conceitos e ideias, não tenho o pressuposto de ser detentor da verdade toda. Tenho a minha verdade construída ao longo dos anos, pelo estudo, pela análise e pela experiência da vida.

Atlante
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 13 de Setembro de 2009, 14:51
Olá amigos(as)

Na questão do sofrimento das crianças, acontece que normalmente elas nem sofrem na realidade(por causa do suporte espiritual)e por o corpo físico estar ainda em formação, o que se passa e isto nos dizem os espíritos amigos(quem fez ou faz parte de sessões mediúnicas)é que os pais por estarem tão desatentes as coisas do espírito , o facto de seus filhos sofrerem e por vezes muito, é uma forma de os chamar á razão, olharem mais para as coisas espirituais do que para a matéria(digamos que é um meio para chegarem a um fim) conheço vários casos que assim se passou. E isto não é maldade ,porque normalmente depois de o tratamento as crianças ficam muito bem e os pais ficam na doutrina para sempre(conheço casos pessoais).

Por isso amigos aquilo que vimos como dor é apenas um chamamento para uma mudança de vida para os pais.

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 13 de Setembro de 2009, 18:00
Amigo Atlante,
fica visível que o amigo se esquece que no panorama das obsessões,  há as que acontecem de encarnado para encarnado, de encarnado para desencarnado e vice versa.
Ora, hoje, encarnado sou pai e sou descoberto por um antigo "credor", este na espiritualidade.
Acontece que sou um cabra que sei me cuidar bem e não deixo que as influência me peguem de calças curtas, e assim, há casos e não são poucos onde o obsessor, sabendo de meu amor paternal para com meu filho, junta a este a sua influênciação e o faz fraquejar.
Ora, o mote é me fazer sofrer e se ele o consegue através do meu filho, ganha a parada duas vezes:
1- quando me faz sofrer, cobrando indiretamente a tal "dívida".
2- quando por descuido diante do sofrimento de meu filho, escorrego e abro brechas para que ele consiga estabelecer vínculo comigo novamente, ai passando a agir diretamente comigo.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Aline Rodrigues em 13 de Setembro de 2009, 19:38
Boa tarde amigos,

Venho acompanhando o estudo deste mês e com as dúvidas apresentadas já tirei as minhas próprias.
Gostaria de esclarecimentos sobre a infuência dos espíritos no comportamento de uma pessoa, por exemplo pessoas que se deixaram infuenciar a tal ponto que nada em vida tenha alegria, amor, paz...
Pessoas que se deixaram levar pela mágoa, rancor e ódio.
Como se dá essa influência visto que é notável quando a pessoa quer tentar se libertar e não consegue, a influencia exercida sobre ela é maior?

Abraços a todos...
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 13 de Setembro de 2009, 21:46
Querida Arodrigues,

penso que a explicação partilhada pelo amigo Guilherme D., logo no inicio do estudo, responde perfeitamente à sua dúvida.

" ...A obsessão oriunda de espíritos se dá pela afinidade de pensamentos e vibrações do espírito do próprio encarnado com o do obsessor.
O desvirtuamento dos pensamentos, bem como a vida desregrada, faz com que o espírito encarnado rebaixe sua frequência vibratória e deixe seu psiquismo e perispírito vulneráveis à investida dos perseguidores das trevas. Com o perispírito enfermo do encarnado, a entidade trevosa encontra terreno de fácil acesso, e rapidamente promove uma espécie de "conexão". Desta forma, ele passa a influenciar a mente do espírito invigilante.
Por mais que o obsidiado deseje praticar algo bom, a influência que sofre lhe priva desse desejo.
Claro, vendo por este ponto de vista, parece que o livre arbítrio do encarnado não existe mais, porém, isso não é verdade.
O espírito trevoso só logrou dominar a mente do encarnado porque assim este último permitiu e escolheu, visto que foi tudo uma consequência direta de seus atos reprováveis.
Mas sabemos que as trevas não são eternas para ninguém, e logo que o encarnado consiga encontrar uma fresta de luz divina, as trevas em sua volta começam a se dissolver. Assim, dependendo exclusivamente de sua vontade, o encarnado poderá fazer rodear-se de luz através de esforços para praticar o bem e seguir os preceitos do evangelho de Jesus...isso feito, é garantia de desobsessão."

 :-*


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Setembro de 2009, 00:42
apenas uns recortes:
Perispírito não fica enfermo. perispíritos são como espelhos, recebem e refletem, mas não pensam, não obram e por isso mesmo admitem a tudo.
O sensor, o professor, o harmonizador ou deturpador de tudo é o Espírito e sua baixa condição moral.
Num exemplo: um prato que agora contém um bifão(com a boca cheia d'água), depois poderá conter um espaguetti, ou uma salada. O prpispírito é assim também, agora recebe os raios de um ensino bom, mais adiante, dependendo do meio receberá instruções pouco ditosas. como não pensa e não age, sendo apenas agente das sensações dos Espíritos, são estes últimos os juízes daquilo que vão querer reter.
Se retêem o Bem, se desenvolvem como árvores de bons frutos, se ao contrário, viram a hera, que se alimenta da seiva reconstrutora e fortificante da árvore que lhe admite a intromissão.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 14 de Setembro de 2009, 00:47
Boa noite amigos,

Pegando numa das questões que coloquei ao início:

- Poderão os espíritos ignorantes e de maus instintos agruparem-se, de modo a conseguirem influenciar toda a população de uma povoação, uma cidade, ou até de um governo?

e num excerto do texto de Vitor Ronaldo Costa, trazido pelo amigo Nelsonmt,

"ANÁLISE ESPÍRITA DO FENÔMENO: Os transtornos dissociativos de caráter epidêmico (obsessões coletivas) são bastante familiares aos estudiosos do Espiritismo. Allan Kardec, em várias oportunidades,  referiu-se às obsessões epidêmicas, disponibilizando-nos um farto material de estudo. Entretanto, para melhor compreensão, relembremos o conceito de subjugação, ponto de partida para o entendimento do inusitado fenômeno. “A subjugação é um envolvimento que produz a paralisação da vontade da vítima, fazendo-a agir malgrado seu. (...) A subjugação pode ser moral ou corpórea. No primeiro caso, o subjugado é levado a tomar decisões freqüentemente absurdas e comprometedoras que, por uma espécie de ilusão, considera sensatas: é uma espécie de fascinação. No segundo caso, o Espírito age sobre os órgãos materiais, provocando movimentos involuntários.”(1)  Os processos obsessivos, apesar de generalizados, fogem à alçada dos bancos acadêmicos, o que, infelizmente, justifica as apreciações incorretas sobre certos fenômenos insólitos. A subjugação espiritual é o exemplo de constrangimento máximo a que o encarnado pode se submeter. Ela interfere tanto no componente moral quanto nos órgãos materiais do ser. Nesse último caso, o sujeito sente-se tomado por uma vontade maior que o compele a agir contra a sua própria vontade. À medida que o envolvimento fluídico se intensifica, os espíritos podem forçar sua vítima a praticar movimentos involuntários, assim como induzir paralisias musculares, pois exercem uma influência capaz de excitar ou inibir os núcleos motores da organização física. E não se pense que a subjugação só atinge um indivíduo por vez, porquanto são inúmeros os exemplos de manifestações coletivas orquestradas pelos maus espíritos. “Aquilo que um Espírito pode fazer a uma criatura, vários deles o podem sobre diversas, simultaneamente, e dar à obsessão um caráter epidêmico. Uma nuvem de maus Espíritos pode invadir uma localidade e aí se manifestarem de várias maneiras. Foi uma epidemia de tal gênero que se alastrou na Judéia, ao tempo de Cristo, e, em nossa opinião, é uma epidemia semelhante que ocorre em Morzine.”(2) A Revista Espírita publicada por Allan Kardec descreve detalhadamente um famoso caso ocorrido na comuna de Morzine, departamento da Alta Sabóia, França e, contra o qual falharam todos os recursos médicos e da religião. Os fatos observados na epidemia obsessiva de Morzine, no século XIX, e os acontecimentos recentes registrados na cidade de Chalco, México, nos permitem algumas deduções. Em ambos, a epidemia insólita incidiu em crianças e jovens. Assim sendo, a nossa percepção nos faz crer que o alvo preferido das nuvens de maus espíritos sejam as crianças, talvez pela incapacidade de melhor se defenderem. Acrescente-se um outro detalhe: as epidemias obsessivas não costumam recair sobre as criaturas letradas e possuidoras de um melhor domínio sobre si mesmas. “Querendo exorcizar estes infelizes, na maioria crianças, o cura mandou trazê-las à igreja, conduzidas por homens vigorosos. Apenas pronunciou as primeiras palavras latinas, produziu-se uma cena terrificante: gritos, saltos furiosos, convulsões, etc.; a tal ponto que mandaram chamar os soldados de polícia e uma companhia de infantaria para restabelecer a ordem.” (3) No nosso entender, a força descomunal demonstrada pelas crianças de Morzine ou a paralisia incapacitante a que elas foram submetidas em Chalco, servem para comprovar o poder da ação subjugadora fluídica, que se abate avassaladora sobre as vítimas."

gostava de saber a vossa opinião acerca do seguinte:

-É possível que Hitler e os seus seguidores tenham sido alvos de uma obsessão colectiva?
-Quando a obsessão é individual, cada um de nós tem o seu espírito protector que tenta aconselhar. E numa obsessão colectiva, existem também espíritos protectores de uma cidade, de um país, etc?

 :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 14 de Setembro de 2009, 00:52
apenas uns recortes:
Perispírito não fica enfermo. perispíritos são como espelhos, recebem e refletem, mas não pensam, não obram e por isso mesmo admitem a tudo.
O sensor, o professor, o harmonizador ou deturpador de tudo é o Espírito e sua baixa condição moral.
Num exemplo: um prato que agora contém um bifão(com a boca cheia d'água), depois poderá conter um espaguetti, ou uma salada. O prpispírito é assim também, agora recebe os raios de um ensino bom, mais adiante, dependendo do meio receberá instruções pouco ditosas. como não pensa e não age, sendo apenas agente das sensações dos Espíritos, são estes últimos os juízes daquilo que vão querer reter.
Se retêem o Bem, se desenvolvem como árvores de bons frutos, se ao contrário, viram a hera, que se alimenta da seiva reconstrutora e fortificante da árvore que lhe admite a intromissão.
Abraços,
Moura

Obrigada amigo Mourarego,

sempre úteis as suas explicações.

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Delphus em 14 de Setembro de 2009, 01:10
Amigos,
Conheço uma menina, que até aos três anos de idade era completamente normal. A partir de certa altura, começou a ficar paralisada e aos poucos foi deixando de andar, de comer e de falar. Os pais têm consultado imensos médicos e nenhum lhe deu uma explicação científica para o caso. Houve um que até recomendou à mãe que a levasse a um centro espírita.

Sim pode perfeitamente acontecer.
Nesse caso aconselharia os Pais a levarem a criança, o mais rápido possível, a um Centro que pratique desobsessão.

Boa noite a todos e PAZ.

Achei interessante o tema e os comentários citados acima. Pergunto-me....
Isso é obsessão mesmo??? ou é uma expiação da criança??

Lembremo-nos que essa criança é um velho Espírito... de qualquer maneira não deixa de ser uma expiação para o Espírito e uma prova para os pais, prova essa mesclada de expiação para todos.....
A obsessão tem que ser analisada, tem-se que patentear a atuação do desafeto.... erramos quando classificamos tudo ou quase tudo como obessão, e a pior obsessão chama-se auto-obsessão...

Discordo aqueles que imediatamente se permitem orientar a procura do Centro Espírita e principalmente do Centro Espírita que pratique a desobsessão..... qual á Casa Espírita que não a pratica???

"Onde estiverem reunidos e meu nome duas ou mais pessoas aí EU estarei"  .... em qualquer lugar onde ocorrer uma reunião para uma simples prece, ali estará Jesus e nesse momento estará ocorrendo uma desobsessão seja criada por nós para conosco mesmo ou direcionada por um desavisado e ignorante irmão.

Acredito que a primeira orientação deverá ser a implantação da oração em casa (sutilmente indcamos o Culto do Evangelho no Lar), o obsessor ou o auto obsessor somente muda suas atitudes quando percebe renovação no obsediado.

Quando se dá uma importância maior que o problema merece, damos importância maior ao solucionador, nesse caso Centro Espírita e Médium e erradamente desvirtuamos o carater da Doutrina Espírita e de sua proposta maior - A RENOVAÇÃO ÍNTIMA....

Delphus - Conheça a ti mesmo.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 14 de Setembro de 2009, 10:18
Olá amiga Elsa,  :)

Hoje de manhã o nosso estimado amigo Victor Passos colocou uma excelente mensagem de Joanna de Ângelis que é muito ilucidativa quanto ao tema em estudo!

Eís então a referida mensagem:

          O intercâmbio de mentes, emoções e aspirações é Lei da Vida.

          Conforme o padrão vibratório, cada onde emitida encontra ressonância em campo equivalente, estabelecendo-se a sintonia ou identificação.

          Em razão disso, cada ser humano respira o clima espiritual onde situa os anseios do sentimento e as metas da inteligência.

          Procedente de Deus e a Ele atraído pelo processo da evolução irrefragável, desenvolve todos os valores que lhe dormem em gérmen, ampliando o campo da consciência à medida que se desembaraça do primarismo por onde transita durante o largo período que o conduz à razão.

          Durante essa trajetória, aqueles que alcançaram os patamares mais elevados mantêm grande carinho pelos viajantes da retaguarda, oferecendo-lhes apoio e segurança, a fim de que a sua trajetória seja assinalada por menos revezes e aflições que podem ser convertidas em bênçãos, qual ocorre com diversas terapêuticas administradas para determinadas enfermidades. Algumas são portadoras de mal-estar incoercível, e produzem outras reações que se fazem necessárias para a erradicação do mal que se encontra instalado no âmago do ser.

          Em decorrência, esses amigos espirituais se transformam em verdadeiros guias, cuidadosos e austeros, que não se compadecem das dubiedades e incertezas dos seus pupilos, oferecendo-lhes diretrizes de segurança para que se evitem compromissos perturbadores e sofrimentos evitáveis, desde que seguindo a segura trilha que devem percorrer.

          Desse modo, preocupam-se com os diversos processos de comprometimento negativo, inspirando conduta reta e oferecendo apoio, que se convertem em equilíbrio para que se possa bem discernir o comportamento a adotar.

          Em face das conquistas que os assinalam, despertam para os sentimentos de amor e de caridade, roteiros seguros que sempre conduzem à finalidade superior, evitando-lhes as quedas calamitosas nos abismos do egoísmo, do materialismo e da crueldade.

          Vivenciando o amor, tornam-se exemplos para os seus conduzidos, socorrendo-os, quando as dificuldades se lhes tornam maiores, jamais adotando conduta paternalista e salvadora de ocasião sem o esforço de quem se deve emprenhar até o sacrifício, se necessário, para conquistar novos e felizes patamares.

          Compadecem-se, sim, os bons Espíritos ante os infortúnios e desaires que aturdem as criaturas sob a sua inspiração, especialmente quando são incapazes de compreender os benefícios que advirão dessas ocorrências que as plenificarão mais tarde, quando estejam superadas as provações a que se encontram submetidas.

          Porque já transitaram pelos mesmos lugares, dão-se conta das dores que inevitavelmente assomam, quando os seus afilhados são surpreendidos por tais eventos, mediante os quais, e somente através deles, se enriquecerão de equilíbrio para a felicidade futura.

          Essa compaixão, no entanto, é rica de ternura e de estímulos, emulando-os à luta, de forma que sejam superados os inconvenientes e adquiridas as experiências que impulsionam ao progresso e à constante renovação.

          Nem sempre esse espírito de compaixão se apresenta como solucionador dos desafios necessários, o que, se assim fosse, canditaria o aprendiz ao estacionamento, à falta de aquisição de recursos para a auto renovação, para a auto-iluminação imprescindíveis no trânsito de crescimento para Deus.

          Trata-se de uma compaixão solidária, mediante a qual ambos participam do mesmo processo, de conquista do conhecimento espiritual em relação à vida e ao desabrochar dos incomparáveis tesouros que se lhes encontram adormecidos, necessitando dos fatores próprios para o seu desenvolvimento.

          A caminhada terrestre seria muito árida não fossem esses valiosos contributos de misericórdia e de sabedoria, através dos quais a vida se torna cada vez mais enriquecida de oportunidades de crescimento e de esperança.

          O ser, emulado ao avanço, por meio da sabedoria daqueles que já percorram as mesmas trilhas e alcançaram patamares superiores, sente-se convidado a não desanimar jamais, avançando com alegria e compreendendo que, somente pelos desafios, faz-se possível atingir os objetivos essenciais da existência terrena.

          Quando bem compreendidos as desgraças terrestres, os infortúnios, os testemunhos, mais se faz digna de vivenciada a viagem evolutiva, porque os alicerces do processo se tornam vigorosos, quais a casa construída na rocha, que suporta os vendavais e as calamidades que lhe desabam ameaçadoramente, permanecendo resistente a todos os clamores das tempestades.

          Não impedem, porém, esses bondosos Espíritos, a ocorrência dos fenômenos que propiciam robustecimento das resistências morais. Antes agradecem a Deus que eles surjam, porque disso advirão incomparáveis benefícios para os seus pupilos, que igualmente adquirirão sabedoria ante os insucessos aparentes, aprendendo para sempre as lições de amor com que o Pai a todos brinda, oferecendo-lhes o mesmo recurso de crescimento interior.

          Em quaisquer circunstâncias, as mais amargas e cruéis que se atravessem, Deus vela pelos seus filhos, e os seus mensageiros sempre se encontram ao lado deles, auxiliando-os pela inspiração e pelo apoio a encontrarem o rumo certo mediante socorro adequado que sabem oferecer no momento azado.


Livro: Lições para a Felicidade
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco
--------------------------------------------

Fica então bem claro que se nós mudarmos o nosso padrão vibratório mediante a nossa reforma íntima, começando por higienizarmos a mente para depois nosso actos por consequência gradualmente de refinarem, atrairemos desse modo a Influência de Espíritos de Luz!

Amiga Elsa, obrigado pelo excelente Tema pois encontramos nele um grande estímulo de conforto para seguirmos em frente nas nossas jornadas!

Com carinho.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 14 de Setembro de 2009, 11:10
Olá.


Entro de vesgo nessa historia de perseguidos e perseguidores, que se imolam ou se aborrecem de longa data, para alguns questionamentos:

- Se a criança de 3 anos ficou paralisada na cama, por causa do seu perseguidor, de que forma este a fez paralitica ? Agradeceria se fosse demonstrado o procedimento técnico adotado pelo espírito obsessor, passo a passo, ou seja, a maneira como ele conseguiu influenciar causando tal prejuízo no organismo físico da criança (sei do interesse de muitos).

- Pressupondo que a menina tenha ficado paralitica por causa da obsessão, como um centro espirita, tecnicamente, pode libertá-la ?

- Em que momento exato (tempo de vida de encarnado) o espirito obsessor começou a agir na criança ?

- Onde se encontrava o benfeitor da criança, quando do inicio da ação do algoz ?


Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 14 de Setembro de 2009, 14:27
Obrigada Delphus,

 pela colaboração e seja bem vindo a este estudo.

Jorge,

obrigada também pela lindissima mensagem que trouxeste, que no fundo resume o método a adoptar para nos mantermos afastados das más influências.

Estava a ver que tinhas ficado em Vila Nova de Mil Fontes :D

 :-* :-*
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 14 de Setembro de 2009, 14:35
Olá.


Entro de vesgo nessa historia de perseguidos e perseguidores, que se imolam ou se aborrecem de longa data, para alguns questionamentos:

- Se a criança de 3 anos ficou paralisada na cama, por causa do seu perseguidor, de que forma este a fez paralitica ? Agradeceria se fosse demonstrado o procedimento técnico adotado pelo espírito obsessor, passo a passo, ou seja, a maneira como ele conseguiu influenciar causando tal prejuízo no organismo físico da criança (sei do interesse de muitos).

- Pressupondo que a menina tenha ficado paralitica por causa da obsessão, como um centro espirita, tecnicamente, pode libertá-la ?

- Em que momento exato (tempo de vida de encarnado) o espirito obsessor começou a agir na criança ?

- Onde se encontrava o benfeitor da criança, quando do inicio da ação do algoz ?


Abç

Amigo Diegas,

confesso que ainda não percebi bem esta questão da obsessão infantil, até porque não há muitos escritos acerca do tema. Como não sou médium a dificuldade de compreensão agrava-se, além de que já tivemos aqui opiniões pró e contra.
Eu não posso dizer se o caso da menina que expus, é ou não obsessão, mas é muito estranho, principalmente porque até aos 3 anos de idade ela era uma criança completamente normal, sem problemas de saúde.
Em relação à paralização dos membros, só sei que aconteceu de uma formal gradual, foi perdendo os movimentos de dia para dia e deixou de falar.

Posso ainda dizer que fui informada que ela realmente tinha uma entidade muito negativa perto dela, mas que a mãe precisava igualmente de tratamento.

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 14 de Setembro de 2009, 14:42

- Onde se encontrava o benfeitor da criança, quando do inicio da ação do algoz ?


Eu gostava também que estão questão fosse mais aprofundada, ou seja, os benfeitores dos espíritos, enquanto crianças tem funções diferentes, daquelas que têm para com os adultos?

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Setembro de 2009, 16:49
Vamos pensar bem meus manos,
o trabalho dos benfeitores não implica em brigar com este ou aquele, não têm eles senão de influir junto ao Espírito que obseda, apenas isso, influir, não interditar o acesso ou escudar seu protegido.
O caso desse tipo de obsessão é dos que fogem à regra, e a propalada obsessão se dá em caráter apenas de assustar ao pai ou a mãe q quem o obsessor realmente quer ter sob
domínio.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 14 de Setembro de 2009, 19:11
Olá amigos(as)

Tudo está certo no tempo e no espaço.
Quer seja em criança, no bébé, no jovem ou no adulto, o objetivo da reencarnação é de curar lesões de que somos portadores. Hoje é uma dor, uma doença, uma vida de miséria, etc, etc, etc, mas amanhã é uma bênção. Podemos até não perceber o porquê e ficamos tristes, mas ao lembrar as palavras de um amigo espiritual" QUE AS DORES DE HOJE, NOS LIVRAM SÉCULOS DE PADECIMENTOS FUTUROS" EMMANUEL....pelo menos nos dá algum consolo.
 Se realmente acreditamos na DIVINDADE como criação e que ELA é justa e boa,não vai querer que os seus filhos sofram por nada, tudo tem de ter um objectivo, mesmo que tínhamos dificuldades em perceber.
Em relação á influência dos espiritos, eles só têm essa influência,porque vivemos na mesma sintonia mental que eles, motivado pelo nosso passado delituoso(digamos traquinices).
Se fossemos almas evangelizadas não existiria encarnado ou desencarnado que nos atormenta-se de forma alguma, porque essa é a lei.


SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Setembro de 2009, 19:20
Exatamente mano Cancela!
Se ouvimos uma estação de rádio, só a ela nos conectamos, outras não entram.
Assim, se nos comprazemos nas viciações, encontraremos, por certo e ainda mais em mundos como o que estamos, amigos espirituais que também sejam do mesmo nível.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Tolomei em 14 de Setembro de 2009, 20:08
Sem querer gerar qualquer polêmica pois não gosto de ficar discutindo , acrescento abaixo um comentário para ajudar a quem estiver precisando. Os que não gostam de outros autores além de Kardec podem me ignorar completamente.

Pertubação espiritual em crianças existe e temos muitos exemplos no Evangelho , alguns casos foram curados por Jesus. Disse o obsessor do filho do Dr. Bezerra de Meneses que queria atingir o pai mas não sabia como, e depois de tanto tempo , foi possível afastar o obsessor e iniciar seu processo de libertação espiritual seja da perseguição / seja do ódio / seja da ignorância em que estava o espírito perseguidor. Mas o tempo da obsessão foi tão longo que danificou o cérebro sensível do rapaz que vem a falecer doente em consequência disto, apesar de ter sido curado da obsessão. Em biografias do Dr. Bezerra de Menezes, tem este trecho que copio abaixo :

Um de seus filhos, “moço de grande inteligência e coração bem formado”, foi acometido de loucura, segundo os melhores médicos do Rio de Janeiro. Assim sendo, fora aconselhado a interná-lo em um manicômio devido aos riscos que representava em meio à família.

Dr. Bezerra de Menezes narra em seu livro “A Loucura Sob Novo Prisma”:

“Foi ante a contingência de uma separação mais dolorosa do que a própria morte que resolvemos atender a um amigo que há muito nos instava para recorrermos ao Espiritismo.”.

E assim, através de um médium, um Espírito consultado revelou-lhe: Obsessão.

A partir de então, buscando a cura do filho querido, o “médico dos pobres”, que tanto se preocupara com a saúde física de seus doentes, passou a dedicar-se também à cura da alma de seus semelhantes.

fim do trecho copiado

Lógico que espíritos superiores não podem ser obsediados , mas podem ser atacados pelos espíritos inferiores insatisfeitos com os benefícios / curas que ele possa distribuir. Os espíritos superiores sabem se defender , e o fazem sem prejudicar a ninguém. Os espíritos superiores não reencaram aqui com raríssimas excessões - logo , na Terra , no segundo estágio evolutivo que se encontra, todos nós podemos ser obsediados!

Existe um livro interessante sobre Mediunidade em Crianças que fala um pouco sobre Obessão em crianças - pois os temas estão ligados. Segue o link para estudos para quem desejar faze-lo

http://www.editoradidier.com.br/mediunidade-e-obsess-o-em-criancas.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lZGl0b3JhZGlkaWVyLmNvbS5ici9tZWRpdW5pZGFkZS1lLW9ic2Vzcy1vLWVtLWNyaWFuY2FzLmh0bWw=)

A obsessão e sua cura são temas que me trazem muita curiosidade , sugiro , sempre que houverem suspeitas disto, levar o nome do paciente / família a um centro espírito sério e organizado que tenha tratamento espiritual para estes casos - já tivemos muitas curas , mas nem sempre ocorre, porem sempre vale a pena tentar pois melhora alguma coisa sempre, e o tratamento espiritual adequado e bem conduzido não faz mal nenhum.

a pior obsessão é a Fascinação , uma auto-obsessão intricada aonde alguém não acha que está errado de jeito algum e segue em estado pertubador até cair em definitivo coisa que seus companheiros espirituais aguardam sempre.

Que Jesus nos livre a todos das obsessões!

abraços,
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Setembro de 2009, 21:35
Sem querer gerar qualquer polêmica pois não gosto de ficar discutindo , acrescento abaixo um comentário para ajudar a quem estiver precisando. Os que não gostam de outros autores além de Kardec podem me ignorar completamente.

Pertubação espiritual em crianças existe e temos muitos exemplos no Evangelho , alguns casos foram curados por Jesus. Disse o obsessor do filho do Dr. Bezerra de Meneses que queria atingir o pai mas não sabia como, e depois de tanto tempo , foi possível afastar o obsessor e iniciar seu processo de libertação espiritual seja da perseguição / seja do ódio / seja da ignorância em que estava o espírito perseguidor. Mas o tempo da obsessão foi tão longo que danificou o cérebro sensível do rapaz que vem a falecer doente em consequência disto, apesar de ter sido curado da obsessão. Em biografias do Dr. Bezerra de Menezes, tem este trecho que copio abaixo :

Um de seus filhos, “moço de grande inteligência e coração bem formado”, foi acometido de loucura, segundo os melhores médicos do Rio de Janeiro. Assim sendo, fora aconselhado a interná-lo em um manicômio devido aos riscos que representava em meio à família.

Dr. Bezerra de Menezes narra em seu livro “A Loucura Sob Novo Prisma”:

“Foi ante a contingência de uma separação mais dolorosa do que a própria morte que resolvemos atender a um amigo que há muito nos instava para recorrermos ao Espiritismo.”.

E assim, através de um médium, um Espírito consultado revelou-lhe: Obsessão.

A partir de então, buscando a cura do filho querido, o “médico dos pobres”, que tanto se preocupara com a saúde física de seus doentes, passou a dedicar-se também à cura da alma de seus semelhantes.

fim do trecho copiado

Lógico que espíritos superiores não podem ser obsediados , mas podem ser atacados pelos espíritos inferiores insatisfeitos com os benefícios / curas que ele possa distribuir. Os espíritos superiores sabem se defender , e o fazem sem prejudicar a ninguém. Os espíritos superiores não reencaram aqui com raríssimas excessões - logo , na Terra , no segundo estágio evolutivo que se encontra, todos nós podemos ser obsediados!

Existe um livro interessante sobre Mediunidade em Crianças que fala um pouco sobre Obessão em crianças - pois os temas estão ligados. Segue o link para estudos para quem desejar faze-lo

http://www.editoradidier.com.br/mediunidade-e-obsess-o-em-criancas.html (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lZGl0b3JhZGlkaWVyLmNvbS5ici9tZWRpdW5pZGFkZS1lLW9ic2Vzcy1vLWVtLWNyaWFuY2FzLmh0bWw=)

A obsessão e sua cura são temas que me trazem muita curiosidade , sugiro , sempre que houverem suspeitas disto, levar o nome do paciente / família a um centro espírito sério e organizado que tenha tratamento espiritual para estes casos - já tivemos muitas curas , mas nem sempre ocorre, porem sempre vale a pena tentar pois melhora alguma coisa sempre, e o tratamento espiritual adequado e bem conduzido não faz mal nenhum.

a pior obsessão é a Fascinação , uma auto-obsessão intricada aonde alguém não acha que está errado de jeito algum e segue em estado pertubador até cair em definitivo coisa que seus companheiros espirituais aguardam sempre.

Que Jesus nos livre a todos das obsessões!

abraços,


Amigo Tolomei,
primeiramente, lembro que estás num forum de debates, e o que é o debate senão uma discussão entre pessoas que querem aprender entre si? Assim, não te prives de discutir mano, é bom para todos.
Agora vou pinçar uma colocações que fazes sobreo tema:
1- "Lógico que espíritos superiores não podem ser obsediados , mas podem ser atacados pelos espíritos inferiores insatisfeitos com os benefícios / curas que ele possa distribuir".

Eu: Não há qualquer condição de que ou para que isso aconteça mano. A doutrina é clara na resposta dos Espíritos, há entre eles, uma superioridade moral irresistível (questão 274 e 274a L.E). Que não deixa que isso aconteça, amigo.
Notas como é taxtativa e como exaure a questão a resposta dada pelos Espíritos?

2- "a pior obsessão é a Fascinação , uma auto-obsessão intricada aonde alguém não acha que está errado de jeito algum e segue em estado pertubador até cair em definitivo coisa que seus companheiros espirituais aguardam sempre".

EU: na verdade mano, não é uma auto-obsessão, é mesmo uma segunda e mais fortificada forma da ação dos Espíritos para com outros Espíritos encarnados ou não. como dizia é fase outra, distinta da obsessão, a fascinação, contudo é exercida através de moto próprio dirigida de um Espírito a outro que lhe mantém acrisolado em suas mãos, fazendo-o cativo e quase sem forças para exercer resistência, por isso o fascinado não se sente em erro, tal o domínio do fascinador. Nota, ele não cai, já houve de haver caído.

A forma mais drástica é sem dúvida a possessão, relatada na Revista Espírita, veja que mesmo Kardec não a admita no começo, mas depois de ter visto in loco em Morzines, ele declarou textualmente que a possessão existe, em caráter itermitente, claro, senão acabaria por matar o objeto da possessão.
Antes dela vem a subjugação, estado no qual o sujet, se encontra totalmente nas mãos do subjugador. Nesses casos como nos de possessão só trabalho próprio envidado por médiuns capazes, é que pode surtir efeito, para depois tratar-se  do paciente, com a sua ajuda, claro.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: YESNO em 15 de Setembro de 2009, 00:28

- Em que momento exato (tempo de vida de encarnado) o espirito obsessor começou a agir na criança ?
Abç

Caríssimos,

Usando um recorte do texto do Diegas, destaco uma situação importante e não menos preocupante que se dá com o que chamaríamos de obsessão boa, como se pudesse alguma obsessão ser boa. É o que se dá quando um espírito aproxima-se de uma criança, mesmo um bebê, no intuito de ajudar e ali permanece até a vida adulta. Assemelha-se à mãe ou o pai que superprotege o filho, toma-lhe as rédeas das decisões em tudo, e ele não cresce. Torna-se um bebê até os trinta anos !

Um dos casos relatados pela Dra. Edith Fiore nos conta um caso assim:
------------
"um cirurgião compassivo, morrendo de repente num acidente de veículos, voltou para seu hospital e ali foi atraído pelo corpo de um bebê, que ainda se achava no útero e estava prestes a nascer prematuramente e comentou:
 -Essa alminha esta destinada a nascer tão precocemente - sete meses e meio e com apenas duas libras e meia de peso -...Estava tão fraca que não sobreviveria por si só. Eu podia dar-lhe mais, dar-lhe força de que ela precisava para prosseguir por si mesma...Era tão minúscula ! Precisava de mim ..."

"Depois que ele, o bem intencionado, mas confuso espírito, partiu MAIS DE VINTE ANOS DEPOIS,  a paciente declarou: "Ele era bom, mas parece que se havia encarregado de tantas coisas que não me dava oportunidade de crescer "
------------
Eis que novamente temos que estar atentos aos nossos arroubos extemporâneos porque em muitos de nossos procedimentos súbitos, mal nos reconhecemos.

Um abraço

Paz ! (com ela as verdades consolam)

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Rinaldo em 15 de Setembro de 2009, 00:49
Ei querido irmão

Acho estranho esta forma de raciocinio, como pode uma criança ser obssediada até a sua maioridade, e onde fica o papel do Anjo protetor / anjo da Guarda?

Por favor seja mais claro em sua opinião.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 15 de Setembro de 2009, 01:13
Mas há, amigos uma forma benígna e não de obsessão mas de possessão.
Estabelece-se quando a necessidade é premente de ser noticiada ou revelada nova verdade e então o Espírito, com a anuência do médium toma-lhe por completo e faz a comunicação.
Está notificado até na Revista Espírita.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: adrianneseixas em 15 de Setembro de 2009, 01:35
Amigos,

Se somos influenciados muito mais do que pensamos pelos Espíritos, se eles nos dirigem, até que ponto então nós temos o controle da nossa vida? nosso livre arbítrio? Essa é a questão que até agora eu não consegui entender.

Porque se o domínio dos Espíritos sobre o nosso agir e pensar é tão grande assim, como alguém que está sendo acompanhado/dominado por Espíritos inferiores se livrará dessa obsessão? Terá sempre que ter ajuda externa? Já que ele não tem o controle sobre sua vontade... Como resolver isso?

Ora, caro amigo. Lembre-se de uma coisa fundamental: Somos influenciados pelos espíritos sim, e muito. Mas isso não nos faz vítimas deles. Nós somos 100% responsáveis por TUDO o que nos acontece. Isso quer dizer que Nunca somos vítimas. Ou seja, essa inluencia NÂO anula nosso livre arbítrio.
A influencia existe, mas com nosso concentimento, nossa permissão. Nós é que permitimos a sua presencça e sua influencia em nossa vida através da vibração. No astral semelhantes atraem semelhantes, quando vibramos numa frequencia baixa atraimos espíritos ignorantes que se aproximam da situação para brincar conosco ou nos fazer o mal. Ora, o que podemos esperar de espíritos ignorantes senão que eles se aproximem de nós e se aproveitem de situaçoes para nos igualar a eles?
Nós devemos ter claro uma coisa: não existe aqui e lá, todos são um só, encarnados ou desencarnados. As pessoas não mudam depois de morrer, são as mesmas. E como nos defendemos das pessoas aproveitadoras, não as dando chance para se aproveitar da gente, também devemos nos proteger dos espíritos, que são iguais. Ou pior, com um "poder" que eles acham que tem porque não os vemos, mas que é só ilusório pois somos todos cuidados por espíritos amigos.
E ainda, no astral não há só ignorantes, há também os sábios, E também não apenas inimigos, mas também amigos. A diferença é que os sábios ou amigos são respeitosos e apenas nos sugerem o que fazer, enquanto o ignorante ou inimigo ficam nos importunando até que façamos o que querem ou os deixemos de vez. Desse modo a balança está sempre equilibrada.

Então cuidemos de nosso pensamento para não atrairmos espíritos que, em vez de nos ajudar na caminhada, nos atrase o paço.  E também, não usemos os espíritos como bode espiatório, somos 100% responsáveis pelo que nos acontece de bom ou de mal. Pelo contrário, ama também esses espíritos, e ora por eles para que eles não sejam simplesmente repelidos de ti, mas sejas para eles guia para o amor de Cristo. Somos TODOS, sem excessão, irmãos. Ignorantes, sábios ou estudantes. 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: adrianneseixas em 15 de Setembro de 2009, 01:48

E estabelecer a diferença entre as influências espirituais e conteúdos que são meus ainda é muito complicado para mim.
Da mesma forma como valorizo muito a rogativa feita com amor, como a da mãe no trecho que citei.
Mas eu vou indo, com calma e a paciência... porque acredito que cada um tem seu tempo... e eu não tenho pressa!
Mirca

Mica, a melhor maneira de saber se o pensamento é seu ou de outro é conhecer a si mesmo. Só quando você se conhecer saberá se é capaz de pensar ou agir de certa maneira, e assim, se o pensamento é autonimo ou influenciado.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: YESNO em 15 de Setembro de 2009, 02:21
Ei querido irmão

Acho estranho esta forma de raciocinio, como pode uma criança ser obssediada até a sua maioridade, e onde fica o papel do Anjo protetor / anjo da Guarda?

Por favor seja mais claro em sua opinião.


Caro Rinaldo,

Não é minha opinião, é a constatação da terapeuta citada, no livro Possessão Espiritual
Quem dá o relato é o próprio espírito do cirurgião desencarnado.

Não façamos do anjo guardião um "super-man" pois há os desígnios próprios a cada ser. Não há uma formulação que sirva para todas as encarnações.
Quem nos dá grandes subsídios para esse tema é a escritora e palestrista Suely Caldas por seus livros e artigos, como nos links abaixo:

http://www.comunidadeespirita.com.br/mediunidade/mediunidadeobscrianca/mediunidade%20e%20obsessao%20em%20criancas.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jb211bmlkYWRlZXNwaXJpdGEuY29tLmJyL21lZGl1bmlkYWRlL21lZGl1bmlkYWRlb2JzY3JpYW5jYS9tZWRpdW5pZGFkZSUyMGUlMjBvYnNlc3NhbyUyMGVtJTIwY3JpYW5jYXMuaHRt)

http://www.oespiritismo.com.br/textos/ver.php?id1=173 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5vZXNwaXJpdGlzbW8uY29tLmJyL3RleHRvcy92ZXIucGhwP2lkMT0xNzM=)

Um abraço.

Paz ! (com ela as palavras são luzes, não facas)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Verinha em 15 de Setembro de 2009, 03:14
Boa Noite Amigos!
Tenho lido com muito interesse esse assunto fascinante.
Já senti muitas vezes a influência tanto dos bons espíritos como dos espíritos inferiores, para que possa duvidar dessa influência, ou mesmo ignorá-la.Apesar disso, e de tudo que tenho lido a respeito, é difícil para mim aceitar que estando eu encarnada num planeta de expiação, tentando com minhas inúmeras limitações melhorar, evoluir, venha sofrer influência de espíritos inferiores para me prejudicar,com a anuência de Deus, ou dos espíritos superiores, seja qual for a justificativa para tal.
Se tenho às vezes, pensamentos ou atitudes inferiores que possam atrair esses espíritos por afinidade, é pq ainda tenho muito que ralar para evoluir, por isso que estou nesse planeta. Gostaria de poder atribuir o meu sucesso ou meu fracasso a mim mesma, ao meu livre arbítrio e não ter colaboradores e/ou co participantes num ou noutro.
Se eu tenho um pensamento ou uma atitude negativa, eu mesma já estou me prejudicando e me atrasando espiritualmente, não preciso de que nenhum espírito se aproveite de sua invisibilidade astral para me prejudicar nesse momento em que estou encarnada, pq eu o atraí com meu pensamento ou pq fui seu desafeto passado.
Se tenho dívidas pretéritas com esse ou aquele espírito, estou aqui para pagá-las todas, que sejam as piores provas, não estou me furtando de nada, mas, que seja de minha inteira responsabilidade, sem a influência de ninguém, o meu bom ou mau aproveitamento, se for reprovada, repito de ano, arco com as consequências, muito justas, por sinal.
O que não me entra na cabeça, em primeiro lugar, porque é permitido que esses espíritos de pouca luz, fiquem soltos no mundo espiritual, fazendo o que bem querem sem o menor embargo dos espíritos superiores. No mínimo, tinham que estar encarnados como nós, ralando para evoluir e tb pagando o que devem. Se não é o momento para encarnarem, que ficassem restritos em algum lugar sob a supervisão de algum espírito superior, como acontece com nossos meliantes aqui na Terra.
No nosso planeta ainda tão atrasado, com toda nossa  deficiente noção de justiça, pretende-se que assassinos, ladrões e malfeitores, estejam atrás das grades, pagando o que fizeram de errado e não soltos perturbando os que querem viver em paz.
Se é aceitável ou justificável de alguma maneira, que espíritos inferiores possam livremente usar de todos seus recursos para se vingarem de seus desafetos encarnados ou não, então  para mim é o mesmo que aceitar que se abram as portas das cadeias e fique tudo por conta do livre arbítrio, quem quiser matar que mate, que roube e cada um se defenda como puder e que se faça justiça pelas pp mãos, no estilo olho por olho, dente por dente.
Infelizmente, ainda não li nem ouvi uma justificativa que considerasse aceitável para a permissão que esses espíritos têm em nos prejudicar.
Onde estão os Anjos da Guarda que não botam esses espíritos para correr?
Luz e Paz!
Verinha
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Monge em 15 de Setembro de 2009, 03:18
Gostaria de trazer ao tema uma passagem evangélica do Novo Testamento, para estudo e reflexão, quanto à influência dos Espíritos nos fenômenos da natureza:
Mateus, Capítulo 8, Versículos:
23 E, entrando ELE(JESUS) no barco, seus discípulos o seguiram;
24 E eis que no mar se levantou uma tempestade, tão grande que o barco era coberto pelas ondas; ELE, porém, estava dormindo.
25 E os seus discípulos, aproximando-se, O despertaram, dizendo: SENHOR, salva-nos! que perecemos.
26 E ELE disse-lhes: Por que temeis, homens de pouca fé? Então, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar, e seguiu-se uma grande bonança.
27 E aqueles homens se maravilharam, dizendo: Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem?

Essa passagem nos dá conta, que a tempestade era causada por Espíritos que realizam fenômenos da natureza, em total consonância com o que nos ensinam os Espíritos no Livro dos Espíritos, Parte 2, Capítulo 9:

Questão n° 539 Na produção de alguns fenômenos, as tempestades por exemplo, é um Espírito que age, ou se reúnem em massa?
Resposta –  Em  massas  inumeráveis.

O tradutor teria usado o termo correto "repreender" ou seria melhor traduzir por JESUS ordenou aos Espíritos que parassem com a tempestade?
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 15 de Setembro de 2009, 14:24
Olá amigos,

Na minha perspectiva o Amor de Jesus era tão grande que lhe permitia agir sobre os elementos da natureza! Foi o caso citado por Mateus!

Penso também que a tempestade é causada pela força das leis da mãe natureza, leis essas inerentes ao próprio planeta, como por exemplo as diferenças da pressão atmosférica geradas pelas diferentes temperaturas, etc.

É claro que os Ministros da Vontade Divina criaram todas as condições para que exista o "milagre" da vida!

Jesus apenas agiu sobre os elementos / leis da natureza sem as derrogar, apenas acalmou as suas acções mais dinâmicas! E isto deveu-se (na minha perspectiva) ao seu inimaginável AMOR, capaz como já referi, de intervir nos elementos da natureza!

Abraços fraternos.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 15 de Setembro de 2009, 19:11
Verinha,
o que se diz de Deus?
Que ele sabe e vê a tudo e a todos.
Logo, se ele sabe e conhece tudo, se algo te acontece ele há de sabê-lo, claro, por isso diz-se sobre a anuência dele, já que se ele não quisesse não aconteceria.
Uma coisa é Deus saber, outra é ele intervir nas coisas que são de tuas provas ou expiações passares. Para isso ele nos dotou de razão, inteligência e livre arbítrio e se erramos que tentemos reparar nosso erro.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Vitor Santos em 15 de Setembro de 2009, 19:49
Olá Adriana

Citar
Se somos influenciados muito mais do que pensamos pelos Espíritos, se eles nos dirigem, até que ponto então nós temos o controle da nossa vida? nosso livre arbítrio? Essa é a questão que até agora eu não consegui entender.

Amiga, segundo a minha forma (limitada) de compreender as coisas, é a nós que compete decidir se rejeitamos ou se aceitamos e pomos em prática os nossos próprios pensamentos.
Se eles nos chegam através de outros espíritos ou de nós próprios, vai dar ao mesmo.

Mesmo a subjugação grave, depende da nossa decisão. Pois a subjugação é resultado de um processo de obsessão que deixamos ir aumentando, por falta de capacidade de rejeitar os maus pensamentos e por agirmos de acordo com eles. Ou seja, por termos más inclinações, que os espiritos pouco recomendáveis aproveitam.

Para nos prevenirmos devemos levar a sério o assunto, mas não é preciso ter medo.

devemos vigiar-nos a nós próprios permanentemente. E não hesitar em recorrer à ajuda de outras pessoas (que só resulta se nós nos deixarmos ajudar, claro).

Os espiritos que nos influenciam nem tão pouco são só os desencarnados. Entre nós, que estamos encarnados na terra, também há influências negativas e positivas. Há pessoas que nos dão bons conselhos e outras que nos dão maus conselhos. Nós também somos espiritos.

A forma como nos podemos proteger, em muitos aspectos, é não seguir os maus conselhos.

Para isso é preciso tentar colocar o nosso orgulho e vaidade de lado, para conseguirmos admitir a nós próprios os nossos defeitos e tentar resolvê-los.
 
Tal como nos chegam pensamentos negativos, chegam pensamentos positivos, conforme a natureza dos espiritos que nos influenciam. Nem tudo é mau, no que se refere a influências espirituais.

bem haja

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernando salem em 15 de Setembro de 2009, 20:36
boa tarde ...Aqui está um video que realmente merece ser assistido
grande abraço a toda cumunidade do Forum :D


     http://www.youtube.com/watch?v=5bbcfJap0d8 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PTViYmNmSmFwMGQ4)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Monge em 16 de Setembro de 2009, 02:40
Na minha perspectiva o Amor de Jesus era tão grande que lhe permitia agir sobre os elementos da natureza! Foi o caso citado por Mateus!
Penso também que a tempestade é causada pela força das leis da mãe natureza, leis essas inerentes ao próprio planeta, como por exemplo as diferenças da pressão atmosférica geradas pelas diferentes temperaturas, etc.
É claro que os Ministros da Vontade Divina criaram todas as condições para que exista o "milagre" da vida!
Jesus apenas agiu sobre os elementos / leis da natureza sem as derrogar, apenas acalmou as suas acções mais dinâmicas! E isto deveu-se (na minha perspectiva) ao seu inimaginável AMOR, capaz como já referi, de intervir nos elementos da natureza!

Caro Jorge:

Não seriam esses fenômenos da natureza, dirigido por /espíritos?

Paz e Luz


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 16 de Setembro de 2009, 09:29
Caro Jorge:

Não seriam esses fenômenos da natureza, dirigido por /espíritos?

Olá Monge,

Respeito esse ponto de vista mas acho que não podemos generalizar. A meu ver não me parece que todos os fenómenos climatéricos estejam directamente associados à vontade de espíritos. Poderão contudo haver intervenções directas de espíritos muito elevados com o objectivo de se conseguir determinados fins. Foi o caso de Jesus.

Mas creio que as manifestações climatéricas obedecem a leis da natureza inerentes ao próprio globo, leis essas criadas por espíritos de grande elevação.

Abraço fraterno.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 16 de Setembro de 2009, 11:59
Olá a todos.


O que não me entra na cabeça, em primeiro lugar, porque é permitido que esses espíritos de pouca luz, fiquem soltos no mundo espiritual, fazendo o que bem querem sem o menor embargo dos espíritos superiores. No mínimo, tinham que estar encarnados como nós, ralando para evoluir e tb pagando o que devem. Se não é o momento para encarnarem, que ficassem restritos em algum lugar sob a supervisão de algum espírito superior, como acontece com nossos meliantes aqui na Terra.
No nosso planeta ainda tão atrasado, com toda nossa  deficiente noção de justiça, pretende-se que assassinos, ladrões e malfeitores, estejam atrás das grades, pagando o que fizeram de errado e não soltos perturbando os que querem viver em paz.
Se é aceitável ou justificável de alguma maneira, que espíritos inferiores possam livremente usar de todos seus recursos para se vingarem de seus desafetos encarnados ou não, então  para mim é o mesmo que aceitar que se abram as portas das cadeias e fique tudo por conta do livre arbítrio, quem quiser matar que mate, que roube e cada um se defenda como puder e que se faça justiça pelas pp mãos, no estilo olho por olho, dente por dente.
Infelizmente, ainda não li nem ouvi uma justificativa que considerasse aceitável para a permissão que esses espíritos têm em nos prejudicar.
Onde estão os Anjos da Guarda que não botam esses espíritos para correr?

Verinha,

em relação às suas interrogações, que também já foram as minhas, o LE tem como resposta à pergunta 466, o seguinte:

466.  Por que permite Deus que os espíritos nos incitem ao mal?

       — Os espíritos imperfeitos são os instrumentos destinados a experimentar a fé e a constância dos homens no bem. Tu, sendo Espírito, deves progredir na ciência do infinito, e é por isso que passas pelas provas do mal para chegar ao bem. Nossa missão é a de colocar-te no bom caminho, e quando más influências agem sobre ti, és tu que as chamas, pelo desejo do mal, porque os Espíritos inferiores vêm em teu auxílio no mal, quando tens a vontade de o cometer; eles não podem ajudar-te no mal, senão quando tu desejas o mal.  

Diz ainda Kardec:

     O mau gênio é um Espírito imperfeito ou perverso que se liga ao homem com o fim de o desviar do bem, mas age pelo seu próprio impulso e não em virtude de  uma missão. Sua tenacidade está na razão do acesso mais fácil ou mais difícil que encontre. O homem é sempre livre de ouvir a sua voz ou de a repelir.

E agora digo eu:

Não se esqueça Verinha, que agora somos os obsidiados, mas antes fomos nós os obsessores e porventura, ainda voltaremos a ser, quando completarmos esta reencarnação e voltarmos para "lá".
Em relação à comparação que faz entre os espíritos inferiores e os criminosos aqui na Terra, que em príncipio estão atrás das grades, as coisas não são assim tão diferentes, entre os dois lados do nosso mundo (material e espiritual). É minha convicção que os espíritos desencarnados mesmo ,mesmo perigosos, estão também eles confinados a um espaço e sob uma forma que os impossibilita de agir (chamados ovóides, corrijam-me se estiver errada).
Assim como do lado de cá também há muitas pessoas maldosas, que vão prejudicando os outros de uma forma dissimulada, sem estarem obrigatóriamente atras das grades.

Espero ter ajudado.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 16 de Setembro de 2009, 12:26
Amigos,

na minha opinião, muitos de nós, devido à nossa pequenez, orgulho, egoísmo e pouca sapiência, ainda não percebemos que somos uma pequena parte de um plano divino que não pode ser mudado a nosso bel prazer. É necessário ter uma visão mais abrangente. Sabemos que partimos todos da mesma base: simples e ignorantes. A partir daí tudo depende de nós.

"O espiritismo e o Livre Arbítrio".

Um dos problemas que mais preocuparam os filósofos e os teólogos é o do livre arbítrio: conciliar a vontade e a liberdade do homem com o fatalismo das leis naturais e com a vontade divina, parecia tanto mais difícil quanto um cego acaso parecia pesar, aos olhos de muitos, sobre o destino humano. O ensinamento dos espíritos esclareceu o problema: a fatalidade aparente que semeia de males o caminho da vida, não é mais que a conseqüência lógica do nosso passado, um efeito que se refere a uma causa, é o cumprimento do destino por nós mesmos aceito antes de renascer, e que nossos guias espirituais nos sugerem para nosso bem e nossa elevação.

Nas camadas inferiores da criação, o ser não tem ainda consciência; apenas a fatalidade do instinto o impele, e não é senão nos tipos superiores da animalidade que surgem, timidamente, os primeiros sintomas das faculdades humanas. A alma, jungida ao ciclo humano, desperta para a liberdade moral, o juízo e a consciência desenvolvem-se cada vez mais no curso de sua imensa parábola: colocada entre o bem e o mal, ela faz o confronto e escolhe livremente, tornada sábia pelas quedas e pela dor; e na prova, sua experiência forma-se e sua força mental se afirma.

A alma humana, livre e consciente, não pode mais recair na vida inferior: suas encarnações sucedem-se na dos mundos, até que, ao fim de seu longo trabalho, tenha conquistado a sabedoria, a ciência e o amor, cuja posse a emancipará para sempre das encarnações e da morte, abrindo-lhe a porta da vida celeste.

A alma alcança seus destinos, prepara suas alegrias ou dores, exercendo sua liberdade, porém, no curso de sua jornada, na prova amarga e na ardente luta das paixões, a ajuda superior não lhe será negada e, se ela mesma não a afasta, por parecer indigna dela, quando a vontade se afirma para retomar o caminho do bem, o bom caminho, a providência intervém e propicia-lhe ajuda e apoio, Providência é o espírito superior, o anjo que vigia na desventura, o Consolador invisível cujas inspirações aquecem o coração enregelado pelo desespero, cujos fluidos vivificadores fortalecem o peregrino cansado; providência é o farol aceso na noite para salvação daqueles que erram no oceano proceloso da existência; providência é, ainda e sobretudo, o amor divino que se derrama sobre suas criaturas. E quanta solicitude, quanta previdência neste amor. Não suspendeu os mundos no espaço, acendeu os sois, formou os continentes, os mares, para servir de teatro à alma, de campo aos seus progressos? Esta grande obra de criação cumpre-se somente para a alma, para ela combinam-se as forças naturais, os mundos deixam as nebulosas.


A alma é nascida para o bem, mas para que ela possa apreciá-lo na justa medida, para que possa conhecer-lhe todo o valor, deve conquistá-lo desenvolvendo livremente as próprias potencialidades: a liberdade de ação e a responsabilidade aumentam com sua elevação, pois quanto mais ela se ilumina mais pode e deve conformar a sua obra pessoal às leis que regem o universo.

A liberdade do ser é exercida, pois, em um círculo limitado, parte pelas exigências da lei natural que não sobre violações ou desordens neste mundo, parte pelo passado do próprio ser, cujas conseqüências se refletem sobre ele através dos tempos, até a completa reparação.

Assim o exercício da liberdade humana não pode obstar, em caso algum, a execução do plano divino, sem o que a ordem das coisas seria continuamente perturbada: acima de nossas vistas limitadas e variáveis, permanece e continua a ordem imutável do universo. Somos quase sempre maus juízes daquilo que é nosso verdadeiro bem; se a ordem natural das coisas devesse dobrar-se aos nossos desejos, que espantosas perturbações não resultariam disto?

A primeira coisa que o homem faria, se possuísse liberdade absoluta, seria afastar de si todas as causas de sofrimento, e assegurar para si uma vida plena de felicidade: ora, se existem males que a inteligência humana tem o dever e os meios de conjurar e destruir, como os que provêm do ambiente terrestre, outros existem que são inerentes à nossa natureza, como os vícios, que somente a dor e a repressão podem domar.

Neste caso a dor torna-se uma escola, ou antes, um remédio indispensável, pelo qual as provas são apenas uma repartição equânime da infalível justiça: é por ignorar os fins desejados por Deus, que nos tornamos rebeldes à ordem do mundo e às suas leis, e se elas são suscetíveis de nossas críticas, é apenas porque ignoramos o seu oculto poder.

O destino é conseqüência de nossos atos e de nossas livres resoluções: no suceder-se das existências, na vida espiritual, mais esclarecidos sobre nossas imperfeições e preocupações com os meios de eliminá-las, aceitamos a vida material sob a forma e nas condições que nos parecem adequadas a atingir esta finalidade. Os fenômenos do hipnotismo e da sugestão mental explicam-nos o que acontece em tais casos, sob a influência de nossos protetores espirituais; no estado de sonambulismo, a alma empenha-se a realizar uma certa ação em certo momento, por sugestão do magnetizador, e, despertada, sem recordar aparentemente a promessa, executa com exatidão o ato imposto. Assim o homem não conserva lembrança das resoluções que tomou antes de renascer, mas, chegada a hora, afronta os acontecimentos previstos, e participa deles na medida necessária ao seu progresso, ou ao cumprimento da lei inexorável.



Livro: Depois da Morte

 :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 16 de Setembro de 2009, 14:19
'...Um dos casos relatados pela Dra. Edith Fiore nos conta um caso assim...'

Olá, YESNO


Corrija-me se estiver interpretando errado. Neste caso relatado pela Dra. não se trata de uma relação de encarnado para encarnado, em que o forte dedica o seu tempo, por amor, a proteger o mais fraco  ? Não seria o mesmo caso de um mentor a zelar pelo seu pupilo ?

Penso que seguir por esta filosofia, de ver Mal onde se encontra o Bem, ainda incorreremos no risco de se concluir que Jesus encontrava-se profundamente subjugado, e isto por causa do imenso amor demonstrado pela Humanidade, a ponto de abdicar de tudo a favor do mais carente e de ter-se colocado em holocausto.

----------

Em relação ao trabalho da Suely Caldas, que merece reconhecimento pelo desenvolvimento do assunto, não encontrei o texto onde ela faz referencia às crianças de até os sete anos de idade: tempo em que sabemos haver uma intervenção mais direta do benfeitor e o qual a alma que renasce no mundo fisico não encontra-se completamente emancipada para exercer sua individualidade.


Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 16 de Setembro de 2009, 14:21
Na minha perspectiva o Amor de Jesus era tão grande que lhe permitia agir sobre os elementos da natureza! Foi o caso citado por Mateus!
Penso também que a tempestade é causada pela força das leis da mãe natureza, leis essas inerentes ao próprio planeta, como por exemplo as diferenças da pressão atmosférica geradas pelas diferentes temperaturas, etc.
É claro que os Ministros da Vontade Divina criaram todas as condições para que exista o "milagre" da vida!
Jesus apenas agiu sobre os elementos / leis da natureza sem as derrogar, apenas acalmou as suas acções mais dinâmicas! E isto deveu-se (na minha perspectiva) ao seu inimaginável AMOR, capaz como já referi, de intervir nos elementos da natureza!

Caro Jorge:

Não seriam esses fenômenos da natureza, dirigido por /espíritos?

Paz e Luz

Amigos,

é minha intenção voltar a este assunto mais tarde.

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 16 de Setembro de 2009, 14:35
'...os benfeitores dos espíritos, enquanto crianças tem funções diferentes, daquelas que têm para com os adultos?

Olá, Elsamar


Recai a responsabilidade de um acompanhamento mais direto para um determinado espirito até a idade de sete anos. Talvez, esse encargo seja entregue a um espirito mais familiar ou diretamente mais interessado no progresso espiritual de seu pupilo. Sinceramente, não saberia informar se este responsável é substituido ou simplesmente afasta-se por livre e espontanea vontade, com um acompanhamento à distancia.

Uma coisa é certa, todos possuimos uma ficha cármica, onde os responsaveis pelos processos reencarnatorios, apontam detalhes geneticos e perispirituais, em que aparecem registrados os nossos minimos gestos e palavras, alegrias e irritações (não há um fio de cabelo que não fique registrado no eter)



Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 16 de Setembro de 2009, 15:13
Uma coisa é certa, todos possuimos uma ficha cármica, onde os responsaveis pelos processos reencarnatorios, apontam detalhes geneticos e perispirituais, em que aparecem registrados os nossos minimos gestos e palavras, alegrias e irritações (não há um fio de cabelo que não fique registrado no eter)

Gostei amigo Diegas dessas ilucidações!

Abraço fraterno.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Verinha em 16 de Setembro de 2009, 15:41
Bom Dia!
Amigos queridos, quero agradecer muito o envio dos vídeos e das referências bibliográficas.
Moura e Elsamar, muito obrigada pelos esclarecimentos.
Há muito que me interessei pela doutrina espírita e desde então, tenho sido uma ledora compulsiva. O estudo do espiritismo trouxe uma luz muito grande para minha vida, onde tudo passou a fazer sentido e me permitiu ter "insights" de outras vidas e do mundo espiritual.
No entanto, possivelmente, pelos meus conhecimentos ainda incipientes, pela minha rebeldia primitiva em aceitar pontos que na minha mente não estejam totalmente alinhavados, de tudo que tenho lido até hoje, a influência dos espíritos inferiores  é justamente, a minha diferença com a doutrina.
Infelizmente, eles não nos assediam apenas pq os atraímos com pensamentos impuros ou por afinidade, se fosse apenas isso, ainda poderíamos nos defender melhor, mas eles têm liberdade para nos assediar sem a menor cerimônia, ainda que tenhamos uma vida voltada para o bem, como fizeram com Chico Xavier, como fazem com crianças e com outros tantos e até mesmo com Jesus, que com toda a certeza não os atraiu com seus pensamentos impuros.
A justificativa que dão para isso é que me parece muito débil, sem consistência e que não resistiria a uma análise lógica e justa segundo os nossos imperfeitos conceitos terrenos.
Veja bem, apenas um fraco exemplo... se somos orientadores educacionais e temos numa sala de aula um aluno brilhante, esforçado, que tudo fizesse para evoluir, consideraríamos "natural"  que viesse uma pessoa de fora e TUDO fizesse para atrapalhá-lo e nós como orientadores, cruzássemos os braços e nada fizéssemos, com a justificativa que era para o bem dele, para se tornar mais forte contra as diversidades etc, etc... isso não tem para mim o menor sentido e seria impensável que acontecesse aqui no nosso mundo imperfeito, sem nenhuma providência seja dos pais, de autoridades outras além do próprio orientador, ainda que esse aluno em vez de brilhante, fosse um relapso, indolente e que não quisesse aprender.
Emmanuel foi tão rigoroso com o Chico... estava correto, deve ser mesmo esse o papel de um guia espiritual, mas esse rigor deveria ter se estendido tb aos malfeitores que tanto somaram para tornar sua vida mais difícil e sacrificada.
Já muito pesa nossa natureza humana, já muito pesa a lembrança impregnada em nossas células do que fomos e fizemos no passado e que temos hoje que responder... são tantas as dificuldades a serem superadas, são tantos os desafios diários e a luta quase insana na escalada do bem, deveria bastar...
Nós mesmos com nosso íntimo,esse, nosso maior e sofrido desafio a ser superado.
É claro que devemos pagar tudo que fizemos e que fazemos de errado e para isso aqui estamos, tentando fazer nosso dever de casa, reincidindo muitas vezes no erro, é verdade, caindo, levantando, passando ou repetindo de ano e querendo ou não, sofrendo todas as consequências de nossos sucessos e fracassos, de nossos acertos e desacertos... Essa nossa tentativa em acertar, ainda que muitas vezes inglória, não é considerada um aprendizado suficiente?
É mesmo necessário acrescentar ao nosso drama individual o assédio desse espíritos trevosos?
Assédio esse covarde pq se valem da invisibilidade; pq se valem de nossa prisão na carne; pq não tiveram coragem de ter vindo resolver esse embate no mesmo cenário em que estamos; não tiveram coragem de ter vindo cobrar o que tanto lhe devemos no mesmo palco em que nos encontramos, contracenar conosco, e muito pior, possivelmente, ainda nos aguardam no além- túmulo, para se aproveitarem do momento de maior fragilidade de um ser, que a meu ver, é no momento do desencarne, para continuar com sua sanha de vingança...
Tudo isso é visto como muito natural e certo no mundo espiritual, é para o nosso "bem".
Algum dia, talvez, tenha a resposta para essas e tantas questões que ainda me atormentam, até lá, continuarei buscando e procurando estar atenta ao assédio desses irmãos que tanto precisam de luz, assim como eu, mas de uma coisa tenho certeza, de maneira alguma, tornarei a ser um espírito a obsediar alguém; àqueles a quem fiz mal, estou pronta a pagar até o último cêntimo, mas aqueles que mal me fizeram, há muito estão perdoados, graças a Deus!
Um dia com muitas alegrias para todos e me desculpem pela resposta tão extensa.
Verinha
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 16 de Setembro de 2009, 16:36
Verinha,
estamos num mundo de provas e expiações.
O que diz a doutrina sobre estes mundos?
Que, nestes mundos o mal, se sobrepõe ao bem.
Ora por que haveria de ser assim? O porque está exatamente em nossa inferioridade moral.
Assim se os Espíritos nos rodeiam o tempo todo e também estão nesse mesmo mundo, têm de ser da mesma categoria que nós, e por isso aproveitam-se de nossas fraquezas para tentar nos assediar.
Mas há um princípio que não pode ser esquecido e que eles têm de obedecer, é o da semelhança. Assim, se não há semelhança entre o que eu me comprazo em fazer e pensar, um Espírito que não tenha esse mesmo comprazimento não vai me enxergar.
Outro princípio e o da superioridade moral e esse é outro que os deixa defesos de os fazerem mal.
Diz a doutrina que se temos superioridade moral  frente a outro Espírito este fica impedido de nos acicatar.
Isso não quer dizer que estejamos livres de tudo, pois se ainda temos falhas de moral, é nisso que eles esperam nos pegar, na virada da esquina.
O fato de ter acontecido com o chico, ou mesmo com o Divaldo, não faz diferença pois eles também estão incluídos entre os Espíritos imperfeitos, só que acharam um caminho a seguir para que ficassem melhores,, mas isso não os retira da classe em que todos estamos.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 16 de Setembro de 2009, 17:02
O fato de ter acontecido com o chico, ou mesmo com o Divaldo, não faz diferença pois eles também estão incluídos entre os Espíritos imperfeitos, só que acharam um caminho a seguir para que ficassem melhores,, mas isso não os retira da classe em que todos estamos.

Amigo Moura,

Não poderemos aceitar a hipótese desses médiuns serem (ter sido no caso de Chico) espíritos missionários e portanto já muito mais evoluidos do que nós outros?

Abraço fraterno.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 16 de Setembro de 2009, 17:07
Não meu mano querido!
Tanto Chico,m como Madre Teresa, ou Divaldo são outros como nós, falidos de antes, mas que buscaram mais que nós aperfeiçoarem-se, contudo fazem parte da mesma classe de Espíritos que nós, por isso erram muitas vezes em suas colocações. Um missionário não tem o direito de errar. Carreia para ele o destino de muitos, que o seguem, logo se falir, leva com eles muitos que estariam a lhe seguir os passos.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 16 de Setembro de 2009, 17:23
Não meu mano querido!
Tanto Chico,m como Madre Teresa, ou Divaldo são outros como nós, falidos de antes, mas que buscaram mais que nós aperfeiçoarem-se, contudo fazem parte da mesma classe de Espíritos que nós, por isso erram muitas vezes em suas colocações. Um missionário não tem o direito de errar. Carreia para ele o destino de muitos, que o seguem, logo se falir, leva com eles muitos que estariam a lhe seguir os passos.
Abração,
Moura

Amigo Moura,

Respeito muito a sua opinião mas não consigo concordar com ela, porquanto para desempenhar a missão que estes dois médiuns desempenham (Chico/desempenhou) é necessário (no meu ponto de vista) serem espíritos de uma elevação já muito considerável!

Abraço fraterno.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 16 de Setembro de 2009, 17:59
Algum dia, talvez, tenha a resposta para essas e tantas questões que ainda me atormentam, até lá, continuarei buscando e procurando estar atenta ao assédio desses irmãos que tanto precisam de luz, assim como eu, mas de uma coisa tenho certeza, de maneira alguma, tornarei a ser um espírito a obsediar alguém; àqueles a quem fiz mal, estou pronta a pagar até o último cêntimo, mas aqueles que mal me fizeram, há muito estão perdoados, graças a Deus!

Verinha,

é isso mesmo. Se começarmos já a perdoar a quem nos faz mal, não voltaremos a ser obsessores de ninguém.
Eu também penso assim.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: suzanramalho em 16 de Setembro de 2009, 18:10
Boa Tarde, achei interessante os vídeos explicativos, ainda mais porque faço tratamento de desobsessão.
Os espíritos podem realmente influenciar na vida da gente.
O importante é vigiar e orar sempre
Suzan
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 16 de Setembro de 2009, 19:02
Não meu mano querido!
Tanto Chico,m como Madre Teresa, ou Divaldo são outros como nós, falidos de antes, mas que buscaram mais que nós aperfeiçoarem-se, contudo fazem parte da mesma classe de Espíritos que nós, por isso erram muitas vezes em suas colocações. Um missionário não tem o direito de errar. Carreia para ele o destino de muitos, que o seguem, logo se falir, leva com eles muitos que estariam a lhe seguir os passos.
Abração,
Moura

Amigo Moura,

Respeito muito a sua opinião mas não consigo concordar com ela, porquanto para desempenhar a missão que estes dois médiuns desempenham (Chico/desempenhou) é necessário (no meu ponto de vista) serem espíritos de uma elevação já muito considerável!

Abraço fraterno.
Jorge
Amigo Jorge, eles apenas fazem melhor que nós a sua tarefa
Lembro-lhe que em mundos como o nosso os que aprendem a errar menos fazem com que os achemos de outra classe de Espíritos mas isso não é o que acontece
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Leitor e aluno em 16 de Setembro de 2009, 19:17
ACONTECEU...!
Muita paz nos envolva sempre por nossa iniciativa.
Uma pessoa de BEM... caminhava por alamedas de um mercado popular envolvida por uma busca de preços de presentes (lembranças iguais)  que seriam distribuídas para 150 crianças que frequentavam uma escola de evangelização em um Centro Espírita....
Subitamente esta pessoa sentiu ... necessidade de utilizar-se do Toalhete do mercado popular... começou a buscá-lo informando-se aqui e ali da localização do mesmo... ao aproximar-se ... estar bem perto... disse a si mesma... eu não estou com vontade de utilizar o toalhete... porque ir até ele.?.. não vou... fez meia volta.. e em seguida  o PC de Energia Elétrica que ficava em frente ao toalhete...  explodiu... Três pessoas foram atingidas ... Esta pessoa então de pronto não se deu conta... voltou as pesquisas de preço... Somente depois... pensou ... meu Deus... por segundos eu não fui atingido(a) por esta explosão e ia por descuido... sequer estava necessitando de me utilizar do toalhete...

Aqui eu vejo a influência negativa... tentando impedir a realização de uma tarefa do BEM... E a influência positiva que serviu de amparo para evitar a inclusão desta pessoa no acidente... Que entendo não foi provocado pelos maus espíritos ... porém, a possibilidade existia ... o Pc que explodiu estava em manutenção e os operários foram atingidos pela explosão...  era previsível... A decisão de não continuar  e voltar quem tomou foi o servidor do BEM....! Mesmo em trabalhos do BEM poderemos ser influenciados...!

Companheiros...
Isto sou que entendo assim depois de leituras...!
Em mundo inferior como o que vivemos... nos dois planos da vida o ASSÉDIO acontece sim... Mas, a OBSESSÃO só ...se nós permitirmos....
 Cobra não voa...!
E mesmo em mundo inferior o amor é piloto de paz e felicidade ainda que proporcionais ao nível de desenvolvimento do MUNDO... O amor e o bem podem tudo...
O mal tem limites claros...
Quem permite e atende aos obsessores é o obsidiado...
Tomadas mentais... Bons livros... bons filmes... boas conversas... boas ações ... não interessam aos malfeitores existentes nos dois planos da vida...!
No livro Sexo e Destino ... um excelente estudo sobre obsessão... temos  a conversão de um obsessor em benfeitor... ele quer tanto continuar a perturbar a jovem ... que os benfeitores se utilizam dele ... para evitar a desencarnação prematura dela.. após atropelamento... ele doa fluidos...
Mesmos os maus (temporáriamente) podem atuar com seus pensamentos e modificar os fluiidos para melhor se assim desejarem...

Amor Guia infalível... O que JESUS faria no meu lugar???
Pensamento meio de expressão e comunicação de nossa vontade e ...!

Assim sendo... Dize-me o que pensas que eu te direi com quem andas... nos dois lados da vida.
Não tenhamos medo de obesessores ou da obsessão ...
Cobra não voa...
Deus é mais sempre... porém, necessário se faz prestar a atenção nesta realidade... Nosso livre-arbítrio será sempre respeitado.... e a decisão será sempre nossa.
Eu quero eu posso e eu vou...! Tudo posso naquele que me fortalece..

Com relação  aos médiuns citados e outros ... todos... Todos nós encarnados no planeta terrra estamos sujeitos ao assédio... principalmente se estamos em frentes de transformação de comunidades... Com Kardec poderemos estudar isto.. no capítulo 24 do Evangelho Segundo o Espiritismo... " Não ponhais a Luz embaixo do Alqueire"...
Mediunidade ostenssiva ... atestado de maus antecedentes...
Os médiuns citados em meu parco entendimento não são missionários.... por origem  .. se tratando  da presente encarnação... que foi base aos comentários à respeito deles...
nosso mineiro... serve bem de base... foi enfermo  praticamnete toda a existência... se viu em dificuldades materiais ... morreu pobre como sempre foi... teve segundo os relatos dos seus biógrafos.. a ajuda de Emmanuel sempre ... inclusive no episódio das turbulências do avião em que viajava e ele tremeu de medo!!!???
Acho isto sim que ambos e muitos outros que não se projetaram na midia esforçam-se e dão de tudo que podem para aproveitar a oportunidade ... conquistar moratórias e construir uma próxima encarnação menos dolorosa... Digo mesmo que O nosso mineiro transformou a sua encarnação em MISSIONÁRIA...!

Deixo a todos um fraterno abraço e meu pedido antecipado de desculpas por quaisquer deslizes...Leitor e aluno.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 16 de Setembro de 2009, 20:43
Amigo leitor
Não há aquele que encarnado detenha o poder de transformar-se se não a si mesmo.
quero dizer, nem eu, você ou o Chico pode, por recursos prórprios e segundo a doutrina transforma-se em missionário pelo simples querer.
O que acontece e que ´s de simples constatação, é que poucos, assumem para si mesmos e como norma de vida, uma vida pautada no bem geral e isso os coloca em outra faixa exponencial, mas ainda na mesma categoria de Espíritos entende?
Assim, o Chico e a madre Teresa, tomaram a si um trabalho porfícuo no bem geral e isso o fez tornarem-se tão representativos, mas não quer dizer que eles tivessem galgado á outra classe de Espíritos como vemos na Escala Espírita.
O que se consegue enquanto se há de reencarnar num mesmo mundo é o progresso. Este os faz subirem de estágio em relação aos demais de sua classe, não em outra classe mais avançada na escala. Evoluir só o fazemos quando deixamos um mundo e entramos em outro, mais evoluído, é por isso que kardec e os Espíritos relacionam os dois vocábulos, Progressão e evolução.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Verinha em 16 de Setembro de 2009, 23:30
Boa Noite!
Amigo Moura e quanto a Jesus? Com toda certeza tinha superioridade moral sobre o espírito que o assediou e nenhuma semelhança com o mesmo e no entanto, este não foi impedido de fazê-lo, nem de enxergá-lo, como da mesma forma acredito que tenha acontecido com o Chico e o Divaldo que podem ser até espíritos imperfeitos se comparados a espíritos de esferas muito mais elevadas, mas com a moral bem superior aos irmãos trevosos que os acicataram, tenho certeza.
Essa é a questão primordial, não o assédio em si, mas pq são permitidos a fazê-lo? Penso que seja uma frivolidade muito gde, além de uma enorme perda de tempo, usarem espíritos imperfeitos como instrumentos para testarem a fé de alguém ou mesmo testarem a inclinação que aquela pessoa tem para o bem, até pq Deus tudo sabe e enxerga claramente o que se passa no íntimo de cada um, sem precisar de teste.
A permissão que esses espíritos têm para agirem dessa forma, só contribui para que eles cada vez adquiram mais débitos, como os filhos cujos pais deixam ao bel- prazer sem impor nenhum limite e se tornam marginais.
Não é bom para eles e muito menos para nós.
Um grande abraço,
Verinha
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 17 de Setembro de 2009, 00:27
Verinha,
Como a doutrina diz, vivemos rodeados desse tipo de Espíritos, logo, por que Jesus estaria imune a este rodear?
Contudo a superioridade de Jesus foi tamanha que não o deixou enveredar pela sugestão maldosa.
Comprara-se, todavia, Chico a jesus é não se ter em mente a distancia entre um e outro no campo da moral.
Jesus foi um Espírito Superior, segundo a própria Escala Espírita, logo, sua superioridade moral, o traria para um campo onde não estaria afeito a essas sugestões, porém como se fez em um igual a nós estaria passível dessas coisas.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Verinha em 17 de Setembro de 2009, 01:55
Amigo Moura

Concordo plenamente que Jesus por estar encarnado, não estaria imune às investidas desses espíritos, mas de maneira alguma, comparei a moralidade de Jesus com a de Chico, o que tentei explicar com base na sua citação anterior que diz que se uma pessoa tem moralidade superior a de um espírito, este é impedido de o assediar, foi que tanto Jesus, como Chico e Divaldo tinham moral superior a dos espíritos que os assediaram e tb não guardavam nenhuma afinidade com os mesmos, (com base tb no princípio da semelhança que vc citou) e apesar disso, foram "enxergados' e acicatados por eles.
Apenas dei exemplos que refutam as citações acima.
Obrigada.
Um gde abraço
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Monge em 17 de Setembro de 2009, 03:10
Caro Jorge:

Não seriam esses fenômenos da natureza, dirigido por espíritos?

Olá Monge,

Respeito esse ponto de vista mas acho que não podemos generalizar. A meu ver não me parece que todos os fenómenos climatéricos estejam directamente associados à vontade de espíritos. Poderão contudo haver intervenções directas de espíritos muito elevados com o objectivo de se conseguir determinados fins. Foi o caso de Jesus.

Mas creio que as manifestações climatéricas obedecem a leis da natureza inerentes ao próprio globo, leis essas criadas por espíritos de grande elevação.

Abraço fraterno.
Jorge

Caro Jorge:

A Doutrina dos Espíritos coloca claramente: Espíritos impulsionam os fenômenos da natureza, contudo, respeito a sua opinião particular também e obrigado pela resposta.

Está assim no O Livro dos Espíritos, Parte 2-Capítulo 9 Ação dos Espíritos sobre os Fenômenos da Natureza, Perguntas 536 a 540.

JESUS, a meu ver, sendo um Espírito Superior, comandou os Espíritos e, no caso, ordenou que parassem a realização da tempestade, para os apóstolos, homens humildes, porém sem a mesma evolução espiritual, foi como se ELE tivesse "repreendido" os ventos...

Paz e Luz
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: damiana em 17 de Setembro de 2009, 03:34
boa noite gostaria de saber como faço para curar a dor que sinto na alma,minha mae faleceu dia 20 de agosto 11 dias antes do meu aniversario,fazia 10 anos que eu não vi ela estava planejando ver-la agora neste natal de 2009 ,esperei passar todas as tormentas que estava passando na minha ,vida ,primeiro estava morrando no exterior,depois cheguei no brasil para trabalhar no negocio proprio que estava fazendo,depois só aconteceu problemas  ,na minha vida ,ela estava vivendo no rio e eu no ceara ,não tinha telefone para eu poder chamar a unica comunicação que eu tinha era atraves do meu cunhado que me dizia que estava tudo bem ,minha mae morreu de cancer no utero ,sem conhecer os meu filhos,tenho 2 filhos 1 de 2 anos e outro de 3 anos,estava esperando me estabilizar para poder estar com ela e lhe da uma velhice melhor,fracassei,venho sofrendo com a separação dela desde quando ela encontro meu padastro,dela para cá só sofrimento.
Sinto uma dor que não tem curar ,não estou conseguindo curar,me lembro dela todos os dia de minha vida a cada segundo cada vez mas com frequencia ,estou precisando de ajuda não sei mas aonde buscar.Tenho uma irmão com 5 filhos e eu com 2 filhos.Sei que o futuro de meus filhos depende de mim são 7 anjos que preciso cresce ,me sinto responsavel pelos meus filhos e sobrinhos,não estou conseguindo levantar cabeça.Preciso de pessoas para conversa ,acho que voces talvez possa me ajudar ou orientar-me sempre me guie pelo coração ,mas agora estar partido e minha alma também.Embora eu estando longe e distante a ligação que eu tinha com a minha mae e de amiga e filha ,sonhei com tantas coisas  junta com ela ,por que deus tirou ela de mim???Sendo que eu sempre precisei da minha mae.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 17 de Setembro de 2009, 17:29
Amigo Moura

Concordo plenamente que Jesus por estar encarnado, não estaria imune às investidas desses espíritos, mas de maneira alguma, comparei a moralidade de Jesus com a de Chico, o que tentei explicar com base na sua citação anterior que diz que se uma pessoa tem moralidade superior a de um espírito, este é impedido de o assediar, foi que tanto Jesus, como Chico e Divaldo tinham moral superior a dos espíritos que os assediaram e tb não guardavam nenhuma afinidade com os mesmos, (com base tb no princípio da semelhança que vc citou) e apesar disso, foram "enxergados' e acicatados por eles.
Apenas dei exemplos que refutam as citações acima.
Obrigada.
Um gde abraço

Note bem, verinha,
Divaldo afirma que já passou por mais de duas obsessões sérias, Chico também diz o mesmo número, o que prova que não estão assim tão distantes de nós.
A questão é a moral superior torna o Espírito dota o Espírito que a detém, irresistívelmente superior ao outro, esta a causa de afastamento dele dos Espíritos impuros, mas tal fato não os exime de sofrer o assédio.
Em suma: Eles têm ferramental para afastá-los porém com são humanos podem ter seus deslizes e possibilitarem uma obsessão.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Verinha em 17 de Setembro de 2009, 22:36
Boa Noite!
Amigo Moura, quanto a isso concordo plenamente.
Obrigada.

Querida damiana, gostaria de ter o poder de minimizar sua dor, só posso no entanto, me solidarizar com esse momento difícil que vc está passando.
Dê tempo ao tempo e confia em Deus.
Leia esse texto lindo de nossa irmão Sheila, que espero que te traga algum conforto.
Luz e Paz!


ENCORAJAMENTO

Companheiro, ponha-se de pé e siga os corações que rumam confiantes.
Doe as aflições ao tempo, cubra-se com o manto da esperança e avance intimorato.
A multidão chora e sorri. Misturam-se lágrimas e sorrisos, abafados pelo retinir das taças finas que contêm os vapores da morte e os fluídos da loucura.
Possivelmente, os anseios atormentam-lhe o coração ansioso... Mas os que buscaram a enganosa liberdade demoram-se nas prisões que a própria delinqüência ergueu, inquietados pelo tigrino clamor das multidões desvairadas e o zurzir impiedoso da consciência em desalinho.
Alçando o pensamento ao Grande Bem, você pode chegar à paz íntima, embora carregue as cicatrizes do sentimento, porfiando na conduta reta.
O tempo é mestre: benfeitor e justiceiro. Tudo refaz, tudo apaga, tudo corrige.
Com o tempo, o grão de areia se transforma em valiosa pérola aprisionada no íntimo da ostra, até um dia...
Com o tempo, o carvão humilde transforma-se em diamante precioso encastelado na montanha poderosa, até um dia...
Com o tempo, a semente pequenina incha no seio da terra, transformando-se, até um dia...
Com tempo, o débil embrião da vida desenvolve-se modificando a própria estrutura, até um dia...
Com o tempo, o regato humilde atinge o mar, vencendo a distância e o obstáculo.
Com o tempo, a Mensagem do Cristo se espalhou sobre aTerra convidando o homem à tecelagem do manto nupcial para o patrimônio da Humanidade com a Vida, um dia...
Enxugue o suor da ansiedade.
Guarde as lágrimas da inquietação.
Amanhã, talvez, o trabalho exija suor e lágrimas em honra, à felicidade de ser feliz.
Escude-se  na dor dos outros, e avance.
Lembre-se dos que caíram somente para os ajudar.
Olhe os vitoriosos da luta, e siga com eles.
Não se preocupe por você ter tombado ontem, na escuridão. Agora brilha a luz da verdade em seu caminho.
Vença a tristeza nascida na recordação da própria fraqueza. Encha a alma com a alegria de tudo poder em Cristo.
Todas as coisas passam, na Terra, à semelhança das belas flores e dos espinheiros no mesmo jardim.
No Grande Além, no entanto, há sempre luz.
Não se aflija com as necessidades imperiosas de abandonar as flores da ilusão, sofrendo os espinhos que conduzem à reflexão.
Aceite hoje os acúleos, coroando-lhe a cabeça para que um braseiro de remorsos não lhe arda na consciência mais tarde.
Atenda e socorra o próximo, atendido e socorrido pelo Céu.
Sem desfalecer nem recear, repita: Com Jesus vencerei!, e mais fácil lhe parecerá a redenção.
Amigo do Cristo, ponha-se de pé e siga arrimado ao espírito de luta dos que se alçam à Vida, carregando como você mesmo, sofrimentos e aflições.

Autor :  Scheilla

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: YESNO em 18 de Setembro de 2009, 01:32
'...Um dos casos relatados pela Dra. Edith Fiore nos conta um caso assim...'



... Neste caso relatado pela Dra. não se trata de uma relação de encarnado para encarnado...
----------
...Em relação ao trabalho da Suely Caldas ...


Caríssimo Diegas,

No caso relatado pela Dra. Edith Fiore, o espírito que se aproximou do bebê não era mau. Deve ter ajudado a criança como um anjo tutelar mesmo, apenas que passou da medida. Não a largou até 22 anos.

Nem é nem ver o mal onde há o bem, é o perigo da super-proteção.
Como disse, aqui entre nós encarnados, um pai extremoso que não deixa o filho assumir responsabilidades, atrasa seu crescimento.


------------------------------
Textos de Suely Caldas constantes no livro Mediunidade e Obsessão em Crianças editora didier estão em:

http://www.comunidadeespirita.com.br/mediunidade/mediunidadeobscrianca/mediunidade%20e%20obsessao%20em%20criancas.htm (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5jb211bmlkYWRlZXNwaXJpdGEuY29tLmJyL21lZGl1bmlkYWRlL21lZGl1bmlkYWRlb2JzY3JpYW5jYS9tZWRpdW5pZGFkZSUyMGUlMjBvYnNlc3NhbyUyMGVtJTIwY3JpYW5jYXMuaHRt)

OBSESSÃO NA INFÂNCIA Capitulo 10 - Criança Obsidiada

Trecho do texto:
"...L. D. M., menina de seis anos, compareceu com a mãe à Sociedade Espírita "Joanna de Ângelis"..."
------------------------------

Um forte abraço.

Paz ! (com ela o falar é manso e consolador)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: kelrimar em 18 de Setembro de 2009, 13:19
Bom dia!

Considero este tema muito importante e diariamente nos vemos em situações que denotam tais influencias que por ausencia de conhecimento ou não nos fortalecemos na oração,na caridade nos deixamos influenciar.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Gigii em 18 de Setembro de 2009, 13:37
Olá companheiros!

Relativamente aos testes que surgem para nos pôr à prova, através da influência dos espíritos:
É certo que Deus sabe o que sentimos: foi Ele que nos criou!

Mas os testes não são para Deus nos avaliar, e sim para tomarmos consciência individual das nossas falhas e dos nossos sucessos.

Em teoria, eu posso dizer: ah, eu sou caridosa. E por sinal, posso até orar todos os dias pela família, pelos amigos, com desejo sincero e altruísta de fazer o bem, mas como reajo perante uma prova onde tenho de renunciar a coisas ou pessoas que amo, para auxiliar desconhecidos?
Estes são os testes...E os espiritos ignorantes, que também conhecem os nossos pensamentos, comprazem-se em nos fazer cair, para nos demonstrar que o que sentiamos era ainda ilusório.

Mas estes espíritos, não estão no seu pleno arbitrio de fazer o mal, pois se assim fosse seria dizer que o Criador permitiria que um espirito zombeteiro brincasse com a minha vida. Estes espíritos permanecem do nosso lado, por permissão de Deus, mais precisamente, dos benfeitores que nos seguem e acompanham e sabem o que é melhor para nós.

Quanto a Jesus, não me parece que ele tenha sido tentado. Tentação significa ter dentro de si a propensão para fazer ou sentir algo, a que tem dificuldade em resistir. Jesus sabia previamente do aparecimento daqueles espíritos “inferiores”, e deu-lhe verdadeira lição de amor.
Tenho, no entanto, as minhas dúvidas, sobre esta  (e outras) passagem biblica, pois se Jesus estava só no deserto, quem poderia saber do que se passou?
Será que ele contou aos apóstolos? Porque o faria? Para mostrar-se bem sucedido perante a “tentação”? Também poderia ser apenas um exemplo de como se deve ser firme nos propósitos para não vacilar... Não sabemos.

Uma coisa é certa...testes todos temos, diáriamente.

Muitas vezes em sonhos, em desdobramento lúcido, fui posta à prova, com pequenos testes cujo objectivo era ver até que ponto seria capaz de resistir a certos “ataques” de espíritos menos simpáticos...no final, um dos meus guias, terminava sempre com um sorriso dizendo: foi um teste. No inicio achava aquilo uma provocação, até porque não apreciamos ser avaliados constantemente, mas depois com o tempo, percebi que era apenas para adquirir confiança e firmeza nas intenções.

É apenas a minha opinião amigos.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: marcia heerdt em 18 de Setembro de 2009, 14:05
Olá companheiros!

Relativamente aos testes que surgem para nos pôr à prova, através da influência dos espíritos:
É certo que Deus sabe o que sentimos: foi Ele que nos criou!

Mas os testes não são para Deus nos avaliar, e sim para tomarmos consciência individual das nossas falhas e dos nossos sucessos.

Em teoria, eu posso dizer: ah, eu sou caridosa. E por sinal, posso até orar todos os dias pela família, pelos amigos, com desejo sincero e altruísta de fazer o bem, mas como reajo perante uma prova onde tenho de renunciar a coisas ou pessoas que amo, para auxiliar desconhecidos?
Estes são os testes...E os espiritos ignorantes, que também conhecem os nossos pensamentos, comprazem-se em nos fazer cair, para nos demonstrar que o que sentiamos era ainda ilusório.

Mas estes espíritos, não estão no seu pleno arbitrio de fazer o mal, pois se assim fosse seria dizer que o Criador permitiria que um espirito zombeteiro brincasse com a minha vida. Estes espíritos permanecem do nosso lado, por permissão de Deus, mais precisamente, dos benfeitores que nos seguem e acompanham e sabem o que é melhor para nós.

Quanto a Jesus, não me parece que ele tenha sido tentado. Tentação significa ter dentro de si a propensão para fazer ou sentir algo, a que tem dificuldade em resistir. Jesus sabia previamente do aparecimento daqueles espíritos “inferiores”, e deu-lhe verdadeira lição de amor.
Tenho, no entanto, as minhas dúvidas, sobre esta  (e outras) passagem biblica, pois se Jesus estava só no deserto, quem poderia saber do que se passou?
Será que ele contou aos apóstolos? Porque o faria? Para mostrar-se bem sucedido perante a “tentação”? Também poderia ser apenas um exemplo de como se deve ser firme nos propósitos para não vacilar... Não sabemos.

Uma coisa é certa...testes todos temos, diáriamente.

Muitas vezes em sonhos, em desdobramento lúcido, fui posta à prova, com pequenos testes cujo objectivo era ver até que ponto seria capaz de resistir a certos “ataques” de espíritos menos simpáticos...no final, um dos meus guias, terminava sempre com um sorriso dizendo: foi um teste. No inicio achava aquilo uma provocação, até porque não apreciamos ser avaliados constantemente, mas depois com o tempo, percebi que era apenas para adquirir confiança e firmeza nas intenções.

É apenas a minha opinião amigos.

Beijitos

OLÁ GIGI!
Gosto da tua opinião ;) ;)eu sou o tipo de pessoa que tem que ficar atenta,
me deixo levar muitas vezes pelo destempero >:( >:(de certa forma o Forum tem de me ajudado,mas não é fácil as provações ou provocações são tantas,HEHE
Abraços.
Marcia Heerdt
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 18 de Setembro de 2009, 14:08
Quanto a Jesus, não me parece que ele tenha sido tentado. Tentação significa ter dentro de si a propensão para fazer ou sentir algo, a que tem dificuldade em resistir. Jesus sabia previamente do aparecimento daqueles espíritos “inferiores”, e deu-lhe verdadeira lição de amor.
Tenho, no entanto, as minhas dúvidas, sobre esta  (e outras) passagem biblica, pois se Jesus estava só no deserto, quem poderia saber do que se passou?
Será que ele contou aos apóstolos? Porque o faria? Para mostrar-se bem sucedido perante a “tentação”? Também poderia ser apenas um exemplo de como se deve ser firme nos propósitos para não vacilar... Não sabemos.

Olá amigos,

Gigii amiga, essa também é a minha opinião sobre esse assunto!

Essa parte e a dos vendilhões do templo não me satisfazem minimamente a razão, para ser sincero.

Abraços fraternos.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 18 de Setembro de 2009, 16:05
Mas existiu, mano Jorge, Jesus sentou o bordão nos vendilhões, e estava completamente correto!
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Verinha em 18 de Setembro de 2009, 17:28
Olá companheiros!

Mas os testes não são para Deus nos avaliar, e sim para tomarmos consciência individual das nossas falhas e dos nossos sucessos.

Em teoria, eu posso dizer: ah, eu sou caridosa. E por sinal, posso até orar todos os dias pela família, pelos amigos, com desejo sincero e altruísta de fazer o bem, mas como reajo perante uma prova onde tenho de renunciar a coisas ou pessoas que amo, para auxiliar desconhecidos?
Estes são os testes...E os espiritos ignorantes, que também conhecem os nossos pensamentos, comprazem-se em nos fazer cair, para nos demonstrar que o que sentiamos era ainda ilusório.

Mas estes espíritos, não estão no seu pleno arbitrio de fazer o mal, pois se assim fosse seria dizer que o Criador permitiria que um espirito zombeteiro brincasse com a minha vida. Estes espíritos permanecem do nosso lado, por permissão de Deus, mais precisamente, dos benfeitores que nos seguem e acompanham e sabem o que é melhor para nós.

Amiga Gigi, na nossa labuta diária, já são exigidos de nós vários testes que demonstram claramente, o muito que ainda nos falta para evoluírmos, que desnudam nossa ilusões, que apontam nossos fracassos, que clarificam onde melhoramos, que testam nossa capacidade de renúncia, de reação às frustações etc. São necessários, sem dúvida alguma, para nossa própria avaliação e a de nossos orientadores espirituais, mas para isso não é necessário a intervenção de espíritos inferiores, a vida em si é extremamente eficiente, rica e rigorosa em nos demonstrar tudo isso, até pq na maioria das vezes, são resultados de nossas próprias escolhas, sem colaboração de espírito algum. Nós já nos encarregamos muito bem de nos fazer muito mal,razão pela qual, poderia sim, prescindir de qualquer ajuda extra.
Continuo sem entender a razão pela qual isso é permitido, e que tipo de "bem" isso pode trazer para um ou para outro, a meu ver, até um assassino em nosso mundo material tem não só o direito de reparar em paz os erros cometidos, como deveria ser respeitado nessa sua tentativa em fazê-lo. Caso queira reincidir no erro, continuar na marginalidade, que seja por sua própria conta e risco e que aguente o castigo correspondente à  falta cometida. Tudo certo e justo.
Quanto a liberdade que esses espíritos têm de fazer o mal, os livros da doutrina têm milhares de exemplos, tanto para nós encarnados quanto para os desencarnados.
Um gde abraço


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: mota em 18 de Setembro de 2009, 22:19
Linda mensagem amiga irmã
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Hamilton em 19 de Setembro de 2009, 03:56
Acredito que para que os espíritos possam nos influenciar ( e certamente o fazem) é necessário que estejamos, ainda que de forma incosciente, sintonizados com eles, por sentimentos que desconhecemos ou não aceitamos possuir. E se Deus o permite, certamente há de ser justa a razão para tal. Do aparentemente "mal" que sofremos sempre restará a lição que nos dará um maior conhecimento de nossa frequência vibracional, de nossa intimidade e assim poderemos avaliar melhor as nossas atitudes e escolhas no futuro. A provação existe para colocar em teste nossa real disposição em relação a tantas opções existentes na vida. Lembrando o apóstolo Paulo: "A mim tudo me é permitido, mas nem tudo me convém" - I Coríntios 6, 12. Devemos nos lembrar sempre, acredito, que a influência voltada para o mal, para o sofrimento existem para que possamos ver e sentir o que ou melhor, quem realmente somos. Não somos meramente passivos nestas influenciações: nos a permitinos através de nossas próprias imperfeições e desta influência a cuja ação nos permitimos (talves por invigilância) resultará em experiência para nosso próprio crescimento. Os bons espíritos também procuram nos influenciar, com bons conselhos, embora jamais forcem nosso livre arbítrio, mas, nem sempre estamos abertos a esta "intuição".
Paz haja para todos e em toda a parte.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 19 de Setembro de 2009, 11:35
Olá amigos(as)

O texto da GiGi tem toda a razão de ser.

Perdoem a frontalidade, mas Jesus era influenciado pelos espíritos, ou veio ensinar os espíritos? :-* :-* :-* :-* :-* :-* :-*

Se era influenciado por eles, então não poderia ter trazido o maior código de conduta moral até hoje conhecido, não teria capacidade para o fazer porque ainda tinha muitos defeitos e como tal era influenciável.
Lembrem-se amigos que os espíritos elevados pela sua constituição moral, são irresistíveis para os outros moralmente menos evoluídos, como tal como poderíamos nós que vivemos neste planeta de provas e expiações influenciar uma criatura de DEUS Sublimada(Há 2000 anos era muito pior).
Esta não me entra ;D ;D ;D ;D ;D ;D ;D ;D

SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: YESNO em 19 de Setembro de 2009, 13:56

Perdoem a frontalidade, mas Jesus era influenciado pelos espíritos, ou veio ensinar os espíritos?


Caríssimos,

Com exemplos de hoje, mestres expõem seus conhecimentos e ensinam, nem por isso deixam de amargar e sentir o ambiente e as pedras atiradas pelas legiões de maus alunos. Espíritos de escol, missionários, sofrem, sim, mas fazem da vida, o exemplo mais ensinador do que palavras mal traduzidas e adaptadas. 

O espírito Jesus, puro, o seu patrimônio espiritual, certamente, mesmo sob ataques de espíritos contraditores, não mudou, não cedeu, cumpriu o script da missão.
Não se risca um diamante com uma faca.

Mas Jesus sofreu COM essas influências, do mesmo modo que também ocorre a nós, no escárnio e na violência.
Sofreu física e emocionalmente dentro dos padrões terrestres, como nos contam os evangelhos e, profunda e intimamente, quando percebia o abismo entre a mensagem e os ouvintes: “...não podeis suportar agora...” e “...eles não sabem o que fazem...”

A mensagem mesmo que nos chega, sofre até hoje com a influência de espíritos dos dois lados, que a deformaram de tal modo, que algumas passagens têm lodo e ranço, e não apenas os véus das parábolas.

Não esqueçamos que Ele mesmo advertiu quanto as dificuldades dos renitentes:
“Esse tipo (de obsessores) só sai com jejum e oração”

Um abraço

Paz ! (com ela, sofrimentos são degraus de ascenção)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2009, 15:36
Concordo contigo mano Cancela,
mas antes deixa-me explicitar algo:
Muitos dizem ser Jesus um Espírito Puro. na verdade Jesus estava na classe dos Espíritos Superiores, vide Escala Espírita na nota referente.
Porém, sabemos que há uma pirâmide ascencional dentro de cada classe de Espíritos na escala Espírita, e por isso, SE TOMARMOS O CUIDADO de explicarmos isso, poderíamos dizer que ele seria puro entre os Espíritos Superiores.. Só dessa maneira, se pode falar com acerto que Jesus seria um Espírito Puro.
No mais, teu pensar está corretíssimo.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Gigii em 19 de Setembro de 2009, 22:11
Boa noite amigo!

Olá Moura concordo consigo. O meu estudo aponta para isso mesmo...
Mas há quem se sinta melindrado quando nos referimos a Jesus como um espirito superior e não um espírito puro.

Penso que isso ocorre porque muitos ainda o vêem como a divindade...daí a confusão.

Beijitos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ram-wer em 20 de Setembro de 2009, 02:15
Alô, amiguinhos e Elsamar,

Permitam-me, mais uma vez, a visão não espírita da coisa.

Espíritos não são somente "eles"! Somos nós! A espiritualidade é aqui mesmo. Ok, "lá" também e onde mais houver almas. Que mania a gente tem de separar-se dos demais, seja por motivo corporal (encarnado é pessoa, desencarnado é "espírito"), seja pelas tabelas classificatórias: Madre Teresa era um Espírito classe A, ao passo que Jesus provavelmente será um AA... ou AAA? Que ridículo!

Amado Jesus, tenho certeza de que não me classificas. E que eu não queira enquadrar-Te em nenhuma tabelinha. ;)

A influência dos Espíritos ocorre tanto daqui para o invisível, quanto de lá para cá.

Toda prece que fazemos, toda lembrança amorosa, qualquer coisa em que pensemos, tudo sai por aí, influenciando as almas.

E as influências silenciosas não vêm somente do imponderável: aqui mesmo, com nosso pensar e sentir, influenciamos aos nossos iguais encarnados e aos desencarnados.

Abraços e divirtam-se,
RW
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 20 de Setembro de 2009, 03:30
'...Nem é nem ver o mal onde há o bem, é o perigo da super-proteção.
Como disse, aqui entre nós encarnados, um pai extremoso que não deixa o filho assumir responsabilidades, atrasa seu crescimento...

Olá, YESNO


Vamos ver se consigo compreender:

A Dr.ª Edith Fiore relata-nos a historia da relação de um espirito desencarnado que exerceu uma super-proteção a um pupilo encarnado, desde a infancia até a maturidade.

- Por meio do que ou de quem a Dr.ª tomou conhecimento dessa historia ?

- Um espirito (pai extremoso, super-protetor), que não deixa o filho assumir responsabilidades, e que por essa atitude atrasa o seu desenvolvimento, poder-se-ia ser enquadrado como bom ou mau ?

- Como é definida essa relação na visão dos desencarnados, ou seja, existe alguma psicografia registrando o posicionamento do plano espiritual à respeito do assunto ?

-----------------------------

Citar
Trecho do texto:
"...L. D. M., menina de seis anos, compareceu com a mãe à Sociedade Espírita "Joanna de Ângelis"..."

Num post anterior havia manifestado sobre a historia da menina L.D.M, a qual retorno:

A menina declarou aos pais ter visto e falado com uma mulher feinha (espirito desencarnado), que apresentara-se dizendo influenciá-la para prejudicar a mãe.

- Este tipo de influencia caracteriza uma obsessão infantil ?

- Caso a resposta seja afirmativa, ninguem está livre de ser ou ter sido obsediado quando criança, pois todos somos influenciados.

Também não podemos nos esquecer que há espiritos que se manifestam mediunicamente sem qualquer tipo de responsabilidade, a minima preocupação com a verdade. Se questionarmos uma pedra, de pronto, aparecerão uma nuvem de espiritos que por ela responderão. Portanto, quem nos garante que o espirito que se manifestou no centro espirita dizendo-se ser a perseguidora da mãe não seja uma fraude ?  

Diante disto, resta-me duas hipoteses:

Que a autora do livro baseou essa historia na versão da menina ou da entidade espiritual. E, convenhamos que as duas hipóteses são pouco confiáveis; uma por causa da pouca idade da criança, e a outra por causa do relato ter sido feito pelo próprio obsessor (será que cabe este titulo ?)



Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 20 de Setembro de 2009, 04:00
Mas existiu, mano Jorge, Jesus sentou o bordão nos vendilhões, e estava completamente correto!
Abração,
Moura

Olá.

É claro que o Moura não pode estar se referindo a Jesus de Nazaré.

Essa historia dos vendilhões do Templo chegou até os nossos dias, tal como acontece com aquela brincadeira que se faz quando alguém conta um conto e obriga o outro a repeti-lo, e assim, de boca em boca, ad infinitum. E, todos sabemos que quem conta um conto sempre aumenta ou diminui um ponto.

O fato é que Jesus ao chegar em Jerusalem foi recepcionado por uma multidão, que aguardava ansiosa  com o intuito de conhece-Lo pessoalmente. Os discipulos e Jesus colhidos de surpresa por aquela avalanche humana, comprimidos e impossibilitados de qualquer reação, foram como ondas empurrados pelas vielas que davam acesso ao Templo,  gerando descontentamento dos comerciantes que tiveram de contabilizar os prejuizos ao verem suas barracas derrubadas e/ou destruidas.

Este episodio (a Entrada Triunfal em Jerusalem) foi levado, por meio dos esbirros do Sinédrio, ao conhecimento de Pilatos que considerou aquele ato uma insubordinação à ordem pública.



Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: YESNO em 20 de Setembro de 2009, 04:28



1 - Por meio do que ou de quem a Dr.ª tomou conhecimento dessa historia ?

2 - Um espirito (pai extremoso, super-protetor), que não deixa o filho assumir responsabilidades, e que por essa atitude atrasa o seu desenvolvimento, poder-se-ia ser enquadrado como bom ou mau ?

3 - Como é definida essa relação na visão dos desencarnados, ou seja, existe alguma psicografia registrando o posicionamento do plano espiritual à respeito do assunto ?

4 - Este tipo de influencia caracteriza uma obsessão infantil ?

5 - Caso a resposta seja afirmativa, ninguem está livre de ser ou ter sido obsediado quando criança, pois todos somos influenciados.

6 -...Portanto, quem nos garante que o espirito que se manifestou no centro espirita dizendo-se ser a perseguidora da mãe não seja uma fraude ?  

Diante disto, resta-me duas hipoteses:

Que a autora do livro baseou essa historia na versão da menina ou da entidade espiritual. E, convenhamos que as duas hipóteses são pouco confiáveis; uma por causa da pouca idade da criança, e a outra por causa do relato ter sido feito pelo próprio obsessor (será que cabe este titulo ?)



Caro Diegas,

1 - A Dra não só tomou conhecimento: ela procedeu à doutrinação, nas mesmas características da que se faz nas Casas Espíritas, do espírito. É a sua profissão como psicóloga e terapeuta. Relata cinco ou seis casos clínicos, logicamente protegendo os nomes, mas são casos reais.

2 - Superproteção é sempre danosa ao treinando e quem a pratica arrepende-se sempre disso. A psicologia da educação assim ensina.

3 - Não procurei uma visão dos desencarnados especificamente sobre este assunto, mas como citei acima, qualquer razão mesmo que de ligações reencarnatórias que possam interferir no processo de livre-arbítrio das decisões é inadequado. Nem os anjos guardiães com certeza, nos carregam no colo. Mostram o caminho,mas nós é que temos que caminhar.

4 - Quem assim enfeixa é uma expert, Profa. Suely Caldas.

5 - E se ninguém está livre ? Penso que, dados os vínculos cármicos, dada a condição do mundo em que estagiamos, raros escapam da influenciação. Pois é  Kardec mesmo quem diz sobre a influência espiritual: "...sua influência é maior do que podeis imaginar..."

In fine:
6 - Desconfiança nos relatos e fraude são alternativas únicas que podemos dar ?

As duas personalidades, Suely Caldas e Dra Edith Fiore são experimentadas nessas estradas e conhecidas nos meios espíritas e que, muito melhor do que eu e você, puderam e fizeram avaliações com conhecimento de causa. Por mim, afasto essas alternativas.

O assunto é vasto e só conhecemos o abc. Estudemos.

Um abraço.

Paz ! (ela move-se nos silêncios e conduz com leveza)


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: YESNO em 20 de Setembro de 2009, 04:48
Espíritos não são somente "eles"! Somos nós!

...seja pelas tabelas classificatórias: Madre Teresa era um Espírito classe A, ao passo que Jesus provavelmente será um AA... ou AAA?

Olá  Ram-Wer

Muito bom ! Penso assim também.

----------
Relaxando a seriedade da discussão comento que:

Para os utilitários eletrônicos há um tipo de pilha AA
Existem as do tipo AAA com mais energia.

Considerando muitos benfeitores maravilhosos que conhecemos nessas escalas, imitando seu exemplo, eu ainda acho que Jesus seria uma Itaipu de energia.

Não acha não ?

Boa noite e um abraço.

Paz ! (...)




Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ram-wer em 20 de Setembro de 2009, 06:10
Prezado Yesno,

Sim, o Senhor Jesus deve ser a nossa grande usina geradora de inspiração. Mas todos nós temos o mesmo potencial.  O que nos falta é a consciência de que somos Deuses.

Apesar do que disse antes, acho muito bonita essa visão de que "lá" é o mundo espiritual. Fica místico e romântico, até. Dará ótimos filmes, no futuro.

No entanto, lá, do outro lado, também vivem consciências extremamente materializadas e seu ambiente talvez seja mais grosseiro do que o nosso. E aqui, na densidade física, viveram Jesus, Bach, Kardec e Bouguereau, que deixaram sublimidades para serem contempladas pelos Céus.

Abraços,
RW
(http://www.artrenewal.org/asp/database/image.asp?id=1413)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Hamilton em 20 de Setembro de 2009, 14:33
Sobre a influência dos espíritos, uns sobre os outros, encarnados e desencarnados, havemos de lembrar que acima de tudo paira a órdem universal, regida pelas leis de Deus, imutáveis, justas, amorosas. Assim sendo, nada haverá ou já houve que não obedeça a justiça divina. Tudo, absolutamente, tudo o que ocorre (obsseções aí incluidas) tem razão em acontecer, obviamente justa é esta razão pois está sob a égide do Criador, que a permite, permite sua extensão, duração, etc. Somos nós, espíritos, por hora encarnados, os únicos responsáveis pelo que nos acontece. Não podemos culpar os obsessores. São irmãos nossos, com dificuldades de relacionamento, que, ignorantes das leis de amor buscam compensação por aquilo que lhes parece justo. Mas, é através deles que age a lei imutável da ação e reação ("...de tudo aquilo que deres outro também vos dará"...). Isto não é vingança ou reparação implacável. Citano "O Evangelho Segundo o Espiritismo" " Não há crer, no entanto, que todo sofrimento suportado neste mundo denote a existência de uma determinada falta. Muitas vezes são simples provas e buscadas pelo Espírito para concluir a sua depuração e ativar o seu progresso. Assim, a expiação serve sempre de prova, mas nem sempre a prova é uma expiação. Provas e expiações, todavia, são sempre sinais de relativa inferioridade moral, porquanto o que é perfeito não precisa ser provado."
"É necessário que o escândalo venha, porque, estando em espiação na Terra, os homens punem-se a si mesmos pelo contacto com seus vícios, cujas primeiras vítimas são eles próprios e cujos incovenientes acabam por compreender. Quando estiverem cançados de sofrer devido ao mal, procurarão remédio no bem. É assim que do mal tira Deus o bem e que os próprios homens utilizam as coias más ou as escórias. "
Paz haja em todos os corações...
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Delphus em 20 de Setembro de 2009, 16:01
Bom dia, queridos irmãos.

Depois de passear um pouco pelo comentários, creio que podemos algo dizer a titulo de estudo e compreensão.

1º - A terminologia Espírito referindo-se a desencarnado foi utilizada por Kardec, exatamente para que não houvesse confusão quando da referência - Vide O Livro dos Espíritos.
           a) podemos e devemos dar continuidade a esse estilo Kardeciano a fim de evitarmos definitivamente a confusão.
           b) jamais esquecer que os Espíritos é que formam a humanidade de cada planeta e a humanidade universal, esteja encarnado ou desncarnado.

2º - O períspito adoece sim senhor, a ponto de as celulas perispírituais contaminadas por miasmas, reflitarem no corpo físico.

3º- Esse caso relatado por Elsamar da menina que até 3 anos não apresentava doença corpórea, mas após esse período ficou invalida, comprova a doença do e no perispírito.

4º - Em relação a obsessão em crianças, elas existem - na verdade essas crianças, são Espíritos velhos, sofrem a perseguição de seus algozes, mas não são vítimas a não ser de si mesmos. Os algozes de hoje foram nossas vítimas do passado.

5º - Ninguém é criado obsessor, ele vira, por nossa própria negligência.

6º - Quando Jesus diz: -"Vinde a mim todos vós que estais cansados" - ele refere-se tanto à pretensa vítima, quanto ao pretenso ofensor.

7º - As influências dos Espíritos e dos encarnados em nossas vidas, se olhadas como prova, entenderemos aí a mais pura condição de uso correto de nosso livre-arbítrio - Sugestionam-nos mas a execução é nossa, e portanto a responsabilidade também.

8º - Não existe livre-arbítrio sem responsabilidade e sem o conhecimento da verdade. "Conheça a verdade, e a verdade te libertará".

9º - Vale a pena pesquisarmos e muito sobre o perispírito, na verdade nada ainda sabemos desse corpo modelador.

Muita Paz...

Delphus - Conheça a ti mesmo.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 20 de Setembro de 2009, 16:55
Amigo Diegas,
se os historiadores (todos judeus), atestam para o fato de Jesus ter batido como bordão de sua túnica nos vendilhões, por que seria eu a dizê-los mentirosos ou fantasiosos? Afinal se se tratasse de um mau ato de jesus estariam esses historiadores a denegrir o maior intérprete de sua própria doutrina e por extensão a ela própria não é mesmo?
Já sobre a entrada de jesus em jerusalém, este ato era esperado  já de há muito pois havia uma profecia conhecida que afirmava que o Massiah haveria de chegar no lombo de um jumento e sentado de lado.
Ora tratava-se de um ato de extrema contundência política este ato, deixa qualquer outra imagem que se tenha, tal como a da multidão que acorreu para conhecer Jesus, como mera miragem ao ser colocada a frente de um ato que atrapalharia os planos das eleições que estavam para se realizar e que geravam burburinhos entre os que não queriam mais ser obrigados a pagar impostos abusivos.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ram-wer em 20 de Setembro de 2009, 19:24
Diegas escreveu:
"Os discipulos e Jesus colhidos de surpresa por aquela avalanche humana, comprimidos e impossibilitados de qualquer reação, foram como ondas empurrados pelas vielas que davam acesso ao Templo,  gerando descontentamento dos comerciantes que tiveram de contabilizar os prejuizos ao verem suas barracas derrubadas e/ou destruidas."


Aceito plenamente essa explicação trazida pelo Diegas.  Foi Ramatis quem me trouxe primeiramente essas ideias, no livro O SUBLIME PEREGRINO.

Não posso ter certeza de que os fatos foram exatamente estes, daí prefiro acreditar em Ramatis.

Porém, o ponto crucial da história não é a fenomenologia, mas a impossibilidade de Jesus ter agredido seus irmãos, nossos iguais. É justamente por sentir que o Senhor jamais procederia assim, é por isto que acredito em Ramatis, mano Moura.

E, pra não perder o tema, concordo com o Delphus, sobre a terminologia "espírito" utilizada na D.E., pra que não houvesse confusão. Só que a gente acaba fazendo confusão de qualquer jeito, criando uma nova classe de seres: "eles", sempre eles.

É o nosso hábito milenar de separar tudo em classes e subclasses, comparando-as. Não vejo problema na tabela de níveis evolutivos deixada pelos Espíritos. O problema tá aqui, cabeça a dentro, quando tentamos interpretar esses níveis como castas.

Abraços,
RW
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Delphus em 20 de Setembro de 2009, 20:27
Diegas escreveu:
"Os discipulos e Jesus colhidos de surpresa por aquela avalanche humana, comprimidos e impossibilitados de qualquer reação, foram como ondas empurrados pelas vielas que davam acesso ao Templo,  gerando descontentamento dos comerciantes que tiveram de contabilizar os prejuizos ao verem suas barracas derrubadas e/ou destruidas."


Amigos, creio que em relação às cenas ocorridas com os vendilhões do templo e a "entrada triunfal" do Meigo Nazareno, existe uma dicotomia tempo/espaço - uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.... rs.... as mesmas ocorreram e se deram em locais e tempo diferentes -  basta para isso reler o que foi escrito por Ramatis..... - descontentamento dos comerciantes nas vielas e não em espaço aberto, na frente dos templos, onde normalmente ocorriam vendas de produtos para oferendas, que aliás, em geral os vendilhões eram empregados dos sacerdotes desde à Época do Antigo Egito.... Jesus tinha total conhecimento dessas tradições que os Hebreus e Judeus tinham calcados em seus Espíritos.

ME PARECE QUE A IDA DE JESUS AO TEMPLO e sua oratória rígida, porém amorosa, (o que pode ser considerada por muitos como a atitudade humana que temos de orientar alguém não com palavras - por mais ásperas que sejam - mas com um pedaço de pau ou com látego). NÃO SE DEU NO MESMO INSTANTE DA ENTRADA EM JESURALEM - NA PASCOA. - estou errado????

Essa "Entrada Triunfal não foi aceita pelos orgulhosos sacerdotes e pela maioria do povo Hebreu - eles aguardavam um Rei que viesse montado em um belo corcel, de preferencia branco; e não um obscuro (no pensamento deles - sacerdotes) Nazareno - tanto que alguns deles ainda comentaram - "o que pode dar de bom Nazaré"  - Nazaré que era uma região inexpressiva, tanto politica como religiosa....

Por outro lado, concordo com Moura.... quem somos nós para discordarmos dos 4 Evangelistas, né amigo????

Porém usando o bom senso de Kardec - podemos optar pela universalidade.... se tantos disseram e trouxeram os mesmo ensinamentos, jamais em sã consciência podemos desprezá-los por uma só opinião, a de Ramatis, me parece que ele e somente ele tocou superficialmene nesse assunto....

Olha que bom estamos aqui a sentir a influência dos Espíritos.... dos que nos influem e dos que nós influimos... rs..rs.. (encarnados e desencarnados)...

PAZ.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 20 de Setembro de 2009, 22:34
Diegas escreveu:
"Os discipulos e Jesus colhidos de surpresa por aquela avalanche humana, comprimidos e impossibilitados de qualquer reação, foram como ondas empurrados pelas vielas que davam acesso ao Templo,  gerando descontentamento dos comerciantes que tiveram de contabilizar os prejuizos ao verem suas barracas derrubadas e/ou destruidas."


Aceito plenamente essa explicação trazida pelo Diegas.  Foi Ramatis quem me trouxe primeiramente essas ideias, no livro O SUBLIME PEREGRINO.

Não posso ter certeza de que os fatos foram exatamente estes, daí prefiro acreditar em Ramatis.

Porém, o ponto crucial da história não é a fenomenologia, mas a impossibilidade de Jesus ter agredido seus irmãos, nossos iguais. É justamente por sentir que o Senhor jamais procederia assim, é por isto que acredito em Ramatis, mano Moura.

E, pra não perder o tema, concordo com o Delphus, sobre a terminologia "espírito" utilizada na D.E., pra que não houvesse confusão. Só que a gente acaba fazendo confusão de qualquer jeito, criando uma nova classe de seres: "eles", sempre eles.

É o nosso hábito milenar de separar tudo em classes e subclasses, comparando-as. Não vejo problema na tabela de níveis evolutivos deixada pelos Espíritos. O problema tá aqui, cabeça a dentro, quando tentamos interpretar esses níveis como castas.

Abraços,
RW

Mano Diegas,
qualquer um pode e deve acreditar no que quiser, claro.
contudo entre acreditar em Ramatis,  ou em historiadores credíveis e conhecidos, fico com a segunda hipótese.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: VY Canis Majoris em 21 de Setembro de 2009, 08:32

Parece ser também importante aproveitar a oportunidade para afirmar a falta de sustentação racional que tem a ideia de que existem espíritos malignos e diabólicos que são os responsáveis pelas desgraças que se desencadeiam no percurso individual de vida(...)
Taprobana


Concordo com o amigo Tapobrana, até porque segundo o livro dos espíritos, não existem espiritos malignos, uma vez que tudo o que existe é obra de Deus , então esses espíritos malignos seriam também obra do nosso pai celestial, o que, sendo ele soberanamente justo e bom, não é origem de qualquer mal. Existem apenas espiritos ignorantes, que ainda não conhecem a bondade de Cristo e de Deus.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 21 de Setembro de 2009, 11:32
'...se os historiadores (todos judeus), atestam para o fato de Jesus ter batido como bordão de sua túnica nos vendilhões, por que seria eu a dizê-los mentirosos ou fantasiosos?...'

Olá, Moura.

Voce tem o nome dos historiadores ? Dá para transcrever os textos historicos ?

Citar
'...Afinal se se tratasse de um mau ato de jesus estariam esses historiadores a denegrir o maior intérprete de sua própria doutrina e por extensão a ela própria não é mesmo?...'

Ao contrário, caso as testemunhas (esses historiadores apontados por ti) fossem os judeus, evidente que nem se dariam conta da presença do rabino em Jerusalém - o judeu tinha e tem o Judaismo, e o profeta Moises, acima de tudo e de todos. Convido-o a ir na porta do Vaticano pregar a Doutrina Espírita e depois me conta como foi a experiencia, se a 'Boa Nova' foi bem recepcionada pelos católicos.

O episodio, na realidade, ficou registrado pelos evangelistas, mas completamente adulterado/interpolado ao longo do tempo por interesses religiosos. O número de estrangeiros, provenientes de todos os lugares (Europa, Africa, Asia), alguns levados à festa da Páscoa pelo interesse comercial que ela proporcionava, bem como a presença de alguns galileus e simpatizantes das regiões de Samaria, da Idumeia e Pereia, é que se aglomeravam-se com a intenção de ver o rabino galileu, pois O conheciam ou ouviram, por meio de terceiros, sobre as pregações sublimes.

Jesus nunca pregou no Templo de Jerusalém, local este que Ele considerava abominavel, em virtude da mortandade que faziam com os animais (sacrificio para agrado de Jeová), da própria imundicie de uma cidade metropolitana, ou da presença hostil dos romanos. Enfim, jamais ele trocaria a formidável e pacata Nazaré, as margens dos lagos e dos montes encravados de florinhas por um lugar bulhento e rixento, onde discutia-se religião, assim como hoje procedemos diante de adversários de futebol.

Em Jerusalém, Ele fora depois de pregar por mais de 3 anos seguidos, e de se convencer (apelos incessantes dos discipulos) da necessidade de injetar novo ânimo, bem como direcionar os discursos evangélicos à nova plateia. Mas Jesus, pressentia que a viagem que empreendia até Jerusalém era o anuncio do proprio holocausto, da crucificação.


Citar
'...Já sobre a entrada de jesus em jerusalém, este ato era esperado  já de há muito pois havia uma profecia conhecida que afirmava que o Massiah haveria de chegar no lombo de um jumento e sentado de lado.
Ora tratava-se de um ato de extrema contundência política este ato...'

A presença do Messias, há muito anunciada pela boca de vários profetas, em nada tinha de uma ação política (esta politicagem que a gente conhece). Planejada pela Espiritualidade, o advento de Jesus proporcionou uma cota elevada de luz, de esclarecimento sobre a pluralidade das existencias, dos mundos habitados, bem como a imortalidade da alma.



Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Leitor e aluno em 21 de Setembro de 2009, 13:12
Os meus díscipulos serão reconhecidos por muito se amarem.
                                                                          Jesus.
Muita paz nos envolva sempre por nossas iniciativas...!
Companheiros de caminhada trabalhosa no plano material deste orbe ainda inferior ... Nossa abençoada Terra que nos recebe e oferece as condições necessárias para nosso progresso ...! Deus nos abençoe sempre.
O estudo proposto aqui foi a influência dos espíritos e  eu entendo que se nos esforçarmos teremos condições de nos manter neste tema.
Os pseudos sábios... os espíritos brincalhões... os ainda equivocados nos dois planos da vida ... penso eu... que tentarão nos envolver... tirar o tema de foco... incluir opiniões pessoais e interpretações pessoais COMO VERDADES ABSOLUTAS.... tenhamos a prudência de sem exageros ... buscar em GRUPO ... aqui ou fora daqui maiores reflexões sobre o assunto  e quiçá repensar... Ter a coragem de fazer o caminho de volta e  aceitar as opiniões de todos sem que tenhamos por isto de inserir estas opiniões como verdades em nossas vidas...! E com cuidado nos colocarmos sobre o tema proposto à LUZ do Evangelho Redivivo de Jesus.. contido no Consolador Prometido ...O Espiritismo....
As influências boas e más podem ser aceitas ou não por nós... temos o direito de escolha assegurado  com limites que não ultrapassem  a ordem natural dos mundos e do universo....
influenciamos sim... sempre... E se isto é bom ou não...! Os méritos e os débitos serão nossos sempre...! Somos influenciados sim.. se premitirmos  o assédio  e deicidirmos por iosto ou aquilo... somos os có-autores...!
A Semeadura é livre... a colheita obrigatória...!

Certa feita... um homem buscou Jesus para pedir o atendimento de seu filho... os discipulos não haviam resolvido ... Jesus então  fez uso dos fluidos ... os qualificou e afastou os Obsessores que haviam se apoderado do controle temporariamente dos atos e ações do rapaz... Emmanuel diz  que (falando de fluidos) Jesus sabe... e nós estamos aprendendo.. ( ele Emannuel se inclui)  .. Se um Emmanuel ... uma Joanna de Ângelis... estão aprendendo ... e eu... estou no jardim de infância tenho certeza.. Porém desejo e preciso amar muito e ser muito amado... Jesus não diz... Os espíritas ou ... os profitentes desta ou daquela religiâo... serão reconhecidos como meus díscipulos....
Desde já deixo a todos um pedido formal de desculpas por quaisquer deslizes cometidos... Não fiz réplica a nenhum comentário feito sobre o que escrevi neste estudo... E vi muitas vezes enganos ...  em relação ao que escrevi ...li e estudei e me silenciei...mesmo texto que eu escrevi foi colocado em destque e atribuído a outro participante... e daí??? Importa que o texto foi lido , aproveitado e a reflexão aconteceu...
A quem pode interessar a divisão? A destorção do tema proposto?
Que tal antes de escrever, ler uma página do livro vinha de luz... fonte viva.... pão nosso ... minutos de sabedoria... fazer um aprece se ligar mentalmente com JESUS... e ainda depois disto tudo perguntar O que JESUS faria no meu lugar.
Deixo a todos um fraterno abraço. Leitor e aluno.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Marccello em 21 de Setembro de 2009, 14:09
Bom dia Leitor e Amigo!

Parabéns pelas colocações...concordo plenamente e junto-me a você para reiterar tudo o que falou e enfatizar que a Doutrina Espírita tem como princípios a caridade, amor e a humildade... percebo que estamos negligênciando um pouco estas virtudes...
Que os bons espíritos permaneçam a nos inspirar agora e sempre.

Grande abraço. :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Verinha em 21 de Setembro de 2009, 14:21
Bom Dia Amigos queridos!
Leitor e aluno, o que vc escreve me traz uma paz muito grande, obrigada.

Deixo com vocês esse texto lindo do espírito Manoel Philomeno que reforça a importância do pensamento voltado para o bem como eficiente arma para repelir as forças do mal.

Uma semana com muita paz para todos.
Verinha

O PENSAMENTO
 
 "O que se pensa sempre responde pelo clima emocional onde se vive. Mede-se, pois, a psicosfera de alguém pela incidência freqüente do seu pensamento, no que elege.

A inteireza moral é uma defesa para qualquer tipo de agressão, difícil de atingida;

a conduta digna irradia forças contrárias às investidas perniciosas;

o hábito da prece e da mentalização edificante aureola o ser de força repelente que dilui as energias de baixo teor vibratório;

a prática do bem fortalece os centros vitais do perispírito que rechaça, mediante a exteriorização de suas moléculas, qualquer petardo portador de carga danosa;

o conhecimento das leis da Vida reveste o homem de paz, levando-o a pensar nas questões superiores sem campo de sintonia para com as ondas carregadas de paixão e vulgaridade."
 
 



pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda, Do livro: Loucura e Obsessão, Médium: Divaldo Pereira Franco.
 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Hamilton em 22 de Setembro de 2009, 02:29
Leitor e Aluno: concordo totalmente com suas colocações. Muita vez tenho me perguntado a razão de ler, aqui neste forum, tantas opniões que não se vexam de criticar e desqualificar abertamente espíritos como Emmanuel, André Luiz, entre outros, em obras psicografados por Chico Xavier, considerando que estas opniões (contidas nas obras psicografadas) não possuem importância e referem-se "apenas" a opnião de espíritos sobre a Doutrina Espírita. Parecia-me que somente pelo fato de os escritos desses benfeitores não concordarem com a interpretação pessoal de alguns debatedores, de nada valeriam. Isto sempre me causou um aperto, por assim dizer, no coração. Onde, a humildade? Onde a paciência? Onde o reconhecimento de si mesmo como espírito em crescimento? Inumeras vezes deixei também de me manifestar para evitar o escarnio e deboche de alguns. Mas, a propósito, tomo a liberdade de citar:
EVITA CONTENDER

“Ao Servo do Senhor não convém contender” – Paulo . (II Timóteo, 2:24)

Foge aos que buscam demanda no serviço do Senhor.
Não estão eles á procura de claridade divina para o coração. Apenas disputam louvor e destaque no terreno das considerações passageiras. Analisando as letras sagradas, não atraem recursos necessários á própria iluminação e, sim, os meios de se evidenciarem no personalismo inferior. Combatem os semelhantes que lhes não adotam a cartilha particular, atiram-se contra os serviços que lhes não guardam o controle direto, não colaboram senão do vértice para a base, não enxergam senão vantagens nas tarefas de que eles mesmos se incubem. Estimam as longas discussões a propósito da colocação de uma vírgula e perdem dias imensos para descobrir as contradições aparentes dos escritores consagrados ao ideal de Jesus. Jamais dispõem de tempo para os serviços de humildade cristã. Interessados que se acham na evidência pessoal. Encontram sempre grande estranheza na conjugação dos verbos ajudar, perdoar e servir. Fixam-se, invariavelmente, na zona imperfeita da humanidade e trazem azorragues nas mãos pelo mau gosto de vergastar. Contendem acerca de todas as particularidades da edificação evangélica e, quando surgem perspectivas de acordo construtivas, criam novos motivos de perturbação.
Os que se incorporam ao Evangelho Salvador, por espírito de contenda, são dos maiores e dos mais sutis adversários do Reino de Deus.
É indispensável a vigilância do aprendiz, a fim de que não se perca no desvario das palavras contundentes e inúteis.
Não estamos convocados a querelar e, sim, a servir e aprender com o Mestre; nem fomos chamados á entronização do “eu”, mas sim a cumprir os desígnios superiores na construção do Reino Divino em nós.

Extraído do Livro Pão Nosso, lição 98- psicografia de Chico Xavier, ditado pelo Espírito Emmanuel.
Abraços,
Paz haja em todos os corações...
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 22 de Setembro de 2009, 12:35
Bom dia meus amigos,

porque os outros afazeres da vida me chamam, não tenho sido tão assídua como gostaria, mas deixem-me que vos transmita a minha opinião acerca das últimas colocações deste estudo.

Este espaço está aberto a todas as opiniões desde que sejam emitidas com respeito, para com os participantes e para com a Doutrina que todos nós amamos. Fico até muito feliz por este estudo estar a decorrer, na minha opinião com harmonia.

Amigos a verdade de cada um de nós será sempre uma verdade relativa. A Verdade Absoluta só a Deus pertence. Mesmo as informações que vamos recebendo de Espíritos de Luz, podem não ser ainda a Verdade Absoluta. Assim, penso que todas as opiniões são válidas desde que nos respeitemos de parte a parte, pois cada um de nós está no seu patamar e aquilo que hoje eu penso ser a minha verdade, amanhã pode não ser. O importante é que assimilemos a informação, façamos o seu processamento, retenhamos o que a nossa consciência entender como válido e rejeitemos o que não interessa.

Posto isto e como estamos já a entrar na recta final deste estudo, eu gostaria que fossem debatidos os últimos pontos do tema:

5.INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NOS ACONTECIMENTOS DA VIDA


   525. Os Espíritos exercem influência sobre os acontecimentos da vida?
      — Seguramente, pois que te aconselham.


      525 – a) Exercem essa influência de outra maneira, além dos pensamentos  que sugerem, ou seja, têm uma acção direta sobre a realização das coisas?
      — Sim, mas não agem nunca fora das leis naturais.

Pergunto a vocês amigos: Que acção directa sobra a realização das coisas é esta? Como se processa?

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 22 de Setembro de 2009, 14:13
Olá amiga Elsamar,  :)

Lembei-me desta história do maravilhoso livro "Pai Nosso" de Meimei!  :)

Penso ser um caso típico de intervenção directa dos mentores espirituais que por intermédio de um humilde animal visaram a salvação de muitas pessoas que seguiam num comboio rumo à tragédia!

SALVAÇÃO INESPERADA

Num pais europeu, certa tarde, muito chuvosa, um maquinista cheio de fé em Deus, começou a acionar a locomotiva com o trem repleto de passageiros para longa viagem. Fixou o céu escuro e repetiu com muito sentimento, a oração dominical (PAI NOSSO).

O comboio percorreu léguas e léguas, dentro das trevas densas, quando alta noite, ele viu à luz do farol aceso, alguns sinais que lhe pareceram feitos pala sombra de dois braços angustiados a lhe pedirem atenção e socorro. Emocionado, fez o trem parar de repente, e seguido de muitos viajantes, correu pelos trilhos de ferro, procurando verificar se estavam ameaçados de algum perigo. Depois de alguns metros, foram surpreendidos por gigantesca inundação que, invadindo a terra com violência, destruíra a ponte por onde o trem deveria passar. O comboio fora salvo, milagrosamente. Tomados de infinita alegria, o maquinista e os viajores procuravam a pessoa que lhes fornecera o aviso salvador, mas ninguém aparecia. Intrigados, continuaram na busca, quando encontraram no chão, grande morcego agonizante. O enorme voador, batera as azas a frente do farol, em forma de dois braços agitados, e caíra sobre as engrenagens.

O maquinista retiro-o com cuidado e carinho e mostrou-o aos passageiros assombrados e contou como orara, ardentemente, invocando a proteção de Deus, antes da hora da partida. E, ali mesmo ajoelhando-se, ante o morcego que acabava de morrer, exclamou em alta voz:

Pai nosso, que estais no Céu,

Santificado seja o teu nome

Venha a nós o vosso reino

Seja feita a vossa vontade

Assim na Terra como no Céu

O pão nosso de cada dia

Dá-nos hoje

Perdoa as nossas dívidas

Assim como perdoamos aos nossos devedores

Não nos deixe cair em tentações

Livrai-nos do mal

Porque teu é o reino

O poder e a gloria

Para sempre. Assim seja.

Quando acabou de orar, grande quietude reinava na paisagem. Todos os passageiros,crentes e descrentes, estavam também ajoelhados, repetindo a prece com amoroso respeito. Alguns choravam de emoção e reconhecimento, agradecendo ao Pai Celestial, que lhes salvara a vida, por intermédio de um animal que infunde tanto pavor ás criaturas humanas. E até a chuva, parara de cair, como se o Céu silencioso estivesse igualmente acompanhando a oração.

------------------------------

Abraços fraternos.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ram-wer em 22 de Setembro de 2009, 14:16
Oi, Elsa e amigos,

Mais uma vez, a influência direta nos fenômenos e acontecimentos é quase semelhante ao que ocorre aqui, na matéria física. A diferença é que aqui mexemos na casca e afetamos o molde invisível. No invisível (mental, astral e etérico) alteramos o molde, gerando modificações previsíveis na superfície.

Exemplos?

A "fluidificação" da água e dos alimentos (isto é, a injeção de elementos invisíveis que surtirão determinada reação em quem os ingerir);

As mudanças de tempo, trazendo a chuva salvadora, mesmo quando "eles" (o Departamento de Meteorologia) previram que a estiagem continuaria. Isto envolve a participação de espíritos pré-humanos, os elementais, coordenados pela Espiritualidade;

O rompimento do cordão prateado, promovido por equipes socorristas, quando têm autorização para retirar o desencarnante;

A imunização de pessoas e ambientes, depurando-os de miasmas invisíveis que poderiam alimentar vírus e bactérias;

As materializações de objetos, luzes, aromas e seres que sempre ocorreram em todas as épocas. Ou seja, a matéria astral é, por vontade de alguém, revestida de átomos físicos. A própria gestação do feto é exemplo marcante (no feto humano, a vontade própria pode participar; nos animais e plantas, talvez só haja a vontade automática, instintiva);

E a ação mais direta: incorporação. O bêbado chapado, expulso do corpo pelo álcool e o visitante invisível, que opera mil estragos bem visíveis no ambiente. Ou os fenômenos sublimes que as religiões e o Espiritismo conhecem e interpretam cada um ao seu modo.

E a influência mais espetacular: a Criação.

Abraços e divirtam-se,
RW
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 22 de Setembro de 2009, 15:11
Olá amiga Elsamar,  :)

Lembei-me desta história do maravilhoso livro "Pai Nosso" de Meimei!  :)

Penso ser um caso típico de intervenção directa dos mentores espirituais que por intermédio de um humilde animal visaram a salvação de muitas pessoas que seguiam num comboio rumo à tragédia!


Sim Jorge,

concordo que esta história possa ser um bom exemplo de como os espíritos interferem na nossa vida. E como sempre é uma história bonita.

P.S. Estás tão lindinho nessa montagem que fizeste da tua foto :D

Obrigada, por seres sempre tão gentil. :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 22 de Setembro de 2009, 15:18
Olá Ram-Wer,

Segundo sei os espíritos são criados simples e ignorantes e vão evoluindo, atravessando por assim dizer, os estados mineral, vegetal, animal e hominal. Pode explicar melhor onde se enquadram os elementais?

As mudanças de tempo, trazendo a chuva salvadora, mesmo quando "eles" (o Departamento de Meteorologia) previram que a estiagem continuaria. Isto envolve a participação de espíritos pré-humanos, os elementais, coordenados pela Espiritualidade;
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ram-wer em 22 de Setembro de 2009, 17:55
Oi, Elsamar e amiguinhos,

Claro que posso explicar, com muito prazer. Porém, a fonte nada tem de vidência própria (meus dons de vidência competem com os de uma pedra). Tomo por base os livros de André Luiz e de Ramatis, pra falar dos mediúnicos.  E alguns outros livros bem sérios que me vieram às mãos.

O espírito animal, depois que se individualiza irreversivelmente, viverá desse modo por um tempão, promovendo a evolução da novíssima personalidade que se forma.  E isto ocorre aqui, encarnado, ou no astral que nos envolve.

Todavia, não chegará à individualidade humana antes de passar por um estágio intermediário: a vida elemental. Os elementais são super animais, sub-humanos. São o nosso passado recente (há um ou dois milhões de anos).  E somos o futuro tão almejado por eles.

São os Espíritos da Natureza.  Conhecidos desde épocas remotas, com os nomes mais pitorescos de fadas, duendes, gnomos, silfos, elfos e salamandras. (Por favor, ninguém pense nesses bonequinhos de lojas místicas de shopping. Tarde demais, todo mundo já pensou, inclusive eu. rsrsrsrs).

Eles são guiados e cuidados carinhosamente por Espíritos humanos e angélicos. Vivem, invisíveis pra nós, em todos os ambientes naturais. Cuidam de flores, árvores, bichinhos e bichões. Assim como os anjos voltam-se para trás, a fim de cuidar das humanidades (seu passado recente), também o fazem os elementais, com a ajuda dos Espíritos.

Quando Jesus disse ser o "Filho do Homem", referia-se à evolução humana. Os anjos (criaturas super-humanas) são o produto da evolução hominal.

Do mesmo modo, poderíamos dizer: -"Somos filhos dos elementais".

E o elemental, filho do animal.

Abraços e tchau! Vou saindo de fininho.  Volto aqui depois que a pancadaria tiver terminado (rrsrsrsrsrs).

RW :D
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 22 de Setembro de 2009, 19:50
Repense sobre isso mano RW,
se são silfos, gnomos etc não podem ser animais mas sim Espíritos que nunca encarnaram.
Trabalham junto as forças da natureza e promovem alguns fenômenos dos quais por vezes não têm nem conhecimento.

Trazer André ou Ramatis é falar de coisa outra que não doutrina Espírita mano,. e então não serve nem como refutação nem como aceitação.
você vem bem nas colocações mas se tivesse deixado a obra básica falar por si, como na parte dos silfos, falaria com completo acerto.
Outra coisa é que O PI dos animais nunca se individualizará na forma hominal, serão sempre nossos ajudantes, que como explica a obra básica, em mundos avançados terão novos atributos mas não perderão sua esfera de ajudantes dos homens.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernando salem em 22 de Setembro de 2009, 20:43
boa tarde a todos ,penso que como Elsamar,devemos nos voltar para o estudo proposto ,sendo este momento o melhor exemplo das  influencias negativas, que vieram realmente para mostrar que podemos desviar o assunto nessas linhas ,que achamos que estamos vigilantes...Ocorre que estamos a todo tempo expostos as influenciações. ;)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 22 de Setembro de 2009, 21:11
'...Outra coisa é que O PI dos animais nunca se individualizará na forma hominal, serão sempre nossos ajudantes, que como explica a obra básica...'

Olá, Moura


O Principio Espiritual é uno, e a sua individualização acontece com a propria evolução das especies, mas não tão-somente dentro da mesma especie. Os animais assim como todos nós gozamos dos mesmos direitos, que é progredir. Não há escapatória, o processo é ascendente, tendendo a formas cada vez mais aperfeiçoadas. O proprio homem terreno é exemplo da evolução do organismo carnal, onde pernas e mãos agigantados, bem como o jeitão arcado de caminhar deram lugar a uma forma perispiritual mais bela e elegante (imagine o nosso antepassado trajando terno e gravata). Os organismos femininos não lhe parecem mais belos que os masculinos ? Observe a lindeza da boca, os olhos e o rosto de uma mulher.

No livro 'A genese', Kardec lembra-nos que o negro hotentote, por ser um individuo remanescente de uma raça-raiz anterior, apresenta as dimensões do cerebro e outras caracteristicas fisicas diferentes das atuais (se pesquisar perceberá que foi detectado nesse povo um gene que identifica essa raça como a mais antiga). Aliás, os lemurianos estão em vias de extinção no planeta (aos poucos serão substituidos pela raça-raiz atual que é ariana, que detem um principio espiritual mais evoluido)

Será que fugi do tema ?

Se sim, prometo que esta foi a ulltima vez que cometo este deslize.



Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 23 de Setembro de 2009, 01:39
Amigo Diegas,
Kardec, ali, conjeturava e fazia uma analogia, mas não passava de teoria e se bem me lembro ele diz mesmo isso no próprio texto.
A questão é a seguinte:
Cada ser vivo evolui dentro de sua espécie e na sua essência, este o resto da resposta ao nº 127 da Primeira Edição de OLE.
em outra questão bem resolvida os Espíritos afirmam que em mundos mais avançados, existe plantas animais e homens, se bem que mais avançados. Logo, animais o serão sempre animais, nunca homens.
Esta sequência evolutiva, diz em Gênese que sofreu uma quebra quando se trata do animal homem, que colocado entre as espécies do reino animal principal, tem essência diferente das demais e só a ele foi dada a condição de progredir pela via moral.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 23 de Setembro de 2009, 10:25
''...os Espíritos afirmam que em mundos mais avançados, existe plantas animais e homens, se bem que mais avançados. Logo, animais o serão sempre animais, nunca homens...'

Olá, Moura


Peço vênia aos moderadores para que este assunto seja repatriado para outro local, pois sinto-me irresponsável pelo desvio do tema.

Quanto a colocação acima, gostaria de lembrá-lo que a afirmativa dos Espiritos está correta, pois há plantas e animais no plano espiritual , tanto nas colonias como nos mundos fisicos. Mas não se esqueça, meu caro amigo, que há também homens. E que um dia, os que pertencem ao reino hominal  transformar-se-ão em anjos, ou seja, participarão do reino angelical.


Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 23 de Setembro de 2009, 11:52
Peço vênia aos moderadores para que este assunto seja repatriado para outro local, pois sinto-me irresponsável pelo desvio do tema.

É amigos, embora esse seja também um tema interessante, foge do âmbito do estudo, mas poderá ser discutido num outro tópico.

O que eu gostava que se debatesse são questões como:

- Será que há interferência dos espíritos, nos acidentes, sejam eles rodoviários, aéreos, marítimos ou fluviais?
- Pelo contrário, quando acontecem coisas boas (como por exemplo: ganharmos na lotaria, no totoloto, etc), ou encontrarmos o amor da nossa vida, ou conseguirmos um bom emprego, também há interferência dos espíritos?

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Diegas em 23 de Setembro de 2009, 16:23
- Será que há interferência dos espíritos, nos acidentes, sejam eles rodoviários, aéreos, marítimos ou fluviais?

Olá, Elsamar


Kardec já se queixava da falta de palavras para melhor definição das coisas/objetos. Se tomarmos que Espiritos somos todos nós, encarnados e desencarnados, há acidentes que devem ser debitados a equivocos ou falhas humanas. Mas sei que voce está a considerar Espiritos como as entidades desencarnadas, então, como dar-se-ia a intervenção de um plano para outro, se os mesmos diferenciam-se em muito na condensação de energias ? Ou seja, como pode por exemplo um martelo de fumaça atuar diretamente sobre um prego de aço, se os mesmos encontram-se em ambientes distintos, cada qual com o seu correspondente vibratorio ?

Para simplificar, minha visão é de não pode haver qualquer atuação direta de um mundo sobre o outro, há necessidade que hajam intermediários para que tal acontecimento positive. Isso, vemos nitidamente na fenomenologia mediunica, na materialização/desmaterialização de objetos, com a participação de um intermediario.


Citar
- Pelo contrário, quando acontecem coisas boas (como por exemplo: ganharmos na lotaria, no totoloto, etc), ou encontrarmos o amor da nossa vida, ou conseguirmos um bom emprego, também há interferência dos espíritos?

Não descarto a possibilidade dos Espiritos saberem o futuro, a ponto de palpitar com acerto sobre o número da loteria ou de um jogo. São muitos os exemplos positivos em que os Espiritos revelam o futuro, tal como algumas profecias biblicas. Mas vide que nem todos os Espiritos conhecem o futuro, e os que sabem não se fazem de gaiatos e nem de tolos para esses tipos de revelações.

Encontrar o amor-da-vida ou conseguir um bom emprego, já é mais dificil, só com reza-brava. Mas sem desanimar os que estão à procura, contentem-se com o que vier...(a principio, tanto o amado como o emprego, serão vistos como principes - de olhos até azuis, dentes maravilhosos; e boa remuneração com poucas horas de trabalho - é o modo que a espiritualidade tem para nos pegar... ;D)


Abç
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 23 de Setembro de 2009, 16:35
''...os Espíritos afirmam que em mundos mais avançados, existe plantas animais e homens, se bem que mais avançados. Logo, animais o serão sempre animais, nunca homens...'

Olá, Moura


Peço vênia aos moderadores para que este assunto seja repatriado para outro local, pois sinto-me irresponsável pelo desvio do tema.

Quanto a colocação acima, gostaria de lembrá-lo que a afirmativa dos Espiritos está correta, pois há plantas e animais no plano espiritual , tanto nas colonias como nos mundos fisicos. Mas não se esqueça, meu caro amigo, que há também homens. E que um dia, os que pertencem ao reino hominal  transformar-se-ão em anjos, ou seja, participarão do reino angelical.


Abç

Mano Diegas, a coisa é muito simples:
Mostre-me na obra básica onde está a afirmação de que homens hoje foram os animais de ontem e eu aceitarei de bom grado.
Abração !
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 23 de Setembro de 2009, 16:41
- Será que há interferência dos espíritos, nos acidentes, sejam eles rodoviários, aéreos, marítimos ou fluviais?

Olá, Elsamar


Kardec já se queixava da falta de palavras para melhor definição das coisas/objetos. Se tomarmos que Espiritos somos todos nós, encarnados e desencarnados, há acidentes que devem ser debitados a equivocos ou falhas humanas. Mas sei que voce está a considerar Espiritos como as entidades desencarnadas, então, como dar-se-ia a intervenção de um plano para outro, se os mesmos diferenciam-se em muito na condensação de energias ? Ou seja, como pode por exemplo um martelo de fumaça atuar diretamente sobre um prego de aço, se os mesmos encontram-se em ambientes distintos, cada qual com o seu correspondente vibratorio ?

Para simplificar, minha visão é de não pode haver qualquer atuação direta de um mundo sobre o outro, há necessidade que hajam intermediários para que tal acontecimento positive. Isso, vemos nitidamente na fenomenologia mediunica, na materialização/desmaterialização de objetos, com a participação de um intermediario.


Citar
- Pelo contrário, quando acontecem coisas boas (como por exemplo: ganharmos na lotaria, no totoloto, etc), ou encontrarmos o amor da nossa vida, ou conseguirmos um bom emprego, também há interferência dos espíritos?

Não descarto a possibilidade dos Espiritos saberem o futuro, a ponto de palpitar com acerto sobre o número da loteria ou de um jogo. São muitos os exemplos positivos em que os Espiritos revelam o futuro, tal como algumas profecias biblicas. Mas vide que nem todos os Espiritos conhecem o futuro, e os que sabem não se fazem de gaiatos e nem de tolos para esses tipos de revelações.

Encontrar o amor-da-vida ou conseguir um bom emprego, já é mais dificil, só com reza-brava. Mas sem desanimar os que estão à procura, contentem-se com o que vier...(a principio, tanto o amado como o emprego, serão vistos como principes - de olhos até azuis, dentes maravilhosos; e boa remuneração com poucas horas de trabalho - é o modo que a espiritualidade tem para nos pegar... ;D)


Abç

Varo Diegas, permita-me a correção:
Não foi Kardec quem se queixou da linguagem parca, mas sim os Espíritos.
O Espírito Verdade mesmo disse: "Deveis entender-vos antes pelas palavras".
Não mano, Espíritos que predizem são os da classe dos levianos e brincalhões. Geralmente para induzirem a erro os encarnados e com isso se divertirem.
Avalie bem essa resposta: "Ao Espírito não é dado tudo saber". Nela está a contradição à sua conjetura. quando, nas poucas vezes que isso é permitido, o sentido é da ajuda em conseguir o Espírito maior acuidade moral.
Na parte puramente material eles podem ajudar mas fazendo surgirem idéias que levem seus tutelados a conseguirem o que desejam. Verdade mesmo afirmou a Kardec que até na arte material (referindo-se a grana), ajudaria ao codificador. E o ajudaou diz Kardec.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hiran em 23 de Setembro de 2009, 16:58
Oi, está é a primeira vez que eu participo do forum, e este é um assunto que eu acha muito interessante.
 A influência dos espíritos a meu ver pode ser boa ou má, curta ou duradoura e ela se estabelece através de uma corrente mental.
 O Espírito normalmente identifica o seu pensamento com o nosso e vai introduzindo no nosso campo mental as suas idéias, sugestões e emoções.
 É fundamental a compreensão de que esta influenciação só se concretiza através da sintonia mental, estando o Espírito e o encarnado em condições morais equivalentes.
 Alguns os autores espíritas afirmam que pensar é vibrar, é entrar em relação com o universo espiritual que nos envolve e conforme a espécie das emissões mentais de cada ser, um elementos similar lhe imanizarão, acentuando-lhes as disposições e cooperando com ele em seus esforços ascensionais ou em suas quedas e deslizes.
 Quando Kardec perguntou aos Espíritos [Livro dos Espíritos - qst 467] se o homem poderia se afastar da influência dos Espíritos que os incitam ao mal, elas responderam:
 "Sim, porque eles só se ligam aos que os solicitam por seus desejos ou os atraem por seus pensamentos."
 A influência dos Espíritos sobre o homem vai depender também da natureza desses Espíritos. Os Espíritos infelizes, de mente ultrajada, misturam-se em nossas atividades comuns, perambulam no ninho doméstico, participam das conversações, seguem com os comensais, de quem muitas vezes se irmanizam em processos de dependência mútua.
 Já a ação dos Espíritos superiores é outra. Os bons Espíritos só aconselham para o bem, suscitam bons pensamentos, desviam os homens da senda do mal, protegem na vida os que se lhes mostram dignos de proteção e neutralizam a influência dos Espíritos imperfeitos.
 Podemos observar pelo exposto, que muitos pensamentos que povoam a nossa mente não têm origem em nós mesmos, mas sim em entidades desencarnadas. Disseram os Espíritos [Livro dos Espíritos - qst 460]:
 "Vossa alma é um Espírito que pensa; não ignorais que muitos pensamentos vos ocorrem, a um só tempo, sobre o mesmo assunto e freqüentemente bastante contraditórios. Pense bem: nesse conjunto há sempre os vossos e os nossos, e é isso o que vos deixa na incerteza, porque tendes em vós duas idéias que se combatem."
 Com relação à maneira de distinguirmos o nosso pensamento do pensamento estranho, as entidades disseram [Livro dos Espíritos - qst 461]:
 "Quando um pensamento vos é sugerido, é como uma voz que vos fala. Os pensamentos próprios são, em geral, os que vos ocorrem no primeiro impulso. De resto, não há grande interesse para vós essa distinção, e é freqüentemente útil não o saberdes: o homem age mais livremente; se decidir pelo bem, o fará de melhor vontade; se tomar o mau caminho, sua responsabilidade será maior."
 Éimportante lembramos que os Espíritos só têm o poder que nós lhes damos, pois só conseguem atuar em nós se nos encontrarem em situação favorável, seja positiva, no caso dos bons Espíritos, ou negativa, em se referindo às entidades infelizes. Para neutralizar a influência dos maus Espíritos, Kardec orienta:
 "Fazendo o bem e colocando a vossa confiança em Deus, repelis a influência dos Espíritos inferiores e destruís o império que desejam ter sobre vós." [Livro dos Espíritos - qst 469]
 
 Me desculpem se me alonguei demais, mas este assunto é muito interessante.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 23 de Setembro de 2009, 17:09
Olá Amigos

Moura e Diegas

Essa luta deverá ter lugar noutro tópico.
Devemos respeitar o tema abordado no tópico e a sua moderadora.

Por outro lado também será bom que nos cingemos às questões em debate.
A nossa amiga Elsamar foi clara nas questões que colocou.
- Será que há interferência dos espíritos, nos acidentes, sejam eles rodoviários, aéreos, marítimos ou fluviais?
- Pelo contrário, quando acontecem coisas boas (como por exemplo: ganharmos na lotaria, no totoloto, etc), ou encontrarmos o amor da nossa vida, ou conseguirmos um bom emprego, também há interferência dos espíritos?

Nosso amigo Diegas colocou sua opinião, com a qual concordo de forma geral, para quê contestar pormenores de linguagem?

Elsamar

Nos acidentes que indicas, normalmente, existe erro humano. Claro que neste caso pode haver interferência, embora indirecta, dos Espíritos. Isto poderá acontecer pela influência que possam ter sobre o encarnado causador do acidente. Muitas vezes os nossos irmãos desencarnadas levam-nos a cometer erros. Desses erros podem resultar consequências que afectem outras pessoas. Mas nada acontece por acaso.

Quanto à segunda questão também é possível. Quantos irmãos nossos não são influenciados em seus negócios, de forma a tomarem decisões que os levam a ter maiores lucros?
Os espíritos, que se situam abaixo da condição dos espíritos superiores, não querem deixar de interferir no mundo físico, seja de que forma for, uns com boa intenção outros nem por isso.
Já não sei é se essas coisas serão todas boas, como referes. Depende do uso que cada um, depois, lhes der.

Atlante  


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 23 de Setembro de 2009, 17:16
Atlante meu mano, eu já tinha encerrado.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: psi em 23 de Setembro de 2009, 19:43
Mano Moura Rego,

A sua dúvida na resposta 298, está no livro A Gênese de Kardec.
No capítulo X, itens 27, 28 e 29. Vou transcrevê-la:
" Na classe dos mamíferos, o homem pertence à ordem dos bímanos. Imediatamente abaixo dele vêm os quadrúmanos ou macacos, dos quais alguns, como o orangotango, o chimpanzé, o mono, têm certassemelhanças com o homem. A escala dos seres vivos, do
ponto de vista de seu organismo, desde o líquen até a árvore, e do zoófito ao homem, há uma cadeia que se eleva por graus, na qual todos os elos têm um ponto de contato com
o elo precedente; seguindo passo a passo a série dos seres, dir-se-ia que cada espécie é um aperfeiçoamento, uma transformação da espécie imediatamente inferior. Embora isto fira seu orgulho, o homem deve se resignar a ver em seu corpo material o último elo da animalidade sobre a terra."

Assim o é, amigo, e não poderia deixar de ser diferente. A nossa espécie humana é o término
da maravilhosa evolução das espécies. Kardec, através dos espíritos está a confirmar a Teoria de Darwin da evolução das espécies. Todo espírita é um evolucionista por natureza,pois tudo na dotrina caminha na senda do progresso e evolução.
Ou será que  o amigo é um criacionista, acredita em Adão e Eva, com a maçã, a serpente, e tudo o mais?

Um abraço,

PSI.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 23 de Setembro de 2009, 20:08
Não sei porque, mano PSI, quando se busca uma reposta que se acerte com o nosso pensamento, geralmente esquecemos de ler com atenção a tudo.
Se o amigo houvesse lido com mais atenção veria isso que está lá, em negrito: "(...) o homem deve se resignar a ver em seu corpo material o último elo da animalidade sobre a terra."
Aqui está o último traço, no dizer da obra básica, que une o homem à animalidade.
dito isso pergunta-se a que ponto distingue Kardec em se tratando de ponto de união, o homem ao animal?
Deixe-me se apressado e responder... Ao ponto puramente material ou físico.
Se, por que então os Espíritos indicariam haver entre o homem e o animal a mesma distância entre o homem e Deus?
Estava escrevendo um artigo sobre o "eu acho", que muitos dizem não pode existir quando se fala de doutrina. eu mesmo já pugnei por esse ponto, mas refiz minha idéia e hoje acredito que todos, inclusive e a começar por eu mesmo, digam "eu acho". Não se trata de "achismo" barato ou irresponsável, na verdade esse "eu acho" se diz quando se coloca um comentário que aceite ou refute uma instrução codificada, mas que tenha como fulcro de averiguação e convencimento a própria obra básica.
Sabemos, você e eu, que  a maioria dos "eu acho" que lemos ou ouvimos, não se retrata nesse teor apontado acima, por isso banco eu o chato, o galocha, ou cri cri. E vivo a repetir os trechos codificados.
Assim pensando hoje quando aponto para uma resposta, eu também, digo "eu acho", mas pode ter a certeza mano, que antes estudei e reestudei o ponto em questão, exatamente por saber da responsabilidade que também é minha em sempre dizer o constante na obra básica, para não incitar ao erro meus amigos.
Abração mano!
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 24 de Setembro de 2009, 10:07
Olá amigos(as)

Perdoem por estar a meter a colherada  ;D ;D ;D ;D ;D ;D ;D

Eu falo por mim, né ;) ;) ;) ;) ;) ;)

Quando digo ...EU ACHO ....pode não ser o tal (achismo) por porque posso ter certezas daquilo que disser e assumir com factos , como tal deixa de ser (achismo).
Agora também é verdade que se o disser por dizer, ou então eu acho isto ou acho aquilo, aí sim é mais um a achar e entramos no campo do achismo, sem nenhuma certeza daquilo que dissermos, enfim!...Sem nenhuma verdade.
É um facto que por vezes com tantos achismos que até pensamos que é verdade.

PERDOEM O TROCADILHO COM AS ;D ;D PALAVRAS :-* :-* :-* :-* :-* :-*
OBS:Utilizo a palavra ACHO, como expressão,à falta de melhor!

SAUDAÇÕES FARTERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 24 de Setembro de 2009, 11:57
Bom dia amigos,

permitam-me fazer aqui um pequeno parêntese e simultâneamente fazer uma pergunta ao nosso amigo?? ou amiga?? Leitor e aluno:

Que tal antes de escrever, ler uma página do livro vinha de luz... fonte viva.... pão nosso ... minutos de sabedoria... fazer um aprece se ligar mentalmente com JESUS... e ainda depois disto tudo perguntar O que JESUS faria no meu lugar.
Deixo a todos um fraterno abraço. Leitor e aluno.

Será que a dissimulação, a hipocrisia, a presunção, a intriga, o falar nas costas dos outros, são também sinais de obsessão?

Embora a pergunta seja dirigida a este amigo em particular, quem quiser pode pronunciar-se.

Abraços SINCEROS.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 24 de Setembro de 2009, 12:16
Me desculpem se me alonguei demais, mas este assunto é muito interessante.

Amigo hiran,

Não tem de pedir desculpa, este espaço está aberto para todos.
Muito obrigada por sua colaboração e volte sempre :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 24 de Setembro de 2009, 12:37

Nos acidentes que indicas, normalmente, existe erro humano. Claro que neste caso pode haver interferência, embora indirecta, dos Espíritos. Isto poderá acontecer pela influência que possam ter sobre o encarnado causador do acidente. Muitas vezes os nossos irmãos desencarnadas levam-nos a cometer erros. Desses erros podem resultar consequências que afectem outras pessoas. Mas nada acontece por acaso.

Quanto à segunda questão também é possível. Quantos irmãos nossos não são influenciados em seus negócios, de forma a tomarem decisões que os levam a ter maiores lucros?
Os espíritos, que se situam abaixo da condição dos espíritos superiores, não querem deixar de interferir no mundo físico, seja de que forma for, uns com boa intenção outros nem por isso.
Já não sei é se essas coisas serão todas boas, como referes. Depende do uso que cada um, depois, lhes der.

Atlante  

Amigo Atlante,

Concordo que há coisas que acontecem que serão boas dependendo do uso que lhes dermos. É certo que a prova da riqueza é das mais dificeis de superar.

Agora em relação aos acidentes e voltando a um tema que já foi discutido noutros tópicos, que são os desencarnes colectivos provocados por acidentes de avião por exemplo.
O que eu percebo das sua palavras é que os espíritos (e quando eu falo em espíritos estou a referir-me só aos desencarnados), não têm como intervir directamente sobre a máquina, podem sim levar uma pessoa a cometer certo erro, que por sua vez vai originar o acidente, é isso?
E isto serve para qualquer outro tipo de acidente?

 :)

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hiran em 24 de Setembro de 2009, 13:48
 Elsamar os espíritos podem sempre nos influenciar. O limite dessa influência será sempre o  nosso livre arbítrio, ou seja os espíritos não podem nos obrigar a fazer ou deixar de fazer alguma coisa sem que permitamos isso e apesar de sua influência, nós seremos sempre os responsáveis pelos nossos atos.
 O que quero dizer é que os espíritos sempre poderão nos influenciar, seja referente a causarmos algum acidente ou não. Quem decide se aceitamos tal interferência seremos nós mesmos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 24 de Setembro de 2009, 15:05
O que quero dizer é que os espíritos sempre poderão nos influenciar, seja referente a causarmos algum acidente ou não. Quem decide se aceitamos tal interferência seremos nós mesmos

Certo hiran,

mas voltando às questões de OLE:

  525. Os Espíritos exercem influência sobre os acontecimentos da vida?
      — Seguramente, pois que te aconselham.


      525 – a) Exercem essa influência de outra maneira, além dos pensamentos  que sugerem, ou seja, têm uma acção direta sobre a realização das coisas?
      — Sim, mas não agem nunca fora das leis naturais.

e tendo em conta a explicação dada logo no inicio pelo Atlante, de que os bons espíritos não influenciam, aconselham, em que ordem e classe da escala espírita, se enquadram os espíritos que exercem influência sobre os acontecimentos da vida. Pois se OLE faz esta distinção entre as influências sobre os nossos pensamentos e os acontecimentos da vida, haverá algo que justifique essa distinção!!

Será que todos os espíritos (inclusive os ignorantes que se comprazem em fazer o mal) têm permissão para interferir nos acontecimentos da vida?

Então como ficam os planos reencarnatórios previstos para cada um de nós?
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hiran em 24 de Setembro de 2009, 15:40
Elsamar, Os espíritos imperfeitos são instrumentos próprios para por me prova a fé a constância nossa na pratica do bem. Dai passamos pela prova do mal para chegar-mos ao bem.
Deus permite que os maus espíritos nos influenciem para nosso progresso, e discernimento, pois se atraímos o mal, é porque nele pensamos. Só quando queremos o mal é que os espíritos
podem nos ajudar nesta pratica do mal. Mas Deus também envia outros que nos cercaram, “influenciando” (aconselhando) para o bem, o que restabelece o equilíbrio da balança e nos deixa senhor de nossos atos.
Como você mesma citou no OLE:
"525 – a) Exercem essa influência de outra maneira, além dos pensamentos  que sugerem, ou seja, têm uma acção direta sobre a realização das coisas?
      — Sim, mas não agem nunca fora das leis naturais."
Nunca poderão agir fora das leis, não é algo que a espiritualidade simplesmente faça por fazer, só o fazem se autorizado e até o limite desta autorização.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 24 de Setembro de 2009, 20:32
Agora em relação aos acidentes e voltando a um tema que já foi discutido noutros tópicos, que são os desencarnes colectivos provocados por acidentes de avião por exemplo.
O que eu percebo das sua palavras é que os espíritos (e quando eu falo em espíritos estou a referir-me só aos desencarnados), não têm como intervir directamente sobre a máquina, podem sim levar uma pessoa a cometer certo erro, que por sua vez vai originar o acidente, é isso?
E isto serve para qualquer outro tipo de acidente?

 :)



Olá Elsa

Sim essa é a forma como penso.

Atlante
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: sensitive em 24 de Setembro de 2009, 21:09
Ola!  

Muitas pessoas gostariam ser médium, pois pensam ser um privilégio.
Escrever, pintar,falar com os espíritos, saber coisas futuras etc.....
Esquecem, que na realidade, um médium está muito mais sujeito a  obsessão.
Médiuns e espíritos formam um mundo só, isso nos obriga a conviver com eles.
O pensamento do espírito está interligado com o do encarnado e dá -se uma troca de energia.
O simples facto de movimentar energia demonstra manipulação de ambos os lados.
Aprendemos assim, qua não estamos sós em lugar algum e isso significa que onde quer que estejamos temos companhia que testemunham o que fazemos e pensamos.
O teor do nosso pensamento diário é fundamental para determinar as nossas companhias espirituais.

Abraço

Sensitive
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ram-wer em 25 de Setembro de 2009, 02:56
Alô, amiguinhos e Elsa,

Os Espíritos (desencarnados) disseram a Kardec que agem diretamente sobre os fenômenos do mundo, sempre obedecendo leis naturais.  Mas é claro!  Não fosse assim e a Criação não existiria.  Seria apenas uma pretensão divina.

Ou alguém acha que Deus materializou-se e foi construindo os Universos manualmente?  Outra coisa: materializou-se onde e com o quê, se não existia nada?

Não importa a teoria que você e eu tenhamos sobre a Criação.  Toda a beleza, lógica e imensidão dos espaços preenchidos é ação direta do Espírito sobre a matéria.

Sim, Espíritos podem atuar no funcionamento de máquinas.  Podem ir até mesmo mais fundo, na constituição dos metais.  

E as "leis naturais" que referiram (525- a) são as únicas que existem desde o Surgimento. O fato de a gente não conhecer a maioria dessas leis não significa que sejam elas contrárias à Natureza.

No tópico "A PRECE" (http://www.forumespirita.net/fe/o-livro-dos-espiritos/a-prece/), do amigo Fernando B., na seção O LIVRO DOS ESPÍRITOS, transcrevi anteontem um trecho que vem se encaixar perfeitamente nas questões aqui tratadas. É do livro AUTOBIOGRAFIA DE UM YOGUE.

Abraços e divirtam-se,
RW

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 25 de Setembro de 2009, 15:56
Muito boa esta lembrança, mano!
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 25 de Setembro de 2009, 16:39
Ou alguém acha que Deus materializou-se e foi construindo os Universos manualmente?  Outra coisa: materializou-se onde e com o quê, se não existia nada?

Só uma pergunta:

- Antes de existir alguma coisa, existia o nada? O que é o nada? Deus estava no nada? A fazer nada?

Questões terríveis, não?  :D

Abraços fraternos.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: dim-dim em 25 de Setembro de 2009, 17:03

Olá amigos ( perdoem a minha entrada neste tópico)

Em vez de dizer, com Nietzshe,"Deus está morto", estaria mais próximo da verdade, na opinião de Jung, dizer: o valor mais elevado, que dá vida e sentido, perdeu-se. Deus fugiu da nossa imagem e onde o encontraremos outra vez?

Nossas hipóteses são incertas e cambaleantes e nada nos dá a garantia de que possam vir a mostrar-se corretas. Que o mundo interior e exterior repousa num fundamento transcendente é tão certo quanto a nossa existência, mas também é certo que a percepção direta do mundo arquetípico interior é tão duvidosamente correta quanto a do mundo físico exterior. Se estamos convencidos de conhecer a verdade ultima no tocante a assuntos metafícos, isso não significa senão que as imagens arquetípicas tomaram conta de nossas faculdades de pensar e sentir.

Jung estava pronto a assegurar uma liberdade humana ultima da libertação da coerção exterior e interior. Ao adotar essa atitude, a experiência interior nada perde de sua realidade nem de sua qualidade viva para aquele que a tem, mas a pessoa em questão se manterá tolerante, não tentando impôr sua experiência ou sua convicção aos outros. Carl Gustav Jung os efeitos de sua vida e de sua obra têm influenciado profundamente disciplinas tão diversas como a antropologia, a física nuclear, a etnologia, a teologia e a parapsicologia, além dos campos específicos da psicologia e da psicoterapia.

A DEUS AMIGOS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 25 de Setembro de 2009, 18:15
Ou alguém acha que Deus materializou-se e foi construindo os Universos manualmente?  Outra coisa: materializou-se onde e com o quê, se não existia nada?

Só uma pergunta:

- Antes de existir alguma coisa, existia o nada? O que é o nada? Deus estava no nada? A fazer nada?

Questões terríveis, não?  :D

Abraços fraternos.
Jorge

O nada nunca existiu amigo, existiam partículas em suspensão que ao tempo correto se uniram e formaram as primeiras coisas, depois, tudo a seu tempo, tudo veio se juntando e misturando até os primeiros animais.
tudo isso está em A Gênese.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Nina Bonfim em 26 de Setembro de 2009, 16:47
Olá, Elsamar. Achei muito interessante sua colocação, principalmente a última questão: Por outro lado não poderá um bom espírito intervir para nos ajudar?

Será que se estivermos à beira de um precipício, em qualquer circunstância que a vida nos impõe, não haverá uma interferência efetiva de algum amigo espiritual para nos livrar de um perigo iminente?

Por questões pessoais, estou vivenciando isso agora. Quando levantei a possibilidade de tal perigo me perguntei: será que se eu estiver arriscando a vida de minha pessoa, dos meus e de amigos, alguém não me mostraria o abismo para que eu o evitasse?

Gostaria que alguém me respondesse. Não sou capaz de formular uma resposta coerente ou bem fundamentada.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 26 de Setembro de 2009, 17:55
Ou alguém acha que Deus materializou-se e foi construindo os Universos manualmente?  Outra coisa: materializou-se onde e com o quê, se não existia nada?

Só uma pergunta:

- Antes de existir alguma coisa, existia o nada? O que é o nada? Deus estava no nada? A fazer nada?

Questões terríveis, não?  :D

Abraços fraternos.
Jorge

O nada nunca existiu amigo, existiam partículas em suspensão que ao tempo correto se uniram e formaram as primeiras coisas, depois, tudo a seu tempo, tudo veio se juntando e misturando até os primeiros animais.
tudo isso está em A Gênese.
Abraços,
Moura

Olá
As particulas já serão alguma coisa.
E antes das particulas o que existia?

Atlante
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 26 de Setembro de 2009, 18:25
Existiam, caro Atlante, os desígnios de Deus.
Não me alongo nesse tema por tratar-se apenas de especular sobre matéria que não podemos alcançar nem como ciência, hoje em dia.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 26 de Setembro de 2009, 19:49
Existiam, caro Atlante, os desígnios de Deus.
Não me alongo nesse tema por tratar-se apenas de especular sobre matéria que não podemos alcançar nem como ciência, hoje em dia.
Abraços,
Moura

Companheiro Moura

Vamos lá ver se nos entendemos.
Poderei não entender as coisasmas nada me impede de procurar a compreensão de tudo.
Uma das coisas que não aceito na doutrins é essa coisa de não podermos entender porque está longe da nossa capacidade. Eu só vou saber se está longe ou está perto depois de tentar. Eu só vou saber se é possível compreender depois de analisar e racionalizar. Não há outra forma.
Por essa ordem de ideias nenhum cientista faria pesquisas, não acha.

Depois a questão que está em debate até não era assim tão monstruosamente oculta que não seja possível de entendimento.

O nosso amigo Jorge afirmou que o nada não existe, perguntando então o que existiria antes.
O meu amigo afirmou, muito bem, que o nada nunca existiu, mas logo informa que antes de existir alguma coisa existiam particulas.
Eu afirmei que particulas já são alguma coisa.
O nosso caro amigo entrou na gruta sagrada do está fora da nossa compreensão.

Mas companheiro sendo Deus causa primária de todas as coisas, como será lógico e racional, antes de existir qualquer coisa existia, pura e simplesmente Deus.

Peço desculpa por estar fora do contexto do tópico, mas penso ser da maior importância a compreens ão desta questão.

Atlante
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Delphus em 26 de Setembro de 2009, 21:28
 Será que todos os espíritos (inclusive os ignorantes que se comprazem em fazer o mal) têm permissão para interferir nos acontecimentos da vida?

Então como ficam os planos reencarnatórios previstos para cada um de nós?

Boa tarde Elsamar. PAZ.

Em verdade as influências ocorrem com as sugestões que os Espíritos nos passam (sejam bons ou mau Espíritos), essa permissão que você cita é dada por nós mesmos, acatando-as.

Porquê é dada por nós, por questão da sintonia de pensamentos, atos e vibracional.

Os planos reencarnatórios se expressarão conforme nossas decisões no dia a dia, uso de nosso livre-arbítrio.

Na verdade os bons ou maus Espíritos somente conseguem influenciar naquilo que estivermos dispostos ou pré-dispostos a fazer.

Somente pode-se influenciar o homem o bem ou o mal, exatamente àquele homem que já traz em seu bojo tendencias para tal.

Esse é meu entendimeto dentro de meu parco conhecimento.

Muita Paz.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 26 de Setembro de 2009, 23:09
Existiam, caro Atlante, os desígnios de Deus.
Não me alongo nesse tema por tratar-se apenas de especular sobre matéria que não podemos alcançar nem como ciência, hoje em dia.
Abraços,
Moura

Companheiro Moura

Vamos lá ver se nos entendemos.
Poderei não entender as coisasmas nada me impede de procurar a compreensão de tudo.
Uma das coisas que não aceito na doutrins é essa coisa de não podermos entender porque está longe da nossa capacidade. Eu só vou saber se está longe ou está perto depois de tentar. Eu só vou saber se é possível compreender depois de analisar e racionalizar. Não há outra forma.
Por essa ordem de ideias nenhum cientista faria pesquisas, não acha.

Depois a questão que está em debate até não era assim tão monstruosamente oculta que não seja possível de entendimento.

O nosso amigo Jorge afirmou que o nada não existe, perguntando então o que existiria antes.
O meu amigo afirmou, muito bem, que o nada nunca existiu, mas logo informa que antes de existir alguma coisa existiam particulas.
Eu afirmei que particulas já são alguma coisa.
O nosso caro amigo entrou na gruta sagrada do está fora da nossa compreensão.

Mas companheiro sendo Deus causa primária de todas as coisas, como será lógico e racional, antes de existir qualquer coisa existia, pura e simplesmente Deus.

Peço desculpa por estar fora do contexto do tópico, mas penso ser da maior importância a compreens ão desta questão.

Atlante

Não tenho como não concordar com você mano Atlante.
No frigir dos ovos, antes, simplesmente existia Deus.
mas note, o amigo não me compreendeu e talvez mais por erro meu no explicar do que do amigo ao tentar entender.
Eu disse e repito que o nada nunca existiu, ora, por isso mesmo que existiam antes seriam as partículas que estariam, segundo a obra básica, em suspensão.
Pois bem, tomando por base a afirmação última, "o que existiam antes seriam as partícula, eu apenas "pleonasmei", ou seja forcei a barra, para dar mais ênfase à primeira explicação, esta que o amigo dise que fui muito bem.
Portanto, as partículas no caso, seriam a reafirmação do princípio de que o nada nunca existiu.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ram-wer em 27 de Setembro de 2009, 00:07
De volta, amigos,

O lance da materialização de Deus, pra construir tudo manualmente, não foi o meu melhor momento filosófico na Internet, naquele dia. De todo modo, peço aos queridos, principalmente os d'além mar, entendam "não existia nada" como "coisa alguma ainda existia".  

Mas a imagem traz algo pra refletir.  

Primeiro:  existir significa aparecer, vir pra fora, mostrar-se. Nesse entendimento, é possível que a Divindade nunca tenha existido, exceto através de Sua Criação.

Segundo:  minha intenção ali foi a de lembrar que tudo o que existe é influência do Espírito sobre a energia e a forma (matéria).

Uma coisa é ser e o Espírito é;  outra coisa é aparecer na Criação, intervindo na energia e na forma, encarnado ou não. E quando digo "Criação", não pensem tratar-se apenas do nosso minúsculo universo físico.

Quanto ao mecanismo do Universo, sou mais propenso a crer nos antiquíssimos ensinamentos do Hinduísmo.  Quer porque sejam coisa bem séria e veraz, quer porque a Ciência avança e mais se aproxima deles.  Refiro-me ao Big-Bang, ou o Dia de Brahma, seguido da Noite de Brahma (quando os mundos se recolhem ao Criador).

Mas o que nos interessa é:  se o Espírito criou tudo o que existe, por quê não poderia também influenciar diretamente sua própria criação?

Abraços universais,
RW
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 27 de Setembro de 2009, 17:16
Amigo RW,
quem creou a tudo e todos foi Deus, e este é um ser dito INCRIADO.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 28 de Setembro de 2009, 00:32
Pois bem,

embora não seja uma questão directamente ligada ao estudo, penso que é de primordial importância perceber que o nada não existe, nem nunca existiu, pois que Deus, criador ou creador para quem prefira, é eterno, e por isso não tem príncipio nem fim e penso que, ou acho ( :D), de achismo mesmo, que este ponto reúne o consenso de todos.


Este estudo está quase a terminar e por isso gostava de ver a seguinte questão debatida.

6.INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NOS FENÓMENOS DA NATUREZA


    536. Os grandes fenômenos da Natureza, esses que se consideram como perturbações dos elementos, são devidos a causa fortuitas ou têm pelo contrário, um fim providencial?     
                                     
        — Tudo tem uma razão de ser e nada acontece sem a permissão de Deus.


As grandes catástosfres que ocorrem de tempos a tempos, como os terramotos, os tsunamis, as inundações, as secas, em que desencarnam muitos milhares de pessoas, têm sempre um fim  providencial?

É a Lei da Destruição em acção?

A que classe pertencem os espíritos a quem são atribuídas estas funções?

Abraços.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ram-wer em 28 de Setembro de 2009, 01:04
Alô, Elsamar e amiguinhos, (Elsamar, quando cliquei pra enviar esta mensagem, o sítio avisou que a sua fora gravada antes)

Ô, mano Moura.  Mamãe me ensinou que Deus é incriado e criador de tudo.  Mas agradeço o reforço.  

No entanto, também o Espírito é incriado.  Não fosse assim e estaria confinado à Criação, para sempre algemado ao Tempo.  Não confundamos Espírito com a personalidade que o envolve. Nos primórdios do Espiritismo, essa mescla foi necessária pra identificar as coisas. E, falando de modo espírita, é natural que ainda mesclemos o Ser com as roupagens.

Não sinto que a Divindade tenha criado algo diretamente. Tudo tem gradação, subordinação. Deus e nós somos Espíritos. Também criamos. Os Anjos, Arcanjos, Devas, Cristos e Avatares devem ser o braço criador do Criador (aqui entram minhas leituras de Ramatis, embora seja lição muito mais antiga do que o mestre oriental).  

Pra não perder o rumo do tópico, vamos lá:  

Toda matéria é Espírito. Ok, ok, isto não "bate" exatamente com as obras básicas. Claro que não!  E daí?  É ensinamento dos mais velhos neste mundo, e foi profundamente ocidentalizado por Sua Voz/Pietro Ubaldi.  

Isto mesmo, o descenso Espírito >  Energia (Luz) > Matéria, que retorna à origem pelo caminho inverso  Matéria > Luz (Energia) > Espírito.

Deus é Espírito, somos Espíritos e nada há além disto.  Assim, a influência do Espírito é onipresente e permanente, enquanto houver algo permanecendo (flutuando no tempo e espaço, que também são Espírito).

Abraços.

Hare, Jesus,
Viva, Krishna.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: marcia heerdt em 28 de Setembro de 2009, 01:06
OLá amigos(as)!passei a semana fazendo a mesma pergunta Deus existe oque existia antes dele?pois bem,ontem recebi esta mensagem de um site 'Somos todos um"pode parecer meio bobo.Ele existe e manda o seu recado.
o texto é longo,mas vale a pena lêr.
UMa ótima semana a todos. :D
Marcia Heerdt ;)

Deus existe?
O texto a seguir tem como proposta motivar o leitor a se iniciar em um estudo que, se desenvolvido de modo satisfatório, deverá trazer revelações que poderão mudar profundamente, e de modo positivo (assim esperamos), sua visão da realidade.

O que você faria se, por alguma razão, de repente passasse a ter certeza absoluta de que Deus é mesmo responsável por sua existência, estando Ele consciente de cada respiração? Certamente esta questão não se adequa a alguns, mas cada vez mais pessoas tendem a pensar que tal idéia não passa de mera possibilidade.

Porém, a resposta à pergunta que intitula o presente texto é: sim. Os estudos dos metafísicos orientais e ocidentais, não deveriam nos deixar dúvidas; porém, nos deparamos com as tantas dificuldades características do período de decadência civilizacional pelo qual atualmente passamos. Sendo assim, muitos até se espantam quando é dito que o Ser Divino pode ser percebido, embora não possa ser conhecido (e muita confusão, inclusive, se faz entre estes dois pontos).

Como nos situamos no ocidente, que é alicerçado no cristianismo, vamos nos voltar para o trabalho de um de seus maiores expoentes, no intuito de demonstrarmos uma das tantas soluções para o problema: São Tomás de Aquino. Antes, porém, nos entreguemos um pouco às palavras de Chesterton, uma das mentes mais brilhantes do século passado:

"Assim como se pode considerar São Francisco o protótipo dos aspectos romanescos e emotivos da vida, assim Santo Tomás é o protótipo do seu aspecto racional, razão por que, em muitos aspectos, estes dois santos se completam. Um dos paradoxos da história é que cada geração é convertida pelo santo que se encontra mais em contradição com ela. E, assim como São Francisco se dirigia ao século XIX prosaico, assim Santo Tomás tem mensagem especial que dirige à nossa geração, um tanto inclinada a descrer no valor da razão".
Pois bem, por apresentar certas ressalvas (as quais não nos cabe desenvolver aqui) em se analisar a questão sobre a existência de Deus aprioristicamente (como o fez Santo Anselmo em seu Argumento Ontológico), Tomás partiu para uma análise a posteriori, ou seja, a partir de Seus efeitos, os quais podem ser observados no mundo sensível (que compreende o que nossos sentidos captam), tendo por base a filosofia aristotélica e platônica. Surgiram então as Cinco Vias para se chegar racionalmente à existência de Deus. O assunto já foi tratado aqui no site, mas sua repercussão (e em 7 comentários apenas) parece nos indicar algumas dificuldades. Sendo assim, por sugestão de meu amigo Acid, resolvi investir na tentativa de torná-lo um pouco mais acessível, com uma linguagem simplificada que inclui a inserção de alguns exemplos, além de conclusões apresentadas num trabalho do Mário Ferreira dos Santos (talvez o maior filósofo já nascido em nosso país) devidamente referenciado após o texto, objetivo que espero ter atingido.

Sem mais delongas, passemos ao estudo das vias para o conhecimento do Supremo.

1ª Via: o movimento

Podemos dividir esta via em duas partes:

A primeira nos faz perceber que todas as coisas se movimentam, e isto se dá porque são movidas por um motor. Imaginemos uma rede estufada após uma falta bem batida pelo melhor cobrador do seu time de futebol. A rede recebe o movimento da bola, que por sua vez recebe o movimento e a capacidade de balançar a rede, dos pés do jogador.

Os pés são então os responsáveis pela execução de todos os movimentos da pequena série apresentada: pelo movimento da bola e em seguida da rede. Vemos ainda que a bola, por sua vez, atua no movimento da rede. Mas notemos que esta, como todos os anteriores, não possui a capacidade de se mover por si. Para isto, teria que ter a capacidade de ser, ao mesmo tempo, motor e móvel sob um mesmo aspecto, o que é absurdo (tomemos a bola como exemplo: ela teria que ser capaz de promover por si o seu movimento em direção à rede, e ao mesmo tempo não ser capaz, para poder receber este mesmo movimento a partir do repouso).

Passemos então para a segunda parte. A rede foi movida pela bola, que recebeu seu movimento pelo pé, que se moveu pela vontade do jogador, e assim sucessivamente. Porém é necessário que esta série encontre um fim. Mas por qual razão? Sem este não haveria movimento, já que o de cada um dos membros da série depende de um anterior. Temos então que conceber, necessariamente, um motor imóvel. E o que possui tal natureza? Algo que tenha uma atividade que se estenda a todas as coisas que movem e são movidas, ao qual elas estejam subordinadas, e que seja ato puro (já que está imóvel, mas tem a capacidade de ser motor), o que inclui suas implicações, como a imutabilidade e a eternidade, que nos remete à perfeição plena: Deus.

2ª Via: as causas eficientes

O raciocínio a ser desenvolvido aqui é bastante parecido com o anterior, e o mesmo exemplo pode ser empregado. Partimos da série de causas "pés do jogador - bola - rede": o gol foi causado pelo movimento da bola, e este, por sua vez, é efeito do chute do jogador. Não é difícil percebermos que a rede não poderia balançar sozinha, assim como a bola não poderia ser a causa do seu movimento, e o mesmo com os pés e assim sucessivamente. Vemos-nos, então, diante da necessidade de uma causa eficiente primeira, sem a qual não poderia haver qualquer efeito, pois estaríamos nos deparando com infinitas causas sem um operador. Esta causa primeira teria que ser a sua própria atividade, e, portanto, não causada, estando todas as demais causas a ela subordinadas. Chegamos novamente a Deus.

3ª Via: a contingência

De todas as coisas que podemos constatar no universo, nenhuma delas se abstém de um potencial prévio para a sua inexistência. Pense o leitor que ele jamais poderia ter existido. Do mesmo modo o computador diante dele, assim como o próprio planeta em que vive, o sol para o qual olha no ocaso, etc. Todas estas coisas, inclusive, um dia não existiram, e mais adiante deixarão de existir (nos limitemos aqui ao campo da matéria). São elas contingentes. Ora, sabendo que havia uma potência para a inexistência das mesmas, concluímos facilmente que não podem ter existido sempre. E o que havia antes que viessem a existir? Onde residiria este potencial para sua existência? Em um ser necessário, que tenha existido sempre, causa da existência de todos os demais seres, e causa do ser em todas as coisas porque ali se faz presente (onipresença). Quem será?

4ª Via: os graus de perfeição

Nesta via, São Tomás se refere especificamente às perfeições puras, ou seja, aquelas que não possuem limite ou imperfeição em seu conceito formal; e em meio a estas, as denominadas 'transcendentais', ou seja, que estão em todas as coisas. Como exemplo, temos a nobreza, a verdade e a bondade. Estas perfeições só podem partir de algo que as encerra em sua máxima perfeição (nas palavras de São Tomás: "o máximo em qualquer gênero é a causa de tudo o que naquele gênero existe, e assim, o fogo, que tem o máximo calor, é a causa do calor de todo o quente, segundo diz Aristóteles."), e que é causa destas, em diferentes níveis, nos seres contingentes: nosso Criador.

5ª Via: a finalidade ou governo do mundo

Nesta última, São Tomás nos chama a atenção para as coisas que, mesmo desprovidas de conhecimento, atuam com finalidades específicas (observemos, por exemplo, a interação entre os astros, que promovem o equilíbrio no nosso sistema solar; os seres que servem de base para a cadeia alimentar, etc.). Mas ora, se não conhecem, não podem pensar em um fim e assim agir no sentido de alcançá-lo, senão pela presença de alguém que conheça e direcione o movimento. Este deve conhecer infinitamente, ser distinto do mundo, providente e imaterial, ou seja, é Deus.

Conforme observamos, não só nos é possível comprovar racionalmente a existência do Ser Supremo - o que nos conduz a um esquema de realidade (a Verdade), hierárquico, que independe de nossos pensamentos e ações - como conhecer alguns de seus atributos. A partir deles podemos perceber, dentre outras coisas, que o Onipresente está muito além do que compreender nossas limitações, o que, ao contrário do que alguns possam vir a pensar, não anula o fato de termos alguém a quem prestar contas no final de nossa jornada.

O desenvolvimento deste estudo tende ainda a nos chamar a atenção para a escolha mais importante de nossas vidas: se queremos servir apenas ao mundo (e nos entregarmos aos desejos, ambições, etc.), ou ao nosso Criador. A primeira opção tende a nos inserir em um círculo vicioso (conforme nos demonstra Boécio em sua magnífica obra "A Consolação da Filosofia"), enquanto a segunda, por mais que implique em uma boa dose de disciplina e resignação, nos brinda com um estado de êxtase na eternidade e, em alguns casos, ainda no decorrer da vida terrena, sendo incontestavelmente a mais recompensadora.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Delphus em 28 de Setembro de 2009, 02:19
6.INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NOS FENÓMENOS DA NATUREZA
536. Os grandes fenômenos da Natureza, esses que se consideram como perturbações dos elementos, são devidos a causa fortuitas ou têm pelo contrário, um fim providencial?     
                                     
        — Tudo tem uma razão de ser e nada acontece sem a permissão de Deus.

A que classe pertencem os espíritos a quem são atribuídas estas funções?

Duas classes:
1ª - Os que comandam -  aqueles que possuem conhecimento e amor para o desiderato - portanto Espíritos Superiores. - em relação àqueles que executam que já estiveram encarnados

2ª - Os que são comandados, aqueles que obedecem sem questionar, pois ainda não possuem a condição de analise, encontram-se em escala evolutiva abaixo dos chamados Espíritos inferiores. - pode-se aprofundar estudo sobre os elementais  - que estarão encarnados
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Leitor e aluno em 28 de Setembro de 2009, 12:38
MUITA PAZ NOS ENVOLVA POR NOSSAS INICIATIVAS.
A influência dos Espíritos nos fenômenos da natureza...
Estudando com Allan Kaerdec... na Revista Espírita .. edições 1859 e1869.. que trazem artigos sobre o assunto... destamos uma mensagem de um espírito (elementais) que assina a mensagem como Hetanni O Gênio das flores... na mensagem ele diz ser ele que produz a coloração e os perfumes das flrores etc... Allan Kardec submeteu esta mensagem a um dos Espíritos envolvidos na Terceira Revelação... na codificação.... S. Luiz.... que informa então em resposta que este espírito embora tenha se comunicado ( então  o perispirito existe) embora tenha participado de uma comunicação mediúnica... sequer encarnou entre os homens ( reino hominal)  porém , não está mais no reino animal...
Eu e isto sou  e não quero aqui dizer que é a verdade e estou certíssimo... entendedo... Os espíritos que se ocupam dos fenômenos da natureza estão  revelando para mim o elo existente entre o  reino animal e o hominal... Uma pesquisa na Intenet sobre eles trará com certeza uma outra informação... um entrevista do médium Divaldo Pereira Franco , salvo engano para uma revista de Brasília em que ele revela sua experiência mediúnica de contacto visual com estes espíritos ..(os elementais)...( confirmando a existência então de perispirito) embora ainda sequer tenham encarnados entre nós os Homens... Vale ainda dizer que estes elmentais ... são orientados por espíritos que já estão no Reino Hominal... e bem mais desenvolvidos que fazem o trabalho de manutenção da obra de Deus..... Um office-boy... apenas entrega a correspondência que um outro mais desenvolvido elaborou... Acredito valer a pena consultar estas edições da revista espírita...
Deixo meu pedido formal de desculpas para todos por quaisquer deslizes.
E ao encerrar lembro-me da influência de um Espírito... Francisco de Assis... Senhor fazei-me um instrumento de vossa paz!
Fraterno abraço para todos. Leitor e aluno.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 28 de Setembro de 2009, 16:35
Pois bem,

embora não seja uma questão directamente ligada ao estudo, penso que é de primordial importância perceber que o nada não existe, nem nunca existiu, pois que Deus, criador ou creador para quem prefira, é eterno, e por isso não tem príncipio nem fim e penso que, ou acho ( :D), de achismo mesmo, que este ponto reúne o consenso de todos.


Este estudo está quase a terminar e por isso gostava de ver a seguinte questão debatida.

6.INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NOS FENÓMENOS DA NATUREZA


    536. Os grandes fenômenos da Natureza, esses que se consideram como perturbações dos elementos, são devidos a causa fortuitas ou têm pelo contrário, um fim providencial?     
                                     
        — Tudo tem uma razão de ser e nada acontece sem a permissão de Deus.


As grandes catástosfres que ocorrem de tempos a tempos, como os terramotos, os tsunamis, as inundações, as secas, em que desencarnam muitos milhares de pessoas, têm sempre um fim  providencial?

É a Lei da Destruição em acção?

A que classe pertencem os espíritos a quem são atribuídas estas funções?

Abraços.
Nem sempre têm um fim providencial mas o certo é que SEMPRE encontram um fim providencial.
Quer dizer, as vezes chegam pela incúria ou malversação que o homem faz com a natureza, mas, encontram nessa violência uma maneira de fazer com que op progresso das raças se apure e o das civilizações venha no bojo.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 29 de Setembro de 2009, 01:21


   “Bendize, ó minhalma, o Senhor...
Senhor, Deus meu, engrandecido
De majestade e de esplendor!
Revestido de luz, como dum manto,
Desdobraste o céu, como sagrada cortina da vida...
Construíste as sublimes câmaras das águas,
Fazes das nuvens o seu carro
E derramas teu hálito criador nas asas do vento.
Enches o Universo de mensageiros
E, por vezes, tomas por teu ministro o fogo devorador.
Fundaste-nos a Casa Terrestre em bases seguras,
Garantindo-nos a vida em séculos de séculos...
Deste-lhe abismos e píncaros por vestidura,
Santificaste as águas para que se elevem sobre os montes,
Mas, à tua voz de comando, todos os elementos se transformam,
Porque, se envias a música da manhã, envias Igualmente o trovão destruidor...
Elevam-se montanhas, descem vales
Ao lugar que lhes marcaste,
Sem que ultrapassem seus limites.
Fazes sair, Senhor, as fontes dos vales
Fertilizando os montes...
Dás de beber aos animais do campo
E sacias a sede às plantações silvestres,
Onde as aves do céu guardam seu ninho,
Louvando-te, dia e noite...
Irrigas o topo das montanhas, jorrando águas do céu,
Para que a Terra seja farta de frutos.
[/b]


Salmo 144
Zenóbia no Capítulo O Fogo Devorador, em Obreiros da Vida Eterna


Creio que Deus dá e Deus tira, e nós aprendemos com isso.


Muita paz



Nelson
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 29 de Setembro de 2009, 03:11
Amigos do Forum Espírita,

A influencia dos espíritos, em nossa vida e na natureza, bem como a existência de Deus está na mesma questão:

Nossa capacidade de percepção destes fatos.

Mas isso Jesus ensina: Ame!

O sentimento de amor o levará a aceitar o imponderável de todas as coisas: A razão não é tudo, e sim apenas um instrumento. Afeto é outro.
Aprendamos a usar os dois conjuntamente.

O imponderável de nossos sentidos, então alimentará nossa fé.

Com fé, razão e sentimentos viveremos para amar.

E mais teremos o discernimento para separar aquilo que devemos e não devemos. Mas também erraremos e a culpa será nossa de não saber o certo, mas aprenderemos.

Não é difícil aprender, mas é preciso querer. Pessoas para dar bons (e maus) exemplos estão ao lado a lado de todos nós.

A capacidade de sentir o imponderável é uma questão para o propósito de uma vida, e mesmo de várias.

Questão 621. Onde está escrita a lei de Deus?
 “Na CONSCIÊNCIA.”


Muita Paz a todos

Nelson
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 30 de Setembro de 2009, 12:43
Amigos,

este estudo encerra hoje, embora o tópico continue aberto para quem quiser manifestar-se sobre o tema.

O principal ensinamento que retirei, foi a certeza de que nunca estamos sós.

Sendo o pensamento a linguagem universal dos espíritos e admitida a hipótese de que não há como separar o pensamento do espírito, não há outro caminho que não seja o de sermos aquilo que pensamos (Diegas)

Assim todos nós, encarnados e desencarnados estamos constantemente a ser influenciados e a influenciar, através do pensamento.
Sofremos assédios constantes. No entanto Deus dotou-nos de livre arbítrio, para que sejamos sempre nós a ter a última palavra. Só seremos alvos de obsessão, fascinação e subjugação, se permitirmos, se rebaixarmos a nossa frequência vibratória de forma a ficarmos vulneráveis à investida dos nossos algozes e por isso seremos sempre nós os responsáveis.
Essencial é estarmos sempre alerta, fazer sempre um exame de consciência perante cada acto, cada pensamento ou perante cada omissão, pois é lá na consciência que estão inscritas as leis de Deus. Como Ele é nosso Pai e ama a todos por igual, temos a certeza que um dia todos ascenderemos a esses níveis de Amor, Bondade, Caridade que por ora não conseguimos ainda alcançar.

Mas estamos a caminho.

Passamos a vida em busca da felicidade.
Procurando o tesouro escondido.
Corremos de um lado para o outro esperando descobrir a chave da felicidade.
Esperamos que tudo que nos preocupa se resolva num passe de mágica.
E achamos que a vida seria tão diferente, se pelo menos fôssemos felizes.
E, assim, uns fogem de casa para serem felizes
e outros fogem para casa para serem felizes.
Uns se casam para serem felizes e outros se divorciam para serem felizes.
Uns fazem viagens caríssimas para serem felizes
e outros trabalham além do normal para serem felizes.

Uma busca infinda.
Anos desperdiçados.

Nunca a lua está ao alcance da mão,
nunca o fruto está maduro, nunca o vinho está no ponto.
Sombras, lágrimas. Nunca estamos satisfeitos.
Mas, há uma forma melhor de viver!
A partir do momento em que decidimos ser felizes,
nossa busca da felicidade chegou ao fim.
É que percebemos que a felicidade não está na riqueza material,
na casa nova, no carro novo,
naquela carreira,
naquela pessoa.
E jamais está à venda.
Quando não conseguimos achar satisfação dentro de nós para ter alegria,
estamos fadados à decepção.

A felicidade não tem nada a ver com conseguir.

Consiste em satisfazer-nos com o que temos e com o que não temos.
Poucas coisas são necessárias para fazer feliz o homem sábio,
ao mesmo tempo tem que nenhuma
fortuna satisfaria a um inconformado.
As necessidades de cada um de nós são poucas.
Enquanto nós tivermos alguma coisa a fazer, alguém a amar,
alguma coisa a esperar, seremos felizes.
Saiba: A única fonte de felicidade está dentro de você, e deve ser repartida.
Repartir suas alegrias é como espalhar perfumes sobre os outros:
sempre algumas gotas acabam caindo sobre você mesmo.


(autor desconhecido)

FAÇAM FAVOR DE SER FELIZES. ;)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: nelsonmt em 30 de Setembro de 2009, 17:49
Elzamar

Lindas palavras e sinto que tudo é verdade.

Obrigado pela oportunidade de aprender com voce e com amigos do fórum.

Estou tentando, mas seja feliz tambem, por favor.

Nelson

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Jorge em 30 de Setembro de 2009, 18:00
Amiga Elsa,

Neste entardecer do dia, que bom ler essa bela mensagem cujo autor é desconhecido!  :)

Ficam os raios do teu sol presentes em nossas almas ...

Foi um desfecho com chave de oiro desse interessante Tema de Estudo "A Influência dos Espíritos"!

Diegas, Diegas, grande companheiro, obrigado por partilhares teus pensamentos!  ;)

Querida amiga, muitas felicidades na tua vida é o sincero desejo deste teu amigo!  ;)

Abraços fraternos.
Jorge
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Atlante em 30 de Setembro de 2009, 19:49
Olá Elsa

Obrigado

Pelas palavras
Pelo incentivo
Pela amizade e companheirismo
Na essência
Pelo AMOR

Atlante
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ram-wer em 30 de Setembro de 2009, 20:07
Querida Elsamar, queridos amigos,

Foi um prazer participar neste animado tópico.

Realmente, Elsa e Autor Desconhecido, a Divina Alegria está aqui, dentro da gente.  Com presença, atenção e bom ânimo seremos senhores das influências, sejam "boas" ou não.

E, agora que a Elsamar pôs o ponto final, encerro minhas abordagens, trazendo um terrível assunto paralelo tratado aqui: o Nada.

Como foi dito pela moderadora, o nada não existe. Pura razão, pois se existisse, já não seria o nada e sim alguma coisa.

Desde que comecei a meditar em Deus (Kriya Yoga), tenho sentido mais simpatia pelo tão desprezado "nada".  Gosto de amar a Deus como Mãe, Pai, Infinito e Não Manifesto.

Essas duas últimas fazem a gente penetrar num campo aterrador para a mente, mas delicioso para o Espírito. O pensamento não pode entender isto, mas o Ser que somos sente-se à vontade.

Portanto, hoje reverencio o Nada, pois só o não manifesto pode ser infinito.  E talvez seja essa Não Existência a autora da Criação.  O Nada tem muito a ver com Deus, o Criador de tudo.

Abraços,
RW
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: sonho em 30 de Setembro de 2009, 20:28
Olá amigos!

Elsamar, agradeço a sua disponibilidade para nos trazer um tópico de grande interesse para todos nós. Foi um prazer acompanhar este estudo. Para si, em especial e para todos, em geral, segue uma poesia (desculpem a extensão) que gosto muito!
Beijinhos :-*
Sonho  :)

         POEMA (Meimei)

Desejava, Jesus,

Ter um grande armazém

De bondade constante

Maior do que os maiores que conheço

Para entregar sem preço

As criaturas de qualquer idade

As encomendas de felicidade

Sem perguntar a quem.

 

Eu desejava ter um braço mágico

Que afogasse os doentes

Sem qualquer distinção

E um lar onde coubesse

Todas as criancinhas

Para que não sentissem solidão.

Desejava, Senhor,

Todo um parque de amor

Com flores que cantassem,

Embalando os pequeninos

Que se encontram no leito

Sem poderem sair,

E uma loja de esperança

Para todas as mães.

 

Eu queria ter comigo

Uma estrela em cuja luz

Nunca pudesse ver

Os defeitos do próximo

E dispor de uma fonte cristalina

De água suave e doce

Que pudesse apagar

Toda palavra que não fosse

Vida e felicidade.

 

Eu queria plantar

Um jardim de união

Junto de cada moradia

Para que as criaturas se inspirassem

No perfume da paz e da alegria.

Eu queria, Jesus,

Ter os teus olhos

Retratados nos meus

A fim de achar nos outros,

Nos outros que me cercam,

Filhos de Deus

E meus irmãos que devo compreender e respeitar.

 

Desejava, Senhor, que a bênção do Natal

Estivesse entre nós, dia por dia,

E queria ter sido

Uma gota de orvalho

Na noite em que nasceste

A refletir,

Na pequenez de minha condição,

A luz que vinha da canção

Entoada nos Céus:

 - “Glória a Deus nas Alturas,

Paz na Terra,

Boa Vontade em tudo,

Agora e para sempre!...”

   
Página recebida pelo médium Francisco Cândido Xavier, em reunião
pública da Comunhão Espírita Cristã, na noite de
21-09-74, em Uberaba, Minas

 
 

 

 


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 01 de Outubro de 2009, 18:04
Nelson, Jorge, Atlante, Ram-Wer, sonho,

arrepiei-me com cada uma das vossas mensagens.
Consegui sentir aqui o vosso carinho.
Também para mim foi e continuará a ser um imenso prazer ter a vossa companhia, neste cantinho tão especial.


Até sempre amigos.

Elsa Margarida
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 02 de Outubro de 2009, 11:33
Olá Elsamar

Muito obrigado pelo estudo mensal ;) ;) ;) ;)

E até já :-* :-* :-* :-* :-*



SAUDAÇÕES FRATERNAS
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Verinha em 02 de Outubro de 2009, 13:06
Bom Dia Amigos!
Elsamar muito obrigada por nos ter oportunizado o estudo de um tópico tão instigante.
Valeu amigos por todos os comentários que nos fez refletir e aprender.
Luz e Paz!
Um gde abraço,
Verinha
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 06 de Outubro de 2009, 11:13
Hcancela, Verinha,

eu é que agradeço a vossa amabilidade.

Continuemos por aqui, sempre juntinhos  :)

Até já :-* :-*
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Marccello em 15 de Novembro de 2009, 21:25
É verdade amiga Elsamar,

Não podemos ser tão lineares para com os estudos espíritas, cada caso deve ser analisado principalmente sobre a ótica do amor e caridade.

Grande abraço. :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 15 de Novembro de 2009, 23:00
Amigo Marcello,
acredito que a hora já soou para que nos desvencilhemos desse jargão catolicão, do amor e da caridade.
Veja, é mesmo Emmanuel, o papa do movimento espírita que diz que a maior CARIDADE que se pode fazer pela doutrina é dizê-la corretamente.
conhecimento, amor e caridade são coisas diferentes, você pode ser amoroso para com todos e mesmo caridoso sem olhar a quem sem ter um pingo de conhecimento dessas duas qualidades, contudo se conhece-as bem, todo o restante do processo fica mais facilitado, logo, é do primeiro item que a importância é mais fortificada.
Kardec  diz, sob os auspícios da Espiritualidade Superior: " O Espiritismo só virá a dar frutos quando for bem entendido e bem compreendido".
Viu, ele fala em amor ou caridade aqui? Não, porque não é disso que se trata no momento.
São Francisco , aquele dos passarinhos, dizia, Há a hora de plantar e a hora de colher.
Logo, há a hora de buscar o conhecimento e a hora de expandi-lo pelas nossas ações, diante da caridade e do amor.
Há também uma lei que é tríplice mas que nunca é vista dessa maneira, que é a Lei de Justiça, Amor e Caridade, veja, estas três formam a lei das mais importantes a ser seguida.
foi nessa lei que Jesus sedimentou todas as suas ações na terra. por isso a doutrina o toma como modelo e guia da perfeição moral para a humanidade.
Uma coisa só resta ser bem compreendida: Sem conhecimento das coisas nenhuma ação,. por melhor que seja, terá seu justo valor, por que? Ora, porque a intenção tem de ser bem discernida para que ganhe vulto, valor e consagre a ação no bem.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: awa em 09 de Dezembro de 2009, 13:41
Ai está uma das formas de aplicação da Lei de Causa e Efeito, que evidencia para quem está encarnado o mau causado à outrem, em outra vida e, que nesse caso está desencarnado, e busca a qualquer custo vingar-se, daí a importancia do perdão enquanto estamos na caminhada terrena. O problema é que muita vez nos acostumamos a imputar aos espíritos desencarnados os efeitos materiais dos erros por nós cometidos, em face do livre arbítrio, nesta ou em outra vida. Se, por influencia ou não dos espíritos desencarnados ou não, cometemos desatinos, é que ainda não atingimos o necessário entendimento que nos dará a dimensão das nossas responsabilidades diante o próximo e de DEUS.

awajuris
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 28 de Dezembro de 2009, 03:05
Boa Noite!

Gostava que me esclarecessem acerca de duas questoes:

Se poderemos ser influenciados sempre, a todo o momento, todos os minutos?

E se necessariamente teremos que ser ou maus, fracos ou pouco desenvolvidos para nos influenciarem?


Agradecia imenso que me esclarecessem.

Obrigada.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: awa em 28 de Dezembro de 2009, 10:42
Querida Jasmim!

Não se trata de ser mau, fraco ou pouco desenvolvido. Tudo é muito sutil nessa relação de encarnados para desencarnados e vise-versa. Não podemos esquecer que nunca estamos sós, como diria Paulo apóstolo, "estamos rodeados por uma nuvem de testemunhas". Que testemunhas afinal são essas a que se refere o apóstolo, se não os espíritos desencarnados dos homens que aqui conviveram conosco em outras vidas e até mesmo na atual?
Para sua reflexão transcrevo abaixo as perguntas 459, 460 e 461 de O Livro dos Espíritos.

459. Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos?
“Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.”
460. De par com os pensamentos que nos são próprios, outros haverá que nos sejam sugeridos?
“Vossa alma é um Espírito que pensa. Não ignorais que, freqüentemente, muitos pensamentos vos acodem a um tempo sobre o mesmo assunto e, não raro, contrários uns aos outros. Pois bem! No conjunto deles, estão sempre de mistura os vossos com os nossos. Daí a incerteza em que vos vedes. É que tendes em vós duas idéias a se combaterem.”
461. Como havemos de distinguir os pensamentos que nos são próprios dos que nos são sugeridos?
“Quando um pensamento vos é sugerido, tendes a impressão de que alguém vos fala. Geralmente, os pensamentos próprios são os que acodem em primeiro lugar.
Afinal, não vos é de grande interesse estabelecer essa distinção. Muitas vezes, é útil que não saibais fazê-la. Não a fazendo, obra o homem com mais liberdade. Se se decide pelo bem, é voluntariamente que o pratica; se toma o mau caminho, maior será a sua responsabilidade.”

Um abraço!

Muita Paz!

AWA
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 28 de Dezembro de 2009, 21:11
Boa Noite!


Compreendi que qualquer pessoa mais ou menos evoluida podera ser influenciada, correcto?
Essa voz que fala ou que nos fala, no modo de nos influenciar, podera ser confundida ou mesmo igual a um pensamento nosso?

Obrigada.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: awa em 28 de Dezembro de 2009, 21:53
Querida irmã!

O fato de ser mais ou menos evoluída, não determina se a pessoa encarnada será ou não influenciada pelo espírito desencarnado, até porque a influencia acontece em todo e qualquer estágio da evolução do ser espiritual, seja no mundo material ou espiritual. Dai o porque do espírito evoluído estar sempre sobre a influencia de seus pares, ou seja, a influencia nesses casos sempre será para o bem. No caso de espíritos ainda presos às teias inferiores, certamente, cederão às influencias de espíritos aos quais estejam sintonizados. Pensemos em canais de TV, onde cada um transmite uma programação diferente... Um, músicas clássicas, outro, programas infantis, mais adiante filmes eróticos e assim por diante... A escolha do canal por parte do telespectador, vai depender do seu grau de evolução intelectual e moral. Certamente quem escolhe o canal com uma programação de cunho intelectual já demonstra, por si só, o seu grau de evolução moral e intelectual alcançado. No entanto, se escolhe pelo canal ligado ao erotismo, demonstra claramente ainda estar preso ao mundo primitivo dos extintos sexuais inferiores.
Quanto à voz que nos fala lá no fundo, como dizem os espíritos em resposta a Kardec ela geralmente nos é sugerida sempre em segundo plano, como contraponto à nossa própria, por isso a idéia de duas em combate. Não podemos esquecer que nós, os espíritos encarnados nesse mundo de prova e expiação, e os que se encontram desencarnados na erraticidade, estamos nivelados, não em sentido absoluto, no mesmo degrau evolutivo. Ainda perseguimos a tão sonhada regeneração. E mesmo os que conseguirem penetrar nesse mundo maravilhoso da regeneração, terão ainda que conviver com aqueles que ainda estão em vias de regeneração.

Um abraço.

Muita Paz.

AWA
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 28 de Dezembro de 2009, 22:08
Muito Obrigada!

Ajudou muito.

Entao essa tal voz pelo que percebi podera ser trasmitida tal como um pensamento nosso que no fundo nao o é, correcto?
Poderemos tambem so ouvir essa voz, ou seja, o nosso proprio pensamento ser interrompido para que so essa que nao é nossa se fazer ouvir?


Obrigada pela atençao.


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 28 de Dezembro de 2009, 22:46
O ensino Espírita tem caráter geral, então não se o pode tomar como regra específica.
quando os Espíritos dizem que a influência dos Espíritos nos aparece em contraponto ao nosso pensamento falam de maneira geral.
Sendo assim, muitas vezes há idéias que eles nos sugerem que "batem" exatamente com aquilo que pensamos e de anterioridade á sugestão deles. Estes são os nossos pensamentos.,
Quando porém há pontos de desafinação com os nossos podemos ter a certeza de se tratar de sugestão espiritual.
Certa vez, no exercício de uma psicografia, tudo ia de acordo com o que eu pensava, mas a certo instante quis usar uma palavra em especial, pensando no efeito clarificador que ela daria ao texto, o Espírito então pediu-me que escrevesse apenas a palavra por ele utilizada, já que seria aquela que iria dar suporte ao todo do texto.
Debati um tempo com ele sob a palavra que me era mais interessante mas ele continuou com a mesma idéia.
Então, como sou "carne de pescoço", comecei a escrever a palavra que "achava" ser a melhor, e qual não foi a minha surpresa quando todo o raciocínio e mesmo a imagem do texto me sumiram da mente.
Descansei um pouco e voltei ao trabalho e nada...
Mais tarde, em outra tentativa usando neste momento a palavra sugerida pelo Espírito, recebi todo o texto que consegui terminar.
Ao reler o Escrito notei, que se tivesse utilizado a minha palavra, o texto ficaria ambíguo e daria margem a mais desentendimentos do que clarificaria a idéia que o Espírito me queria passar.
Desde então passei a respeitar mais aos Espíritos que me trazem respostas, mensagens ou ensinos, mas mesmo assim ainda debato muito com eles.
Pensava, estaria errado em assim agir? Qual não foi o espanto quando a estudar a primeira edição do Livro dos Espíritos logo nas aferições do autor encontrei a resposta: Kardec também debatia as vezes por mais de semana certos assuntos com os quais ainda não concordava por inteiro.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: awa em 29 de Dezembro de 2009, 01:40
Queridos irmãos!

Quando se tem o conhecimento e, no caso do nosso irmão Moura, é notória sua bagagem espírita, de forma que, no exercício da mediunidade num ambiente apropriado, como o relatado por ele, é, ao longo da prática mediúnica, possível travar esse diálogo, consciente, com a entidade comunicante. No caso de Kardec, entendo que não houve exercício de atividade mediúnica por parte do codificador, e sim questionamentos dele, às mensagens recebidas pelos médiuns, que foram os porta-vozes dos espíritos.

Com relação aos seus questionamentos, querida Arcoiris, no cotidiano, penso eu que com relação à questão 459, essa direção se dá de uma forma tão sutil e natural, que à vezes nem percebemos. Quando essas vozes passam a ser mais evidentes, penso buscarmos ajuda, para detectarmos, se não se trata de necessidade de desenvolvimento da mediunidade ou, se não é o caso de tentativas de espíritos levianos ou com os quais guardamos compromissos, pendentes, que precisam ser resolvidos. Em todo caso quando acontece a obsessão ou a subjugação, essas voz tendem a querer nos calar sim e, isso não é bom.

Um abraço.

AWA
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 29 de Dezembro de 2009, 12:59
Exatamente mano awa,
Kardec não tinha mediunidade ostensiva, e por isso se fazia entender com os Espíritos através de médiuns a quem passava as perguntas e mesmo por estes debatia com os Espíritos.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 29 de Dezembro de 2009, 22:10
Boa Noite!

Muito Obrigada.


E quando somos influenciados por espiritos inferiores e que so nos influenciam nas nossas fraquezas e para nos deixar mal e perdermos tudo, teremos que ser necessariamente iguais a eles, ou seja, com os mesmos defeitos e qualidades?

Obrigada.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: awa em 30 de Dezembro de 2009, 12:34
Querida Arcoiris

A influencia de espíritos inferiores, invariavelmente se dá em razão de nossas imperfeições morais (fraquezas) e, claro nos levam num segundo momento a estados de baixa auto-estima. A escolha de sintonia é nossa sim! Portanto, se estivermos decididos a mudar nossa conduta moral, não terão eles (espíritos inferiores) outra alternativa se não se afastarem, visto que não encontrarão mais em nós a satisfação de suas vontades.

Obs: Não deixe de consultar o Livro dos Espíritos, nas questões relativas ao CAPÍTULO IX
"DA INTERVENÇÃO DOS ESPÍRITOS NO MUNDO CORPORAL". O Livro dos Médiuns - CAPÍTULO XX - Da influência moral do médium. - Questões diversas. - Dissertação de um Espírito sobre a influência moral - CAPÍTULO XXI - Da influência do meio - CAPÍTULO XXIII - Da obsessão.

Um grande abraço!

AWA
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 01 de Janeiro de 2010, 17:33
Olá, Arcoiris,

Complementando o esclarecimento dos colegas, vou exemplificar a influência dos Espíritos inferiores assim:

O Espírito é como se fosse uma carapaça impenetrável, porém composta de inúmeras "portas" que representam cada uma as virtudes que aspiramos ter, com um detalhe, a "maçaneta" está pelo lado de dentro e toda vez que pensamos em algo, sintonizamos com alguma entidade na mesma faixa vibracional o que faz com que "abramos a porta" para a sua influenciação.

Estes são os meios pelos quais os obsessores se utilizam para nos influenciar: o nosso próprio pensamento.

Assim irmã, o caminho para se livrar da influenciação inferior é VIGIAR E ORAR.


Luz e Paz.

Torrezan
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: awa em 01 de Janeiro de 2010, 18:51
Olá Queridos irmãos!


Não podemos esquecer também que há influência de encarnados para desencarnados, como de encarnados para encarnados, sendo assim podemos conceber que tudo se passa em função dos nossos pensamentos... se desejamos o mal a alguém e, esse alguém esta desencarnado, ou encarnado, os espíritos a quem estamos ligados podem, sob a influencia de nossos pensamentos, ser os agentes do nosso desejo, para o bem ou para o mau. É dessa forma que funciona as energias transmitidas, nos passes magnéticas... nas vibrações boas ou ruins que temos para com as pessoas que convivemos.

UM GRANDE ABRAÇO!

awa
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Hannah Nobre em 02 de Janeiro de 2010, 15:40
Espiritos que intervem a vidas alheias,
também podem intervir em qualquer outro fator

É um tema muito interessante pelo fato de nos resgatar a essa aceitação de que talvez não sejamos nós cujo o pensamento é remetido a tomar determinada decisão,mas sim alguém que vos sopra para fazer algo.

Lhes pergunto:

existira neste mundo ,um fator cujo o tal,um espitiro bom nos ajudasse a tomar decisões para que não soframos no mais tardar?

Eu creio que não,certo?

Então me respoderiam uma questão?Escuto vozes sussurrando para comigo,dizendo o que fazer e o que vai acontecer.Não somente eu,mas como meu pai também.Seria um espirito?Mas o que ele teria em mente em conseguir a este respeito?tudo o que nos falam dá certo,e é positivo.Mas por que uma entidade ,premitoriamente boa,estiria a ajudar meros mortais que não fizeram nada para invoca-las?
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 02 de Janeiro de 2010, 15:53
Hannah,
os bons Espíritos estão SEMPRE a nos soprar bons pensamentos.
mas eles não itervêm ou seja, não interferem em nossos atos, isso eles não podem fazer.
Cabe a nós estarmos sintonizados  para ouvirmos aqueles sopros que eles nos enviam, e assim errarmos menos, esse o nosso trabalho de casa.
Quanto a sua pergunta: Se algum de nós, aqui neste fórum disser "é um Espírito" ou ainda "não é um Espírito",não acredite.
Não há medium que o possa fazer. Isso segundo a doutrina Espírita.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Disc em 02 de Janeiro de 2010, 16:55
Se o que as vozes dizem, realmente acontece, então deve ser realmente Espíritos. Os bons espíritos gostam muito de ajudar às pessoas boas e você deve ter feito algo de bom em outra encarnação para merecer a assistência deles. O bem sempre atrai o bem e através de nossas boas ações e nossas orações, atraímos boas companhias espirituais que nos ajudam em nossas jornadas. Como eu disse em outro tópico, procure conhecer a Doutrina Espírita, que será a sua melhor aliada para que entendas os fenômenos que presencias. Uma leitura de O Livro dos Espíritos nos abre um horizonte totalmente novo, levando-nos a um novo nível de entendimento sobre a vida. Se gostar, recomendo ler também O Livro dos Médiuns e O Evangelho Segundo o Espiritismo para uma compreensão ainda melhor da doutrina e do que ocorre com você.
Conhecendo o Espiritismo, se os livros indicados lhe fizerem bem, recomendo procurar um curso de educação mediúnica em um centro espírita que siga as orientações de Allan Kardec. Você tem um dom divino e deve aproveitar. Eu mesmo gostaria muito de ter uma mediunidade desenvolvida para trabalhar pelo bem do próximo.
Se precisar de mais esclarecimentos, fique à vontade para postar as suas dúvidas.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 05 de Janeiro de 2010, 22:25
Boa Noite!

A nossa conduta moral pode ser a vários niveis certo? Podera ser referente a medos e a nivel psicologico que estejamos mais fracos e assim nos influenciem os espiritos inferiores?

Quando se refere a VIGIAR sera em que termos?


Muito Obrigada!

Abraço.

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Disc em 05 de Janeiro de 2010, 22:50
Quer dizer que devemos vigiar nossas ações e intenções para que não façamos o mal, que fiquemos atentos para não errarmos.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: awa em 05 de Janeiro de 2010, 23:57
Olá querida Arcoiris!

Quer dizer que as intenções são mais danosas que as ações, pois elas se formam primeiro em nós. As ações são o fruto, ou a materialização da intenção. Jesus já dizia que mesmo que não venhamos a praticar em atos o adultério, o fizemos em pensamento, porque a intenção gerou uma energia tal, que a descarregamos na pessoa mentalizada. Vamos citar como exemplo os crimes de seqüestro, assalto, vingança, etc... onde há planejamento, ou seja nasce primeiro a intenção de efetuar a ação e para tanto os pensamentos fervilham em função daquilo que se quer praticar. No caso dos deslizes que planejamos em nosso íntimo, muita vez não se é punido pela Lei humana porque não realizamos a ação, daí entendermos o que Jesus quis dizer.."já pecastes em pensamento".
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 07 de Janeiro de 2010, 22:58
Boa Noite!


Se me pudessem ajudar na primeira questao, agradecia.


Obrigada a todos.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: awa em 08 de Janeiro de 2010, 00:12
Olá Querida Arcoiris!

Citar

"A nossa conduta moral pode ser a vários niveis certo? Podera ser referente a medos e a nivel psicologico que estejamos mais fracos e assim nos influenciem os espiritos inferiores?"

Penso que só existem dois lados ou níveis, ou se é ou não moralmente evoluído. Não se é mais ou menos ruim. Não se trata também de fraqueza psicológica ou a medos, a influencia dos espíritos se dá unica e exclusivamente por uma conseqüência da Lei Natural - necessidade de intercâmbio entre as duas esferas, material e espiritual, para tanto o homem já é dotado do órgão apropriado para processar esse intercâmbio. Daí a mediunidade ser orgânica.

Um abraço

AWA
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 08 de Janeiro de 2010, 00:44
Olá Arcoiris.

A conduta moral não é reflexo dos medos e do estado psicológico que nos encontramos, e sim, o medo e o estado psicológico são reflexos da moral que temos.

Assim, permitir a influência de espíritos inferiores é uma consequência da lei de atração e repulsão de fluídos. Essa permissividade nada mais é do que uma sintonia de pensamentos com as entidades obsessoras.

Vigie sempre, ou seja, mantenha-se serena e cônscia das situações que possam lhe ocorrer e mentalize sempre Jesus para que a ilumine nos seus pensamentos e atitudes.

Por exemplo: se for dirigir, o que pode lhe acontecer? irritar-se, pensar mal do colega que está à sua frente fazendo barbeiragens ou atrás a buzinar, etc., O que fazer? Vigie suas atitudes, não se irritando, não julgando e não gerando pensamentos negativos na psicosfera onde você se encontra. Imagine-se você no lugar dessas pessoas, o que gostaria que pensassem de você se estivesse no lugar deles? Se estivesse à frente e estivesse atordoada pelos pensamentos ou atrás com um familiar doente que necessita da sua presença urgente? O que gostaria que fizessem? Como não sabemos o que está acontecendo à nossa volta (e sempre está), porque criar mais um débito?

Esqueça escalas ou níveis e atenha-se nos seus pensaentos e nas suas atitudes. É só isso que faz a diferença.

Pense nisso.

um abraço
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 08 de Janeiro de 2010, 20:54
O que é a moral?
Um conjunto de regras aprovadas como normais e usuais pela sociedade.
Ora, se assim o é, a conduta moral deve seguir a tais regras. Só isso.
A moral Espírita compreende o ensino basilar de querer para o próximo aquilo que se quer para si.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 11 de Janeiro de 2010, 23:56
Boa Noite!


A razao das minhas duvidas recae no sentido em que varias pessoas formadas no assunto ja me informaram que teria mediunidade de incorporaçao, onde os sintomas que tenho passam pela influencia ao nivel dos pensamentos, sentimentos e emoções onde emocionalmente tenho certos medos e fraquezas ou incertezas dado a nivel psicologico nao estar estavel, dai estar a ser acompanhada por um psicologo e uma vez por semana assistir a doutrina espirita.A influencia e os sintomas ja me fizeram chegar a uma quase depressao pois deixei de praticamente viver bem ou normalmente pois a minha cabeça esta sempre ocupada com pensamentos contrarios aos meus e que me fazem sentir muito mal comigo propria.
Estarei no bom caminho? No psicologo ajudarme na parte psicologica e nas fraquezas para que deixem de existir e assim nao me influenciarem espiritos inferiores nesses campos?e tb assistir a doutrina?


Obrigada.

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: awa em 12 de Janeiro de 2010, 00:21
Arcoiris

O Apoio de um profissional na área da psicologia, com certeza é de fundamental importância para o seu tratamento, bem como a assistência em uma casa espírita.

Muita Paz!

AWA
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 12 de Janeiro de 2010, 01:34
Boa noite Arcoiris.

A busca de um profissional sempre ajuda, mas procure um psicólogo espírita e aí as coisas vão ficar mais fáceis d'ele ted compreender.

Quanto a sua mediunidade não dê ouvidos a teorias. A melhor coisa a fazer é ler o Livro dos Médiuns e a Literatura afim para complementar o seu conhecimento.

Lembre-se, sempre. de que os médiuns, segundo Emmanuel, "em sua generalidade, não são missionários na acepção comum do termo; são almas que fracassaram desastradamente, que contrariaram, sobrtemaneira, o curso das Leis Divinas e que resgatam, sob o peso de severos compromissos e ilimitadas responsabilidades, o passado obscuro e delituoso." .....
"quando o médium guarda a noção de fragilidade e pequenez, pela convicção de q
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 12 de Janeiro de 2010, 01:39
continuando...
..."de que é uma alma em processo de redenção e aperfeiçoamento, pelo trabalho e pelo estudo, está se preparando, com segurança, para o triunfo nas lides do Espírito Eterno."

E Emmanuel assevera: "Mesmo o médium sob excelente assistência espiritual (...) não deve descurar-se da própria vigilância, lembrando sempre de que é uma criatura humana sujeita, por isso, a oscilações vibratórias, a pensamentos e desejos inadequados."

Portanto Arcoíris, Instrua-te primeiro, ame, viegie e serve.

Luz e Paz.


Um abraço

Torrezan
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 12 de Janeiro de 2010, 14:45
O mano Torrezan está correto amigo,
segundo a doutrina não há encarnado que lhe possa falar a respeito de qualidades mediúnicas que você tenha.
Estude primeiro, e quando houver oportunidade tente, a coisa é assim, tentativas e estudo.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 13 de Janeiro de 2010, 00:33
Boa Noite!

Muito Obrigada pelas respostas.


Em relaçao tambem às influencias, como se processa a influencia, ou seja, como podemos sentir e pensar algo que não é nosso?Ou como é que algo que nao é nosso chega a nos se nao faz parte de nos?


Os espiritos, na influencia em nos, "como o gato espreita o rato", sabem o que vai acontecer?Ou seja, sabem o que vamos pensar e sentir e assim ao mesmo tempo influenciar da maneira que querem?

Obrigada.

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 13 de Janeiro de 2010, 00:41
Olá Arcoiris!

Lembra-se das portas com os trincos por dentro?

Pois é, O pensamento ou a faixa vibracional sua é que vai permitir a aproximação e influência.

Uma vez emitido o pensamento vem as influencias que não são suas. Saiba distinguir o que é seu pensamento e o que é influência.

Quando pensar em algo e perceber que abriu uma porta, pense em Jesus e o que ele faria numa situação idêntica e ai sua vibração irá mudar.

Os espíritos inferiores não tem poder de prever o que vais pensar, mas sabem das suas fraquezas. Como já caiste nos pensamentos obscuros, podem sim ficazr a espreita de um novo deslize.

Por isso a recomendação:

Instruir-se, Orar, amar, vigiar e servir.

um abraço


Torrezan
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 13 de Janeiro de 2010, 00:44
Olá.

Lembrando, Arcoiris,éssa influência só é permitida por Deus para o seu progresso.

Só podes desenvolver uma virtude na tribulação.

um abraço


Torrezan
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 13 de Janeiro de 2010, 00:56
Obrigada!

Entao podemos pensar em algo e ao mesmo tempo,no mesmo momento, como sabem que é fraqueza, influenciar, correcto?

Mesmo com os espiritos inferiores podemos progredir?E como?

Como a influencia nos chega ja compreendi perfeitamente, como o pensamento e corpo conseguem possuir algo que nao é seu, é que inda nao percebi muito bem.

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 13 de Janeiro de 2010, 01:36
Olá.

Não podemos duvidar da velocidade do pensamento: pensou, conectou.

Sabem que é fraqueza por que o pensamento é na mesma faixa do deles, então partem para a sugestão de atitudes e palavras dentro do objetivo deles que é verem você falhar.

Eles influenciam mais do que imagina, podem até controlar você!

O progresso é como um par de asas: A moral e a inteligência. Para poder voar as duas tem que estar em equilíbrio. Instruindo-se e vigiando suas atitudes e pensamentos, podes tornar essa influência benéfica.

Os espíritos que te influenciam podem não ser tão inferiores assim: podem apenas estar querendo vingar-se de atitudes nossa para com eles no passado.

Como tornar essa convivência amistosa?

Tenha o hábito de fazer o evangelho no lar semanalmente.

Ore por esses irmãos que ainda não puderam enxergar a luz como tú, pois isso é caridade. Tenha para com o seu próximo atitudes que gostaria que tivessem para contigo.

O evangelho é o guia seguro para tua iluminação.

um abraço


torrezan
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 13 de Janeiro de 2010, 13:52
Na verdade o único caminho para estar melhor preparado para influências ruins é manter o campo mental alteado, este o único remédio.
De nada me adianta fazer tres vezes por dia o evangelho e continuar na mesma faixa de pensamentos.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 13 de Janeiro de 2010, 14:51
Sim, Moura, concordo contigo, mas para o verdadeiro espírita o Evangelho é o roteiro seguro para a manutenção do estado mental em sintonia com a espiritualidade amiga.

A tua colocação é parecida com a confissão ao padre onde ele determina uma certa quantidade de orações para apagar a tua falta.

O Evangelho do Cristo, bem compreendido, direciona o estudioso dedicado para o caminho do bem.
]

Um abraço


torrezan
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 13 de Janeiro de 2010, 14:57
Exatamente mano Torrezan!
Sabemos que não é a quantidade nem mesmo a prolixidade nas orações que nos vão fazer mais "bonitos" aos olhos de Deus.
mas parece que a muitos essa visão ainda não foi mostrada mano.
Esperam por milagres e dizem, "olha depois que comecei com o "culto" do evangelho no lar, me modifiquei.
Ora, esta é uma falácia pois mesmo o entendimento do que seja o estudo do ESE no lar, não foi compreendido.
Assim como Paulo ensinava "só se contamina aquele que é contaminável", só se pode modificar-se através de trabalho diário e sério do "conhece-te a ti mesmo".
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 13 de Janeiro de 2010, 18:59
Olá amigos! A influência dos espíritos se dá mais do que supomos ou possamos imaginar, afinal de contas são aproximadamente 6 bilhões de irmãos encarnados e 30 bilhões desencarnados. As influências podem ser sutis, bem como ostensiva. Agora, através de muita leitura, venho percebendo que enquanto mais nos ligarmos e nos harmonizarmos com o "bem", estaremos cultivando um ambiente ou uma situação que desagrada e repele irmãos menos esclarecidos e que nos acompanham no intuito de nos enveredar por caminhos tortuosos, segundo seus caprichos e vaidades. Se nos esforçarmos para trabalharmos nossa mente sempre pro bem, pro positivo e para uma fé racional, não só dissiparemos o "mal" como atrairemos irmãos que nos serão simpáticos a um estado de espírito mais elevado. Um abraço fraterno a todos.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elisiane em 14 de Janeiro de 2010, 12:58
Sobre esse assunto gostaria de colocar uma situação que estou vivenciando em minha casa, minha filha de 5 anos, anda com muitos medos, desde um dia que ela viu um filme na tv, (22/dez.) apartir dai essa menina não consegue dormir tranquilamente, acorda, chora, se vamos acolher ela quando esta nessa situação ela grita, pede que largue, se joga no chão é horrivel, e agora ela anda com muito medo, não fica sozinha em lugar nenhum da casa, nem no banheiro mais quer ir, pode ser algum espirito que anda rondando ela? por favor me deem uma ajuda, estou ficando agoniada, até a Baba ta com medo, de ficar com ela.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 14 de Janeiro de 2010, 14:02
Bom dia Elisiane! Qeu a paz do mestre Jesus esteja convosco.
Sua filha tem uma mediunidade bastante adiantada, mas como criança ainda não pode entender, sequer  controlar. A oração nesses momentos é um bálsamo que a manterá em ligação com amigos socorristas. Peça a Deus a intervenção de nossos amigos espirituais em auxílio a sua filha. Mantenha um ambiente agradável em sua casa, sem discussões, limpo  e não trate esse assunto como coisas do "Demônio". Todo e qualquer ambiente físico e mental tem que estar em busca constante do equilíbrio. Não esqueça que nosso mestre JESUS já orientava...ORAI E VIGIAI! Procure um centro kardecista para dar passes na sua filha e tb para obter maiores esclarecimentos...pois a verdade nos liberta dos medos do desconhecido. Oro por vc e sua pekena e que a paz de Jesus Esteja em seu lar.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Janeiro de 2010, 14:37
Amiga Urbietas,
segundo a dourtrina espírita não há ninguém que possa atestar que fulano seja médium, ainda mais assim, sem mesmo se conhecer a quem se quer atestar como médium.
Sendo assim, neste caso e por meio deste fórum ou de qualquer outro, ninguém está em posição de afirmar nada .
Ao fazermos isso, abrimos para quem, como no caso, já esteja preocupada e com medo, uma espectativa que piorará ainda mais seu estado.
Por favor, não faça isso. Afinal somos Espíritas, mas não adivinhos.
 amiga elisiane,
não acredite em nada que se propuser a dizer que sua filha seja médium apenas pela leitura de um email ok?
No mais das vezes esses medos como os que acometem a sua filha, passam com o tempo e não querem dizer nada sobre influencia de Espíritos
Eu mesmo quando criança ao assistir um filme onde uma pessoa teria de perder uma das pernas, passei longo tempo a encher a cabeça dos meus pais para me levarem ao médico, achando que estava com uma infecção.
com se vê ainda possuo duas pernas bem fortes hehehhe
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: dim-dim em 14 de Janeiro de 2010, 14:58

Olá!

citar
Por favor, não faça isso. Afinal somos Espíritas, mas não adivinhos.
Abração,
Moura
---------------

Ah! Sempre a estragar a brincadeira aos meninos.
Eu a pensar que além da doutrina das consolações também era dos bruxos, dos adivinhos.
Ah! Já me esquecia, agora também é a doutrina casamenteira, anda por aí o S. António.

Não façam caso, são só ideias. Vou tentar perguntar aos Espiritos Superiores e a Kardec, se eles não se enganaram quando falaram em acabar com todas as paixões materiais, e não amar nada além de Deus. Estou com duvidas.


Namasté
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 14 de Janeiro de 2010, 15:46
Que isso gente!Vamos com mais educação ao se dirigir as pessoas...Posso me enganar ao tentar ajudar, e claro , posso ser corrigida como o amigo Moura o fez...mas o tom de deboxe não deveria caber aqui....
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: miguel.rodrigues em 14 de Janeiro de 2010, 16:19
Ola a todos! Sou  novo no forum e estou muito interessando neste tema.
Conforme disse que o livre arbitrio não é tão livre assim por ser comandado pela vontade, mas eu pergunto, a vontade, não é uma forma de expressar o nosso livre arbitrio?
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Janeiro de 2010, 16:22
A vontade é o moto desencadeador do processo de execução do livre arbítrio, mano Miguel.
Se não existir vontade, não há ação. Sem Ação não se executa o livre arbítrio.
abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Janeiro de 2010, 16:26
Que isso gente!Vamos com mais educação ao se dirigir as pessoas...Posso me enganar ao tentar ajudar, e claro , posso ser corrigida como o amigo Moura o fez...mas o tom de deboxe não deveria caber aqui....

Maninha Urbieta,
não julgue tão fortemente ao mano dim-dim.
ele é um cara espirituoso e brinca muito, no caso brincou não sobre o que você disse mas sobre o que eu escrevi.
É apenas a manifestação bem humorada do meu maninho,  mas nunca deboche.
abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 14 de Janeiro de 2010, 16:42
Ok Moura...sem problemas

 ::)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Janeiro de 2010, 16:45
Eu também, maninha Urbieta, malgrado a minha careca, sou por vezes um molecão e perco amigo mas não perco a piada.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 14 de Janeiro de 2010, 16:56
rsrsrs...essa foi boa!
Engraçado como são as coisas...eu sou mais jovem e mais "séria"..acho q tenho muito q aprender....não vejo qq piada com bons olhos, sempre me parecem críticas ou deboches, entende? Mas tudo bem..tudo esclarecido, já está tudo ok.
Abços

Ana. ;D
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: dim-dim em 14 de Janeiro de 2010, 17:46

Olá!

Ai, ai...Amigo Moura!

Obrigadinho, já me safou de mais um puxão de orelhas, mano velho. Mas em última análise, também não fazia mal, pois já sou mais espirito que homem, já não tenho orelhas!

Brincadeira, e além do mais, apenas se critica ideias, não pessoas, como manda as regras!


Namasté
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 14 de Janeiro de 2010, 17:53
Olá dim dim....

vim me redimir pelo mau julgamento!
Espero que aceite minhas desculpas...

Abraços,


Ana.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Hauch em 14 de Janeiro de 2010, 17:58
Que isso gente!Vamos com mais educação ao se dirigir as pessoas...Posso me enganar ao tentar ajudar, e claro , posso ser corrigida como o amigo Moura o fez...mas o tom de deboxe não deveria caber aqui....

Irmã Urbieta, que a Paz e o Amor de DEUS e de nosso MESTRE JESUS permaneça em nossos corações.
Por favor não se surpreenda com os "posts" neste fórum. Você verá de "tudo", e não deixe que isso à afaste, abstenha-se de discussões, mentalize Jesus e faça uma prece antes de entrar, exponha suas opiniões independentemente da contradição de outros membros; e continua conosco. Não há nada que fale sobre evolução virtual no plano espiritual. Abraços fraternos.

Irmão Hauch.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 14 de Janeiro de 2010, 18:03
Vou continuar sim irmão Hauch...só estou tentando não deixar ou ter más impressões, afinal, mesmo "virtualmente" é ruim causar ambientes desagradáveis...um abraço fraterno.

Ana.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: dim-dim em 14 de Janeiro de 2010, 18:06

Olá!

Nada há a desculpar Ana, os espiritos gostam muito de brincadeiras, amiga!

Os seres humanos, quanto mais vencem as paixões e vícios, quanto mais se desmaterializam rumo ao mundo espiritual, mais alegres ficam, são invadidos por uma alegria incomparável, divina!


Namasté
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elisiane em 14 de Janeiro de 2010, 18:10
Ai gente que legal gostei de ficar lendo as mensagens de vocês, assim vou aprendendo obrigada amiga, Urbieta, eu vou procurar um centro para ver se la podem me ajudar, mas obrigado pela resposta. Beijos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 14 de Janeiro de 2010, 18:12
Por nada Lisi..que Deus esteja sempre com vc e te ajude nessa caminhada.

abraços fraternos

Ana

 ;)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Zefiro em 14 de Janeiro de 2010, 18:55

      Muitas vezes exageramos em dizer em que os espiritos nos conduzem.

      Nós temos poder, nossa mente tem poder.
 
      É em nossas fraquezas que eles se fortalecem, ou seja, em momentos de cólera virão as más entidade aproveitarem nossa porta aberta e irão incitar mais nosso ódio.

     E nesta regra se estende até os anjos.

      Os espiritos não nos controlam sem nossa permissão, seje esta consconciênte ou inconsciênte.

 Muito Grato.
 Dominus Vobiscum.
 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 14 de Janeiro de 2010, 19:12
é isso ai Dan..nós somos os ímãs e não eles...

Abços,

Ana.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Hauch em 14 de Janeiro de 2010, 19:33
Ai gente que legal gostei de ficar lendo as mensagens de vocês, assim vou aprendendo obrigada amiga, Urbieta, eu vou procurar um centro para ver se la podem me ajudar, mas obrigado pela resposta. Beijos

Companeira Elisiane, procure informar-se sobre à "procedência", não se trata de preconceitos, mas tente focar às casas espíritas que dão ênfase aos estudos do Pentateuco (Obras Básicas de Kardec). Existem vários rótulos para os Centros Espíritas, tais como, de mesa, linha branca e etc...Não costumo indicar centros de médiuns que encorporam ou psicografam nas reuniões, muito menos cirurgias espíritas. Estes costumam ser mais místicos que Kardecistas; procure por centros que tenham palestras abertas ao público, que não exijam roupas brancas; acho que deu pra captar à mensagem,né?! Se conselho fosse bom não se dava, mas entre em contato, e pode ser por e-mail mesmo, com o Centro Espírita Léon Denis, apesar de ser no aqui no Rio, poderá lhe dar alguma indicação na sua cidade.
À você Ana, creio que tenha compreendido também, assim como um companheiro falou-me, aqui mesmo do fórum, quando me estarreci de início: "A estrada vai sempre no sentido evolutivo e em frente, mesmo que tenhamos que dar umas voltinhas lá pra esquerda ou direita, seu traçado será sempre pra frente e em aclive. Simplesmente aceitemos, e em muitas vezes nem precisamos opinar, caso ás respostas não estejam nos agradando. Mantenha sua consciência vibratória e simplesmente retire-se. (No mas fraternal possível dos amores, e por favor não me interprete mal; gostei de você.)
Que à Paz de DEUS permaneça conosco hoje e sempre.  

Irmão Hauch
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Hauch em 14 de Janeiro de 2010, 19:36



COMPANHEIROS O TEMA JÁ MUDOU? É ISSO MESMO, POIS FALÁVAMOS DO SER HUMANO?!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 14 de Janeiro de 2010, 19:47
Concordo com vc Hauch... e não te interpretei mal, de modo algum..aliás eu realmente não tenho q ficar fazendo interpretações do que possivelmente não entendi...to me policiando pra errar menos.

Abraços,

Ana.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: dim-dim em 14 de Janeiro de 2010, 19:51

Olá!

O ser humano não existe...É só um efeito.


Namasté
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: miguel.rodrigues em 14 de Janeiro de 2010, 20:04
concordo com vc Moura. Com isto podemos dizer que o livre arbitrio é realmente livre, pois depende de nossa vontade transformada em ação. É ai que o ser humano erra por demais, na vontade transformada em ação.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Janeiro de 2010, 20:39
Sim Miguel, e fica mais livre quanto mais evoluamos intelecto-moralmente.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 14 de Janeiro de 2010, 22:37
Boa Noite!

Muito Obrigada.


Quando fala em que os espiritos nos podem controlar pode ser em que termos?

Podem nos influenciar ou sugerir sentimentos e emoçoes?Ou seja, no meu caso fazem me sentir tudo ao contrario, o que gosto influenciam para nao gostar, sugerem sentimentos de nao gostar, e o que nao gosto, sugerem sentimentos que gosto, pode acontecer?

Nos sonhos, tambem pode acontecer influencia?Ou seja, acontecer o que acontece dia a dia e me deixa mal, nos sonhos tambem acontecer pelo facto de pensar muito nisso?


Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 15 de Janeiro de 2010, 00:42
Vamos deixar bem, claro uma coisa.
Espíritos não nos podem controlar por regra.
A exceção é do que se fala, quer dizer, em casos de obsessões fortes, subjugações ou possessões há ali uma grande diferença para o estado normal de qualquer ?Espíritos e por uma fieira infindável de causas.
Assim, este controle, que não pode ser exercido ininterruptamente, só existirá depois de estabelecido um vínculo forte entre obsediado e obsessor.
No estado normal o e todo Espírito é e está detentor de suas capacidades e do livre arbítrio.
Um exemplo apontado por Kardec e o de um moço, de boas feições que se ajoelhava e beijava o chão por onde qualquer mulher passasse. Exem0lo flagrante de obsessão forte.
Importante também deixar bem frisado que para a doutrina interferência é uma coisa e influênciua outra.
Explico: Interferência é o ato pelo qual um demove outro de fazer ou deixar de fazer aquilo a que se destinava a fazer.
Influência é o ato pelo qual um sopra incansavelmente a outro uma idéia fixa, no intuito de modificar o rumo de sua ações.
Vemos isso aclarado na RE quando o codificador explica que há possessão boa.
Esta se dá quando a premência e importância do assunto é de tal ordem, que o Espírito designado para fazer a revelação se apossa, sob a anuência do apossado, de suas faculdades e faz a revelação.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 15 de Janeiro de 2010, 01:48
Olá colegas!

Temos que cuidar em afirmar qualquer coisa dentro da doutrina. Principalmente quando a influenciação dos espíritos.

Vou citar os tres caminhos mais comuns que eles se utilizam para atingir o seu objetivo:

1. Sexo - atrações, desejos e outras tecnicas de sedução

2. Poder - nem precisa explicar

3. Narcisismo - elogios, curas, egocentrismo

Nós conhecemos muito pouco a manipulação de fluídos (quando encarnados) e, principalmente nosso passado delituoso.

Lembrem-se de que a encarnação tem seu ciclo completado apenas aos 7 anos. Então os laços que unem o corpo carnal ao perispírito até esta idade são muito frágeis, logo a influenciação dos inimigos desencarnados é forte até esta idade.

Então, é muito importante tirar orientações fraternas, evangelização infantil, passes, evangelho no lar, etc.

Leiam a pergunta 383, 384 e 385 do Livro dos Espíritos e vejam o quão é importante o papel dos pais.

Vejam também em Missionários da Luz de André Luiz, psicografado por Chico, no capítulo da Reencarnação de Segismundo, etc

um abraço
torrezan
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 15 de Janeiro de 2010, 01:51
Alem do que as colocações do Moura explicam muito bem estas situações.


um abraço



torrezan
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 15 de Janeiro de 2010, 02:03
Obrigada!


Pois no meu caso pelo que me informaram ja existe obsessao forte pois foi destinada a me deixar mesmo na desgraça, o que tento sempre que tal nao aconteça pois tenho sempre a força para combater seja o que for que seja para me deixar mal, assim, ja pode haver controle correcto?

Portanto, e como no meu caso, se nao me deixam sentir o que é de mim, e so fazerem sentir o que eles querem que sinta ou que influenciam para tal,  os espiritos tambem podem causar interferencia correcto?Ou melhor interferencia e influencia.


Abraços.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 15 de Janeiro de 2010, 13:25
Arcoiris,
onde a amiga conseguiu estas informações?
Foi feito algum atendimento fraterno com você em casa espírita?
Houve algum trabalho mediúnico para pesquisar sobre obsessão em você?
Se a resposta a estas perguntar for um não, não acredite.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: URBIETA em 15 de Janeiro de 2010, 13:54
Amiga Arco ìris,

Quando vc diz " no seu caso", vc se refere a q? acha q tem alguém tentando intervir na sua vida utilizando-se de "macumbas", magias ou coisas do Gênero? Reforço o que nosso amigo Moura citou...não acredite, se não veio de fonte segura (uma casa espírita de trabalho sério). Procure esclarecimento em livros baseados na doutrina que a ajudem a ver a situação de outro prisma...nunca somos vítimas, principalemtne dos que nos querem mal, seja qual for o motivo. A medida que conhecemos a verdade, ela nos liberta. Na estrada da nossa vida, muitos são os encontros para resgatarmos e corrigimos situações com nossos irmãos de outrora.

Abraços

Ana
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 15 de Janeiro de 2010, 13:59
Olá amigos(as)

Deixo uma pergunta ,seguida de resposta, em relação á influência dos espíritos nas nossas vidas, que é bem elucidativa. É certo que no nosso estado evolutivo presente nos faz ser muito influenciado, mas que só fazemos o que queremos, aí isso é verdade. ;) ;) ;) ;)

Pergunta:

Porventura, o soldado não é obrigado a cumprir as ordens do comandante? O pelotão de fuzilamento encarrega­do de executar criminosos sentenciados pelo poder civil ou inimigos punidos pelo poder militar de segurança pública, deve recusar-se a cumprir os ditames da Lei? — objetou um espírito majestoso, com os trajes característicos de um árabe.

Resposta:

—  Meus irmãos: mata quem quer! Alguém poderia obri­gar Jesus, Buda, Francisco de Assis ou Ghandi a matar, mes­mo oficialmente? Acaso êles seriam capazes de trucidar crianças, mulheres ou velhos indefesos, só porque estão' auto­rizados pelo comando superior? Quem poderia conceber o amorável Jesus na mira de um fuzil, tentando acertar no coração de um sentenciado?

 Bem, — insistiu o árabe — Sem dúvida, esses espíritos jamais praticariam qualquer ato de destruição. Mas que de­vem fazer os soldados submissos a um comando tirano e cruel?

 Isso é decisão íntima de cada combatente, pois êle tanto pode optar pela atitude pacífica do Cristo e perdoar o vencido, ou trucidá-lo obedecendo aos chefes belicosos e vin­gativos. Em qualquer momento o homem dispõe do direito de matar para não morrer, ou morrer para não matar! Indu­bitavelmente, isso há de variar conforme o seu maior ou me­nor apêgo à vida carnal, porque Jesus não só valorizou o pre­ceito pacífico do 5.° mandamento, "Não Matarás", assim como afirmou, "Quem perder a vida por mim, ganha-la-á". Caso todos os soldados se recusassem a matar, contrariando as or­dens cruéis dos comandos perversos, é óbvio que as guerras também se extinguiriam por falta de agentes de destruição. Temos o exemplo das legiões de Maurício: convocadas para destruir, preferiram morrer em vez de matar!

SAUDAÇÕES FRATERNAS
 

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 15 de Janeiro de 2010, 14:05
Deculpe-me amigo cancela, mas a resposta é mal elaborada e tendenciosa.
Um soldado vive e tem sua vida no cumprir ordens.
Numa guerra até o assassinato não é muito apenado senão em virtude da violência excessiva ou de atos como se viu nos campos dos Estados Unidos lá fora, onde soldados puxavam pela coleira presidiários políticos ou extremistas.
Numa guerra cumpre-se ordens ou se vai à corte marcial que tem direito sobre vida e morte dos combatentes.
Num regime como o da China se o executor não cumpre o dever quem more é ele.
Assim, a resposta esconde o fiel da balança e traveste uma ordenação existente nos casos citados, para o descumprimento do que a lei marcial exige ou das leis vigentes no país.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 15 de Janeiro de 2010, 14:27
Deculpe-me amigo cancela, mas a resposta é mal elaborada e tendenciosa.
Um soldado vive e tem sua vida no cumprir ordens.
Numa guerra até o assassinato não é muito apenado senão em virtude da violência excessiva ou de atos como se viu nos campos dos Estados Unidos lá fora, onde soldados puxavam pela coleira presidiários políticos ou extremistas.
Numa guerra cumpre-se ordens ou se vai à corte marcial que tem direito sobre vida e morte dos combatentes.
Num regime como o da China se o executor não cumpre o dever quem more é ele.
Assim, a resposta esconde o fiel da balança e traveste uma ordenação existente nos casos citados, para o descumprimento do que a lei marcial exige ou das leis vigentes no país.
Abraços,
Moura
Tem razão Moura, mas foi esse o objetivo.

Tenho por vezes alguma dificuldade em exprimir o que penso através da escrita, porque não consigo escrever tão rápido como imagino e me perco...EHEHEHEH

Na realidade o que quis dizer e resumindo, nós sempre podemos fugir do mal, nos é que nos sintonizamos com ele, e depois vai tudo para o brejo.....rssssss

Abração
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 15 de Janeiro de 2010, 14:38
Como você mano Cancela, também sofro com estes problemas, não necessariamente os mesmos mas por conta da grade prolixidade com que escrevo.
Escrevo muito e por vezes acabo complicando tudo hehehe
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: dim-dim em 15 de Janeiro de 2010, 14:59
Olá!

O espiritismo ensina na sua essência que o homem é um efeito não uma causa.

Portanto o efeito tem que se sujeitar à causa, porque é uma simples impressão, um aglomerado de sensações. O espirito, a causa com a permissão do Pai, tem que fazer que as sensações obedeçam à razão, e esta por sua vez tem que obedecer ao espirito, quando isto é feito o espirito é senhor da sua vontade. Termina assim o bem e o mal, as influências, obssessões, e sei lá eu que mais. O espirito vê-se numa alegria infinita, cheio de liberdade e dá gargalhadas tremendas, pela moral que adquire ao vencer a ilusão do efeito.

Ah... Mas isto é a essência do espiritismo. A essência da doutrina das consolações, apesar do mesmo codificador, Allan Kardec, é diferente, é interpretada com muita benevolência e carinho, não têm pressa de moralizar o espirito, Deus vai dando as reencarnações. É a esperança, a fé.


É apenas ideias, nada mais!


Namasté
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 26 de Janeiro de 2010, 00:16
O espirito vê-se numa alegria infinita, cheio de liberdade e dá gargalhadas tremendas, pela moral que adquire ao vencer a ilusão do efeito.


dim-dim,

mas num mundo de provas e expiações, onde ainda impera o mal, como pode haver um espirito sequer que se veja numa alegria infinita?

Não será essa sensação, também ela uma espécie de obsessão?
Um espírito equilibrado deve permanecer assim mesmo, equilibrado. Nem deve andar demasiado triste, nem demasiado contente, pois qualquer extremo sai fora do equilibrio.


Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 26 de Janeiro de 2010, 01:07
Boa noite.

Me desculpem, mas imaginem um Espírito moralmente elevado dando gargalhadas?

Vamos nos aprofundar mais nos estudos meus irmãos!

Num mundo de provas e expiações como o nosso existem milhares de espíritos moralmente elevados espalhados pela imensidão das comunidades aqui e acolá, dando o exemplo através de suas atitudes retas e sob pesados e dolorosos esforços. A sua felicidade não se espressa por gargalhadas e sim pelo soerguimento moral daqueles que auxiliou quando constata que houve um mínimo de  progresso.

Não se iludam com os heróis aclamados pela história dos homens terrenos, cujas estátuas foram erigidas ao peso de inúmeras mortes e pela indiferença de conquistadores. Estes, cada vez que soam seus nomes em cerrimônias é como se recebessem punhaladas e os fazem relembrar as barbáries que cometeram.

De novo alerto para a busca pelo conhecimento meus amigos.

luz e paz.


Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 26 de Janeiro de 2010, 15:03
Boa noite.

Me desculpem, mas imaginem um Espírito moralmente elevado dando gargalhadas?

Vamos nos aprofundar mais nos estudos meus irmãos!

Num mundo de provas e expiações como o nosso existem milhares de espíritos moralmente elevados espalhados pela imensidão das comunidades aqui e acolá, dando o exemplo através de suas atitudes retas e sob pesados e dolorosos esforços. A sua felicidade não se espressa por gargalhadas e sim pelo soerguimento moral daqueles que auxiliou quando constata que houve um mínimo de  progresso.

Não se iludam com os heróis aclamados pela história dos homens terrenos, cujas estátuas foram erigidas ao peso de inúmeras mortes e pela indiferença de conquistadores. Estes, cada vez que soam seus nomes em cerrimônias é como se recebessem punhaladas e os fazem relembrar as barbáries que cometeram.

De novo alerto para a busca pelo conhecimento meus amigos.

luz e paz.




Mano Torresan,
o mano dim-dim quando fala em gargalhadas, o faz sob figura de linguagem, e não como uma ação materializada do Espírito.
A doutrina explica que quanto mais o Espírito progride mais felicidade encontra em suas existências e no9 caso essa fase a que o Dim-dim toca, se dá quando desencarnado, veja só no post dele.
Abraços,
moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Torrezan em 26 de Janeiro de 2010, 16:08
Ok Moura e Dim-Dim:

Admitamos então que o Espírito desencarnado dê gargalhadas tremendas.

Lendo as obras básicas, obras do André Luiz e obras de Emmanuel, vi muitos relatos de felicidade, mas não conforme descrito.

Outro ponto: realmente não sou um espírita perfeito, pois estou num mundo de provas e expiações e não me reconheço em nenhuma missão divina, portanto sou falho.

Mas reforço a idéia de que somente o estudo mais aprofundado da doutrina é que vai permitir que continuemos difundir a doutrina com mais segurança, pois aos olhos de quem entra nesse fórum em busca de conhecimento, vai encontrar opiniões apócrifas ao Evangelho e nao temos nenhum direito de apor uma vírgula sequer àquelas colocadas pelos verdadeiros missionários das obras.

Vossas críticas tem para mim uma advertência preciosa para o bem da propaganda doutrinária, das quais afasto os elementos que considero perturbadores e confusos, valorizando a cooperação legítima e sincera.

Tenho certeza que todos nós temos um objetivo comum perante a doutrina, porém os caminhos pelos quais trilhamos são diversos, aí, as impressões que sofremos do meio nos fazem mais ou menos propensos à construção de idéias aparentemente divergentes.


luz e paz!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 26 de Janeiro de 2010, 16:12
Novamente mano Torrezan,
par debatermos não podemos sair das obras básicas senão "xau e bença," perdemos o foco.
Disse-lhe antes que a falad o mano dim-dim reesumir-se-ia apenas a uma figura de linguagem não a uma realidade palpável.
tal como André nos fala sobre o ver as partículas sairem das escovas dos dínamos, o que não é possível senão sob aparelhagem própria.
abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: dim-dim em 26 de Janeiro de 2010, 16:29

Olá!

" Allan Kardec "

Os sofrimentos aqui da Terra, algumas vezes, independem de nós, mas muitos são as conseqüências da nossa vontade, e se buscarmos as origens constataremos que, em sua maior parte, resultam de causas que poderíamos evitar. Quantos males, quantas enfermidades o homem não deve aos seus excessos, à sua ambição, às suas paixões? O homem que sempre tivesse vivido sobriamente, que não tivesse cometido abusos, que sempre tivesse sido simples em seus gostos, modesto em seus desejos, se pouparia de muitos sofrimentos. O mesmo acontece com o Espírito: as angústias que enfrenta são a conseqüência da maneira como viveu na Terra. Sem dúvida, não terá mais artrite nem reumatismo, mas terá outros sofrimentos que não são menores. Temos visto que os sofrimentos que sente são causados pelos laços que ainda existem entre ele e a matéria e, quanto mais se desmaterializa, menos tem sensações dolorosas. Portanto, depende do homem querer libertar-se dessa influência já em vida; tem seu livre-arbítrio e, conseqüentemente, a escolha entre fazer e não fazer. Que ele dome suas paixões brutais, não tenha ódio, inveja, ciúme, nem orgulho; que purifique sua alma pelos bons sentimentos; que faça o bem; que dê às coisas deste mundo a importância que merecem; então, ainda no corpo físico, já estará purificado, desprendido da matéria, e quando o deixar não sofrerá mais sua influência. Os sofrimentos físicos que experimentou não deixarão nenhuma lembrança dolorosa; não restará nenhuma impressão desagradável, porque afetou apenas o corpo e não o Espírito. Ficará feliz por estar livre delas, e a calma de sua consciência o livrará de todo sofrimento moral.



Namasté
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Rose - Orai e Vigiai em 02 de Fevereiro de 2010, 15:14
 Contra a influenia dos espiritos nada mais podemos fazer a não ser orar e vigiar. Pois orando entramos em sintonia com nosos mentores que estarão sempre prontos a nós orientar quando precisamos. E vigiar sempre nossos atos e nossos pensamentos. ;)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: rita c reis em 12 de Fevereiro de 2010, 23:33
 Ola!

ESSE TEMA É MTO BOM.
Mas não podemos esquecer que os espiritos  só sintonizam com os afins, e os mesmos não colocam  idéias na nossa mente, eles só somatizam as ideias que nós já temos.
Abraços
Rita   ::)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: gizoni em 14 de Fevereiro de 2010, 01:36
Boa noite, que a paz de espirito esteja com todos.

Pergunto?

Sabendo que os espiritos podem causar perturbações em nossas mentes, e tendo o livre arbitrio para diferenciarmos o certo do errado, por que muitas vezes deixamos o errado ser mas forte que o certo?
Ate onde podemos dizer, quando erramos, se era uma provação ou uma má influencia de um espirito no qual deixamo-nos  levar por fraqueza.

fiquem em paz, ???
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Victor Passos em 14 de Fevereiro de 2010, 12:41
Ola Amigo Gizoni
Muita paz

   Todos somos influênciados durante 24 horas no dia.
    Essa influencia se faz, pela nossa afinidade moral, as opçõees serão sempre de cunho nosso, ou seja não é o espirito que nos faz fazere mal, mas nós é que abrimos sentido e orientação do mal, por isso estamos num olno de provas e expiações onde existe mais mal do que bem.
    A influencia é sempre proporcional às nossas fragilidades, não podemos esquecer que nem sempre somos levados ao erro por eles, porque não podemos esquecer que somos espiritos tamém, porém numa situação encarnada, e que estamos mais próximos dos vicios e paixões mundanas.

Segundo informações da farta literatura espírita, a "influência" dos espíritos em nossas vidas não é tão oculta assim, ela é bem mais direta do que imaginamos, correto?

Sim, mas há de se considerar a importância de se exercer sempre um cuidado criterioso afim de distinguirmos o que é nosso e o que provêm dos espíritos que nos influenciam. (t)
Pela nossa condição ainda inferior, poderíamos dizer que somos muito mais influenciados por espíritos inferiores que superiores?

É um pensamento que naturalmente surge quando consideramos a condição evolutiva do planeta como um todo. Mas a bondade de Deus está a nos dizer que a influência dos bons espíritos também é constante. A questão é: nos esforçarmos com o intuito de cada vez nos melhorarmos mais. Nesse instante certa e claramente também perceberemos a influência superior junto de nós.

No  processo de "influenciação" se dá espírito a espírito fica "impossível" distinguir se os pensamentos são nossos ou de terceiros e que somente a nossa evolução moral é o parâmetro para aceitar ou rejeitar uma idéia. Como isto funciona na pratica?

A sugestão que Kardec nos traz em "O Livro dos Médiuns", para superarmos esta dificuldade, que é uma realidade, é não nos ocuparmos exatamente com quem seja o "dono" da idéia, e sim, se ela é boa ou má. Se for boa, pouco importa que seja nossa ou de outra pessoa, encarnado ou desencarnado; se for má, deixamos de lado.


Como posso fazer para distinguir o que é meu próprio pensamento, do que é influencia de um espírito desencarnado?

"O Livro dos Espíritos", questão 461. Como havemos de distinguir os pensamentos que nos são próprios dos que nos são sugeridos? "Quando um pensamento vos é sugerido, tendes a impressão de que alguém vos fala. Geralmente, os pensamentos próprios são os que acodem em primeiro lugar. Afinal, não vos é de grande interesse estabelecer essa distinção. Muitas vezes, é útil que não saibais fazê-la. Não a fazendo, obra o homem com mais liberdade. Se decide pelo bem, é voluntariamente que o pratica; se toma o mau caminho, maior será a sua responsabilidade."  

Sabendo que somos sempre influenciados, podemos atribuir a responsabilidade de nossos atos aos espíritos?

De "nossos atos", não. Estaremos sempre diante de várias opções criadas por nós mesmos e por aqueles que nos influenciam. A escolha é nossa, assim como as conseqüência desta escolha.
 
Como manter as más influências longe de nossas mentes?

Cultivando os bons pensamentos. "O Livro dos Espíritos", questão 469. Por que meio podemos neutralizar a influência dos maus Espíritos?

 "Praticando o bem e pondo em Deus toda a vossa confiança, repelireis a influência dos Espíritos inferiores e aniquilareis o império que desejam ter sobre vós. Guardai-vos de atender às sugestões dos Espíritos que vos suscitam maus pensamentos, que sopram a discórdia entre vós outros e que vos insuflam as paixões más. Desconfiai especialmente dos que vos exaltam o orgulho, pois que esses vos assaltam pelo lado fraco. Essa a razão por que Jesus, na oração dominical, vos ensinou a dizer:"Senhor! Não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal."

Até que ponto uma influência negativa pode ser mesmo negativa, e não uma provação ou ainda, uma expiação, uma vez que os espíritos (encarnados ou desencarnados) interagem conosco praticamente o tempo todo, mesmo sem identificarmos tal interação?

A Abordagem deste tema, as Influências..., sempre deverá ser feita a partir do caráter moral que elas tragam. Este é o caminho para que nos sintamos seguros de que estamos no caminho de nossa elevação moral. Diante disto ganha importância menor sabermos se ela representa uma provação ou expiação.  


Muita paz e harmonia
Abraço Fraterno

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 14 de Fevereiro de 2010, 13:30
Fazer todo o bem que possamos, e expungir de nós todo o mal que ainda contivermos. Este um dos ensinos encontrado no tópico "O Homem de Bem".
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dalila... em 14 de Fevereiro de 2010, 20:26
Todos nós infelismente  carregamos ainda, do préterito enorme carga de desafetos, isso q eu acredito, e só numa nova roupagem, vivevciando uma vida melhor,principalmente no evangelhos , teremos força pra combater esses inimigos invisiveis, q só tras a nossa vida muita tristeza

Vivendo em oração, figiando, com pensamentos elevados a nosso pai, com pensamentos q eleva cada dia nossa conduta, em prece, é uma força de afastar de nós esses irmãos ainda sem luz, e ao mesmo tempo , elevados em prece temos sim a presença de irmãos de luz,com ajuda deles , com um coração aberto ao amor , nossa vida sera mais amena,e teremos + dicernimento , pra elevar nossos irmãos esquecidos nas trevas do remorso, recentimento, e vingança.
Q a paz esteja com td nós aqui reunidos nesse estudo.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dalila... em 14 de Fevereiro de 2010, 20:42
Um dos temas q nosso irmao Manoel postou essa semana foi sobre a caridade.
Eu penso q o perdão faz parte da caridade, resolvendo nessa vida nossos mal entendidos, ofensas, injustiças, por outros irmãos com a caridade d perdão, sera a paz q iremos colher qt por graça vivenciarmos de novo uma nova roupagem.

Perdoando agora nossos inimigos , n teremos q vivenciar a presença e influencia desses irmaos sem luz.
E muitas das vz estamos sobre a influencia sim de espiritos amigos, esses q sao testemunhas de nossos atos morais, e qt n suportamos as provas regenerativas, são eles há nos acompanhar como instrumento de progresso em nossa vida espiritual.

Paz e muito amor a todos !!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Victor Passos em 15 de Fevereiro de 2010, 12:53
Ola,Amiga Dalila
Muita paz

Vou poegar nas palavras de do Amigo Moura
Citar
expungir de nós todo o mal que ainda contivermos. Este um dos ensinos encontrado no tópico "O Homem de Bem".

  Apesar de entender que seria otimo conseguirmos mudar moralmente a nossa conduta amando o próximo e Deus acima de todas as Coisas;  Acredito que também todos sejamos vitimas de nos próprios, porque o processo de evolução leva-nos a ter reencontros e desencontros afim de que possamos aprender a estar no meio de muitos daqueles que nos foram caros.
   Claro que as palavras levam-as os vento e não se faz facil consegui-lo sem sentimentos e pensamentos menos generosos e então por esssa nossa incuria deteremos no nosso habitat envolvente aqueles com que se afinizam, nossas vontades e desejos...
   Então se queremos mudar o rumo sigam as palavras Amar , pois é a solução para nos sentirmos melhor , e esse começa nas Obras ..sentimentos e pensamentos ...

Muita paz e harmonia

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: gizoni em 15 de Fevereiro de 2010, 15:19
Boa tarde amigo Vitor.

obrigado pela resposta.

fique em Paz.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 15 de Fevereiro de 2010, 16:14
Amigo Vitor, seremos sempre ou os nossos algozes mais terríveis ou aqueles que nos ajudarão a seguirmos para frente e para o alto.
Concordo consigo.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dalila... em 15 de Fevereiro de 2010, 17:17
Sou iniciante como muitos n doutrina, e ja passei há alguns anos atras por crises muito profundas, e como minha familia é contrária a doutrina n pode me ajudar, pelo contrário da maneira q eles pensavam esta me ajudando, me levavam a varios médicos, e esses nada achavam em mim, e so me entopiam de remédios foretes, calmantes e antidepressivos.
O meu mal n estava n matéria e sim n espírito, da mesma maneira q minha familia errou por falta de conhecimentos, assim irmãos sem luz, desencarnados o fazem.
E hoje reporto aquela época e acredito q foi eu q dei entrada para esses espíritos inferiores afetasse minha vida.
A falta de caridade no sentindo verdadeiro da palavra, n estava sendo praticada por mim, eu pensava , dar algumas esmolas(triste termo),da alguma ajuda financeira era a caridade verdadeira.
N sabia, q ela é tão pequena em palavras, mas tem tantos valores q vem dela, e um deses valores é o perdão.
Esta pessoa tinha muito raiva de mim, por simples ciumes descabidos, me atacava com injustiças, mentiras, e eu respondia com meus recentimentos e raiva.
Assim eu abri a porta para o mal em minha vida , hj qt as vezes vem algum dos pensamentos do passado entro em preces, penso:o corpo é meu , o livre arbítrio é meu, e nele mora um espírito criado por Deus, e ele vai so ajudar as pessoas, se por algum motivo, graças Deus queira q eu pratique o bem ao meu semelhante atraves da espiritualidade.
E oro por meus irmãos , q são tantos q estão n plano espiritual como sede, muita sede, de amor, perdão de suas ofensas praticadas aqui n terra, por falta de conhecimento, e procuro viver a cada dia minha vida nos valores morais q o evangelho me ensina a cada dia.
N esquecemos o Amor pode tudo,tudo mesmo.
Paz a td meus irmãos.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 16 de Fevereiro de 2010, 15:11
Amiga Dalila,
A maior caridade que já podemos compreender como ação no mundo em que vivemos hoje, traduz-se no ensino do Cristo, "fazer aos outros aquilo que queriamos que estes fizessem conosco.
O iniciante na doutrina sente o frisson imenso em querer ajudar espiritualmente os outros, mas isso demanda tempo e estudo sério e perseverante da doutrina.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dalila... em 16 de Fevereiro de 2010, 15:52
Que a paz esteja  com vc meu irmao Mourarego.

Realmente estou muito feliz por esta frequentando palestras, lendo livros, uma sementinha q está nascendo para conhecimento da doutrina.
Meu amigo eu sei q estou sentindo n é passageiro, desde meus 13 sentia dentro de mim algo diferente sobre espiritualidade, e por ter uma familia contrária a doutrina sempre foi difícil eu ter acesso ha algo.
Mas como tudo tem sua hora certa de acontecer, e por graças de Deus, hj estou a participar, e n tem influência de minha familia ou de alguem q vai me afastar da minha decissão.

Se postei errado, sobre o que o tema pede, me desculpas, é q em algumas palestras q assisti sobre desencarne, muita das vz , escutei sempre essa frase, meus irmãos n se esquece q n hora d desencarne nossos irmãos q n estao preparados, q partiram com grandes debitos,estão confusos,e n entendem q se passa e muitas das vz acreditam estarem aindo vivos,n devemos ficar dizendo isso ou aquilo, principalmente n hora de um velório, fiquemos em silencio n que puder, e elevemos nosso pensamento a Deus, uma prece para o irmão q partiu.
As palavras propriamente ditas n foram assim, mas como meu pouco intendimento deu pra entender o valor da prece nessa hora tão dificil em nossas vidas.
Obrigado pelo tempo q vc dispos a me da uma orientação, agradeço, e ficarei feliz com sua ajuda, afinal esse termo q vc disse frisson, quero dizer, q daria outro nome, estou na (verdadeira felicidade) pois encontrei o q sempre procurei desde criança, e como estou certa q estou escrevendo, posso dizer, essa sementinha esta so começando a germinar.
Sinto q meu pai d céu tem ha muito me da, e eu estou a cada dia me preparando pra sua vontade maior.
Em suas orações n se esqueça de mim, pq sei q sera grande bençãos q receberei para guardar n celeiro d meu coração.

Obrigado pela atenção, q o amado Jesus , possa te cobrir com bençãos e cada dia vc possa ganhar dos céus muita sabedoria, para poder melhor ajudar seu irmão q esta no caminho da renovação.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Victor Passos em 17 de Fevereiro de 2010, 09:39
Ola Amiga Dalila
Muita paz e harmonia

    O que A Amiga expressou no topico acima , é mais uma das experiências que a vida nos mostra de que na realidade o momento chega para todos...
     Não se sinta deslocada , mas mais próxima, porque tudo começa quando nós percebemos que é necessário mudar algo em nós, e isso é caridade em nós mesmos...por isso tal como companheiro Moura expressou e , precisamos sentir-lhe a boa intenção, é que agora deve descorrer em si essa vontade de fazer crescer a caridade , que após a sentir em si, fazer uso dela em prole dos outros...Esse é o caminho,essa é a vida, tomemos a verdade, a razão dentro do bom senso, o amor em sua esencia e abracemos Jesus ...o caminho esse seremos nós a fazê-lo..por isso siga em fente tome a sua enxada e prepare sem olhar o preterito, siga o presente para colher no futuro, sabendo que só em caridade teremos salvação...


Muita paz beijo em sua alma

Victor Passos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Dalila... em 17 de Fevereiro de 2010, 11:01
Ola ... irmão Victor

Espero a cada dia poder ter vc aqui como amigo, irmãos e conselheiros.
Suas experiências só me faz acreditar q estou n caminho certo, e peço humildemente q me perdoem se por algumas vez postar algo q esteja fora d estudo.

3 semanas apenas, me sinto como ja fizesse parte de uma grande família, obrigado pelo carinho e atenção.
Q a felicidade q sinto hj em minha fica possa em dobro lhe cobrir cde graças e bençãos dos céus.
Muito obrigada, e tenho certeza q vc irá me ajudar muito n caminho q escolhi, o meu amor por Jesus é taum grande e viver o evangelho para minha esta sendo uma grande virtude q Deus me abençoou, a td ele deu essa escolha e cabe a cada um de nós segui-la da melhor maneira possivel.
Muita paz!!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 17 de Fevereiro de 2010, 14:07
Maninha Dalila,

todas as minhas respostas têm caráter geral, quer dizer vão para todos, mesmoque eu esteja a responder um tópico seu ok?
Minha família também era contrária, e saiba que eu tive de fazer até ECG para ver se não estava ficando louco...
meus pais não eram ignorantes, Ele Advogado, acadêmico da academia de letras de Teresina e ela, minha mãe professora.
mas o catolicismo, mamão era filha de Maria, fazia com que eles me vissem como um doido por escolher, naquele tempo a Umbanda.
Depois de uns tempos porém minha mãe me exortava a não sair de onde eu estava pois havia mudado muito na minha maneira de ser.
Depois no Espiritismo muita vez explicava algumas coisas para eles.
Pode deixar, oro por todos aqui do fórum e de outros locais, mesmo aqueles que me são contrários às idéias.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: jecris em 18 de Fevereiro de 2010, 23:10
Boa noite.  :D

Tomando como verdadeira a hipótese de que a mediunidade é um sentido do corpo que potencia a experimentação vivenciada na forma de uma relação comunicativa e dialogante, é então inevitável que tal como acontece aquando das relações sociais do indivíduo, este depare-se também com a sua rede social “invisível”que é representada pelos espíritos que nesse caso com ele convivem e de uma ou outra forma influenciam a sua conduta.

Assim sendo, faz todo o sentido que na medida que a sua rede social é por ele mesmo formada em consonância com a sua vontade, o mesmo se passe com a rede social “invisível”, que comunga dos mesmos níveis de vontades, ou seja, utilizando uma linguagem espírita, que vibra na mesma frequência.

Assim sendo, não parece ser possível imputar qualquer tipo de desresponsabilização pelo acto, atenuada pela possível influencia que o mundo espiritual possa ter no consumar das acções, na medida que este processo somente pode desencadear-se com a anuência de todas as partes envolvidas, de resto tal como acontece no quotidiano da vida.

Parece ser também importante aproveitar a oportunidade para afirmar a falta de sustentação racional que tem a ideia de que existem espíritos malignos e diabólicos que são os responsáveis pelas desgraças que se desencadeiam no percurso individual de vida. Sendo o mundo espiritual o nosso próprio mundo este não pode ter outra forma que não seja aquele que perfeitamente já conhecemos através da nossa vivencia presente que nos apresenta um leque de tipologias de personalidade diversificada.

Assim, ao nosso ciclo de relações visíveis, correspondem de forma inevitável um ciclo de relações invisíveis idêntico.

Taprobana

nossa!!! muito sábias e esclarecedoras essas palavras!!! muito obrigada e grande abraço!!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Marli Pacheco em 23 de Fevereiro de 2010, 01:28
AFINIDADES
O QUE O ATRAI MAIS?
UMA PEÇA DE TEATRO QUE RESSALTA O AMOR, OU UM NOTICIÁRIO JORNALÍSTICO QUE EVIDENCIA A VIOLÊNCIA?
UM TRABALHO VOLUNTÁRIO NUMA OBRA ASSISTENCIAL OU A CAMA,QUE O CONVIDA AO SONO PROFUNDO?
UM DIÁLOGO SERENO SOBRE ALGO POSITIVO OU A ANEDOTA PICANTE QUE CONTAMINA O CÉREBRO?
ESTAR JUNTO DA FAMÍLIA, QUE ASPIRA POR SUA PRESENÇA, OU JOGAR CONVERSA FORA COM UM CONHECIDO?
O TEMPLO RELIGIOSO OU A FESTA NO CLUBE?
RESPONDENDO ESTAS PERGUNTAS,SABERÁ QUAIS AS SUAS COMPANHIAS ESPIRITUAIS, UMA VEZ QUE TUDO NA VIDA É UMA QUESTÃO DE AFINIDADE. COM O DESCOBRIMENTO DO QUE VOCÊ REALMENTE GOSTA,CONHECERÁ SEUS AFINS.
SE REALMENTE DESEJA O AMPARO DOS BENFEITORES ESPIRITUAIS, A ÚNICA MANEIRA DE CONSEGUI-LO É AFINIZAR-SE COM O BEM.
(DO LIVRO JESUS NO TEU DIA-A-DIA)
MUITA PAZ PRA TODOS.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: jecris em 23 de Fevereiro de 2010, 11:44
olá a todos!!!
quero agradecer por este tema que para mim, tá sendo de muita serventia, pois lido com espirítos obssessores em minha família desde a minha infãncia e só agora estudando este tema, estou tendo a oportunidade de entender como a obssessão funciona, como ela acontece na vida de cada um de nós. compreendi que para afastar os espiritos inferiores e atrair espiritos superiores só depende de nós mesmos, daquilo que pensamos e desejamos!!!sendo assim, vamos buscar uma mudança de vida, pedir a DEUS que nos ajude a nos tornar pessoas melhores sempre.
um grande abraço a todos, e saibam que cada texto deste forum contribui para o amadurecimento de muitas pessoas. ;)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 23 de Fevereiro de 2010, 14:46
AFINIDADES
O QUE O ATRAI MAIS?
UMA PEÇA DE TEATRO QUE RESSALTA O AMOR, OU UM NOTICIÁRIO JORNALÍSTICO QUE EVIDENCIA A VIOLÊNCIA?
UM TRABALHO VOLUNTÁRIO NUMA OBRA ASSISTENCIAL OU A CAMA,QUE O CONVIDA AO SONO PROFUNDO?
UM DIÁLOGO SERENO SOBRE ALGO POSITIVO OU A ANEDOTA PICANTE QUE CONTAMINA O CÉREBRO?
ESTAR JUNTO DA FAMÍLIA, QUE ASPIRA POR SUA PRESENÇA, OU JOGAR CONVERSA FORA COM UM CONHECIDO?
O TEMPLO RELIGIOSO OU A FESTA NO CLUBE?
RESPONDENDO ESTAS PERGUNTAS,SABERÁ QUAIS AS SUAS COMPANHIAS ESPIRITUAIS, UMA VEZ QUE TUDO NA VIDA É UMA QUESTÃO DE AFINIDADE. COM O DESCOBRIMENTO DO QUE VOCÊ REALMENTE GOSTA,CONHECERÁ SEUS AFINS.
SE REALMENTE DESEJA O AMPARO DOS BENFEITORES ESPIRITUAIS, A ÚNICA MANEIRA DE CONSEGUI-LO É AFINIZAR-SE COM O BEM.
(DO LIVRO JESUS NO TEU DIA-A-DIA)
MUITA PAZ PRA TODOS.
Vai depender do seu estado de ânimo.
Não basta estar em uma igreja, templo ou centro espírita, há de se estar envolvido na ação que se desenrola, senão nada acontece pois tudo se dá pelo pensamento (Intenção).
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: leliani em 25 de Fevereiro de 2010, 16:47
boa tarde para todos os amigos do forum.

Acredito que espiritos inferiores são atraidos conforme o grau de vibração de cada pessoa, se a pessoa esta se deixando levar por odio, ganancia, inveja e varios outros sentimentos ruins seu precesso vibratori vai baixando, atraindo assim espiritos inferiores para junto dele, é por isso que temos sempre a nescessidade dos estudos, sabendo como lidar com nossos sentimentos, pode nos ajudar a entender melhor os espiritos bons ou os espiritos inferiores.

Agradeço pela oportunidade.

que a santissima trindade nos proteja.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Rafa Sim em 02 de Março de 2010, 12:05
Existe o livre arbitrio, mas também existe a pré-disposição o que pode levar as pessoas a fazer coisas fora de seu controle evolucional.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 02 de Março de 2010, 15:52
Amigo Rafa, a predisposição é de ordem apenas física, não atinge ao Espírito.
Senão seria instituido o determinismo.
Abração,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: balagan em 03 de Março de 2010, 03:36
ainda temos muito que caminhar neste mundo,,
 priemiro temos que esta de conciencia limpa,,
 do outro lado uma pessoa e inflienciada por um espirito
 quando o proprio espirto esta em estado de fraqueza ou seja se deixa
 deseja plea coisas deste mundo,,
o proprio Cristo depois que partiu deste mundo  voltou  ao mundo dos mortos
 pra encina-los que estes estavam mortos,
 assim sendo e notavel ver que se algume chegue um nivel espirital elevado
 este cabe ajudar aos espiritos que se encontre preso neste mundo,,
mas ainda temos habitos de olhar as coisas e estudar as coisas e fazer as coisas de uma maneira no qual nao esta adequeda,,
sei que este nao e meu momento,, mas cada dia cada noite este tenho feito,,
avisa que precisa sair desta prisao entre os dois mundo,,
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Laine em 06 de Março de 2010, 13:59
Muito bom "ler vocês"! Cada um aqui se completa de tal forma a exemplificar o tópico do estudo do mês! MARAVILHOSO este estudo!

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ViviRJNY em 21 de Março de 2010, 00:07
Guilherme D,sensacional. A todos os outros também, mas a resposta do Guilherme prendeu a minha atenção.
Estou adorando aprender com vcs.
Um grande abraço.
Vivian
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Rufino2000 em 12 de Abril de 2010, 12:51
Bom dia,
Tema muito oportuni, este.
Com relação à influenciação pelos espíritos, podemos nos remeter ao Livro dos Espíritos, Parte 2º, Cap. IX, pergunta 467: Pode o homem eximir-se da influência dos Espíritos que procuram arrastá-lo ao mal?
“Pode, visto que tais Espíritos só se apegam aos que, pelos seus desejos, os
chamam, ou aos que, pelos seus pensamentos, os atraem.”
Portanto, temos nosso livre-arbítrio sim e é este mesmo livre-arbítrio que nos permite a invasão da influência pelos espíritos inferiores.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: marcos duarte lemos em 14 de Abril de 2010, 16:00
Gosto muito de fazer comparações com as coisa paupaveis em que podemos enchergar e ver.
Imaginemos que uma pessoa nos faz mal. Dependendo de meu modo de ver a vida posso ficar mais ou menos nervoso com o acontecimento.
Ai, decido procurar alguem para ver como vou agir.
Se sou uma pessoa de nível mais baixo moralmente , tomo a decisão de procurar ajuda em um bar ou no meio de pessoas menos e evoluida espiritualmente. Ele então me aconselharão a agir de uma maneira não muito coerente. Podera ser uma vingança.
Mas se peço ajuda a pessoas boas, acabam me influenciando a perdoar e não guardar mágoa.
Tudo vai depender de mim.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 27 de Abril de 2010, 00:36
Boa Noite!


Gostaria de me informar acerca das influencias que podem ocorrer.
Podem ser por modo de atitudes, por exemplo, fazer olhar para qualquer lado, seguir certo caminho,mover um braço ou qualquer outra parte do corpo?
E pode ocorrer em termos de pensamento,por meio de imaginaçoes que sintamos que nao sao nossas?

O que é nosso vem literalmente primeiro que a influencia ou poderemos estar sujeitos à influencia em qualquer altura ou fase?


Obrigada.

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 27 de Abril de 2010, 02:16
E podemos sentir antes da influencia chegar ao pensamento?

Obrigada.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: HEBERCRUZ em 28 de Abril de 2010, 16:00
Nada acontece por acaso. Deus que é soberamente justo e bom criou o homem e o legou o livre arbitrio. Sem o livre arbitrio seriamos todos maquinas e não excitariamos a nossa inteligência. O encarnado tem dentro de si o poder de decisão entre o bem e o mal, pois a lei DIVINA está em nossa consciência. Quanto a uma criança esta é fruto de um espirito que retornou para cumprir a sua missão, ainda não tem o perfeito entendimento de sua existencia futura e esta sujeita as provações da atual existência. A humildade é uma virtude esquecida entre nós(Ver Capitulo VII do Evangelho Segundo o Espiritismo).
Abraço a todos,
Que assim seja...
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: camilo_guimaraes em 02 de Maio de 2010, 10:14
Arcoiris, sobre o que voce pergunta, "E podemos sentir antes da influencia chegar ao pensamento?". Acredito que este espaço de tempo seja tao curto como um pensamento e que nao seja possivel, porem a propria influencia soprada por um espirito obsesor, e como um pensamento proprio nosso, mas ai que se vale do livre arbitrio, pois se voce tendes ao mal tera como uma propria vontade, mas se tender ao bem veras que errado e sabera que decisao tomar.
Livro dos Espíritos, Parte 2º, Cap. IX, pergunta 467: Pode o homem eximir-se da influência dos Espíritos que procuram arrastá-lo ao mal?
“Pode, visto que tais Espíritos só se apegam aos que, pelos seus desejos, os
chamam, ou aos que, pelos seus pensamentos, os atraem.”
Portanto, temos nosso livre-arbítrio sim e é este mesmo livre-arbítrio que nos permite a invasão da influência pelos espíritos inferiores.

Abraço caloroso e cheio de paz
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Arcoiris em 03 de Maio de 2010, 00:48
Obrigada.

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: askafil em 18 de Julho de 2010, 02:33
apesar de quase um ano desta primeira publicação, agradeço a todos responsáveis, este tema será discutido no centro espírita de minha cidade e este material dará suporte as nossas discussões.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 21 de Julho de 2010, 18:45
apesar de quase um ano desta primeira publicação, agradeço a todos responsáveis, este tema será discutido no centro espírita de minha cidade e este material dará suporte as nossas discussões.

askafil,

Fico muito feliz por isso.

Abraço.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: JVin em 29 de Julho de 2010, 13:13
Bom dia caros irmão,

Há pouco tempo estou neste fórum e ainda em um momento de adaptação. a respeito deste tem creio ser altamente viável o questionamento. Ainda há muitas dúvidas sobre livre arbítrio e sobre a influência dos espíritos. Vamos raciocinar da seguinte forma: Nós somos responsáveis pelos nossos atos, se assim não fosse pq teríamos essa oportunidade de aprendizado e resgate de nossas dificuldades?  Que estamos disponíveis a influencia dos espíritos não podemos ter nenhuma dúvida, inclusive existe essa pergunta no livro dos espíritos por Allan K. e a resposta é a seguinte: Mas no que possamos imaginar.Porém, como uma amiga sempre diz: a influencia dos espíritos é igual ao que conhecemos dos vampiros, eles só adentram as casas quando as portas estão abertas, quando são convidados. Nossos pensamentos e energias liberadas emanam a sintonia e assim recebemos o retorno. Por isso é que sempre ouvimos: vigiais vossos pensamentos, estes abrem portas imagináveis. Quando estamos cobertos por boas energias e bons pensamentos afastamos a influência de espíritos mais inferiores. É como uma rádio, quando colocamos em determinadas freqüências só poderemos ouvir aquilo, nunca outro tipo de música, como por exemplo a radio Globo e Brasil, ouviremos músicas com mais poesias, mais letras, conteúdos. Assim funciona com nossos pensamentos e atitudes. Afinal “o plantio é livre, mas a colheita é obrigatória”.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: pliz em 13 de Agosto de 2010, 05:25
UM Salve para todos !!!

Tentarei responder as questões ...

O livre arbitrio eh prerrogativa de vida ... citaste na pergunta influências
e não ordens ... logo quem tem o poder da ordem somos nós.

O Grande Provedor nos deu a Razão para o livre arbitrio...e ela soh e despertada
aos cinco anos... e a questão ñ eh como se defendem e sim pq os espiritos
não conseguem influencia- las...

Pergunte a uma criança ... o segredo e conseguir faze-la entender o que queres
saber!!!

Pelo que sei o que atrai os espiritos eh nosso medo...portanto comece a contar
os medrosos e teras a sua resposta.

Um Salve mui amistoso para todos !!!

Valeuhaaa :^)

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 13 de Agosto de 2010, 16:31
Pliz, deixa eu te explicar:
Não é o medo que atrai nada ou algum Espírito, mas sim a afinidade nos gostos nas ações que tais Espíritos promovem.
Nada na doutrina segundo os Espíritos Superiores tem uma data estipulada, e mesmo, sobre isso de datas marcadas para isso ou aquilo há a recomendação expressa para que não se acredite, pois é coisa de Espíritos ainda ignorantes.
 Logo, depende do desenvolvimento de cada criança um olhar mais forte sobre a razão.
Outra coisa, influênciar não quer dizer que esta surta no Espírito influenciado, algum poder maior que o dele, influenciar amigo Pliz. é apenas o ato de insuflar bons ou maus pensamentos, agora seguí-los é ato que só compete a quem esteja sofrendo a influencia em fazer ou não o que ela diz.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: pliz em 13 de Agosto de 2010, 17:56
DEH NOVOH VOVOH !!!!???

Valeuhaaa:^)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 13 de Agosto de 2010, 21:39
De novo e sempre que se fizer necessário netinho.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: mecini em 14 de Agosto de 2010, 23:54
Olá Guilherme, bem vindo.

Provavelmente sempre que um mau génio se abeira de uma pessoa e a influencia a ter um mau comportamento, haverá algumas vezes, em simultâneo, um bom génio a influenciar no sentido oposto. Essa pessoa usa o poder de decisão, ao deixar-se influenciar por um ou por outro. Mas será que em alguma ocasião, somos nós a mandar no nosso "destino" ou será que não passamos de um medidor de forças entre os "seres de luz" e os "seres das trevas"?

Será que o nosso arbítrio é mesmo livre?

Elsa
Não acho que estamos livres  para tudo ,
pois é dito que a nossa liberdade acaba quando começa a do nosso irmão .
Penso que estamos todos ligados uns aos outros , influenciando e sendo influenciados da mesma maneira , a nossa liberdade esta na influencia que exercemos neste grupo e nossa liberdade esta nisto .

desculpe meu português não tive oportunidade para estudar , mais nos próximos anosvou faze-lo  .

Que a harmonia seja o nosso guia !!!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: pliz em 15 de Agosto de 2010, 00:55
Grande Moura Rêgo !!!! Desculpe-me por tudo !!!!

Esses dias ñ são faceis ....

Quero lhe propor uma chance para um diálogo profundo ... a Partir da Observação de uma pequena figura ... o Que achas ???!!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: pliz em 15 de Agosto de 2010, 01:04
 Creio Que jah leste A Bíblia de kardec e da santa Madre Católica ...

Agora o que ñ sei, eh se jah lestes as obras do antropólogo ...

Carlos Castañeda ... Jah de antemão lhe adianto que o assunto ñ envolve

 o uso de drogas ... e tão pouco ficar discutindo sobre ela.

No meu ponto de vista, ou seja meus achismos, O último livro da série

que eh o "Lado ativo do Infinito" , acho...

encerra o que O Grande Kardec Ensina ...

Soh para esclarecer !!!!! O meu ponto de vista.!!

Abraços Cordiais e Efusivos !!! :^)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: pliz em 15 de Agosto de 2010, 01:07
Gostaria de discutir sob as Luzes dos trÊs Assuntos ...

E se possível usando  O I Ch1ng, para dar o nexo ...

quando surgirem dúvidas inconciliáveis ...

Que achas ???!!!! :^)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: pliz em 15 de Agosto de 2010, 02:02
Grande Mencini !!! Estendo o convite a vc tbm !!!

Abrços :^)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 15 de Agosto de 2010, 16:43
Gostaria de discutir sob as Luzes dos trÊs Assuntos ...

E se possível usando  O I Ch1ng, para dar o nexo ...

quando surgirem dúvidas inconciliáveis ...

Que achas ???!!!! :^)

Pliz,
vamos ficar apenas na doutrina?
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: pliz em 15 de Agosto de 2010, 18:42
Sem problemas Grande Moura Rêgo !!!!

Aguardo ansiosamente o sue Lance inicial !!!:^)a
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: APRENDIZ Dorot em 17 de Agosto de 2010, 19:45
Os Espiritos tem grande interferencia em nossos pensamentos sim, bem mais que podemos imaginar, digamos que 90%. Para saber como agir, basta refletirmos se o pensamento está na linha do bem, se sim, então o sigamos confiantes em Jesus.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 18 de Agosto de 2010, 16:14
Amiga dorotéa,
não se pode nem se consegue quantificar a porcentagem que essa influência e não interferência tem.
Não há como e os Espíritos Superiores, nos ensinam no próprio LE que Espírito que marcam data, dão especificações, ou mostram uma certeza numérica não são Espíritos da classe dos Espíritos bons.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: juliocriciuma em 18 de Agosto de 2010, 18:01


No meu ponto de vista, ou seja meus achismos, O último livro da série

que eh o "Lado ativo do Infinito" , acho...

encerra o que O Grande Kardec Ensina ...

Soh para esclarecer !!!!! O meu ponto de vista.!!

Abraços Cordiais e Efusivos !!! :^)

Quem ensina são os espiritos superiores, Kardec apenas as organizou
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 18 de Agosto de 2010, 18:17
Exatamente Julio, quem ensina, como o amigo lembra, são os Epíritos Superiores, isso nas obras básicas, pois são eles os únicos com a missão de nos trazerem revelações Espíritas.
Sendo assim fora destas nenhuma revelação veio por qualquer Espírito dessa classe.
Sendo assim nem mesmo a obra que o amigo faz luz, as contem.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernandohort em 18 de Agosto de 2010, 18:37
moura, não sei se entendi bem: somente os cinco livros básicos foram revelados por espíritos superiores, é isso que quis dizer?
abç
Fernando
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: dim-dim em 18 de Agosto de 2010, 18:44
moura, não sei se entendi bem: somente os cinco livros básicos foram revelados por espíritos superiores, é isso que quis dizer?
abç
Fernando

2º - O Livro dos Espíritos. Contém a doutrina completa, como a ditaram os próprios Espíritos, com toda a sua filosofia e todas as suas conseqüências morais. E a revelação do destino do homem, a iniciação no conhecimento da natureza dos Espíritos e nos mistérios da vida de além-túmulo. Quem o lê compreende que o Espiritismo objetiva um fim sério, que não constitui frívolo passatempo.


Namasté
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernandohort em 18 de Agosto de 2010, 19:43
mas somente os cinco livros básicos que foram ditados por espíritos superiores? nos caso de outros livros espíritas, como nosso lar, paulo e estevão, os do divaldo, pelo que entendi do post do moura, estes não são de espíritos superiores, mas somente os cinco básicos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: juliocriciuma em 18 de Agosto de 2010, 19:56
Fernando,
Também tive esta dúvida, e o amigo Moura me respondeu em um outro tópico, aí vai:

Emmanuel, André, Joanna, Neio Lucio, Bezerra, E tantos outros bons Espíritos vivem a nos trazem, por seus médiuns, muitas páginas.
Todas elas, pertencem ao rol do entendimento deles partindo do estágio em que estavam ou que estejam. ?contudo não passaram pelo CUEE, e por isso não podem ser consideradas doutrina.
Todavia, algumas dessas páginas, quando saem do roldão em que geralmente nos chegam, que é o da auto ajuda, nos trazem ensinamentos muito interessantes, inteligentes e bons, que devamos sopezá-los, e mesmo submetê-los, como todas as outras, ao confronto com o que a doutrina nos ensine, este o método mais simples de avaliação de qualquer mensagem.
Sob minha avaliação todos estes Espíritos são da ordem e trazem seus escritos dentro do saber que contenham e estes servem a muitos de nós como esteiio0 ou balisa.
É, contudo, a obra básica, que não sei porque dizem ser os cinco livros, alias sei sim, é apenas para que fique parecido com o catolicismo e seu pentateuco, apenas isso.
Mas retornando, é a obra básica o nosso criterium de verdade pois tudo que ali está sofreu o estudo investigativo por parte dos Espíritos Superiores, e deste estudo veio a validação.
Sendo assim ao invés de piceladas, deveriam estes oradores, passar a maior parte do tempo de palavra, a ensinar a doutrina e sim, até que poderiam dar piceladas rápidas nessas páginas destes autores espirituais como forma de mostrar  que eles trazem.
Mas este é o meu pensar, que também não faz e nem é doutrina, eu faço assim, em palestras e entrevistas que sou chamado a dar ainda hoje.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernandohort em 18 de Agosto de 2010, 20:09
valeu júlio. se o moura me permite, não concordo muito não. se não me engano, emmanuel teve parte em uma das msgs do ESE, o que, pela sua análise, o torna um espírito superior. acho que este tipo de pensamento é muito ligado à forma, e não ao conteúdo em si. beira a ortodoxia, o que por si só, contradiz o espiritismo. estes espíritos, como andré, joanna, etc são as vozes do céu prometidas por Jesus como Consolador. Temos que tomar por base os livros básicos, a revista, e tudo o mais... é a base..não é tudo! o ser humano é complicado demais viu
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: juliocriciuma em 18 de Agosto de 2010, 20:19
Poisé Fernando, mas essas obras não passaram pelo CUEE. Não significa que elas não tem validade, mas se são ou não parte da doutrina, pois não significa que somente por uma mensagem ter sido trazida de um espírito signifique que seja doutrina.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernandohort em 18 de Agosto de 2010, 20:50
Se ela desenvolve, complementa e segue o que foi dito na Doutrina, é Doutrina.

Como exemplo, no OLE diz que o segredo para a felicidade é o autoconhecimento. Só que não diz como se processa e como podemos fazer para nos autoconhecermos. Santo agostinho nos traz uma técnica que ele usava quando encarnado no ESE, e livros como os da Joanna, Ermance Dufaux... nos traz, à luz da Doutrina, como podemos nos auto conhecer da melhor forma possível. é um complemento, um desenvolvimento. Não faz parte do corpo basico da Doutrina, mas complementa, desenvolve, pq, como Jesus, os espíritos não conseguiriam dizer tudo.

O CUEE foi feito nos livros básicos. Se os livros que o complementam contradizem os livros básicos, contradizem o CUEE e não devem ser levados como doutrina, a não ser que seja uma revelação da ciência, que kardec disse que a doutrina seguiria.

é igual com o Direito por exemplo. O direito não é feito somente pelos códigos, pela lei seca. estamos restringindo demais a grandeza de Deus, do Universo, a somente 5 livros e revistas.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 18 de Agosto de 2010, 21:02
Especialmente, mano Fenando,
O LE e o LM, o to dos outros são espacialidades da obra codificada, e por isso se relacionam como obras básicas mas nota,  o ESE, é importantíssimo porém é uma obra de estudo explicativo das leis morais, aliás de algumas delas, as mais atinentes para como a doutrina, Kardec paretiu da Boa Nova e por isso não as coloca dentro d explicação contida no LM, ao capítulo tres item trinta e cinco.
A Revista Espírita é tb obra básica pois muito contém de já passado pelo método contudo devemos ter cuidado pois há partes que não tenham passado pelo método mas kardec avisa sobre isso qdo é necessário.
Espero não ter complicado do que explicado hehe
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernandohort em 18 de Agosto de 2010, 21:13
"35. Para aqueles que desejarem adquirir esses conhecimentos preliminares através das nossas obras, aconselhamos a seguinte ordem:1º) O que é o Espiritismo 2º) O Livro dos Espíritos 3º) O Livros dos Médiuns 4º) A Revista Espírita.

Isso no que nos concerne. Mas os que desejam conhecer completamente uma ciência devem ler necessariamente tudo o que foi escrito a respeito, ou pelo menos o principal, não se limitando a um único autor. Devem mesmo ler os prós e os contras, as críticas e as apologias, iniciarem-se nos diferentes sistemas a fim de poder julgar pela comparação. Neste particular, não indicamos nem criticamos nenhuma obra, pois não queremos influir em nada na opinião que se possa formar. Levando nossa pedra ao edifício, tomamos apenas o nosso lugar. Não nos cabe ser ao mesmo tempo juiz e parte e não temos a pretensão ridícula de ser o único a dispensar a luz. Cabe ao leitor separar o bom do mau, o verdadeiro do falso.(4) "

essa passagem do livro dos médiuns resume tudo. Sem mais palavras
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 18 de Agosto de 2010, 22:21
Se ela desenvolve, complementa e segue o que foi dito na Doutrina, é Doutrina.

Como exemplo, no OLE diz que o segredo para a felicidade é o autoconhecimento. Só que não diz como se processa e como podemos fazer para nos autoconhecermos. Santo agostinho nos traz uma técnica que ele usava quando encarnado no ESE, e livros como os da Joanna, Ermance Dufaux... nos traz, à luz da Doutrina, como podemos nos auto conhecer da melhor forma possível. é um complemento, um desenvolvimento. Não faz parte do corpo basico da Doutrina, mas complementa, desenvolve, pq, como Jesus, os espíritos não conseguiriam dizer tudo.

O CUEE foi feito nos livros básicos. Se os livros que o complementam contradizem os livros básicos, contradizem o CUEE e não devem ser levados como doutrina, a não ser que seja uma revelação da ciência, que kardec disse que a doutrina seguiria.

é igual com o Direito por exemplo. O direito não é feito somente pelos códigos, pela lei seca. estamos restringindo demais a grandeza de Deus, do Universo, a somente 5 livros e revistas.

Desculpe Fernando mas em reposta só lhe peço que estude tanto o item dois da introdução ao ESE, como o capítulo I de A Genese. Vais ver que a banda não toca assim.
Veja tratamos de doutrina e só ela pode dizer a mais.
abraços,
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: juliocriciuma em 18 de Agosto de 2010, 23:10
Tem um tópico aqui no forum onde dois amigos relatam o que eu penso:

Renato_
"Todas as bases fundamentais do Espiritismo e da Doutrina Espírita já estão dadas nas obras dos Espíritos Superiores recebidas, organizadas e publicadas por Kardec."

Anton Kiudero
"Não podemos confiar nas opiniões de espirto algum, gente. E Kardec o disse com todas as letras e foi exatamente por este motivo que submetia as mesmas perguntas, exaustivamente a diversos espiritos e por diversos mediuns. E foi neste contexto que se aplica a máxima de Erasto, repetida por todo espirita quando algo não lhe agrada...  Eliminando as respostas conflitantes e aceitando as coincidentes, Kardec lentamente eliminou as distorções a que todos estão sujeitos."

Abraços
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernandohort em 19 de Agosto de 2010, 16:14
A FEB considera-os complementares.
Apenas não houve formalmente o CUEE. Mas muitos autores espirituais confirmam as teses de vários livros do Chico, Yvone, etc.

"examinai tudo, retende o que for bom" (Paulo)
E sempre analisar e ter cautela.

muitos livros complementares nos alertam quanto a este apego doutrinário excessivo. Tenhamos cuidado para não nos tornamos os novos fariseus, apegados demais com a letra, com a forma.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 19 de Agosto de 2010, 16:54
Fernando, não existe complementação se esta não for doutrina e só e doutrina aquilo que passou pelo CUEE.
A FEB não tem galardão para dizer o que é e o que não é doutrina aliás deveria seguir a doutrina mais infelizmente segue a Roustainjg.
abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernandohort em 19 de Agosto de 2010, 17:37
meu amigo, acho que estás confundindo doutrina com dogmatismo. doutrina é um conjunto de conhecimentos e princípios que serve como BASE para um sistema filosófico, científico, religioso. se é a BASE, não é o TODO, ACABADO. se não é o TODO, precisa de complementos, pq é somente a BASE.

repito o que disse para bem reterdes:

Apenas não houve formalmente o CUEE. Mas muitos autores espirituais confirmam as teses de vários livros do Chico, Yvone, etc.

"examinai tudo, retende o que for bom" (Paulo)
E sempre analisar e ter cautela.

alertam quanto a este apego doutrinário excessivo. Tenhamos cuidado para não nos tornamos os novos fariseus, apegados demais com a letra, com a forma.

ademais:

"Em sua Revista Espírita de junho de 1866, Allan Kardec assim se refere à obra do Sr. Roustaing:

"É um trabalho considerável e que tem, para os espíritas, o mérito de não estar, em nenhum ponto, em contradição com a doutrina ensinada em O Livro dos Espíritos e em O Livro dos Médiuns. As partes correspondentes às que tratamos em O Evangelho segundo o Espiritismo o são em sentido análogo."


abraço
Fernando
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 19 de Agosto de 2010, 18:53
Fernando por favor não divulgue o erro amigo meu.
Citando a doutrina:
"A única garantia segura do ensino dos Espíritos está na concordância das revelações feitas espontaneamente, através de um grande número de médiuns, estranhos uns aos outros, e em diversos lugares.
Compreende-se que não se trata aqui de comunicações relativas a interesses secundários, mas das que se referem aos próprios princípios da doutrina."
Tudo isso deve ocorreu num mesmo período mano não  hoje um ou dois  dez anos depois mais 20.

Mais ainda meu amigo e do mesmo item de doutrina
"Esta é a base em que nos apoiamos, para formular um princípio da doutrina. Não é por concordar ele com as nossas idéias, que damos como verdadeiro. Não nos colocamos, absolutamente, como árbitro supremo da verdade, e não dizemos a ninguém: "Crede em tal coisa, porque nós vo-la dizemos". Nossa opinião não é, aos nossos próprios olhos, mais do que uma opinião pessoal, que pode ser justa ou falsa, porque não somos mais infalíveis do que os outros. E não é também porque um princípio nos foi ensinado que o consideramos verdadeiro, mas porque ele recebeu a sanção da concordância.

Esse controle universal é uma garantia para a unidade futura do Espiritismo, e anulará todas as teorias contraditórias. É nele que, no futuro, se procurará o criterium da verdade. O que determinou o sucesso da doutrina formulada no O Livro dos Espíritos e no O Livro dos Médiuns foi que, por toda parte, cada qual pode receber diretamente dos Espíritos, a confirmação do que eles afirmavam."
Ainda mais meu amigo, confundes Dogma, com axioma e um tem significado dirferente do outro mesmo dogma tem  significado diferente quando se trata de doutrina  veja que ela tem um título que diz, Dogma da Reencarnação.
Serve isso ou queres mais?
abraços,
Moura

Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: fernandohort em 19 de Agosto de 2010, 19:53
o senhor tem uma capacidade muito grande de explicar uma questão como se nós não tivéssemos concordado, ou se não soubéssemos daquilo que está tratando.

eu sei o que é o CUEE!! sei da sua importância e sei que ele foi o responsável pela elaboração e pela força das obras BÁSICAS da Doutrina Espírita. Isso eu deixei claro nos outros posts e vc insiste em repetir a mesma coisa como se todos fossemos retardados.

Não vale a pena conversar contigo. Todo o seu discurso vai de encontro ao que nos atraiu para essa Doutrina Santa e libertadora. Pense na grandeza do universo e de Deus e veja o quão ínfimas são estas questões puramente doutrinárias a que o senhor dá tanta importância. O senhor não está mais no Sinédrio.
 
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: rubensomar em 20 de Agosto de 2010, 04:54
   De forma alguma eu iria me meter nesse "diálogo" dos senhores. Mesmo porquê, creio não estar ao alcance de vosso nível para isso.Mas, há algum tempo, eu escrevi um tópico em um outro fórum, nada haver com esse, mas eu creio que cairia muito bem nessa hora. Quando nos envolvemos em uma discussão, não nos enchergamos. Cliquem e leiam com paciência. Acho que fará bem aos dois.
http://www.pcforum.com.br/cgi/yabb/YaBB.cgi?num=1165975894 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5wY2ZvcnVtLmNvbS5ici9jZ2kveWFiYi9ZYUJCLmNnaT9udW09MTE2NTk3NTg5NA==)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Hebe M C em 20 de Agosto de 2010, 11:24
Ótimo texto
VALEU!!!!!
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: juliocriciuma em 20 de Agosto de 2010, 11:53
Ao invés da doutrina, vou remeter o tópico numero 1 das regras deste fórum:

1 - Critique ideias, não pessoas.

Sou fã do Moura, respeito muito suas colocaçoes principalmente pela sua idade (mais que o dobro da minha - não me leve a mal, moura), aprendi e aprendo muito com ele, e respeito muito mais (além da sua idade) pelo seus anos de dedicação de estudo à doutrina. Não o conheço pessoalmente, mas ele mesmo já mostra muita propriedade no que fala, além de ser um dos foristas mais atuantes aqui. COncordo que algumas vezes lhe falta humildade (o própro já reconheceu) em algumas falas, mas o que aconteceu nesta última postagem do amigo fernando foi o desrespeito ao tópico 1 das regras deste fórum.

A questãp op que é/o que não pe doutrina merece um tópico específico e eu muito queria discutir isto, acho a posição do moura muito interessante em relação a isso. Mas para isso precisamos de um tópico específico pra isso, não discutir aqui.

Portanto, vamos nos ater ao tema "A influencia dos espiritos" e evitar não fugir deste.

Abraços
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 20 de Agosto de 2010, 16:11
Não vele para quem quer só falar e não ler amigo Fernando.
Veja o que você escreveu:
"repito o que disse para bem reterdes:
Apenas não houve formalmente o CUEE. Mas muitos autores espirituais confirmam as teses de vários livros do Chico, Yvone, etc."

Isso quer dizer que NÃO HOUVE O CUEE, logo não é doutrina.
Fernando, antes deu que eu responda eu leio a sua mensagem com atenção,  mas o mesmo não acontece com você ou então o amigo deve pensar que eu esqueça do que leio. E esqueço mesmo, por isso releio antes de responder.
É por isso que o amigo "acha" que não vale a pena.
Outra coisa quando respondo mesmo que digo seu nome a mensagem é para todos, pois se está num Fórum, sendo assim não há mensagens só para vc mas para todos.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 21 de Agosto de 2010, 02:03

Mesmo os médiuns bons podem ser enganados. Nenhum é perfeito. Assim, é preciso cuidado e não tomar todas as mensagens como verdades inquestionáveis, por muito bonitas que elas sejam.

 http://www.youtube.com/v/jq5psc2fwa8 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS92L2pxNXBzYzJmd2E4)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: hcancela em 21 de Agosto de 2010, 14:01
Olá amigos(as)

Elsinha amiga, gostei essas fotos de Parisssssssssss....

Agora em relação ao tema, perdoe estas singelas palavras e como diz o video e não só...rsssssss

Palavras para quê, né meninas e meninos.

Tudo dito e ponto final.

Abraçãoooooooooooooo
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Elsamar em 23 de Agosto de 2010, 00:50
Ai amigo,

AAAAAAAAAmei Paris!

Em relação ao tema deixo ainda mais um video.

Exame Crítico.


http://www.youtube.com/v/HoqhMXuOQB0 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS92L0hvcWhNWHVPUUIw)


 :)
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: paulosp em 09 de Setembro de 2010, 11:17
Caros,

Muito bonito as mensagem e forma de pensar de todos vocês.  Essa diversidade de pensamentos que enriquece os debates e tras a beleza da individualidade. No entanto gostaria de saber como ajudar alguém que está sendo obsediado? Tanto foi falado sobre livre arbítrio, sendo que muitas vezes acabamos sendo obsediados não por que queremos e sim por pura incompreensão. Quais os passos para nos ajudar e também ajudar um amigo obsediado?

Grato

Paulo
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Camila favero costa em 09 de Outubro de 2010, 20:45
Muitu bom o tema, vemo que temos de saber ouvir a quem devemos, sou nova no forum, espero poder acompanhar todos s posts.Obrigada beijos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Luigi em 10 de Outubro de 2010, 22:21
Boas! Penso que acima de tudo, como seres imperfeitos que somos, estamos sujeitos a bons e maus conselhos.Mas, para mim, conta muito a inclinação (os defeitos) que marcam a maneira de ser e viver. Isto é, se uma pessoa tem tendência para beber, é um alvo mais fácil para a intervenção de alguns espíritos que tiveram essa fraqueza na terra.Mas o homem, com a ajuda de Bons Espíritos, pode sempre dizer NÂO.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: professor em 11 de Outubro de 2010, 21:11
Lido e grande tema. Aprenderei muito. Abraços n´alma
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: lmcamillo em 15 de Março de 2012, 15:02
Olá amigos do Forum, sou novo aqui e também no aprendizado da Doutrina Espirita.  Portanto tenho tentado ler muito e ainda inicialmente estou abordando todas as obras que são a base da doutrina e dos grandes Mestres.

E a minha busca inicial em toda literatura que tenho acesso é SE OS ESPIRITOS PODEM INFLUENCIAR AO PONTO DE CAUSAR UMA DOENÇA OU DOR FISICA EM UM ENCARNADO ???

E SE ISSO É POSSIVEL...    TAMBÉM BUSCO SABER SE ESSE MAL CAUSADO PELO ESPIRITO PODE TER SIDO POR UM PEDIDO DE UMA OUTRA PESSOA ???   E COMO PODEMOS NOS PROTEGER DISSO ???


MUITO GRATO A TODOS QUE PUDEREM CONTRIBUIR NA MINHA BUSCA E CRESCIMENTO NO APRENDIZADO.


GRATO
LUCIANO
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: DANNYLEMOS em 02 de Abril de 2012, 14:19
um tema um tanto interessante.Faz-me relembrar de um momento onde meu irmão(ja desencarnado)me disse certa vez que via um palhaço perto dele.rs
Até onde esse espirito influenciou sua vida?e pq o mesmo estava se apresentando com essa fisionomia?
Abraços a todos
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: DANNYLEMOS em 02 de Abril de 2012, 14:25
Olá amigos do Forum, sou novo aqui e também no aprendizado da Doutrina Espirita.  Portanto tenho tentado ler muito e ainda inicialmente estou abordando todas as obras que são a base da doutrina e dos grandes Mestres.

E a minha busca inicial em toda literatura que tenho acesso é SE OS ESPIRITOS PODEM INFLUENCIAR AO PONTO DE CAUSAR UMA DOENÇA OU DOR FISICA EM UM ENCARNADO ???

E SE ISSO É POSSIVEL...    TAMBÉM BUSCO SABER SE ESSE MAL CAUSADO PELO ESPIRITO PODE TER SIDO POR UM PEDIDO DE UMA OUTRA PESSOA ???   E COMO PODEMOS NOS PROTEGER DISSO ???


MUITO GRATO A TODOS QUE PUDEREM CONTRIBUIR NA MINHA BUSCA E CRESCIMENTO NO APRENDIZADO.


GRATO
LUCIANO
olá luciano,
pelo pouco conhecimento q tenho acredito sim que exista organismos capazes de sofre pertubações ao ponto de contrair doenças pela influencia de espiritos inferiores.Como tambem acredito na cura de doenças pela influencia de espiritos superiores.Creio que depende além do grau de evolução,o grau da vibração do encarnado que sofre as influencias.Pensamentos positivos = cura.pensamentos negativos = doença.se estiver errada ou incompleta minha resposta,agradeceria se alguém complementasse.
um abraço
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: ZERUELA em 09 de Abril de 2012, 19:37
Este tema é muito interessante e importante, mas gostaria de levar aqui uma reflexão: os espiritos nos influenciam e até mesmo nos obsediam, com que propósito?, normalmente achamos que para o nosso "mal", mas podemos imaginar uma complexidade e uma grande rede de relacionamentos de lá para cá e daqui para lá, onde Deus atua tirando "leite de pedra", onde um espírito que se "encosta" em alguém muitas vezes nem suspeita que a influenciação ou obsessão é na verdade uma escola para os dois, ou seja, cabe ao "influenciado", se assim podemos dizer" ajudar aquele espirito, então cai por terra o lado negativo da influenciação ou obsessão, nós temos sempre como primeira premissa pensar na influenciação e obsessão como algo de um espírito (ruim, mal ou trevoso) acho que podemos dizer que as influenciações (negativas) ou obsessões são atividades de espíritos de um mesmo naipe (ou farinha do mesmo saco) que se encontram com o intuito de um grande aprendizado, a questão é vamos continuar a querer nos livrar dos obsessores na casa espírita, ou vamos ajudá-los na casa espirita?
Paz a todos.
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mourarego em 18 de Abril de 2012, 18:10
Amigo Zé,
pelo que entendi o amigo relaciona também com influência a obsessão mas não é isso que a doutrina explica.
a influência existe mas não em caráter obsessivo pois não obriga ou não faz vassalo o influenciado.
Aliás a influência não frustra o livre arbítrio enquanto a obsessão pode vir a conseguir tal feito.
Em OLM está descrito que mesmo as obsessões simples podem ser combatidas e vencidas pela força que faça o obsedado.
Abraços,
Moura
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Maxwell Carvalho em 18 de Junho de 2012, 01:40
Entender a influência dos espíritos é muito complicado.

No entanto é necessário estudos aprofundado a respeito do tema.

De certa forma, a interação dos espíritos com os humanos é idêntico aos estímulos

(exteriores) ou sentimentos e necessidades compartilhadas no ambiente. Ou seja,

seria o mesmo que falar de comportamento humano aplicado a eles. Se bem que não temos

como saber como estes estímulos se projetam, mas nada difere dos humanos encarnados.

Ou seja, estes estímulos ocorre na unidade espacial que eles se encontram e fatores

diversos concorre na influência dos espíritos com os humanos encarnados; os estímulos

tipificados seriam (o sentimento alheio, vida alheia, a aflição, a inquietação, o desgosto, o

ódio, o desejo, originalidade, perturbação, não aceitação, o apego, etc).


O que têm-se  concluir que a interação ocorre tanto do estado ou condição do

sujeito ativo (seres desencarnados) quanto aos estímulos provocados do sujeito

passivo (seres encarnados).


Quanto a projeção, estímulos, às crianças é possível por ser mais vulnerável e ingênuo.



Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Nanda fsl em 24 de Junho de 2012, 21:59

Não poderemos nós estar sujeitos a maus conselhos?
Por outro lado não poderá um bom espírito intervir para nos ajudar?

Abraço.

Perg.458  O Livro dos Espíritos
O que pensam de nós os Espíritos que estão ao nosso redor e nos observam?

– Isso depende. Os Espíritos levianos riem dos pequenos aborrecimentos que vos causam e zombam de vossas impaciências. Os Espíritos sérios lamentam vossos defeitos e se empenham em vos ajudar.




Perg.461 Como distinguir os pensamentos próprios daqueles que são sugeridos?

– Quando um pensamento é sugerido, é como uma voz falando. Os pensamentos próprios são em geral os do primeiro momento. Além de tudo, não há para vós um grande interesse nessa distinção e muitas vezes é útil não sabê-lo: o homem age mais livremente. Se decidir pelo bem, o faz voluntariamente; se tomar o mau caminho, há nisso apenas maior responsabilidade.


464 Como distinguir se um pensamento sugerido vem de um bom ou de um mau Espírito?

– Estudai o caso. Os bons Espíritos apenas aconselham o bem; cabe a vós fazer a distinção.

466 Por que Deus permite que Espíritos nos excitem ao mal?

– Os Espíritos imperfeitos são instrumentos que servem para pôr à prova a fé e a constância dos homens na prática do bem. Vós, como Espíritos, deveis progredir na ciência do infinito, e por isso passais pelas provas do mal para atingir o bem. Nossa missão é vos colocar no bom caminho e, quando as más influências agem sobre vós, é que as atraístes pelo desejo do mal, porque os Espíritos inferiores vêm vos auxiliar no mal, quando tendes a vontade de praticá-lo; eles não podem vos ajudar no mal senão quando quereis o mal.

Se sois inclinados ao homicídio, pois bem! Tereis uma multidão de Espíritos que alimentarão esse pensamento em vós. Mas tereis também outros Espíritos que se empenharão para vos influenciar ao bem, o que faz restabelecer o equilíbrio e vos deixa o comando dos vossos atos.

☼ É assim que Deus deixa à nossa consciência a escolha do caminho que devemos seguir e a liberdade de ceder a uma ou outra das influências contrárias que se exercem sobre nós.

467 Pode o homem se libertar da influência dos Espíritos que procuram arrastá-lo ao mal?

– Sim, porque apenas se ligam àqueles que os solicitam por seus desejos ou os atraem pelos seus pensamentos.

468 Os Espíritos cuja influência é repelida pela vontade do homem renunciam às suas tentativas?

– O que quereis que façam? Quando não há nada a fazer, desistem da tentativa; entretanto, aguardam o momento favorável, como o gato espreita o rato.

469 Como se pode neutralizar a influência dos maus Espíritos?

– Fazendo o bem e colocando toda a confiança em Deus, repelis a influência dos Espíritos inferiores e anulais o domínio que querem ter sobre vós. Evitai escutar as sugestões dos Espíritos que vos inspiram maus pensamentos, sopram a discórdia e excitam todas as más paixões. Desconfiai, especialmente, daqueles que exaltam o vosso orgulho, porque vos conquistam pela fraqueza. Eis por que Jesus nos ensinou a dizer na oração dominical: “Senhor, não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal!”

470 Os Espíritos que procuram nos induzir ao mal e colocam assim à prova nossa firmeza no bem receberam a missão de fazê-lo? E se é uma missão, têm responsabilidade por isso?

– Nenhum Espírito recebe a missão de fazer o mal. Quando o faz, é de sua própria vontade e sofre as conseqüências. Deus pode deixá-lo fazer isso para vos pôr à prova, mas não ordena que o faça, e cabe a vós rejeitá-lo.

471 Quando experimentamos um sentimento de angústia, de ansiedade indefinível ou de satisfação interior sem causa conhecida, isso decorre unicamente de uma disposição física?

– São quase sempre, de fato, comunicações que tendes inconscientemente com os Espíritos, ou que tivestes com eles durante o sono.

472 Os Espíritos que querem nos induzir ao mal apenas se aproveitam das circunstâncias ou podem também criá-las?

– Aproveitam as circunstâncias, mas freqüentemente as provocam, oferecendo-vos ou levando-vos inconscientemente ao objeto de vossa cobiça. Assim, por exemplo, um homem encontra no caminho uma quantia de dinheiro; não acrediteis que os Espíritos levaram o dinheiro para esse lugar, mas podem dar ao homem o pensamento de se dirigir a esse ponto e, então, sugerir o pensamento de se apoderar dele, enquanto outros lhe sugerem o de restituir o dinheiro a quem pertence. O mesmo acontece com todas as outras tentações.

[/b]

Felizmente essa "influência má" só ocorre por nossa escolha... se te aconselham de forma errada ignora, do mesmo jeito que faz quando um encarnado te faz péssimas recomendações...[/color]
Título: Re: [Estudo] A Influência dos Espíritos
Enviado por: Mizica em 03 de Julho de 2012, 20:18
 :) Ola!
Boa Tarde!

Os espíritos nos observam em tempo integral, digamos assim. Uma vez, assisti pela internet o vídeo de uma palestra sobre a mesma temática desse tópico e o palestrante fez uma interessante analogia: é como se participássemos de um reality show, e eles, os espíritos, nós observam atentamente, o tempo todo. Esperando pela oportunidade de entrar em sintonia conosco para desse modo unir-se as nossas mentalizações, quando logicamente, vibramos na mesma frequência que eles. Se nossa frequência inclina-se para o bem, atraímos amigos desencarnados na mesma faixa vibratória, em caso contrário atrairemos o que não se pode chamar de boa companhia.

É preciso estarmos sempre atentos com nossa maneira de agir, de pensar. Somos aquilo que fazemos, que pensamos. A influência dos espíritos desencarnados em nós é real e palpável. Há casos e casos. E muitos podem tornar-se graves obsessões.

Espero ter ajudado em algo.
Grata por me ouvirem.
Meu carinho de sempre.
Mizica