Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Espiritismo & Jovens => Tópico iniciado por: ponto em 03 de Agosto de 2010, 02:58

Título: bebida alcoólica
Enviado por: ponto em 03 de Agosto de 2010, 02:58
Queria saber a concepção espirita sobre quando alguem fica bebado,
hoje em dia eu vejo esse ato como uma coisa inútil e que não leva a nada...
...e. fica mais receptível a influencias?
ex: pessoas que ficam mais bravas, choram ou ficam com aquelas brincadeiras levianas...
eu não entendo esse assunto ainda, e estou curiosa pra saber se tem alguma coisa a ver.
se alguem souber..obrigada
:)
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: luiz claudinei em 04 de Agosto de 2010, 00:16
Ola amiga Letícia, tempos atrás estava pesquisando sobre obsessão e encontrei no site www.espiritismo.net (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5lc3Bpcml0aXNtby5uZXQ=) a seguinte explicação na qual copiei na íntrega, espero que ajude em sua duvida
Abraços.
Existe alguma relação entre alcoolismo, obsessão, reencarnação...? Qual seria?
O hábito do consumo de álcool entre os seres humanos data da pré-história, tendo sido parte de rituais religiosos e festejos de todos os tipos desde os mais remotos dos tempos. Assim sendo, a história do alcoolismo – ou do abuso do álcool – e da humanidade têm caminhado lado-a-lado, o que reforça que vimos repetindo esse comportamento ao longo dos anos
O Espírito André Luiz, na obra “Mecanismos da Mediunidade”, capítulo XII, faz um interessante paralelo entre a experiência de Ivan Pavlov, nascido em 1849, médico russo, com cachorros e como nós adquirimos reflexos ao longo da nossa história evolutiva.
Pavlov separou alguns filhotes de cães de suas mães logo que nasceram e nunca os apresentou à carne. Assim, quando ele as mostrou pela primeira vez, eles não se interessaram por ela, apesar do instinto natural da espécie. Entretanto, ele colocou a carne na boca dos animais, soando antes um sino. Os animais despertaram o prazer de comer carne. Assim, todas as vezes que se soava o sino, mesmo que a carne não viesse depois, os cachorros já salivavam.
André Luiz nos diz que “esse campo de experiência traz a estudo os reflexos congênitos ou incondicionados, quais os chamados protetores, alimentares, posturais e sexuais, detentores de vias nervosas próprias, como que hauridos da espécie, seguros e estáveis, sem necessidade do córtex, e os reflexos adquiridos, ou condicionados, que não surgem espontaneamente, mas sim conquistados pelo indivíduo, no curso da existência.” 1 (grifo nosso)
Assim, explicando o fenômeno do cão preferir a carne apenas quando a prova, André Luiz diz que “o ato de alimentar-se é um hábito estratificado na personalidade do cão, em processo evolucionista, através de reencarnações múltiplas, e o ato de ‘preferir carne’, mesmo em se tratando de alimento ancestral da espécie a que se entrosa, é um hábito que ele adquire, formando impressões novas sobre um campo de sensações já consolidadas.” 2 (grifo nosso)
Analisando essas explicações de André Luiz com a informação histórica de que o álcool acompanha as festividades e os ritos religiosos desde épocas imemoriais, temos a explicação de que o alcoolismo e a reencarnação estão intimamente ligados e, principalmente, o reforço da informação que os grupos de Alcoólicos Anônimos, sem comprovação científica que os endossasse, na década de 40, já diziam que era imprescindível “evitar o primeiro gole”.
Assim como o cão só sente o prazer do sabor da carne ao prová-la, o alcoólico em potencial só se torna alcoólico ao beber. E em bebendo, ele reacende como nos dizeres de André Luiz, as sensações já consolidadas da preferência pela sensação de entorpecimento que o álcool traz.
Continua.....
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: luiz claudinei em 04 de Agosto de 2010, 00:29
Já a questão obsessão, reencarnação e alcoolismo estão extremamente interligados, tão interligadas que o Dr. Carneiro de Campos, Espírito, cujo trabalho Manoel Philomeno de Miranda acompanhou e narrou na obra “Trilhas da Libertação”, diz que é “um tipo de obsessão muito difícil de ser atendida convenientemente, considerando-se a perfeita identificação de interesses e prazeres entre o hóspede e o seu anfitrião.” 3 (grifos do autor espiritual)
Essa perfeita identificação que o médico espiritual faz referência decorre diretamente do “reflexo condicionado” sobre o qual falamos antes.
Inácio Ferreira, médico psiquiatra espírita, quando encarnado, editou o livro “Psiquiatria em Face da Reencarnação”, onde ele traça um interessante paralelo para explicar por que o alcoolismo passa de uma encarnação para outra. Ele diz que “a lepra, a tuberculose, o câncer, os males que se estabelecem no corpo e usufruem dos seus elementos químicos, se dispersam com a transformação [pela morte], mas os vícios, como o álcool e os entorpecentes, são conservados pelo perispírito, sofrendo a intoxicação do seu ego, a intoxicação psíquica. (...) Os primeiros males desaparecem com o corpo; os segundos persistem, pois o espírito não morre – continua a sua vida como repositório dos sentimentos, dos desejos.” 4
Desta forma, não é difícil percebermos que o Espírito desencarnado, que leva consigo seus desejos e sentimentos, e sendo o alcoolismo um hábito motivado pelo reflexo condicionado que desperta uma sensação conhecida do passado, mantém esse reflexo, mantém o desejo de consumir a substância, mas agora sem o corpo para ingeri-la e acessá-la, já que ela também faz parte do mundo físico. Por isso, acopla-se a um encarnado, como que num abraço profundo, envolvente, em que seus fluidos perispirituais se interpenetram para que, desta forma, o desencarnado possa absorver as emanações do álcool e sentir o pseudo-prazer da embriaguez mais uma vez.
Essa ligação, que pode começar de forma fortuita, quando o bebedor ainda é esporádico, desenvolvendo-se para um acompanhamento diário, o que resulta, normalmente, no aumento da vontade de beber do alcoolista.
Por todo o exposto, vê-se que o alcoolismo é uma doença física, porque descamba para a dependência e porque sua retirada súbita, nos casos de dependência mais aguda, pode ocasionar a morte. Mas, principalmente, o alcoolismo é uma doença da alma, necessitando de tratamento profundo, nas esferas médica, psicológica e espiritual.
Um grande trunfo na recuperação do alcoolismo, além dos grupos de mútua ajuda (Alcoólicos Anônimos, por exemplo), é a terapêutica do passe e da água fluidificada, além da freqüência assídua às palestras espíritas, para que o pensamento, já fixado nos hábitos e nos lugares que detonam a compulsão pelo álcool (exatamente como o cachorro que salivava ao ouvir o sino que precedia à oferta de carne), possa ser redirecionado a novas maneiras de enxergar e de viver a vida.
Na questão 909 de “O Livro dos Espíritos”, Allan Kardec perguntou à Espiritualidade se poderíamos, pelos nossos próprios esforços, vencer nossas inclinações más. Os Espíritos são claros ao responderem que “sim, e às vezes com pouco esforço; o que lhe falta é a vontade.” Assim, aliando-se o pouco esforço de ficar 24 horas sem beber à vontade de se livrar deste condicionamento de tantas vidas é que ocorre a bênção da recuperação.
________________________________________
1 XAVIER, Francisco Cândido. Mecanismos da Mediunidade. Pelo Espírito André Luiz. FEB: 12ª ed, 1991.188p., p. 92.
2 Idem, p. 93.
3 FRANCO, Divaldo Pereira. Trilhas da Libertação. Pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda. FEB: 3ª ed., 1997. 328p., p. 175.
4 FERREIRA, Doutor Inácio. Psiquiatria em Face da Reencarnação. FEESP: 1988. 117p., p. 52.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: mateuss2010 em 04 de Agosto de 2010, 01:25
cito: "hoje em dia eu vejo esse ato como uma coisa inútil e que não leva a nada..."

Isso é um bom sinal, sinal de evolução.. rsrs

Costumo pensar da seguinte forma, o espiritismo nos esclarece que toda ação tem uma consequencia, toda causa um efeito, não vejo como algo que trará consequencias penosas, o ato de beber socialmente, desde que seja moderadamente.

Se beber muito terá consequencias dolorosas, uma ressaca danada, fará mal a sua saúde e ficará mais propício a cometer erros. Com certeza nao é uma boa para seu corpo e espírito beber além da conta.

Alguns irmãos, acredito ter em sua vida esta prova, resistir as más inclinações relacionadas a bebida, provavelmente pela bagagem de erros do passado causados pela bebida, e etc.

Sim, ja cometi muitos erros sob efeito de bebidas. Como todo ser humano, aprendendo na marra e nos erros, ainda bem nenhum foi grave, alguma força externa deve ter me iluminado nos momentos de bebedeira, rsrs, mais graças a Deus que hoje tenho pensamentos mais responsáveis e disciplinados, e sim, bebo moderadamente com os amigos em barzinho e festas e etc.

Agora, se o sujeito tem dificuldades pra parar de beber durante alguma festa ou sei la, é mais inteligente da parte dele nem começar.

Este é meu ponto de vista, fique na paz de Deus.


Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: mateuss2010 em 04 de Agosto de 2010, 01:41
Quanto as influências, sempre estamos sujeitos a influências, se a pessoa beber até ficar bebada, provavelmente sua vibração espiritual não ficará das melhores, acredito que ficará mais sujeito a influências negativas sim.

Abraços.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: jorge romanholi em 04 de Agosto de 2010, 03:28
E de conhecimento geral de todo ser humano é em maior ou menor grau um medium. ao se alcoolizar perde-se o controle de si propio e isso é uma mão na roda para que forças negativas manipulem o alcoolizado da maneira que bem quizerem . Isto explica a midança de comportamento de algumas pessoas ao tomar seus golinhos .Alguns no outro dia nem se lembram do que acnteceu durante a bebedeira e isto acontece por que espiritos lhe tomam toda a conciencia . Aos mediuns em seus trabalhos mediunicos faço só uma pergunta:
Acham que um espirito de luz iria incorporar em alguem impregnado por bebida ? Alem disso o alcool age como aglomerante do sangue retardando a velocidade da circulação q ue por sua vez não consegue levar nutrientes e oxigenio a todas as celulas e dessa forma as celulas vão morrendo principalmente a do figado gerando o que chamam de cirrose. Todos tem o livre arbitrio de beber ou não , mas fica aqui um conselho de quem ja usou bebidas e hoje não usa mais:
evite a bebida vc não tem nada a perder ! abços !
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Nuninhuu em 04 de Agosto de 2010, 15:44
A minha crença aqui é um pouco distinta.

Logicamente, não é por se beber uma cerveja que o estado de consciência da pessoa fica imediatamente alterado. Mas se fôr várias cervejas, certamente já começará a ficar.

Continuando a sua ingestão, então, com toda a certeza, o estado de consciência fica alterado.

Estando o estado de consciência alterado... Bom, todos nós sabemos o que acontece em certas prácticas religiosas/religiões quando ficam naquele estado de transe. Não é apenas pela dança que o atingem. Há também bebidas alcoólicas e até mesmo outras substâncias que são ingeridas e que levam a esse estado de transe, no qual a pessoa comunica com os Espíritos. Seja na forma de visões, seja na forma ser um Espírito a falar através de si. Normalmente, após o transe, a pessoa desfalece e necessita de algum tempo para recuperar (algumas mais, outras menos).

Portanto, seja nos caso de um Xáman, sacerdote(iza) Voodoo, etc, a alteração do estado de consciência é fudamental para a comunicação com os Espíritos. No caso dos Xámanes, estes não usam álcool, mas sim combinações de substâncias extraídas de plantas, ervas, bagas, etc, por exemplo.

Todavia, o álcool não deixa de ser um modo de atingir essa alteração de estado de consciência. Tanto que muitas pessoas quando ingerem Gin e/ou Extracto de Absinto em excesso têm "visões" nas quais afirmam ver Satanás, Lúcifer, "Fantasmas", Sangue, etc, etc, etc... É certo que ambas as bebidas são "alucinogéneas", mas também é certo que as substâncias usadas pelos Xámanes igualmente o são. A "Ciência" assim as categoriza porque se alguém afirma ver o que mais ninguém vê, então é uma alucinação. Ora como bem sabemos, não é necessariamente verdade que sempre assim seja e na realidade só mesmo muito raraamente o é.

Não quer isto dizer que o consumo excessivo de álcool seja uma boa coisa e/ou que toda a gente deva fazê-lo. Nem toda a gente está preparada para tal, seja esse consumo excessivo algo regular ou exporádico.

Da mesma forma que nem todos os membros de uma tribo são Xámanes, nem sacerdotes(izas) Voodoo, etc, nem na nossa sociedade nem todos somos padres, nem freiras, nem generais, bombeiros, arquitectos, etc, etc, etc...

Simplesmente porque não só não temos a Formação como, primordialmente, não temos a Preparação necessária.

Nenhum Xáman, Sacerdote(iza) Voodoo, Animista, etc, lá chega sem que tenha sido iniciado, sem que tenha sido acompanhado, sem que domine perfeitamente certos conceitos, situações, etc. Muitas são as provas que tem de ultrapassar até finalmente atingir esse nível.

Não temos nós, Médiums/Espíritas de fazer o mesmo também, até atingirmos certo nível de evolução?

Quando não se está preparado para as situações de alteração de estado de consciência surgem aqueles inúmeros exemplos que podemos ver nas ruas das nossas cidades, vilas e aldeias... Drogados e bêbados a caír pelos cantos, completamente degradados e quase totalmente destruídos, alguns tendo já passado muito para além do ponto de não-retorno.

Com isso vêm outros males que afectam as nossas sociedades... Violência, roubo, furto, prostituição, violação, homicídio...

Portanto, SIM...

Ao ingerir-se álcool fica-se mais aberto e vulnerável a influências (tanto positivas como negativas).
Os choros podem mais não ser do que uma manifestação de algo que está reprimido, seja uma decepção, uma culpa, um lamento, uma comoção, etc. Um dos sinais do despertar da Espiritualidade não é também o choro sem razão aparente, causado por um filme, uma imagem, um sentimento, etc?

Definitivamente, SIM, o consumo de álcool, tal como de outras substâncias, tem definitivamente muito a ver com a Espiritualidade. Todavia, tal como dito anteriormente, não se recomenda (nenhuma delas) a quem não esteja absolutamente preparado para lidar e dominar todas as situações de alteração de consciência e eventuais consequências de que aí advenham. E, mesmo para essas pessoas, isso é algo que é feito apenas quando tem de ser e não com propósitos de diversão, conquista sexual e/ou outra qualquer de menor relevância Espiritual.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: jorge romanholi em 04 de Agosto de 2010, 16:11
MUITO BOA SUA RESPOSTA MAS HA DE OBSERVAR QUE NENHUMA DOUTRINA ESPIRITUALISTA OU ESPIRITA "CRISTÃ" USA DE ARTIFICIOS COMO ALCOOL PARA PODER EXERCER SUA MEDIUNIDADE . BASTA A SINTONIA COM O MUNDO ESPIRITUAL PARA PODERMOS INCORPORAR. O QUE É FATO QUE AO BEBER NÃO TEMOS CONTROLE SOBRE NÓS MESMOS E AI FICAMOS VULNERAVEIS A AÇAO E INCORPORAÇÃO DE ESPIRITOS DOS VALES NEGROS ! QUANTO A CQUANTIDADE DE BEBIDA ISSO NÃO IMPORTA UM COPO PODE NÃO PARECER MAS JA ALTERA . TANTO É QUE NA LEGISLAÇÃO DE TRANSITO O BAFOMETRO NÃO PERDOA ! MEU CONSELHO É SE QUER EXERCER SUA MEDIUNIDADE  NÃO BEBA SE BEBER NÃO EXERÇA !
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Nuninhuu em 04 de Agosto de 2010, 16:20
Nenhuma?

Então quando Jesus diz, acerca do vinho, "Tomai e bebei, este é o meu sangue", está a fazer oquê?

Mais... Não é esse o momento mais alto de uma Eucaristia, na qual é feita a Consagração, imediatamente antes do acto da Comunhão? Não é esse um acto Espiritual, de Comunhão com Deus?

Aínda assim, eu não falei em doutrinas, falei em alteração de estado de consciência e de comunicação com os espíritos, bem como das consequências para alguém que não esteja preparado...

Além de que também não recomendei o uso nem de álcool nem de nenhuma outra substância, bem pelo contrário. Tive o cuidado de ser explícito a esse ponto.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: luiz claudinei em 04 de Agosto de 2010, 19:24
Devemos sempre lembrar, que tudo o que é prejudicial ao nosso corpo material que consequentemente reflete no espirito,
é contra a lei de conservação e esta mais do que provado que o alcool é extremamente prejudicial oa nosso organismo
portanto se aos poucos conseguirmos nos livrar desse vicio estaremos caminhando, ou seja, "engatinhando"  para nossa lenta, más,constante evolução.
E concordo com nosso irmão Jorge, se quer ter uma boa sintonia e  comunicação tente pelo menos no dia do trabalho fazer uma dieta de comida leve e livre do alcool e com o passar do tempo voce ira sentir os efeitos benéficos e ira aplicar naturalmente aos demais dias.

um abraço fraterno a todos.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: jorge romanholi em 04 de Agosto de 2010, 20:53
meu caro irmão Nuninhuu , me perdoe mas vc citou sim (Bom, todos nós sabemos o que acontece em certas prácticas religiosas/religiões quando ficam naquele estado de transe. Não é apenas pela dança que o atingem. Há também bebidas alcoólicas e .................)isso é um texto seu que em primeiro lugar não separa o espiritismo cristão de ceitas ou religiões que praticam essas coisas e em segundo lugar a bebida e dança  não faz ninguem incorporar aquilo é um ritual ,o estado de "transe" não depende de nenhuma substancia , som , ordem,dança , ritual , só depende do grau de mediunidade que tem a pessoa. isto tudo é conversa fiada de pessoas que não são mediuns ficam imaginando coisas e passando informações erradas para as pessoas . eu estou agora aqui escrevendo e se quizer incorporar basta apenas eu mentalizar e pronto milesimos de segundos ja estou incorporado nada e necessario :Jesus disse que o vinho era seu sangue simbolicamente assim como disse que o pão era seu corpo. Me perdoe mas se o corpo de Jesus fosse de pão e o sangue de vinho nao ia ser coisa boa ! pelas suas palavras meu amigo acredito que não sejas espirita ou espiritualista mas tudo o que puder colocar em discussão é muito bom ! mas continuo dizendo não leia abiblia ao pè da letra. nao da certo e      sinceramente o alcool e uma droga e sendo droga não faz bem a ninguem   mas se alguem quer beber quem sou eu pra condenar . ja bebi meu amigo e sei muto a diferença de se viver sem essa droga ! abços
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Nuninhuu em 05 de Agosto de 2010, 01:33
meu caro irmão Nuninhuu , me perdoe mas vc citou sim (Bom, todos nós sabemos o que acontece em certas prácticas religiosas/religiões quando ficam naquele estado de transe. Não é apenas pela dança que o atingem. Há também bebidas alcoólicas e .................)isso é um texto seu que em primeiro lugar não separa o espiritismo cristão de ceitas ou religiões que praticam essas coisas e em segundo lugar a bebida e dança  não faz ninguem incorporar aquilo é um ritual ,o estado de "transe" não depende de nenhuma substancia , som , ordem,dança , ritual , só depende do grau de mediunidade que tem a pessoa. isto tudo é conversa fiada de pessoas que não são mediuns ficam imaginando coisas e passando informações erradas para as pessoas . eu estou agora aqui escrevendo e se quizer incorporar basta apenas eu mentalizar e pronto milesimos de segundos ja estou incorporado nada e necessario :Jesus disse que o vinho era seu sangue simbolicamente assim como disse que o pão era seu corpo. Me perdoe mas se o corpo de Jesus fosse de pão e o sangue de vinho nao ia ser coisa boa ! pelas suas palavras meu amigo acredito que não sejas espirita ou espiritualista mas tudo o que puder colocar em discussão é muito bom ! mas continuo dizendo não leia abiblia ao pè da letra. nao da certo e      sinceramente o alcool e uma droga e sendo droga não faz bem a ninguem   mas se alguem quer beber quem sou eu pra condenar . ja bebi meu amigo e sei muto a diferença de se viver sem essa droga ! abços
Sem querer fazer julgamentos, até porque não me compete a mim julgar...

Os EVENTUAIS problemas que cada um de nós tenha tido com o álcool e/ou outras substâncias, não nos devem servir de base individual para um conceito geral que envolve o resto das pessoas. Da mesma forma que qualquer coisa geral (convencionada pela sociedade em que vivemos, seja ela de índole jurídico-civil/cível e/ou de índole "científica") não se aplica exactamente ao indíviduo.

Charlatães, todos nós nós sabemos que há por aí muitos, desde "vendedores da banha da cobra a avogados, engenheiros, políticos, arquitectos, sapateiros, "bispos" e "pastores" de pseudo-igrejas às quais eu denomino de SEITAS, etc!

Creio eu que não vamos negar os princípios e ensinamentos de determinados Mestres, "Iluminados", Xámanes, Druídas, etc, que sempre viveram e lutaram por que se vivesse em harmonia com a Natureza, em respeito pela mesma e, consequentemente, com respeito e observância pela Lei Natural.

Vários deles (muitíssimos ao longo da História) recorreram a essas substâncias de alteração de consciência para comunicação com os Espíritos. Quem somos nós para renegar aquilo que por eles nos foi ancestralmente transmitido?

Se a mensagem deles está em absoluta concordância com a Lei Natural e com os preceitos Espíritas, devemos renegá-las, apenas porque a "doutrina" actual nos diz que o consumo de álcool e/ou outras substâncias é prejudicial ao corpo?

Não estaremos a entrar num "fundamentalismo" como o do Islão em relação ao álcool e à carne de porco, por exemplo? Que eu saiba, o Al-Corão não proíbe o seu consumo, apenas o desaconselha. Inclusivé, amigos meus (de longa data) que são Muçulmanos, me dizem o mesmo.

Por outro lado...

Parece que está a passar ao lado o facto de eu ter dito que: "Definitivamente, SIM, o consumo de álcool, tal como de outras substâncias, tem definitivamente muito a ver com a Espiritualidade. Todavia, tal como dito anteriormente, não se recomenda (nenhuma delas) a quem não esteja absolutamente preparado para lidar e dominar todas as situações de alteração de consciência e eventuais consequências de que aí advenham. E, mesmo para essas pessoas, isso é algo que é feito apenas quando tem de ser e não com propósitos de diversão, conquista sexual e/ou outra qualquer de menor relevância Espiritual."
Aconselho, por isso, uma leitura na íntegra, ao invés de uma leitura na diagonal e/ou leitura selectiva!

Não venham, por isso, acusar-me ou ter intenção de promover e aconselhar o consumo e uso de tais substâncias para fins Espirituais!!!

Fica o esclarecimento feito!

Perdoem-me se pareço agressivo na linguagem usada, mas... Creio que tenho, devo e preciso mesmo ser o mais enfáctico possível, para que não se gerem confusões!
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Nuninhuu em 05 de Agosto de 2010, 01:40
Já agora, gostaria também de saber qual a opinião da Letícia, visto que foi ela que abriu o tópico e e é a ela que deveríamos estar a responder e não a contra-argumentar entre cada um de nós quando não há razão para tal.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: jorge romanholi em 05 de Agosto de 2010, 02:30
não vejo o espiritsmo ou espiritualimo como historia e sim como ciencia e a ciencia espirita evolui de acordo com a capacidade de entendimento do homem ! no tempo de moises não se poderia revelar o que a ciencia espirita revela hoje pois não haveria entendimento para isso. assim como não podemos querer que um indio que usa a o cha de coca para chegar em um estado de sintonia o faça de outra forma . mas o medium desenvolvido e devidadamente excalrecido hoje não precisa destes artificios pois sua mediunidade tem haver com seu plexo fisico seus chakras sendo o doutrinador se sintoniza em linguagem simples pelo chakra situado no topo da cabeça e o medium de incorporação pelo chakra situado logo acima de seu  umbigo (plexo solar) a sintonia é uma constante em em meduns nos dias de hoje .por tanto torna-se desnecessario o uso de qualquer substancia alucinógena para alcançar tal estado de sintonia . devemos exclarecer ainda que o uso da bebida descontrola nosso sitema nervoso facilitando a ação de espiritos maliguinos em mediuns semi-concientes . aintigamente os mediuns eram tinham suas conciencias totalmente tomadas e não sabiam o que estava acontecendo durante a incorporação o que hoje esta definitivamente mudando já que 80% dos mediuns são semi concientes ! e sendo semi concientes podem controlar todo tipo de energia que chega até eles! espero ter exclarecido de vez minha opinião sobre o assunto ! e dizer que toda verdade um dia poderá deixar de ser verdade a medida que o homem adquira capacidade para melhor entender as novas verdades. ex; a ciencia dizia que a terra tinha o formato de um casco de tartaruga esse conceito era verdadeiro pois era o limite de conehcimento da ciencia e este conceito deixou de ser verdade quando se descobriu que a terra era redonda ! e assim companheiro evolui a ciencia espirita com suas tecnicas reveladas por seres muto superiores a nos que nos revelam as coisas a medida que possamos ter compreensão de acordo com nossa evolução ! no mais quero encerrar este assunto lhe pedindo que reflita na lição que jesus nos ensinou , a lei da tolerancia amor e humildade . e lembrando que foruns foram criados exatamente para troca de esperiencias e discussoes sobre temas ate que se chegue a um denominador comum . isto é saudavel e exclarecedor ! que deus lhe abençoe ! Salve Deus !
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Nuninhuu em 05 de Agosto de 2010, 02:49
pelas suas palavras meu amigo acredito que não sejas espirita ou espiritualista mas tudo o que puder colocar em discussão é muito bom !
Este pormenor, dexei para o final. A diferença de tempo no comentário fica apenas a dever-se a dificuldades com o próprio Fórum, que não sei se é a nível do alojamento ou mesmo de ligação e/ou DNS.

Deixa-me então, meu amigo, esclarecer-te a respeito...

Se eu não fosse Espírita e/ou Espiritualista, não estaria registado neste Fórum, nem viria aqui perder o meu tempo e o vosso para brincar com coisas sérias!

Mais uma vez digo aquilo que já disse antes, agora por outras palavras, quiçá ,ais directas... Não deixes as tuas experiências pessoais turvarem a tua percepção e/ou julgamento no que concerne às palavras de outros, nem queiras pelas palavras de outrém querer descodificar intenções!

Se tudo devesse ser uniforme não teríamos inúmeras percepções/sensibiliddes/teorias/interpretações sobre o Cristianismo/Judaísmo/Islamisto/Budismo/Xamanismo/Druidismo/Sikhismo/Akhenotismo, das aquais apenas o Druidismo e Xamanismo não são Monoteístas, mas todas elas são fortemente Espirituais.

Não é por eu ter uma opinião algo diversa da tua que deixo de ser Espírita e/ou Espiritualista!

O mesmo poderia eu invocar em relação a ti, pela falta de tolerância (aparente/concreta) nos comentários que fizeste em relação ao meu ponto de vista. Todavia não o faço...

Simples razão... Todos nós temos o nosso caminho e a nossa percepção não apenas sobre a nossa própria Espiritualidde como também como sobre o melhor caminho para alcançá-la!

Tu terás o teu caminho, motivado pelas tuas próprias experiências. Outros terão o seu, igualmente baseados nas suas.

Ser-me-ia legítimo questionar se és ou não Espírita/Espiritualista, apenas porque não concordas comigo? Obviamente que não! Tal como não é a ti em relação a mim e tal como não foi sobre muita gente em relação a Jesus perante os seus ensinamentos. mormente nos que concernem à ruptura com os preceitos religiosos de então.

Todavia... Bem sabemos quais são aqueles que temos como base.

ATENÇÃO! Não estou a comparar-me com Jesus! Longe de mim tal sequer pensamento!

Contudo...

É bom que pensemos em certas coisas antes de formarmos juízo sobre alguém...

Da mesma forma que existe o preceito da Presumpção de Inocência até Prova em Contrário e Trânsito em Julgado, nos tribunais seculares, também na Espiritualidade não devemos condenar nem acusar ninguém. Até porque... Não me parece que existam tribunais humanos para decidir sobre quem é ou não é Espírita/Espiritualista, nem sobre quem deva ou não deva ascender ascender a um nível Mediúnico/Espiritual Superior.

No passado já houve uma coisa chamada Inquisição (substituída pela actual e famigerada Congregação para a Doutrina da Fé), de há séculos atrás e que teve os resultados que todos nós conhecemos...

Vamos entrar novamente nesse caminho???

Não é por nada, mas... Não me parece que seja, de todo, o melhor nem o mais correcto!
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Nuninhuu em 05 de Agosto de 2010, 03:11
não vejo o espiritsmo ou espiritualimo como historia e sim como ciencia e a ciencia espirita evolui de acordo com a capacidade de entendimento do homem ! no tempo de moises não se poderia revelar o que a ciencia espirita revela hoje pois não haveria entendimento para isso.

Então também não devemos levar nada a sério do que é dito nos dias de hoje, pois aínda somos muito inferiores ao que as gerações futuras serão em relação a nós, tal como nós em relação à geração de Moisés e à de Akhenaton antes dele!

Esperemos assim que as gerações futuras nos esclareçam, tal como nós temos de esclarecer as gerações passadas!

assim como não podemos querer que um indio que usa a o cha de coca para chegar em um estado de sintonia o faça de outra forma . mas o medium desenvolvido e devidadamente excalrecido hoje não precisa destes artificios pois sua mediunidade tem haver com seu plexo fisico seus chakras sendo o doutrinador se sintoniza em linguagem simples pelo chakra situado no topo da cabeça e o medium de incorporação pelo chakra situado logo acima de seu  umbigo (plexo solar) a sintonia é uma constante em em meduns nos dias de hoje .por tanto torna-se desnecessario o uso de qualquer substancia alucinógena para alcançar tal estado de sintonia.

Vamos então supôr que os actuais telemóveis que hoje usamos são a única forma de comunicação possível?

Se do outro lado da linha estivesse Deus, vamos supôr que ele apenas atenderia chamadas feitas via GSM/VoIP/Satélite e deixaria de atender às chamadas via sinais de fumo, batidas de tambor, correio a cavalo, telégrafo, etc, mais arcaicas, apenas porque são menos evoluídas?

E a mensagem seria menos importante/relevante por ter sido usado um meio menos evoluído?

Estamos a dar importância ao quê?

À mensagem ou ao meio? E convém não esquecer que um Médium é precisamente isso... Um MEIO.

Acho que o importante é a mensagem... Digo eu, que sou "menos evoluído"...

devemos exclarecer ainda que o uso da bebida descontrola nosso sitema nervoso facilitando a ação de espiritos maliguinos em mediuns semi-concientes . aintigamente os mediuns eram tinham suas conciencias totalmente tomadas e não sabiam o que estava acontecendo durante a incorporação o que hoje esta definitivamente mudando já que 80% dos mediuns são semi concientes ! e sendo semi concientes podem controlar todo tipo de energia que chega até eles! espero ter exclarecido de vez minha opinião sobre o assunto !

Não de todo! Devemos então depreender que TODOS os ensinamentos preceitos que nos foram deixados por todos os Xámanes, Druídas, Sacerdotes(izas), Budistas, etc, que estavam sobre o efeito de substâncias que alteram o estado de consciência são inválidos? Não servem de nada?

Devemos considerar que a Igreja (que durante séculos impôs a teoria Heliocêntrica e muitos outros disparates, até no que toca à Condição Feminina), dita seguidora e percursora dos preceitos e ensinamentos de "Cristo", porque fez muita coisa errada e muito pouca coisa acertada (aínda nos nossos dias) nos afasta dos ensinamentos de Jesus e que por isso devemos renegar a Jesus, seguindo essa mesma lógica?

Não me parece que faça muito sentido...

Já agora, também convém saber qual a diferença entre "Cristo" e Jesus! Não são a mesma coisa; de todo! É bom saber a diferença entre "uma coisa e a outra"!

e dizer que toda verdade um dia poderá deixar de ser verdade a medida que o homem adquira capacidade para melhor entender as novas verdades. ex; a ciencia dizia que a terra tinha o formato de um casco de tartaruga esse conceito era verdadeiro pois era o limite de conehcimento da ciencia e este conceito deixou de ser verdade quando se descobriu que a terra era redonda ! e assim companheiro evolui a ciencia espirita com suas tecnicas reveladas por seres muto superiores a nos que nos revelam as coisas a medida que possamos ter compreensão de acordo com nossa evolução !

Então como podemos afirmar que aquilo que nos é dito e afirmado e muitas vezes até imposto ou tentado ser imposto, as podemos tomar como verdades absolutas? Não faz sentido! E não responde à citação/comentário anterior!

Fé é uma coisa, Ciência é outra... Quando se faz Fé num preceito errado... A Fé é igualmente errada. Tal como a Ciência o também é, pois não raras vezes a mesma já se corrigiu a ela própria.

no mais quero encerrar este assunto lhe pedindo que reflita na lição que jesus nos ensinou , a lei da tolerancia amor e humildade . e lembrando que foruns foram criados exatamente para troca de esperiencias e discussoes sobre temas ate que se chegue a um denominador comum . isto é saudavel e exclarecedor ! que deus lhe abençoe ! Salve Deus !

Creio que sobre este ponto já respondi no meu post anterior. Mas iguais são os meus desidérios.

Entretanto devo lembrar que humildade não é sinónimo de submissão... Se assim fosse, Jesus nunca teria feito as afirmações que fez, entre as quais que vinha trazer a Verdade aos Homens, que era Filho de Deus, etc...

Mais uma vez... Não me comparo a Jesus, sou demasiado imperfeito para isso, mas... Não deixo de dizer aquilo que penso...

Quanto mais não seja, para que se reflicta... Quanto mais se reflectir, quanto menos a necessidade de reagir e maior a probabilidade de prevenção e esclarecimento.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: ponto em 08 de Agosto de 2010, 21:45
obrigada pelas explicações..
e com certeza agente fica sim, receptível a influencias negativas quando se bebe demais...
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Nuninhuu em 08 de Agosto de 2010, 22:26
obrigada pelas explicações..
e com certeza agente fica sim, receptível a influencias negativas quando se bebe demais...
Fica-se sujeito a influências, sim. Não necessariamente negativas. Também podem ser positivas.

Tudo vai depender do nível de preparação que se tenha para lidar com certas coisas.

Quem não tenha preparação e não consiga dominar as influências negativas, logicamente deixa-se por elas dominar.

Quem tenha esse preparação e esse domínio, pelo contrário dominará as influências negativas, canalizando apenas as positivas, tal como faz qualquer Médium evoluído de forma plenamente consciente.

Tal como tudo na vida, há o Bom e há o Mau. O álcool também tem benefícios, não tem apenas malefícios. Está mais do que comprovado os benefícios a nível cardíaco e circulatório, por exemplo.

Agora, uma coisa é uso, outra coisa é abuso. O abuso leva à viciação. Seja abuso de álcool, drogas, açucar, jogo, sexo, etc.

Como já disse antes, não estou a promover o seu consumo nem uso (seja de álcool ou substâncias), mas também não compreendo esse "radicalismo" contra, apenas apontando o negativo e deixando o positivo (seja muito ou pouco) de fora.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: ROGERESBRASIL em 08 de Agosto de 2010, 22:44
HOJE EU PASSEI O DIA QUERENDO BEBER, SEMANA PASSADA EU BEBI E NÃO GOSTEI DO QUE FIZ. ESTOU ME CURANDO DESSE VICIO. PRECISO DE FALAR SOBRE ISSO
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Nuninhuu em 08 de Agosto de 2010, 23:20
HOJE EU PASSEI O DIA QUERENDO BEBER, SEMANA PASSADA EU BEBI E NÃO GOSTEI DO QUE FIZ. ESTOU ME CURANDO DESSE VICIO. PRECISO DE FALAR SOBRE ISSO
Olá ROGERESBRASIL. Como este tópico (http://www.forumespirita.net/fe/toxicodependencia/viciacao-alcoolica/ (http://www.forumespirita.net/fe/toxicodependencia/viciacao-alcoolica/))é específico sobre a Viciação Alcoólica, creio talvez fique melhor enquadrado nesse tópico, onde até algumas coisas que poder-te-ão ser úteis já foram ditas.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: ROGERESBRASIL em 09 de Agosto de 2010, 02:47
OBRIGADO. SOU NOVO AQUI E NÃO TENHO CONHECIMENTO
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Veikko em 09 de Setembro de 2011, 08:35
O espiritismo é claro em dizer que tudo em excesso faz mal. Beber ao nível moderado, responsável não deve lhe fazer mal. Eu ja aprendi na marra o que é beber em excesso, sorte que tive oportunidade a uma segunda chance.    :)
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: HamLacerda em 09 de Setembro de 2011, 13:26
A Doutrina Espírita diz que é o excesso que fal mal, mas não diz que veneno, drogas ou substâncias nocivas, ingeridas moderadamente, não fazem mal.




Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Renato.Oliv em 09 de Setembro de 2011, 15:41
O problema é que a grande maioria, vamos dizer 90% de quem bebe bebidas alcóolicas, não consegue moderar, portanto o ideal é que deixem de beber, para evitar que pratiquem o mal sem perceber, devido ao efeito alterável do alcóol.

Bebidas alcóolicas nada trazem de útil e nem nos fazem bem, altera nossa consciência, distorce atitudes, enfim, a pessoa deixa de ser ela mesma fazendo coisas que normalmente não faria, e falo não só de quem fica caindo de bêbado mas também quem fica no famoso brilho alcóolico, meio alto, onde pensa que ainda tem o controle total de si, mas na verdade está apenas se enganando e acaba falando ou fazendo mais do que devia.

Quem bebe, por pouco que seja, sempre pretende fugir de si, fugir da realidade, para um estado ilusório. Horas depois ou no dia seguinte, sente o vazio pós fuga, sem contar o arrependimento de atitudes erradas que tomou pois não estava no seu estado são.

É preciso largar esses prazeres inferiores para que consigamos dar um grande passo na evolução para Deus, só assim a verdadeira felicidade é obtida.

Paz e luz!
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 09 de Setembro de 2011, 16:25
Sabem mano Renatão, a coisa não é bem assim.
A medicina já indica que a ingestão de dois copos de vinho ao dia facilita certas tarefas do organismo e mesmo faz bem ao coração.
a questão está  em que o espírita em geral, sofre de dois males:
1. generalizar reducionisticamente, qualquer ensino;
1. Querer ser mais real do que o rei.
Ora a doutrina indica que se a ciência provou cabalmente uma nova coisa, o espiritismo a reterá em seu corpo de doutrina.
No caso da ingestão de álcool a ciência médica já comprovou esta verdade dita acima.
Porém poucos mais espalhafatosos, querem fazer valer suas idéias e continuam a repetir coisas já desbotadas pelo tempo.
A coisa toda dá-se pelos excessos. Este o mal.
Abraços.
Moura
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Renato.Oliv em 09 de Setembro de 2011, 16:44
Sabem mano Renatão, a coisa não é bem assim.
A medicina já indica que a ingestão de dois copos de vinho ao dia facilita certas tarefas do organismo e mesmo faz bem ao coração.
a questão está  em que o espírita em geral, sofre de dois males:
1. generalizar reducionisticamente, qualquer ensino;
1. Querer ser mais real do que o rei.
Ora a doutrina indica que se a ciência provou cabalmente uma nova coisa, o espiritismo a reterá em seu corpo de doutrina.
No caso da ingestão de álcool a ciência médica já comprovou esta verdade dita acima.
Porém poucos mais espalhafatosos, querem fazer valer suas idéias e continuam a repetir coisas já desbotadas pelo tempo.
A coisa toda dá-se pelos excessos. Este o mal.
Abraços.
Moura

Querido Moura,

Obrigado por sua colocação, não sou o dono da verdade, nem tão pouco Rei de nada, sou tão ignorante quanto bilhões nesse mundo, peço desculpas se pareci prepotente impondo alguma idéia, como todos tenho muitíssimo a aprender ainda.

Tudo o que falei em meu post foi em relação ao excesso, não procurei atingir em momento nenhum quem bebe moderamente, apenas informei o mal que a bebida, em excesso, faz, como todos sabem, na questão da alteração de consciência pelo efeito alcóolico.

Como falei, 90% não consegue se controlar quando bebe, devido ao excesso, acarretando não só coisas ruins a si mesmo, como ao próximo. Então é melhor que deixem de beber. Os 10% que conseguem beber o seu vinhozinho, por exemplo, com moderação, podem continuar bebendo, pois conseguem se controlar.

Obrigado pela crítica irmão Moura, você está certíssimo ao tentar retirar o véu das contradições e extravagâncias.

Muita paz e luz!
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 09 de Setembro de 2011, 16:53
Você entendeu mal mano Renatão.
Não falei em você, nem me passou pela cabeça falar de você.
Falei, como sempre sob um aspecto geral, pois sabemos que estes confrades existem, entende?
abração,
Moura
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: HamLacerda em 09 de Setembro de 2011, 16:59
Sabem mano Renatão, a coisa não é bem assim.
A medicina já indica que a ingestão de dois copos de vinho ao dia facilita certas tarefas do organismo e mesmo faz bem ao coração.
a questão está  em que o espírita em geral, sofre de dois males:
1. generalizar reducionisticamente, qualquer ensino;
1. Querer ser mais real do que o rei.
Ora a doutrina indica que se a ciência provou cabalmente uma nova coisa, o espiritismo a reterá em seu corpo de doutrina.
No caso da ingestão de álcool a ciência médica já comprovou esta verdade dita acima.
Porém poucos mais espalhafatosos, querem fazer valer suas idéias e continuam a repetir coisas já desbotadas pelo tempo.
A coisa toda dá-se pelos excessos. Este o mal.
Abraços.
Moura

Não estou defendendo nem um lado nem o outro, até pq minha opnião é bem difentes destas, mas, convenhamos, é preciso corrigir certas coisas, senão....


Moura, o vinho contém mais de 400 sustâncias, e a substância que os pesquisadores encontraram e que faz bem a saúde é o Resveratrol (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3B0Lndpa2lwZWRpYS5vcmcvd2lraS9SZXN2ZXJhdHJvbA==) que é encontrado nas sementes e na casca da uva.


Abraços
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 09 de Setembro de 2011, 17:04
Caracas mano Lacerda!
Na verdade quando li sobre isso, num site sobre medicina, havia mesmo este anuncio que você nominou.
Contudo já nem mais me lembrava de seu nome.
Valeu mesmo!
Abraços,
Moura
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: HamLacerda em 09 de Setembro de 2011, 18:56
Caracas mano Lacerda!
Na verdade quando li sobre isso, num site sobre medicina, havia mesmo este anuncio que você nominou.
Contudo já nem mais me lembrava de seu nome.
Valeu mesmo!
Abraços,
Moura
Portanto, meu caro, não é o vinho, em si mesmo, que trás benefícios à saúde, mas uma substância encontrada nas sementes e na casca da uva que faz bem a saúde: o Resveratrol

Poderíamos dizer o mesmo com o Whisky, a vodca, a tequila, o rum, o gim, a cachaça, conhaque ou seja lá o que for, todas estas bebidas são feitas de grãos ou cevados, e suas substâncias são salutares ao corpo humano quando encontradas em seu estado natural, entretanto, ao serem fermentados ocorre o processo químico que transforma as moléculas de acúcares em alcool, e é este processo que transforma uma substância salutar em nociva, ou seja, o vinho é menos nocivo que o Whisky, o Whisky é menos nocivo que o alcool absoluto. Só não dizemos que o Whisky é benéfico à saúde pq seu teor alcoólico é muito alto, pq o Whisky, sem o processo de fermentação, ou, sem alcool, é apenas grãos (trigo, milho,centeio), por isso que diz que o vinho faz bem a saúde, mas não por causa do alcool, mas por causa que seu suco tem substância salutares. Com efeito, o vinho passa a ser cada vez mais nocivo ao ser humano à medida que lhe adiciona mais alcool.

Ao tomar um copo de vinho, vc está ingerindo mais de 400 substâncias, das quais, muitas são nocivas e muitas salutares à saúde.

Ai é que entra a escolha moral de cada um. Se vale a pena consumir as substâncias nocivas junto com as salutares: O prazer do alcool, ou seria melhor tomar apenas um suco de uva?







Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Érica Alves em 09 de Setembro de 2011, 22:22
Meus queridos amigos, obrigada pelas explicações, Ham lacerda explicou exatamente o que eu gostaria de saber, nao precisamos ingerir o alcool, ja que ele é feito de varios tipos de insumos... acho que com isso fica ai o aleta e tbm o esclarecimento maior a todos nós, parabens pela pergunta, e mais uma obrigada Ham pela resposta...

Luz a todos!
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Dulcinha em 10 de Setembro de 2011, 01:56
Agora fiquei curiosa para saber se existe algo específico sobre o álcool na Codificação.
Alguém sabe?
Abraços.
Dulce.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Eunniceel em 10 de Setembro de 2011, 03:14
Boa noite,

Caro HamLacerda já ouvi algumas pessoas afirmarem que na época de Jesus, a maneira de fazer o vinho  tornava o nível  de  álcool algo insignificante, ou seja, o vinho seria quase que um suco de uva mais concentrado. Fato ou lenda?

Abraços fraternos
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Renato.Oliv em 10 de Setembro de 2011, 04:52
Agora fiquei curiosa para saber se existe algo específico sobre o álcool na Codificação.
Alguém sabe?
Abraços.
Dulce.

Olá Dulce,

Não há na codificação nada específico sobre o álcool. A Doutrina Espírita não condena o consumo ou utilização de nenhum produto, bem como nenhum comportamento, deixando a escolha ao livre arbítrio de cada um, que será responsável pela colheita do que houver plantado, através da lei inescapável da causa e efeito.

Embora a Doutrina não condene, ela avalia as consequências que nossos atos podem vir a ter e mostra os possíveis resultados do caminho que estamos tomando, servindo assim como guia de esclarecimento e orientação, o qual escolhemos, ou não, seguir.

Abs, paz e luz!
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 10 de Setembro de 2011, 12:49
Lacerda meu mano, vamos pensar sem personalismos ou preconceitos:
No vinho não existe a tal substância?
Não falamos do vinho no post inicial?
Para com as outras bebidas, mano Lacerda, a medicina indica que no caso do Whisky também, se possa chegar a bons resultados.
Nas demais, há elementos que de certo modo poderiam comprometer algo no organismo de certos pacientes.
No entanto, apenas no caso do vinho a maioria dos médicos não revela efeito algum que possa ser deletério para o organismo.
Você nos trouxe valiosa contribuição dizendo o nome da substância, ela se encontra também no vinho, logo, faz desta bebida, se tomada na dosagem estipulada pelos médicos um ajudante para certas doenças, inclusive cardíacas.
Sendo que para o caso do vinho eu não precisaria de receita médica para comprar enquanto que no caso das drogas, seria indispensável tal receituário.
Abração,
Moura

Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Dulcinha em 10 de Setembro de 2011, 15:52
Agora fiquei curiosa para saber se existe algo específico sobre o álcool na Codificação.
Alguém sabe?
Abraços.
Dulce.

Olá Dulce,

Não há na codificação nada específico sobre o álcool. A Doutrina Espírita não condena o consumo ou utilização de nenhum produto, bem como nenhum comportamento, deixando a escolha ao livre arbítrio de cada um, que será responsável pela colheita do que houver plantado, através da lei inescapável da causa e efeito.

Embora a Doutrina não condene, ela avalia as consequências que nossos atos podem vir a ter e mostra os possíveis resultados do caminho que estamos tomando, servindo assim como guia de esclarecimento e orientação, o qual escolhemos, ou não, seguir.

Abs, paz e luz!

Oi Renato!

Obrigada pela resposta. Fiquei curiosa porque no LE temos referências ao consumo de carne, então fiquei imaginando se haveria algo sobre o álcool.
Fique na paz.
Dulce.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 10 de Setembro de 2011, 23:22
Dulcinha, a doutrina só condena o excesso, este de qualquer tipo.
abraços,
Moura
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Matheus RA em 11 de Setembro de 2011, 02:38
Ai que entra a pergunta...
O que seria o excesso..

A nossa sociedade em geral,não sabe distinguir o necessario do superfluo e nem muito menos o excesso.

Ainda mais em uma sociedade consumista e capitalista aonde estamos sendo induzidos ao consumo o tempo todo.

E bem dificil achar o ponto de equilibrio e temos que nos conhecer muito.
Eu opto por não consumir bebida alcoolica.
Porem de vez em quando...quebro esse gelo...ate mesmo para ver o que dar.
E um bom autoconhecimento.

E quando voce utiliza..perde um pouco da inibição,medo de constragimento,espaço tempo...e quanto mais voce consome...mais perde...isto...um pouco e ate legal...mas...em grande quantidade pode prejudicar legal.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Renato.Oliv em 11 de Setembro de 2011, 05:35
Irmão Matheus, acredito que quando você extrapola o limite do bom senso, ocorre o excesso, um bom exemplo é quando nós nos alimentamos excessivamente e acabamos passando mal.

Um dos erros da grande maioria é seguir os excessos e vicissitudes que a sociedade impõe, acabamos tomando decisões e agindo como a maioria pede, pelo modismo, enfim, refletir é preciso, temos de nos conhecer mais e mais.

É difícil achar um ponto de equilíbrio, mas não é impossível, não podemos desistir de nos melhorar somente por ser difícil, temos de nos esforçar a cada momento para ganhar todas as batalhas que surgirem. Com fé, acreditando, a dificuldade vai se dissipando aos poucos.

Sobre a bebida, tente não depender dela para diminuir a inibição, aí está uma das grandes portas para o descontrole, como você mesmo falou, procure se conhecer melhor, tenho certeza que você encontrará dentro de si a chave para lidar com esses medos.

Paz e luz!
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Matheus RA em 11 de Setembro de 2011, 12:02
Agora eis uma pergunta.

O álcool e uma droga,e agora como e que fica o consumo de outras drogas...tidas até como mais viciantes?

Será que podemos utilizar elas com moderação?

No final das contas todas são drogas,uma legal outras não e uma mais ¨leve¨ e outras não.

Como será que ficaria...acho que falar use com moderação não pode se valer para tudo...ou não?

Bom assunto para refletimos.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Hebe M C em 11 de Setembro de 2011, 12:04
Bom dia a todos,

Gente tenho lido este tópico e muita coisa tem sido dita, menos uma, beber socialmente, um copo de vinho ou outro, uma cerveja ou uma dose de Whisky, é um hábito natural que não faz mal a ninguém.
Outra coisa é o alcoolismo, doença sem cura, que o álcool tem que ser eliminado totalmente da vida da pessoa.
A maior dificuldade é a própria pessoa se reconhecer doente, dependente quimico, esse é o primeiro passo para recuperação, que só depende da própria pessoa, ela que tem que querer.
É dificílimo a recuperação, se fosse fácil não teriam tantos casos acontecendo.
Mesmo dependendo da própria pessoa é essencial o apoio da família, para isso é necessário saber lidar com o alcoólatra, essa orientação é dada no AL-Anon, que cuida dos familiares que convivem com o doente e orientam.

O Alcoolismo é uma doença cruel, não só para o viciado como para família, porque marginaliza, causa constrangimento, baixa auto-estima entre os filhos, toda família adoece psiquicamente no convívio.

O método mais eficaz  para recuperação do doente ainda é o seguido pelo AA, mas não pode ser imposto ao alcoólatra, ele tem que querer.

Alguns aspectos comuns ao alcoólatras:

Não tem limite quanto à quantidade
Transtorno de personalidade.
Baixa auto-estima, não reconhece o próprio valor
A família e amigos próximos se tornam a censura.
Não consegue conviver com a realidade.
Tem um sentimento culpa absurda no dia seguinte por não ter controlado o vício.
Bebe escondido em ambientes que não possa beber.
Não é capaz de se segurar numa única dose.
Se embriagada sózinho, não precisa de festa ou companhia e etc para fazê-lo.
Culpa A, B ou C, ou desemprego ou convívio, dá qualquer desculpa por se embriagar.
Após um período de abstinência , se voltar a beber será em quantidade muito maior.
Depois que o álcool tomou conta do organismo, basta uma dose para se embriagar
( período avançado).


Enfim, o assunto é muito mais sério do que simplesmente dizer se moralmente é bom ou ruim beber. Penso que antes de apontar o dedo a quem bebe, devem se inteirar do assunto. Não estou dizendo que alguém aqui o fez, apenas estou alertando, porque é comum marginalizar o alcoólatra e seus familiares socialmente. É preciso carinho, compreensão, paciência e principalmente se for uma pessoa próxima, saber que você não tem culpa de seu estado, você não pode curá-lo, se houver agressão é por conta da doença, ele está completamente alterado em sua personalidade.

Passo aqui os dois links para quem precisar ou se interessar.

http://www.al-anon.org.br/

http://www.alcoolicosanonimos.org.br/

Um abç
Hebe

Aqui dois vídeos com Osmar Prado, excelente interpretação e retrata bem o estado psiquico do dependente quimico.

O Clone - Osmar Prado - CONFRONTO (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PWZqN2NncWtUM0hRJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQj)

O Clone - Lobato - Dependência Química (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUJOR0NnWjhyQzZFJmFtcDtmZWF0dXJlPXJlbGF0ZWQj)
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: hcancela em 11 de Setembro de 2011, 14:55
Olá amigos(as)

Lembrando " Paulo de Tarso".

Tudo nos é licito fazer, mas nem tudo nos convém.

Grifo meu!  A verdade das coisas, nos faz ver o que nos convém ou não, e essa verdade vem através do Estudo sistemático das coisas de Deus, que nos fará libertar do vicio e seja qual ele for,e como sabem, isto é que nos faz mal.Excessos, muito próprio do ser em evolução, na sua aventura material. :-*

Como disse e bem a Hebe! Álcool é uma coisa e alcoólico(a) é outra.

Obs: O muito próprio atrás referido , não é um incentivo ao consumo e muito menos há castração, mas sim como incentivo há moderação de todos os vicios terrenos. :-*


Saudações fraternas
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 11 de Setembro de 2011, 20:11
Mano Matheus,
sua postagem já nos trás um belo exemplo do que seja o excesso...
Veja, você afirma que "A nossa sociedade em geral,não sabe distinguir o necessario do superfluo e nem muito menos o excesso.
Ainda mais em uma sociedade consumista e capitalista aonde estamos sendo induzidos ao consumo o tempo todo."
Veja que o excesso está na generalização que o amigo deu à sua assertiva.
Ao julgar uma classe, mesmo que muito expressiva da população terrestre, o amigo o faz de modo a que se compreenda que todos são e estão no mesmo rol mas não é isso que acontece.
Como este, outros excessos de julgamento são cometidos comesinhamente, o que se pode ter como algo que se espera, já que estamos todos na classe dos Espíritos imperfeitos.
Abração,
Moura

Ai que entra a pergunta...
O que seria o excesso..

A nossa sociedade em geral,não sabe distinguir o necessario do superfluo e nem muito menos o excesso.

Ainda mais em uma sociedade consumista e capitalista aonde estamos sendo induzidos ao consumo o tempo todo.

E bem dificil achar o ponto de equilibrio e temos que nos conhecer muito.
Eu opto por não consumir bebida alcoolica.
Porem de vez em quando...quebro esse gelo...ate mesmo para ver o que dar.
E um bom autoconhecimento.

E quando voce utiliza..perde um pouco da inibição,medo de constragimento,espaço tempo...e quanto mais voce consome...mais perde...isto...um pouco e ate legal...mas...em grande quantidade pode prejudicar legal.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: HamLacerda em 11 de Setembro de 2011, 22:10
Boa noite,

Caro HamLacerda já ouvi algumas pessoas afirmarem que na época de Jesus, a maneira de fazer o vinho  tornava o nível  de  álcool algo insignificante, ou seja, o vinho seria quase que um suco de uva mais concentrado. Fato ou lenda?

Abraços fraternos
Olá, Eunniceel. Desculpe não ter respondido antes, é que só vi sua pergunta agora.

Há vário registros históricos que dizem que em algumas culturas o vinho era quase um suco concentrado, e, em outras, como na Grécia e Roma, o vinho era muito forte e tinha até mesmo uma divindade para ele: o Deus Dionísio, que era o Deus das festas, das bebedeiras, do vinho, mas, sobretudo, do efeito do transe que o vinho provoca e que liga a criatura com a deidade. Heródoto, históriador antigo, cita várias culturas antigas que consumiam vinhos muito fortes, e outros históriadores já falam de culturas que tinha o hábito de consumir somente a uva concentrada, sem fermentação. Nos livros de Platão há vários casos de bebedeiras e embriaguês por vinho, que podemo inferir que seu teor alcoólico era muito forte devido ao efeito rápido dos sintomas. No Banquete, por exemplo, todos estão sentados à mesa, tomando vinho, e alguns minutos depois já estão embriagados ou dormindo. Estes são só alguns exemplos muito antes do tempo de Jesus.

Na época de Jesus não era diferente. Havia culturas que consumiam somente o suco bastante concentrado, e culturas com vários processos de fermentação para obterem o teor alcoólico desejado.


Abraço
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Matheus RA em 11 de Setembro de 2011, 22:33
Mano Matheus,
sua postagem já nos trás um belo exemplo do que seja o excesso...
Veja, você afirma que "A nossa sociedade em geral,não sabe distinguir o necessario do superfluo e nem muito menos o excesso.
Ainda mais em uma sociedade consumista e capitalista aonde estamos sendo induzidos ao consumo o tempo todo."
Veja que o excesso está na generalização que o amigo deu à sua assertiva.
Ao julgar uma classe, mesmo que muito expressiva da população terrestre, o amigo o faz de modo a que se compreenda que todos são e estão no mesmo rol mas não é isso que acontece.
Como este, outros excessos de julgamento são cometidos comesinhamente, o que se pode ter como algo que se espera, já que estamos todos na classe dos Espíritos imperfeitos.
Abração,
Moura

Ai que entra a pergunta...
O que seria o excesso..

A nossa sociedade em geral,não sabe distinguir o necessario do superfluo e nem muito menos o excesso.

Ainda mais em uma sociedade consumista e capitalista aonde estamos sendo induzidos ao consumo o tempo todo.

E bem dificil achar o ponto de equilibrio e temos que nos conhecer muito.
Eu opto por não consumir bebida alcoolica.
Porem de vez em quando...quebro esse gelo...ate mesmo para ver o que dar.
E um bom autoconhecimento.

E quando voce utiliza..perde um pouco da inibição,medo de constragimento,espaço tempo...e quanto mais voce consome...mais perde...isto...um pouco e ate legal...mas...em grande quantidade pode prejudicar legal.

Mano Moura,
Em geral,digo sim,boa parte.Incluso eu.
Afinal o que seria o necessario?Ou excesso.Cada um tem o seu ponto de vista e por este ponto de vista que vai desde cultura,personalidade,conhecimentos,educação,evolução e afins.
Se faz uma linha de medir o que seria necessario ou não.
Para muitos uma cervejinha e necessario.Para outros e o oposto e desnecessario.
O ritual de consumo de bebidas estar em nossa cultura e incluse em reuniões de amigos e familiares...
Quem ver a TV,estar em constante acesso a divulgação de bebidas...com suas mega propagandas...com mulheres e engraçadas....levando a imagem de descontração e afins.Uma das maiores industrias e com maior potencial de venda e lucro.
Agora vou citar um exemplo que me pergunto...
Quanto será o necessario para doar para causas materiais e de caridade...10% do que se ganha...30%...ou utilizar para o seu ¨necessario¨pegar a parte que estar disponivel...50% guardar e 50%doar....o ser humano e uma maquina de criar necessidades...

E algo que é para ser bastante estudado em nós mesmos.
Uma pergunta para este bom tópico.
Será que e necessário o consumo de bebidas alcoólicas?

Abração
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Ace em 11 de Setembro de 2011, 22:57
Eu não consumo bebidas alcoólicas, não gosto nem encontro alguma utilidade nisso. Há coisas mais importantes para fazer.


Abraços. Paz. :)


Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Hebe M C em 12 de Setembro de 2011, 16:14
Boa tarde,

Esse artigo da Wikipedia fala sobre a História do vinho.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_do_vinho

É bem interessante.

Matheus RA o hábito do consumo da bebida alcoólica é antiquíssimo, ninguém precisa, porém em determinadas épocas eram as bebidas  usadas como medicamento, rituais religiosos (como são até hoje) e etc.
O exagero é que pega, mais nada.
 

Um abç
Hebe
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 12 de Setembro de 2011, 16:30
Mas mano Matheus,
a bebida nunca é necessária.
É, em doses moderadas, aceitável, cultural e socialmente, mas nunca uma necessidade.
Abração,
Moura
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 14 de Setembro de 2011, 22:05
Mano Lacerda desculpe-me o atraso na resposta mas lá vai:
"Vinho e Saúde: confira artigo sobre os benefícios do vinho para a saúde
 
Artigo publicado na Revista Wine Style, número 1, em 2005, escrito pelo Dr. Gustavo Andrade de Paula (médico e diretor de Degustação da ABS-SP/Associação Brasileira de Sommeliers de São Paulo).
Email para contato: gustavoap@usa.net
 
"Vinum bonum lætificat cor hominis"
O vinho bom alegra o coração do homem
Salmo 104:15
 
Um pouco de História
Desde a antigüidade, o vinho apresenta-se intimamente ligado à evolução da medicina, desempenhando sempre um papel principal. Os primeiros praticantes da arte da cura, na maioria das vezes curandeiros ou religiosos, já empregavam o vinho como remédio. Papiros do Egito antigo e tábuas dos antigos Sumérios (cerca de 2200 a.C.) já traziam receitas baseadas em vinho, o que o torna a mais antiga prescrição médica documentada.

O grego Hipócrates (cerca de 450 a.C.), tido como o pai da medicina sistematizada, recomendava o vinho como desinfetante, medicamento, um veículo para outras drogas e parte de uma dieta saudável. Para ele, cada tipo de vinho teria uma diferente função medicinal.

Galeno (século II d.C.), o mais famoso médico da Roma antiga, empregava o vinho na cura das feridas dos gladiadores, agindo este como um desinfetante.

Também os Judeus antigos tinham o vinho como medicamento. Segundo o Talmud, "sempre que o vinho faltar, a medicina tornar-se-á necessária".

Foi na Universidade de Salermo (Itália), fundada no século XI, que a importância do vinho sobre a dieta e a saúde foi codificada. Lá, correntes clássicas e árabes se fundiram, fornecendo as bases da medicina européia. O "Regime de Salermo" especificava "diferentes tipos de vinho para diversas constituições e humores".

Avicena (século XI DC), talvez o mais famoso médico do mundo árabe antigo, reconhecia a importância do vinho como forma de cura, embora seu emprego fosse limitado por questões religiosas.

O uso medicinal do vinho continuou por toda a Idade Média, sendo divulgado principalmente por monastérios, hospitais e universidades.

Até o século XVIII, muitos consideravam mais seguro beber vinho do que água pois esta era, freqüentemente, contaminada. Conta a lenda de Heidelberg, na Alemanha, que o guardião do grande barril (Große Faß) onde o soberano guardava todo o vinho recolhido como imposto, só bebia vinho. Seu nome era "Perkeo" (do italiano “Perche no” - por que não). Certa feita deram um líquido diferente para que ele bebesse e este morreu imediatamente. O tal líquido assassino era nada mais nada menos que água.

Em 1865-66, Louis Pasteur, o grande cientista francês nascido na região do Jura (terra dos famosos vin jaune e vin de paille), empregou o vinho em diversas de suas experiências, declarando que o vinho é "a mais higiênica e saudável das bebidas".

Em 1892, durante a grande epidemia de cólera em Hamburgo, o vinho era adicionado à água com intuito de esterilizá-la.
A partir do final do século XIX, a visão do vinho como medicamento começou a mudar. O alcoolismo foi definido como doença e os malefícios de seu consumo indiscriminado começaram a ser estudados. Nas décadas de 70 e 80, o consumo de álcool foi fortemente atacado por campanhas de saúde pública exaltando as complicações de seu uso em excesso. Entretanto, várias pesquisas científicas bem conduzidas têm demonstrado que, consumido com moderação, o vinho traz vários benefícios à saúde.
 

O consumo moderado
"Nem muito e nem muito pouco" parece ser o princípio para se realçar os efeitos benéficos do vinho sobre a saúde. Entretanto, as autoridades de saúde de vários países têm encontrado dificuldade em estipular o que pode ser considerado "consumo sensato". Na França, a ingestão de até 60 g de álcool por dia é segura para homens. Por outro lado, no Reino Unido, recomenda-se menos de 30 g por dia.

Vários são os fatores que influenciam estes limites: sexo, idade, constituição física, patrimônio genético, condições de saúde e uso de outras substâncias (drogas, medicamentos etc). Em linhas gerais, um homem pode consumir até 30 g de álcool por dia. Para as mulheres, por diversas razões (menor tolerância, menor proporção de água no organismo etc) recomenda-se até 15 g por dia. A diferença entre consumo moderado e exagerado pode significar a diferença entre prevenir e aumentar a mortalidade.

Além da quantidade, a regularidade também é importante para se obter os efeitos benéficos do vinho. Os que exageram nos finais de semana e se poupam nos outros dias podem sofrer todos os malefícios da ingestão exagerada e aguda do vinho sem nenhum ganho para a saúde.

 

O Paradoxo Francês
Uma grande reviravolta na relação entre vinho e saúde ocorreu no início da década de 90 com a divulgação do Paradoxo Francês. Durante um programa de televisão nos EUA, o cientista francês Serge Renaud mostrou que estudos epidemiológicos em escala mundial evidenciaram que os franceses apresentavam 2,5 vezes menos mortes por doenças coronarianas que os americanos, apesar de fumarem muito e consumirem a mesma quantidade de gorduras. A principal explicação para tal paradoxo estaria no consumo regular e moderado de vinho. Como era de se esperar, após a transmissão do programa, o consumo de vinho tinto nos EUA multiplicou por 4. Tal paradoxo foi, posteriormente, publicado na revista inglesa The Lancet, uma das mais conceituadas revistas médicas do mundo, dando origem a uma enxurrada de artigos sobre os benefícios do vinho sobre a saúde nos tempos modernos.

 Prossegue...

Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 14 de Setembro de 2011, 22:06
Prosseguindo:
"Álcool, taninos, flavonóides, catecinas, resveratrol, etc
Há muito sabe-se que o álcool, consumido em pequenas doses regulares, traz benefícios para a saúde. Estudos epidemiológicos mostram que o álcool presente no vinho, cerveja e destilados pode diminuir a mortalidade por infarto do miocárdio, isquemia cerebral etc. Entretanto, o vinho é quem mais desperta interesse dos cientistas por apresentar, além do álcool, diversas substâncias antioxidantes em sua composição. Entre os mais de 1000 compostos encontrados no vinho, os polifenóis (flavonóides, taninos, catecinas, resveratrol etc) são os mais estudados.

Os polifenóis, derivados de várias plantas, são os antioxidantes mais encontrados em nossa dieta. De acordo com sua origem, apresentam diferentes estruturas químicas. Atualmente, vários estudos têm demonstrado que o resveratrol, um antioxidante natural presente em vinhos tintos e brancos, está associado com os efeitos benéficos do vinho na doença coronária. Além disso, em laboratório, o resveratrol tem mostrado efeito protetor contra o câncer, embora estes resultados ainda não tenham sido demonstrados na prática clínica. Também controversa é a hipótese de que os flavonóides parecem mostrar um efeito protetor contra doenças cardiovasculares, atuando sobre o LDL (colesterol ruim).

 

Vinho e Saúde: Alguns fatos
Doenças coronárias: o consumo moderado de vinho controla os níveis sangüíneos de algumas substâncias químicas inflamatórias chamadas citocinas. Estas, por sua vez, afetam o colesterol e as proteínas da coagulação. O vinho é capaz de reduzir os níveis de LDL e aumentar os de HDL (colesterol bom). Com relação à coagulação, o vinho torna as plaquetas presentes no sangue menos aderentes e reduz os níveis de fibrina, evitando que o sangue coagule em locais errados. Estes efeitos poderiam prevenir o entupimento de uma coronária, evitando um infarto do miocárdio.

Doenças do cérebro: Os efeitos mais conhecidos do álcool sobre o sistema nervoso são a embriaguez e a dependência alcoólica. Entretanto, quando consumido com parcimônia, o vinho parece reduzir o risco de demência, incluindo o Mal de Alzheimer. Segundo alguns especialistas, os polifenóis presentes no vinho (principalmente nos tintos) seriam os responsáveis por evitar o envelhecimento das células cerebrais. É intrigante notar que, proporcionalmente falando, a ação antioxidante dos polifenóis dos vinhos brancos é superior à dos tintos. Entretanto, a quantidade de polifenóis dos tintos é muito superior à dos brancos, tornando estes vinhos mais interessantes para as células cerebrais. Além da ação antioxidante, os vinhos melhoram a circulação cerebral, com o fazem com a circulação coronária. Sabe-se, ainda, que as chances de apresentar depressão são menores em consumidores moderados de vinho.

Doenças respiratórias: Experimentos recentes têm demonstrado que o vinho é capaz de reduzir as chances de uma infeção pulmonar, sendo mais eficaz que alguns antibióticos modernos.

Doenças do aparelho digestivo: Há vários séculos, São Paulo já recomendava "um pouco de vinho para a saúde do estômago". Hoje, sabe-se que o consumo moderado de vinho está associado a uma menor incidência de úlcera péptica por uma série de razões: alívio do estresse, inibição da histamina, ação antimicrobiana contra o Helicobacter pylori, bactéria implicada na gênese da úlcera duodenal. Por atuar sobre o colesterol, o vinho parece reduzir as chances de formação de cálculos no interior da vesícula biliar.

Doenças do aparelho urinário: Estudos mostram que o vinho é capaz de reduzir em até 60% o risco de formação de cálculos urinários, ao estimular a diurese.

Diabetes: o vinho consumido de forma moderada melhora a sensibilidade das células periféricas à insulina, sendo interessante nos pacientes com diabetes tipo 2 (não insulino-dependente). Além disto, o vinho reduz as chances de morte por infarto do miocárdio em pacientes com diabetes tipo 2. Em mulheres, um estudo mostra que o vinho pode reduzir as chances de surgimento de diabetes.

Sangue e anemia: O álcool ajuda o organismo a absorver melhor o ferro ingerido nos alimentos. Além disto, um copo de vinho tinto contém, em média, 0,5mg de ferro.

Ossos: alguns estudos populacionais têm demonstrado que o consumo de pequenas quantidades de vinho é capaz de melhorar a densidade óssea, reduzindo as chances de osteoporose.

Visão: O vinho reduz a degeneração macular, causa comum de cegueira em idosos.

Câncer: A possibilidade de que os antioxidantes presentes no vinho pudessem prevenir alguns tipos de câncer despertou o interesse de muitos pesquisadores em todo o mundo. Alguns estudos populacionais mostram uma redução da mortalidade por doença coronária e por câncer em bebedores comedidos de vinho. Por exemplo, homens que consomem vinho sensata e regularmente têm menor chance de desenvolver Linfoma não-Hodgkin.

Como foi dito repetidas vezes, o consumo moderado parece ser o caminho para a felicidade. Muito ainda precisa ser entendido sobre os reais efeitos, benéficos e maléficos, do vinho sobre a saúde antes de torná-lo a panacéia universal para as moléstias do mundo moderno. Entretanto, em pouquíssimas situações, um remédio pôde ser tão infinitamente agradável e prazeroso."
Abração,
Moura

NEWS.MED.BR, 2005. Vinho e Saúde: confira artigo sobre os benefícios do vinho para a saúde. Disponível em: <http://www.news.med.br/p/medical-journal/850/vinho+e+saude+confira+artigo+sobre.htm>. Acesso em: 14 set. 2011.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: HamLacerda em 14 de Setembro de 2011, 23:12
Moura, eu não disse que o vinho não faz bem à saúde. Disse que na uva encontra-se uma substâncias chamada Resveratrol, que, segundo a ciênica, é a responsável pelos efeitos salutares que encontra-se no vinho e não o vinho, em si mesmo, que faz bem a saúde.

Foi uma observação em resposta ao seu comentário, pois, dizer que o vinho, em si mesmo, faz bem a saúde, deve haver, no mínimo, muita cautela, pois muitas pessoas podem interpretar erroneamente achando que vinho é remédio - e não é - porque uma substância que contém tanto substâncias salutares como nocivas, deve produzir tanto efeitos salutares como nocivos, e,  uma vez que beber somente o suco de uva - desses que vendem em supermercado, idênticos ao vinho, porém sem fermentação - produz os mesmos benefícios, não acho correto dizer que vinho faz bem a saúde.

Além disso, como já disse, não compartilho de nenhuma opnião conforme o que disseram, ou seja, nem sou contra quem bebe vinho, nem a favor, pois, às vezes, eu mesmo tomo, e não seria correto criticar aquilo que eu mesmo faço.


Abraço

Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: SUELI MARINHO DA SILVA em 15 de Setembro de 2011, 01:13
Boa Noite a todos! Que Jesus os abeçoe.

Eu fui trabalhadora de um centro espirita por muitos anos, quando conheci meu esposo ele também era um dos trabalhadores do centro. Quando começamos a namorar uma pessoa diligente do centro não concordou com nosso namoro, então nos afastamos do centro. Meu esposo antes  de frequentar o centro era alcoolatra. Então namoramos e nos casamos, ele aos poucos voltou a beber, meu  esposo era uma pessoa  de fé  concreta era minha força. Mas tinha uma doença que se chama alcoolismo, uma pessoa com uma doença dessa não pode beber nem pouco nem muito não consegue se controlar.  As brigas no meu lar  estava cada vez pior, eu me desiquilibrei com a bebida dele. É dificilas pessoas entenderem  como é possivel amar alguém que bebe, eu nunca deixei de amar meu marido, mas tinha raiva disso e vergonha. Amanhã vai fazer 1 ano que ele desencarnou devido o alcoolismo, me deixou com um filho de 7 anos, sinto saudade, mas acho que o desencarne dele é algo bom tanto para mim como para ele, meu esposo era uma pessoa muito boa e de muita fé, sei  que foi a maneira que a providência divina achou de cura-lo e nós dois separadamente nos equilibrarmos. A solidão ainda me dói, mais Deus sempre  está a me ajudar, no começo o meu maior desespero era pensar que ele tivesse, desencarnado como suicida, mais hoje entendo que alcoolismo  não é falta de vontade ou severgonhisse, como se dizem é uma doença. Muita Luz a todos.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 15 de Setembro de 2011, 15:58
Sim mano Lacerda e eu também não disse que você disse hehehe.
apenas trouxe um artigo de uma publicação médica que demonstra que não só o Resveratrol, mas algumas outras substâncias como os taninos, flavonóides, catecinas, também ajudam como antioxidantes.
Eu também não bebo mais do que Coca Cola mano!
abraços,
Moura

Moura, eu não disse que o vinho não faz bem à saúde. Disse que na uva encontra-se uma substâncias chamada Resveratrol, que, segundo a ciênica, é a responsável pelos efeitos salutares que encontra-se no vinho e não o vinho, em si mesmo, que faz bem a saúde.

Foi uma observação em resposta ao seu comentário, pois, dizer que o vinho, em si mesmo, faz bem a saúde, deve haver, no mínimo, muita cautela, pois muitas pessoas podem interpretar erroneamente achando que vinho é remédio - e não é - porque uma substância que contém tanto substâncias salutares como nocivas, deve produzir tanto efeitos salutares como nocivos, e,  uma vez que beber somente o suco de uva - desses que vendem em supermercado, idênticos ao vinho, porém sem fermentação - produz os mesmos benefícios, não acho correto dizer que vinho faz bem a saúde.

Além disso, como já disse, não compartilho de nenhuma opnião conforme o que disseram, ou seja, nem sou contra quem bebe vinho, nem a favor, pois, às vezes, eu mesmo tomo, e não seria correto criticar aquilo que eu mesmo faço.


Abraço


Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Matheus RA em 15 de Setembro de 2011, 18:29
Cuidado mano moura,
Coca Cola também não é muito benéfico para saúde(Pra não dizer que não e nada benéfico rrsrsrsrs)
Então pela logica seguinte é desnecessário.

Nisto tudo.
O melhor fica uma agua e um leite mesmo.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 15 de Setembro de 2011, 19:14
Mano Matheus,
o amigo se esquece que segundo a doutrina a única coisa nociva é o excesso.
Um exemplo disso é o soro antiofídico.
É constituído de veneno de cobra, certamente, mas que em doses corretas e administrado segundo o caso ao invés de matar, sendo nocivo, cura, sendo benéfico.
Abração,
Moura
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Ace em 17 de Setembro de 2011, 16:02
Mano Matheus,
o amigo se esquece que segundo a doutrina a única coisa nociva é o excesso.
Um exemplo disso é o soro antiofídico.
É constituído de veneno de cobra, certamente, mas que em doses corretas e administrado segundo o caso ao invés de matar, sendo nocivo, cura, sendo benéfico.
Abração,
Moura


Amigo Moura, eu li que soro antiofídico é obtido a partir de sangue de cavalo.

Abraços.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 17 de Setembro de 2011, 16:20
Sim Ace,
o soro é obtido através da inoculação de pequenas doses do veneno no cavalo. este produz então anticorpos.
Esta a seqüência:
O soro antiofídico é obtido a partir de anticorpos do sangue do cavalo.
O processo de produção do soro antiofídico consiste na aplicação de pequenas doses de veneno no animal. Neste período, o organismo do cavalo produz anticorpos contra o veneno. Depois de um determinado período sofre sangria. Os anticorpos são separados por centrifugação do sangue. Em seguida ele sofre liofilização (remoção de água) e é armazenado.
Abração,
Moura
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Matheus RA em 17 de Setembro de 2011, 17:41
Mano Matheus,
o amigo se esquece que segundo a doutrina a única coisa nociva é o excesso.
Um exemplo disso é o soro antiofídico.
É constituído de veneno de cobra, certamente, mas que em doses corretas e administrado segundo o caso ao invés de matar, sendo nocivo, cura, sendo benéfico.
Abração,
Moura
Tava falando em beneficio para a saúde do corpo mesmo.(Coca não tem nada pelo que eu saiba e se tiver algo e logo contra balanceado pelas coisas negativas...)
Rsrssrrs

Sempre tive duvidas em relação a isto.
Basicamente...se eu quiser comer uma coisa exotica....não tem nada de errado...se não tiver errado.Mesmo pagando uma fortuna consideravel em relação a esta comida..Com certeza existe mais exotico...ja vi soverte comido a taça de ouro,com colher com diamantes...chocalate utra fino e raros...e afins...25 Mil dolares....então se a pessoa comer uma taça...ta beleza.

Pelo que eu li e entendir lendo o ESE no capitulo sobre não podes servir a deus ou a marmom...todo dinheiro que chega em nossas mãos e um empréstimo e teremos de prestar contas de seu uso e como usamos...nada e nosso...o trabalho e uma coisa que nós faz evoluir e a retribuição e o emprestimo...vamos assim dizer.

Agora com 25 Mil dolares...quantas bocas posso ajudar com uma comida ou comprando quantas cestas basicas...

Acreditos que temos quer ser o mais prudente e moderado possivel em relação as coisas materiais que nós apega a essa mundo...e ajudar ao proximo...economizar ao maximo...utilizando o dinheiro para nossas necessidades...e com o dinheiro que ainda temos que ja compos nosso bem estar real e todas nossas necessidades,poderiamos ajudar com toda certeza ao nosso proximo.

Com isto e fazendo redes de filantropia...a miseria se reduziria bastante.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Dulcinha em 17 de Setembro de 2011, 17:45
É assim mesmo Moura!

Já visitei locais que fazem a inoculação do veneno nos cavalos, o que me fez admirá-los pela vida doada (sem escolha) em prol da humanidade. Digo doada pois ficam "acabadinhos"... :'(

Abraços.
Dulce.
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 17 de Setembro de 2011, 17:53
Sabe mano Matheus,
eu já não aceito que o dinheiro que se ganha seja uma dádiva hauria da magnificência divina.
Ganhamos com o nosso suor logo, fizemos juz e mérito a ele.
Aquilo que fizermos com ele ai sim, vamos ter de explicar pois contará dentro do escopo das nossas ações, se boas ou ruins.
Foi nesse contexto que certa vez, um amigo muito querido e eu mesmo, respondemos que mesmo o dinheiro produto de jogo não é nem sujo nem pecaminoso.
Esta assertiva, por sinal nos fez sermos expulso da tal lista.
Avalie este exemplo simplório:
Tício( quem já sentou no banco da faculdade conhece bem a este personagem hehe), ganhou certa vez, uma bolada no jogo do bicho.
Após acertar suas dívidas, proficiar a mantenança do lar e da família, com outra parte da grana, abriu espaço em que se profissionalizava adultos e pessoas que não tiverem as luzes do saber acesas por qualquer motivo.
Ora o que se quer não é uma ação noblitada? Trazer ensino, educação e cultura a quem não teve esta oportunidade não é uma ação nobre?
Ora, no que o dinheiro que Tício ganhara no bicho, estaria conspurcando a moral daqueles que estudasse no tal espaço e mesmo a Tício em sua ação?
mas o Jogo do Bicho  alimenta a compra ilegal de drogas e armas...
Tício de deu a este trabalho?
Não!
Então que não me venham com chorumelas oras!
Abração,
Moura
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: hcancela em 17 de Setembro de 2011, 18:09
Olá amigos(as)

Lembro sempre estas palavras? Tudo nos é licito fazer, mas nem tudo nos convém.
Ora como sabem o equilíbrio é a base de tudo, porque o que nos faz mal é a forma como usamos as coisas, né, porém e como já foi dito neste tópico, há coisas que são dispensáveis, mesmo que as façamos com um certo equilibrio :-*


Saudações fraternas
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Mourarego em 17 de Setembro de 2011, 18:22
Exato mano Cancela!
Abração,
Moura
Título: Re: bebida alcoólica
Enviado por: Matheus RA em 17 de Setembro de 2011, 18:37
Sabe mano Matheus,
eu já não aceito que o dinheiro que se ganha seja uma dádiva hauria da magnificência divina.
Ganhamos com o nosso suor logo, fizemos juz e mérito a ele.
Aquilo que fizermos com ele ai sim, vamos ter de explicar pois contará dentro do escopo das nossas ações, se boas ou ruins.
Foi nesse contexto que certa vez, um amigo muito querido e eu mesmo, respondemos que mesmo o dinheiro produto de jogo não é nem sujo nem pecaminoso.
Esta assertiva, por sinal nos fez sermos expulso da tal lista.
Avalie este exemplo simplório:
Tício( quem já sentou no banco da faculdade conhece bem a este personagem hehe), ganhou certa vez, uma bolada no jogo do bicho.
Após acertar suas dívidas, proficiar a mantenança do lar e da família, com outra parte da grana, abriu espaço em que se profissionalizava adultos e pessoas que não tiverem as luzes do saber acesas por qualquer motivo.
Ora o que se quer não é uma ação noblitada? Trazer ensino, educação e cultura a quem não teve esta oportunidade não é uma ação nobre?
Ora, no que o dinheiro que Tício ganhara no bicho, estaria conspurcando a moral daqueles que estudasse no tal espaço e mesmo a Tício em sua ação?
mas o Jogo do Bicho  alimenta a compra ilegal de drogas e armas...
Tício de deu a este trabalho?
Não!
Então que não me venham com chorumelas oras!
Abração,
Moura
Concordo em parte.
Vamos lá.
Ja pensou um Eike Batista em um pais comunista na decada de 70...com certeza não seria bilionario.
Ja pensou um genio da musica ter nascido na somalia....na miseria...concerteza seria muito dificil ele chegar ate onde chegou.
E uma dadiva divina amigo.
O ambiente...as forças...a saude...a capacidade...e entre inumeros fatores que ele  nos proporciona para chegamos aonde podemos chegar...
Tudo vem de Deus e vai para ele...não e atoa que as mais grandes fortunas de antes hoje com seus herdeiros se envairam...foram para outros...Como estamos em um mundo de provas e de expiação...somos muitos provados nestas capacidade...de gerenciar os bens terrenos que estão em nossa pose.

O trabalho por sí so,ja e uma dadiva.Colocar nossas forças sobre algo,sempre pode aguçar a nossa inteligencia e nós fazer evoluir.
A recompensa pelas leis econômicas estar muito na lei da oferta e procura. 
A raridade de seu trabalho.

O suor e o natural mesmo.Temos suar em tudo que fazemos.
O Cap XVI do ESE bem estudado da uma boa visão sobre utilização de nosso dinheiro e a utilidade do próprio.

Sobre o jogo,eu mesmo adoro poker.
Como ja falei em outro topico.
Ate hoje nunca coloquei dinheiro....mas não deixo a hipotese descartada...hoje faço curso de corretor de imoveis...e no passado ja estive um pouco ligado a politica...não cheguei a trabalhar...mas gostaria de ser politico...mas eu muito provavelmente teria uma vida muito curta nesta carreira...ou muito curta no sentido normal mesmo KKK

Essas ai são as carreiras que eu gostaria de seguir e estou em rumo de algumas para seguir...so as mais bem faladas...para melhorar eu so poderia tentar ser advogado tambem ai pronto o bolo tava formado...rsrsrsrs

A forma de utilizarmos as riquezas e um tanto como complicada...e doi em um lugar dificil(Bolso)e pode deixa de fazemos grandes paixões e desejos tambem...pode ser um sacrificio meritorio..não...e um bom assunto.

Como esse topico e de bebida.
No meu retorno vou ver se abro um topico especifico sobre a riqueza.

Abração mano.