Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Espiritismo & Jovens => Tópico iniciado por: Victor Passos em 01 de Março de 2007, 17:45

Título: ADOLESCENTES E A FAMILIA 1ª Parte
Enviado por: Victor Passos em 01 de Março de 2007, 17:45
ADOLESCENTES E A FAMILIA

A FAMILIA  é raiz , que cresce e se ergue em caules de objectividade  profunda ,ramificando-se entre  processos rectificadores,  afim de  levar  ao florescimento eterno, reproduzindo um Universo de Fraternidade plena e do Amor Universal !
Ama – te! Amando a tua Família!......


Após um questionário por vários jovens reconheço que nós Pais temos de melhorar nossas relações (Pais para Filhos e vice-versa) eles mesmo o reconhecem e são peremptórios ao afirmar que a base de seus alicerces passam por uma família equilibrada, onde as emoções sendo de alegria ou problemáticas, pertençam a todos.
Os jovens devem ser incutidos que todas as transformações fisiológicas e emocionais são parte integrante do sentido de formação da sua personalidade, dando-lhe reforço munindo-os do sentido de responsabilidade e do espaço que é ocupado por ele no meio sócio-economico em que vai transitar, o qual não está isento de falhas, afim de se poder achar útil a si mesmo e aos outros !
A educação dos jovens de hoje, tem de ser totalmente diferente da de ontem ! As imposições opressoras , os gritos e ameaças podem congelar por definitivo o sentido importante da vida no jovem, levando a que suas emoções fiquem cada vez mais amordaçadas pelo tédio  e frustração! É importante inverter esta situação para que depois os Pais não tenham com se lamentar de o ter perdido e de se culparem por acorrentar a sua personalidade!
Não podemos deixar de demonstrar que os valores morais e espirituais dum ser, fazem parte integrante dele, que precisa de cultivá-los e não deixá-los morrer à conta de uma modernidade consumista e cada vez mais cimentada com o veneno do egoísmo e orgulho , afastando os jovens da vida real, em troca de lucros materiais fáceis.
É importante sermos mais coerentes e realistas, a terapia do medo está caduca, somente o amor derruba as paredes da falta de confiança  e do vazio criado entre Pais e Filhos! “ Eles falam mas nós estamos distantes! Não ouvimos seu grito de apelo!....”
A principal situação está segundo a perspectiva dos jovens no relacionamento familiar e vem comprovar aquilo que aqui foi dito, o afastamento dos Pais e Filhos existe!
Na continuação deste tema não poderia deixar de falar nos jovens com Pais divorciados ou separados!

Continua.]
Título: Re: ADOLESCENTES E A FAMILIA 1ª Parte
Enviado por: Mariazinha C.Valenti em 05 de Outubro de 2010, 20:20
ADOLESCENTE

   Em verdade vos digo, que se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos Céus. (Mateus, 18:3)


Quem é o adolescente?

É um espírito habitando um corpo carnal em sua fase de transição. Ele está deixando de ser criança, mas sabe que ainda está longe de se tornar um adulto. Muitas pessoas pensam que ele se considera o senhor de todas as situações,  que sabe tudo, que pode dominar tudo. Na verdade, não é bem assim.
Um adolescente sabe que é impotente para muitas coisas, é consciente de sua fragilidade e de sua incapacidade. Porém a natureza, automaticamente, o impulsiona a avançar. Intuitivamente ele sabe que precisa se tornar forte, mas a sua capacidade física e mental ainda é limitada.   É aí que entra em conflito consigo mesmo e,  consequentemente,  com o mundo.
O instinto lhe sugere a independência.  Por isso, ele não quer ser conduzido. Só que ainda não sabe se conduzir.
Ele dispensa a ajuda dos pais, mas sabe que precisa dela.
A cabeça do adolescente é muito confusa, a insegurança é muito grande.

Podemos comparar o adolescente a um passarinho deixando o ninho, já tem asas, mas ainda não sabe voar.  Precisa voar para sobreviver, mas ainda tem medo.

A necessidade instintiva da auto-afirmação faz o adolescente se tornar orgulhoso e rebelde.  Suas necessidades físicas e emocionais o fazem se tornar persistente e cansativo para os adultos que o acompanham. É por isso que o chamam descaridosamente de “aborrecente”.
Além de tudo isso, ele está passando por uma transformação hormonal, e isso causa sintomas físicos que se confundem com seu temperamento,  e até com o mau comportamento, por isso ele é mal compreendido. consequentemente, muitas vezes por falta de orientação, ele é desviado do caminho reto.

Se você convive com algum adolescente, considere  isto: 
Na realidade,  o adolescente promete muito, pois em breve se tornará um cidadão.
Se for bem compreendido e orientado hoje, será o adulto produtivo e positivo de amanhã.
Para orientá-lo,  é preciso primeiro fazê-lo entender a própria situação, mostrar o quanto ele é importante para o mundo e para a sociedade.
Podemos  conquistá-lo, através do diálogo constante, depositando-lhe  confiança  porém sem descuidar. Seguí-lo de perto sem imposição,  sem muita interferência e com  muito boa vontade, humildade e dedicação.  Ele precisa saber que é respeitado, que é importante na vida dos pais e no meio em que vive.  Ele precisa sentir que o mundo conta com ele,  por esta razão precisa ser responsável.
O bom exemplo é fator primordial.  A prova de que o amamos e somos seus amigos sinceros é de suma importância.  O diálogo pacífico e despretensioso é fundamental.
Todavia é importante considerar que existe a possibilidade de alguns pais não serem suficientemente amadurecidos. Não tiveram oportunidades de realizações e nem de receber orientações adequadas. Isso gera rivalidade e, consequentemente, competição com os filhos. Essa situação contribui indiretamente para os grandes conflitos, e até para o desencaminhamento.
As escolas da Doutrina Espírita poderão orientá-lo e integrá-lo socialmente nas normas de moral cristã.

Na verdade, conquistamos e orientamos um adolescente com muita humildade, espírito de renúncia e de fraternidade.  Conquistamos e  direcionamos um adolescente com muito AMOR.

Um abraço à todos!

Mariazinha