Forum Espirita

GERAL => Outros Temas => Tópico iniciado por: Le em 11 de Maio de 2006, 14:05

Título: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Le em 11 de Maio de 2006, 14:05
Como estamos aqui para aprender como tem sido afirmado sempre que a oportunidade se apresenta coloco a questão para que, na troca de opiniões fundamentadas nos conhecimentos adquiridos pelo estudo, os meus caros companheiros de Fórum coloquem as vossas opiniões sobre o assunto.

Médium e Sensitivo:
- São a mesma coisa?
- Não são a mesma coisa?
- Quais as diferenças?
- Quais as semelhanças?

Sem polémicas,sem querelas, abordemos o assunto e enriqueçamos os nossos próprios conhecimentos com a troca de informações.

Um abraço de

Leão
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: SB em 11 de Maio de 2006, 19:04
Todos os homens têm o seu grau de mediunidade, nas mais variadas posições evolutivas.
A faculdade mediunica prende-se ao organismo, ela independente das qualidades morais do médium, e é encontrada nos mais indignos como nos mais dignos.
O mesmo acontece com os médiuns sensitivos, são pessoas suscetíveis de sentir a presença dos Espíritos, por uma impressão geral ou local, vaga ou material.   
A maioria dessas pessoas distingue os Espíritos bons dos maus, pela natureza da impressão.

Por isto e na minha opinião, conclou:
A mediunidade como comprovada, é uma faculdade orgânica que é inerente a todo o ser humano. A parte sensitiva, é uma qualidade do medium com maior ou menor grau.

Um abraço
Mta paz e mta luz
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: VS em 11 de Maio de 2006, 21:16
Olá Susana

Da tua resposta resulta que "sensitivo" é um médium que, embora não manifeste a capacidade de curar ou incorporar, ou ver, ou ouvir os Espiritos, é uma pessoa capaz de os sentir, embora sem os identificar. No fim de contas todos somos sensitivos, mas a maior parte de nós não sabe identificar as sensações como sendo resultado da mediunidade, será isso?

Outra questão que coloco é a seguinte:

As pessoas podem também sentir o Espirito (ou o Perispirito, ou ambos, não sei bem) dos vivos (encarnados neste planeta). Essas mesmas pessoas podem ou não sentir (ou não ser capazes de perceber que sentem) os Espiritos dos desencarnados. Só se designa médium sensitivo aquele que se apercebe da presença dos Espiritos desencarnados ou também se diz o mesmo daquele que só se apercebe das manifestações do Espirito (Perispirito, ou ambos) que vem dos vivos?

bem hajas
Vitor Santos
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: SB em 12 de Maio de 2006, 00:48
Da tua resposta resulta que "sensitivo" é um médium que, embora não manifeste a capacidade de curar ou incorporar, ou ver, ou ouvir os Espiritos, é uma pessoa capaz de os sentir, embora sem os identificar. No fim de contas todos somos sensitivos, mas a maior parte de nós não sabe identificar as sensações como sendo resultado da mediunidade, será isso?

- Eu diria mais, Vítor, no fim de contas todos somos sensitivos, mas a maior parte de nós não sabe acreditar nas suas próprias sensações, nem acreditando que é médium. Resumindo, não se conhecem a si mesmo, o suficiente para poder identificar o que se passa diariamente consigo mesmo.

Outra questão que coloco é a seguinte:

As pessoas podem também sentir o Espirito (ou o Perispirito, ou ambos, não sei bem) dos vivos (encarnados neste planeta). Essas mesmas pessoas podem ou não sentir (ou não ser capazes de perceber que sentem) os Espiritos dos desencarnados. Só se designa médium sensitivo aquele que se apercebe da presença dos Espiritos desencarnados ou também se diz o mesmo daquele que só se apercebe das manifestações do Espirito (Perispirito, ou ambos) que vem dos vivos?


Aqui em primeiro quero que entendas uma coisa:

O fluido Cósmico Universal sendo uma criação da Divindade é o elemento primordial para a formação da matéria tal como a conhecemos, sob as mais variadas formas e também pela matéria invisível, que dá “materialidade” ao mundo espiritual. Os fluidos, nas suas diversas categorias, são modificados mais ou menos pronunciado as do fluido cósmico universal, que é o elemento básico da forma do universo (não é a fonte da inteligência, que tem a sua sede no principio espiritual, não-material por natureza). O perispirito (corpos espiritual) é constituído pelo fluido cósmico universal modificado, e é variável na sua maior ou menos condensação, o que lhe dá propriedades especiais para agir sobre a matéria. È o intermediário entre o espírito propriamente dito e o corpos físico, formando-se dessa forma, o complexo humano ( homem encarnado), composto de :
1 – Espirito;
2 – Períspirito;
3 – Corpo Físico.

Quanto á tua ultima questão acho que não a consigo entender muito bem…

A tua pergunta pode abranger mais que a mediunidade sensitiva…não sei propriamente ao que te referes… Pq pode estar nos intuitivos, nos expontaneos, e pode ser bem mais complexa ou não…Podemos falar tb nessas sensações que falas dos vivos sentirem os vivos, isto se eu percebi bem, tb podiamos falar da lei da afinidade…
Todo aquele que esta ligado em sintonia vibratória sentirá ou será sensível ao outro…

Nao entendi, mesmo...tou loira  ;)


Tudo de bom!
Um abraço
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Peregrino em 12 de Maio de 2006, 18:36
olá  :)

É isto que consta do Livro dos Mediuns sobre a mediunidade sensitiva (n.º164):

Médiuns sensitivos, ou impressionáveis

Chamam-se assim às pessoas suscetíveis de sentir a presença dos Espíritos por uma impressão vaga, por uma espécie de leve roçadura sobre todos os seus membros, sensação que elas não podem explicar. Esta variedade não apresenta caráter
bem definido. Todos os médiuns são necessariamente impressionáveis, sendo assim a impressionabilidade mais uma qualidade geral do que especial. É a faculdade rudimentar indispensável ao desenvolvimento de todas as outras. Difere da impressionabilidade puramente física e nervosa, com a qual preciso é não seja confundida, porquanto, pessoas há que não têm nervos delicados e que sentem mais ou menos o efeito da presença dos Espíritos, do mesmo modo que outras, muito irritáveis, absolutamente não os pressentem.
Esta faculdade se desenvolve pelo hábito e pode adquirir tal sutileza, que aquele que a possui reconhece, pela impressão que experimenta, não só a natureza, boa ou má, do Espírito que lhe está ao lado, mas até a sua individualidade, como o cego reconhece, por um certo não sei quê, a aproximação de tal ou tal pessoa. Torna-se, com relação aos Espíritos, verdadeiro sensitivo. Um bom Espírito produz sempre uma impressão suave e agradável; a de um mau Espírito, ao contrário, é penosa, angustiosa, desagradável. Há como que um cheiro de impureza.

Um sentisivo é medium, mas um medium não é forçosamente sensitivo, embora os Espiritos tenham dito a Kardec que em principio o são.

São estas as principais espécies de mediunidade:

Médiuns de efeitos físicos. - Pessoas eléctricas.

Médiuns sensitivos ou impressionáveis.

Médiuns audientes.

Médiuns falantes.

Médiuns videntes.

Médiuns sonambúlicos.

Médiuns curadores.

Médiuns pneumatógrafos - Mediuns escreventes ou psicógrafos.


Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium. Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo. Por isso mesmo, raras são as pessoas que dela não possuam alguns
rudimentos. Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns. Todavia, usualmente, assim só se qualificam aqueles em quem a faculdade mediúnica se mostra bem caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de certa intensidade, o que então depende de uma organização mais ou menos sensitiva.

E de notar-se, além disso, que essa faculdade não se revela, da mesma maneira, em todos. Geralmente, os médiuns têm uma aptidão especial para os fenômenos desta, ou daquela ordem, donde resulta que formam tantas variedades, quantas são as espécies de manifestações.

Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Peregrino em 12 de Maio de 2006, 18:42

Vitor,

O facto de estar o Espirito encarnado "abafa" a sua vibração perispiritual, pelo que é mais difícil esse fenómeno da sensibilização, menos nítido, mas não desaparece de todo, dai algumas pessoas se sentirem "mal" ou "bem" ao lado de outras, sem motivos aparentes.

Não sei se era exactamente esta a tua dúvida...

Um abraço.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: aruanda em 12 de Maio de 2006, 18:42
Meus amigos, se formos ao Livro dos Médiuns cap XIV  pergunta 164, temos uma resposta cabal sobre este assunto.

No entanto gostaria de dizer que um sensitivo é alguem que consegue percepcionar o mundo espiritual.
Alguem que pode ter percepções mas no entanto isso não quererá dizer que seja medium.
Porque na realidade todos somos sensitivos (temos determinadas sensações) mas, nem todos somos médiuns no sentido correcto do termo.

Os Encarnados são compostos de : Corpo Fisico+ Perispirito + Espirito
 Os Desencarnados são compostos de : Prispirito + Espirito

Então quando nós SENTIMOS, isso não nos transforma em médiuns e podemos apenas estar a captar algo do mundo espiritual ou apenas do mundo fisico que nos rodeia.

Quando temos Mediunidade, captamos o mundo espiritual e podemos "sentir" o que nos rodeia.

Quando existe uma incorporação (psicofonia) é o Perispirito do Desencarnado que se aproxima dos médium e lhe transmite o que deseja e sente.

Qu eu saiba com o perispirito dos encarnados não se dá incorporações ....

Abraços

Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Peregrino em 12 de Maio de 2006, 18:50

De facto, Olga  :)

Os mediuns sonâmbulos, electricos e sensitivos "percebem" o mundo espiritual, enquanto os outros são verdadeiros intermediários de outros Espiritos que se manifestam através deles por forma a dirigirem-se a terceiros.

«Pode, pois, dizer-se que todos são, mais ou menos, médiuns. Todavia, usualmente, assim só se qualificam aqueles em quem a faculdade mediúnica se mostra bem caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de certa intensidade, o que então depende de uma organização mais ou menos sensitiva.»

Mas quanto à última afirmação, tenho duvidas neste último caso: os hipnotizadores, quando usam de magnetismo, isso não é forma de incorporação sobre o hipnotizado? Será esta uma forma de mediunidade?
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Le em 12 de Maio de 2006, 19:53
Caros companheiros

Estou gostando das participações e das exposições e espero que mais companheiros venham ao tema participando com as suas opiniões baseadas nos estudos efectuados e nas experi~encias vivenciadas.

Um abraço fraterno e desejos de muita paz e muita luz para todos

Leão
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: VS em 13 de Maio de 2006, 00:19
Olá Olga

Mas não é possivel que o Espirito de um encarnado vivo que se encontra a dormir ou num estado alterado de consciência que leve ao mesmo fenómeno se comunique com um médium?

bem hajas
Vitor Santos
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Joao Manuel Santos em 13 de Maio de 2006, 08:08
Olá Vitor

Pessoalmante estou de acordo com a Olga.
Quando estudamos o tema Animismo ( Anima+ismo, +- conformação com Alma)
ficamos com a ideia de que o sensitivo está sempre consiente e nesse estado prececiona as sensações que eventualmente lhe estão chegando qualquer que seja o meio e modo como estão sendo.
No caso da Mediunidade tem que haver uma disponibilidade dos orgão físicos do médium para que a entidade comunicante os possa utilizar para se comunicar e neste caso o Espírito que através da ligação com o seu Perispirito comanda o corpo físico, tem que se afastar (embora não se desligando totalmente). Neste caso,quanto a mim, se dá uma comunicação mmediúnica e o médium quando o seu Espirito regressa ao comando do corpo não registo do que foi comunicado.
Logo, penso, Sensitivo e Médium não são sinónimos, não a mesma coisa, podendo no entanto haver Médiuns com a faculdade de sensitivos.
Esta minha colocação é apenas mais uma achega que com o conjunto de todas as outras poderá eventualmente contribuir para que todos tenhamos mais informação e conhecimento do tema.

Um abrço do amigo
João Manuel Santos 
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: aruanda em 13 de Maio de 2006, 11:03
Olá João Manuel Santos, só nãoe stou de acordo consigo nesta citação:
Citar
logo, penso, Sensitivo e Médium não são sinónimos, não a mesma coisa, podendo no entanto haver Médiuns com a faculdade de sensitivos.

Eu diria exactamente ao contrário...logo haverá sensitivos que podem ter a faculdade mediúnica, porque sensitivos todos nós o somos
mais ou menos.

VS
Citar
Mas não é possivel que o Espirito de um encarnado vivo que se encontra a dormir ou num estado alterado de consciência que leve ao mesmo fenómeno se comunique com um médium?

Sim Vitor, estive a pesquisar e é possivel mas não é muito provável, visto que a pessoa em causa teria forçosamente que estar a dormir ou em estado parecido. Daí que é preciso muito cuidado quando se entra nesses campos.

Abraços
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Joao Manuel Santos em 13 de Maio de 2006, 11:23
Olá Olga

Grato pelo ajuste da posição por mim colocada.
È como que uma questão de semãntica mas por vezes pequenas coisas fazem uma grande diferença na interpretação dos factos.
O seu reajuste vem colocar a questão que muitas vezes se ouve em diálogos e também muitas vezes aqui colocadas: No fim todos os humanos são mais ou menos médiuns.
Com a sua correcção o que estará mais correto será então, todos os humanos são mais ou menos sensitivos.
Parece-me que temos aqui mais um ponto que poderá ser objeto de análise e desenvolvimento com o objetivo de mais conhecimento da doutrina e dos seus meandros através dos estudo e depois dele o colocar-se aqui no fórum para partlinha com os demais participantes.
Sairemos todos a ganhar.
Um abraço
João Manuel Santos
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: M em 13 de Maio de 2006, 20:06
Olá amigos,
Todos captamos, de forma mais ou menos intensa, o mundo espiritual, por exemplo através das ideias que nos são sugeridas pelos Espíritos que nos pretendam amorosamente aconselhar, ou, por vezes, "desaconselhar". Nesse sentido todos somos médiuns. Todos podemos ser meios, ou "instrumentos", dos bons ou maus intentos dos Espíritos, sem prejuizo do nosso livre arbítrio.
O termo "sensitivo", tanto quanto tenho conhecimento, refere-se ao que o David apresentou no seu post. Nesse sentido, o médium sensitivo é um tipo de médium.
Creio que todas as posições dos intervenientes estão correctas, e que a questão é sobretudo de designações, de vocabulário para designar as coisas.
Convém que nos lembremos, também, que a mediunidade não é uma faculdade permanente, podendo ocorrer ocasionalmente.
Mário
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: eagv em 04 de Julho de 2006, 01:55
ola amigos,
desde sempre tive curiosidade em comhecer o espiritismo, e tudo á sua volta mas existe sempre algo que me impede, não sei pk.... parece medo de algo. como devem perceber eu ainda não entrei neste mundo, mas tenho acompanhado, mas parece que é para breve uma visita minha a um centro.
desculpem a ignorancia munha ,mas algumas pessoas me dizem que eu sou medio, isto pelos sintomas que eu tenho.
gostava que me dissessem o que costuma aparecer ou acontecer se a pessoa for medium??? a minha vida esta a andar para tras, quando acaba uma começa outra chatiche, não sei o que fazer.
como costumo dizer, o dinheiro nesta casa entra por uma porta a 100 e sai a 1000, isto não é normal.
tenho uma grande companhia de meu santo protector, que é mesmo um guia, s.judas tadeu. pq motivo eu ouço dizer tão mal do meu santo????
peço imensa desculpa mais uma vez pela minha ignorancia.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: M em 04 de Julho de 2006, 10:45
Olá eagv,

Seja muito bem-vinda :)

O Espiritismo nada tem de assustador, como pode ver aqui pelo fórum, com gente comum, com as suas famílias, as suas profissões, as suas amizades, que estuda este tema por gosto e absolutamente sem qualquer intuito económico ou de promoção pessoal. Pelo contrário, o Espiritismo é uma poderosa ferramenta para nos livrar dos medos irracionais que o mundo nos inculca: medo dos Espíritos, medo da morte, medo do diabo (que não existe), medo dos sonhos e dos presságios, medo dos "maus-olhados", e por aí fora.
O Espiritismo também não promete nada. Nem milagres, nem curas, nem prosperidade económica, nem sucessos amorosos.
O Espiritismo é um caminho de aperfeiçoamento pessoal, através da prática do Evangelho de Jesus, e é uma fonte de respostas às naturais questões que todos temos acerca de Deus, da continuação da vida, do Bem e do Mal.

Se quiser dizer-nos qual a sua área de residência - neste espaço ou através de mensagem pessoal - podemos informá-la acerca das associações mais próximas. Numa associação espírita dispõe dos serviços de atendimento fraterno, onde pode apresentar as suas dúvidas. Pode também fazer o Curso Básico de Espiritismo, que é o melhor meio de aprender sobre este assunto de forma escorreita - ou pode fazer esse curso pela internet através do site www.adeportugal.org. Numa associação espírita pode também comprar as obras básicas do Espiritismo, que são O Livro dos Espíritos, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno, A Génese e O Livro dos Médiuns.
Todos os serviços prestados numa associação espírita são gratuitos, mas os livros não costumam ser oferecidos, porque as associações não têm meios económicos para tal. Contudo, cada obra destas custa nas associações cerca de 7 euros, porque é vendida sem margem de lucro, enquanto que no comércio chegam a custar quatro vezes mais. Também pode fazer o download dessas obras neste site.

A mediunidade, ao começar a manifestar-se, tem vários sintomas, tais como a sensação de peso e inchaço no estômago, a sensação de cabeça grande, a sensação de que não estamos sozinhos ou alterações súbitas de humor. Claro que devemos recorrer à Medicina quando não nos sentimos bem, e não vamos logo a correr "deitar culpas" à mediunidade. Todos temos mediunidade, aliás, mas uns têm mais que outros. Possuir mediunidade ostensiva (muito evidente) não nos torna especiais, ou desgraçados. É algo natural.

Quanto a S. Judas Tadeu: no Espiritismo não costumamos dar o título da "santo" a ninguém; consideramos que há Espíritos mais evoluidos que outros, e esse poderá ser um deles. Não há nada errado em ter devoção por esse nosso irmão, até porque se não for ele a atender às suas preces, outro o fará, pois os Bons Espíritos não são vaidosos, e ajudam a todos sem esperar reconhecimento :)

Um abraço e disponha,

Mário
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Mourarego em 04 de Julho de 2006, 20:58
Ih, eu acho que vou colocar mai slenha na fogueira ao invés de apagar o fogo...

Gente, se nos lembrarmos dos anímicos, vamos ver que o termos sensitivo é melhor empregado a eles, que não têm nenhuma caracteristica exacerbada da mediunidade e que portanto não podem ser chamados de médium posto que tudo o que faz é produzido pelo seu próprio Espírito sem a intervenção de inteligência estranha a ele.
E agora, o que me dizem? hehehe
Abraços,
Moura
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: M em 04 de Julho de 2006, 22:12
Irmão Moura,
Com o acordo ortográfico luso-brasileiro eu deixei de saber escrever, mas acho que precisamos harmonizar o glossário espírita.  Por aqui, mediunidade sensitiva não se confunde com animismo. Médium sensitivo, no nosso linguajar corrente, é aquele que sente a presença dos Espíritos e capta as sensações destes (paz, inquietação, felicidade, infelicidade, atitude grave ou brincalhona, etc.).
Abraço,
Mário  :)
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Mourarego em 04 de Julho de 2006, 23:53
Pois, Mario é assim emsmo
porém quis colocar mais lenha, mostrando o lado dos anímicos, pois estes não são os doentes eue muitos acham, Kardec mesmo o demonstra em OLM. Os anímicos não sentem senão a atividade de seu proprio espírito ou seja deles mesmos.
Abraços,
Moura
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Maitreya em 02 de Janeiro de 2009, 19:15
Olá, acho intrigante tudo sobre o espiritismo e sinceramente eu não sei em qual eu me classifico, se sou médium ou sensitivo, pois desde que eu me lembro que eu consigo ver o que os outros não conseguem, por muito tempo achei-me uma pessoa muito estranha, agora sei que não o sou e também não sou especial, apenas tenho esta capacidade, contudo de acordo com as regras do fórum não me permite falar sobre as ilusões as quais eu imediatamente as identifico, devido a minha capacidade, desta forma adverto para a informação que recebem, pois para compreender o presente, embora prefira o contemporâneo, é preciso compreender o passado, a realidade é muito mais fascinante.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: M em 02 de Janeiro de 2009, 19:24
Olá,

Não é muito diferente ser-se médium ou sensitivo. Se é que existe diferença.

Dê uma vista de olhos nesta página, sff:

http://adeportugal.org/mambo/index.php?option=content&task=category&sectionid=1&id=90&Itemid=68&limit=20&limitstart=0

Aí pelos Algarves há excelentes associações espíritas, e nada como frequentar uma delas, fazer o Curso Básico de Espiritismo e ler as obras básicas.

Após o Curso Básico, há muitos centros que permitem que se faça o curso de estudo e educação da mediunidade.

Abraço,

Mário
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Maitreya em 02 de Janeiro de 2009, 19:54
Eu sempre preferi a palavra sensitivo, fui a pagina da net que recomendou, mas mais uma vez é triste ver o que se criou pelo Allan Kardec, do mesmo modo as religiões, adultera-se um principio pelo artificio da ilusão, sinceramente a única pessoa que me podia ensinar já morreu, Jiddu Krishnamurti, agradeço.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: M em 02 de Janeiro de 2009, 19:56
Confesso que não entendi... O site da ADEP tem alguma coisa que em sua opinião vá contra a filosofia espírita?

Mário
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Maitreya em 02 de Janeiro de 2009, 20:03
Compreendo, por vezes em poucas palavras digo muito, resume-se ao que o Allan compreendeu sobre o chamado espiritismo e criou a instituição que nos dias de hojé estão por muitas zonas e o que lá fazem é nada mais que proliferar a confusão, um copo com água deixou de o ser.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Victor Passos em 02 de Janeiro de 2009, 20:12
OLa muita paz

 Não sei o que Krishna tem que ver com isso...Kardec, fundou a Instituição Espirita nos termos do bom senso e razão, sempre testando cientificamente tudo que aflorava mediunicamente, claro que existiram os detractores e aqueles que confundem mediunidade com Espiritismo...e nada tem que ver uma coisa com a outra...Krisnha vivia de um lado para o outro em palestras Kardec estudadva... No entanto ambos tem a sua grandiosidade...

VICTOR PASSOS
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Maitreya em 02 de Janeiro de 2009, 20:53
Olá,
Enquanto Allan, fez um estudo cientifico imparcial, o qual eu louvo, Krishnamurti não só também fez um estudo imparcial, mas não nos termos científicos, como era um sensitivo, os dois são de louvar.
Allan lançou a pedra para os senhores da ciência e Krishnamurti lançou a pedra como objecto que "vê".
Para a compreensão do que é chamado o "espiritismo" é preciso colmatar com Krishnamurti e porquê?
Para quem não consegue ver, primeiro é preciso fazer uma expiação, identificar as ilusões e ver a realidade, o material e o não-material. o resto vem naturalmente.
O trabalho de Allan, Krishnamurti, profetas, e restantes, nada mais é que acabar com a confusão derivada do esquecimento e das restrições ilusórias.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: M em 02 de Janeiro de 2009, 23:48
Maitreya,

Certamente por insuficiência minha, não faço a mais pequena ideia daquilo a que se refere. Krishnamurti certamente terá o seu valor. Não me atrevo a julgar se muito, se pouco, nem me considero com capacidade para entender a mensagem dele.
Caso veja alguma contradição, algum erro, no conteúdo de algum site espírita, os reparos são sempre bem-vindos. Dizer do Espiritismo que "o que lá fazem é nada mais que proliferar a confusão, um copo com água deixou de o ser", para mim não faz o menor sentido.

Saudações Cordiais,

Mário
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: aruanda em 03 de Janeiro de 2009, 00:58
Realmente também deve ser incapacidade minha mas, não entendi nada do que foi escrito pela Maitreya

abraços
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Maitreya em 03 de Janeiro de 2009, 01:54
Respondendo ao Mário e Aruanda, a verdade é que é normal a vossa resposta.
Quando olham para um objecto, qualquer que seja, o espaço entre o objecto e vocês, eu consigo ver o que aos outros passa despercebido.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: M em 03 de Janeiro de 2009, 10:32
Não nos interpretem mal, sff. Não temos umas palas nos olhos de modo a ver apenas Espiritismo. É perfeitamente aceitável, e enriquecedor, que num fórum espírita se exponham outros pontos de vista, para que possamos todos aprender com todos.

Mas não podemos perder de vista que este é um fórum espírita, e não um fórum esotérico. A visão espírita das coisas é racional, exotérica (com x), despida de simbologias e requisitos iniciáticos ou místicos.

Solicitamos por isso a todos os participantes que observem essa regra básica. Para que possamos entender-nos. Este é um fórum espírita. Não vocacionado, portanto, para linguagens enigmáticas, que terão certamente o seu lugar em fóruns apropriados.

M.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: aruanda em 03 de Janeiro de 2009, 11:55
Citar
Quando olham para um objecto, qualquer que seja, o espaço entre o objecto e vocês, eu consigo ver o que aos outros passa despercebido

Sabe,Maitreya,eu consigo também, "ver" o que expõe mas, não entendo  a forma como se comunica .
Talvez como diz o Mário a linguagem seja diferente.

Realmente estamos num fórum espirita e devemos acima de   tudo ser racionais para sermos entendidos por toda  a gente que aqui vem..senão para que serve este fórum?

Abraços



Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Victor Passos em 03 de Janeiro de 2009, 13:12
Ola Companheiros Aruanda e Mário e Maltreya

     Companheiros Aruanda e Mário penso que a visão do nosso companheiro está visivel nos valores de Krishna, ou seja aquilo que nós chamamos de ideoplastia no Espiritismo, podemos estar várias pessoas num mesmo local, mas so um poder enxergar o que o envolve pela caracteristica sensitiva que detem em si.
     Lembro das visões de Jesus em Espanha , em que no meio de escursionistas , cerca de 40, apenas dois viram a romagem de Jesus, na sua subida ao monte...logo isso não quer dizer que possa achar-se provado...
     Existem muitos factores de equivalência em seus pormenores vivenciais, levando uma vida monastica, mas acima de tudo Amigo Maltreya, não se trata de classificar um Deus, pois podes chamar-lhe Antonio , Rui, Krisnha, Moisés, o importante e o apelo à transformação do homem para melhor

Muita paz

VICTOR PASSOS

     Amigos aqui tem o que segue Krisnhamurti;


Movimento Hare Krishna

A Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna (ISKCON), uma tradição monoteísta inserida na cultura Védica ou Hindu, popularmente conhecida como Movimento Hare Krishna, é baseada nos ensinamentos do guru Sri Krishna Chaitanya Mahaprabhu (1486-1534) e foi trazida para o Ocidente em 1965 por A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada. Os membros da sociedade participam dos serviços nos templos e realizam suas práticas (tecnicamente chamadas de bhakti-yoga ou yoga da devoção) em casa ou passam a se dedicar inteiramente ao serviço e devoção a Suprema Personalidade de Deus Krishna, levando uma vida monástica. No caminho da consciência de Krishna (Krishna é um nome de Deus que significa todo-atrativo em sânscrito) não se recomenda o consumo de álcool, cigarro e demais drogas e segue-se uma dieta lacto-vegetariana. Os seguidores geralmente dão ênfase aos benefícios espirituais da associação devocional, ao estudo das escrituras Védicas e à entoação de mantras, especialmente o maha-mantra, ou mantra maior: "Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare / Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare". Os mantras são considerados sons transcendentais, cantados repetidamente como auxílio à meditação e auto-realização. Durante o canto, podem manifestar estados de êxtase transcendental, que resultarão na libertação do corpo também através da dança.

Conhecida como o Movimento Hare Krishna, a ISKCON ou Sociedade Internacional Para a Consciencia de Krishna (International Society for Krishna Consciousness - ISKCON) teve como fundador o mestre Hindu A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, cujo proposito era propagar os principios tradicionais da filosofia Vedanta. Devotos eram proibidos de ter acesso aos meios de comunicacao de massa tais como televisao, radio, jornais e revistas. Muitos de seus ex-participantes revelam que foram vitimas de lavagem cerebral. Os templos e comunidades rurais no Brasil nao tiveram tantos problemas legais como as comunidades localozadas nos dos Estados Unidos, onde o Movimento Hare Krishna foi iniciado originalmente.

Sete propósitos

Ao fundar o ISKCON, Srila Prabhupada elaborou sete propósitos para a união no espírito de devoção, cultivando a pura consciência a serviço amoroso de Deus. São eles:

   1. Propagar o conhecimento espiritual entre as sociedades a fim de educar todas as pessoas nas técnicas da vida espiritual, restabelecendo o equilíbrio dos valores na vida e, finalmente, alcançando a verdadeira união e paz mundiais;
   2. Propagar a consciência de Krishna (Deus), assim como foi revelada nas grandes escrituras da Índia, o Bhagavad-gita e o Srimad Bhagavatam;
   3. Unir os membros da sociedade e torná-los mais próximos de Krishna (a entidade primordial). Isto fará com que cada alma (tanto dos membros, como da sociedade) seja parte integrante de Krishna;
   4. Ensinar e encorajar o movimento de sankirtana - o canto congregacional do santo nome de Deus - tal como foi revelado nos ensinamentos do Senhor Sri Caitanya Mahaprabhu;
   5. Erguer, para os membros da sociedade e demais, um local sagrado de passatempos transcendentais dedicado à personalidade de Krishna;
   6. Manter os membros unidos com a finalidade de ensinar um modo de vida mais simples e natural;
   7. Publicar e distribuir periódicos, revistas e livros com os propósitos acima mencionados.

 Actividades

Os devotos de Krishna pregam que a forma de vida humana tem um objetivo: tornar a pessoa espiritualizada, consciente de Deus. Para isso, eles se valem da máxima védica "sempre se lembrar de Krishna e nunca se esquecer de Krishna".

Assim, todas as atividades de um devoto são, na medida do possível, ajustadas a esse propósito. Trata-se de uma busca consciente e saudável por uma qualidade de vida melhor, mais identificada com valores espirituais e eternos do que com valores materiais e efêmeros.

Além disso, há quatro virtudes que são consideradas os pilares de uma vida espiritual são: austeridade, não-violência, limpeza e veracidade. Os devotos sempre procuram praticá-las, uma vez que elas favorecem e facilitam o desenvolvimento de uma espiritualidade saudável, consciente e sem fanatismos.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Maitreya em 04 de Janeiro de 2009, 02:07
Olá, desculpa pela confusão, eu estava referir-me à Jiddu Krishnamurti.
Jiddu Krishnamurti (11 de maio, 1895-Madanapalle, Índia - 17 de fevereiro, 1986 Ojai, California) filósofo e místico indiano.

Jiddu Krishnamurti e os três irmãos, que sobreviveram de um total de dez, acompanharam seu pai Jiddu Narianiah a Adyar em 23 de janeiro de 1909, pois este conquistara um emprego de secretário-assistente da Sociedade Teosófica, entidade que estuda todas as religiões. Reza a tradição brâmane, a qual a família era vinculada, que o oitavo filho toma no batismo o nome Krishna, em homenagem ao deus Sri Krishna, de quem a mãe, Sanjeevamma, era devota; foi o que aconteceu com Krishnamurti, a quem foi dado o nome de Krishna, juntamente com o nome de família, Jiddu. Com a idade de 13 anos, passou a ser educado pela Sociedade Teosófica, que o considerava um dos grandes Mestres do mundo.

Em Adyar, Krishnamurti, então com treze anos, foi 'descoberto' por Charles W. Leadbeater, famoso membro da Sociedade Teosófica ( S.T.), em abril de 1909, que, após diversos encontros com o menino, viu que ele estava talhado para se tornar o ' Instrutor do Mundo ', acontecimento que vinha sendo aguardado pelos teosofistas. Após dois anos, em 1911 foi fundada a Ordem Internacional da Estrela do Oriente, com Krishnamurti como chefe, que tinha como objetivo reunir aqueles que acreditavam nesse acontecimento e preparar a opinião pública para o seu aparecimento, com a doação de diversas propriedades e somas em dinheiro.

Krishnamurti assim foi sendo preparado pela S.T.; algo, porém, iniciou sua separação de seus tutores: a morte de seu irmão Nitya em 13 de novembro de 1925, que lhe trouxe uma experiência que culminou em uma profunda compreensão.

Krishnamurti em breve viria a emergir como um instrutor espiritual, e dito Mestre extraordinário e inteiramente descomprometido. As suas palestras e escritos não se ligam a nenhuma religião específica, nem pertencem ao Oriente ou ao Ocidente, mas sim ao mundo na sua globalidade:

"Afirmo que a Verdade é uma terra sem caminho. O homem não pode atingi-la por intermédio de nenhuma organização, de nenhum credo (...) Tem de encontrá-la através do espelho do relacionamento, através da compreensão dos conteúdos da sua própria mente, através da observação. (...)"

Durante o resto da existência, foi rejeitando insistentemente o estatuto de guia espiritual que alguns tentaram atribuir-lhe. Continuou a atrair grandes audiências por todo o mundo, mas recusando qualquer autoridade, não aceitando discípulos e falando sempre como se fosse de pessoa a pessoa. O cerne do seu ensinamento consiste na afirmação de que a necessária e urgente mudança fundamental da sociedade só pode acontecer através da transformação da consciência individual. A necessidade do autoconhecimento e da compreensão das influências restritivas e separativas das religiões organizadas, dos nacionalismos e de outros condicionamentos, foram por ele constantemente realçadas. K. chamou sempre a atenção para a necessidade urgente de um aprofundamento da consciência, para esse "vasto espaço que existe no cérebro onde há inimaginável energia". Essa energia parece ter sido a origem da sua própria criatividade e também a chave para o seu impacto catalítico numa tão grande e variada quantidade de pessoas.

A Educação foi sempre uma da preocupações de Krishnamurti. Fundou várias Escolas em diferentes partes do mundo onde crianças, jovens e adultos podem aprender juntos a viver um quotidiano de compreensão da sua relação com o mundo e com os outros seres humanos, de descondicionamento e de florescimento interior.

Durante sua vida, K. viajou por todo o mundo falando às pessoas, tendo falecido em 1986, com a idade 90 anos. As suas palestras e diálogos, diários e outros escritos estão reunidos em mais de 60 livros.

Amigos de K., reconhecendo a importância dos seus ensinamentos, estabeleceram Fundações, na Europa, nos Estados Unidos, na América Latina e na Índia, assim como Centros de Informação, em muitos países do mundo, onde se podem colher informações sobre Krishnamurti e a sua obra. As Fundações têm carácter exclusivamente administrativo e destinam-se não só a difundir a obra de K. mas também a ajudar a financiar as escolas experimentais por ele fundadas.

Pensamentos:

"O problema por conseguinte, é este : para que o homem possa transformar-se radicalmente, fundamentalmente, torna-se necessária uma mutação nas próprias células cerebrais de sua mente. Dizem-nos que devemos mudar, que devemos agir, que devemos transformar nossa mente, nosso coração, tornar-nos uma coisa totalmente diferente. Isso vem sendo pregado há milhares de anos por homens muito sérios, muito ardorosos, e também por charlatães interessados em explorar o povo. Mas, agora, chegamos ao ponto em que não há mais tempo a perder. Compreendei isto por favor. Não dispomos de tempo para efetuar gradualmente tal transformação. Os intelectuais de todo o mundo estão reconhecendo que o homem se acha à beira de um abismo, na iminência de destruir a si próprio. Nem religiões, nem deuses, nem salvadores, nem mestres, nem as lenga-lengas dos gurus, poderão impedi-los . Dizem os intelectuais ser necessário inventar uma nova droga, uma 'pílula dourada' capaz de produzir uma completa transformação química; e os cientistas provavelmente descobrirão esta droga. Não sei se estais bem a par dessas coisas. Ora conquanto o organismo físico seja um produto bioquímico, pode uma droga, uma superdroga fazer-vos amar, tornar-vos bondosos, generosos, delicados, não violentos? Não o creio; nenhum preparado químico pode fazer os homens amarem-se uns aos outros. O amor não é um produto do pensamento; também não é cultivável, como a flor que cultivamos em nosso jardim. O amor não pode ser comprado numa drogaria, e o amor é a única coisa que poderá salvar o homem - e não os artifícios das religiões, nem seus ritos, nem todos os exércitos do mundo. Podemos fugir, assistindo a concertos, visitando museus, entregando-nos a divertimentos de toda ordem - debalde! - porque o homem se acha hoje em dia em presença de um tremendo problema: se tem a possibilidade de transformar-se radicalmente, de efetuar uma total mutação de sua consciência, não amanhã, nem daqui a alguns anos, mas agora! Eis o problema principal: se o homem, em qualquer país que viva, com todas as suas belezas naturais, é capaz de operar uma mutação radical em seu interior, imediatamente. E não podeis resolvê-lo com vossas crenças, vossas ideologias, vossos deuses, salvadores, sacerdotes e rituais. Essas coisas já não tem o menor significado."

"Podemos ir longe, se começarmos de muito perto. Em geral começamos pelo mais distante, o "supremo princípio", "o maior ideal", e ficamos perdidos em algum sonho vago do pensamento imaginativo. Mas quando partimos de muito perto, do mais perto, que é nós, então o mundo inteiro está aberto -- pois nós somos o mundo. Temos de começar pelo que é real, pelo que está a acontecer agora, e o agora é sem tempo."

"Meditação é libertar a mente de toda desonestidade. O pensamento gera desonestidade. O pensamento, no seu esforço para ser honesto, é comparativo e, portanto, desonesto. (...) Meditação é o movimento dessa honestidade no silêncio"

"Estou apenas a ser como um espelho da vossa vida, no qual podeis ver-vos como sois. Depois, podeis deitar fora o espelho; o espelho não é importante."

"... Falamos da vida -- e não de idéias, de teorias, de práticas ou de técnicas. Falamos para que olhe esta vida total, que é também a sua vida, para que lhe dê atenção. Isso significa que não pode desperdiçá-la. Tem pouquíssimo tempo para viver, talvez dez, talvez cinquenta anos. Não perca esse tempo. Olhe a sua vida, dê tudo para a compreender."

Livros publicados:

A Busca (Poemas)

Cartas às Escolas

Comentários Sobre Viver

O Despertar da Sensibilidade

Diálogos Sobre a Vida

Diálogos Sobre a Visão Intuitiva

Diário de Krishnamurti

Vida e Morte de Krishnamurti

A Educação e o Significado da Vida

A Eliminação do Tempo Psicológico

Ensinar e Aprender

A Essência da Maturidade

Fora da Violência

O Futuro da Humanidade

O Futuro é Agora

Libertação dos Condicionamentos

Liberte-se do Passado

O Mistério da Compreensão

O Mundo Somos Nós

Novo Acesso à Vida

Novo Ente Humano

Novos Roteiros em Educação

Onde Está a Bem-Aventurança

O Passo Decisivo

Palestras com Estudantes Americanos

A Primeira e Última Liberdade

A Questão do Impossível

A Rede do Pensamento

Reflexões Sobre a Vida

Sobre o Amor e a Solidão

Sobre o Aprendizado e o Conhecimento

Sobre o Conflito

Sobre Deus

Sobre Liberdade

Sobre o Medo

Sobre a Mente e o Pensamento

Sobre a Natureza e o Meio Ambiente

Sobre Relacionamentos

Sobre a Verdade

Sobre a Vida e a Morte

Sobre o Viver Correto

Uma Nova Maneira de Agir

O Verdadeiro Objetivo da Vida

O Vôo da Águia

Acampamento em Omnen,Holanda 1937/38

Aos pés do Mestre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: M em 04 de Janeiro de 2009, 11:32
Olá Maitreya,
Obrigado pelo esclarecimento. É esse autor a que me referi, efectivamente. Um dos meus melhores amigos é um apaixonado pelos livros de Krishnamurti, e muito amavelmente tem-me emprestado alguns, mas confesso que não "pesco" quase nada, com todo o respeito.
É importante, neste fórum, que sejamos o mais possível claros nas nossas intervenções, para que os novos visitantes não se sintam "perdidos".
Abraço amigo,
Mário
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: hcancela em 05 de Janeiro de 2009, 00:21
Olá amigos(as)

Compreendo que por vezes é necessário ser um pouco mais(hábil com a nosso pensamento)perdoem-me a expressão;com muito respeito por todas as opiniões:mas:...
A doutrina espirita é um movimento de ideias e entendimentos simples,enfim tudo é simples,porquê complicar?
O livro dos espiritos,o evangelho segundo o espiritismo,e,há 2000 anos por Jesus;é lógico e simples:
Não foi isso que todos nós através dos séculos e muitas religiões pelo meio,acabamos por complicar,aquilo que Jesus disse com simplicidade.
Espero queridos amigos(as)que tenham entendido estas singelas palavras,não foi nem será para mim motivo de ensino para ninguem,apenas um pequeno alerta(se quiserem interpretar desta forma).

SAUDAÇÕES FRATERNAS
CANCELA
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Diegas em 05 de Janeiro de 2009, 01:28
'...porém quis colocar mais lenha, mostrando o lado dos anímicos...'

Olá.


Gostaria de retomar o assunto animismo, em virtude da confusão existente, até entre os próprios espíritas, quanto ao significado. Há quem associe o animismo com a propria mistificação, quando na verdade é possível diferenciá-los.

Um medium, seja lá qual o tipo de mediunidade produza, sempre participará animicamente de numa comunicação, não há como evitar a presença anímica, tal como um violinista hábil, que mais queira ou se esforce, não tem como alterar a qualidade e a materialidade de seu instrumento musical. Dê um instrumento precário de comunicação nas mãos de um Beethoven, e obteremos sons desarmoniosos.

Na realidade o que diferencia o animismo da mistificação é a propria intenção do medium, pois no animismo há uma intervenção inconsciente do medium, que poderá diminuirá com o tempo e o aprendizado, resultantes da sua dedicação ao estudo e desenvolvimento mediúnico. De todo modo, há a possibilidade de minimizar os efeitos animicos, mas não neutralizá-lo completamente.

Por sua vez, na mistificação há o próposito consciente do individuo em ludibriar.



Abç
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Paula Severo em 05 de Janeiro de 2009, 01:30
Olá pessoal,eu me chamo Paula Severo,tenho 12 anos,moro em Aracaju (sergipe),Na verdade eu não sou medium,nem espirita,mas eu quero ser,e meu signo diz que eu tneho tendenca para ser médium,bom eu nunca vi uma pessoa que já morreu nem nada....
Eu sempre tenho dores no joelho,no calcanhar,na munheca,eu sempre me arrepio,eu já tive um certo tipo de depressão,tava muito triste... e uma coisa que achei muito estranha foi quando eu estava sozinha em casa,e tava assistidno tv na globo,e começei a passar de canal sempre nesse msm canal que eu passava que era o canal 2 a porta comessava a se tremer,eu ficava preocupada e mudava de canal,outra coisa tambem que achei estranha foi que uma dia desses pra cá eu começei a me interressar muito por velas,eu achei estranho pois eu estava lendo ne um site do que a vela serve e vi dizendo que a fumaça das velas significa os espiritos e desse dia pra cá me interessei muito por velas!
Outra coisa tbm que eu nãao sei se é muito bom foi que eu comesei a fazer aquela brincadera de falar com os espiritos atraves do compasso e quando eu fiz essa brincadeira de tarnde no colégio o céu comesou a escurecer,ai ajente viu achou estranho e parou.

Eu queria que vcs comentassem dessas coisas,minhas dores ....
Eu quer ser medium so quero saber se tenho tendencia para ser!
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Diegas em 05 de Janeiro de 2009, 01:56
Olá, Paula.

Recebi a sua mensagem particular, solicitando-me algum tipo de esclarecimento. Como o teor da mensagem é a mesma que tornou pública neste espaço, tomo a liberdade de respondê-la por aqui mesmo.

Em primeiro lugar, sugiro que voce abandone o medo, pois os mortos (espiritos desencarnados) podem-nos fazer menos mal que os vivos (espíritos encarnados), desde que não entre nessa 'onda' moleque e enturmada de fazer gracejos com aquilo que desconhece. Evite se comunicar com o plano invisivel, como estivesse brincando de bonecas com as suas amigas, sem um conhecimento adequado da relação com o além-túmulo, pois apesar de gozarmos de proteção de nossos amigos e mentores espirituais, é sempre temerário e inconsequente esse tipo de atitude, podendo ocasionar graves danos, pelo motivo de atrairmos para a nossa companhia espíritos marginalizados e propensos a qualquer futilidade. Corre-se o risco, pois há aqueles que se afeiçoam facil e perigosamente a alguns hábitos nocivos.

Medite: Voce abriria as portas de sua residência a estranhos e/ou bandidos ?
Caso a resposta seja negativa, faça o mesmo para a sua vida privada. Preserve a sua espiritualidade como uma jóia preciosa. Portanto, procure uma orientação adequada, caso tenha o interesse sincero pelo aprendizado mediúnico.


Abç

Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Juliane em 27 de Janeiro de 2009, 16:44
Na minha opinião são coisas diferentes. Existem alguns fenômenos que são estudados pela parapsicologia, como algumas capacidades que a mente tem. E o sensitivo pode ser uma capacidade dessas, mais aguçada.

Por outro lado, pode ser que um medium seja inspirado por uma entidade sobre determinada situação ou pessoa. Tb é possivel.

Em ambas situações acho aconselhável sempre tentar tirar à prova antes de concluir sobre alguma coisa ou alguém. Ate porque no caso do medium, por exemplo, pode ser que foi inspirado sim.. mas por uma entidade que quer provocar bagunça.

Duas coisas: orai e vigiai, e conhece a si mesmo. São coisas que devemos fazer o tempo todo..... é um exercicio pra vida inteira, falo por mim mesma.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Le em 28 de Janeiro de 2009, 13:36
Olá Maitreya, boa tarde.

Estou confuso com a sua contribuição neste tópico.

Me parece mais uma promoção à doutrina que segue, respeitàvelmente, do que uma participação na busca e ajuda ao esclarecimento.

Anteci+adamente me penitêncio se interpretei mal.

Muita paz.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: jorge fernado em 06 de Fevereiro de 2009, 17:56
ola a todos, sou novo por aqui!
tenho uma duvida pq quando se volta se gageja num sonho e pq quando acordamos focamos completamente durmentes?
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: carlos c.s.codoletti em 02 de Setembro de 2010, 02:35
sensitivo estamos vivendo diante de varias esperiencia
cada dia baixamos mais nosso grau...
ouvir as grandes distancia esta oculto
enchergar a uma estrada infinita perdemos os fios lineares
cheiro das almas não mais sentimos
gosto de poder saborear a navegação desligar do corpo entrar no transito espacial sair do liquido e solido entranto em evaporação
reencarnar novamente...
voltar atomo universal..
conhecer seus ancestrais consolidar informações com energias planas distantes fecundar dentro de si um novo ser...ir ao mais alto grau do amor
dignidade respeito ao proximo exigir de si mesmo fontes do planar usando somente energia propria siga seu caminho e fortificais seu eu e magia do sensitivo...abraço a todos...
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: fcg em 02 de Setembro de 2010, 18:36
Pessoas que sentem a presença de espíritos podem se sentir mal em ambientes com muita gente ?
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: aruanda em 02 de Setembro de 2010, 19:19
podem sentir-se mal mas, isso depende apenas do equilibrio da pessoa .

A mediunidade (sensibilidade) também se  educa = controlar.

Se a pessoa está equilibrada ,pode sentir mas, não se deixa afectar
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: asile em 16 de Outubro de 2010, 23:46
acho que sou sensitiva,pois sinto arrepio quando assuntos que me tocam,me duvida é mais pelo fato que as vezes sinto escutar coisas e se eu não estive olhando pra pessoa pra ter certeza fico na dúvida se me disse algo,agora nem mais pergunto se a pessoa me disse algo me desligo e não levo em consideração até que ela me diga novamente ou bem alto ou olhado pra mim,as vezes isso me deixa um pouco confusa e retraida,embora acho que as vezes até me protege de aborrecimentos...mas as vezes não e bom não conversa muito com alguem por medo das duvidas que passa em seu coração,afinal a gente pensa muitas coisa que não fala e estranho ficar na duvida,as vezes nada me leva ficar com o pé atrás com alguem mas devido a isso acabo ficando.Gostaria de que alguem me desse uma luz !obrigado
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: asile em 18 de Outubro de 2010, 18:41
Olá, Paula.

Recebi a sua mensagem particular, solicitando-me algum tipo de esclarecimento. Como o teor da mensagem é a mesma que tornou pública neste espaço, tomo a liberdade de respondê-la por aqui mesmo.

Em primeiro lugar, sugiro que voce abandone o medo, pois os mortos (espiritos desencarnados) podem-nos fazer menos mal que os vivos (espíritos encarnados), desde que não entre nessa 'onda' moleque e enturmada de fazer gracejos com aquilo que desconhece. Evite se comunicar com o plano invisivel, como estivesse brincando de bonecas com as suas amigas, sem um conhecimento adequado da relação com o além-túmulo, pois apesar de gozarmos de proteção de nossos amigos e mentores espirituais, é sempre temerário e inconsequente esse tipo de atitude, podendo ocasionar graves danos, pelo motivo de atrairmos para a nossa companhia espíritos marginalizados e propensos a qualquer futilidade. Corre-se o risco, pois há aqueles que se afeiçoam facil e perigosamente a alguns hábitos nocivos.

Medite: Voce abriria as portas de sua residência a estranhos e/ou bandidos ?
Caso a resposta seja negativa, faça o mesmo para a sua vida privada. Preserve a sua espiritualidade como uma jóia preciosa. Portanto, procure uma orientação adequada, caso tenha o interesse sincero pelo aprendizado mediúnico.


Abç


você está certa e agradeço pois estava a observar alguns escritos em busca de resposta pelas minhas duvidas e acho que devo slencionar meus ambientes para evitar espiritos nocivos porém nem sempre isso seja possivel pois não moro sozinha,trabalho com outras pessoas tenho uma vida normal envoolvidas por pessoas o tempo todo,mas um conhecimento sempre é proveitoso!Obrigado!
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: asile em 02 de Novembro de 2010, 22:11
fiz uma pergunta sobre medium como consta nessa pag.mas ninguem comentou e eu preciso tanto de esclarecimentos sobre esse assunto,por favor lembre se de minhas duvidas a asile precisa de aguem pra tirar suas dúvidas obrigado aguardo a luz.
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Mourarego em 03 de Novembro de 2010, 16:07
Asile,
quando não recebemos uma resposta basta que repitamos a pergunta.
Abraços,
moura
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Transcendentais em 17 de Outubro de 2011, 14:09
Asile, paz!

Talvez o tópico desta página lhe seja de algum auxílio:
Sou médium sensitivo? (http://www.forumespirita.net/fe/comunicabilidade-dos-espiritos-(mediunidade)/sou-medium-sensitivo/)

Na página 5 traçamos alguns comentários que também lhe possa ser útil:
Link para a página (http://www.forumespirita.net/fe/comunicabilidade-dos-espiritos-(mediunidade)/sou-medium-sensitivo/60/)

Se houverem dúvidas, e os amigos do fórum puderem colaborar com seus conhecimentos e experiência, certamente farão de bom grado. Não hesite em perguntar.

Abraço,
Henri
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Hebe M C em 17 de Outubro de 2011, 15:46
Boa tarde,

CAPITULO XIV
OS MÉDIUNS
Médiuns sensitivos ou impressionáveis e médiuns audientes
Estudo 56- Item 164 e 165


             " Relembramos que são chamados médiuns os que possuem uma sensibilidade acentuada e que servem de intermediários entre os dois mundos: espiritual e material."

             " Sensitivos são pessoas suscetíveis de sentir a presença dos Espíritos por uma impressão geral ou local, vaga ou material."

              "Médiuns sensitivos ou impressionáveis: São assim designadas as pessoas capazes de sentir a presença dos Espíritos por uma vaga impressão, uma espécie de arrepio geral que elas mesmas não sabem o que seja. Esta variedade não apresenta caráter bem definido. Todos os médiuns são necessariamente impressionáveis, de maneira que a impressionabilidade é antes uma qualidade geral do que especial: é a faculdade rudimentar indispensável ao desenvolvimento de todas as outras. Difere da impressionabilidade puramente física e nervosa, com a qual não se deve confundi-la, pois há pessoas que são neuricamente sensíveis e sentem mais ou menos a presença dos Espíritos, ao passo que outras muito suscetíveis absolutamente não os percebem."

             " Essa faculdade se desenvolve com o hábito e pode atingir uma tal sutileza que a pessoa dotada reconhece, pela sensação recebida, não só a natureza boa ou má do Espírito que se aproximou, mas também a sua individualidade, como o cego reconhece, por um certo não sei que, a aproximação desta ou daquela pessoa. Ela se torna, em relação aos Espíritos, um verdadeiro sensitivo. Um bom Espírito produz sempre uma impressão suave e agradável; a de um mau Espírito, pelo contrário é penosa, angustiante e desagradável; tem como que um cheiro de impureza."

Um abç
Hebe
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: maxmenezes em 19 de Novembro de 2012, 12:42
parece que o médium sensitivo é pouquissimo comum, estou procurando na internet algumas experiências pessoais de outro médium sensitivo, somente para me conehcer melhor, para saber a diferença das sensações de um sensitivo para outro. Vou explicar um pouco da minha própria experiência sobre o que é um médium sensitivo, no geral é aquele que consegue sentir a presença de espiritos, de perceber o plano espíritual, mas o desenvolvimento deste tipo de mediunidade me parece um pouco desconhecida no meio espirita, então vou fazer alguns comentários apenas como objeto de pesquisa. A sensação do sensitivo são seus olhos, quando o sensitivo se desenvolve, ele pode saber que tipo de espirito está presente, podendo diferenciar o espirito de luz do outro que ainda está preso a terra, pois eles emitem sensações completamente diferentes de sua presença, que pode ser sentida quase que fisicamente  direto no corpo material, por isso faz parte do desenvolvimento saber diferenciar o espirito de um plano para o o outro. Na minha opinião pessoal, é uma mediunidade que me é muito útil, pois é possivel saber quem é um determinado espirito, quando se utiliza de um outro médium, independente do que ele faça ou diga.
Que Deus abençoe a todos,
 Max 
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Mourarego em 19 de Novembro de 2012, 14:40
Mano Max,
todo médium que tenha qualquer das faculdades medianímicas é por conseguinte um sensitivo.
Todo médium ou seja aquele que apenas possa sentir a influência de um Espírito também o é.
Logo, não constitui classe chamr-se médium sensitivo, mas sim algo de geral.
abraços,
Moura
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: maxmenezes em 20 de Novembro de 2012, 21:50
caro moura, obrigado pela sua atenção, como disse anteriormente, estou buscando experiencias  de outros médiuns sensitivos, não somente aqueles capazes de sentir a presença do espirito, que eu sei que muitos podem, mas busco a do sensitivo que é capaz de avaliar se um espirito é bom ou mal, se está presente ou não,  sem precisar de psicografia ou de suas palavras para serem averiguadas, daqueles que reconhecem um fingimento ou farsa espiritual quando o vêem, que são capazes de diagnosticar a obsessão de alguem,  que sabe separar os problemas de origem física das de origem espirituais, sem precisar de exames médicos.

Sou médiun sensitivo, mas é dificil se desenvolver, sem uma segunda opinião. Tive muitas experiencias amargas com muitos espiritas, não somente em centros espiritas mas em muitas outras casas, cujo resultado foi me tornar um médium sem centro. Muita gente que fingia psicografar, muitos espiritos que se diziam evoluídos, cuja presença geleva minhas mãos, mas eu era ingênuo nesse sentido, e achava que o problema era eu,  espiritos " dotados de uma tamanha hipocrisia" cujo amor e fé para com jesus era e é medida pela quantidade de pessoas que frequentam seus centros. Pessoas que fingiam incorporar, videntes que viam nada de proveitoso. O pior meu caro moura é que a maioria dos que sentiam a presença dos espiritos caiam facilmente na tramóia (com todo o respeito da palavra), resultando em obseções e fascinações naqueles que travavam o primeiro contato com o lado espiritual.

Eu não vou mentir, caí muita nas farsas e pra não cair mais tive a oportunidade de desenvolver minha mediunidade sensitiva, hoje dá mais ou menos para averiguar uma entidade sem ela precisar dar nenhum sinal de manifestação, o tipo de espirito que se faz presente, se é por exemplo uma entidade em busca de vingança ou se busca ajuda, se quer fazer mal ou não, se está apenas desorientado ou perdido, sei quando uma psicografia é de origem realmente espirtual, sei quando é algo escrito apenas pelo psiquismo das pessoas, o que das muitas vezes ela acredita que foi psicografado, sei avaliar a origem dos problemas das pessoas se é material ou espirtual, só que faço isso em segredo, se der pra ajudar eu ajudo, ninguem precisa saber que eu meti a mão ou que ajudei. Claro que não dá pra avaliar pela internet, pelo menos eu não consigo.

Tenho muito aprender e por isso estou aqui, é por isso que eu digo que o médium sensitivo é pouco conhecido. Eu não gosto muito de me expor desse jeito, por que posso passar uma imagem vaidosa, o que não é minha intenção, muito pelo contrário, li quase todas as respostas aqui, e a maioria delas se resumem a dizer que o medium sensitivo é aquele capaz de sentir a presençado espirito, sim é verdade mais não é só isso.

Sei que minha resposta não está conforme os textos de Kardec, mas tenho uma visão de que vocês são como os cientistas, sempre tentando fazer novas descobertas fora dos livros de ciências, e todas as suas descobertas e estudos favorecem a humanidade,com um tijolinho a mais no degrau da evolução.

desejo a todos muitas felicidades
 
maxmiller
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Mourarego em 21 de Novembro de 2012, 13:06
Amigo Max,
deixe-me avisá-lo que dentro do patamar doutrinário, não existem classificações de médiuns que possam dizer se um Espírito é bom ou ruim  apenas pelo sentir.
Kardec explica claramente que a possibilidade de se saber se um Espírito é bom ou ignorante  só se dá pelo estudo daquilo que ele ditou, diz que há de se estudar suas respostas, sua forma de colocar o tema, uso das palavras e da situação daquilo que o Espírito quis passar.
Como vemos a coisa não fica num simples sentir.
Se o amigo quer buscar o que expõe por certo não o vai achar entre Espíritas sérios.
Abraços,
Moura
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: maxmenezes em 21 de Novembro de 2012, 19:19
cap 14 . 2. MÉDIUNS SENSITIVOS OU IMPRESSIONÁVEIS
164. São assim designadas às pessoas capazes de sentir a presença dos Espíritos por uma vaga impressão.. .....Essa faculdade se desenvolve com o hábito e pode atingir uma tal sutileza que a pessoa dotada reconhece, pela sensação recebida, não só a natureza boa ou má do Espírito que se aproximou, mas também a sua individualidade como o cego reconhece, por um certo não
sei que, a aproximação desta ou daquela pessoa. Ela se torna, em relação aos Espíritos, um verdadeiro sensitivo. Um bom Espírito produz sempre uma impressão suave e agradável; a de um mau Espírito, pelo contrário é penosa, angustiosa e desagradável; tem como que um cheiro de impureza.

caro Moura obrigado, como você disse que não existe classificações de médiuns capazes de dizer se um espirito é bom ou ruim, resolvi desistir, de uma certa forma vc tem razão, talvez esse tipo de medium não exista, não vou achar esse tipo de mediunidade entre espiritas sérios.

abraços

Maxmiller
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Mourarego em 22 de Novembro de 2012, 14:03
Mano Max,
deixe-me explicar um pedacinho da de que muito é esquecido.
Quando o codificador, fala em "médiuns sensitivos ou impressionáveis) se o amigo quiser se utilizar de apenas um título para falar neles, use o termo Médium Natural.
Pois é nessa classe que todos os que têm, a possibilidade de Sentir a influência (e por influência está também a coisa de sentir o quilate vibracional, ou seja se bom ou menos bom que tenha um Espírito), estão inseridos.
Como se sabe, o médium natural, muita vez não sabe nem se é médium e muita vez mesmo que o saiba dela não dá fé ou não acredita.(Ver os médiuns e em sequência o quadro sinótico, apresentado na mesma obra OLM).
Abração,
Moura
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: maxmenezes em 23 de Novembro de 2012, 11:45
Caro Moura, 
Então deixa eu ver se entendi, então o medium natural é sinônimo de médium sensitivo,  estando inserido naqueles que muitas vezes não sabem nem se é medium e muitas vezes mesmo que o saiba dela não dá fé ou acredita.

Se eu entendi bem o que você disse, o médium sensitivo (natural) é todo aquele que não tem consciêcia da sua mediunidade ou que não tem fé ou que não acredita nela. Como ninguem nasce sabendo, todos os médiuns quando desconhecem seu tipo de mediunidade são considerados sensitivos ou naturais.

Ixi, eu devo ter algum problema de entendimento, por que não é isso que está escrito no quadro sinótico:

Cap 16 . 188. Variedades comuns a todos os gêneros de mediunidade:

Médiuns sensitivos – Pessoas suscetíveis de sentir a presença dos Espíritos por uma sensação geral ou local, vaga ou material. Na sua maioria distinguem os Espíritos bons ou maus pela natureza da sensação que causam. (Ver nº 164).

Os médiuns delicados e demasiado sensíveis devem abster-se de comunicações com Espíritos violentos ou cuja sensação é penosa, por causa da fadiga resultante. (concordo plenamente)

Médiuns naturais ou inconscientes – Os que produzem fenômenos espontaneamente, sem querer, e na maioria das vezes à sua revelia. (Ver o nº 161).

161. Os médiuns involuntários ou naturais são os que exercem a sua influência sem querer. Não têm nenhuma consciência do seu poder e quase sempre o que acontece de anormal ao seu redor não lhes parece estranho. Essas coisas fazem parte da sua própria maneira de ser, precisamente com as pessoas dotadas de segunda vista e que nem o suspeitam. Essas pessoas são dignas de observação e não devemos descuidar de anotar e estudar os fatos dessa espécie que possam chegar ao nosso conhecimento. Eles surgem em todas as idades e freqüentemente entre crianças ainda pequenas. (Ver no cap. V: Manifestações espontâneas.)

Bom, eu não quero ser chato, mas  eu acho que o livro dos médiuns difere o medium sensitivo ou impressionável do médium natural ou involuntario, mas pode ser que minha interpretação esteja errada.

abraços

Maxmiller
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Mourarego em 23 de Novembro de 2012, 16:45
Logo,tudo está como descrevi e a prova em questão está aqui e foi o amigo quem a trouxe:
"Cap 16 . 188. Variedades comuns a todos os gêneros de mediunidade:"
Abraços,
Moura

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/comunicabilidade-dos-espiritos-(mediunidade)/sub-tema-sobre-mediunidade-medium-sensitivo/45/#ixzz2D461mQgF
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Silviaslimamae em 17 de Setembro de 2013, 19:34
Ih, eu acho que vou colocar mai slenha na fogueira ao invés de apagar o fogo...

Gente, se nos lembrarmos dos anímicos, vamos ver que o termos sensitivo é melhor empregado a eles, que não têm nenhuma caracteristica exacerbada da mediunidade e que portanto não podem ser chamados de médium posto que tudo o que faz é produzido pelo seu próprio Espírito sem a intervenção de inteligência estranha a ele.
E agora, o que me dizem? hehehe
Abraços,
Moura
Como saber diferenciar o médium sensitivo do que apenas expressa animismo?  ??? ???
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Silviaslimamae em 31 de Outubro de 2013, 23:28
Ih, eu acho que vou colocar mai slenha na fogueira ao invés de apagar o fogo...

Gente, se nos lembrarmos dos anímicos, vamos ver que o termos sensitivo é melhor empregado a eles, que não têm nenhuma caracteristica exacerbada da mediunidade e que portanto não podem ser chamados de médium posto que tudo o que faz é produzido pelo seu próprio Espírito sem a intervenção de inteligência estranha a ele.
E agora, o que me dizem? hehehe
Abraços,
Moura
Como saber diferenciar o médium sensitivo do que apenas expressa animismo?  ??? ???


Como não obtive resposta, vou repetindo meu questionamento.  ??? ???
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Mourarego em 01 de Novembro de 2013, 13:44
Por vezes, Silvia, havwemos de ter paciência e esperar mais um cadinho pela resposta, as coisas nem sempre são vapt vupt sabe?
Para seu questionamento  a resposta é uma só, não há aquele que haja apenas pelo animismo, e consequentemente emqualquer das capacidades medianímicas se encontrará o animismo.
Abraços,
Moura
Ih, eu acho que vou colocar mai slenha na fogueira ao invés de apagar o fogo...

Gente, se nos lembrarmos dos anímicos, vamos ver que o termos sensitivo é melhor empregado a eles, que não têm nenhuma caracteristica exacerbada da mediunidade e que portanto não podem ser chamados de médium posto que tudo o que faz é produzido pelo seu próprio Espírito sem a intervenção de inteligência estranha a ele.
E agora, o que me dizem? hehehe
Abraços,
Moura
Como saber diferenciar o médium sensitivo do que apenas expressa animismo?  ??? ???


Como não obtive resposta, vou repetindo meu questionamento.  ??? ???
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Silviaslimamae em 13 de Janeiro de 2014, 22:03
Por vezes, Silvia, havwemos de ter paciência e esperar mais um cadinho pela resposta, as coisas nem sempre são vapt vupt sabe?
Para seu questionamento  a resposta é uma só, não há aquele que haja apenas pelo animismo, e consequentemente emqualquer das capacidades medianímicas se encontrará o animismo.
Abraços,
Moura
Ih, eu acho que vou colocar mai slenha na fogueira ao invés de apagar o fogo...

Gente, se nos lembrarmos dos anímicos, vamos ver que o termos sensitivo é melhor empregado a eles, que não têm nenhuma caracteristica exacerbada da mediunidade e que portanto não podem ser chamados de médium posto que tudo o que faz é produzido pelo seu próprio Espírito sem a intervenção de inteligência estranha a ele.
E agora, o que me dizem? hehehe
Abraços,
Moura
Como saber diferenciar o médium sensitivo do que apenas expressa animismo?  ??? ???


Como não obtive resposta, vou repetindo meu questionamento.  ??? ???

Obrigada, Moura.  ;D
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: sarahab em 07 de Março de 2015, 20:36
Estar bem num lugar agradavel sem qualquer extresse  de repente sentir contrações, inquietação, nervosismo sem motivo algum, é um tipo de mediunidade?
Título: Re: Médiuns e sensitivos
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 07 de Março de 2015, 21:35
Nós mudamos de humor por variadas razões
isto acontece
pois que somos s sensíveis
ao ambiente
as forças invisíveis
as nossas emoções
as nossas suposições
as nossas imaginações
as nossas aspirações
e também a tantos outros agentes externos

mas isto não impede de haver mediunidade