Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Comunicabilidade dos Espíritos => Tópico iniciado por: Victor Muracami de Sousa em 17 de Março de 2010, 12:26

Título: SOU MEDIUM?
Enviado por: Victor Muracami de Sousa em 17 de Março de 2010, 12:26
Bom dia Irmãos!

Acabei de me inscrever no site, tenho uma dúvida que está na minha cabeça a algum tempo. Tenho 18 anos e trabalho em um Escritório de Contabilidade. A partir dos meus 16 anos sempre manifestava algo em mim enquanto dormia. Parecia hipnose porém sei que estava acordado, senti uma enorme pressão em cima de mim (Esta de bruços) e não conseguia falar nenhuma palavra, a sensação é horrivel! Agora com os meus 18 anos se tornou mais frequente, gostaria de saber se é um sinal que possuo o dom da mediunidade mais aguçada? Por favor, me ajudem, pois isto está tirando meu sono já que não entendo do que se trata.

Obrigado e que a Paz do Senhor esteja com todos.

Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Mourarego em 17 de Março de 2010, 13:56
Amigo Victor, infelizmente não se pode afirmar que o amigo tenha ou não alguma qualidade mediúnica, mas lhe indico o estudo de O Livro dos Espíritos, que lhe poderá ajudar muito.
Outra dica seria o amigo começar a ir numa casa espírita, e lá participar do Atendimento Fraterno.
Abraços,
Moura
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: CGiovanna em 18 de Março de 2010, 01:47
A melhor coisa que vc pode fazer, é procurar uma casa espírita e estudar as obras de Kardec. Aí vc poderá tirar suas dúvidas e sentir paz.

Abraços
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Dhan em 18 de Março de 2010, 05:30
Victor,

pode ser catalepsia projetiva e não necessariamente mediunidade. Dê uma pesquisada:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Catalepsia_projetiva (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3B0Lndpa2lwZWRpYS5vcmcvd2lraS9DYXRhbGVwc2lhX3Byb2pldGl2YQ==)

Sentia muitas dessas coisas na sua idade.

Abs,

~Dhan
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Diegas em 18 de Março de 2010, 07:26
Olá, Dhan


Sobre a catalepsia projetiva, lemos:


Citar
'...Esta consciência pode ser muito perturbadora, pois o indivíduo dá por si mesmo completamente paralisado, incapaz de mover os membros. A mente ainda está a atravessar um período de transição entre o estado de sono e o estado de vigilia (ou vice-versa) e nessa altura podem surgir alucinações hipnagógicas: presença de uma pessoa, ouvir vozes ou sons, sensação de flutuação ou de se sair do próprio corpo, imagens de pessoas, visualização de objectos, sensação de ver em redor mesmo tendo os olhos fechados, etc. Tanto as alucinações como a própria paralisia são inofensivas, existindo quem aproveite esta fase para induzir sonhos lúcidos ou alucinações agradáveis, e acontecem ocasionalmente, como resultado de uma má alimentação, maus hábitos de sono, estresse, etc...'



Cabe um parenteses, por que ouvir vozes ou sons, imagens de pessoas, visualização de objetos, sensação de ver a si próprio flutuando ou a outrem não se tratam de alucinações. Este é o tipo de explicação médico-cientifica que foge da catedra espiritualista, denota desconhecimento da realidade espiritual. As causas também não podem ser atribuídas somente a maus comportamentos: alimentação, estresse ou hábito do sono.



Abç
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Diegas em 18 de Março de 2010, 07:43
A palavrinha alucinação deveria ser extinta dos nossos dicionários, pelo simples fato de não conseguirmos penetrar ou alcançar a percepção de outrem. Impossível colocar-se no lugar de um individuo, ver com os olhos dele. Cada um alcança o que sua realidade permite.


Citar
alucinação

(latim alucinatio, -onis)

s. f.

1. Ato ou efeito de se alucinar = alucinamento
2. Cegueira intelectual.
3. Ilusão (que faz ver o que não é).
4. Delírio.
5. Desvario.
6. Percepção de sensações sem causa que as origine.
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: SB em 18 de Março de 2010, 14:46
A partir dos meus 16 anos sempre manifestava algo em mim enquanto dormia. Parecia hipnose porém sei que estava acordado, senti uma enorme pressão em cima de mim (Esta de bruços) e não conseguia falar nenhuma palavra, a sensação é horrivel! Agora com os meus 18 anos se tornou mais frequente, gostaria de saber se é um sinal que possuo o dom da mediunidade mais aguçada? Por favor, me ajudem, pois isto está tirando meu sono já que não entendo do que se trata.


Olá,

Em primeiro deveria saber que mediunidade temos todos. A mediunidade é um estado sensitivo inerente a cada um de nós, contudo existe nalgum periodo da nossa vida ou vidas, que pode ser sentida com maior intensidade.

Normalmente quando assim é, é porque estamos preparados para ela, logo todos e quaisquer maus estares, não passam senao de falta de conhecimento de nós proprios, ou de como funcionamos espiritualmente e fisicamente conosco proprios e com o que nos rodeia, pois uma coisa e outra estão intrisicamente relacionados.

Assim sendo, tente nao se amedrontar com o que sente. Pois nada é externo a vc, nada acontece para vc ter medo...

Vamos ver uma coisa, e isto é para vc e para outros que nos leiam:
1º - se vc for medium ostensivo (sensibilidade mediunica) vc está preparado para sua propria mediunidade seja qual for o seu grau.
2º - Existe um cuidado a ter e não confudir, no que é mediunidade e obsessão.

Algumas vezes se sofre pensando ser mediunidade ostensiva, quando é pode ser obsessão ou subjugação.

Victor,

As suas duvidas servem para vc fazer uma busca do seu caminho. Sentir necessidade de saber não só porque lhe ocorrem essas coisas, mas principalemnte para vc se virar para dentro e se escutar.
Se souber ter paciencia e se se ouvir, poderá obter muitas respostas, contudo o conselho do Mourarego é um precioso inicio de caminho.

Boa Sorte!


Não se surpreenda em sentido negativo, encontre nisso um desafio de si para si mesmo.

Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Dhan em 18 de Março de 2010, 20:54
Cabe um parenteses, por que ouvir vozes ou sons, imagens de pessoas, visualização de objetos, sensação de ver a si próprio flutuando ou a outrem não se tratam de alucinações. Este é o tipo de explicação médico-cientifica que foge da catedra espiritualista, denota desconhecimento da realidade espiritual. As causas também não podem ser atribuídas somente a maus comportamentos: alimentação, estresse ou hábito do sono.

É verdade, amigo Diegas.

Estava tarde e nem me apercebi disto. Foi ótimo você ter salientado. Todos os sintomas descritos são verdadeiros e podem ocorrer durante a catalepsia, e como é um texto, como você mesmo disse, médico-científico, nunca que diriam se tratarem de experiências reais de um espírito que deixa o corpo por instantes, mas sim que são alucinações inofensivas causadas pela mente do indivíduo.

Ainda assim, este fenômeno natural, e pesquisado por Allan Kardec, não faria parte da lista de habilidades mediúnicas, portanto não sendo considerada mediunidade, como nosso amigo Victor questionou. É uma faculdade do espírito que pode ser desenvolvida e adestrada, e até mesmo utilizada para o bem.

Abs a todos,

~Dhan
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Mourarego em 18 de Março de 2010, 21:58
Qualidades anímicas ou provenientes do próprio Espírito, não se adquire nem se desenvolve, já vem completas.
Ou o Espírito as tem ou não as tem e ponto a regra é clara
Abração,
Moura
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Dhan em 19 de Março de 2010, 00:14
Sim, Moura

Mas como o amigo mesmo coloca, é preciso "educá-las", isto é, se se quiser ter controle sobre elas.

Abs,
~Dhan
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Diegas em 19 de Março de 2010, 02:07
'...É uma faculdade do espírito que pode ser desenvolvida e adestrada, e até mesmo utilizada para o bem...'

Olá, Dhan


Diria que essa faculdade do Espirito conseguir desenvolver e adestrar, podendo ser utilizada para o Bem tem um nome: Mediunidade, podendo enquadrar-se na categoria de videncia, audiencia...

O desdobramento pode ser espontaneo ou induzido, mediúnico ou não.



Abç
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Dhan em 19 de Março de 2010, 06:20
Olá, Diegas

Mas faculdades mediúnicas não seriam somente aquelas que têm por base a influência direta ou interação com espíritos desencarnados? Nesse caso, fenômenos naturais que chamamos de emancipação da alma (desdobramento) e dupla vista, por exemplo, na linguagem de Kardec, não seriam faculdades anímicas, ao invés de mediúnicas?  

"Tá, mas em estado de emancipação da alma ele pode encontrar espíritos desencarnados então é mediunidade". Sim, é verdade. Então seriam estas faculdades medianímicas? É realmente difícil de definir.

Abs,
~Dhan
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Mourarego em 19 de Março de 2010, 14:35
Sim, Moura

Mas como o amigo mesmo coloca, é preciso "educá-las", isto é, se se quiser ter controle sobre elas.

Abs,
~Dhan

Dhan, eu não cometeria um "sacrilégio" desses. Qualidade mediúnica não se educa, educar o fazemos aos médiuns. As faculdades se tornam mais expressivas, e isso para apenas algumas delas, pelo uso e a constância com que são utilizadas.
O controle é referente apenas ao médium, nunca para as qualidades.
É o médium quem tem de saber que cuspir no chão não é coisa de Espírito algum mesmo o mais ignorante;
É o médium quem tem que segurar a sua forma de se expressar mais comum e não xingar, mesmo que o Espírito lhe passe um palavrão.
Decididamente mano, o que fortalece a ação do médium é o conhecimento que ele tenha da doutrina, e a educação e a consideração que tenha por aqueles a quem venha a atender.
As qualidades mediúnicas essas podem ser fortificadas pela constancia  de seu uso porque o médium se acostumando a ela, se sente mais seguro, apenas isso.
Abração,
Moura
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Dhan em 19 de Março de 2010, 17:39
Obrigado pelos seus entendimentos, mano Moura.

Abração,

~Dhan
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Diegas em 20 de Março de 2010, 09:42
"Tá, mas em estado de emancipação da alma ele pode encontrar espíritos desencarnados então é mediunidade". Sim, é verdade. Então seriam estas faculdades medianímicas? É realmente difícil de definir.

Olá, Dhan


Do livro dos Mediuns:


Citar
172. Pode considerar-se o sonambulismo uma variedade da faculdade mediúnica, ou, melhor, são duas ordens de fenômenos que freqüentemente se acham reunidos. O sonâmbulo age sob a influência do seu próprio Espírito; é sua alma que, nos momentos de emancipação, vê, ouve e percebe, fora dos limites dos sentidos. O que ele externa tira-o de si mesmo; suas idéias são, em geral, mais justas do que no estado normal, seus conhecimentos mais dilatados, porque tem livre a alma. Numa palavra, ele vive antecipadamente a vida dos Espíritos. O médium, ao contrário, é instrumento de uma inteligência estranha; é passivo e o que diz não vem de si Em resumo, o sonâmbulo exprime o seu próprio pensamento, enquanto que o médium exprime o de outrem. Mas, o Espírito que se comunica com um médium comum também o pode fazer com um sonâmbulo; dá-se mesmo que, muitas vezes, o estado de emancipação da alma facilita essa comunicação. Muitos sonâmbulos vêem perfeitamente os Espíritos e os descrevem
com tanta precisão, como os médiuns videntes. Podem confabular com eles e transmitirnos
seus pensamentos. O que dizem, fora do âmbito de seus conhecimentos pessoais, lhes é com freqüência sugerido por outros Espíritos. Aqui está um exemplo notável, em que a dupla ação do Espírito do sonâmbulo e de outro Espírito se revela e de modo inequívoco.


Abç
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Marc Felix em 03 de Maio de 2010, 21:47
Amigos pesquisando encontrei aqui um termo que conheci a pouco tempo, sobre algo que ocorreu comigo a "muito" tempo. A Catalepsia Projetiva, termo que eu creio que seja oriundo da Projeciologia (me corrijam se disse bobagem)
No entando sofri o mesmo que o colega que abriu o tópico, me assustava muito, somente após a leitura do livro "Projeções da Conciência, do Waldo Vieira" fui começar a entender e a não temer o ocorrido, chegando a tentar uma movimentação pelo meu quarto em uma oportunidade. Anos depois que fui chegar a DE.
Digo isso, pois depois que comecei a estudar isso não mais ocorreu, inclusive em exercícios de desdobramento aguardava sentir as mesmas sensações e realizá-lo no entando nada de nada. Hoje minha maior atividade é com a Psicofonia.
Acho este um tema bem interessante, no entando a orientação é para não pratica-lo fora da Casa Espírita (embora vejo um grande número de pessoas na Net que dizem praticar, alguns ex-espíritas se podemos assim dizer). Isso difere da psicografia que alguns recomendam a prática em casa após uma boa preparação.
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Mourarego em 03 de Maio de 2010, 22:27
Bem deixem eu co0locar mais um adendo:
Herculano Pires, Carlos Imbassahy, He4rminio de Miranda, todos estes mantiveram grupos de estudo em suas residencias. Quer dizer, em alguma parte da residencia (como garagem) fora das dependencias mais utilizadas
Todos os citados são pessoas que conhecem a fundo a doutrina. Ora a prática não dita a regra.
Se um neófito tentar pode terminar enredado com Espíritos que o venham obsediar.
Então há perigo? Não se pode dizer que não haja, mas os citados já tinham amplo conhecimento e prática na doutrina.
Kardec diz que se possa dar azo ao treinamento de faculdades como psicografia em casa, se se tomar o cuidado de não estabelecer vínculos com um Espírito. Logo não há um óbice mas se identifica claramente a possibilidade do estabelecimento da obsessão. Isso no caso de neófitos ou de recém iniciados no estudo.
Esclareço também, que emancipação da alma em estado de vigília, ou seja a erradamente conhecida como projeção astral ou desdobramento, que não existem pois Espíritos não se desdobram porque não vivem dobrados,  e projetar-se só se o faz através de catapultas e como não existem catapultas espirituais esses termos não são parte da doutrina. Mas voltando emancipação da alma em estado de vigília só se dá com quem tenha essa específica especificidade mediunica. Ou seja, não dá para querer e fazer, a banda não toca assim. Emancipar-mo-nos, isso o fazemos em todos os momentos que o Espírito possa se desligar do corpo  porém esse estado não nos trás lembranças quando acordamos, se se acontecem alguns são de caráter difuso, e no mais das vezes sem nexo.Não se vai também a outros mundos mais avançados, só vai a um mundo mais elevado quem tem mérito para tal, logo, os que não têm podem,  no máximo, "passar batidos" por estes, sem parar nem um cadinho, mas será a visão deles que dará para alguns a vontade em se transformar.
Tudo isso, informo está disposto nas obra codificadas, então não falo como opinião minha apenas cito LE e LM.
Era esta a minha contribuição.
Abraços,
Moura
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Marc Felix em 04 de Maio de 2010, 15:37
A única coisa que me chama a atenção na prática residencial é que a Psicografia pode e outros não. Em termos de possibilidade de abrir as portas para uma obsessão qual é a diferença?
Quero deixar claro que não acho uma boa idéia, por conta da nossa indisciplina que poderia acarretar companheiros, menos esclarecidos que poderão ver nisso uma porta de atuação "negativa". Só não entendo porque um pode ser recomendado e outro não.
Voltando ao assunto do tópico: Sim encontramos sobre a emancipação da Alma em LE, creio que nas perguntas 422 a 424 (letargia, catalepsia e morte aparente) se referem melhor a situação abordada.
Sobre  problema do termo Desdobramento, creio que seja parecido com o Termo Incorporação, é incorreto mas alguns colegas ainda usam.
No mais citei a obra do Waldo Vieira, pois foi a primeira que li e nela identifico coisas que antecediam a situação denominada por alguns como Catalepsia Projetiva e como Letargia por uma expositora que tive anos atrás. A situação que precede este estado é apresentada no "Projeções da Conciência" como Estado Vibracional e Decolagem(hoje os termos podem até terem mudado e eu ainda não saiba). Identifiquei o que eu sentia como o que foi apresentado e a identificação parou por aí, pois nem do meu quarto consegui sair, logo visitar outros lugares seria difícil, rsrs. Os temos não são da DE, porém me identifiquei mais com eles do que com que encontrei no LE, no LM não encontrei algo que me pareça similar, creio que não tenha procurado bem.
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Mourarego em 04 de Maio de 2010, 16:05
A única coisa que me chama a atenção na prática residencial é que a Psicografia pode e outros não. Em termos de possibilidade de abrir as portas para uma obsessão qual é a diferença?
Quero deixar claro que não acho uma boa idéia, por conta da nossa indisciplina que poderia acarretar companheiros, menos esclarecidos que poderão ver nisso uma porta de atuação "negativa". Só não entendo porque um pode ser recomendado e outro não.
Voltando ao assunto do tópico: Sim encontramos sobre a emancipação da Alma em LE, creio que nas perguntas 422 a 424 (letargia, catalepsia e morte aparente) se referem melhor a situação abordada.
Sobre  problema do termo Desdobramento, creio que seja parecido com o Termo Incorporação, é incorreto mas alguns colegas ainda usam.
No mais citei a obra do Waldo Vieira, pois foi a primeira que li e nela identifico coisas que antecediam a situação denominada por alguns como Catalepsia Projetiva e como Letargia por uma expositora que tive anos atrás. A situação que precede este estado é apresentada no "Projeções da Conciência" como Estado Vibracional e Decolagem(hoje os termos podem até terem mudado e eu ainda não saiba). Identifiquei o que eu sentia como o que foi apresentado e a identificação parou por aí, pois nem do meu quarto consegui sair, logo visitar outros lugares seria difícil, rsrs. Os temos não são da DE, porém me identifiquei mais com eles do que com que encontrei no LE, no LM não encontrei algo que me pareça similar, creio que não tenha procurado bem.

Marc, quando você quer consertar um defeito no seu veículo, você o faz na sua casa?
quando você quer jogar basquete com um time completo, você o faz em sua residencia, dentro do seu quarto?
A resposta taxativa é um simples NÃO; estou correto?
Assim também há especificidades Espíritas, no que tange aos trabalhos espirituais que não se deve fazer em casa. Uma delas é a desobsessão.
Muitos "acham" que o trabalho do Evangelho no alr, tenha parte de fluidificação de águas, o que é um erro, e fazem essa coisa dentro de suas casas.
Ora, sendo apenas um trabnalho que visa retemperar aitudes, ele não se presta a tal fim cujo todo ornamento de concentração e de médiuns deve ter características próprias. Mais ainda, quando se o faz em casa corre-se sério risco de ver matizada de ensrgias espúrias, a própria água que se quer tenha uma efeito curativo. Por que? A resposta é fácil: Nossa casas vive impregnada de energias que trazemos das ruas, do nosso ambiente de trabalho  e dos nossos próprios pensamentos mais densos, e isso fatalmente abre campo a presença de Espíritos embusteiros que não tardaramk a se manifestar querendo dar mensagens e magnetizar águas depois disso, não adianta reclamar que a cigana nos enganou.
Quem lhe escreve isso é um cara, que levava a própria motocicleta para consertar em seu quarto de dormir, viu? E no tempo eu morava no quarto andar de um predio  hehehe, Mas que nunca fez qualquer processo que pudesse conter mais riscos à família em casa.
Uma coisa é manter um grupo de trabalho, todo o jaez desse tipo de coisa é diferenciado, e assim a espiritualidade vem e vai sem formar um vínculo quer com o ambiente quer com os médiuns ali.
Assim como os Espíritos ignorantes têm uma densidade maior, no meu quarto quem entrasse, por certo a primeira coisa que sentiria era o odor da gasolina azul que eu usava, fazendo uma analogia, a vibração espiritual dessa ordem mais densa de Espíritos também ficaria a pairar no ambiente doméstico onde se dessem as seções, e este o maior mal.
Quando se dá azo a psicografia, não se quer manter um vínculo com este ou aquele Espírito, logo corre-se menos riscos. Eu mesmo a faço em minha casa, num local específico, apenas porque este local é mais iluminado.
É comum, amigos meus videntes, verem Espíritos aqui em casa, minha própria esposa já viu parentes meus, e mesmo a meu pai que ela não conheceu em vida, chegando até a discutir com ele pensando que fosse eu, o que rendeu horas de gozação, claro!
Ora se existem os Espíritos amigos, poderão aparecer Espíritos menos evoluídos e mesmo que possam ter alguma coisa contra nós, e uma reunião focada na reolução de problemas dessa ordem se feita em casa, certamente não será de bom tom ser feita.
Mas como disse o codificador, a doutrina nada proíbe. Avisa e ensina, quem quer fazer que faça qualquer coisa.
Abraços,
Moura
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Marc Felix em 04 de Maio de 2010, 17:37
Moura, achei bem colocada suas palavras, no exempo do carro, ri sozinho, não o conserto em casa pois não cabe, mas na garagem do prédio pequenos reparos eu faço, os mais graves vamos no mecânico. rsrs. Pra mim sempre prevaleceu  o Não fazer em casa, por isso que essa "possibiliade da psicografia" me chama a atenção. Sobre o Evangelho tb já ouvi sobre não poder fazer vibrações para determinados locais para não atrair irmãos menos esclarecidos, outroas já acham isso um absurdo, pois é uma vibração e colocariam até como falta de caridade e de esclarecimento de quem condena tal prática. Já pude ver isso dentro da casa que frequento, ouço tudo e seleciono aquilo que creio que se encaixa com a Doutrina e o bom senso. Talvez nem sempre eu escolha certo, mas vamos aprendendo.
Título: Re: SOU MEDIUM?
Enviado por: Mourarego em 04 de Maio de 2010, 17:59
Moura, achei bem colocada suas palavras, no exempo do carro, ri sozinho, não o conserto em casa pois não cabe, mas na garagem do prédio pequenos reparos eu faço, os mais graves vamos no mecânico. rsrs. Pra mim sempre prevaleceu  o Não fazer em casa, por isso que essa "possibiliade da psicografia" me chama a atenção. Sobre o Evangelho tb já ouvi sobre não poder fazer vibrações para determinados locais para não atrair irmãos menos esclarecidos, outroas já acham isso um absurdo, pois é uma vibração e colocariam até como falta de caridade e de esclarecimento de quem condena tal prática. Já pude ver isso dentro da casa que frequento, ouço tudo e seleciono aquilo que creio que se encaixa com a Doutrina e o bom senso. Talvez nem sempre eu escolha certo, mas vamos aprendendo.

Marc, o lance da moto quase fez infartar minha mãe, meu api me conhecendo melhjor nem esquentou a cabeça hehehe. apenas uma vez ele ficou preocupado, é que tinha juntado uns amigos que "entendiam" de eletrônica e no tempo quisemos montar um amplificador de RF, para meu shack de radioamador. Encontramos no quarto da empregada o local ideal, e montamos o bicho.
É lógico que fizemos besteiras e os condensadores eletrolíticos que não deviam ter sido ligados em linha, ferveram e explodiram gerando uma bola de luz azul linda e muita fumaça e barulho, isso as 4 da madrugada, como sempre. Fim da historinha é que acabei em cima da máquina de lavar e xingando todos os que conhecia, foi quando meu pai entrando com medo no corredor que ligava a cozinha ao quarto de empregada falou e de longe: "Moleque, assim não dá", foi quando acabaram os testes "eletrônicos na minha casa hehehe
Mas quanto a psicografia essa tem uma preparação adequada e sempre tem como foco os bons espíritos, no meu caso só a exerço quando sinto a proximidade com o Espírito quem me é mentor já há mais de 18 anos. mesmo assim se não estou com muita paciência não a exerço. A questão continua dentro exatamente da intenção: Se focamos nos bons espíritos rogamos a estes que nos acompanhem no trabalho, e isso dentro da seriedade e no sentido do bem geral, as chances da aproximação de espíritos malévolos diminui muito mesmo.
abraços,
Moura