Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Convívio => Tópico iniciado por: Debby Baby em 05 de Setembro de 2010, 04:18

Título: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Debby Baby em 05 de Setembro de 2010, 04:18
Olá, queridos irmãos. Saudações a todos vocês.
Bem, eu resolvi criar este tópico para tomar conhecimento das vossas histórias e poder compartilhar a minha com todos vocês. Penso que, para quem teve a sua mediunidade aflorada faz pouco tempo, e para aqueles que estão vivendo esse momento agora, é muito importante encontrar suportes, estabelecer parâmetros de comparação, conversar com outros irmãos passando por situações semelhantes, e juntos, aprender a trilhar o caminho que leva a melhor compreensão de todas estas coisas fantásticas que para muitos de nós acontecem de forma inusitada, inesperada, deixando-nos tantas vezes perdidos, confusos, temerosos, pois tantas as perguntas, as dúvidas ... todas elas muito naturais para quem está apenas começando a enveredar pelos caminhos do espiritismo, quer tenha-o escolhido conscientemente, quer tenha sido pego de surpresa.
Convido a quem quiser, que conte um pouco da sua história. Como começou a aflorar a sua mediunidade? Qual a primeira experiência? E sua reacção? E de sua família? Como está lidando com tudo isso agora? O que pretende fazer?
Bem, acho que começo eu ... eis a minha história:
Nasci numa família católica. Nenhum espírita na minha família, nem no meu seio de amigos, apenas alguns conhecidos distantes.
Moro num lugar em que o espiritismo não foi muito difundido, daí a escassez de recursos, de Casas Espíritas, de pessoas entendidas com quem conversar.
Um dia, praticamente do nada, no meio de uma sessão espírita com o copo, feita por sugestão de uma outra pessoa e a qual eu acedi sem saber bem porquê, uma vez que sei que é algo que não deve ser feito aleatoriamente, ainda mais por principiantes, inexperientes e tendo como motor de base, a simples curiosidade, o tal copo abandonou as folhas de papel onde estavam dispostas as letras e percorreu a mesa até um volume de folhas de papel brancas.
Eu perguntei o que significava aquilo mas no meu íntimo eu sabia a resposta, e logo ele (o copo) foi escrever de novo sobre as folhas que era para eu pegar numa caneta e escrever com o próprio punho. " Vou te mostrar do que és capaz", foi isso que a entidade disse.
Eu peguei na caneta e no papel e logo comecei a escrever quase se dificuldade ... lembro que de início, por instinto, e porque não sei bem a razão, me sentia mais confortável, eu fechava os olhos quando psicografava ... me fazia confusão ficar olhando para uma coisa que não era eu que estava fazendo, se é que me entendem ... lembro também que nessa primeira vez a entidade disse que era o meu avô, disse que precisava me iniciar, me treinar, etc, mas depois surgiu outro espírito que me xingou inclusive e de repente meu avô voltou e disse para eu parar e voltar no dia seguinte no mesmo horário depois de uma boa oração.
Nesse dia eu me senti meia estranha, tive quase uma crise de pânico, e depois me explicaram que tais sensações eram por causa da vibração do espírito inferior que tinha se aproximado, aquele que havia me xingado, etc.
Depois disso, ainda aconteceu algumas vezes comunicações assim, mas aos poucos foram ficando para trás.
Desde que tudo começou creio que se passaram 5ou 6 meses, e de lá pra cá venho psicografando frequentemente, sendo que também já tive experiências de psicofonia ... incorporação pelo que já aprendi é um termo inadequado ... este último mês inteiro reduzi em 95% toda e qualquer prática da mediunidade porque estive de férias em casa de outras pessoas e sem chance de o fazer,mas mesmo assim eles ( os espíritos) se mantiveram presentes, perto de mim, fazendo questão de mostrar a sua presença movendo a minha mão, ou um dedo que seja ... estou aprendendo a conviver com eles, a dizer que estou ocupada quando o momento é inadequado, a dizer bom dia quando sinto a presença deles logo cedo, enfim, tem sido desse jeito.
Tem momentos em que tenho ainda muitas dúvidas, muitas perguntas, estou ávida de conhecimento e por isso comprei vários livros e tenho investigado muito na Internet também, sinto sobretudo muita falta e necessidade de dividir as minhas experiências com quem vive coisas parecidas.
E você? Tem algo para contar, dividir ... uma palavra para dizer?  :)
Abraço fraterno.
Débby.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 05 de Setembro de 2010, 04:42
Ai vai uma historia que aconteceu comigo,

estava deitada ja, lendo o livro dos espiritos, e pesquisando na internet, quando comecei a sentir meu braco formigando.  Perguntei a minha filha que e medium se ela estava sentindo alguma presenca estranha no quarto, e ela olhou para mim, sorriu e disse, solte a mao.
Eu abaxei a cabeca em prece e deixei o braco solto, e ai aconteceu....recebi uma mensagem de meu mentor.  Linda, me exortando a continuar com meus estudos e a nao me preocupar por que tudo que eu necessitasse me seria providenciado pela Divina Providencia.  Me disse tambem que nao me preocupasse com as pessoas que eu amava, pois todos tinham a cura a sua disposicao mas ainda nao queriam tomar o remedio.

Foi a primeira vez que aconteceu algo assim e eu fiquei muito feliz.  Depois disso nao houve mais nenhuma manifestacao.

Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Debby Baby em 05 de Setembro de 2010, 05:12
Olá cara irmã ... que interessante a sua história :)
Sua filha também é médium? Quantos anos ela tem? Que tipo de mediunidade ela tem?
Me desculpe as perguntas sobre a sua filha, mas eu também sou mãe e fico me perguntando mil coisas, tipo se ela deve se inteirar de tudo que está acontecendo comigo, se devo envolvê-la, falar-lhe a respeito, enfim ...
Voltando a sua experiência, você psicografou a mensagem do seu mentor? Quanto tempo faz?
Um grande abraço para você, cara amiga :)
Débby.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: gisantoniazi em 05 de Setembro de 2010, 06:41
Tive sensação semelhante mas com o teclado em meu colo, as mensagens me eram ouvidas na mente enquanto eu digitava.Digiitação pode ser considerada psico"grafia"? Gislaine
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Richardson Miranda em 05 de Setembro de 2010, 11:07
                   Gisantoniazi, bom dia irmã!!!!!!!
                   Penso que as primeiras manifestações aconteceram com as mesas girantes, e, com a evolução dos estudos e obras básicas da doutrina espírita, muitos fatos e experiências foram se aprimorando, a tal passo que não vejo impossibilidade no êxito de sua mediunidade através de um dos meios de comunicação que mais são acessados no dia de hoje, a internet. Penso que muitas novidades ainda virão à tona, pois, onde estivermos, não estaremos só, sempre com a companhia de muitos irmãos do mundo espiritual.
                   Embora esteja estudando constantemente as obras, participando de grupo de estudos, ainda não tive nenhuma manifestação mediúnica a meu entender. Isso sempre acontece na hora oportuna. Seja o que for, não temo, nem tenho ansiedade para que aconteça. Continuarei estudando e praticando os ensinamentos da doutrina, dentro dos meus entendimentos. 
                   O estudo e aprendizado é que vai nos fazer saber as diretrizes e soluções dessas comunicações.
                   Paz, Saúde, Estudos e muita Luz para você. Saudações fraternas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Richardson Miranda em 05 de Setembro de 2010, 11:18
                   Debby Baby, bom dia!!!!!!
                   Interessante essa forma de interação sobre assuntos da mediunidade. Dessa forma fica mais fácil com a elucidação e experiências de cada um. Que possamos sempre estarem preparados para o momento, através dos estudos e ensinamentos de uma ideal comunicação com nossos irmãos que estão no mundo espiritual, para não haverem mistificações.
                   Um bom domingo, com Saúde, Paz e Luz!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!   
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: LUDMILABSB em 05 de Setembro de 2010, 12:24
Olá colegas! Vou falar um pouco de minha mediunidade.

Quero começar falando que sou de uma família católica. Quanto ao Espiritismo, já tive vontade de conhecer, mas as barreiras cerebrais que haviam colocado me impediam de, ao menos, tentar conhecer a Doutrina. Eis que começa uma estória de desencontros, de curiosidades, de sensação de está ficando louca, de envolvimento, de paixão, de cobrança...enfim...de amor!!!

Já se passaram 2 anos que resolvi conhecer a Doutrina. Fui a uma orientação espiritual quando entrei na casa pela primeira vez...aliás neste dia estava morrendo de sede e bebi a água fluidificada pensando que aquele bebedouro continha água comum. Depois de quase 15 dias é que fiquei sabendo o significado..kkk... Bom, o meu primeiro tratamento espiritual foi para deixar de ter medo do Espiritismo, pode? Confesso que ainda não me sinto a vontade para receber os irmãozinhos, mas eles insistem de todo jeito. Nestes dois anos vou listar as minhas manifestações de mediunidade:

1. Uma vez orando para a mãe de uma amiga que estava doente, senti uma dor no local da doença. E sempre que repetia a oração sentia a dor! De férias, fui a minha cidade e aproveitei para visitá-la. Ao me despedir com um abraço senti uma energia saindo do meu corpo pelo braço. Fiquei atônita! O filho dela, também meu amigo, me convidava para ir tomar uma água de coco, eu escutava ecos enquanto me lembrava da passagem bíblica em que Jesus era tocado por uma mulher que sangrava e que depois disto foi curada. Longe de me comparar a Jesus, mas a partir daquilo tive a certa que ele sentiu este desprendimento de energia...foi muito louco!!! Fiquei me perguntando se não era coisa de minha cabeça.

2. Fui à capital do meu estado, nesta mesma viagem, pois não moro na cidade natal onde está toda a minha família. Meu primo foi me pegar na rodoviária. Do nada, lembrei-me que tinha esquecido algo dentro do ônibus. Voltei para pegar uma coisa que nem sabia o que, era apenas fui. Ao entrar no veículo, vi um senhor de meia idade de camisa gola pólo vermelha, calça jeans, bigode, cinto e com a mão no queixo sentado e rindo para mim numa poltrona do corredor. Olhei novamente e não vi mais nada e tb não peguei nada no ônibus. Desci e fui encontrar com os familiares...mas pensando naquilo...

3. Outro dia estava numa festa e peguei a fila para comprar fichas de bebidas. Comprei duas de cervejas e uma de whisky. De uma hora para outra meus olhos acho que reviraram e a ficha do whisky tinha sumido da minha mão. Foi questão de segundos!!! Voltei no caixa olhando todo o caminho  que tinha percorrido. O caixa refez toda a conta e batia tudo. A partir deste dia fiquei meio que revoltada, porque era interferência demais na minha vida!!! E ao mesmo tempo não acreditava no que estava acontecendo. A ficha, como dizem alguns, se desintegrar na minha mão?? Sim, pois olhei milimetricamente todo o caminho de volta e nada. E o tempo de todo este acontecimento foi de segundos!!! Muito louco!!! :o ???

4. Vozes. Outro dia, estava me preparando para dormir e escutei a voz de uma mulher no meu ouvido. Tive muito medo e disse que se quisesse comunicar ela aparecesse no centro em que eu estava fazendo tratamento espiritual. Nunca mais apareceu!

5. E por falar em tratamento, a dirigente já percebeu o meu potencial mediúnico e sempre me deixa durante toda a sessão não só no momento do passe. E nestas sessões já andei sentindo a mão dormente e formigando, chegando até a ter uma sensação de presença, mas não tive coragem de dar passagem. Ainda tenho medo!!!

6. Depois de ter lido o livro “Nosso Lar” percebi que o sonho que tinha tido não era um sonho futurista, mas um desdobramento. Sonhei que estava em Portugal e passava por prédios belíssimos todos espelhados, as pessoas passavam por mim, era tudo muito rápido. E tinha uma sensação boa. Hoje sei que era uma colônia espiritual, mas antes pensava ser só um sonho!!!


7. Depois de ter sonhado com uma conhecida amiga evangélica indo me visitar no meu apto,  atravessando a porta e eu saindo atrás dela, nunca mais tive coragem de ligar para saber se ela estava viva ou não (risos). Num sei se era desdobramento de nós duas, mas o fato é que nem andei querendo as saber. Sem falar que depois disto um relacionamento que tinha se rompeu. Ai, ai... :-\

8. Ah! Também parece que leio o pensamento do povo!!!. É engraçado!!  ;D


A cada acontecimento deste ia parar na orientação espiritual porque tinha a certeza de estar ficando louca. A resposta era sempre a mesma, ainda que com orientadores diferentes, em dias diferentes: você sabe muito bem que não está! E como tenho uma amiga psiquiatra, sempre digo a ela que se eu estiver saindo do juízo, por favor, avisar.  :D


Depois de conhecer a Doutrina um pouco mais já fiz diversas ligações de acontecidos e sonhos desde a infância até os dias de hoje e posso lhes dizer, são muitos, mas como disse que falaria pouco foi me contentar com o já relatado.

O fato é que ainda devo internalizar muita coisa para poder me dedicar com veemência, mas não estou com pressa. Jesus Cristo passou 30 anos se preparando, quiçá eu, um espírito que ainda tem muito a evoluir. Já andei me cobrando mais, contudo percebi que cada coisa ao seu tempo. Vou esperar terminar o ESDE, pois só assim terei uma visão geral da Doutrina. Mas tenho certeza de uma coisa, a mediunidade é muito poder!!! E se nossos corações não estiverem preparados com o mínimo corremos os riscos de não evoluirmos!!! É uma linha muito tênue entre atraso e evolução nde só o coração é o limite!!!

Abraços a todos!!!


Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 05 de Setembro de 2010, 14:30
Faz 3 anos que integro a equipe mediúnica do centro que frequento,além de departamento da família.
Eu era o que pode-se dizer "simpatizante espírita", aquela classe que só ia de vez em qdo na palestra, a um ou outro estudo,lia livros que eu achava que eram espíritas e hoje sei que não são.
Mas minha chegada como médium foi meio traumática pq estava sofrendo uns desmaios,apagões e um destes desmaios acarretou num acidente de carro e depois, no centro, caí e levei 7 pontos cabeça.
Fiz exames e tudo, nada constou, só depois de um tratamento desobssessivo que sanou o problema.Foi identificado o meu "algoz"e houve uma acareação,digamos assim, aonde foi promovido o perdão mútuo.

Hoje continuo estudando a codificação através do ESDE e estudo mediúnico(apostila da FEB)além de estudo de obras de André Luiz e Waldo Vieira aos sábados.
Aliás, a codificação, não tem como parar de estudar.A cada leitura aparece uma conclusão mais rica.É curioso eu reler a Gênese,por exemplo hoje em dia.Quando iniciei os estudos desta obra achava complicadíssimo, esta semana no ESDE relendo a Gênese,nossa, flui tão mais sereno o entendimento...rs

No trabalho mediúnico dou passividade, trabalho em desdobramento, além de outras nuances do trabalho que vão se aprimorando.

O estudo é imprescindível e no centro espírita.
Não adianta se isolar em casa e estudar.Até pq aprendemos com cada inspiração que recebemos, a coisa flui mais.

Basicamente é este o meu dia a dia mediúnico. Qdo algum espírito aparece em casa eu encaminho ao centro através de prece e mentalização e depois no trabalho mediúnico é atendido.Como tb integro um trabalho de assistência social e espiritual para dependentes químicos, espíritos com esta doença tb são comuns em se aproximar, mas sempre são encaminhados, sem grandes problemas.E se, do nada, vem um cheiro forte de bebida, cigarro...já sei que tenho cia.A gente se acostuma com estas percepções.

Tem muita gente que diz temer o estudo, a educação mediúnica, porém a assistência que recebemos qdo ingressamos neste trabalho, é magnífica.Temos todo um suporte qdo nos predispomos a trabalhar por amor realmente e com estudo,dedicação e disciplina.



Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Darah em 05 de Setembro de 2010, 20:18
Olá, queridos irmãos. Saudações a todos vocês.
Bem, eu resolvi criar este tópico para tomar conhecimento das vossas histórias e poder compartilhar a minha com todos vocês. Penso que, para quem teve a sua mediunidade aflorada faz pouco tempo, e para aqueles que estão vivendo esse momento agora, é muito importante encontrar suportes, estabelecer parâmetros de comparação, conversar com outros irmãos passando por situações semelhantes, e juntos, aprender a trilhar o caminho que leva a melhor compreensão de todas estas coisas fantásticas que para muitos de nós acontecem de forma inusitada, inesperada, deixando-nos tantas vezes perdidos, confusos, temerosos, pois tantas as perguntas, as dúvidas ... todas elas muito naturais para quem está apenas começando a enveredar pelos caminhos do espiritismo, quer tenha-o escolhido conscientemente, quer tenha sido pego de surpresa.
Convido a quem quiser, que conte um pouco da sua história. Como começou a aflorar a sua mediunidade? Qual a primeira experiência? E sua reacção? E de sua família? Como está lidando com tudo isso agora? O que pretende fazer?
Bem, acho que começo eu ... eis a minha história:
Nasci numa família católica. Nenhum espírita na minha família, nem no meu seio de amigos, apenas alguns conhecidos distantes.
Moro num lugar em que o espiritismo não foi muito difundido, daí a escassez de recursos, de Casas Espíritas, de pessoas entendidas com quem conversar.
Um dia, praticamente do nada, no meio de uma sessão espírita com o copo, feita por sugestão de uma outra pessoa e a qual eu acedi sem saber bem porquê, uma vez que sei que é algo que não deve ser feito aleatoriamente, ainda mais por principiantes, inexperientes e tendo como motor de base, a simples curiosidade, o tal copo abandonou as folhas de papel onde estavam dispostas as letras e percorreu a mesa até um volume de folhas de papel brancas.
Eu perguntei o que significava aquilo mas no meu íntimo eu sabia a resposta, e logo ele (o copo) foi escrever de novo sobre as folhas que era para eu pegar numa caneta e escrever com o próprio punho. " Vou te mostrar do que és capaz", foi isso que a entidade disse.
Eu peguei na caneta e no papel e logo comecei a escrever quase se dificuldade ... lembro que de início, por instinto, e porque não sei bem a razão, me sentia mais confortável, eu fechava os olhos quando psicografava ... me fazia confusão ficar olhando para uma coisa que não era eu que estava fazendo, se é que me entendem ... lembro também que nessa primeira vez a entidade disse que era o meu avô, disse que precisava me iniciar, me treinar, etc, mas depois surgiu outro espírito que me xingou inclusive e de repente meu avô voltou e disse para eu parar e voltar no dia seguinte no mesmo horário depois de uma boa oração.
Nesse dia eu me senti meia estranha, tive quase uma crise de pânico, e depois me explicaram que tais sensações eram por causa da vibração do espírito inferior que tinha se aproximado, aquele que havia me xingado, etc.
Depois disso, ainda aconteceu algumas vezes comunicações assim, mas aos poucos foram ficando para trás.
Desde que tudo começou creio que se passaram 5ou 6 meses, e de lá pra cá venho psicografando frequentemente, sendo que também já tive experiências de psicofonia ... incorporação pelo que já aprendi é um termo inadequado ... este último mês inteiro reduzi em 95% toda e qualquer prática da mediunidade porque estive de férias em casa de outras pessoas e sem chance de o fazer,mas mesmo assim eles ( os espíritos) se mantiveram presentes, perto de mim, fazendo questão de mostrar a sua presença movendo a minha mão, ou um dedo que seja ... estou aprendendo a conviver com eles, a dizer que estou ocupada quando o momento é inadequado, a dizer bom dia quando sinto a presença deles logo cedo, enfim, tem sido desse jeito.
Tem momentos em que tenho ainda muitas dúvidas, muitas perguntas, estou ávida de conhecimento e por isso comprei vários livros e tenho investigado muito na Internet também, sinto sobretudo muita falta e necessidade de dividir as minhas experiências com quem vive coisas parecidas.
E você? Tem algo para contar, dividir ... uma palavra para dizer?  :)
Abraço fraterno.
Débby.

Sou uma simpatizante da doutrina espirita, mas não vou em lugar nemhum para se reunir para fazer estudo.Tenho vários livros espiritas, sou uma pessoa que começo mas sempre deixo no meio do caminho.Sei que seria otimo para mim estudar a doutrina.Gosto muito mim sinto perdida, as vezes nas coisas que como é assim também, vem aquele entusiasmo e passa.Muito obrigada , abraço fraterno.Darah.


Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Solpereira em 05 de Setembro de 2010, 21:55
Já fazem 03 anos que estudo Doutrina Espírita, no momento estou no Desenvolvimento Mediúnico, mas até agora a não ser algumas sensações diferentes durante o trabalho, ainda não consegui nada além disso. Às vezes converso com meu dirigente, e brinco que sou uma pedra, mas, segundo ele, vai acontecer com o passar do tempo.Abraço fraterno e muita luz!
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: ponto em 05 de Setembro de 2010, 22:06
descobri que era médiuns pela primeira vez que fui ao centro espirita (apenas tinha lido o livro dos espiritos)..
na segunda sessão (de desobsessão dos espiritos desencarnados) eu tremi, chorei,sentia dor nas costas, e sentia meus dedos formigando (apenas 6 dedos-3de cada mão)- sempre conciente e nunca conseguia ouvir eles -  e assim foi quase todas sessoes,  menos nas duas ultimas que eu não chorei nem senti meus dedos.
Sempre voltava muito bem pra casa..tirando a ultima vez que fui..
nunca tive medo desde a primeira vez!
---
sempre fui muito sensivel.. e pretendo conseguir um dia tranmitir o que eles querem falar... ou escrever quem sabe... hehe
---
teve um dia que estava dormindo (depois da primeira vez que fui) eu acordei no meio da noite abri os olho e não conseguia me mecher foi muito estranho...
e outro dia acordei no meio da noite e meu corpo inteiro começou a meio que formigar do jeito que formiga la no centro (não é aquele formigar do sangue estar parado-é aquele que voce sene uma coisa que formiga e para ) umas 4 vezes seguidas, dessa vez parecia alguma coisa ruim e então começei a orar... e passou!
---
Mas o mais impressionante é que um dia eu estava em um barzinho e tinha muita gente conhecida... agente saia pra fora e andava na rua por perto tb......lá estava uma menina que chama Bruna, agente estava conversando e do nada eu falei pra ela:- Olha pro dois lados antes de atravessar a rua viu!! (nem sei pq tinha falado aquilo- e eu nem conversava com ela mas conhecia), dai depois de umas horas ela foi atropelada .. e depois de um mes mais ou menos ela desencarnou.... foi muito triste..
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 05 de Setembro de 2010, 22:40
Debby, minha filha desenvolveu a mediunidade naturalmente.
Em casa somos em quatro irmas e todas temos mediunidade, cada uma na sua capacidade e evolucao.  Minha filha tem um canal direto com a espiritualidade e recebe comunicacoes dos espiritos familiares que nos ajudam a  caminhar para a evolucao.  Quando ela se liga a uma pessoa de coracao passa a sentir suas vibracoes e consegue se comunicar com seus mentores.
Minha irma mais velha consegue enxergar a presenca de espiritos obssessores e sentir se sao do bem ou sao menos evoluidos.  Diversas vezes quando percebo uma situacao mais complicada ligo para ela e ela me orienta.  a outra irma recebe espiritos que normalmente sao de baixa vibracao e juntas, nos quatro mais a  minha filha somos capazes em sessoes mediunicas de abrir portais para encaminhar espiritos sofredores.  Fizemos estas sessoes cerca de seis ou sete vezes, porem, devido a falta de estudo e de ambiente propicio resolvemos parar.
Eu recebo comunicacoes intuitivas, e, como narrei, somente uma vez psicografada.
Tenho tres filhos, somente a mais velha desenvolveu a mediunidade por enquanto, mas ja percebi que todos sao sensitivos e procuro orienta-los dentro da doutrina ate que eles mesmos decidam seu caminho.
A energia espiritual esta presente em todos os cultos e religioes,  disse o grande mestre:
" Se dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, la eu estarei"
Ja senti isto em varias igrejas, a catolica, a evangelica, a do santo daime, no centro espirita, cada um variando em intensidade, mas esta energia de luz esta presente em todos os lugares.
Cabe a cada um de nos treinar os olhos da alma para sentir e usar esta energia que esta sempre a disposicao de quem tem fe.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Atlante em 05 de Setembro de 2010, 23:35
Olá Debby

Não vou contar minha experiência não. Apenas um alerta.

Tanto quanto entendi, a minha amiga não se encontra organizada num centro espirita. A prática mediunica sucede em sua casa e de forma isolada.

Os riscos da prática mediunica nessa condição são grandes, não significa que noutra condição eles não existam, mas dessa forma são maiores.
Por isso lhe peço que leve tudo com naturalidade. Não se deixe encantar e muito menos fascinar por aquilo que os espiritos lhe possam dizer ou fazer.
Discipline sua prática mediunica. A mediunidade é sua e o aparelho mediunico também, por isso seja a minha amiga a comandar todo o processo.
Não psicografe quando os espiritos querem. Seja a minha amiga a determinar o quando, onde e como.
Para isso estabeleça uma hora do dia para o fazer. Estabeleça, igualmente, o tempo que disponibiliza para psicografar. Numa fase de desenvolvimento e disciplina da mediunidade, não deve ser um periodo muito longo. Estabeleça um periodo de uma hora, por exemplo. Nunca permita que o periodo que estabeleceu se prolongue.
Inicie sempre o seu trabalho com uma oração e pedido de assistência do seu guia. Termine seu trabalho com uma oração de agradecimento a Deus e aos bons espiritos.
E deixe as coisas seguirem seu rumo de forma natural, não force nada.

O que é verdade para si o é para todos os outros na mesma condição.

Não entenda este aconselhamento como um acto paternalista ou outra coisa qualquer, é apenas a experiência de meia vida falando.

Atlante
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 05 de Setembro de 2010, 23:40
olá Atlante,

se vc observar todas os posts, vai ver que estes conselhos já foram observados!
Concordo com vc, mas o espiritismo repito não precisa de templos, nem de grandes rituais, só de homens de boa vontade e que vivam os ensinamentos cristãos.

Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Atlante em 05 de Setembro de 2010, 23:53
olá Atlante,

se vc observar todas os posts, vai ver que estes conselhos já foram observados!
Concordo com vc, mas o espiritismo repito não precisa de templos, nem de grandes rituais, só de homens de boa vontade e que vivam os ensinamentos cristãos.


Olá Mirina

Não entendi muito bem este seu post. Não faço a minima ideia do que pretende.

Veja

1 - Não estamos falando de espiritismo. Estamos falando de mediunidade. Uma coisa não se deve confundir com a outra.

2 - O espiritismo, para ser praticado, não precisa de templos, mas precisa de centros espiritas, pois é neles que o espiritismo se pratica.
O mesmo já não acontece com a prática da mediunidade. Ela pode ser feita em qualquer sitio, hora ou condição. Mas isto nada tem a ver com espiritismo.

3 - A minha amiga entende que o aconselhamento que fiz já tinha sido feito. Eu não entendi.
Mas mesmo que tivesse sido o que impediria de eu colocar minha opinião?

4 - Depois quem falou em rituais? Entende que uma oração é um ritual?
Ou não sabe o que é uma oração ou não sabe o que é um ritual.

Atlante
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 06 de Setembro de 2010, 00:02
Perdão Atlante,
acho que errei, o conselho foi dado em outro tópico proposto pela Debby, e não neste.
A propósito seus conselhos são de grande valia, mas venho de uma familia de espiritas de longa geração, onde os trabalhos espiritas e as sessões do evangelho eram ainda realizadas nos seios dos lares, por isso, acho meio radical concluir-se que somente dentro de centros espiritas pode-se praticar a mediunidade, ou o aprendizado da doutrina.
Agora se vc tem frequentado centros espiritas atualmente não pode negar que adotou-se uma postura ritualistica, onde já presenciei inclusive entoar-se hinos como na igreja católica ou evangélica.
Não estou criticando, mas acho que este tipo de procedimento embota um pouco o pensamento crítico e pesquisador do cidadão e tende a levar apenas a ações socorristas e não evolutivas.
Peço desculpas novamente, e coloco meu apreço por suas mensagens que venho acompanhando há algum tempo,
Abs,
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Atlante em 06 de Setembro de 2010, 00:53
Perdão Atlante,
acho que errei, o conselho foi dado em outro tópico proposto pela Debby, e não neste.
A propósito seus conselhos são de grande valia, mas venho de uma familia de espiritas de longa geração, onde os trabalhos espiritas e as sessões do evangelho eram ainda realizadas nos seios dos lares, por isso, acho meio radical concluir-se que somente dentro de centros espiritas pode-se praticar a mediunidade, ou o aprendizado da doutrina.
Agora se vc tem frequentado centros espiritas atualmente não pode negar que adotou-se uma postura ritualistica, onde já presenciei inclusive entoar-se hinos como na igreja católica ou evangélica.
Não estou criticando, mas acho que este tipo de procedimento embota um pouco o pensamento crítico e pesquisador do cidadão e tende a levar apenas a ações socorristas e não evolutivas.
Peço desculpas novamente, e coloco meu apreço por suas mensagens que venho acompanhando há algum tempo,
Abs,

Pois eu estranhei porque não tinha visto conselhos, pelo menos com clareza.

Eu concordo consigo quanto ás questões do radicalismo, mas de um lado ou de outro.
A prática da doutrina espirita e o seu testemunho deve acontecer em qualquer hora e em qualquer lugar. Para isso basta a palavra e o exemplo.

Já não concordo com a questão do espiritismo, entenda-se a prática mediunica exercida dentro dos preceitos doutrinários. Esta deve ser praticada dentro do centro espirita, nos conformes doutrinários e respeitando a disciplina adequada ao trabalho a exercer. Mas isto é o espiritismo.

Outra coisa é a mediunidade. Esta pode ser exercida onde, quando e como0 o medium quiser. É uma faculdade pessoal, que cada um utiliza como muito bem entender. Se correr bem, corre bem, se correr mal, problema do medium.

Quando aconselhamos isso acontece em função de experiencias conhecidas. Soubemos de pessoas, por exemplo, que andavam sempre com um caderninho e lapis para psicgrafar, até quando ia no banheiro.
Existem estudos no forum onde algumas situações se encontram relatadas.

Quanto à questão de cantar, não percebo porque os espiritas não podem cantar, será isso um ritual? Não me parece.
O centro, onde me encontre organizado, tem vários hinos, cuja letra e musica foram recebidas psicograficamente. Certamente que os mentores não transmitiram os hinos para guardar numa gaveta.
Cantar é uma manifestação de alegria e de felicidade.

Atlante
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Atlante em 06 de Setembro de 2010, 00:54
Perdão Atlante,
acho que errei, o conselho foi dado em outro tópico proposto pela Debby, e não neste.
A propósito seus conselhos são de grande valia, mas venho de uma familia de espiritas de longa geração, onde os trabalhos espiritas e as sessões do evangelho eram ainda realizadas nos seios dos lares, por isso, acho meio radical concluir-se que somente dentro de centros espiritas pode-se praticar a mediunidade, ou o aprendizado da doutrina.
Agora se vc tem frequentado centros espiritas atualmente não pode negar que adotou-se uma postura ritualistica, onde já presenciei inclusive entoar-se hinos como na igreja católica ou evangélica.
Não estou criticando, mas acho que este tipo de procedimento embota um pouco o pensamento crítico e pesquisador do cidadão e tende a levar apenas a ações socorristas e não evolutivas.
Peço desculpas novamente, e coloco meu apreço por suas mensagens que venho acompanhando há algum tempo,
Abs,

Pois eu estranhei porque não tinha visto conselhos, pelo menos com clareza.

Eu concordo consigo quanto ás questões do radicalismo, mas de um lado ou de outro.
A prática da doutrina espirita e o seu testemunho deve acontecer em qualquer hora e em qualquer lugar. Para isso basta a palavra e o exemplo.

Já não concordo com a questão do espiritismo, entenda-se a prática mediunica exercida dentro dos preceitos doutrinários. Esta deve ser praticada dentro do centro espirita, nos conformes doutrinários e respeitando a disciplina adequada ao trabalho a exercer. Mas isto é o espiritismo.

Outra coisa é a mediunidade. Esta pode ser exercida onde, quando e como0 o medium quiser. É uma faculdade pessoal, que cada um utiliza como muito bem entender. Se correr bem, corre bem, se correr mal, problema do medium.

Quando aconselhamos isso acontece em função de experiencias conhecidas. Soubemos de pessoas, por exemplo, que andavam sempre com um caderninho e lapis para psicgrafar, até quando ia no banheiro.
Existem estudos no forum onde algumas situações se encontram relatadas.

Quanto à questão de cantar, não percebo porque os espiritas não podem cantar, será isso um ritual? Não me parece.
O centro, onde me encontre organizado, tem vários hinos, cuja letra e musica foram recebidas psicograficamente. Certamente que os mentores não transmitiram os hinos para guardar numa gaveta.
Cantar é uma manifestação de alegria e de felicidade.

Atlante
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: La. em 06 de Setembro de 2010, 02:54
Ei senhor Atlante,

Eu concordo com o senhor quando recomenda cautela ao lidar com o mundo espiritual, como mediunidade é orgânica não somos médiuns só quando estamos na casa espírita, ela se manifesta 24 horas, por isso a prudência, vigilância e disciplina são amigos inseparáveis de qualquer um que se candidate ao desevolvimento mediúnico.

Minha mediunidade deu seus primeiros sinais aos 12 anos, com desdobramento, foram anos e mais anos de reunião desobssessão, e ainda existem alguns companheiros que eu não gosto de denomina-los de obssessores e sim de vigilantes evolutivos. O que me levar a crer que eu devo metade do umbral e uma parte do abismo rsrsrs

Uma coisa que aconteceu comigo esse ano e que me marcou muito foi a morte do meu irmão. Ele foi assassinado, depois de 8 dias encontramos o corpo, eu o vi chegar no velório e cair aos chão em prantos, ele não sabia que estava morto. Depois de 15 dias ele amparado por alguns amigos espirituais, e note e em minha casa escreveu algumas paginas e conversou com meus pais.

Mas mais importante que a faticidade fenomenológica, é o que a mediunidade vem nos dizer, ela não vem para as outras pessoas, primeiramente ela vem para o médium , dizendo EDUCA-SE. Toda a minha experiência mediúnica, que não é, em verdade quase nenhuma e de pouquíssima importância, foi para me dizer, Laísa vigie-se, estude, discipline-se, ajude-se e ajude! Foram esses verbos, VIGIAR, ESTUDAR, DISCIPLINAR E AJUDAR, que eu creio que como médium que  TODOS  somos, nos temos que conjugar em nossa vivencia. Mediunidade que não ajuda e disciplina, que só se detém no exterior, é porta aberta a fascinação e a loucura.

Ledo engano do médium  que cre que sua mediunidade vai ajudar as pessoas, o primeiro doente pode ter certeza que é você, assim como eu. Quando Chico Xavier dizia que era um cisco de Deus, porque diante do referencial de “toda a corte celeste” que o rodeava ele se sentia um cisco de Deus. Se Chico, sendo Chico, se considera isso, o que será de nós outros pobres mortais, que o temos como ponto pragmático de nossa vida. 

O primeiro ponto é termos consciência da nossa miserabilidade, e o segundo é jamais perder de vista a nossa Essencia Divina, e nossa potencialidade, porque eu recebi uma mensagem mais ou menos assim, que mesmo diante da nossa infinitesimal pequenez, toda cota de amor doado, é contado na economia Divina.

Então que aremos nosso campo intimo, com a charrua, porque dói, remover padrões mentais cristalizados, dói e é muito difícil, para que sejamos vasos ao menos vasos transparentes.Que na realidade, mérito nenhum deteremos, ser mera instrumentação no bem, apesar de contar alguma coisa, ainda é muito pouco, diante do amor que ainda que temos que desenvolver, mas tenho certeza que o coração daqueles que olham por nós se enchem de alegria ao nos ver disposto ao bem e a luz.

È isso que o meu medianismo tem me ensinado.
Abs!
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Robert Hebert em 06 de Setembro de 2010, 03:58
Boa Noite Irmãos!!!!

Bom vamos a minha Historia:

Eu desde pequeno falava com minha mâe que via um Homem todo de branco andando pela casa e as vezes com um cachorro branco até hoje não sei quem era mas minha mãe sempre dizia que era o Dr. Bezerra, mais ai cresci e entrei na adolescencia e nunca mais vi nada apesar de sempre sentir algo e até mesmo as vezes avisos para nao fazer ou ir em algum lugar.

Quando ainda novo ia muito com meu avô no Centro espirita e me sentia muito bem mas o que me marcou mesmo e me fez depois de um tempo a procurar a casa espirita foi quando meu avô Desencarnou pois como sempre fui muito ligado a ele ( ele me criou ) não quis ir ao enterro apesar de todos terem me reqriminado por isto.... mas como estava dizendo nao quis ir ao velorio nem ao enterro com isto fiquei so em minha casa a noite e tentando entender o que tinha acontecido e ao mesmo tempo tentando durmir, Foi aonde eu me deitei cobri a cabeça e de repente senti um peso na cama, mas como tinhamos gatos e caes em casa achei que era um deles e fiquei tentando empurrar com o pé mas nada de sair foi ai que tirei a coberta da cabeça e vi meu avô sentado na minha cama, me levantei e comecei a conversar com ele, conversarnos normalmente como sempre faziamos e do nada peguei em seu braço e ao fazer isso me lembrei que ele havia desencarnado e entao fiz a pergunta a ele " Vô mas você não Morreu? " depois desta pergunta so lembro dele ter falado que iria ficar 7 dias ao meu lado e acordei no dia seguinte com uma paz interior e apesar de estar ciente de sua perda estava mais tranquilo. Quando minha familia chegou em casa e me reqriminando por nao ter ido e falando que todos comentavam que eu que o mais proximo dele nao fui falei que que nao queria lembrar dele naquele estado, com isto ela sem lembraou de um acontecimento no velorio que deixou todos assutados, ela disse que por volta das 00:00 o semblante de meu avô mudou e que parecia que ele estava feliz e sorrindo, quando ela disse isso na hora percebi que foi no momento em que ele estava comigo, e com isso falei para ela " Mãe ele estava comigo " ela começou a chorar e falou " porque ele não apareceu para mim " eu disse tudo a seu momento nenhum de minha familia pode ter estas visoes e o senti durante sete dias ao meu lado me dando auxilio para superar sua dor.

Apos isto ter acontecido depois de anos me senti perdido e comecei a procurar igrejas e nunca me senti bem em nenhuma foi quando fui na Fraternidade Espirita Irmão Glacus aqui em BH qua quando entrei lá parecia que um peso havia saido de minhas costas me sentia bem mas tive que parar por questoes de trabalho mas retornei a pouco  e estou particiapndo dos cursos pois hoje precinto e sinto muitos espiritos e quando chego num lugar que tem uma carga negativa eu absorvo tudo entao preciso estudar para poder conttrolar e tambem quero me comunicar com nossos Irmãos Esperituais para que possa aprender ainda mais com eles para pder ajudar a quem precisa quero aprimorar a mediunidade em mim para ajudar o proximo, mas nao sei como começar estou fazendo o cusro mas lá nao ensina como aprimorar este dom Divino e nem como proceder para fazer esta comunicação.

Bom Irmãos é isto.

Que a Paz de Nosso Senhor Jesus Cristo Esteja em Nossos Corações
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Darah em 06 de Setembro de 2010, 14:34
Perdão Atlante,
acho que errei, o conselho foi dado em outro tópico proposto pela Debby, e não neste.
A propósito seus conselhos são de grande valia, mas venho de uma familia de espiritas de longa geração, onde os trabalhos espiritas e as sessões do evangelho eram ainda realizadas nos seios dos lares, por isso, acho meio radical concluir-se que somente dentro de centros espiritas pode-se praticar a mediunidade, ou o aprendizado da doutrina.
Agora se vc tem frequentado centros espiritas atualmente não pode negar que adotou-se uma postura ritualistica, onde já presenciei inclusive entoar-se hinos como na igreja católica ou evangélica.
Não estou criticando, mas acho que este tipo de procedimento embota um pouco o pensamento crítico e pesquisador do cidadão e tende a levar apenas a ações socorristas e não evolutivas.
Peço desculpas novamente, e coloco meu apreço por suas mensagens que venho acompanhando há algum tempo,
Abs,
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Darah em 06 de Setembro de 2010, 14:38
Sou Darah, quando estou lendo livros mi da um sono e uma abrição de boca, vou continuando mas o livro cai de lado e durmo.Abraço fraterno.Paz do Senhor mestre para todos.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 06 de Setembro de 2010, 14:42
Concordo plenamente com a colocação do Atlante.
Trabalho mediúnico é no centro espírita, pelo menos na maioria absoluta das vezes.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Patricia BG em 06 de Setembro de 2010, 15:13
Que a luz divina encha de clareza e amor nossos corações

Queridos irmão sou nova neste fórum e acabo de me deparar com um assunto sério, e bastante conflitante, neste campo muito pouco conheço, pois sou às vezes preguiçosa para leitura, e talvez não consiga me expressar com palavras tão difíceis, mas o pouco que conheço são dos meus estudos na casa espírita e talvez reminiscências de vidas passadas.
Acredito que o nosso irmão Sr. Atlante esta querendo dizer é sobre o despreparo para o socorro aos necessitados, pois se foi me dado à capacidade de comunicação com outras dimensões com certeza não foi para aflorar a minha vaidade.

A mediunidade não é um dom Divino e sim uma obrigação, a qual me propus quando encarnei novamente, proposta ao auxilio dos aflitos e caridade maior.
Acredito sim e de coração que a pratica da mediunidade não é para ser em qualquer lugar, pois prejudicamos a todos os desencarnados envolvidos e principalmente a nossa evolução.
Muitos são os relatos de espíritos desencarnados que por falta de esclarecimento se comunicam achando que estão ajudando, mas como um medico pode operar sem a assepsia correta e os instrumentos certos. Pensem meus queridos irmãos que ir à casa espírita
não é uma obrigação, mas sim uma forma de fortalecer-se e dominar esta capacidade, usá-la apenas para a pratica do bem, pois todo templo de qualquer religião e um portal de passagem, onde são socorridas ao seu tempo as almas desesperadas, pensem que do outro lado se assemelha e muito com o que conhecemos em terra, com certeza quando estamos com uma enfermidade não seremos tratados melhor em casa e sem no hospital preparado para isto, apenas doenças bobas são tratadas em casa e é assim que se da a pratica da mediunidade sem preparo.
Para aprendermos a ler vamos a escola, para nos alimentarmos compramos alimentos em mercados e feiras, para cozinhamos temos a cozinha para dormirmos temos os quartos.
para a nossa assepsia temos o banheiro, pois então vocês não dormem no banheiro, porque aquele lugar não é preparado para isso, é assim com a mediunidade existem lugares preparados onde nossos fluidos serão capitados e alterados para não prejudicar os espíritos encarnados ou desencarnado.
Tenham cuidado porque talvez estejam atrasando não a só a evolução de vocês, mas a dos desencarnados que se encontram presos nesta dimensão.
Esta associação a uma casa espírita não esta apenas alucidando nossos pensamentos e sim podemos fazer pratica do dom maior e o mais importante "A PRATICA DA CARIDADE
" esta que tem como forma maior de evolução, pois todas casas espírita que se preze tem como obrigação a uma ligação com um entidade carente auxiliando e aparando os mais necessitas dos nossos irmãos aqui presente na terra.

Não estou criticando ninguém porque também praticava a minha mediunidade em qualquer lugar, mas quando tive de fato contato com fatos sério de perda de fluido sem necessidade e o quanto eu prejudicava a mim e a todos os envolvidos passei a freqüentar o centro para me fortalecer e hoje eu não tenho mais nenhum tipo de manifestação fora da casa espírita, pois um médium consciente é aquele que sabe e percebe o momento certo para a comunicação.

Que a graça do Senhor Jesus abençoe todos os nossos corações.
 :D
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Atlante em 07 de Setembro de 2010, 01:13
Olá Patricia

Primeiro que tudo deixa que te dê as boas vindas a esta familia virtual.

O teu testemunho é excelente e essa é a forma como aconselhamos que se proceda.

No entanto não nos podemos esquecer que nem todos aqueles que têm manifestações mediunicas são espiritas ou desejam frequentar um centro espirita, daí o nosso aconselhamento sobre a forma como devem lidar com a sua mediunidade.
Verifica que tivemos a clara intenção de separa pratica mediunica de pratica do espiritismo ou pratica da mediunidade nos conformes da doutrina espirita. Esta sim, apenas no centro espirita deve ser praticada.

Atlante
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Atlante em 07 de Setembro de 2010, 01:19
Sou Darah, quando estou lendo livros mi da um sono e uma abrição de boca, vou continuando mas o livro cai de lado e durmo.Abraço fraterno.Paz do Senhor mestre para todos.

Olá Darah

Frquentas um centro espirita?
Já tiveste alguma manifestação de mediunidade?

O que relatas é muito comum em quem tem principio de manifestação mediunica. Não significa que não suceda com outras pessoas.

Muitas pessoas, de forma natural, adormecem a ler.
Mas a outras acontece haver alguem no outro lado que não deseja que se esclareçam.
Pessoa esclarecida é menos influenciável.

Não sei se será o teu caso, isso apenas tu poderás perceber.

Atlante
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Patricia BG em 07 de Setembro de 2010, 01:36
Boa noite querido irmão Atlante :)

Novamente concordo com a sua colocação, muito sabia.!!!
Não havia percebido que este forum esclarece não apenas a pratica da doutrina espirita mas sim os fenomenos espirituais.
Que o livre arbitro sempre possa prevalecer..
Abraços fraternos a todos.
;)
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 07 de Setembro de 2010, 01:47
Concordo com todos,

mas insisto em dizer que o espiritismo deve ser praticado com seriedade também fora dos centros espiritas.  Volto a dizer, meus bisavós eram espiritas e faleceram em 74 com 90 anos de idade, e sempre praticaram o evangelho em casa, sendo que as manifestações mediunicas poderiam ou não ocorrer nessas ocasiões.  Acredito no preparo e no auxílio que existe nos Centros espiritas, mas sei que a espiritualidade a ninguém desampara, e onde houverem um ou mais em nome de Deus, lá Ele também estará.
Me perdoem os céticos, mas não posso deixar de expressar meu ponto de vista, pois acho que a reunião para leitura do Evangelho segundo o Espiritismo ou mesmo o Evangelho em casa é uma prática Cristã, saudável e que deve ser estimulada.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Patricia BG em 07 de Setembro de 2010, 03:18
Ola Mirina

Meu sincero respeito aos seus Avós, pois acredito que falar em espirito na atualidade já seja dificil imagino o quanto eles sofreram com o preconceito naquela época, e lutaram para que o ensinamento não tivesse morrido em sua familia.
Mas vamos lembrar um pouco das mesas girantes, eram manifestações de espirito que de uma forma primitiva se comunicavam com nós os encarnados, e essas praticas se davam em casas comuns devido ao preconceito e por não ser reconhecido pelo Cristianismo, não existiam casas espiritas, muitos menos essas casas ajudavam alguma entidade, mas ajudavam os outros de uma forma minimalistica, em uma visão macro. (igualmento também como no inicio para Chico Chavier).
Hoje somos mais esclarecidos e evoluimos todos os dias, não desacredito na pratica do bem no seu leito familiar, pois para se praticar o bem não precisamos de uma religião ou algo parecido, mas a leitura do Envangelio em nossa casa ajuda e muito ao esclarecimento dos que nos acompanham sem o corpo carnal. Estes atos não contradizem aquilo que "Eu" acredito, pois a todos instantes estamos sobre influencia espirituais.

Meus parabens por levar a diante aquilo que os seus avós começaram, mas porque não aprimorar esta pratica?

Bem acredito que estamos indo muito além do que o topico pede, mas já esta tarde, então no proximo post vou contar um pouco de como descobri a mediunidade e como todos os dias aprendo com ela e tento,  eu "tento" a diciplina-la.

Abraços Fraternos
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 07 de Setembro de 2010, 03:28
Olá Patricia,

concordo, já estamos um pouco fora do assunto!
Preciso esclarecer que frequento Centros Espiritas, faço tratamentos, estudo os livros da Doutrina em casa, e continuo achando que devemos estimular a pratica do evangelho em casa.
Nem só de pão vive o homem, não é verdade!
A propósito, meus avós não vivenciaram fenomenos como das mesas, eram mediuns de psicografia, videntes e de manifestação.
Abraços,
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: La. em 07 de Setembro de 2010, 14:14
Ei Mirina

O evangelho segundo o espiritismo, não é apenas recomendado dentro no lar espirita,é DEVER de todo espiritas.

O que o amigo Atlante quis colocar é a pratica mediunica dentro de casa, inclusive a orientação que nós é dado dentro do Centro Espirita, é que não hajam manifestações no culto no lar.

Como disse, anteriormente nós todos que somos mediuns, somos mediuns 24 horas por dia, e não so quando adentramos na Casa Espirita, e ai esta o nosso maior desafio, ter a mesma postura de disciplina, amor e seriedade que demonstramos em uma reuniao mediunica. E como tal, é impossivel as vezes voce fechar o canal, voce ouvira, enxergará, conversará, a questão em volga pelo que eu entendi do entendimento do irmão não é essa, mas sim a pratica de provocar manifestações. 

Dentro da casa espirita existe todo um ambiente propicio, uma preparação e propria para esse fim. Voce doutrinaria um espirito dentro de casa? Não né, olha eu digo que ja aconteceu comigo, senti minha mao puxar comecei a escrever e depois me disseram vamos trazer um irmão tal e tal, e houve a psicofonia mental ne, e ele doutrinado pelos proprios espiritos, mas foi uma questão especialissima, que se liga ao meu futuro e ao meu passado. Jamais provocaria um manifestação, mesmo a simples psicografia, o nosso planeta é um planeta em que ainda existe a ignorancia e o imperio da justiça, por isso da maldade, não é aconselhavel jamais adentrar em um mundo, na qual por maior que seja nossa mediunidade, o nosso conhecimento dentro da doutrina, buscar o mundo espiritual a revelia, somos incondicionalmente protegidos, isso é uma verdade inquestionavel, mas somos responsaveis pelas nossas atitudes, e nao interfirirão na escolha de nossas atitudes. Por isso da cautela, da disciplina, da necessidade do estudo, porque estaremos apto a receber ajuda se nos predispusermos a isso.

Foi isso que eu entendi do pensamento do senhor Atlante.

abraços!
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 07 de Setembro de 2010, 14:28
Creio que houve um pequena confusãozinha....

Evangelho no lar é saudável e aconselhável, o que não é recomendado é o trabalho mediúnico em casa.

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, já dizia o filósofo...rs
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Gigii em 07 de Setembro de 2010, 14:34
Evangelho no lar é saudável e aconselhável, o que não é recomendado é o trabalho mediúnico em casa.


Pelo que sei tanto o médium Francisco C. Xavier como o Divaldo P. Franco ou a Ivone Pereira, psicografavam em casa...
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 07 de Setembro de 2010, 14:39
Gigii se vc ler meu post anterior, poderá ver que coloquei que em raríssimos casos o trabalho mediúnico em casa pode ser realizado. Me refiro a médiuns com grande envergadura moral, missionários e com vasto suporte.O que não é nosso caso, nem o da maioria dos médiuns.

Este post que coloquei agora, foi seguindo a cronologia do debate, aonde eu apenas deixei clara um pequeno equívoco de interpretação que poderia estar ocorrendo.

Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 07 de Setembro de 2010, 14:44
Seria interessante antes de responder, dar uma lidinha nas páginas anteriores, senão corre-se o risco de interpretação superficial baseando-se somente nesta última página e isso vai se propagando.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Gigii em 07 de Setembro de 2010, 14:57
Olá Sol..eu li sim, li todo o tópico...mas só queria reforçar a ideia...

é que na minha opinião não existem médiuns melhores nem piores que outros, ou mais ou menos protegidos... ou seja...se um médium tiver conhecimento dos riscos, e a sua vontade for de servir abnegadamente, ou de investigar com objectivo de enriquecimento intimo de si, ou de auxilio ao próximo, no lar pode ter o lugar propicio a desenvolver a mediunidade...não é necessário que seja um iluminado...

As jovens Bodin que auxiliaram Kardec na Codificação, eram irmãs, menores, e receberam as mensagens no lar (está certo, ainda não existiam centros espíritas)...mas nada se sabe sobre a sua evolução moral...

Mas não estou a incentivar a que se sai do centro para receber mensagens mediunicas em casa...não é isso...acho que me fiz entender.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 07 de Setembro de 2010, 15:20
Ah sim...claro,Gigii.;)

É que eu atuo no grupo mediúnico e já vi algumas coisas decorrentes de reuniões em casa que tivemos de atuar para retomar o equilíbrio da casa da pessoa, porque nem todos os que moram ali, estão na mesma sintonia.Então o risco maior, é com os outros moradores tb.
Ao se promover intercâmbio mediúnico num ambiente assim, estamos deixando todos os que ali moram mais vulneráveis. Isso inclui crianças e adolescentes.

É uma ilusão supor que os espíritos que vêm vão embora qdo acaba o trabalho.Muitos se identificam com outros moradores da casa.Isso acontece muito.

Pegando o Livro dos Médiuns:
"4. É proibido aos Espíritos inferiores comparecerem às reuniões sérias?
— Não. Às vezes permanecem nelas, a fim de aproveitarem os ensinamentos que vos são dados. Mas se calam, como os estouvados numa reunião de sábios.(...)(-Ou seja: espíritos de toda ordem ali estão e não se tem garantia nenhuma que estes irão se retirar após a reunião-)

232. Seria errado pensar que é necessário ser médium para atrair os seres do mundo invisível. Eles povoam o espaço, estão constantemente ao nosso redor, nos acompanham, nos vêem e observam, intrometem-se nas nossas reuniões, procuram-nos ou evitam-nos, conforme os atrairmos ou repelirmos. A faculdade mediúnica nada tem com isso: é simplesmente um meio de comunicação. Segundo vimos no tocante às causas de simpatia e antipatia entre os Espíritos.(...)Assim, toda vez que os homens se reúnem, há entre eles uma reunião oculta de simpatizantes de suas qualidades ou de suas imperfeições, e isso sem qualquer idéia de evocação."

Daí minhas colocações. :)


Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Disc em 07 de Setembro de 2010, 15:39
Olá, amigos.

Existem basicamente dois tipos de mediunidade, a tradicional (método de Allan Kardec) e a ultrafânica (método de Pietro Ubaldi)

* A tradicional é uma comunicação mais direta entre espírito e médium, para desenvolver é necessário em geral muita disciplina e um curso em um centro espírita.

* A ultrafânica consiste em captar pensamentos de esferas superiores e combinar esses pensamentos com a inteligência do próprio médium, para se obter um conhecimento superior.

O desenvolvimento da mediunidade ultrafânica, que é mais voltada para a inspiração, pode ser aprendida através dos livros de Pietro Ubaldi As Noúres e Ascese Mística, no primeiro, a pessoa aprende como captar pensamentos de outras esferas espirituais e no segundo a explodir o espírito, passando com o exercício a conceber o superconcebível e captar realidades antes inimagináveis. Aviso que no processo místico, depois de o espírito explodir, ele se contrai e a alma pode arder ou doer, mas vale muito a pena, porque elimina impurezas que estavam obstando o progresso do espírito e prejudicando a saúde.

O melhor método, depende de cada pessoa. Se a pessoa é mais disciplinada e ortodoxa, é melhor o método de Allan Kardec e se a pessoa é mais emotiva, e estiver sofrendo com pensamentos ruins, eu acho melhor o método de Pietro Ubaldi. É só a minha experiência própria.

Os livros de Ubaldi estão disponíveis no seguinte site: www.pietroubaldi.comlu.com (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy5waWV0cm91YmFsZGkuY29tbHUuY29t)


Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 07 de Setembro de 2010, 17:28
Bom dia a todos,

Laisa, é exatamente isto, praticar o Evangelho no Lar é saudável, porém como vimos no post de Sol, na resposta 232, os espiritos estão em toda a parte, e são de todos os graus evolutivos.  Ao realizar o evangelho em casa temos a oportunidade de doutrinar também estes espiritos, portanto não deixa de ser um trabalho de caridade também.
Achar que somente no centros espiritas estamos aptos a praticar tal caridade seria enquandrar os mesmos na condição de Igrejas ou templos, o que eu não concordo.
Quem frequenta um centro espirita sabe que diariamente centenas de pessoas procuram lá socorro por estarem obssediadas, ou por terem companhia de outros espiritos, e elas necessariamente não fizeram reunião em casa. 
Estes fenomenos ocorrem independente da nossa vontade. 
Então acho que deveriamos estimular as reuniões no lar como forma de difundir e ampliar os trabalhos de caridade, pois já vimos que alheios a nossa vontade eles realmente estão em toda a parte.
Eventualmente fenomenos podem acontecer, e eventualmente se necessite de mediuns mais evoluidos para ajudar, e isto tudo não faria parte de um trabalho maior?
Obrigado pela sua elucidação Discipulo da Luz.  vou procurar esta leitura, pois acredito estar na categoria de medium ultrafanica, pelas experiencias que tenho tido diariamente, e obrigado pelo seu apoio Gigii.
Abraços fraternos a todos,
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: hcancela em 07 de Setembro de 2010, 19:03
Olá amigos(as)


Perdoem o trocadilho das minhas palavras, mas?

Não conheço dentro do Espiritismo a Mediunidade "Ultrafânica".

Li que era do senhor Pietro Ubaldi que muito respeito, mas que eu lembre não era Espiritista, como tal apenas fica a opinião do senhor, que vale o que vale, ficando mais ao que me parece nas areas do místico.

Saudações fraternas
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: ana paula nery em 07 de Setembro de 2010, 19:39
Olá, amigos, estou no terceiro centro espírita . Tentei desenvolver minha mediunidade no primeiro e no segundo, porém, colocavam-me direto na "corrente de médiuns"  já tentando captar as vibrações dos espíritos guias, ou meus mentores espirituais e começar a incorporar. Porém, reclamei da falta de informação e estudo. Recusei-me a continuar ali quando tb percebi que outros médiuns só mistificavam, não estavam incorporando.No centro que frequento atualmente repete-se a falta de estudo e os dirigentes da casa insistem que eu incorpore, mas não sinto quase nada e não aceto isso, sendo que me falta estudo. Disseram-me que centro espírita NENHUM vai me ensinar a sentir meu mentor (a) espiritual. Alguém pode me ajudar nisso? onde procuro ajuda, só os livros bastam? Há exercícios que eu possa fazer, quando estiver lá no centro para melhor atrair e sentir os meus guias espirituais , para que comecem a trabalhar e trazer esperança às pessoas que vêm ao centro que frequento?  Obrigada a todos. Beijos de Luz, irmãos.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 07 de Setembro de 2010, 20:00

Olá Ana Paula,

a mediunidade depende do afloramento de seus instintos e da sintonia que estabelece com seus mentores espirituais.  Inicialmente ela parece uma conversa de sua consciencia com voce mesmo, e creia, no inicio parecemos estar ficando malucos! rsrsrsr
Depois seus guias e mentores lhe mostrarão a literatura que vc precisa ler para se instruir.  Acredite nisto, tem sempre a mão os livros da codificação espirita, e leia-os aleatoriamente, refletindo com sinceridade sobre cada uma das passagens.
Ocorre que cada dia eem que voce se dedica a este  estudo, mais voce alimenta a sintonia, isto pode ser realizado num centro espirita, ou em horas especificas num local onde voce se sinta em equilibrio.
Logo vc começara a perceber o auxilio de seus mentores e guias, e necessariamente voce não precisa incorporá-los, basta escutá-los.
Abs, espero tê-la ajudado, pois assim iniciei e tem me sido muito gratificante,leia os textos que transcrevi!
Mirina

TRECHOS DO ENVAGELHO SEGUNDO O ESPIRITSMO

A FÉ DIVINA E A FÉ HUMANA

Os milagres de Cristo e dos Apóstolos são movidos pela Fé, pela crença no querer.
O magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação . É pela fé que ele cura  e produz seus efeitos, fenômenos estranhos que outrora eram qualificados de milagres.
Eu repito: a fé é humana e divina. Se todos os encarnados estivessem bem persuadidos da força que tem em si, se quisessem colocar sua vontade a serviço dessa força, seriam capazes de realizar o que, até o presente, chamou-se de prodígios, e que não é senão um desenvolvimento das faculdades humanas.

INTRODUÇÕES DOS ESPIRITOS

DAR-SE ÀQUELES QUE TEM


15 – “Dá-se àquele que já tem e se tira àquele que não tem”, meditai  estes grandes ensinamentos que, frequentemente vos pareceram paradoxais.  Aquele que recebeu é o que possui o sentido da palavra divina; não a recebeu senão porque tentou dela se tornar digno, e o Senhor, em seu amor misericordioso, encoraja os esforços que tendem ao bem.  Estes esforços firmes, perseverantes, atraem as graças do Senhor; é um imã que chama para si as melhoras progressivas, as graças abundantes que vos tornam fortes para escalar a montanha santa, no cume da qual está o repouso depois do trabalho.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 07 de Setembro de 2010, 20:21
hcancela, realmente não se trata de doutrina espírita, é outra vertente espiritualista.Nem melhor, nem pior, apenas é outra coisa.

Ana Paula, realmente centro algum ensina a manter contato com mentor. No máximo a doutrina ensina ou nos conduz a elevação de sintonia, a uma maior serenidade e por consequência, este contato pode ser se afinando, fluindo.
Aliás, muitas vezes este contato é feito, atendemos e nem nos damos conta disso.Principalmente no sono.

Procure uma casa espírita com estudo do Livro dos Médiuns ou Mediunidade com apostilas credenciadas pela FEB.Se um centro usa o termo "incorporar" ou "guias" e não promove cursos antes do trabalho mediúnico, é grande a probabilidade de não ser uma casa espírita e sim, espiritualista.Mesmo tendo o nome como "espírita" muitas casas não seguem a doutrina, a codificação.No site da FEB pode-se pesquisar casas espíritas "credenciadas",digamos assim.

É sempre válido o estudo da coficação, magnetismo, fluido cósmico universal, circuitos de comunicabilidade dos espírtos, influências fluídicas no psicossoma, níveis obssessivos, fascinação,etc. O livro Mecanismos da Mediunidade tb nos alerta dos perigos de se manter trabalhos mediúnicos em casa.

Eu quando recebo qualquer"visita" ou influência mentalizo a casa espírita e não raro, no dia da reunião lá está o mesmo assistido reunido com espíritos com necessidades similares. O processo de triagem ali ocorre no decorrer da semana.O pré-trabalho é de uma eficiência e organização impressionante.Assim como o ambiente saudável no durante e depois das reuniões que nos deixam cada vez mais preparados,visto que o risco de se manter sintonias densas ali é praticamente nulo.
Estas conclusões vem se confirmando conforme maior os estudos mediúnicos e instruções de mentores na casa espírita.É um trabalho gratificante.





Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: suealbernaz em 07 de Setembro de 2010, 20:44
Boa tarde a todos,

Faz algum tempo sinto necessidade de estudar mais acerca da doutrina espírita. Alguns anos atrás iniciei o estudo da mediunidade numa casa espírita, porém, acabei não concluindo. Estou pensando em procurar uma casa espírita para estudar sobre a mediunidade e desenvolvê-la. Gostaria da orientação de vocês.

Abraços
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 07 de Setembro de 2010, 20:57
Sue, ótima decisão. Retome seus estudos, isso lhe fará bem.
Procure se informar se na casa tem o ESDE (Estudo Sistematizado da Doutrina Espírita), este curso é excelente também.

Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: suealbernaz em 07 de Setembro de 2010, 21:47
Sol, na casa que eu pesquisei, tem esse grupo sim. Mas nesta não vi grupo sobre estudo da mediunidade, só numa outra. Será q devo optar pela outra? bjss
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Rosana.M em 07 de Setembro de 2010, 22:10
Estou iniciando o estudo de mediunidade,mas ainda não me tornei assidua no grupo mas esta semana o farei. Gostaria de lhe perguntar se é melhor entrar num grupo iniciante ou se já posso entrar num mais avançado. Obrigada. Rosana.M
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 08 de Setembro de 2010, 14:27
Sue, é sempre preferível ficar na casa espírita aonde vc já se sinta bem.
O ESDE vai dar uma boa base sobre a doutrina e isto inclui a mediunidade.É o básico para gente seguir os estudos com mais facilidade.
Informe-se na casa que vc está sobre curso de mediunidade ou do Livro dos Médiuns.
O essencial é o estudo por agora, depois vc dá um passo de cada vez.

Rosana, isso vc pergunta para o dirigente do departamento da mediunidade ou para o responsável pelo grupo.
Porém o estudo é de suma importância antes de ingressar no trabalho mediúnico.

A gente pode aprender a dirigir sozinho apenas com a teoria que adquirimos, mas certamente iremos cometer várias barberagens e correremos riscos, então, o melhor é aprender certinho, como se deve,né.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: suealbernaz em 10 de Setembro de 2010, 01:42
Oi Sol!
Obrigada por responder.

Eu morava noutro Estado quando frequentei a casa espírita e era bem mais nova. Então estou procurando por alguma casa espírita em que eu possa estudar e me sinta bem.

Cheguei a perguntar como é o trabalho numas das casas espíritas que entrei em contato e eles me disseram que eu teria que começar assistindo às palestras.

beijos
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: glória trindade em 10 de Setembro de 2010, 06:13
 Querida Débi:
 Percebo, embora já tenhas a mediunidade aflorada que ainda não és espírita, mas
 Sim uma simpatizante do espiritismo. O espiritismo é a doutrina dos espíritos e o
 Desenvolvimento mediúnico, sómente pode se assessorado por eles, para que haja
 segurança e não venhamos a cair em obsessão, é uma pratica delicada e sublime.
 É uma doutrina complexa e requer muito estudo para que não haja distorções na
 Sua pratica. Embora a mediunidade possa acontecer fora da doutrina,se não tiver
 O amparo de JESUS nos deixa a mercê dos maus espíritos, e o dom da mediunidade
 É-nos dado por DEUS para nossa evolução moral e espiritual. Quando conseguimos
 Dominar a nossa mediunidade com a certeza do concurso dos bons espíritos então
 Estaremos prontos para a pratica da caridade, porque esse é o objetivo de JESUS
 Dar-nos as ferramentas para ajudarmos os nossos semelhantes e com isso
 Evoluirmos para DEUS. Na minha humilde opinião deves buscar estudar a doutrina
 Pois percebo que o teu dom não é passageiro e poderás vir a ser uma médium
 Bem desenvolvida. Esses fenômenos que te acontecem nada mais são de que um
 Chamamento, e deves levá-lo a sério praticando com amor e com JESUS.
 Começa por fazer o evangelho no lar uma vez por semana para que tenhas proteção
 Permanente dos bons espíritos Tira meia hora do teu tempo, uma vez por semana
 Recolhe-te no teu lar e lê uma pagina do evangelho e terás JESUS no teu coração
 E muita proteção espiritual

 Muita paz e luz no teu caminho

 Estudante on-line.
  :-*
 
 
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Debby Baby em 28 de Outubro de 2010, 03:40
Amigos e irmãos, boa noite a todos!
Faz tempo que postei este tópico mas de lá para cá muita coisa tem acontecido.
Sinceramente, hoje em dia eu não sei se quero ser medium, penso que quero a minha vida normal, apenas.
Por outro lado me sinto confusa e dividida. Sumi do fórum e me afastei de tudo isso porque senti que precisava de um tempo para me encontrar e encontrar as respostas dentro de mim.
Detesto parecer fraca, chorosa. Não gosto de me lamentar e dar uma de coitadinha, mas a verdade é que eu estou precisando de ajuda e não sei a quem pedir.
Minha mãe que a dada altura se mostrou disposta a me apoiar, agora me diz que espiritismo não é para ela. Que me respeita mas que não quer nada com "gente desencarnada" e que não entende a finalidade de ser medium, enfim. São as suas ideias.
A minha avó é da Igreja Universal e só fala mal do espiritismo, diz que é coisa do mal e tudo que vocês já sabem.
Minha família não é espírita, todos me aconselham a ficar longe, me assustam com histórias estranhas e eu não tenho com quem falar, com quem me abrir e pedir esclarecimento.
Para quem ainda não sabe, ou se esqueceu, não existe centro espírita onde moro, apenas um parecido mas as reuniões andam meio desorganizados e eu não encontro ali as respostas que busco. Suponho que estejam em mim mesma, e é por isso que tenho rezado muito a Deus para me mostrar a verdade e me conduzir na direção certa. Eu espero que Deus dissipe as minhas dúvidas e me mostre claramente se o espiritismo é ou não o que eu devo seguir.
Me perdoem todos vocês, meus amigos, mas eu não sei de mais nada, nem sei o que pensar, nem em quem acreditar.
Livros eu comprei todos, a codificação e mais alguns tipo Nosso Lar, entre outros. Li o Livro do Espíritos até quase ao fim até que o abandonei na estante quando comecei a me sentir desanimada.
Estou me sentindo meia que traída pelos espíritos, sinto que fui enganada. Brincaram comigo e disseram coisas que não aconteceram, inclusive disseram ser o meu irmão, meu avô e eu nem mesmo sei se é verdade ou não. Meu irmão disse que ia voltar como meu filho e já passou o mês que supostamente eu engravidaria, e penso que poderia ser um espírito zombeteiro tirando onda com a minha cara. Que maldade. Talvez por isso a minha mãe tenha preferido ficar longe. Ela diz, e eu a entendo, que tem mais o que fazer do que estabelecer comunicações que hoje falam uma coisa e amanhã falam outra.
Sei que vão dizer que só o tempo e o estudo para identificar tudo isso, mas já que eu moro num lugar onde não tenho acesso a centros espiritas então o melhor a fazer é desistir de tudo pois centros não há  e isolada em casa dizem que é perigoso.
Entendem o meu dilema? Só preciso de orientação, de apoio, conforto, e não sei o que fazer. Não nasci espírita, nem num meio tal. Sou verde no assunto, sinto-me perdida e pior ainda por não ter o apoio da minha família. Sou apegada demais a minha família.
Ultimamente eu sentia impulsos constantes no braço, na mão, para escrever até sem papel, as vezes no meio de pessoas e eu claro, disfarçava. No começo achava isso bom, mas depois vi que não era, que tinha que disciplinar e tal.
Entretanto teve um período em que fiquei muito estranha sem ter real consciência disso e a minha mãe me levou a um psiquiatra depois de uma crise de pânico que me diagnosticou depressão leve a moderada pois de fato eu não saía mais de casa, nem para trabalhar, nem para me divertir. Estava sem ânimo para nada, me afastei das pessoas, enfim, tudo sintomas de depressão. Então, sem falar pra ninguém comecei a achar que poderia ser o caso de influência espiritual. Não sei. Só sei que decidi não tomar o antidepressivo e estou reagindo bem sozinha, estou me levantando e já me sinto com mais ânimo, mas entretanto parei com tudo: psicografar nem quero ouvir falar e os impulsos no braço quase sumiram, de vez em quando como agora eu sinto alguma coisa como que querendo vir, ou assim, mas eu sou firme e não quero e pronto. Decidi que não vou mais psicografar, nem nada, enquanto não tiver uma luz. Nem os livros quero ler.
As vezes acho que devia esquecer isso tudo e fingir que nunca aconteceu, pois tenho a impressão que só me causou dor e decepção, dúvidas e medos, mas ao mesmo tempo continuo rezando para Deus me iluminar e mostrar a verdade porque esta coisa não sai da minha cabeça.
Perdoem a extensão deste texto, e o meu desabafo. O texto deve estar até meio desestruturado, mas eu estou despejando o que me vai na alma, então perdoem qualquer erro de digitação que encontrem.
Me sinto esgotada. Investi muito de mim durante os primeiros meses, criei expectativas, acreditei tanto e hoje não sei o que fazer.
Sei que Deus me protege em todas as horas, a mim e a minha filha também, todos aqui em casa, mas temo lidar com a mentira e a falta de escrúpulos, temo coisas que nem sei explicar.
Me ajudem, irmãos, o que eu faço? Tenho receio de enlouquecer, já ouvi e li por aí que os espiritas são deprimidos ou loucos :( e eu sempre fui feliz e alegre, popular, divertida, extrovertida ... de repente estou meia pra baixo e não deixo de admitir que a causa seja espiritual.
Será então que é culpa minha? Eu dei abertura? Eu não tive cuidado? Foi por eu praticar em casa? Já nem sei o que pensar e minha avó insiste em me levar a uma sessão de descarrego na Universal :(
Deus me conhece e sabe que sempre tive boa intenção. Se é um dom eu sempre quis usar para O servir, mas não quero a minha vida toda bagunçada por causa disso. Se for para ser assim então prefiro não fazer uso dessa mediunidade e voltar a ser a pessoa que sempre fui.
Acho que nunca estive tão confusa e sem rumo em toda a minha vida ...
Muito obrigada a todos vocês e desculpem por qualquer coisa.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: La. em 01 de Novembro de 2010, 13:21
Ei Debby

O que eu posso te dizer é que viva sua vida da melhor forma, nao se esqueça da prece que é um lenitivo e o evangelho que nos é o sustentaculo.

Mediunidade vem para nos ajudar, apesar dos muitos obstaculos que temos que superar, eu te digo que os primeiros indicios da minha mediunidade foram aos 12 anos, ja se passaram 12 anos de la para ca, e ate hoje eu nao desevolvi estou me educando.

Seja feliz, viva bem e paute sua vida no evagelho. Essa é a receita do bom espirita.

O futuro  a Deus perentece nao é?

abraços!
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Blue soft em 01 de Novembro de 2010, 22:18
Amigos e irmãos, boa noite a todos!
Faz tempo que postei este tópico mas de lá para cá muita coisa tem acontecido.
Sinceramente, hoje em dia eu não sei se quero ser medium, penso que quero a minha vida normal, apenas.
Por outro lado me sinto confusa e dividida. Sumi do fórum e me afastei de tudo isso porque senti que precisava de um tempo para me encontrar e encontrar as respostas dentro de mim.
Detesto parecer fraca, chorosa. Não gosto de me lamentar e dar uma de coitadinha, mas a verdade é que eu estou precisando de ajuda e não sei a quem pedir.
Minha mãe que a dada altura se mostrou disposta a me apoiar, agora me diz que espiritismo não é para ela. Que me respeita mas que não quer nada com "gente desencarnada" e que não entende a finalidade de ser medium, enfim. São as suas ideias.
A minha avó é da Igreja Universal e só fala mal do espiritismo, diz que é coisa do mal e tudo que vocês já sabem.
Minha família não é espírita, todos me aconselham a ficar longe, me assustam com histórias estranhas e eu não tenho com quem falar, com quem me abrir e pedir esclarecimento.
Para quem ainda não sabe, ou se esqueceu, não existe centro espírita onde moro, apenas um parecido mas as reuniões andam meio desorganizados e eu não encontro ali as respostas que busco. Suponho que estejam em mim mesma, e é por isso que tenho rezado muito a Deus para me mostrar a verdade e me conduzir na direção certa. Eu espero que Deus dissipe as minhas dúvidas e me mostre claramente se o espiritismo é ou não o que eu devo seguir.
Me perdoem todos vocês, meus amigos, mas eu não sei de mais nada, nem sei o que pensar, nem em quem acreditar.
Livros eu comprei todos, a codificação e mais alguns tipo Nosso Lar, entre outros. Li o Livro do Espíritos até quase ao fim até que o abandonei na estante quando comecei a me sentir desanimada.
Estou me sentindo meia que traída pelos espíritos, sinto que fui enganada. Brincaram comigo e disseram coisas que não aconteceram, inclusive disseram ser o meu irmão, meu avô e eu nem mesmo sei se é verdade ou não. Meu irmão disse que ia voltar como meu filho e já passou o mês que supostamente eu engravidaria, e penso que poderia ser um espírito zombeteiro tirando onda com a minha cara. Que maldade. Talvez por isso a minha mãe tenha preferido ficar longe. Ela diz, e eu a entendo, que tem mais o que fazer do que estabelecer comunicações que hoje falam uma coisa e amanhã falam outra.
Sei que vão dizer que só o tempo e o estudo para identificar tudo isso, mas já que eu moro num lugar onde não tenho acesso a centros espiritas então o melhor a fazer é desistir de tudo pois centros não há  e isolada em casa dizem que é perigoso.
Entendem o meu dilema? Só preciso de orientação, de apoio, conforto, e não sei o que fazer. Não nasci espírita, nem num meio tal. Sou verde no assunto, sinto-me perdida e pior ainda por não ter o apoio da minha família. Sou apegada demais a minha família.
Ultimamente eu sentia impulsos constantes no braço, na mão, para escrever até sem papel, as vezes no meio de pessoas e eu claro, disfarçava. No começo achava isso bom, mas depois vi que não era, que tinha que disciplinar e tal.
Entretanto teve um período em que fiquei muito estranha sem ter real consciência disso e a minha mãe me levou a um psiquiatra depois de uma crise de pânico que me diagnosticou depressão leve a moderada pois de fato eu não saía mais de casa, nem para trabalhar, nem para me divertir. Estava sem ânimo para nada, me afastei das pessoas, enfim, tudo sintomas de depressão. Então, sem falar pra ninguém comecei a achar que poderia ser o caso de influência espiritual. Não sei. Só sei que decidi não tomar o antidepressivo e estou reagindo bem sozinha, estou me levantando e já me sinto com mais ânimo, mas entretanto parei com tudo: psicografar nem quero ouvir falar e os impulsos no braço quase sumiram, de vez em quando como agora eu sinto alguma coisa como que querendo vir, ou assim, mas eu sou firme e não quero e pronto. Decidi que não vou mais psicografar, nem nada, enquanto não tiver uma luz. Nem os livros quero ler.
As vezes acho que devia esquecer isso tudo e fingir que nunca aconteceu, pois tenho a impressão que só me causou dor e decepção, dúvidas e medos, mas ao mesmo tempo continuo rezando para Deus me iluminar e mostrar a verdade porque esta coisa não sai da minha cabeça.
Perdoem a extensão deste texto, e o meu desabafo. O texto deve estar até meio desestruturado, mas eu estou despejando o que me vai na alma, então perdoem qualquer erro de digitação que encontrem.
Me sinto esgotada. Investi muito de mim durante os primeiros meses, criei expectativas, acreditei tanto e hoje não sei o que fazer.
Sei que Deus me protege em todas as horas, a mim e a minha filha também, todos aqui em casa, mas temo lidar com a mentira e a falta de escrúpulos, temo coisas que nem sei explicar.
Me ajudem, irmãos, o que eu faço? Tenho receio de enlouquecer, já ouvi e li por aí que os espiritas são deprimidos ou loucos :( e eu sempre fui feliz e alegre, popular, divertida, extrovertida ... de repente estou meia pra baixo e não deixo de admitir que a causa seja espiritual.
Será então que é culpa minha? Eu dei abertura? Eu não tive cuidado? Foi por eu praticar em casa? Já nem sei o que pensar e minha avó insiste em me levar a uma sessão de descarrego na Universal :(
Deus me conhece e sabe que sempre tive boa intenção. Se é um dom eu sempre quis usar para O servir, mas não quero a minha vida toda bagunçada por causa disso. Se for para ser assim então prefiro não fazer uso dessa mediunidade e voltar a ser a pessoa que sempre fui.
Acho que nunca estive tão confusa e sem rumo em toda a minha vida ...
Muito obrigada a todos vocês e desculpem por qualquer coisa.

        Debby querida,
quanto tempo, senti sua falta por aqui.
       Bem, menina, cada vez que te ouço tenho uma surpresa,
mas, posso te dizer uma coisa? Gosto de você, da sua sinceridade
e da sua maneira de colocar às coisas.
        Olha, embora, parecesse que todos estávamos contra você,
na verdade, estávamos tentando zelar pela sua integridade, mas,
isto pouco deu certo, porque, como você mesma disse, se "jogou
de cabeça"...
         Contudo, esqueceu de uma regra básica, que aprendemos
desde a infância, não darmos ouvidos a desconhecidos e esta
regra nos serve para tudo na vida.
         A mediunidade é uma desconhecida, na medida em que
lida com espíritos de toda ordem, ser enganada, mas, quem
nesta vida, nunca foi enganado e por encarnados?
        Eu já fui...
        Refleti sobre seu texto e pensei, meu Deus,  será que
estamos voltando a um passado e o mediunismo é mais importante
do que o estudo, você disse que leu O Livro dos Espíritos,
porém, não o estudou, pois a escala espírita está contida neste
livro e lá, talvez, ficaria mais claro com que espírito está lidando,
pois, espíritos que fazem advinhação, que falam sobre datas,
que dão notícias de coisas que não sejam importantes para toda
a humanidade, não são sérios.
        Aprendemos com muita dificuldade, que os espíritos que
primeiro dão sinal de sua existência são os de classe igual ou
inferior a nossa, sendo assim, a vaidade se esvai e percebemos
que a nossa índole deve ser irretocável, a nossa fé inquebrantável
e o nosso orgulho, jogado de fora de dentro do nosso ser e isto
tudo associado a um estudo sério, pois só desta maneira,
conseguiria lidar com estes espíritos que nos cercam.
        Querida Debby, ore a Deus para que lhe dê forças para
prosseguir seu caminho, para que a abençoe com um Centro em
sua Cidade e enquanto isso não acontece, faça o Evangelho no Lar,
não como um estimulador de fenômenos, mas como um estudo
que te faça ficar mais tranquila, para a prender a aceitar às pessoas,
para entender quem te chegue, pois, amiga, uma coisa que aprendi
na Doutrina Espírita, antes de sabermos lidar com desencarnados,
precisamos aprender a lidar com os encarnados.
        Por enquanto, porque, não auxiliar os encarnados de sua terra,
levar alento, carinho, palavras doces e tudo o que necessitem, seja
médium sim, mas médium do amor, doe-se ao próximo, pois amiga,
o ato de levar benesses ao próximo chamará para seu convívio os
benfeitores e te dará forças e equilíbrio para continuar a caminhada.

                       Que Jesus abençoe a você e sua família
                             

                           Carinhos,


                                  Blue Soft

         
       
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: amrita em 14 de Dezembro de 2010, 03:39
Olá!
Gostaria de ter encontrado este forum antes, mas sempre é tempo não?!
Estou nesta fase de desenvovimento medíunico, e venho percebendo a importancia de se ter paciência. A algum tempo fiquei a ponto de enlouquecer: senti pânico, depressão, vontade de morrer; havia começado a trabalhar em mesa de desenvovlimento mediunico: sentia presenças, pressões em todo o meu corpo, formigar, solavancos...ui...muitas coisas, mas não conseguia dar uma passagem inteligivel.
Devorei vários livros, queria saber os bastidores de um trabalho mediunico, estava quase obcecada, e me sentindo super confusa, não conseguiu estudar assuntos da faculdade...
Resolvi então dar um tempo! "Escondi" todos os livros, e parei de ir ao trabalho mediunico. Isto tem quase dois meses. Estou fazendo aulas do evangelho segundo espiritismo, uma vez  por semana, tomando passe, e me esforçando para orar todos os dias.
Percebi, e também algumas pessoas me falaram, que o desenvolvimento mediunico pode provocar certo expurgo, tipo, suas questoes internas afloram, para que voce as resolva, daí surgirem as crises. Também que, as entidades que se aproximam de nós é por afinidade( digo no dia a dia), o que pode fazer aumentar nossas angustias. Nosso sofrimento. Aprendi também, na verdade li por "acaso" em um livro, que entidades não muito boas podem usar o  ectoplasma para nos causar sensaçoes, como as do panico... Eu me achei bem neste caso viu...
Outra coisa que aprendi é não ficar pesando sobre minhas próprias angustias, ficar fazendo papel de vitima, isso atrai uma galera não muito boa, corrijam-me se estiver errada

mas concluindo minha exposição, tenho me sentido bem, sei das questoes pessoais que preciso resolver para que meu desenvolviemtno seja pleno, e estou feliz por não ter desistido desse caminho!
Aconselho a Debbi a Pesquisar centros ou grupos em cidades vizinhas, de repente, quem sabe?
Conheci uma senhora de 90 anos, que por trinta anos de sua vida viajava de santos a campinas para ir ao centro espirita!

Abraços
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 18 de Dezembro de 2010, 16:40
Muito boa sua resposta Rita,


de fato, tenho me sentido assim nesta fase de expurgo, nooossa como é dificil!
Mas, lendo seu texto fiquei mais tranquila, é dificil mas é necessário e não é impossivel.
Vou ter que enfrentar mesmo todos esses eus que moram dentro de mim, e, depois de suar muito, unifica-los e coloca-los em uma unica direção, todos no mesmo trilho, no caminho do progresso.

Obrigada amiga,

fique sempre na luz juntinho de Deus.

Abs,
Mirina
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: ponto em 24 de Dezembro de 2010, 19:12
Gente..queria contar u caso de meu de mediunidade e queria resposta pela minha duvida....hehe se puderem
e assim, desde que entrei no centro espirita (a menos de um ano) sei que sou medium sensitiva-sinto o que os espiritos estao sentindo- eu choro, minha mao furmiga, sinto dores e tal... dai esses dias numa das reunioes eu como sempre estava 'viajando' e nao conseguia a muito tempo sentir muita coisa nao..parece como algo que empede a minha mediunidade.. dai eu estava la centada e derrepente, otro medium "encorporado"(nao sei a palavra certa) chegou perto de mim (o espirito era de um senhor) e pois a mao na minha cabeça e falou alguma coisa que eu nao lembro..dai eu comecei a chorar e sentir o espirito q estava proximo... dai a pessoa que estava me doutrinando perguntava..e eu respondia que estava com saudade.. nao sei pq eu falei isso.. mas enfim... eu sou totalmente conciente e no final das contas eu sei que os espiritos que 'vem pra mim' tentam falar e nao conseguem.. e essa vez q eu flei q tava com saudade..o espirito foi pra outra medium..era uma menina q tinha saudade dos pais e nao consegue 'sair dessa' pq os pais pensam muito nela ainda...
bom eu sei quem e essa menina que morreu.. e antes eu tinha escrito o nome dela dos desencarnados..mas nunca tinha escrito.. escrevi bem no dia q ela foi..
mas a minha duvida mesmo e que eu nao consigo falar o que eles querem eu acho que a comunicaçao deles pra mim vem por meio de intuiçao mas nao sei escutar.. e muito dificil, mas tb tenho muita dificuldade de começar a sentir o espirito..
nao sei o que fazer.. a mas tipo eu nao teho medo nenhum entendem.. eu apenas nao consigo comunicar.parece algo me impedindo de falar por eles
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Debby Baby em 30 de Dezembro de 2010, 02:47
Letícia, isso também tem me acontecido ( entre tantas outras coisas ) de sentir que eles querem que eu fale e eu não consigo repetir o que estou ouvindo intuitivamente porque duvido de mim mesma. As vezes, de olhos fechados, minha boca se abre mas só fico balbuciando, não sai nada. No meu caso talvez eu tenha receio de me entregar totalmente ao ponto de captar as mensagens.
Também já me aconteceu de sentir a emoção de espíritos, como raiva e sentir o impulso de jogar um copo de água contra a parede, ao qual resisti, e de chorar por uma emoção dolorosa que não é minha.
Só que como você também busco respostas.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Juju Dias em 30 de Dezembro de 2010, 03:35
  Olá...fiquei mto feliz em encontrar esse site por acaso...tenho pouco conhecimento com o Espiritismo por falta de estudos,mas  o pouco q sei já me é o suficiente para compreender o q se passa no meu cotidiano!!! Tenho poucas experiencias para  lhes passar...portanto penso q  nao seja viavel...contar...só gostaria de deixar em enfase q sinto q minha mediunidade está aflorando com o passar do tempo!!!
  É como se eu esperasse mais ...aparecer ou alguma comunnicação...e revelo a voces q sinto medo...então veem a pergunta como devo reagir nessa situação sentindo medo?
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Debby Baby em 30 de Dezembro de 2010, 18:29
Eu também já senti medo, e em raras circunstâncias, ainda sinto. Mas esse medo eu acho que a gente só perde confiando em nós mesmos, ouvindo a nossa Voz Interior que sempre nos indica o caminho certo se a gente souber ouvir. Continue lendo, estudando e não force nada, não crie expectativas. É isto que eu tenho feito. Teve até um período em que me afastei por completo de tudo isso porque queria pôr a cabeça no lugar, dar um tempo e entendi que se eu me fecho, nada acontece. Gostei de ter esse espaço para me entender e entender melhor essas coisas. Sou uma leiga, ainda estou muito longe de saber todas as respostas, mas tenho muita FÉ em DEUS e sei que ELE sempre está ao meu lado, guiando e protegendo :)
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: J. Rogers em 23 de Janeiro de 2011, 15:34
Olá, irmãos. Sou novo aqui, gostaria de, aproveitando o assunto abordado, tirar algumas dúvidas.
Assim como muitos que aqui escreveram, estou em desenvolvimento mediúnico ou, como preferem alguns, disciplinando minha mediunidade, e estou, portanto, repleto de dúvidas. Tenho 30 anos, sempre fui espírita, mas há cerca de dois anos me “descobri” médium.  Ao contrário de muitos, não vi nenhum vulto, não senti impulso de escrever ou arrepios, quer dizer, nenhum sintoma clássico de mediunidade. Justamente por isso, que dizer, por começar a educar minha mediunidade sem ver, ouvir ou pelo menos sentir conscientemente a presença de espíritos é que tenho dúvidas a respeito da real existência dessa faculdade em mim.
Bom, devo explicar que, na realidade, a dirigente do grupo que freqüento (aliás, uma distinta senhora, experiente e estudiosa, dotada de excepcional faculdade mediúnica) é que afirmou a necessidade de eu desenvolver a mediunidade. Baseado em que ela disse isso? Não sei!!! Era do conhecimento dela apenas que havia tido crises de pânico. então peço que me ajudem: será que se pode saber se alguém é médium sem divisar nessa pessoa os sintomas da mediunidade? Sendo ela uma médium muito experiente, ela pode, talvez por orientação de seu mentor, descobrir essa faculdade em outrem? E o que tem mais me corroído a mente: pode existir ligação entre mediunidade e transtorno do pânico? É possível que esse transtorno seja curado com o desenvolvimento mediúnico? Me ajudem, por favor!!!! Obrigado!
P.S.:  Venho me tratando com psiquiatra, faço uso, portanto , de medicamento e já freqüentei psicólogo. Também procurei  reorientar minha postura, no  esforço de seguir os ensinamentos de Cristo.
P.S. 2: há cerca de uma década, uma pessoa mediunizada havia dito, sem nunca me ver antes, que eu era médium. Como é possível???
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mourarego em 23 de Janeiro de 2011, 19:36
Amigo Rogers,
Todos somos médiuns, diz o LM.
Tal fato, que é verdadeiro, não faz com que você psicografe, veja ou seja portador de mensagens faladas pelos Espíritos.
Chama-se a isso faculdade medianímica.
alguns têm muitas outros nenhuma. kardec não tinha nenhuma delas.
É comum encontramos pessoas que nos falam que somos e que precisamos desenvolver. é que elas não conhecem bem a doutrina e misturam mediunidade com faculdade medianímica.
Basta que se pergunte e qual faculdade eu tenho que a conversa acaba.
Ninguém segundo kardec está apto a dizer este é aquele não é.
mesmo no que toca ao aprimoramento que eu chamo de adestramento do médium para a faculdade que este tenha, algumas podem ser fortificadas, quer dizer educando-se o médium, outras não podem ser.
Poucos são os que estudam regular, metódica e perseverantemente a doutrina e por isso essa coisa toda.
abraços,
Moura
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 24 de Janeiro de 2011, 13:55
Mirina,
com toda fraternidade e compreensão, mas quem discorda de ti não deve ser chamado de "cético".
São apenas colocações diferentes.

Eu consigo ver no LM várias colocações não recomendando reuniões em casa, ou "particulares".

Apenas uma citação para ilustrar o debate:

"329. As reuniões de estudo são ainda de grande utilidade para os médiuns de manifestações inteligentes, sobretudo para os que desejam seriamente aperfeiçoar-se e por isso mesmo não comparecem a elas com a tola presunção da infalibilidade. Uma das grandes dificuldades da prática mediúnica, como já dissemos, encontra-se na obsessão e na fascinação. Eles poderiam, pois, iludir-se de muito boa fé quanto ao mérito das comunicações obtidas. Compreende-se que os Espíritos enganadores encontram caminho aberto quando lidam com a pessoa ignorante do assunto. É por isso que procuram afastar o médium de todo o controle, chegando mesmo, quando necessário, a fazê-lo tomar aversão a quem quer que possa esclarecê-lo. Graças ao isolamento e à fascinação, podem facilmente levá-lo a aceitar tudo o que quiserem.

Nunca repetiríamos demasiado: aí está não somente uma dificuldade, mas um perigo. Sim, podemos dizê-lo, um verdadeiro perigo. O único meio de escapar a ele é submeter-se o médium ao controle de pessoas desinteressadas e bondosas que, julgando as comunicações com frieza e imparcialidade, possam abrir-lhe os olhos e levá-lo a perceber o que não pode ver por si mesmo. Ora, todo médium que teme esse julgamento já se encontra no caminho da obsessão. Aquele que pensa que a luz só foi feita para ele já está completamente subjugado. Se leva a mal as observações e as repele, irritando-se com elas, não há dúvida quanto à natureza má do Espírito que o assiste. (...)"
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mourarego em 24 de Janeiro de 2011, 14:20
Onde elas estão nesse excerto que você trás, maninha Sol?
Relembro, Kardec na RE e em O.P. fala sobre grupos familiares e os diz bons para iniciação e estudo.
No ESE temos que este estudo é feito em casa, tanto que alguns errôneamente o chamam de "culto" no lar. Obsever-se, entretanto, que o que está em erro é o vocábulo "culto" já que a doutrina não o tem.
Aliás diz mais o codificador "os pequenos grupos são os que mais corretas  mensagens recebem já que a homogeneidade ou seja a comunhão de pensamentos ali é maior".
POra tratamos aqui de reuniões de estudo, mesmo que estas sejam de investigação mediúnica. O que se deve fazer é manter-se um local fora do convívio diário para esse fim.
Herculano, Carlos Imbassahy, Juliode Abreu Filho, Adelino e outros todos estes mantiveram grupos em suas residências. Herculano, hoje sua familia matem este grupo na garagem de casa.
Carlos Imbassahy manteve por mais de dez anos um grupo puramente de investigação de fenômenos de materialização em sua própria casa em Niterói.
Abraços,
Moura
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 25 de Janeiro de 2011, 02:34
Amiga Sol,

faço aqui coro com o Moura.  Reuniões menores são mais faceis de dirigir do que as grandes do CE.
Principalmente, no meu entendimento agora, quando se tratam de estudos e investigação, porque é mais facil de encontrar pessoas com o mesmo objetivo.

Os centros espiritas tem uma ação mais socorrista do que investigativa, sem depreciar o trabalho, mas são situações e vibrações diferentes.
Agora, baseada no LE, qualquer comunicação, mesmo decorrentes de espiritos zombeteiros guardam ensinamentos que nos são valiosos.  E mais, todo o mal encerra em si o próprio remedio.
Respeito sua opnião, porém já passei por diversas experiencias e cada uma delas me foi infinitamente valiosa, o que tenho por regra é que em questão de espiritismo e doutrina a melhor regra é a experiencia pessoal, pois dela levaremos lições valiosas que nos auxiliaram em nossa caminhada de purificação.

Abs e muita luz em seu caminho,
Mirina
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mourarego em 25 de Janeiro de 2011, 14:03
Mirina, você toca em tema interessante e importante.
As comunicações de Espíritos ainda em fase inicial de caminhada, são importantes pois no fundo, e com o decorrer delas se vai analisando o progresso daquele Espírito.
Kardec fazia muito disso na Sociedade parisiense de Estudos Espíritas.
agradeço a você por esta lembrança que já eu me esquecera.
Abraços,
Moura
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Rose FRA em 12 de Fevereiro de 2011, 15:45
Boa Tarde amigos de forum,

sobre Mediunidade, segue um texto que me esclareceu muito.  Espero que esclareca e ajude os irmaos aqui também.

Mediunidade

O ser é uma consciência em estado de evolucao permanente.  Dentro do espaco de atuacao da inteligência convivem muitas dimensoes, aguardando serem devassadas pela instumentalidade psíquica à disposicao do esírito em sua própria intimidade.  A mediunidade desponta, nesse contexto, como uma faculdade própria do ser em evolucao, destinada aser um portal de comunicacao entre os diversos planos existenciais.  O fenômeno mediúnico entre os diversos planos existenciais.   Ele participa da própria natureza do ser e com ele se desenvolve ao longo de sua trajetória evolutiva, num entrosamento de energias e mentes que se completam no trabalho íntimo de aperfeicoamento.

Com a vulgarizacao da mediunidade a partir do sec. XIX, assimo como com o advento do Espiritismo, grande numero de indivíduos possuidores de faculdades psíquicas em expansao têm-se mostrado ao mundo como médiuns, sensitivos e paranormais.

Mesmo diante dos estudos e observacoes do nosso querido Allan Kardec, em O Livro dos Médiuns - tratado experimental de ciências psíquicas -, o plano espiritual sentiu necessidade de fazer algumas observacoes no que concerne a certas faculdades, a fim de facilitar a compreensao dos encarnados da Terra.

Nem todos que se dizem médiuns sao médiuns no conceito mais amplo do termo.  É por essa razao que temos que ficar atentos quanto às pretensas comunicacoes e faculdades mediúnicas, principalmente se a pessoa é propensa a misticismos e sentimentalismo exagerado.   Messes casos, é comum que o iniciado na vida espiritual confunda certos padroes mentais de exteriorizacao das faculdades anímicas com a mediunidade.  O fenômeno mediúnico é único, inconfundível e deve ser estudado seriamente e cientificamente através de metodologia particular, já descritas nas obras da codificacao espírita.

Para que o ser entre em contato com inteligência extrafísica há que modificar o seu padrao vibracional.  Somente em estado diferenciado daquele observado na vigília física ordinária será possível ao sensitivo perceber os elementos, paisagens ou habitantes de outras dimensoes.  Isso ocorre pq o corpo físico e o cérebro humanos funcionam como poderoso campo inibidor que amortece as energias psíquicas.   Isso impede que, em estado de consciência ordinário, o homem esteja permanentemente conectado ao mundo extrafísico.  Torna-se imperativo, portanto, o adestramento das faculdades psíquicas, que visa capacitar o sensitivo a alcancar estados alterados de consciência e, dessa forma, perceber os fluidos, as energias, as vibracoes e os pensamentos que povoam o mundo espiritual.

Os esclarecimentos nos levam a estudar antes de atuar, para que nao nos tornemos escravos dos espíritos, mas sim donos e senhores das nossas faculdades mediunicas.  Assim agindo, podemos dizer que seremos uma boa ferramenta para os espíritos.   Nao importa se seremos ferramentas para  espiritos de luz, de espiritos sofredores e zombeteiros, o que importa é que se estudarmos e poderemos com o tempo de uso de nossa faculdade, distinguir qual o espirito que está nos procurando naquele exato momento.

Por isso meus Amigos, estudar e vivenciar o Eganlho de Jesus, nos leva a uma reforma íntima que nos facilitará para sempre, tanto na comunicacao com o plano espiritual como com a comunicacao com os nossos irmaos encarnados, que fazem parte do nosso circulo da vida atual.... quem vemos e a quem nao vemos!!

Fiquem na paz do Nosso Senhor Jesus Cristo e com a Luz de Deus nos ilumando.

Mais detalhes, Livro - Além da Matéria - Uma ponte entre ciência e espiritualidade - Joseph Gleber psicografado por Robson Pinheiro.
Abracos fraternos,

Rose
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: CrisHenriques em 30 de Abril de 2011, 23:58
Boa noite a todos,

Que a Paz esteja convosco.
O meu nome é Cris e como todos neste Forum também eu tenho uma história...
Nasci com muita mediunidade, via espíritas em bebé. No entanto, tinha muitos problemas de saúde e uma pessoa aconselhou a minha Mãe e a minha Avó a levarem-me a algum lugar para me fecharem o "cofre", pois este estava aberto e era devido a isto que a minha saúde era débil. Elas assim o fizeram, levaram-me a Évora no Alto-Alentejo e numa igreja, um padre especialista em exorcísmo fechou-me o "cofre" durante uma missa, tais como o da minha Mãe que me tinha no colo e também fechou o da minha Avó que nos acompanhava. Desde daí, a minha saúde melhorou muito acentuadamente deixando então de conseguir ver os espíritas.
Cresci e apesar de crescer numa família católica, nunca fui muito ligada à religião. Era muito céptica. Porém, quando entre os 21 e os 22 anos, comecei a interessar-me pela espiritualidade. Nessa altura estava de férias e numa dessas tardes em que me preparava para dormir a sesta peguei numa revista esóterica e comecei a ler um artigo que falava de meditação com visualização criativa, que continha um excercício prático para fazer passar as dores físicas. A príncipio, achei que aquilo era uma "fantochada" ridícula e sem nexo nenhum mas à medida que lia sentia curiosidade de experimentar só para provar a mim mesma que aquilo era tudo uma aldrabice e assim fiz. Fi-lo nessa mesma tarde, pois estava com uma forte dor de cabeça que quando acabei de fazer o exercício, já não doía!
Fiquei muito surpreendida e continuei a ler a revista, que continha também um artigo que falava de telepatia. Experimentei fazer também e resultou à primeira, mas como tinha feito com a minha Mãe e como estavamos perto uma da outra, tive dúvidas e fiz novamente mas com uma amiga que se encontrava longe. Concentrei-me nela toda a tarde, pedi para ela me telefonar nessa noite e de facto isso aconteceu.
A partir daqui, comecei a acreditar nas coisas e principiei-me a estudar a astrologia, li muitos livros de vários autores tais como: Raymond Moody, Paulo Coelho, Allan Kardec, Brian L. Weiss, Dulce Regina, Alexandra Solnado, Osho, Shakty Gwaine, Ronda Byrne, etc. A minha mediúnidade foi-se desenvolvendo através da meditação com visualização criativa e é através dos sonhos que o meu Guia Espitual comunica comigo.
Actualmente, estou mais intuitiva e acabei por desenvolver outra faculdade que desconhecia ter: quando olho fotografias de pessoas desconhecidas consigo decifrar o que elas são olhando os seus olhos e 99,0% das vezes o vejo nas fotos está correcto!
Se alguém aí me puder ajudar a saber o nome desta faculdade e a desenvolvê-la fico muito agredecida.
Esta é a minha história.
Obrigada.

Abraços de Luz,

Cris.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: S0L em 01 de Maio de 2011, 14:28
Cris, não adianta muitos livros sem aprofundamento científico da faculdade mediúnica.
Eu recomendaria fazer um curso sério na mediunidade numa casa espírita para ter base sólida desta ciência e daí, só depois, vc optaria que caminho seguir.

Essa salada de fontes, uma contradiz a outra e isso não me parece muito proveitoso...
Todos os fenômenos que vc narra são comuns.O entendimento mostra que de nada tem de extraordinário.
Mas para poder entendê-los e ainda, saber o que são, qual utilidade, como funcionam, é preciso o estudo dedicado numa casa espírita aonde pessoas com mais conhecimentos da doutrina e seus atributos podem ajudar.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Victor Passos em 01 de Maio de 2011, 15:13
Ola muita paz e harmonia
Ãmiga Sol e Cris

 Deizxo aqui este texto que pode levar a uma melhor reflexºão.

Educação Mediúnica

        O exercício da mediunidade impõe disciplina, equilíbrio, perseverança e sintonia.

        A disciplina, moral e mental, criará hábitos salutares que atrairão os Espíritos Superiores interessados no intercâmbio entre as duas esferas da Vida, facilitando o ministério.

        O equilíbrio, no comedimento das atitudes, durante a absorção dos fluidos e posterior comunhão psíquica com os desencarnados, auxiliará de forma eficaz na filtragem do pensamento e da exteriorização dele.

        A perseverança no labor produzirá um clima de harmonia no próprio médium, que se credenciará ao serviço do bem junto aos Obreiros da Vida Mais Alta, objetivando os resultados felizes.

        A sintonia decorrerá dos elementos referidos, porque se constitui do perfeito entrosamento entre o agente e o percipiente na tarefa relevante.

        Transitória e fugaz, a mediunidade, para ser exercida, necessita da interferência dos Espíritos, sem o que a faculdade, em si mesma, se deteriora ou desaparece.

        Quanto mais trabalhada, mais fáceis se fazem os registros, cujas informações procedem do além-túmulo.

        As disposições morais do médium são de vital importância para os cometimentos a que ele se vincula, pelo impositivo da reencarnação.

        Não apenas o anelar pelo bem, mas o executar das ações de enobrecimento.

        Não apenas nos instantes ao mister dedicado, mas num comportamento natural de instrumento da Vida.

        Sendo recurso valioso de quem se encontra no meio, na condição de instrumental, imprescindível a conscientização do intermediário em favor dos resultados felizes.

        A educação do médium, coordenando atitudes, corrigindo falhas de qualquer natureza evitando estertores e distúrbios, equilibrando o pensamento e dirigindo-o é técnica que resultará eficaz para uma sintonia correta.

        Nesse sentido, a evangelização espírita se impõe em caráter de urgência, evitando-se a vinculação com práticas e superstições perfeitamente dispensáveis.

        São os requisitos morais que respondem pelos resultados favoráveis ou não, na tarefa mediúnica.

        Jesus recomendou com sabedoria aos Sues discípulos, portadores da mediunidade:

        - "Curai os enfermos, expulsai os demônios, daí de graça o que de graça recebestes" -, numa diretriz que não dá qualquer margem à evasão do dever tampouco à acomodação com o erro, à indolência ou à coleta de lucros materiais ou morais, como decorrência da prática mediúnica.

        O galardão de quem serve é alegria de servir.

        Doa as tuas horas disponíveis ao exercício da mediunidade nobre: fala, escreve, ensina, aplica passes, magnetiza a água pura, ora em favor do teu próximo, intervém com bondade e otimismo nas paisagens enfermas de quem te busca, ajuda, evangeliza os Espíritos com perturbação, sobretudo, vive a lição do bem, arrimado à caridade, pois médium sem caridade pode ser comparado a cadáver de boa aparência, no entanto, a caminho da degeneração.


Livro: Oferenda
Joanna de Ângelis & Divaldo P. Franco

Muita paz

Victor Passos
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: CrisHenriques em 01 de Maio de 2011, 17:08
Boa tarde Amigos Victor e Sol,

Muita Luz e Amor para vocês.
Obrigada pelas respostas sábias. :)
Existe uma coisa que eu costumo fazer que aprendi com o Dr. Brian L. Weiss, com Alexandra Solnado e com Martin Brofman são: as limpezas espirituais e o alinhamento de chakras. Costumo ficar em harmonia quando me passam energia e também costumo passar para os outros quando não estão bem. A energia não é minha, mas sim de Deus. Eu sou apenas um canal que se dispõe ao serviço de Deus para que ele cure quem precisa ser curado e que assim o deseja.
Aprendi com o Carlos Campos nos seus workshops a passar energia e faço-o com o olhar. Não referi isto anteriormente, porque não gosto de me vangloriar, contar vantagem. Sou uma pessoa contemplativa e tento dar amor a quem bate à minha porta, mas também a quem necessita.
Estou a aprender a controlar os maus fluidos, solicitando a ajuda Divina. Quando é assim, rezo.
Quanto ao centro espírita, gostaria muito de frequentar. No entanto, existe um problema: a minha cadeira de rodas electrica não passa na porta do centro por ser mais larga que a porta. Assim, tento me desenvolver e aprofundar recorrendo aos livros e à meditação com visualização criativa.
Não sou melhor que ninguém, mas também acho que não sou pior. Sou apenas alguém que se quer desenvolver e aprofundar espiritualidade para ajudar as pessoas.

Abraços de Luz,

Cris
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: rabarros em 01 de Maio de 2011, 21:30
Cris, passei por aqui esta tarde e por curiosidade, resolvi adentrar na leitura do tema discutido. Sabe, eu tenho pouca experiência com fenomenos mediúnicos e apenas por uma questão de metodologia posso te dizer que muitos CE se dedicam ao estudo sério da doutrina codificada por Kardec, outros elegem a prática da caridade ao próximo como atividade principal,outros ainda, conseguem levar a bom termo as duas atividades. Nunca me atrevi a julgar qual seria a melhor orientação, mesmo porque nem Cristo nem o codificador se deram ao trabalho de traçar " as linhas certas para a salvação ". Afinal, somos seres humanos, e idependentemente de iniciados ou não mediunicamente, temos tarefas a cumprir enquanto encarnados.

 Na grécia antiga, o mito dominava o pensamento da pólis,com o advento do iluminismo, achou-se que o mito restava derrocado, no entanto o que se viu, foi que isso não ocorreu e sim que o iluminismo cumpriu apenas uma parte de sua missão e que a razão e a ciencia vieram a ocupar o papel que antes era ocupada apenas pelo mito, por isso a filosofia ainda engatinha nessa busca não estariam o pensamento tecnicista e a
ciência, a serviço do capital e das elites que financiam a produção do conhecimento científico?


Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: La. em 02 de Maio de 2011, 15:28
Ei Cris,

Esse fenomêno de poder sentir através de objetos Kardec descreve como psicometria. Da uma estudadinha que é bem interessante.

Cris,processo de educação mediunica, existe aos milhares, porque nao é so dentro do espiritismo que há médiuns, eu gosto muito da metodologia espirita, e ela pratico, pela segurança e pelo conhecimento que ela fornece. Construa seu caminho, e tenha Kardec como leitura básica nesse caminho, porque vale a pena!

abraços!
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: CrisHenriques em 02 de Maio de 2011, 22:34
Querida Laísa,
Que a Paz esteja contigo e com todos.

Muito, muito, muito obrigada por responderes à minha resposta.
Então, chama-se psicometria?
Vou pesquisar acerca disto.
Sabes, Laísa já tentei frequentar o Centro Espírita daqui mas sendo eu cadeirante fica difícil entrar na porta, porque a minha cadeira de rodas é mais larga que a porta do Centro. Assim, tento aprender lendo os livros. Porém, quando leio os livros espíritas não os como se fossem livros vulgares. Leio e faço uma pausa para meditar. Leio e analiso. Leio e discuto o tema com minha Mãe que é Reikiana e também minha mentora das sessões de meditação com visualização criativa. Leio e questiono. Leio e investigo. Leio e aprofundo. Leio e compreendo. Leio e sinto. Creio que isto é uma forma de estudar. :)

Mais uma vez obrigada, espero que continuemos a falar.

Abraços de Luz,

Cris.


Ei Cris,

Esse fenomêno de poder sentir através de objetos Kardec descreve como psicometria. Da uma estudadinha que é bem interessante.

Cris,processo de educação mediunica, existe aos milhares, porque nao é so dentro do espiritismo que há médiuns, eu gosto muito da metodologia espirita, e ela pratico, pela segurança e pelo conhecimento que ela fornece. Construa seu caminho, e tenha Kardec como leitura básica nesse caminho, porque vale a pena!

abraços!
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: CrisHenriques em 02 de Maio de 2011, 22:57
Olá RABarros,
Muita luz para ti.

Obrigada pelo teu comentário. Muito obrigada mesmo.
Sabes, eu concordo contigo. Acho que estás certo. Tenho desenvolvido as minhas capacidades através da leitura e da meditação com visualização criativa.

Abraço fraterno,

Cris


Cris, passei por aqui esta tarde e por curiosidade, resolvi adentrar na leitura do tema discutido. Sabe, eu tenho pouca experiência com fenomenos mediúnicos e apenas por uma questão de metodologia posso te dizer que muitos CE se dedicam ao estudo sério da doutrina codificada por Kardec, outros elegem a prática da caridade ao próximo como atividade principal,outros ainda, conseguem levar a bom termo as duas atividades. Nunca me atrevi a julgar qual seria a melhor orientação, mesmo porque nem Cristo nem o codificador se deram ao trabalho de traçar " as linhas certas para a salvação ". Afinal, somos seres humanos, e idependentemente de iniciados ou não mediunicamente, temos tarefas a cumprir enquanto encarnados.

 Na grécia antiga, o mito dominava o pensamento da pólis,com o advento do iluminismo, achou-se que o mito restava derrocado, no entanto o que se viu, foi que isso não ocorreu e sim que o iluminismo cumpriu apenas uma parte de sua missão e que a razão e a ciencia vieram a ocupar o papel que antes era ocupada apenas pelo mito, por isso a filosofia ainda engatinha nessa busca não estariam o pensamento tecnicista e a
ciência, a serviço do capital e das elites que financiam a produção do conhecimento científico?
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mourarego em 02 de Maio de 2011, 23:00
Cris,
deverias estudar mais a doutrina.
Ocorre que não podes aprofundar nada sem conhecimento da doutrina e me escusando por comentar o Reiki não é terapia nem tem fundamento na doutrina.
é ele uma terapia dita milenar que tem por fim, pela imposição de mãos, facilitar a cura de certas disfunções originadas pelas energias espúrias.
Muito bem, dito isso basta saber que para que alguma imposição tenha efeito, há aquele que impõe a mão de ter a faculdade que não é mediúnica mas sim anímica que o ponha hábil a poder fazê-lo.
Essa faculdade, porém não é transmissível, não se aprende e nem pode ser obtida se não se a tem desde nato.
Abraços,
Moura
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: La. em 03 de Maio de 2011, 01:35
Ei Cris,

Fico feliz em ter ajudado. A Doutrina Espírita acima de movimento que as casas espíritas compõem, é essencialmente uma filosofia vivencional.  Por isso Kardec na segunda folha do Livro dos Espíritos diz Filosofia Espiritualista. E para vivenciar a filosofia espírita não é necessário ir à casa espírita. È claro, as casas espíritas compõem um movimento de fraternidade daqueles que se afinizam por um mesmo ideal.  Mas a essência de ser espírita é a vivenciação do evangelho, tanto que Kardec foi claríssimo ao dizer que seriamos reconhecidos pelo esforço que empregamos para nos transformamos moralmente, e sermos pessoas melhores. Não prescreveu fórmulas.

Os nossos mandamentos são dois amar e  instruir, e a instrução não foi restringida a nenhum aspecto, a pedra de toque dessa instrução é o baluarte da racionalidade e o bom senso.  Continue seu caminho, e tenha certeza que você o é muito amparada.

O espiritismo não é o caminho, a verdade e a vida, Jesus que o é. O Espiritismo constitui um meio para que os nossos corações encontrem a Jesus e sejamos melhores e mais fraternos.

A titulo de curiosidade sugiro que estabeleça um paralelo entre a psicometria e que outras doutrinas denominam registro akashico.

E estamos aí para prosear! (=

Abraços fraternais.
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mirina em 04 de Maio de 2011, 02:33
Olá Cris,

como o Moura disse, as faculdades mediunicas acompanham cada individuo no momento do nascimento e são conquistadas ao longo de varias encarnações de aprendizado e conhecimentos adquiridos.  Logo, toda a informação que voce tem amealhado durante seus estudos em varias correntes tem contribuido para que voce reconheça e aprenda a utilizar as faculdades as quais já nasceram consigo.

Mas veja, esta possibilidade de comunicação com pessoas encarnadas também existe com espiritos errantes, basta para isto voce prestar atenção aos seus pensamentos.  Como sua sensibilidade mediunica é bastante natural e aflorada logo voce aprenderá a diferenciar o que são pensamentos seus e os que são de seu mentor e guia espiritual, pois todos nós, mediuns ou não possuimos um espirito mais elevado a zelar por nosso progresso durante as encarnações.  Aprendendo a diferenciar os pensamentos próprios daqueles que lhe são inspirados voce vai conseguir se comunicar intuitivamente com eles e poderá pedir orientação do tipo de conhecimento que precisa adquirir para que possa utilizar sua capacidade mediunica em todas as suas nuances e na sua totalidade.

Cada medium tem a maneira própria de entrar em conectividade com seus mentores, voce deverá descobrir a forma que isto se realiza mais facilmente.  É um exercicio diario e indiviudal que pode ser auxiliado por mediuns mais experientes e pelo estudo da Doutrina Espirita, porém não obrigatoriamente.  Esta comunicação não possui uma forma convencional de acontecer e varia em grau, forma e intensidade de individuo para individuo, portanto, ao contrario do que muitos dizem não há um ritual ou forma correta, e seu melhor guia será sempre sua prórpria intuição.

A questão do Centro Espirita tem seu fundamento porque cada um dos frequentadores gera uma sintonia energetica que auxilia os trabalhos dos mediuns, como se fossem pilhas de energia vibratoria.  Para reproduzir tal captação energética voce pode reunir pessoas que possuem afinidades de crença e pensamentos com voce e realizar reuniões em sua própria casa, utilizando para isto a leitura dos livros da codificação e a mentalização em grupo.

Esta são algumas formas de se explorar e expandir a mediunidade, como já disse, para aqueles que a possuem, porém os espiritos nos afirmam na LE na questão 495 que diz:
" ..São essas comunicações de cada um com seu Espirito familiar que fazem sejam médiuns todos os homens, médiuns ignorados hoje, mas que se manifestarão mais tarde e se espalharão qual oceano sem margens, levando de roldão a incredulidade e a ignorancia."....

São LUis, Santo Agostinho

Muita luz para voce e não tenha receio de descobrir novos caminhos, ouse no bem e verá que a espiritualidade sempre estará em seu auxilio!

Abs,
Mirina
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mourarego em 04 de Maio de 2011, 15:15
Isso mesmo Mirina!
É neste sentido que o LM no capítulo sobre médiuns diz:"Médium é todo aquele que pode SENTIR a influência dos Espíritos".
Notem que ele não fala em produção de fenômenos como a psicografia, mas simplesmente no sentir.
Abraços,
Moura
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: PaulinhoCe em 04 de Maio de 2011, 19:26
Sou Darah, quando estou lendo livros mi da um sono e uma abrição de boca, vou continuando mas o livro cai de lado e durmo.Abraço fraterno.Paz do Senhor mestre para todos.

Oi Darah, como vai?
Sabe, eu tambem não consigo ler um livro físico, caio no sono quase que imediatamente mas nunca tive manifestação mediúnica nenhuma, por isso julgo que não sou médium.
As minhas leituras são feitas no computador, que estando num ambiente mais social(escritorio) diminui a sensação de sono embora algumas vezes eu não consiga ler quase nada.
O bocejo é comentado por alguns como sinal de obsessão mas não posso falar muito sobre o assunto pois não o conheço satisfatóriamente.
Abraços,

Paulinho Cé
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mourarego em 04 de Maio de 2011, 19:33
Paulinho e Darah,
essa coisa é totalmente física mas tem também uma conotação psíquica.
A parte física é explicada pela falta de costume na leitura, ou mesmo algum problema de visão, estas são duas das muitas causas que impeçam a leitura sem o advento do sono.
A conotação psíquica é exatamente pelo vício psíquico que muitos acabam por fazer eclodir, este vício, que se origina na causa física antes anotada, conduz o leitor, e mais quando este leitor é estudante espírita, a pensar que haja no processo por que passa, algo de espiritual ou mediúnico. Não, não há.
Estudar é a mesma coisa quer quando se estuda a doutrina ou se estuda matemática, a falta de costume nas leituras com um contingente maior de atenção é que produz esse sono.
Abraços,
Moura
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: PaulinhoCe em 04 de Maio de 2011, 19:57
Muito obrigado Moura, o amigo está sempre atento e dando bons esclarecimentos.
Aliás, parabens pela sua página e pelo vídeo, grande abraço.

Paulinho Cé
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Mourarego em 04 de Maio de 2011, 20:29
Mano Atlante, quero dizer que concordo com seu post anterior a este, e é por isso que vou comentar a este em outra cor:

se vc observar todas os posts, vai ver que estes conselhos já foram observados!
Concordo com vc, mas o espiritismo repito não precisa de templos, nem de grandes rituais, só de homens de boa vontade e que vivam os ensinamentos cristãos.

[/quote]

Olá Mirina

Não entendi muito bem este seu post. Não faço a minima ideia do que pretende.

Veja

1 - Não estamos falando de espiritismo. Estamos falando de mediunidade. Uma coisa não se deve confundir com a outra.

Opa, estamos sim, mano. Note, como o FE é esencialmente Espírita todas as suas colocações devam redundar com o que a doutrina estabelece, mesmo falando em mediunidade pois se sabe que ela, sendo a mesma tanto no CE quanto um terreiro de candomblé, é cometida por vias bem diferentes e sob outros ensinos.
O que o FE enseja é a propagação da idéia Espírita



2 - O espiritismo, para ser praticado, não precisa de templos, mas precisa de centros espiritas, pois é neles que o espiritismo se pratica.
O mesmo já não acontece com a prática da mediunidade. Ela pode ser feita em qualquer sitio, hora ou condição. Mas isto nada tem a ver com espiritismo.

Novamente eu discordo, porque a prática mediúnica estará sempre ligada ao ensino e as bases que o estudante segue e em nosso caso elas são as que a doutrina preveja.
Concordo,entrementes, que algum Espírita possa dar-se ao trabalho mediúnico e nos moldes que a doutrina ensina, mesmo numa mata.
Foi nesse sentido que Jesus nos disse, onde dois ou mais se reunirem emmeu nome ali eu estarei".

4 - Depois quem falou em rituais? Entende que uma oração é um ritual?
Ou não sabe o que é uma oração ou não sabe o que é um ritual.
Atlante

Mano Atlante, a oração, no sentido litúrgico é sim um ritual.  Igreja o usa para identificar o momento litúrgico pelo qual passa.
O Espiritismo não vê a oração senão como uma forma do homem se por mais perto de Deus.
Divorciadamente desse prismas podemos ver mesmo aqui no FE diversos amigos e amigas que passam mais tempo em editar novas orações e preces do que falando de doutrina.
Quando mesmo o codificador no item coletânea de Preces mostra que elas não têm um caráter senão de exemplos.
eu antes brincava muito chamando a estes amigos, de "médiuns preceiros"
É nesse mesmo olhar e entendimento que digo que alguns de nós enquanto espíritas não deixam de fazer das preces ou orações, um ritual onde e por onde pensem conseguir de Deus ou dos Espíritos alguma benesse.

Abração,
Moura
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: reijorge em 22 de Junho de 2013, 01:45
Olá amigos

Achei muito boa essa inciativa vou tentar não me extender muito para que não crie um testamento já que a história e experiências têm sido várias.

Quando criança vizinhos me chamaram para fazer uma visita com eles á um centro espirita no qual eles frequentavam.
Me lembro que minha mãe queria muito que eu fizesse 1º Comunhão na igreja católica e tendo por essa vontade estudei para formação e ao mesmo tempo
frequentava o Centro.
nunca conseguia achar as respostas que no espiritismo eu encontrava.
Depois de alguns anos formei e fiz a primeira comunhão e no espiritismo lá estudei até a fase da Mocidade.
Me afastei mas sempre com um pensamento, talvez necessidade prefiro assim dizer que eu precisava estudar e como se aquilo fosse importante
meus amigos para meu desenvolvimento espiritual mas não era só isso.
Pois bem, o tempo passou me afastei mas sempre vindo a tona pessoas boas que podia me acrescentar algo bom no sentido de orientação e visão diferente do mundo em que vivia.
Passei por fase não muito boa recentemente onde no início fazia mil perguntas do tipo:
"Porque isso comigo meu Deus?"
Mal eu sabia que aquilo tudo era para meu despertar prefiro assim dizer.
O que entendo e pude compreender?
Minhas vibração me levaram para onde meus pensamentos estavam.

""" Continuação esta em anexo por ter ultrapassado o limite de texto ok! ""
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Andressa Z. em 26 de Agosto de 2013, 05:14
Olá pessoal!!
Ressuscitando o tópico...alguém experiente tem algumas dicas para controlar nossas energias?Descobri à pouco minha mediunidade e tirando alguns pequenos acontecimentos, desde minha pré-adolescência (aumentando ao longo do tempo) eu sinto todas as emoções de uma forma muito intensa, principalmente quando fico nervosa, com ou sem motivo aparente aos meus olhos. Ontem tive um pequeno conflito com uma vizinha que realmente foi injusta comigo e noto que é do tipo "detentora da verdade", ou seja, não há um diálogo...só queria me ofender e me convencer de suas vontades. Me senti mal o dia inteiro, queimei arroz do almoço, sentia o peito muito apertado, não conseguia parar de pensar naquilo, tive minha energia alterada completamente!Era torturante e sempre que estou em uma situação negativa como essa, fico realmente muito mal...hoje deu dor de cabeça, um pouco de enjoo pela manhã, até que fiz o evangelho no lar e pensei que posso perdoá-la. Estou melhor agora.
Mas como evitar uma carga de energias negativas? Como evitar também que suguem toda minha energia? Já me falaram por diversas vezes no centro de evitar usar roupas pretas, vigiar o pensamento...mas às vezes é muito difícil!
Alguém pode me ajudar??
Abraço queridos ;)
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: fernando henrique vieira santos em 26 de Fevereiro de 2014, 05:05
Tenho algumas dúvidas sobre ao médium curador, sempre tive a sensação de poder curar ou minimizar o sofrimento do próximo, começou com um pedido de minha esposa quanto as dores de cabeça q ela tinha, coloquei a mão sobre sua cabeça e pedi para deus retirar essa dor se fosse sua vontade e a dor passou, outra vez foi com um amigo meu e tão passou, este dias uma amiga estava c muita dor de cabeça e ele falou p mim, vc sendo um seguidor do espiritismo Pq Vc não me benze e eu não respondi, mas pedi em pensamento e falei após algum tempo amanhã Vc não terá mais nada e no outro ela tinha passado essa dor já fazia 5 dias q a incomodava, gostaria de um auxílio p poder ajudar mais gente. Grato
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 26 de Fevereiro de 2014, 13:57
Olá pessoal!!
Ressuscitando o tópico...alguém experiente tem algumas dicas para controlar nossas energias?Descobri à pouco minha mediunidade e tirando alguns pequenos acontecimentos, desde minha pré-adolescência (aumentando ao longo do tempo) eu sinto todas as emoções de uma forma muito intensa, principalmente quando fico nervosa, com ou sem motivo aparente aos meus olhos. Ontem tive um pequeno conflito com uma vizinha que realmente foi injusta comigo e noto que é do tipo "detentora da verdade", ou seja, não há um diálogo...só queria me ofender e me convencer de suas vontades. Me senti mal o dia inteiro, queimei arroz do almoço, sentia o peito muito apertado, não conseguia parar de pensar naquilo, tive minha energia alterada completamente!Era torturante e sempre que estou em uma situação negativa como essa, fico realmente muito mal...hoje deu dor de cabeça, um pouco de enjoo pela manhã, até que fiz o evangelho no lar e pensei que posso perdoá-la. Estou melhor agora.
Mas como evitar uma carga de energias negativas? Como evitar também que suguem toda minha energia? Já me falaram por diversas vezes no centro de evitar usar roupas pretas, vigiar o pensamento...mas às vezes é muito difícil!
Alguém pode me ajudar??
Abraço queridos ;)

Bom!
Acredito que as pessoas possam ter as suas razões, mas!....até serem donas da verdade...a distãncia é bem outra....
Se somos nervosos e um pouco descontrolados nas emoções, creio eu que o somos independente de mediunidade , de se tê-la ou não...
Discussões sempre nos alteram...e ficamos por um bom período atuando sobre os reflexos destes ocorridos...O certo, penso eu, é não dar tanta importãncia para estas coisas...deleta-las da mente...

Dizem algumas pessoas, que pensam sobre as pessoas, elas dizem que os outros nos tratam como nós tratamos...

Em tudo a energia, não há como bos distânciar delas... a energia em si é neutra...e muitas vezes atribuimos energia aos fluidos que nos empreguinam e ou empreguinamos os outros...

façamos uma avaliação de nós mesmo
O que somos?
quem somos?
O que nos cabe?
O que é da nossa conta?

Vizinhos são como muros, há o lado de cá e o lado de lá, são dois lados unidos po uma barreira que, pelas leis do dever, não podem ser transpostas...

Se queremos nos corrigir e sabemos que o querenos e o queremos para nos melhorar...
O certo é detectar os nossos erros...as nossas falhas, as nossas deficiências, as nossas ignorãncias...o mais rápido possivel....
porque são as únicas questões que nos competem o acesso e o envolvimento...

Os outros e suas questões pertencem a eles mesmos

Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 26 de Fevereiro de 2014, 14:06
Tenho algumas dúvidas sobre ao médium curador, sempre tive a sensação de poder curar ou minimizar o sofrimento do próximo, começou com um pedido de minha esposa quanto as dores de cabeça q ela tinha, coloquei a mão sobre sua cabeça e pedi para deus retirar essa dor se fosse sua vontade e a dor passou, outra vez foi com um amigo meu e tão passou, este dias uma amiga estava c muita dor de cabeça e ele falou p mim, vc sendo um seguidor do espiritismo Pq Vc não me benze e eu não respondi, mas pedi em pensamento e falei após algum tempo amanhã Vc não terá mais nada e no outro ela tinha passado essa dor já fazia 5 dias q a incomodava, gostaria de um auxílio p poder ajudar mais gente. Grato

Eu sou dos que pensam que
o diagnóstico da melhora
vem daquele que sentia dor

Jesus disse que quem não é contra Ele , por Ele é (mais ou menos assim)
Entendo que,
uma empresa há de começar pelo primeiro pedido, pela primeira ordenação, pela primeira tarefa,
pela primeira atitude...

e assim,
 depois dos varios compromissos assumidos e cuncluidos,
 é que será possivel perceber e definir
o padrão de seu carater e
a que realmente segue,
a que veio
e o que faz...

Só resta a tal empresa;
seguir, conhecer-se, se precaver e manter-se numa qualidade
e numa conduta de onde a sua estabilidade é que é que vai lhe dar
o crescimento natural a altura de suas capacidades já estabelecidas...

Eu penso que as coisas somos nós quem as fazemos
e as perdemos também...

Abraços
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Andressa Z. em 26 de Fevereiro de 2014, 19:47
Oi amigo Moisés!
Faz um tempo essa minha postagem, acabei percebendo que o melhor que temos a fazer quando não estamos preparados para lidar com pessoas muito "pesadas" é se afastar o máximo possível,  bom dia, boa tarde, boa noite, sorrio e pronto. Melhorei bastante após essa resolução que tomei, sofro ainda com tratamentos assim, mas aprendi que não vamos agradar todo mundo, nunca!
Amigo, sei dos meus defeitos, mas procuro tratar os outros o melhor que posso! Tenho o orgulho de querer que todos gostem de mim, se não gostam (o que é um direito) me acabo de tristeza...quebro a cabeça pensando pq? Mas oq que eu fiz?? Será que pergunto?? E por aí vai...estou tentando esquecer,  não dar importância e deixar que o outro tenha o direito de pensar oq quiser de mim, paciência. Os atos com o tempo fazem com que a pessoa saiba quem somos antes de julgar (nesse caso depois kk).
Todos querem ser amados!
Abraços
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: wender100%espirita em 26 de Fevereiro de 2014, 21:19
ai esta a resposta porque vc passou mal amiga andrezza, nao e mediunidade apenas orgulho, com uma pitadinha de melindre rsrsr, vc nunca vai agradar a todos,e tao pouco os outros vao ama-la porque vc quer, nosso mundo e um mundos ainda de provas e expiacoes, o egoismo o orgulho ainda predominante na maioria, por isso devemos sempre colocarmos em pratica os exemplos do Cristo no modelo de Perfeicao! e tentar entender o proximo pois todos tem um motivo de ser  como sao, quem nao se ofende nao precisa perdoar, e facil?  naaaaaaaaaoooooo!!!!!!! rsrsr mas e com o exercicio dia dia que vamos conseguir! paz e luz
Título: Re: Desenvolvimento mediúnico – troca de ideias
Enviado por: Andressa Z. em 27 de Fevereiro de 2014, 03:27
Verdade amigo Wender! Nesse episódio não teve nada de anormal,  a não ser a minha birra!!kkk Uma hora a gente aprende!
Abraços