Forum Espirita

GERAL => O que é o espiritismo => Comunicabilidade dos Espíritos => Tópico iniciado por: SimonB em 26 de Novembro de 2015, 14:14

Título: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: SimonB em 26 de Novembro de 2015, 14:14
   Caros companheiros(as) de jornada, para o nosso estudo e observação, estou compartilhando uma comunicação mediúnica, cuja avaliação foi feita no grupo de estudo de O Livro dos Médiuns do qual participo. Não acreditamos relevante informar o nome do médium, pois trata-se de uma oportunidade de aprendizado e nada mais.

No capitulo XXVII 'Das contradições e das mistificações' do livro citado acima , Allan Kardec adverte:

“Podendo manifestar-se Espíritos de todas as categorias, resulta que suas comunicações trazem o cunho da ignorância ou do saber que lhes seja peculiar no momento, o da inferioridade, ou da superioridade moral que alcançaram. A distinguir o verdadeiro do falso, o bom do mau, é a que devem conduzir as instruções que temos dado. Cumpre não esqueçamos que, entre os Espíritos, há, como entre os homens, falsos sábios e semi-sábios, orgulhosos, presunçosos e sistemáticos.”

Mais além, O Espírito de Verdade esclarece:

“Para se discernir do erro a verdade, preciso se faz que as respostas sejam aprofundadas e meditadas longa e seriamente. É um estudo completo a fazer-se.”

   Infelizmente, mesmo à luz de tais esclarecimentos, vários médiuns não avaliam as comunicações recebidas e, por acréscimo de imprudência, as publicam indiscriminadamente nas redes sociais, saciando a 'sede de conhecimento' dos seus numerosos seguidores, igualmente imprudentes, para não dizer fascinados.

   É com a humildade de meros aprendizes e a vontade de reiterar o alerta feito por Kardec e O Espirito de Verdade, da necessidade de prudência e avaliação, que apresentamos a seguinte comunicação dada por um Espirito que se identifica como Alfred Schutz. Cada trecho que julgamos questionável esta sublinhado, numerado e comentado em uma linha correspondente no final da mensagem.
 
                                                                              * * *
Mensagem do Mentor:

Filhos e Filhas deste1 Plano Físico, peço licença a este Médium para colocar algumas coisas pra vocês neste exato momento. Primeiramente, quero lhes alertar para que se unam com suas famílias, perdoem seus inimigos e em vez de procurar culpados, sigam em frente confiando na espiritualidade!2 O eixo de frequência3 da terra está mudando, o que tumultua o psiquismo das pessoas, fazendo os nervos ficarem a flor da pele4. O (nome do médium) precisa se adaptar à nova realidade em ajudar os outros pela extrema sensibilidade espiritual que posssui.5 Deixem que ele se adapte, não o testem nem façam perguntas sem significado espiritual6 que o levem desanimar7 desta Missão5. Além disso, quero lhes alertar contra os vampiros espirituais8 que chegam com palavras doces e promessas de melhoras, pois muitos deles estão infiltrados nos meios religiosos e espiritualistas! Não vamos dar guarida aos que buscam facilidades, privilégios e dicas dos mentores para lhes poupar o esforço evolutivo. Não trabalhamos com autoajuda que tem prazo de validade, nossa atuação é no sentido de lhes dar um novo ânimo. (paragrafo introduzido para facilitar a leitura)

Como o magnetismo da Terra está na fase de separar o joio do trigo8 na seleção de quem viverá nos tempos da regeneração, haverá muita dor neste mundo.9 Não transfiram muitas expectativas para nós10, pois tanto eu como o Médium somos realistas e focados5. Queremos companheiros de Evolução ao invés de seguidores. Haverá bastante tumulto nesse país, contudo, a Ordem vai ser restabelecida11 sem quebra dos preceitos do Estado de Direito. Meus amados, porque muitos de vocês estão acomodados no mal sem atitude ou coragem para mudar? Anuncio um Novo Tempo12 para quem se esforçar por se modificar. No Plano Espiritual Evoluído8 não existem atalhos, conchavos ou alianças por interesse13. Aonde estou, vigoram o trabalho, mérito e competência no cumprimento das tarefas. A Sociedade está repleta de pregadores e oradores, contudo, queremos pessoas dispostas para a ação.14  (paragrafo introduzido para facilitar a leitura)

Nós, desencarnados laboriosos12, estamos procurando parcerias construtivas.4 Quem tem medo de se renovar ficará estacionário na seara evolutiva. Ajudem o (nome do médium) a divulgar15 a nossa força tarefa de seres que fazem o progresso acontecer12. Somos companheiros nessa trajetória. O medo emite um magnetismo16 de baixa frequência que atrai entidades ignorantes. A obsessão requer reciprocidade vibratória, então, esqueçam o muro das lamentações para serem agentes da guinada positiva para as suas Vidas! Em outubro, serão duas mensagens por semana.17 Hoje, faço apenas uma convocação pela transformação. Tenho muito amor, contudo não saio do objetivo,18 pois a chantagem sentimental nada traz de solução. Sintam todo meu carinho! Abraço deste sociólogo no Plano Espiritual *

                                                                              * * *

1 O uso da palavra 'deste' deixa entender que o narrador também se encontra no plano físico.
2 Em contradição com o item 10.
3 Cientificamente incorreto; Eixo: Reta imaginária através da qual um astro realiza o movimento de rotação. Frequência: Número de vibrações por unidade de tempo. - Portanto, não existe 'eixo de frequência'.
4 Expressão própria ao plano terrestre que Espíritos elevados não usariam.
5 Afirmação suspeita com finalidade de lisonjear o médium e adquirir a sua confiança. Espíritos elevados jamais afirmariam que os médiuns possuem qualidades ou virtudes especiais.
6 Ciente da sua falta de conhecimento geral, o Espírito quer evitar perguntas complexas que revelariam a sua inferioridade intelectual ou moral.
7 Gramaticamente incorreto (erro do Espírito ou do médium).
8 Tal formulação ou conceito não existe na literatura espírita.
9 Previsão pessimista ou amedrontadora do futuro, sem finalidade construtiva.
10 Em contradição com o item 2.
11 Previsão do futuro sem finalidade construtiva.
12 Afirmação prepotente incompatível com a humildade dos servidores do bem.
13 Incorreto. Há inúmeras 'alianças de interesse' no plano espiritual, tanto pelo bem quanto pelo mal.
14 Em contradição com a afirmação de Emmanuel no livro 'Estude e Viva'  “(…) recordemos que o Espiritismo nos solicita uma espécie permanente de caridade – a caridade da sua própria divulgação”.
15 Apelo à divulgação própria e das suas mensagens, sem menção da Doutrina Espírita.
16 Cientificamente incorreto: Magnetismo: Conjunto de fenômenos que os materiais imantados apresentam. - Portanto, o magnetismo não pode ser emitido, mas sim, as ondas magnéticas.
17 Espíritos elevados nunca garantem a frequência das comunicações.
18 Afirmação confusa (a devoção à uma causa não representa a ausência do amor e vice versa).

*Obs: É digno de nota a ausência completa de louvor à Deus, ao Cristo ou qualquer modelo espiritual, tanto no início quanto no final da comunicação.

Esperamos que esta modesta análise, sem presunção de autoridade doutrinária, possa demonstrar a urgência do estudo, da prudência e vigilância necessários para todos e principalmente os obreiros da área mediúnica. Fiquem à vontade em acrescentar comentários, análises, sugestões e correções para o proveito de todos.

Vigiai e orai! Matheus 26:41
Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: SimonB em 26 de Novembro de 2015, 23:36
Esta disponível a avaliação acima em formato PDF para divulgação e estudo. (anexo)
Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: Vitor Santos em 27 de Novembro de 2015, 10:57
Olá amigo Simon

Citar
*Obs: É digno de nota a ausência completa de louvor à Deus, ao Cristo ou qualquer modelo espiritual, tanto no início quanto no final da comunicação.

Com excepção da nota acima citada, parece-me que esta critica tem muita lógica.

É pena que, quando se trata das comunicações por via de determinados médiuns, estes sejam considerados imunes à recepção de comunicações que contenham erros e poucos tenham a coragem de fazer uma critica assim a essas comunicações.

Segundo os critérios de Allan kardec não há médiuns nem espiritos que se possam considerar acima do erro das comunicações mediúnicas, apenas há que fazer uma análise critica, como esta, de preferência realizada por várias pessoas independentes, para obter a critica de vários pontos de vista, e verificar a coerência com outras mensagens mediúnicas que já se analisaram devidamente e passaram os critérios de validade.

Para conseguir fazer uma analise racional e isenta é necessário ter uma postura mais parecida com a postura cientifica, céptica (no sentido positivo e cientifico da palavra "céptica", e não no sentido de materialismo fanático, pois alguns desses fanáticos auto-proclamam-se cépticos). Mas há barreiras a isso, dentro do movimento espirita. Há quem defenda a infalibilidade de alguns médiuns espíritos porque os idolatram e até se ofenda quando isso se coloca em questão.

Bem haja
Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: valtervcj em 27 de Novembro de 2015, 12:48
Saudações aos amigos de estudos.
Peço a permissão para utilizar este texto, na íntegra, em nosso grupo de Educação Mediúnica.
Gostaria de acrescentar apenas que, em comunicação mediúnica, o médium não é uma "máquina de escrever" inerte. Muitos dos erros gramaticais, analogias confusas e termos incorretos podem ser por falha de interpretação do médium na recepção da mensagem espiritual. Não estou falando só de falta de escolaridade ou de conhecimento científico desta encarnação, mas de reminiscências espirituais de outras vidas e do período de erraticidade, que possam facilitar a interpretação da mensagem do espírito. Somente uma psicografia estritamente mecânica, a qual "eu" não conheço nenhum exemplo na atualidade, poderia ser analisada, em erros e acertos, e atribuída somente ao autor espiritual.
Uma ressalva importante: esta análise criteriosa das comunicações não pode tomar o rumo da inquisição. Os “analistas” devem tomar, também, os mesmos cuidados que os médiuns. A fascinação, a obsessão e a vaidade não “atacam” somente os médiuns ostensivos. No livro “Quem Sabe Pode Muito. Quem Ama Pode Mais - Desafios da Convivência no Centro Espírita”, podemos ilustrar uma situação parecida com esta.
A ciência nos oferece métodos mas não verdades absolutas. Todos os dias novas descobertas e novas análises são criadas a partir de observações dos mesmos fatos e da ampliação de nossos conhecimentos. Vale ressaltar que o método utilizado na análise da mensagem mediúnica foi extremamente criterioso e, mesmo assim, cada um de nós acrescentaria novas observações. E depois de toda essa “peneirada” o que sobraria?
Paz e luz a todos.
Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 27 de Novembro de 2015, 14:42
Apenas falando sobre a mensagem

Há sim uma Entidade falando (com bondade e cautela)
e ao mesmo tempo uma leve interferência (no campo da interpretação instantânea)
do médium nas mensagens e de outras ideias( espíritos) ( parece-me que perturba)

Talvez a entidade se comunica com as forças das imagens
pois fala pra todos os interessados e envolvidos
e o médium não consiga transferir para o campo das palavras.

O "Grupo ",parece-me que atravessa um momento delicado
e aguarda em expectativa, uma função para o médium
que não lhe cabe...

Falo delicado, em sentido as prerrogativas do próprio estudo,
que deveriam , talvez ter uma caráter mais simples e menos interrogativo...

Na mensagem
ao menos vejo assim

Há um espírito preocupado em ser bem compreendido
Há interferências de outros espíritos
e há o espírito de um médium acuado, que também se manifesta
e deve estar passando por problemas, que os colegas não enxergam

Os apontamentos abaixo
não fiz questão de ler

Muita paz
Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: SimonB em 27 de Novembro de 2015, 21:59
Há quem defenda a infalibilidade de alguns médiuns espíritos porque os idolatram e até se ofenda quando isso se coloca em questão.

E é exatamente por idolatrar estes médiuns que baixam as guardas e bebem as suas palavras como verdade absoluta. Ninguém nesta terra, exceção feita do Jesus Cristo, pode ser considerado infalível.
Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: SimonB em 27 de Novembro de 2015, 22:16
Peço a permissão para utilizar este texto, na íntegra, em nosso grupo de Educação Mediúnica.

Somente uma psicografia estritamente mecânica, a qual "eu" não conheço nenhum exemplo na atualidade, poderia ser analisada, em erros e acertos, e atribuída somente ao autor espiritual.

Vale ressaltar que o método utilizado na análise da mensagem mediúnica foi extremamente criterioso e, mesmo assim, cada um de nós acrescentaria novas observações.

Com certeza amigo Valter, fique a vontade de compartilhar e se for do seu agrado, pode incluir neste tópico os resultados da avaliação dos participantes do seu grupo de estudo, tanto sobre a mensagem quanto às nossas observações. Eu levei para o estudo de hoje o seu comentário perspicaz segundo o qual "Os “analistas” devem tomar, também, os mesmos cuidados que os médiuns. A fascinação, a obsessão e a vaidade não “atacam” somente os médiuns ostensivos." Da mesma forma, deixaremos claro nas próximas avaliações que trechos gramaticamente incorretos ou confusos podem ser o produto do médium, pelos fatos que mencionou. Em momento algum pretendemos ter autoridade doutrinaria para apresentar tal trabalho como decisivo ou referencia, mas sim, oportunidade de aprendizado.


Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: HamLacerda em 27 de Novembro de 2015, 22:55
A mensagem pode conter bastante erros, mas, no fundo, questão que interessa apenas, não é uma mensagem má, não parece ser de um espírito mal que quer enganar ou fascinar. Parece ser de um espírito preocupado com o presente e com o futuro, mas que não demonstra ter muita elevação. Ou pode ter tido dificuldades com o médium.

De fato, não há muito o que se possa aproveitar da mensagem. Mas o grupo, que já deve conhecer esse espírito, está bem melhor do que eu para avaliar. Se houve outras mensagens onde o mesmo espírito deixou algum sinal de charlatanismo, ai é outra história. Mas só por esta mensagem, não acredito que seja suficiente para condenar-lo.



_________________


Resolvi fazer minha própria analise da análise feita pelo grupo, mas sem nenhuma pretensão de querer está com a razão. É apenas o meu ponto de vista, que, talvez, possa ajudar, ou não, a avaliar o próprio método de avaliação do grupo. Precisamos de críticas construtivas porque este assunto é muito delicado. Seria interessante um tópico onde pudéssemos avaliar as mensagens de grupos, como essa.


Citar
1 O uso da palavra 'deste' deixa entender que o narrador também se encontra no plano físico.
Isso é irrelevante. O médium pode não ter um bom conhecimento de regras gramaticais. Muitas pessoas confundem esse com este. O espírito, principalmente, dependendo do tempo que desencarnou. Não acredito que no mundo dos espíritos eles continuem a usar nossa linguagem. Apenas quando necessário. Por isso que Kardec recomenda ver o fundo, e não a forma.

Citar
2 Em contradição com o item 10.
Não me pareceu contraditório. No primeiro ele falou de confiança, mas dentro de um contexto. Na segunda, de transferir expectativas, mas em outro contexto. 

Citar
3 Cientificamente incorreto; Eixo: Reta imaginária através da qual um astro realiza o movimento de rotação. Frequência: Número de vibrações por unidade de tempo. - Portanto, não existe 'eixo de frequência'.
Concordo, mas acho isso irrelevante. Kardec recomenda sempre avaliar o fundo das mensagens, e não a forma. Se essa mensagem fosse de caráter científico, tudo bem, seria um erro imperdoável. Mas é de caráter moral. É um erro que revela apenas que o espírito não tem muito conhecimento, mas não revela que seja um espírito charlatão.

Citar
4 Expressão própria ao plano terrestre que Espíritos elevados não usariam.
Não entendi Simom. Na codificação os espíritos usaram bastante essa figura de linguagem. Procura por "flor da pele" nos livros da codificação e você vai encontrar muita referência.

Citar
5 Afirmação suspeita com finalidade de lisonjear o médium e adquirir a sua confiança. Espíritos elevados jamais afirmariam que os médiuns possuem qualidades ou virtudes especiais.
Dizer que o médium tem "extrema sensibilidade" não me parece, nem de longe, um elogio. Muito pelo contrário. Ele quis dizer que o médium é muito emocional, sensível, pois já advertiu do medo que ele sente. O medo é característica de médiuns despreparados.

Citar
6 Ciente da sua falta de conhecimento geral, o Espírito quer evitar perguntas complexas que revelariam a sua inferioridade intelectual ou moral.
Aqui só conhecendo o médium. Se não for um bom médium, se não estiver bem preparado, é claro que não deve forçar com perguntas de caráter intelectual e científico. 

Citar
7 Gramaticamente incorreto (erro do Espírito ou do médium).
Irrelevante.

Citar
8 Tal formulação ou conceito não existe na literatura espírita.
Existe três itens 8. Suponho que este esteja se referindo ao termo "vampiros espirituais". Importante chamar a atenção do grupo a ter mais atenção ao avaliar as mensagens, já que tornaram a avaliação pública. Existe muitos itens repetidos.

Mas não vejo problema usar esse termo, afinal a literatura espirita já o adotou. Os espírito só usam porque o termo foi adotado em massa. O problema não é do espírito, mas nosso, que adotamos. Isso também tem base na doutrina, pois na comunicação da possessão da Sra Júlia, fica confirmado que os espíritos sugam nossas energias. Chamar isso de Vampirismo, ou qualquer outra coisa, não tem importância, desde que entenda o fenômeno.

Citar
9 Previsão pessimista ou amedrontadora do futuro, sem finalidade construtiva.
Não sei se é algo negativo, que poderia ser usado para avaliação. Mas concordo que não tem nenhuma finalidade construtiva.

Citar
10 Em contradição com o item 2.
Como eu já disse, não me pareceu contraditório.

Citar
11 Previsão do futuro sem finalidade construtiva.
Concordo que não há finalidade construtiva, mas me pareceu apenas que o espírito quis passar confiança. Não vi nada de mal aqui. Mas o que me chamou atenção foi que deixaram passar um dos principais erros dessa mensagem. Na mesma frase, no item 11, ele diz estas palavras: "Queremos companheiros de Evolução ao invés de seguidores." Na minha opinião esse erro compromete muito a mensagem. Eu jogaria fora e nem lia o resto. Isso, de fato, não é linguagem que um bom espírito usaria. Mas não posso dizer qual foi a intenção dele com essa frase. 

Citar
12 Afirmação prepotente incompatível com a humildade dos servidores do bem.
Mas o que ele falou de errado? Não é isso que a doutrina diz? Anuncia um novo tempo para quem se esforçar?

Citar
13 Incorreto. Há inúmeras 'alianças de interesse' no plano espiritual, tanto pelo bem quanto pelo mal.
No plano superior, como ele se referiu? Creio que não Simon.

Citar
14 Em contradição com a afirmação de Emmanuel no livro 'Estude e Viva'  “(…) recordemos que o Espiritismo nos solicita uma espécie permanente de caridade – a caridade da sua própria divulgação”.
Creio que ele estava falando dos pregadores e oradores que usam sua posição por interesse e para explorar, como ele já vinha falando na frase anterior, quando disse que no plano espiritual não existe alianças por interesses.

Citar
15 Apelo à divulgação própria e das suas mensagens, sem menção da Doutrina Espírita.
Não conheço o médium e nem os trabalhos dele. Mas de fato me parece um ponto negativo.

Citar
16 Cientificamente incorreto: Magnetismo: Conjunto de fenômenos que os materiais imantados apresentam. - Portanto, o magnetismo não pode ser emitido, mas sim, as ondas magnéticas.
Não Simon. Com certeza ele estava se referindo ao magnetismo espiritual, e não ao físico. A ciência não admitiu o magnetismo espiritual, ainda.

Citar
17 Espíritos elevados nunca garantem a frequência das comunicações.
Não existe esse critério na doutrina, Simon. Os próprios espíritos fizeram isso com Kardec, ou seja, disseram com qual frequência iriam se comunicar. E não foram poucos. O próprio espírito da Verdade disse que se comunicaria uma vez a cada 15 dias, se não me engano.

Citar
18 Afirmação confusa (a devoção à uma causa não representa a ausência do amor e vice versa).
Mas nada que possa ser usado para classificar esse espírito como charlatão. Apenas compromete a comunicação.

Citar
*Obs: É digno de nota a ausência completa de louvor à Deus, ao Cristo ou qualquer modelo espiritual, tanto no início quanto no final da comunicação.
De fato, mas uma mensagem não pode ser condenada pela ausência de louvores à Deus e ao Cristo. Isso depende da mensagem que o espírito queira passar. Nessa, especificamente, acho que seria mesmo uma falta, já que se tratava de uma mensagem de alerta com os problemas que estamos passando. Mas confesso que não sei se isso seria obrigatório. Não me lembro o que diz a doutrina sobre isso. No final do Livro dos Médiuns, nos exemplos de comunicações apócrifas, me parece que fala algo sobre isso. Vou dar uma lida depois.


No mais, me parece uma mensagem ruim, sem algo para ser aproveitado, mas não acho que seja de um espírito charlatão. Apenas um espírito não muito adiantado, sem más intensões.

Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: SimonB em 27 de Novembro de 2015, 23:56
Há um espírito preocupado em ser bem compreendido
Há interferências de outros espíritos
e há o espírito de um médium acuado, que também se manifesta
e deve estar passando por problemas, que os colegas não enxergam

O "Grupo ",parece-me que atravessa um momento delicado
e aguarda em expectativa, uma função para o médium
que não lhe cabe...

Falo delicado, em sentido as prerrogativas do próprio estudo,
que deveriam , talvez ter uma caráter mais simples e menos interrogativo...

Os apontamentos abaixo
não fiz questão de ler

Irmão Moises, acredito mais provável que a interferência de outro Espírito, se houver, ocorre com o médium imprudente que recebe comunicações sozinho em casa, do que numa reunião mediúnica séria, onde há melhor orientação do plano espiritual. Mesmo assim, não podemos descartar esta hipótese.

Além da possibilidade de animismo, há, como você disse, certos problemas envolvendo o médium, que na minha humilde opinião, são palpáveis na mensagem. Chegar a receber uma tal comunicação, sem analisá-la, sem corrigir, pelo menos, erros gramaticais, sem perceber as aberrações patentes, as contradições e mistificações que contém.. No meu ver, só tem uma possibilidade: a fascinação.

Em relação ao grupo, tens razão, a avaliação poderia ser menos rígida ou criteriosa. Com êxito questionável, tentamos reproduzir a abordagem cientifica usada por Kardec. Agora eu lhe pergunto, como pode avaliar a intenção ou desempenho do grupo, se você não se deu a pena de ler a análise? E mais, qual séria a função do médium, se não a de reproduzir, o mais fielmente possivel, a mensagem do Espirito?
Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: SimonB em 28 de Novembro de 2015, 01:07
Amigo HamLacerda,

Antes de mais nada, quero agradecer pela volumosa contribuição na analise da mensagem e também dos critérios, as vezes questionáveis, que usamos na avaliação. Concordo que tais avaliações poderiam tornar-se uma fonte interessante de estudos aqui no fórum. Quem sabe poderiam criar uma subcategoria para este fim.

Não conhecemos pessoalmente o médium, cujas psicografias ou psicodigitações são publicadas nas redes sociais, visualizados e louvados por um numero impressionante de seguidores. Conforme foi comentado por outros membros, desconsideraremos os erros de gramática ou colocações confusas daqui em diante. Em alguns pontos onde nossas interpretações divergem, acredito bom esclarecer o nosso entendimento: Enquanto ao uso de termos científicos, acredito ser uma tentativa de iludir com conhecimento que o Espirito não possui, o que pode demostrar tanto a sua inferioridade quanto uma vontade maligna. Por curiosidade, pesquisei as palavras 'flor da pele' na codificação e o computador encontrou nenhuma ocorrência.

Entendo o seu ponto de vista sobre 'extrema sensibilidade', que realmente pode ser visto como advertência, embora para os participantes do estudo, soou como elogio. Evitar questões mais complexas ou abrangente pode ter duas finalidades: poupar ao médium 'descifrar' assuntos que não entenda ou, o que acho mais provável aqui, poupar ao Espírito revelar-se como inculto, assim perdendo a 'fama' que atualmente desfruta.
Há três itens 8 porque cada um recebeu a mesma avaliação ou critica. Existe 'vampirismo' mas não 'vampiros espirituais', que deturpa levemente a essência do termo, embora não seja muito relevante, como afirmou.

No item 12, acreditamos prepotente o uso da primeira pessoa 'Anuncio um Novo Tempo', como se ele fosse o pioneiro e detentor de uma verdade exclusiva. Seria talvez diferente se um Espírito de escol afirmasse o mesmo.
Colonias espirituais, grupos de socorro, a desconhecida hierarquia espiritual, falanges angelicais, tanto quanto turbas de espíritos malevolentes, os juízes das trevas.. são todas formas de 'alianças por interesses' no plano espiritual. Com certeza, o Espirito tratava de magnetismo espiritual, mas confundiu o conjunto de fenômenos com o fluido emitido em si.

Pretendo levar as suas considerações e as dos outros que comentaram e comentarão aqui, para proveito do grupo de estudos.

Que Deus nos ilumine


Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: HamLacerda em 28 de Novembro de 2015, 02:14
Amigo HamLacerda,


Não conhecemos pessoalmente o médium, cujas psicografias ou psicodigitações são publicadas nas redes sociais, visualizados e louvados por um numero impressionante de seguidores. Conforme foi comentado por outros membros, desconsideraremos os erros de gramática ou colocações confusas daqui em diante. Em alguns pontos onde nossas interpretações divergem, acredito bom esclarecer o nosso entendimento: Enquanto ao uso de termos científicos, acredito ser uma tentativa de iludir com conhecimento que o Espirito não possui, o que pode demostrar tanto a sua inferioridade quanto uma vontade maligna. Por curiosidade, pesquisei as palavras 'flor da pele' na codificação e o computador encontrou nenhuma ocorrência.

Se o médium divulga essas mensagens, então me parece que seja mesmo necessário uma avaliação mais rigorosa. Sem dúvida se trata de mistificação. Isso muda tudo, porque essa informação é de extrema importância.
Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: Moises de Cerq. Pereira em 28 de Novembro de 2015, 13:06

Irmão Moises, acredito mais provável que a interferência de outro Espírito, se houver, ocorre com o médium imprudente que recebe comunicações sozinho em casa, do que numa reunião mediúnica séria, onde há melhor orientação do plano espiritual. Mesmo assim, não podemos descartar esta hipótese.

Olá SimonB !
Primeiramente para ser mediúnico...sempre haverá interferência, participação, auxilio, atrapalho, palpite, .. de espíritos ou espírito..
Enfim!
Todas estas possibilidades que temos com os encarnados nas comunicações que realizamos, ocorre também com as relações com os espíritos...até ai !    nada de novo.
Não há nada na DE que nos diz que não possamos receber comunicações em nossa casa e isso se por estarmos sozinhos ou acompanhados...quem dirá?  no carro,  no ônibus, no quintal, no banho... andando...
Enfim !
Esta ocorrência não é imprudência alguma.. pelo contrário é estimulada na DE.
Salvo !
A opinião de que o médium somente deve fazer aquilo que eu mando e determino...(mas isto é outro departamento)
Muitas questões se resolve em casa e é bem melhor do que no grupo, pois em casa também pensamos... nos preocupamos, fazemos preces, recebemos intuições...
Quem dera assim fosse em todas as casas, com um ou mais moradores.

Citar
Além da possibilidade de animismo, há, como você disse, certos problemas envolvendo o médium, que na minha humilde opinião, são palpáveis na mensagem. Chegar a receber uma tal comunicação, sem analisá-la, sem corrigir, pelo menos, erros gramaticais, sem perceber as aberrações patentes, as contradições e mistificações que contém.. No meu ver, só tem uma possibilidade: a fascinação.

O animismo precisa ser bem estudado
é fator importante para nós
diz respeito as forças de nossa própria alma..  eu mesmo venho estudando e desenvolvendo a minhas forças anímicas... tomara que obtenha êxito.
As comunicações nós recebemos mesmo... muitas vezes brotam...como numa nascente... e não precisam necessariamente serem analisadas antes de serem produzidas... para não perdermos a naturalidade da comunicação... pois pode se obter mecanicamente...os erros gramaticais não vem ao caso..são dispensadas essa criteriosidade e não diz respeito a mistificação...nós podemos nos fascinar por estas obras e nem por isto significar uma obsessão...eu mesmo sou fascinado pelos trabalhos espíritas... digo eu
Citar

Em relação ao grupo, tens razão, a avaliação poderia ser menos rígida ou criteriosa. Com êxito questionável, tentamos reproduzir a abordagem cientifica usada por Kardec. Agora eu lhe pergunto, como pode avaliar a intenção ou desempenho do grupo, se você não se deu a pena de ler a análise? E mais, qual séria a função do médium, se não a de reproduzir, o mais fielmente possivel, a mensagem do Espirito?

Cristo pediu que nos amássemos
uns aos outros
e isto também serve não somente para os encarnados
mas também para os espíritos e para a relação entre ambos
...
Eu não li a análise para não sofrer influência
para não fazer partido (espero que me entenda)
Ai também me coloco como alguém que pode ser corrigido
Já que o assunto me interessa

Creio que o médium não tem somente esta função, a de ser um filtro automático
Acho que não é isto não
Será ?

Se eu percebo que um espírito quer lhe matar, lhe destruir
e incluindo a sua família... e ela minha capacidade anímica,
percebo boa parte da trama dele ou deles...vejo como agem, de onde vem..
ouço as ofensas, deletam seus defeitos...esnacaram suas hipocrisias...
Enfim...
Coisa feia mesmo

ai
neste caso
qual parte que você acha que deveria filtrar?

Abraços
Título: Re: Avaliação crítica de comunicação mediúnica
Enviado por: SimonB em 29 de Novembro de 2015, 17:53

Primeiramente para ser mediúnico...sempre haverá interferência, participação, auxilio, atrapalho, palpite, .. de espíritos ou espírito.. Não há nada na DE que nos diz que não possamos receber comunicações em nossa casa e isso se por estarmos sozinhos ou acompanhados (...) Esta ocorrência não é imprudência alguma.. pelo contrário é estimulada na DE.
 
eu mesmo venho estudando e desenvolvendo a minhas forças anímicas... tomara que obtenha êxito.

As comunicações nós recebemos mesmo... muitas vezes brotam...como numa nascente... e não precisam necessariamente serem analisadas antes de serem produzidas... para não perdermos a naturalidade da comunicação...

Creio que o médium não tem somente esta função, a de ser um filtro automático



Como sou apenas um estudante da mediunidade, eu procurei esclarecer este assunto da interferência de outros Espíritos nas comunicações, perguntando as participantes da reunião mediúnica da federação do meu estado. Elas afirmam que tal acontecimento é possivel e que seria devido à falta de vigilância do médium. Dai a importância de uma análise cuidadosa das comunicações antes de publicá-las. Tendo lido a mensagem em pauta neste tópico, não acreditam que haja interferência neste caso, mas possivelmente um pouco de animismo, sendo a mensagem em geral o produto de um Espirito inferior ou mistificador.

Segundo elas, o médium recebendo comunicações sozinho, sem o apoio da reunião mediúnica séria e instrutiva, estaria mais vulnerável à tal fenômeno. É claro que encontrar-se em tal reunião não garante proteção alguma contra interferência, longe disto. Mas pessoalmente, eu daria mais consideração à uma mensagem instrutiva oriunda de uma reunião séria e disciplinada, do que uma recebida espontaneamente em qualquer lugar e horário. Eu procurei em O Livro dos Médiuns e não encontrei menção no sentido de incentivar a prática mediúnica fora da reunião organizada.

Você comentou estar 'desenvolvendo forças anímicas'. Sendo o animismo um dos escolhos mais desagradáveis da prática mediúnica, gostaria de entender qual é a finalidade de desenvolver tais forças.