Forum Espirita

GERAL => Mensagens de Ânimo => Acção do Dia => Tópico iniciado por: belina em 17 de Setembro de 2010, 17:58

Título: Os sete passos para superar o controle do Ego
Enviado por: belina em 17 de Setembro de 2010, 17:58
Olá a todos

Repassando... Espero que gostem.

Os Sete passos para a superação do controle do Ego

Aqui estão sete sugestões para ajudá-lo a transcender os conceitos enraizados do orgulho.
Foi escrito com o intuito de preveni-lo contra a falsa identificação com o ego orgulhoso.


1. Pare de se sentir ofendido.

O comportamento de outras pessoas não é motivo para se sentir imobilizado.
Existe a ofensa apenas quando você se enfraquece.
Se procurar por situações que o aborreça, as encontrará em cada esquina.
É o ego no controle convencendo você que o mundo não deveria ser do jeito que é.
Mas é possível tornar-se um observador da vida e alinhar-se com o Espírito da Criação universal.
Não se alcança o poder da intenção sentindo-se ofendido.
Procure erradicar, de todas as formas possíveis, os horrores do mundo que emanam da identificação maciça do ego, e esteja em paz.
A paz está em Deus e você que é parte Dele só retorna ao lar em Sua paz.
O Ser está em Deus e você que é parte Dele só retorna ao lar em Sua paz.
Ficar ofendido cria o mesmo tipo de energia destrutiva que a princípio o feriu, e leva a agressão, ao contra-ataque e a guerra.

2. Abandone o querer vencer.

O ego adora nos dividir entre ganhadores e perdedores.
A busca pela vitória é a forma infalível de evitar o contacto consciente com a intenção.
Por quê? Porque basicamente é impossível vencer sempre.
Algumas pessoas serão mais rápidas, mais sortudas, mais jovens, mais fortes e mais espertas que você e acabará se sentindo insignificante e sem valor diante delas.
Você não se resume as suas conquistas e vitórias.
Uma coisa é gostar de competir e se divertir num mundo onde vencer é tudo, mas não precisa ser assim em seus pensamentos.
Não há perdedores num mundo onde todos compartilham da mesma fonte de energia.
Só se pode afirmar que, em determinado dia, sua actuação esteve num certo nível comparada a outras.
Mas cada dia é diferente, com outros competidores e novas situações a serem consideradas.
Você continua sendo a infinita presença num corpo que está a cada dia ou a cada década, mais velho.
Pare com essa necessidade de vencer, não aceite o conceito de que o contrário de vencer é perder.
Esse é o medo do ego.
Se seu corpo não está respondendo de forma vencedora, não importa, significa que você não está se identificando unicamente com seu ego.
Seja um observador, perceba e aprecie tudo sem a necessidade de ganhar um troféu.
Esteja em paz e alinhe-se com a energia da intenção.
De forma inusitada, as vitórias aparecerão mais em seu caminho quanto menos as desejar.


3. Abandone o querer estar certo.

O ego é a raiz de muitos conflitos e desavenças porque o impulsiona julgar as pessoas como erradas.
Quando a pessoa é hostil, houve uma desconexão com o poder da intenção.
O Espírito de Criação é generoso, amoroso e receptivo; e livre de raiva, ressentimento ou amargura.
Cessar a necessidade de ter razão nas discussões e nos relacionamentos é como dizer ao ego:
 
"Não sou seu escravo. Quero me tornar generoso. Quero rejeitar a necessidade de ter razão. Dê a oportunidade de se sentir bem dizendo a outra pessoa que ela está certa, e agradeça-a por lhe direccionar ao caminho da verdade".

Ao deixar de querer ter razão, você fortalece a conexão com o poder da intenção.
Mas fique atento, pois o ego é um combatente determinado.
Tenho visto pessoas terminarem lindos relacionamentos por apego a necessidade de estarem certas.
Preste atenção à vontade controlada pelo ego.
Quando estiver no meio de uma discussão, pergunte a si mesmo; "Quero estar certo ou ser feliz?"
Ao optar por ser feliz, amoroso e predisposto espiritualmente, a conexão com a intenção se fortalecerá.
Esses momentos expandem novas conexões com o poder da intenção.
A Fonte universal começará a colaborar com você para uma vida criativa ao qual foi predestinado a viver.

4. Abandone o querer ser superior.

A verdadeira nobreza não é uma questão de ser melhor que os outros.
É uma questão de ser melhor ao que você era.
Concentre-se em seu crescimento, consciente de que ninguém neste planeta é melhor que ninguém.
Todos nós emanamos da mesma força de vida criadora.
Todos temos a missão de realizar nossa pretendida essência, tudo que precisamos para cumprir nosso destino está ao nosso alcance.
Mas nada é possível quando nos sentimos superiores aos outros.
É um velho ditado e, todavia, verdadeiro: somos todos iguais aos olhos de Deus.
Abandone a necessidade de sentir-se superior, perceba a expansão de Deus em cada um.
Não julgue as pessoas pelas aparências, conquistas, posses e outros índices do ego.
Ao projectar sentimentos de superioridade retorna a você sentimentos de ressentimentos e até hostilidade.
Esses sentimentos são veículos que os levam para longe da intenção.
A distinção sempre leva a comparações.
Baseia-se na falta vista no outro, e se mantém pela procura e ostentação das falhas percebidas.


5. Deixe de querer ter mais.

O mantra do ego é "mais".
Ele nunca está satisfeito.
Não importa o quanto conquistou ou conseguiu, o ego insiste que ainda não é o suficiente.
Ele põe você num estado perpétuo de busca e elimina a possibilidade de chegada.
Na realidade, você já está lá e a forma que opta para usar esse momento presente da vida é uma escolha.
Ao cessar essa necessidade por mais, as coisas que mais desejam começam a chegar até você.
Sem o apego da posse, fica mais fácil compartilhar com os outros.
Você percebe o pouco que precisa para estar satisfeito e em paz.
A Fonte universal é feliz nela mesma, expande-se e cria vida nova constantemente.
Nunca obstrui suas criações por razões egoístas.
Cria e deixa ir.
Ao cessar a necessidade do ego de ter mais, você se unifica com a Fonte.
Como um apreciador de tudo que aparece, aprende a lição poderosa de São Francisco de Assis:
"É dando que se recebe".
Ao permitir que a abundância lhe banhe, você se alinha com a Fonte e deixa essa energia fluir.

6. Abandone a ideia de você baseado em seus feitos.

É um conceito difícil quando se acredita que a pessoa é o que ela realiza.
Deus compõe todas as músicas.
Deus constrói todos os prédios.
Deus é a fonte de todas as realizações.
Posso ouvir os egos protestando em alto e bom som.
Mas, vá se afinizando com essa ideia.
Tudo emana da Fonte!
Você e a Fonte são um só! Você não é esse corpo ou os seus feitos.
Você é um observador.
Veja tudo ao seu redor e seja grato pelas habilidades acumuladas.
Todo crédito pertence ao poder da intenção, o qual lhe fez existir e do qual você é uma parte materializada.
Quanto menos atribuir a si mesmo suas realizações, mais conectado estará com as sete faces da intenção, mais livre será para realizar e muito aparecerá em seu caminho.
Quando nos apegamos às realizações e acreditamos que as conseguimos sozinhos abandonamos a paz e a gratidão à Fonte.

7. Deixe sua reputação de lado.

Sua reputação não está localizada em você.
Ela reside na mente dos outros.
Você não tem controlo algum sobre isso.
Ao falar para 30 pessoas, terá 30 imagens.
Conectar-se com a intenção significa ouvir o coração e direccionar sua vida baseado no que a voz interior lhe diz.
Esse é o seu propósito aqui.
Ao preocupar-se demasiadamente em como está sendo visto pelos outros, mostra que seu eu está desconectado com a intenção e está sendo guiando pelas opiniões alheias.
É o seu ego no controle.
É uma ilusão que se levanta entre você e o poder da intenção.
Não há nada a fazer, a não ser que você se desconecte da fonte de poder convencido de que seu propósito é provar o quão poderoso e superior é, desperdiçando sua energia na tentativa de obter uma reputação maior entre outros egos.
Faça o que fizer, guie-se sempre pela voz interior conectada e seja grato à Fonte.
Atenha-se ao propósito, desapegue-se dos resultados e assuma a responsabilidade do que reside dentro de você: seu carácter.
Deixe os outros discutirem sobre a sua reputação, isso não interessa.
 
                                                                             Wayne W. Dyer
 

Paz e luz
Belina


Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: APRENDIZ Dorot em 20 de Setembro de 2010, 12:38
Belina, otimo texto, realmente devemos iniciar pelos 7 passos, persistindo com confiança alcançar a todos, lapidando até conseguir extirpar a todos.
Abraços
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: MarcoALSilva em 20 de Setembro de 2010, 13:43


Por gentileza, qual é a fonte desse texto?
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: DENUTTO em 20 de Setembro de 2010, 13:51
Belina, realmente a verdade é clara e o ensinamento é único: "Difícil é de se perder, no labirinto dos sentimentos, os mansos de coração”.

força e fé sempre,
Denutto
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: belina em 20 de Setembro de 2010, 16:40
Olá Marco

Boa tarde

Eu recebi por e-meil, mas sem a fonte só com o nome que está no fim. Espero resposta de quem me enviou se sabe a fonte e depois coloco aqui.
Desculpe sim? Obrigada por participar.
Paz e Luz
Belina
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: belina em 20 de Setembro de 2010, 16:46
Olá Dorotéa  e Denutto

Boa tarde
Ainda bem que gostaram do texto. Obrigada por participarem.
Paz e LUZ
Belina
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: Anton Kiudero em 20 de Setembro de 2010, 20:00
Resumindo a encrenca em poucas linhas e poucas palavras, temos que:

O ser humano expressa sempre o egoismo, e
o egoismo manifesta-se pelas posses.
As posses são de tres tipos:

Posses materiais, o eu tenho e o é meu,
posses sentimentais, o eu amo e o eu não amo e
posses morais, o eu sei.

As posses (o sentimento de posse) geram as paixões humanas e estas levam inevitavelmente ao sofrimento.

Portanto não se apegue a nada, a ninguem e tampouco as suas ideias e pensamentos. Esteja consciente a cada instante de que nada disto é real e que existe apenas para voce no instante em que sente a paixão.

E desapegando-se de tudo, seja feliz.
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: filhodobino em 20 de Setembro de 2010, 20:13
Amados, Um tal de Hermes falou assim:

até aos não iniciados, podem ser considerados a “TÁBUA DAS ESMERALDAS”, “O CABAILION” e “CORPUS HERMETICUM” e como obra mais recente o “PISTIS SOPHIA”.
                Os grupos de estudos herméticos essencialmente têm como base de estudo os chamados Sete Princípios de Hermes:

OS SETE PRINCÍPIOS HERMÉTICOS                               

1 - O PRINCÍPIO DO MENTALISMO.                             

2 - O PRINCÍPIO DA CORRESPONDÊNCIA.                             

3 - O PRINCÍPIO DA VIBRAÇÃO.                             

4 - O PRINCÍPIO DA POLARIDADE                             

5 - O PRINCÍPIO DO RITMO.                             

6 - O PRINCÍPIO DE CAUSA E EFEITO.                             

7 - O PRINCÍPIO DO GÊNERO.

              Quando se examinam os 7 Princípios Herméticos logo se percebe que o mundo tal como se apresenta não poderia existir sem a ausência sequer de um deles, e também que existe uma total integração entre eles. Por exemplo, não pode existir vibração sem ritmo, nem polaridade sem gênero, e assim por diante.
Saúde e Paz!
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: filhodobino em 20 de Setembro de 2010, 20:15
Amados um tal de Lao Tsé falou assim:


SENTIMENTO E MEMÓRIA         
Ter, 27 de Outubro de 2009 08:00
SENTIMENTO E MEMÓRIA
“QUEM CONHECE A SUA IGNOÂNCIA REVELA A
MAIS PROFUNDA SAPIÊNCIA, QUEM IGNORA
AS SUA IGNORANCIA VIVE A MAIS PROUFUNDA
ILUSÃO”
Lao Tsé
   Podemos dizer que o existir é praticamente uma manifestação da Memória. Praticamente tudo o que fazemos deve-se a ela. Veja que desde o momento do acordar até o do dormir entra em ação a memória, e mesmo durante o sono ela está sempre ativa.
   Suponha uma pessoa que a perdesse. Ela não saberia sequer se levantar da cama, pois nem mesmo saberia o que fazer como ativar os membros porque essa atividade depende da memória funcional do organismo.
   Sem memória a pessoa nem ao menos teria como se reconhecer e nem saber o que fazer. Ante uma perda mais profunda nem mesmo as funções orgânicas básicas se fariam presentes, então a pessoa não sentiria fome, nem sede, nem necessidade das funções metabólicas básicas.
   Sem memória não haveria pensamento algum, pois pensar é evocar algo do “banco de memória”. Não haveria acessamento aos registros da vida e nem do organismo biológico. Por exemplo, se casualmente se visse em um espelho não reconheceria sua própria imagem. Um desmemoriado pleno, por certo, não sobreviveria porque nenhuma função se faria presente, assim o organismo pararia.
   Diante do que foi dito no parágrafo anterior, há um ponto discutível. Sem memória haveria sentimento, tais como infelicidade, angústia, medo, e outros? Sabemos que o medo pode ser decorrência de um registro de memória, como pode acontecer com uma pessoa que haja tido uma vivência desagradável, que haja sido atacada por um animal, e consequentemente o incidente sido registrado na memória, de onde o pensamento acessa a informação. Mas nem sempre é assim, há um modo de afloramento que parece não ter origem no registro comum da memória. Como, por exemplo, acontece na sensação de medo indefinível, aparentemente sem causa. Trata-se de uma sensação de medo cuja origem não é definida, a pessoa não identifica a causa. O mesmo se pode dizer de tristeza e de alegria, de emoções em geral. A pessoa sem nenhum motivo pode sentir alegria, tristeza, ansiedade, e outras sem que seja identificado o objeto, sem que seja notado o porquê. Pode-se pensar que isso seja decorrência de algum registro de memória, mas não se tem a certeza disso. Em caso afirmativo parece que parte dos sentimentos independe da memória tradicional.
   A vida em termos biológicos, em termos de organismo é inviável sem a memória, mas vale indagar: um corpo espiritual tem memória, tem registros? Com certeza sim. Isso nos leva à admissão de que não se trata de registro cerebral, que há outro que transcende à matéria biológica. O espírito não morre, o corpo orgânico sim. Vemos então que a vida não decorre somente da memória, que há algo mais, pois se assim não fosse não haveria continuidade espiritual
   Vimos que a vida orgânica depende basicamente da memória tradicional, mas não somente dela, também depende de outra, da espiritual. Há no mínimo mais de um tipo de memória, sendo a cerebral a mais conhecida e mobilizada no organismo. Uma pessoa que haja sofrido um dano cerebral e perde a memória não morre por isso, pois que há um nível mais profundo, aquele que rege as funções relativas representado na “Árvore da Vida” por Hood, concomitantemente há também uma ligada à Netzah ( funções involuntárias). Ambas são dependentes de Malkut (corpo físico) . O espírito não tem corpo físico, mas tem memória. Isso mostra que há um nível mais elevado de registro de memória. Em uma palestra passada comentamos sobre transplante de memória, de replicação de um ser. Agora podemos dizer que tal replicação é possível somente até o nível biológico, mas não ao que o transcende. A ciência jamais repicará um ser integralmente. Ela pode replicar um tanto de qualidades, exatamente daquelas que integram o corpo físico, mas não as do espírito.
   Sem memória não pode existir emoções, tanto menos memória, menor índice de emoções, mas essa afirmação só é válida em nível biológico. Uma pessoa em coma, por exemplo, não tem sentimentos quando em nível corporal, pois não há sentimento sem memória, mas não em nível extra corporal sim, porque há uma memória além da cerebral.
   Os sentimentos não dependem apenas do nível cerebral. Há também sentimentos ligados ao nível transcendental. Uma pessoa sem memória não tem sentimentos, ou seja, os oriundos de registro biológico, mas sim os que o transcende.
   Assim como é em baixo é em cima, portanto há memórias de distintos níveis, e consequentemente também emoções.
Agora devemos levar em consideração que um ser é um holograma, portanto aquilo que se manifesta como emoção, na verdade situa-se na origem dele. Emoção que transcende o nível físico procede da sua essência, pois na verdade o nível físico e todos os demais níveis são meros hologramas, portanto são reflexos, e reflexo não tem registros, e consequentemente sentimentos.
   A eliminação do corpo físico não extingue o existir, pois a essência não faz parte direta do holograma, mas sim de sua fonte original. A memória essencial, assim como os sentimentos, não faz parte do holograma, se manifestam nele, mas a fonte evidentemente não.
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: filhodobino em 20 de Setembro de 2010, 20:17
Ao final Lao Tsé... disse:
A eliminação do corpo físico não extingue o existir, pois a essência não faz parte direta do holograma, mas sim de sua fonte original. A memória essencial, assim como os sentimentos, não faz parte do holograma, se manifestam nele, mas a fonte evidentemente não.

Ora, se não organizarmos nosso halograma, enquanto no corpo, e saltarmos essa etapa, ficaremos com o halograma, como veio...
Então pra que veio?
Saúde e Paz!
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: Disc em 20 de Setembro de 2010, 20:59
Resumindo a encrenca em poucas linhas e poucas palavras, temos que:

O ser humano expressa sempre o egoismo, e
o egoismo manifesta-se pelas posses.
As posses são de tres tipos:

Posses materiais, o eu tenho e o é meu,
posses sentimentais, o eu amo e o eu não amo e
posses morais, o eu sei.

As posses (o sentimento de posse) geram as paixões humanas e estas levam inevitavelmente ao sofrimento.

Portanto não se apegue a nada, a ninguem e tampouco as suas ideias e pensamentos. Esteja consciente a cada instante de que nada disto é real e que existe apenas para voce no instante em que sente a paixão.

E desapegando-se de tudo, seja feliz.


Nisso a gente vê a loucura do mundo, se a pessoa conhecesse o amor de Deus, não lutaria contra a própria natureza, buscaria apenas o aperfeiçoamento desta. Se as pessoas soubessem o que é a paz e a felicidade de ter uma família unida por laços espirituais, não lançariam essas ideias absurdas de que a gente não tem direito a nada, nem a família, nem a afeto, nem a alma gêmea, enfim, o que dá sustento, paz e felicidade ao ser, conforme Deus colocou como aspiração natural em sua alma.
Quem impõe fardos muito pesados a si mesmos, não raro os impõe aos outros. Devemos interpretar corretamente o "ama o teu próximo como a ti mesmo", se a gente ama, quer ter a pessoa no nosso coração e não caminhar na incerteza, de um ser humano ridículo, que vê nas coisas boas da vida o afastamento de Deus, cuja essência, as pessoas esquecem que é o amor e o desejo de felicidade dos filhos, fazem de Deus um padrasto egoísta, punitivo e castrador, remontando aos tempos de barbaridade da época pré-mosaica.
Se alguém quiser discutir o que estou dizendo com seus métodos loucos, fique sabendo que não vou estar nem aí, apenas ofereço o meu conhecimento, a aceitação não me diz respeito.
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: Disc em 20 de Setembro de 2010, 21:07
Só mais uma coisa, conheço pessoas vaidosas que são uns amores e pessoas que vivem se preocupando com ego, que são verdadeiros demônios disfarçados de sábios. Isso eu sinto de longe, quando uma pessoa está preparada para o reino dos céus e quando só serve para ser atirada ao monturo e virar adubo.
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: hcancela em 20 de Setembro de 2010, 21:09
Olá amigos(as)


Passei por aqui e lembrei de deixar algo em relação ao tópico. :-* :-* :-* :-*


RESPEITE O OUTRO

 Se disponhas a ser um verdadeiro Trabalhador da Luz, é preciso aprender esta lição: Respeite a dimensão do outro.

 Poderás dizer: Mas eu respeito o outro.

         Respeitar o outro significa compreendê-lo. Significa não querer que o outro seja aquilo que você deseja.

Quando se chateia e se magoa com que o outro lhe fez, estarás, de certa forma, desrespeitando o direito que ele tem de ser o que ele É, pois ele simplesmente fez aquilo que você queria que ele não fizesse. Você esperava que ele fosse aquilo que você queria e não que ele fosse o que ele É. Ame-o e respeite-o como ele É, com suas virtudes e com aquilo que você acha que são defeitos. Não compre brigas desnecessárias que só denigrem vossas energias.

Se hoje buscas trilhar o caminho da Luz, respeite o tempo daqueles que ainda não se permitiram fazer essa escolha. Ajude-os sem julgá-los e sem querer impor vosso ponto de vista.

Se ainda se achas no direito de pensar de forma maledicente sobre vosso irmão, evita, pelo menos verbalizar, não fazendo disso uma corrente na qual irremediavelmente estarás preso.

LEMBRE-SE: Ninguém no mundo tem a obrigação de lhe compreender, mas tu, que se dispõe a trabalhar e caminhar na Luz, tem mais que obrigação de, pelo menos, se esforçar para compreender os outros.
Beijos de luz! 
 
Autor desconhecido

Saudações fraternas
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: mecame em 20 de Setembro de 2010, 21:55
Luz e paz a todos. Muito bom irmãzinha Belina. Irmãozinho Discipulo da Luz, gosto da sua lucidez quando escreve. A paz de Cristo a todos
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: Hebe M C em 20 de Setembro de 2010, 22:52


Por gentileza, qual é a fonte desse texto?
Oi Marco. Segue um pouco do autor pra você.

Wayne Dyer
“As crenças religiosas
"Minha opinião é que a verdade é uma verdade até que você organizá-la, e então se torna uma mentira. Eu não acho que Jesus estava ensinando o cristianismo, Jesus estava ensinando a bondade, amor, respeito e paz. O que eu digo às pessoas é don "Não ser cristão, ser como Cristo. Não ser budista, como a de Buda." [6]

"A religião é a ortodoxia, regras e escrituras históricas mantidas por pessoas durante longos períodos de tempo. Geralmente as pessoas se levantam para obedecer os costumes e práticas dessa religião sem questionar. Estes são os costumes e as expectativas de fora da pessoa e não cabe na minha definição de espiritual. "[7]”
Wikipedia
Wayne Dyer inspirado na psicologia humanista de Abraham MaslowPsicologia Transpessoal
 
Ver artigo principal: Psicologia transpessoal
Maslow estava insatisfeito com sua própria teoria, dizendo que faltava-lhe o facto de o homem ser um ser espiritualizado. Para ele, era importante a espiritualidade e as características da consciência alterada, teoria de Stanislav Grof. Criou então, com ajuda de outros psicólogos, uma teoria que era abrangente nesse aspecto. Incorporou ideias de Carl G. Jung, que era um estudioso dos aspectos transcendentais da consciência, na Psicologia transpessoal. Esta fala de vários níveis de consciência, que vão do mais obscuro, (a sombra), até o mais alto grau de consciência, o transpessoal. Por ter seu foco na consciência e seus aspectos, foi também chamada de psicologia da consciência. Seu estudo é recente e traz características que necessitam de um aprofundamento maior.

Wikipedia

Um abço
Hebe
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: MarcoALSilva em 20 de Setembro de 2010, 23:02
Belina e Hebe, muito obrigado.  :)

Um pouco mais:


 "Não existe falta de oportunidades para ganhar a vida com o que amamos; existe apenas uma falta de decisão para fazer isso acontecer."
(Wayne Dyer)


"Tudo o que você precisa você já tem. Você já é completo, você é inteiro, uma pessoa total, não um aprendiz a caminho de algum outro lugar."
(Wayne Dyer)


"Só podemos dar aquilo que temos em nós mesmos. "
(Wayne Dyer)


"Aquelas que nos magoaram fizeram apenas o que sabiam fazer, em função das condições de suas vidas. Se você não perdoar, permitirá que essas mágoas antigas continuem a dominá-lo."
(Wayne Dyer)


"Deixe de agir como se vida fosse uma repetição. Viva este dia como se fosse o último. O passado terminou e se foi. O futuro não está garantido. "
(Wayne Dyer)


"Mude o modo que você olha para as coisas, e as coisas que você olha mudarão."
(Wayne Dyer)


"Você não é um ser humano que está passando por uma experiência espiritual. Você é um ser espiritual que está vivenciando uma experiência humana."
(Wayne Dyer)
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: Hebe M C em 20 de Setembro de 2010, 23:33
 :D Boa Noite Marco,
Repare as palavras de Wayne Dyer, e veja se não bate com o que todos os iluminados dizem, inclusive Jesus que tem a linguagem mais proxima de nós.
Isso tem sido falado exaustivamente e não está sendo compreendido.
O apego a vida material nos cega para esse entendimento.
Sinto ser insistente ou repetitiva. Mas é só isso o desfazer do EGO ou das Ilusões que se fala e viver de amor puro, sem posse.

Um abço
Hebe
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: MarcoALSilva em 20 de Setembro de 2010, 23:39

Sabe de uma coisa Hebe?

Sinto que vou me debruçar novamente na Codificação (quando fiz o estudo de janeiro reentrei na obra de Kardec com muita atenção) a fim de tentar identificar essa linguagem universal.

Certamente vou ter que pedir muita ajuda para muitos Amigos, como venho fazendo no tópico "Como surgiu a ilusão?". Não sei quando nem se vou conseguir realizar esse estudo, mas vou tentar...

Posso contar com você?

Abração!
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: Ace em 20 de Setembro de 2010, 23:45
Tópico muito interessante este! :)

Abraços.
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: dim-dim em 21 de Setembro de 2010, 12:59
Resumindo a encrenca em poucas linhas e poucas palavras, temos que:

O ser humano expressa sempre o egoismo, e
o egoismo manifesta-se pelas posses.
As posses são de tres tipos:

Posses materiais, o eu tenho e o é meu,
posses sentimentais, o eu amo e o eu não amo e
posses morais, o eu sei.

As posses (o sentimento de posse) geram as paixões humanas e estas levam inevitavelmente ao sofrimento.

Portanto não se apegue a nada, a ninguem e tampouco as suas ideias e pensamentos. Esteja consciente a cada instante de que nada disto é real e que existe apenas para voce no instante em que sente a paixão.

E desapegando-se de tudo, seja feliz.


Nisso a gente vê a loucura do mundo, se a pessoa conhecesse o amor de Deus, não lutaria contra a própria natureza, buscaria apenas o aperfeiçoamento desta. Se as pessoas soubessem o que é a paz e a felicidade de ter uma família unida por laços espirituais, não lançariam essas ideias absurdas de que a gente não tem direito a nada, nem a família, nem a afeto, nem a alma gêmea, enfim, o que dá sustento, paz e felicidade ao ser, conforme Deus colocou como aspiração natural em sua alma.
Quem impõe fardos muito pesados a si mesmos, não raro os impõe aos outros. Devemos interpretar corretamente o "ama o teu próximo como a ti mesmo", se a gente ama, quer ter a pessoa no nosso coração e não caminhar na incerteza, de um ser humano ridículo, que vê nas coisas boas da vida o afastamento de Deus, cuja essência, as pessoas esquecem que é o amor e o desejo de felicidade dos filhos, fazem de Deus um padrasto egoísta, punitivo e castrador, remontando aos tempos de barbaridade da época pré-mosaica.
Se alguém quiser discutir o que estou dizendo com seus métodos loucos, fique sabendo que não vou estar nem aí, apenas ofereço o meu conhecimento, a aceitação não me diz respeito.
Só mais uma coisa, conheço pessoas vaidosas que são uns amores e pessoas que vivem se preocupando com ego, que são verdadeiros demônios disfarçados de sábios. Isso eu sinto de longe, quando uma pessoa está preparada para o reino dos céus e quando só serve para ser atirada ao monturo e virar adubo.

A crítica que o amigo faz à mensagem de cima do amigo Anton Kiudero apenas revela desconhecimento, ou percepção condicionada, do LE. Este nos ensina, como essência, o "desprendimento" e o "conhece-te a ti mesmo", que só acontece depois do desprendimento, muito bem explicado pelo nosso amigo Anton aí em cima.

Fique atento...

" Allan Kardec "

912 Qual o meio mais eficaz de combater a predominância da natureza corporal?

– Praticar o desprendimento.

919 Qual o meio prático mais eficaz para se melhorar nesta vida e resistir aos arrastamentos do mal?

– Um sábio da Antiguidade vos disse: “Conhece-te a ti mesmo”.


PS: Ah, não se esqueça que somos espíritos, não somos homens. O ser homem é a ilusão do espírito.
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: belina em 21 de Setembro de 2010, 14:36
Olá a todos
Boa tarde

Queridos amigos estou muito grata pela vossa colaboração, e por tudo o eu que tenho aprendido com todos aqui no forum.
Deus vos abençoe.

Paz e Luz
Belina
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: HenriqueSouza em 21 de Setembro de 2010, 18:01
 :) :)
Muito interessante
o texto, ainda mais que estou em busca de estar sempre me conhecendo e em busca de fazer o lugar onde vivo um pouco melhor, claro não esquecendo da minha Reforma Íntima constante.

A quem possa interessar o os direitos autorais © 2008 Direitos Autorais Dr. Wayne W Dyer (fonte).
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: filhodobino em 21 de Setembro de 2010, 18:50
É mesmo muito interessantes amados do meu coração...
Fica igualzinho ioiô... mas no verso do reverso do improviso, sempre vem um merchadinsing...
Falô e  disse Mano Marco... vamos pra codificação... lá há matéria de dominio público...


Citar
A quem possa interessar o os direitos autorais © 2008 Direitos Autorais Dr. Wayne W Dyer (fonte).
Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/como-usar-este-forum/os-sete-passos-para-s-superacao-do-contrloe-do-ego/15/#ixzz10BgG1II5

Saúde e Paz!
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: dim-dim em 21 de Setembro de 2010, 20:13
Resumindo a encrenca em poucas linhas e poucas palavras, temos que:

O ser humano expressa sempre o egoismo, e
o egoismo manifesta-se pelas posses.
As posses são de tres tipos:

Posses materiais, o eu tenho e o é meu,
posses sentimentais, o eu amo e o eu não amo e
posses morais, o eu sei.

As posses (o sentimento de posse) geram as paixões humanas e estas levam inevitavelmente ao sofrimento.

Portanto não se apegue a nada, a ninguem e tampouco as suas ideias e pensamentos. Esteja consciente a cada instante de que nada disto é real e que existe apenas para voce no instante em que sente a paixão.

E desapegando-se de tudo, seja feliz.


Nisso a gente vê a loucura do mundo, se a pessoa conhecesse o amor de Deus, não lutaria contra a própria natureza, buscaria apenas o aperfeiçoamento desta. Se as pessoas soubessem o que é a paz e a felicidade de ter uma família unida por laços espirituais, não lançariam essas ideias absurdas de que a gente não tem direito a nada, nem a família, nem a afeto, nem a alma gêmea, enfim, o que dá sustento, paz e felicidade ao ser, conforme Deus colocou como aspiração natural em sua alma.
Quem impõe fardos muito pesados a si mesmos, não raro os impõe aos outros. Devemos interpretar corretamente o "ama o teu próximo como a ti mesmo", se a gente ama, quer ter a pessoa no nosso coração e não caminhar na incerteza, de um ser humano ridículo, que vê nas coisas boas da vida o afastamento de Deus, cuja essência, as pessoas esquecem que é o amor e o desejo de felicidade dos filhos, fazem de Deus um padrasto egoísta, punitivo e castrador, remontando aos tempos de barbaridade da época pré-mosaica.
Se alguém quiser discutir o que estou dizendo com seus métodos loucos, fique sabendo que não vou estar nem aí, apenas ofereço o meu conhecimento, a aceitação não me diz respeito.
Só mais uma coisa, conheço pessoas vaidosas que são uns amores e pessoas que vivem se preocupando com ego, que são verdadeiros demônios disfarçados de sábios. Isso eu sinto de longe, quando uma pessoa está preparada para o reino dos céus e quando só serve para ser atirada ao monturo e virar adubo.

A crítica que o amigo faz à mensagem de cima do amigo Anton Kiudero apenas revela desconhecimento, ou percepção condicionada, do LE. Este nos ensina, como essência, o "desprendimento" e o "conhece-te a ti mesmo", que só acontece depois do desprendimento, muito bem explicado pelo nosso amigo Anton aí em cima.

Fique atento...

" Allan Kardec "

912 Qual o meio mais eficaz de combater a predominância da natureza corporal?

– Praticar o desprendimento.

919 Qual o meio prático mais eficaz para se melhorar nesta vida e resistir aos arrastamentos do mal?

– Um sábio da Antiguidade vos disse: “Conhece-te a ti mesmo”.


PS: Ah, não se esqueça que somos espíritos, não somos homens. O ser homem é a ilusão do espírito.


É mesmo muito interessantes amados do meu coração...
Fica igualzinho ioiô... mas no verso do reverso do improviso, sempre vem um merchadinsing...



Citação de: link=topic=29193.msg146495#msg146495 date=1284742716
(...)
1. Pare de se sentir ofendido.

O comportamento de outras pessoas não é motivo para se sentir imobilizado.
Existe a ofensa apenas quando você se enfraquece.

2. Abandone o querer vencer.

O ego adora nos dividir entre ganhadores e perdedores.
A busca pela vitória é a forma infalível de evitar o contacto consciente com a intenção.

   (...)                                                                          Wayne W. Dyer
 
Título: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: Anderson Vieira em 16 de Janeiro de 2011, 11:35
Quero Parabenizar Belina por compartilhar essa obra prima que é esse texto, pois veio de encontro com as minhas necessidades, me fez refletir muito e com certeza depois de ter lido esse texto ja mudei a minha forma de pensar e agir, estou encaminhando para alguns amigos e é isso mesmo aprendendo e ensinando a evolução é assim!!!

Obrigado

Abraços Fraternos
Título: Re: Os sete passos para s superação do contrloe do Ego
Enviado por: Anton Kiudero em 16 de Janeiro de 2011, 12:00
Por ser util, deixo tambem aqui o link para um tema central do entendimento do ego.

http://www.forumespirita.net/fe/accao-do-dia/as-quatro-ancoras-13265/msg41862/#msg41862