Forum Espirita

GERAL => Eventos / Notícias => Outros Temas => Brasil => Tópico iniciado por: Edna☼ em 11 de Outubro de 2018, 13:04

Título: Desencarne de Zibia Gasparetto
Enviado por: Edna☼ em 11 de Outubro de 2018, 13:04
(https://scontent.fgru7-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/43722588_10209727733109922_6669100255155322880_n.jpg?_nc_cat=102&_nc_eui2=AeEXWPd5YvpckdcvyH9CY4gr6_A531MGJ_yVcJb3f9DLPvbsjjino0SqAC_jRohRp1THpbfZHTcGz1_hQfrBdFshANrZBfrUJXr4_xILD1enaQ&oh=f62eec6698e8ba9093143aaea4fa1b94&oe=5C61E0F8)

Escritora Zíbia Gasparetto morre aos 92 anos em SP


"A escritora espiritualista Zíbia Gasparetto morreu no final da tarde desta quarta-feira (10), em sua casa, no Ipiranga, Zona Sul de São Paulo.

Segundo amigos da família, Zíbia lutava desde o início do ano contra um câncer no pâncreas. Ela morreu dormindo.

O corpo será velado a partir das 10h desta quinta-feira (11), no Cemitério de Congonhas.

A informação também foi divulgada na página de Zíbia nas redes sociais. “Hoje, o astral recebe com amor uma de suas representantes na Terra”, diz post no Facebook.

“Zibia Gasparetto, 92 anos, completou hoje sua missão entre nós e parte para uma nova etapa ao lado de seus guias espirituais, deixando uma legião de fãs, amigos e familiares, que foram tocadas por sua graça, delicadeza e por suas palavras sábias”, completa o texto.

Natural de Campinas, interior do estado, Zíbia ficou conhecida na literatura espírita. Ela se dedicou ao espiritismo por 68 anos e tem 58 obras publicadas, com mais de 18 milhões de exemplares vendidos. Durante sua carreira, a escritora também ganhou notoriedade como médium.

Entre as principais obras estão “O amor venceu”, “Eles continuam entre nós” e “A vida sabe o que faz”.

De origem italiana, Zibia Gasparetto foi casada com Aldo Luiz. Juntos, estudaram a doutrina espírita e passou a frequentar reuniões públicas da Federação Espírita do Estado de São Paulo, além de realizar estudos em casa.


A editora 'Vida e Consciência', responsável pelas publicações de Zíbia, divulgou, em seu site, uma nota sobre o falecimento da autora.

"Foram mais de 68 anos dedicados ao espiritismo, 58 obras publicadas e mais de 18 milhões de livros vendidos. Agradecemos de coração a todos que permitiram que seus ensinamentos de luz permeassem e transbordassem em suas vidas. Esse legado será eterno e os conhecimentos de Zibia sobre as relações humanas e espirituais serão transmitidos por muitas e muitas gerações. Ela segue em paz ao plano espiritual, olhando por todos nós. Feliz recomeço!", afirma o texto.


Depoimentos

Ao Programa Mais Você, em 2011, Zíbia contou que na adolescência colecionava muitas frases de filósofos. Seu primeiro contato com a mediunidade foi aos 22 anos, quando, em uma dia, ela se levantou e começou a falar em alemão, mesmo desconhecendo a língua.

“A entidade que estava comigo aquela hora ficava muito brava, porque meu marido não entendia tudo”, relatou a escritora.

Ela contou como foi a relação com seu dom logo após a descoberta.

“Nos primeiros dois anos, eu não acreditava que os espíritos pudessem mexer com o seu corpo, com a sua saúde. Parecia que eu iria enfartar, até o dia que eu decidi encarar e percebi que era isso mesmo. Eu não dormia, parecia um zumbi dentro de casa, foi, então, que eu percebi que eles atuam na matéria e mudei completamente”.


Durante o programa, Zíbia também falou sobre seu casamento com Aldo Luiz Gasparetto.

“Ele partiu em 1980, ele desencarnou em menos de cinco minutos em um infarto fulminante. Então, eu tive que aprender a andar com as próprias pernas. Acho que ele se foi porque eu precisava desenvolver a minha capacidade, o meu trabalho, e eu fiquei mais livre para isso. Mas ele continua, a vida continua. Se eu estou preocupada com alguma coisa, eu tenho uma poltrona ao lado da minha cama, ele vem e senta, não fala nada, mas eu o vejo ali dizendo para eu ficar firme porque ele está me apoiando. O amor continua”, defendeu.

Ao final da conversa, ela disse: "O mundo está muito sofrido, as pessoas têm que acreditar que a vida continua."

10/10/2018 21h57  Atualizado há 1 hora

Fonte: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2018/10/10/zibia-gasparetto-morre-em-sao-paulo-aos-92-anos.ghtml
Título: Re: Desencarne de Zibia Gasparetto
Enviado por: ram-wer em 14 de Outubro de 2018, 23:58
Desencarnação Zíbia Gasparetto, falecimento Zíbia Gasparetto

D. Zíbia deve ter espalhado bênçãos incalculáveis com seus 58 livros.

Só conheço uns poucos: O Matuto, Quando a vida escolhe, Pelas portas do coração, Somos todos inocentes, Bate-papo com o Além  e  O mundo em que eu vivo. Muito bons.

Destaque em quase todos aqueles seis que li: a importância do amor a si mesmo, fonte de todos os amores. E o funcionamento da lei de afinidade mental. Nossas crenças atraem fatos afins.

Mas eu prefiro narrações sobre a vida no Astral (Mundo Espiritual). Relatos terrestres ficam parecendo conto, novela. Porém, os campeões de vendas são estes. E fazem muito bem pros leitores.

Acho que o meu favorito é O mundo em que eu vivo. O autor não é Lúcius; é o Silveira Sampaio. Geminiano de 8 de junho de 1914, Silveira usou sua encarnação terrestre do modo típico daquele signo: era médico, empresário, jornalista, autor de crônicas, ator, roteirista, diretor de cinema, apresentador de TV. Bem, chega, rs.

E O mundo em que eu vivo tem muito dessa deliciosa multiplicidade de assuntos. É assim: ele narra a vida numa colônia astral meio perto daqui. Acho que a maioria das pessoas boas vive nesse tipo de cidade: nem muito ao Céu, nem tanto à Terra. E o Silveira vai contando a vidinha de vários moradores dali. Tem o ex-piloto de corrida que foi aconselhado a trabalhar de jardineiro da Colônia, pra desenvolver a paciência. E tem o caso do disco voador (aeróbus ou algo assim).

(https://images-na.ssl-images-amazon.com/images/I/51h1KViBjGL._SX330_BO1,204,203,200_.jpg)
Título: Re: Desencarne de Zibia Gasparetto
Enviado por: ram-wer em 16 de Outubro de 2018, 01:27
Bem legalzinha essa entrevista do Amaury Jr. com a Dona Zíbia. Ocorreu em 2014, quando a médium estava com 87 anos.

No final, os espíritos deram importante lição sobre os perigos de a gente se envolver nas correntes acaloradas da opinião política.

É bom ver a simplicidade dela. Parece a avó de todo o mundo, rs.

Zíbia Gasparetto relata experiência que teve em espírito - Amaury Jr. Show 13/09/2014 (http://www.forumespirita.net/fe/go.php?url=aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PUlxeVU0WW12OUVJI3dz)
Título: Re: Desencarne de Zibia Gasparetto
Enviado por: Edna☼ em 17 de Outubro de 2018, 14:24
Concordo, Ram.

Os livros psicografados pela Zibia despertaram muitas pessoas para a realidade espiritual,  as levaram a interessar-se pelo Espiritismo e estudar as obras básicas da codificação.


Desencarnação Zíbia Gasparetto, falecimento Zíbia Gasparetto

D. Zíbia deve ter espalhado bênçãos incalculáveis com seus 58 livros.

Só conheço uns poucos: O Matuto, Quando a vida escolhe, Pelas portas do coração, Somos todos inocentes, Bate-papo com o Além  e  O mundo em que eu vivo. Muito bons.

Destaque em quase todos aqueles seis que li: a importância do amor a si mesmo, fonte de todos os amores. E o funcionamento da lei de afinidade mental. Nossas crenças atraem fatos afins.

Mas eu prefiro narrações sobre a vida no Astral (Mundo Espiritual). Relatos terrestres ficam parecendo conto, novela. Porém, os campeões de vendas são estes. E fazem muito bem pros leitores.

Acho que o meu favorito é O mundo em que eu vivo. O autor não é Lúcius; é o Silveira Sampaio. Geminiano de 8 de junho de 1914, Silveira usou sua encarnação terrestre do modo típico daquele signo: era médico, empresário, jornalista, autor de crônicas, ator, roteirista, diretor de cinema, apresentador de TV. Bem, chega, rs.

E O mundo em que eu vivo tem muito dessa deliciosa multiplicidade de assuntos. É assim: ele narra a vida numa colônia astral meio perto daqui. Acho que a maioria das pessoas boas vive nesse tipo de cidade: nem muito ao Céu, nem tanto à Terra. E o Silveira vai contando a vidinha de vários moradores dali. Tem o ex-piloto de corrida que foi aconselhado a trabalhar de jardineiro da Colônia, pra desenvolver a paciência. E tem o caso do disco voador (aeróbus ou algo assim).