Forum Espirita

CONVÍVIO => Off-topic => Convívio => Tópico iniciado por: bias em 09 de Setembro de 2013, 12:46

Título: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: bias em 09 de Setembro de 2013, 12:46
Olá bom dia a todos.
Quero uma ajuda de todos amigos fraternos do fórum.

Minha curiosidade em saber a relação do álcool com o espírito.
Porque muitas vezes fazemos e pensamos coisas ruins, que não são verdadeiras.

Alguém poderia me contar a relação entre os dois.

Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: hcancela em 09 de Setembro de 2013, 19:53
Olá bias

Creio que nestas minhas palavras está tudo. ;)


Um tiquinho de álcool( vinho) há refeição nada faz, no entanto vivemos muito bem sem ele.

No resto o exagero todo mundo sabe bem o que faz no corpo fisico.

Ao Espirito desde que não seja um viciado, ao desprender-se do corpo o álcool nada faz.


Abraços fraternos
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mega em 09 de Setembro de 2013, 22:54
"Porque muitas vezes fazemos e pensamos coisas ruins, que não são verdadeiras."

Tais coisas se passam em função de  ter bebido  Bias? Não entendi.

Tomo cerveja quase todos os dias, pouca. Não fico alterada, só pra relaxar (tipo 2 ou 3 latinhas, em casa, tranquila). Não penso nada de anormal, apenas sinto menos dor muscular. (sou fibromiálgica) Faz bem para dormir, mas, penso que bem não faz ao corpo como um todo, e, tenho medo de que vire vício.

Agora, não me lembro se ouvi ou li, devo ter lido,  que ficamos mais passíveis de sermos influenciados por irmãos desencarnados quando ingerimos bebida alcoolica. Sugiro estudo do Livro dos Médios que nos prepara para as "brincadeiras"  do mundo invisível.

Abraços
Estejamos sempre com fé viva em Deus

Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 10 de Setembro de 2013, 00:54
Mega, só existirá causa de influenciação havendo similaridade para com os pensamentos dos Espíritos que nos redeiam.
A isso chamamos de selehança, ou seja está amparada pélao princípio da Semelhanmça.
Acontece que quem lê rápoido acaba que por semelhança s[ó se tenha na parte física quando o termo semelhança é ali empregado no sentido de similaridade, ou seja de se comungar com os mesmos pensamentos e vontades de tais Espíritos.
abração,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: luissantos2013 em 10 de Setembro de 2013, 02:10
Olha,claro que afeta o espirito pois causa um desequilíbrio vê o caso do nosso amigo André Luiz; só bebia socialmente e chegou la em cima como a um suicida alcoólico porquê: temos o livre arbítrio mas temos que arcar com as consequências de nossos atos. Então tudo que desequilibra o corpo consequentemente repercute no espirito. A quantidade enorme de espíritos que vagueiam pela crosta Terrestre e na maioria dos casos aproveitam da nossa invigilância pra nos influenciar e no caso da Bebida nem precisam nos influenciar pois estes irmãozinhos dado aos vícios se ligaram aos encarnados e beberam juntos e neste caso se realmente nos entregarmos ao vicio e a invigilância entraremos no caso da obsessão veja o livro Nosso lar de ANDRÉ LUIZ lá você verá com mais clareza veja tambem o livro dos espíritos perguntas ''infruência dos Espíritos perg-171,172,165,180,166 e  169 um grande abraço.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 10 de Setembro de 2013, 11:49
Bias,

Se fazemos é verdadeiro. Não é possível fazer o que não é verdade.

A relação do álcool com o Espírito é exatamente a mesma de qualquer outro vício: o Espírito se torna dependente do tipo de prazer que encontra nos vícios do corpo. O Espírito nessas condições é um Espírito fraco, e um Espírito fraco tem afinidade com outros de igual fraqueza. Não é o álcool que atrai Espíritos inferiores para próximo do que detém o vício, é a sua fraqueza e vontade de viver em função de uma paixão material.

A questão do álcool é muito séria para que possamos relativizá-la a nosso bel prazer. Os Espíritos foram bem objetivos e não deixaram dúvidas quanto a isso:

Citar
848. A alteração das faculdades intelectuais pela embriaguez desculpa os atos repreensíveis?
-- Não, pois o ébrio voluntariamente se priva da razão para satisfazer paixões brutais: em lugar de uma falta, comete duas.

952. O homem que perece como vítima do abuso das paixões que, como o sabe, deve abreviar o seu fim, mas às quais não tem mais o poder de resistir, porque o hábito as transformou em verdadeiras necessidades físicas, comete um suicídio?
-- É um suicídio moral. Não compreendeis que o homem, neste caso, é duplamente culpado? Há nele falta de coragem e bestialidade, e além disso o esquecimento de Deus.
(O livro dos Espíritos)(Grifos meus)
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: bias em 10 de Setembro de 2013, 13:17
Muito obrigado a todos por estarem compartilhando de seus conhecimento da doutrina.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mega em 10 de Setembro de 2013, 14:28
Moura no passado eu costumava pensar coisas estranhas. Costumava dizer que não pensava meus pensamentos (sem beber), pensava coisas que não eram minhas e com as quais não concordava. Ficava meio que eu brigando comigo. Qual parte de mim era o inimigo? rs Estudando o Livro dos Médios consegui controlar tais "intromissões mentais". Mister se faz enaltecer que nunca cedi a tais ideias e impulsos, sempre repudiava e buscava a oração como refugio. Essa experiência pessoal  me remete a interpretar que essa "sintonia" com o mundo invisível, as vezes, pode não se dar por semelhança, até por que o meu consciente era e é contra as sugestões de coisa não muito ortodoxa. Se não concordo, como posso estar semelhante àquele que me assoda o imaginário? O que eu poderia, talvez, era ter oscilado por frações de segundos no nível de vibração de algum companheiro, será? Não sei dizer. Não me parece que era assim, o repúdio era imediato, chegava a balançar a cabeça em negativa.

Bom dia!
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 10 de Setembro de 2013, 15:55
Luis,
uma estomatite afeta ao Espírito? Resp: Não;
Uma esofagite afeta ao Espírito? Resp. Não;
Um cancer afeta ao Espírito? resp. Não.
O que quero demonstrar é exatamente isso: O que afeta ao físico não afeta ao Espírito.
Simples assim.
Abraços,
Moura
Olha,claro que afeta o espirito pois causa um desequilíbrio vê o caso do nosso amigo André Luiz; só bebia socialmente e chegou la em cima como a um suicida alcoólico porquê: temos o livre arbítrio mas temos que arcar com as consequências de nossos atos. Então tudo que desequilibra o corpo consequentemente repercute no espirito. A quantidade enorme de espíritos que vagueiam pela crosta Terrestre e na maioria dos casos aproveitam da nossa invigilância pra nos influenciar e no caso da Bebida nem precisam nos influenciar pois estes irmãozinhos dado aos vícios se ligaram aos encarnados e beberam juntos e neste caso se realmente nos entregarmos ao vicio e a invigilância entraremos no caso da obsessão veja o livro Nosso lar de ANDRÉ LUIZ lá você verá com mais clareza veja tambem o livro dos espíritos perguntas ''infruência dos Espíritos perg-171,172,165,180,166 e  169 um grande abraço.
Título: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: san-fer7 em 11 de Setembro de 2013, 06:17
Acredito que o vício indiretamente afeta o espírito pois,ele causa problemas orgânicos e,se pelo vicio causamos doenças e comprometimento da saúde e da vida e consequentemente,afetando o espirito.Acho até que seja uma forma de suicídio.



Abraços Fraterno.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: bias em 11 de Setembro de 2013, 12:42
Muito obrigado a todos por estarem compartilhando conhecimentos.

Uma nota que gostaria de acrescentar e talvez seja a razão do meu tópico.
As influencias de espíritos quando se consume álcool.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 11 de Setembro de 2013, 13:55
Mano San,
o que atinge ao organismo não afeta ao Espírito, por isso uma das primeiras respostas em OLE diz que há tres coisas: Espírito, matéria e acima de tudo Deus.
avalie que é a De que assim dispõe e tomando-se por verdade que ela foi ditada pelos Espíritos Superiores, a nós não cabe objetar.
Abraços,
Moura
Acredito que o vício indiretamente afeta o espírito pois,ele causa problemas orgânicos e,se pelo vicio causamos doenças e comprometimento da saúde e da vida e consequentemente,afetando o espirito.Acho até que seja uma forma de suicídio.



Abraços Fraterno.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 11 de Setembro de 2013, 14:14
Muito obrigado a todos por estarem compartilhando conhecimentos.

Uma nota que gostaria de acrescentar e talvez seja a razão do meu tópico.
As influencias de espíritos quando se consume álcool.

Bias,

A influência é um fato, mas não é apenas em relação ao álcool. Todo e qualquer vício e paixão material nos quais o Espírito encarnado se vê enterrado são influenciados por Espíritos inferiores. Mas não se deve deduzir dai ou mesmo aceitar cegamente certos ensinamentos de que os Espíritos estejam se “utilizando” dos encarnados para a satisfação de suas paixões materiais, porque essas paixões materiais simplesmente não existem para os Espíritos. De acordo com os Espíritos da doutrina, um Espírito não pode beber ou fumar por meio de um encarnado, como se vê aqui ou ali na literatura mediúnica. A satisfação de um Espírito inferior está em poder ver o encarnado que está sob sua influência se degradar e sentir na pele o mesmo sofrimento pelo qual ele passou ao se entregar a uma paixão material.     


Citar
281. Por que os Espíritos inferiores se comprazem em nos levar ao mal?

-- Pelo despeito de não terem merecido estar entre os bons. Seu desejo é o de impedir, tanto quanto puderem, que os Espíritos ainda inexperientes atinjam o bem supremo. Querem fazer os outros provarem aquilo que eles provam. Não vedes o mesmo entre vós?

972. Como procedem os maus Espíritos para tentar os outros Espíritos, se não dispõem do auxílio das paixões?
-- Se as paixões não existem materialmente, existem, entretanto, no pensamento dos Espíritos atrasados. Os maus entretêm esses pensamentos, arrastando suas vítimas aos lugares onde deparam com essas paixões e com tudo o que as possa excitar.

972-a. Mas para que servem essas paixões, se lhes falta o objeto real?
-- Assim é precisamente para o seu suplício: o avarento vê o ouro que não pode possuir; o devasso, as orgias de que não pode participar; o orgulhoso, as honras que inveja e de que não pode gozar.

(O livro dos Espíritos)(Grifos meus)
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 11 de Setembro de 2013, 14:23
Belas citações à obra básica mano Edmar, desse modo os debates sempre trarão maior possibilidade de compreensão da DE assim como de aprender com elas.
abraços,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: wender100%espirita em 11 de Setembro de 2013, 15:22
bem o Espirito como ja foi dito a resposta e NAO afeta, mas temos que levar em questao o perispirito que no caso de um consumo exagerado dessa substancia ocorrera um suicidio involutario, dai entendo que sentimos o reflexo desse abuso,nao no Espirito, mas no Perispirito. paz e luz !
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: san-fer7 em 11 de Setembro de 2013, 18:09
Mano Moura,
concordo plenamente com você quando diz que o LE é claro no que foi ditado por espíritos superiores mas,tenho que concordar com o que o mano Wender citou.Veja meu raciocínio:Tive à pouco tempo um enfarto agudo cujo diagnostico da causa foi entre outros e o mais importante,o consumo do tabaco,sou fumante (ainda).Foi um episodio grave e por pouco não sucumbi,e vai que... isto não seria predispor e antecipar a morte,não seria um suicídio,não tanto involuntário por saber dos resultados do vicio e "o suicídio não afeta o espirito"?


Fraterno Abraço.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: hcancela em 11 de Setembro de 2013, 19:14
Mano Moura,
concordo plenamente com você quando diz que o LE é claro no que foi ditado por espíritos superiores mas,tenho que concordar com o que o mano Wender citou.Veja meu raciocínio:Tive à pouco tempo um enfarto agudo cujo diagnostico da causa foi entre outros e o mais importante,o consumo do tabaco,sou fumante (ainda).Foi um episodio grave e por pouco não sucumbi,e vai que... isto não seria predispor e antecipar a morte,não seria um suicídio,não tanto involuntário por saber dos resultados do vicio e "o suicídio não afeta o espirito"?


Fraterno Abraço.
Amigo o Suicidio involuntário é uma forma de expressão para mim, mas não real.
O que acontece e quando partimos mais cedo para o outro lado da vida por causa dos vicios, sentimos o complexo de culpa por termos sucumbidos a estes, as ditas dores morais.
O perispirito é moldável com os nossos pensamentos ora se estiver bem este se apresenta bem, e se estiver mal apresenta-se mal, causando dano algum.

Abraços
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: wender100%espirita em 11 de Setembro de 2013, 19:23
isso que eu tentei  dizer o que reflete essas dores  refletem, no perispirito, nao no Espirito,por isso kardec nos orienta no estudo mais aprofundado do perispirito (livro dos Espiritos - Item- 257 Ensaio Teorico da Sensacao nos Espiritos)
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: hcancela em 11 de Setembro de 2013, 19:28
isso que eu tentei  dizer o que reflete essas dores  refletem, no perispirito, nao no Espirito,por isso kardec nos orienta no estudo mais aprofundado do perispirito (livro dos Espiritos - Item- 257 Ensaio Teorico da Sensacao nos Espiritos)
Wender talvez não tenha colocado bem a ultima frase.
O que quero dizer é que o Perispirito é moldável pelos nossos pensamentos, ora se este(espirito) estiver bem este (perispirito)se apresenta bem ao contrário é o mesmo.

Abraços
Título: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: san-fer7 em 11 de Setembro de 2013, 19:50
Então,"O álcool não afeta o espirito",o vicio sim afeta o períspirito e consequentemente o espirito; É isso?




Fraterno Abraços.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: wender100%espirita em 11 de Setembro de 2013, 20:59
isso que eu tentei  dizer o que reflete essas dores  refletem, no perispirito, nao no Espirito,por isso kardec nos orienta no estudo mais aprofundado do perispirito (livro dos Espiritos - Item- 257 Ensaio Teorico da Sensacao nos Espiritos)
Wender talvez não tenha colocado bem a ultima frase.
O que quero dizer é que o Perispirito é moldável pelos nossos pensamentos, ora se este(espirito) estiver bem este (perispirito)se apresenta bem ao contrário é o mesmo.

Abraços
nao tem como atraves do suicidio o espirito estar bem .amigo estamos falando a mesma coisa com palavras diferentes rsrs paz e luz
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: san-fer7 em 11 de Setembro de 2013, 21:04
isso que eu tentei  dizer o que reflete essas dores  refletem, no perispirito, nao no Espirito,por isso kardec nos orienta no estudo mais aprofundado do perispirito (livro dos Espiritos - Item- 257 Ensaio Teorico da Sensacao nos Espiritos)
Wender talvez não tenha colocado bem a ultima frase.
O que quero dizer é que o Perispirito é moldável pelos nossos pensamentos, ora se este(espirito) estiver bem este (perispirito)se apresenta bem ao contrário é o mesmo.

Abraços
nao tem como atraves do suicidio o espirito estar bem .amigo estamos falando a mesma coisa com palavras diferentes rsrs paz e luz

Então,"O álcool não afeta o espirito",o vicio sim afeta o períspirito e consequentemente o espirito; É isso?

Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: wender100%espirita em 11 de Setembro de 2013, 21:30
amigo san leia o OE Ensao teorico da sensacao nos Espiritos cap VI item 257 .(meu teclado ta com defeito desculpa a ortografia) rsrs paz e luz
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Edmar Ferreira Jr em 12 de Setembro de 2013, 00:39
Penso ser oportuno para se discutir a questão esclarecer um pouco o que seja o Espírito. O Espírito é um ser fluídico, formado pela união do espírito ou alma (o princípio inteligente), absolutamente não material, com o perispírito, que é, sob certa perspectiva, material. O perispírito é modificado pelo pensamento, que é do espírito e apenas do espírito.

O álcool como substância por si mesma afeta apenas ao corpo. O que pode afetar o perispírito, inclusive de modo a repercutir no corpo físico, são os fluidos modificados pela vontade de se consumir o álcool. E em se tratando de fluidos, atenção especial deve ser dada ao meio no qual essa vontade se encontra. Certos ambientes, como bares e botequins, estão impregnados por fluidos, por assim dizer, contaminados e modificados pelo pensamento dos que ali se encontram. Aqueles que, por vontade e pensamento, tendem a se afinizar com esses fluidos, devem evitar esses ambientes.

Que fique claro aqui não se tratar de lição de moral ou conselho de conduta para quem quer que seja, pois cada um faz o que quer da própria vida. Trago aqui apenas um ensinamento da doutrina espírita, que julgo oportuno para o tema do tópico:

Citar
Estes fluidos, atuando sobre o perispírito, cada qual a seu turno, reagem sobre o organismo material com o qual esteja em contato molecular. Se os eflúvios forem de boa natureza, o corpo ressente-se de uma impressão salutar; se são maus, a impressão é penosa; se as malignas forem permanentes e enérgicas, podem determinar desordens físicas. Certas doenças não têm outra causa.

Os meios onde abundam os maus Espíritos estão, pois, impregnados de maus fluidos que se o absorve por todos os poros perispirituais, como se absorve pelos poros do corpo os miasmas pestilentos. (KARDEC. A Gênese. Cap. 14, “Os fluidos”)
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Vitor Santos em 12 de Setembro de 2013, 15:15
Olá amigos

Estive a ler uma psicografia, pela mão de Wiliiam Stanton Moses, que nos pode ajudar a esclarecer:

Os nossos deveres para com Deus

- "Honrai e amai o vosso Pai";

Os nossos deveres para com o próximo

- "Ajudai o vosso irmão na estrada do progresso"

Os nossos deveres para connosco mesmos

- "Cuidai do vosso corpo e conservai-o (cultura corporal)";

- "Aumentai o vosso saber tanto quanto possível (progresso mental)";

- "Procurai descobrir mais a verdade progressiva (crescimento espiritual)";

- "Procedei sempre correctamente e conforme o vosso conhecimento (integridade)";

- "Cultivai a comunhão com o mundo espiritual pela prece e frequentes relações (educação espiritual)"


A minha interpretação, apoiado na psicografia:

As obrigações a que fugimos quando bebemos exageradamente podem ser várias:

- Não ajudamos o próximo na estrada do progresso, pois somos maus exemplos, já para não falar de incómodos, se a nossa bebedeira prejudica outras pessoas;
 
- Não cuidamos do corpo, como também não cuidamos quando fumamos, quando comemos em excesso, quando comemos alimentos que nos fazem mal, quando não o exercitamos minimamente, quando não tratamos de conservar a e contribuir para a saúde do corpo, enfim;

- O progresso mental é bem menos provável, nos viciados no álcool, do que nos outros.

- O crescimento espiritual também é complicado, nos alcoólicos, uma vez que, por sintonia, atraímos companhias pouco recomendáveis, para esse efeito;

- Se sabemos que o álcool em excesso é prejudicial (e nos dias de hoje todos sabem, em geral), violamos a nossa própria integridade, não agimos como pensamos que está certo agir, por fraqueza ou desleixo.

- A educação espiritual também é complicada, nestas casos. Pelas mesmas razões que o crescimento espiritual e pela falta de dedicação ao assunto.

Assim, eu pergunto ao contrário: quais as obrigações que nós não violamos ao tornar-nos alcoólicos?

se Deus nos deu a possibilidade da reencarnação para o nosso progresso, e nós não a aproveitámos, o nosso problema não está no nosso corpo e carne, que fica aqui depois da morte. Está no arrependimento do espírito, de ter falhado várias provas, a que se propôs. Isso é não respeitar a oportunidade que Deus nos deu. Mas não creio que Ele se preocupe com isso, pois sabe que concebeu leis da natureza, que regem a matéria e que regem os espiritos, que vão levar o alcoólico à auto-correcção, mais dia menos dia, inevitavelmente. Deus não se ofende, imagino!

O mal não está, depois, na erraticidade, mas na volta para este purgatório, que é a Terra, ou para outro equivalente, para repetir as provas. E talvez para passar de novo pela prova do vicio, a ver se já melhorámos. O problema está em atrasar a saída do ciclo de encarnações de provas e expiações. Na permanência em encarnações e ligações a mundos inferiores.

O apego ao álcool é como todos os apegos exagerados ao corpo de carne. Conduz ao forte agravamento da escravidão do espírito em relação ao corpo de carne, pois ainda aumenta a precariedade da situação em que nos encontramos. E pode conduzir a sentirmos-nos culpados pelo mal que fazemos aos outros e a nós mesmos. Há alcoólicos que são um grande problema, para as respectivas famílias, de várias formas. Que maior remorso pode dar aquele que vem de provocar o prejuízo a quem mais amamos? 

Eu não acredito que as doenças e os vícios se propaguem, depois da morte, no sentido físico. Mas no sentido psicológico, podem continuar. Isso porque o espírito está bloqueado, psicologicamente. Até  cair em si pode permanecer nessa ilusão. Pode tentar ter a percepção de fumar ou beber através de encarnados, pois ele já não tem sentidos carnais, mas já não pode fumar nem beber nem se pode drogar.

Todavia, os alcoólicos são espiritos tão importantes como quaisquer outros. E quem assim não pensa também está a violar os deveres para com o próximo. Senão o pudermos ajudar, pelo menos não o devemos prejudicar, na estrada do progresso, especialmente do progresso espiritual. Todos temos imaturidades prejudiciais a vencer, de várias naturezas. Não devemos descriminar negativamente os alcoólicos, evidentemente. Devemos compreender e respeitar as dificuldades deles e dos que são prejudicados por eles. 

bem hajam
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 12 de Setembro de 2013, 15:32
Wender, outra vez tenho de repetir o que já venho de dizer há anos:
Não existe suicídio involuntário, pois que este é ato próprio de Espíritos poltrões ou muito ignorantes que pensam que por este ato possam fugir de suas provas.
O suicídio é sempre pensado e idealizado pelo Espírito em suas minudências.
É bem isso que OLE explica.
Abraços,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 12 de Setembro de 2013, 15:36
m ano San,
o que é o perispírito senão algo assemelhado ao modem que usamos para a conexão para com o provedor de acesso que nos leva à Internet?
É bemisso numja explicação bem simplória, amigo.
Ora, pergunto eu: a falta de energia afeta o modem?
A resposta é não e a explicação é a seguinte, voltando a energia o modem lá está funcionando como antes.
Perispíritos não pensam, não têm vontade própria, e nem se transviam ou estragam, também nenhum Espírito o perde.
vamos verifica nas páginas de OLE, de OLM ou nas RE, por favor.
Amigos aqui debatemos não sob as nossas próprias luzes, mas sim tendo por base a DE.
abração,
Moura
isso que eu tentei  dizer o que reflete essas dores  refletem, no perispirito, nao no Espirito,por isso kardec nos orienta no estudo mais aprofundado do perispirito (livro dos Espiritos - Item- 257 Ensaio Teorico da Sensacao nos Espiritos)
Wender talvez não tenha colocado bem a ultima frase.
O que quero dizer é que o Perispirito é moldável pelos nossos pensamentos, ora se este(espirito) estiver bem este (perispirito)se apresenta bem ao contrário é o mesmo.

Abraços
nao tem como atraves do suicidio o espirito estar bem .amigo estamos falando a mesma coisa com palavras diferentes rsrs paz e luz

Então,"O álcool não afeta o espirito",o vicio sim afeta o períspirito e consequentemente o espirito; É isso?


Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: wender100%espirita em 12 de Setembro de 2013, 15:59
Wender, outra vez tenho de repetir o que já venho de dizer há anos:
Não existe suicídio involuntário, pois que este é ato próprio de Espíritos poltrões ou muito ignorantes que pensam que por este ato possam fugir de suas provas.
O suicídio é sempre pensado e idealizado pelo Espírito em suas minudências.
É bem isso que OLE explica.
Abraços,
Moura
  pergunta 744.a)- nao e sempre vonluntario o suicidio.. (resposta)- ` o louco que se mata nao sabe o que faz`. LOE. leia tambem  cap V ESE item 15. entendeu agora moura ta bem explicado ne. paz e luz
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 12 de Setembro de 2013, 17:23
Por favor, mano Wender, não trate a exceção com osendo a regra.... Os Espíritos superiores fizeram qustão de esclarecerem isso por isso colocaram: "(...) o louco que se mata(...)" Logo tratavam da exceção, não a regra nesta explicação.
abraços,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: wender100%espirita em 12 de Setembro de 2013, 20:08
por favor digo eu amigo, se nao quer entender ate concordo, mas discordar so pra nao aceitar . ai vc nao quer debater e sim estar certo no seu ponto de vista, entao  se a excessoes ,nao se pode afirmar como sua colocacao como regra. no caso do alcoolismo e sim inconsciente, involuntario,responderemos pelo nosso excesso, e outra coisa estamos debatendo tudo dentro da doutrina, podemos ate divergir da ideia mas tudo esta embasado, nao sei onde o amigo tirou a ideia que estamos colocando outras opinioes. paz e luz
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 13 de Setembro de 2013, 15:38
Quem trata do não entendimento aqui não sou eu mano Wender, mas você mesmo.
A mensagem espúria foi você quem a deu eu apenas citei que a questão trata de exceção à regra e que, como tal não deva ser tida como regra.
abraços,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: wender100%espirita em 13 de Setembro de 2013, 18:51
Quem trata do não entendimento aqui não sou eu mano Wender, mas você mesmo.
A mensagem espúria foi você quem a deu eu apenas citei que a questão trata de exceção à regra e que, como tal não deva ser tida como regra.
abraços,
Moura
se a excessao ela nao e regra absoluta, isso nao e mensagem falsa se teve o trabalho de ler esta escrito no ESE,  o seu entendimento sim pode ser considerado um espurio.paz e luz
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 14 de Setembro de 2013, 16:33
Amigo Wender, o que eu disse e que repito mais uma vez para seu melhjor entendimento, é que a questão trata de exceção, não de regra.
Exceção é tudoque permeia a regra mas que com esta não se confunde, entendeu?
Abraços,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: wender100%espirita em 14 de Setembro de 2013, 18:45
entao nao diga que minha mensagem e espuria. o que vc colocou foi uma opiniao pessoal. paz e luz
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 15 de Setembro de 2013, 16:29
Valter,
quando se coloca um adjetivo à um vocábulo se tem de conhecr o que quer explicar  o adjetivo,  como lhe falta este conhecimento aqui vai:
Dic. Aurélio:
"Espírio:
adj. Não genuíno, ilegítimo, ilegal".
Serve ao amigo, após esta lembrança ao dicionário tão renomado, que nos explique as razões quer da legitimidade, e do ser genuína.
Sem que o possa, reconheça que o amigo está a se exceder.
Abraços,
Moura 
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Daniel Vieira em 15 de Setembro de 2013, 17:20
Eu acho que afeta sim, assim como as drogas diversas, mesmo sem relevar se há no sujeito o vício ou não. Tudo que tira a clareza da mente pelo uso de substâncias, de certa forma, é uma fuga da realidade. Um meio sentir prazer, por um momento inabalável.
Mas, como já foi dito aqui, Jesus degustava seu vinho. Um ser iluminado, bebendo álcool.

Acredito que pelos exemplos dos seres superiores, não devemos... ou melhor, devemos tentar não ser tão duros consigo. Afinal, aqui é um mundo de expiações, um mundo impregnado de vícios, de pouca satisfação duradoura. Na verdade, acho que desencarnamos sem sentir tal satisfação. Eis porque o uso inocente de etílicos de vez em quando, há!

E quanto aos pensamentos ruins, devemos levar em conta que vivemos envoltos por espíritos impuros, que teimam em de desapegar a matéria. Claro que, de fato, ao ser persuadido por eles, tal como eles talvez sejamos. Existem muitas coisas a aprender ainda, mas uma coisa que todo aquele que se afirma espírita sabe é que a oração é sempre um escudo contra os pensamentos perversos - inclusive os nossos. Orar com fervor afasta as idéias ruins... mesmo após umas doses. E quando ouvimos algo que nos motiva ao confronto verbal, devemos lembrar que as palavras tem mais poder do que um soco na cara.

Daniel Vieira.

Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 15 de Setembro de 2013, 17:39
Daniel, vc já viou alguma parte da codificação dizer que afeta? Mano falamos de e da DE, logo, é de ser conhecido o que ela ensina
Abraços,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Daniel Vieira em 15 de Setembro de 2013, 18:18
Sim, sim. De fato, nunca vi diretamente na codificação nada do gênero. Na verdade, desconheço muito da codificação ainda...
Expressei minha opinião apenas.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 15 de Setembro de 2013, 20:58
E não se negue a postar suas opiniões mano Daniel, assim  alguns que conheçam do tema poderão lhe explicar.
Abração,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Luchen em 15 de Setembro de 2013, 23:36
A reencarnação é instituída para aprimorar o espírito.Então tudo o que fazemos aqui afeta o espírito.O alcool especificamente ,como diz um ditado Chinês"Trás mais malefícios do que benefícios.",trás ao longo da vida a dependência.Trás por isso ligação com espíritos que se ligam a encarnados que utilizam o alcool, para sugar os fluídos que possam satisfazer suas necessidades trazidas do tempo encarnado.Esta relação é conhecida como obsessão.Do ponto de vista físico,afeta orgãos internos que com o uso continuado podem afetar o periespírito chegando tambem até o espírito do usuário.Pode levar à sequelas espirituais para serem resgatadas em outras encarnações.Do ponto de vista moral o alcool leva à atitudes que podem comprometer a volução.A perda da família,trabalho,diginidade...Afeta assim diretamente o espírito em varios níveis.   :)
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Confortipai em 15 de Setembro de 2013, 23:54
      O espirito não é afetado por tudo que afeta o corpo de carne? Uma indigestão, uma cárie dental, uma dor de garganta, um choque de veículos que fere e traz dores, o espirito não é afetado por eles?! Do mesmo modo, também, tudo aquilo que ao corpo satisfaz, seja pelo ver, pelo ouvir, degustar, cheirar ou tocar pode afetar, num bom ou num mal sentido, o espírito.

      Tudo que afeta o corpo, afeta o espirito, pois é este que sente e percebe o que afeta o físico. Álcool, cocaína, uma topada por mais leve que seja, um copo de água fresca, um analgésico, uma ação de bondade, como uma ação de maldade, sem dúvida, leva consequências ao espirito, tanto que, pela doutrina, o espirito está imerso num corpo carnal exatamente para aprender, com as experiencias/lições do mundo material, esta escola de espíritos, esta escola que tanto ensina o bem, quanto ensina o mal.

.....................
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 16 de Setembro de 2013, 15:14
Errado amigo Luchen.
Afetar ao Espirito significa dizer-se que ele é quem sofre a resposta da lei natural na erraticidade, mas na verdade, quem sofre e mais é a gente quando encrnados.
Não pprogredimos, acarretamois maior período de dor para nós mesmos.

O Espírito, na erraticidade, podendo também prpogredir, tem nas reencarnações a possibilidde de mostrar que compreendeu e entendeu as lições que por ventura as tenha tomado na erraticidade e assim mostrando na carne, consegue o mérito do progresso.
abraços,
Moura

A reencarnação é instituída para aprimorar o espírito.Então tudo o que fazemos aqui afeta o espírito.O alcool especificamente ,como diz um ditado Chinês"Trás mais malefícios do que benefícios.",trás ao longo da vida a dependência.Trás por isso ligação com espíritos que se ligam a encarnados que utilizam o alcool, para sugar os fluídos que possam satisfazer suas necessidades trazidas do tempo encarnado.Esta relação é conhecida como obsessão.Do ponto de vista físico,afeta orgãos internos que com o uso continuado podem afetar o periespírito chegando tambem até o espírito do usuário.Pode levar à sequelas espirituais para serem resgatadas em outras encarnações.Do ponto de vista moral o alcool leva à atitudes que podem comprometer a volução.A perda da família,trabalho,diginidade...Afeta assim diretamente o espírito em varios níveis.   :)
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Luchen em 16 de Setembro de 2013, 19:56
A reencarnação é instituída para aprimorar o espírito.Então tudo o que fazemos aqui afeta o espírito.O alcool especificamente ,como diz um ditado Chinês"Trás mais malefícios do que benefícios.",trás ao longo da vida a dependência.Trás por isso ligação com espíritos que se ligam a encarnados que utilizam o alcool, para sugar os fluídos que possam satisfazer suas necessidades trazidas do tempo encarnado.Esta relação é conhecida como obsessão.Do ponto de vista físico,afeta orgãos internos que com o uso continuado podem afetar o periespírito chegando tambem até o espírito do usuário.Pode levar à sequelas espirituais para serem resgatadas em outras encarnações.Do ponto de vista moral o alcool leva à atitudes que podem comprometer a volução.A perda da família,trabalho,diginidade...Afeta assim diretamente o espírito em varios níveis.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/convivio-dos-membros-do-forum/alcool-curiosidade/30/#ixzz2f5EWfSbb
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 17 de Setembro de 2013, 15:54
Luchen,
afirmar-se que o alcool traga mais malefícios do que benefícios, generalizando a afirmação, é um erro pueril pois mesmo a ciência médica já concluiu que dois copos de vinho, e hoje em dia até mesmo a cerveja, trazem benefícios na luta contra o mau colesterol e aumento do colesterol benéfico.
Sendo assim vemos na sua afirmação um desconhecimento do que a classe científica afirma.
Se tratamos com alcoolismo, temos de estar na compreensão de que tratamos com doença grave que exige acompanhamento, mas esta é exceção, tal como qualquer doença.
abraços,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Luchen em 17 de Setembro de 2013, 16:31
Não tenham dúvida amigos,
o alcool afeta sim o espírito e muito , podendo gerar resgates seculares. Se voce acha que uma cervejinha não faz mal , está tambem dizendo que um palito de fósforo não começa um incêndio. Não quero fazer juízo de valores,pois pelo livre arbítrio todos temos o direito de praticar o que quiser.Mas é importante lembrar : A semeadura é livre mas a colheita é obrigatória . Só na encarnação é que o espírito se desenvolve.Na erraticidade só pode ele  , quando em condições morais , estudar para aplicar na vida encarnada (vide Doutrina Espírita de Allan Kardec).Divulgar enganos é tambem uma forma de pecar.Cuidado.Não devemos corromper as idéias.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 17 de Setembro de 2013, 17:27
Luchen,
respeito o seu direito em pesar como o amigo pensa, mas tendo em vista apenas oq ue a De ensina, pediria ao amigo me mostrar ou indicar a obra, o item ou o capítulo onde, em algumas das obras básicas é afirmado tal como você quer fazer crer.
Afinal estamos aqui para compreender a Doutrina.
abraços,
Mmoura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: hcancela em 17 de Setembro de 2013, 17:33
Olá amigos(as)

Só para lembrar !...

223 A -alma reencarna imediatamente após a separação do corpo?
– Algumas vezes pode reencarnar imediatamente, mas normalmente só após intervalos mais ou menos longos. Nos mundos superiores, a reencarnação é quase sempre imediata. Nesses mundos em que a matéria corporal é menos grosseira, o Espírito, quando encarnado, desfruta de quase todos os seus atributos de Espírito. Seu estado normal é semelhante ao dos vossos sonâmbulos lúcidos.
224 Em que se torna a alma no intervalo das encarnações?
– Espírito errante que aguarda nova oportunidade e a espera.
224 a -Qual a duração desses intervalos?
– De algumas horas a alguns milhares de séculos. Não há, propriamente falando, limite extremo estabelecido para o estado de erraticidade, que pode se prolongar por muito tempo, mas que nunca é perpétuo. O Espírito sempre encontra, cedo ou tarde, a oportunidade de recomeçar uma existência que sirva de purificação às suas existências anteriores.
224 b -Essa duração está subordinada à vontade do Espírito ou pode ser imposta como expiação?
– É uma conseqüência do livre-arbítrio. Os Espíritos têm perfeita consciência do que fazem, mas para alguns é também uma punição que a Providência lhes impõe. Outros pedem para que se prolongue, a fim de progredirem nos estudos que só podem ser feitos com proveito na condição de Espírito.
225 A- erraticidade é, por si mesma, um sinal de inferioridade dos Espíritos
– Não, porque existem Espíritos errantes de todos os graus. A encarnação é para o Espírito um estado transitório. Como já dissemos, em seu estado normal, o Espírito está liberto da matéria.
226 Todos os Espíritos que não estão encarnados são errantes?
– Daqueles que devem reencarnar, sim. Mas os Espíritos puros que atingiram a perfeição não são errantes: seu estado é definitivo.
 Os Espíritos, com relação às qualidades íntimas, são de diferentes ordens ou graus que vão avançando sucessivamente à medida que se depuram. Quanto ao estado em que se acham, podem ser: encarnados, ou seja, unidos a um corpo; errantes, quer dizer, despojados do corpo material à espera de uma nova encarnação para se aperfeiçoarem; Espíritos puros, perfeitos, que não têm mais necessidade de encarnação.
227 De que maneira os Espíritos errantes se instruem? É como nós?
– Eles estudam seu passado e procuram os meios de se elevar. Vêem, observam o que se passa nos lugares que percorrem; ouvem os ensinamentos dos homens esclarecidos e os conselhos dos Espíritos mais elevados que eles e isso lhes inspira idéias que não tinham antes.
230 O Espírito progride na erraticidade?
– Pode melhorar-se muito, sempre de acordo com sua vontade e seu desejo. Mas é na existência corporal que põe em prática as novas idéias que adquiriu.
231 Os Espíritos errantes são felizes ou infelizes?
– São felizes ou infelizes de acordo com seu mérito. São infelizes e sofrem por causa das paixões das quais ainda conservaram a essência ou são felizes segundo estejam mais ou menos desmaterializados. No estado de erraticidade, o Espírito entrevê o que lhe falta para ser mais feliz e procura os meios de alcançá-lo. Porém, nem sempre lhe é permitido reencarnar conforme sua vontade, o que para ele é uma punição.

Abraços fraternos
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Tenor Machado em 17 de Setembro de 2013, 18:18
Todos nós, para o recomeço das lides carnais, solicitamos o regime de sanções, ou alguém, quando não disponhamos do direito de fazê-lo, no-lo obtém, suplicando-o, em nosso benefício, às autoridades superiores.

Não nos reportamos aqui às medidas de natureza moral, pelas quais enfrentamos, compreensivelmente, na família consangüínea ou na intimidade da luta, a reaproximação com os Espíritos de que sejamos devedores de paciência e ternura, tolerância e sacrifício, na solução de certas dívidas que nos obscurecem a senda, mas sim a providências retificantes, depois de muitas quedas reiteradas nos mesmos deslizes e deserções, que imploramos em favor de nós e em nós mesmos, quais sejam as deficiências congeniais com que ressurgimos no berço físico.

 Aqueles que por vezes diversas perderam vastas oportunidades de trabalho na Terra, quase sempre pela ingestão sistemática de elementos corrosivos, como sejam o álcool e outros venenos das forças orgânicas, tanto quanto os inveterados cultores da gula, se sempre atravessam as águas da morte como suicidas indiretos e, despertando para a obra de reajuste que lhes é indispensável, imploram o regresso à carne em corpos desde a infância inclinados à estenose do piloro, à ulceração gástrica, ao desequilíbrio do pâncreas, à colite e às múltiplas enfermidades do intestino que lhes impõem torturas sistemáticas, embora suportáveis, no decurso da existência inteira. Inteligências notáveis, com sucessivas quedas morais, através da leviandade com que se utilizaram do esporte e da dança, espalhando desespero e infortúnio nos corações afetuosos e sensíveis, pedem formas orgânicas ameaçadas de paralisia e reumatismo, visitadas de achaques e neoplasmas diversos, que lhes obstem os movimentos demasiado livres.

Companheiros que, em muitas circunstâncias, se deixaram envenenar pelos olhos e pelos ouvidos, comprometendo-se em vasta rede de criminalidade, através da calúnia e da maledicência, imploram veículos fisiológicos castigados por deficiências auditivas e visuais que lhes impeçam recidivas desastrosas. Intelectuais e artistas que despedem sagrados recursos do espírito na perversão dos sentimentos humanos, por intermédio da criação de imagens menos dignas, rogam aparelhos cerebrais com inibições graves e dolorosas para que, nas reflexões de temporário ostracismo, possam desenvolver as esquecidas qualidades do coração. Homens e mulheres que abusaram de dotes físicos, manobrando a beleza e a perfeição das formas para disseminar a loucura e o sofrimento naqueles que lhes admitiam as falsas promessas, solicitam corpos vulneráveis às dermatoses aflitivas, quais o eczema e a tumoração cutânea, ou portadores de alterações da tireóide que os constranjam a reiteradas lutas educativas.

Grandes faladores que escarneceram da divina missão do verbo, conturbando multidões ou enlouquecendo almas desprevenidas, suplicam doenças das cordas vocais, para que, atravessando afonias periódicas, desistam de tumultuar os espíritos por intermédio da palavra brilhante. E milhares de pessoas que transformaram o santuário do sexo numa forja de perturbações para a vida alheia, arruinando lares e infelicitando consciências, imploram equipamentos físicos atormentados por lesões importantes no campo genésico, experimentando, desde a puberdade, inquietantes desequilíbrios ovarianos e testiculares.

A cegueira, a mudez, a idiotia, a surdez, a paralisia, o câncer, a lepra, a epilepsia, o diabete, o pênfigo, a loucura e todo o conjunto das moléstias dificilmente curáveis significam sanções instituídas pela Misericórdia Divina, portas adentro da Justiça Universal, atendendo-nos aos próprios rogos, para que não venhamos a perder as bênçãos eternas do espírito a troco de lamentáveis ilusões humanas.

A Bondade do Senhor é infinita e permite-nos a graça de suplicar os impedimentos a que nos referimos, porque o reconhecimento de nossas fraquezas e transgressões nos faz imenso bem ao espírito endividado. A humildade, em qualquer situação, acende luz em nossas almas, gerando, em torno de nós, abençoados recursos de simpatia fraterna. Entretanto, ainda mesmo que não pedíssemos a aplicação das penas de que necessitamos, nossa posição não se modificaria, porquanto a prática do mal opera lesões imediatas em nossa consciência, que, entrando em condição desarmônica, desajusta, ela própria, os centros de força em que se mantém.

Depreendemos da elucidação que, ao nos reencarnarmos, conduzimos conosco os remanescentes de nossas faltas, que nos partilham o renascimento, na máquina fisiológica, como raízes congeniais dos males que nós mesmos plantamos...

Nossas disposições, para com essa ou aquela enfermidade no corpo terrestre, representam zonas de atração magnética que dizem de nossas dívidas, diante das Leis Eternas, exteriorizando-nos as deficiências do espírito.
 
Fonte: Livro “Ação e Reação” (André Luiz / Chico Xavier) Cap. 19 / Sanções e Auxílios.
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 18 de Setembro de 2013, 15:29
Está ai amigo tenor,
uma prova doque podem trazer de observações recheadas de opinião pessoal, feitas por um Espírito...
A obra básica, única em matéria de doutrina, diz claramente: "Quando um Espírito não tem condições, Deus lhas provê". Logo, não há quem intercfeda pedindo isso ou aquilo para que eu passe quando encarnado, mas sim a própria providência divina agindo de tal maneira.
Enquanto o Espírita der crédito de verdade a uma mensagemn marginal à codificação, sem ter tido o cuidado de contrapo-la com a DE, o movimento espírita continuará a andar mal e pouco.
Abraços,
Moura
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Tenor Machado em 18 de Setembro de 2013, 19:14
Está ai amigo tenor,
uma prova doque podem trazer de observações recheadas de opinião pessoal, feitas por um Espírito...
A obra básica, única em matéria de doutrina, diz claramente: "Quando um Espírito não tem condições, Deus lhas provê". Logo, não há quem intercfeda pedindo isso ou aquilo para que eu passe quando encarnado, mas sim a própria providência divina agindo de tal maneira.
Enquanto o Espírita der crédito de verdade a uma mensagemn marginal à codificação, sem ter tido o cuidado de contrapo-la com a DE, o movimento espírita continuará a andar mal e pouco.
Abraços,
Moura


Moura, companheiro
Estes tópicos provocam uma maior vontade de aprofundar o estudo da DE.
Estou relativamente novo aqui no Fórum, e a convicção com que apresenta seu ponto de vista chama a nossa atenção e gostaria de merecer sua resposta a uma pergunta :

P - Depois de Allan Kardec com os Livros da Codificação, há quase um século e meio, você considera que foi escrito alguma obra com "crédito de verdade" e que não seja do seu ponto de vista "uma mensagem marginal à codificação" ?

A intenção é enriquecer conhecimento.

Obrigado
Abraço

Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: hcancela em 19 de Setembro de 2013, 10:36
Olá amigos(as)


Fora da Codificação, todas as obras são boas e possuem muitos ensinamentos do ponto de vista pessoal de quem as produz, cabe no entanto ao estudante separar o que é ou não bom.


Abraços fraternos
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Mourarego em 19 de Setembro de 2013, 15:13
Amigo tenor,
vou lhe dar não a minha interpretação mas sim o que diz o item dois da Introdução ao Estudo da doutrina Espírita, sob o título de "Autoridade da Doutrina Espírita" que o amigo pode estudar no ESE:
Diz lá que sem que haja passado pelo crivo do CUEE teremos apenas a opinião pessoal de um ou de alguns Espíritos.
Logo, se nenhuma obra no pós Kardecx houve de passar pelo método validativo, nenhuma delas trás conteúdo de doutrina.
Abração,
Moura
Está ai amigo tenor,
uma prova doque podem trazer de observações recheadas de opinião pessoal, feitas por um Espírito...
A obra básica, única em matéria de doutrina, diz claramente: "Quando um Espírito não tem condições, Deus lhas provê". Logo, não há quem intercfeda pedindo isso ou aquilo para que eu passe quando encarnado, mas sim a própria providência divina agindo de tal maneira.
Enquanto o Espírita der crédito de verdade a uma mensagemn marginal à codificação, sem ter tido o cuidado de contrapo-la com a DE, o movimento espírita continuará a andar mal e pouco.
Abraços,
Moura


Moura, companheiro
Estes tópicos provocam uma maior vontade de aprofundar o estudo da DE.
Estou relativamente novo aqui no Fórum, e a convicção com que apresenta seu ponto de vista chama a nossa atenção e gostaria de merecer sua resposta a uma pergunta :

P - Depois de Allan Kardec com os Livros da Codificação, há quase um século e meio, você considera que foi escrito alguma obra com "crédito de verdade" e que não seja do seu ponto de vista "uma mensagem marginal à codificação" ?

A intenção é enriquecer conhecimento.

Obrigado
Abraço


Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: wender100%espirita em 19 de Setembro de 2013, 19:14
sabe moura o que falta tambem e a divulgacao dessa informacao, nos centros espirtas nas palestras, na midia, porque hoje quem realmente nao estuda a doutrina, pensa que tudo e doutrina espirita, acho que ate o forun deveria fazer um topico mostrando esses ensinamentos,mas sem a interferencia de comentarios topicos onde somente o CUEE e estudado seriamente e divulgado quem acham... paz e luz
Título: Re: O álcool afeta o espírito?
Enviado por: Tenor Machado em 19 de Setembro de 2013, 22:38
Aqui um comentário a respeito do capitulo XXI do ESE - Blog Espíritismo-Fonte: Livro Feesp (2º ano Mediúnico)

Aula Magnifíca que tive hoje e gostaria de compartilhar!

Vimos na Parte 'A', da na lição, "Identidade dos Espíritos", que Allan Kardec ensina que o Espiritismo coloca ao alcance dos homens os meios práticos de identificar os Espíritos enganadores, dando aos homens os meios de discernir os bons dos maus, lembrando as palavras de Jesus Cristo: "Reconhece, se a árvore pelos seus frutos; uma árvore boa não pode dar maus frutos e uma árvore má não pode dar bons frutos" .

Todas as orientações, ensinos e esclarecimentos devem passar pelo crivo da razão da criatura que os recebe, principalmente se ela tiver algum conhecimento da Doutrina Espírita. É importante analisar o conteúdo da comunicação, e se veio de um bom Espírito, ou não.

É conhecendo as obras doutrinárias que se podem separar os verdadeiros dos falsos profetas e reconhecê-los. No mais, ao receber os frutos, é importante verificar se as sementes podem ser convertidas e utilizadas em alguma nova plantação, auxiliando e beneficiando aqueles que deram em busca de um fruto saudável e nutritivo. Os falsos profetas assemelham,se à "Figueira Condenada" (Mt, cap. 21:18 a 22), que não beneficia ninguém.

A oportunidade para receber a luz do Evangelho de Jesus e levá-la aos homens é importante, mas a análise, a verificação destas comunicações é mais ainda, para não serem distribuídas como frutos estragados. Os ensinamentos da Boa Nova são construtivos, mas ao serem divulgados somente as exemplificações serão anotadas e percebidas, como verdadeiras sementes lançadas em solo fértil e produtivo. O verdadeiro profeta (médium) encarnado ou desencarnado, é aquele que vive e exterioriza a caridade, o amor, a indulgência, a bondade, tendo o coração e mente voltados para os ensinos de Jesus.

Os Espíritos trevosos não hesitam mesmo em enfrentar até os grandes missionários, haja vista as seguintes narrações sobre acontecimentos sucedidos com o apóstolo Pedro e com o apóstolo Paulo.

Certa vez, Jesus Cristo, reunido com seus apóstolos, passou a vaticinar o que lhe iria acontecer em Jerusalém, quando seria rejeitado, passando por grandes padecimentos que culminariam com sua morte, pois ele não desconhecia que, conforme as próprias palavras, "para isso ele havia vindo ao mundo".

O apóstolo Pedro, adiantando-se, passou a repreendê-lo dizendo: "Senhor, tem compaixão de ti, de modo nenhum te "acontecerá isso".

Percebendo que o valoroso apóstolo estava sendo influenciado por entidades trevosas, interessadas no fracasso da gloriosa missão de Jesus, que objetivava iluminar os horizontes sombrios do mundo, e por isso procuravam desestimula-lo a não se dirigir para Jerusalém, onde ocorreriam aqueles acontecimentos, o Mestre sentenciou: "Sai de minha frente Satanás, que me serves de escândalo, porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens (Mt, cap. 16:21 a 23). Esse gênero de influenciação é confirmado em outro trecho do evangelho, quando Jesus, dirigindo-se ao mesmo apóstolo, lhe disse: "Simão, Simão, eis que Satanás te pediu para te cirandar como trigo, mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma os teus irmãos" (Lc, cap. 22:31-32).

Cumpre aqui esclarecer que Satanás é uma figura utópica e não uma entidade real. Esse nome é genérico para designar todos os Espíritos trevosos, todos os falsos profetas, todos os Espíritos rebeldes que se contrapôem à vontade de Deus. Os Espíritas compreendem que nomes tais como Satanás, Lúcifer, Belzebu, Diabo, Deus-do-Mal, Príncipe das Trevas fazem parte de uma terminologia lendária, abrangendo todos os Espíritos que relutam em despertar para as coisas de Deus.

Os Espíritos trevosos temem a luz e têm combatido, no decurso dos séculos, todos aqueles que procuraram ou procuram iluminar a mente dos homens. Por isso, João em cap. 1:5, afirmou, referindo,se ao advento de Jesus Cristo ao mundo: "A luz resplandeceu nas trevas, e as trevas não a compreenderam" .

É importante a advertência ministrada por Emmanuel, com o objetivo de alertar os homens no tocante a algumas categorias de Espíritos que, embora não sendo entidades das trevas, não se preocupam muito com a verdade: "Nem todos os Espíritos benevolentes que se comunicam na Terra são instrumentos imaculados. Nem se pode considerar, de forma absoluta, que eles veiculem princípios de verdade ou que possam exprimir a verdade total, como se fossem anjos flanando nos Céus" (Opinião Espírita, cap. 43).

O fenômeno da morte do corpo não santifica ninguém. O Espírito que se separa do corpo pela desencarnação, leva para o plano invisível todos os defeitos e virtudes que possuía na Terra, e, conforme esclareceu o Espírito de Emmanuel, o Espírito pode ter qualidades boas, mas não é imaculado, pode não estar em condições de ser um expoente das verdades eternas que só são reveladas à Terra, à medida que a Humanidade estiver apta a assimilá-las.

Allan Kardec, em "O Livro dos Médiuns" adverte ainda:

"O verdadeiro missionário vindo de Deus tem que justificar pela sua superioridade, pelas suas virtudes, pela grandeza, pelo resultado e pela influência moralizadora de suas obras a missão de que se proclama portador. Pode-se tirar, também, outra dedução: se pelo caráter, pelas virtudes, pela sua inteligência, ele se mostra abaixo do papel em que se arroga, ou do personagem, sob cujo nome se apresenta, mais não é do que um farsante de ínfima classe, um verdadeiro falso profeta".

Fonte: Livro Feesp (2º ano Mediúnico)