Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Auto-Conhecimento => Tópico iniciado por: Carla Fabiane em 29 de Setembro de 2011, 15:53

Título: Transformar o mundo.
Enviado por: Carla Fabiane em 29 de Setembro de 2011, 15:53
Olá a todos, uma interessante leitura.
Vamos transformar o mundo nos transformando para o bem maior e usar essa mudança dentro de casa, ao nosso redor e as bençãos, os sinais divinos aparecem naturalmente, todos os dias nossa Fé é posta a prova, temos que confiar que por de traz de todo esse turbilhão que estamos passando vem um lindo amanhecer. Então vamos ter Fé.

Transformar o mundo

Se você quer transformar o mundo, experimente primeiro promover o seu aperfeiçoamento pessoal e realizar inovações no seu próprio interior. Estas atitudes se refletirão em mudanças positivas no seu ambiente familiar. Deste ponto em diante, as mudanças se expandirão em proporções cada vez maiores. Tudo o que fazemos produz efeito, causa algum impacto.

Se existe amor, há também esperança de existirem verdadeiras famílias, verdadeira fraternidade, verdadeira igualdade e verdadeira paz. Se não há mais amor dentro de você, se você continua a ver os outros como inimigos, não importa o conhecimento ou o nível de instrução que você tenha, não importa o progresso material que alcance, só haverá sofrimento e confusão no cômputo final. O homem vai continuar enganando e subjugando outros homens, mas insultar ou maltratar os outros é algo sem propósito. O fundamento de toda prática espiritual é o amor. Que você o pratique bem é meu único pedido

A felicidade é um estado de espírito. Se a sua mente ainda estiver num estado de confusão e agitação, os bens materiais não lhe vão proporcionar felicidade. Felicidade significa paz de espírito.

Se existe amor, há também esperança de existirem verdadeiras famílias, verdadeira fraternidade, verdadeira igualdade e verdadeira paz. Se não há mais amor dentro de você, se você continua a ver os outros como inimigos, não importa o conhecimento ou o nível de instrução que você tenha, não importa o progresso material que alcance, só haverá sofrimento e confusão no cômputo final. O homem vai continuar enganando e subjugando outros homens, mas insultar ou maltratar os outros é algo sem propósito. O fundamento de toda prática espiritual é o amor. Que você o pratique bem é meu único pedido

Determinação, coragem e autoconfiança são fatores decisivos para o sucesso. Não importa quais sejam os obstáculos e as dificuldades. Se estamos possuídos de uma inabalável determinação, conseguiremos superá-los. Independentemente das circunstâncias, devemos ser sempre humildes, recatados e despidos de orgulho.

Seria muito mais produtivo se as pessoas procurassem compreender seus pretensos inimigos. Aprender a perdoar é muito mais proveitoso do que simplesmente tomar de uma pedra e arremessá-la contra o objeto de sua ira. Quanto maior a provocação, maior a vantagem do perdão. É quando padecemos os piores infortúnios que surgem as grandes oportunidades de se fazer o bem a si e aos outros.

A agressão é uma tendência que faz parte do nosso íntimo. Por isso, temos de lutar contra nós mesmos. Homens criados em ambientes rigorosamente não-violentos acabaram se transformando nos mais horríveis carniceiros. O que prova que a semente da mais insana agressividade mora nas profundezas de cada um de nós. Mas nossa verdadeira natureza é de modo geral pacífica. Todos nós conhecemos as agitações da alma humana, que está sujeita a imprevistos assustadores. Mas essa não é a sua força dominante. É possível e é necessário dominar a agressividade.

O que mais nos incomoda é ver nossos sonhos frustrados. Mas permanecer no desânimo não ajuda em nada para a concretização desses sonhos. Se ficamos assim, nem vamos em busca dos nossos sonhos, nem recuperamos o bom humos! Este estado de confusão, propício ao crescimento da ira, é muito perigoso. Temos de nos esforçar e não permitir que a nossa serenidade seja perturbada. Quer estejamos vivenciando um grande sofrimento, ou já o tenhamos experimentado, não há razão para alimentarmos o sentimento de infelicidade.

É através da arte de escutar que seu espírito se enche de fé e devoção e que você se torna capaz de cultivar a alegria interior e o equilíbrio da mente. A arte de escutar lhe permite alcançar sabedoria, superando toda ignorância. Então, é vantajoso dedicar-se a ela, mesmo que isto lhe custe a vida. A arte de escutar é como uma luz que dissipa a escuridão da ignorância. Se você é capaz de manter sua mente constantemente rica através da arte de escutar, não tem o que temer. Este tipo de riqueza jamais lhe será tomado. Essa é a maior das riqueza

Quando estiver praticando a caridade, faça-o com alegria e com um semblante radiante. Devemos praticar a caridade com um sorriso no rosto e otimismo no coração.
O aprimoramento da paciência requer a presença de alguém que deliberadamente nos faça mal. Esse tipo de pessoa nos dá a chance de praticarmos a tolerância. A nossa força interior é posta à prova com mais intensidade do que aquela de que o nosso guia espiritual seria capaz. Em essência, o exercício da paciência nos protege da perda da confiança.

Sem identificação do autor.

Que nossa luz brilhe sempre no sentido do bem e que nosso amor se converta em caridade pura.
Atenciosamente,
Carla.
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Conforti em 29 de Setembro de 2011, 21:27
      Amigos
      Amiga Carla Fabiane   (ref #0)

      Amiga Carla, vc trouxe, de autor desconhecido, texto que, como centenas ou milhares de outros e de msg, histórias, poesias, recomendações, regras éticas, mandamentos belos e inspiradores, sempre “somente” nos dizem <O QUE FAZER> para nos transformarmos intimamente, para sermos seres melhores de coração e moral. Só nos dizem <o que fazer> mas, todos eles, sem exceção de nenhum, não dizem o mais importante: o <COMO FAZER>.
      Esse texto q vc trouxe está repleto de <o que fazer>, nada mais; vou relacionar, abaixo, o que devemos fazer:
      - vc TEM de se transformar interiormente;
      - ACREDITE q, depois, vc será recompensada; 
      - TENHA fé;
      - MUDE suas atitudes negativas em atitudes positivas;
      - APERFEIÇOE-SE moralmente;
      - PRATIQUE sempre o bem;
      - SEJA caridoso;
      - AME seu semelhante;
      - PERDOE sempre;
      - TENHA inabalável determinação q assim vc superará todos os obstáculos;
       - NÃO SEJA orgulhoso;
      - NÃO SEJA egoísta;
      - SEJA humilde;
      - DOMINE sua agressividade;
      - ESFORCE-SE para q sua serenidade não seja abalada;
      - CONVENÇA-SE de q, mesmo q esteja sofrendo muito, vc não tem razão de ser infeliz (!!!!!!);
      - CULTIVE a arte de escutar que é por ela q seu espírito se enche de fé e devoção, e que você aprende a cultivar alegria interior e o equilíbrio mental;
      - PRATIQUE a arte de escutar q permitirá q vc alcance sabedoria, superando toda ignorância;
      - DEDIQUE-SE à arte de escutar, mesmo que isto lhe custe a vida (!!!!!!);
      - SAIBA escutar, q vc não terá mais nada a que temer.
      - SEJA otimista, paciente e tolerante.

      Observem q nossa mente está abarrotada de conselhos semelhantes, mas q não são conselhos q dizem o q fazer, q nos farão melhores. Será que alguém, q tem ainda em sua natureza desamor, impaciência, agressividade, egoísmo, orgulho, etc, pelo fato de lhe disserem o q fazer, fará?
      Será q basta dizer: “a partir de amanhã vou ser bom, amigo, solidário, humilde, paciente e pacífico; não vou mais irritar, agredir, matar, roubar; não vou mais estuprar, explorar e humilhar meus semelhantes!” e pronto??
      Todos sabemos q não é assim q alguém se transforma para melhor. Quem é q pode, por esforço ou vontade própria, substituir o desamor, q ainda tem em sua natureza, por amor? O treinamento ou a repetição de atos de amor ao próximo pode transformar alguém em uma pessoa caridosa?
      O amor não vem do hábito ou costume ou do treinamento de praticá-lo, mas de uma profunda compreensão q nos leva (não por dever ou por obrigação, nem porq religiões, mestres, filosofias e psicologias, nos recomendam ou ensinam) q nos leva “automaticamente”, naturalmente, espontaneamente, a praticá-lo (sem expectativas de méritos ou reconhecimento de Deus, do próximo beneficiado, ou de quem quer a seja). Se não for assim, será apenas um amor ou caridade “da boca para fora”, será apenas um falso amor.
      Portanto, o de que necessitamos com urgência não é de conselhos de <o que fazer>, mas de ensinamentos q nos mostrem o <COMO> fazer. E, isso, muitos mestres ensinaram e ainda ensinam.
      Fiquem em Deus.
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Antonio Renato em 30 de Setembro de 2011, 01:31
Meu nobre irmão Coronel,muito bem colocada as suas palavras,não basta tão sómente dizer
para fazermos,mas sim como fazer,dá lições de como fazer.Não se pode simplesmente dizer
para quem quer peixe, lhe dizendo que o rio está cheio dêles,mas lhe ensinando como pesca-
-lo,para que expontaneamente ele venha buscar esses peixes.
Fique na paz.
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Shadowrun em 30 de Setembro de 2011, 02:12
Concordo, Coronel.
E ninguém melhor para nos dizer "como fazer" senão as próprias pessoas que muito fizeram por nosso mundo.
Acho que o melhor guia seria biografias de quem venceu seus conflitos íntimos e ainda muito fez pelo próximo.
É através de exemplos que aprendemos melhor, conselhos servem mais para inspirar.
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Carla Fabiane em 30 de Setembro de 2011, 13:37
Olá a todos, que tenhamos um lindo dia.

Caro amigo Coronel e outros amigos que participaram do fórum, obrigada, pertinente sua indagação, eu postei a mensagem porque achei linda e sempre antes de postar peço ajuda espiritual para  lançar mensagens que possam ajudar de alguma forma alguém que estava precisando exatamente de ler uma mensagem edificante, quando a questão é essa "ajuda", mas acho que em um fórum o que é escrito como mensagem , histórias, poesias, recomendações, regras éticas, mandamentos belos e inspiradores irão ser comentados por pessoas que penso eu espiritas, de conhecimentos mais abrangentes e de sentimentos bons, naturalmente vai surgir a resposta desejada para o como fazer.
Mas vou relacionar a baixo, algumas partes do texto, que deveria ser levada em consideração:
Se existe amor, há também esperança de existirem verdadeiras famílias, verdadeira fraternidade, verdadeira igualdade e verdadeira paz. Eu acho que amor não tem como fazer e sim senti-lo, vai da capacidade de cada um.
Determinação, coragem e autoconfiança são fatores decisivos para o sucesso. Não importa quais sejam os obstáculos e as dificuldades. Se estamos possuídos de uma inabalável determinação, conseguiremos superá-los. Independentemente das circunstâncias, devemos ser sempre humildes, recatados e despidos de orgulho.. Todos nós que participamos do fórum temos determinação, então já está ai o como fazer, determinados nos ensinamentos de Cristo com certeza teremos como ter sucesso na caridade ao próximo.

A agressão é uma tendência que faz parte do nosso íntimo. Por isso, temos de lutar contra nós mesmos. Homens criados em ambientes rigorosamente não-violentos acabaram se transformando nos mais horríveis carniceiros. O que prova que a semente da mais insana agressividade mora nas profundezas de cada um de nós. Mas nossa verdadeira natureza é de modo geral pacífica. Todos nós conhecemos as agitações da alma humana, que está sujeita a imprevistos assustadores. Mas essa não é a sua força dominante. É possível e é necessário dominar a agressividade.
. Realmente essa parte não diz como dominar nossas agressividades, mas espero que aqui no fórum todos sabem como dominá-la, logo depois ele diz que a frustração deixa-nos em estado de ira e que não devemos alimentar a infelicidade, como fazer? Ser feliz, compreender que a felicidade está em amar e acreditar em DEUS, isso é ter Fé, não tem como ensinar e sim como sentir, para isso tem que ser educado moralmente, no textos que muitas vezes são postados aqui, creio eu deveria ser para pescadores e não para quem não sabe pescar.
É através da arte de escutar que seu espírito se enche de fé e devoção e que você se torna capaz de cultivar a alegria interior e o equilíbrio da mente. A arte de escutar lhe permite alcançar sabedoria, superando toda ignorância. Então, é vantajoso dedicar-se a ela, aqui ele diz claramente o como fazer.

Quando estiver praticando a caridade, faça-o com alegria e com um semblante radiante. Devemos praticar a caridade com um sorriso no rosto e otimismo no coração., aqui também ficou bem claro do como fazer de quem pratica a verdadeira caridade, basta buscar exemplos como Chico Xavier, Madre Teresa e outros.

O aprimoramento da paciência requer a presença de alguém que deliberadamente nos faça mal. Esse tipo de pessoa nos dá a chance de praticarmos a tolerância. A nossa força interior é posta à prova com mais intensidade do que aquela de que o nosso guia espiritual seria capaz. Em essência, o exercício da paciência nos protege da perda da confiança., aqui ele diz que se tivermos tolerância com quem nos faz mal é o malhor caminho para termos paciência e assim proteger nossa confiança.

O fundamento de toda prática espiritual é o amor. Que você o pratique bem é meu único pedido, e nessa frase ele diz com todas as letras o que todos nś já sabemos, nem precisa ser comentada.

Coronel, só tenho a agradecer a você pelo seu comentário, pôs me ajudou muito, principalmente na questão de auto confiança, sempre quando posto uma mensagem fico muito nervosa esperando os comentários, bons ou ruins e o nervosismo é que não sei como muitos de vocês aqui, se tenho competência para participar de um fórum de tão grande importância intelectual, assim o vejo.

Que a luz do divino mestre brilhe sempre em nossos caminhos.

Atenciosamente,
Carla.




















Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Conforti em 02 de Outubro de 2011, 21:25
      André Luís   (ref #3)
     
      O novo amigo (meu xará em Luís) escreveu:
      “E ninguém melhor para nos dizer "como fazer" senão as próprias pessoas que muito fizeram por nosso mundo. Acho que o melhor guia seria biografias de quem venceu seus conflitos íntimos e ainda muito fez pelo próximo. É através de exemplos que aprendemos melhor, conselhos servem mais para inspirar.

      Cel: e essas pessoas, exemplos para todos, ensinaram o <como> fazer? Podem ter sido exemplos de amor ao próximo, de bondade, de caridade, de sabedoria, de atitudes corretas; na verdade, mostraram q estavam cheios de amor, mas não ensinaram o <como> fazer para q, tb nós, nos enchamos de amor. Ou ensinaram?

      Fique em Deus. 
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Conforti em 02 de Outubro de 2011, 22:51
      Carla Fabiane   (ref #4)     
      Olá, Carla; desejo q compreenda q qualquer comentário se refere aos escritos, nunca aos escritores. A intenção é alertar para q não percamos muito tempo com certas coisas pois, como vc mesma disse, a idéia é levar ajuda a alguém. Então lhe pergunto, afinal qual é a ajuda q esses textos levam?
      Mas, vamos lá: vc disse q postou aquela msg porq a achou linda. Pois é exatamente isso q todas as msg a que me referi são: apenas lindas! Nada mais, pois nada nos ensinam! Podem até ser inspiradoras, fazer-nos, por um momento, mais esperançosos, mas só isso! Apenas agem como um calmante passageiro, mas nenhum problema resolvem definitivamente.
      Como nessas msg, todas as doutrinas e religiões sempre nos trazem esperanças de um amanhã mais feliz, de recompensas pelo nosso esforço e, com essas promessas, ficamos mais tranqüilos por um certo tempo; mas, isso funciona apenas como um refrigerante num dia de calor; o efeito passa logo e o calor volta. De nada adianta dar esperanças a alguém, pois esperança não passa de incerteza e incerteza é apenas ilusão. O ser humano precisa de certezas como estas q Jesus nos deu: “Buscai, em primeiro lugar, o reino de Deus q o demais <vos virá> por acréscimo” e “Conhecereis a Verdade e a Verdade <vos libertará>!”. Observe q Jesus não disse “... q o demais <poderá> vos vir por acréscimo”, nem disse “... e a Verdade <poderá> vos libertar”. Isso é certeza; não simples esperança.

      Carla: -... peço ajuda espiritual para  lançar mensagens que possam ajudar de alguma forma alguém que estava precisando”
       Cel: reflita e seja sincera: em q msgs como essas “ajudam” alguém? Só naquilo q falei acima: trazendo esperanças, q não passam de ilusões, mas não nos levam um passo sequer na direção de Deus.

      Carla: -... em um fórum mensagem, histórias... irão ser comentados por pessoas que, penso eu, espiritas de conhecimentos mais abrangentes e de sentimentos bons, naturalmente vai surgir a resposta desejada para o “como” fazer.

      Cel: - tenho certeza q a resposta surgirá, mas, somente se alguém <souber> ensinar o “como” fazer. Mas, esse ensinamento não existe em nenhuma interpretação q os homens, de mente condicionada, deram às religiões. Ele está além das religiões.
      Infelizmente, muitos de nossos companheiros se esquecem de q, como a codificação recomenda (LM, cap 3, item 35), devemos abrir os olhos para outras direções, estudar outras linhas espiritualistas, comparar com a nossa e, só então, escolher a doutrina ou religião q mais se harmoniza com nosso modo de ver a vida. E nossa escolha poderá, então, ser totalmente diferente de tudo aquilo em q agora cremos, de tudo q já aprendemos ou lemos. Esse é um sábio conselho da DE, q repete a recomendação de Paulo: “Estudai de <tudo> e guardai o q for bom!”. Infelizmente, muitos não seguem!

      Carla: -... algumas partes do texto, que deveria ser levada em consideração: Se existe amor, há também esperança de existirem verdadeiras famílias, verdadeira fraternidade, igualdade e paz.

      Cel: - concordo com vc, mas veja: o texto diz: “se” existe amor; novamente apenas diz o q fazer, isto é, ame, tenha amor no coração, q haverá fraternidade... mas o <como> ter amor nem esse texto, como nenhum outro, nem as religiões, ensinam.

      Carla: - Eu acho que amor não tem como fazer e sim senti-lo, vai da capacidade de cada um.

      Cel: tem sim “como fazer”, mas sem q aprendamos <como> despertar o amor, nunca vamos senti-lo! O amor não é um sentimento q vem do nada, nem do esforço de te-lo, do treinar ações de amor...

      Carla: -... nós do fórum temos determinação, então já está ai o como fazer, determinados nos ensinamentos de Cristo com certeza teremos como ter sucesso na caridade ao próximo.

      Cel: - minha jovem amiga, os ensinamentos de Jesus, como de outros, de cujas palavras, os homens convencionaram religiões, “em geral”, são apenas “regras de bem-conviver”; se destinavam a conseguir um mais tranqüilo relacionamento entre as já tão sofridas criaturas (“não matar”, “não cobiçar”, “não mentir”, “não isto”, “não aquilo”, dos mandamentos; e, dos evangelhos: “oferecei a outra face”, “abençoai os inimigos”, perdoai não sete vezes, mas...”, “... teu credor te levará ao juiz... e dali não sairás até q tenhas pago o ultimo ceitil”, “serás lançado ao fogo da geena” etc, não são “regras de salvação”). As “regras de salvação”, devido às interpretações q as religiões dão aos ensinamentos dos mestres, aparentemente foram relegadas a um segundo plano, como estas: “buscai em primeiro lugar o reino...”, “... e a Verdade vos libertará”, “o reino de Deus está dentro de vós”, “vós sois o templo do Altíssimo”, “aquele q não abandonar pai e mãe para seguir-me não é digno de mim”, “deixa q os mortos enterrem seus mortos...”, “q te importa a ti? Segue-me tu”, “não é por vossas obras q sereis salvos, mas pela graça de Deus...”, “é o Senhor q opera em nós o pensar, o querer e o fazer”, “como se tivésseis algum pensamento como de vós mesmos, pois todos eles vêm de Deus”, e estão tb em outras passagens e parábolas do Novo Testamento. A caridade e o amor, tão enaltecidos por Jesus e Paulo, são apenas “regras de bem-conviver”. Lembre-se de q Jesus nunca afirmou q é o amor ou a caridade q nos salvam; ele afirmou: “...a verdade vos salvará”.

      Carla: - A agressão é uma tendência que faz parte do nosso íntimo. Por isso, temos de lutar contra nós mesmos.

      Cel: - e como é q o nosso ego/mente/eu se livrará de algo q faz parte de nossa “natural” natureza, se ele mesmo é essa natureza? Isto é, como é q um ego agressivo tirará de nossa natureza a agressividade se ele mesmo é essa agressividade?

      Carla: -... criados em ambientes rigorosamente não-violentos acabaram se transformando nos mais horríveis carniceiros. O que prova que a semente da mais insana agressividade mora nas profundezas de cada um de nós. Mas nossa verdadeira natureza é de modo geral pacífica.
      Cel: - amiga Carla, se nas profundezas de nossa alma mora a mais insana agressividade, como dizer q nossa verdadeira natureza é de modo geral pacífica?! Olhe o mundo e veja a agressividade q existe nele! E precisamos nos lembrar q o homem é um animal q traz de, desde os mais remotos ancestrais, todos aqueles instintos próprios da natureza animal; antes, necessários à sobrevivência, mas hoje, incompatíveis com o homem civilizado e, em particular, com aquele q busca Deus. 
      A amiga Carla diz q é possível dominar a agressividade; se é assim, porq o q vemos no mundo é pura agressividade, violências de todas as espécies? Reflita: porq os homens não a dominam se é possível domina-la? A única resposta a todas estas questões é aquela mesma: porq não sabem <como> fazer para domina-la.
      Carla: -...  espero que aqui no fórum todos sabem como dominá-la...
      Cel: - alguém já aprendeu <como> domina-la? Vc já a domina completamente?
      Carla: - Ser feliz, compreender que a felicidade está em amar e acreditar em DEUS, isso é ter Fé, não tem como ensinar e sim como sentir, para isso tem que ser educado moralmente...
      Cel: - me parece q, agora, vc está percebendo o q eu afirmei antes: vc diz q não tem “como” ensinar e, ao mesmo tempo, diz q deve ser ensinado a ser educado moralmente, concorda? Pois, para q alguém seja educado moralmente, esse alguém tem de aprender <como> se educar moralmente, certo?
      Carla: - É através da arte de escutar que seu espírito se enche de fé e devoção e que você se torna capaz de cultivar a alegria interior e o equilíbrio da mente. A arte de escutar lhe permite alcançar sabedoria, superando toda ignorância. Então, é vantajoso dedicar-se a ela, aqui ele diz claramente o como fazer.
      Cel: - ótimo para vc se vc aprendeu, aí, o <como> fazer tudo isso. Aprendeu mesmo? Analise.
      Carla: - o exercício da paciência nos protege da perda da confiança: aqui ele diz que se tivermos tolerância com quem nos faz mal é o melhor caminho para termos paciência e assim proteger nossa confiança.
      Cel: - sim, jovem Carla, tudo muito bonito, mas como exercitar a paciência se não a temos, se não sabemos <como> fazer para te-la? O autor ainda não disse o <como> ter controle sobre a paciência, o <como> ter tolerância com os inimigos, o <como> ter  confiança.
      E, minha amiga, a preocupação em colocar aqui textos de q outros possam discordar é natural; mas, com certeza, aos poucos, vc irá descarta-la pois verá q todos somos estudantes e, assim, podemos acertar e errar muitas vezes; este fórum existe com essa finalidade: apresentarmos nossos pontos de vista, nossa compreensão e, evidentemente, outros poderão acha-los até mesmo absurdos. Tb não agradeça por qualquer comentário pois, o q interessa realmente, é q medite sobre eles e procure compreende-los ou rebate-los.
      Fique em Deus. 




Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Si em 03 de Outubro de 2011, 00:27
Olá,

A batalha mais dificil de ser travada ocorre no teu intimo.
Ninguém a vê, a aplaude ou censura.
É tua. Vitória ou derrota pertencerá a ti em silêncio.
Nenhuma ajuda exterior poderá contribuir para o teu sucesso , ou conjuntura alguma te levará ao fracasso.
Os inimigos e os amigos residem na tua casa interior e tu os conheces.
Acompanham-te, desde há muito estás familiarizado com eles, mesmo quando te obstinas por ignorá-los. Eles te reduzem a glórias e a quedas, a atos heroicos e a fugas espetaculares, erguendo-te às estrelas ou atrelando-te ao carro das ilusões.

O Ego ameaça a Paz e se atulha com as coisas vãs, na busca instável da dominação injusta.
O Eu fomenta a harmonia e despoja-se dos haveres por saber que é senhor de si mesmo e não possuidor dos adornos destituídos de valor real.

Jesus desdobrou o Eu divino com que impregnou a Humanidade e, ao ser posto na cruz, despojado de tudo, prosseguiu, de braços abertos, afagando todos que ainda o buscam.

(Divaldo Franco-Joanna de Angelis)


Muita Paz
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Tathi_G em 03 de Outubro de 2011, 02:39
Antes de pensar em mudar o mundo, deveríamos pensar em mudar a nós mesmos.

Aliás, se mudarmos a nós mesmos, já estaremos fazendo um imenso favor ao mundo!!!
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Conforti em 03 de Outubro de 2011, 02:55
       Tathianagobi (ref #8)

       Vc escreveu: Antes de pensar em mudar o mundo, deveríamos pensar em mudar a nós mesmos. Aliás, se mudarmos a nós mesmos, já estaremos fazendo um imenso favor ao mundo!!!

       Cel: isso é uma verdade; como vc disse, estaremos fazendo um favor ao mundo; mas será um favor apenas no sentido de conseguir um mais harmonioso relacionamento entre os homens e não por fazer a nós mesmos ou ao próximo caminhar em direção à realização espiritual.

       Até mais.
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Carla Fabiane em 04 de Outubro de 2011, 20:02
Olá amigo Coronel, desculpa na demora para resposta, tive uns contratempos.

Não sei se posso responder a altura mas vou tentar, quando você pergunta como fazer, a resposta é não sei,  Penso que qualquer coisa que nos propomos a fazer precisa valer algo de bom. Precisa servir para algum crescimento, alguma evolução, mínima que seja. Assim, de atitude em atitude, de escolha em escolha, vamos desenhando a pessoa que de fato desejamos ser! desejar está em sentir e sentir não se tem como fazer e sim sentir.
Felizmente, muitas leituras, músicas, conversas e até filmes terminam servindo para fortalecer essa minha crença e mostrar que realmente é preciso saber viver. Quando assisti O Poder Além da Vida pela primeira vez, fiquei encantada com a forma que esta mensagem é transmitida no filme. Baseado numa história verídica, o roteiro conta sobre um ginasta em crise existencial que encontra um amigo, uma espécie de mestre, com quem aprende lições fundamentais para seu amadurecimento.
A idéia é evitar tanto sofrimento, tanta angústia e, mais do que isso, é fazer a vida e o amor valerem a pena realmente! Senão, continuaremos vivendo um dia depois do outro com a sensação de que viver e amar são armadilhas das quais precisamos tentar escapar... Não! Viver e amar são oportunidades maravilhosas que devem servir para nos dar a certeza prometida por Jesus de um mundo melhor. Merecer esse mundo como? Servindo ao seu próximo, como fazer, olhe ao em sua  volta, se hoje você ligar o botão do serviço na sua cabeça, você viverá os próximos dias e meses somente se observando e pontuando onde e quando você serve melhor.
Segundo as tradições orientais, existe uma realidade ou lei natural que rege as nossas vidas. Vivemos em conflito porque não enxergamos essa realidade e, por conseguinte, não vivemos segundo ela. Dharma é a palavra que elas usam para designar algo como a missão de vida de cada um, ou melhor, o seu dever. Nesta cultura, cada pessoa tem um dever e enquanto não viver de acordo com ele, estará presa ao mundo ilusório de dores e conflitos. Na minha concepção, acredito que cada pessoa tem um conjunto único de talentos, competências e valores que quando não desenvolvidos geram dor, drama e aflição. Porém quando desenvolvidos, geram alegria, liberdade e fortaleza interior. Apesar de termos algo natural pulsando dentro de nós e clamando para ser desenvolvido, preferimos barrar esta força natural e tentar sermos os melhores em outra área, onde talvez não tenhamos tanto talento, competência ou sequer sabemos qual é o padrão de bom ou satisfatório para ela. A solução é praticar o dever do serviço antes de mais nada. Se não sabe o que fazer, sirva, só isso, se permita viver amando e servindo, como fazer sirva e depois sinta o amor fluindo no seu ser.

No momento estou com vontade de dizer o quanto amo a todos, isso está saindo de dentro de mim, não sei como mas estou sentindo, antes, não saberia como dizer isso, hoje, estou dizendo com vontade, como estou dizendo, não sei, como estou sentindo, não sei, só sei da emoção de que está me invadindo e me pulsionando a dizer Te amo.

Atenciosamente,
Carla
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Conforti em 05 de Outubro de 2011, 22:35
Si   (ref #7)

Amigos, todas minhas colocações têm a finalidade de provocar a reflexão dos companheiros de estudo. Infelizmente, muitos simplesmente descartam tais colocações, antes mesmo de refletir sobre elas, fato q configura, sem dúvida, grande e tolo preconceito pois, rejeitar alguma  coisa, por julga-la, mesmo sem conhece-la, incompatível com aquilo q já temos em nosso íntimo, nada mais é do que puro e inexplicável preconceito. E, se bem analisarem, poderão vir a perceber q todos os preconceitos são obstáculos em nossa caminhada em direção a Deus. Vamos lá.     
     
A companheira de estudos, Si, citou, de um texto psicografado por Divaldo:

Texto: - “A batalha mais difícil de ser travada ocorre no teu intimo. Ninguém a vê, a aplaude ou censura. É tua. Vitória ou derrota pertencerá a ti em silêncio. Nenhuma ajuda exterior poderá contribuir para o teu sucesso, ou conjuntura alguma te levará ao fracasso”.
     
Cel: aqui me sinto no dever de colocar algumas palavras que, peço aos amigos, não as descartem antes q reflitam, um pouco q seja, sobre elas: ao contrário, do que, no texto, está escrito acima, <tudo, sem exceção de coisa alguma>, isto é, ajuda ou facilidades, obstáculos ou dificuldades para a vitória, ou para a derrota, vem do exterior... ou, de onde viriam? Como nasceriam ou existiriam em nós pensamentos de realizar ou deixar de realizar, por exemplo, essa batalha? Como surgiriam os pensamentos e as conclusões de que é necessário que a façamos? De que veio a idéia ou a percepção de que chegou o momento de iniciá-la?... Nasceram do nada? Ou esses pensamentos nasceram de tudo aquilo q já aprendemos com as lições desta escola, do bem e do mal, q é a vida de todos os dias? Ou esses pensamentos, idéias, decisões, escolhas q temos ou q fazemos, simplesmente, nascem em nossa mente, sem razão, ou do nada, aleatoriamente, inexplicavelmente??!!...
     
Analisem, amigos, todas as nossas ações e obras, desejos, aprendizado, compreensão, discernimento, nada disso nasce de nós mesmos, de nossos desejos ou de nossa vontade de que nasçam; nascem, exatamente, do conhecimento anterior q já possuimos, de nosso grau de compreensão, adquirido na escola da vida, e correspondem ao nível de aprendizado (“ano escolar”) que, aqui, estamos cursando.
     
Texto: - Os inimigos e os amigos residem na tua casa interior e tu os conheces. Acompanham-te, desde há muito estás familiarizado com eles, mesmo quando te obstinas por ignorá-los. Eles te reduzem a glórias e a quedas, a atos heróicos e a fugas espetaculares, erguendo-te às estrelas ou atrelando-te ao carro das ilusões.

Cel: - tudo perfeitamente de acordo; só duas coisas a comentar: esses numerosos amigos e inimigos (apenas palavras com q os designamos) estão, sim, sem qualquer dúvida, dentro de nós, residem em nossa mente, mas não somos nós q os colocamos ali; tudo, tanto no sentido do bem, quanto no sentido do mal, vem das inumeráveis influências q as também inumeráveis experiências/lições da vida, exercem sobre nós, no dia-a-dia, de instante a instante. Ou, me diga algum amigo: quem colocou tais amigos e inimigos em nossa mente, em nosso íntimo? Nós, tão somente, recebemos o que nos vem de fora e o aceitamos ou não, mas sempre de acordo com a compreensão que já temos, resultante de todas as outras lições/experiências anteriores q já estão assimiladas em nosso íntimo. Tudo o q sabemos ou conhecemos sobre o bem e sobre o mal, sobre o certo e o errado, nós o sabemos por que a escola q é a vida nos ensinou. 

E mais umas palavras: discordo tb da parte do texto quando afirma que nós conhecemos todos os inimigos q nos acompanham. Isso somente “poderá” ser possível para aquele que realizar uma auto-observação contínua, analisando todas as suas reações íntimas, internas, frente às ações exteriores percebidas por nossos sentidos de relacionamento com o mundo, e trabalhadas por tudo aquilo q já temos na memória e q produz associações e fazem nascer novas conceituações acerca da vida e do mundo.

Amigos, reflitam: nosso íntimo é construído pelo q aprendemos na escola da vida; não somos nós q nos construímos a nós mesmos, nem construímos, portanto, nosso destino; são as circunstâncias da vida q nos fazem como somos agora, neste instante e, portanto, podemos afirmar sem qualquer erro que é a vida q constrói nosso destino, pois o futuro é o resultado do q somos no presente, e o que somos no presente é o resultado do q  vida já nos ensinou até este instante. 






Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Tathi_G em 09 de Outubro de 2011, 12:47
Citar
Amigos, reflitam: nosso íntimo é construído pelo q aprendemos na escola da vida; não somos nós q nos construímos a nós mesmos, nem construímos, portanto, nosso destino; são as circunstâncias da vida q nos fazem como somos agora, neste instante e, portanto, podemos afirmar sem qualquer erro que é a vida q constrói nosso destino, pois o futuro é o resultado do q somos no presente, e o que somos no presente é o resultado do q  vida já nos ensinou até este instante.

As circunstâncias da vida não ocorrem ao acaso. Tudo o que me acontece hoje é fruto de minhas atitudes passadas, erros, acertos e necessidade de aprendizado. Lei de causa e efeito.

Por isso, de certa forma, eu sou responsável pelo que me acontece hoje, por todas as experiências vividas, sejam elas boas ou ruins.

O que eu sou no presente é resultado do que eu já consegui aprender até este instante.

Abs
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Mourarego em 09 de Outubro de 2011, 14:42
Minha escrita é no sentido de explicar sobre o título e o texto inicial que falam em transformar o mundo.
Nós, Espíritas, que me desculpem os que assim pensam, não temos esta missão.
Na verdade nossa missão consiste apenas (como se fosse fácil), em nos transformarmos a nós mesmos.
Se nesta missão que se relaciona integralmente com o nosso agir, para cumpri-la já nos utilizamos de incontáveis reencarnes, imaginem se quisermos transformar o todo, e o pior sem determos o Conhecimento, mesmo que precário, deste todo.
Não amigos, edifiquemos nossas ações, no sentido de nos modificarmos, para quem em próximo reencarne, se obtivermos o êxito em tal missão, já o passemos em forma transformada, exemplificando por nossas ações.
Abraços,
Moura
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Carla Fabiane em 10 de Outubro de 2011, 12:41
Olá amigos, bom dia a todos.

Moura realmente o titulo do texto está meio que atravessado, mas vou citar a primeira parte que diz exatamente o que você como sempre inteligente em sua colocações nos diz:

Citar
Se você quer transformar o mundo, experimente primeiro promover o seu aperfeiçoamento pessoal e realizar inovações no seu próprio interior. Estas atitudes se refletirão em mudanças positivas no seu ambiente familiar. Deste ponto em diante, as mudanças se expandirão em proporções cada vez maiores. Tudo o que fazemos produz efeito, causa algum impacto.

Atenciosament,
Carla.


Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Carla Fabiane em 10 de Outubro de 2011, 12:59
Olá amigo Coronel, bom dia.

Citação do amigo Coronel:

Citar
Amigos, reflitam: nosso íntimo é construído pelo q aprendemos na escola da vida; não somos nós q nos construímos a nós mesmos, nem construímos, portanto, nosso destino; são as circunstâncias da vida q nos fazem como somos agora, neste instante e, portanto, podemos afirmar sem qualquer erro que é a vida q constrói nosso destino, pois o futuro é o resultado do q somos no presente, e o que somos no presente é o resultado do q  vida já nos ensinou até este instante.

 ??? desculpe mas não entendi, como fazemos com nosso livre arbítrio? Como explicar duas pessoas que passam de alguma forma pelo mesmo problema, uma evolui pq tira experiencia boa do problema e a outra se revolta e passa pelo problema de forma contraria? eu acho que nós temos livre arbítrio para escolher o que fazer de nossas vidas e assim mudar de acordo com as experiências vividas e o que aprendemos com ela, exatamente o futuro é o que fazemos do nosso presente o que entendemos das lições que a vida nos oferece. Não sei se é assim mas é o que eu acho.

Atenciosamente,
Carla.

Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Mourarego em 10 de Outubro de 2011, 15:40
Carlinha, a resposta você mesmo a sabe!
Não somos iguais, somos parecidos e apenas por fora...
Por isso uns são Flamengo e outros Vasco;
Uns são bons e tranquilos, outros são Bons e ansiosos e mais alguns maus de toda sorte.
Essa "missigenação" de caráteres, é que faz do ser humano, obra de Deus, este livro tão desconhecido ainda para as ciências do Homem.
Asim, no terreno do progresso, uns "andam de Ferraris", enquanto eu, continuo a sofrer no meu Ford bigode.
Abraços,
Moura
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Carla Fabiane em 10 de Outubro de 2011, 17:34
Olá Moura querido, eu sei, mas como postei em citação do Coronel, fiquei confusa, eu acredito muito na opinião de vocês e acredito que aqui no FE aprendo mais do que ensino, por isso estou aqui.

 ??? Carla.
Título: Re: Transformar o mundo.
Enviado por: Conforti em 16 de Outubro de 2011, 00:19
Carla   (ref #15)

Olá, amiga sorriso.

Aos amigos e à amiga, peço q reflitamos um pouco:

A questão em estudo nasceu desta colocação: “São as circunstâncias da vida q nos fazem como somos agora, neste instante e, portanto, podemos afirmar, sem erro, que é a vida q constrói nosso destino”.

Carla:- não entendi, como fazemos com nosso livre arbítrio?
     
Cel:- Carla, o q é o livre-arbítrio? Veja: na concepção da DE (LE/804) “Deus nos cria a todos iguais, mas cada um de nós vive há mais ou menos tempo e, por conseguinte, uns têm maior soma de aquisições do q outros”.

Portanto, até aqui, é a vida, e não o livre-arbítrio, que dá a uns mais aquisições do q a outros. Nenhuma responsabilidade relativa ao espírito; a vontade, ou livre-arbítrio, não interferiu. E essas aquisições, é evidente, vêm das inumeráveis influências q a escola, do bem e do mal, que é a vida, nos proporciona, desde q vimos à existência. Assim, até este ponto, são as experiências/lições q a vida nos dá q nos fazem diferentes e, consequentemente, prododuzirmos obras diferentes. Qualquer diferença relativa ao aperfeiçoamento, de uns e de outros, vem do maior ou menor tempo de existência.
     
(LE/804, continuação): “... A diferença entre nós está na diferença/desigualdade de graus de experiência alcançada e da <vontade> com q obramos, vontade q é o <livre-arbítrio>”.

Aqui, a DE afirma, portanto, q qualquer diferença q exista entre nós (trazendo aperfeiçoamento mais ou menos rápido, fazendo uns bons, humildes, solidários e outros, maus, orgulhosos, egoistas etc) vem da vontade (livre-arbítrio) com q obramos.

E, aqui, vem a pergunta: de onde vem nossa vontade (ou livre-arbítrio) maior ou menor? Nasce espontaneamente em nossa cabeça, em nosso íntimo? É evidente q, como todos os nossos desejos, decisões, pensamentos, imaginação etc nasce, também, e somente, das experiências/lições pelas quais passamos, na escola da vida. Ou alguém tem alguma outra explicação? E se alguém disser q nasce espontaneamente, a pergunta será: e se a vontade nasce espontaneamente, nuns e noutros, porq as vontades são tão desiguais? Nuns, mais ativa/forte/determinada; noutros, menos. Afinal, de onde vem a desigualdade da vontade (e consequentemente, a desigualdade no uso do livre-arbítrio), q faz com q uns obrem mais diligentemente e outros menos? A vontade vem do nada? É evidente q vem do íntimo de cada um, mas porq é tão desigual (e gigantescamente desigual) em espíritos q foram criados em perfeitas condições de igualdade? Evidente/, porq o íntimo de cada um já se tornou desigual, em função das experiências q passou pela vida, diferentes para uns e outros, concorda? (Ate aqui, ainda, nenhuma responsabilidade do espírito pois não há nenhuma ação do livre-arbitrio).

LE/121:... porq uns Espiritos seguem o caminho do mal e outros o do bem? Resp: – Não têm eles o livre-arbítrio? Deus criou-os tendo tanta aptidão para o bem qto para o mal. Os q são maus assim se tornaram por <vontade> própria.

Cel: portanto, aqui a DE reafirma q uns seguem o caminho do bem e outros o do mal, devido ao livre-arbítrio, isto é, devido à livre vontade. Voltamos nova à mesma pergunta: Porq a vontade (ou livre-arbítrio) é diferente entre uns e outros? De onde se forma ou como surge a vontade? Não é exatamente daquilo q a escola da vida já colocou em nosso íntimo fazendo q compreendamos, uns mais do q outros, q devemos exercer a vontade para seguir por um caminho ou pelo outro? Onde ou quem nos ensinou qual caminho devemos seguir? Não são as experiências da vida? Não são elas q nos fazem compreender q é mais vantajoso para nós que sigamos (q tenhamos vontade de seguir, portanto) por este caminho e não por aquele outro?

Carla: - Como explicar duas pessoas que passam de alguma forma pelo mesmo problema, uma evolui pq tira experiencia boa do problema e a outra se revolta e passa pelo problema de forma contraria? Eu acho que nós temos livre arbítrio para escolher o que fazer de nossas vidas e assim mudar de acordo com as experiências vividas e o que aprendemos com ela, exatamente o futuro é o que fazemos do nosso presente o que entendemos das lições que a vida nos oferece... é o que eu acho.

Cel: analise, minha amiga; vc mesma colocou: “e assim mudar de acordo com o q já <aprendemos nas experiências da vida>”. As experiências da vida, amiga, são elas q nos fazem aprender, q nos ensinam! São elas q nos moldam o tempo todo e nos fazem como somos. Assim, as duas pessoas de seu exemplo reagiram de modo diferente porq as experiências pelas quais passaram na vida lhes proporcionaram compreensão diferente do como agir ou reagir.

Nossas reações (ou obras) diferentes nascem exatamente da compreensão diferente q adquirimos nesta escola, do bem e do mal, q é a vida. Nenhuma responsabilidade cabe, ainda ao espírito, pois a vontade ou o livre-arbítrio de cada um é fruto do q a escola já lhes ensinou. Reflita.

Com relação a isto tudo, peço q reflitam sobre estas palavras de Paulo: “É o Senhor q opera em nós o pensar, o querer e o fazer!”, isto é, é o Senhor q opera, constrói, obra, age em nós o q pensamos, o q queremos e o que fazemos; nada é construção ou desejo nosso. Pensamentos, desejos, obras vêm de Deus.

Amigos, não é necessário continuar; há muito mais a ser comentado e refletido; ficará para outra oportunidade.

É muito importante refletir!

      Fiquem em Deus.