Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Auto-Conhecimento => Tópico iniciado por: dOM JORGE em 28 de Junho de 2018, 14:41

Título: Segredos da Saúde
Enviado por: dOM JORGE em 28 de Junho de 2018, 14:41
                                                              VIVA JESUS!




             Bom-dia! queridos irmãos.




                     Segredos da Saúde



               
Grande parte de vosso sofrimento é por vós próprios escolhida. É a amarga poção com a qual o médico que está em vós cura
o vosso ’eu’ doente. - Gibran Khalil Gibran

Quanto mais enfermo você estiver, maior a necessidade de romper com uma série de comportamentos danosos que tem se permitido ao longo do tempo. Ninguém adoece do dia para a noite. Ninguém vai dormir feliz e acorda depressivo, ninguém vai para a cama com saúde e acorda com um câncer.
Tramamos nossas próprias doenças mediante desequilíbrios que
se sucedem no tempo. Cometemos pequenos suicídios todos os dias.
Interrompa esse ciclo acumulando dias saudáveis em sua existência.
Saiba que a vida é acumulativa, vale dizer, o que hoje nos sucede de bom ou ruim é o resultado de ações que se acumularam ao longo do tempo.
No campo dos cuidados com nosso corpo, porém, muitas vezes
temos mais desculpas que esforços em favor da preservação da saúde.
Inventamos mil justificativas e adiamos sempre as atitudes que nos garantiriam mais qualidade de vida.
Desse modo, nenhuma intervenção espiritual poderá se dar sem
que, primeiramente, ocorra em nos uma transformação de nossa consciência sobre as pedras que colocamos em nosso caminho.
Quando Jesus ressuscitou Lazaro, que já estava enterrado há
quatro dias, pediu primeiramente aos discípulos que retirassem a pedra da sepultura. Ora, por que o próprio Jesus não retirou ele mesmo a pedra?
Não retirou porque a tarefa poderia ser feita pelas pessoas presentes no local. Depois que a pedra foi retirada, Jesus curou Lázaro.
Assim se passa Conosco. Precisamos remover a pedra dos nossos hábitos infelizes para Jesus nos cure. O principio é que nada se altera no mundo sem que algo se mova primeiramente. No Campo das enfermidades isso é muito verdadeiro. Pequenas atitudes felizes tomadas todos os dias formam o segredo da saúde e da cura.
Faça algo de bom pela sua saúde, não coloque mais pedras na sua sepultura, ao contrário, retire-as para que o Cristo o ressuscite da doença. O Mestre esta disposto a fazer tudo em seu beneficio, porém se não retirarmos a pedra que nos levou ao desequilíbrio, como esperar que Jesus nos Cure?
Uma simples caminhada, por exemplo, pode fazer muitos benefícios para a saúde. Caminhe pelo quarteirão de sua casa. Se ainda não puder caminhe ao redor de sua cama.
Se ainda assim lhe for impossível, mexa o dedão do pé, abra e feche as mãos, pisque os olhos, enfim faça alguma coisa por você, porque é reagindo à doença que a saúde caminha ao seu encontro.
Aproveite para pensar nas outras pedras que estão em sua vida,
elas estão disfarçadas de mágoas, culpas, ódios, complexos de inferioridade, irritações, orgulho e egoísmo. Deixe livre o caminho de sua vida, limpe-o o mais depressa possível, porque Jesus, a qualquer hora, chegará para tirá-lo do túmulo da doença.
O principio é que nada se altera no mundo sem que algo se mova primeiramente.

José Carlos de Lucca
Do livro: O Médico Jesus








                                                                                                   PAZ, MUITA PAZ!
Título: Re: Segredos da Saúde
Enviado por: dOM JORGE em 18 de Agosto de 2018, 17:03
                                                              VIVA JESUS!




             Boa-tarde! queridos irmãos.




                    A bula


“Não procuremos orientação com os outros para assuntos claramente solucionáveis por nosso esforço (...). Cada Espírito possui o roteiro que lhe é próprio.” (Emmanuel).


Cada Espírito carrega consigo um roteiro próprio; orientaçõesadequadas para cada situação: passada a prescrição por insigne Médico e adquirido o medicamento, lá estará a bula referendando como deve ou não agir o paciente.

Mas a que bula, roteiro, ou orientação nos referimos? Onde estão eles impressos? “Na [nossa] consciência!” (Questão 621 de O Livro dos Espíritos.)

Foi lendo a bula que o bom Samaritano compreendeu que deveria assistir, anônimo, isento, dedicado, ao assaltado, na estrada que descia para Jericó.

Foi por deixarem de ler a bula que o sacerdote e o levita passaram ao largo, desatendendo o mesmo infeliz.

Foi por ler a bula que Zaqueu subiu ao topo do sicômoro, para melhor poder ver e ouvir o Mestre.

Foi por não ler integralmente a bula que o agoniado “jovem rico” não conseguiu acompanhar por inteiro o Rabi.

Foi por ler a bula que a hemorroíssa (que sangrava há doze anos) tocou com sua fé as vestes do Mestre.

Foi por não lerem a bula que muitos condenaram a atitude daquela “impura...”

Foi por ler a bula que Maria (irmã do amigo Lázaro), ao “escolher a melhor parte”, lavou os pés de Jesus com suas lágrimas, ungiu-os com perfumes e os secou com seus cabelos.

E foi por não ler a bula que Marta censurou a atitude da irmã, enquanto preparava e servia o jantar.

Foi lendo a bula que os “cinco mil” assimilaram as verdades do Sermão do Monte; e também foram saciados da fome do corpo...

... Mas, os mesmos “cinco mil”, ao bradarem “crucifica-o; crucifica-o!”, já haviam esquecido de todo o ensinamento que haviam encontrado na bula.

Foi por ler a bula que o centurião pediu ao Mestre que curasse seu servo, porém que não precisaria ir até a sua casa, pois disso não era digno.

Foi por não ler a bula que Longino espetou a lança cruel no peito do divino Sentenciado.

É por ler a bula que afirmamos: “darei uma boa palavra e o pagamento ao meu guardador de carro, mesmo correndo o risco de que venha a, novamente, se embriagar!”

Mas quando não lemos a bula, “temerariamente, precipitados e desdenhosamente”, categoricamente nos questionamos: “por que contribuir com este ‘desocupado’ se, novamente, irá se embriagar?”

É por lermos a bula que dirigimos palavra de conforto e estímulo à prestimosa que deixou o hall de entrada de nosso bloco limpo e cheiroso.

Mas é por não lermos a bula que julgamos que ela está justamente ali, “sendo paga para isso”; e então emudecemos...

E a história nos vai relatando que muitos, por lerem a bula, foram entregando seus corpos para serem queimados, para iluminação de seus Espíritos; doaram seus bens terrenos e deram preferência aos não perecíveis; consumiram suas existências ensinando, pesquisando, exemplificando; doaram-nas aos “pequeninos”, pois tinham-lhes preferência...”

E por ainda ignorarem a bula, dado a qualidade doentia do Planeta, muitos outros ainda se sentem desorientados quanto à eficácia dos medicamentos do Pai, anunciados por Jesus e os seus Profetas de todos os tempos.

* * *

O “Doutor” é confiável; o diagnóstico contundente; a prescrição é clara... e a bula está à nossa disposição para retirarmos quaisquer dúvidas: nela está escrito “o que devemos fazer ou deixar de fazer”. E “só somos infelizes quando dela nos afastamos”. (Questão 614 de O Livro dos Espíritos.)

 

Bibliografia:

(Sintonia: Xavier, Francisco Cândido, Fonte Viva, ditado por Emmanuel, Cap. 138, O justo remédio, 1ª edição da FEB.)


           Claudio Viana Silveira









                                                                                                     PAZ, MUITA PAZ!