Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Auto-Conhecimento => Tópico iniciado por: Anton Kiudero em 12 de Agosto de 2008, 07:37

Título: O Lobo e os Carneiros
Enviado por: Anton Kiudero em 12 de Agosto de 2008, 07:37
O Lobo e os Carneiros
Título: Re: O Lobo e os Carneiros
Enviado por: Gigii em 12 de Agosto de 2008, 14:11
 ;D ;D..... :P
Título: Re: O Lobo e os Carneiros
Enviado por: Vitor Santos em 12 de Agosto de 2008, 16:50
Olá

O homem não pode fugir á lei da sobrevivência, tal como o não pode o lobo. Se o resultado da obra de Deus é este, é porque isso deve ser útil, por alguma razão.

A destruição da carne, seja para comer directamente, seja para banquetear os micro-organismos que se alimentam dela, seja para outro fim, não passa da destruição de uma roupa usada. A morte não existe.

Se estamos neste planeta, temos sempre algum papel de lobo para fazer. A mecessidade de sobrevivência é comum a todos os seres vivos.

bem hajam
Título: Re: O Lobo e os Carneiros
Enviado por: Anton Kiudero em 12 de Agosto de 2008, 17:06
Homo Homini Lupus
o homem é o lobo do homem
Título: Re: O Lobo e os Carneiros
Enviado por: Peregrino em 12 de Agosto de 2008, 20:21
Generalisare erratum est
Generalizar é errado.  :P

Pg
Título: Re: O Lobo e os Carneiros
Enviado por: SB em 13 de Agosto de 2008, 00:18
O homem não pode fugir á lei da sobrevivência, tal como o não pode o lobo. Se o resultado da obra de Deus é este, é porque isso deve ser útil, por alguma razão.

A destruição da carne, seja para comer directamente, seja para banquetear os micro-organismos que se alimentam dela, seja para outro fim, não passa da destruição de uma roupa usada. A morte não existe.

Se estamos neste planeta, temos sempre algum papel de lobo para fazer. A mecessidade de sobrevivência é comum a todos os seres vivos.


Compreendo e aceito.

Mas...

Eu não vim a este mundo para sobreviver, para mim ninguem veio.

Viemos para viver plenamente!

Desejamos ser felizes, ser ilimitados, e isto não é sujeito à escolha, é natural e universal, sem dúvida não é sem sentido, é progresso.

Os meios de satisfazer os desejos naturais, como fome e sede, são necessariamente providos pela natureza.

Assim sendo, tem que haver um meio de satisfazer o mais fundamental dos nossos desejos.

E, portanto, sendo este o mais fundamental dos problemas das nossas vidas, pede um questionamento adequado.

E quanto mais se vive uma vida consciente, mais o desejo fundamental de se ser completo se torna difícil de ser ignorado, e, até que se encontre uma solução para este problema, não haverá tranquilidade.

O método pelo qual se dá este processo/questionamento se chama, conhecimento.

Não importa o quanto adquirimos em vida, vamos sempre supor insuficiente.

O problema não está no que queremos, mas no querer.

Os objectos de desejo surgem e desaparecem, permanecendo somente uma constante música de fundo na vida, o facto de que 'nós queremos... nós queremos'.

Tendo reconhecido o problema, será que podemos acreditar sem receio na possibilidade de tal coisa como felicidade plena?

Seremos uns idealistas e pouco práticos ao considerar tal possibilidade?

Não.

Não é uma mente imatura que procura, mas uma pessoa sensível e capaz de apreciar que este desejo, em viver plenamente, não é sujeito à escolha, é fundamental.

Abraços
Título: Re: O Lobo e os Carneiros
Enviado por: Vitor Santos em 14 de Agosto de 2008, 18:17
Olá Susana

Concordo contigo que nesta vida o nosso papel não é apenas a sobrevivência fisica. A sobrevivência fisica faz parte da experiência desta reencarnação, mas não é o objectivo final da mesma. Pelo contrário todos os nossos corpos vão sucumbir, mais dia menos dia.

Pode alcançar-se alguma felicidade neste mundo em determinados momentos da nossa vida, graças a Deus. Deus te dê muita felicidade, a ti, a todos os teus e a nós todos, é o meu desejo.

bem hajas