Forum Espirita

GERAL => Psicologia & Espiritismo => Auto-Conhecimento => Tópico iniciado por: zarthur em 08 de Maio de 2012, 11:47

Título: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: zarthur em 08 de Maio de 2012, 11:47
Amigos;
o Espiritismo anda a par com a Ciência, e muitas vezes à frente.
É que inúmeras vezes a Ciência detecta o fenômeno mas não consegue explicar seus mecanismos, ou sua causa primária. Por exemplo, a origem da vida, o surgimento do Universo, a vida após a morte, e por aí vai.
A manifestação da Idiossincrasia está entre os muitos fenômenos ainda sem explicação por parte da Ciência.

Idiossincrasia

Nos dicionários encontraremos:

1.Disposição do temperamento do indivíduo, que o faz reagir de maneira muito pessoal à ação dos agentes externos.
2.Maneira de ver, sentir, reagir, própria de cada pessoa.
3.Med. Sensibilidade anormal, peculiar a um indivíduo, a uma droga, proteína ou outro agente.


O fenômeno está bem descrito, mas não a sua causa.
É onde entra o Espiritismo:

A Reencarnação é o recurso de que dispõe o Espírito para alcançar a perfeição, finalidade divina para a qual todos fomos criados.
Muitas de nossas experiências em vidas passadas foram de tal modo traumatizantes que impressionaram vivamente o nosso psiquismo. A morte violenta, os crimes da paixão, as sevícias e traições variadas, etc.
Vamos citar um exemplo que se nos mostra mais didático, para o presente caso.
As almas daqueles homens condenados à fogueira pelas maquinações diabólicas da Inquisição, transportam consigo os registros vivos daqueles acontecimentos e passam a compor a matriz essencial de suas personalidades.
Como resultado, demonstrarão estes companheiros, durante várias existências, disposições visceralmente contrárias às religiões e assuntos correlatos.
Eis uma manifestação idiossincrásica.
Por outro lado, as humilhações que um homem de fé possa experimentar em ambientes de extremado racionalismo científico, o predisporão, em vidas futuras, a certo fanatismo religioso ou a certas manifestações obscurantistas ante os avanços da ciência.

A cada existência desempenha-se um papel bem determinado na ribalta da vida, e o somatório das muitas performances constituem a individualidade, o caráter da criatura, com todas as suas peculiaridades.
E a estas particulares disposições da alma em evolução dá-se o nome de Idiossincrasia.

Aquele companheiro do Espiritismo que se delicia com os romances e as obras mais amenas, ou aquele outro que exalta-se na defesa da pureza doutrinária, o ortodoxo que policia o mau uso do CUEE (Controle Universal dos Ensinos dos Espíritos), enfim, estes arroubos e aptidões são simples manifestações daquele fenômeno.

Inobstante o conhecimento que hoje felicita nossos corações, à frente da vida depararemos com pessoas que de um modo ou outro, neste ou naquele ambiente, atrairão nossa atenção por se afastarem do senso comum, digamos, contrariando a regra geral e, quiçá, polarizando antipatia generalizada.
Não nos enganemos; todos guardamos na intimidade uma maior ou menor influência daqueles fatores do passado.
A isto denominamos, Personalidade!
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 08 de Maio de 2012, 15:29
Não nos enganemos; todos guardamos na intimidade uma maior ou menor influência daqueles fatores do passado.
A isto denominamos, Personalidade.
Muito interessante este tópico, e citei as duas ultimas frases pois considero um ponto importante no entendimento da DE e por analogia, da própria vida.
Somos hoje a colheita do ontem, com toda nossa bagagem psiquica de séculos de erros e acertos e é essa bagagem que externamos me nossa vida diária.
Independente do que signifique essa bagagem, precisamos aproveitar o hoje para aprender a amar incondicionalmente nossos irmãos, plantando o que colheremos amanhã.
E utilizar esse amor para nos livrarmos do peso de magoas e ressentimentos por situações passadas, ainda reminiscentes em nosso aparato psicológico, mas que precisam ficar para tras a fim de realmente evoluirmos.
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Norizonte da Rosa em 08 de Maio de 2012, 15:37
Com certeza os Amigos não estão descartando a influência da vida atual no modo pessoal de agir!
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Anton Kiudero em 08 de Maio de 2012, 15:41
A personalidade tem muitas causas aparentes (apesar de desconhecidas - experiencias em encarnações passadas que desconhecemos), mas que podem ser resumidas em poucos sentimentos que baseiam a encarnação atual.

São os apegos de tres tipos:

Os apegos materiais - o "é meu", "eu tenho"
Os apegos sentimentais - o "eu amo", "eu não amo"
Os apegos morais - o "eu sei"

A estes apegos devem ser acrescentados ainda quatro pares de sentimentos:

O desejo de ganhar e o medo de perder
A busca do prazer e a fuga do desprazer
A busca do elogio e fuga da crítica
A busca da fama e a fuga da infamia

Cabe ao espírito encarnado, superar estes apegos durante a sua encarnação, que existe para esta fim, pois estes são tambem os generos de provas solicitados.

Os tres generos de apegos remontam ao egoismo, o maior dos vicios, a que o espirito encarnado esta adicto e do que cabe-lhe libertar-se durante a encarnação.

Se o conseguir, possuirá uma visão mais limpida da realidade espiritual ao morrer-lhe o corpo material. São os que se aproximam da bem-aventurança ou felicidade (967).

Caso contrario seguira com os seus apegos e consequentes paixões no que a literatura equivocadamente denominada de "espirita" denominou de "umbral" e que é unicamente o espelho de si mesmo, com uma infinidade de locais, colonias e acontecimentos criados por estes apegos e paixões (970, 972).

O segundo conjunto de sentimentos que são sempre duplos, são os sentimentos que lastreiam o pensamento. O pensamento não é puro e tampouco lógico quando observa a realidade. Estes oito sentimentos sempre o pautam e o tingem com as suas cores.

Cabe ao espírito encarnado observar os seus pensamentos, um a um, e retirar deles estes sentimentos. Ao conseguir isto o espírito encarnado enxergará sempre mais a realidade, sem os sentimentos que a deformam. Podemos dizer que enquanto não o fizer e aprender a controlar estes sentimentos, eliminando-os de vez, o espirito encarnado "" mas não "enxerga", "escuta" mas não "ouve", "vive uma vida" mas "não sabe o que esta vivenciando".

No aprendizado do controle dos apegos e dos sentimentos consiste a reforma intima e a grande maioria dos espíritos atualmente encarnados podem aprender a realiza-lo.

Mas como ja foi escrito ha muito tempo, "muitos serão os chamados" - muitos terão conhecimento destas verdades e metodologias, "mas poucos serão escolhidos" - mas poucos aplicarão isto as suas vidas pessoais, porque é sempre mais facil ceder as tentações do que vence-las.

Que a paz fique com todos,
Anton


Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Gustavo Rettenmaier em 08 de Maio de 2012, 16:30
"No aprendizado do controle dos apegos e dos sentimentos consiste a reforma intima e a grande maioria dos espíritos atualmente encarnados podem aprender a realiza-lo." Anton
Esta ai mano Anton, algo com o qual realmente concordamos.
E esse é um exercicio diário, mas muito complicado.
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Anton Kiudero em 08 de Maio de 2012, 16:51
E esse é um exercicio diário, mas muito complicado.

Amigo,

Jamais acredite que algo seja "complicado", "dificil" ou mesmo "impossivel", porque se voce transforma isto em "verdade", será verdadeiro para voce e voce não conseguirá superar algo "verdadeiro". Ao contrário, encare tudo o que é possivel acontecer com naturalidade, aceitando como normal e possivel. Neste caso, a mente aberta não cria obstaculos a seu proprio caminho.

A mente pode tudo. Pode se enclausurar em um circulo vicioso de pensamentos negativos de onde não conseguira sair por muito tempo (encarnada, desencarnada e reencarnada...) e pode tambem abrir-se ao universo ou a Deus, se voce preferir, e permanecer neste estado. Aparentemente, visto de fora, o ser humano é o mesmo, mas interiormente é completamente diferente...

Longe de mim tentar ensinar caminhos ou regras para superar-se. Há milhares por ai de todas as origens, mestres, gurus, professores e sabios de todas as vertentes. Vou apenas mostrar uma das pequenas coisas que pratico diversas vezes ao dia e que ajudam a "desmontar" os apegos e ilusões antes mesmo que se formem.

Converso com o Pai, dizendo mais ou menos o seguinte: "nada sou, nada tenho, nada possuo, nada desejo, faz em mim segundo a Tua vontade, instrumento consciente de Ti". E continuo o caminho, fazendo o que deve ser feito, observando o que esta acontecendo e sentindo-me sempre incondicionalmente feliz por saber que nada me falta e nem faltará jamais.

Feliz é quem nada deseja, pois que se satisfaz com o que tem. Infeliz é quem deseja qualquer coisa, pois sempre lhe falta algo.

Que a Paz fique contigo,
Anton


Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Anton Kiudero em 08 de Maio de 2012, 21:00
Converso com o Pai, dizendo mais ou menos o seguinte: "nada sou, nada tenho, nada possuo, nada desejo, faz em mim segundo a Tua vontade, instrumento consciente de Ti". E continuo o caminho, fazendo o que deve ser feito, observando o que esta acontecendo e sentindo-me sempre incondicionalmente feliz por saber que nada me falta e nem faltará jamais.

Estava a rever a postagem e vi que por lapso me esqueci de colocar a afirmação mais importante, que é o "nada sei". Então a expressão completa fica sendo mais ou menos:

"nada sou, nada sei, nada tenho, nada possuo, nada desejo, faz em mim segundo a Tua vontade, instrumento consciente de Ti"


Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Danilo Henrique em 08 de Maio de 2012, 21:49
Zarthur, parabéns pela atitude de abrir esse tópico.

É por saber das armadilhas que o personalismo nos arma, mesmo que minha razão demonstre que algo seja verdadeiro, nunca o admito totalmente. Vou além...sempre admito a possibilidade de estar completamente errado.
Eu assisto, diariamente aqui no fórum, a pregação inconsequente de verdades.
Quando todos, ao invés de buscar nesse espaço uma auto-justificação, deveriam na verdade buscar o auto-aperfeiçoamento.
Uma qualidade que me faz parecer ter uma intuição desse processo, é que me felicito quando mudo de opinião. Não vejo isso como uma vergonha. Vejo isso como uma vitória. Uma vitória sobre o meu próprio ego.

O exercício da dialética, entre os participantes do fórum, pode ser um fator auxiliador para se vencer essas dificuldades.
Estou seguro que as pessoas não debatem, e nem dialogam, de forma adequada.

E essa não é uma concepção nova. Muito antes de Cristo, Sócrates já era exímio conhecedor dessa verdade, e por isso dizia: Para conhecer a Verdade, conheça-te a ti mesmo. Outra máxima, de elevada expressão, é esta: Só sei que nada sei.

Nenhum ponto de vista deve ser menosprezado. Todos possuímos um fragmento da verdade. Se nos juntamos, num esforço mútuo, podemos juntar essas partes e construir verdades maiores. Mas se repudiamos os pontos de vistas alheios, ficamos presos às nossas verdades particulares.

Abraços!


Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: filhodobino em 08 de Maio de 2012, 21:56
Amado irmão Anton,
Citar
...
Que a paz fique com todos,
Anton
Gostaria de conhecer sua opinião na conformidade do alinhavo de seu pensamento com  a frase:
Eu sinto/ele sente-


Saúde e Paz!
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Sr.91 em 08 de Maio de 2012, 22:31
Que belo tópico Zarthur,

ainda não conhecia essa palavra e junto seu conceito.

É admirável como o ser humano possui varias nuances, sendo ele dá mesma espécie e como nos ensina a doutrina iguais em possibilidades !

Como diz no livro dos espíritos, a uniformidade da perfeição será a unica capaz de livrar tantas discordâncias..

Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: zarthur em 08 de Maio de 2012, 23:36
Amigos
A razão que me levou a pesquisar sobre o assunto foi o próprio movimento espírita.
Na tarefa de expositor doutrinário precisei estar em contato com a direção das diversas Casas Espíritas da minha região, onde deveria levar meus temas de estudo.
Ao longo dos 11 anos em que desempenhei, com muito carinho, aquela atividade sempre estranhei o modo diferente como algumas daquelas instituições trabalhavam em prol do Ideal Espírita.
Desde aquelas que se recusavam a aceitar estudos sobre temas evangélicos até as que mantinham procedimentos um tanto ritualísticos, quase beirando ao Umbandismo.
Me aborrecia tal constatação visto que as obras básicas, mais ou menos, eram estudadas em todas elas.
Foi então que percebi que por trás de toda aquela diversidade de procedimento estava a forma como as lideranças daquelas instituições interpretavam a Codificação.
Se Kardec, com sua lógica e sensatez, e a orientação segura do plano espiritual não logrou imprimir um caráter coeso ao Espiritismo, precisávamos descobrir a razão para tantas dissensões. 
Considerando que as pessoas eram honestas e sinceras em suas posições, a razão somente poderia ser encontrada na intimidade de cada qual.
No campo dos debates havia aqueles que defendiam o aspecto religioso da Doutrina enquanto outros se escandalizavam com tal posição.
O CUEE era enaltecido e atacado com igual denodo.
Chegou-se ao ponto de criar uma entidade federativa com orientação bem distante daquela adotada pela FEB, era a CEPA; uma confederação para a América Latina.

Assim, após compreender o mecanismo que nos fazia agir, escolher e interpretar conforme nossas predisposições, surgiu a questão: - se assim é, de fato, não haverá solução para o problema? Sempre estará o homem em conflito com seu ambiente social pelo motivo de que a razão e o senso comum deverão se submeter às marcantes influências das vidas passadas?
Na verdade, não precisa ser assim, desde que reconheçamos o valor das palavras, "Homem, conheça-te a ti mesmo" e passemos a analisar nossas motivações com mais isenção e honestidade.

Na pior das hipóteses, se não conseguirmos mudar nada, pelo menos conheceremos um pouco mais a respeito de nós mesmos.


 
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: zarthur em 09 de Maio de 2012, 00:21
Viajante disse: Como diz no livro dos espíritos, a uniformidade da perfeição será a unica capaz de livrar tantas discordâncias...

É verdade, caro amigo.
Maravilhosa certeza nos ensina que por mais discordemos, hoje, amanhã estaremos de mãos dadas a serviço do mesmo ideal.


 
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: filhodobino em 09 de Maio de 2012, 01:35
Citar
Na pior das hipóteses, se não conseguirmos mudar nada, pelo menos conheceremos um pouco mais a respeito de nós mesmos.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/auto-conhecimento/idiossincrasia-o-que-todo-espirita-precisa-saber/#ixzz1uKMoQnLa
Viajante disse: Como diz no livro dos espíritos, a uniformidade da perfeição será a unica capaz de livrar tantas discordâncias...

É verdade, caro amigo.
Maravilhosa certeza nos ensina que por mais discordemos, hoje, amanhã estaremos de mãos dadas a serviço do mesmo ideal.

Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/auto-conhecimento/idiossincrasia-o-que-todo-espirita-precisa-saber/#ixzz1uKMwpYYH

Amados,
Dentre todas religiões e livros de psicologia humana, inclusive a própria Bíblia, o mais coeso que encontrei foi o Livro dos Espíritos, e a doutrina Espirita tão criticada...

Tudo o mais sobre o planeta terra, é mais disforme no entendimento coletivo...
Coloquemos 10 pessoas aleatoriamente escolhidas,
10 pessoas com a mesma formação acadêmica,
10 pessoas com formação acadêmica diferentes,
10 pessoas com formação acadêmica zero, analfabetas,
Juntemo-las, dentro de uma sala de cinema, exibamos o mesmo e único filme, uma só vez para todos juntos, peçamos opiniões individuais sobre a historia contada, e teremos o que mesmo que chamas idiossincrasias, até nos medicamentos para a mesma doença, há.
até os efeitos colaterais, serão diferentes, até as alergias serão diferentes...
Que esperamos entender na humanidade unicamente dentro do livro dos Espíritos?
Acho que eu preciso parar de tentar entendê-los... e não sentir nada...
Saúde e Paz!


Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: zarthur em 09 de Maio de 2012, 02:20
filhodobino disse:

Que esperamos entender na humanidade unicamente dentro do livro dos Espíritos?
Acho que eu preciso parar de tentar entendê-los... e não sentir nada...
Saúde e Paz!


Amigão; fiquei deveras curioso com estas palavras. Será que o q vc quer dizer é o que estou pensando? ??? ???


 
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: filhodobino em 09 de Maio de 2012, 02:28
filhodobino disse:

Que esperamos entender na humanidade unicamente dentro do livro dos Espíritos?
Acho que eu preciso parar de tentar entendê-los... e não sentir nada...
Saúde e Paz!


Amigão; fiquei deveras curioso com estas palavras. Será que o q vc quer dizer é o que estou pensando? ??? ???


Oh! sim ... talvez... eu tenha condições de ...(...)...; Realmente sei responder o que estás a pensar... idéias são idéias, mas talvez se o irmão disser o que está pensando eu poderia dizer o que significam no meu pensamento as idéias que escrevi...

Principalmente tendo acompanhado o que o irmão abrangeu em idéias no outro tópico que abriste, sobre que o Espiritismo começa no LE mas não termina nele... não é interessante o que pensas agora? Idéias são Idéias, é o que devemos discutir, agora idéias e pensamentos às vezes têm diferenças... concordo.

Saúde e Paz!
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: zarthur em 09 de Maio de 2012, 11:25
Acho, caro filhodobino, que vc está sendo prudente e buscando a paz, embora em circunstâncias não muito favoráveis.
Muitas vezes assalta-nos a dúvida: devo dizer o que penso e contribuir para que a verdade venha à tona, ainda que com isso eu perca a minha paz, ou aguardo um pouco mais, pois a verdade sempre prevalecerá... cedo ou tarde.
É preciso estarmos bastante convictos a respeito da "nossa" verdade, quando nos dispomos a lutar por ela.
Foi com essa disposição de espírito que Jesus enfrentou a morte.
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Anton Kiudero em 09 de Maio de 2012, 14:41
Amado irmão Anton,
Citar
...
Que a paz fique com todos,
Anton
Gostaria de conhecer sua opinião na conformidade do alinhavo de seu pensamento com  a frase:
Eu sinto/ele sente-

Amigo,

Não compreendi a pergunta. Parece-me que esta truncado ou estou enganado? Poderia expor melhor?

Que a paz fique contigo,
Anton

Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: filhodobino em 09 de Maio de 2012, 21:12
Amado irmão Anton,
Citar
...
Que a paz fique com todos,
Anton

Gostaria de conhecer sua opinião na conformidade do alinhavo de seu pensamento com  a frase:
Eu sinto/ele sente-

Amigo,

Não compreendi a pergunta. Parece-me que esta truncado ou estou enganado? Poderia expor melhor?

Que a paz fique contigo,
Anton

Amado Irmão,
Falaste com propriedade agradável ao meu entendimento, sobre vários itens da percepção humana, e muito me agradaria que naquele mesmo diapasão, tu manifestasses sobre o eu sinto/ele sente.
o verbo sentir, percebido de dentro para fora, pelo sujeito, sem tentar imaginar o que ele sente, o outro sente... mas fazê-lo pelo que o sujeito mesmo sente.

Saúde e Paz!
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Marlenedd em 09 de Maio de 2012, 23:00
Consciente ou inconsciente, imaginando ou pensando, o perceber pelo sentir vem sempre de Deus. Aliás, como tudo.

O sujeito deve ser passivo, para não macular a Verdade de Deus.
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Anton Kiudero em 10 de Maio de 2012, 04:52
Falaste com propriedade agradável ao meu entendimento, sobre vários itens da percepção humana, e muito me agradaria que naquele mesmo diapasão, tu manifestasses sobre o eu sinto/ele sente.
o verbo sentir, percebido de dentro para fora, pelo sujeito, sem tentar imaginar o que ele sente, o outro sente... mas fazê-lo pelo que o sujeito mesmo sente.

Amigo,

O que é a sensação? Não é algo tangivel e que pertença ao universo real, e vamos tentar compreender porque:

A sensação é uma atribuição de valor sobre uma percepção. Percepção é o que percebemos do universo com os nossos cinco sentidos fisicos. Poderia me extender sobre a limitação da percepção, mas vamos apenas nos ater a alguns poucos detalhes para compreender o conceito.

O universo é inteiramente formado por energia e a energia não possui forma. A forma que atribuimos a energia, atraves dos cinco sentidos e que denominamos de percepção, já é uma elaboração do agregado do espírito que podemos denominar de "ego humanizado". Assim o ego humanizado "ve", "ouve" e "sente" as energias como formas e denomina a isto de "percepção".

A percepção "pura" é parte da programação dos espíritos que habitam em cada orbe e são diferentes em cada orbe. Talvez isto explique porque não conseguimos "ver" habitantes de outros orbes, o que talvez esteja sugerido na resposta a questão 94 do LE. Ao mudar de orbe, muda o perispirito e tambem o processo de elaboração das percepções, adequadas a este orbe. Assim um espírito revestido do perispirito terrestre não perceberia a realidade de Marte e vice versa. Mas isto é apenas uma hipotese e é irrelevante no momento.

Então temos que a percepção é universal em cada orbe. Para todos os habitantes do planeta Terra, uma parede é uma parede, mar é mar e fogo é fogo e isto é percebido pelos sentidos fisicos.

Mas e a sensação? A sensação é a atribuição de um valor a percepção e é portanto algo individual. Por exemplo, a agua esta a uma temperatura de 40 graus, isto é produto da percepção, mas isto pode receber o valor de "quente", "morno" ou "frio", o que são sensações individuais. Uma determinada forma (que é apenas uma percepção) pode ser valorada como linda, bonita, atraente, feia, horrorosa ou qualquer outro valor, sem que altere a sua essencia.
 
Avançando um pouco mais, nos conteudos mentais, cada espirito humanizado cria valores de "certo" e "errado", "bom" e "mal", e todos os dualismos possiveis. E isto em diversas gradações, o que faz com que cada individuo "sinta" a realidade de forma diferente e "sinta" a cada um dos demais espiritos humanizados de forma individual. Apenas a desumanização do espirito, que define a sua elevação espiritual, permite-lhe enxergar a realidade sem valores individuais, o que já é um pequeno passo para a libertação do ciclo reencarnatório neste planeta de provas e expiações.

Espero ter clarificado a questão que voce levantou. Caso contrário, pergunte.
Anton


Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: zarthur em 10 de Maio de 2012, 15:51
 
Consciente ou inconsciente, imaginando ou pensando, o perceber pelo sentir vem sempre de Deus. Aliás, como tudo.
O sujeito deve ser passivo, para não macular a Verdade de Deus.
Grande Marlene;
amiga, em todos os seus posts, vc demonstra uma acentuada devoção, para não dizer submissão a Deus, a ponto de passar a impressão de que devemos substituir a vontade e o arbítrio. por uma espécie de sentimento de abandono a tudo quanto se refira à vida e sua infinita pletora de sensações e desejos.
Estou dizendo isto porque, para mim, esta faceta da sua personalidade se enquadra exatamente no tema do tópico.
Quero dizer que, excepcionalmente, se vc se dispusesse a falar um pouco de si mesma, certamente nos possibilitaria compreender, e nos motivar, para o mesmo caminho que vc adota. Entãol? 
 
 
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Marlenedd em 10 de Maio de 2012, 19:47
Zarthur, os nossos antepassados ensinam...

Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.


Para fazeres isto tens que renunciar a ti próprio, anulando a personalidade e o ego bem como todo e qualquer sentimento pessoal.

Morrer antes de morrer para sair da inconsciência e não ter que nascer...
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Anton Kiudero em 10 de Maio de 2012, 20:22
amiga, em todos os seus posts, vc demonstra uma acentuada devoção, para não dizer submissão a Deus, a ponto de passar a impressão de que devemos substituir a vontade e o arbítrio por uma espécie de sentimento de abandono a tudo quanto se refira à vida e sua infinita pletora de sensações e desejos.
Estou dizendo isto porque, para mim, esta faceta da sua personalidade se enquadra exatamente no tema do tópico.

Voce acertou na mosca, Zarthur,

É apenas pelo abandono de todos os desejos e sensações e as consequentes paixões por eles criadas que o espirito humanizado começa a abandonar o ciclo de reencarnações compulsorias em planeta de provas e expiação. Não transforma ninguem em "santo" a toque de caixa, mas é o processo de reforma íntima.

"Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração."

Anton

Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: filhodobino em 10 de Maio de 2012, 21:31
Falaste com propriedade agradável ao meu entendimento, sobre vários itens da percepção humana, e muito me agradaria que naquele mesmo diapasão, tu manifestasses sobre o eu sinto/ele sente.
o verbo sentir, percebido de dentro para fora, pelo sujeito, sem tentar imaginar o que ele sente, o outro sente... mas fazê-lo pelo que o sujeito mesmo sente.

Amigo,

O que é a sensação? Não é algo tangivel e que pertença ao universo real, e vamos tentar compreender porque:

no passo para a libertação do ciclo reencarnatório neste planeta de provas e expiações.

Espero ter clarificado a questão que voce levantou. Caso contrário, pergunte.
Anton

Amado, Anton,
Sou-lhe grato, pela gentileza da resposta, sinto que percebi/senti o que dissestes.
Desde tempos atrás, eu costumava dizer a mesma coisa dizendo, da diferença que eu percebia entre reino dos céus (onde se possa visualizar horizontes) e reino de Deus, onde não mais restam horizontes diante de nós.
Não é importante que o amigo concorde, ou discorde, nem precisa se manifestar, caso não queira, só desejo lhe dizer muito obrigado.

Zarthur amigão,
Duvido que o amigo e amado irmão, aceite responder a um questionário com o pescoço apoiado na guilhotina, e que no único entendimento do Rei, o manterá vivo ou comandará o ato do carrasco na conformidade de entendimento unicamente dele (o rei), decidir o certo e o errado.
O Cristo de Deus, já sabia do resultado de sua vida antes mesmo da metáfora do anuncio, José e Maria e entre Isabel e Maria, tudo para nos informar que era previsto.
Causa-me espécie, em o amigo, que pensa quem  sou me chama amigão e sugeres que me debruce o meu pescoço na guilhotina e responda tuas questões e lhe permita comandar o carrasco como somente ao amigo convir.
Lembre-se do conselho do Mestre: Não façais a outrem o que não desejas também a que tí, o façam. vide post #15.

Saúde e Paz a todos!
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: zarthur em 11 de Maio de 2012, 10:21
Amigos;
digamos que as energias sob cuja influência permanecemos, tanto daqui quanto "de lá", também não passam de respostas aos nossos questionamentos ante a vida.
Nosso modo peculiar de ser (idiossincrasia) pode explicar a razão pela qual nos sentimos, quase sempre, em discordâncias com o ambiente; mas também, explica as simpatias que desenvolvemos e que nos sustentam emocionalmente.
A questão é, pesando na balança da auto crítica, o que é mais importante?

Seja o seu falar, sim, sim; não, não! (Jesus)
- e enfrentar as consequências por esta autenticidade;
ou
Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para as vossas almas! (Jesus)
- e o mundo, mesmo sem compreender seus motivos, te sorrirá. 
 
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Marlenedd em 11 de Maio de 2012, 14:49
Zarthur: "digamos que as energias sob cuja influência permanecemos..."

Nós somos o poder que aglomera a energia, que a mantém coesa em certas e determinadas formas aparentes.

Por isso, só se te imaginares sendo as formas aparentes é que ficas sob a influência da energia... e da grande ilusão!
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: filhodobino em 11 de Maio de 2012, 15:45
Amados,
Belo na teoria...
Inconsistente na prática...
Pior... Gerador de ilusões, pois o encarnado sozinho, não fará isso... Nem o Cristo fez a si mesmo.
A mensagem da qual podemos sonhar seria, não exatamente para nós, mas para proporcionar a outrem, posto que afeito à nossa vontade, seria a derrogação de parte da lei...
Notem que estamos falando sob um título idiosincrasia - O que todo Espírita deve saber...
Devemos ensinar isso a todos os Espíritas, como fato real, ou esquecer a mensagem do Exemplo  de Vianney, o Cura d'Ars, como o que todo Espírita deve saber?
Nem precisa responder...
Porque na realidade, não me dirijo especificamente às pessoas que debatem, e sim, como no uso das assertivas, aos Espíritas, o que penso como devem ser entendidas as idéias; Idéias são para serem pensadas, refletidas, não são para serem ensinadas, se servissem para ser ensinadas, não seriam ensinadas, seriam praticadas sob os mais diversos interesses, e no nosso nível evolutivo, que interesses nos ensejaríamos em pô-las em prática?

Saúde e Paz!
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: zarthur em 11 de Maio de 2012, 16:36
Marlene;
querida amiga; falas como se tudo a tua volta, até o automóvel que te leva ao trabalho, fosse mera ilusão.
Em que te baseias para uma proposição assim, tão incomum?

filhodobino;;
você está tratando do assunto à moda mineira, raspando pelas beiradas.
Às vezes, no diálogo com você sinto como se estivesse frente a Esfinge de Gize, e ela sussurrando, "decifra-me ou te devoro" ???
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: filhodobino em 11 de Maio de 2012, 17:17
Amados,
Belo na teoria...
Inconsistente na prática...
Pior... Gerador de ilusões, pois o encarnado sozinho, não fará isso... Nem o Cristo fez a si mesmo.
A mensagem da qual podemos sonhar seria, não exatamente para nós, mas para proporcionar a outrem, posto que afeito à nossa vontade, seria a derrogação de parte da lei...
Notem que estamos falando sob um título idiosincrasia - O que todo Espírita deve saber...
Devemos ensinar isso a todos os Espíritas, como fato real, ou esquecer a mensagem do Exemplo  de Vianney, o Cura d'Ars, como o que todo Espírita deve saber?
Nem precisa responder...
Porque na realidade, não me dirijo especificamente às pessoas que debatem, e sim, como no uso das assertivas, aos Espíritas, o que penso como devem ser entendidas as idéias; Idéias são para serem pensadas, refletidas, não são para serem ensinadas, se servissem para ser ensinadas, não seriam ensinadas, seriam praticadas sob os mais diversos interesses, e no nosso nível evolutivo, que interesses nos ensejaríamos em pô-las em prática?

Saúde e Paz!

Amados,
O tópico traz o título: Idiosincrasias - O que todo Espírita deve saber...

Do evangelho do Cristo de Deus, Kardec inseriu as assertivas e colheu opiniões dos Espíritos acerca daqueles assuntos... outros Espíritos Espíritas, se manifestaram também acerca dos mesmos assuntos livremente...

O filhodobino não pensa que haja idiosincrasias - Nem pensa que todo Espírita  DEVE saber, posto que não ensina, prefere pensar e expor seus pensamentos, à analise, sem debates, pois nos debates, sempre há intenções de ensinar...
Nos estudos das assertivas não há intenções de ensinar, há intenção de expor material à análise de quem o queira, e as sínteses, ficam por conta de quem queira assimilar ou rejeitar.

filhodobino compreende perfeitamente, que, a cultura que nos induziu o inconsciente coletivo, tem dificuldade de não ensinar, expondo idéias, e é exatamente por isso, que filhodobino não se cansa de mostrar que nada temos para ensinar, senão sugerir pensamentos e liberar a compreensão na conformidade de quem a queira.
 
Minha participação neste tópico, não visa debates, e sim mostrar, como o Cristo mostrou, como penso o Espiritismo e como essa doutrina pode ser consoladora, respeitando as liberdades individuais, e este tópico é por mim usado como propaganda, das assertivas, como as batidas e os movimentos de mesas foram usados para chamar a atenção sobre a reflexão na vida como a vida realmente é individuadora, e formadora de conceito por livre adesão, sem dizer o que todo Espírita DEVE saber.
Saúde e Paz!
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: Zé Ninguém em 09 de Novembro de 2012, 02:17
Olá Zarthur,
Gostei muito do texto. Desconhecia totalmente o assunto, obrigada por este aprendizado.
Aliás, Onde está você? Está fazendo muita falta.
Releve, você é muito importante aqui no fórum. :)
abraços
Susana
Título: Re: Idiossincrasia - O que todo Espírita precisa saber
Enviado por: ednabr em 18 de Novembro de 2012, 22:52
Participamos, com o zarthur, de outro fórum e temos contato frequente. Questionado sobre sua ausência, ele diz que embora tenha feito boas amizades entre os participantes, sente que a administração não simpatiza com ele, pois colocou suas msgs sob moderação desde o mes de junho...
Neste caso, concordo com ele.