Forum Espirita

GERAL => Audiovisuais => Áudio => Tópico iniciado por: dust_in_the_wind em 12 de Agosto de 2005, 09:16

Título: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: dust_in_the_wind em 12 de Agosto de 2005, 09:16
Divaldo fala sobre Ramatis dizendo que é um espirito nobre e que veio trazer mensagens de grande valor moral
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 15:14
Ok, mas, e daí? Só por conta disso temos que acreditar que ele realmente o seja? Por que não ler o que Ramatis escreve ou escreveu, analisar e comparar se utilizando do critério de concordância para então tirarmos uma conclusão?
Somos espíritas do Espiritismo ou seguidores de Divaldo, fulano e cicrano?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 16:33
Ok, mas, e daí?...

Opinião por opinião, talvez agrade-nos mais a de Divaldo. Mas essa opinião não é exclusiva dele pois também a encontramos em Francisco Cândido Xavier, nesse rol de apreciadores a Ramatis.

De todo modo, também disponho da minha opinião, apesar de irrelevante quando comparada com as dessas grandes personagens que militam na Doutrina Espírita. Li todos os livros de Ramatis, por mais de duas vezes os psicografados pelo médium Hercílio Maes. Não há nada que vá contra o pentateuco kardequiano, principalmente quando lemos do próprio Ramatis - ele sempre fez questão de salientar para não criar confusões nas mentes mais frágeis - que jamais teve a audácia de qualificar ou entitular suas obras como 'espíritas'. Ao contrário, sempre fez questão em deixar isso muito transparente.

Mas já que solicita tanto, descreva-nos o seu método de concordância. E de que forma aplica esse seu método a outros mentores: Emmanuel, André Luiz, De Angelis...


Abç
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 17:45
De maneira muito simples, caro amigo: submetendo ao cadinho da razão tudo que venha dos Espíritos, sem a idéia preconcebida de que "só porque é espírito, detém a sabedoria universal". Esse é um grande erro.
Outro grande equívoco é fiar-se na suposta opinião deste ou daquele, sem se dar o trabalho, não só de ler, mas de aprofundar conhecimentos, confrontando as opiniões e submetê-las às informações da ciência e da mais severa lógica.
Algum confrade nosso transcreveu algumas das discrepâncias por mim apontadas entre Ramatis e a Codificação, sendo que a mesma foi sutilmente ignorada. Há muitas mais, mas acredito que as referidas contradições já são mais do que suficientes para apontar que a Verdade não está assentada sob a frágil cabeça de um pseudo-sábio.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 18:04
E o engraçado nessa história toda é que, quando apresentamos a opinião de J. Herculano Pires sobre Ramatis, a mesma é ignorada peremptoriamente, como se não estivéssemos diante de alguém hiper capacitado para emitir uma opinião desse jaez, devido às suas credenciais morais e intelectuais na condição do "metro que melhor mediu Kardec".
Senão vejamos o que disse o eminente Herculano:

"Kardec dizia, com muita razão, que os adeptos demasiado entusiastas são mais perigosos para a doutrina do que os próprios adversários. Porque estes, com­batendo o que não conhecem, evidenciam a própria fraqueza e contribuem para o esclarecimento do povo, enquanto os adeptos de entusiasmo fácil comprometem a causa. O que estamos vendo hoje, no meio espírita brasileiro, não é mais do que a confirmação dessa assertiva do codificador. Espíritas demasiado entusiastas estão sempre prontos a receber qualquer “nova revelação” que lhes seja oferecida, e a divulgá-la sofregadamente, como verdades incontestáveis. Que diferença entre o equilíbrio e a ponderação de Kardec e essa afoiteza inútil e prejudicial!
Quanto às mensagens de Ramatis, também já tive­mos ocasião de declarar que se trata de mensagens mediúnicas a serem examinadas. De nossa parte, consideramo-las como mensagens confusas, dogmáticas, vaza­das na linguagem típica dos espíritos pseudo-sábios, a que Kardec se refere na escala espírita de O Livro dos Espíritos. Cheias de afirmações absurdas, e até mesmo contraditórias, essas mensagens revelam uma fonte que devia ser encarada com menos entusiasmo e com mais cautela pelos espíritas. Em geral, nossos confrades se entusiasmam com “as novas revelações” aparentemente contidas nas mesmas, esquecendo-se de passá-las, como aconselhava Kardec, pelo crivo da razão.

O que temos de aconselhar a todos, pelo menos a todos os que nos consultam a respeito, é mais leitura e mais estudo de Kardec, e menos atenção a espíritos que tudo sabem e a tudo respondem com tanta facilidade, usando sempre uma linguagem envolvente, em que nem todos sabem dividir a verdade do erro. “O Espiritismo”, dizia Cairbar Schutel, “é uma questão de bom-senso”. Procuremos andar de maneira sensata, na aceitação de mensagens mediúnicas.

Extraído do livro: O Mistério do Bem e do Mal
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Carlos Ribeiro em 02 de Setembro de 2008, 18:31
Bem, depois destas palavras de Herculano Pires, pouco mais há a acrescentar. Confirma-se a ideia que eu tinha de Ramatis, como sendo um espírito mistificador e pseudo-sábio.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: diel96 em 02 de Setembro de 2008, 19:16
Certo, falaram muito, mais, cadê as justificativas? Ou seja, algum exemplo do porquê Ramatis é tão criticado nesse meio. O que é que ele prega que não é bom?

Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 19:20
Diel, as justificativas, conforme vc diz, são inúmeras. Por onde quer que comecemos?
Bom, podemos transcrever essa mensagem do próprio para sua análise:

“A fase mais intensa da modificação física situar-se-á entre os anos de 1982 e 1992, e os efeitos catastróficos se farão sentir até o ano de 1999, pois o advento do terceiro milênio será sob os escombros que, em todas as latitudes geográficas, revelarão o maior ou menor efeito dos “fins dos tempos”. Daqui a mais alguns anos, os vossos geofísicos anunciarão, apreensivos, a verdade insofismável: – O eixo da Terra está se verticalizando!!!” (pág. 81).

Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 19:22
De maneira muito simples, caro amigo: submetendo ao cadinho da razão tudo que venha dos Espíritos, sem a idéia preconcebida de que "só porque é espírito, detém a sabedoria universal". Esse é um grande erro. Outro grande equívoco é fiar-se na suposta opinião deste ou daquele, sem se dar o trabalho, não só de ler, mas de aprofundar conhecimentos...
Como havia comentado, li os livros de Ramatis. Portanto, não deixo-me levar pela opinião alheia sem me deter em examinar pelos meus próprios olhos.

Citar
confrontando as opiniões e submetê-las às informações da ciência e da mais severa lógica.
Por obsequio, quais as informações que voce confrontou com 'a ciência e a mais severa lógica' ?

Citar
Algum confrade nosso transcreveu algumas das discrepâncias por mim apontadas entre Ramatis e a Codificação, sendo que a mesma foi sutilmente ignorada.

De jeito algum foram 'sutilmente ignoradas'. Tal como uma comunicação mediúnica, quanto menos intermediários para transmiitir uma mensagem melhor. Gostaria de ler de seu próprio punho as 'discrepâncias'.


Abç
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 19:25
Agora vejamos o que nos ensinam os Espíritos Superiores sobre esse tipo de predição, ainda mais aquelas com data marcada e que não se confirmam:

289. Perguntas sobre o futuro

7ª Podem os Espíritos dar-nos a conhecer o futuro?

"Se o homem conhecesse o futuro, descuidar-se-ia do presente.

"É esse ainda um ponto sobre o qual insistis sempre, no desejo de obter uma resposta precisa. Grande erro há nisso, porquanto a manifestação dos Espíritos não é um meio de adivinhação. Se fizerdes questão absoluta de uma resposta, recebê-la-eis de um Espírito doidivanas, temo-lo dito a todo momento." (Veja-se O Livro dos Espíritos -" Conhecimento do futuro", n. 868.)

8ª Não é certo, entretanto, que, às vezes, alguns acontecimentos futuros são anunciados espontaneamente e com verdade pelos Espíritos?

"Pode dar-se que o Espírito preveja coisas que julgue conveniente revelar, ou que ele tem por missão tornar conhecidas; porém, nesse terreno, ainda são mais de temer os Espíritos enganadores, que se divertem em fazer previsões. Só o conjunto das circunstâncias permite se verifique o grau de confiança que elas merecem."

9ª De que gênero são as previsões de que mais se deve desconfiar?

"Todas as que não tiverem um fim de utilidade geral. As predições pessoais podem quase sempre ser consideradas apócrifas."

10ª Que fim visam os Espíritos que anunciam acontecimentos que se não realizam? "

Fazem-no as mais das vezes para se divertirem com a credulidade, o terror, ou a alegria que provocam; depois, riem-se do desapontamento. Essas predições mentirosas trazem, no entanto, algumas vezes, um fim sério, qual o de pôr à prova aquele a quem são feitas, mediante uma apreciação da maneira por que toma o que lhe é dito e dos sentimentos bons ou maus que isso lhe desperta."
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 19:31
NO livro "Vida no Planeta Marte", de Ramatis, encontramos inúmeras heresias científicas. Encontramos ainda imprecisões científicas e doutrinárias várias em outras obras, que aos poucos listaremos aqui, sem contar a absurda idéia de que o eixo da Terra está se verticalizando, cujas dimensões de tal fato não são corretamente dimensionadas pelo espírito, no afã de espalhar o terror apocalíptico no seio espírita
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 19:33
Bastante material para reflexão dos confrades em texto de minha autoria:

Espíritos Superiores da Codificação x Ramatis

1- Astrologia:

DE - Kardec deixa bem claro a posição do Espiritismo em "A Gênese" e há respostas dos espíritos indicando claramente que essa é uma crença supersticiosa e sem fundamento. O Espiritismo se baseia no livre-arbítrio;

Ramatis - Aceita a astrologia plenamente, e diz ainda que Jesus teve que esperar uma conjunção astrológica em Peixes para vir à Terra.

2- Jesus

DE - O modelo e guia da humanidade. Espírito perfeito. O Cristo, o Ungido;

Ramatis - Um espírito que, embora superior, foi um aprendiz dos essênios, tendo inclusive encarnado outras vezes na Terra. Não é o Cristo, mas um médium do mesmo;

3- Métodos Contraceptivos

DE - Só é prejudicial se utilizado para satisfação da sensualidade, o que seria sinal de egoísmo. Apóia o planejamento familiar;

Ramatis- Condenados todos. Para o casal não ter filhos, tem que praticar a abstinência. Sexo só foi feito para procriação. Todo casal tem que ter, no mínimo, quatro filhos para estar quite com a lei;

4- Fins dos tempos

DE - Não acredita. Fala de uma renovação gradual através do avanço moral da humanidade. Fala em convulsões sociais, embates de idéias como sinais da renovação futura;

Ramatis - Aposta em um cataclisma de proporções globais, com elevação abrupta do eixo da Terra, que ceifará a vida de 2/3 da população. Após essa hecatombe, a Terra se tornará um planeta mais adiantado. Um suposto astro intruso causaria tal destruição;

5 - Vegetarianismo

DE - Deixa-nos à vontade para escolher, embora alerte em relação a crueldade com os animais. Deixa a entender que essa será uma opção predominante no futuro, mas que não representa uma transgressão "uma vez que a carne alimenta a carne, do contrário o homem perece".

Ramatis - O consumo de carne é um grave erro do ponto de vista espiritual, além de causar prejuízos à saúde.

6- Incensos, defumadores, amuletos, talismãs, ação de objetos materiais sobre os espíritos e sobre os fluidos

Doutrina Espírita - Não admite qualquer ação da matéria sobre os espíritos ou sobre os fluidos ambiente;

Ramatis - Os defumadores e incensos são "detonadores de miasmas astralinos", i.é, teriam efeito sobre os fluidos ambiente. A palavra AUM, quando pronunciada, nos ligaria ao Cristo Planetário;

7 - Médiuns Receitistas e médiuns curadores

DE - O médium receitista é psicógrafo;

Ramatis - O médium receitista é curador;

Vamos conhecer mais alguns conceitos e idéias de Ramatis:

1- As plantas carnívoras possuem o eterismo (?) impregado de desejos e de paixão, porque elas participam do sexto mundo astral, que é a dos desejos e que precede o mundo etérico. (in "Mensagens do Astral", p.269)

2- A órbita do planeta que teria destruído a Terra até 1999 é de 6.666 anos. (Ele previu a data da destruição, mas nada aconteceu) (idem)

3- Marcianos teriam atirado contra um caça americano F-15 e o reencarnado em Marte para compensar. ("O Planeta Marte e os Discos Voadores")

4- Os essênios já conheciam o Espiritismo.

5- Aqueles que não alcançam uma evolução razoável na Terra no período de 2160 anos são exilados para outro orbe. (Mensagens do astral, p.255)

6- Ramatis prevê uma guerra com emprego de armas atômicas no último terço do séc. XX entre os dois continentes mais poderosos (quais?) ("Mensagens...", p. 230)

7- Até o ano 2000, os pólos estariam livres do gelo. (idem, p.228)

8- Gigantes(pessoas altas?) são provenientes dos satélites jupiterianos, enquanto os anões são antigos emigrados do satélite de Marte. (idem, p.212)

9 - O espírito do homem é um fragmento do espírito de Deus. (idem, p.207)
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 19:39
“A fase mais intensa da modificação física situar-se-á entre os anos de 1982 e 1992, e os efeitos catastróficos se farão sentir até o ano de 1999, pois o advento do terceiro milênio será sob os escombros que, em todas as latitudes geográficas, revelarão o maior ou menor efeito dos “fins dos tempos”. Daqui a mais alguns anos, os vossos geofísicos anunciarão, apreensivos, a verdade insofismável: – O eixo da Terra está se verticalizando!!!” (pág. 81). [/quote]

Seria interessante citar o nome do livro a que se refere.

Uma coisa precisa ser compreendida. O calendário utilizado por Ramatis não é o mesmo que o nosso quando ele fala-nos sobre o 'terceiro milênio'. Ou seja, ele baseia-se no calendário astrológico. Vivemos a Era de Peixes e estamos prestes a entrar na Era de Aquário, e as mudanças ocorrem aproximadamente a cada 2.160 anos. Então, o 'terceiro milênio' está ainda por acontecer.
Quanto às mudanças climáticas, os escritos de Ramatis são da década de 1950, quando ninguém pudesse imaginar nada sobre o aquecimento global e todas as transformações geológicas que estão ocorrendo. Ou há algum equivoco nessa 'previsão' feita por ele há mais de 50 anos ?

O próprio Kardec se referiu quanto as mudanças climáticas em tempos remotos (vide Gênese), pois faz parte da Pedagogia Sideral que elas ocorram de maneira a promover as raças-raiz a novos patamares evolutivos.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 19:45
O livro do parágrafo citado é "Mensagens do Astral".
Quanto à desculpa de que o calendário dele é outro, não faz o menor sentido, já que não utilizamos esse calendário, e o ano mencionado é do NOSSO calendário. Sem contar que Ramatis dá muito bem a entender que tais eventos aconteceriam somente alguns anos depois, sendo que a psicografia se deu por volta de 1957.
Portanto, essa sua justificativa, caro irmão, cai por terra inteiramente, tendo por base as próprias palavras de Ramatis em vários de seus livros que tratam repetidamente do tema "fins dos tempos".
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 19:48
10ª Que fim visam os Espíritos que anunciam acontecimentos que se não realizam? "

Fazem-no as mais das vezes para se divertirem com a credulidade, o terror, ou a alegria que provocam; depois, riem-se do desapontamento. Essas predições mentirosas trazem, no entanto, algumas vezes, um fim sério, qual o de pôr à prova aquele a quem são feitas, mediante uma apreciação da maneira por que toma o que lhe é dito e dos sentimentos bons ou maus que isso lhe desperta."

Talvez fosse interessante que voce tomasse muito cuidado em relação a certas afirmações. Procure não misturar tudo no mesmo liquidificador, deixando de coar as escórias. Não se esqueça que o próprio Amado Mestre Jesus, fez várias previsões e muitas delas apocalipticas sobre os tempos que vivenciamos. Estaria Ele também mistificando ?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 19:49
E tem mais: Ramatis nem por um momento fala em aquecimento global. Ele diz que tais modificações se dariam por conta da aproximãção de um planeta com três vezes o volume da Terra, que ocasionaria o deslocamento da Terra do seu eixo gravitacional. Aliás, se isso realmente acontecesse, a vida na Terra seria extinta, sendo que não sobraria ninguém pra contar a história, e não morreria só o 2/3, que afirma Ramatis.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 19:53
Jesus não deixou nada escrito, e ele poderia muito estar se atendo ao que aconteceria com Jerusalém, o que de fato ocorreu.
"Apocalipse" foi escrito por João, e sendo um livro repleto de simbolismos, se adequa a quaisquer interpretações que se queira emprestar.
Estamos falando de Ramatis. E ele errou flagorosamente, como é de se esperar dos espíritos enganadores, sempre prontos a responder tudo para passar a idéia de extenso conhecimento e sabedoria.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 19:54
O livro do parágrafo citado é "Mensagens do Astral".
Quanto à desculpa de que o calendário dele é outro, não faz o menor sentido, já que não utilizamos esse calendário, e o ano mencionado é do NOSSO calendário. Sem contar que Ramatis dá muito bem a entender que tais eventos aconteceriam somente alguns anos depois, sendo que a psicografia se deu por volta de 1957.
Portanto, essa sua justificativa, caro irmão, cai por terra inteiramente, tendo por base as próprias palavras de Ramatis em vários de seus livros que tratam repetidamente do tema "fins dos tempos".

É muito engraçado a sua maneira de conduzir o debate. Até o calendário tem de ser o seu (o nosso, que seja !). Por outra, tem péssimo hábito de colocar palavras na boca de Ramatis. Isso seria muito feio, se não fosse apelativo !! Aonde tá escrito que os 'eventos aconteceriam somente alguns tempos depois' ?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:01
Não há nada de apelativo. Estou baseando minha fala em argumentos de fatos, e não em elucubrações fantasistas.
Vc me pergunta onde está o trecho em que ele diz que seria dali alguns anos. Se vc não passasse só os olhos no texto e procurasse verdadeiramente analisá-los, teria percebido:

A fase mais intensa da modificação física situar-se-á entre os anos de 1982 e 1992, e os efeitos catastróficos se farão sentir até o ano de 1999, pois o advento do terceiro milênio será sob os escombros que, em todas as latitudes geográficas, revelarão o maior ou menor efeito dos “fins dos tempos”. Daqui a mais alguns anos, os vossos geofísicos anunciarão, apreensivos, a verdade insofismável: – O eixo da Terra está se verticalizando!!!” (pág. 81)

Como ficamos agora com o tal "calendário astrológico"? Quais as fontes dessa explicação? Tá valendo achismo?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 20:03
Jesus não deixou nada escrito, e ele poderia muito estar se atendo ao que aconteceria com Jerusalém, o que de fato ocorreu.
"Apocalipse" foi escrito por João, e sendo um livro repleto de simbolismos, se adequa a quaisquer interpretações que se queira emprestar.
Estamos falando de Ramatis. E ele errou flagorosamente, como é de se esperar dos espíritos enganadores, sempre prontos a responder tudo para passar a idéia de extenso conhecimento e sabedoria.

Bem, não surpreende essa sua maneira 'quixotesca' em defender os seus 'moinhos de vento' - as suas verdades. Para voce, até Jesus está sob suspeita; o Apocalipse de João foi rebaixado a insignificantes 'simbolismos' de uma época pretérita, de uma Jerusalém desatenta. O que mais voce poderia acrescentar além desse seu conteúdo 'científico' e repleto da 'mais severa lógica' ?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:08
E de lambujem, Ramatis ainda diz:

Até o final deste século, libertar-se-ão da matéria dois terços da humanidade, através de comoções sísmicas, inundações, maremotos, furacões, terremotos, catástrofes, hecatombes, guerras e epidemias estranhas.” (pág. 190).
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 20:10
No livro denominado 'Obras Póstumas', o Espírito de Verdade comunicou a Kardec que ele teria de retornar para concluir o trabalho 'alguns anos depois'.

Pergunto-lhe: Kardec retornou ?

Tem como mensurar esses 'anos depois' ?

------
Citar
Ramatis afirma-nos que 'Daqui a mais alguns anos, os vossos geofísicos anunciarão, apreensivos, a verdade insofismável: – O eixo da Terra está se verticalizando'

Por estas palavras consegue mensurar quando isso ocorrerá ?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:12
Leia meu post logo acima do seu. Está lá, bem claro: "até o final do século".
Quem tem olhos de ver, que veja...
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:14
Qualquer pessoa dotada de um mínimo de bom-senso refutaria tais afirmativas de Ramatis, pois sabemos que a Lua, por exemplo, que é 49 vezes menor do que a Terra, quando se aproxima um pouco, provoca o fenômeno das marés. Imaginemos então o que produziria a aproximação de um astro 3.200 vezes maior do que a Terra! Haveria uma perturbação geral no Sistema Solar. Esses argumentos serviriam para rebater as afirmativas perturbadoras de Ramatis à época em que o livro foi publicado, porque hoje os argumentos contrários são outros, de vez que nada disso aconteceu! Todas as suas profecias foram desmentidas com o passar do tempo!
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 20:16
E de lambujem, Ramatis ainda diz:

Até o final deste século, libertar-se-ão da matéria dois terços da humanidade, através de comoções sísmicas, inundações, maremotos, furacões, terremotos, catástrofes, hecatombes, guerras e epidemias estranhas.” (pág. 190).

Pois é.
Até o mais distraído dos mortais leria em 'Genêse', de Kardec, sobre emigrações e imigrações planetárias. Ou estaria o bom-senso encarnado também em pleno delírio ? Não vou citar nada de Emmanuel por que também seria enorme perda de tempo, pois voce também tem em conta que ele não passa de outro 'pseudo-sábio' a disvirtuar a Codificação.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:22
Parece que é o amigo quem não leu o livro A Gênese, de Allan Kardec. Claro que há o fenômeno da transmigração, mas isso nada tem a ver com que diz Ramatis. Pelo contrário, senão vejamos:

"É, pois, da luta das idéias que surgirão os graves acontecimentos preditos e não de cataclismos ou catástrofes puramente materiais. Os cataclismos gerais foram conseqüência do estado de formação da Terra. Hoje, não são mais as entranhas do planeta que se agitam: são as da Humanidade.

8. - Se a Terra já não tem que temer os cataclismos gerais, nem por isso deixa de estar sujeita a periódicas revoluções, cujas causas, do ponto de vista científico, se encontram explicadas nas instruções seguintes, promanantes de dois Espíritos eminentes: (...)"
(continua)
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:24
Mais:

A Terra, no dizer dos Espíritos, não terá de transformar-se por meio de um cataclismo que aniquile de súbito uma geração. A atual desaparecerá gradualmente e a nova lhe sucederá do mesmo modo, sem que haja mudança alguma na ordem natural das coisas.
Tudo, pois, se processará exteriormente, como sói acontecer, com a única, mas capital diferença de que uma parte dos Espíritos que encarnavam na Terra aí não mais tornarão a encarnar. Em cada criança que nascer, em vez de um Espírito atrasado e inclinado ao mal, que antes nela encarnaria, virá um Espírito mais adiantado e propenso ao bem.

 
 
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:28
Já que o confrade espiritualista citou Jesus, vejamos o que diz a Genese sobre o cunho de suas previsões:

Não é racional se suponha que Deus destrua o mundo precisamente quando ele entre no caminho do progresso moral, pela prática dos ensinos evangélicos. Nada, aliás, nas palavras do Cristo, indica uma destruição universal que, em tais condições, não se justificaria.
Devendo a prática geral do Evangelho determinar grande melhora no estado moral dos homens, ela, por isso mesmo, trará o reinado do bem e acarretará a queda do mal. É, pois, o fim do mundo velho, do mundo governado pelos preconceitos, pelo orgulho, pelo egoísmo, pelo fanatismo, pela incredulidade, pela cupidez, por todas as paixões pecaminosas, que o Cristo aludia, ao dizer: «Quando o Evangelho for pregado por toda a Terra, então é que virá o fim.» Esse fim, porém, para chegar, ocasionaria uma luta e é dessa luta que advirão os males por ele previstos
.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 20:30
Qualquer pessoa dotada de um mínimo de bom-senso refutaria tais afirmativas de Ramatis, pois sabemos que a Lua, por exemplo, que é 49 vezes menor do que a Terra, quando se aproxima um pouco, provoca o fenômeno das marés. Imaginemos então o que produziria a aproximação de um astro 3.200 vezes maior do que a Terra! Haveria uma perturbação geral no Sistema Solar. Esses argumentos serviriam para rebater as afirmativas perturbadoras de Ramatis à época em que o livro foi publicado, porque hoje os argumentos contrários são outros, de vez que nada disso aconteceu! Todas as suas profecias foram desmentidas com o passar do tempo!
Voce toma a letra do espírito ao invés do espírito da letra. Esse gigantismo astrológico não é em dimensões físicas, próprias das condições magnéticas - a dimensão aurica do astro.

Quanto aos acontecimentos, seria mais prudente aguardarmos. De longe estamos sendo alertados sobre os 'fins dos tempos' ruins. Nada de pensar que Deus destruirá o planeta por causa da insanidade de seus habitantes. Haverá sim mudança de nível espiritual, passando o mesmo de mundo de 'provas e expiações' para mundo de 'regeneração' - um nível acima. Passaremos do ensino primário para o ginásio.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:36
Ué, uma hora a coisa é fisica, e depois muda pra "magnética", "áurica", etc.??? Como que então esse tal magnetismo fará com que ocorram as tais mudanças no campo físico? Afinal, Ramatis prevê o que? Por que não nos atermos àquilo que está claro em suas palavras, ao invés de tentarmos fazer um malabarismo de idéias com a única intenção de defendê-lo só p´ra não darmos o braço a torcer?
Não há escapatória, amigo: Ramatis é um espírito pseudo-sábio, e seus também pseudo-ensinos, quando contêm algo de bom, são mero disfarce para passar por algo crível.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:41
Voltando à questão...Haverá "planeta intruso, chupão" ou o que o valha?

Em diálogo com Allan Kardec ocorrido em 12 de maio de 1856 ("Obras Póstumas" - Segunda Parte), o Espírito de Verdade observa:

"Sem dúvida, não tendes que temer nem um dilúvio, nem o abrasamento do vosso planeta, nem outros fatos desse gênero, porquanto não se pode denominar cataclismos a perturbações locais que se têm produzido em todas as épocas. Apenas haverá um cataclismo de natureza moral, de que os homens serão os instrumentos.”
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 20:42
Já que o confrade espiritualista citou Jesus, vejamos o que diz a Genese sobre o cunho de suas previsões:

Não é racional se suponha que Deus destrua o mundo precisamente quando ele entre no caminho do progresso moral, pela prática dos ensinos evangélicos. Nada, aliás, nas palavras do Cristo, indica uma destruição universal que, em tais condições, não se justificaria.
Devendo a prática geral do Evangelho determinar grande melhora no estado moral dos homens, ela, por isso mesmo, trará o reinado do bem e acarretará a queda do mal. É, pois, o fim do mundo velho, do mundo governado pelos preconceitos, pelo orgulho, pelo egoísmo, pelo fanatismo, pela incredulidade, pela cupidez, por todas as paixões pecaminosas, que o Cristo aludia, ao dizer: «Quando o Evangelho for pregado por toda a Terra, então é que virá o fim.» Esse fim, porém, para chegar, ocasionaria uma luta e é dessa luta que advirão os males por ele previstos
.

Quem disse que haverá destruição planetária ? Não seja tão pessimista, mesmo por que Deus não se daria ao trabalho de estragar a obra criada por Ele. Seria muita insensatez admitir a possibilidade de Deus dar fim a um planeta, principalmente quando sabemos que faz parte de um processo pedagógico realizado há muito tempo e em vários outros astros que alcançaram outros níveis de Espiritualidade.

Na verdade, ocorrerão desencarnes em massa (já ocorrem há muito), e com o passar do tempo os processos serão acelerados, contribuindo para tanto as transformações geológicas.  
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 20:50
Ué, uma hora a coisa é fisica, e depois muda pra "magnética", "áurica", etc.???

Concorda que a confusão está em suas interpretações ?

Citar
Como que então esse tal magnetismo fará com que ocorram as tais mudanças no campo físico? Afinal, Ramatis prevê o que? Por que não nos atermos àquilo que está claro em suas palavras, ao invés de tentarmos fazer um malabarismo de idéias com a única intenção de defendê-lo só p´ra não darmos o braço a torcer?
Não há escapatória, amigo: Ramatis é um espírito pseudo-sábio, e seus também pseudo-ensinos, quando contêm algo de bom, são mero disfarce para passar por algo crível.

Não se desespere por faltar-lhe uma argumentação mais convicente que não seja o de atirar para todos os lados e sem direção. Um dia, quem sabe, também poderá escrever vários livros sem a nítida intenção de se promover, ou até de trazer algo de engrandecimento à Doutrina Espirita que não seja o de atacar todos os mentores da Espiritualidade. Não quer aproveitar para desabafar o seu pensamento sobre Emmanuel, André Luiz e Joanna de Angelis ?

Não se contranja. Sou todo olhos para seus escritos.

Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:51
Vou voltar ao que disse lá atrás que, pelo visto, vc só passou os "óios"... Se se verificasse aquilo que Ramatis previu, a aproximação de um astro gigantesco com elevação abrupta do eixo terrestre, NÃO SOBRARIA NINGUÉM NA FACE DA TERRA. Um evento de tais proporções corresponderia à explosão de 10 vezes o arsenal atômico do planeta, aproximadamente, sem contar que os oceanos invadiriam tudo, haveria terremotos avassaladores, com direito a sucessiva ocorrência de tsunâmis. Enfim, Ramatis literalmente descreve um cenário que impossibilitaria a vida no planeta e acarretaria a dizimação completa da humanidade.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 20:56
Como é bem próprio dos ramatisistas, o amigo procura pender pro lado pessoal por não resistir à uma argumentação lúcida e objetiva, sem fantasias.
Meu querido, não há promoção de livro algum. Ganho meu sustento com meu trabalho. Não siga por esse tipo de argumentação porque fica feio demais.
Continue com suas idéias, meu caro, que por si sós carecem de base. Um dia o amigo vai acordar e verificar que perdeu tempo ao acreditar em tanto exotismo disfarçado de ensinamento.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 20:57
Vou voltar ao que disse lá atrás que, pelo visto, vc só passou os "óios"... Se se verificasse aquilo que Ramatis previu, a aproximação de um astro gigantesco com elevação abrupta do eixo terrestre, NÃO SOBRARIA NINGUÉM NA FACE DA TERRA. Um evento de tais proporções corresponderia à explosão de 10 vezes o arsenal atômico do planeta, aproximadamente, sem contar que os oceanos invadiriam tudo, haveria terremotos avassaladores, com direito a sucessiva ocorrência de tsunâmis. Enfim, Ramatis literalmente descreve um cenário que impossibilitaria a vida no planeta e acarretaria a dizimação completa da humanidade.

Mas isso já ocorreu no passado. E se queres a prova, convido-lhe a ler 'Gênese', de Kardec com mais atenção. Mas faça o ensaio de sair dessa teia magnética de abraçar uma verdade já com o pensamento preconcebido de tratar-se de uma mentira. Todo cientista de valor mostra o seu carater libertando-se dessas algemas. Não pense que os mentores citados por mim estão aí para desmentir Kardec. É um grave equivoco de sua parte. Muitos livros que hoje estão aí, de reconhecido valor mediúnico, vieram complementar os ensinamentos de Kardec.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Carlos Ribeiro em 02 de Setembro de 2008, 21:01
Desculpem lá meter-me na conversa. Quanto a mim, qualquer pessoa com um minimo de bom senso percebe as fantochadas que são ditas por Ramatis. No entanto tenho certeza que nesta disputa de ideias ninguém vai ganhar, porque o orgulho próprio muitas vezes não nos deixa confessar o quanto estamos errados. Não é assim, amigo Diegas?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 21:01
hehe O amigo de debate só pede pra ler isso e aquilo, mas não transcreve nada, não prova nada... Um pândega! rsrs
Vou dar a vez a alguma outra pessoa interessada em participar, porque postei milhões de argumentos e não obtive nem meia dúzia de respostas que pudessem tentar derrubá-los.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 21:03
Pois é, amigo Carlos. É fogo, viu? Vc chegou em boa hora. Cansei por hoje. Amanhã tô de volta e verei como está tudo por aqui. Abraços!  ;)
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 21:07
Como é bem próprio dos ramatisistas, o amigo procura pender pro lado pessoal por não resistir à uma argumentação lúcida e objetiva, sem fantasias.
Meu querido, não há promoção de livro algum. Ganho meu sustento com meu trabalho. Não siga por esse tipo de argumentação porque fica feio demais.
Continue com suas idéias, meu caro, que por si sós carecem de base. Um dia o amigo vai acordar e verificar que perdeu tempo ao acreditar em tanto exotismo disfarçado de ensinamento.

Perdoe-me, não foi minha intenção ofendê-lo. Mas, colocou-se no lugar dos 'pseudos-sábios' a quem tanto ataca para avaliar os sentimentos deles ?

Quanto a denominar-me 'ramatisista' não me move qualquer vaidade. Sentir-me-ia até orgulhoso pelo rótulo, desprovido de qualquer tipo de merecimento. Mas saiba que também sou kardecista, emmanuelita, joannaangelita, andreluisita...Perde-se em 'exotismos' aqueles que não sabem utilizar o bom senso.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Carlos Ribeiro em 02 de Setembro de 2008, 21:09
Citar
Perde-se em 'exotismos' aqueles que não sabem utilizar o bom senso.
É isso que lhe está a faltar a si: BOM SENSO!
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 21:12
Desculpem lá meter-me na conversa. Quanto a mim, qualquer pessoa com um minimo de bom senso percebe as fantochadas que são ditas por Ramatis. No entanto tenho certeza que nesta disputa de ideias ninguém vai ganhar, porque o orgulho próprio muitas vezes não nos deixa confessar o quanto estamos errados. Não é assim, amigo Diegas?

O orgulho procuro controlá-lo da melhor maneira que posso. Mas por que haveria de confessar o que não há para confessar ? Quanto às afirmações sobre as fantochas de Ramatis o que diz sobre elas ? Ou tá valendo nessa 'disputa' qualquer tipo de afirmação ?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 21:16
Citar
Perde-se em 'exotismos' aqueles que não sabem utilizar o bom senso.
É isso que lhe está a faltar a si: BOM SENSO!

Pode ser que tenha razão, caso mostrar-me aonde falta o bom senso. Serei grato pelo esclarecimento. O bom senso seria, por acaso, calar-me diante da falta de argumentação científica ou mais lógica 'ensinada' pelo Azevedo ?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Carlos Ribeiro em 02 de Setembro de 2008, 21:17
Meu amigo, só não vê quem não quer. E mais não digo. Passe bem!
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 21:32
Em diálogo com Allan Kardec ocorrido em 12 de maio de 1856 ("Obras Póstumas" - Segunda Parte), o Espírito de Verdade observa:

"Sem dúvida, não tendes que temer nem um dilúvio, nem o abrasamento do vosso planeta, nem outros fatos desse gênero, porquanto não se pode denominar cataclismos a perturbações locais que se têm produzido em todas as épocas. Apenas haverá um cataclismo de natureza moral, de que os homens serão os instrumentos.”

Gostaria de complementar escrevendo que as palavras acima foram ditadas próximos da virada do século XIX. E todo final de século volta à tona as discussões sobre as catastróficas profecias dos 'finais de tempos'. Isso ocorreu ao longo de toda a Idade Média. E os mentores, mais uma vez, alertaram que não seria na virada daquele século, bem como não foi na deste nosso século. Que os acontecimentos seriam mais de ordem moral. Ou seja, os acontecimentos de 'fins dos tempos' (ruins), com as transformações geológicas vem ocorrendo gradativamente, como a imitar um torniquete, e consumar-se-á adiante, com o passar dos anos, e baseia-se num calendário diferente daquele o qual nos acostumamos.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 02 de Setembro de 2008, 21:37
É, pelo visto o amigo debatedor está a discordar com o que disse seu "mentor" Ramatis, já que o que ele (Ramatis) escreveu nada tem a ver com o exposto acima...

Bom, tá na minha hora tbm. Fui.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 02 de Setembro de 2008, 21:54
É, pelo visto o amigo debatedor está a discordar com o que disse seu "mentor" Ramatis, já que o que ele (Ramatis) escreveu nada tem a ver com o exposto acima...

Bom, tá na minha hora tbm. Fui.

Ironias à parte - o que muito me motiva pelo nível presenciado - convidaria seu 'mentor' para que o mesmo pudesse auxiliá-lo na leitura destes livros e nesta ordem:

- As profecias de Jesus contidas no Novo Testamento (se quiser leia o Apocalipse de João)
- A Gênese, de Kardec.
- E dar uma olhadela no noticiário diário sobre o que está ocorrendo com o aquecimento planetário, o degelo das camadas polares, as enchentes, com os tsumani, os tornados, terremotos, os vulcões...enfim...

Ramatis previu os acontecimentos pelo qual atualmente passamos. Aliás, a Espiritualidade, quase unânime, não se cansa de advertir-nos sobre as transformações planetárias. Ou será que presenciamos um 'exotismo fantasioso' ? Obvio que não. Quem tem olhos que veja; se preferir, leia.  




Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: zeni em 02 de Setembro de 2008, 22:45
Olá! a todos do Fórum, paz e paz.

Agradecendo aos amigos Diegas e Artur Azevedo pelo debate, sendo que as discordância e as alto afirmações fiéis a Doutrina, nos faz mais alicerçados em seguir com os estudos da doutrina deixada por Allan kardec, como ele afirmou sempre procurar ver a veracidade de tais afirmações, que nos chegam, não se deixando levar por qualquer informação que não esteja dentro dos critérios lógicos do Espiritismo, acontecimentos catastróficos sempre houveram, e não é agora que vão deixar de existir, vamos pensar que estes espíritos que estão desaparecendo morrendo nessas tragédias possam retornar mais esclarecidos mais espiritualizados vamos ter fé em nosso Deus que só quer o nosso bem, que Deus nos ilumine e que agora seja pela transformação moral da humanidade, e assim passando para um novo Clico onde haverá mais concordância mais amor ao próximo mais alegria de viver em todos os sentidos, seguindo sua ordem natural.

Abraços e estejam com Deus.

Zeni.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 03 de Setembro de 2008, 02:59
'...nos faz mais alicerçados em seguir com os estudos da doutrina deixada por Allan kardec, como ele afirmou sempre procurar ver a veracidade de tais afirmações, que nos chegam, não se deixando levar por qualquer informação que não esteja dentro dos critérios lógicos do Espiritismo...

Olá, zeni.

Concordo em gênero, número e grau.
Devemos seguir os estudos da doutrina espírita deixada por Allan Kardec, pois a mesma baseia-se numa fé que envolve o racional. O que equivale a escrever que também não devemos nos submeter a quaisquer tipos de manipulação psicológica.

Atente para o fato de que o Azevedo traz-nos uma idéia totalmente equivocada de Ramatis. Há uma nítida tentativa em desqualificá-lo de modo truculento, jogando a esmo várias informações, misturando o joio com o trigo, sem o apregoado que é a utilização do critério científico. Pinça alguns textos que considera conveniente expôs-los ao ridículo de suas críticas, mas não se esforça nenhum pouquinho para contextuá-los. Quem conhece o modo de se comunicar de Ramatis sabe que ele permite que as dúvidas surjam, num esquema de perguntas-e-respostas, avançando aos poucos no desenvolvimento do assunto.

Voce observou bem: Dá-se a impressão, que Ramatis faz do sensacionalismo barato a sua marca espiritual registrada, que ele tá mais preocupado com as questões catastróficas do que propriamente com o aperfeiçoamento moral do ser humano. O que é uma inverdade. Adianto que estou com o livro 'Mensagens do Astral' nas mãos e, a qualquer momento, poderemos nos aprofundar nas questões colocadas.


Abç
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 03 de Setembro de 2008, 03:39
Vamos recapitular o critério (denominado método de concordância) adotado pelo arguto Azevedo:

Citar
Somos espíritas do Espiritismo ou seguidores de Divaldo, fulano e cicrano?

Faz uma crítica quanto a opinião de Divaldo, para em seguida apoiar-se na de J. Herculano Pires. Também não levou em consideração a opinião de Francisco Cândido Xavier.

--------------

Cita este texto do livro 'Mensagens do Astral': (no meu livro encontra-se na página 59 - 16.ª edição - 2005)

“A fase mais intensa da modificação física situar-se-á entre os anos de 1982 e 1992, e os efeitos catastróficos se farão sentir até o ano de 1999, pois o advento do terceiro milênio será sob os escombros que, em todas as latitudes geográficas, revelarão o maior ou menor efeito dos “fins dos tempos”. Daqui a mais alguns anos, os vossos geofísicos anunciarão, apreensivos, a verdade insofismável: – O eixo da Terra está se verticalizando!!!” (pág. 81).

Mas faz vistas grossas para todo o conteúdo, que diz:

Citar
Pergunta: - Já se está iniciando, porventura, essa verticalização do eixo do nosso planeta ?

Ramatis: - A partir do próximo ano de 1950, manifestar-se-á junto à aura da Terra a primeira vibração sensível desse astro intruso, mas ainda de natureza profundamente magnética; será uma expansão endógena, isto é, de dentro para fora; uma ação astroetérea, pois na realidade, o fenômeno terá início na esfera interior do vosso globo. A princípio, dar-se-á um verdadeiramento acasalamento de forças íntimas da Terra com as energias agressivas e primárias do planeta visitante, motivo por que os cientistas - que estão na dependência de instrumentos materiais - só poderão assinalar o fenômeno quando ele aflorar à superfície dos cinco sentidos humanos.

E finaliza o pensamento conforme a transcrição.

Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 03 de Setembro de 2008, 04:26
Citar
NO livro "Vida no Planeta Marte", de Ramatis, encontramos inúmeras heresias científicas. Encontramos ainda imprecisões científicas e doutrinárias várias em outras obras, que aos poucos listaremos aqui, sem contar a absurda idéia de que o eixo da Terra está se verticalizando, cujas dimensões de tal fato não são corretamente dimensionadas pelo espírito, no afã de espalhar o terror apocalíptico no seio espírita

Traga-nos as inúmeras heresias para examinar, bem como as imprecisões científicas. Não estacione na opinião-sem-método científico. Quanto ao terror apocaliptico ele existe independente de qualquer afirmativa ramatisiana. Basta cada um olhar no fundo da própria alma para examinar que encontramo-nos na expectativa da ocorrência de um acontecimento coletivo mais trágico. No íntimo há uma sensação de pesâmes, por tanta negligência espiritual.

----------------

Citar
O livro do parágrafo citado é "Mensagens do Astral".
Quanto à desculpa de que o calendário dele é outro, não faz o menor sentido, já que não utilizamos esse calendário, e o ano mencionado é do NOSSO calendário. Sem contar que Ramatis dá muito bem a entender que tais eventos aconteceriam somente alguns anos depois, sendo que a psicografia se deu por volta de 1957.
Portanto, essa sua justificativa, caro irmão, cai por terra inteiramente, tendo por base as próprias palavras de Ramatis em vários de seus livros que tratam repetidamente do tema "fins dos tempos". 

 Referia-me ao calendário astrológico, e isso quando Ramatis menciona 'terceiro milênio'.

A Astrologia até a Idade Média era uma cìência séria, que foi descaracterizada pela Igreja Católica, quando associou numa perseguição sem paralelos os seus estudiosos e praticantes, queimando-os como bruxos ou feiticeiros. Com o tempo passou a ser aquilo tal qual hoje a conhecemos: uma buena-dicha de feira. Surge uma dúvida: João Huss não era astrônomo-astrólogo ?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 03 de Setembro de 2008, 05:01
E tem mais: Ramatis nem por um momento fala em aquecimento global. Ele diz que tais modificações se dariam por conta da aproximãção de um planeta com três vezes o volume da Terra, que ocasionaria o deslocamento da Terra do seu eixo gravitacional. Aliás, se isso realmente acontecesse, a vida na Terra seria extinta, sendo que não sobraria ninguém pra contar a história, e não morreria só o 2/3, que afirma Ramatis.

Que distraído !!

Faz belas citações (só as que interessa para criticar) e deixou de observar esta resposta. Reporto-me a questão anterior àquela transcrita da página 81 do seu livro 'Mensagens do Astral' (no meu livro encontra-se na página 58)

Citar
Pergunta: - Essa verticalização do eixo terráqueo é que constitui a condição principal para a eclosão dos 'tempos chegados' ?

Ramatis: - Embora a elevação do eixo da Terra tenha de se processar gradativamente, de modo tal que, a princípio, não despertará a curiosidade científica ou a apreensão humana, ser-vos-á fácil avaliar as consequências decorrentes do fenômeno. Certamente, os cientistas hão de explicar o acontecimento dentro das leis consagradas pelo academismo oficial e situá-lo no campo das modificações climáticas e previstas no 'tempo geológico'.
A verticalização, quando for percebida, será incondicionalmente atribuída à periodicidade dos movimentos naturais do globo. Dificilmente a vossa ciência haverá de aceitar a 'absurda' notícia da aproximação de um planeta desconhecido nas cartas astronômicas. O atrito magnético, que provocará gradativamente o aquecimento no vosso orbe, será levado à conta de fenômeno comum e inerente às alterações da massa planetária. Mas, apesar de todas as explicações muito 'bonitas', dos vossos cientistas, os acontecimentos se efetivarão de acordo com os planos elaborados pelos construtores siderais e não conforme as opiniões acadêmicas ! Convém, noteis, entretanto, que, apesar de serem muito naturais as conclusões sensatas do 'aquecimento natural' e das 'modiificações geofísicas' do globo terrestre, merece cuidadosa reflexão o fato surpreendente de que esses acontecimentos, embora comuns e naturais, venham a coincidir exatamente com o momento profético dos 'tempos chegados'.

Conforme podemos ler, Ramatis escreveu sobre o aquecimento planetário. E a inclinação do eixo planetário ocorrerá de modo gradativo, lento - ao contrário do que foi insinuado pelo debatedor. E as psicografias são dos anos de 1948 e 1949 - ao contrário do que o debatedor alegou ser de 1958 (talvez necessite fazer um cursinho para aprofundar-se mais no conhecimento de Ramatis)

Poderia ficar analisando ponto por ponto o que foi imprudentemente colocado, e isso com certeza o farei num outro momento.


Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 03 de Setembro de 2008, 05:23
Ué, uma hora a coisa é fisica, e depois muda pra "magnética", "áurica", etc.??? Como que então esse tal magnetismo fará com que ocorram as tais mudanças no campo físico? Afinal, Ramatis prevê o que? Por que não nos atermos àquilo que está claro em suas palavras, ao invés de tentarmos fazer um malabarismo de idéias com a única intenção de defendê-lo só p´ra não darmos o braço a torcer?
Não há escapatória, amigo: Ramatis é um espírito pseudo-sábio, e seus também pseudo-ensinos, quando contêm algo de bom, são mero disfarce para passar por algo crível.

Por falar em escapatória, mais uma vez dá sinais incríveis de que não leu ou que não sabe ler. No livro 'Mensagens do Astral', sempre citado por voce, há farta informação sobre o assunto, praticamente quase todo o conteúdo se reporta a essa influência astro-magnética, tal como o nosso satélite que exerce interferência física na formação das marés, no crescimento das plantas, no acasalamento das espécies...e em muitos outros aspectos. Ou será que ignora a existencia dessa atração astrológica ?  
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Carlos Ribeiro em 03 de Setembro de 2008, 13:47
Amigo Diegas: essa questão da verticalização do eixo da terra que Ramatis fala, seria bom vc falar com um astrónomo e vai ver que ele até se vai rir na sua cara. E se lhe falar num planeta chupão, aí é que vai ser uma risota...
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 14:12
Bom, aqui estou de volta e com bom material para refutar vindo da parte do colega ramatisista, que, como de costume, procura já incluir Allan Kardec-João Huss como alguma espécie de místico-esotérico com o intuito de referendar suas opiniões.
Só pra iniciar no esclarecimento de tantas absurdidades histórico-doutrinárias, João Huss jamais mexeu com astrologia. Aliás, quem acredita em astrologia torna-se automaticamente inapto a ser espírita, porque a mesma colide frontalmente com os mais básicos conceitos doutrinários, como o livre-arbítrio, por exemplo.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 14:28
Tentando resumir, acreditar em Absinto, Planeta Chupão, Astro Intruso... Quem quer acreditar, que acredite, mas não venha dizer que têm base doutrinária e científica. porque não têm.
Mais tarde vou colocar aqui as heresias científicas contidas no livro "Os Discos Voadores e o Planeta Marte" de Ramatis, mas sabendo que não vai adiantar muito, mas mais para informação dos leitores em geral daqui do fórum.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 14:46
Vamos tentar passar de maneira um pouco mais detalhada a questão da elevação do eixo terrestre; Na verdade, isso até poderia acontecer, dependendo de quanto tempo durará nossa Terra.

Num período de 41.000 anos o ângulo do eixo da Terra mudou de 21,80° para 24,36° (sendo que ainda estamos em 23,45° + ou -).

Além disso a Terra muda lentamente o ponto no espaço para onde aponta seu eixo. Esse lento movimento recebe o nome de precessão e sua duração é de 26.000 anos. O efeito deste movimento na Terra é muito lento mas o resultado final é que, dentro de 13.000 anos, o verão no Brasil ocorrerá em junho e o inverno em dezembro. O eixo da Terra estará apontando para a estrela Vega e não mais para a Polaris.

Há milhões de anos atrás a inclinação da Terra chegou à 54º.

Lembrando que a Lua é um ser muito importante para a menutenção do ângulo da Terra.

Conferindo com imagens:

IMAGEM DO EIXO INCLINADO:
http://astro.if.ufrgs.br/planetas/obliqu...

No cenário 1) No cenário 1, se considerarmos 10 º, ainda existirão estações do ano, mas estas serão tão imperceptíveis que, na verdade, a diferença entre Verão e Inverno, seria cerca de 3 ºC no máximo.

Menos de 5º não haveria estações do ano. Exatamente pelo fato de que com esta inclinação a Terra seria quase perpendicular a sua órbita.


Além disso, o grande problema é que teríamos um derretimento nos pólos mais acelerado, mas uniforme. Está mudança não causaria grandes estragos na vida Terrestre.

No cenário 2) As mudanças seríam mais graves. O hemisfério Norte seria MUITO frio, incapacitando a vida neste lado do mundo.

Se a mudança fosse de 50º, um lado iria ficar permanentemente virado para a escuridão. O que provocaria uma era do gelo, em apenas um dos hemisférios. Isso poderia acabar com a vida na Terra, exatamente, pelo fato de que não teríamos espaço (na parte iluminada), para todas as pessoas.

Além disso, não existiriam estações do ano. Um lado seria eternamente verão, e no outro inverno. O Planeta rolaria em sua órbita. Não haveria noite nem dia.

Isso alteraria também as marés. No campo iluminado as marés seriam muito mais "fortes" que no campo escuro:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mar%C3%A9

Seria um estado caótico. De qualquer forma, achar que algo catastrófico vá resolver tudo, se engana.

Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 15:17
Infelizmente, no nosso país temos um sistema educacional muito frágil, onde as informações não chegam a todas as pessoas, e o conhecimento científico fica restrito a uma meia dúzia. Com isso, informações inverídicas disseminadas por sistemas religiosos com forte viés místico acabam predominando e difundindo conceitos fantasiosos e desprovidos de base no mundo real.
Daí, pessoas acreditarem em profecias aparvalhantes e quejandos é um pulo...
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Flor de Liz em 03 de Setembro de 2008, 16:07
Citar
Bem, depois destas palavras de Herculano Pires, pouco mais há a acrescentar. Confirma-se a ideia que eu tinha de Ramatis, como sendo um espírito mistificador e pseudo-sábio.

Faço minhas essas palavras.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 03 de Setembro de 2008, 17:02
Olá, Flor de Liz.


Por causa de Ramatis, ainda dividiremos o movimento espírita ao meio. De um lado teríamos os respeitáveis J.Herculano Pires; do outro Francisco Cândido Xavier, Divaldo...

Transcrevo a de Francisco Cândido Xavier/Emmanuel:
Citar
Chico Xavier fala sobre a transição planetária

A conversa abaixo foi feita no dia 5 de janeiro de 1954

Pergunta: - Que pode o irmão dizer-nos a respeito do astro que se avizinha, segundo a predição de Ramatís?

Chico Xavier: - Esclarece nosso orientador espiritual que o assunto alusivo à aproximação de um Planeta ou de Planetas, da zona - ou melhor da aura da Terra - deve, naturalmente, basear-se em estudos científicos, que possam saciar a curiosidade construtiva das novas gerações renascentes no mundo.

O problema, desse modo, envolve acurados exames, com a colaboração da ciência e da observação de nossos dias. Razão por que pede ele que não nos detenhamos na expressão física dos acontecimentos que se vizinham, para marcar maiores acontecimentos - acontecimentos esses de natureza espetacular - na transformação do plano em que estamos estagiando, no presente século.

Afirma nosso amigo que o progresso da óptica e das ciências matemáticas, serão portadoras, naturalmente, de ilações, conclusões da mais alta importância para os nossos destinos, no futuro próximo.

Pergunta: - Pode Emmanuel dizer-nos algo a respeito da verticalização do eixo da Terra e das transformações que esta sofrerá, segundo Ramatís?

Chico Xavier: - Afirma nosso Orientador espiritual que não podemos esquecer que a Terra, em sua constituição física, propriamente considerada, possui os seus grandes períodos de atividade e de repouso.

Cada período de atividade e cada período de repouso da MATÉRIA PLANETÁRIA, que hoje representa o alicerce de nossa morada temporária, pode ser calculado, cada um, em duzentos e sessenta mil (260.000) anos. Atravessando o período de repouso da matéria terrestre, a vida se reorganiza, enxameando de novo, nos vários departamentos do Planeta, representando, assim, novos caminhos para a evolução das almas.

Assim sendo, os GRANDES INSTRUTORES da Humanidade, nos PLANOS SUPERIORES, consideram que, desses 260.000 anos de atividade, 60 a 64 mil anos são empregados na reorganização dos pródomos da vida organizada.

Logo em seguida, surge o desenvolvimento das grandes raças que, como grandes quadros, enfeixam assuntos e serviços, que dizem respeito à evolução do espírito domiciliado na Terra.

Assim, depois desses 60 a 64 mil anos de reorganização de nossa Casa Planetária, temos sempre grandes transformações, de 28 em 28 mil anos.

Depois do período dos 64 mil anos, tivemos duas raças na Terra, cujos traços se perderam, por causa de seu primitivismo.

Logo em seguida, podemos considerar a grande raça Lemuriana, como portadora de urna inteligência algo mais avançada, detentora de valores mais altos, nos domínios do espírito.

Após a raça Lemuriana - em seguida aos 28.000 anos de trabalho lemuriano propriamente considerado - chegamos ao grande período da raça Atlântida, era outros 28.000 anos de grandes trabalhos, no qual a inteligência do mundo se elevou de maneira considerável.

Achamo-nos, agora, nos últimos períodos da grande raça Ariana.

Podemos considerar essas raças, como grandes ciclos de serviços, em que somos chamados de mil modos diferentes, em cada ano de nossa permanência na crosta do planeta, ou fora dela, ao aperfeiçoamento espiritual, que é o objetivo de nossas lutas, de nossos problemas, de nossas grandes questões, na esfera de relações, uns para com os outros.

Assim considerando, será mais significativo e mais acertado, para nós, venhamos a estudar a transformação atual da Terra sob um ponto de vida moral, para que o serviço espiritual, confiado às nossas mãos e aos nossos esforços, não se perca em considerações, que podem sofrer grandes alterações, grandes desvios; porque o serviço interpretativo da filosofia e da ciência está invariavelmente subordinado ao Pensamento Divino, cuja grandeza não podemos perscrutar.

Cabe-nos, então, sentir, e, mais ainda, reconhecer, que os fenômenos da vida moderna e as modificações que nosso “habitat” terreal vem apresentando nos indicam a vizinhança de atividades renovadoras, de considerável extensão.

Daí esse afluxo de revelações da vida extra-terrestre, incluindo sobre as cogitações dos homens; esses apelos reiterados, do mundo dos espíritos; essa manifestação ostensiva, daqueles que, supostamente mortos na Terra, são vivos na eternidade, companheiros dos homens em outras faixas vibratórias do campo em que a humanidade evolui.

Toda essa eclosão de notícias, de mensagens, de avisos da vida espiritual, devem significar para o homem, domiciliado na Terra do presente século, a urgência do aproveitamento das lições de JESUS. Elas devera ser apreciadas em si mesmas, e examinadas igualmente no exemplo e no ensinamento de todos aqueles que, em variados setores culturais, políticos e filosóficos do globo - lhe traduzem a vontade divina, que na essência é sempre a nossa jornada para o Supremo Bem.

*Os termos da comunicação obtida em Curitiba (a “Conexão de Profecias”, de Ramatís) são de admirável conteúdo para a nossa inteligência, de vez que, realmente, todos os fatos alusivos à evolução da Terra, e referentes a todos os eventos, que se relacionam com a nossa peregrinação para a vida mais alta, estão naturalmente planificados, por aqueles MINISTROS de Nosso Senhor JESUS CRISTO; os quais, de acordo com Ele, estabelecem programas de ação para a COLETIVIDADE PLANETÁRIA, de modo a facilitar-lhe os vôos para a divina ascensão.

Embora, porém, esta mensagem, por isso mesmo, seja digna de nosso melhor apreço, contudo, na experiência de companheiro mais velho, recomenda-nos nosso Orientador Espiritual (Emmanuel) um interesse mais efetivo, para a fixação de valores morais em nossa personalidade terrena, de conformidade com os padrões estabelecidos no Evangelho de nosso Divino Mestre. Porque, para nossa inteligência, os fenômenos renovadores da existência que nos cercam têm qualquer coisa esensacional, de surpreendente, nosso coração de inclinar-se, humilde, diante da Majestade do Senhor, que nos concede tantas oportunidades de trabalho, em nós mesmos, a revelação dos grandes acontecimentos porvindouros; novo soerguimento íntimo, novo modo de ser, a fim de que estejamos realmente habilitados a enfrentar valorosamente as lutas que se avizinham de nós, e preparados para desfrutar a Nova Era que, qual bonança depois da tempestade, facilitará nossos círculos evolutivos.

Será, todavia, muito importante encarecer, que não devemos reclamar, do TERCEIRO MILÊNIO, uma transformação absolutamente radical, nos processos que caracterizam, por enquanto, a nossa vida terrestre.

O prazo de 47 anos é diminuto, para sanar os desequilíbrios morais, de tantos séculos, em que o nosso campo coletivo e individual adquiriu tantos débitos, diante da sabedoria e diante do amor, que incessantemente apelam para nossa alma, no sentido de nos levantarmos, para uma clima mais aprimorado da existência.

Não podemos esquecer, que grandes imensidades territoriais, na América, na África e na Ásia, nos desafiam a capacidade de trabalho. Não podemos olvidar, também, que a Europa, superalfabetizada, se encontra num Karma de débitos clamorosos, à frente da LEI, em doloroso expectação, para o reajuste moral, que Ihe é necessário.

Aqui mesmo, no Brasil, numa nação com capacidade de asilar novecentos (900) milhões de habitantes, em quatrocentos e alguns anos de evolução, mal estamos - os espíritos, encarnados na Terra em que temos a bênção de aprender ou recapitular a lição do Evangelho - mal estamos passando das faixas litorâneas.

Serviços imensos esperam por nossas almas no futuro próximo.

E, se é verdade que devemos aguardar, em nome de Nosso Senhor JESUS CRISTO, condições mais favoráveis para a estabilização da saúde humana, para o acesso mais fácil às fontes da ciência; se nos compete a obrigação de esperar o melhor para o dia de amanhã cabe-nos, igualmente, o dever de não olvidar que, junto desses direitos, responsabilidades constringentes contam conosco, para que o Mundo possa, efetivamente, atender ao programa Divino, através, não somente da superestrutura do pensamento científico - que é hoje um teto brilhante para os serviços de inteligência do mundo - mas também, através de nossos corações, chamados a plasmar uma vida, que seja realmente digna de ser vivida por aqueles que nos sucederão nos tempos duros; entre os quais, naturalmente, milhões de nós os reencarnados de agora, formaremos, de novo, como trabalhadores que voltam para o prosseguimento da tarefa de auto acrisolamento, para a ascensão sublime, que o Senhor nos reserva.

Considerando, assim, a questão sob este prisma, cabe-nos contar com o concurso da ciência, no setor das observações de ordem material; com a evolução dos instrumentos de óptica; com o avanço dos processos de exame, na esfera da QUÍMICA PLANETÁRIA, na qual os mundos podem ser analisados, como ÁTOMOS DA AMPLIDÃO DE UNIVERSOS, que se sucedem uns aos outros, no infinito da Vida.

Será lícito, então, esperar que certas afirmativas, referentes a vida material, se positivem satisfatoriamente, para mais altas concepções da MENTE PLANETÁRIA; de vez que, muito breve, o homem estará ligado à glória da RELIGIÃO CÓSMICA, da Religião do Amor e da Sabedoria, que o CRISTIANISMO RENASCENTE, no Espiritismo de hoje, edificará para a Humanidade, ajustando-a ao concerto de bênçãos, que o grande porvir nos reserva.

Pergunta: - Foi, de fato, há 37.000 anos que submergiu a Atlântida?

Chico Xavier: - Diz nosso Amigo (Emmanuel) que o cálculo é, aproximadamente, certo, considerando-se que as últimas ilhas, que guardavam os remanescentes da civilização atlântida, submergiram, mais ou menos, 9 a 10 mil anos, antes da Grécia de Sócrates.

Pergunta: - Acha nosso irmão que a Mensagem de Ramatís deva ser divulgada com amplitude?

Chico Xavier: - Diz nosso Orientador que a Mensagem é de elevado teor… E todo trabalho organizado com o respeito, com o carinho e com a dignidade, dentro dos quais essa Mensagem se apresenta, merece a nossa mais ampla consideração, de vez que todos nós, em todos os setores, somos estudiosos, que devemos permutar as nossas experiências e as nossas conclusões para a assimilação do progresso, com mais facilidade em favor de nós mesmos.


Revista Boa Vontade, Ano 1, n0 4 - Outubro de 1956.



Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 17:08
É interessante que, levando-se em conta a suposta veracidade da mensagem, que Emmanuel sutilmente não fecha com absolutamente tudo que Ramatis diz, dentro de sua postura diplomática...
Um exemplo a mais é que no livro "O Consolador", Emmanuel diz que Jesus não teve contato com os Essênios, enquanto que Ramatis diz que sim...
Com quem está a verdade?
Fico com a Codificação. ;) Mais confiável.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 17:22
E Ramatis novamente erra suas malfadadas previsões - acompanhem atentamente:

"RAMATÍS: - Quando se fizer a conjunção dos efeitos do astro intruso com os efeitos da loucura humana, no mau emprego da desintegração atômica, a terra será abrasada. Sobre isso, não tenhais dúvida! Desde que, nessa ocasião, haja depósitos subterrâneos de víveres, ou já se tenha cogitado de outras providências a respeito, inegavelmente serão atenuadas a fome e a miséria. ... , apesar dos acontecimentos trágicos previstos e irrevogáveis, poder-se-á eliminar grande parte do sofrimento futuro, pois o astro a que nos referimos - como bem sabemos na técnica sideral - abrasará mesmo a Terra e queimará muita coisa!" (pg. 219)
"Até o final deste século, libertar-se-ão da matéria dois terços da humanidade, através de comoções sísmicas, inundações, maremotos, furacões, terremotos, catástrofes, hecatombes, guerras e epidemias estranhas. O conflito entre o continente asiático e o europeu, já mentalmente delineado entre os homens para a segunda metade do século, com a cogitação do emprego de raios incendiários e da arma atômica, comprovará a profecia de São João, quando vos adverte de que o mundo será destruído pelo fogo e não mais pela água.
Em virtude dos cientistas não poderem prever com absoluto êxito os efeitos de vários tipos de energias destrutivas, que serão experimentadas para serem empregadas na hecatombe final, mesmo no período de Paz e com o mundo exausto, surgirão estranhas epidemias, deformando, diluindo e perturbando os genes formativos de muitas criaturas, do que resultarão sofrimentos para as próprias gestantes!" (pg. 189 e 190).
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Marcelo Bayma em 03 de Setembro de 2008, 17:28
Oi Artur,se pudesse,poderia me enviar o texto em que isso é comentado pelas duas entidades?
Falo isso,por que sou um grande admirador de Ramatis,sempre acreditei nesta característica do espiriísmo,que é a dinâmica e não a estaticidade.
Acredito que,de acordo com nossa evolução espiritual,pessoal e social,nós venhamos a ter mais e mais a "abertura" de entendimento daquilo que ainda nos apareçe sobre um denso véu de dúvidas.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 03 de Setembro de 2008, 17:30
Amigo Diegas: essa questão da verticalização do eixo da terra que Ramatis fala, seria bom vc falar com um astrónomo e vai ver que ele até se vai rir na sua cara. E se lhe falar num planeta chupão, aí é que vai ser uma risota...
Olá, Carlos Ribeiro.

Azevedo forneceu-nos uma explicação sobre a verticalização do eixo planetário, logo abaixo do seu post.

Mas que podemos acrescentar sobre a nossa ciência, quando alguns de seus representantes mais célebres tiveram, no passado, de esconder o riso ?

Só para lembrá-lo:

O famoso Magendie negou a possibilidade da anestesia cirúrgica; todos os membros das academias, na época de Pasteur negavam a ação dos micróbios na patogenia; Bouillaud declarou que a telefonia não passava de ventriloquia; Lavoisier, o químico por excelência e cientista consagrado negou que caíssem pedras do céu, como relatava a Bíblia, o que a ciência depois reconheceu como sendo queda de meteoros - a própria Academia de Ciências de França, em 1875, proibiu que se tratasse de assunto tão ridículo. A idéia de que a água pudesse ser impelida, por meio de tubos, para lugares altos, foi considerada verdadeira loucura pelo famoso P.S.Girad, que não suspeitava da descoberta das atuias bombas hidrelétricas ou mesmo manuais, que elevam a água a grandes alturas. A ciência divirtiu-se muitíssimo quando o doutor Dunlop aventou a idéia de encher de ar as rodas de borracha, o que, para vergonha da sabedoria positiva daquele tempo consagrou o seu autor na indústria de pneus modernos; J.Muller, de indiscutivel cultura científica, negou que se pudesse medir a velocidade da corrente nervosa; os mais abalizados médicos do mundo ficaram indignados quando Herwey assegurou ter descoberto a circulação sangüínea; quando Semmeelweis diagnosticou que a febre purpural era de origem infecciosa, médicos e estudantes, para caçoar dele, lavavam demasiadamente as mãos, antes de lidar com as parturientes.

Quando desaparecerá o costume anticientífico entre os cientistas, que continuam a sorrir, com ares de superioridade, ante a evidência dos fenômenos espíritas, da comunicação com os mortos, e que ironizam os defensores da reencarnação ?
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 17:38
Caro Marcelo, vamos lá:

Ramatis: “Sob a inspiração e pedagogia dos Essênios amigos da família e que reconheciam em Jesus um homem incomum, ele desenvolveu suas forças ocultas sob rigorosa disciplina e aprendizado terapêutico pois, embora curando até pela sua simples presença junto aos enfermos, não podia tangenciar as leis naturais que determinam as direções, intensificações e dispersões fluídicas. (...) Submisso e fiel ao mecanismo natural da vida humana criada por Deus, sabia curar com a simples imposição de mãos, como aprendera com os Essênios, e usava uma terapêutica afim com o seu tipo psico-físico e temperamento espiritual.” (pág. 458)
 

Só para exemplificar o falar do pseudo sábio, verifique-se o que quer ele dizer com a frase: não podia tangenciar as leis naturais que determinam as direções, intensificações e dispersões fluídicas. 

Além do mais, se agia curando até pela sua simples presença junto aos enfermos, por que precisaria ir aprender alguma coisa com os essênios?

Dando cores próprias, Ramatis repetiu afirmativas que já haviam sido feitas sobre uma pretensa preparação de Jesus, entre os Essênios, para o cumprimento de sua missão. Dezoito anos antes, Emmanuel, na obra por mim supra citada, no cap. 12, contesta de forma clara e veemente a freqüência do Mestre, como discípulo, em qualquer grupo religioso:

 

“Muitos séculos depois da sua exemplificação incompreendida, há quem o veja entre os essênios, aprendendo as suas doutrinas, antes do seu messianismo de amor e de redenção. As próprias esferas mais próximas da Terra, que pela força das circunstâncias se acercam mais das controvérsias dos homens que do sincero aprendizado dos espíritos estudiosos e desprendidos do orbe, refletem as opiniões contraditórias da Humanidade, a respeito do Salvador de todas as criaturas.

O Mestre, porém, não obstante a elevada cultura das escolas essênias, não necessitou da sua contribuição. Desde os seus primeiros dias na Terra, mostrou-se tal qual era, com a superioridade que o planeta lhe conheceu desde os tempos longínquos do princípio.”

E, meu amigo, não entre nessa de estaticidade do Espiritismo. Mal lhe aprofundamoos os profundos ensinamentos e vc já fala em acréscimos, ainda mais vindo de um só espírito, que só sabe motivar enxertias de crenças orientalistas no seio espírita?! Isso é retrogradar, meu irmão! E o que queremos é avançar, e com Kardec sempre!
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 18:11
KARDEC e os Espíritos Superiores nos preveniram:

"Ora, a experiência mostra que os maus se comunicam tanto quanto os bons. Os que são francamente maus, são facilmente reconhecíveis; MAS HÁ TAMBÉM OS MEIO SÁBIOS, FALSOS SÁBIOS, PRESUNÇOSOS, SITEMÁTICOS e até hipócritas. ESTES SÃO OS MAIS PERIGOSOS, PORQUE AFETAM UMA APARÊNCIA SÉRIA, DE CIÊNCIA E DE SABEDORIA, em favor da qual proclamam, em meio a algumas verdades e boas máximas, AS MAIS ABSURDAS COISAS.

SEPARAR O VERDADEITO DO FALSO, DESCOBRIR A TRAPAÇA OCULTA NUMA CASCATA DE PALAVRAS BONITAS, DESMASCARAR OS IMPOSTORES, EIS, SEM CONTRADITA, UMA DAS MAIORES DIFICULDADES DA CIÊNCIA ESPÍRITA."
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 18:18
Sobre os propalados "acertos" de Ramatis, em relação a certos fenômenos globais, eu diria que no Século 19 já tinham surgido as primeiras considerações, feitas por cientistas, de que mudanças na concentração do dióxido de carbono na atmosfera poderiam provocar ou a idade do gelo ou o aquecimento global. Todavia, a comunidade científica em sua grande parte não acreditava em tais suposições.
Na década de 50, surgiram modelos que indicavam possíveis distúrbios no clima da Terra. Tais modelos, apesar das falhas, eram mais elaborados. Na década de 60, devido ao avanço nas experiências com fluidos líquidos, os modelos passaram a considerar também as mudanças nos oceanos, que até então não eram incluídas devido a pouca informação que se tinha sobre eles.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Haga em 03 de Setembro de 2008, 19:14
Artur ,o seu livro está disponivel para download?

Que tal ofertar uma cópia digital do livro aqui para os lusos ;)
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 03 de Setembro de 2008, 19:15
'...Submisso e fiel ao mecanismo natural da vida humana criada por Deus, sabia curar com a simples imposição de mãos, como aprendera com os Essênios, e usava uma terapêutica afim com o seu tipo psico-físico e temperamento espiritual.”

O que diferencia um espírito evoluído, tal como o de Jesus, é a humildade. E Ele nunca se fez diferente de seus conterrâneos, conviveu com eles naturalmente. Há quem prefere vê-lo num perfil de endeusamento, a visão católica do próprio Deus encarnado. Acreditam que Ele negligenciou o meio e desmentiu as leis planetárias. Esquecem que o beija-flor quando lançado num pântano sofre em virtude do ambiente e gás metano exalado; fingem não saber que Ele dissera 'Não vim derrogar a Lei e nem os Profetas'

Citar
'...Dando cores próprias, Ramatis repetiu afirmativas que já haviam sido feitas sobre uma pretensa preparação de Jesus, entre os Essênios, para o cumprimento de sua missão. Dezoito anos antes, Emmanuel, na obra por mim supra citada, no cap. 12, contesta de forma clara e veemente a freqüência do Mestre, como discípulo, em qualquer grupo religioso...'

Jesus não era discipulo, e muito menos teve de se preparar com os Essênios:

Citar
Pergunta: - Algumas obras esotéricas, principalmente da 'Fraternidade Rosa-Cruz', afirmam que o Mestre Jesus viveu entre os Essênios, os quais influíram bastante na sua obra cristã. No entanto, outras obras, inclusive mediúnicas, asseguram que isso não aconteceu. Que dizeis à respeito ?

Ramatis: - Jesus, realmente, esteve em contato com os Essênios durante algum tempo e conheceu-lhes os costumes, as austeras virtudes, assim como teve oportunidade de apreciar-lhes as cerimônias singelas dos santuários menores, externos, e os ritos mais sugestivos do 'Círculo Interno'. Muitos de seus gestos, práticas e atos do mundo profano deixavam perceber as características essênias de elevado teor espiritual, pois elas guardavam muita semelhança com os primeiros cristãos.
Aliás, Jesus, como entidade de elevada estirpe sideral e insaciável na pesquisa do espírito imortal, ou na verdadeira vida do homem, jamais deixaria de procurar os Essênios e conhecer-lhes as idéias, pois os mesmos já ensinavam o amor a Deus e ao próximo, criam na imortalidade da alma e na reencarnação. Todas as religiões, seitas e movimentos espiritualistas da época foram alvo da atenção de Jesus, cuja mente privilegiada assimilava imediatamente a essência benfeitora e se desocupava das fórmulas exteriores. Seria bastante estranhável e um formal desmentido ao tipo espiritual avançado do mestre Jesus, caso ele tivesse conhecimento da existência dos Essênios, na própria Galiléia, e jamais se interessasse de um contato instrutivo.



Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 03 de Setembro de 2008, 19:26
KARDEC e os Espíritos Superiores nos preveniram:

"Ora, a experiência mostra que os maus se comunicam tanto quanto os bons. Os que são francamente maus, são facilmente reconhecíveis; MAS HÁ TAMBÉM OS MEIO SÁBIOS, FALSOS SÁBIOS, PRESUNÇOSOS, SITEMÁTICOS e até hipócritas. ESTES SÃO OS MAIS PERIGOSOS, PORQUE AFETAM UMA APARÊNCIA SÉRIA, DE CIÊNCIA E DE SABEDORIA, em favor da qual proclamam, em meio a algumas verdades e boas máximas, AS MAIS ABSURDAS COISAS.

SEPARAR O VERDADEITO DO FALSO, DESCOBRIR A TRAPAÇA OCULTA NUMA CASCATA DE PALAVRAS BONITAS, DESMASCARAR OS IMPOSTORES, EIS, SEM CONTRADITA, UMA DAS MAIORES DIFICULDADES DA CIÊNCIA ESPÍRITA."

Essa recomendação serve também para distinguirmos a idoneidade dos espíritos encarnados. Muito fácil tentar atrelar-se à imagem de Kardec, pegar carona e utilizá-lo como alibi para divulgar opiniões contidas num livro.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 19:55
Mahatma, não tenho o livro digitalizado. Todos os direitos doei à Editora EME, que faz um trabalho de recuperação de presidiários, por isso achei útil fazê-lo.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 20:02
Por falar em classificações, lembremos uma bem à propósito:

4º Há, finalmente, os espíritas exaltados. A espécie humana seria perfeita, se sempre tomasse o lado bom das coisas. Em tudo, o exagero é prejudicial. Em Espiritismo, infunde confiança demasiado cega e freqüentemente pueril, no tocante ao mundo invisível, e leva a aceitar-se, com  extrema facilidade e sem verificação, aquilo cujo absurdo, ou impossibilidade a reflexão e o exame demonstrariam. O entusiasmo, porém, não reflete, deslumbra. Esta espécie de adeptos é mais nociva do que útil à causa do Espiritismo. São os menos aptos para convencer a quem quer que seja, porque todos, com razão, desconfiam dos julgamentos deles. Graças à sua boa-fé, são iludidos, assim, por Espíritos mistificadores, como por homens que procuram explorar-lhes a credulidade. Meio-mal apenas haveria, se só eles tivessem que sofrer as conseqüências. O pior é que, sem o quererem, dão armas aos incrédulos, que antes buscam ocasião de zombar, do que se convencerem e que não deixam de imputar a todos o ridículo de alguns. Sem dúvida que isto não é justo, nem racional; mas, como se sabe, os adversários do Espiritismo só consideram de bom quilate a razão de que desfrutam, e conhecer a fundo aquilo sobre que discorrem é o que menos cuidado lhes dá. (Allan Kardec)
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 20:05
A lucidez kardequiana anteviu aqueles que, hoje em dia, são os apaixonados por modismos, novidades, "revelações" fantásticas, etc. Freqüentam, muitas vezes, reuniões de estudo doutrinário, mas não estudam; citam best sellers do momento, mas não sabem dar exemplos da literatura consagrada de autores encarnados ou desencarnados. São ávidos por lançamentos editoriais sem conhecer as obras básicas. Prejudicam a Doutrina porque divulgam conceitos equivocados, estimulando novos companheiros a seguir pelo mesmo caminho.
Uma pena! :-[
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 03 de Setembro de 2008, 21:45
Mahatma, já que vc se mostrou interessado no livro, temo pelo menos por ora a possibilidade de remetê-lo a uma palestra nossa sobre o tema, através do link. Eu possuo o CD, mas teria que convertê-lo para MP3.

http://www.cruzadaptarso.xpg.com.br/4.html

26-“RAMATIS: SÁBIO OU PSEUDO-SÁBIO?”
EXPOSITOR: PROF.ARTUR FELIPE DE A. FERREIRA
Artur Felipe de A.
(PALESTRA REALIZADA NO II CICLO DE PALESTRAS DA ADE-RJ NA CRUZADA ESPÍRITA PAULO DE TARSO)
Ferreira nos apresenta nesta palestra instigante e esclarecedora uma aplicação verdadeiramente prática, exemplificada, da metodologia kardeciana para lidar com o Além-túmulo, aferir o alcance das afirmações dos espíritos e o lugar destes na hierarquia espiritual. Na controvérsia respeitosa encetada pelo corajoso e competente autor do livro de mesmo título, brilham as luzes da razão e do bom-senso, aquelas que também iluminaram a trilha vitoriosa de Kardec em seus inauditos diálogos com o Invisível.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Haga em 04 de Setembro de 2008, 10:24
Se não se importar em converter para mp3 e colocar o link, eu gostaria de escutar. ;)
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 04 de Setembro de 2008, 13:21
Combinado! Providenciarei isso para esta semana ainda. Abraços  :)
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 04 de Setembro de 2008, 16:16
Por enquanto, oferto a todos os seguintes estudos:

Palestras em Áudio pela Internet (sem downloads)
No site abaixo - Terra Espiritual - encontramos um grande número de estudos disponíveis em áudio, de fácil acesso, sem ter que baixar nada, sem complicações e sem vírus.

http://www.terraespiritual.locaweb.com.br/espiraudio/index.html

Alguns estudos recentes do grupo de divulgadores da ADE-RJ:

Análise do livro "Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho
http://www.terraespiritual.org/espiraudio/anjoismael2.html

Análise das Mensagens do Anjo Ismael
http://www.terraespiritual.org/espiraudio/anjoismael.html
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: zeni em 04 de Setembro de 2008, 19:47


Olá Diegas paz a você.

Bem interessante a mensagem de Chico Xavier pôr Emmanuel, que nos trouxe, o que me faz ficar meio que pensativa, até por que, pelas observações com grandes credibilidade que são direcionado ao espírito desencarnado de Ramatís, mas entendo também que fica sempre uma grande distância em termos de outros ideais que nos chegam através das riquíssimas obras de Allan Kardec, e até de outros mensageiros da seara espírita, mas como o respeitado espírito desencarnado, Emmanuel nos diz , devemos absorver em forma de aprendizado e estudo foi o que eu pude intender, sujeitando-me a correção.


Abraços e fica com Deus.
Zeni.

Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 05 de Setembro de 2008, 04:59
'...o que me faz ficar meio que pensativa...'

Olá, zeni.

Se a mensagem de Emmanuel lhe fez pensar é um bom sinal. Há pessoas que dramatizam demais as coisas simples, enxergam sombras e urubus por todos os lados. Será que haverá necessidade de abdicar de algo excelente (Kardec) para poder aceitar o ótimo (Ramatis) ? Acredito que o excelente e o ótimo podem conviver muito bem juntos. Por que hei de atirar pedras na vidraça alheia para fazer a minha janelinha brilhar ?


Abç
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 05 de Setembro de 2008, 05:38
Retomando o assunto, pois o autor do livro, subrepticiamente adora acomodar suas opiniões aos textos de Kardec; apropriou-se da Codificação e faz dela a guerrilha.

10ª Que fim visam os Espíritos que anunciam acontecimentos que se não realizam? "

Fazem-no as mais das vezes para se divertirem com a credulidade, o terror, ou a alegria que provocam; depois, riem-se do desapontamento. Essas predições mentirosas trazem, no entanto, algumas vezes, um fim sério, qual o de pôr à prova aquele a quem são feitas, mediante uma apreciação da maneira por que toma o que lhe é dito e dos sentimentos bons ou maus que isso lhe desperta."

A quais predições mentirosas estaria se referindo ?

Seria esta ?

“A fase mais intensa da modificação física situar-se-á entre os anos de 1982 e 1992, e os efeitos catastróficos se farão sentir até o ano de 1999, pois o advento do terceiro milênio será sob os escombros que, em todas as latitudes geográficas, revelarão o maior ou menor efeito dos “fins dos tempos”. Daqui a mais alguns anos, os vossos geofísicos anunciarão, apreensivos, a verdade insofismável: – O eixo da Terra está se verticalizando!!!” (pág. 81).

Ora, tal como uma doença que se desenvolve aos poucos, lenta mas implacável, no interior do organismo humano - com danos irreversíveis dos tecidos, ossos e órgãos - e que demanda longos anos para manifestar-se à superfície, sem que tivéssemos o mínimo conhecimento de sua presença danosa, assim também ocorre com a 'profecia' em questão. Ou seja, os efeitos catastróficos no planeta revelaram-se até 1999, mas os escombros, em todas latitudes geográficas, ocorrerão com o decorrer do terceiro milênio (até 2140 - data em que entraremos na Era de Aquário).

Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: Diegas em 05 de Setembro de 2008, 05:50
Uma outra coisa que ainda não foi esclarecida pelo debatedor é essa associação que faz com Astrologia e o livre-arbitrio. O que uma coisa tem a ver com a outra ? Será que a matematica me impede de ser livre ? Ou o calendário juliano, gregoriano ? Ou quem sabe outro ramo da ciência ? Vou divagando a fim de entender o que se passa na cabeça-irmão.

Mas se puder dar uma luz a esta minha pobre mente, agradeceria muito do motivo de encontramos isto no livro 'Gênese', de Kardec:

Citar
1 A precessão dos equinócios ocasiona outra mudança: a que se opera na posição dos signos do zodíaco. Girando a Terra ao derredor do Sol em um ano, à medida que ela avança, o Sol, cada mês, se encontra diante de uma constelação. Estas são em número de doze, a saber: o Carneiro, o Touro, os Gêmeos, o Câncer, o Leão, a Virgem, a Balança, o Escorpião, o Sagitário, o Capricórnio, o Aquário, os Peixes. São chamadas constelações zodiacais, ou signos do zodíaco, e formam um círculo no plano do equador terrestre. Conforme o mês do nascimento de um indivíduo dizia-se que ele nascera sob tal ou tal signo; daí os prognósticos da Astrologia.
Mas, em virtude da precessão dos equinócios, acontece que os meses já não correspondem às mesmas constelações. Um que nasça no mês de julho já não está no signo do Leão, porém no do Câncer. Cai assim a idéia supersticiosa da influência dos signos. (*) (Cap. V, nº 12.)



(*) Grifei
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 05 de Setembro de 2008, 13:09
Como de costume, o nobre debatedor fecha os olhos às evidentes absurdidades ramatisianas e segue com um discurso místico-esotérico, que nada tem a ver com a proposta espírita de fé racional. "Era de Aquário", "Astrologia", "astro intruso", etc., tudo bem ao gosto do paladar orientalista de fachada do "mestre" das profecias de terror que não se cumprem, Ramatis.
Dentro dessa proposta dita "universalista" de Ramatis, o que encontramos é isso: um autêntico saco de gatos doutrinário, com a intenção de provocar a confusão,a cizânia e a dúvida. E muitos caem nessa esparrela, cantando ao quatro ventos que Kardec está superado, que o Espiritismo está atrasado, e todo um blá-blá-blá de quem mal conhece uma matéria e já se acha douto na mesma.
Mas traremos mais material, ainda hoje, para a análise daqueles que se interessarem.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 05 de Setembro de 2008, 13:14
Para quem possa achar que "dramatizamos", leiam atentamente o alerta do Espiritismo transcrito abaixo:


III - Os Falsos Profetas da Erraticidade

ERASTO

Discípulo de São Paulo, 1862

            10 – Os falsos profetas não existem apenas entre os encarnados, mas também, e muito mais numerosos, entre os Espíritos orgulhosos que, fingindo amor e caridade, semeiam a desunião e retardam o trabalho de emancipação da Humanidade, impingindo-lhe os seus sistemas absurdos, através dos médiuns que os servem. Esses falsos profetas, para melhor fascinar os que desejam enganar, e para dar maior importâncias às suas teorias, disfarçam-se inescrupulosamente com nomes que os homens só pronunciam com respeito.

            São eles que semeiam os germes das discórdias entre os grupos que os levam  isolar-se uns dos outros e a se olharem com prevenções. Bastaria isso para os desmascarar. Porque, assim agindo, eles mesmos oferecem o mais completo desmentido ao que dizem ser. Cegos, portanto, são os homens que se deixam enganar de maneira tão grosseira.

            Mas há ainda muitos outros meios de os reconhecer. Os Espíritos da ordem a que eles dizem pertencer, devem ser não somente muito bons, mas também eminentemente racionais. Pois bem: passai os seus sistemas pelo crivo da razão e do bom-senso, e vereis o que restará. Então concordareis comigo em que, sempre que um Espírito indicar, como remédio para os males da Humanidade, ou como meios de realizar a sua transformação, medidas utópicas e impraticáveis, pueris e ridículas, ou quando formula um sistema contraditado pelas mais corriqueiras noções científicas, só pode ser um Espírito ignorante e mentiroso.

            Por outro lado, lembrai-vos de que, se a verdade nem sempre é apreciada pelos indivíduos, sempre o é pelo bom-senso das massas, e isso também constitui um critério. Se dois princípios se contradizem, tereis a medida do valor intrínseco de ambos, observando qual deles encontra mais repercussão e simpatia. Com efeito, seria ilógico admitir que uma doutrina cujo número de adeptos diminui, seja mais verdadeira que outra, cujo número aumenta. Deus, querendo que a verdade chegue a todos, não a confina num círculo restrito, mas a faz surgir em diferentes lugares, a fim de que, por toda parte, a luz se apresente ao lado das trevas.

            Repeli impiedosamente todos esses Espíritos que se manifestam como conselheiros exclusivos, pregando a divisão e o isolamento. São quase sempre Espíritos vaidosos e medíocres, que tentam impor-se a pessoas fracas e crédulas, prodigalizando-lhes louvores exagerados, a fim de fasciná-las e dominá-las. São geralmente, Espíritos sedentos de poder, que, tendo sido déspotas no lar ou na vida pública, quando vivos, ainda querem vítimas para tiranizar, depois da morte. Em geral, portanto, desconfiai das comunicações que se caracterizam pelo misticismo e a extravagância, ou que prescrevem cerimônias e práticas estranhas. Há sempre, nesses casos, um motivo legítimo de desconfiança.

            Lembrai-vos, ainda, de que, quando uma verdade deve ser revelada à Humanidade, ela é comunicada, por assim dizer, instantaneamente, a todos os grupos sérios que possuem médiuns sérios, e não a este ou aquele, com exclusão dos outros. Ninguém é médium perfeito, se estiver obsedado, e há obsessão evidente  quando um médium só recebe comunicações de um determinado Espírito, por mais elevado que este pretenda ser. Em conseqüência, todo médium e todo grupo que se julguem privilegiados, em virtude de comunicações que só eles podem receber, e que, além disso, se sujeitam a práticas supersticiosas, encontram-se indubitavelmente sob uma obsessão bem caracterizada. Sobretudo quando o Espírito dominante se vangloria de um nome que todos, Espíritos e encarnados, devemos honrar e respeitar, não deixando que seja comprometido a todo instante.

É incontestável que, submetendo-se ao cadinho da razão e da lógica toda a observação sobre os Espíritos e todas as suas comunicações, será fácil rejeitar o absurdo e o erro. Um médium pode ser fascinado e um grupo enganado; mas, o controle severo dos outros grupos, com o auxílio do conhecimento adquirido, e a elevada autoridade moral dos dirigentes de grupos, as comunicações dos principais médiuns, marcadas pelo cunho da lógica e da autenticidade dos Espíritos mais sérios, rapidamente farão desmascarar esses ditados mentirosos e astuciosos, procedentes de uma turba de Espíritos mistificadores ou malfazejos. (Ver, na Introdução, o parágrafo II: Controle universal do ensino dos Espíritos. E em O Livro dos Médiuns, o cap. XXIII, Da obsessão).
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 05 de Setembro de 2008, 13:19
Os alertas são antigos...

"Guardai-vos dos falsos profetas que vêm ter convosco cobertos de peles de ovelha e que por dentro são lobos rapaces. - Conhecê-lo-eis pelos seus frutos. Podem colher-se uvas nos espinheiros ou figos nas sarças? - Assim, toda árvore boa produz bons frutos e toda árvore má produz maus frutos. - Uma árvore boa não pode produzir frutos maus e uma árvore má não pode produzir frutos bons. - Toda árvore que não produz bons frutos será cortada e lançada ao fogo. - Conhecê-la-eis, pois, pelos seus frutos. " (Mateus 7:15-20)
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 05 de Setembro de 2008, 13:30
O interessante nisso tudo é que observamos que a grande maioria considera que, basta ser espírito, pronto!, é santo, é sábio. Porém, o Espiritismo nos mostra que não é bem assim, pelo contrário, ainda mais nesse planeta onde predominam as más paixões.
Se perguntarmos para um simpatizante espírita, desde o neófito ao mais experimentado, que nos aponte um "falso profeta" em nosso meio, mui dificilmente ele citará um nome sequer.
Mas quem se atreve em dizer que eles não existem, ainda mais quando encontramos centenas de alertas na Codificação sobre eles e as artimanhas que se utilizam para convencer e dominar, que ultrapassam tudo aquilo que podemos imaginar? Não somos nós que dizemos, mas espíritos do quilate de Erasto, São Luiz, e o próprio Espírito da Verdade, entre muitos outros de igual envergadura intelecto-moral.
Aos poucos aqui demonstraremos tal fato.
Título: Re: Divaldo fala sobre Ramatis
Enviado por: ArturAzevedo em 05 de Setembro de 2008, 13:35
"O Espiritismo revela outra categoria bem mais perigosa de falsos Cristos e de falsos profetas, que se encontram, não entre os homens, mas entre os desencarnados: a dos Espíritos enganadores, hipócritas, orgulhosos e pseudo-sábios, que passaram da Terra para a erraticidade e tomam nomes venerados para, sob a máscara de que se cobrem, facilitarem a aceitação das mais singulares e absurdas idéias.
Antes que se conhecessem as relações mediúnicas, eles atuavam de maneira menos ostensiva, pela inspiração, pela mediunidade inconsciente, audiente ou falante. É considerável o número dos que, em diversas épocas, mas, sobretudo, nestes últimos tempos, se hão apresentado como alguns dos antigos profetas, como o Cristo, como Maria, sua mãe, e até como Deus. S. João adverte contra eles os homens, dizendo: "Meus bem-amados, não acrediteis em todo Espírito; mas, experimentai se os Espíritos são de Deus, porquanto muitos falsos profetas se tem levantado no mundo." O Espiritismo nos faculta os meios de experimentá-los, apontando os caracteres pelos quais se reconhecem os bons Espíritos, caracteres sempre morais, nunca materiais (1). É a maneira de se distinguirem dos maus os bons Espíritos que, principalmente, podem aplicar-se estas palavras de Jesus: "Pelo fruto é que se reconhece a qualidade da árvore; uma árvore boa não pode produzir maus frutos, e uma árvore má não os pode produzir bons." Julgam-se os Espíritos pela qualidade de suas obras, como uma árvore pela qualidade dos seus frutos.

(1) Ver, sobre a maneira de se distinguirem os Espíritos: O Livro dos Médiuns, 2ª Parte, cap. XXIV e seguintes.